Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10292


This item is only available as the following downloads:


Full Text





m

AMBO XI,. ROMERO 36.
Por tres mezes adiantados $$000
Pr tres mezes vencidos 6$O0U
Porte ao eorreio por tres mezes. 4730
DIARIO
.
SECUNDA FEIRA15 DE FEYERE1R0 DE 1864.
Por auno ada diado.....19$00O
Porte ao eorreio por um anuo 3J00O
PERNAMBUCO.
ENCRREGADOS E'A Sl'BSCRIPgO NO NOKTE
Pa-ahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima'-
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva-, Araratv. o
Sr. A. de Lemos Braga; Ceara, o Sr. J. Jos de |
Oliveira; Alannhao, o Sr. Joaqoim Marques Ro-j
drigies: Para, os Srs. Mancel Pinheiro Je C; A-
maaonas, o Sr. Juronymo da ;osta.
Alagoas, o Sr. CIradino Falrao Dias; Baha, o
Sr. Jcs Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-,
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Ignarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as 'creas feiras.
lio d'Aiho, Razaren, I.imoeiro, Brejo, Pesqueira.
Ingazeira, Flores, Villa Bella,Tararaiu', CabroL,
Boa \ ista. Ourirurv e Exu' as qnarras feiras.
ENCARREGADOS DA SCBSCRIPCAO NO SUL Serrahem, Rio Formoso, Tamandare. l'na, Barrei
' I ros. Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
I n la de Fern; ndo todas as veres que para ali sabir
navio.
I Todos os estafetas partem ao '/i dia.
KPHEMERIDES DO MEZ DE PEVERCIRO.
7 1
14
reir Martins A Gasparina
-na nova as 3 h., 49 m. e 56 s. da t.
'uarto cresc. as 11 h., 5 m. e 26 s. da m.
! I ua cheia as 2 h., 41 m. e 8 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Prirofeira as 10 horas e fi minutos da manha.i.
Segunda as lo horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEJROS.
Para o sol at Alagoas a 5 e 23; p. ara o norte at
la Granja 7 e 22 de cada mez; par Fernando nos
Idias 14 dos mezes dejan, marc.. maii .Jal. set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recin: do Apipucos s 6'',. 7, 7 V?. 8 e
8>/? da m.; de Olinda M 8 da m. o 1 da tarde de
Uaboatao s 6 Vi da m.: do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Benfiea ai 8 da m.
Do Recife : para o Apipueus s 3 '/, 4, 4 "A. 4 'A,
5, 5 >/j. 8 '/, e 6 da tarde; para ('linda as 7 da
manha e 4 '/i da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-1
de! para Cachang e Varzea s 4'/d i tarde; para
Bemfica s i da tarde. I
AIOJENCIA DOS TRIBL'NAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas e quintas.
Relajo: tergas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta s 10 horas.
Juizo u commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do ervel: terjas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartos e sabbados a 1 hora
da tarde.
DAS DA SEMANA.
15. Segumfcw Ss. Faustino e Jovila aun.
Hi. Terca S. Ka\ inundo dePenafon c.
17. Quarta. 9. Plvcronio b.: 9. Romulom.
18. Quinta. S. Theotoniol prior deS. Cruz.
19. Sexla. S. (.'irado 1 :S. Gabino m.
20. Sabbado. S.i. Eleutherio e Nito bb.
21. Domingo. Ss Maximiaao e Fortunato bb.
ASSIGNA-SE
no Recife, os. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa d
Fara k Fitho.
PAUTE QFFICIAL.
GVER\0 DA PROVINCIA.
Cwiliiafie de eipedirale do dia 0 de frvereire
de i mi i.
Offleio ao engenlieii o fiscal da estrada de ferro.
Em atdilanento ao meu offleio de 30 de Janeiro
ultimo, declan) Vane, que os passes gratuitos, a
que lem direito o governo nos irens da estrada de
ferro, poderao tambe-m ser concedidos pelo Dr.
chefe Je po-'icia, e as guias pai a a tropa poder se-
guir ra mesma estrada, serio d'aqui em dame
dados pela secretaria do governo, ou pela re-narli-
co d.i polica.(ioirmunicnti-so ao Dr. chele de
polica, ao brigadeiro commandanle das armas e ao
superi itend'-nle da rnesma estrada.
f.ontinw rao do dia 10.
Oflicio ao Dr. juk de direito do Brejo.Com a
copia ilo parecer ministrado em 9 do crreme pelo
consellieiro presdeme da relacao, respondo ao of-
licio de) 20 ro mez fimlo, em que Vmc. consultou
se no caso de impedimento do juiz de direito pre-
sidente do jury,e seus respectivos substituios, pode
subnie ler-se o reo a julgament j do jury do termo
da eortarca vizinha.
Dito ao presidente da cmara municipal de S.
Beato.luforme Vaic. com urgencia acerca do que
represt ntam diversos vereadores dessa cmara,
nos dous inclusos offleios em originaes, que me se-
rio de"olvidos, datadas de 19 e 27 de Janeiro ul-
timo.
Dito ao juiz de paz mais volido do 1" districto
da Irejuezia de Ingazeira.Itespoodeudo ao olflcio
de 28 de Janeiro ultimo, em que Vmc. me com-
munica que por terera falladoalguns eieitores e sup-
plenles, que :iao poderao em lempo seren avisados,
deixou de irstallar no dia marcado por lei a junta
revisla de qualieacio dessa freguezia, tenho a
dizer-heque tendo sido approvados peta cmara
dos deputados como r >nslou de aviso do ministe-
rio do impeno de 15 laquelle tr.ez, os novos ulei-
tores dessa parochia, e por consegunte havendo
aducido os poderes dos da legislatura paasada,
recomineodo Vmc. que guardado os prazos e
formaidades da lei, convoque os referidos novos
eleitoies para a reuciao da uwsma junta, que de-
ver ler logar no di;i I de abril prximo futuro,
que pira ssc designo, e qualquir que seja o nu-
mero de eleilores qut comparecer proceda a orga-
nisacin da mesa nos termos da lei e das inslruc-
coesce 43 de agosto ie 1856, que tem providen-
ciado para o caso em que nao compareca nenhuai
dos eleitores convoidos, continu nos seus tra-
badlos, tendo em vi ;ia o dispesto no decreto n.
3,865 de 21 de dezembro de 1861,. e mais disposi-
coes 'ni vigor.
DiD Antonio Ma-toel Pereira Yianna, membro
da mesa revisor da i/uali/iracao da freguezia de
Grav; lEm soluc) So oflicio de 18 de jamuro
ultim), em que Vmc. consulla se devem ser qua-
liicacios velantes nena freguezia os cidados mo-
radores nos lagares Amora e Campo dos Macacos,
visto que a le provincial n. 562 de 4 de maio de
1863, alterando os limites dessa parochia annexou
de Santo Anlao aquelle territorio, tenho a dlzer-
Ihe que em face do que preceilua osavsosTis. 418
de 2l< de novembro de 1857 e 248 de 6 de junho
de 1MJ0, devem os habitantes de Amora e Campo
dos Macacos ;erem qualilcados votantes nessa fre-
guezia de Gravat, nao obstante a alieracao feita
pela referida lei provincial n. 562.Ofllclou-se.
reioeitendo-se copia deste ofcio ao juiz de paz
presidente da junta de qualilieacao da freguezia de
Gravita.
II
Ofcio ao brigadeiro commandanle das arma^.
D V. Exe. as >uas orilens, alim de que, ao juiz mu-
nicipal da segunda vara desta cidade, se aprsenle
com urgencia, urna praca montada para as dell-
gencis ueces.-arias a prxima reuniao do tribunal
do jury. Communicou-se ao predito juiz.
ilc ao mesmo.Queira V. S. mandar por em
liberd ide, datdo-lhe baixa se ja estiver com praca.
o recrtla Emilio Jos Mamede, que provou isenfo
do re-niiamenlo.Communicou-se ao comman-
danle superior do Recife e ao coronel recru-
Jador.
Dito ao inspertor da thesouraria de fazenda.
Se nao houver inconveniente, mande V. S. pagar
ao alferes Eusebio Gomes de Argolo Ferro, cin-
fornie silicitouo chefe de polica, em silicio n. 173,
a quanliade 2O0O) proveniente do aluguel de
dousmeze> venidos em dezembro do anno prxi-
mo passado do aluguel da casa que serve de quar-
tel ao destacamento do termo da Escada. segundo
consta dis dous recibos juntos em duplcala.
Cummur.icou-e ao Dr. chefe de polica.
Dio ao mesmo.Annuindo ao que solicito;! o
chele de polica em olcio de hontem, son n. 173,
recominendo V. S. queem vista dos inclusos do-
cumentas, e nao havendo inconveniente, mande
pagar ao eapitao Jos Francisco de Moiaes e Vas-
concellos, a quanlia de 825400, despendida desde
julho al tezembro do anuo prximo passado, com
0 aluguel o'a casa que serve de quartel ao destaca-
mento da villa d<; Flores, e com o fornec/menio de
luz para o mesmo quartel. Coinmuuicou-se ao Dr.
chefe de polica.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Inteirade de quanlo V. S. expoz em seu oflicio de
5 do correnle, sob n. 39, tenho a dizer em respos-
ta que as contas que de ve prestar Alfonso do Al-
buquerqoe Marannao, da quantia de 8:000&que
reeebeu nessa tliesouraia para, como encarregado
pela reparlicao das obras publicas, oceurrer aos
jiagainentos das despezas provenientes da obra,
que se fez para abrir communicacao enlre diver-
sos pontos da freguezia de Ipojuca e o trapiche de
embarque da companhia P<-rnambucana, sito no
Porto de Gallinhas, dewm ser tomadas naquella
reparlifo por intermedio do respectivo thesourei-
ro pagador em vista do que dispoe o 3o art. 61
da lei n. 28C de 17 de maio de 1851, e neste senti-
do vou expedir as convenientes ordens.Cjmmu-
nicou-se ao director das obras publicas.
Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar ao eapitao
Jos Francisco de Moraes e Vasconcellos, se nao
houver inconveniente, a quantia de 12400 des-
pendida com o sustento do preso pobre da cadea
de Flores, Raymundo Ribeiro dri Silva, durante os
mezes de Jnlho e agosto do anno prximo passado.
como se v das duas coritas juntas, que vieram an-
nixas ao offlein do chefe de polica datado de hon-
tem, e sob n. S80.Communicou se ao Dr. chefe
de polica.
Dito ao mesmo. N.o havendo inconveniente,
maude V. S. piigar aos empresarios da illumina-
ciio publica des la capital, a quantia de 308570'J,
enanque importiu o gaz consumid.) com a Ilumi-
nado interior da caa de detei,cao nos mezes de
novembro e dei.enibi > do anno prximo passado,
como se v da; duas comas juntas, que para esse
lm vieram anrexas ao oflicio do chefe de polica
datado de hontem, e sob n. 169.
Dilo ao mesmo.Em vista da conta junta e nao
fcavendo inconveniente, mande V. S. pagar ao de-
jfgado do termo do Brejo, ou a pessoa por elle au-
1 irisada, a quantia de 31$ despendida com o sus-
tento dos presos pobres da radeia daqnelle termo.
durante o me? de dezembro ni timo, segundo cons-
ta de offleio do chefe de polica datado de hontem.
sol n. 172. Communicou-se ao Dr. chefe de po-
lica.
Dilo ao mesmo.A' Olympo Theodoro da Silva,
mande V. S. p-unroio havendo inconveniente, a
quantia de .115800 despendida durante os metes
; de Dutubro a dezembro do anno prximo passado,
: com o sustento dos presos pobies da cadea do ter-
ImoidfaBarrciroi, como se v da inclusa conta, que
me ^""*ttida pelo chefe de Dolicia com offleio
de liy
de pol
cont:
ma:- |
cur
ofll
pelo^ chefe de polica com offleio
i. 167.Communicou-se ao Dr. chefe
nesmo. Transmuto V. S. a inclusa
de que nao havendo inconveniente,
ar Jos Luiz de Mallos, ou ao seu pro-
informe solicitou o chefe de polica em
lionten. sob n. 179, a quantia de......
Ii!i00 despendida durante os mezes de outubro
a dezembro do anno prximo passado, cora o sus-
tento dos presos pobres da cadeia do termo do Bo-
nito.Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao director das obras militares.Recom-
meido V. S. que mande fazer com urgencia, os
reparos de que neressita o chafariz, ou deposito de ,
agua do hospital militar, afim de evitar-a a falta
, que della solfa- aquelle estabelecment.Com-
muaicou-se ao brigadeiro commandanle das ar-
ma;.
Dilo ao mesm.).Nao tendo V. S. al esta data
ministrado a informacio que exig em offleio de 30
| de janeiro ultimo, acerca do can de esgoto man-
I dada construir em consequencia do avisu dare-
pan cao da guerra de 14 de outubro do anno pas-
sado, cumpre que o faca quauto antes.
Dilo ao commandanle superior da guarda nacio-
nal Ja Ba-VlsiaAtlm de ser tomada na devida
comideracao a maleria do offleio que me dirigi
| V. S. em 20 de Janeiro prximo findo, cumpre que
me declare se o capilao secretario do commando
superior, que deseja transferencia para o lugar de
capitn cirurgi.o mor do mesmo commando, tem
as h ibiltacdes que para isso a lei exige.
Dilo ao commandanle superior interino da guar-
da nacional do Cabo.-Inteirado do cometido do'
seu oflicio desle mez, tenho a dizer-lhe em respos-1
ta qte se providenciar convenientemente sobre o
pretnehimento dos postos que se acham vagos no
estado maior da guarda nacional sob seu comman-1
do superior.
Duo ao commandanle do corpo de polica.Em
vista do que representou V.S. em offleio n. 67 des-
la data autoriso-o a excluir do corpo sob seu com-
man Jo o corneta Deodalo da Costa Ramos.
Dilo ao commandanle do presidio de Fernandp.
Remello incluso V.S. parateremo convenien-
te destino as guias dos tres sentenciados de justi-
ca indicados na relacao p>or copia junta os quaes
serao enviados para esse presidio por parte do Dr.
chefe de polica afim do eumprirem as penas a
que jslo condem nados.
Dito a cmara municipal de Santo Anto.Para
poder resolver acorca da obra do acude de que;
trata a cmara municipal da cidade da Victoria i
em M offleio de 26 de Janeiro ultimo, necessa-1
rio que a mesnia cmara me declare que despera
ser preciso fazer-se com a conclusao daquella I
obra.
Dilo ao Dr. juiz de direito do Brejo.Anprovo o
contrato feito por Vmc. com Emilio Carlos Jordao,
para factura do acude de Cimbres e concerlos da I
cadeia de Pesqueira, constante da escriplura jun-
ta por copia ao cu offleio de 28 do mez lindo, po-'
rm com a modilieaco de que nessas obras jamis
se empregar argamassa de barro argiloso, mas
SU de cal e aren sement, erecommendo Vnu
a ma s rigorosa fiscalisacao no cumprmento desse!
contrato.
Tendo um dos quatro presos existentes naquella
cada de ser remedido para esta capital, como
consta do seu citado offleio, ao chefe de polica re-
comiendo a remocao dos oulros tres para a do
Brejo e do deslacamento para ouira casa afim de ,
ser a de Pesqueira desoecupada entregue ao con-1
tratante.
Inclusas eacontrar Vmc. as copias da planta e>
orcamento que |>ede.Offlciou-se ao Dr. chefe de
polirii neste sentido.
Dito ao juiz de paz mais volado do districto |
da freguezia de Maranguape.-Respondo o seu ofll- j
ci de 8 do corrate, enviando-llie por copia inclu-,
so, o que em 20 de Janeiro ultimo Ihe dirig en
manota a consulta feta por Vmc, em 17 daquelle
mez.
Dte ao gerente da companhia Pernambucana.
Pode v'mc. fazer seguir para o presidio de Fer-!
nando no dia indicado em seu offleio de 9 do cr-
reme a que respondo, o vapor Mamanguapc, fican-
do certo de que nesta data expeco ordens para se-
ren embarcados com a necessar'ia antecedencia os.
ob.ei-tos que as repartiedes publicas tiverem de
enviar para all no mesmo vapor, bem como os
oft-hi's, pracas de prel e sentenciados destinados
aquelle presidio.Fizeram-se as recoromendaces
neces arias s repartieres competen'es.
11 i ti ao mesmo.Pode Vmc. fazer seguir para
os portos do norte o vapor laguaribe, no dia e hora
indcalos em sen oflicio de 9 do crrante.
Por aria.O vice-presidentc da provincia, atlen-
dendo ao que requereo Domingos Jos Marques,
solicitador de capellas, residuos e ausentes do ter-
mo desta capital, resolve conceder-lhe mais un mez
de lirones para tratar de sua sade.
Dita.O vice-presidenle da provincia, confor-
mndose com a proposta do Dr. chefe de polica,
n. 149, de 5 deste mez, resolve noinear para os lu-
gares vagos de 2 e 4 supplenles do delegado de
polica do termo do Bonito, o> cidados seguint-
Supplenles.
2.* Jos Joaqum Bezerra de Mello.
4." Galdino Al ves Barfwsa.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana dcnavfgacao cosleira faca transportar para o
presidio de Fernando, por conla do ministerio da
guerra, no vapor Mnm-mguape, os objeclos indica-
dos na relacao por copia Inclusa, os quaes seraoen-.
viados para bordo do mesmo vapor, por parle da
direeleria do arsenal de guerra. -Communicou-se
ao director do arsenal de guerra.
Ciborio Annisio Pinto e oulro.
pagosjos direilos narionaes.
Miguel Candido de Medeiros Pinto.Informe o
Sr. director do theatro de Santa Isabel.
Mana Firinina da Couceico.Pode seguir com
s tilllOS.
Manoel do Amor Divino. Oportunamente
exlrahida a lotera a que allude o suppl-
os es
Fi.
ser
cante
Til urdo Valeriano Baplista.Informe o Sr. ras-
pelo da thesouraria de fazenda.
Como requer Concedeu-se reforma naconformida le do s 1 do
art 9 da le i. OU de 18 de agosto de 1852. ao ea-
pitao do4hanlho de mfantaria Gulherme Her-
enano de Medeiros. visto solfrer mol :slia incura-
vel que o loi.i.iva roorjwu do servico.
L-se no nuiaOtroM de Ouro-Pnto de l;i do
correnle :
Cartas .-ncWidas da Diamantina leferem o se-
grate :
A meia-noite de 3 do crreme est cidade ac-
cordoii ao toque de rebate ; era um incendio na
HIO DE JIMIHO.
23 de Janeiro de 1861.
Pokr portara de 22 do correnle foram noniea-
dos G; Idino Alvos Monleiro para agente do eorreio
de Po iso Secco, na provincia duJtio de Janeiro
vago |r demissao de Lucas Evangelista de Olivei-
ra; Manuel Jos Gomes do Couto para agente do
da freguezia da Appareeida, na mesma provincia,
vago por demissao do Luiz C. de Souza, e Pedro
Jos Saares Landun para ajudante da agencia da
de Poiiso Secco, vaso por faliocimenlo de Joaquim
Antonio Moreira. E foram concedidas as demissoes
pedid! J por Pedro Antonio da Silva e Geraldo Bap-
lista I inheiro Corte Real, o 1" do lugar de agenle
do eorreio de Ilaba|>oana e o 2" do de ajudante do
da Ba Ta-Mansa lodos na provincia do Rio de Ja-
neiro.!
casa do Dr. Cherubun Bpipbanio Pires Camargo. o
X ,,,mar, a.^a.......;..'?:_______i__________! Condecor-aciies. Foram Horneados cavalleiros
a
ser
apremiado
sado :
Silo annulladas- as duplcalas dos. 2"joi2es de
paz, Candido Honorio Ferreira. na matriz da Con-
eenao, e Benedicto- Goncalves Machado, no lugar
em 22 de dezembro prximo pas-
Na Alvorada Campista de 22 do correnle l-
se o seguinte :
Ilnlrou o vapor Jupnraua que d a noticia de
ter encontrado no dia 20 s 5 hora da manha,
urna calera eucalhada ao sul do Furado 11 milbas,
com jodo o panno cassado, e suppoe-se que esta
inteiramenle abandonada por nao se descubrir pes-
soa alguma a seu bordo e os mesmos botes enca-
Ihadqs na praia.
> Juarana conservou-se por espaco de una
horai em frente ao navio naufragado, e nao
teve ) menor signal de correspondencia ; descon-
fla-sel polo casco ser um dos paquetes frahcezcs a
velia, do Havre. .
AJesta noticia temos infelizmente que acero-i en-
lar s segrales informaQes que recebemos :
O navio naufragado a galera franceza Victoria,
eapitao Massene, da linda do Havre, que sabira de
noss porto em 16 do correnle, levando trala pes-
soasj de equipagem, dous passageros, e como car-
ga 4,793 saceos de caf, 9 caxas e 3,278 saceos de
asscar, 492 coucoeras de Jacaranda, 10 fardos de
algodo e 1 caixa de litas reexportada.
Du-se o smislro no dia 19 do correnle em lat.
S. 22 12' e long. O. G. 41 12\
qual tomou logo proporcoes assjstado-as, e devo-
rou em piucas horas,apezar de esforcos inauditos
lodo o edificio, nial conseguindo se s dvar alsnns
insigmlicantes objeclos. Orca-se em c mos daris
o preiuizo sofl'rido.
ODr. Cberubim chegou Diamanina de vol-
tio Curralinho, (reguezia do Burity, ambas do col-
legio do- Brejo, e bora- assm a eleco seenndarii
do i-ollegio em que reuniram aeiuelles eleilores
nullos..
Occupeu-se depois com o parecer da mesma
commissao de poderes sobre as eleicoes do 3 dis-
...............-----.... tric, da provincia do Rio de Janeiro,' relativamen-
te aesta cidade. onde esleve como de lutado pro-1 le aos dous candidatos que disputara o tereeiro lu-
vmcial. no da segointe ao de lo depleravel acn- ?ar. Oraram os Srs. Martinho Campos e Paran-
t .o-1111 .>, i ___.' i* i
Manoel
de
anno proxiao lindo.
Do Mk baialbao de infamara, Manoel Antunes
de Abrera Decreto de 7 e diploma de 13 do cor-
rente mez.
pocorpodeguarnicao deS. Pdulo Mrreel Joa-
quim de Ttolodo. Decreto de 18 e diploma de 25
de novembro do anno prximo irado.
Do corpo- de goarmcao de Minas Gieraes-, Anto-
nio Alexandrino de.Mello.Decreto de 18 e diplo-
ma de 25 de novembro do anso prximo fiado-.
lecimenlo. gu, licando a discuss.lo adiada pela'hora.
r 28 Foi offerecida a seguinle emenda :
toniinuoa hontem na cmara dos ilepuiados1 Supprimam-se as duas conclusoes do parecer,
aiscussao do parecer da commissao de ooderes so- i e diga-se :
bre a eleicao d i segundo districto da provincia do 1' Que sejam annulladas as eleicoes das fre-
itio Urande do Sul, na parle adiada em 26 de guezias do Pono das Caixas, do collegio de Ilabo-
ezeiiiro prximo passado. Orou o Sr Nerv. |rahy, as de Suruhv e Paquequer. do collegio de
r-oi offerecida a soguinte emenda sub Iiluliva s' Mag, as de Bemposia, do collegio da Parah\ba do
conclusoes do parecer :
1." Que sejam approvadas as elei^ es prima-
rias de todas as freguezias, que licaram adiadas no
da 2b de dezembro, excepto as das freguezias da
Cruz-Alta e S. Joo de Quaraby, que siodi-clara-
das aullas.
2.* Que sejam approvadas as ele >es secun-
darias dos collegios de Piratinv e Algrele, adia-
das ao da 26, excluida neste ultimo a \otario dos
sele eleilores de S. Joo de Quarahv. Jeciarados
nullos.
3.- Que se mande proceder a nova elec.o oaa
freguezias annulladas.
ni, as de Santa Isabel, presididas pelo 1 e'2* jui-
;s de paz, collegio de Valenca.
Sul
zes de paz, collegio de Valenc
2* Que seja approvada a elei^o da freguezia
de Nossa Senhora de Valenga*.
j"1" ^ue seJa aPProvada a deliberaeao do colle-
rio de \ alenca, em relacao aos dous eleilores da
frequezia de Santa Thereza do mesmo eollego.
4 Que seja declarado depufado o Sr. coro-
nel Frederlco Carneiro de Campos. Martinho
Lampos.Jos Angelo.Dmnmgo Antomo RaioL-
ro apresenlado o seguinte requepimento :
Requeiro que se pergunte ao governo :
Io Quantos offlciaes do servico activo da ar
4.' Que seja approvado o diploma expedido ornada se achavam embarcados em navios dasdiffe-
pela cmara aparadora ao Sr. Dr. Antonio Gomes
Pinheiro Machado, edeclarado lerceiro disputado
pelo segundo crculo eleitoraT do Rio }rande do
Sul o mesmo Sr. Dr. Pinheiro Machad}. Affon-
so Alves.'
Coniinuou tambera a discussao do | rojecto de
resptisla falla do throno. Oraram es senhores
Saldanha. Marrado, L'rbano, ministro di imperio e
Ferreira da Veiga.
Ambas as discussSes ficararn adiadas pela bora.
Pelo vapor Ypiranga que, como notic amos, ba-
via sabido para coadjuvar a canhoneirc franceza
Lutiu nos trabalhos do salvamento da galera fran-
ceza Victoria, recebemos hoeteiu as segrales in-
forma^oes acerca do estado em que ella '.o encon-
trada :
_. A elM^gaiia danuelle vapor ao lugar d) sinistro
Nao bouve pardas de vida. As autoridades de ja all se achava a canlioneira, que apenas tinha
IJUL^aman deram agasalho aos nufragos. Hoj> consegudo^alvar dous escaleras e algum panno,
sahir para o lugar do sinistre a canhoneira nada pudendo recolher docarregameolo i a galera'
devo
franceza Latn, afim de transportar aquelles
colher os salvados qUe houver da galera.
- 26-
(Jo,
e re- por acharem se o assucar e o caf comp clmente
estragados pela agua, que alagouo navio, e o jaca-
randa ter dado a praia. Alm disto, a arrebenta-
lonimuou hontem na cmara dos deputados a cao do mar era tal que o navio achava-si j moi-
dis-assao do parecer da commissao de poderes so- lo estragado, tendo perdido o con vez, n astareos
bre as eleicoes do 2 districto da provincia do Rio-: vergas e cabos, e estando com os proprio; raaslros
Orande do bul na parle adiada em 26 de dezembro renes quasi despregados do casco,
pro limo passado. Oraram os Srs. Pioheiro Macha- A caahoaeira que seguio para Macah afim de
i Macedo, licando a discussao adiada pela hora. | all procurar um ferro que perder, e ]ue deve
. .,---------. i voltor depois ao nosso porto, recolheu a :eu bordo
l-oi suppnmida a commissao de eslalislica que o eapitao e a Iripolaco da galera naufrarada.
ta! a sido creada no ministerio das obras publicas, O Sr. ajudante de' eapitao do porto, que como
e ci jo chefe era o 5>r. Jos Candido Gomes. dasenos, partir ao Ypiranga, mnhuu servico
c c _. 7: P0'113 prestar, porque chegou ao lugar am muito
t br. Jos Das da Cruz Lima foi agraciado por mar e quando ja se reputara iraprolicua qualquer
ana banlidade com a commenda de S. Gregorio tentativa de soccorro.
Ma no. 29__
, .--------' ., Occupou-se hontem a cmara dos deput idos com
C conselbeiro monsenhor Narciso da Silva Ne- ; a continuacao da discussao do parecer da commis-
pon uceao Coi nomeado prelado domestico, por Sua sao de poderes sobre o 2. districto da pro -incia do
Sandidade. I Rio Grande do Sul, na parle adiada em >l de de-
tor decretos de 21 do correte foram nomeados: zembro prximo passado. Depois de orar o Sr.
che e de seceao da thesouraria do l'iauhy, o 3 es-1 Marliaho Campos, encerrou-se a discussao, foram
enj turano da de Peraanibuco Joaquim de Luna e approvados o collegio de Piratnim, descor tando-se
Cas ro ; 2 escriturario da thesouraria .la liatia. os votos da freguezia do mesmo nome, dtelarados
o i' da mesma Jos Duarle da Silva Filln ; aju-' nullos o collegio de Algrete e as freguezias de
dan e 00 inspector da alfandega de Albuquerqae, &, Borja, QuarafB.a e Cruz-Alia, ficando prejudi-
Fra lusco Eleutero de Squza, por ter sido ronce- | cadas as emendas em Contrario. Veriii ;ando-se
1 a demissao que pedio desse emprego. que ser-j haver empate entre os dous candidatos Antonio
Gomes Pinheiro Machado e Gaspar da Silveira
Martins, a aorta decidi em favor do primt iro.
Em seguida, depois de oraren os Srs. I'eitosa e
rentes companhia* de navegaco do imperio no
correr do anno de 1861 ?
2 Se nesse anno foi ou nao expedida ordem
para que esses offlciaes voltassem ao servico da ar-
mada, sendo-lhes cassadas as licencas com que an-
davam embarcados em navios daquellas rompa-
nhias t
' 3o Se essa ordem (a t-la havido), foi geral ou
se a alguns daquelles ofliciaes sraent.i ?
4 Quantos offlciaes voliaram effeclivamenle
ao servico da armada em consequencia da sobre-
dita ordem ?
5 Quanlos se refbrmaram, sahindo do servico
dessas companhias sen que effeclivamenle ree-
Irassem no da armada t
S. Exc o Sr. bispo de Chrysopoi, estnoler-
mor de S. M. o Imperador, acba-se gravemente-en-
fermo.
A cmara dos deputados approvou hontem sem
debate o par >eer da commissae de policia, que
manda eleger tres em vez de um vice-presidente.
Occupou-se depois com a discussao do reqoeri-
raenlo do Sr. Leito da Cunha, pedindo par ser
reuiellido tima commissao especial o p rojee te so-
bre reforma lias adminislracoes nrovinciaes. De-
pois de um debate entre os'Srs. *Tvares Bastes,
Leitao da Cunha, Martim Francisco, Camino Res
e Saraiva. fie ou a discussao encerrada, nao- se vo-
tando por falla de numero legal.
Foram apresenlados os seguinte- projectas :
A assembla geral resolve :
1 Fica o roverno autorisado- a contratar es
trabalhos necessarios para a navegaco do Ro *
b. r rancisco.
2 Urna estrada de ferro pelo svstema ameri-
cano da cidade de Paranvbuna at o Rio-das
Venas.
3* A garantir os capilaes empregados naeie-
cucao dos trabalhos mencionados nos aris. Io e 2"
com o premio de 7-0/0 no mximo.
4* Revogam-se quaesquer disposicoes em con-
trario.
Paco da cmara^ 30 de Janeiro de 4864.9r-
noel de Mello gueiredo. Aiwan da fonseca Vianna.Henriqne
Limpo de Abreu. Bilencourt Sanpaio.Ribeiro da
Luz. Chagai Lobato. Horta de Araujo.lot
Angelo. Ferrara da Veiga.Martinho'Oampos.
J. Ftido dos Santo.
t A assemb a geral resolve :
< 1 Fica prohibido ao senador e deputado acei-
tar empregos c'o poder executiv.
2 O magistrado que aceitar o mandato de re-
presentante da nacodeixa vago o seu lugar.
< 3 Ficain revogadas quaesquer dispcwicoes em
contraro.
Paco da cmara. 30 de Janeiro de 1864.Jn-
6 Finalmente quantos offlciaes existem actual-
mente ao servico daquellas companhias, quanlo ,,,1 '^MeUoFina
lempo, quaes as suas patentes e lempo de servico *" "* Mt" n'"^'-^court Savpam.
na armada ?
Sala das sessoes, 29 de Janeiro de 1864.IA-
tao da Cunta.
va lera commissao. o 4 escripturario da aifande
ga c e Pernaiabuco Antonio Pedro Vaz ; 2 escrip-
tura rio da alfandega da cidade do ltio-tirantle, pro-
vai ia de S. Pedro, o 1 da de Paraaagaa Guilbenn
da f ilva Lemos : offlcial da 'jflieial da secretaria da
thessuraria do Paran, o amanuense da rnesuia
Ign: ci de Sa Souto-Maor Araujo.
E n addiamento aoque ja publicamos, temos que
noli :iar que o vapor Ceirs, entrado liontem de
Can pos, confirma ser a galera franceza Victoria
o Bivio que s-s acha encalbado,e que partirn pa-
Saraiva.
llirono.
approvou o projecto de resposta ; falla do
A canhoneira franceza Lutin. cujo bodo velo,
i segundo noticiamos, a Iripolaco da galer;, confir-
ma quanlo temos dito sobre "o naufragio desta. e
! accreseenla que o eapitao e o delegado dj consu-
lado francei doixaran de vir a seu bordo por nao
se acharem auiua de volta do lugar do sinistro,
ra o lugar do sinistro, aate-hontem s 10 '/j horas para onde baviam partido sahida da canhoneira,
da l Odie a canhoneira franeeu Lutin. e hoalem a que nao se pode approxmar rauilo desse pomo em
1 K hora da tarde a canhoneira J>ranoa, que razao da forte arrebentaco; ambos, ponm, all
foi ajudar aquella, levando a seu bordo o capilao
de f agita Jos Picaneo da Costa, ajudante do ca-
p ta > do porto.
27
Hbntem nao houve sessao no senado por falta de
nuu ieru legal.
C intinuou hontem na cmara dos deputados a
discussao do parecer da commissao de poderes so
bre a pleico do 2 districto da provincia do Rio-
Gra ule do Sul, na parte adiada em 26 de dezem-
bro prximo passado. Orou o Sr. Alfonso Al ves.
C ecupou-se depois da discussao do projecto de
res| iosla falla do throno. Oraram os Srs. Nebias,
esparavn o vapor S. Malheusq\ie drtt sabir hon-
tem para este porto.
L-se no Minas Geraes de Ouro Prelo ce 23 do
correnle:
No dia 18 de dezembro ullimo appareceu no
lugar denomidado Itaqu, freguezia d 1 cidade
de Baependy, um cadver sem cabeca ne n nios,
com o corpo j meio devorado pelos corvos, mas
que anda dexava ver que era um homen de cor
branca.
t Juno delleesiava um livrinho ou lorrador
contendt a relacao de seus devedores, cujos nomes
Mai lim Francisco, presidente do conselho e Brotas. er,m. coahecidos em Barbacena O dele>:f do desta
Dcspirhns do dia 11 de feTereirode 1861.
Bifntrimijiloi.
Antimio Malaqnias de Macedo Lima.Nao tem
lugar i que requer o supplicanle.
Antonio Jos Pereira de Mendonca. Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Padre Antonio Freir de Carvalho. Depois de!
extrahdas as loteras, que tem preferencia por lei.
correr a de que trata o supplicanle. |
Dnrringns Jos Marques. -Passe portara conce-
dendo a licenja pedida.
Irmandade de Nossa Senhora do Bom Parlo da
igreja de S. Sebasiiao da cidade de Olinda. Op-
poriunamente seri exlrahida a lotera de que traa
a siipplicanle.
Irm.indad > Nossa Senhora do Livramento da
villa do P d'Amo.Nao tendo preferencia na lei
a lotera de que trata a supplicanle ser ella exlra-
hida ojeortiinamente.
JoM(uim Franch.ro Franco e oulros.?ntorrae a
Sr. ihesoureiro das lotera-. |
Fstao inscriptos com a patarra os Srs. Saldanba
Maiinho, Pelln, Furlado, Alfonso Celso, Liberato.
Tavares Bastos, Brando, Raiol. Jos Angelo, Sou-
za larva I no, Pedro Luiz, Limpo de Abreu, Mace-
do : Fernando Ribeiro, a favor ; e contra os Srs.
Url ano. Lopes Netlo e Ferreira da Veiga.
A rabas as discusses licaram adiadas pela hora.
Faram agraciados por Sua Santidade com a com-
menda da ordem de S. Gregorio Magno o Sr. Dr.
Sebistio Jose; deCarvallw, e com o habito da mes-
ma ordem os Srs. Pascoal Telles Co.ine dos Reis.
Fra ici?co Telles Cosme dos Reis
Periirade Moraes.
Por decreto de 21 do correnle foi nomeado o I*
escripturario da alfandega de Uruguayana, Joo
Pau o de Freilas, para o lugar de 1 escripturario
da alfandega de Porto Alegre, provincia de S. Pe-
dro.
cidade r*cebendo communicacao do de B: ependy.
ofllciou ogo aos subdelegados do Curral, Itertoga
e Santa Rila recommendando-lhes que trata ssem de
pesquiza- sobre o facto, e liem assim de piender
um individuo de nome Custodio Chaves, lilho de
Leandro los Chaves, morador no districto do Cur-
ral, o anal em das daquelle mez de dezembro par-
tirado Curralinho, como ramarada de um mscate
italiano de nome Joo Leopoldino.
c No mesmo da em que o delegado dav estas
providencias apresentou-se-lhe o italiano Pe iro An-
gelo Valasse, morador em Santa Rita da Ihitipoca,
e^jVsc^arcehno mu' conllrnwu as desconfianzas da polica, e aate-
gurou que o cadver era de seu rompatrit ta Joo
Leopoldino, mscate de fazendas eme pou -os dias
duas beslas de canaeln s.
Por portarias de- 25 e 26 do correntc foram no-
meados :
Joaquim Luiz Viera, colleclor das rendas ge-
raes do municipio da Barra-Mansa, na provincia
do Rio de Janeiro;
Luiz Carlos da Silva Peixolo, 2 escripturario da
thesouraria de lazenda da provineia do Cear;
Antonio Lustosa de Lacerda Macahyba, pratican-
le da mesma thesouraria :
us praticantes da de S. Pedro, Sebastio Ribeiro
S. M. o Imperador, acompanhado dos seus se-
manarios e dos Srs. Barao de Tamandar e chefe
do 1 districto naval, embarcou hontem s 10 ho-
ras da manha no arsenal de marinha e dirigio-se
fortaleza de S. Jlo, segurado dalli a examinar
os quarteis da lo Gragoat.
A 1 hora da tarde desembarcou Sua. Magestade
no arsenal de guerra, cujas repartiedes visilou.
1 de fevereiro.
Reuniram-se hontem os collegios eleiloraes da
provincia do Rio de Janeiro para a eleicao d06
membros da respectiva assembla legislativa.
quun Jeronymo Barran para o lugar de ajudante
da directora da fabrica efe plvora da Estrella,
era subsliluicao do eapitao do mesmo corpo Fre-
denco Cavalcanli de Albuquerque, que pedio e
obleve demissao ; e concedeu-se demissao aoD.
Joaqum Mariano de Macedo Soares do lugar de
alumno pensin.sta de medicina e cirurgia do hos-
pital militar da corle.
para terceiros escripturaros da dita thesouraria ;
O praticanle da mesma thesouraria Roberto Lou-
renco da Silva, para amanuense da secretaria da
referida thesouraria ;
Francisco Augusto de Souza Nogueira e Alfredo
Caeano Munhoz, para praticantes dado Para ;
Arsenio Arvellos Espinla e Olympio Pereira
Rebello, para praflcanles da de Sergipe.
Por portara de 27 do corrate foram nomeados :
Antonio Cupertino de Carvalho Silva, para agen-
le do eorreio da Malta-Grande, na provincia das
Alagas, por exoneradlo de Mariano Joaquim Ca-
valcanli ;
Goncalo Nunes Leito. para agente do de Princi-
pe Imperial, na provincia doPauhy, por demissao
de Mieuai Antonio de Mello Barato ;
Gabriel Archanjo Coelho, para ajudante do de
Santa Barbara, na provincia de Minas, por demis-
sao concedida a Candido Coelho de Albuquerque.
Por portara de 28do curenle foi nomeado Jos
Virginio de Souza, para agente do eorreio de Ala-
goinha. na provincia da Baha, vago por demissao
dada a Jos Candido Pessoa de Seixas.
Por decretos de 27 do correntc :
Concedeu-se ao alferes do 4 batalhao de infan-
taria Jos Honorio Silveira da Motta a demissao
que pedio do servico do exercilo.
Foram transferidos : para a 8* companhia do 4"
batalhao de infantaria o capilao do 9 da mesma
arma Francisco Jos Damasceno Rosado, e para a
4* companhia deste batalhao o eapitao daquelle
Francisco Borges Lima.
Foram reformados por sofTrerem molestias incu-
raveis, o capilao do (i batalhao de infamara Lau-
rindo Alvos Barbosa e o alferes do 3 regimenlode
cavallaria ligeira Alexandre da Silva Brando.
Da ordem do dia n. 385 publicada ante-honlem
pela reparliio do ajudante general consto o se-
grate :
Nomeacoes.Dos Srs. coronel do corpo de enge-
nheiros Ilenriquede Beaurepaire Rohan, para pre-
sidente interino da commissao de melhorainentos
do material do exercilo. Km 18 do corrate
mez.
2 cirurgo do corpo de sade, Dr. Pedro Mau-
ricio da Coneeico Embiuruss, piara servir na pro-
vincia do Amazonas. Em 23 do correnle mez.
Pharraaceutico alferes do mesmo corpo, Antonio
Jesuino de Oliveira Brrelo, para servir na pro-
vincia do Rio Grande do Sul.Em 21 do corra-
te mez.
Do soldado da companhia de enfermeiros. Li-
curgo Tito Livio Pinheiro de Lemos, para enfer-
meiro-mr do hospital militar da provincia da, Ba-
bia.Na mesma dala.
Reuioeocs. Dos Srs. 1 cirurgio do corpo de
sade, Dr. Antonio Manoel de Medeiros, da provin-
cia do Maranho para a do CearaEm 23 do cor-
Por
decreto de 21 do corrent,e :
Feii perdoado ao 1 cadete i- sargento do 8 ba-
talli.'Jo de infamara Antonio de Paula Cavatranti
de Almeida, o resto do lempo que Ihe faltata para
enmone a piena a que Mra condemnado ir sen-
tenca do conselho supremo militar de justica de 9
di'agosto do anno prximo passado. de-vendo, po-
rm.
le baixa do servico militar.
antes partir com duas beslas de canaatn s. e to
mai .1 em Ibertioga aquelle moco Custodio Chaves, rente mez.
como cantarada. 1 cirurgio do mesmo corpo, Dr. Jos Joaquim
t Valasse sahendo que Custodio Chaves voltra; Goncalves de Carvalho, da provincia do Ceara piara
casa con o cavallo. ponche, botas com .'poras, a do MaranhoNa mesma dala.
carteira cen dinheiro, e sem Leopoldina f )i saber
I Dolidas d'ile. e res|iondou-lhe o ramarada que seu
lamo ficn em Baependy fazendo robrancs. Va-
bsse ile-ionlia, prende o rapaz, apprehele todos
os objeclos, e 1404 em dinheiro.
t Dirige-se enea do inspector de qu irteirao,
que se etfonde, e nao encontrando autoi idade a
quem inuruisse do facto o entregasse n preso,
d-lhe a iberdnd e volta sua casa, de onde faz
i partir pvn. Baependy um proprio, que vm coufir-
I mar sa> bera. fundadas. SMpeilas.
2 cirurgio do mesmo corpo, Dr. Joo Honorio
Bezerra de Menezes. da provincia do Amazonas
para a de Pernambiico. Na mesma data.
Transferencias.Dei Sr. 1 cadete 2 sargento do
! 2 batalhao de ariilharia a p, Bernardo Xavier
1 Pinto de Souza Jnior, para o 1 batalhao da mes-
ma arma, como, requereu.
Do soldado do corpo de artifices da corte Jos
Fabricio Borges, para o batalhao de engenheiros,
I ao qual se acha addkio. como requereu.
I Do soldado e1!,-, 4 batalhao de tnfantaria Franris-
L->e no Corrcio- Paulistano de 22 do passad:
Da cidade da Constituieao nos eserevem em
data de 23 do correte :
Chegaram esta cidade, viudos das margeos
do Paranapanema, quarenta e tantos Indios, entre
homens, mulheres e criancas, e depois de urna de-
mora de tres das, seguiram hontem pela estrada
de lt em direceo essa captol.
Pertencem tribu dos Guaranys, segundo di-
zem, e sao dirigidos por um cacique a quem do o
tratamento de callao. O seu lim pedir ao Exm.
presidente da Mvineh roupa e instrumentos de
lavoura de que rnuito precisan.
O diirno su >delei;ado desta cidade Joaqum
Antonio de Oliveira, com louvavel zelo.esmerou-se
em salisfazer-lhes as mais urgentes necessidades
forneceu-lhes saslentoe vestidos, po que aqui ap-
pareceram quasi uns. Foi Disto muilo coadjuvado
pelos habitantes dessa cidade, que de boa vootade,
a seu pedido, com elles repartiram as suas restes.
c Foram baptisades oto de menor idade que
foram muilo presenteados por sens padrinhos.
t Na despedida o subdelegado entregou ao ca-
cique urna guia recommendando-os benevolencia
das autoridades e povoacoes por onde tem elles de
passar.
t K de esperar qoe essas autoridades nao se
moslrem inferiores em zelo ao subdelegado desla,
que com su procedimenlo, augmentou a eslima
de que j goza entre seusconcidados.
2
A cmara dos deputados elegeu hontem a mesa
que temdefunccionar no correnle mea, sendo no-
ineadoi os Srs: presidente, Fuado; vice-presi-
dentes.Saldanha Marinho, Valdetaro e Barbosa
de Almeida; 1 secretorio, Franco de Almeida ;
2, Pedro Luiz; 3, Limpo de Abreu; 4. Jos An-
gelo.
Continuou depois a discussao do parecer da,
commissao de pederes sobre a eleico do 3 du
Incto da provincia do Rio de Janeiro. Oraram o&.
Srs. Jos Angelo 1 Pereira da Silva, ficuido a dis*
cusso adiada pela hora.
Entrou hontem de Montevideo com datas at
z do passado o vapor inglez Kepkr
A nica noticia, de alguma importancia %e as
folhas publicas re ferem a de ter o geoeraLPlres
levantado o sitio de Raysand approxima^o do
exercitogoveraisade Servarido Gmez. Flores
marchou, seirundo-pareces, a reunr-se cem o res-
to das suas forcas-djante de Salto, e Goroez seguic
apoz elle.
S. M. o lni[n.dor, arompanhade. do ministro-
das obras publicas, visilou hontem as obras, da
companhia de esgote, na Gloria, o por sua or-
dem principiaran 1. trabalhar as machinas e ap-
parelhos de desiril-occao, que sa portaran bem.
Sua Magestadet v.siiou algumas. casas da ra de
Santo Amaro, or.de ja vigora o svstema, que tunc-
ciona desde ttOMtera.
Por cantus imperiaesde 26 do correnle foiapre-
sentad. o. p ,kdre Antonio Goncalves da Rocha em
um canoair ,10 aa ordem diaconal da cathedral da
diMiti^a dr. Para; foram naturalisados cidados
ba.siltiur'^sos stodilcs portugueies Daniel Fer-


I


.
Diario de Pernambuco Segunda Cetra 15 de Fevereiro de 184.
liand*, dos Res Vianiia, Ricardo Nunes ittioArtharPinUe Domingas Correa do <". o cogitar, eran as prximas olWo.
valho: e loi continuado o couipromiss) da .rian- j Segundo a Tribnm linha fil. Juan Baptiza
dado do Santissimo Sacraraentode Nossa S rahoi a IV na aceitado a pastada fazenda, que Iho avia
da Apresentacao de Iraja, do municipio da corte.' sido olferecida.
Por carta imperial de 30 do Janeiro ultimo foi j Continuavam>uspcnsas as relacoes ofliciaes.com
. naturalis auei Doitiiagos Luiz da Motta. "'curren Emola il:is noticias aue nos trouxe. ) A*
Por decretos de 23, f7,29e7lO de Janeiro foram
Horneados:
O hachare! Estovad Benedicto F
'municipal e de orphioa do termo de
na provincia d" IV: uambuco.
orcorreu depois das noticias que nos trouxe
pter. A scisao entre o partido dominante era
vez mate profunda, ameaeando degenerar en
armada, coni o que felga'a parcialidadc <\<
tote .'pitan Leonardo, vou omtar-lhe una circumstan- Paco do senado, 28 de Janeiro de 18G1.An-
r.\na juiz O governo. recorren*) as ultimas medidas de i i|0r, da que, revelando urna piedade mal entendida, fowto LuizDantas de Horros site. .
Villa-Bella, fez numerosas rlales, contando-so entre os presos prova anda a pouca conta era que p..r aqu se Na i. dessas sesadet foi lido o
D. Vicente Vazques presidente do senado, es
mal mi a respirar a imprensa.
Do Paraguay nao ha novidade.
_ 6
lionlem n> houve aemifl na cmara
tados por falta do numero legal
dos
cada
I uta
residia caro um tilho e irraad da victima; eom e-
ieito vieran] psU busca-la, um apenas estes par*
lem, levaudo-a, Zeieiino anepende-se desta boa
accan e montando a cavado, sahe para ir recou-
dtuir casa a pobre mura.
> i'essoas do povo qucrnido impedir algum con-
flicto, seguirn) logo aps, mas meio caminho
j encontraran] Zeferino morto com dous tiros e
algtnnas (acidas,
que receber carta de empento de algum particular Mnuarao O
I ara dar sen tenca ou decidir quaiquer negocio de jnlgar ; se
sua competencia, a remelle ao promotor publi
co, para que, depois de fazer as diligencias do ar-
tigo antecedente, a remeita ao juiz criminal, para
formar culpa ao seu autor, como incurso no art.
134 do cdigo criminal, ,\ dispesicio desta le
nao comprehende os memoi iaes que as partes, de
seu proprio punho, enviaren! aos juizes. Ficam
Por fallar em principio no assassinato do ea- revogadas todas as leis em contrario.
depu-
sena-
Time
;rciso
arre-
oder,
Antnuio .Vives de Sucia Soares, major co inun-
Hlante da seccao d* batallio da reserva da guarda
nacional n. Mteprovincia de. Minas-Geraes.
Francisco Pereira Berges, majer commaudaote
*la noci do hatalho da reserva n. 27 da parda
iikW da nie.sma provincia.
Felioiaoo Jos de Mello, capitn secretario-feral
i.i provincia de Pernambuco
Antonio Francisco da Cunta, capitao cirurgiao-
mor do c raimando superior d guarda etcional
do municipio de Limoeiro, nc provincia d; Per- cota.
uambuco. Asswlie as lir-.-es das pnmraras cadeiras no i
Foram removido;;, a podido : ** e 3 anuo, ka leganda de *., e ao ex
O desembargado!- Joaquim Firmlna Pereira Jor- esgrima,
-ge, di. relaeo de Pernamburo para a do Rio de Denoesde perrorrer, fxatrmxndo inimiciOMaraen-
Jaueiiu te as '""rias da fortaleza, quarteis, arrecaacates,
O desembar^-afor Alfonso Arthur de Alt leda e alojamentos, enfermaras elidas as dependencias
Alliuquerque, da relacio do til.) de Jauro para a do estabeleciiconto, reireu-se a 1 '/i *>,rs
Urde.
seguinte voto
tem vida de um humen!. de gracas :
I"ni escravn do dito capilao, interrogado sobre Senhorl O senado aprecia e agradece a V.'
o assassinato de seu senhor, declara que, en- M. Imperial o sincero jubi o que sempre manifes-
centraudn-o no caminno ferido e penando muilo, ta na renniao da assemblca geral legislativa.
dea-lhe cinco lacadas para morrer higo c nao con- Acorapauhando respeilosameote a V. M. Im-
iMuar a padecer perlal no seu vivo pmer pela connoacio da
E sobre taes hnrrores nao sei que providen- tranquilkade publica em t idas as provincias, bem
ois tem as autoridades locaes dado. como pela abundancia dos gneros alimenticios e
t Peco a attenc.v do Sr. chefe de polica e pre- pelo estado da sade publica que V. M. assegan
sidente da provincia para estes lugares. ser em geral satisfactorio, f senado rende iniii
nossos collegas em seu ejercicio de
contraria, snpportaremos eom resigna
S. M. o Imperador, acompanhado por MUS seroa-
narris, visitn bodiem a escola militar da Praia
Vermelha, nnde hegou as 9 horas da
A' respeito da descoberta de diamantes feiti
no llomlim, lem o de S. Reman, ministrou o res-
pectivo ju municipal asseguintes infornwfoes:
O rio Santa Fii desde sua barra, na margem
ni. nhi" esquerda do rio l'aracat, at a sua nascente, dis-
tas gracas ao Todo-Poderos( por estes grandes be-1 meus Ilustres coUegas.
ao taes dissabores pela oBosa que se faz aos nos-
sos direilos, em quanto o tempo nao mostrar a al-
guna ministros da justica at onde chegamos limi-
tes conslituciunaes do seu poder.
E preciso prevenir a* consecuencias que po-
dem resultar deesa resistencia. >endo apoiada. e'
adoptada pelo tribunal: alm de outras. que deixo
de mencionar, porque entram na intelligencia de
lodos, basta referir urna ; seo decreto das aposen-
tadoras deixar alinal de ser anniJIado pelo corpo
IcgislatifO, e entretanto os juizes (mal ou bem apo-
sentados) continuaren! a julgar, que forca terao
suas sentencas j proferidas? As parles contra
quem forem dadas, se sujeitarao decisoes nullas
em direite pela incompetencia dos juizes ? Ter o
tribunal o arbitrio de fazer subir os autos cm que
se denegaran),ou concedern)as revistas, paranel-
les se fazer nova api esentacao e distribuicao e dar-
se nova decisao |
Sao estas as consideraciies efue julgo do meu
dever, como presidente do tribunal, apresentar aos
neficios, e se apraz de rec Mtteoer que a paz in
ternp. de que ha muilo tempo gozamos lem por
principal fundamento o amor e adliesiio dos Rra-
sileiros as instituteoes ceiistitucionaes da nossa
inorque,
de Pernambuco.
Foram promjwiik'S:
O Uineate Frederico Martins de Aracjo, ao pos-
v.o de capilao qaartel-inestre do oonimando supe-
rior c'a guardaiiac.ijiial da comarca de Castro, na
provincia doParau.i.
O tenearte-cerrtnel Candido Xavier Per :ira de
Brito, a pesti de coronel coinmindacie s jperior
da guarda nacional des municipios do llrejo e
Cimbres, ne provincia de Pernambuc*.
sendo recebido pets Sr. ministro esperava e pelo commandante e ofliciaes da-es- nhecido diamantino, assmn como alguns deseus Com igual respeito o serado aproveiu esta pri-
allluentes. meira occasiao solemne pan exprimir oa augusta
t Alm deste, existe um corrego denominado Jo |resenca de Vossa Magesta le Imperial a msgoa e
Cotuveito, cuja barra (lea a 25 leguas da do Santo indignciio que Ibe causn o conflicto levantado
Fe, que porcerre urna distancia de 10 leguas desde Resta curte pelo represen'ante de Sua Magestade
sua nascente, que no fecho da serra da fazenda lritannica.
doBagardo; este corrego, serra ribeiros, que senado sent com V. M. Imperial que a mar-
della correm, apezarde poucas cxploraces, devida cha e o resultado do mestm conflicto conduzissem
probibicao dos preprielarios, sao tamben) da- a interrupcao das relaedes diplomticas entre OS
manlinos ; pde-se perianto calcular em cerca de dous governos^ roasreconfece que o governo im-' Marco prximo futuro para a eleirao de um depu-
M) leguas em quadro a ara mineral. perial fei com pezar forcad > esta resolucao por taeo pelo 2 districte, que v prenener a vaga
So principal descoberto, HiMHfim, existem de ter-se recusado o da raima da raa-Rrelanha a deixada na cmara temporaria pelo Si. Theophilo
1,-UO a 4400 pessoas. das quaes so se eccupam na dar-nos a satisfaco e indemnisacao que reclama- Benedicto Ottoni, que foi escollndo senador.
carpo de iniiierai-HO .'100 ou 4or causa da graviss ma otfi-nsa l'eiia pelas Por sentonea do juiz de direito da comarca
c Caleula--e ter-se exlrahidTaWi-de 160 a 2W> suas forcas navaes indi pendencia e soberana desta capital foi "no da 26 do correiite proniuicia-
oitavas de diamante-, sendo vendidas cada urna do Rrasil no emprego violento A
Por decrerts de :W do passado e 3 do cr-
rente :
Foram nomeados i.-" cirurgioes do
saiide do exercito os desReras en medieiii
Mensdiini e Platao io* Abras Rigaud;
Furam reiormados^ nares loto da Silva Fnr-, uunca menos de *20.-
tade, do 4:- i-egimetUu de cavallara ligeira
Ponte Marios, do batalnao de caradores de
0 tenente-curonel'Antonio Xavier de Moraes. ao resso ; e Thom omes Vieira l.ima, do 9/
^el cosawadnte Miperier"da guarda lho de intantaria, todos por soffrerem w estias cit e(:urvello, diamantes dos quaes j se tem ex-
nacional dos municipics de Flores, "Vtlla lelU e SMORHfe que os tornavam incapazes de st
Ingazeira, na inesina provincia.
Fo a^i-egado:
0 coronel comuumdante supenor -da guarda na-
cional de tnunicipi)e Oeiras. de. proviucia do
Piauby, Josti Ferreira do Canralno, ao estaoV
maio- ".guarda nioiunal dos monirtpios de Jai-
coz e S. Paymuudo 4 Fot oimnutada:
Ao Dr. Jteruai do Cassiano de fforonha Ginzaga,
Resolvendo o tribunal quecontinuassemos mem-
bros a funecionar al que a assembla geral deci-
da sobre a legiiimidade dos decretos, foi isso coin-
comuuinieado ao ministro da juslica, que ceusu-
rou o proced ment do presidente e do tribunal,
mandando que desde logo se ausentasseni os apo-
sentados.
Nao querendo o presidente do tribunal cumplir
a ordem do ministro, pedio e obteve sua demissao,
sendo substituido pelo cunselheiro Joaquim Mar-
celino de Rrilto.
L-se no Minas-Geraes, de Ouro Preto. de 30 do-
passado:
A presidencia acaba de marcar o dia 20 de
Jos
Jos
Matto-
bata-
inares terntoriaes do i ni pe io.
Consta de pecas ofliciaes qae descnbrio-se o se
a pouco no rio Sp, confluente do rio das VeHias tados os verdadeiros interasses dos dous povos,
e que serve de divisa dos municipios da Concei- chegarse-ha algum acord digno e honroso
represalias nos do, como incurso as penas do art. l|rtg^ t .
, criminal, o respectivo promotor publ"
ha
cnado nutre a esp
No dislricto da Capellinlia
Jos
da asseiuWa provincial ao Ezni. presidente da
provincia, e o baile offerecido ao mesmo Exm. Sr.,
no paco da assembla, que estove concorrido e ani-
mado.
Alagas.Procedeu-se eleicao de membros
assembla provincial, no dia 30 do passado, sendo
eieitos :
Pelo Io dislrictoDrs. Espindola, Paes Pinto, Ri-
cardo. Roberto, Jos Paulino, Luiz Menezes, Lobo,
Blandi e V. de Mello, padres Uelfirio e Amancio,
Perdigao, Soares, Palme ira, Tibirica, Vieira Peixo-
to, Candido e Foligonio :
Pelo 2' dislrictoDrs. Theophilo, Eutychio, Gal-
di no, Lourenco, Manoel Osar, Telesphoro e Fei-
tcsa, padre Satyrio, capitao Souza Lessa, Vicente
de Paula, Correia Paes e Francisco Valente.
Na noite de 4 do corrate houve um princi-
pio de incendio na inspeccao do atgodio, o qual
apenas queiraou tres saccas, por ter sido lego suf-
focado.
Noticias commercias-s e maiutima>
Montevideo. 29 dr janeiro.
Cambio.Londres, .'2 a 52 1/2 por & correte;
Fianca, 83 a 83 1/2 frs. por onca ; Rio de Janeiro,
2'JilOO nominal; Bnenos-Ayres, ao par.
Fretes.Inglaterra, 50 sh.'; couros salgados, 80
sh.; ditos seceos, 4o sh. os fardos com o 0/0 de
capa.
Havre, lo frs. couros salgados, 90 frs. ditos sec-
eos, e 70 rrs. os fardos com 10 0/ de capa, sob
b.ndeira franceza.
Marselha, 43 frs. couros salgados, 90 frs. ditos
seceos, e 50 frs. os fardos com 10 0/0 de capa em
navio francez.
Brasil, carne secca 4, o e li rls. por quintal, e 5
0/0 de capa nominal.
Estados-Unidos, couros seceos 1 1/4 cL e fardos
12 sob bandeira estrangeira.
Buenos-Ayres, 30 de Janeiro.
Cambio.-Londres, 51 e 50 5/8 d.; Franca, 5,38
e 5,..) frs.; Genova, 3,3o frs.; Rio de Janeiro,*
1,850 rs.; Montevideo, 1/4 0/0 desc.; pesos fortes,
ultima venda a dinbeiro, 28 60 etc.
Descernios.O banco recebe a 3 e empresta a 9
0/0 ao anuo. Na pra^a regulam de 1 a 1 1/4 n/0
ao mez.
O-Sr. baro de Mont-serrale ped obteve de
'inissao do cargo de presidente do supremo tr bu
de justice-
(> senado oceupou-se hontem era traballtos de
oniitiissjes.
(o. iraUii no poucas oitavas e da melhor qualldade.
< lExigiam-sc inais ampias inforasacoes.
DIARIO DE PERNAMBUCO
Pelo
para ambos.
i Smente cora esta indet linavel condico poder
tal accordo corresponder nobre o patritica atti-
tude assumida jior V. M. Imperial nesses dias de
dor e de enthuatasrao, em pie V. M. Imperial col-
locou-se como sempre frt ote de todos os Brasi-
leros sem excepce para s ilvar a honra nacional.
Folga o senado de que S. M. o re dos Belgas,
cujo arbitramento foi sutmettida urna das ques
das
deu-
v. 10-
pre-
.. vapor Pnnreza de JmtirUU, entrado hon-
tem do sul do imperio, recebemos ornaes do Rio toes desse conflicto, houve.-se por bem decidir que
A cmara dos deptitados approyou hontem suc- at7, da Bahiaatll e de Alag iano c itiijuna 'uiMti-1 ----------- -------- r- ___.__... i .,: ~-" -'
apena de quatro metes de prisio, e mulu corres- sanamente os reqaer.menlus dos *nhores, Le reate.
pondcnte. inetade !o lempo, imi-osta por seoten- ao da'Cunha e Tava.es Bastos, nodtade O ppwg; Alm do que vai sob a rubrica -Jnttnor
leiras aos oriaes da Iraga a Forte nao se deu pre-
se o seguinte facfo:
Jos Candido da Fonseca apresent
tra do 634 a Joaquim Silverio de Mene.
mando-a pretexto de examinar as con
mi, nao quiz restitu-la c negou-se ao pagiiMnto.
O credor dirige-se ao subdelegado, e quando
esta expeda um mandado de busca, Menezes pas-
sa armado pela porta de sua residencia.
0 subdelegado dirigindo-se elle recebe um
tiro de pistola e Menezes consegue evadir-se.
Mandou-se instaurar o processo e diligencia-
se a captura do crimiooso.
Baha. Desta provincia apenas encontramos o
que va i sob a
apenas enconiramos mais o que segu.
to de Jakkiho. Por decreto de 23 do passado
foram exoM
meditacao deoffensa, nem olTeosa a marinha da In- qne segae no Diario :
glaterr. t Deu-sk hontem (9) urna deploravel oceurren-
0 obsequioso testemu ho de amizade do go-1 ca no edificio do gazometro da conipanhia do gaz.
irados os seguintes presidenies de pro- ^erno deS. M. Fidelissima, offerecendo-nos sua va- Da casa que servia de deposito de carvao de
liosa mediacao para renovarem-se as relacoes di- pedra, desabou a parede do lado do sul sobre as
ca do juiz municipal da 2'"vara da corte. "e seja remetuda a urna ^Mniwia OJjpsjcW
Tiermmercda servenua vialia : < c!nc nwmbros o projecto sobre reformi da
Jo; des Santos Serba, do idiek deesciviode admuiistraroes provinc.aes, e_ o segundo due se
orohos do termo d lVdi:uavana a provincia de nomeic tambem urna conuuissao especial oe ir
S Pelrc do Ro Grude do Sul membws, a qual, examinanda o projecto sdbre a ^ ,,, Calharina or. Pedr.. Leitao da Cunha; plomaticas entre o governt do Brasil e da Gnu- casas contiguas a ra do Noviciado, do que resul-
'joaeda Costa Lotte do oflicto de escrivao da f roforma das qualificaroes de voumtes. oirefeeido de Serpjp,, r. Alexandre Rodrigues da Silva Cha- Bretanha fei de muito apn co para o senado, bem tou suceumbir debaixo das ruinas quasi todas as
vara coasuiercial da cirte na-*esso de 2? de junbo de 1861, lormule a Ul ves. d0 paran or jot Fernandes Moreira ; do Francisco Mar-Ui's Teixeira, dcefliciod eseri- respeito um projecto de lei. Para a prime ra fo-1 Rid d(; janeiro nr. Polvcarpo Lopes de Leo; de aceitar tao nobre concurso por faltar ainda explica-' nham a familia do Sr. Manoel Archanjo de Jess
vo daorphaose as-ente-do tonao do Amparo, rain Mineados os-senhores Sarava, Carrao,|Paula Minas-Geraes Dr. Joao Chrispiniano Soares; do ta a aceitacao da mesmaflferta pelo governo bn-1 Moreira, umeo que escapou, por se achar no arse-
na provincia d-^-S. Paulo.
Maaoel Candido Quiriim Chaves, do offlcio de U-
bellia do |iulilico judicial e notas do lera do
Amparo, na mesuu provincia.
A cmara municipal de llapemirra, na prov.n-
cia di Cspirito Santo, nomeou nina cootmissao
composta dos Srs. Drs. Paulino Jos Soares de
Souza, Flores e Urbano, e para a segunda osl Srs
Silvuira Lobo, Fernando Ribeiro e Junqueir.
Oceupou-se depok. com a discussao do requeri-
mento do Sr. Ferrewa da Veiga, pediado infbrma-
efies nao s sobre os processos formados contra o j
juiz de direito da-tomarca do Parar. Dr. Manoel
Jos. Pinto de Vasconcellos e outros na cidade de
rheraba. como que providencias oram toimadas
Amazonas Dr. Sinval Odorico de Moura; da Para- tanmeo. Com especial, agrado ouvio o senado a
hvba Dr. Francisco de Araujo Lima; e do Cear commumeacao que V. M. Imperial houve por bem
Dr. Jos Bento da Cunha Figueiredo. fazer-lhe, de subsistirem nilteraveis as nossas re-
Para substitui-los foram nomeados: laCes amigaveis com as temis potencias, assim
Presidente de S. Paulo commeodador Vicente de como que o governo impe ial mantem a
Souza, Luiz Francisco da Veiga, Antonio Pereira *ol)re urna representado de alguns Mdadaof resi-
Pinto, Luiz Antonwi da Silva Nunes, Taonaz Jos denles na cidade da Campanba, contra o f. juiz
Piulo de Cerqueira e coinmeadador Jo.'io Son?al- de direito da comarca do Rio Verde, Joa.p un
ves Pireira Lima, para dirigir jo conde d: Mal- "<"eJ Monteiro. Depon
mesb u> ama mensagem de agradec.imen ,o
suadefeza djBranil no parlamente ioglez.
n,|a fonse Celso e Ribeiro da Luz, lievu
adk la pela hora.
s. Af-
a disi DBtio
L-se no Miiuu-erttu de Ouro Preto de, 28 do
correte
Foi nomeado o 6r. Jos Tolentine Teixein para
i agente do correio de Itabapuana, na proviocia do
t-tpideraiadas bexigas, alr. de outios pon- ;*'<> de Janeiro, e por iwrtaria M do cencute
tos era ue ullimanienle appareeau, como *rahy- *u' craz a agencia do correio de S. Jos di Alera
buna, Pomba, ele, acaba taubem-de fazer erupcao Parahyba, na provincia de Minas, e nomead* o Sr.
navilUdeJacuby.
A presidencia autorisou a cmara a despen-
der ale a quaua de 5O0 cora o trtame ito das
pessoas da ciaste tobre que por vcutura fossem
atacadas.
Oommunicalimos da Januatia :
-VI\aro Jos Rodrigues denunciou o
Jeo Bernardo Coellio para ajudaate da algencia
do correio de S. Joao de El-Re na mesma pro-
vincia.
Souza ()uroz;
Dito do Cear Dr. Lafavette Rodrigues Pereira;
Dito da Parahyba Dr. Sinval Odorico de Moma;
Dito do Amazonas Dr. Adolpho de Barros Caval-
cante de Alhuquerque;
Bito de Sergipe Dr. Francisco Mara Sudr Pe-
reira;
Dito do Paran Dr. Jos Joaquim do Carmo;
Dito do Rio de Janeiro Dr. Joao Chrispiniano
Soares.;
Dito de Santa Catharina Dr. Alexandre Rodri-
gues da Silva Chaves;
trieta neulralidade nos lairenlaveis successos que
allligem o Estado Oriental do l'ruguay e suscitam
nal de guerra onde erapregado.
A' hora em que escrevemos tem sido lirados
4 cadveres, 2 senheras e 2 enancas de 3 a 3 an-
nos. Pessoas ainda vivas tem sido tiradas 7.
E' tal a quantidade de carvao de pedra que
accumulou-se sobre as ruinas das duas casas que
torna-se dilDcilimo descubrir as desgranadas victi
desintelligencias entre esta repblica e a Confede- mas desse sinistro, devido sem duvida incuria da
raco Argentina.
< Em circumstancias ta) melindrosas dever
do governo brasileiro prestar efflcaz protecgo as
Dessoas.e interesses dos no sos naeonaes, median-
te urna poltica circumsperta e previdente.
O senado ficou inteiralo de terem sido ratifi-
das e de acharem-se em vi jor as convenedes con-
sulares celebradas com o joverno de Portugal e
da Hespanha semelhanca das que se tizeram com
Dito de Minas-Geraes Dr. Jos Vieira Couto de a Franca e outras nacoes.
J duas vezes noste anno tem tido a nossa pra-
ra occasiao de deplorar duas dessas occuri
enente-1 sempre sensiveis onde, como entre nos,
encas
l otavel
a boa l ea nonfianca com que si: nffeetuam
eoinmerciaes.
Em Janeiiro soube-se da fuga do Sr. Jwo da
Cunta Telles, socio da Arma Carvatfco ltrag;
ensiiocadores de t ale. levando os Ijvros da
deixaudo neslaura.alcance de 100 e tantos
de leis.
tortem ;iiiiiunciava-se a desapparico do
deixando um alcance de 400 e tintos contoi
Pactos desta ordem sao principalmente
taveis quando se dae em um ramo importante do |iassad0 e 9 do crreme mez.
eeoHm pera, cojo crdito tem sido atona
seguidiis jitovas do lipiirailez e de probidadp.
casa e
coulos
Sr. Jo-
Falleceu hontem s 6 horas da tarde oconeeitiia
do negociante (torluguez Jos Luiz Pereira, muilo
estimado dos seus patricios pelos actos de
de que pralicava.
canda-
coronel Vicente Ferreira de Seuia, comra tildante
do kJallio n. -27 da guarda nacional da Janua-
ria, e aeogra deste, D. Benetota Leenidia da Ro-
cha, p*i haverem conservad) em seu |Kider ha
mais de dous amos, algunsescraves seuse do sua
euiiadc Delpliiaa Nunes Vassailo, e oilereceu
como prova do criine, entre outros, o desappareei-
inentu de um escravo do dito tennnte-coronel, de
nome Kanoel Sbemete, que seudo seu liel e en-
carregado da fiscalis.uao dos celebres quilombos
que houve naquelle municipio, nulo denunciou,
pelo que seu sculiti o sujeiiou ni serosos cas-
tigos.
A va puilica e todos os indicios levara a crer
que o referido escravo Cosse assassinado; i ata sus-
peila aitiila corroburada pelas declarajoa xtti-
tradictriies fei tas pelo teiicute-eoronel. sua sogra
e seus eeenvos, alias por elle* prepaiado: para o
interi-ogaUtrio.
Acamara municipal de Sabara eftl ;iou ul-
tima Dente ter-se dado era Conloabas de Sabara o
factj altamente criminosa de ter urna nal nasas-
siuad j seu (iroprio llu.
A polica deu todas as providencias io seu
alean w para o conlieciuiento da verdade o puni-
co da r.
A cmara municipal desta capital, reite-
rando as corlantes feli'ataeo.s da asseaWa pro- No *? ,! rrciile loi oberta, pee' n
vinel d miueira, acaba de dirigir cara.-.ra dos Iheiro Pues ifct Motta. a aseemUa legisl iva de
depuiaios urna royres.itaeao pdindo a ereac.ao s- ['iul- ,,||l'' Beon assim oigani^da
de moa relaeo ienUpraviaeia. Presidente, Dr. Amwico Brazilleose de
__a. __ Mello.
A cmara d* deputados apprwon beniem sem Vicepresidente, Dr. Antonio Carlos
debate, en -. discusaao, o projecto que neoga os And rada,
arts. 27 e 28 do re(imenk commum na p re em \ jf1*"**0 "** Dr- Joao Tobias *
que exige melade o mais um dos meinbiide ra-ie Castra ........
da urna das cantar is, para haver lugar a, insulta- Segundo dito, Br. Miguel Monteira de G
Ci da assembla eral. No mean a eotogou e Sr. Pires di
Occupou-se depois cura a l. di-wssc do pro-'*'1'"""-"-''" da provincia ao vicepresidente, o
jectoaUlindo a p-na do roerte. Bepoie -loalgu- Sl' coiis^lbeiro Joa-pnmajo Amaral Gurgel.
mas observaeSes n Sis. Dantas, \irurto, J. Xadu-; lMi
reir Franco de AlroeiJa, lavares Bastos ( C Ma-'
MaginYlet,
Pelo ministerio do imperio fJi dirigido o avi-
so segulMe ao presidente da directora do monte
po ies servidores do estado, em 27 do pas-
sado:
lllni. e Exm. Sr.Estando determinado pelo
art 1C do decreto de 13 de marco He 1844 que
Jogo que os fundos do monte-pio geral de econo-
ma ilo< servidores do estado, excedam a....
ue- 2,000: ' compra de apolices a lerca parle dos juros das que
Actos desta natureza podem utilmente con-
correr |ara o incremento do commercio e de ou-
tras inqtortante.s relacoes ratre os respectivos pai'
zes, quando, em harmona com as leis, baseam-se
nos validos principios de reciprocidade pratica e
resalvam os interesses nacionaes!
Xa lisongeira esperam a de que as rendas pu- da grande quantidade desse coinbust'tvel que all
blicas tomem aspecto mais animador logo que des-' se eslava amontoando disirico !
apparecatn as causas dosel actual decrescimenlo, I E' lamentavel que era uina jioca em que os
o senado envidar todos esl'orcos para conse- conhecimentos praticos se acham lio disseminados
guir-se desdeja o necessar o equilibrio da despeza nao tivesse a companhia do gaz, ou algueni por
imitando irradia aos empenhos ella, o cuidado de calcular a quantidade de carvao
companhia do gaz.
Nao sabemos ao certo o numero de victimas,
nem mesmo estamos habilitados dar desde j,
circumstanciada noticia sobre to doloroso sinistro,
o qne faremos nos nmeros subsequentes, logoque
obiivermos inforraacSes exactas.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, o Sr.
Dr. chefe de polica, e delegado do Io dislricto, e
outras autoridades apresentaram-se inmediata-
mente no lugar do acontecimento, acompanliado-
dos trabalhadores dos arsenaes de marinhae guer-
ra e deram as providencias que reclaraavain a
pungente situacao das infelizes victimas.
Assegiirani-nus que as paredes da referida
rasa de deposito do carvao de pedra nao tinham a
neeessaria consistencia para comportaren) o peso
possuir o mesmo monte-po proredende-sc, no caso com a receita. limitando tqudla
de que o restante da receita nao ehegue para o pa- conlrahidos e aos serviros de que nao seja dado que podiam tolerar as paredes de um edificio ja
Lamento das despezas do estahelecimento, ou ra- prescindir. estragado, que a companhia do gaz comprou para
teio das penses na forma determinada no art. 15 O senado pensa que estes esforcos nao serao fazer sea gazometro.
do mesmo decreto. O governo imperial nenhuma fiustados em seuselfeitos, ;e o governo, compene-
objeccae tem que oppr A exeeoee das delibera- trando-se cada vez r
s Antonio Venerle, tambem ensaccador te caf, jjj, ;m a jjrectoria do dito monte-pio tomou em severa economa naapplicvcao dos fundos volados
observancia do; proceitos do citado art. 16 e de pelo poder legislativo, evitar com particular cuida-
imen- glie di oonta e(n olB,.os ,le 3! de outubro prximo | do novos gravanes para o thesouro.
Convencido o senado ce que as medidas re-
do por :.. Nas ses5ies do s,.'nado de 27e 28 do passado commendadas pela sabedoria de V. M. Imperial so-
bria apresentades os segttintes projeclst **" rola
A assembla geral legislativa decreta
i cito e armada, assim com< dos meios de cominu-
Art. 1. A propriedade de eseravos no impe- mraeao. de miroduccao de bracos bvres,e do apio-
rio prohibida aos seguintes: i veitamcnto dos que ja existem entre ne, sao da
S Aos estrangeiros pcrtcuceiites a nac5es. mxima importancia, indispensaveis para o nosso
onde seja prohibida a escravidaoe que vierem resi- paiz. oceupar-se-ha opportumente dellas cora lo-
Hunium, apregoando o Sr. Prosper PU llgret a
venda era leilao de quatro eseravos. appaneeo um
preto Mina, que lancou n'uin delles, deijlarando
perante todos que erii para errado. O eiloero
bateo logo martdlo. e e lOeron preto papou im-
inediaiamente a liberdade do seu infeliz ir nao.
eonse-
Mincida
Aguiar
bdov.
Motta a
dala desta le para disprem dos que cario exigidas pelo desenv
i pena de seren e*isidorados livres. voura, assim como da ref
dir no Brasil.
t i-' Ao governo, respeito dos eseravos cha-
mados da nac.io.
t S 3.* Aos conventos de religiosos claustraes.
Art. 2." Aos estrangeiros residentes no impe-
rio que possuirem eseravos .' concedido o prazo de
um anno da
tiverem, sob pena de serena cgn
Quando por successao legitima ou testamentaria
por doaeao nter vivosoo causa mortfs, ou em
gamento'de divida. Ibes tenhaiii de pertencer,
rao obrigados a dispr delles no prazo de
niezes, sob a mesma pena de serem declarados li-
vres as eseravos de estrangeiros quecstiverem as
rirciimstaneias do art. l. [j I.
Art. 3. Os e-cravos da naeao serio declara-
; dos livres. flcaado estes libertos, verdes que ttve-
rem mais de iti anuos e menos de 35, sujeitos a
ser chamados para o servico do exercito ou da ar-
mada por espace de 8 airaos ou para trabalhos p-
blicos, legando s dtsposieio do escravo.
do o esmero.
Com igual solicitude tratar o senado das ou-
tras medidas nao menos uigentes, da reforma ne-
eessaria acerca da lei da g .tarda nacional, da me-
lhor orgamsaeao das adnuniMracoos provincial e
municipal, das modiflcacdei do rgimen hypotne-
senvjlvimento da nossa la-
irma indiciara, tendo
.Nao se atiende nesta infeliz trra senao aos
interesses de meia duzia de hoinens, que tem tido
desde o principio as raaiores dcsculpas para os
sous coulinuados desmandos.
A pressao que devia ser feita sobre as pare-
des daquelle edilieo velho por mais de duas mil
toneladas de carvao all accumuladas, nao poda
deixar de ser lomada em conta. Se a sciencia pra-
tica vale alguma cousa, para evilar desgranas
como essas.
t Em coniiuuai-ao da noticia que demos hontem
sobre o deploravel acontecimento que leve lugar
no edificio do gazometro, devemos informar os lei-
tores dos seguintes :
Durante toda a noite de 9 at as 5 horas da
madrugada de hontem trabalhou-se com umita ac-
tividad*; e dedieacao na remoco das ruinas que
fizera a parede do edificio do'gazometro, que ca-
bio, e destruio as duas casas prximas e esuiagou
os rafelizcs que nellas habitavam.
At aquella ultima hora, da familia do Sr.
10
dureira, licou a discussao adiada raqueduieiilo
do piimeiro senho:
Coalinuou em ubiino lugar a diseussa i do pa-
rece! da commssau de poderos sobre o 4. dislric-
to da provincia do Rio de Janeiro, relati"amento
aos d jiis candidatos que disputam o ierre ir i lugar.
Oranm os Srs. Martinho Cani|s, Marliiti l'raw i-
co, Franco de Al muela o Ta vares Bastos, litando
a dis>iuss.o adiada pela hora.
5
Iloitem nao bou ve secso no s-nado por taita de
numere.
Na cmara dos ileputadas, hontem, ante> de en-
trar-se na ordem do dia, depois de .ter o Sr. Sarai-
ommunicado que as euuunissdes a quj eslava
airela a quesiao d.i aposentadora de diveisos ma-
gistnjlos divergala twbre a maneira de encarar a
ejuestao, o-r. Martinno Campos offereceu im re-
queiiiiieiita, prdimlo |iara nomear-se urna cora-
missjo especial de cinco membros para dar pare-
cer obre a materia. Dejiois de um debite, em que
toma rain paate
Joaqtdm, Silvei
tinln ''.ampos,
2. ref 'inda comrai
Melle Franco,
Cun!
Et trando-se na ordem do dia, a cmara appro-
vou a emenda oferecida ;io parecer da cotnoiSsae
de pi dores relativamente aos dous candidatos ao
t." lugar de depulado pelo 3. dislricto da provin-
^iaililliode Janeiro, reconhecendo deputadoao
Sr. K-ederico Carueiro de ampos.
Vpjirovou Umbetn em !. discussao, d 'pois de
.dtruiias observaeiei im Srs. Martinho Cimpas e
Sarava, o iirojeclo que augmenta as attrbuicoes
dos presidentes de provincia.
0 *o pr jjfvto que m;inda adtniltir na facuMade de
direit) de g. Paulo a GuuVnne Ellis. Depois de
algunas Observaoes dos Srs. Ahcfardo de BriO>, e
Tavares Bastos, licou a discussao encerrada, nao
se vetando por nao haver casa.
Entrou hontem do Rio da Prau o pagnele inglez
Mersey, com datas de Buenos-Ayres at Ti e Mon-
icvd o at 29 do passado.
\"a Repblica Argentina urna nica coua absor-
Ante hontem (11. pelas tres horas da tarde,
evadio-se da.cadea, onde se t.cliava preso um sa-
cerdote que tiulia de responder pelo chine de ho-
micidio.
e as mulheres e os vares menores de 16 annos o
Dttlores de 35, licam disposicao e sob a protec-
ciio do governo para com elles estabelecet colonias
agrcolas as trra- devralas das margeos do
Esle padre, que esidio outr'ora oin pma das Araguay, Tocantlos, Amazonas e Paran, ou suas
povoaeoes do interior, jiassava por boinens rico; e aflliu-ntes, destliboindo pelas familias lioertas lo-
a delegada, leudo coulweimeiiio de sua fuga, /un- 's d" Ierras proporcionadas as suas Coreas.
uga,J
dada cerlamente em bous indicios, tez ireter em
cusU/dia o carcoreiro e seu ajudanle, receittudo te-
rem elles laeiljLu-!" a evaso do criminosoj
I<-se no tilma* Qeraet Foi designado o dia 3 de abril proximlo para a
eleieo de um deputtdo pelo 4.,,districto diista pro-
vincia, alim de jireencher a vaga deixada pelo Sr.
Dr. Dnoiciano Leile Uibe'o, noineailo nnistro
da agricultura, commercio e .obras publica-
Na cidade de S. Joao de El-Re, I hora di
madrugada do dia 21 do mez prximo passi do, ma-
nifestou-se um incendio na rasa em que reside 0
Senhor O senado ac heu com profundo res
peiioe eom a mais viva un tidio as benvolas ex-
pressoes de conllanga que ''. M. Imperial deposita
nos representantes da naein, digaando-se invocar
suas luzes e dedicacfto pela causa publica.
Pela |iarte que" Iho to< a o senado assegura B
V. M. Imperial que nunca w recusar a quabpicr ,
saerilicio que possa ser netessario para realsaro
augusto pensamento de \'. M. Imperial, que. na
6s"qunio'fo"r'ein applicados estes serviros, bondade do seu jiaternal c. racao, se dirige cons-
tauteinente a promover a trospendade e engran-
decimento do Brasil, alvo i e todos os nossos esl'or-
coSj
t Paco do senado, 27 de j ineiro de I8(i4.fw ao
de .VuriUba.Silveira da Mjtta,Canutroe Cas-
pos.
Sendo lidos, na sessa i de 3 do corrente. no
Supremo Tribunal de Jnsti* a, os decretos de apO-
scutadoria de algum fle S us membros, dcclara-
Art. 4. Os conventos serao ubncados a ven-
der lodos os seus predios rsticos ou fazendas,
sendo o producto das vendas convertido era apo- rain elles. uns por cilicio i outros de. viva voz, que
lices da divida publica i mema. estavam resorvldos aeonaonar no exprcicw de
Os eseravos porteneeates aos con ve atos serao seos cargos, orna vei que a tribunal assim o en-
declai ados livres tendesse, para o que pediam ao seu presidente con-
Art. 5." Os libertos que tiverem fertencido sullasse-o, ao que elle anmie, fazendo a seguinte
aos conventos tero o mesmo destino ora dado aos exposi(;ao
eseravos da naco, sendo uns applicados ao esta- Pela leitura que acabo de fazer dasparticipa-
beleci ment do" colonias aercolas de libertos, eos eOes do ministerio da justii a, licam VV. Kxcs.
vanees majaros de m annos e Meares foreo) engajados por H aunos para o sfrvico do do anno prximo passado, loram aposentados qua-
negociante'Jos Mareelliao Pereira. a na oCnr- exercito ou da armada serao considerados volunta- tro Jos nossos collegas, mencionados na- mesujas
ral, o qual foi pereeUdo pelos vt'zinhos, qnj enrre- Tos, e o valor das gratilicacties a que k'm direito paiticipaeoes : e como coi iparecem nesta-- i p,
rara a despertar a familia, que dorma tranquilla, por lei os engajados voluntarios ser convertido ca evidente que elles tao aceilaram, e era
Nao sendo sufllcientes os esforcos empret'idos pa- em a|Klices da divida publica, e entrefiie s or- aquiescern) a essas aposmtadorias, e usam do
icara des- que se chama direito de re istencjfl legal.
avos. Eu nao rae atrevo a o atestar se este direito
governo flenllhee a-si-te, tanto mais qu: ndo vejo quo o mesmo
ir dos pre- Sr. ministro da justica, que referendou o decreto,
como in- i eonfessa que nao havia lei jue o antorisasse, sujei-
demni-aeu as ordens religiosas.
Fieam revogadas as leis em contrario.
. Paco do senado, 26 de Janeiro o> 1864. Sif-
ontrar Mira da Motta.
A asst'inbla peral legislativa resol ve :
t Art. i Nenhum juiz. seja qual Wr a sua ca-
tegora, poder jnlgar em Mte, em qu* assignar o
O Rvm. bispo confirmado da Dianbuntiua advocado, que, tendo sido ministro de estado,
designen o da 2 do corrente para sua posie, de- o houver nomeado, promovido ou removido,
morando-se a sagrario para fins de abril 'poca Art. 2* Qualquer juiz que receber carta de
em que o Rvm. bis|o de Marianna se ach ir na- ministro de estado, ou de qualquer ouiro que te-
quella cidade. i nha Airo privilegiado pt la constiluierra, jfim de dar
Minas senlenca a favor de alguein, a entrega-a pessoal-
inenieo procurador
rain na occasiao bem a-* i ni do desapparecimeiito de algumas quan
lias e outros objeetos ; porm lendo-se descoberto
parte destes, a autoridade policial espera en
os que lidum.
Nao houve felizmente raaiores deagraej s a la-
mentar-se.
Kscrevecvnos da Piedade, termo de
Novas, em C de Janeiro :
dias um nesle districto que passo a referir.
Zeferino de tai, homem de m ndole,
tando-se por isso as censuras do direito. Pertence
agora ao tribunal decidir, e por ventura, apexar
do decreto, devem elles co liniiar a esercer suas
funecoes ?
t A decisao certamen te complicada, j por
impedir aos (Tendidos o u;o do que chamamseu
direito de resistencia legal--fundado em lei expres-
sa, j por embarazar o cuniprimento. nao de urna
simples ordem, mas do un" decreto do poder, que
tem o direito de os exped \
< A censura dos actos Jo poder executivo nao
compete a este tribunal, qae smente no exercicio
o dis|iost i as leis peraes ao pre-
de julgar ireferc
da corda, e de (pe pedir j ceito dos decretos que lr.es sao contrarios, appli-
Alm dos assussinatos do capitn Leonalrdo de recibo, o procurador a mandar reeonheeer e pro- cando as disposicoes deste smente aos casos que
S. Joao Baptista e Guiarte de Barrei ros, dense ha ceder a todas as diligencias necessarias para que nao estao reglados por aquellas; fura disso nao
I nao haja a menor duvida sobre seu auto*, e feitas j Ihe compete o direito de declarar illepaes taes de-
' estas diligencias, que servicio de corpo ie delicio, cretos. Se elles oflendem constituicao e as leis,
parece que o corpo legislativo que, mediante as
formalidades legaes, os deve declarar millos.
O negocio de que se trata, est sendo disculi-
do no senado; mais prud.rate que se espere pela
por costume maltratar a mulher, e ultiman ente o submetter tudo cmara legislativa au ao tr-
fez de tal modo que a infeliz licou com o
todo chapado.
A' instancia* de algumas pessoas annuioj
que ella se fosse tratar na fazenda do pai, q
tinha
corpo bunal competente qne tem de formar culoa ao re-
i ferido privilegiado como incurso no art 134 do
elle a cdigo criminal,
ie ahi I i Art. 3." Qualquer ministro de estad! ou juiz decisao final: 6e ella nos fnr favoravel, ento con
eram eseravos e 1 livre c aggregada.
Da casa do Sr. Manoel Archanjo tinham tam-
bem sido salvos 3 de seus ulhos, mais um pardi-
nho, duas seuhora, urna das quaes esta va de visita,
e urna outra sogra do mesmo senhor Aichanjo.
Sua esposa foi encontrada mora.
Ainda restavam debaixo das ruinas 3 (Unos
desse desvenluradocidadao e urna mulher, os quaes
se presume monos, porque nao se ouvem os ge-
midos.
Continuavam os trabalhos da eseavacio, paren)
sera espeancas de salvar-se mais alguein.
As pessoas salvas foram tiradas sera fractura
alguma, e smente cora pequeas eoniuso
coriaces, que nao dOOotam perigo, o que prova
que o trabadlo fez-se com a maior cautella.
Pelo que tica exposto, v-se que das ruinas
das duas casas faiam salvas 13 pe.-soas, e tiradas
i j moras, alm de 3 que ainda existiam debaixo
das paredes, e que se suppoe murtas.
o trabalho do desentulbo foi eflectuado com
regularidade, sob a direccao dos cngenbciros quo
estiverara presentes.
Compareceram alguns mdicos, que com dis-
vellos prestaran) os soccorros de sua arte.
< Diversos fiinccionarios pblicos e outros ci-
dadios, alli esiiveram, notando-se entre estes ulti
mos, os CiimiciTianto- o Srs. Manoei Jo< de Pl-
gueircdo Leile. provedor da Santa tJisa da Miseri-
cordia, e Manuel J(ia,|inin Alves, provedor do COi-
legio dosOrphaos>de S. Joaquim, que Boa prximo
ao bigarda deploravel oceurrencia.
USr. Dr. chefe de polica, com o seu delega-
do o Sr. Dr. Iteis, estiverain presentes aos traa*
Ihos, e deram as providencias no ca'iiam em suas
attribuiciii -.
< S. Exc. o Sr. conselheiro vicepresidente da
provincia estuve pela inauhaa, e a tarde no lugar
do sinistro.
Depois de escripia esta noticia soubemos que
houtein a tarde tirou-se anula das ruinas o cada-
ver de una senhora j idosa.i
Espiiiito Santo.-Pela jiresideneia da provincia
foi convocada para 21 do corrente a nova assem-
bla provincial.
A soguranra individual ta mal em S. Ma-
theus, onde chegaiain a tentar contra a vida do
promotor.
Skhch'k. No dia 18 do passado teve lugar a
aberrara extraordinaria da respectiva essembla,
cuja mesa ficou assim organisada :
Presidente, Dr. Francisco da Silva Freir.
Vice-dito, Dr. Guilbarme Pereira Itabello.
1* secretario, Dr. Conrado Alvaro de Lima Cor-
dova.
2J dito, Dr. Gabriel Gustavo Coelho de Sampaio.
Prestaran) juramento e tomarara posee (los
seus cargos os Drs. chefe de polica e juiz dos fei
tos da fazenda, Daniel Arcioly de Azevedo e An-
gelo Ramos.
Nos dias 23 e 84 tiveram lugar a felicitaclo
Fretes.Elfectuaram-se os frelaroentos seguiu-
Us:
Bripue dinamarquez Klizabetk Schad, para car-
repar fardos para New-York ou Boston, a i 10 f. e
o 0|0 de capa.
Brigue hollandez De Warden, a orden, a 15 sh.
e 5 0|0
Brigue dito Gessester, para carregar couros sal-
gados de Montevideo para Inglaterra, a 52 sh.
e50|0.
Barca franceza Celibataire, para Marselha, a 60
fi. |>or fardo e 80 os cooros eom 5 l-
Brigue dinamarquez Lerens, para carregar far-
d js para New-York ou Boston, a i 10 f. c 5 0)0.
Brigue hanoveriano Elisa, para New-York, far-
da*, a 9 1|2 f.e5 0|0.
Lugar brmense Emma, para o mesmo porto
ao mesmo preco.
Brigue hollandez ElizaMh Jacovma, a carregar
era Montevideo, couros salgados, i ardeos, a 155
sh. sera capa.
Brigue hollandez Zeven Sierren, a 46 sh., os far-
dos e couros seceos, a 85 sh. e 5 0|0.
Barca italiana Annetta, para carregar sebo no
Uruguay, a 60 sh. e o OfO.
Brigue portuguez Gamillo, para carregar 4,500
quintaes de carne secca, em Gualcguayehd para o
Brasil, a 4 i|2, 5 1|2 e li t|2 rls. f. e 5 0f9.
Brigue hespanhol Eolo, a carregar era Paysao-
d i para Havaua ou Pernambuco a 9 l|2 rls," f. e
10 0|0 paraopriraeiroe 6 1|2 rls. f. e 5 OjO para
Pernambuco.
Bripue portuguez Lucila, para carregar carne
para o Brasil, a 4, 5 e 6 rls. f. e 5 OfO.
Rio ie Janeiro, 6 de fevereiro.
Cambio.Sobre Londres regulou 27 3|8 e 27
l|4 sobre Havre a 348 rs.; sobre Antuerpia
3'i8 rs. por fr. ; e sobre Portugal de 100 103 0|0.
Desenlos.Nos bancos regulou 8 BjO, e na
praca de 8 1|2 9 1|2 0|0.
Sahirain para Pernambuco: 27, a barra
franceza Sotre Dame det Founira; i 28, o bri-
gue hespanhol .hVijiuW : a 30, o bripue Fhiminrnsr,
4 a barca Iris e a dita franceza Berrome : 3,
os bripue- Trocador e Cuilliermina ; e a 6, o lu-
gre portuguez Jutto.
Chepou, procedente de Pernambuco, i 31, o
patacho inglez Santa Anua, com 10 dias de
viagein.
Bahiu, 10 de fevereiro.
Cambio.-Sobre Londres a 27 1|2. 27 5|8 e 27
3 4, e sobre Paris 345 rs.'
Assucar.O branco vendeu-se a 34200 por ar-
roba e o mascavado a 24700 por arroba.
Alg.xlio.Venden-se de 24 244100 rs.
Sihiram para Pernambuco: a 28, o patacho
bous Amigos -. a I, o brigue inglez Fleetwiiuj ; e a
6, o brigue Pallas.
Chegaram, procedentes de Pernambuco :
23. a barca dinamarqueza Sargenian, eom 3 diaS;
a 7, o patacho Tnereza, com 4;e 9, o patacho in-
glez Genlivet, com 4.
PERWAMBDCO
REVISTA DIARIA.
Hoje a sessao de eleicao do Institua Archeota-
gi:o e Geographico Pernambucano.
Os sermoes quaresmaes de S. Exc. Rvm. tem
hipar na presente quaresma na igreja matriz da
Boa-Vista.
Serio aos domingo- pelas 10 horas da raanhia.
No sabbado ultimo concluiram-se os exames
preparatorios do Curso Commerciul.
Foram examinados e approvados as materias
preliminares os Srs. Antonio de FreiUs Panasco e
Pedro Jos de Siqueira ; e as complementares os
Srs. Antonio Juvino da Fonseca e Anaeleto Publio
de Moraes (^arvalho.
-- Hocen ou-se hoje delictivamente as matricu-
las do Curso CMmmcrci'd Pernambucano.
Falleceu no sabbado passado o llvm. vigario
dt Cimbres, padre Jos Mathias Ribeiro, que acba-
va-se nesta cidade licenciado.
O finado gozava de boa roputacao entre o-seus
parochianos, dos quaes era estimado por snas 711a-
lidades pessoaes, sendo-o igualmente por quem o
rommunicava.
O conselho de Iulgamento, qoe em sessoes
dos dias 11 e 13 do corrente funecionou na sala
do estado-maior do corpo de polica, absorveu ao
cabo de esquadra da 1" companhia da seccao vo-
lante, Pedro Ferreira Bastos, do fado que Ihe fora
argido, qual foi o de haver coacorrido por sua
negligencia para a fupa de tres recrutas e nm de-
sertor, que se evadirn) da cadeia da villa de Pao
d'Alho.
Foram membros do conselho os Srs.:
Presidente.
Jos Pereira Teixeira.
Auditor.
Br. Francisco Leopoldmo de Gusmo Lobo, pro-
motor publico desta comarca.
Vogaes.
Tenente-ajudante Jos (onegundes da Silva.
Teoente-secretano Luiz Jeron>mo Ignacio dos
Santos.
Teienente-quartel-mostre Luiz de Franja Mello-
Jnior.
Teneoie-cirurgiio Dr. Jos Joaquim de Souza.
Alferes Joaquim llerculano Pereira Caldas Jnior.
No Collegio das Artes fizeram exame de
Francez, no dia 12 do corrente, II estudaotes sen-
do 8 approvados plenamente e 3 reptovados.
Foi mandado por em bberdade, por ter pr-
vido Isencao l(>gal, o recrula Jos (>assiauo das
N'eves.
Falleceu em Serinbaera o capellio reforma-
do do exercito padre Joaquim Albano Wan-
di riey.
Tendo sido julgado apto para o servico,
mamlou-so assentar praca no corpo de polica ao
paisano Jovino Jeronyrao Peixolo d'Albuquerque.
A polieia da freguezia do Recife vae mal oa
feita com pouco cuidado pelos respectivos
agentes, pois que ao amanhecer de 12 do corrente
derara-se tentativas de roubo em diversos estabe-
lecimentos, entre os quaes os dos Srs. Joao da
Conha Magalhes, Joai|uim Luiz Vieira, Antonio
Luiz Campos e Vieira cV Mello na ra da Cada,
e Jos Luiz d'Azevedo Maia na praca do Corpo
Santo. Chamamos para semelhante faci a atten-
vm do Sr. Dr. delegado.
Alim de melhormente ser destribuida a aeco
policial no termo de S. Bento, da comarca de Ga-
ranhuus, acabara de ser creados mais dous djj
tridos de subdelepacia sob os noraes de Jupy e
Cinlilinho, passando a serem os limites delles os
.eguiotes:
0 de S. Bento abranger todo o !. distri; 1 de
paz;
t
f
/
1

ti V t


*-.....

'
.
niariw de Feraamhnem *eg irada feira I de femerefro de IM1

0 da Jni. i principiara na f.. wnda Prara do 2.''' -i lenhora velha. fci.i, padece de mu ratarrho signal de que o estomago esta vv e precisa de : deraruo. oo ge sao como altiuns que S. S. lem no-
de mafs alimento. | meado, em substituicao dr outros, dt quem por
liin tem aceitado as demisses- ?
distado de iaz, tnargein do riacho teinhlo, ollio
d'Agua da Douda Queimadinhas. e d*ah fa-
zenda Santa Annu at a freguezia do Altinho;
O do Canhtinhc Inri conuco na estrada velha,
do 2." distrkto, que segu de Garanhuns para a
Luz at a freguezia do Altinho, com o terreno do
sul at encontrar a provincia das Alagas e dis-
trieto da Palmeira dos Indios era Garanhuns.
Em vista dedas creacoes jidgaram-se vagos
ns lugares de 3." supplenle do delegad-), e 1*, 3.\
4. .*>.* e 6.* ditos do subdelegado de S. liento, sen-'
do nomeados:
3. Supplenle di delegado de S. Rento, Jos No
da Silva Braga;
Supplentes do ibdelado de S. Bonto 2.* Seve-
rBO Cordrira Reg. 1 Pedro Ferreira d'Almeida,
4." Jos de Molanla Valenca, 5.a Antonio Ferreira
de .Mello e 6.1 Joao Gomes de Mello;
Subdelegado de Ju>v. Francisco Ignacio Paiva;
Supplentosodito !. Podro Lins de Souza
Foales, 2-.* Jos Ferreira da Silva, 3." Vicente Fer-
reira dos Prazeres. 4. Antonio Jos da Silva, 5.*
e t< ii mu pequeo cao importuno, mas t
de tim fornecedor do exercilo
C Jornal do Commercio e.-creve :
N) congresso americano, uin disputado expres-
sou-ie n'estes termos:
Si' a Fraofa, disse elle, trata de semear o ger-
mer da aristocracia e da nionarcliia no solo ame-
ricano, a federaran saber dar duros 50,000.000
(45:000 contos) a Garibaldi. para se apoderar de
Roo i 100,000:001) duros aos republicanos de
Paris para destruirem Xapoleiio; e mais
loo.noo.ooo (90:000 coritos) aos allemiies, para
que facam tremer os reis que nao quereru deixar
a Amerira no seu systema republicano.
Sa a Europa intervier no nosso continente, con-
limou elle, daremos a mao aos radicaos europeas,
para que n.o doixem de p uro throno no velho
con iaente.
O Jornal do Havre diz :
M. Adolplio Bertron apresentou
1 dita aromas ; a R. Barbosa.
2 eaitts chapeos e etc.; a T. fiero.
2 ditas tecido de seda ; nCameiroA; Nogueira.
4 caita modo : a Manoel D. Rodrigu>>.
I dita perfumara e quiuqullham ; a viuva Le-
Os senhos lgubres e espantosos annuuciam
urna paialys-acao no saDjue, que preciso re-1 Se S. S. souber responder estas peri untas, e o
mediar. fizer, ou .ilguein por si. lalvez aindo etf "olle ; e se
'nao, licarei aafsfgllo cota o seusilenrio, aguar-j cont.
izem de Roma rjue finalmente se resol ven pela dando ao tempo mostrar-me o bom dsernpenho, 1 ditamerciaria p modas
afirmativa, a questao que se ventila va ha lempos, | que o Sr. Souza Lima far de seu cargo auno feo
e em cuja discussao tomaram parte sote rardeaes t distinctamente por alguns fados meritorios ja vai
mostrando.
ftraz Antottio da Cunha Albitqurrque.
Ame.
a sua can-
Joau~BapuYu~d;Tsilvae o." Anxmio de Barros e! didatara na 3.a circumscrirjro do Baixo Hhe- tros e 7
Silva. !no mandou distribuir hontem no corpo legislati-
Subdelegado de Canhotinho, '.Domingos Ferreira vo ai duas circulares que dirigi aos eleitores de
de Moraes; Alsa:a_
Supplentes do dito i.* Joao Florentino dos San- Lina d'ellas tem a seguinte epigraphe: Des/tu-
tos, 1* Jos Pereir.a Leite, 3.' Joaquim Claudio de ananiear o universo para humanisat o genero hu-1
Mello, 4. Joaquim Pedro Alexandrino, 5 Antonio manj e assim concebida:
e alguns outros Iheoiogos, sobre se as garralinhas
de sangue que appareivram as catacumbas de-
viam ou pao ser consideradas como provas de roar-
tyrio.
As catacumbas de Roma erara os lugares de re-
fugio dosichristaos, nos temas de Diocleciano, e
outros idperadorej que os condemnavam ao mar-
tvrio.

Apezar dos rigores do inverna, os trabamos de
perfuracao do Monte Cenis (Alpes) continua re-
gularmente.
Estilo cmcloidoe tres kilmetros de galera.
Os trabnlhos progridero na preporcao de 2 ne-
. a Bues*r Millochau.
1 dita papel para cigarros; a A. M. de Brito.
2 dte sanguesugas ; Mello Lobo A; (1
3 ditas chapeos e enfcices: a Cliristiani.
1 caixa cateado; a J. P. Arantes.
1 dita ocntos etc. ; a A.L. Delouche.
1 dita calcado, 4 ditos
Azeite doce.'...
Rwalho......
Batatas........
Bolaclkmlia.....
Centmetros por dia.
CIII!0Mi;\ JUDICUII4
Vital'dos Santos e 6. Laureotino Ferreira Pi-
mentel.
Ranaiicvo ak polica:
Extracto da parte do dia 13 de fevereiro de
1864.
Foram reiUiid( s casa de deteoco no dia 12
do correlo :
A' orden do Illin. Sr. D. chele de polica Silvi-
no de Barros Araujo, branco. os .pardos Bellarmino
Jos de Franja, Hiirique Manosl Alves, os criou-
los Manoel Francisco Alves e Jeverino Jos de
Franca, rinos de Nazareth, sen declaracao do
motivo.
A' ordera do Dr. delegado da capital, Francisca
Maria da Coneeicao, parda, e I'ionizie Benecdito,
crioulo, para correegao.
A' ordem do subdelegado da Boa-Vista, Joaquim
Jos de Sant Ann.a, pardo, por crime de furto e
resistencia, t Antonio, crioulo, escravo de Jerooy-
mo Pereira Villar, por connivente no mesmo
crime.
A' ordera to da Capunga, Manoel Jos do Nas-
cimento, crkialo, disposigao do general comman-
dante das armas.
A' ordem do dos Afogados, Luiz Goozaga de La-
na, branca, por crime de homiciJio.
A' ordem do do Peres. Joo, crioulo, escravo de
Pedro Joaquim de Oliveira.
O chefo da 2" seceso,
J. G.de Mesqwta.
O vapor nacin:-1 Princesa de oinville, en-
trado dos parios do sul, trouxe para esta provincia
^36 segu ules lassagairos : Jos Vello) Soares, An-
ronio Jos da >ilv;i Sogueira, alteres Tiberio Ole-
gario Geatr Burlamique, Joaquim Bernardo dos
Iteis, Jos Joac nim l'unseca de AlbuquerqU'.'. Ber-
nardo Rabello daSi,vaPereira, Pedro Joao Vicen-
te dos Santos, Bazilio Ernesto da Fonseca, ex-pra-
i-a Jos F. dos >aotos, ealx) de es.|uadra Ildefonso
Santas, Minool Marlins Hios AnlMio Lopes
Rodrigese si; a familia, Tiburcio Raymundo da
Silva Tatares.Joaq Jim Simoesdii A. Silva, Jos
Omillo dasXnves^Andr Avelino da Cost, An-
tonio Olavo de Araujo i.oes, Pedro Perreira Coe-
Iho. Zelerino lioielho de Andrade e I criado, Joao
ilaplista dosSsntos, Joo Kodngu-s Freir dear-
vamo, Francieo Antonio da Cota Loureiro, cade-
te Manoel Igducia de Oliveira, Itilurd \V. Kem-
botl, Januario Moruira dos Saau.s, A. Manoel
Duarte Guimiraes, l)r. Americo Pinto Barrete,
jndido Fnawiaeo Soares. bachai el Candido Jos
le Moura, Joaquim de Aievedo Maia, tenente-co-
rone reia de Araujo e 1 escravo, Flix
i'ereirade Soma, Jos Corroa dos Sanios, D. Hen-
i iq'ueta Mara de Cerqueira e 1 cr ado, Or. Antonio
sentenciado FiastinoJosi'- Antoni, l cabo e 2 sol-
dados, Fortunato da Rocha e Si va. Jos Guedes
Aogueira, Man<)el Cassemiro Roca Jnior,Antonio
Francisco Laite, tenente Manool Perera (^amello,.,
anoel C. Duaite, Augusto Pater Cesar, Joao An- minlai os dous filhosda vjnva.
Eleitores .Nao mais esmolas, n*J mais can-
dade, nao mais corrui^-ao, nao mais prostituicao, |
nem dinheiro de cobre, prata oo ouro, e, conse-
quer teniente, nao mais ladrdes, nao mais explora-
coes I
Nada de impostas, nada de barreiras e alfande-
gas em urna palavra, nada de mal!
O bem, o inellior, a perfeicao em tudo e por
tudo!
Seguro o orcamento corporal e intelleclual, des-,
de o nascimonto moiie, a cada umea todos os :
lilho: da mi do genero humano, e para sempre
gara nido pela liarme na do concert universal.
Tal lleve ser a vontado da humanidade e a do
candiilato humano. Adulvko Bertron, candidato
humano para o genero humano.
Da Estrella do Norte extrahimos:
O TIIAU.VI.HAIHIH CAH1UOSO.
Em una pequea cidade de Mosselle viva ha
temp >s urna pobre familia de artistas. O pai mor-
reu l'.'pois de ter esgolado todos os seus re- j
cursis.
Por sua morte nao ficou nem um ceitil em,
casa.
Apias havia um crucifixo de madeira, porque !
todos os outros movis tinham desaparecido.
Todava a mai nao perdeu o animo, e fazendo
da sua parte todas as diligencias para sustentar os
seas dous lilhos passava os dias e as nuiles a tra-
balhar.
Mas essa pobre mulher nao fui mais feliz do que
seu u rido: passadas algumas semanas, adoeceu
gravemente.
Em una manhaa domez de marco, urna visinha
entro i em sua casa para Ibes prestar quelles;
pequtnos servicos que costuinava fazer-llie e que
peda j sua (losicao : achou-a murta.
A norte tinha passado por all naquella noite.
A ofDciosa visinha vio a< dous orphaozinhos
que d;.ni:ilavam no bereo com o sorriso da inno-
cencia.
Pul res creancas!... nao sabiara da dosgraaa
porqi e acabavam de passar.
A |Kibre mulher ajoelhou-se diante do cadver
desta mai, cerrou-lhe pedosainente os ollios, co-
brmdo-lhe rosto com o seu ultimo lencol. Em
quanto se oceupava destes arranjos, acotdaram os
raen os. '
A boa visinha tornou-os a adormecer com
braodira, e aconselhando-se s cora o seu cora-
cao, cisse com sigo.
Von leva-Ios comigo... Dos far o resto I.... i
O r uto I-----era tudo! Esta mulher. rni como
a viuva, era tao pobre como ella. O seu marido,
traball ador laborioso ganhava menos mal a sua
vida, juando fazia bom tempo; mas no invern
poucos meios podia haver para sustentar quelles
que t; uto estiinava.
A' liora do jantar roto Basa e achou a mulher
pensaiiva ; estava scismando como havia deacom
TRIBIWI, DA HELADIO.
SESSO EM 13 DE FEVEREIRO DE 1864.
l'lttlSIDKNCIA DO EXM. SK. CONSELHUM)
SILVBUtA.
As 10 l>ras da manhaa, presentes os senhores
- lecidos de algodo- e de i carni. 9Wra.
Senhores redactores.Rogo-lhes enca endamen- laa ; a Ferreira i Araujo.
te que se dignem dar publicidade a cas quatro 4 ca xas sanguesugas;
lnhas, que tundem a significar minli; grafldao \ Getiro.
a Ramos e Silra A
aos senhores eleitores do segundo circuk eleitoral,
que apoiaram minha candidatura a depu acao pro-
vincial: bem cuntiere qtimto tenaz e.-s prova,
que liojeexibo. de minha grrtidao; e | ara levar
a eooviccao aos nimos dos senhores eleitores de
12 caixas sardinlias ; a J. da Silva Faria.
1 dita sedas ; a IsidiiroNellO & C-
2 barris violto, i etubrulho rolha; a Mousoo
A C-
Brigue escuna austnco Car, entrado de Tri-
que sei ser grato aos favores que recebo, s espero este eoosignado a O. O. Bieber A. C, manifestou se-
para isso ter ocrasiao opportona'.
Reeife, 13 de fevereiro de 1864.
Jos Bonifaew rt> S P freir.
PUBLICARES i PEDIDO.
Pergunla-se ao Sr. Jos Francisco'de Souza Li-
we. subdetegadu da freguezia de S. Jos, em que
lugar deu 9. S. audieneia na sexta-feira 12 >fc cor-
rente ? Se em sua rasa ra Imperial londe mo-
ra, ou se ua tena de Sunlo Anlao. aootl fo com-
desembargadores CaeJano Santiago, Gitirana, l*u-: ,,rarseu gadSo t Assim como quo pr< videncias
renco Santiago, ReisfJ Silva, Motu, Peretli. Aecio- m acert.a fo grxule conflicto havido n< sse >es-
h, Assis. e| Doria, abrio-se a sessao. rao dia na ribeira, do prenderen! urbano; a paisa-
nos, e paisano a urbanos ? Se foram esse indi-
ionio de Viveiros Costa, Jos dos Santos Ramos de
Oliveira, Pedro Correia Vieira e 1 lilho, Sdronio
Sabino Monteira. Vicente Bezerra Monte Negro,
.loao Rodrigues Baibosa. Joaquim Marques San-
:iago Filho, B' arinuio Pinto de Araujo, Manoel
Vicente Das Fernandos, Jos Portella, major An-
.oiiio da Silva iJusnio, 1 filio e 1 escravo, Jos
dos Sao i os. Carino Jos da Costa, Candido
Freir de Olivtira, Antonio do Araujo Medeiros,
Manoel Cabral Borges, Victorino Candido Perera
>!> .Magalhaes, Francisco Vasconcelos de Mendon-
a. Antonio Ferreira Prado, Antonio Theodozio.
Seguera para o norte: l>r. Ily ppolito Dernellas
ulher. Iln^ diz este abrucando-a, porque es-
taos tu tao trisie? O que que te da cuidado1?
Nao, meu amigo, nada ha que perturbe a
minh felicidade nem a tua... O que me afltge
a desgraca dos outros-----
Kotio qual essa desgraca? Explica-te.
Nis nao sabes t A nossa'visinha morreu es-
ta noite.
Morreu! diz o trabalhador. Oh! eu nao te-
nho ]*na dola____ para ella foi urna felicida-
de!... mas para os lilhos !... E* verdade que
elles nao morrerao de fume nem de fro, porque la
est o asylo para os recolher----- Comtudo, sem
O Sr. desemlwrgador Guerra, procurador da co
roa, nao compareceu.
Passados os feitos e entregues os distribuidos,
dei am-se os seguintes
JLLGAMENTOS.
Recurso commercial.
Recrreme, o juizo ; recorrido, Julio da Costa
Ribeira
Relator a Sr. desembargador Lourenco Santiago.
Sorteados os Srs. desembargadores Reis e Silva,
Doria e Aceioli.
Improcedente o recurso.
Appellaciet chvi*.
Appellante, D. Anna Francisca da Coneeicao ,
appellados, os herdeiros de Arcelino Francisco
Nobre.
Receberam-so os embargos do appellante.
Appellante, Joao de Medeiros Borges ; appella-
dos, Joao Cavalcanti e outros.
Mandou-se proceder urna diligencia.
l)m de apnarecer.
Appellado, Fr. Joao de Nossa Senhora do Rosa-
rio ; appell; otes, Joao Cavalcanti e outro.
Julgou-se deserta e nao seguida a appellacao.
, OII.KIF.NCI.VS C.HIMKS.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica
Ai appetlares crimes.
Appellante, o juizo ; appellada, Cordolina Maria
da Coneeicao.
Appellaule, o juizo-, appellado, Simo de Araujo
Lima.
Appellante, o juizo; appellado, Jos Meri da
Silva.
l'ASSACKNS.
O Sr. des mliargador Caetano Santiago passou
ao Sr. datan bargador Gitirana
As appellaeoes cirei.i.
Appellante a preta Caetana appellada, Maria
Joaquina da Silva Manta.
Appcllanlu. Jos Gabriel de Mello ; appellado,
Francisco Jos Pinto.
Appellante^, os herdeiros de Joao Henriques da
Silva ; appejlado, oDr. Adolpho de Barros Caval-
canti de Lacerda.
O Sr. desembargador Gitirana passou ao Sr
desembargador Lourenco Santiago
A afntelacao ere/. |yenp
Appellante, D. Francisca da Cunha Bandeira de
Mello ; appellado. Joaquim Rodrigues Tavares de
Mello. .
() Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Res e Silva
' As appcIlucOes rrN.
.-appellante, Manoel Gomes de Almeida Botelho ;
viduos recolhidos.
prisao ?
e iroetn assignou as parte dv
O Curio mi
Pede-se cmara municipal ou i polica,! {' m caxac^i
emflm a quem competir, que por equid; de obfi-
guinle
1811 barricas farinha de trigo, e ti toneladas de
i podra para lastro ; aos atesmos.
Brigue ingler. Nena, entrado de Terra-Nova, con-
signado' | a Saundors Brothers & C, manifestou o
seguinte:
3|.6t. barricas de bacalhito ; a ordem.
i;\prrt;ifo.
Brigue inglez Walter ta me, para Greenock, f ar-
regou :
2V:0O0 arrobas de assucar aaascavad*
AIJ^kNDEGA DE PERNAMBLCO:
PALT.V DOS PKE50-IX1S (ENEROS SITOS A WRE1T0- M!
EXPOIITAgAO;SOTANA DE 15 A SO DO MKZ DE Kl-
VKHKIllODE 1864.
Mercaduras.
Abano>.......
Agurdente de cana. .
dem restilada eu- de- reino
dem ca>4ira,.....
unidades. Valores.
rento
caada
gueinaos herdeirs ir- .Manoel Luiz da Veipacom
urgencia a mandar (apar o arrumbo qui as ulti-
mas grandes endientes de laars Hzerain em um
viveiro inutilsado que |uetles pertenceai, collo-
cado em segu inmto da traversa do Lima pois as
enchentes, aquella travessa at a estrada no prin-
cipio do cemiterio publico-, tan grande ; quant-
dade d'agua i|U'' se pede navegar, e a es rada ftea
incommunicavcl, os sitio- aruyior se tornam ata-
gas. e as proprias casas inundadas, des.a fiirma
solfreudo a saude das familias ipjcpor all rcsidem;
einllm recorremos Dos sermos ouvidos.
dem alcosi on espimt de agua-
ardente.....,
Algodao era oaroe..... anona
dem em rama ou on lo. *
Arroz com casca...... t
dem 11 escaseado o* pilado
Alabear inaroavado..... t
dem branco........
dem relinado........ .
Azeite de amendom eumend-
bira......... canada>
dem de coco....... >
doui de mam-nui..... >
tiotaUs alinicnlicias. .... arroba
Bolacha otdinaria, propvia para
embarque....... >
dem lina........ >
Caf bom........
: dem escolha ou rostollH.. .
dem torrado......
Ciibros........
iCal.........
Caf..........
Cha...........
Cerveja...... .
Farlnlia de trigo
libra
um
arroba
Salsa de rislol.
OORANOE Pl HiriC.UlOM DO SANUI K.
A nica -preparacfio original e genuin i para a
mira radical dos mais perigosos e confirmadas ca-
sos de escrophula ou mal de re, ehagas antigs,
lekensos, tumores, abeo.-os, ulceras e todas as
quididades de erupcoes escabrosaseescropiulosas
a legitima salsa parriiha d Brisiol, preparada por
Lanman 4 Kemp. E'igualmente um rem."dio cer-1 dem branca......
to para rheumatlsmo, emp4ngens, tinha. e>eorbuto, Carne stnrea (xanjiio) .
tumoii's brancos e alfeccoes nevralgicas, iebilida-: Carneiros.......
de geral e nervosa do systema, falta de appetite, Carato vegetal.....
languidez, tonteiras e todas as molestias do ligado. Cnmvnas de sicupira- .
febles, l'ebres biliosas, fros e ictericia, o nelhor e Cera de carnauba em bruto.
emltm o nico remedio sarta para a cura de todas dem dem em vela .
as molestias provenientes de um estado impuro e Cha......... .
viciado do sangue. Os que sotfreni destai moles- Charutos.......
i lias pdem estar na certeza que nao tem a uieuor Ovados (porcos).....
I partcula de substancias mineraes, mercu-iaes, ou Cocos (seceos)......
outro qualqucr veneno nesta mediciifa. (illa in- Colla.........
teiramente innocente e pode ser tomada por pes- Couro de boi, salgados- .
soas no Baaior estado de fraqueza ou s ruancas dem dem seceos espichados.
mais delicadas sera causar-lhes o meior mal. dem dem verdes.....
E' preciso acautelar-se coutra as tres fals licacoes dem hlcm cabra corridos. .
e imit.icoes que existera pedindo a legiti na salsa dem iihmi de on^a ....
Doces seceos.......libra
dem sa galea ou massa.
Bravo dem em calda......
um
arroba
urna
libra
rento
um
centu
libra
unT
cento
de Albuquerquo, Joaquim Correa Lima de Macedo,! alguma proteccao urna vida bem triste aro pro-
Dr. Anhnio M.inoel de Medeiros, Jos Manoel da
unpeo Fajanha, Antonio Leite da Silva, D. F.
l'licron, Agostinho da Silva, C J.-an, bacharel Jo-
\alonio Rodrigues, hachan I Luiz Martins da
lva Cuutmuo, Alexandre von Bally, Joao Fran-
cisco Lopes de Souz i
brigue escuna nacional Joren AiMi/r.trou-
ia e>ta i.rovini la os segrales passageiros :
ll-imro BapUSU de Souza < 1) Varia Joaquina da
(loria Coentro.
Passageir K do hiate nacional Sant'Anna, sba-
do para o Ara, ai\ :
uiindo Francisco Carocho Montero, Jos
Ferreira de Stiuza, Francisco dos Passos Lins, Jos
Coelho Malroae Frankhin d Oliveira Malveira.
Passageiios do palhabote aaCional Yimnao,
abido para o :lio de Janeiro :
livppolto do Cinto e sua familia e 48 es-
cravos a entre lar.
Miivimei lo da casa de deteucao do dia 12 de
l'evereiro de ll^i.
. ::il presos
.iran..... Di
Saltiram...... 11
Existem...... 336
A saber :
Nacionaes.....
Eslrangciros...
Midberes......
| ll
.....
iva......
31
S
1
6S
5
330
Alimentad dos cofres pblicos.. 142
Movimento da enfermara no dia 13 de fe-
vereiro :
Tiveram biixa :
Joao Gomes Oamasoeno : defluxo.
Manoel Pereira da Silva ; rheumatsmo.
uriAHlO DO l'IA 12 DE IKVKIIEHIO.HOCEMITERIO
l'l BLIGO.
gnea Amalia Campello Goes de Brito Inglez, Per-
nambuco, 46 annos. viuva, Santo Antonio; ery-
sipella.
Anna Mara da Coneeicao, Pernambuco, 4o annos,
viuva, S. Jos; pulmoniteschronica.
Joao, Pernambuco, > annos, Boa-Vista; anazarca.
Antonia Maria da Coneeicao, Pernambuco, 40 an-
uos, casad; Santo Antonio; fibre biliosa.
Joo, escravo, frica, 60 annoi, solteiro, Santo
Antonio; ententes cbronici.
Pedro, escrav, frica, 80 annos. solteiro, Santo
Antonio; a -cite.
13
Mara, Pernalbnco, 1 hora, Reeife; espasmo.
Sevcrino da silva, 42 annos, solteiro, Boa-Vista ;
ttano traoMMtirn.
Itraz, Pernam meo, 5 mezes, S. Jos ; tosse.
Maria, Pernambuco. 30 annos, solteira, S.Jos;
hydropezia.
\"igario J< !athia> Kibeiro. Pernambuco, 44 an-
nos, AITogados; fubre perniciosa.
Theodozio, esc avo, frica, 70 annos, solteiro, Ba-
Vtota; entorile chronica.
ciso ; na-los romo os ama va sua mil... Escuta,
at agara tenho querido dar-vos pao todos, aos
nossoj tres fihos e a ti____ D'aqui em diante es-
pero cue lere a felicidade de oganhar para cinco !
Adopt moa estas ereancas e tenhamos-lhe amor.
Que diies islo? Falla. Nao estaes por sto? Eu
crcio que sim, porque me abracas Vai bus-
ca-Ios
5:iii, diz ella, correndo as cortinas do leito,
all o. ;eus.
7V/v gente, humildes christaos, Dos tera is-
cripte v rosso nome no livro da ruin.
O Commercio do Porto d conta do segrate:
Home um roubo cunsderavel na L'niversidade
de Boleaba.
Deaiipareceram dos medalheiros urna parte das
medalhas, cujo valor se calcula era mais de
100:100 francos (18 contos de rto). E o que
mais para se admirar, que nao ha nenhum in-
dicio, cue leve a conhecer os autores do roubo, ou
indica em que poca seria feito.
Un. jornal de. Boln ha diz que nao foi roubada
nenhjina medalha inqiortante para a historia e
para ;. arte, e que o roubo fra nicamente de
medalhas ue ouro, e principalmente das que ti-
nlian -ido dadas de presente pelos papas a i
versiiLide.

No dia 17 de novembro leve lugar as aguas do
golpto do Mxico o .roubo de um navio.
A ,'scuna Joseph L. Ocrclz, que finha sahido de
Mata noros com um carregamento de algodao, foi
roubulo viva torca sua tripolacao por seis
homms, que embarcaran! a bordo como passa-
geiro.
Os trpolantes, depois de terem estado oito dias
preses a bordo, foram lancados n'uma lancha e
aban lunados. Chegaram a g'anhar a costa de Yuca-
tan, o depois a de Havana, donde o paquete Mor-
NtM-SAtr os recondusio a Nova-York.
Secundo conta o capilao. os homens que se apo-
deraiam do seu navio declararam-lhe que obede-
ciam ao governo confederado e tencionavam diri-
gir-se i ielize (Honduras) para vender o navio e a
carg;, que perlencia praca de Nova-Y'ork.
Entre os objectos recentemente descobertos em
Poui|< ia. contam-se : urna pequea caneca de Juno
de piala, de primoroso trabalho, e o corpo tambera
de piata, mas quebrado um freiode bronze : um
c.and eiro do mesrao metal (completo), com tampa,
cad : (os de suspensao e um apagador ; urna pa-
tera ; um Krando e bello vaso rom azas, termina-
das por um genio alado com urna cornocopia; ou-
tros casos pequeos de bronze, e um sinete tam-
bem de bronze com o nome do dono da casa em
que (les objectos foram encontrados : Luco-
Corn illo Diadumens.

De oJe o 1" do anno coraerou a reger entre a
Hespanha e Franca a nova convencao telegrapbica
nter i icional pela qual desapparecem as distan-
cias, |ela gualdade do preco dos lelegrammas, dos
quaes diminue o custo qualquer que seja o nume-
ro de zonas que percorram.
O tanto mnimo, que era anteriormente de 39
reales (157i), agora de 16 reales (720 rs.)
Alera isto, diz a Revista Peninsular-Ultramarina
que ne estabelecem outras vantagens em BSaeMo
do publico e da administraeco, que dentro em
pouco se estenderao a outras nacoes, pois que
para so su est trabalhando.

E i aqu, segundo Hypocrates, como devem ser
interpretados os sonlios :
Qtandu teem alguraa relagio com o que se fez
appellado. Manuel Jos da Graca.
Appellante, Joao Paes Brrelo de Lacerda ; ap-
pellada, a baroneza de Ipojuca.
A appellacao crime.
Appellante. o juizo ; appellado, Alexandre MU7
mz da Silva.
Appellante, o promotor ; appellado, o Dr. Anto-
nio Firmo Figueira de Saboia.
Ao Sr. desembargador Motta
Ai saMatonlM civeis.
Appellante, Jos Francisco de Soma Lima ; ap-
pellada, Mara Francisca Olimpia Baptiata.
Appellante, Venancio Nogueira de Souza ; ap-
pellada, D. i.aelana Nogueira de Souza.
o Sr. desembargador' Reis e Silva passou ao Sr.
desembargadur Motta
A appellacao cu el.
Appellante, Jos Rodrigues Ramos ; appellado.
Ricardo Jos Fernandes.
O Sr. desembargador Motta passou ao Sr. des-
embargador Peretli
A apiiellaciio rraw.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Jacintho.
A apiicllmiu cirel.
Appellante. Domingos Francisco de Souza Leao ;
appellado. Joanuim Manuel do Reg Brrelo.
< > Sr. desembargador Peretti pedio providencias
L'choa Cavalcanti,
de p.ristol preparada nicamente |x>r Lanman &
venda por Caors A Barbosa J. da
.V
in
COMMEBCIO.
O Niivo Banco de Pe.riwnibuco oonm*
da ds ctvtUires admiltidos ao pMsivo das
massas de Mcsquila Dutra e Kraiiris :o An-
tonio Correa Cardozoa receber o piinuito
dividendo deslas massas, devendo oxliibir
.is respitlivos tilulos para ser aiiDiiado o
pagamento.
Alfandeg
Rendimento do dia 1 a 12........
dem do dia 13.................
345: J04*73o
3S:20o;O
383:*10J38:
Movlmento da alfande;;
Volumes entrados cora fazendas...
com gneros... 3
Volumes sahdos
com
cora
fazendas...
gneros...
------33
1,2
Sil
------473
Espanadores grandes ....
dem pefjuenos.......
I Esleirs- |iara forro de estivas
de navio........
Estopa nacional.......
Farinha de de mandioca. .
dem de aramia.....
Kojao de qualquer qmUi Frechaes-........
Fumo era lolha, bom ....
dem ordinario ou resleliiO'. .
' dem sen rolo bom. .
dem ordinario ou reslolfco .
Galliuhas....... .
i.oiimia.........arroba
[nrirnaatoi (caiz)......
Lenha emachas...... cento
Toros..........
Linlias a 1 steios....... ura
Hej ou melaco....... caada
Milho.......... arroba
Papagaios........ um
Pao Brasil........ quintal
dem de jangada...... um
.... urna
eento
arroba
alqueire
arroba
um
arroba
urna
sfaO
640
42D
7S0
M
24WO:i
14090!
24000
24400
34300-
44160
25000
\5km
800
15200
35000
75OOO
85000
74000
440
360
280
5001
24800
3-5000
I5"*0
85000
250
360
14500
we
155000
35500
500
170
240
110
350
IO400O
15000
320
500
45000
24OOO
155000
14600
25500
SJOOC
1.5800
55000
145000
85500
8J0M
55000
600
151HX)
254000
15500
115000
85000
200
15500
25500
55000
55OOO
840
45000
15200
120
Feijao......._____
Genebra..._____
Leona.......____
Manleiga.....
Massas.........
Oleo de lindara..
Pamas......
Presuntos.......
Descarregam no dia 15 de fevereiri.
Brigue inglez -Aferafcaeafliao.
Brigue inglezG/vcVi/ibacalho.
Brigue escuna austraco Corita tartana le trigo.
Brigue francezEmite carvo.
ua falta do Sr. desembargador
para as appellaces civeis seguinles, que foram ao i Brigue inglezChame -raercadorias.
Sr. di'sembargador Caetano Santiago : Eseaojl dinamarqueza -Kolker dem.
Appellante, o bao de Muribeca ; aiipellado, l Patacho nocional Dous Amigos diversos
Fraucisco Casado da Fonseca. eros.
Ao Sr. desembargador Accioli Importac.
Appellante, Manoel Patricio dos Santos; appel- Vapor fR|npM Henrn eMra(J ^ Borde9UXt
lado, I-abricio bornes Pedrosa. .....' nifcslou o seguinte :
ge-
ina-
Appellante, Sebastian Marques do Nascimento ;
appellado, Julio Cesar Pinto de Oliveira.
O Sr. desembargado!- Atcioli ao Sr. desembar-
gador Assis '.
A aiipellacoes civeis.
ABneJIanto, Pedro de lbuquerque l'cha ; ap-
pellado, Joao deiSa lbuquerque
1 caixa eouros : a Prente Vianna & C
2 ditas sedas e lerido de laa : a Monliard (i C.
1 caixa sedas : a Roberto A Filhos.
1 dita livros ; a Ju-tino Jos de Souza Campo>.
1 dita impressos ; oGaliinete Portugiie:.
4 dita casimiras e objectos para chapee;, de sot;
r a A l)anima\er 4 C
Appellante, Jbse Bruno de Almeida \ ailaaao ;j dj|as etoMea, mercearia emercadorias.
ajipellado. franjiseo Antonio de Vajaaa^eaUoa.^ em|)ru||lS ;llll(, a Henrique ci azo toda.
Appellante. Fjrancsco Xavier Mondes da Silva ;
appellados, Manoel Barbosa da Silva e outros
Appellante. 1
pellada, Paulino
anoel Gamillo Pires Falcao
Pires Falco.
Hppellarao crime.
uizo ; ap|ellado, Pedro da {tocha
I caixa seda ; a F. Maestraly.
1 caixa relogos. 1 dita obras de prata e2 ditas
Appellante, o
Filgueiras.
Appellante, o I
de Oliveira.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
uizo : appellado, Manoel Joaquim
al'~ papel impresso e objectos de sirgueiro ; a Lehinain
4C
2 ditas enfetes ; a J. L. Marquts Junioi.
1 caixa sedas; a Ferreira .V Matheus.
1 caixa : a F. Dubarrv.
bargador Doria
A appellacao civcl.
Appellante, Ai Ionio Pereira Montero ; appella-
do, Jos Raymu do Vieira.
10 ditas mostanla, inditas ructas em vinagre.
o 3 ditas chcetele : a Lasserre tt C.
20 ditas cera em velas; a T. de A. Fonc lea.
4 ditas fructos, 3 ditas azeite. 15 ditas doces, 5
barricas amendoas; a T. de A. Fonceca Jnnior.
1 caixa deees ; a Jos Ferreira lima.
1 caixa chapeos ; a Octavano de Souza.
O Sr. desembargador Dona ao Sr. desembarga- 5 (1||as pa|,e| de ,>hothographia, 8 ditos chales,
dor (itirana Icones de vestidos de seda, tecnlo de lia, dito de al-
As appelluroescircs 8d0 { tMn|-ulri0 amostras ; a Joo Kell. r & C.
Appellante. I). Jacintha Mana de Abreu ; ap-' 1 eaixa bonecas; a Jacques Keller.
pallado. Jos Peres da Cruz. | 1 dita couros, 1 dita pregos,!ditas lecidos de se-
Appellante. Francisco Moreirada Costa; appel- da e dtos elsticos de algodao; a Linlen Wild
lados, Jos Ferreira da Veiga e seus lilhos. ^ ^
Ao meio-dia enco/rou-se a sessao.
CORRESPONDENCIAS.
I caixa amostras de teeidos ; a Amaral Jnior.
I ditaespelhos a Bourgeois.
1 dita livros as irmaas de caridade.
I caixas chapi'os; a IKnningos de Souz; Lciiov
1 dita conserva ; a L. Pueril.
5 dilas fructas ; a Mauoel Jos de Souza.
3 ditas vestidos calcados, lencos, olos te ; a L.
UM POUCO DE TUDO.
0 Correia di.s Estados-Unidos noticia o seguinte:
ima senhora, j dosa, visitando,, ha das, urna
mniaaerie em Chicago, aproxitnou-se inuito de
urna serpente, que pareca adormecida; o que
tirolando-se sbitamente, agarrou nma perna
de um pequeo rao que a senhora tinha no-, bra-
cos, e ia a engoli-ln. quando o guarda, que vio a
irise, correu a serpente, mordeu-lhe o ral, e Ihe dura ale o dia e por fitn cousas convenientes e na-
fez largar a preza. turai s, signal de que o que sonha gosa boa
A dama, n'um transporte d? reconhecimento, sade.
lani-ou-se ao ue-coco do guard;, abracou-o e offe- Si, lorm. ossonhossao contrarios s acedes V>
rec'-u-lhe a mao de s|osa. da, ai nunciam neste caso desorden) mais ou me-
11 home:n, pedindo 24 Imras para reflectir, to- nos grande, segundo estes separara mais ou menos
niou nformaciies e na manhaa seguinte deu o sim : das i.ccOes naturaes ou hbitos do que dorme.
e noite era elle j o mais feliz dos espo- Se se sonha que se est a comer eom apnctMe, ('
Srs. redactores. 0 actual suhdelegado de S.
Jos, dirigindo-se por 11111 ollicio a mesa de quali- I A. Siquera
ca^ao da mesina freguezia, exprime-se assim era 15 caixas macas; a Jos Pereira do Maga-
uma parto do dito seu otllcio : |hi -.
Cora a brevidade que exigem nada posso res- 1 dita froetas, 1 barrica amendoas ; a Custodio
ponder em vista da completa anarchia em que Alv-s Guimaraes.
achei esta subdelegacia, j quanto ao pessoal dos 1 caixa ameixas seccas ; a Denker & Biitojo.
inspectores de quartero, j quanto escriplura- 1 dita manirs ; a J. Vignes.
cao, que ja devera estar prompto para remelter-se 1 dita elTeilos de laa ; Loour Ouint.
mesa de qualilicae.ao !! 1 dita chapeos de pallia, l dita eonse v;.s. 1 har-
C01110 fusse eu o subdelegado que precedeu nes- '< ril genebra de laranja, 1 dito cognac, 10 larris
te cargo ao actual, o Sr. Jos Francisco de Souza vinbo ;'a ordera.
Lima, nao posso soflrer em silencio essa increpa-1 50 caixas cognac-, a WilsOD Iletteo; C.
cao tao desabrida i|ue me faz, para assim mostrar 1 1 caixa pannos de Itnho, 1 dita sedas ; a J. U. da
bom desojo de curaprimento o ordem no desempe- Funceca.
nim do dito Caigo, para alr.anc.ar o que tanta gana
mostrou e nao sei do que uieios usou.
E por isto pergnnto ao Sr. sobdetogado :
1. Se elle sabe o que anarchia ?
2. Em que consisten anarchia dos inspectores .'
3." A que chama S. S. anarchia da escriptu-
racao 1
4." ('-orno, sendo assim anarchistas os inspecto-
res, tem S. S. querido obligar a servir loaos os
que tem pedido a sua demissao f
8.* Se estes inspertores anarchistas nao sao
pessoas todas de posicao social e de toda 1 consi-
1 caixa cr&pos, 2 ditas pannos c 3: dita ignora-
se ; a A. A Gomes.
1 caixa confeitos ; a Vaz A Leal.
1 dita ameixas ; a K. Barbosa.
i 1 aixas eharjaria e arnacOw para el apees de
! sol. i dita sedas, i dito ronfeitos, 2 barr; vinlio, 1
cmhmllio, amostras ; a F. Savrage ,V <1.
2 caixas merciaria.fl dita artigos de la i, sedas e.
ia,lentes para chapeos ; a Burle i C.
1 cala livros; a Jos N. de Souza.
2 ditas ; a Monteiio Lopes.
12 ditas ameixas seccas; a t. I. Ba--tcs,
Podras d amolar
hiera de liltrar......
dem de rebolo......
Piassava.........molho
Pontas. ou chifles de varea ou
novihos........cento
Planchos de amarello de dous
costados........um
dem de Imiro.
Raa. .
Sabio. .
Sal ....
Salsa arrilha.......arroba
Sebo era rama. .
dem cni velas. .
Sola era vaqueta. .
Taboas de amarello. .
dem diversas. .
Tapiocas......
Tatajulia. ......
Travs......
Unhas de boi .
Vassouras de piassava.
Ditas de timb .
Ditas de carnauba .
Vinagre......
AJfandega de Pernambuco, 13 de fevereiro de
1864
1 A-signados):
0 1." confrente, Jos Afmso Ferreira.
O 2." conferenle. Joaquim Ignacio de fito'MBtoi
Mcndonca.
Apprvo. Alfandega de Pacrnmbuco, 13 de fe-
vereiro de 1864. Pon* d'Andrade.
Conforme. O 4. escripturario, Joao dos San-
to Porto.
tecebedori de rendas Internas
seraes de Pernanabnco.
Rendimento do dia 1 a 12........ H:2104K?
dem do da 13................. 1:0025252
libra
1
. alqueire
urna
duzia

arroba
quintal
urna
Cento
caada
55800
204000
105000
15000
120
400
255000
55000
75 25*00
1105000
735000
25800
25000
65000
25000
105000
85000
65000
500
12:2125788
Consulado provincial.
Rendimento do dia i a t......... 45:17*4487
dem do dia 13................. 2:6Gt4'.K0
47:7744447
PRACA DO RECITE
19 di: ii:\i:ui:iiio ie imm.
s tbes mokas da tabde:
Revista semanal.
Cambios........Os saques da semana effectua-
ram-se a27 3/,, 27 V, 27 /, e
27 V* d. per 14000-sobre Lon-
dres, sobre Paris saccou-se de
340 a 342 rs. por fr. sobre Hani-
burgo a 658 rs. por M. B., e so-
bre Lisboa de 92 a 95 por cento
de premio, montando os de Lon-
dres por 180,000 st. e 900.000
fr. sobre Paris.
Algodao........O desta provincia vendeu-se de
205000 a 224000 por arroba de-
pois da chegada do paquete fran-
cez, o de Macei de 235000 a
235300, e o da Parahyba a 245,
estes postos a bordo.
Assucar........Vendeu-se de 34400 a 45300
por arroba do branco, de :<4100
a 34200 do somenos, de 24750
a 25900 do masca vado purgado,
e de 25400 a 25600 do bruto.
Agurdente.....Vendeu-se de 785000 a 805000
apipa,
Couros.........Os soceos salgados venderam-se
a 170 rs. por libra.
Queijos........
Sabia..........
pomHnho.......
Vinagre........
VinhAg-.........
Velas..........
Descont.......
Fete*.........
1 8 pilado da India vendeu-se
a 25300 por arroba, e o do Ma
ranha de 25800 a 3520O.
O de Lisboa vendeu-se a 2500
por galo.
Ketalhou-se de il5 a 124500 a
barrica ; tirando em de|>OMti
15.000 barricas.
Venderam-se a 14*00 por ar
roba.
dem a 25800 a liarrhpnnlia, I
americana.
A da Kio da Prata retailiou-sr de
24700 a 35400 por arroba, e a
du Hio-Uiamle 1I0 Sul de 800
a .15400, a rotea, e de 34600 a
440O da nova : ficando- em ser
22.578 arrubas da primeira, e
45,166 arrobas da segunda.
Vendeu-se de 75000 a 8400O a
arroba.
dem de 15800 a 25200 a libra.
dem de 54000 a 54600 per du-
zia de garrafas.
A de Philadelphia e Xew-York
relalliou-se de 164000 a 18400O
por barrica, a de Baltinore
a 164000, e a de Trieste de
205000 a 214000 ; litando em
deposito 2,200 barricas da pri-
meira, 400 da segunda, 400 da
lerreira. e 6.500 da quarta. in-
clusive um carregamento entra-
do nesta semana.
Vendeu-se de 145000 a 164000
a sacra,
dem a 380 rs. a botija.
A ingiera ordinaria vendeu-se
com Att por cent de premio
sobre a factura.
A franceza vendeu-se- de 490 a
500 rs. por libra, e a ingleza
de 680 a 700 rs. a dito ; caudo
em ser 4,700 barris de ambas.
Vendeu-se a 75d0a eai*.
dem a 25000 o anafe
dem de 55600 < 65000 araiaa.
Sustentarara-se de 134800- s45>
a arrulla.
Os tlamengos venderam-se a r_
24300 cada rm.
0> amarello vendeu-se a IWvrs-
a libra, e o de Mediterrnea
2* rs.
O d Lisboa venden-se de 85J00'
a 8520U por arroba.
O de Portugal venden-se de 1154-
a 1224000 a pipa.
Os de Lisboa vnderam-se de
2205 a 2264 a jipa.
As de composcao venderam-se
de 500 a 520 rs! o masso.
O rebato de letra reputen de 6*
a 10 per cenlo ao anno.
Para o Canal carrejando neste
porto a X>. na Parabvba a 376<-
em Macri a 40, e para Liver-
pool Vi por libra dealcodao e
pela tonelada de lastro.
MOVIMENTO DO POETO.
Navio entrado Mt dia 13.
Terra-Nova32 dias brigue inglez Alexandre, 225-
toneladas, capitao James Goids'worthy. equipa-
gem 11, carga 3,290 barrieas com bacalho; a
Johnston PWey i C
S-ihiitos no mesmo dia.
Aracaivhiate nacional Sant'Anna, canatos Anto-
nio Joaquim Alves, carga diHerentes genero.
Bio de Janeiro-|>alhabote nacional Viamao. capi-
tn Jos Coelho de Castro, carga assucar e ou-
tros gneros.
Cearpatacho inglez Gewgeanm, capito W. Star-
kings. em lastro.
Navtos entrados nodin 14.
Bio de Janeiro e portos intermedios7 das, va-
por nacional Princezade loinviltr. de 917 tone-
ladas, commandante o primeiro- lente F. M.
A. de Araujo. ejuipagem 57.
Ass14 dias, brigue escuna nacional Joven Ar-
lliur. de 147 toneladas, eapito- Joaquim Anto-
nio Goncalves Santos, equipagen 12. carga sal,
paltt e outros gneros; a Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & ('..
.Nao houveram sabidas.
IDITAES.
Pela inspectora da alfandega se faz constar
aos senhores co asignatarios ou denos das merca-
dorias comidas nos volumes abaixo designados.
que venhain despacha-tos dentro do praso de 30
das contados da dala deste, sob pena de serem as
mesmas arrematadas em hasta publica, or conta
e a cusa de quem pertencer; como dispoe o % 4"
do art. 299 do regulamenlo das alfandegas.
Marca, letrero Krabbe Wbatly >C. n. 829. um
embrulho vindo de Southampton no vapor inglez
Magdalena, consignado Krabbe Whately em 29
de Janeiro de t86i.
Marca totroteu, P. Kalkman A C, um embrulho
sem numero, viudo de Bordeaux no vapor francez
tearn, consignado fc>lkaman, em. 12 de feverei-
ro de 1861.
Marca SS, urna caixa n. 17, vindo do Havre, no
galera franceza Solferina, consignada ordem, em
29 de julho de 1861.
Marca \Y t',, jni embrulho n. r-,843, vindo de
Hamburgo no pataclio dinamarquez Katoiro, con-
signado Schnfhatit (5 C, em 2*de agosto de
1861.
Marca A G> uin embrulho n. 250, e M L & C,
urna caixa n. 331, vindo de Hamburgo no mesmo
patacho dinamarquez Ehniro. consignado ordem.
em 28 e 31 dito inez de agsslo de 1861.
Marca II, um embrulho 11. 16, vindo de Hambur-
go, no brhrae amlHirguez Gazello, consignado a
ordem. em 6 de setembro do 1861.
Marca M J, urna eaixa n. 7, vindo de Havre, na
galera franceza Berna, consignada ordem, em 27"
de selembru de 1861.
Marca k.EA C, um embrulho, 1, /t, vinao
de Hamburgo, no brigue hamburguez Capibarib.
consignado jrdem, em 12 de novembro de
1861.
Marca BE, umo-caixa n. 4,27 vindo de Ham-
burgo, no brigue hamburguez Emma, consignado
a ordem, em 29 de-novembro de 1861.
Marca A A; C, um embrulho n. 4,776, vindo de
Hamburgo, no briguehamburgui* Kouna, cousig-
nado a ordem, em 5 de dczcinben de 1861.
Marca S P, duas caixas. 11. IW.e 112, vindo do
Havre, na galera, franceza Adeie, consignada a or-
dem, em 5 ile il-zenibro de 1861.
Marca, leireiro, Prente Vianna & C. um em-
brulho, sem numen, vindo de Hamburgo no-pata-
cho dinamarquez Ehsabelt. consignado, ordem.
em 21 de dezeir.bro de 1861.
Marca E IL urna caixa n. 3, vindo no-brigue
inglez Limo, (arribado) em 14 de agosto de Irol.
Morca S, una caixa. 11. 245, vindo de Londres,
no brigue inglez jprtl of th Times, consignado
Saunders Brosihers & C, em 18 de feveroiru de
1183.
Quarta sanlo da alfandega de Pernarabuco, 13-
de levereiro de 18t>\.
O- 2* escripturario.
Carroo OeHSSS de Su.
Weeretarla da relaco.
Feitos parados por falla de pagamente-do resprr-
livo preparo.
Aggravo do juizo dos feitcs.
Aggravante, Jo> Francisco de Souza: aggravada.
a tetenda provincial.
Aggravo do juizo dos feitos.
Aggravantes, Jos MarrehnolAlves da Konceca e-
outros ; ageravada. a fazenda provincial.
Afgravo do juizo de ausentes desta cidade.
Aggravante. Augusto Adolpho Vanderley Lins i
aggravo, o juizo.
Aggravo do juizo municipal desta cidade.
Aggravante, o dexembargador Jeronyrao Marti-
niano Figueira de Mello ; aggravado o juizo.
Asjfraro do juizo de paz da Boa-Vista.
Aggravante, l>. Anna Joaquina dOliveira Quin-
1,11a ; aggravalo o juizo.
Appellaciio civil do juizo dos feilo.s.
Appellante, Jc Vellozo Soares: apellada a fa-
zenda.
Appc-Uaeao civil do juizo dos feitos.
Appellante, Jos Velloso Soares ; appellada a fa-
zenda.
Appellarao civil do jnizo dos feitos.
Appellante. o Dr. Jos Angelo Marcio da Silva ;
appellada a fazenda.


-1
Miarlo de rcrnavitmco segunda felra 15 de re* r relio de IhJ.
Appcllaco civil do juizo Jos feitos.
Appellanto, Jos Rabello Padilha c outros ; ap-
pellada a fazenda.
Appellaco civil do juito municipal de Cabo.
AppeHante, Huioel Ignacio de Jess; .ppellados
Aero Vieira d;i Cuaba e outros.
Appellaco civil do juras municipal do I.iraoeiro
AppeHante, o curador dos orpbaos (e Antonjo
larboza de Souta c sua raulhor; appcllado Joao
Bernanuvem Ma;el.
Apiiellaco civil do juizo municipal de S. Miguel.
AppeHante, o tenente-coronel Joao Corr ',ia d'Arau-
jo ; appelado Jesc tlypino de Carvalho Morena.
Appellaco civil do juizo municipal do Brejo de
Areia.
Appellantes, Cosme Ferreira Lima e sua mulher;
appellados Manuel Gomes da Cnulia e su mulher.
Appellaco civil do juio municipal d'Alaga-nova.
AppeAmtao bacharel Matlmiano Lopes Macha-
Io appcllado o teneute-corooel Patricio Jos Frei-
r Mariz.
Aitpellacao civil do juii municipal de Itananoiras.
Appel'iaHtes, Jos Barrozo le Carvalho e mitro.-.;
appellados Manuel Januario Ikzerrt Civalcante e
i'j- filhos.
Appellaco civil do juizo municipal ('o Crato.
AppeUante, Birbosa Francisca de Je -us ; appel-
lado Manoel Francisco da Cruz.
Appellacao civil dojuizo municipal des iaranguape,
Appellante, Fiustina Thereza de Jess; appella-
da I). Almira Freir'Leal.
Appellacao civil do juizo municipal di cidade da
Parabvba.
Appellante, l. -Florencia'Mara da Corceicjio ; ap-
pellado Joao Pf anoisco de Mello Brrelo.
Embargos ios appellantes, Manoel Goncalves
Agr e seus fiadores ; embargada e appsllada a fa-
-zvada a faxeud.i provincial.
Hevjsta crvil.
Recorrcntes, Rosalna Fernandos d Almeida
-s< us Albos menores por seus curadores, recorrido
Pedro Jos Secretaria da relaco 13 de fevereirc de 1864.
O secretario.Don'uugot MTonso Fe reir.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, otile al da impe-
rial orem da Rosa e juiz especial docommercio
desta cidade do Recife de Pernaiubiico e sen
termo por S. M. imperial e constitucional o Sr.
D. Pedro II que eus guarde etc.
Faco-saber aos que o presente edilal virem e
delle noticia tiverem que no dia 15 de levereiro do
corrente anno, se ha de arrematar, d pois da au-
diencia, um sobrado de dous andares sito ra do
Rangal n. 16, temi l'.l palmos de largura e 58 de
tundo porta larga no andar terreo pan rochetra;
tendo oprimoiro andar varamia de ferro com duas
jaaellas na frente, e duas salas eum quto, a sotea
com ttm-dous quartos: assim como inn solio (|ue ser-
v decesioha, sendo o quintal em iberio, que d
enmmuoica;;io a oulra casa, que deita para a ra
d>-Livramento, avallada em oito cont: de res; a
qual fura penhorada ao Dr. Ignacio Nery da Fon-
sica por eateciicio de Gabriel Antonio ; e nao ha-
vendo lancador' que cubra o preco a avaliacao
s*r Teila arremataeo pelo preco d i adjudica-
cao com o abatimento legal.
E para que :> presente chegue ao coalieoimento
do todos ser publicado pela imprensa, e afiliado
n i forma do eslylo.
Recife, 11 de levereiro de 18fi4.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nasoimento,
escrivao o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao d3 Alencar Araripe,officu.l da impe-
rial ordem da liosa e juiz de direito .-special do
comraereio nesta cidade do Recife de Pernambu-
co por S. M. Imperial etc.
Faco saber aos que o presente edilal virem e
delle" noticia tiverem que no dia 15 di fevereiro
do prximo futuro anno se ha de arrematar por
venda quem mais der, era praca publica deste
juizo o seguinte:
Januario, crioulo, de 30 annos pouc > maisou
menos avallado em 6005, o qual fura penborado
por execuco de Antonio Jos AI ves da Fonseca, con-
tra Candido Thomaz Pereira Dutra : e lito baven-
do lancador que cubra o precio da avaliacao a arre-
matadlo ser leila pelo prego da adjudicaco na
forma dalei.
E para que chegue ao
Dr. Candido Martinsde Almeida.
Dr. Caetano Xavierfereira de Brito.
Ernesto Ignacio Cardira.
Dr. Flix Moreno Brandan.
Francisco Jos Martina Peona.
Jacinlho Febronio Esmeraldo.
Julio da Silveira Lobo.
Fr. Joaquim do Espirito Santo.
Dr. Juaquim de Oliveira Souza.
Jos Gomes Ferreira.
Jos Jorge de Siqueira Filho.
Dr. Jos Sergio Ferreira.
Jos dos Santos Nevos Jnior.
D. Luiza Antonia de Siqueira.
Dr. Luiz Ferreira Maciel Pinheiro.
Manoel Pereira da Silva.
Teuente-corond Rodolpho Joao Barata de Almeida.
Crrelo geral.
Pela admimstrafao do curris desta cidade se
faz publico que as malas que deve conduzr o va-
por nacional Princeza para os portos do norte se-
rao fechadas hoje 15 do corrente as II horas da
tarde : os jornaes at meio dia, e os seguros at 2
horas daarde.
Tribunal da relaco.
Por ordem do Exm. Sr. desembargador. presi-
dente da relaco faz-se publico, que tendo Leopol-
dino Antonio da Fonseca destruido as arguiooes
que Ihe foram feitas, obteve nova proviso por tres
annos para advogar as comarcas de Macei e
Athlaia, na provincia de Alagoas.
Secretaria da relaco, 16 de feverejrode I8GV.
O secretario da relaco,
Domingo* Affons Ferreira.
Correio.
A mala que deve conduzir o vapor costeiro Ma-
mtmguape com destino ao presidio de Fernando,
echr-se-ha boje 15 do corrente, as 11 horas da
manba em ponto.
Vai praca a requerimento do Hermenegildo
Eduardo Bego Monteiro, pelo juizo de orpbaos
(escrivao Facundo) um sitio no lugar da Piedad*
de renda annual, e por tempo de Iras annos :
quem no mesmo quizer tancar, comprela lorca-
feira, as 11 horas do dia, na audiencia do mesmo
juizo.
'ORREIO GERAL
Pela administracao do correio desta cidade se
faz publico que em virtude da convenci postal
celebrada pelos governos brasileiro e francez se-
rio expedidas malas para Europa no dia 15 do
corrente pelo vapor inglez enla. As cartas se-
rio recebidas ate 2 horas antes da que for mar-
rada para a sahida do vapor, e os jornaes at 4
horas antes. Administrado do correio de Per-
nambuco, 11 de fevereiro de 186i.u adminis-
trador. Domingos dos .Paseos Miranda.
S. Exc. Rvma. manda declarar aos seus dio-
cesanos que os sermoes quaresinaes annualmente
annunciados na igreja de S. Pedro, serio este anno
recitados na matriz da freguezia da Boa-Vista, pe-
las 10 horas. Palacio da Soledade II de fevereiro
de 1864. D.Jos Antonio dos Santos Lessa, se-
cretario particular, de S. Exc. Rvma.
Pela subdelegacia do Peres foi recolhido
deposito um cavallo ruco, castrado, com pintas de
pedrez, e cangalha, que sem conductor segua pela
estrada da Victoria : quem for seu dono corapa-
reca, que provando. Ihe ser entregue.
Subdelegacia do Peres 6 de dezembro de 1864.
O subdelegado,
Alexandrino Martins Correia Barros.
LELOES.
HOJE.
O agente Pestaa far leilo por conta e risco
de quem pertencer, no armazera do Annes, de
600 Gigos batatas.
90 Ditos ceblas.
20 lirios alhos,
(hegados ultimamente de Franca no brigue francez
Emite. ____________________________^__
IEIIAO
DE
10 barricas com cevada de Lisboa.
HOJE
O agente Pestaa vender em leilao por conta e
risco de quera pertencer 15 barricas com excel-
lente cevada de Lisboa em um ou mais lotes: se-
gunda-feira 15 do corrente pelas 10 horas da ma-
nha no armazem do Annes defronte da alfandega.
LEILAO
DE
Fazendas e miudezas.
Terca-feira 16 do corrente.
10 horas em ponto.
Cals Irmaos querendo liquidar, farao leilao por
mtervencao do agente Pinto, de todas as fazendas
e miudezas existentes em seu armazem ra da
Cruz n. 51, onde se effectuar o leilao no dia e ho-
ra cima mencionada._______________^^^^
Terca-feira i< de fevereiro as
II horas, ra da Caricia nu-
mero 53.
O agente Euzebio vender em leilo diversos
ohjectos de marcineiria, vidros e obras de metal
principe, um apparelho para cha e outros artigos.
lu si lio na ra do Beniica na Passagem
Sexla-feira 19 do correle.
O agente Pestaa vender em leilao por ordem
da caixa lilial e por conta e risco de quem perten-
cer duas tercas partes do sitio e casa com commo-
dos para numerosa familia sito em BemQca na
Passagem n. 42, o qual foi pertencente outr'ora
Sebastian Jos da Silva e ser vendido sexta-feira
pelas 12 horas em ponto da manhaa na porta da
associacao commercial.
Qualquer informacao o agente est prompto a
dar.
LEILAO
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do norte
at o da 16 do corrente o vapor
Apa, commandante o primeiro
lente Alcanforado, o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do sul,
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
conlieciment) de todos I carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
Sexta-feira 19 do corrente.
O agente Pestaa por ordem dos administrado-
res da massa fallida de Lima de Martins com auto-
risacao do lllm. Sr. Dr. juiz do commercio far
leilo das dividas activas no valor de 22:8595774
rs., pertencentes a mesma massa: sexta-feira 19
do corrente pelas 11 horas da manhaa na porta
da associacao commercial.
Os Srs. pretendentes que precisarem qualquer
esclarecimentn a respeito ou examinar a relaco
podem dirigir-se ao agente que se acha prompto a
salisfazer.
AVISOS DIVERSOS.
mandei passar o presente que sera publicado pela;ser embarcada
imprensa e affhado nos lugares do
eife, 18 de deze-nbro de 186.1.
Eu Manoel Maria Itodrigues do
es rivao-o substrevi.
Trittao de Alencar Araripe.
O lllm
zenda desta
em virtude
de oovembro do aun prximo passado, fica mar-
cado a Maria Celerina da Conceirao, Anua Joaqui-
na de Souza Rangel e suas nulas Guilhermina
Olvmpiadc Soma Rangel, Maria Isabel de Souza
Rangel e Maria Jo Espirito Santo de Souta Rangel,
o praso contado desta data at 15 de fevreiro pr-
jimo vindouro, para satisfazerem a cei tas forma-
lidades que falUiram nos processos de justifica^ao
qu prUuziram para a percepc,ao de : eus meios
sidos, sob pena de Ibes ser suspenso o pagamento
dos mesmos meios sidos, e de proceder se execu-
tivamente contra ellas para restituicao do que j ti-
verem recebido
Secretaria da thesouraria do fazenda dePcrnam-
buco, em 9 de Janeiro de 1864.
Servindo de official ma or,
Manoel los Pinto.
no dia de sua chegada: encom-
custume. Re- mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 3 l TnctitlltA A TV1l.lPnlAO*Hn A tAA-
bom, anaca ra da Cruz n. 1, escriptorio de loUlUU lUUieOlO^lU) e UCO"
N iseimento, J Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. 'TIDIiCO FCrililllll)ll("lllO
sor erara*. Para o Porto Km conformidade ilo arl. 27 dos respec-
Im. Sr. inspector da thesour ria de fa-, pretende seguir com muita brevidade a barca por- tVCs estatutos, rcunir-SC-ha o Instituto em
la provincia, manda fazer publico que,, tugueza Feliz, tem parte de seu carregamento a f .
daurdem dothesouronacimaldeolbordo: para o resto que Ihe falla e paaBageiros, ;'^mi)lui gcrai 5eguna-ieira 15 rJO COrren-
paraos quaes tem excellentes commodos, trata-se j te levereiro, para proceder a eleitjao dos Of*
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-' ficiaes que devem compor mesa adniinis-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz traliva de 1864-65.
numero 1.---------------_-------------------------------- ^ S5o p()s (.onvja(jos i0O, oS membros do
Pjjra 0 Hio de Janeiro. j Instituto que se acham presentes, qualquer
Sahir im brevidade o brigue nacional Minar- que seja a sua cathegoria, a tomar parte nes1
va, recebe carga e escravos a frete : trata-se com ^ aP,nr.|/.o ,,nP

Manoel Ignacio de Oliveira A Filho, largo do Corpo I" af.etnDlca, que se aonrd as 11 lloras da
Santn. 19. manhaa,
Secretaria do ; Instituto, 13 de levereiro
de 1864.
J. 8oares d'Azevedo,
__________ Secretario perpetuo.
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado par;i a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ira o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripia.
DECLRALES.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co que os .'10 dias uteis marcados para a arrecada-
<;a<> a bocea do cofre dos impostus de 0|0 sobre
as casas de commercio fra da cidade, prensas de
algodao, typographias, cocheiras, cavalarices, ho-
teis botequins, casas de pasto e fabricas, de 8 0|0
sobre consultorios mdicos e cirurgicos, escripto-
riiis ecartorios, del 0|0 sobre casas de commer-
cio em grosso t a retalho, armazens de recolher,
de depsitos e trapiches, de 505 sobre casas de
bi I liar, modas, chapeos e roupa fcita estrangeira,
e ce commissao de escraves, de 3005 sobre com-
jianbias anonynias e agencias, de 2005 sjbre casas
de cambio, de KKJ5 sobre correctores rommerciaes
e agentes de leil.io, de 300 rs. por tonellada de al-
varengas e canoas abertas.de 305 por escravo em-
preado no servio das mesmas, de 10 0|0 sobre o
planto docapim, e o de carros, carracas e mni-
bus pertencentes ao anno flnanceiro \igeDte de
1863 1864 fine am-se no dia 19 do corrente, (i
canto sujeitos a multa de 3 010 sobre seus dbitos
os que pagarem depois daquelle dia.
Mesa do consulado provincial de Pern tmbuco, 9
~de fevereiro de 1864.O administrador,
Antonio Carneiro Machado Res.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co que as 30 dias uteis marcados para a cobranca
Jtocca do cofre do Io semestre do anno linancei-
ru corrate do i nposto de 30O|0 do consumo de
^guardeate das Ireguezias desta cidade, dos Alo-
fiados, S. Umreujo da Malta, Santo Amaro de Ja-
boato, Varzea.e Muribeca, fimlam-se no dia I:' do
mudaste mez, licau'lo mjeilos repectiv. multa os
.que pagarem depois desse da.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco 9
le favereir de 1864.O administrador,
Antonio Carneire Machado Kios.
C'onselho administrativo.
Oeonselho administrativo para forneciinento do
arseaal de guerra lem de comprar os oLjectos se-
guintti:
Para o presidio de Fernando.
Fariafaa de mandioca por medida lega, 800 al-
Para a companhia de avallara.
Casemira encarnada 7 1|2 covados.
Quem quizer vender taes objeetos apreientem as
a.-: propostas em carta fechada na secretaria do
cow.elho s 10 horas da raanha do dia 15 do cor-
reme mez.
Bala das commiss&s doeonselho admiiistrativo
ra fornecimenlo do arsenal de guerra H de feve-
reiro de 1864.
Antonia Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastie Antonio /lo Reg Rarrot,
Vogal secretario.
Relaco das carias segaras viudas de shI pelo
vapor l'rnef'.a deioninvillc para** senkores
ahaito dcclaradts:
Antonio de Castra Alves.
Dr. Antonio da Cunta Figueiredo.
Antonio Jos da Cxista Reg.
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo.
Bario do Livramenio.
COMPANHIA PERNAMBUGANA
DE
\'avcgaco costclra vapor.
Illi.i de Fernando.
O vapor Mamanguape, comman-
dante Moura, segu no dia 15 do
corrente as 11 horas da manhaa.
Recebe carga at o dia 18. En-
commendas, passageiros e dinhei-
ro a (rete at 10 horas do dia da sabida : e-enp-
torio no Forte do Mallos n. 1.
Para Lisboa.
O brigue portuguez Relia Fajuri-
rense, capito Jos Ferreira Lssa,
val sabir com muita brevidade por
ter a maior parte do carregamento
prompto, para carga e passageiros
para os quaes tem excellentes commodos trata-se
com o consignatario E. R. Rabello, ra da Cadeia
n. 5o-
nn opkto
pretende seguir com muita brevidade o brigue na-
cional Amelia, tem parte de seu carregamento
prompto : para e resto que Ihe falta e passageiros,
para os quaes tem excellentes commodas, tratase
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra d Cruz
numero i.
LISBOA E PORTO
A jalera portugueza Nova Fama segu com bre-
vidade, recebe carga para ambos os portos : tra-
ta-se com os consignatarios Marques, Barros & C,
largo do Corpo Santo n. 6.
Para o Kio de Janeiro
segu impreterivelmente at o dia 15 do corrente o
patacho nacional Capuan, s recebe escravos a
frete e carga miuda : trata-se com os seus consig-
natarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
AOS 5:O00,()OO
C4S\ D4 FORTUNA
Illlhctes garantidos
A' ra do Crespo n. 23 e casas do costume
O abaixoassignado tendo vendido em seus mu
felizes bilhetes garantid is o de n. 2335com a >or-
te de 1:2005, o de n. 2j05 com a de 3005 e Mitras
umitas de 1005, 405 e :: bou de extrahir a benelicio do Uymnasio, convida
aos possuidores de ditos bilhetes a virem
Canoa.
Quem pretender alugar urna canoa da carga de
1200 tijolos de alvenana grossa dirija-se Compa-
nhia Pernambucana 110 Forte do Mattos n. 1.
- Precisa-se de um caixeiro de 14 16 anno?.
que teiiha primea de taberna : na ra larga do
Rosario 11. 46.
Jacintho Tavares dos Rcis portuguez retira
se para o Rio de Janeiro.
Na ra do Vigaro n. 10, escriptorio de M.
J. Ramos e Silva A Genros, deseja-se fallar com
. reefeber os herdeiros do fallecido Antonio Felippe Dormont
seus respectivos premio? sem descont algum em Pessoa, que residem na ilha de Itamarac, a neg-
seu esiabelecimento Casa da Fortuna ra do Cres-
po n. 23.
O mesmo tem exposte venda em seu dito esta-
belecimento e as outr.s casas do costume os no-
vos e felizes bilhetes garantidos da terceira parte
da primeira lotera beneficio da Igreja de Nossa
Senhora do Livramentc do Recife que se extrahir
qunta-feira 18 do com nte.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 65000
Meios bilhetes...... 35000
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 55500
Meios......... 25750
Mt noel Martins Fiuza.
Silva
oci de seus interesses.
Gelo, gelo, gelo.
Com a chegada da nova machina nao se expe-
riment mais falta de gelo fabricarlo com agua do
Prata, todos os dias a qualquer lior3, para por-
coes grandes ou encommendas para fra da pro-
vincia dever haver aviso com antecedencia : ra
da Aurora junto a fundicao onde tem a bandera.
^m*
Na ra da Cadeia do Recife n. 25, precsa-se de
urna ama para cozinhar.
Manoel Roberto Fernandes, subdito ecuato-
riano, rctra-se para o Rio de Janeiro.
Precisa-se de urna ama para o servico de casa
e comprar na ra para pouca familia : na ra da
duia ii. 36, primeiro andar.
Acha-se justa a venda da loja de cacado da
ra do Livramento n. 33, de Jos Joaquim do*
Rus, por isso quem se julgar com direito a obstar
1 a dita venda reclame no prazo de 3 dias. Recife,
II de fevereiro de 1864.
Guilherme Reay Jnior e Thomaz Andrews
retiram-se para a Europa.
! O abaixo asignado casado e morador nesta
, cidade aonde bem conhecido, por motivos parti-
culares vera pelo presente declarar ao publico e
dvocacia,
alves da
Precisa-se alugar urna preta escrava para prevenir sua familia que nunca contrahio debito
tdo o servico de casa de duas senhoras : na ra com peuoa alguma de que resultasse passar titu-
I de Apollo n. 19.____________________________|0 de divida maior de 1005, e sendo portante fal-
Aluga-se urna casa em S. Jos do Manguinho ^ e de nenhum effeito qualquer letra, flca, val oa
a tratar na ra Augusta nu- PaDe' ^e crdito maior desta quantia com a sua
tirma, que agora ou de futuro possa alguem apre-
sentar exigindoo indevido pagamento ; pelo que^
confronte a igreja
mero 26.
O bacharel Joc Gonc
Montarroyos tem ei crinfrio na ra es-
treita do Rosario 11. 17, onde pode ser
procurado das 9 huras da manhaa s 3
da tarde dos dias uteis.
; praT, ttaS 5? d^tnStlf. ou ^! &&&*&& !
soa solteira: quem pretender dirija-se ra do
Queimado n. 13.
Precisa-se de um forneiro
n. 51.
na ra Imperial
O cemlte -lo publico
precisa de um jardineiro : a entenderse
respectivo administrad! r.
O bacharel Joai Francisco teixeira
contina com o sei escriptorio de advo-
gacia ra do Qinimado n. 28, primeiro
andar, onde pode er procurado das 9
horas da manhaa ;s 3 da tarde.
m mmmmm m:mm
Na ra do Crespc n. 15, se aluga urna boa
casa e sitio no Monteiro, com frente para o oitao
da igreja. assim como ( segundo andar do sobrado
n. 79 da ra do Impendor.
0 bacharel Haximiano Lopes lla-
cliado advoga n S('u escriptorio da ra
do Imperador n. 71, primeiro andar,
onde pode mt procurado das 9 s 3 lio-
ras da tarde para > que for concernen-
te ao exercicio de sua protissao.
O bacharel Amer co~Netto de" Mendonca gg
^ reside e tem aberto o seu escriptorio S?
3 ra do Livramento i. 18, 1 andar. WK>
mmmmm-. mmm :mm
Precisa-se de um lom cozraheiro e de dous
criados activos : a trat: no sobrado n. 32 da ra
da Aurora.
tt&MHi %f$t8fti !
gtt u advogado Or.Manuel do Nasciient
^ Machado Pertella, continua a ter o seu
I escriptorio no prim ;iro andar da casa n.
SjA 83 da ra do Impe ador.
Aluga-so a casa torrea n. 14 na ra
Formoza : a tratar n; ra do Trapiche nu-
mero 32.
O bacharel Francis:o Augusto da Cost con-
tinua a ter escriptorio d< advogado na casa n. 69
da ra do Imperador, om e pode ser procurado pa-
ra os misteres de sua pr ifissao.
Lava-se e engomna-se
ruado Hospital militar i. 8.
com perfeicao : na
v O Dr. Jos Bet to da Cunha e Figuei-
reilo, antigo advogado- do foro do Recife,
avisa as pessoas qut quizerem oceupar o
seu diminuto prestim) jurdico que o po-
dem procurar na ra estreita do Rosario n.
8, desde s 10 hora; da manhaa at s 3
da tarde.
Jos1 Rabollc
de Janeiro.
de Alneida retira-ge para o Rio
ParajLlsboa
pretende sahir impreterivelmente a 15 do corren-
te o brigue portuguez Soberano por ter quasi todo
o seu carregaoienlo prompto, apenas pode receber
a frete cerca de 300 saceos com assucar e passa-
geiros : trata-se cora o consignatario T. de Aquino
Fonseca Jnior, ra do Vigario n. 23, primeiro
andar.
rara o Hio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o palhabote
nacional Piedade, tem parte do seu carregamento
a bordo : para o resto que Ihe falta e escravos a
frete, para os quaes lera excellentes commodos, tra-
ta-se com os seus censignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1._________________________________
PARA 0 RIO DE JANEIRO
sabe impreterivelmente no dia 20 do andante o
veleiro patacho Correia, por ter a bordo a maior
parte de seu carregamento : para o resto que Ihe
falta c escravos a frete, trata-se com os consigna-
tarios Palmeira A Beltrao, largo do to)rpo Santo
n 4, primeiro andar. Adverte-se que recebe g-
neros etrangeiros.
RIO DE JA\EIRO
O brigue Beltzano segu com muita brevidade
por ter meio carregamento tratado : para o resto
e escravos a frete, trata-se cora os consignatarios
Marques, Barro* & C, largo do Corpo Santo ^n. 6.
Qmnta-feira 18 do corrente mez, se,ex-
trahir a terceira parte da primeira lotera
da igreja'de Nossa Senhora do Livramento,
no consistorio da igreja de Nossa Senhora
do Rosario da freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes e meios acham-se venda na
respectiva thesouraria ra do Crespo n. 15
e as casas commissionadas ra da Impera-
triz n. 44, loja do Sr. Pimentel; ra Direita
n. 3, botica do Sr. Chagas; ra estreita do
Rosario n. 12, typographia do Sr. Mira e ra
da Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 5:0005000 at 105000
serao pagos urna hora depois da extraccao
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuico das listas.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigue s de Souza
C.'uli Pernambucano.
A reunio familiar de fevereiro ter lu-
gar na noite de sabbado 20 do corrente.
Precisa-se
pouca familia :
andar.
Sociedade de seguros mullios
de vida Installada pelo Banco
ITniSo na cidade do Porto.
Os agentes nesta cidade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C escriptorio na ra
da Cruz do Recife n. 1, esto autorizados desde ja
a tomar assignaturas e prestar todos os esclareci-
mentos que forcm necessarios, as pessoas que de-
sejarem concorrer para tao til e benfica empre-
zas, egurando um futuro lisongeiro aos associades
Aluga-se o armazera n. 4 da ra do Apollo, e
o terceiro andar da casa n. 88 da ra da Impera-
triz ; na ra da Aurora n. 36. ___________
ATTENM.
Custodio Jos Alves Guimares avisa ao respei-
tavel publico e aos seus freguezes, que em vistas
de se achar seu estabelecimento em obras alim de
alargar mais o campo para o gallo de novo cantar,
afim de melhor poder servir sens bons freguezes,
com tudo em qnanto durar as ditas obras conti-
nuar a servir seus freguezes no seu grande ar-
mazem com frente para a ra do Imperador com
entrada pela dita loja do gallo vigilante,
Crespo o. 7._______________________________
Traspassa-se com o abate que se convenci-
nar urna letrada quantia de 1:2425, aceita pela
Sr.* D. Joanna Maria das Dores proprietria do
engenho Pintos, cuja letra est vencida em 13 de
julho do anno passado : quem interessar fazer es-
ta transaccao dirija-se ao largo do Carmo n. 20.
O abaixo assignado, arrematante das dividas das
massas fallidas de Joaquim Jos da Costa Fajozes
Jnior e Fajozes Jnior & Azevedo, avisa aos de-
redores das ditas massas que tem dado todos os
poderes ao mesmo Sr. Fajozes Jnior para cobrar
as ditas dividas amigavel ou judicialmente, ou vi-
rem-sc entender com o abaixo assignado, no largo
do Collegio h. 27, junto ao sobrado amarello. Re-
cife 12 de fevereiro de 1864.
Antonio Joaquim Fernandes da Silva.
Precisa-se de um caixeiro para taberna : na
na do Queimado n. 63, loja do Beija-flor, se dir
quem precisa.
suir e se queira utilisar de taes documentos, assim
como declara tambem que desta dat era dianta
Jualquer titulo de divida que por ventura tenba
e passar ser igualmente assignado por sua mu-
lher, sera o que lieara nullo e sem effeito, e por
isso sem direito a ser pago. Recife, 10 de feve-
reiro de 1864.
__________________Jos Bernardo de Senna.
Jos Antonio Gomes Jnior, contina a en-
carregar-se nao s de negocios forenses, roas tam-
bem de contabilidade, e pode ser procurado na
praca de Pedro II escriptorio do lllm. Sr. Dr. Fon-
seca ou na ra do Destino n. 3.
Offerece-se urna mulher de meia idade para
ama de homem solteira ou pouca familia : na ra
do Sebo n. 35.
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de taberna e que d conheciraento de sua conduc-
t : dirija-se ra da Roda n. 48, taberna.
Alugam-se as tojas do sobrado n. 44 em
a ra da Aurora: quem pretende-las diri-
I ja-se loja dos Srs. Bastos & Magalhaes,
ta__n\na ra Nova, que acharao com quem tra-
tar. _____________________
Profssor de piano.
Jos Coelho da Silva e Araujo, bem conhecido
nesta cidade, contina leccionar piano e msi-
ca vocal por commodo preco : quem de seus ser-
rua do vicos precisar, dirija-se ra do Livramento n. 21,
segundo andar.
Dase 2.0005 a juros com hypotheca em al
gum predio nesta cidade : na ra das Cruzes n. 7.
Na ra das Larangeiras n. 24, precisa-se de
urna ama escrava para o servico interno e externo
de urna casa de pequea familia, paga-se bem, e
nao se duvida dar alguns mezes adiantado, se as-
sim convier. Na mesma casa cima prcisa-M
alugar por mezes, ou em quanto convier a ambos,
um homem forro ou escravo para cargueiro de
urna pessoa que anda para o mato cobrando divi-
das ; paga-se bem.
Na ra Nova n. 26 se dir quem d algunias
quantias a juros de 2 0|0 sobre penhores.
No escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C. na ra da Cruz n. 1, precisa-se fal-
lar com o Sr. Luiz Soares Botelho, filho de Jos
Soares Botelho e de Fortunata Candida de Souza,
de urna ama escrava jara casa de e neto de Francisco Manoel de Souza, natural da
ilha de S. Miguel, o qual consta ter vindo para es-
ta cidade em 1856, para Ihe dar noticias de
mai e irmaos que se acham no Rio de Janeiro.
Escravos fgidos.
No dia 9 para 10 do corrente ugio um casal d&
escravos do sitio denominado Peixinhos, para as
bandas da cidade de Olinda, com os signaes se-
guintes : o negro de nome Antonio, crioulo, idade
de 58 60 annos alto, bastante espadando, cor-
no reforcado, nariz arrebitado, ventas grandes e
ps grossos ; levou cal^a de algodao azul, camisa
de estopa, e com outra de bat azul por cima : a
negra de nome Maria, nacao Congo, estatura re-
gular, corpo reforcado, bastante preta, beijes gros-
sos, com falta de dentes em cima e em baixo, bem
fallante que parece crioula. represent a idade de
45 annos, levou vestido de chita branca com pal-
mas ou salpicos pretos, chale de merino preto
com palmas de cores ^teem sido encontrados pe-
lo Salgadinbo e Beberibe, e pelos arrabaldes de
Olinda; consta andarem procurando senhor: quem
os pegar leve-os ao dito sitio que ser generosa-
mente recompensado. Vieram do engenho Santa
Luzia de S. Courenco da Malta para serem ven-
didos.
= Precisa-se
Chora-menino.
de amassadores : ua padaria do
Manoel Narciso Pacheco retira-se para o Rio
de Janeiro.________________________________
Precisa-se de um cozraheiro, livre ou escra-
vo, embora nao seja perito : quem tiver annuncie.
Na ra do Imperador n. 61, se dir quem
precisa alugar urna perfeita cozinheira.
Precisa-se alugar I negrinha recolhida para
os servicos domsticos de urna casa, a qual emen-
da de costura e engoramado, aperfeicoando-se no
mais : na ra larga do Rosario n. 13*se dir quem
precisa.
na ra la Cadeia n. 27, primeiro
Fazcndo a ultima muda.
Desappareceu da ra lo Crespo un cavallo cas-
tanho.sem andares.o qua lera os signaes seguintes:
um p calcado e urna mao por dentro branca, o
qual levou cangalha cob;rt de estopa e cerdas,
cujo dono gratificar a quem o levar em Figueiras,
freguezia di Bom Jardiir.
Aula de inslru-cao secundaria.
Manoel Jos de Albuquerque Mello, autorisado
pela directoria geral de nstruccao publica .desta
provincia, tem aberto a sja dita aula desde o dia
11 de Janeiro prximo liido, e contina a receber
alumnos qur internos qur externos: quem do
seu prestimo se quizer ttilisar o podem procurar
no pateo do Terco n. 141. segundo andar.
Na loja da ra Din ita n. 82, compra-se um
cofre francez em bom uso.
Joaquim Domingos, subdito portuguez, reti-
ra-se para fra da provii cia.
Precisa-se de urna criada forra ou ai
para servir a urna s pessoa : na ra das Laran-
geiras n. 5, primeiro andar.
Aluga-se o segundo andar e grande sotao do
predio da ra de Apollo n. 31, tendo no andar 3
salas, 5 quarlos e grande cozinha, c no sotao salas,
quartos e cozinha : a tratar na ra da Cadeia do
Recife n. 64, loja.
D-s dinheiro a juros e
compra-se ouro e prata : na rna
do Rangel n. i DENTISTA DE PARS 1
19Ra torta-19
Frcderico Gautier, cirurgiao dentista, SU
faz todas as operaeoes de sua arte, e col- jja
loca dentes artiliciaes, tudo com superio- H
ridade e perfeicao, que as pessoas enten- I
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
Antonio Augusto Coelho de Souza retira-se
sua i para o Rio de Janeiro no primeiro paquete.
l'recisa-se alugar urna escrava para carregar
fazendas : na ra do Hospicio n. 62.
irada de Joao de Barros, e para o mesmo se preci-
sa da um feitor que traba he de enxada e que seja
casaoo. Tambem ainda ;st por vender-se duas
soleiras de pedra de Lisboa: na ra das Cruzes
n. 9.
ISA
l'ma senhora viuva precisa de urna criada para
o servico interno de sua casa, advertindo que se.
ja de boa conducta em quem se possa depositar
conflaoca : a iratar na ra do Hospicio n. 29.
l.nsiiio primario.
lina pessoa convenier tmente habilitada pro-
pe-se a ensinar em qaalquer engenho: quem
pretender,dirija-se ra do Mondego n. 8. I GvmnasiO pr0\UCa
Ainda est por alugar o segundo andar do| m o dia lo de fevereiro estaroabertas as ma-
sobrado da ra das Ag las-Verdes, e tambem se trirulas das segrales aulas do gvmnasio provin-
alugam duas mei-aguas c entro de um sitio na es- cial: latim, francez, inglez, grego, allemo, ma-
thematicas, geographia e historia, eloquencia e
potica, philosophia, lingua e litteratura nacional,
sciencias naturaes e msica.
Nesse estabelecimento, mediante a mdica
quantia de l diarios, tem os alumnos internos ;
roupa lavada e engommada, medico, bolica, luz,
penna, papel, tint e criados para o servico.
Os meios-pensionistas pagara meladedessa quan-
tia, e os externos 155 por trimestre, podendo fre-
quentar as aulas que quizerem. O secretario,
Cabral.
^oiiii mm mmmmm
O Dr. Antonio de Vas- ffi
concellos Menezes d e ...
Drnmmond continua no ".
evercicio da advocada, >
ra do Imperador n. 43, P
primeiro andar, todos os v
dias ntels, das onze horas .
da manlia s quatro ho-
ras da tarde. lm outra
qualquer occaslo. e para
casos urgentes poder ser
$ procurado em seu donai- v
V cIlioaruad'Auroran. 6. gg
)mmm mm wm mmmm
Aluga-se a casa da ra do Mondego n. Bt,
com bastantes couiuwdos, grande quintal com caes
queda para o rio : a tratar ua mesma ra pada-
ria n. 47.
Maques sobre Portugal.
O abaixo assignad), agente do banco
mercantil Portuense est cidade, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
Sualquer somma, vista e a prazo, po-
endo logo os saques a prazo serem des-
contados no mesmo banco, na razo de 4
por cento ao anno aos portadores que as-
sim Ihe convier: na:, ras do Crespo n.
8 ou do imperador o. 51.
Joaquim da Silva Castro.
PIIW
Em quanto o Sr. Jos Joaquim Barbosa nao viej
ou mandar da villa do O' (para onde mudou-se oc-
cultamente) pagar os a ugucis de perto de dous
annos da rasa emque mcrou, na ra dos Prazeres
da Roa-Vista, ver o seu nome neste jornal para
melhor ser conhecido do; proprietarios.
Aluga-se o primeiro andar e loja da casa n.
30 da ra da Aurora : cuera a pretender, dirija-
se ao segundo andar da mesma.
Precisa-se de
mar, piga-sf bem :
33, sryundo andar.
una ama que saina rngom-
no largo do Livrailenlo n.
egocia-se o mar inismn de lavagem e
engommadode roufa vapor: na rua
Nova n. 50, primeiri andar, se achara
com quem se pode t atar deste negocia
No primeiro anda/- do sobrado n. 16 da tra-
vessa dos Expostos, preparam-se flores para todas
;is armaces de festas de igreja-: por muito barato
pre^o, e tem urna grande porco feit que se ven-
de muito em conta, apromptam-se ramos para do-
mingo de ramos, a seis \ iniens e meia pataca, tu-
do de muito gosto, e enfeitam-se velas com flores
de cera de mujto bom gosto a 4 e 55, com dhalias,
rosas, cravos e toda qualidade de flores feitas de
cera, fazem-se os ramos a gosto de quem os man-
dar fazer, e apromptam-se vestidos pretos para a
3uaresma com toda a brevidade, e gosto de seus
onos -. na mesma casa preparam-se bandejas pa-
ra bailes com armaeao, e bouiiuetes de flores de
cera de todo gosto, ditos de allloiaa, ditos de pepel
fino, ditos de gomma, de pauno e velludo, tudo
mais barato do que em outra qualquer parte, bor-
do de litas de ouro, lantijola para os bouquotes,
e lacos para as velas; vende-se tambem um sorti-
mento de folhas de rosas de papel a 15 a groza,
de todo o tamaito, para as senhoras floristas.
O bacharel Joaquim Pires Machado Porteila po-
de ser procurado,como advogado, no primeiro an-
dar da casa n. 83 da rua do Imperador, das 10 bo-
ras da manhaa s 3 da tarde._________________
_ Francisco Ja Silva Fonseca, subdito portu-
guez, retira-se para lora do imperio.
Precisa-se de urna pessoa que tenha pratica
do offieio do sapatairo : no largo da ribeira de S.
Jos n. 25.
Desappareceram no da It de fevereiro duas
pulseiras de ouro ainda novas, e previne-se aos
senhores ourives e qualquer pessoa particular que
se acaso forem olTerecidas, o favor de mandar avi-
sar na rua da Ponte Velha n. 1.
O Dr. Casaoo va pode ser procurado em seu
consultorio especial homeopathico no largo da ma-
triz de Santo Antonio n. 2. No mesmo consulto-
rio ha sempre grande sortimento de medicamentos
em tinturas e em glbulos, deixando elogiar os
nossos medicamentos pelas pessoas que os tem ex-
perimentado e continuam a servir-se em nossa
botica. Temos tambem obras- accommodadas a
intelligencia do povo.
COMPRAS.
Precisase de urna ama para todo servico
de urna casa : na rua da Concordia n. 55.
Na rua da matriz da Boa-Vista ti. 2.'l,
se dir quem precisa de um forneiro que
saiba bem do *eu oflicio para urna padaria
perto cte praca .-sugeitando-se a vender pao
na Boa-Vista.
L'ma mulher de bons costume* se olTeree*
para ama de urna casa de homem solteira ou de
oouca familia para cozinhar e engommar, preferin- ou teve taboleta'de ourivt s ua rua de S. Jos, quei- j armazem, loja de fazendas, fazer cobrancas aqu e
do-se estrangeiro : a trar na rua do Hospicio n. ra dirigir-se livraria d: praca da Independa ns. | em seus derredores, ou mesmo escrever em escrip-
24, taberna. \'a mesma lem duas escrava* para 6 e 8, sobre o aluguel la loja da Seala nova, torio : quem de seu prestimo utilisar-se queira,
alug.v-se, saliendo urna cozinhar, engommar e euja enave raandou entregar sem a importancia do dirija carta fechada com as iniciaes M. F. M. rua
coser. aluguel. da Gloria n. 8i.
Aluga-se um bom sitio na Capunga nova,
com urna casa de excellentes commodos, estriba-
ra, cocheira, tanque para banho, jardim e diver-
sas fructeiras, no qual jmorou por muito lempo
os Srs. John Lilly c Francisco de Albuquerqne'
e Mello : quem pretender, dirija-se ao escriptorio
da viuva de Manoel Goncalves da Silva, na rua da
Cadeia do Hecife n. 39.
Compra-se effeclivamente ouro e prata em
obras velbas: na praca da Independencia n. 22
loa de bilhetes.
COMPR4-SE
cobre, latao e chumbo : no armazem da bola ama-
relia no oitao da secretaria de polica. _______
Compra-se urna escrava que saiba bem coser
e engommar : a tratar na rua da Imperatriz nu-
mero 20.
Um mogo de l) annos de idade, natural des-
O Sr. Melquades Fi rrera de Souza, que tem [ ta praca, offerece-se para ser admittdo em algum
VENDAS.
Vende-se um preto ptimo
manijo, por ter j estado em-
preado em o servico do mar por
muitos annos : na rua larga do
Rosario n. 30. segundo andar.

i
t


2tO
Pavo.
LO JA DO P AVAO
Cassiis puritanas.
Vendem-se as mais modernas cassas puritanas rom bonitos deserhos pelo baralissimo preco de
e 280 rs. o covado, por haver grande poicao, pechinoba : ua ra Cassas persianas a 360 rs. o covado.
Diario de Pernantbaco *egundU feira 15 de Fetrredo de 181.
i
CALCADO.
Ra Direita
Vendem-se as mais bonitas cassas persianas a Imitacao do laa transparente com os desenhos
tecidos e inleiramento novos, pelo baratissimo prego de bO rs. o covado e nao desbotain : na loja
Pavao ra da lmperalrir. n. 60.
Grorgurao de lan a 500 rs. o covado.
Vende-se gorguro de laa de cor escuri propria para vestido de senhora, paletot para homem o
roupa para menino, pelo barato preco de 500 rs. o covado : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
As colchas do Pavo..
Vendem-se colchas de linho adamascad; s com bonitos lavares de cor de rosa, azul e branco,
pele baratissimo preco de 5 cada urna : na oja do Pavao ra da Imperatriz n. 60.
Organdys a 240 rs. o covado.
Vendem-se organdys matizados fazend:. milito Tina, de bonitos desenhos, pelo baratissimo preco
de 240 rs. o covado : na loja do Pavo ra d;. Imperatriz n. 60.
As alpacas do Pavo.
Vendem-se lpicas de seda de cores milito Pina propria para vestido de senhora, sontembar-
ques e roupas para meninos e dita branca mi ito Una propria para vestidos e paletots, p.>r preco limi-
to commodo : na loja do Pavo ra da Imper; triz n. 60.
Panno preto a 2$000.
Vende o Pavo.
Vendem-se panto preto muito encorpado a OOO rs. o covado, dito a 24500, 3*000 a 4500O, "^s e 'ranea de laa de todas as cores a 20 rs.
casimira preta muito lina a i$800. 2*000, 200 e 34000, isto para apurar diuheiro na loja e ar- i,ius ae 'rancelim branco muito superior a 20 rs
mancas de^godao brancas e de cores a 80 rs.
45
A| roveltem em qnanto lempo!
Boizeguins francezes de lustre pa-
la homem................. 5500O
Borzeguins francezes de cores pa-
ia meninas................ 25000
Boifzeguins francezes pretos para
poninas.................. 20500
Sajiatos de lustre para senhora.. 15000I
Sai i.itos de lustre s avessas..... 50C
UNIO
MERCANTIL
Ra do Quclniado un me ros
4 e 55,
est disposto a continuar a vender pelos preco
abaixo declarados, pois para principar o nov
anio.
Cajixas de obreias de cola muito finas a 40 rs.
Varas de franja de la de todas as cores a 40 rs.
RIJA DA CADjEIA DO RECIFjE W. 53.
NOVO E
gsaxtdb aruazbu de mol-hados
RIJA DA CADEIA IIO jUjECIFIG X. 53.
. francisco Fernandas Duarte acaba de abrir na ra da Cadeia do Reciten. 53. um grande e surtido armazem de molhados de-
nominado liuao Mercaati Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavel publico um completo sortimento dos melliores
que vera ao mercado, tanto esirangeiros, como nacionaes, os quaes sero vendidos em porgues ou a retalho por precos asss
raazera do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Luna.
As calcas do Pavao.
uzias de meias
N
34800.
para senhora muito superiores a
(.rozas de pennade aro muito finas a 500 rs.
Caivetes de duas e tres folhas a 500 rs.
Ditos de urna folha a 80 rs.
Caixas para rap, muito bonitas de calungas, i
100 rs.
Vendem-se superiores calcas de casimira preta a *>-.'> brecasacos de panno preto a 124000 rs., ditos saceos a "000 rs., colotes de casimira preta a
44-500 e 54000 rs.; na ra da Imperatriz n. 60, de Gama ii Silva.
Algodaozinho entestado.
Vendem-se algodaozinho americano com 8 palmos de largura para lenees, toalhas, ele, etc. etc. \-aPacnos redondos e compridosa 500 rs.
a 14000 rs. a vara, ditos estreitos a 54000, (-40(10, 74000 e 84000 rs. a peca, sendo muito boa fa- '
zenda, pegas de mandapolo, por preco muito razoavel, na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60,
do Gama & Silva.
Vestidos pretos do Pavao.
Vendem-se ricos cortes de grosdonaple.i preto com ricos enfeites de velado, pelo barato proco
de 404000 rs. cada um. na loja do Pavao ; rail da Imperatriz n. 60.
Lfuizinha Victoria.
Xa loja do Pavo.
Vendem-se as mais modernas lazinhas Victoria tendo 4 palmos de largura com lindas palmas de
seda pelo barato preto de 800 rs. o covado, na loja do Pavo. ra da Imperatriz n. 60. de Gama
& Silva.
Os sautaiibarques do Pavo.
A 8O0OOO rs.
Vendem-se ricos -autanbanraes pretos ricamente entenados a 204000 cada um. ricos manteletes
pretos, grandes a imitacao de capas pelo barat.ssimo prego de 204000 rs. cada um. s na loja do
Pavo, ra da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
0 chales do Pavao.
Vendem-se chales de merino estampad js a 34000 rs., ditos muito finos de crepom a 64000.
74000 e 84000 rs., ditos lian a 44500 rs., muito finos a 54000 rs., s na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60. de Gama & Silva.
0 brin\ do Pavao.
Vendem-se brim le linho paro com quad -inhos proprios para caiga e palitots, pelo prego de 500
e 600 rs. cada covado, sendo fazenda que sempre se veudeu por mais dinheiro; ra da Imperatriz
n. 60, loja do Pavo de Gama & Silva. 1
Laazinha a 320 rs.
So o Pavao.
Vendem-se laazinha matizada proprias para vestido sendo padroes miudinhos e grandes, sendo,
fazenda muito encorpada e que se pode lavar perfeitamente, como se lava a chita e nao desbota, sahin-' Cani\
do esta fazenda mais barata em proporco do prego porque se vende a chita; isto na loja da ra da' a 530 rs
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. Lava.', brancas de algodao finas a 80 rs.
-------------------------------- Miadas de linha frxa para bordar a 60 rs.
Caucas com muito superiores obreias a 40 rs.
Varas de franjas brancas e de cores, largas,
160 rs. i
Paies de botSes para ponho muito bonitos a 120 rs.
Carreteis de linha Alexandre com 200 jardas a
Cartoes de linha Pedro V com 200 jardas 'a 60 rs.
Ditos di' linha de 50 jardas a 20 rs.
Duzia de meias brancas para homem a 14600.
Caitas com soldados de chumbo a 120 rs.
Tmteiros de vidro com superior tinta a 160 rs.
Hilos de barro a 100 rs.
Grozas de botoes ae louga pratiados a 160 rs.
Tesduras muito finas para costura a 320 rs.
Ditap ditas maiores e melhores a 400 rs.
Escovas para limpar dentes muito finas a 200 rs
Ojias para unhas a 800 rs.
La de todas as cores para bordar a 74 a libra.
Caixas com phosphoros de segaranga a 160 rs.
Cadfjrnos de papel branco e azul a 20 rs.
Parole de papel amizade a 600 rs.
Caixis com 100 anvelopes muito superiores a
Cadernos de papel de cores.
401rs.
Silabarios portuguezes com
qualidades a 320 rs.
Graxa em latas muito nova a 100 rs.
Cartals e taboadas para meninos a 60 rs.
Caix.-|s com superiores iscas para charuto a 40 rs.
Carrciteis de linha de cores com 200 jardas a 60 rs.
Baralhos muito finos para voltarete a 280 rs.
Rodinnas com alfinetes francezes a 20 rs.
Cartap de alfinetes francezes fios a 40 rs.
etes de cabo de madreperola de duas folhas
grande e pequeo, a
calungas de todas as
ATTJEU^AO
27 Ra do Queimado 27
A prego de 35 a pega.
Cortes de cambraia branca adamasceda iroprias para vestido e cortinados pelo barato preco
de 340OO a peca.
Finos eitremeios.
Entiemeios muito finos bordados a 14 8 14300 cada orna peca,
; Para acabar.
Finos orfrandvs indianas padroes escuros prego de 240 rs. cada covado para acabar.
I 1-58CO a duzia.
Lengos de cambra ia brancosa 14800 cada urna duzia.
L -nces
e cobertas a 2.JO0O.
Fino fll.
Fil de linho bordado com toque de agua d je a prego de 400 rs. a vara.
COPOS COM BA-
MI1.
A aguia branca acaba de receber os bem conhe-
cidos e apreciados copos com banha, os quaes es-
do sendo distribuidos com aquellos pretendentes
que contribuir com 24500 a vista : isso na ra
do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
MUITO BOAS MEIAS
para seahoras c menina.
A agola branca recebeu mni boas meias france-
zas. de lino tecido e lio redoudo, o que as tornam i
: de immeasa duraco, porque muito convm, ainda !
' mesmo distando 7 e 84, como se estilo vendendo a
ilniiinirn m nl .... ba Os Clisos
OS MUS AGGRAVANTIS
E
II'iihu iK'iiiaz (iiintcao
ni:
SCROFUUS,,
Ol ERPCOES ESCROFULOSAS,
cornmodos.
Manteiga ingleza especia mente escolhida
de primeira qualidade a 800 rs. a libia,
em barril se faz abatimjnto.
Manteiga franceza a mais superior do mer-
cado a 560 rs. a libra, e 520 rs. em barril
ou meio.
Prezuntos inglezespara fianbre, de superior
qualidade, cbegadosnest3 ultimo vapor, a
720 rs. a libra.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 24800.
Queijo prato muito fresco e novo* a CiO rs.
a libra.
Castanbas muito novas a 120 rs. a libra e
e 3,5000 a arroba.
Cha uxin o melhor que t a neste genero,
mandado vir de conta propria a 26800
rs. a libra.
Cha hyson muito superior \ 2#o60 rs. a 1-
jra ; cha hyson propric para negocio a
I 5500 rs. a libra.
Ct preto muito superior a 25 a libra.
Biicoutos inglezes em latas com differentes
cualidades, como sejam traknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
outras muitas marcas a 15350.
Bdachinha de soda em lats grandes a 25.
Fgos em caisinhas herm ticamente lacra-
das, muito proprias par; mimoaldoOO.
Ciixinhas de 4 e 8 libras do figos de coma-
dre a 15 e 25 cada urna.
'Passas muito novas, chegadis neste ultimo
vapor a 500 rs. a libra e 35 um quarto ;
e em caixa se faz abatim :nto.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem vindo ao nosso mercado a 185 o gigo,
garante-se a superior qualidade.
Yinho Bordeaux das melfnres qualidades
que se pode desejar de 7,i500 a 85000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 95
a 10 a duzia, e 900 a 15 J garrafa; deste
genero ha grande porgo e de differentes
marcas acreditadas que se venderam
por 145 e 155 a caixa, con o sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do f'ooro, D. Luiz,
Cames, Madeira secco, C; rcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Gemino.
Vinho de pipa: Porto, Figutira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garra a, e 35, 35200
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
15200 a caada.
Azeite doce refinado em garrafas brancas a
800 rs.
Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
45800 a caada.
Genebra de Hollanda a 500 rs. o frasco e
55800 a frasqueira.
Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
Sarclinhas deNantes a 340 rs. o quarto e 560
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta: savel, corvina,
vtizugo, eberne, linguado, lagoslinba, a
15300 rs.
Salmo em latas, preparado pela nova arte
de cozinha, a 800 rs.
Maca de tomates em latas de 1 libra a 600
ris.
com ricas estampas na caixa exterior, Chourigase paiosem latas de 8 e meia libra
muitopropriasparamimo.a 1520o, ISoOO| por 75-
e 25- | Toucinho de Lisboa a' 320 rs. a libra e
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con- 85600 a arroba.
tendo meia libra de ameixas francezas, a Bolaxinba ingleza a 320 rs a libra e 45 a
15200. barrica.
Marmelada imperial, dos melhores conser- \ Sa8u .mut no?o a 240 rs. a libra.
veiros de Lisboa, em latas de I e meia a Cevadinha de Franga a 200 rs. a libra.
2 libras a 600 rs a libra. : Farinha do Maranhao a 120 rs. a libra.
Fructas em calda das melhores qaalidades' Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
que haem Portugal em latas hermtica- Cevadaa 120 rs. a libra e25 a arroba.
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs. a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Alpistaa 160 rs. a libra e 45800 a arroba
Batatas muito novas em gigos com 40 libras
por 15500.
Cebollas a 15 o molbo com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 95 a arroba.
Ma<;aas e peras chegadas neste ultimo vapor, Caf lo Cear muilo superior a 280 rs. a li-
muito perfeilas, s vista se faz o preco. ^rl e 85400 a arroba.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 15200 a libra.
Chocolate hespanhol a 15200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5J800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 15200 a garrafa.
Licores francezes das seguintes qualidades :
Anizete de Bordeaux, Plaisir
Caf do Bio, proprio para negocio, a 85.
Arroz do Maranhao a 100 rs. a libra e 25800
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 2*400 a
arroba.
Vellas. de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 95 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixo.
Macarrao, talharim e aietria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Eslrellinha,pevideearrozdemassa para sopa
a 600 rs. a libra e 35 a caixa enm 6 libras.
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs.
omasso, ditos lixados sem flor a 160 rs.
o masso com 20 massinhos.
(les Dames Gomma de engommar muito fina a80rs. a.
e de outras muitas marcas a lo a garrafa ]Dra
e 105 a caixa.
Marrasquino de Zara a
95 a duzia.
Mostarda ingleza
800 rs. a garrafa e
em potes j preparada a
e 35500 a caada. 400 rs.
Vinho branco de superior q lalidade, vindo Mostarda ingleza em p, em frascos grandes,
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500 a 15 cada um.
rs. de barril. Sal refinado a 500 rs. o pote.
tod.i a especie,
MAL VENREO,
Chapeos de castor pretos finos a 74 cada um :
s na ra do Queimado x 13, esquina que volia
para a Congrejacao.
I*I i lili *CIIA
Custodio, (irviiliii v Couipa-
nhla.
27Ra do IJurimado27
Novas lazinhas es'cossezas muito lindas, fazenda
encorpada, proprias para vestidos de senhora i
criancinhas. p?lo barato p-eco de 240 r. o covadu.
Saceos rini milho.
Vendem-se saceos grandes com milho, na
da Moeda : i tratar no Trapiche do Cunba.
dinheiro i vista,
Oueimudo n. 8.
na loja d'aguia branca, ra do
ra
PAPEL INGLEZ
almajo e de peso.
AIpiii do grande sortimento de papel greve e ou-
-------rj--------------------------------------tras muitas qaalidades, que constantemente se
VeDdt!m-se 1'OSeiraS do JapO : IIO acham na loja d'aguia branca, faz-se notavel pela
Cae 22 (le Novembro n. 24 supenondade de qualidade o papel inglez almasso
No aamazem do agente Euzebio, ra da Ca-
deia d. S3, existem para venderse diversas obra*
de marcineirii, novas, bem acabadas e de boni
gosti), sendo de Jacaranda, um rico santuario, pia-
no inglez, mohilia complea. cabide e par de con-
solos desimarello, dous guarda-vestidos, o melhor
que possivel achar-se, secretaria, mesas para
advogado, diUis elsticas para 20 pessoas, lavato-
rio, aparadores, sofs, cadeiras, um guarda-livro,
ou pequeo uarda-roupa com vidro na frente
par de consolos e jardineira de mogno com tampe
de pedra, obra bem enlalhada.
Vende-se ou permuia-se por predios nesta
cidade o engtnho Velho da freguezia de Santo A-
maro de Jaboatao, o qual engenho acha-se livre e
desembargado de qualquer pendencia, e tem ter-
reno sufllciente para outro engenho, tem ptimas
obras, trabadla com agua vendendo-se tainhem
a safra noyamenle plantada, e igualmente todo o
gado, e animaes : a quera o negocio cima con-
vier, dirija-so ao seu proprielario no mesmo en-
genho.
Vende-so urna casa lerrea na ra Augusta.
bera construida, feita a moderna, com duas janel-
las e porta, 6 quartos, 2 talas, cozinha fra, ca-
cimba, algrete, rende esta 4004; e outra para a
ra do Alecrim, com quintal e cacimba, sendo
mais pequeos os cornmodos, 2 salas e 1 quarto, e
rende 1404, vindem-se juntas : para nformaedes,
os pretendentes queiram dirigir-?-; a ra da Cadeia i
n. 53, armazem do agente Euzebio,
Vendem-se diarios de Lisboa e de Pernam-
buco, amigos e modernos,:: marquezas novas, al-
gumas eadsirud e espedios, toucadores, pedra jas-
pe para calcar botins, e a historia de Portugal an
liga, assim como quadros das principaes batalhas
iadas por Napaleo I, na Europa, tudo se achara
B.'i ra daGatl.-ia do Recife n. 23, primeiro andar.
Vende-se a barca Recife, de 3:12 toneladas,
a barca Santa Maa de 2:3 toneladas, ambas de
Erimeira classe, e o brign Algrete de 123 tone-
idas, todos preparados e promptos a navegar: os
pretendientes dirijam-se a. ..scriptsrio de vi uva de
Manoel GoncaWes da Silva, na ra da Cadeia do
Itecife n. 39.________
Veade-si urna grande casa terrea na estra-
dadeJoaode Barros, com grandes cornmodos,
grande quinta con bastantes fructeiras que do
fructos: quer pretender dirija-se a mesma casa
que achira con quem tratar defronte do sitio de
Dourado.
Vende-se ma miilatinha de 12 13 annos,
m todas as I: bilidades proprias da idade, sem
.leoaqiie MObon : na ra da Lingoeta n. I.
e de peso, que acaba de chegar para a dita loja
um o outro sao mui encorpados e de um assetiua
do lustroso e macio. que na verdade a', odos agr-1
dam. As resmas daqueMe tem 180 ifolhas, e as
deste 300, e costa cada urna 84. Tambera veio da
mesma qualidado e de tamanho pequeo, em cai-1
xinhas de 100 folhas, tanto liso como beira doura-1
da, custando este 24, e aquelle 14200 a caixinha. j
J vem pois os apreciadores do bom papel que I
diriginde-se munidos de dinheiro serao bem servi- j
dos : na ra do Queimado, loja d'aguia branca I
numero S.
Fivelas com pedrasno'!
vo sortimento.
A aguia branca receben por esse ultimo vapor
um nevo o bello sortimento das procuradas fivelas
com petlras, podendo assim satisfazer a todos que
dellas pr;cisarein, urna vez que appareca dinhei-1
ro : na ra do Queimado, loja d'aguia branca nu-
mero 8.
4 AGUA BRANCA
recebeu:
Sapatinnos de setim branco bordados paia bap-
tisados.
Meias d seda branca para o mesmo fim.
Mui bonitas e delicadas touquinhas enfeitadas
para dito.
Pulseiras e volias de contas brancas para senho-
ras e meninas.
Fita branca e preta de borracha, com diversas
larguras.
Transelius de borracha sonidos era cores.
Traociolia preta de laa, e outras trancinhas de
laa degosto novo e mui bonitas para enfeites.
Enfeites conservador es para senhoras.
Ulceras de
PILIS, 01"
DJHORES,
Ebnllicvet
5ERT0EJAC,
OPKTHAL
Hydropibia,
Em.pigens,
HERPES.
J tur tros.
;i\si'1;i..is
i:si ORBITO,
Tiaia.
(|HAGAS ARTIGAS,
Rheumatsmo Chroncof
EBJLIDADE 6ERAL,
Ncrvosidadc, Xcvraliias,
| Fllli DE IFrVaiB, FiSTIO,
feUPPRESSO DAS REGRAS, ou
AMENORRHEA,
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra e
400 rs. em barril peqoeno.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, de
15600, H e 3,?.
Presuntos do reino, vindos de conta propria
de (asa particular,a 400 rs. a libra; intei-
rose faz abatimento.
Os senhores que compraren! de 1005000 para cima, tero o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
CLARIM
C011MEBCI
RA RO Ql EDI1UO IX. 45,
Passando o becco i
onde
ser
NO VID ABE.
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commeraal.
le o respeitavel publico ei contrar sempre um completo sortimento dos melliores gneros que ven
ao vendidos por precos m lito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo menci
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
m ao nosso mercado, os quaes
ionada ; garante-se o bom peso
JOVOS FEOTES
de concha.
Cliegaram novos e bonitos pentes de concha,
sendo de tartaruga, massa e donrados; agora, pois,
dirigirem-se com dinheiro ra do Queimado,
loja d'agnia branca n. 8, antes que se acabem.
FRASCOS
com gomma arbica dissolvida : vendem-se
ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
na
Vende-se um sitio no melhor lugar da Ca-
Ppnga, ou permuta-se por um sobrado na cidade'
anda que Mja de maior valor : qncm pretender
fazer este negocio, dirija-se ra do Vigario n. 31.'
Reteufao das trinas,
KMACIArAo, .
OummagrcimeiUogeral(U>corpo,prttoe-
tdt i/'f do estado vicioso do eangiu,
INFLAMMCOES CHRONICAS,
Aflfec9es Chronicas do Figado,
AfWni COMO TODAS as HAla MMILUantks mi).
LR8TIA8, PRIXCIPALUnm (ji AMio SAO
CAUSADAS, il HRODCZTDA8 r>.I.(i Mil
UV1(C i -i) i.ii &ERCCKIO OU
Qcixuo,
\-.\m ronin Innibrm pi-lo frciimiiic iiko ,i AU.
8BNIOO a oiuniN reparaftai ROtoerawi
Todas estas Enfermidades prompta e eflica
mate cedeui benfica, poderoza e
purificantes qualidades da mui
justamente afamada
SMMRMIJM DR BR1ST0L.
venda as boticas de Caors 4 Barboza,
rna da Cruz, e Joao da C. Bravo C, ra
da Madre de'Dos.
Vende-se um cavallo.
a Passagem, junto a ponte grande, casa n. 24,
existe um cavallo bonito e bom para andar urna
sehhora : quem quizer corapra-lo, pode ir ve lo
atit as 9 da manhaa, e das i da tarde em diante.
Vendem-se calies vaslos a
1JUOO: tiesta (ypographla.
Arroz do .Maranhao, da India e Java a 80 e
100 rs. a libra e 20400 a 2-5800 rs. a ar-
roba.
Ameixas francezas em latas n em frascos a
1-5200 e 1,5600.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a l rs. a libra e a 4$600 rs. a ar-
roba.
Azeite doce francez muito fin) em garrafas
grandes a !)('() rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 40 rs. a girrafa.
Araruta verdadeira de matarai a a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes c novas a 180 rs. a
libra.
Batatas muito novas a 40 rs.
Biscoutos inglezes de diverss marcas a
1:5300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 2I rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 3-000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
eembarrila 4(0 rs.
Cha hysson. Iiuchin e perola l.->600, 1$,
2-5500, 2800 e 34000 a libra.
dem preto muito superior a 2 iOOO rs. a li-
bra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 55800 a duzia.
Cognac inglez fino a !)00 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azettonas, a 750 n.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Co >ta, a 1 .800,
25000, 25200, 25500, 258)0, 35000 e
35500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 260, 280 e
300 rs. a libra e 75500, 85 o 8>500 rs. a
arroba.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a
libra.
Cevadinha de Franca
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
Palitos de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
muito superior a 220 Palitos do gaz a 25200 rs. a grosa.
Passas muito novas a 480 rs a libra.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a
Painco a 200 rs. a libra.
libra.
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra. Queijos flamengos do ultimo vapor a 25400
Figos de comadre e do Douro em caixinhas ris.
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a dem prato a 640 rs. a libra.
I|800, 8|800 e 280 rs. a libra. j Sardinlns de Nantes a 32" rs.
Farinha do Maranhao a 120 rs. a libra. I Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Farinha de trigo a 120 rs. a libra. | Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD TiJolos lle iimPar facasa ,<0rs-
a 560 rs. o frasco e 65200 rs. a frasquei-, Vellas de carnauba pura a 360 rs. a li-
' bra.
dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
libra.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, com'
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto
Madeira, D.Pedro, D. Luiz I, Mara Pia.
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
15000 a garrafa, e em caixa cum urna du-
zia a 90000 e 105000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 35, 3*201
e 45 a caada.
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 70f'
e 800 rs. a garrafa, c 75000 e 75500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateauluminide 1854, a i{
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa i
I <200. rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a l800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados le
mos grande porcJo de outros que deixan ir
de mencionar, e que tudo ser vendido po
pecas e carnadas, tanto em porcoes como;
retalho.
Quem comprar de 1005000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
ra.
dem em garrames de 3 e 5 gales a $500
e 75500 cada um com o garrafao.
Gomma do Ancatv a 80 rs. a libra.
Graixa a 100 rs. a lata e 15100 rs, a duzia.
Licores muilo finos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidade especial e garrafas muito
grandes, a 14800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e roma de vi
dio, a 15000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de poueo a 800 rs a libra, e de 8
libras para cima se far urna differenca.
dem franceza muito nova a 560 rs. a libra,
e em barril ter abatimento.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a li-
bra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Hassas para sopa : macarrao, talharim e aie-
tria a 480 rs.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixe em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 15 rs. a lata.
Palitos de dentes a 160 rs. o masso.



Diarlo de Terna mime o Negroda felra 15 de Feverelri de 1SS1.
PECHINCHA
COMO WUWCA 1IOI VE
NO
ARMAZEM
ATTENCAO
I
A)S
LX
GRANDE REVOIil^^lO
NO
ARMAZEM
DO
IO LARGO DA PEIHA O
Francisco Pcraaades Dnan e dono deste muito acreditado armazem
do molhados, acaba de reeeber neste ultimo vapor os mui desejades gneros escolhidos
por elle na Europa, todos muito proprios para a festa os quaes est resulvido a vender por
procos baratissimos como verao pela soguinte abella. e mesmo pede a todos os Srs. da
piaca, de engenhe e lavradores para que mandem suas relacoes para seren despachadas
do armazem do Progresso do largo da Penha n. 10, afim de verem a grande vantagem
qie tiram, tanto na supehoridade dos gneros como nos precos asss resumidos,
os Sn. que nao poderem vir poderao mandar seus portadores ainda que nao tenham pra-
ti(a, que serio tio bem servidos como se viessem pessoalmente.
0 interesse que tira o proprietario destt'- acreditado armazem, ji deve ser bem co-
nhecido pelos seus nomerozos freguezes, pois simplesmente consiste em servir bem e ga-
nhar pouco, afira de conseguir a continuaco diiquellas pessoas, que a primeira vez se dig-
na rera honrar o sea estalwlecimento.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 12o rs. a libra.
Sag muito novo 24o re, a libra.
S-evadinha de Franca a 2oo rs. a libra
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
Cominhos, ervadoce e ])imenta do reino a
36o rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 5,5oo rs. a frasquei-
ra com 12 frascos, e a retalbo a 5oo rs.
cada um.
dem em botija hamburgueza a 4oo rs.
Genebra de laranja a l.ooors. os frascos
grandes.
Vinho de caj o melhor que ha no mercado
a l.ooo rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza e 2o rs.
a caixinha.
dem de denles lixados a 16o rs. o maco com
2o macinhos.
llrvilhas seccas chegadas neste ultimo navio
a 16o rs. a libra, e em porco se faz aba-
timento.
IJanha de porro refinada a 48o rs. a libra e
42o rs. em barril.
Vmho branco de superior qualidade proprio
para missa a 64o rs. a garrafa.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 2,ooo rs.
Id'?m do vap3r passado a l,8oo rs.
Id'jm prato muito novos e de superior qna-
lidade a 4oo rs. inteiro, e a 5oo rs. a
libra.
Doce de goiaba fino em cartees com 2 '/*
libras por 6oo rs.
dem mais baixo a 54o rs.
Muteiga ingleza flor a mais superior do
mercado a 72o rs. a filtra,
dem de segunda quadade a 64o rs. a libra.
Manteiga francea de primeira qualidade a
56o rs. a libra, e 52o rs. em barris ou
KM.
Cha parola neste genero nao ha nada a de-
sejar, e de especial qualidade, mandado
vir de conta propria a 2,8oo rs: a libra,
dem huxim o melhor do mercado a 2,6oo
rs. a libra,
dem de segunda qualidade a 2,ooo rs. a
libra.
Idea hysson muito superior a 2,5oo rs. a li-
bra,
dem preto hemeopathico muito fino a 2,ooo
rs. a libra.
Bolachinha de soda chegada neste ultimo
PROGRESSISTA
RA DA CRUZES Y. 36
E
BA DO C1ESP0 N. 9
Xa balrro de Santo Antonio.
Joaquina f os Cionies de fftruza tem a honra de participar ao respei-
tavel publico, que tem resolvido vender os seis gneros de primeira qualidade por menos
10 a 20 por cento do que outro qualquer amunciar, como se v do present annuncio,
asseverando o proprietario d estes armazensa aquellas pessoas que frequeniarem estes
estabelecimentos, que nonca tero occasio de reclamar qualquer genero, listo ter-se
adoptado n'estas casas o ptimo syslema de s* se negociar com gneros especialmente es-
colhidos.
nglezas
navio a 1,35o rs. a lata, deste genero ha Ameixas francezas em caixinhas elegante-
grande porco e de diflerentes marcas,
qae se vendem todas j)ele mesmo preco a
vontade dos compradores.
lera em latas grandes a 'l.ooo rs.
dem propria para lanche era latas grandes
a l,9oo re..
Marmelada imperial dos melhores fabrican-1
tos de Lisboa a 64o rs. a libra.
Frutas em calda em latas de l.ooo a 5oo rs.,
neste genero ha diversas qualidades a es-
col her.
Champanha superior das marcas mais acre-
ditadas a l,5oo rs. a garrafa e 15,ooo rs.
o gigo.
Serveja das melhores marcas que vem ao
mercado i 5oo rs. a garrafa e a 5,ooo rs.
a duzia.
dem preta superior a 86o rs. a garrafa e a
5,4oo rs. a duzia.
Vinlio Bordeaux de differentcs marcas, e as
melhores do mercado a 7,ooo, 7,5oo e
8,00o acaixa com urna duzia, e em gar-
rafas a 6io, 7oo e&oors., garante-sea
boa qualidade.
dem Figueira de superior qualidade a 48o
rs. a garrafa e 3.5oo rs. a caada.
dem de Lisboa a 2.8oo rs. a caada e 4oo
rs. a garrafa.
dem do Porto de superior qualidade para
mesa a 560 rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a ca-
ada.
dem fino do Alto Douro da colheita de 1833,
como sejam: D. Luiz, Feitoria velho, Nec-;Cognhac inglez a 8oo rs. a garrafa,
tar, Car vellos e Camoes em caixa de Licor francez das melhores marcas do mer
urna duzia a 9,ooo re. cado a 8oo rs. a garrafa.
Lacrimas do Douro, especial vinho do Porto Batatas chegadas neste ultimo navio em cai-
mente enfeitadas com ricas estampas
l,2oo, l,5oo e 2,ooo rs. cada urna,
dem francezas em frasco de vidro com tam-
pa do mesmo contendo 1 */j libra a l,2eo
rs. s o frasco val quase o dinheiro.
dem em latas de 2 libras por l,4oors.
a retalbo, e a 8oo rs. a libra.
Figos de comadre muito novos em bahuzi-
nhosmuito proprios para mimo al,28ors.
dem em caixas para retalho a 16o rs. a
libra.
Passas de carnada a 48o rs. a libra e em
quarto com 8 libras por 2,5oo rs.
Bolaxinhas inglezas de superior qualidade a
2,ooo rs. a barrica, e a 2oo rs. a libra.
Chocolate francez o melhor que se pode de-
sejar neste genero a 1 ,ooo rs. a libra.
Ma^as para sopa estrelinha, pevide, arroz de
ma^a a 48o rs. a libra, e em caixa a 2,ooo
rs. cada urna, macarrao, talherim, e ale-
tria a 4oo rs. a libra.
Amendoas de casca mole a ioo rs. a libra.
Avelans muito novas a 2oo rs. a libra.
Emilias francezas muito novas em latas
grandes a 64o rs.
dem em ditas pequeas a 4oo rs.
Maca de tomate em latas de 1 e 2 libras a
64o rs.
Salmo em latas de 1 l'i libra a 8oo rs.
Lagostinho em latas grandes a l,4oo rs. ca-
da urna.
Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
CHA
hysson, wira e perola a 2.400, 2,600 o
2,800 rs. a libra.
CAF
muito superior, do Rio e do Cear a 8,000
e 8,400 a araoba e 300 rs. a libra.
VINHO
de Lisboa e da Figueira a 3,500 e 4,000 a
a caada,
do Porto engarrafado de diversas marcas a
1.000 rs. a garrafa.
Bordeaux de diversas qualidades a 7,0(0,
8,000, 9,000 e 100 a duzia.
CIIAMPANHE
a melhor que temos neste mercado a 20,0)01 muito superior a 5611 re. a libra e em caixa
rs. o gigo. a 55o rs.
CEKVEJA CHARUTOS
muito superior a 5,000, 5,500 e 0.000 rs a da Baha a 1,600. 2,200, 3,000 e 4,000 rs.
duzia. a caixa.
CONSERVAS
a 8,500 a duzia e 760 rs. o frasco.
SAL REFINADO
em frascos de vidro com tres libr is a 600 rs.
PEIXE
em lats emticamente lacradas a 1,000
rs. cada urna.
PORVOS
do Porto muito bem conservadas a 500 rs.
a libra.
MUSTARDA
preparada muito nova a 400 rs. o frasco.
MARMELADA
dos melhores conserveiros a 640 rs. a libra.
ESPERMACETE
O homem do moTimento niio estaciona.
AVANTE E SEMPRE
GUERRA AOS INJMIGOS
Nao se admitte a noiao eonmercial.
Nao se quer a diaba da allianca.
Nao se teme a furia des corsarios.
Este annn ha de ser bisaexto.
Os canhdes estSo preparados.
FOGK)! BOM M!!MELHOR FOGO!
Abano a liga d'agna no vinagre
Viva a liga do gemino Cheres com o fiambre!
Viva o conservador das conservas inglezas!!
Vivam os liberaes fregaezes do BALIZA!!!
Vivara todos que lerem este annuncio.
SENHORES
E SEKHOHAS.
GENERRA
TOUCINHO
de Hollanda era frasqueiras a 5,500 e 500 muito novo a 9,000 rs. a arroba e 300 rs. a
rs. o frasco. it,ra
BOLACHINHA ERVILHAS SECCAS
soda em latas grandes a 2.000 rs. cada asmis novas do mercado a 120 rs. a libra.
i fnAft ain PALITOS PARA MESA
em barricas a 4,000 e 240 rs. a ... ,oe.
muito bem fetos a ICO rs. o nuco.
B1SC0UT0S VINAGRE
de
urna,
nglezas
O proprietario do grande Armazem do Baliza esrabelecido rea do Livramento ns.
38 e 38 A, defronte da grade da igreja, acaba de reducir os precos de quasi todos os
gneros do seu magnifico deposito.
A tarifa abaixo publicada atiesta bem esta verdad'jj
A guerra aos inimigos, est portanto, assim declarada.
As pessoas, ainda as mais exigentes, que se dignarem vir este estabelecimento,
ficaro por certa muito satisfeitas, niio s quanto s qualidades dos gneros, como com o
tratamento todo attencioso que se Ibes dar.
Alm do cumprimento dos deveres da boa educaoo, baver d'ora em diante ainda
maior capricho em satisfazer todos que honrarem esta casa.
Os gneros pelas qualidades e precos annunciados, sero offerecidos ao exame
dos Srs. compradores. Nao receieo publico que se prauque o contrario, como em outras
casas, que at annunciam o que nao tem-----O Baliza nao Ilude-----
Ameixas francezas em caixinhas e em frascos Licores kiglezes e francezes em vazos de di-
em
de diversos tamanhos a l,2oo, l,6oo,
2,ooo, 2,5oo e2,8oo rs. e a libra a 8oo rs.
Amendoas novas a 32o rs. a libra.
Azeite doce refinado a 8oo rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 64o rs. a garrafa e 4,8oo
rs. a caada.
a l,ooo n. a garrafa 3 lo.ooo rs. a caixa.
Duque do Porto, Madeira secco, duque ge-
nuino, 1; gramas doces a 9oo rs. a garra-
fa e9,5on rs. a duzia.
Garrafoes com vinho do Porto a 2,2oo rs.
cada um.
Vinagre de Lisboa de superior qualidade a
2oo rs. a garrafa e l,2oo rs. a caada.
ita doce refinado era garrafas grandes a
8oo rs.
dem de Lisboa a 64o rs. a garrafa, e em
caada a 4,8oo rs.
Presuntos inglezes para fiambre a 7oo rs. a
libra,
dem de lainego encommenda particular a
48o rs. a libra, e inteiro se faz abatimento.
Toucinho "d reino o melhor do mercado a
320 rs. a libra, e em arroba a 9,ooo rs.
Velas de esiermacete d? 4, 5, e 6 por libra
a 560 rs., e em caixi se faz abatimento.
dem de ca *nauba refinada a 32o rs. a libra
e 9,ooo rs. a arroba,
dem de carnauba pura do Aracaty a 4oors.
a libra e I o,5oo rs. a arroba.
Gomroa muito fina e alva a 8o rs. a libra.
xa com duas arrobas por l,6oe rs., e 4o
rs. a libra.
Concervas inglezas a 75o rs. o frasco.
Sal refinado em potes a 5oo rs. cada um.
Mostarda ingle :a a l.ooo rs. o frasco.
dem franceza a 4oo rs. o pote.
Milho alpista a 16o rs. a libra e 4,8oo rs. a
arroba.
Graixa muito nova em latas grandes a* 120
ris.
Latas com peixe em posta ermeticamente
lacradas das* melhores qualidades de pei-
xe que ha em Portugal a l,2oo rs.
Caf lavado de 1* qualidade a 32o rs., dito
de 2a a 28o rs. a libra e 8,2oo rs a arro-
ba, dito de 3* a 26o rs. a libra e 7,8oo
rs. arroba.
Charutos suspiros dos melhores fabricantes
de S. Eelix a 2,5oo rs. a caixa com loo
charutos.
dem finos de diversos fabricantes a l,6oo.
l,8oo e 2,ooo rs. a caixa com loo charu-
tos, Jo proco nao indica a boa qualidade
porm deem-se ao trbame de virem ou
mandarem e ver3o a realidade.
CONSERVATIVO
DE
JOAOITIM SlitlAO IMIN SANTOS
23Largo do Terco~23.
O proprietario deste armazem de mol ados participa ao publico e a todos em geral
|ue tem um grande sortimenlo de tudo quinto pertencente a molhados, e que tem
:itn armazem para fomente receber os gneros de maior quantidade, faz suas especula-
i embnusquadras, e que sempre pode vjnder por menos de 10 20 por cento du
Me em outra qualquer parte, garanlindoo proprietario qualquer genero sabido do seo
rmazem, tanto em peso como em qualidade.
lanieiga ingleza flor mandada vir por contf propria a 800 rs. a libra,
lem franceza, vinda pelo tdtimo navio a 560 rs. a libra e 540 rs. em barris.
i .iha de porro retinada, propria para pastis a 480 rs. a libra, e em barril a 400 rs.
vas de esoermacete e carnauba do Aracaty a 600 rs. o masso e 400 e 440 rs. a libra,
lavado do Rio e do Cear, o melhor dele genero, a 280 rs. a libra c 8i55oo a ar-
roba.
atritas novas em caixs com 2 arrobas por 20000, arretalham-se a 4o rs. a libra,
oucinho desembarcado ltimamente a 3oo rs. a libra, em barril ou arroba a 8#800.
da Ia, 2a. 31 e 4 sorte a 2)5800, 2500, 2000, e 1600 a libra,
v gil doco de Lisboa a 600 rs. a garrafa, c de carrapato a 280 rs. a garrafa, e caada
2koo.
enebra Verdadeira de Hollanda. em botija*, de conta certa, marca gallo a 360 rs.
i.mo alpista o mais limpo que ha a 160 rs. a libra a 5000 rs., a arroba.
latas de todas as qualidades
iada lata.
ARROZ
da India e do Maranho a 2.600 e 8,000 i
arroba e 100 rs. a libra.
CEVADA
muito nova a 2,500 a arroba e 100 rs. a
lbra.
QUEIJOS FLAMENGOS
vinllos no ultimo vapor, sempre por menos
tOOrs. do que outro annunciar.
GOMJA.
to superior em saceos rom quatro arro-1
tas a 2,000 e 100 rs. a libra.
CASTA.MIAS
piladas muito novas a 320 rs. a libra.
I'ASSAS
as ibais novas do mercado a 8,000 a caixa e
el 500 rs. a libra.
AMEIXAS
a 1,300 rs. de Lisboa PRR a 240 rs. a garrafa e 1.600 Alpiste a 16o rs. alibra, e 4,8oo rs. a arroba.
mu
fiar
del
cezas em latas de 1 e 1(2 libra a 1,000
rs. a libra.
SARDINHAS
Sanies muito novas a 30 rs.
ti va
coi
a lata.
rs. a caada.
AMENDOAS DE CAS3A
as mais novas do mercado a 24 rs. a libra.
FAR1NHA DE ARARLTA
verdadeira e muito nova a 400 rs. a libra e
10,000 rs. a arroba.
EiVA DOCE
muito nova a 300 rs. a libra e 9,000 rs. a
arroba.
COMINHOS
os mais novos e mais superiores a 408 rs. a
libra.
NOZES
muito novas a 160 a libra e 5.C00 rs. a ar-
. roba.
SAG
o melhor que pode haver.neste genero a
2*0rs. alibra.
MASSA DE TOMATE
em latinhas de 1 libra por 600 *s. a lata.
SARAO MASSA
neste genero lia sempre um :rande sorti-
mento variando o preco de 120 a 240 rs.
por libra.
n\lS ATTKJi^O
Existe alm d'estes gneros, um explendido sortimenlo de phosphoroi, fumo, al-
pislla. peras em rada e seccas. figos, copos finos para agua, massas para sopa, azeite, ca-
nella, pimenta, velas de carnauba, banha de porro, papel, e outros muitos geieros, de es-
que todos sero vendidos por mdicos pregos.
Tendo o proprietario dos armazens do progressista deliberado
a liga da Unio Comniercial, Clarim. Allianca, etc., etc., etc.. dedara que so con
corda em alliar-se aos seus freguezes, fazendo com estes urna liga de interesst s recprocos,
tendo os seus alliados a faculdade de comprarem por pregos muito em cont; o bom fiam-
formidavel queijo e a saborosa bolachinha de so la, que fazem um; boa allianca
conka superior champanhe e o porto fino, nicos que sahera imitar a unio destes ar-
mazens com os seus concurrentes. Vinde. senhores, aos armazens, aonde podis den-;
Arroz do Maranho, da India, e Java a 8c e
loo rs. a libra.
Aletria branca e amarella a 4oo rs. a libra.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
Batatas novas em gigos de 36 a 4o libras por
l,ooo re. ea 4o rs. alibra.
Biscoitos inglezes Lunch a 18oo rs. a lata de
5 libras.
dem de diversas marcas em latas menores
a l,3oo rs.
dem de Lisboa de qnalidade especial era la-
tas grandese pequeas a 3,ooo e l,5oo rs.
Bolachinhas americanas, a 3,ooo rs. a barrica
e 2oo rs. a libra.
Banha de porco a 44o rs. a libra, e em barril
a 4oo rs.
Baldes americanos muito proprios para com-
pras a 1 ,ooo rs.
Cha huxym, hysson e perola a 3,ooo, 2,8oo,
2,5oo, 2,oob el, 6oo rs.
dem preto a 2,ooo, 1,6oo e 1 ,ooo rs. alibra.
Chanpagne a melhor do mercado a 12,oooo
gigo e a l,2oo rs. a garrafa.
Chocolate francez primeira qualidade a l,loo
rs. a libra,
dem hespanhol a l,2oo rs. a libra.
Llera suisso a l.ooo rs. a libra.
Cerveja branca marca Allsopps a 4,5oo rs. a
duzia, e a 4oo rs. a garrafa.
Cognac inglez a 64o rs. a garrafa a 8oo e a
l,ooo rs.
Concervas inglezas em frascos grandes a 75o
re. o frasco.
nao concordar ,
dem francezas de muitas qualidades
rs. o frasco e a 5,5oo rs. a duzia.
versos tamanhos a l.ooo, l,5oo e 4,8oo
re. a duzia.
Manteiga ingleza flor a 8oo re. a libra e de y
libras para cima ser aberto um barril na
presenca do comprador,
dem de SI.* e 3.a qnalidade a 7oo, 6oo e 4oo
rs. a libra,
dem franceza a 560 rs. a libra, eem barril
por menos,
dem era latas a 2>000 e a 1.5500 a tala.
Massa de tomate em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs. a lata.
Mostarda ingleza 400 e 600 ris o pote.
Marmelada imperial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Marrasquino de zara a 8oo rs. o frasco e a
8-> a duzia.
Massas para sopa, taJharim e macarro a
480 rs, a libra,
dem fins, estrelinha e pevide, caixinha
com 8 libras a 1,5600.
Nozes a \ 6o re. a libra.
Peixe preparado de escabeche, da melhor
qualidade que tem viudo ao mercado, a
\h:\ lata.
Presunto de lamego muito superior a 480
rs. a libra,
dem para fiambre (inglez) a 640 ris a
libra,
dem americano a 400 rs. a libra.
Papel almaco a 3)5000 a resma,
dem de peso a 2f5 a resma.
Palitos para dentes a 160 rs. o mago.
Dito dito de Cor a 200 rs.
Ditos do ;?az a 25200 a groza
Passas novas a 480 rs. a libra e a 1|5800 a
caixa.
Queijos llamingos do ultimo vapor a 2550O.
Dito londrino a 900 rs. a libra.
Dito prato a 640 rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 320 rs. a hita.
Dita de Lisba a 640 rs. em lata grande.
Sag mi ito superior a 240 rs. a libra.
tre
vos
dinheiro nestes estabelecimentos.
Charutos neste genero temos grande sorti-!Sal refinado,em potes de vidro, a 660 rs.
ment tanto da Baha como do Rio de Ja-, o pote,
neiro a 1,6oo, 2,2oo, 2,5oo, 3,ooo e4,ooo!Sabo massa a 120, 160, 200 e240 rs. a
re. a caixa. nDra-
Toucinho de BJsboa a 320 rs. a libra.
um muito explendido sortimento de saborosos alimentos, escolherdes os que mais1 Caf do Cear muito superior a 28o rs. alibra: [ jqq rs
apetecer, certos de que nunca tereis occasio de arrepender-vos de grstar o vosso! e a 8,ooo rs. a arroba. Xijolo para limpar facas a 140 rs. cad
dem do Rio a 3oo e 28o rs. a libra.
Ceblas a9oo rs. o molho cora mais de loo
ceblas.
IJOJA DO BEIJA FLOR.
Mrias cruas para bomtm.
\ endem-se muas cruas para homem a 25 a du-
zia : na ra do Queimado, loja do beija-flor nume-
ro 63.
Mrias para srnhora.
Vendcm-se meias para senhora a 35300. 45 e
5a0a duzia : na ra do Queimado, loja do bei-
ja-flor n. 63.
Tranrinha para enfeilfs.
Aende-se trancinha para enfeiles de vestidos ou
roupa de meninos, que tambein serve para enfeitar
Papel de diversas qualidades.
Vende-se papel amizade a (iO e ?00 rs., dito de puriMe a nains a Tin rs a lihra
r* a 600 rs, dito adamascado a 5, dito branco! JhOUn^ O pa.0S l Tto rs. a libra
core*
a 900 rs., dito beira donrada a tX) : na ra do
Queimado. loja do beija-flor n. 63.
Pentes travessos para mi ninas
Vendem-se pentes travessos de borracha para
meniua a 400e 500 rs.: na ra do Queimado, loja
do beija-flor n. 63.
Botos ir mailrepcrit a.
Vendem-se botes de madreperoli para collele,
que tambein servem para casaco; de senhora a
400 rs. a abatoadura : s quem rende por este
canSisinha de senhora ; vende-se tranca branca dreeo e na ra do Queimado, loja i o beija-flor nu-
corii 40 varas a 800 rs. a peca, com 20 varas a 600 me 63.
rsjcom 10 varas a 260 rs. : s quem tem na laiM f Jonvin.
loja de beija-flor da ra do Queimado n. 63. Vendem-se lavas de Jouvin pan homem e se-
Tfsouras linas para uuha t costura. nhora, chegadas no ultimo vapoi
Vendem-se tesouras finas para unha e costura a Queimado. loja do beija-flor n. 63.
400, 500 e 640 rs., ditas para costura a 500 rs. :
Cevadinha de Franca a 2oo rs. a libra.
Cevada muito nova a 8o rs. a libra.
Copos lapidados a 5 e 6,ooo rs. a duzia.
Doce de goiaba em latas a 4oo rs. a libra,
dem de caj em latas a 320 rs. a libra.
Ervilhas francezas e portuguezas a 5oo e 64o j
rs. a lata.
Vassouras americanas a 64o rs, cada urna.
I dem do Porto a 400 rs, cada urna.
Velas de carnauba e composico a 320 rs. a
libra e a 104 a arroba,
dem stearinas superiores a 560 rs. o
maco, e em caixa por menos.
Vinho do Porto, neste geneno temos o me-
lhor sortimento possivel, que vendemos
por precos muitrrhaixos aljj garrafa e
a 10/ e 12 a duzia.
na ra do'
Ao n. 29.
Nova loja los lia rale i rus na na do Queimado.
na ra do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
EscoviB para denles.
Vendem-se escovas para dentes muito finas a
120, 240, e 500 rs. : na ra do Queimado, loja do senhora
beija-flor n. 63. | brancas a 55, chitas com lustro pata coberta cora
Caixinhas com grampas. ; 6 palmos de largura a 640 o covdo, cambraia de
\fendem-se caixinhas de {trampas a 40 rs. : na cores para vestido a 320 o covado, laas para vesti-
rua do Queimado, loja do beija-flor n. 63. do a 480, 560 e 640 o covado.
Colarinhos para homeni. Ao ll. 29.
\ endem-se colarinhos de linho para hemem, de x0Ta i0ja dosbarateiros na ra i o Queimado.
diversos gostos, a 560 e 6U> rs. : na ra do Quei- Tarlalanas de todas as cores, faz uda muito fina
mado, loja do beijalbr n. 63. a 720 a vara, cambraia para cortitudo, peca de 22
Grvalas para senhora. varas, por 105, chales de la por 3, i, 45. 55 e 85,
Vendem-se grvalas para senhora, de diversas camisas inglezas para homem a 38', 505 e 605.
dem seccas a 16o rs. a libra.
Figos de comadre em caixinhas com 8 libras
por 16oo rs.
Farinha do Maranho a 12o rs. a libra,
l'arinha de trigo muito superior a 12o re. a
libra.
' Farelo em saceos grandes a 4.000 rs. o sacco
I Genebra ingleza marca gato a 1.000 rs. a gar-
rafa.
IdemChinry.oda Madeira em barris e em
caixa, a 12$ a caixa e o barril conforme o
tamanho
dem de Figueira e Lisboa, em ancoras de
8 a 9 caadas, por 286000.
Dito em pipa a 3i5000, 350 e4(5ooo a ca-
ada
dem do Porto, denomiuado Baliza, a 55 a
caad.'!.
dem idem n garrafoes a 25500, com o
garrafo.
Ea uX&jfig2>2ttJ: Wem verdadeira de Hollanda om frascos muito M *, ^^ das melll0res marcas que
cores, a 500 rs., 800 e 15 : na ra do Queimado.
loja do beija-flor n. 63s
Filas para debrum de vestidos.
Vendem-se litas para debrum de vestido de la
pretns bordadas, com 10 varas, a 15100, dita de
seda| preta a 15200, dita de cor adamascada a
15200, dita branca de lia com 11 varas a 400 rs. :
na ra do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Bntoes de pnnho para manguitos de senhora.
para manguitos de
Ao n. 29.
Nova loja dos barateiros na ra '.o Queimado.
Bicos pretos, franjas de todas as qualidades,
trancas de seda, de algod.o e de li, manguitos e
cami'sinhas bordadas, collarinhos e punhos, folhos
bordados, botOes de velludo, de seda e de fusto,
bandos de cabello, meias de seda, loques ; cojos
trtigos se veudem pormetade do s;u valor por ser
para acabar. ________^__
grandes a 1,2oo rs. o frasco.
dem de Hollanda em frascos pequeos a 5oo
re. o frasco,
dem de laranja a l,ooo o frasco.
Gomma do Aracaty a 80 rs. a libra.
Graxa a loo rs. a lata e l.loo a duzia.
Linguas americanas de grande tamanho a Vinho de caja a l
l,ooo cada urna. i tem dez asnos.
vem a j mercado, a 6(5 a caixa e a 640 re.
a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 15600,158oo e 25000 a
caad 1.
dem idem.em garrafoes com 5 garrafas, por
15 com o garrafo.
a garrafa. Este vinlio
Enfeites.
Vfendem-se botes de punho ,......._..--------.
seniora, de diversos gostos, a 200 rs o par : na CJlloes preto*
ra do Queimado. loja do beija-flor n. 63. A loja da Aurora na ra larga d j Kosario n. 38,
Facas e garfos. recebeu mus .-aloes de seda preta com botSes da
Vendem-se facas e garios oitavados a 25800, mesma fazenda apregados para eiiteilar vestidos
diUciavadas a 35, ditas de cabos pretos a 35200, pretos de qualquer forma que as aoras quei
ditas de cabos de balaneo com 2 botSes para mesa rara fazer. assim como tamben.
->- boas luv.ts de torcal pretas bordad is para
recebeu muito
senho-
ra, fitas de velludo pretas e de coros de todas as
larguras lavradas e lisas.
a 65800 a dozia : na ra do Queimado, loja do
beija-flor n. 63.
La para bordar.
Vende-se lia para bordar, de diversas cores, as Wlldf-SP
mais lindas que se pode encontrar, a 65500 : s ciiw > u
queii vende por esle proco na loja do beija-flor pxe da Suecia no armazem da ba amarella o-
da ra do Queimado n 63. I tao da secretaria de polica.
A loja da Aurora na ra do larga do Ro>ario
n. 38, recebeu riquissimos enfeile.- i Hara Pia.
os mais modernos que tem chegado pois desta
qualidade sao os primeiros que tem vindo a este
mercado, qualquer senhora que pretender com-
prar algum Oestt qualidade tenha a bondade de
mandar quanto antes, pois vieran poucos e eslo
se acabando porque estes foram amostras que re-
cvlii'mos e nao sn (piando receberemos mais.
Farinha superior de Santa Ca (harina.
Vende-se em porco ou a retalho. a bordo da
barca Iris, atracada ao trapiche do Bario do Li-
vramento. ou no escriptorio de Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo e C, ra da Cruz n. 1.
AlgiHlao da llahia
para saceos de assncar e roupa de escravo; tem
para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
' C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
AGENCIA
DA
FUMCO BE LOW-MOOL
Ra da Senialla nova n. Az.
Neste estabelecimento contina a baver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro balido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston C.
ra da Senzalla Nova n. 42.
Ra da Senzalla No>a n. it.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 re., idem de Lo
Moor libra a 420 re.






UN1IO
fct
COMMERCIO
de rrraambiieo Megnttda lelra 15 de Vevereiro de !*!.
Blefroate da loj* do Preguiea.
B1JARTE AliMEIDA
acaba de abrir o sea grande e sortido arroaz ero de molhados denominado Unido e Gm-
mtrao. Este grande armazem um dos m;is bem moneados que temos em nossa praca,
nao so era hmpeza e aceio, como as qualidades espociaes de seus gneros. O proprie
ario do Uniae t Commercio offereoe todos os senhores da praca, sennores de engenho
e lavradores a seguinte tabeHa, por onde verao a grande economa que lhe resulta em
comprarem em to til estabelecimento, aliancando
sahido de seu armazem.
Bollinbo francez era latas e.caisinbas asmis
delicadas que tem viudo ao nosso merca-
do de 7oo a 2,500 rs. a caixinha.
Manteiga ingleza perfeita mente tlr, mandada
vir de canta propria, a 7oo a 8oo rs, a
libra.
dem fraaceza chegada pelo ultimo navio a
economa
o mesrao todo
Na
ALLIANCA
GRAIDE
57
57 RA DO IMPERADOR
bem conhecida loja que foi do Sr. Flix alaiate.
Paulo Ferrelra da Silva
filiarte & C, vendem em seus arma/.cns l'niao e Commercio e lar-
4| go do Carmo n. 9, armazem progressivo, os seguiutes gemiros desemba < a-
dos ltimamente. yf J
londrinos muito frescos a 800
&S3
59
proprietario deste novo estabelec ment, tendo jjgg
e qualquer genero
Era-dote a 5oo rs. a libra.
Ghampanha de 20 a 22,ooo o gigo.
Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza e 2o rs. a
caixinha.
Milho alpista a 10o rs. a iibra.
Corainho muito novo a 4oo rs. a libra, e
comprando de Slibn-s para cima a 32o rs.
56o re. a libra, eem barril ter abatimen-| Gemina muit0 a(va para engommar a 8o rs.
a libra, c em arroba se (ara abatimento,
Sag muito novo a 28o re. a libra. .
to.
dem ingleza em potes de 4 a 16 libras a
8oo rs, a libra e o pote separado,
Cba uxim o melhor oeste genero, mandado
vrr de conta propria a 2,8oo rs, a libra.
dem hysson, grande, muito bom a 2,6oo rs.
dem preto muito fino, a 2,6oo rs, a libra,
dem preto, mais bao, a 2,ooo rs, a libra,
dem, verde, nmdinho. mais proprio pata
negocio, a l,5oo re, a libra.
chegado da Europa, aonde escolheu um grande e variado sortimento de nolhados, tem
a honr i de os expor ao respeitavel publico desta cidade pelos mais resumidos precos.
Km to ptima occasio, por estarme* prestes a fesla de Natal, o pi oprietario' do
grandel armazem Allianca offerece aos seus amigos e freguezes que o conhecem desde
quand foi socio dos armazens Progressivo e Frogressista as maioresvantaijens em com-
praren] em seu armazem.
Hoje de novo estabelecido mais precisa da concurrencia de todos estes senhores
ao seu estabelecimento. certos de que esta casa jamis deixaro de ser eumpridas as j
grandes vantagens por ella oflerecidas.
Mae.ftes de 4o a 16u rs. cada urna.
Manteca ingleza a mais superior neste ge-
nero! a 8oo rs. a libra, e comprando de 8
saga
m
Bolachintia de soda e lunch em latas grandes
a 2,ooo rs. cada lata.
Cognac de superior qualidade a 8oo re. a gar-
librals para cima a 72o rs., esta a mais. rafa,
superior que pode liaver, tambem ha mais dem muito superior a l,ooo rs. a garrafa.
i Saoo verdadeiro nespanhol, que raras vezes
j vem ao nosso mercado a 28o rs. a libra
I Vinho brarnx) o melhor neste genero a 8oo rs
a garrafa e 4,3o rs. a caada.
Mem Bordeara; de diferentes marcas, garan-
te-se a qualidade, a 8.000 rs. a caixa com
urna duzia, e a 7oo rs. a garrafa.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2,2oo re. com o garrafao.
Banha de pjrco refinada muito alva a 46o dem com b garrafas de vinho Figueira, mais
rs, a libra, e m barri se (ara abatimento. I proprio para a nossa estacao por ser mais
Biscoitos ingfcxes das seguintes marcas;! fresco a 2,4oo re. com o garrafao.
Craknel, Soda, Ceede. Captain, Travellies. | Mem Lunch, Cabra, e outras rauitas marcas, a
l.ioo rs, a lata.
I'.ux.is para menos precos.
dem franceza muito nova a 56o rs. a libra
e 54o re. em barris ou meios.
Peras seccas muito novas a 48o re. a libra.
Cha perola de especial qualidade a 2,8oo re.
a libra.
Mem hysson muito superior a 2,7oo re. a
libra,
dem u: im a 2,5oe rs. a libra,
dem hysson a 2,3oo rs. a libra,
dem idem a 2,000 rs. a libra.
rs.
Bolachinha de sedo, especial encommenda, a
2,2oo rs, a (ata.
fiiscoito ingle* Crakad n latas de 5, 7 e 15
libras a 0.000 e G,eoo re, e de l,2oo a
800 rs, libra.
Queijos do nsino pelo baratissimo preco de
i,600, t,8oete 3,6oo rs os do ultimo
vapor.
dem prato mnito fresco a 64o rs, a libra,
ktera loadrioo muito fre:o a 800 re, a libra.
Vinhos em pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
48o, 56o, e 64o rs, a garrafa, e de S.ooo a
4,5oo re, a caada.
Marmelad.i imperial dos melliores conservei-
ros de Lisboa era tatas de 1 e mais libras
a 7oo rs, a libra.
Peras socaas em caixinhis de 4,ooo a 2,000
rs. cada urna.
Figos era caixinhas de 1 '/* arroba e de 8 li-
bras a 8,000,4,000, e .ooo re, ea 3oo re.
a libra, U arobem ha serinbas para men
nes a 60 rs. cada um;.
Amendoas de casca mole a 36o rs, a libra, e
em arroba ter abatinento.
Sardinhas de Nantes a 3t re, a lanha.
Toucinho de Lisboa mu i o novo a 3oo rs, a
libra e em arroba a 9.000 rs.
Massa de tomates a 64o rs, a libra.
Pimenta do reino a 34o re. a libran
Familia do Aiaranlio^a lio rs,a libra.
Ceblas a 800 rs. o moli, 64o re. o cento
e 6,5oo a rain.
Tijollo para lampar facas a 16o rs.
Ceneja das. mais acreditadas marcas de 5,ooo
a 7,5oo a dazia, e de oo a 600 rs, a gar-
rafa,
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 800 rs. a libra,
Genehra de laranja a il.ooo rs, o frasco,
Chodrcas as mais frescas do mercado a 800
rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa,
e lo,5oo rs. acaixa ct-muma duzia.
Licores francezes e portuguezes de todas as
marcas de 10,000 a lJ,ooors. a duzia.
Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a 8,5oo
re. a caixa. Ha caixas, meias e quartos.
Batatas a 1,00o rs. o gigo com 38 libras e
2.oeo a caixa com dnas arrobas- cadauma.
Bocetas com doces seceos de 3,ooo a 3,5oo
rs. cada urna.
Bolachinha ingleza a 32o re. a libra,
Azeite francez e portugu<7 refinado a 800 rs.
a garrafa, el),ooo rs. 1 caixa com urna du-
zia.
Conservas i nuezas das seguintes marcas:
Mixecl. Pidtes, e ceblas simples a 800
rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a loo
rs. o pote.
Noaes muito aovas a 160 rs. a libra e 4,800
rs. a arrolta,
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios pira deposito de manteiga, doce,
e outro qualquer liquido, de l.ooo a 3,ooo
re, cada um.
o garrafao.
Sab5o massa de superior qualidade a 18o,
que ha
2oo, e 22o rs. a'libra do melhor
Graixa em latas umita nova 12o rs. a la-
nha, e l,3oo rs. a duzia.
Pevxe em latas muito novo: savel, pescada,
Caf a 28o e 32o rs. a libra, e a 8,000 e
O.ooo re. a arroba.
Cerveja das melhores marcas do nosso mer-
cado de 5,ooo a 6,000 rs. 1 duzia, e 5oo
rs. a garrafa.
' Conservas inglezas a 75o re. o irasco e8,600
rs. a duzia.
Doce em calda a 6io rs. a lata.
Krvilhas francezas muito nova:; a 64o rs.
dem portuguesas a 72o rs. a 1 ita.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
(dem preto de qualidade muito espeeial a Bassourasdo Porto com arcos ce ferro a 32o
2.00 rs. a libra. rs. cada urna,
dem id jm inferior a l,6oo re. a libra. Vellas de espermacete da melhor qualidade
Chocolalie francez, hespanhol e portuguez, a a 56o rs. o maco.
9oo e l,2oo re. a libra. dem de carnauba e composicac a 32o e 36o
Charuto! dos melhores fabricantes da Babia: rs. a libra e 10,000 re. a arroba.
e de qualidades especialmente ecolhidos, Tijolopara limpar facas a 12o re. cada um.
de2,coo a 4,5oo re. a caixa. Toucinho de Lisboa e Santo.1, a 320 re. a
Fariuha do Maranhao mito alva a 44o re. a libra.
l'bra. Sevada muito nova a loo rs. i libra,
curvin, salmo e outras muitas qualidades Mem deararuta verdadeira a 4oo rs. a libra. Peixe em latas grandes, savel, pescada, cor-
preparados de escabexe, segundo a arte de Vinho d<^ Alto Douro engarrafado, e os mais, vina, e outras qualidades a 1,00o re. cada
Verdadeiro vinho collares em ancore-
ras de O caadas a 50,01)0 e 800
rs. a garrafa.
Farello de Lisboa marca \ ou
tigo a \ a sacca.
I Vinagre P B R, em ancoretas de 9 ca-
adas a 18,000 e 2,000 rs. a ca-
ada.
Passas em caixas, meias e quartas a
8,000 4.000 e 2,000, a 480 a libra.
Peras seceos em caixas de quatro li-
bras o melhor que se pode desejar
a 2,500, e 640 re. a libra.
Caixinhas de 4 libras e 2 com ameixas
a 1.500 e 2,500 rs. a caixinha.
Chocolate portuguez, o melhor que
pode haver de bom neste genero a
1,000 rs. a libra.
Marmelada propriamente dito de mar-
mello, a 640 rs. a lata e em caixas
de i 00 latas a 600 re.
aga de tomates a mais nova que se
pode desejar a 640 rs. a lata e em
caixa de 100 libras a 600 re.
Ervilha portugueza a 700 rs. a lata,
e em caixa de 100 libras a 640 rs.
Passas corinthias para pudim a 640
rs, a libras, e 400 re. comprando de
arroba para cima.
.'-
,.W-
Queijos
rs. a libra e sendo inteiro a H50 rs.
Sebollas em caixas as mais novas do
mercado a 6,500 rs. a caixa, a 800
rs. o molho, e a 640 rs. o cento.
Batatas em caixas de 2 arroba* milito
novas a grandes a 2.400 rs. a caixa.
Sextinhas com figos proprias para mi-
mos de enancas a 60 rs. cada urna
e comprando em duzia ter grande
abatim snlo.
Erva doce muito novas a 500 rs. a li-
bra, e comprando em arroba a
10,000 rs.
Cominhos muito novos a 400 rs. a li-
bra e 10,002 a arroba.
Licores portuguezes das marcas mais
acreditadas de Lisboa a 1,000 a par- Eco
rafa e 10 a 12,000 a duzia. as quali- %
dades sao as seguintes: creme de
violetas, geroflez, rosa, absintho, ves-
peiro, amor perfeito, amendoa amar-
ga, percicot deturin. botelin. moran-
gos. lirno, caf, laranja, cidra, gin- I
ga, ca.ella, cravo, orteaa, pimenta ^v
e outros muitos de qualidades menos
superior que sero vendidos por pre-
cos em relacao as suas qualida- ^
des. &
Os proprielarios afiancam que estes gneros sao muito novos e tudo
de primeira qualidade, tudo isto se vende unidamente no armazem Uniio e
Commercio na ra do Queimado n. 7, e largo do Carmo n. 9 armazem pri
gressivo.
Queijos
do alemtejo, das ilhas e amengos, todos chegados neste ultimo vapor, a
2,500 os flamengos e 800 ris a libra do alemtejo e das ilhas, nicamen-
te no armazem nio e Commercio, ra do Queimodo n. 7 e largo do Car-
mo armazem progressivo.
cozinha, de l,2ooa 2,ooe re. a lata.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado e escolhido pessoalmente por um
dos socios que se acha em Portugal, da*
seguintes marcas : Duque, Genuino, Ve-
Iho seco especial. Lagrimas Doces de
1819, vinho especial D. Pedro V, vinho
velho. Nctar superior de 1833, Buque do
Porto de 1834, vinho do Porto velho su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior D. Lhz I
de 1847, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porto, de l.ooo a l,2oo rs. a gar-
rafa e de 10,000 a 12,ooo re. a caixa com
urna duzia.
Vassouras americanas a 800 rs. cada urna.
Velas de spermacete as melhores que ha no
mercado a 56o e 64o rs. e masso, e em
caixa se far um grande abatimento,
dem de carnauba e eomposico, de 4oo a
32o rs. a libra, e de lo.ooo rs, a ll,5oo
rs. a arroba.
Caf de 1 e 2 sorte de 8.3oo a 8,600 rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
lhor,
Arroz da India, Maranhao e Carolina a 3,ooo;
2,800 e 2,4oo re. a arroba e a loo re. a
libra.
Frasqueira de genebra a 0,800 rs. e a 5oo
re. o frasco.
Azeite doce em barril muito fino, a 64o re.
a garrafa, e em caada ter abatimento.
Papel greve pautado e liso a 3,5oo re. a
resma.
Genebra de Hollanda em botija de conta a
44o re. a botija.
Passas corintias a 000 re. a libra e 12,8oo
rs. a arroba,
CrvHhas franceza e portugueza a 640 re. a
lata de urna libra.
Chocolate francez, hespanhol, suisso e por-
tuguez a 1,00o rs. a libra, e a 28o rs. ca-
da pao de urna '/i.
Ameixas francezas era caixinhas elegante-
mente enfeitadas, com diversas estampas
no exterior da caixa de 1,500 a 3,000 rs.
cada urna; tambem ha frascos e latas de
differentes tamanhos que se vendem por
mdico preco.
lUassas para sopa: macarrao, talharim e ale-
tria a 48o rs. a kbra.. e era caixa se far
abatimento.
arrafoes com 14 garrafas de genebra de
Hollanda a 5,5oo cada um.
Charutos de todas as marcas e dos melho-
res fabricantes da Bahia de 3,ooo a 4,eoo
rs. a caixa.
bem escihidos, lagrimas do Douro, D. Pe- < lata.
dro V D. Luiz I. Buque genuino, Nctar passas muito novas a lo.ooo re. a carxa e
superibr, Malvasia fina, Bastardo, e outros | 5oo rs. a libra.
a H.doo e 42,ooo rs. a duziae 4,ooo rs. Palitos fizados para dentes a lio rs. omaco.
a garrafa. dem de flor a 2oo rs. o maco,
dem Cherry e Madeira a 4,5oo re. a garra- presunto para fiambre inglezes e americanos
fa e 46,000 re. a duzia. a 85o re. a libra,
dem Boildeaux de diversas marcas de 8,000 dem do Porto a 48o re. a libra.
a 4o,obo a duzia e 800 re. garrafa. | Queijo prato a 64o re. a fibra.
Bolaxinhas americanas a 3,5oors. a barrica, .dem flamengo vindos no ulimo vapora
e a 24o re. alibra. 2,0000e2,3oo re. cada um.
Batatas muito novas a 1,000 rs. o gigo, e 60 Sardinhas de Nantes muito novas a 32o rs.
re. a liibra.
Banha de; poico refinada a 44o rs. a libra 3
em barril a 4oo rs.
Vinho em piqa de Lisboa, e Figueira, de 3,ooo
a 4.ooc rs. a caada, e 5oo rs. a garrafa.
dem de L isboa em ancoretas de 8 a 9 cana-
das pm 27,ooo rs.
dem do ] 'orto muito especial a 5,5oo rs. a
caada e 72o .rs. a garrafa.
Mem em garrafoes com 4 V* garrafas por
.-'oo r:>. com o garrafao.
Vinagre di Lisboa muito superior a 2,ooo
rs. a caada,
dem maisl baixo a 1,5o rs. acanada, e 2ao
rs. a gajrrafa.
a lata.
Sag muito novo a 2oo rs. a libra,
dem muito superior a 28o rs a libra.
Sabo maca de diversas qualkades a2oo e|
24o rs. alibra.
dem inferior de 12o a 18o rs a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras a 6;5oo;
ris.
dem hamburgueza em frasqui iros a 5,8oo
ris.
dem, de Hollanda em garrafck s grandes a
5,5oo re cada um.
dem em botija a 4oo rs. cada urna.
LARGO DA SANTA CRUZ N. 84.
Amigos do bom e barato.
A Aurora Brillante este magniGco estabelecimento est na Boa-Vista disputando a
priraazia, j pelo grande sortimento dos seus gneros de boa qualidade, j pela couunodiUade
de precos e por isso o seu proprietario roga aos seus freguezes e amigos e ao publico era
geral que mandem comprar para melhor se cerlificarem do annuncio.
2J60
640
7i0
750
400
480
480
240
lO
i
garrafas por
Garrafoes vasios de diversos tamanhos a 5oo, l
Ote e 1.2oo rs. [r<
Gomma doAracaty a 8o rs. alibra muito alva j9
Graixa a loo re. a lata, e 1,2a rs. a duzia. |
Licores finos francezes em garr ifas e frascos j ML
de diversos tamanhos de 600 a 800 rs. ca- j g
da um. S
dem em arrafes com 4
1,2oo rsj. com o garrafao.
Ameixas francezas em caixinhas com ricas
estanpaslno exterior de l,2oo a 2,000 rs.
cada urna,
dem em f *asco de vidro de diversos tama- Marmelada imperial de todos os conserveiros
nhos a 1,5eo e 2,5oo rs. de Li6ba a 600 e 7oo rs. a l.bra.
dem em latas de 11/2 e 3 libras a 4,3oo e Massa de tomate muito nova a 64o re.
2,3oo rs] cada urna, e a 800 rs. a libra. bra.
25000
i000
Figos de comadre em caixinhas de 4, 8 e 46
librrs a l,3oo, 2,5oo e
urna caixa.
dem em caixinhas de folha a 32o rs
dem em caixas grandes a 2oo rs. a libra.
Mem em latas ermetimente lacradas de 4,600
a 3,ooo rs.
Arroz da Injlia e Maranhao a 80, 400 e 42o
rs. a libra, e 2,5oo e 2,8oo re. a arroba.
Amendoas de casca mole myifo novas a 4oo
re. a libra.
Ceblas nov s a 4,000 rs. os molhos
des e a 7oors. o cento.
Alpista a 4 4 rs. a libra e 4.600 rs. a arroba.
Macarrao, talharim e aletria muito nova a
4oo e 48o re. a libra.
Marrasquino de Zara a 640 rs. o frasco,
5,ooo rs. cada dem em frascos grandes a 800 rs.
Cominhos muito novos a 5oo rs. a libra.
Erva-docea 24o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cravo da India a 64o rs. a libra.
Cannella a 4,4oo rs. a libra.
Alfazema a 2oo rs- a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs. o
fraco.
' Copos finos para agoa a 5,ooo rs.
Chouricasnovas a 72o rs. alibra.
Mostarda franceza preparada t
a 32o rs. cada um frasco.
Conservas francezas de superior qualidade a
640 rs, o frasco e 7,ooo rs. a duzia.
gran-
Queijos do reino novos a 23400 e
Ditos de prato idem, a libra. -
Ditos do serto novos, libra a .
Chouricas novas, libra a .
Linguifas verdadeiras do serto, libra
Pre^ntos novos de Lamego, libra a .
Macarrao, talharim e aletria, libra a
400 e.......
Caixas com 8 libras de estrellinba e
pevide nova a 2300 e libra .
Sevadinha de Franca e sag a libra.
Ervilhas e grao de bico a libra .
Marmelada nova das melhores marcas
a libra......
Caixinhas com ameixas com bonitas
estampas a l00e.....
Lalinhas com ditas a 15400, 2,5400 e
Ditas rom figos novos de comadre a
15400 e......
Ditas com fructas em calda a 640 e .
Ditas com peixe em posta ensopado
a 15000 e......15200
Ditas com sardinhas de Nantes no-
vas a .......
Caixinhas com 4 libras de farinha de
araruta a libra.....
Noz.s e amendoa arroba 65 e libra..
Garrafas cora refrescos de varias
fructas a......
Azeite doce a 640 rs. a garrafa e refi-
nado a
Potes com mustarda a .." .
Frascos com conservas novas a
Ditos com genebra de laranja e de
Hollanda a 640 e .
Chocolate de varios autores a libra .
Toucinho de Lisboa arroba 95000 e
libra.......
Charutos finos a 25. 25-00, 35, 45,
35 e 65 a caixa de 100.
a duzia. i ^ Saceos grandes com milho, farello e
! S^ farinha tina a 4. 45oOO e .
muito nova! ^ A,Pi<,a arroba 45500 e libra .
Espermacete superior a 600, 640 o .
Copos lapidados para agua e vinhodn-
zia45e...... 65000 L
Molhos de grande sebolas a 15000 >
Barricas com bolachinha nova a 45
e libra ....... 320'5t".
300 Ditas de soda de 3 libras para lunche
ou doente a 25 e libra ... 640 >j
Ditas com biscoulos inglezes muito fi-
nos a ....... 15400 3-
Manteiga ingleza flor a 800 e 360 *
Dita (rancia a 360 e 600 rs. e era
barris e meio a 520 e 540
Hila hollandeza muito nova a 800*
720 Bauha de porco a 3** sft
Sal refinado o pote .... 300 L
Gigos cem batatas hollandezas a 15200
Cba hyss( ii o melhor que ha a 3JW0
ATTEIAO
Todo*; os senhores que comprarem pai i negocio ou casa particular jO5 para
cima tero mais 5 a 40 por % de abatimento ; o proprietario scientilica reais que todos
os seus gneros sao recibidos de sua propria encommenda, razad esta para poder ven-
der por muito menos do que em outro qualquer estabelecimento.
RIVAL
SEM SEGUNDO
Riia do tiieimado ns. -1 e
loja de imudezi.s de Jos de Azevedo Maia
principia o novo annoa torrar miudezas pelos pre
eos |Ue a todos causa admiracao, a saber :
Par* de sapaiosde tranca muito tinos a 15600.
Franos de oleo babosa dos melhores fabricantes a
210 rs.
Ditos maiores a 400 e 300 rs.
traaos d'agua de Colonia nuito Tinosa 400rs.
SaUtfeles muit > finos a 160, 200 e 400 rs.
Frascos grandes de agua de Lubin, o melhor..
15500.
Lapii ile tinta en -amada milito finos a 40 rs.
Novcllos de Una rom 800 jardas a 120 rs.
Dito i de dita cura 400 jardas a 80 rs.
Frasos de macass, oleo muito superior, a 100
Duzjs de dedaes hrancos em caixas de vidro
32D rs.
PapeU de agolbw a balo Victoria a 60 rs.
lianl a transparente muito siperior a 700 rs.
Dita J.Lponeza i.iuito fina a 00 rs.
Duzia de Jabonetes muito tinosa 720rs.
l'apcis de agulha cora toqu<; de ferrugem a 10 rt.
Gnu is do bafcies de madreperola muito finos a
563 rs.
Peca; de fita d eos, estreitas, com 10 varas, a
:I2) rs.
los de linfa branca do gaz a 30 rs.
Cantata de linlia dio eores uuito fortes a 20 rs.
Carita e :aiia de clchete: francezes a 40 rs.
flotodnra? brancas e de cores para cohetes a
t) TI.
I Frascos de banha, pechincha, a 240 rs.
Ibnets para meninos, fazendalina, a i$.
! 111 i xas preparadas para costureiras a 15500,25 e
i Kassos de grampas lisas e finas a 30 rs.
e 55, C.iixas de palitos do gaz e de cera tinos a 20 rs.
ia 4 C.,: Duzia de facas e garfos de 1 botao superiores a
35300.
Duzia de ditas e ditos de 2 botoes finissimos a
65500.
(rozas de palitos do gaz a 25200.
/ira preta muito fina a 100 rs.
Huas de rap com espelho a 100 rs._________
MOV AS
sementes de hortalica.
Chegaram no vapor francez Guiene as novas se-
nentesde hortalica : na ra da Cadea do Kecife
i. 56 A, loja de ferragens de Bastos.
ItrancA coi maca,
Vende-se em latas de 28 libras o melhor que po-
(o haver a 200 rs. a libra, a dinheiro : na ra
'arga do Rosario n. 34.
Cocheira
Vende-se a cocheira da roa do Imperador n. 25,
cem magnficos carros e ptimas parelhas : a tra-
ar na ra do Crespo n. 14, loja.
Biscoitos e ttolachinhas inglesas as ultimas Azeite doce a Gio rs. a garrafa
chegadas ao nosso mercado a 4,2oo e, Sevadinha de Franca muito non a 2oors. a
4,loo rs. cada lata. i libra.
25000
500
360
640
240
500
800
320
800
15000
15200
320
55OOO
160
720|
Dito miudinho a.....25*00
jp;
25800
25500
320
280
800
640|
15000(
800
6JM0
15*80 p
120
ATTENSO.
Neste grande armazem de molhados vende-se em grandes porces e a retalho,
fazendose dilllerensa consideravel a quem comprar de 4005 para cima.
o
o
o
t
=5
td
a
00
C J

i
9
B
8
&
r
a.
5?
M

cx>
p-
o
cx>
o

P-
P
B
2.
TJ1
%
S3
P-.
O
O
o
P
Q-
ce
GAZ GAZ GAZ
por |>rev reduzido.
Vende-se gaz da melhor qtialidcde pelo
pre,o de 40 por lata de 5 gales: no ar-
mazem do Caes do Ramos n. 48 e ra do
Trapiche Novo n. 8.
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavados, o retogios de
ouro patente inglez.
TAL DE MSINU
Vende jn-sc barris cora cal des-
ta procedencia, era pedra, chega-
da hoje. e nnlea nova, que ha no
mercado, na rna do Trapichen.
13, arniazcni de Manoel Teixel-
ra Basto.______________________^
Vma deutna kypotheca.
Os liqUldatariOS da massa allldade Hecife)em Maco ao Dr. Mariano Joaquim da
i Jos Antonio Baslo vendem a hypolhe- Sllva> recel'er a quantia acima aclarada.
ustina, de idade
irou 6 vestiUa>
falla desean-
cada, anda de vagar e costuma repartir o cal
quem a pegar leve-a ra da Esperanca n. 71.
qae se recompensa. ,
Dito verde a 25, 25500 e .
Dito preto a 15' 00, 25 e tino a .
Caf de moca arroba 95 e libra.
Dito lavado arroba 85 e libra .
Vinhos finos do Porto caada o e
garrafa 640 e.....
Ditos de Lisboa e Figueira 35200 a
caada o garrafa ....
Dito branco proprio para mesa a 360 e
Hito xerez e outros finos a
C. ixa com vinho Hordeaux a 85 e 95
e garrafa a .....
Serveja de boas marcas a duzia a 35 e
Gomma muito fina arroba 25500,25 e
Enxofre arroba 35200 e libra .
llanada de azeite de carrapato a 25 e
garrafa a.......
Dito de coco a 35300 e garrafa a
Massos com palitos lixados para den-
tes a .......
Tijolo para limpar facas a .
Krvilhas em latas a .
Latas com ostras americanas a .
Vinhos engarrafados linos a garrafa
Tapioca nova arroba 35800 e libra .
5o com graxa n. 97 a ..
% 0O# de gratificarn.
Desoppareceu desde o Io de maio de 1863, io
; poder de sra senhor o tenente corone I Jos Vicen-
te de Medf iros proprietario de engenho Pict
nacomnrea do Penedo provincia das Alagte,
escravo Jeremas, de cor cabra, estatura alta, es-
padadlo, desdentado de um lado mais que de outro,
muito pouca barba, ps grandes e tem algn
reos de carne sobre o peito, bom sapateiro atrio
na cidade do Recife urna irmaa cnoula de nosie
Joaquina, liberta, para junto a qual dizem que m-
evadir r quem o capturare entregar em Pernam-
bucoao Sr. Jos Augusto de Araujo (cidade do
Kua da Sen cal la n. A 2.
Vende-se, em casa de S. P. Jchnston & C,,
sellins e silhoes inglezes, candioiros e casti-!i qoc tem nos mn\m Mattjr(.rsso, ^^'ffi.^SS,^
caes bronzeados, lonas inglezas. fio de vela, e Cajabussn no termo de fccnnnacm no de chi(a e aebaiea, sendo um preto,
valor de 34 :S35$9i 1 rs.; Iralar as
casas a rna do Trapiche n. 34.
iriiJSiD
FARINHA FONTANA.
Farinha <:a mnito acredita a marca
Fontana rcsemharca Vende-se a propriedade denominada Maltez,5ita I pop preco mais Cltnimod do que ent
na freguezia de Tracunhem da comirca deiNaza- i., V,1M, .,.. a, f,
relli.comurna legoa de frente e me a de rundo, e qoalquer Olltltl pill te na ra da IT1
n. 4 tasa de N. 0. BicUer & C. succes-
soret.
FAZE\U4S
proporces para nella se levantar un bom enge-
nho de fazer assucar, sendo que actualmente ren-
de ella mais de 1:0005 que pagam os moradores
que tem : quem a pretender entenda-se nesta pra-
ca com o Sr. Antonio Jos Leal Res na
Cadeia do Recife n. 47.
Cal de Lisboa ~
chegada ltimamente ; na ra do '/gario n. 19,
primeiro andar.
Vende-se o emrenho S. Manoe1, sito na fre-
guezia do Rio Formoso, e margem do rio Seri-
nlem.o qual demarca com os engenhos Cachoei
ra, Chango e Gamelleira, me com agua c muih
copeiro, tem capacidade para safrejar 2,300 pe.'
annuaes, e se acha quasi todo em mata virgem.
ip em pretender.
qu: achara com
quem tratar.
Vende-se urna esrrava moca cora urna cria
ra da grtesna typoaplua sedir quem vende.
i distando do embarque 1|2 legoa :
dirija-se a ra do Vigariu n. a", (
baratas para acabar.
Sedas de quadros e de listras a 320 rs. o cova-
do, lindas las de quadrinhos a 360 o covado, su-1 Vende-se a taberna do pateo 10 Paraizo n.
periores cassas de cores a 200 rs. o covado, ditas | 30 : a tratar na mesma.
muito finas a 210 o covadw : na loja das colnmnas,
na ra do Crespn. 13, de Antonio Correia de Vas-
concotlos & C
Lavas de pellica.
Chegaram para a loja d'aguia branca, ra do
Queimado u. 8.
i.imos
Vendem-se globos de barro vidr do da fabrica
de Santo Aatonio no Porto, proprios para jardira e
frentes de casas : na ra do Amorim n 46.
ESCRAYOS FGIDOS.
Escravo fgido.
Desappareceu no da II do correle, pelas 7 ho-
ra* da manha, o escravo Joaquim, crioulo, de 33
:tH annos Je iilade, pouco mais ou menos, com os
rifMM siguintes : um pouco vario, levou 1 re-
de.- i camisas vestidas, caiga branca gio>sa, cna-
po de pama ordinaria, anda semprc conversando
s : quem o pegar leve-o ra Nova n. 42, que
ser praiificado.___________^__^______
Pede-se polica e rapitaes de campo, e mes-
mo pessoa do povo, que prendam a negra crioula
Bonifaria, aqual tem o
No dia 18 de Janeiro passado fugio o awravo
Miguel, emulo, de idade de 45 30 annos, ja
cabellos brancos e usa de meias suissas, tem um
principio de gomma no peito de um dos ps, i-.>
de alpcrgaias, muito regrlsta e iniitula-se fom
Este prelo j natural do Ico, donde veio para qni
ser vendido, e por algum tempo pertenceu ao Sr.
Jos Cuilherme Guimariies; consta que levara un
sua companhia sua amara, de nome Mara, parda
acaboelaila, alta, e com falta de dentes na frenic .
esta parda costuma embriagar-se. Poucos das
depois da tuga mram encontrados perto do t-rge-
nho Camangibe; pede-se, portanto, s autoridades
competentes ou a quem delle tiver noticia, de ap-
(irt-hendelo e leva-lo a casa de seu senhor Miguel
Pereira Le?l, na ra da Cadela do Kecife n. 19,
que sero l>em recompensados.
Escrava fgida.
Ausentou-se da casa de seu senhor a esrrava (te
nome Seraphina, preu, crioula, representa ter 35
annos, levou vestido de 15a com flores verdes, eos
turna embriagir-se, foi escrava. da viuva de Fran-
cisco Mathias Pereira da Costa; por algunias ou-
tras vezes tem fuido e costoma andar pelo c^i'<
de Capibaribe, Monteiro e Afflictos : quem a pe-
gar leve ra da Cadeia n. 3o, que ser reca
pensado. ____
Fugio da casa de pasto da ra larga do Ko
lefeito de entortar a perna j saro a 23, no dia 9 do corrate, o escravo Yi-
para dentro e" foi escrava de Joo das Cabras da cente, com os sgnaos seguintes : baixo, cor ca-
ma da Concordia, e por onde costuma ella andar bocio, cabe'.los e ps curtos, falla descansada, cha
sempre, e tambera vendo no antigo porto do ca- peo de feltro osado, calca e camisa branca : qnem
pim : quem a pegar leve-a ra da Cruz n. 31, o pegar leve-o dita casa que seri recom|ppr
que se recompensar bem. sado.
-., v -g. --i- fci jlhijfci ii .i a nk



s
Islario de Pernambuco ftrgiinda letra 15 de Fev^relro de I 1.
/
LITTERATRA.
0 QUEME PELO MUNDO.
Dnios|l em seguida o importanto discu-s" de
Mr. Tiie>t. na cantara franceza, que tanto ffeito
e;p frito em todo o iiajper
r. Thiers comga por observar, que pedir
lic^nc^i para fallar ia tolitica interna do paii, pre-
timainenle euunciada, compete dirigir os actos do sartas, nao preciso destruir as iuslituicoes ac-
governo. (Rumores confusos.) I tuaes \ Lasla desenvolvilas.
Destas condicoes, quaes possuimos, e ero que\ ,>ua seguranza individual, basta revogar a
extenso? A segranos individual existe ; mas ha'lei de seguranea geral.
uma exeepcao. a lei de seguranca geral. Deve
acabar etn 1865, ou inais cedo, se o goverao qui-
zer.
Para liberdade de Imprensa, apenas a mu-
danza de un ou dous artigos no respectivo de-
creto
Part liberdade eleitoral, modificar algumas
Qoanto liberdade de imprensa, a mais con-
testada, porque a mais aguda das prorogativas \ praticas abusivas.
seje para dar algumas iplica- mV*f Va "omeai que tenba expe- I'ara liberdade da represon.aco nacioual, res-
,,,. 2 motivos da sua presenra na n""",a'b ''convenientes da liberdade de im- tabelecer o no das mterpellacues.
' prensa e aqoelle que leni a honra de dirgir-vos a' "O que se carece, primeiro que tudo, a irres-
palavra. i lliso de adheso.) ponsabilidade do soberano.
u" Um hoineni Ilustre com nuera tratei or lar-' Tenlio abusado muito da vossaattenco. (Nao,
falle, falle) ; permitti todava que preencha o mcu
proposilo. Sei queme diro : ah bem vos conhe-
cemos (riso); queris esse Horroroso governo par-
lamentar ; o governo dos rhetoricos. que i>or espa-
do de quarenta annos offereceu o triste espect-
culo da luta das pastas. um governo. que pode
convir Inglaterra, naeo de legistas; mas nao
serve para a Franca, que nao gosta de bulhas de
procuradores, e que pretende urna epopa perpe-
tua. (Moviinento.)
com quera tratei por lar-
naiathe legislativo; que viusucceder as ousas, g0 Cspaco dos negocios do pala. Mr. Ouizot, foi
os hoiniis. as opiai&es. e os proprios afcctos. j0Qtra victima della. Pois bem, depois de assim
Mante rama nacional, a o;-dem e a liberdade. ae que essa liberdade necessaria.
c Vivau na escola chamada de 1780. queiulga' ...
que a Franca tem tireito de dispor de si, e de es- j Pergun,,: >xjSS,vd rec.usar a um P -
collter o seu gavera. Qualquer que obet ece ao J*""""1'* W negocios ? Quando podemos
governo, tem js a exigir delle ordem e lib.rdade. i fi,"ar ^u. I.vremcnte; quando podemos mesmo
. ... i irrogar a mais formal censura nos actos dogover-
Sem orlen, a eoririade Dea era angust; nao no; M ^ ^^
trababa ou trabara pouco. O neo pode as ve*sjjonMieg. n-0 poder0 ^ djzer un' |avra
u de trabalhar; mas a sociedade e um opera-, acerca dos e]Ms r .0U11ZtM11 f (,nIerrup.
rio obligado a ganhir desde a raanhaa ate ; noute l jQ >
o pao (13 seus filhos. (Muito bem.) "... ......
Nao comprebendo, que havendo aqu liberda-
cocs.
Peco para responder a estas inevitaveis objec-
tioverno de rhetoricos Declaro, que nao me
E como oliendo com o termo.Dirige-se ao general Foy, a Mrs.
se bouvesse um bomem que dissesse um segredo a de Seze, de Viltole, de Marlignac, llover Coliard.
dtt pessoas. e o confiasse depois undcima, re- CasunirPerier.de llroglie, Guizot; quando se ap-
coraniendando-llie que nada dissesse. piict 0 opitbeto a ,aes homens s deve havcr um
No estado, cuja educacao est feita, aimpren- empeoho.ode merece-lo. (Applausos.)
sa felizmente nao a opiniao, a causa de haver Visto que nao me offendo, nao se resintam
opiniao. Exagera sem duvida; mas o paiz faz o 'tambera os (Ilustres ministros, que s nes-
correclivo. Depois, essa opiniao anahsada pelo se banco. Direi que se deve usar de alguma con-
corpo legislativo, que a pondera devidamente. apu.: templaco com esse governo de rhetoricos, porque
rando a verdade para depo-la junto ao throno. j aflnal de contas. estamos nelle. (Riso.) Ahi esto
> Diz-se que o governo muito forte. Eu o rhetoricos. e dos mais distinctos. (Hilaridade ge-
crcio. Julgo a sua forca material to grande, que ral.)
nenhum partido ousar ataca-la. Pois bem. sei Quande os oradores do governo veem aqui
nao se aproveita a conjunctura presente, quando' ostentar as suas opin5es. ouvis senhores, applau-
se tratar da educacao poltica da Franca? Que-1 dis. e tendes razao. Quando entre elles surge ora
reis que na Europa, onde em toda a parte a im- novo talento, applaodis anda mais forte, e fazeis
d; ambicio. A sua nica ambicao utoMWO!f*"8* *,,n^ a Fran('a sJa a nica naroque bem. Deixae pois essa objeccao propria de quem
confunde os cos palradores com os homens serios,
que discutem os negocios pblicos.
< Vamos disputa das pastas. Hao de admit ir.
que hojesou desinteressado do assumpto. (Rumor.)
Em que lempo, em que paiz deixa o poder de ser
Quando se prrclamoa a repblica, s ijeitou- de de fallar, nao a haja para os jornaes.
..e, apisar de nao s;r o rgimen dos seos prece-
dentes; cjuntoa-se aos homens corajosos, jue na
assumbla legislativa defendiam a ordem. A Fi an-
ca vala ao principio monarcliico; suje itou-se
ainda. porque resp;ita a soberana nacin..!, mas
ficou Torada poltica.
>endo os decretos de novembro de 18 H e de
fevert iro de 1862 reconhecendo a possil ilidade
de disentir livreroente os negocios do paiz, e con-
tribuir para restabelecer a liberdade, ei tendeu
(|ue a .bstenco no seria digna, prudente ou pa-
trloiic.".. Aconselhou que os da sua cor irestas-
sem juramento ao imperio. Depois de dado o con-
i ios outros, era forcoso que o seguisse
Jjlgou que per pessoa alguma seria .rguido
simple s cributo da sua experiencia, discutir os ne-
gocios do paiz, sob o ponto de vista do esado, e
naoairavez do prisraa dos partidos, nao deixando
| fique era tutella ? (Rumores.)
Nao quero insistir mais. Digo s, que o go-
verno se encarrega de declarar at que ponto p-
assim de todo inuteis os ltimos annos da sua vi" de ser da. (Viva approvaco, applausos.) ;lro da existencia dos jornaes.
Nao se occupa. agora de financas ou de ne-' (?Uan' liberdade eleit,,ral- deu"se naCa d
ocios externos; sun L pofitica merna, ,ue de- tJ^aleuTInt ?1Z "ff f
Z desenvolvimento das ins.i.uicoes. ',o sen- ^jflTJSLJSlS^: Ivezes por mti das inlrias- Houve *"* ma,S lo"
| riosa do que a de Luiz XIV ? Pois nesse tempo
, era indispensavel agradar a madama de Mainte-
non.
o suffragio universal; mas com a condicao de di- Se por elle as pracas puDlicas; as cortes, rauitas
a. Fallando as-
sim, sou por extremo moderado.
udo de runa liberdade moderada e regular h-j ...... A
15 nende->e culto profundo ao suffragio univer-
t A eonstitiicao actual consagra este pri icipio ; sal, o direito divino da poca. Se se quer um
quando so recoohecer opportuna orna raodi ieacao, soberano, appella-so para o soffragio. Vede a Ita-
d imptraaor tomar a iniciativa, e o senado dar a lia, a Grecia, o Mxico. Mas quando se trata de 0nde Poem as Pastas *r mais nobremente
sua sanejo. De facto. a constituicao b.t sido eleger depulados, diz-se ao suffragio as vezes, que <"sP"'a,las d Que na asserabla dos representan-
nao sabe ler nem escrever, qne crdulo, que ',es do paiz" Pr horaens 1ue reunam estts avulta-
timido; e chega-se a dictar o seu voto. (Interrnp-1das ttaran,ias :~a ntelligeocia dos negocios, um
cao, barulho.) cer, talento para discuti-los. e a honestdade de
_ ...... (carcter? (Applauses em varios bancos.) essa
. Refenndo-rae a liberdade de representacao,!^ gloriaque a inglaterra reServa zelosamen-
nao quero allud.ra que encontramos aqui, gracas ,e. Chama-lhe a gloria de Pitt e de Fox. Sejamos
a mparcialidade do nosso presidente. Concedo
que ao governo pertence a iniciativa em materia
de legislacao ; mas preciso que tenhamos tam-
bera ampio o direito de liscalisafao. E' preciso
que possamos suscitar qualquer questao sob duas
garantas : tolerancia da maioria c consentmento
do governo. Com essas garantas, a pratica de
todas as assemblas da Europa liberal, deve ser-
nos restituida.
Alias, ser forcoso fazer de projecto de res-
posta uma encyclopedia administrativa e poltica.
mais de nma vez mDdificada no sentido de>ejado.
Qjando se coisulta a historia, obsurva-se
at deixar de pensar nella. Mas para depois
procura la, com singular persistencia, e forca
quasi rresistivel.
Ein 1800. depois das provajSes terri eis da
revolucao, a Franca contemplava um hornera pro-
digioso, que a tudo apphcava a sua mao i.?para-
dora. Absorveu-se nelle, e pareceu nao cogitar
l'outra cousa.
Quando porm divisou uma parte dos seus
eiercilos precipitada no abysmo ardenle d Hes-
panlia e no abysmc gelado da Rossia, des wrtou
trWtmente; leinbrou-se das suas immunilides.
A 31 de dezembro de 1813 pediu a paz ao impe-
rador. Nao foi attendida.
Alguns mezes depois, o ioimigo victorioso en-
rava era Pars, e a Franca exange cabia a>s ps
dos Bojrbons. Tornou a pedir a paz, e con ella
Mberdade.
t Em 183, 1826 e 1827, pareca raiar uma au-
rora de garantas, esabelecer-se a divisao d)s po-
deres, harmonisarera-se as prerogativas do sobe-
rano com as do pai::. Duas vezes se agilou a
quettao. e cahiram dous thronos.
Se iiermittida uma cemparacao, essa qoos-
tio fatal foi para cs o que era o cabo da Tvr-
memas para os navegadores do deoimo quinto se-
c*ila. Tnmia-se ao -:hegar a esse cabo temeroso.
Por uma feliz inspinicio, Joo de Portugal, que se
propunha dssipar vaos terrores, deu-lhe o nome
de eabo de Boa Espranra, e o cabo dobrou-se f,i-
lizmene.
Permita o cu que o nosso cabo das Tormen-
tas mude tamben de nome, e seja auspiciosamen-
te dobr.ido I (Grande? applausos em alguns ban-
cos.)
t Nao referir os transes de 1848. Atravt ssou
se a republii-a para ebegar ao imperio. A liber-
dade outra vez se sumiu. linmensa reaeco mili-
ttr prevaleceu na Kuropa. Todava, o' espirito
vivificante do seculo influa nos povos e nos pro-
prios soberanos.
t Os principes twiam-se congregado em Paris
por meo dos seus representantes para regular a
glariosa paz da Crimea, e pela vez primeira a li-
fcordade te ve por tribana um congresso, e poi ora- seu palacio, viu a multido em torno de'
to intelligentes como a Inglaterra; e nao menos-
cabemos uma gloria que por cerlo nao prejudicou
o nosso paiz ha quarenta annos.
< O homem mais audacioso que tem existido.
Napoleao I, nunca procurou cobrar o imposto antes
de ser vetado. Quando se levantam militares de
milhoes n'um paiz, haobrigaco de explicar-lhe
cera que condicoes Ihe sao pedidos ; e a discussao
dos negocios pblicos nao pode ser evitada.
Dizer que o governo parlamentar inglez, nao
E' preciso por occasio do exarae do orcameoto e ser lgico. Liberdade individual, direito de ma-
nao restringir o debate s finanzas, sim converte- nifestaropinioes e de eleger mandatarios para sus-
to em curso de poltica universal. ; 'enta-las. debate dos interesses do paiz entre esses
. mandatarios e ministros responsaveis. com sobcra-
Chcgo a una derrade.ra considerado, tocante no invi0|ave|. a frmuia geral de ^s os pOVoS
aos debates dos negocios pblicos com os deposi- livrps
tartos da auloridade soberana. Aqui apresso-me a i
render homenagem ao que jase fez no da em que A respeito da lei eteitoral, a questao apresen-
forara introduzidos nesta cmara os ministros sem ta-se diversamente. Deve variar, segundo os paizes;
pasta; e raesrao um ministro com pasta, o de es- moldar-se sobre a sociedade que representa. Na
tado. Suecia ha quatro ordens : camponezes. burguezes.
Depende do imperador mandar aqui os outros 'nobnBa e clera Na Aus,ria- difrrentes nacional!,
ministros com pasta. Dir-me-hao que olvido o ar- dade!- A Fran,:a ,ambem difftre a cs,e respeito da
ligoCdaconstituigo. Nao o esqueco. Este artigo Inla,erra- Ko nao podemos aqui admittir re-
declara o soberano responsavel Na constituico Prescntautes das universidades,
republicana essa disposcao eslava no seu lugar, j O mechanismo do governo que nao varia-
Confesso, que me admiro de a ver n'uma constitu- comn a lei eleitoral. Chamar a este governo inglez,
eo monarebica. como se se dissesse que uma machina vapor
,. ..._ j .-j-a machina ingleza. governo de todos os paizes.
Mas, estou decidido a nao me servir desse ar-
tigo 5". Se para elle appellasse, far-rae-hieis calar,! Ha na 'nguagem que combato grande igno.
e tenis razao. Como ha dous meios de revogar as rancia da historia. Ha quem pense, que existe
leis, ou por determinaco expressa ou por falla Sempre uma forma difireme de governo era cada
de uso, encaremos esse artigo como em desuso ; naio da Ku,0Pa- Ao contrario, tem sempre havi-
ou se, por estar no cdigo fundamental, deve figu-
rar, tende tanla coragera como o soberano : servi-
vos delle.
delicado exprimir o meu pensamento ; e pa-
ra faz-lo, peco licenca para citar uma ancdota
dor um diplmala.
O Ilustre conde de Cavour denuncien os
principes italianos pelo seu odio causa nacional
e liberal. Armaram-se os Italianos, assim como
AtlMriaeos, travou-se a lucta, corremos em au-
xilio da boa causa, e a Italia foi salva.
A agitacao communicou-se Europa. A Aus-
tria pediu ao systema constitucional indemnisacao
dos seu* revezes. O nome da liberdade era-nos
reramb ado por todos os eccos. Appareceu o de-
creto de 2i de novembro.
Uma necessidade por tres vezes abafada, que
resurge com tal for^a e fulgor, pode porven-
tura ser reputada falsa e facticia ? Nao; urna
necessidade seria, que nao poda deixar de fazer-
se sentir n'um paiz lito intelligenle e altivo :omo
a Pranca.
Em que proporcoes deve attender-se essa ne-
WaMadar E'queslo grave, mas nao inso uvel.
Hi nma sufflcencia a respeito de liberdade que
lodos reconhecem. Ide a Vienna, a Berln, a Ma-
drid, a Turin, ninguem discutir esse ponto. Ha
uina sufflcencia, perfeitamente compativel com
a Itsmi instituicCes actuaes, se nao se par.ir na
carreira abena pelo decreto de 24 de novembro.
Cinco condicSes sao indispensaveis para cons-
tiluir o que reputo sufflciente, em materia le li-
brdade. A nrme.ra destinada a manter a se-
r irania individual. Entretanto, a seguranca nao
hasta; umpre que o cidado vigi os negocios
pblicos; que manifest o seu pensamento. Care-
ct-se da imprensa, sem peas e sem licenca.
A imprensa serve para a permutacfo de
j4.is. que consttue a opiniao publica. E''|>rec(-
i que Sfjs aqu representada: e |ra issn re-
tfm-te IHiiriM* de eleicao. Quando se rhe;a ao
p.-rlanirno, o deputado deve ter completa faculda-
d deexeicer a sua fiscalisaflo; deve havjr l-
Mas o pasqum lora colloca-
do a mesma e nica forma de governo.
Na historia moderna da Europa distnguem-
se tres grandes pocas : a feudal, a real e actual,
que eu chamare! liberal.
Quando o governo militar, to hbilmente
de Berln. Trata-se de grande Frederico, grande manejado por Carlos Magno, passou aos seus suc-
capitao, grande poltico, grande administrador ; co- cessores, locahsou-se, e d ahi nasceu o rgimen
mo Voltaire, seu amigo ou seu inimigo (riso), tinha feudal. Mas esse rgimen nao foi restricto a uma
muito ma lingua ; mas a liberdade que queria pa- parte da Europa, foi egual em Franca, Inglaterra e
Um dia, da janella do Allemanha. Os proprios costamos, refiuada com-
um pas- binacao de violencia c delicadeza, eram em toda
a parte anlogos.
A sociedade. fatigada do dominio feudal, vol-
Frederico inqueriu o que era. Soube que o tou-se para o real. A realeza attrahiu a si todos
pasquim diza muito mal delle. rdenou, rindo, que os poderes com os exercitos permanentes; assim
o fossem por mais baixo, alim de ser lido coramo- como pelos legislas, reunidos nos parlamentos. A
damente. | mesma revolucao espraou-se por todos os povos.
Houve alguma differenca as datas; mas em toda
i Mas, quando o enviado do rei chegou para a parle ostentou eguaes coudifSes.
cumprir as ordens, e abaixar o pasquim, a multi- Quaodu os ^^ a seu turD0> qui),eram par.
dao poz-se em retirada. Ora, eu sou como os curio- tilha no ^^ a ing|aterra preccdeu-nos um se-
sos de Berln ; se querera abaixar o pasquim para culo. Mas toda a Europa quiz segui-la ; e sefos-
que o lea, eu fujo. (Hilaridade.) ses a Ber|n> a Madrid, a Turin dzer que ali ha-
Hemos, senhores, uma forma sera a um as- via governo inglez, lodos sorrriam, porque a In-
quin, tentando l-lo.
do muito alto.
surapto muito serio : a irresponsabilidade do sobe-
rano a liberdade do paiz. Vejo no artigo 13 da
constituico. tal qual se acha redigido, o principio
do uma certa responsabilidade ministerial.
glalerra nao tem s o direito de ser livre.
E se a liberdade e um mal, porque despende-
mos millioes, e derramamos o sangue dos nossos
soldados para da la Italia ? Porque elogiaran!
berdade de representacao nacional, eis a (|uarta i -Muit0 bem- muit0 bem-)
esadicaa A ultima e qne opiniao publica, legl-1 t Para onthorgar as liberdades que jolgo neces-
O honrado Mr. Rouher sabe o caso que faco as folhas ofllciaes a Austria, quando esse paiz en-
do seu mrito e da sua pessoa. Quando fallar de trou no gremio constitucional? Nao, senhores, nao
negocios estrangeiros ha de mostrar bem os seus podemos derramar o sangue de nossos soldados
dotes; mas coofesso que, se em lugar de estar para fundar a liberdade era toda a parte ; e ouvir
aqui, me achasse no senado, havia de custar-me dizer que a liberdade nao feita para nos. (Ap-
deixar de zagunchar o ministro dos negocios es- plausos em alguns bancos.) Se fosse assim, de-
trangeiros, e de pedir-lhe que toraasse a palavra. clararamos que o nosso paiz tem incapacidade po-
(Riso.j linca ; e eu nao acceito. pelo que me toca, tal de-
t Ha sempre grande vantagem em discutir os claracio.
negocios com quem os gere. Se se tratasse do Me- a Europa inveja-nos : reconhece em nos,
xico, desojara sobre o assumpto ouvir os minis- com o fulgor do genio, a prudencia, o bom senso.
tros da guerra e marinha. Objecta-se que os gran- A Franca um entendimento bem organisado ; e
des administradores nem sempre sao oradores. Di- nao posso crer, que a nacao que produzio Descar-
go que nos paizes, cuja educado est feita, os mi- tes e Bossuet seja indigna da liberdade. (Novus
nislros sempre sabem explicar os negocios que applausos.)
"lT,fSem- I t Disse-se que os Inglezes eram um povo mais
A grande circumspeccao no soberano nao me placd0) nu,na apaixonado d que n0s um
dispensa de exigir curagem nos seus ministros. erru
Esta coragem derva-la;ho da sua consciencia. Os A Inglaterra um paiz onde ha Bailas pai-
minstros nodero enlo proferir essas verdades x6es Djse.se) que nao lemos arstocraria. Nao
uteis. que o soberano mais Ilustrado precisa ouvir. essa a questao. Sabis em que reside a diffe-
renca entre e Franca e a Inglaterra ? em ser-
ros uma nacao militar, ao passo que a Inglaterra
nao Era Franca o lypo do governo um es-
tado maior; em Inglaterra im municipio.
Em Franca o soberanc e o povo teem ambos
o orgulho militar, que ced dilcilmente. Em In-
glaterra o soberano lem lanta dignidade como
quem quer que seja; mas s ibe ceder a proposito,
eo povo sabe aguardar, (liumores.)
Em Fiare;.i o -.ilniano. no seu orgulho mili-
tar, quando sejulga apertailo, leva a ado ao pu-
nll da diz : aealuram as ceneessfSes. F.
o povo, quetambem lomo orgulho militar, corre
as anuas, eeni lu-ar de~s; s grandiosas tiansac-
pJes, que u'ourr|sfegiSes Crminam as crises, ti-
mos uma batalha. e com ella vencedores e venci-
dos. Ha aqui flliciililadis. pie n.io contesto:
mas possivel resolve-las. O verdadeiro fundador
das uossas liberdades sera ( soberano, que souber
remover os iml.araros.
Disse-se, e por ahi que terminare!, dis>o-se
com razao, que ha outras dlfiiculdadcs, oriundas
do nosso estado revolucin irio. A revolucao fran-
ceza deilou por Ierra mais ovemos do qu a revo-
lucao ingleza.
Isso concebe-se. A revDlucao Ingleza nao en-
cerrava em si mais do que a liberdade da Ingla-
terra. A franceza abrangir a liberdade do mun-
do. (Applauses.) As conv lsoes do parto foram
proporcionadas as dimensoes do filho, que tinha no
seo. (Applausos geral e pro ongado. SensacSo.)
O terreno acha-se alasfado com os destroeos
dessesgo vernos; denomnat -os representantes dos
antigos partidos. Eu sou un deesas representantes,
e pego licencaj>ara rasgar todos os vus.
Que missao deu o pa a esses representantes
I dos amigos partidos ? A d' discutir com impar-
i cialldade os negocios do es lado, de aprecia-los de
boa f, de vigiar pela fortuna publica, de provocar
| todas as reformas utes as leis, e as institaiedes:
I tal a missao que o paiz deu aos representantes
dos amigos partidos.
Eis como, pelo que ir fe loca, comprehendo a
que recebi; e se em lugar c!e se circumscrevercra
a esta tarefa, os que sao chamados representantes
dos amigos partidos delxass 'in entrever o designio
de introduzir outra forma de governo, ou outra
dyoaslia, desde logo se lor lariam fracos porque
estariam fra do seu mandrto.
Quanlo a mira, estou ce ivuucido de que o paiz
lem tal desejo de saa lber lade. de verdadeira li-
berdade, que o governo que a der ser franca c
sinceramente acceito por todos.
t Resta rasgar um ultimo vea: e peco venia
para accrescentar ainda algumas palavras, posto
que j tenha abusado larj ament da attehcao da
cmara. (Nao, falle, falle.)
Sim, serv uma august; familia, hoje em des-
grana, qual devo o respei o inherente agrandes
infortunios, nebreinente su iportados. Devo-lhe o
affecto que se tributa qu dios com os quaes se
passa a mais bella pane da vida........
_t Alguma cousa ha que Ihe nao devo, que ella
nao me pede; porm, que a altivez do meu cora-
cao Ihe d de bom grado, viver no retiro, e nao
Ihe mostrar o espectculo des seus amigos servido-
res procurando as exaltaedes do poder, quando ella
se acha va as tristezas do exilio. Ha uma ullima
cousa que, torno o cu por ttstemunha, ella nao me
pediu, e nunca me pedir sarrilicar-lhe os in-
teresses do meu paiz. (Approvagao.)
c Declaro, pois, se nos outhorgam as liberdades
de que julgo o paiz lem seria preciso, acceilo-as,
e poderei ser contado no numero dos cidadaos
submissos, e reconhecidos do imperio. (Inter-
rupcao.)
Mas, senhores. se o no;so dever acceitar,
dever do governo dar o que necessaro satisfa-
c> dos volos legtimos do paiz. A linguagem, bem
o sei, nao deve ser de uma exigencia arrogante;
com respeito que eu solici:o, nao cousa" alguma
para num, sim para o meu paiz. NIo se olvide
todava : paiz apenas accord ido, este paiz to im-
petuoso ; e no qual a exager icao do desejo est to
perto do acordar, se hoje pe iniUe que se pega em
seu nome por theor difieren! > e respeitnso, um dia
talvez ha de exigir! (.Agitacao. Movimenlos
diversos. Suspende-se a sesso por um quarto de
hora.)
Por occasio da raposcao do barrete cardi-
nalicio, o Exm. arcebispo de tlouen pronuncou os
seguintes discursos:
A' S. M. o imperador.Senhor.V. M. nao pode
admirar-se da commocao qie neste momento me
admira. Eu nao poda consrvar-me insensivel s
demonstracoes de benevole cia, que ha 15 annos
nos haveis concedido, e Deus. teslemunha de que
tenho correspondido com sil cera dedicacao. Mas
hoje esta purpura de que este u revestido, esta emi
nenie dignidade que o sanio ladre se serviu confe-
rir-me, nao ser, da vossa p irte senhor, uma nova
prova de eslima que excece todas aquellas com
que V. M. me lem j honrado?
c Nao posso mostrar quano me sioto commovi-
do. Mas a satis facao que ten lio no coragao nao
completa, porque eu nao pode na desprender-me de
certas apprehensoes com a ic a dos novos deveres
que me esperan).
A vossa f calholica, sen lor. e a vossa dedica-
cao filial egreja, abriram f os cardeaes o senado
do imperio. A vossa elevara intelligencla, as
suas deas christaas, jamis s.-para os interesses
sociaes e polticos dos sentir entes religiosos, que
sao a base mais solida, e a mais segura garan-
ta. Quizestes pois que, nac,uella augusta assem-
bla em que tomam assento >s mais elevados re-
presentantes da hierarebia m litar e civil, a egreja
tivesse tambem os seus representantes, e appare-
cesse de algum modo person ticada as suas pri-
meiras dignidades.
E' esta, senhor, a origem das minhas preoecu-
pacoes. Quanto maior o nspeito e o amor pela
causa que se deve respeilar. quanto mais se treme
compromette-la. E houve jamis causas to gran-
diosas, to excellentes, e la i santas como as da
religio e da pama 1 Estes grandes interesses sa-
grados, em que se resumen i todos os outros, sao
aquelles a que ha muito teiepo tenho dedicado a
minha vida. Naocompreheuderia que se quzes-
sem desunir; e quando circuTistancias desgrana-
das, nascidas do choque das piixSes humanas, ten-
dera para as collocar em opposigo. o nosso dever,
como uma necessidade do nesso coraco, traba-
lhar com todas as torcas para as conciliar. E' isto
que durante o longo decur; o da minha carreira,
tenho constantemente tentado fazer.
t Creado, educado e formaib primeramente as
fileras da sociedade civil, e ti ndo por ella empre-
gado mutos annos da minha vida a esludar as suas
leis e a applica-las, pude apeciar as suas verda-
deras necessidades c as suas renerosas aspracoes,
assim como os seus erros e o.', seus perigos.
i Consagrado depois ao servico de Deus na
egreja, propagaco do seu evangelho, s regras
da juslica cbnstaa e da caridi.de das almas, exfor-
cando-me sempre por cumpri esta missao, nunca
reneguei a minha origem; e muilas vezes o bispo
se tem julgado feliz de tornar a encontrar, para o
governo dos homens e das consas ecclesasticas. as
recordaces do magisterio.
Resolvdo a viver e a mor er pela egreja, estou
lambem resolvido a viver e a morrer pela Franca,
por esta Ierra querida que ne deu o ser, qual.
depois de Deus, devo ludo, e i qual perlenco pelas
mi unas mais ternas e pelas m nhas mais profundas
affeices.
Mas nos vimos a Franca, ha 15 annos deba-
ter-se nos impulsos da anarchia, oovimos os seos
gritos de angustia, e tremamos vista do abysmo
em que a a precipitar a c 'gueira dos parldos,
quando Deus, senhor, vos susr iiou para a salvar. O
sufiragio de um povo intein acclamou V. M.;
eli'vando-vos ao poder; os poi tiices e a tribu san-
ia, assim como toda a classe de cidadaos. sauda-
ram em tos o eseolhido de Deus e da nacao, o
principe que depois abriu as portas da ctlade eter-
na ao vigario de Quisto, e que ali o defende ainda
contra os manejos parricidas de filhos ingratos e
rebeldes, o principe pela influ ncia do qual a Fran-
ca, depois detres seculos, conseguiu restabelecer os
seus concilios; o principe qut Ihe deu a tranquilli-
dade interna e a gloria no estrangeiro; o principe
finalmente que, quando o uni -erso se agita a vista
dos ros de sangue humano jue o innundam, aos
gritos dos opprimdos: aos n Idos p ameacas de
guerra, que se sentem por toi a a parte, tranquillo
e sereno, mesmo no meto das mais sinislras cons-
piracoes, offerece a paz ao me ndo pela proposta de
um congresso que deveria por termo s suas
direccoes.
Desle modo, senhor. quem nao reconhecer a
f. e a vossa missao providencial, assim como o
dever que todos temos de vis prestar o concurso
leal das nossas vonlades e da: nossas torcas ?
Outros poderio dizer riis do que nos, da
vossa infatigavel actividade pi lo bom da egreja,
do vasto golpe de vista da vi ssa intelligencia, da
vossa firmeza de carcter, d? vossa paciencia, e
deesa bondade d'alma que "os torna senstvel
afflifo domis humilde de vissos subditos, e que
vos faz encontrar a satisfago ;n> tudo quanto pode
secar uma lagrima, ou evitar um soflmenlo.
Mas o que poderiamos indicar melhor talvez
do que muios outros, essa qualidade to rara
nos homens que Deus elevou ao poder supremo,
esse amor da verdade. que a faz procurar por toda
a parte, quesoffre a contradiccao, e que. por nma
benevolencia notavel, anima, em vez da adulaco,
uma nova franqueza, abrindo o coracao.
Permitie Deus pois, senhor. conservar a vossa
vida por dilatados satos, para prosperidade da
Franca e para a sua gloria Qneira eus. qne ja
vos defendeu contra tantos alternados, cobrir-vos
sempre com a sua proteceo, e espalhar cada vez
vossi lima as fuaes e as torcas lio ne-
cessarias para invernar, seffnndo as snas leis. n
\ i-i i imperio que ros conltou | Pnssara as suas
preciosas heneaos ser tan; i das sobre vossa mages-
lade, sobre vossa angosta esposa e sobre o principe
imperial, esperanea das geraeoes futuras.
A' S. I. a Impcratriz. Sen hora.K paramim
muito agradavel inaugurar esta sagrada purpura
offerecendo as minhas honienagens mae do jo-
viii principe, que entre tantos ttulos gloriosos,
possue o de filho espiritual do pontfice, successor
do prncipe dos apostlos. Esla prorogativa, ga-
raniia insigne das heneaos que consagraran) a d\-
nasia imperial, sobresahe em V. M., e ajunta um
novo realce ao vosso deslino, to intimamente li-
gado aos destinos da Franca.
No meo das complcacoes da vossa poca,
agradavel contemplar a missao tito cheia de ser-
ndade e de gracas que a Providencia se dignou
conflar-vos. Eneetivamente, ou j>orque a tormen-
ta ruge em volta da santa s, e espalha a dr e a
afflieco em todos os coracSes catholicos, ou por-
que uma guerra fralrecida ensanguenta o novo
mundo, e lauca na mais triste indigencia os po-
vos dos nossos melhores paizes que assim priva
do trabalho, Vossa Magasiado pela energa da sua
f e pela sua compassiva caridade, tranquillisa os
espirilos, suavsa as angustias, e reanima todas as
esperaneas.
Assim, appareceram no throno da Franca, em
pocas mais remotas, militas llustres princezas,
cujos nobres exemplos temos a satisfaco de ver
reproduzir em vos. Conhece-se, como" no lempo
das Clotildes e das Brancas de Castella.que foi por
um designio predilecto pela Franca que Deus vos
deu a mo para vos elevar a este cargo supromo;
e isso que vos torna to cara a nossa patria, o
que faz com que por toda a parte seja aben^oada
a intelligenle piedosa e sympathiea campanheira
do imperador. Dou gracas por esta solemnidade
que roe permute, senhora, juntar este testemunho
a expressao respeilosa da minha dedicacao e da
minha lidelidade. >
S. M. o imperador dignou-se responder :
Vossa eminencia tem razao de dizer, que as
honras desle mundo sao pesados encargos, que a
Providencia nos impoe. Ella quiz, na sua justica,
augmentar os deveres na proporcao das dignida-
des ; por isso pergunlo a mim mesmo com fre-
quencia, se a boa fortuna nao tem tantas trbula-
es como a adversldade.
Mas, em qualquer dos casos, o nosso guia e
o nosso amparo a f : a f religiosa, e a f poli-
tica ; isto a confianca em Deus, e a consciencia
de uma missao a cumprir.
Essa missao foi por vos apreciada com o af-
j fecto, que sempre me haveis manifestado : e foi
' definida com a experiencia do magistrado e do sa-
| cerdote, que viu de perlo onde leva o abandono de
I todos os principios, de todas as creneas, de todos
! os preceitos. Por isso, vossa emioencia deve sor-
prehender-se, lano como eu, de ver, em tao curto
intervallo. homens apenas salvos do naufragio,
chamar anda em seu auxilio os ventos e as tem-
pestades. Deus protege mui visivelmente a Fran-
ca, para permiltir, qne o genio do mal venha ain-
da agita-la.
O circulo da nossa constituico foi largamen-
te tracado :-qoalquer homem honesto, n'ellepde
mover-se vontade, por isso que cada qual tem
faculdade de exprimir o seu pensamento, de fisca-
lisar os actos do governo. de tomar parte nos ne-
gocios pblicos. Hoje nao ha mais exclusoes; o
clero, como vos mesmo recordaes. tem nao s a
faculdade de oceupar-se das questdes religiosas,
mas ainda, os seus chefes mais eminentes, acham
o lugar legitimo na primeira corporajo do es-
tado.
pois com prazer, que verei a elevada dig-
nidade de eme fostes revestido dar-vos accesso ao
senado. Ali ostentareis, nao o duvdo, o espirito
de coociliacao, que pao separa a causa da religio
da causa da patria; o espirito de tolerancia, que
aUrahe e convence; esse amor do paiz emllm. que
lende sem cessar a reunir os que se acham dis-
tanciados pela divergencia deopimes.
c Agradeco a justica que fazeis aos sentmentos
religiosos da imperatriz. feliz o privilegio da
mulher permanecer alheia s razSes de estado, e
aos fros clculos da poltica, para se entregar in-
teiramenle s generosas nspiraces da alma ; e
para offerecer consolacoes ao infortunio, encoraja-
mentos a tudo o que nobre e sagrado.
t Meu lilho, protegido pelas bencos da egreja,
aprender cedo os seus deveres de christo, de
cidado e de principe ; e mais tarde continuar a
pagar a minha divida de affeico e reconhecimen-
to sua patria e.aos amigos do seu pae.
Da Gazeta dos Tribunaes extrahimos os por-
menores seguintes sobre os qualro Italianos presos
em Pars, por pretenderen) tentar contra a vida do
imperador:
t Annunciamos, diz esse jornal, que o processo
contra os Italianos, presos no domingo, como rus
de tentativa contra a vida do imperador, prosegua
com summa diligencia ; e que a nalureza e gravi-
dade das provas j reunidas faziam suppor que o
summario terminara em breve, podendo os rus
comparecer no tribunal de assises na primeira quin-
zena de fevereiro.
t Entendemos, nos primearos momentos, que
cumpria nao revelar os pormenores de que ti vemos
noticia; mas o adiantamento do processo habilta-
nos hoje a divulgar algumas particularidades, que
servirio para dirigir a opiniao sobre a verdadeira
ndole dos factos de que a juslica toma conhei imen-
to, e aos quaes s fallou um principio de execuco
para ensanguenlar Pars, como no infausto dia 14
de Janeiro.
Foi domingo, s qualro horas, que os quatro
rus foram capturados : sao os chamados Graneo,
Imperatore, Trabucce e Saglio, tambem denomina-
do Marphuli.
Apenas foram presos, tornou-se fcil reconhe-
cer, pela atlitude, pela violencia e pelo dominio
exercido sobre os companheiros. que Grecco era o
chefe. Quando os agentes o agarraran), tentou re-
correr torca para Ibes escapar; e quando se viu
inhibido de hitar, prororapeu em injurias e impre-
cacoes, nao tardando em declarar qual era o seu
projecto. onde o plano fra concertado, como e por
que meios esperava leva-lo a effeilo.
i J dissemos que se acharara em poder desses
homens oito bombas de ferro batido, cada uma com
dezeses espoletas, cheas de plvora, qualro revol-
vere de seis tiros, quatro punhaes, plvora, rasti-
Ihos, etc.
As declarares de Grecco. fetas sem hetacao,
com Incrivel audacia, e que em seguida foram con-
firmadas pelos cumplic.es, sao as seguintes:
t No decurso de selembro ou de outubro, Grecco
e os seus compatriotas foram chamados Lugano
por Mazzim, com o qual, havia tempo, o primeiro
M corresponda. Na reuniao dehberou-se que
Grecco e os cmplices se dirigiran! Paris. para
allenlar contra a vida do imperador. Mazzini en-
tregou-lhes quatro bombas, que recebera de Ingla-
terra ; e outras qualro feilas em Genova, assim
como os qualro revolvere e os punhaes.
Grecco accrescenta, que no momento da par-
tida, Mazzini entregou perlo de 4,000 francos, an-
nunciando que parta para Londres; alim de aguar-
dar ali o resultado da empreza ; e que, chegado a
Inglaterra, continuara a fornecer subsidios Ha
conjurados, daudo a morada para onde se Ihe devia
escrever quando fosse preciso dinheiro. A indica-
cao da morada pela lettra de Mazzini foi colinda
nos papis de Grecco. Mazzini eniregou mais ao
chefe da conspiracao as instruccoes, iracadas do
proprio puuho, onde se especficavam. alm da ci-
fra para a correspondencia, as phrases symbolicas
que deviam ser-lhesenderecadas na vespra do da
marcado para o attentado.' Mazzini junlou duas
photographias suas, embaixo das quaes escreveu
uma dedicatoria a Grecco e Imperatore.
As instruccoes e as duas photographias foram
apanhadas. As instruccoes iam cosidas na exlre-
midade inferior das calcas de Grecco, entre o torro
e o panno.
Parece que lambem se encontrou na carien a
de Greeco uma carta dirigida por Imperatore
Mazzini, em que o primeiro allegava sabsr que se
concerlava um alternado contra a vida do impera-
dor, e pedindo para ser um dos exeeutores. Grecco.
confessou que essa carta Ihe fra entregue em Lu-
gano por Mazzini.
Foi a io de dezembro, que os quatro Italianos
chegaram Pars. Haviam penetrado era Franca
pela fronleira suissa, com passaporles dados pela-
autofidades helvticas. Cada um Irazia duas btm-
bas nao carrejadas, occulias no falo. Dizem que
mudnram varias vezes de domicilio, para nao des-
pertar as suspeitas da polica, morando dous dous
em botis separados ; e reunndo-se durante o da,
psra dispor os meios de consummar o abominavel
alternado.
Assegura-se que Crecen, nao hesilou em indi-
car, quasi da por dia. os seus passos, e os dos
cmplices. Estudaram minuciosamente as aveni-
das da opera e de outros theairos, as Tnlheras. e
alguns su i ; ;i ,.Undo di-
zem, depois de arremecarem as bombas, deviam
precipttar-se asma los de revolvere e punhaes so-
bre o imperador. Grecco accrescentou, com es-
pftntoM sangue fro, que a pona dos punhaes rece-
hidos de Mazzini eslava envenenada. A exlremda-
de da loma aprsenla efiseMvamenle o nducto de
ana substancia, que a anarvse chymica nao larda-
ri. em descobrir.
Os conjurados, que havam continuado a cor-
res|iondencia com Mazzini, actualmente em Lon-
dres, tnham resolvido levar a effeilo o alternado
nos primeiros dias da semana passada; e foi no
sabbado que earregaram as bombas. Entreunto,
o dinheiro tinha acabado; os qualro mil trancos de
M laafmi ronsumram-se parte delles em orgias. Em
umsjaniar. os quatro assassinos despendern)
mus de 200 francos. Nao queriam estar sem re-
cursos, quando tnham de fugir de Paris depois do
alternado. Escreveram, pois, para l/jndres no sen-
tido indicado. Nao haviam ainda recebido respos-
ta, quando em vrlude da vigilancia activa de que
eiam alvo, foram presos no domingo.
Urna circunstancia, verificada hootcm, d a
prova da verdade dessas declaracoes.
Hontem com effeilo foi interceptada no correio
uma carta subscriptada a Grecco. A carta era de
Mazzini ; continua 500 francos. Grecco disse, que
era esse o dinheiro que esperavam; e que se vies-
se mais cedo, teriam immediatamenle procedido
execugao do atlentado.
E^ahelecemos que os cmplices de Grecco
confirmaram as revelaces do chefe. Saglio, que
apenas coma 29 anuos, o nico que mostra pro-
fundo arrependimenlo. Allega que nunca se re-
solvera a commetlersemelhante enme.
Imperatore e Trabucco sao dous garbaldinos.
e ambos teem a medalha de Marsala. Trabucco
com outro nome ja loi condemnado em Franja por
abuso de confianca, e em Londres pelo crime de
roubo.
Sao estes os princpaes pormenores que pode-
mps colligir sobre a conspirago affecta justica.
Nao carecem de commentario, para suscitar em to-
das as consciencias o horror e a indignacao.
Damos abaixo a continuaeao do relatorio apre-
se,)tado s cmaras brasileiras peto ministro da
fazenda :
O resgate de notas para cumprimento do contra-
to eom o banco do Brasil tem progredido, existindo
apenas em crculacao no fim de outubro ultimo :
5 olas de."MIS... 2:S0
23 20W... 5:0005
82 iOOJ... 8:K)0*
168 50*... 8:300*
24:000*
Lomlun and Biasilian Bank (Umted.flmAo-
se estabolecido esla associayo na corte com o ca-
pital de S 1.000,000 requereu a gerencia elvalo
S 1,500.000, o que Ihe toi permitlido pelo de-
creto n. 3159 de 8 de outubro do anno passado,
que baixou em virtud da imperial resolucao to-
nuda sobre consulta da seceo de fazenda do con-
sellw de estado, a cujo conhecimento foi submeili
do o requermento da referida associaeo era con-
formidade da lei de 22 de agosto e decreto de 19
de dezembro de 1860.
Outro requermento foi apresentado ao tbesouro
petos gerentes deste eslabelecimento, pedindo au-
lorisaco para fundarem caixas filaes as provin-
cias de Pernambuco. Baha, S. Paulo e Rio Gran-
de do Sul; e o governo, ouvindo a mesma seccao
do conselho de estado, promulgou os decretos ns.
3,102 e 3,148, aquelle com data de 28 de mato e
este de 3 de selembro do anno lindo, concedendo a
auUrisaQao requerida, com tanto que as caixas es-
tablecidas naquelles lugares se limilassem a fazer
as operaedes a que se acha va adslricta a caixa ma-
triz .
Consta offlcalmente no thesouro, pelos batneos
exi.'lentei, dos mezes de selembro e outubro lti-
mos, ter a caixa liiial de Pernambuco dado come-
co ;is suas operaces com o capital de 3f 100,000.
aRCO da Baha. Havendo a directora desle
estabelecimento proposto ao governo a reduccao de
6 por cento de sua emissao para o anno que tem
de correr de agosto ultimo igual data de 1864.
con'orme p disposto na lei de 22 de agosto de
1860. foi essa proposta approvada, e novo limite
se Ihe marcou por aviso de 21 de mato do anno
passado, na importancia de 2.427:9374000.
A directora fez chegar ao conhecimento do go-
verno, por intermedio do respectivo fiscal, em ju-
Iho do mesmo anno, a resolucao que lomara, em
virtade da faculdade conferida pelo artigo 1 da lei
ctala, de fazer a emissao addicionat de que trata
o mesmo artigo at ao valor do fundo metlico em
ouro, existente em caixa.
Examinando-se no thesouro esta materia visla
do balanco do mesmo banco pertencenie ao mez de
junho ultimo, conhece-se o seguinte :
1 Que o capital realisado deste
eslabelecimento de............ 4,000:0004000
2. Que deduzindo-se delle o va-
lor empregado em apolices da di-
vida publica, que L'aranlem a emis-
sao facultada, assim como o valor
das notas applcadas ao troco da
dita emissao e por ultimo o valor
dos bens movis, tudo na impor-
tancia de...................... 1,952:995*34;
Ser o mximo da emissao ad-
dicional de rs.................. 2,047:0045C5J
E como o banco por ora nao atlingio cifra men-
cionada, c nem mesmo somma que posue em
ouro amoedado no valor de 706:7104000, rnlesdeu
o ihesouro que, nestes termos, tem sido executado
o drelo n. 2,685 de 10 de novembro de 1860,
que deu regulamento ao artigo 1" da referida lei de
22 de agosto antecedente.
Banco de Pernambuco, em cinismo.A dreccito
do Novo Banco de Pernambuco declarou ao thesou-
ro, em seu ollico do 1 de abril do anno passado,
que se achava habilitada para realisar o pagamen-
to ou troco das notas do dito banco em moeda me-
tlica e effecti va mente j o eslava fazendo. Parti-
cipou lambem que, visla desta* cireumstanci,!-,
ia elevar sua emissao al 1.600:0004.
O S 4 da lei n. 1083 de 22 de agosto de 1860 e
o artigo 5 do decreto n. 2,685 de 10 de novembro
do mesmo anno permitiera, togo que os bancos
abrirem troco de suas notas por moeda metlica.
a substituido integral ou parcial do valor consti-
tutivo da garanta em ttulos, oor moeda de ouro,
e a elevae.o da emissao ao duplo da quantia que
assim tiver em caixa.
E como a directora prefira esle meo para cffec-
luar a emissao dos 400:0004000, que faltan) para
o computo autorisado petos estatutos (dous mil
contos), solicita ella a compleme alteracaonos di-
tos eslalulos. determinada no g nico arl. ? do
mencionado decreto n. 2,683.
A reforma, porm, nao deve limitar-se a esta
parte da sua emissao; a directora pretende que
ella atiranja lambem a sua totalidade, para que o
banco possa neste sentido ir fazendo as alleracoes
convenientes, a proporcao que augmente ou dimi-
nua a importancia dos referidos ttulos.
O enverno entendeu que, para deferir esta pre-
teneo. era necessaro ouvir a seceo de fazenda
do conselho de estado, visto ser uma reforma de
estatutos o que se pedia por parte do banco de Per-
nambuco.
A referida seccao aconselhou que se respondes-
se a directora peticionaria flear o governo inlei-
rado de que o Novo Banco de Pernambuco se
achava habilitado para pagar suas notas em ouro.
e que a respeito da altrnelo dos estatutos, por ella
solicitada, assembla geral dos respectivos arcic -
nistas compela inicia-la e remetl-la appiovacai.
do governo.
Nenhuma outra occtirrencia se deu a respeito
e-I j eslabelecimento.
fivnco do Uaranhao O capital deste banco con-
tina a ser de 750:0005000, faltando ainda para
complela-lo, a realisacao de 2.500 aeces, que nc
toram emittidas.
(Continuarse-bu.)
PERNAMBUCO.- ITP. uE M. F. F. 4 FILHO.


V


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3LOKVYMB_C8808M INGEST_TIME 2013-08-27T20:30:08Z PACKAGE AA00011611_10292
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES