Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10303


This item is only available as the following downloads:


Full Text
mm*

'
?
A'
l
V
}
1
-
5
v
r
j

\
t -
0 /
AHHO XL. HOMEBO 47.
Por tres mezes adiautdos 5JO00
Por tres mezes vencidos 6$000
Porte ao corrcio p( r tres niczes. 750
y^ui
fgis>-.a'
SABBADO 27 DE FEVERE1R0 DE 1864.
Por anno adiantado.....19$00O
Porte ao corrcio por lira anuo. 3JJ0OO
ENCAltREGADO A SUBSCRIPgO NO NOKTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima "
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Araratv, "
Sr. A. de Lemos Braga ; Cear, o Sr. J. Jo$ de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Piuheiro 4 C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da CosLi.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SIL
Alagaas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins AlreSj Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins Gasparitio.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Eseada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahvba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Auto, Gravat, B hotos, Bonito, Caruaru',
..Itinho e Garanhuns nas trras feiras.
P( d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
I gazera, Flores. Villa Helia, Tarara tu', Cabrob,
loa Vista, Ourirury e lixtt' nas i|uartas feiras.
Ser nliem, Rio Formse, Tamandar, Una, Barrei-
ris, Agua Preta e Pimenteiras nas quintas feiras.
Hh de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/, da.
EPHEMERIDES DO MEZ DE FSVEHE1RO.
7 La nova as 3 h., 49 m. e 56 s. ca t.
14 Quarto cresc. as i i h., 5 m. e 26 a. da m.
22 La cheia as 2 h., 41 m. e 8 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 7 horas e 42 minutos da manhaa.
Segunda as 8 horas e 6 minutos da tai de.
PARTIDA DOS VAPORES COSPEIROS.
Parao sul at Alagns a 5 e 2.i'; p; ra o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos meaos de jai1, atare., maio, jul, set. enov.
i PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipncos s 6'/., 7, 7 '/,, 8 e
8 V da m. de Olinda s 8 da m. e 6 da larde; de
Jaboatao s 6 '/2 da m.; do Caiang i Vanea s?
da m.; de Itemfica s 8 da m.
Do Rerife : para o Apipuros s 3 '/,. 4, 4 /, 4 >/2,
5, 5 'A, 5 V e 6 da urde; para O inda s 7 da
manhaa e 4 '/s da tarde; para Jaboata. s 4 da tar-
de ; para Caehang e Varzea s 4'/, di tarde: para
Bemfira s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comraercio: segundas e quintas.
Relagao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
PARTE QFFIG1AL.
DIAS DA SEMANA.
22. Segunda. Ss. Papi.7?, Abilio c Pascado bb.
. Tena. 8. Margara* de Cortn (.
24. Osarla. S. Pretxtalo I).; S. Primitiva ni.
i'). Quinta. S. Matlua< ap.; S. Osario m.
26. Sexto. S. Pedro Damio fr. r. e dout.
27. Saldado. S. Antigono m.: S. Torquato are; m.
M. Dominio*. S. Romo ab.: S. Cereal m.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a liviana da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa d.
Faria & Fimo.
(OYERM DA PROVIiSGlA.
i
Expediente do dia 24 ir fevrreiro dr I Si 1.
Officii ao brigadeiro commandanle das armas.
Srva-se V. Exc. de mandar por ein liberdade, dan-
do-lbe haixa se j esliver com praca, o recruu
Constaulino Antonio Gomes, que provou isengo
de recrutamenlo.Communicou-se ao coronel ro-
er utador.
Dito ao mesmo.Queira V. Ec. mandar apre-
senlar ao Dr. chefe de polica, amanilla as 10 ho-
ras do dia. 2 praeas de pret para escoltaren) um
criminoso at a villa do Cabo.Communicou-se ao
Dr. chee de polica.
Dito ao mesmo.Respondo ao officie de V. Exc.
numero 242, de 8 do correte, doclarando-lhe que.
ero nata das informages do Pr. chefe de polica o
do administrador da casa de detenco. constantes
das copias inclusas, nao podem ser depositados na
niesma casa por falta de aeominodagcs, os indi-,
viduos qoe forem sendo recrutados para o servico i
do exercito.
Dito ao commandanle superior da guarda nacio-
rjA dollecife.Expela V. S. as suas ordens para
qu, um dos cornos da guarda nacional desla ci-
daile, preste urna guarda de honra para acompa-
nhar a imageiu do Senhor Bom Jess dos Afflictos,
3ui) em de sabir em procissao di igreja de S. Jos
e Riba-Mar, no dia 28 do correle, as 3 horas da
tarde.
Dito ao commandante da gur.rda naciona] do
Cal.Ao teoente da 8.* companhia do batalhao n.
'ti Je infantaria da guarda nacional sob seu coto-
na ido superior, Jos Flix da Cmara Pimentel;
Jnior, mande V. S. passar a gua de que trata o
artigo 45 do decreto numero 1130 de 12 de margo
Je 1833, visto qoe transforma sua residencia para
esta capital, como declarou no requeriiuento sobra i
que V. S. informou em 13 do corrente.
Dito ;.o inspector da thesouraria de fazenda.
Em vista do que ex pez o Dr. chefe de polica no
offlcio junto por copia, expeca V. S. suas ordens
para qoe o soldado de cavallaria Antonio Bezerra,
2ue se acha em servico em Santo Anlao, soja pago
e.seus respectivos vencimentos.-Ommunirou-sa:
ao Dr. chefe de polica.
I>ito io mesmo.Mande V. S. comprar os objec-
tos mereionados na inclusa relagao rom outros
iguaes forn cidos ao exercito, e declreme o tem-
pe de duraco lixado para cada um delles.
Dito ao mesmo.Nos termos de sua informaga)
de hoje, sob numen) 93, dada com referencia a da
contadura dessa thesouraria, mande V. S. pagaraos
emprezarios da illumnagao desta capital, como pe-
dem no requerimenlo documentado, que devolvo a
quanlia de 204000 res, proveniente de materiaes
e tribalho de machinista.para ler lugar a Ilumina-,
cao exterior do palacio da presidencia nos dias 1 e
2 do dezembro do anno prximo passado.
Dllo ao mesmo.Recommendo V. S. que em
vista das tres inclusas contas mande entregar ao
guarda-mobilia do palacio da presidencia, l.ur;
Francisco Vieira de Luna, por conta dos dinheiros
existentes nessa tliesonraria para os reparos do
mesmo palacio, a quantia de 22000, provenientes
de concerlos e de urna campa elle fenecida.
Dito ao mesmo.Participando o jmz de direilo
da comarca do Bonito, em lo desle mez, ler nomea-
do a Justino Eugenio Lavenere, rara exercer inte-
rinamente all o cargo de promotor publico, no im-
pad ment do effeclivo, bacharel Joaquim do Reg
Barros : assim o communico V. S. para seu co-
nfie-ment.
Dito ao mesmo.Participando o juiz de direilo
inte iiio da comarca de Tacarat, em data de 31 de
dezt-mbro ultimo, que por ler o bacharel Daniel
Germano de Aguiar Montarroyos, entrado em 20
daquelle mez no gozo da licenca que obteve, no-
mera o majer Luiz Jos Correa de S, para exer-
^cer interinamente all o caigo de promotor publi-
~co : assim o communico V. S. para seu conhe-.-i -
ment.
Dito ao mesmo.Communico V. S. para os
fns convenientes, que em offlcio n. 333 de 22 do
correal pariicipou-me o brigadeiro commandanto
das armas terem entrado no exerririo de suasfunc-
goes o capilo Antonio Maria le Uastro Delgado,
aWeret Estevao Jos Ferraz e o 2o cirurgiao Dr.
Alccbiades Jos de Azevedo Pedra, oprinierocomo
majur da praca no presidio de Fernanio, o segun-
do como ajudante do commandante, e o terceiro na
qualidale de encarregado da respectiva enferma-
ra militar.
Dito ao mesmoRemello V. S. para os con-
venientes exames, as inclusas copias das actas do
onselho administrativo do arsenal de guerra, da-
tada* de 12 e 15 do eorrenle.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Respondendu ao ofllrio que V. S. me dirigi em lli
de Janeiro ultimo, si b n. 14, tenho a dizer que em
vista do que a este respeito inforiiiou o director das
obra; publicas, em offlcio de 20 do corrente, sob
n. 37, resolv que sejam postos novamente em pra-
ca nessa thesouraria. os reparos de conservacao,
de que precisa a ponte do Anjo, sobre o rio Seri-
nhaem, com o accresoimo de obra constante do or-
ganifntn e clausulas juntas por copia, na importan-
cia de 1:3645000, e que nao foi contemplado no
primaivo ornamento.
Dito io mesmo.-Se nao houvcr inconveniente
mande V. S. pagar Joaquim Francisco dos San-
tos Man, a quantia de 605000 proveniento do alu-
guel vencido nos mezes de outubro dezembro. d^
anno prximo passado, das casas que serven de
cadeia e de quarlcl ao destacamento da villa de
Agua-Preta, como se v dos inclusos documentos
pie, para esse fim me foram remettidos com offlcio
Jo ebefe de polica, datado de 22 do corrente, sob
n. 211.Communicou-se aoDr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Tomando em consideracio o
que (X[z o director das obras pablicas em offlcio
de boje sob n 42, ronstante da r|ii:i inclusa, re-
commendo V. S., que, em vista do rmpeteme
eertilleado mande pagar ao arrematante do 3" ter-
mo da conservacao da estrada da Victoria. Antonio
Pacs de Mello Brrelo, a quantia de 450000 a qoe
li'in ilir;ito, por baver feito mil bragas crrenles
de reparos, entre os marcos de 13 14 mil bra-
ija blicas.
Dlo ao commandanle do presidio de Feman-
do.Pela leitura do sen offlcio n. 4 de 24 de Janei-
ro ultimo, liquei intrrado de haver V. S. mandado
conslru r tima casa para escola de primeiras le- '
traseslibelecda oe^sepresidio. -
Dito io mesmo Reeebi o offlcio de 19 do cor-
rente, em que V. S. tan commtinira as providen-
cias que deu no sentido da denuncia transmitida
pelo Dr chefe de polica contra o sentenciado mili-
tar Quirino da Silva, e tenho a dizer em resposta
que de' e V. S. remoller para esta capital, quando
Hm forrm requisilailas por auloridade competente
as testemunhas que temdedepr do respectivo
proce>- i.
Di'.n ao director do arsenal de guerra. Appro-
vo o contrato que V. S. celebrou com Bartholuiin'u
Loorraeo, como me parlicipou em sen offlcio n. 247
de 23 do corrente. para mandar eonduzir no palha-
bote Ai lista, de que proprieiario, os objecto* que
por p:irtedes>e arsenal lem de ser enviados para 0
presidio de Fernando.Fizeram-se as necessanas
comnmoicafQoa.
Dito ao mesmo. Allendendo ao que V. S. pon-
deroii en seu offlcio n. 248 de 19 do corrente, o
autoiisi a incumbir o servente desse arsenal Joa
3ir.ii d. Costa Lisboa, de fazer as despezas miudas
e--,i r.p.utieao sem que fierceba por es9C traba-
llio -etribucao alguma, continuando porm no ser-
vico em que se ada empegado. -Communicou-se
ao inspector da thesouraria de fazenda.
D lo ao director das obris militares. Maude V.
S. com urgencia, por una fechadura na porta do
xadrez em que sao reclusts, no quartel do 2" bata-
lliio de infamara,os recrulasapurados para oser-
vieo do exercito.Fizetam-se as necessariai cora-
mu/ cafos.
D to ao commandinte do corpo de polica.Em
vist. do que expozo Dr. chefe do polica emofficio
n. 2J2de23 do corrente, pode V. S. excluir do
con o sob seu comrnando as pragas da seccao ur
bun i Caelano Gomes da Siiva e Cautelfano Celesti-
no da Fonseca, que deverao ficar presos e dispo-
sifii do delegado de polica desle termo.Comniu-
nico.i-se ao Dr. diere de polica.
_D lo cmara municipal do Recife.Em solu-
Saoiio offlcio que me dirig.o a cmara municipal
o lecife em 17 do corrente, sob n. 6, tenho a di-
zer-lhe que em vista do disposto no aviso n. 94 de
18 ce fevereiro de 1860 2', nenhuma incompati-
blii.aile ha na accumulac^io do cargo de juiz de
paz com o de commandante ou oDlcial da guarda
nac onal.
Dito ao juiz de direilo do Limoeiro.Remetiendo
iacl isos por copia o offlcio do inspector da thesou-
rarit de fazenda datado do 19 do corrente, e as
ce i-i 2ea a que ello refere-se dos quaes consta que
ev.rino Alexandre Villarim, na qualidade decol-
lertcr de rendas nessa villa e Marcellino Airea Pe-
reira, na de escrivao da co",le'ctoria falsficaram 2
ve s a respecliva eseriptoracSo na arrecadacao do
imposto da siza dos bens de raiz.de modo a ser
defraudada a fazenda nacionil em 1295000, tenho
a recommendar Vmc. que tomando conhecimen-
todc facto proceda como for de lei contra esses in-
di vi luos.
D to ao vieario da freguezia de Una Nao tendo
Vine. satsfeiio at aqui as circulares desta presi-
dencia de 27 de setembro de 1862, 29 de junho e
12 d i dezembro do anno passado relativamente a
remissa dos mappas dos bitos havidos nessa pa-
rochia durante os annos de 1861 1842, orgaoisa-
dos 'le conformidade com o modelo que acompa-
nhon a primeira das citadas circulares, recommen-
do-llie que com a maior urgencia e sob responsa-
bilidade d cumprimento as referidas circulares.
No iiesmo sentido aos viga nos das freguezias de
Fareada Grande, Alaga de Ilaxo, Santo Maria da
Boa-Vista, Muribcca, Maranguape, Una e Ouricurv,
e do vigarios das freguezias de Santo. Antao, Be-|
zerris e Quipap exigio-so os mappas dos bitos;
haviJos no anno de 1861, e do anno de 1862, ao
vigaro de Cruangy.
Dito ao director' das obra* publicas.Satsfaca
Vmc. a requisico que faz o administrador da casa
de doiencao no offlcio incluso por copia acerca da
coberla e claraboias daquelle estabelecimento.
Ommunicou-se ao Dr. chefe de polica.
D lo ao juiz municipal da primeira vara desta
cida le.Transmuto Vmc. para os fins conve-
nien.es a certido passada pelo capello do presi-
dio de Fernando e o auto da vesloria procedida no
cadver jlo sentenciado de justica Norberto Mari-
nho Falcao, que falieceu no mesmo presidio.
Dito ao juiz de paz presidente da junta de qua-
liflc; cao da freguezia do Pao d'Alho.Para poder
reso ver o objeelo da representaco do eleitor des-
sa pirochia Manoel Francisco Machado de Araujo
cer:a da qual versa a sua informacao do 8 do
cornnle, cumpre que Vine, preste com urgencia a
que Ihe foi exigida por offlcio de 9 desle mez a
resp2ito da quexa dada contra Vmc. pelo escrivao
Alejandre Barbosa da Silva Jnior.
D to ao engenheiro Domingos Jos Rodrigues.
Recommendo Vmc. que examinando a ponte de
descarga da alfandoga desta cidade ministre com
brevidade os esclarecimentos que acerca do estado
dell; exige o inspector da thesouraria de fazenda
no offlcio desla dali coii>lante da copia inclusa.
D.loao gerente da companhia Pernanibucana.
Pode Vmc. fazer seguir para os portos de seos des-
tinos os vapores Paruhyba e Mamanquupe nos dias
e horas indicados em seu offlcio de 22 do corrente. I
Pirtaria. O Sr. gerente da companhia Pernaui-
bacana mande Iransporiar at o Cear no vapor
ilimanguape, em lugar de r destinado passa-
geiro de estado ao teuente-coronel Francisco de
Paula Souza Leao, c em lugar de proa um seu
criado.
Dita.O rice-prosiaonle da provincia, tomando
em (onsideragao que expoz o inspector da thesou-
rari: provical em olllcio de honlem, sob n. 66, re-
solv abrir um crdito supplementar, na importan-
cia ile 1:0345 para coniiouaco no crrenle exer-
cicc do pagamento das despezas com o expediente
da secretaria do governo, visto achar-se (|uasi ex-
tncti a consignac.o votada pelo | 2 do art. 3o da
lei do orcainento vigente.Coiiununicou-se ao ins-
pector da thesouraria provincial.
Dita.O rice presidente da provincia, tenda em
vista o que requereu o arrematante dos concertos
da pinte sobre o rio Jaboatao Francisco Botelho
de Andrade, e bem assim o que a este respeito iu-
formou o director da reparlico das obras publicas
em offlcio de 9 de Janeiro ultimo e 17 do corrente,
sob ns. 269 e 34, resolve prologar por mais dous
me s o prazo concedido ao predi to arrematante,
para conclusfio das obras do seu contrato a coutar
do dia em que findou-se a ultima prorogagao que
obte-e para esse fim.
Dita.0 vice-prosidente da provincia resolve
remover o promotor publico da comarca de Sanio
Anld, bacharel Manoel Innocencio Pires de F-
gueiedo Camargo para a do Limoeiro, c para
aquella comarca o promotor desta, bacharel Vir-
ginio Carneiro da Cunta Albuquerque.
I'.\|inlicnti. do secretario do govrrno.
Oficio ao Exm. conselheiro Josioo do Nascimen-
to Silva, director geral da secretaria de estado dos
negocios da justira.-S. Exc. o Sr. presidente da
prowncia, manda aecusar recebida a coinmunica-
co i|ue Iho fez V. Exc. em 5 desle mez de ler S.
M. o Imperador por decreto de ."JO de Janeiro lindo
nomeado os lenles coronis Antonio Xavier de
ores e Candido Xavier Pereira de Brito, coro-
nan lantes superiores.esle da guarda nacional da
comarca do Brejo e aquelle da guarda nacional da
comarca de Flores, e Antonio Francisco da Cunta
para capillo cirurgo-mc do commando su-
pernr da guarda nacional do Limoeiro Desla pro-
vincia.Fizeram-se as necessarias communcacoes.
Jos Herculano Thomaz de Aquino.Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Joo Pta.Vires. -Passe portara concedendo a
lcenga que requer o supplicante.
Bacharel Lonrenco Avehno de Albuquerque
Mello.Informe a cmara municipal da villa de
Barreiros-
Manoel Coelho Piuheiro.Remedido ao Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda para mandar
passar os ttulos que requer o supplicante urna
vez que este satsfaca a exigencia constante da in-
formacao datada de 23 do corrente.
Therczade Jess Grangeira. Informe o Sr. des-
embagador provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia.
e falta de rali-
acompanliam as
E ao lado do corpo legislativo acerecenta o ora- desde j sobre o desrespeite
r, o que ha? Lina astembla de homens de es- gao, que se nota n'aquelles, que a^v.
lauo, lenuo percorndo, nas mais alias espheras do procissoes, bandeiras. ou outro qualquer acto pu-
Roveino. una radeira nobrementc oc upada, tra- Mico externo da igreja, fra do prestito,
zendo a esie recinto toda a serenidade da idade ma- Mutas vezes observa-se n'aqucllas as fumacas
uuia, o pesias pela constiiuicao, em centacto direc- de charuto sopradas junto a qualquer andor, ou
lo c permanente com o paiz, pelo direilo de peticao mesmo junto ao pallio. Nestas. alm disso, d-se
escriplo nessa mesma constituicao.
o acompanhamento de pessoas com chapeo na ca-
EXTERIOR.
Despachos do dia 2 i de evereiro de 1861.
Reqnerimrntos.
Alaixo assgnados eleilores da parochia dos
Afog idoajInforme o Sr. juiz de paz presidente
da Jinda do qualificaco da freguezia dos Afo-
gadoi.
Ai ionio Claudino Alves Gomes.Informe o Sr.
o mu mulante superior da guarda nacional de Na-
zarelli.
A'donio Jos da Silva.Informe o Sr. Dr. chefe
de polica.
Antonio Macianno de Souza.Informe o Sr.
capao do porto.
II. nedicta Thereza de Jess. Nao tem lugar o
que requer a supplicante.
Cipilao Candido Leal Ferreira.Remettido ao
Sr. -apitao do porto para attender ao supplicante.
Francisco de Sales da Costa Monteiro.Passe
porliria prorogando por 6 mezes a licenga com
que w acha o supplicanle,
Innandade de N. S. do Bom Parto, erecta na ca-
pella de S. Sebasliao da cidade de Olinda.Infor-
me ( Sr. thesoureiro das loteras.
Jacintho AfTonso Botelho. -Informo o Sr. Dr.
chele de polica.
PHA,\f;A.
O DISCURSO DO SR. ROUHER.
Muitos mezes nao decorreram ainda dpois da
infausta noticia que annunciou Franca a perda
de um dos seus primeiros homens de estado e
Europa a de urna das mais nobres inlelligmcias do
seculo ; queremos fallar do Sr. Billault, o amigo
intimo do imperador Napoleao III, o interprete dos
seus elevados pensamentos, o orgao das suas gene-
rosas concepcoes em favor do eagrandecimento da
Franca e da paeificacSo da Baropa.
Todos se lembram ainda da sensacao que produ-
zio mesmo, entre nos, quando o telegrapho nos
iransmittio ainda quente dos labios que a profer-
rain a noticia de que o Sr. Billault hara termina-
do a sua gloriosa carreira. Aqui, como em Fran-
ca, iodos se perguntavam se o vasio que e se emi-
nente estadista deixav.i nos conselhos do imperio
poderla ser fcilmente preenchdo.
Nao foi enuo estranho para ninguem qce o im-
perador Napoleao sentir amargamente cssa perda,
l tanto mais sensivol quanto o imperador cmhecia
o poder, o prestigio do verbo eloquente daquelle
grande homem de estado.
Sem querer faltar ao respeito devido memoria
veneravel do Sr. Billault, nao nos aecusarao tai-
vez do exagerados se dissermos que nos bancos dos
ministros do imperador Napoleao se senla hoje um
digno successor do Sr. Billault.
O discurso proferido na sessao de 15 de dezem-
bro perante o senado pelo Sr. Rouher, d'aquelles
de que se pode dizer com razao :um discurso mi-
nistro.
E justamente porque o discurso do Sr. Rouher
daguerryotipa cora largos e profundos tragos a po-
ltica do imperador Napoleao III desde a sua as-
cengo ao throno, que entendemos dever apreca-
lo, para que os nossos lelores possam julgrr essa
poltica em todas as suas relacdes, em te dos os
seus aspectos, e laz dos mais elevados principies
da governaco publica.
O Sr. visconde de la Guronnire, terminando o
seu discurso na sesso de 13 de dezembro. e re-
cordando as palavras que o Imperador N ipoleo I
havia dirigido antes de morrer aos seus compa-
nheiros de desterro, exclamara : > mister que a
Franga seja urna nago militar quando nao for urna
nacao liberal.
Nao ha senao a gloria que possa impor o ar-
bitrario, e mister escolher entre o imperio sem
a paz e o imperio com a liberdade.
O Sr. Rouher replicou aquella vehemente apos-
trophe nos seguntes termos :
O que o imperador Napoleao I tinha dosejado
na hora em que expirara em Santa Helena, seu so-
brinho executou-o, o seria preciso ser ceg para
nao recouhecer os servicos prestados, as liberdades
desenvolvidas que devemos sua sabedoria. >
A demonstragao desta proposicao ha de ser fei-
ta depois no discurso do Sr. Rouher com admira-
vel lucidez.
Mas antes disto o orador ataca urna outra pro-
posgao do Sr. de La Guronnire que destrie de
urna s vez c de um s golpe.
Eu quero, disse o Sr. Rouher, abordar o dis-
curso do Sr. de La Guronnire sem o ampliar,
sem o restringir, mas discutndo todas as suas par-
tes. Elle fallou de duas tendencias : urna antlii-
patica liberdade, c tocando quasi no despotismo;
outra, pelo contrario, tendo o sentiinento da liber-
dade quedeve vivilicaras nossas insltugoes. Pos
bem Eu ngo a existencia oestes dous campos,
desias duas tendencias do governo e do sen ido.
Nao ronheco partidarios do imperio, que pe-
cam, uns o imperio sem liberdade, oulros o imperio
com a liberdade; a nica expresso que seja ver-
dadeira o imperio e a liberdade I >
Nunca a tribuna franceza desde o golpe de esta-
do do 1831 ouvira tao nobres palavras nos I ancos
do governo ; nunca o programma da liberdi.de no
imperio, a combinacao Oestes dous termes 'fra
exposto em termos tao cathegoricos por um repre-
sentante do poder ; nunca finalmente o velho rgi-
men imperial da dictadura solrera um desmenti-
do mais formal.
Nao basta, porm, cnounciar urna proposi -ao,
mister demonstra-la, descer ao intimo da quest.o,
e examinar finalmente toda a or^anisaco poltica
do imperio em todas as suas phases, desde o me-
mento em que a Franga, chamando a s o descen-
dente dos Napoleoes, Ihe deu tima cadeira de re-
presentante na asaembla de 1848. Foi o que fez o
Sr. Rouher.
L A datar dessa poca metnoravel disse o orador,
pdese dizer que o imperio de 1852 estova naelei-
gao de 1848. Que fez o povo, continuou o orador,
que quizdlc fazer Quiz porventura substituir ao
governo das assembl.is, esse despotismo que, sa-
gundodizem, existe na conslituigo do imperio ?
Nao t O povo nao poda querer por mais tempo
dessas asambleas que elle lnha visto agitadas, in-
quietas, igualmente impotentes para garantir, e
que se assentavam no meio da deserdeni e da anar-
cliia. Mas quena elle por ventura o governo abso-
luto? este o povo que vira pedir a este principe
liberal a quem faziajustiga, que acceitasse o poder
absoluto ?
Nao I Elle nao poda querer isso com os princi-
pos de ignaldade civil depositados em todas as
nossas instiluigoes. t
Tudo recom metida va os principios do 1789, por
isso elles foram escriptos no frontespicio da cons-
lituigo de 1K32. E o imperador tinha razio ; elle
nao teria comprehendido nem o paiz nem a poca
se, em 1832 ene tivesse procurado estabelccer um
poder dictatorial.
A homenagem aos principios de 1789, os princi-
pios mais caros Franga, porque constitucm a sua
magna carta, principios proclamados por Napo-
leao III. lodas as vezes que elle lem usado da pa-
lavra para fallar Franga, urna homenagem hon-
rosa nao s par a nago quo a recebe, como para
o poder que a ratifica.
Mas o povo teria porventura querido a forma do
governo consiiiucicnal parlamentar com esta m-
xima destruidora o re reina e no gooerna, com
os seus 200,000 eleiteres censuarios, com eleitores
de primeire e segundo grao, com essa sabia orga-
nisago que na representaco do paiz nao se es-
queceria senao de urna c'ousa, o proprio paiz ?
Nao, disse o orador, o povo nao quiz esta forma de
governo.
O que elle quiz, foi urna monarebia democrtica
e representativa, tendo por baseosullragio univer-
sal, por contrapeso dous grandes corpos, o senado
e o corpo legislativo, este ultimo oriundo do snffra-
gio universal, offereceudo na sua organisagao esta
nica condigno, a incompatibilidaddas funcces
publicas com o mandato de deputado. sto urna
garanta nao equivoca de independencia soberana.
que sahem nao sei doale as seis horas d'ainanhaa,
e as que dexara o espectculo pela mea coite ?
Nao !
Ah entao cjue fazeis ?
Perdi I nao tinha reparado que liis o finta-
marre.

Um lord excntrico, quarenta vezes millionario e
patriota, resolveu niio s comprar as dividas de to-
das os favoritos d'Apollo, que privadas moment-
neamente dos favores de Piulo, se viram forcados
a contrah-las, como ainda a melte-Ios na Clichy
at que aprendessm sufflcientemente o inglez, para
dotar com suas produeges os theatros de Londres.
Traduzmos do Mundo Ilustrado o que se-
gu:
O uso das moscas, que fez furor no fim do ultimo
seculo, seria conhecido em Roma ?
Nao islo cousa duvidosa para mim
As moscas erara pequeos emplastro?, pretos e
rotundos chamados splenia, que applicavain como
urna especie de seineada pelle.
Martial designa-as claramente neste verso : Et
yis^ASSssssr ?reKinicn: -7" ^^^^^fdo-47^;^ de i ^z^^xz-^zi:^^-
nal fle loaz. entre as firnW nn c\clomi pnn. infantaria An nail. nacional A .. i. Oue contm alm disso essa consttu gao? cima bega em pequea distancia,
desses diversos corpos, contina o orador, acha-so O Revd. padre Antonio de Mello e Albuquer-
o chefe do estado. Sim, o imperador :st enlloca- que prega amanhaaao recolher da procissao do
do mais alto, mas quem pensara em he contestar Senhor dos Afflictos: na igreja de S. Jos de Ri-
esse lugar, quando a nacao Ihe dcolveu esse ha-ajar,
Pder? Hoje tPm |Ugar, no theatrinho de Olinda,
Segundo a constilugo, o imperador respon- um espectculo dramtico, concedido pela soceda-
savel; como que a constituinte de 12 nao te- de Theatral Olktimu ao artista Santa Rosa, com o
na restabelecido esta verdade da respinsabildade drama <) rjusliceiro ou o ministro traidor, no
do soberano, o feito desapparecer esti flcgao da qual representar de Joaooguarda-porto o
responsabilidade duas vezes violada nnn diao lienefiriadn
'lnsabilidade duas vezes violada, que "digo? beneficiado,
duas vezes, tres vezes, porque da prim (ira a cabe-1 O prego da entrada, tanto para homem como
ga de un infeliz monarcha cahndo t'e um triste para senhora de 1000 rs.
patbulo pagou essa liego. Em coiisequencia da chuva que cabio hon-
Nunca a organisagao imperial de Napoleao III foi tem toda a manhaa al 2 >/i horas da tarde, nao
exposta com mais vigor, com mais i nergia, com pode ter lugar a procissao que devia sahir da
le de espirito. I igreja do Livramenlo. a qual saldr hoje tarde,
re o parlamentarismo e o rgimen 0 conselho de disciplina
inperia! de 1832, entre as ficgdes do sjstcma cons- infantaria da guarda nacional, que esta reapon-
titucional, j em relagao ao papel que lepresenta o dendo e guarda Bernardo Rodrigues da Silva, nao
re reinando e nao governando, abdica do, peranto se reuni no dia de hontem, que fra aprasado.
a voutade omnipotente das faegoes sua propria Dos membros que o compem, apenas compareceu
niciativa, ja em relagao a essa pessirai organisa-l o major presidente, que levou o faci ao conheci-
r, que so por irona o Sr. Rouher ciama sabia, ment da auloridade competente para designago
corpa eleiloral, exercendo o direito le votar so- de novo,
bre a base caduca do senso, j finalmente em rea- Ainda que esta falta possa ser explicada por
gao as incompa|ibilidadcs parlamentares saneciona- motivos justificados, em cuja procedencia cumpre
h a c?n.sl'lu'cao do imperio, esse pavalello nada i acreditar, todava lamentamos que cora taes pro-
iu3 ^^r- I telages se exerga una presso dcsagradavel
Mas, contina o orador, a constiti igao prc- sobre o espirito do aecusado e que deseja ser
fenvel ; o seu aperfeigoamento, porn obra do julgado.
ternl10- Hoje se extrahr a 6.* parte da 2.* lotera
Passando depois a mostrar como a hterdade tem da Santa Casa de Misericordia,
andado associada ao imperio, menciono i a reforma Segnnda-feira tem lugar a reuni.io da pri-
da reorgamsagao da liierarchia adminitlrativa, dos meira sesso judiciaria do jury desta comarcado
concelhos municipaes, concelhos administrativos, Recife.
reforma esta em que a base da eleigao foi, por in- E' presidida pelo juiz de direito da primeira vara
sislencia do imperador, o suffragio un-ersal. o Sr. Dr. Joo Antonio de Araujo Frenas Henri-
Se nao ha duas tendencias possiveis, se o im- ques.
peno no desenvolvimenio da liberdade sem desor- Hoje as sociedades dramticas Melpomene
dem, caminha direito ao seu fim com o; principios Pernambucana e Rerreio e Cuino Familiar doas
de 89 por base, se elle proseguo assim esta nobre suas rpresentagdes mensaes.
carreira sem preciplagao e sem fraqueza, deixou Esta leva a scena o drama em tres actos.O
elle porventura lugar para esse mal ;haraado do homem do curo, a comedia em um acto Os dous ral-
desconhecido que Irabalharia as iotelligtacias ? .vosou os genios oppostos, a scena cmica Luizinha,
A demonstragao da these principal do Sr. Rouher, a Iritetra e a Vivandeira.
a alluuga do imperio com a liberdade, alimenta-so ; Aquella o drama Um mysterio de familia, do
depois com argumentos deduzdos da h storia, com Sr. Franklin Tavora, a scena dramtica Camoese
oespectaculo deploravel do governo da restaura- o Ju, e a chistosa comeda 0 pomo da discor-
d, com o quadro sombro das scenas horriveis dia.
que o socialismo representou em Franga. | Amanhaa celebra-se a festividad! de S. Fran-
Uuerendo apreciar as relagoes do governo com .ciscode Paula, noCaxaug ; ecomellaencerra-se
os grandes corpos do estado, o Sr. Roul er declara | o eyelo de festas principaes dos nossos arrabal-
que o governo do imperador, associanlo directa- des, acabando-se tainbem assim o motivo da eon-
mente os grandes corpos do estado poltica im- currenca esses lados, mesmo por que ah se
perial, loiaou-os solidarios dessa poltica. |vai manifestando j o invern.
Passando depois a_examinar a influe icia exerci- j Por portara da presidencia foi prorogado por
da pela adminislragao nas eleigSes o orador aceres- tres mezes, o prazo concedido ao Dr. Francisco
cenia :qual era o fim do governo ? Ni o era senao Antonio Cezario de Azevedo para apresenlacao de
adoptar candidaturas perfeitamente em harmona sua carta de nomeagao de juiz muicpal de Garan-
cora os sentmentos dos eleitores. j huns.
Tratando da liberdade da impreosa o Sr. Rouher Foram jnlgadas improcedentes as consde-
,a.e"u"^ra?5 ''"sprincpaes jornaes polticos rages do juiz de paz presidente da junta de qua-
lificago de Gravat, acerca dos habitantes de .1-
tnora, e Campo Grande, e mandados qualificar nes-
sa freguezia.
Mandou-se dar baixa ao soldado do 2 ba-
talhao de infantaria, Antonio Cordeiro dos Santos,
sendo acceito em seu lugar o paisano Francisco
Pereira das Chagas, e' ao recruta Justino Marques
da Cruz, por ler provado isengo legal.
Pela quantia de 383531)0 foi autorisado o
juiz de direito d> Limoeiro a mandar fazer os
reparos de que precisa a cadeia dessa villa.
Pela leitura do Communicado que, respei-
to do Sr. deeembargador Villares, publicamos em
nosso numero de hontem. tero os lei lores com-
prehendido que, mal e indevidamoute foi-lhe posta
a assignatura do mesmo Sr. desembargador Vil-
lares, que nenhuma parle leve nem em suapu
que se publicara em Pars.
Contam-se em Pars, disse elle, 20 jornaes po-
rteos. Ha 16 que pertencem opposigai mais r-
deme, um ou dous que nos do lodas is manhaas
esle enygina para resolver : se sim ou i o elles sao
amigos do governo, fiualmente pouco n ais ou me-
nos dous que defendem o governo sincera e enr-
gicamente. N'uma tal situagao, vir dizer que i
mprensa nao lvre, ailribuir o carcter de ama
direcgo arbitraria, transitoria, dictatorial a esta
grandejwlilica cojos salutares effeitos, vos conhe-
ceis, nao viver em Franga, estar na Turqua.
O que verdade, que em Franga i imprensa
livre pelos costme, pela moderago com que o
governo exerce a alta tutela que as n.-cessidades
polticas pozeram nas suas raaos. No ministerio
interior nao se procura se, ha lugar pa*a dar urna
advertencia.^ A advertencia urna mei ida extre- MieacioToem t'm sua'responsabiTidade.
ma a qual nao se recorre senao em casos de extre- Houve, como se annunciou, a fesla do glo-
ma necessidade. Mas finalmente era til confiar roso s. Gongalo de Amarante, na povoago de lla-
uina semelhanie arma nas m.os dogov.-rno, quem pissuma, ne dia 21 do corrente, com procissao a
pode duvida-lo? Nos nao estamos era | resenga de iar(je e Te-Deum noite
um poder legal, estamos em presenca (o sulfragio p01 baslante concorrida, mesmo de pessoas gra-
mo versal, do sulfragio de todos. Todos pesam hoje ,ias jP jjVersos lugares da freguezia.
nos destinos do paiz. passapeiros do vapor nacional Mamanguape,
Que a opiniao se desvair um msl; nte; o pe- saiiido para os portos do norte :-Luiz Ferro,
ngo lorna-se ternvel. Dr. Vicente Ferreira Gomes e 1 eseravo, padre
L vos quereneis que se deixassem mynadei Galdino Firmo da Silveira Cavalcanti e 1 criado.
de jornaes levar a todos os pontos da Franga a dif-
fainaeo, a injuria, a vergonha, a d >s.speragao !
Nao.". Nao... salutar, social esse direito de
alta tutela que o poder exerce, e por isso os prin-
cipios e os direitos de 89 nao sao esque dos.
A moderago que se reflecte no disc irso do Sr.
Rouher pode servir de exeinplo a todos os homens
Joaquim Leocadio de Freitas. segundo cadete Joao
Zeferino de Hollanda Cavalcanli, e 8 praeas. te-
uente-coronel Francisco de Paula Souza Leao e 1
criado, Manoel (Juinqudiano da Silva, Francisco
C. Correa Lias, Jos Manoel Accioh Lins. Manoel
Pereira de Araujo Vianna. Cypriano Jos de Frei-
tas, Manoel da Cunta Gomes. Luiz Antonio Joa
de estado, e denuncia acatare essa forca do direito ,,,, Azevedo, Dr. Francisco Antonio Concia da
que quer vencer e convencer pela rataoe nao pela i silva.
ivideute da
declamacao estril que e una prora
peior de todas as causas.
(Diario Commen al.).
PERHAMBCO
RBV1STA DIARIA.
Entendendo alguns dos membros da noasa as-
senihliia provincial que deviain comegar hontem as
pessoas preparatorias, por haver um lia feriado
nos marcados pelo respectivo regiment compare-
ceram casa, nao tendo se realisado a I.' reuoio
ou porserem OS demas membros de opiniao con-
traria essa ou por caus;i da abundante chuva
que caliio durante a maior parte do da
Hoje, pois, deve ter lugar a 1." sesso prepara-
toria.
O brigue Prazeres, vindo do Rio Grande do
Sul, encontrou 9 do correle, na lat. S. 24 23"
e long. O. 38"40", a galera ingleza Kuiclierboker,
seguindo para o S. O.
De Pao d'Alho nos escrevem em '.!5 do cor-
rente :
i Nada sei do novo para transmittir-l le.
Foi pronunciado, pelo juiz de direilo, em cri-
mc de responsabilidade o i." supplenle do subde-
legado desta villa, Jos Januario Alv; res Ferrei-
ra; que est prestando fianga, por se* crime de
cada.
t i) invern j aqu comecou ; o ro, que eslava
secco. chogou com soffnvel cnea, e coi re j bas-
tante agua.
Se, pois, as chuvas forem continuando tere-
inos um anno de vaccas gordas.
Temos clamado constantemente s >bre o abu-
so do se permillir sollo em porta de loj: ou porto
de algum sitio ou mesmo pela ra al( um cao, e
isso smente com o intuito de poupar qualquer
successo, que se possa dar, semelhnnto ao que
aconteceu em dias desta semana com um pobre
homem j velho, que, passando junto um sdio
da ra do Hospicio, foi adrado ao chao >or um cao,
que permaneca solt no respectivo pwtao, e ex-
traordinariamente maltratado aponlo de andar
custo.
Convm. que tal abuso cesse de urna vea, para
o que chamamos a alten cao de quem competir pro-
videnciar.
Ha outro abuso, para o qual cha1 nanos a at-
tengo da polica, afim do que sotfra un paradeiro
Movimenio da casa de detengo no da 23 de
fevereiro 1864 :
Existiam ... 377 presos.
Entraran). ... 13
A saber
Sahram
Exstem....
Nacionaes. .
Estrangeiros .
Mullieres .
Estiangeira .
Escravos .
Escravas .
17
373
260 presos.
31 >
10 >
1 >
66 >
373
Alimentados anata dos cofres pblicos..
Movmenio da enfermara no dia 26 de
vereiro:
Teve baixa :
Francisco de Souza C. fractura de brago.
144
fe-
poico be uno.
Traduzmos do Tintamarre o segrate :
Para o passeador ha tanta cousa a esludar, que
o frmalo do Courrier des Etats-Unis nao seria suf-
iciente para con ter o respectivo resultado.
Noiastes alguma vez, nos dias de chuva, a gran-
de variedade de maneiras que as mullieres emprc-
gam para levantar o vestido ?
Nolasles-o desde a donzella que o arregaga tmi-
damente de um lado, at a camelia que expe ad-
miracodous pesinlios calgados do lindas botinas,
roseas ou azues, com lagos de cor ?...
Notantes lanibem as dfferentes physionoraias do
boleeiro de mnibus t
Nolasles-o desde aquelle que sahe do servigo para
passar ao da companhia, at a quem j lem um
p no hospital ?
Notastes ainda os typos dos donos dos cafs do
boulevard 1
Notastes-o desde o. que vive apertado at o que
tem ensanchas ?
Notastes igualmente aquelle que se presta a
dixes ?
Tendes sem duvda deixado passar sem reparo
os caixeiros de modistas, os negros do mercadores
de eooJeigfto, os homens de lettras de bitume, o
hornera de moleta que vendo saleiros. de madeira,
os poetas incomprehensiveis, os tocadores do or-
gao, a mulUer assontada era una terrina, as gentes
Cr-se geralmenle que a mana de apenar o ta-
lhe, atim de reduz-lo a sua mais simples exprs-
sao, de invengo moderna.
Mas um engao este pensar.
Em Roma fazia-se outro tanto; e o instrumento
de supplco era precisamente o espartilbo.
Si Terencio nao falla nelle, desgna-o manifes-
taniente no 2 aclo do Eunuco, quando diz : Quce
matret student demissis humoris etse, Vincto pecio-
re, ut grciles peni, essas mos que abaixam as
espadoas das fillias, e Ihes comprimen) o peito,
atim de torna-las mais delicadas.
O mesmo autor contina : Si qua est habitior
paulo, ne pugilem esse fiant, decunt cibum; taque
ergo amuntur si sao um pouco cheias. para que
nao se paregam com um athleta, dirainue-se-lhes o
alimento ; assim que se as ama.
Nao tal vez intil lerabrar, que isto que poder-
se-bia tomar como da historia moderna, escrevia-
se ha vnte seculos.
As las produzidas no anno prximo passado da
tosquia dos rebanhos de carnearos merinos, per-
tencentes s fazendas imperiaes do campo de Cha-
los, deratu uro peso equivalente a 10,000 kilo-
grammas.
Do Charivari traduzmos o que segu :
Certa noite, em urna casa de tabolagem clandes-
tina porten.-ente a tima baroneza em decadencia
chamada d'Ange, um cavalleiro apresentado pela
primeira vez perda sommas fabulosas desde que
comegava a jogar ; mas em seguida elle se aper-
cebe de que nesla honesta reunio s elle nao ira-
pagava. Ento ergue-se, pede licenga para sahir
por alguns instantes, e ao fim de um quarto de ho-
ra est de rolta.
Sois vos a mo, diz a dona da casa passan-
do-lhes as cartas.
Jogava-se o lansquenet.
O cavalleiro toma o baralho, e faz banca.
dezesete sortes, e reganha tudo quanto havia
perdido.
Um dos parceros. altonitode lamanha felcida-
de, que cria ter conquistado para si, toma urna
das cartas tiradas, observa-a com attengo, e se-
guidamente levanta se, dizendo :
Meus senhores e senhoras, nao contnuem a
apostar contra o senhor ; elle faz masste. Estas
cartas nao sao da mesma cor que as nossas ; re-
paren).
A carta aecusadora passa de mo em mao, e ca-
da um verifica ser ella com effeito urna parsita.
O cavalleiro conserva todo o sangue fro.
Que respondis a isto ? pergunta-lhe o par-
ceiro.
Nada que nao seja, senhor, que vos dtzes a
verdade.
Como ?
Na verdade, estas cartas sao dfferentes das
vosaas ; pois arranje perfeitamente um baralho
preparado sobre as cartas que a senhora me pas-
sou.
Mas, entao...
Todos faziam isto ; cada um de vos tinha na
algibeirao seu massinliode cartas, e eu fui buscar
o meu... Que queris... suppuz que era isto um
l^ftaaatfaw.
O Sr. S. B. pede-nos a publicacao doseguinle :
KxmgXo.
Ente abjecto, malvado,
Desnaturado, villo ;
P'ra que envolves tua honra
No mais infame leilo ?...
Teme de ueus a justiga I
Es bem pequeo I perdo I
(Imitacao.)
Na praga publica no leilo da honra,
Um velho stulto, corcovado e coixo
A todos qur fallar t
E' o pejo e o pudor dos seus llhinlios,
Que elle entrega ao rigor do camarlello
Em triste apregoar !...
Vinde atiend-lo geragoes presentes !
Pas de familia, esentai... ouvi I
Colhei exemplos de horror e pasmo
Na scena virgem que se passa all I
Ei-lo bradando: Tenho duas fillias,
< Se honradas sao, por esse bnlho ainda
Eu as detesto I
< Meu desejo v-las na miseria,
t Provando a irrisao e o raartyrio,
t Era negro manifest I >
Quero v-las cobertas de andrajos
Pelas ras pedindo tima esmola
c Por caridade !...
E' este o meu praxer ; sere contento
Se ames de morrer fr Deus servido
< Fazer-me esta vontade I
c A minha maldigo pouco ainda
< E pouco o meu desprezo, a minha ira
t O meu rancor
t P'ra ellas, a quem espero ver mui breve
Estorcerem-se nas anciasda penuria
> Lutando com a dr I...
A maldigo deste pai desnaturado
Nao basla para dar a seus desejos
Segura garanta I
F'aminto como em seus rancores
Precisa ver seus fillios na irisera
Noite e dia t...
Silencio I... a Providencia ouve atienta
E o nao quer fulminar, porque Ihe cumpre.
Urna missao,
Quer faz-lo errar por este mundo,
De remorso nutrido, o s vivendo
Em triste expiago I
Fevoreiro 26.
CMARA MlMCiTAL.
Aos 18 de Janeiro de 1884, comparecern) os
Srs. Hennques da Silva, Maia, Gustavo do Reg e
Gamciro, e nao houve sessao por falla de numero.
Eu, Francisco Canuto da Boa-vagea), secretario,




Diario de l'emambnco Kabbado 2: de Fevereiro de f *4.
fc sttbscrevi.-tenfiques 9a Sltva.Rogo fl ala. dcu urnas bengaladas, c receben as emporros,
Garaciro.llego. Pello o procesp, foi pronunciado o pobre prelo,
"*----- :e li-"ou livre o sohriulio v fluii-presldenle.
SESSAO E.VTRAOKDIX.WIA AOS 19 DE JAN121- O processo saino en recurso. Eaolll i iva como
RO DE 1864. juii do direito ; e tendo por dogma a liberda.lo do
Presidencia do Sr. Uenrqiut da Site /. cidadao peranle a lei, couiirme a pronuncia do
Presentes osSrs. Barati de Alincida. Gustavo'preto, e prontinciei o sobrinho do vire-presidente.
do Reg, Mello e Gameiro. Miando bmui cansa os
Srs. Barros Reg e semella os mais senboret,bre-
se a sessao, e lida e approvada a acia da .ulece-
-dente.
L-se o seguinle
EXPEDIENTE :
SUiu oftlcio do Exni. presi late dorta provincia
r. Domingos de Sonsa Leo. coinmunicando ter
no dia 13 do correte a>suinido a adaviai racao
da ni. -ma provincia na qaahdade di) sea 4" vice-
presidente, por ter de seguir para : rrtc, alo-
mar a-i-nio na cmara dos deputtdos o Ej;m. Sr.
Dr. Joo SUveira da Soma.Iuteirada.
Outrudu vicario interino da freguezia do Poco
da Panella Thomaz Colho (Mima, remoliendo ..
mappa dos baplisalos Lavlos u'aeeclla fngue/.u
no semestre de jalho a dezembro do .muo p tssado.
.ao archiva
utro de eageaheiftl cordiador, infamando o
requerimenlo, no qual o cemmendador Jo;io Pinto
o"e Lemos, pede para que llie seja concedido, re-
parar no sen ptedio denominado Trapiche da Al-
faodega Veltia, 0estrago causado pelo incendio;
diz que o predio du (tetici'iaario, aiindo a planta
ta cidade, dore ser cortado pelo lado Ja m ar em
sentido ubliquo na distancia de 40 50 pa.mos, c
dies vrehihos em distancia menor. Porta Uo, diz
anda o engenheiro, que se o peticionario nata de
azer una reeditk aeao, e nao semiente ec nceno,
ser preciso dar-se-lbe cordiacao no sentido da
planta, mas que, se trata fomente de oncelo
s. m alteracao na frente, parere-lhe que e-U car-
diacao oao necessana.Posto em discu sao de-
hbeiou-se autorisar ao procurador, que eeteaden-
do-se rom o proprietario, tratasse qiianto ante- da
desapropriacfw. cousideraudo-a de maior urgen-
cia.
Outro do memo informando a petieo de Auto-
aaioFernandes da Costa Lima, declara que a casa
de sobrado, de qe elle trata, nao tem as dimen-
*es marcadas as posturas em vigor partj.se Ihe
conceder fazer soleas, mas as mesmsseteunns-
lancias ein que o snpplicaiite se acia >a le-n a c-
mara concedido a ostros.Mandou ;eouv cal, a requerimenlo do Sr. Barata de Almeida, so-
bre a altura eue tem o predio da soleira ao fre-
chal.
Outro 4o administrader do cemiterio da fregue-
xia do ISico da Panella, remetb-ndo o maipa dos
eiiterraincntos que seflzeram n'a.pjt He esti.bcleci-
inento desde 17 at 31 de dezembro do aropas-
S3d.Ao procurador.
Fbi reinetti.lo a nina commissSe especial im-
posta, dos Srs. Barata de Almeida e Gamei o, urna
Esta pronuncia motiven a denuncia, qoe foi da-
da por uin g Miro do mesmo vico-presidente, o boje
finado Jos Antonio Pereira Pacheco.
Respond i denuncia, e esperei a docisau do tri-
bunal da relacao, que a desprezou in lunine. Os
Indagadas as plrosfenaa nenbajma appareceu, ra
a doeiiie n'iiic.i -ouhe respon Irr-me. satisfactoria*
mente ; limas ve/.es ilia-uie qae uada va, uuiras
que via un clarao sem forma alguma. Mu tos exa-
mes foram fetos neste sentido e sempre davam o
mesmo resultado, a mesan incerteza.
Collocado umdoente em um qitartc, com a fren-
te para urna iiorta ibcrta que dava para urna sala I
bem clara, percebia elle os vultos das pessoas qu
atravessavain sala perto da porta. Estando o
quarto fechado e Iluminado por urna vela, o doen-
t' leudo os olhos fechados, va a somlna de miulia [
autos aqu estao na respectiva secretaria, para tes- i inao pas>ando bem perto dos olbos, |jorin a inedi-
lemunho do exposto.
Tenbo em miiiba carreira de magistrado sido
denunciado 3 vezes.
A itrimeira esta, de que acabo de fallar : a se-
gunda foi a que apparereu por occasiaodos fados
oecorridos na eleieao da freguezia de S. Jos cm
1851, de que o publico de-la la bem in-
leirado : a terceira a do desemwfrrailor Mauocl
Itjdrigucs Villares, de que agora se*tma.
As duas primeiras decahiratn por iufundadas :
espero a decisao da terceira.
De tolas se v, que se tenho respondido por ac-
lOStaeilSCOOM magistrado, porque tenbo busca-
do administrar justca sem diMini-eao de pessoas ;
liesso dizer, cjino entrera dizia o philosopho :
Calamninm-ine f Agrad^o Dos por Ivwerem
<>.< meus inini-jos para dizer mal de inim recorri-
do ti mentira.
Hecife, Jt> de fevereiro de !-i.
Trtstao de Menear Araripe.
Hulea me^llea elrurgiea do Dr.
Cosme de Hh Pereira, na capi-
tal da provincia de Pernain-
buco.
Gegueira attribuida gotta-
serena. Reforma do servico
mitar exigida por este estado ;
eegueira altr'juida calarlas
lenticulares, operadas pelo Dr.
Sa Pareen : eyeracio en ambos
os olhos, pralicada ein um sa-
lao pelo mesmo doulor; feliz re-
sollado.
OBSERVAgio N t) I0 ANNO P.VSSAO.
Cuntinuaro do Diario al.
0 prmeiro caso de cataratas, que se apresen-
tou em nossa clnica o anuo passado, o de que
vamos tratar nesta historia um dos mais mi-
portantes ; a idade do paciente, seus longos solfri-
mentos. sen grande prejuizo na mterru|cao de sua
carreira in lit*r. entio, sua inutilidide para sua
iuula. sao motivos mais (jue sullicienles |>ara
desaliar teda a atieii'o do leilor sobre este tra-
tailio.
O Sr. Joaiiuim dds Santos Noves, alferes refor-
SS e ^^.^-2^"^' Tta "in,o ^r? naudo de N rooha.de 77 an.K.s de idade, natural
S?^^S ^hi^tt Wina' d'! Pernambuco, rasado, eslava ceg, e taba W*ir
fa^^achinaeodarida ate a ion.das, ^ wnorcongenionouHio
Ijacentes por dou pequeos janos^de :t!.qilerdo> e que j Ibe embaracava a vista e o oes-
des eoMietfce* o mais agradavet, assimcomoo
mais delicado e delicioso lerfume que jamis te-
mos usado.
A' venda as boticas e lojas de perfumaras.
Allociico proferida por Augus-
to < olin da lllva Hlos, em
occaKio de dcscer ao tmniilo
o cadver de Knymiindo Va
lentlniano de Horaea llego,
alumno do i auno do curso
jurdico.
Senhons !
Muframini mei, mise-
lemiiu inei, sallem vos
imici mei. Qnm tnamis
oinini telii)it me.
(Job.)
A existencia d'aquelle q e all vedes borda do
sepulcro, acaba de ser arr meada pelo furacao da
morte I
E1 mais una flor cresta la pelos raios do sol ;
mais urna luz apagada na manilla da vida ; mais
urnaesperancaperdida n; voragem dos lempos;
mais urna victimadas amarguras inundaras I
Cabio a fatalidade sobre a existencia desse jo-
ven, que sempre abommoii os negros andrajos do
vicio para adorar as candi las votes .la virtude.
A vida, senhores, o se ffrer da bumanidade,
a sua rpida peregrinacao neste inundo, o rido
solo, em que as arvores cobrem-so de espinhos, em
que o genero humano vai jassando por duras pro-
vacoes '
ate
adjacentes por dous |>equenos
expedicao,e ahi espama-sc. nvadindos
sala anterior da casa, onde ciiega mesm<' perco
de agua quente exprliiiia de envolta coni faino e
pequeas partculas de carvo.
Despacharam-se as peticoes de Alexantre Jos
da Sib'a. Antonio Ramos, nernardino Jos MonXei-
ro, Clemente Soares de Carvalho e ouinx, Jos
Ribeiru Kibas, Jos Joaqmm de Pinho Min-ionci.
Paulino Antonio Ramos, Thomaaia Mara da Coii-
ceicao, e levaniou-se a sesso.
Eu, Francisco Canato da Boa-Viagom, cretarki
a subtw-jvi. Henriqoes da Silva, pro-pr denle.
Rifo.Mello.-Gasseiro.Leal Seve.Barata
de Atmeida.
QUARTA SESSO ORDINARIA AOS 20 HK JA-
NEIRO DE m\.
Presidencia o Sr. Uenriqies da Silva.
Presentes os Srs. Barata V Alenla, Gustavo do
Reg, Seve, Mello e Gam-iro, faltando en causa
4 Srs. Marros Reg e sem ella os mais smnores,
alire.-se a sessao, e lida e approvada a acta da
antetedeute.
U> seo seguinle
EXPEDIENTA:
Um fficiodo juiz de paz do i" annocol*dis-
tricto da froguezia d. Recif--. major A'exandre
Augdsto de Fras Villar, communcandi, taver
entradooo exercicio di mesmo cargo. inMWwla.
fluir do jaiz de paz presMMMe dn junta de qua-
liicacao desU fregoezia de Santo Antouo, Joa-
auim Antonio Cameiro, requisitando mai-- 50 ca-
dernos de papel |ierlina (uiado, e 20 de mei
bnllanda tainl>em pautado, este para se faaer a lis-
ta pira a presidencia, e aquvlle para se fazer as
listas etc. que por lei obri;ada a juma a fawr.
Posto ein discussao, resolveu-se omeinr-se ao
juis de paz, dizendo, que a cmara re netteu a
porcao de papel pautado precisa para o procesan
da qnahSracao, como o fez para as nutra- fregue-
lias, e nao houve aindareclamacan; eqnantoao
papel de meia bolla ma nao o furoeee poniue a le
nao a obriga a toto.
Outro do Sscal Usa regneza de San o Anto-
nio, declarando, em vista da ordein que Ihe foi
dada, que o sobrado de um andar n. 21 >i ra
da Gamboa Un Carino jiertencenie a Antonio Fer-
naudes ila Costa Lima, tem de vao no andar ter-
reo de'eseis palmos e duas pole ola-, e no pr-
meiro andar Sssnsfis palmos sdiente.Coneedea-
seipre Antonio Eernandea da Costa Lima uzease a
trapi'ira que requeren.
A' requerimento do Sr. Gamcro. nvtndna-Sfl
chamar o prim uro supliente do juiz de paz do Io
districio da irejueza da Boa Vista para se jura-
mentar, e cnpletar assm a lista.
Di'spacharam-se as netiooes de los Fmandes
Monleiro, Dr. Manuel Frainisco Teixeira, e levan-
tou-se a sessao.
Eu. Francisco Canuto da R>a-viagem, secreta-
rio a suhserevi.Barros Reg, presidente.Henri-
ques da Silva.Rogo Maia.Leal Seve. Reg.
Mello.
COMMNICADOS. _____
Jknuuca du desetutiur^adui* Jlnioc.l
b lili l-i ",(!(> \IIllt>.
Hoje apparece no i'irw de Prrmmbico una
MMicaco do desembargailor Manuel Rodrigues
Villares, relativa a denuncia que o mesmo apre-
scutou ao governo imperial pelo fado pul inim ja
xespondilo naste inesiao iuio.
Na imblicacao que Ik nao prelendi justilicar-
ane ; apenas quiz de>'larar o motivo da t enuncia
.para que o publico o soubesse : e no.sntro na
di-cussio provo'-a la pelo m-'-m > desiiml argador
m sua punheacao de Iwje, porque essa discussao
iulemp''stiva.
Por o. s pirante o gsverue imirml devo dar
ji razo o mea prorrdiweiitu. Fulcro que o
govejiio imperial teulia oecasiao de a| rer.iar o
meu acto : e nao oVfejo pre*aleeer-ine da pre>-
ripilo, como suppoe o deuuuciaut.; ; noljj o lac-
lo da pivsijicio cuino uuia smgularidaile darde-
uni ua.
Eiii o devio lempo, come promet!, i publno
se*.a informado de iudo <|uaalo od o ier acerca dr.
nanmili
Falla o dosenibarpador Manoel Rodrigues Villa-
res un urna caRa a elle escripu em lo, quando
eu tiede responder urna deottncia igual de
boje. Mas a que em es.a carta ?
Nao k faci meu. Pode um amigo inteiessar-se
por neg.eios nosses sem que o nbamoi.-, e que
imieao oos provin d'alii 1 Nenbuma.
A.-seguro aqueKes que connemu o meu ca-
raci.-c, que A niuguea ped cartas.
Es;a miiiiia asaevoiacao pode ser crdi ^ por-
nue se eu derlara-se, que de oul.ro mudo |iroce-
dora, s aos m^j* tuices, entre os quaes e-tava o
de>emi.argad.<- Manuel Crnlrigues Vilbi, irro-
^ava injuria, suppoudo-os capazes de dobrar-*e
.pediios.
Vio ped earus muguis ; e nao ped, 1* (<-
ajue lints eouscMratcia de, aie ser cubwso o tarta
teuHucia-io : 2. perqu, s^H'ie amstmlo, < (>*-
Biaaoo do sacerdote da b-i mui elev;id>i ron sabia., ijue era urna injuria fazer pedido* ao juiz.
"i por missai faz--r jusiiea.
O meu d nuncianlediz pstar piompto a
mostrai-me a carta, pe^-o qu a publique.
Em -ora elle e n sua p ib icaeio de laie, qu 0
tacto, porque ento fui denunciado, nao cou-ttuia
critne, e que lie proprio v.aou \ de, todava loiivem exjior o faci.
Em 1830, ira capital do Cear, entio vicepresidente la provincia, o coinin -nda-
dor Joaquim M'-ndes da Cruz GuimarSos promo-
teu em casa de uro prtto um pequeuo iislurbio
tanegir com gran lssimo encomniodo e pengo
medico prudente e conscienemso, leudo leito sou
exaaaa e seu jaizo, leve a franqueza de dizer
doaniti que elle-nao poda cura-la -, e bem assim a
Brema urbanidade de afflrmar-lbe queeudesem-
(lenharia e.-ti- trubalho da maneira a mais satis-
factoria ; e neste sentido aeonselhava que vieese i
Pernambuco.t Isto nos impossivel, resnondVu o
ancio pae : a queslao de urna paga merecida-
mente devida parece-me invencivel : ao que
respondan o estimavel collega : O Dr. Sa Pe-
reira nao vende seos ser vicos seno aos que Ihe
podem pagar devidameoie -, quelles.que o nao I
lKbsm fazer, elle presta com a maior affahlida-
de possivi I. t Est certo disto, Sr. doulor ?
perguulou-lhe a joven doente. Certissimo,
hita senhora Poseo osoMf com sua pro-
terco ? Nao preciso, e, se for, cont com
o que eu he poder fazer.
Confiada nesta pmmessa, das depois, a doente
l>e.lio lieenca seu |iai, e ein companhia de um seu
mano veio a esta cidade, recoliieu-s" casa Ai Sr.
Luiz Pedio das Noves, onde foi por mim operada
com toda a feliridade. (>
Na mema oeeass, depos de examinada essa
iloonie. o Dr. Mor.ies exaniinou tambem os olhos
do Sr. alfares Meros ; e deu-m tamhem o parecer
de vir Pernambuco para obter sua visra ; e todo
o raciocino empregado pido distlncto collega, para
convencer o Sr. alferes do pr-veito qoe tirara
desta viag mu, foi infructfero que o longo sof
frimenio, a tanga idade. o desanimo, e o parecer
de outros collegas, Ihe haviam untado a esperanca
da anda ver o Creador, vtr a patria natal, ver os
lilhos e os amigos nao acceitou o parecer do
008*0 collega consentio que sua filha 0>esse,
mas elle licou.
da que a mao separava-se do rosto, a sensaciio de
sua sombra cada vez era menor, e a dous palmos
de distancia elle nada va anda mesmo eslaudo
com os olhos abortos.
Repet por vesos estas observaees, e sempre ob-
tive o mesmo resultado.
Passando a examinar os tlemais orgiios, vetifl-
quei que o Sr. Nevos nada sonra no pulmao. no
eoraeao, nos entestinos, ele, etc., embora fosse
rendido de amias as verilbas.
Assim, pois, pelo meu exame se v que o nosso
(lenle lem ainda sulliciente aclivdade da retina e
do ervo oaiico para recebei e trausmittr a seusa-
cao da luz ; que oenliuma molestia hava compro-
meltido o interior dos olhos menos o cryslabuo, e
que este interior eslava em boas cjrcumstancas,
(cmaras claras, pupillas movis e sem adheren-
cias, c sem alterando de cor, etc., etc.)
Nesias circumstancias eu liz o seguinle diagnos-
tico : o Sr. Nevos SOlfre de cataratas lenticulares
maduras e operaveis. (*)
Quando se comprime oollio sente-se em seu in-
terior urna luz viva e azulada, a esta luz o Sr. Sa-
vigny deuo nome de phosfjiia; o vulgo a conbece I Medonho oquadro, que nesle momento se apre-
com o nome de caudeas. Esta Mosaco laminosa sema diante de nos E* u n espectculo, com effei-
lem sido estudada cuidadosamente pelo Sr. Sern* to, triste aos olhos da hu tandade o ver inclinada
(drzs); a importancia de seu estado para o ao- a trra, pe i sopro ardenti dos males deste mun-
nhecimenlo do estado em que se achaa parte seusi-1 do, urna fl'M'escenle plant, que viva a sombra
Uva do ollio boje mquesJonavel. (Juando se iu- j aviventadora e benelica d. Providencia Divina I
ilaga, e ellas apparocem, rpidamente e phospho- Uem moco anda baxoi sepultura o distncto
roseentes, como o relmpago, se enti-nde que a re- acadmico Este acontec mente para nos um mo-
tina conserva toda sua sensihilidade normal ; seas tivo solemne de profundo senlimenlos.
phosfenas nao apparocem logo, se falla ein alguns Nao e a lisonja que fall, a dor nlima do co-
dos pontos cardeaes do olho, se emende que a re- raeao do amigo, a voz sincera do coinpanbeiro
tina ou lem urna iraca se isbildade ou a perder de estudos.
em parte ; se ellas nao apparocem se conclue se- Immenso o vacuo, qu< a perda desse joven,
gundo dizem os autores clasicos qtie a retina est que Deus chamou junto si, vai causar no seio da
paralitica, isio que nao mais capaz de sentir a sua nconsolavH familia : ella chora o bom e ver-
luz; esta ultima asserc.io me tem faltado em 3 ca- dadeiro filho; nos, o amito sincero e dedicado, o
sos : na Exma-Sra. D. Gertrude Mara da Con- incansavel roinnanheiro das lides acadmicas; c
ceicaopor mim operada com feliz resultado no an- a provincia do ^taraahoo aquellejjue pelo seu ta-
o passado (Diario de Pernambuco de 12 de agos- lento, dediraeo e moralidade muito lionrava I
to), no Sr. nevos e em mais um doente, que nao A InteTfigenca que sen pre o distingui enlre
soffria de catarata, estes dous ltimos sao septua- seus collegas, no meio dos qnaes gozava de innu-
genarios, aquella linlia 48 anuos quando foi onser- meras sympaihas, a perseveranca de esludo, do
vada : do que eu nosso concluir que- iwdem faltar qual lrava felizes resultados, a vida exemplarissi-
as phnsphonas sem que a retina tenha perdido a ma que levava, a modest.i que o caractersava e a
faculda le de sentir a lux. Nao duvido que os affabldade que mostrava para com todos, tudo isto
doentes lenham concurrido para o erro de miuhas. forma o seu mais bello monumento de glora.
observace; ire tomando nulas em outros casos,! Senhores, a infelicidar e tem invadido uestes
porm desde j previno os praticos desta circuins- uliimos tempes a nossa F ir.uldade de Dreio. Em
lanco. 11862 iierdeu ella um dos icus mais brlhanles ta-
Conclumdo mea exame o Sr. Neves pergunlou- lento*. Joaquim Francisco do Negreiros Filio, de
me seeutinha esperan-a no bom exilo do meu' saudosa memoria, que depois de haver felo acto
trabalho': respond Ihe que sim ; elle rio-so, ou I do 3o anno, suecumbio ni dia 30 de novembro de
antes, duvdou do que eu Ihe dizia ; trocamos nes- i nina ternvel epidemial
ta occasiao varios chistes appropriados a questao' Teve ella occasio de tambem lamentar neste
do da (eslava cntio mui vivo o resenlimento pelo [ mesmo anno o passament i de outro nosso colleua,
insulto que nos fez o pavilhao inglez); espero, Ihe; Cajuetro de Campos, que honrava a corporacao
dizia eu, que gozando de sua vista defender a | acadmica. Alm (lestes, lanos oulros tem sio
ilha de Fernando de Noronba da iuvasao ngleza. igualmente victimas.
Terminada nossa conversaran, c estando o doen- E quando a athmospheia se aprc=entava risonha
te disposto passar por urna operacao, foi marca- e lisongeira para o illustre acadmico, cujo iran-
do o dia 23 de fevereiro para esse lim, e convida- sito neste momento solemnemente lasiimamos,
dos para asssti-la os Srs. Drs. lloraos, Rocha Bas- que a cru>l parca veio ccifar-lhe o fio da vida I
tos e ocirurgiao Alves ; e neste mesmo da, s 11 \ Agora, senh-aMis, urna lugiima de saudades, co-
lleras ern poni, estando presentes os convidados e mo inanifesiacSes de nossi>s vivos sentimelitos, dei-
mais os Srs. pharinareutco Luiz Pedro das Neves, xemos cahr sobre a campa do finado amigo, sup-
o negociante Francisco Jos de Olivera, um seu plicando aos cos pelo rerouso eteroo de sua alma,
sobriuho a dous Qlbos do Sr. alferes Neves ; exe- Re cutei minha ojieracao com toda a felkidade, e as
11 e meia j o doente doscancava era seu leito.
Logo depois da operacao, indaguei o o-lado da
vi>ta do doenti", e elle respondeu-me que pelo ollw
es |urdo nada via, porra que pelo direito distin-
gua minha mao c meus dedos.
.i tarde, deste dia o oporado nada'ainda solTria.
26.Infoniioii que djrmio pouco, que os olhos
Ihe choraram uuiito, e que senta una cousa como
grao de areia im interior dos olhos.
27.0 mesmo estado.
28.0 mesmo estado, porm o doente desaina o
apparelho que se Ihe I avia aiqilcado para con-
ter os olhos, o que me obrigou a levanta-lo e ap-!
plica-lo de novo.
Examinando os olhos notei que o esquerdo tinha
a cornea transparente, cmaras claras e pupilla
negra. U direito a cornea nao liavia adherido, es-
lava opaca na parte corlada, e a cmara anterior
tu i va.
Io demarco. Nenbuma oecurrencia.
2.0 d lente seniiudo picadas nos olhos leva a I
mao nvoiuutaiiam-ute tara co-salos ; leudo feto
este movni.-nto, e querendo rete-lo em meio ca-1
minho, nao o pode ma.s. (0 doeino lem as maos
ireuiulas.) EMa batea-lbe em um dos olhos causan-
do-lbe vivador : i-to aconteceu por mais de urna
vez. O apparelho neste da levntalo, e ludo vai
seta alteracao.
Hecife, 26 de fevereiro de 18i.
Calca a paluda norte em marcha afana
0 rejiu paco e a pa- toril cboopaaa.
0 que a vida ? Urna va illu-ao, urna coi-
mera II ,
Ainda ha bem pouco t-npo o Sr. mirechal de
campo Pedro de Alcanu ra B llegarde, lo che
de vida, promettiauma I- osj daracao, e entretan-
to Inim depressa desappareceu d'entre nos para
esconder-se no tmulo. Fatalidade 11
Quem dira, quetao prximo eslava o termo de
sua existencia
Sim, o dia 12 do corrente vea ceifar-lhe a vida,
reduzindo ao pranlo, ad' e a desolacao a sua fa
milia a quem idolatrava extremamente.
Morru, sim, mas nao morrer lembranca
para aipielles que o apre avam, e nem to pouco
morrero os seus fetos gloriosos.
Itestahelecda a Exma. Sra. D. Guilhermna So- 3.A oaViiebra do ollw es.iuerdo amanbece mui Rmi esposo, bom amigj e bom servidor do es-
lome de Nonata Nevos, informen a sen pai todo ,qlad;l e u oinrt I|u|j S(in.ive| tado, eram attril.utos que na vida social destn
ooec.irrido, e terinin.ni sua altenciosa carta |>e- L-^ i^auno Mato. Uvaitei delBnitivamente guiram sempre ao finado Sr. Bellegarde, e sem
dindo, e rogando-lhe viesse cunr-se : dizendo-lne 0 apuart,l|l0 a S(!n.|),|jdj,. ,ius uws ,,ara a luz jamis alTastar-se desses inoeipio, go-ou de ge-
mais, que Unta um preseiitiinento de que seria elle. ul 0 d(WIlta reDU,.n vivauente a capen pa- ral estima. Sempre tral: vel nunca recusou rece-
O amor tal presagia as vetes ver-. ra ,raz |ogo ijU(J a ^ .,(,aiece no piarlo. Os
olbos remclain e deui-se. lia ligeira dr de ca-
beea.
Prescrevi ao doente o seguinle :
Calomelanos 20 graos.
Eltracto de belladona 6 gnios.
Para 40 piluias, das quaes tomar 4 por dia,
com utervalios regulares.
Sulfato inentro de oiropiia 2 graos.
Agua destilada !/2 onea.
i caixaeatelaria ; a Vaz 1 Leal.
1 caixa cofre de ferro; a Augu-to de Oliveira. l
53 barrs bairilha, 10 toneladas cobre, 400 bar-
ris plvora, 100 caixas velas, I volumes fazendas
de liuho, 43 ditos dita de algodao ; a ordem.
loo barricas cerveja, 27 volumes fazendas de al-
godao, 3 diios dita de liuho, 2 fardos saceos de al-
godao ; a Adamson Howio 4 C
-' volumes fazendas mixta ; a Henrique & Azc-
vedo.
46 barricas enchadas, 5 volumes forragens, i
fardo lonas, 39 caixas liuha de algodao ; a Isidoro
Nato & C.
i2 volumes fazendas de algodao, 4 ditos dita de
lia, II caixas liulia de algoiiao ; a Rabe Slla-
mela u.
9 barricas vdros, I volume obtactos de seleiro,
49 ditas fazendas de algodao, 1 dito pbjeetM de ar-
niarinho, 7 volumes fazendas de iinho, 9 volumes
ferragens, li toneladas, i quintaos e l libras de
ferro; a Patn Nash& C.
3 volumes fazeudas de algodao; a A. Cesar de
Abren.
50 gigos louca ; a Aquino Fonceca.
60 gigos louca ; a F. G. de Olivera.
8 caixa licores ; a Bowmann & C.
2 volumes objectos de aruiaiiuho; a Moreira
Das. ,
10 barris oleo de linba^a ; a J. Jeffres.
20 ditos dito dito; a Mills Latham & C
18 caixas machinismo ; a Jolmston & C.
Patacho inglez Italia, entrado de Halifax, consig-
nado a Sauuders Brothers & C, manifestod o se-1
guite :
2.121 barricas e 40 caixas bacallao ; a ordem.
Bam americana Meneo, entrada de Philadelphia
consignada a llenry Forsler \ C, manifeslou se-
guinle :
1,744 barricas farinha de trioo, !>o pecas machi-
nismo e 3 locomotivas a llenry F .rster \ C.
Brgne nacional Prazeres, entrado do Rio-Gran-
de do Sul consignado a Amorim Irniaos, manifes-
lou o seguinle :
11,646 arrobas de charque, 02 arrobas de sebo,
4IH iiiias de graxa em bexifaa, 30 barricas sebo
eoado, 1,700 linguas seccas e .'03 resteas de cebo-
las ; a ordem.
Escuna hollandeza Drie Gesutters Pott, entrada
de Liverpool consignada a Th. Jeffenes, manifeslou
o seguinle : ______
232 toneladas de carvse-de pedra ; a~f?fe"m.
Brigue nacio1ral Trovador, eutrado do Rio de Ja-
neiro, iiranifestou o seguinle :
Genero estrangero j despachado para consumo.
200 barris inanleiga, 200 ditos banlia, 150 ditos
vinho, 14 caixas agua raz, 'JO volumes barricas in-
ternadas, 643 barricas valias, 16 amarrados, 6 cai-
xoes e 30 caixas fugo da China ; a ordem.
Genero nacional.
1,500 saceos familia de mandioca, 200 caixas
sabio, 32 barrs toucinlio, 300 raiias velas steari-
as, 30 latas e 233 rollos fumo ; a ordem de di-
ver.-os.
Reccbcdorla de rendas Interuas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 23........ 33:7314101
dem do da 26................. 80W322
34:637*433
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 23......... 102:70:14992
dem do dia 26................. 1:9324487
104:6064649
MOVIMENTO DO POBTO.
S'icios enlrados no e frvereiro.
Rio-Crande do Sul3 das, patacho nacional Ade-
lina, du 201 toneladas, capilae J. Manuel Feotes,
equipagem 13, cuva 10,061 arrobas de carne ;
Maia i Espirito Santo.
Rio Grande do Sul20 .has, (tarca nacional Aguia,
de 281 toneladas, capitn Franeiaeo Paulino da
Silva, equipagem 13, carga 13,300 arrobas de
carne ; a Hallar & Olivera.
Montevideo57 das, brigue ho'landez Joao Jacob,
de 202 toueladas, capitn J. W. Lingbeek, equi-
pagem 8, carga 4,000 quintaes hespauhoes de
carne ; a Amorim & Irmio.
N'ivio tullido no mesmo dia.
Porlos do Norte Vapor nacional Mamanguape,
commandante Manoel Rodrigues dos Santos
Motara.
EDIT1ES.
mulo feliz.
iladeias venturas para os seas progenitores ; e
i|iie n.io no le conseguir a razio de um medico,
con-eguiii fcilmente o pedido de tuna liiha : o Sr.
Neves nao pode sublrabir-se a este reclamo
dio e obt ;ve Iol'o una lieenoa. Parlio para Per-
n.mbueo, recolheu-se ,i uiesnia casa em que esla-
va sua lilba, que era de vemos amigos, e 18 de
fevereiro, contou-ine a seguinle historia :
Em 1831 com re a sentir grande falta de vis-
'ta, pontj que, estando na firma, nao poda ama-
prir as ordena que me eram dadas ; e Bostas cir-
imisianc as fui forjado a pre>iar-me a u.ua ins-
peccao d -. saiule comiio>ta de ires uiembms : os
r 1 SI, I ""** """"' 14-f.-. \J -UlC I II.lili l||-
quaes, de tais de ropetidna exames em meus olhos, 1 tu fr,lUxa,lielUe or ||10
de.larara n que eu sonra de gotia-serena, mal m- 8 _0 (,oe|lt aSjOU ;,.,,,..
cuiawl ; em consequen.ia do que me jnlgaram 111-
b.-r a quem quer que o procurasse, anda mesmo
na alta postan) em que -e achara se tornava a
ella indiferente, com tanto que a lodos ouvisse rom
a maior attencao. Taes iredicados nao sao mui-
to coinmuns, mas elle os possuiae sem fazer dlsso
osti-ntacao.
Repassade de sentimen:o pelo fallecmento do
amigo prestimoso, no p. sso ontra cousa fazer se-
nao lamentar a sua per.la e misturando as m-
nhas lagrimas com as de sua familia, invocar
Dissolvida par crililar lgumas gotas ontreas Heos pelo repouso de sua alma. A trra Ihe seja
palpeiuas duas VOSOS por dia.
5.O mesmo estado. Oininuac o dos mesmos
medicamento*. 0 olh. inantem-se fecliadoe ceber-
as dores
habilitad.- para todo o servir militar e em vis-
la 4ete parecer, minha reforma foi exigida c pou-
co se denorou em ser-me dad .
Assn pas-.-i eu muitos anuos, ora enxergan-
do mais, ora aseaos, mas >empre pouco, conusa-
mente e nial, at que, em 1838, de tudo perd a
vista no olho esquer.to, e em 1839. a IMSOM des-
gi-ara acoitee. -u-ine no olho direito ; boje nao en-
x.-rgo mu cavalleiro montado a cav.illo a dez aas-
sos de disiancla s percebe na vista ou urna es-
euridao, u um nevoatro BiyeaiOi
Antes de Bear ceg, ou logo que coinecou o
meu mal, senta nos olbos um veo que suba, e,
.piando eslava bem alio, de-apparecia para mos-
Par-se em baixo, subindo de novo ; isto era para
nuil uin eucoinmodo lerrivel me nao deixava.
qur de da, qur de nole. Nao sou achacado da
eabeea. e uem tenho solfrido molestia nos olhos.
genio essa.
O Sr. Ntaes me informou mais outros enoonatao-
do-, que 11.1.1 tiuhain lelaciio alguma com a moles-
tia dos olbos, mas que cuiiviuha saber para pieve-
uir-ine.
Assnn, pois. temos um doente, digno de eslima
pelas suas boas unaMdades, que soffre ha quasi 31
anuos un nii-aj.i para a patria, a rujo servico mi-
litar se deilicra, e pata sua familia : sua informa-
gi>>, seu ca acler, *ua idade, s'us padecimentos, me
ex.iiar.nii todo u ialeresaa Observemo-lo agora
scieiililicar.iente.
Ubsmaro presencial.
A luz tira do sol o iucoimuoda bastante ; o que
nao obManie lem elle a cab.-ca levantada como se
quize.e olliar para u* nuveus superiore- a sua al-
tura. 1
0* olbos tem dureza aatural; as palpohraa. que
quando 100,-0, deviaui ter sido bem gordas, ci-tao
li|e magras, e deixam-se calor um pouco sbreos
oil,.-. o .jui-. .1 iiiiiiu a ab.rtuiadestes. Neiiliunia
lajanjiu se nota na eoujuiietiva ; as corneas esto
trant^.renles uo ceulro, purm na eiicuoif-reu-!
ca lia opacid..de senil, (circulo s.nil dos aul.res)
-;io leaatMls ao loque. : aaatacaj anteriores pr-
fedas : a uor4eiiores pequeuas : iris sem ,auh.-.-
reuea alguiiM, 8 ueuhuiiu alteracao se nota em
sua cor, t nas franjas d seu pequeo circulo:
ci-j-labnos opaco.-: no olh laopaei laUe ralada em
( IVpo das cataratas glancoinolo>as; mais volunio-
s'a que a du direito ; e a isto atlriliui eu a pregona
ila ni-"h'.-le lado; no olho direito a paeidade
iiuilorine e cinz-nta, o olho nti se v a dilferenca
entre urna e ontra logo primen inpfaanle.
Indagadas as imageiis da Purkinje, so a,.|j..receu
a priiavn hem clara ; e em qoalqu.T henlido que
se prorurai'Se urna das ontias, nem 110 centro, e
uem na eintunnJbroucia do- crysUlinos nao se va.
() Trta-se de um tumor fibroso congeiiito, (n>
plantado na enclerolice, h leudo ja invadido parle
la cornea; e cujo volume nao s perturbaa a
visia, como ombaracava o pestanejar, causando
eucoinmodo.
passou mclhor a ncile
sid menores.
9 O mesmo estado, e para melhor.
10, II e 12.Molduras prugressivas.
25.0 Vnle nao sent dr nos olhos ; sopear-
la bem o clarao de urna vela; as ponas da quarto
em que e-t perraanocein entre-aliertas sem llie '
causar incoinmodo a luz; abre e fecha bem os'
olhos ; reeonheee as pessoas que se aproximan!
delle; comaos d.-dos de minha mao, qualquer que
seja a combinara.) oue Sd (ac ; toma uin copo, um |
lenco, una quaftutf 1 com facili.lule.
1 nosso Dora doente fot muito feliz, e deste dia
em (liante dado como curado desui eegueira
Quinze das depos passeara elle e sem guia nas
ras desta cidade, e foi ra Nova procurar um
par de oenlos apropriadus a sua vista ; e tendo en-
conlrado um de 11. 5, com o qual pode ler algumas
lemas do Diario de Pernambuco ; licou neste dia
como um lonco riu.lo-.se a cada instante, e appli-
cando s.'iis oculos.
Eu o havia aconselbad) que lal nao Osesse ; nao
tomn este rons.dho, de que Ihe ia resultando a
perda completa de seus omOS, |v>is que urna eon-
geslao Ihe sohreveio que o uve cgO |Kir alguns
das, sendo-llie preciso tomar alguns laxantes, ter
grande repoii-o e muita dieta para destru-la
Parti com sua liiha para a ilha de Fernando,
donde j me escreveu informando ter chegado em
paz.
A 13 do mer.de Janeiro do corrente anno seu filho
me informou que seu pai eslava no gozo de sua
vi Tal foi o bello resultado deste nosso trabalho :
cbeme immensa saiisfaca. por ter restituido pa-
tria e familia um veterano honrad.., uin pai ho-
nesto, tdo como intil ha 32 anuos.
Dr. S.\ Peiikira.
(Continiuir-se-ha.)
leve.
Recife, 27 de fevereiro de 1864.
Eduardo Firmiwo da Silra.
CQMMERCIO.
0 Novo Banco d 5 Pernambuco convi-
da os crodoies adrnii idos ao passiva das
massM do Mesijuila Duna e Francisco An-
tonio Correa Cardozo ireceber 0 piillll'll'ii
dividdDdO deslas massas, deven.lo exhibir
os respectivos titulas para ser annoiado o
pagamento.
Alfaiulega
llet dimento do dia la Si........
Mera do dia 26.................
675:17957i0
18:0193128
693:8194108
Hovimento in alfaodega
Volumes enlrados com fizendas...
com {eneros..
Volumes sahidos
com
com
; zondas. ,
I eneros..
213
22
3i
213
56
PU3LKA?CES 1 PEDIDO.
O pi-iftiinr d hesnlspherio oe-
iilil:ll
(Eslracto do jorual.1 Chronica 23 de junno
de 858.
AguaUorda: noineio do oppres.-vo calor que
nos cerca debilita, e de que nos lodos mais ou
meada safreuiee, raatidtrawua aquello que nos
pode proporcionar qualquer um meio d allivio
consolador e de mtigacio .-nave para nossos sof-
friinenios como um grande bemfeitor. Os Srs.
l-amuan A Iteuip residentes em Water Street, n.
nescarregam no da 27 de fevereiro.
Barca americana .Meare carne secca.
Brigue nacional -Arioaaatai-ame serra.
K-cuua hollandezaru Ceisteis Pol-carvar.
Ilrgue porluguezConstante IImercaduras.
Escuna ingleza Queen i( Ote d/tri bacalho.
Patacho inglez Italia -ba.^lbo.
I'aiaeho he-panho| Proapta farinha de trigo.
Galera ingleza//c/im/.ecarviio.
luipo tuvfio.
Patacho inglez Propon.c, entrado de Liverpool,
consignado a Paln Na-li A C, tnaiufe.-lou o se-
guinle :
i5 barrs pregos; a R Ihe & Bidoulac
i dilo pre. unios ; a Pilmcira & Bellrao.
70 saceos arroz ; a Afaurtm binaos.
_ 17 volumes fazendas de algodao, 4 ditos dla de
laa, 2 caixas chapeo- .1. sol; a Linden Wild.
1 caixa ohepos de soi, 21 volumes fazenda de
algodao,"! dito dita mil a, I dilo obj.ctosde arma-
rian ; a Ferreira A Ariujo.
50 bgornas, 200 bam* chumbo de innicao, 10
dbis enchadas, 97 voluu es ferragens, 60 p.-sos de
ferro, 20 barris oleo de linluca e 50 toneladas tie-
drasde eal(amento ; a Saunders Brothers & C
1 -.liiiii.- drogas; a l.'aors A Barbosa.
500 caixas sabao, 18 ditas lijlos de faca ; a 1.
Paier & C.
7 volumes fazendas de alttodad, 5 ditos dita de
Perante a cmara munic pal desta cidade es-
tar em praca nos das 27 e 29 do crrente e 2 do
mareo prximo futuro, a obra do aterro e bomba
a fazer-se na travesea do Quiabo da povo.cao dos
Afogados, oreada em 3714100 : aqu.lles que a
quizereni arrematar, compar.cam nos menciona-
dos das uo paco da moma cmara, munidos de
liadores idneos que garantan! a execucao da obra,
sem o que nao podorao licitar. 0 oreamento da
obra aciia-sona respectiva secreuna.
I'aeo da cmara municipal do Becife 24 de fe-
vereiro de 1864.Luiz Fiancisco de Barros Reg.
presidente. Franci-co Canuto da Boaviagem, se-
cretario.
0 lllm. Sr. inspector da tlies-uirara de fa
zen.la de Pernambuco manda fuer publico que li-
ra marcado o dia 17 demarco prximo vinduiro
para o concurso que em virtude da ordem do llie-
souro n. 13 de 26 de Janeiro ultimo, se tem de abrir
uesia mesan Utesoorana para ureeneaimento de
duas vagas de ."I" escriplurario da thesouraria. Os
exames versarao sobre as seguiules materias :
theora da cscripluraijao mercantil por partidas
simples e dobladas, e suas appliraeSes ao commer-
cio e ao thesouro ; traduccao correcta das linpoas
ngleza e franr.eza, 011 pelo menos da ultima ; prin-
cipios geraes de geographia e historia do Bra-il,
algebra at eqoacdos do 2o grao, e pralca do ser-
vido da reparlieo em que o empregado estiver
servindo.
Secretara da thesouraria de hienda de Pernam-
buco 16 de fevereiro de 1864. Servindo deofli-
cial-inaior, Manoel Jos Pinto.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial cm cumplimento da orden do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico que no
da 3 de marco prximo vindouro, vai novan., nte
prac,a para ser arrematado a quem por menos
zer os reparo- preciso* nas p mies de Tacaruna,
Santo Amaro, Arrumbados e Varadouro na estrada
de Olinda, avahados em 7363100 rs. E para cons-
tar se mandn publicar o proseis pelo jornal. Se-
cretaria da thesuuraria provincial de Pernambocu
16 de fevereiro de 1864.
O secretario,
A. F. d'Auunnciacao.
Crrelo geral.
Pela admnislracao do correio desta cidade se
faz publico para fins convenientes, que em virtude
dodisposlo no artigo 138 do regulamento geral dos
correios de 21 de dezembro de 1844, e artigo 9 do
decreto n. 785 de 15 de mao de 1851, se procede-
r o consumo das cartas existentes na administra-
cao perlencente ao mez de fevereiro de 1863, no
da 3 de marco prximo, s II horas da manhaa,
na porta do mesmo correio, e a respectiva lisia se
acha desde ja exposta aos intere-sados.
Admnislracao do correio de Pernambuco 20 de
fevereiro de 1864.-0 administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Pela delegarla do Io disiricto desta cidade
foram apprehemildos quatro volumes sobre mate-
ria medicados autores Gmtenac e Vallis : quera
se julgar com direito aos mesmos compareca, que
provando, Ibes sero entregues.
Cooaellio administrativo.
O conselho administrativo para fornerimento do
arsenal de guerra tem de contratar os gneros ali-
menticios para a companhia dos aprendizes meno-
res do arsenal de guerra nos mezes de marco e
abril prximos vindouros.
Pao dr 4 engas, bolachas, caf, cha da India, as-
sucar retinado de 2* qualdade, inanleiga (ranceza,
carne verde, dita secca, arroz do Maranhao, fari-
nha de mandioca, toucinho de Lisboa, vinagre de
Lisboa, aceite dem, bacalho, feijao preto ou mu-
lalinho.
Para o arsenal de guerra.
Zmco em folhas de 9 palmos de comprimento e
4 1|2 de largura, cujas folhas deverao completar
0 numero de l,600jialmos quadrados.
Quera quzer contratar taes gneros apresentem
as suas propostas em carta fechada na secretaria
do conselho, s 10 horas da manhaa do dia 29 de
crreme.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecmentodo arsenal de guerra 24 de fevereiro
de 1864.
Antonia Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
Sebastiae Antonio do Baja fanos,
Vogal secretario.
Arremutacao.
No dia 29 do correte, Goda a audiencia do ju-
zode paz do 2o distnclo da Boa-Vista, lem de se-
rmHMTematados os trastes seguintes: 6 cadeiras,
1 coannodp4-aof e i par de consoles, ludo de
amarello, em bomTStadn^por execucao de Joaquim
Domingos Fernandes, peuhoTaa'os a Joo Jos Ce-
sar de Lima.
AiTCiualaco.
No dia 1 de marco, linda a*audiencia do Sr. Dr.
juiz municipal da Ia vara ha de ser arrematada em
hasta publica por ser a ultima praca, urna casa
de vi venda construida de taipa. com um pequeo
sitio, periencenie mestna.com caciraba e tanque,
no lugar Arraial, avahada era 4003, por execucao
de Benedicto da Cusa Machado, penhorado fia-
noel Cordeiro Vieira.
Correit.
Pela administracao do correio desta cidade se faz
publico que em virtude da convenci postal cele-
brada pelos governos brasileo e francez, serio
expedidas malasjiara a Europa no dia 1 de marco
prximo, pelo vapor francez Bearn. As cartas se-
ro recebdas at 2 horas antes da que for marea-
da para a sabida do vapor, e os jornaes al 4 ho-
ras antes.
Correio de Pernambuco 20 de fevereiro de 1864.
0 administrador,
Domingos dos Passos Mliaoda.
r.iinsclliu adanaislrativa.
0 conselho administrativo, para furaerimento do
arsenal de guerra, lem de comprar os objeclos se-
guales :
Para o 2 balalho de infamara da Haba.
Chapeos para calceta 3.
Mantas de la dem 3.
Algodoziuho 200 varas.
Para a hospital militar.
Cuberas de chita 12.
Copos de vidro para agua 12.
Chicaras azues 24.
Pires idem 24.
Bacas de roste 24.
Calix de vidro 11
Para o 4 balalho de artilharia a p.
Brim branco 250 varas.
Algoduzinho 123 varas.
Bonets para recruta 50.
Mantas de la 50.
Para o arsenal de guerra.
Livro em branco de papel pautado de Hollanda>
de 100 folhas 1.
Dilo de dito rom 200 folhas 1.
Pregos de assoalbo 10,000.
Brim da Russia 500 varas.
Quem quizer veoder laes objectos apresentem as
suas propostas em carta fechada na secretara do-
conselho as 10 horas da manhaa do dia 29 do cor-
rente mez.
Sala das sessues do conselho administrativo para
fornerimento do arsenal de guerra 22 de fevereiro-
de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel, presidente.
Jos Antonio Pinto,
Tenente-coronel, vogal.
GABINETE PTICO DE
RECREIO
Caes 99 de Movembron. 40,
lenle ao passadiro do Kfcife.
Ho.e e amantia nao chovendo.
Extraordinaria apresenlaco de 60 vistas das
mais importantes do universo; de.ixam de ser men-
cionadas por ooeopar muitu espaco. O director
de.-te aalo e-lando ja para 1 etrar-se, e tendo re-
cebido grande numero de novas vistas, que se
apresentarao pela prm eir vez neste .-alan, em
4 apresentacocs de meia em meia hora de enter
vallo, turnndose deste modo una excedente ga-
lena sem igual em lodo o imperio : as resp.ita-
veis familias que dcsejarein apreciar e admirar os
lugares mais importantes do globo, poderao con-
101 rer; nesta wccasio o dito salao eslara aborto
das 6 l|2 horas da noite em .liante.
Entrada 30o rs.
DECLARAGOES.
69, falirieaut.s da agua florida, tornani-se pois
com justa raza.., em su nio grao dignos deste "libo; a PuippsDrolber; A C.
louvor, e o seu aniiuucio pode ser visto em urna
outra columna desta edi;ao de hoje. Esta excel-
leete agaa ou a.hniravnl lioui.lo usado para os
usos ordinarios de tumbos, e por sem diivula um
(*) Eu devo fazer aqu nina ubervacao, por
nao ii.r visto que fogse ella tratada uos poneos au-
tores que tenho lido.
27 volumes ferragens, 50 ditos objeclos de agri-
cultura, 30 pesos e 1 barrica ditos ; a Prenle
Via una.
I volume fazenda de lia, 1 dito dita de bobo, 7
ditos dla mixta ; a Joo lieller & C
3 volumes fazendas de lia; a H. Gibaon.
5 ditos fazendas de al ,'odfra ; a Ferreira & Ma-
Iheiro.
Companhia do lleberibe.
NTi'i se tetiil'i podido reunir DO correte
mi'/11 numero de. memhros u6ca ra haver sessa.i de adtninisiraco, por falt*
de unse e iinpciliini'iiti de otros, c la-
yendo negociosa tratar do argeocia que nao
deven sor de.ididi.s sem a sua nlerferen-
cia ea|iprnvacao, o Sr. director manda con-
vidar a lodos os senhores de que se compoe
a mosma adninistiarao para cuiii|iarocerem
no dia i de margo vindouro ao meio dia no
escriplofio de suas se>sfies>.
0 es.riptutario,
Marcolino Joe PUpe.
No da 27 do corrente mez, a ama hora da
tarde. ile|i,i.s da audiencia do Sr. Dr. juiz munici-
pal da 2" vara, estVivin Santos, se ho le arrema-
tar por venda cinco sextas panes de una casa ter-
rea com sotan, muro na fr. nte c portan de ferro,
e cun um pequeo sitio na e-irada do Giquia da
freguezia dos Alegados, avallada cada sexta parte
por 3004 ; e cinco sextas ,.arles de ii.na parle nas
trras do Paco do tuquia e Casantes na mraam fre-
Huezia, aunliaio O aatiajO trapiche, olaria, vivel-
ros. un cruzeiro de pdra e urna cacimba, tudo
em ruinas, avallada cada s-xla parte por 1785403,
penboradas Antonio da Cunta Machado como ad-
ministrador de sua muiher. e Jos Plumelo de
Olivera e Silvacoino ailuiiiii-liarlor de seus quatro
lilhos menores losa Florencio de Olivera Silva J11-
nior, Jeniima Agela de Uliveira e Silva, Mara
Isabel de Olivera e Silva, Vuipiano, e an- tres
prinieiros maior.s de 12 e 14 anuos, por execucao
de Manoel Jeaqnim llaptista. conf .eme o escrpto
.pie se ada em man do p .rteiro do jaita. So n.io
boa ver audiencia no da indicado, a pr.-.ga lera lu-
gar no da prmeira audiencia do mesmo juiz.
Manoel Joaquim Uaptisla.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PALLETES A VAPOK-
Dos porlos do norte esperado
al o dia 3 de marco o vapor
Princeza de ioinvle, comman-
ilanie o primen* tenenle Araujo,
o qual depois da demora do cos-
ame, seguir para os porlos do sul.
Desde j reccbeui-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor imder conduzir, a qual deveri
ser embarrada no da de sua rhegada, encommen-
das e diiihero a frote al o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Olivera Azevedo C
Nova ranill.
Este navio que tem superiores commodos para
pa-s,e,'eir .s. segne para l.isbii e Porto no m do
crreme mez de foverero : trata-secom Marques'
llanos v G.ou cera o capilt Manoel Francisco
dos Santos.
COMPANHIA l'EriNAMBCANA
DR
Vavegaeo eosteira a vapor.
I'arahiha. .Natal, Mario, Aracatj, Ceari, Acarar
c Granja,
No da 7 de marco prximo se-
guir s 3 horas da tarde para o
porlos cima indicados o vapor
l'ersiinimjii, rommaudanle Bates,
_ Recebe ovado to aerea al o da 5.
Encwinmeu.tas, passageiros e dimViro a frele at
e dia da sahida as 3 horas da tarde : escriptorio
no Forte do Mallos n. 1.
I COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos jiortos do sul estrado
at o da 30 do corrente o vapor
Cruzeiro do Sul, cominaiidautc o
capitn de niare guerra Gervasio
Mancebo, o qual depois da demo-
seguir para os porlos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
raendas e dinheiro a frele at o dia da sahida s 3
horas, agencia ra da Crur n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Olivera Azeredo 4 C.
ra do costn
s
\%



Diario de Pernatabuco ahbnrlo 99 de Peverelro de IStt-1.
3

f
COMPANHIA PERNAMBUCANA
Xitvegace eostelra a vapor.
Maeri e Srrgipc
o da 5 do marco prjimo
seguir o vapor Parahyba, con-
mandanie Martins, para os por-
ua indicados, s 5 horas
da tardo. Recebe carga at o c a
4. Enoommendas, passageiros e dinheiroa frete
at o dia da sabida s :i horas da tarde : escrip-
torio no Furto do Mallos n. 1._______________
COJIPAMHIA
DAS
MESSAGERIES IMPERIALEi
No dia t" lo
marco esperase
dos portos do su I
o va|R>r francei
Beorn, romman-
dante Aubry le
la Noe, o qual
depois da demo-
ra do eoslunie
seguir para llordeaux tocando cm S. Vicente e
Lisboa.
Em S. Vicente ha nm vapor em corresponden-
cia cotn Gorce.
Para freas e passaRens trata-se na agencia rt a
do Trapiche n. 9.__________ ____________
Vara Lisboa.
Saldr com toda a brevidade. o milito veleiio
brigue portugucz Constante, II, por 1er ma si
prompto todo o seu carregamento, tem excedentes
commodos para passageiros, e para estes e o reg-
ante da car^a trata-se com Manoel Ignacio de
Oliveira & Fdho no largo do Gorpo Santo n. 19.
Para o Rio Grande do Su I segu com mui a
brevidade o patacho brasileiro Oons de Dezembo,
tem a bordo parte do carregamento e recebe o
reste afrete eommodo: tratar no escripiorio e
Amorim Irmijprrua da Crai n. 3.
____ATOOS DIVERSOS.
Associaco Typographica
Pei'iiambucana.
De ordem do l!lm. Sr. presidente, sabbado 27 do
crreme, as 7 bocas da tarde e no lagar do costil-
me, haver ses.-o extraordinaria do conselho.
O mesmo Sr. presidente recommenda aos Srs.
socios eflectivos que tenham em consideracao as
disposiedes do lto doarl 10, assim como os arts.
67, 28,69, 70 e 71 dos estatutos.
Secretaria da Associacao Tyiiograpliica Pernam
bucana, 2i de levcreiro de 1864.
Carlos Uias, 1 secretario interino.
Negocia-so um lenvno na ijameleira. no la-
gar denominado Riacho de Manoel Ferreir, com
f 300 palmos de frente e 400 de fundo : a tratar na
ra da Praia n. 6.
Prerisa-se de urna mulher que njueira rniinhar
para pequea familia, com tanto que seja limpa e
cozinhe bem : a tratar na ra Vuva de Santa Hila
n. t7. mi SU, serrara.
OI


lUlliilllVI
Acaba de sabir Jes p 'fUs d>, no-sa
efliciiH calmanak eivif, ec coiniBerc*-1, fabril e agrictl, centn-
mmMMmmwmmwmm ^* empreados, mn.i.,s
IMPERIAL
Advocacia.
Jpj Os advngados Manoel Jos Pereira de
?? Mello e Antonio Rangel de Torres Han-
_ deira tem o seu escriptorio na ra es-
treita do Hosario n. 10, primeiro andar,
0 cirui'giao Leal mudou'H?81
Kit Grande *e snl
O patacho nacional Leopuldina segu com bre-
vidade, recebe alguma carga a frote, traase com
os consignatarios Marques, Barros & C largo do
Corno Sillo n. i._____________________^^^
Para Usboa
segne com a posstvel brevidade o bem conhecid)
lugre pertuguei Julio, para o que tem grande pal-
le da carga engajada ; para o resto e passaireiroo,
aos quaes ofterece hons eotainodos, trata-se com o
.consignatario Thomaz de Aquino Fonseca, na ra
11 Vinario b. 19, primeiro andar, ou c a o capi-
lao o Sr. Francisco Antonio Meirclles, na praca.
Para o Parto
pretende seguir com muita brevidade a barca por-
tuguesa Feliz, tem parte de seu carregamento i
bordo : para o res*) que llie falta e passageira,
paraos qnaes tem excedentes commodos, irata-se
cora os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Az'vedo i C, no seu escriptorio ra da Cruz
(numero 1._________________________________
Har IHaranhSo e Para
pretende seguir cota muila brevidade o brigue na-
cional Amelia, tem parte de seu carregament)
promiito : para o resto que I he falta, trata-se con
seas omsignalarios Antonio Luiz de Oliveiri
lo & (1, no seu escriptorio rna da Cruz n. 1.
"nra i, lim de Janeiro
ende segnir com muita brevidade o palhabote
nacional Piedaiie, tem parte do seu carregament i
a bordo : para o resto que Ihe falta e eseravosa
te, para os quaes tem encllenles commodos, tr; -
e com os seus censi^nalarios Antonio Luiz dJ
Oliveira Azevedo & C, no sen escriptorio rna di
Ouz p. 1._________________________________
Para o Porto
A bero conhacida e vele-ira barra portuguesa
Restauraran pretende sahir com brevidade porVr
a bordo maior parte de seu carregamento, e pa-
ja o restante e pas.-ageiru-, para os quas tem
-niagniOcos romnodos, tratase com os seos con
ios M. J. Ramos e Silva Genros, ra do
1 gario n. 10. _____________________
PAR 0 RIO DE JANEIRO
:e com brevidade o brigue Trocador, recebo
carga e escravos a frete : Irala-se com os consig-
natarios Marques. Barros 4 C, largo do Corpo
Santo n. 6._______
Ufo Crande do *nl.
O patacho D. Luiz segu com brevidade, e re-
ceba alguma carga a frete : tratase com os con-
signatarios Marques, Barros & C_ largo do Corp-)
Sanio n. 6.
M
da manhaa al s 3 da lar le.
a sua residencia da rna do B.**^ >_.v_ra an
Oiipimqrtn nava a toh w mmm^ %kmM mm**Mmm
uueimaao paia a rmt ais p,iienCia dC lii hnm na. ci.
Crazes sobrado n.- 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharo como sempre
prompto a qualquer iiora pa-
ra o exercicio de sua pre-
fisslo, chamado por escripia.
Prenle Viauna 4 C. administradores da massa
fallida de Luiz Ignacio Maciel, previnem a todos
os credores da massa, que, por detenninac/io do
juizo especial do coinmercio.lico i transferida para
o da 27 do correnle as 12 horas a reuniao que
eslava designada para o dia de luje.
I neti lijantes, iiiclHsive s modiliiaeoes j
0 liavidas at I de o/.iur 10 ultimo ;
jjif unde-sea IJOOO unir enle na li-i
"M M-atia ii. 6 c 8 > prara da Indepen-
di'iiiia.
- Aluga-se oarmazem n. 4 da rna do Apet, c
olerceiroandar da casa n. 88 d ra da Impera-!
triz ; na ra da Aurora n. 36.
Gelo, gelo, gelo.
Com a chegada da nova macl na nao se expe-
rimenta mais falta de gelo fabri -ado com agua do
Praia, todos os dias a qualque hora, para por-
coes grandes ou encommendas ara fra da pro-
vincia dever haver aviso com niei"cdencia : roa
da Aurora junio a fundicao onde lem a bandeira
Aluga-se o segundo andar e grande sotao do
predio da ra de Apollo n. 34, tendo no andar 3
INSTITUTO
Corre boje.
Sabbado 27 do corrente mez, se ex-
traliir a sexta parte da segunda lotera da
Miseriwrdia nd consistorio da igreja de
Nossa Senhora do Rosario da freguezia de
Santo Antonio.
Os bilbetes e meios acham-se venda na
respectiva tbesouraria ra do Crespo n. 15
e as casas contmissionadas ra da Impera-
triz n. 4i, loja do Sr. Pimentel; ra Direita
n. 3, botica do Sr. Chagas; ra estreita do
Rosario n. 12, typographia do Sr. Mira e ra
da Cadeia n. 43, loja do Sr. Porto.
Os premios de 5:0005000 at 10000
serio pag'^s urna hora depois da extraccao
at s 4 horas da tarde, e os outros no da
segurnte depois da distribuicao das listas.
0 thesouretro,
_______Antonio Jos Rodrigues de Souza,
AOS 5:000,000
CAS* ll\ FOimiM
Bllhetes garantidos
A' ra de Crespo n. 23 e casas da costura?
Corre hoje.
O abaixo assignado tendo rendido em seus mui
felizes hilhetes garantidos o de n. 2656com a sor-
te de 1:2005, e entras muitas de i0o, 40A e 205
da lotera que se aeabou de txtrahir a beneficio
da igr.ja do N. S. do Livramenlo, convida aos
possuidores de ditos bilheles a virem recSeber seus
respectivos premios sem descont algum em seu
estabelecimenlo Casa da Fortuna ra do Crespo
n. 23.
O mesmo tem exposto venda em seu dito esta-
belecimenlo e as outras casas do costume os no-
vos e felizes bilheles garantidos da sexta parte da
segunda lotera beneficia da Santa Casa da Mi-
sericordia que se extrahir no dia 27 do corrente.
Precos.
Bilhetcs inteiros..... 62000
Meios bilheles...... 33000
Para as pessoas que comprarem
de 100A para oima.
Bilheles........ 54500
Meios......... 23750
Manoel Martins Fiuza.
Claudio Ihibeux, em addnarnento ao annnn-
cio da liquidacao de sua emprea de mnibus, de-
clara aos senhores assignanles que podem ainda
reformara sua assignatura al o lim de marco salas, 5 quarlos e grande cotinhi, e no sotao salas,;
prximo vindouro, lempo em que lindar a dita quarlos e cozinha : a tratar na ra da Cadeia do
empreza. _______ | Reeifc n. 64, loja.
tjueiii precisar de urna ama para o servigo
de casa, dirija-se raa da Senula Nova n. 30.
Em a noite do dia 18 do trrente mez, pelas
8 horas fugiram da cidade de Olinda da casa da
abaixo assignada dous mualos escravos de nomes
CaMhnwio e Moyss, o primeiro es-uro, pouca
barba, Iraz pera e pipada, estatura ordinaria, com
idade de 35 30 annos e secco do eorfio, e padece '
de cr>si|n'lla tendo por isso a perna e.~pierda cu-
chada ; o segundo claro estatura ordinaria, labios
corados, nariz um pouco chato, grosso do corpo,
seto barba e representa ter de 18 a 20 annos, leudo
na cabeca urna marra jie cicatriz sem cabello: am-
bos foram vestidos e calgados com palitos oscuros
e calcas de brim brancas, ou pardas : levaram com
i
Curso de preparatorio*
Francez,
lngli'7,
fieomelria.
Goograpbia,
Rbetorica
a roa do Queimado n. 30, pi imeiro andar,
das 10 s 2 da tarde.
NOSSA SENHORA DO BOM CONSELHO.
Kl'A DA AIKOin \. &0.
Sob a direcc&ffo abaixo assignado acha-se funecionando este Instituto desde o dia 7
depneiro prximo pensado, e nelle se ensinam todas as disciplinas preparatorias para a
matricula do curso jurkbco, desde pnmeiras lellras.
Todas as cadeira achamse providas pelos melhores professores, cuja lista j foi
publicla nesle Diario.
Reeebem-se pensioawlas, meio-pensionislas e externos, pagando na seguinle pro-
porcao:
PEPISIONISTAS.
Quartel de casa, mesa e luz .. ............ W04000
MEIO-PENS-IONISTAS.
dem de mesa.............................. 43*000
EXTERNOS.
dem de cada preparatorio...... ............ 204000
Os pensionistas e meio-pensicviistas pagarao os preparatorios que esludarerr i razo
de 54OOO mens,aes, bem como os eMernosd'anlaprimaria.
Para mais esclarecimentos dirijam-se ao director, a qualquer hora, no Instilo*, que
franqueado visita dos pas e correspondentes, bem como- a (odas as pessoas que- nisso
tiverem inloTiati
Recife, Io de fevereiro de 1864.
Antonic Aogustc Fritrxika Lima.
ift,^fi2ClfiSW 4 5^o,^a ---s "4?.k Bes
INTERNATO
PC>?v*SS[ ^K.
DE
Professor de piano
Jos Coelho da Silva e Aranjc. bem conhecido I
go que roubaram abaixo assignada, um bahusi- nes,a "idade, contina leccin ir piano e musi-
nho de amarello envernisado contemlo um saqui- ca 'ocal por eommodo preco : qiem de seus ser-
nho com cerca de um conlo de reis em pecas de *'?< precisar, dinja-sea ra do Livramenlo n. 21,
011ro novas e velhas, tres doblas portugu<-zas, um segundo andar. ;
dobrao e urna moeda americaai grande e urna pe- No escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
quena porcao de moedas de ouro dl> cuco mil res ^wdo 4 C, na ra da Cruz n. 1, precisa-se fal-,
edoHars; mullos papis de importancia, algunas es- |ar com o Sr. Lula Soarea Hotel, filho de Jos
cripluras publ.ras de acqu.s.cao, |,ap,-i, de com-; Soani me\bo e de Fortunata Candida de Souza,
natural da
para es-
C>
mmm
Estabflecido na cidade do Recife
*ol a Proteeeo do Wummo Pontfice W%m IX.
Director0 bar.harel em nalhenialieas
sua
naj endossada, e dnas letras siccadas pr Fran-
cisco (lomes de Oliveira como lestamenteiro do fi-
nado Henry Gybson, e aceitas orna por Marctllino
:>-.:-.
D-se dinheiro a premio em pequeas e gran-
des quantias, sobre seguranca e n casas, mobiliM,
& C. da quaniia de 1:8584180 c a ou'ira da quantia ouro e prata : na ra Augusta n 15, das 6 s 10
de 2.0154660 reis aceita por Antonio Correa de, horas da manhaa, c das 3 em di: nle.___________
Vasconc.-llns. com endosso em branco, ambas ven- jo,-. Joaqnim de Luna Rair io, Goes A Bastos,;
(iveis en 30 de marco do corrente anuo, cojos acei- Antonio AI ves de Miranda Guiniares, nomeados
MnM) ja se acliam prevenidos para as nao paga-' ,)(.|l)s credores de Julio da Costa Ribeiro para ven-
rem se nao a abaixo assignada : urna corrente de Bearen o debito d.- ouro ingleza para relogio com sinete, afumas ioias noeMiM para Ibaa apreseatarem 1 eus crditos alim
de ouro e pedias e um pequeo caixo de madeira ,1,. sprem verificados, lato de boje ata a dia 29, das
de fura, de um palmo em quadre. pouco mais ou
menos, com ni tocen tos aore ceitosmil n-isem pa-
taees: suppoe-se que estes esc rivos segnirain pela
estrada do Peixinho, ou do norle em direccaopara
Pedras de Fogo ; a abaixo assignada roga "encare-
cidamenle as autoridades polie.iaes de os capturar,
empregandoos meios para serem elles descolar-
los ; e aos capitaes de campo ariverte que serao ge-
nerosamente recompensados. Alm dos objectos e
dinheiio cima mencionados, levaram dilos e>ira-
vos(que talvez digam que sai livres) urna l>cn-
galla de e?toipie de cana da India verinelha com
gomos com o eabo preto de bfalo.
l'baldina Amalia de Mello.
10 s 2 horas do tarde, na ra di Imperador n. 51,
segundo andar.
Aluga-se o primeiro andar da casa da rna da
Lapa n. 1 : a tratar na ra da Cadeia do Recife
n. 49, sobrado.
Consultacoes ciriirgicas.
GO, Ra Aova, 60.
O Sr. Jos Francisco Pinto Guimar's, cirurgio
O Sr. Melquades Ferreir.-i de Souza, que tem
ou teve taboleta deourivesna ra de S. Jos, qoei-
! ra dirigir-se livrana da praca da Independa ns.
'668, sobre o aluguel da loj 1 da Senzala nova,
cuja chave mandn entregar sem a importancia do
aluguel.___________________________________
Sociedadc le seguros mutuos
de vida installada pelo aneo
i sii.io na cidade do Porto.
Os agentes nesta ciliado e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo A C,, escripiorio na ra
da Cruz do Recife n. 1, estao autorisados desde ja
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O director do internato de S. Bernardo, nao tendo evitado esforgos nem sacrificios
para proporcionar aos seus alumnos urna perfeita educacao phvsiea, moral, inlellectual e
religiosa, olferecendo-llies urna habitacao com bastantes condieoes de salubridade, habis
professores que sao solcitos em prepara-los convvnientemente' ao im qne se deslinam,
medico pralicoque Ihes faca eomprehender os preceilos da hygiene e Ibes cure das doen-
cas, c floalment um sacerdote illuslrado e honesto que Ibes explique os principios da re-
ligiao cBTlstaa, espera que assim constituido nao deixar. o seu estabelecimenlo de mere-
cer dos Srs. paes de familias o auxilio e confianca com que j algun9 o- tem honrado; e
Ihes roga, bem como todas as pessoas interessada*, que se dignem de visitar o me.-roo
seu estabelecimenlo, onde sempre encontraro franco ingroaaOi
Cadeiras de ensino :Primeiras lettras dividida em dnas classesrteBdo cada urna o
seu professor, latlm, francez, ingle, arithmelica, algebra e geometra, geographia, pililo-
soptii a, rhetorica, desenho e msica.
O collegio tem a sua sede no espacoso edificio n. 32 ra d'Auror contiguo ao do
collegio dos orphaos.
Nos estatutos do collegio, que estao a disposicao dequem os quiser ler, seacham
consignadas as cendicSes de entrada c matricula as diversas aula do estabeleci-
mento.
%tZ(t f iint/'T^ ,d,;-':,Sl,U;' J^JL ornar asignaturas e prestar todos ,, esclarec
liltiii1 lili k n,- t -i i> iliiLi molo -i l-i,i niHii.irui'ii lllirt
LEILOES.
^
DE
&
41S barricas com lint ingleza em
boies c vidros.
iio^i:.
Por ordem dos Srs. Mello Lobo & C. e por ronta
c risco de qnem pertencer 0 agente Pestaa fara
leilio do 28 barinas cm Intioes e tinleiros de vi-
deo de tinta ingleza com 1 marca MLj|C ns 135,
(36, 138 e 16 1 viudo de Liveriiool pelo navio in-
|lea iii'tiiilu, ser) vendidos sabbado 27 do cor-
rete (.las 10 luras da m tnha no ariuazem do
Sr. A villa noForledo Mal os.
mentes que forem necessaros, as pessoas que de-
I sejarem concorrer para tao til e benfica empre-
I zas, egurando um futuro lisongeiro aos aasociaOM
nhecido ne>ta cidade, onde a tao numerosas quao
brilhantes ruras, como a bom numero de opera-
pSaa at eolio deso-nhecidas na pratiea da cirur-
gia Pernamhucana (talha, eclomia, enterolotnia, re-
secfao ile loilo o maxillar superior, d'ametmle do
maxillar inferior, enitrlearao de um corpo fibroso
enno com o peso de 20 oncas, etc.), une longo p 1 fivafo rln fi
exercieio de trinta e tantos annos, ipie tecem o re- L 1 Uii I (lllllllit vid l'^oltl HL kj.
conhecimento de tao relevantes serviros prestados I T?ai1i0<>/\ At\ Pniilo ia
humanidade soffiedora, e exprmem o glorioso I
impulso por elle dado a arle de curar, em nosso
paiz ; sendo tamheni o primeiro qne nelle lem em-
pregado os anesthesicos tethei; chloroformio,amy-\ y0 jja 37 d orrente ao ni-io da algumas gv
InMi para facilitar a exerncaodellas, nem um fal-1 randolas de fogo do ar subiro aos ares annu
lecendo n'uma serie de 40 operados da segunda ciando a festa do da 28.
operacao, e, d'entre as oulras, algumas s por elle 1 a' noite a hannoniosa msica marcial do 9" ha-
tera sido praticadas nesta provincia, c lalrez fus- t:l]|>ao de primeira liuha locar diversas peca- de
sem as primeiras que tiveram lugar mesmo no iuMca do melhoigosto e aeleCQMV antes e depois
Imperio, segundo se deprehende das eslatisticas da '^ ladanha. e se soltarn alguns balees areoslatis-
obra de Sigauri Do Climat et Des Maladies Pu c^;;,, algumas rodas de fogo de artilieio.
Brsilimpressa em P/aris em 1844: Iransferio o, >-a madrugada do dia 28 havera ims.a, ao rem-
sen consultorio para a roa Nova n. 60, primeiro pt!r da aurora urna salva de bombas reacs siuda-
andar em que pode ser consultado todos os das r dejado ja da festa do glorioso S. Francisco
.\o largo do Corpo Santo n. 6,2 andar preci-
1 sa-se de um co.-inheiro 011 cosinlie a.
Francisco de Paula
Caxang.
LEILiO
di:
Dnas easas terreas.
SegnniU-feira 1',' rio Cirrente.
O agente Pestaa vender por conla e risco de
<|uem |iertencer dua* casa* terreas sendo urna rl
ra do Alecrim u. 2C e outra na na do Ouro n.
13, tendij a priineira 108 palmos de fundo e 22 de
fi ite. 4 quarts cwinlia fora e quintal murado
,> iitao, ambas pafam um |iei|U-no foro ca
m ira de Otin.la e rendan ambas 374 mensaes, es
pretenlentes poden examina-las e o leilo lera
ir seguuda-feira 29 do rorrete pela* II horas
nleis das 7 s 10 horas da manha, acerca das
doencas denominadas cirurgicas 011 externas com
especialidade daqnellas, em cujo iralamento mais
requenteniente nlervem a medicina operatoria.
de Paula.
As 10 horas da manhaa entrar a festa sendo o
orador o Rvd. padre mestre Lino do Monte Carme
lo plegador honorario da capelia imperial.
Finda a fesia hawr um balo de novo costo e
primor, obra de pericia do Sr. Joaquim Ensebio
de Souza. que empregou um novo papel ainda nao
visto em semelhantes machinas.
As 3 horas da lrdeos galhardos e lustrosos ca-
valleiros precedidos da msica marcial, enlraro
no pareo e eorrerao as lauca-, qual mais empe-
penhado em iirar a argolinha e reeefeer, ol re-
ce nd oa. o premio devido ao seu valor e destreza.
Depob do que nutro balo igual ao precedente
parceam as 2 l'|2 Iteras da Urde no consistorio da pasarar ntaao petos assnmbrados ares,
inesma, alim de acoinpanh irem a urocisso do seu Seguir-.-e-ha q rerolliimenlo da bandeira c a la-
PROGRAM.UA
DA
PK0I1ISS.. '
O escrivao da irmandade do Senhor Rom Jess
dos Afllictos, erecta na igreja de S. Jos de Riba-
mar, de orden da mesa regedora. convida a todes
os seus irnians para que no dia 28 do corrente com
DK
llJau ealxo de 'petira e eal e 1-
tel-aguas.
O agente Almeida coin|-tenlemenle, autorisaiU
f ir leilo de um C4xo |><>ra ca>a, em altura dt
recebar travejauii-nlo na rna da C'wordia n. 67
rom 40 |almos de frente o 70 de fundo em cuje
t'rreno esto enllocadas 4 inetaagnai que rendem
l| mensaes cada umae 9 mei-agnas sitas por de-
trado mesmo terreno na travessa da Palma de
i 12 que rendem 104 mensaes rada urna,
fado foreiro a Baritina a (irjem pana 25100 por
auno, e 3 meia-aguas em frente das mesmas de
*s. I a :i que ren lem 125 mensaes cada urna e
1i igam 200 rs. por anno de foro a misericordia de
4)1111.1.1. cujas casas sao perlenceules ao Sr. Anto-
ii a Joaquim dos Santos Andrade residente em
P irtugat, e por prociiracao bastante do mesmo e
--ia mulher est o Sr. Anumio Jos Rndrigues
de Soma, autori criptaras. O mesmo agen-e proceder a venda
c 11 um ou mais lotes a vontade dos compradores.
U'iai* n-IVii-it t tle iii;in;
0 leilo lera lugar na rna da Cadeia do Recife
arriiazeni 11. 48, as II horas.
padroi-iro, romo arlo quaresmal ; assim como pe-
ae a toiUs os habitantes das ras abaixo declara-
das, para ue limpem as frentes de suas casas,
pois sendo'que se aehem em mo estado, deixar
de transitar |or ellas, cujas mas sao asseguinles :
as sabir da igreja seguir em frente, vultando a
ra do Nogueira do lado esquerdo, Assumpco.
Calgadas, Pescadores, Santa Rita, Santa Cecilia em
djreego ao paleo da Rilieira, ra do Rangel, Quei-
mado, estreita do Rosario, Larangeiras, Calinga.
Trincheiras, paleo do Carino, a entrar na rna de
Hurlas, pateo de S. Pedro, ra de Aguas-Verdes,
I traveesa dos Martynos, rna do mesmo nonio, Au-
gusta, Imperial, Cinco Puntas, pateo do Terco, ra
Direita, Livramenro, Penda, segunda parte da As-
sumpco, abobada da Penha, S. Jos, recolher.
Jos Joaquim Hilario da Silva.
Eseriyo.
Dividendo.
Os administradores da massa fallida de Bastos
l Lemos eoiividain aos senhores credores a virem
com os seus titulo-, receber o primeiro dividendo
de 10 |>or rento ; no largo do Carpo Sauto n. 6,
2* andar.
Recife, 22 de fevereiro de 64.
^
DE
1': sobrad de um azdar em
Manto .linaro.
Q viitv-fkiha 2 un Mvnco.
Mu: di Cniup teii|i'iili"ilo aut>l'i-adi'
T; 1.1 leilo de 11 11 s dir lo d 1 um andar sito .-m
S tuto A'ii tro raa do Lim 1 n 1 lravwsa da fundiel >
(i 1 Star, leudo o -1 na 11 13 pal nos il 1 frente e 'Ji
indo, eo.i nha rra em nlm o pavimentos.
ira, quarlos piracri.i'lu-. ilitn- pira escravos,
c 1 val la rice p ira 8 ravaltos, lavto Ni poito graadi,
< um aunso viveiro ; O ten-no em que se acli 1
irado 0 sobrado jnroprhi e toa 160 patmis
ds fre.it'! e uiai- de 700 de fundo, lodo mura I l
irtao de ferro rende 900J por anuo,
o leilo ter lugar ra da Cadita do Reeift
i). iS, ai'ui.izcii), s 11 horas do dia cima.
- Precisa-se alugar um itscravo para cozlnhar
comprar e fazer qualquer oulro servico que for
dainha na igreja, disiribuindo>e nes-a oec.i-iao
(bem como na ve-pera) um folheto impru-so. nar-
rando a vida do milagroso laato. e eontoodo mitro
sim os versos que foram cantado* no levanlamen-
to da bandeira e da novena concluindo com um
lindo e l.em amajada fogo de vista. _________
Alnga-se um sitio na ra de S. Miguel nos
Afogailos, com casa caiada e pintada de novo,
quarlos para pretos, estribara, baixa de capim e
inultos arvoredos de frnctos : a tratar com Manoel
Joa da Silva Orillo, na inesma ra.
Francisco Garrido avisa ao reapeitavel publico,
qne na sua casa denominada Tr; viata, na ra lar-
ga do Ronrto n. 37, ter disi*<;o de hoje era
(liante dons buhares deumgno coinpelenlemenle
preparados ; refrescos, sorvetes, etc.
ama m um
Preci-a-se de urna ama de leite : na ra eslreila
dolto-ario, sobrado n. 8, segundi andar.
Aliigain-se dua- ca-as tern-as sita na estra-
da do Chora Menino entre as duas ponles, com os
cliamado, e una e-crava que saiba lavar, engom- commodos seguinles : qualro quartos, dua- salas,
mar e coser: a tratar no escriptorio da casan, 'rosinhas fra, quintaes murados e cacimbas : a
19 da ra do Trapiche, ou no sitio Chacn, no tratar no sitio n. 1 da estrada, de m.-pital pnrluguez
Poco. i ou no paleo do Carino sobrado n. 2.
O bacharel Tliom Fernalides Madeira de'
- O adiiiitiisiradnr da massa fallida de Maihiel
cred ires para no tor-
da di presente anniiii
primeiro andar,e contina a advogar no admSnls ,.0i apresentarem ue aeus ttulos alim ieseremv-
tralivn.conunercio. civel. erime e eeclesiaslico. riticados e rla-sifuados : para :U pmleio leva-
la rna da Cruz.
Castro mudou o seu escriptorio di! advofaeia da j0M\ ,\,. Paria-, convida aos c
rna do Imperador n. 71 para mesma ra n. 77, m de oHo das da publmieic
Alne.im-se as casas na ra do Corredor do Ion ca-a n. 36
Pcfa molienda eduva ficnu
para hoje a procissd) de Nssa
Senhora da Soledad % erecta nn
igreja do Lioranunto se as-
sim o lempo permittir.
Seb istio y'erra da Silva,
Secretario.
Compeadio de dircito elvil.
Na ra da Saudade n. 9, vende-se o
eomrHnilu) de direilo civil, a tproiado pelas
congregac&ea doa lentes das faculdades de
ilireito desUi cidade do Recife e da de S.
Paulo para as respectivas aulas de direol
cii patrio. _______^^___________
Inio dos Heslrcs Architerlns aaiacs.
De ordem do Sr. nresiilenlc scientifieo aosmeni-
bros que rompoe a Unio, (|ue i o dia de inarct)
vindouro na veri reunio gerai para se nomear
urna cominisso que tem de ir i rte a servico da
socied.ide.
Sala da A-soeiaco em 26 de lavereiro ile 1864.
Jos Elias Marn do Freir.
Io secretario.
Previne-se ao respeilavel publico que nin-
gue n faca negocio ruin os e-cravo- perleneentes
Jo So .Nicolao de l.essa Cavalcanl boje em poder
de Antonio Gomes da Cunha e Silva, por quanlo
estando n abaixo assicnado em litigio com nina le-
tra sacada por este aceila por aquetle. ha feito
pelo juizo eerapeleaie da somarra da Escadainli-
maca o ao dito Joo Nicolao para que nao possam
ser vendidos dito* eseravos sem .a anal deeisie.
Manoel Jos da I o-ta Grillo.____,
r.urrrspouilciicia d Pniluijal.
Os assignanles desto jornal, nocadorra nobairro
da lloa-Vi-ta, devem procurar seus nmeros .pian-:
do .hega o vapor da Knropa; n:. pnoi daBna-
Viva, botica do lili. Sr. Joaquir Ignacio Ribeiro
Jnior._____________ I
>o('ieilatle l*liil'iiilisica.
Domingo 28 do corrente ter li gar a eleicao da'
directora da spetodade. De orde u doSr. director
interino sao convidados todos os sacios compare-'
cerera a- 10 hora-da manlia, na (tan da socieda-
de, ra do Imperador n. 23, segundo andar. .Ou-
lro -im determina o Sr. director, que todos os so-
cios tenham em visla o art. 4* do cap. 14 dos esta-
tutos em vigor.
Tliom Joaquim Mascarenhas Hamos.
! seerelarii interino.
Luiz Cardoso da Silva re ra se para fra
de-ta cidade ; o mesmo aproveita a occasio para
agradecer aos seus amigos o bom rratamento ijue
receben, com especi ilidad' ao Sr. Joao Manoel Ro-
drigues e ao Sr. Domingos Moreira da Silva Porto.
NOVO ESTABELECIMENTO DE MEDICINA HOMEOPATHICi
RA MOVA \. 43.
O Dr. Sabino O. L. Pinho mudou o seu CONSULTORIO pasa a toja de marmora,
ra Nova n. 43, onde continua a dar consultas todos os dias uteis desde o meio dia ate
2 horas.
Os enfermos, que o procurarem logo na invasSo da molestia, sem que hajam lo-
mado qualquer remedio, nem allopathico, nem homeopathico, pagarao metade dos preco
estipulados. Esta concesso tem por fim facilitar a cura de molestias, que podem tornar-
se complicadas pelos emprego intemjiestivo da thei apeutica e ao mesmo tempo adquirir
para a homeopatliia maior numero d adeptos pela bateza da cura.
. Em attengao as pessoas pobres, que nao podem sahir de dia, o Dr. Sabino resol-
veu dar duss consultas por semanas as tercas e sextas-feiras das seis as sete horas da
noite.
Os chamados para visites e conferencias devem ser dirjgidos por escripto ao con-
sultorio desde 8 horas do dia at 8 da noite, na certeza de que serao attendidos na ordem
de sua precedencia, salva a circumstancia de eminente perigo.
ADVERTENCIA.'
O novo consultorio est prvido dos melhores medicamentos, desde a primeir
at a trigsima dynaminjsaco.
E como os mdicos hespanhes e allemes no cessam de certificar a major efi-
cacia das ultissimas dynaminisafoes do tratamento das molestias ebronicas, o Dr. Sabino se
oceupa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais altas ( por ora at 200.*),
aim de verificar por si mesmo a torca dynamica, que se Ihe attribue.
Os mdicos, que quizerem experimentar taes dynaminisaces poderlo dirigir ao
consultorio suas receitas, que serio aviadas gratuitamente para os pobres.
No mesmo consultorio se vende a novissima edico do Themnro homeopathico
ou Vademcum do homeopaika, obra indispensavel a dos que querem usar da homeo-
pathia.
Tudo o q"ue dir. respeito nova medicina se acha abundantemente neste novo estabe-
aecimento.
4\h0.
Helvecio da Silva Monte eJeio le Almeida Mon-
te re.-nlem na roa da Soiodade n. II.
s ra\" fiuil.
Roga-se a todas as autoridades desto praca e
fra della. a W os caitaes de caiii|u>, ijue da
ra larga do Basarte u. io fugio o ealioclo de nome
Vicente, haixo e cheio do corpo, falla flnaedi-s-
eaii; ida, iwnca barba na ponta da i|ueixo, e com
un |iei|iienn liigod-, re|M"es)-iua ter 26 annos,cons-
ta andar no batrre da Boa-Vista : a pansa qae o
aei-reliender, leve-o dita casa, que ser recom-
pensado m-uero.-ailieule.
Copista.
Na rna das Chites n.2, segundi andar, copiam-
so musirs, tanto para piano com para canto.
I'reei-a-sn de una ama
unta ca-a de pooca familia :
Gloria n. :Ui.
liara o servico de
a tratar na rna da
lii-pi ns. 18 e ii por 205 cada urna : a tratar na Precsase de um preto escravo : na relina
roa torpa do Rosario, na taberna defroiito da Poli- cito da na nova de Santa Itita n. 53.
ca do Sr. Bartliolomeu._______________________
Csa tic loniinissii le tstw** na na
do Imiicrailo-11. 4o, teme*! Miar
Nesta rasa rceb>m-se mu larali or eomroissao
para seren *endMe< por Poma de sen- senhores,
nao se pulpando. exforQ is para que o- mesraoi -e-
jam vendidos com protnptMO alim de -eus aenho-
es nao solfrerem empate eom a venda delles. A
ca-a tem ludas as rounnodidades preeiaas, e segU-
ranfa, assim como allanea-se o bem tralamenio
Ha empre para ve nder escravos de ambos Se se-
xos, reinos e novos.
D-se a quantia de HiK)3 a uinw rom hyp >
iheea em ca-a : na ra Direita, taberna n. C, se
diripuin da._________^^^^
Precisa-se de nm feitor que seja casado, que
Blenda de planlacoe-, para ser emiiregado em um
siiio perio iteras i'iaea : ipiem se ochar nestas enn-
diees, pode proenrar na ilha dos Ratos, ao |> da
ponle de ferro, casa terrea n. 3, que achara com
quem Halar.
A!nga--e una excedente escrava moca e de
lina C'ind.ieta, limpa e milito diliv;'nle, para far.er
Imlo n servico de un casa de familia : a tratar
na ra do Pires n. 54.
Insiriic^o jrlin;irl;*.
Simplieio da Oai Ribeiro, profsor publico do
z" grao, propoe-se a aosiuar nariimilBrraunto as
Una- vagas, (1110 anida Ihe re-;.im, a- materias
de sua pwlls-ao, j lia ca-a de ,-ua rc-ideneia, ja
por rasas particulares. A pratia de 10 airaos de
i'iisioo publico e outros lautos ita particular, aps
una fivquenc.ia de 180 alumnos, ijin lerciona an-
nualmeiiU'.saoas garantas .pie nVrecea qnem de
seu presiono se q li'.er utilisar. R i.i da Gloria n. t't.
U iliaixo assignado juiz de pa< do Vo auno,
do terceirn disirirto da ireftiietm da Boa-Vista,
lra coiuinodidade dan parle-, fa sri ule i quem
convier, que d audiencias n is i ias ierras e sex-
tas-feiras na casa n. 45 na ra da Soledado
Francisco Antonio daS Iva Cavaleanti.
CONSULTORIO MEDICO-CIRIRGICO
do
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO^
n i: i i io. parteiro e operador.
3 Ra da Gloria, casa do Fundo 3
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas fjratuiUs aos pobres lodos os dias das 7 s I
horas da manhaa, e das 6 e meia s 8 horas ua noite, excepcao dns^ das santthcados.
Pharmacia especial homeapnthica
No mesmn consultorio ha sempre o mais appcnpriado sortimento da carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaees e pelos preces seguales.
Carteiras de 1 i tubos grandes. .. 1250(10
de 2i lubos grandes. ^ I8<$000
de 3(5 lubos grandes. 2*0000
de 4S tulM grandes. 305000
de 60 tubos grandes.. 3:5000
Prepara-se qualquer carie ira conforme o pedkto que se fker, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avu'so ou frasco de tintura de hu onea 15 00.
Send para cima de .2. crn-tarSo os precos estabelecdos para, as carteiras.
Ha tabos mais pequeos cada um a 50O iis.
I 1YKOS.
A melhor obra da bomeop;ithia, o Manual de Medicina Hooeopathico do. Dr. Jahr,
dons grandes volumesrom diciioriatio............
Medicina domestica do Dr. Ilering,........... Sil
Reiierloiio do Dr. Mello Motaes.............
Diccionario de termos de medicina ...,...,- 5,NK'
Os remedios deste estabelecimenlo sao por demais conhectdos e dispensam poiUin-
tode serem iHivainente reommeiid*tos aspessoas qu>; qtiiiwem osar de remedios ver-
dadeiros, enrgicos e duradores : ha tudo do melt.or que se pode desejar. gioltos de ver-
adeiro assucar de leite, nofciveis pela sua boa conservaejto, tiniurados mais acreditados
estabelecimenios uropos, a mais. exacta e aceurada preparac3o, e porlanto a maior ener-
ga e certeza etn seus elTeitos.
1 aa de sfti/e pun eneraros.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-sc-lhe qualquer
operac'io, para oque o annunciante jnka se sucientemenle hahilitado.
0 tratamento o melhor possivel, tanlo na parte, alimentar, como n meilna. o
funecionando a casa a mais de quatro annos, lia umitas pessoas (|e cujo eorioerto se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
Paga-se 5000 por dia durante 00 dias c d'ahi em diante USOO.
As operacoes serao previai ente ajustadas, se nao se quizereiii sujeitar aos precos,
razoaveis que costurha pedir o annunciante.

J.


Mai-io de FeraAiubueo fchbbado 2? de Feverriro de i8414.

DE
PARTIDAS DOBRADAS
OFFKUECIDVS
1 ASS0CIAf,,iO CMMEItMLBESEilCEXTE
DE
ihvhiisi < o
POR
./VV xjronJeca ote s^4eae(r<>J
Terceiro rscrilurario dMhi'souraria
de fazenda de Pernamhueo e competentemente au-
terisado para ewrcer pro-
fesserato particular Varilhinelica natnesma
pnrnncia.
Acha-se esta obra nos prelo da typographia
Commercial, donde em breve sahir luz da pu-
blicidad* em ntida Impressao e sob o formato de
8* cortuguez.
Cwnpoe-se esta-obra de nm volume, dividido em
urna parte theorica e outra ortica, de fcil alcan-
ce s pessoas que se queiram dedicar ao cstudo da
escrituracio.
A respectiva assignatura acha-se aberta em to-
das as livraTias desta cidade, ao preco de 55000
por volume. ____
Precisase
le um criado para todo o servico de casa em um
iitio, pagando-se \ ua do Cabug, sobrado n. 2, das 10 as 12 horas
la manha. _^__________________
Fariha dTtrigo SSS a 100 rs. a lihra, e ga-'
lega a HO rs. : na ra Nova n. 8.
Alfonso tic Albut|uerquc Mello
ha 19 anaos advogado.j ante os auditorios o tribu-
aaesdesta cidade, ja na eorle e em outros lugares
lo imperio, em consequencia de terem-se augmen-
! tado aqui seos ahueres, tem transferido sua resi-
dencia da villa do Cabo para esta cidade a ra es-
treita do Rosario n. 34, onde tem estabelecido seu
'. escriptorio, e onde foi o do Dr. Godoy, de cujos
' trabalhos ficou encarregado o aununciante. Ahi
nfferece os misteres de sua proissao s pessoas de
quem mereca conlianga, tanto deste termo como
dos demais desta e de outras provincias para os
negocios e trabalhos a serem desempenhados aqui,
garantindo o zello, lialdade e actividade que Ihe
sao reconhecidos pelas pessoas que o conhecem.
Incumbe-se tambem de trabalhos para os termos
prximos, onde tem solicitadores de inteira ron-
lianca. I) consultas verbaes e por escripto, e
presta-se a ouvir seus consliluintes a todas as ho
ras, as BOTtan-ftaras i as 9 as 4 na villa do Caboe
ol SfslioiifSt
'ocacia.
A(h
Compra-sc um so'tini ingle* con) todos os ar-
reios, rontanto que esleja em bom estado : na ra
do Queimado cscriptorio n. 13, primeiro andar.
Compram-se duas casas terreas que eslejam
em bom estado, sendo < m boas ras, no bairro de
Santo Antonio ou Boa-Vista : quera quii vender,
' deixe seu neme, morada e o numero da casa, na
loja do Sr. Figueiroa.___________________________
Comprase e/ftida-
mente
ouro e prata em obras velhas, pagando-se bem ,
na ra larga do Rosario n. 4, luja do ourives.
Compra-s urna phihsophia deteruzes, para
padre : na ra do Cabug n. 10.________________
Corapra-se
Um escravo que nao seja vicioso, paga-se bem :
na travessa do Carmo n. 1.____________________
Na ofllcina de funileiro da ra larga do Ro-
sario n. 82 se dita quem compra urna armacaode
balco envernisada ou envidracada.mesmo pintada,
sendo barata._________________________________
CompiTse urna preta de meia idade que co-
zinhc e ensaboe : na ra dos Pires n. 02 ou 84, ou
aluga-se. ______^___________
Cempram-se Diarios a 120 rs. a libra : na
ra do Rosario, taberna do Pocas.
Oabaixo assignado, arrematante das dividas da
loja de miudezas da ra do Queimado de Joaquim
Jos da Costa Fajozes Jnior e da loja de fazen-
das da ra Direita de Fajozes Jnior & Azevedo,
avisa aos deredores das ditas lujas tanto da praca
como do mallo de viren pagar seus dbitos ao
abaixo assignado no largo do Collegio junto ao so-
brado amarillo, ou na ra de Hortas n. 104 ao Sr.
Fajozes Jnior al ao dia lo de marco, do contra-
rio ter de entregar ao seu procurador para co-
brar judicialmente. Recife, 16 de fevereiro de
1864.
Antonio Joaquim Fernandos da Silva.
O Dr. Casanova pode ser procurado em seu
consultorio especial homeopalhico no largo da ma-
triz de Santo Antonio n. No mesmo consulto-
rio ha sempro grande sortiraento de medicamentos
em tinturas e em glbulos, deixando elogiar os
nossos medicamentos pelas pessoas que os tem ex-
perimentado e continuam a servir-se em nossa
botica. Temos tambera obras accommodadas a
intelligencia do povo.
Joao da Silva liamos, medico pela l'ni
versidade de Coimbra, da consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da larde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operario cirurgca.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 2*500
Terceira dita.... 24000
Este eslabelecimenlo ja bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O propietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianza de que sem-
pre tem gozado.
O bacharel Joao Goncalves da Silva
Montarroyos tem (scripforio na ra es-
trellado Rosario n. 17, onde pode ser
procurado das 9 horas da manha s 3
B da larde dos das uteis.
"niel mm
VENDAS.
Dase dinheiro a juros sobre h\potheca em
urna casa livre e desembarazada, ou sobre penho-
res de ouro ou prata : na ra Direita n. 26.
SEscriptorio de advocaciafc
j A' roa do Queimado n. 30, pii I
niciio andar.
O aivogado Cicono Peregrino continua I
no i'xercirio de sua nrofissao na ra do
ra do Queimado n. 30. primeiro andar,
onde pode ser procurado das 11 s 3 ho-
ras da tarde.
I
Companhia Pernamhucana
D do art. 24 dos estatutos sao convidados os senho-
res accionistas a reuniremse em asscmbla geral
no dia 29 do rorrente, 1 hora da tarde, no es-.
criptorlo dos Srs. Saunders lirothers & C-______
Na ra Nova n. 26 se dir quem d algumas
quantias a juros de 2 0|0 sulire penhores.
Na na da Roda n. 0 continuase a fazer co
midas para fra, e enearreia-se a mandar levar
casa de qualquer pes Yaerlna publica.
Tendo-se desenvolvido algumas pstulas vacci-
nieas, com o pus ltimamente innoculado, o com-
missario vaccinador convida aquellas pessoas que
precisarem ser vaccinadas comparecerem as
quintas e domingos no torreo da alfandega, e nos
sabbados at as 10 1|2 horas da manha. na casa
de sua residencia, segundo audar do sobrado da
roa cstreita do Rosario n. 30.___________________
Aluga-se o terceiro andar da casa n. 88 da
ra da Imperatriz, e o sobrado n. 193 da ra Impe-
rial : na ra da Aurora n. 30.___________________
Trabalhos de escriplurac&o.
Osuarda-livros de urna casa commercial, em
suas horas vagas, propoe-se a fazer trabalhos do
t seripturaco : quem de seu presumo quizer uti-
lisar-se, anuncie noreste Diario. ____________
Precisa-se de urna ama forra ou captiva para
casa de pouca familia: no pateo do Collegio n. 4,
loja de bahs. ___________________________ '
Alugam-sc as lojas do sobrado n. 44 em
a ra da Aurora : quem pretende-las diri-
ja-se loja dos Srs. Bastos & M.-.galbes,
na ra Nova, qu*; acharo com quem tra-
tar.
No primeiro andar do sobrado n. 16 da tra-
v;ssa dos Expostes, preparam-se flores para todas
as armagoes de testas de igrejas por muito barato
preco, e tem una grande porro fcita que se ven-
d; muito em conta, apromptam-se ramos para do-
mingo de ramos, a seis vjmens e meia pataca, tu-
d i de muito gosto, e enfeitam-se velas com flores
de cera de muito bom gosto a 4 e 55, comdhahas,
rosas, cravos e toda qualidade de flores feitas de
cora, fazem-se os ramos a gosto de quem os man-
dar fazer, e apromptam-se vestidos pretos para a
Cuaresma com teda a brevidade, e gosto de seus
onos ; na mesma casa preparam-se bandejas pa-
ra bailes com armacao, e bouquetes de flores de
cera de todo posto, ditos ele allinins, ditos de pepel
fino, ditos de gomma, de panno c velludo, tudo
n ais barato do qne em outra qualquer parte, bor-
dao de fitas de ouro, lantijola para os boaqootes,
, e la^os para as vela-; vende-se tambem um sorli-
menlo de ralbas de rosas de papel a 15 a groza,
| de todo o tamaito, para as senhoras floristas.
Alugainse o segundo e terceiro andares do
obrado da ra do Trapiche n. 48, com frente para
o lado do Corpo Santo : a tratar no armazein por
baixo.
- D-se 2:4005 a juros, ou lodo ou a melado.
rom hypotheca em algum predio Desta cidade :
na ra do Queimado n. 24, se dir quem d.
HOTEL TKOVADOK
Angelo Romeiro Pinheiro tendo comprado o
muito conhecido e acreditado hotelTrovador
sito na ra larga do Rosario n. 44, participa ao
respeitavel publica que se acha prvido de tudo
quanto necassario para latisfazer a exigencia de
i| lalquer freguez. Outro sim eommanico, que la-
ver nclle mesa redonda para os assignantese
avnlsos, e que Ibrnececernida para fra. nao so
para qualquer estabelccimento como para casas
particulares, por preeo mdico e a contento. Este
estabelccimento acha-se preparado para receber
qualquer hospede que nelle queira assistir. para o
que offerece os melhores eommodos.
Claudio Dubeiix. nc llie convindo continuar
com a sua emprezade mnibus, declara aos senho-
res assignantes, que de hoje em diante nao recebe
mais assignatura ; cuja empieza lindar logo qne
se acaben) as tnensalidades que esto correndo.
visto que os lucros mal fio para pagar idooslos.
LIVROS RELIGIOSOS.
Na livraria n. 6 c 8 da prafa da ludopen-
dencia, vende-se as segutntes obras, a idOO
cada urna.
O Novo Mez de Mara ou mez de maio, con-
sagrado Gloriosa Mi de Deus, por um
sacerdote da diocese de lh'lm, iraduzido
do italiano e adoptado pelos revircndissi-
mos padres capuchinhos de N. S. da Pe-
dIia da cidade do Recife.
Relicario Anglico de Jess Christo e de Ma-
ra Sanlissima, olTerecido a Nosso Senhor
Jess Christo, preso columna.Novis-
sima edico com a oracao mental, novas
devocoes N. S. da ConceicSo da Rocha
e enriquecida com estampas.
Visita ao SS. SS. e Mara Sanlissima, para
todos os das do mez, Actos de prepa-
raeSo e accSo de gracas para a sagrada
roiriiimiilio, Modo de res a cora
das Dores de Nossa Senhora, e Actos
qtM o rluistao deve fazer todos os dias.
Novissima ediccSo adornadas comdis'er-
sas estampas, e augmentada de novas de-
vocoes N. S. da Conceico da Rocha e
Via Sacra.
O Devoto ChristiO, instruido no compen-
dio da dotilriiia, as regias da vida de-
vota, no exame de conscieocia e prepa-
rac3o para a coofissao e coiiimunho, no
modo de ouvir missa e meditar o rosa-
rio, e no conhecimento das indulgencias
concedidas aos seus confiades.Novenas
da Assenio do Senhor, da Conceico e
do Natal, das Almas, a novena e trezena
de Santo Antonio, a Via-Sacra breve, e
outras muitas devocoes, com indulgencias
parochiaes c plenarias.
Vendem-se tres casas terreas, sendo urna na
ra da Matriz da Boa-Vista, com sotao e grandes
commodos. a qual foreira. urna na ra do Desti-
no, nova, e outra na ra do Mondego, com 2 salas,
3 quartos, (oda i Iluminada a gaz, copiar, cozinha
fra, n junto um quarto, quintal cercado, de 200
palmos de fundo, no lim tendo dous quartos, ca-
cimba, algrete, ostreedificada, e boa compra :
convidiiii-sf aos prelendehies queiram dirigir-se i
ra da Cadeia, armazein n. 53, a fallar com o agen-
te Euzebio, que est autorisado, e onde saltera*> <>-
nmeros, a ultimarse a venda as 11 horas do dia
quarta-feira 2 de marco.
Vende.so urna negrinha rom 13 annos do
idade, bonita figura, e com principios de castora :
na ra do Imperador n. 4">, terceiro andar.
Vendem-se dous escravos de todo o servico
decampo, de 30 annos de idade, pouro mais ou
menos, o duas escravas rnalas de cozinha, sendo
una boa eogommadeira e costureira, ambas de 23
annos de idade, pouro mais ou menos : quem os
pretender,dirija-se rua da Senzalla Velha n. 110,
segundo andar, qne achara com quem tratar.
Ycntleiii-Mc oalxcs rallos a
l^GOO; ncstatypogranhia. |
--Pannode algoao tenido de Mi-
nas, fazenda forte e cncorptda, apro-
piada para o servico d> lavouia, qoer
para saceos, quer para rou.ia de escra-
vos: grande deposito na praca ilo Cor-
po Santo, escriplorio de Augusto Frede-
rct d'Oli eir.
IMBl% \S ^1 \HO-
RAS li: IKMI CO^ro! !
illoircniiquc, capas e souleoibarque.
Joaquim Hodjigues Tavares de Mello acaba de
receber de Pars e de sua propria ercommenda um
completo sortimento de tnoirentqur, capas e sou-
tembarque para senhoras, fazenda a rnelhor que,
tem vindoa este mercado, os quaes .ende por mui-;
to menos preco que em ouira qualquer parte : ua
ra do Queimado n. 39, luja de i portas.________
AIriidile ctvidcl'.
Vende-se una dentadura de ouro e porcelana fi-
na, obra de apurado gosto e ndispcnsavel a encu-
brir os effeitos da senectude ou lalia de denles.
Adverte-se que a supradta tem pouco uso, bem
como que aceitase em pagamento livros em bran-
co, metas clsticas, abacates e pape judiciaro : a
tratar na sala do seguro.
Vende-se na ra do Imperador n. 117, a histo-
ria universal,em portuguez, por Cesar Canto, edi-
cao enriquecida de 90 estampas, t m perfeito es-
tado e boa eucadernacao, por 454.
Grande sortimento de fazen-
das pretas para a qnaresma
na loja e armazem da Arara
na da Imperatriz n. 56.
AAllh BRAMA
DE
Lourcnco Percira Mendcs Guimaies.
Fazrndas prclas liaratissimas.
Vndese alpaca pretfina a 500, 600, 800 e 15
o covado, sarja de la para calca e paletots a
e 800 rs. o covado, bombazina preta lina para
paletots a l&M), lazinhas
reeeben:
Sapatnhos de setim branco bordados pata bap-
tisados.
Meias de seda branca para o mesmo fim.
Mui bonitas e delicadas touquinhas enfeitadas
para dito.
Pulseiras e voltas de contas brancas para senho-
. ras e meninas.
' Fita branca e preta de borracha, cora diversas
640 larguras.
Transehns de borracha sonidos em cores.
Trancinha pret de la, e outras traneinhas de
paletots a 15100, lazinhas pretas nroprias para1 ,r *,,"" '" F T uc -t' .ou"as "f
luto para vestidos e roupa de meninos por ser nui- '^Sl^"* mui boni,as ra cnfc,les-
lo lina a 720 o covado", merino fino enfestado a
25500 e 35, dito de cordo para paletots e calcas
a 25*>00 o covado: na ra da Imperatriz. loja da
Arara.
(irosdciiaple prelo {da Arara a 1H00 o eovad.
Vende-se grosdenaple preto para vestidos ai5WK>,
1*600 o covado, dito muito bom a 15800, 25,'
Enfeites conservadores para senhoras.
PAI'EL INGLEZ
almajo e de peso.
Alem do grande sortimeBto de papel greve e ou-
tras muitas qualidades, que constantemente se
atKt\ na j l i ""^ iiiuiiao < iiiiinniut.-, uui; ^ji^iaiin intuir tu
-3,00 e 35 o covado, sarja preta hespanhola o acham na lojadaguia branca, bz-se notvel pela
rnelhor que tem v.ndo : na ra da mperatriz loja supenoridade de qualidade o papel inglez almasso
e armazem da Arara n afi de. Mendos (.nimar:ii>< j. .. ___ ...V. a. -i.. *Tr___"_ i ..
e armazem da Arara n. 56 de Mendes Guimares.
Arara vende panno liim a l^i'.ilil o covado.
e de peso, que acaba de chegar para "a dita loja ;
um e outro sao mu encorpados e de um assetina-
Feijao feijfto fe.jao.
Hua la Madre de Deus asi. 5 e 9.
Vende-se saceos grandes com feijao das seguintcs
qualidades: branco, amarello, rajado e mulatinho,
mais barato que em outra qualque* parto, assim
como sardinhas em barrlsde 1.200 por 55000, tudo
proprio para tempo de qnaresma.
Vende-se panno tino para caifa e paleto: a 15600, do lustroso e maco, que na verdade a', odos agra-
25, 25500 e 35 o covado, cortes de casemira pre- dam. As resmas daquelle tem 480 ralbas, e as
la para calca a 35, 35500 c 45, dito muito supe- deste 500, e cusa cada urna 85. Tambem veio da
rior a 65 c 85 o corte : na loja da Arara ra da mesma qualidade e de tamaito pequeo, em cai-
Imperatriz n. 56. xinhas de 100 folhas, tanto liso como beira doura-
Cltilas da Arara a 2i0 rs. o corado. da, distando este 25, e aquclle 15200 a caixinha.
Vende-se chitas de cores fixas para vestido a Ja vem pois os apreciadores do bom papel que
240 e 280 rs. o covado, ditas francezas finas a, drigindo-se munidos de dinheiro sero bem servi-
320, 360 e 400 rs. o covado, popelina di quadrt- dos : na ra do Queimado, loja d'aguia branca
nhos para vestidos a 280 rs. o covado, gorgurao de numero 8.
MOTO FEOTES
linho para vestidos a 280 rs. o covado : na loja da
Arara ra da Imperatriz n. 56. .
Arara vende lazinbas a 210 e 280 rs. o covado,
de concha.
-.- .^.v ,...,..,.., _,v -U .*. .. ..".......,. V "MI lili.
Vende-se lazinhas para vestidos a 240, 280 e | Chegaram novos e bonitos pentes de concha,
Fixe,
Vende-se o verdadeiro pxe da Si ecia : no ar-
mazem da bola amarella, no oito da secretaria da
polica.
Cal de Lisboa
chegada ltimamente ; na ra do Vigario n. 19,
primeiro andar.
FRASCOS
na
MT
Vende-se a propriedade denomnala Maltez, fita
na freguezia de Traeunhem da con arca de N'aza-,
reth, com urna legoa de frente e nu ia de fundo, e \
proporgoes para nella se levantar uin bom enge- j
nho de fazer assucar, sendo que act talmente ren-;
de ella mais de 1:0005 que pagam os moradores
que tem : quema pretender entenda-se nesta pra-
ea com o Sr. Antonio Jos Leal Heis, na ra da I
Cadeia do Recife n. 47.
160 rs. o covado : na loja da Arar ra da Im-
peratriz n 50 de Mendes Guimares.
Chitas de coberta da Arara a 320 rs. o corado.
Vende-se lindos gostos de chitas para cobertas
de cures fixas a 320, 360 e 400 rs. o covado, cha-
les de merino estampados a 25500, dito de la e
seda a 25 : na ra da Imperatriz na loja e arma-
zem da Arara n. 56 de Mendes Guimares.
Sedinlias da Arara a 500 rs.
Venderse sedamos de listrinhas para vestidos S
500 rs. o covado, ditas linas de quadrinhos a
rs.. Lias espeoiaw rom 4 palmos de largura
palmas de seda para vestidos a 800 rs. o covado,:
lencos blancos a 200 cada um : na loja da Arara
ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende os man teleles e capas prclas.
Vende-se manteletes pretos ricamente enfeita-1
dos de grosdenaple, soutembarque pretos de gros-1
denaple ricamente enfeitados por prego baratsi-
mo : na ra da Imperatriz n. 56 loja da Arara. A aguia branca acaba de receber os bem conhe-
Rouna frita da Arara : cidos e apreciados copos com banha, os quaes es-
Vende-se paletots pretos de alpaca a 35, 35500,1 'a0 sendo distribuidos com aquelles pretendentes
ditos de panno fino a 55 e 65, ditos a 85, 105 e'' km na r,,a
(-1 X : 1.1 .. ,1n 1 .;... nQ4':n/\ > ,i:inn An
com gomma arbica dissolvda : vendem-se
ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Fcelas com pedrasno*
vo sortimento.
A aguia branca recebeu por esse ultimo vapor
800 um novo e bello sortimento das procuradas fivelas
com com pedras, podendo assim satisfazer a todos que
del las precisarem, urna vez que appareca dinhei-
ro : na ra do Queimado, loja d'aguia branca nu-
mero 8.
COPOS COM BA-
MIA.
VE>DESE
?\ m
y
'i
Preoisa-sc de una ama muito capaz, boa cozi-
nheira e habilitada para tomar conta da casa de
um estrangeiro soltuiro que mora em sitio, e fazer
todo o Servico, sendo escrava, tambem se poder
compra-la, agradando os servicos, caso queira-se
vende-la : a quem convier, dirjase ra Nova
n. 19, primeiro andar.
wmmmmmm mwmmm
|g O bacharel Americo Nelto de Mendonca *&
SK reside e tem aberto o seu escriptorio ^
jjfe ra doLivramento n. 18, Io andar.
wmmmM mm wmm
Precisase de .um hora cozmheiro e de dous
criados activos : a tratar no sobrado n. 32 da ra
da Aurora.
\> aevogado Dr.Hanoel do Xasctmento
1 Machado Pertella, contina a ter o sen
ptorio no primeiro andar da casa n.
ra do Imperador.
DENTISTA DE PARS
19Ra Nova-19
Frederice- Gautier, cirurgio dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artileiaes, ludo com supeno-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecttn.
Tem agua e pos dentificio.
-!i '^
w
Loja das varas
5 iCii;i do C'respo 5
Neste estabi-lecimento vende se por pre
c;os razoaveis os seguintes artigos alen
Xa ra do Crespo n. 15, se aluga urna boa
casa e sitio no Monleiro, com frente para o oilao
da igreja, assim como o segundo audar do sobrado
n. 79 da ra do Imperador.
0 bacharel llaximiauo Lopes Ma-
chado idvoga no seu cscriptorio da ra
do Imperador 11. 71, primeiro andar,
onde pode ser procurado das 9 s 3 ho-
rvs da larde para o pe for concernen-
te ao exercicio de sua prolissan.
Jlatioel Fernandes da Costa & C,
scientificam ao publico que mudaram o de-
(misio e salino da ra da Senzala Velha n.
UtCpara* ra do Amorim n. 4i, onde
continuam a vender o dito genero em por-
fi c a mtalho c juntamente todos os mais
gneros de estiva.
Jos Mara da Silva Ferreira, tintureiro e
iiuitii conhecido, achando-se com algumas melho-
ras de seus neommodos, est resolvido a tingir
por novo metbodo toda e qualquer qualidade de
facenda pretas.ede cores, tanto para lojas, arma-
zens e partculartis, garantindo as cores e perfeicao
dasizendas, e por isso convida a todos os seus
amigos e freguezes que o quizerem ajudar com a
sua (foteceo, de. procurarem na ra dos Pires n.
29, na Boa-Vista._____________________^^^
fferecese urna mulher para ama de casa de
familia, ,prestndo-se a todo o servico, excepto co-
inh.'r e comprar: quem precisar, dirjase ao
Jarg( do Hospital n. 25. ____________
O abaixo assignado, socio liqudatario da Tir-
ina de Centueira d;.Silva, faz scente a quem pos-
esa jueressar, que segu para diversos pontos desta
provincia e de Alagoas, cobranzas, tirando du-
rante sua ausencia o escriptorio entregue a seu
eaiMin Francisco Augoso Pacheco.
Ignacio Alvm da Silva.
?recsa-se saber onde mora nesta praca o
correspondente d. Sr. coronel Miguel Alfonso Fer-
reira para se Ihe estregar urna encommenda.
D-se dinheiro a juros e
eonnpra-se ouro e prata : na ra
do llangel n. ________
Aluga-se a loja do sobrado l 52 da ra do
Kangel, com excellente armaco nac qualquer cs-
tabekcimento : a tratar no mesmo aftrado.______
Precisa-se
ie 8004 a juros, dando-se por hypotheca urna es-
crava cnoula, moca e com unta cria : queii) qui-
zer fazer este negocio annuncie.
Maques sobre Portugal.
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta cidade, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer somnia, vista e a prazo, po-
dendo logo os saques a p/azo serem des-
contados no mesmo ba* c, na razo de 4
per centoaoanno aos ( sim he convier: as mas do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim il: Silva Castro.
111 r-
aos mais : I
Pentes de tartaruga lino gosto -Co- 8
tilde e Imperatriz Eugenia a 12 3.
Cortes de cambraia branco bordado SS
a 155.
Manteletes de fil preto a 155-
Lilas de cores, covado 2W e 400 rs.
dem infestadas a 500 rs.
Vestidos para casamento sendo de
ilond e moreantique.
Vestidos e capas pretas de bom gosto jj
proprios para o presente lempo de qua- ja
resma. Alem disto tem um completo g
sortimento de fazendas linas e grossas. S
as qoaes se vendem mais em conta do a
que em outra qualquer liarte, s avista Sj
dos compradores se justificar.
Vende-se rosa do Japao : no caes 22
' de Novembro n. 24.
i ________ i
\Te.souras de Guimares para
uso dos senhores cabelhirei-
ros e logistas.
Vendem-se na loja de ferragens n. ii na ra da
Cadeia, muito superiores e preco commodo.
Carrinli s inglezcs para enancas.
Vendem-se em casa de Mello Lobo & C, na ra
da Cruz do Recife n. 63.
}mm
Em quanto o Sr. Jos Joaquim Barbosa nao viej
ou mandar da villa do O' (para onde mudou-se oc-
cultamente) pagar os alugueis de perto de dous
annos da casa em que morn, na ra dos Prazeres
da Boa-Vista, ver o seu nome neste jornal para
rnelhor ser conhecido dos proprietaros.
Os Srs. Helvecio da Silva Monte e Joao de
Almeida Monte Jnior, viudos de Sergipc no vapor
l'tmihibtt que aqui chegou a 10 do correle, tenham
a bondade deaununciarsuas residencias para urna
pessoa que os deseja cumprimentar, e ignora
aonde.
Preclsa-se de urna ama com leite: a
na Augusta ti. 5. ______________
Aljga-seuma casa terr;a com soto atraz da
matriz de Santo Antonio : para tratar do aluguel,
no sitio do leao, junto a capeltade S. Jos do Man-
guind.
Para a proxini estaco.
A' ra da Cadeia n. 47 loja de Pinto & Flores,
vende-se lazinhas Clotilde gostos molernos e
delicados para vestidos de senhoras, soutembar-
que e roupas para meninos pelo mdico preco de
500 rs. o covado.
RELOGIOS.
Vende-se em casa de Johnsion I'ater &
C, ra do Vigario, n. 3. um bello sorti-
mento de relogius de ouro patente in-
glez, de um dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, e tambem urna varice ade de
bonitos trancellins para os mesmos.
um sobrado de um andar com muitos commodos
que accommoda duas familias, cem cocheira e
quintal para rriaro, murado, com grande sitio to-
do murado, dous portoes de ferro, ut ia cisterna de
pedra e cal com um olho d'agua per nanente, tan-
to para beber como para bauho, tanque de lavar
roupa, urna cacimba e tanque, tudo < e pedra e cal,
com muito boa agua, e muitos arvoiedos de fruc-
to velhos e nevos, muito perto do ba ho salgado, e
outros muitos commodos para grande familia :
quem o pretender, dirija-se ao pateo do Carmo, na
cidade de Olinda, que achara com quem tratar.
Outro sim, tem baixa para capim ) verduras de
secca vero, c commodos para outras muitas
plantacdes.
RA DO IMPERADOR
N. 22.
Grande armazn de I utas.
Este armazem conten tudo quanto
preciso para que a industria de p ntura.de
qualuer genero que seja, denempenhe
seu lim. istu embellezar, co iservar e
reproduzir.
Montado em grande escala e supprido
directamente por grandes fabricas de Pa-
rs, Londres e Hamburgo, pode offerecer
productos de conflanca, e satisfazer qoal-
ojner encommemti grosso trato e a re-
t I ho.
Os Srs. artistas pintores, e os donos de
obras poderlo escolher voiil ule, pon
que indo estar vista, as dille entes co-
res de que tiverem necessidade.
Ha tinias em massa e em p Impalpa-
v.-i. e como as obras s en ver ni car s se
deve empregar tintas muidas, e nao nc-
recendo eonllancaas que vena de fra para
iiiiiiiuereio, por velhas, e talvea falsmca-
das. ueste arinazeni se as .....era a vis-
ta do eoiisiimidor. que s assim ter tin-
tas frescas e verdadoiras.
Ha tambem ouro verdadeiro, verde em
pe eemfolha, prata em folha, pi debron-
asar de varias cores, diamantes para cor-
lar vuIros, burnidores.ncarsuierlinaen-
carnada. amareUa e verde, tintas vege-
i.ir>. azul,roxa,verde e amarelli, inollen-
SVaS, unirs que se deveiil emp egar n.i>
COnfeitaras, collecces de pintis para ^
fingir madeira, com proprii'd ule e outros ^S
de varias ipialidades. vernizes, copal, fl
graixa, branco ou escoro para o interior
e exterior, para eliquelas e quadros, tin-
tas tinas em tubos, em rraves ni pastel,
tollas para quadros, caixas de tintas finas
e papel para desenlio.
Esseneias aromticas verdade ras. fras-
cos e vidros para vidraca de todos os ta-
maiibos, e muitos outros objeclos, cuja
utilidad......mprago so eom i v sta pode-
rao ser mostrados.
Joao Pedro das Neves,
("rente. _
Vende-se um lindo mulalinho de 12 annos
de idade, um molequede l'l annos. una negrinha
de 7 annos, um casal de escravos proprio para
servico de campo, um bonito cabra carreiro, e
urna negra cosinheira : na ra >ov;. n. 41, ter-
ceiro andar.
12-5, ditos de brim a 25500 e'3,ditos de meia ca
semira a .'15500 e 45500, ditos de casemira de co-
res a 65, calcas feitas de meia casemira a 25, di-
tas de brim e'ganga a 25, ditas de casemira a
35500, 55 e 65, ditas pretas a 45, 55 e 65, se-
roulas francezas a 15600, ditas de linho a 15800 e
25500, camisas francezas a 25 e 25500, ditas de
cordo o de linho a 25600 e 35, roupa feila s se
vende barato na loja da Arara ra da Imperatriz
n. 56.
Cortes de rassa a 2#.
Vende-se corles de caesa franceses a 25. risca-
dos francezas nm corte com 11 eovados a .'15. co-
bertores de algodo a 15 e 15600 : na ra da Im-
peratriz n. 56 loja da Arara.
Arara vende niailapnlo enfestado a i->.
Vende um novo madapolo francez enfestado
muito bom para camisas a 45 e 45500, algodo
tambem se vende barato, bramante de linho, brim
de linho trancado para caljas a 15 e 15280 a va-
ra, bretanha de linho, brim liso para lenfes a
440, 500, 640 e 720 rs. a vara, destas pechinehas
s na Arara ra da Imperatriz n. 56 loja de Men-
des Guimares.
Arara vende as rassas a 200 rs.
Vende-so eassas para vestidos a 200 o 240 rs. o
eovado, oraandye finos para vestidos a 2S0 e 320
rs. o covado. cuberas de chita pan cama a 25 :
na ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende os balees rriuoline de arcos a
que contribuirem com 25500 a vista : isso n;
do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
MI lili BOAS VEAS
para senhoras e meninas.
A agoia branca recebeu mui boas meias france-
zas, de fino tecido e fio redoudo, o que as Jomam
de inmensa duraco, porque muito convm, anda
mesma distando 7 e 85, come se estao vendendo a
dinheiro vista, na loja d'aguia branca, ra do
Queimado n. 8.
l.uvas de pellica.
Chegaram para a loja d'aguia branca, ra do
Queimado n. 8.
RIVAL
SEM SEGUNDO
lina lo iiieiniatlo us. 49 e 55,
j loja de miudezas de Jos de Azevedo Maia 6 C,
principia o novo annoa torrar miudezas pelos pre-
cos que a todos causa admiracao, a saber :
Pares de sapatosde tranca milito finos a 15600.
Frascos de oleo babosa dos melhores fabricantes a
240 rs.
Ditos maiores a 400 e 500 rs.
Frascos d'agua de Colonia muito finos a 400 rs.
33.' Sabonetes muito finos a 160, 200 e 400 rs.
Vende-sebaldoscrinoliiMde reos"americanos n*i2LS^a,ld*, de a8ua de Lubin> n*lhor
de todos os tamanhos de 15. 20, 23,30 c 40 arcos
a 35,35500, e 45500, ditos de musselina a
45, ditos novidade a 35500: na ra da Impera-
triz loja da Arara n. 56.
LOJA DO BEIJA FLOR.
Hua do (iucimado numero G3.
Cravalinlias para senhora.
Vendem-se gravatinhas de'diversos gosios mais
modernos a 720 e 800 rs. : na ra do Queimado,
loja do beija-llor n. 63.
Filas para deuruiit de vestidos.
Vendem-se fitas para debrum de vestido de linho
com 12 varas a 400 rs. a peca : na ra .lo Quei-
mado, loja do beija-flor n. 63.
Pentes Iravcssos.
Vendem-se pentes travessos de caracol na
fenle de borracha a 500 rs.: na ra do Queima-
do, loja do beija-flor n. 63.
Papel beira dourada.
Vende-se papel beira dourada a 15200 e 15300,
dito de cor de beira dourada a 15100 : na ra do
Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Anveliqies.
15500.
Lapis de tint encarnada muito finos a 40 rs.
Novellos de linha com 800 jardas a 120 rs.
i Ditos de dita com 400 jardas a 80 rs.
i Frascos de macass, oleo muito superior, a 100
; Duzias de dedaes brancos em caixas de vidro
320 rs.
: Papis de agulhas a balo Victoria a 60 rs.
j Ilanba transparente muilo superior a 700 rs.
Dita Japonesa muito lina a 800 rs.
Dnzia de sabonetas muito linos a 720 rs.
Papis de agulha com toque de ferrugem a 10 rs.
i .i tas de botos de madreperola muito linos a
500 rs.
Pecas de fita de cs, estreitas, com 10 varas, a
330 rs.
; .Novellos de linha branca do gaz a 30 rs.
Carreteis de linha de cores muito fortes a 20 rs.
Candes e caixas de clcheles francezes a 40 rs.
Botoaduras brancas e de cores para coHetes a
120 rs.
Frascos de banha, pechmrha, a 240 rs.
Ronets para meninos, fazenda tina, a 25-
Caixas preparadas para costuraras a 15300,25 e
35000.
Massos de grampas lisas e finas a 30 rs.
Caizas de palitos do gaz e de cera finos a 20 rs.
Duzia de facas e garfos de 1 boto superiores a
ditas e ditos de 2 botos finissimos a
Vendem-se anvelopes de diversas qualidades
branco a 800 rs. e de cor a 640 rs., para cartas de I .W>i k i.
visita a 400 rs., preto a 720rs. : na loja do beija- Duzia de
flor na ra do Queimado n. 63. 65500.
\ ollas de aljfar. Crozas de palitos do gaz a 25200.
Tendo recebnlo voltas de aljfar com cruzes de Aria preta muilo fina a 100 rs.
Vende-se urna negrinha pequea de idade
6 anuos, pouco mais ou menos, e un moleque de
idade de 8 annos, pouco mais ou meaos : na ra
.Nova n. 49. sa dir quem os vende.
Vendem-se saceos com farinha igual a de Muri-
beca, por preco mais commodo do que em outra
qualquer parte : no Forte do Matto, armazem de
Joaquim Francisco de Alem.
Vende-se manteiga ingleza flor a 880 rs..
dita mais baixa a 800 e 640. dita franceza a 640 c
560, banha de porco muito al va a 400 rs., casta-
~- J~ nhas e amendoas a 160, sement de coentro nova
DOtlCa e armaZem, de aiWagarrafa,olrodoncinoaahbra, figos
novos a 200 rs., passas a 480 : no laigo do Carino,
esquina da ra de Hortas n. 2.
COMPRAS.
Compra-se cffectivamente ouro e prata em
ojrasvelhas: na piara da Independencia n. 22
loa de bilhetes.
Compra-se urna escrava sadia e que seja perita
cznheJia : na ra do Queimado n. 30, loja.
drogas
Ra do Cabug n. II.
DE
Joaquim Hartinho da Cruz Corma.
Vende-se o seguinte :
Salsa parrilha de Dristol.
Pastilhas assucaradas de Kemp.
Pastilhas vermfugas de Kemp.
Elixir de citro lactato de ferro do Dr. Thermes.
Rob do Lafecteur.
Xarope depurativo d'odorelo de ferro de Cuy.
Xarope pcitoral sedativo de Cuy.
Pastilhas peitoraes balsmicas de Guy.
Pilulas da vida.
urel franciscano (mcsclado) para imagens.
Injeeeao Drow.
Xarope de citrato de ferro de Chable.
Pilulas contra sesees.
Salsa parrilhajle Sands.
Extracto fluido de salsa parrilha de Bailys.
Xarope alcoolico de vellame.
Alem distas drogas ha constantemente um com-
pleto sortimento de tintas, verniz, ouro para dou-
rar, preparados chimicos e pharmaceuticos que se
vendem por commodos presos.
l*ara anjos.
Guilherme Joaquim da Silva Braga tem para
vender por preco razoavel caixinhas com bolinbos
e amendoas confeitadas, por isto previne aos Ulitis.
Srs. thcsoiireiros das irmandades < ue venham
rna do Trapichen. 18, armazem de daces e frurtas.
Vende-se una pret de naci, de meia ida-
de, propria para o servico domstico de casa de
qualquer familia, e boa" quitandeira : a tratar na
ra do Rangel n. 7, taberna.
Vende-se urna taberna no largo da Soledad?
n. 8, com poucos fundos, propria | ara a pessoa
que quizer se estabelecer, tem todas as vantagens,
poucos fundos, commodos para fami ia, o aluguel
da casa barato, e vende-se por nao querer o dono
continuar cora o dito negocio. _______
Vendem-se colchas adamascadas de superior
qualidade, vindas da Suissa, a preces commodos :
na ruado Crespo n. 18._________ ____________
Vende-se de 12 15 pipas de muito bom
mel de furo, em barris do 4 e 5", promptos em-
barcar : no armazein de deposito d3 agurdente,
ra nova de Santa Rita n. 19.
pedra imitando a brilhante vende-se a 15 cada
urna : na ra do Queimado loja do beija-flor o. 63.
Camisas de meias.
Vendem-se camisas de meias muito finas a
15200 e 15300 : na ra do Queimado, loja do bei-
ja-flor n. 63.
Enfeites de fita.
Tendo recebido enfeites de tita pretas e de co-
res mais modernas que se esto usando a 15 cada
um : na ra do Queimado, loja do beijalbr n. C3.
lila de la preta para debrum.
Vende-se fita de La preta para debrum com 10
varas a i)00 rs. a pee,a : na loja do beija-flor ra
do Queimado n 63.
litas de linho para bordar vestido
Vendem-se fitas de linho para bordar vestido
ou roupinho de meninas com 40 varas a 640 "e
800 rs. a peca s quem tem loja do leija-llor
ra do Queimado numero 63.
Bolees de madreperola.
Vendem-se botes de madreperola mais moder-
nos que tem vindo para puuhos de senhora a 320
rs. o par : s quem vende por este preco na
ra do Queimado, loja do beija-flor numero 63.
lila de velludo para bordar vestido.
Vende-se fita de velludo prelo com 10 varas a
000 rs. a peca : s quem tem por este prego a
loja do beija-flor da ra do Queimado n. 63.
lita de velludo bordada.
Vende-se fita de velludo preto bordada de di-
versos gostos e mais modernos proprios para qua-
resma : so quem tem a loja do beija-llor ra do
Queimado n. 63.
Franja preta.
Vende-se franja preta de diversas larguras para
enleitar capas ou mauteletes os mais lindos gos-
tos que se pode encontrar : na loja do beija-flor
ra do Queimado n. 63.
Facas e garfos.
Vendem-se facas e garfos de balanco de 1 bo-
tao a 55500 a duzia, ditas de 2 botes a 65400 :
na ra do Queimado, loja do beija flor n. 63.
Dminos.
Vendem-se
15400: na
n. 63.
Vsperas.
Vendem-se visporas muito finas a 800 rs. : na
ra do Queimado, loja do beija-llor n. 63.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
XAROPE
deLABELONYE
i...mu..-. Laoi'ioHi/e, o gargaiu ua
se dminos muito linos a 15200 e .:..- -....i {n|in,|n (>nm -
loja da beija-flor da ra do Queimado "a aul JM"T ? ,
11 lonye, e a rolha c coberla
Custodio, C'arvalho & Compa-
nhia.
27Ra do Queimado27
Novas lazinhas escossezas muito lindas, fazenda
encornada, proprias para vestidos de senhora e
criancinhas, pelo barato prego de 240 rs. o covado.
riiamiacciico da primeira classe
i:ni Pars.
Este medicamento enijuegado ha mais de
20 annos, com successos constantes, pelos
melhores mdicos em todos os paizes, con-
tra as molestias do coraro, as hydropisias
e as alfeccOes do peito, acaba de receber
umnovo siiffragio por nito ter por ora ap-
parecidu outro igual para curar infaliivel-
menle todas as doengas do corceo orgni-
cas ou inorgnicas, palpitacoes, liydropisias
geracs ou parciaes, hydrothorax, asthmas
clironicaa, bronebitefl nervosas, e fluxos
ebronicos, aphonia (extincejo da voz), etc.
As gazetas medicas fallam calorosamente
sobre os efl'eitos preciosos do Xarope de
L'ibcloityc, queletn hoje adquirido um dos
primeiios lugares no quadro dos medica-
mentos os mais afamados e da therapeulica
universal, como o declaran.! os celebres me-
dicosjfiancezes : Andral pai e ilbo, ouil-
aud, Cottereati, Desruelles, Fouquier, Le-
maire, Marjolin, l'asquier, Rostan, Rous-
seau, Delaberge, Parmantier, Puche, Ther-
rim, Vidal (de Poitiets), etc., e outros (a-
cultaticos dos mais celebres.
Vende-se em ganalinhas de vidro verde,
trazendo um rotulo, fundo cor de violeta
clara, jaspeado no qual sobresalte o nome
Labelonye, o gargalu da garrafa traz tuna
firma de Labe-
com urna capsula
I de metal branco com a inscripc3o Sirop
de Diyilitab' di' LubcUimn', pharmacien,
Pars.
Deposito geral: etn Paris, ra Boutbon-
Villenetive, 19.
Em Pernambuco.na casa de Caors & Dar-
boaus a ra da Cruz n. 22V
Vende-se urna taberna em Olinda, na ra de
S. Bento, encruzilhada do becco de S. Pedro e Por-
to Seguro, com poucos fundos; a tratar na mes-
ma, ou na ra cstreita do Rosario n. 1, taberna
do Sr. Pocas.
-
I
s_



Diaria de l'craambaco Sahbado S* de i'cvereh-o t: 18tt4.
;
ORAIDE REVOIjU^AO
NO
ARMAZEM
DO
0 homem do movimento nao estaciona.
AVANTE E SEMPRE
GUERRA AOS INIMIGOS
Nao se aditftte a unio conmercial:
Niio sequer a (liaba da allianca.
Nao se teme a furia dos corsarios.
Este anuo ha de ser bisexto.
Os eanhes est preparados.
I0G0! BOM FOGO!! ~ MELHOR FOGO!!!
Abaixo a liga d'agaa no vinagre
Viva a liga do genuino dieres com o fiambre!
Viva o conservador das conservas inglezas!!
Vivam os liberaes fregueze* do BALIZA !!!
Vivara todos que lercm esteannumio.
SENHORES E SEIS1110 HAS.
O propretario do grande Armazem do lia'iza estabelecido ra do Livramento ns.
38e38 A, defroote da grade da igreja, acabada reduzir os pregos de quasi todos os
gneros do seu magnifico deposito.
A tarifa abaixo publicada attesta bem esta verdade.
A guerra aos inimigos, est portanto, assim declarada.
As pessoas, ainda as raais exigentes, que se dignarem vir este estabelecimento,
ficarSc por certa muito satisfeilas, nao s quanlc s qualidades dos gneros, como com o
tratan ento todo attencioso que se Ibes dar.
Alm do cumprimentodos deveres da boa eductgo, haver doraem dianle ainda
maior capricho em satisfazer todos que honrarein esta casa.
Os gneros pelas qualidades e pregos anaunciados, sero offerecidos ao exame
dos S:*s. compradores. Nao receie o publico que se pralique o contrario, como em outras
casas, que al annunciam o que nao tem-----O Baliza nao illude....
Ameixas francezas emeaixinhas eem frascos Licores inglezes e francezesem vazos de di-
de diversos .tamanhos a l,2oo, l.Ooo,' versos tamanhos a l.ooo, l,5oo e 4,8oo
2,0o, 2,500 e2,8oo rs. e a libra a 8oo rs. a duzia.
Amen loas novas a 32o rs. a libra. Maiteiga ingleza flor a 8oo rs. a libra e de 8
Azeite doce refinado a 8oo rs. a garrafa. libras para cima ser aberto umbarril na
dem de Lisboa a 64o rs. a garrafa e 4,8oo presenga do comprador.
rs. a caada. lcl<-ra de 2.1 e 3.a qnalidade a 7oo, Goo e 4oo
Alpiste, a 16o rs. a libra, e 4,8oo rs. a arroba. rs. a libra. *
Arroz do Maranbo, da India, e Java a 8c e dem franceza a 560 rs. a libra, e em barril
too rs. a libra. '.wr monos.
... .'dem em latas a 20000 e a 10500 a lala.
Aletru branca e amarella a 4oo rs. a libra Massa de lomate em barri| a 48Q rs a Ubra
Ararula verdadeira a 32o rs. a libra. idomem lata a 640 rs. a lata.
45 Ba Direita 45
Oicam! oi<;am!!!
CALCADO
Bom e novo, a primeira necessidade para a sau-
de e aforoioseamento do individuo I
Meu Dos!... que ps de pavao se lobrigain por
essas ras! que figura horrenda e nauseante a
de um paletol bem lalliado sobranceiro a ura
(jueiles roido em duas solas! um balita bem tor-
neado e bambaleante dcscubrindo urna pona de
botina safara e carcomida! 1
Santa Barban I! Corram ra llireila, bellas e
rapazesl sacudam na praia esses malditos Quedes,
e compren) :
Bomgnins de Nantes 8,5000.
Ditos nrancezea de bezerro 75.
Ditos francezes para homem J'.
Ditos para senhora, de lustre, enfeilados, 35500.
Ditos para senhora, gaspia alia, 45800.
Botinas de menina 25500.
Ditas de cores para menina 25000.
Sapatoes de Nantes de duas solas 55-
Ditos de sola o vira 45o00.
Sapatos de lustre para senhora 15-
Ditos de tapete para homem e senhora 800 r.'.
Ditos da liga constitucional 500 rs.
E um sortimento completo em sola, vaquetas,
couros, bezerro francez como neuhum, couiode
lustre muito grande, e tudoquanto pertence a. te
de S. Chrispim.
Batatr s novas em gigos de 36 a 4o libras por
l.ooo rs. e a 4o rs. a libra.
BiscoitDs inglezes Lunch a 18oo rs. a lata de
5 li liras.
dem de diversas marcas em latas menores
a 1,3oo rs.
dem ce Lisboa de qnalidade especial em la-
tas grandes e pequeas a 3,ooo e 1,8oo rs.
Bolac i nbasamericanas, a 3,ooo rs. a barrica!
e 2oo rs. a libra.
Banba de porco a 44o rs. a libra, e em barril
a 4oo rs.
Baldes americanos muito proprios para com-
pras a l.ooo rs.
Cha r.uxym, hysson e perola a 3,ooo, 2,8oo,
2,ooo, 2,ooo e l,6oo rs.
dem preto a 2,ooo, l,6oo e l.ooo rs. alifara.
Chanpagne a melhor do mercado a 12,oooo
gigoe a l,2oo rs. a garrafa.
Chocolate francez primeira qualidade a*l,loo
rs. a libra,
dem hespanhol a l,2oo rs. a libra.
dem suisso a l,ooo rs. a libra.
Cerv] branca marca Allsopps a 4,5oors. a
duzia, e a 4oo rs. a garrafa.
Cognac inglez a Gio ;s. a garrafa a 8oo e a
l.ooo rs.
Con&;rvas inglezas em frascos grandes a 73o
rs o frasco,
dem francezas de muitas qualidades a 3oo
rs. o frasco e a 5,5oo rs. a duzia.
Mcstarda ingleza 400 e 600 ris o pote.
Marmelada imperial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Marrasquino de zara a 8oo rs. o frasco e a
80 a duzia.
Mssas para sopa, ta-lharim e macarrao a
480 rs. a libra.
dem finas, estrelinha e pevide, caixinha
;om 8 libras a 10600.
Nozcs a 10o rs. a libra.
Peixe preparado de escabeche, da melhor
qualidade que tem vindo ao mercado, a
10 a lata.
Pr 'simio de lamego muito superior a 480
rs. a libra.
dem para fiambre (inglez) a 640 ris a
libra,
dem americano a 400 rs. a libra.
Papel almaco a 30000 a resma.
Idjm de peso a 2$ a resma.
Palitos para dentes a 100 rs. o maco.
Dito dito de flor a 200 rs.
Ditos do gaz a 25200 a groza
Passas novas a 480 rs. a libra e a 10800 a
caixa.
Queijos flamengos do ultimo vapora 2(5300.1
Dito londrino a 900 rs. a libra.
Dito prato a 640 rs. a libra.
S; rotabas de Nantes a 320 rs. a lata.
Dita de Lisboa a G40 rs. em lata grande.
S; g muito superior a 240 rs. a libra.
Ra do Qnclmado nmeros
4 e ...
est disposto t continuar a vender pelos prego
abaixo declarados, pois para principar o novo
anno.
Caixas de obreiasde cola muito finas a 40 rs.
Varas de franja de lita de todas as cores a 40 rs.
Ditas de tranca de laa de todas as cores a 20 rs.
Ditas de trancelim branco muito superior a 20 rs.
Trancas de algodao brancas e de cores a 80 rs.
Duzias de meias para senhora muito superiores a
35800.
firozas de penna de aro muito finas a 500 rs.
Caivetes de duas c tres folhas a 500rs.
Ditos de urna folha a 80 rs.
Caixas para rap, muito bonitas de calungis, a
100 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Caixas com muito superiores obreias a 40 rs.
Varas de franjas brancas e de cores, largas, a
iCOrs.
Pares de botes para punho muilo bonitos a 120 rs.
Carreteis de liuha Alexandre com 200 jardas a
100 rs.
Carios de liuha Pedro V com 200 jardas a 60 rs.
Ditos de liiUia de SO jardas a 20 rs.
Duzia de meias brancas para homem a 15600.
Caixas com soldados de chumbo a 120 rs.
Tinleiros de vidro com superior tinla a 160 rs.
Ditos de barro a 100 rs.
Grozas de botoes ae louca pratiados a 160 rs.
Tesouras muilo linas para costura a 320 rs.
Ditas ditas maiores e melhores a 400 rs.
Escovas para limpar dentes muito finas a 200 rs
Hilas para unhas a 800 rs.
Laa de todasas cores para bordar a 75 a libra.
Caixas com phosphoros de seguranca a 160 rs.
Cadernos de papel branco e azul a 20 rs.
Pacote de papel amizade a 600 rs.
Caixas com 100 anvelopes muito superiores a
800 rs.
Cadernos de papet de cores, grande e pequeo, a
40 rs.
Silabarios portuguezes com calungas de todas as
qualidades a 320 rs.
Graxa em latas muito nova a 100 rs.
Cartas e taboadas para meninos a 60 rs.
Caixas com suporiores iscas para charuto a 40 rs.
Carreteis de linha de cores com 200 jardas a 60 rs.
Baralhos muito finos para voltarete a 280 rs.
Rodinhas com alfinetes francezes a 20 rs.
Cartas de alfinetes francezes finos a 10 rs.
Caivetes de cabo de madreperola de duas folhas
a 500 rs,
Lavas brancas de algodao finas a 80 rs.
Miadas de linha frxa para bordar a 60 rs.
O Ferame da Moda.
das t&y
* m
AGUA FLGBIDA
De Murmv i Lanman.
Charutos neste genero temos grande sorti-S;.l refinado,em potes de vidro, a GOO rs.;
, r 1 ____.. .1- T: .! A nnlQ
ment tanto da Bahia como do Bio de Ja-
neiro a I,6oo, 2,2oo, 2,5oo, 3,ooo e4,ooo
rs. a caixa.
Caf do Cear muito superior a 28o rs. a libra
e a 8,000 rs. a arroba,
dem do Bio a 3oo e 28o rs. a libra.
Ceblas a9oo rs. o molho com mais de loo
ceblas.
Chourias e paios a 72o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 2oo rs. a libra.
Cevada muito nova a 8o rs. a libra.
Copos lapidados a 5 e 6,ooo rs. a duzia.
Doa de goiaba em latas a 4oo rs. a libra,
dem de caj em latas a 320 rs. a libra.
Ervilhas francezas e portuguezas a 5oo e 64o
rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
Figos de comadre em caixinhas com 8 libras
por I600 rs.
Farinhn do Maranhoa 12o rs. a libra.
Farinha de trigo muito superior a 12o rs. a
li )ra.
Fardo em saceos grandes a 4,ooo rs. o sacco
Genbra ingleza marca gato a l.ooo rs. a gar-
rafa.
dem verdadeira de Hollandaem frascos muito
grandes a 1,2oo rs. o frasco.
dem de Hollanda em frascos pequeos a 5oo
rs. c frasco.
dem de laranja a l.ooo o frasco.
Gommi do Aracaty a 8o rs. a libra.
Grata a loo rs. a lata e l.loo a duzia.
o pote.
Sabo massa a 120, 160, 200 c240 rs. a
libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
D.to de Santos c 300 rs. a libra.
T jlo para limpar facas a 140 rs. cada um.
Vassouras americanas a 64o rs, cada urna,
dem do Porto a 400 rs, cada urna.
Velas de carnauba e composiro a 320 rs.* a
libra e a 100 a arroba,
dem stearinas superiores a 560 rs. o
maco, e em caixa por menos.
\ i nho do Porto, neste geneno temos o me-
lhor sortimento possivel, que vendemos
por precos muilo haixos a 1$ a garrafa e
a 10/ e 12(5 a duzia.
MemCherry, eda Madeira em barris e em
caixa, a 12$ a caixa e o barril conforme o
tamanho.
dem de Figueira e Lisboa, em ancoras de
8 a O caadas, por 280000.
Lito em pipa a 3(3000, 30500 e 40ooo a ca-
ada
Mem do Porto, denomiuado Baliza, a 5# a
caada.
Uem idem em garrafes a 2<$500, com o
garrafo.
liem de Bordeaux, das melhores marcas que
vem ao mercado, a 65 a caixa e a 640 rs.
a garrafa.
| Vinagre de Lisboa a 10600, l8oo e 2,$000 a
I caada.
; Iem idem.em garrafes com 5 garrafas, por
Id com o garrafo.
Linguas americanas de grande tamanho a Vinho de caj a 1(5 a garrafa. Este vinho
l.ooo cada urna. i tem dez annos.
Hua da Senzalla n. 42. I cortinados do Pavo.
Venie-se, em casa de S. P. Johnston cPliino p ojihpe ina|P7P<; candPirniP ra seinns e sunoes inglezes, canaieiros e casti- r .0 de 9 a pe na rua da lm,)erairil n. m
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela, bja de Gama & Silva.
chicotes para carros e montara, arreios para! echlncha do Pavfio.
carros de um e dous cavallos. e relo'gios de Para cortinados a i&.
ouro patente inglez. Vendem-se pecas de cassas adamascadas com
.lindos floroes lendo 6 varas cada peca pelo barato
I rico de 45, ditas com o varas a 35, sendo pro-
fras para janellas, camas, berros etc., etc. : isto
s na loja do Pavo rua da Impcratriz n. 60, de
Gama & Silva.
a SK500 e :i$.
Vendem-se pecas de cambraias brancas lavra-
i.as proprias para vestidos tendo 8 1|2 varas a 35,
litas com 6 1[2 a 25-'oo. ditas ditas a 35o00, 45
e 45j00, isto pechincha : na loja de Gama &
Silva, rua da Impcratriz n. 60.
GAZ GAZ GAZ
por preco reduzido.
Vende-se gaz da melhor qualidide pelo
pre.o de 10i5 por lata de 5 gales : no ar-
mazem do Caes do Ramos n. 18 e rua do
Trapiche Novo n. 8.
FAZEMIAS
baratas para acabar.
Sedas de quailros e de listras a 320 rs. o cova-
do, liadas las de quadrinhos a 360 o covado, sa-
peiiores cassas de cores a 200 rs. o covado, ditas
muilo linas a 240 o covads : na loja das colnmnas,
na rua do Crespn. 13, de Antonio Gorreia de Vas-
conoollos & C.
Os precisos talheres pa-
ra criancas.
*
Chegaram e acham-se venda na rua do unci-
nado, loja d'aguiabranca n. 8.
Este raro quSo delicado perfume
quasi que inextingoivel c to elicio do
mimosa fragrancia e frescura come .1
delicado cheiro das proprias verdecea-
tcs flores. Durante os mezes ealoren-
tos lo vero o scu uzo tonia-se iininen-
temente aprazivel e dcscjavel cni (u-
sequinciu da influencia refrigiraute a
suave que ella prodna Bobra a pelle:
em qnanto que azada no banho ella
imparte o corpo lnguido e caneado
una certa elasiicidadc de vigor e foro*.
Kii.i imparto trmtparmcia as/ c remova pannos, sardas e beiioejas d>.
suhrc a jjele.
0 TOXICO ORIENTAL DE KEflP
PARA OS CABELLOS,
urna preparadlo admirare! para lim-
par, aformosear, conservar e reetabelt-
cer os cabellos.
venda as boticas de Caors A Barboza,
rua da Cruz, e Jo5o da C. Bravo 4 C, roa
da Madre de,Dos.___________________
Venda deumahypothtca.
Os liquidalarios da massa fallida de
Jos Antonio Basto vendem a Inpotiie
ca que tem nos engenhos Matto 6rsso
e Cajabuss no termo de Serinliem no
valor de 31:835$911 rs.; tratar im
casas a rua do Trapiche n. 34.
AGENCIA
DA
FUNDICiO BE LOW-MOOR.
Rua da Senzalla nova n. 12.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C.
rua da Senzalla Nova n. 42.
Algodao
da Hall i a
URIAO
ERCANTIL
RUA Di CAHEIA INI RIXIFE I. 53.
NOVO E
I AEMASEM DE MOLHADOS
ti Y DA CADEIA INI UECIFE \. 53.
Francisco Fcrnandes Dnai te acaba de abrir na rua da Cadeia do liecifen. 53, um grande e sonido armazem de molhados de-
nominado l'mo Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeit.ivel publico um completo sortimento des melhores
gneros que vem ao mercado, tanto esirangeiros, como nacionaes, os quaes ser5o tendidos em porgues ou a retalho por pregos asss
com modos.
Manteiga ingleza especialmente escolhida Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
de primeira qualidade a 800 rs. a libra, 10200 a caada.
em barril se faz abatimento. Azeite doce reGnado em garrafas brancas a
Manteiga franceza a mais superior do mer- 800 rs.
cado a 5G0 rs. a libra, e 520 rs. em barril Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
ou meio. 4^800 a caada.
Prezuntos inglezes para fiambre, qualidade, chegados neste uitinio vapor, a 55800 a frasqueira.
rs. a libra. Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
Queijos flamengos chegados ne;te ultimo
vapor a 20800.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanbas muito novas a 120 rs. a libra e
e 30000 a arroba.
Cha uxin o melhor que ha nes e genero,
mandado vir de conla propri i a 20800
rs. a libra.
Cha hyson muito superior a 20530 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio par negocio a
i-0500 rs. a libra.
Cb preto muilo superior a 20 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differenles
qualidades, como sejam craknil, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
outras muitas marcas a 1035(.
Bolachinha de soda em latas gnndes a 20.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 500 rs. a libra e 30 mi quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de Lea a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem vindo ao nosso mercado a 180 o gigo,
garante-se a superior qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garraf;.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 108a duzia, e 900 a 10a garrafa; deste
genero ha grande porgSo e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 149 e 150 a caixa, como se am: Duque
do Porto, Lagrimas do Doud, D. Luiz,
Cames, Madeira secco, Carca\ ellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira 3 Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200
e 30500 a caada.
Vinho branco de superior quali lade, vindo
j engarrafado a 640 rs. agarrafa e a 500
rs. de barril.
Os senhores que comprarem de 1000000 para cima, tero o descont de f! por cenlo, pelo prompto pagamento.
com ricas eslampas na caixa exterior,
muito proprias para tnimo, a 1020o, 10500
c20.
Frasco de vidro com lampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
10200.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
vemos de Lisboa, em latas de 1 e meia a
2 libras a 600 rs a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muilo novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoasde casca melle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Magas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o prego.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 040 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 10200 a libra.
Chocolate hespanhol a 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 10200 a garrafa.
Licores francezes das seguintes qualidades:
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames
e de outras muitas marcas a 10 a garrafa
e 100 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
90 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Sardnhas de Nantes a 340 rs. o quarto e 560
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta : savel, corvina,
vezugo, cherne, linguado, lagoslinba, a
10300 rs.
Salmo em latas, preparado pela nova arte
de cozinha, a 800 rs.
Maga de tomates em latas de i libra a 600
ris.
Chourigase paios em latas de 8 e meia fibra
por 70.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra e
80000 a arroba.
Uolaxinha ingleza a 320 rs a libra e 40 a
barrica.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Cevadinha de Franga a 200 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 120 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e ?0 a arroba.
Alpistaa 160 rs. a libra e 40800 a arroba
Batatas muito novas em gigos com 40 libras
por 10500.
Cebollas a 10 o molho com mais de 100 ca-
.da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 90 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 80400 a arroba.
Caf do Bio, proprio para negocio, a 80.
Arroz do Maranhoa 100rs. a librae 208OO-
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 29400 a
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixo.
Macarrao, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Estrellinha, pevide e arroz de massa para sopa
a 600 rs. a libra e 30 a caixa com 6 libras.
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs.
o masso, ditos lixados sem flor a 1(50 rs:
o masso com 20 massinhos.
Gomma de engommar muito fina a 80rs. a.
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra e
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabrcenles de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, de
.1)600, 20e30.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes,' Presuntos do reino, vindos de conta propria
a 10 cada um. de casa particular, a 400 rs. a libra; intei-
Sal refinado a 500 rs. o pote. ro se faz abatimento.
Gl
*;!
COIME
RUA DO Ql/JEJTMLtINI \. 45,
Paseando o becco da Congregado segunda casa.
NOF1DADE.
para saceos de assucar e roupa de escravo; tem
para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
Pereira Bocha C. acibam de abrir na rua do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commercial,.
onde o respeitavel publico cncoairar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
sero vendidos por pregos muitD resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom peso
e boa qualidade dos gneros conprados neste armazem.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa.
libra. Passas muito novas a 480 rs. a libra.
Cevadinha de Franga muito superior a 220 Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra.
rs. a libra. Painco a 200 rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra. Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 610 rs. a lata. Presuntos le Lamego em calda de azeite e
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.! muito nov a 640 rs.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas Queijos Damengos do ultimo vapor a 20100
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a ris.
10800, 50500 e 280 rs. a libra. dem pratoa 640 rs. a libra.
Farinha do Maranbo a 120 rs. a libra. ; Sal refinado em frascas de vidro a 6(K) rs.
Arroz do Maranbo, da India c Java a 80 e
100 rs. a libra e 20400 a 20rOO rs. a ar-
roba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 e 10600 eem frasco; grandes a
20500.
Idom em caixinhas elegantemei teenfeitadas
com ricas estampas no inleii >r das caixas
a 120000,10400, 10600 e 20.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 rs. a ar- Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
cada um.
roba.
Azeite doce francez muito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 610 rs. a gai rafa.
Araruta verdadeira de mataran; a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e nova; a 180 rs. a
libra.
Batatas muito novas a 40 rs.
Biscoutos inglezes de diversa; marcas a
i 0300 ris.
Oolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 30300 a barr-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banba de porco refinada a 440 rs. a libra c
e em barril a 4i0 rs.
Cb hysson, btichin e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e 30000 a libra,
dem preto muito superior a 2*000 rs. a li-
bra.
Cerveja preta e branca, das meliores marcas
que vem ao mercado, a 5f rs. a garrafa
c 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, sude pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e especialmente da fabrica imperial de
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD Sardnhas de Nantes a 320 rs.
a :00 rs. o frasco e 60200 rs. a frasquei Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
ra. Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra,
dem em garrafes de 3 c 5 gales a 50500 lijlos de limpar facas a 140 rs.
e 70500 cada um com o garrafo. Vellas de carnauba pura a 360 rs. a li-
bra.
dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
libra.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I. Mara Pia,
Bocage, Cbamisso e outros a 800, OO e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
potteo
libras para cima se far urna dU'erenga.
dem franceza muito nova a 560 rs. a libra,
c em barril lera abatimento.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a li-
bra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Uassas para sopa : macarrao, talharim e ale-
tra a 480 rs.
Candido Ferrira Jorge da Costa," a 10800,1 Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
20000, 20200, 20500, 20OO, 30000 e Peixe em latas preparado pela primeira arte
30500 a caixa. de coziuha a 10 rs. a lata.
Caf do Bio muito superior ; 260, 280 e Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
300 rs. a libra e 70500, 80 e 80500 rs. a Palitos de dentes a 120 rs.
arroba. dem de flor a 200 rs.
Gomma do Arcaly a 80 rs. a libra.
Graixa a luO rs. a lata e 10100 rs. a duzia.
Grao de bico a 150 rs. a libra.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa,
dem, qualidade especial e garrafas muito
grandes, a 108OOrs. a garrafa,
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi
dro, a l#000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfetamente flor, dcscm- dem em pipa, Porto, Lisboa c Figueira a
barcada de pomo a 800 rs. a libra, e de 8 480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc c S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, c 70000 c 70500 rs.
a duzia.
IdeniM'jrgauxcChateauluminidc 1854, a 10
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
1A200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porg3 de outros que deian os
de mencionar, c que tudo ser vendido por
pegas e carnadas, tanto em porges como
retalho.
Quem comprar de 1000000 para cima le-
ra o abate de 5 por cento.
r

m .
-^^(S^p(f


Diarlo de Pernambnco -- ftabbado 9 9 de Fcvcrelro de 1984.
ATTENCAO I PECHUSCHA
9 I AIU.O 1IO t1 LltitKO O
GRANDE SORTIMENTO
DE

PARA A FESTA.
DUARTE & C.
Parlicipam aos seus numerosos frepuezes e ao publico em fjeral que acabam de
receber de sua propria encommenda, o mais lindo e completo sortimento de molhados,
os quaes vender por grosso e a retalho por menos iO por cento do que outro qualquer
annunciunte, como verSo pela seguinte tabella que abaixo notamos, garantindo os mes-
wos proprietarios nao s o peso como a qialidade de seus gneros.
AVINO.
Todos osseiibores que comprarem para negocio ou casa particular de IOO0 para
cima tero mais 5 a 10 por cent de abatjir.ento, os proprietarios scientificam mais que
todo* -*w seus gneros s receidos de sua propria encommenda, razo esta para pode
"vender por muito menos do que outro qualquer estabelecimenlo.
IO WUItfCA
ARMAZEM
ATTENCAO
AOS
IO LARGO IIA -PEYBIA IO
Francisco Fernandes Duarte dono deste muito acre litado armazem
de molhados, acaba de receber neste ultimo vapor os mui desejados gneros escollados
por elle na Europa, todos muito propries para a festa os quaes est resulvido a vender por
precos baralissimos como vero pela seguinte tabella, e mesmo pede a tolos os Srs. da
prar,a, de engenhe e lavradores para que mandem suas relacoes para serem despachadas
no armazem do Progresso do largo da Penha n. 10, atim de verem a grande vantagem
que tiram, tanto na superioridtde dos gneros como nos precos a:ss resumidos,
os
tica
O interesse que tira o proprietario deste acreditado armazem, j de ve ser bem co-
nhecido pelos seus numerozos freguezes, pois simplesmente consiste em servir bem e ga-
nhar pouco, afim de conseguir a eontinuaco daquellas pessoas, que a primeira vez se dig-
naren! honrar o seu estabelecimento.
DO
PROGRESSISTA
UUA I)AS iSI/l> V. 3G
RTJA DO CRESPO N. 9
No fealrro de Santo Antonio,
loaqnlm los Gomes de ttouza tem a honra de participar ao respei-
IUV. mull, i'""" '<* OUUUI IU1 IU1UO UU3 KGIIGIUJ IUIIIU IIIJ3 IJI CW5 d SUS IUMIIIIIIIUS. ..1 ..Wi: .____ i -i J __ 1 i '
i Sr. que nao podercm vir podero mandar seus portadores ainda que nlo tenham pra- ni la q".e T reSOlv' vendf S SCUS ger'erS de prUne,r-a ica, que serao to bem servidos como se viessem pessoalmente. 40 a 2 V? cc,,l ,loT.e ro (>ualfuer annunciar. c10 se ve do presente annuncio.
aseverando o proprietano d estes armazens a aquellas pessoas que frequentarem estes
estabelecimentos, que nunca teo occasiao de reclamar qualquer genero, visto ter-se
adoptado n'estas casas o ptimo svstema de s se negociar com gneros especialmente es-
collados.
Manteiga ingleza flor a 8oo rs. a libra.
Ciastiulias muito novas a 2,ooo rs. a caixa, (
a I'lo rs. a libra.
Bofioho fr.uicez e em caixinhas de 7oo '.
4.010 rs cada urna,
dem trance'.a a mais nwa do mercado a 56c
rs. a libra, e 54o rs. em barril.
1.1 m de pores retinada muito alva 46o rs,
a libra.
Pc'.u di para ianlire a 8oo rs. a libra.
Cha uxiin miu.linho vinlo de conta propria,
o m-I ni." di mercado a ,8oo rs. a libra.
LL'.n byson de superior qualidade a 2,Coo rs.
;>, libra.
tem perola o melhor que se pode defiejar a
2,7oo rs. a libra.
Iitaa preto muito fino a 2,5oo rs. a lilva.
Mein mata haixo pouco a .ooo rs. a lbra.
Iiem mais baixo a l,8oo rs. a libra.
Vinho do Alto Douro vindodo Porto engar-
rfalo gir.mte-Se a superioridade deste vi-
nho. das segnmtes marcas : Duque, Ge-
nuino, veio secco. especial lacrimas do-1
i Vellas de carnauba e composico de 32o a
36o rs. a libra e de lo.ooo a H.ooo rs. a
I arroba.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
4iO rs. a botija, e em duzia ou em barrica
ter> abatimento.
i Maesas para sopa macarro, talharira e aletria
a 48o rs. a libra e em caixa ter abati-
mento.
dem estrellinha, rodinha e pevideem caixi-
nhas de 8 libras, muito bem enfeitadas de
2,5ooa 3,5oo rs. a caixinha e a 6oo rs. a
libra.
Doce de goiaba em caixas de diversos tama-
nhos de oo a i ,ooo rs. o caix.lo
Sabo massa de 2oo a 24o rs. o melhor, em
caixa ter abatimento.
hespanhol a 28o rs. a libra,
ixe em latas muito novo ; savel, pescada,
corvina, salmiio e tutras multas qualidades
preparada de escabeche 2 a arte de cosi-
nha de l.oo a i,8oo rs. a lata.
Figos em laixas de i arroba, lj% e 8 libras
a 8,ooo 4.000 e 2.ooo rs. a caixinha.
ees de 1H1), y.nho especial D Pedro V., Barri( lle vill!l0 ,)rahC0 (le inl0i marca R
vmho ve .o, Nctar superior de 1833, Da- & Fi|ho a 60>ooo rS 0 b;irri,
que do Porto de 18-14, vmho do Pono ve- Marme|a(i., imperia| dos m |hores conservei-
lao superior, madera secca de superior ros lie Lisboa ., 84o rs a, tinhade 4 1bra>
q i ihl ule, vmho do Porto superior IJ Lu- na |alas je | i s (l ^ libras
iz '. !eL,8i.7' '5rinMs do Douro espe- Massa (,etomate emalas douradas de i libra
c'nl. vinho do Porto de I,oooa 4,oo rs.
a garrafa e da lo.ooo a I4,ooo rs a caixa
com u na duzia.
Bo'ac'iip.h i de so la espacial encommenda e a
ni iis nova que ha no mercado a 2,2oo rs. a
lala
scoito* in?lezes das melhores marcas em
[alionasde 2 libras a I,3oo rs..a lata.
Ide ii irurlezes raknel em latas de 5 e 7 libras
de 5.000 a 6.000 rs. a lat, e em libra a
8oo rs.
Ciueijos do reino chegados pelo ultimo vapor
a i 5oo rs. rada um.
11 >in prato a 7oo rs. a libra.
a 64o rs. a lata.
amenas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas de l.5oo a 3,ooo rs. a
caixinha, tambem ha latas de i */ a 6 li-
bras de 1,2oo a 4,5oo rs. a ata.
dem em frascos com tampa de rosca a l,6oo
rs. o frasco.
Chocolate portognes, hespanhol, francez e
suisso a l,2oo rs. a libra.
Conservas inglezas das seguintes marcase
Mixde-Pieles e cebollas simples a 75o rs
o frasco.
Ancoretas de vinho colares a 5o,ooo rs., e
a 72o r,s. a garra f
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 2,ooo rs.
dem do vapor passado a 1,8oo rs.
dem prato muito no vos de superior qua-
lidade a 4oo rs. inteiro, e a 5oo rs. a
libra.
Doce de goiaba fino em caixoes com 2 '
libras por 6oo rs.
dem mais baixo a 54o rs.
Manteiga ingleza flor a mais superior
mercado a 7o rs. a libra.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra
Farinba do MaranhSo muito alva e cheirosa
a I2o rs. a libra.
Sagn muito novo 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 2oo is. a libra
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
Cominhos, ervadoce e pimmta do reino a
36o rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 5,5o<' rs. a frasquei-
ra com 12 frascos, e a retalho a 5oo rs.
cada um.
dem de segunda qualidade a 64o rs. a libra. dem em botija hamburguezi a loo rs.
Manteiga francesa de primeira qualidade a Genebra de laranja a i.ooors. os frascos |
56o rs. a libra, e 52o rs. em barris ou grandes,
meios. Vinho de caj o melhor que ha no mercado
'*-
do
CHA
hysson, uxim e perola a 2400, 2,600o
2,800 rs. a libra.
CAF
muito superior, do Rio e do Ccar a 8,000
c 8,400 a araoba e 300 rs. a libra.
VINHO
de Lisboa e da Figueira a 3,500 e 4,000 a
a caada,
do Porto engarrafado de diversas marcas a
1.000 rs. a garrafa.
Bordeaux de diversas qualidades a 7,000,
8,000, 9,000 e 100 a duzia.
CIIAMPANHE
CONSERVAS
inglezas a 8,500 a duzia e 760 rs. o frasco.
SAL REFINADO
em frascos de vidro com tres libras a 600 rs.
PEIXE
em latas ermeticamente lacradas a 1,000
rs. cada urna.
PORVOS
do Porto muito bem conservados a 500 rs.
a libra.
MUSTARDA
preparada muito nova a 400 rs. o frasco.
MARMFXADA
dos melhores conserveiros a 640 rs. a libra.
ESPERMACETE
groza
eSersJ rs- 8
Cha perola neste genero nao ha nada a de- a l.ooo rs. a garrafa.
sejar, e de especial qualidade, mandado Palitos do gaz a 2,3oo rs.
vir de conta propria a 2,8oo rs. a libra. a caixinha. CERVEJA
dem huxim o melhor do mercado a 2,6oo dem de denles lixados a 16o rs. o maco com muito superior a 5,000, 5,500 e 6 000 rs. a
a melhor que temos neste mercado a 20,000 muit0 superior a 560 rs. a libra, e em caixa
___:* ., Kr;n *
rs. a libra.
dem de segunda qualidade
bra.
dem hysson muito superior a 2,5oo rs. a li-
bra.
dem preto homeopathico muito fino a 2,ooo
rs. a libra.
Bolachinha de soda chegada neste ultimo
1 2o macinhos.
a 2,ooo rs. a Ervilhas seccas chegadas ne;te ultimo navio
e em porc5o se faz aba-
a 16o rs. a libra,
timento.
Banha de porco refinada a 4 io rs. a libra e
42o rs. em barril.
Vinho brando de superior qiahdade proprio
para missa a 64o rs. a garrafa.
navio a 1,35o rs. a lata, deste genero ha Ameixas Irancezas em cahinhas elegante-inglezas em barricas a 4 000 e 210 rs. a
(Trandp nnrran a grande porco e de differentes marcas,
que se vendem todas pelo mesmo preco a i
mente enfeitadas com ricas eslampas
l,2oo, l,5oo e 2,ooo rs. cada urna.
dem francezas em frasco de vidro com tam-
pa do mesmo contendo 1 '/libra a l,2eo
rs. s o frasco val quase ) dinheiro.
dem em latas de 2 libres por l,4oors.
a retalho, e a 8oo rs. a libra.
Figos de comadre muito no vos em bahuzi-
nhosmaito proprio- para mimo al ,28o rs.
caixas para reU.lho a 16o rs. a
Vinho e.n pipa das mais acreditadas marcas Sardinhas de Mantea a 32o rs. a latinha.
coim. jamBA F., PRR, JAA, nutra* Charutos das mais acreditadas marcas de
militas urcas. Porto. Lisbda e Figueira; 2.5oo a t.ooo rs. a caixa.
de 48n,5oo, 58o. 64o e 8oo, rs., a o do Champagnho a melhor do mercado de !2.ooo
Porlo lino ern garrafa, e em o nada a
o.o 3,ooo, 4,ooo e 6,5oo rs. o melhor
do Porto.
dem Bordoaux das mais acreditadas marcas
a Ton rs. a nrrala, e a 8,ooo rs. a caixa.
iarraftes com 5 garrafas de superior vinho
do P'.rto a 2.2oo rs. com o uarrafao.
lite :i mm 5 garran de vinho da Figueira mais Ml ho alP'sta e Painso (,e l(, a 2o a "
proprio |iara a nossa estacan porsfr mai ..' .
fresco a 2.4oo rs. com o garrafao. Pahws do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2oo rs. a
I Ion niii 'i narrafas de vinagre a l,2oo rs.
com o sfirrafao.
a 2l.ooo rs. o gigo, e de l,2oo a 2,ooo rs. a
garrafa.
Papel greve pautado ou liso a 3.5oo rs. a res-
ma.
dem de peso pautado ou lizo de 3,5oo a
4,ooo rs. a resma.
Gomma muito lina e alva a 8o rs. a libra.
Vasos innezes de 4 a 16 libras vasios, muito
proprio para deposito de doce manteiga
ou outro qua(qer liquido de l,ooo a
3,ooo rs. cada um.
Licores das melhores marcas e mais finos
a l.ooo rs. a garrafa e em caixa ter abati-
mento.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e Io.Soo rs. a caixa.
a 64o rs. Chonrcas as mais frescas do mercado a 8oo
rs a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a
l.ooo rs. o frasco.
Sorreja das mais acreditadas marcas de
5,5oo a 15,500 a diuia e de mais a 5oo rs.
a garrafa.
dem em botijas e meias, sendo preta da
muito creditada marca T de 6,5oo a 7,8oo
Yfnhobran oo mais superior que vera ac
nosso mercado a 56e rs. a garrafa, e i
4.3.>o rs a caada.
\e'a^ deespannacate as melhores neste ge-
nero de 5n a 64o rs. a maco; eem cai-
xa ter grande abatimento por haver
grande porQ'io.
Azeiie diM,e. em barril muito fino
a ji nafa e V.Soi a ranada,
dem fraii'*;/. retinado a Koo rs. a garrafa.
Ervilh is francezas e puriuguezas a 64o rs.:
lata
Eiocetas eom d ices seceos de Lisboa de 3oc
a :j..'>i'n rs. cada urna,
loucinho doLisboa a 3oo rs. a libra, e t
!).i"io ,is. a arroba.
limito novas aI6ors. a libra e 4,8or rs duzia.
rs. a arriba. Ceblas em rnolhos grandes a 8oo o molho
Caf de l *, i..1 e 3. qualidade de 26o, 3oo
e :vo rs. a libra. doCear de7,8oo, 8,6oo,
eS.iixi rs. a arroba do melhor.
Arro' da India, Java eMaranhao de 2.8'to ;.
3.o ..i a arroba, ede 8o a 1 oo rs. libra
l'assaj ni lito novas a 8.5oo a caixa e 5oo
a li'iia ha caixas meias e quartos.
Sevadinha do Franca a 2lo rs. a libra.
Sag muito novo a 28o rs. a libra.
640 o cento, c. a 6,5oo rs. a caixa
Pimenta do reino a 34o rs. a libra.
Farinha do Maranho a 14o rs. a libra.
Tijolo para linpar facas a 16o rs cadaum.
Cominho a loo rs. a libra.
Erva doce a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
I Batatas a l.ooo rs. o guo com 32 libras liqui-
das e 3,ooo rs a caixa de duas arrobas.
38RA DO lili 3ERADOR 38
:-tn
Asna natural le ( unililar.
\
vontade dos compradores.
lem em latas grandes a 2,oeo rs.
dem propria para lanche em latas grandes
a l.Doo rs.
Marmelada imperial dos melhores fabrican-
tes d3 Lisboa a 64o rs. a libra.
Frutas em calda em latas de l.ooo a 5oo rs.,
neste genero ba diversas qualidades a es- dem em
colher. libra.
Champanha superior das marcas mais acre- Passas de carnada a 48o rs. a libra e em
ditadas a l,5oo rs. a garrafa e la.ooo rs. quarto com 8 libras por '.:,5oo rs.
o gigo. Bolaxinhas inglezas de superior qualidade a
Serveja das melhores marcas que vem ao .ono rs. a barrica, e a 2oo rs. a libra,
mercado a 5oo rs. a garrafa e a 5,ooo rs. Chocolate francez o melhor que se pode de-
a du/.ia sejar neste genero a l.ooo rs. a libra.
dem preta superior a 56o rs. a garrafa e a Macas para sopa cstrelinha, pevide, arroz de
5,4oo rs. a duzia. maca a 48o rs. a libra, e tin caixa a 2,ooo
Vinho Rordeaux de differe/ites marcas, e as \ rs. cada urna, imcarraao, talherim, e ale-
melhores do mercado a 7,ooo, 7,5oo e tria a 4oo rs. a libra
8,ooo a caixa com urna duzia, e em gar- Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra,
rafas a 64o, 7oo e 8oo rs., garante-se a Avelans muito novas a "oo rs. a libra,
boa qualidade. Ervilhas francezas muito iovas em latas
dem Figueira de superior qualidade a 48o! grandes a 64o rs.
rs. a garrafa e 3.5oo rs. a caada. dem em ditas pequeas a 4co rs.
dem de Lisboa a 2.8oo rs. a caada e 4oo Maca de tomate em latas de 1 e 2 libras a
rs. a garrafa. \ 64o rs.
dem do Porto de superior qualidade para Salmao em latas de 1 '/ libra a 8oo rs.
mesa a 5t50 rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a ca- Lagostinho em latas grande.- a l,4oo rs. ca-
ada | da urna.
dem fino do Alto Douro da colheita de 1833, Sardinhas de Nantes a 36o -s. a lata,
como sejam: D. Luiz, Feitoria vellio, Nec- Coguhac inglez a 8oo rs. a garrafa,
tar, Carcavellos e Cames em caixa de Licor francez das melhores marcas do mer
urna duzia a 9,ooo rs. cado a 8oo rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto Batatas chegadas neste ultimo navio em cai-
a 550 rs.
CHARUTOS
da Bahia a 1,600. 2,200, 3,000 e 4,000 rs-
a caixa.
TOCINHO
muito novo a 9,000 rs. a arroba e 300 rs. a
libra.
ERVILHAS SECCAS
as mais novas do mercado a 120 rs. a libra.
de soda m la,as grandes a 2.000 rs. cada mt ^^T' "**
uma muito bem fetos a 160 rs. o maco.
VINAGRE
a 240 rs. agarrafa e 1.600
duzia.
GENRBRA
de Hollanda em frasqueiras a 5,500 e
rs. o frasco:
BOLACHINHA
500
libra.
em
de Lisboa PRR
BISCOUTOS rs- a caada,
atas de todas as qualidades, a 1,300 rs. AMENDOAS DE CASCA
xa com duas arrobas por l,6oo rs., e 4o
rs. a libra.
a l.ooo rs. a garrafa e lo.ooo rs- a caixa.
Duque do Porto, Madeira secco, duque ge-
nuino, lagrimas doces a 9oo rs. a garra- Concervas inglezas a 75o rs. o frasco,
fa e 9.5oo rs. a duzia. | Sal refinado em potes a 5oc rs. cada um.
Garrafoes com vinho do Porto a 2,2oo rs. ;Mostarda in^le a a l,ooo rs. o Irasco.
cada um.
Vinagre de Lisboa de superior qualidade a
2oo rs. a garrafa e l,2oo rs. a caada.
Azeite doce refinado em garrafas grandes a
8oo rs.
dem de Lisboa a 64o rs. a garrafa, e em
caada a 4,8oo rs.
Presuntos inglezes para fiambre a 7oo rs. a
libra,
dem de lamego encommenda particular a
48o rs. a libra, e inteiro se faz atiatimento.
Toucinho do reino o melhor do mercado a
:<20 rs. a libra, e em arroba a 9,ooo rs.
Velas de espermacete de 4, 5, e 6 por libra
a 560 rs e em caixa se faz abatimento.
dem de carnauba refinada a 32o rs. a libra
e 9,ooo rs. a arroba,
dem de carnauba pura do Aracaty a 4no rs.
a libra e lo,5oo rs. a arroba.
Gomma muito fina e alva a 8o rs. a libra.
dem franceza a 4oo rs. o pete.
Mdho alpista a 16o rs. a libra e 4,8oo rs. a
arroba.
Graixa muito nova em lata; grandes a l20
ris.
Latas com peixc em posta ermeticamente
lacradas das melhores qualidades de pei-
xe que ha em Portugal a 1,2oo rs.
Caf la-ado de Ia qualidade a 32o rs., dito
de a 28o rs. a libra e 8,2oo rs a arro-
ba dito de 3* a 26o rs. ; libra e 7,8oo
rs. arroba.
Charutos suspiros dos melhores fabricantes
de S. Eelix a 2,5oo rs. a caixa com loo
charutos.
dem finos de diversos bbr i cantes a l,6oo
l,8oo e 2,ooo rs. a caixa com loo charu-
tos, 'o preco nao indica a boa qualidade
porm deem-se ao trahalho de virem ou
mandarem e vero a realidade.
cada lata.
ARROZ
da India e do Maranhao a 2,600 e 8,000 a
arroba e 100 rs. a libra.
CEVADA
muito nova a 2,500 a arroba e 100 rs. a
libra.
GOMMA.
muito superior em saceos com quatro arro-
bas a 2,000 e 100 rs. a libra.
CASTANHAS
piladas muito novas a 320 rs. a libra.
PASSAS
as mais novas do mercado a 8,000 a caixa e
e 500 rs. a libra.
AMEIXAS
francezas em latas de 1 e 1|2 libra a 1,000
rs. a libra.
SARDINHAS
de Nantes muito novas a 300 rs. a lata.
as mais novas do mercado a 240 rs. a libra.
FARINHA DE ARARUTA
verdadeira e muito nova a 400 rs. a libra e
10,000 rs. a arroba.
ERVA DOCE
muito nova a 300 rs. a libra e 9,000 rs. a
arroba.
COMINHOS
os mais novos e mais superiores a 400 rs. a
libra.
NOZES
muito novas a ICO a libra e 5,000 rs. a ar-
roba.
SAG
o melhor que pode haver neste genero a
2*0rs. a libra.
MASSA DE TOMATE
em latinhas de 1 libra por 600 rs. a lata.
SABO MASSA
neste genero ha sembr um grande sorti-
mento variando o preco de 120 a 240 rs.
por libra.
Existe alm d'estes gneros, um explendido sortimento de phosphoros, fumo, ai-
pista, peras em calda e seccas. figos, copos finos para agua, massas para sopa, azeite, ca-
nella, pimenta, velas de carnauba, banha de porco, papel, e outros muitos gneros, de es-
tiva, que todos serao vendidos por mdicos precos.
Tendo o proprietario dos armazens do progressista deliberado nao concordar
com a liga da Uniao Commercial, Clarim, Allianca, etc., etc., etc., declara que s con-
corda em alliar-se aos seus freguezes, fazendo coni estes uma liga de interesses leciprocos'
tendo os seus adiados a faculdade de comprarem por precos muito em conta o bom fiam-
bre, o formidavel queijo e a siborosa bolachinha de sola, que fazem uma boa allianca
coma superior champanhe e o p >rto fino, nicos que sahem imitar a unio destes ar-
mazens com os seus concurrentes. Viude, senhores, a >s armazens, aonde podis d'en-
tre um muito explendido so timiinto desaborosos alimentos, escolherdes os quemis
ros apetecer, certos de que nunsa lereis occasiao de arrepender-vos de gastar o vosso
dinheiro uestes estabelecimentos.
t
V
POR HENOS DE DEZ POR CENTO.
NO
m
TIVO
fihvti
JOAQUOI SIMIO OS NA3TOS
23-Largo do Tereo23.
O propriftario desto annausm di- mnlharios vende os seus ja bem rnnherido: penaros de pri-
meira qualidade pur menos de dez por cenio do (jue ern oulra <|n;iI.jn.-r parle, gara ilindo-se a supe-
rior ijuabdade.
Vo se diz o peco |ii a na o pan la
FARINHA FONTANA,
ra-iana a milito acre il* imri
i Hlaiia i-st-mliaica 'a liojc, vnf-sr
j ni- iii'in mais commiH do que en
(]iiali|iiiM-mili-a paite : na na da Or.
B. 4 asa de \. 0. Riener A '. siiccm-
ftrt.
Ferros i vapor.
r.tii--' .ifr.'ililalu- ferro* vapor :
K-ula, os m.i du Quiimado n.3?,.4zevedo Irmo
f'l HE I ISRO%
Veudein-. la procedencia, em petlra. chega-
da hoje. e iicilca aova, que ha no
mercado, na ra do Trapiche 11.
13, armazeui de llanocl Tei&ei-
ra IIalo.
Calcado com elstico estragado.
Borz'guins pa-pia lo* de vernil para lininem a
i 33, dil'i> para 111 iiiitms a .5 : na pj-aca da tode-
| pendencia, loja do Aranli -.
Vinho as melliores marcas.
Manteiga iogkoa flor.
Mein fianre/a.
Randa de iKirco refinada.
Vellas de spennarute.
dem de carnauba.
Caf bom do Rio.
dem superior doCear.
Toneinho de l.ishoa.
Cha 'le diversas ipialdades.
Qieijos iiiivu* 1I0 vapor.
Miiiin alpista limpo.
Uomma Seensnmniar alva.
Sahn de diveisas rpialidades.
Cluiiirieas muito nova*.
Arre7.de diver-os |ireeos.
Ser .'i ja das melhnres marcas.
Sardinhas d Nanies nnvas.
Geiielm de laranja snoerior.
dem il 1 Bollan-la marea Gaita
Plio*phii|iK du gat.
Iliil.'ii'hinlia Inglesa em barricas.
i'.i--a< imiiio novas.
Pinos de primeira qualidade.
RUimiiIik e htifarhiiihan de rodi.
Charutos de diversas qualidade'.
Alm dos gneros niiiiunciados existem outros iuuIjs .pie enfadoulio men 'iona-loSja dinhei-
ro contado.
Vendem-se globos de barro vidrado da fahriea
de Santo Antonio no Porto, proprii s para jardim e
frentes de casas : na ra do Amorim n 46.
AURORA BRILHAN1E
LARGO DA SANTA CRUZ N. 84.
O proprietario do grande armazem de molhados denominado ^Aurora Rrilhante, acaba de
reduzir o preco dos seus generus. precos estes que muito hode agradar aos senhores com-
pradores.
Farinha superior de San!; Catharina.
Vende-se em porcao oo t relilho. a bordo da
barca Iris, atracada ao trapiehe do Bario do Li-
vranierito, 011 no escriptorio d Antonio Luiz de |
Oiiveira Azewdo & C, ra da C'iizn. I.
Manteiga ingleza flor a 7O e .
Dita hainburguez.i muito nova a
Dita franceza a 5'tl) e 560 rs. e em
liarris a......
Queijos do reino novos a 43IX) e .
re-untos novos de Lamego, libra a .
Choiirie,as do reino novas, libra a
Espermacete muito lino a 7iO, 6W e .
Velas de carnauba arroba 103 e libra
360 e.......
Cha liyssnn muito superior a 24500 e
Dito perola a
* Dito miudinho a 2S00 o
*B) Dilo preto muito superior a 15800, e
^ Latas eom bolaeliinha de soda Je O
_y libras a......
Ditas com biacuiUM de varias ipia ida-
des. ......
D.ce de goiaba 6 banana tino a iOO,
360 (eaixii) e
j; M.inuelada nova dos melhores auto-
^ res. libra a 610 e ....
8* Latas com pei\e savel, capuxo. fango,
(j congru, saloiiiiite e outros muitos
3g bem |ire|iar.idos a ...
fK Sardinhas de Nantes. lata* a .
^^ Kiasens i'iiiii ^eoelua de. Ilullanda da
^ verdadeira. a SO-a fras iueiras a
f*< Carr.ilViesiom genebra de 23 garrafa* a
fa Krax'i com genebra de laranja a .
*4.' Vinhiw da Kiguena e Lisboa, a 400,
*} 500 e,..........
.*5 Dilii do Porto lino a 6U), 720 o .
3 Dilubraneo proprio para mi*s.i a
(* Sriyeja de boas mareas a 500 rs. a
^H gariafa e a dnziaa.....
**f G"gn*C verdadeiro, a garrafa por.
-** Violtos Anos engarrafados no Porto, a
<9 garrafa por 15, I520ile.
m
m
m
m
m
m
*
m
81)1 ji(]o muscatel e Setubal a 800 e 15500
800 Licores tinos a 800, 15000 e I280
Caixinhas com ameixas muito enfei-
ta la-, a 15600 e...... 25000
Latinhas com ditas a 15500, 25 e 35800
Dita* eom figos de comadre novos a
I5500e....... J5000
Ditas com ervilhas francezas e portu-
guezas a....... 640
Di las cara ostras a..... 720
>itas com massa de tomates 6U0
DHta com finetas de Portugal a 560 e 640
Azeitonas de Elvas em frascos a 800
Fraseo- com conservas a 750 e 800
Ditos com mostarda franceza a 500
Macos com 20 macinhos de palitos de
dentes a......, 200-S
Tijolo* da liinpar a..... lio
Ararutt vnradeira viuda de encom-
menda, a libra a..... 500
Gomma de engommar a 25400 a ar-
roba c a Rbra a 100 e 80
Tapioca minio nova, a libra a 140 e* 160
Krvillias se va- o grao de bien, a hlira 160
Massas parasop*, aiaearrio, lalharim
e l.liia. a libra..... 480
Dil .* branca*, vindas de Li-boa, a 320
l'evide, e-livllinha* e rodinhas a 480
Caf do primeira s re, a libra a 280 o 320
Sal di verdadeiro he*i>anh"l, a libra 400
Dito ina^sa a 160. 200, 240 e 280
Alpista a 45sO0 a arroba e a libra llio
i'.iineo a 55 a arroba ea libra 200
Amendoas du e.vca mul a 360 e dura 240
Azeite doce refriado, agurafi a 800e 15000
Molh.....om m.isde 100ceblas a. 15000
Castaiinas novas, a libra .... 160
IfOOOV*, a libra...... 200
520
35000
480
64o
600
320
25700
25500
35000
25*30
35000
15'tOO
640
720
15000
9M
55">00
850i M)
15000
NO
800
61O
55856
15000
A*mui muitos outros gneros quo deixain de se mencionar, ludo da melhor qualidade e^
por precos muito commodos.


litarlo de Pcrnaiubiioo Mahbado 19 de Fcverfiro de 194)4.

a
i
ALLIANCA
DI!
MOLHADOS
0 nico que mais vanta^ens offerece ao publico.
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Mulo Ferr ira da Silva.
0 propretario (leste grande estabelecimento de mulhados, recebe por todos os
vapores e navios s nielhores gneros que \em ao mercado, os quaee vende em seu ar-
mazem pelos mais resumidos pregos.
Tendo chegado pouco da Kuropa, anule deixou pessois encarregadas para a es-
collia de seus geuros, tem a lionra de aniutin iar ao respeitavel publico, que ninguem co-
mo elle pode vender to barato e por tao resumidos procos; sei viudo como costurna aos
Beni fiviu./fs com os melhores gneros (pie ,>e pode desejar.
ATTENQO.
Quereudo o propietario deste 13o til estabelecimenlo a concurrencia da boa
fregui'zia, tem deliberado vender sempre por monos do que outro qnalquer, garantindo
OS seus lieyuezes. lodo e qualquer genero sahido de seu acreditado armazem.
Manteiga ingleza a mais nova e lina llegada Velas estearinas a > ueste ultimo vapor a 800 rs. a libra e de 8' a Sto rs.
libra para cima ter abatimetito. j Iiem de carnauba pura e refinada a 360 rs.
dem franceza a raelbor e mais superior do' a libra e lO.ooo a arroba.
nosso mercado a 5o rs. a libra e 52o em IJem de composira'o emmaoadas a 32o rs.
barril ou meios. o maco e 9,000 rs. a arroba.
Banba de porro relinada e muito alva a 44o Massa de tomate em latas a oo rs. a libra.
rs. a libra, eem barril a ioo re. | I'oce em calda das mais especiaes frutas da
Cita bysson o melbor neste genero especial Europa a 600 rs. a lata.
Liicoininenda do proprietaiioa 2,7oo rs. a ('stras em latas muito bem preparadas a
ljra. i.ooo rs.
klern dem menos superior e que em outras Peras seccas muito novas a 5oo rs. a libra.
cisas se vende a 2,6oo rs., custa ueste ar- (K'SSM para sopa estrellinba muito nova em
mazein 2,2oo re. a libra. caixas de 8 libras a 3,ooo e 5oo rs a libra.
Idei.i uxim o melhor que. pode haver ueste dem talliarim, maiarrao e alelria a 4oo rs.
genero a 2,Coo rs. a libra, garante- sea qua- dem macarrao um pouco mais baixo a'24o
bdade. I rs. a libra,
dem pelo muito especial a 2,ooo rs. a li- Sevadinha muito nova de Franca a 2oo rs. a
bra, e mais baixo, porem muito sufnvel a libra.
l,2oo rs. a libra, vende-se por estes pre- Sig o melhor que possivel a 24o rs. a
Ccs em razao de uestes ltimos navios ter- libra.
se recbido grande porgan deste genero, Farinha do Maranhao a melhor que presen-
a deferenca de preco lie de tino a 800 rs*. teniente tem viudo ao nosso mercado a
a libra do que se vende en outra qualquer 14o rs. a libra.
p (i te. Gomma do Aracaty muitissimo alva a 80 rs.
dem do rio em latas de 1 at 6 libra a l,4oo a libra.
rs, a libra, neste genero o melbor pos- Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
IJN1AO
COMMERCIQ
Sivel
libra.
Biscoitos inglezes em latas com d eferentes
i| laliilades auno sejao craknel, \ictoria
pie nic, soda, captaim. seed, osborne e ou-
tras muitas marcas a 1,35o rs. a lata.
Bolaxinlu de soda em latas grandes a 2.ooo
rs. cada urna.
Figos em caixinhas henniticamente lacradas
Licores muito linos de Bordeaux e toda as
marcas que ha neste genero a 800, l.ooo
e l,2oo rs. a garrafa.
Phosforos do gaz a Bao rs. a duzia e 2,2oo
rs. a groa'
Bjlaxinha americana em barrica a 3,ooo rs.,
em libra a 2oo rs.
e muito proprios para mimo a l.Ooo e Tijolopara limpar lacas a 12o rs. cada um.
2,6oo rs. cada urna. Vassouras de piassaba com dous anos de
dem em caixinhas de 8 libras a 2,ooo rs. ca- ferro prendendo o cabo a 32o rs. cada
da tima. l urna.
Passas muito novas a 8,000 rs. a caixa e 48o Escovas de piassaba proprias para esfregar
rs. a libra. 1 asa a 32o rs.
Ameixa franeezas em latas de libra e meia e Sardmhas de Nantes muito novas a 32o rs.
3 libra a l,2oo 2,ooo e 800 rs. a libra. | a lata.
Caixinhas com ricas estampas a l,4oo rs. Feixe em lata muito bem preparado savel,
cada tuna, frascos de vidro oom rolha do cunina pescada e outros a l.ooo rs. c
mesmo, contetido libra e meia de ameixas., lata.
Champagne da marca mais superior que tem Ervdhas portuguezas e fraucezas ja prepa-
vimlo ao nosso mercado a 18,000 rs. o
go, e 1,80o rs. a garrafa, garante-se a su-
p'lior ((nalidade.
Yinho Bordeaos das melhores qualidades que
se pode desejar a 7,000 e 7,."ioo rs. a cai-'
xa e ( i o rs. a garrafa.
Cai vas com ViiIki do Porto superior de 9,ooo
radas a 6io e 72o rs. a lata.
Caf lavado de primeira sorte a 3oo rs. a
libra, e 8,5oo a arroba,
dem do Rio muito bom a 28o a libra e
8,000 rs a arroba.
Arroz do Maranhao a loo e 120 rs. a libra,
dem de Java a loo rs. a libra.
e 10.000 rs. a duzia, e 9oo e l.ooo rs. a Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
garrafa, neste genero ha grande porcoede A vetSes muito novas a 2oo rs. a libra.
differentes marcas muito acreditadas que;Nozes muito novas a2oo rs. a libra.
ja se vendern por 1 l.ooo 15,ooo rs. a cai-
xa como seja, Duque do Porto, lagrimas
d 1 Honro, I). Luiz, Cames, Madeira sec-
co Nctar ; Genuino e malvarn lino e ou-
tias como C.lierry e Madeira para 12,000 e
13,omre. a caixa.
Violto de pipa Porto, Lisboa, Figueira, a 4oo,
481, e 3o rs. a garrafa, 3,ooo 3,2oo e
H.:>.m ir,, a canuda.
dem bramo o melbor ueste genero vindo de
eiiioiniiieinlaa 600 rs. a garrafa, e 4,5nn
rs, a caada.
dem dn Porto em barrit muito especial a
dio rs. a garrafa, e 5,000 rs. a caada.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
1,'inu rs. a ranada.
dem em garrames com 5 garrafa.
A/.e te doce de Lisboa superior qualidade a
64o rs. a garrafa e 4,8oo rs. a caada.
Bat itas em gigos detrinta a trinta e tantas li-
bra a 8on rs. o gigo e 4o rs. a libra.
Gencbra de HoUanda a mais superior a 6,000
rs. a frasqueira e 56o re. o frasco.
Mera em garnddes com25 garrafas a 8,000
ts.
Serveja das melhores marcas de 5,ooo a
8.5oo a du/.ia e 5oo rs. a garrafa,
nac superior a 800 e l.ooo rs. a garrafa,
1 em caixa lera abatimento.
Alai mellada imperial dos melhores e mais
afamados ronn-rveiros de Lisboa em latas
de libra e de libra e meia e ditas libras a
600 rs.
(loucervas malezas em frascos grandes a
T-'io rs. rada uin.
dem franceza de todas as qualidades de
I gomes e fruto a 5oo rs.
Mtanla franeezas em potes preparada
4oo rs.
Palitos para dentes 12ors. o mago.
Mein I i xados milito fino 14o rs.
Cliouiigas e paios a 7oo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra ou a
8,5oo rs. a arroba
Presuntos de laniego de superior qualidade
chegados ueste ultimo vapor a 48o rs. a
libra.
Aloisia muito novo e limpo a 16o rs. a li-
bra c 4,6oo a arroba.
I aingo muito novo a 18o a libra e 5.000re.
a arroba.
Sabio maga, amarello e castanhn a 22n o
2io rs. a libra.
Mein mais baixo um pouco a 16o, 180 eSon
rs. a libra.
Castanhas aliadas a 24o rs. a libra.
Chocolate francez de primeira qualidade a
l,2oo rs. a libra.
I lem de Santo muito superinr e medicinal a
l,3oo rs.
CODOS lapidados proprios para agua a5,noo
rs. a iliizia, que em outra qualquer parte
7 e 8,000 rs.
Charutos dos melhores e mais afamados fa-
bricantes de S l-Vlix e do Rio de Janeiro
de I,Roo a i>,ooo a caixa.
CelMillas novas a 800 rs. os mullios grandes
e 7oo rs. o cento.
Iioce de goiaba a 64o rs. o caixo.
Lenlhas excedente legume para sopa egui-
zado a 24o rs. a libra.
Lrvillias seccas j dtsc aseadas a 2oo rs. a
libra.
Pimenta do reino mu to nova a 36o rs. a
libra.
Cominhos e erva doce a 32o e ioo rs. a li-
bra.
' Gravo da India a 600 is. a libra.
a Candila muito nova a l.ooo rs. a libra.
..Ifa/.eina a 2on rs. a libra e U,ooo rs. a ar-
roba.
' (rai.xa a loo rs. a lata e I,loo rs. a duzia.
o o
3
co
GO
H O
O
GO pu
1 I
S-
p
o p
^ SO
D
8 x
es P>
o
o-
S
H fe
O ?

Bt


Cb
p
p-
S
ce
11
P-
pe
co
>as do sul*.
Venilem-se ovas do sertio : na ra do Queimado,
loja de ferragei* n. 14.
Vonde-o um cavallo nivto andrinho, muilo
gorda, anda de ludo, da melhor forma para urna
ahora, nao ha melhor : na ra do Cotovello nu-
mero 31.
A o n. 29.
Ntva luja dos liaratf iros na ra do Qurimad.
Kicas saias de tustaoa !i>, caminas Inglczas para
s nhi.ra a ,5. 23*> brancas a 5, chitas com lustro para robera rom
6 palmos de largura a 640 o covadn, camraia de
c res para vcsiido a 30 o cavado, laas para vesti-
d) a 480, 500 e 640 o covaile.
4 a. S
Nova loja dos liaraleiro* na ra do Queimado.
Tarlalanas de todas as coies, fazenda muitu lina
a 720 a vara, cambraia para cortinado, peca dr 42
Viras, por 10J, diales de lai por 34, 4, 55 e 8*,
camisas inglezas para houuin a 384, 30 e 604.
B. 29.
Nova loja dos barateiros na na do Queinado.
Bicos pri'los, franjas de todas as qualidades,
ranfas de seda, de algodao e de la, manguitos e
"iiiiisinlias bordadas. collarinho> e punhos, folhos
liordados, botoes de velludo, de seda e de fustn,
landos de cabello, meias de seda, loque* ; cujos
irtigos se vendeni pormetade do seu valor por ser
rara acaltar.
Vende-se farinha lie milho em barri-
cas, muito nova de excellente qualidade e
prego commodo : no armr/em de MauVus
Auslin C ra da Semalia Velha 11. 106.
Defronle da loja do Pregul^a.
icaba de abrir o sen grande e sortido armazem de molhados denominado .Inio e Com-
memo. Este grande armazem um dos mais bem montados que temos en. nossa praga,
nao so em limpeza e aceio, como as qualidades especiaes de seus gneros. O proprie
ario do L'mo e Conmeteio ofl'erece todos os senhores da praga, senhons de engenho
e lavradores a seguinte tabella, por onde verao a grande economa que l e resulta em
comprarem em tao til estabelecimento, aliangando o mesmo todo e qualquer genero
sabido de seu armazem.
Bnllinho francez em latas e caixinhas asmis
delicadas que tem vindo ao nosso merca-
do de 7oo a 2,5oo rs. a caixinha.
Manteiga inglesa perfeitamente II Jr, mandada
vir de cunta propria, a 7oo a 800 rs, a
libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
56o rs. a libra, e ein barril ter abatimen-
to.
dem ingleza em potes de 4 a 16 libras a
800 rs, a libra e o pote separado,
Cha uxim o melhor neste genero, mandado
Erva-doce a 5oo rs. a libra.
Champanha de 20 a 22,ooo o go.
Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza e 2o rs. a
caixinha.
Milho alpista a 16o rs. a libra.
Cominho muito novo a 4oo rs. a libra, e
comprando de 8 libros para cima a 32o rs.
Gomma muito alva para engommar a 80 rs.
a libra, e em arroba se far; abatimento,
Sag muito novo a 28o rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol, que raras vezes
vem ay nosso mercado a 28c rs. a libra
vir de conta propria a 2,800 rs, a libra. Vinho bra neo o melhor neste geiero a 800 rs
dem hysson, grande, muito bom a 2,t3oo rs. a garrafa e 4,3oo rs. a caada.
a libra. dem Bordeaux de differentes n arcas, garan-
Idem preto muito fino, a 2,600 rs, a libra.', te-se a qualidade, a 8.000 rs. a caixa com
dem preto, mais baiso, a 2,ooo rs, a libra. urna duzia, e a 7oo rs. a garrafa,
dem, verde, miudinho, mais proprio para Garrames com 5 garrafas de vir ho do Porto
negocio, a l,5oo rs, a libra. | do Alto Dnuroa2,2oors. com o garrafao.
Banha de poren refinada muito alva a 46o dem com 5 garrafas de vinho F igueira, mais
rs, a libra, e em barril se far abatimento.! proprio para a nossa estago por ser mais
Biscoitos inglezes das seguintes marcas;' frescoa2,4oors. com o garrifao.
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies.
Lunch, Cabin, e outras muitas marcas, a
1.4oo rs, a lata.
Bolachinha de sdo, especial encommenda, a
2,2oo rs, a lata.
Biscoito inglez Craknel em latas de 5, 7 e 15
libras a 5,ooo e 6,000 rs, e de l,oo a
800 rs, a libra.
Queijos do reino pelo baratsimo prego de
l,6oo, l,8o8 e 3,ooo rs os do ultimo
vapor,
dem prato muito fresco a 64o rs, a libra,
dem londrino muito fresco a 800 rs, a libra.
Vinbos em pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
48o, 56o, e 64o rs, a garrafa, e de 3,000 a
4,5oo rs, a caada.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa em latas de 1 e mais libras
a 7oo rs, a libra.
Peras secaas em caixinhas de 4,ooo a 2,000
rs. cada urna.
Figos em caixinhas de 1 */* arroba e de 8 li-
bras a 8,000, i,ooo, e 2,ooo rs.. ea 3eo rs.
a libra, taambem na serinhas para men
nos a 60 rs. cada urna.
Amendoas de casca mole a 36o rs, a libra, e
em arroba ter abatimento.
Sardinhas de Nantes a 32o rs, a latinha.
Toucinho de L^boa muito novo a 3oo rs, a
libra e em arroba a 9,ooo rs.
Massa de tomates a 64o rs, a libra.
Pimenta do reino a 34o rs. a libra,
Farinha do Maranhao a 14o rs, a jibra.
(Ceblas a 800 rs. o molho, 64o rs. o cento
e 6,5oo a caixa.
Tijollo para Impar facas a 16o rs,
Ceneja das mais acreditadas marcas de 5,ooo
a 7,500 a duzia, e de 5oo a 6eo rs, a gar-
rafa,
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 800 rs. a libra,
Genebra de laranja a 1,00o rs, o frascu,
Chourigas as mais frescas do mercado a 800
rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa,
e lo,5oo rs. a caixa com urna duzia.
Licores francezes e portuguezes de todas as
marcas de lo,ooo a 15,ooors. a duzia.
Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a 8,5oo
rs. a caixa. Ha caixas, meias e- quartos.
Batatas a l.ooo rs. o gigo com 38 libras e
2.060 a caixa com duas arrobas cadauma.
Bocetas com doces seceos de 3,ooo a 3,5oo
rs cada urna.
Bolachinha ingleza a 32o rs. a libra,
Azeite francez e portugue/. refinado a 800 rs.
a garrafa, e 9,ooo rs. a caixa com urna du-
zia.
Conservas ingle/.as das seguintes marcas:
Mixed. Pickes, e ceblas simples a 800
rs o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo
rs. o pote.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra e 4,800
rs. a arroba,
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de manteiga, doce,
e outro qualquer liquido, de 1,00o a 3,ooo
rs, cada um.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
o garrafao,
Sabo massa de superior qualidade a 18o,
2oo, e 22o rs. a libra do mdhor que ha
Graixa em latas muita nova a lio rs. a lati-
nha, e l,3o rs. a duzia.
Pexe em latas muito novo : savel, pescada,
curvin, salmo e outras omitas qualidades
preparados de escabexe, segundo a arte de
cozinha, de l,2ooa 2,oo rs. a lata.
dem do Alto Douro vindo do I orto engar-
rafado e esculhido pessealmtnte por um
des socios que se acha em Portugal, das
seguintes marcas : Duque, ( enuino, Ve-
lho secco especial, Lagrm;is Doces de
1819, vinho especial D. Pedio V, vinho
velho. Nctar superior de 185 3, Duque do
Porto de 1834, vinho do Porto velho su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade. vinho do Porto superior D. Luiz I
de 1847, Lagrimas do Dourc, especial vi-
nho do Porto, de l.ooo a 1 2oo rs. a gar-
rafa e de lo.ooo a 12,ooo rs. a caixa com
urna duzia.
Vassouras americanas a 800 rs. cada urna.
Velas de spermacete as melhores que ha no
mercado a 56o e 64o rs. o masso, e em
caixa se far um grande abatimento,
dem de carnauba e composigiio, de 4oo a
32o rs. a libra, e de lo,ooo i-s, a H,5oo
rs. a arroba,
Caf de 1 e 2* sorte de 8.3oo 1 8,600 rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a 1 bra do me-
lhor,
Arror. da India, Maranhao e Carolina a 3,ooo,
2,8oo e 2,4oo rs. a arroba e a loo rs. a
libra.
Frasqueira de genebra a 5,8oc rs. e a 5oo
rs. o frasco.
Azeite doce em barril muito fino, a 64o rs.
a garrafa, e em caada ter abatimento.
Papel greve pautado e liso a l,5oo rs. a
resma.
Genebra de Hollanda em botija de conta a
44o rs. a botija.
Passas corinteas a 5oo rs. a libra e 12,8oo
rs. a arroba,
Emilias franceza e portugueza a 640 rs. a
lata de urna libra.
Chocolate francez, hespanhol, suisso e por-
tuguez a l.ooo rs a libra, e a 28o rs. ca-
da pao de urna '/i.
Ameixas franeezas em caixinias elegante-
mente enfeitadas, com dive sas estampas
no exterior da caixa de 1,500 a 3,ooo rs.
cada urna; tambem ha frascos e latas de
differentes tamanhos que se vendem por
mdico prego.
Massas para sopa: macarrao, t dharim e ale-
tria a 48o rs. a libra, e em Caixa se far
abatimento.
Garrames com 14 garrafas d 3 genebra de
Hoflanda a 5,5oo cada um.
Charutos de todas as marcas 11 dos melho-
res fabricantes da Baha de 3,000 a 4,000
rs. a caixa.
Duarte & C, vendem tm seus arma.ens Unio e Cemmercio e lar*
V^ go do Carmo n. 9, armazem progressivo, os seguintes gneros desembarca-

G3
dos ltimamente.
Verdadeiro vinho collares em ancore-
retas de 9 caadas a 50,0uO e 800
rs. a garrafa.
Farello de Lisboa marca N ou Biato
ligo a 45 a sacca.
WH Vinagre I' R R, em aucoretas de 9 ca-
adas a 18,000 e 2,000 rs. a ca-
ada.
Passas em caixas, meias e quartas a
8,000 4.00U e 2.0C0, a 480 a libra.
Peras seceos em caixas de quatro li-
bras o melhor que se pode desejar
a 2,500, e 640 rs. a libra.
f$& Caixinhas de 4 libras e 2 com ameixas
a 1.500 e 2..'00 rs. a caixinha.
(SS Chocolate portuguez, o melhor que
j3 pode haver de bom neste genero a
CiSf 1,000 rs. a libra.
|s^ Marmelada propriamente dito de mar-
"f^ mello, a 64 rs. a lata e em caixas
;'J[ de 100 latas a 600 rs.
;(a de tomates a mais nova que se
pode desejar a 640 rs. a lata e em
caixa de 100 libras a 600 rs.
Ervilha portugueza a 700 rs. a lata,
e em caixa de 100 libras a 640 rs.
Passas corintbias para pudim a 640
rs, a libras, e 400 rs. comprando de
arroba para cima.
Queijos londrinos muito freso s a 800
rs. a libra e sendo Inleiro a (50 rs.
Sebollas em caixas as mais novas do
mercado a 6,500 rs. a caixa, a 800
rs. o molho, e a 640 rs. o cento.
Batatas cm caixas de 2 arrobas muilo
novas e grandes a 2.400 rs. a caixa.
Sextinhas com figos proprias para mi- |S
mus de criangas a 00 rs. cada urna ^B
e comprando em duzia ter grande |9B
abatimento.
trva doce muito novas a 5C0 rs. a ,:
bra, e comprando em arroba
10,000 rs.
Cominhos muito novos a 400 rs. 1
bra e 10,002 a arrota.
Licores portuguezes das marcas m
acreditadas de List a a 1,000 a (jar- '/S
rafa e 10 a 12,000 a duzia, as quidi-
dades sao as seguintes: nenie
violetas, geroflez, n sa, absinlho,
peiro, amor perfeito, amendoa toar-
ga, percicot deturin. boteliii, motn
gos. limo, caf, laranja, cidra, gin-
ga, canella, cravo, ortelaa. pin tula
e outros muitos de qualidades menos ;y
superior que sero vendidos por 1 re- w
gos em relagio as suas qualida- 3-^
des. f-f
s proprietarios afiangam que estes gneros sao muito novos e ludo K*K
ra| de primeira qualidade, tudo isto se vende unamente no armazem Unan e
fg^ Commercio na ra do Queimado n. 7, e largo do Carmo n. 9 armazem pro-
gressivo. ^
Qunjos yj&>
do alemtejo, das ilhas e flamengos, todos chegados neste ultimo vapor, a .
2,500 os flamengos e 800 ris a libra do alemtejo e das ilhas, unicamen- Sva
te no armazem Uniao e Cummercio, ra do Queimodo n. 7 e largo do Car-
mo armazem progressivo.
LOJA Rua da Senzalla Rtva n. 2.
do Neste estabelecimento vendem-se: tachasde
ferro coado libra a 110 rs., dem de Low
Moor libra a 120 rs.
ATTEI^lO
Todos os senhores que comprarem para negocio ou casa particular 30$ para
urna tero mais 5 a 10 por % de abatimento; o propretario scientifica s que todos
os seus gneros sao recebidos de sua propria encommenda, razao estapaia poder ven-
ler por muito menos do que em outro qualquer estabelecimento.
rf-:
ATTEIAO
27 Ra do Queimado 27
X areco de 3d a pera.
Corles de cambraia branca adamasceda proprias para vestido e cortinados pelo barato nreco
de 3*000 a pega. v
Fiaos cnlremcios.
ntremelos muito faos bordados a 1 e l30cda una pega.
Para acabar.
Finos organdys indianas padrdes escuro? a prego de 240 rs. cada covado para acabar.
A I.SSOO a 4ua.
Lengos de cambraia brancos a 1600 cad.i urna duzia.
Leares
e cobertas a 2*000.
Fino lilci.
Fil de I inho lionlado com toque deagua iloe a prego de 400 rs. a vara.
IIIA 110 QUEMADO Y II.
Laja de faz'endas de Augusto rrederiro dos Sauts Porto.
Fazrndn* prrtus para a aun resma.
Ricos cortes de morean(ii|ui! preto para vestidos fazenda superior.
Orles de vestido de seda nrcta com barras.
Capan pretas de seda bordadas e entenadas de 22 a SO*.
Capas de .-eda prela com mang:is ricamente enfeitadas.
Sooteinbanpues de seda prela e casemira de cor com lindos enfeltes.
Zuavos de seda preto de muito go-to.
Pannos pretos, casemiras pretas, setim preto, grosdenaple preto de diversas qaalidades tudo
superior.
C.iiap.'os de palha d'ltalia para menina ricamente entenados de 7 a 12*.
Camisas para homem franeezas e inglezas de algodSo e de linho.
Atraillado de linbo fazenda superior.
Camisinhas de cambraia a GaribaMi para senlioras.
Na uieMiia casa teni grande sortimento de fazendas de seda, laa, linbo e algodao que ludo se
vende por muito comnndo prego.
Chegaram tambem a exeellentes
ISI I1IC iS PARA SAIiAL
\a ra do inclinado n. II.
PAVAO
Cassas puritanas.
Vendem-se as mais modernas cassas puritanas
com bonitos desenhos pelo baratissinio prego de
140 e 280 rs. o covado, por haver grande prgo,
pechiocha : na ra da Imperatriz n. 60, loja do
I Pavo.
! Cassas persianas 3 rado.
Vendem-se as mais bonitas cassas persianas i
imitocao de la transparente com os desenhos te-
lados e oleiramente novos, pelo baratissimo prego
de 360 rs. o covado e nao detboiam : na loja do
Pavio ra da Imperatriz n. 60.
I Gorgurao de la a 500 rs. o co-
vado.
Vende-se gorgnrao de laa de cor escura propria
' para vestido de senhora, paletot para homem e
I roupa para menino, pelo barato prego de 'OO rs. o
covado : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de linho adamascadas com
bonitos lavres de edr de rosa, azul e branco,
pelo baratissimo prego de 5* cada urna : na loja
do Pavao ra da Iinpe'ratnz n. 60.
Organdys a 3IO rs. o covado.
Vendem-se organdys malisados fazenda muito fi-
na, de bonitos desenhos, pelo baratissimo prego de
240 rs. o covado : na loja do Pavao ra da Impe-
ratriz n. 60.
As alpacas do Pavo.
Vendem-se alpacas de seda de cores muito fi-
nas proprias para vestido de senhora, soutembar-
JW e roupas para meninos e dita branca muito
fina propria para vestidos e paletots, pDr prego
muito commodo : na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60.
Panno preto 9000.
Vende o Pavo:.
Vendenvse panno preto muilo encorpado a
2*0000 o covado, dito a 2*500, 3*0(10 e 4*000, ca-
simira preto muito fina a l*8C0, 2*000, 2*200 e
3*000, isto para apurar dinheiro na loja e arma-
zem do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de <..ma
{i Lima.
As calcas do Pavo.
Vendem-se superiores caigas de casimira preta
a 5*o{)0, 6*000, 7*000 e 8*000 rs., paeltots so-
breeasacos de panno pret a 12*000 rs., ditos sac-
eos a 7*000 rs., coletos de casimira preta a 4*500
e 5*000 rs.; na ra da Imperatriz n. 60,de Gama
4 Silva.
Algodozinho enfestado.
Vendem-se algodozinho americano com 8 pal-
mos de largura para lenres, toalhas, ele. etc. etc.,
a 1*000 rs. a vara, ditos estreitos a 5 *000,C*000,
7*000 e 8*000 rs. a pega, sendo muito boa fazen-
da, pegas de manda|iolo, por prego muito razoa-
Mi na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
de Gama c Silva.
Vestidos pretos do Pavo.
Vendem-se ricos coi les de gro.-deiiaples pelo
com ricos enfeiles de vellido, pelo barato prego
de 40*000 rs. cada um, na loja do Pavo ; ra da
Imperatriz n. 60.
I^aziulias Victoria.
\n loja do Pavo.
Vendem-se as mais modernas Hallullas Victoria
tendo 4 palmos de largura com lindas palmas de
seda pelo barato prego de 800 rs. o covado, na
luja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
A Silva.
Os soutciunarques do Pavo.
A' 20.-SWI0.
Vendem-se ricos snutemharques pretos ricamen-
te enfeilados a 20*000 cada Din, ricos manteletes
pretos, grandes a imitago de capas pelo baratissi-
mo prego de 20*000 rs. cada um, so na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pavo.
Vendem-se diales de merino estampados a
3*000 rs., ditos muito finos de crepom a 6*000,
7*080 e 8*000 rs., ditos jisos a 4*500 rs., muito
fios a 5*000 rs., s na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
O brim do Pavo.
Vendem-se brim de linho puro com quadrinhos
proprios para raiga e paletots, pelo preco de 500 e
600 rs. cada covado, sendo fazenda me sempre se
venden por mais dinheiro; ra da Imperatriz
n. 60, loja do Pavo de Gama A Silva.
I.fia a i ii lias SOO rs.
So o Pavo.
Vende-seiu lazinha matizadas proprias para ves-
tido sendo padroes uiiudinhos e grandes, sendo fa-
zenda muito encornada e que se pode lavar perfei-
tamente, como se lava a cima e nao desbola, sann-
do esto fazenda mais barata em proporgo do prego
por que se vende a chita; isto na loja da ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cal de Lisboa e potassa da
Klissi.i.
Vende-se na ra daCadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o antigo e acreditado deposito da
mesina ra n. 12, ambos os gneros sao novos e
legtimos, e se vendem a prego mais barato do que
utra qualquerjparte.
c/ o
311
= 3 =,
S,SS
a ce "a s
S."5 _.
(6 1 2 ;
1.5' &
o era..
B
5 o. t* vi
o.'

rj.

O
(6 g
"O ti
-i a
5 ?3
o -, g
3 ft m
O (O

a-s-oit
O S 03
rff:
3 g. & j
o p. 5' 5' '
O" S

a
j.
ES-
cu*
O
75
-
i i
en

s
Itrancn rm nuca,
Ven4e-se em latas de 28 libras o melhor que no-!
de haver a 200 rs. a libra, a dinheiro : na ra
larga do osario n. 34.
o as
-j
o
8
32
B
o
f
Vende-se urna victoria com pouco uso: ua
na ra da Florentina n. 14
Vende-se urna armago de amarello envernj-
sada, toda envidragada, assim como ilnas prajelel-
ras grandes de louro, proprias para arma7cm ou
entreposto de fazendas ; tambem cdese a toja de
urna s porta larga, na ra do < respo n. 4.
ESCRAYOS FGIDOS.
Est fgida a escrava Mari i do Rosario, f i
escrava do senlior do engenho Sanl'Anna, e doSr.
Bernardo Rodrigues Pinheiro, em Fra de Portas,
a qual tein os signaes seguintes : erioula, biixa,
tem o dedo graaiH da mo esquenla de menus |ior
causa de um panaricio : roga-se as autoridades
policiaes e capiles de campo a captura ; e quera
a pepar, leve-a ra da Senzalla Velha n. 94, que
ser compensado.
Fii(;io do engenho Sebastopol, frepuezia do
Cabo, um escravo de nomeZachanas.muLio, ida4a
25 auno, pouco mais ou menos, com os Puiae4
seguintes: altura regular, um tallio na fa bello crespo, ps feios, as orelhas um poneo torlaa,
cicalrizes nas co.-tas de surra : ruga-se, portattto,
s autoridades competeiites, ota a qui m delle UviT
noticia, de npprehende-lo e lvalo ao sen snior
Francisco Pata Barreto, no mesmo engento, iu
Felippe Santiago de Senna, morador na ra de
Apollo n. 3i, hu ra do Crespo n. 8, loja de 4 por-
tas, que serao bem recompensados.
4
i
il-yrnr,
Acha-se fgido o escravo de nome Faustino, de
idade 40 anuos, pouco mais ou menos, cor fula,
altura regular, gro.-so do cer|io, bem espadado,
barbado e j com alguns cabellos brancos na bar-
ba, bragos e pernas grossas e bastante rabelludas,
tendo as pernas arqueadas, potm nao muito, eda-
tuina andar sempre pelo Barro, Giquia, Au gMjjw,
etc., em sambas, e as vezes co.-tuma einbria^,.i -o
bastante por go>tar de beber : portanlo, rofa-e s
autoridailes |>oliciaes e aos capitaes de canpo n es-
pecial favor de o appreheuder e conduzi-lo a can
de seu siuhor, o major Antonio da Silva Giun a.,
na ra Imperial, que gratificara genero-anu nte.
Tornou a fngir a escrava Justina, de idi.^0
24 annos pouco mais ou menos, levoii 6 vestidos
de chito e 2 chales, sendo um preto, falla descas-
cada, anda de vagar e costuma repartir o cabello:
quero a pegar leve-a ra da Es|ieraiiga n. 74,
que se recompensa.________________
&WW
FAMMh
lo armazem da Aurora Brilhaate ha farinha cm
saceos grandes, igual a de Muribeca, a 6*500 e 7*
o sacco de dous alqueires.
I
O abaixo assignado apressa-se a rogar s autori-
dades policiaes c mais pvssoas, e Ih-iii a<-ioi aos
empregados das barca.-, de vigas e das eslacdes da
estrada de ferro.de pegarem o nieu escravo, abai-
no declarado, que fazendo-me um crirm*, fugio ae
met sitio da esirada do Arraial, no da 22 de fe-
vereirodo 1864. <\dolpho, preto, ci ionio, idade i
anuos, altura regular, beigos grossos, padece, de
frialdade, marcineiro, pintor, e caiador, tem pal
forro por nome Francisco, morador na Estrada
Nova, tem urna irmaa por nome Porcia, ininiia es-
crava ; levou vestido caiga de brim liso blanco,
canosa Usada de azulan, chapeo preto de fellu;
de suppr que lenlia mudado de roupas, e que .li-
gninas vezes andeealgado : protesto proceder o u-
tra quem o tiverazilado : auem o pegar poder*
lvalo minha otaria n. l3, na na do Mmid-g
da ffeguezia da Boa-Vista, que pagare o trabalno
e despezaMarcelino Jos Lo|ies
No dia Vi de Janeiro desappareivu da fregu^
zia de Pao dos Ferros de Apudi. um niolaio de no-
me Mam el, de mediana estatura, magro, cabellas
raxiados, ponto de barba no queixo. cara comprla,
e nexigosa, nariz- rombudo, tiem namrid, \am
tonto bicudo, olhar de porco, canelia- < rnpailp li-
no, pe comprido e dcsiarnado, rom nm sgnal <
ferimento : quem o pegar leve-o mema freiiuo-
zia Jos Gorgonin da Silva, no riacho das Lane*,
que ser reeoinpensado ; pudendo quem o im n.
trar at. o da 27 do correte, procurar no arma-
zem do sal na ra da Conceigo da Boa-Visto.
'
r


Diarlo de Pernantbneo ftabbado 19 de l'evcrolro de i 64.
LITTERATRA.
Pedro de Alcntara Bellcgard:
Quando 06 grandes aeoiiiecimoutos sociaes, que
onehein as priraeiraa paginas da historia (teste se-
culj, virram provar que a vasta America, at a l
fia refugio de obsenre* desvalidos, derta Dfhrecor
nova patria aos piineipes rsegoidos pelas eoose-
ijuenrias da ro\ lucio fraueeza ; qaando, para ms
nrvirmos anda de pitarras que com sobrada r.i-
rfi i para aql Irastadatnos f*), a van inania i.o
exercito francez pisava a ierra lusitana, e n pri i-
pe D. Joo, convencido por nina part- de que t )
da a resistencia seria infructfera contra o immoi-
so poder de Napoleao, com as pouoas forras do
rciiw, e por entra, eedendo s instancias de sena
cooselhciroscollaboradorcs da poltica iagleza, e
esolveu a saliir do Tejo e vir buscar asylo no es-
tado d> Brasil ; foi a nu Principe Real escolhida
para transportar trra de Santa Cruz o regento
a corte.
A bordo desse importante vaso de guerra vnba
um destacamento de artilharia, de que era coin-
mandante o capito Candido Norbcrto Jorge de
Bellegarde Essc distiucto offlcal trazia cm stia!
companhia a sua virtuosa consorte, a Sr.* D. Mi-
na Antonia de Niemeyer Bellegarde, que nao obs-
tante o estado em que se achava, nao quiz deixr
de segui-lo ein una viagein tao travada de cjii-
tnrieddi
Ao deixar as aguas do Tejo a au Principe Real
viu-so salteada por violentos temporaes. A des-
peito da coragem varonil que possuia a Sr.* I>.
Mara Bellegarde, e que era roalcada por urna ro-
signaco verdadeiramente evanglica ; tantas e lio
vehementes commoeoes nao podiam deixar de ac-
tuar fortemente sobro o seu organismo, e o resul-
tado foi que no dia 3 de dezembro de 1807 ve o
anticipadamente ao mundo um menino, que pon-
eos das depois, e nos bracos do principe l). Pedro,
recebia na pia baptismal o norae de Pedro de Al-
cantara Bellegarde.
Chegando ao Rio de Janeiro o capito Jorge
Bellegarde foi promovido a major e trausferido
para o corpo do engenheiros; e no anno de 1811)
expirou dcixaodo dous fimos confiados aos ternes
cuidados de urna mae, que soube assidua velar su-
Lre ellos com solicitude e dedicacao nunca des-
mentidas, e curtamente bem dignas do galardao
com que a Providencia as recompensou, a sincera
obediencia e o profundo respeitode seus filhos.
No anno subsequente (1811) ao do passaraewo
do major Jorge de Bellegarde, o munificente mc-
narclia, cm remuneraco dos servidos do finado,
mandou assentar praca de cadetes de artilharia a
seus lilbos, vencendo desde logo lempo de serviro
e sold.
A Sr.' D. Mara Bellegarde, que anda no ver-
dor dos anuos trajava o crpe da viuvez, dedicoi;-
seiucansavel educaco de seus filhos, que sob
tacs auspicios obtiveram tao rpidos progressos,
que em 1821, Pedro de Alcntara Bellegarde, sea
secundo-geuito, que ento contava apenas treza
annos de edade, conseguiu matricularse na escola
militar, na qual, nao obstante ser o mais joven de
todos os seus companheiros, nao deixou jamis i e
hombrear com os inais notaveis, e nao raro de e:;-
cede-los. No anno de 1827 concluiu elle o cuno
da escola militar, que era ento de sete anuos, lu-
yendo por cinco vetes obtido premios.
Foi ahi que o joven Pedro Bellegarde comecou
a revelar da maneira a mais brilhante a sua ja
bem culta intelligeneia.
A le vigente para as promoces de artilharii
no tempo da independencia estabeleeia os con-
cursos.
O mancebo que tao esforcado se mostrara na;
lides da inteligencia nao poda deixar de apresen-
tar-se na arena.; a propria coasciencia para la o
impellia. Apresentou-se ; e o futuro, que laotts
vezes implaeavel dissipa as mais amenas esperan-
zas, encarregou-se desla vez do demonstrar irro-
eusavelmente quao legitimas eram as asprace s
do talentoso mancebo.
Pedro de Alcntara Bellegarde alcancou por cor. -
curso os posios de 2 tenente, em 1823, de 1" t-
eme tres uiezes depois, o de capito de artilhari i
em 1824 I
Alm dcstas soube a inda merecer outras provas
de consideracao: antes mesmo de concluir os seus
estudos foi pelo governo escolhido para servir so i
as ordens dos (Ilustres engenheiros Cordeiro Tor-
res (depois visronde de Jerumirim) e Andrea (de-
pois barao de Cacapava) nos trahalhos das forti -
ficaees das viziohancas da cidade, e para outras
coinmissoVs importantes de engenharia ; e passo
para o corpo de engenheiros.
Concluido o curso da escola, foi-lho commettid
a direccao da obra do pharol da Ilha Basa; e bem
assim o encargo de coadjuvar o plano do canal do
rio Guand baha do Rio de Janeiro.
No anno de 1828 foi-lhe conferida a graduaco
de major. Depois esteve por mais de dous anno;
cm campos de Goytacazes, incumbido de fazer o.
primeiros estudos sobre os canaes do l'rurahy o do
Nogoeira, alm de outros trabalho?.
Regrcssando corte, em 1832 e encontrando o
negocios pblicos dispostos por forma mui poucu
compativel com os seus principios de fidclidade,
liesitou por algum tempo cm conservar-se na car-
rcira militar, que ihe pareca haver perdido nessi
poca o seu mais bello brazo- oda lealdade.
Tentou ento estudar medicina, mas a anatoma
se Ihe apresentou de ama repugnancia invenci-
vel; projeclou depnis estabelecer-se com urna ty-
pographia destinada publicaco de varios traba-
11 ios scientificos que encetara : to persistentes es-
fcr$os haviam por nico escupo abandonar a car-
ira que abracara.
Acliava-se nestas circumstancias, quando se an
aunciou o pnmeiro concurso para vagas de subs-
tituios da escola militar, lugar que se havia rocu-
s id o sempre a solicitar, por ser cordialmente in-
tenso a um tal systema de alcancar empregos o
pjsigo. Ento o seu amigo mestre e prestante
migo Cordeiro Torres veio demovlo de seus
p-ojectos, e levado mais pela abnegacao, toque
principal do seu carcter, do que por vontade pro
fra, tal era a reluctancia que senta em depen-
der do governo, se Inscreveu para o concurso an
nunciado.
Pelos fins do anno de 1832 teve lugar o prime!-
jro concurso para professores da escola militar
seis concurrentes se apresentaram s tres vaga;
do substitutos, e destes smente foi proposto o ma.
|or Pedro de Alcntara Bellegarde.
Este facto por si s bastara para fazer crr i
quem nao houvera o animo prevenido, que nc
noacao do nico candidato approvado se nao le -
tantaria a mais tenue duvida. Nao aconteceu po-
f o assim nos lempos duros que ento corriain
inerecimento profissional bom pouco Ihe valeu t
Antigs relajos de amisade que mantinha con
() As patarra*, que cima reproduzimos, s>
extrahidas do Resumo da Historia do Brasil, d >
finado major Hennque Lulz de Niemeyer Belle-
arde, irmao primognito do conselheiro Bellegar-
lle. as Hernias Ao Instituto Histrico se encon-
t a o seu elogio histrico.
pessoas dcsffeclai ao gover.no, ou antes por este
perseguidas, retardaran por seis metas a
uomeaco, c por anda mais um anno a posse do
|Ugar I
Arrede Deas de nos outros seraelhantes tempos
de intolerancia (
Emoossado finalmente eni 18 i no empregode su-
bstituto da escola u/lilar, raerceil os encargos in-
herentes a este lugar e ao de lente proprietari0
pela maneira distineta pc-r que o atiestan, alm
de um bam merecido renomo, os seus proprios
discpulos e collegas, que viram sempro creronles
os crditos que granjeara como estudante e en-
genheiro pratico. Lecconou em qnasi todas ae
eadeiras da escola, e nao raro em mais de urna
ao mesmo tempo. Sem oitras nterrupc5es, a nao
sjarem as motivadas pelo publico servico, seguu \
acarreira do magisterio por espaco de vinte annos
at o de 1833, em que se jubilou, refusando a gra- '
?a que o governo Ihe offereceu de continuar no '
exerccio de suas funecoes. dizendo : A jubila-
cao dos lentes amigos nao s urna recompensa
de serviros, tainuem urna garanta de progres-
so ; se bal sempre servido bem, outros vi rao depois
e serviro melhor.
No anno de 1836 fundou-se em Xiclheroy, a es-
cola de architectos medidores, sobro um projecto
elaborado pelo entao ja major effectivo Pedro de
Alcntara Bellegarde o apresentado assembla
provincial por Jos Cirneme Pereira. O autor do
projecto foi nomeado lente e director da escola, e
successivamente regeu todas as differentes eadeiras,
do ensino ; e como se tanto labor tora ainda in-,
snfflciente, compoz e den luz da publicidade
compendios apropriados inslrucgao dos architec-
tos medidores instituicao que. quando comecava
de apresentar auspiciosos resultados, foi supprr
mida.
Por esse mesmo tempo o major Bellegarde e o
coronel Conrado Jacob de Niemeyer submetteram
approvarao da assembla gcral o plano de oiga-
nisac.o de urna companhia para o arrasamento do
morro doCastello.
Esse projecto, por circumstancias que' nao cabe
aqui aquilatar, nao logrou o seu lito, e dahi ha tao
smente resultado o irse de da para dia tornando
mais despendiosa o difcil urna obra de utilidade
real. Pareca que de lodo se sumir nos limbos do
esquecimento o projecto dos dous habis enge-
nheiros, e que o morro do Castello permanecera
firme em seu posto at que um cataclysraa se en-
carregasse de o derrocar. Alguns recentes estra-
gos vierain porm acordar amortecidos receios, e
boje cura-se de novo da remoco dos pergos que
a existencia da mootanha pode acarretar.
Oxal que desta vez se leve a effeito a obra, sem
aguardar que alguma C3 lamida Je nos venha pu-
nir de tanta irresolueo I
Em 18M a provincia ie Pernambuco, por in-
termedio de seu presidente, convidou os dous en-
genheiros coronel Conrado e major Bellegarde,
alim dedarem um plano para o eacanamento das
aguas potaveis do Recife. Pressurosos accederam
elles ao reclamo, e no curto periodo de dous me-
zes de servi$o apresenlaram o plano completo,
acompaohado das plantas, nvelamentos, etc. A
obra realisou-se pouco tenipo depois, e a provincia
de Pernambuco goza hoje de seus benficos resul-
tados.
Antes dessa viagem, o major Bellegarde havia
organisado o projecto, e dado comeco primeira
estrada macadamisada ao imperio a do Bota-
fogo.
Ao regressar de Pernambuco foi nomeado chefe
de urna coniraissao novamente creada de nstruc-
?o pratica dos engenheiros. accumulando alm
disso ao exerccio da sua cadeira de construccoos
na escola militar as licoes de astronoma pratica.
Empregado sempre em diversas commissdes,
qur na efirte, qur na provincia do Rio de Janei-
ro, e 'proseguindo na publicagao de suas obras
scientificas e pratcas de engenharia; assim Ihe
correu a vida at o anno de 1848.
Foi entao qne urna nova carreira se abriu sua
dedicacao. Obrigado a accetar a noraeajao de
encarregado de negocios no Paraguay, pa?a al
parti no Um do anno de 1848, e nessa legacao
permaneceu at 1832. Pouco amigo, por uature-
za, de fazer valer os seus servicos, nao forain elles
entao devdamente apreciados, iloje porm que a
todos sao patentes as diffieuldades das negoca-
edes com aquella repblica, e quanto al me-
lindrosa a residencia de um ministro eslrangeiro,
pode o publico mclhor avahar os bices que teve o
nosso encarregado de superar para celebrar um
tratado de allianca, que foi o primeiro signal da
grande cruzada, qua deu em resultado a queda
de Rosas I
De volta dessa importante missao, foi o ento j
brigadeiro Bajtogarde nomeado director do arsenal
de guerra da rdrte, que, pouco havia, passra pela
desagradavel phase, que geralmente conhecida.
Durante a saa administraran a reparticao mui re-
gularmente funecionou.
A 6 de setembro de 1853, foi convidado para a:
pasta da guerra pelo entao vUconde de Paran, a
quem deelarou que, se so traa va do systema de
perseguicao e intolerancia, nao podia assentir;
e havendo-lhe o novo presidente do conselho mani-
festado qual a marcha que pretenda seguir, res-
pondeu por estas palavras, ijue patenteiam a no-
breza de seus sentimenlos : t Sendo assim, e V.
Exe. o presidente do conselho, aceito.
No oxercicio do seu ministerio, que durou de 6
de setembro de 1853 a 11 de julhode 1855, proce-
deu sempre com toda a benevolencia compativel
com os austeros deveres da vida militar, j mais
deixou de prezar e respeitar os seus cantaradas, e
teve a fortuna de propor a obter galardao para al-
guns delles, que a despei de relevantes servicos
viviam quasi esquecidos.
Creou o balalbao de engenheiros, completando
assim a organisaco do quadro do exercito; e a es-
cola de applicagao. que seus proprios mulos ( s
a medioeridade que os i ao tem ) nao podem dei-
xar de elogiar, e que 'poi sem duvida um perdu-
rarel monumento alvan'.ado a gloria do sabio
continuador da grandiosa obra encelada por D. Ro-
drigo de Souza Coutinbo, o fundador da escola mi-
litar.
O rtesprazer que Ihe caucara o desfecho da nossa
missao ao Paraguay, ( 18541853, ) arcumulado
a desgostos provenientes de incompatibilidades de
carcter com o presidente Jo conselho, inspiraram-
Ihe' a inabalavel resoluto de insistir por sua de-
missao do elevado posto que oceupava.
Retirndole do minislere, foi poucos mezes de-
pois nomeado vngal do conselho supremo militar, e
sem mais commissao alguma do governo se conser-
vou durante as administrarles de seus successores
marque/, de Caxias e Jernimo Francisco Coelho.
Achando-se reduzidn a nm empreuo honroso, po-
rm de traballio milito Inferior s suas habiltacoes
e activdade. depois Je baver pnr algum lempo es-
perado, tomuu o partido de enrarregar-se, com per-
msso do governo, da organisaco da carta da pro-
vincia do Rio de Janeiro, conjuntamente com o co-
ronel Conraio Jacob de .Niemeyer, seu to e antigo
companheiro de trabalho, e neste empenho anda
ambos se ronservam.
Havendo chegado a esta corte a infausta nova do
fallerimento do marechal di exercito baro de Ca-
capava, chefe da rommiss' de limites enlre o Im-
perio e o Estado Oriental, o Dr. J A. Saraiva, ento
ministro interino dos negocios da guerra, o no-
meou para substituir ao Ilustre marechal de exer-
cito em tao honrosa commissao. Elle seguio pouco
depois para a provincia do Rio Grande do Sul, e,
decorridos alguns mezes, ok trabalhos de campo
haviam tocado ao termo.
Mui deliberadamente nos; alistemos de entrar
em considerarse* sobre estes ltimos servicos, o
por isso, para ultimar, ape.ias accrescentaremos
que o brigadeiro Pedro de Alcntara Bellegarde
actualmente do conselho do Sua Magestade o Im-
perador, veador dr Sua Magestade a Imperatriz,
gmmendador da ordem de S. Bento de Aviz, dou-
iii sriencias mathemalicas, director da escola
central, chefe da commissao do limites do Imperio
rom o\Eiailakental. vogal do conselho supremo
militar e de Justina, socio effectivo do bistituto His-
trico e Ceographico Brasileiro, e de futras socie-
il ides scientificas c luteranas.
que. indefessono estudo.o frneto de suas lo-
riilna i se acha reunido, nao s em luminosos
csrrptos inditos, mas ttmbem as obras que ba
publicado, e se compe de compendios de mathe-
matcas, de mecnica, architetura civil e hydrau-
lica. lopograpbia, dlreito das gentes, balstica, o
varios outros. todos n itaveis, na opiniai dos pro-
Bssionaes, pela reunjao das condledas de clareza,
conciso. e a|iplicaro urlica.
( Galera dos Brasileiros Ilustres.)
Damos em seguida o relatorio apresentado s
cmaras brasileiras, pelo ministro da justiga :
Animar urna seinelhantc tentativa parece-mo
de grande proTeita A despeza oreada para a crea-
gao do Korum nao grande, e nao poder exceder
de locontos annualmente, se fr estabelticido,como
me parece conveniente, as cidades^ do Rio de Ja-
neiro, Babia, Pernambuco o Maralo,
t Limitando a creaco por ora s ci lades onde
tem assento as relaees, com o andar dos tempos
fcil ser, nao havendo deficiencia de meios, esten-
der o beneficio a todos os termos do imperio gra-
dualmente, remorando pelas cdades de maior im-
portancia.
Seria al de mxima conveniencia decretar,
como condico de creaco de um termo, a existen-
ca de um edificio que so preste satisfaco de se-
melhante necessidade, e tnantido cusa dos inte-
ressados na respectiva creaco, quando nao fossem
sufficienles as rendas que pede dar um tal estabele-
cimento pelo aluguel das salas destinadas a escrip-
torios de advogados c cartorios de escrves e ta-
bellies, renda que as grandes capitaes, parere-
me, pode ir muito alm da cifra das despezas, alli-
viando o encargo dos cofres pblicos.
Tribunaes e juizos.
Xenbuma circunstancia veio fazer-ine demo-
ver das observacoes que fiz no relatorio de 1863 a
respeito dos dlFerentes tribunaes e juizos do im-
perio.
Contino a pensar do mesmo modo nao s
quanto sua organisaco, mais ainda quanto as
suas aitnbuices.
Supremo tribunal ilejustica.
< Foi reconduzido na presidencia leste tribunal
0 ministro baro de Montserrate.
Fallecen o ministro Jos Paulo de Figueira
Nabuco de Araujo. Ainda nao foi preenchida a va-
ga que deixou.
Por decretos de 30 de dezembro passado fo-
ram aposentados os ministros Gustavo Adolpho de
Aguiar Pantoja. Tburcio Valeriano da Silva Tava-
res, Coruelio Ferreira Franca, o Jos Amonio de
Siqueirae Silva. Reconhecenuo que nao ha lei que
aulorise o acto, submetto-me francamente censu-
ra dedircito, tendo aconsciencia de havsr consul-
tado as conveniencias do servico publico.
Relaces.
< Foi reconduzido na presidencia da relacao do
Rio de Janeiro o conselheiro de estado Euzebio de
(Jueiroz Couiinho Mattoso Cmara.
t Falleceu o desembargador Manoel Jos de
Araujo Franco, da relaco do Maranlio.
Foram absentados por decretos de 30 de de-
zembro passado os desembargadores da relaco da
Babia Francisca Jos Coelho Netlo, JoaquimTeixei-
ra Pcrxoto de Abreu Lima, e Jos Emigdio dos
Santos Tourinho. Faco aqui egual observaco
que fiz, quando dei conta da aposentadoria de qua-
Iro ministros do supremo tribunal de juslica.
Tribunaes ilo commercio.
Foi nomeado vice-presidente do tribunal do
commercio da corte o desembargador Joo Lopes
da Silva Couto.
t Nestes tribunaes nao houve oulra s.lteraco.
Jaizoeommercial de instancia
t Sem alteraco.
Juizes de iireito.
As comarcas do imperio eram, segunde o ul-
timo relatorio, em numero de 200. A lei de 7 de
novembro de 1863, da provincia do Cear, creou
comarca de Aquiraz, roraprehendendo o termo do
mesmo uoine destacado da comarca da capital da
provincia, e a lei de 11 de dezembro passado, da
provincia da Parahyba, creou a comarca de Ma-
manguape.
-Nos annexos mandei ajuntar relceos dos jui-
zes de direito nomeados depois do ultimo relatorio,
dos que esto avulsos, dos que se acham distrafii-
dos em outros serviros, e finalmente dos que esto
servindo as comarcas para que foram nomeados.
Por essas relceos fka patente o movimento occor-
rido nesta classe de magistrados.
Foram aposentados os seguintes juizes de di-
reito :
t Jos Bernardo de Loyola, da comarca de Sa-
pucahy, em Minas-Geraes ;
Joaquim Bernardos Cunta, da comarca do Pa-
ran, na inesuia provincia ;
Falloceram os seguintes juizes de direilo :
< Joo Valentn Dantas Piuag, da comarca da
capital do Cear ;
Antonio Jos Lopes Damasceno, da comarca
de Gurup, na provincia do Para ;
< Manoel Correa Lima, da comarca da capital
da Parahvba ;
t Herclano Antonio Pereira da Cimba, da co-
marca de branles.
Juizes municipaes.
< Das relaedes annexas constaui quaes os juizes
que foram nomeados, quaes os demillidos, quaes
os que perdern os lugares por nao trem solici-
tado em tempo as suas cartas, e finalmente os que
presentemente servem nos termos.
Crearam-se os seguintes termos.
de Santa Luiza do Norte, provincia das Ala-
gas ;
Os de Jaguary, Ponte Nova, e Jacuhy, na provin-
cia de Minas Graes -,
U de Maranguape, na provincia do Cear ;
O de Flores, na provincia de Pernambuco ;
O de Mac^he, na provincia do Rio de Janeiro;
0 do Amparo, na provincia de S. Paalo.
Nesta provincia foi desaunexado o termo do Ca-
po Bonito de Paranapaneina do de Apiahy e I ta-
pera da Faxina, e reunido ao de Itapetininga e Ta-
tuhy.
Juizes de paz.Promotores pblicos. Officios de
justirtl.
Nao ha que addiciouar.
(uarda nacional.
Nao tendo ainda chegado o resultado da ultima
qualiliraro, impossivel dizerqual actualmente
a {orea da guarda nacional, a qual est dividida
em 212 commandos superiores, comprehendendo :
Cavallaria.
83 rorpos.
87 psquadrdes.
18 companhias.
5 secroes de companhia.
Artilharia.
!) batalhes.
7 secrdes de batalho.
7 companhias
1 secro de companhia.
Infantaria (activa.)
598 batalhes.
39 secfSea de balalbao.
20 companhias.
1 scelo de companhia.
Infamara (reserva.)
77 batalhes.
153 secroes de batalho.
IOS companhias.
60 serres de companhia.
Durante os nove, mezes que decorreram de 30
de marco at esta data foram creados os seguintes
commandos superiores, corpos, etc.
Alagas.
1 commando superior.
Cear.
1 commando superior.
1 batalho da activa
1 secro do batalho de reserva.
Maranho.
1 balalbao da acliva.
Minas-Geraes.
1 esquadro avulso.
Para.
1 commando superior.
3 batalhes da activa.
1 scelo de batalho.
2 companhias de reserva.
2 seccesde companhia.
Pernambuco.
2 commandos superiores.
2 batalhes da acliva.
1 companhia de reserva.
Paran.
1 corpo de cavallaria.
2 esquadres.
1 seceo de companhia de reserva.
Rio Grande do Sul.
1 batalho da activa.
1 corpo de cavallaria.
1 esquadro.
S. Paulo.
z commandos superiores.
No mesmo periodo foram nomeados :
10 commandantes superiores.
107 lenles coronis.
44 majores.
66 capiies.
12 tenentes.
25 alferes.
Foram egaalmente nouieadrs o .lente coronel
da 1*classe do exercito Sebaio Francisco de
Oliveira Chagas, para chefe d) estado maior do
commando superior da suanl;. nacional da corte.
e o coronel tamliem da 1' otaste do exercito los
Antonio da Fotisera Galvo loi designado para
commandantesuperior da guarda nacional da ca-
pital da provincia de S. Paulo.
Foram designados 5 capilaes de primeira liuha
para servirem os lugares de u ajares em dilleren-
tes corpos.
Foram reformados:
12 Coronis.
10 Tenentes coronis.
21 Majores.
4 Capites.
2 tenentes.
Teve as honras do posto 1 coronel.
Tiverarn passagem de comriandos superiores,
corpos ou companhias da activ; :
1 coronel cominandaute superior.
3 lenles coronis.
1 major.
3 alferes.
Foram transferidos para a re ;erva :
2 lenles coronis.
2 majores.
3 capites.
1 alteres.
Solicitaran! e obliveram demisso dos postos :
1 tenente-coronel.
2 lenles.
3 alferes.
Foram dispensados do exerci :io :
2 commandantes superiores.
3 lenles coronis.
Foram exonerados do exerci :io quo tinhaui na
guarda nacional:
O coronel do exercito Alexamlre Manoel Albino
do Camino, chefe do estado-ni;or do comuiaudo
superior da corte.
0 capito reformado Fernandi Antonio Cardozo,
major do pnmeiro batalho de artilharia da guar-
da nacional da provincia de Santa Catharina.
Foram privados dos postos no; termos do arl. 45
da lei de 19 de setembro de 183) :
1 commandaute superior.
5 tenentes coronis.
3 majores.
4 capites.
1 tenente.
3 alferes.
Foram reintegrados nos postos de que haviam
sido privados:
1 capito e 1 tenente.
Instrucro e discii lina.
Contina a ser muito sensivel a falta de inslruc-
co na guarda nacional.
Os exercicios que tinha ficado suspensos era con-
secuencia das eleices, continan).
Foi autonsado o brigadeiro commandante supe-
rior da corte, por aviso de 20 d i outubro, a man-
dar adoptar das instruccoes poriuguezas, adopta-
das pelo exercito, a parte que fosse conveniente
para harmonisar as evoluces, que executa a guar-
da nacional quando concorre ora a tropa de li-
nda.
Fardamento.
Por aviso de 16 de outubro uitimo foi alterado o
segundo uniforme dos corpos i la guarda nacional
da curte, e do Io batalho de aitilharia da mesma
guarda.
Armamento.
O governo vae melhorando, quanto permitiera
as circumstancias, o anuamente da goarda nacio-
nal.
Servico.
A guarda nacional lem sido empregada no ser-
vico de guarnico, na polica e ;m destacamentos,
auxiliando a tropa de linha.
Foram dispensados do servicc os estudantes do
instituto commercial da corte.
Egual isenco mas com restrieco das formal li-
ra- em dias de gala ou de festa nacional, tiveram
os empregados das adrainistraciies e agencias do
correio, nao especificados no paragrapho segundo
dos artigos 15 e 23 da le de 19 de setembro de
1850 e regulamento de 25 de outubro do mesmo
anno.
Destacamentos
As necessidades do servico publico deram causa
a que se aquartelassera as provincias alguns con-
tingentes da guarda nacional, 3 se conservassem
outros j anteriormente ordenad js.
Em seguida dou noticia do movimento da guar-
da nacional em destacamento Das differentes pro-
vincias.
Corte.
Em 9 de junho foi mandado relirar o destaca-
mento de 200 guardas, que se ai ha va na fortaleza
de S. Joo.
Alagas.
Esta provincia teve autorisac) para desiacar no
anno prximo passado rento e 'inte guardas na-
c,maes, os quaes seriam dispensados logo que se
creasse ali um corpo de guaraiciio.
Como, porm, este se nao creoj. de suppr que
continu o destacamento, o que iioaffirmo por nao
ter recebidoas informacoes que em lempo foram
exigidas da presidencia.
Amazonas.
Em consequencia do incidente occorrido com os
vapores da repblica do Per .t.orona e Pastaza,
ordenou o presidente da--provim ia, que fosse aug-
mentado o destacamento de linli.. que guarneca a
fronteira de Tabatinga, e fazende seguir para ali a
tropa de linha era servico na capital, chamou
destacamento 23 guardas nacionses.
Autorisou lamben) pelo mesmo motivo um desta-
camento de 10 pracas na cidade de Teff.
O governo imperial, approvando estas providen-
cias, recommendou a dispensa dos destacamentos
logo que as circumstancias o i;ermiltisera. Cora
eleito, era 8 de junho estarn) Jissolvdos, c sem
duvida nao se demoraran) tanto, so nao fosse a
noticia que recebeu a presidencia, do Basalto dos
indios da tribuParinlintinsen urna barraca do
negociante Jos Francisco Monleiro. no lugar deno-
minadoPasto-Grandeno rio Madetra, onde
assassinaram una mulher de 61' anuos e feriram
sete pessoas.
Baha.
Em agosto de 1862 foram dispensados todos os
destacamentos.
Cear.
Em 16 de junho de.-te anno foram dissolvidos os
quatro destacamentos que exista n. sendo :
Era Ualuril............ 7 guardas.
Maranguape........... 7
Villa Virosa........... 10 .
Saboeiro............. 7
Espirito-Santo.
Nao ha destacamento nesta provincia.
Goyaz.
Nao se aotorisou destacamenl > algum para esta
provincia.
Maranho.
Foram dissolvidos lodos os destacamentos do
interior, os quaes se aehavan nos seguintes
pontos:
S. Bento............. 7 guardas.
Guimares............ II >
Cururup............. 7
Tury-Ass............ 16
Santa Helena......... 6
Vargem-Grande....... 6
M-arira.............. 7 >
Rosario.............. 3
Icat................ 11 >
liapicur-mirim....... 10
Tuloya............... 9
Barreirinhas.......... 6
(Croata............... 7
Barra do Corda........ 16
Chapada.............. 16
Carolina............. 20 >
Riacho.............. 8
Pastos-Bons........... 11
Anteriormente tinham sido dissolvidos os desta-
camentos em Alcntara, Viam a, Caxas, Codo e
Brejo.
Representando o juiz de dinito da comarca de
Pastos-Bons sobre a necessidade de continuar ali o
destacamento, por nao poder ser feila a guarda da
cadeia por individuos que nao m 'recen) ronfianca,
o governo autorisou o preside He da provincia a
empregar na guarnico das radeias forca de guar-
da nacional, alternando diariamente esle servir
liara trnalo menos oneroso.
Matto-Gi-osso. Nenhum dost trmenlo foi auto-
risado.
Minas-Geraes.Nesta provine a esto destacados
99 guardas naoionaes, sendo :
Nacapital...................... 50
Barbacena..................... 4
Passoa ...................... 13
Sania Luzia...................... 7
Sabara........................ ^
Minas-Novas................... 8
Januaria...................... 10
Para. Tinham sido dispensados os destacamen-
tos de Cmara, Carur, Anabej e S. Domin-
gos. Este ultimo composto de 13 guardas, e pago
pelos cofres provinciaes, prestou relevantes ser-
vicos.
Continuaran! at as ultimas informaces os
seguintrs destacamentos:
Viga................ 9 guardas.
Cachoeira............. 6
Soure................ 13 i
Igarap-mirm........ s .
tren............. 18 i
Uraganca.............. 17
Chaves.............. 9
Mau................ 9
Parahyba.Acham-se dispensados os dous des-
tacamentos que existiam nesta provincia, sendo um
de 15 guardas na cidade de Pombal e oulro de 10
na capital.
Paran.Nao foi autonsado nenhum destaca-
mento.
Pernambuco.Esto dissolvidos todos os desta-
camentos nesta provincia, os quaes oceupavam 703
guardas nacionaes.
Piauliij.Em 30 de agosto ultimo, reliraram-se
os 30 guardas nacionaes que tinham sido deslaca-
dos na capital para fazer o servico da guarniro
durante as eleices. Continuara' ainda destaca-
mentos que nao podem ser por ora dispensados,
porque eslo fazende a guarnico das cadeias, on-
de existen) presos importantes, conforme declara
o presidente da provincia.
Os destacamentos existentes sao :
' Em S. Raymundo Nonato 5 guardas.
Bom Jess da Gorgueia.. 4
Piracuruca.............. 5
Rio-Grande do Abrir.Foram dissolvidos os
dous destacamentos existentes, cranoslos de 79
guardas.
Rio-Grande do Sul.Esta provincia tem desta-
cados 1.093 guardas nacionaes, nos seguintes
pontos:
Cidade do Rio Grande.......... 37
Villa de S. Jos................ 13
Fronteira do Chuhy............ 32
Cidade de Bag............... 78
Fronleira do Bag............. 177
Cidade de S. Gabriel........... 83
Companhia de transporte...... 40
Cidade do Rio Pardo........... 33
Postos militares............... 5
Fronteira de Quarahim......... 500
Fronteira de Misses........... 95
Rio de Janeiro. O nico destacamento de 200
guardas, que existia na fortaleza de Santa Cruz,
foi mandado retirar em 9 de junho.
Santa Catharina. Existe um destacamento de
oito pracas disposico de delegado de polica do
termo da Laguna.
S. Paul.Sao ha destacamentos.
Sergipe. Existem destacados 41 guardas nacio-
naes.
Insisto as ideas que aventei no relatorio que
devia ser apresentado em 1863.
Forca policial da corte e das prorincias.
O corpo policial da corte, por sua instrueco e
disciplina, contina a merecer os elogios do go-
verno.
O seu estado effectivo era 30 de novembro pas-
sado era de 630 (iracas.
Actualmente, na conformidade do seu regiv-
latnento, est sendo inspeccionado pelo te-
nenie general baro de Suruhy, nomeado para
esle fim.
Falleceu o cirurgio mor Dr. Marianno Anto-
nio Dias, e para subslilui-lo foi nomeado o Dr.
Jos Marianno da Silva. Foi nomeado cirurgio
adjunto o Dr. Guilherme Jos Teixeira. pela
demisso que obteve o Dr. Manoel Duarte Mo-
reira.
Achando-se o corpo armado com espingardas
de dous adarmes, o que era inconveniente, com-
prei 600 carabinas Mini, eguaes a outras que
j tinha, e assim que, nao s licou o corpo bem
armado, como tem o governo sua dispusiere
500 espingardas Mini, que poder distri-
buir a algum dos corpos de guardas nacio-
naes.
A forca de polica as provincias acha-se assim
organisada :
Alagos.Um corpo de duas companhias do in-
fantaria, com 130 pracas'das quaes pertencem seis
arma de cavallaria.
Bahia. Um corpo de seis companhias de in-
famara com 691 pracas e urna seceo de com-
panhia de cavallaria com 19,sommando700 pracas.
Oar.-Um corpo de infantaria com 216 pracas,
divididas em duas companhias.
Espirito Santo. Urna secro de companhia de
infantaria cora 41 pracas.
Maranho. Um corpo de infamara de duas
companhias com 206 pravas.
Mato-Grosso.Urna seceso de companhia de in-
fantaria com 26 pracas.
Minas-Geraes. Um corpo de cinco companhias,
sendo quatro de infamara com 605 pravas, e um
de cavallaria cora 123 : total 728 pracas.
Pura.Um corpo de tres companhias com 2o0
pracas, sendo 30 de cavallaria.
Parahyba.Urna companhia com 157 pracas,
sendo 10 de cavallaria.
Paran.Urna companhia de infantaria com 80
pracas.
Pernambuco.Um corpo de infantaria de quatro
companhias com 250 pracas, e urna seeclio urbana
com 150, total 400 pravas.
Piauhu. Una de infantaria com 60 pracas.
Rio Grande do Norte.Urna seceo de companhia
de infantaria com 49 pracas.
Rio Grande do Sul.L'in corpo de quatro compa-
nhias, sendo duas de infantaria com a forca total
de 376 pracas.
Rio de Janeiro. Um corpo de quatro compa-
nhias, sendo duas de cavallaria, com a forca total
de 400 pracas.
Santa Catharina.Van companhia de infanta-
ria com 114 pracas.
S. Paulo. Um corpo de quatro companhias
de infantaria com 343 pracas, e urna seceo
de companhia de cavallaria cora 25; letal 368
pracas.
Sergipe.Um corpo de duas companhias de infan-
taria com a forca total de 146 pracas.
Has provincias do Amazonas e Goyaz nao ha for-
ca de polica.
Ainda quando esta forca fosse effectiva, que nao
, nao chegaria para o serviro que Ihe destinado.
O recurso o destacamento de eontigentes de guar-
das nacionaes com prejuizo da laveura e da indus-
tria, e vexame dos cidados.
As assemblas legislativas provinciaes nao aug-
mentan) essa forca, j porque seria intil, visto que
se nao preenrhe a elecretada, j porque as rendas
das provincias nao chegam para a despeza que
avallada.
Talve encontrassera remedio na creaco de guar-
das muir paes, ou mesmo parochiaes, tornando as-
sim inenoj pesado o servico, que seria pago pelos
parorliianos ou municipes.
K' provavel que por seu patriotismo, c reconhe-
rendo que nao deven) confiar a seguranza indivi-
dual e de propriedade, smente aos corpos de poli-
ca, que nao chegam. com recurso a guarda nacio-
nal e ao exercito, que foram creados cora destinos
muito diversos b nao deven ser delles distrahidos,
encontrem o meio de elar a essa sua attnbiiieo o
di'M'nvolviinenlo que as circumstancias do paiz exi-
gem.
Prisiies.Colonias penaes.casa de correccao da
corte.
Nao lenho que accrescentar ao que tantas vezes
se ha dito relativamente ao estado das prises no
imperio.
Neste ramo de servico nao ha que notar inelho-
ramentos, e as razes sao sabidas.
Entretanto egualraente sabido que o rau esta-
do das prises um grave obstculo a administra-
co da juslica criminal: aindamis, uraaprete-
rif o de lodos os deveres impostes pela constituido
e pela bumanidade.
Reconheeida a iinnossibilidade em que actual-
mente eslao as assemblas legislativas provinciaes
de provercm de um modo elllraz a este serviro,
que de sua competencia e obrigarao, parece-ine
runvenienle que, tanto quanto possam. es poderes
geraes adoptem previdencias, que sem prejuizo das
attribuices das provincias, drein a estes mais fa-
cilidades no curaprimento Cora este lira lembrare a creac/io de colonias pe-
naes, que j foi iniciada, mas sem resultado, por
urna das paseadas adniinistraces.
A existencia de um presidio em que seja exe>cu-
tada a pena de gales, por excmple, entendo que
ser de maior vantagem para as provincias, porque
ao passo que as Iivra de um grande numero de
presos, para os quaes nao chegam ao prises, deso-
nera-as da despeza que actualmente fazem cora a
subsistencia delles, dVixando Ibes, porlanto meios
para ruidarein da construegao de prises novas e
melhoramcnto das existentes.
O governo nao deixar tamben) de ter vantagens
na creaco de taes presidios, onde se podero pre-
parar com farilidade muitos trabalhos, que actual-
mente sao fernecidos pela industria particular.
Nao rallare de outras vantagens que d'ahi sem
duvida resultaro, sendo a principal livrarmos a
soaedade do espectculo sempre desagradavel do
gal trabalhando pelas ras das povoaces, quando
e possivel, ou dentro das prises vivendo ua oecio-
siaade e no virio, meditando arrombamentos de ca-
deias e planejando noves ataques seciedade.
Em raen conceito a ilha de Fernando de Noro-
nha o local indicado por todas as conveniencias
para comecar a experiencia de eslabelecmentos
nesta ordem. Depois, conforme o exigir a neces
Sitiada, outros se rslabelecero, podendo mesmo
adoear-se o rgimen delles at chegarm o as colo-
nias dr degradados, .pie muito uleis podem ser, se
loreiB establecidas convenientemente e adminis-
tradas como cuidado que requeren),para que pro-
duzam os effeiios que todos preveem.
Chamo a vossa illuslrada atteurw- para este pon-
to, sendo necessarro, se fr adoptada a 4a, nao
se que sejara modificadas alguinas disposies do
nosso direilo criminal, eomo tambem q\) habilitis
o governo com os" meios necessarios tanto para as
nircoes de qae carecer o presidio, romo^ara
a remoco dos senienciadoltalas prises em que se
acham. x\ *
A casa de correccao da cirte contina no estado
que descrevi no relatorio passado.
Contino a pensar eme o estudo pratico de sys-
tema penitenciario de que to acuradamente se c-
ruparam alguns de meus antecessores lera sido pre-
judirado pelos servicos estranhos que esto anne-
xados aquelle estabeleciinento. E' fcil reconhe-
cer-se que, fundndose nesse systema a base da
nossa legislaej penal em um paiz novo que se
acha em roudires especaos, esse svslema para ser
desenvolvido ou modificado segundo a natureza da
sociedade, carece de ser madura e reflectdaraentc
estudado pe>r pessoas competentes que tenhain para
esse estudo as neces-arias habiltacoes.
Da accumulaco porm, que se tem feito na casa
de correccao resulta que, ainda quando seja fcil
adiar reunidas em tima s pessoa as qualidades es-
pecules de que carece cada ium dos encarregados
desees diversos serviros, ser sempre muito difflcil
estabelecer aquella regularidade e harmona que
que sao indispensaves para o bom andamento de
um cstabelecmento dessa ordem. Ho sido espe-
cialmente estes os esclitos emqne naufragaram as
diversas administraces que ali se tera succeddo.
esludo e direccao da penitenciaria por si ssr-
viyo capaz de oceupar a attenco de um espirito
atilado e observador, e, com pezar o digo, na in-
consistencia em que se tem achado aquelle eslabe-
(ecimenlo, tal vez o ramo que tem sido mais pre-
judicio, porque alm das habililaeOes proprias,
aquelle que exige a condico de permanencia e as-
siduidade da parte de quem o serve.
Tendo, como refer no relatorio antecedente, sub-
meltido a casa de correccao ao exame de urna com-
missao, acabou esta ha poucos dias de aposentar-
me o resultado de suas investigaco indicando por
essa occasio como Ihe havia eu pedido as medidas,
que o estudo da materia e a reconheeida illustra-
cao de seus membres suggeriram como uteis e
con venientes para melhorar aquelle estabelecimento.
Nos annexos a este relatorio encontrareis esse
trabalho.
Ja no relatorio de maio do anno passado enun-
i ciei a opino que inantenho, sobre a conveniencia
| de retnover-se da casa de correccao o instituto dos
i menores ariesos dando-se-lhe destino e direccao
diversa da que ora tem.
lteconheco que foram movidos por sentimentos
louvaveis e philanlropicos meus antecessores quan-
I do ampliaram a idea priraativa da fundaco desse
estabelecimento.
Era geralmente sentida a necessidade do prever-
se por meio de urna instituicao correcional a edu-
caco dos menores, que isenlos de penalidade, sao
todava, a prudente arbitrio do juiz, sujeilos cor-
reccao pelos factos criminosos que praticam. D'ahi
nascen a creaco do instituto. Limitado a esses,
nao seria grave o inconveniente de ser fundado na
casa de correcto. Quando, porm, impelidos por mo-
tivos generosos emprehenderam levar tambem os
beneficios da instiluco a oulros menores, que or-
phos, ou filhos de paes incapazes de dirigi-los va-
gueara s centenas pelas ras desta cidade amea-
cando engrossar o numero de reos de polica, ficou
patente o erro de annexar-se priso penitenciaria
o asylo de educandos ariesos.
Nao familiarisando com o critne pelo aspecto
constante do criminoso, que se ha de conseguir im-
primir no coraco do joven o amor ao justo e o res-
peito s leis.
Oulra consideracao que nao menos digna de
attenco a escolha da profisso era que devem ser
industriados os educados. Eslender o beneficio ao
maior numero sem grande augmento de despeza,
designar ao menor urna industria que Ihe permita
dispensar em pouco tempo os favores do estado,
tornando-se elle pelo fructo de seu Irabalno um ci-
dado til e independente, esle o problema a re-
solver. Em meu conceito nenhum ramo de indus-
tria pode satisfazer melhor essas condjoes do que
a profisso de lavrador.
Emendo, pois, que o instituto deve ser quanto
antes removido para nina fazenda rural, sendo o
ensino pratico da agricultura a base da educaco
professional dos menores.
Para esse Um nao ser difflcil ao governo obter,
mediante condices razoaves, de compra ou afora-
mente de qualquer das corporaeoes religiosas des-
ta corle, una fazenda j fundada, que offerecendo
as precisas commodidades, preench tambem as
condices industriaes.
Com um modesto pessoal, um director, um ca-
pelln e um agricultor experimentado, se organisa-
r a respectiva adminstracao em comeco.
A ex|)eriencia e o successo que fr lendo o esla-
beleciraento determinarlo as noxas condices de
desenvolvimento no ensino e na acquisiro'de ins-
trumentos e machinas do que elle poder carecer
futuro.
Deposito tanta f no resultado de um ensaio des-
lo ordem, quando bem dirigido, que nao posso es-
cusar-me de receinmendar esle objeclo ao patriotis-
mo e sabedona do aorpo legislativo.
Ennobrecames, senhores, o trabalho agrcola; a
(eremos feito ao nosso paiz um importante o as-
signalado servico.
Orcamento.Bataneo provisorio.Crditos.Con-
tratos.
Ser necessario atindeme o rcaniento ao pre-
mio, que |r autorisarn legal, o governo fixou ao
ba.harel Augusto Teixeira de Freitas pelos traba-
lhos do cdigo civil e lei sobre a escravide. A
quantia que o decreto n. 3,188'de 18 de novembro
lixou foi de i00:0005, a qual ser paga raetade
logo que os trabalhos sejain prosentes ao governo,
o que deve ler lugar em junho de 1861, e a nutra
metade quando a commissao que deve ser nomea-
da para examina-tos, os approwar para seren sub-
raellidos assembla geral legislativa. E' tambem
inlispensavel decretar fundos para as despezas
qne necessanamente se ho de fazer com a com-
missao.
Tambem necessario augmentar com 3:0005 a
quantia pedida para os tribunaes do commercio,
cm consequencia de gratilicae;es decretadas na
conformidade da lei, em favor de diversos empre-
j gados das suas secretarias.
Segundo os balanretes at agora chegados se-
I cretana de estado, ha entre os crditos consig-
I nados e as despezas feitas urna sobra de res___
! 768:019,5542.
Nao estando ainda encerrado o exercicio. pro-
vevavel que bajadiminuico nessa quantia.
No relatorio passado annnnciei a necessidade da
crearn de um crdito supplemenlar para as dea-
petas da casa de correccao da corte, o qual len-
rionava pedir. Kazes sabidas impediram-rae dense
proposito, e foi forco*o crear, por decreto n. 3,097
de 27 de maio de 1863. um crdito supplemenlar
de 68:8415935 para occorrer s despezas com
aquelle eslabelecimentj. Esse crdito nao foi osgo-
lado.
Estando j em execuco a le n._ 1.177 de 9 Jic
setemhro de 1862, era virlude do disposto no rt
13, mandou o governo por decreto n. 3,158 de 2
de outubro de 1863, que da verbaJusticas de !
instanciafosan snppnda a dos tribunaes do coni-
merrio com a quantia de 2:9975-
De um eoutro crdito ves sero presentes os
decretos e as denonsiracdes que osjnsttBeam.
Em 23 de maio de 1863 clfectnou-se a compra
a Luis Maratet de utna ofilcina de fundir lypos,
que j se achava montada na casa de correccao,
pelo precede 17:0005-e estipularam-se as cot,li-
coes para o pagamente e direccao da mesma olH-
ciua.
Ser-vos-ha- presente o contrato.
Secretaria de estado.
Com o fallecimento do offirial Innocenro da
Rocha Galvo, deu-se urna nova vaga nesta repar-
ticao.
Os trabalhos continuara cora regularidade.
Taes sao as informaces, trae era complemento
ao relatorio passado, julguei conveniente apresen-
tar-vos.
Palacio do Rio de Janeiro, em 12 de Janeiro de
1864. Joo Jam Vieira Cansansao de Sinimb.
PEKNAMBUCO.-- IYP. DE M. F. F. & FILMO.
.,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2PCHK3R4_C0GELF INGEST_TIME 2013-08-27T23:32:52Z PACKAGE AA00011611_10303
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES