Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10295


This item is only available as the following downloads:


Full Text
y
j -
"-
.
A3UOILJ3|iO 39.
Por tres nezis adiautatlos SS000
Por tres niezcs venciilos 6jjO0
Porte ao corre o por tres mezes. 750
QUINTA fEIRA 18 D FEVEREIBO DE 1884.
Por ana adiantado.....19$00O
Porte t correio por um anuo 3$000
RNAiWiUCO.
ENCARflEGADOS DA Sl'BSCRIPCO NO NOKTK
Paral-Aba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima i
Natal, o 8r. Antonio Marques da Sirva; Arara)
Sr. A. de LemiK Braga: Gwra, o Sr. I. los da
Oliveira; Maraiihio, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues: Pan. os Srs. Manoel Pinheiro & C: A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
KNCARBEGADOS DA SUISCRIPCAO NO SUL
Alagas, o Sr. Claudino Falcad Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Arree; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins & Gaspariao.
EPHiiMERIDES DO MEZ DE PEYEREIRO.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Igtiarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-miras. 7 Lna nova as 3 h., 49 m. e ."ti s. da t.
o, Gravar, Bezerros, Bonito, Caruaru'J \\ Quarto ere, as 11 h., 5 m. e 26 s d m
Altinho e Gnranhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Naxaretb, Limoeiro, Breo. Pesqueira.
Ingazeira, Flores,Villa Bella, Tararatu, Canrob,
Boa Vista. Oiiricury e Exu' as quartas feiras.
Serinhaem, Rio Formoso. Tamandar. l'na, Barrei-
ros. Agua Preta e l'inienteira as quintas feiras.
Iiia do Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partera ao '/i da.
22 La cheia as 2 h., 41 m. e X s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as O horas e .10 minutos da tarde.
Segunda as O Horas e H minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES '.i TEDIOS.
Para o sul_ at Alagos a 5 e 3; para o norte at
a Granja i 7 e M de cada mez rara Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, mare.. niaio,jul, sel. enov.
PA1STIA DOS UMMBl'.
Para o Recife : d Apipucos as 6 */h 7, 7 '/,, 8 e
8 Vi da m.; de Oirads as 8 da m. e 6 da lude; de
IJaboatSo as6'/j dam.-, do Caxange Varzeas 7
Ida ni.; d- Bemnca as 8 da m.
Do Recle : para o Apipucos s 3 V?. 4. 4 /., 4 '/i.
|5, 5'A. 5 >/, e 6 da tarde; par; Olinda as 7da
manhaa e 4'/, da tarde para Jabearlo as i da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4',, da larde; para
Henifica s 4 da tarde.
NASS DA CAPITAL,
egundas e quintas.
os s 10 horas.
AUDIENCIA DOS T
'Tribunal docommerci
Relacao: tercas esa
Fazeuda : quintas s "oras.
Juizo do coiumereo. gundas s 11 horas.
Di lo de orphos: te se sextas s 10 horas.
Primeira vara do el : tercas e sexas ao meio
da. tm
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SE5JANA.
15. Se zonda.' Ss. Faastino e Jovita nira.
16. Terra. S. Itayinundo dePenafon c.
17. Quaria. S. Polycroaio b.; S. Romulom.
18. Quinta. S. Theotoniol prior deS. Cruz.
19. Sexta. 8. Conrado I.: S. Gahino \a.
20. Sabl-ado. Ss. Klcutherio e Ni lo bb.
21. Doi ihgo. Ss. Maximiano e Fortunato bb.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a Irvraria da praca da Independend-
ns. 6 e 8, dos proprietanos Manoel Figueiioa d
Faria k Fimo, y
PARTE 0FF1GIAL.
IJOITCRM DA PROVINCIA.
Expediente de dia lo de Vvereire de 1 M i.
ORIio ao Ei;m. presidente da provincia de Ser-
gipe.Rteebi -oin o otlkio de V. Exc, de 20 de Ja-
neiro ultimo, dous exemptares do relatorio que o
2* vire- preside rite coimiundador Antonio Dias Coe-
Iho e Mello, apresentou V. Exc. na oceaso de
cntregar-lhe a administrecio dessa provincia.
Dito ao brigadeiro coi.inundante das armas.
Transmitito V. Exc' os inclusos procseos de
conselho le guerra, do cadete Francisco Lnii de
Magalhaes Fon;oura. e dos soldados Jos Thendoro
da Silva h Virginio Antonio, alim de seren ruin-
pridas as senteucas proferidas em ditos procesaos
pelo conselho supremo militar de justica.
Dito ia inesino.eclarando-me o Exm. Sr. mi-
nistro da guerra em aviso de 22 de Janeiro ultimo,
que o altores do corpo de guarnilo desta provin-
cia, Eudcro Emiliano dt Carvalho. teado-se apre-
sentado autordade competente logo que terminou
a liceuca com que seguio para a curte, foi manda-
do addir naquella data ao Io latalhao de nfantaria
e recolher-se ao hospital militar por achar-se doen-
se : assim o commuoico V. Exc. para seu co-
nhecimei lo.
Dito ao mesmo.Envie-me V. Exc. urna certidao
dos asrtamenos que ti ver no batalhao de in-
fantaria, o alferos do corpo de guarnieao da pro-
vincia de Mina. Geraes, Joa> Antonio' da Costa,
alim de s-:>r trausiitiitida secretaria de estado dos
negocios Ja guerra, como se determinou em aviso
de 25 de Janeiro ultimo.
Dito ao mesmo.Tendo rezressado para esta ca-
pital, como coustou de oflicin do subdelegado do
districto de Cursuipe do term de Agua Preta, o
soldado los Ribeiro Paulino, por se achar grave-
mente enfermo eo de nome Justino da Cruz Riliei-
ro, acoinuanhaiido ao duente, assim o communico
v. Exc. para que se sirva de providenciar no
sentidode seren essas pracas substituidas por ja-
iras, no destacamento em que se achavain naquel-
le districto.
Dito a para que sejam inspeccionados os recrutas que fo-
rem recoihidos .10 deposito pelo coronel recrutador
independentemenle de serem uostos disitosico
de V. Eic.
Dito a.) mesiuo.-Queira V. Exc. mandar por
em liberdade, nao s os recrutas Conrado Jos da
Cunha e Dioniso Alexandrino de Mello, que segun-
do o seu ofBcio .. 273, de 18 do crrente, foram
considerados incapazes do mvien em inspeccao
de sade, mais umbem o de nome Lourcnru Chris-
pim Gomes, que provou iseneio legal.Communi-
cou-se aicorontl recrutador!
Dito ai mesm >. Sirva-se V. Exc, de expedir
SUJU ordos pan que a forca de 1* linha destin;ula.
diariamente para as rondas desta cidade, desempe-
nhe esse servicc da men noite al as 6 horas da
manhaa, apreseutando-sj para esse fin no quartel
do corpo de polica, ondj tem ie receber as ordens
do delegado do t" distri :to, por intermedio do olli-
cial que estiver de estado ro quartel daquelle
corpo.
Fica ao cuidado da polica a primeira rouda des-
ta capital.Communicou-se ao Dr. chefe de poli-
ca.
Dito ao mesmo.Qucira V. Exc. mandar a pre-
sentar som demora ao Dr. chefe de pohcia dous
soldados para escoltaren! at a Parahiba um preso
d'aquell provincia, que deve seguir boje no vapor
PnncezL d<; loinlle. -l.ominiiiucou-seao Dr. che-
le de poicia.
Dito ai consell eiro presidente darelagao.(iom-
muuico a V. Exc que segundu constou de partici-
parn da directo!ia geral da secretaria de estado
dos negocios da justica, de i deste ates, Sua Ma-
gestade o Imperador por decreto de 29 do mez tin-
ao houve por lie ii remover o Jesembargador Joa-
quim Fumino Pereira Jorge, da relacao desta pro-
vincia para a do Rio de Janeiro, por assim o haver
pedido. Lomniunicoii-se ao mesmo consellieiro
presidente da relacao aremocao do desembargador
Alfonso Arthur ele Almeida e Albuquerque, da re-
lacao do Rio de Janeiro para a desta provincia; e
fizeram-se as necessahas commuuicagries.
Dito ao Dr. chefe de polica Em vista do que
represeutou o desembargador provedor da Sania
Casa da Misericordia, no ollicio junto por copia da-
tado de 12 de coi rente, recanvuendo a V. S. a ex-
pedcao de suas ordens, alim de que os subdelega-
dos das fre^uezias desta capital, nao lemeam pa
ra o hospital Pedro II enfermo algum. sen que sai-
Jaain previamente (|ue existe vaga. Communicou-
se ao desemhargador provedor da Santa Casa de
Misericordia.
Dito ao inspector da thesouraria de fazeuda
Devolvo V. S. 33 papis que acompanharam o
seu ofllcio n. 43 de 29 de Janeiro ultimo, para que,
mande indemnisar o balalbo numero sete de
infamara, da quantia de K-Mrno rs. despendida
com a conduccao de artigos de fardamentos do ar-
senal de guerra para o quartel das Cinco Ponas,
visto que por bita de meios niio pode essa indem-
nisaco ser feila pela caixa de economias licitas do
mesmo batalhao, como informan) o respectivo com-
mandante das armas em oflicios de 5 e 10 do cor-
rente constantes das copias juntas. -Coininunicou-
se ao brigadeiro commandante das armas.
Dito ao mesmo Declarando-me o Exm. Sr. tui-
nistro damarinh?. que o capilio tenentt; da armada
Jos Avelinoda Silva Jacqaes pode consignar un b-
salmente sua familia Desta provincia, a contar
do mez correte em diante a quantia de G450IK)
rt., deduzdos do respectivo sold e a importancia
da terca parte das maiorias como embarcado na
corveta tamuta : assim o communico a V. S.
para mandar edeetuar em os devidos lempos o a-
bono de semelhanle consignacaj.
Remetleu-se ao mesmo inspector da thesouraria
de fazenda as ordens do thesouro nacional de ns.
di 15, bem como a ordem dc> da expedida pela
repartirn do quartel general sob n. :I83, e mate 2
offleios da secretaria geral das rendas publicas e
da secretaria do ministerio da lzenda.
Dito ao mesmo. -Ao soldado desertor do exerci-
to Joao Jota da Silva, que estev recolhido cadeia
da villa da Escada, se abonou como consta U in-
fttrmacoes e conta juntas por cipia, raedes na im-
portancia de t7()(l rs., cuja tlespeza leve correr
por conta do ministerio da guerra, sendo 145200
rs. correspondente ao tempo Jecorrido de 22 de
julho a 30 de setembro do anno passado, e que j
foram satisfeitos |iela thesouraiia provincial, e ''&
rs. relativos a primeira quinzena de outubro sub-
sequenle, da qoal anda est por pagar o respectivo
ornecedor.
Recommendo por tanto, V. S. que nao s man-
de satisfazer esta quantia que devera ser entregue
Manoel Jos da SilvaOHveira mas tambern in-
demnisar aquella thesouraria da de 145200 cima
mencionada. Coinmuuicou-se o inspector da the-
souraria provincial.
Dito ao mesmo.Em vista das razos expendi-
das pela ronladoria da theson*aria provincial no
parecer junto por copia, qi.e se refere a infor-
macao do respectivo inspector de 10 do rorrent?,
sob n. 48 mande V. S. pagar Joaquim Elviro Al-
yes da Silva, rao havenclo inconveniente, a quan-
tia de :W5720 despendida com o fornecimenio de
luz para a guarda da cadeia da villa de Barrenos,
durante o semestre de julho a dezembro do auno
prximo passado como se v tas duas laelnsas
onias, que me foram remettidas pelo chefe de po-
itia com ollicio n. 97 de 21 de Janeiro ultimo.Ao
nesmo uispe. tur da thesouraria, connnuocou-se
que por decreto de 21 de Janeiro ultimo foi nomoa-
lo o teneiro escripturario dessa tbesuraria Joa-
iuim de Lima Castro para chefe de seci-ao da do
Piauliy.
Dito ao inspector da thesouraria provincial In-
leirado do conledodo offlclo que V. S. me dirigi
;m 12 do corrente, sob n. .iO.lenho a dizer em res-
iosta. que deve ser recolhida ao cofre dessa repar-
|ii?aonaoa quantia de i:5625:170 proveniente de
! laido da de 4::i025340 que segundo consta do seu
j i itado ollicio, foi adianlada ao corpo de policia para
: pagamento das respectivas pracas destacadas em
j Ingazeira e Baila Verde, Meando V. S. na intelli-
|eneja de qae, neste sentido vou olllciar ao com-
r laudante daquelle corpo. -Officiou-se neste senti-
1 co ao commandante do corpo de policia.
i Dito ao commandante superior da guarda nacio-
tal do Recife.Constando de offlcio do brigadeiro
commandante das armas de 11 deste mez, que a
guarda nacional desta cidade. deixou de dar a
juarnicaodapracanodia, 7 do corrente. estando
concluida a dispensa que Ihe foi concedida por of-
icio de 22 de dezembro ultimo, baja V. S. de pro-
videnciar convenientemente para que contine ella
prestar esse servico nos domingose dias santil'ua-
eos, atienta a deficiencia de forca do 1 linha.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Cabo.Ao major ajudante de ordens desse
: caminando superior Manoel de Siqueira Cavalcan
i-_. mande V. S. passar a guia de que trata o art.
45 do decreto n. 1,130 de 12 de marco de 1833,
visto que transferio a sua residencia para esta ca-
pttal como allega no incluso requerimento.
Dito ao director do arsenal de guerra.Approvo
I o contrato que V. S. celebrou em 13 do corrente.
Cira o dono do date Sbrateme para conducciio
dos barris de plvora, cartuxame e caixoes de pe-
cerneiras destioados a provincia do Cear. Fica
assim respondido o seu offlcio n. 240, daquella da-
ti.-Communicou-se ao Exm. presidente da pro
unca do Ceara, remettendo-se copia do con
t-ato. K
Dito ao juiz de direitoespecial do commerco Dr.
Iristao de Alenear Araripe.Para cumprimento
de aviso expedido em 4 deste mez pelo ministerio
da justica, baja Vine, de responder a denuncia do-
c uneutada, que ao governo imperial apresentou o
d semliargador Manoel Rodrigues Villares, cons-
tante dos inclusos papis que me devolver.
Dito ao director geral interino da instruccao pu-
blica.Transmiti Vmc. para terem o conve-
niente destino dous inclusos exemplares dos rea-
torios da repartii-o da agricultura, commerco e
ol res publicas, dos annos de 186.3 1864, deixan-
di de enviar os dous dos annos anteriores por exis-
ta em smente naquella repartirlo os que perten-
ceni ao archivo, segnndo me declarou o respectivo
di ector em ollicio de S do corrente.
Dito aos agentes da companhia Brasileira de pa-
neles a vapor.Pdem Vmcs. fazer seguir para
i portos do norte o vapor Princesa de JoinciUt,
hoje a hora indicada em seu offlcio de hontem.
Aos mesmos agentes mandou-se dar transporte i
no mesmo vapor para a Parahyba aor. Pedro Ca-
mello Pessoa, juiz de direito de Bananeiras e a ura
seu criado.
Dito.O Sr. gerente da companhia Pernambu- i
bucafaca transportar no vapor Mamnnguape, por
centa do ministerio da guerra 4 embrulhos conten-
de artigos de fardamento destinados s pracas do
2 batalhao de nfantaria destacadas no presidio de i
Fuando. ,
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambuca-1
na faca transportar para o presidio de Fernando no \
vapor Mamniupia)*, por conta do ministerio da
gierra, um caixo contendo artigos de fardamen- i
lo destinados as pracas do 7- batalhao de infama-
ra que se acham destacadas no mesmo presidio.
de opiniao que se deve proceder a nova eleicfe
para esses dous lugares ; e, nesse sentido consul-
ta acamara.a qual decido negativaments ; envian-
do-se entretanto coinmissfio de policia a seguinte
indicae.'io :
t indico que i mesa, verificando os precedentes
que por ventura exstam, emita o seu parecer so-
bre o meio de supprimir-se a falla que actualmente
se da, do presidente e vice-presidente desta cma-
ra. Sala das sesses, 18 de Janeiro de 1864.Mar-
tinho Campos.
DRDEM DO DA.
Declarando o Sr. presidente que a entrarse na
D parte da ordem do dia, decide a cmara re-
querimento do Sr, Marlinho Campos, que se passe
de preferencia
2.* parte.
Contina, portanto, e discusso do parecer sobre
as eleicoes do 3 districto da provincia do Ceara,
com as emendas apoiadas; sendo rejeitado um re-
querimento de encerramento proposto peloSr. Mar-
11 ni Francisca
(Orou o Sr. Xebias.)
Entrando entao no salo e tomando os respecti-
vos assentos os membros do novo gabinete, inter-
rompe-se a discusso, e obtendo o Sr. presidente do
conselho a palavra, pela ordem, expoe o prograni-
ma do ministerio, que ja publicamos, depois do que
oSr. Lopes Nettu pronuncia o discurso j publica-
do, orando ainda em seguida os Srs. Zaeharias,
Limare. Nebias, ministro da fazeuda e Marlinho
Campos, Meando a discusso encerrada, por nao
haver mais ninguem cun a palavra.
O Sr. presidente nomeia para servir na commis-
sao de poderes o Sr. Feitosa ; e na de resposta
falla do throno os Srs. Saldanha Marinho e lava-
res Bastos.
Levanta-se a sessao s 4 horas menos 1|4 da
tarde.
SESSAO EM 19 DE JANEIRO DE 1864.
. Presidencia do Sr. T. franco de Almeida.
As 11 i/j horas da manhaa, feita a chamada, e
ha vendo numero legal, abrio-se a sessao.
Lida e approvada a acta da sessao antece-
dente.
O Sn. 2. Secuetauio, servndo de 1., deu conta
do seguinte :
EXPEDIENTE.
Quatro offleios do ministro do imperio datados
de 15 do corrente, participando ter expedido as
ordens necessaras aos presidentes das provincias
de Pernambuco, Minas e Mato-Grosso, alim de se-
rem executadas as resolu^oes desta cmara, ap-
provando as eleicoes do 3." e 4." districto da pri-
meira provincia, do !. da segunda, e da provincia
de Matto-Grosso. Inteirada.
Outro do mesmo ministro, datado de i4 do cor-
rete, enviando com a respectiva copia do pare-
cer da secciio dos negncios do imperio do consellio
de estado, copia do offlcio do presidente da provin-
cia do Rio Grande do Sul, relativamente incoin-
patibilidade dos substituios dos juizes mnicipaes.
A' eommissao de |>od/res.
Outro do Sr. Jos Bonifacio de Andrada e Silva,
datado de hontem, communicando que por decreto
de 15 do corrente, lora nomeado ministro do im-
perio.Inteirada.
Mais dous offleios do mesmo ministro, datados
tambem de hontem, enviando com offleios do pre-
sidente da provincia de S. Paulo copia das actas
eleitoraes de Lorena, Campias, Porto Feliz, S.
Jos da Parahyba e Pirapora.A' eommissao do
poderes.
Tres offleios do secretario da assembla provin-
cial do Paran, enviando as segulnles representa
coes da mesma assembla :
1." Solicitando a demarcacao das divisas entre
aquella provincia e a de S. Paulo.A' eommissao
de estalistica,
2.* Solicitando tambem a crcaeao de urna com-
panhia de aprendizes menores na cidade de l'.i-
ranagu.A' eommissao de marinlia e guerra.
3.' Pedindo que os vapores da liona intermedia-
ria facam escala pelo porto de Antonina.A' eom-
mls&ao de commerco, industria e arles.
nvil em lugar do Sr. Domieiano Leite Ribeiro. que
loi nomeado ministro de agrieullii a.
Levutothw a leasio as 3 /, horas da tarde.
SESSAO KM 21 DE JANEIRO DE 189.
. Pr fo Sr. I. Franco ib Almeida.
As ti Irl iioras fez-sea chamada, e ha vendo nu-
mero legal, abrio-se a sessao.
Lida e approvada a acta da sess 10 antecedente,
' Sr. 2' secretario, servndo de 1" deu conta do
seguirte :
EXPEDIENTE.
I m offlcio do ministro do imperi i, datado de 19
do corrente. enviando com offleios do presidente
la provincia de Minas copias das actas da eleicao
de eleitores da parochia de S. Josc do Paraso, e
das dos municipios de Mar de Desparta.A' eom-
missao de poderes.
Outro de Jos Antonio de Magall es Castro of-
ferecendo um templar impresso lo projeeto de
lei de reerulamento, que. escreveu.Foi recebido
Com agrado.
lim requerimento do 1" tmente d 1 ensenheros
Antonio da Costa Barros Velloso, pid' do ser pro-
movido ao itosto de eapilo, com a intiguidade do
2 de dezembro de 1838.A' eommissao de mari-
nha e guerra.
Outro de Zeferino Botelho de Andrade, ped do
dispensa de tempo para o exame de latim quelite
falta ; e ser depois admitlido matricula e acto do
1 anno da Faculdade de Direito de l't rn.rubuco (|ue
frequenta como ouvinte.A' commissan de ins-
truccao publica.
Outro de D. Emilia Rrasiliana de l'aria Erichsen
pedindo para seu lilho Oinrado Caetano Erichsen
dispensa de idade, alii.i de que possa matricular-
se em um dos cursos jurdicos do imperio.Igual
destino.
Mais seis requerimentos de Joao Jos da Silva
Jnior, Antonia Jos Barros, Joao cpomuceno dos
Santos, Gregorio Goncalves da Silva, Joao Antonio
dos Santos Cardoso Americo Brasil Fortes de
Bustamente e S, pedindo um lugar de continuo
Desta cmara. A eommissao de poli :ia.
h'oi lido, posto em discusso e ap,>rovado o se-
guinte parecer:
A eommissao do constituicao e poderes a
quem foram presentes os diplomas dos Srs. Luir.
Antonio Barbosa de Almeida, Fran:sco Xavier
Pinto Lima e Jos Antonio Saraiva. deputados, o
1 pelo 2 districto eletoral da provincia de Sergi-
pe, e os ltimos pelo 2 e 4o da Bahi;, achando-os
conforme enm as actas da eleicao las referidas
provincias e de parecer que se Ibes ce assento.
Sala das commissoes, em 21 1864.Parunayn.-- Fallado.Frito ia.
SESSAi. EM ii DE JANEIRO DE 180'.
Presiilencia lo Sr. Tito 'rauco de Almeida.
As H hor?y fet-se a chamada, e, ha vendo
numero legal, J.rio-se a sessao.
Lida e app vada a acta da sessao antecedente,
o i>r: 2- secr
guilde
rv I EXPEDIENTE.
Um offlcii orf) ministerio do imperio, enviando
; o oflicip cot^Aue a presidencia da provincia de S.
I Ped/", J rnwrande do Sul remette copias authen-
licas das a 7\a eleicao primaria das parochias
t Raqui e S. Francisco de Assis,
"i" districto eletoral.A' coinmis-
rnn.
Sala das sessoes, 22 de Janeiro de 1864.Af-
ORDEM DO DIA.
BKKO'M\ 00 lltlil.MKNtO.
Entra em diseassao* o parecer da eommissao de
irm rrindl de I- deu cunta do s* cjicia sobre o regiment, na parte que diz res-
peno a eleicao do presidente e viee-presidente;
Of>K M.viinxiioCvMPos (pela ordem) requer que
de prereiencja outra qualquer materia se trate
da rerif.cacao do poderes, visto que anda nao
esla concluida. Pede, portanto. urgencia para a
segunda parte da ordem do dia.
A cmara, sendo consultada responde pela afJSr-
mativa.
pertoncen
sao de pjf
elim
tuicaoJ
Outn-^de Francisco Lopes Suzano, pedindo um
lugar dw continuo ou guarda das galeras desta c-
mara.- A' eommissao de polica.
Seis de Antonio Francisco de Azevedo Rocha e
Silva,
Ora o Sr. BezerraCavalcantl.
\eeiii mesa, sao lidas, apoiadas e entram
conjunctameute em discusso; as segrales emen-
das :
Que se annulle a eleicao- primara do Pao dos
rrrwi .m.t.i <\l.*.... a.. ...:.'__ ...___*_,.__ ,__.
Silva, .aol.limaco da Costa Lima, Jos Ignacio \az Ferros, onde, alm de omitas outras faltas e irre-
^l'.'.r'' Ml0,nua'(l d? >oronha, Joao Baptista gulandades, por duvidas de qualificago, nao pode
Jardws.ro e Jos Ferreira 5 i pedindo o lu- absolutamente haver coavocara de votantes, dan-
zar oe eontinuo desla cam%A mesma com-, do isto lugar a nao comparecerem mais de 339 en-
m,2*- > Ure 1,320 qualficados.
I res, de Francisco de Pauta Ferreira da Cunha, Que se annulle o coliego eletoral formado
Anionio Jos da NI va Ribeiro e Joaquim Jos da pelos eleirores desta parochia, descontando-se aos
miv;j pedmdo o lugar de guarda das galeras desta; candidatos os votos que nelle liverara.Moreira
lamjra.A mesma eommissao. \Branddo.>
piiktencao oe M. a. dos s.vxTos. t i Que se annulle a eleicao da freguezia d
jre-se, e e approvado sem debate, o seguirte pa- Goianninha que se diz presidida pelo segundo juiz?
V.,, ide.la*' e ^ ^Provada a que foi presidida pelo
\ eommissao de mannha e guerra, a quem lu primeiro.
presente ofequermento de Manoel Alvares dos 2.- Se nao passar esta emenda, que sejam an-
santos, ^.umno paisano do 3" auno da escola de [ nulladas ambas estas eleicoes.
inarinha, pedindo ser readmittido praca de aapi- 3.' Que seja annullada a eleicao da freguezia
rute e guarda-mannha, e de pa- cer que sobre o de Papary, em que nao houve coovoracao e as ac-
assiimpto seja previamente ouvi^ f > governo. tas nao tem authentcidade
Sala das commissoes, em 221 aneiro de 1864. 4." Que seia approvada a eleicao primaria da
Joao de Souza Mello e Airim.->Antonio Jos Mo- freguezia do Principe presidida pelo primeiro juiz
'"''"" de paz.
pedido de informacks. 5* Quj sejam reconhecidus deputdos os que
u sn. HonT.v de Aiialjo (pela ordem):Ped a (assim tiverem maioria.Bezerra Cavaleanli.
palavra, br. presidente, para mandar a mesa urna O Sr. presidente ;Tem a palavra O'Sr. Fer-
representacao de alguns moradores do 2* districto nandes Moreira.
do Alegre, em Itapemirim, provincia do Espirito-! O Sr. Ferna.ndes Morkiba : -Tendo' sido apre-
sante, em que pedem a esta cmara a approvaead senuda una emenda nova annullando a eleicao da
do decreto de 10 de Janeiro .lo anno passado, no freguezia di Pao dos Ferros, desejo saber era que
qual o governo lixou provisoriamente os limites en- se funda esse pedido, afim de esclarecer a com-
Ire aquella provincia e a de Minas-Geraes. V. Exc.
dar
lente.
a essa represertacao o destino compe-
Alm dsso, submetto pprovacao da cmara
I tres requerimentos pedindo informacSes ao rovern
Acliando-se na sala immediata os referidos se- sobre negocios relativos minha provincia.
formalidades A representaeao remellida eommissao de es-
nhores, foram introduzidos com as
do es t y lo, prestaran juramento er tomaram as-
sento.
Foi tambem IBo, posto em discusso e por Mm
adiado por pedir a palavra o Sr. Marlinho Cam-
pos, o seguinte parecer da mesa, sob'e a indica-
cao do mesmo Sr. Marlinho Campes acerca lo
meio de supprir-se a falta de presidente e vice-
presidente desta cmara, concluindo da seguirte
maneira :
1." Quo a cmara quanlo artes lixe a intelli-
gencia do art. 20 do regiment, no sentido de
que a palavra falta refere-se a todos os casos de
impedimento, mais ou menos longo, e aos de vaga.
2. Que no mencionado art. 20 : ubstituam-se
as palavras-um vice-piesidenie- |" las tres tic*
a, sitenles.
A eommissao justifica o 2 art. do seu parecer
com a razao principal de evitar os i^sos em que
possam ser dutrahidos os secretarios ile\suasfunc-
coes especiaes, para os quaes se requer^eTtae
determinada praiica ao alcance da c;.mara.
tatislica.
\ em mesa, sao lidos, apoiados e approvados
sem debate, os seguintes requerimentos:
Requeiro que pelo ministerio da agricultura,
commercio e obras publicas se soliciten! da presi-
dencia da provincia do Espirito-Santo as seguintes
i informacoes:
1." Que quantdade (em bracas) de trras teem
sido medidas pelos juizes commissarlos dos muni-
cipios de Itapemirim e S. Matheus.
2." Em quanto hilo importado as despezas fei-
tas pelos posseiros com as respectivas legitimacoes.
segundo as contas existentes em cada processo.
3." Copia da portara da presidencia da pro-
vincia designando os vencimentos dos juizes com-
missarios, escrves e mais empregados as me-
diacoe-
Sala das sessoes, 22 de Janeiro de 1864.7.
F. Hurta de Aranjo. >
Requeiro que pelo ministerio da juslica se so-
licitem da presidencia da proviucia do Espirito-
E este o resultado do trabalho da commis-aoV Santo as seguintes informacoea :
i,,__. ,. Outro offlcio do secretario da assembla provin-
Desparhos do da 15 de fevereiro df 1861. cial de Pernambuco, enviando urna representaeao
JaCfttetnfMea.
Anselmo Jos Ferreira.Passe portaria conce-,
di mo a licenea pedida.
Candido Bezerra de Salles. Informe o Sr. Dr. i
juz de dimito da 2" vara.
Bacharel Felisbinj de Mendonca Vasconcellos.
Pssse |t>rlaria no sentido em que'requer.
Theodora Maria do Espirito Santi.Prove que '
rasada.
INTERIOR.
HIO llF J \ MIIIO.
ASSEMBLA GERiL
4 'AJ \H \ MS MAIIOIIIS
lKIl T\IM>.
SESSAO EM 18 DE JANEIRO DE 186i.
Pfsidencia do Sr. Franco de Almeida, I" secretario :
K'% 11 horas feita a chamada, brese a sessao.
.i las e approvadas as actas de 15 e 16 do cor-
rerte, l-se o seguirte :
EXPEDIENTE.
Cinco offleios dos Srs. Zaeharias de Gns e Vas-
eonrellos, Jos Pedro Das de Carvalbo, Francisco
Xavier Paes Brrelo, Jos Marianno de Mattos, e
Jo; o Pedro Das Vieira, communicando que S. M. o
lu iciador houve por bem nomea-los ministros e
sec retarios de estado dos negocios da justica, da fa-
zenda, de estrangeiros, da guerra, eda marraba, oc-
cu tando o primeiro o cargo de presidente do con-
selho.-Inteirada.
Seis das presidencias das provincias do Amazo-
na!, Sergi pe, S. Paulo, Paran Matto-Grosso e Rio-
tirante do Sul, enviando exemplares dos actos le-
yis ativos das respectivas provincias.A'eommissao
de assemhlas provinciaes.
Del das presidencias das provincias da Parahy-
ba, Rio-Grande do Norte, Alagas, Sergipe, Espiri-
to-auto, Rio de Janeiro, Goyaz e Rio-Grande do
Sul, enviando seus rotatorios.A archivar-se.
Outro do Sr. TbeophMo Benedicto Ottoni, partici-
par do que tendo sido escolhido senador do imperio,
e d jvendo tomar senlo no senado, acha-se inhibi-
lo le continuar a funecionar como deputadu pelo
2o (istricto da provincia de Miuas-Geraes. Intei-
rada.
l'm requerimento de Manoel Alvares dos Santos,
pe. i i Mo que seja o governo autorisado alim de po-
der ser readmittido [iraca de aspirante guarda
ma inha. -A' eommissao de marinha e guerra.
f ulro de Joaquim Antonio de Miranda, pedindo
o h gar das galeras desta cmara.A' eommissao
de lolcia
(ualro de Francisco Xavier Martins, Antonio Dias
I.0| es, Joao Fortunato de Mesquita e Antonio Jos
Barata, pedindo o lugar de continuo desta cmara.
.' mesma eommissao.
O Sr. presidente interino declara que tendo o Sr.
presidente da cmara sido nomeado ministro de
estado, e o Sr. vice-prcsidentc senador do imperio;
da mesma assembla pedmdo a creacao de um
naneo rural e hypothecaro.A' eommissao de fa-;
ronda.
Outro do presidente da provincia de Sergipe, en-,
viando um requerimento em que o hospital de ca-
ridade daquella cidade pede dispensa das leis de
amorlisaeao para jiossuir bens de raz at o valor
de 00:00005000.-1^31 deslino.
Outro do Sr. Domieiano Leite Ribeiro, datado de
hontem, communicando que, por decreto de 15 do
corrente, fora nomeado ministro de agricultura,
! commerco e obras publicas.Inteirada.
Um requerimento do capitn Francisco Jos C-
mara, pedindo passagem para a 2." classe do estado
maior do exercilo.A' eommissao de marinha e
guerra.
Outro do vigario Jos Francisco dos Passos
Seabra. pedindo quatro annos de licenca com a
respectiva congrua para ir a Roma fazer seus
estudos Iheologicos. A's commissoes de nego-
cios ecclesiasticos e de pensdes e ordenados.
Outro de Luir. Fereol Buessard, pedindo que na
pprovacao do decreto de 14 de outubro de 1802,
concendo a Ferdinand Felippe Cur privilegio
exclusivo por 10 anuos para lornecer gelo artifi-
cial no imperio, seja exceptuada a provincia de
Pernambuco.A' eommissao de commercio, indus-
tria e artes.
Quatro requerimentos de Antonio Martins Vian-
na, Placido dos Sanios Ferreira. Manoel Joaquim
do Nascimenlo, e Mariano Jos Pedro pedindo um
lugar de continuo desta cmara.A' eommissao
de polica.
Outro de Francisco Jacinlho Fernandes, porleiro
do salao desla cmara, pedmdo que Ihe seja appli-
cado a disposicao do art. 24 jj 7." do decreto de .*>
de maio de 1859. que reorganisou a secretaria d
imperio.Igual destino.
Outro de Manoel Francisco Ferreira Ramos, pe-
dindo dispensa de lem|K> para se naluralisar cida-
dao brasileiro. A' eommissao de poderes.
ORDEM DO DA.
Contnuou a discusso do parecer sobre as elei-
coes do 3.* districto da provincia do Cear, comas
emendas adiadas, a qual foi aliual encerrada a
requerimento do Sr. Mello Franco.
l'rocedeu-se votacao, e foi approvada a I.*
conclusao, e bem assim a 2.*, menos na ultima
parle, que traa de responsabilidade.
A 3." e 4.* conclusoes licaram prejudicadas,
sendo approvadas as emendas do Sr. Madureira.
As emendas do Sr. Ferreira da Veiga foram re-
geitadas.
Em seguida o Sr. presidente declarou deputa-
dos pelo referido districto os Srs. Leandro Cha-
ves de Mello Ratisbona e Bernardo Uarte Bran-
dan, o quaes prestaram juramento e tomaram
assento.
i Oraram os Srs. Ratisbona e Nebias.
Hntrou em discusso o parecer sobre as steieoes
da provincia do Rio Grande do Norte.
A discusso licou adiada |la hora.
Orou o Sr. Amaro Bezerra.
OSr. presidente nomeou o Sr. Jfct. Antonio.de
Figueiredo. para servir na eommissao de ju.-tic-i'
o seu parecer ; e conclue pedindo qie a cmara
o lome na devida consideracao.
t Paco da cmara dos deputados, em 21 de Ja-
neiro de 1864. Franco de Almeida, presidente in-
terino.PedroLhx secretario interino. Lim-
po de Abreo, 2" secretario interino.Je i Anfeto, 3*
secretario interino.Jos Liberato B< iroso, 4o se-
cretario interino.
Foi lido apoiado posto em discusso e approvado
o seguirte requerimento:
Requeiro que se solicite do governo, as se-
guintes inforinaeoes :
1.* Quando se deu exeeucao ao 2 art. 22
da lei n. 1,177 de 9 de setembro de 1802, rotati-
vamente ao pagamento das reclamfcoes hespa-
nholas.
2.* Se em virlude da demora liavida nessa
exeeucao leve o governo imperial de lagar juros,
e em que importancia.
3.' Qual a lei que autorisou ess; pagamento
de juros.
4." Copia das notas trocadas ent -e os minis-
tros brasileiro ehespanhol a respeito desse pasa-
mento de jaros.-Joaiiiini SaUka ilarinko.
Foi tambem lido apoiado e licou adiido por pe-
dir a palavra o Sr. Lopes Netto o seguinte reque-
rimento :
Requeiro que se solicite do ministerio da jus-
tica a< convenientes ordens para que, pelos meios
que as leis taenltam, nao se permita que Vicente
Ferreira de Paula va residir na provincia das Ala-
goas.Josr Angelo.
Fica tambera adiado por pedir a palavra o Sr.
Jnnqueirao seguirte requerimento :
Requeiro que se pega ao governo as seguin-
tes informantes :
t I." Quantas aposentadorias (oreadas de mem-
bros do supremo tribunal de juslica di desembar-
gadores tm sido dadas depois da proraulgacao da
constituicao.
2." Com que ordenado tem-se dad) essas apo-
sentadorias.
t 3.' Quaes os ministerios que as di ram.Bar-
ros Pimenlel.
Foram linalmente litios apoiados e approvados
os seguintes requerimentos .
I.* Requeiro que se peca ao goveno informa
coes acerca dos motivos porque se tem conservado
destacadas 152 pracas da guarda nacional em ser-
vico ordinario na provincia das Alagoas. Tdva-
res Bastos.
2. Requeiro que se requisitem o bataneo da
reccitae despeza do exerciciode 1860 1861. e a
lynopseda receila e despeza do excrcieio de 1801
a IM1 Tarans Bastos.
c 3.* Requeiro que se pecam ao gobern, com
urgencia, copia do contrato de encanq cao da com-
panhia da estrada Lniao Industria, e is relatnos
dos commissarios do governo. contendo os esludos
e exames que servrara do base para esse contra-
to, rerebendose esses relatnos era original por
brevidade. Talares Bastos.
OllEMDO da.
Continuou a discussiio do parecer sobre as elei-
coes da provincia do Rio Grande do N irte.
A discusso licou adiada pela hora.
Orou o Sr. Moreira Brandan.
A ordem do dia de amannaa a seg unte :
As materias anteriormente designa! as, aceres
cendo em primeiro lugar a discusso d' parecer
da mesa.
Levantou-se a sissao as 3 tr horas la tarde
I." Qual o numero de guardas nacionaes des-
tacados na villa de Itapemirim, e desde quando.
-2.J Relacao nominal dos guardas nacionaes que
all teem estado destacados, com o tempo de servi-
co de cada um.
t 3.a Relacao nominal dos guardas nacionaes que
leem solfrido a pena de prisao durante aquelle tem-
po, os motivos della, por ordem de quem, e o lugar
em que teem estado presos.
4." Quadro demonstrativo da guarda nacional
da mesma provincia.
Sata da sesses, 22 de Janeiro de 1864./. F.
Horta de Araujo.
Requeiro que pelo ministerio da justica se so-
licitem da presidencia da provincia do Espirito-
Santo as seguintes informacoes :
t I.' Se prestou juramento e c substituto do juiz
municipal e de orphos do termo de Itapemirim, o
tenerte Joaquim Jos Comes da Silva Netto, que
rmao de um dos tabeHes e eaerlviaa do civel e
privativo de orphos na mesma locahdade.
2.* Se o mesmo lente advoga e procura em
Itapemirim no cartorio do dito seu irrao em autos
que por elle correm.
Sala das sessoes, 22 de Janeiro de 1864./. F.
Horta de Araujo.
ItKIMAO DK DIAS COMMISSSkS.
O Su. Sii.veira Lobo (peta-ordem):Sr. presi-
dente, foram presentes a comim5s^'Tle-ptfisoe^"^.ap;17l|.
ordenados os decretos de 30 de dezembro proxitrW* gue g,
passado, pelos quaes foram aposentados quatro
membros do supremo t:.ounal de justica e tres des-
etnbargadores, para esta eommissao iulerpor seu
parecer acerca dos ordenados com que esses mes-
mos magistrados foram aposentados.
Parece-me que esta queslo depende de urna ou-
tra, que considero prejudicial, qual a procedencia
ou nao. a legalidade cu illegalidade desse decreto ;
me pareca, poi>, curial que se reunissem as duas
commissoes, i de pensos e ordenados e a de cons-
tituicao e poderes (apoiados), para conjunctamente
deliberaren), tarto sobre a questao prejudicial,
como sobre aquella por amor da qual foram os de-
cretos presentes eommissao.
Requeiro. portanto. que se consulte cmara se
permit-' essa reunan das duas commissoes.
Vem mesa, e lido, apoiado e approvado sem de-
bate, o seguirte requerimento :
< Requeiro que se reman as commissoes de
penados e ordenados e de constituicao e poderes,
para conjiinctameiite interporem parecer sobre os
decretos de 30 de dezembro ultimo, pelos quaes fo-
ram aposentados quatro membros do supremo tri-
bunal de justica e tres desembargadores.
Sala das sesses. 22 de Janeiro de 1864.Sil-
cica Lobo.
l'HOJKCTO DK LEI DE REl!L.\ME>'TO.
mlssao. coma me compele, e por isso desisto da
palavra at ser esclarecido; tanto mais que desejo
ouvir outres membros, que, segundo a inscnpcao,
devem fallar contra o parecer, afkn de urna vez
por todas, dar a resposta que couber em minha.
foreas.
O Sr. Presidente : Tem a palavra. o Sr. Leb
\ elloso.
OSr. Levo Velloso :Nao raen tira ostentar
eloqueneia que nao tenho, era encher columnas
do Jornal o Commercio, nem ainda escrever car-
tas para a provincia ; meu intuito mostrar o
bom direito com que rae apreseutei- nesta casa ;
mas, desde que a casa esta deserta e a hora to
adianlada, me animo pedir casaaquillo que
outres tem iido concedido, o adiamento'da discus-
so do parecer por 24 horas.
Vera a mesa, lido, apoiado, e entra em discus-
so o seguinte requerimento :
Requeiro o adiameuto da discusso por 24 ho-
rasLedo Velloso^
Ninguem pedindo a palavra, e pondo-se votos
o requerimento, reconhece-se nao haver casa.
pelo que o sr. presidente declara prejudcado o re-
querimento, o a discusso do parecer adiada para
o dia seguinte.
Dada a ordem do dia, levanta-se a sess 10 s tres
horas da larde.
A' requerimento do Sr. Martinho Campos ven-
ceu-se a urgencia para discutir-seos pareceres
relativos verifleacao de poderes, de preferencia
s demais materias que se acham na ordem do
dia.
Continuou, portanto, a discusso do parecer so-
bre as eleicoes da provincia do Rio Grande do
Norte com as emendas apoiadas, orando o Sr, Leao
Velloso.
O Sr. 2o secretario, servindo de primeiro, ob-
tendo a palavra pela ordem, procede leitura do
seguinte parecer, que approvado sem debate :
A eommissao de constituicao e poderes, a
quera foi presente o diploma do Sr. Dr. Joao Sil-
veira de Souza, depntado pelo districto eletoral da
provincia de Santa Catharina, achandoo conforme
comas acta. da eleicao da mesma provincia, de
parecer que se Ihe d assento.
< Sala dtis commissoes, em 23 de Janeiro de
1864. -Josr AntonioSaraica^Francisco Jos Fur-
tado.-fAntoo Vicente do Nscimento Feitosa.'
Arhando-se na sala inmediata o referido Sr. de*
putado, rtroduzido cora as formalidades do es-
tylo, presta juramento e toma assento^
C ntina a discusso do parecer, orando o Sr-
Fer.tandes Moreirar- >^
Veem mesa, sao lidas, apoiadas, e ntrain
civijunctamente em discusso as seguintes eifea-
0 Su. Alvim (pela ordem):Sr. presidente, exis-
tindo na rasa um trabalho sobre a importante ma-
teria do recrutamento, oMerecido pelo Sr. Dr. Jes
Antonio de Magalhaes Castro, e eomo desta mate-
ria se oceupa ja a eommissao de marinha e g'.ierra,
requero que o trabalho do Sr. Dr. Magalhaes soja
remettido mesma eommissao, para estudali .e a
respailo emittir seu parecer.
Vem mesa,elido, apoiado eapprovadosi.m de-
bate, o seguirte requerimento :
Requero que o trabalho do Sr. Dr. Jos Anto-
nio de Magalhaes Castro ceroa do recrutamento-
seja remettido eommissao de marinha e guerra
pata a respeito emittir o seu parecer.
Que seja. annullada a eleicao da freguezia da
une sejam anortadas ambas as eleicoes da
Treguezia do Jardim.
Que sejam annulladas ambas as eleicoes da
freguezia de Sant'Anna. Bezerra Cavalcanti.
c Annulle n-se as duas eleicoes de Goanninha.
Fernandes Moreira.C. B. Ottoni.Saldan/la
Marinho. -Affonso Celso.i
Cedendo da palavra, que a linha pedido para
urna explicarlo o Sr. Moreira Brandan, o Sr. pre-
sidente declara a discusso encerrada.
Procedend>-se volaeao do parecer, foram ap-
provadas as i, 2*, 4" e 5' conclusoes. A 3* foi ap-
provada, menos na. parte que diz respeito emen-
da dos Srs Fernandes Moreira, C. B. Ottoni, Salda-
nha Marinhi e Alfonso Celso, que foi approvada.
A 6* e 7' foram rejeitadas ; assim como todas as
outras emendas.
O Sr. Presidkntk declara deputados peta prc<
vincia do Rio Grande do Norte os Srs. Jos Morei-.
ra Bi andan Castelte-Braneo e Amaro Carneiro Be-
zerra Cavaleanli; os quaes, sendo introduzidos.
comas formalidades do estylos prestara jnramuQlo
e tomara assento.
RESrOSTA A FALLA. DOTHR0NO.
O Sn. 1 S ;cuKTARto, obtendo a palavra peta or-
dem, procede leitura do projeeto de regosta ,
falta do throno, que se acha publicado.
K1-.EIO VO Ol RIO'R A.MiK DO SUL. (2 districto.
Entra em discusso o parecer da quinta eom-
missao de poderes sobre as eleicoes do segundo
districto da provincia do Rio-Grande- do Sul, na
parte adiada em 26 de dezembro prximo pas-
sado.
O Sr. Piiksimjnte : Tem a patavra o Sr. Pi-
nheiro Machado.
O Sr. Plieiro Machado ; Sr. presdeme, a
hora est advantada (nao apoiudos) e a cmara pa-
rece estar fatigada.
0 Sr. Presidente :A sessao comecou quasi ao
meio dia ; : ao duas horas e meta ; os trabadlos
nao pdem ser encerrados antes das quatro.
OjSr. Pwhbiro Machado :Eu me prevalacerei.
V


r^
litarlo de Pernamhueo Quinta felra is de Fevereiro de 1R4.
rio-, preoeeales, bailando algara nobres candida-
tos <\w-. teeni requerido adiamente. v I
vou mandar a aesa aa ronueriineatt) neste sen-
tid*. ..
i n ;i mesa, lido, apoiado e entra mu di. cus-
sil o seguinte requerimento :
. Requeiro o adiamento d:i discussao per 24 ho-
ra*.Jara.
Tainliem o ir. Vailati tocn a aria de tenor da
Sommmbuia, na guitarra. Aqu deixou-ans wr-
dadoiraniente absortos a expressio u o senlimento
com que o artista interpreta este apaixonado tre-
cha
Nao somos exagerados dizendo que o rebeqiii>ia
io da Boa Vista nos sabbados mais mimoso e correcto nao se avaniaja ao tocador lo, entraran) no templo mais de 40 protestantes era-
les! de Sanio Amaro das Sa-| da modesta guitarra. Aquellas rodas inspiraiu hriagados, e comecaram a soltar gritos e amia BU.
" t) verdadcir'o norne do Sr. padre Mello e An-
tonio de Mello AUta iiiorquc. e au \nio
buquerqae MellT coio por engaa annuncwmos
terca-feira em n1, M Revista.
rha-se o mc ..< Sr. padre, alm do aais por
nos noticiado ja, urabido tambera dos sermoes
quaresmaes do R(
anoite, e daquelle
<* propaga o catholieismo n i Inglaterra 0 assim
mu attriluiem a iiicitaciVs das propagandas a< scc-
nas deploraveis que tiveram ugar n urna das igre-
jas catholicas de Liverpool na noite do Natal, ou-
tros nicamente a causas paniculares.
Relatemos o facto : celebra ndo-se a missa do ga-
nalavra. c pondese votos linas ao domingo p jiimo: mais urna prova do notas plangentes e entecnec.-doras. como a voz
Ningucm pedindo
o requet ment rejeitado.
Contina a iscOMio do parecer, na qu;.l 18-
zna parte o Sr. Pinhero Machado.
I.evanti>u-sc a fessic as quatro horas da tarde.
apreco que pesa es: distincto alagoano entre nos.
De igual mand >> consta tambem acharem-se
revestido o Rvd. Alt lio Manoel da Assunipcao
nos domingos no Cor, \ Santo, e o Rvd. Lino do
Hoote Carmello Lun; as sexus-feiras era Santa
TbereoL
As respectivas cort
inspiradas na escolh
Celta, en que sao tidi
Nos exames de
18 do correle na Fa
seguale resultado:
Em inglez foram a|
SESSAO EM 23 DE JaNEM) DE 1861
rraiSeHCia do Sr. Tifo Franco de Almeiia.
s 11 s lunas da inanhaa, feita a chamada, e
liavcndc numero legtl, abre-se a sessao
Lida e anprovadu a acta da sessio antecedente,
o Sr. 2o secretario, servado de 1", deu con a do
anate:
EXPEDIENTE.
QuaiM olliciosdo ministerio do imperio, en.ian- plesaiente I e reprovar
rio offlr.os as presidencias das provincias de Per- Em latim foram appi
namboco. Rio de Janeiro e Paran, remetiendo co- piesmente 6 e reprorado
,iias aiifienticas das arlas das eleiofcs primirias, Pedem-nos esta pu
ijeili installacjio do collegio eleitoral da cidade I ae Sr. fiscal da freguezia d
I Castro, e da apnraiodos votes para dous (iepu- tirar urna rede de pescara,.
dos, |da ultima provincia.A' commissao de bocea a mais de urna casa (0
na travessa ila ra
Ouro.
Movimento da casa de detencao no dia 10 de
fevereiro I8M
Existan 34.* presos.
Entraraoi. 27
Sahiram 20 A
Existem.... 1132
A saber
Teitas as freguezias do Altlnho e da Exd, da pri- Como seja eootra as
raeira provincia; da liana de S. Joio, da se;un- | nicipal tapar-se a vista de
da;
le
tados
4ioderes
Outro do inesrwi ministerio, rammurnrande que
dirije-sc a presidencia da provincia da Bahia para
que naja de encentar a resoluco desta cmara
acerca das eHe as pambias que compoem o" districto eleitoral
da referida provincia. Inteirada.
Outro do ministerio da agricultura, comm ercio
e obras publicas, enviando a opia do decreto pelo
qual S. M. o Imperador houve por bem autoitsar
o ministro respectivo para contratar cora a im
panhia Iniao e Industria a transferencia ao gi ver-
do da estrada de rodagera que a dita rompa nhia
coustruio e da colonia D. Pedro II que umdou A
quem fe/, a requicicio.
I"m requerimento de D. Mafalda de Castro til-
gueiras, D. liara de Castro Filgueiras e D. Candi-
da Mara Filgueiras, pedindo a revogac'i'i da den
sao do tribunal do lliesonro de 9 de agosto de I8W)
que julgou presc pte o direito que allegara er a
pensao de 4005 annuaes concedida por decre o de
12 de agosto de 1883, e que a mesma Iros seta pa-
ga desde a data daquelle decreto.-A" c.emmissao
de pensoes e ordenados.
Outro de Estevo do Xascimento e Assumi fadladoo lugar de continuo desta enmaraA
commiss.i de poli.-ia.
Lem-se, julgam-se c hjectos de deliberaco e vo
a imprimir para entrar na ordem dos trabalhes, os
projectos com que concluem os segrales parece-;
mais pura e harmoniosa. Os sons vibram com
urna paixao. que so um artista inspirado pode im-
primir-llu-s.
Vailati aaaixona-se realmente quando teiu BU
raaos os seus instrumentos queridos. No rosto re-
flectem-sti os sentimeiitos que traduz no pequeo
ias nae podiam ser melhor bandolim ou na simplicissima guitarra. Transluz-
ue liwrain. attentoo con- Ihe na hysioaomia aqnelle fogo sagrado quecons-
es sacerdotes. titile os grandes arti-i.i-.
laratorios havidos no dia E um homem singular, cliega a parecer uma
ide de Direito, deu-se o ereaaca, tanla e a sua ingenuidade. quando refe-
i re as maravilhas dos seus instrumentos. Quando
acata de tocar, doraina-o como ura tremor nervo-
so : dir-se-liia qne U liaimonias que acaba de sol-
tar ainda o influem e Ihe agitan u espirito.
Estamos certos de que o publico ha de confir-
mar esta nossa apreriarao. quando. em breve, po-
der admirar o prodigioso talento do Sr. Vailati.
Este aamiravel artista acadmico correspon-
date do real instituto de msica de Florenca e
niembro de muitas academias de. Italia e de Alle-
Os fiis tiveram que defiende -se at chegada de
um destacamento da polica, jue fez sabir da igre-
ja os salteadores.
A missa que se tinha susperdido continnou.
^^^
COMMUNICDOS.
ados plenamente 9, sim-
dos plenamente S, sim-
Kat> :
nras da cmara mu-
.Iquer casa, rogamos
Jos, que faca re-
serve de panno de
do nianha. e professor da casa real de Italia.
i A estes tiwlos excede o talento do Sr. Vailati.
Se grato aos coracoes tec< r em.....dos virtude
e exaltar o mrito, til estijmatisar o vicio, des-
macarar impostura, a fimde que a loeiedade pos-
sa aquilatar devidameiite o 'idadao: ou prestan-
do-lhe preito e homenagera, ou acautelando-se de
seus manejos.
Venho pois, Srs. redactores, trazer ao conheci-
mento da imprensa, a maneira odiosa e reprovada
com (pie se portado um Sr. 'enente Jos Buarque Gneros estrangeiros ja despachados para
(i saceos milito, -l ditos arroz cot) casca, 6 ditos
dito pilado, G ditos p de dito ; a Luiz da Silva
Guarni.
137 saceos milho e 2 ditos algodo ; a ordem.
66 saecos milho, 5 ditos farinha de mandioca,
2o laus oleo de ricino, e 12 saccas algodao ; a Jos
Gon^alves Torres.
12 saceos algodao ; a Manoel Caetano A. B.
13 Mecos arroz com casca e 2 ditos farinha ; ao
desembargador B. M. da C. Doria.
Do Aracajd.
Ganaros estrangeiros ja despachados para con-
sumo.
I tambor de ferro, e I bomba para se concertar ;
a ordem.
Genero nacional.
20 Larris com 2,300 caadas de mel, i SI barri-
cas .", i Meeu com 1,189 arrobas e 18 libras de
assuear branco, 107 barricas e 127 saceos com
l.'lo arrobas e 21 libras dito masravado.
Brgue nacional Pallas entrado da Baha, consig-
nado a Amorim 4 Irmaos.
Genero estrangeiro reexportado.
10 cascos com 1,554 medulas d: azeite de pal-
ma ; a ordem.
o con-
Nacionaes. ,
Estrangeiros
Humeras. .
Bstrangeira
Bseravos .
Escravas .
sumo.
8 pipas fumo modo, 1 dita lyrio llorentino ; a
Meuron & C.
1% barricas cerveja; a Palmeira & Reltrao.
I caixao massa de tomate
da Fon te.
. 104 dito e 96 dito, casa terrea.,
a M. Jos GoaealtM N. 105 dito e 94 dito, casa terrea..
I Rosarinho.
i eaixu lencos e chales de algodao ; a J. Keller; N. ;t particular, casa e sitio.. ..
a ordem.
& C
2 metas pipas e 21 barris vinho
Gneros nacionaes.
8 pipas umo moido, I volume banco para mar-
cineiro ; a Meuron & C
25 fardos fazendas de algodao ; a Antonio L. de
res:
M.VTRICILA *K ESTUDANTK-.
A commissao de iastrueeSo publica, examinan-
do o requerimentr de i. Emilia Brasiana de Fa-;
ra Erichsen, em que pede que a seu Iho menor,
Ganralo CaeUno Erictisen, seja dispensado o prazo :
rie dous mezes que Ihe falu para poder tar a idade
Alimentados a custa dos cofre
Movimento da enfermara no
reirode 1864.
Tiveram baixa :
Joio Cumies Coutinho, anemia.
Salvador Pereira Brandan, indigestan.
Daniel, escravo seutenciado, parotide.
Obituario do oa 16 be mvRnEiRo.xo criterio
l'l Itl ICO.
Leopoldina Guadencia Cavalcanti. Pernaml ico, 24 Mi
anuos, soiteira, Sao Jos, varilas. na
Feliciana Benediela do Rosario, frica, 38^a., solteira, Boa:Vista, phthysira pulmonar. V
Joao de Olivera Lima, Portugal, 30 annos, ''casa-
do Poco da Pancha, assassiuado.
Emilia, exposta, Pernambuco, 14 annos, solteira,
Santo Antonia, phthysica. ^
Manoel Antonio Simocs do Amaral, Pernambuco,
33 annos, casado, Boa-Vista, inflammacao e li-
Lislioa, que apezar de seus bdlos actos, uma cn-
tidade nos AITogados, mimoso e querido de certa
poltica que felizmente dexui de dominar, mas,
que anda se conserva acas'ellada em algumas
partes, pretendendo de novo -econquistar o perdi-
do reinado.
Que se negu ao tonente Li boa o direito de exi-
Conforme dizem as lolhas de Madrid, verificou- gir ndemnisacao pelo damno causado em sua la-
se no dia 21 do crreme, pelas duas horas da tar- voura por qualquer animal, i cotisa (|ue ninguem
de, na capella da real cmara, o solemne kantismo contestar; mas, que este > por dar pasto ao seu
do novo lillio dos infantes D. Sebasliao e D. Mara genio atriblano quzesse arr; star e envolver em
Caristina. Foi padrinho-sua magestade fidelissiraa i processo um pai de familia ini ofensivo e tranquillo
el-rei de Portugal D. Luiz I. e em seu nome suas que desde o principio se Ihe airesentou, offerecen-
magesdes catholicas el-rei e a rainba de les-1 do-se pagar-lhe o prejuizo havido. o requinte: O. Azevedo & C.
panha. da maldadc, tanto mais, quarto para obter a con- i 200 fardos fazenda de algodao, 40 ditos fumo em
D 8?, patriarcha das Indias foi qem ministroo damaaeTu de sua victima ti obriga-10 a pagar- folha, 9 caixoes charutos era caixinhas, 1 piano, 1
'aorecem-nascido a agua baptiamal As diversas Ihe noventa e tantos ral res, vai por sobre todas me-a de jautar, 1 dita redonda, 1 caixao um orato-
'asregrasde direito, faz eitatdes em ausencia do rio, 96 cadeiras, 1 marqueza, 1 sola. 6 mesinnas,
seu contrario, mas, lio tel, i pie em tildo acha 1 guarda vestidos, 4 gamellas, 1 caixinha roupa
apoioe proteccao para seus ctlculados fins sim, jde uso. 1 embrulho eotenfles, 1 amarrado de pes
porque tem f e certeza no programma Favor, de arcos, 1 caixao e 1 barrica louea e vidro; a or-
aos amigos, justica recta aos contrarios mas eu|dem de diversos.
do meu retiro que isto vejo e observo constante- Barca portuguesa Clnndina, entrado do Porto,
mente clamarei: ub hominil ns tuquio et dolosis. | consignada a Cunha & Irmaos, manifeslou o se-
erudit me. Domine. I guinte :
Que o tenenle Lisboa, quando subdelegado, jal 40 saceos farello ; a Bailar c Olivera.
mal cumprira seus deveres, tinto que fura por is- 10 ditos dito : a Jos Pereira da ?
so suspenso, saba-o cu. mais consinta tambem,
os gentis-homens, grandes de Hespaha, damas de que visto nenhuraa benevoh ncia que teve com o
honor, etc. meu amigo Benjamn F. da Cunha Torreao ce-
0 reeem-nascido recelieu os nomes de Luiz Jess vaudo no odio o inexoravel r nicor que Ihe volou,
permita que patenteie ao pul liro o que me consta
de S. S., e consulta que o faca | erguntando-lhe.como
pretende S. S. reparar o dmi o que tem causado
aos outros : Diga, pois, como pretende reparar o
crime que dizem ler commettido, estuprando a me-
nor Cecilia, sobrinha de sua mulher, em sua pro-
pria casa e sob sua guarda; querer nega-lo tai-
vez, mas atienda que j existo a confissao feita em
declarando a offendida ser S. S. o offen-
Rua do Pires.
N. l'l dito e-'19 dito, casa terrea ..
Becco das Boias.
N. 18 dito e 16 dito, dous andares. ..
. Ra da Lapa.
N. 40 dito e II dito, casa terrea.. ..
Ra da Moeda.
N. 44xlto e 21 dito, casa terrea.. ..
liua da Cacimba.
N. 66 dito e 12 dito, casarerrea.. ..
N. 67 dito e 10 dito. casaSerrea.. ..
,. ,. Ra do Vigario.
N. 72 dito e 27 dito, dous andaras ..
.t ,D Rua da Senza'a Velha.
N. 78 dito e 136 dito, dous andares..
N.80 dito e 132 dito, dous andares..
N. SI dito e 18 dito, casa terrea.. ..
N. 82 dito e 16 dito, casa terrea.. ..
Rua da Guia.
N. 84 dito e 29 dito, casa tai rea.. ..
Ruado Pilar.
N. 91 dito e 103 dito, casa terrea.. ..
N. 92dito e 104 dito, casa terrea.. ..
N. 94 dito e 99 dito, casa terrea.. ..
N. 97 ditoe 10 dito, casa terrea.. ..
N. 99 dito e 106 dita?casa terrea.. ..
N. 100 dito e 104 dito, casa terrea. ..
N. IOS ditoe 100 dito,casa terrea. ..
N. 103 dito e 98 dito, casa terrea
tiiooo
4033000
160000
2315000
1235000
82*000
6035000
6315000
4105000
1925000
2015000
1235000
1635000
1635000
2345000
lt-5000
I6SO0O
li:5000
lti:)500
1825000
173,1300
1735000
3225090
2135000
insignias foram condotida peloa Srs. duque de
Al ia e marqueses de Campo-Real, de Villa Franca
e lleudana.
> A esta augusta ceremonia assistiram tambem : o
principe das Asturias ; as infantas D. babel, D. Paz
I3. e I. Rcrengucla; os infantes I). Francisco, D. Ren-
de feve- rique d D. Sebasliao; o ebrpo diplomtico esti an-
: geiro com o nuncio de sua sanudade frente; os
ministros da corOa ; os cardenal de Toledo e de
li: rgii-; os bispos de Segorbe e. Salamanca ; o re-
verendo padre Claret, os camaristas de semana,
gado.
precisa para matricular-senas Faculdades de Drei-Luza, frica, 40 annos, solteira, escrava
!.= .
Santo
Mara Isabel Jos Francisce- de Assis Fabiao e Se-
stiao.
O Sr. Bobert remette-nos a seguinte poesa :
MORENA
Son visage brille au milieu des
touffes tpaisses de ses cheveux, .
qui tuinbent en lunys bonetes sur Jul0',
tes epautes.
Ossian.
to do imf.ric, de pareer que, ltenla a app ica-
cao que em tao ten ros annos mostra lilho da pe-
ticionaria, se conceda a dispensa pedida, e por isso
submelte apprevaeac da cmara o seguinte pro-
jecto de resol ucao :
A assembla eri\ legislativa resol ve:
< Artigo nico. Fica o goveroo autorisa lo a
mandar matricular em uualquerdas Facilidades de
Dii ito do Imperii o tsludante Coarad.i Caeiapo
Erichsen, revogadas as disposieoes em contrt.rio.
c Sala das coujimssies, 23 de Janeiro de 1861
Slaiiim Francisce Kibei'ode Andrada.-S.mzaHan-
dt'a. Barbosa de OUveira. >
i. <:knca ao esembai.gador a. da costa pint).
O desembargador Antonio da Coste Pinto, lum
exei-eicio na nJaca do Rio de Janeiro, achand>se
enfermo, requer um anno de licenea com todo' os
vencimentos de seu emprego atlm de tratar de sua
satide onde Ihe cunvur, e, caso esse espac1 de
lempo nao seja suIHciente, o que se comprometa a
provar opportunanientt com attestados do un. ou
mais fac.Ilativos, a prorogar por mais ura annj, e
nos mesmos termos, a iteferida uceara.
O supplicante intrue a sua peticio con o
competente attestadoe com uma certidao, da iual
se v que o peticionario tomou .posse do lugar de
juiz de fra da villa do Principe em 13 d>: outubro
de 1832.
Attendendo a wmtnissao de pensoes e orde-
nados ao mo estado de sade, avanea la idade e
aos relevantes servicos prestados ao pai/., em sua
longa carrera pnblica. por tao distincto, dlustiado
e integro magistrado, q je durante todo aqnelle t na-
na apenas obteve duas licencas, que nao excirie-
ram de seis mezes, de parecer que se delira ao
supplicante com e seguinte projaeto:
A assembla geral resol ve :
Art. 1." O governo fica autorisado para conce-
der ao desembargador da Costa Pinto um auno de licenea com todos os
vencimentos do seu en prego, adm de que pussa
tratar de sua sade on.le Ihe conver.
Art. 2. O governo podera prorogar a retun-
da licenea por mais um anno, em vista de de:u-
nientos i je provem a continuacao dos sollrimeiitos
do mesmo desemhargailor.
Art. 3. Revogadas as disposices em contra-
ria
Saladas commi Silveira IMo.Valdttitro.Ijuz Felippt.
PRIMEIRA PAUTE DA OBQEM DO DIA.
PEDIDO DE OilDK.NS PIBA 0JB VICENTE DE PALLA :.VO
V HESIOIIl NA PBOVtHCU l> VS ALACfltS.
Entra em discussio o requerimento solicita ido
do ministerio da justua as convenientes orden*,
panqu, pelos mws'que a le facultain, nao se
.permita que Vicente Ferreira de Paula va res dir
na provincia das Alagoas.
0 Su.M\rtimio i:ampos (pela ordem):Sr. pr-
ndente, p Idirei a V. Etc. e a casa o que tenho re-
querido em sessoes anteriores, isto que tratemos i fm
de preferencia da verifleacao dos poderes. Re- >''!' <"n soffrivel jantar no raeio de urna praea, e
nueiro.acis, urgencia para a segunda pane da or- f,)l n,'l>"'s levarlo o novo Re dos jwbres, dentro de
dein do da.
Cmsultida
Amonio, tetanw.
UM POUCO DE TODO.
Publica o que se segu a Revoluro de Setent-
bro :
No condado de Ormaby, na America, deu-se o
mais horroroso crime de que ha memoria uestes
ltimos tempos.
Philip Hopkins habitava n'uma casa solada en-
tre Empire Oity e Dutcli Ncks com sua mulher e
nove filhos, cinco meninas e quatro varoes. A
maior tinha 19 annos e chamava-se Mary, e o |
menor, que se cliamava Tommy, contava apenas
18 metes.
Hopkins padeca ataques de alienacao mental.
A 24 de outubro lindo, s 10 horas da noite,
viu-se chegar a Carsou um homem a cavallo com
uma grande ferida no pescoco, e sacudindo na I
mao esquerda um crneo de mulher seguro pelos |
cabellos.
O cavallo pantu, e minutos depois cahio, sol-
tando um doloroso relincho.
Eslava morto.
ii cavalleiro era Philip Hopkins. e a cabeca que
trazia pendurada pelos cabellos era a de sua mu-
lher, mad. Hopkins.
Iminediatamente as aikoridades correram ha-
btac.iode Hopkins. O espectculo que al as es-
perava era verdadeiramente hediondo.
Junto porta jazia o cadver de mad. Hopkins
todo esquartejado. A seu lado via-se o eutello que
servir ao crime.
N'uma alcova immediata jaziam, envoltos em
rmipas ensangrentadas, os cadveres de cinco dos
nove lilhos de Ho|ikins.
11 cadver de outro estava na rama.
lodos tinham a cabrea abena s cutilladas.
Outras duas meninas, Julia e Emilia, uma de
14 e outra de 17 annos, foram encontradas feridas
e sem sentidos, na eoslnha.
A mais velha, que fugindo de seu pai, se havia
refugiado na chainin, foi encontrada morta.
Julia e Emma escaparam.
Sen pai endojdecra, e pralicra cora o maior
sangue fri oito horriveis assassinatos, suicidn-
dose depois.
Extrahimos do Jornal do Porto :
0 re dos pobres deu um titulw honorilico-Con-
cedido pelo povo mitido de Creto, jio^T|>rol, a um
hornera escolhido d'entre elle, o qual tendo tralw-
Ibado sempre, nao economisra nada, mas conse-
guir viver alegre, sera fome e sem dividas.
O individuo que gosava desta honra morreu ul-
Bmamente.
A acclamaeao do successor foi uma verdadeira
festa.
Ao novo moDarcha foi lido o testamento do seu
antecessor redigido em termos cmicos, serviram-
eamara, approva a urgencia.
(Continuarse-la.)
PERflAMBPCO
REVISTA DIJkWA.
;
Vi-te, morena, e meu peito,
Incapaz de amar, te amou,
Oh I v quanto o capivou
Teu semblante angelical I...
Minh'alraa, que sempre afilela,
Nunca teve uma esperanca,
Do leu seiu boje descauca
No regaco virginaL
Cr, morena, em meus affectos,
Que em meus cantos se traduzem,
Como eu leio o meu destino.
Nesses olhos, que seduzem.
Na tua fronte mimosa
Meu futuro vejo escripto,
Por isso venho bemdicto,
Curvado dizer-te aos ps :
Abre o teu seio, morena,
, E uelle acolhe o meu canto
Por ti de amor pura e santo
Como tao santa tu s 1
Mas, se acase, alma divina,
Meus extremos despresares ;
Um favor por piedade.
Reduz a crazas minh'alraa
No fogo dos leus olhares! L.
Se mais te vejo, meu anjo,
Mais vida meu peito tem ;
Minh'alma foge tambem.
Se foges-rae alguina voz ;
Ao leu carro de triumpho
Hoje arrasto-me insensivel;
Nao araar-te -rae iinpossivel.
Sou teu captivo, nao crs r...
Mas, se o meu canto, morena,
Nao inspirar-te paixao,
Nao me odeies, no meu peito
Morra embora o coi aeao.
V-te uma vez, e minh'alma
Perdeu-se no brilho leu ;
Morena, ininlia morena,
Fillia mimosa do cu,
' Pase meus cantos felizes,
Escreve-os no sei o teu.
De amor meu peito se inllanima,
J nao tenho coraco,
A nm teu sorriso arrojei-o
Aos leus ps como oblacao,
D;i, morena, esperanca
Ao vate sem coraeo.
Depois, sorri-me un momeato.
E eis ah rainha ventura ;
l)a-me um olnar dos leus de fogo,
E que eu desea sepultura
Quimporta ?! mor er de amor
E' a mais completa ventura !!...
A .Vriaio publica o seguinte sob o titulo de mor-
uma carroagera carunchosa e esbeicada por todas tes de pssoas notaceii em 1861, tobemos, princi-
U tavenias da trra, cujos proprielarios Ihe de- pes e princezas.
Diga mais.como a verdade, Ja morte de um pobre
pardinho seu aggregado que subir uma de suas
mangueiras para tirar algumas mangas, e que
sahio depois morto do seu sitio T11
Oh, meu charo Sr. tenenle I para alguns homens
s uma mxima existe, que ahracam.que adoptam,
e que segueni, porque, certos da impunidade dos
homens, nao ternera a vtnganc do co: ca cecus
ducal as ambo in foreum cadunt: mas, a justica
inexoravel de Dos, a que nada escapa, a quem
nao aprovuita o patronato e o empenho, far talvez
bem cedo chegar-lhe um de ssus raios vingadores,
sim, kodie miki eras tibi.
ao capitao.
Iternardinj
F. Azevedo
pentes; a T.
8 barris vinho ; a Marcelino Jos Goncalvcs da
Fonte.
3.200 resteas ceblas:
1 lata salpices ; a
Campos.
11 caixotes fouces, fechaduras (
F. da Cunha.
2 caixoes Imha a Manoel Martns dos Rios.
1 caixao cravos ; a Antonio Jos Ferreira.
53 saceos feijao ; a Jos M. da Rosa.
48 canastras alho, 20 barris chouricas e paios \
a Domingos R. de Andrade.
10 caixoes papel, vasos de barro, lobos de dito;
a Joaquim Francisco da Silva Jnior.
230 barricas sardinhas, 30 caixas alho ; a An-
gelioo Jos dos Santos Andrade.
8 ancoretas azeitonas: a Joao da Cunha Maga-
lhaes,
1 barril vinho ; a Jos Joaquim de Castro
12 caixoes ceblas; a Joao Teixeira da Rocha.
27 barris sardinhas e recibos-, a Ferre
Loureiro.
Mirueira.
N. 4dito, sitio..
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 13 de fevereiro de 1864.
O, escrivo.
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos-
seguintes:
Para o corno de guarnico da Parah\l>a.
10 covados de oleado.
Para o batalho n. 2 de infamara.
400 varas de brim branco.
2'11 ditas de algodaosinho.
35 bonets redondos para recrotas.
89 inania- de la.
Para o hospital militar.
225 varas de brim branco.
12 cobertas.
l'l copos de vidro para agua.
24 chicaras azues.
24 pires dem.
24 bacas de rosto,
lleasticaes de vidro.
Quem q'uizer vender taes objectos apresennm as
suas propostas em carta fechada na secretaria do>
cooselho, s 10 horas da manha de 22 do cr-
reme.
S da das sessoes do cooselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 16 de fevereiro-
de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
S. A. do H. Barros.
Major vogal secretario.
tntillado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co que os 30 dias uteis marcados para a arreeada-
1 cao bocea do cofre dos impostes de 4 0(0 sobre
& as casas de commercio fra da cidade, prensas de
algedao, typographias, cocheiras, cavalarices, ho-

PUBLICARES A PEDIDO.
de de seteaubr de i **
3/ seccao.Rio de JaneiroMinisterio dos ne-
gocios do imperio, em 16 de agosto de 1862.Illm.
e Exra. Sr.Sobre os actos lejrislaiivos dessa pro-
vincia, promulgados no anno passado, foi ouvida
a seceo do imperio do conselho de estado, e S. M.
o Imperador, tendo-se conformado por immediata
resoluco de 29 de julhopmxi no lindo com o pare-
cer da'inesma seccao, exharado em consulta de 15
do referido mez, manda deca rar a V. Exc. o se-
guinte : .
|. A resoluco n. 373 de 5 le julho (postura da
cmara municipal da villa d> porto da Folhai de-
termina nos arts. 1 e 2 que na villa e povoacoes do I
municipio, estejam feichadas nos domingos e dias I
santos as officinas e as casas i'e negocio en que se \
cenderem gneros que no foreii alimenticios.
2 caixoes santuario Imagens e pertences; a Fran- teis botequins, casas de pasto e fabricas, de 8 OjO
cisco Rodrigues da Silva. Om'e consultorios mdicos c cirurgicos, escripto-
13 barris presuntos -, a Francisco Guedes de rios e cartorios, de!2 OjO sobre casas de coramer-
Araujo cw im grosso e a retalho, armazens de recolher,
1 caixao livros; a Jos B. de Mello. de depsitos e trapiches, de 50$ sobre casas de
1 barril sardinhas; a Joaquim Ferreira de Arau- bilh.tr, modas, chapeos e roupa feita estrangeira,
jo Gomes. e t'e commissao de escravos, de 3005 sobre com-
600 saceos feijao, 100 ditos arroz, 114 caixas paniias anonymas e agencias.de 2005sobre*casas
figos, 10 volumes polvo, 30 barris vinho, 25 ditos | de cambio, de 1005 sobre correctores commerciaes
' vinagre. 8 milheires e 300 razas sal, 1 caixa livros; ] e agentes de leilo, de 500 rs. por tonellada de al-
varengas e canoas abenas, de 305 por escravo era-
pipas pregado no servico das mesmas, de 10 0|0 sobre o
aCarvalho < No-
vinag
aos consignatarios.
3o cunnetes pomada, 5 barris e 10 meias
vinho; a Manoel Joaquim Ramos e Silva & Ge-
mes.
1 caixa salpicoes; a Joaquim Antonio Pereira.
30 barricas sardinhas. 1 caixao azuleijos; a
Palmeira & Beltrao.
230 resteas arcos de pao;
gueira.
1 caixa pentes cobras de palheta; a Ferreira A
Ara u jo.
100 saceos feijao, 1 uma caxa ganga-, a
ordem. .
1 barril presuntos e salpicoes, 1 eaixao imagens
com resplendores de prata 2 ditos oratorio, ima-
gens e eslolla; a Joaquim da Silva Castro.
1 barril presuntos e salpicoes; a Jos dos Santos
Neves.
18 saceos louro, 25 ditos feijao, 30 barricas
Esta disposicao exorbitante das {acuidades das j galianas'. a Joaquim Vieira de Barros.
cmaras municipaes c impropria de posturas, sea- ;(o rodas de arcos de pao; a Jos da Silva Lnyo
do o seu objecto privativo do joder ecclesiaslieo e
do governo geral, quando adradle no imperio os de-
cretos da igreja.
A mesma observaco apilicavel ao art. 6 da
resoluco n. 381 de 27 de julho, que prohibe pesare
ensaccar algodao nos domingos e dias santos.
Salsa de Brlstol.
A salsaparrilha de Ilristol e> erce suas propie-
dades purificantes por todo ) systema nervoso,
neutralisando o tanu produzko e accuinulado pe-
las ulceras, escrophulas, abscessos e tumores, o es-
corbuto assim como todas as nais molestias das
grandulas, da carne e da pelle.
A historia desta preparacao em sido pelo espaco
de trinla annos una serie nao interrompida de cu-
ras as mais admiraveis e feli?es. Todo o mundo
medico admilte que o melhor antisptico vegetal
e anti-escorbutico at hoje conl codo e pde-sc com
toda a certeza alllancar que un remedio especial
liara a cura do rheumatismo e de todas as aonccSes
dos msculos, tendoes e conjuncturas. Encontra-
se venda as boticas de ltn.vo & C. e Caors A
Barbosa.
4 C.
rain de beber gratuitamente...
Calcule-se em que esta lo este rei cliegana a pa-
lacio !
J?6l ordenado o alistamento do menor jlHji
no, tutelado de Flix Ramos Leuthier, na compa-
nhia de aprendizes do arsenal de marraba.
Ao juiz de paz mais volado da fregnezia de
Maranguapc, recommendou a presidencia
guardadovos prasos e mais formalidades da le,
convocasse os^novos eleilores da mesma fiegu-iia
para areiniap da respectiva junta de qaaliliea-
cio. Estvtlever ter lugar no dia 20 de m;rco
proximo/'indouro.
T8ndosidoexone-ado a nroprio pedido o Sr.
Antonio Jos Nunes do Vafie, foi sobre pnqiosUi do
director geral da instruccao publica, nomeaco o
baeharel Miguel Bernardo Vieira de Amorim, de-
legado luterano do clislrirto de Caruar.
Foram concedidos com os respeclivo venci-
mentos, 10 dias de licenea a prnfessora pul lira
da-cadena de strucio "elementar da freguezia
da Boa-\ ista. nesta capital, Francisca das Chagas
Ribeiro de Olivera para tratar de sua sade.
Sobre solicitarn da companhia Vigilante,
raanaou-se vistoriar pelo arsenal do marinlia ( es-
tado da caldeira do \aper de reboque Cmara-
gibe.
Per liav lo pedido, foi concedida ao Sr co-
ronel Miguel Alfonso Ferreira, a deraisso do car-
go de delegado littemrio de Agua-preta..
Hoje se extrahir a ierre ira parte da pri-
meiri loturia da igreja de N. S. do Livramentu.
Dando hoje estampa a carta pastoral d
Exra. Sr. bispo do Maraabo acerca do Sacranen-
t> da penitencia, convidamos a atteacao dos nessos
Jeitores'para a 8* pagina, onde a inserimos.
- Os moraduras da ruado SjI e parte d'at uel-
Priiiceza Aldobrandini; Said-Pacha, vice-rei do
Egypto ; princeza Mara Augusta de Saxe Cobourg
Goma : Victoriano Castellanos, presidente de Hon-
durras ; duque de Montmorot : Mun Visnum-Arth
L-se n'um jornal francs : Nililiadlioni, segundo Bino do rei de Sian ; prncipe
A*s 9 horas da noite de sexta feira 5 do corren- Vogoriues, ex-caunacan de Valachia ; gran-inare-
te deu a princeza de Galles luz um herdeiro chai S Romo presidente do Peni; princeza Isa-
presuniptivo da coroa de Inglaterra. O reino Um- bel de Saxe archiduque Maximiliano d'Austria ;
do esta a-sim prvido de soberanos masculinos pa- Ahmed-Ktian, sultao de Herat : principe Leio Cora-
ra dous reinados, pelo menos, ticuzene, Do Foi tao inesperado este acontec ment, que. era I nando, prncipe hereditario da Dinamarca; Ra-
ontrano a todos os usos, nenliuiii dos ministros I dama II, rei de Madagascar ; principe Frederico
.va presente no palacio de Windsor, quando a
que, princeza teve o seu bom successo.
0 ministro do interior, Sr George Grey, cha-
fan por um irem especial s 11 horas da noite.
Esta infrarriio s regias tem desculpa, porque a
joven princeza ainda ao cahir da larde patinliava
sobre o gelo.
Traba dallado a residencia de Krogmore-Lodge
as II lloras para ir no Virginia atar encontrar-
se era Windsor como priacine, que com mis qaa-
Kecebedorla de rcudas Internas
geraes de Peruambuco.
Rendimento do dia 1 a 16........ i7:*}3*2GJ
dem do da 17................. 771'*
18:6775271'
Coagulado provlaclal.
Rendimento do dia 1 a 16......... 59:0925762
Idera do dia 17................. 7:3114113
planto docapm, e crde carros, carrocas e omni-
' bus pertencentes ao anno tinanceiro vigente do
; 1863 1864 findam-se no dia 19 do crreme, fl-
| cando sujeitos a malta de 3 010 sobre seus debito
os que pagareni depois daquelle dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco, ir
i de leverero de 1864.O administrador,
Antonio Carneiro Machado Rios.
Coagulado provincial.
V Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co que os 30 dias uteis marrados para a robranca.
bocra do cofre do 1 semestre do anno finanrei-
j ro corrente do imposto de200|0 do consumo do
aguardeate das freguezias desta cidade, dos Afo-
gados, S. Lourenco da Malla, Santo Amaro de Ja-
boatao, Varzea e Muribeca, findam-se no dia 19 do
andante mez, Picando sujeitos respectiva mulla os
que pagarem depois desse da.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco 9
de fiverere de 1864.-0 administrador,
Antonio Carneire Machado Ros.
66:4035873
O Ulm. Sr. inspector da theseuraria de fa-
zenda de Pernambuco manda fazer publico que ti-
ca marcado o dia 17 de margo prximo vindouro
para o concurso que em virtude da ordem do the-
souro n. 13 de 26 de Janeiro ultimo, se tem de abrir
asta mesma thesouraria para preeoenimento de
duas vagas de 8 escriturario da thesouraria. Os
exames versarao sobre as segoiatefl materias:
Itheora da asenpturacao mercantil por partidas
. simples edol.rada-, e suas applcaco-sao commer-
0 Novo Banco de Pernambuco con vi- r0 e ao toesanro ; iradaeeaa correcta das liogoas
da OS credores tdmiltdos ao pasSVO das ingleza e franceza, ou pelo menos da ultima; prin-
massas.lc HesqailaDalra e Francisco Ate- c|wosgeraasdejwptaa e ^SSJrS.
.. .. __:___;_' algebra ate equaeoes do 2" grao, e pratica do sel
vico da reparlirao em que o empregado estirar
COMMERCIO.
da Prussia ; Jendan Kower, viuva'de Runjeet-Sng
principe Siili-Haiiioiiila. irmao di bey de Tunis;
Frederico VII, re da Dinamarca.
DmbMMtnt.
Mrquez Aug de Tallenay.conde de Uois-leCom-
i, eonde de Mulinem, deQreling wiet, conde Hen-
que de Bearn, Ed. Carteron, viscwnde d'Hesee-
ue, Cn, Joiiannin. conde Ernesto de Canouville,
toniu Correa Cardozo a receber o primeiro
dividendo destas massas, devendo exhibir
js respectivos ttulos para ser annotado o
pagamento.
NOVO ANCO
DE
PjGRHiAMjBUCO
EM 16 DE FEVEREIPO DE 186i.
servindo.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Parnam
buco 16 de fevereiro de 1864. Servindo de olli-
cial-maior, Manoel Jos Pinto.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin
cial era ciiinprimento da ordem do Sxm. Sr. pre
sidenle da provincia, manda l'azer publico que no
dia 3 de mareo prximo vindouro. vai novamente
I i praca para ser arrematado a quem por menos
' lizer os reparos precisos as pontes de Tacaruna,
Santo Amaro. Arrombados e Varadouro na estrada
por rento at o de seis mezes e faz emprestiraos
Poi-tz, Gilbert de Voisins, Dor de Nion, Vasco Pin-1 SOre (itnlos commerciaes, a i< ma saques tobre s
O banco descoma na presen e semana a oito por | ^/,o,'ndravaHWd^e7n^aWt E l>ra cons-
cento ao anno al.- o praso de quairo mezes e a dez: SaS; |)tlbli-nr 0 presente elo jornal. Se-
lilil I ^*ll III' .______T____'. 1 .1
ti de Souza Coutinho ; H. Lushington, J. Howard pra^as do Rio de Janeiro e Balda.
renta genllemen e ladies se divertia n'uma nagni- March, baro do Drachenfels, Pastor Daz, baraoPe-
fica partida de hockei que se prlongou at ascin- dro Meyendrf, conde de Reclitern de Mosard, lord
co horas. j Sandysj G. Sterky de Verraco, Abrahao Tourt, L.
A princeza e. pelo que se diz. de prmeira forca Mendi-s de Vasconoellos, Fornachon, eonde de Koen-
no palia. Coniludo n'aquelle dia limitou-se o rteriU, Bell, Alph. d'Oriola, baro de Stokmar, Ni-
exercicio do treno e retirou-se s 4 horas da Urde, rolo Alegretti, W. G. Weslzynlhius, marquez de Bri-
. iles-Sales, barao de Snarclaus de Glancy, L." de
0 ComicrcKi do Porto escreve o seguinte:
Chegou hontem Lisboa o Sr. G. Vailati, o fa-
moso ceg professor de bandolim, cuja prxima
chegada j uamos annunciado.
J hoje tivernos occasio de admirar o singula
Itstiigalt, Moiitinh'i, conde de Shimmelp'enninck,
Cavalleiro C Charalambi, lord Egin.
Ministros e homens polticos.
Rillaut, eonde Cari de Welderich, Julio Aribole-
da, lord Ladsdown, Nicolao OEIi. Itahaniraka, Do-
rissimo tlenlo do Sr. Vailati. e licaraos pasmados, raenech, H. F. Caame, Pastor Dias, Arinelline, J.
e o mesmo accnleceu ao nosso dstinctissimo poe-
ta, o Sr. A. F. de Caslilho, que tambem outivio.
Vailati cgo de aascenca <\ tem perfeito conhe-
cimento da musica. Nao un curioso, mas um
artista.
Os seus instrumentos sao um bandolim, instru-
mento muilo eonhecido entre nos que tem neis
cordas, e uma guitarra com uma s corda.
Nao se imaginam as maravilhas muscaes que
no bandulim-co-
Alfaade;a
Rendimento do dia 1 a 16
dem do dia 17.................
432:4825863
26:2894713
retara da thesouraria provincial de Pernambuco
16 de fevereiro de 1884.
O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
4o8:7725o78
DECLARACOES.
Movimento da nlfaudega
Volumes entrados com fazend is... 114
c c com gneros... 97
Volumes sahidos
da
les que (iran em principio da rua Nova est) actu-
almente inhibido* de ebegars janellas ; s qiaes este prolgioso cgo realisa tanto
alera disto venvee [oreados a ter fechadas de con-
tinuo, alin de evitarem o ftido proveniente le des-
pejo feito ao p da ponte, do lado do porto das Ca-
oas.
Este .lado naodevi continuar pelo incoara iodo
d'aqueuV. moradores e pelo prejuizo que e.u.sa a
sade puUica ; farca pois quo se d providencia
para az*-ki cessar i o todo pelos incuavcoi mies
apanos.
Pelo delegado de Sermhem toi preso o es-
cravo Estevo, que fetira Antonio Francj-s/c Be-
ierra, feiwr rio nhgeno AngHim.
Ezpeleta, sir Canewall Lears-Lotoy, Miguel de
letaoso, D. J-F Giro, Hollanda Cavalcanti, du-
ic de Albuquerquc; de Lie!, Edler de Braun,
ritenden. La Fariua, Phillipasco, William D. Yan-
ci;v, conde de Scbimmelpennick, Joo Alix. Michel
Po'llis.
Na Inglaterra falleceram no ultimo seculo, 49
pCssoas de 130 e 170 anuos. Sete destas fallece-
rain aos 131 annos, quatro, aos 138; dous, aos 146;
quatro, aos 1">4 ; uma, aos 159 ; outra, aos 169 ;
|0 ultimo, aos 175.
Na Russia no mesmo seculo raorrerain 1,338
com
com
fazend is.
gneros..
100
92
241
192
rao na guitarra de uma s corda.
Ouvmos-lhe exeeutar o Cantaral de Vcueza no
bandolim e na guitarra, e muitas vezes nos pare-
ceu ouvir uma rebeca as mos do mais ItaJiil ai- jie*soas de mais de 120 annos.
tinta. As mais difficeis vanacoes, as mais varia- Na Franca s houve sete cascos de extraordina-
das eombinaces, ora deslumbrantes pela pasmo- rio longevidade, e o que mais viven chegou a 128
sa agilidade. ora amenas e apcasiveis pelos sons annos.
mavioios. deixaram-Bos presos. Uro dus que chegou ao* 118 annos cason-se dez
E nao se crea que a aaecoeao mais opulenta vezes, e quando o fez com a ultima tnha 99 annos
no bandolim; na nica cordada guitarra oxeeuta e a mulher 89.
os inesinihi prodigios e inda maares que as sa ------
o bandoax in prottantes veem com pezai a maneara como
Descarregam no dia 17 de fevereiro.
Patacho nacional Doms An igos carne secca.
Brigue francezEmitecarvao.
Brigue inglez Alexamlerbacalhao.
Brigue inglezChance mere lorias.
Galera inglezaaHei miae< igos e carvlo.
Escuna dinamarquezaF/lWdiversos gneros.
Barca ingleza -Collignydivjrsos gneros.
Brigue porluguez-C/iMdwii- idem.
Escuna inglezaForensccarvao.
Brgue escuna austriaeo Coritafarinha de trigo.
Polaca hespanholaPaulovinhos.
Importado.
Vapor nacional Parahyba, entrado do Aracaj.
man i festn :
De'Pcnedo
51 saceos farinha de raaoi ioca, 19 ditos arroz,
e 429 meio de sola; a Caetano C. da
reir.
lo
32 saceos algodao; a Palme ra & Beltrao.
Manta Casa da Misericordia
Heclfc.
A Illm.'junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Rerife manda fazer publico, que
no da 18 do corrente pelas 4 horas da larde
na sala de suas sessoes tem de ir praca as ren-
das das casas abaixe declaradas, pertencentes ao
patrimonio de orpnaos por lempo de um tres
anuo-, a contar do Io de julho prximo futuro em
diante.
Os pretendenles devem comparecer acompanha-
dos de seus fiadores ou munidos de cartas destes.
Praea de Pedro II.
N. 1 particular e 33' publico, segundo
andar ...........
N. 1 dito e 33 dito, sala......
llua do Queimado.
N. I dito e 35 dito, loja. ..
Rua do Imperador.
N. 2 dito e 81 dito, dous andares- ..
Largo do Paraizo
N. 4 dito e 29 dito, dous andares
Rua das Larangeiras.
N. S dito e 17 dito, casa terrea..
Rua Velha.
Costa Mu- : N. 8 dito e 32 dito, casa terrea..
Rua de S. Goncalo.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
ftavegaco costelra vapor.
PiraliOw. Natal, Mario, Aracatj, e Ceari.
O vapor .Vauiauauapc, coiniuan-
dante Moura, seguir no dia 26
do corrente as 5 horas da larde
* para os portOS acuna indicados.
Recebe carga at o dia 25. En-
i 'oiiiiiieiidas, passageiros e dinheiro arete at o-
dia da saluda as 3 horas da tarde : escriplorio no
Forte do Mattos n. i.______________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
NavegacSo rustrir a vapor.
Sarci f escalas
. (I vapor Parakyba, couiinan-
CTl/1^^ ilo corrente para os portos aeima
rf~:?&l indicados, s 5 huras da tarde.
^SfStcfia? Recebe raiga at o dia 24. Ku-
cominendas, passageiros e dinheiro a frele at
o da da saluda s 3 horas da larde : escriptorio-
no Forte do Mattos n. I.
Para Lisboa.
O brigue portugus Bella Fijuei-
rense, capitao Jos Ferreira I.essa,
vai sahir com muita brevidade por
ter a maior parte do carregamento
prompto, para carga e passageiros-
para os quaes lera exceilentes commodos trata-se
com o consignatario E. R. Rabello, roa da Cadeta
n. 'i":-_____________________________________
Para o Porto
pretende seguir com muita brevidade a barca por-
tuguesa Feliz, tem parte de seu carregamento a
bordo : para o resto que Ihe falta e passageiros,
paraos quaes Mu excedentes cooimodos, trata-se
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veirii Azevedo & C, no seu escriptorie rua da Crua
numero 1.__________________<_______________
Pura o Rio de Janeiro.
Sahir com brevidade o brigue nacional Miner-
va, recebe carga e escravos a frete : trata-se com
Manoel Ignacio de Oliveira A Filno, largo do Corpo
Sanl) n. 19.________________________________
PAKA 0P0KT0
pretende seguir com muita brevidade o brigue na-
cional Amelia, tem parte de seu carregamento
prompto : para o resto que Ihe falla e passageiros,
para os quaes tem exceilentes coramodas, trata-se
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veirr Azevedo & C, no seu escriplorio rua d Cruz
numero 1.
48:15000
2205000
3331000
1:202:000
N. 10 Jilo e 22 dito, casa terrea..
9025000
2035000
2045000
1835000
rara o Hio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o pibala
nacional Piedade, tem parte do seu carregamento
a bordo : para o resto que Ihe falta e escravos a
fretc, para os quaes tem exceilentes commodos, tra-
ta-se com os seus censignatarios Amonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio rua da
Cruz n. I._________________________________
l\o\a Fama.
Este navio que tem superiores commodos para
passageiros, segu para Lisboa e Porto no fim do
corrente mez de fovereiro : trata-se com Marques,
Barros & C. ou cem o capitao Manoel Francisco
dos Santos.
-

t
r*
*
*


**l8t*S\:-^

llnr de fcrowmhncn tostada felrar I H i\r Feffrelrw de IH-tl.
3
Para o Pe rio.
I barca porlugueza Chiudina, pretende sabir
0 cirurgiSo Leal miutou
a sua residencia da ra do
com brevidfl por ter a maior parte de sen car-
regameob) proinpto. para 0 reslo e passawiros -. i 1 |s,
trata-te com es cooajgnaiarios Canha Irmaos & 11 JlieilllilUO P C, na da Madre de fijos n. 3.________________
1iR 0 RIO DE JANEIRO
sala- iu|>reteri'-elmJnte no (lia 20 do andante o
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
a 'So aq"aihe armazem Progressista, aon-
%& de o acliariio como sempre
parte de seu carregamento : para o resto que Ihe
falta e escravof a frote, traase con os C
tartos Palmeira A Bellrao, Isirgo do Corpo
DE
PARTIDAS DOBRADASI
nKFKnECIDAS
A SMCIofltl COMIKUCIAL fttUKttm
DK
pi:n.\tHHico
l'OM
Terreiro escriturario da lliesotiraria
.JMipL
Esmptoi'o do advoeiiciaj
A' ra ilo QniMinado n. i0, pri-
meiro andar.
^abaixo assiynado, arreii^isnle das di. ida* da
loja de miudesas ra do juciroodo de Joaquim
Irtwjjg.
Precisase de orna ama de leite, o" que tenha
bom leite a tratar na ra di Santa Rifa u. %
n ,.i ri'ndu. Ari'vcic-se que iwebege- immm+0 o niialnilftl' ilOra D&- T"mro mrt urano da tt.esourana
Mrasestraiuteiros JIlUllipiU U qUtliqUW UUItl pa de fazrwla le Pernaniliuro e eemprIralrniriitr
ra o exercicio de sua pro-
isso, chamado por escripia.
peros ostrange _
~RIO~DE JAMIRO
O litigue Bobzano segu con molla breviiiaae
por ter meto carregamento tratado : para o testo
e asemos a frota, trata-se rom os consignatarios
Margues, liaros & C, largo do Corpo Santo n. 6.
teade-so a Larca Hcr,e, de 332 toneladas,
a Larca Snnlo Mona de 136 toneladas, ambas de |
primeira elas-e, e 0 brljhe Uftjrrfs de 123 tone-
au-
t'orre hoje.
Quinta-fcira 18 lo correle mez,
fadas todos preparados e promptos a navegar: os yumui-iin.. 10 .... w.rou ~ -
pretendemos d.rijam-se m escriplsrio de viuva de;fahira a teirnra parte (la primeira Mena
Manuel Goncalves da Silva, na ra da Cadcia do a groja ,k- Nossa Senhora (lo Livramento,
no consistorio da greja de Nossa Senhora
Kecife n. 39.
tnrisailo para etercer o pni-
frssnral.i particular dearilbmclira namesma
prminria.
Acha-se esta obra nos prelo da traogr
Commercial. d'onde em breve sahira luz d .
blienlade em ntida imoNseao e sobo formato de
8 portogoex.
Compoe-ee esta obra de um volume, dividido em
una parte heorica e nutra platica, de fcil alcan-
ce as pe8MM que se queiram dedicar M estudo da
escniuraco.
A respectiva assignatura acha-se alerta em to-
das as livrarias desla eidade, ao preco de 54000
olume.
Oailvog.-ido Cicero PeregTino continua
DO rvincio de sua prolisso n I rua do
ra doQoeimado n. 90. primein andar.
onde pode ser procurado das I as 3 ho-
ras da larde.
Alugam-se as lujas do sol. ado n. 44 em |864.
a rua da Aurora: quem pie enrio-la- diri-
ja-.' a luja dos Srs. Bastos y: Marallies.
na rua Nova, que achara., com quera tra-
tar.
Jos d Costa Pajuzes Jun.or e da leja de fao n
das da rn* Direita de Fajozes Jnior e Azevedo.
avisa aos rieredores rkw ditas tojas laMo* da praca
como do inattc do vtrem papar seus dbitos o
aliaixo assignado no torgo do Collegio janic ao 10-
brado amarello. 00 na na de Hurtas n. 10 ao Sr.
Fajozes Jnior atao-dia fo de marco, do eoofra-
rio lera de entregar ao seu procurador para eo-
brar judieialmeata Roctfe, Kl de fevereiro de
mmwm mm mmmm
C'oi^panhla Odelldade de
seguro iiuiriilmoH e Ier-
re *tre esfabeleelda no
no de Vaaclro.
AOKNTK. KM l>F.ITf AarNTCO
Aitnnin Luiz ilc Ofitrira Azcieti 4 C,
cornpiitentementi' aotorsados peta direc-
loria la eompanhia de seguros Fdotida-
do, tomara wgurts de narios, n^rreado-
rias e predios no seu eseripterio rua da
W4T#'4:s aphia &*&m*lto Tri!f* rredores. sob pena de ticar o comprador su- AllKN \A[).
I I"1" W ,.- lrel>!,r'"'M ,U5* o,.| km dbitos da niesina. Ofcr.......se um Fortupnez para feitor de silio. o
qual tem multa pratfea dejardim e horta : qnem
precisar annuncie ou falle o roa da Imperatriz
numera il
Antonio Joaquim Kcrnandes da Silva.
A taberna do pateo lo Paraizc n. 30,
cuja venda Be tea aonanciado, nao pode ser
Si
Amorim Irmacs rua da Cruz n. 3.
e as casas commissionadas rua da Impera-
rPII a i \ triz n. 44, loja do Sr. Pimentel; rua Direita
9m^VSSZl^ "- i';3' ^tica do Sr. Chagas; rua estreita do
vidade recebe alguma car-a a fn-tr, trata-e com HosaPO n. 12. typographia (lo Sr. .Mira e rua
oa e Mgnaterios Marques, lluros k\ C. largo do ca (Alicia D. 4.*j, loja do Sr. Porto.
orpo Sanio n. 6.
LEILOES.
Os premios de 5:000,5000 at 105000
jsero pagos urna hora depois da extracto
t s 4 horas da tarde,- e os outros no dia
seguinte depois da distribuido das listas.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza
Movis e outros objee >s.
ME
l|iini:i-felra IH de fevereiro. ao
meio-dia.
0 agenle Olimpio, em seu trOMiem a rua do Im- j
perador n. 16. f.ira leilao de diverso instes n ivos
usados, crystaes. retogtos e ouUos muitos arti-
i'os que sp to'rnarao massante mencionar.
DK
;)0fa>dsd fenoc 30 barricas com
ava.
Sexta-iVira l do fevereiro.
o agente Pinto far leilao por tonta de quem
iwrtaneer de :t( fardos de feno eSO barricas com
i eMSteato no amatem de farinba dos Sss.
ll.nrv Foster A C. por baixo do Gabinete l'ortu-
!, aonde se efleetoar o leilao s 11 horas do
lia cima dito. I
DE
l m sitio na rua do Henifica na fosagOM
ScxU-frira ll do correnlc.
O agente Pestaa vender em leilao por ordem
da cala lilial e |iorconta e risco de quem perten-
.-, i dnas tercas partea da sMio e casi com coramo-
4l pan numerosa familia sito em Bemlica na1
AOS 5:000,000
CASA 1)4 FORTUNA
Em quanto o Sr. Jos Joaquim Mrbosa nao vicj
ou mandar da villa do O" (para onde miidoii-se nc-
cullamente) papar os alugueis de perra de dous
annos da rasa em que mnrou, oa ru da Boa-Vista, era o seu nome nese jornal para
melbor ser conbecido dos propietarios.________
Prrrisa-se de una ama que saika euyun
mar, aagTHt be : lr!l" 'o LirrainrutH 11.
lili, segundo andar.
nniii
rs{ ncgocia-se o machinismo de lvaseme
S engommado de roopa a vapor: na rua
3S Nova n. 50, primeiro andar, se achara
OSB rom quem se pode tratar den nefasto.
Uilhetes garanlidos
A' roa do Crespo n. 2 t casas dv cosime
o abaixo assigaado tentto vendido em seus mu
O Sr. Melquades Ferreira de S ma, que tem
ou leve Uboleta de ounves na rua do S. Jos, quei-
ra dirigir-se livrana da praca da Indepenria ns.
6 b 8, sobre o alucuel da loja da Senzala nova,
Mises bilhetes garanUdos o de n. 2335 com a sor-: coja chave mandou entregar sem a importancia do
to de L-JOOfi, o de n. ttOti com a de 3004 e outras aluguel.______________________________.------
muitasde 100, 404 e 504 da lotera que seaea *0Ced.lde de seguro DIlltilON
bou de txtrahir a beoeflciodo 1,Mimas.... convjda d |d |nsai|aJa elo Banco
aos possuidores de ditos bilhetes a virem redeber ._ _____u.j. jf----------
seus respectivos premios sem descont alpum em Vnlao na eidade do Porto.
seu estal.elccimenlo Casa da Fortuna rua do Cres- Os agentes nesla eidade e provincia Antonio
. 0 n 21 Luiz deOliveira Azevedo & C,, esenptono na rua
O mesnw tem expost i venda em seu dito esta-' da Cruz do Reein h. 1, estao autorisados desde ja
belecimento e as nutras casas do coslumc os no- a tomar .asignaturas e prestar todos os esclareci-
vos e fel zes bilhetes garantidos da terceira parte 1 melos que forem necessanos as pessoas que <
la i.rinuira lotera a *neflcio da igreja de .Nossa sejarem concorrer para tao til e benehea en
lllgl.7.
i.ni.u.'lria.
Geogranhia
* Rbetorira
(j/l a rua do Qiieimn.lo n. 30. prime i" andar,
das Utas 2 da tarde.
m
yffi
Profaufor de pinta
Jos Coelho da Silva e Araujo. bom conhecido
nenia eidade, contina leccionar ftiano e msi-
ca vocal i^'i comsaodapreco: quem de sensser*
neos precisar, du-ijase ruadoLiviaim-nlo n. 21,
segundo andar.__________________________
No primeiro andar
cnxHIo-
p sobrado n. Ib" da tra-
m-se llor M para todas
le 1 1 1 jas |H>r muito barato ff
una graade porfi feita que se ven- S
conta, apromptain-se r.mos para do-
da prinu ira loleria a tK-eflcio da igreja de .\ossa sejarem concorrerpara 1.10 um c oi-uc... i-mpre-
Senhora rio Livramento do Recito que se extrahira zas, egurando um futuro hsongeiro aos assonado
.uinta-feira 18 d> correle.
Preeos.
Bilhetes inteiros..... >4000
Meios bilhetes...... 34000
Para as pessoas que comprarem
de 1004 para cima.
Bilhetes........ 54500
Meics......... W50
Mtino-I Miiiiins Fmzn.
Aluga-se, oarmazem n. 4 da rua do Apollo, e
o terceiro andar da casa n. 88 da rua da Impera-
triz ; na rua da Aurora n. 36.__________
l>a-se dlnheiro a juro e
eoiiipra-sconro e trata : na rua
do I&angel n. .
roisanos Exposi.- 1
armaqdes de (esta!
prei^o, elem urna
de muito em conta, apromptain
mingo de ramos, a sen tiatsat < m. ia pataca, tiiv
do de muito posto, e enfeitam-se vel is com flore'
.Ir Cera de muito bom gosto a 4 e 5,1, comdhah?
rosas, eravos e to cera, fazem-se os ramos a gOSlo de mol os r
dar azer, e apromptam-se vestidos pretos pa
qiiaresma com toda a brevidade, e posto A. .is
llanos; na mesasa easa preparam-se bandejas pa-
ra bailes roa armarao, e l.ouquele de llu/^do
cera de tod^gosto, ditos de allinins, ditosu/"epel
diios de gomina, de panno e verfrjpv; ludo
n.ais barato do que em outra quatqi/parte, bor-
Cosme de S Pereira ronti-
siilir 11a rua da Cruz 11. 53,
andar, onde pode ser procu-
11a o exercicio de sua prona*
nedica, e com especialidade
q seguinte
1" molestias de olbOB ;
de peito:
3o .ios orgaws genili
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
.0 examinados na ordem de suas
uradaa comecando .1 trabalho petoa
Vnlu de ollins.
|ar consullas todo os das d s||
i I Oda manhiia, menos nos do-
Wo.
raticar toda e qualquer 0|)era-
..i que julgar conveniente para o
4-i |irompto restaljelecimenlo dos seus
B doenlos.
C=>i^
-miM
O I ir. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na rua do Impe-
rador n. 17, 2" andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do da e da noite
para o exercicio de sua prolissao de me-
dico; sendo que oa chamado, depois de
meio Jia al 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripia O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molesnas de interior, prosepue, com o '
maior afflnco, no das mais driceis edeh-
eadas operaefies, como sejam dos orgaos
ourinarios, dos olhos, parMts, etc.
O professorde lalim da Ifegnexia d. S. Jos,
do-la eidade. abaixo assignado, declara ao publico
A pessoo que anaoMSoa prectuf de um co-
sinheiro. niija-se a rua Velha n. ti.l.
I*recisa->ealngar dous preos .pie sejam ro-
bostos para servieo debaixn de colierla enchuta :
a tratar na fabrica da travessa do Carioca n. ,
caes do Hamos.
Aluga-se o segundo andar da easa da roa da
Cadma n. i7, propno para escripleita, ou moco
solteiro : a tratar na loja do sobredito numero.
Aloga-se 1 casa atraz da matriz da Boa-Vis-
que a sua aula esla ara ejercicio desde o da 3 do ta a. 8. com 3 quarlos, 2 salas, quintal : a tratar
corrente, e que contina aberla a matriculada na mesma ran. 4, casa de sotao junloaoaeouituo.
dfio de litas de ouro, lanjola para.fs bouquetis.
elacos p.ra as velas? vndese tai liemnm sorti- mtm ns prt.tendentes dirijam-se ao sobrado n. ^ Marcial inIWi,
mente de Moas de rosas de pan I a 14 a groxa, 5< s,0 no |arg0 da ribeira.
Manoel Francisco Coell.o.
de todo o tamaito, para as senhoras floristas.
No escriptorio de Antonio |,u z de Oliveira
Asando A C. na rua da Cruz n. I, .recisa-se fal-
lar com o Sr. Luiz Soar.s Itotelho, til lio de Jos
Soares Itotelho ede Fortunata Candida de Souza,
1 -neto de Francisco Manoel leSou;a, natural da
Ib*de S. MigueLo qual eoosta ter .indo para es-
la eidade em 1856, para Ihe dar n. ticias de sua
uiai e irmaos que se acl.am no Rio de Janeiro.
AHVOCACU
O bacharel Joaquim Hres Macha.'., l'ortella po-
de ser procurado.como advocado, m primeiro an-
dar da easa a. M da rua do Imperador, das 10 ho-
ras da manhaa as 3 da larde.
de Camino vai ao Rio de
Janeiro e J'ahi para Portugal.
Araba de sabir dos prelos Ir noj-sa
Pnsagem n. U, oqual fui pertencenle outr'ora 4,Qe,ina O allliailak C>I, CCC.IcSa>lC0,:
Si! i-ti "10 Jos da Silva e sera vendido sexta-teira ., __. -1 i
pelas 12 horas era ponto da manhaa na porta da MIMIierClsl, fabril C agrcola, Conten-
1 commercial.
.luilquer inf)rmaQo o agente est prompto a
*r. ______________________
1 DENTISTA DE PARS |
8 19Rua Nova-1!
Frederico Gaulier, cirurgiao dentista, flSJ
faz todas as opera.-ocs de sua arle, e col- JB|
loca .entes artificiaos, todo com snpero- 3
ridade e perfeicao, que as pessoas solea- W
didas Ihe reconh.com.
Tem agua e pos dentificio.
LEILAO
TyWWBAM
*e\ U agente Pestaa por ordem ds administrado- j
res da massa fallida de Lima & Martins com auto- \
m .1 lllm. Sr. Dr. juiz do commercio far
leili'o das dividas activas no valor de 22:8594774
rs., peiieiicentes a mesnia massa : sevla-feira 19
lo -orrenie pelas 11 horas da manhaa na porta
di issoriacao romtnerclal.
Os Srs. pretendentes que precisarem qualquer
1 re. i.....oto a respeilo ou examinar a relacan
:n dirigir-se ao agente que se acha prompto a
satlsfater. ^^^^ _________
1I0 todos os empreados, enjillios e
itegociUBtes, inclosive as nioililir.icops
unidas at31 de dezemhro ultimo ;
-entle-sea 1S000 tiniciimente na I
\ raiia n. 6 c 8 d pranf
ilencia.
Na rua Nova n. 26 se dir quem d algunos
quantias a juros de 2 OO sobre penhores.________
54"
LEILAO
Sabliado '{) de fevereiro s 11 horas a
ni i dadaleia n. M acmtzcm.
'.'
I'
o; B
o ~
r S V -I .
? "B. *
= -* o. 5 c >
w v 2 'i -
& a
3- = a o
-, K
do
!!oIIIs
; uiei-anuas reudem 20$ por Mi c
uiu icri-eno i\' marinha na ponte
\cllii |iordctr.iz do sobrado uovo pe
se ada edificando.
Por iiiierviieau ,1o agente Euzebio se vender
em leil i pelo maior preco que se acbar tres
mei-agoas que renden 20J por mez, asquaes
ihv detn com o quintal da casa terrea n. 1 da pon-
te Velha, tendo um terreno do marinha na frente
<".om 41 palmo) para o caes de lapibaribe e mais
de osa de fundo al ehegar as 3 casinhas. ven-
de--e barato, os pecluncliei.ns podem aproveitar
a rpportunidaile que a uiellior.
Kes posta
O Sr. Jos Francisco de Souza Lima, que desfar
cadoemrmiprctor deqinrteiiw, no Progratia de ^"j^ron.
| iionlem faz-ine urna purgunta a respeilo da priso
do I'ortu^'uez Joaquim Josd de Versa qoande eu
subdelegado de S. Jos, deve dirigir-se ao ras|iec-
i.vn e- rivao. de SOJO cartorio consta tildo quanto
lime, quer saber. Agora se o seu lim ontro. en-
tio responda-lhe o Sr. bacharel Fraaoelino Bernar-
do Quintero, que foi o advogado de Versa, c que
jijodo progressista, eat uipplaate de subdelega-
do de Sanio Antonio Ihe nao deve ser snspeito. K
I que ama Wl por todas, saliendo o Sr. Jos Fran
Na rua do Crespo n. 13. se aluga uina boa
casa e silio no Menteiro. com fren I para 0 oitao
da iareja. assim eome e segundo andar da sobrado
da InilepCU- n 7ar da nu j,, imperador.______________
_ 0 bacharel Maximiano Lopes Ma-
chado advoa no sen escriptorio .la rua
do Imperador n. 71, primeiro liar,
onde pode >er procurado das 9 s 3 ho-
ivs da tarde para o que forcoitccrnen-
te ao exercicio de sua prolissi.
Man
m
m i
vT? resid
^ rua doLjvramento n. 18,
Precisa-se de um bom cozmbeiro a de dous
criados activos : a tratar no sobrado n. 32 da rua
$m*n &w*)mm
.\
meri
e tem aborto o
(I bacharel Amerieo Netlo de Mendonca -0
si u escriptorio a ^*
DE
Terca-feira 23 do eorrenle.
Por despacho do IHra. Sr. r. Dr. juiz de or-
pha is o agente Pestaa far leilao por eonla a
ism dequein pertencer da barca ferife de 332
-. i i,i a Snitn Mi.-ii de 2i'j toneladas,
ambas de pn.n 'ira classe, e o brigoe AlefrtU de
ii\ toneladas, tod.is preparados e promptos a na-
ii-. aehando-se lodos anc nados nesio portoon-
lem ser examinados pelos Srsj
e i leilioter lugar segunda-feira iv_
pelas II horas da manhaa oa porta or
comourciaL
sbsiisiss^ mmmm mmmmm
gt ii advogado Dr.Maooel do Nascimenio Jffi
^ Machado Portella, ronliua a ter o sen fe
tgg escriptorio no primeiro andar da casa n. }g[|
]5 83 iia rua do Imperador.
nm mam mmmmwm
o bacharel Francisco Augusto da Gosla eon-
tinua a ter escriptorio de advogado na easa n. 00
cisco de Souza Lima que nunca ha de ser o senhor ,,., rwx do imperador.onde pode ser procurado pa-
uem ha de manchara reputacao de que felizmen r;i 1K m<|,.n.s de sua profissao.
9 gozo entre meus comprovincianos qae me co-
seu diminuto prstamo juridico que o po-
dem procurar na rua estreita do Rosario n,
*8, desde as lo bwras da manhaa at as ;i
da tarde.
cofr.
mss
Na loja da rua Direita n. 82. compra-se um
francs em bom uso.
lentes
rente
laco
AVISOS DIVERSOS.
Assoeia$to Tj'pograpMca
Peroambucana.
De ordem do Sr. presidente convido^ aos Srs.
socios elfeetivoi ase reuninin em sesso da as-
wt ibla ,'eral. domingo 21 do corrente, s 11 ho-
ra- da manhaa no lujjar do coslume.
Os Srs meirbros do conselho sao tambem con-
vidados a seacharem aili reanidosas 10 horas.
I) iii'smoSr. presidente recommenda aos_ Srs.
S'iiios efTrctivcs qno tenhaiii e.m consideracao s
disposiefies do V doart I1), assim como os arts.
57, 18,00, 70 a "1 dos estatutos.
Secretaria daAsaoeiacao TyDograpbica l'ernam-
bucana, 17 de tevereiro de 1864.
Carlns Mas. 1" secretario interino.
- Precisa-s"e de urna ama.Torra ou escrava pa-
ra easa 11 Moca familia: n rua do l'ires n. 2't.
rhecem bom, e Ix-m conhecem a Smc. Nao pro- O Dr. Jos lenlo da CunlM 6 Flgaei-
tendendo mais oceupar me com o Sr. Lima, dou- rede, antgO advoeailo do loro do Hi'iifc.
Ihe franca liberdade para conlinuar a dizer de avs) ,,s |>cssu;is que iiuir.i'rein ocupar 0
mimo que quizer. .. :....:j: ----- ....
Recife 1(> de fevereiro de 18Ci.
Itraz Antonio da Cunha Albuquerque. i
riiO;K\un\
da festivi utde do milagroso Sanio Ama-
ro em ni capella as Salinas.
s 7 i |ri aereada neile do dia 19 .1.. corrente
-alma a bandeira da casa do lllm. Sr. teaente-CO-
looel, s..Hido conduzida por meninas e acompanba-
ca por eavalleiros e senhoras, tocando durante o
trajelo nina msica militar, at que, clegadoo
prestito frente da capella.se orgner a bandeira,
sultn.lo-se em seguida um lindo balo.
No labbado, 20 do crreme, sera cantada noi-
te urna I idainha solemne, largndole depois um
inagniBeo baile.
O romper do dia -I sera annunciailu por van as
garandlas de foguetes. eas lo horas da nanhaa
comecara inissa solemne, pregando ao Evangelho
o habl b distineto orador sagrado padre Antonio
le Albujuerque Mello, e dirigindoa orchestra um
listinct. professor. As 4 Im horas da tardo do
msmo da soltar-se-ha um bein acabado balo.
:endo logar em seguida corridas a cavallo at que
hegue a noite, occasio essa em que, depois de
untada urna grande
laudeiri com o mesino
/orada. Em concluso as ntanifastacOes de reg
O Dr. Casanova pode ser procurado em seu
consultorio especial bumoopaltwco a> largo da ma-
Irizde Santo .'intonio 0.1 No im sino consulto-
rio ha sempre grande sortimentn de medicamentos
em tinturas e em glbulos, deixanlo elogiar os
nossos medicamentos pelas pessoas me os tem ex-
perimenlado e coiilinuam a servn-se em nossa
botica. Temos lasafaam obras aomamdadas i
Intelligencia do povo. ^^^___
imtmuivjjmmmmm&vammmmmmq
Libanio Candido Riboim, Antoiio Kmigdio
Ribeiro, Leo|K>ldino Ferreira da Silva, Fran-
cisca M.Hirina dos Sanios llileiro. Anua
C.erlrudes la Silva e Mara JMMiaa de
Mendonca Hibeir... aiiradecem cirdealnienle
s pessoas que se dignaran asa stir os lti-
mos sufragios de seu mui presa lo mano e
cimbado o vigario Jos Malinas Ribeiro, os
me-.no rnnvidam aos amigos do fallecido
para assisiirem a missa dosetime dia que se-
r seM.Wua 19do eorrenle e 10 oratoria
licenciMde Libanio. no seu siiio na Torre
a- 8 bofas da manhaa.
,
Recite, 13 de fevereiro Je 1804.
Precisa-so de utn menino de 14 a Iti
anuos de idade para caixeiro di loja de fer-
ragens e miudzas na eidade de Macer,
dndose preerencia a aquelle |ue ftisso U-
ver alguma pratica e que em odo caso es-
creva soffrivel, quando nao muito lieni:
quem pretender dirjja-se a lojM le ferragens
do Silva & Alves na rita da (ladea do Recife
nesta eidade.
Precisa-.se algar urna escrava para o ser-
vico de nina casa de' pouca familia : a tratar na
rua do Palacio do Rispo, primeira casa a esqaerda,
indo pela rua des Pires.
r3& Svi^Sw^JiSS_T;3S-*5Pi-*
n'
Joo da Silva llamos, medico pela I ni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 as II horas da manhaa. a
das 'i as ( da tarde. Visita os doentes
en suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que Serio soc or idos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
qoeo procuraren! no hospital Pedn II,
aonde encontrado diariamente das 6
s horas da manhaa.
Tem sua casa de sado regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda inesmu os alienados, para o que
tem comandos apropriados e nella >i a-
tica qualquer operaeao cimrgica.
Para a cas'a de saiide.
Primeira classe ::.5iMtodiarios.
Segunda di la.... 2500
Terceira dita.... 2ihk)
Este estabelecimento ja bem acredi-
tado pelOS boOS ServieOS que tem | res-
tado.
O proprietario espon que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
Anemia de passaporte.
Claudino do llego Luna, despaehaute de passa- ^ advogado, para o que tem boa.
rte pela repartico da polica, lira-os ,-.den- precisar |ude de.xar nesta liviana a
l e lora do imperio po conuc.odo preco e>es- da casa onde se deve tratar._______
porte
iro
te
Portaran do quintal da academia, no dia 9
do corrente, um cavallo castanbo claro, com os
signaos segaintes: umhigudo, com as orelhas aca-
baadas, ie 12 annos, pouco mais ou menos, com
urna beatga no lomlio. urna estrella na testa, un
lano ntagAl e pesado : quem delle tiver milicia,
dirlja-ae a rua Augusta n. 2li.________________
Precisa-se de um rapaz que leona pratica de
taberna : na i na do Soeego. taberna n. oGv dando
tlador a sua conducta.___________________^^
Aluga-se sitio da Pedra Mole, em Apipucos.
com excellenle casa de vi venda com i salas de
frente e (i quarlos. lerraco. estribarla, frucleiras.
bella vista e niaeiiiiii'n banho: a tratar na ruadas
Cruzes n. 31), segundo andar. ____________
- Precisa-se alagar ama sala en um (irimeiro
andar em algama das coas do Imperador Ouei-
mado, estrella e larga do Rosari i, das Grases ou
do Crespo, e Cabug. para escriptorio de advoga-
do : quem a tiver annuncie._________________
" Precisa-se de um caixeiro para taberna, e
que da mesina leona pratica : a tratar na rua da
Paz n. 2.__________________________________
Prccisa-se de urna ama para o serrico de
urna casa de pouca familia : ua rua da Cruz nu-
mero 32. ______________________________
Attencu.
ITerece-sc um moto para es.ievento de al:um
escriptorio commercial ou mesmo de eserivao e
letra : quem
a i ii.-i. numero
na rua da Praia, prinn
Culi rernambiitaiio.
A ren.niao familiar de fevereiro ter
gar nanoiie de sabbado iO do corrente.
WuqiiCM snUve. Portugal.
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta eidade, saca ef-
feelivainenle por lodos 08 paqueles sobre
o mesmo banco para o Portoe Lisboa, i>or
Sualquer somata, i vista e a prazo, po-
en.lo logo os saques a prazo seivm des-
contados no mesmo banco, na razio de 4
por cont ao atino aos portadores que as-
sim Ihe convier : as ras do Crespo n.
H ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
mmm mmmm mmm i
BAH'CO C\lAO
Mi ESTABELEODO NACIDADEIOPORTO ||
Aqenles fin Pcruamlirii H
M Antonio Uiizd$Oliveira Jg
%ze, ilo\f.
m Sacam por toobs os paquet m sobre fl
H mesmo banco prazo ou visi:. sobre a ,fit
caixafllialera Lisboa, e agenriis em Fi- '
geira, Coimbra, Aveiro, Vueu, \illa-i
Iteal. Regoa, Viannade Caslolio, Guima-M
raes, Barcellos, Lame;.'". Cevilbia, Braga, feg
Penafiel, Braanca, Amaranti, Aera, 'f|
liba da Terceira, liba de l'aia-, libada
Madeira, Villa do Conde, Valonea, Bastos.
Oliveira de Atemos, Chaves e Kal'e. a
oilo das vista mi SO prazo que te conven-
cional', no seu escriptorio rua da Cruz
n. 1.
Aliqra-se o primeiro andar do soldado n. 63
da rua Imperial com commodos para familia nu-
merosa, e a loja do sobrado D. 20 rio paleo do Tel-
en : a tratar |na rua do Imperador armazem de
: loufa n. 4L_______________________________
Thomaz Welkieson, subdito Ingtel vai para
; Inglaterra. ________________________^
Ao Sr. Marcelino Jos de
fallar na roa Augusta n. i">.
Horaes precisa-se
Francisco Piulo Ozono contina a col-
\^i locar dentes artiuciMS tanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
liqueiu a vontade de seas dimos, todo pos
e outras preparaefies as mais acreditadas
para coiiservaca da bocea.
Nao me responsabffiso pelos valores
que Forem dados a mens escravos sem bi-
lheie meu ou de minna senhora. Recife, I5l
de fevereiro de 1864.
Jos Pereira da Costa Motta.
OITereee-se urna ama para criar de'ite, a
qual tem tres meze* : na rua Velha n. 31
Quem precisar de urna ama preta para todo
sei vico de portas para deulro : pode procurar na
roa Direita, taberna n. 0._______________
Almu-sc irOH. morada de casa terrea na ltai-
-Verie da ('.a|)un]!avCom 4 inartov. cacim
D-se qualquer quantia a premio sob firmas
\ e hypotbe-as e compra-sc ouro e prata : na rua
Augusta ii. Vi._____________________________
Precisa-se de urna ama de boa conduela para
lodo servieo de casa de pouca familia : uo paleo
da matriz de Santo Antonio n. 8.______________
Precisa-se de um caixeiro para taberna :
na rua do Qoeimado n. 63 loja do Beija Flor se
dir quem precisa.__________________________
' Precisa-se de una familia capaz que se en-
carregue da lavagem engommado da roopa de
um homem e alguna meninos, com tanto que o
faca com perfeicao eaeek). Dirluir-se rualk-l-
la'sobradi de 2 andares n. 37.
JI1SSH8HI
O solicitador Antonio Carlos Pereira de fl|
Biirg.s Punce de Len, ainda aceita al- g
pumas casas de pagtido 8 encarrega-se
de quaesqaer qaestdes jadieiaes ou exe-
enriM-s por mais dUDeeis que sejam. pe-
n loro desta eidade como foradel-
a que nao excedam de 15-leguas. E elle
.nitrarin as salas das audiencias ou
na na Imperial -obrado n. tVi. das 6 as
!) botas da manhaa e das 4 horas da tar-
de era dianta.
i-*- c?i ::-u
)"fitY*Cl -tflf^.
u
m
Gelo,gelo, gelo.
Com a chegada da nova machina nao se expe-
rimenta mais falla de geto fabricado com agua do
adainha se desarvorar 11 Prata. lodos os dias a qualquer hora. para# por-
apparato com que tot ar- c.ies grandes ou eneommendas para lora da pro-
as maoimstacSes de rege- tocia deveri haver aviso com anlecedeocia : rua
;ijo pela festividade de tao milagroso' santo, quei- da Aurora junto a lundico onde tem a bandeira.
nar-se-lia na segunda-feira noite um divertido precisa-se alugar urna ama con. bomebas-
;',igo de artili io. preparado por um conceituado tanlp |ejte ,. (|1U, .-, :,>n)u niii->. preterindo-se es
rosla.
!'. aata o programma que a cammissao encarro-
ada de promover festividade do miraculoso San-
Os Lachareis .lo.io Dioiz Ribeiro da Cuaba e quintal todo murado, poT~precn
Francisco de Paula felina e iiilmu.mi com seu es- por auno: a tratar na praca
criplorio de advocada na rua do y leimado n. 26,113 e 15.
01 de podem ser proeorad. s das'.Muirs da maiiha f^ .-,-
st as 3 da larde, para os misleres de sua proQs-
s:'in: e encane-.nri.i-se laillbcill Ce qualquer ac- t
cao nos ter.....1 prximos a esta cid: de._________1
~^~\ padaria do lefio do norte, da roa do lelo-
vello 0.31, precisa de um menin. portugue/. de
12 a U> anuos, para caixeiro de teposilo, e que
afiance sua conducta.
Preparatorios _
mentares
ORIUS
de aoo Fraorisco U.sboa.
Esli no prelo as obras de Joo Francisco Lis-
boa, camprehandeodo'volamos em oltava firancez,
de crea de 400 paginas cola um, mpressos com
nitidez.- em bom papel.
(i 1- volume constara da vida do padre Antonio
vieira (obra iHisihuma), do discurso d'anysha, e
non. imi, 1.n..-. mr> ,rlicos de critica, sendo tu. o precodidodo
?;^:^7::T;~r XSSZS^** .i,1,h,a.i..u!.se
|l*SC ti I Uil rUMll''>ii, y tlNil I. '.
10 Amaro, espera poder realisar, secunda.la pela
piedade e devocio daqoellas pessoas que eoncer-
rerem com suas esmolas.
tijp
FKSTA
Advocacia.
laenlrel Joo Goncalves da
O bacharel Joo Goncalves da Silva
Monlarroyos tem escriptorio na rua es-
treita rio Rosario n. 17. onde pode ser
procurado das 9 hora- da nianba as 3
da tarde dos das ulei -.
II-
Oampanltia Pcrnamliiican i
! onlem do conselho do direci o e em virtude
el. II dos estatuios lo convidados os senho-
ras aoekMistaaa reunirem se era assemWoa geral
no diat do corrente. 1 hora da tarde, no es-
criptorio dos Srs Saun.lers Brothers A C._______
3H9
O cemiirro
litterato.
Os outros tres volumes conteni o jornal de li-
mn, cuja I' edieelo acba-se engolada e boje
rara.
Preco de cada volume brochado ,.ai a OS asBK-
nantes 200O.
DO
Curso fommercial.
0 bacharel A. II. de Torres Bandeira.
profossor de geogrphia e -historia no
Cvmnasio desla provincia, propoe-se a
esinar as linguas franceza e inglesa, ijgg
preparatorios complementares para o JS}
Curso Commercial: e offerece o seu pros- g
limo especialmente aquellcs que se quei- V
ram habilitar nesses preparalorlo, com o |S
menlo de matricolar-se no sobredito i
curso. w
As aulas eomecarao do Io de fevereiro i
em dianle, na casa da residencia do an- g
nunciaiite. rua estreita do Rosario n. 31, }f$
lerceiro andar.
Alusiiel.
Aluga-se o segundo andar do
sobrade da rus
lo glorioso *. ODacalo dc.tina-
r.-mlr. an pttvoti^o le I;i|)is-
Himi.i. frrsiaezia le lgma#aM.
No .lia 21 do .orrenie naver a testa do dito
Santo Glorioso com procisso a tarde, Te-Iteum e precisa de utn jardineiro : a entender-SC como
logo di vista noite, hacend ja principiado as respectivo administrador.____________________
noveoas desde o dia 12 sob as influencias dos n..i- A|(1a.S(> ^UI^0 ;in0i,r pr.ini}e S(,t), ,i
predio da rua de Apollo n. 34, tendo ao ailar'.
Os 4 volumes depois de concluid em brocho- Velha n. 20: a tratar na rua do Sebo n. 21.
ra. para os que nao tiverem assi nado 124 na j ^ rna (a \>en)n |oja n. 27. tein urna pe
rua da Imperatriz 11. 17. primeiro andar. M,;l ,,.,, ama M.ffa.___________________
TINTURARA.
v ^e-se com perfeicao para qualqoer
cfr-e 0 mais baralo possivel: Da rua do
R- ogel-11. 38, segundo andar._________
/- Da-te dinheiro a juros sob nypotheca de urna
sa lenca livre e desembaracada, ou sob penho-
' de ouro e prata.________________________
AU'kiiso de Albunuerqur Mello
ha 19 annos advogado.j ante os auditorios e tribo-
naes desta eidade, j na corte e em oulros lugares
do imperis, emeooseqoeocia de leram-sa augmeo-
jado aqu seusafazeres, tem transferido sua resi-
dencia .la villa do Cabo para, esta ridade rua es-
trella do Rosario n. 3i. onde em eslabelccido seu
escriptorio, e onde foi o da I>r. Godos, de cajos
lai.alhos ticou encarregado o annunciante. Ahi
iffereee os misteres de sua profissao s pessoas de
quem mereca confianca, tanto deste termo como
.los dentis desta e de outras provincias para os
ios. trabamos a se?em desempenhados aqui.
arantlndo o zoilo. leaMade < aciivida.le que Ihe
io reconliecidos pela- pessoas que o eoahecem
liiciimbe-.'.e tambem d* Irabalhos para i termos
prximos, onde tem solicitadores de Inteira ron-
i.ioea. Ka cuilsllltas verhaes e por tseripto. p
ta-se a ouvir seus constituintes i radas as ho-
ra-, e us seitas-feiras das 9 as 4 oa vra do Cabo
Aluga-se a casa terrea n. 36 h rua da ma-
iriz da H- a-Vista, e-0 primeiro andar do sobrado
ia rua da Penha rom fundes para a rua Direita
a. !l: a i-atar no mesmo.______________t
Kr]ton Antonio da Costa Silva Maduro, desojando re>-
onder a pessoa que no Jornal do lleafc de tSe-
:(i .lo eocrenhi se subscreve um sen credor e nao
oahocondo ntsdor algum actualmente, tn-de a t*-
t senhor pwgontador de assUmar seu nome para
nlo sasia2*r sua ruriosidadu
mm
jtiltlir
i.
Itlfll^Ul
Vaeclna piablir.-t.
Ten.lo-se desenvolvido algumas pstalas vacci-
alcas, com o pus ltimamente innoculado. o 00111-
inador convida aqnallas (.essoas que
as
P^o^ejimal^aqn^ *M^ 'fESSJfi, Uadas comparecer,
pi.r ..os.- Manoel Gomes \W > el. ... S. >iSi. domiBfa( trreo da alfandBgo, e nos
mbbadosalM Wlflhoraa da manhaa. na casa
n 1 hjiiacio de Siqooini
Antonio
Europa.
l.eiie do M-igalhaes Bastos cal a
- Precisa-se de una ama de boa ivndurta para
todo o servir, 1 de casa de pouca familia : no pateo
da nvvtHz d danto Antonio n. K._____________
lYec.isase dv oma ama de idade para ci'zi-
ulkar 10 largo -in Paraso n 0
salas, -'i quarlos e grande cosinha, 1 no sollo sa
quarlos e cozinha : a tratar na roa da Caricia di
Ib ti fe n. 6'k, loja.
I. remi.ro prximo pas.a.K a passea .pie tohM di- ^^^f^ S(^anJl) andar do *rado d;
,a letra quererlo restitu;* sor* gratiHcadajoto- ^ J R;1>ai^ n m ^^^^
Precisa-si d' urna ame A
Triorhein n. prluwira andar
lesamente, p .riendo leva-la a.rua 1 ireila n 'fu ou
________em Sanio Amaro de Jabeado mu reside oan-
di rn las. undante, assim come prevloi ao acetante 1
nao pague a letra st vr-ca"
de um miado para to.b.o servieo de. casaem um
silio, pagando-se !<> por mez com oomida: na.
roa do (vil uga, sobrado n. 2. das 10 as-14 horas,
da manhiia.________ _______________.______
Pneisa-se de um criado de li 16 annov,
referifi.'o-seca|>tivo : a traiar na rua largado
Aloga-.-e um rela co?inheiro. c que faz ta
me' bem todo o servieo e anta easa : a tratar na pja-.
ca da 'lu'epeudencia na, -ir e 39
Rosarla n. 4V, das 6 &*da manhao.
Gaolano Borcini, subdito Italiano, ai para a
Italia.


"


Diario de Pernantbueo --- Quinta cira 18 de Fever< iro de 1S4.
5r v*
IMPERIAL
ASTUTO
NOSSA SENKOKA DO BOM CONSELHO.
ya
Itl A DA Al UOKA X. 50. '
Sob a direccao do abaixo assignado i -ha-sc funccionando este Instituto desde o dia 7 |
de Janeiro prximo passado, e nelle se ensinam todas as disciplinas preparatorias para a ^?
matricula do curse jurdico, desde primeiris lettras. A
Todas as cadeiras acham-se providas pelos melhores professores, cuja lista j foi Qg
publicida neste Dicrio. r-^ Qf-
Itecebeui-se pensionistas, meio-pensionistas e externos, pagando na seguil pro-
porcao:
PENSIONISTAS.
Quartel de casa, mesa e luz........ ............ 000
MEIO-PENSIONISTAS.
dem de mesa............................. 30
EXTERNOS,
dem de cada preparatorio..................... 2 y)
Os pensionistas e meio-pensionistas pajarito os preparatorios que cstudarem )
de 5^000 mensaes, vm como os externos d aula primaria.
Para mais esclarecimentosdirijam-se 10 director, a qualquer hora, no Instituto.
>S franqueado visita dos pas e correspondentes, bem como a todas as pessoas que 1
vereni interesse. \
Kecife, i* de levereiro de 186i.
Antonio Augusto Ferreiiu Lima.
Rua Nova n. 25 esquina da Camboa do Carao.
Aluga-se ura bom sitio cora feoa casa de mo-
rada, cora uuiitos commodos, copiar atraz e frente
para o ra, cacimba com lumba, tanque, casa para
pretos, estribara e cocheira, jardim e minios ar-
voredos, todo murado, com dous portoes, na Ca-
panga, junto .10 porto do Lasserre : a tratar no
iih'suii sllio, 011 na ra do Mrum n. 74.
Francisco Garrido e Jos Valdeperas, subdi-
tos hesp.inhcs, v.o Europa.
novo RIVAL
Luja de miiiil'-/1>
16Ra do t*'mado l
Oftavas de retroz preto a 140 r..
Massinhos com superiores ram ios a 30rs.
Enliadores oara espartilhos a 80 rs.
Bonitos botfies para punhos a lf 0 rs.
Lindas abotoadnras para colletes a 320 rs.
gerente da fu- Paaaadorea pretos e de cores para paletot a 130
le ser procura- Duaiaa delapis de pao a tiO rs.
rs.
Joo da Bocha e Silva, Bocio
ma social Guimares & Bocha, pode ser pr..-.
do na ra das Crines n. 11, primeiro andar, a JmU:s de ehifre para atar cahel o a 60 e 200 rs.
qualquer hora do dia. ____ j Ultas de inassa em caixinha a 480 e 720.
- Manoel Antonio, de Azevedo, subdito portu- g ZgSSSffgB. e'5o
, ; Ditos de tartaruga a 4* e 33.
-. 1 Ditos pretos de marrad a 33.
1 Pares de marraras de massa lino a 800 rs.
Pares de dito de tartaruga lina u 2,8500.
loja do
os desenhos
na loja
guez, retira-se para Macul.
I.-00.
Pares de ditas dourados a 13.
Pentcs de borracha para regaco; 800 e I-*).
Pentes dourados lisos para regar.1 a 1*280.
Puntes dourados com pedrinhasi>ara recaco a 23-
Puntes para tirar piolho a 320. 400. 500 ,' 800 rs.
- Alugam-se o safando e terceiro andares do Ve** da desembarazar a 160, 240, 320, 400,
sobrado da ra do Trapiche n. 48, cdiu frente para "> e *5-
o lado do Corpo Santo : a tratar no armazem por c'n,es 1ue 'ecliam para suissa a 15-
baixo Escovas para dentes a 160, 320 c 480 rs.
-----1-------------------1--------;---------, .-: Escovas para cabello a 600, 15 e 15500.
Precisase de 11111 menino portuguez de 10 a
12 annos, que tenha pratica de padaria ou sem
ella, dando fiador a sua conducta: na ra da Sen-
zala Velha n. 90.
E a bandeira da festa de S. Francisco de Paula no
Cachang, as 8 horas da nwite.
COMPRAS.
Voltinhas de aljfar com bonitas cruzes a 15.
Voltas pretas rom cruzes a 13 e 13^00.
Voltas muito grandes a Mara Pia a 25.
Voltas de coral de raz a 500 e 28.
Massinhos de coral rolico e de rail a 500 rs.
Pulsara de missanga nuitobontas a 13280.
ollinhas de missanga muito bon tas a 15280.
Gollinhas de Escossia com contimas brancas a 800
LOJA DO PAVAO
Cassas puritanas.
9tn 9nnrleT bonitos desenhos pelo baratissimo preco de
! pfvaa Pr h*Ver graBde P0n;aa' C Peehneh" ; na r,,a da 'Vrairi, ... 60 k
Cassas persianas a 360 rs. o covado.
Vendem-se as mais bonitas cas-as peniuu a imiticao de laa transparente com
tecidos e rale.rameute novos, pelo baratissimo prego de 360 rs. o covadoe aoi desbolam
Pavao ra da Imperatriz n. 60. ueMxnam
Gorguro de laa a 500 rs. o covado.
Vende-se gorguro de laa de cor escura propria para vestido desenhora, paletot nara homem o
roupa paramen.no, pelo barato prego de 500 rs. o covado : na loja do Pavao ra da! Imperatriz n^O
As colchas do Pavao.
Vendem-se colchas de linho adamascadas com bonitos lavOres de cor de rosa, azul e branco
pele baratissimo prego de 03 cada urna : na loja do PavQc ra da Imperatriz n. 60.
Organdys a 240 rs. o covado.
a* *ui\endem"se .r6and>8.naiisados fazenda muito fina, de bonitos desenhos, pelo baratissimo prego
de 240 rs. o covado na loja do Pavao rua da Imperatriz n. 60.
As alpacas do Pavao.
\endem-se alpacas de seda de cores muito fina propria para vestido de senhora, soutembar-
ques e roupaspara meninos e dita branca muito Gna propria para vestidos e paletots, pjr pruco mai-
to commodo : na loja do Pavao rua da Imperatriz n. 60. ^
Panno preto a 2,000.
Vende o Pavao.
,.,-m- ,'*" pa"nr Prel ""'o n'-orpado a 230000 is. o covado, dito a 23500, 33000 e 45060,
casimira preta rnu.to fina a 13800. 25000, 252(10 e 35000, isto para apurar dTnheir naloja
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Lima.
n.azem do Pavao,
e ar-
Compra-sc urna escrava de
sirva a urna familia de tortas
saiba vender pelas ras : na rua do Passeio, casa
tynographica da porta l,vga
le meia idade que 2 !wnUaS rosetas c,om- pedras f,Da-s a l&m-
a dentro e fra e es bo,,llS brincos dourades abalao a 15.
la do Pataeia mu 1>ares de brincos pretos a balo a 360 rs.
Pares de brincos de cores a balac a 500 rs.
Pares de brincos preto de rame a 240 rs.
Umpri-sc papel Diario para embrulho : na pares de rosetas preUs a 2i u 3 !0 rs
I loja '!. calcado n. .18 da rua ila Imperatriz. Benitos conservadores de iranein las pretas e
\ -- Compa-se urna taberna sendo em qualquer cores com continhas pretas e trancas a 15-
iKar mesino nos airabaldes desta piaga contanto ;uYas pretas e brancas de Jouvin a 15.
d.'
je tenha commodos para familia
iciu.

Comprarse um ou dous eseravos de meia ida-
Os Srs. Eugenio & Mauricio tem a honra de participar ao respeitavel publico desta capital que! (l^f: habilidades, bem como um preto da mesna
do dia de levereiro clles estabelecem os *;us prtcos do modo seguinte : idgde que sejam mbustos: no pateo da matriz de
14 Cirtoes de visita.....123000 Retratos n. i.......153000
25 ditos 2 posigoes.....203000 D.os tannil
50 ditos! ditas ...... 353000,,', ,........2**~Y
100 ditos 4 ditas......503000 l,,os n- 3........10*000
Cada duzu e m.-.is......83000 I As reprodugocs rada urna 23, 35 e 53000
Elles tem recebido un grande sortimento de quadros e molduras para retratos grandes e cartoes:
de visita, assim como tambem lbum para photopiaphia que elles podein vender muito em conta. As!
efleinas estao alertas todo. os dias das 9 s 4 da tarde.
^Spra-se electivamente ouro
obras v*rfSs : na praga
>Wspra-se el]
,s v.'li \s : na |i
loa de bilh\s.
da
e prata em
Independencia n. 22

^^r
INTERNATO
EE


cobre, lataoe^-humbo : noarmaim da bola ama-
relia no o i til o da secretaria de polica.
Eslahelecids aa (idade do Recife
Hoh a PiroteccSo do dinamo Pontfice Pi IX.
Director0 hachar1! em raathemalicas
fe BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O director do intrnalo de S. Bernardc, nao tendo evitado esforcos nem sacrificios
para proporcionar aos seus alumnos una peieita educagao physica, moral, intellectual e
religiosa, olferecendollies urna habitacao com bastantes condicoes de salubridade, habis
professores que sao sDlicilos em prepralos convenientemente' ao fim que se destinam,-
medico pralicoque Ibes faca comprehender os preceitos da hygiene e Ihes cure das doen-
gas, e finalmente um sacerdote Ilstralo e honesto que Ihes explique os principios da re-
ligiao ihristaa, espera que assim constituido i ao deixar o seu estabelecimento de mere-
cer dos Srs. paes de familias o auxilio o conliinga com que j alguns o tem honrado; e
llns roga, bem como a todas as pessoas Interessadas, que se diguein de visitar o mesmo
sad estabelecimento, onde sempre encontrara? franco ingresso.
Cadeiras de ensino :Primeiras ledras dividida em duas classes, tendo cada urna o
seu professor, latim, franeez, inglez, arithmelica, algebra e geometra, goographia, philo-
soptii a, rhelorira, desenlio e msica.
O collegio tem a sua sede no espagoso eiificio n. 32 rua d'Aurora contiguo ao do
collegio dos orphaos.
Nos estatutos do collegio, que estiio a lisposicao dequem os quizer ler, seacham
consignadas as condicoes de entrada e initricul as diversas aulas do estabeleci-
mento.
VENDAS.
i.---------------------------------
Vendem-se
tgCOO; nesta (ypographia.
Lilil todos.
Vende-se por 6003 urna divida de 1:0005 com
garanta de una hypotheca sobre um engenho ; o
negocio urgente- quera pretender pode dirigir-se
rua larga do Rosario n. 50. taberna.
quem tiver an- Enliadores pretos para borzeguin; a 120 rs.
______ Pecinhas de tranca de lia lisa e d caracol preta e
de cores a 10o rs.
Pecinhas de tranca de linho de taracol branca c
mesclada a 100 rs.
Pegas com 13 varas de fita de velludo lavrado a
15300 rs.
Pegas com 14 varas de fita de sarja amarella a
280 rs.
Pecas com 10 varas de lita de sar.a encarnada a
280 rs.
Varas de bonitas fitas para cintos a 600 e 800 rs.
Varas de bicas pretos de linho a 160 e 240 rs.
Varas de bicos pretos com um palmo de largo a
500 rs.
Varas de bico de seda preto e branco a 240 rs.
Varas de bico de linho a 240 rs.
Varas de Incas o rendas francezas a 100 e 160 rs.
Varas de franja prea de seda a50(1 rs.
caixes vaslos a Varas de franja preta com vidrilho a 800 rs.
\ aras de galao branco lavrado a 1 X) rs.
Bonitas escrivaninhas com tinteiro e arieiro
I 13600 rs.
. Caixinhas de lacre fino a 200 e 409 rs.
Pacotes de papel pequeo de cores a 600 rs.
Pacotes de papel amisade a 700 rs.
Caixinhas de dito a 8ini e 10.
Caixinhas de dito de phantasia a 13
Pacotes com lOOanvelopes a 800 < 13-
Caixinhas de pennas de langa a 80) rs.
Cintos para meninos e meninas a 640 e 13-
omias gravatinhas de passador a 800 e 15.
Ditas ditas de lago pretos e de cores a 15-
Bonitos chicotes para montara a 8(0 rs.
Pegas de franja para cortinados a -5.
Meias pretas para senhora a 320 e 00 rs.
Meiasde cores para meninos a 2'i Luvas de seda para senhora a 152.(0.
Lavas de montara a 500 rs.
Oculos de armacao prateada a 500 o 13.
Ditos de armacao de ago e baleia a 800 e 15.
Tesouras linas para costura a 600 e 800 rs.
Tesouras ordinarias a 80 rs.
Duzias de colheres para cha a 25.
Duzias de garfos e facas cabo preto a 35200.
Duzias de caixas de phosphoros a li!0 rs.
Duzias de pomada do Porto a 240 r L
Kassos de palitos liuos para d"liles a 240 rs.
SapaUnhogde laa para enanca a 5(0 rs.
Caixinhas com 100 agulhas francezas a 240, rs.
Caixinhas com 100 agulhas de VicOria a '20 rs.
Carteiras cora sortimento completo de agulhas a
Vende-se urna casa terrea na rua Augusta C'iO rs.
bem construida, fe i la a moderna, com duas janel-1 Erasquinhos com extractos finos a :20, 500 e 15-
las e porta, 6 quartos, 2 salas, cozinha fra, ca- Frasqnlnhos com banda franceza a 320, 600, 800
cimba, algrete, rende esta 4005; e outra para a e 13000.
rua do Alecrim, com quintal e cacimba, sendo Frasquinlios com agua de colonia a 400, 800, 15 e
mais pequeos os commodos, 2 salas e 1 quarto, e | 13500.
rende 1403, vendem-se juntas : para informagoes, i Frascos com oleo de Babosa a 500 u 600 rs.
08 piviendentes queiram dirigir-se a rua da Cadeia Frascos rom oleo plrilocwne a 800 i 15.
As calcase Pavao.
'as d.-.,.aSin;ra preu a 33500, 63000, 7J
123(HK rs., ditos sarcos a 73000 rs.,
nperatriz n. 60, de Cama & Silva.
Ali-o hrOM-V,rdea'S" suPeriorf calCasau-casimira preta a 33500, 63000, 73000 e 83000 rs., palitots so-
SSBRfSJUf^ Preto a 123000 rs., ditos sarcos a 73000 rs.,^oletes dTcasin^ira preu a
43*10 e o3000 rs.; na rua da Imperatriz. n. 60, de Cama & Silva.
ATTEINCAO.
Vende-se ou permuta-se por predios nesta praga
! a excelleute u vaslissiina ilha da Saudade, em Ga-
meleira, defronte da esttCJO, muito frtil e produc-
tiva, com muitos cajueiros, baixas para capim,
madeira para construccao, barreira de louga pro-
pria para urna boa otaria, e com convenientes pro-
porgoes para edilicagao ; bem como faz-se o mes-
mo negocio com duas casas novas e muito commo-
(I is. >ias na mesma povoagao : quem pretender,
annunciejwr este Diario, 'ou dirija-se rua Au-
gusta n. 36, que se dir quem o encarregado do
negocio.
Vttwnpi mmmmmm
Fogos d(i artificio.
Xo grande armazem de tintas rua do gj
ES Imperador n. 22, se vendem todos os 9
gg productos cbimicos empregados na com- g
pnsieao llns lugos doarlilicio.
, in^ 'mSe a,8f.aoI,nh0 americano com 8 palmos de largura para lencoes, toalhas, etc. etc. etc
a 15000 rs. a vara, ditos estrenos a 53000, 63000, 75000 e 8*080 rs. a peca, 'sendo muito boa il
de Gama"'* Silta"1" Pr *"** mUl """^ M 'ja d ****** da Imperatriz n. 60,
Vestidos pretos do Pavao.
I Ai tn*,'in'searC0S C6lW1 .'le1 ^^'lenaples preto com ricos enfeites de talado, pelo barato preco
de 40*000 rs. cada um, na loja do Pavao ; rua da Imperatriz n. 60. '
Laaziidia Victoria.
v loja do Pavao.
Vendem-se as mais modernas laazinhas Victoria tendo 4 palmos de largura cora lindas palmas de
seda pelo barato prego de 800 rs. o covado, na loja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama
4x oliva.
Os sautanbarques do Pavao.
_ A 0000 rs.
\ endem-se ricos sautanbarques pretos ricamente enfeitados a 205000 cada um. ricos manteletes
pretos, grandes a imitacio de capas pelo baratissimo prego de 20*000 rs. cada um. s na loja do-
Pavao, rua da Imperatriz n. 00, de Cama & Silva. '
0 chales do Pavao.
-j,innVen!^e Cha,lf r merino estampados a 3*000 rs.. ditos muito finos de crepom a 6500O,
&'JTASife.* 4*, -a da ira-
0 brim do Pavao.
.JmVeDdem'Se brm de ]!nht pur Com 1uadrinhos I'roprios para calca e palitots, pelo prego de 500
l^l^V^to&l^'y*" Vende'1 'wrmai-^''-o;aruadaImpera.ril
Laazinlia a 320 rs.
M o Pavo.
Vendem-se laazinha matizada prdprias pala vestido sendo padroes miudinhos e Brande* sPnrln
fazenda muito encorpada e que se pode lavar perfeitamente, como se lava achila e nao desbola' h
eralSf n 60,T Garaaa& s7lva.Pr0""n:r' ^ ""^ PrqUC Vende ^5 Sl Ua 'ja da'rua '*
mmmmsmm
ROUPA FEITA
&
NO
A lEll
DE

^\,^^v
^
4D-
-4
n. 53, armazem do agente Euzebio.
fraseos c garrafas de agua de L; vande a 800
15280.
Frascos com banha e extracto a I : 80.
Frascos de banha lina transparente a 800 rs.
A

l

PROTEJA PROTEJAN
EXCELLENTISSIMAS SENHORAS,
% v. i.'vi-s. sao as protectoras do Importante estabeleei-!
nicnlo na do Crespo ir. l
PE
JOS GOMES VILLAR.
Veude-se {jrpcfos adunaicis a diuheiro.
XARP
deLABELONYE
Cnageos de castor pretos finos a 7* cada um :
na rft. do Qoeimad n. 13, esquina que volta
para a Congrejiagao.
Vende-se urna parte de una casa terrea sita
na rua de Santa Tbereza n. 10, quem pretender
dirija-se a mesma para examinar : a tratar na
Capunga com a viuva do Sr. Julio Evangelista da
Cosa e Silva
Vende-se a loja do calcado da travessa das
Gnes o. ii : a tratar na rua larga do Rosario n. ira as molestias do coimvo, .: hydropisias
\ 20, na loja do funileiro I,ni?. Antonio da Silva ; e
tambem se vende a armar" < envidragada.
Sendo de 20 ar-
l.aas para vestidos a iJO rs. o covado.
(^ssas organdys a 240 e 280 rs. o cavado.
5,000 balos viudos de encommenda de New-Vjrk, e vende-se a 3* I:
cus mu lo superiores.
Capis pretas bordadas, manteletes bordados, soatembarques pretos e de cores.
Manteletes e chales de guip preto o me ha dt maisgosto vindo de Franga.
Cbapelinas ile palha p. ra senhora i ^lyoe enfeitados.
Ves .idos ce blonde com manta, eape^^Retini para sombra, para noivas.
C)ries de cambraia branca bordados*
Bramantes de linhode 10 palmos, e^cniljs. se ecas de linhn, cambraias lisas pecas do
8 1|2 varas a 3*. 43, 55, 63. 73, 83 >i%
>Iadapol(>s linos a peca do 20 varas a ti3JP|t 83, 93, 103, 123 at 203.
Chitas de variados gos.os a 320, 400 e ^tA, covado.
Outr.s muitas fazendas de muito gsti
IXI'
2 homens e meninos.
^ Casacas de jianno preto, 3*i e
jt Sobrccasacas iilem, 30 e .
W Paletos idem e de cores, 25)9,
S Od, me......
Ditos de casemira, 205, m,
m 1^5, 105 e......
H Ditos de alpaca, 53, i5e .
|H Ditos ditos pretos, 5)5, 75,
Sa> -r..->. l->e......
* Ditos de hrim e ganga de c-
g| res, 45500, 45, 35500 e. .
e as affeccoes do peito, acaba de receber, E Ditos branco de linho-ti5' 5|5 e
um novo sullYagio por nao ter por ora ap-.Sg Dl,0_s de merino preto de cor-
parecido outro igual para curar infallivel- ^ do, 105, "5 c.....
mente lodas as doencas do coiaco organi- M Ca|Cas de casemira preta, 15,
cas ou inorgnicas, palpitacoes, hydropisias f| m, 85 e
geraes ou parciaes. hydioth clironicas, bronebites nervosas, e fiuxos j||
chronicos, aphonia (exlinccao ta voz), etc. 1 ^
As gazetas medicas fallain calorosamente l|
sobre os effeitos preciosos do Xarope de
LETRXRO VERDE.
I Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de |
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
% grande e variado sortimento de fazendas de toda.-; as qualidades, para senlioras.
l'hannacculieo ta piiiticira classe
12 tu 1*3 rfs.
Esle medicamento empregado ha mais de
20 annos, com successos consianles, pelos
melhores mdicos em todos os patees, con-
sopo; mefajod d o$m
Ditas de cores, 95, 85 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 55000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 45500 e. ,
Labeloinje, quetem hoje adquirido um dos j$ Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 35 e
Colletes de velludo preto e de
1&I60 W
SEGUROS DE YID1 EM MTUALIDADE.
A direccao do BANCO UNIAO tendo obeido do governo de S. M. F. a autorisacao para estabele-
cr o seguro de vidas em mutualidades, faz publico que desde j toma subscripcoes annuaes por urna
s vez, deliaixo das seguntes condicoes :
llora perda de capia! e lucros;
Dito capital smente;
Hito lucros smente;
devendo a primeira liquidacao ter lugar no I* de janiiro de 1859.
As vantagens do emprego de capiues era mutualidade, sao obvias, porque nao smente se co-
in o juro de quautias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar nenhum resultado; mas alm
disso, este rendhnento augineuudo pelo apital ou lucros, ou ambas as cousas, conforme as condicoes
da subsenpeao, dos qae falleem. Tmbeme partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os so-
cios morosos nos seus pagamentos, sao por esto motv) obrgados a pagar, bem como caducidades que
occorrerem pela faiu de cunprimento do cooiprsmi tso social.
As bguidaeoes sao pelo systema das companh.is hespanholas, Tutelar e outras ;e parase poder
fazer urna idea do que pode p-oduzir urna entrada an.iual de 103, publica-se a seguinte tabella basca-
da sobre a experiencia de niuitos annos decompanhia; desta natureza :
Em 5 annos Em 10 annos Em I .'i annos Em 20 annos Em 25 anno.
anno 1103
90*
> 8(3
> 865
> 86*
85
863
> 803
> 90*
As entradas por urna s vez dSo resultados mutU) superiores as annuaes.
Porto. 10 de agosto de ,863.Os4rectores do anco niao, /os da Silva MachadoF. Jf. van
der Nievaon'.
Agwv/bb em Pernamlraco : Aattonio Luz de Oliveira Arevedo A C, rua da Cr uz n. I.
Por ura menino de 1 dia a 1
de 1 anuo a i
> i de t a 3
* de 3 > a 4
> de 4 a 15
Por urna pessoa de 15 20
f * de 20 > a 30
de 30 a 40
de 40 > a SO
1005 !)003 2:0003 4:7063
3003 750* 1:700* 3:700*
290* 720* 1:600* 3:5003
2803 710* 1:560* 3:4003
270* 700* 1:550* 3:3503
270* 700* 1:540* 3:3303
270* 710* 1.3603 3:400*
270* 720* 1:6000 3:700*
300* 7503 1:800* 3:000*
Vende-se, o verdadeiro pixe da Suecia : no ar-
mazem da bola amarella, no oitao da secretaria da
polica.
Feijfio teijao feijo.
lina la lladre IcUeus us. & e 9.
Vende-se saceos grandes com feijao das seguintes: primeiros lugares no quadro dos medica-1
qualidades: branco, amarello, rajado e mulalinho, mentOS OS mais afamados e da tlicrapeulica ,
mais barato que em outra qualquer parte, assim ii...., ... .i, i^, m
comosard.nhas em harrlsdel,20O por53000. tudo universal, como O deca am os celebies me-||
proprio para lempo de quarcsina.____________! dICOS fiallCC/es : Andral pal e lillO, BdUll-
Vende-se urna meia agua na rua da'aleada aud, Cottereau. Desruelles, Fotiquier, Le-
n. 19; quem a pretender dirjase rua das Cruzes maire, Marjolin. Pasquier, Rostan, Rous-
"-:1:|-_________________________________jseau, Delaberge, Parmaotier, Puche, Ther-
Farinhasuperior de SantaCatbarina. Jim, Vidat (de Poiliets). etc., e outros a-
Vende-se em porao ou a retalho, a bordo da!cultaticos dos mais celebres,
barca Iris, atracada ao trapiche do Bario do Li- Vende-se em gatialinhas de vidro verde,
vramento, ou no escriptono de Antonio Luiz de '
Olivcira Azcvedo & C, rua da Cruzn. 1.
Xa rua das Cruzes n. 7, se dir qu^u
urna taberna bem afresuezada para a trra com UOtkmyt, O gargalo da garrafa tiaz urna
ixracos fundose boa nioradia para familia.______j tira azul jaspeada, com a lnuade Labe-
Vende-se ou arrenda-se por prego bastante loi^e, e a rollia coei'la com una capsula
ommodo o sitio Caana na freguezia d Varzea, de metal branco com a inscripto Sirop
de muito boas trras para plantaeoes cora varios ,ie Diailitale de Lbeteme, Jliarmacieil,
pes de fructeiras de diversas qualidades, e com p ,K
'100 Ditos de setim preto. .
230O9Q [,t(l# ( e ditos e seda branco,
W e....... 55O00
105000 Ditos.de gorguro de seda
I'ntos e de cores, 65, 55 e
750OO Colletes de fusto e brim bran-
35500 co, 35500, 35 e .
m Setoulas de brim de linho,
3*WJ0 5490 e......
iiuw\ Ditas de a,50113. i<5600 e. .
.^kk Mantisas de peitos de linho,
^000 45, 35 e......
Ditas de madapolao, 25500,
55000 25 e........
Chapeos de massa, pretos fran-
75000 cezes, 105, 95 e. .
TyOOO Ditos defltro, 55. 45,35500 e
Ditos de sol, de seda, 125,
45000 115, 75 e......
Collarinhos de linho fino, ulti-
450OO ma moda.......
SortimcEto completo de grava-
25500 tas.
25500 Toalhas parroslo, duzia, 115,
StJOOO
45000
25500
25000
15400
25500
I5G0O
8*500
25000
05000
040
5
75000
e........
cores, 95 e......75000 Chapeos deso, dealpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 55 e 45000 tos e de cores.....45000
Ditos de ditas de cores 55 Lences de linho.....35000
45 e........35500 Cobertas de chita chineza.. 25000
tra/.endo um rotulo, fundo cor de violeta
_ r clara, jaspeado, no qual sobresalte o nome
(MIL lll \ L. 11(1 t 1 1 c a
garrafa
urna casa de taipa j coberta de telha : a tratar na i
rua do Hospicio n. 22.
AUeneo!
I'ma escrava crioula de idade de 18 20 annos,
com boas habilidades, urna dita de idade 39 annos
nicamente para o servico interno por ser insigne
ni_'o iimadeira, cozinheira e ensaboadeira, por
coinino'lo pre*;o, idade 45 annos, boa qutandeira,
Deposito geral: em Paris, rua Bourbon-
Villeneuve, 19.
Em Pernambuco.nacasa de (
beous a rua da Cruz n. 22*
J. VIGNES.
X. &&. Rll DO IIPKRADOR \. .....
Os pianos desta anttga fabrica sao hoje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre a
FEMAD ti HILHO
Os cortinados do Pavao.
Vendem-so ricos cortes de cortinados adamasca-
por 3003, una linda crioulinha de idade 10 annos, dos proprios para janellas e cama:, pelo barato
um bonito moleque de idade 7 annos por 5203, um preco de 93 a peca : na rua da Iuq eratrz n. 60,
bom escravo de idade 30 annos : na travessa do loja'de Gama a Silva.
Carmo n. 1.
Pcchlnclia do I'nvo.
Para mrtiuados a S:>.
Vcndera-so pecas de cassas adamascadas com
lindos lloroes tendo 6 varas cada pee: pelo barato
Lm saw-as por preco muito commodo : no ira- preco de ^ ditas Com 5 varas a 3*. sendo pro-
piche do Sr. Confia, rua da Moeda, no Recife.se pras para janellas, camas, berros etc., etc. : isto
achara com quem tratar.___________________ s0 na !ojado pavrl0 a lua da injper..l|.z n. ^o, de
RELOGIOS, Gama & Silva.
Vende-se em casa de JohnsUm Pater A O Pavio vende as calbralas
C-, rua do Vugariu, u. 3. um bello sorti-' a *. e 3||.
ment de relogios de ouro patente n-: Vendem-se pecas de eambnlas I raneas lavra-
s/\f7 de 11 m giez, ue um uo:, mais a.amaoos nnriLantes iimetm 6 a aJi3O uUas djtes 3*M0, 43
de Liverpool, e tambem urna vanedade de 0 45500, sto pechinclia : na loja le Gama &
bonitos trancelljns oara os nesmos. 1 silva, rua da Imperatriz n. 60.
tissiinos para o clima deste paiz ; quauto s vozes sao melodn sas e llautadas, e por isto muito grada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vgnes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as e\pscoes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
melhores compositores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido
por presos muito razoaveis.
Vende-se ou permuta-se per predios nesta
cidade o engenho Velho da freguezia ue Santo A-
maro de Jaboatao, o qual engenho acha-se livre e
desembargado de qualquer pendencia, e tem ter-
reno sufliciente para outro engenho, tem ptimas
obras, trabalha com agua; vendendo-se tambem
a sala novameute plantada, e igualmente todo o
gado, e animaes : a quem o negocio cima con-
vier, dirija-se ao seu proprietario no mesmo en-
genho.
Vende-se um preto peca offlcial de pedreiro:
na rua da Praia n. 7, primeiro andar.
Ft 111*114
\ ende-se lamilla de mandioca de superior quali-
dade (medida velha) ensacada em boa fazenda, por
preco commodo a sacca de alqueire : no caes do
Hamos n. i>.
Vende-se urna grande casa terrea na estrada
de Joao de Barros, com grandes commodos, gran-
de quintal com bstanles fi ucteiras que dan fruc-
tos : quem pretender, dirija-se mesma casa, que
achara com quem tra;ar, defronte do sitio do Sr.
Dourado.
i
<


Diario de I'crnaiahnco Qttfuta felra is de I'exerciio de 1824.
*
*

GIMItDE REVOLUTO
CALCADO.
Ra Direita
45 Ra Direita 45
Aproveitcm em qiianfo lempo!
Borxeguins francezes de lustre pa-
ra liomem................. 55000
Borzeguins francezes de cores pa-
ra meninas................
Borzeguins francezes pretos para
meninas..................
Sapatos de lustre para senhora..
Sapatos de lustre s avessas.....
2$000
25500
1^000
500
0 homem do movimento nao estaciona.
AVANTE E SEMPRE
GUERRA AOS INLYIIGOS
Nao se ailmitie a unio cenimercial:
Nao sequer a (liaba da :iIIanca.
Nao se teme a furia dos corsarios.
lisie .nio ha de ser blssexto.
Os canhdcs estilo preparados.
FOGO! BOM FOGO!! MELHOR FOGO!!!
Altai vo a li^a (Tagua no vinagre
Viva a liga do genuino liberes com o liambre!
Viva o conservado r das conservas inglezas!!
Vivam os liberars frcguizcs do BALIZA !!!
Vivam todos que lerem este ann m io.
SENH0HES E SKIS HO HAS.
O proprietario do grande Anuazeui do Baliza estahelecido raa do Livramcnto D&
38 e 38 A, defronte da grade da igreja, aeabr de mluzr os probos de quasi todos os
gneros dosen magnifico deposito.
A tarifa abaixo publicada attesU bem e> ta verdade.|
Aberra aosinimigos, est portanlo, assim declarada.
As pessoas, anda as mais exigentes, qu; se dignaren vir este estabelecimento,
ficarao par certa maito satisfeiUs, Bao s quanto s qualidades dos gneros, como -eom o
tratamento todo attencioso que se Ibes dar.
Alm do cuatprimento dos deveres da joa edncacao, haver d'ora em diante anda
maior capricho em satisfazer todos que honraron esta casa-
ios gneros pelas qualidades e precos annunciados, gero offerecidos ao exame
dos Srs. compradores. Naoreceie'e publico <,:e se praiique e contrario, como em atrs
casas, que ale aununciam o que nao tem-----* Baliza noiliude.....
Ameixas franezas em caixinhas eem frascos Licores inglezes e francezes em vazesde di-
de diversos tamaito* a l,2oo, l,(5oo, versos t;in/.mhos a l,ooo, l,5oo e 4,8oo
2,000,2,5oo e 2,8oo rs. e a libra a 8oo re. I rs. a duzia.
Amendoas novas a 32o rs. a libra. Manteiga inglesa flor a 8oo rs. a libra e de 8
Azeite d)ce refinado a 8oo rs. a garrofa. libras para cima ser aberto umbarril na
dem de Lisboa a 64o rs. a garrafa e 4,8oo presenca do comprador.
rs. a aada. [dem de 2/ e 3.a qnalidade a 7oo, 6oo e 4oo
Alpiste i 16o rs. a libra, o 4,Soo's. a arroba. rs. a iibra.
Arroz d i Maranho, da India, e Java a 8c e dem francesa a 560 rs. a libra, eem barril
loe rs. a libra. por menos.
. ... ... Idemem latas a 25000 c a 155004 lala.
Aletna branca e amarella a 4oo rs. a libra. Massa de tomatt cm berri| a i80 r^ |bra
Araruta verdadera a 32o rs. a libra. dem ein ,.,,,, ti rs a ,ala
Batatas novas em g.gos de 38 a 4o libras por Mostarda in?loza 400 e m ,vis 0 pole
1,000 rs. e a 4o rs. a libra Marmclada imperial dos melhores fabrican-
Btscoitos ingleaes Lunch a 8oo rs. a lata de tcs dc Litboa 3 600 rs |bra
o oras. Vlarrasquine de zara a 8oo rs. o irasco e a
dem de diversas marcas em latas tenores g^ a ,jzja
mLj3^0^' a i-i j i t Uassas para sopa, ta-lharim e ma-arrao a
dem de Lisboa de qnalidade especial em la-. ^q rs ., jj|,,..,
tas gnndese pequeas a 3,000 e l,5oo rs.,-jem ^ estFelinha e pevide, caixinba
oli'.cbuihas americanas, a 3,ooo rs. a barrica com ^ ||,.as a 4500O
e 2oo rs. a libra Nozes a 1Go' rs nbra /
Banna de pono a 44o rs. a libra, eem barr: |cixe preparado de escabeche, da melhor
a 4oo rs. qualidade que tem vindo ao mercado, a
Baldes ainerjpaRos muito propriospara com- Jga |ala
pras a 1,00o rs. '
Cha huxym, hysson e perofa a 3,ooo, 2,8oo,
2,3oo, 2,000e l,6oo rs.
dem pretoa2,ooo, l,6ooe 1,0000*. alibra.
Chanpagne a melhor do mercado a 12,000 o
gigo e a l,2oo rs. a garrafa.
3
f&M
%o
Hua do 4(iiciiii;ul<> nmeros
4 e 5,
, est disposto a continuar a vender pelos procos
abaixo declarados, pois para principar o novo
auno.
Caixas de obreiasde cola muito finas a 40 rs.
Vana de franja de laa de todas as cores a 40 rs.
Ditas de tranca de laa de todas as cores a 20 rs.
Ditas de tranceln) liranco muito superior a 20 rs.
Trancas de alifodao limaras e de cores a 80 rs.
Duzias de meias uira senhora muito superiores a
3*800.
Grata de pennade ac muilo finas a 500 rs.
Caivetes de duas e tres fallas a SOOrs.
DHos de urna folhaa 80 rs.
Caixas para rap, muito bonitas de calungas, a
tOOrs.
Capachos redondos e compriios* 300 rs.
Caixas com muito superiores obreias a 40 rs.
Varas de franjas brancas e dc cores, largas, a
160 rs.
Pares de bntes para penho mmto bonitos a 120 rs.
Carreteis de linha Alexandre com 200 jardas a
100 !>:.
Carloes de liuba Pedro V com 200 jardas a 60 rs.
Ditos delinha de SO jardas a 2S rs.
Diuia de meias braceas para liomem a (*600.
Caixas eom soldados de chumbo a 120 rs.
Tiuteiros de vidro com superior tinta a 100 rs.
Ditos de barrq a 180 rs.
Grozas de botCes e louca pratiados a 160 rs.
Tcsouras muito liaas para cosiura a 320 rs.
Ditas ditas maiores e melnores a 400 rs.
Escovas para impar denles muito tinas a 208 rs
Ditas para unhas a 800 rs.
Laa i> lodasas cores para bordar a 75 a libra.
Caitas com phosphoros de segurancia 160 rs.
Cadnrnos de papel branoo c azul a20 rs.
I Pacerte de papel amizadc a 600 rs.
Caixas com 180 anvelepes murta superiores a
800 rs.
Cadornos de papel de oares, grande e pequeo, a
40 rs.
Silabarios portugueses com calungas de toas as
Cualidades a320 rs.
Graxa em latas muito nova a lOOrs.
Cartas e taboadas para meninos a 60 rs.
, Caixas com superiores iscas para charuto a %0 rs.
Carreteis de linha de ceres com 300 jardas a<}0 rs.
Hai albos muito finos para voltarete a 280 rs.
Rodinhas rom ilflMtec francezes a 20 rs.
Carus de alrhii les Iramcezes finos a 40 rs.
Caivetes decdbo de madrcperala de duas folhas
a 500 rs,
Luvas brancas
de algsdo finas a 80 rs.
SAIS
SCiadas delrslu froxk para bonir a 60 rs.
APARRILHA
\ m
res a
Presunto de lamego muito superior a
rs. a lit>r!.
dem para liambre (inglez) a 640
libra.
Id en americano a 400 rs. a libra.
Papel almaco a 3000 a resma.
dem de peso a 25 a resma.
Palitos para deatea a 160 rs. o maco.
Dito dito dc fior a 200 rs.
Ditos do gaz a 2^200 a groza
l'a-sas novas a 480 rs. alibra e a 1^800 a
caixa.
Oueijos flamengns do oltiaae vapora 2J600.
Hito londrino a )00 rs. a libra.
Chocolateraricezpnmeiraqualidadea I,loo
rs. a libra,
dem hespanhol a l,2oo rs. a libra,
dem suisso a l.oon rs. a libra.
Cervejahranc marca AHsopps a 4,ocwrs. a
duzia. e a 4oo rs. a garrafa.
Cognac inglez a 64o rs. a garrafa a 800 e a
l.ooo rs.
Concervas inglezas em frascos grandes a 75o l)Un Prat0 a rs. a libra.
rs. o frasco. &rdinhas de Naotes 320 rs. a lata.
Idemrancezcsde multas qualidades a 5oo|l>aade Lisboa a 640 rs. em lata grande.
rs. o frasco e a 5,5oo rs. a duzia. ^k' muito superior a 240 ra. a libra.
Charutos neste genero temos grande aort- Sal relinaio,em poles de vidro, a 600 rs.
mento tanto da Babia cmodo BiodeJa-! o pote.
neirea 1,600, 2,2oo, 2,5oo,3,ooo e4,000 -*h*0 m-issa a 120, 160, 200 e240 rs. a
rs. a caixa. u',ra-
-- .... : "oucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Cafe doCeara muito superior a 28o rs. a libra, |)ito de Saill,JS e aoo rs_ a |ibra_
e a 8,000 rs. .1 arroba. ;j0i0 para |mpar facas a 140 rs. cada um.
dem do Rio a 3oo e 28o rs. a libra. Vassuuras americanas a 64o rs, cada urna.
Ceblas afloo rs. o molho com mais de loo
ceblas.
Chouricas e paios a 72o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a Seo rs. a libra.
Cevada muito nova a o ra. a libra.
Copos lapidados a 5 e 6,-x>o rs. a duzia.
Doce de goiata em latas a 4oo rs. a libra,
dem de caj era latas a 320 rs. a libra.
Ervilhas francezas e portuguezas a oo e 6io
rs. a lata.
dem do Porto a 400 rs, cada urna.
Velas de carnauba e composico a 320 rs. a
libra e a 103 a arroba.
dem stearinas superiores a 360 rs. o
maco, e em caixa por menos.
Vinho do Porto, ne&te geneno temos o me-
lhor sortimento possivel, que vendemos
por precos muilo haixos a l,j a garrafa e
a 10/ e 12 a duzia.
dem Cherry, e da Madeira em barris e em
caixa, a 12-5 a caixa e o barril conforme o
tamaito
DE BBISTGL.
As curas inila^vnaa de
ESCROFWZhOJS,
OFEMI"' LITIGAS,
Eryapelas, Rheumatismo,
Nevralg^fB. Escorbuto,
ce. et..
que tem grai dado o alto re
lioiMv :i
Saisaparrillia e Bristol
por tRas partee do aniveraot, bSo tfio
sinetlte de vida.-
nica Legitima o Original
SLSFMiH DE BRISTOL,
PRBPAKAUA EXCU'SIV^MKSTI |>OR
L.1K1H1H L KETIP |E VOVt YORK,
Metiianh a n tita do Dr. <'.('. RriKtaL
venda as boticas de Caors 4 Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo & C, ra
da Madre de Dos.
dem seccas a 16o rs. a libra.
Figos de comadre em cai\iohascom8 libras1
por 16oo rs. llem (,e Figueira e Lisboa, em ancoras de
Farifiha do BfaranhSo a lo rs. a libra. i .8*9 caadas, por 285000.
Farinha de trigo muito superior a 12o rs. a U'to wn pipa a 3#000, 35500 e4ooo a ca-
libra. nada
Fareio em saceos grandes a 4,ooo rs. o sacco ,Jcm &n Porto, denomiuado Baliza, a H a
Genebra ingleza marca gato a 1,00o rs. a gar- caada. _____
rafa dem dem em garraoes a 25300, com o
garrafo.
Ideraverdadeira de Hollanrlaem frascos mmto i,]em de Bordeaux, das melhores marcas que
grandes a 1,2oo rs. o frasco. vem ao mercado, a 65 a caixa e a 640 rs.
dem de Hollanda em frascos pequeos a 5oo a garrafa.
rs. o frasco,
dem de laranja a l.ooo o frasco.
Gomma do Aracaty a 80 rs. a libra.
Graxa a loo rs. a lata e 1,100 a duzia.
Linguas americanas de grande tamanho a
l.ooo cada urna.
Vinagre de Lisboa a 15600,158oo e 25000 a
caada.
dem idem.em garrafoes com 5 garrafas, por
15 com o garrafo.
Vinho de caj a 15 a garrafa. Este vinho
tem dez annos.
AIoi
lao da Baha
para saceos de issucar e r9upa de cscravo; tem
para vender Antonio Luiz d Oliveira Azevedo &
C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
AGENCIA
DA
r*ak
jr
\
PfcCHIlCHJL
Custodio, Carvallio & Compa-
nhla.
27Roa do Queimado27
Novas lazinbas escossezas multo lindas, fazenda
encornada, proprias para vestidos de senhora e
criancinhas, pelo barato precn de 2'tO rs. o covado.
Vende-se um sitio no melhor lugar da Ca-1
punga, ou permutase por um sobrado na cidade' j
anda que seja de maior val >r : (juem pretender
fazer este negocio, dirija-se ra do Vigariu n. 31.
VeHdem-s3 cinco acciies da companhia de
Beneribe : quern pretender,' iirija-se ra do Sol
uumero 37. 1
FNDIGO DE LOW-MOOL
Ra da Srnzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver.
um completo sortimento de moendas e meias
tioendas para engenho, machinas de vapor |
fi tai has de ferro batido e coado, de todos os'
'amadlos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C.,
"ua da Senzalla Nova n. 42.
Kua da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas d*
Ierro coado bbra a 110 rs., idem de Lo*
iJoor libra a!20rs.
.\o ariuazem de fazeudas bara-
tas de Mantos Coelho
RA DO QUEIMADO N. 19 VENDE-SE OSE-
CUNTE :
Esleir da Imlia
propria para forro de gala, de i, o e 6 palmos de
largura, por menos preco dg que em outra qual-
quer parte.
LciifPs
de panno de linbo pelo barato preco de 2,5000.
Lcnres
de bramante de linbo lino de um so panno, pelo
barato preco de 35000.
('.nlierlas de chita da India
pelo barato preco de 25OOO.
Uramaute de liuho
com dez palmos de largura, pelo baratissimo pre-
50 de ^iOO a vara.
Ilrelmlia de rolo
Pecas de bretanha de rolo, propria para saia,
cota 10 varas, pelo baratissimo preco do 35000.
Pecas do camliraia
adamascada com 20 varas, propria para cortinado
de cama, pelo baratissimo preco de IO5OOO.
Pecas de camliraia
de lpicos, com 8 1/2 varas, fazenda superior
pelo baratissimo preco de 45-
Fil liso lino
pelo barato preco de 680 rs. a vara.
Corles de calca
de ganga amarella de letras e de quadros, pelo ba-
ratissimo preco de 13200 o corte.
Toallias alcoclioadas
para maos, pelo baratissimo preco de 5'5 a duzia.
ttoalliado adamascado
proprlo para toallia de mesa, pelo baratissimo pre-
co de 5 a vara.
Lencos de eassa
brancos linos proprios para algibeira, pelo bara
tissimo preco de 25 e 2<5'iOO a duzia.
Vende-se urna rica secretaria com tonas as
commodidades, diversos repartimentos e gavetas ,'
para guardar papis, propria para escriptorio, o
melhor que tem apparecido neste mercado : a tra
tar na ra da Cadeia do Recife n. 64.
UHIAO
MERCANTIL
1*1)1 II V A1IKI t UO RECIFE IV. 53.
NOVO E
G-SAHDB iJtot&Btt DE MOLHADOS
Kll UA (MIIKI1 1IO KKtIFE %. 53.
Francisco Fernandes aarte acaba de abrir na ra da Cadeia do hecifen. li', um grande e sortido armazem de molhados de-
nominado Unio Mercantil, is'este grande armazem encontrar semp e o respeilavel publico uro completo sortimenlo dos melhores
gneros que vem ao mercado, lauto estrangeiros, como nacionaes, os quaes sero vendidos em porgues ou a realbo por precos asss
commodos.
Manteiga ingleza especialmer te escolhida Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Sardinhas deNantesa340 rs. oquartoe560
de primeira qnalidade a 800 rs. a libra, 1)5200 a caada. | rs. meia lala.
em barril se faz abatimentc Azeite doce retinado em garrafas brancas a Latas com peixe em posta : save!, corvina,
Manteiga franceza a mais superior do mer- 800 rs.
cado a St50 rs. a libra, e 2C rs. em barril Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
ou meio. < 4$800 a caada.
Prezuntos inglezes para fiambre, de superior Genebra de Hollanda a 500 rs. o frasco e
qualidade, chegados neste u timo vapor, a 5^800 a frasqueira.
vezugo, cherne, linguado, lagoslinba, a
1,J300 rs.
Salm3o em latas, preparado pela nova arte
'decczinha, a 800 rs.
Mata de tomates em latas de 1 libra a 600
720 rs. a libra. Caixipbas com ameixas francezas, ornadas res.
Queijos flamcngos chegados neste ultimo com ricas eslampas na caixa exterior, i Chouricas e paios em latas de 8 e meia libra
vapor a 2,5800.
Queijoprato muito fresco e rovo a 640rs.
a libra.
Castanhas muilo novas a 120 rs. a libra e
e 35000 a arroba.
Cha uxin o melhor que ha teste genero,
mandado vir de conla propria a 25800
rs. a libra.
Cha hyson muito superior a 25366 rs. a li-
bra: cha hyson proprio rara negocio a
10500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 2 a libra.
Biscoutos inglezes em latas con dilTerentes
qualidades, como sejam era'el, vieloria,
piquelez, soda, caplain, suri, bornez e
otrtras muitas marcas a 15 5lAa
Rolachinha de soda em latas granaos a 25.
Figos em caixinhas hermerwnente lacra-
das, muito proprias para ti no a 15500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de Igos de coma-
dre a 15c 25 cada una.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapora 50" rs. a libra e 35 umquarlo;
e em caixa se faz abatimemo.
Ameixas francezas em latas d( meia a 3 li-
!bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior qne
rso*,2eWo gie8' oSEw o*
muilo proprias para mimo, a 1520", 15300
e25-
Frasco de vidro com lampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
15200.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
vemos de Lisboa, em latas de I e meia a
2 libras a 600 rs a libra.
Finetas em calda das melhores qualidades
que ha em Portugal em talas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Avelas muilo novas a 200 rs a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
por 75.
Tundidlo de Lisboa a 3-20 rs. a libra e
85000 a arroba.
liulaxinha ingleza a 320 rs a libra e 45 a
barrica.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 200 rs. a libra.
Farinha do Maranho a 120 rs. a libra.
Ararula verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e ?5 a arroba.
Alpistaa 160 rs. a libra e 45?COa arroba
Batatas muito novas em gigos com 40 libras
por 15500.
Cebollas a 15 o molho com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 95 a arroba.
Macaas e peras chegadas neste ultimo vapor, <** do (erJnmuit0 s"perior a 280 rs' a li_
muito perfeitas, s vista se faz o preco. J?,ia,(' J>**y0 a arroba.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750; Cafe do, R'- ProPno Panra *0- a 8*:fi
rs. cada um. Arroz l() Maranho a 100 rs. a libra e 25800
9 orPftl 1 't
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de A|Toz 3 g() rs |bra e $400 a
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 15200 a libra.
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 95 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixo.
Vinho Bordeaux das oielhnres qualidades Genebra de laranja em frascos grandes a 19. yjacarrao, talliarim e aielria a Su rs. a i-
aue se pode desejar de 75300 a 85000 a Cerveja branca e preta das melhores marcas; bra em caixa ^ faz abatimento.
caixa e 720 a 800 rs. a garrifa. que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e j^hj,,,,,(Pevideearrozdemassa para sopa
Caixas com vinho do Porto suiierior de 95 o*8*1" f111213- onn a 600 rs. a libra e 35 a caixa enm 6 libras.
a 109 a duzia, e 900 a 15a carrafa; deste Cognac inglez de superior qualidade a 800 pa|jl0s de denle lixados c^ flor a ^QO rs.
genero ha grande porco e le differerrtes e 15200 a garrafa. j 0 nia;;j0, dilos lixados sem flor a 160 rs.
marcas acreditadas que j se vendern Licores francezes das seguintes qualidades :| oniasso com 20 massinhos.
por I4!e 155 a caixa, como sejam: Duque, Anizele de Bordeaux, Plaisir des Dames Gomma de engommar muito fina a80rs. a.
do Porlo, Lagrimas do botiro, D. Luiz,
Cames, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1883, Duque Genuino.
Vinio de pipa: Porlo, Figoeiri e Lisboa, a
400,48(1 e 560 rs. a garrafa, e 35, 35200
e 35300 a-canada.
Vinho branco de superior quaidade, viudo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
re. de barril.
e de outras muitas marcas a 15 a garrafa
e 105 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
95 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes,
a 15 cada um.
Sal refinado a 500 rs. o pole.
libra.
Banha lie porco refinada a 480 rs. a librae
400 ts. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, cm caixas inteiras ou em meias, de
15600, 25 e 35.
Presuntos do reino, vindos de conta propria
de caa particular, a 400 rs. a libra; iutei-
ro se faz abatimento.
Os senhores que compnirem de 1005000 para cima, teriio o descont de 5 por cento, pelo ptomplo pagamento.
CL^RIH
COIME

.*
M(D
RDA OO QUEDIA1IO IV. 45.
Pasando o beccx) 5a Congregarlo segunda casa
MGIgilElOI
NOF1DADE
Pereira Rocha & C. aeabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem dc molhadi s denominado Claiim Commr
onde o respeita\el publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
sero vendidos por presos muilo resumidos como o respeilavel publico veril pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bnm peso
e boa qualidade dos gneros con prados neste armazem.
Arroz do Maranho, da India (Java a 80 e Chouricas e paios muito novos
100 rs. a libra e 25400 a 2^00 rs. a ar-
roba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
15200 e 15600.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 4^600 rs. a ar-
roba.
Azeite doce francez muito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 610 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e nova; a 180 rs. a
libra.
Batatas muito novas a 40 rs.
Biscoutos inglezes de diversa; marcas a
L)300ris.
Bolachinhas de soda, latas gran les. a 25 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 35)00 a barri-
quinba e a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
eem barril a 4t0 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 15600, 25,
25500, 25800 e 35000 a libia.
dem prelo muito superior a 2.000 rs. a li-
bra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 55800 a duzia.
Cognac ingle/, lino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs
Charutos dos melhores fabricantes da Rahia
a 800 rs. a Palitos d 2 dentes a 120 rs.
libra. dem do. flor a 200 rs.
Cevadinha de Franca muito superior a 220 Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa.
rs. a libra. Passas muito povas a 480 rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra. Peras se cas muito novas a 600 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata. Paireo a 200 rs. a bra.
Idem seccas muito novas a 200 rs. alibra. Queijos llamengos do ultimo vapor a 25400
Figos de comadre e do Douro em caixinhas; ris.
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a dem pratoa 640 rs. a libra.
15800. 5S50O e 280 rs. a libra. Sardinhas de Nanles a 32" rs.
Farinha do Maranho a 120 rs. a libra. Sag muito alvo e novo a 200 rs. a libra.
Parklha de trigo a 120 rs. a lihw. i Tounnlio de Lisboa a 320 rs. a libra.
i Genebra de Hollanda verdadeira marca VD Tijolos de limpar facas a 140 is.
a 560 rs. o frasco e 65200 rs. afrasqtiei Vellas de carnauba una a 360 rs. a li-
ra, bra.
dem em garrafoes de 3 e 5 galoes a 55500 dem stearinas muito superiores a 600 rs. a'
e 75500 cada um com o garrafo.
Gomma do Arecaty a 80 rs. a libra.
Graixa a 100 rs. a lata e 15100 rs. a duzia.
Licores muito tinosa 700rs. a garrafa.
dem, qualidade especial e garrafas muito
grandes, a 15800rs. a garrafa,
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi
libra.
Vinho do Porlo engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, corno
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Maria Pia,
Bocago, Chamisso e outros a 800, 900 e
15000 a garrafa, e em caixa cura urna du-
zia a '5000 e 105000.
dro, a 15000 rs., s a garrafa vale o di- Idem em pipa) Porl0j Lsba e Figueira a
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de puuco a 800 rs a libra, e de 8
libras para cima se far urna dillerenca.
dem franceza muito nova a 560 rs. a libra,
e em barril lera abatimento.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a li-
bra.
dem em lata a 640 rs.
Marmclada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa a 60'* rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
e especialmente da fabrica imperial de Massa8 para sopa : macarro, talliarim e ale-
Candido Ferretra Jorge da Costa, a 15800, | tra a 4^0 rs
25000,25200, 25500, 25830, 35OOO e! ., ,en ...
35500 a caixa. Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Caf do Bio muito superior a 260, 280 e Mm em latas preparado pela primeira arte
300 rs. a libra e 75500, 85 ( 85500 rs. a de coztnha a 15 rs. a lata.
arroba. Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
480, 500 e 560 rs. a garrafa e35, 35500
e 45 a caada.
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 75000 e 75500 rr,
a duzia.
IdemMorgaux eChateauluminide 1854, a 15
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
15200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 15800 re.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porco de outros que deixaaus
de mencionar, e que tudo ser vendido poi
pecas e carnadas, tanto em porcoes como a
retalho.
Quem comprar de 1005000 para cima te-
r o abat de 5 por cento. x
i


na rio de Pernambnco liilnin letra i de Fer?reiro de 13 4.
ATTENCAO
9 I%Hf.lO 1H> CARlflO 9
GRANDE SORTIMENTO
COMO WITWCA
NO
ARMAZEM
DE
PARA A FESTA.
DARTE & C
Participan aos seos numerosos freguezes e ao publico em geral que acabam de
receber de sua propria encommenda, o mais lindo e completo sortimento de molhados,
os quaos vendem por grosso e a retalho por menos 10 por cento do que outro qualquer
annunciante, como verSo pela seguinte tabella que abaixo njtamos, garantindo os mes-
mos proprietarios nao S6 o peso como a qualidade de seus gneros.
AVISO.
Todos ossenhores que compraren para negocio ou casa particular de l(KW para
cima tero mais 5 a 10 por cento de abitimento, os proprietarios scientificam mais que
todos os seus queros sao recebidos de sua propria encommenda, razao esta para pode
veider por muito menos do que outro qualquer estabelecimento.
Manteiga ingleza flor a 8oo rs. a fibra. I Vellas de carnauba e composiciio de 32o a
Castanhas muito novas a 2,ooo rs. a caiva, e 36o rs. a libra e de 10,000 a ii.oeo rs. a
a 16o rs. a libra. arroba.
Baiinho francez p em caixinhas de 7c o a Genebra de Hollanda em botijas de conta a
1.5eo rs. cada urna. 4'0 rs. a botija, e em duzia ouenibarrica
dem franceza a mais aova do mercado a 56o! ter abatimcnto.
rs. a libra, e 54o rs. em barril.
dem de porco retinada muito alva 46o rs.
i l.bra.
Pre/.uito para fianbre a 8oo rs. a libra.
Cha uxim miudinbo vindo de conta propria,
o meliior do mercado a 2,8oo rs. a libra,
dem byson de superior qualidade a 2,6oc rs.
a libra.
M vn perola o raelhor que se pode desejar a
2,7oo rs. a libra,
dem preto muito fino a 2,5oo rs. a libra,
dem mais baixo poucoa 2,ooo rs. a libra.
dem mais baixo a l,8oo rs. a libra.
Vir lio do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado garante'-se a superioridade deste vi-
(e-
Massas para sopa macarrao, talharim e aletria
a 48o rs. a libra e em caixa ter ahati-
mento:
dem estrellinha, rodinha e pevide em caixi-
nhas de 8 libras, muito bem enfeitadas de
2.5oo a 3,8c* rs. a caixinha e a 6oo rs. a
libra.
I Boce de goiaba em caixas de diversos tama-
nhos de 6oo a i,ooo rs. o caixo
Sabao massa de 2oo a 24o rs. o melhor, em
caixa ter abatimiento.
dem hespanhol a 28o rs. a libra.
Peixe em latas muito novo ; savel, pescada,
corvina, salmlo e outras muitas qualidadcs
preparada de escabeche 2 a arte de cosi-
nha de l,208 a l,8oo rs. a lata.
u
lO LARGO HA PEWMA O
francisco Fernn des IMiarte dono deste muito creditado armazem
de molhados. acaba de receber neste ultimo vapor os mu desejados gneros escolhidos
por elle na Europa, todos muito proprios para a festa os quaes est resulvido a vender por
preces baratsimos como verao pela seguinte tabella, e mesmo pede a tudos os Srs. da
praca, de engenho e lavradores para que mandem suas relacoes para serem despachadas
no armazem do Progrc-sso do largo da Penha n. 10, afim de'verem t grande vantagem
que tiram, tanto na superioiidade dos gneros como nos precos asss resumidos,
os Srs. que nao poderem vir poiler.o mandar seus portadores ainda que nao tenham pra-
tica, que sero to bem servidos como se viessem pessoalniente.
O interesse que tira o proprietario deste acreditado armazem, j;i deve ser bem co-
nhecido pelos seus numerozos freguezes, pois simplesmenteconsiste en servir bem e ga-
nhar pouco, aiim de conseguir a continuaco daquellas pessoas, que a jirimeira vez se dig-
uarem honrar o seu estabelecimento.
Queijos flamengos chegados neste ultimo I Araruta verdadera a 32o rs. a libra.
vapor a 2,ooo rs. Farinha do Maranho miito alva e cheirosa
dem do vapor passado a l,8oo rs. a 12o rs. a libra,
dem prato muito novos e de superior qua-1 Sag muito novo 24o r;. a libra.
a 4oo rs. inleiro, e a 5oo rs. a
fino em caixes rom 2 s
idadc
hbra.
Doce de goiaba
libras por 6oo rs.
dem mais baixo a 54o rs.
Manteiga ingleza flor a mais superior do
mercado a 72o rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 2oo rs. a libra
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
Cominhos, ervadoce e pimenta do reino a
-*>< rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 5,5oo rs. a frasquei-
ra com 12 frascos, e i retalho a 5oo rs.
cada um.
imo, das seguinte, marcas : Duque, (.e-pigos em caixas de 1 arroba, "je 8 libras
muo, velho secco. especial lagrimas do- a 8i000 4>000 e 2,00o rs. a caixinha.
fe de 1819, ytnho-espectal D. Pedro V., Barris de vinho branco de quinto, marca B
, vmhovelno, Nctar superior de 1833,1)u-, 4 Filho a 60,ooo rs o barril.
que do Porto de 1834, vinho do Porto ve- Marmelada imperial dos m-Inores conservei-
ho superior, madeira secca de superior ros de Lisboa a 6io rs. al.Unhade 1 libra,
q laudado, vmho de Porto superior D Lu- na |ataS de \ i s e 2 libras
1 0del8i7, lagrimas do Douro espe- Massa de tomate em latas douradas de 1 libra
CMU, vinho do Porto de l,oooa l,2oo rs. I a tj40 rs. a lata.
a garrafa e de le.ooo a 14,ooo rs. a caixa Ameixas francezas em caixinhas elegante-
nra lima dnzia. monte enfeitadas de l,5oo
Boiachinha de soda e.special encommenda e a caixinha. tambem ha latas de
ni os nova que ha no mercado a 2,2oo rs;. a oras de {y<00 a 4)5oo rs a ,ata
dem em frascos oom tampa de rosca a l,6oo
dem de segunda qualidade a 64o rs. a libra. dem em botija hamburgueza a 4oo rs.
Manteiga franceza de primeira qualidade a Genebra de laranja a l.ooors. os frascos
56o rs. a libra, e 52o rs. em barris ou grandes.
meios. Vinho de caj o melhor que ha no mercado
Cha perola neste genero nao ha nada a de- a l.ooo rs. a garrafa.
sejar, e de especial qualidade, mandado Palitos do gaz a 2,3oo n. a groza e 2o rs.
vir de conta propria a 2,8oo rs. a libra. a caixinha.
dem huxiin o melhor do mercado a 2,6oo dem de dentes lixados a 16o rs. o maco com
re. a libra. 2o macinhos.
dem de segunda qualidade a 2,ooo rs. a Ervilhas seccas drogadas neste ultimo navio
libra. a 16o rs. a libra, e em porco se faz aba-
Idem hysson muito superior a 2,5oo rs. a li- timento.
bra. Banha de porco refinada ; 48o rs. a libra e
dem preto hemeopathico muito fino a 2,ooo 42o rs. em barril.
rs. a libra. | Vinho branco de superior qualidade proprio
Bolachinha de soda drogada neste ultimo para missa a 64o re. a garrafa.
navio a 1,33o rs. a lata, deste genero ha Ameixas francezas em caixinhas elegante-
grande porco e de difl'erentes marcas.' mente enfeitadas com ricas estampas a
que se vendem todas pele mesmo preco a l,2oo, l,5oo e 2,ooo rs. cada urna.
vontade dos compradores. dem francezas em frasco le vidro com tam-
Iem em latas grandes a 2,ooo rs. pa do mesmo contendo 1 '/libra a l,2oo
dem propria para lanche em latas grandes' rs. so o frasco val quase o dinheiro.
a i,9oo rs. dem em latas de 2 lilras porl,4oors.
Marmelada imperial dos melhores fabrican- a retalho, e a 8oo rs. a libra.
tes de Lisboa a 64o rs. a libra. Figos de comadre muito novos em bahuzi-
Frutas em calda em latas de l.ooo a ooo rs.,: nhosmuito proprio.* para mimo al ,28o rs.
neste genero ha diversas qualidades a es- dem em caixas para retalho a 16o rs. a
colher. libra.
Champanha superior das marcas mais acre- Passas de carnada a 48o rs. a libra e em
ditadas a I,ooo rs. a garrafa e 15,ooo rs.
o gigo.
Serveja das melhores marcas que vem ao
mercado a 5oo rs.
a duzia
a garrafa e a 5,ooo rs.
quarto com 8 libras po 2,5oo rs.
Bolauohas inglezas de superior qualidade a
2,ooo rs. a barrica, e a 2oo rs. a libra.
Chocolate francez o melhor que se pode de-
sejar neste genero a l.ooo rs. a libra,
a 3,ooo rs. a'dem preta superior a 56o rs. a garrafa e a Macas para sopa estrelinlu, pevide, arroz de
e ^ '/i a 6 li- 5,4oo rs. a duzia. maca a 48o rs. a libra, e em caixa a 2,ooo
Vinho Bordeaux de difl'erentes marcas, e as | rs. cada urna, rnacarra), talhetim, eale-
melhores do mercado a 7,ooo, 7,5ooe' tria a 4oo rs. a libra.
'm rs. o frasco. 8,ooo a caixa com urna duzia, e em gar- Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e! rafas a 64o, 7oo e 8oo rs., garante-se a Avelans muito novas a 2oo rs. a libra.
Ide-ningiezescraknelemlatasdeSe 7 libras suisso a l,2oo rs. a libra, boa qualidade. Ervilhas francezas inuifc novas em latas
de 5,000 a o.ooo rs. a lata, e em libn a Conservas inglezas das seguinu-s marcase dem Figueira de superior qualidade a 48o: grandes a 6io rs.
rs- .. Mixde-Picles e cebollas simples a 75o rs rs. a garrafa e 3.5oo rs. a caada. i dem em ditas pequeas a ioo rs.
Qoeijo do reino chegados pelo ultimo vapor 0 frasco. i I(lem de Lisboa a 28oo rs< a canada e 4oo Maca d3 tomate em )atas de e 2 ,ibras a
Biscoitos inglezes das melhores mircas
latuihasde 2 libras a l,3oo rs. a lata.
K
a 00,000 rs., e
de
a 2,5oo rs. cada um. I Ancoretas de vinho colares
dem prato a 7oo rs. a libra. a 7() rs a (rarraf
Vinho em pipa das mais acreditadas maroas' Sardinhas de Nantes a 32o rs. a latinha.
como sejamBA F., PRR, JAA, out-as Charutos das mais acreditadas marcas
muitas manas. Porto, Lisboa e Figueira ; 2.5oo a 4,ooo rs. a caixa.
de 18o, 5oo, 56o, 64oe8oo, rs., e o do Champagnhe a melhor do mercado de 12,ooo
Porto fino em garrafa, e em cunada a a24,ooors. o gigo, e de 1,2oo a i.ooors. a
3,ooo, 3,ooo, 4.000 e 6,5oo rs. o melhor garrafa.
Porto. Papel greve pautado ou liso a 3,506 rs. a res-
Idem Bordoanx das mais acreditadas mar-as ,, 'An
a 7oo rs. a garrafa, e a 8,ooo rs. a cai:ca. I(,e de J630 '):,u fdo ou l,z0 dc 3'5o a
ifoes com agamias de superior vinho rl!or!,,-?ie:nM" 0
do Pnrto a i.,o rs. com o garrafao. gnmma, m",l a v;' a a llhra-
dem con. 5 garrafa de vinho da Figueira mais M!lhhr!l alPlsta e I)amso de 1(, a 2o rs" a h'
proprio para a nossaestaco por ser mais
fresco a 2,4oo rs. com o garrafao.
yem com o garrafas de vinagre a l,2oo rs.
" eom o garrafao.
Vinho branco o mais superior que vem ao
-i) mercado a 56ors. agarrafa, e a
i.3oo rs. a canada.
as de esparmacate as melhores neste pe-
ero de 56o a 64o r>. o maco, e em cu-
xa ter grande ^batimento por bavw
grande porco.
Azeite doice embarni muito fino a 64o -s.
a garrafa e 4,Koo :i caada.
dem francez relioulo a 8oo rs. a garrafa.
jvil'i.is francezas e purtuguezas a 64o rs. a
lata.
eom 'I es scc is de Lisboa de 3x>
a tJSoo rs. cada urna.
roudnho deLisboa a 3oo rs. a libra, e a
i ioo as. a arroba.
W.es muito novas a 16o rs. a libra e 4,8oo
rs. a arroba.
;afe de 1.', 2.a e 3.1 qualidade de 26o, 3oo
e 36o rs. a libra, do Cear de 7,8oo, 8,6od,
e 9.2oo rs. a arroba do melhor.
. ro.: da India, Java Maranho de 2.8oo a
3,ooo 3 arroba, ede8oaloors. a libra.
saf m lito novas a 8,5oo a caixa e 5oo
a libra, ha caixas meias e quartos.
Franca a 24o rs. a libra,
'ag muito novo a 28o rs. a libra.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2oo rs. a
duzia.
cada um.
Vinagre de Lisboa de superior qualidade a
2oo rs. a garrafa e I,00 rs. a canada.
Vasos inglezes de4 a 16libras vanos, muito! Azeite doce refinado em garrafas grandes a
proprio para deposito de doce manteiga 8oo rs.
ou outro qualquer liquido de 1 ,ooo a dem de Lisboa
rs. a garrafa. 1 64o rs.
dem do Porto de superior qualidade para Salmo em latas le 1 I bra a 8oo rs.
mesa a 560 rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a ca- Lagostinho em latas gram'es a l,4oo rs. ca-
nada. da ma.
dem tino do Alto Douro da colheita de 1833, Sardinhas de Nantes a 36) rs. a lata,
como sejam: D. Luiz. Feitoria velho, Nec-, Cognhac inglez a 8oo rs. ; garrafa.
\ir, Carcavellos e Cames em caixa de ] Licor francez das melhores marcas do mer
urna du/ia a !),o"oo rs. cado a 8oo rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto Batatas drogadas neste ultimo navio em cai-
a l.ooo rs. a garrafa e lo,ooo rs. a caixa. xa com duas arrobas por f ,6oc rs., e 4o
Duque do Porto, Madeira secco, duque ge- j rs. a libra.
nuino, lagrimas doces a Ooo rs. a garra- Concervas inglezas a 7oo rs. o frasco,
fa e 9,5oo rs. a duzia. i Sal refinado em potes a 5oo rs. cada um.
Garraloes com vinho do Porto a 2,2oo rs. IMostarda ingle a a I,ooo n. o frasco.
dem francesa a 4oo rs. o lite.
Mdho alpista a 16o rs. a I bra e 4,8oo rs. a
arroba.'
3,ooo rs. cada um.
Licores das melhores marcas e mais finos
a 1 ,ooo rs. a garrafa e em caixa ter abati-
mento.
Cognac venladeiro inglez a 9oo rs. a garran I
e lo,5oo rs. a caixa.
Chouricas as mais frescas do mercado a 8oo
rs a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a
1 .ooo rs. o frasco.
Serveja das mais acreditadas marcas de i
a 64o rs. a garrafa, e em
canada a 4,8oo rs.
Presuntos inglezes para fiambre a 7oo rs. a
libra,
dem de lamego encommenda particular a
48o re. a libra, e inteiro se faz abatimento.
Toucinho do reino o melhor do Bureado a
320 rs. a libra, e em arroba a 9,ooo rs.
Velas de espermacete de 4, 5, e 6 por libra
a 560 rs., e em caixa se faz abatimento. i
dem de carnauba refinada a 32o rs. a libra
e 9,ooo rs. a arroba.
Graixa muito nova em la!as grandes a 120
ris.
Latas com peixe em pos a ermelicamente
lacradas das melhores cualidades de pei-
xe que ha em Portugal a l,2oors.
Caf lavado de Ia qualidace a 32o rs., dito
de 2a a 28o rs. a libra t 8.2oo rs a arro-
ba dito ile 3a a 26o rs. a libra e 7,8oo
rs. arroba.
Charutos suspiros dos melhores fabricantes
de S. Eelix a 2,5oo rs. :i caixa com loo
charutos.
Mem linos de diversos fabricantes a l,6oo.
1,8oo e 2,ooo rs. a caix; com loo charu-
5,900 a 6,500 a duzia e de mais a 5oo rs. dem de carnauba pura do Aracaty a 4oo rs. tos,' Jo prefco nao indica a boa qualidade
agarrafa. a libra e lo.Soo rs. a arroba. porm deem-se ao trabalho de virem ou
dem em botijas e meias, sendo preta da comma muito fina e alva a 8o rs. a libra. mandarem e verao a re; lidade.
muito creditada marca T de 6.5oo a 7,8oo
rs. a duzia.
Ceblas em molhos grandes a 8oo o molho
640 o cento. e. a 6,5oo rs. a caixa
Pimenta do reino a 34o rs. a libra.
Farinha do MarauhSo a 14o rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 16o rs. cada um.
Cominho a 4oo rs. a libra.
Erva doce a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Batatas a l.ooo rs. o gigo com 32 libras liqui-
das e 3,ooo rs. a caixa de duas arrobas.

\
is
33RA DO IMPERADOR38
^N
Hn
^'
Agua
mito recoinmeudada na; aftecedes
l-
u a ii r n I de C'ondilae.
POR MENOS DE HEZ POR EMO
NO
ATTENCAO
AOS
PROGRESSISTA
RITA HAS CRUZES M. 3G
RA DO CRESPO N. 9
No balrro de *anfo Antonio.
loa|i ni g.isc bornes de Woiuza tem a honra de participar ao respei-
generos de primeira qualidade por meno*
tavel publico, que tem resolvido ve,nder os seu?
10 a (i por cento do que outro qualquer annunciar, como se v do presente'annuncio.
assewrando o proprietario d'estes armazens a aquellas pessoas que frequentarem estes
estabelecimentos, que nunca tero occasio de reclamar qualquer genero, visto ter-s-
adoptado n estas casas o ptimo syslema de s se negociar com gneros especialmente es-
CHA
hysson, uxim e perola a 2.400, 2,600 o
2,800 rs. a libra.
CAF
muito superior, do Bio e do Cear a 8,000
e 8,400 a araoba e 300 rs. a libra.
4
VINHO
de Lisboa e da Figueira a 3,500 e 4,000 a
a caada,
do Porto engarrafado de diversas marcas a
1.000 re. agarrafa.
Bordeaux de diversas qualidades a 7,000,
8,000, 9,000 e m a duzia.
CMAMPANHE
a melhor que temos neste mercado a 20.000
rs. o gigo.
CEBVEJA
mudlziT.penora:i,im':i:m'',i,00rs,a *Bahia
GE.NKBBA
de Hollanda em frasqueiras a 5,500 e 500 milit0 novo ., 9(m rs a arr(|ba e m K a
rs. o Ira^^o. jj^
I>OLA(,WNHA l KV'il li < cprric
de soda em latas grandes a 2.000 rs. cada as mais nova; do rorcado a 120 rs. a Kbra.
PALITOS PABA MESA
muito bem feitos a 160 rs. o maro.
BISCOUTOS VINAGRE
era latas de todas as qualidades. a 1,300 rs. de Lisboa PBB a 240 rs. a garrafa e 1.600
rs. a caada.
AMENDOAS DE CASCA
CONSEBVAS
inglezas a 8,500 a duzia e 760 rs. o frasco.
SAL REFINADO
em frascos de vidro com tres libras a 600 rs.
PEIXE
era latas ermeticamente lacradas a 1,000
rs. cada urna.
POBVOS
do Porto muito bem conservados a 500 rs.
a libra.
MISTARDA
preparada muito nova a 400 rs. o frasco.
MARMELADA
dos melhores conserveiros a 640 rs. a libra.
ESPERMACETE
muito superior a 560 rs. a libra, e em caixa
a 550 rs.
CHARUTOS
3,600 e 4,000 rs.
a caixa.
TOUCINHO
urna,
inglezas
libra.
em barricas a 4,000 e 240 rs. a
cada lata.
ARHOZ
da India e do MaraahiQ a 2.600 e 8.O0O a
arroba e 100 rs. a libra.
CEVADA
muito nova a 2,500 a arroba e 100 rs. a
libra.
QUEIJOS FLAMENCOS
viudos no ultimo vapor, sempre por menos
100 rs. do que outro annunciai.
GOMA.
muito superior em saceos com quatro arro-
bas a 2,000 e lOOrs. a libra.
CASTANHAS
muito novas a 320 rs. a libra.
PASSAS
as mais novas do mercado a 8,000 a caixa e
e 906rs, a libra.
AMEIXAS
taWQBUi em latas de 1 e 1|2 libra a 1,000
rs. a libra.
SARDINHAS
de Nantes muito novas i 300 rs. a lata.
piladas
as mais novas do mercado a 240 rs. a libra.
FARINHA DE AKARUTA
vi idadeira e muito nova a 400 rs. a libra e
lo.OOOrs. a arroba.
ERVA DOCE
miito nova a 300 rs. a libra e 9.000 r.v i
arroba.
COMINHOS
os mais novos e mais superiores a 406 rs. a
libra.
NOZES
muito novas a 160 a libia e 5,000 rs. a ar-
roba.
SAG
o melhor que pode ha ver neste genero a
-.! A) rs. a libra.
MASSA DE TOMATE
em latinhas de 1 libra por 600 rs. a lata.
SARAO MASSA
ne mento variando o preco de 120 a 240 rs.
por libra.
UIAIS ATTEH^AO !
Existe alera d'estes gneros, um explendido sortimento de phosphoros. fumo, al-
pista. peras em calda e seccas. figos, copos finos para agua, massas para sopa, azeite. ca-
nella, pimenta, velas de carnauba, banha de porco. papel, e outros muitos gneros, de es-
tiva, que todos sero vendidos por mdicos preps.
leudo o proprietario dos armazeus do progressista deliberado nao concordar
cora a liga da Uniao Cominercial. Clarim, Allianca, etc., etc.. eto.. declara que s con-
corda em alliar-se aos seos fregueses, fazendo cora estes urna liga de mteresses le.-ipron...
tendo os seus adiados a faculdade de compraren por precos muito em conta o bom fiam-
bre, o fonnidavel uueijo e a saborosa bolachinha de sola, que fazem urna boa allianca
com a superior champanhe e o porto fino, nicos que sabem imitar a umfio destes ar-
mazens rom os seus concurrentes. Vinde, senhores, ais armazens. aonde podis dYn-
tre um muito explendido sortimento de saborosos alimentos, escomerdes os que mai-
vos apetecer, certos de que nunca terete occasilo de arrepender-vos de gastar o msso
dinheiro uestes estabelecimentos.
ia
LOJA DO BEIJA FLOR.
Meias ernas para hornero.
Vendem-se mi;ias cruas para homein a 25 a du-
Papt'l de dixrsas ipialiilades.
Vende-se papel amizadc a 640 e 700 rs.. dito d.'
core* a 600 rs., dito adamascado a 15. dito branco
i a 900 rs.. dito beira donrada a 14200 : na ra do
lia : na ra do Queimado,' loja dobuija-flor nume- Queimado. loja do beija-flor n. 63.
ru 63- Peales travessus para meninas
Meias para senhora. Vcndcm-se paMM travessos de borracha para
Vendern-se meia.- para senhora a 35200, 45 e nieniua a 400e 500 rs.: na ra do Queimado, loja
na ra do Queimado, loja do bei-
;5500a duzia
ja-llor n. 63.
Tranrinha para enfeiles.
Vende-se trancinlia para enfeiles de vestidos ou i tP tambera wrvem
roupa de meninos, que tambem serve para enfeitar 1400 rs. a abatoadura
do bi ja-flor n. 63.
Botses de mailreprrola.
Vendem-se liotes de madrejierola para rollete,
para casaros de senhora a
s quem vende por esie
camisinha de senhora ; vunde-se tranca branca i drecc na ra do Queimado, loja do beija-flor nu-
com 40 varas a 800 rs. a peca, eom 20 varas a 500 mero 63.
rs.. com 10 varas i M6 rs. : s quem tem na Luvas de Jiro>in.
loja da beija-flor da raa do Queimado n. 63. Vendem-se luvas de Jouvin para homem e w-
Tesouras tinas para uuha e costura. : nhora, chegadas no ultimo vapor : na ra do
Vendem-se tesouras linas para unha e costura a i Queimado. loja do beija-flor n. 63.
400. 500 e 640 rs., ditas para cosiura a 500 rs.
na ra do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
lamu para denles.
Vendem-se escovaa para denles muito finas a
130, 240, e 500 is. : na ra do Queimao. loja do
beija-flor n. 63.
Calxfanas rom pampas
4o II. Z9.
Nova loja dos baralciros na na do Queimado.
Ricas saias de fusilo I 55, 'amisas Inglezas para
.-enlioia a 25. 25500. 35 e 45, coln-rlas de fuslao
brancas a .'5. Chitas eom lustro para cobert com
6 palmo de largura a 640 o covado. eambraia de
CONSERV
DE
Vinho das melhores marcas.
do tubo pasiro-intestinal, nos dosrins, e bexica ourinaria, pelas
tas propried.des alcalinas, e acido rarbonict que naun almenie conlm em suspensao, de preco
ommod i que i agua de Vichy, e de propriedailes talvez supeiiores pela grande quantidade de Manteiga ingleza flor.
Fbtmko. /i/Vcciifl lirn, agua de l Chuten, cupahiba de Mege, injecqao Fugas w, riiiiU) rerommendada uas gonorrbeas. Lt rroi/ francez verdadeiro ; na mesma casa tem jianha de porro refinada.
is caixas de instrumentos eirurgicos pan operaces de Matieu e Charriere.
lOAQUIM SIJflAO WOS A^.TO^
23-Largo do Terco-23.
O proprietario deste armazam de rnolhndos vende os seos ja bem conhecide s gneros de pri-
meira qualidade por menos de dez por cento do que em oulra qualquer parle, sar.mtindo-si a supe-
rior qualidade.
Vose diz o pret.o para lieesMfltar.
Vende-se
te da Su ra no acmaz-m da
ida secretiria de polica.
bola amnrella oi-
Vonde-se a taberna da ra da Soledad* n. >'.
|ir i |iara i pessoarpie quizerse estalieticei' p< i
r |i ocos .eii.-ro<. d-se a armaeao mais em con-
i por querer o dono ir tratar do' sua saude.
Cal de Lisboa c potassa da
Rnssla.
Vende-se na ra daCadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o antgo e acreditado deposito da
mesma ra n. 12, ambos os gneros sao novns e
togitimos, e se vendem a preco mai> barato do que
otra qualquer parte.
Vellas de spermaeete.
Mem de carnauba.
Caf bom do Rio.
dem superior do Cear
Toucinho de Lisboa.
Ola de diversa* qualidades.
Queijos novos lo vapor.
Milho alpista liini'o.
Gomma deeugommar alva.
Sabao de diveisas qualidades
Chouricas muitonocas.
Arroz de livorsoa grecos.
Ser/eja das maranros marcas
Sardinhas de {taitas novas.
Onebra de laranja sonerior.
tdeiu do Hollanda marea dallo.
Phosphoros do gaz.
Itolaclimha ingleza em barricas.
Passas milito nova-..
Figos de primeira qualidade.
Ri-contos e hnlarliinlias de sod;
Clianitos de diversas qualidade-
Vendem-se caixinhas de grampas a 40 rs. : na cor,>s para vestido a 32o o covado. hlas para ve-'i-
do a 480, 560 e 640 o covado.
A n. 2H.
Nova loja dos harateiros na na do Qneimado.
Tarlatanas de todas as cores, fazenda muito fina
a 720 a vara, eambraia para cortinado, paoa de 22
varas, por 105. chales de la por 35, 45. 55 e 85.
camisas inglezas para homem a 385, 305 e 605.
40 n. 29.
Nota loja dos harateiros na na do Queimado.
lieos pretos, franjas de todas as qualidad>->.
trancas de seda, de algodao e de laa. manguitos r
camfsinhas bordadas, collarinho- o ponto**, Mhos
bordados, boloes de velludo, de seda e de fuslao,
bandos de cabello, meias de seda, loques; cujos
ertigo.: se vendem por metade do sen valor por ser
para acabar.
ra do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Colarinhos para bomrm.
Vendem-se colarinhos de linho para hemem, de
diversos gostos, a 560 e 8t0 rs. na ra do Quei-
mado, loja do beija-ll ir n. CI!.
CravatM pata senhora.
Vendem-se grvalas para senhora. de diversas
cores, a 500 rs., 800 e 15 : na ra do Queimado.
loja do beija-tlor n. 63.
lilas para ilclirutn de vestidos.
Vendem-se litas para debrum de vestido de la
pretas bordadas.com 10 varas, a 15100. dita de
seda preta a 13200. dita de cor adamascada a
15200, dita branca de laa com 11 varas a 400 rs. :
na ra do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Bolees de pnnlio para manpulos de senhora.
Vendem--e boles de punho para manguitos de
senhora, de diversos gostos, a 200 rs. o par : na
ra do Queimado. loja do beija-flor n. 63.
Facas e ipirfos.
Vendem-se facas e garios oitavados a 25H00,
ditascravadas a 3,3. ditas de cabos pretos a 35200, np ijirei'O BIiIS COUllIIOiio lio OC f
ditas de cabos de bataneo com 2 boloes para mesa i j r.
a 65200a duzia : na na do Ooeimado. loja do HUallJIer Mira paite na NI* da l*
Alm dos generes annanciados rsistem outros nviit"= que enfadonho menr ona-los. v dinhei-
ro contado
Queimado. loja
leija-flor n. 63.
I.a para bordar
Vende-so la para bordar, de diversas cores, as
mais lindas que se pode encontrar, a 65500 : s
quem vende por este preco na loja do beija-flor
da ra do Queimado n 63.
FARINHA FONTANA.
Farinha Ptntu aeseabtrta4a hoje, vendo-se
n. 4 casa dc !\. 0. Biclier & C. succcn-
sores.
\ende-se urna estira va de narao. moca, pro-
pria para servien di cata de familia : a tratar na
ra da Cadeia n. .V>, terreiro andar.

-


[.
i
N-

r
.s
?
UNIAO
COMMERCIO.
Defronte da loja do Pregulea.
DITARTE. ALMEIDA
acata de abrir o seu grande e sortido armazem de molhados denominado Unio e Com-
mercxo. Este grande armazem um dos mais bem montados que temos em nossa praca,
nao s em limpeza e aceio, como as qualidade especiaes deseus gneros. 0 proprie
ario do Umao e Commercio offerece todos os senhores da praca, senhores de engenho
e lavradores a seguinte tabella, por onde verlo a grande economa que lhe resulta em
comprarem em to til estabelecimento, afiancmdo o mesmo todo e qualquer genero
cabido de seu armazem.
Diarlo de Pernamhneo quinta lelra 18 de Feverelro de Ififlj.
ALLIANCA
grande
57 RA DO IMPERADOR 57
Na bem conherida loja que foi do Sr. Flix alfaiate.
m mnmm
Duartc & C, vendcm em seus armazens Unio e Gemmercio e
EJgSj go do Carnio n. 9, armazem progressivo, os scguintes gneros desembarca- &
;-*5 dos ltimamente. W/t:
Erva-doce a 5oo rs. a libra.
Champanha de 20 a 22,ooo o gigo.
Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza e 2o rs. a
ciixinha.
Mili 11 alpista a 16o rs. a libra.
Continuo muito novo a 4oo rs. a libra, e
comprando de 8 libres para cima a 32o rs.
BoLinho francez ;m latas e caixinhas asmis
delicadas que tem vindo M nosso merca-
do de 7oo a 2,5oo rs. a caixinha.
Maiiteiga ingleza perfeitamenle flor, mandada
\\r de conta propria, a 7oo a 8oo rs, a
Ibra.
dem franceza cbegada pelo ultimo navio a'
56o rs. a libra, e em barril ter abatimen- Gomma muito alva para engommar a 8o rs.
D. a libra, e em arroba se far abatimento,
dem ingleza em potes de 4 a 16 libras a | Sa8" muito novo a 28o rs. a libra.
8oo rs, a libra e o pote separado, i &&* verdadeiro hespanhol, que raras vezes
CU uxim o mebor neste genero, mandado v< ao nosso mercado a 28o rs. a libra
vir de conta propria a 2,8oo rs, a libra. Vinho brancoo melbor neste genero a 8oo rs
dem hysson, grande, muito bom a 2,6oo rs. a garrafe e 4,3oo rs. a caada.
a libra. ldei11 Bordeaux de differentes marcas, garan-
Idem preto muito fino, a 2,(>oo rs, a libra. ^-se a qualidade, a 8.000 rs. a caixa com
dem preto, mais baixo, a 2.000 rs, a libra. u duze, e a 7oo rs. a garrafa.
Ideci, verde, miudinbo, maisproprio para Garrafes com 5 garrafas de vinho do Porte
n.igocio, a l,5oo rs, a libra. d'>Alt0 >ro a 2,2oo rs. com o garraflo.
Banlia de porco refinada muito alva a 46o Wern n 5 garrafas de vinho Figucira, mais
rs, a libra, e em barril se far abatimento. proprio para a nossa estacao por ser mais
Biscoitos ingleses das seguintes marcas; fresco a 2,4oo rs. com o garrafo.
Craknel, Soda, Geede, Captain, Travellies. WeniwmS garrafas de vinagre a l,2oo rs.
Lunch, Gabin, e outras militas marcas, a
l,4oo rs, a lata.
Paulo Ferrcira da Uva propietario deste novo estabelecimento, tendoi!| n'''?*' om m
chegado da Europa, aonde escomen um grande e \ariado sortimento de molhidos, tem w IS .5.
1 honra de os expor ao respeitavel publico desta cidade pelos mais resumidos precos.
Em tao ptima occasio, por estarmos prestes a festa de Natal, o propr etario' do
grande armazem Allianca olTerece aos seus amigos e freguezes que o conbecim desde
quando foi socio dos armazcns Progressivo e Progressista as maiores vantagens em com-
prarem em seu armazem.
Hoje de novo estabelecido mais precisa da concurrencia de todos estes senhores
ao seu estabelecimento. certos de que esta casa jamis deixarlo de ser cumpridas as
grandes vantagens por ella offerecidas.
Uaces de 4o a 16u rs. cada urna.
Manteiga ingleza a mais superior neste ge-
nero a 800 rs. a libra, comprando de 8
libras para cima a 72o rs., esta a mais
superior que pode haver, tambem ha mais I dem muito superior a l.ooo rs.
baixas para menos pircos. Caf a 28o e 32o rs. a libra, e
dem franceza muito nova a ."ido rs. a libra
e 54o rs. em barris ou meios.
Peas seccas muito novas a 48o rs. a libra.
Cha perola de especial qualidade a 2,8oo rs.
Bolachinlia de soda e lunch em latas grandes
a 2,ooo rs. cada lata.
Cognac de superior qualidade a 800 rs. a gar-
rafa.
1 garrafa.
8,000 e
9,ooo rs. a arroba.
Cerveja das melhores marcas do n >sso mer-
a 6,000 rs. a duzia, e 5oo
Bolachinha de sodo, especial encommenda, a
2,2oo rs, a lata.
Biscoito inglez Craknel em latas de 5, 7 e 15
libtas a 5,000 e 6,000 rs, e de l,2oo a
800 rs, a libra.
Queijos do reino pelo baratsimo pre^ de
l,6oo, 1 8ob e 3,ooo rs,, os do ultimo
vapor,
dem prato muito fresco a 64o rs, a libra,
dem londrino muito fresco a 800 rs, a libra.
Vinhos em pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
48o, 56o, e 64o rs, a garrafa, e de 3,ooo a
4,5oo rs, a caada.
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa em latas de 1 e mais libras
a 700 rs, a libra.
Peras secaas em caixinhas de 4,ooo a 2,ooo
rs. cada urna.
Figos em caixinhas de 1 V* arroba e de 8 li-
bras a 8,000,4,000, e 2,000 rs, e a 3oo rs
a libra, taambem ha serinbas para raen
nos a 60 rs. cada urna.
Amendoas de caso mole a 3<5o rs, a libra, e
em arroba ten* a batimento.
Sardinhas de Nantes a 32o rs, a latinha.
Toucinho de Lisboa muito nevo a 3oo rs, a
libra e em arroba a 9,ooo rs.
Massa de tomates a 64o rs, a libra.
Pimenta do reino a 34o rs, a libra.
Farinha do Maranho a 14o rs, a libra.
Ceblas a 800 rs. o molho, 64o rs. o cento
ft6,5ofl l caixa.
Tijollo para Impar facas a 16o rs,
Cerveja das mais acreditadas marcas de 0,000
a 7,5oo a duzia, e de 5oo a 6eo rs, a gar-
rafa,
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 800 rs. a libra,
Genebra de laranja a 1,003 rs, o frasco,
Chouricas as mais frescas do mercado a 800
rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa,
e lo,5oo rs. a caixa com urna duzia.
Licores francezes e portuguezes de todas as
marcas de lo.ooo a 10,000 rs. a duzia.
Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a 8,5oo
rs. a caixa. Ha caixas, meias e quartos.
Batatas a l,ooors. o gigo com 38 libras e
2,oe a caixa com dras arrobas cadauma.
Bocetas com doces seceos de 3,ooo a 3,5oo
rs. cada urna.
Bolachinha ingleza a 32o rs. a libra,
Azeite francez e portuguez refinado a 800 rs.
a garrafa, e9,ooo rs. a caixa com urna du-
zia.
Conservas inglezas das seguintes marcas:
Mixed, Pickes, e ceblas simples 800
rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo
rs. o pote.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra e 4,8oo
rs. a arroba,
Vasos inglezes vastos de .4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de manteiga, doce,
e outro qualquer liquido, de 1,000 a 3,ooo
rs, caua um,
o garraflo,
Sabio massa de superior qualidade a 18o,
2 Graixa em latas muita nova a 12o rs. a lati-
nha, e l,3oo rs. a duzia.
Peix) em latos muito novo : savel, pescada,
curvin, salmo e outras minias qualidades
preparados de escabexe, segundo a arte de
cozinha, de l,2ooa 2,ooe rs. a lata.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado e t scolhido pessoalmente por um
dos socios que se acha em Portugal, das
seguintes marcas : Duque, Genuino, Vo-
ltio secco especial. Lagrimas Doces de
1819, Yinho especial D. Pedro V, vinho
velho. Nctar superior de 1833, Duque do
Porto de 1834, vinho do Porto velho su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior D. Lhz I
de 1847, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porto, de l.ooo a 1 2oo rs. a gar-
rafa e de lo.ooo a 12,ooo rs. a caixa com
urna duzia.
Vassouras americanas a 800 rs. cada urna.
Velas de spermacete as melhores que ha no
mercado a 56o e 64o rs. e masso, e em
cixa se far um grande abatimento,
dem de carnauba e composico, de 4oo a
3'iors. a libra, e de 10,000 rs, a ll,5oo
rs. a arroba,
Caf de 1 e 2 sorte de 8,3oo a 8,600 rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
II or,
Arroz da India, Maranho e Carolina a 3,ooo,
2,8eo e 2,4oo rs. a arroba e a loo rs. a
libra.
Frasqueira de genebra a 5,8oo rs. e a 5oo
rs. o frasco.
Azeite doce em barril muito fino, a 64o rs.
a garrafa, e em caada tora abatimento.
Papel greve pautado e liso a 3,5oo rs. a
resma.
Gen ibra de Hollanda em botija de conta a
44ors. a botija.
Passas corinteas a 50o rs. a libra e 12,8oo
rs. a arrota,
Erviihas franceza e portugueza a 640 rs. a
Uta de urna libra.
Chocolate francez, hespanhol, suisso e por-
tuguez a 1,00o rs. a libra, e a 28o rs. ca-
da pao de urna /*.
Amixas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas, com diversas estampas
na exterior da caixa de 1,500 a 3,ooo rs.
c ida urna; tambem ha frascos e latas de
differentes tamanhos que se vendem por
mdico preco.
Massas para sopa: macarro, talharim e ale-
ti-ia a 48o rs. a libra, e em caixa se far
abatimento.
Garrafes com 14 garrafas de genebra de
Hollanda a 5,5oo cada um.
Ch; ratos de todas as marcas c dos melho-
es fabricantes da Babia de 3,000 a 4,t>oo
rs. a caixa.
a libra.
dem hysson muito superior a 2,7oo rs.
libra,
dem uxim a 2,5oo rs. a libra,
dem hysson a 2,3oo rs. a libra,
dem dem a 2,000 rs. a libra,
dem preto de qualidade muito especial
2,ooe rs. a libra,
dem idem inferior a l,6oo rs. a libra.
Chocolate francez, hespanhol e portuguez,
9ooe l,2oo rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
eado de 5,ooo
rs. a garrafa.
, Conservas inglezas a 75o rs. o fras a rs. a duzia.
Doce em calda a 64o rs. a lata.
Ervilhas francezas muito novas a 64o re.
dem portuguezas a 72o rs. a lata,
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Bassouras do Porto com arcos de fe to a 32o
rs. cada urna.
Vellas de espermacete da melbor qualidade
a 56o rs. o maco,
dem de carnauba e composico a U2o e 36o
rs. a libra e 10,000 rs. a arroba
e de qualidades especialmente escomidos, Tijolo para limpar facas a 12o re. cada um.
I Toucinho de Lisboa e Santos a 120 rs. a
libra.
Sevada muito nova a loo rs. a lib -a.
Peixe em latas grandes, savel, pesada, cor-
vina, e outras qualidades a l,oo) rs. cada
lata.
lo.ooo re. a caixa e
Verdadeiro vinho collares em ancore-
retas de 9 caadas a 50,000 e 800
rs. a garrafa.
Farello de Lisboa marca N ou Biato
tigo a 4;5 a sacca.
Vinagre P B R, em ancoretas de 9 ca-
adas a 18,000 e 2,000 rs. a ca-
ada.
a
8,000 4.000 e 2,000, a 480' a libra.
Peras seceos em caixas de quatro li-
bras o melbor que se pode desejar
a 2,500, e 640 rs. a libra.
(=^ Caixinhas de 4 libras e 2 com ameixas
^3 Chocolate portuguez, o melbor que
pode haver de bom neste genero a

gS| Marmelada propriamente dito de mar-
mello, a 640 rs. a lata e em caixas
de 100 latas a 600 rs.
ac a de tomates a mais nova que se
pode desejar a 640 rs. a lata e em
caixa de l0Olibras a 600 rs.
U3 Ervilha portugueza a 700 rs. a lata,
e em caixa de 100 libras a 640 rs.

*


Queijos londrinos muito fresa s a 800
rs. a libra e sendo inteiro a 650 rs.
Sebollas em caixas as mais noval do
mercado a 6,500 rs. a caixa, a 8C0
rs. o molho, e a 640 rs. o cento.
Batatas em caixas de 2 arrobas muio
novas e grandes a 2.400 rs. a caixa.
Sextinhascom figos proprias para mi-
mos de enancas a 60 rs. cada urna
e comprando em duzia ter grand.
:tl:it inu'ili /.Zi
aliatimento.
Erva doce muito novas a 500 rs. a li-
bra, e comprando em arroba a
10,000 rs.
Cominhos muito novos a 400 rs. a li-
bra e 10,002 a arroba.
Licores portuguezes das mareas mais
acreditadas de Lisboa a i ,0CO a gar-
rafa e 10 a 12,000 a duzia, as quali-
dades sao as seguintes : creme de ^T
violetas, geroflez, rosa, absintho, ves- p&[
peiro, amor perfeito, amendoaamar- ^'.]
ga, percicot deturin. botefin, moran- &
gos. limao, caf, laranja, cidra, gin- -^o,
ga, canda, cravo, ortella, pimeiita -
e outros muitos de qualidades menos
superior que serlo vendidos por pre-
cos em relaclo as suas qualida- f*&
des.
de 2,000 a 4,5oo rs. a caixa.
Farinha dd Maranho muito alva a 14o rs. a
libra,
dem de araruta verdadeira a 4oo rs. a libra.
Vinho do Alto Douro engarrafado, e os mais
bem escolhidos, lagrimas do Douro, D. Pe-
dro V, D. Luiz I. Duque genuino, Nctar Passas muito novas a
superior, Malvasia fina, Bastardo, e outros 000 rs. a libra.
a ll.ooo e 12,ooo rs. a duzia e l.ooo rs.: Palitos lixados para dentes a i4o n. o maco.
a garrafa. dem de flor a 2oo rs. o maco,
dem Cherry e Madeira a 1,5oo rs. a garra- Presunto para fiambre inglezes e americanos
fa e 16,ooo rs. a duzia.
dem Bordeaux de diversas marcas de 8,000
a lo.ooo a duzia e 800 rs. garrafa.
Bolaxinhas americanas a 3,5oo rs. a barrica,
e a 24o rs. a libra.
Batatas muito novas a 1,00o rs. o gigo, e 60
rs. a libra.
Banha de porco refinada a 44o rs. a libra a
em barril a 4oo rs.
Vinho em piqa de Lisboa, e Figueira, de 3,ooo
a 4,000 rs. a caada, e 5oo rs. a garrafa,
dem de Lisboa em ancoretas de 8 a 9 cana-
das por 27,ooo rs.
dem do Porto muito especial a 5,5oo rs. a
caada e 72o rs. a garrafa,
dem em garrafes com 4 V* garrafas por
a 85o rs. a libra.
dem do Porto a 48o rs. a libra.
Queijo prato a 64o rs. a libra,
dem II a me ugo viudos no ultime 1 vapor a
2,0000 e 2,3oo re. cada um.
Sardinhas de Nantes muito novas a 32o re.
a lata.
Sag muito novo a 2oo rs. a libra,
dem muito superior a 28o re. a Ibra.
Sabio mafa de diversas qualidade a 2oo e
2io rs. a libra,
dem inferior de 12o a 18o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras a 6,5oo
ris.
dem hamburgueza em frasqueiras a 5,8oo
ris.
Passas corinthias para pudim a 640
rs. a libras, e 400 re. comprando de
arroba para cima.
Os proprietarios afiancam que estes gneros sao muito novos e tudo
de primeira qualidade, tudo isto se vende nicamente no armazem Uniao e
|j| Commercio na ra do Queimado n. 7, e largo do Carmo n. 9 armazem pro-
^gg gressivo.
Queijos
do alemtejo, das ilhas e flamengos, todos chegados neste ultimo vapor, a
2,500 os flamengos e 800 ris a libra do alemtojo e das ilhas, nicamen-
te no armazem Unilo e Commercio, ra do Queimodo n. 7 e largo do Car-
mo armazem progressivo.
IUV DO. QUEMADO \. 11.
Loja de fazendas de Augusto Frederico dos Santos Porto.
Fazendas pretas para a qunresma.
Ricos cortes de moreantique preto para vestidos fazenda superior.
Cortes de vestido de seda preta coro barras.
Capas pretas de seda bordadas e enfeiladas de 22& a 50.
Capas de seda preta com mangas ricamente enfeitadas.
Soutembarques de seda preta e casemira de cor com lindos enfeites.
Zuavos de seda preta de muito gosto.
Pannos pretos, casemiras pretas, setim preto, grosdenaple prete de diversas qualidades tudo
superior.
Chapeos de palha d'Italia para menina ricamente entenados de 1$ a li.
Camisas para homem francezas e inglezas de algodo e de linbo.
Atoalhado de lioho fazenda superior.
Camisinhas de cambraia a Garibaldi para sentioras.
Na mesma casa tem grande sortimento de fazendas de seda, lia, linno e algod.io que tudo se
; vende por muito com modo preco.
Che^aram tambem a excellentes
ESTEIRAS PARA SAIAS.
Xa ra do Queimado m. II.
copos com ii %-
\nt.
2.5oo rs. com o garrafo. dem de Hollanda em garrafes
Vinagre de Lisboa muito superior a 2,ooo 5,5oo rs cada um.
rs. a caada. i dem em botija a 4oo rs. cada urna,
dem mais baixo a 1,5oo rs. a caada, e 2oto i Garrafes vasios de diversos taan ios a 5oo,
rs. a garrafa. 64o e l,2oo rs.
dem em garrafes com 4 2 garrafas por 1 Gomma doAracaty a 80 re. alibra imito alva
1,2oo rs. com o garrafo. I Graixa a loo rs. a lata, e 1,2oo rs a duzia. Para senlioras **
Ameixas francezas em caixinhas com ricas! Licores finos francezes em garrafas e frascos j zaS) $a*0 treac"j* ^ reud3'o, o que as tornam
Venda de urna hypotheca.
Os liquidalarios da massa fallida de
s bem conhe- Js Antonio Basto veodeiu a hypolhe-
(Tandes a ckk e apreciados copos com banha, os quaes es- ca (IUO tettl nos enUPnhos MattO GPC'SSO
!Se coStliS^ 38T2 St^I Cajabuss no de Seriaba no
: do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
miro BOAS MEIAS
valor de 3l:835$9il rs.; tratar as
casas a ra do Trapiche a. 34.
de immensa durago, porque muito convt;m, ainda
mesmo tustando 7 e 8, como se esto vendendo a
dinheiro vista, na loja d'aguia branca, ra do
Queimado n. 8.
PAPEL INGLEZ
estanpas no exterior de 1,2oo a 2,ooo rs. i de diversos tamanhos de 6oo a oo rs. ca-
cada urna. da um.
dem em frasco de vidro de diversos tama- Marmelada imperial detodososconserveiros
nhos a l,5eo e 2,5oo rs. j de Li6ba a 6oo e 7oo rs. a libra,
dem em latas de 1 1/2 e 3 libras a l,3oo e .Massa de tomate muito nova a 64o re. a li-
2,3oo re. cada urna, e a 8oo rs. a libra. bra.
Figos de comadre em eaixinhas de 4, 8 e 16 Marrasquino de Zara a 640 rs. o frasco,
librrs a l,3oo, 2,5oo e 5,ooo rs. cada dem em frascos grandes a 8oo re.
urna caixa. I Cominhos muito novos a 5oo rs. a libra,
dem em eaixinhas de folha a 32o rs Erva-doce a 24o rs. a libra,
dem em caixas grandes a 2oo rs. a libra. I Pimenta a 36o rs. a libra.
Wem em latas ermetimente lacradas de l,6oo Cravo da India a 64o rs. a libra.
a 3.000 rs. jCannella a l,loors. a libra.
Arroz da India e Maranho a 80, 100 e 12o Alfazema a 2oo rs. a libra.
re. a libra, e 2,5oo e 2,8oo re. a arroba., Sal refinado em frascos de vidro a 6oo rs. o
Amendoas de csea mole muifo novas a 4oo | frace.
rs. a libra. 'Copos linos para agoa a 5,ooo rs. a duzia.
Ceblas novas a l,ooo rs. os molhos gran- Chouricas novas a 72o rs. alibra.
des e a 7oors. o cento. j Mostarda franceza preparada e muito nova
1 Alpista a 14o rs. a libra e 4,6oo rs. a arroba, j a 32o rs. cada um frasco.
Macarro, talharim e aletria muito nova aiGonservas francezas de superior qualidade a< rivClUS COtl pCtlTClS'HO'
640 rs, o frasco e 7,ooo rs. a dt zia. _____4 '......s _
Azeite doce a 64o rs. a garrafa,
e Sevadinha de Franca muito nova a
i libra.
ESCRAYOS F6ID0S.
No dia 13 de fevereiro fugio a escrava Ttie-
reza, cabra, com os signaes seguintes: altura re-
gular, cabellos caxiados, nariz grosso, rosto des-
carnado com alguiuas manchas de panno Disto,
tem falla de dentes na frente, em cima de um pil-
lo tem una queimadura a imitaco de urna chapa
de ferro de engommar, tem as nraos pequeas o
aimaco e OC peso. os dedos comuridos, anda alguma cousa apalheta-
Alem do grande, sortimento de papel greve e ou-, ja ,, carocos as pernas, foi vestida de roupao
iras muitas qualidades, que constantemente se; de chita lina, assento pardo e (lores aiues jdw-
acham na loja d'aguia branca, faz-se notavel pela, bolada e um |)3nno da ^ta noVo com listras *
superiondade de qualidade o papel inglez almasso[de> encarnado e azul : rogase aos Srs. capitacs
e de peso, que acaba de chegar para a dita loja ; decampo e s autoridades policiaes a apprelwus.'-o
um e outro gio imu ene-arpados e de um assctina dt.||a trazendo na ra da Gloria u. 40, que Mrl
do lustroso e macio, que na verdade a; odos agr- generosamente gratificado.
dam. As resmas danuee tem 480 folhas, e as ----------:--------------------------------------
deste 300, e custa cada urna 8*. Tambem veio da! N abbado ausenteu-se de casa de seu sc-
i mesma qualidade e de tamanho pequeo, em cai-, nhor P""? Adao e Por isso padece s auton-
! x.nhas de 100 folhas, tanto liso como beira doura-' dade! pol.c.aes e cap.taes de campe, a sua pg-
! da, custando este 25, e aquelle 13200 a caixinha. hMKao, e leva-lo ao caes de Apollo a.88. Kte
! Jvem po.s os apreciadores do bom papel que Pret0 escravo.de Sr. Domingos '
.lirij,riudo-sc munidos de dinheiro serao bem servi
dos : na ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Pires Ferreira,
muite conhecido por trabalhar em armazem de fa-
zendas.
ATTExYAO
Todos os senhores que comprarem para negocio ou casa particular jO cima terao mais 5 a 10 por u/o de abatimento; o proprietario scientifiea tes-s que todos
os seus gneros sao recetlos de sua propria encommenda, razao esta para poder ven-
der por muito menos do que em outro qualquer estabelecimento.
RIVAL
SEM SEGUNDO
Ra do Queimado ms. 419 e ...
luja de miudezas de Jos de Aievedo Maia l C,
principia o novo annoa torrar miudezas pelos pre-
eos que a todos causa admiraco, a saber :
Pares de sapatosde tranca mito finos a 15600.
PraMO) de oleo babosa dos melhores fabricantes a
van.
Ditos maiores a 400 e 300 rs.
Frascos d'agua de Colonia muito finos a 400 rs.
Sabonetes muito lios a 160, 200 e 400 rs.
Frascos grandes de agua de Lubin, o melhor,
15300.
Lipis de tinU encarnada muito finos a 40 rs.
Novellos de linha uooi 800 jarda* a 120 rs.
Ditos de dita com 100 jamas a 80 rs.
Frascos de niacass, oleo muito superior, a 100
Duzias de dedaes brancos em caixas do vidro
320 rs.
Papis de agullias a balo Victoria a 60 rs.
.inha trans arents muito superior a 700 rs.
Dita Jr.poiiez.i muito fina a 800 rs.
Duzia de >al.onete> muito tinos a 720 rs.
Papis de agulha com toque de ferrugem a 10rs.
Crozas de botoes de madreo, rola multo finos a
560 rs.
Pecas de fita de eos, estreitas, com 10 varas, a
320 rs.
Novellos de linha branca do gaz a 30 rs.
Carreteis de linha de cores mnilo fortes a 20 rs.
Cartoes e caixas de colchetes francezes a 40 rs.
Domadura* branets e de cores para rolletes a
120 rs.
Fraicos de banha, pecbmcha, a 240 rs.
Bon :ts para meninos, fazenda fina, a 25.
Cai);as preparadas para costuraras a 15300,25 e
35000.
Mansos de gnmpas lisas e finas a 30 rs.
Caicas de palitos do gaz e de cera finos a 20 rs.
Duzia de facas e garfos de 1 botao superiores a
8,1800.
Duzia de ditas e ditos de 2 botocs finissimos a
&S500.
Croas de palitos do gaz a 25200.
Aril preta muito fina a 100 rs.
CabjM de rap com espelho a 100 rs. ______
MOYAS
semontes de hortaliza.
C egaram no vapor francez Giiiene as novas se-
roer tes de hortalica : na ra da Cadea do Kecife
n. 'ir A, loja de ferragens de Bastos.
Y
Kranco em maca,
\ende-seeni latas de 28 libras o melhor que po-
de 'aver a 200 rs. a libra, a dinheiro : na ra
larca do Rosario n. 34.
Cocheira
Vendo-se a cocheira da ra do Imperador n. 23,
com magnficos carros e ptimas parelhas : a tra-
tar na ra do Crespo n. 14, loja.
4oo e 48o rs. a libra.
Biscoitos e bolachinhas inglesas as ultimas
chegadas ao nosso mercado a l,2oo
l,4oo rs. cada lata.
ATTENQlO.
Neste grande armazem de molhados vende-se em grandes porcoes e a retalho,
fazendo-se dilferensa constderavel a quem comprar de 1005 para cima.
vo sortimento.
2oo rs. a a aguia branca recebeu por esse ultimo
i um nevo e bello sortimento das procuradas fi velas
com pedras podendo assim
dellas precisarem, urna vez que appareca dinhei
ro : na ra do Queimado, loja d'aguia branca nu
mero 8.
<5
Si*
O
td
o
s
g
o
td
s
B
po
9
B

ce
?3
es
I'
1
ce
ct>
p
+-
5=d
o
p-
p-
O
e-T P
P

P-
P
P-
ce
X
ce
P-
7S=
se
ct>
O
s
pj

ce

B
o

p
p-
p
p.
aagiu mm
Fugio no dia 11 do crreme, pelas nove ho-^
rasdo dia, da povoacao do Bom-Jardim, comarca
do LiinoeirOjjim moleque de nomo Francisco, de
idade 11 a fennos, secco do corpo, b->m espiga-
do, pernas e bracos a proporcao ilo corpo, nao
. bem preto, bonita figura, segundo a idade,,nariz o
ollios regulares, bocea pequeua, quando falla atra-
palha-se as vezes, dando indicios de gaguejar, an-
e dar pachola, t?m algumas unhas dos ps midas,
signaes evidentes de bixos : roga-se todas as au-
toridades, capitaes de campo, ou pessoas particu-
lares que o pegarem, ou delle noticia derem em
! Bom-Jardim a seu senhor, o abaixo assignado, ou
no Recife a hsc do Reg Pacheco, que ser gene-
I rosamente gritificado. Joaquim Jos dos Sanios
P
Ce
i
"p
Kua da Senzalla n. 42.
Vende-se, em asa de S. P. Johnston & C.,
sellins e silhes inglezes, candieiras e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio d vela,
| chicotes para carros e montara, ar-eios para I ras e meninas.
I carros de um e dous cavallos, e ralogios de Fita branca e preta de borracha, com diversas
Sapatinhosdesenm^ancVbordados paia bap-! No di M de fevereiro,|inoite^ausentoU-
isJ2j i de casa o escravo de nome Marcos, do gentto de
^Meias de seda branca para o mesmo ton. Angola, baiso, cheio do eorpo, com falta de denle
Mu bonitas e delicadas .ouquinhas enfeitadas h*&*^*XEl?&
nara dito Pa> san, vesl|do de camisa e catea de azulao, snp-
poe-se ter tomado a directo de Serinhiem,
Pulseiras e vollas de contas brancas para senbo-
' ouro patente inglez.
jaesteve : quem o apprehender, leve o em Olinda
ra de S. Bunio, em casa de seu senhor o Dr.
i Jos Nicolao Regueira Costa, e no Recife i na da
Aurora, casa n. 26, que ser bem recompensado.
ATjTSiSICA
GAZ GAZ GAZ
por |r'v rednzldo.
Vende-se gaz da melhor qualidade pelo
pre.ode \0$ por lata de 5 galoes: no ar-
mazem do Caes do Ramos n. 18 e ra do
Trapiche Novo n. 8._________________
i Vende-se a propriedade denominada Ualtez, fita i
i na freguezia de Tracunhaem da coman a de .Naza-
retli, com urna legoa de frente e meia le fundo, e,
i proporcoes para nella se levantar um tom enge-'
. nho de fazer assucar, sendo que actual nente ren- seadede tartaruga, massae dourados; agora, pois
j de ella mais de 1:0005 que pagam os moradores dirigirem-se com dinheiro ra do Queimado,
I que tem : quem a pretender entenda-se nesta pra-1 loja d'agnia branca n. 8, antes que se acabem.
ca com o Sr. Antonio Jos Leal Reis, na ra da lli 1 i' l' i i ij
Cadeia do Recife n. 47. M\^''"^
Cal de Lisboa com gomma arbica dissolyida : vendem-se
chegada ltimamente ; na ra do Vif ario n. 19, ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
M Tintunirias.
larguras.
Transelins de borracha sonidos em cores.
Trancinha preu de la, e outras trancinhas de j Tornou a fugir a escrava Justina, de idade
lia de gosto novo e mui bonitas para enfeites. J4 annos p0U1.0 mais ou meaos |evou 6 vestidos
Enfeites conservadores para senhoras. de cnita e 2 cw](St sendo am pret0 faia'desran-
idkl'lkk: DlcWWfii cada, anda de vagar e costuma repartiro cabclli:
JUtf W %9f9 WTJEilU MU& quem a pegar leve-a ra da E.vperaica n. 74,
de Cttncha. 'qe se recompensa. ____________________
Chegaram novos, e bonitos pentes de concha,
na
FAZEMWS
baratas para acabar.
Sedas de quadros e de listras a 320 rs. ocova-
do, lindas laas de quadrinhos a 360 o covado, su-
periores cassas de cores a 200 rs. o covado, ditas
muito finas a 240 o covado : na loja das colnmnas,
na ra do Crespn. 13, de Antonio Correia de Vas-
concollos & C
l.uvas de pellica.
Chegaram para a loja d'agnia branca, ra do
Queimado n. 8.
Vende-se o envenho S. Manoel, *ito na fre-
I guezia do Rio Formoso, e margem do rio Seri-
nhaem, o qual demarca com os engenh >s Cachoei-
II a, Chango e Gamelleira, me com ag a e muito
; copeiro, tem capacidade para safrejar '..SOO pes
j annuaes, e se acha quasi todo em ina a virgem.
I distando do embarque 1|2 legoa: quem pretender,
1 dirija-se rua doVigano n. 5, que a'har com
quem tratar. _^___________^^^__
Na ra do Imperador n. 22, no grande
armazem de tintas se vende todas as co-
res precisas para Ungir pannos.
GldltOS
Vendem-se globos de barro vidrado da fabrica
de Santo Antonio no Porto, proprios para jardim e
frentes de casas : na ra do Amorim n 46._____
Na ra da Concordia n. 2, vende se um pia-
no proprio para aprender, por barato pi eco.
CAL HE MSBOl
Vendem-se barris com cal des-
ta procedencia, em pedra, chega-
da boje, e nnlca nova, qne ha no
mercado, na ra do Trapiche n.
13, armazem de na noel TeUel-
ra Basto.
No dia 18 de Janeiro passado fugio o esiravo
Miguel, crioulo, de idade de 45 50 annos, ja t.m
cabellos brancos e usa de meias suissas, tem um
principio de gomma no peito de um dos ps, osa
de alpergatas, muito regrlsta e intitulase forro.
Este preto natural do Ico, d'onde v.io para mu
ser vendido, e por algum tempo pertenceu ao Sr.
Jos Guilherme GuimarSes; consta que levara < m
sua companhia sua amazia, de nome Maria, parda
acanoclada, alta, e com falta de dentes na frente ;
esta parda costuma embriagarse. Poucos dia
depois da fuga foram encontrados perto do enge-
nho Camaragibe; pede-se, portanto, s autoridades
competentes on a quem delte tiver noticia, de ap-
nrehendelo e leva-lo casa de seu senher Migu- !
Pereira Leal, a ra da Cadela do Recife n. 19,
que serao bem recompensados^________
Escrava rugida.
Ausentou-se da casa de seu senhor a escrava de
nome Seraphina, preta, crioula, representa ter 35
annos, levou vestido de laa com flores verdes, cos-
tuma embriaj; ir-se, foi escrava da viuva de Fran-
cisco Mathias Pereira da Costa; por algumas ou-
tras vezes tem futido e eostoma andar pelo caes
de Capibaribe, Monteiro e Afflictos : quem a pe-
gar leve ra da Cadeia n. 35, que ser recom-
pensado.




s
Diarlo de Pernambnco Quinta felra 1H de Feveielro de f Al.
LITTERTURA.
Caita pastoral do excellentissimo c rcverendisiimo
bis|H) do Maranbio dirigindn adjuntas nlu rla-
focs sos seas diorrsanos aterra do sarrauenlo
da penitencia, convidando-as i't o*|iirula-I no
tcn/io da quaresraa, c dispensando na ereteitt
da abstinencia da comida i!r earne.
|l | L I' i I SaRAH I, I IB MI RUI
U!< Di -I. vi'os'rol.li.A. HISI'o DI
Mmunuul M.
(i [HPBBADOlt ktc
A taja* 'ioctmanos. ttmde, na: e hrvujo
lo, nosso Rtemptor, t aobiro
di fte rite-Santo,
A justi.-a original perdida por um s peccado de
desobediencia, privando o hornera de todos os lens
terrestres, i1 sonrenaturaes oceasionou oespectucu-
loimmetno. e maravilloso de una hita genensa,
de urna estupenda, e gloriosa victoria.
Irnos C rislo. desped arando o imperio da raerte,
ei:,-'ieu o hornera morto. pela culpa, de bena local*
culaveis. e de grabas, virtudes.e privilegios.
O nascimeuto. > incainapao do verbo, a sua v da,
a sja paii.o, a sua morie revelara, pois, prodigios,
que excedem a eompreheasao humana, pois fue
por jlle Cuinos rehabilitadas, a constituidos herlei-
ros dos thjsouros celestas, cojas delicias eclipsara
todas as grandeza*, a praceres deste mundo.
lira preciso que o proprio Deus descesse sobr a
lerr?. para libertar o hornera de infinitos nales, pie
nos tarara gemer at o fim dos scalos. Taes sao,
irmj.os, e filhos muito uados, os terriveis clTeitos
de urna s culpa mortal.
Ja vemos, que a santidad.' anda mais ucrisotoda
e sublime, ongera das mais heroicas virtudes, e
milagros, ? le ser anniquilada por um s peecido
grave. Se a justica de Deus provada por Adac a
seis mil amos, tem sid>>. seta interruppao, exe"ci-
tada ainda nos raaiores sanios, nao deixa a :;ua
misericordia, de, acompanhando-a pasto a pa. so,
aulorisar o catholicisnio a eusinar, que neuhum
peccado lu sobre aterra, que nao possa ser lavido
pelo sangue do Cordeiri Immaculado. O rigor, wr
tanto, de Deus, manifestado contra quem grare-
mea'.eo afonden, destruido sato penitencia, se
couvarte era raisericord ,as, e favores. Pelo quauto
bavemos exposto devoraos concluir, que ha perdo
para todo o homem, que chora seus poccados, qur
os chore dous anuos antes da morte, qur d u >
das, ou mesmo na prorria hora. S a impeniton-
cia absolutamente rremissivel. A sentenca de
Deas na ultima hora nao ser pronunciada s Uta.
relami a vida passada, seno tambera segundo os
actos de entao. Tanto qne, se uma alma nao bou-
ver, durante toda a rida, commettido peccado '
uiartil, e consentir na hora da morte en mn s
pensamento de viuganpa grave, ou de torpeza, enca-
rando a morte sem contriece delle, se condemna-
r sem remedio, porque a sentenca dada segundo
0 oslado dajuella hora. O contrario, porem, acc 11-
1 cera, se o maior percador possivel fr liio dito:o,'
que, se naqulla hora fiter um acto de contriepio,;
lhe lorio perdoados os seus neceados, porque d s- !
pjito naquolle momento lhe nao negar Deus os !
auxilios da grapa, para que eternamente se salve
Estas verdades cstabelecidas. podemos aJlirmar
que ha perda tanto para o peccador. que se ern-
verte na ultima hora da vida, como para o que se ;
converto muito antes. Apreciando agora estas duas
conversoes, perguntamos: paraqual dolas mais
seguro o perdo ?
Ainda que Deus Ilustre os fins da trra, segur do
a expressao do propheta Job : (1), e que ainda ao
que tem vivido mal nao recuse as luzes da greca 1
para que eternamente se salve, uiuguem certa-i
insole dii a, que nao mais prudente emendar a
vida em tempe, mell.or na mocidade, que na veli-
ce, que mais seguro o perdao das culvas para
quera as chora em tenipo, e as eonfessa. que nao
para quem deixa estes rneios para tarde, e as u as
horas. A salvapao, rraaos, e filhos muito amados,
negocio da elernidade. A sabedona divina, Ua-
da o hom;m do nada, creando em um estado so-
brenatural de grapas, e de justica, e deslinamk -o
vr intuitivamente a Deus no cu, conslitue Kda
so a gloria em ser por elle servido, e glorificjdo
pelo seu amor. Nenhum outro lira pode ser o
hoso.
Aproveitando este tempo, que a egreja consagra!
penitencia, como cornmemorativo da paixao, e'
11; jrte de Jess Christo, exforcemonos para alean- j
carraos a felicidade sobrenatural, e estreita a [
nossa umiio rom este divino Redemptor, que re.'ta-
beleeendo o lapo sagrado da religiao augusta, j 15-
lilcou o admiravel ens 10 da egreja catholica, que
chama o neceado de Ado uma. feliz culpa, e en-
cheu-nos de todas as gracas interiores, e exterio-
res, origeio nica de [oda a felicidade, etodia
glora.
Embora arrastados |telo contagio dos muus
xeiiiplos. sejamos destrahidos pela multiplicidude
dosobjectos que nos cerram.nao podemos comtudo
satisfazer a paixao, que naturalmente temos de ser-
iaos Miles, seno quando elevando-nos Deus
contemplarais as suas grandezas, e maravhas, 3 o
consideramos como o centro dosnossos desejos, do
nosso fim, e do nosso desranpo.
Esta verdade fundamental do calholicismo a
mxima capital do Evacgelho. Se consultarmcs o
nosso coracao, a nossa intelligencia e a nossa vida
diramos : que Deus o nosso ultimo fim.
S a ignorancia do tornera recebe a religiao de
Jesjs Christo como um funesto presente do cu ;
c victima deste erro nao se submette seus saeda-
veis avisos : porque inspirada por suas viciosas
in jlinaces se sugeila i escravidao que lhe tn.z o
jujoesma^ador a vergonhoso dos vicios, strai neste
desgracado estado poder emprehender a suavidtde
dojugo da religiao catholica, nica, entre todas,
que, ensillando a doutrina de Jess Christo, cons-
titue-se a luz da razao, a garanta dos direito.4 de
todos e de cada um, a consoladora das nossas alllic-
coos, e o germem fecundo de todo o bem, de 1 da
a justica, 9 de toda a honestidade.
E' espintoso que esta religiao, a le supre 11a,
universal, a base de todas as leis, viva to es(,ue-
cida em soa moral e em seu dogma ; e que a in-
daferenea religiosa, por suas mximas impias, se-
mefi no coraco do homem as mais destruidoras e
fierversas deutrinas, querendo extinguir oque de
mais sagrado ha sobre a trra, arrancar aos alflic-
Ijs a consolacao derraleira ; aos ricos e poderosos
do inundo o nico freo de suas paixees ; e ;pa
gando os ltimos estmulos dos remorsos e da vir-
lude, se vanglorie de ser a regeneradora do gene-
ro humano
E' espantoso, repetmos, que s a indifferenca
religiosa desconhera que a religiao nao impon s-
rnente actos de f e adoracao, mas actos exter ores
por meic de um culto publico e particular, e na
Malo oestes, que nuda menos importe, que uma
soi'moe 1 evolta contra o seu creador, nao es|wre
uma pun cao, uma recompensa egual e digna iles-
fl) Job c. 37.
te desprezo tao insolente, sendo para lamentar que
tantos homens cgos pelo explendor e brlho das
riquezas e da gloria, abafem os sentiraentosnatu-
raes, e que ainda oppriraidos pelos mais pangcotea
I remorsos desprezem as leis, a preceitos de Deus,
I em busca de bens, honras e praieres, aeianda o
amor de Iteas que so da solido prazer, ladefeetivel
atlractivo e wrdadeiro bem.
l'a.a alcaocartnos .1 salvacao nada menos naces.
) qne vvennos segando U mximas do
Evangelho.e que nos confessemos discpulos de Je-
mis Christo.
Sd a virtade, irmaos e filhos mniio amados, so-
lida e peeila nos pode elevar .1 clona ; porque os
mereclmeotoa de Jess Christo apenas aproveitam,
nao aos phariseus. enibora afleeten um exterior
regulado e mortificado para aparentar uma vida
irreprohensivel, mas aos que, condemnando m ac-
i;oes ms, tem horror aos mais ligeiros pensanien-
tos peccarainosos,
E' preciso, em uma palavra, ou n.o ter perdido
a grapa, ou l-la recuperado por actas de sincera
penitencia.
Anda o perdo par da penitencia.
Se a penitenta e duvidosa, o perdao tambera lhe
correspondente.
Quando a Samaritana se escasa va druar a agua
Jess Christo lhe disse : < Se tu souberas quem le
est pediado agua fu por votara a pederas, a te
daria a agua viva da graca.
por ventura esta era pedir ella, que no
dar Jess nao tem por ventura.
Venios, pois, que nao possivel negar Deus o
perdo a qualquer peccador que se lhe chegue ar-
j rependido ; eassim esperar tempo para fazer pe-
nitencia, diz o propheta, pode ser um bem, mas
incerto e pouco seguro.
1 E' de f, que para o que mortalmente peccou nao
ha. sem que se arrependa e se confesse, perdao
possivel : porque se o Israelita que ha permanec
do no Egypto da culpa qur chegar s palmas de
Elim, que exprime os premios da gloria, forcoso
que passe as aguas salobras de Mar, que a pe-
nitencia.
O que gravemente peccou nao obter por certo
ver o Cordeiro, que, S. Joao descreve assentade no
throno da Gloria, sem que antes passe pelo mar de
vidro, que est em derredor do throno, quetarabem
a penitencia.
Se a penitencia e a conssao sacramental tem si-
do era nossos lempos os espatalhos das paixes, os
objectos dos odios e sarcasmos dos corajes laxos,
e corrompidos, nao porque deixem ellas de ser
os nicos meras, pelos quaes podemos entrar na
glora, e nos liabililarmos para gozar dos bens im-
mortaes; ou instrumentos poderosos cora que a
misericordia divina ampara a corruppo na sua
egreja para conservar a pureza dos costumes, a pie-
dade e a santidade as familias, e a religiao na
trra.
Quem de nos deixa de saber, que, durante a vi-
da, o homem esta em continuada lula, lula que s-
mente pode ser debellada pelo conhecimento de si
mesmo, pela dr e arrependimento dos delictos,
pela conflssao de os haver pracado, pelo temor
dos castigos, e pela esperanca do perdo t
Se nao aproveitarmos o tempo que a egreja con-
sagra penitencia para podermos sahir victoriosos
da culpa, mediaute a contriepo dos nossos pecca.
dos, nao asseguraremos por certo a salvacao eter-
na ; pois que as lettras sagradas dizem, (aliando de
Kza, de quem refere S. Paulo, que nao achou oc-
casio para a penitencia, ainda que com lagrimas a
buscasse : Aon inteni penitencia toevm, quam-1
quam cum lamjmis inquisset eam. De Antiochoj
cheio de aflea propsitos, que nao merecen que!
o ouvisse Deus, o o perdoasse : Orabat Scelestus I
Deum, quo non eral muericordiam nmsequul.i- !
mi. De um Sal quem deixou Deus morrer em '
seus peccados, ainda que dissesse, Peccavi, mais
lilho do seu amor proprio, que da dr das suas cul-
pas. E se estes, que nao fizeram verdadeira pe-
nitencia, se condemnarajn, porque, demorando tan-
to^ o importantissimo negocio de salvacao eterna,
nao deveremos esperar a mesma sorte I
Todos os que vivera era peccado mortal sao ini-
migos de Deus : e urna verdadeira loueura, re-
polludo diariamente as otlensas e desacatos, espe-
rar alcanpar a sua misericordia. So nsensat o se
arrojar voluntariamente ao fundo de um poro
com a esperanca de ser libertado do pergo por um
seu inimigo.
E se ;>to assim, porque nao deveremos confes-
sar os nossos peccados. restituir os bens, que nos
nao pertencem, perdoar at aos proprios inimigos,
e livrando-nos da occasio prxima, deixar os ju-
ramentos falsos, que revelam a ausencia da f, as '.
murmuracts allrontosas, que demonstrara uma
alma maligna, e as calumnias alrozese torpes, que
esto pedindo do cu vinganea contra os seus au- !
tores I
Se a misericordia de Deus infinita, tarabem
infinita a sua justica.
Nao ha, pois, um Deus que soffra gosto dos im-1
pos, e malvados, e que nao ache justo castigar
taatoa desa tinos e perversidades.
Devoraos com fundam ento receiar, que, desam-
parando-nos, nos deixo morrer com os nossos nec-
eados. E desgranado do peccador, que, semelhan- '
te s virgens nescias, que procuraran! a porta da,
penitencia, quando se achava ella fechada, nao
procura para livrar-se da justica divina, a entrada
na egreja, seno depois que as suas portas estive-
pean tambera fechadas.
Recetando, pois, a severidade dosjuizos de Deus,!
apressemo-nos quanto antes a solicitar a sua mi- '
sericordia. Este o tempo mais proprio para '
isso. >
Apressemo-nos era procurar os tribu naos da ie-
conciliacao, e justificar-nos para que era tempo
possamos praticar o bem Ergo dum lempas hu-
bemus opmmtw bonum. 1
Devenios estar avisados para aproveitar a occa-
sio presente : Ecce nunc lempas acceptabili. O
tempo da vida o tempo da penitencia.
Todas as cousas tem seu tempo, escrevia Salo-
mo. Ha tempo para chorar, o tempo parar rir :
Temptis flendi, ct tempus riilendi.
Importa nao os confundir.
O que nao chora nesta vida intilmente devari
esperar alegra na outra; e se nao possivel obter
as alegras da gloria sem chorar nesta vida, cla-
ro que nao devemos deixar correr o tempo que a
santa egreja offerece para a penitencia.
E s o homem que nao conhece o mal que pra-
tica, e a enormidade dos delictos o que consente
sem remorsos em repeti-los, e nao emprega os
mais decididos esforpos para evitar a infame re-
produepao delles. A historia com muitos exemplos
nos confirma esta verdade.
Quem seno o conherimenio da culpa, e horror
ao peecado fez o amigo patriai cha Jos entrar cons-
tante nos horrores de um carcere 1 Quem aos
santos Machabeus fez abracar os tormentos com
alegra; e a S. Paulo desafiar as creaturas, e as
penas alira de se nao separar da candado de Chris-
to ? Foi este conbccimenlo quem adopou suas pe-
nas aos mariyres, e aos confessores suas speras
penitencias.
Foi quem fez a David, quando avisado pelo pro-
I (dieta Nathan, confundido exclamar pedindo mise-
Iricordia Peccati Domine, a Magdalena arrojar
aos ps de Jess Chrito chorando suas culpas, aos
Nmivitas para ampararera por meio da penitencia
a destruipo que haviara provocado seus delictos.
Foi quera fez chorar uma Maria Egypcaca, uma
Thaes, e todos os sanio- que for.im peccadore*.
meatos magros, dispensamos r a preseate quaresma
o preceito da abstinencia das -ames nos primeiros
cinco dias de rada semana, exceptuando as sextas
e sabbados, os qualrosprimciios dias da quaresma
e todos os dias da semana sa Ha, nao sendo per-
mitido a mistura de peixe com a comida derarne
Dada n'esla cidade deS. Lo do liaranhio, Mb
Espanta haver boje, lautas desordena e vicios, o nosso signal, chancellara, estilo de nossas ara
to pouca ou nenhiima penitencia delles. aos 2 de fevereiro de IHiii.
Aopassoquc todas >e considerara linces para Lugar do sello,
os arranjos caducos da vida, nao se deslustrara de ^ fjm ,v/)(, (/ ,. //(/i ^
seren toupeiras para os males da culpa, aventu-
rando uma eU 1 -nidaile.
para lamentar a diverso e o abandono dos llUlilio de Tl'euil.
nossos templos, quando to poveada se achara as ___
casas de dstraces. TBHCSOU i'A itk
Se repararraos nos costumes nao os presencia-
, (Continvarao do n. 29.)
mos lao estragados nao vemos a ignorancia dos ipi
preceilos de Deus invadindo to claramente a so- Foi em consequencia desta conversa que Kelip-
ciedade quas inteira I pe tinha ido a casa de Sopliia. Quiz o accaso que
Nao experimentamos quotidianamenie a falla de Closeau du Tailli tivesse encontrado Mauricio nos
respeito para ludo quanto ha de mais sagrado SO- Campos EUsios, passeando na companhia de Lam-
an a trra; a profanaco sacrilega dos nossos berl.
templos, convertidos era tlieatros da vaidade, e O modo porque Sophia se lu>uvc cora Felippej
destinados para as lutas, que chaman polticas, e; nos o vraos.
qae to poderosamente tem eoaeorrida para a rui- Passada algura lempo, tendo Mauricio trabalha-
na da inoralidade publica ? Nao sabemos que, do lodo o da e parle da noute, viu-se to incom-
ponto tem chegado os juramentos falsos, os escan- modado na manha seguinte, < ue nem forras teve
dalos, as calumnias T para pegar napalheta. Treinini-lhe as raaos, co-
E no meio de tantas desordens como esperar um mo se tivesse um accesso de febre. Tentou sahir,
futuro raelhor. encontrar o temor de Deus nos jo- julgando que o ar lhe faria bem, mas na escada
vens, nos filhos a reverencia que devem ter aos
paes, enestes o exeraplo, o doutrina aos filhos!
Lamentando o propheta Jeremas as maldades, e
desditas do povo favorecido por Deus. pergaattva :
0flM quid mina non esl in Galaad '. ant medirs
non rsl ibi I E nos agora tambem perguntamos :
Por ventura nao ha na egreja catholica medicina
para tantos males! E porque razo havendo na
palavra de Deus. e nos sacerdotes mdicos para
curar as doenpas das almas, sao tantas as iniqui-
dades, tanto o estrago nos costumes, to grande, e
to numerosa a condemnacao I Ah !
porque se nao consagrara os sacerdotes a dou-
trinar os povos, oceupados era pretenroes de con-
veniencias teraporaes, especialmente os curas d'al-
mas, como devem, e por ofOcio sao obrigados, dei-
xando desbragadamente muitos de cumprir estes
sagrados deveres para se envolverem nos odios e
inimisades polticas.
Coroprehendam os parorhos e sacerdotes a effl-
cacia da divina palavra, que muitos males se evita-
rito, muitas enfermidades moraes serla curadas, e
os peccadores afastar-se-ho da estrada larga do
vicio para seguirem os estreitos caminhos de celes-
tial Jerusalem; pois que ella o livro mysterioso
do Apocalypse, que, ainda que amargo encerra to-
dos os bens.
E o escudo com que se defendemos christos
dos seus inimigos:
A vara de Jacob que faz multiplicar o rebanho
do Senh ir :
A Margarida preciosa que. enriquece a quem a
ataate,
o rio que fortalece o paraizo da egreja. A
agua de Silo que rega com silencio o eaminho da
christandade : O pao dos fortes, o leme dos tra-
eos.
A egreja catholica comprehendendo que Jess
Christo nao qur a roorle do peeeador, mas qne se
converta para que eternamente se salve, nao des-
cansa por paternal providencia de Deus, de dis-
tribuir a sua divini palavra.
A efllcaca desta medicina mostrou o Espirito
Santo era diversos lugares da escriptura sagrada.
Todo o commercio do cu com a trra nao feilo,
|vois, seno por meio da palavra divina, sendo os
sacerdotes as lnguas e interpetres, destinado* pela
egreja para conseguir a salvacao do povo.
Esta verdade est consignada na historia e em
todas as pocas da religiao chnsta.
E ninguem rertaraente poder ignorar, sendo li-
lho da egreja, quo bem cumpriram estes deveres,
e cora quantos trabalhos correram o orbe todo pa-
ra dilatar o conhecimento e amor de Jess Christo
o- seas discpulos I Diga Poma quantos filhos da
grara deve a S. Pedro : Achaia a S. Andr: Hes-
panha a S. Thiago o maior : A Asia a Benjamn o
Evangelista S. Joao : A India a S. Thomaz : a Ja-
dea a S. Thiago o menor.
S. Felippe quantos nao ronverteu na Phrigia I
S. Barlholomeu na Armenia! S. Matheus naEthio-
pa! S. Simo no Egypto S. Taddeu ua Mesopo-
i.uiiia !
Quantos filhos espirtuaes do Evangelho nao ge-
rou o apostlo S. Paulo com seus serraes, eom suas
carias, e conselhos!
Depois, que fructo nao proauziram os sagrados
doutores e os esclarecidos patriarchas ?
Quantas almas ganharam para Deus outros mui-
tos varos apostlicos Un Santo Antonio de Pa-
dua : S. Vicente l'errer : S. Francisco Xavier: S.
Carlos Borromeu : S. Francisco de Salles: padre
Antonio Vieira, e outros ionumeraveis imitadores
do zlo dos apostlos. Oh Se como sacerdotes
suecessores desles santos no ollieio, o foramos no
espirito e zlo das almas !
A egreja nieslra do ensino, a aliraentadora da
existencia moral dos povus esta, pois, no meio do
teve uma vertgem, e cahiria infallvelmenle, se
nao se apegasse ao corrirao. Tornou a subir, ar-
rastou-se como pode at ao quarto e lancou-se
n'uma cadera, Jjcando sem sentidos. Pouco de-
pois chegou Felippe e deu com elle eslendido no
chao. Melteu-o ua cama e 11 andou chamar Er-
nesto Albiu.
Logo que Felippe contou o succedido a sua mu-
lher, viu-a tremer, assustada, e com um movi-
mento mais rpido que o relmpago pegar-lhe na
mo, dizendo-lhe:
Nunca me disse nada, Felippe, mas sei que
l em met coracao : eu soffreria muito sabendo
que Mauricio est doente e disamparado : d-me
licenca de ir tratar delle com) irma a tratar ir-
mo?
Laura tinha os cilios arraza jos de lagrimas.
O marido apresentou-lhe o 1 rapo, dizendo :
Vamos I
Laura abrapou-o phreneticaciente,exclamando
Cm meu Felippe, quant) bondoso I
Quando Mauricio reeobrou os sentidos, recom-
raendou-lhe Ernesto descanso absuluto e ares do
campo logo que estivesse em estado de poder ser
transportado.
Descanso eares do carapi! repetiu Mauricio
Ignoras que sou pobre ?
Felippe carregou osobr"olho, e. bateado com o p,
replicou:
T ests doudol Nao sal es que tudo quanto
eu tentio e valho est tua disposicao '
Mauricio sorriu-se, e, virand>se para Laura, que
estava junto do seu leito, redaiguiu :
Diga-lhe que nao se aga? te; eu acceito.
Laura vollou o rosto para e eobnr as lagrimas.
Esta resposta singular deum hornera que ella sa-
bia quanto tinha o genio alli-o sensibilisou-a ex-
tremamente.
Felippe observava o quadro, a que desde os l-
timos dias nao tinha prestaco attenpo. e, vendo
o que Mauricio tinha feilo, lisou como que ater-
rado.
Desgrapado I disse elle a meia voz. Que de-
cadencia !
E, com effeito. par de trapo > de mestre, viam-se
outros que pareciamde aprendiz.
Felippe conlinuou :
Oh! ella tudo, tudo lhe r jubo!...
- E, lembraads-se ento da vi uta que fizera Sra.
de Treuil, e arrependendo-se la dureza de pala-
vras que lhe dirigir em rao nenlos de irritacao,
resolveu-se a voltar l e por jm pratca todos os
meos de que pudesse laucar nio, mesmo preces e
rogativas, alim de ver seos rec inedia va. O desejo
de salvar Mauricio fez-lhe por de parle todo o re-
sentmento. Para eniabolar esta nova negociapo
valeu-se da Sra. de Vitteaux, lio prompta a com-
raover-se com a narrapo de qualquer desgrapa
que acontecesse como em a esjuecer,
Quando Felippe descreveu o estado do Sr. de
Treuil, notou um sorriso de mefa nos labios de Aga-
tha Sorbier.
Da primeira vez que oseiihor aqu veiu, dis-
se ella, tarabem nos allirmou que o Sr. de Treuil
estava muito doente, e. comtudc, houve quem nesse
mesmo da o risee |iasseando e fuinaiulo o seu cha-
rulo!
Sophia nao dizia nem palavia.
Felippe nao podo conter-s: e exclamou fra
de si :
A Sra. Duverney foi hoe para casa delle;
na falta de suamulher, que tem restricta obrigapo
de tratar delle, lera minha mu her para nao o dei-
xar morrer ao desamparo.
Que urso que este home n I exclamou a Sra.
Sorbier, quando o vu sahir.
Comtudo, sempre tomaram normapes, e desta
vezoSr. du Tailli nao desmontiu o que Felippe
havia afbrmado.
A familia reunu-se em conseio, afim de delibe-
rar o que havia fazer-se.
Mauricio eslava doente e de eama : podiam airo-
samente deixa-lo morrer assim ao abandono? Nao
deviam receiar os dictos do mi ndo. cuja opiuio
to variavel como as circumstancias de que os tac-
tos se revesiem? l'orm, se a Sra. de, Treuil Fosse
visitar o raarido,o resultado des as relapes monien-
taneas nao seria uma reconciliico eomptetal E,
dado este caso, nao soffria um jolpe mortal a auto-
ridade do Sr. Sorbier ?
Cousultou-se sobre estes [ionios o Sr. Closeau du
Tailli.
padrinho de Sophia declarou que, pela sua
mundo como a arvore da vida no paraizo terres- i parle, nao achava inconvemei te algura em que a
i- a, ^ .. i..f, ;.;,.m n ,.,-; i,, i, sua alilliada fosse visitar Maur co. Que, na sita-
tre. nula ao seu chefe v.s.vel, ao Mgar.o de Je- ^ m (jU(j o mgUa m ^^ ^ ^ ^^
sus Cluisto sobre aterra, nao representa ouira w dar esse passo, tanto mais que semelliantes vi-
cousa que a sociedade regenerada pelo sangue que sitas nao deviam facilitar reccnciliaco de uenhu-
ma especie
banliou o Colgolha.
Para participarnos dos ineieciinentos infinitos
do Filho de Mara, nos preciso responder de boa
Era hora que Sophia comprisse cora os seus de-
vores al final; porm, restalelecido que fosse o
doeule, ella voltaria para junto da me e continua
vontade o seu eiisino, que foi confiado aos aposto- na a vi ver separada delle.
los e sacerdotes d'esto Divino Meslre, Filho de Deus ~ 1,>tr(,u,e' '""">.. Perguntoi elle, era que que
. a molestia de Mauricio modificou o seu comporta-
e benlior do universo. monto e reparou os aggravos que havia coinraet-
Ninguem certamente se justificara, sem que, do-1 ndo 1
cil a palavra de Deus, procure aliar-se com Jess; Se o Sr. de Treuil aqui .ollar, aerescentou
Christo. fonte nica de toda a grapa, e de todo o elie ar de perorapao, nao se adra.rein, se eu
aqui tornar a por os ps.
Nunca aqu tomar? perguntou Agatha.
Sini, nunca A minha dignidade assim o or-
dena. Eu nao po>so esquerer me do que me fez o
Sr de Treuil. Talvez eu cun nellesse algumas le-
ves fallas, mas cssas fallas, qut se teriam desvane-
este Divino Redemptor, unio que eneerra toda a cido por meio de amigaveis exrcapes, mereciain
bem.
E isto lao necessario ao hornera, como necessa.
rio a sciva aos ramos de urna arvore para se po-
derem nutrir, e proditzir fruetos. A unio com
economa, e excellencia do chnslianismo a ulli
ma solupo da nossa regenerapo. E
qur, e nos era seu noine o que vos pedimos, ir-
maos e filhos muito amados, alim de que possamos
ser felizes e alcanpar a gloria.
E mandamos aos reverendissimos parodies que
reciiem ao povo esta nossa caria pastoral nos tres
o castigo que me intbngiu na presenpa da Sra. de
ie Deus Vitteaux Y Devia expor o padrinho de sua mulher,
o momo a quera elle devia < pue della, s mo-
fas e sareasuios de uma tola que toraou por dver-
tunento espalhar por toda a cidade o que obser-
vou 1
Sophia objertou tmidamente que nao tinha sido
essa a iutenpo de Mauricio.
primeiros dias de precedo, regis,ra,,do-a depois no ^^S^^^lS^ffC
livro competente, como e de eslylo : commuuicau- no lhe incrininare a mtenr; o : aprecio smenle
do ainda a publicapo du seguiule : o faeto, e julgo-e to ahamenio criminoso, que no
HARDAHnrro |WM0 l"il's l'"r P* ":l l''l?a ue 'dmillir o Sr. de
! Treuil e a Sra. de Vitteaux.
A sauta egreja exigiudo dos seas filhos, priuci-1 Sophia allirmou que a Sra. de Vitteaux ja era
teaux
A
deinasia-
sacramental, nao se descuida, de, como me solici-1 do prouunciada|dcs cora proveito da ndigio e da salvapo das almas Lataro,
Fascinndonos das faeu.dades que nos foi ^g^J^ tSitt $Sft!Si
rara concedidas; e considerando a escassz e mu- je Villeaux, receiou passar por tola, e comecou a
tas vezes a falta que se d nesta diocese dos ali. desconfiar della. Agatha Scrb er trem u s cora a
idea de que, se desee ouvidos aos pedidos de Felip-
pe. sua filha podia Bear sem a rica heranpa que es-
perava do padrinho. Deciiliu-se, pois, de commum
aecrdo mandar saber noticias de Mauricio e re-
solver-se no seguinte dia o que devia fazer-se.
Por um feliz acaso -para os projertos de Aga-
thateve o Sr. Sorbier urna lossesiia nossa mes-
ma noute. A mulher fingiu ver n'esse levi-suno
apcommodo os bem pronunciados symptonias de
um catarrlio agudo, qne era mistar atacar logo pe-
la coz. Receitoo, portante, cozmentos, suadouros
e cataplasmas. Moveo-se toda a casa: o velho con-
sentu em tudo quanto quizeram fazer-llie e a mu-
lher decidi, passar a noute a p junto delle. Na
mole-iia improvisada do mando rolheu ella pre-
texto maravilhoso para adiar a visita da Qlha ao
Sr. de Treuil. A molestia do pae neutrali.-av.i a
molestia do marido.
Laura quas nunca sabia do quarto de Mauricio;
Felippe. Ernesto Albn e Lamber! rendiam-se uns
aos oulros cabeceira do doente. A mocidade do
enfermo reagin contra a molestia, porm otrium-
pho era inuiio duvidoso. Va-se que Mauricio fazia
inauditos esforpos por viver ; exasperava se contra
si mesmo, por ver quanto soflria por causa de uma
mulher que to mal o rerompensava, mas o mal
l.ineaia-llie profundas raizes no corapao : no lhe
era possivel debella-lo. Quando s vezes lanpava
os olhos para o seu quadro, condeca perfetamnle
quanlo tinha decaliido de genio e horrorisava-se da
fraqueza de faculdades a que se via reduzido. O
casamento empobrerra-o tanto, como o mar ao
naufrago despojado de tudo, mesmo da saude.
N urna raanhia amena, abriram-lhe as janellas do
quarto: o vento ag lava as niveas cortinas do ter-
rapo, onde Laura outr'ora cultivara as suas flores.
Mauricio, apontando com o dedo para aquello sino,
disse a sua enfermeira :
Tive francos dous caminhos diante de mim :
escolhi o mu.
Oh o mu respondeu Laura, affectando
alegraIsso o que anda ha vemos de ver.
Mauricio agitou a rabera, dizendo :
No posso olhar para aquello terraco sem me
vir idea uma noute em que ali passm'os um par
de horas! Tinha eu ento o espirito doente, o co-
rapao afilelo. Nao se bem o que era que soffria;
s bem me lembro que lhe narrei todos os symp-
tomas do mal que me flapellava. E por que nao
me entreguei todo sua dirpcco, eu. que, como
por nstmclo. lhe rasgue todos'os segredos do meu
corapo com a mais cega confianpa, como se ten-
tasse achar forpas contra a minha fraqueza na sua
coragein e rertido?.. N'esse tempo era Laura o
meu anjo. Com que firmeza suave e varonil me
naoapontou a vereda, que eu tiniha a seguir e que
era a mesma que a minha boa Laura trilhara sem-
pre ? Por que no acceitei o bem que se rae offe-
recia ?...
Mauricio exclamou I>aura toda commo-
vida ao ouvir recordapoes do passado.
Que o que receia ? conlinuou Mauricio
Estou conversando comsigo, como conversara um
ir mo com a irma no momento de se despedir
della. Conhepo perfeilamente o meu estado... Oh !
o que lhe digo, dir-lh'o-he do mesmo modo diante
de Felippe : no seu procedimento, Laura, nao ha
cousa que no possa dizer-se a todos.
Attenda-rae, Mauricioresponden Laura, fa-
zendo esforpos inauditos para oceultar a commo-
caoest-se parecendo com uma creanpa pouco ra-
zoavel. Essa despedida a que aMude, sem ter d
das pessoas qne de veras o estimam, limitar-se-ha,
quando rauito, a uma vagem de dez leguas, e ire-
mos comsigo, se qnizer que vamos.
Mauricio olhou para o lado do terraco.
O cu tem mesma cor que tinha no dia em
que vokei do Louvreconlinuou elle sem attender
s palavras de LauraReeordo-rae ainda palavra
por palavra de tudo quanto enlo me disse Ha
ocrasies em que me lamento e amaldipo o meu
destino, e sou injusto, porque a cootsciencia me
grita que mereco o meu castigo.
A prova de que nao o merece a sentenpa
cruel que contra si lavra. Vamos, Mauricio, tenha
esperanca ; ha de melhorar, ha de viver e encon-
trar mos amigas para o ajudar ; as de Felippe, as
minhas...
E' tarde... Oh! hem leio nos seus olhos que
eonta tao pouco como eu com semelaanie mila-
re... E" to sincera que nem os seus gestos po-
dem mentir... Ah se uma outra tivesse esta co-
racao que anima e fortifica, ento talvez que eu,
purificado com o que hei soffrido, fosse o que ou-
tr'ora quiz Laura que eu fosse Mas onde est es-
sa outra E saber ella ao menos se eu existo ?
Ah meu charo terrapo Se me fra possivel vol-
ver ao tempo em que ah viv, quanto uo fra
feliz !
Laura no pode conter-se.
A emorao de mais era mais se apossava della.
Sahiu. deixando Lambert junto do doente. e, arris-
cando-se a ser mal recebida, corren casa de So-
phia, subiu ao seu quarto, e fallou-lhe com tanta
vehemencia, que a resol ven a ir com ella ver o
marido sem dar parte me.
Ei-la I grilou ella, abrn io a porta e guian-
do Sophia para junto da cama do doente.
Mauricio sentiu to violenta emopo, que nem
pode articular palavra. Pegou as nios de Laura
e cobria-as de beijos com tal enllmsiasmo, que
bem dava a conhecer o muito.que ainava Sophia.
Laura, ehorando e rindo ao mesmo tempo. reti-
rou-se para o quarlo prximo, dizendo :
Se carecerem de alguma cousa, chamem-me
Sophia ficou pasmada de ver a pallidez e magre-
za do marido.
Livre da influencia da me, enterneeeu-se e cen-
surou o marido por no a ter mandado chamar po-
sitiva e directamente
Uma palavra tua, lhe disse ella, valeria mais
do que cem recados.
Mauricio julgou ter raptivado o coracao da mu-
lher e j nem se lembrava do que tinha soffrido.
Oh eu bem sabia que basta va a tua presen-
pa para eu melhorar !lhe disse elle.
Sophia, dominada pela influencia de uma situa-
pao to diversa dos seus usos e do curso de ideas
era que vi via, prodigalisou ao marido esses meros
nadas, que tanto valor teein, se sao dispensados pe-
la mulher que amamos. Mauricio viu-a olhar com
rnriosidade para todos os objectos que a cercavam.
O mais brilhante sol illuminava o quarto. O artis-
ta exclamou :
No viveramos aqui ambos e bem felizes ?
A fronte de Sophia annuviou-se.
Mas,respondeu ella, hesitandoquando ha
amor, em loda a parte se esta bem.
tiesta parase banal Julgou Mauricio ver a ex-
picsso de um coracao gaaho ao amor o nao o
desagrado da mulher que pretende mudar de as-
sumpto, e ficou ebrio de prazer.
Ah !exclamou elleeu bem certo eslava
de que o ten corapo coinprehendia o meu!
Todas as mulheres, mesmo as mais ingenuas,
e Sophia, a certos respeitos. nao era das deste nu-
mero tcem uma habilidade natural, que as livra
de certas situacoes rrilicas. Sophia, teniendo en-
trar em expliraVes, falln das afflirroes que Mau-
ricio lhe causara eom a sua sahida da casa dos
paes; No podia roinprehender-dizia ellaco-
mo elle teve animo de fazer soffrer tanto. Muricio
quexava-se, continuava ella mas no sabia
quanto os outros tinham motivos de queixar-se
delle. Por pouco nao convencen o marido de ter
andado com preciplapo e desabriniento.
Os esposos, eonversando ambos, empregavam
uma linguagem propria dos primeiros dias de ca-
sados.
Dr-se-hia que novo sangue cirrulava as veas
de Mauriro.
Mas. ah uraa s palavra bastou para lhe quo-
brar o encanto!
Se quizesse viver aqui!disse elle.
Sophia apavoroo-ae. Sua me no estava preve-
nida e ella Sophia receiava dar-lhe as explicapes
que ella, sera duvida, no deixaria de exigir. E,
pan melhor se desculpar, lembrou a necessidade
de recolher-se a casa, visto que tinha o pae doente,
mas prometteu tornar a visiia-lo no dia seguinte.
A Sra. Sorbier, leudo, sabido |.oi uma criada
que a filha havia sahido, logo suppo* aonde ella
teri.i ido; receiavam, portanto, me e filha o re-
sultado deste novo incidente. A me dissimulou
todc o seu ressentimento contra a mulher de Fe-
lippe e nem com a filha se mostrou azedada. Fin-
giu mesmo approvar a visita que ella fizera e pe-
diu noticias do estado do Sr. de Treuil.
A filha, Iludida por estas apparenciasde bonda-
de, ontou-lhe tudo quanto passra cora o marido
e nem lhe occnltou os desejos que elle lhe mostra-
ra <.e se rcunirem.
--Nos veremos I-responden a mae.
O Sr. de Courtalin foi visita-las nessa mesma
noure e informaram-no do que se havia passado na
ra Donai elle, eoni grande espanto de Agatha.
aera >elhon que toruasse areunir-se Sophia com o
Sr. de Treuil.
Quera tal me a.onselha o Sr. de Courtalin'
perguntou Agatha.
Sou. porque entendo que este o modo de
fazer cahir por trra os boatos a que elle i.iolou-
camenle den cansa, fi raister sacrificar alguma
cousa opinio publica, que, sabendo que seu gen-
ro esl doenle, talvez se pronunciasse cm favor
delle.
Mas entao (ico separada de minha filha !
No sei porque... A senhora franqueia di;
novr a sua casa ao Sr. de Treuil, d-lhe outra rea
o sen quarto e nada mais. Se por um accaso o Sr.
de Treuil se recusar a vir, entilo nao poder quei-
xar-se de ninguem e tudo fica no mesmo estado
era que eslava.
Agatha Sorbier consultou com a vista as feiroes
do deputado e romprehendeu bem a diplomacia
por elle empregada.
Oh! um gosto conversar comsigo!excla-
mou ellaOs seus conselhos sao sempre aprovei-
taveis!
Sophia, naoachando nenhum inconveniente nes-
las | ropostas. foi encarresada de as ir apresentar
ao marido. Quanto a ella, o que dra logar se-
parapo foi um pouco de mu humor e alguroas'
Obrases mal interpretadas. Acostumada desde
crianra a no ver senao pelos olhos da mae e a
no entender os factos seno pela tradueco qne
delles lhe davam, nunca apreciara a gravidade dos
actos que haviam levado Mauricio a separar-se
della e do seus paes. Foi, pois. ter com o marido,
muito convicta de o reconduzir ao palacete da ra
Godot-de-Mauroy. E. devemos dize-lo em abono de
Sophia, ella encarregou-se desta misso cora certo
prazer. Desejava ira banhos ejulgava que o mari-
do poderia ser-lhe til para a acompanhar nos seus
passeios. O ar de alegra que fhe transpareeia no
rosto no escapou a Mauricio.
Es o meu anjo, raensageiro de boas novas I
lhe disse elle-Qual a que hojeme annuneias?
A melhor.. .S de ti depende o vvennos sem-
pre juntos.
De mim ?
Minha meella muito boadosa, fazes mal
em nao ser amigo d'ellaadivinhou-me os dese-
jos : est prompta a abrirme os brapos. Temos
proirpto o nosso quarto naColombiere e est to
lindo !... Varaos l passar um oa dons mezes ;
depois vamos at ao Pyreous
E, quando voltarmos, iremos, sem duvida,
viver para a ra Godot-de-Mauroy?
Salvo se o lempo nos permit viver mais-
algura mez na Colombiere.
E porque no ha vemos de viver na ra
Douai ?
Queres dizer que recusas ir viver para nos-
sa casa ?
Cada palavra de Sophia roubava urna iiluso a
Mauricio. Viu elle sempre diante de si o mesmo
obstculo que o privava de ser feliz.
Sophia,-replicou elle com seriedadeuma
senhora casada nunca este em sua casa, quando
no uta na do marido... O que tu chamas nos-
sa casa a casa da senhora Sorbier.
A senhora Sorbier minha me, pens qne
ninguem ousa nega-lo ; rogo, viver ero casa d'ella
o mesmo que viver na mioha.
Posta a questao nestes termes, nao era possivel
chegar a um resultado favoravel. Mauricio cal-
ln-se e guando veio Sophia apromplar-se para
sahir, chegou a hesitar. Pegando-lhe na mo,
disse :
Entao porque no ficas ?
E' tarde e estao minha esperarespondeu
ella rislemeille.
Poucos instantes depois, deu Laura com Mauri-
cio sosinho e mais doente do que em tempo ne-
nhum. Estava pintando cora extraordinaria acti-
vidacle. Brhava-lhe nos olhos um fulgor violento
e febril.
Veja, disse a Lauraestou pintando... Hei-
de ohriga-la a arrepender-se t
O pincel voava. Mauricio pareca ter enconlra-
do a forpa e inspirapo de outr'ora. Os- contornos
o as rres destaca vara se da tela com vigor e bri-
Iho admraveis. Resahia-n potentes de por entre
as confusas trevas em que at ento estavam in-
mersos.
Tenha cuidado comsigo; disse Laura-
veja que se atiga.
Eu oh- no Nunca me sent tao vi go-
roso I
Nt fim de quatro horas de trabalho obstinado,
levot. de repente Mauricio a mo a fronte. Esla-
va paludo como um cadver.
Ah exclamou elleella nunca me teve
amor!...
E jccultau. o rosto as mos; os solupos solfo-
cavam-no.
Sophia, logo que chegou a casa, contou tudo o
que passara eom o marido. A me acobertou a
alegra que interiormente senta con demonstra-
pes de indignaco.
Que hnmihapo te faz soffrer, minha filha t
exelamou ellaHegeila-te e tu anda dizes que-
elletoama !... Pergunta ao Sr. de Courtalin o
seu parecer.
Oh exclamou o deputado! eom apparen-
cas do mais vivo eulhusiasmose eu oceupasse o
lugar do Sr. de Treuil, seguira minha mulher ao
tira do mundo, ao meio de desertos, ao centro de
tribu selvagens !
Sophia fez-se vermelha como uma roma e a
senhora Sorbier lancou ao deputado enternecidos
ohiares.
Certa manha, em quanto Mauricio dormitava,
apresentou-se um cobrador eom uma letra a or-
dem, assignada por Mauricio : era a primea das
que elle assignara para pagar ao sogro.
Lamben, que estava no quarto do doente, pediu
de manso ao cobrador que fosse com elle. Pe-
gou no poucodinheiro que tinha e deu-o por coota
ao negociante a quem a letra pertencia, rugando-
Ihe que esperasse pelo restante al ao outro dia.
D'ahi a pouco perguntou Mauricio se na tinham
apresentado uma letra.
J est pagarespondeu Lambert.
Paga com que .....Aqui no havia di-
nheiro.
Nem eu aqui o procurei... Tu eslavas a dor-
mir e podias acordar.
Ai pobre amigo! se pretendes pagar as
minhas dividas, em pouco tempo ficas arrui-
nado I
Mauricio fingia-se alegre, mas tagellava-o a
idea de viver cusa dos seus amigos.
Allende- me, Lambert : replicou eilede
hoje a quinze dias vence-se outra letra ; faz-me
favor de ir fallar com a pessot que a lea e pode-
Ihe que me conceda um mez de espera. D'aqui
at la hei de poder trabalhar e ganhar dinheiro
paro 1 solver.
Pois siuirespondeu o amigo.
Lamben tinha formado o seu plano : cm lugar
de pedir espera a ura negociante que nao conhe-
cia, e que provavelmente se negara a dar-lh'a.
enterdeu que o raelhor era ir a casa de Izidoro
Sorbier, muilo persuadido de que o velho ban-
queiro se no negara a emprestar o dinheiro ne-
cesario para pagamento deslas letras.
IziJoro estava no seu gabinete ; recebeu Lam-
ben sera o mandar sentar, ouviu o framente e
despediu-o, dizendo-lhe .
A minha casa est franca ao Sr. de Treuil e
ninguem o mandou por fra. Se elle, porm, en-
tena*; que deve viver separado, eu no posso ser
respe nsavel pelas dividas que elle conlrahiu nem
pelas que, provavelmente, eontrahir ainda.
Esta hislana, contada uo circulo da familia e
dos amigos ntimos, foi commentada por rail dif-
irenos modos, e tirou-se por concluso que
Mauricio Iva via recalado nos seus amigos costu-
mes Ja viver desreglado que a burguezia econ-
mica atttbuo a lodos os artistas. Por esta occa-
sio o Si. Closeau du Tailli no deixou, de recor-
dar o antigo e enrgico rifo : O que o berro
dso a covao tira.*
(CoHtiuuavse-ba.i
PERNAMBfcm TYP. l>& M. P. F. 4 RUKX.
f
i
\


I
<
+


r





Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5C00XZUL_Z9GFQF INGEST_TIME 2013-08-28T01:58:52Z PACKAGE AA00011611_10295
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES