Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10293


This item is only available as the following downloads:


Full Text
il.
*
AHNO XL. MERO 37.
Por fres mtzes diantados 5$000
Por tres mezes vencidos 6So0l)
Porte ao correio por tres mezes. 750
4

TERCA FEIRA16 DE FEVERE1R0 DE 181)4.
Por auno adiantado.....19$00O
Porte ao correio por uro anno 3$00
wm>mr

AMBUCO.
INCARREGADOS. DA SL'BSCRIPCO NO NORTE
Parahyba. o Sr. Antonio Alejandrino de Lima?
Natal, o Sr. Antonio Margues da Silva; Ararat v, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos c e
Oliveira; Maranhao. o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro d C: A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARBEGADOS DA CTPCBIPCAO NO SUL
Alagas, o Sr. Claudiro Faleo Dias; Bahia, o
Sr. Jos Ma tins Alves; Fio de Janeiro, os Srs. Pe-
reir MartiL? 4 Gasparini.
EPHfiMERlDES DO MEZ DE FEVEKEIRO.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Eseada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas el
9^S^^^!SSJA Cmtt' ?uarf ~ K 5 m. e 26 s. da m.
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Raxaretb, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
lngazeira, Flores, Villa Bella, Tacaralu', Cabrob,
Boa \ ista. Ouricury e Exu' as qua/tas feiras.
Sennhaem, Rio Forrcoso, Tamandar. Una. Barrei-
ni.r0j Ai?ua Pr(!ta e I,imenteiras as quintas feiras.
Una de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao >/j dia.
22 La i heia as 2 h., 41 m. e 8 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e H minutos da manha.
Segunda as 11 horas e 18 minutos da tarde.
DA15TF firrifTAT Armando-s com a proposta do Dr. dn-fe de poli-1 lava de
JT.fiJlJ.Jj vIIIuIaL. (,;|-l,u'n-To 146 de 4 desie incz. rcsolve crear no mente II
PARTIDA DOS VAPORES COSTEJROS.
Para o sol at Alagas a 5 e :!5; para o norte at
a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, marc., maio, ni sel. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recito : do Apipucos ;.s 6 '/2. 7, 7 '/j, 8 e
8 /i da m.; de Olinda as 8 da n. e 6 da tarde; de
Janoatao as 6 i/, da m.; do Caiang e Vanea as 7
da m.; de tonifica s 8 da m.
Do Recito : para o Apipucos as 3 /,, 4, 4 /* 4 A,
' J-*' /? e 6 da larde; para Olinda s 7da
manhaa e 4 / da tarde; para Ja watan s 4 da tar-
de ; para Cachang e Vanea s 1'/ da tarde; para
Bemnca as 4 d tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUN'AES DA CAPITAL.
Tribuna} do commercio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Di de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meta
di ai
Seguada vara do eivel: quarlas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
18. Segunda. Ss. Faustino e Jovita mnx
16. Terca. S. Itavmundo dePenafori c.
17. Guara. S. Polvcronio b.: 9. Romulom
18. Quinta. S. Theotonio I prior deS. Cruz.
19. Sexta. S. Conrado f. j S. Gabioo m.
|20. Sabuaeto. Ss. Kleutherio e Nil bb.
21. Domingo. Ss. Maxirniano e Portonato bb.
ASSIGNA-SE
no Rente, em a livraria da praca da tadependent*
ns. 6 e 8, dos proprietenos Manoel Figueiroa *
Faria & Filho.
(OYEM'O DA PR0VI\CI4.
Continuarn do expediente do dia 11 de fcvrniii
de 1861.
Offleio ao inspector da tliesouraria de fazenda.
Communico V. S., que segundo me participou o
brigadeiro nmmandante das armas, em offleio dt
11 do crreme, fallecen ro termo de Serinhem,
em 5 de ontnbrn ultimo, o capitn reformado dti
exereUo Joaquim Albann Wanderlev.
l -
uiiic.o m brigadeiro cnnmiandante das armas
Oueira V. Exc. mandar alistar nos corpos en
g narnirao nesia provincia, no caso de seren con-
siderados aptos para seo, em inspeccao de sade.
os remitas Joaquim Pedro da Silva, Constantiuc
Antonio Gomes, Francisco Rodrigues da Silva, Jnc
da Silva Mello, Manoel Lourenro Marmho e Fran-
cisco Jos dos Sanios, que
termo de S. Bento, al u do disiriclo desle nome.
mais dous dislrictos de. subdelegada com a deno-
minara de Jupy e Canlioiinho ; os quaes torio os
limites segointes : o de S. Bento mroui atondara
todo o primeiro dislrirl i de paz. o de Jup\ princi-
piara da azenda -Piarado segundo districlo de
paz. boira do riacho Canhoto, Divisa... olho d'agua
la l)oida a Queimadiulias e d'alii fazenda Sania
Auna ate chegar a fregueza do Altinho; e de Ca-
nlioiinho principiara da estrada velos no mesmo
segundo dislric.to de paz, que segu de Garanhuns
para a Luz, a encontrar com afragueaia do ah-
nbo. com o terreno que livor para o sul al en-
comiar com a provincia das Alagas e o districto
de Paimeira em Garanhuns.Communieou-se ao
Dr. chefe de polica remetlendo-se por copia esta
portara.
Dita.O vice-presidente da provincia, confor-
mando-se com a proposta do Dr. chefe de polica,
n. 146 de 4 desle mez, resolve considerar vagos os
lugares de 3 supplenti do delegado do termo deS.
Bento. por ter fallecido Antonio de Paiva e Mello,
te acham detidos no
quartel do 2- balalhao de infamara.-Communi- bem como os do >,>, 4-, ,'i e 6 supplentes do sub-
cou-se so coronel recrutador. delegado do dislncto do mesmo nome, por terem os
Dito ao mesmo.Ao offleio que V. Exc. me di- nomeados deixado de prestar o respectivo iura-
ngo. sob nu ero 2.16. e dita de 8doeorrente,res- "
pondo ileclarando-lhe qoe. em offleio datado de 11
deste mez, partieipou-me o inspector da thesoura-
ria de fazenda, que foram pagas por ellaem os de-
vidos lempos os prets do destacamento d villa da
Encada relativamente ao nez de Janeiro prximo
Dito ao
ment, e para esses cargos e para autoridades po-
liciaes dos distnctos abaixo declarados noma :
Supplente do delegado.
J Jos No da Silva Braga.
Supplentes do subdelegado do districto de S. Bentc.
2" Severino Cordeiru Hego.
3 Pedro Francisco de Almeida.
Jos de Hollanda Vallenca.
mesmoRespondo ao offleio de 4 do ,
frrente, oom que V. Exc. trouxe ao meu conheci- 5 Antonio Ferreira de Mello,
jneoto o que lite dirigi o altores eommandanle do 6o Joao Gomes de Mello,
destacamento da cidade da Victoria, em 30 de ja-' Districto do Jupv.
neiro ultimo, remetiendo-lli> por copia a informa- Subdelegado, Francisco Ignacio de Paiva.
(an de 8 deste mez. em que o inspector da ihesou- Supplentes do mesmo.
rana de fazenda. declara a razas por que nao fui i* Pedro Lins de Soma Pontos.
logo pago 0 prel do mesmo destacamento relalivo'aj 2o Jos Ferreira da Silva,
segunda quincena de dezembro passado. o que rea- 3" Vicente Ferreira dos Prazeres.
lisou-e no dia 3 do corren le, conjunctamente com' 4o Antonio Jos da Sih i.
eda primeira do mez de janelro. S Joo Baptista da Silva.
Dito ao meimo.Sirva-s; V. Exc de mandar 6o Antonio de Barros Silva,
prern iberdnde, dando-lne baixa se ja estiver alis- Districto d>> Cuibotinlio.
lado, o n^Ttita Jos Cassisno das Neves que pro- Subdelegado, Domneos Ferreira de Moraes.
von isencao do recrutamento. SuDpjentes do mesmo.
Dito ao Dr. chefe de pol ca.Solicite V. S. do '
administrador da casa de iletcncao e me transmit-
a, urna retar ao dos objectof fornecidos pelos ro-
fres provmci; es para o servico d"aquelle eslabele-
emento, cora declararan da' materia de que sao
eitos.
Dito ao htspeetor da tbesonraria de fazenda
Transmuto V. S. as inclusas contas em duplica
-1 Esta pena em caso algum ser: applicada as
! meres. aos maiores de sessenta annos, e aos
11 competentemente provarem ter tal *>~*id
perfeito acrrdo o gabinete e solidaria-
le tomava a responsabilidadc
O pntaeiro acto do novo ministro da guerra foi
apresen!ir una proposta para a revogacao do de-
creto de seu antecessor sobre a reforma do
Cito.
"7 Na cmara dos denotados foi apreseniad
? M^r! Maria Jurd;i u"i projecto esUbel
Jo a hbt rdade de culto em Portugal, com
ijrotecca) para todos. A imprensa tem-se oceupa-
lo em riebater a doutrina do projecto no campo
los principios. Parece todava que, tendendo esta
proposta a alterar um dos artigos da caria constitu-
cional, da competencia d'uma constituinte o as-
suniplo.
Na n forma da cmara alta ( projecto desejado
por mu tos, mas anda nao apresentado). j quasi
que se nao falla. Apenas ha das um Reputado
pergunUm por essa reforma, que, secundo se allir-
ma, nao se effectuar tao cedo
Traa. Hu ^i^r j I "" "< pena someme
como e,^ n.rihP numero dos processos. que eJIes lenham completado a
como cieio ter-lhe annunciado n una de minhas '
intimas ;artas. Os caracteres indigiiados gozam
ao publico respetto ; os seus precedentes polticos
aao pleca garanta de suas crencas liberaes.
Paree, pois. que se conlirma'a noticia de una
nova fOI na(ja ae pareg sefrllrto se diz, os esco
lindos -
ment, se os fados em que ella se funda j'oniao
existirem ou depois independentemente de nova
sentenca, se os sessenta annos de idade se comple-
tarem ou a enfermidade sobrevicr durante o cum-
primenfo da pena imposta.
Aos menores de dessete annos a quem, nos ter-
mos do cojigo penal, deresse ser applicada a pena
de pnsao perpetua com trabalho. em substituicao
< a de morte, podera ser im|iosta i pena estabele'ci-
da por este artigo.
mu- tan da multa e no encerramento da fabrica; nao
que je sendo mais permittido abrir esuibeleciment
enfermidade d esta ordem.
de
aito
com
m-
eom
egundo a gravidade
Porm asa nena smente ser applicada depois
mam coir~'
unciado n una de minhas annos ; sendo-lhes al entao appl cada a de prisao
lade de dezesete
as
excedendo
do crime.
Nos casos de reincidencia as multas serao im-
postas em dobro pela segunda, e em tres dobro
pela terceira vez : e a pena de prisao poder ser
respectivamente applicada at dous ou tres annos ;
mas sempre ser contado aos reos no cumprimen-
to da pena o tempo de prisao soffrido durante o
processo.
As penas estabelecidas n'este artigo sao ap-
plicaveis aquellos que, sendo sabedores de ime
os di re los nao foram pagos, cominercarem em
tabaco.
Quando o crime de dscaminho de dreitos de
tabaco for pratirado por inddividuo, que exerea
com trabalho cgmpativel com as as torcas.'
Aos crimes a que pelo mesmo cdigo era appl-
cayel qualquer das penas perpet as de trabalhos
pblicos, degredo ou prisao, ser; o applieaveis
-duq g Palmea (Anteni,,;1 TSSBSaSSPmmtt't ""*
mandos, conde to ^bajse M;;r.; A WMM- g^jhio d. reino continua- j Toda a au.oridade civiL miitar;o judicial, que
ctdLZ Ti i*?0 md e "* Casos estabele" deixar de Procoder con,ra os intnctores ao dispos-
KmaTF1 ^'" '? na ,resente lti' 0lt Ia" n3o promover os respec-
moofina l,\ ,osPoll,"-n>n"nuara domes- ti vos procesaos, ser punida nos termos da tal
mo mouo a ser applicada, ou sej; como pena, ou : commum em vigor.
soja comb effetlo de penas temporarias ou perpe-1 De toda a tomadia de tabaco terao os apprehen-
iu,is nos i asos em que estas lican subsistndo. dedores e o denunciante, quando o haja, metade do
m.vimn a meS""!'"i"10 leuuzlllf a aM :,nnos P^ucto d'clta ; se porm a appreheusao se ver-
nSlT';";M veau>*" e,n,lue flcar''"iibem no reo, n'este caso dous tergos do
dedarad^drBrand^ ?S2?. Wh'' mH,dav* aPP,,:ar '^raria- mesmo producto pertencero tambera aquelles.
aectaracto (le grande mente nxando o mximo em qu.me annos. Nos processos de tnma.lias rtn iah>m ot,s,rv
vincias do ultramar, para em summa nos manler
na classe da naco martima naco marilima ex-
presamente repito, e nao potencia naval, confir-
tnanot a disunccao que no comeep d'oste relatorio
indiquei ; De 1 vapor, i fragata para repivsenta-
|W njeessana e para verdadeira marinha de guer-
ia ; tv corveUs ; 15 navios de menor pwle .2 ca-
ntioneiras avelas couracaitas, alim de completr o
systema de detoza do porto de Ltsboa, 2 transpor-
tes oiyxtos-. *^
De \ela, 1 corveta para escola, de manobra ; 8
transportes.
Ao todo 33. navios ; 30 de vapor e 3 de velas re-
preseniando uro custo de 6,87fJt000f000/
O servico (Vestes navios em eslacoes e outros '
destino, deveria ser destrihuido como se segu.
->o Atlntico : arcbipelago de Cabo Verde e eos-
ta de Guie, i navios de pequeo lote ; costa occi-
tental de frica e golfo de Gui, I crvete e 2
navios de inferior lote ; nos portes-do Brasil, 1 cor-
VtW.
No Ocano indico : costes de Gtia, Damao e Diu
orv ta e 1 navio menor; costa oriental da Afri-
nardo di Silva Cabral, Jos
rea, cornmandante da guarda municipal de Lisboa,
novo [-ministro da guerra Jos Gerardo Ferreira
1 assos, b ex-ministro do reino Anselmo Jos Braan-
camp, e Jos Ribeiro da Cunha, negociante de gros-
M trato 6
Na cmara dos para6 o Sr. Antonio Jos d'Avi-
la propiz que a ceremonia do reconbecimento do
priocip
reunid
gala e. c dia.
OSr
postas
5es predial
mico.
real fosse feila com toda
s ambas as cmaras, e i
Foi
approvado.
ministro da fazenda apresentou duas pro-
le tai, flxando a importancia das conti ibni-
e pessoal para o futuro anno econo-
As penas temporarias
tu
1" Joao Florentino dos Santos.
2 Jos Pereira fieite.
3 Joaquim Claudio de Mello.
4" Joaquim Pedro Alexandrino.
5- Antonio V idal dos Sanios.
6* Laurentino Ferreira Pimentel.
Cnmmunicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dita.OSr. gerente ila companhia Pernambu-
"e Fernn
_ >fa cmara electiva contina ainda a discus-
sao da resposta falla do throno. Todos os tiros
se dirigem por parle da opposico contra o Sr. Lo-
bo d Avila. O mais acrrimo oppugnador tem sido
o Sr. Antonio de Serpa. Prevein alguns que o
ministerio da fazenda nao resistir aos debates ;
outrosj e nao sao nicamente os seus amigos pes-
soaes, a julgarem pela sua resposta ao Sr. Serpa,
esperam que saia airosamente, deixando o seu ca-
rcter completamente illibado das insinuacoes vio-
lentas e envenenadas, que Ihe teem sido dirigidas
a proposito do
Quando porm houver de ter lu;rar a ageravacao
das ditas penas, observar-se-ho asregras seguin-
As penas de trabalhos
quabjuer funeco publica, a sentenca condemoato- VT f":' TK'^STi ^^ "'i"!"
na importar o perdmento da mesmafunecao. I \[ '" da n5n? riniTlv ^ .
. Aquelles que auxiliaren de qualquer modo o portes tutticKra?it "0*: *%?, e
dscaminho de diretos do tabaco serlo considera- %XvwS&^ ***'
l'y^SSflg'ELnlo at .os Acore-,
1 traga:* e 4 corvetas para ijuaesquer eventuaes
eommiisoes.
Para successi va mente supprirem as indicadas os-
tacoes, 3 as renderem com o preciso tempo de
apercerimentoS navios.
Para especial e eficaz defeza do porto de Lisboa:
como se disse, 2 canhoneras couracadas, ou bate-
ras flu tuantes.
Para escola da manobra, 1 corveta de veta.
Para as frequentes conduegoes de tropa, roate-
nal, mt niciamentos, e provises s diversas pro-
vincias ultramarinas, 4 transportes, como so expoz.
Dspor-se-ha assim, com a base na costa occi-
dental da frica, de urna divso de cor-veta e 4
um so commando superior i
quine annos. ->os processos de tomadias de tabaco" observar-
ousejati dedez oude se-ha, no que for applicavel, na eontormdade da
yinte annos, nao poderao ser aggravadas emquan- presente le, o dspostonos artigos 349 354 e seus
paragraphos da novissma reforma judiciaria.
ofrLanmSSVel -a"Ca neteS Cr"K'-
e-sLsft p 3S-=r* sasrcR. ^nssasszss
rinha.
Dito ao mesmo.Devolvo V. S. o pret nomi-
nal, das diarias .-.lanadas pelo 2o balalhao de la-
fuitaria aos n crinas que foram recolhidos ao de-
]H>sito, no mez de Janeiro ultimo, com destino ao
exereiio. para que mande lagar a respectiva im-
portancia, lie.vido V. S. certo de que, opportuna-
nientc Hw seta remedida a relaeao qoe solicita
em sen offleio numero 66 de II do crrente.Com-
miincou-se ao brigadeiro commandaote das armas.
Dito ao nVsmo.Transmiti V..S. para os
oonvenientes, xsmes, as me nsas copias das acias
do eonselbo administrativo do arsenal de guerra,
datados de 22 e 27 de Janeiro ultimo.
Dito ao tnesno.-l>articipando-me o brigadeiro
cornmandante las armas, em offleio numero 225 de
4 do eorrente, que a colleclcria da villa de Gara
rihons, quer pagar a etape as pracas all destaca-
das na ratita do 340 reis diarios, por nao ter rece-
Indo rJeasa mesoararta communicacaoalguma acer-
< a ilo quantitaiivo em que Ib lixdo esse venc-
meato, a i semestre eorrente : asslra o declara V.
S. para que. expela as convenientes ordeno a se-
lnelnante respeto, nao s aquella collectoria
como as de m; is qoe se ad ai i incumbidas de pa-
jar vencimentns aos destacamentos existentes no
centro da provincia.
Dito ao mesmo 0 alvitre que. em offleio de 4
do eorrente, sob numero 62. propde V. S. de des-
contar nos vencimentos dos empregados do arse-
nal de marinh; no eorrente mez, o que recusaram
pagar por conl i lo auxilio que offereceram para
3 urgencias do estado, nao pode ter lugar, por
^sn que a delllieracao tomada pelo EOverno impe-
rial de mandar cussar do ult no > de rjezembro pr-
ximo lindo em diante a arrecadacao d'aquelle au-
xlio, una medjda geral, que nao Aove ser appli-
cada em restriicfio aquelles empregados, em vista
dos avisos expedidos pelos ministerios lo imperio
ein30eda fazenda em 31 de dezembro prximo
pretrita
Dito n inspector da tbesonraria provincial.
!No baveado ii ermvenenle mande V. S. entregar
ao thesoureiro da irm;lndad da igreja de Nossa
Senhoia do Rosarlo na fregu.'zia de Santo Antonio
testa cidade, como pede a mesma irinandade nos
inclusos reqoer mentos, i im|KMlancta que se acha
lii ta da segund; parle da primeira loteria concedi-
: 1 favor das obras d'aquelh igreja.
Dito ao mesmo.Tomando em consideracao o
que no htelnm rei]uerimente expoza professorain-
terina da ra.lci a de primeiras ledras da villa de
Ignarass, Francisca Cesara, reeommendo i V. S.
que consideran-lo abonadas as fallas que deu a
supplicante no nez de Janeiro ullimo, mande pagar-
lhe integralmecte a gratillcaciio que venreu na-
quelle mez.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
V. S. recolher aos arraazens >lesse arsenal, quando
lli j torem randados por parte do brigadeiro com-
mindantc das armas, urna espingarda do adarme
17 cora vareta, i'bumbeira e liandoleira, urna bao-
n. ta com bainh.i n sem ponte ra, urna patrona. um
cealurao com c; nana, urna muxi'la, tudo em mo
estado perteoCBite ao soldado do 8o balalhao de in-
a itaria Joaqnin Pereira da Silva que falleccu na
colonia militar i e Pimenteiras.
Dito ao coinir andante do corpode polica.Pode
V. S. contratar para o servico do corpo sob seu
ommandem pasano Juvino .leronimo Peixotn de
Albuquerque.que fui considerado apto para isso
como V. S. declarou em seu oficio numero 70des-
ta data I que respondo.
Dito ao rpita i lo Porto.A vista das razSes ex-
pestas jior V. S. ca seu offirb numero 19 de 5 do
crtente, resolv approvar a despeza de 245000
. que se fez |>elo cofre das inultas da capitana,
com a collocacan das boas de que traa o oficio de
4 le Janeiro uili m, cumprindo que para o servico
a azer-se com as que se estn apromplando no ar-
senal de marinha, V. S. procedendo aos ajustes ne-
ceisartas, aprsente com'antecedencia urna nota
da respectiva depcza, alim de ser paga pela the-
so iraria de fazenda e por conla do crdito consig-
nado para despea s extraordinarias e eventuaes do
ministerio da m.irinha.
Portara.-O'ice-presidente da provincia, coa-
empreslimo negociado pela casa
..------- ---------,_____ _______j-1 Stwn llrotbers, de Londres de 2'500 O1 H) libras
tas que me foram remedidas pelo inspector do ar-1 cana mande transportar al o presidio de Fernn-1 Na sessao de 24 o Sr Lobo'd'Avila decirou
!1', 'itomarHl?>ha- ('m" -"'," fc l",m,-'ln' SOb nU' %" Vapor ^"l*. em '"(Jar < P^ ** i f" I* Parlamento, que no anno econmico de
mero 629, afl-n de que. nao havendo inonvenien-1 nado a passageirn de estado, Maria Francisca da 1864-il865 nao levantara emnrelimo alcum A
c'".lt'VKri!!T?,^^lumi,iaa a aT^' ,nu.lher(. ****** CmmI Bezerra recelta ordinaria, o lucro da consolidado da div-
&nS o i qU "''' 6; m"Wr"- ''u" *JSe ?"" "lhos nianures da Ouc. uante, a venda do carainho de torro do sal,
importe i o na consumido nos mezes de novembro Dita.-O Sr. renle da companhia Pernanibuca- bastan un para pagar todas as desnezas ordinarias
e dezembro do anno prximo passado, com a illti- na mande dar urna passaRem at o Rio-Grande do e extra irdil.arias uespezas ominaras
jninacao daquell arsenal la casa da inspeccao. Norte, no vapor do da 23 do eorrente, em lugar | Asseverava-se 'ha tres dias oue a comimVao
-Lommunicoii-se ao inspector do arsenal de raa- de re. destinado passageiro de estado, Joao j de gueifra da cmara dos depuladcs acceila o pa-
I illa \ iraes, guarda da casa de detencao desta ca- no de rfcorganisacao do exercilo do Sr. visconde
P l 4. ., .. i Sa' Cl,n alunias modificacoes, rejeitando a
Despartios do da 12 de fevereiro de 1861. ; proposla do general Passos ( actual ministro da
Hn/unmentos. guerra > a que aanulla a mesma reforma.
Modesto Francisco Muoiz Tavares.Informe o Se assim fr, tem mnila sngularidade.
Sr. inspector da tbesourara de fazenda. ~" *[ publicado offlcialmente o projecto de lei
Geraldo Antonio Barbosa.Prove o sopplcanle apresentado na cmara dos deputados pelo Sr.
ser o mesmo deque trata a certidao juma, bem I Raspar Pereira da Silva, ministro da justica, a on-
coino que maniinha a sua familia ao tempo em que linido a pena de raorte. t E' o nosso pit diz o il-
foi recrutado.
dem ser aggravadas, sendo applicadas "no ultra- contrate, quer as tabrfcas, quer as administrar
',^j.j .. f^ nos estancos ou em quaesquer depsitos, pa-
a pena de degredo pode ser tgg avada pelos mo- gara o mesmo contrato os dreitos e impostes esta-
V^T.tV'At- *. -^ belecidos na presente le, levando-se todava era
sendo jiara frica oriental pod! ser aggravada conta no direito de entrada aquelle que os contra-
cqra prisao no lugar do degredo, a qual comtudo tadores tiverem pago na alfandega quando despa-
lmo se pruloogara alera da duracc d'elle; charam o tabaco para a fabrica.
sendo para frica occidental pc e ser aggravado Todos
para a oriente! bricar e vender tabaco ficam sujcitos a inspeccao
Todos os estabelecimentos onde se arrecadar, fa-
-.icar e vender tabaco ficam sujcitos inspe
bendo para a India pode ser aggravada para a das autoridades de saude, conforme a legislar;
frica occidental; regulainentos sanitarios em vigor.
im-j k --------- *"'iea revogada toda a legislacao e n contrario.
KlSS'."! ,.un,,no rela,no '1UB P1" O ministro dos negocios da fa :enda o Sr. Lo-
A atlenua;o das penas ter lu ;ar nos termos Os actaes empregaAK^a coiUabildade do con-
!2S' ^ trat0do tabaco cam considerados come se tives-
A pena perpetua de perda dos d reitos polticos sera pertencido a urna repartirlo publica, para o
poden *r sub>niuida pela suspendo do exercicio effeito de seren considerados como addidos s di-
deties por lempo dedez a viole amos. versas reparte-oes do estado, a cujo servico fream
A peni perpetua de expulsao ten porta de dez a obrgados; abo'nando-lhes os seus vencimentos nos
i.3?"0*; l,!rmos do artigo 2 do decrete de 16 de Janeiro de
As penas temporias por vmte arnos podem ser 1834, quando nao continuarem a ter vencimento e
redundas na sua duracao at dez nnos. emprego na empresa do exiiocto contrato.
a uuracao das penas temporarias por dez annos Em igualdade de circunstancias; o pessoal esti-
pendiado nos termos deste artigo ser preferido na
admisso para os empregos das repartieras do es-
tado ; cessando desde ento o vencimento por
esta lei.
Os actuaes empregados na Qscalisacao do con-
trato do tabaco ficaro eneorporados, para todos os
elTeitos, no pessoal da flscalisaco externa das al-
' fandegas, e em tudo a elle equiparados.
poder ser reduzida no minino de res annos.
Todas as outras penas continudrao a ser appli-
cadas pelo modo eslabelecido n; legislacao ac-
tual.
K o governo autorisado a alterai em harmona
rom esta lei Jos artigos do cdigo penal, cujas
dis|K)scoes sejacharem modificadas por ella.
cmaras .i segrale pro-
liberdade do co nmercio e fa-
Baeharel Paulo Marlins de Almeida.Passe por-!
laria concedendo a liceuca que requer o suppli-
cante.
Silvestre Dantas Luna.-Informe o Sr. director
das obras publicas.
EXTERIOR.
i
qoe sanecionar um facto ha muito accedo pelos
costuines pblicos, que hoje seria difflcil contra-
riar. Se a pena de morte continuasse inscripta
na nossa legislacao penal, eu creo poder afir-
mar que nao sena possivel encontrar um minis-
tro da justica que ousasse aconselhar el-rei a dc-
negac;io do uso do poder moderador, e tivesse
corag m para mandar novamente eravar as es-
coras de um patbulo no solo de Portugal.
1851 860
< rimes contra a religiao 52;
dem wnlra a seguranea do estado 14;
e tranquillidade publica
------------- r,......
dem contra a ordem
I OHSKSIOMK'VI I \N ]0 DIA
RIO DE IMIIMTllll < o.
tniiA.
28 dr janriro de 1861.
Persuado-me ter-lhe annunciado em P. Scrip-
um i minha uliima, que no dia 13 o Sr. viscoude j 3:827 ,
ile Sa da Bar.deira pedia a ua demissao de mns- Criraiis contra as pessoas 23-211
ro e secretario de estdo dos negocios da guerra. dem t-onlra a propriedade 10 116 :
loi t* nobre visconde substituido pelo general Pas-' Contrvencoes de polica 1:925;
'*tL *.. ..______. .. ,9.r.mits estranhos as precedentes classilicacoes
.xo da lo annunciou o Sr. presdeme do conse-' 1:953;
Iho, o duque de I.oul, ;is cmaras ter o Sr. Ansel- < Tolal
mo Jos Braanccamp pedido a sua exoneracao da I
"asta do reino. meme
*** E unos de ^^^:^l^r^oSr^
31:098.
Se d. stacarmos d'esle mapa o que especial-
de homicidio,
elativo aos crimes
O Sr duuiie exonerou-se ten-ilmi.nt.. di nau I IITO aos er"nes de Homicidio, o mais
cas obras^^J^S^^M^Sl' Se^dn'SSS^ "0M0 C,M,I6"en'" T
I cot encarrecado da dos n.-i/ocin rt r,.nn ip p a de morU' v,,reraos que o numero des-
Para a das obras publicas foi noraeado o distinc- o'numi
as obras publicas, pasta que esteva interinamente
confiada ao nobre presidente do cnnsellio. desde a
saluda do Sr. Thiago llorla, ha pouca fallecido.
A exoneracao do Sr. visconde de S da Bandei-
la, e logo depois a do Sr. Braancamp, explica -
lelo desagrado manifestado pela matarla da cma-
ra dos deputados reforma do exercilo ultima-1
mente decretada, e que ambos aquelles ministros
haviam referendad. Levantou-se no seio do par-
menlo, depois da sahida dos Srs. Braancamp e '
v Boonde de Sa, auna qoestio de solidartadade mi- '
nislerial, declarandn o ar. presidente do eonselbo
q e essa reforma, nao tendo sido apresentada em
(i !. i il l ,f, 11 i mini.li a. nMn i-A -1 n i>i!.iji:..> J ^ -. kbJ
t> engenheiro e depu.ado da naco, Joao Chr'vsos-: noslnielln"^^.!^ d* homif.idio commettidos encontrado nas alfandegas em estado de ruina sera
taomo de Abreu c Souza. Aproveilou-se, pois", es- ,d"ad0s 10 ann5' ,; seuin,e : inut.hsado.
11 nccaso para nomear-se ministro especial para ,
Em
1851 278
1881 2H8
1853 255
1854 224
1855 163
1856 162
1857 152
1868 139
1859 146
1860 142
Da i omparar,ao dos dados que este pequeo map-
pa aprsenla se conhece que a criminalidade no ar-
tigo homicidio desceu no periodo decorrido entre
0 e 1860 de 12 a 5 por cenlo em relaco ao
conselho de ministros, era s da iniciativa dos mi-; total d|crmes contra as pesadas, eque o termo
n stros demissionarios e portento de sua nica res-! medio della no mesmo periodo approxiraadamente
pmsabihdade. Acceilo este principio, o facto da-: de 8.5D por 100, com referencia nusma classe
q jellas duas exoneracoes nao comprehendia polli-! de crilnes.
c miente o gabinete. ccrescentou o Sr. presidente \ Est.i doutrina, encontrando face da civilsacao
> que, discordando os outros membros | christ^a um sem numero de svmpatlnas, retorca-
,. onde se fal rlcar tabaco
di ministerio das op.inoes do Sr. visconde de Sa da por argumentes i rrespondiveis. Tudo faz rrr fica sujeilo immediala inspecrq e I scalisaco da
n aquelle assumpto, nao obstante a eonsiderai-ao a portal lo i|ue a lei passara sena a menor sombra de aatoridade que para isso fr designa, a pelo gover-
a mzade que Ihe votavam, elle proprio deliberou opposjco em arabas as casas do parlamento. no, a qual conhecera que qnaiitidades se fabricara
d ir a sua demissao, e que igual motivo obngara Eis aqu as prracipaes dsposicoes do projecto, de tabaco, e suas differentes especie, bem como
den llue il Il'o sera .icolhiito rnni nnr mr tMi u amtllm a iim Lmi OU plantas
entes no-
uirasuauemissao, e que igual motivo obngara ; bis aqu as prracipaes dsposicoes do projecto, de tabaco, e sus differentes especies, be
o Sr. Anselmo Braancamp a dar o passo que den. que jiilgo ser acolhido com prazer por lodos os se nesse fabrico se empregam hervs m
A cmara tqraou a resolucao de se reservar pa- nosso i leitores, como aqui o foi. estranhas ao tabaco, ou quaesquer ioi redi
r, na discussao da resposta ao discurso da corta,' Fiel supprida a pena de morte era todos os cri- cvos sade publica.
E prohibida no continente do rein> a planlaco
O governo far todos os regu lamentes necessa-
rios para a boa execucao d'esta lei
Fica revogada toda a legislacao em contrario.
Te ve lugar no da 11 du eorrente, em Lon-
monopobo de tabaco desde pn- dres a assembla geraldo London & Brasilian
meiro de maio de 1864. Bank licando unnimemente approvado o relatorio
Do referido da pnmeiro de maio -m diante e li-1 da direceo.
vre o fabrico e venda do tabaco no conlinente do A ultima cotarao das aceitas d'este banco, de-
reino unas adjaeenles e Marao. pois de estar approvado o relatorio na de libras
toda a pessoa ou associacao que jnizer fabricar 21 22 por cada acciio de 35 libras pagas,
ou vender tabaco no continente do r-i no, de ve pro-1 Espera-se que seja brevemente, apresentada
viainente liab itar-se com a compet nte licenca. i ao parlamento pelo mesmo a proposta de lei para a
governo designara se assim o julgar conve-, reforma consular. Os goveruamentos farao parte
is onde alem das cidades de Lisboa da receila geral do estado ; os cnsules terao orde-
nados de 1 al 6 contos. Espera-se que a receita
seia superior a despeza e que a classe fique collo-
cada era mclhores condicoes do que actualmente.
Se nao podermos ser urna potencia naval, cum-
pre-nos sustentar os foros de nacao maritima, como
judiciosaraente observa o Sr. Mendes Leal no seu
uitimo.relatorio da repartieo de que est encar-
regadb. E por isso que entre os successos d'esta
Suinzena devo mencionar-lhe como dos raas dignos
e menco especial a acqusic/io de mais urna cor-
veta para a nossa armada. Foi laucada ao mar a
Duque dr Palm, lia no dia 25 do eorrente pelas tres
horas e 10 minutos da tarde, na presenca de suas
magestades el-rei D. Luiz, sua augusta esposa, o
Sr. infante D. Augusto, altes funecionaros, acorte,
a imprensa peridica, e mais de trinta mil pessoas
do povo que saudaram a entrada d'este elegante
vaso nas aguas do Tejo com estrondosas acclama-
Coes.
Foi comecada a corveta Duque de Palmella ba-
tendo el-rei o Sr. D. Luz 1 a cavilha na caverna
mestra no dia 23 de julho de 1863. Estove por
tanto no estalheiro 6 mezes e dous dias. Tem 50
metros de comprdo, entre perpendiculares ; 9,3
metros de boca, e 4,11 metros de ponlal da face
superior da quilla tace inferior do taboado do
eonvez.
Ha de receber urna machina de vapor da torca
de 150 cavados. Ser armada a corveta em ludo
semelbante a Infante D. ledo, que no da 21 che-
gou Londres, e recebera 10 peras e 2 rodizios.
E de lote de 747,846 toneladas mtricas. Deve de-
mandar na linha d'agua carregada 4,18 proa e a
re 4,50 metros.
Para o meado de marco prximolancar-se-ba ao
mar. tainbem dos estaleiros do arsenal "de marinha
em Lisboa, a corveta Duque da lerceira, niaior que
a Pulmella.
No relatorio apresentado cmara dos deputa-
dos pelo ministro da marinha, o Sr. Mendes Leal
l-se o seguinte :
< Consiste na actnalidado a nossa marinha de
guerra em 1 nao, 1 fragata, 3 corvetas, 1 brigue, 1
transporte, 1 escuna e 3 histes de vela o crvelas
de vapor em eltortividade de servico outra que
emalgumas semanas estai prompta e apercebida
para qualquer coaaoitasao; 2 que em poucos mezes
se acharo no mesmo estado ; 2 vapores de menor
lote, e t que pode com pequeo fabr'o servir ain-
da utilmente, sem contar os 2 que se empregam no
exclusivo o peculiar servico da ftscalisac/io, e nu-
tro que se constiue em Liverpool e se destina es-
15200 rs.
Charutos, por klogramma 25800 rs.
Outras quaesquer especies de tabico manipula-
do, or kilogramina 1600 rs.
Nao applicavel ao tabaco a dispjsico do arti-
go 27 dos preliminares da pauta ge al das alfan-
degas.
O tabaco em folha ou em rolo s poder ser im-
portado pelas alfandegas de Lisboa i Porto, e nao
podera ser despachado genio para a- fabricas devi-
damente habilitadas.
Pela exporlaco do rap fabricado no paiz have-
r a lestilugao de tres quartos do d reito.
O tabaco de manufactura nacional,, urna vez ex-
portado, nao poder ser mais admittido, ainda mes-
mu a pretexto de benefieiaeau, e aquelle que for
Todo o fabricante de tabaco fica st jeito a um im-
posto de industria na razo de 100 -is por kilo-
gramma de tabaco em rolo ou em filha, que des-
pachar para frica; sendo este imposto pago no
acto do despacho.
, Todo o individuo que quizer vend r tabaco ma-
nipulado obrigado a inunir-se de ompetente li-
ceuca com previo pagamento de um imposto, o
qual ser de 15200 ate 245000, conforme o local e
o modo |iorque a venda fr feila.
Easaa uceaeas nao isemptam os v radedores de
tabaco de outras contribuicdes a que estiverem su-
jeitos pelas industrias que exerceren.
E prohibida a venda do tabaco que nao fr ma-
nipulado.
Pela infraceao ao dsposto no artig antecedente,
ficam siijeos ns infractores a urna milla, quo nao
ser inferior a dez vezes o valor da licenca nem
superior a vinte.
Todo 0 estabelecimento
plantaran.
dos ministros o a sua theoria de solidariedade ; o; Ao* crimes a que pela legislacao actualmente em Aquelle que no fabrico do tabaco e npregar her-
si. conde de Thomar quiz saber se na discurso da | vigor era applicavel a pena de morte, ser aptica- vas ou plantes extranhas ao mesmo b.baco ou on-
coroa hay algum outro capitulo, quo nao fosse da a de trabalhos pblicos por toda a vida na Afri- tros quaesquer ingredientes prejudiciaes a saude
di solidariedade ministerial. !ca miental. 'publica, seta condemnado na multe de 5005000
O presidente do conseibo respondeu que. ex-| Es pena nao suscepirel deaggiaracao ou reis *:00050000.
esprao da reforma do exercilo. era tudo o mais es- redu -cao. I. Ni case de resoidenria ser eondffnnado no de-
que me limito ao estrictamente necessario.
-Nos lins do secuto anterior, ronclue o enrgi-
co ministro da marinha, urna nao de linha de 80
eustava prximamente 200:0005000. Vinte annos
depois eustava o dobro. Agora urna crvete de
segunda classe custe isso; urna fragata mediana
nas concices ordinarias o triplo; couracadao du-
plo.
Des;:e modo o mesmo total de 6,870:0005000,
boje apenas bastante no modeslssmo quadro aei-
ma designado, se nos reporlassemos aos lempos
citados dara para dez naos e outras tantas fraga-
tas com o numero proporcionado de navios meno-
res ; e todo esse material, nominalmente muito mais
consider.ivel que o proposto para sua conservado,
movimento eguarnicn, cusiaria menos de metede
das venas relativas.
Con-ira s advertir que essas naos e fragatas
alem de lies fallarera motor poderisissimo do va-
por, de onde a marinha derivou nova e muito
matar aceo, erara nao s muito inferiores em di-
inenses, tonelagens, capacidade, armamento- e
terca aos actuaes vasos de igual classe, mas sem
temeridade se pode afirmar que nao resist ra m
aos de classes inferiores como presentemente-se
armara.
Os que mais os acclamam, tornando-es pontos de
deprimente comparacao, de certo norecomporiam
com elle uraa armada para agora, se houvessem
de servir cora esta o paiz nas novas condices.
Os progressos e adiamntenlos da arte tvpo-
graplnea entre nos acabara de ser galanteados na
pessoa do Sr. Mareos administrador da imprensa
nacional, o priineiro estabelecimento tvpograpbioe
do paiz, e que representa em mais larga escala.o
desenvolviaiento e pertoico da arte efe Guttemberg
eolre nos.
Os dous principes Araudeue de Carignan licararo
tao inipressionados da visite que tizeram quelic
estabelecimento quando aqui estiveram, que pedi-
ram a el-rei de Italia a commenda da ordem de-S.
Mauricio n S. Lzaro para o administrador.
O Sr. capito Claudio Chaby, honrado e ntel-
ligente miliiar a quem o goveruo mandou em com-
missao a Ilespanhaparacolher subsidios para a his-
toria da guerra peninsular, concluio a primeira
parle dos dous Exerplos historia* que contera va-
rios documentos importantes, relativos guerra
de Bousillon e da Catalunha nos annos de 17P3
1794. era jue lomou parte adivisao porlugueza.
um volume ntidamente impressoe acorapanhado
de gravuris. retratos, mappas, plantas tepograpbi-
cas, etc.
A bella disposgao da obra e-as notas de que a
acompanha o collector, sao mais urna prova dozelo
do Sr. i;iia i) e da sua devo^o pelas glorias pa-
trias.
Foram concedidas patentes de invencio e
previlegio de introdcelo aos seguintes individuos
pelos segu mies processos :
Ao D. M. Feurerheerd, subdito hamburgOcz, re-
sidente na cidade do Porto, como inventor de um
processo de tirar do acido sulphurico, destinado
para o fabrico, da soda, as parles do arsnico que
o mesmo contera, pela razo de ser fabricado por
pyrtes de torro e outros sulphurelos mineraes, e
um processo para o fabrico de soda com acidosul-
phurico extrahidodas pyrtes de torro eoutros sul-
phurelos irineraes por um. torno de nova conslruc-
cao.
E a Eugt nio Alfonso Cotelle, um apare Iho para a
abricaco do alcool de gaz por meio de cidos di-
luidos, adiando indefinidamente sera.reconcen-
tra c;io.
Na fabrica de sedas- dos Srs. Cordeiro & Ir-
raao, eslabelecida prxima do largo do Bato, houv
na noite do dia 2 do eorrente mez urna testa indus-
trial para solemnisar a distribuirn dos premios a
qualro operarios da fabrica, que no decurso do
anno passado maiores. provas deram de perto$o
nas suas manufacturas.
E' esta ta a segunda vez que na tabrica dos Srs.
Cordeiro V Irma se honra de um modo tao bri
Ihanie o trabalho dos operarios que all tcaba-
Iham.
A honra ': para lodos, perqueyO jury encarrega-
do de qualiicar as manufacturas mais dignas de
premio imposto pelos proprios operar e s
por elles elco.
Nem o m.-stre da fabrica, nem os preprietarios
influem na eleico que sempre corre livre e a con-
tente dos uileressados.
Este anno, a festa anexar de modeste e s pro-
pna do fin que se pretenda solemnisar, estove
mais brilUa'iic que no anno passado porque a con-
currencia fui inaior, especialmente de funecionaros
pertebitcnte aos mares de Maeo. Ao todo 11 na- pblicos, de membrus das escolas superiores, joma
vios de vapor e 11 de vela, representando com
seu apparelho e armamento um valor total de-----
3,060:0005000.
(mesmo eonselheiro da eora accrescenta o se-
guinte :
Com o voto tcchnico. e parecer de* competen-
tes |H'iiso pois que deve ser romo passo a expor a
numero-;!, qualidado dos navios, de que se nao
pode prosendir para tornar verdaderamente pro-
ficua a marinha, e para atalayar, proteger, fiscal*-
ar. toromunicar e teciindar as nossas vastes prcr
listas, etc.
Seriara 7 horas da noite quando o respeitave
presidente .'oo Evangelista Rodrigues Nobre, que
pareca rejuvenenen aos seus 85. anno-, o decano
dos fabricantes de sedas, deu cometo ao acto so-
lemne da djslribuicao dos premios, concedendo a
palavra ao iclator do jury qualilicador, Paulo An-
tonio, pa er o seu relatorio.
0 jury qualilicador eleito d'entre os operarios
da fabrica :*m quo os seus propretarkis. nem o
prooaio me-tre. team a menor parte ou influen-
^p^ hq^u,
,.- rmm




*:

/
governo nao Dea obrigad i i receb
ra nesse, ota que corre livrementc 1OT
rar, ..lo o anno, 1te e s pagar o seu vawr.
m; na un.-a slolidoso mam.- austero de valore, na Sucio de seos ta- tes os casos for.u.tos, ordinarios ou extraordina- pa verdaderamente real.
hall, ir,os>
Mario de Pernambuf -- Tei-ca fcira IO Je Fevereiro -los
i lo-
1isanienlo da entiada do marocha I du pie de Snl-
danba, nosso embaixador na ron.!; i n i i --i. -
Uit-se que o casamento so Hiera oem urna posa-
i,l is o ministro da marmita, o Sr. Meados Leal,
d'el- depois de urna breve, mas cloquete allocuclo, dis-
po- trbulo no dia 25, na sala da inspeecio do arsenal,
upo as medalhasde pratarGoacedidaa aos seguimos ma-
algum effeilo, qualipier 10 ello rilimos, por lerem, eom risco proplio, salvado al
do
dezembro de 17G1.
os-
isamente des-
e todos os casos solitos ou inslitos cogil
Denoto -la litara do ivlalorio, que foi remet!.lo OU nao cogitados, e que em todos e cada un
partVme^aacompaohadoOommappaaaitob.m les ticara.. Mnpre oBrigadas sera a-dless
orfOMSadn, eni qu.-.u-ha%aiiiclasMticadosdiv-r- dereu. valer neni os poderetn llegar em
irstas, sesundo a- nocas que produzram raiuvoan... uTeram patarra para"lamo disciir- "* conformidade do que dispfe o| l|! do urnas vidas no Tejo no da 6 de seteinl.ro do anno
sos divenos operarios. ," aa .* da ,
Examinado na mesa o mappa em que se arha- O niovimento o retocos officiaes en/
vam exa ados os valons obtidos pelos '.ribaldos sas colonias e a metrpoli
prudoiido (luraate o wae nodo, *
JruVnelanos'ia ffica,^^8^1Suarefr WM. transportados por coma do estado partas
provincias ultramarinas, sem contar os que d
dia se traiisferiram para ootros goveroos, I
individuos; dos quaes 906 directamente do ri
e tiii provenientes do Brasil nos navios de guerra,
a bordo dos quaes solicitaran) passagem. Deepin-
pte-aa do simule modo o total dos procedentes do
apreseoton-w son todo o bata bao em frente de
Paysand.
Nao leve a fortuna do desembarcar, porque Flo-
res Ihe fe un fog vivissimo nora urna peca de
artilharia que tinha, e por conseguinte retir'ou-se.
Suppondo os sitiados em esta lo de nao puderem
se cuida alli senSo em eteiedee, e em Boen
. monte sao ellas a preoc-
cupacao de iodos os espiraos.
dia I i de fevereiro, ern quedevem ter logar
se approxima earregado e sombro. Os partidos
trabalham cada dia eom inais ardor pelo triumpho
team denoto recebe-lo* reino: para Timor i para S. Tlwm e Prinri|.e30,pa- dios, com t jogos de mangueiras, de
das niikis dos Srs. Ox- i a Caboverde 7<.para Hocambique 171, paraiMarau ras rada jogo.
194, para o estado da ludia 210, para Angola 277. Koi pela mesma cmara e na ine<
card, Jos Mu vira de Senna Francisco Anto
nio.
A manera que iain sendo chamados i mesa OH
premiados para rereberetn os seus respectivos di-
ploam atfldamente impres&os > cores, eram abra-
cados pelo> mesabros tu casa.
Os piv.Miiios .pecuniarios fot
os artistas particulai meato
denos.
Antes de dissolvida a reoniao um dos secretarios Alera oestes, acbam se prximos
1.7. urna igetra al locuelo por .parte da mesa, ?*- gem para 1 mior mais de oU.
tingando os operarios '.*. simio e au pedido i as- A destnbuicao por elassos.
tantf de ensioo prcssional peante os poderes iti- eos o. empregadoscivis
blicos, soli?iando-lhes execucao do decreto <
eslabelecjii u instituto industrial de Lisboa en B.-
cola industrial do Porto cuinos elementos iiidispjn-
saveis quelle ensino.
ssn terminou esta resta civilisadora, que mu-
to deseja ver reproduzida aesta c em todas as lii-
bricas con bomenagem ao mrito, eomohonra ao
trabalbo.
> de
In-
09J
i no,
lindo
Joao Anlonio ipatraoi.
Joaquim Gomes i piloto).
Francisco de Salles.
Manoel Apoliuario.
Joao do Carmo Trafaria.
Manoel Vital.
Jesuioo Jos Simona
Um dos venadores da cmara municipal de
Lisboa, o Sr. Augusto Cesar de Almei.la, prepox na
diasanea eamara mande ooaapmr em ugiaterra
duas machinas i vapor paraos serviros dos incen-
' seis manguei-
resistir por mais lempo, por falla d'agua e de man-, de seus candidatos, que representan! suas ideas e
timentos, o general Flores man Ion um parlamen- suas aspiraedes.
tario ao commandaute da pr; ca com urna inti- nimiamente O ci.nunercio tem-se inquietado por
mar.hi para que se remle-se di liro donratode 't causa .los embaracos linanceiros do gOWfM, MU
oras, parapoupar a elTu-io desangtu que se achouothesouro publico etgotadoqnando sabio
seguira ao assalto que se vena Coreado a dar. ao poder, e lem sido obrigado at agora a fazer la-
Leandro (ornes repellio a prifwstl com diluida- ce tanlo as despeas ordinarias romo as reelama-
de. ereapendeaque se defend.tria at o ultimo das pelas tongas e costosas expediento! coatraPe-
transe. Tinha nessa occasiio api atas agua para tres nalosa e -cus partidarios.
das, anas conliavana ebegada do exercito legal, Horcado a recorrer ao crdito do banco provin-
cuja passagem para o norte do I io-Negro ja llie ti- cal. e inopinadamente obligado a entrar com as
nlia sillo annnnciada pelo goverao. sommas que tinba tomado emprestado, entao nao
Com effeilo. Flores vio-se obr^ado a levantar o houve outro remedio
inesma sessao ap-
a tegnir va- provado o risco proposto pelo L)r. Peserat, para a
reedifieacao dos pacos do consellio, regeitaudo-se
esta : ecclesiasti- una proposta parase per a concurso o risco.
e de justica 2i. euiprega- Km Lisboa esta para se publicar com o to-
lie dos de sade'lH (dos quaes 7 facultativos, 10 ar- lo de Jndepeniencit um novo periodo esrripto em
maceutieas, 1 enfermeiro; offleiaea militares frai.....i. a consagrado a assumptos politicos, unto
56, (dos quaes 113 para Angola, 12 para Cabovede, de Portugal, como do aatrangeiro.
Upara Mocambiquc, etc.) pracas de pret,pW O escriptor hespanhol Luiz Bretn y Nedra.
(contingentes para a india, Angola, Caboverde, Iiem conhecido em Lisboa, est acommodando para
Mozambique a Hacia); colonos* S13, dos quaes 21 a lingua eastelbana o AmUo de Gd VkenU, de Gar-
artftK-es. .'il agriculteres, ti maritimos, etc.) Kao rett, que dentro cm pouco sera transformado em
se roMiprebendein n'este numero os degradapos arzuella e representado em Lisboa pela compa-
Aun mciou-se no cia 18 o prximo -casam mi- j que sao enviadas por conta do ministerio da jus- nhia hespanhofa que se espera do Porto
to -do Ekh \nionio Ornellas addido a lejiacao l e Uca. Acaba de ser agraciado com o titulo de ba-
Porill,:''"S V -si!, en a lxula: S, a. 1. 'Ueme.leu-.e material de guerra (armamentos, rao de Fornel.oz o Sr Fernando Mara Pereira dos
Ponte. artilliana, municoes, petrcclius) no valor de rs. Santos, lho do fallecido barao do inesmo titulo.
der ligislaiivu esolvesso definitivamente a respei-
lo, na certeza de que (aria o que o tribunal deoi-
disse
Houve portanlo tonga discusslo, em que toma-
ram parte lodos os senhores presentes, excepto os
Sr-. Bimdes Machado Nunes.
u ;r. Brneaso Fraoea. nao se demorando em
tratai da inconstitucionalidade .los decretos de 30
de dezembro. geralmente recon1i.-ci.la, enieudeu
que doria manifestar e motivar o seu voto, e sus-
tentando que ao supremo tribunal de justica .' ve-
dado eomprir ordena illegaes, declarou que aria
transcrever na acia o seu voto em separado, se por
ventura o tribunal nao adoptasse a soa opiniao, de
opporse a execoco de taes decretos.
O Sr. Mariani abundando em argumentos para
mostrar que os decretos de 30 de dezembro sao in-
constitacionaes, e lamentando .. mal que lem-se
i --------------------------> viHiiuuu IIlcll *ltlx7 *r|ii_jxv
o senio retardar o pagamento constantemente reite magistratura comoimdo
sitio no da 18. porque sentio :. approxnnacao da- ..s .-mpr.-gados paUtcaa a exercito e suspen- lir;ir. he 0 prestigio, lir.nou-se no'nonio de nue
quella forca, que se apresentou debaixo dos muros der a destruicao mensal de dous milhoes de pesos Uc. cccretos ain(la nriu ;, neatyJs ... de Paysand no dia seguinle. cjm bastante pia/.er papel. depemle.n ainda da saneco do poder'legislalivo,
dos seus babuanies, que t.nhan licado dentro da A crise. por.-m, ja passpo, e o governo oceupa- ,ulu 0 conlessU 0 pro|)r0 lllinj^ro ,c|l.r,.n:
praca. Alem .leste auxilio, tinl.am os sitiado-r- em enmniaar umservleo de nsealiaaeio mato dou taes decretos, e sendo aasia nao ten poder
eebi.lo outro Jnao menos imporante dous das an- eiluaz sobre toda a contabilidad.-, alim de r.-pn-
les, una chuva copiosa, que Ihc deu una provisao mir oa abusos que tem encontrado, pensando ao
d'agua para tres mesas. meamo lempo estabeleeer rigorosa vigilancia na
O general Flores marchou en dieccao ao no llieor e execucao dos contratos l'eilos com n go-
Quegay para fazer junegao com nina partida que verno.
tinha no departamento do Salto ao mando do co- Assegura-se que Elizalde ser substituido na
ronel AcoSta, que acabava de si rprender ama for- parte da fazenda, que oceupa interinanienie.por D.
Juan Baptisla Pena, que o homem capaz de rea-
lizar esias reformas.
As fortilica.-oes de Marlim Garca esto milito
adiantadas. j' existem cinco baleras promplas.
ca do governo e arrebatar-lbe nina excedente ca-
vainada, e depois acampou nn da 23. segundo di-
iem os jornaes de Buenos-Ayret, na estancia das
Delicias, sobre o Uruguay, a 14 leguas de Paysan-
Maria Joat uina. segunda, lidia dos condes da
- A administraeo da compaohia de retn-qu-.s JltOiaob para Mocamb.qne; de l--t3*?82 para
t do iuro, sendo autorisada pela ass-mblca ;e-1 Caboverde ; .Ie2:ll.l507i para S. Thome IRH-
Idemarcodoannopassado acomprai inais um epe : do 10:700*88* para Angola, hm faida-
ilu. piesumindo-se que se dirig na x S. Jos, onde Para o que serio tamaitos preparativos bellicos I
deve encontrar o exercito lega que pretende ba-1 O vapor chegado do Paraguay ante-bontem ne-
l.-r. licia que aquella repblica contina a viver tran-
As parcipaces officiaes, potni, afrmam que i quilla, toda entregue an seu desenvolvmeato mc-
elle vai maiclindocom direei] ao passo dos Al- ral e material, o que nao deixa de ser um fado
I garrobos do Daiman, para se aj proximar da fron-1 real, embora lento.
ib
ral de marro do auno paseado acompr
vap<.r para o servico -oerelwques na barra .tol'jr-
to, realisou a compra do vapor
no porto de UaneoTse einpregava ueste servico. hmpregou-s.- nina somina periora. ;
Por psi, ,nrf i!ra -., ,-,,i,f:1nhi.l mu duus vano- em abonos, passagens e freies, _do> quaes, r.
res
Utd.
acabam de ptiblicar-se urnas poesas ricas, do
Sr. A. B. Campbell, precedidas de urna introduc-
cao pelo Sr. Eduardo Goeiko. volume conten
190 e tantas paginas e e-ta mudamente impresso.
Hermn, o celebre prestidigitador que o pu-
blico portuguez denomina o f.-iiiceiro philanlropi-
co, esla agora em Cnimbra. Os esiudantesmorrem
7:("i-i; a Mamo, cerca de 10:0004 ; a Caboveijde, por elle.
e uniformes, de viagem
tonal a Leal que contingentes despendeo-se para cuna de i'^
l.l.>:0XK
bf ste modo lira a eompanhia com don va|0- fm ?%. passajp-ns S^J^ST'^SSSm
cto reboque, que sao: fl do Itoa.ro e Mr. ira "S^UT ^n5i^^X
Com o titulo de f7or e fUftumet tolmo, I tetra do Brasil e refazer-se de tente e de cavados.
Leandro Gomes deve ter passa. o no mesaeo dia
pelo paco de Piedras, sobre o Cuegay, e no dia 22
liouve alli urna forte gtienilha. cujos poromoon
e anda se ignoram.
O commandaute da vanguard i do exercito legal
c o general D. Diogo Lamas.
a-sun
para oppor-se a que os ministros aposentados con-
tinuera no exereieio de suas funecoes, assim como
lambein nao pode obriga-los a vi'rem ao tribunal
quan.lo nao queram.
O Sr. Brito tratou sdmente de justificar osea
vol para que seus collegas nao continuem a ter
assento no tribunal, emquanto o poder legislalivo,
a quemo negocio j esta anecio, nao resolve res-
peito, nao desconhecendo que o acto do poder exe-
cuiivn inconstitucional, eqoe o ministro que o re-
ferendou eommottoo um rrime.
Nao descobrmdo em toda a l.-gi-laeo do paiz
disposiqlo alguinaque aulorise o supremo tribunal
de justica a oppor-se execucao dos decretos do
poder executivo, e vendo que, obrando assim, o
tribunal faria uina verdad.ira roistencia, no que
nao pode
concordar, sua opiniao que os minis-
O presidente actual nao segu a poltica tradic- tros ^^^^ nSo ^^ F(.onlniar em exer-
eieio.
11 Sr. Chicborro romecou declarando que os de-
cretos de 30 de d.-zembro, acabando com a inde-
pendencia do poder judiciario, e com avitalieie.la-
cional dos seus antecessores, como se propala
basta altar em apolodesta epiooo estabetecimeo-
to desta buba regalar de paquetes pertaoeente ao
estado, que p a repblica em Bommonicacao
cun o reate do mundo duas vezes pormez, e que
lem augmentado consideravelmente o commercio
Se o plano do general Flores sitiando Paysand! que ella faz com Montevideo; e a ida de mais de 30
foi attrahir as forras do goverm para o norte do joveos paraguayos Europa para seeducarem por
prximamente li:000 ; a Mocamsique, excedten- A abertura do camnho de ferro de Lisboa ao Bio Negro, deve estar boje satiifeito, e em breve coma do governo e aprenderem engenharia, cons-
Sr. Miguel do Canto; atflrma-se que jbstitu do le a 20:0005; India, quasi'29:000; Angfa, Porto esperada em ambas as
Foi demiltido de governador rkil do Porto o
cidades com ver-' tereraos noticia de urna baialha, que parece ii
)r ,b [-rio de 43:0004000. dadeiro a'lvoroco, mas sobretudo na segunda, por nenie, e que pode ser decisiva.
l^nZS!!^tm^cS^ SSSm o **? P"arienlos, livros. lanchas St^o^edn^^i^Lima o subsUtuir 'bombas de ferro, bombas de incendio, foroeci- misso technca. Sendo favoravel, de crer que lace da lula entre
_ Fonin conferidas'as 1^ ataofimde fevereiro prximo se abra a circula-.que tao til toiiiMdo aosseus projectos, e que e^a cao^do Tebicuan mandou elle no mez passado
de Sua Magestade' el-re l>. Luiz ao ai ni- terW para construefoes e edificios, e apercebim :n- cao toda a linla.
. porem, que e le espere o desen-
lace da lula entre os dous lados do partido blanco,
truccao, etc., etc.
Fustes dous factos sao bastante eloquentcs, e hon-
ram o general f). Solano Lpez.
Com o intuito de fomentar e proteger a navega-
lo de diversos gneros, enviou-se um valor ex:e- Sr. Ernesto Be>ter est escrevendo um
Pobn-ZH Douradit. 0
campo
ibXriMU ibmIui Ha Mimirb'btmminiila d''iite a rs. 2-'i:nO04|)OO. dos quaes para o Mocan- novo drama que intitula a
^^SSX^S^^^^^r **PTB Ala 0:17^23, -o sen fim por em relevo as c.asses.quem
nimidade, m sessao solemne do mez de nove in- rstente para alguma das outras provincia,. sao obligadas por sua posicao social, a ostenlarem
bro Jltiiiii. inra *i'iisofiocorr.'siinndi'nti- o Sr Dr RemetteO-se em dinheiro a junta de fazenda de o que nao podem.
r. spoml.nit r. Tj|nur ^^^ ^ .uru ^ ftue|-a de N(>_ Foj ^ para L(mdres o ^^ voador de
nara fundamento cainbique, 1H:004 a junta de fazenda de Angela, reputacao universal, e inventor dos taes trapesios.
- o Dr Alvarenga 7(1:9924817 ; junu de fazenda do estado da In- Em S. Carlos reappareceu o Gnilherme TetJ.
dia para obras da corveta Darnao, por urna vez rs.
13:3005080, o em 6 prestacoes de 730* rs., ao o
do 20:2304000.
para seo socio correspondcnle 0 Sr. I f
Alvarenga.
Esta nmavel sociedade toniou
da sua resoliieae os serviros que
tem prestido, centiibuimio, aun i $ttu escripia,
pare o pnigresso da sciencia, prqfundundo-a e tn-
ri ato.
O Sr. Alvareaga actualmente socio correspia-
ilenle das principaes sociedades medicas oiranjvi-
ras, que^espontneamente lhe lem concedido tsla
distioc^o honrosa.
A prova de consideradlo que o Sr. Dr. Alvar in-
ga acaba de merecer a sociedade medica de Ma-
uich honr. tanto mais o Sr. Dr. por isso que co la-
sa ser elle o nico socio portuguez daquella celebre
sociedade ullemaa.
A eiposifio que se fez em Angra, ilha Ter-
cetra, que se annunciou por tres das, prolongou-
se por mais alguns, para satisazer allluenc i e
curiosidad dos visitantes.
Apezar do seu titulo geral de aroriana. as exlii-
bicoes loram quasi exclusivamente' do distrlcto la
Angra.
Nao se lizeram representar os outros distridos
pela precipitadlo cen que foi levada a elfeilo.
Nao obstante, duas salas se eacheram de objuc-
tos expostos, constando de bordados de todas as
especies, ores artiliciaes de multas variedades,
obras de eooMtos, lanificios, pannos de hnho, ol-
xas e teciios le algodo, madeiras naturaes da
illia, vmhos de uva e de outras fruclas, licoies,
agurdenles, farinhas re oereaes e legumes, n el,
cera, louca, obras de ferreiro, de encadernador, de
cbapclleiro, de sapateiro, de mareinero, de ;el-
leiro e de ourives. queijos. doce, (rucias sectas,
amostras Je cereaes e legumes, plantas de jardini,
varias qualidades de arvores e arbustos, e doe-
nbos.
Pi-omove-se em Angra a organisacSo de nina
sociedade com o Om d mandar vir um ou d. us
teares para servirem de modelo.
- El-r-i o Sr D. Luiz deferindo supphca oue
lhe dirigi a sociedade do palacio de crystal por-
tuense, boave por bem em 30 de dezembro lindo
aceitar a presidencia di referida sociedade.
- Foriim publicadas as coudicoes para a a -re-
mataco ior :I0 annos da fabrica de vidros da Wa-
rinlu Grande em conf.irmidade om a lei venda
na pretrita sessao par amentar.
As condicoee sao as ieguintes :
Que o praso para a durarlo do contrato ser o
de 30 annos contados do dia i de Janeiro de ii
om diante.
Qm faz o objecto deste contrato a fabrica com as
suas machinas e utensilios, casa de residencia,
quinta e mais predios, pie formatuo quadro fabril,
i-xcluindo porm o armazein que lhe tica fronte ro,
que se aclia oceupado ata servios do estado pela
repartiro das matas; bem como se-compreheiaJem
no contrato todos os mais predios rsticos c tu ba-
os anne.vos a tuesma fabrica.
Que serio gratuitamente concedidos ao eonra-
tador as lenhas do pinbal nacional de Leria nenes-
sarias para a laboradlo da fabrica, proveniente de
desbastes culturaes* de sohejo de preparo di ma-
deiras, vulgarmente cliamadas lenhas de obra, e
de pioheiros tolalmenle arruinados e incapazet de
outro aprovuitamento, horrendo a despeza de irins-
porte e sete dos pinheiros por conta do conii da-
dor, devendo tudo serl'eito segundo as inslrucroes
e debaixo da liscasa ;o da administradlo geral
dos penhores de Leria, e de forma que a lnna ^tie
graluitam.-nte se concede nao possa exceder an-
nualmente a 12,000 carradas.
Que o contratador pagara annualmeute faien-
da ama r?nda igual a- maior lanco olfexecilo em
praca, se assim convier ao governo.
Que o contratador se obriga a fazer trahalhar
em vldrai-as e crystal ous tornos com oilo boc:as.
Que igjalmente se obriga a oecupar coui prefe-
rencias no trabadlos da fabrica os operarios da po-
voaeo di Marinha Grande, que pela sua babilida-
de.; coiiiportamento astverem habilitados |ra
ellaron inuarem a ser empregados.
Que o contratador m obriga a fazer dirigir o tra-
baWio technico por pessoa habilitada com os sulll-
cientos conhecknentos theericos e praticos disi ida-
mente comprovados.
Que Ika mais obrigado boa conservacaoore-
paros de todos os predios, machinas, utensilios e
movis acrleaeentaa ao referido estabeleeimenlo e
uso da fabrica, debaixo da liscalsac:o annual da
respertiv; autoridade idininislrativa.
fJOfl se obriga igualmente a dar todos os annos
conta i-ireiiinstanciada ao governo, pelo ministerio
da fazenda, do estado da fabrica e do numero do*
empregados e mais peaseta nellas oceupadas.
Que tolos os objeetjs ropstautes da con-lica-
segunda -erao entregues ao contratador, ou pos,
soaque ligalmente o representar, por inventario
proceden Jo as avaliacds competentes fedas por
ohjtsctos, nomeados,um jior parte da fazenda..- oatro
do contr iiador, escolhendo-se a sorte um terceiro
para desi-mpates, e a que assistir o administra-
dor do ecncelho ou pessoa delegada, pelo governa-
dor civil do districto de Leria. lavrando-si .le
ludo os autos competentes e necessarios para vis-
ta clelles se regularem pelo mesmo metliodo as
indemnisacoes das faltas ou deterioradles que
possa ha-.er no lim da empreza, procedendo tim-
Jaera entrega o respictivo inventario.
ultima vez que se cantn em Lisboa, fci ha 30 an-
nos. O scenano de Bambois e Cinatti todo novo
e brilhantismo. Os cantores vio admiravel. A ope-
ra lem feilo um verdadeiro furor.
MOVrKVlllF.O.
29 de jaaeiro de 4861.
Sao bastantes graves os successos que
se tem
Pagaram-se de saques das respectivas juntas Je
fazenda para Mozambique mais de 17cntos, para
Angola quasi 22 cont-.
Urna soturna total muilo superior a 300 contM
se despenden, pois, ou adianlou em numeraricj e
soeeonos de toda aordem,expedidos para as pro-
vincias ultramarinas, sem contar os que se licam
aprestando para ser n brevemente enviados.
DeSta soinma, cabem a Mozambique mais de 16 desenvolvido neste malfadado paiz na quinzeoaque
contos, e a Angola prximo de rs. IV contos. acaha de llecorreri e a fofa deste paquete lica-
Alcancam a 2 de novembro de 1803 as id- mw ^^ um VU|CaU prestes a fazer erupcao. To-
ticias de Macao recebidas pelo governo portugutz. do< os svmpU)mas annunciam una crise prxima
A cidade continuava em socego, nao occorreni o
all cousa digna de especial meuso. A galera Jkl-
tutnbrante tinha largado para Lisboa i 28 daquel e
mez.
Acerca dos negocios do Japo, refere o governat-
dor que a inlluencia nociva ao commercio estran-
geiro que exercia sobre o governo da Taicum a
opulenta casa do principe de Santsuma, tinha al-
tivamente sido modificada em consequencia das
representaodes enrgicas dos agentes diplomaticijs
estrangeiros.
Os enviados de Santsuma, mandados pelo gove
no de Taicum, apresentaram-se a conferenciar corli
o ministro de S. M. britannica, em Kanagawa, re-
sultando destas conferencias pagar a Santsuma aQS e fMr cnr aQS S(JUS aaf^MooMlim oa
urna indemnisacao de 23 mil libras, promeltend) fran(.ueza du governo, cuja hesitarlo antorisava
conservar paz e amizade com os estrangeiros. (J> esle juz0
governadores dos negocios estrangeiros em Kana-
gawa dirigiram ofBcios aos representantes de to-- O primeiro rhefe militar que se declarou em re-
unica garanta de triumpbo (om que elle pode edificar casas e espacosos armazens no passo de
rentar. Santa Mara, para commodidade de quem quizer
O governo. querendo premiar a bella defeza da- levar por aquelle rio suas mercaderas al o porto
quella praca, instituio uina medalha de ouro para do Pilar.
o seu chele, uina de prata para os officiaes, e ou- a importacao do mez de dezembro subi a
tra de cobre para os soldados que nella tomaram 243,110 pesos, e a exportacao a 316.129, naoobs-
parle. tanle ter Picado retida nos depsitos muita carga,
Quando aqui chegou a nolici; do lovantamento por causa da baixa dos ros, que agora esto
do sitio, as msicas dos cornos la guarda nacional eheios.
foram tocar na casa do goverm e depois percor
reram as mas da cidade.
Leandro Gomes, depois que vio desembar-
cado do inunigo, tem perseguid) varios estrangei-
ros, que considera como conniv ;utes com os colo-
rados, e pretendeu ale fuzilar um Entre-Biano, que
foi salvo pela inlervencao do general Urquiza e
dassenhoras da Concordia, qu; escreveram urna
carta ao exaltado coronel pedinuo-lhe ao menos o
adiamento da execucao, em quinto recorriam ao
presidente da repblica.
No dia 21 Lenguas desceu a Paysand e teve
uina conferencia com aquelle.
Flores mandou o sargento-m; jor Baldomo L-
mela e o commissario pagador F -ancisco Mara Du-
! ran, que eram seus prisioneros com urna carta ao
ben 2FS?S aft mfttSS de 'ninilro guerra/propondo-o; em troca pelo co-
Sachan ^^^^^^ a.iancava -e retirara a v.da
''^nSavel'1 cZz^e^sSos E "^^c^^^S^^.o
1' poder executivo na presente .) inzena, alguns dos
quaes lem causado bastante salpresa na poca ac-
que boje
um odio entranhavel, capaz
maiores desatinos.
altamente poltica um mez antes, de excedente ef
faz.
vndalos que assolam o paiz, os desertores e os ci
dadlos que recusam pegar em armas.
Xo dia 13 publicou um decre o chamando pro-
postas para prover abundantei lente d'agua pota-
vel a capital ; outro para estabt lecer no ponto mais
das as nades adiadas, pediudo em virtude das or- bellio ao governo foi o coronel D. Bernardino Olid, alto da cidade um deposito d'af ua salgada para ir-
itins receidas do governo do Taicum que Ihet! rommandante da guarda nacional do depai lamen- rigacao das ruaS" e pracas, e la -agem dos canos de
fosse devolvida a carta que havia cinco mezes Ibes t0 de Minas e chefe da diviso deste departamento esgolo.
escrevera Ogasaura Dzoe-zic-no Kanie, entao mem I e do de Maldonado. -No dia ,b outro Pra construirse urna va rer-
bro do Gorogio, com o fim de fecharem todos oi ; io da 22 principiou a propalar-se o boato de rea com dous raraaes, que par indo da capttaJ, se
portos abertos ao commercio estrangeiru, fundada qUe elle se affastra da capital, onde se achava.se- dirijan ate a villa da l'uiao e :o passo de Molina,
este pedido em serem agora outras as vistas do seq guindo para a Campanha, sem licenca do governo, eom motores de sangue, estabelecnndo-se lainbem
governo e outra a sua poltica. para all reunir gente. Esta noticia" infelizmente uma ponte sobre o anoio Panl; noso, n
mettem, por ser o aspecto futuro do paiz todo pai Ao mesnio tempo sabio o vapor de guerra Treynta dos neste anno se a revolucao ii.iouvesse vinao
e amizade. ,, Tres com uma forca de infantaria para Maldona- perturbar ludo ; mas actuafme lie sao de impossi-
0 governo japonez creou para os navios naci d. ob as ordens do coronel Acunha, e marchava vel execucao, e nio passam d. inanilestacao dos
naes uma nova bandeira branca, com uina lista p0r trra eutra de cavallaria com ordem positiva bons desejos que animavam o presidente Berro,
preta vertical, quasi no centro. ,|e trazlo preso. porque, nem o governo tem du heno para saiisla-
Partedas forras navaes do commando do almi- j Posteriormente soube-se com certeza que elle zer as despezasque exigiriam, nen empreza algu-
ranle inglez Kupper, iam partir do Kochamo para parti com 8 ou JO individuos, alo se tendo apre- ma se atrever a contrata-Ios, salvo com condi-
as suas estacos nos portos da China. sentado antes ao estado-maior, nem ao ministro da '.oes muito ouerosas, c isto mesnio e duvidoso.
- Deixou de existir a distincta actriz Josepha guerra, nem solicitado o pasas da polica, mdispen- i Quem nada souber c-mneoer da siluacao do fcs-
Soller. Pelas 3 horas da madrugada do da 18, suc- savt[ a qUalquer militar para se ausentar agora da lado Oriental, e tiver conliecuu. uto delles, assim
cumbio a uma phtysca pulmoiiar aquella, que du- capital,'em consequencia do estado de sitio. eomo do decreto de 22 do crrante creando uma
ranteo perisdo de 11 annos untos triuniphos ob- direccao geral de obras publics, com um director
leve na primelra secna nacional. Passando [hit Canelones levantou urna seccao de geral que vence 5004 por mez, e qualro membros
ara acompanba-lo, e em Pando arrebatou que lem um ordenado proporcional aquelle, julga-
A repblica do Chile segua tranquilla, como se
deprehende dos jornaes de Santiago, at o 1* do
crrente, e de Valparaso at 31 do mez lindo. Era
ainda mui intensa a consternarlo pela fatal catas-
trophe do templo do Collegio.
Da Bolivia ha peridicos at 14 de novembro.
Notava-se pela primeira vez nos espirites certa
preocciipacao pelos melhoramentos materiaes, e ha-
via proposta para a conslrucclo de um camnho
de ferro e de um canal, que unirlo o departamen-
to de Oruro, ou para melhor tase, o rio Desa-
guadero com o Pacfico.
Sem embargo destas tendencias pacificas, a Bo-
livia parece preparar-se para a lula com o Chile,
cuja imprensa se mostra justamente sobresaltada.
Com elleito, a casa de Gibbs A C. tinha comprado
varios navios de guerra ao governo inglez, dos de
antigo modelo, entre elles o Vctor, vapor hli-
ce, construido ha mais de 16 aneos. de 6 pecas e
330 cavados ; o Cyclops, de rodas, construido em
1839, de 6 pe$as e 320 cavados ; e o Plueivx, ca-
nhoneira a hlice, construida em 1862, de 6 pecas
e 260 cavados.
Em Copacabana se havia descoberto excedente
carvio de pedra e uma mina de azougae.
Ouanio ao Per, os diarios de Lima alcancam
at 18 de dezembro. Nada de notavel havia alli
occorrido.
F'm S. Salvador o general Barrios conseguio sal-
var a vida refugindose a bordo da fragata ingle-
za Smi/i/. que de proposito o foi receber ao porto da
L'niio.
Finalmente em Venezuela termnara-se a guer-
ra rom a retirada do general Cordero para a ilha
da Trindade, depois de ter perdido toda a esperan-
za de triumphar, e no Equador prosegua a guerra
civil, cada dia mais encarnizada e com maior de-
senvolvimento.
(Jornaldo Commercio do Bio.)
INTERIOR.
BIO DE j xm:iiio.
A actriz Soller era viuva do actor Asss, de quem polica para
deixa uma filha. Tinha Al annos de idade. | urna cavalhada do estado de mais de OOOanimaes,
O seu enterro foi modesto, mas significativo, dirigindo-se depois para o Durano, em S. Carlos,
Foi-lhe feito pelo inonie-pio dos actores, e pela ad- conforme as versOes que correm. Em Mosquetes
ministrarlo do Iheatro normal. pretendeu levar tambeni a seccao de polica da-
Qnarenta e tantas pessoas formavam o cortejo' queda loealidade. porem .. ollicial que a comman-
funobre, sendo actores dos theatros de D. Maria II, dava oppoz-ve a isso.
Gymnasio e Variedades. '. Dizem que o plano combinado pelo partido exal-
Ho eemiterio do Alto de S. Joao negaram sar-jtedo pegar em amias para oppor-se a que o pre-
glas do caixlo varios actores, indo pegando as
argolas da frente as actrizes Carolina e Dellina.
O commissario regio o Sr. Franrisco Palba, foi
quem guardou a chave do caixlo, e disse beira
da campa as seguintes singellas, mas significativas
palavras :
Que este cadver nao desea sepultura sem
que lhe digamos o ultimo sentido adeus ; vos como
rompanheiros, collegas e amigos daquella que ahi
jai, eu como sincero admirador da arte que exer-
ceu, e do muito que se distingui em sua desgra-
nada morte Curtissima earrelra ; e como chefe
de um estabelccimento asede a actriz Josepha Sol-
lerprestou relevantissimos servicos.
"< applausos do publico que a estimou, como
ella mereeia ser estimada ; as flores que lhe orna-
ram a fronte; as alegras que acompanham os
grandes triumpho?, acabaram para a actriz Soller !
Hoje, em vez do ruido das clamorosas ovacoes
o silencio dos tmulos I em troca dos louros festi-
vos, os cyprestes do eemiterio! em lugar dos acon-
tecimentos que sobresaltaran! e commoveram j
aquelle peito a eterna immoblidade do cora-
cao !
O qne era do mundo passou para nunca mais
vollar I S a memoria do seu talento poude esca-
parle morte, essa memoria conscrvemo-la com
o respeito de que digna.
escancem em paz os teus restos mortaes, infe-
liz artista ; e Deus cenc-sda tua alma os inlindos
jbilos do co, pelo muito que padeciste na ierra,
e por haveres concorrido para enuobrecer o teu
paiz.
Falleceu no dia 13 as 8 horas da noite victi-
ma de um insulto apopltico, o Sr. Joao (lardoso
da Cimba Araujo, primeiro visconde de Porto-Car-
rero, por merco de 18 de agosto de 185$, do con-
selho de S. M., ministro e secretario de estado ho-
norario e conselheiro do supremo tribunal de jus-
tica. Tinha 72 anuos de idade : casado com a
Exma. Sra. D. Helena Cardosode Faria e Maia, li-
dia de Vicente Ferreira Cardoso da Costa dezein-
Qne daan dador idneo, qne nao s se resfon- bargadore doutor em direto, e de D. Helena Vic-
sabilise pelo (lagamenio da renda no lim de rada toria Machado de Faria o Maia.
lo-lia em um estado de prosperidade admiravel e
regorgJtando de recursos os col rea pblicos.
Entretente o proprio govera i se encarrega de
desvanecer esla errada apreciado no aegaiote do-
camento, qae forma um perftilo contraste cora
aquellas deliberaces :
t Tendo chegado o caso provisto no art. 3" da
lei de 14 de novembro prximo passado (a que ap-
sidente Berro continu a governar alm do dia 1 provou o contrato do emprestiino feito com o ban-
de marco prximo, e entao se reuniriam no Du- co Maua), porquantoas necess lades da guerra es-
ra-no ou em algum outro ponto conveniente os se- gotaram os recursos que proct rara o governo da
nadoresedeputadosopposicionstas, e aquedes ele- repblica no contrato de 19 d outubro ultimo, o
geriam seu presidente, a quem todos reconhece-'poder executivo resolve que tulas as carnes que
riam desde logo como chefe legitimo do estado. | se exportarem pelas alfandegas tluviaes e Ierres-
usa dos annos de duracao do contrato, mas que
igualmente se obrigue s indemnisacoes, que lios-
as* ter lugar nos termos da condiclo antecc-
Foi agraciado com o titulo de marqnez de
Vagos de juro e herdade D. Jos Tello da Silva e
Menezes Corte Heal, primognito da marqueza de
Vagos, D. Maria.
Foi agraciado eom as honras de official-mr da
casa real, o conde de Brediandos, por baver hos-
pedado el-rei e sua augusta esposa.
Parece-me isto verosmil, e que o governo se tres da repblica flpjem, desieo l* de fevereiro
cha inteirado da conjuradlo projecta.la; porque prximo, sujeitas ao pagameul > do direto addicio-
o dia 27. pela manhaa. fez prender os senadores nal de 2 por cento, com que e l alfeclada a ex-
Jaime Estranelas e D. Juan Caravja ; assim co- portaylo dos demais productos do paiz.
mo D. Adolfo Basanez. juiz do crime ; a D. Narri- Este acto de 26 do correnu. e nao pode baver
fto de Castillo, escrivao publico, e a D. Eduardo conflssao mais franca das diflic ddades linaueei.as
Carreras, os quaes foram todos mandados para o com que lutao governo.
DOOtao, d"onde boje seguem deportados para o Pa- Begulando a exportaefio do rharque do Estado
raguay. Oriental em cerca de 800.000 q ntaes por anno, e
J no da 23 tinham tambem sido presos os depu- valendo, termo medio, 25 fort. s cada quintal, te-
tedos Daz e o senador Velasco. que devem sabir mus um valor de 1,600:0005 fm le-, quedevem pro- sido confiado pelo honrado Williams Stalfer.l .ler-
27 de Janeiro de 1S61.
O Sr. J. Norberto de Souza e Silva empreen deu
uina bella e patritica tnipreza, coiligindo, debaixo
do titulo genrico de Brasilia, as obras dos nossos
iiiclbores autores nacionaes. J Ibe devemosas po-
putares lyraa de Gonzaga, cujos dous tomos lor-
uiain a* primeira parte desta bibliotheca, e agora!
acabam de chegar de Pars, onde foram ninlainen-
impressos, mais dous volamos, que conten as obras
poticas de Manoel Ignacio da Silva Alvarenga.
Nao se limita e Sr. Norberto a ronir as obra<[.lis-
persas do autor cujos escriptos salva de imni.-reci-
do esquecuneiito, trabalho donoso, e que j por si
requer estudo, paciencia ecriterio; mas precede-
as dosjuizos crticos dos estrangeiros e nacionaes
soiire as iiiesmas obras, accresceniaiido-llie> a sua
propria opiniao, e d'uma noticia biograpbica, em
mullos pontos justificada rom documentos curiosos
laboriosamente desenterrados. Compre ainda fazer
meneio das numerosas notas que pudemser consul-
tada.- com vanlageui para mellior intelligencia do
texto.
Fallando desta empreza do Sr. Norberto seria in-
justo omittir a parte que nella toma como editor
o Sr. B. L. tiarnier, sem cujo auxilio o mesmo cora-
pillador confessa que toria desanimado.
O Sr. Garnier, j editor de um consideraveel
numero de boas obras nacionaes, que talvez sem
elle nunca chegassem a VOTO luz da imprensa, e
0 Brasil agradece todo o servir prestado ae suas
nascenles ledras.
L-se no Mercantil desta cidade, de hontein :
i Somos informados que o digno cbanceller da
legarlo britannica, o Sr. John Morgan, acaba de
presntear a nossa matriz de S. Pedro de Alcntara
com um bellissimo lustre, que desde 1837 Ibe tinba
de de seus membros, feriram de inorie a eonstitui-
Qo do imperio, embora o ex-ministro da juslica
procurasse uma tangente para atteocar a gravida-
de do seu crime.
Pensando assim, nio pode com tudo concluir para
que continuem os juizes aposentados a comparecer
s sesses; porquanto o acto do poder execulivo-
lem de produzirseus effeilos.ea opposicao ao cum-
priineoto dos mesmos decretos uma verdadeira
resistencia, que nao tem base na legislaclo do
paiz.
Obscrvou tambem que, a admittir-se a resisten-
cia em relaclo aos decretos do poder ejecutivo,
deve a mesma resistencia ir alm, at a resoluclo
da assembla geral, se Ues decretos foiem appro-
vados.
O Sr. Ernesto Franca tomou novamente a pala-
vra, e mostrou-se admirado de que, cvnfessando-
se que os decretos de 30 de dezembro sao atlenta-
torios da constituiclo, e que at ha um crime,
queira-se com subserviencia cumpri-los, tornndo-
se cmplices no mesmo crime,
Disse que se deshonrara de pertencer ao tribu-
nal quando nao se pronunciasse em opposicao a
taes decretos.
O Sr. Veiga raostrou que os golpes de estado nao
sedlosenao em casos da maior gravidade, como
se deprehende da constituidlo do imperio ; e que
o ex-mlnistro da justica nio apresentou prova oa
razio alguma para esses golpes, sendo para notar-
se que o resultado foi serem feridos sete magistra-
dos pjbres.
Disse que deu-lhe que pensar quando observava
lerem sido aposentados tres desembargadores da
relami da Babia, dos mais amigos, e que estavam
prximos a enlrarem para o supremo tribunal, de
modo que er ter sido o desojo de fazer vagas a al-
legad! conveniencia do servico publica
Poiiderou finalmente que nascendo cora a cons-
umid o do imperio, e alagando-a desde a infancia,
nao ha de prestar-se s honras fnebres, nao hade
ser coveiro delta, j aniorlalhada, como j se a con-
sidera por ahi.
Declarou que votara para que seus collegas con-
tuuassem no exereieio de suas funecoes.
Os Srs. Almeida e Messias de Lelo fundamenta-
ran! sus votos, aquelle para conceder-se a cooti-
uuacla do exereieio aos Srs. aposentados, e esto
para nega-la.
O Sr. Pantoja declarou que tomava parte na dls-
eiissao |ior honra da constituirlo do estado, violada
ris suas principaes disiKJsicoes.
Dependo leitura de cada um dos artigos relati-
vos independencia dos poderes polticos e dos
que estabelecem que s por sentenca podem os ma-
gistrados perder seus lugares, tratou de mostrar
que os decretos de 30 de dezembro nao devem ser
obedecidos por atleniatorios da mesma conslitui-
5I0.
O Sr. Cornelo|Franca;disse ter pouco a dizer, por
j se ter dito quanto era possivel para o objecto ;
quiz ;er o primeiro a fallar, roas nao o fez por-
que o Sr. presidente en'.endeu que deveria fallar
depois.
Nao ha duvida que os actesde aposentadoras sao
contra a constituidlo, e todos nisto concordara ;
entretanto alguns senhorts opinam que o tribunal
nao pode deixar de lhe dar cumprimenio, porque
um poder nao pode destruir os actos do outro po-
der, mas acha que uma conclusao que nao se
pode deduzir destes principios.
Todas as autoridades tem obrigaclo de executar
a coi stiturlo, e esse o seu primeiro dever, por-
que se assim nio fosse, era escusada a constitu-^
dio ; fora mellior um governo absoluto, do que oN
systema constitucional falseado ; sendo verdade
que ha inultos governos absolutos em que se goza
a maior felicidade, e, pelo contrario, nio ha coas*
peior do que um governo representativo em que
nao se execute a constituiclo.
Eslava na cmara dos Srs. deputados quando
soube de taes aposentadorias ; foi ver os taes de-
cretos, e leu que a razio de taes aposentadorias era
por conveniencia do servico publico ; e como vio
que o que se chamava conveniencia nio era senio
prevaricarlo, tratou de publicaro seu protesto que
appateceu nos jornaes ao mesmo tempo em que se
publdaram os decretos, e era que repellio seme-
Ihante aposentadora, e essa ignominia que se lhe
I anca va.
il 1 paiz, como aquelles. duzir uma renda annual de 32:0004, insignilcan-
0 general Lucas Moreno, vencedor as Brujas, te recurso para os embaracos di situadlo.
I Antonio Carreras e outros membros importantes1 laomittindo noticiar que por decreto de 21 tive-
d) partido blanco eslo ameacados de igual sorte, ram baixa com a nota de traidores os tenentes-eo-
e desconlla-se que o coronel Bargueo, que tem rois Thomaz Larragaite e I) Miguel Nielto, que
gande inlluencia em Maldonado e amigo intimo se passaram para o general Pl res !
df Ol.I, se rena a elle. Corre como certo que o presidente Berro pro-
Convdm notar que estes dous homens foram os (ende reunir novamente o carp legislativo no dia
qtie mais trahalharam na occasiio pelo triumpho 13 de fevereiro prximo, convocando os supplcntcs
di candidatura do presidente Berro. I de tres senadores deportados para contemplar o
Reina em toda ,1 cidade um silencio pavoroso, e j senado ; assim como os que leptimamente deviam
em publico ninguem ousa tratar dos assumplos da oecupar as vagas existentes, e jue tinham sido re-
tualidade. i pedidos pela faccao Estracilla. Feito isto, o sena-
Oom este silencio indicativo se combina um ru- \ do reconsiderar o acto peloqial foi expulso de
orejar surdo qne revela a approximadio da tem-! seu gremio, pela mesma bec&O, o senador D. Tho-
P tade. A lua est comecada, e nem o goverao maz Villalba, que ser readmitido, e depois pro-
cede mais. nem a faccao exaltada, que na de em-! ceder eleicjlo do seu presidente, escolhendo es-
pregar todos os meios para salvar aquelles seus ; te mesmo senador, a quem o Sr. Berro entregar
membros tilo preeminentes, que nao se devem quei- a administraeo suprema da repblica no da lile
xar, porque foram os provocadores. marco, respondendo assim c: tegoriramente aos
IA vista destes fuccessos importantes, s se falla' que o aecusam de querer perpetuar o dominio do
en Flores por accidente, nao obstante serem tam- paiz as suas mos eom sua familia.
bem de milito interesse es factos occorridos do ou-
tro lado do Rio-Negro.
A sortida da guarnirlo de Paysand no 8, de que
Qae o contratador e seu dador seobrigama
aprssentar a competente certidio de rorrente ;
sen o que se lhe nao expedir o alvar 1 de cor-
rer.
Qoe q unto aos objeetos manufacturados, ou
quaes quer materias, machinas e utensilios, que para a aceitacls da coinmenda da ordem brasilei
xitirem aa fabrica no fim do contrate, porten- ra da Ilota, com que S. M. Imperial bouve por
rentes ao contratador, poderlo ser ali conserva- agracia-lo.
dos pelo lempo que for rasoavel para a sua remo-! Por um telegrammi de Marselha, consta que
cao. sem prejuiso da laboraeao da fabrica, por houve em Boma festas esplendidas para eelebrar o
d iquclla praca pelo coronel Lenguas, foi um feito dente do senado, D. Vicente V isquez, em lugar de
b ilhante, o nico honroso para as armas legaes ir para o Paraguay, segur no 1 aquete actual para
n sta longa luta que j dura dez mezes. O coronel essa corte. um excedente cavalheiro, digno da
I) Leandro Gomes, frente de 110 homens, sa-1 eslima geral, e merecedor de lospitalidade franca
h o da prac,a, e conseguio fazer jncea com os e amena do povo Ilumnense.
lo soldados que o vinham soccorrer : por meio do j S. Exc. estove dous das a birdo da nossa cor-
Poi concedida licenca regia ao par do reino vis- e ercito colorado, com o qual sustentou ama luta: veta Berenice, por nao ter p hI.I continuar no
conde de Gervasio, Jos Freir de Serpa Pimentel mortfera, corno a corpo, alcancando por fim voltar pontao, vista do seu estado d sade.
Dos permuta que estes pl:-nos se realizme
3ue as medidas violentas que a abam de ser toma-
as produzam o desejado elfeitc. concorrendo para
Ibe dei noticia pelo"paquete anterior, para pro- a salvaclo desta bella repblica, pela qual tenho
ger o desembarque de uma companhia do bata- as maiores sympathias.
ao de Defensores, mandada do Salto em auxilio 1 Post-scrtptum.Soube agora que o vice-presi-
a< s seus entrincheiramentos, nao sem grandes per-
d;s.
Depois deste combate Lenguas pode reparar as
arias que o vapor Villa do Salto tinha soffrido, e,
a| roveitanto a enchente do irlo que appareeeu,
O major Fidels contina a fazer das suas no
Cerro Largo. ltimamente b; teu alli urna forra
legal, e apresionou o coronel B irges.
As noticias da Confederaclo Argentina podem
resumir-se era duas palavras. Nio se pensa, nao
ningiiam, ex-encarregado de negocios de M. lin-
tanuica na corle do Bio de Janeiro, e que recente-
mente foi deixado sua discripclo vend-lo, guar-
dado para si ou da-lo de presente : querendo, pos,
o Sr. Morgan fazer cousa grata, tanto ao povo de
Petropolis como ao Sr. Jerningbam, que professa ..
religilo cadiolica romana, espontaneaniento olTere-
reu a nossa igreja esse rico lustre romo dadiva do
seu ex-chefe e amigo.
Damos, por nossa parte e em nome da reli-
gilo, os devidos emboras ao benemrito cbanceller,
que nos perdoara ferir a sua modestia,igual aos no-
bres e generosos sentmenlos que sernpre o dis-
tinguirain. >
i de fevereiro.
0 supremo tribunal de justica comecou hontem
os seus trabadlos, que foram interrumpidos pelas
ferias do Natal.
A ses.-a.i csteve muito concorrida.
Numerosos espectadores alli se acbavam, e en-
tro elles desembargadores, e outros magistrados,
membros da cmara tem|ioraria, e raudos dos mais
uotaveis advogados do nosso foro.
la-se tratar da questao das aposentadorias forra-
das de quatro ministros.
Destes s nio comparecern! por d.ientes os Srs.
Squeira e Silva Tavares. Os Srs. Cometi Fran-
ca e Pantoja oceupavam os seus respectivos lu-
gares.
Abena a sessao, o Sr. presidente leu as partid-
pactes da secretaria da justica acerca das mesmas
aposentadorias, e fez uma breve exposicio ponde-
rando que nio se lhe enviaran) os decretos, rece-
lando apenas cssas partieipades ou recado do of-
licial-maior da secretaria.
Disse que quanto 4 inconstitucionalidade das
aposentadorias, nio havia a menor duvida, no que
todos concorda vam, inclusive o proprio ex-minis-
tro da justicia, e pois, submettia ao tribunal se os
seus ministros aposentados deviam ou nio conti-
nuar no exereieio de suas funco<, at que o po-
Vij admltle razes de conveniencia em actos do
poder executivo, e enlende que o poder moderador
e o poder legislativo sio os nicos que podem exer-
cer actos por conveniencia e sem responsabilida-
de ; o poder mode^idnr, segundo o que determina
a constituidlo desde os arts. 98 at 101, exercido
pelo Imperador como chefe supremo da na.-iio e
seu primeiro representante, sem estar sujeito'a re-
gra alguma, consultando nicamente a sua coos-
ciencia e a conveniencia do servioo publico; e nin-
gueiv lem direito de lhe censurar os seus art -,
quanJoelle exerce taes atlribuicoes ; e o mesmo
a assjmbia geral pelo art. 13 5 9" e art. 17.!. ve-
lando na guarda da constituidlo, e promovendo o
bem sreral da naci, examinando se a constituiclo
foi guardada e provendo como for justo.
Pelo contrario o poder judiciario e o poder exe-
1 -olivo nada podem fazer por conveniencia, porque
seus setos esta snjeitos a responsabilidade.
Por isso pondo de parte a pessoa do Imperador,
3ue ligura e .- o chefe do poder executivo, os actos
este poder esto sujeitos responsabilidade, mas
essa responsabilidade s dos ministros que refe-
rendum esses actos, visia do art. 133 ; e nao os
salva da responsabilidade a ordem do Imperador
vocal ou por escripto, art. 135.
O Imperador em um governo constitucional nao
pode fazer mal algum, s pode fazer bem : a sua
pessoa inviolavcl e sagrada, e nio est sujeito a
responsabilidade alguma, conforme o art. 99 da
constituiclo.
Portante, nao ha duvida alguma que os actos do
poder execulivo esto sujeitos a responsabilidade, o
pdeui nio ser executados se forem contra a cons-
tituidlo e as leis, como no caso presente se da,p*r-
que tito atentatorios da independencia do poder
judiciirio, e contrarios constituico nos arts. 10,
131, 133 e 133 ; e este crime commettido pelo ex-
ininislro da juslica nio l.io pequeo como SSO,
porque a constituidlo pelo art. 133 o declara crime
de traiclo,e a lei de responsabilidade dos ministros
de estado de 13 de outubro de 1827 o pune nogr
mximo com a pena de morte, como se v do seu
art. I- $ 1" n. 2, porque ltenla contra o livreexer-
eieio do poder judiciario, que um dos poderes
politices roconhecidos pela constituiclo.
E nio ha duvida que estas aposentadorias forja-
das lancam fra do poder judiciario os seus mem-
bros, tirando-lhes o exereieio de suas funecoes. e
os priva dos seus lugares, que nio podem perder
senao por sentenca.
E s.-ndo assim, nao pessivel que se d ctimpri-
meni a taes actos, porque nio esto as atlribui-
coes .le poder executivo.
~

*



i
I*lar> 40 Pernnmbii.'o Terca lelra le r Vevei-reo le
I *!.
Pea
' nial iur izer! i. Poi ? de jnro de 1833 fonm 'ar e ex nordnanV
tAA*i -m.*,;,-> l>i""'-s_ni-- a autondade a,ioseuiados pelo governo. por conveniencias do'
so poae razur aqmlio que a le delermina dentro servico publico, varios desembargadores Tendo
aos limites de_ suas attrilmieoes. | um dos apoeniados dado queix.i e denuncia con-
i eio art. I/O i, i- da constituirn nenlium cida- ir i o ministro referendador do respectivo decreto
, I Migado a fazer oti deixar de faz >r a cmara dos Srs. depurados decidi quo nao ha-'
aiguma cuisa si nao em virtude de le i
e toqui se via lugar a formal '-se cuica pelo Tarto denunciado ..
SS?, ''"' 2? ',!,,;r "> PMe aposentar I cu.ciusan esta que Ihe tora aronselhada no parecer
arbitrariamente magistrados., ----------*
que sen
em cada
a MbeHa
Art.
di iftianfia de
distribuido peto) diverso.
um delles pelas rubricas da lei. conforme
pinta.
porque nao lera lei
que Uie 4 I ewi attnbuieu, nenio magistrado ou
tribunal alna Mide reeonhecer valido este acto, e
*>" 9 Mina-loe cumpri-le, porque tam-
bera lian ha lei que o determine e Ihe imponte!
OSSa obrigaeao.
Portante ineontestavel que. sendo esies actos
apresenlado pela
para examinar a
ai oitrano.- e contra a eonstituicte, como todos re-
conhecera i al o pwprio ex-ministro. nao pdem
ser e\ec utado> e ninguem mais competente neste
cisa do que o supremo tribunal de justica, que
ne-u oecaso se deve considerar o verdadeiro re-
proseuteute do | oder judiciario.
A' vista disto, disse que se o supremo tribunal
de juslica entenier que deve continuar no seu
exercirto de juiiar, continuar : e se entender o
control o, m sujeiara sua deciso, porque elle
o nico superior que reconher na forma da cons-
tiiuicao e das lei.-, restando nicamente o fazer o
seuprotesto solemne para salvar os seus direltos.
le minada a discussio, o Sr. presidente tomou
os vok* e nnuneiou que linham votado os Si s.
Atmelda, Veiga. Ernesto Frang. Manani e Macha-
do Km*, para u os Sis. ministros aposentados
continuassem no ejercicio de sua- funrcoes, e
centraos Sis. Britq, Chicharro, Simoes e Messias
d Leao.
Apenas so aonunciou essa decis.no ouviram-se
vozes de invito ttcn de diverses espectadores, i
foraui eumprimeu lados na sal, i inmediata algn
dos Srs. ronselheiros que tintiam votado pela re-
entrada de seus collegas.
i 5
L-se em urna faina de Batavia de 11 de novem-
bro prximo passado :
So dia 12 do crrente de manhaa aprsenla-
ram-se no consulado americana os ofllciaes e tripo-
lacao do navio americano Amanda, de 600 tonela-
da.-, declarando que uo da 6 i. noite. 120 mimas
S. S. de Java no Ocano Indico, Tora incendiado
o Amanda neto vapor confedera do Alaiama, com-
znaudaiile Semines.
Trazia este u;.vio um importante carregamen-
tote assucar ecalxis. embarcad. pelos Srs. Ker
i (,., de Manilha, cora deslino a Queenstown. Ten-
do sido reeebida a bordo do Alabama a tri|>olacte
do Amaiiki, Un queimado este navio, e o vapor
segura para o estrello de Sund, onde chegou
ao anoitecer, ancorante na tala de Sumatra. La
mi elle informado [or um navio hollaodei que alli
eslava ancorado, de que o vapor americano Wijo
WMf eslava na Batavia
d. 18 de inaio daqoelle um,
Oftanaaio especial nomeada
quena.
i." A rospeito doniesmo decreto, a commissao
ue pensos e ordenadas, na Reate de ti de junho
de. 1836. propoz una lesoluco approvandoasmen-
cuadas aposenlaces. Esta resolueo fot tambera
adoptada pela cmara dos Srs. lieputades a 12 de
se enibro do referido anno. e remedida a cmara
Ms srs. senadore
tutenaes.
3.
O: l8o.>7!>. mtMemttamfa ronssteraete pre atados ao nie-
unisrerios, c rilodeN.Exc. por todos os Brasileros livm e
particularmente por esta provincia, brilhou um
da o sol de justica e a luz da verd. de, a cuios
d/rrp.io ,"'MS,"'0Ven"mesi,PS,es "S-|raioUKaPI''irecou a serpete da iniriga, e para
'o serio pagas pelea meioa votados enpre a barreira do ostracism...
' A cmara, pois, como verdadein interprete
revogadas as disposicoes em, dos seus munidpes, vendo a V. Ese. MvettiOoeorn
2.000 ftlTM, lil K) harnea- i
lina lei.
3. Kiram
na res|u;i
Arl.
contrario
Hio i
Jos,1 fcili ) Dius de Carrnllw.
Do CarapiA-
3,000 saco i -.
Fa-ies.-Desde a partida do Mnate Irana
Gumne ale hoje aaier :
i'ara CatoVerd^ Inzeodoaom para naat mn .
MUarea pcrtugoea TrimaaM, i aM i>. por
e Janeiro, em 8 de fevereiro de 1861.
wiiw.1.* -ztireaoo h 18i v 1863.
Le n. 1,114 de 27 de setembro de 1860, mandada
vigorar
n. I.14!l
Art. 3.
para seguir os tramites consti-
I
Em 1813, por decreto de "i de agosto, apo-
senieu novamento o governo imperial a tres des-
eu bailadores por conveniencia do service publico.
A commissao di^ penses e ordenados da cmara
dos Srs. deputados, em parecer datado de J3 de
ag iste do mesnio anno. concluio propondo una re-
soiueao para se approvar aqoelle acto, e aps urna
loi ga discussao a respeito da ccnstitucionalidade
da: aposenladorias (oreadas, acamara dos Srs. de-
pu auos a 16 de setembro seguinte adoptou a reso-
lurao proposta e a remelteu para o senado.
i Em 1856, por decreto de i9 de novembro,
airda novamenie o governo imperial aposentou a
doiis desembargadores por conveniencia do servico
po jheo. Dada pelo Sr. deputado Gomes de Souza
urna denuncia contra o ministro que referendou
aqielle aelo, duontroa-cTinWhWos Sis. dupulados,
am Ja urna vez Dais, em sessao de 27 de agosto de
loo/, quo a denuncia nao devia ser attendida ,
e o dwidio sobre parecer da commissao especial
noiieada para examinar a questao.
iaf intervall de 18 armn, entre 1833 e
lt7, em legislaturas diversas, dominadas por prin-
cipios polticos opposlos, decidi duas vezes a c-
mara dos Srs. deputados que nao ha lugar a decre-
tar-se a aecusacao de ministros por aposentadoras
tenadas, quando esses actos tenham por motivo as
rea s conveniencias do servico publico.
Com o intervallo de t annos, entre 1836 e
18* i tambern em duas legislaturas diversas, domi-
nad is por principios polticos opposlos, adoptou a
cauara dos Srs. deputados dous projectos de lei
app ovando aposentadorias fundadas naquelle mo-
_S 16. C isa de correc-
fao e reparo de cadas.
con tos de
no exercicio de 1863 a 1863 pelo decreto
de 21 de setembro de 1861.
Ministerio da justica :
apontado como
Ministerio de estrangeiros :
uda de ctis-
Art. 4.
5 7. A
lo.
Art. 7.
i 8.* Ju zo dos fetos
da fazend;
68:711 JKB9
Ministerio da fazenda:
ll):000a00
$ 17. Prsmios. des-
bilheies da
alfandega, bommissoes.
corretageniseguros. Ju-
ros rociprofeos, e agio
de moedas e metaes...
An. 4. B.lni.sterio de mIIHIbhm :
Crdito extraordinario.
Para pagamente ao
governo bri annico pelo
naufragio d i barca in-
gleza hia
Pedro Das
tivo.
Alm disto, a cmara temporaria approvou
tam iem varias aposentadorias nao requeridas, e
que o governo dra |>or incapacidad* phvsica dos
aposentados.
Assin, pois, desde que se comecou a praticar
o s> .tema representativo no Brasil ate o momento
,; entao levantou ferro, ay- actual, nao tem a cmara dos Srs. deputados resot-
pruxiin.ind,)-se sempre da coste le Sumatra, e ti-, vido a .juesto deoutro modo.
Sr. cousclhe
of Wales.
Rio de Janeiro, 8 do.
le Carvalho.
a mais nobre serte iiue ehige a
Irontu do memo e do verdadeiro patriotismo. Mg-
. ne-se V. hxc. aceitar estas exprsate! simples, co-
mo partindo de coraces sinceros e patriticos e
desculpar a singeleza da phrase na iiTusao dos
mais doces sentimento
69:OU0500il ens guarde a V. ExcPaco da amara mu-
wetpalda villa do ltir> Pteto, era Iteaii ordinaria
\d Jane,r" ,,e lMttl.lilm. e Bina Sr. Tbeo-
plulo Benedicto Ottoni, digmssimo senador do im-
perio. O presidente interino, ,1,,/onw .'os Gome*.
-J0$ de Sonzae Sitca-ilariam >ert'ra da */-
M -owm- Antonio Camilla de Carralh mes le Olivara Lima. .
O Sr. Ottoni responden :
Illms. Srs Agradeco cordialmente illustra-
I da cmara municipal Ai villa do Rio Preto as ex-
pressoes benvolas com que apreciou em seu offl-
co datado de 15 do correnle a escolta, que do
meu humilde nome fez o peder moderidor para
ser registrado no quadm dos represen!antes vfca-
o wr ttt ll('"'!i da jrloriosa provincia de Mmas-G, raes.
28:*i3141 As deraonsiracoes sinceras de estima e pre-
M7^T^7tt" ?,,ei"."*0 '>ue lan,ajS ves me tm sido loncedidas,
i-,,, a ,J" fazem me tremer todas as vezes que en-aro a res-
fevereiro de I861.-Je pposabilidade de niinha posicao e med.io sobre as
1 obrigagoes ponderosas,
sutTragios tonslanles e
-h.
mae o hwiio anseato que rtewwe e i reeebido
usoe.- do sedimento liaiernal.
Disto dea urna prova viva a abertura nosabba-
ao u tniK. de- imfnifleoa saioe* do sumptuoso pre-
dio da ruj da Imperarriz. perfmuenle ao Sr. Ma-
noei Antonio de Azevedo. em obsequio avdfstttrto
f^TJl HlUr. .'"Twleao, rujo berco foi bafejado
A esia elojuente manifestaeSo te apn-co, part-
.o"n,lndl,8 ^^ '-am crescSo
iiu.11. io de eavallemise na menor de senhoras de
dist.nccao que a convite daquelle enchiam-lhe o
ampio< salo.--: ros mjma 84 davam s iiios a r-
quexa, n bom gosto e a elegancia, condicoes estas
Para Ltaboa ordem. brigue saeco Osear, a 35 e V'^'"1'' '".' B2P2 jr'rd.irn' *** S2 alDBa
/ a a* P,^,,' P- enor do edifiele ale a na Fonneea,
sendo para v^r este si lio privilegiado todo HMu-
nado a ytorut: com suas al^s a> Uores a embalsa-
marem o amiente, com snas eascatas a despeia-
r1'',',n.'os.'a crysfal'Ma lyiiipha do Prala, com suas
lK)liaDd.'z Corneli'i Motm a 52 sh. e 6 d.
Para o Havre, barca francesa Mawiliote aM
frs. e o /,
fo
Para Liverpool.
e.V/o.
Ir-'e'l'(>1-rS,>l,'-;'' ''re"'! ',:'l,an0 Do"len,co-
brigiie inglez Chance, a sh.
a U
A
.patacho old,i,Jn.rguezJo/wn,.a4-i dXrenJS
e bngue ,agl Cornucopia, a 4U sh. e T2ZLv2?S.
270:0005000 280:000*000
a rememoraren os vergeis da
anriguioadi- na forma e na expresso dellas, o fi-
nalmente coi o sen pavilhao na
sh. e o
5-/-
l'ara.Ww-Vork, barcal inslezaPtf/rfC. Vferrick '^Ti'"0 co!(>?ea PaTilho n extremidade a.
> 40 sh. a %. U W,?rr" h' I c"nvida'- a descanso ou a meeaeao nessa aihmes-
ParaoBie-daPrata, brigue porUzgoe, BmltA^S^mmt u^
qwa, carrejando e* Paranagia. por 1.800 puta- r,,,^ (, "''" a"" .pa/a *' ma -"pleta
rtes. e carregante. Sin Sania UtJurina, pol*-a! T?,'Z 1?na *" Aml>n,lryao) me assim hoorava.
brasileira Adelia Itotu. P *el" do SI!U a"ffo, > quem obsequiara real-
As eotaces sao actualmente noiuinaes era con- SfSJA? <^wfMa V mai de urna- vez se
Foi escolhido senador pela provincia da Bahia. o Mina.
a que me
reiterados
adsfingem es
das urnas mi-
ro Zaeharias de Ges e Vasconcellos.
Por decreto de6do correle, foi aposentado Ma- doma de que as evolcoes demen \m-tmenla
noel Paes Sa -dinlia no lugar de 2 escripturario da '......
alfandega do Hio de Janeiro.
rara
medicina
forma do
corno.
t Se o meu p assado pode servir de garanta, eu
o oftereco a con sideracao de VV. SS. s-ientfiran
.o.' as evolu<
futuro naohaver mais do que o resp.Ho leie
ai ideas liberaes.
Queiram V V. SS. aceitar as segurarcasde mi-
urnTr? Z ""T? "* """'n* "a P^nda'eMima e sub ap^"5
urgiao de corpo de saude do exercito o Dr. em Ro, 31 de Janeiro de 1864 -Aos H
ITL J0: *ariano d? Mat-tJ *- **** mas readresda camar.!
art. 156 do regulamento do mesmo
pal da villa do Mo Prelo.-
lum.
lllms. Srs.
cmara mnniei-
-Tkeopliiln Bei-edtcto Ot-
narmente fazendo-so ao largo do estreilo parou perto
da ilha do .Norte no dia 10 do con ente e s o horas
da larde abordou a galera americana Winyed Ra-
'ler, de 1,770 lonela las. /ommandante Cummins, e
propriedade do Sr.lloberto L. Tajlor, de New-York,
jue (razia um cariegamento coiipleto de assucar
5 cabo reiuetudo ik Manilha para New-York pelos
:>rs. Peele. Hubble 4 C. Temi sido distribuida a
iinpolacao por tres e-ealeres permittio-se-lhe pro-
ver-se.do falo, agua e vveres de que carecesse e
os botes couqiortasfem, e a gatera foi incendiada.
O capiau Cummins, a quem ac<>mpnnhavam
nullier e tilda, embarcou no navio inglez Julia em
viagem de Stum;lia\ pira Londres e entSc ancora-
do porto, efol deixado em Anger. O .{laburno, poz
a tripulac.o do Amanda emum bote, nocrual ella
hiyou a atavia.
< o Win.jet lladi-r afundou 8 s 1/2. Quando o
Alabama tei vi varJ. O vajKir americano Wyomimj deixou Bala-
'ia do dia 8 de niaiinaa para ir cruzar, tendo-se
lemorado all para reparar algn* estragos do ma-
chinisioo. u {manila foi o pnmeiro navio'destrui-
do pele Alabaw de.wis que sanio do Cabo.
Q Sr. conmundador Vicente ce Souza Queiroz
rao acceitou a presidencia da provincia de S. Pau-
lo, para que luvia sidouliimaineule nomeado.
Aguaram-so hontem os leslejcs earnavili
i ')m a chuva que caio todo o da nao admira que
louca mascaras se ssem pelas mas. admira an-
Bue algumas app.irecessem. Entretanto vimo-
las de lodos os gneros, a pe, a eavallo e de caima-
gem. guamo a sociedades, apeeas vimos os Zua-
pie, arremedando os seus prelotvpos, arrosta-
r ini de,iimdos a chova e a lama, romo j urna vez
arrosiaram o rogo.
Demais. no corpo da legislacao do paiz flguram
duas leis, a de 17 de outubro de 1816, sanecionan-
uo awsenladorias Toreadas por motivo e convenien-
cia publica, e a de 30 de selembro de 1843, sanc-
cion; ndo tambern aposentadorias toreadas por mo-
tivos de ineapaeidade physiea.
Nao e licito, portento, commissao innovar em
assoinpto de ordem lo elevada, sera grave perigo
para as instituidle- representativas. Se, adoptando
Km putos de opiutes individuaes contra declsdea
colleelivas, a comraissio quize-se agora suseiiar
duvidas a respeito da constitueionalidade dos de-
creto > de 30 de dezembro, qual seria de hoje em
dianle a terca moral das decisoes desla casa e at
das Iis do paiz? Estafcelecido como principio que
pelo spaco de lao largos anuos o ramo do poder
legislativo, a quem cabe exclusivamente a aecusa-
cao dos ministros, so baria prestado a validar ac-
tos iiieonstituconaes, estabelecido anda que le-,
disentidas e votaJas na cmara e no senado, e sanc-
ctunaJas pela coroa, tinham sido urna vioazjio de
dogmas constilucionaes, quaes seriara as onse-
queneas ? A commissao se abstem de as mencio-
nar, porque esla au alcance da mais vulgar intel-
ugewia.
A commissao, portento, respeitando os prece-
dente.'; apontados, de parecer que os decretos de
.10 de dezembro. aposentando os membros do su-
premo tribunal conselheiros Gustavo Adolpho de
Aguilar Pantoja, Tiburcio Valeriano da Silva Tava-
ma, Camelia Kerrera Franca e Jos Antonio de
Nwu,- ra eS,l\, c deserahargailores Jos.) Emvgdio
dos sanios Touraoho, Joaquim Texeira Peixo'to de
Abreu Lima e Francisco Jos Colho Netlo, decre-
te quj o ex-n.nistro da juslica sujeitou censura
de dirlo. nao olTerecera materia para aecusacao
daque le ex-mmistro, visto que tiveram por funda-
i conveaieocia publica de urna boa adrai-
Por decretada 6 do correte foi promovido ao tJl""^0 ""* ****>* as segantes no-
ternlosd%,o,a!te%^^d!rrala- ^SftA ^ h ^ *5 rice"P'-idente, no louvivel in.ni-
if,.m?^ do decreto n. J.IW de 2t) de ou- to de conhecer as causas e oricem do d Ninoronn-
2S itto aPreUadit *lmeT A SI" r,","a Parede ^'" Sino de hon-
> arella. litando assim preenchida a tem, rhamou a aitenco
s-ipiencia da apaltea dr.. mercado (lo caf"
o T- ^a'"uPa'':* Peruambuco. 8. abarca iMteu
O vapor Pertimmga devia ler atUte 13.
Achavam-se a carga para Pernainbuco : pa-
tacbo ebenbe. barcasfrancezas Ville de. Frontupmn
e bmjene I irmact,- a barca portugueza Forwsa
Bahta, 12 de fetereiro.
Cambio. -Sobre Londres 27 5/8 e 27 3/1; a So-
bre Portugal 98 1(H /
Saino para Pernonibuco, 11. o brigue Ar-
Arriliou, no dia H, a galera ingleza Moran
Airc.etn viagem de Loadrwa Bombay.
fez ouvir no
piano eom a mestria que Ihe conhe-
vaga que deix
meida Por
dezembr
Terminara I
i deix iu oii tenente Joaquim Mara de Al- sobre o faci desse desabamenlo afun d*
ortugi I, demitlido por decreto de 29 de vendo sebre elle procedimento criminal ('
o iiltii io, conforme requerra. com lodo o zelo e actividade.
oje i folias carnavalescas, e.
do Dr. promot ir publico
I ipie ha-
promova
l'etrrminou tambern S.Exe. que os ?ngenhi'i-
.^-.-. ros ltaggi e Sepulveda se dirigissem ao {azometro
e ,r E011^'-"'"''' f'"Vv' e lnforma<-:'" quaes as causas que coi rorreram
tenSn ^f;,a'trn reCOr1da-0050,,II'm0d,a pyra llf ^a.nento da mesma parede. e relaia-
XSLmmm HTW ? u Tn**"',- *** ,?ualn"'n"' "90 de seguranea de edihcioe
as sociedad, s BttHdantm de Heijitelturu. ButQrpe suas dependencias.
lywn-Hd Piulieia Vagabunda. Nota Chrmnati- Ante-hoBtem MI) pelas 4 horas da tanto foi
corrr ft SffiL? 2" t5Z SK"-*"**^"" '''adaver de'um nitnho do
wdm segu,nd0 ef,a Jj- Manoel Arenan; te cerca de S mez n de ida-
Bitudantu frulelberg (festa do tonel).Os te-
tu.lantes de II, ydelberg farao o seu passelo na
ordem seguintt
1" re Marco Polutachi (Grego).
., *'1r,ei D- Al o Ramiro Prez Cortez de Molina
Maldifuent.1
roes (
i>s ire
Fabr
e que era amamentado |r sua prrpria rai.
Kssa enanca eslava no berco vigiado poi sua av,
quando foram aml.os esmagados pelas ruinas.
Dous dos meninos morios na catastroi Ira foram
enrontrados abracados.
Em a noite de 4 do crreme o vapoi jDoim de
n (ti nr,>. lr.L:. 1 i .
menio
Varias ras estavam brilhantemente adornadas, nistracao de jusiej.
e entre os numerosos paineis e dsticos notaram-se 1 S la das commissoes, 8 de fevereira de 1864
a.gomas lerabrancas chistosas. I-F. Octaciano.-Marti>.l,o CamposM. Helio'
b ue esperar que a manhaa urna chuva retregra- tranco.Jos JU. de Murcdo.
da nao taha transformar o moderno carnaval no
^ uiquado entrudo abjlido sem saudades.
2:!-9700ll
Recebemos folhas do Rio-Grande do Salgue al-
canrara al 23 do passado. Alem da noticfk de al-
guns a-a-ma' m para as bandas de Pelotes. Can-
gussu e oulros lugares, nada contm de grande in-
leie-ise.
Anda n.o era conhecido o autor da morle de
Joaquim Ferreira dos Sanios Guimaraes, socio da
i commerci I Moraes 4 Guimaraes, de Pelotas, j propos a para W^ltou^te^^auteXte
o qual, como ja noticiamos, fot assassinado com "
dous tiros de pistola, a 10 de Janeiro, naquella ci-
da de.
Segundo o Liario, as exploracots das minas de
e: nao no Candiota e Jaguarao Chico confirmara
C la vez inais ;i rinueza dos jazi-. -
LrS na referida' folha com data de 19 :
Pelo estfela particular de Santa Victoria live-
nus cartas aquella freguezia e rrc^nteira de Chuy,
que aleaocam a 15 di correnle mei.
No oulro lado da fronteira, nei departamento
de Bocha, conlnuam os matreiros a matar e sa-
qt.ear aos pacficos Iranseonies.
da 11 segua em viagem de Sania Victoria
i o Esudo Oriental ocidado brasileiro Jas
Antuues, acom.janhado de doze homens, quando
era b Luiz foram atacados trairneiratnente por una
grande partida ios taes matreiros, de cujo conflicto
mwlearem tres brasileiros leridos e morto
un dos assassinos.
A jurisdicrao de Rocha esta abandonada de
autoridades cvi> e militares, e os matreiros, na
Jaira de que rouLarem deram em matar o gado dos
Hi-.iMleiros, -o p; ra tirarem o courc, graxa e sebo,
com o maioi escndalo fazem passar a este
lado, e mandara rendir aos seus proprios donusna
/ia de Santa Victoria.
i Basa introdcete feita por mar e por Ierra,
sem que encentre a menor resistencia. Untnos
pontos dos registros, como as autoridades Qsc
que. pedimos a quem competir algumas pro-
vii encas a resp 'do.
0
Montera nao houve sessao no sanado por falte de
nu ero legal.
.i cmara dos deputados approvou hontem sue-
ivamente, com varias emendas ce projeeios que
a .' n-arn o governo a mandar admiltir a acto das
uiaienas do prmeiro fnno da KaeulJade de Dire-
;o de S. Paulo, os estudantes Guilherme Ellis e An-
tooio Ferreira Franca.
'ilion era seguida, ern virtudo de um requer-
n.uiio do Sr. Martim Francisco, tendo feite algumas
.ces o rae- no se.iihor e o Sr. Macedo. o pro-
e autonsa o governo a mandar passar carta
de lachare! em lettras pelo imperial collegio de
Pedro l ao estinlantc Jos Antonio Percira da
Silva.
Approvou dif o* em urna sd discussao, sem de-
i-', o projeeto ijie autorsa o governo a applicar
i a losentadoria di. procurador fiscal da thesoura-
na de fazenda es Santa Caihanna, Polydorodo
Aniual e Silva, a disim-icao do decreto n. 1.094
de :. de selembro de 186.J, quanto ao lempoera que ____ 49'|-10132
o m '-mu servio como escrivao dos fetos da fazenda
naq ella provincia.
(Iccupou-se em nlpmo lugar com o projeeto que
approva o contrato celebrado com o viscoude de
Barbacena pnra rssraris minas decarvo de prdra
as margeno d .1 na provincia te Santa
<.ailiarru. Depois de algumas observages do Sr.
< de Boias b oltorecido pele mesmo sesmer
luivimento le aJ amento. qt.e nao la vota lo
i de numero leg.l.
parecer :
A euron. .orneada para dar pare-
eei respeito dos iWrretos de 36 de de?( inbro do
aun : lindb, petos qittes o governo imperial aposen-
ten, consultando as conveniencias d
bale
Cincordo com o parecer da commissao, porra
por fu idainentos diversos dos expostos, e que ofle-
recere, na discu-so consideraco da cma-
ra. L-itao da CunJia.
O Sr. ministro da fazenda leu as seguintes oro-
postes. r
Augustos e dgnissimos senhores representan-
tes da nagao.-De ordem de S. M. o Imperador, e
em observancia do art. 13 da lei n. 1,177 de 9 de
setembro de 1862, vendo apresentar-vos a seguinte
propos a para approvaeao das despezas aul
no exe eino de te das sobras verificadas em diversas verbas da
rsped iva le do orcamento. nos termos dos decre-
cidos pelo governo no intervallo da sessao
do corpo legislativo. As tabellas e do;umentos
juntos lemonstram nao sasua necessidade. como
as rubricas de que se transportaran as sobras.
Prosista.
Art. l. Ficam approvados os decretos n. 3,lo8
de d* outubro, e. ns. 3.213 e 3,215 de 29 dede-
zeinbrc de 1863, que, na conforraidade do art. 13
da le n. 1,177 de 9 de setembro de 1862, trans
poriaram de umas para ouiras verbas da lei
n. 111 v de 27 de setembro de 1860. mandada vi-
m?T,t,! ^l"'10 de ,862 m:i P"-'1" *"f*to
n. 1,149 de 21 de setembro de 1861, as quautias
'-','.M;'":':.'la labella inclusa, na importencia de
a/o: l #.I2.
Art. 2. Ficam revogadas as disposieoes em
contrario.
Ri< de Janeiro, em 8 de fevereiro de 1864.
/o-- Pe tro Das de Cunalho.
,'"'* XMCtOO dk 1862 a 1861:.
Le n. 1,114 de 27 de setembro de 1860 mandada
vigorv m ametcio de 182 a 186:1 pelo decreto
%. 1,149 de 21 de setembro de 1861.
Art.;. Ministerio da juslica :
% 4. Tribunaes du
comnerco........
Art. ; Ministerio da fazenda :
5." Pensionistas e
aposentados....... 50:000000
S 14. Ajudasdecusto
e grai ificaciSes por
>'ivi(os i'erapora-
nos e extraordina-
rios...............
2. Evcntuaes......
Olio Hosenkrputz (Austraco).
Giuseppi Fiojanni di Spadamarina (Italiano).
Os tres prime iros esponjas:
Alberi. Graf 'onSchwarubluth (Pru;so).
D. Juan Pilanez Solani (Montevideano).
Alas :
D. Niconiedes Moulez Lausbiiea Dupilla y Gal-
ratones del Sol (Hespanhol). casa te musgo. '
jredericoSpirzhaupt (Bremons.o casi rema.
BernardoVanlnevdi (Belga), rapoisa dmala
Cesar Machotiki (Grego). rapousa dourada.
Fausto Wantlyeh (Stero), easa reina.
ndeos Kreil (Badensej, casa velha.
HenriqueStautikolT (Russo), easa te musgo.
\iriaio llraga^a do Lavradio (Porluguez). easa
velha.
Oloneldasoctodade carregado pelos estelante :
Cesar Titicaca Ghicuila de las Andorras i Vene-
z uelense).
D. Louel Lose ofusco del Bcone (Chileno).
John avidson (Americanoi.
p. -Nicomedes Monlez Lamoueila Dupilla v Gar-
rafunes del Sol (Hespanhol).
Porta-estandarte
------- .......-. porem
caiiir no mar o respectivo mesire, e morrer afoga-
(to a despeno dos estorcos erapregados p -la Iripo-
lacao parasaha-lo. ^
Consta-nos que o commandante do vapor nao
dera a menor importencia a esse sinstro. e prose-
guir em sua viagem.
.NoTICUS COM.MEHCIAES B MUIITIMN-.
Hio Grande do Sitl, 2.1 de Janeiro
Cambios. Sobre Londres, M 3|4a 26 >{.
Parla, 388 a :70.
Hamburgo. nominal.
Rio. :t e I ll|0 90 d.
Babia, 2 l|2i>|0.
I'einamlnieo. 2 e3 0|)a90d.
Metaes.Oncas 32, pesos 24, palaces i&, moe-
da nacional papel 6 a 6 1|2 0|0.
I-retes.Para o Rio de Janeiro 300 rs para a
alna 400 rs., para Peruambuco 500 rs. (ultimo
Iretamenio.)
Os ulliuios fretameotos para portes estr rnlmi
foram :
Escuna hollandeza
0)0 para earregar
Canal.
PERHAMBCO
REVISTA DIARIA.
Reumo-se bontein era ageste o Instituto rtmm-
logu-oe Ixographko Peinanmano com assislencia
do Jixm. monsenhor Munz Tarares e dos Srs. Drs.
Joaquim Porte:la, Aprigio, Soares de Azevedo, Joo
Alfredo, Wrtruvio Piulo Bandeira, Figuera, Ro-
drigues Cainpello, Jos dos Aojos. Torres Bandeira,
coronel Jos Mana Ildefonso, majar Salvador e pa-
dre raeslre Lino.
O Sr. secretario perpetuo depois de lda e ap-
provada a acia da sessao anterior; faz a leitura de
um oflicio do Sr. coronel Tburtiue Pinto de Al-
meida era que eunirnunicava a aceitecao de sua
eieicao para socio correspondente, t de outro da
associacao PhU artstica no sentido de convidar o
instituto para a sua sessao de nstallacio no da
to, declarando que na forma dos estatutos nomea-
va para a respectiva commissao os Srs. padre Lino
e r. Torres Baudeira, visto nao estar preseute o
Sr presidente.
OSr. Dr. Witruvio Pinto Bandeira relatando a
coraran sao de fundos e orcamentors aprsenla o
parecer seguinte a mesma commissao
A commissao de fundos e orcamunto* cumprn-
do o disposlo no art, 21 dos estatutos, tem a honra
de apresentar a consideraco do ImliMo o projee-
to de orcamento da receila e despeza para o auno
social fuiuro de 1864 186o.
Sala das commsses do Instituto Ardteolojuo e
Ueograpluco Pernambucano, 21 do Janeiro de 1864.
.interno Wilrucio Pinto Bandeira e Arcioli de
I asconcellos.-Francisco de Barros Falcao Cocal-
cunt de Albuquerqite.
Orcamento da reeeita e despeza para o atino so-
cial de 1864 4 ISiio.
Wm dencunt, a 5S s -h. 10
eoora e oulros genero para o
S .2 LeCOq *22 (France7'-. ?CWtai ngleza Fruncs e Richard, 33 se i., e pa-
b? Din- %e^LV"m"V ra< :(Va"a ^ UXth "'^ ''"""'"'" '-n- e 5 lrt l'a a o Ca-
nov',Hr vtn ? V'VeS- ^SarA0' yuln,anila- "al a earregar couros salgados.
i?to^l\32&AMa5?ft 'drT- 0llV'" o,? brigU(r Drussiano 0U*I Bal I 89 sch. e B
)-r:.'.,,r?0.e ,",>r|Sf". ma do Thealro. Lganos e 00 para earregar assucar no Maroim pa-aoCa-
Natureza da
rereita.
Joias de elloc-
tivo-.....
Ditas de cor-
respondentes
Mensalidades
de elTectvos.
Ditas nao re-
cebidas.....
/asignaturas
da Revista..
Saldo do auno
anterior..
Quantum
della
240000
330SOOO
480000
2164000
504000
1664620
1:4824620
Observa, tes.
Procede esta quanlia de
12 joas nao pagas.
dem de 33 socios exis-
tentes nesta ilala.
dem das eonlnbuicoo
mensaes no correle
anno.
dem, dem do anno fin-
do.
dem correspondente a
dez.
theatre Lyrico. i nal.
SS^HaJL ""''? -:",frpf c~1'r"''-,5 '-'"ana sueca Albn a 50 sch. para carnear
d^eA^S^S 3 ""."?*' da ?ala CvUIUS Sala,lus e 8;i sch- *" pa-a.NVw-
oa sociedade e pdrrorrerao as se',"iinles nas, se o ior\.
ri3% K!2itirt: P; SCud'"eS- l)kr,'i,a- V,"bs- U' ''" J***, 8 de fevereiro.
,?",, X a !TPlla' H,,slll,|0- Ounves. Rosario, Cambio.Fecha lirme sobre Londres de 27 i
Direita, OovtterJOorfves, Assemhla. largo da C- 27 3|8 d.
n^a;_Par,0.,.A.:ulfa '.}r?0**!do Rispo.voltando lacluindo as operagoes fechadas boje a isles al-
ilu le, 7i. I,H4 r
dicret-) n. 2,747 dr
16 dr faerar de
1861.
Ministerio da agri-
cultura, [oinmercioe
obras publicas:
Garanta de juros as
estradisde ferro e
de rod tem.......
Obras publica-geraes
e auxilio s pro-
vinciaes...........
Jardinidopasseiopu-
publicu...........
20:0004000
10:0004000
-------------------80:0)04000
pelas ras da Ajiida, S. Jos Quitanda, tebo, largo
do Capun, S. Pedro. Ounves. Pescadores, at a sala,
era que os esperal um lunch; seguindo depois cora
o enterro dos oiks as ras Dreita, Violas, Quitan-
da, Ouvidor. S. Francisco, Micio. Ciganns e Invli-
dos, onde farao urna entrada no Pavilhao Flumi-
nense, marchando para o ttevitro de S. Pedro de
Alcntara pela rita do Conda
l'aulira Vaga/hinda.E.ii sottetete partir i a-
I '-. lloras da lanle do Hmtro l.vrico, percorrendo
i- >eguintes roas: Ciganos. Roci. Carioca. Guar-
da-Velha, largo Un Ajiida, ruadla Ajuda. 1 I
(Juitaiida, OuvidoK Ourives, osario. Dreita, Hos-
picio, Ounves, Alandega, Dreita. Sabo, largo do
Captan, S. Pedro, |)ireila, Violas. Ourives, Pescado-
res, Dreita, Hospicio, Fogo al o largo de S. Fran-
cisco de Paula.
Sociedade \ova l>te*Mste.tete esta socieda-
de te sua sala, nv largo da S n. 9H. as 7 hora- da
larde, percorrendo as seguintes ras: largo da S,
ra do Fogo, largo de S. Francisco, ra do Thea-
lro, praca da Coistiiuic.no, lado da ra do Cano,
ra da Carioca, largo da Canora. AstttftMB, Ou-
nves, Ajuda, Guaida-Velha, ra te 8. Jos.Quitan-
te, Pescadores, iiireia, Violas, Ourives. 9. Pedro,
Dreita, Sabao, O irires, Alfandega, Quitanda, iio-
sarlo. Ourives, Hoipicio. Dreita. Ouvidor. ruado
Theatro, praca da otutiiuteio, Ciganos, dando en-
ru-o s 9 ?/| horas.
te$. Beta .-ociedade dar o seu
i que esiiverem enfeiladas No
o presiden'e faatastado cm Cu-
gan-nios sonunam os saques pelo paquet. inglez
Ondula :
Sobre Losares, 34 SUO.OO, na quasi tetalidade a
-6 'ie27 3|8d., o apenas transan-oes diminutas
2/ 1|8 d.
Incluimos nesta somma i 820,000 tomac as pelo
banco do Brasil a 27 3|8 d.
Sobre Franca e Antuerpia. 2,200:000 francos a
3*6, 347. 34* e 349 rs.
Sobra Hamburgo. 4ot.W00 111. b. a 60-I e 660
reta,
Xalureza da
despeza
Impressio da
Revista.....
Expeliente...
Movis____
Gratilicaeaoao
cobrador..
Festa anni ver-
Baria ____
Eventua s
Quatunm
della
f.lM)4000
24000
4004000
78403o
1304000
22ilo(io:
ObseifarSes.
1:4824620|
lnclue-.-e a quanlia de
18405o, devida ao co-
brador, de 20 de agos-
to ao fim de dezembro
prximo passado.
Sobre
guinle :
Lisboa e o Porto regulou a tal lia se-
103 porcento..... vista.
102 dem......... 30 das.
101 dem......... a 60
100 dem......... 90
Apolices. Negociaram-se hoje asgeraes ce 6 OO
ao par. '
l>''.-contos.Conservam-se nos bancos a t %.
Na prara regulara de 8 a 9 -/,..
Mel es. Exportaram-sedesde o dia ldo le at boje (8) os valores segrales :
Destino*. uro. Piuta.
Irada no theatro I.
Club dos corkhai
passeio pelas ra
carro triumphal ir;
Po.
Soiiihainplon .. 3684800
Lisboa e Porto.. 4
Montevideo____ 4
Rio da Prata .. 4
Moeda.
18:8614980
34O:0O04(ltlO
12:630.5000
1:1604000
4
466:9474673
23:8734671
2834000
576:1014342
de 1864. -Jos
sel vico pu-
blico, a quatri* mlu stros do supream tribunal de
>, e a tres, desembargailore- da relaco da
lialea, examinoii, onm Ihe cunipri 1 ante- de ludo.
1 e lentes da enmara
I liante it*ampio.
* Os pn iiic
'es :
-rs. deputados e:r
encontrn :."o rs e-
Rio de Janeiro, 8 de fevereiro
Pedro Das de Curca/lio.
' Aug stos e dignissiraos senhores representantes
da nacao -De ordem de S. M. o Imperador, e em
Obser rao na do art. da lei n. 589 de 9 de selembro
de 1810, venho a presentar-vos a seguinte propesia
para approvaeao das despezas aotorisadas noexer-
cirio de 1862 1863 por diversos crditos supple-
inentares e um eaaonlrnario. ok quaes loram
aberlos |elo governo, no intervallo da sessao do
corpo legislativo.
A* tabella* e documentos juntos demon;trarn
a sua ne :essidade.
Proposta.
Art. 1. Alm das despeza- autorisadas pela
lei do on.amento n. 1,114 de 27 de selembro de
18ID. paran WereleJrte 1881-1862, mndala vi-
gorar no exerctoio rie 1862 1863 pelo decreto n.
pido, rodeado de tollos os socios vestidos de carpi-
doras e cantando o Deprofundis.
TUmm te ste.U-flsta sociedade sahe a p s 7
horas da larde rom; o enterro do carnaval pelas
mesmas ras de prpgramroa de doraiago.
DIARIO DE PERNAMBCO
Pelo vapor ingle
Rio e Bahia, apenas!
jornacs, chegando a
renle.
Rio de Janeiro.
ca Interior, apenad
Correio Mercantil : |
Total... :684800 586:2914980 1:16)4000
Acc es.Negociaram-se as do banco do Brasil
a 604 e as do banco Rural e Hvpothecario 1 084
de premio.
Caf.Nao constara vendas hoje. Era ra ao da
pequeoa escala em que anda chegam os s ippri-
mem do iutenor os possuiderea manleom os
das ultimas vendas, embora a proa ra do
artigo teuba diminuido pela disparidade que apre-
aenlam essas colante* era relaoao as ultinas de
que temos noticias uos iwincpaes mercados 1011-11-
midores.
Onridn. entrado hontem do
recebemos dous nmeros de
fuelles 9 e estes 13 do cor-1 ^ ltimos preros foram para os lotos redondos
Para os Estados-Unidos........ 74100 '. 5400
Alem do que vai sobre a rubn- f o Canal................. 6,5900 a ; 100
encontramos o seguinte no o Norte da Europa....... 74400 ; 4500
o Mediterrneo.......... 64900 74200
dador .loaqim Gaudio Ley, genro do ba-; Primeira ordinaria............
Sesiimhi lin'i
-----
rao de Becon e prollonoiario Couto, entrando va- Segunda boa.
nos nome* desconhec
da airandega de Albm
va. Kssa exi lusao b
cao na provincia, ond
dividido e preparai '
A
6-5900
64600
6-5500
t'4?i00
:-v;ih>
:4'$oo
4000
11-5700
000
dos em p< llUca e o inspector 8Wmda ordinaria,
uerque Joaijum Piresda Sil- H* em ser 79^000saceos.
m causado pode sen-.,-, tesucat,O mercado conserwae
acha Retirados boje do mercado
dore.-, offereceni peto maseavo 'de i'.nnipos menos
para renhda hitas.
en aptthia.
OS principal coi ipra-
1,149 de M de setembro de 1861, aherto ao ,0 pTwgTrt Z PnTffSkTSbSS.
verno no mes.nc porcino um crdito upptcmen-1 dedieaete ao prV e 1- 'nsiituicoe- & de !
los, 1 o pode deixar de levar
pecante V. Exc a exprissaode seu conten
nacao do mercado no arcol ; ion-
io os possaklores e compradores, ni* ac-
muescendo estes por ora pretenfes daau He-
lia em ser :
De Pernambuco
Sala das commissoes do Instituto Archeologieo e
Gtographico Pernambucano. 21 de janeire de 1864.
A. Witruvm P. R. e A. de Vasconcellos.F. de t.
t. Cavaleanti de Altmqueraue.
Entrando-se era seguida na ordem do dia, pro-
cede u-se a elecao da mesa, cujo resultado o
seguinte :
l'i esidenie, Monsenhor Francisco Munz Tavares.
1- vice-presdenle Dr. Joaquim Pires Machado
Porlella.
2 dito Dr. Aprigio J. da Silva Guimarae-.
3 dito coronel Antonio Gomes Leal.
2" secretario, majar Salvador Henriques de Albu-
ooevuae.
soppienles do mesmo:
Dr. Amonio Witruvio Pinto Bandeira e Accioli de
\ asconcello-,
Dr. A. Itangel de Torres Bandeira.
Orador. Dr. A. Vicente do Nascimento Feitosa.
Thesoureiro, Dr. Gervasio Rodrigues Campello.
Tendo de passar-se elecao das eommisso.s.
suseila o Sr. secretario perpetuo a questao de nao
dever-se proceder a ella, viste que da combinacao
do* arts. 10 e 27 dos estatutos nao resultara esta
necessidade, devendo por consegrante serem ellas
renovadas pela nomcaco a proporcao que se
dessem vagas por qualquer circumstaea.
O Sr. Dr. Joaquim Porlella opina de modo con-
trario, porque este alvitre Ihe pareca ter assento
no arl. 9 combinado com o 10 dos mesmos estatu-
tos; contra o que atada se pronuncia o Sr. secre-
tario perpetuo.
O Exm. presidente reconhecendo que se d.iva
eneciivamente nisto um poni de dtivida; e enten-
dendo que nielhor seria haver lugar a elecao do
que essa renovante por nomeacoes occastenaes,
submetleu a questao casa, que decidi por igual
modo; e assim continuando a eleirao, sao eleitos
os senhores:
Commissao de redacro daRevista.
Dr. Aprigio J. da Silva Guimaraes.
Dr. Antonio llangel de Torres Bandeira.
Dr. Braz Florentino Henriques de Souza.
, Commissao de fundos e orcameo.
Dr. Antonio Witruvio Pinto Bandeara e Accioli de
Vasconcellos.
Francisco de Barros Falcao Cavaleanti de Albu-
querqiic.
Dr. Joaquim de Souza Res.
Commissao de revisio de nianuscnpto.
Dr. Jos do* Anjos Vieira de Amorim.
Dr. Joo Alfredo Cotrte te "liveira.
Dr. Francisco de Paula Sales.
Achando-se adianlada a hora, o Exm. presidente
levanta a sessao, dando pa ordi;ii do dia da pr-
xima reunan a |>osse da nova mesa, a di-cusso do
orcamento e a CMnlinuatfte das ejetotes.
Verdadeiro cosmopolita, p genio nao lera |>a-
tria, e nein se distingue pelo campanario que vi-
brou sons festivos consagraeao de sua viuda au
mundo; pertenrea todos os paizes, e assim dmais
um lesieuiunlio da un.lade fundaineiilal do gene-
ro humano. Onde queruue obaga, o seu nome que
ja o lera precedido, Ihe ha constituido ah urna fa
8.000
sacc is
cida, arrouliarido a fajarnos alli se achavam em
unisonancia de admraeo; e corno moldura desie
I quadre maravlhoso, fir.eram-se ipsialmente ouvr
iriocanto as Exmas. 8ras. D. Thereza Dowstoy er
"* camin ,in diversos-irrtervallos-.
Sao duas v<,zes bell*, argentinas e igualmente
eweusas, que encantaro peto timbre e pelo metho-
do .a primeira ouvimos denominar d sereia per-
nmnintcuna; e este baptsrno do enflwsiasmo nao
parece-nos exagerado por eerio.
A, ce, (We servio-se por obra de urna hora no
saiao uo T andar', foi profusa e variada era acepi-
pes. nao desmerecendo de Uueolte por nenhuma
consideraco; e pelas ires Iran* leve lim a reonio,
retirndose todos satisfeitos de haverer temado
parte na apreeiario de um latente vigoroso, e da
amaoitidade u> quera assim renda a este um nrei-
to de signilicaiiva admiraco.
- A sonedle meotral Ret*tm e l*fo. Fnmi-
i'ai ueu no salihado a ,ua repres*niacao extraor-
dinaria levano a scena AwiV* de sangut e Os
dous caraos. v
, Correu satstctoriamente a representaco, qur
do drama, qur da comedia, mostrando os corto-
sos progresivo desenvolvimento na arle dramtica
O eco afflictivodos habitantes do arcbipelago
do (jbo-Verde, a bracos com nm des flagellos que
opprimein a humanidade, consequeneia da prolon-
gada secca que lera reinado naquellas ilhas, soou
lainliem entre nos. e por iniciativa d9r. consol te
s. M. F. foram organisadas diversas commissoes
para nos dilfcrentes bairros desla cidade agencia-
rem soccorros para a<|uelles infelzes. e secnnda-
rcm os esrorcos lu.ioicos feilos em Lisboa e outras
partes, ahm de aliviarem aquelles nossos rmos
que se delioham a teme e a penuria !
Em Lisboa, logo que consteu que a crise alimen-
ticia flagellava os- fllnos do archi(*lago de Cabo-
verde, i m media lamente se organiaou urna commis-
sao a cuja friHite se a cha o Evra. duque de Pal-
mella, e era poiieo lempo se obteve urna subserip-
eao superior a reze eolitos fortes, com o prodrjeto
da qual ja se tem feite remessas anilladas de co-
mestiveis para aquellas llias, como sejam arroz,
moho, [arfaba, Innrinho, ele.
Bom que os porluguezes residentes entre nos
coadjuvein os sus conipairiolas de alm mar, o
que e de suppr aliento o cuidado e patriotismo
que distinguem os respeitaves membros das com-
mis.-oes nomeadas pelo digno Sr. cnsul nortoguez,
cujas listas apn.sentaino.s em seguida.
Commissao ceidral (Recite.)
Presidente.Jos Antonio de Carvalhe.
Secretario.-Jo.-- da Silva Ley.
Thesoureiro.Jote Francisco Pareute Vianna.
\ ogaes. -Francisco Jote de Barros.
Jote da Silva Regadas.
Bernardino Gomes de Camino.
Vicente Ferreira da Cosa.
Comii, issao de Santo Antonio.
Joaquim da Silva Castro.
Jos Joaquim da Costa Maa.
Antond"Corra de Vasconcellos.
Gaspar Antonio Vieira Guimaraes.
Antonio Duarte Carneiro Vianna.
Joaquim Antonio Pereira.
Jos Caetano de Larvalho.
Joaquim Monteiro da Cruz.
Jos Joaquim de Faria Machado.
Commissao de S. Jos.
Albino Jos da Silva.
Albino da Silva LeaL
Alexandre Jos ca Silva.
Jos Joaquim Gomes de Abreu.
Jos Joaquim de Lima Bairao.
Jos Joaquim da Silva
Jos de Azevedo Andrade.
Amonio Goncalves de Azevedo.
Manoel Jos Darlas.
Commmio da Boa-Vista.
Manoel Jos Guedes Magalhes.
Joaquim Ignacio Hibeiro Jonior.
Loureneo Ferreira alendes Guimaraes.
Antonio Pereira da Costa Gama.
Francisco Jes Goncalves da Silva.
Domingos Antonio da Silva Beiriz.
Antonio Fernandes de Azevedo.
Jos AI ves Lima.
Luz de Oliveira Lima.
A missa cantada com sete, que S. Exc.
Rvma. mandara lazer em S. Pedro na domingas
da quaresma, tem lugar este anno s 10 horas do
dia na matriz da Boa-Vista, como j o dissemo-
honlem, em consequeneia de achar-se em obra
aquella igreja.
O orador o Rvd. conego Joaquim Ferreira dos
Santos, que no domingo pregou com a precisa cla-
reza sobre a palavra de Dos, lomando por Ihema
o segrate texto do Evangeiho.Aon insolo pane
ricit homo, sed in omni verbo quoi proced! de 01 e
Dei.Nao vive o lioinem s do pao, mas de toda
palavra, que sahe da bocea de Dos. O Sr. cone-
go Santos um desse* oradores sagrados, que en-
tre nos gozam de alto concedo pelo modo hbil e
eloqtiente cora que formulara os seus sermoes, e
os expdem.
A veneraVel contrara do Livramemo faz os
seus sermdes nos Mingas noiie. sendo o ora-
dor o Rvd. Fr. Joa |uiin do Espirito Santo, que com
a costumada |>ere< ia e meihodo oratorio ante-hon-
tem moslrou qual a importancia que deve ter aos
olbos docathoiico o santo lempo d quaresma, to-
mando por Ihema o seguinle texto : Ecce nanc
tempus acceptabile, ecce nunc ate satutis.
.Nos mesmos das e de igual incumbencia
acha-so revestido o Rvd. Antonio de Albuquerque
Mello na matriz de Santo Antonio, onde reconhe-
ceu-se anda domingo que Ihe coinpetem mereci-
damente os toros tle orador distinclo.
Por ordem do ministerio da agricultura vai
ser construido, na Torre, um paiol para plvora,
segundo as instruirte* da commissao encarregada
composta dos Srs. coronis tlvgiuo Jos Colho e
Manoel Ignacio Brbio, capirao Domingos Jos Ro-
drigues.
Peto mesmo ministerio foi permitilda, ao Rv.
ai cediago vjgario Placido Antonio da Silva Santos,
a abertura de urna cambda e a consti ocelo de vi-
veiros era terrenos de servidlo da tortale'za de Ita-
marac, sem que Uie Ikjue direilo d indemnisacoes
quando bouvet de ser posta era p de guerra a
raesraa fortaleza.
Sobre o patacho Undine. naufragado era Pon-
as de Pedras, dte-nos estas intormaees com rela-
co ao servico de seccorro prestado ai> mesiuo.
O luate da alfandega tendo chegado alli pelas I
horas do dia 11, nao pode atracar ao patacho fal-
ta de agua ; e isto fez o omeial de descarga, um
guarda e o mesire altarera era Tabatinga, aliui de
em jangada chegarein ao seu de.-tuo, o que deu-se
por obra de meto dia ; de sorte que ja encontra-
ran! a bordo dous capataxes e mais algumas Des-
loas,
As escotillas foram abenas apenas chegaram os
erapregados da alfaqteg* e ento descarregaram
se 503 barricas c 70 meias de bacalho, as quae
teflam recolhidas a una barcaca fretada pelos con-
signatarios para transporla-la-a Paraliiha.
Suppoc-se pussivel o salvamento de carregamen-
lo. na* cr-se nao se-lo o d* vaso, nsto ja estar fa-
zeudo agua pelo cas -o. w bem que anda uutram
seesperancas de safa-Jo, depois de tescarreij
uo lodo.
Pedem-Bos e.-ln poblic;icao :
Rao, balalvo I
to, buUiliie I
Meu Dos e meu senhor I liompadecei-vos de
railiae alieno railbares de braco- j ara leccl^on- Zo^l^r^'mfi S^JSSTJ
no. naeeo forasteiro que pas-a tesapercebite,. momentos de castiga -em os 00,*.- neceados dimi-
\


l>la I de PeraambiM Tere* letra 1 de reveretro de 18-A.
nui-le numero di: liadaladas ordenadas pU po-
liei;.! A necessidade da bosso purgatorio oes a vi-
da exige que os siueiros to^aein coin mmU torca
o-, sinos pur lapaco de duas horas de cada vea;
mas. a caridad, dos sineiras tora redundo a wm-
icueia a dous minutos smente! t
Ltosde misericordia nao pernattaee que osa-
miob ioupem os ouido dos pecadores! Des-
janos a alvacao mas eremos que nao a ptuere-
ni alcancar se os siueiros cotiluiuaretn a s in-
dulgentes. PorUato, senhor, faiei-os suido- para
quenao te coinpace'j.am de nos! Ame*.
Depois 'ain-nliaa se exlraliira a 3" parte aa
1* lotera da igrej. de Nossa Senhora do uvra-
= Os exames *i traucez. que hontem se flzeram
a Faculdado de Direito deram o segrate resul-
tado :
Plei.ameulo.. I>
Si .n Resnenle 4
Ke.pr_vatlos.. J
Hontem as 7 lloras da uoito, o preto .lose, es-
{ ivo do Sr. Joao Vlatlieus, assassiuou com res la-
ca Jaso portuguez Joio de Olivera Lima, que morreu
initatiUneaineale. O assassioado era feiter i nies-
m) Sr. Joao Mathei.s, e o assassiuo fo logo preso,
praceJendo-sea veslora do estvlo no fallec J > assun
tomo ao interrogatorio do reo, eujo proeesso vai
ser instaurado con o de lei.
Por proposta do Dr.chee de polica foi no-
meade subdelegado de Larange.ras, 2 dirt icto (la
ru_ia de Naz.reth, o Dr. Joao Dws ...outinno
de. Arauio Pereira. <
eixou 4_e funecioaar no da 14 do corrente,
ijuauto
~ escuadra, o seu augmento proseguc
I com uien aetivdade do que o exercito de ierra:
I mas couU ja, e coinprehende em conslruceao u
. saber:
. hlice, urna: fragatas a hlice, nove;
:ouracadas, , qualro; corvetas couracadas, dua> ; cor-
i rodas, dczcs^cle; vapores-avisos, onze;
ras, oilo; transportes a vapor, quarenia e
verdes annos do Maria se oeoavara puros e sem
cuidados ; o caiio un bello l>rio ella cresa em
piedade e em belleza a sombra do seu aojo da
guarda e de mi desvellad mai .. Wi
Os metes, os unos corriam ligeiros? ja Mana Smx a
invti oda dos inysterws da so preparava para a fragatas
eoinmsiiliao fervorosa oomo una sania, Ma- a neme,
ra o nava seu coraeao para receber dignamente vetas ue
mai nada ewpwetl : iuvas, snalos e metas
seda branca, cinto de fita, livro de missa dourado.
O coraeao de nossa Maria batia mais forte que
de costute, quando ella olhava para estas precio-
sidades : porm afastava para longo de si estas
Ido vfus romo indignas de urna menina chnslaa.
Chcgou tt grande dia ; Maria vestida como urna
virgen) que vai cousagrar-se ao divino esposo, to-
mou lugar no meio de suas companheiras^s.quaes
igualmente vestidas de branco, esperavam de joe-
Ihos na nave da igreja parochial o momento tap
esperado de receber Xosso Senhor pela pruneira
ver.
O orgao tocado por una mao hbil enema a i.a-
silica de sons melodiosos : as meninas guiadas
peta msica do instrumento, cantavam cnticos
adaptados a cireumstancia #as velas do altar esta-
vam acesaa ; a missa principieu.
C.hegou o instante da communlio :o Pao tuena-
risco conservado em um vaso de orno, sahio do
tabernculo. Todas dissera m com o celebraute ba-
tendo no pello : Senhor, no sou diguo. ek.
Foi com um recolhimento profundo que atara se
nove.
Os .
manda
to, rom que faileceu. o ter noi teado m referido no
truao eeiii ii encrigo de pagar as dividas do casal,
de llie dar li* e. a roerv; viulkta de um tai
EDIT1ES.
de llie dar l:2tK) e. a Kserv viuiKta de um car-1
rode inilho aiinualmentc, e ho ter nomeado em ;o Or. Krnestn de Aqnino Fonseca, cavalleiro da
substituicao quando elle nao |i tasase aeeitar a no- ordenr de Cliristo, juiz de orphlos 8 ansMta da
meac&o assun enerada, t nio haver aete al- cidade doRecife e seu termo por S. M. olmpe-
ginii'da sua parte, pelo qual -i- mostr que a ace.i- ra(j,)r qUe |)CS guarde etc.
^ UU Y11I4, l|Ull"^ iiiiiiJ|/Knw -~
tro i navios de menor lotacao, vmle e
jornaes austracos yublieam a texto de um
,.aio de prisiio conlre, Mad. N. GerebzolT, prin-
ceza Sollikoff e esposa de um general russo, aceit-
era circulacao multas letras e
sada de
cambio
ter pesio
falsas.
O piincipe Fruderico de Augustenburga, pre-
tenden e soberana dos ducados de IU Isteiii e
Schlesnig, autor de um livro que se intitula.
t O O iente de hoje e de oulro lempo, Lcmbranca
de um i viagem costa de Coramaudel, a Rngala,
ao Egvpio e Alia Menor.
E' no momento que o principe se aprsenla
a disputar ao re da Dinamarca a soberana
dos dicados que em Pars se annuncia a pu-
Wkaeaa da traduceao francea do livro drena
principe.
Porl ordem da Sua Santidade. os archivos da ca-
pella kioniilicia, foram ltimamente classilicado> e
calhafogados.
tara oti recusara, neiu e-tes beus Ihe tenemsida
eneabeeados jodicialmente mu viriude de acai- j
lacio.
i que quando o dominio til dotes bats |r-
tencesse ao referido seu ir mo, nao pertence de
modo algum a aussa dos en dotes, poraue quando
a mi cnininiini falleoeoj a sodedade de Squera
\ Pereira eslava formada lia inuitos annos em
l'ernambuco, e elle nao o adquiri com lucros
provenientes das iransaeeoes eununerciaes da re-
ferida aaeiedade fallida.
4 que isles bens, alm d is encargos que a mat
commara Ihe inpoz com a oineaeo, estiio suget-
tos ao pagamento das b'-m citorias que fez miles
e das deapezas que fez na demanda que intenten
para os reivindicar, de cuja importancia a annun-
ciante incontestavelmente ineeira.
j- qu<- a annonciante \; protestar no da 28
do crreme, no acto da airemaiacao, perante o
tribunal do commercio, contra esta iiiesina arre-
nialarao, e pela resalsa de seus dretos, e CepetC
por este modo para desengao do publico o naanm
protesto.
Porto, 23 de jan.iro de li;OV.-(>)ino procurador
daannuncianle, Francisco Jos Pereira Salgado.
SORREJO GERAL.
Relaco das carias seguras viudas do sul pelos
yapares uacioual e inglcz, para os seuhores
ihaivii declarados :
Antonio de Castro Alves (21.
Dr. Gandido Martinsde Almeida.
Dr. Flix Moreno Urandao (Penedo).
radir <|ue Dcos guarde etc.
Faco saber que por este juizovai praca para .....,......tI1 ,
seren vendidos em basta publica por tres pracas j>r. Gabriel Sosres Raposo da ("amara,
consecutivas os bens abaixo mencionados, reque- i [). Lana Antonia de Siqueira.
rmenlo do Dr. Angelo Henrique da Silva, inven-; or. Luiz Ferreira Maciel Pinheiro.
a3MSJ o qual pendejo nariz ; i par de argoli-
nhas lisas por i&.Prata-t par de casticaes com
gar
de renda annual, e por temno de tres annos
quem no mesmo quizer langai. compareca terca-
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
nae Francisco de Azevedo & Irmao, prelendenuo
o; ladroes entrar pela aberta de dous Ccgraos oe
e>cada que arrantaram. O que mais admira se
-em ra tae publica como essa. Anda i.l amamos
a attenco do Sr Dr. delegado.
vosea divina graca, e, apezardas fallas as quaes
paderei eahir, nao me deixeis morrer na impieda-
de. E do fundo do seu coraeao ella ouvio o divino
mestre Ihe responder : Flha minha, ningucm e
tentado alm de suas forcas, aonde abunda o peri-
?Sp-,,=,-?.* 8o^^rsi
te da sociedade I'lul'ai tistica, na casa de suas ses-
soes, roa do Imperador. O acto esteve baitinte con-
.4orrido, nao s da socios, como de convidados, no-
laodo-se algumas commisses de ouiras socie-
dades.
Uepoisdo disoursode abertura da je >sao. pro-
nunciado pelo director o Sr. Xuma Pcmpilio, lal-
aiam e relator da commissao enviada pela socie-
dade dos alfaias o Sr. Jacome l'essoa, os socios
Srs. Silva Luw i^ padre Azevedo, e o convidado sr.
Vugusto Cesar Cousseiro de Haltos, Uwaido antes
.* depos da sessao e nos intervallos d(* discursos
iuas msicas uuurciaes.
A* noite illuir.inou-se a cssa, sendo visitada r-ir
liversos cavaeiros e familias, e tocan Jo ate de-
pois das U hora: a msica dos menores do arsenal
de guvrra.
Fazemos voto* pela prosperidadedes a importan-
te co.'poracao acstica. ,
Uoniem, em audiencia do juiz tle direito ua
* vara criminal, Dr. S. Neiva, e em prasenca do
promotor publico. Dr. Gusmo Lobo, p.-oeedeu-se a
qualuicacao e interrogatorio do reo Joaqun Fran-
cco de Melloiantos. pronunciado por criine do
fallencia fraudulenta.
Oreo lora ..companhado por seu a Jvogado, o
Dr. Costa Ribeuo. ..
O Dr. jui,: espeeial do coraraereic, l
Dei anuos se. passaram ; Maria ucrdeu seus
pais, ella ficou inconsolavel por muito lenijo, de-
pois se resignou. l'm dia aehou um homem hon-
rado que quiz unir sua exislencia a della. Mara
consullou seu tutor, casou e foi um modelo de sub-
missao. Dos Ihe envlou um destes anjinhps que
alcjram a vida dos bem casados, foi enlao oue
ella se lembrou ainda mais do Deus de seus verdes
annos.
GuilWme Dufy que Gregorio XI levou para preparada* *^"^*!Z^^
iion O seu sabor delicioso, n o causara nauseas nem
Efe IUU o flamengo Joao Ockghem illuslrou-se I dores, e produzem seu efl -'ito fmP,^,ne",epsen2
- o seu famoso motete a trinu e seis vozes. | que soja precise logo immediatamente usar dt
seu compatriota Joaquim des Prs, foi um- nenhuma especie de purginles
muito fesiejado. Tanto as mais como os |iroprios lim;nhos nunca
com
O
bem
sica
lesl
Dpois dclle Fusta e Morales imprimirn! a mu- desesporam tMIas, porqu;, se as P>^'r"en>
tl.J. n ma 1> 1. ....... i ..... miguen nac i> i hl< t'-ilP 110> .l>
pois d elle Fesla e Morales imprimirn! a mu- uesesporam oena,. puiqus, ^ a, v. --."
sagrada o carcter de sjmplicidade, e que Pa- completa conlianca as ntsulhas, etes ltimos as
na llxou mais tarde com um genio que lhe|tmamcom o maior prazer.
valu o titulo de principe da msica.
Os maouscripios mais precios e-scaparam
milagrosamente ao terrivel saque de Roma em
18*7.
Kepois d'isso foram o> archivos enriquecidos
coro obras primas de Geowanelli, de Lrevelli,
, tuiu oui.is i i unas uc uoun-i^..., t -
seu esposo cheio de vida e de bondade : seu filho
fresco como urna rosa ; Maria abencoava a Divina
Providencia ; porm nao ha verdadeira fehcidadc
neste mundo. Seu marido morreu victima da ca-
taslrophc do caminho de ferro de Paris a Versti-
les, sinislro que em 1846 levou o luto ao seio de
Untas familias da Franca. Levaram-lhe o corpo de
sen esposo mutilado e carbonizado ella o rtco-
uheceu peloanel que a mao tinba conservado. Ma-
reizio, de Cifra, de simonclli, de
III. etc.
manuscriptos do tempo de Leao X e ae
Palito III esio adornados com elegatiles minia-
luifas.
Bale thesouro musical foi iransporUdo para salas
is apropriadas.
Desde que estas admi-aveis c inc.omparaveis
pastilhas foram descoberu s, lodos os demais ver-
mfugos asquerosos lera -ido quasi inteiramente
abandonados e desterrado i por todos.
As pastilhas vermfuga.-, de Kemp se acnam lin-
damente acondicionadas nentro de frasquinhos de
crvsial nao s para sua bia exporlacao como para
sua conservar-ao contra ludas as vicisitudes dos
tempes. A' venda na loja c e Bravo & O, e de Uors
& Barbosa.
nhas lisas por l.Pratai par oe casueaes cum quem no mesmo quizer lancar. compareca icn-.i-
192 oiuvas, a 2(M) rs., 384UU; 1 par de ditos com fera> as 11 horas do dia, na audiencia do mesmo
128 oiuvas, a 200 rs, SSOOO ; 23 colheres para jujzo.
sopa, com 194 oiuvas, a 200 rs., 384400 ; 22 co- s. Exc. Rvma. manda declarar aos seus dio-
Hieres para cha, iuclusive a concha de tirar assu- ce-anos que os sermes quaresmaes annoalmente
car, com 120 oiuvas, a 200 rs., 254600 ; i repar- annunciados na igreja de S. Pedro, serao este anuo
tidor de sopa, com 96 oiuvas, a 200 rs., 19&200. i reciudos na matriz da freguezia da Roa-Visu, pe-
Movis1 mesa redonda de amarello e usada las 10 horas. Palacio da Soledade II de fevenn.
por 12 i 1 banquinha velha de Jacaranda por 6 ;, de 1864. Jos Antonio dos Santos Lessa, se-
1 banqunba de amarello velha por 25 ; 2 mangas cetario particular ile S. Exc. Rvma.
de vidro lisas por 3fi; 1 mesa de amarello com, _
abas para janUr por 84 ; i palanquim velho por i
84 ; 1 candieiro com o globo quebrado por 24 ; i
1 santuario de Jacaranda cora 3 vidros, com urna i
imagem do Crucificado, urna da Senhora da Con; j
ceico, urna da Senhora Sant'Auna, una de S. Jos |
e urna do Menino Jess, estimado em 604 Escra-1
vosJacintho, Africano, com 40 annos de idade.e; /-vTTT^rnT^C A \T rATi
que soffre de erysipella no peito direito:p_oro004;; |-^Q UH 1 HiO A \ Al UjlT
5a' c< E' esperado des poitos do norte
at o da 16 do corrente o vapor
Apa, commandante o priraeiro
lente Alcanforado, o qual de-
pois da demora do costurae se-
guir para os porlosdosul,
,; Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
ra sob numero 8b com 1 porta e 2 janellas dt ^ ^er conduzir> a qua| dever
frente, corredor mdepeiidente, '^".'fM^S.t ser embarcada no da de sua cnegadV encom-
de vao e 90 de fundos, 2 salas, o quartos, eoamiu,. mnM e dinheiro a frete at 0 dia ^a sahjda js J
externa, 1 qarm para pretos, tambera externo, f cja rua ACnz j escrptorio de
quintal murado, cacimba exclusiva, en. solo fore.-, ^ d 0 Azevedo & c
ro, por 5:0004. E para constar, mandei passar o i"""'
presente, que seraallixado nos lugares do costume
e publicado pela imprensa.
Recife 10 de Janeiro de 1864.Eu Floriano Cr-
rela de Brito, escrivao, o liz escrever e suoscrevi.
F.rneslo t Aquino FbMSCO.
COMMERCIO.
do
Os jornaes de Berim annnnc.am, a "J"g
ra quiz morrer, porem os carinhos do filho a obr- jai d.ne.ro em ebefe do re. aleudo emu.ar
gavaniagarrar-seavidacviuvaellavveuavida lotlenburgo, no da do Xatalcom 90 annos ae
Maria tinha Ulento, sabia tocar piano com per- douaaseava nos jard.ns nrimeiras
H feicao. propoz-se a ensinar e vver honesta c res- ^^^^p^^^^SJSS-
Araripe,-deu'hcmen audiencia de ^i^^l^^^^w^Jggm ff ?e'^Vd^'cu.Cra um dos orna-
Wicando grande numero de senteneas c lespaclios. | tessidades I Poba mtmna. Uuus ^ ^ < m da m ,,eacocki pert0 de Po-
A actividade d. .Ilustre magistrado todes os d.as golpe mauj. v ^ ^ ^ r hofas o ^ ^ ^
- Movimepdacasade detencao no dia .3 de a.rado : o berco .ico
0 Novo Banco d i Pernambuco convi-
da os credores admit idos ao passivo das
massasde MesuaitaDutrae Francisco An-
hmi i Casa da Misericordia
Recife.
A lilm.'junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico, que
no dia 18 do corrente pelas 4 horas da tarde
na sala de suas sessoes tem de ir i praca as ren-
das das casas abaixe declaradas, pertencentes ao
patrimonio de orphaos por tempo de m a tres
anuos, a contar d- 1 de julho prximo futuro em
diante.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
:*Javegaco coselra a vapor.
Parabjba, Natal, Macio, Aracaly, e Cear.
0 vapor Mamanijuape, comman-
dante Moura, seguir no dia 26
do corrente as 5 horas da Urde
paraos portos cima indicados.
Recebe carga al o dia 23. En-
commendas, passageiros e dinheiro a treto at o
dia da sabida as 3 horas da Urd': escriplorio-no
Forte do Mallos n. 1.
'mu .
Os pretendentes devem comparecer acompaniia-
tnnio Cuerea Cardozo a receber o pnmetro dos de seus fiadores ou munidos de carus destes.
dividendo destas massas, devendo exhibir
,is respectivos ttulos para ser annotado o
Alfandega
fevereiro L864:
Existiam .
Entrara ni.
Sal iram
336 preses.
6
6
A saber :
Existem.... 336
N'n ionaes. .
Esi rangeiros
Mu 11 eres .
Estrangeira
Escra vos .
Esravas. .
233 presos.
30
4 >
1
63
5
336
Alimentados a costa dos cofrespobl ees 139.
Movimetto da enfermara no tiia 14 de feve-
reiro de 1864.
Tiveram baixa :
Antonio PinlKiro Arco-Verde, gastrite.
Germano LopcsFrasao, delluxo.
Movimento da casa de detencao do da II de
f.vereiro de 1864.
El -llalli. .
El traram
Sa'iiram .

338 p.esis
32
388
I entao Maria chegou ao auge do desespero e Linacarta de Sea^CotanbaiNHtoqw**j*j*
resolveu acabar com a "da, eomprou carvao, gru- g.pno (Haba, na no,le.e demMra da
don papel as fendas por onde o ar penetrava no bada da casa do conselho municipa a band. ira na
seuruarto de dormir depois tratou de compulsar guarda nacional, que erabo ao uio,u Jnna
seus papis para queimar alguns antes de morrer. sido offerecida pelo clero nos pnmeiros das do
Desgranada Maria, foi preciso queimar as car- no de 18bl.
tas do esposo, cartas o lernas ; foi preciso qnet- nrn m trrande fes-
mar as compridas tranCas de cabellos que ella U- Em Pars *to*W***** gjfannt
nha conserv'ul,. como lembranca de sua mai.olhou U arl.st.ca para celebrar o ANA "v"
muito lempo a chamma que as consuma; foi com versarlo do nasc.me.ito da celebre nuc.
as lagrimas nos olhos que ella lancou no fogo as
roupas do libo, lieijoucada peca urna a una antes
de as .Hiuiquillar ; infeliz rali Quando ella quei-
mou sua grinalda de noiva c seu compr.do veo
que conservava como um talismn, seu coraeao
se parti. Pobre Mara I lu naoolhavas para o teu
Consto que penduradono fundo de tua alcova, era
teslemunha muda de leus desvarios.
Quando aenarama aeuravel anniquillou estes
ltimos objectos. a triste moca pucliou um prolun-
do gemido, restava-llie um pequeo embrulho aue
ella abraeou e apertou sobre i corceo ; oh nao,
disso ella, nao qneimarei estes objectos, en quero
morrer om elles, abri o embramo que conti
siiu. .
Aqui ha de certo erro de imprensa dir quem
lr esta noticia. .
Pois Rossini nao eoinpletou anda 18 annos
Pois. senhores, o que esta escripto esia escripto,
e seffl erro, mas sem que por Laso deixe o feWJde
maestro de se achar ja muito distante da Honda
idade dos dezoito anuos.
Esle enigma explica-sc muito simplemente, oi-
zendo-se que Rossini nasceu em Pezaro no ola -'
de fevereiro de 1792, e que para festejar o seu in-
.... ... _____-..1 ...... n i.>T lia
Rendimento do dia 1 a 1 ........
dem do dia lo.................
383-.8I0538.V
r.ilO$l75
404:921^360
Movimeato da alfaadesa
Volumes entrados com 'azendas..
c t com gneros
Volumes sahidos
com
com
[azendas...
gneros...
197
218
184
158
US
342
Oescarregam no lia 16 de fevereiro.
Escuna nacionalJover. Arlliurdiversas merca-
dorias.
Escuna dinaiharqneza- Kosker- dem.
Bacana inglezaforc Brgoe inglez -NevaI acalho.
Brigne ingle/.Gircian bacalho.
Brigue trancecEme- -carvao.
iigue inglezChance -mercadorias.
Brigue inglez--l/cxfli./ Barca ingleza Town o< Ucerpoolcarvao.
Brigue escuna austraco Corita -farinha de trigo.
A -aber :
N.v'inn.-ies..... 246
EftrangeinN...
Mi Hieres......
Estrangeiras...
E; eravos......
Escrava;......
:;l
9
1
63
5
.'i.'i
110
de fe-
CORRESPONDENCIAS.
Alimentado- cusa dos cofres puhl eos.
Movimento da enfermara no di 13
vereiro:
Tiveram baixa :
inlonio Francisco da Silva, rheumatismo.
eilino Alves Monleiro. delluxo.
Luiz de Franca, syphilis- .
Passageiros do vapor inglez (Hieda, vindo do
Rio de Janeiro b Baha :Carlos A. da Cruz Ama-
ral. Agnes J. Dobbie, Thomaz de Far.a, Ildefonso
Vieira da Cunha e I criado. Leandro sanches, Epl-
Baaoio Astredllo v Bussonso, Dr. lornelusW.
ennebv, Ju<:ino Rodrigues Pereira, Arnobio Jos
Perera'de Albuquerque, 89 para .os portos da Eu-
ropa.
Passageiros do vapor nacional .lamanouape,
saludo para a ilha de Fernando : M ira Francis-
ca da Coneeicio a V fllhos. Basilio M ignn dos San-
tos, capitao Antonio Maria de Castro Delgado, -ua
senhora, 4 tinos e 1 escrava, I. Braziliana Linsde
Allraquerqu-! Moraes e 6 lilhos menor js, 14 pracas,
12 sentenciados e 8 pracas que os es'olum, Ber-
nardino Jos da Silva Mata, Maria Firmina da Con-
eeicio e 3 llios.
Passageiros do vapor inglez Gneida, sah.do
par.iSouthaa.pron e portos nlermedbs :Thomaz
Andrew. Guilhernie Bay Jnior, Jos da Silva
A roso, ISastavo Adolpho Hanke, Julao Tertuliano
Monleiro a seu criado, Jos Rodrigues da Silva.
Conrado Bramlis e sen criado. Honre l'eter, Elias
Jos dos Santos Andrade, Joao Marques Fernan-
des, BoaverUira Jos Coimbra Sampaio, Jos A. de
'Paula, Hearkjue Jos Pinto da Cunh;..
M POUCO DE TODO.
Le-se na Gazeta, de Portugal o se; uinte :
U movimento do passageiros entre Portugal e o
Brasil pelos paquetes transatlnticos era 1863,
comparado com igual movimento em 1862, foi o
seiunte :
Entrados : Era 1802 Em 1863
So 1" semestre.....2,993
.No 2 sem-jstre.....2,152 5,143 4,371
Sahidos :
So semestre. 1,509
No* semestre.....2,473 3,982 3,880
Differenca a favor do numero dos
passageiros entrados.....1,103 491
irnw iviim t.i**. *. ..u.^ --
morrer aom elles, abri o emornino que cuumu, lece de quatro em qualro ^^9!*^V
um vestido de cassa branca, um veo de fil, una que nos setenta e dous que levecompJ" o ul
grinalda de rosas, todo, esses objectos estavam fa- t.mo da do mez que vem. so Pede contar dtzo.lo
nados e amarellos. nm cinto de lita, um par de vezes o anmversarlo do seu nascimeni
sapatos e Iuvas de seda branca, tambein fa-
ados : Maria vestio aquella roupa ; o vestido
branco eslava curto, ella nao reparou nisto, caleou
ai meias, sapatos, Iuvas, poz o veo e capella de_____________..--------
flores velhas, entao acendeu o fogareiro ; de|Kis th^one^recirlimpntf
ajoelhou.se defronte do berco ras e cantn como Senhores redactores.-^ lu' encarct.daraentt
quem eataeaianundo umacrianca. o gai car- que se dignem dar pubhcdade a st. s .airo -
bonico tomavaquasi impossivcl a respira.;ao da nhas, que tendera as.gn.f.car ni n agr d. o .ios
. ., .,nhoi-,s ele.tores do segundo circulo cleiloral.que
Desgracada Maria, assnqoe tavais perder anoiaram minha candidatura a deputecto provin-
,., ,|,,vl i rial bem conheco quanto e tenue essa prova. que.
Vma dor de cabeca intoleravcl fazia fe. ver seu hoje exibo. de minha grat.dao ; e para levara
crneo, ella se levantou, andou ao redor do Marte, eoBviccSo aos nimos dos senl
de fevereiro de Iv'.iz, e tiue para iesiej,u o < nilge escunaausinuto woic-ia,,....... -
mversario natalicio iodiapensavel que o mez de i paucho nacional Dws Amigos carne seeca.
fevereiro toaba vinte e nove dias, o que so acon-
4834000
220*000
3325000
1:202:000
9O2A0O0
205*000
204*000
183*00Ci
104*000
403*000
160*000
25100O
' Lili' 1., IT.I .'l l\_ -i....' "... ...... ..V. ..------------------------.
olheu para o espelho no qual ella avistou oChnsto
que eslava pregado na parede defronte, e sem vol-
tar-se para a santa imagem exclamou : Meu Deus,
recbela minha alma,TOO para vos sem ser cha-
mada por vos, deixo a vid... e anpiejando ella ca-
bio de joelhos, fochou os olhos e orou.
O carvao nao se tinha apagado, a morte 61 a m-
fallivel ; Maria quil levanlar-se para ir abrir a ja-
nella, pois a graca a tinha locado ; ella percebeu
qnesen crime a teparava para toda eternidade dos
que ella c|ueria tornar a ver na onlra vida
t. rt i a^ .1.11 litl.M.L T\ -* ^ 1 I L i.,1 lll NL L I Ul I 1 .i | t .
sel ser grato aos favores que recebse espero
ra issn ter occasiao opportnna.
Recife. 13 de fevereiro de 1864.
Jos Bonifacio de S Pereira.
pa-
de Ja-
Lima
PUBLICARES A PEDIDO.
REOTFICACAO.
Se a correspondencia do Recife datada em 17
.titucioiial da cor- |
Janeiro, se retere a mira, declaro que
como nina condmnala ; Senhor, perdi, lenne malM imfocmaoo o correspondente. Por quanto
perdido o juizo, m,u Deus, eu vos amo sempre. a verdade que sendo consultado por um amigo.
0 vento soprava com forra, era urna noite de coininuiu se quera subscrever |
s.i.s ipie ena (pieria turnara *ei ua uuua <-, u .. ^... ,. .- ------
porm ja era larde, nao Ihe foi possvel por-se em de Janeiro, e estampada no
p : meu Deus, pensou a moribunda, vou morrer te de 24 de Janeiro, se retere a r
.i. i- i. ...13. i .,,, mtl f..i iinfiirmiiin f\ iMi'iMjim fie 11
E nos dous annos de 1862 e 1863 .
As passagens pagas entre Portugal
e o Brasil em 1862, nos referidos
paquetes, 'orara calculadas era .
As de 1863 em.......
1,654
1.500:0005000
1,650:000*000
Nos dous annos (moeda forte) 3,1^:000*000
Sendo lio curiosa, como a esUlistica do mo-
vimento de passageiros entre Portugal o o Brasil,
compreheiulendo tambera o< de na> ios do vella,
cometamos a organisa-la no 1" de Janeiro deste
anno para a dar aos nossos leitores.
Sol o tiulo de Primeira e ultima communho
de Maria publica a Estrella do A'oi te :
Maria tiulia 12 annos, ja as gracas da juventude
derramadas em toda a sua pessoa, anngnciavam
para o futaro una belleza nao vulgar ; ellas o
ignrava-, cliara menina, creada por urna mai pe-
aosa, rodeada de todos os cuidados Imaginaveis, os
O vento soprava cora torca, era urna noue oe coniniuin 8o-*x~\ n
tempestado : a janolla sacciilida pela ventana se se pretenda dar ao presidente da provincia enlao
abri eo.nestrondo. As largas gottas da chuva in- o Sr. S.lve.ra de Sonsa, respond qoe sendo es,te ; gjj
nundaram o corpo da moribunda, una visinha baile urna man.festacao polit.ca nao poda concor- As
I mIo 't:iv:io
Vapor uacioual Pi< eza, entrado do Ro
neiro e Babia, manifeslou o seguinte :
Do Rio de Janeiro.
I saneo feijao; ao Di Joao C. B. Jnior.
:; caizas queijos ; Jos Joaquim de
Baro.
1 caixote unpressos; a Jos Nogueira de Souza.
I dito xarope ; a on em.
Gneros estraugeiros ja despachados para con-
sumo.
'i eaixas ierro- de ergommar ; a Marques Bar-
ros & C
I dita fazendas ; a o dem.
3 ditas mercadorias a J B. dos Beis.
Da Balua.
I eaixSes charutos ; a l'alinera & Beltrao.
5 volumes ditos : a ordem.
Genero estrangeiro ja despachado para con-
sumo.
4 eaixas fazendas ; a Mills Lathaue. C
20 pecas ainageni; i Manuel dos Santos Res.
4 eaixas cobertores a James Ryder & C.
1 dita fazendas; a nrdam.
Gneros astral geiros reexportados.
6 fardos pannos j a ordem.
Ene mimendas.
1 caixiio ; a Antoni > Pedro lleitor.
1 caixote i a Bernanlino de Sena Pontual. ,
1 dito ; a l'almeira & IK-ltrao.
1 votme a P. Brulhers.
1 dito ; a L. G. Champlonio.
1 barrica ; ao Dr. J. Antonio A. Frenas Henri-
Pra<;a de Pedro IL
N. 1 particular e 33 publico, segundo
andar ...........
N. 1 dito e 33 dito, sala......
Rua do Queimado.
.V 1 dito e 35 dito, loja. ..
Rua do Imperador.
S. 2 dito e 81 dito, dous andares- ..
Largo do Paraizo
N. 4 dito e 29 dito, dous andares ..
Rua das Larangeiras.
X. 8 dito e 17 dito, casa terrea .
Rua Velha.
N. 8 dito o 32 dito, casa terrea.. ..
Rua de S. Goncalo.
X. 10 dito e 22 dito, casa terrea.. ..
Rua do Pires.
X. 13 dito e 39 dito, casa terrea ..
Becco das Botas.
X. 38 dito c 16 dito, dous andares.
Rua da Lapa.
N. 40 dito e 11 dito, casa terrea.. -
Rua da Moeda.
X. 44 dito e 21 dito, casa terrea..
Roa da Cacimba.
X. 66 dito e 12 dito, casa terrea..
X. 67 dito e 10 dito. ca Ba do Vigario.
X. 72 dito c 27 dito, dous andares -.
Rua da Senzala Velha.
X. 78 dito e 136 diio, dous andar
[.80dito e 132 dito, dous andares..
\ M dito e is dito, casa terrea..
X. 82 dito e 16 dito, casa terrea.. ..
Boa da Guia.
X.84 dito e 29 dito, casa terrea..
Ituado Pilar.
N. !"l dito e 103 dito, casa terrea.. ..
N. Mditoc 104dito, casa terrea.. .
N. 94 diloe 99 dito, casa terrea.. .
N. :: dltoe 10 dito, casa terrea..
X. 99 dito e 108 dito, casa terrea.. .
X. 100 dito e 101 dito, casa terrea. .
N. 102 dito e 100 dito, casa terrea.
X. 101 dito6 98dito, ca-a terrea .
.\. 104 diio e 96 dito, casa terrea.. .
X. 103 dito e 94 dito, casa terrea
ttosarinho.
X. 3 particular, casa e sitio.....
Mirueira.
X. 4 dito, sitio .
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
IS de fevereiro de 1861.
O escrivao.
F. A. Cavaleanti Cousseiro.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavega^o costeara a vapor.
Jlareio e escalas
O vapor Parahyba, comman-
dante Martins. x-gue no dia 15
do corrente para os portes acuna
indicados, as B horas da larde.
Receba carga at o dia 24. En-
coinmendas, passageiros e dinheiro a frete at
o dia da sahida as 3 horas da tarde : escriptorio
no Forte do Matto* n. i.______
Para o Porto
pretende seguir com muita brevidade a barca por-
tugueza Feliz, tem parte de seu carregamento a
bordo : para o resto que Ihe falla e passageiros,
paraos quaes tem expelientes commodos, traU-se
om os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
vera Azevedo & C, no seu escriptorio rua da Cruz
numero 1.______________________________________
Para o Kioile Janeiro.
Sahr com brevidade o brigue nacional Miner-
va, recebe carga e escra vos a frete : trata-se com
Manoel Ignacio de Oliveira & Filbo, largo do Corpo
Santo n. 19._____________________________________
Para Lisboa.
O brieue portugnez Bcm Figiiei-
retue, capitao Jos Ferreira Lessa,
val sabir com murta brevidade por
ter a maior parte do carregamento
prompto, para carga e passageiros
1*3-5000 I para os quaes tem excellenles commodos trata-se
82*000 'com o consignatario E. R. Rabello.rua da Cadea
n. 55-_________
603*000
881*000
4103000
192*000
301*000
BSfOOO
nn opokto
'i io.3'KW I pretende seguir com muita brevidade o brigue na-
192*000 ,.innal Amelia, tora parte de seu orreganti uti>
jot fo i I______ -.-.. _._i_ i!.- Lhn ft rt n c _(?_. i rrt.
163*000
163*000
-_:>'i5imki
162*000
1C,H5(MI0
163*000
163*200
18_*00O
173*200
173*000
322*000
213*000
prompto : para o resto que Ihe falu c passageiros,
para os tjnaes tem e\cellentes commod.^s,^ trata-se
com os seus consignaUnos Amonio Luiz de Oli-
ven.i Azevedo & C, noseu escriptorio rua d Cruz
numero 1.______________________________________
LISBOa E POKTO
A galera portugueza Soca Fama segu cora bre-
vidade, recebe carga para ambos os portos : tra-
_ os consignatarios Marques, Barros A C,
largo do Corpo Santo n. 6. ____________________
Para o lito de Janeiro
segu impreterivelmente at o dia 13 do corrente o
patacho nacional Capuan, so recebe eseravos a
[ret.....arga miada : trau-se rom os seusconsig-
natarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & fi-
no sen escriptorio rua da Cruz n. I.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz puch-
en que os 30 dias iiteis marcados paraa frrecaiia-
_ m __ .1- h 11.11 _iilirt>
rura o lio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o palhnbote
nacional Piedade, tem parte do seu carregamento
a bordo : para' o resto que Ihe falu e eseravos a
frete, para os quaes tem excellenles commod.
coque os ao uias litis mai canos |i..i. ..... ,.< ( -- r.........., .,; i '-, ,,
cao i bocea do cofre dos impostes de i <|0 sobreU.^ ,-om os seas censlgnattnoe Antonio Lu./. de
i_,i _u vuiiv i- -_-._ ili>: /m:.. .;- t....,an r no pn eicriotorio ruarla
Brigue-escuna naci.nal oven Arthur, entrado do
poltica nao poda concor- ^.u B^^do ; a V. L. de Oliveira Azevedo _
que morava dofrbute da viuva .leu parte polica, rer para ella sem fallar a minha d.gnidade, poi : mbsl/IM 0 segu nte :
a casa encheu-se de gente. Foi preciso muito tem- que ningue.n m ora va que eu esposa va ideas po- ^ BaccM &| .^ a ordem
po para chamar si a desgracada que pouco liticaa contrarias as qnefaziam obiecte de _ita 15 sarcos cm de carnauba ; a Belmiro Ifaptis-
pouco recuperou a saude e contou entao o lacto manifestacao, enibora fosse amigo do srs tveira-
que se acaba de relatar. de Souza e estwsse prompto a de.noiistrar por
Maria viven ainda alguns annos e militas vezes qual modo a estima, e considerarlo, era que sem-
- pre o live, e continuava a ter, como seu amigo i
intimo, e dedicado.
Etecile, lo de fevereiro de 1864.
Jos Bernardo Galeno Aleo/orado.
eontava que durante o sonino lelhargico que se
tinha apoderado della tinha visto sua mai, seu ma-
rido e seu filho abrir a janella, que na sua fra-
queza ella nao tinba podido abrir.
I ni dia ella levantou-se da cama, foi para o pian- -------------
no, tocou urna'invocaeao Nossa Senhora, olhou p^-j Conheciinenlo dos credores da massa lal-
muito para o sol nasce'nte que dourava a fachada |iaa q-q siqneira .V Pereira, os administradores
da casa ironteira e morreu um aneurisma a ti- della pulilieain o annuncio abaixo que foi inserido
nha arrebatado e Maria passou desu vida Uo tris- no :orna| commercio do Porto, em data de 23 de
te para a eternidade, achou no seio de Dos tudo UnSro prximo passado, feto pela Sra. D. Vici-
quanto tinha perdido. Desde muito tempo Mana ,.a jjargai ida Pereira de Siqueira, com o fin. de
presenta seu prximo Om e a ultima hora nao ernba/acar a venda da propriedade existente na-
achou a vuva desprevenida, na vespera ella tinha ,,ue||a Vidade, que figura no activo da referida Hr-
recebido a sua ultima commnnhao das raaos do vi- ma' n,m',1(.rieueeiite ao fallido Antonio Jos de S-
gario de S. Thomaz do Aquino, sua paroelna. nocir h por elle apresentaft) pela rrescida somma
Xinguem arompanhou o enterro de Maria a nao (|(, 20:0005.
ser todos os pobres do quarteirao, que ella visiUva q. in,^,,,,'^ administra*lores siientilicam aos Srs.
e tratava as suas molestias, e a concorrencia foi credores da massa
la de Souza.
713 i|2 alqueires do sal, o 300 momos de paina
de carnauba; a Joacuiu Aulonio Goncalves dos
Santos. ___."_ i
Brigue inglez Vio-mee, entrado de Liverpool,
consignado, a Tsset-I eres manifeslou o seguinte :
180 toneladas de c; rvaode podra a orden..
Reccbedoria de rendas internas
geraes de Pernanilmco.
Rendimento do dia I a 13........ 12:2I2578S
dem do da 13................. 4:2813042
16:494*430
Consulado provincial.
Rendimento do da 1 a 13......... 47:775*380
dem do dia lo................. 4:371_-.t>9
e tratava as suas molestias, e a concorrencia foi credores da massa que ton. providenciado para
numerosa, pois havia muita gente pobre na rua j que nao |0gro a annunciante seu intento, visto que
onde Maria morava. ,.lau persuadidos que nao Ihe assiste direito.
O Commercio do Porto esereve : D. Victoria Margarida Pereira de Siqueira, cons-
Em 1839, o exercito [.iemontez poda por em li- laudo-lhe que pelo tribunal do comu.ercio oeste
nlia de batalha apenas )regimentos de infamara, cidade, est ass.g.iado o dia 28 do corrente. para.
M baUlhoes de bersagliers, 4 regimentos tle caval- em ciiinpriinento de carta precator.a viada de re*
32:146*940
M0VIME1VT0 DO PORTO.
Sacios 'ntrados no dia 13.
lana petada, 8 de cavallaria ligeira, e 20 baterias
de artilheria de campanha.
Hoje o exercito juliano comprehende :
Infantera 80 regimenlos, bersagliers 33 bau-
Ihiles, cavallaria de linha 7 regimentos. ,
Cavallaria ligeira, 13 regimentos.
Artilheria, 72 baterias (sem conur a artilheria
de praca.)
Kngenheiros; 2 regimentos;
Trem; 3 regimentos
inetito de carta precatoria vino.* ue r.;i-
mliiiro se arrematar una azenda de bens de Rio de Jaueiro e Ba M 5 /, das vapor inglez
STsIttMtfdo&urinho, da freguezia de! Oneida, de 2,284 toneladas, commandante I. A.
Massarelios, nos fcbnrnios desu cidade, por se Bevis,equipagem 130. .___._,,- m
sunpor qu pela fallencia da firma-Siqueira A Liverpool^) d.as escuna ingleza Fioi .<. de 13.1
Pereira da dita cidade de Pernanibiico, licou per- \ toneladas, capltac James Harry, equipagem 7,
tencendo massa dos credores por causa do ir- carga carvao ; a Thomaz Jeffenes.
mao da annunciante, Antonio Jos de Siqueira. ser Hamburgo, 4 das, escuna dmamarqueza Pfiel, d_e
90 toneladas, capitao I. C. Sehuldl, equipagem /,
carga mercadora:. a Theodoro Christianse.
as casas de eoffimereio (ora da cidade. prensas o
algodo, typographias, cocheiras, cavaUanee, iio-
te.s botequins, casas de pasto e fabricas, de 81>|0
sobre consultorios mdicos e cirurgicos, esenp o-
nos e carinos, de 12 0|0 sobre casas de cotnmer-
(i i en. grosso e a retalho, rmateos de recolner,
de depsitos e trapiches, de 30* sobre casas de
bilhar, modas, chapeos e roupa feita estrangeira,
e de commissao de eseravos, de 300* sobre co n-
panhias anonvmas e agencias, de 200* sobre 6*f*a
de cambio, de 1005 sobre correctores rommercises
e agentes de leilao, de :i00 rs. por tonellada de al-
varengas e canoas abenas,de 30* por escravo em-
pregado no servicn das roesmas, de 10 0|O sobre o
planto docapim, e o de carros, carrocas e mni-
bus pertencentes ao anno lnaueeiro vigente tW
1863 a 1864 lindam-se no da 19 do corrente, li
cando sujeitos a multa de 3 010 sobre seus dbitos
os que pagarem depois daquelle dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco, -
de fevereiro de 1864.O administrador.
Antonio Carneiro Machado Res.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co que os 30 dias uleis marcados para a cobranca
a bocea do cofre do 1 semestre do anno flnancei-
ro corrente do imposto de200|0 do consumo de
aguardeite das fregue/.ias desta cidade, dos -Ato-
gados, S. Lourenco da Matta, Santo Amaro de Ja-
boa tao, Vanea e Huribeca, flndam-se no da l'.i do
andante mez, lieando sujeitos a respectiva multa os
que pagarem depois desse dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco 9
de feverein de 1864.-0 administrador,
Antonio Carneiro Machado Ros.
__Pela subdelegara do Peres foi reeolhio
deposito ornea vallo roco, castrado, com pinta; de
pedrea, e cangalha, que sem conductor segua pela
estrada da Victoria : quem for seu dono compa-
reca, que provando, Ihe ser entregue.
Subdelegada do Peres 6 de dezembro de 1864.
O subdelegado,
Alexandrino Martins Correia Barros.
Oliveira Azevedo & C, no
Cruz n. I.
seu escriptorio rua da
111(11 U.l .1IIIIU1I. ...II," ...*,-...w --.------. ......
um dos meinbis da firma fallida, participa ao pu
blico:
! que esUi fazenda de natureza de prazo de.
Salud js no mesmo dia.
O que forma m .lectivo de mais de 300 jnil rita^prnelo to"do__Ojto*etot*>Jrio ^^^^^^^^^Jtl^r'''
combatenies oodendo ao orimeiro tiro de eca en- de Ceilofeita, e que a annunciante n esta possuindo. commandante Mf noel B. dos Santos Moura.
tr-rnif m\mla Icouitodos os ...ais bons do casal ,mr fallecimento Southampton e por .os .nterined.os-Vapor inglez
Ves^aho contar tambera 14 legioes de gen-! da anterior en.phiteuta, e sua mai. D. Rita Marua- Oneida, commanc ante I, A Bev.s.
d.iimeria de 1,200 homens cada urna, e 220 bata- rida Pereira de Siqueira, por anda se nao ter Tei-
Ih&js de guardia naconaes movis; forcas st fB- i to partilha do casal indevso. .
cenles para o ^ervico interno, e quo delxafao que s por ora acert so o dominio uta ( car ______ _w-_,^,. _t.i,_.
em plena liberdadtf Cobrar, todo o exercito de'perwmcc annuncian!- ou asen irmao Antonio Porto-, dei norte- -Vipor nauonal P m,...a di Jom
linha IJos* J Siqueira, por a mai comn na no Manea-1 tito, commandan e F. M. de Araujo.
Rio lirandedo SulPalhabote nacional Superior,
eapilao Antonio Sraristo da Rocha, carga assu-
car.
PARA 0 EIO CE JANEIRO
sabe impreterivelmente no da 20 do andante o
veleiro patacho Corma, por ler a bordo a maior
parte de seu carregamento : para o resto que Ihe
falta e eseravos a frete, trata-se com os consigna-
tarios Palmeira A Beltrao, largo do Corpo Sanio
n. 4, primeiro andar. Adverte-se que recebe g-
neros estrangeiros.__________
rio no JANEIRO
O brigue aduano segu com nimia brevidade
por ter meio carregamento tratado : para o reato
e eseravos a frote, tratase com os consignatarios
Marques, Barros C, largo do Corpo Santo n. 6.
Vende-se a barca P.eeife, de 332 toneladas,
a barca Suata Maria de 223 toneladas, ambas de
primeira elaase, e o brigue Algrete de 123 tone-
ladas, todos preparados a paocantos a navegar: os
pretendentes dirjam-se ao escriptsrio de viuva de
Manoel Goncalves da Silva, na rua da Cadeia do
Recife n. 39.______________________________
Para o Rio Grande do Sul segu com muita
brevidade o patacho brasileiro Dous de Uezembro,
tem a bordo parte do carregamento e recebe o
rosto a Irete commodo: a traUr no escriptorio de
Amorim Irmaos rua da Cruz n. 3.
LEILOES.
LEIliO
DE
Fazendas e niiudezas.
no JE.
O horas om ponto.
Cals Irmaos querendo liquidar, faro leilao por
raterveneao do agente'Pinto, de todas as fazendas
KelaCO das Carlas seguras CXistetiteS emiudezas existentes era seuarmazero amada
* i j ... : i.,' Cruz n. 51, onde se ellectuara o leilao no da e bo-
lla admioislracao d. correio desta ra aci[r,a mencionada.________________________
citUde para os senhores abano de- -
claradas
Coronel Antonio Gomes Leal.
Ernesto Dias Monteiro.
Francisco Moreira da CosU.
Francisco Xavier de Mallos Telles.
Joaquim Cabral de Mella
Capio Joaquim de Albuquerque Mello.
Jos Joaquim Alves de Amoro. (2).
Manoel Jos do Nascimento.
Manoel da Silva Mendonca Vianna.
HOJE
Ter^a-feira I de fevereiro as
II horas, a rua da Cadeia nu-
mero 3'&.
O agente Ensebio vender em leilao diversos
objectos de marcineria, vidros e obras de meul
principe, um apparelho para cha e outros artigos.


J
/
aovis e outros object< >s.
tulinta-felra IS de fevereiro. io
melo-dia.
0 agento Olimpio, era seu armazem rua do I n-
perador o. 16, far It ilao de diversos trastos novos
e asidos, crystaes, relogios e outros muitos arti-
gos cue S3 tornarSo massante mencionar. _
de Pernambne* Terca elra itt de Fetereho de 1864.
DE
Im sitio na rua do IteinMca nal'assagnn
Seita-feiralH do correte.
O agent Pesian vender em leilao por or im
da eaixa lilial e poi conta e risco de quem perttn-
cer duas tercas partes do sitio e casa cen commo-
dos para numerosa familia sito em Bonifica na
Pas-agem n. W. o qual foi pertencente outr'or.\
Sebistio Jos da Silva e sera vendido sexta-foira
pelM 12 horas em |>onto da manla na porta da
assoeiaeo commercial.
Qualqu -r informacao o agente est prompt(. a
dar_____________________
i%
NOSSA SENHORA DO BOM CONSELHO.
Hl'i DA UROlii X. 50.
Sob a direccaodo abaixo assignado acha-sefunecionando csie Instituto desde o da 7
Janeiro prximo passado, e nello se ensioam tod is as disciplinas preparatorias para a
cuja lista ji foi
LEiLftO
de,..
matricula do curso jurdico, desde primeiras lottral
Todas as cadeiras acham-se providas pelo* menores profesares
publicada neste Diario. .
Recebcm-se pensionistas, meio-pensionistase externos, pagando na seg
P0r50' PENSIONISTAS.
Quarte. de casa, mesa e luz .^^^
,demdemeSa......... EXTERNOS
1005000
W4000
Mexta-feira If li
0 agente Pestaa por orden
resd tnassa fallida ao Lima i: Martins com auto-
ris.-So do lllm. Sr. Dr juiz do coramercio (iiip
leili'o das dividas activas no valor de 2:85W'7i
Idemd^ec^preparat(ino_^ ^ Mludarem a ma0
deoJOO mensaes, brji como os externos d'aula pitimana. ,.,,.n hhp
Para mais esclar.-cimentos d.rijam-se ao dlreftor, a qualquer hora, no Instituto mi
franqueado visita dos pas e correspondentes, I r~
tiverem interesse.
Itecife, l* de fevereiro de 1861.
Antonio
DE
PARTIDAS DOBRADS
01 KKHF.CIDAS
.1 ASSOCIltO GU1IMKUGIAL BENEHCEXTE
PKR.\'.%lHl'GO
roa
Tereeiro escriturario da t tesouraria
de fi/.cuda de Pernaiuliueo e coi ipetciilrwente au-
torisado para e\ercer o pro-
fessoralo particular de arillu lelira namesma
provincia.
Aeha-se esta obra nos prelo da typographia
Commercial, d'onde em breve lahir luz da pu-
blicidade em ntida mipresso ) sob o formato de
8o portuguez.
GompSe-M esta obra de um volume, dividido em
urna parle theorica e outra prat ca, de fcil alcan-
ce as pessoas que se queiram di dicar ao cstudo da
escrituracao.
A respectiva assignatura ach i-se aberta em to-
das as livrarias desta cidade, ao precode f)*000
por volume.
iWH
Precisase
O abaixo assignado, arrematante das dividas das
rnassa fallidas de Joaquim Jos da Cusa Fajoles
Jnior e Kajozes Jnior & Azcvedo, avisa aos de-
redores das ditas musas que tem dado todos os
; poderes ao mesmo Sr. Fajozes Jnior para cobrar
as ditas dividas amigavel ou judicialmente, mi vi-
' rem-se entender com o abaixo assignado, no largo
do Cuilegio a. 27, junto ao sobrado amacollo, ite-
cife 12 de fevereiro de 1861.
Antonio Joaquim Fernandes da Silva.
- Precisa-se de um caixeiro para taberna : na
rua do Queimado n. 63, loja do Ueija-llor, se dir
quem precisa. ^^^^__
em como a todas as pessoas que nisso
Ai otStO Fkiiheiiu Lima.
leilio 1 .
rs., pertencentes a mesna massa : seita-ieira- 1
do correte pelas ti horas da manhaa na porU
da assoeiaeao commercial.
Os Srs. pn tendentes que prerisarera qualquer
esclarecimento a respeito ou examinar a rea ,-ao
podem dirigir-se ao agente que se acha prompt 1 a
salisfazor.
PH0T06R\PI1U ARTSTICA
Kua Nova q. 25 esquina da Gamboa do Carmo.
Os Srs. Eugenio & Mauricio tem a honra de participar ao respeitavel publico desta capital que
do dia 1- de fevereiro clles cstabelecem os seus precos d) modo *?*}"}*
AVISOS DIVERSOS.
12 cartdes deivisita. .... 125000
2a ditos i posicoes..... 2U000
50 ditos 3 ditas...... 38W00
100 ditos 4 ditas..... oO*000
Cada duzaem maior..... 85000
Retratos n. 1....... M>
Ditos n. 2....., iaim
Ditos n, 3........ iOSOOO
As reproducSes cada una -'5. 35 o
Em quanto o Sr. Jos Joaquim Barbosa nao viej
ou mandar da villa do O' (para inde mudon-se oc-
cnltamento) pagac os alugue de perto de dous
annos da rasa emque morou, ni rua dos Prazeres
da Boa-Vista, ver o seu nome neste jornal para
melhor ser conhecido dos propietarios.________
Aluga-se o primeiro and; r e loja da casa a.
30 da rua da Aurora : quem .- pretender, dirja-
se ao segundo andar da mesma. ____________
Prccisa-se de urna ana que saiba engom-
mar. paga-se bem : no largo do livramcuto n.
33, segundo andar.
Negoeii-se o machmismo de lavageme
engommadode roupa vapor: na rua
Nova n. 50, primeiro and.ir, se achara
com quem se pode tratar Ueste negocio.
Na rua das I.arangeiras n. 2i, precisa-se de
urna ama escrava para o servieo interno e externo
de urna casa de pequea familia, pa^a-se bem, e
nao se duvida dar algiins metes adiantado, se as-
sim convior. Na mesma casa cima precisa-se
alupar por mere, ou em quanto convier a ambos,
nra'hoinem ferro ou esenvo para cargueiro de
umapessoa que anda para o mato cobrando divi-
das; pagase bem._________________________
Aluga-se o segundo andar o grande soo do
predio da rua do Apollo n. 34, tendo no andar 3
saRs, o (piarlos e grande cozinba, o no sotao salas,
quartos e cozuiha : a tratar na rua da Cadeia do
Recife n. 64 loja.__________________________[
(jo, gelo, gelo.
Gom a chegada da nova-machina aao se expe-
rimenta mais falta de gelo fabricado com agua do
Prata, todos os dias a qualquer hora, para por-
ces grandes ou encommendas para fra da pro-
vincia dever haver aviso com antecedencia : ru
da Aurora junto a nndico onde tem a bandeira.
Precisa-se de um criado para todo o servieo de
casa em un sitio, pagando-se 105 por mex com
comida e morada: na rua do (ialiuga, sobrado n.
2, das 10 s 12 horas da manba.______________
" 0"meio billiete n. 1887 da lotera que, rorre
no dia 18 do corrento mez, foi comprado pelos dc-
volO, na intencao do premio que sabir ser appli-
cadu para as obras da igreja de S. -Francisco de
Paula, no ('.achanga._________________
Alug.i-.-e ii segundo andar da ca>.. da rua da
Cadoia n. 47, proprio para escriptorio, ou moco
solteir : a tratar na loja do sobrodi:u nflmero.
- A padaria do leo do norte, da rua do Coto-
vello n. 31, precisa de um menino porluguez de
12 a Id aunos, para caixeiro do deposito, e que
aliauce sua conducta.
de y
Klles tem recelado um grande sortimento de quajros e molduras I-ara retratos K^n^ e cartoes
sita, assim como tamben, lbum para photograph que clles podem vender muito em conta.
efflciu* estao abenas todos os dias das 0 as i da tarde.[
INTER^ATO
DE
Esbelecido na cidalde de Uinife
Protecco do Knninio Poalifiee Pl IX.
Director-0 bacharel era raathemalicas
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O director do intornato de S. Bernardo, l^>.!???^^^^022^*ltSctSee
1
0 cirurgiao Leal nmdouj
a sua residencia da rua do!
Queimado pai?i a rua das1
Cruzes sobmdo n. 36, pii-
meiro andar, por cima lo
armazem Progressista, aoa-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer iiora pa-
ra o exereicio de sua pro-
isslio, chamado por escripi a.
Corre depofs d'amanha.
Qaiota-feira 18 do corrite mez, se ex-
trahir a temara parte da primeira lotirta
ito consisUine da igreja de Nossa Seohora
do Rosario da fregttezia de Santo Antonio.
Os bbetes e meios acham-se a venda na
'espectiva thesourai ia rua do Crespo n. tS |
as casas cemmissiouadas rua da Inip> ca-
riz n. 44, loja do Sr. P-imentel; roa Dir ;ita
1.3, bolita do Sr. Chagas; rua estreita do
Rosatio u. t. typoirraphi.-i do Sr. Mira e rua i
da Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de :i:000#000 at WW
sero pagos urna hora depois da extrae gao
al.: s 4 horas da larde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuido das listas..
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Scuza
AOS 51000,000
CASA DI FORTUNA.
I6illieie> garantidos
V ru do Gratpf n. 2 e caas do cosame
il abMBOasaiauda tendovoedido em mu imu
fel7.es billi- tes naranLdos o de n. 3:i5con% a sor-1
te de i:20US, 0 de n. ii' com a de 30O<5 e 01 tras
militas de 1005, 105 e 205 da lotera <|ue se aea-
XM de eitialiir a benefinio do Gymnaski, convida
aos possuidjres de ditos bilhelcs a virom rebeber '
seus respectivos preimos sum descont alpun em
seu eslielociienio Casa da Foituaa rua do ISres-
*on. 23. Vm nrimeiro luuar convida-se topeeeoas qoetlverem vontade de comprar um bem
0 mesmo tem exposta venda em seu dito esta- ,st,l),.|;rimenlu (|c Wr a londade de o visitar. Multo bem montada romo est esta loja, com a ex
belecimento e as outra! casas do costume os no-, SJenw morada tanto e as condi^es multo razoaveis, ha de por certo animar os pretndeme* a coro-
vos e felizes bilbetes garantido! da terceira liarte ; Dra.|a
da primeira lotera beneficio da igreja de .^lossa^ Igualmente convidans*
Seahora do Juramento do Recife que se extr;diira ^ &^ medicos, dentisUis, logiitasl p^.rietarios de estabel.Tiniento? artsticos para vrrem comprar.
O Sr. Melquades Ferreir; de Soma, que tem
ou teve taboleta de ourives na rua de S. Jos, quei-
ra dirigir-se livrana da praea da Independa 04
6 e 8, sobre o aluguel da loj 1 da Semala nova,
cuja chave mandou entregar se ai a importancia do
aluguel._________________________________
Canoa.
Quem pretender alugar urna canoa da carga de
1200 lijlos de alvenana grossf dirija-se a Compa-
nliia Pernambucana no Forte d> Mattos n. 1.
A taberna do pateu do Paraizo n. 30,
cuja venda se tem annunciado, nao pode ser
vendida sera que conventiam os respectivos
(redores, sob pena de ficar o comprador su-
gtito ios dbitos da mesma.
A pessua que annuncioii precisar de um co-
linheiio, dirija-se rua Vellia n. C3.
l'roesa-se alugar dous prutus que sejam ro-
bustos para servieo debaixo de coberta enchuta :
a tratar na fabrica da travessa do Carioca n. 2,
I'i Rmos.
Aluguel.
Alufa-se o sosundo andar do sobrado da
Volha 0. 20: a tratar na rua do Selw o. 24.
rua
Na rua da Penda loja n. 27, tem urna pes-
sua para ama secca.
Preciea-se de um caixeiro que tenha pratira
dt: taberna eque d conhecimento de sua conduc-
ta : dirija-se a rua da Hoda n. 4S, talnina.______
Alugam-se as lojas do sobrado n. ii ero
a rua da Aurora: quem pretende-las diri-
ja-se loja dos Srs. Basto! i Magalbaes,
na rua .Nova, que acharao com quom ira-
tar._______________________
Profssor de piano
Jos Coelho da Silva e Araujo. bem conhecido
nesta cidade, contina leccionar piano e msi-
ca vocal por commodo pre?o : quem de seus ser-
viros precisar, dirija-se rua do Livramento n. 21,
segundo andar.
= Precisa-se de amassadores: na padaria do
Chora-menino. ____
Jacintho Tavares dos
se para o Rio de Janeiro.
Re s portuguez retira"
Ha rua da Cadeia do Recife n. *3, precisa-se de
una ama para cozinhar. _______________
Manoel Narciso Pacheco retira-se para o Rio
de Janeiro. ________
Precisa-se de um cozinheiro, livre ou escra-
vo, embora nao seja'perito : quem tiver annuncie.
Na rua do Imperador n. 61, se dir quem
precisa alugar urna perfeita cozinheira.________

A mesa regedpra da irmandade de Nossa
Ser hura do llum Parto convida aos sena li-
maos o aos parentes e amigos do fallecido efe
procurador Joao da Silva Lopes, a ouvirem
urna missa que manda celebrar por sua alma
na igreja de S. Jos, ne dia 17 do crrente,
sebmo dia do seu fallecimento, s ti horas da
manba.
O esrrivo.
Domingos Francisco Dures.
I
Precisa-so alugar 1 negrinha recolliida para
iis serviros domsticos de urna casa, a qual emen-
da de costura e engommado, aperfeicoando-se no
mais : na rua larga do Rosario n. L se dir quera
precisa. ____________^___________
ATTENQAO.
Offcrece-se um Portuguez para feitor de sitio, o
I qual lem muita pratica de jardiin e horLi : quem
precisar annuncie ou falle na rua da Imperatriz
nuraero"4.'
igiao chrlstaa, espera que assim eoostituidd al deixari
t cer dosScs. liaos M lamillas oaaiilio e coaflai ;:i com que ja alguna, tem honrado e
hs rog lalm como todas as pessoas interesadas, que se d.gnera de visitar o mesmo
fc* sea estabelocimento, onde sempre encontrarao ram-o ingresso.
& Cadena, de ensino r-Primeiras lettras dividida em duas dans, tendo cato omao
JB seu professor, latim, francez, Inglez, aritlunetick algebra e feometrta, geographia, piulo-
t uinhi a rlu'torica. desenboe msica. ... .. ,
K O eollegio tem a sua sede no espacoso edificio n. 32 rua d'Aurora contiguo ao do
^Nofestau'toTdo eollegio, que eslao a diposic.o de quem os quizer lcr, eiactam
consignadas as condicoes de entrada
ment.
&%&mA
mat icul as diversas aulas do estabeleci-
Manoel Roberto Fernandi s, subdito ecuato-
riano, retira-se para o Rio de .aneiro.__________
Precisa-se alugar urna | reta escrava para
todo o servieo de casa de duas senhoras : na rua
de ApuHo n. 19. _______________
liquidacaO
M L0.I4 DE .1. J. kELLEK.
9 ItlA 1A IMPEBATBIi 9.
aereditaito
quinta-feira 18 do correte.
Precos.
Bilhetes Uiteiros..... 6500C
Meios biUietes...... 3*00('
Para as pessoas que comprarem
de 1005 P^ra cima.
Bilhetes........ 55.TO0
Meics......... 2*7o(i
Manckl aitim Fiuzg.___
C'ub IVruajubucaii.
A reuniao familiar de fevereiro teri lur
gar nanoile de sabhado JO do cor rente.
! por menos do seu valor, as melliores e mais acreditadas ferrame.itas que
Orespeltavel publico em geral
ha no mercado.
roturara um variado e muito rico sortimento de brinquedos, cntilerias, armas para cara corn s.m
^enocs, apparelbos para cha, cs.ojos de barba e de raathemat.ca, ferros para cortar e imprimir (t
ene
perlenc
nos e para cortar hahadis. serinir.K. espora'
seos
i-
cbicutes etc.. ele.
Acaba de sabir dos relos de no^sa
llieim oalmauak civil, ecclcsia>tico,
^uuimeiri'l, faiuil e agrcola, contes-
to todos os empreados, engenhti e
us batidas at 31 de deemhro ultimo;
veide-sea 1$000 nicamente na li-
vraria n. 6 e 8 da traca da Indepen-
dencia.
Advicacia.
0 bacharel Joo fionealves da Silva
Munlarroyos tem escriptorio na rua o*-
treita do Rosario n. 17, onde pode ser
procurado das 9 horas da manba s 3
da tarde dos dias ut3i>.
un
O cemiterio
precisa de um jardineiro :
respectivo administrador.
mmwm m
publico
a entender-se com o
O Dr. Jos llanto da Cunha e Pigaei-
redo, inUgo advogado do foro do Recife,
avisa .1- pessoas que qaizerem ecupar o
seu diminuto presumo jurdico qee o po-
dem procurar vi rua estreita do Rosario n.
-j.H, desde s 10 Loras da maulifta at s :j
' da tolde._______
Jos Rabclln de Almeida retira-se para o Rio
.de Janeiro. ________
- Alnca-se una casa em S. Jos do Manguinho
coDfronte'a igreja : a tratar ia rua Augusta nu-
mero 26.__________________________________
Mociedade de seguros mutuos
de vida installad:t pelo Hanco
1'a.lo na cidade do Porto.
Os agentes nesto cidade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevede & C, escriptorio na rua
da Cruz do Recife r. 1, estao utorisados desde ja
a lomar assignaturas e prestar todos os esclareci-
mentos que forem necessarios, as pessoas que de-
sejarera concorrer para to uti e benfica empre-
zas, egurando um futuro lisonteiro aos associados
- Aluga-se o armazem n. da rua do A^iollo, e
o tereeiro andar da casa n. 88 da rua da Iiapera-
iriz ; na rua da Aurora n. 36._________________
4TTEN(M).
Custodio Jos Alves Guimaries avisa ao respei-
(avel publico e aos seus freg ezes, que em vistas
de se acbar seu estabelecimento em obras afim de
alargar mais o campo para o i.allo de novo cantar,
atim de melhor poder servir :eus bons fretr11e7.es.
com ludo em quanto durar a: ditas obras conti-
nuar a servir seus fregueze no sen grande ar-
mazem com frente para a rua do Imperador com
entrada pela dila loja do galo vigilante, ruado
Crespo u. 7._______________________________
- Taspassa-se com o abale que se convenclo-
nar 11111:1 letrada qnantia de I:-Ji25, aceita pela
Sr.* I. Joanua Mara Jas Ocres proprietaria do
enconho Pintos, cuja letra esl 1 rom ida era 13 de
julho do anuo passado : quen rateresar Cter es-
ta iran-.ieeao dirija-se ao lar;o do Carmo n. 20.
O-sc dinliciro a juros e
compra-se onro e prata : na rua
do Rangel n. .
mKSHummm mmmwm
I DENTISTA DE PARS !
19Itua Xoa-19
Frederco Gantier, eiiurgio dentista,
faz todas as operacoes d 1 sua arte, e col-
loca denles artieiaes, tu lo com raperio>
ridade e perfeico, que a pessoas enten-
didas Ihe reconbeeenv
Tem agua e pos ilentificio.
Precisa-se de urna criada forra ou escrava
para servir a urna s pessoa : na rua das Laran-
geiras n. 5, primeiro andar.___________________
Antonio Augusto Coelho de Souza retira-se
para o Rio de Janeiro no primeiro paquete.______
Precisa-se alugar urna escrava para carregar
fazendas: na rua do Hospicio n. b__________
No primeiro andar do sobrado n. 10 da tra-
vessa dos Expostos, preparain-se Unes para todas
as armacoes de tetas de igrejas por muito barato
preco, e tem urna grande poreao feita que se ven-
de muito em conta, apromptaiu-se ramos para do-
mingo de ramos, a seis vintens o meia pataca, lu-
do de muito gosto, e enfeitam-se velas com llores
de cera de muito bom gosto a 4 e .'5, comdhahas,
rosas, cravos e toda qualidade de flores feitas de
cera, fazem-se os ramos a gosto do quem os man-
dar fazer, e aproraptam-so metidos pretos para a
quaresma com teda a brevidade, e gosto de seus
donos; na mesma casa preparam-se bandejas pa-
ra bailes com artoacao, e boonaetes d 1 1 res de
cera de todo goslo, dilos de alfuiius, ditos de pepel
lino, ditos de gomma, de panno e velludo, tudo
mais barato do que om outra qualquer parle, bor-
do de lilas de ouro, lantijota para os bouquetes,
e lacos para as velas; vende-se tambem um sorti-
mento de folhas de rosas de papel a 15 a groza,
de todo o tamaita, para as senhoras lloristas.
No escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedoi C, na rua da Cruz n. 1, precisa-se fal-
lar com o Sr. Luiz Soares Botelho, lillio de Jos
toares Botelho e de Fortunata Candida de Souza,
e neto de Francisco Manoel Je Souza, natural da
ilhade S. Miguel, o qual consta ter vindo para es-
ta cidade em 18o6, para Ihe dar noticias de sua
mi e irmaos que se achara no Rio de Janeiro.
AIIVOC.tCLU
O bacharel Joaquim Pires Machado Purtella po-
de ser procurado,como advogado. no primeiro an-
dar da casa n. 83 da rua do imperad ir, >la< 10 ho-
ras da manhaa s 3 da tarde._______________
" Francisco da Silva Fonseca. subdito portu-
guez, retirase para fra do imperio.
Precisa-se de urna pessoa qu tenha pratica
do ollieio do sapateiro : no largo da ribeira de S.
los n. S.
No sachado ausentau-se de casa de seu se-
nhor o preto AdSo ; e por isso pede-se1 s autori-
dades policiaes e capites de campo a sua apnre-
hensao, e leva-lo ao caes de Apollo n. 55. Brte
preto escravo do Sr. Domingos Pires Ferreira,
muito conhecido por trabalhar em armazem de fa-
zendas. ________^___________L_
Aluga-se a casa d.t rua do Hondego n.51-
com bastantes commndos, grande quintal, com r
que d para o rio : a tratar na mesma roa, pada-
ria n V7.____________
O professor de latim da frenuezia de S. Jos
dosta cidade, abaixo ass*nado, declara ao publico
que a sua aula est em exereicio desde o da 3 do
corrente, e que contina aborta a matricula da
mesma : os pretendentes dirijam-se ao sobrado n.
o, sito no largo da ribeira.
Manoel Francisco Coelho.
Joo da Silva Ramos, medico pela U
versidade de Coimera, d consultas em
toa c*a das 9 s 11 horas da mantel*,
las 4 s 6 da tarde. Visita os doentee
B11 suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os
polea, que seras soecorridos em aual-
pier occasio. D consultas 1
que o prorurarem no hospital Pedro H.
aonde encontrado^ diariamente das C
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sadde regularmente
montada para receber qualqu
linda mesmo os alienados, |ra o que
tem commodds apropriados e nella pra-
lica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000diarios.
Segunda-diti.... 24500
Terceira dita.... 4J0O0
Este estabelecimento Ja bemar:.
lado pelos bons servicos que tem pros- ^
tado.
O propietario espera que elle couti-
nue a merecer a conQanca de que sem-
pre tem gozado.
Desappareceran no dia 11 de fevereiro duas
pulseiras de ouro ainda novas, e previne-se aos
senhores ourives e qualquer pessoa particular que
se acaso forera offerecidas, o favor de mandar avi-
sar na rua da Ponte Velha n. 1.
SBB;
O bacharel toao Francisco Teixeira a
contina com o seu escriptorio de adyo-
gaeia rua do Queimado n. 28, primeiro
andar, onde podo sr procurado das 9
horas da manhaa s 3 da tarde.
Gymnasio pi'onucial.
At o dia 13 de fevereiro estarao a bertas as ma-
triculas das seguimos aulas c o gyinnasio provin-
cial : latim, fraocez, inglez, jrego, allemao, ma-
Precisa-e de uiaa ama es-rava para casa de' temticas, geopiaphia e h simia, eloquencia e
puna familia : na rua da 1 ad'ia 11. 27, primeiro potica, philosopla. lingo* litleratura nacional,
andar. sciencias naturaes e msica.
1 lediante a mdica
ri/cinto a ultima moda.
Desappareceu da ruado Crespo um cavalteca
tanlw.sera andares.0 qualiem os sigaaes segumtes:
um p.
..nal lo
l cujo dop.ogratilicara a quem o levar em hgueiras,
reguezia d > Bom Jardim.
Nesa estabelecimento,
. quantia de 15 diarios, tem o; alumnos internos
roupa lavada e engommada, medico, botica, luz,
a i 3 0 5 i - MI -: -- - 0 -> 5 1 0
-1 1 0 .-5 v. i 3 'A a m H m s
a 9 0 - o ^ 's a
0 0. -5 B 0 s Ai 1 l -1 ll i i 0 -1 pl 3 m
0 V / -1 p 1
Na rua do Crespo n. lo, se aluga urna boa
casa e sitio no Monteiro, com frente para o oito
da igreja. assim como o segundo andar do sobrado
n. 7'J da rua do Imperador.
sera andares.0 quattemos sigaae* ^'""; p0ll0a pape|, tinUe criados lara o servieo.
calcado e una mao por dentio 01 ama, o ^mei^nensionistaspagm motado dessaqnan-
.ngalha coberta de estopa o corta,= w trimestre, podendo fije-
lula de istnicco srciimlaria.
Manoel Jos de Albuipierque Mello, autorizado
pela direetoria geral de instruccao publica desta
provincia, tem aborto a sua dita aula desdo o dia
II de Janeiro prximo lindo, o contina a recebar
------1TZ------Ti ... 1 ti alumnos qur internos qur exU-rnos quem do
U oacuareUiaiiimano Lopes ua- S1,u |ir,.stjmri St quZ(,r utiiisar o podem procurar
Clia404v02a IIO SeU esn-iptoriO lia rua no pateo do Terco n. 141 segundo andar.
Na loja da rua Direita n. 82, comprase um
cofre francez em bom uso.
X
O abaixo assignado propietario do ei genho
Venturoso, vendo-s-3 sem recursos j pola f; lia de
traeos e pela falla de pagamento de seus devedo-
res faz vera lodosos seus credoresque pessueo
questao judicial e urna propriedade de 1.K0 bra-
ras de trra 1,500 bracas quadradasnesia fre-
gueila d'Agua Pret,e offerece para pagamtnto de
todo seu debito, pois est resolvido a nao conti-
nuar a pagar premio e por isso faz o presen;e para
que todos que se julgam sea credor venham fazer
preco as mesmas propriechides ou decidir..' n com
o abaixo dfsignado o que mais conveniente for.
tgua Preta, 15 tje fevereiro de 1865.
Manoel Filippe Prz de Lu
do Imperador n. 71, primeiro audar,
onde pode >-er procurado das 9 s 3 ho-
r?s da tarde para o que for loncernen-
le ao exereicio de sua proltssao.
m O hachare! Amenco Netto de Mendonca f g| J ^^
m
reside e tem aborto o seu escriptorio
3| rua do l.ivrainento u. J8, 1" andar.
Precisa-se de um bom cozinheiro e de dous
criados activos : a tratar no sobrado n. 32 da rua
da Aurora.
una.
Almra-se a caaa terrea n. 36 m rua da ma-
triz da Boa-Vista.. o primeiro andar do .obrado
na rua da Penha cora funds para a rua Direita
n. 9: a tratar no memo.
u advogado Dr. Manoel do Nascimento
| Machado PerteUa, contina a ter o seu
i eseriptorii no primeiro andar da casa n.
i 83 da rua do Imperador.
mmmm mmmm mmmmm
O bacharel Francisco Augusto da Costa ton*
tinna a ter escriptorio de advogado na casa n. 69
da rua do Imperador, onde pode ser procurado pa-
ra os misteres de -ua ^rofisso.
Joaquim Domingos, subdito portuguez, reti-
ra-se para fra da provincia.
Portugal.
agente do banco
mercantil Portunse nesta cidade, saca ef-
jB eoiivamontepor lodosos paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer gomma, vista e a prazo, po-
de rulo logo os saques a prazo serom des-
contados no mesmo banco, na razo de 4
por cento ao anno aos portadores que as-
sim Ihe convier : as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
quentar as aulas que quizeiem. O secretario,
Cabra!.
O Dr. Yulomo de las-
''j concellos Henezes d e
'- Drmmuond contina no
s exereicio da advocada,
W% rua do lni|>era 'fr primeiro andar, todos os
M dias uteis. das^nze horas
yg da manhaa as quatro I10-
O ras da tarde. i:m outra
I qualquer occasio. e para
W casos urgentes poder ser
procurado em seu domi-
cilio ruad'tnrora n. 9H.
O bacharel Jos Hoberto da i;unlia Sal-
les c.inlinua com o sea e-cnplirio de ad-
vogado rua estreita do Rosario n. 11,
1." andar, onde podo ser procurado das 9
horas da manhaa as 3 da tardo : reside
na mesma casa.
0 Dr. Casanova pode ser procurado em seu
consultorio especial hoiiieopathico no largo da ma-
triz de Santo Antonio n. 2. N'o mesmo consult-
se.
Ageacia de pasaporte.
Claudino do llego Lima, despachante de
porte pela reparpao da polica, lira-os para di n
tro e fra do imperio por commodo preco e pn-
teza : na rua da Praia, primeiro andar u. 47.
' Precisa-se de um rapaz para ir era rompa
nhia de outro para o sertao, proforindo-se Porto
gue?. ou mesmo Br.isileiro : quera esl i ver
circumstaocias, dirija-se na da Conceico a. B-
at qoarta-feira.___________________________
nina ama para criar de Icite, a
Offere
qua tem tres rama
na rua Velha n. 32.
Quem precisar de urna ama preta para todo
servieo de portas para dentro : pode procurar u.<
rua Direita. taberna n. d._________________
Aluga-so urna morada do casa torrea na B:n
xa-Verde da Capunga, com 1 partos, cacimba
quintal todo murado, por preco commodo, -emi
por anno: a tratar na praca da Independencia u-
no ha sempre grande sortimento do medicamentos 13 e 15. ______________________________
em tinturas o em glbulos, deixando elogiar os _. Aluga-se a casa terrea da rua do Arago n
no-sos medicamentos pelas pessoas que os tem ex-
perimentado e continuara a servir-se em nossa
botica. Temos tamliem obras accommodadas a
indiligencia do povo.
f
l'ma senhora viuva precisa de urna criada para
o servieo interno de sua casa, advertindo que se-
ja de boa conduela em quem se possa depositar
CODOaoea : a ira tar na rua do Hospicio n. 29.
Precisa-se de urna ama para lodo servieo
de urna casa : na rua da Concordia n. 85.
H
i.
m
V
m
lu m-ieodo 19 annos de idado, natural des-
la praea, offisrecexa para se- admirado em algura
Libanio Candido Ribeiro, Antonio Rmigdio
Ribeiro, Leopoldino Ferreira da Silva, Fran-
cisca Maturina dos Santos Ribeiro, Auna
Orinales da Silva e Maria Joaquina de
Mendonca Ribeiro, agradecem cordealmente
as pessoas que se dignaran astistlr os lti-
mos sufragios de seu mui presado mano e
cunbado o vigario los Malinas Ribeiro. os
mesmo eonvidam aos amigos do fallecido
para asaistirea a missa do stimo dia que se-
ra sexta-felra 19 do correte e no oratorio
licenciado de l.ibanio, no sou sitio na Torre
as x lloras da manhia.
Recil'e, l-'l de feveieiro de 1864.
Libani Candido Ribeiro.
a tratar na rua do Queimado. loja 11. i.
Quem precisar de urna pessoa que tem pra
tica para taberna ou padaria, dinja-se a rua d
Caldeireiro 11. 82,que achara com quem tratar.
'"-^rr-,
.......
Separatorios empl-
i neniares
DO
Curso Commercial, 1
O bacharel A. K. de Torres Bandeira, |
professor de ceograpliia e historia no E
('\mnasio desta provincia, propoe-se a^
esinar as linguas franceza e ingleza, jf
preparatorios complementares para o |
Curso Commercial; e offerece o seu pres- K
timo especialmente aquellos que se quei-
ram habilitar nesses preparatorio, com o JT
intento de matricular-se no sohrcdito J_
curso. &
As aulas comecarao do l" de fevereiro Jjf
em diente, na casa da residencia do an-
al nciante, rua estreita do Rosario n. 31, fl^
tereeiro andar.
Precisa-so di; um menino tic
No dia 11 de fevereiro, a noite, use
de casa o escravo de nnmo Marcos, do gento..
Anjola, baixo. cheio do corpo, com falta de don;
na frente, usa de barbas, e as vezes tambera as r
pa, sabio vestido de camisa e calca de ainlio, Mi
14 a it pfte-se ter tomado adireccao de Serinbem, ou
quem o apprehVmler. leve-o em lin
,, ,oja de fazendas, azer cobranoas aq*e annos de rJade para Cakro de loja .le fer- j*w ^ (
nuudezas na cnlade de Maeeio,
>m
em seus dorredores, ou mes: 10 escrever em escrip-
torio : quera de seu prestimo utilisar-se queira,
dirija caria fechada cora as inicaos M. F. II, rua
da Clona 11. i.
Ainda esla por alugar o segundo andar do
sobrado da rua das Aguas-Verdes, e tambem se
alugam duas mei-aguas dentro de um sitio na es-
trada de Joo de Carros, o para o mesmo se precl- r_
u de um feiior que trabalbe do amana e que seja do-se eatrangeiM : a tratar na na do Hospicio n.
casado Tambem ainda est por venderse duas 14, talierna. IfcaNBM tom dua para
__ja rua Nova n. 20 so dir quem du alguinas
quantias a juros de i 0|0 sobre penhon.-s.________
__Uma mulher de bous costuraos so offerece
para ama de una casa do hornera soltoiroou de
pouea familia para cozinh.tr eengommar, prefarln
s.ileirs de pedra de Lisboa: ha rua das Cruzes. aluyar-,
n. 9. 'coser-
beodo urna coziobar, engommar e
raguas e miuaezas na oioaae u mnanu, j^ Nie0iao Kegeira Costa, e no Bedfe roa
dando-se preferencia a aqm-lle que dlSSO U- Aurora, casa n. ti, que sera bem recompensa.
ver llgUHM pratica e que em lodo .aso es- -_ 0s nai.nares j0i-t0 i)mz Ribeiro da Cunh
Creva soflfttvel, quando nao amito bem: praaeiseo de Paula Penna continuara coro seu >
do Queimado
man'
profl
sao ; e encarregra.Io-se tambem de qualquer a
-----------------------------------------r~... n ,n. cao nos termos prximos i esta cidade.
Precisa-se alugar urna escrava para o ser- v______------1 ------------------------
vico de u.na casa de pouca familia : a tratar na j Prec.sa-se de um ca.xe.ru para
rua do Palacio do Rispo,primeira :asa aosquerda, que da mesma tenha pratica : a "vu na roa d
uuem pretender dirija-se a loja de ferrageOS criptorio deadvocacia na rua do Queima-lo
Lsh*Ah na rua da Cadeia do Hecife tfjf;*^^
nesta cidade.
indo pela rua dos pies.
i Pat n. .



Diario de Pernambuco ... Terea felra l de Fevcrehn de t9C4.
<-Et t \a>i; Itl VOM < IO
no *
ARMAZEM
CALCADO.
4o Rua l)ireita
DO
45
Ipi-oveilem eia qiiantn lempo!
i Borzeguins francezes de lustre pa-
ira homem................. 5,5000
Borzeguins franceses de cores pa-
ra meninas............... 20000
Borzeguins francezes pretos para
meninas.................. 205OO
Sapatos de lustre para senhoni.. 10000
Sapatos de lustre s avessas..... f00
Nao me responsabiliso pelos valores
que forcm dados a meus escravos sem bi-
JliDtemeuoude minha sennora. Becife, 15
de fevereiro de 1864.
Jos Pereira da Costa Motta.
iiscriptorio de advocada
A' ra do Queioiado n. 30, pri-
meiro amlar.
O advocado Cicero Peregrino con!.1111.1
no axerctc o de sua proftssao na ra do
rua do Qu< miado n. 30, primeiro andar,
onde pode ser procurado das H as 3 no-
rtada tari
0 homem do morimento mo estaciona.
AVANTE E SEIIPRE
GUERRA AOS INIMIGOS
Nao se aduile a uuio commercial.
Nao seqner a (liaba da allianca.
Nao se teme a furia dos corsarios.
Este anao ha de ser bissevto.
Os canhes estilo preparados.
FOGO! I!0I FOGO!! MELHOR FOGO!!!
Abaixo a liga d'agoa no vinagre
Viva a liga do genuino Cheres com o fiambre!
Viva o conservador das conservas inglezas!!
Vivam os liberaes fregaezes do BALIZA!!!
Vivam todos que lerem este aonumio.
ifl
SENHORES
LOJA DO PAVAO
Cassas puritanas.
240 e 280 "S,maiS m-dernaS Ca*sas mrilan;i
Pavo.
Irmandade deNossaSenhora
daSoledade, erecta na igre*
ja do Livramento.
l'or erdem da noss* irmo juiz convido a mesa
regidora e mais dignos irmaos en-juizes, escrivies
o thesoureiros, para que eompareeam hoje 16 do
corente, as G horas da larde, no nsso consistorio
par reunidos tratar de negocio de interesse da
w-sma.
Consistorio 15 de fevereiro de 1864.
Sebastiao I'ereira da Silva,
Secretario.
Curso de preparatorios
Francez.
Inglez.
Geometra.
Geographia.
Hhetorra
i ra .1o Queimado n. 30. primeiro andar,
da~ is 2 da tarde.
I\ ilugar urna ama com bom o bas-
tante leile e que nao lenha filho, preferiodo-se es
era va : quem esiver nestas circumstancias, diri-
ja-se i ra Formosa, casa n. 29.
Kua do luelmado n omeros
49 e 55.
est disposto a continuar a vender pelos precos
abaixo declarados, pois para principar o novo
anno. r
! Caixas de obreias de cola muito finas a 40 rs.
J, aras de franja de laa de todas as c >res a 40 rs.
Ditas de tranca de laa de todas as cores a 20 rs.
' Ditas de trancelim branco muito superior a 20 re.
Trancas de algodo brancas e de cors a 80 rs.
i DtiiZiaDS^e meias para sennora niuilo superiores a
30800.
Grozas de pennado ac mnito finas 00 re.
Caivetes de duas e tres folhas a 500 rs.
Ditos de urna folha a 80 rs.
Caixas para rap, muito bonitas te catangas, a
1 uu rs.
Capachos redondos e compridosa JJCOrs.
Caixas com muito superiores obreias a 40 r
Vai2S de fraDJas brancas e de cores, largas, a
oi/ rs.
Pares de bot5es para punho muito bonitos a 120 rs.
Carreteis de linha Alexandre com 200 jardas a
100 re.
A defronte da grade da.igreja, acaba de reduzir os precos"1TJ2TSS Keltafi tard.??r?]^ ^
gneros do seu magnifico deposito. Duzia de meias brancas para homem 10600
A lana abano publicada attesta bem esta verdadej Caixas com soldados de chumbo a 12( rs.
A guerra aos inimigos, est portanto, assim declarada. Tinteiros de vidro com superior tinta a 00 rs.
. As pessoas, ainda as mais exigentes, que se dignaren vir este estabeleciraento,' Crozas*STiouca pratados 1 ieo re
carao por certa muito sitisfeilas, nao so quaato as qualidades dos gneros, como com o Tesouras muito linas para costura a ::2oV<
(calamento todo attencioso que se Ibes dar.. Ditas ditas maiores e meihores a 400 re.
Alm do cumprimentodos deveres da boa educacfo, haver d'ora em diante ainda 5?covas Para impaL!?entes mui, fiMS a 50 rs
rr aior cap icho em satisfacer a todos que honrarem esta casa. 1 ?deloda^as'coreTl'ara h -4 rt
Os gneros pelas qualidades e precos annunciados, sero offerecidos ao exame'Caixas com nhosptaffM de seguranca iWrs'
dos Srs. ct'inpradores. Naoreceieo publico que se pratique o contrario, como em outras Caderns e papel branco e azul a2t rs.
c;isas, que at annunciam o que n5o tero.___O Baliza nao illude___ I ?aeole de PaPe' aade a 600 rs.
Oassas persianas a 360 rs. o corado
e com os desenhos
desbotaui : na taja
E SEN 110 HAS.
O propietario do grande Armazem do Baliza establecido raa do Livramento ns.
38 e 38
Gorgurao de laa a 500 rs. o covado.
As colchas do Pavao.
^^t^^ e branco,
Organdys a 240 rs. o covado.
de 240^oeSor^^U^t SStt r-*-^'* tara8SnW ^
v h As alpacas do Pavao.
que^eXaTpalaSnosV^ para vestido de sennora, soutembar-
ta commodo : na l^hAfZ^SSJSS^ff* **" ^^ pil0tOtS'p)r pre^ mu-
Panno preto a 2^000.
v. Vende o Pavo.
..- se piaao pret0 muil ecorpado a 2,50000 rs o covado dito a iSfinn laoon trw
m=,rSrra^S
As calcas do J*-~*+~
bre.aSer^rs ^ut^t^t^^ rs7floor ,e t rs- r -
4*WO e 5*000^ na ra da ImnfraTri, n mi r^fJj.fP00 cole,es dc cas'ra Preta a
Aluga-?e a casa atraz da matriz da Boa-Vis-
ta ni, com 3 'liarlos. 2 sala>, quintal : a tratar
na misma ra n. i, casa de sotao junto ao acougu.
O Sr. Manoel ta'iiacio de Otivei Filho lein
uina encomuii'iid.i vinda da Europa, na na da Au-
rora um Santo Amaro, segunda casa depois da
poniezinha.
l)a-se dinheiro a juros soh hypolheca de urna
ca
res do ouro e prata.
Manoel Aatomu do Carvalho vai ao Rio de
Janeiro e d ahi para Portugal.
COMPRAS.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas: na praca da Indepeniencia n. 22
loa de bilhetes.
COMPR%-SE
cobre, lalao e chumbo : no armazem da bola ama-
relia nc oitao da secretaria de jiolicia.
VENDAS.
Vende-se um preto ptimo
manijo. p ter J estado em-
pregido em o servlco do mar por
mullos .mnos : na ra larga do
Rosarlo n. 3<>. segundo andar.
Ameixas fr.mcezas em caixinhas e em frascos i Licores inglezes e francezes em varos de di-! C3Mrsm
de diversos tamanhos a l,2oo, t,6oo, I versos tamanbos
2,ooo, 2,5oo e2,8oo rs. e a libra a 8oo rs. rs. a duzia.
Amendoas novas a 32o rs. a libra. Manteiga ingleza flor a 8oo rs. a libra e de a
Azeite doce refinado a 8oo rs. a garrafa,
tem de Lisboa a 64o rs. a garrafa e 4,8op
rs. a caada.
Alpiste a Ifio rs. a libra, e4,8oo rs. a arroba.
Arroz do Maranhao, da India, e Java a 8c e
loo rs. a libra.
Aletria branca e amarella a 4oo rs. a libra.
Aiaruta verladeira a 3o rs. a libra.
B tatas novas em gigos de 36 a 4o libras por
t,ooo rs. ea 4o rs. a libra.
Biscoitos inglezes Lunch a 18oo rs. a lata d
5 libras.
Idom de diversas marcas em latas menores
a l,3oo rs.
upenores a
pequeo, a
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva
Algodflozinho entestado.
a wiSTtZS^^ f TO P- '-C-, toa.has, etc. etc. etc.
Vestidos pretos do Pavo.
de JBR^TAW^S KSBl'arde vdod0' bara, ^
liiazinha Victoria.
... J -^a loja do Pavo.
a e-* modernas laazinhas Victoria tendo 4 paknos de largara com lindas nalma, p
seda pelo barato preeo de 800 re. o covado, na loja do PavAo. ra da ifi n" fie"S
i Silva.
Os santanbarqtues do Pavfto.
a l.ooo, l,5oo e 4,8oo Cadernos de papel decores, grande
40 rs.
Silabarios portuRuezes com catanga i de-todas as Peratriz n- M, de Gama & Silva.
libras para cima ser abertoum barril "na Graxa'em^.a^i'ionova a lOOre
presenta do comprador. Cartas e taboadas para meninos a 60 i s.
dem de 2.a e 3.a qnalidade a 7oo, 6oo e 4oo Caixas com superiores seas para chai-uto a 40 rs.
rs. a libra. Carreteis de linha de cores com 200 ja das a 60 rs.
Idpm franc>7i a v.fifi re o k-, n ^ k i Baralll0S muil nos para voltarete a!80 re.
laem Iianceza a obO rs. a libra, e em barril Rodinhas com allinetes francezes a 20 rs.
por menos. j Cartas de alfiaetes francees finos a 40 re.
dem em latas a 20000 e a 10500 a lala. C*11'^!68 de cabo de raadreperola de duas folhas
A SO0OOO rs.
npinc ei!5?'se rC0S. a.u,nta',q Pretos ricamente enfe.tadt* a 205000 cada um ricos manteletes
0 chales do Pavilo.
T^Jf^^.r6 merino estampados a 3000 rs.. ditos muito finos de enuom a 6MQ0
5000 rs,, ditos lisos a 4*500 re., muito finos a 5000 rs., so na loja do rtroa dato:
Massa de tomate em barril a 480 rs a libra t a ^ r?
m~ u.- .<_. ... UId" Luvas brancas de algodao finas a 80 rs.
dem em lata a 640 rs. a lata.
Mostarda ingleza 400 e 600 ris o pote.
Marmelada imperial dos meihores fabrican-
tes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Marrasquino de zara a 8oo rs. o frasco e a!
8 a duzia.
dem de Lisboa de qnalidade especial em l-l^S rPa?. fpa' ^hirm e macarra0 a
tas grandes e pequeas a 3,ooo e 1,5oo rs. i/*' ,' ... .. i
Bolachinhas .meVicanas, a 3, a rs. a barrica i "^m S ihraf 'SSn e pw',de* "***
e 2oo rs a libra a 1|>6l)0-
Banha de porco a 44o rs. a libra, e em barril 1^**1*, "S ',
a 4oo ,^ ^eixe preparado de escabeche,
Ba des americaaos muito propios para com|-' pjS'i'f. qU6 tem Tndo
prasal.Mors. Ii 1 .
Cha huxym, liysson e perola a 3,ooo, 2,8orl. I esun^..de 'a>* muito supertor a
2,5oo, 2,ooo e l,6oo rs.
0 brim do Pavao.
m r .J?"56 brJm de VnlJ puro com 'P'adrinhos proprios pira calca e palitots pelo oreco
Luizinha a 320 rs.
de 300
Imperatriz
fin o Pavo.
Miadas de linha frxa para bordar a (0 re.
Um confeito e especifica para
expellir os Verme:;.
i-l
da melhor,
ao mercado, a'
480
rs. a libra.
Id m preto a 2,ooo,l,600 el,Mors.almr^.Ide1|?Para^ a 64 ris a
Chinpagne a melhor do mercado a 12,ooo0 u------1.^. Ann
i'ieo e a 1 2nn r. a irrafa wem diuei icano a 400 rs. a libra.
Mgo e a l .200 rs. a garrafe. Pape| aIma(?o a U(m g ^^
Chocolate francez primeira qualidade a l,loo dem de peso a 20 a resma.
rl
:-s. a libra,
dem hespanbol a l,2oo rs. a libra,
dem suisso a l.ooo rs. a libra.
Ce 1 veja branca marca Allsoprs a 4,5oo rs.
duzia, e a 4oo rs. a garrafa.
f-ni\'C T*86 laazin,ha matizaaa proprias para vestido sendo padroes miudinhos e grande* sendo
f.zeDda.muiUi acornada e que se pode lavar peritamente, cerno se lava achila^ naoKJ sahin-
do esla fazenda mais
Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
arata em proporcao do preco ponjae se vende achila isto na loja da roa da
27
r>^
Palitos para dentes a 160 rs. o maco.
i Dito dito de flor a 200 rs.
j Ditos do gaz a 20200 a groza
a Passas novas a 480 rs. a libra e a 10800
caixa.
Cognac inglez a 64o rs. a garrafa a 800 e a Queijos flamengos do ultimo vapora 20500
l.ooo rs. Dito londtino a 900 rs. a libra. i
Pastias Vcrattagas
DE KEMP.
Os mennoe s poden griree. ponpie
elbw sao de cheiro, sabor e er agrada-
vais. A eh'gaiiciii, .-i se*uridad de ac-
Sw>. o HtoftMBiro
Pastilhas Verraifligas de Kemp
' PAB HA -i v
ATTKIV^AO
Ra do Queimado
A prefo de 30 peca,
de 34000"^.CamLraa branCa adamasceda ,ro),ias I e cortinados pelo barato preco
Finos entremeios.
Entremetas muito finos bordados a {& e lWOOcada umapeja.
Para acabar.
Finos ergandys inianas padroes escuros a preco de 240 rs. cada covado para acabar
A 10800 a duzia.
Lencos de cambraia brancos a 15800 cada urna duzia.
Lences
e cobertas a 2000.
Fino fil,
Al de linho bordado com toque de agua doe a preco de 400 rs. a vara.
Coacervas inglezas em frascos grandes a 75o Dito prato a 640 rs. a libra.
rs. o frasco. Sardinhas de Nantes a 320 rs.
Vmde-se nina parte de una casa terrea sita
na ra lie Santa Thereza n. 10, quetn pretender
dirija se a mesma para examinar : a tratar na
CapunL- iuvadoSr. J0.0'EunRelista da
Cosl.i
tts cortinados do Pavo.
YeDd'tn-sc: rico.-- corus de cortinados adamasca-
proprios para janellas e camas pelo barato
o de 95 i prca : na ra da Imperatriz n. 60,
loja do (Varna. & Silva.
Peehlncha do Pavo.
Para cmliuados a 10.
Venden-se pecas do cassas adamascadas com
linios flt, roes tendo ti va-as cada pica pelo barato
pr-co de 40, ditas com ,'i varas a i, sendo pro-
I ras para janellas, canias, bercos etc., etc. : isto
SO na loj.tdo Pavao a ra da Imperatriz n. O, de.
Gama A Silva.
O Pavo vende as cambraia*
a *4.>00 e :sj*.
V. iil.rn p.vas de cimbi-aias brancas lavra-
rtas prdpr as |tara vestidos tendo 8 1|2 varas .1 35,
ditas rom S 1|2 a 24.1061 litas 1I1U1 a ;300, 44
II iSoOO, i.tu i pecliuidia : na taja de Gama &
MIva. ra da Imperatriz 11. 60.
Vende-se urna serava de naco,
: ra para xerviea de casa de famifia :
na ua (^idcia n. 93. tnreeiro andar.
a lata.
Ide.n francezas de militas qualidades a 5oo Dita de Lisboa a 640 rs. em lata grande.
rs. o frasco e a 5,5oo rs. a duzia. i Sag muito superior a 240 rs. a libra.
Charutos ueste genero temos grande sorti-!Sal refinado,em potes de vidro, a 600 rs.
r.iento tanto da Babia como do BiodeJa-j o pote.
reiroa 1,600,2,2oo, 2,5oo,3,ooo e4,000 Sabo massa a 120, 160, 200 e240rs.
rs. a caixa.
moca, pro-
a tratar na
.Na ra da Concordia n. 2, vende-se um pia-
110 prjprio para aprender, por barato preco.
- Vend -se a j de (aleado da travessa das
Crotet n. l : a tratar na ra larga do Hosario n.
O, na loja do funileiro Luiz Antonio da Silva ; e
1 nnl;eiii se vende a armago envidracada.
Cafe do Cear muito superior a 28o rs. a libra
e a 8,000 rs. a arroba,
dem do Bio a 3oo e 28o rs. a libra.
Cbalas a Ooo rs. o molho com mais de loo
cbolas.
Chouricas e paios a 72o rs. a libra.
Cevdinha de Franca a 2oo rs. a libra.
Cevada muito aova a 80 rs. a libra.
Copas lapidados a 5 e 6,000 rs. a duzia.
Doce de goiaba em lutas a 4oo rs. a libra,
dem de caj em latas a 320 rs. a libra.
Ervilhas francesas e portuguezas a 5oo e 64o
rs. a lata.
dem sea-as a !<5o rs. a libra.
Figos de comadre em caixinhas com 8 libras
por 1600 rs.
Facililla doMarauliaoa 12o rs. a libra.
Farinha de trigo muito superior a 12o rs. a
lirra.
Farelo em saceos grandes a 4,ooo rs. o sacco
Genebra ingleza marca gato a 1,00o rs. a gar-
rafa.
- Ven.it-se urna rica secretaria com too as as
c iioin.ididailes, diversos repartimentos e gavetas
pira guardar papis, propiia para escriptorio, o
melhor que em apparecido oeste mercado ; a tra-
tar na roa ta Cadeia do Reoife n. 64.
dem verdadeira de Hollanda em frascos muito
grandes a 1,2oo rs. o frasco.
dem de Hollanda em frascos pequeos a 5$)
rs. o frasco,
dem de laranja a l,ooo o frasco.
Gomma do Aracaty a 80 rs. a libra.
Graxa a loo rs. 1 lata e l.loo a uuzia.
libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Dito de Santos e 300 rs. a libra.
lujlo para limpar facas a 140 rs. cada um.
Vassouras americanas a 04o rs, cada urna,
dem do Porto a 400 rs, cada urna.
Velas de carnauba e composic5o a 320 rs. a
libra e a 100 a arroba,
1 dem stearinas superiores a 560 rs. o
1 maco, e em caixa por menos.
Vinho do Porto, neste geneno temos o me-
Hi"i- sortimento possivel, que vendemos
por precos muito haixos a 10 a garrafa e
I a 10/ e 12 a duzia.
IdemCherry. edaMadeira em barris e em
caixa, a 120 a caixa e o barril conforme o
tamanho
dem de Figueira c Lisboa, em ancoras de
18 a 9 caadas, por 280000.
Dito em pipa a 30000, 30500 e 40ooo a ca-
ada
dem do I' denomiuado Baliza, a
Icanp
dem i u emgarrafoes a 20500, com o
ir 2o.
tn\*ii
Composicao exclusivamcaic Vegetal,
bSq estas pois ns auaa melliores e mais
completas de todas na recoinniei tajdee
que si- poasa facer cu justa rax&a as
eolL'.- favorito uni-
rersal.
A BupariOridade das
Pastilhas de Kemp
sobre todas ns preparaees desrinadas
para >> mesmo fitn derido si a sim-
ples composieao oaea aroma ngrad
vel e i rapidez e iiif'aUibilii!;., e cun
que alcanea :i destrnicio total das
LOMBRIGAS.
venda as boticas deCaors & iarboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo 4C, ra
da Madre de Dos.
Arara vende madapolo infestado -10.
Vende um novo madapolao francez enfestado
Grande sortimento de fazen-
j_ _a, \enaeum novo madapolao francez enfesta
(las pretas para a quaresma mu,to ^m i* camisas43 e 4450, aigod
__ i- ^ J_. 1 1 tamoern se vende barato, bramante de linho, bri
na lo a e armazem da Arai*a de 'nno ,rant;'do pa>-a caicas a 14 e 14280 a
ra da Imperatriz n. o(i
l'K
M
m
- va-
ra, bretanha do linho, brim liso para leaces a
440, 300, 640 a 720rs. a vara, deslas pe-hincha^
so na Arara rta da Imperatriz n. 56 loja de Hien-
des Guiraares
Sedinnas da Arara a SOO rs.
\Vmie-se sedinhas dfl listrinhas para vestidos a
oOO rs. o covado. ditas tinas ,), ipiadrinhos a 800
Lonrenen Pereira Heniles Guiraares.
Fazendas pretas baralissimas.
Vende-se alpaca preta lina a 500, 600, 800 e 10.
o covado, sarja de laa para calca e palelots a 640 rs.. las especiaes com 4 palmos de largura
e 800 rs. e covado, bombazina preta fina para "
paletots a 14400, laaziuhas pretas proprias para
luto para vestidos e roupa de meninos por ser mui-
to tina a 720 o covado, merino lino enfestado a
24500 e 34 dito de cordita para paletots e calcas
a 20500 o covado: na ra da Imperatriz taja da
Arara.
(nisdruaple pelo da Arara a 10100 o
50 a
GRAGEAS
deGELISe CONT
Ao laetate de ferro
Approiadas da academia imperial de medicina
de Pars.
Segundo o relatorio feilo na academia em
4 de fevereiro de 1840 pelos Srs. profes-
sores Bouillaud, Fouquier e I.ally, este fer-
ruginoso reconbecido superior a tjdosos
outros para curar : a cblorosis fphs cou-
a
Vende-se urna grande casa terrea na estrada
il Joao de .tarros, comjgrs.ndes commodos, gran-
i quintal om bastantes fiucteiras que dao frnc-
i s: quem treteuler, dirjase mesma casa, que
i liar com quem Ira:ar, defronte do sitio do Sr.
i jurado.
Veadero-fle cinco acc5es da compnnhia de
I! 'beribe : qjein pretender," dirija-se a ra do Sol
a irnero 37.
Lingi'as americanas de grande tamanho a Vn)
l.coo cada urna.
Bordeaux, das meihores marcas que
vem ao mercado, a 60 a caixa e a 640 rs.
agarrafa. (leurs), e lencorrha (pertes blancbes).
Vinagre de Lisbda a 10600,108ooe 20000a anemia (liaqueza de temperamento n)sdous
1 caada. sexos), dilficidade de menslruac sobre
(dem idem.em garrafes com 3 garrafas, por tud nas mocas, incontinencia de uri-
10 com o garrafao. nas, etc.
ie de caj a 10 a garrafa. Este vinho
tem dez annos.
Vende- a taberna da ra da Suledade n. 8,
ii-oarla para a lesson qoe qolzerse esubelecar por
Itr pjlicos i Minaran mais em con-
la por querer o dono ir tratar du na tande.
BELOGIOS,
Vende-se em cas.i de Johnston Pater A
C ra do Vigario, n. 3. ara bello sorti-
uento de /elogios de ouro Dtente in- ^. asnaDilidades proprias da idade, sem
/.. de ,un dos mais afamadosP?ab?icnni? *!*!***: ,daWtan. I-
l" Liverpool, e tatnbem urna variedade de
Algndo da Baha
para s ceos de Macar e roupa de escravo; tem
para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4
C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
PICHINCHA
Custodio. Carvalho k Compa-
lahia.
_ 27Raa da Owiiiiado27
Kofl s laazinhas ofeossezas muito lindas, fazenda
aneorptoa, prepraM para vestidos desenhorne
criaiicnhas. pelonai|Woprecojle 210 rs. o covado.
- Vende-se urna mulatinha de 12 a 1.1 anm.-.
E' o mais agradavel de lomar por sua
,rma de pilulas assucaradas, e es!*ncial-
mente mais ellicaz do que as outras prepa-
nres etc., por ser muito soltivel nc sueco
gstrico, como consta do relatorio i lo re-
icentemente na academia de mediiinade
1 Pars pelo Sr. Flix Boudet, em nome de
I urna commisso composta dos Srs. Velpeau.
Depeau. Bouchardat, Trousseau, el:., to-
itos liamellins para os mesmos.
Saetas tem milbo.
Ven lem-se saceos grandes com milho. na roa
da Moeda : a tratar io Trapiche do Cuoba
AGENCIA
FNDICAO DE L0W-M00B.
Ra da Senzalla nova o. 12.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias cando as experiencias feitas sobre os prioci-
moendas para engenho, machinas de vapor paos seres ferruginosos com um siten gas-
e laclas de ferro batido e coado, de todos os trico fresco no laboratorio do Sr. Be tidaut
tamanhos para ditos.________________^ pelos Srs. bis. Conuait e Barres*
Alados americanos e machinas para lactaio de ferro o mais ?oluve
lavar -oupa: em casa de S. P. Johnston & C, conseqnencia o mais eflteaz,
ruada Senzalla Nova n. 42. Deposito geral: em Pars, ra Boirbon-
__^_____________________________ Vilkneuve, 19.
Koa da Senzalla Aova n. 42. Em Pemambuco. na casa de Caors <.- Bar-
Nesle estabelecimento vendem-se: tachas de bson. ruada Cruz n. ^2.______________
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLow
Moor ibra a 120 rs.
que
e poi
Yeadem-Me caixe* vastos a
f^OOO: nesta (ypo^rapbia.
Vende-se grosdenaple preto para vestidos a 14400,
14600 o covado, dito muito bom a 14800, 20,
20300 e 30 o covado, sarja preta bespanliola o
melhor que tem vindo : na ra da Imperatriz loja
e armazem da Arara n. 56 de Mendes Gttimaiies.
Arara vende panno lino a 10600 o tovado,
Vende-se panno fino para catea e paleto! a 14600,
24, 24500 e 3.5 o covado, cortes de casemira pre-
ta para caifa a 30. 34500 e 44, dito muito supe-
rior a 60 e 84 o corte : na loja da Arara rua da
Imperatriz n. 56.
Chitas da Arara a 210 rs. e eovada.
Vende-se cintas de cores fixas para vestido a
210 ( 280 rs. o covado. ditas francezas linas a
320, 360 e 400 rs. o covado, popelina de quadn-
nhos para vestidos a 280 rs. o covado, gorguro de
linho para vestidos a J80 rs. o covado : na loja da
Arara rua da Imperatriz n. 56.
Arara vende ISaziuhas a 210 c 2S0 rs. o cOTSa,
Vende-se Ifuzinlias para vestidos a 240, 280 e
320 rs. o covado, ditas linas transparentes a 400 e
500 rs.. ditas ditas a Mara Pa cora palmas de se-
da a 500 rs., tilo de linho de cores para vestidos a
160 rs. o covado : na loja da Arara rua da Im-
peratriz n 5li de Mandes Guinar.ies.
Chitas de eoberla da Arara a 320 rs. a cavado.
Vende-se lindos gostos de chitas para coliertas
de cores fixas a 32o, 360 e 400 rs. o covado. cha-
les de merino estampados a 24300. dito de laa e
seda a 20 : na rua da Imperatriz ua loja e arma-
zem da Arara n. 56 de Mendes Guimaraes.
Arara vende os baliies crinoliae de arcas a 10.
Vende-se bales crinoline de arcos americanos
de todos os tamanhos de lo. 20. 25, 30 e 40 arcos
a 34, .'4500. 44 e 44300. ditos de muselina a
44, ditos a novidade a 30500: ua rua da impera-
triz luja da Arara n. 56.
Arara vende es manteletes e tapas prelas.
Vende-se manteletes pretos ricamente enfria-
dos de grosdenaple, soutembarque pretos de pros.
daaste ricamente enfeitados por preco baratsi-
mo : na rua da Imperatn? n. 36 loja da Arara.
Roupa frita da Arara.
Vende-se paletots pretos de alpaca a 30, 3430JI.
ditos de panno fino a 50 e 6$, ditos a 80, 100 e
K0, ditos de brim a 20500 e .'I0,ditos de nuia c. -
semina .30500 e 40500. ditos de casemira de co-
rta a 60. calcas feitas de meia casemira a 24. di-
tas de brim c'panga a 24, dirs de casemira a
30300. 30 e 60. ditas pretas a 44, 54 64 se-
roulas francezas a 10600, ditas de linho a 10800 e
20500. camisas francezas a 20 e 20500, ditas de
eordao e de linho a 20600 e 30, roupa feria ->'se
vende l ai ato n.i loja da Arara rua da Imperatriz
n. 56.
Cortes de cassa a 56.
Vende-se cortil de cassa francezes a 24. csca-
los fraaeeiae un corte raa M envados a -t. co-
lMii>ies de alaeae a 10.- 146OO : a rua a lav
peratrta n. 56 loja la Arara.
.. com
palmas de >e,|-i para vestidos a 800 rs. o Cavado
lencos brancos a 200 cada um : na loja da Arara
na da Imperarir n. 56.
Arara icnde as cassas a 200 rs.
Wnde-se cas-as para vestidos a 200 e 240 rs. o
covado. organdys finos para restidos a SO e 3M
rs. o covado, ta bertas da chita para cama a 20 :
covado.. na rua da Imperatriz n. 56.
ttfgiila
Chapeos de :astor pretos finos a 74 cada um :
s na rua do Queimado n. 43, esquina que velta
para a Congregacao.
Vendle-se mu cava I k.
fa Passagem, junto a ponte grande, casa n. 24,
existe um cav.illo bonito e bom para andar urna
senhura : quem qaizer conipra-lo. pode ir ve lo
ate ,1-1> da mantiia, e das 4 da tarde em diante.
Vende-se ou penniita-se por predios nesta
cidade o engenho Vellio da freguezia de Santo A-
maro de Jaboalao, o qual engenho aena-se livre e
deseinuHrnado.de qualquer pendencia, e tem ter-
reno suukienle para outro engenho, tena ptimas
obras, trabalha com agua; vendendo-se tambem
a s^fra novamente plantada, e guarniente todo o
ado, eaninaea : a guem o negocio cima eon-
vier, dirija-se ao seu proprietario no mesmo en-
genho.
Vende-se nana casa terrea na rua Augusta,
bem construida, feila a moderna, cem duas jauel-
las e porta, 6 quartos, 2 salas, cozinha fra. ca-
cimU, abrete, ceade esta 4U**-; e oulra para a
rua do Alecrim, com quintal e cacimba, sendo
mais pequeos o.- commodos, 2 salas e 1 quarto. e
rende 1404, vendem-se juntas : para informajes.
os prelendenies queiram diripir-se a rua da Cadeia
n. ''.i, armazem do agente Etazebio.
Vendem-se danos de Lisboa e de Pernin-
buco, antigos e modernos, 3 marqnezas novas.Tal-
gumas cadeiras e espetaos, toucadores, pedra jas-
pe para aifar botins, e a historia de Portugal un
tiga, assim como quadros das prraripaes bataMias
dadas por Napoleo I, na Europa, tuda se acln.r
na rua da Cadeia do Recite n. 25, prinwiro andar.
Farinha superior de Santa Calbarina.
Vende-se em porcao ou a retalho, a bordo da
barca hit, atracada ao trapiche do Barao da I.i-
vramento. ou no escriptorio de Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, rua da Cruz n. 1.
-------------------------------------------------------------,
.1 n.v ai.m
Vende-se fannka de mandioca de superior quab-
dade (medida vell a) ensacada em boa fazenda. [>r
preco commodo a sacra de alqueire : no caes d:>
Ramos.
Enfeites de caheca
Heceberam-se pelo ultimo paquete bonitos aba-
fadores de trancir.has. pretos e de diversas cores,
eom eoiitinhas pntas e prateadas a 10000 cada
um na rua do Queimado n. 16.


I
r
1^
ntarto de PcrnamHnco -- Terca felra 16 de Pcvereiro de I *B4.
UN A O
COMMERCIO
Defronte da loja do Prcgiilea.
DUARTB ALHIEIDA
acaba de abrir o sea grande e sortido armazeni de molhados denominado Unido e Com-
merao.
nao so
ario do
e lavradores
comprarera em lio til estabelecimento,
-ahido de seu armazem.
Bollinho francez em latas e caixinhas asmis
delicadas que tem vindo ao nosso merca-
do de 7oo a 2>5oe rs. a eaixinha.
Manleiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de conta propria, 7oo a 800 rs, a
libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
56o rs. a libra, e em barril ter abatimen-
to.
dem ingleza em potes de i a 16 libras a
800 rs, a libra e o pote separado,
Cha uxim o meltior neste genero, mandado
vir de conta propria a 2,8oo rs, a libra,
dem hysson, grande, muito bom a 2,<5oo rs.
a libra,
dem preto muito fino, a 2,(oo rs, a libra.
dem preto, mais baixo, a 2,ooo rs, a libra.
ALLIANCA
im IMIDE
Erva-doce a oo rs. a libra.
Champanha de 20 a 22,ooo o gigo.
Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza e 2o rs. a
6 ixinha.
Mllho alpista a i fio rs. a libra.
Cominbo muito novo a 4oo rs. a libra, e
comprando de 8 libras para cima a 32o rs.
Gomma muito al va para engommar a 80 rs.
a libra, eem arroba se far abalimento,
Sagn muito novo a 28o rs. a libra.
Sabo verdadeiro liespanhol. que raras vezesj
vem ao nosso mercado a 28o rs. a libra;
Vinho branco o mellior neste genero a 800 t
a garrafa e 4,3oo rs. a caada,
dem Bordeaux de differentes marcas, garan-
te-se a qualidade, a 8.000 rs. a caixa co
una duzia, e a 7oo rs. a garrafa.
57 RA DO IMPERADOR 57
Na bem conhecida loja que bi do 8r. Flix alaiate.
proprietario deste novo estabelecimen o, tendo
cariado sortimento de molhados, tem
pelos mais resumidos precos.
festa de Natal, o propr amigos e freguezes que o conhectm desde
uando foi socio dos armazens Progressivo e l'rogressista as maiores vantagens em com-
rarem em seu armazem.
Hoje de novo estabelecido mais precisa da concurrencia de todos estes senbores
(ao seu estabelecimento. certosdeque esta casa jmate deixaro de ser cunpridasas
grandes vantagens por ella offerecidas.
dem, verde, miudinbo, maisproprio para Garnf5es com 5 garrafas de vinho do Porte
negocio, a t,5oo rs, a libra. do A|t<> Douro a 2,2oo rs. com o garrafo.
E.anha de porco refinada muito alva a 46o dem com 5 garrafas de vinho Figueira, mais
rs, a libra, e em barril se far abatimento., pioprio para a nossa estafo por ser rais
Biscoilos inglezes das seguintes marcas;1 ""'seo a 2,4oo rs. com o garrafo. i
Craknel, Soda, Ceede, CapUin, Travellies.; dem oom 5 garrafas de vinagre a i.2oo jrs.
Lunch, Cabin, e outras muitas marcas, a; o ?arrafo,
Sab3o massa de superior qualidade a IBo,
2co, e 22o rs. a libra do melbor quejha
Bolachinha de scxlo, especial encommenda, a
2,2oo rs, a lata.
Iiiscoito inglez Craknel em lats de 5, 7 e 15
libras a 5,ooo e 6,ooo rs, e de l,2oo a
8oo rs, a libra.
Queijos do reino pelo baratissimo prego de
4,6oo, 1.8oM i! 3,ooo rs os do ultimo
vapor,
liem prato muito fresco a 64o rs, a libra,
dem londrino muito fresco a 8oo rs, a libra.
Vinhos empipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
4-8o, 56o, e 64o rs, a garrafa, e de 3,ooo a
4,5oo rs, a caada.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa em latas de 1 e mais libras
a 7oo rs, a libra.
Peras secaas em caixinhas de 4,ooo a 2,oo
rs. cada urna.
Figos em caixinhas de i Vi arroba e de 8 li-
bns a *. ,ooo, 4,ooo, e 2,ooo rs, e a 30 rs.
a libra, taambem ha serinhas para meni*
nos a 60 rs. cada urna.
Amendoas de casca mole a 36o rs, a libra, e
em arroba ter abatimento.
Sardinhas de Nantes a 32o rs. aAatinha.
1 oucinho de Lisboa muito novo a 3oo rs, a
libra e em arroba a 9,ooo rs.
Massa de tomates a 64o rs, a libra.
Hmenta do reino a 3io rs. a libra,
Paliaba do Maranho a 14o rs, a libra.
Ceblas a 8eo rs. o molho, 64o rs. o cento
6,5oo a caixa.
Tijollo para Impar facas a 16o rs,
Cerveja das mais acreditadas marcas de 5,ooo
a 7,5oo a duzia, e de 5oo a 6eo rs, a gar-
rafa.
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 8oo rs. a libra,
Genebra de laranja a l.ooo rs, o frasco,
Chonricas as mais frescas do mercado a 8oo
rs. a libra,
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa,
e lo.Soo rs. a caixa com urna duzia,
Licores francezes e portugue/.es de todas as
marcas de lo.ooo a lo.ooo rs. a duzia.
Passas muito novas a ooo rs. a libra e a 8,5oo
rs. a caixa. Ha caixas, meias e quartos.
Batatas a I,ooo rs. o gigo com 38 libras e
2,oeo a caixa com duas arrobas oadauma.
Bocetas com docea seceos de3,oooa 3,5oo
rs. cada urna.
Bolachinha ingleza a 32o rs. a libra,
Azeite francez e portuguez refinado a 8oo rs.
a garrafa, e 9,ooo rs. a caixa com urna du-
zia.
Conservas inglezas das seguintes marcas:
Ifixed, Fi kes, e ceblas simples a 8oo
rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo
rs. o pote.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra e 4,8oo
rs. a arroba,
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de manteiga, doce,
e outro qualquer liquido, de 1,ooo a 3,ooo
rs, cada inri.
Graica em latas muita nova a 12o rs.
nta, e l,3oo rs. a duzia.
Peixo em latas muito novo : savel, pescada,
MacSes de 4o a 16u rs. cada urna.
Manteiga ingleza a mais superior neste ge-
nero a 8oo rs. a libra, e comprando de 8
libras para cima a 72o rs., esta a mais
superior que pode liaver. tambem ha mais
haixas para menos precos.
dem franceza muito nova a 56o rs. a libra
e 54o rs. em barris ou meios.
Peras seccas muito novas a 48o rs. a libra.
Chperoia de especial qualidade a 2,8oo rs.
a libra.
dem hysson muito superior a 2,7oo rs. a
libra.
dem uxim a 2,5oe rs. a libra.
dem hysson a 2,3eo rs. a libra.
dem idem a 2,ooo rs. a libra.
dem preto de qualidade muito espeeial a
2,ooe rs. a libra.
dem idem inferior a l,6oo rs. a libra.
Chocolate francez, hespanhol e portuguez, a
9ooe i,2oo rs. a libra.
Bolachinha de soda c lunch em lata:; grandes
a 2,ooo rs. cada lata.
Cognac de superior qualidade a 8oo -s. a gar-
rafa.
dem muito superior a l.ooo rs. < garrafa.
Caf a 28o e 32o rs. a libra, e a 8,ooo e
9,000 rs. a arroba.
Cerveja das melhores marcas do nosso mer-
cado de 5,ooo a 6,ooo rs. a du> ia, e 5oo
rs. a garrafa.
Conser\as inglezas a 75o rs. o frase) e8,6oo
rs. a duzia.
Doce em calda a 64o rs. a lata.
Ervilhas francezas muito novas a 64o rs.
: dem portuguezas a 72o rs. a lata.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Bassouras do Porto com arcos de feTO a 32o
rs. cada urna.
Vellas de espermacete da melbor (ualidade
a 36o rs. o maco.
dem de carnauba e composico a 32o e 36o
'i? JC*-* i^ #*.*-*~V'' *-<
Duarte "' go do Cuino n. !. armazem progressivo, os seguimos gneros desembarca-
dos iiltimanierile.

@SS
Verdadeiro vinho collares emancore-
retas de 9 caadas a O.OOO e 800
rs. a garrafa.
Farello de Lisboa marca N ou Biato
ligo a 4> a sacca.
Vinagre P B B, em ancoretas de 9 ca-
adas a 18,000 e 2,0U0 rs. a ma-
nada.
Passas em caixas, meias e quartas a
8,000 4.000 c 2,000, a 480 a librt.
Peras seceos em caixas de quatio li-
bras o mellior que se pode desejar
a 2,500, e 640 rs. a libra.
Caixinhas de 4 libras e 2 com ameixas
a 1.500 e 2,500 rs. a eaixinha.
Chocolate portuguez, o melhor que
pode haver de bom neste genero a
1,000 rs. a libra.
Marmelada propriamente dito de mar-
mello, a 640 rs. a lata e em caixas
de 100 latas a 600 rs.
ac a de tomates a mais nova que se
pode desejar a 640 rs. a lata e em
caixa de 100 libras a 600 rs.
Ervilha portuguesa a 700 rs. a lata,
e em caixa de 100 libras a 640 rs.
Passas corinthias para pudim a 640
rs, a lihras, e 400 rs. comprando de
arroba para cima.
Qaejjos londrinos muito freso a 800
rs. a libra e. sendo inleiro a 650 rs.
Sebollas em caixas as mais novas do
mercado a .oOO rs. a caixa, a 800 }
rs. o molho, e a 040rs. renlo.
Batatas em caixas de 2 arrobas mu
novas e grandes a 2.400 rs. a ca:
Sextinhas corn figos proprias p
mos de enancas a 60 rs. cada
e comprando em duzia ter gi
abatimento.
Erva doce muito novas a 500 rs. a li-
bra, e comprando em arroba a
10,000 rs.
Cominhos muito noves a 400 rs. a li-
bra e 10,002 a arroba.
Licores portuguezes das marcas mais i
acreditadas de Lisboa a 1,000 a
rafae 10 a 12,000 a duzia, as q
dades sao as seguintes : cre:-
violetas, gerollez, rosa, absintho. ves-
peiro, amor perfeito, amendoa amar-
ga, percicot deturin. botelin, moran-
gos. limao, caf, laranja, cidra, gin- s>si
ga, lanella, cravo, ortelaa. pimenta
e outros muitos de qualidades menos f.SSi>
superior que sero vendidos por pre-
cos em relacao as suas qualida-
des.
~v

Charutos dos melhores fabricantes da Bahia rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba,
e de qualidades especialmente e*colhidos, Tijolo para limpar facas a 12o rs. oda um.
de 2,ooo a 4,5oo rs. a caixa. iToucinho de Lisboa e Santos a 20 rs. a
Farinha do Maranho mnito alva a lio rs. a! libra.
Iibra- | Sevada muito nova a loo rs. a libri.
curvin, salmo e outras muitas qualidades Idem de araruta verdadeira a 4oo rs. a libra. Peixe em latas grandes, savel, pesada, cor-
preparados de escabexe, segundo a arte de Vinho do Alto Douro engarrafado, e os mais viaa, e outras qualidades a l,ooc rs. cada
cozinha, de l,2oo a 2,ooe rs. a lata.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado e escolbido pessoalmente porl um
de* socios que se acha em Portugal, da
seguintes marcas : Duque, Genuino,| Ve-
lho secco especial, Lagrimas Doces de
Ifc 19, vinho especial D. Pedro V, yinho
ve he. Nctar superior de 1833, Duque do
Pcrto de 1834, vinho do Porto velhp su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior D. Luir. I
de 1847, Lagrimas do Douro, especial vi-
nlo do Porto, de l.ooo a l,2oo rs. a gar-
rafa e de lo.ooo a 12,ooo rs. a caixa com
una duzia.
Vassouras americanas aBoors. cada orna.
Velas de spermacete as melhores que ha no
mercado a 5Go e 64o rs. e masso, e em
caxa se far um grande abatimento,
dem de carnauba e composico, de 4oo a
32o rs. a libra, e de lo.ooo rs, a l|l,5oo
rs. a arroba,
Caf de Ia e 2a sorte de 8,3oo a 8,600 rs. a
ar-oba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
lhDr,
Arroz da Imiia, Maranho e Carolina a |l,ooo,
2,800 e 2,4oo rs. a arroba e a loo rs. a
libra.
Frasqueira de genebra a 0,800 rs. e a 5oo
rs o frasco.
Azeii doce em barril muito fino, a 6o rs.
a garrafa, e em caada ter abatimento.
Papel greve pautado e liso a 3,5oo rs. a
resma.
Genebra de Hollanda em botija de conta a
44o rs. a botija.
Passas corinteas a 5oo rs. a libra e lji,8oo
rs. a arroba,
Ervi lias franceza e portugueza a 640 rs. a
lata de urna libra.
Chocolate francez, hespanhol, suisso e por-
tuguez a l,ooo rs. a libra, e a 28o rg. ca-
di pao de urna '/*
Aroiixas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas, com diversas estampas
no exterior da caixa de 1,500 a 3,ooo rs.
cda urna; tambem ha frascos e latas de
differentes tamanhos que se venden por
mdico preco.
Masnas para sopa: macarro, Uilharim eale-
l ia a 48o rs. a kibra, e em caixa se far
abatimento.
Gan aloes com 14 garrafas de genebra de
Hollanda a 5,5oo cada um.
Cha -utos de todas as marcas e dos melho-
res fabricantes da Bahia de 3,000 a 4,000
r>. a caixa.
a lo.ooo rs. ; caixa e
bem escomidos, lagrimas do Douro, D. Pe- lata.
dro V, D. Luiz I. Duque genuino, Nctar Passas muito novas
superior, Malvasia fina, Bastardo, e outros 5oo rs. a libra.
a H,ooo e 12,ooo rs. a duzia e l,ooo rs. Palitos xados para dentes a i4o rs o maco.
a garrafa. dem de flor a 2oo rs. o maco,
dem Cherry e Madeira a 1,5oo rs. a garra- Presunto para fiambre inglezes e americanos
a e 16,ooo rs. a duzia. a 85o rs. a libra,
dem Bordeaux de diversas marcas de 8,000 dem do Porte a 48o rs. a libra.
a lo.ooo a duzia e 800 rs. garrafa. Queijo prato a 64o rs. a libra.
Bolaxinhas americanas a 3,5oo rs. a barrica, dem flamengo vindos no ultimo
e a 24o rs. a libra. 2,0000 e 2,3oo rs. cada um.
Batatas muito novas a l,ooors. o gigo, e6o Sardinhas de Nantes muito novas ;
rs. a libra. a lata.
Banha de porco refinada a 44o rs. a libra a
a
s proprietanos afiancam que estes gneros sao muito novos e ludo
de primeira qualidade, tudo isto se vende nicamente no armazem Unio e
Commercio na ra do Queimado n. 7, e largo do Carmo n. 9 armazem pro-
gressivo. r
QucijOS
do alemtejo, das ilhas e flamengos, todos chegados neste ultimo v
2,500 os flamengos e 800 ris a libra '
te no armazem Unio e Commercio, ra
mo armazem progressivo.
do alemtejo e das ilhas, unicamen- 'J
do Queimcdo n. 7 e largo do Car- ca
25 RIJA MOVA
mmm mmm si
25
DE
vapor a
32o rs.
em barril a 4oo rs.
Vinho em piqa de Lisboa, e Figueira, de 3,ooo
a 4,ooo'rs. a caada, e 5oo rs. a garrafa.
Idem de Lisboa em ancoretas de 8 a 9 cana-
das por 27,ooo r.
dem do Porto muito especial a 5,5oo rs. a
caada e 72o rs. a garrafa,
dem em garrafes com 4 y* garrafas por
2.5oo rs. com o garrafo.
Vinagre de Lisboa muito superior a 2,000
rs. a caada,
dem mais baixo a l,5oors. a caada, e 2eo
rs. a garrafa,
dem em garrafes com 4 j garrafas por
l,2oo rs. com o garrafo.
Ameixas francezas em caixinhas com ricas
estanpas no exterior de l,2oo a 2,000 rs.
cada urna.
Idem em frasco de vidro de diversos tama-! Marmelada imperial de todos os con serveiros
nhos a 1,5eo e 2,5oo rs. de Li6ba a 600 e 7oo rs. a libra.
Idem em latas de I 1 2 e 3 libras a l,3oo e; Massa de tomate muito nova a 64o rs. a li-
2,3oo rs. cada urna, e a 800 rs. a libra. bra.
Figos de comadre em caixinhas de 4, 8 e 16 {Marrasquino de Zara a 640 rs. o frasco,
librrs a l,3oo, 2,5oo e 5,ooo rs. cada dem em frascos grandes a 800 rs.
JOAO PEDRO VOGELEY.
Neste acreditado estabelecimento se encontrara urna sobertacolleccao de pianos dos mais cele-
bres fabricantes da Enropa premiados na ultima exposieao univerjal em Landres. Entre estes pianos
exi5lem aljruns fortes de cauda e novissimo fabricante A. Bord, de Paris, nicos nesta provincia fabri-
cados por ordem do proprieUrio expressameote para este clima. Os senhores amador.-s sao convida;
des para vir examinar a perfeiciio do trabalbo e elegancia do sea formato e as excedentes vozes dus
ditos instrumentos.
lo mesmo estabelecimento conlinua-se a alugar, atinar e concertar aianos e recebem-se ea-
commendas para servir ao respeitavel publico unto na cidade como nos arrabaldes1-
___O proprietario responsabilisa-se pela sua excellente qualidade.
Sag muito novo a 2oo rs. a libra,
dem muito superior a 28o rs. a libra.
Sabo maca de diversas qualidades a 2oo e
24o rs. a libra,
dem inferior de 12o a 18o rs. a li 3ra.
Genebra de Hollanda em frasqueira.1 a 6,5oo
ris.
dem hamburgueza em frasqueiros a 5,8oo 1
ris.
dem de Hollanda em garrafes grandes aj
5,5oo rs cada um.
dem em botija a 4oo rs. cada urna.
Garrafes vasios de diversos tamanl os a 5oo,
64o e l,2oo rs.
Gomma do Aracaty a 80 rs. alibra n uito alva
Graixa a loo rs. a lata, e l,2oo rs. a duzia.
Licores finos francezes em garrafas 3 frascos
de diversos tamanhos de 600 a 800 rs. ca-
da um.
COPOS COM BA-
YII1.
A aguia branca acaba de receber os bem conhe-
cidos e apreciados copos com banha, os quaes et
FARINHA FONTANA.
Farinha la muito acre fita a marca
Pontana nesembarcatta hoje, veude-se
por preco mais commod do que em
Se stssssss ssoits :pstm T^ii :,t? par.;.na_ b; da Cpoz
do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
MIJITO B(i\S WEIAS
. urna caixa.
dem em caixinhas de folha a 32o rs
dem em caixas grandes a 2oo rs. a libra.
Wem em latas ermetimente lacradas de l,6oe
a 3,000 rs.
Arroz da India e MnranhSo a 80, 100 e 12o
rs. a libra, e 2,5oo e 2,800 rs. a arroba.
Amendoas de casca mole muifo novas a 4oo
rs. a libra.
Ceblas novas a l,ooo rs. os molhos gran-
des e a 7oo rs. o cento.
Alpista a 14o rs. a libra e 4,6oo rs. a arroba.
Macarro, talharim e aletria muito nova
4oo e 48o rs. a libra.
Cominhos muito novos a 5oo rs. a .bra.
Erva-doce a 24o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cravo da India a 64o rs. a libra.
Cannella a 1,100 rs. a libra.
Alfazema a 2oo rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 'loo rs. o
fraco.
Copos finos para agoa a 5,ooo rs. a duzia.
Chourifasnovas a 72o rs. alibra.
Mostarda franceza preparada e mi.ito nova
a 32o rs. cada um frasco,
a Gonservas francezas de superior qualidade a
640 rs, o frasco e 7,ooo rs. a du .ia.
ATTEJUpAO
Todos os senhores que comprarem para negocio ou casa particular M$ para
cima tero rnais 5 a 10 por 'u de abatimento ; o proprietario scientifica ua.s que todos
os seus gneros sao recebidos de sua propria eacommenda, razao esta para poder veri-
der por muito menos do que em outro qualquer estabelecimento.
RIVAL
SEM SEGUNDO
Ra do Queimado us. 4 e 5...
Fraseos de banha, pechincha, a 240 rs.
Bonets para meninos, fazendafina, a i$.
Caix;is preparadas para costureirasa 15300,2 e
3J00O.
Massos de grampas lisas e finas a :I0 rs.
Caixas de palitos do gaz e de cera finos a 20 rs.
loja de miudezas de Jos de Azevedo Maia & C, Uuzia de facas e garfos de 1 botao superiores a
ditas e ditos de 2 bot5es finissimos a
priocipia o novo annoa torrar miudezas pelos pre-
cos que a todos causa admiracao, a saber :
Pares de sapatosde tranca muito Tinosa 15600.
Frascos de olese babosa dos melhores fabricantes a
no rs.
lulos maiores a 400 e 300 rs.
I 1 aacoa d'agua de Colonia muito finos a 400 rs.
Saboneles muito finos a 160, 200 e 400 rs.
Fiascos grandes de agua de Liibin. o melhor,
15300.
I.apis de tinta encarnada muito finos a 40 rs.
NoTeM de linha corn 800 jardas a 120 rs.
Ditos de dita cm 400 jardas a 80 rs.
i 1 a-cus de macass, oleo maito superior, a 100
Duzias de dc-daes blancos em caixas de vidro
330 rs.
I'apeis de agnlhas a balo a Victoria a 60 rs.
lianha trans|iarente muito superior a 700 rs.
Dita Japoneza muito lina a 800 rs.
Duzia de sabonetes muito finos a 720 rs.
Papwi de agulha com toque de ferrugem a 10 rs.
Crozas de botos de madreperola multo finos a
360 rs.
Pecas de fita de cs, estreitas, com 10 varas, a
320 rs.
Nowllos de linha branca do ga: a 30 rs.
Carreleis do linha de cores muito fortes a 20 rs.
Cartoes e caixas de clcheles francezes a 40 rs.
Botoaduras brancas e de cores para cohetes a
120 rs.
54500.
Duzia de
64500.
Grozas de palitos do gaz a 2-J200.
rea preta muito fina a 100 rs.
Caixas df rap com espelho a 100 rs.______
MOYAS
sementes de hortalica.
Cliegarara no vapor francez Guien* as novas se-
mentes (1 hortaliza : na ra da Cadea do Hcife
n. Si) A, loja de ferragens de Bastos.
'fi^
m
Rranco em mar,
Vjnde-se em latas de 28 libras o melhor que po-
de haver a 200 rs. a libra, a dinheiro ; na ra
larga do Rosario n. 34.
Biscoitos e bolachinhas inglesas as ultimas Azeite doce a 04o rs. a garrafa,
chegadas ao nosso mercado a 1,2oo e; Sevadinha de Franca muito nova a 2oo rs. a
l,4oo rs. cada lata. libra.
ATTENCO.
Neste grande armazem de molhados vende-se em grandes porces e s retalho,
fazendo-se dilferensa consideravel a quem comprar de 1005 para cima.
o
O
o
td
o
i
g
o

1
?
2.
1
se

p
3"

N
o
a-
ce
P3 1^. , 5 ce >
O 'XI
l=L, 0 -
ce B
& 0
09 Ti
1f- P
1' Cu
I
Cu
(X>
1
Roa da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P.JohnstonccC,
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
faes bronzeados, lonas inglezas, fk devela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos. e re ogios de
ouro patente inglez.
Mis
para senhoras e nieuiuas.
A agnia branca recebeu mu boas meias france-
zas, de fino tecido e fio redoudo, o que as tornam
de immensa duracao, porque muito convm, ainda
mesmo custando 7 e 85, como se estao vendendo a
dinheiro vista, na loja d'aguia branca, ra do
Queimado n. 8.
PAPEL INGLEZ
almajo e de peso.
Alemdo grande sortimento de papel greve e ou-
tras muitas qualidades, que constantemente se
acham na loja d'aguia branca, faz-se notavel pola
superioridad!' de qualidade o papel inglez almasso
' e de peso, que acaba de chegar para a dita loja ;
1 um o outro sao mui encorpados e de um assetina
do lustroso e macio, que na verdade a; odos agra-
dam. As resmas dai|ue!le tem 480 .folbas, e ai
diste 500,ecusta cada urna 85- Tambem veioda
mesma qualidade e de lamanho pequeo, em cai-
xinhas de 100 folhas, tanto liso como beira doura-
da, costando este 25. e aquelle 15200 a eaixinha.
Ja vem pois os apreciadores do bom papel que
dirigindo-se munidos de dinheiro serao bem servi-
dos : na ra do tjueimado, loja d'aguia branca
numero 8.
Fivelas com pedrasno-
vo sortimento.
A aguia branca recebeu por efse ultimo vapor
um nevo e bello sortimento das procuradas fivelas
com pedras, podendo assim satisfazer a todos que
dellas-precisarem, urna 'voz que appareca dinhei-
ro : na ra do Queimado, loja d'aguia branca nu-
mero 8.
a agua urna
n. 4 casa de N. 0. Bieber k C. succes-
sores.
ESCMVOS FGIDOS.
Eseravo fgido.
Desappareceu no dia 11 do corrente, pelas 7 do-
ras da manha, o eseravo Joaquim, crioulo, de 35
38annos de dade, poucomaisou monos, com os
signaes seguintes : nm pouen vario, levon 1 re-
de e 2 camisas vestidas, calca branca grossa, ra-
peo de palha ordinaria, anda sempro conversando
s : (|uem o pegar leve-o ra Nova n. 42, que
ser graiificado.
Pede-so polica e capitaes di' campo, e mes-
mo pessoa do |oto, que prendam a nejra rrioula
Bonifacia, a qual tem o defeito de entortar a perna
para dentro e bi escrava de Joao Jas Cabras da
ra da Concordia, 1: por onde costnrna ella andar
sempre, e tambem vende no antieo porto do ea-
pim : quem a pegar leve-a ra da Cruz n. 31,
que se recompensar bem.
Escravos fitg i dos.
No dia 9 para 10 do corrente fugio um casal oV
escravos do si lio denominado Peixinhos, para, as
bandas da cidade de Olinda, com os signaes se-
guintes : o ne..ro de nome Antonio, crioulo, iducle
de 58 60 anuos, alto, bastante espadando, .cor-
po reforcado, nariz arrebitado, ventas grandes e
ps grossos -, levou calca de algodo azul, camisa
de estopa, e com nutra de haota azul por cima : a
negra de nome Mana, nac}o Congo, estatura re-
gular, corpo retocado, bastante preta, betaaa gros-
sos, com falta de dentes om cima e em bai'xn, bem
fallante que parece crioula. representa a idade de
45 annos, levou vestido de chita branca com pal-
mas ou salpicos pretos, chale te merina preto
com palmas de cores ; teem sido encontrados pe-
lo Salgadinbo e Beberibe, e pelos arrabaldes do
lmda; consta andarem procurando senhw: quem
os pegar leve-os ao dito sitio que ser generosa-
mente recompensado. Vieram do engenho Santa
Luzia de S. Courenco da Malta para serem ven-
didos.
recebeu:
Sapatinhos desetim branco bordados pata bap-
tisados.
Meias de seda branca para o mesmo nm.
Mui bonitas e delicadas louquinhas enfeitadas *00# de gratlAeaco.
para dito. Desopparecei desde o 1 de maio.de 1863, do
Pulseiras e voltas de cotilas brancas para senho- poder de seu soohor o tenente-coronel Jos Viccn-
ras e meninas. te de Medeiros proprietario di engenho Pmdoba
Fita branca e preta de borracha, com diversas na comarca do Penedo provincia das Alagoas, o
larguras. eseravo Jeremias, de cor cabra, estatura alta, es-
Transehns de borracha sonidos em cores. padaudo, desde ntado do umladu mais que do outro,
Trancinha preta de lia, e outras traneinhas do [ muito pouca barba, ps grandes o tem alguns ea-
la do gosto novo o mui bonitas para enfeites.
Enfeites conservadores para senhoras.
MOTO PESTES
de concha.
Chegaram novos e bonitos pentes de concha,
sendo de tartaruga, massa e dourados; agora, pois,
dirigirem-se com dinheiro ra do Queimado,
loja 4'agnia branca n. 8, antes que se acabem.
Cocheira
Vende se a cocheira da ra do Imperador n. 23,
com magnficos carros e ptimas parelhas : a tra-
tar ia ra do Crespo n. 1 i, loja.
Vende-se a propriedade denominada >,altez, fita
na freguezia de Tracuohaem da comarc;. deNaza-
reth, com urna legoa de frente e meia de fundo, e
i proporr;5es para nella se levantar um tom enge-
nho de fazer assucar, sendo que actualnente ren-
de olla mais de 1:0005 que pagam os nora'dores
j que tem : quem a pretender entenda-se nesta pra-
ca com o Sr. Antonio Jos Leal Reis, ni ra da
Cadeia do Recife n. 47.
GAZ GAZ GAZ I Cal de Lisboa
por preeo reduzldo. chegada ltimamente ; na ra do Vigirion. 19,
Vene-se gaz da melhor qualidade pelo primeiro andar._____________________
pre.o de 10.) por lata de 5 g a loes: no ar-
mazem do Caes do Ramos 0. 18 e ra
Trapiche Novo n. 8. _______
FRASCOS
com gomma arbica dissolvida : vendem-se
ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
na
CD
FAZEMUS
baratas para acabar.
Sedas de quadros e de lislras a 320 rs. o cova-
do, lindas las de quadriuhos a 360 o covado, su-
periores cassas de cores a 200 rs. o covado, ditas
muito finas a 240 o covade : na loja das colnmnas,
na ra do Crespn. 13, de Antonio Cor rea de Vas-
concollos & C.___________________________
Luvas de pellica.
Chegaram para a loja d'aguia branca, ra do
Queimado n. 8.
Vende-se o encenho S. Manoel, sto na fre-
,j0 guezia do Rio Formoso, e margem do rio Seri-
nhem.o qual demarca com os engenho 1 Cachoei-
ra, Chango e Gamelleira, me com aga e muito
copeiro, tem capacidade para safrejar 3,500 paos
annuaes, e se acha quasi todo em ma a virgem,,
distando do embarque l|2 legoa: quem pretender, Jos ActOulO BilStO YCRdCm a
dirija-so a ra do Vigario n. 5, que arhara com
quem tratar. __________^^_______
reos de carne sobre o peito, bom sapati-iro eti Bi
na cidade do Ilecife urna irmaa crioula de nome
Joaquina, liberta, para junto a qual dizem que se
evadir : quem o capturar e entregar om l'ei nam-
buco ao Sr. Jos Augusio de Araujo (cidade do
Recife) em Macei ao Dr. Mariano Joaquim da
Silva, receber a quantia cima declarada.
Tornou a fugir a escrava Justina, do idade
24 annos pouco mais ou menos, levou 6 vestidos
de chita e 2 chales, sendo um preto, falla descan-
sada, anda de vagar e costuma repartir o cabello:
quem a pegar leve-a ra da Esperanca n. 74,
que se recompensa.____________________
No dia 18 de Janeiro passado fugio o eseravo
Miguel, crioulo, de idade de 45 30 annos, j len
cabellos brancos e usa de meias soissas, tem na
principio de gomma no peito de um dos ps, usa
de albrgalas, i muito regrlsta e intitulase forro.
Este preto natural do Ico, d'onde veio para irfnl
ser vendido, e por algum lempo perlenrou ao Sr.
Jos Guilherms Guimaraes; consta que levara em
sua companbia sua amazia, de nome Hara, parda
araboclada, alta, e com falla de dentes na frente :
esta parda costuma embriagarse. Pouros das
depois da fuga foram encontrados porto do enge-
nho Camaragibe; pede-se, portante, as autoridades
VeridCL de lima hypotkeCd. competentes o. a quem delle tiver noticia, de ap-
A ,. / li- j j. iirehondelo e lova-lo casa e seu senhor Miguel
Os liqnidalanos da massa fallida de fTereira Lealj a rua da Cadeia do Recife n. 19,
hypolhc*! 1ue sero bem recompensados.
CAL HE LISBOA
Vendem-se barris com cal d es-
ta procedencia, em pedra, chega-
da hoje, e nica nova, que ha no
mercado, na rua do Trapiche n.
13, armazem de Manoel Telxel-
ra Basto.
ca qoe lem nos eng;cnhos Matto Gmsso
Escrava fitida.
t>rm He Serin Aem Ausentou-se da casa de sea senhor a escrava de
n .i C LdjaDUSSU 110 termo Oe SCrindLIU DO nome seraphina, preto,crioula, representa ter 35
I I li ti 11 \ Vakr de 31:83oSM 1 rs. ; ll'atar Da annos, levou fesUdo de laa com flores verdes, cos-
^""v'' nncoo a im.-i dn Ti* nidio a li tama fmbriagir-se, foi escrava da mu va de Fran-
Vendem-se globos de barro vidrado da fabrica CasaSd rila uo impune a. o^t.________ | cjgw nalhjag pereira da CosU; por algumas ou-
de Santo Antonio no Porto, proprios para jardim e \m~ Vende-se nm sitio no melhor lugar da Ca- tras vezes tem fuiido e costuma andar pelo caes
frentes de casas : na rua do Amorimn 46. 'ponga, on permuta-se por um sobrado na cidade' de Capibaribe. Monteiro e Afflictos : quem a pe-
Vendse urna escrava moca com ima cra : ainda que seja de maior valor : quem pretender gar leve rua da Cadeia n. 35, qne ser recom-
grtesna tvpophia sedr quem vende. fazer este negocio, dirija-se rua do Vigario n. 31. pensado.
Ya


8
Diario de PernanihncA Terca felra f de l'everrlio de f-M4,
f
LITTERATORA.
OQUE ME PELO MUNDO,
fl'um mcelinK que bouve err. Xowkork, do
Matute passado, o governador l*aqueli:i clJaue,
dtee
Oexercito irte eu cada anno, por
esta<>upor aquella causa, metadedos seussol-
t dado-, e a guerra :'--iia eomo actualmente, uYve
t produzira ruina, e una banca rota nacional.
semblea est intimamente ligada soluro da A cmara dos diputados, depois de profundas) a A cmara dos deputados nao pode esperar
questao jnica. dejiberncdes, elueldou a questao bolsteinezta e quc eu me retire arbitralmenle'. sem rcspeito as re-
r, i- ,. P0'8 sua resoluco de 2 de dezembro, mdicou a !,..* :,.._ n : ,
- Os peridicos allemaes confirman] a noticia marcha politiea que, segundo a sua conviccao, a ,'f ""ernacionaes da Prussia, des tratados con-
dada por un telegramma de que o Sr. Lasczinski. ,,onra e interesse da Allemanha aconselhavam i clu|dos em 1852.
0ra governador civil de Varsovia, foi substituido pelo f|ue se se8uisse- j A 'luestao de successao ha de ser examinada
general Razaow. a le de successao de 1853. lal como esta l'el;i di,i,a germnica, com o meu concurso, e nada
-ultado desse exame.
a-se de crear i
ao rtsolvida pela
O general Roznos era presidente da chancella- u,ani'"' '''** ''.,)ara as modid;,s de(l'feza 'I1"'f0 poderiam
tomar indispensaveis em con eqoencia dessa exe-
Bnuoni azu.n\. a lei de successao de 1853, tal como esta '"-"' u,M germnica, com o meu
O governador civil de Radow tainbem foi deinit- formulada pelo tratado de Londres, nunca oble- P*SSO antecipar sobre o r. -uliai
tido, dizendo-se que ser substituido Deloceu-ral re a Mni*?3? ***** a mie "jala interesse, da Antes doliese ter conseguido, trat
rnccAi\.h, l reprcsfinacao nacional dos ducados, dos aguatas I ,_. _. _j. _
Ul"" ****** das casas augusta? de Oldenburgo. e da dicta ger- r.?rMto *> Pa" Wifi
ra espeWal das questoes relativas ao estado de si- O tratado de Londres, que s por esta razad,i
no, e testa qualidade diriga os trabamos das nao repousa em basealguma legal, perdeu tambem *"?
ucumpnmento da execuco federal
um de-
O ternvel lueta qne inatenta ba oommisso^ encarregadas deialeareni e ronden *> o carcter obrigatorio para as partea contra
amo tempo, tem dado provas de muita fi rea e narem as pessoas uresis B* hmm o h lantes, por isso que o goreroo iinaoiarqae violou vi.t que incumbe ao estado segundo o direiloc os
pan qne e possa prever 0 r^.mm IZT-uT______" s,Diaoleomo,se lodos osi compromissos que cnntrahlu rom a con- tratado, e os pongos que fcil e promptamente,
^ H portaran uestes ltimos mezes estas commisses clusao d aquello tratado,
que avancen o governador ; mas quinto a lerda ll0 desempenl.o dasua mi.-so. Atlestam-d dentis
de grandes recursos
i o governador; mas qu.iiito a 11
de soldados, aquelle funcrionario nao eslava tal
res longe da verdade, se pedo menos se der ere-
di o simante estat:tica da guerra feita a ti ao
1* de Janeiro de I8f>3. Este documento foi pro-
duzid pelo Od Guar, jornal nensal que ltima-
mente se coniecou a publicar em Non kork. Diz
Feieraa.
Morios...................
Paridos.........................
Morios de
Feitos prisioneiros
V::87i
- A Prussia e a Alenianha tem poja obliga-
as txtcuu.es c,i|).taes e o grande numero,de des- cao de reconliecer o ireito hereditario de Frede-
terrados enviados para a Siberia ou paral o inte- rico VIII; de restabelecer a reunan indissiluvel
rior do imperio. e de independencia dos ducados: e de libertar o
. i territorio federal da presenta das tropas dinamar-
b provavel que estas novas funecoes dejgover- quezas.
nador civil confiadas ao general lioznow rp ron. I s ^ .,
fuudam ~ _____ "otnow se con- a Prussia, inais do que a qualquer ontro esta
- tratado-, e os perigos que fcil
deve produzir, nao deven encontrar opaiz de im-
proviso.
Nestaa
outro esia- comprehenderia. mesmo que
A sua no- do alleinao, cumpa- a inissao imperiosa de satisfa- ,.,,, ___. "
se cou
com as que at hoje exereeu.
mearao para o lugar do Sr. Lasczinski servir zer a esta obrigarao.
apenas para provar que actualmente nao ha,admi- j Foi no solo dos ducados que 0 nosso valen-
9/ :029 nistraQao civil no reino da Polonia sendo todos os t te exercilo. alcancou as suas primeiras victorias
e doenca e ferimentos------ 25C:23 allos cargos de administracao polaca exercidos iwr uas 8ui'rras da independencia, e assim empe-
sioneiros................ 68:248 generaes rosaos. n^a bjmra das ana arma nefc)i^nintnpbo ual
A commissao polaca pablicou ultima|nente
a seguinte proclamacao:
Total..................
Confederados.
Morios..........................
Feridos.........................
Mortos de doenca e ferimentos.....
Peitos prisioneiros................
km :m\
20:893
39 915
120 000
22:159
Total
222:977
N'um artigo publicado ao LiverpoolMercury,
l-se um a rligo que diz:
a Cakula-se em riis de 800,1)00 hoinen:, os
que tem sido immotados ao deus da guerra, com-
prehendendo nestes os mais valentes, nobrs, e
os molhores Tilhos da America. A trra mais fr-
til que a trra cobre est sendo regada de sai gue
humano. Os coraoe- afllictos contam-se aos mi-
Ihares, e o incrivel cathalogo das viuvas e orpliaos
oUerece u:na terrivel prova de dev.istacao. A nda
nao ludo. Tem-se txaurido os recursos do paiz
mais rico do mundo; contrahiu-se urna divid de
mil es, a qual nao deixar de espaldar a sua
influencia, no paiz, alterando a ordem, suspenden-
do o jirogresso, e parausando as suas forcas.
A' proposito da guerra da America disse
lord Paltnerstron no ultimo banquete de lord
roaire :
* Vemos nma na^ac qne falla a mesfna linstia,
que ten a mesraa i eligiao, os mesmos costu nea
t e urna Iiiteraura egual nossa. dividida em
dous partidos, que se matam as centenas de mi-
lliaies, sem que seja possivel prever o resultado.
Anda que este estado dura ha dous amos,
muit ousado seria aquelle que pretendesse pre-
ver o termo dessa borrivel carnificina.
eircumstancias a cmara nao pode
querer assumir a grave respe nsabilidade de recu-
sar esses recursos effectivan.ente indispensaveis,
ou concdelos s dcbaixo d< condicoes que uzur-
pem os direitos indebilaveis da minha coia. Nao
cmara, que to vi-
vamente impelir- o meu goverao aceao recusasse
os meios dessa acco no momi nto em qne deve ser
posta em pratica. Menos o mmprelienderia anda
empe- 1u*m' os meus sentimentos o a minha palavra sio
urna garanta de que as sommas que peco para a
defeza do dirito e da honra d > paiz, hao de ser ap-
plicadas de urna maneira coi forme com-esse iim.
da causa, que defendeu gloriosamente, mas sem
xito.
A oppresso dos ducados desde 1851 tem si-
do a primeira cooseqnenea, a consequencia forya-1 ^ual1uer duv|da a esse respe to e contraria a con.
iin I fi:iiii*a niiP n nnvn nrncc-\n<\ n t<*> t,.,i,tn.,.i .. i.knn
vxmpdinoias Ha onze mezes que lu amos da das fallazes esiipulacoes de llmutz, cuio deplo- "anca que o povo prussiano e t habituado a terna
contra a barbaria inaudita -'- .....' :-
odio de iniingos, ravel effeito sobre a situa^ao interna da Prussia, palavra dos seus reis.
que, com appareucias de civ lisacao, proseituem e S0Dre a posico da Allemanha como potencia,
no extreiuiuio dos defensores do direito e da ius-1 e5cnem de ,ris,eza S 'wagoes patriticos, e necessano |is, que, exhortando a camar,
tica. A perseveranca da nossa lula, ten. abalado ducadol" ^ DeU,ra"sad Sena0 pe,a li,,erdaile ^ arefei,ara rridade do mmcm- e a imPrlan
pela base o dominio usurpador da Rossia tem i T' Si?.ZSl ^ */*** ** T^TT
provado, que esse dominio, entre nos impoviivel Lli """i l' COm penr ,egUJr """ T "'* projer'Jde 8des,e
ne u c mn, imposMive 0 goVerno real um procedimento, que em vez de mez, e em presenca da marc la rpida dos aconte.
,ft ai, 4 F b qae e aesPvoWao po-Jas em vigor e censolida-las. Ora temlem, para i dispensavel para o cumprimt nto dos deveres fede-
os ducados, dissolugo da coromunidade nadie- raes, e seguranca da defeza d > paiz. Berln, 27 de
cional, e por cousequeiicia, represso do elemen-; dezembro de 1853 Guilherme.(Segu a signa-
do paiz.
r Tenho a mais fundada esperanca de que a ac-
tual aituaeio intima ser de curta diiracao, e espe-
ro que os mais liis subditos respeitaro a admi-
nistracao provisoria, organisada pela administra-
cao, e que evitarlo todos os conflictos.
Schleswig.Holstcinezcs. .Nao carera dizer-
vos quanto estou
d
de
tev-e principio em urna taberna d'Albano, etermi-
nou em Castelandolfo, em consequencia de urna
descarga, que matn dous horneas feriado ao me-
mo tempo nove, dos quacs dous morreram logo
depois.
Alguns dragoes acuartelados em Castel-Gan-
L'in lieenea, no da de na-
tumulto n'uma osl
filicii's nao tiveram forra
jpois de terem tambem re-
patrulla franceza, os perturbadores
espalharam-se em grupos pelas ras, vociferando e
insultando os transentes. Foi eatao que e capi-
Deus Todo Poderoso, to da eompanhia rranceaa acantonada aii praxi-
iiin. reuni alguns soldados, em consequencia de
urna requisigo eacripta da auloiidad.'. e traiOQ de
persegoir os dragoes. Pbuco depois respparece-
ram estes brandindo os seus sabres, mas o capitao
o principe espalha esas procla-! de^^Sff A.ffl* ^^smq^rUl
e Dinimirca siisi.-nn mi s.'ns iU WtLl-(.inaollo. Ali todo oesquadrao tomou o
-1 partido a favor dos seus camaradas el^ios e revoi-
tados.
t Os soldados francezes foram recebidos com in-
jurias e pedradas.
Contra o capitao que tinha avancado. s dispa-
rou-se um tiro de pistola e descarregou-se um gol-
pe le sabr ; este enta recorreu a forca da eom-
panhia.
Poi nesta occasio que um dos dragues foi
passado por urna bayoneta, e que alguns soldados
deslecliaram espontneamente, sera que se tivesse
dado a voz de fogo.
Este factos espalhararo-se desfigurados, mas
um inquentu restabeleceu a verdade. Alm disso
para prova de que o capilar nao sabio da legalida-
de, basta ver as teUetlaefiea que as autoridades
municipaes de Albanoe de Castel-andolfo dirira-
ram ao general Montebello.
K para milar que sempre ha rwflicto entn
os militares francezes e os papolinos, estes ultimo-
sao estrangeiros.
Esta circumstancia de va obrigar o governo
,' pontilieioa recrutarnicamente na paz: mas. or
arS_ um lril.v u'.c l, ,.____.____..-!_._______:_ .
viv convceo, no vosso patriutisno e na vossa vuii
tade inbabalavel.
Agradece! comigo
que truuxe at esteponm : elle ba de continuar a
guiar-me.
Ki'l, .11 de deze.iibio de 1863.
Frerfei /cu.
l)U(|ue deSchleswig-HjIstein.
Emquanto
rnacSes, o rei d
reftos. O paiz maniresta o maior enthusiasmo.
Nejamos, pe., seguinte documento, a maneira por
que o rei falla ao povo :
Soldados.
lirjo-vos as minhas saudaees na entrada do
novo anuo! Eneontro-vos debaixo d'armas para a
delesa da patria, e por isso que o vosso re esta
con i vosco.
A patria soffrea urna perda dolorosa com o
vosso antigo chela militar, el-rei Predenco VIII,
eacha-se ameacada [wr differentes modos. Mas
nos j colbemos a completa successao do nosso
predecessor real; o amor pela patria, que nao ce-
demos a pessoa alguma.
Seja a nossa palavra d'ordem, n'este momen-
to, a honra da patria Esta Jola, a mais preciosa
de todas, deve ser garantida, se possivel. por
meio da paz, e se lor necessario, por mek> de
combates.
O sacrificio intil de urna vida humana inui-
to. mas a vida nao bastante preciosa quando se
trata da salvaco da patria. Os combates glorio-
sos do passado deixarant ao exererto cheles
uncise experimentados, que o novo exercito,
que herdou do antigo a gloria e a coragera perse
A voz unnime dos governos e dos povos, re-
conheceuque a Russia tinha violado os tratados, j to allemo nos dous paizes. Nunca tiveram a sua tura do ministerio.!
importancia europea, seno quando compromeltiam
os interesses polticos da Prussia, de maneira que
qualquer acto da parte da Prussia em seu favor,
que eram o nico titul em que se poda apoiar
a sua usurpacao.
t A consciencia humana, pelo orgao.
Os mais poderosos soberanos da Europa, re-'. um susidio,
conheceram, que os nossos direitos estavam escrip-! Enupiaio (ue,
tos na historia e nos tratados. direitos do Schleswig-Holsiein, o governo de V. M.
Esta declaraco, devele ao sangue ^ D06.le8aria toda-a Allemanha asna potinca, poria o
sos hroes
nacao.
e aos sacrificios innumeraveis oa
uosso estado em contradigo Uagraute com a malo-
ra des governos allemaes e cwm os sentimentes
; unnimes do povo allemo, se se obstinarse em
Mas a audacia dos nossos inimigos anda nao manter as ideas de 18511852.
diminuiu. Excitando o sentimento pnblUo, pro-
seguemna sua otra criminosa; julgam poder asse-
gurar a perpetuidade do mal, e
IK'Io exterminio da naco, tomando por preludio a!"
oppresso universal. ^ e cuJa ,ende"'a equivoca.
A final chegou o momento, que predisse o
O governo de V. M. usou de toda a influencia
da Prussia, para fazer passar de accordo com a
JLf J1"?.!! i Austria, urna rosohicao federal chera de contradi-
Esta resoluco
calca aos ps a autonoma dos ducados, e por con-
sequencia tambem es interesse mars sagrados da
Lord l'almerstron julga que seria muito ou-
sado aquelle que penjasse em annunciar o prxi-
mo termo de urna guerra, em que os dous p; rti-
dosenjaraigados, que luctam com tanta valenta,
ae jalfam com forga> para alcaocar o triumpho.
E tanta assim e, que cao cessam de um e outro
lado os grandes preparativos, segundo se ve" das
ultimas noticias, que vamos extractar :
No mez de outub.-o, foram langados arua
quinze navios couracados, que o governo de
Washington mandou construir. Nove deites
* navios, constrnidos em Cincinati, Pittsburg. ou
tm :>. l.uiz, sao destinados defesa do bailo
Mis;issipi; os outros seis, construidos em Nova-
i Yor, Jersey City, a Portsmoutb. destinam->e
defesa das costas. A sua tonelagem varia entre
1304 tonelladas e ir6i.
Sobre o estado da America, escreviam o se-
guate de Nova- York, cm outubro :
O partido democrtico independente, quj se
formou em opposicjio aos partidos democrat eos
chamacos tanmany e mazarJ hall, publ con
\im jrogramina, ero que i>ede a continuara) ri-
gorosa d:i tierra, e a revndcacao das doi tri-
nas de Monroe.
c O governador de Nova-York proferu um Jis-
cjrso em que disse que os demcratas estai de
accordo com os republicanos, para empngar
toda a sua forca ma:.erial de que dispoe o paiz,
par alcancar um bom xito da guerra.
Idas estas disposices bellicas, parecan di-
roinuir pouco a confia oca dos seccionistas, orno
se v na seguinte passagem, que se cncontra no
Bichmoml ispatch.
O sui tem experimentado toda a extensa do
pod'jr de Mr. Lincoln, c se o norte nao jde
ainca alcancar o seu fim, nao o conseguir me-
ioi com o auxilio da Inglaterra, que, pela ac-
cao de lord Russell. parece estar resolvdo a fa-
zer-se nimigo do sul.
Tanto os estados do sul se cousideram j se-
parados da uniao, que adoptaram urna nova lian-
deira azul com a cruz de Santo Andr brajea,
< eorxendo nove estrellas azues. >
0 ministerio Lulgaris, na Grecia, soirreu
urna modificaco em ransequencia de alguns iiici-
dente;. relativos gusuda nacional.
A demisso do coronel Smolensk foi definiliva-
inente acceita pelo rei, queconGou a pasuda
puerra ao major do engenheiros Mr. Petmi sas.
E' um homem pratico e de urna lealdade prover
Ijial, o qual est firmemente resolvido a reformar
o exercito, embora cnatra vontade deste, e a liater a aoarchia em tedos os grus.
Diu-m de Alhenas que se fallava tambem de
nais dus demissSes imminentes, provocadas pela
necessidade de fortalecer o ministerio com dous
solidos sustentculos, Mr. Caligas c Mr. Zainis,
bem cochee-idos peio seu grande patriotismo e
cnt rgia de que deram provas a favor da causa da
ordem.
Notava-se urna certa diminnicao na intimidado
de relacoes entre o governo hellenico e o da G raa-
Lrelanha.
Una carta de Alhenas que temos presente liz:
t l'.oinmenia-se de diverso modo a viagem enig-
mtica eraprehendida por Mr. Srarlett no interior
do reino. O que ha de incontestavel, que i In-
glateira cmprrga tolos os exforcos para enti ter
a discordia cm Alhenas, e para rebaixar a n.icao
lielle lira na estim;. da Europa, at que consiga
vencer ou destruir da obstculos que a sua polti-
ca cr.controu da parte dos onios.
No entretanto. opiniao publica est nanme
na Creca em desejar a realisacao prompta e defi-
nitiva da reforma do (xercito, sem a qual o poder
cxeculivo estar constantemente em risco pela
mn potencia intrigante da assembla constitintc.
l'ronunciando a sua dissoluco, el-rei pode estar
antecipaiiamente certo de por termo |x>pula ida-
de d'aqnelle corpo. Infelizmente esta sabia riedi-
0a da salvaco publica est ao desfecho do inbro--
glio brilanmco das orlflcagSes de Corf. A In-
patarra sabe melhor de que ningnem que a as-
grande capitao do nosso seculo! A Europa est Allemanha, sem por isso diminuir o perigo decom-
real^mente coliocada entre a 11 bordade e a cscra-'< pcaces externas.
vidao, entre o triumpho da justica, e os saturnaes ^ j ,...
An ., ......- v v .-"irii*;s A caraara dos deputados- dtrige-so a\.H
do despotismo I >as nossas msurreicoes nacin- j .
n,^ \lm a ai "*!,u"uvW!!, mci para retirar da representacao nacional urna pesada
naes, tomando a defeza dos direitos sagrados da
nossa patria, nunca tivemos e ainda nao temos
senao um nico fim, satisfazer as justas exigencias i_ .-.-
a^o ,~, ,. k-i cijcuus raod,|,car urna poltica, que ameaca deprejudicar
dos povos, e estabelecer a ordem baseada no-io- L -. .. ,
, ., "ej por muito tempo o paiz. Porque, segunde osvsle-
resse bem compre hendido do coverno e dos enwer- I j .
mado mimsteno, devemos receur, que sendo-lhe
entregues os fundos pedidos, nao sejaniapplicados
O Jo>-nal de Dresde pub cou a resposta que
o governo dinamarquez deu a ntimaeao feita pelo
governo saxooio, para que fe sse evacuado o Hols-
tein e o Lauemburgo. E' cotno segu :
O abaixo assrgnado, presidente do conselho e
delendendo sem demora, os ministro dos negocios eslranteiFos de sua mages-
tade el-rei de Dinamarca, ten: a honra de annun-
ciar que recebeu no da 15 a nota em que o presi-
dente do conselho e ministro dos negocios estran-
geiros de sua maaestade el-rei de Saxonia. o infor-
ma de nma resoluco federal datada de 7, e inti-
ma o governo real para evari.tr no prazo de sele
dias os docados do llolstein i do- Lauembourg em
presenca da sobredira execueiio verificada pela
mencionada- resoluco federal. O abaixo assignado
-ubmetteu immediatamente a>pu augusto soberano
aquella nota, e est encarregado por sua magestide
de chamar a atteocao- do go.erno- saxonio sobre
o que passa a expor.
A' resoluco de 7 tomad.\ pela dieta germni-
ca falta toda a forra obrigatiria para o governo
d'el-re, ptla nica raro de ter sido adoptada, de-
pois do plenipotenciario de sua magestade haver
sido i I legal mente exrinido da issemota. Na parte
em que ella se apota na resoluco do Io de outu-
bro, o governo real pode tasn menos encontrar
um motivo valioso da execjro federal da orde-
nanza de 30 de marco, atacada n'aquelia ultima
resoluco, leve lugar, logodepeis de ter sido ac-
caito pelo governo d'el.rei, ni. sesso de 29 de ou-
tubro, a medaco offereeid pelo governo britan-
nico, para ajjlainar a desintekigenci existente en-
tre a Dinamarca e a Confederaco ; o governo fi-
nalmente na mesma sessae, dclarou que estar
prompto a tratar perante a Cinfederaco sobre lo-
responsabilidade ; nao qur que se lhe possa cen-
surar nao haver empregado todos os meios para
nados.
Estes principios, que sao a base necessari*..,
de toda a poltica de ordem e de paz, nao pode- oficio da corta e do pan, Vemo-nos quasi sos,! 2ffiTSj^l^XCS^tlX
rao prevalecer nunca na Europa, emquanto a -'->-.------*~ *___---______-
iw interesse dos ducados eda Allemanha, e em be- idoL? Pn,os> arespeto-dos qaaes noparecessom
eilllim.inl.m ,nt.- ni.nn_atJ.L *_J_____.._.! > _
Po-
eptre todos os depuladOs allemaes, na penosa ne- rae
cessidade a> poder dar aos sentimentos do povo. a
lonia nao houver alcanzado justiga. O crme con-
snmado na nossa patria tem sido causa de nnme- epanao denu ottfm^mt secnpn an
i osos choques na Europa so urna soluco equi- tade do aceordo entre o governo e a representacao
lat va da qoeslio polaca pode abrir aos povos, e nacional,
aos governos a verdadeira era da civilisacao e
da paz.
! Muito gracioso rei e senhor, V. M., n'uma
ppca soliHnne fez a seguinte declaraco:nem
Fiis a nossa divisa secular, que ser defen- urrl s palmo de terreno allemo nos ha de fai-
sores da humariidado e da civilsacao, ha venas de tari
marcar-lhe o caminho derramande rios de sangue j Os tirlos dos ducados a nma uno-indissom-
*M) aco' I v*t|e independenc sao inseparavels do direito
O nosso passado e o nosso presente, assim hereditaria da casa. d'Augustemburgo. E- este o
como urna communidade constme d'inleresses motivo porque pedimos respetosamente e com
instancia V. M. que se nao declare ligado pelo
tratado de-Londres; que reconheceu o principo he-
reditario de Schleswig-Holstein-Augostemburgo
como de Schlcsvig-rTolstein, e que se digne proce-
der Je maneira que a confederaco germnica o
auxilie a libertar o seu paiz hereditario e a temar
poss deile.
< 0 mais arden* desejo da cmara dos deputa-
dos, collocar-se em satisfago por todos os meios
necessarios ao servir de urna poltica, que seeun-
matenaes e moraes, estabeleceu um laco iadtsso-
tidal entre o occidente da Europa e nos. A san-
luvedc da nossa causa, a sua importaneia europea
os sacrificios sem fim da naco, o a justica divina
que vigia sobre o destino dos povos. sao as ga-
rantas do nosso triumpho.
Mas a perseveranca no caminho que esco-
Ihemos, s a insurreicao pode assegurar urna
victoria to desejada, e que j nos tem custado to
cara.
A nacao eomprehende-o, e por isso que! ^a(^a [P^a confianza da naca, e applicada com de-
diariamente sacrifica no altar da patria da hu- i dicaefio sem reserva causa nacional, d em resul-
manidade as anas melhores forcas, provando des- ta* umprimeolo desta nobre tarefa.
te modo que prefere o exterminio a escravidao. i Somos, etc.
Nao temos necessdade de animar sacrificios, co- S. M."el-rei da Prussia, det>lhe a seguinte
jos exemjilos mais sublimes vemos lodos os dias resposta :
renovar. j^,se devidamente o contedo da raensagom,
t A tarefa do governo nacional por term a que a cmara dos deputados me enviou a resiieito
esses sacrificios e loma-Ios efflcaxes. Sabendo dos negocios dinamarqneies, prestando-lhe a atten-
quanlo grande a responsabilidade que lhe incum- cao que sempre dou aos votos e opiniues desta ca-
be peranle Deus e o povo, o governo nacional ha
de cumprir couscenciosamente a sua tarefa Me ao
cabo.
Naseido dos sotTrimentos da nacao que se lor-
mara.
Quando no comer daquella mensagem se en"
contra consignado o principio de que acamara dos
deputados ja designou a direccao, que a honra e o
naram intoleraveis, nao ha de parar na sua obra interesse da Allemanha ordenam seguir, eu estimo
senao quando a independencia da patria estiver Pder sujipor que se nao quiz anticipar daquelle
conquistada, ou quando no solo polaco nao existir modo a respeito do direito que segundo a consti-
luicao;
'sobre
IA ess
um nico Polaco.
Proclamando a egualdade perante a lei a
respeito de todos os cidados. sem distineco de I" ',
classe nem de crenca, e decretando a emancipa-' "f ^
Co dos camponezes, o governo nacional lancen as; "^ *** "nr
bases duradouras da existencia futura da Po-
lonia.
Estes
principios ha de o governo
applica-ls consciosamente, e em
teuso.
nacional
e as leis do paiz, me pertence para decidir
as remedes da monarchia com o estrangeiro.
direito est inseparavelraente ligadoodever
ue tenho a defender e proteger para com o
sei qile, para o cumprimento desse dever, posso
apoia--me nadediacao experimentada do meu po-
Mas sei tambem que se avahar cuidadosa-
vo.
O poder, entre nos, nao um objecto de ain-
bicau mas um acto de dedcacao. Forte do que
mente a questao de saber quando deverei chamar
- esse povo ao combate, e reclamar da sua dedicarn
os tena bens e o seu sangue.
(fonsiderarei comoincompativel comocuinpri-
menti) consciencioso da minha misso real, deixar
faz pela obra commum, e secundado pela vonta-1 de consagrar a minha maior aclividade aos supre.
de universal da naco, o governo levantar bem mos 4everes Que impoe ao rei o direito e a ransti-
alto a bandeira nacional, at que esteja certa a!, W
victoria. A cmara dos deputados pode pois estar con-
, ._ ... vencida de que a direccao que o meu governo d
nn^dr? ^^ ^^^ desa^ PO.ea es.rangeira resultado das miuhas resolu-
parecem diante d este fim, egualmenle caro a la-
dos a undade, ntegridade e independencia
da Polonia, comprehendendo a Lithuania e Rn-
thenia.
t Em nom-3 de Deus, com conlianca inaba-
lavel no futuro, jireparamo-nos para continuar
a luta.
Na perseveranca consiste a salvaco.
c Varsovia, 15 de dezembro de 1803.
Mensagem votada pela cmara dos deputados,
e que foi apresentada ao rei Guilherme :
t Muito augusto, e muito poderoso rei.
Muito gracioso rei, e senhor.
V. M. real, em consequencia da desintelli-
gencia que existe entre a Allemanha e a Dina-
marca, dignou-se submelter-nos um projeclo de
lei acerca de um crdito extraordinario para a
administracao do departamento da guerra e da ma-
rnua.
ces maduramente |>esadas. Tenho-as tomado em
consideraco aos tratados concluidos pela Prussia,
| siluaco geral da Europa, e nossa posico no
I meio del la, mas ao mesmo tempo com a firme von-
tade de garantir o direito allemo nos ducados, e
de intervir, se for necessario. com as armas na mo
a favor dos llns legtimos a que a Prussia deve
tender.
Quant ao modo e ao momento de applicar ca-
da um dos meios que conduz a esos fin, a deciso
constitucional a este respeito, s pode ser tomada
por iniiii.
A proposito disto hei de deixar-mo guiar por
urna inabalavel resoluco de conduzr a causa dos
ducados, de urna maneira digna da Prussia e da
Allemanha, mas hei de guardar ao mesmo lempo
aos tratados o respeito que exige o direito interna-
cional.
um lado, nao ha reerulamento possivel no estados
da egrej, e por ontro, nao se pndena contar con
verante do soldado dinarnannjex. ha de "seguir com ?a "'U tiIfi e'ci, ^^a E i8to'|ue
confianca e enthusiasmo. Nao o mesml mas a! i^ mmp^ 1*T 1 vad,IS, dlldos os S^'
coragem, e a obediencia absoluta s ordens dos! ^^^af* '. "H**1*00, u.na eertidao
chefes, que em todos os casos do a victoria. __ ,uti,m..lr, i^..,
Nao esquecei nunca que o Deus do cu- < '* l"""k> mliano
i""1"11"1"" nanaou recomecou ae suas
voravel ao fraco, e quando o grito da guerra se ti- ^ira* darnSDOSU V^f^"* '^'"^ Ul a
vosso ret e do vos-o pro-
Mas actualmente o direitc de successao de sua
magestade el-rei, e a validade do tratado de Lon-
dres de 8 de maio de 58, sendo deste modo con
tratado pela dieta germnica, y carcter particular
da chamada exeeuco federal sobresalte tanto mais
claramente quanto o reeonhm imcnlo de sua ma-
gestade. como-duque do Holsti in e do Lauembourg
pela Confederaco Germnica, deveria pelo menos
proeeder qualquer reclamaco acerca da posico
constitucional que sua magestade el-rer. deveria ir
ao ducado na qualidade de duque.
Paremos- ainda notar, coocluind-, que a inti-
maco dirigida ao governo real nao conforme as
disiiosicBS ilo regulamenlo de 3 de agosto de 1880
a rspeito das execuroes federaos, ynt isso que ne-
nluima possiblidade se deisa ao governo real, sa-
tisbzendo exigencias posiliv-kS-de prevenir a exe-
cueao. que apresentada eomo maior objecto da
resoluco.
N"estas eircumstancias, -ua nvigestade, meu
augusto rei, nao pode reeonhecer, na chamada
execuco resol vida, um proc .'dirnemo fundado no
direito federal; deve, ao eoctrario. resolver ex
pressamente contra ella os seis direitos soberanos,
e os direitos dynasticos. Do mesmo modo que sua
magestade ordenou ao abaixt assignado, que pro-
testasse solemnemente contra a injustica incontes-
tavel que lhe aanunciada, timnem o mesmo au-
gusto senhor se reserva as resolueoes ulteriores,
que julgar compativeis com o.- seus interesses.
Copenhague, 19 de deieml ro de 1S63. -Eall.
A Gazeta da Cruz publi:ou a seguinte nota,
que o ministro de Inglaterra iunto da Confedera-
cao Germnica dirigi dieta de Francfort:
< O abaixo assignado tem a honra, em virtude
do governo de sua magestade irannica, de COUV
municar S. Exc. o baro de Kubeck, presidente
da dieta federal, urna epia d) tratado de- Londres
de 8- de maio de 1852.
O abaixo. assignado tem igualmente a honra
de pedir S. Exc. queira .presentar essa coi>-
veneo dieta federal.
O abaixo-assignado est ao mesme tempo en-
carregado de fazer observar, que a augusta assem-
bla federal deve notar que a Franca, Gr-lkeanha,
Russia e Suecia eslao de accordo em reeonhecer
por aquello tratado o rei Christano IX como suc-
cessor em todas as pos-e-soe- pertenc mies sua
magestade o fallecido rei de Dinamarca. Este re-
conhecimenlo j leve lugar da parte de todas estas
potencias. O abaixo assignado est por consequen-
cia encarregado de fazer sobiesabr que. se a as-
sembla federal, por um proo dimonto precipitado
qualquer, encelar um camin o contraro ao trata-
do de Londres, d'ahi poder ara resultar graves
complicaces.
O abaixo assignado est oncarregado tambem
de declarar S. Exc. o presidente da dieta federal,
que'o governo de sua magostado brilannica est
prompto a tratar deste assumplo em urna confe-
rencia, que se deve reunir n um ponto qualquer,
sobre a escollia do qual se poderia concordar e
na qual tomariam parte todos os signatario- do
tratado de Londres, assim como um representante
da Confederaco Germnica.
Fazendo esta communiraco S. Exc, o pre-
sidente da augusta assembla federal, o abaix as-
signado aproveita, etc.
Francfort, 27 de dezembro de B63.Malet
I'roclamaco do duque de Augustemburg,
publicada em Kiel, no dia ;il de dezembro :
Schleswig-llolstenezes. Qnamlo vos annun-
ciei que em virtude da amiga ordem desqeeesso
do nosso paiz e da casa d'Oldembourg. eu tinha
tomado o governo dos ducados de Schleswig-Hols-
tein, o paiz eslava oceupado por tropas estrangei-
ras. Recuando diante dos soldados federaes alie- liberdade e a independencia nacianat nao se ret-
maes, que saudaes rom aleuria como roseo liberta- teiam :
dores ellas evacuaram l(vr'o o ducado do Hotstein. | A nossa causa justa. O direito do soberano
i Nao quiz subtrahir-me ao vosso chamamento. o e direito do povo sao inseparavels. Queira Deus
Cumpri um dever imperioso nao hc-itando em permittir que vossa alteza seja o salvador da
partilhar comvosco os riscos d >sia grave poca. Srhlesvig Holstein. Deus abencoe a nossa cara
Desordens queliveram lugar antes da minha' patria,
exaltaco ao poder, obngaram a Confederaco Ger- Emsborm. 27 de dezembro 18611.
manir a preceder contra o p ler que existe de Esta mensagem foi unnimemente adoptada no
fado ate aquella poca no HoUtem : para garantir I meio de frenticas aclamaces di assembla Mr
os direitos do paiz, foram os commissaiios encar-1 Metz, de Darmstadt, em nome da commissao di-
regados da administracao. f rectora do conaresso de Francfort ha de pro-
A execuco federal, que desde a sua origem digalisar o seu ouro pela causa do Scbtesvia-HoU-
nunca se dirigi contra o m-n governo, ja hoje tein.>
nao tem raza de ser. Jamis dei\,-i a menor du-1 Nos ltimos dias do mez passado houve um
vida a respeito da resolncan em que eslava de que-! laroentavel e sanguinolento conflicto em Roma en-
rer reeonhecer os direitos do paiz -em toda a sua I Ir as tropas francezas, e os soldados recrutados
extensa e de os Hacer valer. Fteo persuadido de nos dilTerentes paiies, u a que
que a Confederaco Gormanic i ha de reconheci-r { pontificios.
tambem que j nao exislem ns motivos, que a le- fma correspondencia conta o aeonlecmento da
varam a ordeuar que os ducfdos rossein adminis-j maneira seguinte
irados pelos cornmissarlos.
zer ouvir, ouvi a voz lo
prio curaca, qne grita : pela honra da patria-
fortuna segu os bravos.
Seremos felizes de poder dentro em pouco
visitar os diversos cornos do exercito, que actual-
mente devem (ormar um unic. e pela nossa wr-
te havemos de nos esforear para alliviar, por lo-
dosos modos a vossa vida de campanha.
Goltorp, 2 de Janeiro de 1864.Ckristiano.'
L-se no Stcle ;
Todos se recordam dasurpresa que produziu
em Franca a serie de medidas tomadas contra os
Mexicanos hostis intervenrao, e contra os que
adquiriram bens de mo mora. Seminantes actos
nao podiam ser tolerados em presenca da bandei-
ra que cobre os principios de 1789."
Urna nota publicada no MOnitea- veio logo
depois fazer adevida justica. ordenande-se ao go-
verno d Mxico que derrogasse as precedentes
disposces relativas ao sequestro, e qoe determi-
nasse aos locatarios dos i mino veis que outr'ora
perlenceram s cotwnunidades- religiosas, para on-
tregarem a importancia dos seus alugueisaos se-
culares, acruaes proorietaros Itgitmos.
Sua grandesa Di Palaio de l.ahas-'idn. arce-
bispo do Mxico, e membro dtriumviralo de que
fazem parte -Almonte e Salas, protestou contraes-
tas disposicoes julgadas equitativas por aquellos
que- se nao cegam com as prevencoes ultramonta-
nas. Retirado do-Mxico durante dez annos, D.
Pal.no teve tempo de se oompenelrar em Roma das
ideas orthedoxas, e aproveitou lodas as occasioes
para, as applicar ; foi por sso que dirigiu.ao clero
da sua diocese urna diatribe pastoral contra as
ideas- modernas e omra a revolucr^ Na sua
opnio, revoluco que os povos em geral de-
vem todo- os males que sofirem. Estas derla-
maies, do que em Franca se mofa, nao deixam
de ser perigosas no Mxico, em-que o fanatismo
das massas nao o menor obstculo aos- progres-
sos da-civilisaco.
Se o arcebispo tk> Mxico, que coraprehende
bem o verdadeiro valor da piJavra progresso, o
detesta, outros, que tal vez, o nao detesta&sem, nao
comprehendein esse valor ; entre estes deve com-
prebender-se-o governador de Tahureo, oue inau-
gurou o seu governo-com o restabeleeimento do
tratialho forendo.
Aquelle*digno governador v cora, a maior
dor que a maior parte- das povnroes indias offe-
recem ornis completo quadro do* vicio e da des-
mora lisacao-; por consequencia convida os pro-
pri-tarios a dirigireru-se aos prefeitos, para Ihes
entregarem todos os indgenas de que possam ca-
recer, com a oondica. de pagarem un> salario de-
dous reaes por dia. Aquellos que por preguica se
nao contentaren) com aquella, garanta, s'ero
coudemnados seis mezes de trabaihos pbli-
cos.
< Este imelligente- administrador ici a.oertesa
de que antes de seis mezes ver dous tercos dos
seus administrados reduzdos vida do negro bo-
cal, salvse o estado de Tahureo nao ticar deser-
to- em proveito dos estados linaitrophes.
Em lodos os grus da escala social se v
que o fanatismo ou. a ignorancia serve de dilTicul
dade paracomplear a obra daregeneraco do M-
xico.
Kscrevem de Elmshoro, o seguinte :
t Reuaiu-se aqu um grandsimo numero de
pessoas, que affluiram de todos os pontos do paiz.
Milharesde pessoas nao poderam cuegar a lempo
em cor>sequencia da insufflciencia dos meios de
transarle. A assembla, a que assistiram mais de
20.000 pessoas, abriu-se eom um|_ hymno. Mrs.
Rave e Wiggers, em nome da commissao nacio-
nal, fiaeram a leilura seguale projeclo de
mensagem.
Serenissimt duque, e muito digno principe e
senhor !
As cidades- e os campos apenas libertados das
tropas dinamarquezas, mandaram os seus repre-
sentantes a esta assembla popular, e segundo os
amigos cu-aunes dos nossos antepassados, dis-
liberamos hoje em pleno da, prximos de Elrns-
horm.
i Tratava-se de celebrar o da da liberdade,
que afina I acaba de reinar para nos depois de
urna longa oppresso. O laco qne ha quatro se-
culos nos prenda Dinantarca quebrou-se para
sempre. Comer urna ora era, em que o Schfe-
swig-Holstein gosa da sua independencia sob o
reinado de um.idynastia nacional-
A patria alleiua, qual nos ligamos sem re-
serva, ha de assegurar-nos o goso da liberdade
conquista-la.
Os cidados do Srhlesvig Uolstein reunidos
aqu, proclamaram-vos solemnemente e com im-
menso jubilo, como seu soberano legitima, como
duque do Schlesvoig-llolslein.
Multas localidades j se antecparam a nos
os nossos concidados d norte esperam com im-
paciencia o momento de seguiren o nosso exem-
plo. A constitnieao de 15 de setembro de 18W,
que V. A. rosUbeleceu por sua propna iniciativa,
e cuja proraulgaeao esperamos, ha de ter para
sempre o sello da concordia entre o principo o o
povo.
Esperamos com impaciencia a vossa chegade,
para recbenles as nossas homenagens. pavo
est che o de enthusiasmo para correr s armas,
alirn de marchar as ordens de vossa alteza para
lihertaros nossos irmos do Schleswig do jugo
ignominioso do dominio estrangeiro.
Qoaesqner que sejam os sarrifjcios que fr
necessario fazer para alcancar este glorioso resul-
tado o paiz pode supporla-os e ha . rei a deputaco encarre-
gaoa de o cumprimentar pela entraa do' anno
nevo.
Vctor Emmanuel disse que sentia nao ter po-
dida fazer a vanear os negocios da Italia no aono
que acaba de lindar ; que esperava que o anco-de
18b k-sera mais feliz, e que em todo o caso eslava
sempre prorapto a fazer o-qoe exig sse o interesse
da naco, que podia sempre contar cora-elle.
A este respeito diz urna carta de Tur :
Estas nao sao nem mais nem menos a repro-
duceao do que o rei tem dito em todas asoccasiSes
solemnes.
Alii nao se deve ver a menor provoca^o, nem-
o annuncio de qualquer tentativa. A politiea do
governo italiano nao mudou. Sabe-se oque qur
eaque tende ; mas nao ianrar fogo plvora,
nem jogara, n'um Unco de dados, os immunses re-
sultados adquiridos ha quatro annos.
Eperava-se com alguraa-impacienca a sessao
de boje (i), porque se devia 1er ali adeotssao do
Oaribatdh
t Diiia-se que a esquerda pedira para que a
demisso fosse regeilada, em oontrario a jurispru-
dencia da cmara, que aceitar sempre todas as
demisse*
a esquerda sempre tendeu a crear para Ga-
ribaldi urna posico excepcional e extra-legal. E'
talvez muito democrtico, roas nao decreto libe-
nal nem constitucional. Esperava-se, pois, omei-
dente coma maior anxedade.
A curiosidade publica era exeessiva. -i pre-
sidente leu'sroeote a demisso de Oaribal*, que
foi aceita.
Nao. se tratoui de Garibaldi. Consta-me que
os deputados razoaveis da esquerda (ha gente ra-
aoavel em todos os-bancos) faziam ddigencias para
que a demisso fosse retirada. E! para desejar que
elle- consigan), para nao dar novo alimento-aos
partidos.
t Contina aflaar-se na demisso collectiva dos
deputados da esquerda. Os exaltadas fazem quan-
to poden para decidir a esta scena de theaao os
deputados, a cujo bom seuso repugna semelhante
passo.
Dtsseram-me que esta idea oV demisso col-
lectiva pertence a Mazzini. Seria um meio de fa-
zer revtver as paixoes que se oxtinguem, e ontre-
ter ai dtrisoes iju nao tem razo do ser u'i
onde todos eslo de accordo.-
uia pau
Darnos em seguida a continua? do relalorio
apresenlado ao pariamento brasileiro pelo imaistro
da laznnda :
Em rumprinvolo do artigo 6 do-decreto n. 268o
de 10 de noveroiMo de 1860; prope* este banco a
reduciaode suaemisso, como dispeo 3 do art
1" da lei de 22 de agosto dste anno. e por aviso de
4 de jylho ultimo marcou-se-lhe o novo limite para
o anno que tem de lindar no crreme, na impor-
tancia de 439:94o&
0:dividendo to segundo semeslce foi do &nor
cent.
O fundo de reserva de 5.:99t842.
A taxa dos descontos foi de 10 por cento para a>
letlras de praaos at 4 mezes, ede 11 par> as de
' pra:aw roaiores.
Anda contina ali a operaco de substituir as
not s em circulaco da primeica serie por outras
da segunda, d melhor papel.
A directora deste banco ainda nao obteve res-
posta alguma de um offlcio que dirigir a X. u.
Bieber iS; C, de Pernambuco, a respeito da fallen-
cja aberta casa de Amorim, Fragoso, Santos <\
(L, mas teve participaeo de que haveria ama reu-
niin dos cradores da inassa faHida.
Com a retirada dt- Francisco l'ereira da Silva.
Hornea, que, como director mais antigo, nao poda,
>er reeleito, foram obaervadasas disposicoes da lei
n. 1,083 de-22 de agosto de 1860, sendo eleito pela
assembla geral do* arcionitstas desse l>anco em
sesso de T de outubro prximo passado Joo los
Fernandos Silva para preencher a vaga dada.
Nessa mesma occasio foi resolvido pela assem-
bla geratv e de accordo com a conccsso do ) I
art. 18 de* estatuios, que se prnrodnici i uleiiiu
dos suplentes que devan substituir os actuaos di-
rectores em seus impedimentos.
B.ico do Rio Giande do Sul. Este estabeleci-
mento tem-se conservado como banto de depsitos
e de descontos.
se chamam dragoes
A rixa cujos aggressores foram os estrangeiros,
A|szar da decadencia dos principaes ramos da
industria do paiz, que tem produzido ali urna cri-
se assustadora, tem elle sido mui regular e fctiz
em suas openres, attendendo-se a que o. dividen-
do distribuido por seus accionistas uos dous semes-
tres que decorreram al 30 de junho ultimo, foi de
1!>J00, ao passo que o do anno. bancano. anterior
nao exceder de 145300. Regula aquelle dividen-
do a 16 por cento ao anno.
A taxa dos descontos em todo o anno bancario
foi de 10 por conlo para as letras de praaos pe-
queos nao excedentes a quatro mezes e de onze
para as de maior prazo at seis mezes.
O fundo de reserva do !3:873JMt
Societtinle Cimimercw, m Baha. Xo talatoria
apresentada ao corno legislativo em roai. de 183,
se acham referidas as operaces pertencentes aos
27- e 28 semestres finos em dezembro de 1862
e como no Ihesouro nao existe outro relatori des-
ta sociedade posterior, passarei a referir-vos as
operaces consianlesdo balanro existente, relativo
ao mez de outubro do anno passado.
At 31 de outubro havia-se realisado o caoital
de 5,>46.8005. V
A importancia das letras ajuizadas monta va a
127:.225I62.
A conta aberta com o titulo Firmas fallidas
que no citado relalorio elevava-se ao total de rs.
109: i.'8->W2, e sobre cuja cobranca pereda que a
directora nao nutria grande esperanca, sobren
urna modificaco constante do referido bataneo,
que reduzia aquella cifra a 187:76'.$8o2.
O fundo de reserva de 19:49277.
A.s letras descontadas existentes na carleira da
sociedade montam a 6,661:9263542 ; deltas algu-
mas sao caucionadas e importan em 1,925:0005.
Alm destas transarcoes de descontos, tinha a
mesma sociedade feilo empreslimos sobre hypole-
cas de predios no valor de 189:244oll0.
As transarcoes de deposito mostram um saldo de
2,0y0:0!35872, sendo em letras aceitas pela socie-
dade 846:0255135 e em cuntas correntes de tures
reei) reos 1,243:9984737.
(Continuar-se-ha.j
PERNAMBUCO. TYP. UE M. F. F. & FILHO.
\
ni


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUU11SFC5_P7AV3U INGEST_TIME 2013-08-28T01:34:47Z PACKAGE AA00011611_10293
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES