Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10305


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AHBO XL lfDMERO 49.
' Pr (res nezes ndiantados 5JO00
Por tres mezes veicidos 6S0U0
Porte ao corrcio p w tres mczcs. 3750
I
^rviikWiC'-
TERCA FEIRA 1 DE MARCO DE H64.
Por anno adaiitado. i 19S00O
Porte ao corrcio-por um anno 3$00
ENCAREGADOS DA SUBSCRlPgO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima!
Natal, i Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv,
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigue; Para, os Srs. Manoel Pinheiro 4 C; A-
mazonis, o Sr. Jeronymo da Cosa.
ENCAURSGADOS DA SUBSCRIPTO NO SITL
Alagas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
Sr. loso Martins Al ves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins ^ Gasparino.
PARTIDA IOS ESTAFETAS.
Oliuda, Cabo e Eseada tolos os dial.
Igi:arassn\ Goyaona e Parahyba as segundas e
fextas-feras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Allinho e Garanhuns as trras feiras.
Pao d'Alho, Nazareth. Limoeiro, Brujo, Pcsquoira
Iugazeira, Flores. Villa Bella, Tararatu', Cabrob,
Boa Vista, Ourirury e Exu' as quartas feiras.
Sennhaem, Rio Formoso, Tamandar, I/na, Barrei-
ros, Agua Preta e Piraenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi dia.
EPHEMEBIDES DO MEZ DE MARCO.
1 Quarto ming. as 10 h., 51 m. e 44 s. da m.
8 Loa nova a 1 h., 39 m. e 20 s. da m.
l.' Quarto cresc. as 3 h., 47 m. e 32 s. da m.
23 La cheia as 8 h., 27 m. e 3 s. da ni.
30 Quarto mig. as 8 h. e 2 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e 6 minutos da manha.
Segunda as 10 horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEMOS.
Para o sul at Alagas a 5 e 23; para o norte at
a Granja a 7e22 de cada mee; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, mar?., maio, iul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para Recife: do Apipuefts s 6 >/,, 7, 7 /?, 8 e
8 '/i dan.; le Oltiida as 8 da m. p.e'da larde; de
Jaboatao s 6 '/ da ni.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemliea as 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 Vi, 4, 4 'A, 4 >/2,
5, 5 "/ti Vi e 6 da tarde; para Oiinda s 7 da
manha e 4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; Dar Cachang e Varzea s 4 V ds. tarde; para
Bemflra as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS 7RIBIWAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commereio: segundas s 11 hon.s.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
das da .emana.
29. Segunda. Ss. Populo e Esswidiio aun.
J. Terca. 8s. Siibcrto o Eudorio na.
2. Qaarlft Ss. Juvino, Basilio e Secundila mm.
3. Quioja, S. Hi-meterio c Asterio mu.
\. Sexta. S. Cissemirorei; S. Lucio p.
."i. S-lidiado. Ss. Focas e Palatino mm.
G. Domingo. Ss. Vctor e Victoriano mm.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livrarla da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietanos Manoel Figue/rea d.
Faria 4 Fimo.
PARTE OFFICIAL.
I MSI i: IIIO A .IISTHl.
2." seccio.Ministerio dos negocios da just-
ca Rio de Janeiro, 4 de fevereiro de 1864.Illm.
< Exm. Sr.A' S. M. o Imperador foi presente o
officio de 18 de novenibro. do anno findo. ein que
V. Exc. communiccu que, em resposta consulta
do juir.de direito da comarca de Serid se achan-
flo-se processados os S#fHMt(s do ju: municipal
do termo deMossor, e estando o 5' qespronunria-
do, poda exercer o cargo, ou devia aguardar a do-
cisao do recurso interposto ex-ofhcioi; declara
que tnao tendo effeito suspensivo o recurso, con-
forme o disposto no art. 72 combinado com os
arte. 69 e 70 da lei de 3 de dezembro de 1841,
podia o 5o supplenle exercer o cargo desde que
leve em seu favor o despacho de nao pronun-
cia.!
O mesmo augusto senbor. tendo ouvido o conse-
lheiro consultor dos negocios da juslica, houve por
bem mandar declarar que bem resolveu V. Exc. a
duvida proposta pelo juiz de direito da comarca
de Serid, vista do art. 72 da lei de 3 de dezem-
bro de 1841 e arl. 165 do cdigo do processo cri-
minal.
Deus guarde V. Exc- Zacharias de Get e
Vasconcelos. Sr. presidente da provincia do Rio
Grande do Norte.
GOYER.X) DA PROVINCIA.
Expediente do dia 26 de ferereire d>; 1861.
Ofllcio ao Exm. bispo diocesano.Devendo ter
higar no dia Io de margo prximo vindouro, 1
hora do larde, a abertura da sessao ordinaria da
assembla legislativa provincial, assim o commu-
nico V. Kvma. para que se sirva de providenciar,
afim de jue seja celebrada na igreja matriz da fre-
guezia do Recife a missa votiva do Divino Espin'to
Santo.-Offlciou-se cmara municipal do Recife
para mandar'preparar para aquello lim a igreja do
Corpo Santo.
Dito ao general rommandanto das armas.Sir-
va-se V. Exc. de mandar alistar nos corpos em
guaroicao nesta provincia os recrutas Belarmino
rloriano Correa, Joao Mendes de Oliveira, Antonio
Joaquim de Sant'Anna e Jos Ferreira da Silva,
que se a-ham detidos no quarlel do 2a batalho de
infantaria, providenciando V. Exc. ao mesmo tem-
po para que seja posto em liberdade o de nome
Vctor de Oliveira Braga que nao tem a idade exi-
gida jiela le. segundo consta do seu officio n. 353
ae 25 do corrente.Communicouse ao coronel re-
crutador.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. mandar postar
um dos corpos de linha em frente do passo da
assembla provincial no da 1 de marco prximo
vindouro, ao meio dia, alim de fazer as honras do
estylo por occasiio da abertura da sessao ordina-
ria da mesma assembla, providenciando V. Exc.
ao mesmo lempo para que a fortaleza do Brun d
a salva do costume.
Dito ao mesmo.Deferindo o requerimento do
2* sargento do 7o batalho de infantaria, Conrado
Gonealves Meirelles. sobre que V. Exc. informou
em ofllcio n. 360 de 25 do corrente, o autoriso
mandar dar-lhe baixa do servico, aceitando em seu
ug ir o paisano Alfonso Salgado de Albuquerque,
%m est as rondices do regulamento e 28 de
setembre de 18o'J, como V. Exc. declarou-mc em
dito ofllcio e consta dos documentos que devolvo.
Dito ao mesmo.Tendo o fornecedor dos presos
jwbres da ca leia da villa da Eseada abonado dia-
rias para ansente do soldado desertor do S* bata-
lho de infantaria, Joan Jotta da Silva, na impor-
tancia de 175200 durante o lempo em que este es-
teve preso na mesma cadeia, sendo 14-3200 corres-
pondentes aos dias decorridos de 22 de jullio 30
oe setembro do anno passado, o que foram pagos
pela thes Mirara provincial e 3000 relativos 1*
guinzena de outubro daquelle anno e de que est
por pagar o referido fornecedor como ludo consta
i as informacoes e folhas inclusas por copia, de n.
1 3, assim o declaro V. Exc, afim de que se
sirva de ordenar que pelo predlo batalho nao s
seja Indemnisada a thesouraria provincial da des-
pea que fez, mas tambeni paga a ultima das refe-
ridas qnantias Manoel Jos da Silva Oliveira, vis-
toque, segundo as infirmagoes da tbesouraria de
faznda icpias ns. 4 e 5) lirou-se nos prets etape
pira aquella praca, relativamente ao lempo de
sua pris.io.Communicou-.-e tbesouraria de f-
i\ oda e provincial.
Dito ao inspector da thesouraria de (azenda.
Tomando em consderacao o que V. S. expaz em
seu officio de 24 do cnente, sob n. 97, con refe-
rencia M parecer da contadoria d :ssa ti esouraria.
relativamente ao pagamento que em II deste mez
mandou-.-e fazer ao capitao Jos Francisco de Mo-
raes e Vaeeoncellos na importancia de 82400,
piovenienle do aluguel vencido nos mezes de julho
dezembro do anno prximo passado, da casa que
serve de quarlel ao destacamento da villa de Flo-
res, bem como o fornecimento de luz para o mes-
iir.el, tenho a iiizer em resposta que dessa
qi amia mande V. S. pagar semiente a de 622O0
conforme indica a mencionada contadoria.
Dito ao inspector da thosourana provincial.
Autoriso V. S. nos termos do final de sua informa-
co dei\ do correle .-ob n. 67. a mandar entre-
gar ao vi;;ario da foeguezia de Jalioalao Manoel Es-
peridio Muniz, mediante Manca id mea o l:000$000
volado pelo art. 13 8 da lei do oreamento rigente
par o> reparos da raalha,daquella freguezia.
llilo ao cominanlanti! do coriio de polica.
Mande V. S. porem liberdade o recruta Antonio
Mariano de Souza, que se aeha detido no quarlel
do corpo sob seu commando, vijio ter provado
isencio do recrutamento.
Dito ao conselhoadministrativo.Autoriso ocon-
seibo ad ninisirativo a comprar para a pharmaca
do hospital militar os objeclos mene.inados as 2
inclusas rela?6es.-Communicou-se ao general o
thesouraria de fazend i.
Dito ao director da repartico das obras publi-
cas Inl 'irado do ciintedo do seu ofllcio de hon-
tera, sob n. 44, tenho a dizer em resposta que pode
Vmc contratar rom Silvestre de Dantas Lima, a
razno de 75abraca corrente e importandotudo em
101-3, a exivin-ao dos reparo- de que precisa o ein-
pedramento de 23 bracas da estrada da Victoria.
junto ao empedramento do lugar denominado Bu-
JbOes ariemata'Io pelo mesmo Lima, corto de que
vou dar sciencia disto ao inspector da thesouraria
provincial para o fim indicado em seu citado ofll-
cio. Communirou-se thesouraria provincial.
Expediente do secrelario du govrrno.
Ofllcio ao general commandante das anuas.S.'
Bte. o Sr. presidente da provincia manda commu-
nicar V. Exc. que nesta data autorisou o director
do arsenal de guerra a mandar fornecer compa-
nhia de cavallana |Kir conta do pedido geral do an-
uo corrente osarligosde fardamenlo^ara recrutas
indicados no pedido que acompanhou o seu ofllcio
n. 354 de 25 do correle.
Ao mesmo.Deordem djS. Exc, o Sr. presiden-
te da provincia, communico V. Exc. que nesta
data autosou-se o director do arsenal de guerra
a sa.isfazer os pedidos da companhia de cava I la ra
5uc acomaanbarain o officio de V. Exc. n. 362 do
.'j ib crreme.
Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc o Sr. pre-
side ite da provincia declaro V. Exc'ein resposta
i oilirio n, 352 de 25 do corrente que nesta
data autorisou-se ao director do arsenal de guerra
a mandar fornecer ao commandante do forte do Bu-
raco os objectos de que trata o pedido que veio an-
nexDao seu citado ofllcio.
Despachos do dia 26 de fevereiro de 1861.
Reqiicrhnentos.
Antonio-Malaquias de Maredo Lima.D-se do
"que constar.
Antonio Caetano de Oliveira Coragem. J foi
prvido o lugar.
Irmandade do S. S. Sacramento da freguezia da
Boa-Vista.-Informe o Sr. thesoureiro *R loteras.
tShS^^SHi S,r-i,C-"1eS Leal '"li,,is'ro da '"-a-! ?'" da Pena capital, abolida ja de facto ha 20 dado tao prestante, do liberal lio verdadeiro. ma
rinna; ioi muito apreciado por sua cordura c nao ; annos. se tiiioii na fon-a di i.ii.i.
menos pela tolerancia que manifesiou.
6.A direccao local no Porto pode suspeodsr
L'st,m- "I El-reioSr f) I f.-z-se renresentar nrsta ce- \ ^ OSr. Garcez (relator da co.nmisso de resposta) Portugal. Foram approrodos oSMies d^mmieil remonia fnebre orum ^oTSaT^tadMt de t?0 ? LndreS fboar> *<>o-* lente das
mbemiomou parle nesta d.srusso. ^ire^m^maZoT^^ooM^l campo.* d* $CUS JU '"^ dl "zo.;s porque assim pr^edeu. fm dos directores
tamben!
AeaNa de
seibo de iniui
(MOARM DAS ARMAS.
Quarlel general do eoiiiinandn das armas de Per-
n;mluco, na ridade do Recife, 29 de fevereiro
de i 86 i.
Orth-m do a n. 296.
O general rommandande dasarmasdeterminaque
na n anbaa do da 1 de marco prximo vindouro
se pane revista geral de mostra aos corpos movis
do exercito aqui existentes ao de guarnicao, e as
companhias soladas, pela ordem seguinte :
As 6 horas a companhia i'arlifices; as 6 1|2 ao 1-
batal'iode infantaria : as 7 a companhia decaval-
laria ; 7 1(4 ao 2 batalho de infantaria; as 7 3|4
ao 9 da mesma arma; as 8 ao corpo degnarnicao;
e fin; luiente as 9 ao 4 batalho d' artilbana ap.
O mesmo general determina outro sim que ama-
nha seja desligado do 2o batalho de Infantaria ao
qual se acha addidooSr. alteres Gregorio Alvares
de Si queira Bueno, que tem de seguir no vapor que
se espera do norte para a provincia da Baha a
reunir-se ao 8- batalho da mesma arma para o
qual foi transferido.
Assignado.Solidonio Jos Antonio Pereira do
Lago.
Conforme. Jos Ignacio de Medciros Reg Mno-
teiro, capitao encarregado do delalhe.
. approvado o dividendo campo
e ser entregue ao presidente do con- de 185000 por titulo de cinco acedes. Foram elei- O mesmo
stros o Sr. duque de Loula represen- tos direclons os Srs. Jos l.nireneo da Luzi.re n;r.-i',.,,i'v!i, U* a*>d.! .Icpiiiaeau viuda do dente -J<^ Antonio Ferreira Viauna Junior-Li-
disintlo de VlUa-Real acerca das tristes occorren- hamo Mihetro da Silva -Jo.* Utmo-l Luitio -Se-
^i,S0rn^i'.Ue^,,Tera,l,,ngar' fi(,fi1U0P- bas.io Jos de Frenas-Augusto Xavl-rda Silva
portunamentelledeinouca -J.qui,Caano Lopes ia Silva-Joao Ribeiro
1 U Uiano de. Lisboa, publicou a seguinte de- Franco. '
t\^TJ!R^h'Cr qUee,m r8H?*tt1 Ttf*" r A Asfl0cia?" dos Architeclos de Lisboa re-
mia dada pela Correspondencia, jornal de Ma-; sol ve u na sua ultima sessao ;
Indicar a maneira mais econmica de rc-
drid
Declara-se infundada a voz, que na imprensa
tem corrido, de que o vapor Mmdelo fra enviado
construir um novo bairro com habitacics proprias
para operarios, tendo as commodida'des precisas
'r,' H l" uu para operarios, temi as commodidad's precisas ->o aia / Uocorre
1 ? -V ? U" ''ual'lu/1; l,"s1sl,J interventora rea- bem arejadas e de diminutas rendas, e propor o lo- desaggravo pelo
. n .ur'i?? '' p1nfederados- "' mais conveniente para ellas se edilicarem em igreja da MentjJa, em
i u direito e o dever das potencias neulraes e Lisboa. Do templo dffBMta &
TSEZ ai"v,o|a,"lidadc dos seus portes e a res-' 2'-Aprcscntar um trabalho comparativo so- procissao, na iiuali.
pecina linha de respeilo; com este direito o dever bre os differenles edificios do reino ; qual '" i'"-i" '......
se conformara estrictamente o goveruo, nada mais goslo ,1 arcbteelura <|ue predom.nou n essai
e ,wu1 menos. trueces, e declarar aquelles que sao d gno-
a~ } ul,l,cou"so na das a carta de le conceden- rem estudados e condecidos do publico, pe
augusto senbor qut- tao pesaroso ae
mostrara com o passamento deste cavalbeiro. pa-
tenteou ao Sr. Jos Chrysostomo Velloso Hurta, ir-
mo do Uado, desetos de possuir aljama eousa
que tivesse pertencido ao ex-ministro das obras pu-
blicas, o oSr. Jos liona enviou a sua mageslade
a espada e al^uns outros ebjeetos de que seu ex-
tremado irmao usara.
No Porto fallecen o Sr. Jos Pedro Brando
de Mello Cogominho. lilhodms condes do Terena e
cunhado do uiarquez de Monfalim.
- No dia 7 do corrente celebrou-se a festa de
ato commettido ha dias na
Befen.
inonumento destinado missa ..emne, idciando o mesmo llevd. conego Sg &TT& d^Safde
EXTERIOR.
niplo de^bita Mara de Belcni sabio urna
2."Aprcscntar um trabalho comparativo so- procissao. na qual iam todas as irmandades das
bre os differentes edificios do reino ; qual foi o rejas daquella localidade. Lcvava a custodia o
ssas cons- Revd. conego Cicouro, dase patriarchal.
nos de se- -^ igreja da Memoria, depois da entrada da pro-
io pntilicti," pela sua cissfio, e feilas as ceremonias do ritual para taes
uo a iuorma no posto de alferes as pracas de pret pe fecao, conforme as Miras da arte. I easo*. se cantou pela msica da real capella urna
'nnrf !" i>lU0 m 6 de outubro de 1840 eram 3.Qual deva ser o monumento destinado missa solemne, ofllciando o mesmo I
poru-nanaeiras, sargentos ajudantes, sargentos para a praca de D. Pedro IV, que forma deVefr Cicouro. Tudo foi a expensas de el re
quarteis inestres, ou I sargentos. Tem a data de ter que produza o melhor effeito, nao diminua a '
I CmrJfiUi"m0' .I,elle"e ?randeza da r Ao da 6 do corrente, saino do Santa Apolo- bra a parte principal da fachada do tbeatro nor-
na as o norasda manhaa um condwvo decaminho mal f
| de ferro para o Porto. Este comboyo era de recrcio 4.--Que se solicite do governo para que au-
e so loram convidadas para a digressao tnnta pes- tortee as respectivas repartieses a satisfazerem s demiblicar na sua obra intituladaVida de Jess...
J pergunlas que a Assoeiaco dos archileelos fizer Em Braga as missoes mataram os folguedos
afim do facilitar cama vleseos. Nio serian mascaras, e slgum1.
a formular um dic- Que apparecia naijuella cidade, era olhado com
v ti 'a a conario dos termos proprios d'esta scienca.
bstao com idadas militas pessoas de distinccao, 5.'O que seria preciso para evitar completa- i
ae moas as communlioes polticas para esta testa mente; a sabida dos gazes das pas jpertencentes aos
predios da cidade nova, sem todava se allerarem
truccoes existentes
cao tao importante
proce
tomara o lugar de secretario, at que de Lon-
dres se rerebam as delerminacoes que devem se-
guir-se.
7.1Os negocios em que a agencia local do Bra-
ziltan \ Portuyuezt bank (bUtlyij, du Porto pode
entrar se acham definidos peto docrelo de 15
dezembro da 1863, e serao regulado^ pelas
truccoes geraes ou especiaes que a titm^fward)
de landres dirigir referida agencia local.
8t-0s estatutos, compostos de 221 artigos, da
associacao, formam parte integral d'esle regula-
mento, em tudo quanto esiabeleca em rclacjlo di-
reccao fboardj de Londres, o s agencias, que,
pelo art. 125, tem a faculdadc de estabelecer.
Lisboa, 18 de dezembro de 1863.
O agente e procurador constituido pela direccao
ao Bratitin \ Porlugueze Bank (linuted), do
Londres.Ricardo Knowles.
Paco em 4 de Janeiro do
Ijmte.
A folha ofllcal
1864. Duqme de
publica as noticias da frica,
i.itouro. i uoo ioi a expensas de el re, porqu a Angola; 8 s de S Thom e Princine e a
igreja da Memoria ad.ninis.rada pela casa real. de Cabo Verde ctnlTaMe o"Sos eW
! S. Exc. o Sr. arcebispo de Braga ordenou d'abi esta parte, especialmente '
|quenosdias7,8e9docorrentesefizessem pre- ,,arlIC' ,u Ter'X Mossamedes
23 s
eleitores
""' v .... pergunlas que a Associacao dos arel
ao domingo 14 do corrente vai ser aberta a cerca da nomeclalura da sua arte al
exploracao publica a seceo do caminbo de ferro os trabalhos da sociedade, para frrr
UO SUl ate IJeia. cionnrin lne larmoc hm|L a'.i. .
ees publicas na igreja das Urselinas. em desangra- .
co das lieresias e blasphemias i/ue Mr. llenan acaba ,
mos odos.
artiripou o governador de Mossamedes que
os colonos que foram do Rio de Janeiro na cor-
veta Bin-thofvmen Dias, e se estabeleceram no
eonedho do Bombo, estavam muto satsfeitos,
e esperam inferir grandes vantagens da cul-
tura de algodao, cafe canoa saccharina, gneros
estes para que o terreno magnficamente
apto.
< OHtlll M>0\ll \4 I \s oo DIA
RIO 1K PERX.UIBIICO.
Lisboa, 12 de fevereiro de 1861.
Publicou-se o decreto para a forma do reconhe-
cimento do principe real o Sr. D. Carlos Fernando
e dos futuros principes reaes como successores do
ttirono do reino de Portugal.
Teve lugar esta solemnidade constitucional no
dia 11 do corrente, no palacio das cortes, tendo-se
reunido ambas as cmaras, sob a presidencia do
Sr. conde de Castro, presidente dos pares.
Reunidos o* pares e deputados em numero legal,
o presidente designou para secretarios um mem-
bro de cada urna das cmaras o constituida assim a
nova, disse:
Est abena a sessao para o reeonlieciniento do
principe real como successor do throno deste
reino.
Deiiois de feita a chamada foram lidos pelo pri-
meiro secretario os autosdonasciiuentoc baptismo
do serenissimo prncipe, os quaes para esse fin fo-
ram previamente enviados s cortes pelo ministerio
do reino.
Acabada a leitura dos autos o presidente em voz
clara e inlelligivel disse :
As corte geraes da nscao portugueza reco-
nhecim |r successor do throno deste reino, na
confo.inidade do art. 15, ^ 3 da carta constitucio-
nal da monarchia a sua alteza real o principe D.
Cario- Fernando. Dlbo legitimo de suas magostadas
o re de Portugal e Algarves o Sr. D. Luiz I e a
Sra. D. Maria Pa de S; posa
Os pares e deputados foram chaados nominal-
ment pelo segundo secretario, respondern]:Re-
conheco.
O primero secretario lavrou o auto de reconhe-
cimerto, o qual continha expressa e neiessaria-
mento :
1 O anno, mez e dia, hora e lugar ein que se
celebran o acto de reeonnecimenlo;
2. O numero dos pares e deputados que a elle
foran presentes ;
3.* O nome do par que presidio sessao ;
4.' O nome do principe real com todos os sobre-
nomes que tem e os nomos de seus augustos pas;
5." O dia, mez e anno do naseimento do princi-
pe real o do seu bapiismo, com a deelaracao do lu-
gar onde, e dadignidadeoiipessoaecclesi.-tica por
quem Ihc foi ministrado.
Lauado o auto, o segundo secretario o lera em
voz alta, e depois de lidoe approvado pelas cortes o i
entregou ao primeiro secretario para fazer nelle a I
deelaracao dsta leitura, enccrra-lo o subcreve-lo.
Foi em seguida o mesmo auto assignado pela me- i
sa e por todos os pares e deputados presentes.
Terminada a assignatura do auto, o presidente
levan ou-se e disse:
*. Est reconhecido pelas cortes geraes da naci
ponujiieza, como successor do throno deste reino,
o principe real D. Carlos Fernando.
Prc^cedeu-se depois nomeacao de urna grande
depulacao encane-ada de apresentar a sua mages-
tade el-rei, no dia e hora que o mesmo augusto se-
nbor lesignar, una copia iiuibentica do auto dere-
conheciinento, e em seguida o presidente declarou
fechada a sessao.
Alm da copia do auto de reconhecimento, tiru-
se mais tres copias autbenticas do mesmo auto,
urna | ara ser remedida para o ministerio dos ne-
gocios do reino, e as duas oatras para seren guar-
dadas nos archivos das duas cmaras. O auto or
ginal foi reinettido para o real archivo da torre do
tombo.
O Ja do reconhecimento do principe real, como
successor do throno, Ioi declarado de grande
gala.
A i asi comecou pouco depois das 11 horas da
inaiib.ia e acabou as 2 da larde.
Era seguida houve cortejo no real paco da Aju-
da. A mito SS. MM. foram em grande gala ao
thejilro de S. Carlos.
Acidado illuininou-se lendo havi o durante o
dia ai sarras as fortalezas e embarcarnos de guer-
ra su las no Tejo e todas as demais demonstragoes
do estylo.
^ Foi | apresen tada a proposta para a dolaeaode
S A. ii principe real.
Eliei o Sr. D. Pedro V de saudosa memoria, co-
mecou a recbela s aos 7 annos de idade.
SS. MM. e S. A. real demoraram-se alguns dias
deste mez no seu palacio de Mafra, onde deixaram
avulta las esmolas por occasiao de regressarem a
cap la.
A primeira entrada de S. A. o berdeiro do thro-
no |tortuguez aquella villa, foi calorosamente fes-
tejada.
No dia 5 do corrente, depois de um vivssimo t-
roteio le discursos, na cmara dos deputados, so-
bre o projeclo de resposta falla do throno, foi este
votado.
As (-mendas foram rejeitadas.
A do Sr. Fonles (sobre o eniprestimo) por 75 vo-
tos coa Ira 45.
A do mesmo Sr. Fontes sobre a liberdade do ta-
baco, por 77 votos contra 49.
E a do Sr. Ca los Rento, em vofacao nominal, por
81 coi ira 50.
Tornara-se mailo nolavel o discurso do Sr. Lobo
d. ...lia (ministro da fazenda) sobre o empre.-ii-
mo: dorante elle, rebaten, com pravas concluden-
les as aecusacoes dirigidas pela opposico e nomea-
damente pelo Sr. Antonio de Serpa.
Corre que o Dr. Silveira da Molla, deputado com grandes despezas as constru
pelo Algarve, vai apresentar urna proposta de lei para se conseguir urna condirao
para o governo ser autorisado a contratar a conti- para a salobridad!'
uuacao do caniinho de ferro de Beja at S. Bartho- 6--Que por todos os meos q
lomen de Mebsses no Algarve, pudendo esle ramal dos archileelos possa empregar I
estender-se ale Faro, capital da provincia. una colloccao das plantas, aleados
fcspcra-se que esta proposta seja ainda discutida dos os edificios pblicos do paiz '
formar
de to-
res^nt^'an s>''!\C iCrnC,dH \ma "? ""^ Em Ca,w Vcrde- continuara a caresta e falta de
rcs.gnac.io do &r. bi>po conde de Argan.L gneros de primeira necessidade.
dnTl^Jl ^ U"'a pT'ana de '2SSS d.ala T "'! estad0 ^ni,ari recentia.se d'esta nfloencia,
l"iU.?Lc ".ie' r.cal ,.'0,m! 2 edadao brasileiro;aggravando-se anda mais com as irregularidades
residente no Rio de Janeiro o Sr. Jos .
Silva Pereira, que remelteu por intermedio do
Associacao* A. J. Duarte .Nazareth, a qvantia de 1485640 rs.
em beneficio dos operarios da cidade do Porlt, vic-
iaras da crise algodoeira. Esta somma foi entre-
gue no ministerio do reino.
O conselho de satide publica do reino fez
saber por um edital que considerado suspeit de
feln-e amarella o porto do Rio de Janeiro desde 27
de dezembro de 1863.
Sobre a amiga e debatida questao da loeaeao
dos servicos por conta da associacao de cokmisa-
pao do Brasil foi pulilicada a seguinte portara cir-
cular no Diario de Lisboa, datada de 28 de Janeiro
ultimo.
E' dirigida aos governadores civis do Porto,
Angra, Aveiro, Funchal, Doria, Lisboa, Ponta l>el-
uuacao do caniinho da meios que a
Irate de
. e cortes
... pblicos do pa
KSU sessao legislativa. 7.--Eslabelocer as relacoes entre o; edificios
As obras do palacio decrystal, no Porto, con-, religiosos da captol: classificados pelos seus estv-
tinuam com todo o adiamntenlo. los, e se alguna d'elles se pode qualificar como a'r-
A direccao chamou os accionistas a enlrarem chileciura nacional..e quaes sao os fundamentos
aie zo ue revereiro com a b preslapao das suas ac- para cssa designacao, etc. etc.
oes, na razac de 20J por accio. A preposla de mais urgencia sem dovjda a que
->a cmara dos deputados, como se esperava, tem por objecto a construccao de um bairro novo
ioi apreseniado o parecer da coumiissao respectiva para operarios.
julgando a camara.incompetente para se occii|iar do Consta quu alcruns capitalistas respeilaveis se'
pratecte de liberdade dos cultos do deputado Lery tem reunido para organisar urna grande empreza
!a a' de ed'f,ca50 de predios, e contam com o apoio do
Eis o parecer: i governo d
P.MiKCKIl DAS OMOUSSOU UE l.VSTIU'DCXO PUBLICA, j lucrativo.
neoocios PGLBSUSTKoe e legisi.a.;ao, sobhe o ; {fo estado a que ebegaram as cousas a respeilo
puojecto de libeiidade dos cultos do Su. Lkvy de remkis de casas, urna boa noticia para os lia-
Joiidao. ... bilanles deLisooa, e da parle dos capitalistas um central de colonisacio do Rio de Janeiro, sem as
deudores A s commissoes de instruccao pubb- grande servico populacao. clausulas e condicoes prescriptas pela carta de lei
ca, negocios ecclesiasticos e de legislaeao foi pre-, No dia 24 do passado leve lugar n'uir.a parte de 20 de julho de 1855, por quanlo a referida as-
unte o projeclo de le do Sr. deputado Levy Mana do edificio do hospial de S. Francisco na cidade do sociacao.'no s nao possue propriedades ruraes.nein
liberdade tb; consciencia e cul- p0rto a inauguraeao das escolas, que a crdem ter- omprega os colono em seu proprio servico. mas
ceira de S. Francisco, por meio de urna avultada consta que al ten chegado a aluga-los, com in-
subscrpfao, creou para os filbos e filhas dos ir- fraeco dos proprios contratos feitos pelos seus
maos da ordem. agentes ; mandou o mesmo augusto senbor decla-
A inauguraqao fez-se na sala destinada para es- rar ao governador civil do distncto do Porto :
colas das meninas. | 1." Que nao deve por visto em nenhum contrato
Os 3!l meninos e 53 meninas, queja realisaram a de loeaco de servidos para sern prestados fra
deaesonde assenta a mesma car- sua matricula, oceupavam com os respectivos pro- do reino e ilhas, sem que estoja em tudo conforme
doniuiam todas as suas disposi-1 fessores o mestra o lugar Ibes fora reservado na ron as disposices da citada carta de lei.
Alvares da I da eslacao.
Sr. I \'0 dia 8
governo do paiz neste consenlimento importante e gadaeVianna.
Tendo chegado ao conbecimento de S. M. el-
rei que na cidade do Porto se teem feto contra-
tos de locacao de servicos por conta da associacao
los, e igualmente de proleccao para lodos estes.
As vossas coinmsses, depois de attentarem ma-
duramente no projeclo que Ihes foi submettido,
vem sem mais detenca apresentar-vos seu parecer,
O titulo primeire da carta conslilucional falla do
territorio portuguez, governo, dynastia o rcligiao :
qualro pontos cardeaes onde assenta
la, e que por isso
{des. Alterar estes principios da caria tocar nos sala.
seus alicerces e nos principios mais fundamentaos: Presilio ao acto o Sr. Aloxandre Son res Pinto
de nossa organisaco poniica. i de Andrade, cx-mimstro e deputado da ordem. e
RestnnginJo nos ao objecto em questao, exami- oceupava o seu lugar, o secrelario da ordem o Sr.
neinos os artigos respectivos do cdigo fundamen- Antonio Domingos d'Oliveira Gama.
tal. Diz o artigo 6 : Estavam presentes a mesa, o ex-ministro da or-
A rebgiao catbolica, apostlica romana contt- dem e muitos oulros convidados, entre os quaes se
miara rao permillidas aos estraugeiros. com seucullodo- a um lado da sala viam-se os retrato, pintados
nesttooou particular, em casa para isso destinadas pelo Sr. Jos Alberto Xunes, do conde d; Ferreira
sem forma algutna exterior de templo. e do ministro o Sr. Manoel Duarte Cidade, benifei-
llaqui se infere que o pensamenlo da carta foi tores da ordem, e dous dos generosos sobscripto-
dar a rebgiao catliolua todajl importancia e res- res para o fundo destinado sustenlacao da* esco-
peilo, pelas mximas que^ncerra, e por ser segu- las que se inauguraran).
da constantemente desd eras remlas pelo povo Foi agraciado com o titulo de bario de Villal-
liortuguez. j va o Dr. Ouilhermino Jubo Teixeira de Moura,
s>e_cotejarmos com o arl. 144 as disposices do que em lempo fora adminislrador do segunde bair-
art. /.>, s 2 es 14. anda encontramos um pode- roda cidade do Porto : o agraciado sobrialio, e
2." Que_ deve apprebender todos os conlralos de
No da 8 d*i Janeiro tomara posse do governo de
S. Thom e Principe, com as formalidades do es-
tylo, o governador nomeado Estanislao Xavier de
Assumpcio e Alnicida:
Alcancam at 20 de dezembro as ultimas no-
ticias que se rerebeu de Goa.
Foi recebida com grande jubilo a noticia do as-
cimento do ierdero da cora; e, em accio de
gracas por l) feliz aeontecimento, se celebrou um
solemne Te-Deum na s patriarchal assim como
oulro na villa de Margao, e nos quaes a concor-
rencia foi extraordinaria, cono igualmente foram
extraordinarias e explendidas as illuminacSes que
tiveram lugar em todos os quatro dias de grande
gala.
O arcebs|x> primaz bavia sabido a visitar as
misses do sul.
Trataya-se de se estender o telegrapho eletrico
de Pangim al Saderlugor, estabelecendo-se urna
estacao na villa de Margao.
O governador geral havia combinado com o da
presidencia d? Bombaim fazer-se urna estrada de
Damao Kaipy, por onde passa o caminho de fer-
ro de Bombaim, ficando a despeza da mesma estra-
da por conta dos respectivos governos no territorio
pertencenle a cada um delles.
A'vista da grande caresta do arroz, foi necessa-
rio isenta-lo dos direitos de importacao, tanto cm
Goa, comoem Dajno, o que produzio o resultado
que se desejava.
A Pressc de 21 de Janeiro d a seguinte no-
ticia :
O casamento de urna portugueza mademoisel-
le Amelia Bentz, filha do primeiro matrimonio da
t i. m t .....v...- in.iiit, muo mi i'iiun ii'f 111.( i i l i n- 'i ri i i ua
(OtoOisacao t|ue Ihe forem a|tresentados para visar,, duqueza de Saldanha, com o inglez sir Frederiro
que nao conliveremas clausulas da mesma le, e
reinelle-los a este ministerio para se mandar pro-
ceder contra os labelbaes que os houverein la-
vrado.
3." Que nao d passaporle a nenhum colono, cu-
jo contrato nao contver as condu-oes. que pret-
creve o arl. 11 da referida lei de *20 de julho de
leJJS,
I." Que a idenlidade dos pais ou tutores dos me-
nores, que forem contratados para fra do re no e
ilhas, ser verificada perante elle governador ci-
vil antes de assignadas as oscripturas, obrigando-
os a exhibirem a rerlidao de idade dos nesnot
seus tutelado-, assim como a darem a fiauci de-
terminada no art. II da lei de 4 de junho de' 1859
para se apresentarem, no caso de que venlia a per
Goorbongh Walpol foi celebrado em Roma cora
brilhante pompa.
O niarechal duque de Saldanha, embaixador de
Portugal, quiz que esla fesia livesse um carcter
princepesco, e ter-se-hia dito em verdade o casa-
mento da tilda de um rei.
A carroagem da noiva, tirada por quatro ca-
vallos. era escollada por um piquete de dragoes o
seguida de mais de vinte earniagens de gala.
A beneo foi lancada pelo cardeal Altieri.
Os embaixailores de Franca e Austria foram pa-
drinhos.
Mais de cem carruagens aeompanharam os es-
posos ao palacio da embaixada portugueza, onde
houve um sumptuoso banquete.
O sarao em carcter que houve no pai*o da
.- --------------..... .......v.,,. .j... ....... .... i ..# V...
anu de nao seren Ajuda no domingo gordo, estove brilhante e anima-
onus dojecrutamt nto,
_, ou seus agentes,
dais publicas, e aos direitos polticos c indivi- qum da Cosa Lima Jnior, director da academia ; qualquer oulro individuo que pretenda contralor
duaes dos_cdadaos; porluense de bellas arles, lente de arcbilectura ci-'. colonos para fra de Portugal edas ilhas adja-en-
Art. 75, $ 2. Compete ao poder etecutivo no- vil da mesma academia, e arcbiteclo mais anligo' les> Jeve trovar por documento autbentico passa-
mear Uspos e prover os beneficios eclesisticos. da cunara da cidade do Porto. do pelo cnsul portuguez da localidade para ende
sj 14- Compete-lhe taumein conceder ou negar O Sr. Costa Lima era muilo versado la liilera- orn contratados, que essa assoefeeio ou in.livi-!
o beneplaciio aos decretos dos concilios e ledras tura clas.-ica. e autor de algumas poticas e esme- do possue propriedades ruraes ou estabelerirvn-
aposlolicas, e quaesqueroutras consttuices eccle- radas Iraducces do poeta' inglez Gray, que nao tos indusli iaes em que empivgueos colonos, e bem
siasticas. sf,0 niuito connecidas porque ficaram inditas. assin obrigar-se a nao clelos a tereetro, como
hstabelecida a liberdade de cultos, nao se pode Foi j remedido de Lisboa para o Porto o ''xiKe o art. 11 da referida lei de 20 de julio de
albar com esla liberdade a interferencia do poder marmore inteiro de que ha do fazer-se a estatua '8-'.'i.
temporal, de que fallamos citados gg. pedestre lo estadista Manoel da Silva Passos. A- Manda igualmente S. M. prevenir o sobrtdito
Suppondo mesmo que assim nao seja, ainda cha-se na ofilcina do esculptor Costa na ra do La- governador civil de que para complemento destas
subsiste a o|>po icao do projeclo aos principios do ranjal. i delerminacoes se ollicia nesta data ao ministerio
nosso direito constitucional; porque, ou o poder Dentro de tres mezes estar em Matlosinhos as dos negocios ecclesiasiicos e de juslica, afim de
executivo, para haver igualdade, tem de inferir da margens do Leca aquella memoria ao di.-tincto >a- tomar as providencias necessarias para que os la-
mesma sorle nos demais cultos, e isso augmen- trila. belies nao lavrem contratos de locacao de servi-
tar as aitnbuicoes marcadas pela carta, e portante a Voz do Progresso de Setubal annuncia quo
ollender o art. 144, ou se lia de estrannar a todos a redaccio d'aquelle peridico resolver irocurar
os cultos, e entao Hca cerceada urna das importan- os meios de levar a effeito a collocacao de urna la-
tes allribuicoes do poder executivo, e do mesmo pide commemorativa na casa onde ein Seiubal nas-
modo se encentra o preceilo estatuido no art. 144. ceu o insigne poeta Manoel Maria Barbosa du Bo-
Quer nos elevemos aos principios capilaes do cage.
direito conslilucional portuguez, quer nos limite-! Rom que se vo pagando estes tributos naci-
nos ao dispuslu no art. 144, deparamos sempre naes a memoria dos grandes homens. Ainda que
com motivos de sobra em favor da consliluciona- as raanifesiaces sejam modestas ha n'ellas urna
lade do arl. ti da carta. grande licao para o povo.
Portante, sendo o intuito da carta considerar |
como elemento poderoso da ordem publica, como '"lleceu no da 9 do corrente as 10 horas da
estelo segura da sociedade, a religio cathoiica, noi,e a Ten 'ondessa da Rbeira, irmaa da Sra.
apostlica romana, que est tao inherente aos sen- duqueza de Palmella. Foi victima de um fado de- .
tmenlos e ndole do povo portuguez, e bavendo, de saslroso. Ao dar a luz o frnete de suas entranbas pori0 ,|0 |,anco denomidado The brazilvm and por-
barmonia com este intuito, varias disposicfej cons- a senhora condesa da Rbeira entregou a alma a tugete bank limUtd
eos fra do reino sera as clausulas e condies
prescriptas na lei nonada.
A proposito das prctenroes de Mr. Lmdsay,
publica um jornal que tenho vista o seguidle :
Parti no Magdalena para Inglaterra Mr. Lind-
say. Consta-nos que o governo nao aunuira as
suas proposlas anuiquilad^ras da companhia
niao Mercantil.
Diz-se que a companhia dascarroagensm-
nibus vai liquidar porque nos dous ltimos annos
ten lido grandes lenlas.
No Diario de 11 do corrento foi publicado o
decreto de 4 do mez passado (Janeiro) approvmido
0 regulamento interno da agencia na cidade do
lilucionaes no cdigo polilico, sao as vossaS rom
misses de parecer que esla cmara incompeten-
te para para resolver o projeclo do lei apresentado
pelo Sr. deputado Levy Maria Jordao.Antonio
Cabial de Sa Nogueira, Antonio Egydki Cuares-
ma Lopes de Vasconcellos, Francisca Marlins Pu-
lido. Manoel Pereira Dias, Relcbior Jos Garcez,
Anlonio Augusto Soares de Moraes, Francisco Jas
Borges Fernandes, Annibal Alvares da Silva, Joa-
quim de Albuquerque Gsldeira. Jos Bernardo da
Silva Cabral, Jos de Oliveira Bptisla, Joaquim
Antonio de Galeae Pina. Jos Maria da Costa o
Silva, Albino Augusto Garca de Lima, Pedro Au-
gusto Monteiro Castello Branco, Anlonio A y res de
Deus, quando eslava ajienas no despuntar de
vida.
Os seus restos morlaes foram condnzdos no se-
guinte dia para o eantterio do Alto de S. Joao n'um
coche da casa real e acompanhados de grande nu-
mero de pessas.
A senhora condessa tinha casado havia pouco
mais de um anno.
A receni-nascida fallereu hontem c dense boje
sepultura.
Fallecen era Pars no dia 4 do corrente, o Sr.
Francisco Teixeira Viegas, oantigo Agapito do Braz
Tizona e redactor principal do jornal A V.poca.
O Sr. Viegas era um escriplor intelligmte, e as
Artigo nico.A agencia local no Porto coni-
poe-se de 4 directores, secretario, e os mais cai-
xeiros e empreados subalternos que o negocio
exigir; que lodos serao Horneados na conformida-
de dos estatuios ou artigos da assocfecio do Bra-
zilian A l'urtttgurzr bank (ImitedJ, que foram
approvados pelo decreto de 15 de dezembro de
18(i.'I :
1.llavera um presidente da direccao da agen-
| cia local, nomeado e substituido por accordo entre
os quatro directores.
2.llavera urna commissao gerente composta
do presidente e outro director servindo por turno,
cora a obrigacao de vigiar e fiscalisar a gerencia da
Gouveia, Antonio Carlos da Maia, Anlonio Pequito suas cartas no Bros Tiaira haviam-se pipulahsa- agencia, e" fazer cora que loos os erapregados
Seixas de Andrade, Bernardo de Albuquerque e | ^ nas,an,e- cumpram os seus deveres.
Aiii*ir*il rpllor
ritimamente um cancro no osso maxiiar supe-1 3."A correspondencia oficial ser assignada
Foram publicados pela folha olllci.il os regu- rior o posen em risco de perder a vida e o fizera pelo presidente, ou quem suas vezes fizer, e como
lamentos sanitarios sobre 0 servico das quarente- ir Paris tentar o ultimo recurso da medicina, no- director da commissao gerente, ou o secrelario.
as, trabalho que fra commettido a|uma commissao. rm urna hemorrbagia Ihe apressou a morte. 4."Compete ao secretario tratar de tudo quanto
especial e que foi approvado por decreto de 14 do I Chegaram no da primeiro desle miz a Lis- [fr relativo aos negocios do banco, dar cumpri-
janeiro ultimo. j boa os restos morlaes do conselheiro Thiago Au-! ment s ordens da direccio de Londres (board),
Foi ha dias inlerpellado enrgicamente o go-: gusto Vellozo Horla, ex-ministro e deputar'o da na-' assignar toda a correspondencia e papis necessa-
verno em arabas as casas do parlamento, pelo inau- cao. c foram conduzidos em coche particular da ros sob sua responsabiiidade individual.
dito faito de ter o governador de Timor. Almeida, estacao do caminbo de ferro em Santa Apotema 5.Os papis de crdito em, geral, como letras,
mandado fuzilar sem processo nin individuo. Esto para'oceraiterio dos Prazerps. sendo depositados saques, ordens ou quaesquer documentos que im-
gevernador j eslava demittido e substituido pelo no jazigo da familia Braamcamp. Perto de cem portera responsabiiidade, alm de serem assigna-
Sr. Jos Eduardo daCosla Moura ; mas agora ser carruagens com ministros de estallo electivos e dos pelo seereterio, serao vistos e rubricados por
medido era processo e responder polo allomado honorarios, pares, deputados, altos funettoaarios, nm director da commissao. gerentot que por seu
commettido. A noticia chegara a Lisboa, justamen- principalmente do ministerio das obras lublicas, turno ser presente no, sscriptopo. dai agencia, te-
te quando se iralava de propor s corles a aboli- \ acompanh iram at aocemilerio.o cadavtr do ci- dos c* dias nao san;irtcados.
dissima Tendo comecado pouco depois das onze
horas acabou s seis horas da manhaa.
El-rei appareceu as salas oerulto primeiro com
um domin, que depois substituto por uro. trajo
Luiz XV e por ultimo por una armadura completa
de caval eiro na idade media. As 2 horas e meia,
S. M, erguendo a viseira cumprimentou as pessoas
que tinhain a honra de se encontrar no baile, c es-
las unniediaiamenle tiraran as mascaras.
S. M. a rainlia cobria-se a principio com um do-
min preto ; e sabio dos seus aposentos pelo bra-
co da Exma. Sra. I). Mara Ignacia de Souza, lillia
da Sra. condessa de Villa-Real, a qual se disfarcava
nimia elegantetricana.
S. M. a rainba, largando o domin, appareceu
inunde a escoaseta, e por fim cora um bello e ri-
qusimo costuinr Maria Stnart.
A Sra. D. Maria Ignacia de Souza, largando o
singello traje de tricana o substituir por um
Stnart, igual ao de S. M. a rainba; madama Gui-
laird, es|M>sa do ministro de Franca trajava de na-
politana ; a Sra. viseondessa de Soares Franco ves-
ta de noitc. uma toilletle prela ornada de estrellas.
Outro traje a capricho era o da Exma. condessa de
Lumiares, que se disfarcava cm fada.
Entre os cavalleirosnotou-se oSr. duque de Lou-
l oceulto n'um domin preto ornado de vermelho,
o Sr. marquez de Caslello-Melhor veslindo com to-
do o vigor o traje de um seu anlepassado Luiz
XV ; o Sr. conde de Azambuja trajando sicilia-
na; o Sr. visronde de Soares Franco oceulto n'um
bello domin azul; o Sr. D. Francisco da Cunta e
Menezes, appareceu ,-ob as vestes talares de Ba-
zilio; o Sr. conde de Mesquitella veslindo de Alfon-
so de Albuquerque; o Sr. conde de Penatiel trajan-
do a portugueza no secuto XV; o Sr. conde Com-
rainges Guiland vestido de veneziano ; os Srs. D.
Luiz da Cunta e Menezes e Sergio de Souza disfar-
cados em desembargadores; os Srs. conde da Tor-
re o Folque em puritanos, o Sr. Possolo veslindo
um elegante traje mourisco, e o Sr. ministro da
America veslindo escosseza.
O Sr. infante D. Augusto trajava um elegante
falo mourisco e el-rei o Sr. D. Femando eslava de
farda.
No cotilln, S. M. a rainba dansou cora o Sr.
conde da Torre o el-rei com a Sra. condessa de Pe-
natiel.
A armadura que el re vestio linha chegado de
Paris no domingo pela manhaa, sendo portador
de lia o nosso cousul naquella capital.
O servico do cha, refrescos e ceia foi feilo no b-
tete : o de cha das 10 al s II horas, o de gola-
dos e refrescos, das lie meia at 1 hora; o da
ceia da I e meia al s 3 e meia horas c o ponche
e chocolate s 4 horas da madrugada.
A soirce que no dia 6 houve em casa dos Srs,
condes de Rio-Maior foi para creancas disfarcadas
em diversos trajes. Foi uma funecao brilhante
como costuma ser todas as que dao aquelles dis-
lincios lidalgos. Eutre os meninos e meninas qu
se mascararam appareceram os ttlhos da Sra. con-
dosss.de Villa-Real, um des quaes trajava de pos-
triduo, o segundo como o tenor Mongini no segundo
acto da Martha, e sua irmaa veslindo de campone-
za. 0 filbo d Sr. D. Carlos Mascareuhas era um
|


Diario de Pernanhneo Terca fclra 1 !e Mai <-o de 1 S4.
ttlnt; a fena Sra. l). Isaicl Pimo lrajv>a IVh-decreto de 11 do correato fot nomeado An
Luir. HIf; n Hlho ilo Sr. o nd--! de Alalaia vesta da Ionio Emiliano ro Almeida Rraga para o lugat de
zuavo- os Ribos du Sr. iiiotioi<* do Poiutal lraja- jutUnle contador da administraran do coneio da
o de ca- provincia do Maranhao, por dainissao dada a Vale-
' rio Alvesde Souza.
Por portara do 13 do corrento foi concedida
a denusso que pedio Albino Jos Gordeiro do lu-
gar ilo escriturario da adminstrago do corrcio
da provincia do Para.
15
Da ordem do da n. 387. publicada antem-liontera
pela repartigo to ajudante general, consta o se
fointe:
Nonioaros.Dos Srs. major do corpo de estado
inaior da 1* otease Manoel Francisco Colho de
Olivi'ira Soares, para Mrvir no archivo militar,
senda especialmente enearregndo dos desenhos
pertencoates commissao do iiieioranientos do
matinal do cxcreicio. Em 9 de corrente
mci.
Doctores mu medicina Jos Benselum e Plateo
Jos Alves Rgaud, para segundos cirurgies do
cupo de sade do exereilo.Decreto de 30 de
Janeiro ultimo.
Doutorem medicina Joaquim Mariano de Macdo
Soares para segundo cirurgio do corpo de sade
do exercito, na forma do art. 156 do rcgulamento
do mesmo corpo. annrovado -pelo decreto n. 1.900
de 7 de marco de 1837.Decreto do t) do corrente
mez.
Alteres do 9 batalho de infantara Francisco
para secretario do mesmo hata-
vam, un de portuguez em IfitlO, o segundo
piio de lanceiroM o lercclro doescossez; o ron-
de de Oeiras vesta de comme.idador de Malta, e o
lilho do Sr. conde da f onte de escossez.
Esta bella festa terminou s duas horas da ma-
nha.
O carnaval em Lisboa foi aiiniadissiBo por toda
a parle. Os espectculos tiveram milhares de pes-
soas. No baite de mascaras na terca-feira enS.
Carlos, houve alguinas exhibiccs engranadas, illu-
sdes polticas, poucas e de mo gesto. A que mais
agradon foi a parodia da vercaeSo da cmara mu-
Hiripal te Lisboa, e as sesses que estes masiaras
eiebravam a todo o momento. .Vos saldes do cir-
co Frico, Vaux-hall c caf concert toi O concurso
-nmerosissimo at de madrugada. Reimwes par-
ajeniares muitas.
L
INTERIOR.
da amorlisafSo gradual dos c. pitaes da empreza,
assim romo oda reversao da liiiha no dominio pu-
blico depois de entnelo o niazo do privilegio.
t J 4,' O governo brasileo prestar proteccao
empreza, c poder conceder entrada livre de di-
reilos aas materiaes, instrumentos e machinas de
que ella carecer.
S Em compensarlo, os despachos do go-
verno serao transmittid os gratuitamente dentro do
numero que fr convencionado, e com a mais per-
felta reserva, sendo quo a infraccao desta ultima
clausula habilitara o governo para suspender im-
senwHuuites actos ser legali ;.idm at pelo poder Cesar, Alfonso Cebo, Paula Souza, Santos Lopes,
legislativo ordinario. Hartim Francisco, Fleury, Moraes, Silva Pereira.
Krtfre tanto a commissa reconhecendo a im- J. Marcondes, Abelardo de lrito, Flores e Feitosa
periosa necessiuade de que p ssam ser devidamen- As emendas offerecidas pelo Sr. Barros Barreto
te legalisados (alim de produsirem scus effetosem foram julgadas prejudicadas.
relagao a todos os poderes de estado ) actos como 18
os de 30 de dezembro, nao pode deixar de indicar Centinuou hontem no senado a 2* discusso do
desde j um modo de legahsaco do actos seme- voto de graeas, e tornou a ilear adiada pela hora,
Ihantes, nico possivel em face do direito consti-
tuido, e que olferece garantias de inaior crcums-
pecgo na sua reprodurro. S assim, entende a
commissao que em um governo constitucional ovi-
depois de terein orado os Srs. Pcnna, Das de Car-
val lio, e Snimb.
Conlinuou hontem na cmara dos deputados a
mediatamente a garanta e mais favores cima in-1 tar-se-hao conflictos de gravssimas e incaleulaveis discusso do parecer da commissao de poderes so-
bre a eleicao do Io distrelo da Parahyba : oraram
os Srs. Costa Machado e Diogo Velho, ficaudo a
discusso adiada pela hora.
rucados. I consc |uencias, nao menos da nnosas do que os ma
6." A garanta de juros nao sera prestada an-' les que se procura evitar por meio de temeridades.
les dfl concluidos os trabalhos do ambas as Untas S assim entende a commissao, que a cmara ele-
e sem que ella comece a funecionar com regula- var-se-ha ao eume magestoso do quo deve ser a
ridade. >ua inaior gloria, qual o teto verdadeiro da le (ze-
c | 7.* Os trabalhos de exeeoeSo da linha has lo que vigora o poder e eunchrece os povos ) re-
de comecar logo depois de ser ella explorada com jeitannella deet'arto soberanamente a conviven*
a inaior prudencia na sua direcen geral, e de so- cia do desprezo das instituyos do paiz, a pretexto do parecer e contra a emenda,
rom approvado* pelo governo o plano e o oreamen- de imperiosissimas neeossida les do momento; prin- Os Srs. Limpo de Abreu e Jos Angelo votaram
to das obras. cipio este ipie s pode vigorar onde reina o despo- a fivor da concluso do parecer a favor da
concurso do advogado e procurador das mesmas
cmaras, que os tivcrein.
Art. II. No flm de cada semestre ser re co-
lindo pela tliesooraria de fazenda ou collectorias
aos cofres das respectivas cmaras, o producto das
dividas e multas que houverera arrecadado, dedu-
zhlas as castas e emolumentos devdos aos entre-
gados do jiiizo.
Art. 12. Ficam as cmaras muncipaes, da pn-
bl cacao desta le em dianle, inteiramente senta
do pagamento de cusas de quaesquer proressos
em que ellas propras nao s.-joni partes decahidas,
revogada assim a disposigo do artigo do cdigo do
processo, e as mais semelhantes da actual legisla-
cao.
Art. 13. Pertencer as cmaras respectiva?, e
llies sera entregue annnalmente pelas thesourartas
i
rio rE J i:%t:aito.
43 de fevf reir.
Proseguio hontem no senado a segunda discus-
so do voto de graeas. Oraram a respe ilo das apo-
senladoi ias dos magistrados, decretadas em '0 de de Paula Barros,
dezembro de 1863, os Srs. Dias Viera, Sinimbd, lilao.
D. Manoel e baro do Muritiba ; a discusso icou ; Tenente reformado Eduardo de Sa Pereira de
adiada pela hora, "'.astro e Jos Joaquim Vieira Santo,para ajudantes
------------ da escola preparatoria da corte.-Em 9do corrente
Ho-.tcm, por proposta do Sr. Jos Angelo, nao niez.
houve sessSe na cmara dos denotados em de-1 Exoneraces.Do Sr. primeiro tenente do corpo
moustracao de sentimento pelo falleeimento di Sr de engenheros Setastiao Antonio Rodrigues llra-
couselheiro Pedro de Alcntara Bellegarde, lepu- ga, da commissao em que se achava no ministerio
tado pelo quarto districlo da provincia do Rio de da agricultura, estamento e obras publicas.Avi-
Jaaeiro.
&. M. o ImperaJor, aconi;ianhado de seus sema-1
narios c do general Cabral, inspector do arsenal
de inaruiha e chefe do quartol general, embi.rcou
hontem, s 9 horas da manha, naquelle arsenal,
e dirigio-se Jurujiiba, onde desenibareou, se-
g uindo d'alW Praa de Fra e Amlmhy, onde
visitou as ortifleacoes era construccao.
A' urna hora da urdo foi Sua Magestade a for-
aleza da Lag.>, deniranlo-se all e.n percorror as
bateras e assistir ao exercicio do artiiharia, e re-
gressou ao arsenal s 3 l|i horas, retirando-se
lCO. i
-li-
so do mesmo ministerio da 2j de Janeiro ul-
timo.
Do Sr. Dr. Joaiuim Mariano de Macdo Soares,
do logar de alumno-pensionista de medicina e
Strargia do hospitol militar da guarnieo da
corte, por hav-la pedido. Em 9 de Janeiro
ultimo.
Transferencias.-Dos Srs: tenentes, Jos llap-
tista Barreto Leite, do 4o para" o 3* batalho de
infantara e Jos Antonio de Lima Jnior, deste
para aquella batalho.Em 5 do corrente mez.
2.* tenente Amaro Theopliilo de Alineida, da
couipanhia deartiOcos dePernambueo paraocorpo^
de artfices da corte, como reqoereu.
Alferes Anacleto Ventura Paraso, do t" regimen-
t 8. Nos trabalhos preliminares e nos defin-; tismo, quer de direito quer de fado,
tivos serio admiltidos como fiscaes e como prat- t Em virtudc do expendido, a commissao de
rantesoj eogenneiros aacionam que o governo parecer que a cmara adopte as conclusoos seguin-
desigar. te?, e que em occasiao mais opportuna adopte a
S 9.u O governo approvar as tabellas dos pre-' proposta junta, que ella poe sobre a mesa al que
eos dos despachos telegraphicos. i seto subinettida ao a|to de que tratam os artigos
8 10. Pica autorisado o governo para conce- 171 e 17o da constituico.
dor {gratuitamente o aforamenio de terrenos do CouclusS1).
inaiiiihas ou outros quaesquer, podondo desapro-' L" A cmara embora no caso verlenle por
priar os particulares de que preeisst o sorvico da equidade, enlenda quo o uiii istro quo referendou
empreza, sendo por esta iudemnisados os proprie- os actos de 30 de dezembro ide nao ter incorrido
larios. em gravo censura, com ludo nao encontra ella em
11. Fica entendido que a hasta publica re- suas attribuiees ordinarias poder para annullar
coinmendada no principio deste artigo toen por mi confirmar'os referidos arlos, sobre ludo em re-
ti facilitar ao governo o meio de obter, se fr lacao aos de mas poderes de estado,
posaivel, coodtodes menos onerosas ao estado do 2.a Que peranie ella soja chamado o ministro
que as indicadas nos paragraplios procedentes, as que referendum tees actos, para em scsso secreta
quacs couslituom o sen extremo limite. expender solemnemente os motivos que o levaran)
t Art. 3." O governo mandar proceder a estu- a assim proceder,
dos previos e exploraces desde o cali do S. Ro- 3." A cmara reronhece que o supremo tribu-
que al a Iha de Fernando de Moroota, e deste :m nal de jastial est em sao di'cito, sobre tudo como
Penedo de S. Pedro, que sirvaiu d? liase paraos um dos orgaos do poder jnd ciat, nao cumprindo
trabalhos do assenlamenlo de urna-linha iclegra- actos de qaalquer dos outros poderes que directa
phica ocenica. ou indirectamente forcm con evidencia de encon-
1. Iguaes ostudos e exploraeoes far-se-ho do tro a eonstitui-ao do imperio, urna vez que assim
Para s Antilhas. praliqne sob a sua mais rgo osa resp*insabildado.
5 t." Lio relalorio rosiimindo HAS cstudos 6 t Aos 12 de fevereiro de \8&\.bjnacio.de Bar-
aprecindoos resultados das exploracjs, ser pu- ros Brrelo.
Na votacao nominal que hontem publicamos, te- ,|e fazenda ou collectorias o producto de lodos os
mos que azer as segumtes reclihcacoes : foms c laudemios dos terrenos de marinha, que
0 existam ou forem aforados ou transferidos nos
se js municipios. Eoutro sjm Ihes | i lo-
dos terrenos devolutos que existam dentro do raio
parecer c a lavor ua de UIIia |,.gua m,.d((ia du renlro das cid!l(jcs e vit.
emenda
Por carta imperial de 13 do corrente foi Hornea-
do presidente da provincia de S. Paulo o Sr. Fran-
cisco Ignacio Marcondes Homero de Mello.
Por portara de 13 do corrente concedeu-se ao
tenente reformado do exercito Jos Feliciano Bue-
no Mamar a demi&sao que pedio do cargo de di-
rector da colonia militar de Uruc.
Com dala de 6 do corrente, concedeu-se o exe-
Preseguio hontem no senado, a segunda discus- to de eavaJIaria ligeira para o esqnadro de caval-
sao de voto de graeas, e oraram os Srs. Nab.ico e Liria da Itahia; e Antonio Placido GuimaresGova.
Prannos, olfereeendo o primeiro des'es senhores deste esqnadro para aquella regiment,
ligninas emendas ao projoclo da commissao. Alferes Francisco Xavier Barreto do 4o para o
Dando a hora de passar-se segunda paite da 3* batallio de infantara; e Joaquim Mariano
ornein do dia, flcou aquella discusso adii.da, e deSiqueira, destu para aquello batalho, como
entrou em di-cusso o requerimento do Sr. Silvoi- requereram.
ra da Motti, apresentiJo na sessi de 23 de janei- Dos cabos de esquadra Lniz Ferreira dos Santos
re ; mas foi nter rompida para lor-se o parecer da e Paulino Antonio Jos Porfiro, e do soldado Anio-
roiuaissao de coustitui;o reconhecendo senador nio Caudillo Rodrigues de Lima, do 4o para o 3"
do imperio o Sr. eons'elhoiro Zacliarias do Gocs batalho de infantara.
Vasconcellos, o i|iial entrando immedataiaente Licencas concedidas. Aos Srs. cirurgioes-mr
eui discusso. nao f; votado |>or nao ha ver numero de brigada do corpo de sade Dr Jio Pires Far-
Jegal para deliberar. nha, para lomar assento na asscmbla provincial
----------- do Rio-Grande do Sol,
A cmara dos deputados oceupou-se hontem j Primeiros cirurgioes do mesmo corpo :
eem adiacussao do parecer da! commissao de pode- Dr. Jos Candido da Silva Muricy, para lomar
Tes sobro a eleico do primeiro districto da p-ovin- asseuto na asserobla provincial do Paran,
cia da'Parahvba lo Norte. OroaoSr. iogoVemo.: Jos Joo de Ara ojo Lima, para lomar assento
candna. discusso adiada pela hora. na assembla de Sergpe.Aviso de 27 de Janeiro
Na conforniidade do art 175 da constituir;io, li- ultimo,
ou a seguinte proposta sobre a mesa, pai a ser 1." lente do cor|io de engenheros Jos Luiz
kda tres vezes com iutervallos do seis das entre de Andrade Vasconcellos. para tomar assento na
tima e outra, para. Pind este prazo, delibe'ar-se assembla provincial do Rio-Grande do Sul.
ae poder ser admittida a discusso : 2 lenle do mosmo corpo Joaquim Rodrigues
Fropotta que acompanha a emenda s ronr'uses Gamboa, para empregar-se nos trabamos da attra-
do parecer sobre os actos de :K) dtzeinlnc. da de ferro de D. Pedro II, percebendo sold sim-
Art. anico. as futuras eleiiocs pedirsc-ha pies pelo ministerio da guerra,
ao corpo eleitoral autorisacao para alterar se a Capito do 9* batalho de infantara Caetano
onstiluifo nos termos dos parapraphos sr gn- Gaspar l^rn's de Azevedo Villas-Boas, dous mezes.
es, e em virtudc dos arts. 174,173, 176 e 117 da com sold e etapa, para tratar de sua sade.
tasma constituico. Tenente do cor]io de estado-maior de 1' classe
S 1." Afora os casos determinados na consti- Antonio Valeriano da Silva Fialho, dous mezes,
tuicao, a assembla geral legislativa ordi laria, eoni sold simples, para ir a provincia Rio de Ja-
reunida a requerimento de qualquer le sem cor- neiro
pos, o nico poder competente pari decrear a* Alferes do corpo de estado-maior de Ia classe
aposenlaces e demisses des magistrados fer|ie- Cornelio Carneiro de Barros e Azevedo, para acei-
luos, sob a proposta do poder executivo ou em tar o lugar de ajudante do engenheiro do 2" dis-
virtude de acto provisorio di poder moderador no trelo das obras muncipaes da corte, para o qual
intervallodas sesses, ouvido oconselho de estado foi no meado em sesso da lluslrissima cmara
oeste ultimo caso. municipal de 19 de dezembro do auno prximo
5 2." As fuses de ambas as cmaras de que lindo,
traa o paragrapho precdeme, serio ohrigatonas Tenente do 2" batalho de infantara Joao Pedro
para qualquer aellas, e se faraoem sesses ;ecre- Correa,dous mezes. com sold simples, paragoza-la
tas, valuudu por tudo isso cada voto de senador por na provincia das Alagas. Aviso do 6 do corrente
dous. Igmwio de Barros H,trelo.- mez.
OSr. Franco de Almeida fundamentou os se- Tenente do 8o batalho
guales projectos :
A assemhla geral decreta :
c Art. l. O governo imperial abrir no termo
nais breve possivel, ao commorcio das naeoes que
stiverem em boas relacies com o imperio, a na-
vegacao do rio Amazonas, em toda a extenuo do
territorio brasileiro.
Arl 2. Para este IIm o governo imperial re-
Jebrar previamente com os governos cstrar^eiros,
aquem aproivitar aquella conccsso, asecuvon-
coes que reputar mais convenientes.
Art. 3." Fica o govern i im; erial autori>ado
blicado pelo Diario Oficial e distribuido na Euro- A discusso fica adiada pela hora,
pa e nos Estados-Unidos. ------
< Art. 4." O governo imperial solicitar o con- Por decreto de I Ido co.-rente foi comeado 1*
curso dos governos de Franca, Hospanha e Portugal escriturario da thesouraria de fazenda da provin-
para os estudos a bem do proorgamenlodas lionas ciado Loar o 2* escriturario da mesma thesou-
telecraphiras da pennsula ibtriea de um ponto da raria Symphronio Jos da Silva.
respetiva costa occidental ou meridional para o --------
ultimo porto que as ilhas portuguezas serve de Hontem, s 4'/? horas da manha. manfestou-se
estacan aos paquetes das buhas transatlnticas de um grande incendio na C*H terrea sila ra de
navegarn vapor. S. Carlos n. A, propriedaie de Manoel Gomes da
ArL a." O governo informara a assembla go- Costa Pereira e residencia de Francisco de Olivci-
ral dos netos necessarios, assim como daquelles ra Guimares, ahi estabelcciio com urna taberna,
com que o Brasil possa roncorrtr, para venlicar-se A rasa era nova, porm di m construccao, e ti-
o prolouuamenlo das linhas U legraphicas de <|ue nha tres portas, das quaes duas davam entrada pa-
trata o artigo. ra a tberna, e aterceira para o interior, tendo urna
Outrosim o governo prestar iguaes iofor- sobre toto, que eslava alugala aum alfaiate.
ni.ai -oes acercado prolongament i da linha toteara-1 O fogo coinerou no armas mi, e, communicando
phica decretada por esta le, desde o Para ateo se para o interior, deslruio a casa at a terca da
ponto mais conveniente do mar das Andinas ; po- 'cobertura dos fundos, tkam o estes intactos, assim
dendo o mesmo governo desile j contratar esas como os predios circumvizinhos, dos quaes smen-
prolq.'igamenio rom as mesmas clausulas e condi- te o contiguo de n. B. fo quo soffreu alguns eslra-
coes'ilo art. 2", se renovar-se e vier a fuuccionar gos na cuniieira, por ser es a superior da casa
a linha lelegraphica transatlntica directa entre os incendiada.
Eslados-Lnidos e a Gra-Bretauha. Pelas indagaces que se fizeram, pelas declara-
Arl. 6." A despeza que exigir a ecuco da ces do alfaiate que morava na sobredoja, e, u-
presenle lei ser oreada e proiwsta assembla nalmente, pela ausencia em urna hora impropria
geral pa sua prxima sesso ; e, se exceder dos do dono da taberna, suspeitciu-se que a causa deste
clculos da reeeita prevista, co trahir-se-ha o em- incendio fra dolosa, e por isto foi posto em custo-
prestlmo que fr necessario. dia o caixeiro do estabelcckiento.
Pa?o da cmara, em 12 de fevereiro de 1864. Compareceram diversas autoridades policiaes,
A. C. Tacar Bastos.' cujos uomes e graduaces foram levados ao conhe-
Continuando a discusso do pirecer da commis- cimento do Sr. ministro da agricultura, pela direc-
sao especial sobre a apoSensadoria. dos magstra- toria geral do corpo des bombeiros ; os piquetes do
dos, orou o Sr. Silwira Lolw. costume, a bomba das obras publicas, todas as
Fo offerecida a seguinte emenda : secces auxiliares e todos es postos da 1' secfao
A' vista de lodos os precedentes apon lados, a deste corpo.
commissao, posto qne reconheca que o autor dos O fogo licou completamente extincio as 9 horas
actos de .'10 de dezemiro pode nao merecer consu- da manha.
ra, mas smento por presumir que elle para prati-1 No trabalho de sua exlincoao feno-se, porem le-
ca-Ios confiou-se nesses lamentaveis o variados veniente, urna praca da 1* seeeao de b-jmbeiros.
precedentes havidos em conjunturas s.'inellianles, j 17
reatado entende que cumpre cmara de sua Prestou hontem juramento e tornou assento no
parte |ir paradeiro a isso. por amor dos prin'i- senado o Sr. ccnselheiro Zar barias de Gese Vas-
pios mais essenciaes do governo que nao despo- concellos.
tico, e que pelo contrario por exrcllccnia o go-; Proseguindo a 2' discusso do voto de gracias,
verno das garantias contra o arbitrio. Necessi- oraram os Srs. Jobim, marquez do Olnda, Dantas,
dade essaque s ser deseonhecida ^seriamente Mondes dos Santos e Paranlus, licando a discusso
por qnasa nao trepidar em ser connivee da mais adiada pela hora.
las de seus municipios, para que as mesmas os afo-
re n ou appliquem aos llns do bem publico que
inolhores julguem.
Art. 14. As cmaras muncipaes proporco
qi e forem verificando a existencia desses terrenos
devolutos nos seus municipios, fa-lo-hao constar
com as necessarias especilicagOes, e sua intenro
de os incorporar aos seus patrimonios, por meio-
de edlal que ser alllxado nos lugares mais fre-
r|iientados de seus municipios, e nos jornaes de
nnis circulago na provincia, por espaco de tres
mizes. Se no flm destes nao apparecer rerlama-
natur para exercer as fundos de vce-consul ^ alguma ^ camarag no0'ed,aV paUica-
dos EstadosPoniihcios neslii corle ao br. de villa- r.-, eiiAnnA^ ,r,* >n, .vi^^..,!^
Flor.
O Sr. conde de la lluro foi nomeado cnsul dos
Estados-Pontificios, na provincia de Santa Cama-
rina.
- 19 -
Oraram hontem no senado, anda na 2' diseu sao
rao. considerando os ditos terrenos incorporados
an dito seu patrimonio.
Art. 13. Se. porem. dentro daquelle prazo se
arresentar reciamaco, que dever ser formulada
por escriplo com os documentos ou as razos em
que se funde, e a cmara reconhcccr a sua proce-
d ocia por maiora absoluta de seus vereadores,
al -m de o declarar em despacho parte reclaman-
do voto de graeas, os Srs. bario de Mtttaanar- te r:i-i0-l.a igualmente eonster por edital em que
que/, de branles, licando a discusso adiada pela ,0|.nara sem c{Ml(j Q primeJro '
No principio da sessoforamonerecidas e apoia-1 a( ue^^^'Xd 5*23^^
das as sc.guu.tes emendas do Sr Paranhos fambem odtc|arar em dt,pacno'%'art; rKl. a.
O i- que comeca pelas palav as o senado man, e esL noljncando a c{inara ^
sent etc., subst.toa-se pelo segu.u o: |K,ifao desalendida e com os ma i docum.ntos
. O simado sent, com V. .M. Imperial, que, em recorrer dentro de dou* meze< con-
consequenciadesse conflicto, basen "''errompidas ^ daquelle'despacho para o juK feitos da
as relacoes diplomticas entre os dous go vernos,5 [ilewi uu ujujl ^ K",0 a
mas reconhecc .pie o governo imperial foi, ion, gie de$|a ^ rfe
pezar foreado a esta resolacno, por terse-recaisa- tesjaiiesdecMiraoaqaeslao amis breve prazo-
do o da Graa-Bretanha a dar-nos a satisfacao e in-. ..o;i .j:_:___...*______ J ___v ,!
represalias nos mares territoriaes do imperio.
' O 8o obsequiosa lestemun
etc.; seja substituido pe seguinte
t O obsequioso teslemunlw de a
verno de S. M. Pidehssima, olTerecendo-nos s
-vvi. mi i.i uu nivci uu a cau a proceder na
O ,_ --o obsequiosa lestemunho de am.zade, frma das par(es ||njieg dos dou5^rtJ^ prefeden-
shtaido pelw seguinte : tes segundo a mesma d ^ faYOraTei oa
O obsequioso^teslemunlw de amizade do go- \ contraria.
valiosa mediaco para reslabelecerem-sc as relacoes ,a fl- v
diplomaucas entre o governo do Brasil e o da Graa- s-e. 'd((. ies menri(mado; no art
romo as deci-
mencionados no artigo antecedente,
de infantara Honrique
Augusto de Sepulveda Bvarard, dous mezes do
prorog.ico da que obteve pela ordem dia n 374,
para tratar de sua sade nesta corle.
Alferes do 1" batalho de infamara Francisco
de Paula Pereira, dous mezes, com sold simples,
para tratar de negocios do sua familia na provincia
do Rio de Janeiro.
Alferes do 10" batalho de infantera Jos Jaco-
mo Nogueira de Baumann, tres mezes, com sold
simples, tiara tn.tar de negocios de sua familia
esta corte.
Alferes do 9o batalho do infantara Albino Jos
culposa das miobilidades, qual a conservar-i
automtica do um paseado qu- a propria consci-
encii o patriotismo sincero reprovam altamente ;
necessidade essa de certo desconhecida smento
por quem desojar que acamara dos senhores de-
putados abdique o sagrado e nauferivel direito de
zelar a constituico do imperio e de coucorrer
iwra a realidadee pureza do governo representa-
tivo no Brasil, tal qual o estabeleceu essa lei fun-
damental.
t A commissao. posto que assim aprecio os re-
feridos actos de 30 de dezembro, sto, com possi-
Foi apresentada hontem na cmara dos deputa-
dos pelo Sr. ministro da gmrra a seguinte exposi-
cao e proposta :
Augustos e dignssimos senhores representan-
tes da nacao: '
Em observancia do 4o do art. 4* da lei n. 589
de 9 de setembro de 1850, venho apresentar-vos a
proposta para a abertura re um crdito supple-
menter da quanla de 718:4)65, visto que, segun-
do o calculo da ropartieo do contabilidade do mi-
nisterio da guerra, a soinma volata para as rubri-
Do 1* batalho de artiiharia a p, Gregorio da clama :
tomar todas as medidas e a despender as 00anuas de Partos, quatro mezes, com sold e etapa, para
necessarias para efTectuar-se a abertura daquelle tratar de sua sade na provincia do Cear.
fio. Pharmaeeulico alferes do cori* de sade do
Art. 4.* Ficam revogadas as disposicos em exorcilo Manoel Ignacio Lisboa, para eslndar o 4"
contrario. anuo da faculdade de medicina na provincia da
t Cmara dos deputados. em 13 de fevereiro de Babia.
18U4.Francisco Carlos de Araujo Brusque
Domingos Antonio Rawl..1. Leitao da Cnnlia.T.
Franco de Almeida.Antonio Jos Moreira..4. C.
Tarara Bastos.J. AngeloM. da Silva'
A assembla geral decreta :
ArL 1." 0 governo imperial mandar iroce-,
der sem demora s explorfSea dos rios Xing,
Tapajoz. Uadeira, Puns, Japur, I{ e Rio-Negro,
na> provincias do Para e Amazooas, em ordem a j
decretarse O|iporlunaineiilo a sua livre navegarn'
commercio s mesmas bandeiras a quem teiiiia
sido dada essa faculdade no rio Amazonas.
Art. 2" O governo imperai tica desde j au-
torisado'a despender com eslo servio o as quantias
necessarias.
Art. 3. Ficam revogadas as Iris e disposices
em contrario.
Cmara dos deputados, em 13 de leven ira do
1864.-T. Frnnco de Alnwtda,A. htlo di Qn-
nka.A. C. Tflforc Bastos.Antonio Jos Mores
ra.Domingos Ant mi Hiiot.Francisco Carlos
4e Araujo Brusque.Jos-[Anyfo M. d t Silca.'
Entrou hontem do Rio da Prala e portos do sul
....ida.le de ser o autor dalles relevado, com ludo, caspagadura das tropas, aranaes de guerra, ar-
para que nao se possa calculadamente inferir quo mazens de arligos bellicos, laboratorios, etc., gra-
labora ella no gravissimo erro de presumir que a tificaces diversas, aioda de custo, etc., etc., a u-
no aecusaco do ministro envolve a legalisaco bricas,pela lei n. 1,177 de 9 de setembro de 1802
do quo poderia ser objecto ou causa dessa acensa-: art. 6 3-, 6, II c 12, nao siifflciente para fa-
co. e isto sob o fragilissimo pretexto deque, nao zer face a todas as despezas com as mesmas rubru
podendoa cmara perdoar, nina vez que noaccu- csate o hu do corrente ex;rcicio de 180.) a IMte
se ao ministro, reeonbeee impliciiamete a legali-1 Rio de Janeiro, em lo de fevereiro de 18bi.
dade do acto argido, como so nao pudesse nunca Jos Mariano de Mattos.
haver transgresso do lei praticada sem espirito Propos'.a.
Iiecisf.es proferidas sobre pareceres de censelho criminoso ern virtude de circnmsiaucias peculiares Art. i." Alem das des|e
de .ivoriguaoes. Foram julgados haliilitados para em
trate segundos cadetes o maulados reeonbecer
como taes, em 10 do corrente mez, os solda-
dos
rt. 17. A declaracao da cmara, de que tra-
parte linal do artigo 14, as:f~
^ dos juizes mencionados no
Bretanha, fo. de mn.to aprc?o para o senado bem m s ^ em-terapo, e as do
que nao podcseo governo .mperia] J ?| df presidente da provincia de que tambenTo mesmo
logo tao amigavel concurso, por faltar anda expli- artigo trata, snoderao er annulladas or aeco
cita aceitaco da mesma oller.a pelo governo bn- on,fnarja n^K^^ \nJ,S em tTvor'd.
tannico.i nm.j l^m as mesmas forem dadas.
. Subsl.tua-se os9--com especial agrado, etc., Art ,g ulu.riornenle se detennmar
pelo seguinte :
Com especial agrado ouvio o senado a commu
nicaro que V. M. Imperial houve por bem fazer-
Ihe de subsistircm inalteradas as nossas relacoes
amigaveis com as de mais potencias, assim como
que o governo imperial mantem a mais convenien-
te neutralidade nos lamentaveis successos que af-
fligem o EsUdo-Oricntal do Uruguay, e tem susci-
tado desintelligencias enlre esta repblica ea Con
federaco Argentina.
Em circumstancias tao melindrosas, cresce o
dever que tem o governo imperial de dar efflcaz
proteccao aos direitos e legitmos interesses dos
Brasleiros residentes dos Estados do Piala, e de
ornar pela rigorosa observancia dos conipromissos
intornacionaes relativos independencia e inlegri-
dade da priineira daquellas repblicas.
se determinara em
urna lei especial quaes os artigos actualmente con-
siderados como renda geral, ou indevidamente ro-
mo provincial, que devam fazer parte das receitas
n unicipaes, e bem assim os que de aovo ficam
creados para augmento dcllas.
Art 19. Ficam revogadas todas as disposicea
eui contrario.Sdceira de Souza.
A assembla geral resol ve :
Art. 1." Compete aos presidentes de provincia,
alm das attribuiees que Ibes oonferem a carta de
lei de 12 de agosto de 1834, a lei de 3 de outubro
do mesmo anno, e mais disposicoes era vigor :
1." Prover definitivamente os oflicios de justi-
ca, observando as formalidades prescrptas pela
legislacao geral. Nesta disposico estao compre-
hendidos os contadores, partidores e distribuido-
res.
Substitua-se o g 11-actosdestanatureza etc.,. lo Nomcar e demittir) ^ pr0posta dos chefes
pelo seguinte : ,, I de polica, osempregados das secretarias desla, i
Actos desta natureza podem utilmente concor- e.;cefic30 do ,.creIarj0
rer para o incremento do commercio e de entras ., Nom(;ar e demi'uir os empregados dos ui-
iinporteatos relacoes internacionaes, quando to-, bljnaes oa jun|as Aq commeri.jo_ a excepco do
seam-se nos solidos principios de bem entendida ouicjai.maior e os das reiacocs, excep cao do se-
Silva branles Jnior, addido an batalho de cara-
dores de Boyas, i r taver provado ser lilho legiti-
mo do Sr. Gregorio da Silva Atirantes, capitn da
guarda nacional da provincia de Goyaz, reforma-
do em virtude da lei n. 002 de 19 do setembro de
usa
Do regiment de cavallaria ligeira, Antonio
.los.' Dias Camargn, por haver provado ser lilho
legitimo do Sr. Prudencio Jos de Carmago, alfe-
res da guarda nacional da provincia do Rio de
Janeiro, noiiieadn em virtude da le cima ci-
tada.
l'.equerimentos despachados.Dos Srs. alferes
do 12 batalho do infantara Manoel do Paula
Rodrigue-, pedindo dispensa do servico, para ma-
tricular-se no 3" auno da escola militar.N'u tem
lugar.
Do soldado do corpo re guaruicao do Maranhao,
do imperio o vapor Brasil, com datas do Mouievi- Jos Rodrigues de Souza, pedindo tres mezes de
den e Porlo-Alegre al ao i-, Rio Grande e Sania lieenca. Nao tem lugar.
Camarina 8 do iorr< nte. 16
Do Estado Oriental nao ha noticia do facto al- Foram hontem apreseniados na cmara dos de-
fuin importante posterior sabida do Mirceg a potados os seguimos projectos, os quaes. foram a
9 do passado. O governo da confede.raco argn- imprimir para entrareis na ordem dos traba-
lina reduzio de 10,000 a 6,000 bomens e seu exer- Ihos :
cita
O Sr. hispo do Rio Grande linha sabido da sua
S a visitar varios lugares da diocese.
Em Pelotas fo assassiuado com dous tiros do
pistola Joaquim Ferreira dos Santos Guimares.
eocio da casa Moraes \ Guimares.
Da Cruz Alia noticia o Mercantil de Porlo-A-
Jegre :
As bexigas, com carcter epidmico, infesta-
vara a tocabiia le: j haviam ceifado algnmas vic-
timas, e ultima data, do 13 do corrente, conti-
nua v.. o mal a fazer estragos.
IJaviam fallecido algnmai pessoas notaveis no
lugar, sendo extremamente sentido o passamaoto
do capio Joao Lucas Aunes, secretario geral do
enramando superior e da cmara municipal. Era
clmente eslimadopof suas Dualidades, e fo-se-
Jhe a vid i na flor dos anuos, deiaiido urna joven
esposa em vi o vez, e cinco lilhos em orphanCade.
Fallecerara anda Francisco Antonio dos Re,
eatmavd e abistedo fataodeiro. o major Antonio
Pereira Borges, o capit* Jos Nogueira de An-
drade, o capito Antonio Antones da Coate .braga,
Francisco Lensese Bernardo Jas Fagmides.
No Diario do Ko Grande l-se :
Consta-nos que o Sr. G. Wigg, esrinavel ne-
gociante desta praga,actualmente de passiio em
Lendr<:s. remetiera ao sir. presidente da praca do
commercio, coronel Thouiaz Jes do Caitpos, o
risco de una raspadeiru, que na opinio dris taais
afamados eni veitavel, sono o nico meio a empiegar era pro-
fundar e alargara n .ssa barra.
Diz o Sr. Wigg na pequea exposii o que
juntou ao modelo da nsowmrn que o proeesso
fan'ilino, po que nio priva o trabalho i e rebo-
car ao vapor que so empregar nosse >orvc i;
alm do que, una pega de pouvo valor, e que
muito convina nmaexpereucia
O Sr. presidente da praga do cemmer:io aco-
Ihoacom e.jiecal agrado a lembranga quo teve o
Sr. G. Wigg, o vai apresontir era sesso d> direc-
tora um parecer a respeito, allm do que se leva-
do execueo o emurego da rtupadwo eui flwisa
barra.
i." Que a cmara, ramo de um dos poderes do
estado, s por si e em suas fiinrcSejs ordinarias nao
pode legitimar actos sobmel idos a sua considera-
cao em materia de apreciacao da criminalidade dos
ministros referendarios de bes actos, como snree-
deria se prevatecesse semelbante dmitrina mons-
truosa, que perturba profimdamentc a suprema
liarinonia dos poderes polticos, por constituir em
ultimo resoltado um ramo de um desses poderos
assim em sua- funccdes ordinarias o supremo arbi-
tro o a fonte nica da legal d ule.
t 2. Quo a cmara. r>anio as-im de um dos po-
deres osseiicialiiieiiie dislnclos enlre si, nao tem o
direito de intervir se nao indirectamente as func
fdes do poder executivo, o anda tnanos as do po-
der judicial, e um consequeiicia nao pode tamlieiii
intervir directamente as relaedes reciprocas des-
ses dous ltimos poderes, para de autoridade pro-
pria pretender confirmar ou annullar actos quo se
aeve presumir peculiares a qualquer desses pode-
res, fisto teroni sido por alies pratieados e dizerem
respeito economia constiiucioiml, quer do um
juer do outro.
madura pru I
a evitaga! do apparecimento ou dxconbnuaco d
seos conllictos ; salvo, bem entendido, o direito de \
suprema inspecgo que outorgado cmara pela
constiiuigo e nos termos em que o Que, por i
tanto, os decretos de 30 de dezembro, em virtude
do actual direito roosUtuido, licain sujeitos sua
propna Borte e de tal modo que todos que os exe-
eulareio lornar-se-liao ipsofacto convjvontes com
quem os referendou, e, por tanto, sujeitos s eon-
soquencias de suas peculiares responsabilidades,
MM termos das los em viitor, emlwra esse seu pri-
meiro agente seja relevado pida cmara des senho-
res deputados, alientos os protestos do convenien-
cia publica e muras razos pie na cmara tribunal
.ni gtnerie, podan nao autori-ar a nao aecusaco
rio ministro, mas que nos tribuuaes jubciarios nao
bao do poder produzir o mesmo eBso.
3." Emfim, que os actos de 30 de dezembro
envolveos palpavel infraccao da ooD-iituieo, nao so
por que, nao tavendo le gue os autorise, cuino foi
confessado, o ministro arrogou a si o poder de le-
gislar e de execular ao mesmo tem|xi, urna vez
ragraphos do art. 6' da referida le:
t 8 3.* Pagadura das tropas...
| 6. Arsenaes de gmrra, ar-
mazens do artigos bellicos, labora-
torios, etc.......................
II. Gralil'icacos diversas,
ajudas de cusa, etc., ele..........
12. Fabricas...............
Soinma.............
10:0005000
600:0003000
80:000,3000
:M6ffl06
718.4063000
A assembla goral resol ve:
a Art. 1." rts multas de que traa m os arts,, 422.!
1-.M. 427, 433. M 1; 3 e 4 do regulamento das
alfandegas de 19 do setembro de 1860, e quaesquer
outras por dilTercncas encontra las nas conler.-n-
cas dos manil'estos, assim de navios eslrangeiros
como de Matonaaa, parten curio iutegralmeiitc a
fazenda publica.
i Art. 2. As quo se verificaren! na conferencia
dos despachos, provenientes de dilfereneas de
quantidade, qualidade, peso, medida, etc., perten-
cerao gualmento a fazenda nacional.
t Art. 3. Ficam revogadas as disposicos em
contraria
t Pago da cmara dos deputados, l." re feve-
reiro de 1864. Joaquim de Saldanha Marinho.'
t A assembla geral decreta :
Art. 1. Ser garantido um juro limitad com
privilegio exclusivo aos captaes da empreza cjuo
estabeloeer no imperio urna linha do rouiuiunica-
ges por mato da tetegrapoia eleetrca, e pelo se-
guinte modo :
< I, A linha telegraphira dividir-se-ha em duas'que obrou antes da tai, como se esta j existisse ou
secces : a priineira, do Rio de Janeiro ai Para elle a bouvesse creado ; nao s por isso, mas tam-
passando pelas mais importantes povoacis do li- bem por i|ue, sendo um dos nossos dogmas fuuda-
toral, e rom timaestacao no cabo de S. Roque ; a montaos a independencia do poder judicial, e sen-
segunda do Rio do Janeiro ao [ionio mais conve- do iueonrestavolmente urna das garantas desta pula
niente das fronteiras do Brasil com a repblica do t constituigo a porp, tuidade do lugar de magstra-
Lruguay, passando pelos portos mais frequentados do, a qual importe necesariamente seu livreexer-
da costa, e com escala potas cdades do Porto-Ale-; cico ( salvas as lirnilag -s f npnriti lim por lei, e
gre o S. Pedro do Rio Grande do Sul. por lei competente,) os referidas acto, atacandode
t Art. 2. O governo celebrar contrato com a frente esssa perpetuidade naquillo que ella tem de
empreza que melhores ceudicoes offerecer e ios- mais sagrado c de interesse publico, qual O exer-
pirar perfeita contianga, em vista das propostas cicio legal, impossibiitando-o absoluUuieuto, po
que receber depois de aanuneio feto na metala esto desabrigado do Una a garanta constitucional,
poca no Rio de Janeiro, ea New-York, em Pars visto quo o coliocain dependente todo, quaado nao
e eiu Londres. s do arbitrio do executivo, ao menos de poderes
i I." O privilegio exeiuio nao ser conce- iaeonipetentes pela conshtuicao anual. Em suui-
dido por mais de quarenta anuos. i ma. que os actos de 30 de dezembro sao daquelles
i. A garanta de juros uso ser lambem maior do que a seguinle : de 7 por cenlo durante deres fiiudanieniaes entro si, por atacarem asOB
os quinze priruejros anuos do priviegii exclusi- cialmeale a economa constitueional de um, e por
v, ie 6 por cento nos quinze seguiotes. e de S por supporera era outro, ou antes nos outros, urna es-
clito no decurso dos n reslantes. i phera de aceu alm dos limites tragados pela le
< % 3.* CMisiuar-e.-ka no coutrato o principio i fundamental, e que em cousequenria uo podem
Art. 2. Ficam revogadas as disposicoes em
contrario.
Rio de Janeiro, em 15 ie fevereiro de 1864.
Jote Maiinie de Mallos.
Continuando a discussio do parecer da commis-
slo de podares sobre a ekdeiodo l" districlo da
provincia da Parahyba, oroa o Si. t;o>ta Machado,
licando a discusso adiad) pola hora e o orador
com a paiavra para continuar 0 seu discurso.
Depois de orarem os Sr-. Oelaviano, presidente
do conselho e Silveira Lobo, enrorrou-se pedido
do Sr. lavaros Bastos a discusso do parecer da
.commissao espacial sobre i aposentadoria dos ma-
i. Que, por tanto, so a sabodoria e a | gstrado<.
enca do.-ses iiiesmos poderes compete A reqoetimento do Sr. Nebias, proceden-so a
votago nominal, volando a favor do parecer 02
senhores deputados e contra 14.
Votaram a favor os Srs. Brusque, Leito da Cu-
nha, Raiol, Franco de Almeida, liarlos Rlieiro,
Fabio, Virialo, Paranagu. Bnramaqoe, Pinto do
Mendonea, Pamplona, Lilierato, Rodrigues Jnior,
Moreira Hraudo, Arago o Mello, Souza Carvalho,
Souza Uandoira, l.uiz Febppo, Epaminondas, Sera-
piuco, Ambrosio Hachado, lavares Bastos, Aristi-
des Lobo, Jos Angelo, Lopes Nelto, Sampaio, Bar-
ros Pmentel, S. Souto, Pinto Lima, Casimiro M.i-
dureira, Honra, Hurla de Araujo, F. Oelaviano,
rociprocidade.
Foram presentes hontem na cmara dos deputa-
dos os seguintes projectos :
A assembla geral resolve :
t Art. 1 As dividas das cmaras municipaes te-
rio os mesmos privilegios que as da fazenda publi-
ca, e como estao sero cobradas execulivamenle
pelo respectivo juizo dos feitos.
Art. 2 Para este fim remetterao as mesmas
cmaras thesouraria de fazenda da proviucia, ou
s collectorias de seus municipios, as coates ou do-
cumentos de suas dividas, que n.i mesma thesou-
raria ou collectorias sero convenientemente pre-
paradas e serviro de baso para i exoeucao.
Art. 3 Para o mesmo lim as autoridades ou
juizes, que, na forma do alguma le ou dsposicao
vigente, impuzerem mullas em beneficio de algu-
ma cmara, remetterao a este, para terem aquelle
destino, copia da portara ou documentos da impo-
sigo das mullas, ou a rolago dos multados com
declaracao da importancia daquellas. Nos casos de
multas "impostas pelos presidentes do provincia,
aquella remessa ser feila por intermedio da tlie -
souraria de fazenda collectoria do municipio.
t Art. 4" Na mesma deciso essas autoridades
ou juizes aanoneiarao por editaos que essa remes-
sa foi feila, para que os multados reclaiiieiii, so o
ajniaerem; deveodo fazo-lodentro de oito dias ira-
prorogaveiS aquellos que tiveieni sido dentro da
comarca por qualquer juiz ou autoridade de lia ; o
os que o liverem sido pelos presidentes de provin-
cia nos prazos que por elles sero declarados nos
annuncios, e nos quaes deveroattondat as distan-
cias dos munieipios dos multados a capital.
t Arl. o" Aquellas reclamages sero feitas por
poiigo escripia e documentada, parante a autori-
dade ou juiz multante, e se dentro dos menciona-
dos prazos nao forem apresentadas, ou forem des-
atlendidas, ser isto inimediatameiile eonununica-
do a ropartieo a quem so houver feito a remessa
do arl. 3, para que comece a exocuco.
t Art. 6" As petiges, com os documentos dos
reclamantes, quo foreni attondidas, sero remelti-
das ao presidente da provincia pelas autoridades ou
juizes que as hnuverein alleudido, seuipre que a-
multas, liara cada multado, exeederem do 30 ;, e
0 mesmo faro os presidentes aa ministro do im-
perio a respeito das que dispensarem, cuje valor
exceda a 1003. Meases casos o presidente da pro-
vincia e o ministro podero annullar a dispensa.
As disposigos deste artigo o dos dous prece-
dentes s tem a'pplii ago aos casos em que auto-
ridade ou juiz quo impoz as multase, por lei,per-
mlttido dispensa-las.
Art. 7- Quando as multas forem impostas
vereadores das propras cmaras, ereverterem em
beneficie destes, ser o acto ou documento de sua
imposigo, pela frma j eslabelecida. remoliendo
directamente eslacio fiscal sncarrfada de pro-
mover a execueo. Nunca, porm, revertern em
favor do una cmara as multas que tiverem de re-
cahir Bella colloctivanienle ou em maiora de seus
vereadores, mas sim da cmara mais vizinha, ou a
, de menor reeeita entre as equidistantes.
Art. 8" Se as multas, no caso da ultima parte
1 do artigo precedente, tiverem de ser impostas em
razo de falta de reuno da enmara, 00 do outras
Saldanha Marinho, Pedro Luiz, Macdo, Valdetaro, cansas semelbaates. da modo que se nao possa at-
Fernaudes Moreira, Jacobina, Mello Franco, Fonse- tribuir a culpa designad menlo a taes ou laes do
ca Vianna. Martinlio i ampos, C. Ottoni, Chagas Lo- seus vereadores, devero recibir, excluidos os que
balo. Jos Jorge, Cesar, Alfonso Celso, Liuipo do iiouvereni comparecido, nos remisaos que compa-
Abreu, Paula e Souza, Sainos Lopes, Marliui Frau- recerem nliiina sesso al ao numero necessario
cisco. Cosa Pinto, Fleury, Theodoro, Silva Pereira, para profa/.er a sua maiora, e na iinpossibilidade
Marcondes. Abelardo de Bnto, baro de Porto-Ale- oa dilliculdade disto, em quaesquer mais votados
gre, Nery, Flores, Pinlieiro Machado, Alfonso Alves. at aquelle numero que existam no municipio, e
Contra, os Sis. Figueire o. Feitosa, Barros Bar- que a jateo da autoridade oujniz multante, nao es-
rato, Godoy, Saraiva, Eduardo do Andrade, Preda- tivessem evidentemente impedidos de comparec
rico de Almeida, Silveira hubo, Lima Duarle, Bre- Todos os vereadores e os suppleiitosqne houverera
las, Hibeiro da Luz, Ferreira da Veiga, Felicio dos fltalo nestes casos sao solidarios, e podem ser
Santos o Nebias. exeouiados, anda quando seus nomos nao eslejam
Votaram a favor da emenda do Sr. Urbano os designados na respectiva portara, salvo o seu di-
crelano.
4." Nomear e demittir sob proposta dos admi-
r istradores dos correios, os offieaes papelistas, os
escripturanos, amanuenses, porteiros, continuos,
rarteiros e agentes do mar das respectivas admi-
nistrages ; e bem assim os agentes dos correios e
seus ajudantes. As propostas de nomeagoes e de-
misses dos agentes o ajudantes dos correios da
provincia do Rio de Janeiro serao felas pelo admi-
nistrador do correio da corte.
5. Nomear e demittir os empregados das rc-
partiges especiaos das trras publicas, excepgo
dos respectivos chefes.
6. Nomear e demittir os empregados das co-
lunias rivs e militares, cxceiigao dos directores,,
e nestas, dos mais que por lei ou reguiamento de-
vam ser ofQciaes militares do servigo activo.
7. Nomear c demittir os porleiros, continuos
c praticantes das thesourarias de fazendas e das
mas repartic,oes que Ihes sao subordinadas, sob
proposta dos inspectores das mesmas.
t 8. Nomear e demittir os bedis, continuos o
porleiros das facilidades de direito e medicina, e
t'as aulas preparatorias annexas; assim como
fjiiaesqiier empregados das respectivas secretarias
bibliolhecas, excepgo do secretario e biblio
t beca rio.
9.* Nomear e demittir os empregados das Ins-
peeges de sade dos portos, excepgo os inspec-
tores.
10. Nomear e demittir os seguintes emprega-
i.os das diversas repartiges d ;>iidentes do ini-
i isleo da guerra : capelles, almoxarifes, escrip-
l.irarios. escrives, amanuenses, porteiros, ajudan-
tes de porteiros, apontadores, agentes, guardas do
arniazens, fetores, mesires e quaesquer outros jor-
nalaros, pedagogos, guardas, compradores, enfer-
i.ieiros-mres, enfermeiros e ajudantes, excep-
co dos que estiverem no caso da parte final
do i 6.
11. Nomear e doniiltir os seguintes depen len-
tes do ministerio da marinha, com a excepgo ci-
ma indicada : amanuenses e porteiros dais secre-
tiras das iispecges dos arsenaes, escrevente das-
i reeces. do oairo-mr e das ofiicinas, desenlia-
ores, professores, porteiros e ajudantes dos arse-
naes, mestres, cootra-mestres e mandadores das of-
I cias e guardas das companliias de menores ar-
tiiicos ou marinneiros.
t 12. Nomear e demittir quaesquer empregados
das capilaoias dos portos, excepgo do secretario,
( bem assim es do servigo da praticagem das bar-
ras dos phares c dos telegraphos, seja qual fr o-
ministerio de que dependain.
13. Finalmente nomear edemillir as reparli-
^es cima declaradas, quaesquer outros empivga-
i.os ah nao designados, e cujos erapregos too se-
jam do categora ou vencimentos superiores aos ra-
dicados em cada urna dolas.
< Art. 2. A competencia dos presidentes de-
provincias para as nomeagoes o demisses do que-
trata esta lei, entende-se nicamente a respeito dos
empregados na mesma indicados quo sao actual-
mente nomeados o demitlidos pelo governo; os ,ue-
o sejam actualmente pelos chefes das respecti-
vas repartiges, continuarn s-lo do mesmo
modo.
Art. 3. As attribuges do governo relativas
s sobredilas nomeagoes e demisses, e a seu ex- '
pediente. ficam igualmente porteuceudo aos presi-
dentes das provincias; e os emolurn.mtos das raes-
mas nomeagoes o seus ttulos sero cobradas as
thesourarias do fazenda das respetivas provin-
cias.
Art. 4." Ficam revogadas, etc.Silveirt de
Sousa.
Continuando a discusso do parecer da commis-
sao de |ioderes sobre a eleigo do l* districlo da Pa-
rahyba, oraram os Srs. Correa das Naves, Saraiva
o Feitosa.
Foram offerecidas as seguintes emendas :
t A 3" conclusao do parecer :
Que sejam igualmente approvadas as eleiges-
das freguezias de Ara, do Pilar, presididas pelo-
i' juiz de paz Manoel Pereira Borges, e do Inga pre-
sidida pelo 1 juiz de paz Jos Pedro de Oliveira.
J A. Saraiva.
posicao de multa as juntas Que se approve a eleicao primaria da fregue-
de qualifiracao e revisao, conselhos de recursos zia do Inga, principiada sob a presidencia do 1*
Contra, sSrs. Brusque, Raiol, Franco de Almci- eleitoraes, mesas parochiacs, e outras semelhantes, juiz de paz e concluida pelo 2*.Costa Machado. >
da, F. Ribeiro, Fabio, Virialo, Paranagu. Sariama- sempre que se nao possa na respectiva portara A discusso Gcou adiada pela hora
que, Pinto de Mondonga, Pamplona, Liberato, Ro- indicar desigoadamente os culpados. Sero mu- -----------
drigues Jnior, Brandan, Arago e Mello, Souza tados nestas circumstancias os que deviam ter Consta-nos que foi nomeado ministro residente-
Carvalho, Souza Bandeira, Luiz Folipne, Epaminon- comparecido, e em falta destes os seus inmediatos da Italia nesta corte, o Sr. conde de F, queja exer-
das, Seraphico, Ambrosio Machado, lavares Bastos, ou substituios, que se acliem na parochiaou rauni- cia as funeges de eacarregado de negocio-.
Ai -Mides Lobo, Jos Angelo, Lopes Netto, Bilten- nicipio, em numero sufllcionte para perfaxer-se -----------
eotrl Sampaio, Barros Pmentel, S. Soulo, Cassimi- com os comparecidos a maiora das ditas mesas, Parle amanua para o 1 districto naval o vapor
ro Maduroira, F. Moura, Horca do Araujo, F. Octa- etc. Ynranga, cuo rommandante.o capito-teormlc Ma
viano, aldanha Marrano, l'ertro Luiz, Macdo, Fer- Arl. 10. as execucoes das dividas das cama- noel Antonio Vital de Oliveira, vai proseguir no*
nandes Mvreira, Jacobina, Mello Franco, Ferreira ras municipaes funecionar o procurador fiscal ou trabalhos de leveiitamontos de plantas hydaagraiih*-
Vianna, Majjiuiio Campos, C Ottoaj, Jos Jorge, scus agentes, que poderao ser auxiliados cora o cas das eotas do sul do imperio.
1
^

A


)
otarlo le PrrnafUMtfft TrrfA e'lr i < tf.irfo de I 4
-
Orwpiimnem no senado, sobre a resposta a
falla do throno, o Srs. presidente do conselho e
Otloni.
A discussao Qcou adiada (la hora.
Na amara dos deputados proseguio hontem a
discussao do parecer da comniissao de poderes so
para o mesmo r-arge na pri)riira do Rio de Janci- guarda nacional dos municipios deOlitida [guaras- ve note gera.ro, e s sabemos da compra de.OOO fluidos" l%3 Voior numera Milito frmorao dos elei-
ro. Aviso de 11 do corrate met. su da provincia de Pernambhco. I>'''.';|> Exoneraces. Dos Srs. : 2" cirurglo do corpo Foram roeondiizidos : e de 10 libras de 195 a 200 rl, se rundo a quali- legio, apenas se acta as>i guada pur virti a seto
de saude Dr. Luiz Carlos Mariano da Silva, do lu- O bacharel Joaquim Jos de Oliveira Andrade, data, eleiiores inclusive'os roesano--.
Dilos salgados.-Comprarara-se 5,000 rouros dos : A cmara resolver! me se nao tomasse CW W-
Canudos a 140 rs. a libra. Por ve ider st> lia pe- parado os votos do mencionado collegio |wln fun-
temer 0 bacharel Jos Francisco de Lacerda, no lugar quenas frnreoes em primerias nios : damiMiio de que a istose nnronhao art. 87 da le
! juiz municipal e de orphaos dos termos reun- Farinha de trigo Entraran) cena do *.?S0O bar- n. :W7 de 19 de agosto *: li<; mais ordeuou que
ue sauuc i/r. i,uiz varios Mariano ua c?na, u<> iu- vr vn..i -u...,uim u^ uC 'mitin nnumut,
gar de delega lo do cirurgiao-mr do exercito na no lugar de juiz municipal e de orphaos do termo
provincia de Sania Catharina.Em 12 do corren-. de Naiarelh. na provincia de Pernambneo ;
Teneote reformado do exercito Jos Feliciano de juiz
leicao do 1'di- rio di Par ihvba, orando; Bueno Maniere, do lugar de direelor da colonia dos de Aleonara c Prado, na provincia da Babia.
du ante t-da n jassao o Sr. Carneiro da Cunhi.
A discussao Qcoa adiada pela hora.
$. M. o Imperador, acompanliado dos seus sema-
narios e dos 8rs. barao de Tamaid ir, inspector
do arsenal de marinlia e ebefe interino do 1" dis-
tricto naval, embarcou hontem s 9 horas da ma-
i nai]uelle arsenal e dingio-se forlale:a da
Viagem, ond-j visitou o quartel e as fortifica-
cues, e assistio ao exerricio das prajas alli aquar-
teh.das. Embarcando de novo, esteveS. M. a tordo
da corveta tklhtroliy percor.endo niinuci isamente
Iota o navio.
Ii'aiti seguio para a ilha das Cobras vis lar o
-qii'rfcl de fuzleiros navaes, o hospital de inaiiiha
o dique imperial, e regressando ao arsenal exa-
ou urna machina de-fazer balas para espin-
gaj-da. retirndose s 3 horas c 50 minutos da
larde.
Vor decrete de 17 do correrte, na conformidade
do art. 136 do regulamento do corpo de saile do
xcrcito, approvado por decreto n. 1,900 de 7 de
marco de 1837, foi nomeado 2o cirurgiao do mesmo
corpo o doutor em medicina Carlos Jos de Souza
Nebro.
se
(I capitao de fragata Jos Moreira Guerra, que
acha no exercieio de eapilao do porto da provin-
cia de sVrgipe, fui, por decreto de 17 do con ente,
reformado no posto de capitao de mar e guerra,
com o respectivo sold, como pedir, na conformi-
dade do alvar de 16 do dezembro de 1790, e da
1' parte do Io, art. 4* da lei n. 616 de 31 de ju-
Iho de 1832, por contar mais de 33 annos de ser-
vico e estar iuqicssibiliado de nelle continuar, em
uiisequencia das molestias que soffre.
Ko concedida, por decreto de 17 do corrate, a
de missao que pedio o Dr. Jos Alexandre de Sou-
za Gurgel do Amara! do lugar de segundo cirur-
f-iiio do corpo de sade da armada nacional e im-
4>eriaL
Por portaria de 16 foram nomeados :
Julio Cesar Teixeira Guimaraes, para ager.le do
orreio de Itabira, na provincia de Minas, per de-
m-.sao dada a Francisco da Cunha Brandan ; e
Jo-quim de Souza Freitas, para agente do de s.
Joio da Barra, na provincia do Rio de Janeiro, por
deiubfio de Manoel Felisberto de Souza.
21
O senado approvou honiem diversas resolucoes
de interesse individual.
Entrando donis em discussao o requeriinenlodid ao 1" baialbao de infantina, Eudoro
.olfereeido em sesaio de 13 de Janeiro, sobre aapo-. no de Carvalho, para matncular-se na escola
setiUe a de alguns magistrados, orou o au-' li
da a retirada do requenmento.
Proscenio a 2" discussao do voto de graeas ; ora-
irs. Xabco, Pimenta Bueno e presidente
do conselho. ticando adiada pola hora.
Foram reformados
O ten"iile-coroncl Manoel l'ereira da Silva Lima,
commandante do corpo de ca vallara a 11 daguar- partida de Tnente *r estar secea a I8J0OO.
(i- da nacional da provincia de S. Pedro do Rio Oran- Gontliras.Comprarain-se ."'.i pipas e 28 barr-
militar do Cruc. na i'irovincia de Minas-Geracs,
Mrassim o haver pedido.Em 13 do correrte
uez.
Licencas concedidas.Aos Srs. mjor do 3* re
inienio de cavallaria lifeira Joio BapUsU Alves de do Sul, no posto de coronel \\ cas a .13/00 a grasa a **700 o sebo: bejo pedem
Dorio, que se acha na provincia do Hio Grande do O eapilao do 3 corpo de' cavallaria da guarda os possnidores de algum.js fraccoes a S->8!)0 a gra-
Sul, dous mezi's com sold e etapa para ir cidade nacional da provincia do Paran. Francisco Tei- xa e 15800 o sebo,
le Porto Alegre, : ira Coelho, no posio de majar Sal.Ai entradas continmram a ser importan-
Capilao do 2 batalho de infantaria Luiz Paulo O capitao do haialhao de infartara n. Oda guar- tes. e moftMtn nesies poneos ai ai crea de (il).(MH)
de Figueirua (>)rtreiras Nabuco de Araujo, tres da nacional da provincia da Babia, Tiburcio Perei- alquelres, londo-se uliiinameiite vendido ilustres
nezes de favdr para vir a corte tratar de negocios ra da Rocha, no posto de major ; ooooMro earregamertoi a VM is. alifiefre, e
le ma familia. O capitao da guarda nacional da provincia do anda se esperain outras entradas.
Capitao do corpo de guarnicao de Minas-Gcraes Marauho, Vivino Ra)mundo Cordeiro, no posto
Antonio Alexandrino de Mello, seis mezes, com de major ;
sold e etapa, para vir acorte tratar de sua saude. O major commandante de 1" esquadrao da guar-
1* lente do corpo de engenheiros Antonio da da nacional da capital da provincia da Babia,
Francisco Antonio de Sampaio ViaaM, no mesmo
posto;
O t-nente-coronel commindante do batalhfio de
infantaria n. 2'i da guarda nacional da provincia
ricas, que esfrioii a demanda, flcainlo o mercado o rm;>: i'imentoolTerccidfeonio protesto fossefrans-
em apatlua. Das puncas vendas que se lizerain cripl'o na acta que tinha de servir de diploma aos
realisou-se a llaltimore fresca de 1 ^3 a 205, uina membros desla assembla lo* ja mencionado i'
distncto.
Ao reqiieriinentn que servio1 db'prvifesio oppoz-
Vinho.Entraran de Barcellona o Klivi com
se o vareador Dr. Jnaqoim Pnoeneo de Helio Ca-
rafeami, dhondo qne nao havendo prora das ar-
guiedes feilas ao ollegio de Goianna neuliuina
rulo hara para ser o protesto receido.
A eomraisso antes de apreciar o valor das nul-
lidades argidas ao collegio de Goianna, jirlga de
sen de ver chamar a atteurao da assemWa para o
abuso nmi que a cmara 'apuradora arrogo a si
allribuigi*s que Ihes nao compeieni. dupcis- se-
150 pipM e o Mnlhildt com 200, e secundo as amos- gundo o prereilo cslahelecido no art. 87 da lei ja
.'osla Barios Velloso, professor da aula de mathe-
naticas elementares da escola preparatoria da
jorle, um mez, com o rnopOfiliTO ordenado, afim
Je poder acompanlrar sua mulher, que se acha en
tras suas qualidades sio boas. Firam anda em
despacho.
Da existencia vendeu-se o rarreg: inentn do laca
a precos reservados.
Des|iacbarani-se desdi 30 de Janeiro 13 do cr-
reme :
ferma, ao interior da provincia do Ro de Janeiro, da Baha, Antonio Joaquim .Vivires Pinto de Al-
Em 9 do crrente mez.
Girurgiao-mor de divisao reformado do exercito
Jr. Antonio Joaquim Lopes Lyra. para residir no
nuniripio de Gantagallo, da provincia do Rio de
laneiro.
Major reformado do exercito Affonso de Albu-
|MMH e Mello, para tomar assenlo na assembla deescrivao de orphaos do termo
provincial de Santa Catharina. na provincia de Santa Calharina
t" cirurgioes do corpo de saude: Dr. Antonio Foi aceita a desistencia que fez
citada a sua missao se limila a sominar cis votos
mencionados, as actas dos collegios que Ibes S> I
rein a|>resi'nrados podendo ellas no caso nico da
duplK-ata de eleicocs em um collegio apurar a que-j
mais legitima llie parecer, hypolhese que se B0>
verffcoa na eteicin de que seirata. v: que a mis
meida, no posto de coronel.
Tivcram merc de serventa vitalicia :
Jos deGoes Pacheco, rio oIBcj de partidor do
juizo municipal e de orphaos do termo de (lampi-
nas, na provincia de S. Paiijo ;
Joaquim Jos da Assunqicao Jnior, do ollieio
de S.
Antuerpia.Brigue inglez jxom tttoe,cma 9,239 ; sao da cmara deve restringir-se ao que est di-
couros vaceuns seceos, 2,111 ditos salgados. 13,500 posto no citado artigo. ') dizem tamben) os avisos
cbifivs, 9% arrobas cabello, 1,216ditas garras. 300 de 9 de fevereiro le 1818 e I de marco do mesmo |
lingual e 10 toneladas pedra. i anno, sendo que a missao de proferir juizo sobre a
Barcellona. Patacho ha
8.11a.'! couros vaceuns seceos
hcpanhol Vicente, com validado ,n\ illegabdade de quaiquer collegio. prl-
:cos, 1.581 ditos salgados o vativa dflUa asse:nlda. como M le no art. 121 da
3,741 chitres. citada lei de 19 de agosto de 1816 e outras dispos-
Francisco Falmouth.Barca franceza AJol^he, com 7,831 coes eleitoraes concernentes com ella.
coures vaecuns salgados c 1,000 chfres. A commissao depois do que expendeu a atten-
Ricardo Thomp- Hi a -York.Brigue inglez Hnvr'ol, com 4,350 : cao da assembla, julga de seu dever observar que
Augusto Malheiros, tres mezes com sold e etapa, son da serventa vitalicia do ollliio de depositario couros vaceuns seceos, 1,000 ditos salgados, 2, 28
para tratar de sua vaude. Em 12 do correrte publico do termo da Estrella, ua provincia do Rio arrobas laa, 030 ditas cabello, 3,004 chitres de no-
mex. de Janeiro ; I Vllll e 2j 000 canellas.
Dr. Lui; Manoel da Silva Coelho. dous mezes de Foi declarado vago o nflcio de 1* tabelliao do Rio de Janeiro. Barca nacin: 1 flfHMivico,
prorogacao da que Ihe foi concedida pela ordem do judicial e notas do termo de Jaguarao na pruvm- com 6.270 arrobas grasa, 2.625 dit is sebo, 29 far-
dia n. 37. ciada S. Pedro do Rio (Irand: do Sul, ticando dos fumo e 'M cascos lamba.
Alteres do corpo do eslado-maior da l classe obrwado a prestar a 3- parte da lolacao, o serven- Patacho nacional A'oru Lima, con 5.500 arrobas
Annibal Antunes Maciel Jnior, quatro mzes de tuario que for nomeado. xaique.
A assembla geral, em sua sesso de 20, ap- Escuna nacional Antonia Mana, com 2,lbJ ar-
provou o parecer da commissao sobre as eleicSes robas sebe, 1,533 ditas graxa, Stf couros vaceuns
da Parahyba, sendo declarados deputados ieh) Io seceos, 20 cascos taluda, 110 caitas velas, 1.200
districto os Srs. Dr. Felinto Henrique de Almeida, resleas ceblas, 70 fardos fumo, 07 meios sola,
Lindolpho Jos torreadas Navas e Jos.- da Costa 1.906 resmas papel de embrulho, i-\ caixasvinho e
Machado; os quaes prestaram juramento e toma- mais miudezas.
ram assento no mesmo da. P.'i nainbuco.Barca portugueza Paquete do Rio
Acercado Ro Grande do Sul diz o Diario Of- Grande, com 14,000 arrobas xarque.
ficial: Baha.Patacho nacional Hratinxse, com 9.894
O Rev. hispo diocesano tinha seguido para a arrobas xarque, 200 ditas graxa, 169 ditas sebo e
campanha a visitar aquelles pontos da sua dio- 200 caixas velas.
cese. Santa Calharina.Palhabote na-jonal Gaivota,
t Foi acompanbado por diversos membrosdo.com 3,2i)0 arroba^ xarque, 2 ditas laa e 2 lages.
clero. Ficam carrejando para o iui|ieri(i:
t Fallecer em S. Gabriel o tenerte coroneUos Brigues Imperador, Mennaijeiro, "onimfc, Impe-
.Narciso Antunes. cominandanie do batalhao de riol l'edro, e pnAugurz fio Vouga. patachos S.
reserva da guarda nacional daquelle municipio. Joaneiro, Garibaldi, Eiiricu, Tro-n-ior, Luisa e
Em Pelotas foi assassinado o negociante Joa- porluguez Garibaldi: escuna Furmosa e porlugue-
quim Ferreira dos SaniosGuunaraes. iza Aijuia; sumaca Soca Castro; palhabote Arroto
Em Cruz Alia reinavam com iutensidado as Malo.
favor para tratar de sua saude na provincia do
Rio-Grande do Sul.Em 16 do correrte mez.
Alfcres do Io regiment de cavallaria ligeira
Melchiados Lourenco dos Santos, e do 9 batalhao
de infantaria Manoel Gomes da Silva Jnior, para
praticarem na escola militar, na forma do n. 1 do
art. 14 do regulamento de 28 de abril do anno
prximo passado.
Menagcm. E' concedida por menagem a capi-
tal da provincia do Cear ao Sr. alferes do corpo
de guarnicao da mesma provincia Anacido Fran-
cisco dos Reis, que se acha respondendo a conse-
lho de guerra.
Dispensa do servico para estudar. Aos Srs. :
alferes do corpo de guarnicao de Pernambuco. ad-
Euiilia-
mi-
Temunou hontem ua cmara dos de-miados a
discussao do parecer da rommisso de poderes so-
bre a cleicao do l" districto da Parahxba sendo ap-
provado o mesmo parecer em to-las as suas con-
clusoes. Em cousequencia, foram declarados de-
i>uados os Sr. Drs. Felinto Hennques de Almeida,
Xiiuiolfo Jos Cona das Neves eJos di Costa
i* cadete do corpo de guarnicao da Parahyba,
addido ao 1 batalhao de infantaria, Braz Ferreira
da Franca Velloso; 2o cadete Jos Lourenco da
Silva Millanez. e ao soldado Luiz Jaeintho do Cou-
to Brandao, ambos daquelle batalhao, para estu-
dart-m na escola preparatoria da corte no anno
vindouro.
Anliguidade de servico militarAo Sr. alferes
do 2- regiment de cavallaria ligeira Vctor Ta-
vares Leiria mandado conlar como tempo de
servico militar, na forma da provisao de 26 de .-e-
tembro de 1812, o decorrido de 1 de dezembro de
1843 a Ide fevereiro de 1818, em que servio como
ado os quaes pre.-taram juramento e tomaran) praca voluntaria do i corpo de cavallaria de guar-
das naciouaes da provincio do Rio-Grande do sul
Eatrando em discussao o requerimento do Sr. em destacamento eflccvo.
Habilitacao scientificaAo Sr. Io tenerte do
corpo de artilices da corle Joao Thomaz de On-
'Ferreira da Veiga, pedindo informacoes sobre o
processo inteutadocontra ojuz dedireitoda lomar-
a do Paran na provincia de Minas-Geraes, foi es-
U adiada depois de orarem os Srs. Chagas Lobato
e Ferreira da Vciga.
luana passou-se o titulo de engenhero civil, pela
escola central, em 23 de uovembro do anno pr-
ximo lindo, ua forma do regulamento de 21 de
abril de 1860.
Por portaras de 10 do corrente foram nomeados. CondecoracOes.-Foram nomeados cayalleiros
Joao da Silva Lisboa, para o lugar de agente do da ordem de S. Broto de Aviz os Sis. cap laca:
corroio da cidade da Imperatriz. na provincia do Do corpo de cavallaria de Matto-Orosso Barlho-
Rio-Grande do Norte, vago por exonerado deHer- lino da Arruda Mirtins.-Decreto de 10 de lanei-
I lao Xavier da Fonseca ; Luiz Jusliniano Barbo- ro de 180.1 e dqdoma de 14 do mesmo mez e
sa, liara o de agente do correio da villa de Campo- anno.
Jl.iior, na preracia do Piauhy, vago por fallec-, i^ go batalhio de infantaria. Felizardo Antonio
ment de Jos Alves Barbosa, e Luiz Manoel de Caoral.Decreto de 7 de Janeiro do corrente anno
Oliveira, iara o de ajud.mte da agencia do correio e ^tm de 15 do mesmo mez.
de Porto das Caixas. no provincia So Rio de Janei-1________
ro por exonerac.io de Carlos Jos de Oliveira Mar
quer.
Por portaria de 19 do correrte foi concedida a
loao Feruandes Gareia Conladoria adeinissio que
pedio do lugar de agente do correio de Corumba na
proviucia de Malto-Grosso.
bexigas.
Havia tamben) fallecido alli o capillo Joao t.u-
Rio de Janeiro, 22 de fmreiro.
Cambio.Londres, 27 lil e 27 3j8 d. a 90 d|v.
ras Aunes, o fazendeiro Antonio Pereira Sorgos, 0 Pars, ti rs. a 90 d|v.; Jlaniburgo, a 6>7 rs. a '.)
eapilao Jos Nogueira de Andrade, eapilao Aillo-jd|v. (hontem.)
nio Antunes da Costa Dunga. o fazendeiro Ber- Apolices.Provinciacs de 6 0|0 a 93 OjO.
nardo Jo> Fagundes e Francisco Censes. Accocs Banco do Brasil a 605 de premio.
, Constava |K>r cartas receidas de Montevideo Freles.New-York va Pernambuco 45 sh. (hon-
que Nicaco Borges, un dos chefes s ordens do lem.)
general Flores, acompanbado de 600 homeos, se; Gneros. Caf 1' superior e ponca 1* regular, a
apoderara da villa do Cerro Latgo, e aprisionara 7200 por arroba (hentcm;; dito boa, a 7J00
o coronel governista Thomaz Borges e a um outro por arroba (boje); dito I* ordinaria e t
ollicial e dous soldados.
t Dada se igualmente que Flores tomara Cande
e lenlava a|K)derar-se do Sallo.
65700 (ir arroba (boje) ; dito capitana, a 65700
por arroba (boje) ; manleiga ingleza do paquete, a
750 rs. por libra (boje); cha da India hysson, a
Bata, -No dia 11 do passado houve um peque- 25600, 25-1.50 e 1-5900 por libra, .-egundo a quali
DIARIO DE PERNAMBUCO
Foi nomeado o brigadeiru Francisco Jos Da-1
nnsrrjm Rosado coniniandanie do corpo de estado-
maior de i' classe.
22
Entrou hontem do Rio da Prata. com datas de
M mtevUo at 13 e Buenos-Ayres 13 do ccrreole,
o i aqiiete francez Saintonge.
Ha esudo Oriental o general Flores, deixando ao
norte do Rto Negro por urna audaciosa maoobra o
e rcipi gov rnista de Servando Gmez enirelido a
porsegoir nina partida colorada, na sapposicao de
que levara adiarte de si toda a forja do inimigo.
aprescliu-se rqumiinainenie as portas da capital
com tropas por cei lo nao sufflcientes jiara loma-la .
ssalto, mas assac namerosas para nada recear I
-dos de dentro. O governo tomou enrgicas med-
d is para a deles, confiada a Lucas Moreno, ape-
ir de lodos repularem esto general fra das gra-
bas do pre-ieoli;.
naws, ora aoparecendo vista das linhas doten
si va-ve traca ndo com ellas alguns tiros, ora afas-
undo-se a duas e ires leguas de distancia, lem Ira-
i a cidade em continuo sobresalto, at que na
a de 11 para 15 lentou dous aUiques mas serios
masque li.aiaiu sem resultado, se querealmen
a guia cousa s< quera cousegdir. Entretanto nao
pjdia Servando (i nuez deixar de ter noticia des-
tes successos, e com effeito ja se diza que licava elle
a 18 leguas da capital em marcha forcada para soc
oreada. A'anproxunacau destas forcas era naiu
ral que Flores se escapasse com a mesma Miz ha-,
Jjilidade com que tantas vezes o tem feito.
'f6ra dos muro's de Mon- P,*0 W
\ a discordia no partid),
0 vapor Cruzeiro do Sal, chegado hontem dos
portos do suido imperio, foi portador de jornaes
do Rio al 23 e da Bahia at 26 do passado :
Aln do que vaifsob a rubrica nterin; apenas
encontramos mais o que segu.
Rio de Janeiro. Foi escolbido senador por Per-
nambuco o conselheiroFrancisco Xavier Pacs Bar-
reto.
Foram exonerados, seu pedido, de presi-
dentas de provincias :
Da Bahia. conselheiro Antonio Coelho deS e
Albuqucrquc;
Do Rio Grande do Sul, Dr. Esperidio Eloy de
Barros Pinentel ;
De Alagas, Dr. Joao Marcelino de Souza Gon-
zaga
i'o Piauhy, Dr. Pedro Lea) Velloso.
Foram nomeados :
Para a Bahia Dr. Antonio Joaquim da Silva
Gomes ;
Para o Piauhy Dr. Francklin A. de Souza
Doria
Foram nomeados secretarios de presidentes :
Do Amazonas. Dr. Luiz Augusto Graspo ;
Do Paran, Dr. Bruno Henrique de Almeida
Scabra.
Foram demillidos de vice-presidentes da Pa-
rahyba Dr. Uiogo Velho Cavalcanti de Albo par-
que e barao de Mamanguape, sendo nomeados para
substituidos': Dr. Felizardo Toscano de Brto, ba-
rio de Mara e Jos Innoceiicio Poggi.
Por decreto de datas diversas foram no-
meados :
O juiz de direito Jos de Araujo Roso Danin,
de chefe de polica da provincia do
Kiuqiiauii islo se possa
t video, lavia dentro della a discordia no partid Q conse|neiro joaquim Marcellino de Brito, para
uante. 0 poder constitucional o* presdeme) 0 cargo de presidente do supremo tribunal de jus-
roexpiravaa 15, e diveli.im-.-e as opm.oes so- ,j(a ."
o modo de dar-lhe suceessor, faltando o subsli-, 0 Dr. Tito Augusto Pereira de Mattos, juiz de
4to legal que o presidente da senado. A esto djrej,0 da comarca d llio Paranai na proVincia de
s encontraraos leitores interessanles porme- (j0..ai.
rores na caria .Jo nosso correspondente. Gabriel Antonio Rabello, porteiro da secretaria
A repblica argentina fleava absorvida no cuida-, il} lnbuna| ,,0 (.0mmercio do Maranhao
W.0 das deicev que deviam fazer se a 11. bm Q a|feres Jos Gabril, da Si|va Lima Fl|h0, para
Cordov.i houve ja um i tentativa revolucionaria, quo 0 ,0 do ra,,|a0 sccretario geral do commando
Joi toaihniirto salbcada : em geral,_porem,espera-, superior da a3ran nacna| do municipio da Cruz
a-e que aerise paseara sem elfu-aode sangue. i A|ta M pi.ovin(.ia dtJ s_ p^f,, 0 ho Grande do
As relacoes entre esta repblica e o Estado Or-, gu| .
4 ntal permaoe. iam no mesmo p, pareciendo com-, 0 'r Tolentino Augusto Machado, para o posto
a reciproca indisposic io ante, augmentar d) de capla0 cirurgiao-mr do commando superior da
'guarda nacional da capital da proviucia do Mara-
4)ue diminuir.
Do Paraguay nada ha extraordinario.
Das repblicas do Pacifico alcancam as noticia,
-a 11 d) passado. Rerram os receios d'uina guei-
4 a entre o Chile e a Boltvia.
no incendio na casa de deposito de carra i de p '
da do eazomelro, sem ter havido grande estrago.
Comecaram 22os trabalhos preparatorios
da assembla provincial, cuja mesa provisoria li-
cou coiniwsta dos Srs. : presidente Dr. I'idro Fran-
celino, secretario Dr. P. Brandao, e 2" dito De-
metrio.
Depois de duas entradas, sabio da novo a
crusar 23, crvela americana de guerra (>-
varal
I-se no Jornal :
Patacho LiVfd.I >s nufragos desse navio que
fra pique em viagein do nosso porto para a Es-
tancia, e que passando-se para a lancha, vagaran)
durante rouitos das sea norte, foram apanbados
dade (hontein); assucar branco dn i'ernainb'uco, a
I5IOO, 4*550, 15800 e 15900 por arroba (hon-
tem) : farinha de irigo franceza, a 195500 por bar-
rica.
Fecharam-se boje, saques reg lares sobre Lon-
dres a 27 l|i e 27 3(8 d. >
Sobre Paris, tem-se sacado em 1 eqnena escala a
316 a 318 rs.. sobre Ilamburgo a 637 e 660 rs.,
e sobre Lisboa e Poilo conforme a tabella se-
guinte :
!03 por cento.
102
pelo vapor de reboque de Sergipo, nao tendo mor-, raes e 0|0 a93
ri.lo ninguein.
Honiem (16) praticou-se tiesta cidade um aclo
de rdigiao, que pela importancia e novidade niuilo
admiriui a quantos o presenciaran).
Estando gravemente doente o Sr. conego Jos
Antonio, e tendo desejado receber o Sanlissimo
Viatico, foi-lhe e.-te administrado pelo proprio Sr.
arcebispo, que se achava na igreja quando fui o
pedido.
t Paramentado de capa asperge e acompanbado
pelo respectivo cabido e a irmanda Je, S. E\c. P.evin.
levou em procisso o Sacrainento sobo pallio, des-
de a igr.ja eathedral at na ra da Larangeira em
casa da enfermo.
Neste acto, em que se viam todas as dignida-
des da Igreja. lasa as insignias do areabiapaaO,
preced las do |>ort masa.
t O grande concurso de povo, entre o qual
gnus religiosos franciscanos, os repiques de sino
de envolla com os cnticos sagrados pelo; sacerdo-
tes lornaram o acto verdaderamente ediOcanle.
F'oi a priineira vez que Beata cidade se vio o
Sanlissimo Sacramento ser levado um enfermo
com tanta soli-mnidade. >
M io.m.slie-roliriram-se ltimamente algumas
saccas de algodao com caroco pisado, o outras com
oscasulos inteiros, o que deaoveua autoridad*
compelerte um minucioso acame em todo o al-
godao em deposito.
NOTICIAS COMMEI! CAES E MARTIMAS.
Montev 0, li de fecereiro.
Anossa praga conserva-so em sensivel apatbia.
Nos ltimos dias tivemos algumas entradas Uo car-
vaode pedra e sal, que provaveh lente larao bai-
xar os precos destas artigos.
As ultimas vendas de gneros do Brasil foram :
Do Pltitinto.di) Rio. 265 saceos ce assucar 111.1-
cavo. a proco reservado.
lio Pteos, de Porto-Alegre, 123 sarrSes de ma-
te da Berra despachado, a 1,70 cts. c 190 saceos
de farinha. a 73 cts
Do Valle, de Serta Catharina, 300 saceos de fa-
rinha, a 72 l|2cts.
Do Campista, do Rio, despachado, 23 saccas de
cafa, a 15.20 cts.
Do Zanjo, do Ro Grande, 100 surroes de mate
marca Dutra, a varrer, a 1,70 cts.
Buems-Ai/res, 12 de ferrreiro.
Cambio.Londres, 08.67; Paris. 86,84; An-
tuerpia, 81 1|2 ; Ilamburgo. 81 lp! : Estados-Uni-
dos. 1 0|o desc. ; Rio de Janeiro, rlS-"*11"
Ca ne seeca.Vcnderam-se 9,000 quintaos a 18
e!9rls. Ha em ser 110,000.
Rio-Grande, 11 de feeniro.
Nestes poucos dias decorriaos depois danossa
revista de l"do corrente foram limitadas as tito
sacco, s do mercado, que todava foi bem supprido
vista
a 30 dias.
101 a 60
100 a 90
Negociaram-so um pequeo lote de apolices ge-
0|0 e 100 acci es do banco do
a 605 de premio.
Vcnderam-se 6,000 sacos de e M.
Clicgou, procedente de Pernambuco, 13, o
Jjrfgoe inglez Agnn, com 10 dias de viagein.
Anda aebava-se a carga o patacho Bebe-
ribe.
alia. 23 de fevereiro.
Cambio. Regulou sobre Londres 27 1|2 d. ;
sobre Paris345 rs. porranco,sobre Hamiuirgo 660
rs. p>r M. lt.; e sobre Portugal 93 100 0(0.
Chegaram, procedentes de Pernamhuro:
16, a barca logaesa Anate, com 1 lias a 13, a es-
cuna dinaniarqueza lmler ; O 25, o brigue in-
glez Belle ofthe Mcrse;/, com 5.
: lia 7 noticiamos a fuga do cafezista Jos
nio Venerte, levando c insigo avulUdas som- muocj,,|0 ,|0 Cabo, na provincia de Pernambuco
nassttbtraUdis a praca. Havenlo dados par jao Paulo Carneiro de SouzaBandeira, tenente
. drque embarcara elle na Jiarca brisileira coronel commandante do batalhao n. 39 do mes
nhao:,
Joao Jos Leite, tenente-coronel commandante I d)1 ;,.irJllS K,.ni,rosi (nl 0 ci.llocarain em boa si-
do 3o batalhao de infantaria da guarda nacional da t;,r;-,0 ,|,. Mpprr a pi-ocura q*M sobreviesse, ha-
provncia da Baha ; | vendo no enlanto varios pedidos do inbrior que
O tenente-coronel Jos de Moraes Comes Ferre- 1|.-u (,.()) sillo satisfeiios por falta de condiicces
ra, chefe do estado maior da guarda na conal do par| a (.ampan|,,, por estarem os bata magree.
Cambio.Saccaram-se sobre Londres 19,500
reto com detino ao Rio da Prata, expediram-
mo municipio ;
lo paquete ni -I-/. W;-i-y nslrnccoes ao cmn- Quintl|ano Goncalves Lima, tenente-coronel
mandante da nossa estai.iio naval em Montevideo, conimand;U1tu do 3" batalhao da reserva da guar-
lara visliar a referida barca antes de entrar aliar- da aa,.ona| da pruvncia de Minas Geraes ;
Jos Joaquim Bezerra de Mello, tenente coronel
commandante do batalhao de infantaria n. 20 da
guarda nacional da provincia de Pernambuco;
1* ajudante da escola central, o tenente-coronel
do corito de engenheiros Jaeintho Vieira do Couto
Soaras ;
2" cirurgioes do carpa de anide do etereito, os
Drs. era medicina Joao Jas de Cernueira Lima, e
Dormevil Jos dos Sanios Mamado ;
Apidanie da escola central, junto passoa do
respectivo direelor. o lenle do corpo de estalo-
inaior d: V rkiv-e Manoel Feliciano Pereira de
Carvalho ; e
Amanuense da B#c da preparatoria da provincia
do Rio Oanle do Sul, Hercules Cesar Muzzi.
Foram demitlidos :
O bacharel Cordolino Barbosa Cordeiro, de juiz
fra das aguas lerritorias do Estado-Oriental,
reader o fugitivo no caso de encontrado a bor-
do. 0 Mersey chegou a Montevideo a 12, e no
iiio^nio dia fez o referido commandante sabir tres
< anhoneiras caca da barca.
HTcctivaioenie a saludado Saintomje, entrad)
i daq elle porto, apparecia alli a barra a
'iiilioncira Aragua;/. un das tres, trazando a
,4 Barrr.'o a reboque, e eui offlcio ao Sr. mi-
ro da mariaha ceniumuica o commandante di
de divisao l'rau isco Manoel
laconhoiiclra Ihe fazem sigual de vi*
iferido Veiierot1.
20 do
cons-
I), ordem do dia n. :.i expelida em
enrrento pela reparli..ao Jo aju l.iule genera
U o seguate :
-Dos Srs. : cirurgiao-mr de brigada
r., ido mkIo Dr. JnsUu i Jos Alves lacolin
id) d i cirurgiao-mr do
.dona provincia de Mim -C ', para o
ii-go na p/'ovuieia de Santa Calharina.
:
I cii i corp. Dr. Polyc.rpo
;Vi ila prov icia da
I': i; e Br. Antonio^ Luiz di
xas, de .-la para a piella guarnicao, cono
i
,,.. ,. i I* regiment d) cavallaria ligeira
Araujo Mielo, do ca'go d)
de 25 3|1 a 25 1|S d.; sobre Paris, 18,000 francos
a 368 e 370 rs.; Rio de Janeiro, cerca de 60:0005
a 1 0||) 90 dias a 6 0|0 a vista, Babia, 31:0005 a
2 1|2 0|0.
Uoe la nacional.Vendeu-se entr: 6 I|2 a 7 0|0
de premio.
Freles.O ultimo fretamento pata couros sal-
gados foi a 15 sh. por tonelada para o Canal : para
o imperio nao houve alleraces as cotaces ante-
riormente citadas.
As.-ucar.Venderam-se das partidas que exis-
lem i'in primeiras maos do novo cerra de 200 vo-
tumes detereaka tarta i MMO a arrota.
Os possaidam con.-ervam-se lirniis em suas
prelenc '.s exigindo por lotes a varrer 55100 a ar-
roba. Dos venas nao naja consta randas.
lnaliiao.lia existencias em primeiras mu-' c
o raialha esa supprido; cotaudo-se o bom d.' Hi
a 24j a barrica w una.
Caf. So existem no mercado por vender 72
saceos, viudos na Ottafa, que ainda estn a bordo.
Tem prompta sabida.
Carne secca.Persiste o mercado na mesma p ,-
sicao eitada na nossa revista do 1 do coi rente.
e bem importante o faci de nao haver um SO
eleitor de quaiquer dos collegios do districto, que
se apresentasse perantc a cmara apuradora re-
clamando contra o collegio de Goianna.
Passando a apreciar as nullklades que sao ar-
gidas aquelle collegio. entende a commissao que
laes nallidades nao e\isiem, urnas por qne sao des-
truidas pela propna acta, e outras por que se das-
Iroeni pelo seu proprio enunciado. Com elTeiio
examinando-se a acta do collegio de Goianna d
ella testemunho de que no dia 15 de norembro 1."
da eleciio, e que no segundo dia, 16 do rilado mez
comparecerm mais 16 formando ti>dos o numero
de 151 eleitores qne deve dar mil trezentos cin-
coenta e nove votos para serem destribuidos pelos
candidatos votados no districto. E nao tendo os
vereadores protesUintes outrs base em que se ajwias-
sm se nao a acta do collegio pois nao la Iam em
outro documento, c nem ao menos se referen) a in- j
formaces graciosas, manifest que a nullidade
que se est apreciando toda imaginaria, e. por
tanto insuhstenle.
No protesto se falla na dislribuicao do 1365 vo-
tos pelos candidatos de dito collegio, mas essa ar-
guicao proven) a|enas da pjueaatlenefw, com que
os vereadores protestantes examinaran a acta em
quest.o, porquanlo havendo na acia a deelarac/ao
feita em acto continuado de que o Sr. Dr.dcao Joa-
quim Francisco de Parias, em vez de 8 votos, que
foi Bscripto no eonteco da acia, leve apenas 2,_
claro que havemlo comparecido no collegio 131
eleitores. foram dislribuidos i:.VJ votos e nao
1365, como sup|>ozerain os vereadores j mencio
nados.
Mas ainda suppondo que o collegio de Goianna
tivesse os 6 votos de mais que lindaaquelles ve-
readores, ainda assim nao sirria isso vicio que af-
fectasse a substancia daeleicao. porquanlo nao po-
dendo elle mesmo ser attribuido nem a urna cdu-
la de mais que podesse ser entrada na urna ipois
urna cdula conten 9 rolos e nao seis) visto que
semelhante falta nao potara ser senao o resulta-
do de quaiquer engao rio aclo de seren apanba-
dos os votos, o que nao deixa de ser eoinmum nos
processos eleitoraes.
A segunda nullidade argida ao collegio, a
de haver-se a respectiva acia'assignada por 27 elei-
tores. inclusive os respectivos niesano-. A acia da
formacao da mesa conten a assignatura de nume-
ro superior do 100 eleitores, |>elo que visto que
a ella nao se pode referir o protesto, e assim con-
sideran lo a arguicao como feita actadaapuracao
dos votos, a commissao pondera que semelhante
falla nao tem valor desde que a acia do dito col-
legio devendo ser assignada poda ser pelos elei-
tores que o qnizessein fazer. Que a a-siejiatura
dos eleitores na acta de um collegio apenas la
cultativa dizem claramente o g 10 do art. 1 do
decreto n. 812 de 19 de setembro de 1853 ; e o art
23 das inslrucces que baixaram para exerucao do
decreto n 1082 de "18 de agosto de 18-0.
A commissao observa que deleito igual se acha
nas actas di collegio de-Olinda. Limoeiru e Iguas-
sii, que entretanto earapoa i pi'rspicacia dos ve-
readores protestantes.
Em vista do exposto a commissao de parecer
que sejain apuradas as acias de lodos os collegios
00 2' districto, e que sejam declarados deputados
os segrales sentares com os votes que Ihe foram
contados.
Dr. Francisco de Araujo Barros..... 361
Jos Joaquim de Souto Lima....... 311
Dr. Arminio Corolano Tavarcs dos Sanios. 275
Dr. Luiz Goncalves da Silva....... 272
Dr. Jos Ignacio de*Audrade Lima. 217
Dr. Nabor Bezerra Cavalcanti...... 241
ViriarloJo-Jer invino Pacheco Maranhao 238
Dr. Gervasio Rodrigues Campello..... 232
Dr. Jos Bonifacio da Silva Pereira. ... 221
3- districto.
A' commissao. passawM a examinar os diplomas
e actas da eleico procodida no 3* districto eleito-
ral para mombros que Ihe compete dar assem-
bla provincial veriiicot haverein sido os trabalhos
da mesma eleicao procedidos na forma das leis e
regulamertos e sem vicio algum que as possa inva-
lidar. Verllcoo, porm a mesma commissao que. ha-
vendo tido lugar na fregneziadelpojuca duas elei-
eSes para eleitores, e sendo urna no convento de S.
Francisco e outra na igreja matriz, a cmara apu-
radora pretorio contar os votos dos eleitores da
duplcala feita no convenio, mais lend) a assom-
ble i geral reconheetta valida e legitima a eleicao
procedida na matriz, annullada a que lava lugar
no convenio e verificando mais a commissao que.
3. Q\ rejam dpprWadaS a eleices que str
procedern) pura depulad is proVinriaes n m colle-
gios do dejo, Cimbres, lngazail'a, Flores, Tacara-
tu', Villa Bella, Calwob, Exn, Ouncnry e Boa-
Visia.
4* yu; sejam recontracidos depuados provin-
ctees pe 15" districto, os Sts. :
Dr- Caelano Xavier Pereira de Brto.
Padre Pedro Mu icl da Sil Burgos.
Padre francisco Pedro da Sftra.
Dr. Esiovo Benedicto Franca.
Dr. Manan Baarque de Macadnv
Fi'iiic,.iro>llocluirl hreira de li. .Hedeiros.=aAttlcf
HLopet da Siiea Barros. l'ruiictsct'Amynlhas de
Ciirrulho Motar.
A ""in.niss) de poderes examinou a.- artas con-
cernenles aos eoBeos eleitoraes do 3 c5*distric-
los, qiw Ihe foram- aresofites para a veriSCaciio na
forma do regulaineulo ilos poderes dos mcrahros
de que se co-npoem a l'comnissao.
A commissao cousiiftirsndo que o processoeleito-
ral do 3* districto correa regularmente nos cOlle-
piosda Victoria; Escada, Cabo, Sernhaem e Rio
Formoso, e o>ie ja se achti> approvada pela cmara
dos Srs. uoputedos a eleicao primaria dos referidbr
Collegios.
Considerando-que os |)oderesde dous dos fftv
ridosiueinbros. representantes do 3- districto, nao
estn dependentes-da apreefacta das eleieoes ein
thiplicita das freguezias de 1|wjihm, l'na e Barrei-
ros de que faz mensao a acta da eamara aporado-
r.vdo mesmo districto;
Considerando mais-que a 1f commissao de po-
deraa pretende apreciar as supraotadas eieicoos
em tlupl cata ;
(Considerando, linalment, que nada ha a oppor
a regnlaridade do processo-eleitoral do 3* distric-
tricto cu.ia eleicao primaria ja foi igualmente ap-
pi ovado ;
E* de parecer
Que snjant reonhecidos e decl>arak deputados
pelo 3* c'isincto os Srs. Dr. Francisco Amynlhas
de Carvalho Moura, conego Francisco Rochael
Pereira de- Brito Medeiros e |>elo 5" o Sr. Dr. An-
tonio Lopes- da Silva Barros.
Sala das commissoes. 28 de fevereiro de 1861.
\iuart ie oV itaceio.Silceiru Lobo.Costa Ri-
briro.
(Coniimw-ie-ka.)
ASSENBLE rilOVI\CIAL
COMTIMOACO 0A SKOOSJBA SESSO CllKl'.Mt.VTOIllA EM
28 lili rCVBlUHRO M 1861.
Presidencia doSr. dmttthtirt Tr\o dr Loireiro.
Vao a mesa e apprOVam-Se os seguidles pare-
cer- :
A 1* commissao de verificacio de poderes dos
mentores desla assembla previm i.il, tendo exami-
nado os diplomas e arlas que Ibes foram presentes,
relativamente a cada mu dos 5 di-lnclos eleitoraes
em qne se acha dividida a provincia, ven) submet-
ler a approvaeao desla asseinbha'o resultado de
seus trabalhos.
! districto.
A commissao, depois de examinados os diplomas
e actas submettidas ao seu parce, r, coa referencia recoobecida vlida a eleicao da matriz e excluida
a ,'leicao procedida por esse distr do, para nove de- a j() convento, deixa o Dr. Henrique do Reg Bar-
puiados provinciaes, de ojiini.io que o- trabalhos
da inesnia se lizcramcom reguiaridade e sem vicio
que allecle a sua validado.
O bacharel Francisco Benedicto de Souza Bar-
bosa) ile juiz municipal e de orphaos do termo de
Sania Isabel, na provincia da Bahia, idem ;
li bacharel Sergio Francisco de Souza Castro, do
lugar de e.-ci iptnrario servindo da secretario da
polica da provincia do Paran ;
Francisco Joaquim Pereira Lobo, do lugar de
presidencia d Minas-Jeraes, chefe de cslado-maior do commando superior da
municipal n de orphaos dos termos reunidos de;
Qucixeramobira e Riacho do Sangue. na provincia Nestes poneos dias eompraram-so vanas neq i mas
do Ceara, a sen pedido ; partid is das methores qualidades qu i s,> encontra-
0 conselheiro barao de Montserrate, do cargo de ram d ii a 2-JilK) a arroba, harn, n um |
presidente dO supremo tribunal de jUStica, Mnm no d psito de genero magro que n.\ t, m c.,,. ra-
doraa.
A mataoea continua parada no garal, por falta
do guio gordo,e ha prauntantes pm varios carra*
gaineiiios que os nao leem podad etfecluar por
falla do artigo.
CachacaTem-se vendido a ttO000 a pipa e o
deposito pequeo.
Coaros vaccuus seceos.Poocas transaccoes hou-
A commissao, porm, julgadceu tarar inteirar
a assembla de que, quaoto ao collegio de Pao
d'Aillo, veiilicou que comparec ndo 81 eleitores,
achant-se apurados e distribuidos peles difTerentes
candidatos 739 votos, em vez de 729, que o total
de 81 (numero dos eleitores ana comparecern, i
inullplicado por nove que o numero dos votos
que continua cada cdula ; segu ido-se d'ahi que
houve ua apuracao mn accrcscin o de 10 votos.
Mas atleudeno a commissao I" que. emhora
prima Ara*, esse accrcscinw de i assumir as proporctas de um motivo de nullidade,
pois que a fazer-se descont delli's podia ser altera-
da a h>ia dos nove cidadaos prin eiro votados; to-
davui peroianoce inalteravel esa lista dos nove
n,;iis volad >s, anda no caso di ser nulhlicado o
CO lugio de Pao d'Alho ;
2" que nao po-.-vel abalar com jusiiea esses 10
votos de mais na VOtecio obtida pelo- dilTerentes
candidatos, porque mnguem pota verificar em
quein recaliirain, se nos mais ou se nos menos vo-
tad
E* de opiniao a commissao: 1" que, sejam ap-
provadas as eleices dos collegiris do Recife e de
Pao d'Alho ; 2* que sejam reronhecidos deputados
pelo 1" districto eleitoial os Srs. :
Dr. Antonio Jos da Costa Itiheir J-----
Br. Joao Francisco Teixeira.........
Dr. Jos da Cunta Teixeira...........
Dr. Joaquim de Aojuinu Fonceca......
Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobina..
Con.-clheiro Loureiro................
Dr. Francisco de Carvalho Soares Bran-
dan.............................
Dr. Deodoro Ulpiano Coelho Catai lio...
Dr. Sabtno Olegario Ludgero Pml o----- 138
2" districto.
A commissao de verlicacao lio poderos
exauuiailo as acias dos collegios de Olin la, Igua-
. (i. launa. Nazarelh 0 l.iiuoe.ro, que CompoeUI
0 -' istricto .-le,toral desla proviucia, e leu loas !
confroulado com as leis, decretas e instrucc/i
que icgalam a materia,achou na i nenhuma dellas
eou: "ii vicio algum, ou faltas sub-lanriae:'. que pos-
sa m prodnzir a >u i nnllldado.
E" verla lo que do diploma ex iedido pela cama.
197
1 !>7
191
M
m
171
168
167
votos.
ra de Saiarelh coasti
fe.to pot tres vareadores da mesma cmara, padre
Francisco Cueles Cerrera de Bulo, capillo los
Pedro de Oliveira M lio e teoenti Jos Cabra! de
Oliveira e Mello, arguietoo cilicio fe GuManade
nuliidades, e pedindo emeonelusa i que tonaoda-se
em separado os votes deseos eollejius gtssara expe-
didos os diplomas a collegios do districto obtivwam naatora l votos.
As nuliidades articuladas, sao sefuintos: i| le
apenas comparecido no CoUcgio ta Goianna cento
e quituo eleitores, v-se da ac* ano gma destn-
ros de acliar-se comprehendido no numero dos
nove mais votados, passando ao mesmo lempo pa-
ii ise Ilutar o Dr. Ayres de Albuqnerque Gama,
de opiniao que seja este reconhecido depuiado.
c convidado logo a tomar assento nesta assembla.
Observoa mais ainda a commissao que se deram
tambera, per occasiao da eleicao primara dupl-
calas ni freguera ae Una e Barreiros, mais como
o resultado de taes duplcalas nao altara a lista
dos nove cidadaos mais votados para deputados
previnciaes nos domis collegios, e portento ne-
nhuma importancia pode olferecer na verificacao
dos podares, a commissao esnsiderando ainda que
o poder legislativo geral o competente para o ra*
conbecimento dos eleitores, devendo smen'e o
poder legislativo provincial reronhecer em falla
daquelle, fleando todava o seu reconhecimento sa-
jaste a ser nulhlicado por aquelle poder, entendeu
nao dever tomar conheciinento de ditas duplcalas
que tararlo serjolgadas pela assembla geral.
Em eondusaO porlanto a mesma commissao
de parecer :
1. Que sejam reeonhecidas e anprovadas as
el ro s procedidas nos collegios do Cali, Escada,
Ipojuca, Rio Fivmoso, Sernhaem e agua Prata.
sem a eleicao de Barreiros e Santo Aniio.
2." Que seja nolUAcadOO diploma concedido pela
cama apuradora ao Dr. Henrique do Bego Barros.
3.' Que sejam reronhecidos deputados pelo 3a
districto os seguintes cidadaos:
Dr. Jos Harta de Albuquerque Mello:
Dr. Joao da Silva Ramos.
Major Jos Joaquim do Bego Barros]
Tenerte-coronel Jos Antonio Lopes.
Dr. Manoel Netto Carneiro de Souza Bandeira.
Dr. Gaspar de Metates Vasooncefloa, de Drum-
moud.
Dr. Avies de Albuquerque dama.
4 Que nao tome osla assembla eonheclmerto
das duplcalas hardas por occasiao das eleices
provnciaes na frcgooiia de BM c Barreiros, reser-
vando tal conheciinento ao poder legislalivo geral.
1." 5." districto.
A commissao examinando o> diplomas e actas
que Ihe- foram presentes com reJac/aa as eleiedes,
para depulad os provuviaes prooeOsdas no 4" o 3"
distretos verftoou ter corrido os trabalhos dos
mesnios com a regulariihele exigida pelas leis e
Kistem ia de m protesto regulamertos; pelo que ta parecer:
1.' Que sejam aoprevadas as eleices a que se
orara nos eollogios ta Caraaru, Bonito, S.
liento. Garanbnne, Basquo Panaeaea.
1. Que sejam rocootaoidos deputados proviii-
ciaes pela 4" districto :
Conseltairo Francisco do Paula Baptate.
Dr. Deniosthenes da Sdveira Lobi\
ttr. Joaquim do Reno Barros.
C.apilao Antonio Vctor Corrija.
Vigario Jos Teixeira de \iello.
Professor Joio Braulio torca e- Silva,
tendo
REVISTA DIABIi.
A ass.;mbla provincial occnpoii-sc hootem con
a coniiii'iacao da discussao do parecer da rommis-
sao de p Orarain os Srs. Cunha Teixeira, Araujo Barros,
Goncalves da Silva, Nabor. Silva Barras; Joo Tei-
xeira, Reg Barros, Amynthis. Pereira de Brito e
Jacobina ficando ainda a discissao- adiada |xla
hora.
l-evanou-sc a sess io s 5 112 horas dr* tarta.
Hoje deve ter lugar a abertura solenwe.
A" sessao do jury, hontem convocada sob a
presidencia do Dr. Freitas Henrk|ues, jiiiz de di-
reito da 1* vara, coinpareceraui apena 9 pi-
les de fado.
Em consequencia disto procedeu-sc i novo sor-
teio de j iizes supplemenlares e expediram-ae as
necessaiias notilcaces.
- No domingo ti.-ve lagar a festividade vetigiosa
de S. Francisco de Paula, no Cachangii;. ea esto
impulso de dcvoc.o presidio lo lo o esmero e brt-
llw coneenientes, rirruuist.iucias que akiBta fa-
ziam mais notaveis pela nu nerosa conctMTBBeia
de liis a assisteneia ilos actos festivos ; os quaes
nao for un nem de leve perturbados por disturbio
algum.
Alm dos actos propriamente religiosos, larde
houve c.ivalhadas, e noite queimoo*ae un) togo
d'arlifieio duplieadamente bello pelo arranjo e
compinacao das cores, e pelo claro del le e ausen-
cia de fi ino, tendo tambem a tarde e a noite subi-
do aos ares differonies balees, ao som da msica
marcial do 9* haialhao, que tocn licitas pefas.
Os encarregados da feslividade -sao credores de
elogio pela ordem e riqueza, que Ihe inniriimiram;
e < para desojar que alli se trale da rouclusao do
templo, que, mesmo em suas proiiorces exiguas,
se ostenta bello pelaarchitectura agradavcl que Ihe
deram es seus reconstructores.
Sabhado |>assado den a Mflpomene ftmam-
bitrana a sua recite mensal, rorreada lodo o es-
pectculo bem.
Odra.na leve satisfactorio descmpenhtx esme-
rando-st todos os represntenles na exnressao do
pen.Nanienlo do autor -, o qnal comprehenderain e
desenvo veram tanto, quanto o poderiam cariosos
amante:, da srena.
A scena epico-dramatica Camoes e oJo e a co-
media tiveram correspondente deaaaaaoaba, sendo
a primeira traduzidacom as em tefes i| ie encliain
o coracito do poeta, naquellas horas em que a min-
gua do alimento da vida material enntrastava com
a abundancia da seiva de patriotismo.
No mesmo dia ieu igualmente a socievlade Re-
acio t usutas Familiar a sua rcpresenlacao ordi-
naria, em cujo tasempenho se hooiveraai os man-
cebos. f|ue eompem o quadro dos represntenles,
com idetico gosto pela scena, e esiudi> dos carac-
teres que desenvolvem.
A produccao do Sr. Mendos Leal, O Uomem de
Ouro, nao deixou de ser rompreliemlida em suas
bellezas, e traducidas oslas em fado; e acomeda
Os Dous Calcos conlinuon pelo seu tasempenho a
ser grandemente applaudida.
Estas duas sociedades dramticas instilo leem
concorrido na presente qnadra para tornar-nos
monos inspida a vida estril, que arralamos, pro-
porcionando-nos agradareis sordos eomutilidade
reciproca ; e para desojar que estes nao cetnri-
dam no mesmo dia, como se deu teste vea, pois
testa flmuitaneidade resulta o nao pobr-se apre-
ciar a amlios os recreios, que nos offcrecem estas
sociedades, reduxinda-nes por eonsegninte aesta-
belecer urna selcccM ou aliernacao.
A'dia-se nesta cidade o ravareodissiaM conego
.-Inanias Broker, inoage ta monje Libano, da or-
dem de S. Bazilio de Jerusatom ; rpal, proce-
dente da Kuropa, traz a missao de agenciar e-mo-
las para o liin de com ellas prover-.-e ao sustento
e ao abrigo loa luninos, em numero superior .
tris mil, que ficaram ao abandono e na mais cruel
orphanladc poli morticinio realisado esa seus pas
pelo fanatismos dos Turcos, Druzo- 6 Beduino*,
em consequencia de seren alies ebrslios !
Os jornaes da Euro>a j trai.ira o testa aaiasSo
que fo, coiiuneiiida ao reverendssimo conego An-
nanas o qual estove ainda niioha muilo em Por-
tugal, onde exerecu o seu niini-lerio, sendo no.
desenvolvimento della mirto bem acolhido pela
populaeao daquelle reino.
S. R'vma. obtove autonsac-ao do Exm. Sr. bispo
iooeaano para celebrar o santo sacriMa da iiis.-a
aesta diaoeso, segundo o rito grato ; e assim cu-
mocar boje na matriz da Boa-Viste, o seguir
aiiianli.a na deste fregitt'ra de Santo Antonio ;
depois d'amanliaa ua do Reotfe e na sev.lafeira.ua
de S. Jos, sendo pelas nove tena d'aiu.inliaa ; O
por e.-sa occasiao pedir a-^s Deis a sua wsKurreo-
ea pai a aquello lim com a samla, que Itosdiete-
rein o; seus seniimentoo de cariJade e impulsos
generosos de corarao.
Celetrar o mesmo conego nas capellas Bliaes
daqu das fregitczias com idntico lim. ^
Segundo informcjces que agora nos dio. re-
ferentes ao que boutcot puidicavio- sobre r-aosea-
taces de alguns emargados da swraaariata
assembla proviaciat, propria solieRj-stavaonoaso
amigo a Sr. Ignacio Bonto de Luyla candidato ao
provinento do lugai' de offlcal, | I SUfjpta se va-
gar pebiaposaotedoriataSr.Silva, lugarajoa j foi
exercido pelo mesmo Sr. Loyola.
As consideraces que honiem etaodaajaa acerca
do candidato para olicial-inaio-. calx-iiBnoque ora
oflerec itnos a eonai leracao do cor *a> legislativo
pira esse mitro lugar, pois qu", sobcoo mais, ha
no Sr. Loyo.'a, lamtain habilitacdes- i-rotasionaes,
p.iieeeudo-nos por isso que fara a as-emlila com
a sua ruiilregai;*) um aclo de justioa 'aulo maior
quanto nao se lira assim 0 pao a, uenbuui pai ile
familia.
As relceos que (trotemos aom a Sr. Loyotay
obriga-nos a ajtrahfr nos na mi-a-icta do suas,
qualidades, mas i-to sapprdo,petoconheciinento
que le i a provincia dessas uv-un- quafidades.
>o domingo houve a prneissaa ito Senhor Boro
lana i H AfBiclos com a orden e a taeaneia aro-
prias de laes actos.
No Collegio das Artas Rieran exames de in-
glez a rtatoriea SO esla-lantos, no da 27 d> passa-
do. sabindo : plenamente -, Mmptesmoobi "J re-
provados S om rhetortca; e plenamente 4, --'"*-
plesmente 3, e reprovados em g'Oiiraaoia.
Foi aprovada a sjaraeacio inlerina do f te-
nerte do i" batalluaV) do artilharia Folippe Marquo*
d i- Santos, ara subslsteicao do eflbetivo, ^jue se
acha nraao.
Por ter provado isencao legal foi manila lo
por em libertado o reerute TortuMano das Chagas
Colhe. ... ,
Con-eil iam -e 13 das de brenca, rom orde-
na I,. i pr dessora puhlioa do B)iiito,'Tucrdza Per-
lina 'de Jess Jardn).
ovimento da casa de detonfao do da 27 da.
fevertiro de 186L



tf^'^ijMMitt.'ajiw-'
u
uc rcrauWKip ivr^a
A saber
Btrstiam...... 363 presos.
Entraran]..... 5
Saliirain...... 16
Exislcm....... 394
Nacional1'..... 217
Kstrangcii'o*...
Mulheres......
Estrangciras...
Escravos......
Escravas......
331
30
7
1 >
63
6
A iwantidade <- rifimportado durante, o inte-
rno anuo un Iodo o continente europeo foi de. ..
2.31.'j,0()0 quintaos, dos quaos a Inglaterra consu-
mi M3,000.
j 0 Coi reto des Estados-Untdot assegura que ara-
! ba de 4'scoln ir-;c na California nina pyramide
exactamente semethaote s pyramidos do Egyplo,
porcm com proporcoes milito"menos grandiosas.
Os antiquarios do paii iulgam que aorta ler ser-
vida de luinulo, aalguin Pnara de cabera chata.
Eslava vasia.
late poesa, cuja pnbliracao nos pedem,
Movimcnto da cas-a de detenco no dia 2l de dedicad;, sociedade dramtica Reacio e Unido Fa
fevereiro
A saber
1861
Existlam .
Entraram. .
Sahiram
Existen). .
Xacionaes. .
Estrangeiros
Mulheres. .
Estrangeira
Escravos .
Escravas ,
354 presos.
29 .
378
270 presos.
30 .
9 .
1
62 .
6
378
Alimentados cusa dos cofres pblicos.. 147
Movimento da enfermara no dia 29 de fe-
vereiro :
Tero baixa :
Joao Fernandcs Chaves, intermitiente.
Tiveram alta :
Joao Oionizio.
Antonio Jos Comes.
O vapor Cruzeiro do Sul, vindo dos portos do
snl. trouxe seu bordo os seguintes passagoi-
ros : Dr. Jos Bernardo Alcoforado Fillio, Alfredo
Alcoforado, Antonio de Moraes Gomes Ferraira.
Antonio P. de Arbues Jnior e i escravo, Jos Je
ronymo Monteiro, Dr. Jeronymo de Souza Maiiins
e 1 criado. Dr. Paulino Bodrigucs Ferreira Chives
sua senhora e 1 escravo, Pedro Goncalves Peraira
Cselo, Manoel de Almeida Sodr, Jos Antonio
Gomes, Francisco Xavier dos Reis Lisboa, Jos de
miliar.
Quando da verdade o batel dourado
Vai n'iiin triste mnr de erras sossobrando,
' Como bollo qual nauta denodado
Ir-lhe o leme as ondas povernando I
(ni/ d'apua o fragor dcscompassado,
De tropel venios rijos assoprando,
Mas o n.- uta assoberba os elementos,
Irado mar despresa, o fortes ventos.
Vos sois dessesTalentos marinheiros,
Que o batel da verdade condiuis ;
Vossas vozes sao os zephyros fagueiros
Com que os lufoesdo errorepellis ;
Em frenlepor phanaes sao os luzeiros,
Que. do Mo no co brilham gentis,
vossa (brea o amor da humanidade
', No peito vos verter santa bondade.
Da scena n.o temaes a estreileza,
Dosdenhai essa ingrata reflexao,
Que jamis ser [nova de grandeza
Da materia pomposa osteutaco.
Tambem do peito humano a affouleza
As raas transpor do coracao,
E o arroio escasso na nascente
l'in dia se tara caudal torrente.
Sim, senhores, la na orla do horisonte,
Onde as nuvens de Deus je pnrpureiam,
j Do anjo do futuro n'alva fronte
Acenos de avancar se vos meneiam;
Harchai sempro.-subi o alto monte
Appellante. Eustaquio Antonio Gomes ; appella-
Avallantes, Guimaraes Oliveira ; appellados,
0 presidenta u directores da caixa lilial do bauco
do Brasil nesta cidade.
Primeiro dia til.
l'ASSAC.KNS.
Appellante, Antonio fos de Siqucira ; a_
dos, os administradores da masi-a fallida de Joao
Jos de Figueiredo.
Do Sr. desembargador Villares \o Sr. desem-
bargador Gui maraes.
Appellante, Antonio Gomes Pereira ; appellado.
Antonio Duarte Carneiro Vianna.
MOVIMENTO 1)0 PORTO.
.Vil/os entrados no dia 29.
Macei e portos intermedios 24 horas, vapor na-
cional Parahyba, de 102 U neladas, commandan-
le Martins. equipagem 20.
S*"?." Liverpool3i das, barca inglesa Hainlota, do 244
toneladas, capilao Joseph Durhani.equipageni 12,
carga fazendas e plvora : a Sauuders Brothers
&C.
Guernsey32 das, brigno inglez Esperenza, de
298 toneladas, capilao Geirge Bezelmant, equi-
pagem 9, em lastro ; a Sauuders Brothers & C.
Appellante, o Dr. Chrisiovao Xavier Copes; ap- SumTra-^l" galera a
liados, a viuva e herdeiros de Joao rerreira *
penados, a ira dos
Santos.
Appellante, Miguel Jos Barbosa Guimaraes; ap-
pellado, Joao da Cunha Noves.
DoSr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Villares.
DISTItlHI icol".-.
Appellanle, Virginio Barbosa da Silva ; appel-
lados, Caldoso cv Souza.
Ao Sr. desembargador Villares.
Appellante, Jos Paulo da Fonseca, testamenteiro
de Manoel Joaquim Dias de Castro ; appellado,
Joaquim Ferreira da Costa.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes.
Appellanles, D. Josepha Juslina de Jess Gon-
calves e ootros ; apianados, Isaac Curio & C.
Ao Sr. desembargador Villares.
AOGRAVOS.
Aggravanto. Miguel Jos Barbosa Guimaraes;
aggravado, Joao da Cunha Nevos
O Exm. Sr. conselheiro presidente deu provi-
menio.
Aggravanto, Joaquim Elvira Alvesda Silva ; ag-
gravado. Joaquim Jos Ferreira.
Aggravante, Jos Francisco Ilrando ; aggrava-
dos, lves Hamhurger & C.
Negou-se provimento.
DlblGKNCIA.
Appellante, Jos Goncalves Malveira
dos, Vaz O Sr. desembargador relator Silva Guimaraes
1 mandou descer os autos para o cartorio afim de
i62 toneladas, capitao Thomaz lloyt, equipagem
18 carga pimenta ; ao mesmo capitao, veio re-
frescar.
Sanos saludos no mesmo dia,
Canalescuna ingleza Mischrf, capitao C. Baker:
carga assucar.
Barcelonapolaca hospanhol.i Flora, capitao Juan
F. Sensat, carga algodao.
Liverpool paiacho inglez Santo Ptter, capilao
Franris JJm, carga assucar c algodao.
Havanasumaca hespanhola Prisedente, capitao F.
Ros, carga carne.
Philadelphia barca ingleza Union, capitao W.
Heard, carga assucar e algodao.
EDITAES.
Peante a camaja municipal desta cidade es-
tar em praca nos dias 27 e '.!9 do correte e 2 do
marco prximo futuro, a obra do aterro e bomba
a fazor-se na travessa do Quiabo da povoacao dos
Afegados, oreada em 37&4t00; aquelles que a
quizerem arrematar, eomp;.recam nos menciona-
dos dias no paco da mesma cmara, munidos de
fiadores idneos que garantai i a execueao da obra,
sem o que nao poderao licitar. O orcameuto da
appeiia- obra acha-se na respectiva secretaria.
Paco da cmara municipal do Hecife 24 de fe-
vereiro de 1864.Luiz Francisco de Barros Kego, 100 de dito de5j&
presidente.Francisco Canuto da Boaviagem, se-, Electa o couselho
Capitao Jos Joaquim Pereira de Oliveira.
Jos Velloso Soares Filho.
Manoel Caelano Espindola.
Porfirio de Oliveira Machado.
Couselho ele compras uavacs.
Contrata o consolho no dia o de marco prximo,
sob as condicoes do eslylo c por tres mean at
junho, tamlicm prximo, o fonieoimento de vive-
iv-,ihi;,. c outros objectos de consumo aos navios
da armada e estabelecimentos de marinha, com-
posto o fornecimenio dearroz do Maranhao, agur-
dente branca de 20 graos, assucar branco gr
azeite doce de Lisboa, azeite inferior, ararula, ale-1
tria, bolacha, baralho, bolachinha americana, cal,
branca e preta, carne seccado Bio Grande do Sul,
caf em grao, carne salgada, carnauba em velas,
carne verde, caugica ou millio pilado, cevadmha,
cha, farinha de mandioca da Ierra, feijao, galinha,
inanleiga ingleza, malte, manleiga franceza, pedra
brula de alvenaria, pao, sabio, tijolo de alvenaria
irossa. loucinho de Lisboa, tapioca, vinagre de
Lisboa, velas stoarinas e finad de Lisboa.
Tambem sob as condicoes do esl\ lo promove o
conselho no dia 10 do crrante meza compra dos
seguintes objeelos do material da armada : 100
medidas de azeite de peixc,
COHfPANHIA
DAS
MESSAGERIES IMPERIALES
No dia 1 de
marco esperase
dos portos do sul
o va|ior francez
Bearn, comman-
dante Aubry do
la No, o qual
depois da demo-
ra do rostume
seguir para Bordeaux tocando em S. Vicente e
Lisboa.
Em S. Vicente ha um vapor em corresponden-
cia com Gore.
Para fretes e passagens trata-se na agencia ra
do Trapiche n. 9.
Rio Ciran.de do Snl.
O patacho Luiz segu com brevidade, e re-
cebe alguma carga a frete : trata-se com os con-
signatarios Marques, Barros & C. largo do Corpo
Santo n. 6.
i arrobas do algodao------------------------------------------_____________
em rama. 20 grozas de peonas de ac, 0 duzias de O bi igue brasileiro Beluario, segu imprete-
taboas de louro para andaimes, 3 duzias de tabeas nvclmcntc quinta-feira 3 do crreme para o Bio
de amarello de 23 pollegadas de largura, 2 bom- "le Janeiro, s pode receb3r escravos a frete : a
has de Japy, 3 duzias de taboas de assoalho de Talar com Marques, Barros & C, larga do Corpo
amarello de 3 palmos de comprimento e 2 2 1|2 Saato n. 6, ou com o capitao Manoel M. Ferreira.
de largura, 1 peca de cabo de cairo de 4 1|2 polle- i'in Ci"nln gadas, lOlences de ferro inglezde3|8, 1 baro-: nlO UianUC c >UI.
metro o thermometro de Forlic na mesma peca, 1 3 patacho nacional Salta, recebe carga para
tlu rinometro de ar, 1 thermometro de chuva, i aqielle porto a rete commodo : a tratar cornos
hydrometrode commercio, 1 hygromelro de Sous- consignatarios Bailar & Oliveira, ra da Cad.ia
sure, i caixas de vidro, 20,000 azulejos. 1 thermo- numere 2b.
metro de Saxtod, 1 anemmetro, 1 mulinete do
Wolthman, 1 balde de ferro de trazer agua do fun-
do, 200 palmos de cano grosso de chumbo, e 200
ditos de dito fino, 6 phares de luzes material ver-
de c encarnada, 20 arrobas de morrao, 0 esgu-
nhos, 40 pecas de linha de barca, 100 vertedores.
Para o Porto.
Segu at o dia 10 do corronte, a veleira barca
potugueza Clmulina, por ja ter seu carregamento
prompto, recelKi somen'e passageiros, para os quaes
tem excedentes commodos, a tratar com os consig-
Barros Duarte, Antonio Jos Dias Peona, Antonio Que os pellos de coragem vos anceiam
Silvino Barbosa da Silva. Joaquim de Oliveira An- E o mundo de ouvir puras licoes
ilrade. Joaquim Moreira da Silva, Joaquim Bogsrio Que llores desabrocha aos coracoes.
de Oliveira, Jos Pedro de Paiva Ba rae lio e 1 cria-!
do, Theophilo P. da Silva, Domingos Facundo de Nao um interesse baixo e vil
Castro Menezes, Antonio Joaquim Ribas Jnior e 1 Que aoscenario vos traz colher palmas,
escravo, Dr. Manoel Antonio de Mello Jnior e sua Naoque nuvein negra em co d'anil
seobora, Bduardo da Silva. Cecilio de Ionios \u- Nao Ihe pode turvar as brandas calmas;
nes Facundo e 1 escravo, Elias Jos des Santos. Nao de impuro movel feio ardil
Joaquim Monteiro do- Santos. Joaquim Altes da Que ao proscenio roja as meigas almas,
Silva e 1 escravo, Innocenzo Smolz, Joao Vaz de E" urna idea grande, honesta e bella
Carvalho Sodr e 1 escravo, Dr. Jos Aives da ;'-il- Que a fronte generosa vos assella.
va Bibeiro i- 1 escravo, Augusto Archaujo dos
Santos o 1 escravo, Dr. Francisco Rodrigues Soa-
res, Antonio Jos Lopes Filho, Francisco Itotlrigues
is, Antonio Pereira Valladares, Guilherme
Amazonas de S. Augusto Magno de Mello Mallos,
cadete Bernardo BabellX da Silva Pereira, Pedro de
Alcntara Velhaco, Artero Pereira de Araujo, Al-
tino Rodrigues Pimenta, Joaquim Cajuelio de Cam-
pos, Manoel Joaquim do Prado e 1 escravo. Fian-
11 Vosso manto protector e mni leal.
i se promover, por parte de quein interesse uver, a cre[ar0
hal.ilitacao da causa, visto ser notorio o ftllefijmen- 0 Dr Tristao|deA|enclAr!.ripe,olBcial daimpe-
E' em mcio familia agradecida.
Que entoais V08S0S hyninos de virtude,
Ella nos doces carmes embebida
Vos bemdfl a harmonia doalade.
E como o licor santo que a ferida
Do corpo cura e sana-lhe a s.nide,
As doutrinas que d'ahi pronunciaos
Sao blsamos que as almas derramaes.
to do appellante..
Nada mus houve, e encerrou-so a sess|0 s 3
horas da tarde.
PUBLICARES A PEDIDO.
Paslhas vermfugas de lemp.
Chancas atormentadas por vermes podem ser
alliviadas eom urna dse de pistillias vetmifugas
de Ke.mn que sao incitamos em apparencia e deli-
ciosas de mais no seu gostopara seren regeitadas.
Estas pastilhas sao muito procuradas por quatro
motivos; ellas-nao contm mineraes, naeprecisam
depois de purgante, effectuam o que se deseja sem
causar ddr, as criancas esiao promptas a tomar
mais do que marca a receita.
Nenhuma mai, que ja as tonha experimentado
una vez, quer outro vermfugo na sua casa.
A venda por lodos os primeiros droguistas no
imperio cem Pernambuco por Caors & Barbosa e
J. da C. Bravo & C.
rial ordem da Rosa e juiz especial do commercio
desla cidade do Recife de Pernambuco e seu
termo or S. M. imperial ? constitucional o Sr.
D. Pedra II que Deus guarde etc.
Faco saber pelo prsenle, que no dia 21 do mez
de marco do crrante anno, se ha de arrematar
por venda quera mais, em praca deste juizo, de-
pois da audiencia respectiva, urna casa terrea n.
1,000 femeas de rede, 20 lantern'as de patento, 50 n"arLos na rua da Madre de De"s 3, ou com o
yaroes de cobre de 3[8, 100 varoes dito de 4)8 e cal"laa ______________________________
, Para Lisboa.
o contrato de fornecimcnlo Sahlr com toda a brevidade o muito veleir
e promove a compra dos objectos, a vista de pro- brigue porluguez Constante II, iwr ler oua
postas aposentadas DOS meucionados das ato as prompto todo o seu carregamento, tem excelentes
I horas da manliaa, e jara o que convida aos pre- commodos para passageiros, e para estes e o res-
tante da carza trata-se com Manoel Ignacio de
Oliveira & Filho no largo do Corpo Santo n. 19.
tendentes.
Sala do conselho de compras navaes 29 de feve-
reiro de 1864.
Alexandre Rodrigues dos Anjos,
Secreta riel
Conseiba adminislraliro.
O conselho administrativo, para lornecimento do
27, sita na rua da Roda da fieguezia do Santo An- arsena, de erra ,em d(J co|iprar os o|)Jec|os se.
tomo, a qual tem 20 palmos de frente c o-l de fun-1 ,,i_ .
do, com porta e janella na frenle, duas salas, dous
quartos, cozinha fra, quinal murado, cacimba
guintes
Para o hospital militar.
Para o Rio Grande do Sul segu com muita
brevidade o patacho brasileiro Dous de Dezembro,
ten a bordo parte do carregamento e recebe o
resto a frete commodo: tratar no escriptorio de
Ainorim Irmaos rua da Cruz n. 3.
ara Lisboa
segu com a possivef brevidade o bem conhecido-
Tobias de Souza Lima. Eduardo de Souza e Silva,
Francisco Xavier de Mallos Telles. Raymundo Cor- Quo ag tenrasavczinnas no ,,. ,
rea de.Mendonca. Frederico Marinho de Araujo e ^r4 oTr wr do^e%artBho,U
1 escravo. Salvador Borges de Mallos e 1 escn.vo, j'RCIsam p ara *oar ore car,nn0-
Deocleciano da Rocha Vianna e I escravo, Anicnio IE vu virgens |0Ufr,as cap[as vestaes
\ieira deUrvalho, Agostmlio Das de Carvalho Que veais a luz viva da puieza
Lima, Francisco de Almeida, Joaquim Souza Froes Vs que as grinaldas nossas esmaltis
e 1 escravo. L. Al redo da Silva, Lucio Ussu.no cmo as llores esmalta ufa natureza,
Luna, Afistides Augusto Milln V. de Antonio Descerrai vossos labios virginaes
Valdue, Aed.-ngo fu lia I I'.re, ( herubino Rancie- xesse riso que tanto os embelleza,
n, Manoel Rodrigues Bacellar, Epiphanio Doirin- F. pagos da licao damor que deram
gues da Silva Joaquim Pe.xolo de Araujo Palniei- cijrjro torcas que jamis tiveram.
ra. Licino \ ler de Maedo Lima e 1 escravo. Dr.! ^ J
Joao Mara L. Tavares. Dr. Goncalo Vieira de Mello Um dia quando as plagas do porvir
Prado e 1 escravo, Antonio Ferreira Prado, J>s Tocar o ureo lonho que guiis,
Antonio dos Sanios Andrade, Pedro Claudino Duar- E o da estrada termino auiogir
te, Antonio Ferreira Pinto, Joaquim de Souza Cir-: Fechando as brancas velas que assoprais;
no, Joao Jos de Miranda e i lilho. Luiz Jos Fer- O anjo do futuro vos sornr
reir luotor, Urlos C. de i astro Jnior. J is Dos brilhantes trnphos que Ihe levis
Francisco Leitao, Antonio Mximo do Reg, Anto-, Dir ao muudo grato aos vencedores
nio Jos da Silva Jnior. Luiz Lucas Correa, Pedro Aquelles tambem foram lutadores.
de Sou/a Bego, Francisco Jos do Oliveira Macha- .
do, Victorino Jos. Pereira de Magallif.es. Sentx ri-!As a em Curu ?oarao-
nlu Maria de Jess. Thereta Mara de Jess. G is-
De envolla i nomos ouvireis.
par Antonio Vieira Guimaraes, Dr. Emigdio Mar-
Perfumosas coreas tecerSo
^... -....^..^ ....i,.. iniiiuii .ti .-. i'i. i.iiiUUH' .ii.n- ,, __ ... .
ques Santiago, Dr. Carlos Souza da Silvei a, 2 pra- li"" 'I1'" a fronlL' Jtagida ah lereis.
cas de linha. 1 desertor, I ex-praca e i jscravo ?ao l'uu,'os m^ tambem la gozarlam
entregar i Barros e Silva.
Seguem
COMMERCIO.
O Novo Banco de Pernambuco convi-
da os credores admillidos ao passive das
massas de Uesquita Dutra e Francisco An-
tonio Correa Cardozo a reeeber o primeiro
dividendo destas massas, devendo exhibir
os respectivos ttulos para ser annotado o
pagamento.
Alfandega
Rendimento do da 1 a 27........
dem do dia 29.................
IB o vi itie ul o da al Candeda
Vclumes entrados com fazendas.,
com gneros..
Volumes sahidos
para o norte: barao Mamanguape,
Francisco Xavier de Carvalho e, 1 filho, Jo- Fran-
klin de Aletear, al foros Horacio Candido Ferro ra
Caldas. Joaquim de Souza Ribeiro, Jos Antonio de
Acaujo, Antonio Ferreira it, Manoel Joaquim a-
ua, las da Silva Castro, Jos Joaquim d i Costo e
tres cadetes.
Passageiros do vapor nacional PoraAui
irado de Maeei eportos intermedios : capitao An-
tonio Cabral Mello Leoncio sua senhora 8 1 lilho
menor, 1 praca, mai e 1 irmao, Jos Joaquim da
lioolia. Thetoni > do Soma Rodrigues, Geminiano
da Costa Barboza, Ivo Jos Pereira de Castro, (le-
miano Brasil de Oliveira Goes e 2 escravos, Cun-
alo Paes de Azevedo Furo e 1 irmao menor, Jos
Correa Dantas Serra e 1 escravo, vigario Francis-
co Pedro da Silva, Mana do Rosario, Joao Lopes
de Agolar, Jos Venlatore, Francisco Antonio, Cifr
frone, Manoel de Vaseoncellos, Antonio Lourenco
Teixeira Marones, Dr. Balbino Gozar de Mello, e
Joaquim le Alvim.
Oiiiti vnio do da 28 de keveueiro, no cemite-
RIO PL'BLIOI.
Antonio Dias do Amara!. Pendo, H'J annos solteiro,
Boa-Vista, anacarea.
29
Pedro, escravo, Afri-a. U annos, solteiro, S. Amo-
nio, ataque apopltico.
Verediana, escrava, Pernambuco, lannoBa-Visla,
denlico.
Maria. escrava, frica, 40 annos, solleira, S. Jos,
phlysica.
Julia, Pernambuco. 1 mea, Recife, espasmo.
Louros que da a virtude a -"sfiois;
Avantenao parar um s momento,
Que a empreza nebro, e grande o pensamento.
com
com
fazendas...
gneros...
118
3tt
167
289
l'M POICO DE TUDO.
O Moniteur publica o seguinte:
Diz urna correspondencia de Londres que M.
Sniith fez com bom xito a experiencia de um
theatro n'um caminho de ferro de Manche.-tei a
Liverpool.
Figurein-se cinco extensos wagons dispostos de
modo que f irmain junios urna tonga sala. O tocto
arredondado esia guarnecido de lustres que pio-
jectain una viva luz.
As paredes lateraes sao fetas de madeiras acs-
ticas.
Por estas disposiroes mecnicas afasta-se toda a
possibilidade de barulho exterior.
Figure-se alm disto urna cavidade onde pdem
mover-so seis msicos com os seus instrumentos, e
um palco a G ps cima do nivel do wagn, e ter-
so ha orna idea quasi exacta deste theatro impro-
visado no caminho de ferro.
As pecas representadas sao combinadas de mo-
do que cada estacao acaba urna scena. comecando
otitra logo que o' trom se poe em marcha.
Se ha paragem de um quarto de hora ou me.a
hora, faz-so eolio um entre-acto
A 8 de dezembro, fez M. Smilh a estroia deste
theatro com a sua companhia de doze pessoas.
Representou-se urna peca muito popular em Ir-
llatrra, e o programma'foi entregue a cada es-
pectador com o bilhele da passagein na e.-iaco do
caminho de ferro. .
A peca foi muito applaudida.
L-se na Disciusdo o que segu :
A sociedade de Gianduja. quereudo saber o toni-
llo que estar nos unimos dias do carnaval, para
pre parar, os i|ieriimentos segundo olempo bom or
iiiao,.ewrevou lema carta a M. Mathieu (de la Da-
me;, regando-lht que Ihe Indicasse as eondicSes
Mhmosjjhcricas da nossa cidade na indicada -
poea.
M. Matbieu (de la Drome) respondeu com um
carta muito lisongeira. em qoe Jmenla nao conhe-
butaate as condieoes topographieas dij Turto,
o. tudo.ao ter podido ainda conhecer os re-
giMros e documentos preciosos para a sciencia que
se aehan no nowo observatorio.
Comiudo, afiesar da falta oestes dados, e julgan
do pela conformidad* que existe entre o nosso ter-
ritorio e o do meio dia da Franca, julga que o tem-
po se conservar favoravel al'at 10 de fevereiro
Sabemos, portante, que podemos empiche der os J
n ais elegantes diverlimentos, sem recoio do que c
nao lempo os venha contrariar.
n'uma estalistiea rpu publica o Economis-
ttt, peridico iwminercial do Londres, que a quali
d ule de assuear de varias procedencias, imporlad.
n >s principaes portos da Europa durante o anno
di! 1863, foide Ii,8-2,ii00 quintaos, dos quaes se
a Inglaterra consumi mais ile 9 milhOes c meio.
CHH0MG4 JDDIGIARI4
rIItl\A!, DO ( IMI11' H< ,.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 29 DE
FEVEREIRO DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. Sil. Q0NS8LHBB0
SOUZA.
As 10 horas da manhaa, seunidos os Srs. depil-
ados Lomes, Rosa e Alcoforado, o Sr. pre-
sidente declarou aberta a sessao.
Lida, foi approvada a acta da ultima.
BXPEDHHTE.
Foi lido um oflicio do director da secretaria de
estado dos negocios da agricultura, commercio e
obras publicas, acensando a reeepcao do quo Ihe
foi dirigido por esto tribunal.Archivc-se.
Outro do presidente do supremo tribunal dajus-
tica, participando a sua nomeaoao e posse.Accu-
se-se a i'ropr.io e archive-se.
Outro do deputado supplente deste tribunal, par-
ticipando que por incommodo de sade nao pode
comparecer i sessao para que foi chamado.O tri-
bunal fica nteirado, e mandn que se chamasse o
immediato.
DESPACHOS.
No reqoermento de Manoel Joaquim de Faria,
pedindo o registro do seu contrato de sociedade
com Jos Targmo Goncalves Fialho.Soja ouvido
o Sr. desembargador fiscal.
No de Joai Luiz Ferreira Ribeiro, por seu pro-
curador, pedindo o registro do additamenlo feito
ao seu contrato social com Eduardo Marques de'
Oliveira.Regstrele.
No de Joao Jos Ribeiro Guimaraes, pedindo o'
registro da esenptura de distralo da sociedade de
Vianna & Guimaraes.O mesmo despacho.
SESSAO JL'DICIARIA EM 29 DE FEVEREIRO
DE 18(ii.
PRESIDENCIA DO KXM. su. CONSELHEIRO
SOI'ZA.
Secretario, Julio GuimarSe$.
A 1 hora da tarde, o Sr. presidente abri a ses-
sao, estando presentes o Srs. desembargadores
Villares, e Silva Guimaraes, e os Srs. deputados
Lomos, Rosa e C. Alcoforado.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
Foi hdo>o oflicio do Sr. conselheiro Joaquim Mar-
celino de Brito, commuuicando haver assumido a
presidencia do supremo tribunal de justiga por
decreto de "i uu fevereiro do crrante anno.
Assignou-se o accordao proferido na ultima ses-
sao, entre partes :
Appellanles, os curadores da maesa fallida da
viuva Amorim & Filhos ; appellado, Henrique Au-
gusto Millet.
O deputado supplente Antonio Jos de Castro
communicou que por molestia nao podia compa-
recer ueste tribunal para o lim designado na ses-
Descarregam no dia Io de marco.
Brigue nacional Fluminense charque.
Sumaca hespanhola- (;ii(irtnpe=idem.
Brigue oglez H'iimond=plvora.
Escuna hollandezaDrtc Gerusters Pof-carvao.
Barca americanaMeaco -farinha di trigo.
Patacho inglez i(pcn.'/=farinha de trigo.
Escuna inglezaPropendesdiversos gneros.
luiportac.
Polaca hespanhola Terezita, entrada de Barcclo-
, na, consignada a Th. Christiansen manifestou o
seguinte :
2 barra vinho, o caixas papel branco ; a Tasso
; Irmaos.
j o caixas papel para cigarros; a Francisco da
' Silva Jnior.
100 botijas azeite de oliveira ; a ordem.
lio pipas, 22 barris e 90quintos e 60 decimos
vinho : ao capilao do mesmo.
j 3 pipas vinho, 3 volumes alhos, 10 saceos ave-
lans, 10 ditos nozes, 10 ditos amendoas, 10 volu-
mes figos, 10 caixas passas, 1 dita papel para ci-
; garras, 1 dita dito de escrever ; ao consignatario.
Vapor nacional Cruzeiro do Ski, entrado dos
portos do Rio de Janeiro o Babia, manifestou o se-
guinte :
Do Bio de Janeiro.
; Genero estrangeira j despachado para consumo.
1 caixote chpeos ; a Joaquim Alves.
! 1 caixa Iivros impressos ; a Jos Nogueira de
Souza.
6 dilas diversas mercadorias; P. R F. C.
Gneros nacionaes.
1 barrica charutos; a Jos Leopoldo Bourgard.
2 saccas milho ; a A. J. Fraga.
lo barr-; toucinho ; a Jos Joaquim de Lima
Bairao.
33 rollos fumo, 1 caixa frasqueiras de prata ; a
ordem.
Da Babia.
Genoro estrangeira j despachado para consumo.
30 pecas aniagens ; a M. Martins dos Rios.
40 ditas canhamaco ; a Sunders Brothers c C.
20 caixas charutos ; a James Ryder & C.
3 barricas gesso ;a Frt derico P.
1 roda de leme ; a Wihon & Melle.
Genero racional.
4 caixoes charutos; a Palmeira c Beltrio.
1 dito ditos; a J. B. dos Reis.
1 barrica louca de barro ; a D. Alves Matheus.
I barrica assucar ; ao desembargador D. Fran-
cisco.
1 eaixao ireni de cozinhi, 1 bahu formas i a Fre-
derico P.
Kxportaco.
propna o portao me de.la para a rua dos Palos,, arrol)as, amido 8 ljliras azetl! au,.e 2 arrobas, a-
avahada em 2:000,5000; cuj; casa e perlcncente a glia de ,]u|. de |arallgejra j ranadaS) acido cetrco
2 libras,
Francisco Jos da Cosa e Silva,
e va. a praca por,32 ,|)ra. a a u.m i% garraf;,Si ro,a,
execueao que contra o mesmo encaminha Julio Ce- bicarbonato de soda 8 libras, balsamo tranquillo
o unanles.sera a u i;i..., i.i____j, ._i-. \._. ..___
sarda Silva Amaral. E na fallade licitantes,ser a
arrematacao feita pelo preco la adjudicado com o
abatimento respeclivo da lei.
E para que chegue ao cenhecimento de todos
nambuco, aos 29 d fevereirc de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paos de Andrade. escri
vao o subscrev.
Tristao de Alencar Araripe.
Cheruoviz da sexta edico 1, assucar refinado 12 lujire portuguez Julio, para o que tem grande par-
te da carga engajada ; para o resto c passaneiros,
aos quaes ofTerecc bons commodos, trata-se com o
consignatario Thomaz de Aquino Fonseca, na rua
do Vigario n. 19, primeiro andar, ou com o capi-
lo o Sr. Francisco Antonio Meirelles, na praca.
Para o Porto
br, crmor d | Prelenc|e seguir com muita brevidade a barca por-
(portivuezas) i lu?ueza Feliz, tem parte de seu carregamento a
1 bordo : para o resto que Ihe falla e passageiros,
paraos quaes tem excellentes commodos, trata-se
coi i os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio rua da Cruz
numero 1.
8 libras, balsamo de tol I libra, chlorato de po-
tassa 4 oncas, confeitos de cubebas e ferro 1 libra,
chocolate de musgo irlandez 4 libras, canella em
casca 2 libras, chloroformio 1
-
DEGLARMOES.
do
1:202:000
183-5000
Manta Casa da Misericordia
Recife;.
A Illm.a junta administrativi da Santa Casa da
Misericordia do Becife manda fazer publico, que
no dia 3 de margo prximo futuro pelas 4 horas
da tarde na sala de suas sessoes tem de ir pra-
794:46SeV961 ca as rendas das casas abaixe declaradas, perten-
33:372,5794 centes ao patrimonio de orpaaos por tempo de
um tres annos, a contar do 1 de julho prximo
757:82o7oo futuro em diante.
Os pretendentes dovem comparecer acompanha-
dos de seus fiadores ou manidos de cartas oestes.
Praca de Pedro II.
N. i particular e 33 publico, segundo
il andar ............ 4835000
N. 1 dito e 33 dito, sala...... 2205OO0
Ba do Imperador.
436 N. 2 dito e 81 dito, dous andares- ..
Largo do Paiaizo
X. 4 dito e 29 dito, dous andares
Rua das Laran; eiras.
N. 8 dito e 17 dito, casa terre .
Rua Velha.
N. 8 dito e 32 dito, casa ierre i..
Rua de S. Gmalo.
N. 10 dito e 22 dito, casa terraa.. ..
. Rua do Piras.
N. 13 dito e 39 dito, casa terna.. ..
Rua da Lapa.
M. 40 dito e II dito, casa terrea.. ..
Rua da Moei a.
N. 44 dito e 21 dito, casa terrea.. ..
Rua do Vigario.
N. 72 ditwe 27 dito, dous and; res ..
Rua da Senzala Velha.
N. 78 dito e 136 dito, dous andares..
N.SOdito e 132 dito, dous andares..
N. 81 dito e 18 dito, casa tema.. ..
N. 82 dito e 15 dito, ca.-a lema.. ..
Rua da Guia.
N.84 dito e 29 dito, casa terrea.. ..
Ruado Pila-.
N. 91 dito e 103 dito, casa terrea.. ..
N. 92 dito e 104 dito, casa tortea.. ..
N. 94 dito e 99 dito, casa tenea.. ..
N. W ditoe 10 dito, casa terrea.. ..
X. 100 dito e 104 dito, casa teirea. ..
N. 10o dito c 94 dito, casa tenea.. ..
Itosarinho.
N. 3 particular, casa o sitio......
Mirueira.
N. 4dito, sitio.. ......
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 29 de fevereiro de 1864.
O escrio,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Tribunal da relaco.
Por ordem do Exm. Sr. dtsembargador presi-
dente da Relacao faz publico para os ins conve-
libras, extracto
. de tarraraes I
; oncas. extracto de carona 4 oncas, extracto de ci-
! cuta 8 oitavas. extracto de guaiaoo 4 oncas. espon-
' ja grossa 2 libras, cssencia de rosa 2 oncas, em-
plastro adesivo eslendido 20 varas, tetes d'ooro 4
libras, flor de rnica i libras, gomma arbica de
jprinieira qoalidade 32 libras, gomma aleatira 4 li-
bras, gomma de batata 4 libras, bespo soluta de
soda 8 oitavas, lermes mineral 8 oitavas. linhaoa
Inteira 4 arrobas, man roinmum de primeira qua-
lidade :i libras, musgo irlandez 4 libras, inacella
16 libras, nitrato depotassa2 libras, oleo deaineu-
doas doce 32 libras, oxido negro de ferro 4 oncas,
ponas de veado calcinada 4 libras, ptalas de Blan-
card 30 vidros, ptalas de Valetl 30 vidros, pillas
de Radroay 12 caixas. rail de valeriana 2 libras.
sabio pata opdeldoc 6 libras, subnilralode Bismuth
1 libra, subearbonato de potassa 2 libras, sigarros
de stramonio 30, sulfato de cobre fundido 4 oncas.
tartrato de potassa e soda 2 libras, tafet inglez'24
papis, trtaro emtico 2 libras, vinho branco 52
libras, vinagre branco 24 libras, vinho de quina e
ferro de Morher 12 vidros, xarope do Pendo vi-
dros de 8 oncas 24, xarope de Baulgny o Ducho-
mel 12 vidros, xarope de indur o de ferro de Blan-
card 12 vidros, pupicina 1 onca, scilla 2 libras.
frascos de 6|0 410 2|0 e 110 24.
Para o arsenal de guerra.
Pregos de assoalho 18 mimaros.
on* vion Quem luizer vender taes objectos apresentem as
>wu suas propostas em carta fechada na secretaria do
wsnnn conse'no as 10 horas da manhaa do dia 7 de mar-
ZUO0UUW co proxnio vndouro.
U "(a ^a'a ^as seS"es do conselho administrativo para
-uiouuu fornccimento do arsenal de guerra 29 de fevereiro
de 1864.
Para Maranhao e Para
pretende seguir com muita brevidade o brigue na-
cioial Amelia, tem parto de seu carregamento-
prempto : para o resto que Ihe falta, trata-se com
os seus consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azi vedo & C, no seu escriptorio rna da^Cruz n. 1.
rara o Hio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o palhabote
nacional Piedade, tem parte do seu carregamento
a birdo : para o resto que Ihe falta e escravos a
frete, paraos quaes tem excellentes commodos, tra-
ta-se com os seus censignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio rua da
Criz n. 1.
/'
Porto
Lugre inglezEdith, canegou para Liverpo 840
saceos com 4,200 arrobas de assucar masravado,
1642 ditos com 8,305 ditas e 4 libras de algodao.
Barca franceza Coligny, carregou para o Ha
vre, pela Parahyba, 3,100 saceos com 13,300 ar-
robas de assucar mascavalo, 200 ditos com 1,121
ditas de algodao.
Patacho brasileiro Palma, carregou para New-
104,5000
1605000
2315000
6035000
6315000
4105000
1925000
2015000
1235000'
Antonio Pedro de S Barreta,
Coronel, presidente.
Sebastkio Antonio do Reg Barros,
Vogal secretario.
| Pela contadora da cmara municipal desta
cidade se fapuhiico que a poca para pagamento
do imposto municipal sobre casa* de negocio, fia-
da-so no ultimo de marco vindouro, assim como
necessario aprtsentar o'conliecimento de 20 por
cento pago na recebedoria das rendas geraes in-
ternas, o que se publica para eonbecmento de
todos. Contadoria da cmara munic pal do Becife
29 de fevereiro de 1864.
O contador,
Joaquim Tavares Rodovalho.
AiTcniataciio.
1635000: No dia i de marco, (inda a* audiencia do Sr. Dr.
1635000 juiz municipal da 1* vara ha de ser arrematada em
2345000 hasta publica por ser a ultima praea, urna casa
1625000 de vivenda construida de taipa, com um pequeo
163-5000 sitio, pertencenle mesma, com cacimba e tanque,
no lugar Arraial. avahada em 4005, por execueao
de Benedicto da Coala Machado, penhorado Ma-
nuel Cordeiro Vieira.
< orreio.
Pela adminislraeao do correio desta cidade se faz
publico que em virtude da convencao postal cele-
brada pelos governos brasileiro e' francs, sern
expedidas malas para a Europa no da Io de marco
prximo, pelo vapor francez Bearn. As cartas se-
rao recebidas at 2 horas antes da que for marca-
da para a sabida do vapor, e os jornaes al 4 ho-
ras antes.
ara o
A bem conhecida e veleira barca portugueza
Restauraedo pretende sahir com brevidade por ter
a bjrdo a maior parte de seu carregamento. e pa-
ra o restante e passageiros, para os quas tem
magnifleos commodos, trata-se com os seus con-
signatarios M. J. Ramos e Silva & Genros, rua do
Vinillo n. 10.
"PARA 0 BIO DE JANEIRO
segu com brevidade o brigue Trocador, recebo
carga e escravos a frete : trata-se com os consig-
natarios Marques, Barros A C, largo do Corpo
Santo n. 6.
LEUDES.
\ftWfc$
i ii
1735000
3225890
2135000
lio antecedente, e o Exm. Sr. conselheiro presi- York, 566 saceos com 2,870 arrobas e 9 libras de
dente ordenou que se officiasse ao Sr. deputado algjdao.
supplente Jos Antonio Bastos para o dito fim.
J0LGAMENT08.
Appellanles, Antonio Luiz de Oliveira Azevedo,
gerenta da companhia brasileira de paquetes a
vapor ; appellados, Joao Francisco Pardolhas e ou-
tros.
Sorteados os Srs. Lemos a Bosa.
Relator oSr. desembargador Silva Guimaraes.
Foi confirmada a sentenca appellada.
Appellanles, os administradores da massi falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado,
Jos Francisco de Azevedo.
Jotaes certos os Srs. Lemos e Rosa.
Relator o Sr. desembargador Silva Guimaraes.
Desprezaram-so os embargos.
Appellanles, os curadores iscaes da fallenc.ia
da viuva Amorim A Filho ; apellado, David Wil-
I liam Bowman.
Jotaes cortos os Srs. Rosa e Lemos.
Relator o Sr. desembargador Silva Guimaraes.
Desprezaram-se os embargos. :
Amafiantes, o Dr. Felippe Nery Collaco & C.;
appellado, Goraldo Henriques de Mira,
ikirteados os Srs. Lemos e Rosa.
Relator o Sr. desembargador Silva Guimaraes.
Adiado pedido do Sr. Rosa.
lii>n;\ m; \n i,i; da.
AppelL'ttle, Lourenco Puggi ; appellados, Scha-
flR'itlin A &. >
-:
Escuna ingleza Misckief, carregou para o Canal
3,375 saceos com 20,230 arrobas de assucar mas-
cavado.
Brigue austraco Margante, carregou para o Ca-
nal, 6,800 saceos com 34,010 arrobas de assucar
masca vado.
Polaca hespanhola Flora, carregou para Bar-
celona 600 saceos com 2,908 arrobas e 30 libras
de algodao.
Patacho inglez St. Peter, carregou para Li-
verpool 700 saceos com (,500 arrobas de assu-
car mascavado e 481 ditos eom 2,327 arrobas e 29
libras de algodao.
Patacho inglez Manj, carregou para Liverpool
pelo Bio-Grande do Norte 5) saceos com 242 arro-
bas e 5 libras do algodao.
Recebedoria de rendas internas
geraes de Pernambuco.
Bendimento do dia 1 a 27........ 36:4195601
dem do da 29.............r... 5:8295804
42:2495403
Consulado provlnelal.
Rendimento do dia 1 a 27......... 110:8215040
Jdera do dia 9................. 4:7065013
mentes, que estao sem provisto os solicitadores
a baixo declarados :
Victorino de Souza Travassos.
Antonio Pinto de Barros.
Paulino da Silva Mindello.
Flix Francisco Magalhaes.
Juvelino Americo de Barros Correia.
Manoel Baymundo Penna Forte.
Joaquim Francisco de Albuquerque Santiago.
Secretaria da relacao, 27 de fevereiro de 1864.
O secretario da relacao,
Domingos Alfonso Ferreira.
Tribunal do conimci'cio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de'
Pernambuco se faz publico, que nesta data fica re-
gistrado o contrato social de Andr Blanco e Fran-'
cisco do Prado, estabelecidos nesta cidade sob a
firma de Andr Blanco & C, di qual s podra
usar o primeiro ; devendo diU, sociedade durar
por espaco de 3 annos, contados do Io de dezembro
DE
sobrado de um andar em
Manto Amaro.
QlAirr.v-FKin.v 2 de Mango.
O agento Almeida competentemente autorisado
far.i leilo de um sobrado de um andar silo em
Santo Amaro rua do Lima ou travessa da fundicao
do Star, tendo o sobrado 43 palmos de frente e*96
de f indo, cosinha fra em ambos os pavimentos,
coclieira, quarlos para criados, ditos para escravos,
cav llarice para 8 cavados, ludo em ponto grande,
e um famoso vivoiro ; o terreno em que se acha
colk'Cado o sobrado proprio e tem 160 palmos
de frenle e mais de 700 de fundo, todo murado
com pniiao de forro rendo 9005 por anno.
O leiliio lera lugar rna da Cadeia do Recife
n. 48, armazem, s 11 horas do dia cima.
danto o primeiro tenento Araujo,
. o qual depois da demora do eos-
do anno prximo passado, com o capital de 1:0005 turne, seguir para os portos do sul.
fornecido pelo socio Andr. I Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
Secretaria do tribunal do commercio de Per- carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
DE
fui eaixao de pedra e cal c l
incl-aguas.
0 gente Almeida competentemente autorisado-
far leilSo de um caixo para casa, em altura de
receber travejamenlo na rua da Concordia n. 67,
com 40 palmos de frente e 70 de fundo em cujo
terreno esto colloeadas 4 meia-aguas que rendem
Sj n eusaos cada umae 9 mei-aguas sitas por do-
! traz do mesmo terreno na travessa da Palma de
i ns. 4 12 que rendem 105 mensaes cada una,
tudu foreiro a marinha a quem paga 25100 por
l anno. e 3 meia-aguas em frente das mesmas de
I ns. 1 a 3 que rendem 125 mensaes cada urna o
pagan 260 rs. por anno de foro a misericordia de
Olinda, cujas casas sao perlencentes ao Sr. Anlo-
nio Joaquim dos Santos Andrade residente em
Portugal, o por procuracao bastante do mesmo e
de sua mulher est o Sr. Antonio Jos Bodrieues "
pos portos do noite esperado de Scuza, autorisado a assignar as respectivas es-
ate o da 3 de marco o vapor crtptiiras. O mesmo agento proceder a venda
i- em um ou mais toles a vontade dos compradores.
Quaria-fcira 2 de niarcn
O l.'ilao ter lugar na rua da Cadeia do Recife
armazem n. 48, s 11 horas.
Correio de Pernambuco 20 de fevereiro de 1864.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
No dia 2 de margo tem de ser arrematado na
porta do Sr. juiz de paz do 2. districlo de Santo
Antonio, os bens penhorados Manoel Gomes Cor
rcia, por execugo de Manoel Fructuoso da Silva.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
tUJVKNB
nambuco 23 do fevereiro de 1814.
Julio Guimaraes,
fTlcil-maior.
Pela mesma secretaria se faz Igualmente publi-
co, que nesta dala foi inscripto no compleme li-
vro o Sr. .lureliano Augusto de Dliveira, na qoali-
dade de agente de leiles desla praca.
Secretaria 29 de fevereiro do 1864.
Julio Guimaraes.
Ollieial-maior.
Crrelo gei-al.
Pela adminislraga do correio desta cidade se faz
publico que as malas que tem d; conduzir o vapor
nacional Cruzeiro do Sul para os portos do norte
sero fechadas hoje (I) as 3 horas da tarde, os se-
guros at 2 horas, e os jornaes at meio dia.
OrtHblOGhKAL
Kelaro das carias seijuras \ indas do sul polo
vapor Cruzeiro do Sul, pan os senores abai-
xo declarados :
Antonio de Miranda Costa.
Christiano Criger.
Feliz Ridena C.
Francisco Jeronymo Goncalves.
Francisco Jos Martins Penna.
Joaquim Gilseno de Mesquita.
Joao Deodato Boumann.
Jos Higino Duarle Pereira.
Jos Jorge de Siijueira Filbo.
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da saluda as 2 ho-
ras : agencia, rua da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo o\ C.
COMPANHIA PEtlNAMUUCANA
DE
Navegaco costteira a vapor.
Parataba, Natal, Maro, Aracaly, Cear, Ararac
r Granja,
No dia 7 de margo prximo se-
guir s 3 horas da tarde para os
portos cima indicados o vapor
Periimmga, commandante Ratea.
Recebe desdo ja carga at o dia 5.
Encemmendas, passageiros e dinheiro a frete at
o diada sabida s 3 horas da tarde : escriptorio deposito publico,
no Forte do Mattos n. 1.
de
Quarta-feira 2 de marga as H horas
no armazem n. ii3 roa da Cadeia
DO
Iliale Caniarige forrado c pregad
cobre no eslado em que se acha.
O agente Euzebio far leilo por mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio, e a ro.pie-
rimerto dos credores se vender em leilo o hiato
nacional Camaragibe, o qual se acha ancorado de-
fronte do caes do Hamos, onde poderao os pretn-
deme; examinar, cujo liquido producto ir para
COMPANHIA PEtlNAMUUCANA
DE
Xavcgaco costelra a vapor.
Macei c Sergipc
No dia 5 de marco prximo
seguir 0 vapor Purahytm, com-
mandante Martins. pan os per-
ios anua indicados, s 5 horas
da
Encommendas,
MllflilO
DE
55 mcias barricas com san
Quarla-feira 2 de marro.
i lillas.
at e dia da sabida s 3 horas
torio no Forte do Mattos n. 1.
Marcelino Jos Goncalves da Fonte far leilo
por cunta de Mcm pertencer e por intervencao
do agente Pestaa de 5o meias barricas com sar-
tarde. Recebe carga at o dia diana; de superior qualidade vindas no Coniinen-
passageiros e dinheiro a frete te II, as quaes sero vendidas quarta-feira 2 de

da larde: escrip- marco pelas 10 horas da manhaa no armazem
i Annes defronte da alfandega.
do
Navft^-


Diarlo de Pernambuco Terca fclra t LElLlO
DE
Movis c oulros artigas.
Quinia-fcii i 3 do correnle s 41 1 2 horas.
O agente Olimpio em seu annazem 'rua do
Imperador u. 1(, far leilao de movis e oulros
muitos objeetos sem Umitas.
I na osa ierre i. em chaos pronrios.
sita na Iravcssa da Fundir (bairro
do Kccife) n -i.
Seito-eira I do correnle as i2 horas.
O agente Olimpio vender om leilao ama rw
terrea eom porta e janella oom 10 palmos de fren-
te e 21 de tundo, a qual rende mensalmento !.
O leilao ser eflecluado no armaiem do referi-
do agente rua do Imperador n. Iti, pelas li
horas.
Antonio Gomes da Cunha e Silva responde a
Manoel Jos da Silva Grillo, que se lem direilo pa-
ra impedir a entrega que Ihe (leve faier o Sr. Joao
Nicolao de Lira fovalcanti dos escravos que Ihe
-trio hypothecados. recorra los moios competen-
*> "s nao venlia ante o publico com annuncios
iniempescr.aSi porque nao eostamo fazer vendas
fictcias para n*r ,.Jm escravos que me sao entre-
gues por menos de i.,.iade do sea justo valor, figu-
rndoos rendidos a parces o amigos..... quatito
letra que allude, os trii,;i,s do paiz jjulga-'
ram nao ser eu mais obrgado taf ella, MR raSo
da novae.o que operou coin o originario devedor. I
O baeliarel Joao C.onoalves da Silva
Ifonurroyos tem escriptorio na rua es-
tilita do ilosario n. 17, onde pode ser
procurado das 9 horas di manbaa s 3
da tarde dos dias uteis.
Correspondencia d Portugal.
I asignantes deste jornal, moradores no bairro
aceitando hypotteca, o recebendo mais larde os da Boa-Vista, devem procurar seus nmeros qtian-
do chega o vapor da Europa; na praca da Boa-
Vista, botica do film. Sr. Joaq lim Ignacio Itibeiro
Jnior.
bens i|iio Ihe foram Inpotliecados por pagamento
da inesuia letra.
&TO
O abaixo assignado, arrematante das dividas da
lja de miude/.as da rua do Queimado de Joaquim
Jos da Costa Fajoles Jnior e da luja de fozen-
das da rua Direita de Fajozes Jnior a Azevedo,
avisa aos deredores das ditas lojas tanto da praca
cuino do maito de vrem pagar seos dbitos o
Lico de plano e Maoa.mi: Fannv Bobdao d licoes do piano e de
canto : a tratar na rua Nova u.-.'9 loja de II. Du-
monl.
A lijos
No pateo do Carino u. 11 ve>:tm-se anjos com
gosto e perfeicao, sendo todos os vestuarios novos
e bem ornados, qne a lodos agn dario i vista do
gosto, e coiiiinoilidade de preco.
Ama deleite
Precisarse de una ama de leite. sadia, para aca-
bar de criar urna menina de 10 metes, paga-se
bem : na rua da Cruz n. :i:i, IWcite.___________
na roa (lo
D-se dinbeiro a juros
Imsilio.l'orcii-o no lugar denominado t^^
passo do Giquia.
Sevla-feira i do correnle as 1 2 hars.
O agente Olimpio vender cm leilao un sitio no
I'asso de Giquia, com 100 pos de coqueiros, man
gueiras e outras militas arvores fructferas, pe-
quena baixa decapim e 3 viveiros. temi i peiei
grandes. No mesmo sitio tem i casa de taipa com
Fajozes Jnior al ao dia 13 de mareo, do contra-
rio teta de entregar ao sea procurador para co-
brar judicialmente. Recife, lo" de fevereiro de
lbtii.
________Antonio Joaquim Fernandos da Silva.
O lr. Casanova pode ser procurado en seo
consultorio especial bomeopathico no largo da ma-
5 quartos! 1 sala, todo"o sitio cercado a madei- trizude Santo Antonio n. 2. No mesmo consulto-
ra e espinheiro e tem bauho salgado.
Sera eflectaado o leilae no armazem do referi-
do agente rua do Imperador n 16.
SjEscriptorio de advocacia
> V rua do Queimado n. 30, pri-
meiro andar.
O idvogado Cicero Peregrino continua
1 do exercieio de sua proflssao na rua do
rua (loOiieiui.ulo n. 30. prinieiro andar,
oiiilo pode sor procurado ras 11 as :j lui-
rs da tarde.
IMlM*
Alugam-se as lojas do sobrado n. 44 em
a rua da Aurora : qoeo pretende-las diri-
ja-so loja dos Srs. Bastos Magalhcs,
na rua Nova, que achar.io com quem tra-
tar.
SHKi^l
'. rio ha sempre grande sortimento de medicamentos
em tinturas c em glbulos, deixando elogiar os; O abaixo assignado leudo no Diario de Per-
notaos medicamentos pelas pessoas que os tem ex-! nambuco de 12 do correte, um annuncio que Ihe
perimentado e continuam a servir-se em nossa | diz respeito, sem que nelle Hvesse parte, apressa-se
I botica. Temos lambeta obras accommodadas a a declarar que sempre comprou, venden e usou de
[ intelligeneia do povo. i todos o* direilos que as leis do imperio Ihe conce-
miin-iiibi-i IWn milnu-ui dem'?c'"1 Interferencia do sua mulher, ou de outra
uiiipiiiiiiid .ii.iii imn ?^a es!/ &a
^
10) o
O o
-a{
coi
C-3
Professor de piano.
Jos Coelho da Silva e Araujo, bem conhecido
nesta cidade, contina leccionar p ano e msi-
ca vocal por commodo preco : quem de sen.- ser-
vicos precisar, dirija-se rua do Livramenlo n. 21,
segundo andar._______
Copista.
Na rua das Cruzes n.2, segundo andar, copiaui-
se msicas, tanto para piano como para canto.
\. 07
Negocia-se um terreno na Gameleira, no lu-
gar denominadoRiacho de Manoel Ferreira, com
300 palmos de frente e 400 de fundo : a tratar na
rua .la Praia n. 6.
a^^.H p
Advocada.
de&
i
I
De ordem do conselho de direcrao e em virtade
do art. 24 dos estatutos sao convidados os seulio-
res accionistas a reunircm-se em assemblea peral
no dia 2!l do correnle, 1 hora da tarde, no es-
criptorio dos Srs. Saunders Brothers v <'..
Aluga-se 0 tercoiro andar da casa n. 88 da
rnadalmperatrit, c o sobrado n. 193 da rua Impe-
rial : na rua da Aurora n. 30.
Sgl 'i advoado !'r. Manoel do Nascimenla
H Hachado Pertella, contina a ter o sea
)SK esciiptorio no primeico andar da casa n.
TSTI 83 da rua do Imperador.
F.iii'iiIk Espirito Sanio, una parle do
engeulio Ferrccoza c de urna cscrava
por nome Luiza (ausenta.)
A1% de marco eorrente,
O agente Olimpio requerimonto do depositario
da massa fallida de Manoel Buarqae de Macedo
Lina e mandado do Illm. Sr. l)r. juiz municipal
da segunda vara far leilao era presenca dos mes-
mis do engenho denominad) Espirito Santo com
bem feitorias c moenda. de urna parte do engenho
Ferrecoza c da escrava Luiza (ausente.) O leilao
ser effectuado no armazein do referido agente
rua do Imperador n. IG.no dia cima pelas 12 ho-
ras da mauh/u.
Monee! Fernandos da Costa & <;.,
VTCfHJ llTVT'RCnC scentificam ao publico- que mudaram o di'-
JHAt>ua UlfansM. posil(1 de s,lin (l;l m ll;i Siruala velli.i n.
_ i -i I3Cpara a rua do Amnrim n. 41, onde
Prccisa-se de um deslnliuidor continuam B vender o dito genero em por-
para entregar este Diario do Manqui- cSoc a retamo e juntamente todos os mais
nlio a Apipucos : na livraria ns. G. c 8 queros de estiva.___________________
da praca da IllllCUCn !-------:-------------------------------;--------- muilo conhecido. achando-se com alguinas meiho-
T/~\tpi'i.i OXtl'Ol'dlllill'll ras de seus incommodos, est resolvido atingir
Aos 10:000^000 c 3:0000000
Qainta-feira l de marco prximo, se
extraliir a segunda parle da priiueira lote-
ra beneficio da igreja do recolhimento do
Coraco de Jesns de Iguarass, pelo plano
junio, approvado pura as exlr.ieoes das par-
les extraordinarias das loteras.
Esle plano superior ao que eslava adop-
tado pata as loteras extraordinarias por con-
tar melhores e maior numero de premios,
e iinbem preferivl ao das loteras de fra
da proviineia. porque conlendo apenas 3.000
bilhetes, o dono de um ter de entrar na
rendos devore- de soa vida publica o particular,
sem dominio do lerceiro; o pan obviar qualquer
eventualidad.' tendo-.-e assigoadu at agora Jos
Bernardo de Sena, de boje em diante se, aattgan
Jos Bernardo de Sena Teixoira Perro.
Berilo. 27 de fevoroiro de 18ti'i.
3-KlA BSTRKITA DO R0SAKI0-3
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar denles artiUcians tanto por meio de
molas como pela pressio do ar, nao rc-
e.lie paga alguma sem que as obras nao
ffquuui a vontade de seus donos, tem pos
contras preparacoesas mais acreditadas
| ^>ara conservafio da bocea.
Mximo Jos dos Santos Andrade cassa os
poderes de procura cao bastante que eml8ti2pas-i
sou a Iilias Jos dos Santos Andrade ede seu subs- No primeiro andar do sobrado n. 16 da tra-
tabelecimento para cobranzas. vessa dos Expostos, preparam-se foros para todas
Quem precisar de orna anude portas a das-, arma-,6es (!l^'f,d,,cJSs 12 mui, ,,aral
tro. para lavar, ongommar e coii.ihar : dirija-se a >,ren-.f ,em uma rande P,ra0 k'l,a *'uc "J*
rua das Aguas Venios n. 100, loja. ; de. nm", em conla' promptan.-se ramos para do-
------------^---------------------------i--------------------- mingo de ramos, a seis vintens c ocia pataca, tu-
Alugamso o segundo e teiceiro andares do ,|0je muil0 KOl0i e enfeitam-se velas com llores
sobrado da rua do Trapiche n. 48, cjm frente para de. cera de muito bom gosto a i e o&, comdhabas,
o lado do Corpo Santo : a tratar no armatem por rosa.s eravos e toda qualidade de flores feitas de
*ia'xo-____________________________________ era, fazem-se os ramos a goslo de quem os man-
D-se S:400 a juros, ou iodo ou a metade, I dar ater, e apromplam-se vestidos pretos para a
com bvpotheca em algum predio nesta cidade : i quaresma com toda a brcvidade, c gosto de seus
donos ; na mesma casa preparam-se bandejas pa-
ra bailes com armacao. e bo(|tie es de flores de
cera de todo gosto, ditos de alliuins, ditos de pepel
fino, ditos de gomma, de panno s velludo, ludo
mais barato do que cm outra qualquer parle, bor-
do de fitas de ouro, lantijola para os bouquetes,
, e laces para as velas; vndese tambem um sorli-
sito na rua larga do Rosario n. i., participa ao ^ de folhas de rosas Qe pa(,, a i& grM3>
Os advogados Manoel Jos.' Pe reir
\^ Mello e Antonio ltangel de Torns Ilan-
B deira tem o seu escriptoro na rua es-
^^ treita do Rosario n. 10, primeiro andar, fR
"^ e ali podem ser procurados das 10 horas fi
da manbaa at as a da tarde.
m
Novidade em Cacliang*
O gamenho do bom tom
A gentil meiga sinh.
Que desojar diverlir-se,
Vcnba vdr bailar fandango
Venha ver o inundo rir-se
No risonlio Cachang :
Previne-se ao respeitavel publico que em a nou-
te de hoje 1 de mareo, llavera o engranado e sem-
pre applaudido diverlimenlo denominadofandan-
gos,que ser representado eom todo apparato e
brilhantismo.
Os barraqueiro?.
Nao se tendo elfectuade no dia 20 do corren-
te a arrematacao do espolio da fallecida Florinda
Isabel Knolt,'ter essa lagar hoje depols da au-
diencia do Illm. Sr. Dr. jait de orphaos; que cons-
ta de diversas obras do ouro o urna escrava dfl
lucia idade.
na roa do Queimado n. 2i. se dir quem d.
HOTEL TBOYAIIOR
Angelo Itomero Pinboiro tendo comprado o
muito conhecido e acreditado hotelTrovador
sua proterciio, de procuraren) na rua dos Pires n.
2!. na lina-Vista.
para qualquer eslabelccimento como para casas
particulares, por proco modicoe a contento. Este
estabelecimeoto adiase preparado para receber
da Cadea do Hecile
Conipcudi de direiio civil.
Na rua da Saudade n. 9, vende-seo
compendio de direito civil, approvado polis
congregacues i\<>* lentes das facilidades de
direito desta cidade do Recife e da de S.
extraeco no jogo de 3,000 nomeros, quan-1 Paulo para as respectivas aulas de direito
Aloga-M o primeiro andar da cas a da rua da qmiqncr hospede que nelle qoeira assistir, para o
que offerece os melhores commodos.
i DENTISTA DE PARS !
Lapa n. 1 : a tratar na rua
n. 19, sobrado.
do nas outras estes nunca sao em menos de
0,000. sendo q ie nas estrangeiras um nu-
mero premiado joga sempre contra li) -29
broncos, e se fr de premio maior tic.u
sujeito usura de um grande desenlo
(alm dos da le), nao aoonteeendo assim
com o da lotera desta provincia, que pa-
go eom a maior promptidao.
O aba.xo assignado, puis, chama a atten-
gao do respeitavel publico para uajue *em
de expor, avisa ido que os impostas e mais
beneficios resultantes da venda nesta pro-
vincia, dos bilhetes das loteras de fra.nuii-1
ca serSo applicadns nella, que, ioetizmente,
para a reconslruccao e reparos de seus
templos e rasas de instruccfio e cardade,
quasi que so tem o recurso dos beneficios
de suas loteras.
os bilhetes, i leos e quartos acbam-se
venda na respectiva tbesouraria rua do
Crespo n. 1S 8 nas casas coniinissionailas.
PLANO.
301 i bilhetes a 105......30:000$000
JJeeficio, sello e eommissao 20 0|0 :0OO-50O0
civil patrio.
Liquido.
2 i: 0005000
1 Premio de .
1 Dito de .
2 Ditos de 500
4 Ditos de 200J......
7 Ditos de 100*000
12 Ditos de 405000
29 Ditos de
7*4 Ditos de
10:00
3;0005000
No e*rriptorio de Antonio Luis de (Miveia
Azcvedo & ()., a rua da Crot n. Ijdeseja-se saber
e vivo ou tuerto Jos Antonio Gomes l'.ibero
i'OUveira, que saino de Lisbor nara Pernambuco
m novembro de 1807. ebeganuo a esla cidade .ni
Janeiro de 1808, aonde foi para eaixeiro do nego-
ciante Villela. estove nesta casa lo annos, depols
retir m-se para o inlejior onde se e.-labeleceu;
nas ignorase a Ierra. Picoa correspondendo-se
eoareste Villela e os fllhos, os QUios deaje que
poderao dar informacocs. Consta que anda ha
loncos anuos .^l Jos Antonio era vivo.
Os abaixo assignados apressam-se a avisar
isautoridades pcJiriaes e mais pessoas, que no dia
10 para 27 roubaram-lhes dous cavallos com os
sjgnaes segaintes: um alato amarello rom o p
o mito do lado esquerdo calcados, e com frente a-
lierta. o segundo rodado, ebeio de pintas pre-
las escuras por debaixo do sovaco, tem de um e
de cutio lalo feridas do arrocho, de una banda
lein duas feridas nos qnadriz e no ontro urna
outra fonda nasarnelha, no encontr outra peque-
a, rabo Ihe as dinas direita, sendo o ferro do
alazo do lado esquerdo : ipiem os aprehender ou
delles der noticia na Bstra la Nova, rancho do Sr.
Joaqoim, ser gratincado por Cosme do Nasci-
nento e Jos da Mulla Hodrignes.
Precisa-se fallar coin os Srs. Bernardo Pe?-
-oa de Vasconccllos e Vicente Ferreira Pessoa de
Vasconeellos: na rua do Pilar n. 3.
19lina \o>a-19
U Frederico Oautier, cirurgiao dentista, S
ffi|l Faz todas as operac^es de sua arte, e col- i
3 loca denlos arliliciaos, tudo com superio- B
5 ridade e porfeieo. ipie as pessoas. enten- JB
Ig; didas Ihe reconhecem. H
Tem agua e pos dentilicio.
Na rua do Crespo n. 15, se alaga urna boa
casa e sitio no Monteiro, com Urente para o otao
da greja, assim como o segundo andar do sobrado
n. "li da rua do Imperador".
0 baeliarel Haximiana Lopes .Ma-
chado ailvoja no seu cst riplorio da na
do Imperador n. 71, primeiro andar,
onde pode ser procurado das 9 s 3 ho-
ras da tarde para o que fortouceriieii-
le ao eiercieio de sita proliss.
8
m
m
mmmi
cs^
O]
Maques Ml>i'C l"i i-i u;;:t.
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta ci lado, saca e-
fectivamente por todos os paquetes sobre
o mesmo banco para o Portoe Lisboa, por
qualquer somma, vista e a prazo, po-
dend i logo os saques a prazo serena des-
contados oo mesmo banco, na razio de 4
por centoao auno aos portadores qne as-
sim Ihe convier : nas ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.

Em quanlo o Sr. Jos Joaquim larbosa nao viej
205000
105000
800 Premios.
2200 Illancos.
3000 Bilhetes.
Dos 7 premios de 100-5000 dous pertenecrao aos
nmeros mais approximados ao que obtiver o
premio de 10.0005000.
Dos 12 ditos de 405000 dous pertenecrao aos
nmeros mais approximados ao que obtiver o pre-
mio de 3:0005000.
Dos 29 ditos de 20-5000 quatro pertenecrao aos
Dameros mais approximados aos que obtiveremos
premios de 5005000.
N. II. Os premios maiores de 4005000esi.So su-
jeitos ao descont de 4 por cento por lei provincial,
e os maiores de 1:0005000 ao de 12 por cento por
lei geral.
Fesonraria das loteras 27 de fevereiro de 1864
(i tliesouroirn.
Antonio Jos Hodrigues de Souza.
Jarope alchooco ^' veame, preparado pelo
iharmaceuttco Jos da Rocha Paranhos, astabele-
1:000,5000, -jo com botica na rua Direita n. 88 em Pernau-
8001000; |,uco.
7005000 Este xarope ineontestavelmente superior a lo-1
'wll!!! dos os xaropes depuratvos, de cuja composico on mamar'da villadoO' (para onde muoi
, w -?x!" -oscii maior olomenlo a salsa parnlha, pon que se rui1;,m,,nl0) pagar os alaguis de porto de dous
r.MU#WW tem onhecido ser o veame mais enrgico para annos da casa em que morou, na rua dos Prazeres
-'a proinpiaeiiia das mole-lias, cuja base os-encial ja Roa-Vista, vea o seu nome ueste jornal para
depende da punlicacao do sangue : assim pois se IHCJhor ser conhecido dos proprietarios.
lem veiilicado por limitas pessoas que se aeliavaui------------------------;-----------------------------------
desengaadas, as quacs acham-se hoje restabeleei-1 PrCClsa-se de oma ann comlette: na
s
24:000500000
0 ciriirgiao Leal mudou
a sua residencia da rua do
Queimado par;i a rua das
Cruzes sobrado u. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazein Progressista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer iiora pa-
ra, o exercieio de sua pro-
fissao, chamado por escripia.
Emilio de i rujie, e
francs.
I i]iiim Pedro da Rocha I' reir CJntintla a lec-
ciomr inglez e francez, e se obrlga a erapregar to-
do o esforco c zello para que os estJdantes conlii-
do3 ao sen ensino t.inhr.m o maior aproveilamento
p issivel, deven lo ser procurado na rua Direita n.
93, primeiro andar.
Jos Ferreira de Honra, cidado portuguez'
retira-se para a Europa a tratar de sua saude; e
durante sua ausencia deixa eom procoracao bs-
tanla para tratar de seus negocios aos Srs. Mau-
ricio Jos dos Santos RJbeiro e Antonio Pedro de
Sonta Soares, esu morador na rua Nova n. 20, e
aquolle pra^ada Independencia n. 23.
das ram 0 referido xarope alehoubco do veame ; ril.'l Analista II. 5.
entretanto que algnns, leudo usado do xarope do -------., ____ ,,, ,. ,., ,-.......,, .
Curinier, de Larra de salsa parrilha, de sa.ona- ". Afiaa-"; S'.'''r: V ,^ .' 5
ria, oleo de ligado"de bacallao, e outros gentes matriz do Santo Antonio : pan tratar do aluguel,
testa ordem nada conseguiram. K elle de fcil di
.'ostao, agradavel ao paladar e ao olfato. Algnns
nedieos desta cidade e da de Macei o teem re-
?ominendado para a cura das
iiupigens, tinha, escropliulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
'.aeros, saruadegoncrada, fluxoalvo.
no sitio do leao, junto a capellade S. Jos do Han-
guinho. _______________________________
Previne-se ao respeitavel publico i|ue nin-
guna] faca negocio com os escravos pertenecidos
Joao Nicolao de Lessa C.avalcanti, boje cm poder
de Antonio Comes da Cimba e Silva, por quanto
esiando o abaixo assignado em litigio com nina le-
Todas' estas aleecoes provm de una causa in- tra sacada por este ef aceita por aiptollo, ha feito
_^ ~ I _. _*_____* _1_______ _...___________ I atil.t iiii^ n.imiiiitiiiit.t il^i iiAiiinr.oi < I lerna ; nao ha pois huo alguma cm crer que el- pelo juizo competente da comarca da Kscada inji-
raos. Tam- maca) ao dito Joio Nicolao para qne nao nossam
las so podem curar com remedios externos
bem se prescreve o xarope alelioolco de veame
;,>ara o tratamento das alfeeooes do systema nervo-
so e libroso.taes como:
ijotta, rlieumatismo, paralysia.
Dores, impotencia, esterilidaJe,
Marasmo, hypochondria, einmagrecmcnto.
O xaro|ie alclioolico do veame sobretodo, da
iiiaior uliiidado para curar radicalmente, e em pou-
<:o teinpo o rlieumatismo.
Advorte-se que o verdadeiro xarope s se vende
testa cidade na botica cima indicada do abaixo
issignado ; e em nutra qoaiqaer parle que se tem
umuiiciado nao da mesma coai|iosiej, e nem 0
abaixo assignado se rcsponsabillsa.
Jos da Uocha Paranhos.
ser vendidos ditos escravos sem a liual decisao.
Manoel Jos da Costa Orillo.
COLLEG10
Convida-se a todos os amigos, collegas e com-
provincianos do fallecido lia;, mundo Valentiniane
de Moraes llego comparecerein matriz da Boa-
Visia para ouvirem a nissa do stimo dia na quin-
ta-f3ira 4 do margo.
O conscllieii'olEeilcgai'de.
Um amigo do tinado conselheiro Pedro do
Alcntara etlegarde manda dizer urna mb-
si por alma do mesmo conselheiro, na qoar-
ia-feira z de mareo correte, na ordem ter-
teira de S. PraociSCO, as'.I horas da manbaa
e convida as pessoas de amizade d'aqueile
..nado que a ella^quzereui assistir.
Offerece-se um rapaz para ser copeiro de ca-
ta de familia ou de moco solteiro : quem preten-
der, dirija-se rua de lionas n. 10, ipie adiar
0111 quem tratar.
Vossi Senliora da iiilade era Lisboa.
PARA 0 SKXO I'KMISINO.
Ku.i llcllti da Kaiulia (vulgo rua
da l'rafa o. 40, :t audar.
Proprietaria c directora
D. Ufaria Cecilia Thomat.
Habilitada eom tiub de eapaeUade pateado >eto
gvnmMo Mpertor deiiutvm'tfio publica.
CLASSES.
MATERIAS iu: ENSINO.
1
3.
Doulriiia chrisiaa. ler es-
crever, contar, coser e
marcar de todas as quali-
dades..................
Grammatica portuguesa, an-
thmetica Ipratica, tapeca-
rias, crochel, bordar de
braoco e chorographia...
Analyse grammatical, orto-
graphia pratica, historia
portugueza, geographia,
bordar de matiz., de mis-
sanga e de ouro, fazer Do-
res, e lingua franceza ....
\l.i ninas IN-
TERNAS.
Por mn.
8,1000
10^000
12*000
Precisa-so de um criado Portuguez. ou llra-
ileiro, bom copeiro, e que d fiador de sua con-
duela : na rua do Imperador n. 29.
~ i r 1 Dansa, msica, desenlio e liugua ingleza deiieii-
proessor do ores de cera, de de ajuste particular.
Contina a dar licoes ,1o flores de cera com a : J* R As l"a:,s s:, dlanUdas e os mezes por
maior perfeicao possivel; formando cm 30 licoes inleiro-____________________________________
um rico quadro com todos os vegetaes, neando os I Desojase fallar com o Sr. Manoel Caetano de
discpulos habilitados a lazerem tolas as qualida- Agniar Brandaoc com o Sr. Pedro Jos Finito, so-
des de llores e fruetas conhecidas e aipiollas dos bre negocio de urgencia, ,os quaes se devem diri-
paiz.es da Kuropa : as pessoas que quizercn mili- gir a Praca do Commercio, escriptorio de Franeis-
sar-se de seu presumo, pdem proc.ura-lo na rua coMamedede Almeida, qoe-abi encontrarlo An-
lo Aragio n. 26, sobrado, de manbaa at as 9 lio- Ionio Ferreira Prado, eom qt
ras, de tardo das por diante.
tender.
quem se devem en-
Francisco Garrido avisa ao rcsreitavel publico,
que na sua casa denominada Traviata, na rua lar-
ga do Rosario n. 37, ter disposii ao de boje em
diante dous buhares de niogno competentemente
preparados : refrescos, sorveles, ele.
Gelo, gelo, gelo.
Com a chegada da nova machina nao se expe-
rimenta mais falta de gelo fabricad) com agua do
Prala, todos os dias a qualquer hjra, para por-
eSes grandes ou cncommendas pan fra da pro-
vincia deveri ha ver aviso com ant?cedencia : rua
da Aurora junto a fundicao onde lem a bandeira
Aluga-se o segundo andar e -rande sotio do
predio da rua de Apollo n. 31, ten Jo no audar 3
salas, .piarlos e grande cozinba, e no sotao salas,
quartos e oozinha : a Iralar na rua da Cadeia do
Hecife n. 61, loja.
Curso de prepara torios
Francs,
Inglez, M
Geometria, yp,
Geographia, j<
Rnetorica jA
'j$ rua do Queimado n. .10. prini !ro andar, ^
CV>" das 10 as 2 da larde. ^
Aluga-se nina excellente escava moca e de
boa conducta, limpa e muito diligente, para fazer
todo o servico de urna casa de familia: a tratar
na rua do Pires n. 51.
IfiAXCO JXKlO
ESTABF.LEQDO NA CIDADE DO POIITO
Aipntcs em Pcriiainlii cu
Aufonio i.iez de Olivera
Azcvedo A C
Sacam por todos os paque tes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
cala filial em Lisboa, e agencias em Fi-
guaira, Cmnilna. Aveiro, V zea, Villa-
Real, Ilegoa, Vianna de Castello, Guima-
| raes, Barcellos, Lamcgo, Cevil a, Hraga,
y Penaflel, Braganca, Amarante, Angra,
liba da Tereoira. Ilha de Fai is, libada
Madeira, Villa do Conde, Valonea. Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves e Pafe, a
oilo dias vista ou ao prazo que se conven-
|s ciuiiar, no seu escriptorio rui da Cruz
Noeledade de seguros mutuos
de vida installada pelo Raneo
Unio na cidade do l*orto.
Os agentes nesta cidade e provincia Antonio
Luir, de Oliveira Azcvedo & C escriptorio na rna
da Cruz do Recife n. I, esto autorisades desde j
a tomar assignaturas e prestar todos os esclareci-
mentos que forem necessarios, as pessoas que dc-
sejarem concorrer para to til e benfica emprc-
zas, egurando um futuro lisontreiro aos associade,
O baeliarel Thom Fernandos Madeira de
Castro mudou o seu escriptorio dr advogaeia da
roa do Imperador n. 71 para a mesma rua n. 77,
primeiro andar, e contina a advogar no adminis-
trativo, commercio, civel, crime e .eclesistico.
Casa de coinitiissao de escravos na rua
do Imperador n. 43, lerceiro andar
Nesta casa recebem-se escravos por eommissao
para serem vendidos por conta di seus senbores, j
nao so poupando exforcos para que os meemos se-1
jam vendidos com proiiiptido aQin de sens senbo-
res nao soRreren empate com a venda delles. A
casa tem todas as cominodidades precisas, e segu-
rancia, assim como afianca-se o bem tratamento.
lia sempre para vender escravos de ambos os se-
xos, velhos e novos.
Fugio no dia 21, as 8 horas d;, imito, a cabra
fula, de nomo Clara, com os signaos seguimos :
baixa chela do corpo. ps e maos gross s, com
bita de dona dantos na frente da parte de cima,
anda muito apressada. foi com vestido de chita no-
vo e chalo, i anda de balo, quando fogoso ra lia-
ra o Recife : ipiem a pegar, leve-a rua larga do
Ilosario, ou no Apipnos, ao seu senhor, abaixo
assignado.
Joao Machado IP-andao.
Precisa-se de urna ama que cozinhe bem : na
rua da Cadeia do Hecife n. 10, primeiro audar.
Francisco Jos Goncalves da Silva avisa ao
respeitavel publico que Jos Bernardo da Molla
deixou de ser seu eaixeiro desde o dia 20 de feve-
reiro de 1861.____________________^^_
Antonio da Silva Maia retira-se para Kuropa
e deixa como seu primeiro procurador ao Sr. An-
tonio da Silva Ramos, o como segundo ao Sr. los
Antonio Ferro de Pigueiredp, o d telara ao mesmo
Aluga-se um moleque ; quem pretender di-
rija-se prac,a da Boa-vista n. 9. ___________
Manoel Vieira Perdigan, cidado brasileiroj
vai a Europa. _______
O abaixo assignado faz ver uo publico prin-
cipalmente a quem pertenrer, qne comprou a ar-
macao sita na loja da rua do Arago n. '!2, aos Srs.
Jos Joaquim Alvos Coutinbo e Antonio Agoslinho
Seixas ; se alguem se julgar com direito a mesma,
apparoea no praso de tres dias, contados da data
deste. Hecife, Io de mareo de 1864.
Jos Adtouio dos Santos Oliveira
Arrenda-se o sitio na estrada dos Alflictos
conhecido por sitio do Salvador, rom boa casa de
vivenda, mnitos arvurodos de tracto, baixa para
capim o pasto para cinco ou seis vaccas : a tratar
na rua estreita do Ilosario n. 12. ________
Precisa-se alagar um moleque diligente, e pa-
ga-sc bem : na rua das Larangeiras n. 21;_____
Engomma-se cora perfeicao e commodo pre-
go : na rua da Gloria n. 15.
THEATRO DE APOLLO.
Socicdadc JIel|ionicne l'eriiniltucana
De ordem do Sr. director sao convidados os se-
nbores socios para se reunirem em assemblea ge-
ral terea-feira 1 de marco, s 5 horas da tarde,
no salao do theatro do AimjIIo.
Recife 29 de f*ereiro de 1861.
M. Vianna,
l' secretario:
Perdeu-se no dia 27 noite, um loque com
pour.o uso. de vrelas de madroperoia donrada e
borla branca, desde a ponte nova a rua do Apol-
^ onde-se a verdadoira graxan. 97 : n.i rua do
Tra| iihe n. 19, escriptorio de Eduardo Fenl i
Vonde-se um tapete avellud .d para forrar
urna sala, obra muito boa o or preco coinuiodo :
a Iralar na Soledade n. 38.
Vende-se urna malatinlia de 2i)annos de ida-
de, com i idas as habilidades.: na rua de Hortas
n. 21, primeiro andar.
Yeiido-be um cachorro de raei, ,i iprio pan
um sitio; quem pretender dirija-se a taberna do
caes d i Collegio, no passeio publico.
Veuda de urna pi-opricdade im-
portante na villa do Pilar da
provincia da Parahvba.
O abaixo assignado vende um bell do
pedra 3 cal, aonde existe o muito afamado e afre-
guezado eslabelecimento que vende annualmente
dinbeiro a vista cento ectncoeaia
ocea-iao propria para algum Sr na
praca le Pernambuco fazer a aquisicap de laolioa
pochin'ha, para eslabelecer casa lili
lucro i'ue obtiver na fazenda e o lucro no a'goJo
e assucar i|ue comprar, Ihe Dea no primeiro aiwo
o sobrado forro. O motivo desta venda por ter
de retirar-so da provincia o abaixo i por
falla de saude : quem pretender queira dirigir car-
ta, ele. Pilar, 13 de fevereiro de 1864.
i_____loaquim Jos Ferreira osla Hihciro.
Parcllo.
Na praca da Boa-TIsta n. n tres estrellas, vao-
deiii se saceas com farelle de Lisboa .1 4520O. ditas
com dio a 4J, dilas com dito de Hamburgo a
:15600.________________________________\
Vende-se tuna taberna cm ama das melho-
res rua; da Boa Vista, tambem se faz negocio com
a armacao s, por seu dono ter de' retirarse i tra-
tar de sua saude : na rua da Imperatriz n. 34, se
dir quem vende.
Vendem-se 9 colchas com albura uso de da-
masco de 13a, proprias para var 1 no
para armacao de igreja: no armizem de molha-
dos, esquina da rua de Horlas n 2.
Vjndc-se urna taberna na rua do
travesea da Trerape n. 22 : quem a preten i- r. di-
rija-sc a. mesma.
Vende-se um mulato de 33annos. boa figura,
e pmprb para qualquer servico : na rua da Sen-
zalla Nova n. 30.
Loja das varas
3i Itua do Crespo .
Neste estabelecimento vende-se por pro-
cos razoaveis os seguinles artigos alm ^
dos mais :
Pentes de tartaruga fino f-io -Clo-
tilde e Imperatriz Eugenia a 1
Cortes de cambraia Lranco bordado I
a 155.
Manteletes de fil preto a
Lias de cores, covado 240 e 100 r$.
tilem infestadas a 500 rs. *]
Vestidos para casamento Bando d.-
blond e moreantique.
Vestidos e capa pretas de bom
pronrios para o presente lempo do qua- n
resma. Alm d'sto tem um oom
sortimento de fazendas finas e grossas, |
as i uaes se vendem mais em ronta do
que em outra qualquer parto,
dos compradores so Jostilcar.
Kua da Senzalla Nova n. 42.
Nestc estabelecimento vendem-se: tachos de
lo : quem o achou e qiiizer restitui-lo pede levar ferro coado libra a 110 rs., idem de Low
praca da Independencia ns. 6 e 8. que sera re-
compensado.
Precisa-se alagar um esoravo Bel, c se enten-
der de lidar com cavallo, mrlhor: paga-se bem :
na rua das Larangeiras n. 21.
Precisa-sede urna ama para rozinhar para
duas pessoas: na rua das Cruzs. taberna n. 24.
- Precisa-se de una ama que saiba bem coz-
nhar e comprar, para casa de homem Iteiro : a
tratar na rua da Cadeia do Hecife n. 40, loja de
relojoeiro. ____
AcUatu-ae justas e contratadas as casas
da rua Imperial ns. (i-2 c 24, quem se
julgar com direito a alguma reclamacao, de-
clare no prazo ile tres das.
COMPRAS.
Comprare elTeclivamenie ouro-c .prala em
obras vclhas: na praca da Independencia" n. 2"-
loa de bilhetes.
iruTOto
Compra-se oma escrava sadia o qoe seja perita
cozinbeira : na rna do Queimado n. 30. loja.
< owpra-se ef'ect va-
mente
ouro c prata em obras velhas. pagando-so bem ,
na rua larga do Ilosario n. 'J, loja de ourives.
Compra se nina escrava que saiba rozinhar
e engommar com perfeicao, ou se Ihe da o seu va-
lor por bvpotheca, flcando o serviro da mesma pe-
lo premio : quem pretender, dirija-se rua do
Imperador, lerceiro andar, n. 44.______________
Compram-sc quatro vaceas de leite que se-
jam boas leiteiras \ na rua da Palman. 11, ta-
berna.
VENDAS.
LIVROS RELIGIOSOS.
Na livraria n. C c 8 da praca da Indepen-
dencia, vende-se as seguinles obras, a 15000
c.id.i urna.
0 Novo Hez le Mara oo mez de mato, con-
sagrado Gloriosa Mili de Deus, por um
sacerdote da dtocese de Belm, Iraduzido
do italiano e adoptado pelos reverendissi-
mos padres capuchmhos de N. S. da l'e-
nlia da cidade do Recife.
Relicario Anglico de Jess Gbristo e de -Ma-
ra Santissima, offeracido aNosso Senhor
Jess Cbristo, preso ;i columna.Novis-
sima cdico com a oraeao mental, novas
devocoes i N. S. da C.onceico da Rocha
e enriquecida cum eslampas.
Visita ao ss. SS. e Mara Santissima, para
todos os dias do mez,Artos de pivpa-
racSo e acelo de gracas para a sagrada
communhio, .Modo de resar a corda
das Dimos de Nossa Senhora, 6 Arlos
que o christao deve fezer todos os dias.
Novissiina edireno adorna lasc ni diver-
sas eslampas, e augmentada de novas de-
vocOes N. S. da Concei?5o da Rocha e
Va Sacra.
O Devoto Ghristlo, instruido no compen-
dio da doutrina, nasregras da vida de-
vola, no exame de consciencia e prepa-
i-.u-.~u> para a conflssSo 6 communliSo, no
modo de ou\ir missa c meditar o rosa-
rio, e no conhecimento das indulg icias
concedidas us seus confrades. \ ivenas
da Assonrio do Senhor, da ConceicSo e
do Natal, das Almas, a novena e trezena
de Santo Antonio, a Via-Sacra U\r\,-, e
outras multas devofoes, com indulgencias
parochlaes e plenarias.
Moor libra a 120 rs.
Um coufeito e especifico
expeilir os Vermes,
para

-
n, .
-
\ .i
KBMP.
Os precisos lalheres .a-
ra criancas.
Cberaram e acham-se venda na rua do Quei-
mado, toja d'agniabranca n. 8.
RELOGIOS,
Vende-se em casa de Johnslon Patef C, rua do Vigario, n. 3. um bello rt-
menlo de relogios. de 011ro paterno 111-
Os administradores da massa de Joaquim da turnados em servico de engenho, sendo um delles i, .p mn ib,* mais ifarmrliK faliric i'ilps
Costa Maia convidan, aos eredores do mesmo para carreiro e serrador de baixo : qnem os pretende- T\: ne. "n "" I ^ _..,
virem receber o dividendo que coube em rateio rom dirija-se a rua da Senzalla Velha n.. 110, que tle avetpooi, o lamDem um.) varieaaue 0W-
no paleo da matriz de Santo Antonio u. i. achara com quem tratar, no segundo andar. I bonitos traucellins para OS mesmos.
e cor
" t". A i ac-
Pasthas ?ermifiigas e SeDp
B Di .-(.V
Gobbosc'o escInslraMBte Nfel
pois as
l
(UC
'.
A dus
Pastilhas de Kemp
sobre toda ns pr
I Um ido Ba 1-
pli s coi ii] ya 'i ar una as
Vel 0 -.-.il /. a ilit':illil,;lida
que alcanca a dcstruicao ti
LOMBRiGAS.
venda nas boticas de Caors A lia:
rua da Cruz, e Joao da C. Bravo & C., rua
da Madre de" Dos._________________
Vende-se a propriedade denominada Hall tita
na rregneaia de Tracunhaem da comarca de N'aia-
relb, com urna legoa de frente e meia de fai
proporgoes para nella se levantar mu bom nge-
nho de fazer assucar. sendo que actualmente ren-
de ella mais de 1:0005 que pagam os mora I res
que tem: quem a pretender enlenda-se nesta pra-
ca com o Sr. Antonio Jos Leal lteis, na rua u.t
Cadeia do Hecife 11. 47.
Caninli's ingleits para criancas.
Vendem-se em casa de.Mello Lobo ..v C.,
da Cruz do Recife n. 63._____________________
l'ara a pretina cshuao.
A' rua da Cadeia 11. i7 loja de Pinto Fl
vonde-se lazinbas Clotilde gOSlOS nn
delicados para vestidos de senbora
t roupas para meninos pelo mdico pr > da
500 rs. o covado.
Calcado coin elstico estragado.
Uorzcguins gaspiados de verniz para bom in a
:)$, ditos para meninos a 2,5 : na ; ade-
peiulcncia, loja do Arantes.___________________
Vende-so una neprinlia com t'l ar. de
idade, bonita gura, e com principios de c islora :
na roa do Imperador n. 45, terceiro andar.
Familia de trigo SSS a 100 rs. a libra, e ga-
lega a 80 rs. : na rna Nova n. 8.


Diario de Pernainbuco Terca fclra 1 'e Marfd de 18 I.

ATTENCAO
9 LARGO MO CMItMO 9
GRANDE SORTIMENTO
DE
UNIO
-
COMMERCIO
Defronte da lo ja do Pregiilca.
DCARTE AHi^iEIllA
caba de abrir o seu grande e sortido armazem de molhados denominado Unido e Com-
merao. Este grande armazem um dos mais bem montados que temos em nossa praca,
oo s em limpeza e aceio, como as qualidades especiaes deseus gneros. G proprie
ario do Unio e Commercio offerece todos os senhores da praca, senhores de engenho
a lavradores a seguinte tabella, por onde verlo a grande economa que lhe resulla em
omprarem em to til estabelecimento, afianzando o mesmo todo e qualquer genero
sabido de seu armazem.
Bollinho francez em latas e caixinhas asmis! Erva-doce a 5oo rs. a libra,
delicadas que tcm vinde ao nossp merca- Champanha de 20 a 22,ooo o gigo.
PAR A FESTA.
DUARTE & C.
Participam aos seus numerosos freguezes e ao publico em geral que acabara de
recetar de sua propria encoramenda, o mis lindo e completo sortimento de molhados,
os quaes vender por grosso e a retallio por menos 10 por cento do que outro qualquer
annunriante, como verio pela seguinte tabella que abaixo notamos, garantindo os mes-
ntos proprietarios nao s o peso como a qu Uidade de seus gneros.
AVISO.
Todos os senhores que comprarem para negocio ou casa particular de 1005 para
cima terao mais 5 a 10 par cento de abatimaoto, os proprietarios scientificam mais que
todos os seus gneros si recebidos de sua propria encommenda, raz5o esta para pode
vender por mudo menos do que outro qualquer estabelecimento.
Vellas de carnauba e composiclo de 32o a
36o rs. a libra e de lo.ooo a H.ooo rs. a
arroba.
do de 7oo a 2,5oo rs. a caixinha.
Manteiga ingleza perreitamente llr, mandada
vir de corita propria, a 7oo a 8oo rs, a
libra,
(dem franceza chegada pelo ultimo navio a
56o rs. a libra, e em barril ter abatimen-
to.
dem ingleza em potes de 4 a 16 libras a
8oo rs, a libra e o pote separado,
Cha uxim o melhor neste genero, mandado
Palitos do gaz.a 2,3oo rs. a groza e 2o rs. a
caixinha.
Milho alpista a i6o rs. a libra.
Corainh muito novo a 4oo rs. a libra, e
comprando de 8 libn-s para cima a 32o rs.
Gomma muito alva para engommar a 8o rs.
a libra, e em arroba se far abatimeoto,
Sag muito novo a 28o rs. a libra.
Sabo verdadeiro bespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado a 2tfo rs. a libra
DO
PROGRESSISTA
RIJA DAS CIU/KS IV. 3G
E
RA DO CRESPO N. 9
-\o feairro de Santo Antonio.
loaqnim Jos Gomes de Sonza tem a honra de participar ao respei-
tavel publico, que tem resolvido vender os seus gneros de primeira qualidade por menos
10 a 20 por cento do que outro qualquer annunciar, como se v do presente annuncio,
asseverando o proprietario d'estes armazens a aquellas pessoas que frequentarem estes
estatalecimentos, que nunca tero occasio de reclamar qualquer genero, visto ter-se
adoptado n'estas casas o ptimo s; .-tema de s se negociar com gneros especialmente es-
colbidos.
Manteiga ingleza flor a 8oo rs. a fibra.
Castanhas muito novas a 2,ooo rs. a caixa, e
a 16o rs. a libra.
BV'inho francas, e em caixinhas de 7oo a
1.5oo rs. cada urna.
Wem franceza a mais nova do mercado a 56o
rs. a libra, e 54o rs. em barril,
ldjm de pores raimada muito alva 46o rs.
a libra.
Pl-azu-it') para anbre a 8oo rs. a libra.
Cil uxim miudinho vinJo de conta propria,
o rael ior do mercado a 2,8oo rs. a libra.
I m hyson de superior qualidade a 2,6oo rs.
:>ra.
\Ti perola o melhor que se pode desejar a
2.7oo rs. a libra.
Mena preto muito fino a 2,5oo rs. a libra,
dem mais baixo pouco a 2,ooo rs. a libra.
Wcm mais baixo a l,8oo rs. a libra.
vir de conta propria a 2,8oo rs, a libra. Vinho branco o melhor neste genero a 8oo rs
dem hysson, grande, muito bom a 2,0oo rs. a garrafa e 4,3oo rs. a caada.
a libra. Uem Bordeaux de differentes marcas, garan-
Idem preto muito fino, a 2.6oo rs. a libra. te-se a qualidade, a 8.000 rs. a caixa com
dem preto, mais bauo, a 2,ooo rs, a libra. uma duzia, e a 7oo rs. a garrafa.
dem, verde, miudinbo, mais proprio para Garraf5es com 5 garrafas de vinho do Porto
negocio, a 4,5oo rs, a libra. do Alto Douro a 2,2oo rs. com o garrafo.
Banha de porco refinada muito alva a 46o dem com 5 garrafas de vinho Figueira, mais
rs, a libra, e em barril se far abatimento. proprio para a nossa estacao por ser mais
Biscoitos inglezes das seguintes marcas; fresco a 2,4oors. com o garrafo.
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies. dem com 5 garrafas de vinagra a l,2oo rs.
Lunch, Cabin, e outras muitas marcas, a
i,4oo rs, a lata.
CHA
hysson, uxim e perola a 2.400, 2,600 o
2,800 rs. a libra.
CAF
muito superior, do Rio e do Cear a 8,000
e 8,400 a araoba e 300 rs. a libra.
VINHO
de Lisboa e da Figueira a 3,500 e 4,000 a
a caada,
do Porto engarrafado de diversas marcas a
4.000 rs. a garrafa.
Bordeaux de diversas qualidades a 7,000,
8,000, 9,000 e 100 a duzia.
CHAMPANHE
CONSERVAS
inglezas a 8,500 a duzia e 760 rs. o frasco.
SAL REFINADO
em frascos de vidro com tres bras a 600 rs.
PEIXE
em latas emticamente lacradas a 1,000
rs. cada urna.
PORVOS
do Porto muito bem censervados a 500 rs..
a libra.
MUSTARDA
preparada muito nova a 400 rs. o frasco.
MRMELADA
dos melhores conserveiros a 640 rs. a libra.
ESPERMACETE
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
440 rs. a botija, e em duzia ou em barrica
ter abatimento.
Massas para sopa macarrao, talharim e aletria
a 48o rs. a libra e em caixa ter abati-
mento.
dem estrellinha, rodinha e pevideem caixi-
nhas de 8 libras, muito bem enfeitadas de
2,5oo a 3,5oo fs. a caixinha e a 600 rs. a
libra.
Doce de guiaba em caixas de diversos taa-
nnos de 600 a 1,000 rs. o caixao
Sabo mass de 2oo a 24o rs. o melhor, em
caixa ter abatimento.
dem Bespanhol a 28o rs. a libra.
Peixe em latas muito novo ; savel, pescada,
corvina, salnvlo e outras muitas qualidades
Vinho do Alto Douro vindo do Porto engar- preparada de escabeche 2 a arte de cosi-
rafa.lo gai-aute-se a supenoridade deste vi-; nQa de 12oo a 18oo rs a iata
nbo, das segualas manas : Duque, Ge- Fig05 ein caMS de { arroba> r, e 8 libras
nuino, velho seeeo, especial lagrimas do- a 8>000 iooo e 2>000 rs a cabana.
ees de 1819, vinho especial D Pedro V., Barris ue vinno branc0 ()e qnto> marca b
vinho velho, Nctar superior de 1833, Da- & FUho ., t0ooo rs 0 ba|Ti.
Porto 4e 1834, vinho do Porto ye-Marmelada imperial dos melhores conservei-
luo superior, madera secca de superior, ms |]e Lisboa 6io rs a, ,tinliade l libra,
q alidada, vinho do Porto superior D. Lu- na ]atas je j e libras
iz I de 1847, lagrimas do Douro espe-Massa (le lomate em la'tas domadas de I libra
ciad, vinho do Porto de l.oooa l,2oo rs. a g40 rs a |ata
garrafa e de lo.ooo a 14,ooors. a caixa; Ameixas fraacezas em caixinhas elegante-
com urna duzia. mente cnfetadas de I.Soo a 3,ooo rs. a
B.j!achinha de soda especial encommenda e a cajxnj1a, tambm ha latas de 1 '/i a 6 li-
mis nova que ha no mercado a 2,2oo rs. a bras ,, 2oo a 45oo rs a ala
.'ata- dem em frascos comtampa de rosca a l,6oo
to inglezes das melhores marcas em rs 0 frasc0
lauchas de 2 libras a 1 3oo re. a late. j chocolate portuguez, hespanhol, francez e
Mero inglezes craknel em latas de o e 7 libras suisso a 1 oo rs a libra
J.000 a 6.000 rs. a lata, e em libra a Conservas inglezas das seguintes marcase
8oo rs.
Qaeijos do reino chegados pelo ultimo vapor
a 2,5oors. cada um.
Ideo prato a 7oo rs. a libra.
Mixde-Picles e ceiiollas simples a 75o rs
o frasco.
Ancoretas de vinho colares a 5o,ooo rs., e
a 72o rs. a garra '
Vinho em pipa das mais acreditadas marcas Sardinlias de Nantes a 32o rs. a latinha.
como sejam B A F., PRR, JAA, outras Charutos das mais acreditadas marcas de
muitas marcas, Pirto, Lishtfa e Figueira ; 2.5oo a 4,000 rs. a caixa.
de 48o, 5oo, 50o, 64o e 800, rs., e o do Champagnie a melhor do mercado de 12.000
Porto fino em garrafa, e em cenada a
3.000, 3,5oo, 4,ooo e 6,000 rs. o melhor
do Porto.
a 2 .ooo rs. o gigo, e de 1,2oo a 2,ooo rs. a
garrafa.
Papel greve paulado ou liso a 3,Soo rs. a res-
ma.
dem de peso pautado ou lizo de 3,5oo a
4,000 rs. a resma.
Gomma muito tina e alva a 80 rs. a libra.
IJcm Bordoaux das mais acreditadas marca-
a 7oO rs. a garrafa, e a 8,000 rs. a caixa.
(arrafoes com 5 garrafas de superior vinhc
do Porto a ,20 rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafa de vinho da Figueira mais Mll.ho ali)lta e Paiuso de i0 a 2o re" a h'
proprio para a nossa estaco por ser mais n ,.,ra' aQ Q
fresco a 2.400 rs. com o garrafo. Pal'los 'lo ^ a 2.2oo rs. a grosa e 2oo rs. a
I tem <:om 5 garrafas de vinagre a i,2oo rs.!
com o garrafal 1.
Vii'io branco o mais superior que vem ao
1 mercado a 56o rs. a garrafa, e a
4,3oo rs a caada.
Velas de esparmacate as melhores neste ge-
nero de 56o a liio rs. o maco, eem cai-
xa ter grande abatimento por haver
grande porco.
Azeite doce em barril muito fino a Ci rs.
a garrafa e 4,800 a caada,
dem francez retinado a 800 rs. a garrafa.
Ervilhas francezas e purtugueza* a 64o rs. a
lata.
I! -las eom doces seceos de Lisboa de 3oo
a 3,5oors. cada urna.
Toucinho deLisboa a 3oo rs. a libra, e a
n.ooo js. a arroba.
s muito novas a 10o rs. a libra e 4,8oo
rs. a arroba.
Cal de 1.*, 2.a e 3.2 qualidade de 26o, 3oo
e 30o rs. a libra, do Cear de 7,8oo, 8,600,
e 9.2oo rs. a arroba do melhor.
Vasos inglezes de 4 a 1G libras vasios, muito
proprio para deposito de doce manteiga
ou outro qualquer liquido do l,ooo a
3,ooo rs. cada um.
Licores das melhores marcas e mais finos
a 1,00o rs. a garrafa e em caixa ter abati-
mento.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e lo,5oo rs. a caixa.
Coouricas as mais frescas do mercado a 800
rs a libra.
Genehra de laranji em frascos grandes a
l.ooo rs. o frasco.
Serveja da< mais acre litadas marcas de
B,5oo a 8,Soo a duzia e de mais a 5oo rs.
a garrafa,
dem em botijas e meias, sendo preta da
muito creditada marca T de 6,5oo a 7,8oo
rs a duzia.
Ceblas em mol los grandes a 800 o molho
640 o cento, e a C.5oo rs. a caixa
Pimenta do reino a 3 lo rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 14o rs. a libra.
Bolachinha de sdo, especial encommenda, a {
2,2oo rs, a lata.
Biscoito inglez Craknel em latas de 5, 7 e 15,
libras a 5,ooo e 6,000 rs, e de l,2oo a
800 rs, a libra.
Queijos do reino pelo baratissimo prego de
l,6oo, l,8oee 3,ooo rs os do ultimo
vapor,
dem prato muito fresco a 64o rs, a libra,
dem londrino muito fresco a 800 rs, a libra.
Vinhos em pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
48o, 56o, e 64o rs, a garrafa, e de 3,ooo a
4,5oo rs, a cariada.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa em latas de 1 e mais libras
a 7oo rs, a libra.
Peras secaas em caixinhas de 4,ooo a 2,ooo
rs. cada urna.
Figos em caixinhas de 1 '/ arroba e de 8 li-
bras a 8,000,4,ooo, e 2,000 rs, e a 3oo rs.
a libra, taanibem ha serinlias para men
nos a 60 rs. cada urna.
Amendoas de casca mole a 36o rs, a libra, e
em arroba ter abatimento.
Sardinhas de Nantes a 32o rs, a latinha.
Toucinho de Lisboa muito novo a 3oo rs, a
libra e em arroba a 9,000 rs.
Massa de tomates a 64o rs, a libra.
Pimenla do reino a 34o rs. a libra,
Farinha do Maranhao a 14o rs, a libra.
Cbelas a 800 rs. o molho, 64o rs. o cento
e 6,5oo a caixa.
Tijollo para Impar facas a 16o rs,
Cerveja das mais acreditadas marcas de 5,ooo
a 7,5oo a duzia, e de 5oo a 600 rs, a gar-
ra fa,
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 800 rs. a libra,
Genebra de laranja a l.ooo rs, o frasco,
Chouricas as mais frescas do mercado a 800
rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa,
e lo,5oo rs. a caixa com urna duzia.
Licores franeczes e portuguezes de todas as
marcas de loj^oo a 15,000 rs. a duzia.
Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a 8,5oo
rs. a caixa. Ha caixas, meias e quartos..
Batatas a 1,00o rs. o gigo com 38 libras e
2,000 a caixa com duas arrobas cadauma.
Bocetas com doces seceos de 3,ooo a 3,5oo
rs. cada urna.
Bolachinha ingleza a 32o rs. a libra,
Azeite francez c portuguez refinado a 800 rs.
a garrafa, e9,ooo rs. a caixa com urna du-
zia.
Conservas inglezas das seguintes marcas:
Mixed, Pickes, e ceblas simples a 800
rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo
rs. o pote.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra e 4,8oo
rs. a arroba,
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de manteiga, doce,
e outro qualquer liquido, de 1,000 a 3,ooo
rs, cada um,
o garrafo,
Sabo massa de superior qualidade a 18o,
2oo, e 22o rs. a libra do mGlhor que ha
Graixa em latas muita nova a 12o rs. a lati-
nha, e i,3oo rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : :>avel, pescada,
curvin, salmao e outras muitas qualidades
preparados de escabexe, si gundo a arte de
cozinha, de I,2ooa 2,ooo rs. a lata.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado e escolhido pessoaimente por um
des socios que se acha era Portugal, das
seguintes marcas: Duque, Genuino, Ve-
lho secco especial, Lagrimas Doces de
1819, vinho especial D. Pedro V, vinho
velho. Nctar superior de 1833, Duque do
Porto de 1834, vinho do Porto velho su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior D. Luiz I
de 1847, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porto, de l.ooo a 1 2oo rs. a gar-
rafa e de lo.ooo a 12,ooo rs. a caixa com
urna duzia.
Vassouras americanas a 800 rs. cada urna.
Velas de spermacete as melhores que ha no
mercado a 56o e 64o rs. o masso, e em
caixa s fara um grande tliatimento,
dem de carnauba e compoifao, de 4oo a
32o rs. a libra, e de lo,ooo rs, a H,5oo
rs. a arroba,
Caf de l1 e 21 sorte de 8.3oo a 8,600 rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
lhor,
Arroz da India, Maranhao e Carolina a 3,ooo,
2,8oo e 2,4oo rs. a arroba e a loo rs. a
libra.
Frasqueira de genebra a 5,8oo rs. e a 5oo
rs. o frasco.
Azeite doce em barril muito fino, a 64o rs.
a garrafa, e em caada ter abatimento.
Papel greve pautado e liso a 3,5oo rs. a
resma.
Genebra de Hollanda em botija de conta a
44o rs. a botija.
Passas corinteas a 000 rs. a libra e 12,800
rs. a arroba,
Ervilhas franceza e portugueza a 640 rs. a
lata de urna libra.
Chocolate francez, hespanhol, suisso e por-
tuguez a l,ooo rs. a libra, e a 28o rs. ca-
da pao de urna *^.
Ameixas francezas em ca iinhas elegante-
mente enfeitadas, com diversas estampas
no exterior da caixa de 1 5U0 a 3,ooo rs.
cada urna; tambem ha frascos e latas de
differentes tamanhos que se vendem por
mdico preco.
Massas para sopa: macarrao, talharim e ale-
tria a 48o rs. a libra, e em caixa se far
abatimento.
GarrafOes com 14 garrafas de genebra de
Hollanda a 5,5oo cada um.
Charutos de todas as marc;s c dos melho-
res fabricantes da Bahia da 3,ooo a 4,ooo
rs. a caixa.
a melhor que temos neste mercado a 20,000 muito superior a 560 rs. a libra, e em caixa
rs. o gigo.
CERVEJA
a 550 rs.
CHARUTOS
da Bahia a 1,600. 2,200, 3,000 e 4,000 rs.
muito superior a 5,000, 5,500 e 6,000 rs. a a caixa.
duzia- TOUCINHO
GENEBR\ muito novo a 9,000 rs. a arroba e 300 rs. a
dr',0"hio "'a*""!iraS M C M '""'"' MIMAS SECCAS
as mais novas do mercado a 120 rs. a libra.
la. *a 1 ,B0LAC,,NHAQ PALITOS PARA MESA
,de soda em latas grandes a 2.000 rs. cada .. ... ,.A
uma muito bem fetos a 160 rs. o maco.
inglezas em barricas a 4,000 e 240 rs. a VINAGRE
Hhra. de Lisboa PRR a 240 rs. a garrafa e 1.600
BISCOUTOS rs- a caada-
em latas de todas as qualidades, a 1,300 rs. AMENDOAS DE CASCA
cada lata. as mais novas do mercado a 240 rs. a libra.
ARROZ FARINHA DE ARARL'TA
da India e do Maranhao a 2,600 e 8,000 a verdadeira e muito nova a 400 rs. a libra e
arroba e 100 rs. a libra. 10.000 rs. a arroba.
CEVADA
muito nova a 2,500 a arroba e 100 rs. a
libra.
GOMMA.
muito superior em saceos com qnatro arro-
bas a 2,000 e 100 rs. a libra.
CASTANHAS
piladas muito novas a 320 rs. a libra.
PASSAS
as mais novas do mercado a 8,000 a caixa e
e 500 rs. a libra.
AMEIXAS
francezas em latas de I e 1|2 libra a 1,000
rs. a libra.
SARDINHAS
de Nantes muito novas a 300 rs. a lata.
ERVA DOCE
muitc nova a 300 rs. a libra c 9,000 rs. a
arroba.
COMINHOS
os mais novos e mais superiores a 400 rs. a
lib:a.
NOZES
muito novas a 160 a libra e 5,000 rs. a ar-
roba.
SAG
o melhor que pode haver neste genero a
2*0 rs. a libra.
MASSA DE TOMATE
em latinhas de 1 libra por 600 rs. a lata.
SAB.O MASSA
neste genero ha sem;>re i;m grande sorti-
mento variando o preco de 120 a 240 rs.
por libra.
MAIS ATTI3UAO !
Existe alm d'estes gneros, um explendido sortimento de phosphoros, fumo, al-
pista. peras em calda e seccas. figos, copos finos pan agua, massas para sopa, azeite, ca-
nda, pimenta, velas de carnauba, banha de porco, papel, e outros muitos gneros, de es-
tiva, que todos serao vendidos por mdicos precos.
Teode o proprietario dos armazens do progressista deliberado nao concordar
com a liga da Unio Commercial, Clarim, Allianca, etc., etc., etc., declara que s con-
corda em alliar-se aos seus freguezes, fazendo com estes uma liga de interesses recprocos'
tendo os seus alliados a faculdade de comprarem por precos muito em conta o bom fiam-
bre, o formidavel queijo e a saborosa bolachinha de sola, que fazem uma boa allianca
com a superior champanhe e o porto fino, nicos que sabem imitar a uniao destes ar-
mazens com os seus concurrentes. Vinde, senhores, a S armazens. aonde podis d'en-
tre um muito explendido sortimento de saboroso-. alimentos, escolherdes os que mais
vos apetecer, certos de que nunca tereis occasio de arrepender-vos de gastar o vosso
dinheiro nestes estabelecimentos.
ATTEX^AO
Todos os senhores que comprarem para negocio ou casa particu r JO-S para
cima tero mais 5 a 10 por / de abatimento ; o proprietario scientifica n?skj que todos
os seus gneros sao recebidos de sua propria encommenda, razo esta para poder ven-
der por muito menos do que em outro qualquer estabelecimento.
I^M^lSi^MiO^iil^^^
i
ROUPA FEITA
NO
IHJIAZIJI
DE
$Wm %^W*fc
fr
>D
Arrea da India, Java e Maranhao de 2,8oo a Tijolo para limpar facas a Dio rs. cada um.
3.000 a arroba, e de 80 a loo rs. a libra. Cominho a 4oo rs. a libra.
Passas muito novas a 8,5oo a caixa e
a libra, lia caixas meias e quartos.
Sovadnha de Franca a 2io rs. a libra.
Sag muito novo a 28o rs. a libra.
5oo Erva doce a libra.
Canella a 1,000 re. a libra.
BataUs a 1,000 rs. o gio com 32 libras liqui-
das e 3,ooo rs a caixa de duas arrobas.
FARINHA FONTANA.
Familia da milito acredita a marta
Fontana psemliarcala hoje, veae-se
l i- i'i't'co mais C'mimo !! do que em
qualquer nutra parte : na ra da Cruz
i!. 4 asa de \. 0. Ilieber & C succes-
MT6. ____________^_
Lnva de pellica.
Chegaram para a laja d'aguia branca, ra do
Q;i Iudo r. H.
Vend: terreas, sondu urna i a
rr.;i da Matriz da Bol-Vista, eom sotao c grandes
con I |Oll 1 f'in ira, nina na roa do tk'Sli-
ii", 11 .iva, ( OUtra ni na do Mondi'go, eom >;il..s,
:i qoirUM, luda Iluminada a gal, copiar, eolio la
fia, e junio um oiiarto, quintil cercado, do *(
pata) de fundo, no iim lendo dous quartos, ra-
...-., algrete, eal reedificada, e boa compra :
coavi ni.'s queiram dirigir ?. &
nn armasen n Si, a fallar como agn-
11 Ensebio, que esi autorizado, e onde satoeriio os
1 Dltimar-M a venda as 11 horas do >lia
quarta-feira l de marco._____________________
Vemlein-se caKes vasios .
1$600: neta (ypogi'aphia.
Venda de uma hypothtca.
Os liquidalarios da massa fallida de
Jos latona Basta vcndcm a hypolhe-
ca que tem nos cnisenhos Mallo Grosso
e (Injahiiss 110 valor de 34:83$$911 rs.; iraiar as
casas a ra do Ira piche n. 34.
Ycuilfsu-se !>arris coiu cal ties-
ta pjnaeedeneta, em |>edi*a, chega-
da lio je. e 11 u lea nova, que ha no
mercado, na na do Trapiche n.
13, arinazeui de .llanocl Telxcl-
ra llasto.
Trsourus d1', Guimares para
ttso dos senhores cabell'ire -
ros 0 l<> Vendenwe na loja de ferragens n. M na ra da
Cadeiamuito superiores c preso commo, do.
POR ME\OS DE DEZ POIt CENTO.
NO
CONSERVATIVO
m:
23-Largo do Tcrco-2;3.
O pro|iriplaro desle armazem d mollnnl -
meira qualidade por menos de dez por cento do que
rior qualidade.
Nao se diz o preco
Vinho das melhores marcas.
Manteiga ingleza flor.
dem (rneeza.
Banha de porco refinada.
Vellas de spermacete.
dem de carnauba.
Caf bom do Re.
dem superior do Cear.
Toucinho de Usbta.
Cha de diversas qualidades.
Qaeijos noTos do vapor.
Milito alpista limpo.
Gomma deengommar alva.
Alm dos gneros annunciadis exislem ouli
ro contado.
vende os seos j;t bem conhecido; gneros de pri-
em outra quabjuer parte, garantindo-se a supe-
pa a na espaldar.
Sabilo de di ver gas qualidades.
Chouricas muito novas.
Ai roede diversos prego*.
Ser/eja das melliores marcas.
Sardinhas de Nantes novas.
Genehra de laranja superior.
dem do HnHanda marea Gallo.
Phosphoros do gas,
Bolachinha ingleza em barricas
p 1--.1- muito novas.
Figos de primeira qualidade.
Riscoutos e Itolachinhas de sodi.
Charutos de diversas qualidade:.
os muitos que enf.i l.mio muneiona-los, a dinliel-
GLOBOS
Vende-se urna laboraa n( largo da Soledade
n. 8, com poneos fundos, pro| na para a pessoa
que qnizer se eslabelecer, tem lodas as vaatagOBS,
Vendem-se globos de barro vidrado da fabrica pseos fundo-, commodos para familia, o alugucl
de Sanio Antonio no Porto, proprios para lardiin 1- da casa barato, o vende-se por nae querer o dono
frentes de casas : na ra do Amorimn 46. [conUnnar eom u dito negocio.
DETREXRO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de t
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor- 2
rentes, para o que tem um dos melhores profesores, assim como tambem tem um ^f|
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras, ?
homens e meninos. ^
Casacas de panno preto, 35(5 e 305000 Ditos de setim preto. 55000^
Sobrecasacas idem, 30 e 2500 Dtos de ditos e seda branco, i
Paletos idem e de cores, 255, 6> e.......5^000^
205, 15^ e......lOiJOOli Ditos de gorguro de seda
Ditos de casemira, 205, 155, I pretos e de cores, 65, 55 e
125, 105 e...... 75000 Colle tes de fustao e brim bran-
Ditos de alpaca, S, 45 e 35500. co, 35500, 35 e .
Ditos ditos pretos, 95, 75, Seroulas de brim de linho,
55. 4:> e......35500 2)$i00 e.....
Ditos de brim e ganga de c- Ditas de algod5o, 15000 e. .
Camilas de peitos de linho,
15, 35 e......
Ditas de madapolao, 25500,
25 e........
Chapos de massa, pretos fran-
cezes, 105, 95 e. .
7*000 Ditos defltro, 55, i, 35500 e
Ditos de sol, de seda, 125,
I'.*, 75 e......
Coltarinhos de linho fino, ulti-
ma moda.......
Sortimento completo de grava-
tas.
2:j-iiio Toalhas para rosto, duzia, 115,
e........
cores, 95 e.. .... 75000 Chapeos de sol, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 55 e 45000 tos e de cores.....
Ditos de ditas de cores 55 Leles de linho.....3^000
45 e........3t5500 Cobertas de chita chineza.. 25000
res, 45500, 45, 35500 e. .
Ditos branco de linho, 65,55 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 105, 75 e.....
Cairas de casemira preta, 125,
105, 85 e. .
Ditas de c6res, 95, 85 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 55000 e.....
Ditas de prinreza c merino pre-
to de cordao, 45500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 45506, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 35 e
Golletes de velludo preto e de
35000
45000
55000
75000
44006
45OOO
25500

4500o|
25500
25OOO
15100
25500 m
1560o m
85500 j
25000
650OO S
640
5
75000
45000
immwwmmwmmMi
4


Diarlo de Peraanbnee Terca felra t de narco de 18C4.
.
5


ALLIANCA
GRAIDG ARMUEW
DE
MOLHADOS
0 nico que mais vantgens offerece ao publico.
57 RA DO IMPERADOR 57
Verdadeiro vinho collares em ancore-
rotas de 9 caadas a 50,000 e 800
rs. a garrafa.
Farello de Lisboa marca N ou biato
tigo a i > a sacca.
Vinagre P R B., em ancoretas de 9 ca-
adas a 18,000 e 2,000 rs. a ca-
ada.
Passas em caixas, meias e quartas a
8,000 4.000 e 2,000, a 480 a libra.
Peras seceos em caixas de quatro li-
bras o mellior que se pode desejar
a 2,500, e 640 rs. a libre.
Caixinhas de 4 libras e 2 coin ameixas
i \ ^iKI p 2 ^i)0 rs 3 i"ii\ iih'i
eoltaa de seus aros tero a honra da Nejar ao respeitavel publico, que niguem co-g^ ChoClale poVtuguez, o m?Jhor que
>ao elle pdde vender tao barato e por t5o resumido< precos; servmdo como costumaaos gg nA,lfl hav hp hnm npstp Wnm a
seus freguezes com os melhores gneros pie se pode desejar.
DE
Paulo Feri'eira da Silva.
0 proprietario (teste grande estabelecimento de molhados, recebe por todos os
vapores e navios os melliom gneros que vem ao mercado, os quaes vende em seu ar-
fnazem pelos mais resumidos precos.
Tendo clMgado pouco da Europa, aonde deixou pessoas encarregadas para a es- )%-^
inicio.
Querendo o proprietario deste to til estabelecimento a concurrencia da boa
freguezia, tem deliberado vender sempre por menos do que outro qualquer, garantindo
aos seus freguezes todo c qualquer genero s hido de seu acreditado armazem.
Manteiga ingleza a mais nova e fina rbogad;i Velas estearinas a 56o rs. a libra o em caixa
ueste ultimo vapor a 8oo rs. a libra e de 8 a 54o rs.
libra para cima terabatimento. Idea de carnauba pina e refinada a 360 rs.
dem francesa a melhor e mais superior do| a libra e 10,ooo a arroba.
nosso mercado a 56o rs. a libra e 52o em dem de composiro emmaradas a 32o rs.
baiTil ou meios. o maco e 9,ooo rs. a arroba.
Banha de porco refinada e milito alva a 44o Massa de tomate em latas a 6oo rs. a libra.
Duarte & C, vendem em seus armazens Unlo e Cemmcrcio e lar-
BS3 go do Carmo n. 9, armazem progressivo, os seguintes gneros d( sembarca-
dos ltimamente.
Queijos londrinos muito fre;ccs a 800
rs. a libra e sendo inteiro i 650 rs.
Sebollas em caixas as mais novas do
mercado a 6,500 rs. a c rs. o molho, e a 640 rs. o cento.
Batatas em caixas de 2 ambas muito
nevas e grandes a 2.400 n. a caixa. BB
Sextinhascom figos propria:; para mi- ^i
mos de criancas a 60 rs. cada urna
e comprando em duzia te.- grande
abatimento.
Erva doce muito novas a 500 rs. a li-
bra, e comprando em arroba a
10,000 rs.
Cominhos muito novos a 403 rs. a li-
bra e 10,002 a arroba.
Licores portuguezes das marcas mais
acreditadas de Lisboa a 1,000 a gar-
rafa e 10a 12,000a duzia, as quali-
dades sao as seguintes : ceme de
violetas, geroflez, rosa, abs ntho, ves- g^i
peiro, amor perfeito, amendoa amar-
ga, percicot deturin. botefn, moran-
gos. limo, caf, laranja, c dra, gin- If^*;'
ga, canella, travo, ortela pimenta Wjft
e outros muitos de qualidat'.es menos
superior que serao vendidos, por pre-

m;

&l
w
pode haver de bom neste genero
1,000 rs. a libra.
f^a| Marmclada propriamente dito de mar-
mello, a 640 rs. a lata e em caixas
de 100 latas a 600 rs.
na de tomates a mais nova que se
pode desejar a 040 rs. a lata e em
caixa de 100 libras a 600 rs.
Ervilha portugueza a 700 rs. a lata,
e em caixa de 100 libras a 640 rs.
Passas corinlhias para puilim a 640
rs, a libras, e 400 rs. comprando de
arroba para cima.
rs. a libra, eem barril a 4oo rs.
i Doce em calda das mais especiaos frutas
( b hysson o melhor neste genero especia'. Europa a 6oo rs. a lata.
eiiconunenda do proprietario a 2,7oo rs. i Ostras em latas muito bem preparadas a
libra. 1,000 rs.
dem idem menos superior e que em outras Peras seccas muito novas a 3oo rs. a libra.
casas so vend a 2,6oo rs., custa neste ar- iMassas para sopa estrellinha muito nova era
mazem 2,2oo rs. a libra. caixas de 8 libias a 3,ooo e 5oo rs. a libra,
dem uxiin o mellior que pode haver neste dem talharim, macarro e aletria a 4oo rs.
genero a 2,6o<) rs. a libra, garante-se a qua- dem maoarrSo un pouco mais baixo a 24o
lidade. rs. a libra.
1 em preto muito especial a 2,ooo rs. a li- Sevadinha muito nova de Franca a 2oo rs. a
lira, e mais baixo, [iorem muito surivel a libra.
I,2oo rs. a libra, vende-se por estes pre- Sag o melhor que possivel a 24o rs. a
eos em razio de nestes ltimos navios ter- libra.
se reiebiilo grande porclo deste genero, Farinha do Maranhio a melhor que presen-
a deferenca de |reco lie de 6oo a 8-jo rs* teinente tem vindo ao nosso mercado a
libra do que se vende en outra qualquer 14o rs. a libra.
parte. Gomma do Aracaty moitissimo alfa a 8o rs.
dem do rio em latas de 1 at 6 libra a l,4oo a libra.
rs. a libra, neste genero o melhor pos- Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
sivel. libra.
Biscoitos inglezes em latas com differentes Licores muito linos de. Bordeaux e toda as
qualidades como BOJO craknel, victoria, marcas que ha neste genero a 800. 1,000'
eje* em relacao as suas qualida-
des.
Os proprietarios afiancam que estes gneros sao muito novos e*tudo
nicamente no armazem Unio e
Carmo n. 9 arm; zem pro-
bra. jy. de primeira qualidade, tudo isto se vende unica
s da j ^3 Commercio na ra do Queimado n. 7, e largo do
Ka&a gressivo.
Queijos
do alemtejo, das ilhas e flam;ngos, todos chegados neste ultimo vapor, a
2,500 os flamengos e 800 ris a libra do alemtejo e das ilhas, unicamen-
g|| te no armazem Unio e Commercio, ra do Queimodo n. 7 e largo do Car-
mo armazem progressivo.
IUA DO QUEMADO
Leja de fazendas de Augusto Frederico dos SautosPorto.
Fazendas pretas para a qwiresma.
Ricos corles de moreantique preto para vestido fazenda superior.
Cortes de vestido de seda preta coid barras.
Capas pretas de seda bordadas e estriladas de 224 a 504.
Capas de seda preta coro mangas ricamente enfeitadas.
Soutembarqucs de seda preta e casemira de cor com lipdos enfeites.
Zuavos de seda preta de multo gosto.
B9--SS4S
Multa attencao ao que infressa
PROTMAM PIKOTFJAM
EXCELLENTISSIMAS SEN1I0RAS,
Jvv. Bxes. continiiem a proteger ao importante estabele-
clineato a na do Crespo n. 19
DE
JOS GOMES VILLAR. .,
Grande novidade. Ilaloes 111
Baldes de 40 arcos a ;i, de 30 a 44 e de 20 a 3,1.
Fazendas proprias para a quaresma.
Moreantique preto cm cortes, ditos de muito gosto para covados. grosdenaples pretos
de superior qualidade.
Para hombro de senuoras.
Capas pretas, casacScs, casaveques compridos, >otembarque, manteletes de gris, di
tos de guip, chales pretos deguip etc., etc, capas de casemira com capuz. mantelLtutAl
f.de casemira ricamente enfeitados, chanfliuasde palha com veo, ctiit.ig, cambraias, vtti-
dos para noivas, ditos de seda, vestidos de bloude com capella e manta a 18.' ^
branco elcotc, madapoloesde7fi, 84, 94, 104, tl5e 124, camhraias lisas muito lnns
transparentes e tapadas a 34, ''4. 94, 64, 74, 84 e 94 a peca, fazendas de linlm de odas
as qnalidades e outras mullas fazendas.
Protecco. Proteccao
fHEE-E-M
LOJA
DO
PAVAO
GRAGEAS
de GELISe CONT
Cassns puritanas.
Vendem-se as mais modernas cassas puritanas
com bonitos desenhos pelo baratissimo preco de
240 e 280 rs.t) covao, por haver grande porc,ao,
pechinclia : na ra da Imperatriz n. 60, loja do
Fava
Cseas persianas :ito rs. o co-
vado.
Vendem-se as mais bonitas cassas persianas
imitacao de laa transparente com os desenhos le*
cides e inleiramente novos, pelo baratissimo pre^o
de 340 rs. o covado e nao desbotam
Pavo ra da Imperatriz n. GO.
CSorguro de la & &OO rs. o co-
vado.
Vende-se gorgurao de laa de cor escura propria
para vestido de senhora, paleto! para homem
Ao lactatc de ferro
Approradas da academia imperial de meiitciu
Je Pars.
Segundo o relatoriu feito na acadrmir. ea
4 de fevereirode 1840 pelos Sis. prufes-
sores Bouillaud, Fouquier e Daily, esle er-
rugiroso reconhecido superior'a ticosos
outros para curar: a Morosis .1les *ou-
leurs), e leuc)rrha (pertes h!;iiici.c;), a
na ljado anemia (flaqueza de tempramelo nos -'ous
sexosi, diflicuidade de menslruaco sobre
tudo as mocas,' incontinencia de uri-
nas, etc.
E' o mais agradavel de tomar por sua
para vesuuo ae sennura, paieoi para nomem 0 n||a anfarala p okenritL.
ronp para menino, pelo barato preco de 800. 0 Iorml.ae. P1 "ias ssocaraaah, e esse CiaV
covado : na toja doPavao ra da Imperatriz n. 60.1 mente mais ellicaz do que as outras prepa-
.%* eolebas do Pavo. raoes etc., por ser muito soluvel no sirco
pie nie, sixla, captaiiu. seed, osltorne e ou-
tras mitas marcas a 1,35o rs. a lata.
Bolaxinha de soda em latas grandes a .ooc
rs. cada urna.
figtx em .aixinhas hermiticamente lacradas
e muito proprios para mimo a l.Goo e
2,Guo rs. cada una.
liten en caixinhsa de 8 libras a 2,ooo rs. a-
ila urna.
e l,2oo rs. a garrafa.
Pliosl'oros do gaz a 2oo rs. a duzia e 2,2oo
rs. ;i gmw
Bolaxinha amencana em barrica a 3,ooo rs., vena-e por mu|0 commodo pre?o.
Vendem-se colchas de linho adamascadas com gstrico, como consta do relatorio iu!o re-
bonitos layres de cor de rosa azul e branco, centemente na academia (le medicina de
pelo baratissimo preco de 84 cada urna : na loja.,, <, ., ,. RmiI,., m nim(, ,fl
do Pao rua da Imperatriz n. 60. |Iatls f*10 ?T; rel,x BO'ei. ^m nnme Je
Organdys 40 rs. o ovado. !uma commissao composia dos bis. Neipeau,
Vendem-se organdys matisados fazendamuito B-.Depeau, Bouchardat, Trousseau, etc., to-
na, de bonitos desenhos, pelo baratissimo preco de ] cando as experiencias feilas sobre os pi inci-
Pannos pretos, casemiras pretas, setim preto, grosdenaple preto de diversas qualidades tudo 240.rs- o covado : na loja do Pavao rua da tmpe- paes seres ferruginosos com um sueca <,"!>-
superior. ,.,,. ft 3 ,a. ratnz n. 60. .'.___,_. I trico fresco no laboratorio do Sr. Bondaut.
Chapeos de palha d Italia para merina ricamente enfilados de 74 a 124- As alpacas do Pa^ao. U f. rnrviyarl c Hairpswil nn
Camisas para homem francezas e inglezas de algodo e de linho. Vedem-se aljiacas de seda de cores muito li- I"""" u am "WH tl"1'
Atoalhado de linho fazenda superior. as proprias para veflido de senhora, soutembar- O lclalo de ferro e O mais soluve e por
Camisinhas de cambraia a Garibaldi para senhoras. ques e roupas para meninos e (illa branca muilo consecuencia O mais elficaz.
Na mesma casa tem grande sorlirmnto de fazendas de seda, 15a, linho e algodao que tudo se fina propria para vestidos e paletots, pjr prego
e em libra a 2oo rs.
Tijolo para limpar facas a 12o rs. cada um.
Vassf'iii as de piassaha com dous arcos de
ferro prendendo o cabo a 32o rs. cada
urna.
Passas muito novas a 8,000 rs. a caixa e 48o Escovas de piassaba proprias para esfregar
Chegaram tamhem a excellentes
ENTE lin* PARA SAIjAS.
Ma rua do <|ueiado a. II.
rs. a libra.
Ai i.'ixa francezas em latas de libra e meia e
:i libra a l,2oo 2,ooo e 800 rs. a libra.
Caixinlias com ricas estampas a 1,4o. 1 rs.
cada urna, frascos de vidro com rol lia do
inesuK, ciintenilo libra e meia de ameixas.
casa a 32o rs.
Sardinhas de Nantes muito .novas a 32o rs.
a lata.
Peixe em lata muito bem preparado savel,
curvina pescada e 1 nitros a l,ooo rs. a
lata.
LOJA DO BEIJA FLOR. 4 AGUA. KR4NGA
Clnmpagne da marca mais superior ipie ti-ni Ervillias portuguezas e francezas j prepa-
vindo ao nosso mercado a I8.000 rs. o gi-, radas a Gio e 72o rs. a lata.
l'o, e I,8oors. a garrafa, garante-se a su- Caf lavado de primeira sorte a 3oo rs. a
perior qualidad>\ libra, e 8,5oo a arroba.
Vuilio Itiinliaux das melhores qualidades que Iilem do Rio muito bom a 28o a libra e
se pode desejar a 7,ooo e 7,3oo rs. a cai-j 8,000 rs. a arroba.
:;a e 64o rs. a garrafa. I Arroz do Maranbo a loo e 120 rs. a libra.
Caixas com Vinlio do Porto superior de 9,ooo dem de Java a loo rs. a libra.
o i0,000 rs. a duzia, e 9oo e l.ooo rs. a Ainendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
garrafa, ueste genero ta grande porcoe de Avelaes milito novas a 2oo rs. a libra.
differentes marcas nmito acreditadas que Nozes muito novas a 2oo rs. a libra.
j 1 se vendern por i i,000 I5,ooo rs. a cai- Cbouricas e paios a 7oo rs. a libra.
xa como seja. Duque do Porto, lagrimas
1 o Douro, 1). Luiz, Cames, Madeira sec-
CO Nctar : Genuino e malvasio linoe ott-
l as como Gherry e Madeira para I2,ooo e
13,oou rs a caixa.
Vinho de pi| a Porto, Lisboa, Figueira, a 4oo,
48o, e 3to rs. a garrafa, 3,ooo 3,2oo e
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra ou a
8,5oo rs. a arroba
Presuntos de lamego de superior qualidade
chegados neste ultimo vapor a 48o rs. a
libra.
|{ua do Qnciina-lt numero 63.
Cravatinbas para senhora.
Vendem-se gravatinhas de;diversos gostos mais
modernos a 720 e 800 rs. : na rua do Queimado,'
loja do beija-Qor n. C3.
Filas para drlirum de vestidos.
Vendem-se litas para debruro de vestido de linho
com l varas a 400 rs. a pec,a : na rua do Quei-
mado, loja do beija-tlor n. 63.
Pe 11 les Iravesses.
Vendem-se pentes travessos de caracol na
frente de borracha a 500 rs.: na rua do Queima-
; do, loja do beija-tlor n. 63.
Papel beira delirada.
Vende-se papel beira dourada a 14200 e 14300.
, dito de cor de beira dourada a 14100 : na rua do
Queimado, loja do beija-tlor n. 63.
Anreloprs.
Vendem-se anvelopes de diversas qualidades
branco a 800 rs. e de cor a 610 rs., para cartas de
visit a 400 rs., preto a 720 rs. : na loja do beija-
llor na rua do Queimado n. 63.
tullas de aljfar.
Tendo recebido voltas de aljfar com ernzes de
pedra imitando a brilhante vende-se a 14 cada
receben:
Sipatinnos de setim branco bordados pata bap-
muito commodo : na loja do Pavao rua da Impe-
ratriz n. 60.
Panno preto %/jfOOO.
Vende o Pavao:.
Vendem-se panno prelo muito cncorpado a
240000 o covado, dito a 24o00, :i000 e 44000, ca-
simira preta muito fina a 14800. 24000, 24200 e
ZSWmJ!*. apU?\ din^rt'^InjVa^mao':o^e%;mudouoantigo e acreditado deposite da
zem do Pavao, rua da Imperatriz n. 60. de Gama mesm3 rua ,2> ^ os generos ^ nou. e
raa. legjtjmos e se vendem a preco mais barato do que
AS raleas do Pavao. utra qiiaiqUerJparte.
Vcndem-se superiores calcas de casimira preta
.Deposito geral: era Paris, rua Bourbon-
Villeneuve, 19.
Em Pernambuco, na casa de Caors & Bar-
bsoa, rua da Cruz n. a2.______________
Cal de Lisboa" e polassa da
Rsala.
Vende-se na rua daCadeia do Recite n. 26, prra
Alpista muito novo e limpo a 16o rs. a li- urna ; narua do Queimado loja do beija-ilor n. 63.
bra 0 4,(ioo a arroba. Camisas de meias.
Painco muito novo a 18o a libra e S.ooors. 11Y^dem:SLMmi<*s .de '^ei.as Jmu,i'? "na.s ?
., M-.(|||;| 1*200 e 14-100 : na rua do Queimado, loja do bei-
3,5oo rs. a caada.
dem brauc 11 melhor neste genero vindo de, vua. ,r n
e id innieiidaa 600 rs. a garrafa, e 4,5oo Sabo maca, amarello e casUinbo a 22o e Enfeites de ita.
rs, a caada. 24o rs. a libra. Tendo recebido enfeites de fit pretas e de co-
Id ni do Porto em barril milito especial a dem mais baixo um pouco a 10o, 180e2oo res mais modernas que se esto usando a 14 cada
G4o rs. a garrafa, e 5,ooo rs. a caada. rs. a libra.
V lugre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e Castanhas pelladas a 24o rs. a libra.
I,too rs. a caada.
Mei 1 em garrames com 5 garrafa.
Chocolate francez de primeira ipialidade a
l,2oo rs. a libra.
11111
A'.i'ilc doce de Lisboa superior qualidade a dem de Sanie muito superior e medicinal a
oto rs. a garrafa e 4,8oo rs. a caada. I,3oo rs.
B itt itss em gigos de trilla a Irinta e tantas li-' Copos lapidados proprios para agua a u,ooo
li a a 800 rs. o gigo e 4o rs. a libra.
Gen 'lira de Ilollanda a mais superior a 6,000
rs. a frasqueira e 56o rs. o frasco.
dem em ganrafoes com 23 garrafas a 8,000
rs.
rs. a duzia, que em outra qualquer parte
7 e 8,000 rs.
Charutos dos melhores e mais afamados la-
na, roa do Queimado, loja do beija-ft.T n. 63.
Uta de 13a preta para debrum.
Vende-se fita de laa preta para debrum com 10
varas a 900 rs. a peca : na loja do beija-llur rua
do Queimado n 63.
Fitas de linho para bordar vestido
Vendem-se lilas de linho para bordar vestido
ou roupinho de meninas com 40 varas a 640 e
800 rs. a peca s quero tero loja do beija-flnr
rua do Queimado numero 63.
Iloies de madrrperola.
Vendem-se botoesde madreperola mais moder
bricantes de S. Flix e do Hio de Janeiro nos que tem viado para punhos de senhora a 320
de I,5oo a 6,000 a caixa. rs- Par : s quem vende por este prego na
Cebojlas novas a 800 rs. os molhos grandes rua do $!lSXtopr^toiS? **'
e 700 rs. o cento. Vende-se fila de velludo preto rom 10 varas a
5,5oo a duzia e 5 Cognac superior a 800 e I,ooors. agan-afa, Doce de goiaba a G4o rs. o caixao.
ias de seda branca para o m ?smo lim.
li bonitas e delicadas touqi inhas enfeitadas
para dito.
Pulseiras e ollas de contas bruicas para senho-
ras e meninas.
Fita branca e preta de borracha, com diversas
larguras.
Transehns de borracha sonidos em cores.
Trancinha preta de laa, e outrs trancinhas de
laa de gosto novo e mui bonitas para enfeites.
Enfeites conservadores para sei.horas.
PAI'I-L IMiliZ
Branco en mar,
Vende-se em latas de 28 libras o melhor que po-
de havr a 200 rs. a libra, a dinheiro : na rua
larga do Rosario n. 34.
a 5450C, 64000", 74000 e 8400Q,rs., paeltots so-
brecasacos de panno p'reto a 124000 rs., ditos sac-
eos a 74000 rs., coleles de casimira preta a 44300
e 54000 rs.; na rua da Imperatriz n. 60,de Gama
& Silva.
Algodozinho enfestado.
Vendem-se algodaozinho americano com 8 pal-
mos do largura para lencoes, loalhas, etc. etc. ele, I a a 4 a 1 m-
a 140OO rs. a vara, ditos estreitos a o 4000,64000,, MT m -* % ^ SIjI tf "
74OUO e 84000 rs. a peca, sendo muilo boa fazen- HAS DE BOIM GOSTO' i '
da pegas de mandapolao, por'prego muito razoa-; JIoireilliuoe, capas C SOUlCIIllll!|ne.
TeGaraa TsHva a0' "" P 'I Joaquim Rodiigims Tavares de Mello acalla de
'.. ".' l1 -^a ,irt p. .-.., receber de Parisede sua propria en'coinmei:'
vestaos pretos to 1 .<.io. ;completo sortimento de moirentinue, rapas e sou-
.11 ni uro e de peso. Vendem-se ricos cortes de grosdenaples preto tembarque para senhoras, fazenda a melhor que
Alem do grande sortimenlo de papel greve e ou- jaE!^ enf,'"es (Ic vellido, pelo barato prejo tem vindo a este mercado, os quaes vende por mui-
tras muitas qualidades, que coistautemente se 9* 404000 rs. cada um, na loja do Pavao ; rua da l0 menos pre^0 qUe em oiura qualquer parte : u
acham na loja d'aguia branca, fa?-se notavel pela Imperatriz n. 60. | rua ,j0 Queimado n. 39, loja de 4 portas.
supenoridade de qualidade o papel inglez almassoi I.aazlnlias letoria.
e de peso, que acaba de chegar para a dita loja ; Na loja do Pavo.
um e outro sao mui encorpados e de um assetma | Vendem-se as mais modernas laazinlias Victoria
do lustroso e macio, que na verdi.de a', odos agr- tendo 4 palmos de largura rom lindas palmas de
dam. As resmas daqueile tem 480 folhas, e as seda pelo barato prego de 800 rs. o covado, na
deste 500, e custa cada urna 84- Tambem velo da |0ja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama
ESCEAYOS FGIDOS.
Escravo fu&ido.
mesma qualidade e de tamanho pequeo, em cai- f Silva.
xmhas de 100 folhas, tanto liso orno beira doura-, 0s soiitenioarqilCS do Pavo.
da, cuslando este 24, e aquelle lti200 a caixinha. 1 ., onAiwin
J \em pois os apreciadores do bom papel que. -upuuu.
dirigindo-se munidos de dinheiro =erao bem servi- Vendem-se r.cos souten.barques pretos ricamen-
dos: narua do Queimado, loja d'aguia branca te enfeitados a 204000 cada um, r.cos manteletes I
numero 8. Pre,os- prandes a imitacao de capas pelo baralissi- ( um pe(]Uno bigode reprsenla ter 26 anuos, cons-
^ roo prego d; 204000 rs. cada um. so na loja do, u and;ir no ,ai^ri> da Boa,v8U : a pewwa
Roga-se a todas as autoridades desta pr ja e
fra delta, a todos os capilaes de caiup-o, que da
rua lar?a do Rosario n. 25 fugio o caboclo de nome
Vicente, baixo e cheio do corpo, falla fina
caneada, pouca barba na pona do queixo, e com
WOVOS PfilVTES
tic concha.
Chegaram novos e bonitos pertes de concha,
sendo de tartaruga, massa e douranos; agora, pois,
dirigirem-se com dinheiro rua do Queimado,
loja d'agnia branca n. 8, antes qua se acabem.
FRASCOS
na
com gojnma arbica dissolvida : vendem-se
rua do Queimado, loja d'aguia brinca n. 8.
airelas c<>m pe(frasno>
vo sortimenlo.
e cm caixa ter abatimento.
MtnoeUada inperial dos melhores e mais
afamados concmeiros de Lisboa em latas
de libra e de libra e meia e duas libras a
Cu o rs.
C.oiuvrvas inglezas em frascos grandes a
7." o rs. cada um.
dem france/a de todas as qualidades de
bigamos c fruto a 5oo rs.
.Mtanla francezas em potes prepara da a
4oo rs.
Palitos para dentes l2ors. o maco.
dem lixados muito fino 14o rs.
900 rs. a pega : s quem tem por este prego
Lciltillias exfolente legume para sopa Cgui-'loja do beija-flor dama do Queimado n. 63
zado a 24o rs. a libra.
Krvilbas seccas j descascadas a 2oo rs. a
libra.
Pimenta do reino muito nova a 36o rs. a
libra.
Cominbos e erva doce a 32o e 4oo rs. a li-
bra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella muito nova a 1,00o rs. a libra.
Alfazema a 2oo rs. a libra e 6,000 rs. a ar-
roba.
Graixa a loo rs. a lata e l.loo rs.a duzia.
A aguia branca recebeu por es; e ultimo vapor
um novo c bello sortimenlo das p ocuradas fivelas
a com pedras, podeiido assim satis azer a todos que
dellas precisarem, urna vez que ; pparega dinhei-
ro : na rua do Queimado, loja d'aguia branca nu-
mero 8.
fl 0 0 ff P O P-P P- P P- H P co Machina Moendas
w p- -- O
C5 0 S: "JQ P- CT
tt 1 CD 2 ^
re P CD CD 3 CD 2.
r* " Q ^ ZD P
p i O P- 3 por. s moendas
co 00 c5 CD f CD P P ce p-0
c CD
Fita de velludo bordada.
Vende-se fit de velludo preto bordada de di-
versos gostos e mais modernos proprios para qua-
resma : s quem tein a loja do beija-flor rua do
Queimado n. 63.
Vender fnni-i nmU dtulimrui liiinm nara A a&uia bran,"a araba de r<'r,'b( r os bem conhe
lruaqdUo SSSSST M '^ ^ be'Jafl0r'* -*- i30
Facas e garfas.
Vendem-se facas e partos de balango de t bo-
tao a 54500 a duzia, ditas de 2 botoes a 64400 :
na rua do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Dminos.
COPOS COM IIA-
\III.
do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
MIJITO B0\S r;ES
Pavao, rua da Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Os rhiilos to Pavo.
Vendem-se chales de merino estampados a
34000 rs., ditos muilo linos de crepom a 64000.
74000 e 84000 rs., ditos lisos a 44500 rs., muito
finos a 54OOO rs., s na loja do Pavao, rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama A Silva.
O Intu do Pavo.
Vendem-se brim de linho puro com quadrinlios
proprios para caiga e paletots, pelo prego de 500 e
600 rs. cada covado, sendo fazenda que sempre se
vendeu por mais dinheiro; rua da Imperatriz
n. 60, loja do Pavao de Gama & Silva.
Lazialias :o rs.
S o Pavo.
Vende-soni laazinha matizadas proprias para ves-
tido sendo padres miudinhos e grandes, sendo fa-
zenda muito encorpada e que se pode lavar perfei-
tamente, como se lava a coila e nao desbot, sahin-
do esta fazenda mais barat em proporco do preco
por que se vende a chit; isto na loja da rua da
Imperatriz n. 60, de Gama \ Silva.
Vende-se tima annagao de amarello envci ni
aria, lo la envidragada, assim como duas pratelei-
ras grandes do louro, proprias para armazem ou
enlreposto de fazendas ; tambem cede-se a loja de
uina > porta larpa na rua no Cres|io n. 4.
HHlIho e farelo a 305OO
o laeeo : no armazem da Kstrella, largo do Pa-
raizo n. 14.
o n. 29.
Nova loja dos baraleiros na rua do Queimado.
Ricas saias de fustaoa 54, camisas inglezas para
senhora a 24, 24500, 34 e 44, cobertas de fuslao
: brancas a 54, chitas com luslro para cobert com
6 palmos de largura a 640 o covado, cambraia de
cores para vestido a 320 o covado, las para vesti-
do a 480, 560 e 640 o covado.
Ao n. 29.
Nova loja dos baraleiros aa rua do Queimado.
Tarlalanas de todas as cores, fazenda muito fina
a 720 a vara, cambraia para cortinado, peca de 22
varas, por 104, chales de la por 34, 44, 54 e 84,
camisas inglezas para homem a 384, 504 e 604-
Ao n. 29.
Nova luja dos baraleiros na rua d Queimado.
Bicos pretos, franjas de todas as qualidades,
1 ranea.- (! seda, de algodo e de la, manguitos e
camisinhas bordadas, collarinhos c punhos, folhos
Iwrdados, botoes de velludo, de seda e de fusto,! rua da Senzalla Nova n. 42.
bandos de cabello, meias de seda, leques ; cujos
ertigos se vendem por metade do seu valor por ser
para acabar.
para senhoras c meniuas.
A agnia branca receheu mui boas meias france-
\endem-se dminos muito finos a 14200 e i zas, de fino tecido e fio redoudo, t que as tornam
14400: na loja d beija-flor da rua do Queimado
n. 63.
Vsperas.
Vendem-se visporas muito finas a 800 rs. : na
rua do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
de immensa duragao, porque muitj convm, ainda
mesmo cuslando 7 e 84, como se t sto vendendo a
dinheiro vista, na loja d'aguia branca, rua do
Queimado n. 8.
AGENCIA
DA
FNDICAO DE L0W-M00B.
Rua da Senulla nova a. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
Macfms
roojft5Coo-i sr'-e m o o g o
= as = ? ~ ,_ g
3-
O" 3?-a
= el =
O.O. o
" B O.
O* J
08 re,
"O ^ 3 *
-j.
r~
o a.
s
eS y
=r !? 3 "
P, t:
**-n -
Da B ^
^ O 3 ?-3 Q.T3
< o c~ a o co os
2 2 p-3. ST w
o
C CB -
_ O
o
O. M m
bj o
= ^3^
s
o
eff
*
I
V-
- ___
-, Q. C. a %~
N^ 3 ^- Ct ^^ >
6, Q.O CB
w 3 o ?,.
-.0
P o
a 34500 a caixa, em porgio se lar abatimento,
: cada caixa com 100 magaas pericias : na rua No
; va n. 8.
Cigarros
turcos a 14 a caixa, cigarros que em outra qual-
um completo sortimento de moendas e meias quer casa vndese por 34 : na na Nova n. 8.
moendas para engenho, machinas de vapor ;
e tachas de ferro batido e coado, de todos osl
iui '*-.* ai i
Sopa.
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas pan
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston A C,
Vende-se urna taberna em Olinda, na rua de
S. tiento, encruzilhada dobecco de S. Pedro e Por-
to Seguro, com pouco fondos : a tratar na mes-
ma, on na rua estrella do Rosario n. i, taberna como sardinhas cm barrls de 1,200 por 54000, tudo
de Sr. Pocas. proprio para lempo de quaresma.
Feijao eijao feijao.
Rua (la Madre de lleus ns. & e 0.
Vende-se saceos grandes com feijao das seguintes
qualidades: branco, amarello, rajado e mulatinho,
mais barato que em outra qualquer parte, assim
Verdadeira sopajulienue : na ma Novan. 8.
Vende-se farinha de milho em barr
cas, muilo nova de excedente qualidade e
preco commodo : no armazen. de Matbeus
Austin A- C., rua da Senzalla Velha n. I0G.
FAIIIMI.I
Vendem-se saceos com farinha igual a de Muri-
beca, por pre^o mais commodo do que em outra
qualquer parte : no Forte do Matro,
Joaquim Francisco de Alem.
3 3 2. *5'
S s 3.
_ a-o
3 a-"'
o.1
5S"gg
o
s
3 6
O -J
O.
o S?
_ N
"O tf
ea 5?
n
S u
w
O)
'J-

el
s
e
Sd
-
-ilsrorJao da Baha
para saceos de assucar e roupa de escravo; tem
para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, no seu escriptorio rua da Cruz n. I.
Vende-se urna preta de nagao. de meia ida-
de, propria para o servigo domestico de casa de
armazem SI I qualquer familia, e boa quitandeira : a tratar na
I rna do Rangel n. 7, taberna.
apprehender, leve-o dita casa, que sera rnoiu-
pensado generosamente.
ATTENCAO.
Acha-se fgido o escravo de nome Faustino, de
idade 40 annos, pouco mais ou menos, cor fula,
altura regular, grono do corpo, bem espadando,
barbado e j com alguns cabellos brancos na bar-
ba, bracos e pernas grossas e bastante cabelludas,
tendo a- pernas arqueadas, porm nao muito, eos-
turna aidar sempre pelo Barro, Giqui. Afi-gados,
ele, ero sambas, e as vetes costuina enibna^M-se
basta ni; per gostar de beber : portnto, roga-se s
autoridades policiaes e aos capilaes de campo o es-
pecial fivor de o apprehender c condnzi-lo casa
de seu *enhor, o major Antonio da Silva Gusmao,
na rua Imperial, que gratificar generosamente.
Tomou a fngir a esrrava Justina, de idada
24 annjs pouco mais ou menos, levou ve.-dos
de chita e 2 chales, sendo um preto, falla desean-
cada, anda de vagar e costuma repartir o cabello:
quem a pegar leve-a i rua da Esperanga i. Ti,
que se recompensa. ________ ___
Fugiram do engenho Camaro, freguezia de San-
to Amaro de Jaboato, no da 22 do correte, diver-
sos esclavos, um de nome Joao,com os signaes se-
guintes : altura regular, falt de denles do lado
superior, cheio do corpo, um pouco sambrote, to-
dos das roaos delicados, ps seceos e compridoa,
pouca barba e rendido de urna viriiha, sahio coro
um clavinote e um rolinho de fumo, levou chapeo
de palhr. grossa de beira grande, caigas de quadri-
nhos pretos e brancos. O segundo um cabra de
idade de 65 70 annos, ps grossos c grandes, as
juntas dis ps grossas, urna mais que outra, s-jf-
freu urna ferida no braco direito, que nao i
fechar bem a mo, cabellos annellados, tem urna
rotura de um lado, bastante alto e todo Mo, un-
to de resto como de corpo, sahio tambem armado
de clavinote, trages de algodo trangado e estraga-
dos : quem os apprehender, pode leva-Ios ao seu
senhor Miguel Antonio Vieirade Mello, no referido
engenho, que se gratificar com generosidade.
Escravo fgido.
Fugio da casa do abaixo assignado, na rna da
Cruz u. 33, no dia 25 de fevereiro, o escravu Ja
de nago Mina, maior de 40 annos, rujo escravo
foi do engenho Ubaquinha, perteneente ao Sr. Ig-
nacio de Barros Wanderley, termo de Serinhem.
O dito escravo soffre muito de frialdado c preso-
me-se qie est acoulado em casa da amasia, olis-
te ter sido visto no bairro de Santo Antonio, prxi-
mo da casa do Sr. Jos Pedro do Kego, na rua das
Cruzes alto, encorpado, e quando anda arrasta
um pouco a perna, levou vestido caiga de azulo,
camisa branca e barrete vermelho na ralieci, eos-
tumafajer chapeos, e muito ladino : prolesta-sa
contra quem o aqoutar, e roga-se aos senhoi es ca-
pilaes de campo a captura do dilo escravo, e quem
o irouxtr casvcM indicada, ser recompen-
sado. Domingos Rodrigues de Andrade.
-p''-i "


Imiii '-"




*&*m
Diarlo de Prrnnmhuco Tercn felra fl de lfari>o Ir 1 %Bi.
UTTERATURA.
detengao, por parle da Repblica Oriental, do va-
por argentino Sallo, era Fray Bentos, sob o tunda-
_ ni -uto do levar contrabando de guerra aos revol-
Dann* m seguida a condujo do relatorio :oO- e Pr Pf*U da Conrderaeo, do vapor de
apu., remarre btasifeiras, pelo ministro guerra oriental General Artigas, no canal do Mar-
iros : lira Garca, como represalia e garanta de satisfa-
: ) laiubci i a \ ;ao, ..jo, 0111 conso |uencia do primeiro faci que consi-
"con" K-ravaogovernodaConred^oattenUtorioa
mais amigavel. tM llonra digmdade.
oriental com o Brasil e a Aplanadas esta- difllculdades, sobrevieram no-
mlina por occasiao da inyasSo fas suspeitas de auxilio directo prestado pelo va-
da repblica pelo general 1. Ve- por de guerra argentino Pamptra^A cansa da re-
belln.
Bja principios deste anuo reprodniirara-se no Pareca inminente o rompimento definitivo
ut..; os lamentaveis successos quo lao as relagoes entre os dous paizes.
compromclteram a paz da repblica "**> confidencial do Brasil era Buenos
,. i Ayrcs.
ii 19 de abril Coi novamente invadida a re- O governo imperial nao va, nos fados argui-
: alguns emigrados oricntaes, refugiados dos ao gjvemo da Confederago. motivos suffiden-
tea para ir era auxilio da repblica, nos termos dos
A' le.-'.a .": inovi.-nento apreseutou-se o ge- eus eompromhBOB com os dous governos dtasi-
denles.
t Os conflictos, quo se deram no transito destes dos negocios cstrangeiros do censelho de estado,
neral E>. Venancio Plores.
tendo desembarcado no Rincn
de las Galinas sobre o Uruguay, seguiu imniedia-
i para a campanha.
ita lt isa 6Santo Eugenio foram-se-lhc
rendir ra as com torgas que se dizlam or-
Nao dedu/.ia destes factos, nem a necessidade
de acautelar os altos e legtimos interesare do im-
perio, aera perigo real para a independencia e in-
tegridade da repblica.
Conlra laes prosumpgdes prevalecan as se
malronteira do Quaraliim e em Cor- guranpaa dadas pelo governo da Confederado, era
documenlos os mais solemnes, de que observara
D ento a lula com a rebelliao. i observar a mais stricta neutralidade em re-
. Ni,) obstante confiar nos elementos nacionaes lacio aos acontecmeulos que se passavam no Mi
par reclamou o governo da repblica tado visinho.
dos;- lomaliew nella acreditados oau-( Desejando, porm, remover quaesquer apprc-
xilo qae estvessem no caso de prestar, em bene-' henses a este respailo da parte do governo da re-
tido da paz e dos interesses estrangeiros compro- publica do Uruguay, julgou rauito conveniente o
matudos Da si'.uago anormal em que se achava governo imperial, a bem da paz geral, enviar em
navios, tiveram a solugo que exigiam, em as-
sumpto lao melindroso, a soberana territorial do
imperio e os mais vitaos interesses da repblica.
Picn eslabelecido, como complemento da con-
vengan lluvial celebrada entre os dous paizes em
23 de outubro de 1858. que nenbum embanco se u|)rt.jl;i' (iata de 1
noria ao livre transito dos navios de guerra perua-
nos pelo Amazonas brasileiro, em reciprocidade
de egnal franqueza concedida por parte da rep-
blica aos navios de guerra brasileo-, que houves-
sera de navegar pelo Amazonas peruano.
i Heservaram-se dous governos o direito de li-
mitar o numero dos navios de guerra, que hou-
vessem de gozar deste indulto.
Quando se propuzessein a transportar merca-
dorias, nao podei iam prevalecer-se das immuni-
dades, que Ibes sao inbcrenles como navios do
guerra, para se julgarem isentos das medidas fis-
caes e de polica applicavcis, com as devidas defe-
rencias nacionaes, aos navios mcrcanl-s.
A estes ltimos navios foi franqueada, com
sujetado ajs regulamenios em vigor, a navegago
do rio amazonas, para que os dous paizes possain,
desde logo, fruir ai vantagens que Ibes galantea
alludida convengao, nao obstante carecer ainda
de prvic accordo, entre os respectivos governos
o systema de |Hi!icia fluvial e de flscalisaro, de
que trata o art. 5" daquelle acto internacional.
As questoes que sobrevieram com a compa-
Dous crditos foram abertos nesse exercicio
pelo decreto n. 3,113 de 18, e n. 3,116 de V deju-
A malta, que pooco e pouco se ia transforman-
do em breuha, prestava-se diflieultosamente ao
. H>;oi.riineiredoW:W4#iHou3,W0aocam. transito, apezar dos carreiros abertos por entre
ira- bio de 27, em cumpninento do accordo celebrado ella, visivelmente de pouco lempo ainda Passa-
os nesta corte em ,, de jaMsra eom a legacao br.tan- doj al s minuI 0Fmorgado Lmi.oa a scntir
ter em attencao este precedente.
Nestas circunstancias, resolvcu o governo
de setembro de 18oI. por 1,016:04.^085.- mens, n$ aj ,!-ha.l.,s Modos
nao baver clausula expressa m respectivo ac- .>aoepossirel arada calentar com toda a exac- occultat!os entre o silvedo que csc.utavam attenta-
cordo, at 29 de setembro de 1862, dia em l'^l,'a. ^ff" ^l^^l^^t""inViTm inenle {"H'e Ibes diza, em voz abafada, un ho-
'... un l.ira ella em 87a:8.J0-5',l-w, bavendo assim um ,..... ,,,,, .,<,, j. n mui
que real.sou-so o scu pagamento no tbesouro na- yMl de. lili 1451-O. Sajo ?..<> %$ ?arajSva aos ra.os da a!
o pas.
t Hiva rasSes para crer qoe alguns Brasileiros
menos rtfleeU'dos, sympalhisavam e esposavam a
rebeldes.
E ain mais fundadas as spspeitas de que tira-
va el!:, prindpalmente a sna torga o desenvolv-
meuto de Buenos-Ayres e de Corrientes.
misaio confidencial Buenos-Ayres o seu ministro
em Montevideo.
O obiecto especial desta missao era obtf do
governo da Confederacoo expbcagocs sufflcienles
que removessem as apprebensoes e as duvidas de
que eslava possuido o governo oriental.
Preenehia ajsim o governo imperial um dever
i C i:i esl i apprchensocs, o primeiro cuidado ^e lealdade e de boa visinhanca, e dava mais urna
venio da repblica foi reclamar dos governos prova de fidelidade aos seus ajustes internado
do Brasil e da Confederagc Argentina as precisas naes.
providenciai para que as autoridades c habitantes
dos respectivos paizes se mantlvessdm, em frente
de lao desioraveis aeoutecioientos, na mais stricta
neu'.r.idade.
. leneias adoptidas pelo governo imperial.
.Nao havia que duvidar da politicaque, em se-
i mtes eireuinsiancias, seria adoptada pelo im-
O governo argentino, felictande-se de que se
Ihe houve.jse proporcionado a occasiao de confir-
mar as declaraeoes de stricta neutralidade, que
promelteu guardar na lula que afflige a repblica
do Uruguay, nao hesitou um momento em expli-
car os factos sobre que, de maneira a mais ben-
vola proeurou o agente confidencial brasileiro ser
am estes juros em 31:158,5038 : e para foi confeccionado o relatoiio do anno prximo pas-
dles rfeUos, solieito vossa coopera- A^SSvtf,?* "" a'"'- "
donal.
Import
que sejam ell
gao na presente sessao.
Passaportes.
O processo seguido entro nos na expediciio
dos passaportes tem sido assuinpto de reite-
radas reclainages dirigidas ao governo impe-
rial (icios agentes diplomticos acreditados nesta
corte.
A necessidade mais urgente era pr termo
s medidas policiaes, que diflicultavam o livre
transito dos estrangeiros de unas para outras pro.
viudas.
t Esta necessidade foi satisfeita pelo decreto
n. 1,531 de 10 de Janeiro de 18.5, o qual, sen-
tando os estrangeiros do titulo de residencia,
permiiiiu-llie viajar no imperio com o nies-
no passaporto da sua entrada, e, na falta des-
te, cora outro concedido pelas respectivas le-
Este dficit era entilo de 2:l.,i3->t33. por ser
mais numeroso o pessoal diplomtico em disponibi-
lidade.
Hoje montar a despeza com este servico em
13:599^099, segundo a demonsiragao annexa a este
re iiorio.
< O dficit real de 6:333333, que de urgen-
cia preendier para se abonar aos empregados em
disponibilidade os rencimeotosqae Ihe foram arbi-
trados, em attengao sua cathegoria e a nalureza
das commissoes de que se acham cncarregados.
t Nao se julgando o governo imperial aulorisa-
do a abrir um crdito supplementar pela referida
quantia de 6:333^333 submelto vossa consdera-
c.io este assumpto.
Eis, augustos c dignissimos senbores represen-
tantes da naciio. os assumptos sobre quo cbeme
chamar a vossa attencao.
Palacio do Bio de*Janeiro, 8 de Janeiro de 1864.
Marque; dt branles.
peno, que tantas provas tem dado do seu empenho esclarecido.
nuier, no pe da mais porfeita cordiaiidade, as < .Nao era licito ao governo imperial duvidar de
Btns retacees cora a repblica. urna mauifestagao feita com a raaior espontaneida-
Auimido, entretanto, dos sentimentos os inais de par um governo que era o primeiro a reconhe-
gcoeosose amigaveis, e deconformidade com os ccr, na independencia daquella repuplica, um facto
seus precedemos, recommendou o governo impe- c um direito que Ihe cumpria respeitar, e nos ala-
ria i m termos precisos e explcitos, a linha de ques de sua autonoma urna offensa internacional
coilicta que leviain ter. em semclhante conjunc- aos seus compromisos.
nbia de comraercio e navegagiio foram tainbeni gagoes ou consulados, visados pe; autoridade bra-
resolvidas, de conformidade cora os principios de i sileira.
direilo, pelo que res|ieita as reclamagoes que tena i As disposigoes deste decreto, posto que bem
aquella companhia contra o govern da repblica, acolhidas, foram todava julgadas ncompletas.
e no sentido o mais benvolo e conveniente, quan-' Desejavam aquelles agentes que se permittis-
to s facilidades que pode ella prestar ao commer- se lamber aos estrangeiros, que tivesscm de se
co peruano, na falta quo sent a raesma repblica retirar do imperio, o uso dos seus passaportes de
de marinha mercante. I entrada, ou dos que Ihcs desse m as respectivas
Tendo o governo da repblica do Per appro-. legagoes ou consulados, devidamente visados pela
vado os ajustes constantes dos protocollos e das no- autoridade brasilera.
tas trocadas pelo seu representante nesta corte I No podia 0 governo impe-ial annuir a esta
com o governo imperial, em 22 de Janeiro, 2 c 19 reclamagao, porque Ih'o vedava c art. 118 do cod-
de margo e 21 de abril do anno prximo lindo, te- g0 ,j0 proeesso.
ve o dito agente ordera de comprchender aquelles Elllrelanl0 ailmado do desqo de simplificar
ajustes era um s instrumento, em vrtude do qual rocesso da expedirao dos pa5Sap0rtes> jispen-
se deven, considerar como restabelecidas as boas ^ a ^^ da folha corrica, ,mitando.e a
relagoes entre os dous paizes. exjgjr a puWc,tSo do annuncios por Ires dias nos
Accordo celebrado entre o Brasil e a Ihspanha s m a pres,agao de flanea idnea nos casos
para salisfazer as reclamacoes pendentes de seus rentos
respetivos subdttos. t ^ ^^ apresenlado ac corpo |egis,atj.
O governo imperial, havendo ajustado com o go- vo na sessao de 186i 0 meu anieCessor, dan-
verno de sua raagestade catbol.ca, por intermedio do ^^^^ destol a|lerag,}os e recordan-
de seu representante nesta curte, o pagamento de- j do as rcc|amac3es apresentada> ao governo im-
finilivo das reclamagoes pendentes dos dous pal-1 ^^ socHou a vossa aulorisagao para poder
zes, cuja lqudagao havia sido commettida a urna conciliar, quanto fosse possivel, as conveniencias
commisso mixta, de conformidade com este ajus- das re|aci5es mernacionaes com as do serviro pu-
.No anno linanceiro de i86*-i86.-Quando o'veslauio' indisava wt cTasse superior dos
outro
Eilo ali disse Simao ao morgado da Torre,
aponanlo para aqudle homem.
Este ''oltou-se.
Era um mogo que demonstrava ter, pouco mais
ou menos, a edade do morgado alio e esbelto de
corno, o rosto aberto e brilhante de coragem e de
audacia, e os gestos desembargados e cheios de
energa.
Vesta urna jaqueta comprida de panno encorna-
do, e linha na cabeca um cbapu desabado, por
debaixo das abas do qual lluctuava em longasma-
deixas o cabello naturalmente andado.
Ao dar de rosto com o morgado da Torre, ex-
clamou:
Vasco de Ornellas, tu aqu I..
Isto que quer dizcr, Fernn de Alpoimf
replicn o outro. Que gente esU? Que fazes
aqui? Que significa I..
.Visto o som das cornetas, que o morgado da
Torre ouvira, ao entrar no bosque, soou de novo e
agora nao a grande distancia.
Silencio! acudiu ento Alpoira Estamos
a espera de um destacamento francez, que vae
passar. Trazes armas 7.. Muito bem. Segue-
me, mas silencio !..
Dizerdo, encaminhou por urna eslreila avenida,
cortada de fresco e em linha recta pelo matto fra.
Este era ali espesso e quasi da altura de um bo-
mem.
O morgado da Torre seguiu o primo, sem dar
mais palavra.
Caminhando, examinou primeiro se as pistolas
eslavam a inio do fazer fogo; depois rodeou os
olhos en volta de si, e examinou a localidade on-
de se achava. Era esta, como eu j disse, um
mattagil de tojo de muitos annos, coberlo de velhas
silvas, que tinham medrado a par com elle, e que
por ell; se entreteciam emmaranhando-o. Na re-
ra as autoridades da provincia de S. Pedro do Bio
Grande do Sul.
lienhuma proteccao e auxilio devia pres.ar-sc
car.sa da rebelliao.
torgas rebeldes que se asylassem na pro-
ml ;. deviam ser collocadas em urna posigao n-
teiranienle inoiTensiva.
autoridades oue so deslizassem de seus dc-
B* entretanto para sentir que a corresponden-
cia trocada sobre este mesmo assumpto entre o
governo argentino e o agente confidencial da rep-
blica do Lruguay, bem como as negociagoes enta-
boladas c concluidas entre elles em Buenos-Ayres
nao sortissem ainda os devidos e desejados eflei-
tos; havendo pelo contraro surgido novas cumpli-
eagoes, que adaram por ventura indefinidamente
vire., no guardando ou nao fazendo respeitar a o restabelecimento da paz nos estados do Bio da
mais perfoita e absoluta neutralidade por parte do Prala. ^ ^ *
imperio, deviam ser severamente punidas. Posigao do imperio.
O presidente daquella provincia havia j ante- Nes,as circunstancias a poltica do imperio
cipa lo estas ordens, recommendando tambera por contina a ser a da mais absoluta abstengao e im-
sua parte, logo que ali correu o boato de urna ten- parcialidad.-, tanto as desavengas
tattia de invaso no territorio da repblica, toda a
vigi aneia na respectiva fronteira. alim de obstar a
qua quer intervengao de Brasilelros ou Oricnuesali
resl' Bles, as luas intestinas de qoeestava ama-
o estado iiniitroplie.
Foram tambem ado[dadas as providencias ne-
cos iras para tornar se cffeciiva aquella v gilan-
eia.
Estas providencias sortiram o desejado dTeito.
Os cheles revoltosos Marcos Salvalilla c Pedro
Alganars, derrotados em junho ao sul do Arape-
y, pelas torcas sob o e-ominando do general La-
e conflictos ex-
ternos, como as lulas intestinas dos estados visi-
nlius, sem prejuizo dos bons oflicios e apoio moral
que estejarn os seus agentes no caso de poder pres-
tar, no interesse da paz, e sem prejuizo tambem de
seus compromissos internacionaes e da protecgo
que devem ter as vidas e propiedades dos subdi-
los do imperio, residentes naquelles oslados.
Para que esta protecgo se torne mais efflcaz
na Repblica Oriental do Uruguay, recommendou-
se mais una vez ao presidente da provincia do
Rio Grande do Sul de reprimir com todo o rigor da
le os que, a despeito das ordens instantes e rei-
te, obrigou-se a satisfazer o computo de.........
775:0905708, em que foram calculadas as recla-
magoes hespanholas.
< Nesta somma foram comprehendidos os juros
blico.
A cmara dos senhores dep atados approveu
na sessao de 14 de agosto de 1862 um projecto
de le dispondo que os passaportes para paizes
de cinco por cento, que se julgou terem direito estrangeiros serao regidos pela legislago que vi-
os reclamantes, desde a poca inicial daquellas re- g0ra sobre passaportes para o inierior do paiz, re-
clamagoes at 30 de junho de 1837.
Deduzindo-se por via de encontr, a importan
cia de 175:0465962 era que, sob a mesma base da:
kiquidago, foram calculadas as reclamagoes bra-
sildras. teria o governo de sua magestade catholi-'
ca de receber efectivamente, como saldo de suas
reclamagoes, a somma de 600:0135746.
Esta somma (oi paga pelo thesouro publico
nacional 23 de setembro de 1862.
Com a sua entrega e a dos crditos brasilei.
ros, cedidos por subrogagao aos reclamantes hes-
vogada assim a ultima parte do art. 118 do cdigo
do processo criminal.
c Chamo de novo a vossa attencao para este as-
sumpto.
Secretaria de estado.
< Esta repartirn soffreu urna [equena alteragao
no seu pessoal.
t Tendo sido aposentado um director de sccgilo
que havia completado os annos exigidos pela lei,
foi noraeado para substitui-lo um primeiro offlcial,
vagando o logar deste.
i Ficaram egualmente vago; mais dous lu-
mji, buscaram asylo no territorio brasileiro ; mas, leradas do governo imperial, surdos razao c ao
seu dever, persistissem emprestar apoio e
a[ ias haviatn passado a fronteira foram inmedia-
ta i nte desarmados e internados por ordem do
bngadeiro David Canavarro, (cando o armamen-
to depositado para ser entregue autoridade legal
da repblica que o reelamasse.
O facto de terem-se dado alguns casos (sotados
de entrada c sahida do territorio brasileiro de al-
guns rebeldes, sem se Ibes .applicar as regras
prescriplas em compromissos dos dous governos,
n9( indieam tolerancia ou connivencia das respec-
vna autoridades, que nao pdem estar presentes
em iodos os pomos da extensissima e despovoada
fronteira que separa o imperio da repblica.
Os Irasileiros que inconsideradamente baviam
transposto a fronteira para tomar parte na revolta,
a lespeito da vigilancia das autoridades, pela
maior parte arrepiaram logo carreira, conhecendo
as funestas consequencias que resultaran) do sen
ciimiuoso procedimenlo.
> -me satisfactorio ter de inforraar-vos quo os
subditos deste imperio, res denles na repblica, no
SKXO dos serios conflictos que se teem dado na
campanba, mantiveram, na sua maior generalida-
de, com honra, o nome de Brasileiros, dexando de
ingerirle as dissensoes domesticas do Estado
Oriental.
c entretanto de deplorar que, apreciando mal
esle procedimenlo, tenliain alguns desses Brasilei-
ros soffrido depredages e violencias em suas pro-
Dfiedaderda parte das proprias foreas do governo
d;. repblica.
Este governo reconheeeu: por um accordo de
30 de outubro uliimo; o direito que teem os pos-
si. id res dos certificados, passados pelos cheles do
ejercito da legali iade em campanha, de cobrar do
estado o justo valor da propriedade tomada, pelo
preco c inento nos respectivos departamentos.
t A logago imperial em Montevideo est cncar-
regada de proseguir as reclamagoes que forem
convenientes, para que esla medida se torne effl-
caz e sotara iudemnisados os subditos do imperio
dis espoliagoes arbitrarias que no tem ainda tido
a devida reparadlo pelos meios competentes.
Difllculdades entre o Estado Oriental e a Confede-
[rago Argentina por nae seren effieazes as pro-
videncias por esta adopgo.
t No obstante haver-se tambem declralo neu-
tia a Confederarao Argentina na recente bita por-
que passa a Repblica Oriental, o governo destt
ropublica a fazia responsavel dos armamentos i
contingentes de torcas que recebi a rebelliao di
u..lado visinh).
< As manife-lagoes da imprensa e do espirite
publico de Buenos-Ayres em favor dos rebeldes, e
varios factos que coincidan) com estas manifesia-
coes, vierara corroborar a crenga de que nao era
indifferente, e ames tolera va, se no acorogoava, o
governo da ConfeJeragao, o movmento revoluccio-
uiro do general Flores.
Neslas circumstancas e sobre taes preocupa-
ces, dirigiu o governo oriental urna nova circular
nos agentes diplomticos, tendo por fim obter, senao
u n ajuste internacional, alguma cooperago em or-
d"in a obstar a perturbagio da paz externa da r-
puhllea.
As relagdes ofilciaes entre estes estados ba-
viam sido interrompidas depois da spprehensSo e
panhoes, pareca extincto e solvido inteiramente o gares de primeiros ofllciaes, i m dos quaes foi
compromisso contraldo pelo governo imperial
porquanto :
< Nem no accordo, nem durante a dscussao
que o procodeu, resalvou o ministro de sua mages-
tade catholica os juros, que teria de vencer a refe-
rida quantia at quo se realisasse o seu pagamento.
t E, quand as sessocs legislativas de 1861 e
1862 solicitou o governo imperial os fundos neces-
nomeado cnsul geral da Blgica, e outro exo-
nerado.
Com esta reduego do pessoal da secretaria,
proeurou o governo imperial fizer a economa
compativel com o servico publico.
Corpo diplomtico bra leiro.
t Organisagao das missoes. Com a data de 25
0 SEG-'tEtiO DO ABBAUE.
l'OH
Ai iiaMo dama.
11
O viajante.
(Continua gao.)
Minutos depois chegou exlremidadedo pinhe-
ral, e enibrenbou-se em espessa matta de carva-
hos e sovereiros, que a elle eslava apegada. En-
to o som das cornetas tornou-se mais distinclo; o
zumbido, de qtro desconfiara, havia pouco, engros-
sou e toinou corpo, e ao mesmo lempo affigurou-
se Ihe que dentro da malta havia movmento e a-
gitago, que nada linha de semelhante produzida
pelo mover da folhagem das arvores, quando aara-
gem se entremeti por ellas,
sofreou de novo o cavallo, e pz-se a escotar;
mas apenas o principiara a fazer, que de repente
se viu cercado por seis robustos aldedes. armados
de fouces rogadeiras. e um d'elles com urna davi-
na aperrada. os quaes se assenborearam d'elle,
inutilisando-llie completamente os movimentos.
Apezar do sobresalto do ataque e d'aquella gen-
te ter sabido de entre as mil sombras phantasticas
do arvoredo lao de sbito c inesperadamente que
mais pareca ter cabido das niveos, o viajante de-
bateu-se um momento, procurando arrancar-se da
preza que o sujeilra. No Ihe foi, porm, neces-
sario muito para reconhecer a inutilidade dos es-
forgos; cedeu ento, e com gesto soberano e im-
pvido ilou os aggressores, e disse-lbes magesto-
samente.e sem que a voz atraigoasse o raais some-
nos signal de mdo
Trago pouco dinhero comigo; creiam que
nao lizeram grande adiado. Sollem-me, que Ihes
darei o que trago. Nunca rae recusei a matar a
tome canalba.
Pelo palavriado no me parece francez. Que
dizes, Thom?rosnou um dos aggresseres, ho-
mem corpulento e espadando, que Ihe linha o ro-
busto braco direito enroscado era torno da cintura,
e o esquerdo, a tiro do peito, com urna faca empu-
ntada na mo.
O humera da davina, que era a quera estas pa-
la vras se dirigan), aprumou-se eulo com elle pe-
la frente. Nsto o viajante estremeceu em violen-
ta sacudidella, com que tentn soltar-se da preza
dos quatro homens, que o tinJiam aferrado pidos
bracos. O que fallara, aproximou-se rpidamente
a faca do peito, o da davina ergueu-se, e apontou-
Ib'a din-iia cabega.
Se le raexes, mato-terosnou o que empu-
nhou a faca.
Quera voss ?disse o da davina, aproxi-
mandose delle quanto poda, para ver se Ihe divi-
sava as fegoes, que mal poda distinguir luz ti-
bia, que a tolliageni das arvores deixava passar.
Sou o morgado da torre de Guardizellares-
pondeu serenamente o viajante.
A eslas palavras, os homens, que o seguravam
pelos bragos, fraquejaram um momento, cuino que
abalados por ellas. Elle seutiu-o, e tentou de sbi-
to livrar-se deltas com violento repello. Os homens
porm, acudirn) ao lance com egual presteza,
apoio e con-
curso rebelliao que flagella aquello estado, c dis-
snadir os que por mera irrcllexao se compromet-
iera a si, e aos interesses do imperio.
Quesloes pendentes com relago aos successos que
acabara de ser referidos.
Do que Sea exposlo resalla a urgencia de ser
collorada a Bepublica Oriental do Uruguay era
condigoes que por um lado garantan) inteiramen-
te a sua independencia e integridade, e por outro
tendam a fazer cessar a consianle guerra civil que
por ella lavra e profundamente aflecta os interes-
ses de seus vizinhos.
Tendo-sc restabelecido a legago imperial em
Buenos-A\ res, receben o chele desta legacao as
precisas iostrucgOes para ser reconsiderado pelo
governo da Bepublica Argentina o tratado defini-
tivo de paz, j celebrado nesta corle em 2 de Ja-
neiro de 1850, entre os plenipotenciarios dos tres
estados.
As difllculdades hoje existentes entre a Confe-
derarao Argentina e Bepublica Oriental, no po-
den) encontrar cm qualquer ajaste internacional
permanente providencias mais adequadas do que
as que foram consignadas nos arts. lOe 11 daquel-
le ajuste, pelos quaes comprometteu-se cada urna
das liarles contratantes :
i l.u A nao anotar, directa nem inderectamen-
te, a seggregago de porgo alguma dos territorios
de qualquer das outras, nem a creago nelles de
governos independentes era desconhed ment da
auloridade soberana e legitima respectiva.
t Esta estipulago foi j consignada no art. 2o
do tratado de 7 de margo de 1856, celebrado en-
tre o Brasil ea Confederaco.
2." A no permttir que no seu territorio se
organisein e auxiliera revolugoes e conjuragoes
conlra qualquer das outras partes contratantes e
seus governos. adoptando para esse fim meios effi-
eazes, sobretudo para enllocar os que se asylarem
em seu territorio em urna posigao inoffensiva, de-
sarmndoos se estiverem armados, e entregando
as armas, os cavallos a quaesquer objeclos proprios
para a guerra aos outros governos.
Esta disposigo seria tambem a reproduegao
do accordo negociado nesta corte em 3 de setem-
bro de 1857, entre o governo imperial e o da Be-
publica Oriental do Uruguay.
t Accordes os tres estados adiados nestes prin-
cipios e em quaesquer outras disposigSes que se
jnlguem necessartas e complementares da conven-
gao preliminar de pas de 27 do agosto de 1828,
fcil ser remover as causas e incidentes que tor-
nara (So precarios o principio da autoridade, a or-
dem publica e a prosperdade dos estados do
Prala.
Bestabeleciinento das relagoes entre o Brasil e a
repblica do Per.
Sabis, senhores, das emergencias polticas
que surgiram com a repblica do Per, por occa-
siao da chegada ao porto do Para de dous navios
de guerra peruanos, empregados tambem no trans-
porte de mercadorias, e da subida destes vapores
pelas aguas do Amazonas, sem licenga da presi-
dencia da provincia e sem o preenchimento das
formalidades fiscaes proscriptas pelos reglamen-
os do imperio.
de abril do corrente anno foi expedido o decreto
sartas para dar prompto e lid cumprimento aquel- 3,079,determ.nando o numero ce cathegor.as das: aferrandoH, Cin preza ainda mais Sl.gura.
le ajuste internacional, nenlrama reclamagao fez mi5s3es diplomticas, que convinha ao imperio Firmes l-bradou o da davina, encestando a
tamben o dito ministro para que Ihe toasen) addi- mailter nos Pa,zes "*
ciouados os mencionados juros, para compleraeuto Esle decre, modiflcou o de n. 941 de 20 de
definitivo da negociago. mar de ,86i- do se8uin,e modo :
Esta reclamagao s foi iniciada diplomtica- Ueduziu cathegoria das le?acoes no Estado
mente, cmll de outubro de 1862. 0ntDlal do l ruSua>'. na Bepublica Argentina,
as do Per e de Boliva, passando as tres
primeiras a ser regidas por ministros resi-
dentes, e a ultima por um encairegado de nego-
cios.
O governo imperial leve de considerar esla
queslo.
Desde o periodo que decorreu da lquidagao
feita no thesouro, e em que foram contados os ju-
ros de 5 por cento, reconhecidos como devidos aos
reclamantes hespanhoes ( 30 de junho de 1857 ),
t Conllrmon a cathegoria das legagoes que te-
mos na Prussa, Bussia, Austria e Blgica, que sao
regidas : a primera, por um enviado extraordina-
at data do accordo diplomtico, concluido em r0 e ministro plenipotenciario, e ; s outras por mi-
li de maio de 1861. | rastros residentes; e bem assim di que foi creada
na Haviera. Wurtemberg, grao-ducado de taen,
t Desde esta ultima data ate o encerramento da
priraeira sessao legislativa, que seguio-se quelle
accordo.
i Desde, finalmente, 15 de setembro de 1861,
em que leve lugar este encerramento, at 2I de
setembro de 1862, em que se effectuou o paga-
mento da quantia estupulada no dito accordo.
Entenda o ministro de sua magestade catho-
lica estar no inllexivel direilo de reclamar a im-
portancia dos juros dessa quantia, durante todo o
lapso de tempo comprehendido nos tres indicados
periodos.
llesse-Eleiloral, Hesse Grao-Ducal e confederago
Suissa, a qual est confiada a um encarregado'de
negocios.
Suppnmiu os lugares de secretario de legago
na Confederago Argentina, e de ddido de prime-
ra classe no Chile e Venezuela.
t Elevou dous o numero dos addidos de pri-
raeira classe a legago em Portugal; deu um secre-
tario e um addid a legago na Bdgiea, e um addi-
do legacao cada urna das legai oes existen! 18 na
Austria e Russta.
Posteriormente foram teitas quelle decreto as
segrales alteracOes:
As legacoes em Hollanda, Suecia e Dinamarca
foram supprimidas;
As que imitamos no Per, Cl ile e Equadorfo-
A questo ficava prejudicada, quanto ao pri-' ram encarregadas a ura s agente ;
mero periodo, pela acceitagao pura e simples da .0 lugar de secretario da lega ;o no Per, qu<
somma
reclamacoes ni |ega,.;"
) periodo, pela acceitacao pura e simples da '- i"ar ue seereiario aaiega;aono i-eru, que
na oITcrecida, como plena indemnisago das ^ia antes do decreto de 25 de ibr.l, foi conser-
. i,, vado, e restabeleceu-se o lugar de addnlo depn-
imagoes liespanbolas. m\ra tkstt legago era Venezuela e Nova-Gra-
Ficou egualmente prejudicada quanto ao se-
nada.
Movimento do pessoal.Ao presente relatorio
gundo periodo, porque, comquanto aecdtasse o vae annexoo quadrodomovii'neiiDque teve o pes-
rainistro de sua magestade catholica aquella som- soal do corpo diplomtico, no periodo derorrido de
ma, com a condigao de ser feito inmediatamente o maio ultimo,
pagamento, esta clausula no podia ser admissi- claVae^^
vel, nem podia se julgar o governo constituido na bilidade dous ministros residentes e um secretario,
obrigaeo de satisfaz la, seno depois d autor- bem como dous outros em commisso effeftiva
sado para esse fim pela assembla geral legisla- i"*'1 secrelaria de estado, onde r< rain egualmente
.. empregados um enearragado d.- negocios, e um
i cnsul gi-ral em disponibilidade.
Quanto ao ultimo perodo, tendo-se encerrado' Corl, diplomtico eslnusgetro.O pessoal des-
o. ik j,r,i__a ion ___ ta Ilustre corporago tem soffrido bem piraras alle-
em 15 de setembro de 1861 a primera sessao da ra,,5l!s comu ^ do r^clivo |uadr^ com|,ara.
decima primera legislatura, sem a decrclago dos do com o'que acompanba o relatorio de maio ul-
fundos precisos para o desempenbo do accordo de timo.
14 de maio do mesmo anno, podia-se, com alguma
plausibihdade, impular-se ao governo imperial a
mora na entrega da quantia nelle estipulada.
Considerando o governo imperial as tradigoes
da escrupulosa probidade, que tem conslanteraen-
t lontinuam ausentes os Srs. cavalleiros de Sainl-
Geotwes e Dimitry Glinka.
t A legago de S. M. o Imperador dos Franceses
passon a sr'r regida pelo Sr. conde de Breda, no ca-
rcter de encarregado de negocios interino.
Durante a ausencia do Sr. conde Borrhgrave
de Aliena servia tambera coran encarregado de ne-
ta presidido as suas operagOes linanceiras, entes, goeios interino de S. M. el-re do Belgas, desde 20
deu que devia dar raais ura testeniunho de sua fi- de julbo at 2i de dezerabro do anuo prximo lin-
delidade aquellas tradigoes. I do. Sr- ba*1 do Mesnil.
Corpo consular.Os quadn s annexos a este
No se cstabelecia por isso um precedente relatorio, inostram as ino>iilicac"ies qoe teem 0C-
j corrido no pessoal do cor|K consi lar brasileiro, em
paizes estrangeiros, e no do corpt consular estran-
geiro, nos pintos do imperio.
Alm das convenges cnsul ires com a Fran-
ja, a Suissa e a Italia, foram outras concluidas rom
a Hespanha, em 1) de fevereiro, t com Portugal, em
4 de abril do anno prximo pascado.
O governo imperial rconnece a necessidade
novo.
Em 27 de Janeiro foi celebrada com os
Ksiados-Unidos rana convengao idntica, para
o ajuste final de reclamagoes norteamericanas.
Tambem se estipulou, por va de transaego
diplomtica, urna somma era globo, como plena
compensago por indemnidades reclamadas pelo de ["trneejJes me precisen) a ntdligeueia de al-
i gumas das cslipulagocs dos referidos arlos nter-
I nacionaes, tomando como base as declaragoes lir-
os nadas nos referidos protocolos, 6 as resoluroes to-
governo dos Estados-Unidos.
c o governo imperial obrigou-se a pagar -
..-. j....____.; .a Aan*. ,i ., madas nos casos occurrenles, qi e teem sido sub-
juros dessa quantia, so depois de ura prazo rasoa- mcUidos ilstmo e ^afr di tloinatlca.
vel, dentro do qual se comprometiera a obter do, Des|iezas do ministerio dos n.-g icios estrangeiros.
No auno inanceiro de 1862 1863.O orga-
boeca della ao peito do preso.
Outra vez, e vaes ceiar com o diabo!ros-
nou o da faca, aproximando-a d'elle com tal impe-
lo, que ainda Ihe penetrou para denlro da roupa.
O morgado da Torre de Guardizella I -disse
ento o da davina, enviczando-lhe um ollar des-
confiado.Mas o morgado anda l por essas trras
de Deus cora os inglezes, na tropa. Arreda ao la-
do, Simo; dexa-rae ver.
Assim dizendo, collocou-se ilharga do cavallo,
perlilou-se era bicos de ps pelo cavalleiro cima,
e metteu a cara d'elle, al a menor distancia
que er possivel. Un) minuto depois, desviou-sc
dous passos ao lado, tirou o chapu e disse para os
oulros:
_ Sollem o (dalgo, Perdoe V. S., mas no escuro
nao o podamos conhecer.
O viajante, mal se sentu desaferrado, a sacu-
dio-se como o leo que sacode enraivecido a juba ;
fez dar ao cavallo um sallo para a frente, arran-
cou da espada, e voltou sobre os agressores com os
olhos chammejantes de ferocidade.
Villoes I balbudou era voz surda Ago-
ra mas pagareis.
Os homens desviaran) ao lado, deixando-o passar
no impeto que trazia ; dt-pois esperaram-no com as
toncesempunhadas fouces rogadeiras, que de um
golpe cerceiam urna cepa, e que, era razao da com
prida choupa que as cora, assemelliam perfeila-
inente una alabarda.
Caotella IMalgo resmungou com mau
modo o da claviea Veja que Ihe no zemos
mal...
Ao mesmo tempo que o homem proferia estas
palavras, o cavalleiro revirava sobre elles. De re-
pente soffreou o cavallo, como abalado por idea
que de subito Ihe dera aopeasameoto.
Mas quera sao voces ? Que fazem aqui ?
bsndou terrivel, curvndose para elles, cora a es-
pada empunhada e os olhos chammejantes
Venda V. S. fallar ao nosso comraandante, que
elle lh'o dir.
E quem o seu commandante !
E' o fidalgo de Pombeiro.
" Meu primo nlpoim I.. Mas que fazem aqui ?
Porque arremetem assun cora os viandantes?..
Estamos esperados Franceses, que foram s
Caldasreplicou o da davina.O fidalgo mandou-
nos para aqui de senlinella, com ordem de no dei-
xar passar ningnem... sobretudo francez ou jacobi-
no. Mas v V. S. fallar cora o nosso commandan-
te, fidalgo.
O cavalleiro descavalgou rpidamente, tirou dos
coldresduas magnificas pistolas de alcance, atirou
com as redeas para o argo. e disse aos homens :
Tomem conta d'esta cavallo. Para que lado
est o Sr. Alpoim ?
Simo, toma de redea o animal, c vae guiar
o tidalgo. Bora noute.
Simo, quelle gigante, que fra a principal for-
ga que sujeitara o morgado da Torre, minhoto le-
gitimo, o que pelo uniforme mostrare ser mili-
ciano, toraou o cavallo pela redea, e poz-se a ca-
minho, seguido 0i> morgado.
A cousa de cem passos distantes, una nova par-
tida de seis hmens apparercu outra vez pela frente.
UeconheeidoSuno. dequein receberamem voz su-
mida algunas palavras.arredaram-see inlerrarm-se
ile novo no bosque. Passadosalgnnsinnnlo,gastados
era vollas c mais voltas por avenidas dfllcillimas,
abortas atravez dos silvados, que alli euiinaraiilia-
vam a malla, sabiraui |tor fira para unta pequea
dareira, era que estovara alguns homens armados
taguarda linha a matta de caminos e o pinheiral,
d'onde Vasco de Ornellas acabava de sabir; na
frente entestava com o caminho de Guimaraes, a
pequen i distancia d'onde elle se bifurca va nara as
Caldas.
Do outro lado do caminho erguia-se urna pe-
quena parede de peilras solas, e por detraz d'ella
outra malta de rarvalhos e sovereiros, |K>r sobre
os quaes levantavara as copas frondosas muitos
pinheiris mansos, que haviam por ali crescido e
desponlatlo a esrao.
Examinado de ura s olhar o terreno, Vasco at-
tcnlou s forgas que Alpoira commandava. Erara
simples aldedes, que pertenciam s ordenangas dos
coutos e honras d'aquellas visinhangas, e oulros
que tinham servido as milicias, e mesmo em tro-
pa de linha ou na leal legiao lusitana. Eram res-
tos trsnsmalhados dos defensores de Carvalho
d'Este e das linhas do Porto.
Escondiam-se enlrc o matto, em quatro filas
parallelas a estrada.
Eslavam quasi lodos armados de espingardas,
bacamartes c davinas, urnas que tinham trazido
corasig) quando retiraran) de Braga e do Porto,
outras ]ue haviam apanhado aos differentes desta-
camentas francezes, surprehendidos por aquellas
visinhangas, e mesmo a alguns soldados, que, per-
didos [>or aquelles desvos, tinham sido brbara-
mente assassinados pelos camponios.
Fernio de Alpoim correu por toda a extensao
da linba, dando ordens em voz baixa. Besumiam-
se ellas era mandar que ninguem fizesse fogo an-
tes dcjla dar a voz, e disparar a davina que tinha
na man ; e, depois que o susteniassera interrom-
pidamente e combinado com o que havia de ser
feito per outros aldeoes, collocados no carvalbal do
outro lado da estrada. Com estas ordens iam de
mistura os epithetos de jacobinos, hereges e ini-
migos da santa religio, cora que elle apostropba-
vava os Francezes, afim de aligar o rancor patri-
tico da caingallia que commandava,
O som da corneta 'ouvia-se cada vez mais prxi-
mo. I!e repente descobrin-se de lodo, e ouviu-
se plenamente, como se quem a tocava acabasse
de dobrar urna esquina c cnliasse pela estrada
tora. Do rima de um dos mais altos pinheiros da
mata frouteira sentiu-sc ento sibillar um assobio
vibran! e, prolongado e agudo.
Os Francezes j eslao na estrada, disse Al-
poim em voz baixa. Vasco, encobre com o tojo.
Que te no vejam, Segue-me. Sentido I Sentido I
Sentido Rumerejava elle em voz sumida; ao prc-
passar pelas filas dos aldedes, que se levantaram
ineio curvos c agachados de torna a encobrirem-
se total mente cora o tojo.
Alpoim e Vasco de Ornellas pararama meio da-
quella longa lileira de homens. Ao mesmo tempo
que sibilou o assobio, a corneta parou de tocar,
ouviu-se a voz do offlcial francez ordenando diffe-
rentes manobras, sentiu-se o uslalejar dos perros
des espingardas, e logo despegar a passo cheio da
testa dr. columna urna forte guarda avangada,
* Ferao de Alpoira ergueu a cabega por sobre o
tojo, e observen. O destacamento francez, em cujas
espingardas e bayonetas polidissiinas a la espe-
lliava cora fulgor os raios prateados, censlava a o
todo de uns cento e vin'.e soldados. Ao sentir o
prolongado e vibrante assobio. que adverta che-
le popular de que os Francezes eslavam vista, o
commandante do destacamento, suspeitoso de al-
guma emboscada, e j sobresaltado |>or differentes
tiros, qae, desde as Caldas, tinham sido desfecha-
dos sobre a pequea columna, fe-la parar, dividiu-a
era Seis pelotes de vi nte homens, cada um de
quatro filas de cinco soldados, que para mais se
no prslava a ponca largura da estrada, e den a
voz de preparar. De|ois destacou o primeiro pelo-
tan a pisso dobradn,e elle seguiu apoz em passo
de parida, com as irorabetas tangendo o hymno
nacional francez.
O pelolo destacado, sob o commando do sar-
gento, avangou pela estrada fra, bateado o espesso
malo que ella linha aos lados, sobre o qual ia fazen-
do fogo por filas. De dentro, porm, daquelles ma-
tagaes, nao se senta o menor rui'o, a menor agi-
gtago. que indicasse gente ali emboscada. Bei-
nava silencio profundsimo. A guerrilhagem de
Fernn de Alpoim, avisad. pelos resultados que ti-
nta colinda da indisciplina com que se portara
em Brrga e no Porto, obedeeia-ibe agora risca e
cegamente. Reinare um silencio profundissimo, o
verdadeiro silencio da alia noute na alucia.
A guarda avangada_do destacamento francez ia
quasi a tocar a extremidade da linba dos guerri-
llias, q ando um dos homens, emboscados no ma-
tagal cpposto quelle em que eslava Alpoim, rahiu
ferido por rana bala das que o pelolo fazia cbover
sobre aquello ponto, e, ao cahir os perros da espa-
gardaembaragaram-se-lhe no p de una lojeira, e
o liro parti. Ao som delle o pelolo parou, e
voz do sargento, bello moco cheio de coragem, sal-
tn para denlro da parede.c entrou na maiagal. Ao
mesmo tempo o destacamento avangou a marche-
marche pela estrada fra. animado pelos brados do
offlcial commandante, que marchare na frente del-
le com a espada na nto.
Fernio de Alpoim presenciara ludo isto por en-
tre as cabega* das tojeiras que o encobrara. Ao
ver o destacamento em frente de si, ergueu-se de
pe, e bradou em voz de trovan]:
Fogo I
E, metiendo a davina cara, mirou o oflieial
france::, e drsfechoti.
A este lirado e a esle tiro cahio sobre os Fran-
cezes um chuveiro de balas, despedido de toda a
parte de dentro do tojo, de cima dos pinheiros,
e de detraz dos muitos penedos que bordavam a
estrada, e em cujas cristas appareceram logo al-
gnns homens armados de espingardas, nos quaes a
temen lade podia rauito mais que a prudencia.
A |untara de Fernio de Alpoim fra certeira.
O capilo francez receben a hala na cabega, e ca-
hu redondamente morlo. O deslaramenlo oscilou
um instante, mas o lente apresentou-se logo na
frente delle, e bradando Ihe csforgadaraenle, fez
laucar alguns dos pelotes denlro do maiagal, onde
eslava Alpoim, e arremessou-se Com os oulros a
soccorrer a guarda avangada, que, tendo sallado
imprudentemente para dentro do muro da di
poder legislativo, na sua prxima sessao, os fun-
dos precisos para salisfaze-la.
Na negociago com o ministro de sna mages" j 86|f cns%nu"pare"as^e6^"do~niira
tado catholica devia-se, segundo consulta da secgo negocios estrangeiros a quantia te )19:500$641.
gado da Torre aquelles homens, e em seguida eon-
vidoii-o a continuar para alante com ellc.afflrman-
do-lhe que o cavallo ficava perfeitamente se-
guro.
Os dous continuarara enlao para a frente, Si-
mento mandado vigorar no exen icio (Inanceiro de mo camiiihava dianle, e apoz elle ia o morgado,
8621863, por decreto de 21 de setembro de com as pistolas aporradas empunta), seguindo-a
quasi desconfiado de traigan, mas resoluto e seguro
como hornera sem pavor que era.
................-----------,--------.....------...... u i re la
tambem com fouces rogadeiras. e que tinham no ; daest,.ada> via cahir soldado aps soldado, sera ver
mrm de si u.nmagnico cavallo baio, arreado cora 0 n,ng0> e a tiros que paremia desceren) uns
uxo e com elegancia. Simo entregou o do mor- dasnilVens,e oulros sahirera das eniranhas da tr-
ra. Depois de resistirera tenazmente alguns mi-
nutos, os Francezes retraram para a estrada, der-
ribando o muro na precipitago da retirada.
(ContinHair-seha.J
PERNAMBUCO. TYP. US M. F. F. & FILliO.
f


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7BMD6CO7_S0SK23 INGEST_TIME 2013-08-28T02:58:27Z PACKAGE AA00011611_10305
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES