Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10341


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AlUiv al. nujaiiAiu ou.
Par tres nezes adiantados $$000
Por tm mezes veacidos 6J00U
Porte aa carreia |>or tres mezes. 750
ywuua *iim
jai;iu arM
R%r amo adiantado.. .... 19$A00
Porte ao correio por aa aono 3$80U
DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCR1PCO NO NORTE
Paran vba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima'
Natal, o'Sr. Antonio Marques da Silva; Araratv.
Sr. A. de Lemos Brasa; Cear,. o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquitn Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagas. o Sr. Claudino Falco Dias; Babia, o
Sr. Jos Marlins Al ves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martias BPHEMEflDES DO MEZ DE ABRIL.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Govanna e Parahyba as segundas el .
sextas-feiras. 6 La nova as h., 29 m. e 2 s. da m.
Santo Anto, Grvate, Bezerros, Bonito, Garuara-', 13 Quarto crese. as 9 h., 46 m. e 14 s. da t.
Altinho e Garanhuns as tercas feiras 21 La cheia as W h., 59 m. e 2 a. da t.
Pao d Amo, ISazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,| />..... ..< ~. .,
IngazeiA, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob, 2' Quart0 mm*- *>i4 m- e 32 s- da m-
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sermhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi dia
PRBAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 oras e 6 minutos da manha
Segunda as 10 boras e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sulfat Alagdas a 5 e 25; para o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando. nos
dias 14 dos mezes dejan, marc., maiojul, set enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos as & Vi, 7,7 '/ e
8 '/i da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde i de
Jaboato s 6 '/i da m.; do Caxang e Varzca as 7
da m.; de Bemflca s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 Vi, *. Vi, 4 Vi,
S, 8 V 5 '/i e 6 da Urde; para Olinda s 7 da
manha e 4 Vi da tarde; para Jaboato s 4 da ur-
de ; para Cachang e Vanea s-S'/ da tarde; para
Bemflca s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta> s-10 oras.
Juizo do commercio: segundas s 11 boras.
Dito de orphos: trras e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao- tomo
dia.
Segunda vara do eiel: quartas a sabbados a. i hora
da tarde.
DIA.J DA SEMANA.
11. Segunda. S. L-i Magno p. Vuf dnrgr
12. Terca. Ss. Virtor- > vate loa.
13. Quarta. S. BenmagHda i>ruv;p>- m.
14. Quinta. S. Domina v.; S. Til-or-n,!
13. Sexta. S. Pawrario; S. Kiillmwu
16. Sabbado. S. agracia v.; S. flalni in.
17. Domingo. Ss. Hcrmogenes e Ff*tunal ma
ASS1G.NA-SE
no Recife, em a Urraria da pracx da I
ns. 6 e 8, dos proprie taos hmm
IFaria 4 Fimo.

U1 HIT AFPTfll 1T I ao commandante superior de Olinda e Igua- projecto n. 33 que veio annexo ao ofllcio de- Y. S. do fallecido seu ogro ; em sita volta tardo, to I Na occasio ci
KA ti I f. vif llIjIAL | rass.Communico V. S. para seu conheeimen- de :t0 Je mareo ultimo sob n. 37. I atrozmente assassinado eom 23. punhaladas, jnnlo peratriz da linha. i
v* *m n j. i e ao,n ue gUe ja^a Cnstar aodemittido, que N. 103. Dito ao mesmo. De ordcm do Sv Exc. a una sanga pouco distante da estrada, e desse lu-nista declarou aoc
m.MKTKHi ia %<:iu< n/ri-
ka roviviF.ni i<
K OBRAS l'l BIICAM.
Concede El, W. Blake privilegio por cinco annos ncl *">Mndan?p do batalhao de infamara n. 11 e 67.
jmra mtrodazir M imperio a machina que de- da ,?uarda nac,onal dessa comarca Urbano Jose de ?; 10i--D,t0 ao "^mo-O Exm. vrc-pres^ten-
a "Il'llll II' (I. I
claren ter inventado, para quebrar pudra.
em quo hoje larga va o \-apor te-
intermediaria, o primeiro.tnachi-
capitao que niu segua vi vapor. Oiegando-entao a visita da polica, o cap-
tao informou-a (este facto. Q enearregado. A.\ visi-
t O offlcial de justira Jmh-umi Hernardes da C
nha. i|Ue se aelvava prximo, lurtuit .nw rerfcw-
do procurador < deu a voi *v pristo a afgTCMtr.
que della zombou.
En tao o oHh'ial de jasija prrtrndeu >o>JBgi-
ta procurou em vao persuadir o machinista : teve |0 ir mej0 forr, mas e>bl> o terreno Mta-
em resposta em tom insolente que mais-faeil Ihc do, ambos esoprgaram >- rabiram na lula, e
segundo constou de participacao da directora ge- o Sr. vice-presidenle da provincia, remet V. S. gar foi conduzido a rasto, na distancia de mab de
ral da secretaria de estado dos negocios da justica para ser presente a assembla legislativa provin- \ urna legua, para es bainhados dos Canellues.
de 29 de fevereiro ultimo, S. M. o Imperador por cial as oformacoes que ministrou o director da le-1 Ao faltar Campos, que nesse dia devia infal-
porlaria de 26 do mesmo mez, liouve por bem pri- particao das otiras publicas acerca do quadro. das livelmente voltar a casa, dasperlou suspeitas na
var do respectivo posto na forma do S 3" do art. obras provinciaes de que tratam os ofBcios de V. esposa, j afllicta pela demora ; e no segninte da
MOUnQ R. 3,233 ok 21 de M.utc.0 de 1864. I 63 da lei de 19 de setembro de 1850, o tenente-co- S. de 2 de parco ultimo e2 do crrente, sob n. 6 appareceu sollo o cavallo em que elle andava ; en-
roncl rom manda n'i- do batalhao de infamara n. 11 e 67. tao as suspeitas (ornaram-se coalidade I
Immediatamente o juis de pai em exercicio
Mello. te da provincia manda remetter por copia V. S. Gil Braz Manoel Pinto, em falta do subdelegado, j o camarote- eniquanto' ia Villegaigoon dar as
Dito ao commandante superior da guarda naci- para ser presente a assembla legislativa provin- que com qutaro pracas se tinha dirigido ao arroio necessarias providencias.
e rendoovrdoo narecer do^nrocundr da corOa' nal do Limoeiro.Ramello por copia V. S. para cial a normacao qne foi ministrada pelo Exm. de El-Rei, lalvez a alguma diligencia, reunindo al-1 Nesse-awmento appareceu o nuchinista fa-
sberania e fazenda nacional hei rr bem ronce- ,,ue ,ransmit,a ao capitao cirurgiao mor desse prelado diocesano e a que vao annexas as dos vi- I guns homens, e coadjuvado rom tres guardas na- zendo no mesmo tom igual declaraco ; e queren- a de Jauafio.
der-lle privilegio por cinco a'nnos para introduzr commant, superior Antonio Francisco da Cunha, garios das freguezias da Escada e Serinhaaem, in- i cionaes, que o major eomraandante da fronteira, do o capifcw fechar no camarote o. primeiro, all
no imperio a machina nue derhrou ter inventido a.nola da importancia que tem de recolher esta- do a ultima em original relativamente ao projecto poi sua disposicao, eumregou esforcos, aflm de encontrou um machinista da corveta ingleza S seria proromper em algum excesso do iyu> (azer a
viagem.
* O encarregado nao tendo forca ua disposi-
cao disse a>> capitao que recolhesseo. machinista
queda aconteevu-quo JanuariAeasse ferido Mt vet>-
tre com sua (-ropria taca, de que rrsullou Marte
instantnea.
Procedea-fe- a eorpo Je delicio e teures-M
o competente- |roce denle porque provou-s eom lestemuiihas coI^*Ij
que Jnaquim Hvrnardes Banca se apoderara 4a ta-
na orraiao em ajar-
1864, 43 da independencia e do imperio.-Com a do S,e1zf,"du0,J
rubrica de S. M. o Imperador. Domiciano Leile *fi?, '"f'"10 mez
iiibeiro. commandante
mi iiq,ul.iUa u jUv..v.. Aiiano assignaos, mestro e carpinteiros e ca-: '"-. : yv- *" uMuin-,-, "i """"""i >' uopui incumm segunojor
M. o Imperador por decreto |arales jes,a cidade Informe o Sr. capitao do deu. a.us individuos quo a esposa, a familia e o po- para o xadrez da polica, onde a autondade, pre- jj^o am
'., houve por bem nomea-lo n0rto vo iodigilavam como seus assassinos, sendo um venindo novos abusos, dove ponderar-lhe crea- fofa dest]
ior da guarda nacional dos Adelo Barbosa da Silva. Ealresue-se nao cuuhado do assassinado e o outro um oriental, e mente que urna vez matriculados bordo nao lhes axilla.
GOVKRNO DA PROVINCIA.
Ofiiiuiiiarfni dn rxpedirnlf do dia 8 de abril
df 186 i.
superior
municipios do Rio Formoso e" Serinhaem : assim haVendT'nconve'ienteT
Ih'o communico para seu conhecimento.Fizeram- Andr Avelino de Barros Passe.
se as de mais communicac5es. Emilia Maria de g^u ama. Informe o Sr.
Dito ao juiz de diretto interino da comarca de deseinbargador provedor da santa casa da Miseri-
Tacarat.Com o parecer do conselheiro presi- cordia.
dente da relacao datado de 9 do corrente, e junto Francisca Maria de Jesus.-Prove o que allega.
ma grande e profunda soluro de roalinui-
desde a parte anterio al a posterior da
continua a empregar todos os meios, com o im de era licito por mero capricho adiar urna viagem.
descubrir bem todos os vestigios do crime, para
que seus autores recebam o justo castigo de tanlo
canibalismo.
Esses dous individuos c mais outros, para in-
dagares, so acham recolhidos e em boa guarda no
por copia, dou solugao a consulta bita por Vine, Bacharel Francisco Jactnthe de Saropaio.J foi WWjf1 ^ destacamento do batalhao 13.
Oilicio ao juiz de paz presidente da junta de em 16 de fevereiro ultimo, com referjnciaao re- prvido provisoriamente o iugar que reiuer o sup- Se sempre assim se buscasse punir aos delin-
lu.iliiicaeao da freguuzia de Pao d'Alho. Tenho querimento do escrivo interino do jury e execu- piante. j quentes, a sociedade nao teria entre si o peso enor-
p rosen le o olllcio de 26 de fevereiro (iroximo fin- coes criminaes dessa comarca Antonio Jos Braga. Francisco Duarte Coelho.__Informe o Sr. inspec- me ^ crme, que som punico se augmenta.
do, em quo Vmc. asseverando ler-se dado o facto Dita ao director das obras publicas. Annuindo tor da thesouraria provincial. Agora tiraremos a consequencia lgica, d>
que faz objecto da queixa, que o escrivo do juizo ao que solicitou o inspector da thesouraria de fa- j^^ steves de Oliveira.Pode remetter os ob- 1ue na tonino Ihe disse em um communicado, que
de paz do Io districto dessa freguezia trouxe ao zonda em ofllcio de 6 do corrente, sob n. 179, re- jectos constantes da relacao junta, menos o vinho a imuunidade dos crimes era animar a continuado
commendo Vmc. que faca examinar o estado do ., acnardi>nit> delles.
meu conhecimenio de haver sido dispensado por com
Kecolhidos e conduzidos tara bordo do S-ir<
ment por um escaler'do vap ir Amazona*, em qme
estavam o 1 tenente Vassipoo e o Dr. CaraHro
da Bocha, foram os fendos trbnsporlados d'alli para
o hospital de marinha unde foram operados p-lo
Dr. Bento de Carvalho, ajmiado pelos Drs. V'u
Vmc. de continuar a comparecer aos irahalhos da proprio nacional em qne se achava a prensa de al-
junla de qualilicacao |iara os auxiliar nos termos godao silo no Forte do Mallos, pertencente Ma-
da lei, declarando-lhe que para esse lien bavia a noel Antonio Ribciro, o qual foi ltimamente in-
inesina lei determinado secretarios das juntas de cendiado ; eme remeta um relatorio acercadel-
qualiQcacao, procura justilicar o seu procedimento le no qual satisfaga principalmente os scguintes
explicando dilferentes decisoes do governo e dis- quesitos
e agurdente.
Joanna Francisca Lins.Informe o Sr. desetn-
bargador provedor da santa casa da Misericordia.
I>oscos de lei citadas pelo mesmo escrivoemsua
j-upracitada queixa.
Nao me parecem, porm, procedentes os argu-
mentos apresentados por Vmc. por isso que. nao
se anulando em disposicao alguma de lei, acham-
se em manilesta opposieao com a doutrina estabe-
1* Se o edificio ficou em circumstancas de poder
continuar a servir mediante concertos.
2" Qual a somma a que deve este montar.
3o Se ser mais proveitoso vender o dito pro-
prio no estado em que se acha.
4 Finalmente se em razo de sua siluacao con-
COMANDO DAS ARMAS.
Ojiarte! general de eliminando das armas de IVr-
E' o que desgracadamente todos estamos ven- de Montserrate, digno ex-presidunle do supremo
de oeste districto. tribunal de juste- j.
< Diga agora o autor do escripto inserido no Urna commisso escolhida entre os subscripto-
Comtnercial que a forca de linha est aqui por res, e composta de membros do corpo legislativo e
mera ostentaco ; diga, porque nao solfre os males da cmara municipal da corte, advogados, nego-
7
Em virtude da requisicao da presidencia da pro-
vincia, o Sr. ministro da marinha mandn sabir ho-
je para Itinguabyba, no Sacco de Mangaran ha, o
vapor Amazonas conduzmdo facultativos e medica-
mentos para soccorror os habitantes daquello lugar (^neiro'da' R^ha'7na'"*Ms,wUrcr vapor
atacados da epidemia que all grara. | da corveta norte-americana Ontrard. O estado do,
_--------------- feridos grave.
Escrevem-nos o seguinle : __39 _i_
Tendo sido transferida para amanhaa a festi- por decreto de 26 do corrente, teve mere do li-
vidado do anniversano do juramento da constitu- tu|0 do consclho o ministro do suprem triburul
Cao, lera tainbetn lugar amanhaa a ceremonia da de justioa. Francisco de Paula Cerqoeira l^ilc.
entrega da cora de ouro olferecida ao Sr. barao _______
Foi Horneado lente da cadeira de palbalogia fe-
ral da faculdade de medicina da corteo lente >ut>-
titulo da mesma faculdade, rt Francisco de Mee-
zes D iasda Cruz.
que soffremos, e mais soffreremos se as autorida-
des forein surdas aos nossos clamores.
Ao Exm. Sr. presidente da provincia c Dr.
anbuco, na cidade de Rerife, M de abril de ehefe de polica entregamos a apreciado dos acon-
^si i tecimentos.i
(irdem dn din III Commercial diz em dala de 17 :
Pelo Sr. M. Teixeira de Almeda, chefe da re
ciantes e representantes de outras classes da socie-
dade, se dirigir as 11 horas da manha aocaesda
Gloria, residencia do venerando magistrado, e apre-
sentar a cora, pronunciando nessa occasio um
discurso oSr. Dr. Antonio Ferreira Vianna.
> Consta-nos que muitos amigos pessoaes c ad-
miradores das virtudes e qualidades do Sr. barao
lecida por dilferentes decisoes do governo imperial viria antes a sua total demolicao para alargamenlo TL, Sm f- \ltrJ n dac?5o do Alegretense, fomos obsequiados com esta de Montserrate, acompanhados de bandas de musi-
entre as quaes os avisos de 26 de abril de 1847 e embellesamento da respectiva prega. !!^.?IP?-fi0.?,!ff.^gS q.a.,l" ": folha. ca, pretenden) comparecer a este aclo, para darem
3, II de fevereiro do mesmo anno S 1, aviso n. 83 Dito ao mesmo.Recommendo Vmc. que man- ?SP??!^.T^^.a-*-??!?^-^?gg'" A noticia de mais circumstancia que narra, teslemunho de sua adhesao a demonstrago para
de 1847, $ 3- e n. 237 de 1860 4'\ todos os quaes de examinar com a possivel brevidade o estado da li.ZJSrFTfgTT^.t'^SZ wzJEm?m\ e5le Joroal 6 l'orroroso caso de tres assassinalos, que foi escolhido o annversario do juramento do
e especialmente o ultimo que declara que oes- eobeftt do theatro de 8*1 babel e de todo O adi-, ^P^5?!r .^l .JSl. ^ l^Z-T ^St1 commettidos na madrugada de 26 de Janeiro pas-, uosso pacto fundamental.
crivo da juma de qualificaeo, bem como qual- Picio. S^in^^M\l^r^^m^nwmC^nX. sad. nas mmediacoes do Boquoiro de S. Thiago. A cora toda de ouro, de folhas e bagas|de
quer meml.ro della, pode certificar os factos oc- Dito ao mesmo.-Inleirado do conteudo do seu ^SS?^.SB!, yr^ZnSirtn^m Estes crimes foram perpetrados nas pessoas de carvalho, symbolo da fortaleza. Tem na frente es-
curridos nao s durante a sua organisaeo, mas ofllcio de 9 do corrente sob n. 94, tenho a dizer,"J"~ ^ ," p. Haia ^i, r, n 121 Margarida, mulhcr de Nicolao Finger, ambos de, te emblema: sobre os raios de luz, que syrabsli
tambem durante os seus trabalhos, lirmam o prin- em resposta que faga constar ao empreiteiro da on!T "J"''',,,,, ."'i? fl oa origem allemaa, porm Brasileiros ; e Guilhermi- ,sam a intelligencia.a balanga, espada e inodajus
cipio de que o escrivo nao s pi'ide mas deve as- estrada do norte, engenheiro Jos MamedeAlves'
sislir aos trabalhos da junta de qualifiragao, tanto Ferreira, que de conformidade com o art. 2 do sob
latnao e otaniaria Miniao Jos ue Miranda, con- RupYrr m "
forme declarou o respectivo Sr. commandante em ~}? fl
ofllcio d'aquella dala sob o n. 321. Sem afemi
1 a, m^Umi& ^e,,,!n-ma i!K,?a,l0iJ,Um ?.e na, joven de li'am
sistir aos trabalhos da junta de qualificagao, Unto Ferreira, que de conformidade com o art. 2 do sob ^eu, na sua ordem do ma ju de 5 leste m, da
maisquanto nem na le, regulamen.ar das elei- contrato celebrado em 9 de se.embrode 1861, deve J^Ur^^o^r^^^Mi^^ vida, ,rL quTmer
cikx. nem nas difierentes decisoes do governo, elle proseguir nos trabamos daquella estrada do ^^.l1"!?.0 ^?f?.^.^y^-rl.l'J.1!^??]! sua honradez e recato
existe arbitrio para os presidentes das juntas dis^ rio Bu, enviando com brevidade urna planta do approvado no exame pratico, e nao simplesmente d "-ricaro
._.....Y, -, r .....-. _'. ___t.. ...___....____1__i-i. ___ n_ 1. "a. 1.__- Enmase mencionnu- i! y?! ...
Sentimos ter de noticiar que falleceu anle-huo
tem, s 11 horas e 50 minutos da noiie, o Sr. co--
selheiro Francisco Xavier Pa4s Brrelo, offlcul da
imperial ordem da Rosa, ex-t|eputado a assembla
geral legislativa, senador do i npeno pela provia
cia de Pernambaco, o ministr 1 e secretario de es-
tado dos negocias estrangeira 1.
Conduzido na mesma noite do hotel da Aurora,
em And.irahy, onde fallecer, para a casa de soa
residencia na praia do Flamewo, sepulba se hoo
tem depois das 3 horas da larle no cemiierio de S.
Joo Baptista.
O prestito fnebre desfilou na ordem segumie
Um coche da casa imperial ronduzindo corpo.
Oulro com o vigario da fregnezia e o seu acoIyU.
O carro particular do finado acompauhado pela-
s, filha de um pobre ferreiro liga, sustentando o livro das luis, aborto; n'uma suas ordenamos e criados.
_ esta urna menina quasi des- das paginas a data7 de setembro de 1822e na o primeiro 'regiment de
mereca a geral sympalhia pela oulra23 de marco de 1824em commemoragao
Jto em uue viva na companhia los serviros prestados peto Sr. barao de Moniser-
recato em que viva na companh
INTERIOR.
KIO DE J A-NKIKO.
pensarem os re'feridos escrives, e o que mais terreno comprehendido entre o fim do 22- lango omo ?e mencionou.
prolubirem que assistam nesta carcter aos seus ao engenho Bu, com o trago da estrada projectada Assignado.-SoiV/omo Jose Antonio Pmira do
trabalhos. e indicago da ponte de ferro que obrigado a ljaF\. ...
Km vista doi|ue tica expendido e sem attender collocar sobre o predito rio, aflm de que se possa < i-ontorme.Ju>e njnacio ar ueaeiios neijo mon-
is domis irregularidades que segundo me consta, findar o termo da linha alm da mencionada pon- teiro> caP"au encarregado w detatne.
deram-se na organisaco da junta, e para cuja ve- te, segundo consta do seu citado ofllcio.
rihVaco, e conveniente deciso, exigi por eflicios Dito ao mesmo.Mande Vmc. fazer os reparos
le 3 e 26 de margo ultimo, cpia da acta de sua de que segundo me declarou o director geral da
orgamsacao, e que at o presente Vmc. anda nao instruego publica em ofllcio de 7 do crrente sob
me remetteu, tenho resolvido annullar o processo n. 61, necessita a coberla do edificio onde funecio-
da qualifica<;ao dessa freguezia e determinar que nam as aulas do curso cominercial Pernambucano.
a respectiva junta proceda a nova revisao admit- Communicou-se ao director geral da instrueco
lindo nos seus trabalhos o escrivo do juizo de publica. 23 de margo de 1861.
paz, e guardando em ludo os preceilos da lei, cuja Dito ao juiz de paz presidente e membros da .,, ... ,. ,
observancia multo Ihe recommendo. junta de qualificaeo da freguezia de Tracunhaem. or, Portara de 19 do corrente foi nomeado o
.- 11 -Nao tendo aco'mpanhado alista dos cidados Otlkio ao brigadeiro commandante das armas. qualilicados votantes nessa freguezia no corrente gradingir inlennamente a fabrica da plvora da
Queira V. Exc. mandar pr em liberdade, dando- anno que Vmcs. meenviaram com o seu ofllcio de-
Ihe baixa se j estiverem com praca os recrutas 10 de marco ultimo, as relagoes de que Irata o de-
Jos Francisi'ode Araujo, Felippe "Francisco Lou- creto 11. 2863 de 21 de dezembro de 1861,cumpre
reiro Santiago e Manoel Francisco de Paula, que que me as remettam com a maior brevidade pos-
provaram isengao legal.Communicou-se ao coro- sivel.
nel recrutador. Portara.O Sr. gerente da companhia Pernam
rate na poca da independencia e suslentago do
Nicolao Finger seguio pare Porto-Alegre a systema jurado,
seus negocios, e a pobre menina Guillermina du- Do lado de Iraz a cora fechada por um lago
rente a ausencia deste aeompanhava Margarida tendo gravadas no alto este celebre verso de llora-
por pedido que esta Ihe ha va feito. Passados 8 ou ci, na odeAo Justo:
10 dias da viagem de Finger deu-se to lamentavel Impacidum ferienl ramee ; e nas ponas da
successo. fila os nomes dos grandes magistrados L'Hospital,
f Foi tambem victima um Allemao sapateiro, de Harlay, Taln, d'Augucsseau, Broussel, Seguier,
18 a 19 annos, aggregado ha muito lempo de Fin- Malesherles, Voisin, P. de Morvilhrs, e em baixo
ger, escapando nicamente um p/ de 7 a 8 an- 3 de fevereiro de 1864 dala em que S. Exc. deu
nos de idade, que servia de pio pare reparar o j demisso do lugar de presidente do supremo tri-
pouco gado desta familia ; esto deve a sua salva- bunal.
gao ao refugio quo buscou subindo para um giro
coliocado na enzinha.
< A infeliz Margarida foi encostrada deitada so
bre a cama, com o corpo encolhido e virada para
a parede, mettida em um lago de sangue Tinlia
Estrella.
O centro do lago ornado com outro emblema
em que se distingue o espelho da verdade, rodeado
da hacha, facho e serpente,ique symbolisam a sa-
bedora.
Como j disemos, um irehalho artstico feito
o baixo reir at e peno.
Pelo ministerio da fazenda expedo-se aviso !, i**6" Guilhermina foi achada deitada de
inspectora da alfandega da corte, declarando, em DruSos ''">>"> da cama de Margarida: t.nha no
em seu corpo 19 feridas morlaes, sendo 14 desde no paz, e que faz honra a oflleina em que foi exe-
1 culado, a do Sr. Domingos Farani & Irmaos, na
qual estar exposta hoje todo o dia, ra dos Ou-
nves n.o9.
resposta ao seu ofllcio n. 182 de 29 de fevereiro ul- ^ to ,res facadas (Illt P^ciam cruzar-se, e dous
timo, que pela disposigo do art. 383 do regula- S0'^ profundos um em cada braco.
...cvuhww. ....m.m.,,oi.KciCme o*, toui^-i-n ^......- J. alfandesras -a< forfilera* < nndoiiinh<-' O sapaleiro Pedro, que dorma na sua ofllcina
Ditoao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar bucana de navegacao costeira faga transportar pa- !""!... .,.Hg,' lorlaleza;' P001!"1 0Di- untoda
alistar nos rorpos em ijuarnieao nesta provincia, ra o presidio de Fernando por cnta do ministerio wr a s?. a. ,as *"nbarcagjes que nao eslivorem
se forem julgados aptos para" isso, em inspeegao da guerra, no vapor Mamanquape 3 caixoes com c2rr*ntc* B desembaragadas pela compleme esta-
de sade os recrutas Jos Parias de Araujo, Miguel artigos de fardamento destinados s pracas do 7 S^J.1.^?1; ^*!ei?.caP,!a?,a.do Prt0 e ac:rescentan-
cozinha, espirara tambem debaixo de sua
29 -
Solemnisou-se hontem o anniversario d) jura-
mento da constitugo poltica do imperio.
Estiveram embanderados e salvaram os vasos
achado no raeio de urna poga de de guerra nacionaes o eslrangeiros surtos no porto
e as fortalezas, canlou-se na capella imperial um
batalhao de infamara all destacadas bem como do.'iu.e S nes'es casos e que os empregados das
qualnuervolunte quede ordem do brigadeiro com- ~Z**J*11SLU coadJuvaca.0 das for,a!e-
mandante das armas e relacionados forem remet-
zas para obstar a sabida, quando o nao possam fa
Sirva ao menos isto de allivio, se possivel.; jendose posto em duvida. se, convocada para 23
-------- I de abril a sesso extraordinaria da assembla pro-
Pela secretaria de estado dos negocios da justi- viDcial deve nesse dia ter lugar a abertura, ou co- dos ucarao is
Entrou hontem de Montevideo e dos porlos do ca SoJai Midos, em 23 do corrente, os seguio- meg.arei.i as sesses preparatorias, julgamos con- cha.-aceresc
veniente noticiar jue, segundo dispoe o art.
Porfirio da Vista, Reginaldo Jos, Joaquim Jos do
Sant'Anna e Joo Francisco dos Santos, que exis-
tem no i|iiarlel do 2" batalhao de infamara.Com
mu
Dito
suas
hospil;
ou
tivo
seao
alistar em os'ToV'pos eni'guarnco nesu prrn- guerra!....."" *"" '........" forme agravidadedo delicio. Oque se devercom
cia, se forem considerados aptos'para isso em ins- Dita.-O vce-presidente da provincia atienden- "JJ"1"!^ a guardamona, atim de ser o dito cabo
peeeJM de sade, os recrutas Jos Quirino do Nas- do ao que requereu Severino Alexandre Villarim, advertido pela falla commettida.
cimento e Vitalino Jos de Souza que se acham de- lenle coronel commandante do batalhao n. 21 de
tidos no quartel do 2- batalhao de infamara. infamara da guarda nacional do municipio do Li- "y '>"= ^ muminucu d uu.> |>m es decretos
tomn.unicou-se ao coronel recrutador. moero, resolve conceder-lhe 4 mezes de licenga sul d imperio o paquete a vapor Gerente, com da-
Dilo ao mesmo.Autorise V. Exc. o comman- para tratar de sua saude. }?s daquella cidade al 16
dante do batalhao n. 9 de infantera a contratar Dita.O vice-prestdentc da provincia atteuden- Grande 19 e Santa Llhariu uo *> i*iw. i .- -,
com alguma pessoa a conducao dos quatro caixoes do ao que requereu o professor publico de instruc- wr.ente largou de Montevideo um dia depois i
com artigos de fardamento que segunde o seu ofli- gao elementar da freguezia de Nossa Senhora di
co n. 397 de 21 de marco ultimo, tem o mesmo O' de Goianna, Jos Marcelino da Costa, e tendo em
commandante de remetter para a villa de Cimbres vista a informacao do director geral da instruego
com destino s pracas al, destacadas. publica de 2 do" corrente sob n. 60, resolve conce- Jf^mSL' a,,va' "cando a meia do lempo que Ihe falla para.cumprir a'pena de doze
Fica assim respondido o seu citado ofllcio. der-lhe 3 mezes de licencacom vencimentos para organisaua do seguinle modo .
Dilo ao mesmo.-Queira V. Exc. habilitarme tratar de sua saude. ,,e' tnente-coroncl Antonio Peixolo de
com a sua informaeao, de modo a poder resolver --------
acerca de nagamento de que tratam os inclusos ,
papis qu me sero devolvidos. Expediente do secretario do goterno.
Dilo ao Dr. chefe do polica.Remello V. S. Ofllcio ao brigadeiro commandante das armas.
O .passe para a va frrea de que trata o seu ofllcio 0 Exm. Sr. vice-presidente da provincia manda
de 9 do corrente. communicar V. Exc. que por despacho desta da-
Dilo ao inspector da thesouraria de fazenda.- ta se autorisou o director do arsenal de-pWdB *fnI^nS^.J^M*^J'ffKfSm}. Mar'lUQS da
Convm que V. S. mande
lijlo e cal, como requisitou
em ofllcio de 9 do correte ..^
filo no edificio, proprio nacional em que esleve a Io secretario da assembla legislativa provincial. s*-guime noncia .
prensa de Manoel Amonio Hibeiro, alim de evitar Passo s maos de V. S. de ordem do Exm. Sr. vi- Reguo para o pago do Rosario no da 24j nw f, cumprir a pena de 23
que o predito edificio se orne deposito de human- ce presidente da provincia para serem presentes a ".** general Joao Procopio de Mena Brrelo, i ^ si e mJ |a to juiz ue di.
dices e sirva de valhacoulo a vadios e malfe.tores assembla legislativa provincial, aa copias dos con- bem cumu a commisso de olficiaes dos corpos da da c ^ do Rio Gr;inde de s Pejro do Su,
durante noite.-Communicou-se ao Dr. chefe de tratos celebrados com o engenheiro civil Jose Ma- guarmgao, alim de assislirom a raissa celebrada dc novembrodB 1861 .
polica. mede Alves Ferreira. a que se refere o offlc.o de pelo nosso v.rtuoso hispo nos campos de liuzaingo, ^'J^JgS o resto da de 16 annos de pri-
Dito ao inspector da thesouraria provincial.- V. S. de 8 do corrente sob n. 79. por alma dos fiis que se finaram na grande bata- ^ f condemnado pelo jury
Pude V. S. conforme indica em sua informago de N. 100. Dito ao mesmo.-Remelto por_ cp.aa Iha, de JOdf Immreifbjti *<. AofLM[?W y ^rapilem WT
A Manoel ielano Gomes, soldado do batalhao
naval, do crime de primeira desergao simples.
A Jos Thomaz Gomes Moreno, Innocencio Cor-
cama, onde foi
sangue I
t Estas mortes foram acompanhadas de roubo Te-Deum, a que assisliram SS. MM. II., e houve
em dinheiro, em roupas e fazendas. I beija-mao no pago da cidade.
A luja amanheceu aborta, c fra della a um ; A' tarde formaran em parada oscorpos daguar-
canto cabida urna botija de genebra toda cheia de da nacional, de linha e iufanlaria do corpo poli-
primeiro regiment de cavallaria.
O carro do Sr. marquez de Utinda. levando S
Exc. a chave do caixao.
0 carros dos seis miuislri e secretarios de es-
tado.
Os de lodos os convidados < amigos do falbvido.
notando-se'alguns membros u corpo diptomaucn e
consular estrangeiro, grande mmero de membr
do corpo legislativo, olnVialii ade lo everciio e 1
armada, e varios empregados pblicos.
Pegaram no caixoa sahid i de casa os Srs. viz-
conde de Abiete, presidente i > senado,e cooselhei-
ros Jos .Marianuo de Mallos, Ximiciauo, Jos Bou
faci, Dias de Carvalho e Diasj Vieira, membr do
ministerio; e entrada do tennierio o* kmm>
senhores, com excepgao do Srl viscoode !; Abwi.
que foi substituido pelo Sr. ceuselbeiro Zaceara*.
presidente do conselho.
As honras militares foram Mitas, alm do re-
giment de cavallaria, pelos l\ e 4* batalbes Je
iufanlaria, e por Ulna balera do eurpo de arliliee-
sendo toda a forea commandada pelo Sr. brigadeiro
Andrea.
Por tao infausto acontecimemo nao houve hon-
tem sesso no senado nem na (jamara des Vpou-
dos, fechou-se a secretaria de estado de Hpm*
estrangeiros, e os empregados da alfandega, repai
tigo da qual era inspector o Sr. conselheiro Paes
Brrelo, resolvern! tomar lulo; por oito dias.
31
A cmara dos deputados occpou-se hontem con
a coulinuago da 2* discusso' da proposta du go-
verno, lixaido as torcas de Ierra para o anno linan
cero de 1864 1863. Oraram vs Srs. ministro res
liectivo, Carueiro de Campos,] Moreira Braadv e
Bezerra Cavalcanti, licandua Jiscussu adiada peta
hora.
Foram efferecidas as seguin|e- emendae :
Supprima-se o art. 2" da uropusla.
Ao ^ 3" art. 4" da propost accresceole-se :
ou mediante a piantia de 60u4, comanlo -un: a u-
eam dentro dos primeiros seis mezes. a cootar da
prega.
t Ao additivo que dizos ivoluotarios e eagaja-
isenlos do casligoj la espada de pran-
rescente-se : e aetorisado o governo a
limitar os casos em que doder ser appticad
STl Viwio Ah^r' o"' R?o Querendo manifestar, por actos de minha impe-1 i a. 4 OM de de "novembro de"l837, que allerou auuelle castigo aos recruladoi, e a determinar por
iiharinaTtrio-nrrentV' rial clemencia, o profundo respeilo e veneragao i a, nas djspos|CotS do regiraento interno, haode'de*contos, rebaixamentos e penas semem
-illiaiind ZJ UO trreme. mu Irikm. >a a am mw 1 ioreia com- 1 ___r___!_.'_...______:..:.;.. ill i*m & cou nl.lilnie:i
der-lhe 3 mezes de licenga com vencimentos para organisada do seguinle modo :
ir.iiar d. ui> bhU : Presidente, tenente-coronel
Azevedo.
Vice-presidenle, veador Ernesto Frederico de
I Werna e Bilslein.
i secretario, Dr. Joao Luiz de Andrade Vascon-
cellos.
2" dilo, Jos Feliciano Fernandes Pinheiro.
annos de prso com irbalho, a que foi conderana- j ja cj^ade do Pomba, que no ..
do em 1832, pelo jury da Estrella, na provincia do | fazenero j0je Justiniano de Toledo Ribas dirigi
souraria de tazenda.- ia se autorisou o uirecior 00 arsenal w subuh; -it~~ii- nai. M(i*>
tapar com urgencia satisfazer o pedido de que trata o seu eflicio n. 643 Cruz o Fiaencio Pedroso B. de Albuquerque.
1 o Dr.cliefe de |>olcia de 9 do correnle. nn? ,?.'''. -0, R> ?ra"eto ,16 e \9 .
as oortas e um rombo N. 99. Dito ao Dr. Manoel Buarque de Macedo, O Poro babrtlense de 28 de fevereiro da
. r t. ..__.*__1. j_ ___,_i.i!. i...i.ir.:... nHn..:nA.l__. s.'.t/iunle nnhri'i
Rio de Janeiro.
Zacharias de Goes e Vasconcellos, do meu con-
selho, presidente do conselho de ministros e minis-
tro e secretario de estado dos negocios da jusliga,
assim o lenba entendido e faga executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 23 de margo de
1864,4.> da independencia e do imperio Com a
rubrica de S. M. o Imperador. Zachaiias de Ges
e Vasconcellos.
Idnticos da mesma data perdoando :
A Firmino Jos Damasio de Mallos, o resto do
as^sessoes preparatorias principiar a 19, isto seis substituigo do predito castigo de pancada a. vo-
luntarios e engajados. ___
t A guarda nacional em destacamento gueara la
correnle isengao do castigo de pancada, como voluntar*^
e engajados.
Consta de participaoia do delegado de polica : Sata das sessoes, em 30 le marco de li*4- -
idade do Pomba. nue no dia 8 do correnle o Barao de Vorto-Aleare. Moreira. .
1 Fica o governo auiorisado a crear na cunde
7"d7ffrTm>7aob. M3, mandar enlregar"l f. V. S., de ordem do Exm. Sr. presidenle da provin- nha s mos as oceurreocia havidas nesse acto,
Jos dos Santos Les, mediante llanca idnea, a ca, para sor presente a assembla legislativa pro- daremos aos nossos assignantes urna Ral conta.
-.....u-ua =^,..j o estafeta de Santa Victoria, que hontem dalh
1 consta do ofllcio de V. S. de 8 de margo ulmosob chegou com cartas at 13 do correule, foi portador ^^^TSSSk de Sinneira liar-1"~ J"""VV rEST*" "" "Ta'v~
n 24 rnia da informacao e planta que ministrou da noticia de um horrivel assassinato perpetrado [eia da s" a e ">'> bomer5 l^^^\i!at^ad^imtnyvinomM\o^n\oSaM-
1 'director das oRaTu^blfcS e reialiv.mente a na noite_de U conU-a.um pacifico cidadao, Manoel \ fe U^JV^JTJS, TrZT,^ ] hcom oP-"omptor. publico e um tabell.ao ma ne
importancia do beneficio da parte da lotera extra-, vincial em satisfagan ao que solicitou, segundo
iiida ltimamente a favor das obras da matriz da "
freguezia de S. Jos desta cidade, e depois que
prestar elle comas dos 2:000$ que recebeu para o director das obras publicas e mw^M"* rlZTr7mZrZhdZmn, ^TmTamS! Pos tribunaes do jurv d"a provincia do Cear, em
tacs obras. desobstruegao do no Goianna, e bem a*simdQ re- bornes campos, sudiiiio ponuguez, aiu na muitos | ^.....J,.
Dito ao oomraandame superior da cuarda na- lalprio do engenheiro W. Martinoau, a que se re-. annos estabelecido e ha sete mezes casado,
ional de Santo Anto.-Remetio V. S. para seu ere a ultima parle da referida informacao daquel- i Felizmente os indignados assassinos, que di-
" director. IIcm ser um cimbado e compadre de Gomes Cara-
N. 101. Dilo ao mesmo.De ordem de S. Exc.
se pota manha ao cannavial, onde seus escravos
trabalhavam.
Ao voltar e j mui prximo de casa, recebeu
sobre o lado direito do peilo um tiro de espingarda
que o ferio gravemente.
t Musido ferido procurou perseguir o assassino,
que reconheceu ser um de seus escravos de nome
Francisco, o qual evadio-se, e, como a perda de
sangue produzsse alquebramento de torgas, a vic-
tima a custo pode chegar a casa, onde foi accom-
metlido de urna syncope, que sua familia acredilou
ser a morte.
Um cirurgiao que foi logo chamado conseguio
salva-lo, exlraliindo um pedago de ferro quadrado
pouco maior de meio cenlimetro, nico projecll
jue hava penetrado o peilo. os outros, meno-
res e da mesma especie, apenas- ollenderam a epL-
derme.
0 delegado de polica, quando soube deste fae-
lo, a que addiccionavam o boato da existencia de
um plano de insurreigo na cscravatura de diver-
de Macet, capital da provincia das AJagiMs. urna
corapiuUafixa de guarnigoj da arma de infamar
comporta de 8 pracas de pret.
t Sala das sessoes, 23 de nareo de W6A. rU-
lides. da Silreira Utbo. A|io de Somza Mello M-
vim. -
Fica autorisado o governo a ditalar o qpadr
dos ofliciaes superiores dos eorpos de rageaaaifw
e dfrestado-maior de 1' classe, peta manetra se-
guinle : No corpo de engenheiros de 8 a 10 (Mes-
neis, de 14 a 20 teneules-coroneis, de 20 a 14 m%-
jores ; no corpo de estado-maior de dasee, de
a & coronis, de 20 a 24 tenentes-cerone e fc I-
a 16 inajores ; supprmiudo-se para este Bm o ar-
diversas datas.
hecimeoto e devida execugo, copia do decreto le director. f. ^g^l ue im'* A assembla provincial do Rio deJaneiroesia
j- 1 -.:- "vTu?__ m iai n;i ,,,.m _n. nnkm de s. Fac. |m>s, e um peao daquelle. indio oriental, acuam-se, convocada extraordinariamente para odia zade
ouadrao avulso de cavallaria da guarda naci- o Sr. vice-presidente da provincia develvo a V. S. \ presos o debaixo de toda seguraoga. abril prximo futuro, devendo trabaUai por espa-
m Ino municipio de Santo Autao. para ser prsenle a assembla legislativa provin- 0 malfadado Manoel Gomes Campos era mu-, eo de vinte das, aflm de volar a le* do orgamenio
itoao mesmo.-Conimunico V. S. para seu'cial acompanhado da informago que prestou o to conhecido nesta cidade, onde gozara de boa ere- e occutr-sb com o estado unanceifo da provincia,
conhecimento, e aflm de que faga constar ao agr- director geral da instruego publica o requermen-, dilo, o a sua morle tem sido bstame sentida. --
cSiSa solicilar em lempo a respectiva patente to do pro?essor pnblico de inMrucgo elementar da 0 nosso digno e .mparcal c*rpondtmte da- A enermidade que obngou o Sr. conselhe.ro
Sue sSdo constou de participacao da directo- villa do Cabo Claudino dos Santos Lopes Caslello quella fruguei da detalladamente conta desta Paes Brrelo a privar-sedc, exercicio dueargode
rhVrTda secretaria de estado dos" negocios da Branco, a que se refere o ofllcio de V. S. de 2 do triste1 occurrencia peto legninlj,mud I mmisiro dos negocios estrangeiros tem-se agir-
Sor bem promover o capitao Francisco Jos AI va- S, de ordem de S. Exc. o Sr. vice-presidente da sassinato de Manoel Gomes tampos, casado, eme-, tem ere melindros*
re* ao posto (J-
avulso de cav
municipio de
~i-m oosto de maior commandante do esquadrao provincia para ser presente a assembla legislan- redor nesta mesma fregueaia. _,'. Paf
^vuisod^ cavallaria n. 8 da guarda nacional do; va provincial, a kifoVmago inclusa por copia que Tendo elle na maufcaa do da U rocorrento, Relerem-nos
SnSipio di-Sauto Anlao. i mUUtrou o W ureSdo dJceJ acerea do montado cavallo a* ding.nirse a emwy foiaie :
- .
nhuina providencia foi preciso dar, porgue o res-
pectivo subdelegado, tendo ja tomado eonheeiinenio
do facto, empregava os mais enrgicos m*ios para
a prso, que conseguir^ do delnqueme, e dos seus
parceiros, os quaes conslava serem corapromet-
tidos. .
t Pela formai^to. da culpa, porm, reconheceu-se
que neste crime nao houve cmplice.
Na pronuncia apenas foi comprehendido um
crioulo de 1 a 20 annos, escrav de urna viuva,
que por ser wuo vadio andava de fazenda em fa-
zend'a incitainlo urna sublevagao.i
< A 28 do mez passado, segundo participa-
g>,s ofliciaes, deu-se um (racasso na cidade do
l'.o.
ligo additivo que crea um corpo
de estado-amor
I*
_ Januario de Lima, armado de urna faca, ten
em dotad* hontem o facto se-1 tou ferr o procurador da cmara municipal, Ma
I noel Lourencp Dtas,
,:.
de artilhana.
Pago da cmara, 30 de marco de im%. w.
Carneiro e Citmpot. ^^
. As promoges no exereilo ate ^^^
nel, inclusive, sero feitas someote por antiguntoe
em lempo d- paz. ^. .
Pago da cmara dos ik-pula*., .w e
de 1804-F. Carneir de Campe.
Foi apresentdo o seguiulu parecer .
A commisso de cousliiiiigao e poderes
nou as actas da eleigo a1 que se proceden
districto eleitoral da provincia de S. Panto p
ga deixada pelo cooselbeiro Jos Bonifacio de Aa-
drada Silva, com excepro somente da acta d ent
legio de Mogy das Crnzes,. que nao foi anda reme-
tida a esta augusta cmara.
Pelo referido exame reconheceu a
que o conselheiro Jos Bonifacio de Andr
va oblivera na dita cleicao 192 rotos
do S. Sebaslio, Iguap. Porto-Fdi, Sorocaba, hu.
Atibaia, Hraganca, cajiital e S. Hoque, sel
mesmos collegios apenas rotado alm d
conselheiro, o Dr. Jo Meada* de Almeda,
um voto, pelo que, e por que o eotlegio te
das Cruzes, nnico que falta e que lem,*" ores,
nao pode influir uo resultado da eteic*, e a mes-
MHLADOl


-
ira commissao de parecer que scia reronheeido *e-
iulado pelo i districlo clelutal da pnovinria de S.
'aulo o referido conseiheiro Jos liomace le An-
drado e Silva.
Sala das commssoes, cm 30 de marco de 1864.
Jos Antonio Saraiva. Saldanha Marineo.
Os Sis. Nerv e Ferreira da Veiga annuuaaram
interpcllaeoes'que se aeham no lugar competente.
Furam expedidos pelo ministerio da agricultura
os avisos segulites :
< Ao inspector geral -das obras publicas, decla-
rando <|ue foi aceita a proposta apresentada por
Francisco de Paula Mallos para o cairamente do
largo da Ajuda pelo systema ordinario, aflm de que
celebre o respectivo contrato sob coadicoes do cos-
tume. additando-se referida proposta'o plantio de
arvoredos, c a coltocarSo de bancos de cantarla hi-
vrada.
Ao director das colonias do Mucurv, declaran-1
do que iiidependenteiiiente da formaco de mais
un ncleo rolonial em Cannabrava, pode admittir :
a se estabelecerem all os eslrangeiros e nacionaes
que espontneamente vio residir naqttelle lugar,
comprando trras a praso, mas sen subsidios pe-
cuniarios por parle do estado.
1" de abril.
Por decreto da data de hontem foi nomeado mi-
nistro e secretario de estado dos negocios da mari-
iilia o Sr. l)r. Francisco Carlos de Araujo Brusque,
passando deste ministerio para o de estrangeirqs, j
pie interinamente exercia, o Sr. consellieiro Joo;
Pedro Dias Vieira.
O Sr. Pimenta Bueno olfereceu hontem no sena-
do e juslilieou mu requenmento, pedindo copia das
notas e documentos concernenles oferia d me-
diaco feia pelo governo portuguez sobre a nossa
juesio coni a Inglaterra, e, tendo pedido a pala-
vra o Sr. /adiaras, licou o requerimento adiado.
O Sr. Silveira da Molla apresenlou e. motivou
em seguida una indicaran para estabeleeer-se o
procediiuento do senado, i piando ehegar ao seu co-
nhecimenlo a noticia do fallecimento de alguns de
seus membros. Sendo apelada, foi esta indicaoo
enviada mesa para dar parecer a sen resfrio!
Entrando em 3' discussao a pronosi^Ao que man-
da vigorar no anno de 1864 a 1865 a lei de orea-
mente finta" para o anno Onanceiro de 1863 1864,
orara ni os Srs. Dias de Carvalho, que offereceu al-
gumas emendas, barao de Muritiba e l'aranhos, 8-
cando a discussao encerrada |ior nao haver nume-
ro sii/rieienle para votar-so.
A cmara dos deputados approvou bontem era
primeiro lugar, .em debate, o parecer da ooinmis-
go de poderes sobre o 1. dtstriclo Ja provincia de
S. Paulo, reconhecendo deputado o Sr. Jos Bonifa-
cio de Andrada e Silva.
Approvou depois em 2a discussao a proposta do
governo que liv. as furea* de Ierra para o anno
financeirode 1804 186o, menos o > do art. 1"
c o art. 2, que foram prejudcados.
Approvou era seguida os segrales artigos addi-
tivos e emendas :
O 2* do art. da proposla substilua-sc pelo
segointe : De 18.000 pracas de pret de linlia
em circumstancias ordinarias e de 24.000 cm cir-
cumstancias extraordinarias.
Paragrapho additivo ao art. 2" : Os volun-
tarios e engajados licaro iseulos do castigo da es-
pada e prancha.
Emenda additiva ao art. ": Depois das pa-
Javrasguarda nacional e antes das palavras
cm circumstancias extraordinariasaccrescente-
se para completar a forea.
Artigo. Fiea em iiteiro vigor, e considerada
medida permanente ^ disposioao do art 6" da lei
n. 1,143 de 11 de setembro de 1861, que autorisos
o governo a conceder transferencias de uns para
outros corpos ou armas aos officiaes sulfilemos
ficando estes mais modernos que os dos corpos ou
armas para que tenha lugar a transferencia.
Artigo. Fica autorisado o governo a alterar
o qnadio dos corpos de engenheiros e de estadn-
maior de classe, suppi iniiudo-lhes o posto de 2"
teen le e o de alfcres.
Artigo. Os acluaes 2" tenentes, que por mo-
tivos regulainenlares das escolas militares nao pe-
derem concluir nellas os esludos requeridos para
sua arma, serao transferidos para as armas de in-
famara ou cavallana.
Artigo. O governo fica aulorisado a organisar
o estailo-maior especial de ariilharia, segundo as
exigencias do servipo, empregando nessa organisa-
eo a economa resulianle da alteracao menciona-
da cima nos corpos de engenheiros e de estado-
maior do Ia classe.
Para este effeto o governo far o devido regu-
lanicnlo.
Paco da enmara dos Sr?. deputados, em 20 de fe-
vereiru de isiji. Barao de l'orto-Alearc. A J-
Moreira..
Fieam extractos os conselhos administrativos
dos arsenaes di; guerra, reverlendo suas funcooos
para os directores dos respectivos arsenaes." na
M-
C:000J0OO
11:400^000
161:'.I80*KK)
2:7,lWt
277:5oO000
3o8:230$000
54:2004000
167:5723000
211:7703000
37:7163000
8:9005000
14:160*000
23:2003000
7:0003000
14:7803000
Ditos Jo principe o Sr. D.
Felippe..................
5 Ordenados dos uiestres da
.. familia imperial...........
10. Secretaria de estado, inclu-
stwo 10:0)03000 para conti-
nuar a reimpresao da Icgis-
laeao de 1836 1837, e....
I:lu03000para codificarlo
das decisSes acerca de ele-
cues....................
J ti. Gabinete imperial, inclusive
a qoaniia de 1713428, par-
te da gratilkaeao paga pelo
ministro Jo imperio ao en-
carregado dos trabalhos de
escripia do censelho de es-
tado pleno...............
S 12. Conseibo de estado........ 48:0003000
13. Presidencias de provincias.. 241:0303000
5 14. Cmara dos senadores......
5 15. Dita dos deputados.......
S 16. Ajuda de custo de vinda e
volta, dos deputados.......
s 17. Faculdadesde direito......
S 18. Ditas de medicina........
S 19. Academia das bellas-arles..
S 20. Musu nacional...........
S 21. Ihgienc publica..........
22. Visita de saude dos portes..
23. (.azrelos ( conservarlo dos
existentes}..............
24. Instituto vaccinieo.........
j 25. Cuite pnblico :
Bis[ios, ealhe-
draeserelaco
metropolita... 264:7803500
Vigariosge-
raes, proviso-
res e parochos. 769:1543480
R e p a r o s dos
palaciosepi s-
copaes.alugnel
de casa onde
nao o houver
e compra de
paramentos... .f0:0003000 1,08:1:9343980
Seminarios
episcopaes :
Pro'es sores
dos existentes
nos termos do
decreto n. 2037
de 22 de abril
de 1863......
Para mais dous
que se possam
crear........
Auxilio ao do
Amazonas...
Obras, reparos
e auxilios que
forem indis-
pensaveis. ...
Educandas do Para.......
Archivo publico, inclusive
2:4003000 para o aluguel
dacasa.................. 14:7203000
Commissao scientifica para
concluir dentro de un prazo
marcado pelo governo os
trabalhos ja feilos, e impres-
sao dos mesmos trabalhos..
30. Soccorros pblicos e melho-
ra montos do estado sanitario.
31. Obras especiaes do ministe-
rio do imperio............ 100:000300 Foram promovidos
O capilao Luiz do Franca Luslosa,
major ajudante de o dens o eomouudo supormr
da guarda nacional do municipio de Paraaagua, da
provincia do Piauhy ;
O capitao Justiniano Anselmo da Crtix, M po6lo
de raajor couuandantc do esquadrlo de cavallaria
numero 1 da guarda nacional da provincia da Ba-
bia.
Foram concedidas
I rem ao matidouro fiara ser corlado sob o seu nome
ao posto le e risco.
Are 7.* O iovrrusta, boiadeiro ou criador que
emprestar ao marchante ou atravessador seu nome
para dehaixo detle ser apresentado e cortado no
matadooro gado pertencente aquelles, ser punido
com a pena lie 3 9 mezea-de pnat simples, a
mais aa multa corresponden a tasa tiuo leria de
pagar o marchante ou atravessaCor.
Art. 8.* Oe cada rez que se cortar no matadon-
.ondecoacoo>.-Aprest-nlaram diplomas 3e ra- MA wstu, ,^inr.,.,n,r.lll ,
valleros ta orden, da Rosa os Srs. *" cirorgifles .WhomenT "*,nc"e''*Beh>
do corpo de saude do exercito
4rl>
26.
27.
28.
29.
81:00030(K
18:0003000
6:0003000
45:0003000
150:0003000
2:0003000
16:0003000
133:3003000
32. Instillo commercial...... 15:00t3000
| 33. Dito dos meninos cegos----- 35:9793000
i 34. Dito dos surdos mudos.... 16:0003000
| 35. Bibliotheca publica........ 12:8603500
36. Instituto histrico e eengra-
phlco, inclusive 2:0003000
para a acquisicao na Euro-
pa de documentos e noticias
que interessem historia e
geographia do Brasil......- 7:0003000
37. Imperial academia de medi-
cina..................... 2.0005000
5S 38. Lycou das artes c offlciaes
da sociedade Propagadora
das Bollas-Artes..........
39. Instrueclo primaria e se-
cundaria do municipio da
corle :
Instruccao
primaria.....
Inlernato do
Imperial col-
legio de Pe-
dro II.......
Extrnalo___
40. Hospital dos Lazaros.
;' 41. Eventuaes..........
5 42. Exercicios lindos.......... 3
DISPOSKJKS (EHAKS.
Artigo.Fica extinclo o lugar de consultor do
A Manotl Jos Baiao, reforma no posto de teen- ro cobrar-se-ha, alm dos im|ostos eiblentes, mais
te-coronel do segundo batalhao da reserva da guar- j 13500. O producto desta renda, satisfeilas as dea-
da nacional dos municipio de Queluie Bomfhn, da pezas feilas com os empregados e otilros foaccio-
provmcia de Minas Gerae t; I narios do atadouro, ser applicado em pasttgens,
A Joaqiiini Bapiisu de Magalhaes, reforma no onde o invornisia, boiadeiro e criador possani
nsto de capitao do batalhao de artilharia da guar- invernar sea gado.
a nacional do municipio da corle. | Saladas sesees da cmara dos deputados, de
ro alterada a orgamsagao dos bstarhdes de in-1 abril de 1064.Chagm Lobato.
fantara ns. 23 c 38 da guarda nacional da provin-! --------------'.
ca do Maranhao. S. M. o Imperador acompanhado dos seus sema-
ro declarado que a Damiao Nunes Pereira per- nanos, visitou hontem o extrnalo do Imperial
tence smente o ofcio de primeiro tabello do pu- Collego de Pedro II, onde se demorou das 10 >
bheo judicial c notas do termo de Nova-Friburgo, horas da manhaa at s 3 da tarde, assistindo is
na provincia do Rio de Janeiro, cando assim re- aulas e ao jantar dos alumnos, e examinando os
vogado o decrelo de 4 de abril do anno prximo livros da bibliotheca.
passado. ________
--------- i Por decreto de 30 do mez passado:
O Parahybano de 30 do passado d as noticias Teve merc do foro de moco lidalgo com exerci-
seguintes : ci na casa imperial o tenente-coronet Andr Alves
t A capella do Senhor de Mattosinhos, situada Leite de Oliveira Bello,
prximo fazenda do Dr Martinho Campos, foi ha Foi nomeado cavalleiro da ordem de S. Bento
dias saqueada, levando os ladries todos os objectus de Avia o Io tenente da armada Braz Jos dos
de ouro e prata que encontraran!. Res.
As auloridades da freguezia de (ablas loma- Foi aceita e confirmada renuncia que fez o pa-
rara cmhecimento do facto, porm por emqnanto dre Amador de Barros Mello da igrirfa parochial
diz o nosso informante, anda se nao descobriram de S. Sebastio da Ventana, da proyfnca de Minas
os sacrilegos ladrees. Geraes e bispado de S. Paulo.
domingo passado, Antonio Mara de Sonta, Foi conferida aos operarios do arsenal de mari-
fimo de Thomaz Pereira de Sonza, morador na fre- nha la provincia da Baha, Pantaleao Antonio e
guezia de Santo Antonio da Encruzilhada, em um Joao Claudio a medalha de 2" classe, designada ne
accesso de loucura, tentou matar sua m5i, avan- art. das instruccoes annexas ao decreto n. 1,579
jando para ella armado de um machado. de 14 de marco de 1855.
Soslido a lempo, nao conseguio seo desgrara- i ------------
do intento e foi recolhido cadeia desta villa. Foram nomeados :
Na estrada que vai desta villa freguezia | Auditor de guerra da corte, o diz de direito da
da Bemposla corre um ribeirao caudaloso, princi- comarca de Itaborahv, bacharel Francisco Soares
plmente cm pocas ehuvosas, e o viajante obri-. Bemardes de Gouva," por decreto de 22 do pas-
gado a atravessa-lo a nado por nao haver all urna sado;
Pn,e-* .. .... .1 f*criv3o da 3- classe do almoxarifado do arse-
Ha das, indo Joaqun Leilao, empreiteiro nal de guerra da corte, 0 amanuense da mesma
de unta parte da estrada de ferro de Pedro II, exa- classe Bento Jos Tavares, por decrelo de 30 do
minar urna pedreira rebentada ha nouco, na occa- mesme ;
siao era que se achava sobre urna mina anda car- Amanutise da dita classe, o servente de escripia
regada, esta refientou, e impelhndo-o ao ar cabio do arsenal de guerra Constantino Jos de Souza
infeliz horrivelmente contuso, e expirou aps al- Cabral Jnior, por portara de 30 do mesmo.
guns minutos de agona. ------------
t Por decreto de 22 de mareo Ando foi nomeado o
A cmara dos deputados elegeu hontem em pri- pratictnle da contadura da marlnha Eduardo Fre-
meiro lugar para membros da mesa que tem de denco de Mello para o lugar de 4" escripturario da
funecionar durante o crreme mez os mesmos do mesma contadoria.
mez passado. 3__
Approvou em seguida, sem debate, em \' discus- O senado oceupou-se hontem com a ultima dis-
sao, o projecto que manda submetter inspeccao cussao das emendas offerecidas pelo Sr. ministre
de sade o capitao Francisco Jos Cmara. da fazenda pronosicao que manda vigorar no pro-
Approvou tambera sem debate, em 1* discussao, ximo anno fmanceiro a lei de orcamento decretada
o projecto determinando que pertencam fazenda para o exercicio crrente. (Varara os Srs. visconde
publica varias multas decretadas no regularaento de Itaborahv, Paranhos e Souza Franco,
da* airndolas. Ficou a discussao encerrada por nao haver nu-
Approvou igualmente um requerimento de adia- mero legal para volar.
ment olfereeide pelo Sr. Tavares Bastos ao projec- _-_____
lo que garante um juro limitado, com privilegio | A cmara dos deputados approvou hontem, me-
exclusivo, aos capitaes da empreza que estabelecer nos na parte relativa s medidas que o governo
no imperio urna linha de communicacao por meio pretende tomar, o requerimento do Sr. Ferreira da
da lelegraphia elctrica. I Veiga, pedindo nformacoes ao governo sobre es
Approvou mais em 1' discussao, depois de algu-1 processos que so formaram contra o juizde direito
Dr. Antonio da Croe Cordeiro.Decreto de 14
de marco de 1860. Diploma de 5 de maio do mesmo
anno;
f Dr. Eduardo A mrosto Fwei ra a-Abreu.Decre-
lo de 2 de dezembro de 1858. Diploma de 8 de
(abril de 1859 ;
dem de cavalleiros da ordem de S. Bento de
Aviz, os Srs. capitaes do 7 batalhao de infamara :
Jaqum Manas Fonles.Decreto de 25 de 110'-
vembro do anno prximo passado. Diploma de 28
de dezembro do mesmo anno ;
Amonio Pedro Heitor.Decreto de 18. Diploma
de 25 do mesmo anno.
Soares prevalo o sen compaatMen
era inpottsivel, porAi elle inslou e Sean
< A forea parou, e Fidelis dividi aan
prfo de officiaes, e com elles furmna wm'
di ao, junumento eom alfana afeados.
Era iwiavol o arrojo e valeaak do bravo e dc-
toniido Brasileiro, discpulo do aaaso digno patri-
cio o Exm barao de Jacufcy.
A referida forea ivarehou para a villa ao ua-
do do bravo Fidel, pie nao eearava do es ani-
mar.
No Pat$o d Taqumg, 00* turln de brgaa
distante da villa, se achava om es|uadra f
- composto d m homens; ah tvio let
Iho
do anno pqssado resolveram, sob proposta do ,,.-" ,,, e s,,a fpn"! "*ain te "
idente da respectiva ommissio fiscal, dar por j por ,,,na ,,n"">n>a carga de fofo.
tinada a referida convenci, era razio de lerem oiln ^T,, rarr"" ado as causas que a premsveram. iimi^ e um raP,Uo '"ia"' *>
Reunidos bontem os negociantes de molhado
por atacado signatarios do convenio de 1 de outu-
bro do anno pqssado resolveram, sob proposta do
presidente
lerm
cessado as causas que a pruuuv
Por decretos de 2 do corrente foram nomeados :
O bacbarel Aureliauo de A/evedo Montoiro, juz
municipal e de orpbos do termo de S. Romo, na
provincia de Minas-Ge raes;
O bacharel Raphacl Dabuey de A velar Brotero,
joiz municipal e de orpliaos do termo de Cunta,
na provincia de S. Paulo;
O major Antonio de S Caourgo para coronel
commandanle superior da guarda nacional da co-
marca de Guarapuava na provincia do Paran ;
Francisco Ferreira da Rocha Loures para tenente
coronel chefe de cstado-maior do mesmo comman-
do superior ;
Pedro de Slqueira Cortes para lente-coronel
commandanle do batalhao n. 7 da guarda nacional
da mesma provincia :
a torca de Malte, e seguio na ana
teneao.
Fidelis e sua gente reguo at a viH. e
f>
inimigo.
xil0.('a,>i,iV> era nofo MM
Manoel I ypnano. a logo ajH p-roVa o
foi cercado por 6 Mancos, nne a Vido o caelelne
aueriaiu tirar a vida : por.-m esse bravo se drfea-
dia lao bein que den t*>mpoa que o sea purixU e
amigo o lente Virissirao Jos da Costa ie*t* rm
seu soccorro. e que felizmente o salvan aerea
depois de ser fondo.
Fidelis vendse imposibilitado de
seu Um leve que se retirar, drixando mmtm
morios e feridos, e levando alguns fendos de
gente.
Era impossivel forea toloran
ra por ser a Manca o triplo da sna, e Vnatei mx
infamara, e so adiar enlrindieirada.
Us asistentes do combate nao resaat de eU-
0 major Luiz da Siiva Gomes para tenente-coro- JjJf.a "*gj P^iarain o exunei F.
1 commandanle do corpo de cavallaria n. 7 da "; p,>"lao.Ma"*l <'!*' v
esma suarda 1 I s."" Jo:"e da Losla, tuJos nossos digno aa-
nel
raesma >.....,,,
Antonio Caelano de Oliveira Mosinlw para major. a%' ,
commandanle do esquadrao n. 6 da mesma guarda.' ,- ," re, os *&, raram fcrtaW 1 cma-l
Foram removidos : .I-igueiro, lenle \erissimo e alferes brael l^.-i-
'miro Vaz.
.No dia 14 foi roubada a casa do itras>iro
mas observaces dos Srs. Nebias, ministro do im-
perio, Saldanha Marinrto, Tavares Bastos e Marti-
nho Campos, o projecto que revoga varias disposi-
coes da lei n. 1,083 de 22 de agosto de 1860.
Occupouse em ultimo lugar em 1* discussao do
projecto que autorisa o governo para cstender c
subvencionar a navegado vapor cm vanos rios
do Amazonas e Para. Orou o Sr. Tavares Bastos,
(cando a discussao adiada pela hora.
O Sr. ministro da marinha leu a segninte pro-
posla :
Augustos e dignissimos senhores representantes
da comarca do Paran, Dr. Manoel Jos Pinto de
Vasconcellos, commandante superior Joao Quintino
Teixeira e outros, na oidadede Choraba; bem como
informacoes sobre as providencias que tomou ou
pretende tomar o governo sobre urna representa-
cao dirigida por alguns cidades residentes na oi-
dade da Campanha contra o Dr. juiz de direito da
comarca do Rio-Verde, Joaqun, de Azevedo Mou-
teiro.
Approvou latnbem, sem debate, o requerimento
dos Srs. Fonseca Vianna, Chagas Lobato o Hurta
de Araujo, pedindo ao governo epa da represen-
da naeao.-Pela leilura dos dous relatnos apresen- tacao eita por Antonio Borges Sampaio cuolra o
lados ao cor|K) legislativo por meu antecessor, ve-1 Dr. Manoel Jos Pinto de Vasconcellos, ex-juiz de
159:8813250
131:6673000
ti.:91'*-5("Kl
357:4623250
2:0005000
9:0003000
orto e as provincias em que existirem, e para as I ministerio dos negocios do imperio, rcduzido a seis
presidencias das provincias onde os nao houver
licando setnpre om regra para as provincias que
nerilinma iransaccao das nao estes faziam se repu-
tar (leliniivaiiieiito terminada sem a sanecao do
respectivo presidente da provincia. F. < nniciro
ae Campos. >
Supprmaso o arl. 2" da proposta.
Ao ^ 3" art. i" da proposta aocreseente-se :
ou mediante a quantla de 6OO30OO,
a facam dentro dos pnineiros seis raeze
da praci.
o numero de segundos offlciaes, e o de amanuenses
da respectiva secretaria de eslado.
Artigo.No hospital martimo de Santa Isabel
e nos lazaretos existentes se mantera nicamente
o pessoal indispensavel para a sua conservaeao
res que a urgencia de aperfecoar os nossos meios
de defeza.j restaurando e melhorando as bateras
StvnUPHPJ I das fortalezas deste porto, ja augmentando ou refor-
mando o nosso material de guerra, compellio o go-
verno a decretar trabalhos e aequisiedes que nao
haviam sido previstos na llxaeao dos crdito vola-
dos para o exercicio de 1863 a 1864, e cujas despe-
zas tveram de ser satisfeilas com os recursos dos
sohredilos crditos.
A|tplicadas, por esta forma, ao pagamento de
encargos extraordinarios as quautias Indas para
os gastos ordinarios da repartcao que dirijo, de
indeclinavel necessidade aconcesso de um crdito
extraordinario de 750:0003, para supprir o dficit
que a contadoria da marinha, segundo os exaraes
a que proceden, acaba de reconh*cer as rubri-
casmaterial e obras,e que sobejamente jusnfl-
cado pelos seguintes algarismos :
|M, Material,augmento
de despeza proveniente
do pagamento a Ed. Pe-
cher cv C. por saldo de
encommenda de arma-
mento porttil.
Artigo.0 governo Oca autorisado a stippri-; dem dem de ariilharia
33:22I3%7
mir os lugares que vagaron na secretaria de esta-
do dos negocios do imperio, e nao forem conside-
eoottanto que i rados indspensaveis, reduzndo o numero de suas
ezes. a contar j seeces./. SaUanha Mqrinko.Af. Pinto de Souza
Ihintds.JiHio Silreiru de Souza.
* Ao additivo que diz os voluntarios e engaja-' .No da 22 do passado, pojas 6 horas da larde, foi
dos (carao sontos do castigo da espada de pran- recebido por Sua Mageslade o Imperador, cm an-
cha accrcscente-se : c autorisado o governo a diencia publica de apreseaJacao, no palacio de S. |
limitar os casos era que poder ser applicado Christovo, o Sr. conde F. do Ostiani, encarregado
aquelle castigo aos locrnlados, e a determinar por de negocios, promovido ao posto de ministro resi-
deseontos, rebaixamentos e penas seinelhantes a denle de Sna MagestaJc o re da Italia,
-substituicfio do predito castigo de pancada aos vo- j Na ooeasao de entregar a Sna Magestade o Im-
luniarios e engajadas. (llorador a respectiva carta de creara, expressou-se
A guarda nacional em destacamento gozar O Sr. conde de F nestes termos :
da sencao do castigo de pancada, como os volun-: Senhor.Tetiho a honra de depositar as maos
taos e engajados.
Sala das sessoes, em 30 de marco de 1864.
Barao de Porto Alegre. Moreira.
de Vossa Mageslade Imperial,a credencial pela
qual meu augusto soberano, o re da Italia, acaba
te acndiiar-ine na qualidade te seu ministro resi-
As promnooes no exercito, at o posto de co- dente junto Vossa Mageslade Imperial.
ronel inclusivo, serao feilas soraenle por anlguida-
de em lempo de paz.
Paco da cmara dos deputados, 30 de marco
de 1864.F. Cntaro de ('jitupot.
O governo c autorisado a esialielecer o monle
po militar.
As vuvas c fllhas sollelras dos officiaes do
exercito fallecidos e que fallccerem sem haverem
completado 25annos de servido tem direito ao meio
sold correspondente s quintas partes com que
seus finados pas, ou maridos poderiam ser refor-
mados nos termos da lei de 18 de agosto de 1852.
-F. C. Branddo.
A segumtefoi sapprovada na parte nltiraa, que I rio.
diz :salvos dreitosadqneridos pelos actuaes se-
gundo< lenles e alferes :
A nao passar a suppressao proposla ao artigo
Esta nova prova de confianza que em inim de-
lositou cl-rei da Italia, e a constante benevolencia
cora que V. Mageslade lein honrado a minhapessoa
durante una longa' residencia no Brasil, dao-me
a esperanca, Senhor, de que lodere honrosamente
desempenhar a raissao de manter semjire em bom
p c cimentar anda mais as relacoes felizmente
existentes entre os soberanos e os pavos da Italia e
do Brasil.
suas pertencas, vindas
da Europa por encom-
menda. ... J.........285:4195486
dem para a compra de
plvora, inunces na-
va s e de guerra, ma-
deiras. fre tes seguros,
etc.etc..............131:3583547
522.Ohrs,augmentode
despezas provenientes
das obras feilas na for-
taleza de Villegaignon,
de junho dezembro do
anno (indo........... 45:3485631
dem dem na fortaleza da
Boa-Viagem, dem.... 50:6603892
dem dem na fortaleza da
liba das Cobras, dem... 39:816*000
dem do pagamento por
saldo da edilieaoao do
quartel para o batalhao
naval......,........ 17:544*000
Despeza provavel com as
obras em vias de execu-
fo as fortalezas o
outras al o fim do exer-
cicio................146:630*477
----------------750:000*000
Fundado, pois, nos mol i vos qne arabo de ex-
El-rei Vctor Emmannel, Senhor, encarrega-
me de expressar a Venia Mageslade os seus votos
sinceros pola prosperdade e felcidade de vossa au- pr-vos, tenhoa honra de submetter a vossa appro-
gusta pavana, da familia imperial e do vosso impe- j vacao, nos termos do arl. 4 5 4* da lei n. 589 de 9
') 1 de setembro de 1850, a proposta inclusa. Palacio
Sua Magestado o Imperador se dignon de res-' do Rio de Janeiro, em 1 de abril de 1864.Fran-
ponder : i cisco Carlos de Araujo Bi-nsqne.
Sou rauito sensivel esta nova prova da ami-1 pkoposta.
additivo relativamente passagem dos segundos i zade de meu minio prezado irmo o rei da Italia ;! ArL 1." Alm das sommas voladas pela lei
tenentes de engenheiros e alferes do esiado-maior tanto mais que a sua escolha recado sobre vos, que | n. 1,177 de 9 de setembro de 1862, para despeza do
se ou accrescenle-se ;salvos direilos adquiridos
pelos actuaos segundos tenentes e alferes.F. Car-
Miro de Campos.
Approvou igualmente em primeita discussao,
sem debate, o projecto que autorisa o governo a
abrir ao commercio das nacoes amigas a uavega-
caodo rio Amazonas.
Approvou mais era tercera discussao, tambora
sem debate, o projecto que augmenta a attribui-
ces los presidentes de provincia.
Ocenpob-se em uliimo lugar com a segunda dis-
cnsso do (irojeclo que prohibe as vendas de acra-
vos era leilSn. Oraram os Srs. Manm'l Joaqnim,
Tavares Bastos, Itatisbona c Chagas Lobato, Ocando
a discussao adiada pela hora.
Foi apresentada a seguinte preposta, convertida
em projecto de lei :
A segtyida commissao de orcamento, tendo
examinado a proposta do orcamento do governo fi-
lando a despeza, cargo do ministerio do imperio,
no exercicio de 1864 1865, tem a honra de sob-
metter approraco desta augusta cmara a mes-
ma proposla convenida em projecto de lei pela se-
guinte mancra:
Art 2.* O ministro e secretario de eslado dos
negocios do imperto autorisado a despender eotn
os objeetos comprehendidos nos seguinfes paragra-
phos a qnantia de................1,671:866*158
A saber :
a do governo brasileiro.
1864, fica concedido ao mesmo ministerio um crdi-
to de 750:000*, que ser distribuido pelos seguintes
paragraphos do art. 5o da referida lei:
21. Material...... 450:000*000
22. Obras........300:000*000
Por decrelo de 26 defcvereiro ultimo foi exone-
rado a seu pedido o Sr. Dr. Joao Silveira de Sou-
za, do cargo de presidente da provincia de Pernara-
buco.
--------- Somma.. 750 000*000
Por cartas imperiaes de 2, o e 30 do mez passa- rtrt- ** Ficam revocadas as disposicoes em
do, foram nomeados presidentes das provincias : contrario. Palacio do Blo de Janeiro, em de
de Goyaz, o Sr. Dr. Custodio Marcellino de Maga- abril de 864.Francisco Corlo fe Araujo Brus-
Ihes; de Pernamhuco, o Sr. Dr. Domingos fo:,ue-.'
Sonza Leo ; e de S. Pedro do Sul, o Sr. Dr. Joao Foi presentado o seguinte projeeto :
Marcellino de Souza Gomwga. I A assembla geral reserve:
c Art. 1. Fica pertencendo cmara municipal
direiio da comarca do Parara, na provincia de
Minas, e dos documentos que a acompanharam, e
bem assim da intormaeao do presidente e chefe de
polica da mesma provincia e do parecer do conse-
Iho de estado a respailo,
Regeitou em seguida o requerimento do Sr. Bar-
ros Brrelo, pedindo informacoes ao governo sobre
todas as occurrenr.ias bavidas depois do acto de 30
de dezembro, em relaco ao supremo tribunal de
Justina.
Oceupou-se em uliimo lugar com a discussao do
requerimento do Sr. Costa Pinto, pedindo nforma-
coes ao governo sobre o contrato ltimamente ce-
lebrado em Londres e sobre a euiissao de apolices
fela nesta corte. Oraram os Srs. Martim Francisco
e Costa Pinto. licando a discussao encerrad.
O Sr. de Laraare fundaraeulou o seguinte reque-
rimento, que foi approvado
O juz dedireilo Joao Sertorio, da comarca de'
Braganca de entranca, na provincia de S. Pau-
lo, para a de Mag de 2, na do Rio de Janeiro ;
O juiz de direito Luiz Carlos da Bocha, da co-
marca do Bio das Morios, para a de Parahyhuna,
ambas de 2" entrancia, na provincia de Miuas-Ge-
1 -aes, por assun o haver pedido ;
O juiz de direito Jos Innocenco de Campos, da
comarca do Serr, de 2" entrancia, na provincia de
Mmas-Geraes, para a de Campos, de 3*. na do Bio
de Janeiro;
O juiz de direito Jo3o Salom de Queiroga, da
comarca de Jequitinhonha, de entrancia, para a
do Serr, de 2', ambas na provincia de Minas-Ge-
raes.
Foi creado um comraando superior da guarda
nacional na comarca de Guarapuava na provincia
do Paran.
Teve merc Manoel Dias Carneiro da serventa
vitalicia do oHkio de tabelliao do publico judicial e
notas e mais annexos do termo de Rezende na pro-
vincia do Rio de Janeiro, cora obrigacao de prestar
a terea-parte do rendimento ao ex-serveutuario vi-
talicio Jos da Silva Salgado.
Por decretos de 2 do corrente foram nomeados :
O inspector da alfandega de Pernambuco o ba-
charel Fabio Alexandrino de Carvalho Res, para
igual emprego na do Rio de Janeiro;
Antonio Eulalio Monieiro para inspector da al-
fandega de Pernambuco;
O bacharel Henrique do Reg Barros para pro-
curador-fiscal da thesauraria de fazenda de Per-
namhuco ;
Jos Antonic de Freitas Guiraaraes, para admi-
nistrador das capalazias da alfandega de Albuquer-
que, provincia de Matto-Grosso.
Por decreio de 12 do passado foi elevada ca-
thegoria de esquadrao a companhia avulsa de ca-
vallaria da guarda nacional creada no municipio de
Alagoinhas, da provincia da Baha.
- 5
Pelo paquete vapor Apa, entrado hontem dos
portos do sul, recebemos datas de Porto-Alegre
at 30, Bio Grande 31 do passado e Sauta Cama-
rina 2 do corrente.
No dia 29 do passado entregara o Sr. Dr. Espe-
ridiao ao Sr. commendador Palricio Correa da C-
mara, 2. vce-presidente, a administraco da pro-
vincia de S. Pedro do Sul.
Assembla legislativa prosegua em seus traba-
lhos.
O Jirreantit ji
a segu ute noticia
Deu-se ante-liontom una grande desgraca : o
subdito portuguez Manoel Jos Rodrigues Correa,
leudo vindo de sua fazenda nos Morreles, e que-
rendo regressar no mesmo da, despresou a canoa
em que viera por morosa c fretou um hole, em-
barcando nelle aconipaiiliado do negociante desta
a casa .
Trislo Meirelles, habitante dos Seibos, departa-
mento do Serr Largo.
Os ladi oes erara tres. Trislo, honieni valen-
te a leda a prova, resisti o quaolo Ir* Im aa*MH.
poreni teve de fugir para o malo coro *oa tanulij.
por Ihe lerem os aggressores gravemente ferian!
>o da 17 chegou a Artigas uuia ferea fiem-
an de aO homens, commandada pekr. 'iMtnrt*
l.rasileiros majores Porlo a Vergara.
No da 18 chegoo ao Serr Urgo m *wn
blanca fe 300 homens, coinmaadada pelo anrnan
e assassino Cypriano Carnes, para auxilio datan**
ViMk. a>
" No dia 24 chegou Artigas outra forra Mn-
MMM do 100 homens, commandaila pelo nnwaai
coronel Joao Blaz Coronel.
Fidelis no dia 20 achava-se em Caragnnu, na
sua (orea d! 1,000 homens.
< Nada mais 01 corre digno de nieacao.
L-se era urna rartaiparticular, escripia de Jfew-
\ ork em 23 de feverejra prximo pa>sad>:
t Recebemos hoje a noiieia da perda total da **-
por Bohemia, na costa do Canad, pererndo alo-
gados cerca de cem passageire que trazia. Se
malas do Brasil de 8 d Janeiro, <|ue anda en ni
chegaram, eslo boHo desse va|ior, imumi
muiio que eslejam perdidas.
1 orlo-Alegre d, era dala de 22,
Requeiro que por esta augusta cmara sej.i I praea o Sr."j G. M Xanora
commissao de membros tirados de l |am I10 ^^ .,,, ^ ^^ ainda um
escravo do Sr. Travassos, ura peo e mais dous in-
dividuos.
seu seio para,eonjanotamente com outra designada
pelo governo, proceder a um rigoroso inqnerito na
repartcao da marinha, cora o fim nao s de co-
nhecer'dos abusos e regularidades aqui denuncia-
dos, mas anda de estudar a actual organisacao dos
diversos trricos da mesma reparticao e propdr os
meios de os melhorar e aperfoiooar.
No lugar denominado Bahuleiru o tiraonerc
deixando de dar a necessaria direccao ao hole,
este vrou-se, perecendo afogados o dito Correa, o
e-cravo do Sr. Travassos e o peo. O Sr. Xanoca
e os mais individuos salvaram-se.
O Sr. Corroa, ha pnuco estabelecido na pro-
vincia, para onde viera do RI, tinha as symp ubias
dos que o conheciam, e sua desastrosa uiorlc tem
sido geralraenle sentida.
L-se no Diario do Rio Grande de 23 e 24 :
Da cidade de S. Gabriel recebemos o Eclut Gn-
lirielense at 10 do corrente rae/..
Da cadeia da villa de Saul'Anna do Livramen-
to evadise o alferes da guarda naeioual Pedro
Pires da Silva, que de S. Gabriel liaba sido remel-
S 1.* Dotaco de sua Mageslade e
Imperador...............
i i.' Dita de sua Magcstade a Im-
,^llrit-:.............. 96:(KX)*ut)0
% 3." Aiimeutos da princez Impe-
rial a Sr.- D. Isabel...... .
I 4." Ditos da princeza a Sr.' D.
Leopoldina.............
5 5," Dptaeao da princeza a Sr.-D.
Jouaria e aluguel de casa..
( 6.' Dita dasua Mageslade a Im-
oentriz viuva duqueza de
Braganca................ 50:000*000
7. Alimentos do principe o Sr,
m.om 12:000*000
6:000*000
10;fjrJ0*000
Por decretos de 26 e 30 do passado foram no-' eonjuncta mente eom o governo a adrninistracao e
meados: j inspeccao do matadouro publico da corte.
O jniz de direito Jeao Ladislao Japiass de Fi-' ArL 2 As boiadas destinadas ao consumo da
gueiredoe Mello, para o cargo de chefe de polica caP'Ial serao cortadas segnndo a prervoridade de
da provincia do Rio de Janeiro; I s"38 chegadas ao pono do Brujo, de maneira que
O bacharel Carlos Pedro Ribeiro, uiz de direito ^uePr,mero chtiearem **< as priaieliaa a se I de do^ci[0 !>. viriSf0 Nones Pires, da guar
da comarca do Porto Imperial de primeira entran-: cortarem.
ca na provinciade Goyat; Quando duas ou mais hoaverem chegado jun-
0 bacharel Joo Lepes de Carvalho Lobo, juiz' tamente, a matanza s,er proporcionada ao numero
municipal e de orphaos dos termos reunidos do Co- de rezes de cada urna,
d e Corot, na provincia do Maranhao ; Art. 3." O governo, sob proposta da cmara
Thomaz da Cunta Bueno, tenente-eoronel eom-' municipal, hornear um empregado, a quem incum-
mandanle do batalhao de infantaria n. 27 da guar- bir a polica e adminstracao do matadouro.
da nacional da provincia de S. FanJo ; Art. 4.a No porto do Brejo ser igualmente
O capitao Francisco Gomes Biltoncourt para ma- collocado outro empregado, pela mesma forma ao- Femeir da Costa Piragire! direetoTgeUrrda'*'d^ smo'r a Ib"
i.jor ajudante de ordens do commando superior da meade, encarregado de registrar as boiadas que j rectora desta secretaria de estado, tres mezes em I Veremos se esta ddiberacao ser tomada,
guarda nacional dos municipios de lta[jemirim Be- forem entrando. | prorogaco da com me so acba na Europa.-Em I Agora ron noiieiar-lhe alguma cousa do eslado
i nevenfe e Guaraparv, da provincia do Espirito Tanto a este come aoempregadode que tratao 21 de marco fmdo ; visinho
Santo; artigo antecedente nwcAr-se-haoordiMados fixr*. | AKeroi do hataniao de infantarfa Sebastio' Plores dividi o seu exercito, dando aos sees
Pabricio Geixoto de Mello e Manoel Reginaldo Art. 5." Lstabclecer-se-hao na cidade aeougues Machado da Sttreira, para vir a esta corte prestar generaes e coronis o commando de divisoe* ex-
dc Moraes Salles, majores ajudartlt-s de ordens do pblicos, nos quaes possam os boiadeiro', inveras- exnme na eseo! mHitar das materias praticas qne ceptaando urna for!a de I 000 homens que reser-
comtnando superior da guarda nadonal des muni- tas e criadores tafliarem e venderem a carne desen Ihe fattam para ser considerado eom o curso da vou para si.
: cipios de S. J,oao do Ro Claro, Brotas o Areqoara, gado. (arma a qmjtxlmtt*; 1 Sos coronis Gojo oares e Fidelis Parda
na provincia de S. Panto. Nmguem podera estabelecer aeougues sem | Oe*ttmn* de Insenea.Ao8r. tenente do corpo Silva tocou o commando de urna (brea de 1 Ot
Jorge Henrique de Araojo Cintra, capillo seere- depositar no cofre mnincipal a quantia de um como deestadeMiiWnr de elaese Joio Carlos Crtela liomens, que lego que os recel)eram vieram em
S. M. o Imperador, acompanhado dos seus sema-1
narios e do Sr. inspector do arsenal de marinha, i
enibarcou honlem, s9'! lloras da manhaa, na-
quellc arsenal, e visilou as fortalezas de S. Joo,
l'raia de Fra e Imbuhy, e o hospital de marinha,
onde pereorreu algums enfermaras, demorando- i
se na que oceupam os dous marinheiros do vapor i
norle-aniericano Sacrament, victimas do desastre
occorndo por occasiao das salvas do dia 28 do pas-1
sado, por cujo estado Sua Mageslade moslrou ote-1 tido para alli,'pra ser procossado, por ter passa-
ressar-se. do a fronleira a frente de 40 cidados e adherido i
De volta ao arsenal examinou S. M. os modelos, causa do general Flores
de diques lluctuanles proposlos pelo 1 lente de s. Exc. Bevn' o Sr. bispa diocesano ja havia
engenheiro Andre Pereira Iteboucas, e retirou-se seguido da freguezia de S. Vicente para a cidade
as 4 horas da tarde. : de Algrele.
; I Temos infelizmente que registrar mais um
Por decreto de 29 de. fcvereiro prximo passado! assassinafe, que leve lugar na larde do dia 24.
foram approvados com alguraas alterares os novos; ueste municipio, no lugar denominado Albardo,
estatutos da sociedade dabinefe Portuguez de Le-! dislriclo de Tabira.
lura- Galdino Soares de Lima, estando n'umas car-
------------ ; reiras com grande ajuniaraeuto, travou-se de pala-
Da ordem do dia n. 393, publicada ante-hontom j vras com Manoel Rodrigues Nicola, pacifico ci-
pela repartcao do njudantc-general, extrahimos o 'dadao, casado e eom cinco lilhos menores, e sera
seguinte: I mais nem menos uu xa por urna pistola de dous
Aviso circular do ministerio dos negocios da fa-1 canos e dispara um tiro sobre Nicola, que, acer-
zenda solvendo duvidas a respeito do pagaineuto > lando-Um na rabeca, cabio instantneamente
de dividas de exercicios lidos. inorto.
Nomea^dos.Dos Srs. tenente-eoronel do corpo Al)s gritos de marre*i acudi um irmao
de engenheiros Jacintuo Vieira do Couto Soares,' dfl Nicola, de nome Rannael, e o malvado Galdrao
para dirigir interinaraeate a fabrica da plvora da i *o velo descarregou-lho o outro tiro e o torio gra-
Estrella.Em 19 de marco lindo ; vemente n'uma coxa.
Major do mesmo corpo Paulo Jos Pereira, para I. A isso tudo o indmito sicario conservouse
1" ajudanto da escola central. Decreto de 19 Je 1 mpassivel; e, sendo o morio e seu irmao baleado
narco (Indo; conduzidos casa de ura visinho, o assassino di-
Te'neate do 4o batalhao de infantaria Hortencio I rigise a ella, dzendo que i/aeria acabar de ajenar
Mara da Gama Souza e Mello, para director daco-! B'iphael; o que felizmente uo conseguio, por Ihe
lonia militar de Uraco.Ern 21 de margo lindo ; forem sido lolhidos os passos; e carregando nova-
Alferes do 8 batalhao de infamara Andr de! mente s"as pistolas, sabido milito a seu salvo, sem
Paula de Athayde Seixas, para ajudante de ordens adiar quem Ihe dsse a voz de preso 11 Picando
da presidencia da provincia do Piaahv. f assim mais este criminoso impune e as autonda-
Exoneracis.bd Srs. coronel do corpo de es- des e a lei escarnecidas,
tado-maior de 1* classe Jos Joaquim de Carvalho,! Tendo, porm, horas depois conhecimento do
do lugar de engenheiro da companhia de minera- occorrido o subdelegado supplente em exercicio
cao da provincia de Matto Grosso, segundo eom-. Sr. FelicioGonjalves dos Santos, procedeu a corpo
muncou em data de 11 de marco lindo o presiden-1 de delicio, e dea todas as providencias para a cap-
te da mesma companhia. tura do assassino.
Tenente-eoronel do corpo de engenheiros Jaein- De Jagoaro escrevem ao Commercial do Hio
tho Vieira do Couto Soares, do lugar de Io aju- Grande em 25;
dant da escola central.Decreto de 19 de marco Adia-se fechado, por deliberagao do comman-
findo : danto da fronleira, o passo visinho desta cidade,
Tenente do corpo de estado-maior de 1* classe no rio Jaguaro, denominado Boca do Tigre
Candido Jos Coelho de Moora, do lugar de aju- Nao sanemos qual a causa de semolhante pro-
dante de ordens da presidencia da provincia do bihioo de pasragera.
Piauhy. j Se para obstar o contrabando, a guarda all
Beraocao.Do Sr^t cirurgiao do corpo de sau- residente tem obrigacao de o impedir.
Se para impedir a pastagem de gente que
niero desta corle para a da provincia de Santa Ca- se v apresentar aos colorados, isto nao obsta, por-
tharina, como requereu. que roe consta que em um dos dias da semana
Transferencias.Dos Srs. alferes Joao Luiz da transacta passou em urna partida do rio Jaguar:>
Silveira, do 3 batalhao de infantaria, para o 13 urna tbr^ja de 600 homens, qne se foram apresentar
da mesma arma; e Raphael Fernandos Lima, des-' a Fidelis, que com enthusiasrao os recebeu.
te para aquelle batalhao, como requereram. Por isse julgamos con veniente que esse passo
Licencas eoncertida.Aos Srs. coronel do corpo seja fran|ueado, porque, sendo ao contrario, mu-
r de f classe conselheiro Viceme to trausiorna aos viajantes que continuamente pas-
Hontem s 2 % hora da tordo, aa errasian en
que sabia do interior para a frente da Iota de cafe.
chocolate e outros genero*, de non era profrieta-
no, na ra da Valla n.i 24, foi fondo o Franrn
Voisin Zeptnr com uma tarada sobre o r*nr*>.
por um preto aleijado, sen escravo. A morir fot
instantnea. O assassino foi logo preso* rtmtm
i para o xadrez da polica.
6
O senado approvou hontem em nliima t*nt**~>
as emendas do Sr. ministro da fazenda a arn
rio da cmara dos deputados que manda
a vigorar o ornamento fe 1863 a 1864.
E, depois de volar, se ai debate, outras materia.
que estovara na ordem do ha, iraton da anmrira
discussao da pro|iosta deifixacao de forra* > otar
orando os Sis. Silveira d> Molla e minislro da ma-
rinha.
A discussao (icou encofrada, por nao haver
mero para volar-se.
nn-
1 loniiuuou hontem na (amara dos fepuiaeVn a
segunda discussao do propicio vindo Jo rnaMfo, pir
prohibe a venda de escravfs em leilo. (iroa o Sr
Jacobina, liuahsando por
to de adiaiueiilo. cuja disc
hora.
Entraiain depois em dis
dos Srs. Nory Ferreira
leudas, roubos e BaHaajafa
lado Oriental p?las aulorid
repblica contra a< |.....fcaj
ditos brasileires all raaM
Ferreira da VViga, minisiro
ros, .Nerv a It.uros Piment
ditoajiaa.
amar um r'iiwHw
lo I'm-i mi adi.Kla arta
issau a- inter|>rrtar--
Veiga acerca das rio-
coiiimelliilas n* Ro-
les civis e militare- iii
proprie-lades de sfe-
nos. Oraram n* Sr-
lo> negocios estranv-i
licando encerrada a
do Bio da Prata. tr-xi
2 e Montevideo :
O |aquele Mersrii, entra
xe datas de Buonos-Ayres ai
do pas-ado.
.No Filado Oriental prosegua a guerra civil s-m
MMMCsao uoiavel occorndo i iraote a ipiinzena.
general Lucias Moreno linh: assumido o romanan
do di) exercito do governo er 1 raiiipanha a traiava
de augm ;eneial Flore* con>tava tr r pa>sado o Km-.Vgr
tara o norte, deixando lodav a (oreas suas en* va-
rios depailainenlos do sul. car lo ao*. eir-
respondenie refere alguns 1 -coniros |-.|in-i,..
imporiancia.
Km Buenos-A\res correiiUangne aa* eleir.V-
piovincia-s, a que se proced.il no da 27. < i\ 1
veram de ser parrialmenle suspnisa
Xas provincias do interior tteraru
goajH correras. Por outro
a aclivi lado cun (|ue progrid
vias lerreaa, eaa follas da
o fado do bapiisino do vapor
co e machinas foram consirui<
os IruWr. al-
, agradave) wrr
ni os trabalbo* di-
M>--.\\re. re^i-
teliz Colon, riij rr- -
no pan
P, Luiz,.
tario geral do mesmo commando superior ;
Jnstlntauo de Mello e Oliveira, capillo- roarlel-
mestre 80 mesmo commando superior.
Lino Antonio Jos de Freitas, capitao oirorgiio-
de rt.
t Art. 6 De cada rez que se matar no mada-
douro" cobrar-se-bo 2OW00- Niio Be, porm,
6:000JWOO mor do mesmo commando superior.
^Tf'!^e*^aM9*M2!fiS^r?*Grfll**' directo villa'de Serr'Largo, 1
na cidade de Santos, U*pt***\kodastetir do resto toma-la. -
. da liceja qu obteve peta ordem do da D. 390, A unta tegua de distancia desta villa, o Inlre-
sujeite a esta contribuigo o gado que o tifef'' passeridee wcoo^deradoem lapvifo dtjsda o da pido Fldefs diese ao seu companhero qne rom
pista, boiadeiro e criador trouxerem ou manda- 8 de mareo lindo. JOO fiomens era capaz de tomar a villa apezar
Consta-nos que a guarnir
/( guerra, nao recebe sold ha doi
corlo a privara de satisfezer an
neemnliadaa.
E' de crdf aa, ignorando
no providencie como o do ju>Im
.No paquete Mersea veio em
esta corte, como-enviado i-xiraoi
plenipolenciario da tapaManj
Joso Marmol, que traz por secn
taara Paz.
corveta
un miro vaso fe
inrzr*. o mir ta
as mais onliruria'
tarto, ojrov.r-
a seu resprito.
s*ao esprcial par
mano r umih-Ii
entina, o Sr. I
io o Sr. D. Al-
l senado approvou honirm ei 1 segunda dt*co--
so o parecer concedendo aoSr. iHisellinro Kntr-
bio de uueiroz licenca para ir a uropa tratar fe
sua sade; em primeira e segum a disens-o a pro-
posi7o sobre a pretenro do mnj lanle Jo-r rVitrek
ra Franca Jnior; em primeira < iscussao o proje> -
to relativo prelenco de D. I tita Feliciana de
Ainorim e Silva; e em segunda disrossn o nro-
jecto concernenle maneira de rgnlar-se o eie.
ccio los membros do coo>elho n ival.
Knirando em segunda discus; io o projecto ajnv
autorisa concessdes na apprevar o dos ruaren i
crdito mutuo, oraram os Srs. I anoel FrHzamV e
Souza Franco, o l-ou adiada.
Sendo approvada em primrin disrasso
P isicao que lixa a forra naval
a I86, e comparen ni, o Sr. ii'ni
comecou;
a pro-
ra o anno aV WM
listro da maana
iceoii a segunda discussao. tr^tando-se do arto >
primeiro, sobre o qual oraram Jos Srs. Punaba
barao de Muriliba e Siuinil.j'; nraado a itiscanaan
adiada pela hora.
A cmara dos deputados occuou-se baajeai rea
a tercena discussao da proposta do govrrno ajae I
xa as forras de ierra para o ana* nnaaceiro de t**4
U \rri>-).
Oraram os Sis. Cosa Fin, rnfeir* Mactodo
larneiro de lampos e Saraiva, leado a 'irrtr
adiada pi la hora.
Eslo ioscriptos com a palavnk os Srs. Lanas "lei-
to, Alv.m, Vlriato, Martinlw C -1
cisco, Saldanha Marinho
vor; e contra, os Srs. Lima ,
Sr. Silva Pereira e.-t tamben,
ponder ao Sr Carneiro de "inpii
Por carta imperial de 2 do crreme
sado cidadao brasileiro o subdito portngnerJaaf da
Araujo Souza Medoiroa.
pos, Martim rran-
da Caan, a fe-
rie eMk &
inscripto, para ra>-
El.KI.:\o he UM ORPt'TADO I
SKMWlK) DISTHICTO
O Mi'nas-teraes publica a
Col le fio dr .
Compareceram 38 eleilores :
Mondonga.
Joo Piula


.14 :/> i i
Otarle d Fe raa sabuco
Uju uta /Ir* 14 di .11*11 4e 19*4.

lhaino. *
Ha cdula cm branca.
Colleyo de Sania Luza.
Comparecern 40 eleilores.
Mendmiea. ''
Hygioo.* a
DIARIO DE PERNAMBUCO
O vapor brasileiro Cruzeiro do Sul. enegado hon*
lem dos |iorlos do sul .lo imperio, foi portador de
jomaos do Rio ate 7. da Baha al 10, de Sergipe
al 11 e de Alagoas al 12 do correle.
Alm do i|ne tao* ao* as rubricas Parte Ofi-
cial t Interior, anonas enconlramos mais dos jor-
raos o que segu :
Rio dk Jankiho.Por ocrasiao do anniversario
do juramento da constituigo, o Sr. senador Pra-
nnos pronunciou o segrale discurso peranlo S. M
o lni|ieradnr :
Senhor I Cada lustro que decorre na vida da
nago hrasileira urna nova aureola para a me-
moria do fundador do imperio, e urna nova consa-
graco do amor dos Brasileiros s instituirnos ju-
radas.
Independencia e liberdade, monarchia e re-
presentado popnlar, sao ideas que a boa estrella
do Brasil* assoeiou desde a aurora de nossa eman-
ciparn poliiica, e cada dia mais firma e fortalece
era todos os esph"itos.
A fesla de hojej nao a effusao enlhusiasli-
ea de um pensamento grande e novo, que se ma-
nifestava em mnio de esperanzas ardentes e de re-
cordaces dolorosas. Mas a comuiemoracao re-
flectada e calma de uui (Vito perduravel, que se en-
grandece com o tempo e ganha em venerago o que
perde em idolatra.
O bom senso nacional, e as tradiedes de leal-
dade i|ue recebemos de nossos maiores, mostra-
ram-os, quando anda no bergo da independencia,
os solidos fundamentos de nossa eslabilidade, de
nossa unan, de uossas mais caras e legitimas as-
pi rae oes.
O sol de setembro illuminou um graado acon-
tecimenlo nesta parle do vasto continente america-
no ; mas o sol de marco marcou outra data nao
menos loriosa, a d"rgimen monarehico-repre-
seolalivo no Brasil.
Independencia sem monarchia seria a pengosa
oscillacao que tantas desgrasas tcm custado aos
nossos "conterrneos ; monarchia sem os dogmas da
soberana popular fra urna crcaco transitoria e
nao menos procello.
O acto magnnimo de 1821 resolveu o maior
problema de nossa nacionalidade, com acert e
previdencia propriosde urna inspirado divina, as-
aeniaudo-a sobre as bases inimulaveis da conser-
varan e do progresso.
i (loria ao principe que erigi So admiravel
monumento. Gloria ao poto que o pedio e jnrou.
Gloria no lilho augusto que conserva, com tanta
sahedoria e sollicitude, aquelle precioso legado.
t Senhor A monarchia de 182! como palladio
da ordem constitucional do Brasil, e a crmstiluigo
de 1824 como palladio da monarchia hrasileira,
eis a expresso fiel dos vulos que o sonado renova
ao Allissimo neste dia sempro memoravel.
S. M. o Imperador dignou-so responder :
Com vivo jubilo me associo s congratulagoes
do senado pelo anniversario de nossa censtitui-
co.
O Sr desembargador Valdettro pronunciou,
por parle da cmara dos depotados o seguinte dis-
curso :
< Senhor A cmara dos deputados nos enva
em solemne depulag" augusta presencadeV.
M. I. para, em sen iiome e da nago que reprsen-
la, congratular a V. M. 1. pelo faustissimo anniver-
sario ilo juramento da consiituigo do im|ierio.
1) augusto pai ile V. M. I., offerecendo a nacao
a mais sabia e liberal das ronstituiroes, coiisolidou
a monarchia no Brasil e tixou os destinos do im-
perio, desvanerendo as apprehenscs e incertezas
pie no animo dos Brasileiros gerara a fatal nter-
rapaao dos trabalhos de sua primeira assemblea ;
coii.-tiluinlc. |
dito lustros sao decorridos de|ios do dia 25 de
marco de 1821, e a f n i< inslilnicSoi juradas, I
sustentada e fortalecida pela sahedoria, juslica e
patriotismo de V. M. I., niumphando das lutas fl-'
Jhas da inexperiencia e exageraces dos partidos,
rada vez mais se tem acrisolado pela convieeo
profunda de que a monarchia constitucional repre-
sentativa a utais segura garanta da hberdado, da
pai e da pro.-peridade da nacao, salvando-a das
vicissitudes, convulsoes e oxcess..s por que teem
passado alguns povos nossos conterrneos, que
mais anligos do que nos no catalogo das naees,
anda nal se podem considerar regular e solila-
nieiite consliluidos.
E' pois, com fervoroso jubilo que os Braslei-
ros >audam o momoravei dia em que o augusto
progenitor de V. M. 1. completou a grande obra
4o glorosaineule comecada as margens do Ypi-
ranga.
Dgne-se V. M. I. acolher benigno as congra-
tulacoes da cmara dos deputados, e os protestos
de seu amor e devocao augusta pessoa e familia
de V. M. I.
S. M. respondeu nos segunles termos :
Com vivo jubilo me associo s congratulares
da cmara dos Srs. deputados pelo anniversario
da nossa consliluicao.
Na mssSo de 5 do corrente da cmara dos
deputados, respondendo ;is inierpellagdes que so-
bre as emergencias da guerra civil que lavra na
repblica do Uruguay, baviam sido feilas ao gover-
no imperial, declarou o Sr. miniMro dos negocios
o-lraiigeiros que, as circunstancias actuaes,esla-
va o mesmo governo disposto a reforcar as fron
leii as nao s para impedir a invasao do nosso ter
ritoi io, vedando ao mesmo tempo que grupos ar-
mados se passem para a banda oriental, comotam-
-bem para garantir c proteger eflieazmente os inte-
i esses brasileiros, se por ventura nao forem conve-
iiientemenle atlendidas as reclamacoes que com
toda a energa l rala va de dirigir ao governo orien-
tal, r; linalmente conliavaque se, como era de es-
perar, a nova potieio acompanliada do facto de deporem as armas os Bra-
sileiros que se acham envolvidos na lula, licariam
satisfeilas com mais facilidade e sem grande sacri
iio para o pair, as represenlages e queias dos
subditos do imperio que residem no territorio da-
quella repblica.
Por decretos de 5 do corrente foram nomea-
dos :
(l juiz municipal Agoslinho Ermelino de Leao
para juiz de direito da comarca de Cacapava, de
! entrancia, na provincia de S. Pedro do Bio
Grande do Sal ;
O bacharel Joaquim da Silva Bamalho, juiz mu-
nicipal e de orpbaos dos termos reunidos de S.
Jos e S. Miguel na provincia de Santa Cathari-
sa
munici-
na pro
O bacharel Jlo Rodrigues Mafra, juiz
pal e de orphos do termo do Bio Preto,
viucia de Mmas-Geraes ; ficando sem elT-iio de-
creto de o de junho do anno passado, i|ue o no-
ineou para igual cargo nos termos reunidos de
J'arnahyba e Batalha, na provincia do Piauhy;
O bacharel Jorge Augusto de Brito Ioglez, juix
municipal e de orphaas do termo da Cachoeira, na
provincia do Para.
Foram removidos :
O juiz de direito Antonio Barbosa Gomes Noguei-
ra, da comarca do Rio Claro, de 1" entrancia, na
provincia de S. Paulo, para a do Rio das Martes,
de t", na de Minas-Geraes.
O juiz de direito J*> de Carvalho Fernandos
Vieira, da comarca de Itapicnrumirim, de i* en-
trancia, na provincia do MaranUao, para a do Rio
rande, de S", na de S. Pedro do Rio Grande do
Sed.
O juiz de direito Joaquim Cietano da Silva Gui-
unries, da comarca do Rio Grande, de 1" entran-
cia, na provincia de Minas-Geraes, para a de Itapi-
curumirim, de 2', no Marauho.
O juiz de direito KraoeiM-o Zabuln de Almeida
Vires, da comarca de Piracuruca, de l* entrancia,
na provincia do Piauhy, para a do Brejo, de 2", na
Fot designada a comarca do Rio Claro, de 1* en-
trancia, na provincia .le S. Paulo, para nella ter
oxercieio o juiz de direito avulso, Joao Guilbenne
de Aguiar Withacker.
Foi declarado avulso por nao ter entrado em
xercicio no tem>o marcado o juiz de direito da
comarca do Brejo, na provincia do Marauho, Joa-
quim Goncaives Lima.
Fui desligado do commando superior dos niiwi-
dpios do Rio Preto e Parahybiina da provincia ite
Minas-Geraes, a guarda nacional do dislricto do
H irb.wena, e c >.n ell> ere id > um eom.nando su-
Foi alterada a organisafio tk) commando supe-
rior da gil rda nacional dos municipios da Para-
hxhuna e Rio Prcto, da provincia de Minas-Ge-
' __ Por porlaria de C, foram nomeados ;
Joi Alfredo de Cirvalh >, para e.-riptdrario do
.-senil de go.arra de Pernam^ico ;
M.iih'I Joaquim Percira do Souza e Jos Andre
Fernandi.'s Moreira, o 1" para agente da agencia
do correio de S. Jo5> uo Principe, por deitissao
dada a JooMarcellino INnto Mesqoila ; e o se-
gundo para ajudanle da mesma agencia, por de-
misso dada a Jos Custodio dos Santo, ambos na
provincia do Cear ; Manuel Garca de 8011. Ra-
mos, para agente do de Pao d'Alho, na provincia
de Pernamli(a>, pop demisao de Bernardno !tar-
bnsa daSilv.1; jor Jos Gavinli 1 Vianna, para
agente do de Entre-Rios, na provincia do Rio do
Janeiro ; e Fernando Wcftphaten, para ajurante
do da villa do Principe, na provincia do Paran.
Foi tambem creada na agencia de correio na
villa de Cascavel, na provincia do Cetra.
BahivI) patache UarikUili, entrado do Rio
Grande do Sul, no da 2 do corrente, declarou ter
encontrado na lat. 18'II' elong. 38.Tti' a bar-
ca hrasileira ocha, em viagein de Santos para o
Canal.
L-so no Jornal :
' Na madrugada de guara par quinta-feira
da semana que corre, passando um preto peto ex-
tenso brejo, inieiramente despido de arvores, que
lia na baixa prolongada alm da roca conhecida
pelo nome de Garca, sentio cahir urna grande pe-
da, que, por mais que elle a procurasse em der-
redor, nao coisiguio vdr. parecendo-lhe entretanlo
que ella linha cabido exactamente na direceo em
que se achava a la. HonHm tarde voltando o
mesmo prelouuelle lugar, cneontrou um grande
esguicno d'agua, inccssanle, que tem altrabido a
allenco de quantos tem tido noticia delle, sup-
pondo-se (|ue o resultado da queda de um areo-
lito. >
< Com a demolicao do sobrado de tres andares
sitonoTerreiro de'Jesus, enconirou-se no rao de
urna parede um caixo, que sendo aborto pela au-
turidade policial, reconheceu-se encerrar urna mu-
mia, qae foi mandada recolher escola de medi-
cina para proceder as ulteriores indagacoes
sobre a archeologia, e conheenr-se a que e|ca
pertence esse cadver, que hoje pelas 1 horas o
nwia da manlvaa tem de pastar pelo exame dos
mestres.
Na madrugada de i para do corrente (s 1
horas pouco mais ou monos) as igrejas dnram sig-
naes do fogo, que se havia manifestado no anna-
rem de deposito da companhia Bahiana de Nave-
gaco Vapor, na Kibeira de Itapagipe, fregnezia
da Penha.
t O ogo, que lavrava voraz e com inlensidade
admiravel, auxiliado pelo vento orle, que soprava
rijo, reduzio a cinzas nao s o deposito, como duas
casas contiguas, oceupadas pela empreza, -antes
mesmo que podessem ehegar os so-^orros da ci-
dade I
O prejoizo deve ter sido consideravel, porque
all havia piche, alcatro, cabos, madeiras, ferro,
etc., e todos o< ohjectos de que necossita urna em-
preza daquella ordem.
Geralmente se ere que o fogo foi lancado 'e
proposito, visto ter apparecido na madrugada pos-
terior a dousdias festivo*, nos quaes nao devia all
lar havido Irabalho, nao se podendo. portioto, at-
tribuir a descuido de algum operario.
A superintendencia olerece urna gratificacao
de 300-5 a quem Ihe denunciar o incendiario.
Sbiiipn.Nada occorreu que mereca mencao.
AnfiftAs.Seguir para a Bahia, 2, o brigue-
escuna de guerra Filelidmle.
Falleceu, victima de molestias cJironicas, com
60 annos de dado, o teneiile-eoronel Francisco de
Paula Mesquiu Cerqueira, administrador do con-
sulado provincial c provedor da Santa Casa de Mi-
sericordia.
Lo-se no Mercantil:
i Jos Ignacio do lUgo, mais conhecido pela an-
tonomasia de Snbao, tendo de retirar-s para Portu-
gal, sua patria, vendeu a casa de molhados que li-
nha na ra do Commerclo a Estevo Ferreira No-
bre, com o capital ile 7o0.
Tendo sido i-ffectnada essa compra no dia 22,
e dias depois arreiendendo-se Nobre, foi sem o
menor fundamento jurdico, a nao ser a m f, no
dia 29 requerida, e nesse mesmo dia larde offee-
toada a captura de Reg, como pretendendo em-
barcar-se para a Europa, fugitivo por haver coin-
mettido no entender de Nobre o crme de estelio-
nato, estando ainda o seu passaporle em poder do
seu vice-consul.
Reg, preso para averignneoes policiaes, lan-
cado na enxovia de involla e' em contmundade
com os criminosos da mais grave nota.
Urna fera que existia no mesmo compartimen-
to com o nome de Jos Jorge, sem o menor moti-
vo possivel, e smente por que o portuguez o in-
coinmoduva com os sem roncos, quebra-lhe urna
garrafa ao rosto, e inutila-o liorrivelmente, com oa
seguintes ferimentos : um talho no orciput com 3
polegadas de comprimento.e muioprofundo; urna
grande contuso no olbo e outra na mo esquerda,
um talho no pulso direito e outra grande cunlnso
abaixodo thorax no lado equerdo, que, tem feto
expectorar muilo sanguo ; o que o |>oe em perigo
de vida, no dizer do seu medico assstente, o Sr.
l>r. Cspinola.
NOTICIAS COMMKCIAKSE MAUITIMAS.
Bwnot-Awet, 28 de marco de 180'i.
Camhio.-lnglalerra, ,49 i/2 a 50 7/8 d,; Fran-
ga, ,'i,2 a 3,:0 frs.; Hainburgo, ii sh. ; Genova,
,i frs.; Rio de Janeiro, l 812 1/2 rs. Monte-
vdeo, 1/8 a i/4 % desc.
Pesos fortes. Ultima venda a dinheiro, 29.5 15
cts.
Descont?.O banco d a 9 e recebe a 6 "/ ao
anno. Na praga regulam de 7/8 a 1 % M mez.
Fretes.Inglaterra : couros salgados 25 sh., di-
tos seceos 40 sh. e fardos 20 sh. om 5 "/ e capa.
Franca : couros salgados 20 a 30 frs., ditos seceos
00 a 75 frs. e fardos 35 a 45 frs. com 10 "/> de ca-
pa. lisiados-Unidas : (bandeira neutra; couros sec-
eos 3/4 cL e fardos ti com 5 7 de capa. Brasil :
carne secca 4,5 e 6 rls. f. e nos ros mais 1/2 rl
por quintal.
Nontevido, 30 de marro.
Cambio Inglaterra, 52 d. por peso corrente ;
Franga, 83 e 83 1/2 frs. por OOCa ; Genova, nomi-
nal ; Buenos-Ayres, ao par,
Soinmam os saijues fechados :sobre Inglaterra,
36,000; Franga, 300,000 frs. ; Rio de Janeiro,
3,660 oncas; Buenos-Ayres, 2,500 ditas.
Divida publica.Consolidada 30 rls., exigvel 60;
novos lilulos69 a 70"/ e valor: divida interna
40 % idem, dita anglo-franceza 53 a 54 % idem, e
Gounouilhon 5 a 5 i/2% idem.
Descontos.O banco ccmmercial empresta a 9 e
recebe a 6 % ao anno. O banco Mau empresta a
12 e recebe a 8 % idem. O banco inglez empres-
ia a 10 e recebe a 5 "/idem. Na praga regulam
de-3/4 a 7/8 % ao mez.
Fretes.Inglaterra : 40 sh. couros salgados, 99
sh. ditos seceos, e 30 sh. os fardos com 5 % de ca- ]
pa nominal. Havre : 32 1/2 frs. couros salgados,
100 frs., ditos seceos, e 60 frs. os fardos com 10 %
de capa nominal. Estados-Unidos : 7/8 cts. cou-
ros seceos, e 8 pats. os fardos con 5 %. de capa
em navio americano. Brasil : carne seca 3 rls.
para o Rio de Janeiro, 4 para a Bahia e 5 para Per-
nambiieo com 5 */ de capa.
Rio Grande do ShI, 31 de marco.
A transaccoes da praca no decurso deste mez
nao tiveram movmenlo algnm notavel; foram,
como nos mezes anteriores, limitadas o poae ani-
madas ; e apenas dos prineipaes gneros de maior
consumo houve mais alguma procura, sempre se-
gundo as maiores necessidades que tinham os com-
pradores, nao se iuflnindo em negocios de maior
menta.
A importacao qne houve To bem sortlda, tanto
nos gneros de longo curso como nos do palz ; e o
mercado fica com existencias de agua raz, alcatro,
alvaiade, com regulares depsitos de arroz estran-
geiro, azeite de Portugal e Mediterrneo, azeilonas,
bacalho, banha, barrilha, carvo, cerveja, chambo
de mungo e cognac, fottia de Flandres, figos, man-
teiga, massas, nozes, oleo de linhaga, pinho ameri-
cano, e grande existencia de velas de composigao
e cha de todas as qnatidades.
Dos gneros do paiz ftenmos sappridos de arroz,
assoear, cachaca, fume e goiabada. Havendo al-
guma falta de passas, manteiga superior, queijos
flamengos p caf, que a existencia que citamos ha-
ver nao satisfaz a procera, e a mearaa cachaca nao
entroa sufficicnte para a extraeco que tem.
O deposito de carvao eontina no seu antiges-
lado, as diversas partidas viudas em lastro de na-
vios nao tem dado legar a ser procurado.
A farinha de trigo tem-se conservado froux, e
oa repetidos supnrimentos nao tem penuiliido ama
alta como pretendiimi os possuidores : no enlamo
a vuta das noticias do Rio de Jautro, dos procos
elevados que alli conserva este genero, estao-se fir-
mando mais em suas cotagoes por nao contaren)
per emquaM* eom noeas remedas. O depeMto que
temos de ,flO barrieas.
Da geuebra nao ficamos muito suppridos, e os
possiidores deste espirito esto com altas protn-
coes, por que nao se esperam grandes partidas, e
ja a tem vendido por mais 400 a 600 rs. por fras-
queira.
Nao melhorou a sitoac/ro do sal, e nem ora pos-
si vel, pois nao tem havido om que erapregalo, por
ler sido rotulo limitada a safra desto anno.
E' peqeno deposito do vinagre oslrangeiro,
mas nao do bom o qu; tem concorrido para aer
pouco procurado.
Ficamos muilo ahondamos de vinlios catataos e
de boas qualidades, luvendo cerca dP WW pipas
por veuder ; c alm oestes ha regulares existen- a 195000; primeira, 12*000 a 140tK>'< segunda,
cas de fin no de Lisboa, que na maior parte nao K*500 a 9.5500; lerceira, 5*00 a (iJOOO,
tom grande aeeitar.o.
De violtos brauc e do Porto tem havido entra-
das em cascos pequeos lo repeJa-, do Rio d
Janeiro, que j rlevuu o seu doposilu a 2,IHM> vol-
me*. Ora, este liquiJo de dillicil realisaco na
sua maior parte, por que, tendo-se divulgado, j ha
Fcam em ser 1,400 farlov
Freies. -Feeharam-sc durante a qwinzena ISfre-
tameiit.H. ,1 saber:
Para o Cato da Boa Eperanea : brigue hauove-
rian 1 /. O. Tichle por 300.
Para o Canal a ordens : barca ingleza Sapho (li-
ma*
>>!}*< jb* m
lempo, ser o seu fabrico no inesiuo parlo do Rio. rodada a 4,200 saccas) a 50 h.
sao poucos os que o procuraui, |>or que receiam Para Gibraliar a ordens : brigue portuguez Con-
que o seu amanho nao saja saudavol, o mesmo de- ceirio de Nari a 50 sh.
Francisco, escravo de Amonio de Sbnierra Caval--nomes de Alberto Viciar C!>r4rrn> E
Pasnageiros-do va|K>r Cruzeiro do Sul, vindo "Alnd nao 1-m liluio
dos portos do ral : -Desembargador J,quim Tei- prime.ro cou.,el,o urivaAi 'a nitta bra'top
xeira IVixoto, e 1 criad-. Jorji!::i Francisco do e par
Espirito Sanio e 1 criado. Francisco de Paula R. de j Foram
BOOM. Antonio de Paria Brandan. D Putronilha belgas,
Joaquina da Conceieo.Augusto' czar F. Cyres, Jos
Francisco Marlns de Almeida, l)r. Anlhrozlo Ma-
padrinhos a 1 -ainda Victoria, fts m
a pl uceza berudilana da frMMO, rifte-
seiii.ul. p^.|a priiM-eza UntoHa : a duques vuiva
de Nlileswi--|| .iisiein^lerbirg.
chado da Coima, e 1 criado, lleleoloro F. da Cruz, represeniada pela duqueza de Cambe..!*- ; rr
teriora-se fcilmente logo que tenha um pouco mais
do demora nos annazein.
Quanto aos productos da provincia, nao lem me-
Ihorado o mercado, conlinuaudo a esuassez pela
falla de gados.
Neste mez j se malaram cerca de 30,000 rezes.
avullando mais as entradas ncsla ultima quinzena,
e ainda se esperam do resto de la amas 6,000 re-
zes ; e s contam que a malanga seja em grande
escala nos dous prximo* mezes; porm para isto
brigue inglez W. Tucker a
cm Santos: brigue
Paro Liveriiool
30 sh.
Para Marselha, carregando
brasileiro Chenp a 55 a*.
Para Nova-York, carregando em Santos, barca !
sueca GahMme a 42 sh. c 6 d., e brigue hollandez j
Christine Marte a 50 sh. ;e em dimitir barca no-
rueguonse Byfoyed Tindalil (para 4,500 saccas) a j
ii sh. e 6 d, dita Amor a 40 sh., dita ingleza In- \
tus (para 4,500 saetas) a 35 sh., brigue bremense
se obter necessta-se que o lempo favoreca, porque SUull msel a 27 sh. c 6 d., dilos suecos larl JTFe .
as ebuvas e fros traustomam os trabalbus das Dan a 42 sh. e 6 d., galera sueca Coinmoi (para
xarqueadas e pn-judicam o beneficio. 5,600 saccas>a bi ah. e 6 d, brguel hollandez I
De carne secca euininaram-*e cerca de 50,000 Clnistine Mane (para 5,000) a45 sh.
23300 a 2J50O. e algumas partidas Cambio. Sommam os saques fechados at hoje
'ilenn:
,000 a 27 1|4, 27 3|8 e
esto preparando para seus 27 l|2 d.
arrobas de
desparelho a 23100, e o magro tem regulado 13400 r6) pelo paquete' inglez Majaba
a 13500 ; nao ha depsitos por vender, porque va- Sobre Londres: 380,000
ros xarqueadores o
navios, para o que necessitam de 50 a 60,000 ar-
robas.
I As gorduras teem subido e compraram-se 60 pi-
- pnne graxa Wm, HP *&+ **
sebo teve alta, dovido i procura que houve para
Porlo-Alegre, o e pagaram t 53 pur arroha ; po-
rm linda a demanda afrouxou e nao tem prelen- i
deutes a mais de 40OO por arroba, e mesmo para
a graxa nao ha glande (Iwposioao im- camprado-
res de sustentaren a eot.ic/io do 43 por arrotia.
O deposito deste genero lio egeede em Pelotas
a 10,000 arrobas.
Nao houve negoclaroes de vu*o em conree vae-
cuns seceos ncsla segunda quinaeea. e tatemos
de urna compra de 4 a 5-.000 pegas de 255 a 240 rs.
a libra.
As compras do mtz ueste artigo regulam por
i.'j.OOO couros.
Sobre Pars: SUO.OnO Trancos a 34fi, 47. 48 e
49 rs.
Sobre Hamburgo : 120,000 m. b. a 663 r*.
Sobre Londres e Porto tem regulado a tabella
seguinte:
102 por cento vista.
101 > t :;0dia.
lliO 60
99 > t 90 t
Apolices.Tem-se negociado as geraes de 6 por
rento ao par, 99 i\i, 99 o 98 por cento.
Descontos. Os bancos mantem a laxa de 8 por
cento.
a praga regulam de 7 1|2 a 9 por cento. sendo
pequea a procura de dinheiro.
Mulaes.As oncas da patria alcangaram duran-
te a quinzena 293'SOO e 293850.
Acgfies. Negociaram-se as do banco do Brasil a
r.\rv\J 1 uui vo. -----*-------- --- -------------
De ciniros salgados compraram-se nesta quince- 573O0O, 563000 e 523000, e as do banco Rural e
na 5 carregamentos e algumas pequeas partidas, Hypothecaro a 703000 de premio,
que monlain o tod"0 de 30 a 32,000 couros a 140 Entrou 30 do passado, procedente de Per-
ris os novilhos pesados, 120 a 153 os levianos, se- nambuco, cum 10 das de viagem, o palhabote Pie-
gundo o peso, e vacca UO a 115 rs. |tor libra. dade.
Faila-se que houve nina compra de couros de Sahiram para Pernambuco, 3 o patacho Ca-
novilho, peeado, cima de 140 rs. a libm, e que so puam; e para o Marauho, a 31 a galera portu-
dera por mn lote de 1,301) 14S rs. a lila.; mas os BUeia Adanmlor.
preoos geraes de tudas as traosacces t rain a 140 Bahia, 9 de abril.
ris nofilho, pesado. Cambios.Regularan) sobre landres 27 l|2 e
Fretes.Neste mez frelaram-se a escuna hollan- 27 5|8 por 13000, sobre Pars 343 rs. por fr., sobre
deza Mura Anno, 00 patacho inglez Atalante a 35 Hamburgo 653 rs. por m. b., e sobre Lisboa e Per-
dis, por tonelada do couros salgados, e refrelou-se iu "J8 101.
o brigue inglez Rebecca, de 175 toneladas, para ciiegou. procedeute de Pernambuco. 3
Marselha por 230 libras esterlinas. Para o imperio cam 6 dias de viagem, a escuna Carlota.
tem regulado a 300 rs. Rio de Janeiro. 400 Bahia m^^^^^m^mmmmmmm^mm^mmmm^mmm^m,
o 500 rs. Pernambuco, por arroba.
Cambios.Pelo paquete Apa lizoram-se as se-
gunles operagoes : Sobre Londres sacaram-se
26.003 iibras esterlinas a 25 1/2, 23 3/4 e 20. So-
bre Paris 83,000 francos a 370 rs. Kio de Janeiro
cerca de 80:0003 a 8 V* vista o 5 a 6 % de premio
a 90 das. Baha e Pernambuco cerca de 40:0003
de 3 a 5 % de premio.
Soinmam as operagoes do mez para os dous pa-
quetes em 39,000 libras esterlinas sobro Londres,
297,000 francos sobre Pars, 145:0004 Rio de Ja-
neiro, 40:0003 Baha : .Pernambuco. e 20,000
marcos banco sobre Hamburgo.
Rio de Janeiro, 6 de abril.
Boletm de 23 de marco 6 de abril.
De pouco vulto foi o movmenlo coinmercial
desla quinzena.
No mercado de imporlaco consprvon-se quasi
PERNAMBUCO
RE.1STA DIARIA.
A assemblea provincial, em sua sessao de hon
em, logo depois da leilura da acta, ouvio a se-
guinte indicaro, que, sendo posta votos, foi ip-
provada por "todos os membros presentes, inclusi-
ve o Sr. Cunha Teixeira, qoe nao a assignou :
Propomos que esta assemblea provincial deixe
de funecionar por tres dias, em sipnal de pezar
pela sentida morle do conselheiro Francisco Xa-
vier Pacs Brrelo.
Paco da tssemMa provincial, 13 de abril de
1864. -Anilina Ponteen, Arauj llanos. Silla lla-
mos, Butirqii; Carvalho Moma. Gonr.alves da Sil-
va, Maranluio. Anninto Titeares. Silva Barros,
sem alterago a posigo da maior parta dos arligos fm Huiros, Campelio, Ferreira Jarobina, Ih:
de maior consumo, conlinuaudo os compradores a' i^^reiro, Pereira de Brilto, Sabor, Cntanho, Joo
supprirem-se na restricta proporcSo de suas neces- Braulio, Lopes, Teixeira de Mello, S Pereira e
sidades mais urgentes. i Amlrade Lima.
No da 2 do corrente reuuiram-se os neiroeian- Por igual motivo nao houve hontem expe-
les de molhados, signatarios do convenio de 1 de diente na secretaria do governo, ileixando |or tan-
ouluhro do anno passado, 0 resolveraro sob propos-; |0 g, rkc 0 Sr. presidente de despachar.
U do presidente da respectiva commisso IWc.al dar jjoje funeciona o Instituto Archeidoyico e-Geo-
por terminada e ero effeito a dita convenci, em grapk&-Rmmmb**a*o em srsso ordinaria, na
razio de terem cessado as causas que a promo- )Ua| tem ae Mr discutido o respectivo oreamento
veram. do anno social de 1864 'i
N'o mercado de exportaco dimnuio considera- poj nomeado procurador fiscal da Ihesoura-
velmenle a procura do algodn cm razo das noli- rja ,1,. fexenda desla provincia o Sr. Dr. Henrique
cas que trouxe o paipieto ingiez Magdalena dos d<> Hago Barros.
centros consumidoros. I fj Exin. Sr. viee-presidento Dr. Domingos de
A anida do caf augmeotoa, porm, desde a s Bento Jos da Silva, Antonio Jo- de Mello, cllete
Fausto Francisco de Alencar, Jos Candido Gua-
biraba. Jos Joaquim Dantas Jnior Bruin J Man.
Dusoun Bel, Relian Jesan, Franh Awsiy, Joaquim
Prancisco Lopes, Custodio Pinto Braga, e sur mil-
Iher, Antonio Augusto de Amoriin, Josquim de A.
Maia, Jos Pereira dos Santos, Hanoel Jos Gomes,
Francisco Joaquim Alvos Rezemle, Joao Jo^ de
Miranda, Joaquim Antonio dos Santos, Jos Nanea
Nogueira, Hcrmogencs Octavano Alvos deFigueire-
do, Antonio Teixeira Pinto, J. Fernando de Anulo
Sanios, sna senhora, e 1 escrava, Jos Joaqun do
Reg, Jos Joaquim deulveira, Joao N. Figueira,
lo Jos de Miranda. Jos M. BaptlsU, Braz Con-
de, Malhias Vesperiano Brandao, Manoel Joaquim
Mendes da Costa e sua senhora, padre Antonio Pe-
reira de Vasconcellos, Manoel Pinto de AranjoFi-
Iho, sua curihada e I criada, Joao Jo Vianna.
Joao de Souza Azcvedo, Augusto P. Otar, Fran-
cisco Gongalves Torres, Pedro da Silva Reg, Ephi-
fanio V. da Silva, sua senhora, I ama e 1 criado,
Alfonso de Araujo Maia, Joaquim de Araujo Maia.
11 praras, 3 desertores, 1 recruta c 3 mulheres.
^ Segu para o norte : Alferes Joao Antonio de
Souza Lomba, Luiz Venancio de Nascmento Vnd-
rade Mello, Dr. Nicolao Cezar Burlamaque, Dr.
Joao Nepomuceno Xavier Mendonga e sua senhora,
capitn Theotono Jos Ferreira, Joao Uapiisla Go
mes e sua senhora, Joaquim Luiz Ferreira Sobri-
nho, Dr. Antonio Luiz do Almeida, sua senhora e
1 escravo.
Passagciros sabidhs para a ilha de Fernan-
do no vapor nacional Mamanguape :Francisco
Xavier da Encarnacao, Jos Feliciano Machado,
tcnenlc-coronel Luiz Josa Monteiro, frei David da
Nalivdadc do Nossa Senhora, 26 sentenciados, 20
pracas de infanlaria.
nEPAnTIQAO DA l'OI.ICI.K.
Extracto das partes do dia 13 de abril de 1864.
Foram recolbidos casa de delengo no dia 12
do corrente.
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, os
pardos Virginio Coutinho de Araujo, e Antonio Jos
de Souza Barhoza, como desertores do exercito, e
Jos Francisco Ferreira, para recruta, vindo de
Goianna.
A' ordem do subdelegado do Recife, Joao Perei-
reira de Miranda, lardo, por insultos.
A' ordem do de S. Jos, os pardos, Pedro Jos
dos Santos, por infraeco de posturas, Raymundo
Jos de Lima, e Antonio Joaquim deOliveira, para
averiguacoes policiaes.
A' ordem do do Pogo, Ainenco .-vinaucio do as-
cimento, pardo, para correego.
chefe da 2" socro,
J. G. de.Mes 11 aita.
de Di na marea
Schl
inesina data (3) conlinuaudo o paquete quanto aos
morcados norteamericanos as noticias que nos
trouxe o vapor inglez Vromise at 28 de fevereiro
prximo passado, e quanto Europa deixando al-
; guma esperanza de mulhores procos.
Sommam as vendas da quinzena Gl.sl saceas,
i das quaes 45,341 dilas com deslino aos Estados-
l'nidos.
As colaces actuaos om relagao ao que vigora
ca, por exoneracao concedida ao Sr. Dr. Joo Sil
veira de Souza.
Nao tendo podid) liear pronipta lodo a pintu-
ra do scenaro para o drama lis ntimos, foi trans-
ferido para hoje o espectculo de hontem.
Chejou hontem pela minina, em urna bar-
caca, o cpltao da galera ingleza Mnnnt Vernon,
de'600 lonelada-:, praeodenM de S. Vicente com
deslino este porto, visto ler a referida galera en-
1 vam no dia 22 do passado apreseniam urna alta de calhado na vespera nos baxos de Itamarac.
100 rs. em arroba. Em deposito ha 40,000
saccas.
As vendas de assucar foram pequeas.
No dia 29 do passado abri se o cambio sobre
i Londres a 27 l|4 e 27 3|8 d e a etes algarism'js
tem-se firmado, realisando-so tambem alguns sa-
ques a 27 1|2 d.
Sobre Paris saccou-se em escala diminuta a 346,
1347, 348 e 349 rs.
Sobre Hamburgo a 363 rs., alm de urna iran-
! saecao a 668 rs. a 60 dias. v
Sobre Lislma e o Porlo a 90 0|0 a 90 das.
Os Srs. Saunders Brothers i\ C, quem se con-
signava o navio, mandaram immedialainente os
SOCCorros precisos para a salvagao do navio, que
possvcl, segundo afflrma o mesmo capitn.
Acha-se fundeada no lamariio a barca fran-
ceza Darlagnan, da praga de Bordeaos, arribada,
por doenga do respectivo capitn, da altura das
Canarias, em sua viagem de Melbourne para Sid-
nev, com carregamento de mercadorias diversas.
Estando o navio na lat. N. 2" 38" e long. O. 20"
; 47' em calma p-'dre, pz-se o capito pesca,
servindo-se d'um harpao, e. ao procurar cncrava-
laxa do descont ; o
As apohees goraeoOe 6 0|0 tem sido negociadas |0 n0 caD0) jWr (jitahdade desprendeu-se c p?ne-
trou no meio da mo direita. cortando-lhe nao s
arterias como os ervos, pelo que lirn impossihi-
lilado de todo o movimeulo. Depois de muito ex-
torco, pode ser exlrahido o ferro, sem comtudo
memorar o capilo, (telo que resolveu o conselho
da Iripolago arribar a nosso porto.
Esto navio encontrn ao depois a barca franceza
Zbre, em viagem de Marselha para Mogambiquc,
na lat. S. 25' e long. O. 24"22', sem novidade
bordo.
Amanhaa se exlrahir a 7> parte da]2* lote-
ra da Santa Casa da Misericordia.
OagenteOlympio,fazleilaohojeao meio dia no
-----01,821 seu armazem ra do Imperador n. 16, de diversos
comparados com os 1 movis, relogios e al-umas miudezas.
j Em sessao de hontem, foi siibmctlido a jolga-
m oxsnrt menl Pel J,,ry r^ Ajilnnio Gongalves. que, no
- 1*5 a ?ftiu! a-nno *,( 1837 e no ,u8areJr> Barbalho fregnezia da
73700 a 7p8O0 Vanea, concorrera para um espancamento que re-
73400 a <3o00 cahio na pessoa de Manoel Joaquim Cardoso.
73KK a 73-00 l'm ouiro co-ro julgado anlerioruiente, fra
63900 a 75000 condemnado pena do grao mximo doarl. 205 do
63800 a 6390O endi20rrin1in.il
ao par, 99 1|2, 99 e 98 0|o
Nao houve mudanga na
mercado conserva-se folaado.
1 Os ullimos pregos das acces dos bancos do
Brasil e Rural e Hypothecario" foram para aquellas
; 573, 563 o 523, e |iara estas 703 de premio.
Caf.Sommaram as vendas effectuadas duran-
te a semana :
, Para os Estados-Unidos...........
> o Canal e norte da Europa...
> o Cabo da Boa E-perauga-----
o Mediterrneo.............
Total..
Os pregos sao os seguimos,
de 22 do passado :
22 de margo.
83200 a 83500
45.341 saceos. I
13,480
2,700
300
Lavado ......
Superior.....
1* boa.......
1* ordinaria..
2* boa.......
2" ordinaria...
73600 a 73700
73300 a 73400
73001* a 73100
63800 a 63900
63700 a 63800
Algodo. Durante a quinzena apenas vende-
ram-se a chegar 2,000 arrobas a 223600.
cdigo criminal.
A defeza do acensado foi produzida na parte ju-
rdica pelo Dr. J. Rodrigues Pereira c na parle me-
Depois da entrada do paquete inglez Magdalena a,Ca pelo Dr. Carnciro Santos, que procurou abalar
; tem-se mantido o mercado em completa calmara, l p(n- luminosas consideraeoes scenlilicas o valor
em consequencia das noticias por elle rccebidas, probatorio do corpo de delicio.
desfavoraveis a collocagao do artigo. 0 deposito e 1 gm vista das r^posias d0 jurv, o Dr. juiz de
actualmente insigmosme. j direito fez publica a senlenca pela qual absolveu
Despacharam-se no mesmo perodo 973volumes,' ao reo e condemnou a municipalidade proporcio-
sendo para o Havre 20, Marselha 62, Montevideo nalmente as costas do processo.
771, Porto 100 e Southampton 20. i o conselho de sentenca re assim composto :
Aguaruenle. Entraram 403 pipas. \ endeo-se | Francisco Geraldo Moreira Temporal.
a quinzena de 705 a 803, leando firme Henrique Jos de Oliveira Ferreira.
Dr. Jos Mana Carnetro de Albuqaerque Lacerda.
Herenlano Deodato dos Santos.
nestes pregos.
0 deposito nao excede de 80 pipas.
Assucar.Entraram 467 caifa*. 335 barricas. 9 jos Ribeiro GuimarSes.
i fechos e 3,281 saceos. jos Alfredo de Carvalho.
I Durante o periodo que passamos em revista fo- j0S da Fonseea e Silva.
; ram pequeas as Iransacgoes ; entrelaoio as ven- i,nj n ^ef0 Barros.
' das que se ellectuaram dos broncos notou-se al- Manoel de Caldas Barreto.
; gum melhoramento de pregos, principalmente as jos Thomaz de Aguiar.
quahdades baixas e somenas. 1 jose p^ro Carnciro Campelio.
Colamos : <_.. Joaquim de Gusmao Lolw.
Pernambuco segundas serles e fio 5900 a 55100 Levanlouse a sess3o s 3 horas da tarde.
hroptris
> quartas >
> somenas
Macei, branco
> mascavo
Campos, branco
mascavo
O deposito fleo reduzidn a 800
nambuco, 1,400 ditas de Macei, 1,500 dilas, 1,400
caixas e 300 barricas de Campos.
Total, 10,900 saccas, 1,400 caixas e 300 barri-
cas.
Despacharam-sc : para Marselha 59 caixas e 19
saceos, e para o Porto 10 caixas.
Carne secca.Ha em deposito 123,000 arro-
bas, sendo 4,380 ditas do Rio 6rande e 118,700 di-
tas do Rio da Praia.
Vende-so a primeira de 23200 a 33200, e a se-
gunda de 25400 a 33800.
(/juros.Effectuaram-se a ultimas vendas a250
a 260 rs., alm de orna partida de Santa Catharina
maior peso, a qual obteve 270 rs. no prinoipio da
quinzena.
Nao ha deposito.
43650 a 45700 Havendo sido preso como idneo para o ser-
45500 a 45600 vco do exercito o sopposto paisano Jos Pereira
43000 a 45200 dos Santos, que em urna casa particnlar se achava
45300 a 45J00 engajado como creado, verificou o Sr. coronel re-
|W* a 35300 (Tinador ser o mencionado recruta desertor da 5*
'i^^a IS eompanhia do batalhao de infamara n 2, chaman-
2*800 a 35400 (jn.jje Anacleto Jos Pereira dos Santos,
saccas de Per-.
Movimento da casa de detengao. no da 12 de
abril de 1864.
Existiam. ... 344 presos.
Entraram... 13
Sahiram. ... 7 >
Existem.
A saber:
Nacionaes .
Estrangeiros
Mulheres .
Rstrangeira
Escravos .
F.scravas .
350
180
33
1
1
61
5
350
duqueza de Caiiibridtfi-
re.preseniadu prlo priNcipe V
1 : *
-nia-ki |>rU
mhiu-go-$ire)iU ; .. lao-
repre-culado plo duapie ile I'jm-
^chleswi!;-llolsl,:iii-So.|.Tlmrgo-Ghiek.l,:i
duqueza ,1,. Saxo-Csburgu Gollia. |We*r
graa duqueza de MecklemloirgoArolitt
ilgravo de llesse, rei>reM.iii:ul.i oiL, .lu,,..
Pur/oj .<
DeMeiara'-so' para Marselha 5,179 limpos e Alimenttdos cnsta dos cofres provincia:,
56.J de refugo. Movimento da enfermiria do da 13
l-'uuio da Babia em folha.-Entraram t.M6 far-! Teve baixa
jj.jj i Jos Francisco de Porra ; sarnas.
As vendas foram pequeas. I Raymundo los de I.inn ; chagas.
Colamos; patente, 213000 a in^TalO; flor, 175 Teve alta :
153
IM
POUCO DE TCDO.
frreas colbemos de jomaos es
dgrava de
hridge.
Depois da ceremonia, os ronvi|a.l..< diriciraM-se
a gakna de p.niiiias do pala, wi .hmk Im ^rvioo
um esplendido laanch.
Houve os seguintcs brindes : S. a. fU-al
principo Alberto Vctor de Galles, a M. r*-i Juk
belga-, S. Jl. o rei de Diiuiiian-j. a S. J|. a rai-
nha Victoria, a SS. AA. o prineip'.- a priaceu d
Galles.

L-se no Commercui Lt l'orl a que segiae
A du pieza de Berr> mandn vender, ciu Paris.
nina hiMiothcea sua, compo-la de 3-3 nuau^ertp-
los, que sao obras primas de arle.
O mu- anligo urna biblia ik> \lll seco*.
A niaioi parte .-fio livros de boros dea fn* do se-
cuto XV.
O mais notavel c uro pequeo viduoir, qw M.
provavu|meule, o livro de casamento do Henri-
que II.
E" o livro de rezas do rei, cwo ur.n;e. para o
rei na batalha, para o rei em perico, etc.
Na capa tem duas mo* dad-.-, mu verso
sobre o amor e a inicial de llounque n
com a de Cailurina. ludo eh-ganlrmeot 1
lado.
Dentro do livro ha quarenla retratos rm imwj-
1:11.1 de familia real, desde lanza de Inoata, mi
de Francisco I, al ao duque d Alenrio, ulliMtt li-
lho de CaUMlilU de Medieif. lodo, piMadm fnt
Clonot, e uiiniraveis.
Urna lal prcciwirtadi; nao tem prrm

Em mu barita na* provine* Mputam-i- I TV;
escolas para rapa/es e 8.1. para raparigm rnw
1,755 nie.-tres e 535 mcslras.
Os alumnos eran 34.198 raita/es e 2!*.lfti rapa-
rigas.
Havia tambem 48 escolas nocturnas rom l>*+i
idixcipiilos, e 5 asylos da infancia resn 33K
litemos.
Actualmenli^ ha 2,3i>7 ese da* para rapis.
1.364 para raparigas, om t,tM taHOlraa 1,479
mestras : o numero de alumnos de 77.H6J rafa
zes, e 52,153 rapariga*.
Ha lamhem 67 escolas taOcMRtaM a 14.341
discpulos, e 29 asvlos com 2,7iV> alumno-
Em Palermo havia. no lm|~i do- BmrbiHi*. s>
: 8 escolas agora ha all 100.
Diz a imwta ily^ Armes ti 5 lo orrvnle fM
por urna escuna itagleza, viuda da ilha <\- Santa
Mara, consla ter -ido ineen lia-lo om navt. oa
alturas daquella ilha, por inri vapor que ftmm
me ser n Florida 00 > AJnmmm, que .. jnlg.i
mesmo que na m inha do lu I poiiira por (ora
do anc-iradouro.
1, (M tlll|
H Alaliai*.!,
liaa do dia I

Durante os 4 annos d--crri I8flu, a hnportaeo de vinliosfranceze* ni Ingla-
lerrr foi de 783,111 plloa*.
Depois daipiidla p >ca. o lerm mudio tie.-U i;a-
porlaco foi de 2,266,014 por anno.
aiii)mi;\ juMcUnii
1HIIIIMI, I V RKL %T \.
SESSAO EM 12 DE ABBIL
Sobre as vas
irangeiros os segunles dados .
Fez 41 annos 26 de fevereiro que o rei Luiz
XVIII assignou (a 26 de fevereiro de 1823) a or-
denanga real que aulorisava o primeira caminho
de ferro francez de Andrezeux Boanne.
Esla ordenanca foi 1 eferendada por M. de Cor-
biere.
Desde entao que progressos t
Luiz XVIII auiorisuu o primeira caminho de
ferro de Andiezieux a Boanne, isto uaexlenso
de 55 kilmetros, e boje a rede dos caiiiiuhus de
ferro francezes conipoe-se de 18,430 kiloinelro>.
nove decimos dos quaes esto delinilivainente con-
cedidos.
.Nesta extenso, que excede 4,600 legua-,
12,098 kilmetro-, esto em exploracao, e no cor-
rele anuo de 1804 llavera mais 1,1100 kilmetros mEsioEnaa mbea
entregues circulago. siLruok.
^ Actualmente urna locomoliva pode andar toda a As 10 horas da manha, prsenles o* -nhores
Franca. E ainda mais do que isto, porque pode desembargadores Santiago, (oiirai.a. Lcir.-no*
ir de l'aris lliuxullas, Berln, Vienna, Berna 00 Santiago, Reis e Silva. Alm. ula Albu.|uer.|ir.
a Turin, por.pie quasi lodas as vias europeas adop- Molla, Perelli, Accioli. A.--1- Doria, afila** i
taran a mesma largura de vas frreas que em sessao.
Fianr;a. o $r desembargador Guerra, procurador >U co-
0 viajante pode ir no caminho de ferro de Paris roa, nao comparecen,
a S. lVtersbuigo, peieorrendo una dislaiu-.ia de faosados os fi-iios e entregues os dtsiritMi"*
2,280 kilomeiios e passando por Colonia, Berlin. Mram-se os se.uiinlcs
Kieoigsberg, Kownow, e Dunaburg. JILGAMENTnS
Pelo almaiiak real de 1764, v-se que a diligen- Muan enana,
ciadel'aiis a Slrasburgo levava 1S das f e a de Becorrente. o juizo ; r.-corriOus. Aaquin.
Lille andava 10 das em viagem. nio dos Sanios e 00ira.
Agora fazem-se eslas viagens em 12 horas Relator o Sr. de-emharu 1 la hmmmrnX
En 1861 a repblica dos Estados-luidos linha Sorteados osseiili-res d-*emargadore-
1,619 kilmetros de ferro. :e Albuquerqn.-, AcetoJi R 1 BHen.
0 cusi das lindas americanas propriameute di- Inipi oeedente.
las monta 1,212 milhes de dollars. Becorrente. Antonio lia irino de Muura
A primeira linha explorada foi a de Munk a corrido, Mannr-1 Li-iz d> Nascimenlo.
Chiini-k, na exlcnso de 15 kilmetros, no anno Belalor o Sr. desembargad.* IVreiti.
Uu l87- Sorteados os Srs. dcsentlargaom Mi 'Silva.
A Inglaterra linha no primeira semestre de Almeida e Albuquerqne a Dona
1863 urna exienso de 18.901 kilmetros de cairo- Beforinaram a pronuncia para o art. IM.
nhos de ferro. Recrranle, o juizo recorri, 1 andido Joof
1 primeiro caminho de ferro inglez, o de Stock- Pamplona.
ton a Darli.ngton, na extenso de 71 kilmetros. Relator o Sr. desembargador As-i-
foi explorado em 1825. 1 Sorteados o* seuhore* d>'sciiibarg:id(JM Doria
A ludia Ingleza linha eni lins de 1861 una ex- Santiago e Accoli.
lensao de 3,540 kilmetros de caminho de larra em Deram provimenlo : pronunriaram o rernrrnif.-.
construccao, cujo cuslq eslava oreado em 5,600 mandaram re?ponsabili*ar o esrrirao por itolrr
milbes. remedido immediatamente o rrearso, idv^riiwbvse
No Canad a exleuso total dos caminhos de fer-
A-- -.

ro de 5,002 kilmetros.
ISa Nova Brunswich ha 276 kilmetro* de cami-
nho de ferro e na Nova Escossia 160 kilmetros.
.Na Colonia do Cabo 61 kilmetros.
Na .Nova Zelandia ha em construego urna linha
de 10 kilmetros.
Na Guyanna ingleza ha j em exploragao urna
pequea linha.
A Franga linha em principios de 1863 11,074 ki-
lmetros de caminho de ferro em exploragao.
A Austria lem em lodo o imperio 5,511 kilme-
tros de caminho de ierro.
0 primeira de Linz Burweis (30 kilmetros)
abno-se em 1828.
A Prussia linha em principios de 1863 urna ex-
tenso de 1,559 kilmetros de caminho de ferro,
sem um s tuunel.
A primeira linha prussiana (a do Kheno) de 26
kilmetros, abrio-se em 1838.
Os caminhos do ferro dos outros estados alie-
mies formam junios una extenso de 5,180 kil-
metros. O primeiro de Leipsick Dresda (40 kil-
metros) abrio-se em 1838.
A rede de caminhos de ferro italianos, depois de
concluida, calcula-se em 4,500 kilmetros.
O primeiro de aples Caslellamare (42 kil-
metros) abrio-se em 1839.
A Bussia em principios de 1862 linha 2,060 ki-
lmetros de caminho de ferro.
O primeiro de Czarskoe Selo (28 kilmetros)
abrio-se em 1838.
A Blgica tiulia em exploragao no Io de julho
de 1863 urna oxteuso de 2,093 kilmetros decami-
nho de ferro e 415 concedidos.
O primeiro caminho belga de Ambers Malinas
(20 kilmetros) abrio-se em 1835.
A Suissa linha em meados do anno Pind 1,146
kilmetros de caminho de ferro, com 54 tunneis,
que do um 1 metra de tunnel por cada 58 de
va.
O primeiro caminho de ferro suisso de Badn
Zurick (27 kilmetros) abrio-se em 1849.
A Dinamarca tcm 414 kilmetros de caminho da
ferro.
O primeiro de Copenhague Roskilde (32 kil-
metros) abrio-se em 1849.
A Suecia tem 437 kilmetros de caminho de fer-
ro e Noruega 200.
A primeira linha que a Suecia c Noruega ex-
ploraran) foi a de Chrisliania ao lago Miossen (16
kilmetros) em 1852.
A Hollanda lera em exploragao 490 kilmetros
de caminho de ferro.
O primeiro de Amsterdam Harlen (83 kilme-
tros) abrio-se em 1848.
No Jornal do Comme'rcio. de Lisboa, l-se o que
No dia 10, teve lugar o baplsmo do Gibo do
princqie de Galles.
Fechou-sc o parlamento, e nos tairros de nes-
tend nolava-se extraordinaria animago.
Numerosas carruagensdeluxo, com laeaiosaga-
loados e apolvilhados, com cocheiros cheios de Illa
eramnlhetes, percorriam as ras e os squares, eu-
caininhaudo-se ao palacio de Buckiiigliain. _
A ceremonia leve lugar na capella, o nao foi
publica Mas eitRvam proseles do mil mil e
duzontas pessoas, desde os principes, os embaja-
dores, os ministros, al os mus modestos entre-
gados da casa real. .
Apczar da chuva. a mnlndao nao se afasiou da
avenidas do palacio, para ver desfilar os convi-
dados. ... -
O joven principe foi laplisado pelo arcebispo de
Cautorkrv, assistido je hispo de Loq-lrcs, com os
o juiz de direito.
lieeorrente.o juizo : recorrido, toarlos Rorro
Cardeal.
Relator o Sr d-sembargalor Doria.
Sorteados os enoorrs eeseaeaaahftara Almen
Albuquerque, Reis e Silva, Aoctam
Deram provimenlo para remetter o> antos ao
juizo a qu, alim de praadef nos termos da iei.
Aggraros de petirti.
Aggravante, Dr. Francisco Pinto P-*oa : argra-
vado, o jnizo.
Relator o Sr. desembargador Santiago.
Sorteados os senhnras desemliargadures l> tmm\
e Almeida e Albuquerque.
Negou-se provimenlo. _____
Aggravante, Joto Francisco de Souza ; aograva-
do, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Giiirana.
Sorteados os senhoresde*embargador>s lAorenra
Santiago e Assis.
Deram provimenlo. ____
Aggravante, Jos Flix Pereira de Hurgo* ; ag-
gravado, o juizo. _
Sorteados os Srs. desembaritalori- Lonrenrn
Santiago e Assis.
Negaram provimenlo. __
Aggravanles, Saunders Brothers *'~ i agjrrava-
0 juizo.
Relator o Sr. desembargador Acrioii.
Sorteados os senhores de.MMnbarfaaorr Rena,
e Lourenco Santiago.
Negou-se provimenlo.
Corfa leitemunkarrl. .......
Aggravante. D. Joaquina Marques da Cmmreieyi:
aggravado, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Assis ....
Sorteados os Srs. de*embarjraOorr R** !*^-
e Accioli.
Deram provimenlo.
Hnkens-carp**- ____
Coneedeo-se a sollura pedida cm habtaa rorpn .
por Francisco Alves de Mres Pires Joaor
iiK.*n;> \c. \" D MA.
Assignou-se dia pora julgameoto dos Mguiah-
feitos: _,
Appellacoes arrt*.
Appellanie, |dre Antonio J^ Kioto ;
do, o barao de Jaragu.
Apiiellantes. Pedro Jo*1 da CarMa e
pe lado, Anlonio Joao Ferreira tan
Appellanie, Bento Antonio Esleves:
Manoel Dnlra de Souza.
AppWfTf*> crime.
Appellante, o juizo aupclladi*. Manoel Ferrei-
ra de Brllo Lyra.
Mmtmmmw.
O Sr. desembargador Caetano Santiago fnaaaa
ao Sr. desembargador Gitirana
A app/HInro rtwf,
Appellanie, Manoel CavalcaMi ao
appellado, Alexandre Jos Rodrigue.
O Sr. dex-mbargador Gilirana
desembargador Lourenco Santiago
As appellaroe* nrei*.
Appellanie. Manoel Fre'.ierico r.iriK> 1
appellado. Trajano Anlunes nV A'em-ar
Appellante, Eslevo Jo-e Paw Brrelo; apprRa-
do, Gabriel Germano de Aguiar Mnnurroae.
A apptllaro crimr.
Appellante. Joaqun) Ignacio da Laz ; aprellaaa.
a justiga.
Ao Sr. desembargador Reis e ftlva
A appillaro cirei.
Appellanie. Joao Venancio Hartado Par ; ap-
pellado. Joaquim Ignacio da Costa
O Sr. desembargador l.mireivo 'Mnii^gn ao Sr
desembargador (teis 1 Sa
aotr
dr SatniO


r
-----------
rio de
_______-
nambuco
hit
- quinta felra 14 de
---------- I>-------1 ii'lftffl
1----------k.
Abril 4c
-i----------
14.
i

.4 appear veL
Appellante, Flix Soars da>Cusa ; appellado,
Manoe! A l\ es Marrlo.
O Sr. deserebargador Res Silva passou ao Sr.
deseiubargader Almeida e Alauquorque
As appeltaces-exe.
Appellanles, r. Jo.o Ferreira da Silva ; appel-
lado, Joaquim Jos Alvos Lina.
Appellante, t*chanlFelippeCarnero de Olinda
Cmpelle ; afpellau^pW
tros.
O Sr. desemhargador Motu ifassou
embargador IPeretli
A appellacao cinet.
Appellante, aachsrel Bernardo Duarte Brandas :
appellado, Manoel Francisco Rbeiro.
O Sr. desemhargador Assis pa*sou ao Sr. desen-
lia rgador DoDia
e Duarte Rangel e on-
ao Sr. des-
a entonde estar sem mafc cura, quando as tarto*
e a experiencia teom demonstrado que umitas, len-
o procurado o lugar .ippopriailo, se toeiu salea-
do i e assira explican tatitos expositores de e-
Ora, nesta provincia temos farilidade bojee re-
curso do ar; por que avia frrea nos proporcio-
na, pois que em powoo lempo urna pessoa que exis-
te nesla cidade fcilmente se transporta (tan as
ultimas eslaoies de Gaiiieleira o Una, lugares per-
to do Bonito e de outros. pontos que sao considera-
dos serian, (manto mais que os mesinos lugares
j nao sao inos, segundo, pen verao.
Mas dir-se-haurna .pessoa pobre nao teni ais
de se transportar e de, que, naquelles Jugares exislem casas vastas
allugam-s por proco commodo, c mesmo umitas
gneros de priineira aeeessdade, all se vendern
M toneladas ce.stSo J. Cardes, equipagem 13,
carpa valias generes; a ilotlie Bidoulac
ttochoard33 das, torca franceza Umlninan. 4e
3$S toneladas, captlo Bresson, equipagem 1J,
canga viuho e ouirss gneros, ao mesmo cap- 1
Uto. Arribou por aoidente acontecido ao capitao;
seu destino Sydiie.
Sarcaiona por Gibraltar40 dia?, patacho hespa-
nhl Ricardo, de 150 toneladas, capitao Manael
Pejaan, equipagem 10, carga vinho e outres
elYeilos N. O. Beebor & C
Silvios ShUttn no mesmo dia.
Para a pescaBarca.auericana Alto, capitao L P.
Niye, carga a mesma que trouxe.
ilha de FernandoVapor brasileiro Mamanguape,
commandante Manoel Bodrigues dos Santos
Meara.
fio de_ JaneiroPatacho nacional Dous Amigos,
capillo Jos Pereira Rezende, carga assucar e 13
esoruAtas.
Qbsei-caruo.
Passou para o sul um -vapor americano.
EDITAES.
~.ii appellacao crm*.
Appellante, Manoel Antonio do Sobral; appella- pelos mesmos precos que.aqui.
laaa, a jusiiea. Aquelles, pois, que sliverem nestas circums-
A appellarao civl. tancias, eu llies facilito explicar os meios peleo
APfK'lante- 3*'w l>aes ',arretn e Albuquerque:; .quaes se devem reger, eJhes fornecerei os raedi-
appellado, Manael Ignacio de Alcuquerque Mar- amentos gratuitamente.
Iri,a10- Nao deixarei de advertir ao publico, que as roi-
Sr. desembrgador Doria ao-r. desembarga- has proparacoes de veame sao reunidas com ou-
ler Caetano Santiago itros ingredientes, e com olles tenho obtido ptimos
Appellante, Mnnoel Vicente Tavares appellado, iresultados ; nao se engae. mesmo "publico com GIHm. SrJnspector dathesouraria provincial,
Leandro Pereiraatarhosa. .eutro.*, qne por ah se aaouaciam, cujas prepara- em unapriateoto da ordem do Exm. Sr. presidente
nisTitiBricoRs. if-oes ignoro, assim como aproveitamenlo delles da provincia le 17 do conr-ente, manda fazer pu-
c a i 'cPl,eJ'nr.ues civtit. nos enfermos, a quem por,ventura lenham sido ap- utico qaefloaeurso para preenchimento da vaga
ao si- desemhargador aetano SacU'ago piteados ; cada um responde por si, e eu afflrmo de 2* eserinturano da mesma Ihesourana ter lu-
ABueiiante, Joiui (.ornes da Co*a ; appellado, .ccm verdade o que aqu tenke relamida, cujas me-! gar no dia 1* de abril prximo vindoure, devendo
^ he i i1' dieamenios nesla provincia** vendo em miuha bo- i os pretendentes ser examinadas na grammatica da
a^i,n,S0e"i &* ,[tW- .t 'Hca na ra Direiu n. 88. lingua nacional, eseripturacio uor Darlidas do-
Appeflante, Jos Fructuoso Das #-eua mulher
appellados, Felippe do Costa Souto e 6ta mulher.
Ao Gr. desemhargador Accioli
Appellante, D. Jonnoa de Jess ?eos Quarcsma
Duarte-. appellado, Joaquim FranciscotDuarle.
Ao Sr. desemhargador Assis
ApneMMp, 'Lino Ferreira da Silva; ppellado,
Jos MendesCtrneiro Radrigues CampeUo.
Ao Sr. desemhargador Doria
Appellaate., Alexandre Correia de Canto ; ap-
pellado, Tristio Jacome de Araujo.
A* 2,'j iteras encerrou-se a sessao.
acLa-se no todo restabelecido, iportanto, nada senle,
tenda desapparecido no lodo a tosse, tem nmia
disposicao comida e adiase cutrido. Deixou de
lomar os ltimos remedios que Y. S, receiteu no
dia 30 da passado, resta agora V. S. mandar-
; me dker qual a dieta que o doeale deve conser-
var e por imantos tomos, mencionando as comi-
das que dever usar daqui em da-uto.
Re#ta-me agora agradecer V. S. o cuidado que
teruou ao tratamento do mcu sobriuio, abaixo de
Deus, devido o seu restabelecimento a pericia de
V. S., e par Isso pode V, S. sempre eentar com os
meus diiuimios prestimos, e desejarai em todo o
lempo dar urna prova do meu reconliecimonto.
O xarope etherjo de veame por mim preparado. Desojo i V. S. todas as venturas, por ser de
mnito tem aprovottado aos que soffrem desta rao- i V. S. milito respe'tador e obngadissirao criado.
lesna, e e de lamentarse, que, no obluario desta Francisco Beringurr Cesar de Meiuzu.
a maioria dos que sucumbem de tubercu-
lingua nacional, eseripturacio por partidas
Jos da Mocha Paranhos. bradas, arithuietka e suas applicacoes, com es-
Sazareth do Cabo, 7 de -setembro de 1863. pecialidade reduccao de ujoeda, pesos e medi-
llitu. Sr. Jos da Rocha Prannos.''out o maior das, ao calculo de descontos e >ros simples e com-
pracer levo ao conhecimento de V. S.. que o doen- postos, sendo preferidos os que tiverem boa lettra
le. nuc V. S. acha-sc administcando-lhe remedios,; e souberem linguaestrangtiraa.
PUBLICARES A PEDIDO.
Phfya4ra.
los pulmonares, sera procurarem o recurso do pra-
tico e do expi-riente, que Ihes podan encaminharo
meio de sin salvaeao.
O Sr. Braga com laja de ferragens na ra
Direita, foi desengaado por dous habis
lieos, acha-se boa iam o tratamento por mim
proscripto.
A Sr.- Jeronyma Maria da Conccico, moradora: 8|and'!las a carne e da pelle.
na travessa do Monteiro n. 10, achando-se deseo-1 SJ0* des,a *****
ganada, tambem mim recorreu e acha-se resta- e lr,nta annos
b<.'lecida.
Salsa de Bristol.
A salsa parrlha de Bristol offerece suas proprie- j
dades purificantes por todo o systema nervoso,',
me- "^n^'i^ndo o em produziio e accumulado pe- J
las ulceras, escrfulas, abscessos e tumores, eoeo-
bruto assim eomo todas as mais molestias das
Os pretendentes devero apreseutar seus reque-
rmenlos nesta thesouraria, com documentos em
provem que san matares de 20 anuos, e teeui bou)
comporta cuento.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesauraria provincial de Pernain-
buco, 18 de marco de 1864.O secretario, A. F.
"Annunciace.
Pela inspectora da alfamlega desu cidade
se faz publico, que no dia li do corrente, ao me
dia e porta da mesma, serio arrematadas em
hasta publica cinco bengalas apprehendidas aos
marinheiros da barca americana Alio, na occasio
de desembarque, sendo; urna de madeira no valor
de 4ICrs, equatro ditas de osso, pesando tres libras
todas, no valor de 205 aarrematacao livre de
direitos ao arrematante.
Quarta seccao da alfandega da Pernambuco 12
de abril de 1864.O i escriturario,
Caetano Gomes de S.
TOflREOr.ERAL.
Wbfio das carias seguras viadas e sal pelo a-
j-ar Cruzeiro do Stil para s seabores abaixe
-declarades :
>). Anna Francisca de Paula lotelho.
Actenio Lniz de Oliveira Azevedo.
Antonio Lopes Rodrigues.
albino Jos Simos de Carvalho.
Barros & Silva.
Daniel Cesar Bamos.
Ernesto Ignacio Cardim.
r. Francisco Aminthas de Carvalho Moura (2).
Francisco Duarte da Silva.
ioatina Etelvina Bella de Jess.
Joto Bufino da Silva Ramos.
Dr. Joao Maria Seve. i t
Jos Jorge de Siqoeira Filha
Jos Antonio Gomes.
Jos Maria da Silva.
Jos Custodio dos Santos.
Majar Laorentino Jos de Miranda,
Dr. iLuiz Rodrigues Villares.
Mauricio Francisco Ferreira da Silva.
Tasso Irmftos.
Crrelo geral.
Pela administracao do correio desta cidade se faz
publico que as malas que ten de conduzir o vapor
nacional Cruzeiro do Sal para os portos do norte,
serae fechadas haje (4) s i horas da urde ; os
jormtes at meia dia, e as cartas admettida* a se-
guro at 2 horas da tarde.
fions activas da massa fallida de Castro & Amo-
j-icb, compradas pelo mesmo Uado conforme a
Un c,?A'S^rU"; e" poder ,l0 mesmo a*?nle, o loi-
esnriptono da ra da Cruz n. 38.
LEILO
DE
Trastes e oulr matos rticos
IIOJK
tilinta feira 14 do corrente
ao meto da.
No armazem do agente Olympio. na ra do "veis que os tapona
Imperador n. IG,
O agente Olimpio no dia, hora e lugar cima
vender em leilao: marqtiezas novas o usadas,
ominadas, apparadores, camas fraucezas, lavato-
rios, cadeiras avulsas, relogios de cima de mesa e
algibeira, mesa elstica, cabides e outros muitos
objectos que estarao patentes aos compradores no
dia do leilao
*ot hMBH-dlarla
A TRAV1ATA.
A' raa do Rasarw Laraa a. J7.
Francisco Garrido teado ai un iiaa >n
hotel denominado Trorn podara em a rasa n. 37 da raa torga I
cujos commodos o habilitam a ana
co que no I la lera sempre ledas as
radas por um hbil culinaria, (Mr um, m i__
ina casa haver todo o goaeru de actwaa mim
rio, noite sonrea muilo bem Mu, e ina annv
res de mogno campetentemenle pn^ioradna. lim
r aberla desde as 6 horas da wankan as a* tt
da noite; e ludo isio sera frito par arrea si ra-
n rguariaaiii
satisfeitos. Para mdhor roal
propneiario declara qne a casa tea
conou a muilo con I ten da soriodade
.T Al.ui?*se l,ri"H5iro e sefaadn
numenroiSdarua,0,Pe~,:~~ *
THEATRO
DE
LEILAO
S. ISABEL.
enpREZA
uEKJH.Vl COIMBRA.
3a Recita da asalgnatura.
HOJR.
Subir seena o interessaute drama em qualro
actos, original francez
DE
Fazcndas avarladas.
Scxta-feira lo de abril.
O agente Piuto far leilao por ordem de diver- [
sos e por conta e risco de quem perlencer de 13
fardos de algodaozinbo marca 1"\MA 5"i,': porcao de madapolao e loncos de cassas ludo'
com avaria d'agua salgada, e existente no armazem
da ra da Cadeia n. 38, onde se efTectuar o lei-:
lio s 11 horas em ponto de dia cima dito.
IEIIVUI
Casa de eummissat ir eserat
dluiaeradri.45,lerceir
.NesU casa recebem-se escravt mjt t
para serem vendidos por conta deseas
nao se poupando ex forros para nae m
jam vendidos rom prompiido alna da
res nao solTroi em emtate cim a vcada 4
casa tem todas as rominudidadrs rr nmt
ranea, assim como aliaora-se o Ima
Ha sempre para vender osera va de
xos, velhos e noves
H^nafliMB-!
O backarrl
Francisco
DE
Movis e nutro* inultos artigo.
Sexta-fetra 15 do corrente.
50 ARMAZEM DA RA DA CADEIA DO IIECIKK N. 48.
O agente Olimpio far leilao de diversas obras
de marcineiria novas e usadas e de outros muitos
artigos.
Dar principio o leilao s 11 horas.
LEILAO
DECLAHACOES.
m sohrinho do senhor professor de .Nazerelhdo
'-abo, acha-se bom, como se v de sua carta abaixo
transcripta, alm de outres tactos, me poderaqui
mencionar.
A phlysica a deslruicao e a magreza de todo
eorpo, em consejuencia "de chagas, iul>erculos, e
eoncreccao dos bofes e de empycina, ntrophia ner-
vosa, e outras molestias ijue viciam os humores,
como escorbuto, alporcas, gal I ico, asthma, bexigas,
sarampo, etc.
Na phtysica, chogando ao estado de gravidade, o
que muito pode concorrer para a salvaeao do
doente e ajudar os medicamentos o ar do campo,
exercicio conveniente e dieta, a qual nao deve ser
de nenhuma cousa quenle, ou de difflcil digestao ;
c a bebida cumpre que seja de nalureza branda e
fresca.
Todo o seu alimento se ha de dirigir a moderar
a acrimonia dos humores, o a nutrir, e suster o
doente, para o que preciso reduzi-lo ao uso de
vegetaes e lei te.
Toda comida e bebida, que se tomar ha de ser
em poucas poreOes, para evitar que o excesso do
chylo fresco opprima os bofos, e accelere muito a
circulacao do sangue.
Muitos doenies desta molestia se tcem entregue
ao uso do olee de ligado de bacalho, e outras pre-
paracoes de resinas e blsamos, sem que dolas
tenham lirado proveito-, e alguns expositores de
medecina combaten! com muita razao esse Irala-
mento.
E' costume carregar o estomago do doente com
medicamentos oleosos o balsmicos ; porm estes
em vez de tirar a causa augmenlam-na, esquen-
tando o sanguo, ao mesmo lempo que tiram o
apetito, relaxam os solidos, e sao de toda sorle per-
niciosos.
Tudo que se lizer para extinguir a losse. alm
do excreieio e rgimen apropriado devem ser re-
medios de uatureza acida, delorgente e calmante.
Os accidos posstiem a virtude de produzirem
bons effeitos no.-ta cnferniidaile, porque, nao s
contribuom a apagara sede quando acomeltem a
febre ethica, mas tambem a refrescar o sangue.
Aos doen tes desta enfermidade, quando o seu
estado de gravidade tal que a febre ethica os
acomette, prescrevo-lhes o sueco de um kimao
dissolvido em nina chicara d'agua com bastante
assucar em um grande copo para misturar com
um papelmho das pos refrigerantes para lomar,
com que aliviam no acometimiento da febre, e pola
manhaa o xarope elhcrio de veame. Tenho acon-
sejado, que facam uso de vegetaes de nalureza
acida, como laranjas, limos, pitangas, uvas ele,
e applicacoes d* plantas amargosas, que forlilicam
o estomago, e servem ao uiesmo lempo paradestruir,
e mitigar a sede.
A 8r. D. Joaquina de S Barreto, tendo urna
sua escrava fallecida desta molestia submeltida ao
tratamento de seu medico, roolveu procurar-me
para tratar de um outio osoravo, que sollria da
cnesina enfermidade, prcscrevilhe o xarope de ve-
ame, tem molhorado considoravolniente.
A sonhora do Sr. Antonio Francisco Honorato
foi desengaada por habis mdicos desta cidade,
estevo proslada, c nos ltimos paroxismos da morte,
foi com o xarope de veame salva, como se v da
caria impressa no Jornal du fecife do 9 de fe ve-
r iro de 1863.
O escravo Emilio do Sr. tenente-coronel Rodol-
pho Joao Barata de Almeida, foi lambeni desen-
gaado por habis mdicos, c com o xarope de
veame acha-se completamente restalieleeido, como
se v tambem da carta impressa do mesmo Sr. te-
nenie-coronel no mesmo /o/vuii do fecife.
O Sr. Antonio Christiaiio Fogt, lilho do Sr. Chris-
tiano Fogt, proprielario e estabelecido na cidade
de Macei, o primeiro Ijem conhecido nesla cida-
de, pois que foi empregado na casa do Sr. Len
Chapellin retratista, estahelecida na ra da Impe-
ratriz, acomeilido desta molestia foi aqui desenga-
ado por habis mdicos : rctirou-se para a Babia,
e all canlinnou em tratamuiito, at que foi se-
gunda vez desengaado pelos mdicos d'alli, che-
gando eu a Maeei, um amigo podio-me, que o
acompanhasse at a casa do Sr. Christiano para ver
um doente e prescrever-lhe algum remedio, encon-
trei o lilho em urna cama desanimado e em estado
de prostraco, pois que escarrava sangue, e tinha
completa inapetencia, e fraqueza, a ponto de nao
se poder por esa p, no im de urna garrafa do
xarope etherio de veame j se achava elle no es-
tado do passear em casa, desapparecida a inape-
tencia, o os escarros de sangue; e a losse mi-
tigada.
Jio tim da segunda j achei em estado de faz-lo
passear pelo sen sitio todas as manhaas. Acabada
esta o aconselhei, que continuasse no uso do mes-
mo xarope etherio alternado com o charape alcoo-
lico de veame, e que usasso dos banhos salgados
na flaneada do mar. Sentio elle nos primeiros
banhos alguns choques, mas em o aconselhei que
continuasse, com o que se tem dado muito bem,
pois que, tenho recelado cartas de Maeei, em que
se me eoiiiiiiuiiiea o seu bom estado.
Nesta molestia os expositores de medicina nao
aconsolham banhos salgados, ajionas quando d'clles
tratam, dizem ser applicauos contra as escrfulas,
hypochondrra, estherismo, amenorrhea, raclhis-
",0 etc-; entrotanlo vi este bom resultado no lilho
(lo br. Christiano, e oulros facas uaes tenho vis-
to as molestias siphyliras, e outras muitos que
coma uso do xarepe alcoolico de veame tem se
obtido cira radical.
aUS*: Do" S!Iv* medi0 habil de Maeei, depois
de ter apphcado a un. seu doente de rheumati n,o
o xarope alcoolico de veame, logo S elle e
poz em oslado de largar as moletas, em que an-
dava arrimado, o aconselhou que continuasse com
0 u-o do moMoa xarjpe conjuno.tamonto com os
baalios saldados, com eme se tem dado muito bem
e um dos mdicos, que all em Maeei tem com-
pleta conauca as preparacoes de veame por
mim foitas, pelos bons resultados, que tem obtido
em sua clnica.
Quando alguem se v com tosse vai ao medico,
este o examina e declara o senhor est aflectado
dos pulmOeso doente desanima, com esta sunten-
proparaco lem sido pelo espaco ....
urna serie nao interrumpida de ; l.OlISflllO adnil ItlSiral IVO.
curas as mais admiraveis e felizes. O conselho administrativo para fornecimento do
Todo o mundo medico admitte que o melhor arsenal de guerra tem de comprar os objectos
antisptico vegetal e anti-escorbulieo at hoje co- seguinles:
nhteido epdese com toda a certeza alliancar que
um remedio especial para a cura do rheumatis-
mo e de todas s afferees dos msculos, lendoes
e conjnncturas. Encotra-se venda na botica de
Bravo & C, e Caor COMMERCIO.
MU M DE PEIINAIIEGO.
O novo banco de Parnambuco paga o 12 divP
dendo a razo de 'JJi por accao.
EM 12 DE ABRIL DE 1861.
0 banco descoota na presente semana aoito por
cenlo ao anno at o praso de quatro mezes, e a dez
por cento al o de seis mezes, e faz emprestimos
sobre ttulos commerciaes, e toma saques sobre as
pracas do Rio de Janeiro e Baha.
Alfandega
Rendmento do dia 1 a 12........ 242:567,8282
dem do dia 13................. 13:957,5112
256:o2lS:M
Hovlmento da alfandega
Volumes entrado?
com fazendas.
com gneros.
Volumes sahidos
com
com
fazendas.
gneros..
80
60
------- 140
32
188
240
fiescarregam no dia 14 de abril.
Patacho oldemburguezPfielmercadorias.
Barca ingloza Seraphina idem.
Barca inglozaEnrliynuon-carvao.
Barca inglozaVision-carvo de podra.
Iinportacao.
Vapor brasileiro ruzeiro do Sul, entrado dos
portos do sul, manifestou o seguinle :
Do Rio de Janeiro.
Gneros estrangeiras j despachados para con-
sumo.
1 caixole livros impressos, 1 dito diversas mer-
cadorias ; a Jos Nogueira de Souza.
1 dilo objectos de uso ; a A. F. B. C.
2 caixas tpeles ; a Jos Pereira Vianna.
2 ditas chapos; a Joaquim Al ves.
1 dita um espelho; a Joao Castro fiuimaraes.
1 caixote ferramentas; ao barao do Lvra-
mento.
Gneros nacionaes.
1 caixao fumo ; a Joaquim Bernardo dosJlels.
3 ditas chapos; a Joaquim Aires.
1 dita cigarros; a Haia & Espirito-Santo.
i volumes mercadorias ; a Guimaraes t
veira.
2 caixotes rap ; a Duarte & C.
Para o hospital militar.
Camellas razas, pares 100, colxes de panno de
linho com 9 palmos de comprmanlo e 3 1/2 ditos
de largo ebeios de palha, 60.
Para o 4" balalho de artlharia. '
Algodozinho de listra, covados, 1,500.
Para o arsenal de guerra.
Lences de zinco com 9 palmos de comprimento
e 4 ditos de largo, que facam 1,600 palmos quadra-
dos, rame de ferro para amarrar, arrobas 2, laboas
de louro de assoallio de 26 28 palmos de compri-:
ment e 12 14 polegadas de largura, duzias 10,'
custado de amarello de 26 28 palmos de compri-
mento e 16 polegadas de largo, 6, custadinho de di-!
lo de 26 28 palmos de comprimento e de 16 18
polegadas de largo, 6, taboas de pinito de 3 quarlos
de polegadas de grossura, duzias 3, arcos de ferro
de 11/2 polegadas, arrobas 20, dito de dito de 1!
dita, arrobas 10, ferro inglez em barra de 1 e 1/2
polegadas de largura, quintaos 40, rame de ferro
eir verga da 1 oitavo de grossura, quintal 1.
Para a companhia de cavallaria.
Apparelhos de limpeza, 75.
Quem quizer vender taes objectos apresentem as
suas propostas em caria fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manhaa do dia 18 do cor-
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 11 de abril
de 1864. |
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho.
Major vogal.
Na subdelegada da freguezia do Poco da Pa-
nella existe 16 pecas de roupa que foi adiada na
boira de rie : qum se julgar com direito a referi-
da roupa, e dando os signaos, ihc ser entregue.
Subdelegacia de polica da freguezia do Poco da
Panella 11 de abril de 18640 subdelegado,
Joao Paulo Ferreira.
PERSONAGENS.
Tholosan, medico....... Germano.
Mareeat............... pnt0.
Caussade.............. Thoraaz.
Mauricio.............. Lisboa.
Vigneux............... Porto.
Abdallah............... Bornes.
Lancelot............... Teixeira.
La Richaudire......... Leonardo.
Lourenco.............. Barbosa.
J-ecilia................ d. Antonina.
Benjamina............. D. Bernardina Pontes.
Senhora Vigneux....... D. Maria Pontes.
Baphael............... d. Olympia.
Jenny................. D. Virginia.
A scena passa-se em Ville d'Avray, na casa de
Canssade.
Aclualidade.
O agente Almeida levar novamente a leilao
requerimento dos administradores da massa fallida
de Novaes & C e bor despacho do lllm. Sr. Dr.
juz especial do comniercio, das dividas activas
da mesma massa, cuja relaco se ada em poder
do mesmo agente onde pode ser examinada.
Sabbado 16 do corrente.
Em seu escriptorio ra da Cadeia do Recife n.
48, primeiro andar, s 11 horas.
Na praca da Indeiiendearia. I.ija de oom~t
n. 33, compram-se obras de onro, prafa e paira
preciosas, assim como se faz qualquer anra ar ra-
eommemia, e todo e qualqner eomvrt. e inat-
monte se dir quem d dinheiro a
AVISOS DIVERSOS.
Terminar o espectculo
dia em um acto,
com a graciosa come-
A Viuva da Camelia.
Comecar s 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASTXEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norle espera-
do at o dia 17 do cerrente o va-
por Oyapock, commandante o
rimero tenente Antonio Maree
no Pontes Ribeiro, o qual depois
da demora do costume seguir para os portos do
sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual de vera
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Instituto Archeologico e Geo-
graphico Peniambucauo.
Haver sessao ordinaria quinta l'cira 14
do corrente abril, pelas II horas da ma-
nhaa ; e nessa reunio se discutir o oira-
mento para o anno de 1864 a 1865, o que
nao pode ter lugar na ultima assembla por ,ranC*s ,de ala, de algodo e de lia, i
senaoacharpresente o respectivo thesou-.S^S^JS^^T:
1 di U
Sao pois convidados todos os membros
do Instituto que actualmente se acham no
Recife a assisiir a esta sessao.
Sala do Instituto, 1 i de abril de 1864.
J. Soares d'Azevedo,
______________Secretario perpetuo.
No trapiche de Caslanha Grande se cana ft>
barricas de farinha de trigo chegada no nata m
dezeml.ro ; quem a ella se julgar rom diris, din-
ja-se ao abaixo assignado. dando os aseawarins
signaos. Xorbeno Cavalcanli de Alboqorran.
Ae i. 29.
Nova leja des baralrirw aa raa de Qaristade
Ricas saias de fustao a 3#, camisas inglesas tara
senhora a 2, 2*500, 3# e 4#, eobertas de fartao
brancas a 5a, chitas com lustro para ettVrta roa
6 palmos de largura a 640 o corado, canana de
; cores para vestido a 350 e corado, tas pera vesti-
do a 480, 5(50 e 640 o covado.
Ae 29.
Nova leja dos baralrires aa raa de fnriaiada.
Tarlalanas de todas as cores, fazeada anana fan
a 720 a vara, cambraia para cortinado, prra Vtt
; varas, por Iflj, chales de la por 3#, 4*. S#e 4,
camisas inglezas para homom a 38*. 5ltf o 60*.
Ae 29.
Nova loja des baralrires aa raa de (raraade.
Ricos antea, franjas de todas as qeaadadni,
nnafaiaae
punhns. Mana
> fasio.
bandos de cabello, meias de seda, tapies : rajes
rrtigos se vendem por metade do sen valor por ser
para acabar.
Precsase de urna ama de boa conducta para
rozinhar e engommar, s for preciso : na raa da
Crespo n. 10, loja.
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
ueimado para a ra
Oruzes sobrado n. 36,
meiro andar, por cima
armazem Progressista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-!(
Fernando Afiouso Cocino
da provincia,
relira-se para dra
Calxclro.
Precisa-se de um menino de idade de 14 Id
annos, que tenlia bstanle prafica de Uberna : aa
praca da Boa-Vista n. i'..___________________
llS OfTerece-se para caixeiro de laborea ana ra-
n V*1 de 13 annos, cbogado pro\iuiaim;nte r PVirta-
p] 1~ gal : quem precisar dirija >e a ra do Vicario a.
J I li, primeiro andar, escriptorio.________
I Machina de vapor, prupria para saover aav
china de discarocar algodo, e para padaria oa
quali|uer outro mechanismo que precisa da t>rr
de 2 at 3 cavallos : para ver e enromiaeadar. U
pretendemos padem dirigirse ao Sr. Antonio Man
de Brito, fabrica de cigarros a vapor, aa raa **
No dia 15 do corrente mez, tendo de ser ar-
eematado por veuda, depois da audiencia do lllm,
Sr.Dr. juiz municipal da 1" vara clvel, um cabrio-
le! com um cavallo, tudo em bom estado, avahado
por 1005, por execucao de Andrade & Reg con-
tra Jezunio Machado Malheiro Braga": os licitan-
tes poderao comparecer no dia cima indicado, s
12 horas da manhaa, na sala das audiencias.
No dia 15 do corrente mez tem de ser arre-
matado por vedda, depois de finda a audiencia do
lllm. Sr. Dr. juiz municipal da Ia vara civel, urna
olara sita na Passagem da Magdalena contiguo a
ponle pequea sobre n. 2, avaliada por 3003 por
i execucao de Antonio da Silra Maia contra Jos
t Paulino de Almeida e sua mulher : os licitantes
poderao comparecer no dia cima indicado, s 12
i horas da manliX na sala das audiencias.
0|- A mesa regadora da rmandade das almas,
creca na matriz do SS. Sacramento da Boa-Vista,
usando da faculdade que Ihe confere o 7 do art.
ra o exercicio de sua pro-
, fissao, chamado por escripta.
Mez de Maria
Vende-se este livro conforme o uso do
lospicio da Penlia a l cada livriuho : na
ivraria n. 6 e 8 da praca da Independencia.
1 dito charutos, 1 caixa frasqueira de prala, 2 i 15 do enmpromisso ijue rege esta irmandade, con-
ditas rap, 4 meias barricas farinha de mandioca.
1 caixao cha ; a ordem de diversos.
Da Bahia.
Gneros estrangeiros j despachados para con-
sumo.
17 caixas chitas: a A. C. de Abreu.
1 dita chapeos; a Christiaiii & Irmao.
Gneros nacionaes.
17 fardos fumo ; a ordem.
7 ditos dito, S caixoes charutos ; a Palmeira &
Be 11 rao.
1 caixa charutos; a Schafheitlim & C.
5 tardos fumo a Joaquim da Silva Costa.
1 caixao charutos j a Jos Leopoldo Bourgard.
1 barril azeiie de peixe ; a Joao do touto A. da
Silva.
Encommendas.
1 caixote ; a Amorm Irmos.
1 dito | a Tasso Irmos.
1 dito ; a Jos N. de Souza.
1 dito ; a Jos Alexandre Ribeiro.
2 ditos; ao desemhargador Assis Rocha.
1 dilo; a Joaquim B. dos liis.
1 dilo; ao Dr. Americo Joaquim dos Santos.
1 volume ; ao capitao A. P. Heitor.
1 dilo; a J. T. de C. Quaresma.
1 dito; a Palmeira cv Belirao.
I dito; a Francisco Xavier Reis L.
t dito ; a Mello & Irmao.
1 dito j a Miguel P. Pinto.
1 dito; a Joaquim Baptista Nogueira.
1 dilo ; a Genuino Jos Tavares.
1 dito; a Mathias de A. Villarouca.
1 dito; a P. de Oliveira Machado.
1 encapado ; ao Dr. Joaquim Simoes Dallro c
Silva.
1 dito ; a Jas Baptista da Fonceca Jnior.
1 dito; a A. C. de Abreu.
1 caixa; a D. Thereza F. de Cerqueira Caval-
canli.
Recebedorla de rendas Internas
geraes de Pernambuco.
Rendmento do dia 1 a 12........ 8:3I6J978
dem do da 13................. 1:301,3394
vida a todos os charissimos irmos para que se
diguem cemparecer na consistorio desta irmanda-
de no dia 17 do corrento, s 9 horas da manhaa,
para que reunidos em mesa geral deliberem sobre
a reforma e alteracoos de diversos argos do so- i
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaco costelra vapor.
Parahvha, Natal, Mario, Araeaty, Cear e Acarac
No dia 22 do corrente seguir
para os portos cima indicados,
s S horas da Urde o vapor Ma-
mangitape, commandante Moura.
Recebe carga at o dia 21 ao
meio dia. Encommendas, passageiros e dinheiro
a frete at o dia da sahida as 2 horas da tarde :
escriptorio no Forte do Mattos n. 1.
Rio de Janeiro.
O brigue Imperial Marinlieiro segu com brevi-
dade, e pode receber algnma carga e escravos a
fete : trata-se com os -/qpnsigoalarios Marques,
Brrros & C, largo do Corpo Santo n. 6.
Rio de Janeiro.
0 brigue nacional Almirante pretende seguir.
com muila brevdade, tem parte do seu carrega-' ^ Antonio.
ment engajado : para o resto que Ihe falla, e es-1 Os bilhetes e meios estao venda na
crayos a frete, para os quaes tem excellentes com- reSDectiva thesonraria A na
modos, trata-se com os mus consignatarios Anlo-! 5?P
nio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu escrip-''
orio, ra da Cruz n. 1.
Precisa-so fallar na loja ra
po n. 17, com os senhora Firmtno Mon-
teiro da Silva Carnpiro, P>dro RarKtMa
da Silva, Jos Antonio Lopes Jnior a 1
negocio de inleresse.
ananVanl
&&ft
Aos o:OOe$000-
Corre depois damanliiia.
Sexta-feira, 15 do corrente se
a stima parte da segunda lotera da Sania
Casa da Misericordia, no consisiorioda -.'te-
ja de N. S. do Rosara da treguezia de San-
Aluga-se urna casa terrea na ra a Abara.
a urna loja ao tara da & raato: a u-aur mna
Joao Ribeiro Lopes, ra da Cadeia n. 33. losa.
(HTereee-se urna ama |nra rasa de pnnra fa-
milia para cozinhar, engommar algnma r.-o>3. e
para fazer os serviros de dentro de ra a conducta da ama : quem quizer alnga la, riinja-
extrahir so ^ rua ^ Imperador no lerceiro andar n. I*.
Para o Rio r mi do Sul.
Barca nacional Agnia.
9:C18312
Consulado provincial.
Rendmento do dia 1 a 12......... 38:8733326
Idemdo dia 13................. 3:30853(1.)
a proco commodo : tra
ta-se com os consignatarios Bailar & Oliveira n.
26, rua da Cadeia do Recife.
11 ha de Miguel.
Sane com a maior brevidade o patacho |portu-
guez Soitsa, anda recebe alguma carga : a tratar
com o seu cop.-ignatario, na rua de Apollo n. 4.
fa/a
O palhabote Garibaldi sahe
tratar com Tasso Irmos.
nestes oto dias : a
Sol.
Para o Rio Grande do
Brigue nacional Tygre.
Segu com a maior brevidade, recebe carga por
preco commodo para aquella porto : trata-se com
os consignatarios Bailar deia n. 26.
LEILES.
i:381689
MOVIMEITO DO PORTO.
a- a y Rio de. Janeiro-C dias vapr nacional Cruzeiro o
las cou,raan(la,,," Mancebo, de 1,100 toaela-
Antuerpia-ti di^ para(.ho ddeoTborfuez PjW, de J
bredito compromiso. Consistorio da rmandade to Sonde mcSa^'f'16 "ara a1uelle Pr-
das almas 13 de abril de 1864.
Manoel Zefenno Dias Barreto.
Escrivao.
Directora das obras militares.
A directora das obras militares tendo de man-
dar proceder a construccao de um paiol para pl-
vora no lugar denominado Torre, convida as pes-
soas que se quizerera encarregar desta construc-
cao, a apresentarem suas proposlas nos dias 14, 15
e 16 do corrente mez na dita directora, das 10
horas ao meio dia, onde poderao obter os esclare-
cimenlos necessarios sobre tal construccao.
Directora das obras militares de Pernambuco
13 de abril de 1864.-Luiz Francisco de Paula de
Albuquerque Maranho, servindo de amanuense.
Pela administracao do correio desta cidade
se faz publico, que de conformidade com o decreto
n. 187 de 13 de maio de 1861 e respectivas ins-
truecoes, teve lugar hoje o processo da abertura
das cartas atrasadas, pertencentes ao mez de mar-
co de 1863 condemnadas consumo pelo art 138
do rcgulamenio dos correios de 21 de dezembro de
1844, assistindo a esse processo o commerciante
Antonio Correia de Vasconcellos. Desta abertura
nao resultando achar-se dinheiro ou documentos
procedeu-se o queima dellas, de que se lavrou
respectivo termo, que o que se segu.
Correio de Pernambuco 13 de abril de 1864.
Domingos dos Passos Miranda!
Administrador.
Termo de consumo das cartas pertencentes
ao mez de marco de 1863.
Aos a dias do mez dn abril de 1864, s 11 horas
da manhaa, na sala da administracao do correio
desta cidade, estando presente o Sr. administrador
e thesoureiro Domingos dos Passos Miranda e mais
empregados, procedeu-se em virtude do art. 138
do regulamento dos correios de 21 de dezembro de
1844 o consumo de 187 carias e 37 jornaes, sendo
52 cartas selladas e 135 e 37 jornaes uao sellados,
tudo na importancia de 214810, como consta da
factura, e cuja importancia Mea nesta datadescar-
regada ao mesmo administrador e thesoureiro. E
para constar se lavrou este termo em que assig- i
nou o mesmo Sr. administrador e empregados abai- j
xo declarados. E eu Eduardo Firmino da Silva,'
ajudaule contador o escrevi.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
OfBciaes papelistas,
Luiz de Franca de Oliveira Lima.
Vicente Ferreira da Poreiuncula.
smael Amavel Gomes da Silva. i
Praticante,
Agne.Ho H. Araujo Pernambuco.
Porteiro,
Manoel 'Sarinho Souza Pntente!.
DE
Metade do sobradn d praca da Ba*
\ isla n. 21, o qual rend 1:4110$
aniiual.
HOJE
QuintJ-feira i4 de abril ao meio da.
O agente Pinto autorisado pelos procuradores
bastantes do bacharel Jos Theodoro Cordeiro le-
var a leilao a metade do sobrado de dous anda-
res e sotao na praca da Moa-Vista p. 21, que por
legitima materna tocou ao mesmo bacharel, isto
ao meio dia do dia cima dito em seu escriptorio
rua da Cruz n. 38, onde se dar devde ja qual-
quer esclarecimento a respeito.
do Crespo n.
e as casas commissionadas.
Os premios de orOOOiJOOO at 10,3000
serao pagos urna hora depois da extraeco
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuico das listas.
0 thesoureiro,
ynionio Jos Rodrigues de Souza.
CASA 1)4 FOKTIjW
AOS 5:000.000
Bilhetes garantidos
A' roa do Crespa n. 23 e casas de costume
O abaixo assignado tendo vendido nos seus mu
I afortunados bilhetes garantidos os de n. 093 com
! a sorte de 10:000$ em quartos, n. 1775 com a de
3:0004, n. 2001 com es 500 e outras militas sor-
j tes de 2004, 1004, 404 e 204 da lotera que se
acabou de extrabir a beneQcio da igreja de N.
S. do Amparo de Goianna, convida aos possuido-
, res de ditos bilhetes a virem receber seus respec-
tivos premios sem descont algum em seu esta-
I belecimento Casa da Fortuna rua do Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto venda em seu dito esta-
belecimento e as ouiras casas do costume os no-
vse afortunados bilhetes garantidos a beneficio
da Santa Casa da Misericordia, que se extrahir
sexta-feira 15 do corrente.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 64000
Meios......... 3400O
Para as pessoas que coniprarem
de IOO4 para cima.
Bilhetes........ ;4o00
Meios.......... 24750
Manoel Martina Fiuza
Maques sobre Portncal.
O abaixo assignado, agente do Ion
mercantil Portuense nesta ridaoV, sara rt-
i'eetivaiiiento por todos OS paquetes Sot**
0 mesmo banco para o Porto e Lisboa, |>r
qualquer somma, vista e a prazn, po-
dendo logo os saques a prazo ser.m dW-
contados no mesmo banco, na razao d- (
por cento ao anno aos portadores qne as-
sim Ihe convier : as ras do Crespo a
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silra Castro.
8
^m
*
Precisa-se de urna ama forra ou aaetaai que sai-
la engommar perfoitamente e cozinhar. ae ana
conducta, pdga-se bem : na rua das Crnes a M,
primeiro andar.
LIILAO
O padre Bento Pereira do Reg avisa
que no da 15 do corrento (sexta-feira) ce-
lebrar urna missa pela alma do conselheiro
Paes Barreto senador do imperio, e pois
convida a todos quantos queiram assisiir a
este acto religioso, que ter lugar em a ma-
triz da Boa-Vista pelas 8 horas da manhaa.
HOJE
Quinta-feira 14 de abril as 11 horas
em nont.
0 agente Pinto far leilao reqnerimento doin-
ventariante dos bensdo Pinado Miae! Joaquim D,M HUC111., ^,
de Castro e por aulorisacao do lllm. Sr Or. juit 4o na cidade da Victoria ou nesu typographia que
de orphaos nao s das dividas activas" da loja 4e *ri apn^m^mpotn rraiiAVadn
ferragens d'aquelle finado, como tambero das d>
Eseravo Hgldo.
No dia 12 do crrante mez desappareceu do
poder do abaixo assignado a escrava Maria, mu-
lata ataiocada, de idade 38 annos pouco mais ou
menos, baixa, grossura regular, cabellos nm tanto
crespos e corlados de novo, tem um principio de
bebde em um dos olhos e tem marcas do pannos
pelo rosto, falla baixo o descancada, levou vestido
de chita usado e chales de 13a ou merino azul :
quem a pegar dirija-se casa do abaixo assigna-
sex generosamente gratificado.
I Alexandre Jofl Maria de Hollanda Cavalcanli.
laiim e fraaeez.
Eslao abenas eslas duas aulas desde
o 1* do crrente, no sobrado u. 2, da
rua da ludria do Recito.
mwmm fmmmmmi
Os acoioui-Us da companhia Vigilante *.
convidados para comparecerem no r>,4>rio a*
Dr. Alcnforad i, no da 18 do corrale ao km lia,
para que constituidos em as>emMea geni arvre-
dam a nomoaco da direccao e deliberem atarea
da entrada das quanti.is necesarias parj m raja-
ros que precisa o vapor de rebjque o sobre a ua
gerencia. E mais se avisa que a anual davec
I lem resolvido pedir a entrada das <|iuna iasas-
I pensaveis ou a venda das aeces dos ari-ioaista
I que o nao quizerem fazer, tito qu.- par outrj *-
I ma imnossivel fazor-se o que o indi.s>eaMvel aa-
; ra i|ue nao seja perdido o privilegio ou Unnutm
1 OUtra qualtpier providencia.
E faz-so esta declaracao para que na avwiubia
i geral se nao allegue ignorancia.
Recife, 13 de abril de|!864.
25 de marra de I Hr, 4.
Na dala cima desap[.roceu a preta Tberoa, a
qual empregava-sc em vender agua rraao raa
ponto principal a rua dos Pires. urna prefa ana
conhecida por andar sempre rindo se e faliaaa
s e constantemenie tra/er unta 1'Mniiaaa
amarrada a cintura : quem a pegar e levar a san
senhora sor recompensada na casa n. t da ev
quina da rua do Palacio doSr. hispo.
O abaixo assignado vai a Illa de S. _
e deixa nesta praca como sens ipruriiradorw
primeiro lugar ao Sr. Jo.-e Vicwa inu di arana, aa
segundo ao Sr. Francisco de Oliveira Fraam a
em lerceiro ao Sr. Jos Cirdeiro Ponte*. Iiwaa
em lempo que julga nana dever. mt muras **- al-
guem so julgar seu credor |mr qualquer liana, a>
nha a bondade de aprest-ntar-se ao praa aV 3
das, rua do caes do Ramos n. 4. para *r m
mediatamente pago.
____________Francisco J,v da r^wu Rikeir*.
O abaixo as.sgna.lo loml.. de later ansa rsv
gem por motivo de sande, vende o sea r tiail i
ment de moldados silo na rua da aVda n t*
quem o pretender, dirija-se ao nwsaan an taor
cima.Jos Antonio dos Sanios.


Joao da Silva Ra$os, medie pela l'm
versidade de Cuimbra, d consullas em
sua casa das 9 a li luirs ia manhaa, e
das 4 as 6 da tarde. Visita os docntos
eii suas casas rifularmente as hora* '
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos en qual-
quer occasio. Di consultas aos pobres
que o procurarem no Iwspital Pedro H,
aonde encontrado^ diariamente das 6
as 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropiados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 34000diarios.
Segunda dita.... 2*500
Terceira dita.... 25000 >
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons serviros que tem pres-
0 proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conhanea de que sem-
pre tem gozado.
Len Cliapelin, photographo, ostabe-
lecido na ra da Imperairiz n. 14, va a
Europa a bem de seu interesse.
Eiuprehendendo esta viagem com o lim uuico
de estudar os rnelhoramentos e progressos do sua
arte, espera, de volta em setembro, poder agradar
as pessoas qae se dignaren orcupar-lhe. Deixa
sua rasa e oalcina enearregada a sua esposa, que
tendo longa pratica de tirar retratos continuar a
trabalhar rom todo o esmero e promptidao.
Aprnveita a presente occasio para agradecer
ao publico desia formosa capital e particularmen-
te as pessoas que Ihe honraram com a sua ron-
narre*, a proteecao e bom acolhimento que the
prodigalisaram eoffercce'o scu pequeo prcslimo
em Paris onde especialmente se dirige ; devendo
retirar-se no lim do mez at l o achara o respeila-
vr-l publico prompto para qualquer trabalho de
sua prolitsao.
PUyf de rcrayaaptjeo ... ^ulU felra 14 de Abril de 18A.
Podse ao portuguez commerciante, muito
coqhecido em Rio Formoso por Liberal Cuca, que
tenha a bondade de responder a um annuncio que
vem nos Diarios de 88, 29 c 3 do mez prximo
passado, que Ihe diz respeito, para alguem nao
| acreditar que se funde prata lina sem liga de urna
famosa chapa de chumbo.
R0SAUI0-3
Francisco Pinto Ozorie contina a col-
locar denles artiliciaes tanto por meio de
molas como pela pressao do r, nao re-
cebe paga alguna sem que as obras nao
fiquem a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparacoes as mais acreditadas
para conserva^ao da bocea.
DENTISTA DE PARS
19Ra Nova-19
Frederico tiautier, cirurgio dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artrtkiaes, indo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas Ihe recoanecem.
Tem agua e pos dentiflcio.
.]:
Credores.
Os credores do Sr. Francisco Virissimo do Reg
Barros qucramentonder-se com Tasso Irmaos, ra
do Anwrim n. 33, segundo andar.
O baoharet A. R. de Torres Bandeira,
professiir de geographia e historia no
Gimnasio desta provincia, contina no
asmo particular desias mesinas disci-
plinas, e bem assim de rhelorira, phlloso-
fritia, inglez e francez : na ra estreita
do Rosario >n. 31, terceiro andar.
Ad'ticacia.
O Lachare! Lourenco Avellino de
Albuqucrque Mello, antt^o artvnga-
do desta .udade, leudo regressado
ella, tem aherto o seu scriptorio
roa do'Imperador n. 40, onde pode p
ser procurado para os nisteres de
*ua protesto todos *s dias litis
das 9 (arde* e ollerece como garante a
seus consUtuintes a nao interrumpi-
da pratica de 25 anuo6 de advoca-
cia. O mesmo aceita partidos -e
ttambem causas nos lemos do in-
terior onde tocar a estrada de ferro.
wammwm
Caixeiro.
PFaeisa-sc di' mu pequeo de 12 14 annos, na-
cional ou eslrangeiro, para caineiro de fra do
balcao de urna botica na cidade da Parahiba : os
protenaentes poden) dirigir-so ra da Cadeia do
iRecife n. 44, a'falbtr com Thomaz Fernandes fe
Cunha.


$
- ,\. j
m
-- < *.'++* Ssj J8#^ (joncalves Ferreira Cosa, tem ca-
sis terreas para alngar na travessa do
"", Costa junto a fiKidieo ao pr-ogu de 94 e
,%. Ii'. -com poruiu para a mitr : a fallar
^5 na mesma travessa na taber
1
mesma.
'-[a do lim da
.4 ttenco.
n. 37 precisa-se de olli-
Na.ra.da Florentina n. 2.S lava-^e e engomina-
r,e com pre.-itaza e por preeo commodo.________
Na ra das Cruzos
caaes de chareteiro.
Aluga-se a casa terrea u. 270 na ra Impe-
rial, com todos os commedns necessarios, sendo
murada at a boira do rio i a tratar na ra da
l'.uil;:.i>. 6, aonde se continua a dar comidas por
raodieo preco, iacumbindo-se a -nanda conduzir.
OM.NDA.
0|adjre Jos'Erfcves Viaiuta 4em alieno as suas
aulas de prlraeiras letras, latina e francez, desde o
dia 4 de abril : assim como cMRtina a enfiinar as
mesmas materias por casas particulares._______
Pceota-se de urna ama para casa de urna
senhora: a .ra por detraz da igreja de Santa
Thereza n. <6._____________________________
O bomem sulteiro pie preeisar de urna ama
de boa conducta para fnicos internos, dirija-se
ra da ("'iiteeicaoainlM, loja n. 8.____________
D-se S0tt>5 sobre hv|H)theca em al^am es-
cravo ou es.-ra.va : na ra de Santa Una n. 27,
segundo andar.
Deseja-se fallar com um rapaz natural do
Oonselho de Monta-Legre da freguezia do Beigoso,
sobrinho do reverendo vigario Jos Goncalres Pe-
reir : na ra da Guia n. t.________________
~ Anda est por augar a casa da ra de S.
Miguel dos Afogados o. 28 : a tratar na ra Im-
perial n. 98.
KV\(0 t \ I VO
ESTABELEODO NA CIDADE DO PORTO
Agentes em Pernainhueo
Antonio Lulz de Ollvelra
Azevedo k C.
Sacam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agencias em Fi-
gueira, Coimbra, Aveiro, Viren, Villa-
Real, Regoa, Vianna de Castello, Guima-
res, Barcellos, Lamego, Cevilhaa, Braga,
Penafiel, Braganca, Amarante, Angra,
llha da Terceira, llha de Faias, Ilha da
Madeira, Villa do Conde, Valenea, Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves e Fafe, a
oito dias vista ou ao prazo que se conven-
conar, no seu esenptorio ra da Cruz
n. 1.
Curso de matlieinaticas ele-
mentares.
O professor de mathematicas elementares no
Gymnasio Provincial tem de abrir particularmente
um curso destas sciencias, cujas licoes devem
principiar no dia 20 do corrente mez : as pessoas
que Ihe tem fallado para aprenderem as ditas sci-
encias, comparecam na casa de sua residencia na
ra Direita n. 74, no dia 19, das 7 horas al as 9
da manliaa. o a larde a qualquer hora, para se ma-
tricularen).
Campos & Lima tendo acabado com o seu es-
tabelecimento de fazendas na ra do Crespo, avi-
sam a todos os seus devedores em geral, que de-
ram nrocumcio especial ao Sr. Ivo Martins de Al-
meida para receber amigavel ou judicial : c sem
que por isso tenhamos a menor responsabilidade
com o que o mesmo senbor tenha de obrar, motivo
que s com Me se deverao entender.__________
Arrenda-se ou vende-se urna casa com bas-
tantes commodos, com terreno de plantacoes, perto
do banho por ser junto a ponte de Tigipi : a fal-
lar no engeabo Peres com o capitao Carneiro, ou
nos Afogados com o tenente-coronel Munoel Joa-
quim do Reg Albuquerque._________________
o terceiro andar do sobrado da ra larga do Rosa-
rio que volta para a do Caitug, redilicado de novo
e com grandes commdos para familia : a tratar
no segundo andar do mesmo.
Joaquim de Mello Carreiro, subdito (>ortu-
guez, retrra-se para a rfha de S. Miguel.
LI0ES DE CANTO.
Ndame Fanny Boureanx,
discipula do conservatorio imperial de musica de
Paris, d lines de piano e canto : a tratar na ra
Nova n. 1), loja do Sr. Hypolito omorrt.
- Precisa-se de offinaes de funileiro, na loja
da ra da Cruz n. 39 : a tratar na mesma.
Dinheire
Comprase effeetra-
Ditnte
ouro e prata em obras velhas, pagand-se bem
na ra larga do Rosario n. 4, loja de ourlrg.
(^ompra.Se cobre, latao o chumbo : ao arl
AlgOdlOZinllO COra peqUeilO JJJjJ a bomreli no oto\ da secreiarla de
toque de avaria a 4^00
e 5;?000 a pe^a.
Vende-se na ra do Queimado n. 14, superior
algodaozinho com pequeo toque de avaria &6e
6 a pe?a, a elle que est se acatando.
Aluga-se o sobrado de uro andar da.rua da
Praia n. "67 : a tratar no Campo-Verde, ra do
Destino n. 20, sobrado. _________
. Jos Joaqaim do C^rvalbo, subdito portuguez,
retira-se para Macelo.
Aluga-se um moleque de idade de 13 a 14
annos, muito bom cozinheiro e comprador, serve
aern urna casa'e sabe f.izer todo servico com |>er-
feicao : a tratar pa ra dos Pires n. ."ii.
Jerunymo Thom dagilva,cidado brasilcird'
retirase para Europa.
" AragAuV i n i
Aluga-e urna casa com bastantes rommodijs pa-
ra grande familia, sita na travessa da Passagem da
Magdalena : a tratar na botica do pateo do Carino
numero 3.
m i a -----
Precisare de umaami fortaou esiravapara
casa de pouca familia
numero il
a tratar ua ra do A ragua
i Precisa-se de urna ama que compre,.engm-
ale, cozinhe e faca o mais servico de urna pequea
familia : na ra dos Pires n. 27._____________
Na ra da Alegrfa n. 7 atuga-se urna escrava
para todo o servico. ___
OadvogadoAffonso de Albu-
querque Mello,
com escriptorio na ra estreita do Rosario n. 34,
encarrega-se de quaesquer causas crimes, civeis.
militares e ecclesiasticas. Comprometiese a en-
caminhar com a maior bretidade as appellacoes
que Ihe forem confiadas ou a relacao e ao tribunal
de commcrclo do districto, ou a relacao eclesis-
tica. Encarrega-se de defezas perante o jury
desta cidade, oudos termos prximos, dandoa par-
te condueo; assim como de quaesquer outras cau-
sas por ter em alguns delles procuradores de con-
fianza.
Da consultas verbaes e por escriplo ; promette
todo o zoilo, seguranca e actividade, garantidos por
urna pratica e experiencia de quasi 20 annos.
Pode ser procurado a toda a hora, menos as sex-
tas-felras, por se achar das 9 horas s 4 desses
dias na villa do Cabo.
Na ra da Cadeia do Recife n. 3, primeiro
andar, liram-se passaportes para o estrangeiro, e
de escravos para o Rio de Janeiro.com promptidiio
e pre^o commodo. t Vi._____________ _
lima sala e alcova para guarda-livro
soltciro.
Precisa alugar-se : no escriptorio da ra do Im
pelador n. 34. _____
Sorcute.
Sorvete tedos os dias ao meio dia
Trapiche n. 18. ____________
_ Gompraiii-sft uiatjos veltios para embrulho a
* a arroba : no Iarg6 (jairafas.
Conuirajn-se garrafas vaia de vinho ferveja,
e tamban frascos e botijas do genebra : na ra
do Imperador u. .i7, armazcm Alianca._________
Compram-se escravos mocos e fortes, sendo
barato : na roa da Cadeia n. Si, armaztm.
itoraPramst' garrafas e botijas Tasias
,nws l Pre5" actual : na ra Direita
mero 72.
CUSTODIO,CARVALHO
por
no-
Compram-se frascos de geuebra vasias : na
ra Direita n. 72.
Compra-so um baixo de si bmol j usado,
mas em bom estado : na ra da Viracao n. 39.
\i*Cozinheiro
Compra-s ou aluga-^e um escravo
com perfeicao : na ra da Cadeia
Alfredo A Matheus.
que cozinhe
n. 33, loja de
Compra-se urna
la cosjnha, lava* e en
lo Rdjife p. 43, pi ime
ferava |
.ornar:
o'iyr.
preta que entenda
na ra da Cruz
fe-** 27 Ra do Queimado
Para meninas.
Lencinhos de cassa pelo btrato preco de 100 rs. cada um.
Cambra las
OYgandys finissimas a 240 rs. o covado.
A I a peca
de eulreroeios finos bordado a 14 a peca-
Cor tes de
cambrala branca com flores a 3#i a peca-
Ricas cassas preta
bordadas de muito gosto.
lladapolo
enfestado francez muito fino a 500 rs. a 'vara.
Lencos
de cassa brancos e de cores a 1,3 00 e i} a duzia.
Cohertas
de chita ehineza a preco de 2 cada urna.
Tiras bordadas peca 25-
Cambraia de linho a 3-3. 4 e o a vara
Rios cortes de laa dos mais modernos a preco de 20 o corle.
4 C.
27
Compra-se urna preta que saiba bem cosi-
nhar c engommar : ruado Queimado lo,a nu-
mero ol.
---------------------------------------------------------i ."'
- Compra-se um negro de meia idade; na ra
imperial n. 139 ou 213.
Comprase urna batanea decimal em bom es-
tada : quem ti ver para vender, annuncie por esta
folha.
COMPLETO SORTMEMO.
NO
A RUI A/EU
CONSERVATIVO
23-~Largo do Terco23.
Joaquim Simo dos Santos, dono deste armazem de molhado?. scientilica ao respciiavel
coque leem um completo sorlimento dos mesmos os quaesofferecem mais vanlag-m aos Srs. ua>ra-
Comprase um carro de 4 rodas que seja ma- dores, do que em oulra qualquer parle, garanlindo-se a superior qualidade.
neiro, para 2 cavallos : a tratar na ra do Crespo I
n. 8, loja dos Srs. Souza Andrade & C. i Manteiga ingleza flor [a 800 rs. a libra.
- Compra-Mi urna escrava que saiba cozinhar "SS^ mUt nVa a m a ,ibra em ,
e engommar bem : na ra do Vigario n. I, ter- Qlf do Rio de ,. e 2, sorte m m ,br| e
ceiro anJar.
Compra-se urna preta de meia idade que co-
sinhe e engomme : no Passeio loja n. 3.
VENDAS.
arroba 95 c 85o00.
Arroz pilado do Maranho de 90 rs. 100 a libra.
Muro alpiste a 160 rs. a libra, e arroba 44800 rs.
Ser/eja das melhores marcas a 500 a garrafa.
Genebra verdadeira de laranja a 1^100 o frasco.
dem do Hollanda a 400 rs. a botija de contra.
Toucinho de Lisboa a 320 a libra, e arroba S&'iOO
._ .______..... ^__..___,- Passas muito novas a 480 rs. a libra, e caixa 9
ate"a2 515??^ L S S1? Tnm Aieile doc de Lisboa 8a"50 34 e a garrafa 640.
sito na ra de Apollo n. 8, com 10 quartos e um ,em d ,.,rranaln jan. a oarnia e a --^- -\
grande armazem : quem oquizer comprar, enten-1 SSWlfTOVillff
%IZT Bernardino de Sena ias' f'ue dira quem Gomma de engommar multo al'va a 100 rs. a libra.
0 venae:________________________________! Sardinhas de Nanles novas a 320 e 360 rs. a lata
Vende-se ama escrava de 28 annos, que en- j e em porco se far abalimento.
gomma com perfeicao, cozinha igualmente, faz I Todo
doce de qualquer qualidade, refina assucar, cose por ce uto.
chao, etc. emfim faz com perfeicao qualquer ser-1
vigo de urna casa de familia : na ra do Queima-!
do n. 37. I
e qualquer comprador que comprar de 504000 para oim
Vellas de carnauba a M*) o 400 rs. a libra
dem de spermacele a 500 00 rs. a libr^.
Phosphoros do gaz a 24300 a grosa.
Biscoutos e bolachinhas de soda a I44*">
a lata.
Chouricas novas a 720 rs. a |bra.
Batatas a 24 o gigo.
Bolachinha ingleza nova a 24JD rs. a libra.
Charutos das melhores marras de 1-5200. iJMl
24000, :14000 e 44000 a/caixa, cm por^ e
far abat ment.
Vinho Figueira de SAA a 3D0 a garrafa.
da :\:m>.
dem de Lisboa a 400 /a garrafa. jada
34000.
dem de outras marcas a
dem branro de Lisboa a
700 a caada,
a garrafa,
lera o de--uo;o Aluga-se o segundo andar do sobrado na ra
Vendem-se dons caixdes de podra e cal em
Santo Amaro, junto ao sobrado do Sr. Manoel Cus-
todio, se acham divididos em raspaldo, prompto a
receber travejamento, assim para casa terrea ou
sobrado, a vontade e bolsa do comprador, tendo 3
janellas e porta, com 42 palmos de frente e de fun-
no ra do I do 113, tudo de vo, akm de um grande terreno,
! em cujo centro passam duas ras novas at lindar-
se na estrada de Luiz do Reg : os pretendentes
4 VENIA EMVCIIMII
Itespeilavel
PaffaM fnqide.
Domingo W do corrente, as t horas da tarde,
fngio da r.ua da Imporatr, sobrado do Frederico
Chavos, um papagaio muito manso. tenaV urna
unha de meaos, o olho direito um pouco fechado, e
bastante hilador : rogase a quem o tiver adiado
a bondade de leva-lo, tpie ser recompensado.
" Antonio Luiz de Faria Guimaraes, subdito
portuguez, retira-se para o Para.
dirijam-se praca da Boa-Vista n. 9.
Tendo ficado a porta da cocheira do Dr. Fer-
reira, no pateo do Paraizo, sem estar fechada
chave, em a noite de 9 para 10 do corrente, desap-
pareeeu da mesma um cava I lo ruco, de boas car-
nes, com marca de colleira de carfo, 'moito rin-
chao : quem delle tiver noticia, |oder dar parte
na ra larga do Rosario n. 20, que ser recom-
pensado.
o olentes nueiram dirigir-se ra da Cadeia,
os pruenuenies fe a,,nip. RnutUn n m-lhnr
armazem n.
da Lapa n. 13, p dar.
Na padaria da Torre precisase de um amas-
sador que saiba vender pito._____________
Da roa do Liera ment at a do Imperador
perdeu-se mu bracelete de ouro : quem o acbou e
quizer restituir na ra do Imperador n. 14, pri-
meiro andar, ser gratificado.
Aluga-se a loja de urna porta s na ra do
Crespo n. 4, com annacao ou sem olla : para tra-
tar, em casa de J. Falque, na mesma ra n. 4.
Precisa-so de urna ama para casa de familia,
sendo siuente para cozinhar : quem pretender,
dirija-serua da Cruz do Recife n. 44, primeiro
andar ; paga-se bem. ___________
AO PUBLICO.
O aliaixo asignado, a bem do scu direito faz
sciente a quem interessar, que o Sr. Candido Al-
vos Lima Ihe devedor da qaantia de rs. 4:5005,
por rujo debito Ihe fez espeeial hypotheca em 5 de
junho de 1863, oas notas do tabeliao Luiz Ferrei-
ra Bandeira de Mello, da villa de Iguarass, dos
qualro escravos Caelana, Benedicta, Abilio e Le-
andro; pelo que protesta o abaixo assignado fa-
zer valer o sen trtalo do preferencia em qualquer
emergencia que oecorrer cm ditos bens, afim de
ser convenientemente pago, Recife 9 de abril de
1864.-Francisco Muniz dasChagas Pacheco.
~0 padre. F.B.*e V., e largo iU
Paraizo a 29, segando jui'nr, nimia
pi-eoitti de um pt weiro andar para sua
resitencia no ceitlro da freguezia de
Sania Antonia, e assim (ainbein de
urna ana eserav, que saiba engom-
mar e eosinhar e que cja fiel.
r*o'-uuc maisou ciranjtrre.
Precisa-se de urna ama para comprar e co/.inbar
para urna pessoa s : na ra da Cruz n. 9, primei-
ro andar.___________________^^__^^
Xa ra estreita do Rosarlo n. 31, segando
andar, |)recisa-se de urna ama de leite qne seja li-
vre v. nao tenli i lili. >. __
Ama.
Precisa-se de una ama para casa de rapaz sol-
tciro : a tratar n ra do Queimado n. 30._____
uli Pvrnamliucano.
A reuniao familiar do corrente mez de abril ter
Ingar na noite do dia 23 do mesmo.
mmmmmm*
O bacharel Jos Roberto da Cunha Sal-
les continua com o seu escriptorio de ad-
vogado a ra estreita do Rosario n. 41,
1." andar, onde pode ser.procuradodas 9
horas da manhaa s 3 da tarde : reside
na mesma casa.
Vendem-se duas casas por barato preco, sitas
no Gi ]ui, tendo urna armacao para taberna, um
quarto, urna sala, cozinha fora, estribara, cacim-
ba c grande quintal cercado : c outra com dous
quartos, duas salas, cozinha fra e quintal : quem
pretender, pode-se dirigir ao paleo da Penha n.
10, armazem Progrcsso, que achara com quem
tratar.
estabelecimento de fazenda* a
Crespo numero 19.
DE
Vendem-se bonitas vaccas e muito boas :
sitio do Cacunda, no Rosarinho.
no
Vende-se a taberna da ra do Rango! n. 17.'
i ara lodos.
Pecas de madapolo com poucos salpicos de
mofo 44500, 54500 e 64, ditas do dito enfesta-
do muito fino 74- Algodaozinho superior com
pequeo toque de mofo por 44 e i4500a peca :
na ra do Queimado n. 17.
FARELO
\endem-se saceos com 90 libras de farelo a
35800 : na ra da Madre de Dos ns. o e 9.
Yendo-se a armacao da taberna da ra da
Senzala Velha n. 52 : a tratar no primeiro andar
por cima da mosma.__________________
Vende-se urna taberna em urna das melhores
ra--, Campo Verde, roa do Socego n. 49 : quem
pretender, dirija-se mesma.
Vende-se urna pequea taberna com muito
poucos fundos: na ra Imperial n. 139.
Vende-se o sobradinho da ra das Trinohei-
ras n. 37, rende mensal 244: a tratar no largo
do Paraizo n. 6.
NUVMVAL
D MIQEU%
JOS GOMES VILLAR.
Tendo merecido a proteccao das
EXCELLENTISSIMAS SENH0RAS,
publico em geral.
OJproprietario nao descanoa um s momento para bem servir aoi -?us regn.-z*-. *-
zendo encommendas para
Inglaterra, Franca, Suissa e Alkinanha
das melhores fazendas para
Senhoras e para howens
e vende-as por precos qae admiram.
H Importante estabelecimento
DE
Fazendas
Sea.
DE
la, linho e algodo.
Ra do Crespo un moro 19,
RECIFE.
Vende batatissiino.
Importante est hrlrrinfilt
1'ti:, nulas
M
Seda, ISa, linho
de I
e algodo
.. .1.. 4 -.., .... ....~.k
Ra do
(repo
REOIF
Vende
numero 19
BSS-55E
SALSAPARRILHA !p
i
"4 pretax para
ma
Superiores monreaniques i r
DA
Festividade da con-dria de
S. Jos d'Agoia.
Sabbado 16 do corrente ao meio dia ser annun-
ciadn a subida do estandarte sua aste por algu-
mas girndolas de fogo, tocando nessa occasio a
msica da guarda nacional de S. Jos, de que
On demaade une onseriere excellente em toute I mestre o Sr. Hermogones, haver vesperas a noite,
espces de eonture on desire, qu'olle 'acRe faire e missa de madrugada, em que a musica tocara as
les reprises, raccommoder les bas y e* les raccommodages en general. Elle sera bien rara a missa da fesia, sendo o or;idor delta o re-
traite qu'ille aid libre ou esclave : s'adressor I verendo padre Lhio_do Monte Carmello. Findar-
'advogado Eduardo de Barros pode
ser procurado para os mksteres de sua
proiso, das 7 s 9 oras da manhaa e
das 3 da tarde em dianto na casa de sua
residencia ra da Saudade a. 15.
Quem se quizer alugar nara criado, dirija-se
ra de S. Francisco n. 8, a fallar com o escrivo
Silva Rgo.
piran wk.
Companliia lldelldade de
seguro* martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de laneiro.
AGENTES EMPEPNAMBCO
intente LnJx de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fideda-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
St. Amare sito de Mr. Charles L. Cambrouue.
Preta cozinheira
Precisa- se de urna preta para cozinhar.e trazer
todos os das um raixo com comida da Soledade
para a ra do Queimado n. 16, loja, onde se trate
Quem precisar de urna escrava com bastante
e boa leite para criar, dirija-so ra larga do Ro-
sario ii. 22, segundo andar.
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos,, ontinua a residir na ra do Impe-
rador a. 17, 2 andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do di e da noite
para o ejercicio de su pro'fisso de me-
dico ; sendo que os chamados, depols de
meio dia at 4 horas da taTde, devem ser
deiados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o ostudo das
molestias do interisr, prosegue, com o
maior afflnco, no das mais difflceis e deli-
cadas operacoes. como sejam dos orgos
ourinarios, dos olho*, partos, etc.
Ama de leite.
Precisase de urna ama de leite que seja forra e
se-ha o aeto com o Te-Deum Lau-Jamus,_ sendo o
orador o reverendo Sr. padre Leonardo Joo Grego.
Mauocl Francisco dos Santos o Silva.
Secretario interino.
- Cm bomem portuguez, casado com pouca
familia se olfereee para caixeiro oa administrador
de algurii engenlio ou mesmo para tomar conta de
algum estabelecimento na prca ou mesmo no
mato do que tem bastante pratica : quem precisar
aununcie.
Moderna exposigo
Duarte, Pereira 5 C, ra
do Crespo u i.
Tem para vender um rico e completo \g
sorlimento de candiairos gaz como se- ^
ja ni para bancas de meio de sala, bonitos jJJJ
paros para consolos, lamparinas para yJ
quartos, para pondurar etc., etc., bem
como para vender vontade do compra- S
dor gaz de varias qualidades. Previne ao
mesmo tempo que tern de chegar pelos
primeiros navios da Europa loftcas de to-
dos os padroes modernos, porcelanas, vi-
dros, crystaes, azulejos, figuras para jar-
dius, vasos para cornijas, lnhas, bollas,
leoes para portoes de chcaras etc., etc.,
o tudo mais que qualquer pessoa deseje
ter tendente ao nosso ramo, garanlindo
commodidado em precos e sincoridade
no tratamento de qualquer ancominenda,
de que se encarregarcm.
' 1111
i mmm


RELOGIOS.
Concertam-se relogios de algibeira, de parede e
de cima de mesa, seja qual fr os sous autores,
sadia, e que o leite nao tenha mais uc 4 a 6 me-. assim como realejos e caixas de msica, tudo com
zes : na ra do Brum n. 84._________________] perfeicao e presteza, garantindo-se o bom regula-
Aluga-se para servico de carraca um preto lamemo e mais barate do que em oulra qualquer
que soja escravo e sem ucio, de idade de 40 43 Pjr|e: na ra da Cadeia Nova ou detengao n. 36.
anuos, e ronusto : quem tiver para alugar, dirija- Preeisa.se do um moleque" de idade de 16
e roa do Sebo n. 8, das 6 s 8 horas da manhSa 20 annos para servico de casa : a tratar na ra obras velhas : na praca da Independencia n
d do meio dia s 2 horas da urde. da Cadeia do Recife, loja de rclojoeiro n. 40. loa de bilhetes.
COMPRAS.
Compra-se effectivamente ouro e
prata em
22
16Ra do Queimado16
Oitavas de retroz preto 140 rs.
Fitas e cordes para cufiar espartilhos 80 rs.
Cartoes de colchetes de 1 o 2 carreiras 40 e 80 rs.
Caixinhas do colchetes 20, 40, 60 o 80 rs.
Carteirinhas com sortimento completo de agulhas
600 rs.
Caixinhas com 100 aguihas francezas 240 rs.
Caixiuhas com 100 agulhas Victoria 320 rs.
Carlas de allineles de ferro 0 rs.
Meias pretas para senhora 320 rs.
Pecas de lila do seda 320 rs.
Pecas de fita de velludo lavrado 14-
Duzias de caixinhas de phosphoros 160 rs.
Macos de superior palitos de dentes 240 rs.
Brincos balo pretos e de cores 400 rs.
Rosetas pretas 240 rs.
Bonitos botos para punho 200 e 600 rs.
Varas de galo lavrado branco e de cores 80 rs.
Pacotes com papel amizade branco e de cor 640 rs.
Caixinhas com papel amizade pautado 800 rs.
Caixinhas com 100 anvelopes 800 rs.
Oculos de armacao de ac 14.
scovas para denles 160, 320 e 140 rs.
Escovas para roupa 640 e 800 rs.
Escovas para cabello 640,14 e 14500.
Pulseiras de missanga e de continhas 800 rs.
Pulseiras de continbas com pedrinhas 14.
Peales de massa em caixinhas 300, 800 e 14-
Pentes de iaco imitando tartaruga 14280.
Croza de botos de madreporola 300 rs.
Penies com espelho que fecha como caivete 300
ris.
Peales com tres faces 800 rs.
Baralhos de cartas francezas 200, 320 e 300 rs.
Pecas de tranca de caracol branca, preta e de cor
80 rs.
Luvas brancas de Joaiu frescas 24300.
Ditas brancas de Jouvia nao frescas 14.
Ditas pretas de Jouvin nao frescas 14-
Ditas de Escocia brancas finas 14-
Ditas de montera 300 rs.
Ditas de seda brancas, pretas e de cores 14-
Garrafas ue agua do Florida 14400.
Ditas de agua de Lavando 14280.
Frascos de agua de Colonia 400, 14 e 14300.
Ditos de extractos finos 320, 300,800 e 14.
Ditos de Pateholy 400 c 600 rs.
Ditos de baulia franceza 400, 800 e 14-
Ditos de pos hygieuicos para dentes 1,5.
Pacotes com pos de arroz 640 rs.
Canudos de pomada franceza 120, 240, 320, 300 e
I4OOO.
Salmnetes de bola e de familia 400 rs.
Ditos ingleses Windsor 320 rs.
Ditos diversos 100 e 200 rs.
Sapatinhos de laa para crianca 400, 600 e 14.
Ditos de merino para Daptisado 14600.
Touquinhas de blonde eufeitedas 14600.
Grvalas de soda com passador e Iaco 800 rs.
Pecas de rascarrilha cinzenta 14400.
Ditas de fila de laa preta e de cores para debrum
de vestido H- '
Ditas de Ota de velludo preto de seda ns. 2 4 6 tudo se vender pelo preco mais razoavel do que
8,10, 12, 16, 20, 24, 30, 40, 30, 60,80,100, 20 e outra V***- Na "k1 eaia vende-se papel
e 150, que se venden) muito barato; bem como proprio para cigarros.__________.
ricas litas de 4 e 3 dedos de largura, e do ultimo! Vende-so urna mobilia da Jacaranda bonita e
gosto para lacos e cintos, o por ureco commodo : nova : na ra da Cadeia armazem n. 51, do agen-
na loja de miadeza,rua do Queimado n. 16. te Euzebio.
DE BRISTOL.
As curas milagros; de
*JSCKOFfL.iS,
'UJLmC BB ML-A.S,
CHAO AS AttTICiAS,
EBFERMIDDES SYPHILTTCAS,
Erysipeias. Rheumatismo,
Nevralgias, Escorbuto.
ele, civ.. etr..
juo tui) grangeado e tllo o alto re
noine :i
Salsaparrha de Bristol
por" todas partee do m.iv^jvn. so tfio
smente devidas ;
nica Legitima e Original
SALSAPARRILHA DE BRISTOL,
PltCPAKADA F.XCUSIVAM.SIE l'OR
LAVMA5I k KEMP DE T| YORK,
Mediante a receia Jo Dr. C. C. Brxtoi.
A venda nas boticas de Caors & Barboza'
roa da Cruz, e Jlo da C. Brato & C, ra
da Madre de Dos.
""* ..... hii
Altonco
Xa ma lo Qnelniado a. 9t, tn-
brlea K chegado pelo primeiro vapor fumo caporal da
primoira qualidade, evende-se um pacote por 14,
meio pacote 500 rs., c tanibem cachimbos os
! mais modernos ; por Isso pede-se aos seuhoros fu-
| maules que souberem apreciar o que bom fumo,
que nos honre com a sua presenga ; tambem ben-
galas de muito bom gosto com castoes de marnm,
34-'>0O o 44
pies 1
14*0". >
vadci. rio.
reto r ni L.irru.
Itord.nlos i-ada-
mai> P'"l
liU'i'. m
O-lii. );
primes rapas
2.-4. :#.
gos a 24200, 24300,
cavado, bous grusdi
gos a 14-'-m'. 14600,
24300, :4 e .14300 o
tidos de inourt-atiiiijue
ditos de uorguro preti
mascados com barra,
que tem vindo a Perna
militas fazendas de !
proprias |iara vc-tido,
de seda preta a 164,
334, 40 e 304, manfcj pn tes de n
lindos chapos de palha le Italia, o .p>-
% pode haver de mais gosl 1 a Canotier
na loja das rolumnas n > roa do Cres-
po n. 13, do Antonio C rreia de W-
ooncellos & C
Noyos souain urqueis.
Sao i'licyndcis os lim >s MMitembar-
qiics e basquinas de soil afda*. rica-
mente enfeitadas, a< ni ii> id.hI. 10.1
que leem vindo i Perna lluro, viada*
no ultimo vapor franc t, por prrros
mais commodos quo 11 nutra qual-
quer parte : loja da cnlnmii,
ra do Crespo n. 13.4 .tatu r
rcia do Vav.on.-'.'llic v\ (
tain
i
^JRWJBJR isa
Mez de
O afamado mez de Mara qhe m r-nd
24 e 14300, nuil estampas o r tiilam-n!c
so, acha-se renda por aafeaV
approveilem-se da ocra-l.4o, q a
1
a I4IN .V ;.-,.-.
mu p.
na ra do Imperador a.
Vende-se para mais de D) ii.ilh.-irn- .*. ..
Iba e lijlo de alvenaria latid. tadriih
to da r.ialhor qualidade quspodaapparorrr fM
quizer comprar, pode tratar coi n nrio aaV-i-
nistrador Zacaras dos Santos Barros, no let-
das Barreiras, olaria u. 15, on
encalves Vicira Guimarcs. na
rom i
tua .Nora a. %j
AlgadM 4a I ia
para saceos de assucar e roupa de earns
para vender Antonio Luiz do 01
C, no sen escriptorio ra da Cru,
GAZ GAZ fiAZ~
por preeo red izlrio.
Vende-se gaz da mellior (ualid.de i*li
preo de 105 por lata de g les : no H.
mazem do Caes do Ramos n
Trapiche Novo n. 8.
Vende-se o pardo Severiai rom 22 tnmm
de i.iade : qu.-m o pretender, dir -* a- -r;
torio do Dr. Alcoforado, que lera | Ion par
lisar a venda.
18 e roa #fc
Vende-so urna pioU cri-juAl bonita II
sem dofeite nem *M, eoal 23 1 nnos de me,
vinda do mato.propria para se ap lirar aquifp-r
servico : para ver c tratar uu ra das Crmos ar-
mero 1.
Vende-se urna barcaca que
130 saceos do assucar, assim c.im|
mansas de roda, c bois de riro
gados com o tcnontc-roronol Macofc- k aquii

'-
.irrepart. .
rfl^unaM acsav
: aos .*>-


Mulo,, felra 14 Je Abril d if4
DUARTE & C.
Participam aos seus numerosos freguezes e ao publico em geral que acabam da
receber de soapropria encommenda, e mis lindo e completo sortimento de molbados,
os quacs vender por groseo e a retalho por menos 10 portento do que outro qualquer
annunciante, como vero pela seguinte tabella que abaixo notamos, garnntindo os mes-
uaos proprietarios nao s o peso como a qualidade.de seus gneros,
AVISO.
Todos os senhores que compraren! para negocio ou casa particular de; WOjJr para
cima terao mais 5 a 10 por cento de abatimento, os proprietarios sciehtificam mais que
odo s es seus gneros s5o recetados de sua propria encommenda, razio esta para podr
vender por muito menos do que ootro qualquer estabelecimento.
Manteiga ingleza flor a 8oo rs. a fibra. Vellas de carnauba e composicp de 32o a
Oastanhas muito novas a 2,ooo rs. a caixa, e 36o rs. a libra e de lo,ooo a f i ,ooo rt. a
a 16o rs. a libra. arroba.
Boiinho francez e em caixinhas de 7oo a Genebra de Hollanda em botijas, de conla a
l,5oo rs. cada urna. 440 rs. a botija, e em duzia ou eiu barrica
dem bancaza a mais nova do mercado a 56o ter abatimento.
rs. a libra, e 54o rs. em barril. \ Massas para sopamacarro, talharim e aletria
dem de porco reQnada muito a Iva 46o rs. | a 48o rs. a libra e erri caixa ter abati-
a libra. ment. .
Presunto para fianbre a 8oo rs. a libra. dem estrellinha, rodinha e pvide em caixi-
Oh uxim miudinho vindo de conta propria, nhas de 8 libras, muito bem cnfeitadas del
o meluor do mercado a 2,8oo rs. a libra. 2,5oo a 3,5oo rs. a caixinha e a 6oo rs. a!
dem hyson de superior qualidade a 2,6oo rs. libra.
a libra. Doce de goiaba enr caixas de diversos tama-
Idera perda o melbor que se pode desejar a nhos de 6oo a l,ooo rs. o caixao
Sabao massa de 2oo a 2 lo rs. o melltor, em
CiRV\B>E REVOIiVV
NO
ARMAZEM
DO

2,7oo rs. a libra.
dem prelo muito fino a 2,5oo rs. a libra,
dem mais baixo pouco a 2,ooo rs. a libra.
dem mais baixo a l,8oo rs. a libra.
Vinho do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado garante-se a superioridade deste vi-
nho, das seguintes marcas : Duque, Ge-
nuino, vcllio sccco, especial lagrimas do-
ces de 1819, vinho especial D. Pedro V.,
caixa ter abatimento.
dem hespanhol a 28o rs. a libra.
Peixe em latas muito novo ; savel, pescada
corvina, salmao e outras muitas qualidades
preparada de escabeche 2." a arte de'cosi1
nha ili l.oo a l,8oo rs. a lata.
Figos eru caixas de 1 arroba, !,a e 8 libras
a 8,ooo 4,ooo e 2,ooo rs. a caixinha"
Barris de vinho branco de quinto, marca B
r Filho a 60,ooo rs. o barril.
Jfip* de rceber de sua propria encommenda um grande e variado sortimento
de moihaaOs tfdos primorosamente escoltados, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer aes seus freguezes e ao publico em geral a seguate tabello? dos seus gneros e
resumidos precs, afiancando todo e qualquer genero vendido neste bem condecido ar-
nurzem.
Pede-se toda atten$to.
O proprietario pede a todos os- sennores chefes de familia e ao publico em geral
fpre nao deixem pnssar dcsapcrcebtda a seguinte tabella:
AVISO.
Neste armazera e no largo do Carmo n. 9, armazem Progressivo, recebem-se a*
libras (|ue vulgarmente correm no commercio por 85890 ,i 9;J, o proprietario em seu
armazens da-lhee este valor, sendo em pagamento, eistopara evitar confses em troco*.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 8oo rs,
e em barril a 78o rs.
dem franceza a 54o rs. a libra, e 500 rs. cado.
sendo em barril.
Cb uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
O hornera da movimento nio estaciona.
AVANTE E SENPRE
GUERRA AOS IJVIMIGOS
Mtw se ailmiltea anio coamcrcial.
Aae soqaer a iliaoa da allianea.
Nao se teme a furia dos corsario*.
Bate anno ha de ser bisante
Os canhdes estSo preparados.
FOGO! BOM FOGOI! MELHOR FOGO! 11
Abaixo a lijta d'a-aa ao vioagrt
Viva a lita do gema Chores coa tambre *
Viva o conservad-r das enseras ia*lezas!!
Vivan os liberaes fregaezes do BALIZA !!!
Vivam todos no lerem este annanrie.
SMilOIIES E SKNBOHAS.
O proprietario do grande Armazem do Baliza estabelecido ra du Li na ao na
38 e 38 A, defronte da grade da igreja, acaba de reduzir os presos de onaai aana
gneros doseu magnifico deposito.
A tarifa abaixo publicada attesla bem esta ventado.
A guerra aos inimigos, est portanto, assim declarada.
As pessoas, ainda as mais exigentes, que se dignaren vir a este estahelfciawii.
ficaro por certa muito satisfeilas, nao so quanto s qualidades dos gneros, coa* emm o
tratamento todo alteacioso queso Ibes dar.
Alm do cumprimento dos deveres da boa educado, ha\er doran liante amla
maior capricho em satisfazer todos que honrarem esta rasa.
Os gneros pelas qualidades e precos annuncados, seio offerectdws a
dos Srs. compradores. NStoreceieo publico que se pratiqoe o contrario, como na
'
*
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-so
que os melheres que temos tido no mer-,casas- 1ue al annunciam o que nao tem-----O Baliza nao illude------
Ameixas francezas em cixftihas eem frascos Licores inglezes e franeezes eai vas* le .U-
de diversos tamanhOs a l,2oo, l,6oo,' versos tamaitos a l.ooo, l,3w) i J,
2,ooo, 2,5oo e2,8oo rs. e a libra a 8oo rs. rs. a duzia.
Amendoas novas a 32o rs. a libra. Manteiga ingleza flor a oo rs. a libra e a> %
Passas em caixas de 1 arroba 'i e '/* a 7,oo,
3,6oo e i.lloo rs. a caixa, e ioors. a libra
garante-se serem muito novas, e graudas.
Idm perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para dem corintbi.is proprias para podim a 8oo Azeile doce refinada a 8oo rs. a garrafa
cima a 2,7oo, rs. a libra. dem de Lisboa a 64o rs. a garrafa e i,8oo
dem hvsson ornis superior que se pode Marmcladas dos mais afamados fabricantes de re- a caada,
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima Lisboa a 6oo rs. a libra Alpiste a 16o rs. a libra, e i,8oo rs. a arroba.
vinho voltio, Nctar superior de 1833. Du-
que do Porto de 1834, vinho do Pono ve- Ma7mel7dalmp7riaVdos"m''hores conservei-
!^0.,fK,^!.ua?^^^_!!:i,W?r ros de Lislioa a 64o rs. a 1 tinhade 1 libra,
ha latas de 1 j e 2 libras.
qualidade, vinho do Porto superior D. Lu-
izl "de 1847. lagrimas do Oouro espe-
cial, vinho do Porto de l.oooa l,2oo rs. (
a garrafa e de lo.ooo a 14,ooo rs. a caixa
coin urna duzia.
Bolachinha de soda especial encommenda e a
mais nova que ha no mercado a 2,2oo rs. a'
lata.
fliscoitoi inglezes das melhorcs marcas em
latinhasde 2 libras a l,3oo rs. a lata.
dem inglezes craknel em latas de o e 7 libras
de Ti,ooo a 6.000 rs. a lata, e em libra a
800 rs. |
Ojieijos do reino chegados pelo ultimo vapor
a 2,5oo rs. cada um.
Massa de tomate em latas douradas de 1 libra
a 64o rs. a lata.
Ameixas francezas em caixinhas elegantei
mente cnfeitadas de l,5oo a 3,ooo rs. i
caixinha, tambem ha latas de 1 '/i a 6 1'h
brasile l,2oo a 4,5oors. a lata,
dem em frascos cora tampa de rosca a l;6oo
rs. o frasco.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez
suisso a !,2oo rs. a libra.
Conservas inglezas das seguinbs marcase
Mixde-Picles e cebollas simples a 75o rs
o frasco.
Ancoretas de vinho colares a 5o,ooo rs., (
a 72o rs. a garra f
' a i/fleo rs. Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra,
dem menos superior a 2;4oo ede 8 libras Griio de bien muito novo a 16o rs. a libra.
para cima a 2,3oo rs. | Ervilhas francezas em latas a 6oo rs.
dem proprio para negoCio a 2,3oo, de 8 li- Potes com sal retinado a 48o rs.
bras para cima a 2,2oo. Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras j fazenda especial.
cada urna a 2, 3, 3.5oo e 4,8oo rs. a lata. Presunto para hambre inglezes a 7oo e 8oo
dem preto o naelhor "ijue se pode desejar rs. a libra.
neste genero a 2;8oo is. Cboarieas e paios mnito novos a 64o a libra,
dem menos superior a esse que se vende Batatas muito novas em gigos de 34 libra a
por, 2 e 2,4oo, a 4,8ou rs. a libra. l,ooo rs. e 6o rs. a bra.
dem mais baixo bom para negocio a I,5oo Massas para sopa macarro, talharim aletria
rs. a libra. a 4oo rs.- a libra,
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
rs. a lil>ra. e 8oo rs. a garrafa.
Queijos do reino chegados ueste ultinw va- dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
por ; 3, loo. garrafa.
dem mais seceos vindos por navio a I*7oo. Charutos em grande quanlidade e de todos os
frescos do
dem prato a 7oo rs. a libra.
Vinho em pipa das mais acreditadas marcas Sardinhas de Nantes a 32o rs. a latinha.
como sejamBA F., PBR, JAA, outras Charutos das mais acreditadas marcas
muitas marcas, Porto, Lisboa e Figueira
2,5oo a 4,ooo rs. a caixa.
de 48o.rio0. 56o. 64o e8oo, rs., e o do Champagnhea mclhor do mercado de 12,ooo
Porto fino em garrafa, e em wnada a a24,ooors. ogigo.ede l,2ooa2,ooors. a
3,ooo, 3,5oo, 4,ooo e 6,5oo rs. o melbor garrafa,
do Porto. Papel greve pautado ou liso a 3,5oo rs. a res-
IdcmBordoauxdas mais acreditadas marcas',. ma',
a 7oo rs. a garrafa, e a 8,ooo rs. a caixa. ,de.ra (le Peso Pautado ou ,IZ0 dc 3>5o
Carrafoes com 5 garrafas de superior vinho '00 rs'.a re!ma-
do Porto a 2,2oo rs. com o garrafao. P.Tma, muil fina e a,va a 8o rs' a llbra'
Milho alpista e pamso de 16oa 2oo rs. a li-
bra.
i Palitos do gaz a 2,26o rs. a grosa e 2oo rs. a
dem como garrafa de vinho da Figueira mais
proprio para a nossa estacao por st r mais
fresco a 2,4oo rs. com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.!
com o garrafao.
Vinho branco o mais superior que vem ao
nosso mercado a 56 rs. a garrafa, e a'
4,3oo rs. a caada.
Velas de esparmacate as melhores neste ge-
nero de 56o a 64o rs. o maco, e em cai-
xa ter grande abatimento por haver!
grande porfo.
Azeile doce em barril muito fino
a garrafa e 4,8oo a caada.
dem prato es melhores e mais
mercado a 76o rs. a libra
dem londrino a Goo rs., e sendo inteiro a
5oo rs. a libra, vende-se por este preco
pola poniio que temos em ser.
Biscoitos em latas de 2 libias das seguintes
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,3oo, 3,ooo o 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por alii se ven
dem a 2,ooo e 2,ooo rs.
Caf de prefinir qualidade a 8,5oo rs. a ar-
roba e 28o rs. a libra.
libras para cima ser aberto iia Inrr xa
presenca do comprador,
dem de 2.a e 3.a ijnalidade a 7oo, o., e W>o
rs. a libra.
Arroz do Maranho, da India, e Java a 8c e dem franceza a 560 rs. a libra, e em barril
loo rs. a libra. i por menos.
Aletria branca e amarella a 4oo rs. a libra. esm,e f" f 0f e? If*?> a *t
AraruU verdadeira a 32o rs. a libra. K?-a?S! "' i80rs- a ,,Ua-
Batatas novas em gigos de 36 a 4o libras por ^jjf a ?*? ft _
1 ooo rs e a 4o rs a libra ; Mostarda ingleza 400 e 00 res o p.^.
Biscoitos inglezes Lunch a 18oo rs. a lata de "" S^LZ m'^ *****
5 jj^gg te de Lisbua a bOO rs. a blra.
dem de diversas ...arcas em latas menores ""JES? "" a H-
a 1 3oo rs a du!Ha-
dem de Lisboa de qnalidade especial em la-1 ^SJ^lilT' l"*"f" m*"arr*> *
tas grandese pequeas a 3,oooe l,5oors.',. ,. ,' ,- .
Bolachinhas americanas, a 3,ooo rs. a barrica ^fe^SiaSi ^^ "
e 2oo rs. a libra. ( u"Mf*,,"ras i#**w-
Banha de pareo a 44o rs. a libra, e em barril '
a 4oo rs.
Baldes americanos muito proprios para com-
pras a 1 .ooo rs.
Cha huxym, hysson e perola a 3,ooo, 2,8oo,
2,5oo, 2,ooo e l,6oo rs.
dem preto a 2,ooo, 1,6oo e 1/wo rs. alibra.
Chanpagne a melbor do mercado a 12,oooo
gigo e a l,2oo rs. a garrafa.
duzia.
Vasos inglezes de 4 a 16 libras vasios, muito
proprio para deposito de doce manteiga
ou outro qualquer liquido de i,ooo a
3,ooo rs. cada um.
Licores das melhores marcas e mais finos
a 1 ,ooo rs. a garrafa e em caixa ter abati-
mento.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e lo,ooo rs. a caixa.
64o rs. Chouricas as mais frescas do mercado a 8oo
; rs. a libra.
marcas : Osborne, Crakntl, Mixed, Victo- dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e2(io'rs. a iibra.
Arroz do Maranho a loors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,J)oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India cmpralo a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Araeafy a 9,5oo rs. ar-
roba, e 3t'o rs. a libra.
dem de sebo muito dura lingindo esparmace-
te 3fio rs. a libra.
Idem.de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a 52e rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem aimaco pautado e liso a S.ooors. a resma.
dem do peso pautada e liso a 3,ooo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiroa 2,2eo rs.
a resma.
dem embrulho de l,2oo a l,4oo rs. a resma.
dem francez refinado a 8oo rs. a garrafa. Genebra de laranja em frascos grandes a
Ervilhas francezas e pUrluguezas a 84o rs. a' l.ooo rs. o frasco.
I3*3- Serveja das mais acreditadas marcas de
Bocetas eom doces seceos de Lisboa de 3o 5,5oo a 6,5oo a duzia e de mais a 5oo rs.
a 3,5oo rs. cada urna. a garrafa.
Toucinho deLisboa a 3oo rs. a libra, e a dem em botijas e meia, sendo preta da
9,ooo js. a arroba. | muito ereditada marca T de 6\5oo a 7,8oo
TS'ozes muito novas a 16o rs. a libra e 4,8oo rs. a duzia.
rs. a arroba. Ceblas emmolhos grandes a Soomolhe
Caf de 1.a, 2.a e 3.a qualidade de 26o, 3oo 640 o cento, e a e,5oo rs. a caixa
e 36o rs. alibra, doCear de7,8oo, 8,6oo, Pimenta do reino a 34o rs. a libra.
e 9.2oo rs. a arroba do melhor. | Farinha do MaranhSo a 14o rs. a libra.
Arroz da India, Java e Maranho de 2,8oo a Tijolo para limpar facas a 16o rs. cada um.
B.ooo a arroba, e de 8o a loo rs. a libra. ComiBho a 4oo rs. a libra.
Passas muito novas a 8,5oo a caixa e 5oo Erva doce a libra.
a libra, ha caixas meias e quartos. Canella a l,ooo rs. a libra.
Sevadinha dc Franca a 24o rs. a libra. Batatas a l,ooo rs. o gigo com 32 libras liqui-
Sag mnito novo a 28o rs. a libra. das e 3,ooo rs a caixa de duas arrobas.
na, Pec-nic, Faitee, Machine o outras mui-
tas a 1,3oo e 1 4oo rs.
de Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
dem em latas grandes a 2,ooo rs. a lata.
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dem ingle/as em barricas a mais nova do
mercado a 2,5oo rs. a barrica e 2io rs. a
libra.
Ca toes com bolas francezas proprios para
mimos ou para aojos que vao as procis-
ses a 6oo rs. cada um.
Peras seccas as mais novas domercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em litas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 140 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a Ooo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, veiho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velno superior, madeira secca, Por-
to superior O. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
Ooo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
mareas mais acreditadas a 3,8oo a caada
efoo'rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,oeo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
Mi
r-s 1
ra da Senzala
S. P. Johnston
KoarmzcmdelleBrj Gibsoa, na roa] Machinas Inglezas
da Cadeia do Recife Harnero 62, I para descarocar algodo as melhores qu
'a, tem vindo. a este mercado
f\ ti ?? 1 1 Novan. 42, em casa de
O melhor fe i tro asphal-'^
lie,
f rnP|r'rt ^'ura W*rr le,h,d0!i P8ra frrar mhS, SO-
orc uonlhos por baixo de tapetes ou esleir?, ou
5 1 r eD,re a madeira de navio e o forro
t?,i i inos meimo- E-sle Miro, alm de muito
! ; r* dnnwl pr:i*aodo metade da ma-
>ir. usada para aguMUar os telhados, pela facili-
dade da soa appl.ca^o, IMSde ser cllocado por
quatioor carpnter oa tratalhador curioso ; tem
iffialmrnt* a particular vaiuagm de ser mvu m
Peixe preparado de onrfaaAba, da mHW
qualidade que tem vindo ao mercad, j
Id a lata.
Presunto de lamegn muito snporior
rs. a libra.
dem para fiambre (inifb'z'i a 640
libra.
dem americano a 400 rs. a libra.
Papel almaco a 3U00 a resma-
Chocolate francez pnmeira qualidade a I,loo dem de peso a 24 a resma.
rs. a libra. Palitos para denles a IHO rs. o aw.
dem hespanhol a l,2oo rs. a libra. Dito dito de flor a 200 rs.
dem suisso a l,ooo rs. a libra. Ditos do gaz a 2J2P0 a groza
Ceneja branca marca Allsopps a 4,5oo rs. a Passas novas a 480 rs. a libra e a lama) a
duzia, e a 4oo rs. a garrafa. 1 caixa.
Cognac inglez a 64o rs. a garrafa a 800 e a,Queijos flamengos do ultimo tapora 2500.
l.ooo rs. Dito londrino a 900 rs. a libia.
Concervas inglezas em frascos grandes a 75o! Dito prato a 640 rs. a libra.
rs. o frasco. Sardinhas de Nantes a 320 rs. a lata.
dem francezas de muitas qualidades a 5oo Dita de Lisboa a 640 rs. em JaU grarxV.
rs. o frasco e a 5,5oo rs. a duzia. Sag muito superior a 240 rs. a libra.
Charutos neste genero temos grande sorti- Sal retinado, em potes de vidro, a (uo r*.
ment tanto da Baha como do Bio de Ja-, o pote.
fteiro a 1,600, 2,2oo, 2,5oo, 3,ooo e4,ooo Sabo massa a 12f', 160, 200 e 240 r*. 1
rs. a caixa. libra.
-,,.. 1 .. M ... Toucinho de Lisboa a 32 rs. a libra
Cafe do Cear muito superior a 28o rs. a libra Djl0 de g^ e ^ 1>ra-
e a 8,000 rs. a arroba. Tijo|o para |impar facj)s a {^ ^ ^ ^
Vassouras americanas a 04o re, caria nata,
dem do Porto a 400 rs, cada urna.
libra a
Lilas escossezas
[Xa loja do barateh'o ra
Crespo n. 1, junio ao arco
a 400 n. o covaeo.
Fazenda doR
*
rave
replis
da
ao rupim e mais
.iM.m'ladp e a rnuva, a^m uo mu;
tapens : os pretendentes dirijam-se ao supraindi-
rado armarem.
va, alm" de muitas 4mtra'
V.-ndeui-se saceos cm dousalqueiresde farinha
de mandioca, pelo barato preco de 430O : na ra
da Madre dc Dos n<. .ic9.
Botinas contra callos.
Botinas nglfzas para homcm, sendo as mais
bem feitas e macias ,uo tem vindo, e pelo bara-
tsimo prego de 9 : na ra Nova n. 7, laja do
nupr.
Veodem-se ricos espellios (,'randes com mol-
>*ufdourada : em easa dos Sfs. Ferreira & Ma-
tbeus, ra da Cadeia n. 08.
VNDESE
verniz do gaz pelo preco da fabrica :
da bola aman-la no oito da secretaria de pftllcia.
coroposico a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 ;/* garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem corn^ Vj ditas de onagre a i,ooo rs. o
garrafao.
Vinagre PBR em ancoretas de 9 caadas a
15fcooo rs. com a ancoreta
dem empipa puro sem o batsmo a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com l duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limao, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, orlis pimenla a .ooo
.--------------------------,-----------------------------------h*---------------------------------------------
Os precisos talheres pa-

ra enancas.

Chegaram e acham-se venda na ra do Quei-
mado, loja d'aguinbranca n. 8.
Ameixas francezas em latas de I
l,2oo e Soors. a libra,
dem em frascos de 3libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle .ooo rs. tambera teraog em
frascos para i ,4oo rs.
Conservas inglezas a 7oo rs. o frasco.
Mol tos inglezes a 8oo e t ,ooo rs. o fraseo.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
rs. a lata.
Serveja Bon. Tenente verdadeira a 6,8oo rs.
a< duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,ooo rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs. i,,
Cebollas muito novas a 8oo rs. o molho e 5oo Wem de Hollanda em frascos pequeos a 5oo
rs. o frasco.
dem do Bio a 3oo e 28o rs. a libra.
Ceblas a Ooo rs. o molho com mais de loo
ceblas.
Chouricas e paios a 72o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 2oo rs. a libra.
Cevada muito nova a 8o rs. a libra.
Copos lapidados a 5 e 6,ooo rs. a duzia.
Doce de goiaba em latas a 4oo rs. a libra,
dem de caj em latas a 320 rs. a libra.
Ervilhas francezas e portuguezas a 5oo e 64o
rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
Figos de comadre em caixinhas com 8 libras
por 16oo rs.
Farinha do Maranho a !2o rs. a libra.
Farinha de trigo muito superior a I2o rs. a
libra.
Farelo em saceos grandes a 4,ooo rs. o sacco
Genebra ingleza marca gato a l,ooo rs. a gar-
rafa.
d em verdadeira de Hollanda em frascos muito
grandes a 1,2oo rs. o frasco.
,\elas de carnauba e compusic* a 320 rs. a
libra e a lo a arroba,
dem stearinas superiores a 3<50 rs. o
maco, e em caixa por menos.
Vinho do Porto, neste geneoo leaos o aw-
lhor sortimento possivel, qm vrndrmx
por precos muito baixos a la garrafa *
a 10/ e I2 a duzia.
IdemCherry, e da Madeira em barris e ea
caixa, a 123 a caixa e o barril con* raw
tamanho
dem de Figueira e Lisboa, em ancora 4a
8 a 9 caadas, por 28*000.
e4#ooo a
ca-
a -h} a
rs. o cento.
Chocolate portuguez hespanhol e francez de
8oo a t.ooo rs. a libra.
Genebra de Hnondaem frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de i 4 Jarrafes a 5.2no rs.
Palitos do gae a t,too rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de denles lixades em magos grandes
com 2o rs o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
lo.ooo a arroba.
Sag muito nove a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 8o rs a libra e 2,4oo a arroba.
Peixcs em latas a l,ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
-------------------*-----------------"-**-------------------------------------------- "
Cal dc Lisboa e ptH% da
Rnaelau
Vende-se na rna daCadm do Recife n. 16, para
onde se mudou o antigo e acrediudo deposito da
mesma ra n. 1J, ambs os gneros sao novos e
legtimos, e se vendera a preco mais barato do que
aru tqualquer^parte.
dem de laranja a I,ooo o frasco.
Gomma do Aracaty a 8o rs. a libra.
Graxa a loo rs. a lata e l.loo a duzia.
Linguas americanas de grande tamanho
l,ooo cada urna.
Dito em pipa a 35000, 35500
nada
dem do Porto, denomiuado Baliza,
caada,
dem dem em garrafoes a 24300, coa o
garrafao.
dem de Bordeaux, das memore marcasfaa
vem ao mercado, a 6* a caixa a 040 ra.
a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 1*600, f |8a> e 2*000 a
caada.
Idt-m idem.em garrafoes com I
1* com o garrafao.
Vinho de caj a 15 a garrafa. Eate
tem dez anuos.
por
Enfeltes de rasrarrllha e tranca j Rna da Soazalla OVa I. 42
a ftOO ra. cada um. Neste estabelecimenmvenden>i:li
Aaguia branca est vendendo bons enfeites de 0-^ enmAn lihn < iiam .
cascarrilha e tranca, pretos e de cores todos o S? ,f^ ZT* M M
barassimo preco de 300 rs., servindo elles Unto "r HPra a IZ rs.
para senhoras como para meninas, a vista pois
da commodidade do preco ninguem deixar de os
omprar na ra do Queimado loja da aguia branca
B.8.___________________________________
46ENCIA
FUNDICAO SE LOW-MOOB.
Rna i Sennlla ion a. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo soitimento de moendas e meias
moendas para engaito, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston ra da Senzalla Nova n. 42.____________
Lnvaa de pellica.
Chegaram para a loja d'aguia branca, ra dc
Queimado n. 8.
Lavan de
Receheu-se lurat e Jonvi
proprias para a quarwoia : a rna
toja do btija flor n. 63.
Trandahas de lia lisa para
if Maaara
Rccel-eu-se, tranriohas de dir<-r-a-
ca de 30 varas a 6U) rs.. e e 110 ra. *-
na ra do Queimado loja do beija On* i
EnfrilM dr redinhan ras lar. M (rnrV.
Hercbeo-se. variado torttaeaio #
diversas cren a 14*00 f- J^: M roa do
loja do beija Bor o. 63> '
Vende-se toucinho do serla
240 a libra, figos noros a 10,
a 3*0 a carrafa : no pateo do Carmo.
ra de Hurtas n. .
nao aya
snurtiaf de
DOTtl
e cimMn
^taa Oa
Sal rtoKsi
Vende-se a bordo da barra portacan hn -. a
tratar com Antonio Loiz de Olivcra Azwrdn 4
C no seu escripiorio roa da Cro)i a I, na ron t
capit3o a bordo.


Grande liquidado
ie fazendas na lja do Pavao, rita ;da toperalr a.
W, de Uania *. Sil;..
AcOa-ae este eslanelecinienlo completamente sor-
Udade facendas inglesas, francesas, atieniet oj
suissas, proprias unto para a praca como para
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
em outra qualquer parte principalmente sendo em '
porfo e de todas as fazendas do-se as amostras,
deixando ficar penhor ou mandam-se levar em ca-:
sa pelos eaixeiros da loja do Pavio.
As chitas do Pava*.
Vendom-se superiores chilas claras e escuras pe-
lo barato preco de 240 e 280 rs. sendo tintas s*gu-
m, ditas francezas finas a 320, 340, 360, 400 c
500 rs., o covado, ditas prelas largas e estreitas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o covado, isto na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As eassas do Pavo a 2 fl, 280, 300 e 330 rs.
Vendem-se linissimas eassas persianas cures fi-
las a 320 rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 a 280 rs., ditas ingzczas a 240 e 280 rs. o
covado, finissimo organdy matisado com desenhos
miudinhos a 320 rs. o covado, eassas garibaldinas
muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavao ra da
Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
As laazinhas da e\posico do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas mossan-
bique cht'gadas pelo ultime vapor francez sendo
de urna s cor ou de listas miudinhas com 4 pal-
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
rotipa |iara meninos e capas, e pelo baratsimo
piuio de500 rs. o covado, ditas enfestadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 3fiO rs. a co-
vado, ditas matisadas limito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita lambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Maria Pa com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s cor parda, azul, cor de lyrioe
penda proprias para vestidos, sautembarqes e
garilialdes a 720 rs. o covado, ditas escrelas a
800 e 400 rs., isto s na loja do Pavao, ra da Im-
perad z n. 60, de Gama & Silva.
Os chales de Pavo.
Vendem-se finos chales de crenon estampados
pelo barato preco de 65, 75, 85, ditos de ponta re-
donda a 74 e 84, ditos pretos ricamente Iwrdados
a retroz rom vidrilho a 124, ditos pretos lisos a
55, ditos de cores a 44500 e 54, ditos de merino
eslampados a 25 e 34, ditos de laa a i280 e 2,
ditos ib; retroz prelo para lulo a 64, isto na loja
do Pavao ra da ^Imperatriz n. 60, de Gama A
Silva.

O PRINCIPAL



RIJA DO QUEMADO N. (i.
Uja 4% faztadas de Augusto Frederico das Saals Para.
Faztndas pretas para aquaresma.
DE
SILVA & SOZA
fina do Crespo n. 9, esquina da ra do Imperador.
Tendo-se o proprietario d'este armazem associado com o Sr. Paulo Ferreira da Silva, resolver dmMUe o titulo de Diincirul
por ser o mais bem localisado desta cidade, e como um dos socios teuha de partir para a Europa, afim de ain escollier os melliures
gneros, desde j se pede ao respeitavcl publico toda a attenc/to, io s para este atmazem, mas timbem para o grande armazem Alian
Ca, da ra do Imperador n. 57 e para o bem sortido armazem Progresista da ra das Cruzes n. 36, settas todas as pessoas ue fie-'
quentarem estas casas de que faro urna economa de 10 a 20 por cento do preco que possam comprar em outra parte Doruue nin-
do que nos pode oerecer lanas rantageos como as que se observam nos armazens: I
Ricas capas de seda preta bordadas e enfeiudas para senhora.
taniembarques e manteletes de seda pretis muilo superiores
Zuavos de seda prelos ricamente enfeitados a 175-
Luvas de pellica de Jouvin para homem e senhora.
Uiapeos pretos para homem e chapeos de sol de superior qualidade.
SOFtimento de grosdenaple preto, pannos finos, easemiras pretas. nwin. elislrL e be
basina preta tildo por rommodos precos.
Camisinhas de cambraia aGaribaldi e camisinhas e manguitos bramos < d- cor
Vende-se para acabar organdys da India a 320 rs. o covado, l.a.-inhas a 360 r- ea*aa>
cambraias de cor a 240 e 320 o covado e muilas outras fazendas por commoJos pr.-n-
anegaran) as moito superiores
ESTEIRAS PARA SALAN.
guem mellior
ALL ANCA! na do Imperador n. 5?.
PROGRESSISTA rua da* Cruiea n. 3
PRINCIPAL!!!r,,a do Cpespo
Fazendas prelas para a quarcsraa veade a Pavo.
Wtude-se grosdenaple preto muilo superior a
14600, dilo a 14800, 24, 24500, 2480 e 34, nio-
reanliquc prelo muito su|icrior a 34 e 24800, sar-
ja preta bespanliola muilo encornada a 24, isto na
laja do Pavao ra da Imperatnz n. 60, de Gama
& Silva.
0 Pavo vende para lula.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de la sem lustro lendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, paletols, rapas etc., pelo bara-
to prego de 24, 24200, 24500 e covado, eassas
prelas lisas, chitas prelas largas e estrellas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
comgullinlias eoutros muitos artigos que se ven-
dem por precos razoaveis : na loja do Pavo ra
da lopentrn n. 60, de Gama A Silva.
Os corpinhos do Pavo
Vende-se os mais modernos corpinhos de cam-
braia ricamente bordados e enfeitados a 7 e8 ;
na leja do Pavo, roa da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Os vestidos do Patio
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a vellido pelo barato preco de
404, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
e 1^04 ; ditos de cambraia brancos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e rasa-
mciito a 10. 15, 20 e 304; ditos de la com lindas
barras a 18 e 154 ; isto na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama i Silva.
Os pannos da Pavu.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 25, 35500,.'I5 e3*500, ditos muilo tinosa
44, SS a 64, corles de casemira pela enfeslada a
44, 45500 e 65, casemira preta fina de urna s
largura muilo Boa a 15800, 25. 25500 e 35, cor-
les de casemira de cor a 54, 54500 e 65, easemi-
ras enfestadas de urna s cor proprias para calca,
paletots, eollefes, capas para senhora, roupas para
meninos a 'J& e 3-$500 o covado, isto na loja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A reiipa dn Pavo.
Vendem-se paletols de panno prelo sobreeasa-
cos fazenda muilo boa a 125, ditos muilo finos a
165, 20?. t' e 304, calcas de casemira preta boa
fazenda a 45500,55, 65, 75 e 85, paletots saceos
de panno preto a 75. ditos de casemira de cor a
05 e 74, ditos de alpaca preta, ditos de merino
prelo, dilos de brim de cores, caifas de casemira
oV ro-a 45, 55-65,75, ditos de caxemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 2550:, ditos
de cor a 25 e 25500, ditos brancos muito finos,
sto na loja do Pavao, ra da imperatriz u. 60, de
Gama >V Silva.
Os cortinados do pavo.
Vniden.-se ricos cortinados propiios para jancl-
la e camas pelo barato preco de 95 o par, sendo o
melhor que ha no mercado: na ra da Imperatriz
n. 60.de Gama V Silva.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de lindo alcoehoadas pro
prias para cama pelo barato preco de 54 cada tuna
na roa da Impera tria n. 60. de Gama & Silva
As calcinitas do Pavo.
Venden-M ealcinhas de cambraia bordadas pa-
ra meninas pelo barato pceo de 500 e 640 rs.,
mlanguilos para senhora e "meninas a 500, 640 e
800 rs. eainismliiK eom manguitos a 15280: na
(.ja do Pavio roa da Imperatriz n. 60.
Os bordados do l'aro.
Yrndetn-sA eamlsrnhae de cambraia muito tinas
com manguitos e golas muito bem tardadas pelo
barate preco de 14280. ditas de fil a 15, ricas
pelarte ou romeras bordadas a 15600 e 25, su-
periores manguitos con colla e a balo a 35 e 45.
sendo limito bem bordados e os mais modernos
que ha no mercado, manguitos e camisinhas a 34
e 35500, tiollinhas linissimas de cambraia aJOO,
ditas de lit a 240 e 32i> rs., pecas de cntreuieios
com '', raras a '.O rs., tiras bordadas a 15, e ou-
tros muios artigos Resta genero que se vendem
Btais barato do que em oulra qualquer parle : s
Da loja do I'avo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
As capas do Pavo.
Ven enfeiailas. sendo as mais modernas pelo barato
preco de 20-5, 234, 305 e 405, santemban|iies de
Manteiga ogleza a mais nova e fina chegada
neste ultimo vapor a 800 rs. a libra e de 8
libras para cima ter abatimento.
dem franceza, a melhor e mais superior do
nosso mercado a 060 rs. a libra e 52o em
barril ou mcio.
Baulia do porco refinada c muito alva a 44o
rs. a libra, eem barril a 4oo rs.
Cha hysson, o melhor neste genero especial
encommenda do proprietario a 2,7oo a Ib.
dem dem menos superior e que em outras
Vinho do Porto em barril muito especial a Farinha de araruta verdadeira a32ors. a Ib.
64o rs. a garrafa, e 5,ooo rs. a caada. Phosphoros do gaz a 2oo rs. a diizia
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e 2,2oo rs. a groaa-
l.teo rs. a caada. .Bolachinha americana em barrica a 3,ooo
dem em garrafes com 5 garrafas. rs., e em libra .a 2oo rs.
Azeite doce de Lisboa superior qtialidade a Tijolo para limpar facas a 12o rs. cada um.
64o rs. a garrafa c 4,800 rs. a caada. Vassouras de piacsaiw com dous arcos de
Batatas em gigos de trinta a trinta e tantas H- ferro premlendo o cabo a 32 rs. cada
bra a 2,5oo rs. o gigo e 80 rs. a libra. urna.
Genebra de Hollanda a mais superior a 6,000 Escovas de piassava proprias para esfregar
rs. a frasqueira e 56o rs. o frasco. casa a 32o rs.
MABAKLEOir:FIGADO..FMCkll
XAROPE DE RBANO IODADO
Segundo os Mtetado dos mdicos dos hopiUeide Parii, c.nsiguados no PrMfJ
riBn f' *'" x,roP empregi-fecom omalor surcesso, em lugard.. OLEO DE riGAOO tt
11a if qu *'ller'',men'e superior. Cura as molestias t prtlo, as rrofalas. > ljm|.iiiiTw. I
pulidez e niollcia das carnes, as perdas d' appelite, e regenera a constituic*o puritirando aaaf
una a o mais poderoso depurativo cunbecHlo. Elle nunca cani;a o c*iniaoou os inlr>tu chm <
induro de potassium e o ioduro de ferro e admirUstra-ae ca a niaior mcatidade aos mrnmm laint.
os WMMMn entapimentodas glndulas. 0 Da o recommenda d um modo inteiramente particular as molestias da pelle, coniuiicUuwnu cmb m mMb<
^iip lem seu nonie. *"'"
D('p.'.silo gcral : ern Par, en casa de MM. GrlM.ll a c-, phaimacenliros, :, na > la H fllaai .
2 ***> n cas,de "adjrlg. 4. C.4 crvlh; no Porto, en rasa de wiR.H Mw *r 9mmtml
mIZEZT tm 1 "",-d-Jon"r. Pl e i>l.i., ra do s.l..,, u; au *-k.u. en um .k
ha^,! 1" V" ""E",",h"p"i em HoCrade, en casa de j..<|.i. *, (..<., r,n aura.
Deposito gcral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Ora A
KariNoa.
casas se vende a 2,6oo rs., custa neste ar- Iirem cm garrames com 25 garrafasa 8,000 rs. Sardinbas de Nantes muito novas a 32o rs.
mazem 2,2oe rs. a libra. i Cerveja das melhores marcas de 5,ooo a
dem uxim, o melhor que pode haver neste 5,5oo a duzia e 5oo rs. a garrafa,
genero a ,6oo a Ib. garante- se a qualidade. Cognac superior a 800 e 1,000 rs. a garrafa,
dem preto muito especial a 2,ooo rs. a li- j e em caisa ter abatimento.
bra, o mais baixo, porem muito sofixivel a MarmeHada imperial dos melhores e mais
1,2oo a Ib., vende-se por estes precos em
razo de uestes ltimos navios ter-se rece-
bido grande porco deste genero, a diffe-
renca de preco de 600 a 800 rs. a libra
do que se vende era outra qualquer parte,
dem do Rio emlata de 1 at 6 Ib. a l,4oors.
a Ib., neste genero o melhor possivel.
Biscoutos inglezes em latas com (bfferentes |
qualidades como sejam craknel, victoria
pic-nk, soda, captain. sced, osborne e ou-
tras mi ti ta s marcas a 1,35o rs. a lata.
Bolachinha de soda em latas grandes a 2,eoo
rs. cada urna.*
Figos em caixnhas hermticamente lacradas
e muito proprias para mimo a l,6oo e
2,6oo rs. cada urna.
dem em caixinhas de 8 Ib. a2<$ rs. cada urna
Passas aovas a 8,000 rs. a caixa e 48o a Ib.
Ameixas francezas em latas de libra e meia e
3 libras a i,2oo, 2,000 e 800 rs. a libra.
Caixnhas com ricas estampas a l,4oo rs.
cada urna, frascas de vidro com rolha do
mesmo, conlendo libra e meia Champagne da marca mais superior que tem
vindo ao nosso mercado a I8.000 rs. o gi-
go, c l,8oo rs. a garrafa; garante-se a su-
|>criur i|tialiilailc.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades que
se pode desejar a 7,ooo e 7,5oo rs. a cai-
xa e 64o rs. a garrafa.
Caixas com Vinho do Porto superior de 9,ooo
e lo.ooo rs. a duzia, c 9oo e i.ooo rs. a
garrafa; neste genero ha grande porcioede
differeutes marcas muito acreditadas que
j se venderam por 14,000 e I5,ooo a eai-
xa como sejam: Duque do Porto, Lagrimas
do Douro, 1). Luiz, Cames, Madeira sec-
ca, Nctar, Genuino e 'Malvasia finoe ou-
os como Chei'iy e Madeira para I2,ooo e
13,000 rs. a caixa.
Vinho de pipa: Porto, Lisboa, Fiyueira a 4oo,
48o c 56o rs. a garrafa, 3,ooo, 3,2oo e
3,000 rs. a caada.
dem branco o melhor nesle genero vindo de
encommenda a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo,
r s. a caada.
afamados conserveiros de Lisboa em latas
delibra, libra emeiae 2 libras a 600 rs.
Conservas inglezas em frascos grandes a
75o rs. cada um.
a lata.
Peixe em lata muito bem preparado: savel,
corvina, pescada e outros a l,ooe rs. a
lata.
Ervilhas portuguezas e francezas j prepa-
radas a 6io e 72o rs. a lata.
Caf lavado de primeira sorte a 32o rs. a
libra, e 9,ooo a arroba.
! dem do Rio muito bom a 28o a libra e
dem franceza de todas as qualidades de 8,5oo rs. a arroba.
legumes e fructas a 5oo rs. j Arroz do MaranhSo a !oo e 120 rs. a libra.
Mostarda franceza em pote preparada a 4o rs dem de Java a loo rs. a libra.
Palitos para dentes 12ors. o maco. Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra,
dem lixados muito finos a 14o rs. Avelas muito novas a 2oo rs. a libra.
Velas stearinas a 56o rs. a libra e em caixa Nozcs muito novas a 2oo rs. a libra.
a 54o rs. ; Chouricas e patos a 7oo rs. a libra,
dem de carnauba pura e refinada a 360 rs. j Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra ou a
a libra e lO.ooo a arroba. 8,5oo rs. a arroba,
dem de composico emmacadas a 32o rs. Presuntos de Lamego de superior qualidade
o maco e 9,ooo rs. a arroba.
Massa de tomates em latas a 600 rs. a libra.
Doce em calda das mais especiaes fructas da
Europa a 600 rs. a lata.
Ostras em latas muito bem preparadas a
l.ooo rs.
Massa para sopa estrellinha muito nova ern
caixas de 8 libras a 3,oooe 5oors. a libra.
dem Uilliarim, niacarro e aletria a 4oo rs.
dem mcarrao mais baixo a 24o rs. a libra.
Ccvadinha muito nova de Franca a 2oo rs. a
libra.
Sag o melhor que possivel a 24o rs. alb.
Farinha de Maranho a melhor que presen-
temente tem vindo ao nosso mercado a
14o rs. a libra.
Gomma do Aracaty muito alva a 80 rs. alb.
Licores muito finos de Bordeaux e todas as
marcas que ha neste genero a 800, l,ooo
e l,2oo rs. a garrafa.
Genebra de laranja em frascos grandes a
1.2oo rs. cada um.
Tmaras do Kgypto a 8oe rs. a libra e em
caixnhas de 5 libras a 3,5oo rs.
Papel almaco pautado o melhor que ha nes-
te genero a 4,5oo rs. a resma.
chegados neste ultimo vapor a 56o rs.alb.
Alpista muito novo e l'unpo a i60 rs. a li-
bra e 4,600 a arroba.
Pataco novo a 18o alb. e 5,ooors. a arroba.
Sabo massa, amarello e castanho a 22o
24o rs. a libra.
dem mais baixo um pouco a 16o, I80e2oo
rs. a libra.
Castanhas pelladas a 24o rs. a libra.
Chocolate francez de primeira qualidade a
l,2oo rs. a libra.
dem de Sant muito superior e medicinal a
l,3oo rs.
Copos lapidados proprios para agua a 5,ooo
rs. a duzia, qneem outra qualquer parte
7 e 8,000 rs.
Chai-utos dos melhores e mais afamados fa-
bricantes de S. Flix e do Rio de Janeiro,
de l,5oo a 5,000 a caixa.
Cebollas novas a 1.000 rs. os molhos gran-
des e 800 rs. o cento.
Doce--de goiaba a 64o rs. o caixo.
Lcntilhas, excellente legume para sopa o gui-
sado, a 24o rs. a libra.
Ervilhas seccas j descascadas a 2oo rs. a
libra.
=D O
> -3
= -*f55
w W
Eff' J, *
a 7, t !
%--l=Al.Vi

. ." c t ;
Vende-se na ra do Imperador botica francesa n. 38.
Sal relinado em lindos potes de vidro a 5ooPimenta do reino muilo nova a 36o rs. a libra.
rs. cada um.
Molhos inglezes em garrafinhas com roltia de
vidro a 64o rs. cada urna.
Queijos fiamengos chegados no ultimo va-
por e muilo frescos.
Cominhos c erva doce a 32o e 4oo rs. a Ib.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella muito nova a l.ooo rs. a libra.
Alfazema a2oo rs. a libra e t>,ooo a arroba.
Graixa a loo rs. a lata e l,loo rs.a duzia.
LOJA DO BEIJA FLOR.
|ua do Qucimailo numero (i;,.
Cravalinlias para sealiora.
Vendem-so gravalinlias de diversos gostos mais
modernos a 70 e 800 rs. : na ra do Queiiuado,
loja do beija-flor n. 63.
Filas para deliruin de vestidos.
Vendem-se litas para debrum de vestido de linlio
cora 12 varas a 400 rs. a peca : na ra do Quci-
inado, loja do beija-flor n. 63.
I'cutes travessos.
Vendem-se pentes travessos de caracol na
frente de borradla a 500 rs.: ua 1 ua do Queiina-
do, loja do beija-dor n. 63.
Papel foira dourada.
Vende-se papel beira dourada a i&imi e 1300,
scd.i preta sendo ricamente enfeitados a 20A, 25
e 3U9 : na loja do Favf'o ra da Imperatriz n. 60,
de Gama 1 Silva.
As ainluaias do Pavo.
Vendem-se peca< de cambraia muito fina com
salpico* tendo 8 |2 varas cada peca a 3 0, ditas
a 3-3 e 35500, ditas adamascadas muito finas pro-
prias para cortinados a 35, ditas a 45, pecas de
cambraia brancas lisas fa/enda muilo fina com 8
1|2 varas a 35300, 45,45500, 55, ditas de qua-
rs proprias para forro e babados por precos mni-
a toaveis : na loja do Pavao ra da Imperatriz.
Panno de linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gara profiri para lences, toalhas e ceroulas polo
\ AhUi, BK\N
recebeu as verdadeiras
Luvas de Jouvin
pretas c de outras cores.
Papel de cores.
Folhas grandes para enfeites de bandeijas : ven-
dem-se na ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Mili
coin l;iv c outras qualidades.
A aguia branca acaba de receber um bello e
completo sortimento de enfeites com lacos, ditos
sem lacos, ele.; lambem recebeu outros mui bo-
0b
dito de c"ir de beira dourada a 15100 : na ra do, uio>, e segundo suas recomniendacSes vieram dos
Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Antlopes.
Vendem-se anvelopes de diversas qualidades
branco a 800 rs. e de cor a 640 rs., para cartas de
visita a 400 rs., preto a 720 rs. : na loja do beija-
flor na ra do Queimado n. 63.
tullas de aljfar.
Tendo recebido voltas de aljfar com cruzes de
(icdra imitando a brilhante vende-se a 15 cada
urna : na ra do Queimado loja.do beija-flor n. 63.
Camisas de meias.
Vendem-se camisas de mcias muito finas a
15*K) e 15300: na ra do Queimado, loja do bei-
ja-flor n. 63.
Eufcites de lila.
Tendo recebido enfeites de fita pretas e de co-
res mais modernas que se esto usando a 15 cada
um : na ra do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Fita de laa preta para debrum.
Veude-se fita de laa preta para debrum com 10
varas a 900 rs. a peca : na loja do beija-flor ra
do Queimado u 63.
Fitas de linli para bordar vestido
Vendem-se fitas de linho para bordar vestido
ou roupinho de meninas com 40 varas a 640 e
800 rs. a peca s quem ten loja do beija-flor
ra do Queimado numero 63.
Ilutos de madreperola.
Vendem-se botos de madreperola mais moder-
nos que tem viudo para punhos de senhora a 320
que ba de mais moderno e apurado gusto : a.-.-im
os prdendentes munidos de dinheire serio bem
servidos : na ra do Queimado, loja d'aguia bran
ca n. 8.
Grande pechmcha
com (oque de avarla ua loja e
aruiaxeui da Arara ra da Im-
peratriz n. 56 de Loureuco P.
XI. Ciuiuiares.
V'eade-sc rom toque de avaria.
Vende-se madapolao ingliz com pequeo to-
que de avaria por 65300 "5e85, algodozinhoa
45500 e 55, cainbraias lisas finas a 35 e 35500 :
na ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Vende-se faiendas limpas baralissimas.
Vende-se chitas linas cores escuras a 240 e 280
. rs. o covado, ditas francezas tinas cores lixas a
320, 3C0 o 400 rs. o covado. gorgurao de linho pa-
ra vestidos de senhora a 280 o covado, riscado
francez para vestido a 280 o covado : na
Arara ra da Imperatriz n. 56.
Faiendas proprias para seulioias c meninas.
Vende-se gollinhas com botaozinho para senhora 1
e meninas a 200 e 320 rs., manguitos de fil e
I cambraia enfeitados a 500 rs.. manguitos e pollas
para atbate a 15 8 15280. camisinhas bordadas
para senlwra a 25, dilas bordadas no colarinho e
punhos e grvalas muito linas a 45500 e 55 : s
1 a, Arara ra da Imperatnz n. 56.
mfcora a
1.1- f .
i'-dl .
Arara vende laazinhas para trsInU a M r. *
cavada.
Vende-se laazinhas para reatM I
240, 280, 320, 400 e 500 rs. o t*aaaa
lisas proprias para capas de senli
covado : na Arara na da Ini|ieraiii7 n M
Arara vende fuslao a .'00 rs.
Vende-se fuslao di- cores para rotipa calcas e paletots a 500 rs. o covado. taava fi
za escura e clara para calcas e |.i. t.i- 1 i.
o covado: na ra dalmpciain/ n. '''.'.- da Auu
Fo'o do r
Hecebem-se encommendas d-' hp '< -1 m>
1 1 armazem da bola amarilla no nao da -
de polica, sendo o mhm |mb labairaala 1 1 UWi-
ca da viuva Rufino, na estrada de J 00 A
Principia a Arara tender as colchas.
N.97.
Frascos
na
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho; rs. 0 par : s quem vende por este preco na
com 10 palmos de largura a 25500, algodozmho ( rua 0 Queimado, loja do beija-flar numero 63.
monstro com 8 palmos de largona 15, pecas de | Hla de ^Huio para bordar vestida.
Hamburgo com 20 varas a 95.10 e^ 15, pecasde j VeBde.M fi[a de veudo J^ com 10 varas ,
madapolao fino a 75o00, 85, i'5 e 105, ditas de ^ 0 ^ ,
algodLzinho a 65, 65500 e 75, e outras mnias ?
fazendas brancas que se vendem muito baratas
afim de apurar dinheiro : na loja do Pav2o rua da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
Cortes de cassa a 35500.
Vendem-se cortes de cambraia cora babados a
35600: tu loja do Pavo rua da imperatriz a. 60.
Je Gama & Silva.
O Pavao vende laazinhas pretas.
Vewfem-se laazinhas pretas a 200 rs. o covado :
na loja do Pavao roa da Imperatriz n. 60, de Ca-
nia & Silva.
A Maria Pia.
O Tamo vende a 8$
Vendem-so os oais lindos cortes de vestidos a
Maria Pia con lindas barras de seda, sendo che-
gados pelo ultimo vapor francez pe barato preco
de 85 cada um : s na loja do Pavo rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama A Silva.
09 balOes do Pavo.
Vendem-se crinolinas eu bales de 30 arcos tan-
to brancos como de cores sendo americanos que
sao os melhores por se nao quebnrem a 31800 e
de 35 arcos a 45. ditos de musselina cota babados
a 4f dit* ft*g iH?& n.
loja do beija-flor da rua do Queimado n. 63.
Fita, de vedado bordada.
Vende-se fita de vedado preto bordad de di-
versos gostos e mais modernos proprios para qua-
resma: s quem tem a loja do beija-flor rua do
Queimado n. 63.
Franja preta.
Vend-se franja preta de diversas larguras para
enfeitar capas ou manteletes os mais liados gos-
tos que se pode encontrar : na loja do beija-flor
rua do Queimado n. 63.
Faca e aarfos.
Vendem-se facas e garios de balanco de i bo-
lso a 5UfOO a duzia, ditas de 1 boldes a 65400:
na rua do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
InrfnlwOS.
Vendem-se domines moizo finos a 15200 e
15400 : na loja da beija-flor da rua do Queimado
n.63.
Visporas.
Vendem-se visporas muito finas a 800 rs. : na
rua do Queimado, loja do beip-flor n. 63.
TOIH Aralo A<> VIGILANE.
Custodio Jos Alves Guimaraos avisa ao respei- \ covad.prgandjs linos a 240. 280 e 220 o covado:
tavel publico e aos seus freguezes, que achando-se ina ru* da lfl|l,''a'nz M ^* da Arara,
as obras da loja do Vigilante concluidas, e adan-, """I13 f,,iu <,!l Arara,
do-se as portas abenas a concorrcncia do res- Vende-se paletols de brim de cor a 25500 e 35'
peitavel publico, para assim apreciar o novo gallo ditos de meia casemira a 35500, ditos melhores a
1 que se acha no espacoso e alegre campo, guarne-145000 e 65, ditos pretos de panno a 5J, 65 e 85.
cido das lindas flores c muitos outros objectos de ditos de casemira lina e dcbruuhados a 85 e 10-5,
t bom gosto, que tanto saslisfeito se acha, aprsenla ditos pretos de alpaca a 35500 e 55. caigas pretas
I o novo canto, chamando pelos seus freguezes que' de casemira a 45500, 55. 65 e 85, ditos de. meia
venham ver para crr, que s assim poderao apre- casemira, ganga e brim a 25 e 25500, ditos tinos
A agina branca receben por esse ultimo vapor ciar e acharo sortimenlo de faaondas a 35600, ditos de brim branco a 35 e 35500, ca-
um novo e bello sort.menlo das, procuradas velas tend'enteS miudezas, tanto para grosso combara misas francezas a 25, 25500 e 35, sTrouls a
com pedras, podendo assim sat.sfazer a todos que | retaln0i que Iodos ser5o sor,dos aB von,ade> mmQ; ,600, ditas de linho a 25 e 25500, rlleles a 25
1 qualquer freguez de fon que nao posea vir a esta e 25000 : na rua da Imperatriz n. 56.
praea e queiram dirigir-so a este estabelecimenlo, llaloes da Arara a 3^1.
fazendo seus pedidos por meio de carta6, e pode- Vende-se baldes crinolinas de 20, M e 40 arcos
raofazer que sera ludo comprido fielmente, noden- a 35,35500, 45 e 45f00, dilos de madapolao a
do-se fazer presos muito razoaveis, nao s pelas 35300, ditos de musselina a 45 : s na Arara roa
boas eompras feitas oesta praca, como dos que da Iaiperatriz n. 56.
recebe de de consignaces. Arara, vende os cortes de riscados francezes a 3)5.
CHEGADO PELO VAPOR. Vende-se cortes de ri scados francezes com 14
S para o vigilante. I covadas a 35 o corte : na rua da Imperatriz n. 6.
*22STa sort,."wn.to,fle fiv,8,as P""a* un P- irn vende caries de casemira preU a U.
*?!&* lin0 S&1 afSim como fllas-Pa-, Vende-se corles de casemira preU para c>L a
35,35600, 45 e 55 : na loja da Arara n. 56.
Arara vende os soukmbarque*.
Vende-se soutembarques pretos muito ricos, ca-
Paia se fi'ch.ii enntas vendem-se 1 txrti-
cas barkas qw ivsiam ila fntMnra ira-
Vende-se ciMclias avclludadas para cama a 85, M n- 97 : n" ^crip/otio d> K.ln.ir.l K
ditas de Imhu .-.Icoclioadas a 55. ditas de mstSo a ',,a rua (lo Trapiche 11. ID.
55, ditas de lme a 45- ditas de chita a 25 : '
na loja da Arara rua da Impe alriz n. 56.
Arara vende eassas a 240 rs.
Vende-se eassas francezas finas a 240 e 280 o
com gomma arbica dissolvida : vendem-se
rua do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Fcelas com pedrasno>
vo sortimenlo.
dellas precisarem, urna vez que appareca
ro : na rua do Queimado, loja d'aguia branca nu-
mero 8.
PAI'EL IMLEZ
FARINHA FONTANA.
Farinha da muilo arredila mmm
Pontana , ihmi
por prero mais comniotii tlt ^ie rm
qualquer oulra paite : na rua da Cru
o. 4 casa de %. 0. Biekr k C aucee-
sores.
1'EIJiO
Vende-se feijo mulatinbo muito novo a l".'.ii
o alqueire, e a 560 rs. a cuia, dito ntaai Ifagartre a
145 o aluueire, c a 440 rs. a cuia : ua na Direa
numero 8.
FKLUO
alinaco e de peso.
Alera do grande sortimento de papel greve e ou-
tras muilas qualidades, que constantemente se
acliam na loja d'aguia branca,*faz-se notavel pela
supenoridade de qualidade o papel inglez almasso
e de peso, que acaba de chegar para a dita loja ;
um e outro sao mui encornados e de um assetraa-1 ra smtos pretas e de cores pan as mesmas five-
do lustroso e raacio, que na verdade a; odos agr- las I"6 ""de pelo barato preco de 15300 e 25:
dam. As resmas daqueile tem 480 folhas, e as son vigilante rua do Crespo o. 7.
deste 500, a custa cada urna 85. Tambera veio da |
mesma qualidade e de tamanho pequeo, em cai-
xnhas de 100 folhas, tanto liso como beira doura-
da, costando este 25, e aquelle 15200 a eaizinba.
Ja vem pois os apreciadores do bo papel que
dirigindo-se munidos de dinheiro serio bem serv-
dos : na rua do Queimado, loja d'aguia branca
numero O.
Vendem-se saceos com 20 cnias de (eij>
linho muito novo a 115500, dito mais
95 : na rua Direita n. 8.
Asa para aojos de procMso.
Vendem-se na raa do Queimado loja da agni
PawTua dTtoperairi n.lb, da Gama i^flva.!branoa n. f.
OPOS COM BA-
A aguia branca acaba de receber os bem conhe-
cidos e apreciados copos com banha, os quaes es-
lao sendo distribuidos com aquelles pretenderles
3ue contribuirem com 25500 a vista : isso na roa
o Queimado, loja d'aguia branca n. S.
MUITO ROAS KEI48
para senhoras e menina.*.
A aguia branca recebeu mui boas meias france-
zas, de fino tecido e fio redoudo, o que as tornam
de immensa duracao, porque muito convm, anda
mesmo cusUodo 7 e 85, como se estao vendendo a
dinheiro i vista, na loja d'aguia branca, rua do
Queimado n. 8.
Vndese urna barcaca nova de 4 vagens,
bem construida, de 45 caixas, boa veleira. a di-
nheiro ou mesmo a prazo assim offereca boas fir-
mas : a entenderse n TO Drfel!* com o 8r.
Bento de Barros Peij.
CAL HE LISBOA
vndense barra enaa cal de
ta procedencia, en pedr, chega-
da h|e, e nnlca nova, que ha no
na rana d Trapiche
tag pas compridas e manteletes de superior qualidade
tp, a 225 e 255 : s a Arara rua da Imperalriz nu-
g mero56.
Sed inhas a >00 rs.
Arara vende sedinhasdelistrinhas para vestidos
0 a 500 rs. o covado, ditas finas a 800 rs., la Ma-
ria Pia com 4 palmos de largoe palmas de seda a
f-i.1800rs. o covado :na rua da Imperatriz n.56.
Arara vende cambraias de carocinboa a 2,-SOO.
Vende-se cambraias de carecinos para vestidos
a 255OO a peca, cortes de cassa franceza a 25, co-
bertores de pellos a 15 e 15600 : na rua da Im-
peratriz n. 50.
Grande sortimento de faiendas pretas para a qia-
resma.
Sedas, grosdenaple, pannos finos e easemiras.
Vende-se grosdenaple preto para vestidos boa
fazenda a 15400, 15600, 25,2*400, 25600 e 35 o
covado, sarja hespanhola de seda, panno fino preto
a laWO, 35,25600, 35 e 44 o covado, muito su-
perior easemiras prelas finas a 25 e 25400 o cova-
do, merino fino a 25500 e 35, dito de cordlo a
25ft00 o covado : na rua da Imperatriz n. 56.
Atara vende madapolao francez a k$.
Vende-se madapolao francez entestado a 45 a
45500, bretanlia de linho, b*mburo de linho para
lences e seroulas a 440, 500 e 640 a arara, bra-
mante de linho de 10 palmos de largura a 25 a
Vende-se alpara preta a 500 rs. a rotada.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500. 6f*.
700 e 800 rs., fina de cordn a 800 rs jara f i'e-
tot, princeza preta a 800 e 640 o covado. I u I 1-
na preta fina a 15400 o covado, laaaikka* | reta
para senhora que estao de luto a "20 rovsdo
na rua da Imperatriz n. 56. A loja esta al erta atr
as 9 horas da noite.
Kua da Senzalla 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnstoo & C,
sellins e silhes inglezes, candieiros e ca>
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de via,
chicotes para carros e montara, arrekis para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
escritos ruemos.
ATTENfiO
V 5fr.',rna dVw-inoel TImI. va.r2 b^imf:!,^(,0 de ,rano a m e d,t >>>' rua Imperial,
18, armazem de Wanoei eiiei a ^ ^^ 9 ,WOa nn na raa ^ Ua^^ ^ '
" .trn.16. ; bem gratificados
Adiase fogdo o escravo de m me Faustino, de
idade 40 annos, pouco mais ou menos, cor fnla. ai
un regular, grosso do corpo, bem espadando, Iat-
bado, e j com aifuns cabellos brancos na barba,
bncos e jiernas grossas e bastante caU-liuda, un-.
do as pernas arqueadas, porm nao muito, row-
ma andar em sambas, e as vezes embriaga se Bs-
tanla por postar muito de brber : parto* roga-
se s autoridades poliriaes desta e daa provincias
lmitrophes, que o fa(am apprebender e leva-la i
seu senhoro major Antonio da Silva fia
assim como rogase ana eapftia* t
I campo a aspreheusao do dito scravo.


LITTERATURA
Quem or mais puro alire-Uaes a primeira pedra. portantissima
Bsubefccifla a harmona entre os Srs. Germano
e Coirabra, ambos seguiram para a capital do Ma-
ranhao. D'ali o Sr. Germano drgu-se ao Rio da
Janeiro com o fim nico de contratar um bom pes-
soal para a formagao de urna companhia drama-
tica.
De volta do Rio de Janeiro, trazendo aiguns ac- inl-e na projiqcia, par onde
lores de mrito pessoal e artstico, o Sr. Germano I *
aguardou ancioso a chegada do sea compannciro
de (rabalhos.
C tronica Ihealral.
i
(Carta Oresles.)
0IGK.U DA EUPREZA l'.ERMANO & COIMMU.
theatro o lugar onde a mocidade con?egue
repclhr as suas utopias para crer no mundo da
ivalidada. Nessa escola de moral abatc-sc o orgu-
llo e eleva-se a modestia, odeia-se o vicio e adora-
se a virtude, rastiga-sc o crime c premia-se a in-
nocencia, sacrifica-se o algoz e cora-se a vctima,
calcase aos pus a tyrannia e ergue-se um aliar
l i bordada.
Nctn sempre, porm, o theatro desempenba a
sua augusta missao porque, nem sempre, o pere-
grino chega ao termo da sua romagem. Entre nos,' Ihante acto foi Olho de eoragoes dedicados, partiu
tiesta poca de civilisago, a arte dramtica vae de- (de amigos siocero3 do Sr. Coimbra, cojos nomei
.ahiudo progresivamente. Os espritos corromp- nao declaro porque nao quero erir a sua natural
dos as almas corruptas, os coragdes envenenados modestia.
ln-la maldade humana, rondemnam o actor, deseo- Eis como leve origen) a empreza Germano 4
nhecendo que a arle nao desrnoralisa s pessoas. Coimbra.
...o a seguem, ignorando que elles sao os primei-, ge, ao correr da penna, escapou-me alguma pa-
ros a rrost.lu.rem-n a. | hm ou phrase offensoril( mo dftscnJpa por nao
E* urna verdade fatal, sem duvida : mas urna '<"" em tengao o proposito de ferir susceptib ili
verdade que nao se deve occullar para que os ar- dades.
lisias, dtisprezaudo o anathema que Ihes c laucado leu do coraco.
commissao.
Vasco partiu de Lis-
boa, logo em seguida chegada dos Ingleza.
Veio a toda a bride al Avero, e d'ahi israrfl-
damente para o Porto, onde cumpeju en poleos
dias a missao para que tora escolhido.
s, que Matl)
paco. Por
sua presen^
pessoa ostral
D. Gn
iciar as Precisamente. Tres huras de-pois do lu sahi-
Do Pon parl.u a encentrar-se cojn Silveira, e enormesre csniiuoadas narragCes das aventuras da res. Assi.n m'o disse o primo Amonio- Mathias...
depois de llie comraumear asorden? quetrjizia, mocidade dolidaIgo
A' volta do Sr. Coimbra foi annunciada pelos sons
harmonosos que alegraram o povo agglomerado
no caes, onde se achava postada urna banda de
msica.
Dizem que foi o Sr. Germano quera leve tao fe-
liz lembranga. Eutrelanto, devo confesar, seme-
Sftao entrasseama ema vezas no boas leguas sem acendir nem com migalhas ur-
habituBu todoa ali par tal forma gentes necessidadosdolyranno estomago, devodi-
ue ninttem j reparava nelle como zeMe que veubo do Borlo, onde ebeguei no da 12
a familia. do torrente. ..
_l)|gou at a acha-lo igrajavet. e, o Ento no da etn que eu sata" de l, nterrom-
que e mais, necessario ao seu bem-eslar, porque peu Vasco de Ornellas.
irava a n firma a sari loseanjar S Precisamente. T
l K.4.
j Mas olha, ileixa-m* comer. Logo conversaremos,
andn de c meramente na historia de S. Torqbato Iotas-i-ornein. I Apezar desla desassou.brada mtimacao gastrono-
iu a fiu'irdi- As*lll\*,rafa e sal)ia snbia e descia paran qnar-!tnica, Pedro da Mello conlinuou, durante todo o
h a Gonv''110 C0|u hem Ihe pareca e quando jantar, a fallar tanto como coima, sem comtudo di-
Ihe dava na vontade ; levava recados delle a D. zer mais nem palavra a respeito do Porto nem dos
conheceu nue o Leonor> IHando ojia eslava no jardim. e de tal fr- acontecimentos polilicos. que nm tendo lugar. De-
.. am.. lta na, como cu.j dljse. soub- vencer a antlpathia pois de farto e repleto com as ultimas golodices do
empento de Welloley era ma d.fBc.l, do que delta, que consegu., por lira arrancar-llie meia sobre-pasto, reeoslou-sq para o espaldar encourado
pareca, ao primeiro relance. No Porto, apesar duza de palavras, as quaes Ihe ordenou, como da cadeira. em que estava sentado, e. metiendo as
de os nimos populares estarem bem dispostos, as mlein ordena a um criado, que lite Oletee nao sei, mos nos bolsos das calcas, disse, litando Vasco
pessoas gradas, e quedevam capitanear o povo ^ViSrn' Jie viul'a'iV0,l?va -c to"l?.v?d M" icom l"" slgnillcaiivo : ,. .
i i *------- ,.. sa de Usco para a casa de Fernn, e d'ah para' Agora vamos a negocios que nao ha tempo a
em qualquer lance arriscado, estavam fras e re- Cerzedello, centro principal dassnas operaces.' perder
pela e>tupidez, comprehendam a sublimidade da
sua remara, contagam a importancia do papel que
roprosentam na sociedade. Moralsar o povo fa-
eilar-Ihe o caminho que conduz elridade,
proporcionar-lhe os meios precisos para a modili-
cafo dos seus costumes licenciosos. Nao se exi-
ge do actor mais do que nm trabalho duplo, esfor-
co intellectual e moral.
Esludando, compre que nao se engolfe no rumor
das orgias, que, em seus coragoes, nao so abrigue
a devassido, que uao se esquecam de Deus, fre-
quentando os I upanares, os focos de corru|<(o.
Qucr-se nicamente que os moralisadores sejam
moralisados. Comtudo, cumple declarar, nem to-
dos os homens sao dotados de urna mesma organi
safia
fllbl de urna organisacao especial.
,. nno, e o demorasse como o demorouao Carvaiim
a estes. As minhas palavras dizem respeito aos j'Este e
que, dispondo de urna uatureza iraca, se deixam
Pilones.
O SEGKED 1)0 ABB1M.
pon
Arnaldo Gana.
XI
Noticias.
(ContiHuacao do n. 11.)
Soult, em razo de Silveira e de Beresford, nao
tinha remedio senao tomar tambera a direccao da-
quelle rio ; mas apezar de marchar pelo caminho
mais curto e com antecipagao de um da, anda
zella.
Ao fim desta longa excursao
assim Weilesley es|>erava chegar primeiro, e appa-
lu.iiun.-- oau uutnuuo uu una iiiu.-nit ui Kdul- ______. i..^ *__1 -w r a-c
Alguns dispem de muila forca de von.ade, ZSt^TJT^ ^^ '"" ** P'
urna organisacao especial, io me retir 5!S"b'!V.ada 'he sablss a1 *> cami-
levar pelos desvarios da liberlinagem, julgando eu-
contrar a ventura onde s ha infelicidade.
Aquelles devora servir de guia e estes nao de-
na Trofa, quando elle desceu vtetorioso
at o Porto.
Hastavain vate e quatro horas de demora, para'
segundo a razoavel opiuiao ingleza, Soult, llear ir-
remediavelmente perdido. O exercto alliado che-
ven deixar de trilhar a senda menos espinhosa- garia primeiro do que elle s margeos do Miobo, e
Com o auxilio dos primeiros, conseguirlo destruir ; entalado desla maneira entre Wellesley, Beresford,
os escolhos que Ibes difflcultam a marcha. Nao' Silveira e Murray, o marechal fraocei ver-seia
convm que se illudam com as ovaeoes dos espec- obrigado a depor as armas.' Houve um momeiiio
taJores. Ha plateas, ninguem ignora, que nao po- (effl 1ue os P|a"os de Wellesley esveram a alhar
dondo distinguir o bem do mal, nao Ihes sendo pos-' inteiramente, em razio de Delaborde Loison terem
sivel omittr urna opiniao sincera e exacta, nem-se obrgado.Slveiraaabandonar.no dia a defeza da
ponte de Amarante, depois de tre2e dias de perti-
naz e sanguinolenta resistencia.
das scenas patticas e applaudem o ridiculo.
O triumpho do artista nao esla nos applausos que
Ihe dirige urna platea Ilustrada ou ignorante ; con-' Cumpre dizer aqui, para desforco da deslealda-
siste no progresso da arte, no seu renome, na glo- de e desfavor, por todas as raides immerecido,
ra que Ihe promette a posleridade I Triumpho com que sempre fomos tratados pelo benjamn da
listo impossivel de realisar-se quando o artista nao popularidade ingleza nesle seculo, que se Silveira
ama a sua arte, quando nao Ihe consagra os seus tivesse sido soccorrido a tempo, eomo Ihe fra pro-
dias de existencia. meltido nunca Loison couseguiria apoderar-se da
E- fra de duvida, foi convencido desta grande ponto de Araarante.
erdade que o Sr. Coimbra abriu os seus bracos ao' Mas Wellesley,para cujos planos era essenclal a
seu pretendido inimigo, o Sr. Germano. O Sr. defeza do Tamega, c que tinha gastado nada menos
Coimbra um hemem, cuja nobreza d'alma Ihe tem que viole e nove das desde que sabiu de Lisboa,
grangeado amigos sinceros e dedicados. verda- at que de Coimbra marchou sobre o Perto emen-
de, porm, .pie conla algumas immizades (gratui- deu que o t general |portuguez Silveira poderia
tas) :A corrupcao repelle sempre os bons costu- manter o seu apoio sobre o Tamega, at que esse
mes. a moralidade nao pode viver em harmona reforjado (4) ; e no fim de treze dias de intrepi-
com a devassido. da e pertinacssima defeza, e esta feita por alguns
Queres saber, mcu Ore>tes,quem o Sr. Coimbra? ceios de indisciplinados soldados de linha e por
.' Hocoainda, longc da Ierra que Iheserviude >^l^>,^!^,*'>^8awl
be'rgo, o perseguido pela fatalidade, dedicou-se
vida laboriosa do commerciante. Conhecendo que
o commercio s favorece a quem pode dispor de
recursos proprios, convencendo-se que a forja de
vontade nao abre as portas ao crdito, procurou
ra poda esperar indefinidamente pelo tal proinri
tido reforco, que elle, em razao dos seus proprios
planos, Ihe devia tur mandado com a maior brevi-
dade possivel.
E como Silveira nao pode lutar por mais tempo
roces qnc Ihe facilitassem um futuro lisongeiro. com o impossivel, que Wellesley auxilava com a
Dominado pelo amor que consagra as trahalno, re- inercia ou com a impossibildade de obrar de outra
solreo-se a aprender algum offlcio. Obtendo lu- maneira' ,ircu Wellesley disso motivos para no
rros bastante ridiculos, fez-se actor, smeidou-st, seu ocl a lord Castlereagh insinuar que a perta
-.oralmente fallando, porque, no Brasil, a ignoran-!da l,onte de Amarante e nao ter o general portu-
cia c a estupidez nao sabe estender a sua mio pro- uez Silveira podido sustentar o seu posto sobre o
lectora a quem se submerge n'um abysrao ; porque Tamega Ihe tinha alterado os planos, e sto sec-
a mesqniohez dos corages corruptos nao pode ava- camente e sem urna palavra que explicasse aquel-
liar a grandeza do sacrificio que faz o hmem la derrota, que alludida tanto a nu* desaira va os
quando entra para o theatro, sabendo que o futuro feitos gloriosos ali praticados per aquelle punbado
que o aguarda symbolisado pelo escarneo da so- de intrpidos paisanos porlaguezes.
ciedade e pelo desprezo de alguns. Talvez que em nenhuma outra occasio se rev-
Perseguido sempre pelo seu fatal destino, illudi- lou tanto como nesta campanha o ridiculo entono
do por alguns dos sens irmaos d'arle, o Sr. Coim- e visivel esquecimento das glorias albeias.com que
bra levava urna vida pesada, urna existencia pouco o fofo orgulho brelao se costuma adular, com toda
lisongera. Elle nao descra de Oeus, e no segredo a seriedade, a si proprio.
das suas oracoes, diza corasigo :Sou infeliz
Foi n'um dos seus oslantes de melancola que
A Europa acredtou tudo aquillo, porque entao
a Inglaterra gozava de grandes crditos no mundo
um hornera, pedindo o seu auxilio, Ihe disse :.Todos Ihe batiam palmas,e ennastravam as coras
Eslou pobre, quero trabalbar Lanzando um vu triumphaes, que ella se lecia com exclusao de to-
sobre o passado, esquejamos osnossos odios, lute-
roos ambos, e... talvez, sajamos felizes I
Poderse ha dizer, porvemura, que o Sr. Coim-
bra desceu de sua dignidade, eslendendo a suamao
de amigo ao Sr. Germano 1 Se um desceu, o outro
subiu e amos, aoencontrarem-se,deram urna pro-
va robusta e indeelinavel de que o odio nao pode
abrigarle no coracao de um ehristao! Se houve
das as outras nacSes, cusa das quaes se livrou
de Napoleo, o grande.
A Providencia, porm, nao consentiu por longos
annos esta repugnante injusticia da bazofia de um
povo, que pretendeu e conseguiu por muito tem-
po roduzir toda a Europa a escrava do seu engran-
deciraento egosta.
O azorrague satyrco de Byron, de um nglez,
offonsa da parte Jo Sr. Germano, nao houve gene- vingou desde logo sobre as glorias decretadas pela
rosidade da parte do Sr. Coimbra, acceilando a' Inglaterra a lord Wellington, a insolencia e a des-
amizade que Ihe era offerecida porque elle seria! facatezcom que ella menospresou os grandes esfor-
niu homem, se esquecesse a sublimidade de um 5s> flue el a pennsula hespanica para a salvar
horrores do saque ; assistiam todos os das s t.neu.1?.Si,no conseguir tornarse o fuctotum da! Vasco arredou a cadeira, e levantou-se.
vinsancis nue os Francezes tiravam-dan.ielle fa,nil,a. e,.Passeava eandarilhava pela quinta, co- Vamos para o meu miarlo; la estamos com
vmgancas que os rrancezts ura\am .daqueiies, mo se estivesse em suacasa. mais dcsaogo.
que por qualquer forma os desserviam e recea- ; Nao creia, porm, o leitor que o capilo de Pas- Adianto vas. Foste sempre homem de minio
vam-se sobretodo de alguns entusiastas, que se sos fosse tao boa pessoa que pagasse com amor o juizo, replicn Pedro de Mello, e seguiu atru do
tmham consubstanciado com o dominio estrangei- ded cacao o grande medo e a grande disfeila, que 'amigo.
ro, e vigiavam, com as faculdades de naturaes da tinha recetado dentro dos muros daquella casa. 1 Cliegados ao quarto de dormir de Vasco, ador-
terra, todo e qualquer symptoma de movimenlo ,)niina,ra-i0 um pensamento refalsado de vingaii- nado d'aquelles elegantes movis de magnillro pu
ane Dorventura se tramaw Km Pm mh^n s ?u .A1uelle animo encoeiro e refolhado ia rero- preto, que lo pondamente sabiam bruir os nos-
que poneniura se iramasse. l,to emrelagaoa, |hendo e armazenando em s lodosos grandes! sos antigos, e em que abundavam as espiraes gra-
probabilidades de urna revolta no Porto, a qual, me.os, que para a realisar, Ihe presta va a facili-' ciosas c bem tarreadas, eos lavors delicados e prt-
porm, appareceria de golpe se fosse neces- dade- com 1ue o senhores de Cerzedello Ihe con- morosamente en'talhados, os dous camarad s sen-
saria. I senliam que Ihes penetrasse no seio. i taram-se em frente am do outro, e ficaram por al-
o .. I A?s,m. entretanto que escutava pacificamente' guns instantes silemrfosios, como espera de quem
Emquanto a Silveira o caso anda era mais D. Goncalo; que se enrava com humildade do rep- rompera o silencio,
feio. Tinha Vasco ouvido fallar delle como gene- til diante da soberba de Leonor, e se abaixava at
ral de um verdadeiro exorcito, pequeo em mi- as *olas da* bo,a* de Vasco de Ornellas, Matheus
, ,.; espiava disfarcadamente o que a vida intima da-
mero, mas verdaderamente m.l.tar, por todos os : quea gen|e lmha d(J TU,nerave,. N5o ,he foi dif.
lados que o considerassem. Quando, porm, o flcil nem demorado o descobri-lo. Dos olharcs, dos
viu, flcou com o animo inteiramente quebrado. gctos e das palavras, em que de quando em quan-
Silveiranaopassavade um enthusiasta intrpido d sed^mascara va o ciume* Vasco, mu grado
,. ... os estorcos de le, concluiu naturalmente Matheus
mas ignorante, e o exerc.to que commandava era (|Ueo de Guardizuella amira D, Leonor de
urna guernlhagem corajosa e exaltada, e incapaz Baio, eom amor impossivel de apaziguar-se, e o
de se Ihe confiar o desempenho de empreza. do que elle nao sabia, capaz, se desesperado, de todas
cuja realisacao estivesse dependente quatauer pa- violencias do rancor e da raiva.
nn imnonaniP Nos moo com que D. Leonor tratava o primo,
uu ~m transluzia ao primeiro relance a mate completa e
No Minho ainda as cousas se achavam ero mu- Provocadora irdilfcrenca por aquella vilenla pai-
. .- A:n-.nin a ..i ..i j xao> e ao mesmo tempo as palavras eom que ella
lo peior disposicao, A populacao eslava toda de de nuando e quando indagaVa, como acaso, cer-
p e armada ; mas nao era preciso muito para se [ ca de Duarle, e sobretudo na aspereza exaltada
couuecer que daquella concilago patritica era i com que Ihe incrimina va a descortesa d* nao ter
mais fcil sahirem os horrores da anarchia, do v0,tad0 a Cerzedello. depois daquelle dia tao lor-
que o proveito das verdadeiras guerrilbas. Quei-
inar urna casa aqui, roubar oulra acola, assassv
nar a titulo de jacobinismo qualquer desgracad
que se aventurava por entre aquellas aldeias de-
mentoso paraoeapitiode Passos, passav atravez
de toda aqueta sua impassibilidade fra e sober-
ba, a incoutrastavel prova de que a pano de
I^eonor por Dnarte Ptnheiro egualava em nttensi-
dade, a que Vasco tinha por ella. Que fesundo e
fcil manancial de grandes meios para a vinganra
mentadas, sahr a este ououelle destacamento" ,j0 astuto e refoiliado Matheus
fraucez, |>ersegui-lo, espiogardea-lo de detraz das Todos os dia?.. ao sahir do solar de Cerzedello,
paredes, de dentro das mattas, de cima das ar-' ?arava a pouca distancia dn portao, com o dedo a
vores do bosques, era tudo oque se poda espe-
rar daquella gente, que nao tratava de resistir,
mas de vingar-se.
Os tempo do Camino d'Este e da defensao do
Porto erara lempos florescentes- en coraparaco jera sobre a maneir* de combwar, om maior faeU-
daquelles. A experioncia matara na populaca o Iidade, o que deswbrira era Vasco eD. Leonon,
. ......._____J:j.. eom o que sabia de Uuarte Pinftetro. Edestenao
sabia pouco para a sua. tenrao: Sabia que elle pre-
fera ama villaa soberba e anterosa D. I^eonor oV
prumo sobre os aeicns e resnando meditabundo.
I^o era aquillo signal de ponderar as combina-
res bellicosas, sobre que tinha discutido com D.
Goncalo ; nem lambem synrptoma de especularas
I probabilidades de rem vezes repetida historia de
S. lorqualo lobis-nomem. MMheus meditava, mas
das garras exterminadoras, cora que o primeiro
Napoleo se empenhava em aferra-la.
Mas nao antecipemos os acontecimentos. Mais
enthusiasraov que entao a exaltavar persuadndo-
Ihe que era mvencivel. Perdido elle, icara-lhe
apenas a raiva de ver um estrangeiro senhor do
paiz, e essa inepirava-lhe a vinganca, nas nao a
resistencia.
Era, portante^ dillicil qualquer combinacao;
comtudo, apesa* desta d.tliculdadf, o genio ein-
prehendedor e |>ertinaz de Vasco de Ornellas con-
seguir dar uma> unticacao tal ou qual iuielles
meios dispersos, de maneira que alguma eousa se
poda esperar detles em occasio opportuna.
Foi assim que Vasco de Ornella informou lord
Beresford ; e era- seguida veio para tiuardizella
aguardar as ordons do general em. chefe acerca
do que devia fazet, visto ser impossivel organisar
ura grande corpo volante de milicianos u de or-
denancas, frente-do qual se peeesse, que- era o
tim principal, a qjoe fra enviado ao- Minho.
A anarchia, como o leitor i. sabe, doanava
n'aquella localidade da provincia, como domtnava
em toda a parte.
O reinado de Matheus Simao eslava em pleno
meio da, mas ainda assi.n nao tao claro e desas-
sombrado que de quando em quando nao podsse
ser empanado por alguma nuvem negra e teme-
rosa, da feicao daquella com que a ira impeudente
de DuartePnheiroestivera a ponto de Ihe escu-
recer para seropce o esplendor. Mas desviada por
qualquer casualidade a tormenta, o poder de Ma-
theus era entao mais perigoso que nunca, porque
com os epithetos de jacobino e de heieje na
bocea poda levantar a populaca desenfrea-
da, e arremeca4a con torrente furiosa a vul-
gar o grande medo que rivera. DUarte Pinheiro
estava, em verdade, ao abrigo dos furores do capi-
lo de Passos, e era-lhe, al certo ponloy podero-
so obstculo para a realisacao dos planos. A gen-
te da honra de Nespereira nao era para grapas, e
segua cegamente o seu donatario a toda a parte.
Mas nao aconteca assim em Cerzedello, nem as
demas freguezias cireuravisinhas, e, com a van-
tagem da superoridade de numero, Matheus poda,
portanto, emprehender qualquer vinganca que Ihe
aprouvesse, e com ella causar gravissno desgoslo
ao Sr. de Nespereira.
D. Goncalo e Fernao de Alpoiro conheciam a
fundo tudo a quanto os arriscara a imprudencia
do Duarle Pinheiro; e Vasco de Ornellas, apesar
de naturalmente arrogante e soberbo, nao resis-
tiu mulo tempo verdade das razoes do tio e do
primo, nao s porquo eram de primeira intuicao,
mas lambem porque o ciume o demovia instincti-
vamente a procurar occasioes de desauthorisar aos
olhos de D. Leonor aquella aureola de grandeza e
heroicidade, em que a ella pareca que andava
envolvido o homem que tanto amava.
Em razo disto, Vasco nao se recusou a contri-
buir, com quanto em si fosse, para o apazigua-
ment de Matheus Simao. Aproveitando, portan-
to, o proprio motivo que o trouxera provincia,
os nmeros J e 17; w M, 70 e M de
regiment de artilharia s orden* de aai tal
e doas companhias de sapadore*. Dajnie. Taem
de Orneltas, que, mal os vi
os mena botes: Desla feita l e va* i
cem lodos os diabos I E otea iita
que d'ahi por tres dias, apparece o Mi
Entao ftigiram f...
Qual fugiram f Fizeram-n'os ujiir. Ca a
digo como foi. O dia t amanta-ceu nan dr ta
pesso nevoeiro. Ao abrigo delle,os Fraix-
seguiram rodar alguns larris de plvora al jaafe
d" reducto, uinelpal defensao ia Silveira PMc
ram-llie entao o fogo. V como nao ficaram a ar-
denancas I (K Francezes aprovritawMr- d*a|DetV-
pavor. e lancam-se de golpe dentro do redarte.
Debandou tudo entao, uns por aqui. oatros por
acola... i~ r r
EI ento.. .adeus Silveira '
Nao, senhor. Aquelle ni., e i*
morra de ababa. Tem aaa lle^ cxno uc zai
Consta no Porto que i-st na P.la. a reunir aatn
vez a gente. Conta com elle de *
mais buje ou mais roaoba.
(Ce*4immrr-tsk- ,
Baio ; sabia que tinha daquelki'un filho ; e al
caneara ltimamente- fortes- motivos de suspeitar
que a villaa eslava rivendo com. Duarle no pro
prio solar de Nespereira. Combinar, portanto, na-
les fados comas duas-paitoes violentas, que via
refervep cada vez com niaiores- breas, e combi-
na-lu> sem perigo da sua pessoa, era todooassump-
to das suas meditacee-.
Assin>,. Matheus Sunaocada (* redolirava de
esforces para encadear- de todo o- bondoso de D.
Goncalo e captar a benevolencia o-Vasco e de D.
Leonor. De algumas palavras, que de quando em
quando 6ixava cahir acerca da ausencia de Duar-
le, j diante dos senhones, j as suas mais francas
couversaroes rom os orlados, resallara o serem
notorios no'solar os amores de Duarle e de The-
reza, bem como a babitaoao desta o paco de Nes-
pereira. D. Leonor nunca Ihe dra a confiauca ne-
cessaria para fazer longa narracs do farto; mas
de urna ou outra perfunta,como<)edescahida ca-
sualmente; oolhera das arteiras respestas do capi-
lo de Passos veneno, mais que baetante, para Ihe
infernar a paixoe a soberba. O rosto nunca Ihe
trahira a mais leve sombra de soffrimento; porm
Matheus conbecia-odn sobejo, por experiencia pro-
pria, para se qur duvidar dos desgostos que de-
viam acachoar na alma daquella lualher orgulbo-
sa. Vasco; esse soffia da mesma tortura, mas por
diverso modo.
A' medida que o espirito de D. fteonor se ia in-
cendiando mais com-o ciume e cora o desespero,
ia elle sentindo anedar-se cada vez mais, por
aquello sentimento invencivel e imperioso, que
obriga os eanacteres orgulhosos e concentrados a
fugir da sociedade que Ihes nao falla dos desgos-
tos que sAflrm, nem elles Ihe tolerariam que fal-
lasse. Pde faeer-se idea do ^uese passavano es-
pirito do senhor de- Uuardizella, recordando-sc o
amor que elle tinha a D. Leonor,. ao mesmo tem
po que elle nao era nem menos soberbo nem rae
nos concealradt) da que ella. Asim se os faeii
de Duarle Pinheiro Ihe clavara motivos para sus-
peitar que elle nao amava D. Loonor de Baio,
procedimeMo desta nao Ihe demonstrava com ma-
nos evidencia, que entre ella e aquelle amor que
o torturava a elle, eslava Duarte apesar de toda a
sua ndifferenea e talvez que mais nvenrivelmen-
te |ior causa delta. Depois quam Ihe podia afir-
mar que aquella paixo de D. Iteonor nao fosse re-
sultado de ter sido, om outro tempo, correspondida
pelo primo, e que o amor deste pela villaa fosse
mais do que um mero capricho, lindado o qual,
voltaria elle aos pes daquella. mulher formosissi-
ma, que tao devras o estremeca e adoraba ?
Diantc desta supposigno a lu da esperanca. ~U de
si meta morta e sem fortes, apagava-se-lbe de
todo v e Vasco olhava o futuro com o olharde quem
nao sabe desabafar a dr,. o vive a sos e continua-
mente eom o espirito litad na meditado da sua
immutavel desgrana.
Assim estavam as cousas publicas e os-nimos
em Cerzedello no dia 5. de maio de 1809quinze
dias depois do casamenta de Duarte com a filha de
frei Lopo de Bailo
Pouco mais ou menos- urna hora da tarde desse
da, parou porta do solar de Guardizelta um ho-
mem, montado n'um pensante ca vallo bajo, e guia-
do por um aldeio de-urna das freguezias visinhas,
que Ihe viera ensinar al all o caminho. Era um
moco de pouco mais de trinta annos de edade, e
de figura varonil e marcial. Trajava am sobre-tu-
do nglez egual ao com que Vasco appareccu ao lei-
tor no principio desta historia, e vutha como elle
armado com urna espada que Ihe pendia da cuita-
ra, e com ura pac de boas pistolas nos coldres q,Be
(razia dcsafiveladas diante de si.
Chegando ao por Lio do solar, ft viajante desa-
valgou, e tirou de urna bolsa de prata urna moeda
Adevinhas de certo ao que venho. disse por
fim Pedro de Mello.
Nao dillicil a adernhaijo. responden Vas-
co de Ornellas. em cujo rosfo se fiam, desde a che-
gada de Pedro de Mello. MKwls sgnaes de quem
se achava contrariado. Trazes-nw, naturalmente, a
resposta do meu ultimo offlcio ao gfneral em chefe.
Tal e qiial, replicn Meifo. ffonfem nonte
a receta no Porto, com ordem o% fe a transmittlr
immedlatamente.
Nesse caso, d a c.
Dtau-fa como a receta verbafmenfe,..
Diz, pois.
Foi por cautela que assim a m.-wraaranr Rea-
te temposj-evoltosos que vo, o eserr^er perigo-
so. Um eorreio pode ser interceptado.,.
Mre'ro 6em; obraram prudentemcnlfe: M en-
tao?...
Sir Arrhm- order que partas immedlutamet-
te, visto nao ser |Kissrrel organisar o corpo popu-
lar, necessario para as operaces romecadas. Vae-
se romper definitivamente a campanha.. *
Bem; partiremos esla noule... ou j*. se \iis
que preciso; acrescentoo Vasco de Ornellat, como
que forjadamente.
Pareteme quo nao- precisamos de tamanha
pressa. As ordens qne ne*mandaram, sao qnc-va-
mos esperar o exercitb no Porto, para all nos-pr-
mos testa da1 revolta que deve romper na crclade,
no raso de Soult a querer defender, seriamente Ora
o Inglez naopdt" sahir de-Cbimbra antes dodi.v;l...
Nao p*-!'. .-.
Nao pode, e-eu te digoporque. O marechal
Beresford escreveu-me um pequeo bilhete, rajo
contendo me ordenou que le rommunicasse. NeM
esforcava instaniemontc a reeommendacao de qne,
e fos'se precisa a revolta do- Porto, Ihe dessemes
Jodo o calor que fosse- possiveii-sem allender aas
sacrificios que fosse necessario ftzer. Para o caso
esl em que Soulf conheca definifivamentcqiie Ihe
impossivel defenderse no POato, por nao poder
contar com o socegoda cidade: P>.*ra enmbinarmos
Lo-que tivessemos a preparar, o marechal partoc-
Boa-ine que iam romper-se as- eptrrac3t!S, para o
ane marchar, amanha 6,- paro Traz-os-montcs ;
e sir Arthur sahir-de Coimbra sobre o Porto no
ala em que combinaram que elle marechal estar
em Ijmego. Ora, segundo o qne elle me diz, conla
estar depois de amanha em Viieu, e no dia
em La mego. Logo sir Arthur r.ao pode sahir de
Coimbra senao no da 9.
Aqui Pedro dV Mell paron; como esperando
nne Vasco disesse algnma consa com relacao
i ft\poMc.to i.\TER\ir.n\iL t wmxs r*
llrMeri de Sr. raaselarira f^naHb
arcsfdrHlr da ramnisso lrxiMr>.
II
(Conlmnari}./
Depois- *sla Mforuco, lord Taunt.m
te do con*stho dos pre>ideotes do jury.
ao duque de Cambridge o segoinle rila la*la :
Achando-se terminado o trabalho dos vatm jm-
rys, cumpre ao conseWio dos presidenle saltear a
maneira |>cr que foram constituidos o (rys. e
dar o resultado- de seu Irabaltoos.
Os jurys CMnpnnham-i! e membriK iwgkrm r
estrangeros, em> varia aroporre*.
Os jurados iaplozes eran primeiramenie n-'tnra
dos pelos expositores, e dupij de bem roi4pra
das estas nomtaopes, o conamissarii de saa*ana-
gestade invariaw-lmente nonwaram as pessoas ja-
pareciam ser dasignadh* pelo consenso grraft
mn trafico ou di^Wcto. Xa caso em ipw a* ma-
meac,es nao fonim.feilas poriMetligeneiaeai
goiaram-se os commissaro rene em son >
pelo numero de votos- dados- a rerto individos. e
aHtnmas vezas pefc'desejo- imMM>U sisores de que os proprios cMnmrviarMH Haiiiin a
esrolba das pessoa* de vidameote ijualilacada.
As colonias brilMiniaas- foran representada por
jurados que os diversoscominijano* colunia* i re-
ciMomendaram.
A Mflni eslranjpBiras qpr lomarem parle na
iexposie linham di*eite>-de nomear um jurad par
rada rlasse em que fussem spresniada par 9
e vpositora.-. e por cada seee dr rla>e em nne
tivessem 15. Como altrroatw'x ditribnia-*e a ra
da. nafo um certo nunwro dejprado.|rm propur
ci> do espaco que el!n. oocupai* > ediftrin; e va -
to paizes aceftaram essa alreraativa. Sem fia-
ren). propor(ao alguma. lahitcan entre o jnrado>
ingJews e estrangeinos,- nomearan o enaanam-
rios de sua mageslaiK;-Untos OW ltimos para ra-
da- jury, quanios a experiencia dn etpoairor pau-
sada mostrara ser nacossnri para sua eki-
acia.
Koran) os jurys eu anmuro A- *.", gnif
modo que formassem l^olaiwau ou jury *
paes, eorres|Mindendo ,-^3fi.olaoiw industriaes .*
ru estavam arranjadsr. o obyrk na expostro
dVmonstraco qno-alie fizera ; vindY>. porm. que (jada, am daqualles junys principae, quando sat-
o senhor de Guanllzella
iroou inmediatamente
nao dhna palavra, cont-
Ora nos devemos ter as consas eomplalamen-
te dispostas e a ponto de rebeniarem primeira
oecasio, se assim enmprir boa andana. da
campanha. E isto pode acontecer com mnita hre-
vidade; porque sir Wellesley dhve estar no Porto
de hoje nito das nu, o mais tardar, no dia se-
ntante, islo sexta faira ou sabbado qne vem, dia
I? ou 13; a o maroehal Beresford"caanla que po-
rtar fazar retirar de Villa Beal a guarda avancada
[.dos Francezes ata pelo dia IO'ou-M. eno dia It
ou 13 atacar r.oion em Amarante, e retomar
aquella posicao.. .porque, nao sei se sabes, que o
Silveira leve de-retirar de l; terca faira passada,
2 de maio...
lesley, ainda assim o genio militar de Soult aom-
bou dos esforcos, dos planos e at da felicdade do
futuro vencedor de Waterloo.
e deu-lhe ao mosmo lempo
seu couto de Guardizelia.
o commando das do
arrependimento sincero.
Ninguem desconhece, acha-se gravada no cora-
cao humano urna lei poderosa e sublime que orde.
na que um pae, mellgando as magnas de seus fl-1 tarde ver o leitor de que mido, apezar da boa sor-1 mandou chamar o capitao de Passos, e encarre-
llios, faga a sua felicdade ; ninguem pode ignorar, te ter feito da propria derrota de Silveira mais um I gou-o, em oome da suprema regencia do reino, ,je JJuro, qae j, ao Iddehfo? Esle'fitou-a cora olios
arregalados, enviesou depois um olhar de^coafiaclo
ao generoso desconhecido, e, em seguida a um
tuerces dito cerno que a medo, folse desviando sur-
ra te i ramete, e por fim desanduu a correr rom to-
das as foroas, como quem receiava que elle se ar-
rependesse da generosidad. O recem-chegado riu-
se com ar jovial e franco, da sorpreza ipie causara
ao laponio e da velhaea retirada deste, e depois ba-
ten com o aldravo duas pancadas na porta.
Partecipa a teu amo que esl aqui o Sr. Pe-
dro de Mellodisse ao criado que acudiu ao es
ilarve ;ac-
com forca o
entrar?
Assim dizendo, alirou com as redeas cara do
pobre diabo, e arremecou-se de carreira pela vasta
escadana arama, cbamandn em alto's braos por
Vasco de Ornellas.
Este ia a sentar-se mea, do /anlar, quando ou-
viu o estrepido que. reeem^ehegado Ihe fazia em
casa. Nao leve, porm, tempo de Ihe sahir ao en-
contr, porque elle, avisado pelo rumor dos cria-
la um sacramento instituido pelo Homem-Deus que meio para a realisacao das combinacSes de Wel-! le organisar as ordenanzas d'aquelles arredores,
obriga o marido proporcionar os meios que po-
dem concorrer para a ventura de sua esposa. Os
lagos do sangue e os lagos do sacramento maoifes-
tavam ao Sr. Coimbra que elle, por si s, nao po-
dia cumprir os seus devcres.de esposo nem salis-
azer as suas obrigaces de bora pae de familia.
A ventura de um anjo, o destino de sna filha ser-
vi u de norma ao sea acto. O futuro de sua esposa,' liados sabiram de
Esta ultima coraraisso, sobretudo, devia lson-
(4) Vid. .Corre.oBrasil.ense de junho de 1809, gear a parvea vaidade de Matheus; mas Vasco
pag. 6*1 Oficio de Wellesley a lord Castlereagh, receiava que ella ll5o tivesse ^ bastantes
ministre da guerra de Ioglaterra. | parJl 0 encadear, logo que elle soubesse que D.
Desde odia 7 de abril, em que os exercitos al- Gonzalo de Bailo era, em quem se centralisavam
a boa edneagao de seusfilhos Iheserviram de guia, que so separaran).
Ser possivel que a sociedade, que alguns ndivi-' operaces da campanha
daos que nao sabem pensar condemnem o Sr. Coim- dias. Essa demora teve mais de nina cansa. En- inteiramente inhabilitado para se v.ngar de D.
lira pretendendo anniquillar tocos tao sagrados ?! re ellas foram jastiflcadisslmas, a necessidade de Leonor e de Duarte. Matheus, porm, nio4ez re-
Um'pouco de reflexao Ihes bastar para approva-! aperar o tempo preciso para providenciar ao que sstencia de quahdade alguna. Accoiton, e ac-
rem Vio sublime aeco era necessario para a marcha dos dous exercitos ; celou huralldemome e com recouhecimento; e,
e sobretodo para machinar a revolta em massa o que mais, a primeira vez que so aprasentoa
da populagao do Porto, no caso de Soult se que- no pago dj Cerzedello, para combinar com D.
rer defender na cidade, e para organisar urna tal Goncal os meios de realisar a rsca.a commissao, dos, qu acudiam a ver o que era, guiou cerleiro
o qual combinago entre as multdoes armadas deque Vasco o encarregar apresentonse com | ao,agar.onde ostava o amigo, e entrou sem cere-
Demais, se os estpidos precooceilo sociaes, se
tolos prejuiaos os separavam, o progresso, a gloria
da arte os unia !
O Sr. Coimbra, hgando-se ao Sr. Germano,raos-
trou que a pobreza honesta nao pode negar um
asylo desventura !
O Sr. Germano, oaerecendo a sua amizade ao seu
adversario, patenteou a candidez Je sua alma, a no
lireza do sen carcter e a pureza dos seus seotl.
meatos !
Foi um exemplo que deve ser aproveitado : nem
sempre os pobres dormem ao relente, nem sempre
a adversidade consegue empedernir os grandes
coragoes.. Esees qae fallam contra o Sr. Coimbra,
consultem as snas consciencias e digam comsigo,
repetindo a parbola do marlyr do Calvarlo :
monia na sala.
do Minho, a lira de embaragarem a retirada do toda aquella subralsso, com que o villo encara-; pJ~ Me||o
marechal, sem o qne os planos de Wellesley fa- va naquee lempo o fidalgo.,' A propria D. Leo- ; Tu pg, jLjt t
Ihariam infnlliveimente.
Vasco de Ornellas foi um dos offlciaes escomi-
dos por Beresford para virem ao Porto c ao Mi-
nho. A elle, sobretodo,, foi encarregada quasi
exclusivamente a subtevacao da provincia. Be-
resford conhecia-lh o carcter audaz, impvido e
providente ; e estas qualidades ea circumstancia
de elle ser senhor de urna grande casa do Minho e
or, apesar de repugnar ao principio com a en-
trada Jelle"no solar, acabou por -fim por se Ihe
habituar presnga. A baixeza das nimba i as
delle, e a uertiaacia da humildade, eom que pa-
reca eraaeuhado am Ihe varrer do eepiritoa an-
mosidadeQue ella senta por elle, ajzradaraai ^os pratos que estavam sobre a mesa diantc- da ca-
muHiauo jub ... ,. .' t ctt r- ; deira de Vasco, e depois serviu-se com toda a sem-
queJIa mulher soberba, cuja vaidade arrogaste
pretoria o estrepitoso e.intil.zumbido dnf zau
exciamon Vasco de Ornellas
1 A. ? '
E,admiras-te respondeu o outra ni IqmjJo-
vial e abragando-o cordealmentc.Pois devias espe-
rar-me a nnm ou a outro. Mafe boa fortuna me
azou deveras a sorto... que esioo com urna fome
diablica..'.
Assim dizendo, puchou uma cadeira, tomou um
i obra silenciosa mas fecunda da meJliucacaa
aparentado muito chegadatuente comas familias Bow.
mais nobres e mais poderosas da provincia, fize- da| teinai
ram com que o Inglez o escolhesse para esta ira^ Durante, pois, estes quinze das, nao paesoa um
ceremonia de umapouca de orelheira, quefumega
va sobre uma travessa de porcellana da China.
Vasco sentou-se defronte delle.
t'ividldu em sergoes, ftUMicionaa como corpw col-
leeli.vo para a ci>iilinini de-ppMnios. AlNe, po
nm, que estes premio^essenaaonsideradu laaej
ckuu apresentados a um. oonoafn comporto do
presidentes dos 'M> junys prinaif j. para delle re-
fdienvi .-i sam-eao. 'i'* |>res*Wna-s que (ormavam
cooosetho para regular, o naforio dn jor>>.
ecara Borneados pelo wmmMtorio de
Sa>li- dentre os jurado da vari naroe,
a.eada paiz numero (tilatiao- aw e*|aro qix- i
ilcio Ihe era distribuida. t>> presidente d i
Ihe era nomeado pelusomnMaarios ile >oa mage>
Vade.
Dicidiram os conmiseari de sna aaagmadr
qfie s uma especie da -medaaha !' dada pcti
Jurys. Esta decs".. Ihe fariteu runsi.leravrt-
cBente os trabalhos, ;km-uu anda mais U* |reri
, que remunerar aaxrellenen ornle se arlMva
me cheparamos-rumora da derrota. .sa||ender compet:,^.narX e,pc<^ure.
J c
Nao me surprchendeu; esnerava-a desde o dia ent
que estive eom o primo Silveira, a vi a qualidade
de gente qnc elle commandava.. Sabes alguns pro-
menores?
O Soult encarregou-e de os parteeipar na-
madrnsrada de qnarla feiaa passada aos habitantes
do Porto, n'um Imlpiim que faz espalhar pelas ca-
sas, e que se intitulava.A passagem do Tamega
em letras bem cordas. Foi nm verdadeiro p-
nico na errtade; foi o ditibo. N5o fazes idea o qne-
o tal papal'cansn no espirito putaieo. Cnntava a
eousa minuaiosamanta-, acrescanfada. j se ve, pa-
ra dar aquella bnlha s honras de uma grande ha-
talha. Rizia a lal papeleta que Silveira Un der-
rotado, perdendo quihentos mortos, dtenlos pri-
sinneirns e doze ppaas de artilharia Aqui hadr>
funlos de mais, por Deus I...
Mas entao, bateram-se t...
Se se bateram, por vida la Balerant-se
com.> iras lees. Nunca o. esperei de ordenaneas
e d milicianos. Desde o dia 19 do mez p*sado
al o dia 2 deste mez de maio, na ponte de-Ama-
rante ; mas ante, como sabes.. .Quando esitvesle
tu-com Silveira?'
No dia 3 de abril, as posicoes que-elle oc-
oupava am Villa Mea. Preparava-se anio para
marchar no dia seguinte sobre o Loison, que asta-
va em Penafiel. a ver se bata, antes de elle se
reunir con a divisao do Delaborde, a qual, segun-
do diziam os espides, ja estava em marcha, com o
fim de cahtaem depois as duas sobre Sltveira. ata-
ca-Io e extermina-io eom aquellas torcas reunidas,
e por consequencia muito superiores em numero e
diseiphrK). Como nao pude esperar para ver o re-
sultad d'aqualta tentativa do general, e depois
sou be que eHe estara defendendo a passagem do
Tamega ara Amarante, segundo as ordens que Ihe
lever, entend que elle tinha mudado de plano, e
retirado, para as execular, sobr aquella posicao...
Qual historia interromnen aqoi Pedro te-
Mello.Pois Silveira l homem que deixasse de
levar a effeilo qualquer ido qne se Ihe mellesse
em cabec, ainda rrae as ordens Ibe viessem direc-
tamente do re i Nao, senhor. Marchen effectva-
mente sobre Penafiel, mas o Maneta que nao ea-
hiu na asneira de esperar por elle, comapouea
gente que tinha. Botiron sobre Bailar. Kntao o
Silveira teve o Iwm senso de voltar para as posi-
coes de Villa Mea, d'oade marchou no dia 18 para
Amarante, logo que soube que o Delaborde tinha
Directivamente feito a sua junecao eom Loison.
Estes entraran) cw Amarante no mesmo dia que
elle. Houve al uma pequea refrvga. que Silvei-
ra sustentou entretanto que se aperfeicoaram as
fortificagocs qne tinha mandado fazer na extremi-
dade da ponte, na outra margen do rio. Promp-
tas ellas, retirou para l. E agora o vers. Ain-
da na manha do dia 19, o tenante-coronel Pairik,
que Silveira deixra na margen) de c, dispntou
tenazmente a posse do convento de S. Gongaio.
Teve por lira de retirar, e os Francezes arremega-
ram-se entao sobre a ponte, ao abrigo de nm pa-
rapeito rodante quo fizeram, e com o qual conse-
guram apossar-se da primeira Irinoheira. D'ahi
para diante nao deram nem mais ura passo at o
da 2, apesar de teretn conseguido subir m obuz
fiara a torre da egreja, d*onde metralhavam as
orgas de Silveira com toda- a boa vontade, com
que Ihes estavam. Por fim o Delaborde e o Loison
entenderara que precisaran) de mais gente, e as-
sim o parteciparam a Soult, que Ihes enviou mais
A medida que se adiantava < trabalho do* jun-
arnou-se que inuitos arligt* i niam.e\cHlenru
merecedora de menguo esperii sem todava Bar-
dar direilo medalba.;. e kem que is. envolver
algn, desvio da rogra ojue or ginariamente se n-
nba assentado, o ucaselliodos
accedeu ao dese>). do jurys, el
casos fossem clastticadu e pi !ln;;x!*> sob o titui.
de menres honfasa&
residicMe com luoV
perra-Jio qu>- -
Os jurados e as- setas, assoejados pw se oeeapv
rain em examiaar o oijeciosjda e.^jieao imat.
ram a 612 pessoas,. das quaeJ 287 eram' e>lraanet
ros, e :i2a ingleze. Sao boleos de alta pwirS
social, sci.-niitvie iodustriaL vina dequai
os paizes civiksado do mundo.
Os seus trabalhos aecuparatn Ju.is
ram de nalunozn a mais anlua ;- poi
examinar o i.bjectos aprese
posi lores, i|unilo menos,
rar que dois-attigus exhibid
capado sua aUenco. Em
a demora da. envegada ou do
sivel aos jprys, o examinar
que esto traje no edificio ;
em outros- casos, erro na
liv
lado por *.VJUB-ei
a. seria para, adnn-
dgum bounMM e>
?Jguns poueu.
ranj. iorpon.il
a um c!..
mesmo Vean tnan
silicai;io '.ornar un
C* jurys pasa, o.c
duvidosa. a corapeieneia
de certv objecios.
Fez-se- todo o esforgo, anea ir disso, para
estes obstculos -, e as cassoes, se-a Iguana ana-
ve, deven ser mui poucas em numero, e ao sao
devidns- talla do aiteono do juay.*, nudo onV
ciasB.iMnpregados era facilitar-lne. o.lr ifcnlfco.
ti> numero de mediabas voladas, peto jury* sene
a perto de 7,000 ; cas mengOes. honruisas. a ana*
3i30. A propongo dos presniu ao expoiare>
raaior que na o'vposico irtlacnAricnal de It-"'.
meuor porm quima de IK.*\
Nao obstante-as variadas narinnntidade r| te-
sentadas nos jurys, salisnuMoh o retornar me.
prevalecen a maior harmoniav durante o lenanc.an
que os jurados estiveram a.*ortados anos, tra-
balhos,
A dependencia mutua intima allianra antre n.
induslrs do mundo, nao sido 11 lustrada pelo ae-
lozos e-imparciaes estorgo dos jurado, dn dn>-
rente nacoe, em reconnecer e prnntif aaate-
cra-to presontado na exhibiroes dja sen anm-
peliuores industriaos. Temos grande Malsana
em observar que estado da indnaarin, nnnt" e
mosti-ou va exposieao internacional, da ano*
ura progresso activo e saudavel par todnn
civil.sado : pori|uanio, ao passo apx. ac
nago buscando novas malarias primare
do producios considerados uto a>|in
presumo especialmente nn admiramo dn
melhoramenlo nos mirhiaaiaaol ananrnfados paru
adaptar esses producios, a Un idwlrinw ; taaam
como das appbcagdea da setoneto, a da gram a
bem snccedida atteneo, qno annfn ao dn a ladj*
artes neeessarias pva uiiasn ***
ment do bello.
Em primeiro lugar, disse ento Pedro de Mel- duas brigadas eutvnafldada* pelo general, de La
lo, enmend com toda a boa vontade de quejo nun- Huussave. Ru vws sahr. E valientes soldados,
ca solTrera de dyspepsa e acabava de andar scie devras" \ Ercm dous rgimen^ de trop ligeira.
PRRiN*BUC0.- TXr\ WlK

I
i
MUTBLAfiQi'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E14S6693F_8I7AUH INGEST_TIME 2013-08-27T20:44:07Z PACKAGE AA00011611_10341
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES