Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10282


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ATO XL. HOMERO 26.
Por tres nezes suia litados 5$000
Por tres anes vencidos 6$O00
Porte oeorreip po* tres mczes. 750
DE

OARTA FEIRA 3 DE FEVERE1R0 DE 1864.
Por auno adiaotado.....19J00O
Porte ao correio por ura anao 3$00U

AMBUCO.
KNCARREGADOS DA SIBSCRIPCO NO >ORTE
Parahyba, c Sr. Amonio Alexandrino de Lima
Natal, o Sr. Aatonio Marques da Silva; Araran, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, 8 Sr. J. Jas'de
Cliveira: Maranhao o Rr. Joaquim Marques Ro-
driga**; Pirt, os Srs. Manoi-l Piuhciro C; A-
caazonas, o Sr. Jeronwno da Cosa.
ENCARREGADOS DA SFBSCRIPCAO NO gUL
Alagos, o Sr. Chudino Palcio Dias; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Airas; Rio de Janeiro, os Sis. Pe-
rora Marlins ti Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Oiin la, Can) Banda lodos o dias.
Iguara>su'. Soranna e Parahyba as segundas el
MUM-foiras. 7 La nova as .1 h., 49 m. e S6 s. da l.
Santi.ntao Gravata. BetOTOS, Bonito. Caruarn',U\ Quarto creso, as II h 5 m e 26 s da m
Alinho e Garanliuns nas torga* letras.
Pao il'Alho, Naaaretn, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,
Infiazein, Flores, Villa Bolla, Tacaram', Cabrean,
Boi Vista. Oiinrury e Exu' au miarlas (airas.
Serinhaem, Rio Potbmso, Tnmandnr, lTna, Barroi-
ro.s Agua Preta e Pimeuieiras nas quintas feiras.
Ilha in Fernando todas as rases que para ali sahir
na'io.
Todo; os estafetas partem ao '/ da.
EPHEMERIDES DO MEZ DE FKVKKEIRO.
22 La cheia as 2 h., 41 ni. e 8 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Pnmeira as II horas e i minutos da rnanhaa.
Segunda as ii horas e ti miamos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIHOS. '
Paraosul at Alagoas a 5 nSS; para o norte at
a Granja a 7 e 21 de cada mei; para Fernando ne*
dias 14 dos meses de jan. niarcinaio.jul. sel. enov
PARTIDA DOS OMXIHI'S.
Para o Reeife : de Apipncos ae O '/,, 7, 7 /,, 8 e
i/2 da m.; de Olinda s 8 da ni. e 6 da tarde ; de
Jahoato s 6 V2 da m.; do Caxaug e Varzea s 7
da ni.: de Bemncas8 dam.
Do Reeife : para o Apipncos s 3 l/, 4, 4 '/,, 4 yb
S, 5'/,, 5 >/ e 6 da lardo; para Olinda as 7 da
mantisa e 4 '/, da larde: para tahoatao as '? da tar-
de-, para Cachangi e Vanea as' v, da larde; para
I Henifica s 4 da tarde.
AI'MENCIA DOS TWBUNAJBS DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: lergas e sabbados s 10 horas.
Pazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara* do civel : tercas e sextas ao me
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
1. Segunda. S. Ignacio b. ni.; S. Brgida v.
2. Terca, cb A Purificaco de H. Senhora
::. Quarta. S. Tilob.; S. Braz b.
. Quinta. 5. Andr Corsino b. c.
5 Sexta. S. gueda v. ni.; S. Avilo b.
ii. Sabbado S. Dorotba r, m.: S. Yidasto b.
7. Domingo. (Entrudo.) S. Romualdo ab.
ASSIGNA-SE
no Reeife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa d.
Faria A Fimo.
PARTE 9FFIQAL.
GOVIHIO DA PROVINCIA.
Continuara dn eiaeiiirnte di ilia 27 de janeire
de 1SI.
ciio ao coramandante superior interino da
guarda nacional do municipio do Reeife.-Em vis-
ta do que consta do offlcio do Dr. chefe de polica
n. '.'ibis ile 19docorreule, junto pir copia, e mais
papis,, i que elle so refere, reconmendo V. S.
que estrauhe severamente ao lente cor mel cora-
mandanli do 4' batalhao de infamara dt guarda
nacional, Jos.' (Tanence Pires, o f; co de ter man-
dado por am ce,-co a casa do guanta Bernardo Ro-
drigues da Silva, no lia 17 deste mez, e lia ver
anda ultimameite, como me parcipou o mesm,,
Dr. chefe de padicia, em offlcio le.-U data sob
n. 123 tambem por copia ordenado que urna fon a
armada lizesse eflfocliva na freguezia do Poco da
Paneila a orisao de algrtns guarda do sou bata-
Ih'.o, a adrta-o de que tod is as v es que se tor-
nar indispensavel aquella providencia por faltas do
servido de ve requisita-la previamente a autoridade
complante, por isso qus nao Ihe cabe semelhante
atlribuicio, e menos anda armar qualquer torca
da guarda nacional sem ser dos casos, e do modo
expressamente determinada na lei.
Sirvas" V. S. de dar confine i ment aos demais
comalandantes de coraos da guarda nacional, sob
seu commando suportar, das recoramendacoes
comidas reste oIBcio, aQm de que sejam por ellos
igualmente obstnrada?.
-
Olficio ao Exm. presidente da provincia do Pian-
ny.Pas*j por "pia s mos de V. Etc., o offlcio
de It do crrente, em que o bacliarel Miguel Ar-
ch injo Monteir.i de Andrade, declara aceitar o
lugar de juiz de direilo da comarca deJaicos dessa
provincia, para o qual foi nomeado por decreto de
7 de outuliro ultimo, como Ihe foi communicado
lr oflScic da directora geral da secretaria de es-
tado dos negoetos da justica de l do mesmo
mez.Conmunicou-fe ao Dr. iu z de direito de
Ja icos.
Dito ao brigaileiro. commandanle das armas
Queira V. Exe. informar sobre o que pede no
inolaso rjqueriment, o ex-sentenciado militar
> irjjinio l'elipp.' Jery.
Dito ao mesmoOueira V. Exe. mandar apre-
sentar ao Dr. chefe de polica, no dia era que se-
guir para o sil o vapor 'iinimt. dnas pracasde
pret para oscoluir at Mace, o criminoso Vicente
terreira Ferro, que ra ser submettido a novo jul-
garnento.-Communicou-se ao Di. chefe de poli-
ca.
Dito ao inspector da tbesouraria de fazenda. -
Farticipando-me o jm'z de direito da comarca de Ga-
ranliuns em dat. de 21) de dezerabro prximo lindo,
qoe o bactiarel 'ranrisco Antonio Cesario de Aze-
vedo, assumio en O do mesmo nuz, o exercicio
do cargo de juiz municipal e de orphaos do termo
do mesmo nome : assim o coramur ico V. S. para
seu couhecimen o.
Dito ao mesmo.-Transmuto \'. S., para o lim
coaveniente, o incluso aviso de lettra, na importan-
cia de 40<>3000 sacada pela tbesotraria de nmdas
da provincia do Rio Grande do .Norte sobre essa,
e i favor do major Joao Ignacio de Loyolla Bar-
ros, ou a sua ordem. Communicou-se" ao Exm.
presidenb de Rio Grande do Norte.
Dito ao inspector da thesouraria provincial. -
Tomando em consideracao o que expiz o director
da reparticao das obras'publicas em sua informa-
cSo de 4 da ouunro do anuo proxno itassad i.
sob n. i!4, que se refere a de V. S. n. M) de 10
de novemliro ultimo, toado resolvido nao s redu-
zir s 70.J000 menaes o.ordenado que ora percebe
o ^ministrador da estrada do PAo d'Alho. Candi-
dr Emigdio Pereira Lbj, visto si-r este un'.nado
un pouco crescido para a classe des administrado-
res, segundo di/, o mesmo director, mas tambem
elevar mensalmente a HOfitMIO o do administrador
das obras desta cidade Manoel Pereira do tanto,
po- ser empregado mulo anligo e ter ,i seu cargo
rbano* mais importantes : o que communiro
V. S. para seu cinhecimento e devida execucao
na parlo que Ihe cempetir. Communicou-se 'ao
director das obras publicas.
Dito ao conimandane superior da guarda nacio-
nal do Becife. A vista de sua inforraacao n. 11
de i8dest> me:. autorso V. S. a mandar despeo-
sar do sarffen em qnant i estirar sxercendo o lu-
nar de inspector de quarleirao da freguezia da
Yarzea, o guarda do 1 batalhao de infamara des-
te municipio, Urbano Sabino de Paula Costa, como
solicitou o Dr. cliefe de polica em sfflrio de 21 do
crrente.Comnunicou-se ao Dr. chefe de poli-
ca.
i)lo ao mesmo.-Transmiti por copia a V. S.
para seu tonher ment, o oflieio que em 18 do
eorrente, me dirigi o Exm. tires dente da Para-
laba, dando solucjio a requisicao que se Ihe fez,
em vista do oflieio desse coiiimando superior, n.
to:t de 19de selembro ultimo, para mandar appre-
liender o ..rmamento e maisobjecus pertencentes
lazenda nacional, rom que scausentou o guarda
do 1 batalhao de anudara do municipio do Reei-
fe, Valeriano Francisco das Cbagas.
Circular aoscommandantes superiores da ?uards
nacional di Can, Rio-Formoso e PalmaresNiio
tendo esta presidencia ainda recibido os mappas,
por batalhdes, dj toda a forea activa e de reserva
, o armamento da guarda nacional exigidos por
circulares de 14 de agosto, 2 deoulubro 11 de no-
ve mbro e 14 de dezembro ltimos, para cumpri-
inent de aviso o ministerio da justica dr 22 de
jnnho do uno aasndo; cumpre que V. S. os re-
mella com toda a urgencia.
Offlcio ao director ds arsenal de guerra.Fica
approvado o contrato que V. S., como partici-
po'i-me em seu i ficio itcsta data n. 29, celebro
com Huir que Jos Vieira da Silva, para conduzir
no hiate S o atieres Jos liento dos Passos Lim, escrivao Jos
Antonio de Mora 's e caitos de escuadra Joao da
Silva Braga o Horacio Ja Rocha Silva destinados
ao moamopresMw. -Communicou-se ao inspector
da Ihesooraria de fazenda.
Dito ao comniandanle do corpo de polica.Re-
mello V. S. o processo do conselbo de julgamen-
to a que foi submettido o soldado di 1' companhia
do corpo, sob seu commando, Francisco Jos de
Sauta Atina alim de ser cuinpnla a sentenca nelle
proferida aela. junta de ultima instancia.
Dito ao consol ingk-z. Responda ao offlcio que,
em 18 do correrte, mi dirigi o Sr. George Sa-
muel L.'iiun Hu.it, cnsul de Inglaterra nesta pro-
vincia, remollen .lo-llie |ior copia as infoi macos
miaistradas pelo capilao do porto e o capataz da
cstai;o de Itamarac, relativamente as oceurren-
cLs que se dera n na oecasiao em que o mesmo
capataz es;eve a bordo la barca inglesa Adrim au-
frauda nos baixos do lugar dencminado -Mara
Farinlia. Renov ao mesmo Sr._ cmsul os meus
protestos le estima e coasideracSo
Dito ao vice-ci nsul d'Austria.Reccbi 3 offlcio
28 do eorrente, em iun o Sr. Eduard V. Wil-
1,-iti Jnior, vice-cousul d'Austria nesta provincia,
pariieipoumea deliberarlo que tomn de-enear-
regar o Sr. Jos iaporili "da gerencia do vico-consu-
lado durante a vigem que ral fazer a diversas pro-
vincias do imperio, lena* a dizer-llie em resposta
qu approvo prorsoriau ente semelhante delibera-
c5'i; licando porm o mesmo Sr. Saponti obngado
a tpresentar o imperial exequtur no prizo de :i
m zes contados desta dsdft.
Renov ao mesmo Sr. vice-consul os meu- pro-
te-tos de estima e considerado.Fzeram-se as
neeasmrias eotnmuoicacoes.
Dito a cmara municipal de Caruar.Declaro
1 cmara municipal da cidade de Caruar, em res-
posta o seu oflieio de 2o do crreme, que o pro-
Jecto ile regulamento de que trata o sen citado of-
lieio. ja foi submettido a eoH-eleraeao da as-ein-
bla Iry-lativ.i provincial em soa Mssao ordinaria
do auio paseado, como se coraaosMeou a mesma
cmara, em 27 de abril d'aquelle anno.
Dte ao director geral interino da instruccao pu-
blica.Conforme Vmc. solicilou, em seu offlcio de
30 de dezembro ultimo, sob n. 224, iransmitlo-lhe
para Mreni o coovenienle destino as colleccoes das
leis e elatorios da provincia da Parahiba relativos
aosannosde 1800 a 18b:i deixando de acompa-
nhar n presente remessa segundo me declarou o
Exm. presidente d'aquella provincia em offlcio de
21 do crreme, a colleecao das leis do anno pasta-
do, por nao se adiar anida impressa.
Dito ao mesmo.-Mande Vmc. por quanto antes
a concurso a radeira de instruccao elementar ul-
tiinam nte creada para o sexo li'mino na freguezia
j de S. los desta cidade.
Dit ao juiz municipal de Gabrob.-Ao sen offl-
cio de 27 de novembro ultimo, declarando ter
Bestm i Lopes de Araujo concorrido ao concurso
dos ouicios de partidor e contador desse termo,
respondo dizendo que ainda nao se reuroduzio aqu
o edil; I abnudo concurso aqueiles offlcios e ai de
partidor e deslribuidor, por nao lar Vmc. remettido
a respectiva copia como determirwu esu presiden-
cia eii data de 14 de agosto do anno passado : o
que fara com prestesa.
Ditt aos agentes da companhia brasileira de pa-
quetes a vapor. Infonnem Vracs. ouvindo oppor-
luuam me o commandanle do vapor Pinm, se
era prtca doexercilo e a que corpo ponencia o
mdivit uo de nome Jos Francisco da Silva que o
mesmo commandanle remetteu por doente para a
enfermara do arsenal de marinha, onde falleceu
em 20 do eorrente.
Diio ao commissario vaccinador provincial.Re-
meti ii Vmc. unta caixinha contendo tubos de
r~ funjan
Ditoao delegado do termodo Limoeiro.Respon-
do ao nao oflieio datado ile 12 do crreme, remel-
tendo-lde por copia a inforraacao de 28 deste tnez,
emquo o inspector da thesouraria de fazenda de-
clara o modo por que poder-se-ha fazer pela collec-
loria d .ssa villa o forneciinento de etape aos re-
crulas que se apurarem nessa comarca e aos de-
sertores que ah forera apprehenddos.
Portiria.O vico-presidenta da provincia tendo
em visa oquerequereuotereeiro escripturario da
tdesou-aria de fazenda Helioduro Fernandes da
Cruz, i bem assim a inforraacao ministrada pelo
respectivo inspector era offlcio de 21 do eorrente,
sob n. itt), resolte coocader-lhe 3 raezes de licenca
cora vt ncimentos na forma da lei para tratar de
sua saude fura da provincia
Dita O vicepresidente da provincia altonden-
do ao que requeren o juiz municipal e de orphaos
do termo da Esoada, bacharel Luiz Amonio Pires,
resoive conceder Ihe t meses de bronca com ven-
cimentos, na forma da lei para tratar do sua
sade.
DilaO vire-presidente da provincia attenden-
do ae i, ue requereu o bacharel Leocadio de An-
drade l'essoa resoive conceder-ltie mais o praso de
2 meze improrogaveis para apresentar a sua
carta d j juiz de direito da comarca de Cahrob.
Dito. -Us Srs. agentes da companhia Brasileira
de paq lotes a vapor mandem dar transporte por
conta do ministerio da guerra, no vapor que se
tapan do norte, para a Babia ao desertor do 10.*
batalhao de infamara Galdino dos Prazercs Correa
e para a corte ao voluntario (Sementino de Paula
Souza Malagueta, que se alistou com destino ao 1."
Iiatallio da mesma arma. Communieou-se ao
bngadeiro commandanle das armas.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
le paineles a vapor mandem dar transporte por,
conta do ministerio da guerra, para a capital do
Para m> vajior que se espera do sul, aos soldados!
Jo J. I atalbao re arlilharia a p Antonio Rayinun-
do da (iosta e Francisco Pereira da Silva.-Com-
ininicoii-se ao brigadeiro coniinandaiite das ar-
mas.
Dita. O vice-presidentc da provincia, tendo em
vista o que requeren o arrematante da obra da re-
'onstruccao da bomba de Mocambique na estrada j
de Pao d Alho, Vicente Ferreira da Coala Miranda, |
resoive de conformidade com a informa^o do d
redor (as obras publicas datada de 4 do eorrente,
B sob n 267, prorogar por don- metes 0 praso con-
cedido io mencionado arrematante para a conclu-
sao das obras do sea contrato, a contar do dia em
que se Indou aqnelle praso.
F\peilieutr do serrrtario do ynverno.
Ollicij ao brigadeiro eoinmandante dasarm-.
De ordem de S. Ese. o Sr. presidente da provincia
oiiiinii lino a V. Bkc. que nesla data autorismi-se o
liiectoi do arsenal de guerra a mandar salisfazer o
pedido^ de olijeclos para a escola elementar do 7.*
batalh) de eacadores, como V. Esc. solicitou em
seu olli :io n. 187 de 28 do eorrente.
ll.'-|iaclios du dia 29 de Janeiro de 1861.
/i'7i7-i;/leo<.
Bacharel Cypriano Fenelon Guedes Alcofora-
do. Informe de novo o Sr. ins|iector do arsenal
de marinha.
Joo Carlos Augusto da Silva.Informe o con-
selbo auiiiinislralivodo arsenal de guerra.
Dr. Leocadio de Andrado Pessoa. Passe porta-
ra concedendo mais o praso iiuprorogavel de 2
inezes.
Hachare! Luiz Antonio Pires. Passe portara
conced ndo a liceuca pedida com veuciiiieulo na
forma ia lei
Male nres Lener. Informe o Sr. inspector da
tbesourtria provincial.
Rita Maria da Conceico. Remetlido ao Sr.
inspeeler do arsenal de marinha. para mandar
idiiuttii o tildo da supplicanle em nina das com-
panliias do niesino arsenal mbO liouver inconve-
niente.
de 10 idem ; e da Fejlz Lembraaca
Oeeopon-ae depois com o parecer sobre as etei- Segurid ide
{Oes da provincia do Rk> Grande do Sul, na parte de 3 dem.
neio Zcflu te^ "'i'""" 'h"V r ''!" M,'"'N ~ ^l'ortaram-se, desde 9 do correte
niiuro Machado, licando a discussao adiada pal* hoje, oa valores segointes :
'Foi apresentado o seguinle projec.o de raap. U i N,aS d ROrerno
falla do tdrono
Porto e Lisboa
llivre.......
Bordaos......
Montevideo...
Pernambu n.
l:2W*4O0
88:!llKI5lH)i)
k:000J000
4i4:SOO*)O

-
10:000*10)
Total... .)TI5G42WI0 10:0005000
tafo.Mercado Irma. Em ser 35,000 sacras.
Achavam-se carga para Pernambuco : o
S'iih ir. -A cmara ilos deputadas congratula-
se com \ M Imperial, a rende fracasao Todo Po-
deroso pelos benefletoe que nos lom liberalisa
do nas prosperas collieUs de nossa lavoura, na
preservacao da sade publica e na inalteravel tran-
qmllidadu assegurada ao imperio pelo desenvolvi-
mento pratico das instituir-Oes nacionaes.
A cmara dos depulados sent haver sido o lugre portugus Jal,,,
governoiiniienal toreado a interromper a- HMsai francez Natrt lhv,u de
relacoes diplomticas com o goveroo da Graa-Bre- despachados
.tmni--i^ f"0,1 3 darn0S a 1satisf;li,>'! in- Chegou, pr,M.-edente de Pernambuco, 22, o
dunnisafao reclamadas por causa do conflicto cora pataedo Heberihe, com II dias de viagem
V!E"?c.rle' ,,"/""' ><>> '
A cmara dos depulados ouvio com intimo CambiosOs saques regularam sobre Londres
prazer e profundo respei.o que S. M. o re dos |73|8 f7 1,2; riSreSrteaSa^Tlole
5?^*,.?^-a,btt,aiPyto. f" submettida urna Hamburgo 30 a -> e sobre Lisboa e I-orto 98 a
da questoes desse conflicto, houve por bem julgar KM) 1% de premio
K5jglm^lg-jffty; ?s le's ^S^S1 ?* *- liamburi o Bmnaa tS sel., a S
o m?; a^'^^f'^a^for, nao houve 0l0;para o canal e porto inglez 40 a 43 sch. :
primeuitacao de olfensa, nem olfensa a marinha |.ara o Continente 43 sch e 5 0m; para Londres
untannica. 63 sch. 5 0(0 (piassava; e para New-York 3S
A cmara aprecia o testemunho de amizade e sch. e 3 0|q.
I, SS7 "o1'*enrr dade' **'"* a',a "m ""*
anno passado. Depois de pequea demora sepue
esse vaso para o Maranbao e Para, e 'ahi para a
Europa.
O vapor francez Qnientu trouxepara a nossa
praca '.it:7805540 rs. em moe la.
Tendo sahido errado quanto a designaefto da
os brigues AlminmU e na a noticia que demos sobre a exposlcao d'e oh-
Fbwoitret, estes uous ja jecios de rnarmore, declaramos ser ella a da Itufte-
niiriz n. o, onde o publico encontrar
.. de luxo como de ne
cessldade.
Ao amanbecer de domingo foi roulado o
aeougue da ra do Rauel n. 63, perlencente i
Virginio Florencio de Freila-, I \ ando os ladroes
mo de objectos tanto de luxo comoT '.Ugar PrC-edeU a ***
i Assim, pois. os vizinhos do dito com a publ-
eacao destas linhas esperam ou cessa^o de seme-
lhante abuso, nu a justa eorrecco do seu autor.
No dia :-0 do mez de Janeiro ultimo foi en-
contrado em os fundos do sitio do Sr. Joaquim Jos
de Amuritn, enforcado, o preto Faustino, escravo
do dito Aniorim.
O subdelegado do Poro ta Panella compareceu
lugar e procedeu a vistoria, com penlos, nao
tendo encontrado signaes de violencia ou contu-
-oes, a excepcao da que deixra a corda com a
qual se suicidira o dito escravo.
dessa mediacao, reconhece que, nao tendo havido
j ainda explcita aceiUcao da mesma ofterla pelo go-
, verno britannico, o de V. M. Irap.ral nao poda
j aceitar esse nobre e valioso concurso do soberano
de urna nacao irma.
Sao motivos de justo regosijo as boas relacoes
: entre o imperio e as de mais poteucias; e lamen-
tando a cmara a guerra civil que desgracamente
lavra na repblica oriental do Uruguay e o estre-
mecimento das relacoes de paz entre ella e a Con-
glez Wnlter Hume.
PERNAMBUCO
REVISTA MAMA.
T-Tinin iram-sa os actos festivos da solemnidade
religiosa do Nossa Senhora dos Remedios, em sua
i'colludos casa de delencao no dia 30
dafesta enosub-
fogo de artificio, rei-
nou completa tranquilddade no meio do concurso
inmenso do povo de todas as condicoes, que all se
achava, servindo islo de maior realce folganca
estado das rendas publicas do imptVr^'ViaMai!,"^"!? *,,,m,! se 2S"S """"* J,arie da
pelos mais severos principios de^em^entendida : 5 w-' -'^ W 2?222T,a coraPr,nendeu os
economa, procurar'equilibrar a receila com a ^%,eJLmJ^m cml,sad9 era actos do rtf'
despeza publica. i J aevoi ao.
A commissao encarregada dos festejos fez-se ef-
independencia daquell i primeira republi
ca, bem como os dreitos e os legitimas interesses
dos Brasileiros nos estados do Prata.
t A cmara dos depulados, comprehendendo a
Rehartii;\o da polica
un. rontoe cera mil ris em prata, que eslava den- itS^&l!*" doAi*s:tl de Janeiro e **
tro de urna mala na aleova da frente. Foran? recolliido.
Com essa quantia existia urna letra da importan- ao crrente
ca de 1805, aceita por Candido Alves de Lima, a a' ordem do suMeleasdo H ne*u* r..-,
qua foi abandonada pelo autor do roubo. que eve Ftr2 Sff!!g% &J 7
para >i sera duvida que apparecendo com ella, se- caes F 8 *UIB *"'
na desi-oberto alinal. A- ordem d ,,a Capunga Joanna M ^m
luiz, escravo de rreilas, o qual confessou a dele- r Da 31
ac'ordnfi", 'Zi^L^Tr ", ac?",tc,m'!nl10' ler f A' ordem do Dr. delegado da capital. Conrado
11 i.S,,,h JU!li pelo choque das Jos da Cunha. erioulo? sera declaraco do moti-
moedas de prala roubadas. e daver deixado de ir vo; e Lujz Dardo e 2oSda'1U* b0,C' Pr SU,,p,r qUU *,as> rsustoTuIcrmedeTrto 6
Essa" cornil Luiz, eo sobresalto de que se Manflef por** "^
o^rhrSrt.lra/i Tna* Wme?U. ;a,eIrro8a-!-' A' ^rtJuelIgadi'a0fpnint,r0d,S,r'et0 dtSaCJ" ra da Silva, por disturbios, e Agostinho Antonio
J&Jg??"E f-neconano a suspe.la-lo de de oiiveira, "d i sposico do coronel recru.ador
connivente no roubo e a manda-lo, em consequen- A- ordem do ,ia|fc.Vista, Severino, erioulo, a*>
^f J Casa dC d1len?ao- 'cravo ue ** J: Silva Ferreira Jnior, reqoeri-
Ilontera, no paco da cmara municipal e sob l0 desle.
iresidencia do Dr. miz de direito da Ia vara, Frei- a' r
trioticos desvellos de Vosa Magesade Imperial: tSS^SEVS&TlS&Si Pr cert0 1
Pat-o da cmara dos depulados, em fe de ja- ai^L M,fia* -1 prestar-se por modo
neiro de 1864. Martinho A. i Silva C /. S,UdHka ManHko.-A. C. Tacare* Bastos1: .***!**"> ft* Te-Deum fo. com grande
- Para comraandar interinamente o 1- distrie,-, Ll2f,5K^LT!2! S *m' a, 25 ,e
to naval, foi nomeado o chefe de d.visio Jesuino: u a .*_.*. conduz.da a residencia da
Lamego i:osta,omquanto durar o impedimento do
respectivo commandanle.
S. S. Pin IX condecoron, com a" commenda de .
Gregorio Magno, ao Sr. conselheiro Joao Lustosa
da Cunda Paranagu.
Pela repartirlo do ajudaute general foram
publicados os seguinles actos
nardos Ar Olivcirft ^ <|uu ah olForooan nm "<|)|en-
dido co|io d'agua a comitiva, a quera assim obse-
quiou com verda>leiro cavalleirismo.
No sabbado passado deu a sociedade drama-
I tica dos Alllctos Recreio e Untao Familiar a sua
representarn, levando scena o drama Amor e
Honra, o duelo O meirinhoe a iiobre, a scena comi-
bro de 1803 ao posto de aliena, Franisco Victo-'
rio de Meira Lima, a nao Manoel Victorino de
Meira Lima, como foi publicado no DisjrM oficial,
e sartn para a 1* sessao
judiciaria rea-ahindo sobre os Si s.:
Antonio Ferreira da Annunciaeao, Boa-Vista.
Angelo Custodio dos Santos, S.Jos.
Dr. Cypriano Fenelon Guedes Aleoforado, Boa-
Vista.
Joaquim Ribeiro de Aguiar Montarroyos, Muribeca.
Dr. Antonio Ferreira Marlins Ribeiro', Boa-Vista.
Dr. Laurenco Trigo de Loureiro, Boa-Vista.
Dr. Francisco Jos da Silva, Poco.
Dr. Candido Marlins de Almeida.
Joaquim Francisco Lavra, Boa-Vista.
Joaquim Antonio Carueiro, Santo Antonio.
Joaquim Pereira Vianna, Jaboalao.
Antonio Marlins Seabra Lemos, Santo Antonio.
Dr. Celso Tertuliano Fernandos Quintella, Boa-
Vista.
_ Manoel Colho Cintra, Boa-Vista,
nova juiza, a Kvma. es|osa do Sr. llenrique Ber-',,r- Cicero Odn Peregrino da Silva, Boa-Vista.
Manoel Antonio de Jess Jnior.
a presidencia ao ur. miz ae aireiio da 1* vara, rre- A- iem do do peres M ptrioa Manoe| maim
a.siienriques.ecom ;issistenc.a do promotor pu- do Nasciraento, e Joaquim Ferreira, par re-
blico, Dr. Gusraao Lobo, e pro-presidente Dr. An-
gelo da Silva, procedeu-se
crulas.
0 chefe da 2* seccao,
J. G. de desquita.
Moviraena) clnico do hospital portuguez no
tnez de Janeiro de 1804 :
Aos cuidados do Dr. Pitanga exisliara do mez de
dezembro___ 38 doentes
Entraram em
janeiro----- 22
Sahiram. .
Fallecern!...
Existein. .
00
26
5
29
53
.:, _.. : ..
o nas ordena do dia de ns. 382 e 383.
< NoroeaoSes.Do Sr. coronel de infamara Jos
Antonio da Fonseca Galvao, para commandanle su-
perior da guarda nacional da capital da provincia
de S. Paulo.Decreto de 14 de novemliro do anno
prximo passado, communicado em aviso do minis-
terio do justica de 5 do eorrente mez.
Do Sr. lente do corpo de eslado-maior de 1*
classe Capitulino Peregrino Severiano da Cuaba,
para licar a disposicao do ministerio da agricultu-
ra, commercio e obras publicas.Em 5 do carreu-
te raez.
Do Sr.^Marcos deOliveira Arruda Jnior, para
al
E
Variado como foi o espectculo, nao deixou de
correr bem o seu desempenho, pois ha all moros
2ue lem reconhecida aptidao para a scena, haven-
o-ic nella cora desembaraco e goste, como o Ike-
ram os que desenvolvern), os pnmeiros papis
principalmente.
o domingo ultimo a sociedade .1W/iok;/i;'
Pernainbncana procedendo a eleicao para a sua
nova directora, foram eleitos os senhores se-
guimos :
Director, A. Diiinonl.
Vice-director, Rodrigues Franca.
1 1" secretario, Machado Vianna.
2' dito, Peixoto Flbo.
1 Tdesoureiro, Frederico Gllv.
ii.uoio1) uua ovinos ttuma au ou-
Antonio Rutino de Andrade Luna, Reeife.
Caetano Quintino Galdardo, Roa-Vista.
Francisco Cavalcante de Souza Leo, Jaboatao.
Jos Gomes dos Santos Pereira Bastos.
Luiz Autonio Rodrigues de Almeida, Boa-Vista.
Francisco de Paula Reg Barros, Pogo.
Francisco da Silva Reg, S. Jos.
Manoel Cavalcauti de Albuquerque Lins, S. Lou-
rengo.
Manoel Cardn Ayres, Reeife.
Monoel Francisco "de Carvalho Paes de Andrade,
Vanea.
Dr. Hermillo Duperron, S. fos.
Dr. Gustavo Balduino de Moura Cmara, Boa-
Vista.
Agostinho Jos de Oliveira, Santo Antonio.
Domingos Jo> Rodrigues, Boa-Vista.
Manoel Joaquim Ferreira Estoves, S. fos.
Joaquim Frncisco do Albuquerque Santiago, Poco. Movimento da casa de'detencao
Joaquim dos Santos Neves Jnior, Santo Antonio. d), janejro igg4
Dr. Constantino Rodrigues dos Santos, Santo An
Jos Alfonso dos Santos Bastos, Santo Antonio.
Caetano Pinto de Veras, Santo Antonio.
Total..
Dos fallecidos foram dous de anemia, 1 de asci-
ta, um de pasito splinite.
1 de splinite, sendo que este enlrou moribundo a
durou 17 horas.
i .i.-.-.i^' ii ij uv .u^w. fu ni u. i m..*t,mt, OUuu
tdos portes do sul :Sophie e Josephine, irmasda
caridade, Joao i.'ostamogno Mac, Madeleine Tereze
e Joo Franciscj da Silva.
Seguem para a Europa :
AlexandreTopf, Jos Marlins da Silva. T. Dra-
gn. Manoel Xavier Paes Barreta Jnior, Alberto
.Nadiei-, Domingos Pereira.
Passageira da barca ingleza Isabella Rydle'j,
sabida para Liverpool: Fanny A. Cantn.
Passageiro do vapor nacional Apa sahido pa-
ra os portas do norte : A. F. Wilson, Barbara
i Comer, Streits Lamben, Manoel Jos Bastos, Ma-
i noel JoseTeixeira, Joao Juvenal B. Tinoco, Fran-
cisco Jos Marlins Botelho, Manoel Marques Ca-
i macho, Ernesto Augusto Paulo, D. Antonio Cas-
sall, Francisco Luiz M. Pereira, Luiz Antonio Pe-
reira de S, commendador Francisco Alves de
Sonza Carvalho e 1 escravo, 4 pracas.
lencao no dia 30 de
janeir
desta corte para
correte mez.
Dr. Joao F'rancisco de Almeida, da provincia
de Goyal para a Baha onde se acha. Em 12 do
eorrente mez.
Tranferencias.Dos Srs. captaes do corpo de
engenbeiros Jos Francisco de Castro Leal, profes-
sor de desenlio da escola central, e Francisco Xa-
vier Lopes de Araujo, adjunto da mesma escola,
para a aula de desenlio da escola militar.Decre-
to de 30 dezembro do anno lindo.
Captaes do corpo de artfices da corte, Jos
Carlos Cabral, para
bricada plvora
Existiam . 3VU presos.
Entraram. . 3
Sahiram . 1S
Existem. . 328
A saber :
Nacionaes. . 2. presos.
Estrangeiros. 30 .
Mulleres . 5 .
Estrangeiras. 1 ,
Escravos . 63 /
Esclavas . 6 /
i termos convenientes, faz ocommunicante da ttecis- dtstricto.
ta Diaria de boje. D|". Manoel da Costa Honorato, S. Jos.
Que a substituirlo das grades por (radas de '""1 de Sa Leito, Afcgados.
podra ou columnas d'e ferro, ligadas por correntes, <>r. Eduardo Augusto do Oliveira, Boa-Vista.
cansa que deve ser folla, j o pensaran), disse- Dr. Cicero Airares dos Santos, Boa-Visia.
rain e discut! am pessoas entendidas, que lem Foi pela presidencia res lvido, que a datar de
aventado nina tal idea at peranle e governo. Mas dontem em diante, os pa$$a para o transporte gra- rente
que isto posta ser conseguido, sem aquiescencia do tuilo dos passageiros, a que t >m direito o governo jen uaxa .
iiipreiteiro, queja fez a despeza da grade, por que ; em cada iretn da estrada de ierro, sejam someute Francisco, escravo de Autonio de Moura Rolin, sv-
assim o determina o seu cntratelo qual alias nao concedidos pelo secretario da mesma presidencia e philes.
pode ser alterado ao sabor do engenbeiro fiscal da assignados pelo respectivo secretario, ou por qtiem Movimentr. da casa de detenco do dia 31 de
suas vezes lizer em seu impedimento. Mas com Janeiro de 1864
328
Alimentados a custa dos cofres pblicos. 150
Movimento da enfermara no dia 31 do cor-
\r,ToZl,', T nrlo i ur. ao 'I'"' *" agora attender.
araacompanb,adeartil.e,>dali- Qlltsm itlj'emnisara o empreiteiro? Para que Ihe
ll?J55." A.Lt.UCab, .':: > impuzeram a obrigac) de colloear os laes arome-
tara
e e
DIARIO DE PERNAMBUCO
O vapor francez Gnienne, entrado domingo do
Rio e Baha, foi portador de jornaes do primeiroat
24, e d; segunda at 2 do eorrente.
Uto d* Janeiro. O senado occu|iou-se em sua
iode23corn a discnsso do requeriniento do
Sr. bariio de Muritiba (ledinloi'pia dos decretos
que ap -rutaram algiims membrns do supremo In-
bunal de justica e desembargadores da relacao da
Radia. Tomaram parte no dbale, pronuncindo-
le contra as aposentadorias os Srs. Carneiro de
Campas. I). Mano-d e barode Pirapama. O acto do
' governf'.fo .defendido ;pelo Sr. Cansansao de S-
nimb.
A dhsussao flcou adiada pela hora, licando com
a palaira os Srs. ministro da marinha (Dias Viei-
ra) e Nabuco.
A cmara dos depulados approvou nesse dia,
depois de oraren) os Srs. Lefio Velloso e Fernandes
ioreirz, a I", 2', 4" e 3" conclusOes do parecer so-
n as eleii;esda provincia ilo RioCrande do Nor-
e, bet i ionio a 3", menos na parte que diz respei-
:o s cleieoes de Goyanninb i, por ter sido appro-
vada um emcmda dn eonuntsaio annullando-as,
sendo legeUadM at*" o T*, assim como todas as ou-
tras.em 'iidas. Furam, portanto, declarados deputa-
dos'sSrs. JosJ- Moreira Qrandao Castello-ltrauco, e
Anaro Caiieijo.BezecraCavalcauti.
das materias praticas conrerneutes arma de ca
vallara, que ihe faltara para completar o curso do
corpo a que pertence.
i Aos Srs. alferes do 134 batalhao de nfantaria,
Itapliael Fernandes Lima, do 3" balaldao da mes-
ma arma, Joaquim Mariano de Siqueira, e do 2
regiment de cavallaria ligeira, Felippe Alves de
Macedo e Jos Antonio Rodrigues Tota, para virem
fazer exame na referida escola das materias prati-
cas que Ibes faltam para serem considerados com
o curso das armas a que pertencera.
Ilultia. Nada occorreu aps a sabida do vapor
brasileiro.
NOTICIAS COMMERCIAES E MARTIMAS.
lio de Janeiro 23 de Janeiro.
Ultima hora.
Cambio. Sommamos saques fechados at boje
(23) pelo paquete francez Cuienne :
Sobre I/mdres : t 430, a 27, 27 1|8 e 27 1|4 d.
Sobre Franca : 1.300,000 francos a 347, 348 e
340 rs.
Sobro Hamburgo : 60,000 m. b. a fii rs.
Sobre Lisboa o o Porto regalou a tabella se-
guinte :
103 a 104 0|0 vista.
102 a 103 0|o a 30 das.
101 a 102 O|o a 6)
IDO a 101 0|o a Apolices. Negociaram-se boje as geraes de t>
0|() ao par.
Desi'onios.Mercado fcil. Conservam-se nos
bancos a 0 0|q. Na praca regulara de 8 a 9 l|2
por cenia.
Arcoes.Annunciaram se os dividendos seguin-
les : da associaco bascara Maua Mac-Gregor &
C. de 43,5 rs. por cada cont de ris; da estrada
de ferro de I). Pedro II de 45810 por cala una
das 09,528 aceoes que realisaram a decima entra-
da at 31 de dezembro lindo, e de 4fi780 por cada
urna das 472 que deixaram de o fazer; da compa-
nhia de Commercio e Navegaran do Amazonas de
l por accao; da estrada de ferro de Peiropolis
de 65 dem; ta companhia de navegaco do Espi-
rito-Santo de 85 idem ; da companhia de Seguros
relacao ao transporte de tropa, contiuuarao os mes-
moa posen ar dados como at aqu, em vista de
guas passadas pela autoridade competente.
Foram expeditas ordens competentes para
seren postos em liberdade os remitas Manael Af-
fonso de Sania Rosa e Manoel Sebastian Bastos l.
|ne a ra do Imperador a que est desdar- ma, visto terem sido julgado neapazes do servico
nala paraseguir-se da Aurora; e, naturalmente, em inspeeeao de sade.
a-sim se resolveu, por se ter entendido que as ne-1 Ao juiz municipal do termo do Rio Formoso
cessidades do transito era uraa ra de tanta passa-' foi reeommendado que faca Jos Joaquim da Silva
gem, devem ser preferidas s impressdes dos qu^,' Brrelo entrar no exercico da serventa dos otli-
vindo ao nosso paiz, de animo proposto a critica, cios de partidor e contador daquelle termo, inde-
n i la acharan que os impressione favoravelmente. [MMidentemcnte do titulo que dever o mesmo aprc-
A saber
Exisi ara..... Entr iran---- 328 9 0 presos i
Existem..... 337
Nacionaes..... Estrangeiros.. Mulheres..... Estrangeiras.. F.serivos...... Escriva;...... 220 31 S 1 65 i
Para os que vierem animados de bons sentimen
tos, nao precisamos do clcame ni > da Lingueta,
para que de mis tormera bom juizo.
t Alm de que, os charcos e a lama que de in- da Rocha, obteve um mez
verno se arcumulam na ra do Itn|ieradnr, can- memos.
sentar dentro do praso de 3 mczes.
Para curar de sua sade, o juiz de direito da :
comarca de Goianna bacliarel Francisco Goncalves
de licenca com venc-
san muito peior impressiio do que o desembarque
da Lingueta.
< E, pois. para sentir que a lembranea do
comprovinciano, que, por modestia, qualinca-se do
obscuro, nao deve ser aceita, o que entretanto nao
Ihe causara zanga.
Pessoa de consideraran remette-nos a segu n-
te noticia, sob o titulo de Unta ceijueira policial:
Hoje se exiralr a 4* parte da 1' lotera da
matriz de S. Jos.
Acaba de ser approvado pela presidencia
um plano para as partes extraordinarias das lote-
ras, superior ao antecedente tanto no capital, como
nos valores e quantidades de seus premios-, o
qual consta de 3,000 billietes a 10-5. leudo 800
premios, sendo I de 10:0005. 1 de 3:0005. 2 de
de 1005. 12 de 405, 20 de
337
Alimentados custa dos cofres pblicos.. 148
Movimento da enfermara no dia 1* de fe-
vereiro:
Tiveram baixa :
Antonio Francisco da Silva, nevralgia.
Francisco Jos de Sam'Anua, pleurodinia.
Tiveram alia :
Jos Francisco Borges.
Jos Gomes Damasceno.
Assim como dse amos o imprmenlo los re- 3003. 4 de 2005. 7 de 1005. 12 de 40*, 29 de BM POUCO DE TDM.
gulamenlos policiaes, assim tambem nao seremos 204 e 744 de 105- A Cr*z publica o que segu, sobo titule de Al-
inilitferenles aos relames, que os ageates polieiaes A* cmara municipal procede, no da 6 do guns raafH da xtda de J'iu J.\ :
possam fazer ao socego e a liberdade do cidadao. eorrente, apurarn geral dos votos, para um se- : cjjm im iudei'.
. Em 31 de Janeiro linda, pelas 8 horas da noite, Dador, na casa de sua sede, ra Nova. Lm da passando o santo padre a algn uas-
paasara um carro de aluguel pela praca da Roa- O agente Pestaa faz boje leilo de 120 ca- tanda do quarteirao de Ghetto, y.o um desgrana-
Vista em direccio a ra do Arago, conduzindo xas com uiaeaas na travessa da Madre Dos do vellio esteudido, quasi sem vida, na calcada,
duas pessoas. que lindara pressa de edegar ao seu n. 5. D^ce da carruagem a vai se approxunando ;
destino. Fez-se sigoal ao boleeiro para parar, e ao Pdem-nos a seguinle publicado : E" um judeu, dizia o povo ; e nmguem Ihe
mesmo I.....po corren um pedestre alraz do carro Si: redactor. -Como Vmc. com as publicarles prestava soccorro. ... ..
repetindo o signal at que o carro parou. Appa- de sua interessante Revhta tenha feito desappare-1 Que estai: dizendo Ttxclamou o papa diri-
rei-eu entao um individuo de sobrecasaco e bonet cer abusos bem inveterados em todos os lugares.! gindo-se aos assistenies. >aa 6 um de no&sos serac-
agaloado com um lapis e papel ni mao, a pergun- em que ella lida, vendo agora rogar-lhe queira Ibantes que soflre ? cumpre soccorre-la
tou : Be qiiem i este r t E" de aluguel, respon- chamar a atteacao, de quem competir, sobre o que
deu o boeeiro Que numero le f E dirigio-se
para um e outro lado do carro. Nessa occasio
pergnntaram os passageiros por que motivo os fa
tiaflt ih'h-r, e entao se Ibes diz que era por que as
lanternas uo vinham accesas. Ecomo existissem
E Icvaotando-o elle mesmo, ajudado dos pre-
lados que o acompanhavam, fe-lo por na sege,
Individuo quocons- lovou-o para casa, e s o deixou depois que elle
passo a expor.
t Ha na ra Imperial um
tantamente- nas vesperas de domingos e dias santi- voltou a si
tirados, rene em sua casa porco de pessoas, quo j
de folgaiuja em folganca e de,ois de atestadas da Algumas seman
U'IM.
bem acosas as duas grandes lanternas, era bem patricia, tomam passe. das calcadas, n3o s da pro-1 soldado que se acbv^
natural que se uerguntasse a esse agoote policial! pria habtai;ao eomo da dos vizinhos, e d'ahi in- Pi IX no momentlr"* 4l"i
so nref isava de brutos, por que na vrdade quem i coramodam, sera respeito a moral publica, aos que apresentou-lhe urna i acao de pa
. ........iir _______ .. ..!._ ... ^ :nnF....... Culi. n..li> nlltli A V.Silu
sta aventura, um
ola do coche de
ae elle se apeiava
nao'encherga duas lanternas accesas em um car- ] por all passam alta noite, cun palavras inconve-
ro deve estar ou com. peneira nos olhos. ou cor ( nientes e oftw-ivas do decoro das familias ho-
;i t-ira na rabera I E"o que j naais engrifado qu.o' nesla-.
bomdjv homom.vendse desapont'ado. m5ftdbu.l Alm .listo, em ea- do referida individua, em
de pao.
Sanio pad-e, olhai* e vede, Ihe diz olle, ei o
que nos dao no quartel.
O pao era de mi qualidade.
o gempre yus. d;V>assim pergnntoq Pi IX.


Islario de Pernambnco .. gtiauu letra de Feveidio de 184.

__ sempie, teni l"riia do P*u, marido multo legitimo
Bem, ilion lilao, replieou o papa, :oi.i ar I muito amavel polaca,
ramos mineoiitinnenlc dar prvi-
do urna, Appellante, Antonio Callos Pereira de Burgos
lT,
eonnaderido i
dencias.
No dia seguinle era severamente punido o pa-
da a amtcao.
/. cediente manetra de nrr*njm-um runflo.
I 11 habitante de Monti, qtiarleirf.o visinho do
Qnirinal onde habUava o papa, acahavad. perder
um (avallo que Ihe servil para transportar suas
prov siles ao nwrcailo.
E porque, disse elle para si. ja que lio be- ihalcrs ; a (".recia de I a 2 milhSes
neiw 0 novo papa, nao irei eu pedir um o* ea-' Nao se contam os pequeos esta*
vallos de redigo de Ma estribara para si bstituir nha. que peden alguns pequeos i
meu 1
Dito feitn. Chejando a palacio enroitrou o
nosso hoim-in ao peda escada o secretark de sua
santidade, (pie requi rmenlo.
O p;i|>a aclnu a idea eKcellento e mand ni dar
um eavaite a este pobre homem coni dua:. pecas
de ouro para arranjar seas negnos.
t Era de ver, aju na o autor d'onde
esta i nc docta, era do ver a alegra
l'm jornal recapitula assun os omprestmos ac-
iiialmenie abertos na Borona, nao eomprenendon-
do o empreslimo de 300 nUlioes qae pede o go-
vrrno franeez :
A dieta germnica pede 17 mitades de florins;
a Russ a SO milhes de rublos ; a Austria 100 mi-
lhes de florins; a Huspanha :t(K) mitades de rea-
les a Italia 200 milhoes de franeos; a Sneeia 33
milhoes de nxdalcrs ; a Dinamarca 10 mitades de
2 milhoes de tbaler-.
stados da Allema-
mpresiimos pa-
ra a execugo federal pois ja o general Ludwig
pediu as cmaras de Bade i mitades e .'100 florins.
o mnimo dos emprestimos portanlo de mais de
mil eMO milhdes.

Deu-se en Anvers un rarissimo pbenomeno.
Guita a bubpendencia Delga, nm ama gata Uve-
Manoel Jos Goedes Hagataaes, Manoel Pereira Le*
appellado, Antonio n> Siquoira Cavalcanti. nv Mathldes Joaquina Franca Salguciro, Paul i
Appetlautes, Carlos JoseAsey & C; appdlada, Baptista da Silva, Thom Rodrigos da Cunda,
a fa/.enda nacional. Torqnato Jos dos Santos, Tdereza Hara de Jess,
Appellante. Domingos Jos Pinto ; appellado. Vicente load de Brito, e levantou-se KSaia
Joaqnim Jos Vieira e outros. Eu, Francisco Canuto da lloa-Viagem, secretario
Appcllante, Antonio Vieua de .Medeiros ; appel- a escrevi.- Barros liego, |>resdente.llego e Al-
iada, D. llosa Hara de Alhiiquerque. buquerque, Hcnriques da Silva.Gameiro.Reg.
A|i|icllante,Kii7.ebioPinto; appellado, Elias Emi-
liano Ramos.
O pr. (.esembargador^^na R<;^ .y ^^ ^
Appellante, Dr. Joaqnim Antonio Carneiro da Cu- em I de Janeiro de I H I.
nba Miranda; appellado, Francisco Accioli de Con- Domingos AITonso Ner\ Fe reir.
dotecto; bastavaser .'lie pratlrad.....n um dos inluli ftlll) m ,w ^^ f,,.
gemios da familia hojeprwiltgtaaa. Correram os pem)a
lempos ; eis se nao quawlo sao os mandatarios -
cliamados a julgamento : interrogados estes, diz-se
que li/.eram algumas revelacoes que milito com-
promettem o Sr. Dr. Victoriano de S e Albuquer-
que, irmao e geliro do Sr. Joao de S.
U juiz de direilo, qoerendo entrar liem no co-
nheriniento do faci, adiou o julgamento dos reos,
ra quairo lillios. cuja eonfiirinaeao pelo menos
ntrahimos original, pois tecm tanto de gato como de cao.
desie lomem. I ni lem cabeca rabo de cao com corpo de ga-
Monb do em seu oco cavallo. pie achata sober- to. e os [res sin. inicuamente o contrario.
irteirao dos Nonti, com as ditas Ttnlos quairo vivem, diz o rilado jornal.
veia l.ins.
Appellante, Jos Francisco de Sooza Lima ap-
pellada. Hara Francisca Olimpia Baptista.
Appellante, Venancio Nogneira de Sooza ; a|i-
peHada, D. Caetana ognelra di Sooza;
A uafata i ivei.
Kecorrente, Jos Fernandes Cuimaraes : recor-
ridos. Jos Rodrigues Concalvcs Valle c olllros.
As II'; cnceiTou-se a se
Viva
bo, ga I hipara no qo H
ntoedas na mao e g Pi I.V 1
a .:iu z M o lio.
K usoem Roma irazerem as donzcllas no pesco-
iioumi cruz deouri. joia qiierida.de que nnirueni
e separa senao na uliimo extremidad*, E a esta
sii animal
M-iii duvida
Pelo recio de qne a n os mate Ibram-lhe U-
ndososseos gatinhos de orden ItenposUa, ana
quaes Be da o leite que os alimenta en manadei-
ras.
Os animaesinlios tecm um anpoiite devorador.
l'm sallimbanco enlendeu-se jcom os propre-
risle collisaoseacbavareduzdaumajovcnromana, tarios le les paraos levar pelas teiras.
,jnc para comprar pao para a velba anH tirhasido Se o faeto e verdadejro, juntar n nm
((brigada a vender sua cruz de ouro.
Mamai, diz ella entrando em cas, truiquil- um dos caprichos mais divertidos da natureza.
,isa-te. aiiui esla |ri,) para alguns da-, e dizem **
que vamos ter muila obra ; Pi IX ja den suas Diz una caria de lunn de i dezembro :
providencias. Nao leras mais fome ; eoot.ola.le, Honten 13, em eonse<|iieacia de nns ariigos
Wo Senhor nao nos abandonar, e Pi l.\ vela publicados no jornal o BirtUo, sobre a adnunisira-
pyr n,-,s cao militar, leve lugar um duelo na ponte de btu-
Algumas horas depois Pi IX eslava sciente de puiigi, entre Mr. Sevenim direclor do Dtieito e o
ludo a na Urde do dia em que linha a doozella generr.l Peltincngo. O primeiro fui fondo na cabe-
reilo'i sle bello acto de piedade lilial e mustradu ca com um golpe de espada, pon-m felizmente, a
urna lao sincera conauca em Pi IX, recebeuella fonda nao de gravidade.
do (Juirinal uuia carta onde vinha. inclusa
Dr. Deudoro L'lpiano Oiellio Catanho.
Dr. Demusthcues da Silveira Lobo.
D.....ingos dos Passos Miranda.
Domingos Antunes Villaca.
Decio de Aquino Fonseca".
Domingos <\.< MevesTeiieiraBastos.
Domiogos da Silva Cuimaraes.
Demetrio deGnsmio Coelbo.
Domingos Alves Malbeus.
Domingos Jet liodrigues.
Elias FranciMO Mindello.
Dr. Estevao Cavalcanli de Albuquerque.
Emilio Xavier Sonreir de Mello.
Dr. Eduardo Augusto de Oliveira.
Dr. Eduardo de Barros Cavakanti de Lacerda.
carta onde vinha. inclusa sua
juerida cruz coui cinco moeda de ouro. ,l,virico pelos I venienies ordens, de conformidade com o diapesto Dr. Francisco Lucas de S
licacoes, e ||tis _arts. .'8 e 7 da le de 19 de agosto de 18V. Francisco Antonio Xaviei
CAM1BV IMCIPAL.
SESSO EXTRAORDINARIA AOS 11 DEDI/.KM-
BROQE W63.
Prrst'ieiHta //(- Sr. Burros Hei/o. Ksievao Jos; Paes liarreto.
Prsenles os Srs. Ilenriques da Silva, Gustavo Francisco Ferreira Rorges.
do llego. Seve, Karata de Abneida e Cameiro, abre- Francisco Mamede de Almeida.
se a sesao, e loi lida e approvada a acta da ante- Dr. Kelippe Xerv Collaco.
codean). Dr. Francisco Teixeua de S.
Lu-seo seguinte Fortunato da Silva Heves,
* EXPEDIENTE : Francisco Joaquitn Pereira Lobo,
l'm ofliciodo Exiu. presidente da provincia, con- Francisco Geraldo Moreira Temporal,
vidando a cmara para assisiir ao cortejo, que no Francisco Antonio de Brito.
palacio da presidencia se tein de facer a etligio de Francisco Jos Cyrillo Leal.
S. H. o Imperador, as 12 horas da manbaa do dia Francisco Jos Martins Peana.
i de deaembro prximo ricaaouro, anniveraarlo na- Firmino Jos de Oliveira.
lalieio do mesnio augusto senhor. Inteirada. Feliz Francisco de Souza Magalbies.
Oulro do mesmo, dizendo que leudo de reunir- Dr. Francisco de Paula Santos Alleluia.
se no dia 6 de dezembro corrente. na igreja ma- Francisco da Costa Itibeiro.
Irz de Santo Anlonio, os eleilores das (reguezias Florencio Domingliesda Silva.
| do municipio, para a eleicao de um senador, re- Francisco llorges i.eal.
comineada i cmara, qne para esas lim d as con- Francisco Lucio de Castro.
Souza Raugel.
ier Pereira de Brito
l.i'-se no JhiiiuI to bun
la continua estas linbas : s los metallicos do telegraplio ele,
. Minha chara 01 ha, bem fizeste esperar do em quaes n faz a transmissao de commuuicacoes
Dtus esperando en Pki IX elW velara para que quo sao sopportados
vossa mili e vos nao nwrrais de fome. ^S^XT^t^^VJS^- ^Too^SdaTHl^lo^ petir-ihe nx-eber do cofre municipal a quantia .1. Francisco da Silva Reg,
to a aria r. appar..cm ritom n i. fc jUmatant a ^^ fc exI(insio 6 W&to, nportaMM decusias i que fora o mesmo Flix Paes da Silva Perei
su|ipoi lados por postes, tem urna dimen-1 Inteirada, porque assim ja as cumprio.
Oulro do Dr. juiz de direiio da segunda vara cri-
o mi minal, Manoel Jos da Silva Neiva, di/.endo com-
Francisco Amonio das Cbigas.
Francisco Serfico de Assis Carvalho.
Francisco Ignacio de Medeiros.
lemente, e cada vez deixava
tua app; rieao os
venerauuo ponlilici.
como
Iciiibr.nca de W kilmetros e me
ira.
si reorros d oda de "nosso! Assim a ihjso de um lio conductor de Cherhurgo obrigado, segundo consta do documento que re- Francisco Canuto da Boa-Viagcm.
distancia, metlia, rogava a cmara que dsse suas ordens, Frederico Auguslo d>
I a Valogeves, que silo MI kilmetros de distancia, uieltia. rogava a cmara que dsse suas rneos, Krederieo Auguslo de Lemos.
de perto do ."i toneladas ou :,000 kilogranimas. para que Ihe fosse salisfeila a referida quantia. Dr. Francisco de Paula Baptista.
Ci BirJutiond Ej-aiiuer de 11 de noveinbro de' E como ha :> Ros entre eslasduascidades. o peso'Que se passasse mandado. 11 aneisco de Lemos Duarte.
iftiil miim relativamente ao Iwnilnrde; ment: dos lios do tclegrapho de Ch-rburgr a Valognes I na carta de participaran, em que o Dr. juiz de Firmino Herculano Baptista Ribeiro.
^tomnlaLdl^det? laaosto aTSmh consequentemete de H a 16,000 k,logrammas. direito da primeira vara. Joao Antonio de Araujo I Dr. Francisco Pinto Pessoa.
Z^wS^^T^L^Ir m calculara lao enorme peso, vendo os lios Freitas Ilenriques, comn.unica acamara l>averj.b- Fclisberto Ignacio de Oliv.-ira.
O numero de pr< jeclis lancados pelos federaos neUHteo esiemlidos no ar,
,5leva-ie a i."i,000 a destes s :i,000 com resul- postes.
lado.
As oerdas da guirnifao nao passam de 37 mor-
1 )S e M ferhlos.
A I aadeira confederada fui derribada 3t ve-
zas eoutnts lautas arvorada de novo.
Sendo termo medio de 00 libras o peso de ca-
da nrojectil, emprecarao>se :t milboes de libra?
de ferro ou 113,000 libras por cada homem morlo,
e :iO,UO0 por cada ferido.
Adwiitindo que por termo medio fosse a carga
de l'-i libras de plvora, da um consumo total de
iU3,000 libras de plvora, ou 8,600 ir cada bo
inem morto, e SyiOe- por cadsi ferido.
O Sr A. M. C peda-uos a seguinte publkaco :
J d rrepnscuto,
O sol se encerra,
Occul'a a trra
A sua formusura .
E taosnave
O vento agona,
Gentil batonga
A verde rama,
A noite linda,
L.i surge a la,
A l'.iiar sta
Mostm gentil ;
Salve, nhrainha,
Toda iWimores,
Sorrii do as llores,
o ce. de ail.
1A cania triste
Da uoiie a ave ;
Cjjne suave
Suiuillam asiros
ludo saudoso
Xesta expessura.
CU KII MCI .UIlICKItU
TliliI \ I. DA ItKI.AV *
SK-SAO EH 1 DE FF.VEHEIHO DE I86i.
riIKSIDKNCIA lio RXM. Sil. CoNSKI.IIRIBO
Sll.VKIIH.
As lo horas da manhaa, presentes os senhores
no cimo dos seus solvido Jos Ignacio de Lira, da mulla de .100^, Francisco Antonio Pontuai Jnior,
lem (jue linha sido condemnado por faltar a sessao' Dr. Francisco Congalves de Moraes.
do jury encerrada em ti de junho ultimo, visto le Francelino Augusto de Hollanda Chacn.
0 mesmo Lira provado motivo justoAo procu- Faustino Jos dos Santos,
rador. Feliciano Joaqnim dos Santos.
Outro oRleio do juiz de orphos Dr. Ernesto de Francisco de Barros Falco de Albuquerque Mara-
Aqiimo Fonceea, communicando ier em 3 do cor- nhiio Lcenla,
rente, deixado temporariamente o exercicio domes- Francisco Augusto de Oliveira Barros,
mo lugar, pausando ao respectivo supplente Dr. Francisco Joaqnim Tavares de Mello.
Jorge Dornellas libeiro Pessoa.Inteirada. Felippe Antonio Teixeira de Albuquerque.
Outro do juiz municipal da segunda vara, Fran- Francisco Antonio Teixeira de Albuquerque.
entregues
deram-se os seguinles
Jl'LGAMENTOS.
DIl.HiF.M.HS r.llIMFS.
communicando nao Ier entrad > no dia 5 do corren- Dr. Francisco de Carvalho Soares Brandao.
te no exercicio de juiz de orphos do termo desta j Francisco Augusto de Araujo.
cidade, por motivo de molestia, tendo-o passado ao Francisco de Oliveira Mello e Silva. ;
Cordeiro Coelho Dr. Francisco Gomes Velloso de Albuquerue Lins.
Dr. Francisco Leonardo de Souza Miranda tonto.
uuuo uo juiz ue paz, presiucnie da mesa paro-, Dr. Francisco de Paula Cavalcanti de Albuquerque.
Appellante, oluizo ; appellado, Armindo Jos da dual da freguezia dos Afogados Dr. Jos Roberto Dr. Francelino Bernardo Quinteiro.
cj|v, rr de Moraes e Silva, communicando ter fallecido o j francisco Antonio da Silva Cavalcanti.
Appcllante o jnizo appellado Francisco A- e|eitor daquella freguezia, Francisco Manoel dos Francisco Accioli de Gouveia Lins.
Ionio Lins Passos Coelho, e embarcado |iara a coi te do impe- Francisco Jos da Silva.
Apellante. Senhorinba Maria da Conceigao :' ri p|eitor Jos Velloso Soares, como se v dos do-; Francisco de Paula Reg Barros.
viMim.M,iA>' t,rt.fvr..-,
Com vista ao Sr. desembarga** promotor da >'. suplente tocharel Joaquun Ce
j|1Mi(.a p Cintra. Inteirada.
.4* mmH9m erimm 0"r .do iuiz de .PV pwriienle
appellada, a justica.
Appellante
justiga.
Appellante, Manoel Antonio de Moraes ;
lada, a jusiica.
..ppellantu, o escravo Joaquim : appellada, a
justica.
cnenlos que junta, pede a cantara houvesse de j Francisco Amonio Pontual.
s Manoel (ornes Ocleto : appellada. a mandar expedir diplomas aos dous prinieiras sup-1 Francisco de Paula Correia de Araujo.
penles, para com elles se apresenlaiem PJ colle-, Francisco Xavier Carneiro Lins.
i, Manoel Antonio de Moraes ; appel- l1'0 eleiloral no dia G do correute. Inleira4a, por | Dr. Francisco Cordeiro da Rocha Camr

npello.
se ter satisfelto. Firmino dos Santos Vieira.
Outro do juiz de paz supplente do Io disiii.lo da Dr. Francisco Joao Carneiro da Cunba.
freguezia do Iteeife, inaj.r Alevandre Augusto de Dr. Francisco do liego Barros de Larerda.
visto como em suas revelacoes se referanla pes-
soas que, oslando ausentes, nao podiam do proinp-
to sor acariadaa.
i Este acto do jais, eorroborado pela referidas
revelages, tem suscitado graves suspeitas contra
o Sr. Dr. Victoriano, de quera alias fosemos favo-
ravel ronceito, e contra quem nao emiitiremos
jnizo deflnitivo, sem qae as invesiigacoes da jus-
liga nos habililem. O faci gravo'; exige de
Mesa parte tuda a circumspeecao ; referimos aoe-
as o que se passa. Seeomeneito verifieara a
cumplicidade do Sr. Victoriano em tao enorme rri-
me, bradaremos, alada que gen fructo, contra mais
eaaa alrocidade ligneira, que alias ha de ter o
mesmo castigo que leen lidio os mandantes do as*
saaainado do infeliz Jacob,de qne j Un del noticia
na minha ultima, e de que at boje nein ao menos
resvlloua piisao do mandatario, que passeia de
publico na freguezia da Escada I
SeiM|ue o odio poltico capaz de grandes in-
veucoe- ; mas nunca pensci (|ue ehegasse B poni
de se me atlribuir por esse motivo um facto da
natureza do que me attribue o citado correspon-
den le.
Para dar plena resposta e um desmentido com-
pleto o digno cscriplor pego-lhes, senboros re-
dactores, que publiquem os iilerrogaloros dos
presos a que o mesmo correspondente se refere, e
as carias qne me dirigirn! em resposta sobre os
mesmos tactos ojuiz de direila e o promotor pu-
blico da comarca.
De todos esses documentos ver o publico que a
calumnia com que almas pequeas procuraram
molestar-mo i rielo que nunca poderam destruir a
reputaco de que Miaante teuhe gosado at aqu
entre os neos coneidauaos / se desfaz por si mes-
ma, donajjHiarecendo.completanente na origem que
Ihe derasa.
Nao eareoo de maiscousa alguma para inimgos
que nao se do a conliecer.
Se o correspondenu?, ou os seus informantes ac-
ceilassein com o seu nonie a responsabilidade da
calumnia que langaram sobre mim, procurara o
caminho legal para fazer com que pagassem caro
a facilidade com que me aggredirara.
F.ngenho Aranlangil, 28 de Janeiro de 18CV.
Victoriano de S e Albuquerque.
Interrotjatorio frito ao reo Jos Ferreira da Si Ira
l'into.
Deferido o juramento aos dure juizes de facto. e
achando-se presente o reo Jos Ferreira da Silva
Pinto, livre de ferros e seni coaego alguma, o juiz
de direito passou a interroga-io pelo modo se-
guinte :
Perguntado quai o seu nome. nacionalidade, ida-
de, estado e residencia i Respomleu chamar-se
Jos Ferreira da Silva Pinto, Pernambucano, na-
tural de Serinhem, idade cincuenta e seis annos,
solteiro, morador no engenbo Aralangil.
Perguntado qual o tempo de sua residencia, no
lugar designado ? Respondeu que ha tres annos
para quairo.
Perguntado qual o seu modo de vida ou prolis-
so ? Respondeu que purgador.
Perguntado se sabia Ier e eserever f Respon-
deu que nao.
Perguntado se sabia por que era aecusado. ou
precisa va alguui esclarecimeuto Resiwndeu que
sabia; e era aecusado de ter esbordoado com oii-
tros a Jos Garca; mas declara que nao commet-
teu tal criine.
Perguntado acode estava ao tempo que esbordoa-
ram a Garca ? Respondeu que em sua casa.
Perguntado se conhece as testemunhas que ju-
raram u processo, ese tinha alguma censa a op-
percontra ellas f Respondeu que contiena, e so
ti nha a oppor que juraram falsamente contra elle
reo.
Perguntado se tinha algum motivo particular a
que attribua a presunto aecusage Respondeu
que nao tinha.
Perguntado se linha lacios a allegar, ou provas
pie jusliliquein a sua innocencia f Respondeu que
era innocente ; que, na occasio do delicio, eslava
em sua casa fazendo fai inli.-i. e lem testemunhas a
apresentar si-brc isloesao: Ignacio, pardo, casan-
do, morador em Aralangil, llno de Feliciana
Interrogado o reo Jeronvmo Ferreira de Atun-
qoerqpa, e aeteoio-se presente o reo Hanael
Francisco Pereira, livre de ferros c sem aonvpM
algnnia, o juiz de direilo passou-a interroga-lo pe-
lo modo seguinte :
Perguntado qual o sen nome, narionalidade,
estado, idade e residencia ? Respondeu chamar-se
Manoel Francisco Pereira Terse. Pernambucano,
natural de Serinhaefl, com idade que nao sabia, e
regala de vinie e cinco trnta annos, morador no
engenbo Aralangil.
Perguntado qual o tempo de sua residencia no
lugar designado? Respondeu que ha um auno,
morando antes em Carneiro.
Pergunlado qual a xia proRssW ou meio de vi-
da Respondeu que, carreiro.
Perguntado se sabia Ier e eserover f Rc-non-
deu que nao.
Pergiuiiiilo -e sabia o motivo por que era acen-
sado, e se precisava de ligan eselareiiuicnlo ?
Respondeu (jue nao saba e, dado icci-
mealos, disse ijue era falso ter elle espancado a
Garca, e at nessa occasio fora para Cocinas, e
que, lendo sido noliticado nesso dia a tarde por
um alteres, cabo de quarleirao, para ir a una ron-
da, ao mismo cabo dissera que nao podiair tal
ronda, porque la comprar familia ; e no outro dia
Ihe disse Ignacio qne Garca baria apanhado.
Perguntado se. indo elle para Ceibas, nao ha-
va procurado a companbia dos outros reos ? Res-
ponden que nao : que passou por casa delles, os
vio fazendo farinha, eomprimentou-os e seguio sna
va geni.
Perguntado que lestemunbas linha elle de ter
estado em Coelhas na occasio do dbete I Res-
pondeu que, alem do alele-, de um Francisco. Ir-
mao de Ignacio, linha a Joao Baptista, morador
em Coelhas, dous meninos que siippunha sobri-
nhos delle, e as mulheres do lugar.
P.'rguntado se conheela as testemunhas que ja-
rarara no processo, e se tinha alguma cousa a op-
por contra ellas Respondea que as eontieeia, e
-o tinha a recusar a Francisco de tal, por nao Ihe
ter ainizade.
Perguntado se tinha algum motivo particular i
que aitribiia a presenie aecusago Responden
que nao.
Perguntado se tem factos a allegar, ou provas
que justiliquem a sua innocencia ? Responden
que tem as testemunhas cima ditas que apresen-
lar, e requera o adiamenio da causa.
Perguntado o que dizia acrusarao qne Ihe faz
o inspector, de ser elle reo acosiumado a fazer es-
.lancamentos, e at se oflerecen Cama para es-
pancar a um s^u trahalhador, morador em Carnei-
ro ? Respondeu qne era falso qne Ihe levantam.
Pergunlado se tinha mais alguma cousa a de-
clarar ou a e.-elarecer J Respondeu que nao.
Concluido por esta forma o presente interroga-
torio, fui elle lido por mim escrivo abaixo decla-
rado. E, nada mais sendo declarado, mandn o
jui encerrar o presente termo que rubricon em
odas as suas folhas : e, por nao saber o reo es-
crever, assigneu com o defensor, e Joao Antoni
Cavalcanti de Albuquerque, qne Indo presencia-
ram. Eu, Miguel Joaquira do Espirito Santo Mo-
raes, escrivo, e escrevi. =^ Jos Bandcira de Mel-
lo. Jos Joaquim Barbosa. Joao ApollonioCa-
valcanti de Albuquerque.
Termo de wlumisiitu do jalijamento dos reo* jwira
ontra sessao do jury.
No mesnio dia, mez c anno retro declarados, no
consistorio da igreja de Nossa Senhora do 0' desta
villa, presentes o Dr. juiz de direilo, presidente do
tribunal, Jos Bandeira de Mello, Dr. promotor
mbhco, Antonio Rogerio Freir de Carvalho, ju-
rados e partes, conngo escrivo abaixo declarado,
i nterrogados os reos; foi por elles nessa occasio
declarado e requerido que, tendo suas testemu-
nhas de defesa, as quaes, por nao terem elles ad-
vocados, nem meios de promoverem as suas noti-
Iragoes, nem o apoio da justiga, fossem adiados
iis seus julgamentos para a futura sessao do jury,
aflm deque, por intermedio da justica, fossem Bo-
lineadas ditas testemunhas. 0 que ouvido pelo Dr.
juiz de direilo, consultou ao Dr. promotor publico
o ao advogado da defesa se convinham no adia-
inenlo da causa, e por elles foi unanimemenie dito
que eoncordavam em dito adiamento : pelo que o
juiz de direilo, deferindo, ordenen que, quaudo se
preparasse o processo, fossem notificadas todas as
testemunhas declaradas pelos reos : do que lavro
este termo. Eu, Miguel Joaquiui do Espirito San-
t) Moraes, escrivo, o escrevi.
Apellante, o juizo : appellado. Sebastio Quiri- P"S Villar, wmmunicaudo ter assumido no dia i"
|Ljretra. tl0 ot,rre01e o exercicio de juiz de paz.Posto em
oiLiKi>-. i \s nvFis. diseusso. o Si. Barata pede a palavra, e '
Com vista ao Sr. deseffibargads* procurador da> '" lj&0*fcS? .H ^'f'f'U^
-fa p v d oruiuro ue OiMi, nao pode o referido
.lx amH'll'irof'i circi.i. Fras Villar exercer dito cargo siniultant
Dr. Fernando de S Albuquerque.
( Francisco do Reg Barros Barrete
J bem tarde,
A noTO. nieia ;
De aromas chela,
Son I a flor :
Hora ilc encanto,
Hora querida
De quem na vida
*on i de amor,
lim loilo d perfomes. dorme a India
Inzelta de nieus sonhosde onlr'ora.
K linda como a loa, como as flores,
Insvex otaros amores sonhe agora.
C eu aqu lao s r.esle reliro.
lH'liro de solTicr (Tu triste norte I
l rostrado nesla relva mnnlde choro,
Loploro o meu des) no, invoco a norte !
Ah s, oh meu Deu* compadecido
De quem Slen vivido de amarguras ;
Da termo ao chorar, d termo a dr.
t^mcede-me o favor da sepultura.
I .-seno Wmoferdu Midi:
Na provincia Se Bnevenlo as tropas e as guar-
das nai-onaes esto occujiadas n'um sitio limito
romn .ico.
Ha FObre una montanlia urna caverna inicessi-
vel, segundo se diz. na qual se refugiaram uns.
quujze ou dezesete bandidos, com tres inulluies, e
urna deilas com mua menina de seis mezes.
Os bandidos dellendcm-se por de traz dos ro-
los.
Nao qierem render-se, sem que pur escr po -e
rometta a vid;, salva.
Dizem que leem provisdes e vinbo para seis me-
Z(!s, mas falta-lhes agua.
dtscQSsKo, o Sr. Barata pede a palavra, e declara Fi anriseo Antonio Pereira da Silva.
:ttH) de 13 Francelino i arnriro de Lacerda.
niajoi | Francisco Cavakanti de Souza l-eao.
apvetlaro,'*c Appellantes, o tuzo e coronel Pires Campello ;i C011' o de m.ijor que do lhatalho de artlbaria, Francisco Cabial Canlanil.
appellado, o juizo e o coronel flaapar de Monaart Ie rqUer qae oeste sentido Ihe offciasse.~-As8tn se Francisco de Salles Andrade Luna.
Va-concellos de Driiunnond. i.'solveu. ir. Francisco Amvntas de Carvalho Moura.
Appellante, o juizo ; appellado, Policiano Rodri- I Outro do procurador, aecusando recebido osmo- Francisco da Silva Miranda.
I denos qUe pel governo da provincia (orara remet- j Francisco Rachael le Mello Reg.
I idos cmara, alim de por elles formula'rem-se os Cedeao Forjaz de Lacerda.
' aleos, oieaineiitos e tabellas qnedevem ser son- Goneah Jos AITon-
appellado, mettidas ,i assemhla provincial diz que lem a* i Genuine Jos.'- Tavares.
lisfagat) de declarar i|ue os mencionados modellos', Dr. Caldino Ferreira Gomes,
nao ajtcram na mnima parte ojsystema de escrip-, Gustavo Jos do Reg,
da.
veira.
Francisco, tilho da mesma Manuel Baptista de An- mm; Sr. Dr. Victoriano de Sa e Albuqiur-
drade, morador em Aralangil. e Joao Baptista del(,ns. v. S. da nm solemne desmentido ao corres-
Andmdo ;;is quaes. s.; nao vieram aora ao tribu- ,,ndenle do Consttturinnu!, fazendo puldicar OS
nal, loi por que elle reo se achara sera defensor.
interrogatorios dos indiciados culpados i
sem meios de as poder notificar, e sem auxilio da ,,,,^0 do ftrtoguez Gartta e acia que M
jusliga, o qual rosnara ao Bt. juiz de direito. onde vem os motivos do adiamento desse julga-
Consullado o detensor do reo. disse que adhera
a proposla de seu cliente, requerendo adiamenio
da causa : e, consultado tambein o Dr. promotor
gues da Silva e outros.
Ao Sr. Dr. curador geral
.1 apfH'll'hit citet,
Appellante, Mano..I Vicente lavare-
Leandro Pereira Barbosa.
MandU-s proceder I habilitaeu na
Appdlacao cicei.
Appellante, a lazenda
publico, concordou nisto, por assim conviraos ms-
teles ila justiga.
Pergunlado se era exaelo haver elle reo dito a
Jos Manoel do Nascimeiito. que (arria precisava |,,,,-' desatlendido.
turaein
i incito adoptado pela cmara, o que tac- [Geminiaao Joaquim de Mu an
appellada, D. Launana mente se reriflca Cotejamio-se lodos os exemplaies Caldino dos Santo- Xunes Oli
j que vjerara da presidencia com os iuipressos que Dr. Gustavo Baldiiino de Moura Cmara.
sao anniialiuenle enviados ao corpu legislativo pro- r.npito de fragata Hermenegildo Antonio Barbosa
vinera!, pelo que emende B'ever continuar a seguir de Almeida.
o mesmo systema.Mandou-se continuar. Hyppolito Jos Rolierto.
nutro de engenbejro eordeddor, communicando
ter-se dirigido ao logar do Rozarnho, cooiorne
Ihe foi ordenado, examinar o oslado da pontasi-
|nha existente na estrada daquelle lugar, e orear os
appellado, Jos Brbanle coneertos de que a mesma i precisava,
achou que apenas cinco estivas deven) ser snftsli- .
Bviuundo es- luidas por oulras novas, Concert este que nao po-, Dr. Ilenrique do Reg Barros.
de oxee ier de 30,5000.Que o procurador mandas- Dr. Horacio W'alfredo Peregrina da Silva
llosa Candida Rigueira.
Habrs-Corpus,
Negaram a soltara pedida em habeas-corpus por
Main el Barbosa da Silva.
BESIfiM m:\o di. 01 \.
Assigiiou-se dia para julgamento dos seguinles
fe.to-
AapelkicvetcriMet.
Aipellante, ojuiz.
de A lenca r.
Appellaute, o juizo ; appellado,
nave.
Delinque Jos Alies Ferreira.
Herminio Ferreira da Silva.
Herculano Deodato dos Santos.
Heleodoro Fernandos da Groa.
Henrique Slepple.
Horacio de Gasmao Coelho.
ApptUagSn airis. "' |lZl'r concert.
Ao .liante, a cmara municipal appellado, Tra- Outro do mes.no, informando sobre
ment, no
Hyppolito Cassiano de Vasconcelos Albuquerque
o requer- Haranhao.
qual Alexandre Jos da Silva pede per- Herculano Al*es da S Iva.
jano Antones de Aleoear.
\|H.ellante. i). Joanna das Nevos Quareama mlssao" para substituir o son que existe am'sep ercuJano Duarte da Miranda Henriqae
Duarte ; appellado. Joaquim lY.uuisco Duarte. -obrado, sito rita da l'enha o. II. por una solea llennque de Miranda RVnriqoe*
Ap|M'llante, Sebastian Harqncsd fascimento; corrida, confbrme as nltimas posturas en vigorj Dr. Ileracho Vespasiano Fiock Romano.
appel ado. Julio Casar l' ato de oliveira. i diz qne d sobrado do peticionario nao lera as di- Dr. Hermillo Dnperron.
Appellante. Manuel Patricio dos Santos ; appel- [mensoes marcadas as posturas, mas que era den- Ismael Amavel Gomes da silva.
lado, FabrCM Gpnes Pudr ticas circumstaacias tem a cmara concedido a ou-, Ismael Cesar Duarte llibero.
passigehs,
Q Sr. desembargader C.itiraua |
desenibargadi.r Lourengo San!
Al uppeuoroe i"eis.
tros o que elle agora pede.Coucedeuse, votando Ignacio Rento de Loyola.
ao Sr. contra o Sr. Gameiro. Dr. Igaen Nery da Fouseca.
Outro do m.'sino, informando o requerimentoem j Dr. Ignacio Firmo Xavier,
que D. Josepha Guilhernipa de Hesquita Leite pode : Dr. Ignacio Joaquim de Souza l.eo.
((.'o,iii<-ir--e-/'U'
CORRESPONDENCIAS.
..ppell.-inie. Manoel G ,nes de Almeida Botelbo ; P*H que Ihe soja cedido por venda o terreno da
ap ii II id.i. Manoel Jos da Graca. traVessa ltimamente sunprimida no hecco do Fal-
Appellanle, Felippe Giunes da Frota ; appellado. cao; declara que dita travesea lem opalinos de
Frane seo Ferreira de Mello. largura do Patrio, e 25 e meio narua da Palma.
n_i_._________ Apiellaute. Joo Paef. Brrelo de Lacerda i ap- Que se aptorisasse ao procurador para tratar do
wmrgcu-se orna mina para fate- ir pelos ares a pellada, a baroneza de Ipojuca. ajuste, depois do que communcasse o resallado. '--------"
'r"''- Ao Sr. desembargadoi Mufi Outro do mesmo, partici|iando que lendo alguns >'' redartorrs.A mama do Sr. Francisco Jor-
>o en lamo a iiumtanha esla cerrada de um A apueUoxio cioeL lodlvldaos requerido drdeacSo para conslrnirem ge de Son escrever para o nantfcoo h?ou loruao ue'u-opas, alegremente acampadas, como Apjiellante, D. Joseplitoa Cavalcanti deAnu- casas no lugar dos Coelhos, fregueiia da Boa-.Vista, ''' lrquei a no arauzel sem ipiahcago. .pie
11 una paiiiaa ae reereio, em c/ue a msica toma qnergue ; apiwjlado, Bernarda los de Barros. unUj camboa das Barreiras, e nao estando anda imprimi no seu Diurna de SI do corrente, senir-
*' o !' nTT' Sl- de.-einhai^ailor Molla passou ao Sr. des- determinada a direceo que dita cambija deve ter, -" u"'11 ""M"'> laia wranjar nina falsidade. (pie.
umosiior sea turno, lazem onvjr as suas embargador Peretli convm que a cmara convide a canitania do oor-!Posto seja contra os individuos com quem tem
nde a minha digni-
de nina surra de ccete 1 Resuanderj qne era urna
calumnia dt*M teslemunhL
l'eiguniado se, visitando a Garca, nao teve oc-
casio de dizer peanle tres testemuiihas ajR lin-
dera com seus eompanlieiros pela raziio de o acen-
sar Garda de seneibanle ene Reaooaden que
visitara a larcia durante a sua enferniidade. e e
falso (pie malas occasioes Carci.i o aecusasse de
seus padeciiuentos, e que elle reo tanihem st< aecu-
sasse porania Iras tealeraaonas. i" mais tSo disse
i Concluido por esta foruia o presente Interroga-
torio, foi elle lido por iniin ese vo abaixo decla-
rado. Nada mais sendo declarado mandn o juiz
encerrar o presente termo, qne rub con em todas
as suas follias, e assignon com o delusor e Porfi-
rio Alves da Silva, por nao saber o reo escrever.
Eu, Miguel Joaqun do Espirito Santo Moiae.-. es-
crivo, o escrevi.Jos Bandeira de Mello. Jos
I Joaquim Barbosa, Perin Alves da Silva.
Interrogatorio feito ao reo Jernimo ("erreira de .1/-
buquerque.
Interrogado o reo Jos Ferreira da Silva Pinto,
e aenando-se presenie o reo Jernimo Ferreira de
Albuquerque, livre de ferros e sem coaceo al-
gOma, 0 juiz de direilo passou a interroga-lo pelo
modo seguinte :
Pergeniado qual o sen nome, nacfonalidade, ida-
de, estado e residencia Respoudell chaniar-se
'Jernimo Ferreira de AHWqnerqae', Pernambuca-
no. natural de Serinhem. idade ipiareniae qua-
tro annos, solteiro, morador no Bugenho Aralangil.
PeiLTiintado ipial o tr'inpo de :a residencia no
lagar designado t Responded que ha tres annos.
Pergunlado qual o sen meio de vida ouurolissao?
Respondan que agriraltDf e pnnjndoA
Perguntado se sabia tere escrever' i;-; i
deu que sabia.
ment ; todava direi que os culpados se d
rain innocentes, nns por estarein em >ua
fazendo fari nha, e outro por ter ieito urna vi
no dia do espticamente do dilo Portqguez. diten-
do elles que tinham testemunhas a apresentar. e
requerendo por isto o adiamento, que nJo
Os culpado- nao lizeram revela-
coes algumas que compronieitam a v. s. e wtra-
nlio que se ffeesse ineneao di V. S. em dita ear-
respendencia; pois nunca ouvi tratar <.'
me se,,-,,, com e]ogjo, e isenlo sempre de Uoputa-
rflea criminosas, Desejava ser nuus eitrn ,
i .ni anda sou juiz na causa, e a prudencia ex:ge
im reservas. Eu lean) Bnaknente o Sr. don-
lor em conta de cidadio h estranho i
i luiente j este nime, em ijue o querein ta/ii
i articipanta.
Son com eslima e respeito de A'. S. col!, ga e
atiento criado Jos Baiid. ira de Mello.
Iiim. Sr. Dr. Victoriano de Sa e Albooaer-
.|iie.Ilespondendo a prelada caita de V. S..
ripio por lamentar o genio Intrigante. c|ue pela im-
rrensa quer atirar contra V. S. Uloatroi injuria.
Assim, em resposta aos dous qnesitM ajo
aprsenla, cumpre-me dizer V. S., que no ,
Instaurado pela morte do Poriuguez Garda
nenhunia revelaco existe que possa prejudn-
V. 8., e menos qne fosse esta a cansa do adia-
mento do ulgnmeiito, que Ibl esuaeado p
'u ciad i- ni semelhaipe ci'iuie. COS.
lim de aprcsentarein lestenuiubas em sua di:
lenbo, | el-, respondido a V. S.
Sou rom toda a eonsderagao e eslima de Y. s.
milito ltenlo, venerador e criado Amtoni i:
gjno Ferreira de Carvalho.
Segunda-feira 1 de fereveiro. s .'i hora- da tarde,
P'irorreu asmas das Cinco Ponas al A
nina carraca puxada por um cavallo lazar, i
c istanho. de cimas pretas, e um homem preto de
caiga e camisa de brlm branco; lavando Ai
diz saceos (jnrri nina- boas ."MI arrobas de assucar
mascavadii, V era tal o estado do anima!, q w
/.irifo con luctnrprometter-uea cada sjasao f.i
ipienpie ; app. Hado, liiinar.lo los de Barn -. juntjj a camt.Oa das Barrenas, e nao estando anda imprimi no seu Diario Ue 2J di
o Sr. desembargador Molla passou ao Sr. de determinada a direceo que dita cambo i deve ter, M' l,ieu nome, para avaocar u
embagador Perelti ivm que a cmara convide a capilania do por- P"1*' seja contra os individuo-
Atappeilacoet avei*. topara que deaecordo com elle engenheiro pro- implicado, do algummodo ofiM
Appellante, Jos Bruno de Almeida Vallado ; cedan aos etames necessarios, aflm d determinar flade de bomom.
itado se sabia o motivo por que era aern- '!'' I"n '' > '' PPb'rar-Ibe neia dada de verga-
ado, b seprecsava de algum esclaiccimenio i "wdas (que bem as mereca quemo can
appellado. Francisco Antonio de Vasconcellos.
Appellante. Joao Paes liarreto de Albuquerque
appelLido, Manuel Ignacio de Albiupierque Hara-
nhao.
O Sr. desembargador P iretli passou ao Sr. sles-
embargador Accioli
.1 apnellarSo cioeL
Appellante. Francisco Xavier Mendes da Silva ;
appdlados, Manoel Barbosa da Silva e outros.
O Sr. desembargador Accioli as Si. desembar-
gador Assis
As amellares di tu,
a melnor dlrecgao a dar-se aquella camboa, e con-
linl 'mente ao aHChmenlo das casas me mar-
gem da mesma tlverera de ser construidas.Que
50 Ilii'iasse ao capito do porto.
Oulro do mesmo, remetiendo o requerimento no nmte ouviram-se ao \rraial lories gritos
qual Hmoel Pereira benos pede para que Ihe seja
permiitido la/ei mn telbeiro coberto de lelhas ou
lineo, e tapado de tahuas ou tijollos seceos, tendo
ISO palmos de cumplimento e 0 de largara, junto
ap ten armazem de deposito de agnardente, silo
trave--a da ra .Nova de Santa Bita, tirando o mes-
mo Itelheiro dentro da dita travessa. que vai ter a
Appellante, D. Jaciutlia Maria de Abreu ; ap- nara, informa que a. pnlengo do peticionario nao
pelladu. Jos Peres da Cruz. I d Ier Ogar, visto .jue nao parece regular quea
ylppedlaute. Francisco Moreira da Costa ; appel- caara permita que terrenos destinados ao trail-
lados. Jos Pe r.ira da Vofga e seus lilhos. silo Jjuhlico, e que a isto se prestam, sejam OCCupa-
0 Si. desembargador Assis passouaoSr.deseni- dos or individuos particulares no sentido de seus
bargador Doria interesses. (ndefer-se.
fanones e mondolins, quando o vento sopra >lo seu
lado. O general Mlaviciai, o vencedor de Aspro-
inonte. dingio-se aqiielle sitio.
O Cmni.ii'i-rio do Porto publica o (jue segu :
O elcitor de Hesse quiz por a seu lho, o
principe Frederico de Hanau, nina tutora.
O primipedirigiii nm protesto contra esta me-
dida a Mr. Alie, ministro da casa eleiloral, decla-
rando qne a na edocaeio que receben que de-
v 'iii atlribuir-se as faltas de ue seu jial o a'cu-a
O prncipe anwaea seu pai com graves revela
g.ie-, se elle nao nanntriasM ao seu orojeto.
Parece que o eleitor ceden.
NI
o famoso astrnomo Mr. Mathieti ele la EYttrie
diriga Agencia Havas o seguinte despacho :
Mnntpellier, ii de dezembro, ao meio da.
Ultimo aviso ao. mai'iuh<-iros : # perigis es-
to inuilo prximos
(Scr.igo tetegraphico^Havas Bullier., A upfitUacdo cieeL Oiitro do fiscal dos Afogados, infonnando favo-
... ... Appellante, o haro de Muribcca ; appellado, ravcjmente o requerimento, no qual Joo Martins
i,,^ rJu^L^T^A T'a ,S'. PeU,TS' i ^"S'^S ';,v'"10 ll;' p"wtt SaldJuha pede para ser ill.miuado do imposto que
hurgo .fmgWa em 7 de dezembro a Jndepuulen- i 0 Sr. desembargador Doria ao Sr. desembarga- se a.lia a dever, visto ter provado que o seu sta-
'"\.^'a ^ j | do, Caelano Santiago beleeimenlo nao lem os necessarios fuudos para
A proposito da_ desgranada guerra da JA loma,! As appeOacSet enris. isso. 1 Mandou-se dar baixa na collea.
ciiart um episodio juj nao deixa de ter nm certo Appellante, Antonio Vinssimo da Silva ; appel- Oubo do administrador do cemiterio publico da
SV. j i. lado, padre Joai|uim Xavier Portella. I freguezia de S. Loureneu da Malta, retn tiendo um
e,m limaos ultiraw combates desle outoio, os Appellante, a preta Paula ; appellado, Francisco mappa dos enlerramenlos feilos ua.iuelle estabeJe-
Kussos aprisionaran um zuavo franeez, que esta- Duarte Freitas. cinien(to desde 30 de novembro ti do corrente.-
va com os insurgentes, e (jue um vurd; dero Appellante, Lourenoo Jos das Nevos ; appella- Aoj.rocurador.
zuavo, munido da sua baixa em devida firma, do, Jos da Rocha Prannos. i Foi remetlida coiniuisso de polica urna peti-
at estanlo que tinha completado o teu tempo de Appellante. Jos Thomaz da Silva Jnior ; ap- (,o, na qual Flavio Ferreira Cato, arrematante do
servico en Kranga, ; pcllado, Amonio Carlos Leite e Albuquerque. imposto de alericoes. pede para substituir por ou-
'izuavotmha recebido um bala n'nma |icrna,' Appellante, Clinsiovo J( s do llego Mello; a|i- tra a tianga de Angelo Custodio dos Anio* e olfere-
e o rerunento era tauiave anipiitacao. sendo U;v>^ hospital, siflVeu A|ipellante, bacl.arel Felippo Carneiro de Olinda vam que o novo fiador Joaquim Ignacio Ril, iro Ju-
a operaijao sem pest: do im charuto CampelW ; appellados, Jos Duarte Rangcl u ou- nior tem bens sufflcienies para tal Nanea
Mntatido a Marscl,s1__ iis ossos. Appellante. Joaipiim da Franca Cmara ; ap- gues de Almeida, Alexandre Jos da Silva, Domin-
A su;'roragem, o u snngue fro d genio ale- pellado, Joo Alves de i;arv;dho Cesar. gos de Hollanda Cavalcanti, Jos Bemardino Al-
gie inq ressiunaram una senhora dist ucta
lempo diriga a
0 zuavo mutilad
o profbnda
Uueixando-se no seu aranzel o Sr. Jorge ( por
ja se adiar melhor de juizo) do robusto sipo pao
com que bem ou mal Ihe partiraui a pona da
orelha esquerda, avaneou que em um dia pala
quem
me acode, e no oulro dia a noticia do que os Srs.
Juvencio e Joo Ivo por um triz me espaneariam
na occasio cm (|ue me recolhia a minha casa.
Por amor a ventada declaro alto e boni soin quo
tal facto nunca se deu, e nem poderia adiar en-
trada sendo na cabe.'a do Si. Jorge, anda ator-
duado rom o rohOslo -ipo pao, porqne todos que
me conhecem saben que tenbo a pr.ri.-a energa
para incontinente repellir um aggregao da orden
dessa, nartisse ella de quem partrsse, qtianto mais
dos dous indicados individuos, e que quando quat-
quer circumslaneias me pi ivasse do desforc, in-
continente eu me tena disforgado pelos meios le-
gaes, e jamis recorrera a peridicos para incoin-
modar o publico com parvoices laes quaai as da
Sr. Jorge, que s tem servido para fazi rem delle o
conceilo que merece.
Arraial tl de Janeiro de 18i.
Francisco Jos Vinnna.
Respondeu que nao e. dados os eaalareeiowntos)
Sisse que tudo en lal-o.
Pergunlado omle eslava na oseaso em que es-
panraran a Jos Cania Aespoadeu que em sua
casa, fazendo farioha.
Perguntado se conhece as testemunhas que jura-
ran! no processo, e se ludia lagaa cousa a oppor
contra ellas i Respondeu qae as eonhecia, e re-
cusava du.is couioinimigas.e eram Jos Alves Ale-
gre e Joaquim Baptista dos Sanios.
Pergtmlede se Hnha algum motivo particular
que aitribiia a presente accusae.o / ltes|Hindeu
que altribnia a una calumnia 'do Inspector e de
oulras tesieiniinlias.
Penznntado se tinha factos a allegar, ou provas
que jjjsliliqueui a sua innocencia .' Respondeu que
lal peo), gastou urna hora c tres piarlos a aira-
vessar da estago ao Apollo, e s |ior nitaf
- da Fbula, chegou a sen destino, i m
eecontrasse urna autorldade qne tal i
qual fr o direito de propriedadV, jamis pod
iiiillir tantos abusos, alera de que
Fazer mal aos animnes
K indicio de mo carcter.
t!c
Pilulas vegetaes issmrWaa
Krnip.
Entre as nnnmeravew elasses de pilul.
c ntimiadamenie se annnneiam, as PUtt
Ins assn idas Je Kemp, t i que se podeni
PUBLICACOES 1 PEDIDO.
O baeharrl Victoriano de a c
.%lbuqiier<|iie.
o correspondente desta provincia para o Consti-
tuckmat do Rio em sua carta de 9 de dezembro
ultimo diz a meu respeito o seguinte :
Deixando por um pouco o Sr. Olinda -eu-
flagicos, dir-lhe-hei que ha tres para quairo mezes
foi assas-inado mu portugnaa no eugeuho Aratau-
gil,do que : proprietario, ou leudero, o Sr. Joo
de S, irmao do Sr. Calimb, ecunhadu do Sr. Paes
Brrelo. Foram presos os indiciados, correndo
logo fama de qne o autor m uidanlo era outro. A
polica do inrommensuraiti Abilio, nem se qur se
deu ao trabalho de averiguar a verdadeira origem
linha, alem das testemunhas que sen rnio ilevi
apasentar, an depebnonie do r. Bint que ihe
disse de in.iiili.i.i em ida ca-a qu alUM em S >rl-
iibem que Sarcia linha apanliado, quando Garata
nao tinha apanhado -.nao a tarde -, di/., jido-lhe ,
tamben a inspecior que, i|uando Cacia apanhou.
i ouvindo um rumor ou barulho. indo indagar o que
seria em conipanllia de Manuel l'e.ij. vio Cania
apanhado nos bracos de um negro de Joo de S
o de um lilbo do Vicente Cago.tnbalhadocdo
| mesmo Cania, e um cantado de Vieente Gago,
3ue tiraram a Carcia de dentro d'agua ; retta
(tas deelaraces, e das lesiemiinlias que devon .
ser nniiicadas. pede o adianienio li pausa, no que
foi concordado pelo defensor do i. i, e pelo Dr. pr
motor publico,
reito.
Perguntado que di/, ao depoimenlo do inspector
ter ouvido a liarcia acensado de Ihe ter dado a
primeira eacetada 7 Respondeu que Garete S po-
deria ter dito isto (lepis de lllol'to ; porque, se lile
houvesse dito isto em vida, elle inspector haveria
procedido delle reo.
Concluido por esta forma o presente Interroga-
torio, nao s.j foi elle entregue ao reo para indicar
as emendas precisas, como por mim escrivo,
abaixo doclaiado, lido. K. nada mais sendo decla-
do. uiandou o juiz encerrar o presente termo, qae
^a -iterar como o protoiypo dos aperitivo cazeiros,
completamente clflcuzes c absolutamente in I
Na sua composigSo nao entra nm nico tomo
de nenhuuia substancia mineral. Constilue mus
o nico remedio necessario para os desarranjos, do
lago, rregntardaa do ventre, constiaj
habitual. alTecgi-s biliosas, dvspepsia e toda-
eiifermidados dos intestinos, predominantes
chinas calidos.
Tomadas tempo evitara infallivelmenteos inor-
liferos tlagellos i'pidemicos e ndemicos das re-
gies interlropicas.
Sao as nicas pillas que vendem em frasqui-
0 nios de crjsol e a capa assucarada que as
i quem consultou o Dr. juiz de di-1 >nserva suas virtudes e as torna mu. agrada*.*
, ao paladar.
Arham-se em todas as boticas do mundo e an
Pernambnco, as Iotas de Bravo C. e de ('
: Barbosa.
C0MME1CI0.
PHACA DO RECIFR 1 E FEVRREIRO DR ISti.
C otacrs oilieiies.
s 3 horas da tarde.
rubricou com todas as suas lolhas, e assignou com Cambio sobre Londres!I0 d| visla i" 1*Jk di por
oieo. Ku, Miguel Joaquim do Espirito Sanio Mo-
raes, esenvo, o escrevi. Jos Bandeira de Mel-
lo. Jerooymo Ferreira do Albuquerque.
J&nm.
Dubouicq Jnior, presidente.
Quimares, secretario.
*



.
(
i
*
1
)
Diarlo de 9*era_neo Itiai'i'a frlra 3 f kVcverrtro de 1S_.
NOVO BANCO
DE
pitifiiWAnimJCO
O 1' 1>K KKVKIIfclRu DE IM4.
O Uutci lesrbat na premate semana aoiir por
ccu.j ao auno ateo praso de qaatro metes, o ;. de/.
por canta al o de sois mazas, u faz omnrestimos
sob"e litlos commerciaes.
Alfandega
ltendini>mto do da 1............
Hot Intento da alfai
'Voluntes entrados com fazendas...
com gneros...
Volunte* :auidos cora fazendas...
< com ganaros.
33:563.1931
idega
M
1-5IHK
7404236
&60Q
3:M&*68
366*99*
23MO00
72
2*4
296
696
Hese irroga m no da :i de fevereiro.
Gahra frnnrezaOtile TJTvIp.
Dan-a inglesa fla.vtf*=idem.
Brigue inirluguez -bella Fgueirensevarios ge-
ni-ros.
I*;it: i-ho inglez -'iu/ JVfn-arinha de trigo.
Patacho nacionalPalma tariaha e mais gneros.
Brigue inglez teUeof tke Stn-.iy murradoiias.
Brigtie inglezMelinu= bitcalh.iu.
RENIMUKXrO PA RECFIISDORIA BE riENDAS
INTRUSAS RERA.ES IM PEhNAMBUCQ DO
HEZ RE JANEIRO. \ SABER
litada da Ij pographi.i nacional. .
Honda dos |>ro|>rios nactonacs. .
e lerrenea de maiuilia ..
<\!,\ ilns l'i-n- '.< r.ii/............
Becuna addiciooal das corpora-
i-i-s de inio mura.............
Dirrltos nuvos e veihos e de
ehancellimn....................
uilos dr patentes dos ofDciaes da
guarda nacional................
Di/una da ehanoollaria...........
Multa por infraecoa do regula-
mento........".................
Si'IUi do papel liso................
Dilo do propnrdullMl.............
Premios dos deposites publiros..,
Unolnmentoa.................
Imposto sobre loj-is e casas de
descont*...........
Tilo sobre casas de movis, rou-
pas. etc. fabricados em paix es-
trangeiro............
Taxa de esclavos.........
tobranca da diridn activa ....
Iiiili'ionisn^oes...........
Deposito de diversas origens.....
3
Importa cao
B-igtie portugnez Bella Kmeeirttue, entrado de e"l864
Liboa, consignado a Euzebio Kaphnel HabeUo,ma-
nifeslo o leguinte :
51 pipa-: e 136 barrls vnhas, 30 ditas vinagre.
50 ditos a:!citf 6 oliveira, 84 ditos toucinhot20 .. Consolado proTlnelal
Recebedoria de Pernambuco, 36
O escrivo,
Mantel Antonio Simoes &> Amaral.
calzas cha, 20 sacos cravo sal, 1,833 palacies, 12 mouda- brasileas de 30,
patacas, i1 pocas do 4 oilavas, 747 libras esterli-
nas, 79 ni Midas de 1*000 brasilairas, 111)4000 em
moet as porruguezas de meio tustao, e 70 rs. em
prata e cobre e i moedas a chico tustoes; aos eon-
sign.iarios.
20 pipa; i 40 barris vinhes, 3 barricas milo de
umeiido;i, 20 dias caslanhas com casca e pilada, 7
ditas, nozo, > calzles figos, 17 caixas cera em
vela, 5 barricas car cao animal, 20 ditas alpista ; a
Thomaz s Aquino Fonseca.
26 pipa.- e 115 barris viohos. 10 pipas vinagre,
58 caixas castanbas; a Manoe! Joaquuu U. e Silva
A Gonrw.
i I upas i! 10 Larris vinbos, 2 ditos carnes, 4 di-
tos salime. 1 caixa uiarmelada; a Marques Dar-
ros (i C.
20 pipas e 50 barris vinho, 60 ditos toarinlm. 50
ditos ehuuriens. :I2 caixas velas de cera; a Thomaz
do A iUiiio fonseca Jnior.
O. bar icas sardiohas, 3 suri oes cominos, 40
barris toucinho, 250 caixas btalas. 190ditas ro-
blas, 5 barricas alpista, 1 embrulho sapatosde
tranca; a los Ferreira Lesa
10 saceos grao do bico; a Jos Joaquim de Lima
Baiiaj.
fi barricas glande bico; a Marliuho Lopes
Rea.
I firdo ahogo: a Barlholomeu Francisco de
Souxa.
6 tai lis vinue branco. 9 ditos dito tinto; a Joa-
qun l'inio Lapii
i barris vintu I caixote bal moa decimal; a Ma-
nuel Hernandos Gusta c\ C.
iu barris m ite de oliveia a Marques A
Silva.
8 pipas i! 16 barris vteagn. 10 ditos ateite, 42
ditc*) lonr.nho, 1 caisa mercurio; a Palmeiin i
Delicia
:: barris vinho; a Joaquim Francisco da Silva
Azi-vedo.
HH ba-ris toacinlio; a .los Marcelino da
Bo>a.
7 pipas sinho, 2 saceos samagre, 5 barris comi-
nbos, 1 cawtl d> patos e 3 ditos de pombns; a or-
dem.
I caixa infeite para caliera de senhora; a Viille
Porto & C.
1 caixa brochas, 1 dita impressos: a Joaqaim
Mariinlio da GMB Coma.
xa brochas, 1 pacote|ieneiras. 1 caixa mor-
curio. 1 dir ajina Infiera; a ".ans A. Itarbosa.
517 patai-ois brMtor*8 o 158 meios pesos Iu s-
paniii se, voiumes colxao e camas de forro : a
Amorim li- naos.
5,300 ptiijiL'es; a Manoel Ignacio de Oliven-a &
Filio,.
r higtei wiilii. entrado de Soulbamplon,
manilesUHi o segiiinlc ^
20 caix.Hi com 5,(KKl soberanos cada uma^So
Baa i do Brasil.
I calla roiipa; a Adams Roid.
17 caixas tecido de algodo, 6 ditas djd dp laa.
1 faiiio i tenores do .lito, i e nbruips anostras;
a A-i' iiisu'i llowi j.\ C.
t pjiw colletiiib",-i_dif*amostras; a Linden
\\i!i r.->:.-
\a tu!ws c cannos, 4 ditas fazenda de algo-
dan, loo bairis man 'Iga, l embrutho amostras; a
Sannders Brolbers & L.
'' finios ieoido deagodao, 1 caixa ronpa, 2 va-
Iiii-s ainosiras : a l'iupps Brodiers fc r.
. 1 caixa 'azonda de laa, 22 caixas qu-ij >s; a V.
i-'.'iii'iia da Costa.
15 i ta> lites i Perrero \ Mariins.
iIjs, 90 barril manteiga; a Tasso h-
I caixa queijos, I embrulho amostras; a Soti-
lliall Jlellois.
24 caixas queijis; a ordero.
i lita pr -uni- a F. los l. tile.
1 dita teiido d. seila. I embrulho amoslras; a
I. I Be 01 vjira A Pililos.
- hienda do algodo, 1 caixa dita fle
p 1 emlirnlho amostras ; a Julio Keller & C.
2 ca xa- qneijos, 2 barricas presuntos; a M. .1.
3 ra xas machinas eperlcnces, 1 dita tiras de
e I ooibrulho amostras; a R. Lightbown
12 eatUl machinas o pertencea; a B, I*. Johns-
tim i
Joiio Ignacio tle Medciros Rogo.
Antonio Vale fin da Silva Barroca.
Elias Baptisla da Silva.
Praroisco Arrioly de Gnuvoia I
Jos Baptista la Fonseca Jnior.
Jos Nnnes do Paula.
Antonio Jus- le Castro.
Autonio da Si va Ferreira Jnior
los Francisco de S Leltao.
Jos dos Santos Nevos.
Luiz Jos Hod -pues do Souza.
Antonio Alvos Barbosa.
Jo.0 da Silva Faria.
ii.i' Manoel Joaquim Rodrigues de Souza.
Candido Nuiles de Mello.
Ili4382 Joaquim da Sijva Lopes.
Gabriel Antonpo.
Joae Piolo de Lomos.
Manoel Duarte Rodrigues.
Vicente Jos de Brito.
Mauool Antonio da Silva .Moreira.
Hartliolomou francisco de Souza.
Joaquim Joso da Cosa Pajotes.
Jos- Pires Ferreira.
Jos Rodrigos Percira.
Joao Piulo de Lcmos Jnior.
Jos Candido de JJarros.
Caetano C. da Costa Moreira.
Antonio Luiz dos Santos.
Joao Jos de Carvalho Moraos
Jos Poroira da Cunha.
Lourenco Luiz das Noves,
de Janeiro j Candido C. Quedes Alcoforado.
Joaquim Francisco do Espirito Samo.
Jos Antonio Basto.
Augnslo Frederico de Oliveira.
Antonio de Moura Rolim.
Jos Francisco Lavra Ponna.
3:375*340
7:275*315
565
231*720
12.601*350
640*000
571*000
:tt)05*W
24*000
511*500
31:698*625'
6:896*236 '
RENIHMF.NTO |)A MESA 00 CONSULADO PRO-
VINCIAL EM O MEZ DE JANEIRO DE 1864.
k \HF.H :
fiTcitosde 90 rs. por (|) do as-
iicar exportado.......
Hilo de Sil t*. por caada d'aguar-
dentn, ele......................
Dilo 3 01() dem do algodo expor-
tado ..............
Bit., de 7 Olo do mel.......
Dito de 8 por cnt i de couros
spccos, verdes e espichados...
dem idem de 5 idem dos mais
gneros exportados.......
dcima dos predios urbanos .
*) ra. por meia siza de. es-
ernvos .............
'*>? (he**aerat#*#ipo*ta4 M por cont de nnvos e veihos di-
roilos doserapre^adoK provin-
ciaes...............
Krniiluo.entiK d pulira.....
Hilo de 4 0|0 sobre os premios
saiorea das loi-rua ..........
lriP"Sto de 12 per emo sobre
oivirsoii oiieleci'in'Mig .
Otilo, 'to consumo d'aauardente .
i 1,0 MW* ensullorjo? mdicos
' -i ri|il.irin<..............
5( sobre chapeos estr:mgeitos e
rooi>a ele....................
Inmuta sobre rarro, onuiilius,
carriirat e vebioolni.......
Inuimilo Bel [mi ceiilu S"t>'e di-
viti'S e;t..|eciii entos ffira
d\ ci lade......................
I(i por rento sobr o plaotio do
r|om..............
^ollo de her.incas e legados.. .
E nolumentos do Curso Commer-
cial|........................
Imposto sobre casas Mancaras. ,.
idem de 300* sobro companhia"-
anoinma> e agencias.......
0 lo de 2 il.i mw U'ui;ii cu
TAIll-M.A Di RE.YDIMKNTO 1>A ALFANDEtJ
IIKi'l-UWAMIi: :d SO MEZ BE JANEIRO I).
CRREME ANXOFINA.VCKIRO, COMPARADO
GOM o OF MJU.VES MEZES DOS DOS ANNOS
I1.TIM03.
fcajwrtaiffift
Diieiiosdc inijioi'i lefiu para cim-
i. .'.....
Di los a.ldiiioiao.- de 3 %. .
adilicionaes de 2%. ._ .
bnldeacao n reexportaco.
d tos e i'i-i'\iioi'iar.i,i para
uta I*frica......
leros cstrangei-
iTrgados por cabetagera
Ditof d is geiieros do paiz .
Bftos dos gneros ivres ....
Arin.i/.i'iuo.'eii-.......
Pr.lllii) fr lir-,
Dtvprtrlm i,l'l)UJil:i.
Aneoragei i........
je 15 das embarca^oi -
esjrangiiiras yuo passamaioi-
aes.........
Ditos de 5 % na compra e ven la
al
Kxporttr.
IHreilos V i % do nao Brasil. .
DrasM de 5 % de expon aoao. .
IMes-atel "/aildicumaes. .
DiUs do 2 / ile exinrtarat. .
Ditos de 1 % de ouro ein barra. .
Dit h de '/i" dos diaiiuntos .
Expedjl Ble d i~ c.ap,.ta/.ia> .
Inlerinr.
Mulls..........
S -Un ilii papel livi......
Dito do papel proporcional .
K.moliiiiiiMiti>s........
Iiapostodos lespailiantes .
Erti'WltltilJIi i.
Receita eventual......-
351:731*525
45:469*222
143*666
2231(10
808*421
- 1490
597*280
1:255*170
3:008*53 "
Antonio Ignacio do Re^o Modeiros.
Herminio Egidio de Figueiredo.
Felisberto Ignacio de Oliveira.
Est conforme.
Julio liuiiiarae.-.
Oakial-maior. ,
4w..to*hh j 0 chefe da j, sec?50i autorisado pelo Sr. ins-
l-AUAIt pector interino da alfandega faz publico para.ro-
1 *Utf**, nheciinento dos interessados, que noprasode30
ii-"i7S'IS das, contados da dala deste, deveriio apresentar
1 ?,,?$,.. nosta seccao a arqueacao das embarcacoes do tra-
*J*" ifego desle porto, sob penadeno serem admittidas
i -iuia4V> **ra descarga, e imposta a multa do artigo abaixo
i./ia*ouu transcripto.
,...,.. Artigo 448 do regnlamentode 19 de setembro de
iii- ,):.W)z.i: elni,arcaeo, excepto as lanchas dos proprios na-
''"(Hihhi ''os' se'ri emPrp8a(la na descarga de mercadorias
'i ielilA KKl sem ''ne tenBa S|J" previamente arqueada; e tan-
.i.USUSUUU w na proa ^^jjq na pypjj lrAi,. marcado, pelo es-
I taco que mergulha qnandu recobem carga, e mi -
" 7JUl(i conne?a approxiinadamenle pela parte mergulha-
7*8UU ; da, o peso e quaolidade de mercadorias que tivor
A fiscalisacao deste artigo jiertence cumulativa-
Caetano Aurelio de Carvalho Cont.
Manoel Pirmlno MunteB.
1 a lliguskjfjns de Soiiza.
E'l'blio i -Ai.iuj,, Perreira Jacobina.
Eduardo Plrmmo da Silva.
Jos Antonio Pfdto do Modeiros.
Ttioinaz Times.
Tertuliano Seiplio da Ponsoca.
Manoel Loorenco do Mallo-.
Podro de Ali-aniara e Silva.
Florencio Rodriguesdo .Miranda Franco.
Fraiieiseo Joaquim llamos e Silva.
Francisco lose da Silva Goimaraes.
Francisco Alonso Ferreira.
Dr. Joiio i.oncalvos da Silva HaoBrrovos.
Francisco Antonio de Menezes.
Dr. Joaquim da Cosa Dourado.
Joaquim Mondos do Souza Ferreira.
Jos Manoel di Sanios Vital.
Hilario l'rbano da Silva.
Joao de Deus Quintella.
; Joso Clemente Pereira dos Sanio?,
i Jos Thomaz do Afiliar.
Joao Tiburcio da Silva Cuimarae-.
Jos Baria Geraldes.
\ Joaquim Calase Caelho.
Joio Octavio Vieira.
Joao Antonio dos Res.
Luiz Melano Franco.
! Luiz Jos Anlunes.
Manoel Antonia Simoes do Amaral Jnior.
Fredoi ieo Velloso Koopp.
Manoel Bomingues da Silva Jnior.
Manoel Coelho da Silva.
Manoel Jos de Lomos Barros.
Canitiio Manoel de M-llo e Albuquerquo.
F. para constar mandoi lavrar o presente que
sera allixado nos lugares mais pblicos da fregue-
zia e publicado e psfa illl|lrn^a.
En Francisco de Barros Corroa, escnvio o subs-
ciovi.
Fioguezla da Boa-Yisla. 31 de Janeiro de 1864.
Gustavo los do Reg,
juz de paz presidente.
i
Annellanto. Anto..... Juaqfllm de Vasconcollo. i-.,,., 0 Ri), (; d j
ppellado, Jos Joaqu m .'iM-de AbnoMla ^-. '>" nranae no mu
Appellantes, J. Iler &' Franeis- PJ'f** *P'| cora muita hreridade a barra Afn
'' '""" Tole anda reivb-r aluma rarga a Ir*-
oi-,,.|1i,I,k tll;l,;';M' !-,,nl> s feus consignatario- Amonio Luiz
npp. nauos, de ohveira Azevedo A C. no seu esrriptorib, ra
da Cruz n. 1.
to Perreira Borces.
Appellantes, Unto. Quciroi |
Mathens, Austiu A '
Appellanto, Vicente Alvos Machado : appefados,
Prente, Vianna & c.
Appellantes, os curadores liscaes da mlleneia de
Aracah
0 hiate Srnil't Rilu em parte da carca nromnta
: appcllado, Hennquo Jot Al- p;ira 0 r,,Mo. (1,,ta.so C0111' T^J ^J?;,
Amorim i. 35, ou com o mestre no trapiche do
W5^
IJ__UJ -
DECLABACQES.
S;inia Casa da Misericordia do
Reelfe.
A lllm.junla administrativa da Santa Casa da
Mm'In-ordia do Rooife manda fazer publico, que
no dia 4 do prximo mez de fevereiro pola.- 4 ho-
ras da tarde na sala de suas sesses lem de ir
praca as rendas das casas abaixo declaradas, per
ves Ferreira.
Appellantes, Manoel Leao de Castro e ouiros : sjondn'
appellados, Barroca & Modeiros.
AppellaDtet) os almini-tradores da fallencia de 7~, i" a ,,al"a '"'""'^ sall'r n,m mnila ''rc"
Maiimlio de Oliveira lingos: appellado, Francis- Vlll'7 veleiro patacho Tlieraa, capitao Joio Cr-
rela Lim.-i, por tor a atalor parlo da carga : para o
rosto que Ibe falla ITMa-se com os consignatarios
l'almeira i Beltr.lo, largo do Corpo Sanio n. 4, 1"
andar.
ffll* O ifl 0> JairCrf.
Saldr com brevdade o brigue nacional Minn
i a. reeekM carga e escravos a frele : trala-se eom
Manoel Iu naci de Oliveira r Pilho, largo do Cerpo
Santo n. 19.
co Ferreira Borges.
Appollanle, Pedro Cavalcant de Albiquorquc
Lchoa : appellado, Manoel Alves Ferreira.
Aiipellar.tes. os administradores da mas*fallida
deGuimaraoj & Irmo appi?llado. o bachan-Uosi'-
Francisco Texeira.
Appellante, Candido Moreira da Costa apella-
do, o major Joaquim MjuteiroOuedes Gondini.
Ap|iollinte, Candido Mon ira da Costa : appella-
do, o capito Antonio Quedes (iondira.
Appellante, Francisco Antonio das Chagas ; ap-
pellado, Claudio Duboux.
Appellante, Manncl Jos da Silva Grillo : appel-
lado, Antonio Gomes da Cunha c Silva.
Appellanie, Manoel Ignacio de Olireira ; appel-
lado, Joaquim Salvador do Siqueira Cavalcant.
Appellante, Felippe da Silva Pimentel; appella-
dos, os curadores liscaes da niassa fallida de Fa-'
ra i C.
Appellante. Domingas fos da Cunha I-age ; ap-
pellados, D. Mana Francisca da Conceiciio e Silva ,
e oulros.
Appeliante. Manoel Ferreira Garrido; appellado,1
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello.
Appollanle, Joao Hiplito de Meira Lima; ap- j
pellado, Crizanto Bario Nobre de Almoida.
Appellante, Miguel Jos do Abren; appellado.
Horacio Tiburcio da Cruz Miiniz.
Appellante, Jos de Faria Ferreira Jnior ; ap-
pellado, Antonio Ferreira Leal.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 30 de Janeiro de 1864.
Julio Ominarles,
Secretario.
Consclho de compras navars.
Promoveo conselho no dia 5 do correle mez a
compra dos seguintes objeclos do material da ar-
mada : 1 bomba de Japv ruin 000 palmos do cano
grosso de chumbo, e 200 palmos do dilo lino, 6 pila-
rnos de luzes nalu aos, verde e encarnada, 20 ar-
robas de moran, 50 osgunhos, 40 pecas de Italia
LEUDES.
m
teneeutes ao patrimonio de orphaos por teui|H) de de barca, 100 verlidoros, carvao de cok, 1,000 fo-
um a li's anuos. a contar d<* Io de julho prximo meas de rede, 12 guardas-morroes de folba, 20
. m mente aoguarda-raor e ao chefo da 1" seccao.
nico. A infrncjio desta dispo.-icao sera punida
com a multa de 20* 200*, pela qual ser respon-
10*000
435*592
100*1100
1:5111)15000
futuro om diante.
Os preloiidenlos deven) comparecer aeonipanha-
dos de seus fiadores ou munidos de cartas oestes.
Praca de Pedro II.
N. 1 particular e 33 publico, segundo
andar .........
N. I dito e 33 dito, sala.....
Ra do (Jiieiiiiado.
N. 1 dilo e 35 dito. loja. ..
I!u i do Imperador.
N. 2 dilo e 81 dito, loas andaros- ..
Largo do Para izo
N. 4 dito e 29 dito, dous andaros
ltua das Larangeras.
N. 5 dito e 17 dilo. casa (enva .
ltua Volha.
Mullas imr infrarees .
RostituicSes creposcoes
Mea do consulado provincial, 30 de Janeiro
4el864
O :;- eHcriptnrario,
Pedro Simoes da Silva Braga.
mmBsm'Wwn^
tfovioi minutos M dhi 31.
Bal ia 11 dias, curvla nacional Raliinnn. coin-
iandante o capito de mar eguerra Jos Seenn-
liuo Gomensoro.
1:298*500
>ui me I savel o dono da embarcaran nao arqueada.
381*386 j Alfbega 55 d Janeiro de 1864. O chec de
huhuui! seccao,
4005DOO Lujz Fran(.sco de Mello Ca\-alcant.
floiiixi Ur- A8oslinho Ermelndo de Lno, cavallero da
*7"5'* orden de I'.hristo e juiz municipal e pi-wedor
do termo de Olinda por S. M. I. e C. que eo>
criiurd ele
Saoo saber que no dia 8 do crranle moz palta v 8 ,IUo e :, *f. cas., terrea..
4 horas da Urdo so ha de arrematar por venda a | w 1:._ ^ y}>A l' -v ,,;ll(.'lo
quem maior raneo offerecer sobro a quanla do
16*000, por q'uanto foi avahado um ravallo casta-
nbo de meio, descarnado, com urna sarna no pes-
cogo e um incbaco no caliello louro sobre o alto
das pas a que chainam (,'iriinuo, como bem do"
evento, visto nao ter apparee.ido quem o recia-
masso, cuja arreinalaofei lera logar a porta da
casa da residencia deste juizo.
E |iara que clu.'gno ao conhecimonto de todos
tURiMi se |,assou presente que serafflxado no lugar do
lo*wo costme e publicado pela imprensa.
Dado o patsam sob mee signal e sello desle
juizo valondo seih sello ex-causa Beata ridade de
Olinda ao 1- do everoiro do 1864.Eu Francitco
da Costa Cavalcant Ponina, escrivo o escrovi.
AJgostinho Ermelino de Leao.
A cmara (municipal oseta cidade tendo do
proceder no dial 6 de fevereiro prximo vndotiro
a a|iiiraoao gernl de votos para um sonador que
^deyejlar osla mrotineia para preeneher a vaga
i..iv^7i-, nsnioijiin mil t-' y i" Visciiiiite de Alba-
600*000
165iV)0
113:932*447
N. 1(1 dito e ii iiiio. casa torrea..
N. 11 dilo o 24 dito, casa torrea.. ..
Roa do Pire-.
N. 13 dilo e 3! dilo. rasa terrea
Ra da Madre do Beos.
N. ::dtoe8 dito, casa terrea
N. 36 dilo e 2 dilo, casa terrea.. ..
II 'eco das Betas.
N. 38 dilo e 16 dito, dous andares. ..
Ra da Lapa.
N. 40 dito e II dito, casa lerna.. ..
Ra da Moeda.
X. 41 dilo e 21 dito, casa terrea ..
Ra do Azer de Peixo.
N. 63 dilo o 14 ditj. um andar.. ..
Ra da Cacimba.
N. M dito e 12 dito, casa terrea.. ..
N. ti" dilo o 10 dilo. casa lenca.. ..
Ra do Vicario.
N. 72 ditoe 27 dito. do:is andaiOB .
Toa da Sensata Trina.
lanlernas de patenl, 400 navalhas do marinheiro,
90 varos do cobre do 3|4, 100 vares do cobre de
4|8, 100 varoes de cobro do 5|8, 2 jogos de tarra-
j chas do modello de Wbllworu com seus utenc-
I lios, 30 arrobas do pragos do cobro do 4 |ollega-
4S3JOOO das, 8 arrobas de probos de eolire do batel peque-
220*000 no, fioo pncaros de Iblha, 20 turnos do m-idas de
Ifolha, 10arrobas docii-, 12 pranclioes de codro
332*000 lascado, 408 olhas do linee, 600 remos de (ala.
10 duzias de taboas do costado do pao carga, ID
1:202:000,duzlas de taboas de co duzias de tabea de usoalhe de pao carga, 4 pocas
de cabo do manilha, 8 duzias do taboas de pinho
da Sueeia, de 3 potlogadas, 8 duzias de taimas de
dilo de 2 pollegadas, 7 duzias de taboas de dito de
1 l|2 pollegada, o 12 duzias de taboas de dito de 1
pollegada.
Tamben no dito da contrata o consellio. sujoiio
approvacao do Exra. Sr. vicc-presdeute da pro-
vincia, o for noel ment de carvao do nedra e de
cemento, por tempo de sois mates; e olloetua este
contrato, bem como promovs a referida compra
dos objeclos do material da armada, sob a> condi-
eoesdo osi\llo, e em vista de proposlas reeeliidas
at as 11 horas da manhaa, para o que convida aos
pretendentes aprosenla-las.
Sala do conselho de compras navaes Io de feve-
reiro do 1863.
Aloxandro Rodrigues dos Anjos.
Secretario.
Delegada do pohcia do 1" dislriclo da cidade
do Rocifo 1-de fevereiro do 1804.
Nesta dole^acia existe um cavallo castanho, que
aodava sem dono a vagar pelas mas deala cidad
LEILO
Em coulinunfao.
J. Fab|ue, querendo liquidar* far leilao de to-
das as fazendas existentes no so arinazem da roa
do Crespo n. 4, constando' de urna grande porco
de roupa leita do todas as iwaliiades, calcado,
perfumarias, bengalas linas, chipla pfera homens
e senhoras, uinii imnicnadade le a|tJflBe de luzo.
sendo tude vendido sem rmeles e osn fcte* a von-
tade dos ompradores.
1IOJF.
<|narl;i-fclra 3 doeorrende kn IO
horas da nnnhVa.
U agente ALMEIDA competontomiiile antorHa-
Vi far leil.to das fazendas cima declarada*, e
convida aos seus freguezes e amigos aproA-eitarem
a oocasiao do se ptoverom de muitos artiffos ne-
omanJoo e ootros proprios pan presentes defev
la. ruja acquisioao farao por pouen dinbeiro.
DE
120 Ctt cow niiieans.
HOJE.
Qoe faz c agente Pestaa por eonta e risco de
quem pertencer para rochar coma em umou mais
lotos: boje 3 do crreme pelas H) lras em poni
no armazem da travesa da Madre do f>K>s n. ".
HM*000
205*00il
204*000
LEILO
querqoe, convida, de conformidnle ci !l .iiiVift*''
parte do art. 85 cap. 3" da le n. 387 de 19 de
agosto de 184(1 nos cdadaos que quizerem assistir
a dilaapnrai;aii.
Paco da cmara municipal do Recfc 30 de Ja-
neiro de 1864.1|,uiz Francisco do llanos Rogo,
l'ni lis do sol7 dias, vapor fraueez Gueme, do presidenlo. Francisco Canuto da Beemasjem, 50-
I, 67 toneladas, commanOante Enoul llyppolit, crelario.
O major Gustavo Jos do Rogo, juiz de paz presi-
e piiiiagoni IKi.
Ne\-Voik-3:iilias, patacho inglez SI. Pefor, de
117 lonelaibis, capito F. J. Lewe, equipagoni
7. sarga farinha do trigo e outros gneros; a
Ilonry Porsl -r \ ("..
Navttu sabidos no mmwe ii'u.
Rio i.rand-doSal Berna nacional Tliereza. ca-
li tao Joao Ignacio desello Jnior, carga assu-
car e oulros gneros!
CanalEscun i nglexa ScotU, capito I. A. Willa,
c irga assue ir.
LiverpoolBarca ngleza habella Ridleij, capitao
1 ii-iiaid Bu I ley, carga assucar e algodo.
BaicelonaSumaca hespanbola Fritla, capitao
( eialih Mil'i, carga algodo.
Bordeaux o portos intermediosVapor francez
i'iir. ci iiiiandinte Enout Hyppolit.
Portot te nmie--Vapor nacional"A/ni, comman-
dante Joaquim de Paula Guede Alcoforado,
Navio entrada* ni din i de frverefro.
'IVr-a-Xova-32 dias. brigue imilez Mtlmm, de 150
te ludadas, capitao Williiin Sitab, equipagem !.
N. 89 dii i e 16 dii". ansa Irma..
Una da Guia.
N. 84 dilo e 2!) dito, casa terrea..
ltua do Pilar.
X iu dito o 105 diio. casa Ierren..
N. 92ditoe 104dito, oasa torrea..
X. 93 dito e mi tito, casa torrea..
X. 94 tilo e N dito, casa terrea..
N. !'5 dilo o X!) dilo. casa terrea .
terrea .
quahlicac respectiva em virtude do que de-]^ m^tlSuS.^rm."
lerminou o F.xn.. sr. presideate da provincia, em N. m m m dj|a Msa |erm_
denle da junta da qualilieaco dos votante-da
frognezia da Boa-Vista, em virtnde da le, etc.
,-JLlllrlo i1"l.,.ll.'*VI. d,*|4 luid,1*-.
X. su dito o 132 dilo, dous andares.
N. 81 ditoe 18 dito,casa terrea.. .
M
2o barris rom vhibo linio de Lisboa.
ttiiiuli icia 4 Ir frvrrflro.
O agento Pestaa vender por cunta e risco de
quem pertencer 25 barris do 5" com vinho tinto
de Lisboa marca bem acreditada 00 morcado c a
sabir da alfandega o qual sera vendido om um ou
mais lotes a volitado : qninta-foira 4 de fevereiio
no armazem do Aunes as 10 horas da manhaa em
ponto.
7eiil\o
MOVIS .
S'\ia-ioir,-i .*> do correte as II 1|2 bor.i-.
SEM LIMITES.
0 agente Olimpio vender em leilao em seo ar-
mazem na ra do Imperador n. 16 o segninte :
12 1*000 na noiie do 30 de Janeiro olnfo,o qaal (razia can-1 mobilas de Jacaranda guarda roupas, apparadn-
82*000 galba o cassii.ies com cai vao : quem qner que for res, guarda lenca do Jacaranda e amarello, san-
Sono domeamo, apresenle-se iastiOcando sen do< taarios, samas francezas, piaoos, marquezas. ca-
603*000 minio, dentro do prasn legal, lindo o qual serio bids, soTs, consolos, eaisas para relogios de pa-
enrapridas as diaposieoes de direito. le, berc^is, re v is de algbeira, ditos de pare-
-"'''-'""I| ,, '-ni/ ri. ^lim-nioruue Mariins Poroira. de, ea.leiraayuls is. crxstaos e oulros
183*000
183*000
104*000
200*000
181*000
403*000
160*000
25L300O
502-5000
10*000!
----- Lu.du..V'i.i moruiie .Mariins P
- Ocidado Manoel da Mlva Ferreira, ji
1255000
163*000
Fuco sabor aos Sis. oleilores o supplonte> desta '$] ,j7 ,||||10 ,0 d(0
froguezia, que tendo sido dissolvida a junta de .y (,.| j,,,,,. jm; ,\lU) ,..,,.,
carga 2.321 barricas e 164 meias ditas com baca- Dr. Joio Mai ia Seve.
cilicio de 25 do oorronie, e por motivos do ir-
regularidade na puhlicaoo do edtal o doler-;
minando o inc-mo Bxm. Sr. que se corrvoquo no-
vamente os eleitores o supplontes desta freguezta
para no dia Io de marco se reunirem e elogerem a
jnnla de que so trata, por isso que dando cum-
primenlo as ordena recebdas os convoco para o
mencionado dia 1" do margo, pelas '. horas, no
corpo da groja matriz da dita fregaezia, sendo ap-
is as penas da lei aos que faltaron! som mo-
tivo juslilicado.
Eleitores.
Tenente Decio de Aquino Fonseca.
Dr. Silvio Tarquinio Villas lioa~.
Capito Joaquim Francisco Franco.
X. 102 ditoe 100 dito, rasa terrea.
X. 103 dilo e 08 dilo. casa I
a. 104 diio o 96 dito, casa terrea
X. 105 dilo o M diio. casa torrea
ltosarinho.
X. 3 particular, casa t sitio ..
Miruoira.
X. idiln sitio..
Secretaria da Sama Casa da Misericordia do Re-
cife. 30 de Janeiro do 1864.
O escrivo.
F. A. Cavaleanii Consseiro.
10*000
H7.-337467/
4*945*1184
*
*
*
i :42o k900
630*974
528*30)
242*410
.'il* 200400)
24.5000
575:847*770
5::iO740
10:47U*!87
II ao: a Johnslon Pater A; C.
Idei i -43 dias, patacboinglez Aimjon, de 166 to-
n dadas, capitao George Branscombs, equipagem
8 carca 2.402 barricas eim bieallio; a Johns-
lon Pater c\ C. Seguiopara Macei.
Rabia20 das, barca ui|fl,-za/am<-i Scotl, de 342
ii teladas,eapitioCharles Terpi, equipagem 12,
e n lastro ; a ordem.
Manes mA^Ios no mesmo dm.
CanalBrigue iaglet Jamnila, capitao J. SaaHh,
carga assucar.
PaNhiba -Patacho inglez Bulle Cftti, capitao D.
i'.reme, em lastro.
iVovw entrado o Uta 2.
Ter-a Nova31 dias. brigue natal jate, de 177
ti o liadasea,.ito Thomaz Bodrio, equipagem 10,
-i 2608 barricas com bacalbo: a Jobnstoii
l'ner & C.
fiarn sahiajt nt mttno iia.
Can ilRrigne inglez llebe uf tl,e Ere, capilao Ma-
l i-iis 1. Edrm. car^a assucar.
Ideri Rarca franeiva Gneirier. capito Blandin,
cifra assiicar.
ie in-k -tiar-a mgleza Saint Ctoir, capito Ro-
barlo Whiti i.m. cargfa assucar.
PoroBrigue portaguei Ktpeixmet, -capito Loo-
reiii;.i Fernandos do l'^rmo, carga assucar, ina-
doira e oulros gneros.
Montevideollrigue hespanhol Manuel, capito
Autonio Rodos, carca assucar.
EDITAES.
Tribunal do commercio.
Hi/imos da provincia das Alago: -.
Ditos da pro Vi nela daParabjha .
Ditos da provincia do Rio Grande
H-le.........
Coutnbujcao de carklade. .
"'Reolii.ieirtodaaioz do icr.orubro de
ISMa-im
Rc in enio do im-zde deziMiilro de
i .I a 1661.......
indica do Pruambueo, 30 de |aneiro
i86a
0 3'esr, iptiirarin,
Jihui Bernarfi ini: l
BDrT^L
O tribunal rio cominoroi. da provincia de Per-
namnico convida aos sonhoros conimorcianles na-
cin ios matriculados o residentes ueste distrielo,
a co npareeerem no dia 17 do fevereiro prximo
fiiliro, as 1 horas da manhaa, na sala da Associa-
(o ommorcial Ronefieenle, pan proceder-se a
eleijo de um deputado commercianle. que em
sulistituoo do deputado fallecido Jos Gonealves
Mabeira. tem do servir at o llm do anno de 1866,
lempo qoe hitan ao substituido, na forma do ti-
,..,.,,,,, 'lulo nico do cdigo commereial o decreto de 5
::-'.'"'}.:' '" s itembro de 1850. E para constar mandou o
.(/ lKij/ sohieditn tribunal fazer este que, assignailo pelo
sen secretario, sera publicado no Diario de Per-
...ii .iM.iomi nainbiico e aflKado na praca do commercio cora a
lisia de que traa o art. 5* do citado decreto.
Sicretaria do tribunal do commercio de Pernam-
f.TW:715152 |)UC3 2; je Janeiro do 1S('.'..
460:860*00'.!
de
Joo Ignacio de Modeiros Reg.
LISTA.
Joso Jeronvmo Monloiro.
(osi Joaquim Dias Pomandef.
.no
KtM'ctiedoria de rendan iatcraaN
Sri.e.s tfe sFernaiubtiro.
da I...........
Antonio Siqueira.
Jos.'1 Velloso Si ares.
Mainel liiacii. de Oliveira
.Manoel Jtatoen Ramos e Silva
Antonio Jo* Leal liis.
Vicenta Mandes Wanderley.
733*660 Jos Marcelino da Rosa
======- Joac Cardoso.\\res.
Capilao Jos Francisco Lavra.
Major Manuel dos Santos (fUMS de Oliveira.
Clormdo Ferreira Calan.
Desembargdor Dr. Francisco Balthazar da Sil-
ve ira.
Francisco Acrioli de Oouveia Lins.
.lo-io Barmaemen Gonealves da Silva.
Joo Pacheco de Quoiropa.
Joaquim Augusto Ferreira Jacobina.
Major Manoel do Xascimeniu Costa Mouteho.
Bernardo Jbse Hartios Pereira.
Joso llvgino do Miranda.
Jos Joaquim llamos e Silva.
Dr. Lourenco Trigo do I.oureiro.
Thomai Barre!.
Prancisco .lulino Corroa do Mello.
Fia vio Ferreira Cato.
Major Gustavo Jos do I
Vicente de Paula Oliveira Villas-Roas.
Dr. Aprigio Justiniauo da Silva Ouimai e-
Dr. Jos Mamede Alves Ferreira.
Teaenie-corouel Feliciano Joaquim do? Sanios.
Joaquim Claudio Monloiro Jnior.
Dr. Joo Honorio Beaerra de Menetcs,
Joaquim Jorge de Mello.
Dr. Joaquim do (Hivcira c Souza.
Capilao Manuel Porfirio de Casiro e Araujo.
Symphron'0 Ulympio do Queiroga.
Thomaz de Carvalho Soares Brando.
Tenente-coronl Antonio .arlos do Pinho Borges.
Capilao Amonio Jom- da Costa e Silva.
Dr. Denio-abones da Siveira Lobo.
Francisco Antonio da Silva Cavalcanli.
Jeronvmo Joso Ferreira
Manoel Antonio Texeira de Albuquerquo.
Manoel Joaquim Fernandos do Azevedo.
Manoel Francisco Honorato.
Antonio Carneiro da Cunha.
Francisco Mondes Mariins.
Dr. Ib-mi km do llego Barros.
Dr. Luiz de Carvalho Paos do Andrade.
Antonio Jos de Caslrn.
Franrelno Xavier da Fonseca.
Manoel Jos da Silva Ouimares.
I'Mo AK landriuo de Barros Cavalcanli.
Luiz da Costa Porto Carroo.
Luiz Jos da Silva ('uiniaraes.
Dr. Eduardo do Barree Faloo Cavalcanli de Albo.-
qurrque I.acerda.
Capilao Joo Athanazio Botelho.
Dr. Naboi Carneiro IWerra tavalcanli.
Sii|ipleiites.
Dr. Caetano Xavier Pereira do Brito
Dr. Manoel Joaquim da Sllverra.
Leopoldo Ferreira Mariins Ribeiro.
Manuel Til. mimo l'.odi igues Pinto.
Dr. Manuel Antonio da Silva ROS.
Anlonio da Silva Ferreira Jnior.
Antonio Carbts de Lomos Datarte,
Augusto i laudio Mobteiro Clao.
Antonio Elseo Anlunes Ferreira.
Antonio Candido Ouimares o Silva
Andr Alves Res.
Antonio Joaquim d Rarro-Lima.
Ibnto Francisco da Cunha.
Anlonio da Silva Ateveo.
Mr. Jos dos Santos NunesdeOhvi
Manoel unta da Veiga.
- Pela secretaria do tribunal do commercio se
faz publico que eslo parados par falta de proparo
. untes taima :
Aggravos.
Agravantes, LcitcV. Irmo aggravados, Eduar-
do Alexandre Burle v ('..
"''. fiburcta Valeriano Raptisla ; ag-
|ravado, Jos Pinto da Cesta,
I Agaravaate, PraOCtaco Alves de Miranda Vaio-
jo : aggravaaa o major Jeasjuha de Souza Leao.
Aggravanie, Silvino Guilberme de Barro- ag-
gravados, Francisco Antonio de Oliveira o oulro.
_ Aggravanlos, os Buradores liscaes ,1a masas Ea -
IWa de Amorim, F. Sanios a C. agravados, os
hcnloiros da inassa fallida de Siqueira & Pereira.
Aggravanlos. Prente, Vianna A C.: aggravados,
Moii.i, irmao e muro.
Aggravanie, D. Anna Dellina Paes Barrlo : ag-
gravado, Maoael de Bouaa Pereira.
A;.i avante. Francisco Luiz Pae- Halieto ; ag-
gravado, Berenlaao de Aodrade Portona Pesoa.
lOo'ioo paz do 'i anno do 2" distrielo da freguezia do San
2015000: to Antonio do Rocifo, taz setenta a quem convter,
que da as audiencias nos dias quartas e sabbados
s 10 horas da manbj 1. na c isa de son residencia
na ra Hireita n. 10, senoo as audiencias muladas
para os dias anteriores (piando os marcados fbreffl
163*060 sanios 0:1 feriados, a despacha todos os das das 6
1733000 horas da niauha as (i da tarde.
254*000; De ordem do juz de paz. do 4 anno do Io
237*000 distrielo da freguezia de Santo Antonio do Rooife,
KiiriSOOO o lltm. Sr. major Antonio Bernardo Qninleiro, fae.o
1685000 sciente a quem convier. que as audiencias deste
I63*IH)0 juizo COntinuam a ser as tercas p sexlas-l'eiras as
IS23000 2 horas da lardo, na sala publica do andar torreo
163*200 da casa que foi cade i a o ra do mesmo nomo, e
10 boje do Imperador, e quando estes dias forera >;ni-
1733200 tos ou feriados, sern as audiencias nos dias ante-
173*000 j riores. O mesmo juiz de paz despacha das 6 horas
da manhaa s 0 da tarde, nao so na casa do roa
resi tonda na ra Nova n. 63, eomo em qualquer
lugar onde for encontrado. O escrivo,
Silva Rogo.
No dia 3 do correte, dopois da audiencia
do tiln. Sr. Dr. juiz municipal da 2j vara, ser ar-
rematado I 4 pule de sitio n. 40, no lugar de
lleniliea, avaliado dita 4> parte por 6:166*, por
execucao de Amonio Valentim da Silva Barraca
contra D. Senhorinha Joaquina de Almoida Leal, o
mais brdenos de Manoel Carneiro Leal, escrivo
Cunha.
IIIZ (l'i'-l'1'1-"
DK
3911690
213*600
PR E 1)1 OS
Sahbado G do cnrrenie.
Por ordem da caixa filial por amata e risco de
quem pertencer e por intervenco do agenta l
tana, rao a leilao os seguales predios oulr'ora
perteacentes a Sebastian Jos da Silva, a sabor :
2|3 do sitio, terreno e casa de sobrado n. 42 ua
ra de Bemflca junio do Sr. Barroca.
O predio da fabrica e terreno de marinha nos
Afolados ao ie da fabrica do sabio que foi do
Deliino. Aos Srs. pretendentes a qualquer infor-
marn o agenta se acha promplo a dar |>ois que os
compelemos iiiulos acliam-se om mo do mesmo.
O leilao tora lugar sabbado 6 do crrante patas
12 horas da rianha na porta da associacao com-
mereial. ___
ni:
T11EATRO
DE
GRANDBS BAILES DK MASCARAS
ttahbado. domine"- segunda
terva-feira.
Liiiii loja de lerra'eus.
O agente Pestaa far leilao da loja do forragens
da ra da Clideia do Recite n. (ii. com o fundo do
16:000*. vende mu um soluto on en oeq
lotes a voiftale dos compradores, os pretendentes
liodem examinar o balanco em mo do mesmo
agente, o leil 1 ter lugar" no dia 8 de fevereiro
prximo futuro.
AVISOS DIVERSOS.
0 cinirgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
masera devidamonle publicado.
AVISOS MARTIMOS.
(i, 7, 8 e 9 lo coneRlc.
Miguel Candido de Modeiros l'into, tendo obtido' UUGlHlti(10 pilLil il 1*11*1 OflS
de S. Eu: o presidente da provincia, o theairo do r\mirlAC, at\\m-*i\f\ m * Aggravante, Anlonio da Rocha Accioly Lins ; Santa Isabel, para dar pelo carnaval quatro bailes LtUZCS iSODlcKlO 11. OD, til"
aggi avado, l.iicidato Pereira Lima. inasearados. avisa aos amadores des tes bellos di-'
Aj,'gravanies, Peere^k Maia ; aggravado. tose vertlmentos, que so apresentera, e que o program-
Albauo wandertoy.
Aaiaavante. Custodio Ferreira M ntiabo ; ag-
gravado. Mam! Antonio do Azevedo.
ALvravanio, Jos.'- Moreira Pontos : aggravados.
Moho, Lobo & C.
Agravante, Joio Ruiino Ferreira ; aggravados.
AhneidaA. Burgos. 1
Aggravante, Francisco da Silva Cardoso : aggra-
vado, Joao Agostinho de S.i Pereira.
Aggravanie, Manoel AntonioSupardo : aggrava-
do, o juizo.
Aggravantes, Campos A Lima ; aggravado, o
juizo.
Aggravanie. Joaquim Piolo uc Rarros; aggrava-
dos. os berdeiroe do coronel lieuriquo Pereira de
Luccna.
Aggravante, Manoel Antonio Rezerra : aggrava-
do, Anlonio Perreira de oliveira Ramos.
Aggravanie, Jase do Moura Cavalcant ; aggra-
vado, Luiz Antonio do Araujo Vianna.
Aggravanie, D. Paulina Cae.iana toares Carnei-
ro Monteo ; aggravado, Manuel Pereira Maga-
lates.
Apoellaeoes.

j*
GOMPANHIA PEBNA.MBCANA
DE
XavcgavSo costelra A vapor.
Marei c Srryipr.
O vapor l'arohiiha. comman-
danle Mariins. seguir |iara os
portos do sul 110 dia ."> de feve-
reiro as o horas da larde lo-
cando em Macei o escalas. Pe-
ineiro andar, por eima do
armazem Prog-ressista, aoii-
de o acharao como sempre
prompto a (ualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pi-
fissito, fliamado por esoripta.
vW*'
Corre hoje.
Quarta-feira 3 de fevereiro prximo, se
nodo o Araeain. Recebe carga ate o da 4. En- '. L,
, oinmeniias passneirot e dinheiro a trote at o -'xtralnr, a quaila parlo da primeva lote-
da da sabida as 2 horas Porte do Manos n. I. groja de Nossa Senliora do Rasarie da re-
gue/.ia de Sanio Antonio.
Os bilhebs e meios achana-se venda na
respectiva thesouraria ra do Crespo n. i5
ttmm
\ ai athlr por osles das para o Ass o palhabote
sVraaMtj.
Dr. Joaquim Antonio Cirneiro da Cunha Miranda. 0 biata Nkolt eslareslM a seguir viagem Os premios de 5:0004000 al 103000
Appollanle, Miguel Jos llarhosa Guimares: ap- para o Aracaly : pode anida receber aliriima car- soro p;iL"N Ultia Imra depois da exIraCCaO
pellada, Joao Predeneo (i. Klaoli. ga, para o qne se trata com os mMfnatartos na ...,, ,K ,. ,,..,, S .....^ M (.nU^ no dia
Appellante, Anloaie Jos.- Conrado; appellados, 1 ra da 6adeian.57. "' ''? ",P ,- ? ?- V
Amonio Francisco das Noves a entres. -------.,..., 0., .-rir;----------nrrr segumte de.iois^ikjJislrihiii^'o las lisias.
Appollan,,,, Prancseo Amoino de Rri.o e ou- ~^ ', ""u "o.e fie [50 iHS! ; oS^sourelro,
iros : aislado, Gald.no Temi.loch. Canra. do ^^J^t-Z LSl^',-T^mrZ
Antonio Luiz de iiln.na Aievodo \ C... no seu-
Anlnnio Jus hodrioues de Si^uza.
V;iseo!icellu-.
Apellante. IVanci-eo Anlonio de BritO : appel- ^^^,,",,, CnU {
lado-, o presdeme e directores da caixa lihal do __j_____________________________________ |
Apjiejtante, Francisco-Aolorio de Brito : appel- PARA 0 RIO DE JANEIRO
lado, Antonio Jos de Castro. pretende sanTr al 6 de fevereiro o patacho Cor-
Appellanie, Francisco Antonio de Brito; appel- reta portera maior parto da carga : para o resto databa, cmodo Postumo. Anda a qual se benzer
lado, David William Itowman. que llio falla o escravos afrete, trata-so cornos a garganta ; o Glorioso Martvr se acbar enlloca-
.%dvoslda gargaata. erecto aa
l^reja le X. do Tere.
Quarta-feira 3 lera lugar a leste, o a imite ta-
.-..*-,--------........... .............. ^m ,,,, ,,,,,, c omavva a iion;, iirtia"^*" I 0111 ^..s ,i grtl^dlll.l ; V tllOllirSO .I,UIM sr1 ,o 11,11,1 ro|l
Appellanle,Thiotonio da Silva Vieira | appellado. consignatarios l'almeira & Reltro. largo do Corpo do no corpo da groja al o dia 7 vem i
Joaquim Elviro Alvos da Silva. i Santo n. \. primeiro andar. fiis,
do


Diarto le PcvnamMieo qw.u ir fe*ra 3 de Fcvea-elio de 18tt4t.
INTERNATO

-MI
DE
I
DiBUl
i) fUJ
Estabclecido iw ridade le Rwife
SoF a Protecco do Skiininio i*ouii<-< l*io i \.
Krector0 bacl arel era nialhcmalrcas
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O director Is inlemato de S. fiern: rdo, nao leudo evitado esforcos nem sacrificios
para proporcionar aos seus alumnos urna perfeiu edwacao plnsica, ioral, intelloctual e
religiosa, offereoerido-lhes nina baniaco (om bastarles coudiroes de salubridade, habis
professores que sao solcitos em prepara-ks convenientemente su lini que se dstinam,
medico praticoque llics faga coniprohcndt r os preceitos da hygiene e Ihes cure das doen-
as, e Analmente ura sacerdote Ilustrado : honesto que Ihes esplique os principios da re-
(Ha i ihrlstia,esjiera qee assim constituido nao deixar o seu estabclecimento de mere-
cer ilosSrs. |iaes de familias o auxilio e confianca com que ja algons o ten honrado; e
Ihes ruga, betn como todas as pessoas Inleressadas, que se dignen de visitar o mesmo
seu estalielewmento, onde sempre encontraiiio franco ingresso.
Gadeir deensino :Fruncirs lett: as dividida m duas classes, leudo cada urna o
seu professor, ltiro, francs, inglez, ai ithmlica, algebra c geometra, geograpla, philo-
soph a, rlietorica, duienho msica.
0 coUegio tem a sua sede no esparo so edificio n. 32 ra d'Aurora contiguo ao do
cetlegie dos orpha is.
a disposirao de quera os quizer ler, se acliam
matricula as diversa; aulas du esiabeleci-
g DENTISTA DE PARS 11
18 Itua Nova-10
Fredericu f.".Ktier, cirurgie dentista,
faz todas as operarors de sua arte, e rol-
Inca denles ai'liliriacs. tildo CCtt aupeiio-
ridade e perfoieao, que as pessoas enten-
didas Ihe reecnheii'in.
Temagna e pos dentificio.
4TTE\Ci.
Maques sobre Portugal.
CMbaixo assignado, apente do banco
mercantil PortoeDse nesta eidade, saca cf-
ectivamente por todos os paqueies sobre
o mesino banco para o Parlo e Lisboa, por
qnalqaer sonima, visia e a prazo, pu-
dendo logo os saques a prazo genera des-
contados no mesmo banco, na razan de 4
por centoao anno nos portadores que w-
sim llie convier : as ras do Crespo a.
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
Nos-estatuto.; do coliegio, que estiio
oensignadas as cundicOos de entrada c
Bienio.
- ^V???* fcWK 'TWS' WW
t^K?
csff^'ass

Custodio los Alves Guimaraes avisa ao respei-
tavel publico e aos seos frrgnezes, que em vistas
de se aehar seu rst.ibelecimento em obras afim de
alargar mais o rampo para o gallo de novo ranlar,
alim ile melber poder servir seus bous freguezes,
rom ludo em quanto durar as ditas obras ronti-
nuar a servir seus freguezes no seu grande ar-
mazem com frente para a ra do Imperador com
entrada pela dita foja do gallo vigilante, ra do
Crespo i. 7._____________________________
Saques.
M. J. Ramos o Silva A- Genros sacara
vista sobre a prara do Porte: na rea do Vi-
gario n. 10.__________^______
(Visa.
Aluga-se urna rasa nova na ra do Principe n.
8, fregancia da Boa-Vista, coro 3 quartos, 2 salas,
cozinha fra, cacimba e bom quintal : a tratar na
ra Xova n. :.
D-se dinlieiro a juros: na rna do
Riin.seI a. 6.
Duartc & C., recelicram de MM propria rn.ommeinla pelo bl
tiortnda, chegado ltimamentede Lisboa os seguate gneros todos depri-
mcna quaiidade por serem escoltados pelo Sr. uarlo chele de nossa casa
ullimamerite chegado daquella praca.
wm
Precisa-se de tima ama
Caldeireiro n. 10.
de leitc : na ra do
VESTUAKIOS PARA O
CARNAVAL
.UloiiM de Aliinjiierijue Mello
ha 10 annosadvogado.j ante os auditorios eiribu-
naesdesta c-idade, j na corte c em outros lugares
, do imperio, emeonsequencia de torem-se augmen-
tado aqu setisalazeies, tem transferido sua resi-
dencia da villa do Calw para esta ridade ra es- AwfnnMe neos dminos bordados de velludo
AiJaDa ie Salir d09 pi*elOS de llOSa treiU do aosario n. 3i, onde tero esUbelecidy seu lln baiaiissimo precode 10J1 e i& : na Iravessa
ffirina nalmanat civil i-i-clesi-islico esrriptorio, e onde foi o do Dr. Godoy, de cojos ,,os Exnostos, sobrado n. 16, primeiro andar, As-
eiDCina oaiBiandk UMI^eCCieSiasilCO, ^^^"J^,, encarregado 0 anouncinto. AM i s,m co""' "" ""> grande sortimento de vestuarios
COlOlUerCl), laliril e agrcola, COnleil- olfereceosmisteresdosuaprollssao s pessoas de,a c,racter> e dminos em muito bom estado, que
dtflil(KRS f>mnrcr-id(K >n>Piilnm l> 'I'"-' mereea confian a, tamo deste termo como sealugam pelo barato precodcj e65 : as pessoas
uno* S cmpri^inos, nram e jos ^^S^Tttam provincias para os'nueoannn pasado alugaram na travessa das
neSflCiantes, llIClnsive as niOdlUCacOCS negoeiosctralalhos a serem desempenhados aqu,' Lruzes, venbam nesta rasa, que arharao mais ba-
feaVJaS at il de deCCnilirO Ultimo arantindo o zello, lealdade e actividade que Ihe rato do que em outra parte.______
Vraria n. 6 e 8 da Braca da lutlepen- Prximos onde tem sol.n adores de inteira coa-; ,riz narua da Aurora 36
nanea. Da consultas verbaes e por escripto, e-------------------------------------------------------
presu-se a ouvir seus constituintes a todas as ho-1 \ao ilfirni.
ras, e as sextos-feiras das 9 as 4 na villa do Cabo Os abaixo assijnados julgam nada dever a esta
Em quanto o Sr. Jos Joaquim Barbosa nao viej
ou mandar da villa do O' (para onde mtidou-se oe-
rultamente) pagar os alugueis de perto de dous
annos da rasa em que morn, na ra dos Prazeres
da Boa-Vista, ver o seu norae neste jornal para
melhor ser eonlierido dos proprielarios.
Mociedade de seguros mullios
de vida installada pelo naneo
i ii i fio na cldade do Porto.
Os agentes nesta ridade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C escriplorio na ra
da Cruz doRerife n. 1. estao autorisados desde j
a tomar assignaturas e prestar todos os esclareci-
mentos que forem necessarios, as pessoas que de-
sejarem concorrer para tilo til e benfica empre-
zas, egurando um futuro lisongeiro aos assoriados
III \ O 1 \ I i O
ESTABELECIDO NACIDADE DO PORTO
Agentes em Prraanibuco
Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo k C.
Saram por todos us paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agendas em Fi-
gueira, Coimbra, Aveirn, Vizeu, Villa-
Real, Regoa, Vianna de Castello, Guima-
raes, Barcellos, Lamego, Cevilha, Braga,
Penaliel, Braganra, Amarante, Angra,
llha da Terceira, llha de Faias, llha da
Madeira, Villa do Conde, Valenca, Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves e Fafe, a
oito dias vista ou ao prazo que se conven.-
cionar.no seu escriptorio ra da Crnz
n. 1.
m
.\--
Verdadeiro vinho collares emancore-
Mds de 9 canadas a 30,000 e 800
rs. a garrafa.
Vinho bramo B A Filhos, em barrisde
quinto a 00,000 e 500 rs. a gar-
rafa.
Vinagre P B B, em ancoretas de 9 ca-
adas a 18,000 e 2,000 rs. a ca-
riada.
Passas em caitas, meias e qaartas i
8,000 4.000 e 2,000, a 480 a libra.
Peras seceos em caixas de quatro li-
bras o melhor que se pode deseiar
a 2,500, e 640 rs. a libra.
3 Caixinhas de 4 libras e 2 com ameixas
a 1.500 e 2,500 rs. a caixinha.
Chocolate portuguez, o melhor que
pode haver de bom neste genero a
1,000 rs. a libra.
Marmelada propriamente dito de mar-
mello, a 640 rs. a lata e em caixas
de 100 latas a 600 rs.
Maca d tomates a mais nova que se
pode desejar a 640 rs. a lata e em
caixa de 100 libras a 600 rs.
Ervilba portugueza a 700 rs. a lata,
e em caixa de 100 libras a 640 rs.
Passas corinthias para pudim a 640
rs, a libras, e 400 rs. comprando de
Nozes as msis novas que se pod<
sejar a 160 rs. a libra, e comprando
en barricas a 4,500 rs. a arroba.
Sebollas em caixas as mais noval lo
mercado I t'>.-'00 rs. a .aix. a 800
rs. o molho, e a 640 rs. <
Batatas em caixas de 2 arrobas moiln
novas c grandes a 2.100 rs. a anta.
Sexlinhascom figoi praprinj para mi-
mes de crianras a 60 rs. cada urna
e comprando em duzia lera grande
abiitimcnto.
Li v; doce iniiiti) nuvas a 500 rs. a X+
bra, e comprando em arroba a
10,000 rs.
Cominhos muito novos a 400 r>. a li-
bra e 10,002 a arroba.
Licores portuguezes das marcas mais
acreditadas1 de Lisboa a 1,000 a gar-
rafa e (Oa 12,000 a duzia, ai quali-
dadea sao as seguintes : creme de
violetas, geroflet. rosa, absinthn. m>s-
pejro, amor perfeito, amendoa amar- jj <;>
ga, percicot deturin. botefin, moran- "
gos. limito, caf, laranja, cidra, pin-
ga, canella, cravo, ortela, pimrnta
e outros muitos de qualidades menos
superior que serto vendidos por gre-
cos em relacSo as suas qualida-
des.
dencia.
arroba para cima.
$0% Ps Proprielarios aGancam que estes gneros sao mnito novos i tudo
le pnm.ira quahdade, tudo isto se vende nicamente no armazem Unwoe
VE Commercio na ra do Queimado n. 7, e largo do Carmo n. 9 aiinazem r.ro-
Jlg gressivo. '
M- Qurijos
&%$
-J\TT-,a *Jlt SL2WL~Lt r^ fjSSft- das ilhas eo":,meng0s'.todos *V* neste ultimo vapor, a
<*& 2,^00 os flamengos e 800 res a libra do alemtejo e das ilhas. uniramen-
Aluga-se a rasa terrea da ra da Maugueira
n. 9 : a tratar da ra da Cadeia n. 21, lujada Pri-
mavera.
600#000
ros annunrie para sei procurado.
AOS 5:300,()()0
CASA DA FORTUNA.
Bllhetes garantidos
A' iiia do Crespo n. 23 e casas do coturne
iitt.li:
Quarta-feira, 3 de fevereiro prximo, se extra-
liira a quarta parte da primeira lotera beneficio
Ja matriz de S. Jos.
0 abaixo assignado, recommendando ao respe -
lavel publico a compra ds seus mui felizis bilhe-
les garantidos, lenibra-llie a vantagem que ha en
receber os premios por inteiro, por quanto quen
rar a sorte de 3:000,5 em bilhete garando naD
reeeber somente 4:2O0, em virtude dos descon-
tos de 16 "i-que Ihe fariio em vista das leis, mas
sim os 5:000,5 que vem a ser os ditos 4:2005 i
mais OOS que pagara o abaixo assignado, impor-
lancia de ditos desconios, aconteeendo o mesmo
(m as outras sortes. Os premios scrao pagos ce-
rno de coslume.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 65W0
Meios bilhetes...... .'I^XIO
Para as pessoas que comprarem
do 100# para cima.
Bilhetes........ 3*;iOO
Meios......... 750
____ Manoel Marlins Fiuza.
Offerece-se um rapaz para acompaliar um _
senhor aqu na provincia, e al para fra, queren-! e neto de Francisco Manoe
to: quem precisar, dinja-se ra do Trapiche; ilha de S. Miguel, o q tal o
Imperador n. 79, bastante fresco, e decente para
urna familia : a tratar com Antonio Jos Rodrigues
de Souza, na ra do Crespo n. 15.
Aluga-se um excel lente armazem com um
grande telheiro e urna excellente chamin, proprio
Aluga-se o armazem do sobrado da ra da '" *a ou fra del,a P,r ,itul alSum- entretanto
Praian. 57: trala-se no ampo Verde, ra do nedem que quem se julgar credor apparera para
Destinon. 20, sobrado do Dr. Miranda. ____ ; **' *^<%fi.g da Rocna e si|va. | ^^JgffSSStt^SEt
Prerisa-se de um bom rozmheiro e de dous' -----;------------------------------------:------ ana Pr ler s"1 na mais de lo annos empregado
criados activos : a tratar no sobrado n. 32 da ra ." bava"?(; f engomma-se roupa tanto de se- nestes negocios, na ra dos Guararapes n. 26 : c
da Aurora. i nhora como de nomem, com perfeirao : na ra os pretendentes podem entender-se com Antonio
Imperial, casa n. 43- Alves Barbosa.
te no armazem niao e Commercio, ra do Queimodo n.
mo armazem progressivo.
Alugnn-seduas boas casas na ra Imperial
ns. 160 e 162 com commodos para grande familia,
e muito proprias para armazens de sal por ter p-
timo desembarque no fundo, tendo urna dellas
grande quintal com telheiro proprio para fabrica
Quem quizer dar 600| a juros dando-se em pe- de velas ou de qualquer especie. Urna casa na
Precisase de urna ama para comprar e eo-
zinhar: na ra do Imperador n. 69, primeiro
andar.
Vietorio Bruno val para fra da provincia-
7 e largo do Car-
Vende-se na leja de miudezas, calcados e-funi-
Precisa-se de urna ama que eozlnne e en- leiro, ra da Impratriz n. 78 :
nitor urna eacrnva, cujos servicos licarao pelos ju- ra do Cotovello n. 32, com bons commodos, e ul- gomme, para casa de pequea famiha : na ra da Bicos de linho, vara a 200 280 e :i-0 i s
Antonio Jos Rodrigues de Souza aluga a sua
casa e sitio do Monte-tro, em frente ao oitao da
igreja de S. Pantaleao, com bastantes commodos :
a tratar na thesouraria das loteras, ra do Cres-
po n. US.
eseta-se saber onde reside nesta ri-
dade o Bjrm. Francisco Raphael Fernan-
des, da villa do Principe, e ao mesmo se
pede que annunrie a sua morada.
limamente pintada e catada :
da ra Direita n. 84.
a tratar na padaria Cruz n. 47, primeiro andar.
Aluga-se a casa n. 36 na rua da Matriz da
Boa-Vista, lado da sombra, com 4 quartos, 2 salas,
(cozinha fra.qeintal murado, e cacimba propria :
a tratar na rua da Penha, sobrado de dous anda-
res n. t.__________
Precisase de urna prea boa quilandcira, e
paga-se 165 meusaes : na rua de Hortas n. 106 se
dir quem quer.
0 dentista scieutico
Jos Pinto da Cunta,
l hra-sc para a Europa.
subdito portuguez, re-
- Offerece-se um italiano suflicientemente ha-
Noto n. 22.
O abaixo assignado, professor de fatim a
frcgU'zia de S. inte deta eidade faz sciente io
publico que se acha aborta a matricula de sua aula,
e que o exercicio da me. ina lera principio no dia
3 de fevereiro prximo findo : quem se quiz ;r
No esrriptorio, do Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo* C, na rua da Cruz n. I, prerisa-se fal-
lar rom o Sr. Luiz Soares Botelho, tilho de Jos
Soares Botelho e de Fortunata Candida de Souza,
de Souza, natural da
'I tal ronsta ter vindo para es-
a rid.id' em IR.'lli cura
urrf-e-irmans qTrr se arhar o Rio de Janeiro.
que tira denles sem dor, ao nclito pu- bilitad0 B0ofllc0 de cozinlieiro> pira qualque|. -
bllCO pernambucailO. | sa particular ou holel, o qual traballia em massas
0 dentista Julio C. Pedrotta de volta de una sua e doces.forno e fogao : na rua do Trapiche n. 44,
sua viagem donde foi chamado no interior por, segundo andar.__________________________
muitos vares, cominendadoros e fcnliores de en-, abaixo assignado tendo justo a venda da J
grnho, acha-se outra vez i disposieao do respeiU- sua laberna sita na rua da Sanzalla No--
veljiuMauh^lInjnjjj ^^ -^^r^SS^^ '
nndo andar, rua do Trapiche defrofl
Rendas de algodo, vara a 60 e 80 rs.
Ditas lisas, vara a 40 e 60 rs.
Papel de peso, 40 cadernos, resmas 3.
Liabas de cores.em carreteis, 30 D. a 320.
Hilas prelas e cor de caf, libra a 1,5120.
Cartoes com clcheles a 40 rs.
Ditos em raixinhas a 60 rs.
Cartas de allinetes de ferr a 100 rs.
Caixas de (landres com palitos a 40 rs.
Frascos regulares rom tinta ingleza a 120.
Luvas de reres para homem, o par 160 r<.
Duzia de botesinhos de loura envernisados
20 rs.
Caixas grandes com obreia a 60 rs.
Botoes de metal para caira, duzia 20rs.
Ditos de osso para calca, "groza a 180 rs.
Tesouras a 60 e 80 rs.
Canelas a 10 rs.
ferrete
Grande liquidara de azeidas at a
Testa, para sfindar costas, airo- ei-
\eiicm que tiestas pechincbas i ka
sempre : na rua da Impratriz, laja
e armazem da Arara n. 06, de tai-
renco Pereira Mendes Gnimares.
Cobertores da Arara a Ijf.
Vendc-sc coliertores de pellos alie l6tt,
coberUis de chita a 23 ; na rua da impratriz n.
56, loja de Mendes Guimai
A Arara vende roupa frita t baiaU.
Vende-so palitots de casemira a 4500, &t e
83, calcas de 33500 a 53, palitots de panno a lo3.
ditos finos de 123 e 143, palitots de brim de r r
a 550) e 33, ditos de meia fiiMaill a 33500,
calcas le brim de cores a 23 e 23500, ditas bran-
ca- de linho a 33500 e 43, ditas de meia casemira
a a 23, cfletes a 23300 e 33, camisas franenas a
13600, ditas linas a 23 e 23500, ditas de linho
praga larga a 35, serouias finas a 13600, ditas de
linho a 23 e 23500 : na rua da Impratriz n. 5t,
loja da Arara de Mendes & Cuimaraes.
itrim da Arara a re
lar ii. i'i.
te do hotel de Franca.
Quando apresenta-se ao
nesta ridade, contina lecrionar piano
matricular, dirij-se ao sobrado n. 5, sito no'lari;o ca voca' Por commodo prego : qnem de
da ribeira.Manoel Francisco Coelho. vil.'os precisar, dirija-se ruadot.ivn
segundo andar.
P)'Uf'$yO)' d-G vi Uno Quando apresenta'-se ao publico a cavallo faz
JosCoelho da Suva e Arauf, bom conhecido fTigfS&FSL
e musi-
seus ser-
os SKCil"IXTES HE
Precisa-se alugar urna ama forra ou captiva:
na ru;. das Trincheiras n. 48.
Precisa-se de 2:0003 a juros dando-se por
seguranca urna parte n'um engenho : quem con-
vier annuncie para ser procurado.
O eemilerio publico
precisa de um jardinein : a enlemler-se com o
respectivo aJministrador.
Precisa-se de urna ama para cozinhar : na
rua do Cresiw n. 18, segundo andar.
Aluga- Afogaclos n. 28 : a tratar na rua Imperial n. 98.
U barharel Joao Francisco Teixeira "
contina com o seu escriplorio de aevo-
gacia rua do Queimado n. 28, primeiro
andar, onde pode ser procurado das 9
oras da manhaa s 3 da tarde.
0 abaixo assignado socio gerente da Irma so-
cial nesta praca Maja ft Espirito Santo
je para os partos de sul, e durante sua
seucia lica na gerencia dacasaoguard.i
Manoel Josj Goncalves Braga.
Recite 28 de Janeiro de 1864.
_______Joii'liiiin Francisco il<> Espirito Sanio.
MEDIOS.
Mistura hygionica do Dr. |Buchardat para ex-
nio -1' Irahir os denles sem perigo e faze-los amolescer e
cahir a quem nao quer Ierro na bocea.
comum toque de mofo, oitava' Vende-se brim pard! de linh com pequeo io-
c^~~""1 auc de mofo, que depois de molhado larca, proprio
a^??' P|' Penle declara Borracha para borzeguim, vara a 25600. pp raleas e palitots, a 400 rs. rs. o covado ;
brll branco de linho a 15 e 13200 a vara, fn.-io
""..ir^icom aHOtst"
na
que, desta dala em diante nao se responsabilisa Fio para sapateiro, novell a 40 rs.
por qualquer transaccao feila em seu nome por Dedaes para meninas a 10 rs.
outra pessoa. Vidrilho preto, libra a 13.
Bccie. 1." de fevereiro de 1864. Laa de cores, libra a 63.
___________iosi' Antonio da Costa Sequeira. Canecas e espumadeiras de llandres
Antonio Ferreira Leal, subdito S. M. Fidelis- a 'SOOO.
sima, retira-se para a Kuropa com sua familia. ^^ e candieiro a 140 rs.
-----,, .-----------,-js---------r------- Chaleiras para 8 chicaras d'agua a 400 rs.
U abaixo assignado, juiz de paz do 4o anno, tas pequeas a 240.
Precisa-se de ollieiaes de alfaiale :
Cadeia do Recife n. 38, primeiro andar.
na rua da
m
Aluga-se em Sanl'Anna de dentro urna boi
casa pelo resto da resta ou por anno : a tratar con
Manoe Luiz da Veiga na rua da Gloria, n. 94.
Aos enflores sacerdote!--
Precisa-so de um padre para coadjutor da ma-
iriz da eidade do Aracatv, d-se boa vanlagem, >]
I>ode fazer mais de 2:0003, o que melhor que o
ordenado de um juiz de direito : os preteodeute i
tlirijam-se rua da Cadeis do Recife n.57.
Urna canoa.
Prec sa-se comprar urna canoa de um s pao :
irata-se- na rua da Cadeia n. 57._____
Antonio de Parias Brandao Cordeiro vaio ao
llio de Janeiio.________
- Aluga-se um bom sitio na Capunga, com bou
cisa de vivenda com muilos commodos e bastan-
tes arvoredos de boas fructas, cacimba com Iwm-
ba, tanque para banho d'agua doce, a beira do rk
junto ao porto do Lasserre : a tratar na rua do
Brtim, irmazem n. 74.
Previne-se com lempo que pessoa alguma nao
fCa negocio rx>tn a armacao da Uberna siu na
rua do Aragaj n. 32, perlencente ao Sr. Jc An-
tonio Gomes de Oliveira, sem que primeiro se en-
teada com Antonio Femar des da Silva Beiris, rua
dsPirei n. 4!, e do contrario ter de pagar o que
o dito senhor cima deve, como se prova com do-
cumentes.
Di-se 2:0003 a juros sobre hypotheca em um
predio Bosta eidade : na rua das Cruzes n. 7 se
dir quem da.
Deseja-S'i saber a morada ou estabclecimento
doSr. Jeaquioi Thomaz da Cunha : annuncie por
eest Diario para ser procurado.
mmmmmm mmmsmm
jU O bacharel Americc Nelto de Mendonea %gg
ii reside e tm aborto o seu escriptorio a ^g
rua doLivramento n. 18, 1 andar.
mmmwrmmmmmmmm
O inajor Aiexacdre Augusto de Frias Villar,
juiz de paz do 4 anno c 1 districto da freguezia
de S. Fre Pedro Gancalvas u. Becire, raz constar
a 'juern interessar possa que as audiencias de seu
{alzo terto lugar as quarta* o sexta0"'-''eiras as 10
ho.'-as da inanh?.a na prara lo Corpo San.'0 fbra-
do n. 3o, primoiro andar, o em das anteri'^res
quanooa.'l"*"0* torera sa^wsou feriados, assim
como que despacha touo 8 das u,eis lua'Quer
hora e lujar onde for encontrado. .,,,3Cf,) ;{0 de
janiro de 1864_________
t Apparecendo hoje dj fevereiro, na na da
tfraa n. 9, um preto vendeado 5 barris vas os, e
. -ndo-ie que fossem furtados, rom algimas
^*"v.*'v'. e*^j asabandonou : porunto, quem
noder proeurar, que se Ihes en-
Alugiiel.
Aluga-se a casa terrea n. 22 na rua Vellia : a
tratar na rua do Sebo n. 24.
GWo,gelo, gelo,
Com a chegada da nova machina nao se expe-
rimenta mais falta de gelo fabricado com agua do
Prata, lodos os dias a qualquer hora, para por-
edes grandes ou encommendas para fra da pro-
vincia deveri haver aviso com antecedencia : rua
da Aurora junto a fundico onde tem a bandeira.
Massa fallida de AiiioHm, Fra-
goso. Wantfos A C.
Aos senhores crdores que ainda nao apresen-
laram seus ttulos roga-se queiram faze-lo no pra-
so de 8 dias, contados desta data, sem o que dei-
xarao de ser contemplados como taes.
- Precisa-se de 1:0003 a juros pelo lempo de
3 mezes dando-se por seguranca tuna escrava com
urna cria, a qual tem muitas habilidades: quem
convier annuncie para ser procurado.
Prqpisa-se de urna ama para casa de um es-
trangeiro : a tratar na rua da Cadeia do Recife n.
40, loja de relojoeiro.
Xarope mexicano para curar todas as molestias ras da manhaa s 6 da tarde.
do peito como lliysica pulmonar, asinina, pucha- Luiz Antonio Goncalves Pehna.
1 ment, catarro*falla de respiracao ele.
-V Ii. u respeilavel publico pernambucano que
o dentista (cientfico Julid C. Peinilla nao salle
I mais para o interior ; a sua morada lixa por um
ata na rua do Trapiche n. 44, segundo andar,
| porlanto aproveitem quem quer ser operado pela
sua scientilica e leve mo.
SIGNABS DO DENTISTA.
^ Estatura alia, barba preta a moda de Vctor
Einniaiiuel, idade nem moro nem velho, anda
muitas \em> fardado e tem 'sempre comsigo re-
medios, et xcretum ad extraendii Jentet sine do-
hore.
Precisa-se de urna ama de leste ;
Cadeia do Recife n. 1, segundo andar.
comprador que irouxer dinheiro se
diminuto prero.'_______*______________
Venda de urna hypotheca.
Os liquidalarios da massa fallida tic
de rb,s para raleas, coletes e palitots a 500 rs.
o coviti na rua da Impratriz, loja da Arara n.
56. de Mfflfs Guimraes.
para engenho Larinlia ,M:u ia Pa da Arara.
Vende-se laazinhs a Mana'Pa iTiilWJ'j.a.i'Wlil-'
quadros e palmas de seda, para vestidos a "fio o
eovado, sedinhas finas a M rs. o covado ; na roa
da Impratriz n. H
4 \v i'ii vende as capas a 8,000 rs.
Vende-se ricas capas para sen hora a 83, chaln
de merino estampado a 25500. ditos finos ssasba-
, dos de novoffosto a 55, dito de pona redonda e
Ihe dar por borlota a 73500 : na rua da Impratriz n. 5,
loja da Arara de MendesGaint
Oh que |ierliinrlis. laazinhs a 2s0 rs.
Vende-se laazinhs linas para vestidos a 200
e 320 rs. o covado, lencos branros rom Lar
Ao n. 29.
Nova loja dos liarateiros na rua do Queimado.
Riras saias de fustaoa 55, camisas inglezas para
senhora a 25, 25500, 33 e 43, coberlas de fustao
brancas a 53, chitas com lustro para coberla cora
la
na rua da ln< Inionift Raito. vr-nilom a bviinlhc- ''"ls l-,1 josl Antonio Ddsio >choi ni n>pome .,,, ,,,. craas a UK) llita< ra homemt
_______' Ca que lem nOS engCnhOS MallO GriiSSO 160e 200 rs.; na rua da Impratriz n 56, loja da
e Cajabuss no lermo de Serinliaem no A|JIJ1M Vfnde
Un 1 du Ti-ii,,.L,. ,. ". iinC..,.i.in ii i.a 6 palmos de largura a 640 o covado. rambraia de gadas uliimamt
RUaUO lupicaen 44 derronle OO llO-! cores para vestido a 320 o covado, laas para vest- largo do Corpo !
le de Franca. ido i80> 560 e 640 o covado. & Belirao.
Precisa-se de ima ama para todo o
servico do urna casa de familia: na rua
estreita do Rosario n. 31, terceiro andar.
Antonio Jos Ferreira, subdito portuguez, vai
ao Rio de Janeiro.
A marqueza do Recife, viuva, ilhos "e
genros du fallecido coronel Rento Jos La-
menha Lins, convidam as pessoas de sua
amisade a assislirem a urna missa no dia 5
do fevereiro s 7 horas da manhaa na igre-
ja da Santa Cruz, por alma de seu neto, II-
Iho. irmao e cunhado bacharel Augusto La-
menha Lins, fallecido no Rio do Janeiro, e
desde j se confessam summamente gratos.
Ao n. 29.
Nova loja dos liarateiros na rua do Queimado.
Tarlalanas de todas as cores, fazenda muito fina
a 720 a vara, cambraia para cortinado, peca de 22 CtlStodO
varas, por 103, chales de la por 35, 45, 53 e 8 "
camisas inglezas para homem a 383, 503 e 605-
valor de 31:835$9M rs.; Iralar as
casas a rua do Ira piche n. 34.
- Vendem-se ovas do serbio muito boas, che-
mente no vapor Mam&Hfuaae : no
Santo n. 6, armazem de Palineira
Precisa-se de urna ama
comprar para homem solteiro :
mado n. 32, loja.
para cozinhar c
na rua do Quei-
OLMOA.
O padre Jos Esteves Vianna tendo ob-
\ lido cenca do director geral da instruc-
cao publica paraensinar particularmen-
: te priraeiras letras, lalim e francez. tem
determinado dar principio ao cnsino das
ditas materias no dia 15 de fevereiro,
para o que convida a todos os Srs. pas
de familia que quizerem confiar seus fi-
lhos ae seu cuidado a compareccrem des-
de j em casa de sua residencia na rua
de S. Rento, assim como se presta tam-
bem a dar licoes em casas particulares.
Carros fnebres.
Hita A'ova n. 3.
Agr, administrador deste estabelecimento, de-
clara ao publico a aos seus amigos que lem con-
cluido o rico carro fnebre para adulto, de pri-
ineira ordem, o qual servir com o panno rico, ioi
I construido pelo mestru intalhador da obra do%.
Pedro, e a pintura e dourado do insigne artista
| o Sr. Dornellas; obra de primor e apurado gos-
lo, para o que esta patente a todas as pessoas que
o queiram examinar no mesmo estabelecimento;
tendo tambera o fardamento dos criados feito de
nova com simplicidade e gosto, para por esta for-
ma melhor satisfazer as suas obrigacoes. O an-
niincianlc nao pode deixar de tributar o seu reco-
| uheciineiiio todas as vezes que tem de se dirigir
TINTURARA.
Tinge-se cora perfeico para qualquer
cor, e o mais barato possivel: na rua do
Rangel n. 38, segundo andar.
COMPRAS.
PE IIIM III t
Carvulho 4 Compu-
nhia.
* Ruado lueluiadoS.
Novas laazinhs escossezas muito lindas, fazen-
da cncorpada, propria para vestidos de senhora e
cnancinhas, pelo barato preco de 240 cada co-
vado. .
Vende-se urna pequea taberna e com pou-
eos fundos, sita na rua da Soledade n. 8, freguezia
I da Boa-Vista.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas : na praca da Independencia n. 22
loa de bilhetes.
Compram-se acedes do novo banco :
da Cadeia escriptorio n. 47.
Rico santuario de jaearand.
Vende-se um santuario de Jacaranda obra novo
------- bem acabada, de gosto superior : na rua daCadeia
na rua n. 53, armazem do agento Eusebio.
Compra-se urna escrava que saiba bem coser
e engominar : a tratar na rua da Impratriz nu-
mero 20.
HsWlIftT

Gimnasio provincial
Al o dia 15 de fevereiro estarao abortas as ma-
triculas das seguintes aulas do gvmnasio provin-
cial : lattm, franoez, inglez, grego, allemo. ma-
Ihematicis, geographia e historia, eloquencia e
potica, philosophia, lingua e litteratura nacional,
sciencias naturaes e musir.
Nesse estabelecimento, mediante a mdica
quantia de 15 diarios, tem os alumnos internos ;
roupa lavada e engommada, medico, botica, luz,
penna, papel, tinta e criados para o servico.
Os meios-pensionistas pagam metade dessa quan-
tia, e os externos 153 por trimestre, podendo fre-
quentar as aulas que juizerem. O secretario
Cabral. '
Precisase de urna criada, forra ou escrava,
(;jra servir a una s pessoa : na rua das Laran-
geiras n. 5, p,'7rro anrtar-______
ACCOKS.
Compram-se acc^oes da caixa filial do banco do
ao publico e aos seus amigos, pois as provas de ; Brasil: na ruada Cruz n, 23, primeiro andar, es-
syrapathia e coadjuvacao que constantemente tem -
recebido nao podem licar no olvido, pelo que Ihes
ser eternamente grato, esforrando-se sempre para
bem cumplir suas obrigacoes", para o que pode ser
procralo no mesmo estabelecimento, ou na sua
residencia, rua das Plores n. 10, a qualquer hora.
criptono.
Cmprale com algum
Jacaranda de bom gosto
n. 20.
for seu dono, os
tugara, pagando o pi>, ^u,Vi
Alugam-so as lujas ao ?"brado n. 44 em
a rua da Aurora : quem pretende-las diri-
j--.' na rua -Nova, qua achar3o oom quem tra-
tar.
t erda dejia.
No dia 31 de Janeiro deste anno, desde a rua da
Cadeia de Olinda (casa do r. Antonio de Vascon-
cellos Menezes de Drummond) al os Arrumbados,
das 7 s 8 horas da noite, pouco mais ou menos,
cabio do pescoco de urna senhora sem ella e ver, e
perdeu-se um fio de cerca 100 perolas grandes,
tendo no centro urna cruz de brilhantes, tambem
nao pequeos, a qual pouco abaixo do tamanho
de metade do dedo index : quem (ver achado esta
joia, e a levar sobredita casa, reeeber urna ge-
nerosa recompensa. Pede-se ainda aos senhores
ourives e joalheiros, que se Ihes for offerecida a
mesma joia, haja de apprehende-la da mao de quem
quer que seja, mandando disso dar parto aquella
casa. Neste sentido, e para o mesmo fim, solicita-
se todo o auxilio possivel das autoridades policiaes
de Olinda, ou deoutro qualquer lugar quem che-
gar possa a noticia desse fado. Emfim muito se
agradecer todas as pessoas que para isso con-
eorrerem directa ou indirectamente.
Para particulares.
No primeiro armazem da escadinha,
^ paseando a ponte, esquina da rua da Ca-
*^iT deia, vende-se o seguinte :
Milho em saceos de 24 cuias a 43.
Keijao dem idem a 35.
Jos Antonio Pereira declara ao
na rua do Imperador blido que vcndcu o seu eslabeli'cimenlo de
__________________ charutos da rua estreita do Rosario n. 10
Compram-se tres venezianas iguaes em fei- ao Sr. Antonio Monteiro da Cunha em 7
to, cora algum uso : na rua do Imperador n. 20. d(. dezembro de 1803, e acha-se hoje na
Compra-se a Columueida poema heroi- rua Nova n. 4 olTerecendo aos seus bene- 1 \rara rrcrbcu ih-o vapor
co cmico impresso nesLi eidade de 1829 a vok freguezes as boas cualidades de charo- meiras para senbera.
183-1 : na livraria da praea da Independen- tos abaixo mencionadas, como sejam
uso urna mobilia de
ca n. 0e8.
YENDAS.
0 Jl LIO
OITer
a de pour
avisa a rapazcada que est com um bello e elegante
deposito de vestuarios, lauto a carcter como a
Veudeni-se caixdes vastos a
lgttOO; nesta typographia.
ATTJEI^AO.
|mm lila. Ii.i a 940 rs. o covado.
Cambraia de cor de superior qualidade a 240 rs.
o covado laazinhs para vestido de ricos gustos a
240 o covado : s na rua do Queimado n. 43, es-
quina que volta para a Congregarao : est-se aca-
bando.
Vende-se urna armacao sita na rua do Ara-
gSo n. 32, muito boa para principiante : quem a
pretender; dirija-sc a rua da Madre de Dos n. i,
que achara com quem tratar. Faz-sc todo negocio.
Normas de Havana,
Mississipi.
Almirantes.
Lxposico.
Conquistadores.
Intervallos.
Triumphantes.
Melindres.
Flor de S. Flix.
Suspiros,
(iiimabaras.
Delicias.
Parisienses.
Havana e outras muitas qualidades quedei-
xa de mencionar.
as cassas a 200 rs. revade.
Vende-se cassas de iiuadiinbos a 200 r-
do, ditas finas a 230 e 180 o covado finta
a -Ul e 280 o covado : na rua da Iinp< rairiz n.
56, loja da Arara.
I'ivhiiii-lia, srdinhasda Arara a 800 rs. rsvade.
Vende-se sedinhas rom quadros e Deas, en-rras,
proprias para quem seta de luto, por ler nma
cora800 rs. o covado, ditas da mesma qoalidadt
de cores para vestidos a 800 rs. e ditas de N*4i-
nnas a 500 rs. o covado: na rua da Impratriz n.
5G, loj. da Arara de Meiule- iluimaraes.
I'crhiii lia na Arara, rertrs de chita a jflt$.
Veinl.-so cortes de chita Irancezacom pen/aeno
loque de mofo a 25500, emtM M liscacto franrex
com 15 covados a ;i5,coit franrezas
Silads a 25 o corte, ditos de barras a 23. 33 e
: na ruada Impratriz n.56, loja da Arara de
Mendos (uimarai-s
Casemiras a I ->(00 a rotado.
Vende-se casemiras de cores para ralr.ii, role-
es e paletols, infestada, a 15000 o covado, cortea
de casemira infestada a 15600 e 23, e era covado a
15 : na rua da Impratriz n. 56, loja da Arara de
Mendes Guiarles.
A Arara vende as laazinhs de 9 pal-
mos al $200.
Vendc-sc laazinhs de urna s cor e qnadrwhos
proprios para capas, com 9 palmos de largura a
1,200 o covado, ditas para vestido a 280, 320 e
1 400 rs. o covado : na rua da Impratriz, loja da
i Arara n. 56, de Mendes (nimar.-i. -.
Balees da Arara a U, 3500 r 1.
Vende-se baldes americanos, os melhores qne
tem viudo, de 20, 30, 35, 40 arcos a 33, .155*10,
45 e t-5500, ditos de brilhaotina a 43, ditos de
madapolio a 35600 : na rua da Imperalnz n. 56,
iVrara.
Chitas da Arara a 210 rs.
Vende-se chitas a 240 rs. o covado, ditas fran-
OMM com pequeo toque de mofo a 280 rs.. ditas
limpas a 320, .'160 e 400 rs. o covado : na rna da
Impratriz n. 56, loja da Arara.
sertiaenle > rs-
i swlheres Me* ejw
trm \ imlii, a prrro de I lo00 e 2.
Vndese roineiras para senhoras de cambraia
de salpios branros c de cores e bordados a 15,
1S600 e 25, golinhas com botozinho a 58o rs.,
ditas com pellos e bolaozinho a 15, camizinhas
para senhora a 15,15600 e 25, aventaes e eorpi-
ulio para meninas a 500 rs. : na rua da Impra-
triz n. 56, luja da Arara.
pU-! loja da
AGENCIA
DA
FUNDICO DE L0W-M0OB.
Rua da Sroulla nova i. 42.
Neste estabclecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
mormlas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
Vende-se urna parle de urna rasa terrea sita i tamanhos para ditos.
ece-se urna ama para cozinhar, para ca-1 plianuuia, na rua da Sania Isabel p. 9, sobre gosto i Vende-se um moleque"3
,a familia: no becco Urge n. tt I e pTfco j 6 conhecido, ina rua Imperial n, 49T
de idade de 7 annos
na rua de Santa Thereza n. 10 : quem pretender,
dirija-so mesma para examinar, e a tratar na
Arados americanos e maehinas para
Capunga Velha com a viuva do Sr. Joao Rvange- ,avar roepa: em casa de S. P. Johnston A C,
lista da Costa e Silva. I rua da S-?nzalla Nova n. 42.


blurio de l'erua*aiJiueo cuarta fclia a de Feverrirv Je 1844.
i
/
(,IUH; MEVOIilJ^lO
V
NO
ARMAZEM
DO
0 homem do movmonto nao estaciona.
AVAXTE E SEMPRE
GUERRA A OS INIMIGOS
Aa se adDiitte a uuiuo eonmiercial.
Ne se per a diaba da .i 11 anca.
Nao se teme a furia dos corsarios,
Este auno ha de sor bisseito.
Os cauhos esto preparados.
FOCO! B03 FOGO!! MELKOR FOGO! I!
Aliaixo a liga d agua do vinagre
Viv;i a liga do genuino dieres com o fiambre!
Viva mamador das conservas ingleas!!
Vivam os lberaes frej',uezcs do BALIZA!!!
Vivam todos que lereiu este aununcio.
SENHORES E SENHOHAS.
CALCADO.
Una Direitu
45 lina Direita 45
Aprovcileni eiu quanto tempo!
Borzeguins francezes de lustre pa- -I
ra homem................. 5,5000
nir/.eguins francezes de cures pa-
ra meninas................ 25000
Borzeguinsfrancezes pelos para
meninas.................. 20500
Sapatos .le lustre para sermn;.. 1^000
SapaU de lustre s avessas..... 500
ffliO

MERCANTIL
P
"Wk&i
Itua do gueiiuado uaiueros
4 e .*.
est disposto .1 continuar a vender pelos pregos
abaixo declarados, pois para principar o novo
anno.
Caixas de obreias de cola muito fina? a 40 rs.
i Varas de franja de l.a de lodas as cores a 40 rs.
I linas de tranca de la de todas as cores a 20 rs.
I Ditas de tranrelim liranco milito suprior a 20 rs.
Trancaste algodao lirancasc de cores a 80 rs.
1 Uuzias de metas para senhora muito superiores a
ajWBL
Grozas de penna *.-, ac muito finas a 00 rs.
Umvetcs de dnas e tres fothas a 800rs.
Ditos de urna fofta a 80 rs.
Caixas para rap, muito bonitas 100 rs.
Capachos redondos e compridosa 300 rs.
Cairas com niniro superiores ubreias a 40 rs.
VTS 'e fr*"Jas '"'awas e de *> largas, ai
liares de bo5es para paoho mnito bonitos a 120 rs. i
Urreteis de linha A*exandre com 200 lardas a
100 TS.
Rli IM CADEIA DO kecifk tf. 53.
NOVO E
GEA1TDB UAZmi DB 1COLHADOS
iuja v < \iiKia no 1;:< 1 : w. 53.
Francisco Fcrriandes Duarte acaba de abrir na ra da Cadeia do liecifen. 53, um grande e sortido armazem de mothadaftfe-
nominado l'nio Mercantil. Nesto grande armazem encontrar sempre o respcitavel publico um completo sortimenin -' mtitme
gneros que vem ao mercado, tanto csti angeiros, como nacionaes, os quaes sero vendidos eir. porces ou a relaiuo per neto? i
; commodos.
Manleiga ingleza especialmente escolhida
de primeira qualidade a 800 rs. a libra,
em barril se faz abatimento.
, Manleiga franceza a mais superior do mer-
cado a 560 rs. a libra, e 520 rs. em barril
ou meio.
Prezuntos inglezes para fiambre, de superior
qualidade, chegados neste ultimo vapor, a
720 rs. a libra.
Cartoes detinha Pedro V com 200 jardas a 60 rs.
Ritos de.'lidia de 30 iardas a 39 rs.
O propietario ,1o grande Anmzem do Baliza establecido i ra do L vrae*to ns. ]J&tSSSXSS^X!m
M? e 8 A, derronte da graile da igreja, acaba de reduzr os precOs de quasi lefios os Tinteiros de vidro com superior tinta a IGOrs
gneros do sea magnifico deposito. .ios de barro a leo rs.
A tarifa abaiKO publicada attesla bem esta verdade.l roas de bates oc tonca pratiades a 160 rs.
A guerra aesmimigos, est perianto, assha declarada. ^SSSSS^SttSMiR^
As pessoas, anda as mais exigentes, que se d.gnarem vir este estabelecimento, 'Escovas para limpar dentes muito feas a 200 r<
carao por certa muito satisfeilas, n;io s quantes qualidades dos gneros, como com o ^^ par* unhas a 8t0 r-
iratamento tode attencioso fjue se Ihes dar. jf1? de l8dasaoprcs v*n iwrdar a 7 a liOra.
Alm do esmprimento dos deeeres da boa educado, ha*^r ,1'ora em diante alude! SdernHe SSt^ttttf* '*'
mator capucho em satisfazer todos-que honrare esta casa.
Os gneros pelas qoalidades e prec )s annunciados, serio olTerecidos ao
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Sardinhas de Nantesa340 rs. orjiartoeaffO
IjjOO a caada. | rs. meia lata.
Azeile doce retinado em garrafas brancas a Lats com peixe em posia : save, coeaina.
800 rs. vezugo, cherne, linguad", tagptiaeH a
Azeite doce de Lisboa a 6M)rs. a garrafa e 10300 rs.
'i >800 a caada. ISalmoem latas, preparado *ia acra arto
Ocnebra de Hollanda a 500 rs. o frasco e de cozinha, a 800 n.
5;5800 a frasqueira. Mata de tomates em latas de i abra a 600.
ICaixinhas com ameixas francezas, ornadas' ris.
mengos chegados nesle ultimo | com ricas estampas na caixa exterior. Che. ricas e paiosem latas dt t bra
muito proprias para mimo, a I 1201', 1 ^500 i I or ~.
e 2$. Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra
Frasco de vidro com lampa do mesmo, con- j 85600 a arroba.
tendo meia libra de ameixas francezas, a Rohxinha ingleza a 320 rs a ir^a c 45 a
10200. | barrica.
Marmelada imperial, dos melhores conser- SaS>'a muit0 novo a 240 rs. a libra.
veiros de Lisboa, em latas de I e meia a Cevadmha de Franga a 200 i bu.
2 libras a 600 rs a libra. Farinba do Maranhao a t20 rs. a libra.
Froctas em calda das melhores qualidades Araruti verdadeira a 320 rs. a linra.
que ha em Portugal em latas hermtica- Cevida a 120 rs. a libra e-0 a arroha.
mente lacradas a 300 rs. Alpistaa 160 rs. a libra e 40806 a arroba
Pacolc de papel anmade a 0(X) rs.
exame ^^ e0m l0 anVtlopes niurto superiores a
dos Sre. compradores. Noreceieg publico que se pratique e oatcaria, como em oulras rJayJ^A0 n5n^ u
casas.ffueatamwnciamoiueno lem.... O 6al,zn nao iade. ... s Cadenfo. de papd decores, grande e peflueoe, a
Silabarios porlnjrueies com calungas de todas as
qualidades a a20 rs.
Ameb.as francezas emcaixinas eemfrasees
de diversos tamaitos a i,2oo, l,6oo,
2,ooo,*2,5oo e2,8oo rs. e a libra a 8oo n.
Amendeas novas a 32o rs. a libra.
jVzeite doce refinado a 8oo rs. a garrafa,
dem Je Lisboa a 64o rs. a garrafa e i,8oo
rs. a caada.
Alpiste a i 6o rs. alifara, e 4,8oo rs. a arroba.
Arroz de Maranhao, da Judia, e lava a 8c 3
loe re. a libra.
Aletrii ranea e amarella a 4oo rs. a libr;.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
Batatas ne* as em gigos de 36 a io libras pe r
! ,ooo rf. e a 4o rs. a libra.
Biscoitos ieglezes Lunch a t8oo rs. 21 lata de
5 libras.
Licores inglezes e fran.jeaes em vazos de di-
Jdem de i versas marcas em latas menons
a i,3oo re.
dem de Lisboa de qnalidade especial em la-
tas grandes e pequenas a 3,ooo e J, *oo r.
itoladiinhas amei-icanas, a 3,000 rs. a barriea
e 2oo rs. a libra.
Kanhade porco a 44o rs. a libra, e em barril
a 4'111 rs.
Baldes ameri^noj muito propriospata com-
pras a 1000 rs.
CM huxym, hyssoa e perola a 3,ooo, 2,8oo,
2^00, 2.000 e i,600 rs.
llera preto a 2,ooo, 1,600 e 1,000 rs. alibra.
Cbae|*;igne a melbor cu mercado a 12,0000
gigoe a l,2oo rs. a garrafa.
Chocolate francez primeira qualidade a l.loc
ra. alibra.
llem hespatihol a |,2oo rs. a libra.
Mera suissii a l,ooo rs. a libra.
Cerveja branca marca Allsopps a 4,600 rs. .'
duria, e a 4oo rs. a garrafa.
Cognac inglez a 6io rs. a garrafa a 800 e a
I.ooo rs.
(oncervas iuglezas em frascos grandes a 75o
rs. o frasco.
dem francezas de multas qualidades a 5oo
rs. c frascx) e a o,5oo rs. a duzia.
aparatos neste genero temos grande sorti
ment tanto da Babia como do Rio de Ja-
neiro a 1,60o, 2,2oo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo
rs. 1 caixa.
Caf do Cear muito superior a 28o rs. a libra
e a 8,000 rs. a arroba.
I lea do Rio a 3oo e 2Su rs. a libra.
Cebolai a9oo rs. o molho com mais de loe
ceblas.
Cuouricas e paios a 72o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 2oo rs. a libra.
Cavada muito nova a 80 rs. a libra.
C |K)s lapidados a 5 e 6,000 rs. a duzia.
I) o de goiaba em latas a ioo rs. a libra.
dem d-; caj em latas a 320 rs. a libra.
Ervilhas francezas e portuguezas a 5oo e 64o
rs. a lata.
dem tecas a 16o rs. a libra.
Figos de comadreen} caixinhascom8 libras
por IO00 rs.
Farinha do Maranhao a 12o rs. a libra.
Farioba de trigo muito superior a 12o rs. a
libra.
Farelo um saceos grandes a 4,000 rs. o Jiacco
Genebra iogl?za marca gato a 1,000 rs. a gar-
rafa.
dem verdadeira de Hollanda em frascos muito
graneles a 1,2oo rs. o frasco.
dem de Hollanda era frascos pequeos a 5oo
rs. o frasco,
dem de laranja a l.ooo o frasco.
Gomma do Aracaty a 80 rs. a libra.
Gnu a loo rs. a lata e l.loo a duzia.
Linguas anuricanas de grande tamaito a
l.ooo cada urna.
versos lamaultOS a l.ooo, l,5oo O 4,8eo raxaem aWmiiito nova a 100 rs.
rs_ a duzia. i Cartas e taboadas para meninos a Ot rs.
vapor a 20tiOO.
Queijo pi alo muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 30000 a arroba.
Cha uxin 0 melhor que ha neste genero,
mandado vir de conta propria a 20800
rs. a libra.
Cha hyson muito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
10500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 20 a libra.
Biscoulos inglezes em latas com differentes
qualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
outias muitas marcas a 10350.
Bolachinba de soda em latas grandes a 20.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias pan mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 500 rs. a libra e 30 um quarto ;
eem caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
bra.
Batatas muito novas em gigos com 40 libras
por 10 e a 40 rs. a libra.
Amendoasde casca molle a 400 rs. a libra. Cebollas a 10 o molho com mais .!e luOca-
Avelaas muito novas a 200 rs a libra. da um.
Amendoas confeitadas de diversas cores a Caft; laV3tln ('e primeira qualidade a 300 ra.
800 rs. a libra, I a libra e 90 a arroba.
Magas e peras chegadas neste ultimo vapor,'Caf do Cear muito superior a 280 r?.
muito perfeilas, s vista se faz o prego. ura e 80'*OO a arroba.
Manietga ingleza flor a 8oe rs. a libra c de a 9,ixaf f0"1 superiores iscas para charuto a 40 rs. Champagne da marca mais superior que
Liras para rima sera almrtotuatawil \$^l^?Z^Z%1t*- ^ vindo aonosso mercadea 180 o gV
presenca do cemprador. Bodinhas com aWnetes fraicezes a 20 rs
dem de 2.'1 e 3.1 qualidade-a 7oo, 6o e 4oo arta! de rmeles franceses finos a 40 rs.
rs. a libra. Caivetes de cabo de madreperola de du;
dem franceza a 560 rs. a libra, e embarrii! I2brSe de algodao finas
por menos.
Idem<;m latas a 20000 e a 10500 a Iala.
Massa de tomate em barril a 480 rs. a libra.
duas olbas
a80
rs.
Idemem lata a 640 rs. a lata.
Mostarda ingleza 400 e 600 ris o pote.
Mannaiada imperial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Marrasquino de zara a 800 rs. o frasco o a
80 a duzia.
Massas para sopa, talharim e macarrao a
480 rs. a libra.
dem finas, eslrelinha e pevide, eaixinha
com 8 libras a 106t)O.
Nozes a 16o rs. a libia.
Peixe preparado de escabeche, da melhor
qualidade que lera viudo ao mercado, a
10 a lata.
Presunto de lamego muito superior a 480
rs. a libra.
dem para fiambre (inglez) a 640 ris a
libra.
dem americano a 400 rs. a libra.
Papel almago a 30000 a resma,
dem de peso a 20 a resma.
Palitos para denles a 160 rs. o mago.
Dito dito de flor a 200 re.
Ditos do gaza 20OOa groza
Passas novas a 480 rs. a lilua e a 10800 a
eaixa.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20500
Dito londrino a !)00 rs. a libra.
Dito prato a 640 rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 320 rs. a lata.
Dita de Lisboa a 640 rs. em lata grande.
Sag muito superior a 240 rs. a libra.
Sal red ialo,em potes de vidro, a 600 rs.
o pote.
Sabio massa a 120, 160, 200 e240rs. a
libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Dito de Santos e 300 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 140 rs. cada um.
Vassouras americanas a 64o rs, cada urna,
dem do Porto a 400 rs, cada urna.
Velas de carnauba e composigo a 320 rs. a 1
libra e a 100 a arroba,
dem stearinas superiores a 560 rs. o
mago, e em caixa por menos.
Vinho do Porto, neste geneno temos o me-
lhor sortimento possivel, que vendemos
por procos muito haixos a 10 a garrafa e
a 10/e 12aduza.
IdemCherry,edaMadeira em barra e em!
caixa, a 120 a caixa e o barril conforme o
tamanho
dem de Figueira e Lisboa, em ancoras de
8 a 9 caadas, por 28,HXX).
-Miadas de linlu rOxa para bordar a rs.
A GRANDE GUSA
garanlc-se a superior qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 109 a duzia, e 900 a 10 a garrafa; deste
genero ha grande porgao e de differentes
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 10200 a libra.
Chocolate hespanhol a 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5*800 a duzia.
PARA TODAS AS MOLESTIAS 110
E
Caf do Rio, proprio para n< Arroz do Maranhao a 100 rs. a iit-rat 20860
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a hlra e 2J4O0 a
arroba.
Vallas de spermaceli a 560 rs. a libra a
840 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 r?. o mas-
so e a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o cai>
Macarrao, talharim e aietria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abalimento.
Estrellinba, pevide e arroz de massa para sopa
a 400 rs. a libra e 20 a caixa c< m fi noras.
Palitos de dente lixadeis com flor a 2OO rs.
o masso, ditos lixados sen rs.
o masso com 20 massinlios.
a 10 a garrafa ^ffi? en80mraar muit0 fifl3 a >
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 10200 a garrafa,
marcas acreditadas que ja se venderam i Licores francezes das seguintes qualidades :
por 14 e 150 a caixa, como sejam: Duque! Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames
do Porto, Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Cames. Madeira secco, Carcavellos, Nec- e 100 a caixa.
itr srsr. LsbM,, -swzm a 8ors- k e 2SE33Sr< "'
T-ss.wir.,S!5ft .iss "7^s?isora n^ *zs: S *- -
avoprn
lei-
AS
hlnlas Vecaes Assuca adas
De Kcmp
Compostaa doa doia noroa reainoide* cbama-
d- PoooraiuHA i' LatnAKoaou, e rnteit
aforeawio ou ontro? venenos
" <'u metallicoa, sao de gra ide uti-
dade dos pabea e&Kdoa em cazos de
DYSPEPSIA, EKCHAQUECA,
Constlpicfo ou Prizio do Veolre,
PADEC1ME1T0S DO HGADO,
AffecroYs Biliosas,
HEMORMOIDAS, COUCA,
Ioloricia.
FEBRE GASTRO-HEPATICA,
\. oulras fufermidadfs nnlopas.
fiHaa vio rpidamente Bubttituindo os anfgos
purgantes drsticos.
venda as boticas de Caors 4 Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo de C, ra
da Madre de Dos.
Os genitores que compraremJeJOOjIOOOjaracima, terao o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
GL.ARIil
COMMEBC
RUA DO Ol I-I II ILI > if. 45,
Pasando o becoo da Congrega^ segunda casa.
" m&mw ioe t
NOT1DADE.
Pereira Rocha & C. acabara de abrir na ra do Queimado n. 45 un. arn.azcm de niolha.los denominado Clon tai
le orespe.tavel publico encontrara sempre um completo so.tmenlo dos melhores gneros que vem ao nosso me.,
S^I^K PbUco ver Pela tabe,,a "W" mencionada ; garante-se obom
onde
ser
e ba qualidade dos gneros comprados nesle armazem.
XAROPE
deLABELONYE
Pliaroiacculico da primeira cltSM
Km Pars.
Este medicamento empregado ha mais de
20 annos, com successos constantes, pelos
Ditoem pipa a 30000, 30500 e40ooo a ca-: melhores mdicos em todos os paizes, con-
nada I tro, as molestias do coraco, as hydropisias
dem do Porto, denomiuado Baliza, a 50 a' as affeccoes do pcito,'acaba de receber
caada. un noVo suffragio por nao ter por ora ap-
Idem dem em garrafes a 20500, com o parecido outro igual para curar infallivel-
garrafao. mente lodas as doencas do coraco organi-
Idem de Bordeaux, das melhores marcas que cas ou inorgnicas, palpitares, hydropisias
vem ao mercado, a 60 a caixa e a 640 rs. geraes ou parciaes. hydrthorax, asthmas
a garrafa. chronicas, bronchiles nervosas, e fluxos
Vinagre de Lisboa a 10600,108oo e 20000 a chronicos, aphonia (exlinceo da voz), etc.
caada. As gazetas medicas fallam calorosamente
dem idem,em garrafes com 5 garrafas, por sobre os effeitos preciosos do A'aro^e de
10 com o garrafao. 1 Labvlomje, quetem hoje adquirido um dos
Vinho de caj a 10 a garrafa. Este vinho primeiros lugares no quadro dos medica-
tera dez annos. raentos os mais afamados e da therapeutica
universal, como o declaram os celebres me-
dicos francezes: Andral pai e ill.o, Bouil-
aud, Cottereau, Desruelles, Fouquier, Le-
bois convidadas pelo fructo das cestas maire, Marjolin, Pasquier, Rostan, Rous-
1 ua larga do Rosario deposito de padaria, seau, Delaberge, Parmantier, Puche, Ther-
.ara ah depositardes os vossos decretos de, Jim, Vidat (de Poiliers), etc., e oulros fa-
!833 e a vista delles receberdes sem perda cu Itlicos dos mais celebres.
Rio Formoso, e A I '^^ fl06.a artfl ,uc ****** P^ ma-1 Vende-se em garrafinhas de vidro verde, I Cognac inglez lino a 900 rs. a garrafa,
nham.oiualdcniarcacoraos engenhos Cac'ioei-' lu,aurar do yime e da palha. Attende.-me trazendo um rotulo, fundo cor de violeta
ra, i^iangij e (laraelleira, me com agua e niuito senhores, aqu vos espera neste pequeo clara, jaspeado, no qual sobresahe o nome
WMM
Farricas de brou cora 8 arrobas, de superior
qu lidade : na ra da Cadeia do liecife n. 56 A,
oja lde ferragers de Bastos|
-- Vende-se o eoirenho S. Manoel, sito na fre-
Senliores.
Arroz do Maranhao, da India e Java a 80 e
100 rs. a libra e 2*400 a 20800 rs. a ar-
roba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10900 e 1 000.
Amendoas cota casca muito imvhs a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 406OO rs. a ar-
roba.
Azeite doce francez muito firo em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelaas muilo grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Batatas muito novas a 40 rs.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas ingleza.s muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
eem barril a 410 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e 30000 a libra.
dem preto muito superior a 20000 rs a li-
bra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas-
que vem ao mercado, a 500 rs. a gan
e 50800 a duzia.
muito superior a 220
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a
libia.
Cevadinha de Fran a
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata,
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em eaixinhas
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinba do Maranhao a 120 rs. a libra.
Farinba de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasee e 80800 rs. a fraseraei
ra.
dem em garrafes de 3 e 5 gales a 5B00
e 70500 cada um com o garrafao.
Gomma do Aracatj a 80 rs. a libra.
Graixa a 100 re. a lata e 10100 rs. a duzia.
Licores muito linos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidade especial e garrafas muito
grandes, a 10800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 10000 rs.. s a garrafa vale o di-
nheiro.
peso
Palitos de dentes a 120 rs.
dem de llr a 200 rs.
Palitos do gas a 20200 rs. a gr-
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
Peras seccas muito novas 1 60 a libra.
Paineo a 200 rs. a libra.
Qoeijos Qameogas do ultim 1 ..soo
ris.
dem prato a 640 rs. a libra.
Sardinhas de Nanles a 3M rs.
Sag nmiio alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
lijlos de limpar facas a 140rl.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a li-
bra.
dem slearinas muito superiores a (00 rs. a
libra.
a3,ITt^ip?r?safrejar*,'50- P3* ^nto ternos de bercos econmicos feitos; Labelonye, o gargalo da garrafa trazuma
SSdoaW^ os balaios de mangas aprenden tira azu jaspeada! cora a firma de La
diria-se ra do Vigar.o n. 5, que achara com i *' ,,nai' laUt;iras para meninos e caixas de, lonije, e a rolha coberla com urna capsula
quem tratar._______________________ I tarros com assentos para 2 enancas, temos de metal branco com a inscripgao Sirop
Val de Lisboa I,e.cestos para roupa suja, ditos decondegade Diyiliale de Labelom/e, pharmacien.
cnerda ltimamente ; na ra do Vigario n. 19, de aCafal'es. bandejas e balaios para costu-1 Pars.
prinieiro.indar._______________________rae outras obras do mesmo vime e de gos- Deposito geral: em Pars, ra Bourbon-
Papel |io aquise acham a vossa disposicao. Tam-1 Villenenve, 19.
-le fiume nxe 3*600, almajo branco e perlina ijem encontrareis o excellente pao quente! Em Pernambuco.na casa de Caors Bar-
30*w : no arma ze m de Tasto irmo i das 5 da tarde em dtante. beous a ra da Cruz n. 22*
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 is.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialrrente da fabrica imperial de
Candido Fe reir Jorge da Costa, a 10800,
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 260, 280 e
300 rs. a libia e 70500, 80 c 80500 rs. a
arroba.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de. pouco a 800 rs a libra, e de 8
libras .ara cima se far una dififerenca.
dem franceza muito nova a 560 rs. a libra,
e em barril ter abatimento.
'casfc, ,
afa fass;i ,l(? tomates em barril a 480 rs. a li-
bra.
dem em lata a 640 rs.*
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa a 600 rs. a lala.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Massas para sopa : macarrao. talharim e aie-
tria a 480 rs.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixe em latas preparado pela primeira arte
de co/.inha a 10 rs. a lata.
Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste Ronero o de varias maicas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
.Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Mana Pa,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 9,0000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, {00 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada.
dem branco de Lisboa muilo fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Men a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70?OOfs.
a duzia.
dem Morgaux cChateauluminule 185. a i
a garrafa.
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa y 200 rs, a gat ral;- o
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 re.
Alm dos gneros cima mencionados to-
mos grande porco de outros que deixan os
de mencionar, e que ludo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porgoes como
retalho.
Quem comprar de 1000000 para cima te-
r o abate de 9 por cento.


""

Diario le Pernanibueo (marta felra 3 t Feverelro de 1S4.
*
O IJlRCO IDO AKTtO O
GRANDE SORTIMENTO
DO
PROGRESSISTA
II A DAS tRl/ES A, 3tt
como iuica iiorve
ARMAZEM
O LARCO DA P1HA 10
Francisco remandes Dnarte clono deste muito acreditado armazem
PARA A FESTA.
DUARTE & C.
Participan aos seus numerosos fregiezes e ao publico em geral que acabam de
re:ebe: de suapropria encommenda. o mab lindo e completo sortimento de molhados,
o (osas ve.idem por grosso e a retamo por menos 10 por cento do que outro qualquer
amuijante, como ver3o pela scguinte tabelli que afcaixo notamos, garantindo os mes-
mas prjprietarios nao s o peso como a qualidade de seus gneros.
AVHSO.
Todos os_senkores que comprarem p:ra negocio ou casa particular de 100$ para
cima terao maia 5 a 10 por cento de abatimento, os proprietarios scientificam mais que
todos os seis gneros saorecebidos de suaoropria encommenda, raz3o esta para pode
vWier por muito menos do que outro qualpier estabelecimento.
Manteiga ingleza flor a 8oo rs. a /ibra. Vellas de carnauba e composico de 32o a
E
RA DO CRESPO N. 9
No balrro de Maulo Antonio.
ioaqiilm fos tomes de Moaza scientifica a seus numerosos fregu
zes c ao publico em geral que acaba de estaadecer inn novo armazem de molhados
ra do Crespo n 9, aonde se encentrar sempre os melliores gneros de estiva, que
' se venderao a retalho e por atacado, por menos dos que se venderom em outra qualquer Je molhados, acaba de receber neste ultimo vapor os mui desejados gneros escolhidos
parte, afliancand o-se aquellas pessoas que omprarem nestfs armazens a superior qua' por elle na Europa, todos multo proprios para a feata. os quaes est resulvido a vender por
lidade de gneros, precos commodos e bom acondicionamento. prec >s baratissimos como vero pela seguinte labeJIa. e mesmo pede a todos os Srs, da
O armazem da ra do Crespo situado no melbor local desta cidade com o as- praca, de engenhe e lavradores para que mandem suas relacoes para serem despachadas
seio que de necessidade manter-se com estes estabelecimentos, faz crer a seu pro- n0 armazem do Progresso do largo da Penha n. 10, afim de verem a grande vantagem
prietario. que ninguem deixar de sortir-se n'um estabelecimento aonde se encontra sin- 1ue tiram, tanto na superioridade dos gneros como nos precos asss resumidos,
ceridade, para ir-se comprar aonde se nao offerecem tantas vantagens. os Srs. que nao poderem vir poderao mandar seus portadores anda'que nao tenham pra-
Sende este armazem no verdadeiro ponto de partida para os arrabaldes desta uca> que serlo to bem servidos como se viessem pessoalmente.
cidade, nao ser diflkil quelles senbores que tem de partir nos mnibus darem suas O interesse que tira o proprietario deste acreditado armazem. j deve ser bem -
encommendas neste armazem. que sempre.lhes offerecer os mais agrataveis gneros, nhecido pelos seus numerozos freguezes, pois simplesmenteconsiste em servir bem ega-
Ch perola de especial qualidade a 2,8oo rs. ] Bolaxinha de soda e lunch em latas grandes nhar pouco, afim de conseguir a eontinuacodaqueilas pessoas, que a prmeira vez se dig-
l lil.ri 3 ^ 000 rS. Cada lata nar,Trl l*rtnrar t\ coi, ..^lnt\.tl...>im..,ki n
a Hbra.
dem hysson muito superior a 2.7on rs. a
libra,
dem uxim a 2^oo rs. a libra,
dem hysson a 2,3oo rs. a libra,
dem idem a 2,ooo rs. a libra.
; narem honrar o seu estabelecimento.
Cognac de superior qualidade 8oo rs. a gar- Queijos tlamengos chegados neste ultimo
rafa. vapor a 2,ooo rs.
dem muito superior a I.ooo rs. a garrafa dem do vapor passado a l,8oo.rs.
Caf a 28o e 32o rs. a libra, e a 8,ooo e dem prato muito novos e de superior qua-
9,ooo rs. a arroba. lidade a 4oo rs. inteiro, e a 5oo rs. a
dem preto de qualidade muito especial a \ Cerveja das melhores marcas do nosso mer-' libra.
2,ooo rs. a libra,
dem idem inferior a l,6oo rs. a libra.
cado de 5,ooo a 6,000 rs. a duzia, e 5oo Doce de goiaba fino em caixes cora
rs. a garrafa. libras por 600 rs.
2 V
Champagne a melhor neste genero a 1 .ffoo Conservas nglezas a 78o rs. o frasco c 8.600 dem mais baixo a 54o rs.
'nuteiga ingle
Casimbas muite aovas a 2,000 rs. a caixa, e
a 160 rs. a libra.
Botinao francez e em eaixinhas de 7oo a
I .Seo rs. cada urna.
Id .n franceza a mais aova do mercado a 56o
rs. a libra, e 54ars. em barril.
Id-ara de porco refinada muito alva 4Co rs.
a I hi a.
Prexu-it> para fiaobre a 800 rs. a libra.
Coi uxiin miudinbo vindo de conta propria,
0 meluor do mercado a 2,8oo rs. a libra.
M 'n hyson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
11 .a perola o melbor que se pode dse jar a
2,Too rs. libra.
preto muito fino a 2,5oo rs. a libia.
.mi in lis baixo pouco a ,00o rs. a libra.
Idua mais baixo a i,8oi> rs. a libra.
Vinho do Alto Douro vindo do Porto engar-
hi gar nte-sea superioridade deste vi-
i.!i). das SLfuintes marcas : Duque, Ge-
mihv. velho secco, especial lagrimas do-
$1819. vlnho especial D. Pedro V.,
vial velno, Nctar superior de 183:t Da-
lo Parto de 1834. vinho do Porto ve-
1 11 superior, madeira secca de superior
I nii l ule. vinho do Porto superior IV Lu-
/. 1 le 1847, lagrimas do Douro espe-
vinho do Porto de 1,00o a l,2oo rs
1 garrafa e da to.oeo a 14,000 rs. a caixa
1 ima duzia.
;ii de soda especial encommenda e a
m iis nova que ha no mercado a 2,2oo rs. a
lata
titos inglezes das melhores marca:; em
rs. a garrafa e 18,ooo rs. o gigo. rs. a duzia.
dem inferior a 10,000 rs. o gigo e 1,000 rs. Doce em calda a 5oo rs. a lata.
Manteiga ingleza flor a mais superior do
mercado a 72o rs. a libra.
AraruU verdad*ica a 32o rs. a libra
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a ISo rs. a libra.
Sag muito novo 24o rs. a libra.
Sevadmha de Franca a 2oo rs. a libra
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
Cominhos, ervadoce e pimenta do reino a
36o rs. a libra.
Genebra de HoHanda a 5,5oo rs. a frasquei-
ra com 12 frascos, e a retalho a 5oo rs.
cada um.
36o r.s. a libra e de 10,000 a 11,000 rs. a
arroba.
Genebra de HoHanda em botijas de conta a
440 rs. a botija, e em duzia ou em barrica
ter abatimento.
Massas para sopa macarrro, talharim e aletria
a 48o rs. a libra e em caixa ter abati-
mento.
dem eslrellinha, rodinha e pevide em eaixi-
nhas de 8 libras, muito bem enfetadas de
2.5oo a 3,5oo rs. a caixioha e a 600 rs. a
libra.
Boce de goiaba em caixas de diversos tama-
D006 ile 600 a l,ooo rs. o caixo
Sabo massa de 2oo a 24o rs. o melhor, em
caixa ter abatimento.
dem hespanhol a 28o rs. a libra.
Peixe em latas muito novo ; savel, pescada,
corvina, salmao e mitras muitas qualidades
preparada de escabeche 2 a arte de cosi-
nlia de 1,'ioo a 1,800 rs. a lata.
Figos em caixas de 1 arroba, V* e 8 libras
a 8,000 i.ooo e 2,ooo rs. a caixinha.
B'arris dt viuho branca de quinto, maro?, B
& Filho a 6O.000 rs. o barril.
Marmelada imperial dos m lhores conserve-
ros de Lisboa a 61o rs. a 1 tinhade 1 libra,
ha latas de 1 1 e 2 libras.
Massa de tomate em latas douradas de 1 libra
a 64o rs. a lata.
Amixts francezas em eaixinhas elegai|te-
meate enfetadas de i,5oo a 3.000 rs. a
caixinha, tambem ha latas de 1 / a 6 li-
bras de l,2oo a 4,5oo rs. a lata.
dem em frascos com lampa de rosca a l,6eo
rs. o Irasco.
a garrafa. dem de goiaba em caixas e diversos tama- dem de segunda qualidae a 64o rs. a libra. dem em botija haraburgueza a 4oo rs.
Chocolate francez, hespanhol, e portnguez. a| nhos e de diversas qualidades de 64o a Manteiga franceza de prmeira qualidade a Genebra de laraoja a l,ooors. os frascos
a 9oo e l,2oo rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
1 e de qualidades, especialmente escolhidos,
de 2,ooo a 1,566 rs. a caixa.
I Farinha do Maranhao muito alva a 14o rs. a
libra
dem de araruti verdadeira a 4oo rs. a libra.
I.ooo rs. cada urna." 56o rs. a libra,
Ervilhas francezas muito novas de 48o a 64o meios.
rs. Cha perola neste genero nao ha nada a de-
biera portuguezas a 72o rs. a lata,
dem seccas a 2oo rs. a libra.
e 52o rs. era barris ou grandes.
Vinho de caj o melhor que ha no mercad*
I.ooo rs. agarrafa.
sejar, e de especial qualidade, mandado Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza e 2o rs.
vir de conta propria a 2,8oo rs. a libra. a caixinha.
Vassimras do porto com arcos de ferro a 32o dem huxim o melhor do mercado a 2,6oo dem de denles lixados a 16o rs. o maco com
rs. cada urna, rs. a libra. 2o macinhos.
Vinho do Alto Douro engarrafado, e os mais Velas de espermacete da melhor qualidade dem de segunda qualidade a 2,ooo rs. a Ervilhas seccas chegadas neste ultimo navio
bem escolhidos, lagrimas do Douro, D. Pe- a ft>0 rs- maC- li,,ra-
dro V, D. Lea I, Duque genuino. Nctar ,u"em de carnauba e composico) a 32o e 36o dem hysson muito superior a 2,5oo rs. a b>
superior, Malvasia fina, Bastardo, e outros! rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba. bra.
a 11,000 e i2,ooo rs. a duzia e I.ooo rs. Tijolo para limpar facas a 14o rs. cada um. dem preto homeopathico muito fino a 2,ooo
garra-
isde 2 libras a l,3oo rs. a lata. j Chocolate portagoea, hespanhol, francez e
klt n^lezes craknelemlatas de 5e7libras suisso a l,2oo r.s. a libra.
le 8.000 a (i.ooo rs. a lat, e em libra a>Conservas inglezas das seg'uintes marcaste
w- Mixde-Picles e cebollas simples a 75o r*
jos do reino chegados pelo ultimo vapor 0 frasco.
a J llore, cada um.
1 prato a 7oo rs. a libra.
Vinho era pipa das mais acreditadas mercas
1 sejamBA F., PHR, JAA, outras
muitaa marcas. Porto. Lisboa e Figueira ;
! 18o, 5o>, 56o, 64o e 800, rs., e o do
Porto fino em garrafa, e em caa* a a
o 10, 3,5oo, 4,060 e 6,5oo rs. o melhor
1 Pl rio.
n Bitrdoaux das mais acreditadas mancas
. i 7io rs. a garrafa, e a 8,000 rs. a caixa.
GarrafiS com agarrafas de superior vinho
1 > Purto a i.oo rs. com o trarraRio.
11 com 5 garrafa de vinho da Figueira mais
Aiic netas de vinho colares a 00,000 rs.,
a 72o rs. a garraf a
aardinhas de Nantes a 32o rs. a latinha.
Charutos das mais acreditadas marcas de
2.5oo a 4,oon rs. a caixa.
Champagnhea melhor do mercado de 12,ooo
a i 1,000 rs. o gigo, e de 1,2oo a 2,ooo rs. a
garrafa.
Papel gw^i- pautado ou liso a 3,5oo rs. a res-i
ma.
dem de peso paulado ou lizo de 3,5oo a
4,000 rs. a resma.
:omma muito fin?; e alva a 80 rs. a libra.
Milho alpista e painso de 16o a 2oo rs. a li-
bra.
.no para a nossa estaC5o por r mais pa|los d 2 2 2
io a 2,4oo rs. com o garrafao. H e
1 le n om 5 gareafas de vinagre a 1,200 rs.
1 mi ogarralao.
\'i',!:o lun 00 mais superior que vera ao
o mer ado a 5t*>c rs. a garrafa, e a
'.:( "i rs. a caada.
'-e'as dees|armacate as melhores neste ge-
rero de 860 a 64o rs. o maco, eem cai-
1 tura grande abatimento por ha ver
yraode poicao.
\ . garrafa e 4.800 1 ranada.
dem francez rein ni) a 800 rs. a garrafa.
.miVis francezas e puriugueias a 64o m a
lita.
i!< oom de Lisboa de 3oo
a 3.5oors. cada nina.
duzia.
Vasos inglezes de a 16 libras vastas, muito
proprio para deposito de doce manteiga
ou outro qualqer liquido de l,ooo a
3,ooo rs. cada um.
Licores das melhores marcas e mais finos
a 1.000 rs. a garrafa e em caixa tera abati-
mento.
Cognac verdadeiro inglcz a 9oo rs. a garrafa
e lo,5oo rs. a caixa.
c.hmirins as mais frescas do mercado a 800
rs a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a
l,ooo rs. o frasco.
Serveja das mais acreditadas marcas de
:.."oo a ,5oo a duzia e de mais a 5oo rs:
a garrafa.
adeLisbo* a 3oo rs. a libra, o a'Idem embotijas e meias. sondo preta da
8,000 as. a arroba. muito creditada marca T de 6,5oo a 7,800
rs a duzia.
Ceblas em melboa grandes a 800 o molho
610 o cento, e a c,5oo rs. a caixa
as m lito novas a Uto rs. a libra e 4,8oe
rs. I arriba.
Gaf de !', 2.a e 3.* qualidade de 26o, 3oo
t :Wo rs. alibra, doCearde7,8oo, 8,0oo,! Pimenta rio reino a 34o rs. a libra,
a O.r.o rs. a arroba do melhor. Farinha do Maranhao a 14o rs. a libra.
nuda India, Java eMaranhao de 2.8 1 )o t arroba, e de 80 a loo rs. a libra.! Cominho a 4oo rs. a libra.
I---H ni'iito novas a 8,5oo a caixa e 5oo
' ffftfaf. ha caixas meras e quartos.
y de Franca a 2 io rs. a libra.
: m.iloinvo a28ors. a libra.
lrva doce a libra.
Ganella a I.ooo rs. a libra.
Batatas a 1,000 rs. o gigo com 32 libras liqui-
das e 3,ooo rs. a caixa de duas arrobas.
a garrafa.
Idem Cherrv e Madeira a l,5oo rs. a
fae 16 ooo rs. a duzia.
dem Bordeaux de diversas marcas de 8,ooo
a lo.ooo a duzia, e 8oo rs. a garrafa.
I Bolaxinhas americanas a 3,ooo rs. a barrica,
i e 2oo rs. a libra.
Batatas muito novas a l.ooo rs. o gigo, e 6o
rs. a libra.
; Banha de porco refinada a 48o rs. a libra, e
em barril a 44o rs.
i Vinho em pipa de Lisboa, e Figueira, de3,ooo
a 4.000 rs. a caada, e 5oo rs. a garrafa,
dem de Lisboa em ancoretas de 8 a 9 cana-
das por 27,ooo rs.
dem do Porto muito especial a 5,5oa rs. a
caada e 72o rs. a garrafa,
dem em garrafes com 1 ,: garrafas por
2,5oo r.s. com ogarrafTio.
Vinagre de Lisboa muito superior a 2,ooo
rs. a caada,
dem mais baixo a l.Soorg. a caada, e 2oo
rs. a garrafa,
dem emgarrafoes com I l/t garrafas por
1.2oo rs. oom o garrafao.
Manteiga ingleza a 6oo, 7oo, 8oo e 9oo rs. a
libra de prmeira qualidade.
Idem franceza a 56o rs. a libra em barril, e
a 6oo rs. a retalho.
Ameixas francezas em eaixinhas com ricas
estampas no exterior de 1.2oo a 2,ooo rs.
cada urna.
dem em frasco de vidro de diversos taa-
nnos a 1.5oo e 2,5oors.
Idem em latas de 1 12 e 3 libra a l,3oo e
2.3oo rs. cada urna, e a 8oo rs. a libra.
Figos de comadre em baizinhos de folha pro-
prios para mimos a l,6oo rs. cada um.
(den oin eaixinnas de folha a 32o rs.
dem em caixas grandes a 2oo rs. a lil.ra.
dem em latas ermeticamente lacradas de
i 1.600 a I.ooo rs.
Arroz da India e Maranhao a 80, loo e 12o
I rs. a libra.
I
Ajmendoas de casca mole mudo novas a loo
m. a libra.
A^ekonas superiores a I,2oors. o bail.
Aloisia a 14o rs. a libra e 4,600 a arroba.
Utria a 4oo rs. a libra.
rs. a libra.
Bolaohinha de
soda chegada neste ultimo
Toucinho de Lisboa e Santos a 32o rs. a libra.
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
Peixe em latas grandes, savel. pescada, cor-
vina, e outras qualidades a l.ooors. cada
lata. que se vendem todas pelo mesmo preco a
Papel greve pautado e liso de 3,ooo a 4.000 vontade dos compradores,
rs. a resma. 1 lera em latas grandes a 2,ooo rs.
Passas muito novas a 8.5oo a caixa e 48o rs.Idem propria para lanche em latas grandes
alibra. a l,9oo rs.
Palitos lixados para dentes a I lo rs. o mago. Marmelada imperial dos melhores fabrican-
Idem de flor a 2oo rs. o maco. tes de Lisboa a 64o rs. a libra.
Prezunto para fiambre inglezes e americanos Frutas em calda em latas de l.ooo a 5oo rs.,
a 8-')0 rs. a libra.
dem do Porto a 48o rs. a libra.
Queijos prato de 48o a 600 rs. a libra.
dem londrinos os melhores que se encontram
a IGo rs. a libra, e em porcao se faz aba-
timento.
Banha de porco refinada a 48o rs. a libra e
42o rs. em barril.
Moho branco de superior qualidade proprio
para missa a 64o rs. a garrafa,
navio a 1,35o rs. a lata, deste genero ha Ameixas francezas em eaixinhas elegante-
grande porcao e de differentes marcas,' mente enfeitadas com ricas estampas a
l,2oo, !,5oo e 2,ooo rs. cada urna.
dem francezas em frasco de vidro oom tara-
pa do mesmo contendo 1 /> libra a 1,2
rs. s o frasco val quase o dinheiro.
dem em latas de 2 libras por l,4oors.
a retalho, e a 800 rs. a libra.
Figos de comadre muito novos em bahazi-
nhos muito proprios para mimo al,28ors.
caixas para retalho a 16o rs. a
neste mercado a 800 rs. a libra.
Idem tlamengos vindos no ultimo vapor de
2,8oo a 3.000 rs.
Sardiahas de Nantes muito novas a 32o rs.
a lata.
Sag muito novo a 2oo rs. a libra,
dem muito superior a 28o rs. a libra.
Sabo maca de diversas qualidades a 2oo e
24o rs. a libra.
Idem inferior de 12o a 18o rs a libra.
Genebra de HoHanda em (raaqueiras a 6.000
rs.
dem hamburgueza em dilas a5,8oo rs.
dem de Hollanda em garrafes grandes a
.'..'hjo cada um.
Idea em botija a loo rs. rs. cada urna.
Garrafes vastos de diversos lmannos a3oo,
61i e l,2oo rs.
Gomma do Aracaty a loo rs. a libra.
Graixa a loo rs. a lata, e l,2oo rs. a duzia.
Licores linos franceaes em garrafas e fras-
cos de diversos tamanhos de 600 a 800 rs.
cada um.
Marmelada imperial de t dos os conservei-
ros de Lisboa a 64o e 7tX) rs. a libra.
Massa de tomate muito nova a 6 lo rs. a
. libra.
Marrasqiiino.de Zara a 64o rs. o frasco,
dem em Irascos grandes a 800 rs
Cominhos muito novos a 5oo rs. a libra.
Era-doce l l*e rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cravo da India .1 64o rs. a libra.
Cannella a I,loo rs. a libra.
ne>te genero ha diversas qualidades a es- i dem em
colher. libra.
f Champando superior das marcas mais acre-' Passas de carnada a 48o rs. a libra e em
ditadas a i,5oo rs. a garrafa e !0,000 rs.: quarto com 8 libras por 2,5oo rs.
o gigo. I Bolaxinhas inglezas de superior qualidade a
Serveja das melhores marcas que vem ao 2.00 > rs. a barrica, e a 2oo rs. a libra.
mercado a 5oo rs. a garrafa e a 5,ooo rs. Chocolate fann o melhor que se pode de-
a duzia sejar neste genero a l.ooo rs. a libra,
dem preta superior a 56o rs. a garrafa e a Macas para sopa estreiinba, pevide, arroz de
3.loo rs. a duzia.
Vinho Bordeaux de differentes marcas, e as
melhores do mercado a 7.000. 7,5oo e
2.000
e ale-
maca a 48o rs. a libra, e em caixa a
rs. cada urna, macarraio, talherim,
tria a 4oo rs. alibra.
8,000 a caixa com urna duzia, .e em gar- Amendoas de casca mole a ioo rs. a libra.
rafas a 64o, 7oo e 800 rs., garante-se a \ Avelans muito novas a 2oo rs. a libra.
boa qualidade. Ervilhas francezas muito novas em latas
dem Figueira de superior qualidade a 48o grandes a 64o rs.
rs. a garrafa e 3.5oo rs. a caada. I dem em ditas pequeas a loo rs.
dem de Lisboa a 2.800 rs. a caada e 4oo;Maca de tomate em latas de 1 e 2 libras a
rs. a garrafa. 64o rs.
Mein do Porto de superior qualidade para | Salmao em latas de 1 ', libra a 800 rs.
mesa a 5C0 rs. a garrafa, e 4,ooc rs. a ca- Lagostinho em latas grandes a l,4oo rs. ca-
ada, da uina.
dem fino do Alto Douro da colheita de 1833, Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
como sejam: D. Luiz, Feitoria veUio, Pfec-jCognhac inglez a 800 rs. a garrafa.
tar. Caivaveilos e Camoes em caixa de; Licor francez das melhores marcas
urna du/ia a 9,ooo rs. cado a 800 rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto Batatas chegadas neste ultimo navio em cai-
ras do mer
Bi.jcoitos e bolachinhas inglezas as ultimas Alfazema a2o:> rs. a libra,
chegadas ao nosso mercado a l,2woe I,4oo Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs.
s. cada lata. | o frasco.
ATTEVCAO
O proprietario dos armazens do Progressista jamis deixar deoJfereoer aos seu
frejguozes tudo o que Ibr preciso para que sejam bem servidos, e como a festa so aproxi-
m;i ptima a occasiao dos seus freguezes experimentares! a realidade, que nunca dei-
axr de ser mantida pelo proprietario destes armazens.
Barras para vestido
IIlia da Seuzalla n 42.
Vende-se, em casa de S. P.JohnstonAC,
..li- u.a -i i- .-A leja la Aurora, na na larca do llosarion.
sellins e silhOes inglezes. candieiros e casti- w, receben riqaisstaas barras para vestido, che-
Caes bronzeados, lonas inglezas, fo de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
ca|rros de um e dous cavallos. e relogios de
oro patente inglez.
Ciaz. gaz, gaz, gaz,
o veradeirn oleo k.'inscnc de primora malta*
de, latas di; 5, :i, 2 e 1 galle : vende-se na ra de
A|K>llo i. 2.
FAZENDAS baratas
s
H9--KITA HO ITEOIAI10--S*
Custodie, ('arvulho 1
I
'.Fiua.tiunbraiasorgiiidjs badiana pelo barattesimo preoo de 300 rs. o dotada M
S rs. a vara.
Granillo sorlimen 1 i m\i Uncu buHea de arede para Beobora e ia-lo barato preco de 3| rada nm, ditos de ma-
iMlao para meninas a 2&500.
\vl!ade
O mais lindos e irais finos e nm.lc r ios ."les de lia com ricas barras, tendo cada corte
" ''*" bar.^imo |ircco de -'o*.
\ Fil li: liidiovaW aSOOrs.
Mud>Tiias iSazinha-! pan vftstido o covad) a t40rs,
i* A r/ r1 A ri ir", 4 1 Vendc-sc a refinado da rna da Concordia n.
il !\ I i xuBl/j .'\ lx 8, BonVivelnwnte mooUda para o seguinte Itbrjoe i
lifor nreca rediizldo. assocar erysulUado, dito arcado, rarv;m animal
V 'bflft-sfl ira? d i melbor analid de "> esOravos pratictw para taei servlfos 2 csrra-
\. ,i I > gaz o memoi qiMuu ue [ c rias |iari ^..vj,,,. flenjestioos.-eMil trten-
e O 'i; lOfr por lata de > galoes no n e.||oj -^p-ios lle KtTm^ii de casa : a tratar na
i.i mi8o Caes do Ramo? n. ISeraa de mi,,in;, ,. inncao da? 10 oras da maoMa em
rajpicheNovo n. 8. wate.
Cal de i.isto;i e potassa da
Rnssla.
Vende-so na ra da Cadeia do Itocifc n. 26, par
obdo se mudou o antigo e acreditado deposito da
niesma ra n. It/aiabps os gneros sae novse
l(|gitimos, e se vendem a preco mais barato do que
U^r qualquer.parte.
UL Mi I.Nlh
Vendein-sc barri com cal des-
ta procedencia, em podra, ehega-
da hojjo. e nnlca nova, |iie ha no
mercado, na rna do Trapichen.
13. armazem de Manoel Teixel-
raiBasto.
Veodo-se a prnpricdadi- daBoanhtda Maltes, fita
na frapoezia de Tracunliaem da comarca dr au-
retli, 5>in una legoa di (rente e meia de fondo, e
propnrcSes para nelta so [evntar nm twtn enge-
nho de
de ell;
que t>:
Scon
de i;
gadaa pelo annovapor, as qoaessio as mais no-
deraat pjoe tem ehegado, msjm como tamben re
ceben mas eapi Has de dtOerenles goafte e amito
Onas, proprias para ijaaJqoM' casamento, muito
boas luvas de Jouvin, tanto para hoiiiem como pa-
ra M-nhora : qiiem qaizer, pode isandar bascar
amostras, pois d-so a qualquer pecaoa, diixando
penhor. _______________
Farinha superior de Santa Catharina.
Vende-se em |iorcao ou a retalho. a borda da
barca Iris, atracada ao trapiche do llarao do Li-
vramenlo, ou no escriptorio de Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C. ra da CroiO. t. '
Batatas c eeboks.
Itu.i da Nadro de loos n. 5e.
Yonilom-v ia\as tsm dnai arrobas de batatas
por 1A200, cento de cebla a .">*K> i >.. as mais no-
vasdo mercado.
a l,ooo rs. a garrafa e lo,ooo rs- a caixa.
Duque do Porto, Madeira secco, duque ge-
nuino, lagrimas doces a Ooo rs. a garra-
fa e O.oo rs. a duzia.
Garrafes com vinho do Porto a 2,2oo rs.
cada um.
Vinagre de Lisboa de superior qualidade a
2oo rs. a garrafa e I.OO rs. a caada.
Azeite doce refinado em garrafas grandes a
8oo rs.
dem de Lisboa a 6'ro rs. a garrafa, e em
caada a i.800 rs.
Presantes inglezes para fiambre a 7oo rs. a
libra.
dem de lamego encomroetwla particular a
48o rs. a libra, e inteiro se faz abatimento.
Toucinho do reino o melhor do mercado a
396 rs. a libra, e cm arroba a 9,ooo rs.
Velas de espermacete de' 4, 5, e 6 por libra
a 860 rs., e em caica se faz abatimento.
dem de carnauba refinada i 32o rs. alibra
e 9,000 rs. a arroba.
dem de carnauba para do Aracaty a ioo rs.
a libra e lo,5oo rs. a arroba.
Coman muito fina e alva a 80 rs. a Hbra.

U com duas arrobas por 1,600 rs., e 4o
rs. a libra.
Coneervas inglezas a 78o rs. o frasco.
Sal refinado em poles a i>oo rs. cada um.
Mostardu ingle-j ;> '.ooo rs. o frasco.
dem franceza a 4oo rs. o pote.
Milho alpista a 16o rs. a libra e 4,8oo rs. a
arroba.
Graixa muito nova em latas grandes a 120
ris.
Latas cora peixe em posta ermeticamente
lacradas das melhores qualidades de pei-
xe qie ha em Portugal a i,2oors.
Caf lavado de Ia qualidade a 3o rs., dito
de 2* a 28o rs. a libra e 8,2oo rs a arro-
ba, dito de 3a a 20o rs. a libra e 7,800
rs. arroba.
j Charutos suspiros dos melhores fabricantes
de S. Edix a 2,;>oo rs. a caixa com loo
charutos.
dem finos de diversos fabricantes a t.Coo.
1,800 e 2,000 rs. a caixa com loo charu-
tos, o preco nao ind:ca a boa qualidade
porm deem-se ao trabalh de virem on
mandaren! e veno a realidade.
(l
CONSE
JO.lQlIUI SI fl AO DOS NAUTOS
23-Largo do Teifo-23.
Vendo-se a casa da ra
tratar na mesaoa roa n. h.
Imperial a. 10 : a
Enfeites.
O proprietario deste armazem de molhados participa ao publico e a todos em geral
que lem um grande sortimento de tudo quanto 6 perlencente a molhados, e que tem
um armazem para somente receber os gneros de maior quairtidade. fa7 suas especula-
cOea em hoasquadras, e que sempre pode vender por menos de 10 a 20 por cento dn
que em outra qmlquer parte, garantindo o proprietario qualquer genero sabido do seo
armazem, tanto em peso como em qualidade.
qualidftde saj Manteiga ingleza flor mandada vir por conta propria a 800 rs. a libra.
te '"'rcado, ]fjern franceza. viada pelo ultimo navio a 5(10 rs. a libra e 540 rs. em barris.
fazer assocar, sendo que anualmente ren- )ero <*q
mais de l:lKK>$ que papam os moradores j--------------
m : quema pretender entenda-se nc-ta pra-
a com o Sr. Antonio los Leal Res, na rna da
do ftorifo n. 47,
A luja da aurora na ra larga do Rosario n. 38*
reecheu riquissinios enMle a Mana Pa os mais
modernos qM tem ebegado o desu
os pnnairos que tem anegado a e*ra
qualquer soniora que pretender comprar algnm '(lem ".anH z,1> Xllll'll"
dVsta qualidade tmha a bondade de mandar Banha de porco retinada, propria para pastis a 480 rs. a lima, eem barril a 400rs.
ouMto antes poii *ierani pone se ac- Velas de espermacete c carnauba do Araratv a 600 rs. o masso c 400 e 440 rs. a libia,
bando poniue isto foi amostra ptn recebemos e Cafe lavado do Rio e do Cear. o melhor deste genere, a 280 rs. alibra e 85eo a ar-
nao salK'mos qnamlo chegrarao mais i rnK,
. ~JanAcse nm:u'sf/'av;! de "h'1",'!''2 a""O- Batatas'novas em caixas com 2 arrobas por 2000, arri-talham-se a 4o rs. a libra.
l!nmal.gura:nan,at>.mlaB.J^^a.__ ^....., (,(,m!in,,(,;ul(MI,tirn,mente a 3oo ,Hlibra, em barnK
Vende-se orna preta mocae sadia, com uma r, ,a 9, a .. ,. o(k> nnn cria oe \ mezes a traUr na ra da Iniperairu i (l' 1 2 n, 25i.HJ, 2
ou irroha a S800.
l*f)Oa libra.
Mava do poilioa.
Chegaram para a toja d'3etiia branca, rna
Queimado n 8.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs a garrafa, e de carrapato a 280 rs. a garrafa, e caada
i 2.4000.
do'Genebra verdadeira de Hollanda, em botijas, de conta certa, marca gallo a 360 rs.
Milho alpista o mais limpo qiw ha a 160 rs. alibra a SOOO rs., a arroba.
-

.
'.



c.
1

,""*'

i
7

tf
ar
4.
UNIO
. !-:
COMMERCIO
"JEJ".
da lo ja do Pregiilca.
Defronte
HITARTE AlilflEIIlA
a.aba ie abril o seu grande e sortido arm;:zem de molhados denominado L'iiio e Com-
MMCMt Este grande annazem um dos n ais bem montados oua temos em nossa praca.
tto so em limpeza e aeeio, como as qualidades especiaes deseus gneros. G proprie
ario iO Unido e Commercio olTerece todos os senlior-3S da praca, senhores de engenho
e lavradons a seguinte tabella, por onde vero a grande economa que lfae resulta em i
comprarem ero tao til estabelecimento, lauvando o mesmo todo e qualquer cenero igra a/m'lz,'m Alll;,"<'a ollerere aos seus amigos e tragaros que o conhecem
sahido de seu annazem. 1ua"(l0 fo' so,1 llos armazens Progressivo e Progresista as maiores vantagens ei
Ufillinlio francez em latas e caixinhas asmis
Diarlo de Pernamhueo lutria 3 fclra de FeverHr* de IN a.
ALLIANCA
CiRANDE
delicadas que tem vindo ao nosso merca-
do de Too a ,5oo rs. a eaixinha.
Manteca ingleza pereitamente flor, mandada
vir de conta propria, a 7oo a 8oo rs, a
libra.
Erra-doce a 5oo rs. a libra.
Cliampanha de 20 a 22,ooo o gigo.
Palitos do faz a 2,3oo rs. a groza e 2o rs. a
caixmha.
Milho atpista a 16o rs. a libra.
, Cominho muito novo a 4oo rs. a libra, e i
dem franceza chegada pelo ultimo navio a comprando de 8libras para cima a 32o rs.'
56o rs. a libra, e em barril ter abatimen- Gomma muito alva para engommar a 8o rs. I
to. a libra, e em arrota se far abatimento,
loera ingleza em potes de 4 a 16 libras a Sag" muito novo a28ors. a libra.
8oors, a libra eo jiote separado, Sabao verdadairo hespanhol. que raras vezes
Ca uiim o melhor neste genero, mandado .v"m ao nosso mercado a 28o rs. a libra
vir de cont propria a 2,8oo rs, a libra. Vinho branco o melhor neste genero a 8oo rs*
dem hysion, grande, amito boro a 2,6oo rs. I a garrafa e 4,3oo K. a caada.
a libra. dem Bordean* de diferentes marcas, garan-
Idem preto muito fino, a 2,6oo rs, a libra.! te-se a iraalidade, a 8.000 rs. a caixa com
dem preto, mais bawo, a 2,ooo rs, a libra, i una duzia, e a 7oo in. a garrafa.
dem, verde, miudinho, mais proprio para Garrafas oon 5 garrafas de vinho do Porte
57 RA DO IMPERADOR 57
Na bem conliecidu loja que fbi do Sr. Flix altaiafe.
Paulo Ferrelra da Uva proprietrio deste novo estabelecimento, Uiido
diegado da Europa, aonde escolheu um grand'e variado sortimento de molhades, tem
a honra de os expor ao respeitavel publico esfa cidade pelos mais resumidos preces.
Em Uto ptima occasio, por estarmos prestes a resta de Natal, o proprietrio do
desde
vanUigens em rom-
prarem em seu armazem.
uno pree.
fe
>
os (!
na 1 i

Hoje de novo .stabcli-i ido mais precisa da concurrencia de todos estes senhores
ao seu estabelecimciiiu. crios de que esta casa jamis deiaarao de ser cumpridas as
grandes vantagens por ella offerecidas.
Maraes de o a I6u rs. cada urna.
Manteiga ingleza a mais superior neste ge
LOJA DO PAVAO
Qmm puritanas.
a ^;;ildem-St as mais modernas cassa* puritanas con bonitos desanos pelo baratissi
rXio rS' Pr grS Pr,;'''- '"'dl"'L'"a : na rua da *** n
Cassas persianas a 360 rs. o eovado.
\eademae as mais bonitas castas persianas a imitaco de la transparente com
Srua'da'C'airnr10 *""" W* H ^ **
Qopgurao de laa a 500 rs. o eovado.
Vende-se gorgurao de laa de cor escura propria par vestido de .senliora, oaJetot otra kma
roupa para men.no, pelo barato preco de 3U0 rs. o eovado : na loja do Pavao rua da I, )
As colchas do Pavao.
Vendem-se colchas de liiihoadamascadas com bonitos lavres de cor de rosa axf fl l,, c.
pelo baratissimo preco de o cada urna : na loja do Pavao rua da Imperatriz n. 60 '
Organdys a 240 re. o eovado.
a .,Vcnd-cm-se organdvs matisados fazenda muito lina, de bonitos desanos, pele baratissimo u.ra
de iO rs. o eovado : na loja do Pavao rua da [mperatrfs n. CO. *
As alpacas do Pavilo.
Vendem-se alpacas de seda de cores muito fina propria para vestido de senhora cuiten | r-
ques e roanas para meninos e dita branca nuiito lina propria para vestidos e paletuts, p/r pr.c mui-
to coDiinodo : na loja de Pavao rua da Imperatriz n. O.
Chitas do Pavao.
Bolaehinha de soda e lunch em latas grandes i pelo barato preco d
a 2,ooo rs. cada lata,
ero a 800 rs. a libra, e comprando de 8 Cognac de superior qualidade a800 rs. a gar- i
libras para cima a 72ora., esta a mais| rafa.
superior que podehaver, tambem ha mais dem muito superior a 1,000 rs. a garrafa.
I.aixas para menos precos. c.ia 8o e32ors. a libra, e a 8,000 e
Vendem-se chitas escurase alegres fazenda muito fna, padroes moderno
de 3O, 3C0 e (00 rs. o eovado: na loja do Pavao rua da Imperatriz n
As liasinlias do Pavao.
s e que nao des! r. 11
R0-
dem franceza muito nova a S60 rs. a lilua
e 54o rs. em barrs ou meios.
Peras seccas muito novas a 48o rs. a libra.
Cha perola de especial qualidade a 2,8oo rs.
a libra.
dem hysson muito superior a 2,7oo rs. a
libra,
dem uxim a 2,5oo rs. a libra.
negocio, a l,5oo rs, a libra.
Banha de porco refinada muito alva a 46o
rs, a libra, e em barril se far abatimento.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies.
Luncii, Cabin. e nutras muits marcas, a
i,ion rs, a lata.
Bolaehinha de sodo, especial encommenda, a
2,2oo rs, a lata.
Biscoito inglez Craknel em latas de S, 7 e 15
libras a 0,000 e G,ooo rs, e de 1,5:00 a
800 re, a libra.
Queijos do reino pelo baratissimo preco de
i,60o, l 8o e 3,000 rs os do ultimo
do Alto Dnuro a 2,2oo rs. com o gan-af5o. ffm h>,sson *'3eo J,bra-
dem com 5 garrafas de vinho Figueira, mais m "lem 2' */ ,l,bra-.
propriopara a nossa estaCo por ser mais, T prel0 df.u (l"ill,,Ja,Je n,ult0 esI)e*'al
fresco a 2,4oo rs. com o garrafo. 1 .J:000-a ,bra- A
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs. dea infcnor a 1,6o rs- a 1,bra-
o garrafo,
'J.ooors. a arroba.
Cerveja das memores marcas do nosso mer-
cado de 5,ooo a 6,000 rs. a duzia, e 5oo
rs. a garrafa.
Conservas inglezas a 75o rs. frasco e8,6qo
rs. a duzia. ,
Doce em calda a 64o rs. a lau.
Ervilhas francezas muito novas a 64o rs.
dem portuguesas a 72o rs. a lata,
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Bassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Vellas de espermacete da melhor qualidade
a 56o rs. o maco,
dem de carnauba e composico a 32o e 36o
rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Chocolate francez, hespanhol e portuguez, a
9oo e l,2oo rs. a libra.
Sahao massa de superior qualidade a 18o, Charutos dos melhores fabricantes da Bahia;
200, e i.2o rs. a libra do melhor que ha e de qualidades especialmente escomidos, Tijolo para limpar facas a 12o rs. cada um.
uraixa em latas muita nova a 12o rs. a lati-! de 2,ooo a 4,5oo rs. a caixa. Toucinho de Lisboa e Santos a 320 rs. a
nna, e l,doo rs. a duzia. : Farinha do Maranhao muito alva a 14o rs. a I libra.
Pewe em latas mudo novo: savel, pescada, libra. Sevada muito nova a loo rs. a libra.
curvm, salmao e outras multas qualidades dem de araruta verdadeira a 4oo rs. a libra. Peixe em latas grandes, savel, pescada, cor-
?Pf" *- d,eescab^xe' segundo a arte de Vinho do Alto Douro engarrafado, e os mais vina, e outras qualidades a l,ooo rs. cada
Vendem-se lusinnas com 9 palmos de largura de una s cor e de quadriurios pe o barafL .
prceode l30o eovado, dilas enteiladas com i palmos de largara a 500 rs, ditas matisaii
boas de bonitos desenhos a 3(50 rs., ditas a 320 c 300 rs., dilas de quadrinhos a imitar 1
a 400 rs. o eovado. ditas a Mara Pa com palminhas d. seda a 300 rs., ditas traosparentes r. m 1 1 1-
nhas matisadas a ilO rs., ditas de i|iiadros grandes a 240 rs. o eovado, ditas prctas. transnare I. de
i ordaozmbo a 200 rs. : na loja do Pavao rua da Impertirla n. 00.
I-
cozinba, de l,2ooa 2,ooo rs. a lata.
vapor
dem prato muito fresco a 64o rs, a libra. I(lem do Alto Douro vimlo do Porto engar-
Idwn londrino muito fresco a 800 rs, a libra.
Vinhos em pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
48r>, 56o, e-64o rs, a garrafa, e de 3,ooo a
i,5oo rs, a caada.
Mermelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa em latas de 1 e mais libras
a 7oo rs. a libra.
Peras scaas em caixinhas de 4,000 a 2,000
rs. c ula uiua.
Figos o caixinhas de 1 '/ arroba e de 8 li-
bns a 8,000, 4,000, e 2,ooo rs, ea 3o rs.
a libra, taambem ha seriuhas para meni^
nos a 60 rs. cada urna.
Ainendoas de casca mole a 36o rs, a libra, e
em arroba ter abatimento.
Sardinhas de Nantes a 32o rs, a latinha.
Toudnl.0 de Lisboa muito novo a 3oo rs, a
libra e em arroba a 0,ooo rs.
Massa ilc tomates a 64o rs, a libra.
hnchanlo reino a 34o rs. a libra,
Farinha do Maranhao a 14o rs, a libra.
Ceblas a 800 rs. o molho, 64o rs. o rento
e 6,3oo a caixa.
Tijollopara lanpar facas a 16o rs,
Cerveja das mais acreditadas marcas de 5,000
a 7,S'00 a luzia. e de 5oo a 600 rs, a gar-
rafa.
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 800 rs. a libra.
Gene&r de lranja a l,ooo rs, o frasco,
Chonrcas as mais frescas do mercado ? 800
rs. a libra.
Cognac wrdadeiroingler/a loors. agarrafa,
e 1 o,5oo rs. a caixa com urna duzia,
Ucoret francezese jiortuguezes de todas as
marcas de 10,000 a l.j.ooo rs. a duzia.
Passas Eauito novas a 5o rs. a libra e a 8,000
rs. a caixa. Ha caitas, meias e quartos.
Batatas a I.ooors. o gigo com 38 libras e
2,06o a ea xa oon duas arrobas cadaunia.
I etas com dOMB B6Q0M de3,ooo a 3,5oo
rs- cada urna.
Kulaohmha ingleza a 32o rs. a libra,
Azeifce francez e portuguez refinado a 800 rs.
a garrafa, c ft,ooo rs. a caixa com um 1 du-
zia.
Coosefvas inglezas das seguintes marcas:
Mixed, Pickes, e ceblas simples a 800
rs o frasco.
M< sMrda ingleza preparada em potes a oo
rs. o pote
NozeSBloito novas a 1(50 rs. a libra e 4,8oo
rs. a arroba,
VaiWltiglezes rasios de 4 a 10 libras, muito
proprios para deposito de manteiga, doce,
e ('Utro qualquer liquido, de 1,00o a 3,ooo
rs, cida um.
rafado e escolhido pessoalmente por um
des socios que se acha em Portugal, das
seguintes marcas : Duque, Genuino, Ve-
Iho secco especial, Lagrimas Doces de
181, vinho especial D. Pedro V, vinho
velho. Nctar superior de 1833, Duque do
Porto do 1834, vinho do Porto velho Su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior D. Luiz 1
de 1847, Lagrimas do Douro. especial vi-
nho do Porto, de 1.000 a 1 2oo rs. a gar-
rafa e de lo,ooo a 12,ooo rs. a caixa com
urna duzia.
Vassounis americanas a 800 rs. cada urna.
Velas de s|)ermacete as melhores que ha no
mercado a 56o e 64o rs. e masso, e em
caixa se far um'grande abatimento,
dem de carnauba e composico, de 4oo a
32o rs. a libra, e de i0,000 rs, a ll,Soo
rs. a arroba.
Caf de 1 e 2 sorte de 8.3oo a 8,600 rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
lhor,
Arroz da India. Maranhao e Carolina a 3,ooo.
2,8oo e 2,4oo rs. a arroba e a loo rs. a
libra.
Frasqueira de genebra a 3,8oo rs. e a 5oo
rs. o frasco.
Azeite doce, em barril mtiito fino, a 64o rs.
a garrafa, e em caada ter abatimento.
Papel gieve pautado e liso a 3,5oe rs. a
resma.
Genebra de. llollanda em botija de conta a
*4ors. a LJtija.
Passas corinteas a 56o rs. a libra e 12,8oo
rs. a arroba,
Ervilhas franceza e portugueza a (iO rs a
lata de urna libra.
Chocolau: francez, hespanhol, suisso e por-
tuguez a l.ooo rs. a libra, e a 28o rs. ca-
da pao de urna i.
Ameixas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeiUdas, cora diversas estampas
no exterior da caixa de 1,500 a 3,ooo rs.
cada urna; tambem ha frascos e latas de
dilcrentes tamaitos que se vendem por
mdico preco.
Maesas para sopa: macanifo, laiharimeale-
tria a 48o rs. a libra, e em caixa se far
abatimento.
Garrames com 14 garrafas de genebra de
Mottanda a 5,5oo cada um.
Charutos de todas as maceas e dos melho-
res fabricantes da Babia de 3,ooo a 4,eoo
rs. a caixa.
bem escolhidos, lagrimas do Douro, D. Pe- lata.
dro V, D. Luiz I. Duque genuino, Nctar Passas muito novas a
superior, Malvasia lina, Bastardo, e outros
Vestidos soutembarques.
Vendem-se os mais modernos vestidos a soutembanpie com lindas barras e enfeites para m
plnho e mangas, pelo baratissimo preco de 54 cada um : na loja do Pavao roa da Imperatriz d. 60
Cortes de laa com barra.
Vendem-se fortes de la com barras matisadas e enhilas para roupinlw e mancas, o* mtk li-
nos que esistem no mercado, pelo baratissimo prec/> de 184 cada corte : na loja do Pa\.io rua da liu-
TiTtZ D. W.
Os soutembarques do Pavao.
Vemdom-se os mais modernos sootemliarques de grosdenaples preto ricamente lam^jn. Itoa
de cor de um tecido de laa com seda muito bem eueiudos, por preco muito eurwnodo na lea c"o
Pavao rua da Imperatriz n. 60.
Capas doPavo.
Vendem-se ricas capas pretas de grosdenapie bastante compridas, fazenda superior mais mo*
derna que ha nu mercado, por preco muito em conta : na loja do Pava rua da Imperatriz n. tift.
Crinolinas ou baloes americanos.
Vendem-se baloes amwieanos os mais modernos por serem muito ferese bem armados do 20'
arcos a 34, ditos de 30 a 34300, ditos de 35 a 44, ditos de inadapolao franr ee de diversos tamanU a
34, ditos de niiisielina com balado e sem elle podendo-se tirar os arcos pelo barato prvee de 44
4*800, ditos para menina, de arcos a 24, ditos de musselina a 34 : ua loja do Pavao rua da In.^.a-
iritn. 60.
lo.ooo rs. a caixa e
5oo rs. a libra.
a H.ooo e l2,ooo rs. a dnzia e f ,000 rs. Palitos lixados para dentes a fio rs. omaco.
a garrafa. dem de flor a 2oo rs. o maco,
dem Cherry e Madeira a 1,000 rs. a garra- Presunto para fiambre inglezes e americanos
fa e 16,ooo rs. a duzia. a 85o rs. a libra.
Idm Bordeaux de diversas marcas de 8,000 dem do Porto a 48o rs. a libra.
a lo.ooo a duzia e 800 rs. garrafa. Queijo prato a Ci rs. a libra.
Bolaxinhas americanas a 3,5oo rs. a barrica, dem flamengo vindos no ultimo vapor a
e a 2io rs. a libra. 2,0000 e 2,3oo re. cada um.
Batatas muito novas a 1,00o rs. o gigo, e Oo Sardinhas de Nantes muito novas a 32o rs.
ijs. a libra. a lata.
Barjha de poico refinada a iio rs. a libra o Sag muito novo a 2oo rs. a libra.
m barril a ioo rs. : dem muito superior a 28o rs. a libra.
Vinho empiqa de Lisboa, e Figueira, de 3,ooo Sabo maca de diversas qualidades a2oo e
al i.ooo rs. a caada, e 000 rs. a garrafa. 24o rs. a libra.
Ideihde Lisboa en amoratada 8 a!) cana- dem inferior de 12o a 18o rs. a libra.
das por 27,000 rs.
Chapeos de sol do Pavao.
Vendem-se chapeo* de sol de seda muito encorpada com cabo de cana a basteas de baM ineTa
oantiasime preco de 64,74 e 84, ditos marquezinhos para shora e menin a #300 na lata Ao Pa-
vao roa da Imperatriz n. 60.
Cortes de Lia do Pavflo.
Vendem-se corles de Las matisadas com desenhos muito lindos contendo 1. eovados ra
o de 74, ditos do car de caf com palmas matisadas contendo iS covados c
pelo baratissimo preco
corte pelo barato preco de 64 : na loja do Pavao rua d Imperatriz n. 60.

Loja de beija-fler.
Meias cruas para borneu.
Vendem-se meias croas para homem a i5 a du-'.
zia : na rua do Queimado, loja do beija-flor nunie-
ro *3.
Meias para senliora.
Vendem-se meias para senliora a 34200, 44 e
i4o00 a duzia : na rua do (jueimado, loja do bei-
ja-rlor n. 63.
Idcil
Laa para bordar.
Geneora de llollanda em frasqueiras a C,r5oo Vende-se la para bordar, de diversas cores, as
rejs mais lindas que se pode encontrar, a 64500 : s
dem hamburgueza em frasqueiros a5,800,ni.%M 'T. nal^",obeiia,,or
rt'is- j Trancinha para enfeites.
dem de llollanda em garrames grandes a Vende-se trancinha para enfeites do vestidos ou
5,000 l'S cada um. roupa de meninos, que tambem serve para enfeiur
dem em botija a ioo rs. cada una. ''ali!"htt.dc snwra ndese transa branca
f ,000 rs. a caada, e 2oo GarrafDes vasios de diversos tamanhos a ioo,
64o e 1.2oo rs
do Porto muito especial a ,ooo rs. a
nada e 72o rs. a garrafa,
dem em garrames com 4 Vs garrafas por
2.000 rs. com o garrafo.
Vinagre de Lisboa muito superior a 2,000
rs. a caada.
dem mais baixo a
rs. a garrafa.
com 40 taras a 800 rs. a peca, com 20 varas a 500
. rs., com 10 varat a 260 rs.': s quera fcm na
loja d* heija-llur da rua do Uueimado u. 63.
Tesouras linas para unha e costura.
Vendem-se tesouras linas para unha e costura a
RIVAL
SEM SEGUNDO
Rna do Queimado ns 4 c 55,
loja de miudezas de Jos de Azevedo Hala & >'.,
principia o novo annoa torrar miudezas peto* pre-
cos cpie a todos causa admiracao, a sai rr :
Pares de sapatosde tranca inuit Unos a \C(0.
Frascos de oleo babosa dos melhores fabncant.'S a
240 rs.
Ditus maiores a iOO e 500 rs.
Frascos d'agtia de Colonia muito finos a 4f0 rs.
Sa bonetes muito Unos a 160, WO e \<0 rs.
Frascos grandes de agua de Lnbin, o merr,
14500.
I.apis (l>j tinta encarnada rauite finos a 40 rs*
Xovellos de linha cora 800 ardas a 120 r.
Ditos de dita com 400 jardas a 80 rs.
Fraseos de macass, ofeo muito otvrh r, 9
Duzias de dedaes braneos em eaixas de ltM
310 is.
Papis de agullias a balo Victoria a CO r?.
Banha transparente muiH snnerior a 7(0 rs.
Idcii em garrames com 4 'agarrafas por Gomma do Aracaty a 80 rs. alibra muito alva
l,2oo rs. com o garrafo. Graixa a loo rs. a lata, e I,2oo rs. a duzia.
\meixas francezas em caixinhas com ricas Licores finos francezes em garrafas e frascos ^iM.e 40 rs. ditas para costura aSpOrs.: Dita Ja4m mnito Un a 800 rs
e rtanpas no exterior de 1,2oo a 2,ooo rs. de diversos tamanhos de (loo a 800 rs. ca- "ra do Qulm^a^a .da0rl,ja-nor n"6J" S UW^lK,
Cida urna. da um Vendem-se facas e garios oilavado's a 24800, GrJ* de botSes de
dem em frasco de vidro de diversos tama- Marmelada imiiertal de todos os conserveiros ditaacravadas a 35, ditas de cabos pretos a 34200, dW rs-
rhos a 1,50 e 2.ooo rs. de Lisboa a oo e 700 rs. a libra. ditas de cabos de balanco com 2 botSe para mesa pl'5aA de ljla de co?> ** com w Tiri
Idein em laUs de 1 I i e 3 libras a ,3oo e Massa de tomate muito nova a 64o rs. a li- aJgOOa*ga : na rua do Qoeimado, loja do No^de ,Dha branca Q m a 30 r,
2,3oors. cada uma, e a 800 rs. a libra. bra. -----------^-.. .Carreteisde linha decorfs mnito fortes a i
toque de ferrngem a I
madreperola muito fi
Figlos de comadre em caixinhas de 4, 8 e 1(5 Marrasquino de Zara a 040 rs. o frasco,
IIbrrs a l,3oo, 2,3oo e 5,ooo rs. cada dem em frascos grandes a 800 rs.
tima caixa. Cominhos muito novos a 5oo rs. a libra,
dem em caixinhas de folba a 32o rs Erva-dnce a 24o rs. a libra.
Idam em raixas grandes a 2oo rs. a libra. Pimenta a 360 rs. a libra.
M4o rs. a libra.
3,ooo rs. Cannella a I.loors. a libra,
oz da India e Maranhao a 80, IOO e 12o Alfazema a 2oo rs. a libra.
s. a libra, e 2,5oo e 2,8oo rs. a arroba. Sal retinado em frascos de vidro a Coo rs. o mado, loj do beija-D r u. 83.
uni'tidoas de casca mole mutfo novas a 4oo l'raco. Cravatos para senliora.
rs. a libra. Copos fines para agoa a 5,ooo rs. a dnzia. Vendem-se grvalas gara srtttwra.
Ksrcivas para denles.
Vendem-se escovas para denles muito finas a
120, 2io, e 500 rs. : na rua do Queimado, loja do
heija-llur n. 63.
Caixinhiis com yrampas.
Vendem-se caixinhas de grampas a VO rs. : na
rua do Queimado. luja do beija-flor n. 63.
I.cilarinliiis para Inunem.
Vendem-se colarinlios da linbo para hemem, de
diversos gustos, a 560 e 'iO rs. : na ruado Quei-
'.i Lulashovas a l,000 rs. os moios gran-
des e a "00 rs. o cento.
Alpiste a le rs. a libra e 4,fioo rs. a arroba.
Macarrfiu, Lilliaiim e alelria muito nova a
4oo e I80 rs. a libra.
Biscoitus e bolarhinhas inglesas as ultimas
chegadas ao nosso mercado a I,2oo e
I,loo rs. cada lata.
na rua
de diversas
do Queimado.
.res, 5u0rs.,8 e 14
Chouricas novas a /o rs. a libra. I Ulja Uu btja-Oor .1. 63.
Moslarda franeera preparada e muito ora] Uouics de punlio para manyuilos de seuhara.
a 32o rs. cada um frasco. Vendem-se botes de punho para manguitos de
Gomervas francezas de superior quafidade a senhora, de diversos gosls, a 200 rs par : na
40 rs, o fr*SO0 e 7,ooo rs. a duzia. r,ia do Qoeimado, loja do beija-flor n 63.
Azeite doae a Ci rs. a garrafa. v SfL^M dpb",l,B if T ,.A a ..
o .. r. ?. .a. Vendein-se fitas para dehrum de ves ido de laa
Sevadinha de Franca muito nova a 2o rs. a
i O rs.
Cartes e caitas de clcheles fm O rv
Botoaduras brancas e de cores para cvl ele a
120 rs.
Frascos de banha, pechincha, a 140 r
Bonets para meninos, fazenda fina. 1 1$.
Caixas preparadas para costuren as a l$5Ca,?4*
:I4000.
Masaos de grampas lisas e linas a ;li) es.
Caixas de palitos do paz e de cera linos s O is.
Du/.ia de facas c garios de 1 botS 1 snpn r- a
54500.
Dotia de ditas e ditos de 2 botoca UnissiBMM
BJ500.
Grozas de palitos do gaz a 24200.
rea pr ta muito fina a IOO rs.
Caixaa de rap eoa eselho a 100 rs
libra.
ATTENC&O.
ATTE^AO
lo aores que comprarem para negocio ou casa particu'ar iO^I para'
oUM ki'io au 3 a Ui por de ahatimeot. preprietario scientilica rjis me todos i
os seus gneros sao receidos .le sua propria encommenda, razio es para poder ven-
der por muito menos do que em outro qualquer estalielecimento.
.seiiKdites de liortulica.
Chegaram no vapor francez fiUtViM as novas se-
M. i. Hamos Suva A Genrcjs. tfltt|
para vender cm seu cscnplorio na ru.i do
Vicario u. 10. o seguink :
RMM e elefantes pianos.
Vl^WiO cravus. "'> A, loja le ferragens de Basto
Firj do algod.lo para coser e pavio de velas.
Cera k Lisboa em velas.
Cera de Uab ia em graaae.
Superior vinh.8 do Porto em caixa de um
Luzia.
Din lito era barra de -!>".
Colla da Baha.
Para o cima val.
O Pavao vitide.
rendeiB-so tifelaes de todas cores proprios para
vestido* o roupa para mascara, pete barato preco
do 400 rs. o ovado, ganguelim cor de r-sm, f.izun-
cia mudo bonita a 320 rs. o eovado, verdaddro
vel iido cor de caf para domin a 14 o eovado,
-etim bra uro liso proprio |iara vestido a ."OOrs. o
eovado : sto na loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As raupiras do Pavo.
Vendem-se linissimas nmeiras e pelerinas de
oanibraia bordadas a erorft, e dilas de fil pelo
baratissimo preco do 4 cada urna camisinha com
goMa c manguitos a 1480, ditas de tilo a 14, linis-
- gol uihas bordadas a croch a 300 rs., dilas
de lllci a 'n)0 rs : sto na loja do Pavo. rua da
ImpaMdl n. 60, de Gama & Silva.
\OZIv
Roa da Madre de lie s ns. o c 9
Vendo-fo sacaos com oito libras d.s nozes pelo
barato pruea de 14000, agroveilem a pecblncba,
tai..

Neste grande armazem de molhados vende-se em grandes porcoes e a retalho,
fazendo-sc dilletensa consideravel a quera comprar de 100 para cima.
.------------------------------------------------------------------------,---------------------1-----------------------------------------------1-----------------------------------------
m m (hkihaIio \.\\.
Loja de fazenda de Augusto Frederico dos Sanios Porle.
ESTEIltAS PA1M SAIiAS.
FARINHA FONTANA.
Farinha da milito acreiila a marca
Foiilana < pscmliarcada lioje, veude-se'
por preco mais cuiniuoilu do que em i
qualquernatra parle : na rua da Cruz!
ti. 4 asa de V. 0. Bicber k f. succes- i
sores.
Rua da Senzalla rtova u. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
'erro cado libra a 110 rs., idemde Lovr
vioor libra a 120 rs.
A este estatetecimeote cnegpn um ptimo .-.ortimento de esleirs para sala, sendo de diversas lar
i guras atei (5 palmos e da mais superior qualidade. .que se vendem por preejos mais mdicos que em
' nutra qualquer parle.
SOTEMBARQLKS.
Os mais superiores souteinbarques de casemia de cores ricamente enfoitados acabam de chegar a
leste estabelecimento.
I NKKITKS l'AItA BAILE de lindos gastos.
1.1 VAS DE PELUCA DE JOVIN para borneas e sentaras.
CHAPEOS DE l'Al.HA DA ITALIA par sen horas, eiifeilados coiu linissimas llores a 144 e l
CHAPEOS DEPA1.IIA para meninas, enfeilados ricamente a 74.
CAMISAS INT.LEZAS para homem, colarinhos. pedos e punhos, de linbo, a 124000 a duzia.
CAPASJDB SEDA PRETA para senboras. Iw dadas e enfeiUdas de iij a 304000.
ZUAVOS de seda pelos para senboras. afeitados com o melhor gostoa 04.
CHAPEOS lili l'ALIIA para hoiiw n I -300.
CAMISINHAS COM MANGI'ITOS E GUAVATA para senboras, bordadas com muito gosto.
ATOALIIADO DE U.NIIO para mesa fazenda superior.
pretas bordadas, rom 10 varas, a 14100, dita de
seda prea a 14200, dita do cor adamascada a
14200, dita branca de la com II varas a iOO rs. :
na rua do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Pcnlos Imams para meninas
Vendem-se pentes travesso de borracha pnrn
meniua a kOOa 500 rs.: na rua do Queimado, loja
do bcija-tlor n. G3.
Papel de diversas qualidades.
Vende-se papel mizade a 'iO e 700 rs,, dilo de
cores a 800 rs., dito adamascado a 14, (Uto branco
a 900 rs., dilo boira dourada a l20 : na rua do
Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Iitiiics de Madreprrola.
Vendem-se botes de niadreperola para col lele.
qne tambem servem para casacos de senhora a
MO rs. a abatoadura : s qnem vende por esle
dreco na rua do (Jueimado, loja do beija-flor nu-
mero 63.
Luvas de Jonvin.
Vendem-se luvas de Jouvin para homem e se-
nhora, chegadas no ultimo vapor : na rua do
Queimado, loja do beija-flor n. 63.
O

>
2
i= S5 i" r. f=-60
O Q-
Qd 22
re 52 1
-? s po
B 3. 0
^ g
0 3
o
i.-
en


00
30
8
f
s- .
CO

1 Botica
FAZEMIAS
barata para acabar.
Sedas de quadros e do lislras a 320 rs. o eova-
do, lindas lias de quadrinhos a 160 o eovado, su-
>eriores cassas do cores a 200 rs. o eovado, ditas
nnito tinas ato eovado : na loja das colnmnas,
na rna do Crespn. 13, de Antonio Correia de Vas-
:oncollos & C
e armazem
drogas
de
Rua do C'aliig&
ni:
Joaqnim Mai linbo da Cruz
Vende-se o segninte :
[Salsa parrtlba de Hristol.
II.
Correia.
Finos chapeos pretos de seda, chales de diversas qualidades, grosdenapie preto e de cores, pannos Pastjjnas assucaradas de Kemp.
pretos finos, casemiras pretas e de cores, brim branco e pardo, linas laasinhas para vestidvs e outras
inuitas fazendas queso vendem por comraodos preeos. A mesan loja ebegaram os
Ricos cortes de la de barra 111 al imada.
25
BIJA HOYA
DEPOSITO SI
25
DE
Macas.
Caitas com macaasa 24 e a retalho para todo o
preco, a 40, O, 120 e 200 rs. : no armazem da
Aurora Brilhante, largo da Sana Cruz n. 81.
Taboado.
Vendo-se (abordo de peroba e canella, de boa
qualidade, a por preco inuilo em conta : no trapi-
cho do Cunda, no Forte do Matl
JOAO PEDRO VOGELEY.
Neste acreditado estabelecimento se encontrar urna soberba colleccao de pianos dos mais cele-
bres fabricantes da Europa premiados na ultima exposieao universal em Londres. Entre estes pianos
existem alguns fortes Ai cauda e novissimo fabricante A. Bord, de Paris, nicos nesta provincia fabri-
cados por ordem do proprietrio expressamento para esto clima. Os senhores amadores sao convida-
dos para vir examinar a perfeieao do trabalho e elegancia do seu formato e as excellentes vozes dos
ditos instrumentos.
No mesmo estabelecimento continua-se 1 alugar, atinare concertar pianos e recebem-se en-
comoieinl'- para servir ao respeitavel publico tanto na cidade como nos arrabalde*.
O nroprietario responsabilisa-so pela su;i excellente qualidade.
.Pastilhas vermfugas de Kemp.
Blixk de cilio lclalo de ferro do Dr. Thermes.
Ilob do Lafecteur.
Xarope depurativo dVdoretu de ferro de Cuy.
Xarope peitoral sedativo de Gas.
Pastilhas peiloraes balsmicas de Guy.
Pilulas ila vida.
liurel franciscano (mescJadoJ parairaagens.
Injenao Brow.
Xarope de citrato de ferro de Chable.
Pilulas contra sesiVs.
Salsa parrilba de Sauds.
Extracto Huido de salsa parrilha de Bailys.
Xarope alcoolico de vellaine.
Aleiu destas drogas lia conslantemenle um com-
pleto sortimento de tintas, verniz, ouro para dou-
rar, preparados (huaicos e pharmaceuticos que se
vendem por commodos procos.
da Uaiiu
e roupa de esrrnm;
A^'f'ao
para saceos de assitrar
para vender Antonio Lun de Oliv.ir.i A<
C no s.?u escriptorio rua da Cruz n. 1
(uni
Vendem-se globos de barro vidra.lo da 1* 11
de Stolta Antonio no Porto, proprios par 1
frentes 1 e rasas : na rua do Amorim n k.
Em casa de ^lills Litham C, na
Crm n. 38, vende-se ferro galvanisailo de un,
mellK'res fabricantes inglezes, proprio para col
tas de c; sas.
Fthhlh
ESCBAYQS FGIDOS.
- Fugio do dia 28 para S9 do correnlf ofs
vo Ignacio, com os signaes seguintes basiai:
to, ps e maos grandes, dedos comprido\ rom s'
gum signa! de pequeas fcridas pelas pi
quem pegar dito eseravo pode leva-lo rm Sa
Amaro de Jaboalao a entregar Zererino T< n
Velloso, qne ser bem recompensado. ___
00 de sratlQcaco.
Desoppareceu desde o t de maio d.i IMS; *
poder de seu senhor o tenentaeoronel Vs* Viera
te de Medeiros proprietnrio d engenho Pndk t
na comarca do Pem-do provincia das MB)rW
eseravo Jeremas, de c6r cabra, estatura nlfi.
padaudo, desdentado de um lado mais quede, ,r
mnito pooca barba, pos grandes e tem alpe s R
ile -'irnesobre o peito, bom Tpa'i 1
na cidade do Recife nma irmaa cru ula de n-a
Joaquina, liberta, para junto a qnal cb/em ]**
evadir : quom o capturare entreanr om P r
biteoao Sr. Jos Augusto do Antojo (e1''

Est se acabando ,1 farinha igual a de Muriheca hm-oan Sr. Jos Migusio do Ar.ioio
a'ir? o se-co. baratissimo : no armazem da Au-1 Reeife)em Maceio no Dr. Mariano SMajrtn
r9ra Brilhante, largo da Santa Cruz n. H I Silva, receber a qttanto ncima aadafadi


I>!h lo de PerDiliihnco lii.ifirt elra 3 d> Fevei-ero t i Si.
LiiTERATURA.
occasioes ser precioso recurso para
0 QUE VE PELO MUNDO.
i, sobrado a tribuna, cni sesso d

goi iviapi .cuido, quando ,
usei <' dar algamas e\pliraefe>
nativo?,,; n reappareeer n a
cilo: 't-nces deque me acho ani-
r.A.i i.l icuto mais opportuuo
. i.- < i. ,. quero fallar senao em negocios Bnau-
ceiro;.
< a ., porque a poltica poder dividir-
nos al tes: ao passo que as quesides da
nature.-.a dau.ella de que se iraia, bao de approxi-
, h ra fallar tales do que nos apro-
xima do que daquille que nos separa. (Applau-
sos.) Entre, pois, no a-sui.ipto. sem mais prem-
bulo
= Pede 100 millir.es destinados a fazer fa-
ce a deajnca effectoedas. dinheiro, que se deve
e que cump \< satisfacer. POSlO que esta despea
leona sido, pon grande parte, motivada por una
expedicao. que muilo deploro, a do Mxico, esla
consideraran nao deve diminuir nein os nossos de-
sejos, cer.: o.- nossos deveresde pagar. Estes encar-
gos occorrerain na divida fluctuante, c teeni assim
o carcter de divida pul.lica-----
t A quesio que se nos apresenta aseguinte:
nao coavir i ransportar esees encargos da divida
fluctuante p: ra a divida consolidada? A par desta
ha outra qu-:sto. Nao liaver precauces a adop-
tar para que a divida fluctuante najo possa voltar
em alguns mezes importancia em que vos nDo
desejaveis ddxa-la i Eis o que me proponho exa-
minar.
Posto nao deseje misturar a poltica ueste de-
bate, acreseentarei algumas palavras afini de rc-
commendar. que o riupresliuio tenba um carcter
essanciaimen te, pacifico. A nao ser assim, os ne-
gocios, e como a diplomacia, poderiam resent--
se desfavoravelmente. (Muilo bem.)
O orador entro em diversas apreciaces sobre a
divida fluctuante, inquinado em que limites cum-
pre flxar o sen mximum. Na poca da restaura-
cao elevou-se de 300 a 350 niilhoes. No governo
constit'jciocal de 1830 passou de 400, e 600 a 700
mithes. Esta ultima cifra (diz Mr. Tbiers) pa-
rece u -rae excensrn i e por vezes me queixe
della.
t Sob o rgimen actual, a divida fluctuante ele-
vou-se successivamente a 700, 800, 900 e 1000
eom
emi
ou,
os
o as;
dei i em certa
u thesouro.
Ku vi fin I6S0 urna sitoacSe mni grave. A
Dossa revoluco havla provocado armamentos em
toda a Europa era preciso qua a Franca lambein
arma.-se.
Atravessnnios entio flfas bi m d Oleis. Os ca-
pules fugiam da divida fundada. Recorremos aos
b rods da Ibes turo. Assim adiamos algumas ren-
ten is de milbdes. On cni so deve, por consegua-
le, ser deixad i ao governo, qae faz bem em apro-
ve ,'i-Ki. Has noc upar esse recurso;
alias enio i mais possivel dispor dalle.
E preciso, depos deautorisaroe bonds do the-
souro. atarear cortos limites. Nos propomos que
se lis.' agora a emissao em hh> milbdes. Poderla
diztr-se 80 a io mttbbes; masparece-me queein
poca Doroial nao seria raxoaveieunttir bonds alm
de (K) ou loO milbdes. Beete modo a divida lluc-
luaute, no seu complexo, vira a reduzir-se a 700
nnlhes.
Todos admittimos que a divida lluctuante deve
circiiniscrever-se a essa cifra. Cumpre, porm,
leva-la a eTeilo. Se destinaes 300 milhoes para
correar os mil milhoes desse encargo, somma ex-
cesiva, mas nao alarmante, preciso que no fim
de alguns mezes ella nao volte a importancia que
agora ides reduzir.
.Nao ba nislo, senhores, desconflanca. partida-
ria, oflfcnsrra. Nao. Eu nada pretendo expender
que seja desagradavel aos nobres membros do go-
verno. Entretanto, se nao desconfi das pessoas.
desconfo das cousas.
O que tem occorrldo ha dous annos I A divida
fluctuante attingu a somma de mil milhoes, que do
desejaes reduzir. O illustre ministro Fould, quiz o arbitrio,
coll >ca-la eui siluacao mais normal, e por isso o 18t>4 ?
lou''o. Dizem
t S. F.xc. tinlia eolio grande repugnaucia em Nao o
augmenlar a divida consolidada. h
to igualmente louvavel. Entretanto, era preciso' triste presehte
votando conscienciosamcnte. ( -l/>-
aciualmentc em circulacao, e os que serao nosso dever
emittidos em 1864. Nada mais fcil do qua i''""""- *
eslabelecr para uns c outros c.-crpturarao dis- ~. ,)s commlssarios civis nomeados para os du-
(!,.(., cados. pela confederarn, expediram aos buebers,
llav,.,, duas contas boto dstinrtas: a dos an- a ;l de l^mbro, o segrate documento :
tigos boiras, que se recolhero no decurso de 18iii, Era virlude da resolucao da aog isla a-sem-
ecorsos do emprestimo; e o das no-as ula federal allemaa, de 7 de dezembro de
que nao poderao exeeder 160 milhoes; dos eommissaros federaos acbamo-nos eneai
im o exigem, I.M) millics. gados da adnirastraca dos ducados aeUolsteio
. Vi a lugamente de perla as operacSes do ledo Laaembonrg, m onn da confederacao ger-
thesouro Kao ereio^ue para applicacao das me-^ ,.,,,. .,.. pn-jaiz,. r,< direitos d i i,que
didas qu. propomos-, baja serio iticanvementB.[b fteam tcntporiariamento susponsos, de
eixardes t
seno ilicanvenii ate.
Dientes dar-se-hio se deixardes o go- u admiuisiracSo continuar atenu o termo desta
cuidad.' de emit.r bonds do tbesuroa ,,,,,,1,,^, ^ |\ad por llllla fg^tucio federal i.....
Os Ineonv
remo a f
sea lalanti. Nada prOV, que no fim de IWi nao (erior.
nos adenos na mesma siluacao de hoje. Levando o que tica oxpflsto ao conliecimento
M. Viilrij (couiinissario do governoi. Pede do publico, no momento emane airavessa.....sa
a palavra. frontoira eom as tropas federaos, e encarregando-
i O oraUor
teressante ter conliecimento do eslado militar do
Ja pao.
i Nao lia certeza a respeito do numero dos 5en>
soldados; dic-se que o lycoon pode levantar eea
mil bomens, e lodos os outros principes reunido*
pa merecer nempre as suas mais serias s>mpa-
ihias, nio faz uns do que maniestar um senti-
mento que todos experimentara. O mais agressivo
soberano nao deseja a guerra em truc da guer-
ra. O czar jiilgar-se-bia feliz se OS S%OS snbdrtos
polacos ouizessem submetter-se paeiflcami ote utnttSSiM ; mas admitiindo esto algari^mo.
deportaea., B se pod<.....levnnar a sua guarnicaol reunir-se-liao os principes alguna v, i I Mmi
de k0,00OhomeosemVarsovia. acreditar que as suas dissencj opo-
Mas, infelizmente,os Polacos teem nociJcs par- derCentral impedirio qualqoer eoneeni
i iliberdade pessoal, e por con- pois necessarioconsiderarWasforcnsewno .
sequeocia, os projectot do n soberano sas ell, |10lll,. mniIO Jiv,.rs0.
sao malogrados, e elle e abrigado a sustentar um Coino e^tao os seus soldado asa*s
um forte exercito para manter ordem.. > unpe- d8s e exereilados k europea nao aferen *
Austria e o re da Italia desejam tambem a muIl0 Vinerlcan inde-
i.. i ir
a paz, mas ambos desejam tambera pssulr Vene-
-1 ida uno delTes -1 qur en istrar amavel, mas
presistem em proceder sua vontade e eoWo Ibes
eonvm. Ora. i eooeiliacio e aobstioacjo nao an-
dam juntas, e tornase impossivel conseguir idenli-
licar duas cousas contrarias.
0 M'Di'tiur Univeisel, publicon as segnintes
noticias:
mar a atlenc.o da commissao para estas eircuras- em todos os seus eleraenlos, esperamos de todas
lancias. as autoridades, de lodos os funccionirio-, assim
M. AHta (relator) Ja eslava feito, quando como de todos os babitontas do paiz urna obedien-
0 parecer esta va redigido cia inviolavel s nossas ordens, e comamos eom
um apoio benvolo no desempenbo da nossa mis-
0 oraJlorMuilo senliria olfender a suscep- sao, que tem por lira proteger os direitos do paiz.
emenda se
e impresse
tibilid.iili'
mas deve
mesma id a da commissao, essa idea nao to
ce-nie que
Disemos que o governo japonez, apesar das
Ireio (pie contribuimos para cha- nos pela- presentes da administracio dos ducados singulares semeloaocas que apresenta cun a orga-
Disaclo aristocrtica e territorial da sociedsde eu
ropa da edade media, nao tinba eom ludo o carc-
ter de feudalismo. Para nos eonveneeriiius disto,
basta remontar origen) desse estado poltico, e
deve recoobecer-se que a Drimeira orgamsaca i
absolutamente tbeocratica. Anda boje o verdadei-
ro soberano, o nico imperador o mikado ou se-
nhor espiritual do imnerin. Une, pelo correr dos
meu eollega e antigo amigo Gouin ; Mas e a ros, habitantes dos ducados, que par- lempos o poder tenba cabido as raaos de urna
sernos licito dzer. que se tivemos a licularmonte nos dirigimos. e-perie de senhor do palacio, chamado tyceon, qu>-
apresenlou.
pcrpeiuou a sua dynastia no exercicio do governo
me lisongeio de Iba baver inspirado; fun(]cr
m. Nao
mas seria eliz se tivesse contribuido para enraiza-
Comquanto por agora se nao trate senao de de- temporal, esla mudanca nao altera o principio.
mder a rossa constituicao segundo as resolueijes O mikado, reduzdo ao estado de idolo, nao
federaos, e destruir a resistencia que se Ihc oppoe, deixou de Permanecer o nico inveslidor do poder
para eom o tycoon, a quera as nossas formulas
la nos membros de quo ella se compoe ; e pare- como roll.er Pnlre nus a nacionalidadi- I>coon- a. ''U,M" "as,'."T ^|"l,,,u,*,!
i i ,iiui eouio iiiuuKir i-inii no a naiion.iiiu.iui, europeas, damos erradamente o Ululo de uniiera
po.1111. ma. r\ ivinsiurm ___._____ ______ -n__-_ ____.._j. ____.- ..... .. ..."
a consegu.
costumes e honra allemaa, comtudo a questo que dor que os Japonezes Ibe recusam absolutamen-
op| ortuno para 186.), nao o ser para vaja
i Punde pois de parle toda a desconfianza Con-
cedei-nos a mesma confianea, que nos, Allemaes
: -os de-confiado.
sou: mais deveis estar ao fado da
imen- preoccpacpes do publico n'este momento. um depositamos nos nossos compatriotas, quando en-
qae se Ibe destiua na proximidade r;ill,os no VSS0 l'-
aos possuidorcs de fundos, pediu-lbes o quenco
quera obter por um emprestimo : fez a conversao
da eenda.
i Respeito os motivos que vos flzeram votar a
medida. Permitti, porem, que diga o que pens
do resultado.
A conversao dos fundos, quando em poca
pro iria, una medida excellente. Deve, porm,
baver cautella : quando o fructo nao est maduro,
amarga s vezes.
< A conversao, realisada fra das condicoes que
naturalmente a recommendam, tem necessaria-
meiite consequencias lastimosas. Em primeiro lu-
gar para os possuidores de ttulos; depos para o
proprio thesouro. Hasta siluacao etfecvamente
para levar por diante a conversao, cumpre fazer
milhoe.. ciin em que se ada lia dous aunes. Isio promessas, crear esperanzas que nem sempre se
inquietante -, e seria prudente reduzi-la a menos realisam.
alcaace.
creur recursos. O Sr. mioistro dirigiu-se eolio do I." do auno (rumor) esse emprestimo de 300
milboes. E precise, que ao lado de lal presente,
baja ao me ios urna consolago.
Ella consistira na approvaco da emenda que
propomus. i
Nao quizera trazer a poltica para a questo
Peco todava permissao para dzer poucas jialavras.
porque mu dimcil fallar de financas sem fallar
de poltica. A expressao do egregio ministro
a que me refer: dae-me boa poltica, e eu ros
ara boas finanras sempre verdadeira.
Quando fomos eleitos deputados, todos rece-
bemos um mandato dos eleitores. Nao um man-
dato imperativo, nenhum de nos o arceitara; eeu
menos que outros. Mas um mandato moral.
Procurei decifra-lo; e els como o entendo. Pare-
ce-me que os eleitores me recommendavam de
contribuir para tres cousas: desenvolver as lber-
dades publicas, dar ao paiz o beneficio de boas
Secundac-nos na applicaeo das medidas con-
venientes para conservar intacta, n'uma poca agi-
tada e n'uma siluacao provisoria, a tranquilidade<
a ordem, o direito e a legalidade : e ajtidae-nos a
afTastar das vossas fronleiras ingerencias intempes-
tivas e sem mandato.
|ue est investido de um poder mais ampie.
O mikado infallivel. e a organisae/io do seu
poder espiritual tem singulares analogas cora as
da DOSsa relgio. Os rendimenlos do mikado eom-
poem-se de olleras, de dizimos religiosos e da
venda de indulgencias. A eanonisaco admitida
no Japo para os bomens de grande sanlidade, e
o mikado que a pronuncia, assislido de um ollegio
de pontfices.
A nenhum dos seus subditos perraillido
v-lo. a nao ser s suas mulberes, e algumas vezes
ao tycoon. Assim d lugar, a respeito da sua mys-
lertosa pessoa, a i|ue seespalbem versoes extraor-
dinarias, e cuja aulhenticidade se n.o pode garan-
tir. Diz-se, por exemplo, que elle obrizado a
passar todos os das rauitas horas dolhrono, n'uma
completa immobilidade, e os supersticiosos pensara
que do menor movimento depente a estalulidade
do Japo.
O mikado parece ser effeetivMuente conside-
rado como urna divindade viva. NSu Ibe permit
, .dm : i lido por os ps no chao; tudo quanto se Ihe serve
se torna sagrado: em fim, considerado como im-
tracao interna dos vossos negocios geraes e eom '
Poisbem, senhores, por esse arbitrio da con-financas i eemlim, tanto quanto possa, concor-
Pcdedar-se semelhanle redueco em limite ver0> seUDdo I*"*0 Prematuro, que resolta- rerpara a manutencao da paz. (Mu,lo bem, mut-
absoluto? Nao; mas o exemplo dos bancos pode Ido veis afcancado? 0 nobre ministro da U- lo bem.)
ornec?r una regia aproximaliva. A ebservaeo xenda espera va, que facultara ao thesouro urna s. Exc. o ministi o de eslado (Roulier): EsUmos
recjita de 300 milhOes. Mas s produziu 157. todos de accordo a esse respeito.
dos fados leou a pensar, que a reserva metaliza
de um bani'0 deve ser poneo mais ou menos a ter-
ca parte d:. cmisso de suas notas. Esta propoi-
5O, qtie em Franca i simples costume; urna le
em ln i A divida fluctuante pode applicarse urna es-
pecie de analoga.
i 0 estado tem como correspondentes todos os
grande, e.-labelecimenlos pblicos. O seus cofres
reunem-se na cofre geral do estado. Isto emi-
nentemente til. Tem sido approvado pelos gran-
des financeos, e pelo mais eminente de lodos,sob
o qual trv receedorjs geraes sao obrigados a depositar som-
mas onsiie aveis no thesouro, e a fazerem sempre
adiantamonlos. 1) aqu provm um fundo de porto
de 130 milboes.
t Os municipios depositara no thesouro todos os
subsidio, que recobem para os seus encargos.
anda um fundo de perio de 110 milbdes. Ha de-
pos acai:ia das censignacSes; as caixas econmi-
cas; a caix5 do exercito : sao oulres lanos corres-
pondente.' d) thesouro, que Ihe entregara anntnl-
menlc urca somma do 630 milhoes. Esta som na
nao ora tao coosideravcl antigameoto. Tem ad-
quirido a importancia proporcional ao movimento
dos neg io .
medida que o movimento se tem desenvol-
vido, o qi.e augmentaram as receitas do thesou-
ro, amptiou se a cifra desta parle da divida fluc-
tuante.
i Hoje os correspondentes do thesouro eotre-
gara-lhe de 00 a (i30 milbdes, algumas vezes me-
nos, cutr is mais. Tomemos 600 milhoes, conta re-
donda.
Se a esta somma juntaes 100 milhoes de bonds,
isto preftz um total de 700 milhoes para a divida
fluctuante.
i Sei nsito bem, quanto ao qne diz respeito aos
bonds de tfcesouro, que o limite de cifra dilieil
de determinar exactamente. Eatre o mximum e
mnimum do boads a emiitir misler deixar urna
certa margem.
Julgo que seria mu deixar desapparecer da
circulagio os bonds do thesouro. E' um valor ex-
ceUente, pracurado pelos oegocaotes que caretem
de valor iiin carteira; e al pelos paes de fami-
lia, que oelles acham um emprego de dinheiro se-
guro e fac mente realisavel Nao desejaria qoe o
publico nerdesse esse habito.
Ha sulra razo para conserva-Ios; e que po-
FOLHETIM.
O ANftEIi DMfflASS.
vh
Quanlo mais dedcacao moslrardes em vos
conformar eom as nossas determinar/es' mais nos
secundaes nos nossos esforcosque s tem por fim
o vosso bem estar; e nos mellior poderemos con-
servar s autoridades a sua acro constitucional
e menos razo teremos para iotervir
mortal, e s'ua morte s serve para mostrar que elle
muus. j desappareceu. e que e seu successor esl eotbro-
i Temos occasio de vos certificar qae teremos nis;id. sem se ter na menor conta a mudanca. Sao
n .U.4A a~ .;- ., ^. k.i i estas as narracees que se teem feito sobre o ponti-
o cuidado de vig.ar qoe os habitantes sejam o me-. ,ice deus do^ipa Mas nos iemil& luiUs esU,
nos possive! incommodados pelas tropas, e que se-! cousas por apocriphas, e o mikado parece .ser um
rao equitativamente indemnisados de todos o eu-1 soberaoo minio mais envolvido nosinleresses tem-
poraes do que elle alfecla.
i No espirito do povo lem-se inlroduzido por iopas altiatlas. sob o
diversos modos a dunda e a irreligiaoi e freqtwn- ,1';'"".'l'e??^.,Ju;.a, les vezes d disso o mikado urna prova envolven-
do-se na poltica. Nos estabelecimentos de Yeddo,
capital do incoen, que actualmente nutre certa
indispusico cimtra o senhor espiritual, temos visto sa^adures.
frquentes caricaturas allusivas a mikado, e a'
Por semelhanle resultado deixastes a cifra dos
juros da divida, tal qual eslava antes da ope- : O orado,-: Quaoto s liberdades publicas, fal-
racio; e augmentastes o capital da divida eom ; aremos dentro em quinze das. A questo de eco-
uma somma, que pode ser oreada de 700 800 nomia consiste na boa direcrao das fioaaCas.
milhoes. Quaoto paz declaro, que sou o seu deei-
Fazendo o sacrificio d'esse iocremeoto de ca-|dido 'ampeao (Afplmu em alguns bancos); uo
pit? I, nada se lucrou nos juros. E quanto aos pos- de uma PM aue offeoda os uossos ioteresses ou a
suilures de ttulos, aos quaes se dissera, que a w*8* ho"ra l*01-*!116 8e em a,8uma Pme a nos"
unificacao da divida, faria elevar rpidamente o M honra e o uosso interesse estvessem
sei vapor a 71, nao foram satisfeitos, porque ba
lempo que ella se conserva a 67.
< Ha porm no assumpto decepcXo anda mais
grave. Os 157 mlhes, que os possuidores de t-
tulos cntregaram ao thesouro, turara destinados
a diminuir a divida fluctuante. todava alguns
em
perigo, vos nao recusareis; e us, os da chama-
da opposico, tambera mao deixariamos de conce-
der ao governo todos os recursos do paiz. (Appro-
ionio.)
Hoje, contemplando a Europa, vejo erros quo
podera commelter-se; erros talvez mortaes. Nao
encontr um s interesse fraocez a servir eom
tolloso
nada aventamos. Pedimos a
te a seguir. Todos os airaos ha
le
na
o expedien-
lei de meios
metes depos, ella tornara a attingr 1:008 mi-' guerra. (Muilo bem. puIo bem.) t preciso
'h"88- I ter sempre em attenco que d'entre todas as na*
. O exemplo do passado serve para ser can- ^ a que ha de sempre ter a maior influeocia na
loso, tkimo cumpre proceder T Seuhores, nos pai e na guerra. ha de ser a Franca.
i Sejn a questo da Dinamarca, dira que boje
Franca arbitra da paz e da guerra, porque em
uu. artigo, que limita a emisso de boads do the- ^^ oulros mlos na0 se faris a ^ sem ea;
souro.
i O art. 18 da le do orcamento de 1864 fi-
xoi esse limite em t">0 milboes. Em decreto im-
pe'ial, revestido de todas as formulas exigidas,
acerescenlou-llie 50 milhoes. Tal o limite fixado
pe.as leis anteriores. Entendemos que por meio
do emprestimo, o limite pode reduzrse a 100 mi-
lhoes.
O que pretende a emenda, que ti ve a honra
de apre.sent: r. conjuuctameate eom alguns dos
mi us collegas ? Hecorre a uma medida legisla-
tiva. Em lugar de deixar existir a cifra de 300
milhoes, pede-vos que a reduzaes a 100 milboes.
Fea bem enteudido, que n'estas materias, os al-
gansmos nao sao absolutos; e se eu julgasse. que
a ievacao d'essa somma seria propra para fa-
zer passar a nossa emenda, nao hesitara em mo-
di ica-la.
e nao se faria seno por intervencao della. E
pois conveniente, que a medida em deliberaco lo-
ria um carcter essencialmente pacifico; e que
uo possa reputar-se a faculdade dada ao poder
para levar a effeito o que se recela.
Se occorressem grandes ae.ontecimeotos nao
servira de tropeco esse artigo da le. Ento se-
riara precisos militares de milboes; porque, se-
nhores, a primeira guerra que houver nao ser
uma guerra solada, sim uma guerra geral cujas
consequencias. e cujo termo nao vero talvez as
actuaes geraces. (Applausos.)
c Se grandes Interesses francezes exigissem j'esposta salisfactoria. E* a iosurrjc,o polaca, que
. .-.. i. i-., r.,.-, .;,. naaciualidade ameaca a paz do conlinenle; e to-
a accao da tranca, nao e, repito, o artigo proposto,! davja 0 imperador> g coniprchender de uma ma-
(|ue sena obsUculo. Qual o a especie de guerra, j neira clara, que s existe uma base em qne um
que elle pode entravar 1 Sao as pequeas guerras I representante seu poderia tomar parte d'uom dis-
pequenas pelos resultados, mas temveis para o* fussao so,,re a questopolaca. Mas como urna
,!.-,. r, _., ., | base em que n;to pode thfiar-se a futura tranqiilli-
Noseo da commissao, eu disse aos repre- thesouro, como as da Lhina, da Lochinchina, do flade da Europa nem pJe diminujr 0 desccM.ienta-
cargos e requisicoes exigidas pela sua manrfes-
tafo.
Occupar-nos-heraos pois da nossa obra eom-
mum eom um espirilo de concordia e de paz, li-
vre de lodo o espirito de partido, devendo vos ter,
como nos, confianea na alta confederarlo e as
suas futuras resolucoes.
Bucher, 23 de dezembro. (Seguem as assigna-
rasj.
No Mnrning Post encontramos o seguidlo
artigo:
t As respostas ao convite imperial continuam a
chegar urnas aps outras. mas, por diversos moti-
vos, perderatn o interesse que de principio offere-
ciam. Gom razao ousem ella, espalhou-se a opi-
nio.de que nao bavia a reunio de testas coroadas
e de diplmalas distrnctos. Quando uma festa
Indefinidamente adiada ou abandonada, torna-se
uma trela bem ardua percorrer as respostas das
pessoas que foram convidadas.
i As respostas do czar e dos res da Saxonia e
do Wurtemberg foram \ogn publicadas. A nio ser
a curiosidade queapresentaram ao leitor, nenhuma
dellas ofiVrece interesse. Debaixo de um certc*
ponto de vista porm, as diversas respostas dos so-
beranos europus ao convite do imperador, mere-
cem ser examinadas, porque tedas fornecem a prova
evidente de que o projecto era irrealisavel.
A Inglaterra foi acrusala de recusar a sua
rooperaco ao imperador dos francezes por motivos
de indigne ciumij, e mesmo eom o proposto de ele-
var o seu poder sobre as ruinas de oulros impe-
rios. Mas os que tem conbecimento do contedo-
da resposla da Inglaterra, s teem que lr as res-
postas dos outros estados para reconhecer as exac-
tdes dos argumentos em que se funda a nossa
resposta.
O assumpto impraticaver, diz o eoode Rus-
sell, porque se as questues que poem realmente em
perigo a paz da Eunq fossem ali tratadas, as
partes inieressadas chegariam ao congresso eom
resolucoes premeditadas quo seria impnssivel con-
ciliar...... Se a resposta do czar nao demonstra
outra cousa, demonstra pelo menos quanto eram
justas as previsoas do ministro inglez.
t O imperador da Itnssia iko diz positivamente,
que se nao pode realisar um projecto de pacifica-
cao da Europa ; mas absenta uma questao>
qual salte muito bem, que se nao pode dar uma
zes vendein pecas e carabinas ao governo e
daimios O fon i tem bateras verdaoViraraeale
bem estabelecidas, e indos os viajantes i
qoe tem vist i por toda a parle tropas japonesas
exerctiar-se as manobras euroi
Mr. Fomblanqae refere a esto rosfotto um fac
to curioso.
Quando o conde Enlemberg apres^ntoii M
membros da legacio prossiana ao ministro do* ne-
gocios e-lraiigeiros Clll TaddD, aqilelle luneClOBtr
i io paree, ii uiaravilliar-se do nome de um dos ad-
didos : dtran.lt! liranilt excUMBOQ eHe, so
vos o autor de urna obra solire a lctica militar ?
Mr. Brandl reapondeu que fra svu pae crevera aquelle livro. Ah ws* o raiortm
uma excellente obra ; Iraduzi-a <\ > Itollandez para
japn,/ : eu vos man la re ura evmplar. F. n..
roanhaa segointe reeeben-se na emtwixada prus-
siana o tratado do general Brandt a respeito da?
tres armas.
Di) sfinijfw IHlllW as seguintes noti-
cias :
A aproximaeo das datas das eorresponden-
ei.t- oilieiaes chegadas pelo vapor inglez de Sou-
llianiptoii indica j qual a rapidez das rommuiiira-
edes entre Veracruz e o Mxico, quando anda ha
pouco estes doas pontos eslavam separados por jor-
nadas de militas semanas.
O movimento de roncentraeo das tropas, n
presenca das operaces que se devem dirigir para
o interior, liaba j romecado; a 15 de outukro
niariharam sobre Toluca, o 2- lialalho de cacado-
res de infamara, o Io esquadro do 2" regiment
assim como a 1* batera do 8* re^meoto de art-
Iharla ; no da f> marcha a divisao Mejia de Pn-
ehucapan Tula ; a 21. o general L'Herdeer poe-se
era movimento p:ra Tepixi del Rio eom o f bata-
talbo de caladores, o i de zuavos, uma divisio
do 12 de eaeadoiv- acavallo, duas baleras de ar-
tilharia, aermpanhia de sapadores, eo servir ad-
ministrativo da diviso. Finalmente a 24 marefta-
ram para Toluca dous batalhes, dous esquadrdee,
urna balera, e os depsitos da divisao Mrquez.
< Comtudo o commandanle em chefe nao irofc
lencao de tomar a offnsiva antes do principio de
novembro. Quera antes de se por em marcha, ter
tudo organizado para eonseguirem um hom exo.
O cominando do Mxico iraha sido conladc-
ao general Neigra, eom 3,501' bomens de todas a*-
>rraas. qne ;siavam s suas ordens. As immedia-
{Ots la capital eslavam fortificadas de maneira
tie lornasse fcil a defeza eom eouca tropa.
Eotre o Mxico e Veracruz eierotaraovse-
trabalhos de defeza em Camerone, e aquelle punto
deve ser occ upado pela conlra-gnerrilha do eoro-
ijcI Dupin, reforcado por diversos- destacamentos,
alira de pro tejer a comraunicaci cam o liitoral
contra os bandos nuaigos, e cobri* ao iwmuo
t tupo os trabalhos do oamnho de fefrft.
Jalapa l'oi oceupada a 23 por 2^80 bornea* de
sob o commando do general m^xi-
mesmo tempo d*ve suslentir
Ponto e Pint Nacional, cora as sua forra, qoe
se compoen. de 2 batalhdes de infamara, i pe^as
de arlilharia, 2 esquadrOes e um aVsUcainenio de
tCOaUHUACAO.)
sellantes do governo : se a medida que propo-
nas vos parece incommoda, suggen outra. Mas
pilo que nos diz respeito mpossivel conce-
dir-vos 300 milh5es destinados a recolher os
bends actualmente em circulaciio, deixando-vos a
f.t -uldade de emillir no anuo seguate uma somma
e^ ual.
t Dcvo confessar. senhores, nada ouvi em res-
posta, que me parecesse eoucludente. No texto
d; emenda faz-se distnceao, entre os bonds
Japo, talvez em breve a de Madagascar. e sem ment do povo polaco, o pedido feito pelo czar,
duvida a do Mxico,
c Confesso, que muito prazer teria em
| para obter novas informaces, moslra s por si,
nh-Kr' ('"e ^ chimerira a es|eranfa de manter por agora
na discusso deste projecto.
a paz universal
i asemelhantes guerras; seatiria grande satistacao E' intil entrar
em empecer a vosea aegao do Mxico. A medida que tem por fim regular as desintelligeneias nter-
que. propomos, a respeito das pequeas guerras ; nacionaes mesa "de um conselho. E'preciso la-
sera de soberana ulilidade. i IUtn,i,lr>. I,1. es!ados if*2 as
suas desintelligeneias a nina arbilragem: mas isto
t Eis |iois. senhores o que linha a dizer. A nao para emprehender, uma vez- que se nao
maioria far o que Ihe approver da nimba cmen-: acredite na possibilidade da paz e da regeneracao
da. Os que assignaram entendem a sua respon- universal.
sabilidade de certo modo. Todos cumpriremos o '. Quando o czar diz que a paetficaeao da Euro-
guns Japonezes nos afflrmaram que o mesmo suc-
eede em Miaco, capital espiritual, quanto a carica-
turas contra o tycoon. Os dous sobecauos fazem-se
l^iois uma guerra de Punch e de CJxiriraii o que
torna divertido o carcter de um iwvo, que e a
tantos repeilos descouhecido.
< De todos os-asiticos sao efectivamente os Ja-
ponezes os mais- eivilisados, e o que- mais ex-
traordinario e it distingue dos Chinozes lerem
esseucialmeoteo-espirito do progresso. As suas
armas c obras de cuidara sao de uma tempera
mais fina do que as dPBirmingham. Sao muito
industriosos, habis para produzir, e-elles proprios
reparam j cora- uma pereicao notavel as machi-
nas dos vapores que leem couiprads- na America,
e que de lia muilos annos fazem uteis servicos
as suas perigosaa cosas. O Japo- esl cortado
de mmensas estradas ; o campo bem cultivado,
e os parques principalmente sao at! mira veis. Os
Ja|ionezes sao elTectivamente excellentes jard-
neiros.
A legislacJo ali simples, e ellcs pareeem
satisfeitos rom os seus cdigos ; a promulgarn ,
pelo menos, essencialmeute liberal. Os novos de-
cretos sao lido* em todos lugares d>.imperio pelo
funccionario legal, em presenca do-povo reunido,
e o texto afflxa-seat na mais'insignilicante aldea.
O cdigo criminal, por exemplo, -draconiano;co~
nhece uma nica pena :a morte. Mas, aquelle
povo singular lera um despreso singular a vida, e
os Japonezes matam-se a si proprio.- eom extrema
resignacao. Oque mais temem principalmeate a
perda da consideracao, tallar as-leisde minucio-
sa etiqueta, o-que se letn inveterado no espirito
nacional.
< As mulberes sao muilo amaveis no Japo, e
considerada no p da mais perfeito egualdade. Pa-
reeem adorar os enfeites, (urque as suas visitas
s esposas dos cnsules europus pedem sempre
para ver os 3eus adornos, e mostram-se extasiadas
em presenca. das modas de Paris e das elegancias
europeas.
Vm vice-consul, eom quem. Iratei, e que leve-
occasio dB-|>enelrar no interior das casas japone-
zas, me disse que no paiz existe um pequeuo ca-
minho de ferro, t que os proprios Japonezes Ib-
nhara construido as suas locomotivas, assim como
as machinas dos seus barcos. Comprehenderam
muito bem, disse elle, a ulegraphia elctrica, e
nao se falla cousa alguma de que elles nao l.e; -ji
uso n'alguns pontos. > Quanto aos telescpicos,
barmetros e thermometEos,. tabricam-se ali ci;iks-
tanteuiante. Sir Alcock encontrou uiiie.-tibdtci-
mento, onde se fazera apnarelhos moderadones.
Ali esli perfeilamente desenvolvidos os conheei-
aieob* aslroaoniicos.
No Japo existe urna, trailucco de Mecaiiiua ce-
Finalmente, para proteger a estrada do Mxi-
co e Veracruz eom a menos trepa posr vel. reda-
zir-im^se o numero das- estacos railitares qoe se
tintaam esUtbelecido; mas ronservaraao-se forte
gu*rnic;es nos que conlinuaram a existir, rom
um fort armamento, o- sufficientes reservas de
vveres e munieajes.
O estado sanitario contina a ser eacellenle,
mi terrenos altos.
Em Veracruz reina. mais completa ordem; a
febre amanilla tem ali desapparerido qnasi intei-
ramente. assim como as trras qiiente; e a di-
ii.-.nuco da intensidad* da doenca parece aanaa-
ckir a prxima e toUldesapparico do Ragello.
- Espera se a ebegaa de ura comboso de oulubro partiu do Mxico, composio de soia-
do*-convalescentes, a fue precisando, para o s*u
ir lame ufo, do clima da Franca, sao mandad*
prca os depsitos dos seus corpos. Es gente d*
ve-partir n'um navio que sahe regoknente le
Veracruz, f que se destina a esse servir,
. O mesmo navio conduzira a Franca os milita
res do cor|io expedicrwnario que roinHue o son
lempo de servico a 3H de dezembro.
Quanlo aos enfermos, cuja cura se pide veri-
tioar sem abandonar > paiz. sao mamlxk para .
depsitos di! eonralescentes stabele^id* em Pne
bl e em Orizaba naa-melhores condir"Ws bygicni
cae.
As obras da va frrea continua a avancar
(atracado de lalajiliasti comecado, t pcoeram as-
:paraces entre Seidade e Veracnus
O ftregresso.
Nesta poca de ostracismo religic*. em qu* a
'nz da f apparect agonisante ao tufa da innredei-
lidade. dar um paseo frente das filras. onde Bt-
imila o estandart. do dirisiianismo senao i urna
luueura, |K>der-so-ha talvez, qualiliear. de timar-
rojo insano face do mundo.
Estatuir a liberdade do peasameoto e a UkcnV
de de consceni par de exclusivismo de id
OJM tendera limilar a esphera da razio iodivi-
dual, eis o que incumbe a todo o humera ilkjstra-
do, na linguagiim dus cynicos O escarneo, e a
zomliaria nao sao as nicas armas, que so*m roa-
nejar os espratoai fortes para d tstrosi :u)pelies
que se al.and ,nai:i a esla surte do-anomala*- .
E se isto se observa anda mesmo quandc-fallam
os vultos lilaraiios, ipial nao dave ser a. miaba
eonfuso ao erjruer-me do p para fallar ita ii,
na dos sab os-" Seja qual tur, porm. a cataba sor-
te, eslou r .'signado.
Quando ajiumanidadc acoloNada coa. vu da
ignorancia dorma doapercebidamenit: '.-soiimo da
leste, lnimitara tudo, imporUm ludo no sea paiz, I indilTereiv.:ti nessas noutes netMlas do **mmo, w
mas nao dizem nada, nem mostrara cousa alguma. '''>"' bomlitejo, solicito e prardeaM
urna preoeetipaalo absoluta dos Jap.Mie/es
resislireiii entrada dos curopeus no im^iero, e
sempre assim foi; mas pareeem ter previsto que
essa admisso devia, impr dentro em pouco pela
forca, e trataramdc a repellir tambem pela turca
No estado actual das- relaeoes, nao deixa du ser in-
cmnho, quando de repente deu um fraco grito.' nha natureza a le de niinha inlelligenca, e segn- vontade. Era como um borrivel pesadello. O pa- Esla estranba ordem fi arliculada eom uma voz
Vi as redeas cahirem Ihc das raaos, estender os do esla le. inscripta a vinle seculos sobreoaiinel dre nesse momento pronuneioii as palavras sacra- secca e queli/ada, palavra por palavra, eom um
bracos pira frente, e levar logo depois as mos aos do Egypto, sou puro de toda a culpa. Eoragem, nientaes. Edmundo via eoovla todo; elle rtico- evidente estopeo. Os criados estupefactos contem-
olhos, em seguida vacillou na sella como se hou- i pois, e vamos avante. lou inachinalraenle 0 vol inviolavel. Mas rtica- plavam-no de bocea, abena, sem poderem dizer pa-
vtsse sido feudo por uma bala, e um momento de- VIII lou. cousa borrivel em nomdo mortn... i avia. Quanto elle, seus olhos anda fallavam, e
pi.is jazia |Hir trra em um estado de completa in-1 O casamento ia realisar-se ante um pequeo hu- A cermonia acabava ; o casamento eslava feito. | cora urna doquencia araeacailora, atas seus labios
icnsbilidade. Laocamos-noe logo para forado mero de leslemunhas na capella particular do cas- Edmundo fiel a promessa qoe a si mesmo Riera, nao mais se abriam. Nenbun dos criados ansa va
citrro para correr a seu soccorro, e anda eslava- tollo. tnba mantillo, grayas a ftirca de sua vootade de meclier-se. A pesada nuiaco do leito seulpido
Este.; nulancolico appellos piedadede Julietta
tJiiuvaiii, por certa circumstancias particulares,
urna irresislivel influencia.
Ella tinba visto mais de uma vez Edmundo apos-
sado di mais negra tristeza, attriouda por elle s
consequendas de uma febre violenta, que quasi o
mata durante suas campanbas no cancaso, e que
os cirurgioes rnssos traham combatido cora reme-
dios ueossivamento finorgiVos
Da tcm|ios a lempos, por intervallos que pare-
can! m aliasiar, o joven conde empalideca de re-
penie, seu; olhos se fixavam n'uui ponto determi-
nado do espaco, suas feicoes, de ordinario ir.ipas-
siveis. e ccniraluam sob a accao dcumhorrivel
pasmo. t,om os labios cerrados, e respirando
core diflkaldade linba todas os signaos de um lio-
mam tomado de horror ; e tudo isto sem motivo
apparente, som causa apreciavel, sem o menor
^jfaiptoma precursor que deixasse presentir a cri-
se r. perniittisse premunirse contra da 0 ulti-
mo desses ataques, anterior um mez a moite da
condessa viuva. traba tido lugar a seus ol os, e
qnellcs de Julidta durante um pasaeio acarro em
que Edmundo as eseoltava cavallo.
i Estamos, eserevia ella a sua amiga, no eami-
nbo do moinio velho e perto do lugar em que uoe-
se a nova calcada que costeia a altura chamada
eoire nos o lianco do Gigante.
Na villa do valle, no lugar mesmo da junc-
Sio dos dous catninhos, se eleva um posto irdica-
or, do quo o ramo horisonlal, o braco, se pre-
feres vjllado para nosso lado, pareca-nos prohi-
bir que fossemos mais longe. Foi pelo menos o
qudepos me ligurou. Edmundo se aehava jus-
laraentc em face do poste, e ia voltar o ngulo do
n os sobre elle racimadas, procurando fazer cooi Edrauodo estava ao p do aliar, ao lado de sua ierro, seus msculos e ervos profundamente aha-
qie tornassea si, quando ura espantoso e-trondo bella noiva ; mas seus pensaraenlos vagavam fra lados porem s.'ittia que- iam faltar-lhe as toreas.
3)s foicou a levantar as vistas. O moinho que ti- do sanctuario : elle ns va o padre, nem Julietta. l'tna especie de enchente fazia aflluir o sangne dc-
amos vista pouco antes, acabava do desaliar, nem to pouco as vistas syrapalhieas dos amigos baixo d sen crneo. Seu cerebro fervilhava, sen-
L'ni enorme fragmento de |>edra, era torooda qual que o cercavaoi; esperav o espectro, preparava- tia-se Iiorda do abysuio, previa um lerrivel ac-
elovavam-se nuveusde um p braceo, tinba cain- se para o combate sobrehumano, cuja ameaca pa- cesso. Todava uma certa lucidez anda Ihe res-
d) na estrada o nos iuterceplava a passagem. Os cava sobre elle. Cada uma de suas faculdades, lava, elle prtde calcular, n'um minuto, quanto tem-
cavallos se assustaram e despariram, e nao sei co- sentnella vigilante, vbjiava a approximaco do po poderia flear senhor de si a cusa de um su-
n o o cocheiro couseguiria faz6-los parar, se a car- ioiaiigo. Seus ervos excitados excessivamente, premo esforro que Ihe acarrelaria sem duvida a
ruagem se nao lvesse virado proposito. Nn- desenvolviam nelle uma especie de susto sentido, perda de sua razo. Foi assim que elle cenduziu
g ietn felizmente icou ferido. desabamento de cujas percepedes subtis eslavam na altura dessa sua joven esposa sala dos banquetes, onde rece-
sa muro mal aprumado pelos pedreiros determ- nova tarefa que consista em ver o invisivol, em beram as felicitacoes de seus hospedes. Cada qual
nuu a queda dessa pedra, que se baria deslocado repellir o impalpavel. Entretaoto nada trahia sua obleve delle uma vista amigavel. una palavra cor-
quando se fez o caminho, c que a nao ter sido o angustia intima. Sua pbysionomia era tranquilla, tos. Sempre calmo, sempre rom a maior urbani-
a:cidente succedidoa Edmundo, teria infallivelmen- sua atiilude respeMavel, sua visto lmpida, seu sor- dade, viram-no furtar-se a suas felicitacoes e cor-
te, esmagado a todos. I riso affavel, tudo exprima nelle uma jovial seren- tezias.
Na mesma data se le no diario do joven conde :' dade. O criado grave do conde Edmundo, advertido por
Como possivel duvidar do qae assim se ap- No momento em que o sacerdote se veltava para ura signal de sen amo, soguiu-o ao .piarlo qoe elle
[rescata ? Assim corno vi, na desorden) dessa em- abeocoar os jovens esposos. Edmundo acredilava oceupava na extreraidado do castello. Alii ebega-
A luva arremessada ao dos, sera que sua Iranquillidade perecease perlur-
tm que sua voz mostrasse a menor agita-
Uou-vos cinco minutos, Ibe disse o conde;
exlremidade desse braco, que nos prohiba passar' sao nao linha adiado brecha por onde poiesse pe- ide ver-me entre os criados ou moco- de estribarla
llm. o llamejante airal que se estar no fundo do netrar. Foi, pois, eom ura gesto deorgulhoso tri- qualro bomens dos mais robustos, que elles semu-
f resenta 7 Assim como vi. na desorden) dessa em-; anencoar os joven esposos, nuiuuiiuu acreuuav.. onnpm
tuscada em que os Tcherkuses nos haviam atlra- baver obudo a victoria. A luva arremessada ao dos, sem
liitlo, a mao fatal afTastar uma espingarda apona- i phantasma nao bavia sido levantada. Na cidadella bada, sen
da sobre meu peto, do mesmo modo reconheci na d'alma, guardada por todos os Indos, a borrivel vi- cao : i
Veidnitz.
t Nessa invisivel proteecSo de que me vejo cer-
cado, minha alma presente uma ameaca. Quando
ceve ella realisar-se ? Essas apparies nao se
nostraio senao a meus olhos ? Depis, de que
lervcm reniorsos t S a accao engendra conse-
quencias. O que nao est feito, realmente feito,
io existe___ O que nao oxiste nao pode ter re-
sultados. Todos os actos de minha vida, e al os
movimenlos de meu pensaniiilo, escrupulosamen-
te por mira pesados, nao me do una somma de
causas egual a somma dos efeitos produzidos. Esta
equacao tira minha respousabilidade, Iranquillisa
nioha consciencia, e me encouraca contra inimi-
los pbantasticos. Su reei||heDO por le de m-
comocon a estator em unas as suas junciuras, a
grossa espiral de carvalbo a qui> Eilraundo pareca
collao,arrancada subiio de seus encaixes, e vol-
teaqdo. no ar como uma massa, foi atirada de en-
contr a um enorme espelhOy eqjos estilhaoos wo-
raui por toda a parte, e a cpula do leito cahiu e-s-
irondosamente... Seguiu-s uma borrivel lutaque
nao de-erevereinos. Os eneo aihletas saJiiram
della mutilados, mas vencedores. No nteio dos
niove.- derribados e quebrados, o pobre louco ja-
zia palpitante como ama fra apandada aos tofos
do carador. O impassivel criado grave adevinhan-
do as inlencoes do seo amo e cora quo vistas ello
bavia escolhido por tbeairo desse borrivel eooflielo
a parle mais remota do castello, reconnnendou ex-
pressamente silencio a seus sitliurdinados. S Bo-
tan foi previnir a joven condessa...
Os mdicos deelararam aps muitos dias de tra-
lamentn, durante os quaes a molestia havla tomado
um curso regular, que o cuidado de velar sobre o
ronde Edmundo poda ser doixado sua joven mu-
Iher. Therezac Julietta esiabeleceram-se logo jun-
to do dente; a primeira, porm, teve de ansiar-
se pouco depois, e Julietta llcou s na especio de
priso que partilhava cora seu marido. Como
qualquer luz feria a vista do doenle, nianiinha-se
em torno delle uma completa ohscurdade. No
meio dessesculareres cros cnipunhaado em
mao nina, roda rdanle, e som a outaa baste
ura estandarte : essa luz rayslica s-oabobsava a
fe. esse jstiuidarle era a crie esse eneera a rel-
gio !
(fjomt muar-**-ka. i
umpho que estendeu a mao para lomar a que Ju- nam, e em quantidade, de loros, corda?, correias
lietla Ihe estendia, e cimentar assim sua unio para as mais solidas... nbrae depressa I...
sempre indissoluvel... Cistumadu desde muilo a una obediencia passi
O phanlasina esperav esse momento ; na mao va, o criado curvou-so e sabio. Antes do termo quarto vizinbo, onde se traba estabderido sua mu-
de Julietta, Eduardo viu aquella desouirmo Flix, liado, elle eslava de volla, seguido da escolla re- Iher, uma lampada de luz opaca, ardendo da ma-
Nao era occasio de esmorecer. Lniz disprendeu qui.-lada. Cada un dos cinco homens tinba sua nlia at a noute, substituto a los exterior. Entre
a rao de sua noiva,abriu a forcaesses dedos defina- proviso de curdas. O conde ordenou que fechas- as duas cunaras, nenhuma outra barrera mais do
do que a aperlavam ; foi-lhe, porm, impossivel. sem a porta por dentro, o que no mesmo instante que uma armaco raovel, alraz da qual Julietta se
A amethysia o repellia. a amethysta Ihe dardejava lizeram. Eslava em p junio a seu leito ; seu bra- punba frequentomente escuta, o que levantara do
mil raios odiosos semelhando o s> hilar da serpen- co direito, passado era torno de uraa dasmacissas vea em quando pin laucar una vista (ortiva no
te e vibraeo de suas brilbanles escamas, a ame-. columnas que sustenlavam a cpula desse movel desgranado, cujas aoostrophes incoherentes, suidas
thysta dizia-ihe baixinho: | golhico, se agarrava a ella eom energia. Uma ti- iiupreeacoes e supplicas apaixonadas ebegavam
Nao ponha obstculo mi da sorle. vida pallidez tinha-lho invadidu o rosto : De- alternativamente a seos oovtdjBS. sfais de uma
Debalde sua vontade so revollava. Como ferido pressa I depressa \ os (hs a* lilaos' -.imorrao tu-, vez nessa torrente desordenada de palavras con-
doparalysia, seus membros uo obedeciam a sua dp|... Musas, parccru-ltie tjuo lancavara sobre o passado,
come.relmpagos, uma luzterrivei. Julietta as
colhki tremendo. Conveiilrando pouco a poaco.
in* um esforco de sua inldligeMcvi, esses ratos 3*-
pavsos, ella leve ante si, anexar SOO, a verCatto
coaapleta. Esta fonniuavel vetdade, egual > twr-
rtvet cabera da Meduza amiga, fi dese joven, ser
ano viva, nina imniara vel estatua, ua i|ual v Itraa
vista, a iinrau.lavel rigidez, s.- mipiinham pm H>r-
ror a memiria espantada, eijuando o doenr d--
perlou urna inanlia, apiw> algumas hora*, do um
pacifico somno,M.nhor do si e de seus peusassen-
tos,quando ciiu es-as peRepfta vagaadanma
eonvale-ieiiea presentida comerou a dar alWn
a ludo ana oeercara.piando tanfan, ,-ulii a mu-
Iher que Ihe tijilia prodigalisado tanto cuidados,
seus olhos cantos do reronheciraenlo o iduto de
sua niocitVide Ihe apparc-eu transi.rutaJo. Ira
ura anjo anda, rerdade mas era a aojo do juizc.
final!...
Ella K)du sabia, e elle viu que ea tinba ccob-
eiiiietito de tudo.
Porque nao Ihe estendesto a mo I dizi^^te
ella.
Seu crirae estava era p, .kinio delle, crtmo es-
tranho, no qual a paixo dm tmha tido parte al-
giraia, nasedo de um pensaineoto diablica, pro-
ilu/.ido por essa frai|ueaa siu>ersliciosa qm- lanUs
vezes tem sido notada nos bomens desprovid
de f.
N'uma ;rse decisiva de sua vida. i|uaad<> enga-
llado em todas as suas osperancas, vira essa vuai.i-
de to firme, cora a qual centava, irnpole
minar as tempestades do coracao, a mxima bu-
lista inscripto sobre o annel egypcio, buha -
repente lomado sua divisa e regra. Decidido \
sollrer seu destino, fosee- ello qual base, c
egualmente disposto a oo repellir as atobolab
des favoraveis que a conslancia da sorte conduzs-
se ante el le. A cusa de um ci une, toda fdicidade
humana Ibe pareeeria caramente cumpraJa; nw-
rria poder acariciar impunemente u unbo e a coi-
mera de li tu dosejo culpavel I
-

1


(Canlitmar-ie-h0t
PF.HNAMl)li:u. I Vi'. uK M. f. flUfCX


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVPWSEQG0_26I4PM INGEST_TIME 2013-08-28T01:52:25Z PACKAGE AA00011611_10282
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES