Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10271


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XXXIX MUMERO 291.
Por tres mezcs adiantados 5JJ0OO
Por tres mezes vencidos 6$O0l)

SABBADO 19 DE DEZEMBRQ DE 1863.
Por anno adiantado.....19$000
Porte para o subscriptor. 3$Q0
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Araratv, o
br.A. de Lomos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
tnazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRfPCAO NO SL
Alagdas o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
Sr. Josc Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Marlins d Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Govanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tergas feiras. -
Pao d'Alho, Nazareth, Limoero, Brejo, Pcsqueira, 24 La cheia as 11 h., 23 m. e 14 s. da I.
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ourirury c Exu' as quartas feiras.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezos que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/, dia.
EPHEMERrDES DO MEZ DE DEZEMBRO.
3 Quarto ming. as 8 h., 49 m. e 2 s. da m.
10 La nova as 4 h., 29 m. e 20 s. da t.
17 Quarto cresc. as 8 h., 20 m. e 32 s. da m.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeira as 6 horas e 54 minutos da manhaa.
Segunda as 7 horas e 18 minutos da Urde.
PARTIDA DOS VAPOBES COSTEIROS
Para o sul at Alagdas a 6 e 25; para o norte at
a- /V j a e ** de cada Inez i Para Fernando nos
das 14 dos mezes dejan, mar?., maio, iul. set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS,
o,, Ta Renfc : do A!"PUCOS s 6 y, 7, 7 /2, 8 e
8 y da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jalwatao s 6 /, da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Remflra s 8 da m.
Do Recrte : para o Apipucos s 3 /, 4, 4 >/, 41/,.
' !/-*' ./l e 6 da trde'' !'ara Olinda s 7 da
manhaa e 4 Vi da larde; para Jaboato s 4 da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4 '/, da tarde; para
Bemfica as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas e quintas.
Relacao: tergas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do coinmercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
14. Segunda. S. Agnello ab. m.; S. Pompeo-m.
18. Terca. Ss. Ceeiliano e Christniano mm.
16. Quarta. Ss. Ananias, MizaeV e Azarias mm.
17. Quinta. S. Floriano m.; S. Olonico m.
18. Sexta. S. Theotimo m.; S. Btesiano m.
19. Sabbado. S. Dario m.; S. PauMIo m.
20. Domingo. S. Fetigonio b. m.; S. Julio ra.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praea da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarros Manoel Plgueiroa d
Faria 4 Filho.
EXTERIOR.
A administrado dos crrelos.
Sl'A IMIOMA E SITLAgAO ACTUAL.
Segunda parte.
VII
(Continuago.)
Das tres grandes causas que leem modincad0
cm Franga o servido da posta, e augmentado con-
sideravelmenle sua renda, deram-lhe novos desen-
volvimenlos, e a consliluigao tal como a temos ho-
je, suguramento a mais importante, a adopgao da
taxa uniforme (1849), imitaco acertada, posto que
um pouco lardia, da grande reforma ingleza de
1840. Como o alcance dessa reforma, que hoje tor-
ou-se europea, nao pode ser cabalmente aprecia-
do senao pelo exame comparativo dos resultados
cbtidos em urna e outra parte, vem a proposito dar
urna idea succinta do servico da posta nesse povo
que por urna le mysteriosa d i civilisagao sem-
pre nosso rival em administrarlo, assim como na
poltica e na guerra.
A repartigo da posta ingleza, cuja historia por
si s merecera um trabalho especial, foi primiti-
vamente organisada por Caries I, e modelada pela
repartigo franceza. Destruida pela tempestade
revolucionaria em que esse monarcha perdeu a
cora u a vida, fui reconstruida e aperfeigoada por
Cromwel (1657) que soube constitui-la absoluta-
mente independento dos outros servidos pblicos.
A imparciaiidade nos obriga a reconhecer que es-
se germen de origem franceza desenvolveu-se des-
de o principio, melhor no territorio inglez que no
nosso.
Era isto por cerlo devido ao carcter natural de
nossos visinhos, mais refleclido e methodico, e ao
iesunvolvimento, comparativamente mais rpido,
ao menos termo medio, das aplidos induslriaes e
commerciaes, isto ', daquellas, cujo exercicio re-
llana correspondencias mais frequentes, e mesmo
continuas. Sabe-se que, alm de tudo, o habito de
escrever leve em todos os lempos grande desenvol-
imenlo, ao ponto de constituir quasi mauia, entre
jnuitos Inglezes, mocos e vellws ; e a esta cinside-
rago, importanle no ponto de vista fiscal, deve-se
addicionar oulras muilo mais graves.
Desde osecilloXVII a Inglaterra tomara a posi-
co vanlajosa, que tem conservado em relago
msiruccao elementar, prudencia administrativa
e poltica, e puhlicago das receiUs e despeas.
Alm disso, as postas inglezas terara sempre admi-
nistradas (reges) e nao arrendadas, e o eslado co-
Iha o beneficio liquido que d'ahi piovinha, dedu-
zi las as despezas iudispensaveis.
.0 certo que desde 171 a laxa das carUfs pro-
duza na Inglaterra dous milhoes, isto por si so
tanto quanto o nosso arrendamento geral das pos-
tas e messageries. Essa differenea augmentou gra-
dualmente durante o seculo XVIII, e, natural-
mente, de um modomuito sensivel, durante a re-
voluoo franceza.
Em 1815, quando a renda liquida da nossa pos-
ta nao era de oilo milhoes, a de nossos visinhos su-
l'a a 38.932.000 frs.
A datar dessa poca operou-se um mov ment
inverso ; ao passo que o algarismo da Inglaterra
conserva-sc estacionario, a Franca ganlia de novo
e rpidamente terreno.
Em 1815 os nossos beneficios poslaes nao iam
alm do quinto do respectivo producto liquido da
Inglaterra ; rate annos mais tarde, este nao sof-
fren alterago para mais, antes decresceu c o nos-
so ilobrou.
A introduegao do penny postage produzio imme-
ou menos fortes, elovann-epentinamento a de que eos (fallando com o devido
impressos sua primeira
diaiamente um augmento de 122 Ii4 por cento
(168,768,000 cartas).
Era o promeitido refluxo das correspondencias
remedidas em fraude pelas carruagens.
Desde essa poca realisou-sc regularmente um
augmento medio de cerca de 4 l|4 por cento ao
anno, consequencia do movmento da populaco e
do;desenvolvimento progressivodo habito de escre-
ver, em todas as classes da sociedade.
Em 1861 a admnislrago ingleza transportou
593 milhoes de cartas para 31,350,000 habitantes,
a franceza somonte 274 milhoes, para urna popu-
laco de 34,697,000 almas.
Estes algarismos comparados dao em resultado
manto Franca, termo medio, orto cartas a cada
habitante, pelo que toca ao Reino Unido curte
mmwi (1). I ao producto dos jornaes e
A vista destes algarismos, sao superiores os co- : elasticidade.
mentarios. Apenas devenios lamentar que a Fran-: Desde essa poca o algarismo utarcliou em pro-
ca nao lenta tomado a iniciativa, ou ao menos se- gressao crescente, e scu movimento augmentou
guido mais iiromptamenle neste terreno sua feliz ainda mais com o regulamento de 1856, que dimi-
r'r it t- I nuio o direito, o substituio pela taxa segundo o pe-
uom ctreito, foi so depois de oito annos, e quan- so, a antiga laxa conforme a dimensao. Esta ulti-
do esta medida j tinha sido plenamente justificada na disposicilo que sobrecarrega as publicages pe-
pela experiencia, que a Franca decidi adopta-la, riodicas em consequencia do peso de agua comida
maslixando a tarifa de sua taxa interior no du- as follias mpressas, que sao remettidas ainda
po da ingleza (20 cntimos, 1. de Janeiro de i frescas, nao nos parece a abrigo de censura, e es-
,s,!*) I pecialmente no que diz respeito revistas, e outras
ara de prever que no primeiro anno se dsse colleceoes volumosas que sao remedidas logo de-
uma nisagao anloga que se dera na Inglaterra pois de publicadas, e antes que essa agua tenha ti-
ein cirumstancias semelhantes ; foi isto o que de do lempo de evaporar-se.
fado aconteceu : com quanto a diminuicao hou-' Por isso mesmo os impressos desse genero, pelos
vesse sido relativamente menor, a administrado quaes se nos ha de permittir quo tomemos aqui al-
linanceira superior atemorisou-sede vero algaris- gum interesse, antes perdero que ganharaocom
mo do producto liquido da posta passar de 16 a 6 o novo regulamento. Talvez se devesse neste pon-
inillioes, isto e, descer abaixo dos algarismos do to fazer, se nao urna mudanca radical, ao menos
primeiru imperio, e por isso, conservando o sysle- urna distinecao.
na d ataxa uniforme, procurou activar o augmento De parle esta observado, reconhecemos que o
da receila por meio de urna taxa addicional de 5 systema actual deu resultados liscaes Unto mais
cent ; e conservou este rgimen mixto desde o Io satisfactorios, quanto certo que em nada sao de-
de jnlno de 1850 at o Io de julho de 1854, poca vidos a novas effervescencias do jornalismo anar-
i decidi suppnmir essa taxa addicional. chico, e que o augmento constante do producto
grandes resultados oblidos do outro la- nasce em grande parte da actividade intellectual
^a/.^J&^Fnrfrn ^nm/r""85 ^T^r^^^^^JS^ ciolo^r^bu^rt0 l' ^ ^ "* ^
resultado ate entao inaudito de 4,395,852 fr.
largo do Carmo, faz destri-
Mas as vantagens linanceiras que
ransportc de grande quantidade de impressos
contrabalancadas por inconvenientes de outra na- tro vai ao deposifos cheira'o'pTo71ro7maV-s"do foi loja de alfaiafe do*Sr Feix'o (ruarselchamon"
SS2.Sf* T gVern "a 'me ,,ar",de Tlhr |,r^U.nl" dc Trancoso,' pro va a manteiga, lado con. gosto e aceio
prcvem-lo. Assim, em consequencia das medidas carrega o dedo no queijo flame-o deixa correr ~
restrictivas tomadas sob a impresso do perigo so- pelas goelas urna pinga de Porto e'do Madeira, e
tfft. rn niiiiiiri.. i..::. ..... ^ "i"1'- "OLuiuris uu largo ao carmo, laz aesin-
anrP'senta o tkZ 7m2p ,1? 6rss"ra Vw\ do toii- bu.r com nosso numero de hoje um avulso, com o
S2T*? temilV^r^ pref d?s eneros que vendiem eu eatebeleci-
TZkt. SAiB?2irSa,l!!.*2: SSft?.1?***^*!: 57, onde outrVa
cial, o medidas de um rigor exagerado, porque em depois de mnilo bater de beicos c mudas rcflexes
Franca vai-se frecuentemente, para nao dizer sem- com os olhos voltados ao cu, faz a carroca scuir
soffrerem os pinicoes do gallo.
E tudo isso, compadre, bello, o pensamento se
atira por um vago indefinido, o coracao palpita e"
a alegra se derrama |>or nossa alma.
E o que nos faz lio salisfeitos ?
Ser a esperanca de gosar, nesse pouco tempo,
"e''(ias, 1,e eada um a seu modo poetisa sem as
dilliculdades que acompanliam o homcm ? Nao
sera d ah que vem depois o dizer-se, qne o melhor
da festa e esperar or ella ?
esperar por ella ?
Pode ser ; mas as segnintes palavras do
lave I Moni Alverne. fallando do
Pelo delegado de Govanna foi preso Antonio
Vicente Ferreira de Vasconcellos por haver ferido
gravemente Joao Jos da Cosa.
- Conccdeu-se exoneracao, por haverem-no pe-
para
Barros, o 2. Malinas
o capililo Jos Joaquim de
Ferreira de Mello.
Repartico da polica :
(Extracto da parte do dia 18 de dezemfcro).
Foram recolhidos casa de detencao no dia 17
do correnlc.
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ben-
lo Paulo Zcdanne, branco, como condemnado em
crime de bancarta fraudulenta; Pedro Chri-
sostomo Cavalcante d'Albuquerque, tamben) bran-
nimi-1 co, Jos Luiz de Santa Anna, pardo, os crioulos
. Salvador apenas Francisco, escravo de Thclesfero Marques da Sil-
nasciao, caiam na consciencia o que todos experi- va, como sentenciados, Manoel Joaquim de Santa
mentavam, mas que antes delles nao sabiam di- Anna, Jos Lourenco da Silva, sem declaracao de
Ier:,, .. i m(ivo, vindo do termo de Serinhem; Maria,
utos ja nao esla mais separado de nos, por- preta, escrava de Maria Amelia de Gusmao Lyra,
que se rez homem ; os raios da sua colera estao : por fornecer bebibas espirituosas aos presos.
apagados, porque elle unio-se nossa nalureza, A' ordem do de Sanio Antonio, Manoel Lessa
com urna estrena allianca. Seu esplendor se mo- ou Manoel Roberto Fernandes, branco, por sus-
uiiica, sua magestade oceulta-se, sua grandeza peito em crime de furto de escravo; os crioulos
abate-se, '*
vista dos
do do Estreilo, onde nao sao conhecidas taes he- que se traduz na multiplicidade de publicacoes nao
sitacoes. I polticas, e actividade commercial e industrial
mem
paixo
ravilhas.
e-se, a justica inllexivelque humilhava o no- Olympio, escravo dc Jos Marques da Silva Porto,
i duixou de manifestar-se, para que a com- requerimento de seu procurador, Herculano,
ao |>odesse realisar seus prodigios, e suas ma-! escravo de Miguel Marques de Lemos, requeri-
Dos nivelou-sc com o homem, am de I ment d'este.
nao encontrarmos no Salvador algum obstculo,'. A' ordem do de S. Jos, Antonio Jos Lobo,
que alterasse a identidade das suas relacoes. Dos pardo, para averiguacoes policiaes.
trata de igual para comnosc.., afim de que possa- A' ordem do do Peres, Manoel Rodrigues da
mos tratar de igual com elle. < Silva, pardo, sem declaracao do motivo.
UL^,^^rod!Vlo?.e' J^"*? P'a **-' Se'se-manifesu-nar'r^e.ar^d'a: vez'=n: se^aS^ ,S dia"'f enreda6 I Saia AnnT ^ CaPU"a- VCeD,e ***** **
ma postal seriam sufllcieiites para satisfazer nosso merosas de amostras de me
amor proprio nacional, se nao tivessemos diantc esses pacficos elementos o pr
dos olhos a Inglaterra que soube tao bem prove- ceu em 1859, c o de 1862 vai alm de 5,500.000
tar-se da iniciativa que se Ihe deixou tomar. i francos.
De 1847 1861 o numero total das cartas pro-
(aean ile l^li a 971 milhr>ac
-, pardo, por suspeito.
>rcadonas. Grabas a; de. fc a consciencia que mudamente nos adverte O chefe da 2-seccao
producto de 1849 eres-1 da sublime allianca entre Dos e o homem, que a J. G.dt Metrna.'
glorifica e festeja. Movimento da casa de detencao no dia 17 de
) >e sent prazer; o espirito como que dezembro de 1863 :
(Conlinmr-se-ha).
gredio na relacao de 126 a 274 milhoes.
Em consoquencia da reforma, e da creacao do'
sello (tiiiibros-poste) deu-se de 1848 1862 urna
invern completa entre o numero das cartas fran-'
queadas e o das cartas laxadas presentemente em!
30 cen, por falla de franqua.
Em 848 as cartas franqueadas figuravam no to-
tal a|ienas na proporeao de 10 |or cento, e preci-
samente a esta proporcio reduziram-se imrsua, Em consclho de julgamento reunido hontem em
ret em 18o2, as cartas nao franqueadas. | segunda sesso no corpo de polica, foi condemna-
u uso dos sellos passou a principio dalnglater- ,j0 0 s0|aa,|o da j. comiianhia da seccao volante,
i ai?' pO1S.ll)rnO"S0 quasl cosmi,0,lta. Francisco Jos de SanfAnna, aecusado por crime
?" liP0?"*, re,,r,ma da Po^. Para grande de terecira desercao aggravada, pena de dous
Lommod.dade do publico, o des .recebedores. annos dc ,,rsr40 .^^iho e ser expulso do
PERIUMBUCO.
REVISTA DIARIA.
!f ,e"gen,,oso mei0 nao fv smente a vanta- quadro do corno, sendo mandado entregar justica
gem de economisar o tcni|>o dos entregados ; con- civi| para ,l fllls de dircil0
foge de receber irapressoes desagradaveis e intris
tecedoras.
Nao conheco nada mais divertido do que esse
rebolicio, esso labntar de vespera de festa, que se i
nota no geral das familias.
Briga d'aqui o gallo com a que de novo chegou,
grita d'niti a gallinha, grunhe ao mesmo tempo o '
porco, que depois se transforma em salerosos pas-
tis. V-se aqu o fogarero chispar, o forno \
arder, all o bater do picado, o estirado das folhas \
de massas por mos dc alfenim, que despresam o
piano, o loucador e os requifes ; tudo confu-1
sao, mas confuso que apraz e que deleita, por-
que traduz o coracao no que elle tem de verda-
deiro.
Exisliam.
Entraram
Sahram.
A saber:
Existem.
Nacionaes. .
Estrangeiros
Mu I heles .
Estrangeiras
Escravos .
Escravas .
Foram inembros do consclho :
Presidente.
Capitilo, Jos Perera Teixeira.
Auditor.
l'iii menos
Nesse espaco de tempo, como vimos, a Franca r
.ava realisado urna innovacao ciuidosa, liberal e E"E!ffJS! SC,n,'re (,"ninu!do.- emun
vanlaj..sa debaivo de todos os pontos de vista, o ^Yr'^r **'" ; ,,oje L'S,a '
principio da taxa calculada conforme a distancia i t., .^a ," i -
absoluta, ao passo que a Inglaterra conservava-se l.??.8.'.a.adnil.nislraC;, -eve, em 122,140,400
pertinazmente ligada a seus amigos erros, que
lamben eran os do nosso primitivo rgimen.
Assim as distancias continuaran) all a ser cal-
culadas, segundo a
murtas vezes obri...
d'ah resullava que em 1839, por cxemplo, urna (,UA,:fpf|"er(,0l"r^ "Pri!i!0S-
tribeo tambem poderosamente para generalisar o
habito de franquear as carias.
A differenea estabelecida no novo svstema em
favor da carta franqueada, diminuio sensivelmente
** O documento,, oflicaes mostram que o algaris- molor |mblico neita omarra
mo destas ultimas era antes da reforma de perto i
2,85 por cento, que em 1648 elevou-se a 3,26 por
cento, que finalmente depois do novo systema essa
on um numero
309 presos
13
16 >
306
201
33
5
2
56
9
306
Alimentados a cusa dos cofres pblicos..
Movimento da enfermara no dia 18 de
zembro.
eve baixa
118
de-
Mais larde esl tudo promplo ; escapa ao assa-
dor o vapor do per assado, das costellas do car-'
neiro, e o fiambre trescala de cima do aparador, j
onde algumas hojudas garrafas Ihe azem compa-' Vicente Antonio Lopes da Silva; darrha.
nina, e acinles aos que passam. Falleceu :
E entilo o que ha de mais interessante ; rangem : Francisco, escravo de Marcolino.
as sedas, e o ambiente se embalsama com os ex- ...... __ Tltn-
tractos da magnolia ; as Vote* se animam, as visi- u" rBOLO DE IODO.
Vogaes. tas se mullplcam, todas se miram. se ronfron- [ O Sr. R. R, a quem pertencem outras poesas
Tenentc interrogante, Jos Conegundes da Silva, tam, e cada urna lem a convieco de que a mais' Que aqui havemos estampado sem designacao al-
Idem, l.niz de Frauea Mello Junir. | hella que vai missa. j guma, mas com referencia a urna prima esquiva,
dem, Joao Pereira Lagos. Sao scenas essas, compadre, que ninguem es- remette-nos a seguinte :
cartas, 3,987,000 refugos
Ihoes, a|nas 1,494,211.
e em 1861, em 274 u-
as continuaram all a ser cal-',, ~;" ;v:.....o"":"" u" 'i""i'
. extensao do trajelo das mallas,! g***! aPP''cado com vantagem. desde
igadas_ a dar andes vol.as, e f* *> numer anoeM sobre os jo
dem, Tliomaz Rodrigues Pereira.
Alferes, Joai|uim Herculano Pereira Caldas Filho.
Hoje d a sua primeira representado dram-
tica a sociedade fecreio e Uiiiilo Familiar.
O drama Constanat de \fnldmar, e a come-
.3?3!S"m#l? regulamenuicao liberal dia a Dnmn dos Cnws brancot
In47, a Amanhaa tem lugar a festivdade religiosa da
ijornaes e -
Senhora da Soledade, em sua capella da
. denominaco ; a qual acha-se decentemente deco-
carta pagava, termo medio, 60 cntimos" por urna I ,,AP" reduccao a 2 por cento da comnnssao rada para essejfim.
distancia real de 40 kylwnelros, quando na Franca *2?5 c an,es' Por causa dessa reduccao o A- larde ha cava|hada c noite fogo de art.
p.-ifiava ajienas 40. I Pr0l,"cl0 desseramo de receila progredio em 14 |cj0 *
Foi transferida para o dia 17 de Janeiro pr-
ximo a festa da Senhora do Monte, em Olinda.
Com a retirada do respectivo director desta
provincia, passou a direccao do Instituto de Nossa
Senhora do Rom Consclho, a ser exercida pelo Sr.
A. A. Ferreira Lima, a quem foi cedido o mesmo
estabelecimento.
Reata
mes sao com
Rowland
forcoi para levar a efeito o projecto de urna refor-1 ,mi;,?amr,;"?f(f 10,''0<1fr1
ma radical mm > nd.vu.Zr, a, t,rf., nifrmo I fcs,e resultado c do cerK
ma radical, com a adoi^ao da tarifa uniforme.
certo inferior ao producto
Faziam ellos senlir que Yendimento da posta de dL?J!)^.fa sobrc ? money-onlers avallado em
carias conservava-se eslaoinnarin durante viole \'{milb:st-. no lelaton de 18b2 ; mas essa
oualquer oulro tem. I "J "" ucc.arauos, proaucio que ioi sem- sendo poHanto descon'hec-idos os deveres da
Ao inconveniente, que se Ihes oppunha, de urna J*rttfre;>ctn,i0 esde essa poca, e que em 1862 ?5o que passa ora a wcimr,
diminuicao consideravel na renda publica, respon- "TgjgJS^, "*** ,,,,,.. ra I Um novo armazem de molhados acaba de ser
diam que essa diminuicao cessaria rpidamente,! n "* a ?,",'n'os m:"s '"Portantes, oblidos pela re- aberto na rua de Motocolomb n. 26, nos Afoga-
- correspondem a poca das d^ pelo Sr. Joaquim da Silva Costa, de ha muito
linmea. eslabellecido na rua das Cruzes, com o fim de
Sabe-se que depin* do 1 de jane.ro de 1863 a abastecer n5o s ||a como seu. ar_
por urna nova reduccao de 1 por redores dos^eneros alimenticios, por precos to
taxa passou
cento.
Foi um rasgo de ousadia
citar a adminislracao da
bastando para isso o refluxo das correspondencias
transportadas por preco reduzido pelas carruagens
publicas, em favor das quaes esse trafego Ilegal
tinha produzido, nesse mesmo espago de tempo, um
augmento avahado em 128 /, termo medio; alm
de que essa grande economa no porte das cartas
nao poda deixar de estimular mais as disposicoes "j1"1'* aministracao da pos
liara a correspondencia. .das nangas que o permittio.
Estas constderaedes prevaleceram, nao obstante
j haver a renda da posta sabido de seu estado es
taricnario, e ter o respectivo producto liquido ex
edido a 40 milhoes em 1838 e "
duelo bruto 50 inilhes.
O penny pottafe foi adopUdo
o Reino-Unido desde 10 de Janeiro de 1840, e a g UJP1.!!!!!*,* ^ mltmS omon Franca vio-se assim do novo precedida no cami- f"'^ -'Bdlwp,0'a'das Iregasna tranca, com Baplista do Espirito Santo, ltimamente eleito pe-
lillo do progresso econmico e liberal. O abalo foi ,n,'r,eJl e, %por Ctnl0'. "nha aPenas cht,8ado a lo capitulo da Bahia.
violento; de 1839 1840 a renda bruta desceu *?!*T2jaTJ!feT!Ti........... >* ~ M-* Mas, em consequencia do augmento enorme das ^" Wi vnr ^f,.l 5 nma casa da Iravessa da rua de Aguas-Verdes, do
correspondencias, os resultados dos annos seguin- ^ ^. mimo. i qual corre quasi que continuadamente asua pouco
tes jusllcaram, foram mesmo muito alm as pre- _._* I M. WW^pVrieliW a> orten pablica ^heirosa.
.., .___jm r.i. cominodos como se fossem comprados aqui na ci-
lSaroriook* dad a arame de negocio juntou o Sr. Costa
posta que o suggeno, t a a|gumas ferragens, fazendas e miudezas, como
no interior le todo J^J ^ ?n^eu,na '"?ia,er.ra. onde a Psta Hontem lomou nosse de guard.o do
visoesque haviam determinado essa medida.
O termo medio do producto bruto dos annos de
1841 1845 dava j um resultado muito cima do
de 1840: o dos annos de 1846 1850 subi ao pon-
to mais elevado das reccilas dos annos anteriores
reduccao da taxa. Esse ponto foi transposto em
mais de 200.000 libras esterlinas, termo medio era
prevaleceram mais de urna vez sobre as da ordem
financeira.
Observando as tarifas que se tem succedido des-'.
de 1759 al o regulamento de 1856 actualmente
em vigor, reconhece-se o carcter de cada urna das
pitases governanienlaes, durante as quaes tem-se
alternativamente animado, cumprido ou tolerado a
O nosso collaborader nos enva a seguinte
missiva :
Compadre.Aproxma-se o dia do nascimento
do Salvador do mundo, e, como usanca, pouees
sao os que nao se movem para festeja-lo com re-
gosijo.
A poesa dos presepios ainda nao perdeu o ami-
go sabor popular. O som festivo dos pandeiros e
violas, que arompanhaya os cantares por to faus-
toso motivo, anda esl em voga, apezar dos es-
forcos que a polica tem feilo por Ihe dar formas
mais cortezaas.
Cada qual prepara o seu prato de mais para o
jantar, o fato novo para a missa do gallo.
Este deixa a barafunda da lugar, e loma a cal-
cada para se chegar a carga de gallinhas, que
ajusfa depois de Ihes tomar o peso, soprar as pn-
(1839) o numero total das cartas expedidas na In- te, 18 na Eseossia, 24 na Inglaterra, 26 na cidade as das azas e descobrir a vea demonstrad va da
glaterra pela posta, tinha sido de 82,471.000. de Mancheste, 47 em Londres. I mchundia ; aqnelle faz parar o homem dos nor-
mis Uf W.WW hu ti.- nicimiK-, iuiiiiu I.I.-.H., clu .......i. J nrniliwmr.
J85.-1855, e en, perlp de 800.000 no de 1856- ]* S^ingular,os annos mais agi-
Finalmente, era 1861, o producto bruto exceden ,adS foram Pr mui, temP mais Productivos
a 91 milhoes'de francos. "Se o producto liquido, %^Z?*fimF8m -
posto que consideravel, nao tem estado em relacao os los-a,i ?* 1
o cxemplo mais recente,
9, que occasionaram em
|M>sio (|ue consiaeravei. nao icm esiaoo om nn .->, dl receila de nressiws nia<
com essa extraordinaria progressao na rec^iu bru- W UMlas iecces ai receMa ae Vnss6^ a
ta, isso em grande parte devido a grandes des----------------------------------------------------------
pozas, que fez a Inglaterra com o servico dc seus (1) Os elementos desse medio geral variam sen-
numerosos paquetes. si velmente as fres grandes fraeces do Reino Un -
Nfi anno que preceden essa reforma ousada do. Assim na Irlanda temos 9 cartas por habltan-
.":
quece, porque nos deixaram o espirito asss com-
movido e abalado. As impressoes vivas sao como
ostias, ninguem pude fazer (jue elles nao tenham
existid!...
Embora mudo e immovel deste pocirenlo Reci-
fe, nao peen ser indifferente a geral satisfaco que
se nota ao aproximar da fesla. Nao terei mais o
a gosto de presenciar essas scenas domesticas, mas
lico contente com as ininhas reminiscencias...
O meu amigo major da rua do Imperador (bom
e velho amigo, celbatariocomoum franciscano 1)
pretende fazer-me urna a^adavel sorpreza. Sei
que esl com urna duzia de lagrimas do Douro,
com bons abacaxis, que ncommendou um bom ;
prato de pastis, e mais outras minudencias desta-
ordem para mandarme a hora da missa.
Esse amigo sempre foi assim... amigo de sor-
prezas I
Acho desgranada lembranca a que leve um ma-'
chacaz do passeio publico de collocar porta de !
sua loja una cruz de madeira de bom tamanho ;
para chamar a attencaodos matulos, afim de Ihes'
impingir roupas feitsda peior qualidade.
Pendurasse antes um chfre do Piauhy, que ex-
prime melhor os logros que tem em mente, mas
o signal da nossa redempcao um desaforo que ;
nao tem nome I
Farei senlir isso a quem competir, c recommen-!
dar-i he uns dias de chilindr para nao se fazer,
estafermo, sendo alias um esperlalho, que se nao i
ti vesse os ps enchados seria capaz de correr por'
um telhado de vidros sem quebrar una telha, era
se cortar.
O Sr. Manoel Maria Rodrigues do Nascimen-
to nos enva o seguinte, pedindo a publicaco :
Srs. Hedactores da Revista Diaria. De novo
scientico, que contra mim nunca se inslaurou
processo de responsabilidade por denuncia da pro-
motora publica; o que VV. SS. a pouco lempo
rectificaran!; nao constando tambem das senten-
cas, que a recommendaco, que VV. SS. noliciam,
fosse requerida pelo Dr.' promotor publico, o qual
pugnou sim pela improcedencia, como era d'es-
jerar de sua reconocida illustracao.
Os summarioe instaurados contra mim, e ou-
tros collegas foram a ex ofllcio, sendo que todos
teni sido julgados improcedentes pelos juizes da
1.* e 2.* vara criminal, restando um, que nao me
pertcnce.
Nao faltarei ao cumprimenlo da minha pro-
messa, visto que fomos summariados por caram-
bla; mas isso hoje assim, e andar assim bom
andar.
< Espero o acollmento d'estas linhas; do que
Ihes ficar agradecido o seu assignante, Manoel
Maria Rodrigues do Nascimento. >
O resultado dos collegios do Recife, Pao
d'Alho, Olinda, Iguarassu, Cabo, Escada, Limoero,
Nazareth, Santo Antao, Serinhem, Goianna, Boni-
to, Ro Formoso, Barreiros, Caruaru, Brejo, Cim-
bres, Garanhuns, Papacaca, Hinque, Flores, Villa-
Bella e Ingazeira excluidas todas as duplcalas,
forma assim a lista para senador:
Consemeiro Francisco Xavier Paes Brrelo. if
Dr. Joaquim Saldanha Marinho........... 1009
l>r. Antonio Vicente do Nascimento Feitosa. 946
Dr. Urbano Sabino Presea de Mello....... 870
Dr. Francisco Caitos Brando............. 557
os
servico da
Marlins
conven-
SE SOUBESSEIS.
Pelo anuir, i|iie le tributo,
Meu coragao vive em luto,
Vive em cruel afflicgao I
E j demas meu niartyrio :
Amo-te at o delirio ;
Esachoingralido!
Ha anno e meio padego ;
E expontaneo me offerego
Aos teus rigores comigo;
E me cxponho a ser tratado
Por ti, como um vil, malvado,
Um figadal inmigo I
E mesmo assim, to forte
Meu amor, que s a morte,
Ai de mim I pode extingui-lo!
Nao esta em meu poder
Ter-te odio, ou le esquecer
P'ra viverem paz, tranquilo!
Embora negro tormento
Torture meu pensamento,
Embora esse teu desdem
Va-me consumindo, e mate,
Sempre serei o teu vate,
Sempre te hei de querer bem !
Ai de mim! desde menino
Al hoje, meu destino
Tem-se ostentado cruel,
E cada vez mais severo
Recusando-me o, que quero,
Me eneliendo a vida dc fel!
E $ tu, s tu smente,
Que amando-me ternamenle
Podes me cobrir com flres
Da existencia os espinhos,
E com sorrisos, carinhos
Adogar-me os amargores!
Mas o que fazes, seno
Moslrar-me a desillusao
Do meu mais querido sonho,
De minhas vas esperanzas ?
Nao sabes, que assim me langas
N'um desalent medonho ? I
Nao sabes que eu abysmado
as magoas, desengaado
Por essa tua conducta,
Nos transportes da paixo,
Fico em desesperagao,
E com a razo em lula !?
Nao sabes, que murtas vezes
Esgetando at as fezes
O calix do sofTriraenlo
Tendo afilicto meditado
No suicidio, recusado
At o proprio alimento? I
Se soubesseis!... talvez inda
Visse eu a m sorle Boda,
a m sorle que rae opprime!
Quem sabe? talvez entao,
Tendo de mim compaixo,
Um teu lerno olhar me animeI....
Se soubesseis ( eu repito,
Talvez d'amor o meu grito
Encontrasse echo em feu perto!
Talvez leu trovador fklo
Fosse entao correspondido,
Para teu esposo aceito f...
Dos homens:
O sabio tudo sacrifica ao amor de Detss.
O usurario ao amor do dinheiro.
O tolo ao amor da mullier.
Em resultado tem :
O sabio por certo o descango.
O usurario o remorso.
O tolo o despreso.
A Crommyomancia a arte dc adermar o te-
luro por meio das ceblas.
As raparigas allemas, na noite de natal, eoll-
cam sobre um altar algumas ceblas, tendo pri-
meramente inscripto sobre cada urna dellas o no-
me de um mancebo.
O nome inscripto sobre a cebla que germina
primeiro, o do noivo que o cu destina aquella,
que deste processo usou para adevinhar o futuro.
0 Coinmercio do Porto d noticia dos segQMtes
fados.
O principe de Hanau, filho do eleitor, persegui-
do |ielos credores por urna divida de 6,000 frede-
ricos de ouro, foi preso em Francfort j ha lempos
e encerrado n'uma casa onde guardado vista.
Habilava anteriormente em Fulda, onde sea pai
I lie ti nlu imposto urna especie de exilio.
Nao parece que este filho prodigo esteja em ves-
peras de ser posto era liberdade, porque seu pai
mostrava-se surdo s mais vivas instancias.
O eleitor de Hesse-Cassel nao tem que se felici-
tar das suas relacoes com certos membros da sua
familia. Bastar citar tres cxemplos. Ha annos
pagou 25 por cento do crdito do barode Sel)...,
que voluntariamente ou nao reside desde entao na
Suissa.
O principe Flix de Hohenloe deve um milho
de florins, e o principe de Hanau cento e cincuen-
ta mil escudos.

Falla-se, diz o Pays, de dous inventos muito cu-
riosos, um delles ainda no estado rudimentar e o
outro experimentado.
O primeiro um telegrapho acstico, por meio
do qual se poder fazer ouvr a voz, a grandes dis-
tancias, por fios elctricos.
Um tubo ou porta-voz posto em communicagao
por um fio elctrico, com urna membrana metalli-
ca, preparada de urna maneira particular.
Urna nota articulada no tubo vai produzir-se
exactamente pela vbrago na outra extremidad
do fio.
A experiencia fcil de fazer com os fios exte-
riores, |rm serao, sem duvida, necessarios mui-
tos estudos para chegar a resultados praticos.
O segundo invento a illuminagao a saz nos
wagons dos caminhos de ferro estabelecida ja no
caminho subterrneo de Londres, onde tunccioua
perfei lamente.

Em Vieuna o professor Unger submetteu ao
exame microscpico um lijlo procedente de um
templo da Tebaida, e descobrio nelle oito especies
de parsitas vegetaes, cujos typos anda existem
no Egypto c na Nubia.
Dandi) ao dito tijolo ou ladrilho urna existencia
de 40 seculos, conclue o mencionado professor que
a vegetago egypcia nao lem soffrido alterago ne-
nhuma de ha quatro mil annos a esta parte.

Diz a Opinin Nationale, que em Paris acabaran)
dedescobrir-se as ossadas de Robespierre, Saint
Jusl c Lebas.
Foram encontrados por uns trabalhadores que
collocavam os alicerces de una casa que se esl
edificando cm Batignolles, no ngulo da rua Roche.
Naque Me -itiii, por estar completamente cheio
o cemiterioda Magdalena, na poca emque morre-
ram os tres revolucionarios, foram enterrados os
seus restos moraos.
m
L-se em um jornal de Madrid :
Na esl.igo do caminho dc ferro deu-se um caso
muilo original na noute do domingo ultimo, quan-
do chegou o trem que vinha deSaragoca.
Diz um jornal que um dos empregados da esta-
can, depois des viajantes lerem sahido dos wagons,
encontrn em um dos da 'i' classe um pequeo
volume que julgou fura esquecido por algum pas-
sageiro. Indo a pegar no embrulho ficou sorpren-
dido ouvindo um vagido. Desemnrulhamfo-o achnu
um menino recemnascido, que comecou a chorar.
Por fortuna a mulher do empregado creava um
filho scu e alunentou a infeliz e abandonada criau-
cinha.
Sob o titulo de Bossuet e os mttagres, publica o
seguinte a 6'mz :
Bossuet em 1658, no panegyrico que fez de S.
Francisco de Paula, diz o seguinte, que deve ser
muito ponderado pelos homens que se prezam de
pliilosopbos.
Eu descubro duas razos principaes, pelas
quaes Deus estende seu brago as operagoes mi-
lagrosas : a primeira para mostrar sua granbe-
za e convencer os homens de seu poder ; a se-
gunda para mostrar sua bondadk e quanto in-
dulgente para seus servos.
< Ora, eu noto urna differenea nestas duas es-
pecies de milagres, a saber, que quando Deus quer
fazer um milagro para mostrar somente sua omni-
potencia, cscolhe occasioes extiiaordinarias ;
mas quando quer mostrar tambem sua bendade,
elle nao despreza as occasioes as mais comuins.
Isto provm da differenea destes dous divinos
attributos; a omnipotencia parece vencer maiores
obstculos -. a bonaade desee a cuidados mais par-
ticulares.
A Escriptura Sagrada no-lo mostra em dous
captulos consecutivos do quarto livro dos Reis.
Elseu cura o leproso, caprtao general da milicia
do re da Syria, e chefe dos exercitos de lodo o-
reino; eis urna occasio extraordinaria, cm que
Deus quer mostrar seu poder s nagoes inflis
i Venka a mim, diz Elseo, e saiba que Israel tem
propketa: venial ad me et sciat esse prophetam in
Israel. >
Mas no capitulo seguinte, estando os filhos dos
prophetas a trabalhar na margem de um ro, um
delles deixa cahir na agua o seu machado, e logo
poz-se a chamar por Eliseu : bru, hen, beu, domi-
ne mi, et hoc ipsum mutuo acceperam ; ai, ai, meu
senhor, este machado nao era meu, era empres-
tado.
E apezar de qne to pouco importante pareces-
seo caso para merecer um milagro, comtude,
Deus que se compraz em fazer conhecer que elle
ama a simplicidade de seus servos,e previne seus
desejos as mihihuu cousas, fez esse machado ti>.

v ,


jwr^wrr
Diarlo de rernamhnco $aW>ado 1 de Bezenibro tic l 83.
lacrosamente nadar sobre as aguas no mandado de sem mivula eminentemente refrigerante e S"ria-
F.Ujou miaviiuuo ferru seo enirogou-o M. Heterimo-nos to somonte quantn a agua "o-
ridado MurrayfifUuman. Qoanto as mtacoes
Clausulas especiaos para a ar
l. Ratos reparo* (erao feitos
con i o orcaiiionto e instruccoes do1
rr^it
lacio,
n-midade
heiro, iiu-
mencao.
Acha-se era todas as tojas de perfumaras.
Elelco de seuador.
COMARCA DK CAHANHI NS.
Garanhuns (33 elcllores, fallando 2).
Urbano.
Brandao........
Paes Brrelo.......
Antonio Joai|uim de Mello .
Saldanha Marinbo. .
S. Benlo.
Paes Barreto ......
e mais do que o Peitosa........
Esses facios e | Antonio Joaquim de Mello .
Urbano........
Papacara
Paes Barreto.....
Feitosa........
Antonio Joaquim de Mello.
Brandao.......
Buiqve.
Paes Barreto......
Brandao .....
Antonio Joaquim de Mello .
Feitosa ,.......
Urbano.......,
'Saldanha Marinbo ....
Total :
Paes Barreto......
Antonio Joaquim de Mello .
Feitosa........
Brandao.......
Urbano .......
Haguet, segunda Saldanha Marrano .
pag. 7. Esta obra
33 votos.
17
17
16
16
35 votos.
35 I
34 1
1 1
32 votos.
31 I
31
1 C
70 rotos.
40 1
32
28
20
20 1
154 votos.
113 1
95
58
54 1
36 1
nosso grande Deus, que nao e menos bom ao que n
mli-roso, mostrando-nos suaoMNn>m-tNcu nascon-
juncturas estrondosas, quer lambem quando Ihe
apraz mostrar Dos mnimas a facilidad* ncrivel
eom que se abandona a seus servos, para justificar
osla pajavr : omnia mea tua sunt.
At aqui Bossuet(oeuvres de Bossuet, edit, do
Firmin Didol, 1846, lom. 3, pag. 443).
A' vista disto quao vo se lornam os qucixumes
lo pseudo calliuliro, que despejou sobre a Cruz
sarcasmos e insultos por ella haver copiado dos
outros jornaes da Europa noticias de que se havia
dado o milagro do Xossa Senhora de Vicovaro,
pelas supplicasdc almas afflictas
menino cima do caso de Eliseo .
outros que narramos c narraremos, nao sao de fe,
Den sao precisos para a religio ser provadanem
subsistir. Mas nao preciso que um fado soja de
fe. para ser verdadeiro. Nossos insultadores deve-
riam prevar que errara ou menlem os que rontam
esses fados : e assim o nico meio <|ue se tem
de negar um fado.
Fiis, recoi re a Maria, invoea-a : trazei, te
hrm quizerdes, sua medalha e seus hentinhos.
Kssas insignias vos animam na virtude, o a in-
vocar Aquella Virgem que as bodas de Canaan
pedio a Jess que mndasse a agua em vinbo e
DUNC sen primeiro milagre.
Amamos as commendas, os hbitos da Rosa e
Aviz, cgoslamos de ira/.e-los ao peilo; que tem
que, ao menos em secreto, Hagamos insignias ana-
logas de servos de Maria ?
Os generaos Canrohei t e S. Arnaud as traziam
ao peilo nos campos da Crimea, romo s
Bourlier de Marie, par le U. P.
edcoo do anuo de 1863. Prefaco
se acha em casa do Sr. Garnier, e muilo a roeom-
meudamosa nossos leilores.e at a nossos gratui-
tos insultadores, apezar de nella se achar o que
clles uaoenlendcm.
Eis o que ahi M10e la vai em favor do eco;
liem especial edevido, a medaiha i
O general Canrobcrt foi ferido na guerra da j
Crimea d*un eclat d'obus (|ue la frapjie en peme
pnitrine.
E se nao foi forle a contuso, ditera os jor-;
naes le MoHtteur de l'arme e o Gonslitutiouel,
ruio da chapa de urna medalha beata que elle
liazia deuaixo do uniforme e que fura dada por
tuna mito augusta no memento de partir para o
Oriente.
Oaao fori-tooliro sonao nesse lugar defendido
por (al chapa la medalha, favor foi da Virgem.
Diz o mesmo livro(|ue os que renderain os
ltimos deveres ao corajoso marechal S. Arnaud
viran) me elle Irazia sobre o peito os bentinhos e
ma uu-iluika de Sagrado Coracao. Mas o caso
que elle era dos que se confossavam.
A religiao e a virtude nao prerisam de meda-
llas ; mas ellas fazem lembrar de Deus c da Yir-
tjitj Maria, e edilieam aos oulros; e ja uisso fa-
zem bem.
Sao cerno urna condecoraeo ou urna libr glo-
riosa, que chamam as heneaos do Jess c de Ma-
ria sobre os que prezam trazer esses signaos de
seus servos.
Paja nao da so prsenles de custo a seus ami-
gos, utas lambem flores e mimos, que quando |-
quenos, eaptivam aos que recebem pelo carinho de
quera da.
Deus omnipotente e bom.
no praso de 15 dias e os concluir no de um mez,
contados da data da arremataran.
3* O pagamento effectuar-so-ha em urna s pres-
tigio, no flm da obra.
4* l'ara ludo o mais que nao eativor especifica-
do, seguir-se-ha o que dispoe a le n. 286.
5.' O arrematante nao lera direito a reelamacao
algoma tendente a inderanisacao, qualquer quo
seja a natureza ora que so funde para tal m.
Conforme,
A. F. d Annunriarao.
Olllm.Sr. inspector da thesourariaprovincial,
em oumprmonto da ordem do Exm. Sr. presiden-
te da provincia, manda fazer publico, que no da 7
de Janeiro
zenda d
quera por menos fuer a conservaran do 3 lauco
estrada do sol, por lempo de um'anno epela quan-
lia de 5:000-5000.
A arremataran ser frita na forma da lei n. 343
de 1 i de maio do 1851, e sob as clausulas espe-
cian abaixo declaradas.
As pessoas quo se propozerem a essa arremata-
cao eomparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E |ara constar se mandn publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernain-
buco. ls do dezembro de 1861.
O secretario,
A. F. dAnnuncar.So.
Clausulas especiaes para a arremataco.
I." A conservacao da parte da estrada do sol,
comprehendida entre o marco 12,000 bracas do
I engenho Massangana, ser arrematada por um
1 anno, pela quaufia de 5:000*000, constante do
orcamento.
2.a O arremtame dar principio as obras no
praso de 15 dias, contados da data da arremataran.
guiando-se em ludo pelas prescripeoes do orcamen-
to e pelo disposto no novo regulamento de 31 de
agosto de 1863.
3." O pagamento eflecluar-se-ha em prestacoes
oitvida os mensaes iguaes, de conformidade cora o art. 22 de
,uit & Duira, m^.^regulamento. ^ ^ ^ ^ ^^
as presentes clausulas, nem no orcamento, se-
guir-se-ha o que dispoe o regulamento de 31 de
; agosto e a lei de provincial n. 286.
3.* O arrematante nao ter direito a reelamacao
mansa alfe'un,a tendente indemnisacao qualquer que seja
." A?n-Jc a natureza em que se funde para tal m.
15:405*9161 Conforme,
A. F. dAnnunctaaio.
O Dr. Trislo de Alencar Araripe, offleial da impe-
rial orneiu da Rosa o juiz de direito especial do
commercio por S. M. o Imperador, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que no dia 22 de fevereiro
futuro, se ha de arrematar por venda a quem mais
der. em piara publica desle juizo, o seguinte :
Um sobrado de 2 andares e sotao, sito na ra
Pela Ihe-touiaria provincia! sr. faz publico, YYn'fO
que a airrm.itaoSn di ulna d'is reparos de mnser- -*- '-'i L"
vacao de que necessita a ponto do Anjo sobro o rio Segu at o fm do crreme a mu veleira barca
SerinhSem, foi transferida para o dia 31 do cor- portugueza Sijmpathia : para algnma carga e pas-
rente. ageiros trata-so com Bailar 4 Oliveira, rua da
Secretaria da thesouraria provincial dePernam- Cadeia n. 26.____________________________
buco, 17 do dezembro de 1863. Seguejitnprelerivelmcnte quarla-feira 23 do
'l0' corrente para u cidade do Porto o veleiro brigue
A F. dAnnunciaruo. portuguez Mercurio, s recebo passageiros, pa7a o
i fin Vil I/I fifi fio I' (il't llltfl I <\na offerecc bons commodos : a tratar no largo do
O cnsul de Portugal nesta provincia, lendo de tito Joaquim Gomes da Cruz. ______________
proceder ao arrola ment do lodosos subditospor- para a Bahia pretende sahir com milita bre-
tuguezes, nella residentes, para a organisacao da vida estatistica geral da populacao portugueza residen- Correia Lima, por ler a maior parte da carga:
te neste Imperio, o que muito Ihe recommenda- para 0 resi0 ,|U0 |ne fa|W) trata-se com os consig-
do pelo governo de S. II. F., convida e pedo a to- nataries Palmeira & Beltrao, largo do Corpo Sanio
dos estes seus compatriotas, que remellara a este n 4 prjmejro andar.
"*** pr0XBes.' ---------Para o Rio de Jaaelro---------
nMii as- \ At o dia 30 do corrente pretende seguir im-
sim os nornes das pessoas de sua familia, incluin proterivelmcnte o patcho nacional liebcrlhe, para
do caixeiros e criados, com as respectivas dcsig-' o resto da carga que Ihe falta e cscravos a frete
nacoes c com as mesraas declaraces. j para os quaes tem excellentes commodos
s pessoas que nao souberem escrever e que nao com os seus consignatarios Antoiuo Luiz
tenham quem Ihes faga estas relaeoes devano vir veira Azevedo & C, no seu escnptorio
do far leilao das fazendas cima declaradas, e
convida aos seus freguc-ies e amigos aproveilarem
a occasilo de se proverem de muitos artigos nr-
eessarios e outros. proprios para presentes do
festa, cuja acquisiro faro por pouco dinheiro.
ovincia, manua lazer pumico, .ue no uia / consulado al o dia 31 de dezembro prox
tro prximo futuro, peranle a junta da fa- uma re|aiao cometido os seus nomes, idados,
la niesraa theseurarta, se ha de arrematar, a |a(] fl|aV5 Daturalidadc e oceupacao e ben
wr menos lizer a conservacao do 3 lanco da .K _. d-8 ..,. Ap Slia familia, inc
COMMERCIO.
NOVO BANCO
DE
PEBNAMBOCO
O novo banco de Pernambuco
c Francisco Antonio Correia Cardoso a aprsenla-1
rem seus ttulos no banco para se proceder a res-1
poctiva vorilicaco.
Alfandega
Rendtmento do dia 1 a 17........
dem do dia 18.................
370:568*700
Novlmefato da alfandega
Voluraes entrados com fazendas...
< com gneros...
Volumcs saludos
com
com
fazendas...
gneros...
113
383
498
Descarregam no dia 19 de dezembro.
Barca inglezaBtitish Qeen=cano.
Brigue inglezG/uci/i=carvao.
Sumaca hespanholaAmelia chaque:
Barca francezaGtternVrcarvo.
Escuna dinamarqueza-1o/h. Como Bossuet soub.. mo'r'r esses a.tribu.os1 Barca ingleza-Cora=fannha.
nos milagros 11 !
PUBLICACOES 1 PEDIDO.
Brigne escuna francezPfceii/Jcemento.
lecebedoria de rendas internas
geraes de Pernainlmeo.
Rendimento do dia 1 a 17........ 2':4J*S$^
dem do dia 18................. 2:062*630
ao consuado faze-Ias "verbalmente, onde lhes se
rao tomadas todos os dias uteis desde s 9 horas
da manha al s 3 da tarde.
Os caixeiros ou outros quaesquer individuos
que nao eslejam em casas portuguezas devem
mandar as relaeoes relativas a suas pessoas.
O cnsul do.Portugal depois de tantas provas
de deferencia que tem recebido de seus compa-
triolas aqui residentes, nao pode duvidar de que
Ihe concedera mais esta ipie desde j agradece.
Entretanto v-se na necessidade de lhes declarar
que o consulado nao reconhecer como portuguc-
zes, nem prestar auxilio algum em nome de seu
governo aquellos que at o referido dia 31 de de-
zembro nao acudirem a este convile.
Roga-se a todos os portuguezes que deem toda
a publicidade possivel a este annuncio.
veira
Cruz n.
a
Irata-sc
de (tu-
ina da
Um sida na <:apunga Velh..
O agente Almeidaaulorisado pela viuva do fal-
lecido Joo Evangelista da Costa e Silva vender
em leilao um grande sitio no lugar da Capunga
Vrlha, com nina boa casa de podra e cal conten-
do 3 salase 8 quarios, cosinha fra, casa para
escraves e feitor, 2 tanques, viveiro, a margem do
rio, muitas arvores de frneio bem como coqaei-
ros, larangriras, sa|iotizcros, goiabeiras etc.
Tfrca-frira 22 do torrente.
Em seu escriptorio rua da Cadeia do Recife
48, s 11 horas.
n.
LEILAO
1.
o
I
c
9
i
Vi
S
3
i
l
en
V
a.
9
a
2- f
5 l S-
S 9 1
i b
a.
69
9>
C
5'
S5
3-
c
c
m
i
I1
i!
5g
8
K
() Nao prclendiames trazeraocor-hecimento do
piiUfco o desreg amento e inepcia de uma autori-
dado, que, comecando agora o seu tirocinio, nao'
sabe apreciar a importancia, que se liga ao seu 80-
argo e dest'arto res|icita-lo.
Queremos fallar do Sr. Severiano Jos de Mott-
ra, actual subdelegado interino da freguezia (de
Sanio Antonio, cujo proveriiinento para coranosco
foi o mais irregular e disparatoso, no seguinte
aconlecimento :
Temi viudo hoje a nossa laja o Sr. Maximino
da Silva Gttsmo engeilar um corte de la que nos
bavia comprado, prelexlando nao chegar para ves-
tido de sua senhora, sticcedou qe este senhor com
expressoes pouco moraes c ao mesmo totopo
aineaeadoras, levou-nos a nos retiramos de toda a
prudencia com que haviamos procedido para com
elle, o desfarte |irmns em praca o capricho que
em taes circumstancias soniprc se nos despert, e
nao acoitarmos mais. como esta vamos resulvidos, o
mencionado corte do lia, por Isso que leudo nos
dito aoSr. Gtismo que o Irocariamos (juando e
caixeiro chegasse da rua, osle senhor entendeu
que nos induziria mais tfenresM a fazermos seme-
Ihaiite troca, ameacandonos recorrer DoUcia,
para a ipial com toda a lleiigma, o remellemos in-
continenti.
Sabio, |iois, exacerbado o Sr. Maximino Gusmao
coa HM nana resoluc/io, c vollando com uma or-
denaaea do predilo subdelegado, exigio-nos a en-
trega do pre^o pelo qual havia elle comprado o
retrato.
Insislindo nos em nao accedermos a essa ordeui
ou como se queira chamar, do Sr. subdelegado, rc-
tira-se iinmr.dialainenteo Sr. Gusmao, vollando dc-
pois com a mesma imprudeiiie e inopia autorida-
de, a qual chegando M nosso estabelecirnento, cn-
latica e ridiculamenle dirige-se nos as segnin-
tes expiessoes .impunlm quern/miue un Sr. Ma-
IM Gusmao o irern pela qual elle Ihe compran
ttm CHle dr la para vestido, Mi MH de deste-
dunda, e como quer que nao quizessomos cnni-
[irir os.-a disparalosa ordem de urna auloi idaile in-
consria de seus deveres, entendeu o Sr. Severiano
Jote de Monra, que estavamos na melhor qtiadra
de M liitrariedadrs,' dest'arle dou-me voz de prisao.
(lia, nao sendo das attrilniieoos de nina antori-
dade policial a deciso de uma lal ipteslao, susci-
tada |or compradores imprudentes, o por isso tjuc j
nos nao haviamos vendido a fa/.enda com m f,
dando corto niiiiiejo de rovados e ap|iarocendo nu-
tro, mas sim tinhainos vendido, como ella vom em
cortes, recorremos immodiatamenle ao muilo dis-
tini'to Dr. Chofi de polica, 0 qual nos lendo ottvido ,
maudou inconnenle rhatuai' o mesmo subdelega-
do e relaxou a ordem de prisao que olio me havia
dado.
Jusiica seja feita ao caraeler honrado c iHfrno
de toda'a estima do Sr. Dr. Abilio;e o publico.
apreciando o [trocedimenlo miseravel doSr. Monra
lique aj'.tisando ile que homem se hntive de tancar
23:544*978
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 17......... 61 OT3|55G
dem do da 18................. 5:749*50.)
67:26:1*061
MOVIMENTO DO PORTO.
do Imperador fazendo frente para a rua do Crespo
n. 7, eom varandas de ferro em ambos os andares
avallado em 25:000*000.
Uma casa terrea sita na travessa do Tambi.
11.18, porta e janella na frente, duas salas, dous
quartos cosinha fra, quintal murado, cacimba
minera e entiilhada, avahada em 1:000*000.
As quaes foram penhoradas por execu^o de Joao
da Cunha Nunes, contra Miguel Jos Barbosa Gui-
uiaiaes: c nao havendo lanzador que cubra o
prero da avaharan a arremataco ser frita peto
preo da adjudicaciio na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos,;
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa e aflixado nos lugares do costume.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento,
cscrivao o subscrevi.
Recife, 16 de dezembro de 186.
Tristao de Alencar Araripe.
-J & M> P
r
CO
3
SI IDADE
2
ESTADO
I 9
n
m
K
I
c
=

-1
9
o
8.
S
a.
a
y
i
s
-
3 I.
2.H
N
s-
3
>
o
>>
O
C3
a
a.
00
a?
9
3
2_
-

-1
a
o
as
2=
o
m
z
o
w
h
>
o
Rio de ffanelro.
O brigue brasileiro Trovador segu cora muita
brevidade, pode receber carga e escravos frete,
trata-se com os consignatarios Marques, Barros S
C, largo do Corpo Santo n. 6._________________
PARA 0 RIO DE JANEIRO
segu impreteri velmeute no dia 16 do corrente o
DE
Urna casa de campo.
Terca-feira 22 de dezembro.
0 agente Pinto far leilao s II horas do dia
cima dito de uma casa edificada na estrada do
Monloiro, perto da povoaco, sobre pilares c ali-
corees de pedra e cal, com 2 salas e 6 quartos,
quartos para pretos e estribara tora para 8 ra-
vallos, cacimba com boa agua e baixa de capim, o
referido leilao ser effectuado no (lia e hora aci-
brigue Almirante, s recebe escravos a frete, para ma dito na roa da Crut n. 38, onde podero os
os quaes tem excellentes commodos : trata-se coto prctendentes obler qualquer informaro a ros-
os seus consignatarios Antonio Luiz de Oliveira peilo.
Azevedo & C., no seu escriplorio, rua da Cruz nu-
mero 1.____________________________________
Para a It-.ihl.-i
O palhabote Gartbaldi pretende seguir com bre-
vidade para este porto, tendo parte de seu carre-
gamenlo, e para o resto trata-se no escriptorio de
Tassojlrmaos na rua de Amoriin.______________
PAR LISBOA
sahir cora a maior brevi iade o bem conhecido
brigue portuguez Relmpago : quem no mesmo
quizer carregar ou ir de passagem, para o que of-
feroce os melhores commodos. dinja-se ao consig-
natario Thoinaz de Aquino Fonseca, rua do Viga-
rio n. 19, primeiro andar. ______________
Rio Grande do Sul.
Segu brevemente a barca nacional Palmira, de
primeara marcha : recebe carga por fretes baixns
c trata-se com Bailar & Oliveira, rua da Cadeia
n. 26. ___________________
Para Lisboa pretende sahir com muita brevi-
dade o patacho Jareo, capitao Jos Marques Coc-
ino Sobrinho, por ter parte de seu carregamonto
tratado : para o resto que Ihe falta, e passageiros,
tratase com os teus consignatarios Palmeira &
Beltro, largo do Corpo Santo n. 4, primeiro
ndar. _______.
Terca-feira do corrente na
rua da Cadeia n. &I.
s II horas.
G' se m I initi'.
Pelo agente Euzobio se vender em leilao di-
versos objoclos de ouro e prala para ultimar con-
las, e bem assira onras de marcineiria.
LEIO
de
n
9
z
te
1
DECLARACES.
5.1
1
1
o
Navio entrado no dia 17. j
Rio de Janeiro -Barca ingleza Traveller, capillo |
W. G. Randel, carga parte da que trouxc de
New-York.
Navio sal ido no dia 18.
Cenal pelo Rio Grande do NorteBrigue hollan-
dez Zccnijmoh, capitao F. Scliepjter, em lastro.
Nao houve entradas.
EDITAES.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, olllcial da im-
perial ordem da Rosa, o juiz de direito especial
do commercio dcsla cidade do Recife de Per-
nambuco, por S. M. I. etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que no dia 22 de feverciro do' -
auno prximo futuro, se ha de arrematar por ven-
da a quem mais der em praca publica (leste juizo,
o seguinte :
A melado do um sitio no lugar da Tacaruna,
com casa de vi venda, graude terreno e bastantes
arvoredos de fruclo, avahado em 2:0005, sendo
a avaliarao total do mesmo sitio quatro contos de
ruis, o qal fora penhorado por execucao de Jos
Joaquim Lopes de Almeida, contra Jos Maria de
Carvalho Jnior, por si e como tutor dos menores,
c nao havendo langador que cubra o proco da ava-
liarao. a arremataco ser felta p"lo preco da ad-
jin-aro, na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar o prsenlo que sera publicado pela SMM
imprensa, e aflixado nos lugares do costume.
Recife 17 de dezembro de 1863.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento,
crivo o subscrevi.
Tristao de Alonear Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, olllcial. da
perial ordem da Rosa, juiz de direito especial
do commercio da cidade do Recife e seu termo,
capital da provincia de Pernambuco, por Sua
Magestade Imperial c Constitucional o Sr. D.
Pedro II, a quem Deus guarde etc.
Faco saber pelo presente, que no dia 23 de fo-
vereiro do anno vindouro, se ha de arrematar por
venda, a quem mais der, em praca deste juizo.
depois da audiencia respectiva, a casa terrea n,
do Peixoto, freguezia de S.
Pela thesouraria provincial se fazpnblicoque a
arremataco do sustento dos presos pobres da casa
de dotenco, foi transferida para o dia 24 do cor-
rente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 17 de dezembro de 1883.
O secretario,
A. F. dAnnunriarao.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que a arremataco da obra da rcconslruccao de
de uma parte do caes entre as pontos da fudiro
de Star & C, foi transferida para o dia 24 do ebr-
rente.
Secretaria da theseuraria provincial de Pernam-
buco, 17 de dezembro de 1863
O secretario,
A. F. dAnnunriarao.
No dia 19 do corrente. depois da audiencia do
j Illm. Sr. Dr. juiz municipal da 2" vara, tem de ser
arrematado a quarta parte do sitio n. 40, no lugar
de Bemfica, avahada dita quarta parte em 6-2505,
e vai praca por execucao de Antonio Yalentim
da Silva Barroca, contra D. Senhorinha Joaquina
de Almeida Leal, e mais herdeiros de Manoel Car-
neiro Leal, escrivao Cunha.
Para o lllo Grande do Wni.
Sahir com brevidade o brigue nacional Colum-
ba, recebe carga a frete e escravos : quem quizer
nelle carregar entenda-se com Manoel Ignacio de
Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
Para o Rio de lanelro.
O patacho nacional Capuam, pretende seguir
com muita brevidade, tem parte de seu carrega-
ment engajado, para o resto que Ihe falta e es-
cravos frete para os quaes tem bons commodos
trata-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio rua
da Cruz n. 1.___________
Pura Y;il;ii*ai/o.
Segu al o da 20 do corrente. mez a barca
americana Hnglt Perckheiul, recebe-se passageiros
liara os quaes tem excellentes commodos, a tratar
com os consignatarios Henry Forsler & C. rua do
Trapiche n. 8. _______________________
DE
Itt mcla-agnas e um caix&o
pedra e cal.
_0 agente competentemente aulorisado far lei-
lao de um caixo para casa em altura de receber
travejamento sito na rua da Concordia n. 67, com
40 palmos de frente e 70 de fundo, era cujo ter-
reno esto coltocadas 4 meia-aguas que renden
85 mensaes cada uma ; 9 meia-aguas silas por
traz do mesmo terreno (travessa da Palma) de
ns. 4 12 que rendera cada uma lili por mez o
3 ditas em frente das mesmas de ns. 14 3 quo
rendem 125 mensaes cada uma.
Terca-feira 22 do urente s 10 horas
do dia em seu escriptorio na rua da Cadeia do Re-
cife n. 48.
LEIIiAO
HOJE
Xos sates do Caes de Apollo.
es
im-
rafeo pare a elle se remnelter um encargo to dis- 2i. *** travessa do Peixoto,
tinelo como o de subdelegado, encargo que a inep- Jos, com porta na frente, duas salas, dous Varos,
eia do Sr. Moura fa-lo desconheeer.
O Sr. Monra que reluca no seu Mo proced
ment pararomnosco, e o tomando por thermome
tro dos seus desvos e actos desagrados saiba cor
rgir-se.
Recife, 16 de dezembro de 1863.
Manoel da Silva Autanes.
O perfume do hemispherlo oc-
cidental.
(Bxtrahido da Guzda Mensal das Modas).
Existe por orlo urna qualidade altamente sa-
nitaria, suave e deleitavel Ha deliciosa fragancia
desla agua popular i|ue de tao grande ornamento
seo'o ao tonrailor.
Ella como por encanto nos faz lembrar o dul-
CMSHne incens florido do vero, ou imitaran do
um favonio lom de inu-ica antigo, o qual por ven-
tura nos faz recordar aquella* scenas j passailas,
durante as quaes ouvimo-la pela primeira v E' espiniualisante e delicado como o aroma da
genuina e delicada agua de colonia, e cemtudo o
sen perfume mais profundo e duradouro, c a sua
fragancia nunca muda nem enfraquece, como
acontece com os domis perfumes exlrahidos e
compostos de leos volalets.
porta que delta fra da rua do Alocrim, quintal
\ em aborto, avahada em 8005; e dita casa per-
I tenecnte a Isidro Jos Duartc, c vai praca por
execucao que contra o mesmo move Antonio
Francisco dos Res, e na falt de licitantes ser a
arremataco feita pelo preco da adjudicado com o
abatitnento da le.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei fazer o presente edital que ser aflixado
nos lugares do costume e publicado pola imprensa
Dado o passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos I8de dezembro de I 63.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, es-
crivao, o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provincial,
1 em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presiden-
te da provincia, manda fazer publico, que 110 dia 7
de Janeiro prximo futuro, peranle a juMa da fa-
zonda da mesma thesouraria, se ha de arrematar
a quem por menos tiier a obra dos reparos preci-
sos das pontos da Tacaruna, Santo Amaro, Arrom-
badoseVaradouro na estrada de Olinda, avahados
em 7365300.
A arremataco ser feila na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 18S4, e sob as
clausulas epeciaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
Faz-se publico que se acha depositado no jui-
zo de ausentes do termo de Olinda os objectos se-
guimos : 1 Imiiet de palha para enanca, 1 par de
3 (ovados de riscadinho rxo x'ar a"desrjar"a spectativa publica.
francez, 9 covados de chita franceza, 1 lenco de ris-
cado, outro dito de chit, 3 1|2 covados de algo
dozmho, 3 covados e 3 quartas de algodaozinho,
3 varas de madapolo, 3 varas de dilo em 3 cortes
de uma vara cada um, 4 varas de madapolo, 1
chapeo de foltro, 1 par de moias para homem, 3
covados de chit amarella, 1 camisa de madapolo,
1 chales de la encarnado, 1 calca de brim bran-
co, 1 calca de ganga riscada, nutra dita de brim
blanco, 1 lenco de chita ; cujos objectos foram
adiados as 8 horas da noite do dia 11 do corrente
mez no lugar do Varadauro da cidade de Olinda ;
o se achara depositados no referido juizo : a pes-
soa que for seu dono, compareca reclaina-los.
Faz-se publico que se acha recoHiido aode-
' psito publico do termo de Olinda, erdem do
juizo de ausentes, um menor de nome Luiz, que
represent ter de idade 7 annos, ponen mais ou me-
nos, de cor preta, nanz chato, olhos pretos, cabe-
ca grande, erelbas regulares, o qual diz ser escra-
vode Cardoso de lal, morador ho Recife, e que foi! Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
encontrado vagando pelas ras da mesma cidade :
a pessoa que for seu senhor compareca recia-
ma-Io.
f'onsiil- to provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co que os 30 iias uteis marcados para a arrecada-
cao bocea do cofre do 1* semestre do armo finan-
ceiro correnle de 1863 1864 dos mistos da de-!
cima urbana das froguezias desla cidade e da dos'
Afogados, c de 5 0|0 sobre a reuda dos dcrs de
raiz pertencentes corporaedes de mao morta se ,p"",?? ,. i-riros
principian a contar do dia 1 de dezembro vm-!
douro. ''"
Mesa do consulado- provincial de Pernambuco
25 de novembro de ISS."1
Antonio Carneiro Machado Htos.
Administrador.
A* senhoras quegeralmente solfrem de dores ^0, comparceam na sala das sessdes da junt, no
nervosas da cabrea Ihe dio a preferencia toda da cima mencionado, pelo meio dia, competente-
u qualquer applircao local, romo nm expeliente mente habilitadas.
mem de allviar as dores; e em qualidade do um | y, para constar se mandou affixar o presente e
perfume para o quarlo de um doente, elle por publicar pelo jornal.
1 ] Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
() Por tnr salildo com alguns errtwrepete-se a,buco, 15 de dezembro de 1863.
seguinte publicarlo, O secretario,
.4 eiaccBo. F- fAnnunaarao.
Com toda a pompa e brilhanlismo por ser o ul-
timo antes de festa. eestaro ornados os grandes
saloes com o melhor goslo possivel, para nada doi-
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
ETES A VAPOR
Dos portos do sul esperado
at o dia 30 do corrente o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante o
capitao do mar e guerra Gervazo
Mancebo, o qual depois da demo-
mora do costume seguir |iara os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: eneom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as I
horas, agencia rua da Cruz n. 1, escriplorio de
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
at o dia Io do Janeiro o vapor
Princeza de Jomville, comman-
dante Araujo, o qual depois da
demora do costume #guir para
carga qu o vapor poder conduzir, a qual dever
sor embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras, agencia rua da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C
Quarto halaiho de artil lia ra a p.
O censelho econmico do batalho contrata para
o primeiro semestro do anno de 1864 os gneros
alimenticios abaixo declarados, para fornecimento
de suas pracas, a saber: arroz pilado, assucar
tnascavado retinado, azeite^tooafe haealho, carie
secea, dita verde, farinha de mandioca, feijo pre-
to, ou mulatinho. manteiga, paes de 6 e 4 onras,
toucinho, vinagre; sendo todos estes gneros de
primeira qualidade : os contrllenles apresenlcm
suas propostes em carta fechada secretara do
batalho al o da 24 do correnle.
Quariol na cidade de Olinda 17 de dezembro de
1863.
Manoel Goncalves Rodrigues Franca,
2o lente agente.
O conselho econmico da fortaleza do Brum
convida as pessoas necer no Io semestre do anno de 1864 os gneros
abaixo declarados, apresentem suas propostas at
o dia 23 do corrento na sccretrria da referida for-
taleza : arroz pilado, assucar refinado raascavi-
nho, azeilc doce, bacalho, caf de caroco, carne
secca, carne verde, farinha de mandioca, feijo,
lentia, manteiga franceza, paes de 6 oncas, ditos
de 4 oncas, toucinho do reino e vinagre ; sendo
todos os gneros do boa qualidade.
Filippe Marques dos Santos Jnior,
2 lente agente.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\'avcgaco costeira a vapor.
O vapor Jaguaribe, comman-
dante Lobato, segu no dia 26 do
corrente as 5 horas da larde
para Macei e escalas Penedo o
Aracaj. Recebe carga al o dia
21 Encommendas, passageiros e dinheiro a fre-
te at o dia da sahida as 2 horas da tarde : es-
criptorio no Forte do Mattos n. 1. ___________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegacao costeira a vapor.
Parahyba, Natal, Macao, Ararat) e Ceari.
0 vapor Mamantfuape, com-
mandante Moura, seguir para os
partos cima indicados no dia 28
do corrente s 5 horas da tarde.
Recebera carga at o dia 26. En-
commendas, passageiros e dinheiro a frete at o
dia da sahida s 2 horas da tarde: escriptorio no
Forle do Mattos n. 1.___________________
Para o .iracatr
0 hiate Dous Jimios pretende seguir com bre
vidade, tendo parte da carga, para o resto tra-
ta-se na rua do Amor i ni no escriptorio de Tasso
Irmos.
Para o 'orto
A barca portugueza S. Manoel II segu imprete-
nvolmcnte para o Porto no dia 24 do corrente, e
s recebe passageiros, para os quaes tem excel-
lentes commodos : a tratar no escriptorio do M. J.
llamos e Silva & Cenros, na rua do Vigario n. 10
Barca Mina I
Salie om poneos das para o Porto por ter parto
da carga engajada : para o resto c passageiros,
trata-se com os consignatarios Carvalho & Nogtici-
ra, na rua de Apollo n. 20, ou com o capitao na
praca.
DE
1 111 grande sobrado de m an-
dar na cidade do Araca y.
O agente Almeida far leilao requerimento do*
administradores da massa fallida de Seve Filhos
& C. e mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do
commercio, de um sobrado de um andar com 35-
palmos de largo tendo 3 janellas na frente, na rua
das Flores da cidade do Aracaly em chaos forei-
ros cmara municipal de dita cidade.
Terca-feira 4 de Janeiro de 1864
porta da associaco rom inercia I s 11 horas ; os
pretendentes podem obler qualquer inforroacao do-
agente cima.
LEILOES.
DK
Acces.
0 agente Almeida far leilao requerimento
dos adminisradores da massa fallida de Amorim,
Fragozo, Santos cv C. o m tildado do lllm. Sr. Dr.
juiz especial do commercio do 42 aecoes da com-
nanbia vigilante e 20 ditas da estrada de ferro.
HOJE
A* porta da associaco commercial s 11 horas
do dia. ________^^__
;&/!#
DE
IOO barrls com vinho branco
marca IB.
ibojb:
O agente Postana vender por cont e risco de
quera pertencor 100 barrs de 5" com vinho bran-
ca ile Lisboa chegado ltimamente em um 011
mais lotos a vontde: sabbado 19 do corrente
lelas 10 horas da manha no largo da alfandega.
liKIiiVO
DE
UMA TABlRJA.
. ScguiDlu-icira 21 ta nitpitle
O agento Pestaa .legal mente aulorisado vende-
r por cont e risco de quem pertenrer todos os
gneros existentes na taberna sita na travessa das
Cruzes n. 6, onde c agen lo effectuar o leilao se-
gundafeira 21 do corrente pelas 10 horas da ma-
nha em poni.
LEILLiO
^4 21 do correnle.
A casa de Henry Gbson continuar por inter-
venro do agente Pestaa, o seu leilao de grande
variedade de fazendas inglezas proprias do mer-
cado c para fechar coutas
Segunda-feira 21 de corrente
s 10 horas da manha em ponto, em seu arma-
zem, rua da Cadeia do Recife.
GRAIDE
LEILAO
AYISOS DimSQS.
lotera extraordinaria
Aes iO:000^000 e 2:000,0068.
Corre no dia 24.
O abaixo assignado tem resolvido ex-
trabtr no dia supra mencionado, vespera do
dia do nascimento do Redemptor do Uni-
vi-iso, uma lotera extraordinaria, a (pial
a quarta parte da quinta em beneficio da
igreja de Nossa Senh'.ra do Guadeiupe de
Olinda, ea sua extraccio ter lugar no con-
sistorio da igreja de N. S. do Rosario da
rregnezia de Santo Antonio.
Os hilhetes e meios acham-se venda na
respectiva thesouraria rua do Crespo n. 15
e as casas commissionadas rua da Impera-
triz n. 44, toja do Sr. Pimentel; rua Direita
n. 3, botica do Sr. Chagas; rua estreita do
Rosaris n. 12, typographia do Sr. Mira e rua
da Cadeia n. 45, toja do Sr. Porto.
Os premios de iOrOOOdOOO at 2000O
serio pagos uma hora depois da extracro
e os outros do dia seguinte depois da distri-
biiio das listas.
O thesonreiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
J. Falque, querendo liguitlar, far leilao do to-
das as fazendas existentes no seu armazera da rua
do Crespo n. 4, constando de uma grande porco i
de roupa feita de todas as qualidades, calcado, !j
perfumaras, bengalas finas, chapeos para homens
e scohoras, urna immensidade de artigos de luxo,
sendo tudo vendido sem limites e em lotes a voli-
tado dos compradores.
O Sr. Jos Francisco Pinlo Guimares, cirur-
gio pela escola real de cirurgia de Lisboa, trans-
mite sua residencia para a rua Nova, n. 60, pri-
meiro andar, onde pode ser consultado todos os
dias uteis das 7 s 10 horas da manh, acerca das
doencas denominadas cirurgicas ou exlernas espe-
cialmente daqnellas, em rujo tratamento mais fre-
quciitemente intervein a medicina operatoria.
AOS 10,000:000
C4S\ l)\ rOHTlM.
Bullirte* garantidos
.4' rua do Crespo n. 23 e casas da resliime
Ao dia 24 do corrente se extrahir a quarta
parta da quinta lotera de N. S. do Guadalupe.
O abaixo assignado recommendando o respei-
tvel publico a compra de seus mnito afortunados
liillieles garantidos, Ictnbra-lhea vanlagem que lia
em receber os premios por inteiro, por quinto
quem tirar a sorte grande em bilhete garantido
nao receber somonte 8:4004, em virtude dos
dcscontos do 16 por rento que Ihe faro em vista
das leis. mas sim os t0:000, que vem a ser os
ditos 8:400* o mais 1:6003 que pagar o abaixo
assignado, importancia de ditos descomes. Os pre-
mios sero pagos como de costume.
Preco*.
Bilhetes inleiros..... 125000
Meios bilhetes...... 6500O
Quartos........ 3$00O
Para as pessoas que comprarem
de 1000 para cima.
Bilhetes........ 11*200
Meios......... 55600
Quartos...... 2-5800
Manoel Martins ftuza.
M. Oftereee-se uma pessoa competentemen- jL
te habilitada a ensinar fra da capital pri- |
WS meiras lettras : quem de seu presumo se SR
:j quizer titilisar dlrija-se esta tvpogra- 2K
phia em carta fechada com as intciaes S
A. B.
Segunda-feira%\ do cr-
vente 10 horas
0 agente ALMEIDA competentemente autorisa-
Araga-sc ama casa em faboatlo, com muitos
commodos e precos razoaveis : na ma Direita n.
3, ou no mesmo logar na padaria Sebastopol.
Aluga-se o 2* andar 4o sobrado da rua rio
Imperador n. 7, bastante fresco, e decente para
uma familia : a tratar cea Antonio Jos Rodrigues
de Souza, na rua do Crespo n. 15.
1
mm


uiuiai.

w.iji liiB w 1M"
Diarlo de Pernambuco ftabbatfo i de Dezeiubro de 1883.
BUCO l \llO
ESTABELECIDO XA CIDADB DO PORTO
Agentes tiii l'cruambHCtt
Antonio _nl_ de Olivtira
Azevedo 4 C.
Sacan por todos os pafiuelcs sobre o
mesmo banco .i prnzo ou vista, sobre a
<-ai\a filial em Lisboa, e agencias eni Pi-
Rin-ira, Coimbrn, Aveiro, Vizeu, Villa-
Iteal, Regoa, Vianna de Castello, Guima-
res. Barcenos, Lamego, Ce-vilhaa, Braga,
I'enaliel, ragauca, Amarante, Angra,
11 ha da Terceira, liba de Palas, Una da
Madeira, Villa do Conde, Vatonca, Bastos,
Oveira de Animi, Chave e Fafe, a
oito dias visu ou ao prazo que se eunven-
i ionar.no seu eseriptorio ra da Cruz
n. i.
Itentisia americano
[De New-York, ra do Ini-jj
railor o. 03.
Dr. W. H. Me. Gralh, offerece ao res-
peitavel publico de Pernambuco os ser- 1
vicos de sua prolisso, todas as opera- jj
cOes da boeca e denles serao executadas
eom e ultimo e rmiito nielhorado princi-
pios de eirurgia dental.
PPIIA
OSr. Lua Paulino CaviilcarUi de Al-
buquorque, tem urna caria nesta tvpographia.
Preeisa-se de um bom cosinheiro ede urna
ama que saiba engoinmar e lavar : tratar no
sobrado p. 32, da ra da Aurora.________________
Alugam-se as casas terreas na ra da
Calcada n. 48 e ra Vellia n. 22: a tralar
oa ra do Sebo n. 24.
Perdeu.se oo dia 17 do corrente, as '! 1|2 bofas
da tarde, duas pecas de cambraia lisa, da ra do
Imperador em seguiuenio a travessa do Oavidor,
largo do Parai.-.o, ra da Boda o do Sol, ponte, roa
da Imperatriz, pracu da B ja-Vista, ra do A/agao,
pi ac da Santa Cruz, ra do Sebo, Mondego at a
Estancia : quem as acliou, querendo restituir, di-
rija-se a ruada Cadeia a. 41, ou Estancia, rasa
n. 2, ou annuncie que se Ihe pagar a despeza.
m
RECIFE AO S. FRANCISCO
RA DO IMPERADOR l^0 primeiro de Janeiro de 1864 at outro aviso, as partidas dos trena serlo regula-
Precisase de urna ama livre ou esora-
va, para todo o servico de urna casa de
familia, a excepcao de cosinha e que
saiba engominar bem : na ra estreita
do Bosario n. 31", terceiro andar.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado da ra
.Nova n. 19, eom bstanles commodos par fami-
lia : a tratar na ra da Cadeia n. 62, segundo
andar._____________________________________
Aluga-se o terceiro andar da ra larga de
Festa d* enhora do Monte.
S. El* Sr. D. aabaile de S. Beiito
uaceordo con o abaixo assignado tem
removido a fesla da Senaora do Mete
lo dia 31 dt corrate roei, para 17 de
Janeiro vi admiro (Miada, lo de dc-
zeml)ro de, i863.
____________Maaoel Luiz Vi raes.
O senhor morador ao paleo do
TerCO n. 2, fl0endrSr<8C a esta Ir- Rosario nT 24, omito fresco e eom grandes "cora-
i. .. _. .. i, modos para familia por preco muita commodo : a
pOgrtthll que se Ihe precisa fallar. tratar no segundo andar do niesmo._____________
Precisa-se de urna ama para comprar e co-
s nhar : na ra do Queimadu lujan. 42.________
Botlea.
Precisase de um caixeiro que tenha alguma pra-
tica de botica : a fallar n ra larga do Rosario,
botica de Hartbolomeu & C. _______
Aluga-se a casa terrea n. 36 da ruada Matriz
da Boa-Vista por barato preco : na ra da Penba,
segundo andar do sobrado ri. 1________________
No dia lo do corrente desappareceu da com-
panhia de uns portadores da freguezia da Gloria
do ('mita, um menino pardo claro do idade de 10
annos, vestido de camisa e ceroula, eom urna fe-
rida em urna perna, conbecido por Miranda : quem
o encontrar, leve ra estreita do Rosario, taber-
na do Sr. Pocas, que se recompensar._________
Estabelecinenlo de carros fnebres,
paleo do Para izo ns. 10 e 12
Acham-s efectivamente neste estabelecimento
carros para todas as ordens marcadas no respecti-
vo rcgulamento, sobresahindo os de priineira or- (
dem, tanto para defunto como para anjo, os mais
ricos e ornados que se pode desojar, eom todos os;
ornatos precisos. Tambera ahi se encarrega de.
quaesquer arma^oes fnebres eenterros, fornecen-
do-se lodo o necessario sem incommodo das par
Manoel Jos l'creira fai publico que por haver
outros de igual nome, tem-se assignado dede pou-
co lempo, depois de sua residencia nesta; e assig-
uar-se-ba Manoel Jos da Costa Pereira.
Quem precisar de um bom eozinheiro, diri-
ja se run da Lapa n. 3, que o achara para tratar.
iv..
Luir Goncalves Agr, Maria Francisca do
Espirito Santo Agr, Manoel Goncalves Agr,
Maria Tlicrcza Agr, Lniz Goncalves Agr
Jnior, Ignez Maria do Espirito "Santo Agr
B Antonio Goncalves Agr moito agradecem
as pessoas i|ue assistiram e acompanharam
ao cemiterio publico o enterro de seu pre-
sado lho e rotad, eom especialidade a irman-
dade do Espirito-Santo do Collegio que gene-
rosamente se prestou e de novo os convida
para a missa do stimo dia i|ue ter lugar
na capelta do cemiterio pelas 7 horas da ma-
nhaa do dia'salibado l!t do corrente.
Jolin Wetso,engenlieiro da America do Nor-
ia, (estados confederados) que es te ve neste impe-
rio cerca do cinco annos, estando para ir Euro-
pa, avisa a seus freguezes que vai comprar machi-
nas para descascar mandioca, e otras para purili-
ear o assucar : despede-se di^ste modo de seus
amigos por nao poder faze-lo pessoalmente, sahin-
lo para Europa no vapor de Janeiro.; offerece seu
fraco prestimo ijuelles que julgarem dever apro-
vetar esta occasiao.
M. 22.
Grande rnuurm dr tintas.
Este aniKizein conten tudo quanto
preciso para que a industria de piutura, de
quahier genero que seja, desempenhe
seu thii, isto embellezar, conservar e
reprodu/.ir.
Montado em grande escala e supprido
directamente por grandes fabricas de Pa-
rs, Londres e Hainburgo, pode oftVrcrer
productos de conftanca, e satisfazer qual-
quer encommeuda grosso trato e a re-
talho.
Os Srs. artistas pintores, e os donos de
obras podero escolher vontade, pois
que ludo eslam vista, as dilferentt co-
res de que tiverem necessidade.
Ha tintas em massa e em p impajpa-
vel, e como as obras a euveruiar so se
di-ve enmregar tintas muidas, e uao uie-
recoiido coiiliancaasi|uevem di: frapara
' coniinercio, (or velhas, e tal vez falsilica-
das, ueste arma/.em se as nioer vis-
ta do consumidor, que s assiin ter tin-
tas frescas c verdaueiras.
Ha tainbem ouro verdadeiro, verde em
p i'i'in olha. prata em follui, p debron-
zear de varias cores, diamantes para cor-
tar vidros, burnidores,ncarsii|K'ilinaen-
carnada, amarolla e verde, tintas vege-
taes, azul, roxa, verde e amarella, inollen-
sivas, nicas que so devem empregar as
confeitarias, collerrdus de pinceis para
Ungir inailfira. conpropriedade, e outros
de varias (|ualidades, vernizes, copal,
j;raixa. hianco ou escuro para o interior
0 exterior, para etiquetas e quadros, tin-
tas tinas em tubos, em crayoos ou pastel,
tellas para quadros, e ai xas de tintas linas
e i>apel para desenlio.
Essencias aromticas verdadeirns, fras-
cos e vidros para vidraca de todos os la-
inanhi.s. e muitos outros objectos, cuja
utilidade e em|M'ego s coiu vista pode-
ro ser mostrados.
Joao Pedro das Nevos,
Gerente.
das pela seguinte tabella.
ESTACOES
Cinco Ponas (partida)
Afogados .
Boa Viagem .
Prazeres .
Ilha ....
Cabo ....
I|K)juca. .
Olinda. .
Timb Ass .'
Escada ....
Frexeiras .
Aripib. .
Ribeirao .
Gamelleira .
Cuyambuca .
Agia Prcta .
una (c hegada). .
HKNS >AtiA I.VIbHlon
Dhn de trubalho
:.}.
3 -i,...r.
MANHAA
\l.
7
7
8
8
8|
}
i
10
10
10
11
11
11
12
45
51
4
11
37
n
10
25
40
53
20
38
57
17
35
.56
20
NfrtMtl<.ria>
c putVfi
r.i< J i. c
3 .1...,
TAHUF.
II
M
30
50
30
5
25
45
5
25
i'.,.
i. i,
TAIlllE
H. I M.
30
36
50
57
24
40
D ii lugos
illn* mi*
Pussageirosde I.", 2
3." ciaste.
IIAMIAA
ii
7
7
8
8
8
8
9
9
9
9
10
10
10
11
11
ti
12
M.
45
51
4
11
37
52
10
25
40
53
20
38
57
17
351
56
20
Tinim
II.
H.
ESTACOES
I IW..\N lili IMlllliltl
Das dn tmbalho
I- I i. <
3 .i...--.
oit l'na (partida)
5tiJ.\gua Preta.
lOliuyambuca.
17i(!ameleira..
V4;Kibeirao. ..
-lAripib.. ..
IFrexeiras ..
lscada .. ..
Timb Assd
Olinda .. .
Ipojuca.. ..
- _bo.....
Ilha...........
razeres........
i loa Viagem.....
Afogados .......
I'.inro Ponas (cheg.)
IAMHAA
20
36
3
lo
24
3(1
M-n :iiliin.i
-.. ,1 i .
3 .-I.-..-
M*NllA\
' "-* -; -1 r ..
I., i.
3 11 ..-
TAIIIIK
II. M. H.
%
H
H
9
10
10
10
ii
ii
ii
12
II
I
27
52,
i7|
5
25;
50
10-
:to
45
15.
40
12
i
i
1
2
2
2
3
3
3
3
4
4
4
4
5
II
40
4
25
43
3
22
40
7
20
35
50
8
*i
49
56
9
15
ll.'itt ttiinluN
Passaijeiros de 1*. 2.
3' chtse
nnmi
II
u.
TAKOK
20 4
;u> 4
3 5
10 5
24 5
30 5
VI.
24
45
3
23
42
27
40
68
10
28
43
9
16
21
35

\
4TTE
Offerece-se urna mulher honesta para ama
de casa de homem solteiro para servicos internos :
4|ueni precisar, dirjase ra da Ma'triz da Boa-
Vista, casa n. 54, que se dir.
Precisa-sc de 1:000 a premio, dando-se por $.
,-aranti.i urna boa prepriedaue : quem quizer au-
nuflcie |ra ser procurado.
Precisa-so de um cylindro americano dos
modernos, eom pouco uso : quem tiver aunucie.
0 Dr. Caroliuo Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na rna do Impe-
rador n. 17, 2 o andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do dia c da noitc
para o exercicio de sua profissao de me-
dico; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias do interior, prosegue, eom o
maior afllnco, no das mais dilceis e deli-
cadas operac.es. como sejam dos orgas
ourraarios, dos olhos, partos, etc.
NOVO ESTABELECIMENTO DE MEDICINA HOMEOPATHIC,
RA \OVA \. 43.
0 Dr. Sabino 0. L. Pinho mudou o seu CONSULTORIO para a loja de marmor
ra Nova n. 43, onde continua a dar consultas todos os dias uteis desde o meio dia at
2 horas.
Os enfermos, que o procurarem logo na invaso da molestia, sem que hajam to-
mado qualquer remedio, nem allopathico, nem homeopathico, pagaro metade dos prego
estipulados. Esta concessao tem por flm facilitar a cura de molestias, que podem tornar
se complicadas pelos emprego intempestivo da therapeutica e ao. mesmo tempo adquirir
para a homeopathia maior numero de adeptos pela bateza da cura.
.\o dia 8 do corrente fuglo da casa de seu se- Em attenglo as pessoas pobres, que nao podem sahir de dia, o Dr. Sabino resol
tes, tudo por precos commodos, presteza e Odeli- nhor o escravo Romualdo, de cor parda, tem ofll- veu dar duss consultas por semanas Das tercas e sextas-feiras das seis as sete horas
dade. co de serrador, altura regular, barba serrada, um note
tanto cheio do corpo, olhos pequeos, avista um X i___j ,
tanto espantada, falla moderada, tem cicati izes de V5- chamados para visitos e conferencias devem ser dirjgtdos por escripto ao cor>
ferro no corpo, rendido de urna das verilhas, le- sultorio desde 8 horas do dia at 8 da noite, na certeza de que sero attendidos na orden
vou caifa do meiim branco, e camisa de chita, jul- de sua precedencia, salva a circumstancia de eminente perieo.
ga-se ter ido para a cidade a Ipu donde veto pa- AIIVVRTNirii
ra esta cidade ser vendido : roga-se polica toda mm*m*"'
lISS^SST^S^T^S^ afa?n0V TUll0H ^Provido dos melhores medicamentos, desde a primeir
IM'garser generosamente recompensado, levan- ate a ti Igesima dynammjsacao.
do-o casa de seu senhor na Capunga veiha, ou t como os mdicos hespanhes e allemes nao cessam de certificar a major effi-
no annazem de madeiras na ra nova de Santa cada das ultissimas dynaminisacoes do tratamento das molestias chronicas, o Dr. Sabino se
oceupa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais altas ( por ora at 200.1).
aim de verificar por si mesmo a ferca dynamica. que se Ihe attribue.
Os mdicos, que quizerem experimentar tes dynaminisacoes podero dirigir ac
consultorio suas receitas, que serao aviadas gratuitamente para os pobres.
Aluga-se um sitio no Manguinho, eom bastan- No mesmo consultorio se vende a novissima edicao do Thesouro Itomeopalhicc
tes arvoredos de fructo, boa ca*a de vivenda, casa 0u Vademcum do homeopatha, obra indispensavel a dos que querem usar da homeo-
lora eom quartos para pretos, estribara, carimba |)atha
eom boa agua e tanque eom casa para banhos -
, quem o pretender, dirija-se ra .Nova, loja de, Iud0 1"^ diz respeito a nova medicina se acha abundantemente neste novo estala-
Rita n. 15.
lllljItMUU IllSlllUlO (le .Y S. UO Bom Ull- t> terceiro andar da casa n. 88 da ra da Impera-
sellio, na da Aurora n. .'II.
Cmno consta da ileclaracao feita por meu cunha-
do, o Dr. Joaquim Barbosa Lima, no Diario de Per-
iiiinibiicu de 9 do crreme, foi-me por elle transfe-
rida a propriedade e direefao deste instituto.
A tonga pralica que tenho do movimento desta
casa, era que por espado de cinco annos exerci as
fu incoes de vite-director; a eslima o eonsideracao \ d
con qtM muitos pas de familias sentare me hon-
raiain: e sobretudo a animacao que ti ve de alguns
amigos, eom es|iecialiibUe do Illm. Sr. Dr. Jos
Soares de Azevcdo, a cujo cargo est conliada a
lireccao scienlilica do estabelecimento, resolvc-
jani-ine a lomar sobre meiis hombros tamanha
itipreza, ifiiecontina soba invocacao o proteefao
do N. S. do Bom ConsWho.
.Nao tenho a pretcncao de exceder a altura a que
n direcfao de meu cunhado elevou o eslabeleci-
inento, mas pretendo desvelar me |ra que nao
perca elle o grao de crdito que Ihe deixou, pro-
ineUeodo por mim e por minha senhora todo o dis-
vello para eom os meninos que nos forem confa-
nos, Unto na educacao scienlilica como na moral e
religiosa. I
No dia 7 de Janeiro prximo achar-se-ha, pois,
de novo aberto o estabelecimento a concurrencia
dos alumnos, tanto internos como externos, conti-
nuando no mesmo predio da ra da Aurora n. 50,
te 12 de dezembro de 1803.
Antonio Augusto Ferreira Lima.
tnz
Aluga-se oarmazem n. 4 da ra do Apollo, e calcados n. 7.
andar da casa n. 8f
na rna da Aurora n. 36.
aecimento.
Perijitiila e,aquemsou- ra
Desappareceu no dia 15 do corrente un mo- f)er r sDOIlder. Se pile SCV (IU-
leipie de nome Luiz, de idade 7 annos, pernas tor- r ,. ,
las, nariz chato, levando vestido um roupao de ton 110.(1 t pOlCial (IllHlll tCftl Cd-
inussclina branca, tem falta de dentes nfrenle: J.k. .A,*
pede-sc s autoridades policiaes c capitaes de cam- \ ?ll 'lt UlUOinyem aCllU O OO
po de o pegarem e leva-lo loja da ra da Cadeia j i U.TACfA
do Reciten. 64, que se recompensar; outro sm U*lrlLU> UC bua JUl Ibti ILVU,
se protesta proceder contra qualquer pessoa que o onde, mesmo dudante O CXei'C
tenh aouactado. ,
co do cargo, w joga eom a sua
lnsinu tic prepnratorius.
O baeliarel a. R. de Turres Randeira,
prufessor de geographia c historia no
(iyiunasio desta provincia, contina a
entinar estes mesaos preparatorios, e
boa assiin rlietorica e philosophia. Os
cursos estao aberlos para cada urna des-
> tas disciplinas, na casa da residencia do
g* auuuncianle, ra estreita do Rosario n.
$H 31, terceiro andar.
mmmmmmmmmmmt
Alugam-se duas casas terreas na cidade nova
<'in Santo Amaro, na travessa do Lima, eom 4 quar-,
tos e 2 salas cada urna, eom gaz, cozinha fra,''
quintal grande c murado : a *atar na ra da Au-
tora n. 54. I
CASA DE SAUDE
Em Sanie Amaro
lio lr. Silva Ramos.
l'nico estabelecimento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo
que pode eom todo o commodo e zelo tra-
tar qualquer doente, que nella seja reco-
mido.
O edificio magestoso e conserva-se
em perfeilo estado de limpeza c conve-
nientemente mobiliado.
Os Asentes sao separados, segundo os
sexos, natureza das molestias e condicoes
sociaes.
Ha quartos fortificados para os aliena-
dos, e urna enfermada para as partu-
rientes.
O propietario encarrega-se de qual-
quer operacao.
O estabelecimento franqueado qual-
quer pessoa que o qneira visitar.
PrinWra classe 3A000diarios.
Segunda dita.... 25500
Terceira dita.... 2*000 *
Para que qualquer doente sejaali reco-
bido, basta que se mande o nome do doen-
te e da pessoa que o remette. eom a de-
claracao da morada.
O proprietario aceita contratos annuaes
eom qualquer que quena ter um ou mais
leitos sua disposigao.
__
smcti.

K Joao da Silva Ramos, medico pela uni-
K versidade de Coimbra d consultas em v
^ sua casa na ra Nova n. 50, das 8 s 10 gj
ti- horas da manha e das 4 s 6 da tarde e \
recelie igualmente convites para dentro
^ ou fora da cidade eom o lim de se en-
earrefar de qualquer servico de sua prn-
Osso.
Os chamados deverao vir por escripto.
Fugio do engenho Pira u i da comarca da ci-
dade do Nazareth em 20 do mez de maio do cor-
rente anuo IKi:, um mulatinho de nome Manoel,
de idade 15 annos, levou vestido camisa e ceroula
de algodaozinho azu, um tanto descorado da cor,
I tem os ps feios e os dedos delles arredilados, os
pes adiante largos e es calcanhares finos, tem o
! coslume de andar eom a cabt-ca baixa, cabellos
estirados, de caboeolo : quem o pegar c tronxer
em dito engenho ser recompensado eom 200-5.
f Francisco da Silva Cardoso retirando-se para
' o Rio de Janeiro dcixa por seu procurador o Sr.
AURORA BRILHANTE
/{. Ausliii, siqierinteiiilenle interino.
Sociediide Dramtica Recreio
e Uuiao Familiar.
Pela secretaria da Sociedad?
Rccreio e UniSo Familiar, avisa-
se aos Srs. socios que o espect-
culo inaugural annunciado para
sabbado 12 do corrente, ter lu-
gar boje inipreierivelmenle. Prin-
cipiare s 8 horas em ponto.
O Io secretario,
R'laminando* Pinto Dowleiro e A. de V.
Mana Francisca de Paula. Anglica Francis-
ca de Paula e Maria de Paula Francisca, manas do
finado Amaro Januano Francisco do Paula, agr.i-
decem cordealmente a todos os amigos d tinado,
que se dignaram acompaiihar a o sea fallecido ir-
nio al o cemiterio publico, o eom especialidaUe
ao Sr. Liborio Vieira Olimpio. As aranas apro-
veilam a occasiao para convidar lodos os ami-
gos do fallecido para assi>tirein a mi.-sa (lo stimo
(lia mi convento do Carino, s 7 horas da manha
do dia 22 do corrente ; e assiin como na orcasifio
i la ink-a se ilistribiiira ornlas cun trinta pobres.
Sabe boje ao meio dia o n. 7 da Estrello do
Surte. Haz o cinbari|ue do Moyses, e vende-se nos
lugares do coslume.________ '_________________
Aluga-se a casa terrea n. 26 da ra da Ale-
grljH : a tratar na ra da imperatriz n. 40. ____
Aluga-se um sitio na Capunga Vellia, eom
Iwa casa, couicndo 4 (piarlos, gabinete, cacimba
eom boa agua, (piarlos para pretos, estribara e
frucleiras, iodo murado : quem o pretender diri-
ja-se praca da Independencia ns. '3j e 39, ou na
ra da Palma n. 41. "___________
Jos Mana de Azevedo declara que o Sr.
Manoel da Silva Cuimaraes deixou de ser seu cai-
xeiro desde o dia 16 do corrente mez. Recife. 1H
de dezembro de 1863.__________________ -
O Sr. Joao de Brito Correia tem urna c.irc*
na rna da I'raja ti. 44.
LARGO DA SANTA CRUZ N. 84.
Amigos do bom e barato.
A Aurora Brilhante este magnifico estabelecimento est na Boa-Visla disputando a
priniazia, j pelo grande sortimenlo dos seus gneros de boa qualidade, j pela commodidade
de precos e por isso o seu proprietario roga aos seus fregueses e amigos e ao publico em
geral que mandem comprar para melhor se certificaren! do annuncio.
Manleiga ingleza flor primeira qualidade. Servejas de boas marcas e umita-.
. Dita mais abaixo segunda dita. Qucijos uovosdo vapor edo passado.
fe Dita franceza nova segunda dila. Ditos de prato.
^ Cha superior preto, verde, hysson.uxim c pe- Ditos de manteiga novos.
^ ro'a- Caixlnhas enfeitadas eom ameixas francezas.
Doces de goiaba caixoes de varios tamaitos. Lalinbas rom ditas.
! Joao Maria Cordeiro Lima
| qnidacao de sua casa.
e cncarregado da li-
FOLHINHAS PARA 1864,
Sabio luz a tradueco da Kpiphauia do pa-
dre J. Ventura, feita por um calholico. Dividido
in oito leituras, conlm este livro a mais bella ex- i\a praca da Independencia livraria ns. 6
IMMdcae do mysterio da vinda dos Magos ao prese- R tXttaa. ft vfliuia as cpcninles folhi-
|e de Belem. O nome do seu autor o seu mais eu*' acUan^. V6naa as s*umies ""}
<-ompleto elogio. nhas para 1804 impressas nesta tjpograplua
C um livro utihssimo para a educacao moral e em excellente ivpo e bom papel,
religiosa das familias nao s pela sua ooulrina e Folhitllw de porta contendo as mate-
'onhecimento de um dos maiores e mais consola- ,.. ,._.,_,. irn
-lores niNsterios de nossa religio, como pelas ora- r,a.u tUMunie, rs. ... .
-ooqu'acompanliam a todas as leituras. um Dita de algibeira, so a epigraplie
leresaante oitavario para a celebracao da testa religiosa, contendo alm das materia
.jos iteis Magos. do coslume os sete passos da Paixo
.1 ,-eu producto e desuado pelo autor para au- N cpniinr iPSUS Christo : canti-
xjlio do collegio de orphos, que o virtuoso hispo! "
Amendoas de casca dura c mole.
Azeitonas novas em larris e garrafas.
Presuntos para panellae fiambre.
Itolacliiulias inglezas novas.
Chouiicas, |iaios e linguicas.
Cognac venhkdeiro.
Licores e clianipanhe.
Charulos finos, ha finos, em ludo.
Sebol.is grandes em resleas
Copos lapidados e lisos para agua e vinho.
Passas novas e figos tambera.
Massas para sopa sao das novas.
Nozes j deste anno.
Farinha, milho, farello e arroz de casca em Ditos de Lisboa, nao ha melhor.
saceos grandes. Dito do Porlo, nao ha melhor.
. Toueinho de Lisba novo. Dito branco, nao ha melhor.
Wi Chocolate j feito que bello almoeo. Dito engarrafado em caixa de urna duzia.
~ Azeite doce temos refinado tamliem. Ditos genninos em caixa e a retalho.
A Aurora Brilhante tem um bello oitlmcnto
A Aurora Brilhante tem una bello sortintento
Lalinbas coni fructas.
Latinhas eom biscoutinlios de multas quali-
dades.
Latas eom bolarhinlia de soda.
Latas eom pcixe ensopado.
Latas cera inariiielada nova.
Latas cun massa de tomate.
Fraseos eom conservas.
Ditos eom mustarda.
Ditos eom genebra de Hollanda e de laranja.
Ditos eom sal refinado.
Vtahos iniros da Figueira, nao ha melhor.
^%%^^%
DE
do Cear esl fundando na capital de sua dieces :
4'ste annuncio perianto umi appello s almas
-las para que eoncorram eom urna esmola
para um lim tao pi e lio louvavel.
Vende-se na livraria da ra estreita do Rosario
ti. 12, e na livraria econmica de Nogueira, a 24 o
fiemplar encadernado.
-? Aluga-se o armazem e primeiro andar da
casa n. 142 da ra da Senzala Velha : os preten-
dientes dirijam-se *,prapa do (^orpo Sent casa n.
4, segundo andar.
Atte-eo-
Aluga-se o tereeiro andar do sobrado n. 28 da
i ii t do Queimado, eom commodos para familia: a
rrai jna loja-_______________________________
aitti:\i io.
Sz rua estrena do Rosario n. 38. primeiro an-
dar, prerisa-se de urna ama para cozinhar, en-
gommar e fazer compras.
eos do mez Mariano; liymnos e jacula-
torias ao Sanlissimo Sacramento; ex-
pcaces de diversas oracoes; cora
Seraphica ; exercicio ao sagrado cora-
?o de Maria; oracao para risilar as
igrejas no dia da Porciuncula ; oracao
para esculla dos estados da vida ; dita
a Senhora da Conceico ; e medilaces
sobre a reforma da consciencia, rs. 320
Dita de dita, sob a epigrapheYa-
riedade, cuntendo alm das materias do
coslume : receitas uteis e necesarias
aos diversos myslerios da vida ; physi-
ca e recreativa ao alcance de todos :
pilheriase mices: poesas; charadas;
mximas e pensamentos colligidos por
um curioso.. .........320
;i-nr\ estreita do rosario-3
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artitlciaes tanto por meio de
molas como pela p'essio do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
liqucni a vontade de seus donos, km) pos
e outras preparaefles as mais acreditadas
para conservacSo da bocea.
DE
J. VIGNES.
< ft. RA DO IMPERADOR M. **.
Os pianos desta antiga fabrica sao boje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre
sua superioridade vanfagens c garantas que offerecein aos compradores, qualidades estas incontest-
veis qu e elles tem deflnitiramente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta pra-A ; pos-
suindo um teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca 'alhar por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos imperta-
i-__- --- : mmntn Aq vatoc can malrulAcac a flantsrtac (* ruir Utn milito afira/t-
Alugam-se na freguezia da Vanea 4 mo-
radas de casa de tijolo acabada de novo, bem a
margem do rio, assiin como no mesmo lugar o si-
tio que foi do Dr. Ibiapina coin commodos para
grande familia: quem pretender dirija-se ra
do Queimado loja de Carvalho, Custodio & C.
FGIO
no dia 17 do corrente mez, um moleque de idsde
de 12 14 annos, de nome Manoel, (-abrocha, le-
vou vestido urna calca de riscado, camisa branca.
jaqueta de chita, chapeo de palba preto, tem um
signal no rosto, e os dentes todos quebrados:
quem o apprehendcr leve-o ao becee do Veras n.
8. que ser recompensado.
Ama de le te.
ama estreita do Rosario n. 43, primeiro an-
dar, precisa-se de urna ama que tenha Lom e abun-
dante le le.
Precisa-se de 4:0004, pouco mais ou menos,
mediante um juro regular, eom hypolbeca e m es-
cravos ou predio : a jiesson (pie quizer fazer esle
negocio pode deixar o sen nome e residencia sobre
as inieiaes A. L. P. C para ser procurado, na ra
do Ouro n. 65.
Casas para alugar.
l'ma loja e primeiro andar na ra das Cruz. >.
urna casa terrea na na da Alegra, non terceiro
andar e soto na ra do Encantamento : a tratar
eom Joao Ribeiro Lopes, ra da Cadeia n. 33, loja.
A pessoa jte annunciou precisar de lOOOft
a premio, dirija-se ra da Praia n. 9.
Offerece-se una mulher i don e de bonscos-
lumcs para ama de qualquer pequea familia : *
tratar na ra do Sebo n. 45.___________________
No largo da Santa Cruz n. 10, precisa-se u>
um rapaz para caixeiro, que tenha alguma pratica
de taberna, e que de llador a sua conducta. ___
Aluga-se a casa confronte a S. Jos do M:ui-
guinho : a tratar na ra Augusta u. 2l>.________
Para a IVs a.
Aluga-sc um sitio na Vanea coin bastantes ar-
voredos de fructo e porto do banhu : a tratar na
ra Augusta n. 2ti.__________________________
-= Na ra do Crespo n. til, loja, deseja saher-se
onde assiste o Illm. Sr. Rraz Maciel, alim de rece-
ber-se urna encommeuda que trotixe de Paris para
ser entregue a Jos dos Santos Neves.
Aluga-se um sitio na Capunga velha. cuan
boa casa, contendo 4 quartos, gabinete, cacimba
eom boa agua, (piarlos para pretos, estribara e
frucleiras, todo murado : quem o pretender, diri-
ja-se ra do Crespn. 18, primeiro andar.
Precisa-sc de urna criada que saiba eiigom-
mar cozinhar : na na do Crespo n. 18. primei-
ro andar.___________________________________
Escravo fgido.
XOOO de gratifleaco.
Contina fgido desde Janeiro o mulato de nome-
Rayinundo, natural do Ico, estatura regular, idade
de 18 annos. caboca chala, cabellos earapiulH,
testa irraode rosto oval, cora urna listula na face
tissimos para o clima deste paiz ; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto mudo a*-^^,,,*^ ina5Sstt salantes, dentes limados ponlii-
veis aos ouvidos dos apreciadores. ."_ '. .7 -- do. bocea recular e principio de buco, pese raaos
Fazem-se conforme as encommendas, tonto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio a
correspondente de J. Vienes, em cuja capital foram semprc premiados em todas as exposieSes.
No mesmo estabelecimento se acha serapre nm esplendido e variado sortimenlo de msicas dos
"-Pe4e-Se a* Illm. S*\ Cnsul de melhores compositores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido
Porn?l dijese onletiar sem en-1 ** pr^og muito r"oavei^__________________________________----------------
pregad <|Ue admitan a Callar-lite as 0^^ |)tr, Jugar-se a casa o. n da ral Offerece-se urna ama do leite sem menino
DfSSOas QUe 0 praenram, pois elles S Imperial, cora bstanles commodos : a tralar eom na ra da Senzala Velha, loja
v- '";-'' i~" -- SSSs ,ssa__1. =+1s bi t&
acha-se justa
. I o contratada por renda eom os herdeiros do finado
>em.VUfliaitte. ____________________\ Aju ; Giovanni Vascio de Maratia, subdito iulia- 40, eom expelientes commodos para familia: a alguma reclainacSo a fazer sobre esm^Pre^1oi.d,r|-
no, relira-se para fora da provincia. tralar na ra da Cadeia n. 62, segundo andar.
' ja-sc nesles quatro dias ra da Aurora n. W
pequeos, costumava andar calcado, e intitulava-
se livre : (piem o apprehender, dirija-se rna da
Cadeia do Recife n. 21, Luiz Antonio Seqteira,
que entregar a referida gratilicaeau.
Os devotos enearregndos do festejo de N. S da
Conceirao que festejavam na na do Jardim. fa-
zem sciente a todos os devotas que coecorreram
eom sitas esmolas, que o festejo da mesma Senlio
ra lera lugar no da :t de janwro vindouro na iyre-
ja de S. Bom Jess dos Martyrios,



4
Otarte de Pcrnambuco Mabbado IB de Dezcnibro de 18A3.
FAZENDAS DE BOM GOSTO
Superiores cortes de seda de c6r a 504, 604, 70,5,804,904 c 1004 cada corte, os mais modernos quo tem vinde a Pcrnambuco.
Ditos do moreantique de cores e pretos.
Lindas sedas de cores a 220O rs. o covado.
Ditas de ditas de quadrinhos a 15 e a 15200.
Moreantique carmezim cor da moda a 15200 o covado.
Superiores cortes de Monde para noivas.
Lindos-cortes de crep de Hespanha com barra de cores as mais lindas que se pode desojar.
Cortes de Jaa com barra de cor.
Ditos de laa com barra aquille.
Lindos cortes de grinadine de seda com barra de gostos inteiramente novos.
Linda fazenda para vestidos denominada crep de Hespanha de cores mu lindas.
Superiores laas de cores malisadas.
Grande e variado sortimento de percales de cores para vestidos.
Dito de chitas francezas muito finas escuras, claras e matisadas.
Lindas catilinctas para vestido, gostos inteiramente novos. ..__.
Superiores cortes de cambraia braneos bordados e eutras multas fazendas de bom gosto para vestido ue aennora
Para hombros de senhoras.
Superiores capas pretas a 204, 234: 305, 405 c 505.
Santiembarques de cambraia ricamente enfeitados.
Ditos de cachemira de cores e braneos enfeitados com muito gosto.
Lindas capas de caximira do cores as mais modernas que tem vindo a esta praca.
Superiores zuavos de cambraia e de seda preta.
Lindos postilhocs de merino de cores.
Grande e variado sortimento de camisinhas bordadas
dem do chales de merino lisos de barra eslampadas de quadros e de crep a 44aOO, 55, 65, 75,85, 94 e 100.
Para cabera de senliora.
Superiores chapelinas de palha de Italia. _
Lindos chapos de palha de Italia enfeitados com muito gosto e grande vanedade para escolher a 125,15 e Ib*.
Modernos enfeites de flores rhegados no ultimo vapor francez.
Variado sortimento de enfeites denominados conservadores para cabeca.
Bordados.
Grande sortimento de entremeios bordados a 15,15200 e 15500 a
Lindas tiras bordadas largas a 25, 35 e *5 a peca.
Calcas bordadas muito linas para senhora.
| Alugam-se as lojas dos sobrados do pateo do
, Tnrco ns. 12 e 29 proprias para qualquer esta be
. lecimento por ser ein boa localidade e bem espa-
cosas : a tratar na ra da Praia n. 36.
Prccisa-sa alagar una preta de boa conduc-
ta que sai a ongominar bem e cozinhar : na ra
do Queimado n. 44, primeiro andar, pagase bem.
Na ra da Moeda n. 5, segundo andar, pre-
cisa-se de um caixeiro para escripia que seja de-
sembarcado em si:u servico, e de muito boa con-
ducta, e que d fiador da mesma.
\OVOES
DI
PARTIDASDOBRADAS
OFFERECIDAS
A ASSOCIAClO COMERCIAL BENEFICITE
DE
im:i(\niu(
POR
^/v> Terceiro escriturario da thesooraria
de fazeuda de Pcrnambuco e competentemente au-
lorisado para eiercrr e pro-
fessorato particular dearilhiueuca uamesma
provincia.
Acba-se esta obra nos prelos da typographia
CommerciaL, d'onde em breve saliir luz da pu-
blicidade em ntida inipressao e sob o formato de
8 porluguez.
Lompoe-se esta obra de um volume, dividido em
urna parte Iheorica e outra pratica, de fcil alean-; casa e sitio do Monteiro, em frente ao oilao da
ce s pessoas que se queiram dedicar ao estudo da igreja de S. Pantaleao, com bastantes commodos :
escriturado. a ""atar na thesouraria das loteras, ra do Lres-
A respectiva assignatura acha-se aberta em to- po n. 15. __________
das as livrarias desta cidade, ao preco de 5-5000
por volume._____________________________
DENTISTA DE PARS
19Raa Nova -19
Prederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as oporacoes de sua arte, e col-
loca denles artificiaes, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe recohiiecem.
Tem agua e pos dentificio.
- Antonio Jos Rodrigues de Souza alnga a sua
peca.
S^\^SSe^rSVSttW,aiB de gosto na loja das columnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Correia de Vasconcelos
Pchincha sem igual.
Xa mesma loja das columnas vende.se corles de cambraia organdys de barra de duas saias e de babados malisados com I i a 16 varas cada
corte a 5, 85,105 e 125 o corte.
G^>
ltM-w U
SEGUROS DE VIDA EM MUTUALIDADE.
A direccao do BANCO UNIAO tendo obtido do governo de S. M. F. a autorisacao para estabele-
cer o seguro de vidas em mutualidades, faz publico que desde j toma subscripcSes annuaes por urna
s vez, debaixo das seguintes condicoes :
Com nerda de capital e lucros;
Dito capital smenlo;
Dito lucros smente;
devendo a primeira liquidacao ter lugar no Io de Janeiro de 1859.
As vantagens do emprego de capitaes em mutualidade, sao obvias, porque nao smente se co-
in o juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar nenhuin resultado; mas alm
disso, este rendimento augmentado pelo capital ou lucros, ou ambas as cousas, conforme as condicoes
da subsenpeo, dos que fallecen). Tambem partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os so-
cios morosos nos mus pagamentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que
occorrerem pela falta de cumprimento do compromisso social.
As liquidacoes sao pelo svstema dascompanhias hespanholas, Tutelar e outras; e parase poder
fazer urna idea do que pode prodtizir urna entrada annual de 105, publica-se a seguinte tabella basea-
da sobre a experiencia de muitos annos de companhias desta natureza :
Acaba de chegar a esta cidade um machi-
nista j ex[>erinicntado com 20 annos de pratica,
tanto as oflicinas do Sr. Fausscth, em Liverpool,
como nos engenhos da Ilha de Cuba do Sr. conde
de Orely, e em muitos outros onde tem tido oc-
casiao de plantar a sua nvencao chamadacarre-
telpara transferencia do bagaco da canna so-
mente com o motor que a faz moer sem outra
despeza mais que a compra do mesmo carretel,
poupando-se assim o servico de 20 escravos.
Persuadindo-se o referido machinista que a ma-
china de sua nvencao que a tantos annos tem
produzido os melhores resultados seria tambem
proveitosa nesta provincia, vem oflereccr seu
presumo a qualquer pessoa que della queira usar
tanto nesta cidade como no interior da provincia,
alni Para scmeman,e fim podem-se dirigir ra da
Imperatriz n. 52, aonde o mesmo machinista
enipregado em concertar machinas de costuras,
espingardas, bombas e tudo que pertence a sua
arte.
Em o annos Em 10 annos Em J.'i annos Em 20 anuos Em M annos
Precisa-se de urna
Aguas-Verdes n. 10.
ama : "na ra das
Por um
Por urna
menino de 1 dia a 1 anno 1105 1005 .9005 2:0005
de 1 anno a 2 > 905 3005 7305 1:7005
de 2 i a 3 > 865 2905 7205 1:6005
de 3 > a 4 > 865 2805 7105 1:5605
de 4 > a 15 > 865 2705 7005 1:5505
pessoa de 15 > 20 865 2705 7005 1:5405
de 20 > a 30 865 2705 7105 1.5605
de 30 > a 40 > 865 270-5 7205 1:6000
> de 40 a 50 > 905 3005 7505 1:8005
Contina a naver pao de sentcio novo nos das
i'nnx 1liarlas e sabbados de cada semana, na padaria
i'nri em ^ant0 ^maro ae Pe da fundicao, na ra da Im-
QOft peratriz n. 22, e ra do Brum, confronte o chafa-
''vrSi riz n- 47> rua das Cruzes> deposito n. 39, na Pas-
irux saSem> taberna da esquina do Sr. Bento, que vira
fnfl para o Remedio, e no armazem progresso, largo
_:*J_J{ daPenhan. 10.
J:7UU4
5:0005
Continua venda o n. 2 do RAIO, nos luga-
res do costume.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da
rua do Crespo n. 23 : a tratar na loja.__________
Furtaram do engenho Tinoco em Serinhacm,
no dia de dezembro, um cavallo rugo pombo,
pequeo, com urna malha vermelha no lado es-
querdo do Descoco, o casco do p esquerdo branco,
anda bem baixo e inteiro : quem o apprehender
ou der noticias delle no mesmo engenho Tinoco,
ou na estrada nova do Cachang, no sitio de Tho-
maz Cavalcanti da Silveira Lins, ser generosa-
mente recompensado.
Aluga-se um sitio no lugar do Caminho No-
vo, rua da Esperanca, quem vai para o Manguinhn,
tendo boa casa e muito fresca, com 6 quartos e 4
salas no andar terreo, 3 salas no salo. o qual tem
II janellas, e por isso torna-se muito fresco, casa 1
para banhos, duas grandes cacimbas com agua de
beber, casa para criados, estribara, e o sitio todo
murado e com larangeiras de umbigo, frurta-po e
jaqueiras : a tratar na rua do Destino n. 16.
Antonio Jos Rodrigues de Souza, na rua do |
' Crespo n. 15, precisa alugar um moleque para o,
; servico e casa de familia, e que saiba bolear car-
' ro, sendo de bons costumes.
COMPRAS.
Compram-se Diarios : na
Rosario n. 1, taberna do Pocas.
rua estreita do
Na rua da Gloria n. 89, compra-se urna me-
sa de jantar elstica em bom uso at a quantia
de 705-________________________________
Compra se urna escrava de meia idade que
saiba bem cozinhar : na rua do Crespo n. 18, no
segundo andar.___________________________
Compram-se tres casas terreas ainda novas,
com commodos para familia grande, em chaos
- O administrador da casa de banhos do pateo proprios, na Boa-Vista : os pretenderles dirijara-
irmorotra s nessoas me nossuem ant.cos se rua da Cade,a n al> aazem do agente Eu-
i/fi
As entradas por urna s vez dao resultados muito superiores s annuaes.
Porto. 10 de agosto de 1863.Os directores do Banco Uniao, Jos da Silva Machado.F. M. van
Xiepoort.
Agentes em Pernamhuco : Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, rua ua Cruz n. 1.
Ha-pEK
Msicas para piano e canto de todas as forcas, e
Jsc baralissimo.
melhodos dos melhores autores, e vende-
EXCELLENTISSIMAS SENHORAS,
Aproveilcm as peiliiuchns da loja rua do Crespo n. 17

DE
JOS GOMES VILLAR.
Para apurar dinhriro csl vendendo baralissimo,
Aproveiteiu (odos.
Recebeu de New-York 2,000 baloes de 20 arcos e vende a 25500 cada um.
I xtraordinariii pechhu lia, sem igual.
Lilas de cures, de quadros a 280 e 400 rs. o covado.
Cas-as de cores a 200, 240, 280, 320 o covado I I I
Chitas francezas muito boas a 321) e 360 rs. o covado.
Madapoloes, pecas de 20 varas a 75, 85, 95, 105. 115 e 125 a peca.
Cambraias lisas', pecas de 8 l|2 varas a 25500, 45,55, 65, 75, 85 a peca.
Capas prelas, manteletes pretos bardados a 205 e 325 rs. t
Sotambarques pretos de 255 a 305 rs.
Capas de casemira de cures a 255 e 305 rs.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
| rado para o exercicio de sua profis-
sio medica, o com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias
2o i
3o i
de olhos;
de peito:
dos orgaos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d si
Gas 10da manha, menos nos de-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
"^ do Carmo roga s ptissoas que possuem antigos
candes, hajam de ir trocar por novos at o da 31
deste mez; licando inutilisados se o nao lizerem.
Ao d. 29.
Nova loja dos baraleiros na rua do Queiniado.
Velludo de cores fazenda muito boa o covado
35000, baldes de panno 35200, ditos de arcos
35000, 45OOO e 55OOO, laas de duas larguras
para vestido o covado 500 rs., chitas francezas o
covado 360 rs., metim branco para forro de
vestido o covado 120 rs., tarlatanas de todas as
cures a vara 720 rs.
Ao n. 29.
Nova loja dos barate iros na roa do Qurimado.
Cassa lisa pelle de ovo a peca 75500, cambraia
lisa muito fina a pera de 17 varas 105, cain-
braieta peca de 12 jardas 75000, cambraia adamas-
cada para cortinado a peca de 22 varas 105000,
mcias finas para senhoras' a duzia 45000, chales
de laa ponta redonda 325500.
Ao n. 29.
Nova loja dos baraleiros na rua do Queimado.
Bicos pretos de linho a vara 120, 160, 240, 320
rs., franjas de seda a vara 80 e 160 rs., galoes
de seda de algodo e de laa para enfeites de vesti-
do a pega de 10 e 15 varas a 400, botoes de seda
de velludo e de fustao duzias 120.
Esta para alugar o terceiro andar da traves-
sa do Queimado n. 1, muito fresco e com excel-
lente vista; a tratar com Joo Manoel da Cunha
Aranjo no cstabelecimento por baixo.________
- Precisase de um copeiro : na rua do Trap'"
che Novo n. 22.
zebio.
Comprase urna escrava que tenha habili-
; dades e de boa conducta : na rua da Cadeia n. 35.
Compra-se urna mulatinhade 12 14 annos,
sendo sadia e de ltons costumes: na rua do Cres-
po, loja n. 15.____________________________
Compra-se cITectivamcnte euro e prata em
obras velhas: na praca da Independencia n. 22
loa de bilhetes.
Sapaios para senliora a 240 rs., sapates de cou-
ro de lustre francezes a 35, borzeguins para ho-
mem a 25500, ditos francezes a 45, sapatos de ta-
pete para senhora a 640, para hornera a 800 rs.,
sapatos de marroquiui com salto obra de 35 a
15300, sapatos de lustre para senhora a 000 rs. :
na rua dos Quartcis n. 22, junto a loja de funi-
leiro.________________
CULUELLSItOl
Vendem-se barrls con cal lc-
:i procedencia, em pedra, chega-
da hoje, e 11 nica nova, que ha no
mercado, na rua do Trapiche n.
13, armazem de Manoel Telxel-
ra Basto.
Meias do Porto.
Vendem-se na loja de ferragens da rua da Ca-
deia Velha n. 44, meias de linho e igualmente de
algodo, por preco muito com modo.___________
FARINHA FONTANA.
Farinha ria muito acreJita a marca
Fontana << esembarcaria hoje, vende-se
por preco mais com modo do que em
qualquer outra parte : na rua da Cruz
11. A rasa de \. 0. Bieber & C. succes-
sores.___________________________
Condona a vender-se
a guia do processo criminal, obra indispensave,
aos delegados, subdelegados, juizes municipacs
supplentes, etc., para a formadlo dos processo
criminaes e diligencias policiaes; na qual o autor
trata de capitular as differentes disposicocs do c-
digo do processo criminal, lei de 3 de dezembr
de 1841 e regulamcntos respectivos, de modo que
torna fcil o conhecimento dessas uiesmas dispo-
si^oes s mencionadas autoridades; escripia pe
Dr. Vicente Ferreira Gomes, juiz de direilo, etc.,
1 volume em oitavo encadernado 25 : na rua do-
Imperador n. 73.__________________________
TABOADO
Vende-se taboado de peroba e canella de muito
boa qualidade c por preco commodo : a tratar no
Forte do Mattos trapiche do Cunha.
YENDAS.
Outras fazendas de multo
PROTEJAM TODOS
rOStO.
Corles de caailiraias bordadas ; cortes de vestidos de blondo para noivas, com capella el
ranla. Chapeos Mara Pia a 125 cada um Meias para senhora a 45, 55, 105 e 125 |
rs. a duzia. Bramante de linho, de 10 palmos, a 25 a vara. Bramantes belgas a 35 a vara ;
esgoiSes de linbo Unissimo ; bombazinas pretas para luto ; merinos pretos ete. etc. ; da-
mascos de laa de 8 palmos de largura, proprios para colchas e para cortinas de salas.
omampopqUM ounssiiuei.iodiui osso t '"sbjs snmxa 'onSoojnjj
OJjaqUip B 'SBIIJISSIlBJl'q SBpUOZCJ
-t:u.K|i|i: > i:ton p st:i|.nii|o.xl se iuo|.*o.id\
souiaoMvmsa a soMV3iaiv[v\[Had-s:)
Aluga-se a casa da rua da Concordia n. G9
A, com 2, salas, 3 quartos o um solio, qoiottl e
cacimba ; nina diu na travessa do Monteiro n. 4,
cora 2 salas, 3 quartos, quintal e cacimba : quem
as pretender alugar, dirija-se rua da Praia nu-
mero 24.
Precisa-sede urna ama escrava que se- i
ja boa engommadeira se preste a ludo o *^
tarrifo de urna casa de, familia, excepto ~
o de cosinba : na rua estreita do Rosario
^ n. 31, terceiro andar.
fiah.nete medieo cirurgico rua
Flores n. 37.
O Dr. Estevo Cavalcanti de Albuquerque d
consultas medico cirurpeas em seu gabinete das
8 s 11 horas da manhaa e das 11 at s 3 horas
da tarde, os chamados devero ser por escripto e
desaa hora em diante dever ser procurado na ca-
sa de sua residencia no Chora-Menino.
1." Partos.
2 Molestias de pelle.
3." dem dos olhos.
4." dem dos orgos genitaes.
Praticar toda e qualquer operaco em seu ga-
binete ou em easa dos doentes conforme Ihes fr
mais conveniente.
Que bella pchincha.
Al que chegou recentemente a taberna da tra-
vessa do Queimado n. 1, nos fundos do Preguica
a muito desejada carne do serian a :t20 rs. a libra,
saccas grandes com arroz de casca a 45600; s
barato.
M
r*
Mudanca de estabeleci-
meiito.
Flix Venancio de Cantalice avisa aos seus nu-
merosos freguezes d'aqui da provincia como de to-
ra, que mudou seu cstabelecimento de alfaiate da
rua do Imperador, para a rua .Nova n. 19, no qual
est sempre prompto para cumprir com qualquer
encomenda tendente a sua arte.
No sitio n. 8 junto ao Hospital Porluguez,
compra-se um negro de boa conducta, e que en-
lenda bem de plantacao : quem o tiver e quizer
vender, leve-o ao mesmo sitio, que achara com
quem tratar.
Precisa-se de urna criada que saiba engom-
mar : na rua do Imperador n. 17, segando andar.
Aluga-se urna easa no Manguinho, no entrar
para os Afllictos, priurra casa a esquerda, com 6
quartos, cozmha e cacimba com boa agua de be-
ber, alguns arvoredosde ruelos : a tratar defron-
te da igreja deS. Josa do Manguinho, portao ao p
Ja taberna.
TINTURARA.
Tinge-se com perfeicao para qualquer
cor, e o mais barato possivel: na rua do
Rangel n. 38, segundo andar.
Aluga-se barato o segundo andar do so-
brado n. 44 em a'rua da Aurora, que lti-
mamente fra concertado e pintado de no-
vo : quem o pretender dirija-se loja de
Bastos & Bego, na rua Nova, que achara
com quem tratar.
tm O r. Sarniento Filho, medico operador
S do hospital Pedro II, para raaior com-
jp! modidade das pessoas que o honram com
H a sua conflanca, participa que ser en-
^H contrado todos os dias no referido hos-
j< pita I das 7 s 10 da manhaa e dessa hora
g| era vante na rua do Queimado n. 44, se-
, gundo andar, onde ha estabelecido o seu
jgfi consultorio, ou em casa de seu paiCam-
S po das Princezas.D consultas gratuitas *5
^ todos os dias no dito hospital, onde pra- ^R
'> tia toda e qualquer operavao de que os ~-j
^ pobres precism para o su restabeleci- B
^ ment. Incnmbe-se especialmente da H
^.< curadasmoltsliasdo dominio da med- 0Q
cia operatoria, que se ha dedicado, j*
das affeccoes do ulero e da uretra. 2R
Ausentou-se no dia 13 do corrente mez, o es-
cravo Luiz, de estatura baixa, e j de idade, levou
vestido camisa de bata asul, ralea branca, chapeo
de palha pintado; roga-se a todas as autoridades
1 policiaes o capilaes de campo a captura do-mesrao,
podendo o levar a qualjuer hora em Santo Amaro
a seu senhor Manoel Custodio Peixoto Soares, ou
na praea do Corpo Santo.
O Dr. Antonio Vicente do Nascimento Feito-
sa, tendo de retirar-se para a corte do Bio de Ja-
neiro, a lira de tomar assento na cmara tempora-
ria, cerno deputado assembla gcral por esla pro-
vincia, avisa ao respeitavel publico, e cem especia-
lidade aos seus constituintes desta c de outras pro
vincias, que o seu escriptorio na rua estreita de
Bosario n. 23 contina sob a direccao de seu com-
panheiro e collega o Sr. Dr. Jnaquim Jos de Mi-
randa. Os solidos estudos do Sr. Dr. Miranda em
jurisprudencia, a pratica que possue dos negocies
forenses, o conhecimenlo que tem das causas do
escriptorio, onde trabalha ha cito annos, e o carac-'
ter probo que o distingue, sao garantas sufflcien-
tes de que na ausencia do Dr. Feitosa os negocios
forenses a seu cargo, e os que occorrerem de novo,
prosegu rao com a mais per fei la regularidade.
O Dr. Feitosa avisa, outro sim, ao respeitavel
publico, que as pessoas que quizerein ouvir suas
opinides, podero remetter-lhe para a corte suas
consullas por intermedio do mesmo Sr. Dr. Miran-
Agencia de passaporte.
Clandino do Reg Lima, despachante de passa-
porte, tira-os para dentro e fra do imperio por
commodo preco, e com presteza : na rua da Praia
n. 47, segundo andar.
AMA.
na rua
Prccisa-se de urna ama para cozinhar
larga do Bosario n. 12, segundo andar.
A ma.
Precsa-se de urna ama para urna casa de pouca
familia : na praca do Corpo Santo n. 17.
Madame Buessard Millocheau tendo recebi-
do de Paris urna encoinmenda especial para a fes-
ta, previne aos seus numerosos freguezes que aca-
ba de receber riquissimos chapeos de palha, lin-
das camisinhas com golas e manguitos, lilas largas
para sinto, bonitas llores para cabeca e vestidos,
lindas grvalas para senhora, larlalana branca e
de varias cores, muito rica musselina e fil de
grande largura, bicos de lodas as qualidades, sa-
palinhos de crianca para baptisado, ricos bouquets,
um grande sortimento de galoes e titas para ves-
tidos, espartilhos para senhora c menina, enifim
um variado sortimento de varios objectos de toi-
lette._______________________
Tranca* de laa prelas e de cores.
Sendo lisa a 80 rs. a peca, e de caracol a 100 rs.
a peca : na loja de miudzas da rua do Queimado
n. 16.
linas de Joavia
brancas e de cores para homem e para senhora a
15500 o par : na loja de miudzas da rua do Quei-
mado n. 16.
Aluga-se um bom sitio na estrada do Hospi-
tal Porluguez, com urna boa casa de vivenda, con-
tendo os seguintes commodos : 4 quartos, 2 salas,
cozinha e despensa a parte, senzala, estribara, co-
chera, cacimba com sua respectiva bomba e tan-
ques : quem pretender, dirija-se ao sitio n. 1 na
dita estrada, a tratar com o seu proprictario.
No escriptorio de Hallar & Oliveira existe
urna carta vinda do Bio Grande do Sul para a
lilil- Si- D. Claudia Dias Gama, cujo annuncio
faz-se por Ignorar-se sua morada.
Aluga-se urna casa nova e pintada, propria
para passar a fesla por ser perto da praca, na pri-
meira entrada para a Capunga, antes de chegar a
S. Jos do Manguinho : a tratar ao p da mesma.
Precisa-sede um menino de 12 a 14 anuos :
na taberna da rua larga do Rosario n. 3
-- Aluga-se
As senhoras.
Bicos cortes de laa de lindas cores c os mais
modernos ( Maria Pia) acabam de chegar a este
mercado pelo ultimo paquete da Europa, e vnde-
se em porcao e a retalho por preco muito e muito
barato: na ruado Crespo,loja que faz esquina para
rua das Cruzcs n. 20.
Escravos bous
Tres escravas, sendo urna mucamba rccolbida
de idade 18 annos, com boas habilidades, 1 escra-
vo para todo o servico por 6o05, 1 dilo bom cria-
do e cozinheiro : "na travessa do Carmo n. 1.
ptima acqulsi^o de es-
tabelccl ment.
Vende-se a loja de ferragens da rua da Cadeia
do Recife n. 64, com pequeo fundo e ainda bem
sorlida, tanto de ferragens como de miudzas, as
quaes esto em bom estado, vende-se s com as
mercadorias, e garante-se o arrendamento da casa;
propria para algum principiante, nao s por ter
pouco fundo como por estar j afreguezada e ser
una das lojas mais bem localisadas desta cidade :
os pretendentes podem dirigir-se mesma loja,
nao s para examinaren) o bal ingo como o oslado
das mercadorias.
%o na taberna do iPimcnta.
rua do Amorim n. 36
Nozes, libra 200 rs.
Queijos de prato, lihra 700 rs.
rolllIU>(lo O Ditos flamengos do paquete 25700
[101 [lieci tomill'UU O A|c,rajl)iaparr3oe talh.irim 400 rs.
sitio dos 4 let-s na Soledade, com lioa
casa de sobrado, cocheira, estribara e
lauque para hanlioe ctccllcnte agua:
tratar no mesmo sit-o das horas s
7 da neile.
Joao Baptisla Goncalves Bastos e Joo Ber-
nardo da Costa Bego Monteiro, outr'ora estable-
cidos com loja de fazendas na rua Nova n. 47, sob
a firma de Bastos & Reg, fazein-se publico e com
especialidade ao respeitavel corpo do commercio,
que tendo expirado o seu contrato social no dia 3
do corrente dissolveram araigavelmcnie a socieda-
de, Picando todo o activo e passivo cargo do so-
rio Bastos e do Sr. Antonio Lcite de Magalhaes
Bastos, conforme o contrato que nesta dala eele-
brarain. Recife 16 de dezembro de 1863.
Jos Azevedo de Andradc faz
sci< ule ao coi po do rommercio desta
pr transferio seu csl IccmiiciiIo de fa-
zendas silo rua do Crespo loja n. 20
A para a de n. 18 da mesma rua.
Naques sobre Portugal.
Oabaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta cidade, saca ef-
feetivaniente por todos os paquetes sobre
e mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer sonima, vista e a prazo, po-
dendo logo os saques a prazo seren des-
contados no mesmo banco, na razan de 4
por centoao anno aos portadores que as-
sim lhe convicr : as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
Vinagre do Lisboa puro a 200 rs. a garrafa.
Vinho Figueira puro 480 a garrafa. _
Tranca
Tranca
Tranca
Tranca
Tranca
Trafica
Tranca
Tranca
de laa prela lisa a 80 rs. a peeinha, s na loja de
miudzas da rua do Queimado n. 16, depressa an-
tes que se acabe.
Soutembarques de cores e pre-
tos na loja do Pavo.
Acaba de chegar os mais ricos soutembarques
de grosdenaple preto muito bem enfeitados o di-
tos do um lecido de seda de cores sendo os mais
modernos que exislem no mercado c vende-se por
preco commodo : na loja do Pavao rua da Impe-
ratriz n. (W de Gama & Silva.
AS capas lo Pavo.
Vendem-se as mais modernas capas pretas para
senhora sendo ricamente enfeiladas e vende-se
por preqo razoavel na loja do Ravao rua da Impe-
ratriz n. 60 de Gama & Silva.
Na rua do Queimado n. 43, esquina que
volla para a f.ongrcgaco.
i:" pchincha.
Paletots de casemira a 5, 6, 7, 8,12 e 145, ditos
de panno preto e azul a 9. 10, 12, 16 e 185, ditos
sobrecasacos de panno rauito fino por 245 e 285,
ditos de alpaca preta e de cordao a 4, 5, 6 e 75,
calcas de casemiras de cores a 5, 6, 7 e 85, ditas
pretas a 65500, .8, 9 e 105, paletots de fustao e
ganga a 25, 25800,3 e 45, calcas e colletes de to-
das as qualidades e por preco muilo barato, len-
ces do puro linbo a prego de 25800 e 35, cobcr-
las de chita a 25240, collarinhos de linho puro a
600 rs. cada um, e outros muitos objectos que s
vista ; e para isso se pede a altencjo dos fre-
guezes.
Tranca preta Vende-se tranca preta de laa, lisa, para enfeites
de vestidos, zuavos e roupas de meninos a 120 e
160 rs. a peca : s quem tem o beija-flor na rua
do Queimado n. 63.________________________
12 de bom fabricante
Loureneo Pereira Mendes Guimaraes vende bo-
linas francezas para homens, a dinheiro vista.
! por proco que admira vista da perfeicao da obra :
I na sua loja de fazendas e roupas teilas: na rua
; da Imperatriz n. .">(>._______________________
Minios ravlata
A loja da aurora na rua larga do Rosario n. 38,
recebeu ricos sinlos traviala, bordados, os de
melhor goslo que chegado a este mercado, grava
tinlias com lago e puntas bordadas para senhora,
enfeites Maria Pia, tambem de muito bom goslo,
boas lavas de Jouvin brancas muilo frescas para
homoin c senhora, tudo islo se vende barato : quem
duvidar venha ver.
Vende-se urna machina de pautar e riscar
papel, ue pauta do 10 20 resmas por dia : na
rua do Imperador n. 29, loja.
Vende-se um cabriolet em perfeito estado :
quera pretender, dirija-se rua da Ruda, cocheira
que foi do Sr. Paulino, que achara cora quem
tratar.________________________________
Panno de algodo teca-
do de Minas, fazenda larga e
encorpada, apropriada para o
servico da lavonra, qner para
reiipa de escravos, quer para
saceos de assucar : grande
deposito no largo do Corpo
Santo n. 17, escriptorio de
Augusto F. de Oliveira.
A rmai'o.
Vende-se urna rica armaco envidracada, com
todas as commodidafes, propria para qualquer cs-
tabelecimento : na rua Xova n. 36.
Moriedade de seguros mutuos
de vida Installada pelo Banco
l'uio na cidade do Porto.
Os agentes nesla cidade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo &_ C,, escriptorio na rua'
da Cruz do Recife 1, esto autorizados desde j
todos os esclarec-'
Vende-se urna rica c cieeltenta
armaco de amarello envernisaria de
forma circular propria para qualquer
eslaueleciraent: para ver e tratar na
rua da Prah n. 14.
Vende-se urna escrava perfeila cosinheira e
engommadeira : na rua do Cabug n. 3, primeiro
andar.
Xa rua do Vigario armazem n. 7, ha para ven-
der os seguintes artigos :
Panno de algodo da Rahia.
Vinagre do Porto.
Vinho especial do Collares, em ancoretas.
Dilo dito do Porto em caixas de 1 e 2 duzias, o
to %i topeto r^viadlpelo %X&3 ^l^et-' ^tniSl^Z'X ancoretas.
primeiro vapor que d'alli partir depois do recebi- meJ" qu,V,Z^r tt .s .^ 1 Ph^t,qL, Pregos caibraes.
nenio da consulia; assim como alli se encarrega- "^J0^^^.^*^^^ Pomada de sebo,
r da direccao de revistas ou de quaesquer neg- **> *anndo "m futuro '"-onge.ro aos agudos. Linha de rorI
cios forenses. i Na rua da Moeda n. 5, segundo andar, preci- Diversas qualidades de vidros proprios para bo-
0 mesmo Sr. Dr. Miranda fica munido de pro- sa-se de urna ama para tomar conu da direccao de! tica,
curacao bstente para tratar de qualquer negocio urna casa, mas que saiba cozinhar, engommar, co- Sabao nacional do Rio de Janeiro
que diga respelto ao Dr. Feitosa, quer particular ser com perfeito, e que seja perfeila em todo o Velas stearinas.
quer rense.
seu servico, dando fiador a sua conducta.
Farinha de mandioca de S. Matheus.
!:" baratisslmo.
Francisco Pinto da Costa Lima com
estabelecimento de alfaiate na rua larga
do Rosario n. 38, primeiro andar, vende
pannos muilo linos a 44 e 44500 rs. o
covado, fazenda que pela sua superior
qualidade val 94 c 104 o covado. As
pessoas que aproveilando a pchincha,
compraren) das ditos pannos podem que-
rendo mandar fazer as obras no esiabe-
le, ment do annunciante, pois sero fri-
tas com presteza e por mdico preco,
tanto sobrecasacas e paletots, como ja-
quetas e paletots para meninos.
- Vende-se um carro de 4 assenlos para nm
cavallo, em bom estado : a traiar com o major
Quinleiroj em seo escriptorio na ma Nova.
Vende-se sement de coenlro muito nova a
240 a garrafa, oles de ricino a 460 a libra no
Iargo du Carmo, esquina da ma do lionas n. I.
%'ozes e batatas.
Vendem-se saceos com oito libras de nozes pelo
barato prego de 14600, ecaixas com urna arroba
de batatas por 800 rs., nada mais barato vista da
boa qualidade: na rua da Madre de Dos ns. 5 e9.
Kua da Senzalla .tova u. Ai.
Neste estabelecimento venrlem-se: tachas de
ierro coado libra a 110 rs., derade Lew
tfoor libra a 120 rs.
*

i



Diario de Perntuulmco --- Sabbado i de Dezeinbro de 1S63.


CALCADO
Ra Dirata'
45
Grande liquida;; de lazedlas al a
festa, para se lindar coalas, auro ci-
vcilcia quefastasperhinchasna ha"4o
sempre : na na da Imperatriz, toja! .tprovelteni cm quanto e tempo!
e armazciu d Arara ll. 56, de Lou- Borzeguias francezes de lustre pa-
renca Perrira Heniles Guiniares. ra hornera................. 50000
Cobertores 4a Arara #. Borzeguins francezes de cores pa-
Yende-se cobertores de pellos a 10 e 10600,! ra meninas................ 20000
roberas de chita a 20 ; na ra da Imperatrn n. Borzeguins francezes pretos para
36, loja da Mendes Guimaraes. meninas.................. 2,5500
* Sapatos de lustre para senhora.. 1,9000
Sapatos de lustre s avessas..... 500
lliegadu pelo vapor:
H parao vigilante, na do Cres-
po u. 7.
At qac chegaram as muito desejadas cascarri-
Ihas de todas as cores com urna litinha de velludo
no centro, cousa muito elegante para enfeite, assira
comodeoutras qualidades, o* preces muilo razoa-
veis : s no vigilante, ra do Crespo, n. 7.
Para dar de nio.
Chegaram as riquissimas bonecas de todos os
rs, tamanhos, vostidinbos ricamentf entenados, cada
nos al$200.
Vende-se aziimas de una s cor c nuadrinhos
proprios para eapas, com 8 pannos de largura a
1,200 o covado, ditas liara vestido a 80, 320 e
400 rs. o covado : na ra da Impe atriz, loja da
Arara n. 56, de Mendes Guiniares,
lirlin da Arara a 400 rls o
covado.
Vendc-sc brim pardo de linho com pequeo to-
que de mofo, que depois de molhado larga, proprio
para caigas e palitots, a 400 rs. rs. o covado -,
brim branco de linho a i e 1,5200 a vara, fuslao
de cores para calcas, coleles e palitots a 500
o covado : na ra da Imperatriz, loja da Arara n. Um em sua caixinha, propriameule para utn deli
56, de Mendes Guimaraes. cado mimo, por baratissimo prego : s no vigilan-
IJtazinlia Mara Pa da Arara.' te, ra do Crespo n. 7.
Vende-se laazinhas a Maria l'ia muilo finas, eomj Para os senhores hachareis,
quadros e palmas de seda, para vestidos a 560 o Chegou tempo a riquissima fita de chamalote
covado, sedinhas finas a 500 rs. o covado ; na ra para carias dos senhores hachareis, assim como
da Imperatriz n. 56 branca, lisa, propria para abrir letras, ou para
.4 ArM Vende as eapaS a 8,000 rs. j *nlos : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Vende-se ricas capas para senhora a 85, chales Penlea de narrar*.
de merino estampado a 2,5500, ditos finos matisa-! Tambera chegaram os riquissimos pentes de
dos de novo gqslo a 55, dito te ponta redonda e marrafa com pedrinhas,os lindos pentes de regaco
borlota a 7*500 : na ra da Imperatriz n. 56, para meninas, meias de seda e sapatinhos proprios
loja da Arara de Mendes Guimaraes. para baptfsados, meias do seda para senhora, fitas
Oh que pechinclia, liaziiihas a 280 rs. ] de laa para debrum, fita de linho, trancas de laa,
Vende-se laazinhas finas para vestidos a 280 dlmho e de seda, luyas de seda e pellica, e fio de
e .120 rs. o covado, lencos brancos com barras de Escocia e camurea, alfinetes de caneca chata, car-
cores a 200 rs., meias finas para senhora a 400 e emuhas com todas as agulhas precisas para cos-
500 rs., ditas cruas a 400 rs., ditas para homem a I lura> .yelas e madreperola esmaltadas de ac
160e 200 rs.; na ra da Imperatriz n. 56, luja da l)ara *& ores de todasas qualidades, camnhas
Arara.
A Arara vente as cassas a 200 rs. o covado.
Vende-se cassas de nuadrinhos a 200 rs, o cova-
do, ditas finas a 250 e 280 o covado, organdys finos
a 240 e 280 o covado : na ra da Imperatriz n.
56, loja da Arara.
IVehinrba, sedinhas da Arara a 800 rs. o covado.
Vende-se sedinhas com quadros e lisas, escuras,
proprias para quem est de luto, por ter una s
cor a 800 rs. o covado, ditas da mesma qualidade
de cores para vestidos a 800 rs. e ditas de listi-
nhas a 500 rs. o covado: na ra da Imperatriz n.
56, loja da Arara de Mendes Guimaraes.
Pechiucha na Arara, cortes de chita a 20300.
Vende-se cortes de chita franceza com pequeno
toque de mofo a 25500, cortes de riscado francez
com 14 covados a 35, cortes de cassas francezas
pintadas a 25 o corle, ditos de barras a 25. 35 c
45 : na na da Imperatriz n. 56, loja da Arara de
Mendos Guimaraes.
('.asentirs a 15600 o covado.
Vende-se casemiras de cores para calcas, cole-
tes e paletots, infestada, a 15600 o covado, cortes
de casemira infestada a 15600 e 25, e em covado a
15 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara de
Mendes Guimaraes.
FAZENDAS BARATAS
9HIJA 1MI QUEIMDO--3*
Custodio, Carvalho & C.
Finas fimbralas organdys indianas pelo baratissimo preco de 300 rs. o covado ou
500 rs. a vara.
Grande sortlmento
dos mais tino baldes de arcos para senhora e pelo barato preco de 35 cada uiu, ditos de roa-
dapolo para meninas a 25500.
Xovldade
Os mais lindos e mais finos e modernos cortes de laa com ricas barras, tendo cada corte
20 covados c pelo baratissimo preco de 200.
Fil de linho vara a 500 rs.
Modernas laazinhas para vestido o covado a 440 rs.
com pastilhas de perfumara, abafadores de laa
para senhora, toucas e sapatinhos de laa, pulseiri-
nhas de borracha para segurar manguintos, litas e
cordes de borracha, sabonetes redondos, ditos
chamados de familia, pomadas de todas as quah-
dades e dos fabricantes mais afamadas, clcheles
praliados muilo finos, retroz de todasas qualidades,
retroz em carretel e em novello, e de meada, de
todas as cores, escovas para dentes, ditas para rou-
pa, ditas para chapeo e ditas para unha, de todos
os precos, c outros mais ohjectos, que se tornara ,
enfadonho annunciar, e vista dos freguezes pro-
mette-se fazer todo o negocio: s no vigilante, ra
do Cespo n. 7.
Ira chapeo por 400 rs
So no Vigilante
Custodio Jos Alves Guimaraes, tendo arremata-
do urna grande porco de chapos de sol para me-
ninas, e quereudo que seus freguezes parlilhe de
tal pechincha, est os dando pela diminuta quanlia
de 400 rs.: quem deixar de comprar mesmo pa-
ra as senhuras irem ao banho roberas do sol.
S no \ iyilaule, ra do Crespo n, 7.
I, i n lia..
Tambera arrematou urna grande porcao de linha
preta muilo forte em massos de libra, que se ven-
de pelo baratissimo prego de 800 rs. cada um : s
Rt.V DO QUINADO Y 11.
Leja de fazeada de Angosto Frederico dos Sauts Porto.
ESTEIRAS PARA SALAS.
A este estabeleeiment chegou um ptimo sorlimento de esleirs para sala, sendo de diversas lar-
guras at 6 palmos e da mais superior qualidade .que se vendem por presos mais mdicos que era
outra qnalquer parte.
SOUTEMBARQUES.
Os mais superiores souterabarques de casemira de cores ricamente enfeitados acabara de chegar a
este estabelecimento.
ENFE1TES PARA BAILE de lindos goslos.
LUYAS DE PELLICA DE JOVIN para homens e senhoras.
HAI'OS DE PALHA DA ITALIA para senhoras, enfeitades com flnissimas flores a 145 e 165-
CHAPOS DE PALHA para meninas, enfeitados ricamente a 75.
CAMISAS INGLEZAS para homem, colarinhos, peitos e punhos, de linho, a 425000 a duzia.
CAPAS DE SEDA PRETA para senhoras, bordadas e enfeitadas de 225 a 505000.
ZUAVOS de seda pretos para senhoras, enfeitados com o melhor gostoa 205.
CHAPEOS DE PALHA para homem a 35500.
CAMISINHAS COM MANGUITOS E GRAVATA para senhoras, bordadas com muilo gosto.
ATOALHADO DE LINHO para mesa fazenda superior.
Finos chapeos pretos do seda, chales de diversas qualidades, grosdenaple preto e de cores, pannos
pretos finos, casemiras pretas e de cores, brim branco e pardo, linas lasinhas para vestidos e outras
muitas fazendas que se vendem por commodos precos. A mesma loja chegaram os
Reos cortes de la de barra matlsada.
ARMAZEM DE MOLHADOS
0.
A Arara vende ronnt feita e liaiata.
Vende-se palitots de casemira a 45500, 65 e i o Vigilante, ra do Cres_po n. 7.
85, caigas do 35500 a 55, palitots de panno a 105,! Botoes.
ditos finos de 125 e 145, palitots de brim de cor i Lindissimos botoes para punhos tanto para ho-
a 25500 e 35, ditos de meia casemira a 35500, mem como para senhoras, pelo barato preco de
calcas de brim de cores a 25 e 25500, ditas bran-1 240 rs. o par : s no Vigilante, ra do Crespo,
cas'dc linho a 35500 e 45, ditas de meia casemira, n. 7.
a 2-3, coletes a 25500 e 35. camisas francezas a
15600, ditas linas a 25 e 25500, ditas de linho
prega larga a 35. seroulas finas a 15600, ditas de
linho a 25 e 25500 : na ra da Imperatriz n. 56,
loja da Arara de Mendes & Guimaraes.
Baldes da Arara a 30, 30500 e 10.
Vende-se baldes americanos, os melhores que
tem vmdo, de 20, 30, 35, 40 arcos a 35, 35500,
15 e 45500, ditos de brilhautina a 4:3, ditos de
madapolo a 35600 : na ra da Imperatriz n. 56,
loja da Arara.
Chitas da Arara a 210 rs.
Vende-se chitas a 240 rs. o covado, ditas fran-
cezas com pequeno loque de mofo a 280 rs., dilas
linipas a 320, 360 e 400 rs. o covado : na ra da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
\ Arara receta) pelo vapor um sorlimento de ro-
meiras para senhora, dos melhores gostos que
tem viudo, a prego de 1$, 10GOO e 2$.
Vende-se romeiras para senhoras de camliraia
de .lpicos brancos e de cores c bordados a 15,
1*000 e 25, golinhas eora botozinho a 580 rs.,
ditas cora peitos e botozinho a 15, ramizinhas
para senhora a 15,15600 c 2-5, aventaos e corpi-
nho para meninas a 300 r-s. : na ra da Impera-
triz n. S6, loja da Arara. ______ _____
0 Perfume da Moda.

ROITPA FEITA
NO
AKHAZEJI
DE
LETREXRO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
* < 13 te
j s
'SE w <
C ee H
:> a s

>-i r (9
ee w
rj z
a fe o
C3 W
lid w
-j
p=
a
Si
=5
M
* e551
T^>
s ^
M B
r. P*
fj**l.

Casacas de panno preto. 350 e 3O(J0O0 Colletes de fustSo e brim bran-
Sobrecasacas idem, 300 e 250000 j co, 30500, 30 e .
Paletos idem e de Gores, 250, Seroulas de brim de linho,
200, 450 e......10000(1' 20400 e......
130,
70,
l&HA FLGBIDA
De Kurray & Laniimn..
Para o (lia de natal.
Queijo pralo muilo fresco a 760 rs. a libra, dito
llameiigo do ultimo va|wr a 350(K), mantciga in-
gleza llor a 800 e 700 rs. e a franceza a 560 rs.,
cha uxim muito hora a 25560 e 25400, caf de
primeira sorte a 280 rs. a libra e 85500 a arroba,
banha refinada a 400 r>\, biscoitos inglezes a 15400
a lata, twlaxinha a 240 rs. a libra, vmho duque do
Porto verdaaeiro a 15500, Chamico-15000 e 700
rs., Dordeaux lino a 640 rs., Kigneira puro a 480
rs. a garrafa e a caada a 35500, Lisboa a 400 rs.
a garrafa c a caada a 25800, serveja branca e
preta a 480 rs., genehra de Hollanda e de laranja
a 480 rs. o fraseo, vinagre de Lisboa a 200 rs.,
azeite doce a 600 rs., talharim, estrellinha e alelria
e 480 rs., farinha do reino c de Maranho a 120
rs. a libra, gomma a 80 rs., arroz a 80 rs., touei-
nho novo a 280 rs., sag a 280 rs., hlalas a 60
rs., estearinas a 560 rs., composicao a 320 rs., car-
nauba a 360 rs., azeitonas aMOrs. agarrafa, mas-
sa de tmale a 640 rs., lata de doce de goiaba a
560 rs., caixo, palitos lixados a 160 rs., lijlos
para lirapar faca a 140 rs., sebolas, pimenta, alho,
eravo, coniinhos, canella, erva-dce, tudo muito
baratissimo ; no armazem da Estrella largo do Pa-
raizo n. 14.______________________________
Fita para debriiiu de vestidos.
Vende-se lita para debrum de vestido, a peca
com 11 varas a 400 rs. : na ra do Queimado, lo-
ja do heija-flor.___________________________
'uiulYinlias con manguitos a
10* so so o Pavo.
Araba de chegar para a loja do Pavo, um
grande sortimento das mais linas camisinhas de
cambraia rom manguitos e gollinhas bordadas,
que se vende a 15280: dilas de fil, tendo tat
bem manguitos c golliolas, pelo barato preco de
15000 : so na loja do Pavo, ra da Imperatriz,
n. 60, de Gama & Silva.
dintleles curtos a 3$000.
Esta
qufiei que
tro qnSo tU'liculo prfame
iuoxtiuguivel e ffio eheio de
mitnoea fragrancia o frescura corno o
delieado cheiro las pruprae verdocen-
tes flores. Durante i>.s mozca caloren-
tos temente nprazivel o desejavel em een-
aequenca da iullnencia refrigiranto o
snavo que ella produz sobre i pello:
em qnanto tpie asada no banho ella
imparte f eorpo langndo o caneado
una .certa elasticidade de vigor e lbrca.%
Ella itHftwfa tMospareiwia eu fti<;in<,
remow panno, / eobi a pelle.
0 WM OBIENUL BE KKV
PARA OS CABELLOS,
E una prepraoao admiravel para lim-
par. aformoeear, conservar e restable-
cer os cabellos.
venda as boticas de Caors & Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo & C, ra
da Madre de Dos.
Pianos novos.
Os melhores que tem vindo a esta praca fabrica-
dos de encommenda por um dos melhores fabri-
cantes de Pars, especialmente para este clima
Ditos de casemira, 20#,
120, 100 e .
M Ditos de alpaca, 55 e. .
K Ditos ditos pretos, 90,
U e........
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. .
Ditos branco de linho, 00, 50 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 100, 70 e.....
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80 e......
Ditas de cores, 90, 80 c. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50500 e.....10000
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 50, 40500 e
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores,
30500, 30 e.....
Colletes de velludo preto e de
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditas de cores 50
40 e ......
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos c seda branco,
00 e.......
Ditos de gorguro de seda
20500
20000
10400
! Ditas de algodao, 10600 e. .
70000 Camisas de peitos de linho,
30500 50, 40, 30 e.....20500
.Ditas de madapolSo, 30,
30500; 20500,206.....10600
Chapeos de massa, pretos fran-
30000 cezes, i00, 90 e. 80500
40000 Ditos de fltro, 50, 40,30500 e 20000
Ditos de sol, de. seda, 120,
50000 110, 70 e......40500
Collarinhos de linho fino, ulti-
70000 ma moda....... 640
70000 Sortimento completo de grava-
tas. 0
Toalhas para rosto, duzia, 110,
90 e.....\ 60000
Atoalhado adamascado de li-
nho vara......10280
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....40000
0 proprietario do grande armazem do Baliza, considerando que apif>
xima-se a testa, e que de algum modo deve mimosear aos seus freguezes, com alguma cou-
sa que revele o seu contentamente e gratido, resolveu expr a venda quasi pelo custo da
entrada o seu grande sortimento de gneros, que como todos sabem, sao sempre capricho-
samente! escolhido entre os da melhor qualidade do nosso mercado.
Sujeito a um severo rcgulamento, o Baliza est firme em seu posto de honra, e j
mais ciirumstancia alguma o tara arribar do magestoso quartel em que se acha abrigado
esperando o inimigo sempre de frente.
Nascido om trras de Portugal, o Baliza leve a fortuna de ver bem cedo esta bella
provincia. Foi na infancia que aportou em nosas plagas. entre nos frequentou a escola
primaria,seus hbitos foro aqui adquiridos,suasaffeices existem no meio desle povo,
to generoso quanto hospitalero.
A preferencia pois que Ihe tem dado os Pern.imbucanos, um favor, verdadfi;
j mas um favor que o Baliza tem merecido, e continuar a merecer sempre, a despoito da
guerra surda que lhe fazem os homens das libras de tres quartas, e vinhos falsificados.....
Para se ganhar dinlieiro nao de mister Iludir o povo. As fortunas adquiridas
por meios pouco lcitos degrado a quem as possue.
Venham, pois, aquelles que ainda nao abastecern] as suas despensas nesta casa ve-
rificar por si mesmos quanto h de verdadeiro nestas palavras.
0 Baliza est a testa do estabelecimento e nada escapar s suasvistas q ue passa
cahir no desagrado dos seus benvolos freguezes.
Azeite doce refinado, francez e portuguez a! manhos a 500 e 10 a garrafa e 40 o par
800 rs. a garrafa. de garrafas grandes, que depois de vasias,
Dito em barril, a 4,800 a caada e 640 rs. a { valein o que se deu por ellas cheias.
garrafa. I.. -
Arroz da India edoMaranho a 120,100 e 80;L^guaSiamCn-anas de um tamaito admi-
rs. a libra. iavo' a '* cada urna.
Amendoas de casca mole a 280 rs. a libra. Manteiga, neste genero ha capricho da parte
Ameixas em diversos vazos a 10, 10500",
40000.
20500
do proprietario do Baliza ter sempre o
numero de 6 a 10 barris de manteiga a-
bortos, alini de satisfazer os seus amigos
e freguezes, sendo que o proco da man-
teiga verdaderamente flor de 900 rs. a
libra, e as demais qualidades a 800, 600
c 400 rs. a libra.
dem franceza a 560 rs. a libra, muito nova
e de excellente gosto.
Dito lunch ou soda muito nova a 20OO ala-: Ma.melada imperial dos melliores fab, m-
ta com o libras. tes de LisDoa a 640 ,s. a libra.
Dito de Lisboa muito proprio para doente, Massa dc tomate 640 rs. a libra.
visto erem preparados para esse mister,
em latas grandes e pequeas de 30000 e Mostarda ingleza em potes grandes a 640
10500 a lata. ris o pote.
Bolachinhas americanas, em barricas a 3?>000, Marrasquino de zara a 64o rs. o frasco.
e a libra 200 rs.
vazos a
20500 c 800 rs. a libra.
Azeitonas novas a 10200 o barril.
Alpiste a 160 rs. a libra, e 40800 a arroba.
Aletria a 480 rs. a libra. "
Araruta verdadeira a 480 rs. a libra.
Biscoitos e bolachinhas inglezas recentemente
chegadas a 15500a lata com qualidades es-
peciaos.
Dito mais antigos no mercado a 1>:100.
2#500 Lences de linho.....
j Cobertas de chita chineza.. .
70000 Pennasd'aco, as mais superio-
40OOO; res, a grosa......
Belogios de ouro orizontaes,
900,800 e......
Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes, 400 e
Obras de ouro, adercos, meios
adereces, pulceiras, rozetas,
30500
50000
50000
pretos e de cores, 60, 50 e 40000 aneis e cruzes.
30000
20000
600
700000
300000
0
Peixe om latas grandes,
10300 a lata.
Papel greve pautado e liso
ma.
Pasws a 80500 a caixa e i80
niuilti novas.
savel e guras a
a 30300 a res-
rs. a libra,
Acaba de chegar para a loja do Pavo, um bo-1 quera quizer aproveitar a occasiao de munir-se de
nito sortimento de manteletes curtos de cambraia
e de tilo bordados, que se vendem pelo barato
puco de 35000 cada um ; romeiras de cambraia e
ile li'l a 14000 : s na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz, n.60, de Gama & Silva.
Manteletes a 80000.
Vendem-se ricos monteletes dc cambraia borda-
dos com mangas a turca, pelo barato prego de
84000: na ra da Imperatriz, n. 60, loja de Gama
& Silva.
Gollinhas a 240 rs.
Vendem-se flnissimas gollinhas da cambraia,
bordadas, a 840 rs.: na loja do Pavo, ra da
Imperatriz, n. 60, bija de Gama & Silva.
AHENQAO.
Vendem-se collecc<5es da Dona Liga de n. 1
16 : na roa do Imperador n. 67.______________
g' de gasto
Vende-se um deposito com poucos fundos, pro-
prio para principiante : a tratar na ra Imperial
numero.lz4. \_________________
Vende-se farello de Lisboa, cal lti-
mamente chegada e carvo animal: na ra
do Vigario n. 19, primeiro andar.
um excellente piano por preco commodo dirija-se
ra Nova n. 19 primeiro andar.
Cal'de Lisboa e potassa da
Rassia.
Vende-se na roa da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o antigo e acreditado deposito da
mesma ra n. 12, ambos os gneros sao novos e
legtimos, e se vendem a preco mais barato do qne
utra qual quer parte.
W JKVgBtgRBBBgKm SS% SR a 7K M
FUIVIMCAO DO BOWilIAU-RUA IM>
BROI ~X. 38.
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sorlimento de
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhes.
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
l'e-rula de urna hypolhtca.
Os liquida (arios da massa fallida de
KOM E KANATO
Manteiga ingleza flor a 800 rs., franceza a 600
, rs., chouricas novas a 700 rs., tourinho nevo a 320,
J0SC Antonio astO Vendem a bypOllie- arr\)2 a 100 rs., gomma de araruu muito alva e
Ca que tem nOS enSPnllOS SIto Gr'SS0 ova ,0 rs. espermaceti a 600 rs., vinho da
t\ i j o l- Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a garrafa, cana-
e CajabuSSU IIO termo de Senuliacm no da% e 358t0i do Porto a 640 a garrafa, cana-
valor de 31:83SS9i i rs. : tralar naS! da 4450O azeite doce a 640 a garrafa de carra-
pato a 280, banha de porco refinada a 400 rs., quei-
jos novos a 24 : .na ra das Cruzes n. 24, esquina
; da travessa do Ouvidor.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra,
e cm barril 440 rs.
| j Batatas novas a 10000 o gigo, e a 60 rs. a
libra.
. Cha perola qualidade especial a 33 a libra.
Dito hysson qnahdade esprtala 20800 a pa!itos |iai,, (|,,llos a iGOrs. 0 mam.
! -* "l -aa ii Dit0 dito de llor a 240 rs. o maco.
;I)ito uxim a zbOO a libra.
Dito hysson a 20400 a libra.
Dito dito a 20 a libra.
Dito nacional a 1/000 a libra.
Dito preto, muito superior a 20 rs. a libra.
Dito dito menos superior a 1 600 a libra.
Chouricas novas a 480 rs. a libra.
Champagne (marca aguia) do Conde de To-
ro a 100 o gigo ou 10 rs. a garrafa.
Charutos dos melhores fabricantes do Rio e
Bahia a 800, 10400, 20, 20500, 30,
30500, 40 40500, e 50 a caixa com 100
charutos.
Chocolate francez, de canella la Romain. Sa8u novo 2irs- a llbra-
Caf a 280 e 320 rs. a libra e a 80, 8/500 e Sabao massa a 120, 160, 200 e 240
90 a arroba. libra.
Cognac de muito boa qualidade a 10 a gar-1 Sevadinha de Franca a 200 rs. a libra.
rafa. Sevada a 120 rs. a libra.
Dito soffrivel a 800 rs. a garrafa. Toucinho de Lisboa, dc Santos, a 320 e 3G0
Cerveija da marca lente em botija, en-' rs. a libra,
commenda feita pelo proprietario do Baliza) Jijlo para limpar facas a 140 rs. cada om.
qualidade esta que nao pode continuar Vinhos, ne.-te geneno o armazem Baliza tem
a vir cm censequencia de ficar por preco
muito alto a 60500 a duzia de grandes bo-
tijas e 80 por vinte quatro mi ias, e de ou-
tras marcas a 30, 40, 50 e 50560 a du-
zia de garrafas.
Conservas inglezas, a 800 rs. o frasco e 90
a duzia.
casas a ra do Trapiche n. 34.
AGENCIA
DA
FNDIGO DE L0W-M00B.
Ra da Sennlla leva 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
Vende-se urna carroca nova e muilo bem
construida: para ver, na fabrica de carros do
francez Carlos, no fim do boceo das Barreiras, e
para tratar, na ra Nova n. 51; e tambem se ven-
de um boi novo para o servico da mesma.______
Prczunto para fiambre viudo todos os vapo-
rea a 900 rs. a libra.
Dito do Porto em barril a 480 rs. a libra.
Queijos londrinos chegados no ultimo vapor
a 800 rs. a libra.
Dito flamengos do ultimo vapor a 2/200 e
20000.
Dito prato superior a 640 rs. a libra.
Dito dito menos superior a 480 rs. a libra.
Sardinha de Lisboa milito bem preparadas
cm latas grande a 640 rs.
Dita de Nantes a 320 rs. a lata.
Vende-se manteiga ingleza flor a 14 c 800
r.s.. dita hollandeza muito fina a 880, dita franceza
ii ua da SenzaHa u 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston 4 C, moendas" para engenho, machinas de vapor' a 600 rs., banha de porco a 460 queijos chegados i .im..p ,
selhns e silhes inglezes, candieiros e casti- e }adat & ferro batido e coado, de todoios; "onimo n,r24300 Wiw teucmho do ser- Fannha do Maranho, muito superior, a
, ," .,____ a i__ti. *<... tan flMuwMnl niiiliilnit a 4*0 carne do mesmo u- I fin rs .1 lilira
Doces (francezes) em frascoslindamente enfei-
tados em calda de assucar e em alcool a
10 e 500 rs. o frasco.
Dito de goiaba em latas e em eaixoes de di-
versos tamaitos e objectos pelo qual se
n3o engeita dinheiro avista do grande de-
posito que ha.
Ervilhas francezas e portugueza a 700 e a 500
rs. a lata.
Dita secca a 200 rs. a libra.
Figos novos a 320 rs. a libra e a 60 o bar -li-
nho.
Fruta em calda de assucar em latas a 500
rs. a lata.
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, agreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.____________________
Vistas flua*.
A loja da aurora na ra larga do Rosarlo n. 38
reeebca bonitas vistas sendo de Lisboa, Porto e
diversas, tambem recebeu estampas muito finas
em ponto grande sendo a mor te do justo, a mor te
do peccador, inferno e para izo, assim como rece-
beu retratos de D. Luiz I, D. Mara Pia, D. Pedro
II e a familia.
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston A C,
ra da SenzaHa Nova n. 42.
Xao percato a occasiao
O cidadao que quizer andar bem calcado por
pouco dinheiro, dirija-sc loja da arara, que
| tao especial qualidade a 240, carne do mesmo lu-
; gar a 360, linguicas do Serid a 340, chouricas no-
tara j vas a 800 rs., paios novos a 560, macarrao, talha-
1 rim e estrelinbas a 480, nozes novas a 240, passas
a 480, figos-a 240, alpista a 160, e outros muitos
gneros nimio em eonta : no largo do Carmo, es-
quina da ra de Borlas n. 2.
A ssucar do Monteiro
vista dos cobres, vende por metade do seu valor, Rua do imperador n. 28 e caes de Apollo n.
u^....;ni* A<* mili; <.-\ mnnnn nmtrA ilt* Incf pa a. __ ___ __________
borzeguins de pellica, merino, couro de lustro, va- 6_ 2{K) ... g... ^ '
queta e bezerro, obra que admira: na rua da Im-,D/ ASr P
pratriz n. 6. [ a 50600 aarroba.
16o rs. a libra.
Dita de trigo, a 120,140 e 100 rs. a libra.
Frasqueiras com genebra de laranja, de
Hollanda, e de Hamburgo, de diversos
precos conforme os tamanhos.
Garraloes vazios, de 5oo a 102oo.
Gomma do Aracaty a 100 rs. a libra.
Dita menos superior a 60 rs. a libra.
Graixa a 120 rs. a lata e 10300 a duzia.
Licores francezes das melhores fructas da Eu-
ropa em garrafas lindas e de diversos ta-
o melhor sortimento possivel, Lagrimas
do Douro, Mara Pa, Cames, Bucage, D.
Pedro II, D. Pedro V, e Baliza, qu. se
vende muito barato em vista de sua espe-
cial qualidade a 100000,120000 e150000
a duzia.*
dem esquesit-s como sejam Cherrv, eMadei-
ra, Velmute, etc., de 150000 a* 200000 a
duzia.
dem de Figueira, Lisboa e Porto a 30000,
40ooo e 40500 rs. a caada
dem de Lisboa de minha propria marca em
ancora de 8 a 9 caadas por 28-J0OO
a ancora, e da Figueira de 8 i a 9 ca-
udas a 280000 rs.
Vinagre de Lisboa em caada a 106OO, 108oo
e 20000 rs.
dem mais baixo a 10280 rs. a caada.
Idtm de Lisboa em garrafes com 5 garrafas
por 10200 rs. com o garra Rio.
Vellas de espermacete superiores a 600 rs.
0 maco.
dem de carnauba de 320 a 360 rs. a libra,
em arroba de 90000 a !O0ooo rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 4oo
rs, cada urna.
Vinhos de Bordeaux neste genero temos as
melhores qualidades que se fabricam era
Bordeaux, tanlo branco como tinto, e espe-
ramos por todos os vapores francezes, nns
pequeos barris contendo cada um de 85
a 90 garrafas, e qne sero vendidas o mais
barato possivel.

>


Diarlo Te Pernanibueo ttabhado O de Dezenbro de ISAS.
JL
LOJA DE MIUDEZAS
16 Ruado Qtmado. 1(>
Pocas de tranca de loa preta e do cures lisi a
Pecas do tranca do 15a preta e de cores, caracol, a
100 rs.
Pocas do tranca de linho branca de caracol a
100 rs.
Pecas de tranca de linho mesclada de caracol a
100 rs.
Pecas com 10 varas de Illa de velludo cor de rosa
al*.
Pecas com 10 varas de fila de vellido preto a 15200
e ltoo.
Pecas com 13 varas de fila de velludo lavrado a 1
13500.
0 15200
Pcas com 20 varas de galao lavrado a
Peras de franja branca estrella a 13.
1' fijas ile franja larga para cortinados a 33-
V lipa de tita de seda de coros a 360 o 800 rs.
Pecas de franja de lita a 1.
Pegas de franja do seda preta e de cores a 33-
Peas de lita de relroz preta e de cores a 240 rs.
Pepas de ticos e rendas a 13200 e 15300.
Varas de bicos e rendas a 100 e 160 rs.
Varas de bicos pretos a 160 e 240 rs.
Varas de bico preto da largura de um palmo a
soo rs.
Varas de Inbyrintho de um palmo de largura a
500 rs.
Varas de bonitas fitas para cintos a 500 rs.
Varas de fila preta de borracha a 160 rs.
Varas do babados largos a 120 rs.
Varas de galao branco e de edres lavrado a 100
rffls.
Fivcl.-is de ac galvanisadas para sinto a 15500.
Ricos cintos com (velas de pedrinhas a 35.
Grtalas de seda a 400, 600 e 800 rs.
(lvalas para lago a 800, 15 e 15280.
Grvalas com bonitos passadores a 15 e 15280.
Grvalas de ponta larga bordadas parasenhoras a
1 80.
Passadores para grvalas a500 rs.
Conservadores de continltas pretas e brancas a
i-JOOO.
Vollas de perolas branca e decores, com cruzes,
a 15
Voltas pretas a balao com cruxes a 15 e 15500.
is pretas de contas muito gradas a Mara
IHa a 15800 c 25300.
Voltas de coral pequeas e grandes a 600 e 23400
Mcinhos de coral a 360 e 600 rs.
Uilavas de relroz preto e de cores a 160 rs.
Pares de grampos enfeitados, a balito a 15-
Pares do brincos relos c de cores, a balao, a
640 rs.
PQMes de borracha para regace a 800 rs.
Peales dourados com pedrinhas para regajo a
530O.
Ricas jfnarnieSes de penles dourados com cachos
e pedrinhas e as marrafas ignara a 45 e 55-
Ricos pentes dourados a 25, 25300 e 35-
Boaita uiarrafas tota pedrinhas a lo.
Bonitas guarniles de penles com lago esmaltados,
com marrafas ignaes a 55.
Bonitas giiarnicoes de penles com laco para luto,
com marrafas iguaes a 35-
Bonitos penles de tartaruga a 43 c 35-
: tos pciiios de inassa virados imitando tartaru-
ga a l|0OO o 23-
Penics de nansa em caixinlias a 300, 6iOe800rs.
Penles para atar cabelle a 80, 160 e40 rs.
Lnvas ile Jouvin brancas e de cores a 15300.
Lnras da Bseossia brancas e decores a 500.
Bonitos botos para punhos a 160, 320, 480 e 800
EK.
Uiuias de bonitos lioir.es dourados a 480 e 960 rs.
Duzias de bonitos botoes dcKdro a 480 rs.
Golrohas brincas c de cores com contnhas a 15-
Spalos de tranca do Porto a 1361X1.
Tesouras linas para unlias e costuras a 300 e
i rs.
is para denles a 160, 320 e 480 rs.
Escovas para trabas, ronpa, chapeo e cabello a
800 rs.
Bonitos toneadores com ps a 23, 23500 e 43-
Caixas de btalo sneastoadas em marfim a 26.
Bengalas de junco e de caima a 640 e 15280.
Camotes de junco o de baleia a 13 e 13600.
l'edc-sc toda al'enco.
Custodio Jos Alves Guimaraes, dono da loja in-
titulada Gallo Vigilante, ra do Crespo n. 7, avisa
a os seas numerosos fregueies e ao respeitavel pu-
blico, que tendo de reformar no fin deste anno seu
estabelecimento, equerendo liquidar grande quan-
lidade de diversos objectos, est rosolvldo a vender
tudo por presos bpratissimos, como sejam :
lecas com 45 varas de franjas de linho a 35.
Ditas com 45 varas do galao de linho a 35.
I.aa sorlida para bordar, libra a 45-
Proco de cores sorlidos, peca a 160 rs.
Manguitos para senhora, o par 800 rs.
Colindas de bonitos gostosa 400,580 e 15*
Salvas de metal principe a 15300, 25 e 25500.
Ditas com copos de metal proprio para meninos a
15200.
Facas o garios para sobre-mesa a 45 a duzia.
Ditas o ditos dita com cabo de marlim a 65.
Bandejas de todos os lmannos milito linas a 15.
13200, 1J400, 15600, 25300, 35300 e 55-
PECHIMHA
COMO MUMCA HOITVE
NO
ARMAZEM
UNIAO
i Ditas redondas para coi de 500 rs. para 25800.
Tesouras em carleiras, a duzia a 500 rs., 640 e
' 800 rs.
Peitos para camisas, a duzia a 25-
Camisinhas bordadas para senhora a 15500 e *3
Chapelinas para senhora- a 35-
Ditas para menina a 25-
O li IK<<> l|,% mEMHA O
HITARTE t T VI i:i i \
acaba de abrir o seu grande esortido armazem de molhados denominado Unido e Com-
mereto. Este grande armazem um dos mais bem montados que temos em nossa prap,
nao s em lirapeza e aeeio, como as qualidades especiaes de seos gneros. O propio*
Francisco remandes Dnare dono deste muito acreditado armazem tario do Unioo e Cemmereio offerece todos os senhores da oraca sejihnr^ m ~,k
Chapeozinho para meninas de eseola impasse a de molhados,. acaba de receber ueste ultimo vapor os mu desejadbs gneros escolhidos f av ="uurt ae eogenho
m** er3* t0*)S muil propries para a festa os quaes est resulvido a vender por,e dadores a seguinte tabella, por onde vero a grande economa LuvTsS^^ todos os Srs. da comprarem era to til estabelecimento, afiancando memo torfr p^
rs. o par. | Praca. de engenho e lavradores para que mandem suas relacoes para serero despachadas l m) wao e qu*quer genero
Toucas de la para meninos a 500 rs., fil a 500 e j no armazem do Progresso do largo de Perrha n.. 10v afim de verem a grande vantagem s3-***0 de seu armazem.
que tiran* tonto na superioridade dos genero como no procos asss resumidos,' Bollinho francez em latas e caixinhas as mais
COMMERCIO
LTBT.T.
Defronte da lo Ja le Prgales.
600 rs., de seda a 800 rs.
ffibf d?n5S!a" PTarmeninaes "esS a .s Srs- 4ue 13 Podrem vir .Pd<-' mandar seus portadores ainda que nao tenham pra-
sauga para
800 rs.
BetSes dourados para punho a 200 rs. o par.
Tinteiros de metal a 320 rs.
Trancelins para relogio a 100 rs.
Ditos de fila chamalote a 200 rs.
Escrivaninhas de metal a 35500.
Colherrs de metal para cha a 200 rs. a duzia.
Ditas de dito para sopa a 25 a duzia.
Botoes de duraque pretos a 400 rs. a groza.
Cartas despalilllas para jogos a 15200 a duzia.
Casticaes brancos e amarellos de metal a 15.
Carleiras para algibetra a 500, 600, 800 e 15.
Sabonetes muito Tinos a 15200,15600 e 25 a duzia;
Fivelas para calca a 300 rs. a duzia.
Botoes de ac para caiga a 320 a groza.
Caixinhas com alfineles, grampos o clcheles a 320,
I 400 e 300 rs.
Filas de borracha prelas e de cor a 120 o 160 rs.
a vara.
Latas com dous massos de agulhas por 800 rs.
Brincos de aljofares a balao a 320 o par.
Altinetes pretos c de cores com pedrinhas a 200 rs.
! e320.
Camisas para Iwineui feilas em Lisboa a i.
Fitas de velludo lisas e lavradas a 800, 15, UoOO
25 e 35 a peca.
Ditas para sinteiro a 300 e 400 rs. a vara.
Caixinbas para costura de senhora a 15300,25.
i 3,4,5c65.
; Conipoleiras de vidro com pratos de metal a 35 e
45000.
Franja de laa para debrunhar tapetes a 25 a peca.
Palitos de fogo, prova d'agua, a 15 a groza ou 120
rs. a duzia.
Assim como tem grande sorlimenlo de muitos
mais onjectos que se tornara enfadonho mencio-
na-los, que tudo se vonder muito barato para li-
quidar : na ra do Crespo n. 7, e ra do Impera-
dorn. 59, junto ao passo, c casa da liquidacao.
KlHHHimhlH) V 13
Loja do beija-flor.
tollas do aljofares.
Vcndemsc voltindas de aljofares com pedra,
imitando a brilhanles a 15 cada urna.
ISotoes para piinhos.
Vcndcni-sc botoes para punhos, muito bonitos
padres, a 200 rs. o par.
Facas para meninos.
Vendem-se faqiiinhas para meninos, de cabooi-
tavado, a 240 rs. o talher.
La para bordar.
Vende* se liia de todas as cores para bordar a
03700 a libra.
Facas e garfos.
tica, que sero to bem servidos como so viessem pessoalmente.
O inter-ese que tira o proprietario deste acreditado armazem, j.deve ser bem. co-
delicadas que tem vindo ao nosso merca-
do de 8oo a 2,ooo rs. a'caixinba.
Manteiga ingieza perfeitamente flor, mandada
nnecide pelos sdis numeraros freguezes, pois sunplesmente constate em servir bem-ega-, vr de conta propria, a 7oo a 8oo rs, a
Dhar pouco, afim de eonseguit a conlinuaeodaquellas pessoasv que a primeira vez se dig- '*>ra-
narem homar o seu estabelecimento.
Qneijos ftamengos chegados nesle ultimo
vapor a 2,ooo rs.
dem do vapor passado a ,8bo rs.
Lem prato muito novos e de superior qua-
lidade a 4oo rs. inteiro, c a 5oo rs. a
libra.
Doce de goiaba fino em caixes com 2 j
libras por 6oo rs.
dem mais baixo a 54o rs.
Sevadinha de Franca a 2oo rs. a libra
Sevada muito nova a foo rs. a libra.
Cominhos, ervadoce e pimenta do reino a
36o rs. a libra.
'Genebra deHollanda a5,5oo rs. a frasquei-
ra com 12 frascos, e a retalho a 5oo rs.
cada um.
dem em. botija bamburgueza a 4oo rs.
superior do Genebra de laranja a l.ooo rs. os frascos
grandes.
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
56o rs. a libra, e em barril' tora abatfmen-
to.
dem ingieza em potes de 4 a 13 libras a
8oo rs, a libra e o pote sepa-ri lo,
Castonha8 muito novas a 2,ooo ps. a c;in;ts-
tra ea 160 rs. a libra.
Cha uxim o melhor neste genero, mandado
vir de conta propria a 2,8oo rs, a libra.
dem hysson, grande, muito bom a 2,6oo rs.
a libra.
dem preto muito fino, a 2,0oo rs, a libra,
dem preto, mais bak\o, a 2,ooo rs a libra.
, dem, verde, miudinlio, mais proprio para
negocio, a I,5oo rs, a libra.
Banlw de porco refinada muito alva a 46o
rs, a libra, e em barril se far abatimento.
Biscoitos' inglezes das seguintes marcas;
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies.
Lunch, Cabin, e outras muitas marcas, a
l,4oo rs, a lata!
Vendem-se facas c garfos de cabo preto era vado
i le.nos te armnejio de a.;n prateana, dourada c ba-, a 2-h(m) dula> ils de balall(;o dc 2 botoes para
mesa a 65200 a duzia.
ra a 500 e la,
Duzias de e.lderes de melal principe para cd a
15600 o 25.
tr.ir.ia de colheres de melal para sopa a 35300 c
500.
Pa ules de papel de cures pequeo a 640.
Camnnas de panel aniixade a 8()0e 15-
Caixinhas de papel de beira dourada a 15200.
i:.ii viudas de papel pdanlasia de cores a 15-
Caisinhas com 100 envelopes a 800 e 15-
inhas de lacrea 200 c 400 rs.
iinhasde penna de ai;o a 800, 13200 e 136M)
Caixinhas de obreias do cola a 80 e 120 rs.
l':.i -ipiinhos do tinta azul ou encarnada a 320 rs.
Lapes de cores ou encarnados a 120 rs.
jos e rosetas pretos a 160 e 240.
altos de tinta ingieza a 160.
! I.i< o conloes para espartilhos a 80 rs.
Bufiadores pelos para borzeguins a 160.
inhas com 100 agnllua francesa! a 240 rs.
C\inhas com 100 aguldas da Victoria a 320 rs.
i:.i;i.is portuguezas e francezas a 200 e 320 rs.
- de alnnetes a so e 160 rs.
Massos de superiores palitos lixados a 240.
Caixrnhas vazias para guardar joias a 300. 400 e
500 rv
I as de ranudos de pomada a 240 rs.
- i metes franeena a 100 rs.
ws de agiw de Colonia a 400, 300, 800. 15 e
1300.
Fi im-os do extractos a 400, 300, 800 c 13.
! iscoa de banda l'ranreza a 400, 300,800 c 13.
Fraseos de palchorra 400. 500. 800 e 15.
os de oleo babosa a 300 e 600 rs.
Frascos da oleo philocome a 800 e 13-
Fraseos de exmelo de sndalo a 13-
'- de d.inlia transparente a 800 rs.
Fra>cos Je banda japoneza a 800 e 15-
Frascos de agua de Lavandc anibrearta.
'irrafas de agua de 1 Alinde ambreada.
ilas de agua Florida legitima a 15300.
Garrafas compridas de agua de Colonia a 800 rs.
Fraseos com banda < eilracM jumamente a 15280.
'. luidas com 4 frn-i|tiinlios de extractos a 040.
Lnvas de Jourin.
Vendem-se luvas de Jouvin chegadas pelo ulti-
mo paquete, tanlo para boinem como sonhoras.
Extractos inijlrzrs.
Vendem-se extractos inglezes muito barato por
; seren sido comprados em leiliio a 240 rs. o frasco.
Estovas para denles.
Vendem-e escoras para denles a 120 e 240 rs.
cada una, dias muito linas inglezas a 500 rs.
Toucas de la.
Vendem-se toucas de laa para menino a 800,15
e 15280 cada urna.
Sapalitilios de laa.
Vendem-se sapatinhos de laa para meninos a
! 400,300 e 640 cada par.
Tesouras.
Vendem-se tesouras para costura a 300 rs., ditas
para unhasa 400 rs. cada urna.
Collariulios.
Vendem-se collarinlios de papel a 40 rs. cada
um, ditos de linho a 640 rs.
Penles de Iravessa.
Vendem-se pentes de travessa para menina, de
borracha, a 500 rs. cada um.
Tocadores de Jacaranda
Vendem-se locadores de Jacaranda a 25500 e
25800 cada um.
Ksrnvas para roupa.
Vendem-se escovas muito finas para roupa a 400
e 500 rs. cada urna
Kspclhos com estojo.
Vendem-se espelhos com estojo para navalhas a
23, 23300 e 23800 cada um.
Aderefos pretos.
Vendem-se aderecos prcios a 25200 cada ade-
i reco.
Iluiops de perola.
Vendem-se boloes de perola para collele e vesti-
do? a 400 rs. a abotoadura.
\o armazem le fazendas bara-
a.silc *:ui UVA DO QCEIMADO .\. 19 VEXDE-SE OSE-
(il'I.NTE :
Esleir da ludia
para turro de sala, de 4, 5 e 6 palmos de largura,
por menor preco do que em oulra qualquer parte.
Lencos
de panno de linho pelo barato preco de 25000.
Lcnres
de bramante de linho fino pelo barato preco de
35000.
Cuberas de chita da India
pelo barato preco de 25000.
Lencos de cassa
brancos, Dnissimos, proprios para algibeira pelo
baratissimo preco de 25000 e 25400 a duzia.
Cambraia adamascada
para cortinado, pelo baratissimo preco de 105000
a pe?a.
Pecas do cambraia
de salpicos, fina, com 8 1/2 varas, pelo baratissimo
: preco de 45.
Fil liso Im
pelo baratissimo preco de 680 rs. a vara.
Bramante de linho
fino com dez palmos de largura pelo barato preco
: de 25300 a vara. K ^
Toalhas alcorhoadas
i para man pelo baratissimo preco de 55000 a da-
ATTENCAOo r /eas de ^^ k
., .. /T i de rolo com 10 varas propria para saia, pelo bara-
.1 o.Ir-psito ue loui*a da fabrica do Bar- to preco do 35000.
Ualho, fila do Imperador O. 41. I Em casa de Mills Latham t C, na ra d-
30 0|i) menos do que em oulra qualquer parle. Cruz n. 38, vende-se ferro galvanisado de um doa
ka vidrada ile todas as qualidades, e lar, boa meldorcs fabricantes inglezes, proprio para cobers
como a que vem do ostrangeiro e mais barata. tas de casas.
Manteiga ingieza flor a mais
mercado a lio rs. a libra,
dem de segunda qualidade a 6io rs. a libra.
Vinho de caj o melhor que ha no mer
Manteiga franceza de primeira qualidade a a I.ooo rs. a garrafa.
56o rs. a libra, e 52o rs. era barris ou
meios. Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza e 2o rs.
j a caixinha.
Cha perola neste genero nao ha nada a de- u^ de denles lixados a 16o rs. o maco com
sejar, e de especial qualidade, mandado. go macinhos.
vir de conta propria a .8oo rs. a libra. '
dem huxim o melhor do mercado a 2,6oo Ervilltas seccas chegadas ueste ultimo navio
rs. a libra. a 16o rs. a libra, e era porcao se faz aba-
Idem de segunda qualidade a 2,ooo rs. a, tmenlo.
,,,ibl?- u, .. Banha de porco refinada a 48o rs. a libra e
dem hysson muito superior a 2;5oo rs. a h- i 42o pg gm i^j.^
bra.
dem preto homeopathico muito fino a 2,ooo Vinho branco de superior qualidade proprio
rs. a libra. para missa a 64o rs. a garrafa.
Bolachinha de soda chegada neste ultimo Ameixas francezas em
navio a 1,35o rs. a lata, deste genero ha mente enfeitadas com ricas eslamp
grande porcao e de differentes margas, l,2oo, l,5oo e 2,ooo rs. cada urna.
que se vendem todas pelo mesrao prei-o a dem francezas em frasco de vidro com lam-1 dem prato muito fresco a 6io rs, a libra,
vontade dos compradores.
Bolachinha de si'kIo, especial encommenda, a
2,2oo rs, a lata.
Biscoito inglez Craknel em latas de 5, 7 e 15
libras a 5,ooo e 6,000 rs, e de l,2oo a
800 rs, a libra.
caixinhn el^intP QueiJ0S do reino P1'10 baratissmo preco de
TSSTJSSTil ;Por: 18de3>000 rs"os doultimo
Iem em latas grandes a 2,000 1 s.
dem propria pan lanche
a l,!)oo rs.
em latas grandes
Mai-mclada Imperial dos melhoces fabrican-
tes de Lisboa a 64o rs. a libra.
Frutas em calda em latas do 1,00o a 5no rs.,
neste genero ba diversas qualidades a es-
col her.
e em
dem em latas de 2 libias por lr4aors.
a retalho, e a 800 rs. a libra.
Figos de comadre muito novos em bahuzi-
nhosmuito proprio- fiara mimo al,28ors.!
dem em caixas para retalho a
libra.
Passas de carnada a 48o rs. a libra
Champanha superior das marcas mais acre-1 quarl0 com 8 librHS ')0r 2'5o rs-
ditadas a l,5oo rs. a garrafa e 15,ooo rs.]
o gigo.
Serveja das melhores ..
mercado a 5oo rs. a garrafa e a 5,ooo rs. u,ocolale francez o melhor que se pode de-
a duzia seJar estegenero a t,ooo rs. a libra.
dem preta superior a 56o rs. a garrafa e a Macas para sopa estrelinha. nevde, arroz de
maca a 48o rs. a libra, e m caixa a 2,ooo
pa do mesmo contend) 1 '.* libra a t,290 dem londrino muito fresco a 800 rs, a libra,
rs. s o frasco val quase o dinheiro.
Bolaxinhas inglezas de superior qualidade a
2,ooo rs. a barrica, e a 2oo rs. a libra.
Vinhos empipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
48o, 56o, e 64o rs, a garrafa, e de 3,ooo a
4,5oo rs, a caada.
Marmelada imperial dos melhores conservii-
ros de Lisboa em latas de 1 e mais libras
18o rs. a' a "00 rs' a libra.
Frntasem caldas das seguintes qualidades:
ameixa, rainha Claudia, peras, cerejas,
ginja, pecegos e alperch a 5oo rs, a lata.
Figos em caixinhas de 1 '/i arroba e de 8 li-
bras a 8,000,4,000, e 2,ooo rs, e a 3oo rs,
, a libra.
j Amendoasde casca mole a 28o rs, a libra, e
em arroba ter abatimento.
5,4oo rs. a duzia.
rs. cada urna, nvirarraao, talherim, eale-
triaa 4oo rs. a libra.

S'SJgli.gg

- -. r,. '

:Sfii'_asl,?,ia
"' -f. TT
a, 9 *
1 a a
a-3j 7

u H ~_ <1
,=>
"-* Q3
5 o sr-

1. a;
n s' ~ y X
-; ">. -? r-
,"

Vinho Bordeaux de differenles manas, e as
melhores do mercado a 7,ooo, 7,5oo e
8,000 a caixa coin urna duzia, e em gar-
rafas a 6io, 7oo e 800 rs., garante-se a
boa qualHade.
dem Figueira de superior (jualidade a 48o Ervilhas francezas muito
rs. a garrafa e 3,5oo rs. a caada. grandes a 84o rs.
dem de Lisboa a 2.800 rs. a caada e 4oo
rs. a garrafa.
dem do Porto de superior qualidade para Mar de tomate em latas de I e
mesa a 50 rs. a garrafa, e 4,000 rs. a ea- 61o rs.
Sardinhas de Nantes a 32o rs, a latinha.
Toucinho de Lisboa a 36o rs. a libra e
arroba ter abatimento.
em
Amendoas de casca mole a ioo rs. a libra.
Avelans muito novas a 2oo rs. a libra.
novas em latas
dem em ditas pequeas a ioo rs.
2 libras a
nada.
Salmo em latas de 1 libra a 800 rs.
dem fino do Alto Douro da colheita de 1833, ( u t
como sejam: 1). Lote, Feitoria velbo, Nec- LaK' em htaS grandeS
a 1,400 rs. ca-
tar, Carcavellos e Cames em caixa de
uma duzia a 9,ooo rs.
da uma.
Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto Cognhac inglez a 800 rs. a garrafa,
a l,ooo rs. a garrafa e lo.ooo rs. a caixa.

-. es
8 3
ta
a
ni
os
-3
S.|3
S -1
^ /.
O.
c

3
f
i
a
3
"O c-.
o S".
a
sr
m
s
9

Duque do Porto, Madeira secco, duque ge-
nuino, lagrimas doces a 9oo rs. a garra-
fa e 9,6oo rs". a duzia.
GarrafjTies cora vinho do Porto a 2,2oo rs.
cada um.
Vinagre de Lisboa de superior qualidade a
2oo rs. a garrafa e 1,2 m rs. a caada.
! Licor francez das melhores marcas do m er
cado a 800 rs. a garrafa.
Batatas chegadas neste uhimo navio em cai-
xa com duas arrobas por 1,600 rs., e 4o
1 rs. a libra.
Concervas inglezas a 75o rs. o frasco.
, Sal refinado em potes a 5oo rs. cada um.
Azeite doce refinado em garrafas grandes a Mostarda ing|e.a :| l(m rs 0 frasco
000 rs.
. ... P. 1 dem franceza a 4oo es. o pote,
dem de Lisboa a 6io rs, a garrafa, e em K *
caada a 4,8oo rs. LMilho alpista a 16o rs. a libra e i,8oo rs. a
r^. 1 k -, arroba.
Presuntos inglezes para fiambre a /oo rs. a'
libra. Graixa muito nova em latas grandes a 120
dem de lamego encommenda particular a
48o rs. a libra, e inteiro se faz abatimento.
Toucinho do reino o melhor do mercado a
320 rs. a libra, e em arroba a 9,ooo rs.
Velas de esperraacete de 4, 5, e 6 por libra
a 560 rs., e em caixa se faz abatimento.
dem de carnauba refinada a 32o rs. a libra
e 9,000 rs. a arroba.
dem de carnauba pura do Aracaty a ioo rs.
a libra e lo,5oo rs. a arroba.
Gomma muito fina e alva a 80 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra
Farinha do Maranhan muito alva e cheirosa
a 12o rs. a libra
Sag muito novo o 2i rs. a libra.
res.
Lalas com peixe em posta erraeticaraente
lacradas das melhores qualidades de pei-
xe que ha em Portugal a l,2oors.
Caf lavado de I? qualidade a 32o rs., dito
de 2" a 28o. rs. a libra e 8,2oo rs a arro-
ba, dito b 3* a 26o rs. a libra e 7,8oo
rs. arroba.
. Charutos suspiros dos melhores fabricante*
de S. Eelix a 2,5oo rs. a caixa com loe
charutos.
Massa de tomates a 6io rs, a libra.
Pimenta do reino a 34o rs. a libia.
Farinha do Maranho a 14o rs. a libra.
Ceblas a 4oo rs. a restea.
Tijollo para lunpar facas a 16o rs,
Cerveja das mais acreditadas marcas de 5,ooo
a 7,5oo a duzia, e de 5oo a 600 rs, a gar-
.rafa,
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 800 rs. a libra,
Genebra de laranja a 9oo rs, o frasco,
Ghonricas as mais frescas do mercado a 800
rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa,
e lo,5oo rs. a caixa com uma duzia.
Licores francezes das seguintes marcas: Ani-
zete de Bordeaux, Platsir des dames, e de
outras muitas marcas a lo.ooo rs. a duzia,
eal,ooo agarrafa.
j Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a 8,5oo
rs. a caixa. Ha caixas, meias e quartos.
Batatas a 1,00o rs. o gigo com 38 libras.
Bolachinha ingieza a 4oo rs. a libra,
Azeite francez e portiiguez refinado a 800 rs.
a garrafa, e 9,ooo rs. a caixa com uma du-
zia.
Conservas ingle/as das seguintes marcas:
Mixed, Pickes, e ceblas simples a 800
rs. o frasco.
Mostarda ingieza preparada em potes a 4oo
rs. o pote.
GrSode bico 16o rs a libra, e em arroba
ter abatimento.
I Vasos inglezes vastos de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de manteiga, doce.
e outro qualquer liquido, de 1,00o a 3,ooo
rs, cada um.
Cominho a 4oo rs. a libra.
Erva-doce a 5oo rs. libra.
Champanha de 20 a 22,ooo o gigo.
Palitos do ga* a 2,3o rs. a groza e 2o rs a
caixinha.
Miho alpista a 16e rs. a libra.
Painco a 2oe rs. a libra.
Gomma muito alva para engornmar a 80 rs.
* libra, e em arroba- se far abatimento
Sag muito novo a>28ors. a-libra.
Sabo verdadeiro hespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado a 28o rs. a libra.
Vinho branco o melhor Beste genero a Ooo rs
a garrafa e 4,000 rs. a caada.
dem Bordeaux de differentes marcas, garan-
te-se a qualidade, a 8.000 rs. a caixa co
uma dUzta, e a 7oo rs. a garrafa.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2,2oo rs. com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira. mais
proprio para a nossa estacio por ser mais
fresco a 2,4oo rs. com o garrafao.
dem com 5 garrafas do vinagre a f 20o rs
o garrafSo,
Sabio massa d.- superior qualidade a 18o,
2oo, e 22o rs. a libra do melhor que ha
Graixa em latas muita nova a 12o rs. a lati-
nha, e l,3oo rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada.
curr, salmo e outras muitas qualidades
preparados de escabexe, segundo a arte de
eozmha, de l,2ooa 2,ooe rs. a lata.
dem do Alto Douro vindo do Porlu engar-
rafado e escoibjdo pessoalmente per um
tiM socios que se acha em Portugal, .la*
seguintes marcas : Duque, Genuino, Ve-
'no secco especial, Lagrimas Doces de
1819, vinho especial D. Pedro- V, vinho
yerno. Nctar suportar de 1833, Duque do
Porto de 1834, vinho do Porto velho su-
perior, Madeira Secca de superior iiuali-
dade vinho do Porto superior D. Lu/. I
de 18*/, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Poeta, ,le 1,000 a 1 2oo rs. a gar-
rafa e de lo.ooo a 18,000 rs. a caixa com
uma duzia.
Vassouras americanas a 800 rs. cada uma.
Velas de spermacete as melhores que ha
mercado a 56o e 64o rs. e masso e
caixa se far uinjgrande abatimento,
dem de carnauba e composicao, de 4oo a
32o rs. a libra, e de lo.ooo rs, a ll,5oo
rs. a arroba,
Caf de f e 2a sorte de 8,3oo a 8,600 rs. a
arroba, e de 28o a 325 rs. a libra do me-
lhor,
Arroz da India. Maranho e Carolina a 3,ooo
2 800 e 2,4oo rs. a arroba e a loo rs. a
abra.
Frasqneira de genebra a 5,8oo rs. e a 5oo
rs. o frasco.
Azeite doce em barril muito fino, a 64o rs
a garrafa, e em ranada ter abatimento.
DO
em
Papel greve
resma.
Genebra de Hollanda em
44o rs. a botija.
paulado e liso a 3,5o rs.
botija de conta
Bacalho a 14,5oo a barrica.
Ervilhas fianceza e portugueaa a 640 rs a
lata de uma libra.
Chocolate francez, hespanhol, suisso e por-
tugus a l.ooo rs. a libra, e a 28o rs. ca-
da pao de uma .
GarraJOBS vastos de 5 garrafas at 3 caadas
de Sooate I.Suors. cada um.
Ameixas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas, cora divrsas estampas
no extenor da caixa de 1,600 a 3,ooo rs.
cada uma; tambem ha frascos e latas de
differenles tamanhos que se vendem por
mdico preco.
Massas para sopa: macarrlo, talharira e ale-
tra a 48o rs. a ibra, e em caixa se far
abatimento.
Garraffjes com 44 garrafas de genebra de
Hollanda a 5,5oo cada um.
Charutos de todas as marcas e dos melho-
res fabricantes da Babia de 3,ooo a 4,eoo
re. a caixa.
ATTEJCA
dem finos de diversos fabricantes a l,6oo.
l,8oo e 2,ooo rs. a caixa com loo chara- Todos os senhores que comprarem para negocio ou casa particular de 100* para
tos, [o preco nao indica a boa qualidade oiraa torito mais 5 a 10 por % de abatneoto; o proprietario setentifica mais que todos
porm deem-se ao trabalho de virera ou "os seus gneros s3o recebidos de sua propria encommenda, razo esta; para poder von-
mandarem c verlo a realidade. I der por muito menos do que em outro qualquer estabelecimento.
(DATA INCORRETAI ,


Muri de Persamhiico fcabbado i de eaeaabro de I8a.
ATTENCAO
9 LARGO DO CAHMO 9
GRANDE SORTIMENTO
DE

at ,
Wm
PARA A FESTA.
ARMAZENS
DO
PROGRESISTA
Rtl >AS CKITZES A. 3G
38RA DO IMPERADOR38
k\
kx

Cs
Agna nalnr.il de Condllae,
muito recommendada as affecgoes do tubo gaslro-intestinal, nos dos rins, e boxita urinaria,
suas propriedades alcalinas, c o acido carbnico que naturalmente contin em suspensii--.
nuis commodo que a agua do Vichi/, e de propriedades lalvcz superiores pela grande nnai
acido carbnico. Injecco rou, agua d U Checku, cupahiba de Mege, injeccao Fw/as de tanate
de zinoo, muito recommendada as gonorrheas. Le noy francez verdadeiro ; na mesma ca algunas caixas de instrumentos cirurgicos para operares de Maticu e Charriere.
E
RA DO CRESPO N. 9
No fealrro de Santo Antonio.
Joaquina Jos Gomes de onza scientifica a seus numerosos fregu,
res e ao publico em geral que acaba de estabelecer um novo armazem de molhados
ra do Crespo n 9, aonde se encentrar sempre os melhores gneros de estiva, que
se venderao a retalho c por atacado, por menos dos que se venderem em outra qualquer
parte, aDancando-se aquellas pessoas que comprarem nestes armazens a superior qua.
lidade de gneros, precos commodos e bom acondicionamentc.
O armazera da ra do Crespo situado no mellior local desta eidade com e
ira
AOS AKMA^KAN
CONSERVATIVO E CONSERVADOR
21 e 23Largo do Terco-21 e 23.
Participam aos seus numerosos freguezes e ao publico em geral que acabam de
recebe* de sua propina encommenda, o mais lindo e completo sortimento de molhados,
iis quaes vendem ]ior gro&o e a retalho por menos 10 por cento do que outro qualquer
aimuiiciante, como ve ru pela seguinte tabella que abaixo notamos, garantindo os mes-
laos propietarios, nao s o peso como a qualidade de seus gneros.
AVISO
Todos os senhores que eomprarem para negocio ou casa particular de 100$ para
cima tero mais 5 a 10 por cento de ahatiraento, os proprictarios scientificam mais que
todos os seus gneros sao recebidos de sua propria encommenda, razao esta para poder
vender por muito menos do que outro qualquer estabelecimento.
Castanhas muito novas a 2,ooo rs. a caixa, e Vellas de carnauba e coraposieo de 32o a
Joaquina Simos dos Santos, proprietario destes estabeecimentos de mull
participa ao publico ea todos em geral, que vende nos seus mazeos os gene: os j*r
a8. menos de 5 10 por cento do que em outra qualquer parte, garantido-se pela sup
qualidade.
i seio que de necessidade manter-se com estes estabeecimentos, faz erer a seu pro- Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 rs. a libra.
! prietario, que ninguem deixar de sortir-se n'um estabelecimento aonde se encontra sin. le franceza, viada pelo ultimo navio a 560 rs. a libra e 540 rs. em barril mi meto.
Ir Banlia de poico relinada, a 400 c 44o rs. a libra,
ceridade, para ir-se comprar aonde se n"o offerecem tantas vantagens. Velas de espermacete e carnauba a 860, 400 e600 rs. a libra.
Sendo este armazem no verdadeiro ponto de partida para os arrabaldes. tiesta Gaf do Ilio de i" e 2* sorte a 270 e 300 rs. a libra, e a arroba a 85500 e 0/000 rs,
enhile nln seri diffir.1 nneHes nmliilill O tem de nartir nnaS P01" *S00' e a 4o rs- a libra-
ciuaoe, nao sera itricil aqneHes senftores que tero ae partir nos mnibus darem suas ToucinUo de Lisboa, a 32o rs. a libra, e a arroba a 90000, ou barril.
encommendas neste armazem. aue senrore Ihes offerecer os mais agradaveis gneros Cha de Ia, 2\ 3a e 4a sorte a 2,>800, 2,5500, 2#000, e 15800 a
u_ m;^ c.ww>-- t 'Azerte doce de Lsboa a 3^000 B^o, e a 600 rs a garrafa,
dem mu.to superar a t ,ooo rs. a garrafa. Wau ^ carrapUo, a 280 rs. a ga^fa, e a 2000 a aada.
Genebra verdadeira de Hollanda, marca gallo a iOO rs. a
a 16o rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor mandada
vir de ewita propria a 8oo rs. a libra.
dem (ra*-e/a a nwis nova do mercado a 56o
rs. a libra, e 54o rs. em barril.
dem de porco refinada muito alva 46o rs.
a libra.
Prezunto pata Ganbi-e a 8oo rs. a libra.
Cha u.viin niiudinuo viudo de couta propria,
o melhor do mercado a 2,8oo rs. a libra.
Id.ui hvsonde superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
36o rs. a libra e de 10,000 a H.ooo rs. a
arroba.
Genebra de Hollanda em botijas de eonta a
440 rs. a botija, e em duzia ou em barrica
ter aba timen tu.
Massas para sopa macarrao, talharim e aletria
a 48o rs. a libra e em caixa ter abati-
mento.
j dem estrellinha, rodmha e pevide em caixi-
nhas de 8 libras, muito bem enfeitadas de
2,5oo aaJ,5oo rs. a caixinha e a 600 rs. a
libra.
libra, $ a 8,000 e
Doce de goiaba em caixas de diversos tama-
Mem perola o melhor que se pode desojar a nnos de 600 a 1,00o rs. o caixao.
2,"00 rs. a bra.
dem preto muito fino a 2,5oo rs. a libra,
dem mais baixo pouco a 2,ooo rs. a libra,
dem mais baixo a 1,800 rs. a libra.
Vhibo do Alto Douro viudo do Porto engar-
rafado gar.inte-se a superioi idade deste vi-
uho, das seguintos marcas : Duque, Ge-
nuino, reino secco, especial lagrimas do-
ees de 1819, vinho especial D. Pedro V., r
vinho velho, Nctar superior de 1833, Du- W* em ** ,,iversas qualidades a
Sabo massa de 2oo a 24o rs. o melhor, em
caixa ter abatimento.
dem hospmihol a 28o rs. a libra.
l'eixe em latas muito novo ; swel, pescada,
corvina, salino e outras muitas qualidades
prepaiada de escabeche 2." a arte de cosi-
nhade l.oo a l,8oo rs. a lata.
Figos em caixas de 1 arroba, e 8 libras
a 8,000 4,ooo e 2,000 rs. a caixinha.
armazem, que sempre Ihes offerecer os mais agradaveis
Cha rola de especial qualidade a 2,8oo rs.
a libra,
dem hyssoa mufto superior a 2,7oo rs. a
libra,
dem uxim a 2,5oo rs. a libra,
dem hyssoo a 2,3oo rs. a libra,
dem idem a 2,000 rs. a libra,
dem preto de qualidade muito especial a
2,eoo rs. a libra.
dem idem inferior a 1,600 rs. a libra.
Champagne a melhor neste genero a 1.5oo
rs. a garran e 18,000 rs. o gigo.
dem inferior a lo.ooo rs. o gigoe 1,000 rs.
a garrafa.
Chocolate francez, hespaidiol, e portuguez, a
a 9oo e l,2oo rs. a libra.
libra
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
ede qualidades, especialmente escolbidos,
de 2,ooo a -4,500 rs. a caixa.
Caf a 28o e 32o rs. a
9,ooo rs. a arroba.
Cenreja das melhores marcas do nosso mer-
cado de 5,ooo a 6Aooo rs. a duzia, e 5o
rs. a garrafa.
Conservas ingleza a 75o rs. o fraseo-e 8.60
rs. a duzia.
Doce em calda a 5o rs. a lata.
dem de goiaba em caixas e diversos buna-
nhos e de diversas qualidades de 64o a
t.000 rs. cada urna.
Ervilhas francezas amito novas de 48o a 64o
rs.
dem portuguezas a 72o rs. a lata,
dem seccas a loo rs. a libra.
Farinha do .Maranho muito alva a r 4o rs. a Vassouras do porto com arcoa de ferro a 32-
rs. cada urna.
Velas de espermaceti; da melhor qualidade
a 600 rs. o maco.
que do Porto de 18:t4, vinho do Porto ve-
5oo rs. a latnha.
ino superioi;. madeira secca de superior Marmelada imperial dos m-lhores conservei-
ros de Lisboa a 7oo rs. a Ltinhade 1 libra,
ha latas de 1 H% e 2 libras.
<|iialidade, vinho do Porto superior D. Lu-
izI "de 1847, lagrimas do Douro espe-
cial, vinho do Porto de l,oooa l,2oo rs.
a garrafa e de 10,000 a 14,ooo rs. a caixa
can una duzia.
Bolacbioba de soda especial encommenda e a
ni iis nova que lia no mercado a 2, loo rs. a
lata.
Biacoites inglezes das melhores marcas em
(atiabasde 2 libras a l,3oo rs. a lata.
Ideqo inglezes craknel em.latas de 5 e 7 libras
de 5,000 a 6.000 rs. a tata, e em libra a
Siuirs.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de -2,000 a 2,2oo rs. cada um.
Idem prato a 7oo rs. a libra.
Vinho em pipa das mais acreditadas marcas
como sejamBd F., PRU, JAA, outras
militas marcas. Porto, Lisboa e Figueira ;
de 48), Seo, 50o, 64o e800, rs., e o do
Porto lino em garrafa, e em cnada a
3,ooo, 3,5oo, 4,000 e 0,3oo rs. o melhor
do Porto.
dem Hurdoaux das mais acreditadas marcas
a Too ES. a garrafa, e a 8,000 rs. a caixa.
Garrafn com 3 garrafas de superior vinho
d Pmto a 2,oo rs. com o garrafo.
Idem rom 5 garrafa de vinho da Figueira mais
proorio. para a nossa estaco por su1 mais
fresco a 2,4oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
com o garrafo.
Vinliobrancoo mais superior que vem ao
nosso mercado a 600rs. agarrafa, e a
4,2oo rs. a caada.
Velas de esparmacate as melhores neste ge-
nero de 56o a 64o rs. o maco, e em cai-
xa ter grande abatimento por ftaver
grande porcSo.
Azeile doce em barril muito fino a 64o rs.
a garrafa e 4,800 a caada.
dem francez refinado a 800 rs. a garrafa.
Ervilhas francezas e portuguezas a 64o rs. a
lata.
Idaai portuguez a 18o rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 36o a libra, e em
arroba ter abatimento.
dem de Santos a 32o rs. a libra.
Caf de 1.a, 2.\e 3.1 qualidade de 2o, 3oo
e 36o rs. alibra, doCear de8,2oo, 8,4oo,
e 9.200 rs. a arroba do melhor.
Arroz da India, Java e Maranho de 2,2oo a
3,000 a arroba, ede 80 a loor, alibra.
Passas muito novas a 8,5oo a caixa e 5oo
a libra, ha caixas meias e quartos.
Sevadinha de Franca a 24o rs. a libra.
Sag atrito novo a 28o rs. a libra.
Alassa de tomate em latas de 1 libra a 64o
rs. a lata.
Ameixas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas de l,5oo a 3,000 rs. a
caixinha, tamhem ha latas de 1 '/i a 6 li-
bras de l,2oo a 4,5oo rs. a lata.
dem em frascos com tampa de rosca a l,6oo
rs. o frasco.
Chocolate portuguez, hespanliol, francez e
suisso a l,ooo rs. a libra.
Conservas inglezas das segnintf s marcas:
Mixde-Picles e cebollas simples a 75o rs.
o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo
rs. o pote.
Sardnhas de Nantes a 32o rs. a latinha.
Charutos das mais acreditadas marcas do
2,5oo a 4,000 rs. a caixa.
Champagnhe a mellior do mercado de l.ooo
a 24,ooo rs. o gigo, e de 1,2oo a 2,ooo rs. a
garrafa.
Papel greve paulado ou liso a 3,5oo rs. a res-
ma.
Idem de peso pautado ou lizo de 3,5oo a
4,000 rs. a resma.
Gomma muito fina e alva a 80 rs. a libra.
Milho alpista e painso de 16o a 2oo rs. a li-
bra.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2oo rs. a
duzia.
Vasos inglezes de 4 a 16 libras vasios, muito
proprio para deposito de doce manteiga
ou outro qualquer liquido de -1,00o a
3,ooo rs. cada um.
Licores das melhores marcas e mais finos
a 1,000 rs. a garrafa e em caixa ter abati-
mento.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e lo,5oo rs. a caixa. .
Chouricas as mais frescas do mercado a 800
rs. a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a
1,00o rs. o frasco.
Serveja das mais acreditadas marcas de
5,5oo a 6,3oo a duzia e de mais a 5oo rs.
a garrafa,
dem em botijas e raeia, sendo preta da
muito creditada marca T de 6,5oo a 7,8oo
rs. a duzia.
Ceblas em molhos grandes a i,000 o molho
e em restes a 4oo rs. cada xana,
Pimenta do uno a 34o rs. a bra.
Farinha do Maranho a 14o rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 16o rs. cada um.
Cominho a 64o rs. a libra.
Erra doce.
Canetta a f ,ooe rs. a libra.
Batatas a l.oob rs. o gigo com 32libras liqui-
das.
libra
dem de araruta verdadeira a 4oo rs. a libra.
Vinho do Alto Douro engarrafado, e os mais
bem escomidos, lagrimas do Douro, D. Pe-
dro V, D. Luir. I, Duque genuino, Nctar
superior, Mabuja fina, Bastardo, e oulros
a 11,000 e 12,000 rs. a duzia e l.ooo rs.
a garrafa.
Idem Cherry e Madeira a l,5oo rs. a garra-
fa e 16ooo rs. a duzia.
dem Bordeaux de diversas marcas de 8,000
a Io,ooo a duzia, e 800 rs. a garrafa.
Bolaxinhas americanas a 3,000 rs. a barrica,
e 2oo rs. a libra.
Batatas muito novas a 1,000 rs. o gigo, e 60
rs. a libra.
Buha de porco refinada a 48o rs. a libra, e
em barril a i 4o rs.
Vinho em pipa de Lisboa, c Figueira, de3,ooo
a 4,ooo rs. acanada, e 5oo rs. a garrafa.
dem de Lisboa em ancoretas de 8 a 9 cana-
das por 27.000 rs.
dem do Porto muito especial a 5,5o rs. a
caada e 72o rs. a garrafa.
dem era garrafoes com 4 '* garrafas por
2,5oo rs. com o garrafo.
Vinagre de Lisboa muito superior a 2,ooo
rs. a caada.
dem mais baixo a I,5oors. a caada, e 2oo
rs. a garrafa.
garrafas por
dem em garrames com 4 lJ%
I,2oo rs. com o garrafo.
Manteiga ingleza a 600, 7oo, 800 e 9oors. a
libra de primeara qualidade.
dem francesa a 56o rs a libra em barril, e
a 600 rs. a retalho.
Ameixas francezas em caixinhas com ricas
estampas no exterior de l,2oo a 2,ooo rs.
cada urna.
dem em frasco Je vidro de diversos tama-
itos a I,5oo e 2,5oo rs.
Idem em latas de 1 1/2 e 3 libra a l,3oo e
2,3oo rs. cada ama, e a 800 rs. a libra.
Figos de comadre em bazinhos de folha pro-
prios para mimos a l,6oo rs. cada um.
dem em caixinhas de folha a 32o rs.
dem encaixas grandes a 2oo rs. a libra.
dem em latas ermeticamente lacradas de
I.600 a 3,ooo rs.
loo e 12o
Arroz da India e Maranh3o a 80,
rs. a libra.
Amendoas de casca mole muito novas a too
rs. a libra.
AzeKonas superiores a l,2oo rs. o barril.
Alpista a 14o rs. a libra e 4,6oo a arroba.
Letria a 4oo rs. a libra.
Biscoitos e bolachinhas inglezas as ultimas
chegadas ao nosso mercado a 1,2oo e l,4oo
s. cada lata.
Bolaxinha de soda e limen- em tatas grandes
a 2,000 rs. cada tata.
Cognac de superior qualidade 800 rs. a gar-
rafa.
dem de carnauba e coraposic4 a 32o e 36-.
rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Tijolo para limpar facas a 14o rs. cada um.
Toucinho de Lisboa e Santos a 32o rs. a libra.
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
Peixe m latas grandes, savet, pescada, cor-
1 vina, e outras qualidades a 1,000 rs. cada
lata.
Papel grere pautado e liso de 3,ooo a 4.000
rs. a resma.
Passas muito novasa8,5ooa caixa e 48o rs.
a libra.
Palitos lixados para dentes a ltors. o maco,
plem de flor a 2oo rs. o maco.
Prezunto para fiambre inglezes e americanos
a 85o rs. a libra,
dem do Porto a 48o rs. a libra.
Queijos prato de 48o a 600 rs. a libra,
dem londrinos os melhores que se encontram
neste mercado a 800 rs. a libra.
dem llamengos vindos no ultimo vapor de
2,8oo a 3,ooo rs.
Sardnhas de Nantes muilo novas a 32o rs.
a lata.
Sag muito novo a 2oo rs. a libra.
dem muito superior a 28o rs. a libra.
Sabo maca de diversas qualidades a 2oo e
24o rs. a libra.
dem inferior de 12o a 18o rs a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueras a 6,5oo
rs.
dem haniburgueza em ditas a5,8oo rs.
dem de Hollanda em garrafoes grandes a
5,5oo cada um.
dem em botija a 4oo rs. rs. cada urna.
Garrafoes vasios de diversos tamanhos a 5oo,
64o e l,2oors.
Gomma do Aracaty a loo rs. a libra.
Graixa a too rs. a lata, e l,2oo rs. a duzia.
Licores finos francezes em garrafas e fras-
cos de diversos tamanhos de 600 a 800 rs.
cada um.
Marmelada imperial de V dos os conservei-
ros de Lisboa a 64o e 700 rs. a libra.
NOTA LIQUIDAClO
H ftiftndas inglezas, francezas, al lumias o suissas,"
que prctendein liquidar antes da festa do na-
tal, por precos baratissimos, alim de apurar ili-
nheiro, sendo a maior parte deslas falencias in-
teiramente novas, chegadas pelos ltimos vapo-
rs de todas se do amostras, deixando penhor :
aa leja e armazem do pavio, ra da Imperatriz
n. 60, du Gama & Silva.
As Uaziulias d patn.
Tendem-sc as moderoissimas laznhas com 9
palmos de largura, seudo lisas e de quadrinhos,
propwau para vestidos, capas soutam baques pelo
(barato preco de 120 o covade, litas com 4 pal-
alos, Usase de quadrinhos aO rs., ditas garibal-
Minas a 400 rs., ditas enfeitadas de quadrinhos a
:|60 rs., bareges matisados muito linos a 500 rs.,
laazinhas transparentes com palmas de seda a 500
ts-, ditas mati sadas a H) rs. o covado : s na toja
ido pava, ra da Imperan iz n. 60.
Grosdenaplrs a 1:500, na luja do pavo.
Fazenda .1 i$300, t5600, 15800 e 2*000 : s na
oja de- pavao, ra da Impcratriz n. 60.
Massa de tomate muito nova a 64o rs. a
libra.
Marrasquino de Zara a 64o rs. o frasco,
dem em frascos grandes a 800 rs.
Cominhos muito novos a 5oo rs. a libra.
Erva-doce a 24o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Gravo da Lidia a 64o rs. a libra.
Cannella a I,loo rs. a libra.
Alfazema a 2oo rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs.
o frasco.
ATTENCAO
botija.
Milho alpista o mais mpo que Iva a 160 rs. a libra a 480O rs., a arroba.
\uiho verdadeiro Figueira e Lisboa, a 500 e 400 rs. a garrafa e a caada a 30500 e 3
dem do Porto, a 4500 a caada.
E alm dos gneros anminciados ha outros muitos baratissimos, assm mu
queijos novos, chouricas, servejas das melhores marcas, aletria, ameixas sevada, cmnt-
nho, eeva-dece, pimenta, sabo, canetla, phosphoros do gaz, que tudo se vende por
menos de 5 10 por cento, a dinheiro contado.
Botica
(fe
e armazem
drogas
Raa d C'abng n. II.
DE
Joaqiiim Mailinbu da Cruz Corrria.
Ventle-se o seguinte :
Salsa parrilha de Bristol.
Pastilhas assucaradas de Kenip.
Pastithas vermfugas de Kemp.
Elixir de citro lactoto de ferro do Dr. TliCTiiWS
Roli do I.afecteur.
Xarope depurativo d'odoreto de feTo de Soy.
Xarope peitoral sedativo de Guy.
Pastilhas peitoraes Italsamicas de Guy.
I'ilulas da vida.
Burel franciscano (mesclado) para imagens.
Injecco Brow.
Xarope du citrato de ferro de Chable.
Pilulas contra sesfics.
Salsa parrilha de Sands.
Extracto (luido de satsa parrilha de Baihs.
Xarope alcoolico de vellame.
Alm destas drogas ha constantemente ata rom-
pleto sortimento de tintas, verniz, ouro para deli-
rar, preparados chimicos e phannaceuticos qn
vendem por commodos precos.
O pao vende os cortiaados.
Vendem-*e ricos cortinados adamascados pro-
prios para janellas, c camas para noivos, pelo ba-
rate prego de 95000 e par : na ra da Imperatriz
n. 60, loja do pavao.
Fusto ilo |iavo.
Vende-sc fustao branco para vestido e roupa de
neninas a 500 rs. o covado, dito de palminhas a
* re., Lirlatanade palminhas a 320 rs, fil bran- fa ?n"'; >"' nui i
-o-liso, e larlatana branca e de cores a 800 rs. a | fe> loJa de *t" <** *-
vara : na ra da Imperatriz n. 60, loja de Gama &
Silva.
A carnaiilia do pavo. '
Vende-se cera de carnauba em saceos, por preco I bacatas para acabar.
nuito em conta, ou mais barato do que em outra Sedas de quadios e de lisiras a : rs. nrc.vv
Barricas com bren : na rna da Cadeia do Recl>
fmmi
s
qualquer parte : a tratar na ra da Imperatriz n.
O, loja de Gama & Silva.
A 10$000, s o pavao.
A'Soutamharque.
Vestidos a lOgOOO. a na loja
do pavao.
Vendem-se os mais modernos vestidos de laazi-
nhas transparentes com lindas barras bordadas
Soutan-enbarque, trazendo cada um o enfeitc pre-
ciso para o corpo, sendo fazenda rhegada pelo ul-
timo vapor francez, muito propria para o tempo de
festa, e vendem-se pelo haratissimo prego de 15,
na loja do pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva
Os reos vestidos soutambar-
que. que ehegaraui para a loja
do pavo.
Ghcgaram pelo ultimo vapor francez os mais
ricos vesdos soutambarqite, sendo enm as saias
j feitas c ricamente enfeitadas e guarnecidas,
lendo a precisa fazenda para fazer o corpo; com
seus competentes sotitambarqnes primorosamente
enteitadns, vindo tudo em um s cartao, assim co-
mo as nais modernas camisinbas com manguitos a
pannos a balao ricamente enfeitados, e vendem-se
por preco favoravel : na loja c armazem do pavao
na rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os modernissiatos vestidos do
pavo.
Acaba de chegar um variado sortimento dos
mais modernos cortes de laazinhas, proprfas para
vestido, tendo as barras primorosamente matiza-
das, trazendo bada um corte seu ligiiriuo para
amostra; e vende-se na loja do pavao, ra da Im-
peratriz n.60, de Gama & Silva.
PERCALAS OE LA
a 300 rs., s o pavo
Vende-se esta nova fazenda de laa denominada
precala, tem 4 palmos de largura, com os mais nao
cores, proprios para vestidos,' e sendo urna das fa-
zenda mai> mollentas que ha para a festa, e veti-
de-se pelo barato prego de :160 rs o covado : na
loja do pavao, na da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
As bretnuhas do pavo.
Vende-se bretanha de algodo em pecinhas de
rolo, cada pega com 10 varas, pelo diminuto prego
de 35200 cada pega, assim como lengos brancos
muito superiores a 2 a duzia : na loja do pavo,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
O pavio vendo para luto.
Vende-se Huissimo setim da Chin, fazenda sem
lustro, proprio para vestidos de senhora, para ca-
pas e roupa para homem, tendo esta fazenda seis
palmos de largura e sendo muito leve, vende-se
pelo BaratissHwo. prego de 220 o covado, garan-
tindo-ne que nao se torna ruga, e vende-se unica-
' mente na ra da Imperatriz n. 60, loja do pavao.
O pavio vende corles de caira.
Vendem-se cortes de caigas de casemira de co-
, res a 25400. ditos de cachemira da Escossia a
*|840, ditos de ganga a 13600, ditos de brim de
1 uou cr a 2*240, ditos de castor a I.J80, di*
; de casemira preta a V8000 e 5*000, ditos de caso-
mira (Tna de cor a 54300
do, Hndas lilas de quadrinhos a 360 covado,
periores cassas de cores a 200 rs. o a
muito finas a 240 o covada : na loja das n Ii
na ruado Crespo n. 13, de Antonio Corroa de ''..-
concollos & C.
XAROPE
deLAEELONYE
riiai'maceulico da piimcira dasse
i;iu Pars.
Este medicamento empreg.nlo ha mais de
O anuos, com successos constantes, |
melliores mdicos em lodos es pnces, wa-
tra as molestias do coraalo, as kydropisiaa
e as affecrOes do peito, acaba de receber
um novo suffragio por nao ter por ora ap-
parecido outro igual para turar infatlrrcl-
inente lodas as doencas do coracSo or
cas ou inorgnicas, palpilaeoes, hydrop
geraes ou parciaes. hydtothorax, asi I
chronicas, bronchiles nervinas. %
elironicos, aplionia (exliticco da vi': .
As ga/etas medicas lallain catorosamenie
sobre os eleitos preciosos do Jarflp
Labclonyc, quelem hoje adijuirido um dos
primeiros lugares no tpiaJio dos medica-
nientos os mais afamados e da therapeul a
universal, como o declaram os celebres m-
dicos france/es: Andral pai e filho, Bju-
land, Cottereau, Desruelles. Fouquier, I.e-
maire, Marjolin. Pasqnier. Rostan, Rous-
seau, Delaberge, Parmantier, Puche, Ther-
rim, Vidal (tle Poitiers), etc.. e ouin-s fa-
cultaticos ttos mais celebres.
Vende-se em garralinlias de vidro venV,
trazendo um rotulo, fundo cor de vi-
clara, jaspeado, no qual sobreslie a 1 < me
Labelonye, o gargalo da garrafa ira/, urna
tira azul jaspeada, com a lirnia de I
Ion fe, e a rolha coberla com urna capsula
de metal branco com a nscripgfio S'op
de Digilitale de Labelcnye, pharmaci.;:.
Paris.
Deposito geral: em Paris, ra Bourbon-
Villeneuve, 19.
Era Pernambnco.na casa de Caors A i:;-i -
bosa na ra da Cruz n. *.
ESCRAYOS FGIDOS.
O proprietario dos armazens So Progresista jamis deixar de offereeer aos seus rua"da'rniperatriz n. 6Tde GaTna&"s?iva.V
freguezes tudo o que for preciso para que sejam bem servidos, e como a festa se aproxt- Cal d Lisboa-----~
ma ptima a occasiSo-dos seus freguezes experimeDUrero a realidade, que nunca dei- Chegada ultmamente; na ra do Vigario n. 19, i
aira de ser raanda pele proprietario destes armazens. primeiro andar.
Eserava fugiti.
Fngio no da 6 do corrente da casa de sr v. e-
nhor, o bacharel Trajano Viriato do Ucdeiros, a
eserava Urcula, mulata, do 24 aonos de idade. na-
tural do Sobral, estatura e corno regulares, tal ios
Xi^\riT!ir'JS bastantes grossos, cabellos corrido e mnil
*' 1 tdos. Hoga-se as autoridades policiaes c capirf.es
de campo a captara Mt, o ooroBa-a Dominrts
1 dos Passos Miranda, na ra do Hospicio 11.
qual gratificar generosamente,, protestamlo-se
I igualmente contra quem a n'ver aceitado.




8
Diarlo de Pernaaahnco Nabfeado de Dezentbro de I 363.
J.
. LITTERATORA.
tribuna e a Impreosa parla-
mentar na Inglaterra.
0 publico linha curiosidade de conhec-las ; os A 12 de marco de 1770, o corone! Onslow, fu- da sua extrema miseria em 1807. Era homem de
jornalistas e os impressores estavam anciosos por rioso pelo que os jornaes diziam contra a sua pes-1 grande intelligencia e de prodigalidade ainda
pnlilica-las, mas os legisladores da cmara linham \ sda, vciu queixar-se cmara dos communs e pro. maior. Depois de ter esgotado todos os recursos,
todo o empenho em subtrahi-las s vistas e cen- poz a prisao de seis de scus inimigos, os impresso- de ter cansado e aborrecido os seus amigos, foi car-
res, de quera elle falln como de urna matilba de regado da calcada de urna ra um leito do bos-
nfCRTO AO RTICO SOBRE OS VETERANOS DA
IMl'llKNSA MILITANTE.)
sura dos curiosos.
Poz-se de novo em vigor a exclusao dos esira-
nbos na sala das jessSes e a prohbigao de relatar
(Continuagao.) < debates.
A primeira orduin para a exclusao dos estra- A legalidade, Justina e conveniencia dessas mo-
rillos 6 datada de 1662; nao tinha outro fin que nao ddas foram calorosamente discutidas : a maioria
fosse o de impedir que elles se niisturassem com da cmara proniinciou-se a favor do segredo das
os membros do parlamento, e estorvassem a mar- sessdes, c dous impressores, quo nao quizeram
cha dos negocios. Egual ordem foi de novo ex- obedecer a ordein de comparecerem barra da
pedida em i 70i>. Mais larde, uo reinado de Jorgo camara, foram objecto de urna proclamaciio real
III, os tories privaram o publico da entrada no ordenando a sua prisao e prometiendo urna re-
parlamento, atlm de oceultarem o que abi se pas- compensa de 30 libras esterlinas (1.250 francos)
sava : mas foi inulil a precaucao, pois os proprios quem apprehendesse qualquer delles e o levasse
membros do parlamento mandavam para os jor- presenga dos magistrados,
naes o extracto de todas as suas sessoes. Consta A maioria da nagao pronunciou-se em sentido
Jas actas da cmara dos communs de 1768, que \ opposto, e v coronel Onslow e seu primo Jorge
baria ordem de prisao coulra todo o estranho que Onslow, que no parlamento foram os mais accr-
ahi se iutroduzisse durante as sessoes. O pretex- rimos cm querer quo fossem gecretas as spss6
to para hm exclusao dos estraubos era ordiuaria- ,ornaram-se o alvo da indignacao e do escarneo
mente a falta de espago na sala ; mas a verdade.-1 pub|co n5o nouve sarcasmo que se ,hes ^
passe
caes.
A discussao azedou-se, e deu lugar ataas
pital, e ah morreu desconhecido.
No principio desto seculo, Coleridge foi, durante
personalidades injuriosas, que o presidento ex- algum tempo incumbido de relatar os debates das
clamou : I cmaras, porm faltava-lhc a necessaria actividade
para esse emprego, e alm disso donnia com mui-
ta facibdade, conta-se at quo um dia elle dormiu
Estes debates tem de ser registrados nos nos-
sos annaes ?. .0 que dir a posteridade ?
Essa tumultuosa sessao durou toda a noute, e a
camara s se dispersou s cinco horas da ma-
nhaa.
ra causa era o receio de verem os discursos mais
ou menos fielmente reproducidos. Melbor seria
que dessem entrada a todos os jornalistas ; des-
contentes por se Ibes fecbar a porta, iuventavam
discursos e at oradores.
A despeito de todas as admoestages e prohibi-
eres, Cave e seus colaboradores acharam meios
le penetrar tanto na cmara dos communs como
na dos pares, e toinaram notas s furtadellas, sem
que o guarda da vara preta ou seus salellites os
viessem expulsar d'abi.
Depois com vagar compunbam e desenvolviam
esses esbogos das sessoes.
Cave era por demais intclligente para deixar de
comprehender que o seu talento pessoal Bao era
sufflciente para esse trabalho : associou-se entao
a W. Gtulirie, autor da continuarao da historia da
Inglaterra, e Smolett, tendo alm disso oulros au-
xiliares, entre os quaes leve a fortuna de ver alis-
tado o clebre Dr. Johnson. s relacoes dos de-
bates redigidas "por Johnson que o Gcntlemen's Ma-
gazine deve a grande aceiiago de que gozou ; mas
a sua exactidao posta em duvida e com bastante
fundamento.
Ha quem assegure que Johnson, esse severo e
escropuloso moralista, exprobrou-se a si proprio
o ter tomado parte nesse trabalho que era urna
obra toda mentirosa c um composto de falsidade.
Esta ancdota nao est bem provada ; mas o
que certo que Johnson publicava antes o que
os oradores inglezes noderiam ou deveriam ter
dito, do que aquillo que na realidado elles diziam-
Essa publicacao mais officiosa do que oflicial
sustentou-se at 1747 ; depois, de repeute, a 30 de
abril desse anno, a camara dos pares despertou do
seu longo somno, c o guarda da vara preta foi en-
carregado de urna ordem de prisao contra Cave e
Thomaz Asile, por terem relatado, no Gentlcmens
Magazmeo no A>mlon Maguzine, o julgamento de
lord Lovalt (2).
As desculpas allegadas por Cave nao pareceram
muito peremptorias quanto legalidade nem quan-
to boa f, a elle viu-se obrigado, assim como o
seu companheiro, a pedir perdo de joelhos ca-
mara, prometiendo nunca mais rescindir em tal
offensa.
O ardor de Cave estere por algum tempo como
que adormecido, mas d'ahi a pouco reappareceu
e em 17o2conlinuou a publicacao das sessoes par-
lamentares tendo o cuidado de nao escrever por
extenso os nomes dos oradores.
Escrcvia M. P... quando quera fallar de M.
Pitt : o vu era bem trasparente.
Do anno de 1743, poca cm que o Dr. Johnson
cessou de compr e publicar os discursos parla-
mentares, ao*anno de 1766, ha urna lacuna na
historia dos debates do parlamento.
As portas da casa da camara estavam hermti-
camente fechadas, e mnguem se animava a publi-
car as suas sessoes.
Euconlram-se informacocs 'sobre esse periodo
silencioso, em certas obras daquelle tempo e em
alguns manuscriplos, dos quaes o mais importante
um jornal parlamental redigido pelo illutsre Fe-
lippe Iorkc, filho mais velho do lord chanceller
Hardwicke ; ahi elle d cotila de todos os debates
desde o mez de dezembro de 1743, at o raez do
abril de 17lo.
Mais larde, era 1766, M. Almon quiz preencher
essa lacuna : mas a sua obra nao trata dos debates
da camara dos pares, e quanto a camara dos com-
muns, a historia das suas sessoes des.de 1751 at
a elevacao de Jorge III ao throno, em 1760 acha-se
toda em um volume de 100 paginas in-oitavo, cuja
impresso nao compacta.
No tempo de que fallamos, o crime de inserir
nos jornaes o nome de um dos pares na relagao
dos demais parlamentares era punido com urna
mulla de 100 libras esterlinas (2,500 francos).
Almon refere que lord Marchmont examinava
todos os dias os jornaes para descobrir algum cul-
pado ; era a ave de rapia que farejava a
preza.
No comeco do re inado de Jorge III, os torios,
tendo tomado conta do poder, quizera fazer obser-
var strictamentc o regulamento que exclua o pu-
blico das sessoes do parlamento, porm essa medi-
da nao teve o resultado que se desejava.
Os oradores, enjo amor proprio soffria por se-
ren eloquenles sem echo, eram os proprios a en-
viar a copia dos seus discursos (provavelmente de-
pois de corrigidos) aos Magaz'me, que contavam
ento grande numero de leitores.
Foi nessa mesma poca que as folhas diarias
comegaram a publicar os resumos dos debates do
parlamento, mas faziam-no em um summario trun-
cado e sera graga.
Em 1770, o clebre Wilkes foi eleito membro
do parlamento, e conspiraram-se contra a sua
eleigo os infelizes candidatos de quem elle trium.
phra.
A camara dos communs annullou a eleigo de
Wilkes e proclamou a vahdade da do seu concur-
rente, o coronel Luttrell, apezar da immensa maio-
ria de votos obtida por esse demagogo que Thack-
ray chamava pequeo blasphemador com olhos de
gallo.
As discussoes sobre esse assumpto foram verda-
deras tormentas.
(2) Em consequencia da insurreigo jacobita de
1745, lord Lovalt, ancio mais que octogenario,
foi condemnado a morle pela camara dos pares.
Como era de esperar, Wilkes tratou logo de
dar a liberdade da Wheble, e aindaaecusou Cam-
penter de ter feito urna prisao Ilegal, condemnan-
do-o por isso a um schilling de multa, e dous
mezes de prisao.
A questao suggerida pelo coronel Onslow, bem
depressa tomou proporgSes alerradorss. O impres-
sor Miller, preso em virtude de um mandado as-
signado pelo presidente da camara dos commnns,
foi conduzido presenca de lord maire de Lon-
dres, que, ouvindo a opiniao dos aldcrmen Oliver
e Wilkes, decidiu que essa prisao era Ilegal. Isso
deu lugar a um grande rumor e a un eminente
conflicto entre a Cil de Londres e o parlamento
da Inglaterra.
No dia 18 de margo, o presidente da camara
dos communs apreseniou a assembla essa grave
questao, e propoz-se que o lord maire, que tam-
bem era membro da camara dos communs, fosse
intimado para vir tomar assento, e assistir ao exa-
rao do seu procedimento. Sr Wllam Meredith,
antevendo todas as ms consequencias de urna ta
proposta, supplicou camara que nao travasse um
imprudente conflicto que poda fazer perigar o
parlamento, a dynastia o o proprio reino. Replica-
ram-lhe que as ordens do presidente da cmara
dos communs deviam ser obedecidas, e que ne-
nhum ompregado dajustiga linha o direito de es-
torvar a execugao dellas.
Edmund Burk, em urna renhida arguiuentago,
rogou que a todo o custo so evtassem desastrosas
hostilidades entre o parlamento e o mais impor-
tante de todos os corpos constituintes do reino,
t Travarmos tal contenda, exclamou elle, seria
termos a mesma loucura de Carlos XII da Suecia,
que quiz extinguir um incendio langando-lhe den-
'ro urna pipa de agurdente, i Propoz-se entao nm
adiamento, o que nao era seno urna evasiva para
desembaragarem-se desse negocio.
O coronel Onlow soltou de novo seus furiosos
gritos na discussao a esse respeito, e finalmente
decidiu-se que Brass Crosbv, lord-maire da cidade
de Londres (que entao eslava de gotta) foi intima-
do para comparecer no dia seguinte no seu lugar
no parlamento, se o seu estado de saude assim o
permitlisse.
A 19 de margo comegou de novo a lula. O lord-
maire, ainda doente, sahiu da Mansion-House, sua
residencia, s 2 horas da tarde, para ir cmara
dos communs passando pela Cit. Nessa manhaa
os cartazos manuscriplos linham annunciado a su
sabida, e o caminho que devia seguir ; depois do
meio dia espalharam-se com profusao oulros avi-
sos escriptos mo, e convidando os' habitantes de
Londres e todos os amigos da liberdade para eseol-
tarem o lord-maire e trazerera-n'o em triumpho
da camara des communs Mansion-Hou$e.
O programma democrtico teve plena execugao.
inmensa multido enchia as ras, e o lord-maire
foi saudado com estrepitosas acclamagoes como
amigo do povo, defensor dos direitos d Cit c da
liberdade da nago.
Nos debates que tjveram lugar no interior da
camara dos communs, o lord-maire sustentou que
nao fizera mais do que o seu dever, pugnando pe-
las garantas dos cidados de Londres taes quaes
Ih'as outorgavam as cartas da Cil, cartas confir-
madas por um decreto no parlamento no reinado
de Guilherme e Mara.
Mutas sessoes, e sessdes de um nteresse dra-
mtico, foram consagradas a essa espnhosa ques-
tao, na qual quizeram a principio envolver Wilkes,
contra quem todava nao proseguiram as hostili-
dades, pois o ministerio tinha modo de lutarcom
lio fogoso alderman, e nao quiz ter mais duvidas
cora esse diabo de Wilkes.
Na discussao, Edmundo Burk defendeu com to-
da a energa a causa da liberdade da imprensa, e,
no momento em que elle conclua o seu discurso,
o rumor do tumulto da ra tornou-se too alroador,
que elle este ve muito tempo sem poder ouvir os
oradores, que quenam responder-lhe, o que tive.
rara de sentar-se sem fallar.
As ras de Weslrainster estavam to apinhadas
de povo, que um membro da camara dos com-
muns, para l entrar, levou duas horas a roraper
por entre o povo, e nao o fez sera risco de vida.
A carruagem de lord N'ortli foi despedagada pela
populaga ; ao proprio lord North rasgaran! a rou.
pa, arraslaram-o na lama, e infallivelmente o ma-
lariam, so nao houvesse quem o soccorresse.
Um magistrado que se atreveu a ler o riot-ac
(le contra os ajuntamentos) foi corrido a pedras
c teve de relirar-se.
duraute todo o tempo de um discurso de M. Pili,
discurso quo elle tinha especial recommendagao de
reproduzir. Isso nao obstou a que chegando casa,
e guando-se pelo pouco que ouvira, redgisse urna
Tres impressores foram ajoelhar-se barra da das mais bellas fallas desse ministro!
camara, e ahi ouviram urna spera reprehensio Em 1801, lord Walsragham queixou-sa na ca-
os outros nao compareceram. mara dos pares de que 0 Morntig Hernd |)U,,|ipa.
Poucos dias depois, Weble, um dos dous m- ra e falsificara alguns discursos ahi proferidos,
pressores contra os quaes se ordenou urna procla- Lord Longboroug accrcscentou que qualquer com-
magao, foi preso por um sujeito chamado Campen- mentario dos jornaes sobre as discussoes parla-
ter e conduzido presenga do alderutan Wilkes' mentares era una infraegao as prerog.itivas do
em Guildhall. .parlamento. O editor e redactor em chefe desse
Entretanto a camara dos communs nada fez para' jornal forara reprehendidos abarra da camara e
satisfazer o publico. Nao ha ahi um lugar espe-' sentenciados a urna multa,
cialmente destinado aos redactores incumbidos de ^S annos seguimos, novas queixas deram lu-
darem conta das sessoes. Privados de escrivani- gar a novos processos de infidelidade, mas nao
nhas e de cadernos para escreverem (pois qualquer continuaram os castigos. Em 1810, em quanto se
escrivaninha ou caderno que l apparecesse seria i proceda a areriguagoes sobre a conducta do go-
apprehendido pelos guardas come fazenda de con- verno a respeito da malfadada expedicao de l'Es
trabando), achavam-se urna posigao muito racom-
moda, e viam-se obrigados a recorrer memoria
nal.stasde falsificaren! as suas palavras de propo-
sito e de ma f. Tal linguagem nio era de aatu-
reza a grangear-ihe a benevolencia desses escrip-
tores (ja prevenidos contra O'Connell, convm
eonfossar; que se reuniram contra o celebre ir-
Iandez como contra um inimigo commnm, e com-
binaram-se para deixarem passar era silencio to-
dos os seus discursos at que por meio dessa
quarentena elle Picasso bem punido.
conhecido como especial correspondente do Tima,
foram empregados na slenographia parlamentar.
Para os mogos de intelligencia e de ambiges, a tri-
buna dos redactores dos debales do parlamento,
de ordinario o prmeiro degrau por onde sobcm
muito mais alio. A farefa desses escrintores nao
das mais fareis e exige milita habildade e ao mes-
mo tempo um juizo muito certo, assiduidade e ex-
pediente : o redactor dos debates parlamentares
deve ser de una lldelidade irreprehensivel, a sua
responsabilidade immensa : deile depende a re-
, ,C' klVhL"nel1, T ,"!,alsao doseu Jr,lal> a opiniao publica enca-
r SS cujos bo o- iniiiba-se bem ou mal, 'conforme a veracidade ou
11 ttstnl o registrar i No e- mexaciidao das suas palavras
que Boberlo Peel defendeu calo-1 '
A natureza do se.u trabalho faz desses escrptores
una especie de aves nocturnas, e issoosprejudica,
aobem que boje elles gozem de mais considera-
goe na sociedado do que amigamente. E" indubi-
ave que a presenga delles as tribunas publicas do
parlamento anima os oradores e estimula-lhe a
eloquencia.
Era, com efeito, a melbor vinganga que "po
(lian tomar de seu aecusador, e O'Connell,
furioso que nunca
tins seria intil e
raos nicamente
rosamente a causada imprensa.
caul, M. York pronoz exclusSo dos oslranhos
que iam assistir s sessoes das cmaras, e isso
para reproduzirom os discurses que ouviam. Um com o fim de impedir que os debales parlamenta-
dos mais notaveis desses redactores de memoria,
era Wiilian Radcliffe, cuja esposa autora dessas
celebres novellas que tanta impresso faziam s
nossas avs.
Outro redactor do mesmo genero era W. Wood-
fall, a quem pozeram o appellido de WoodfaU-Re-1 corromP'u'a> dar-lhcs-hei a faculdade de fazer no-
miniscencia lio maravilhosa era a sua memoria ; mea5,;S Para todS os erapregos e os meios de
Esse dom singular Ihe grangeou tal reputagao, que' disP"r de lodo Pder das influencias adminis-
os estrangeiros que vinham assistir s sessoes do
parlamento tinham tanta curiosidade de ver M.
res chegassem ao conhecimento do publico.
Foi nessa occasio qne Sheridan exclamou :
Deixem-nos a liberdade da imprensa, e eu con-
cederei ao ministerio ama camara do pares venaes,
conceder-lhe-hei urna camara de communs servil e
Woodfall como qualquer das notabilidades da tri-
buna. Elle eslava sempre na galera publica des-
de que se abriam as portas at que se encerrava a
sesso, e durante todo esse tempo o nico alimento
que toraava eram alguns ovos cosidos cujas cascas
esconda no cbapu.
Pregaram-lhe urna vez a pega de substituir um
dos ovos cosidos por um ovo quente ou cr, e pde-
se fazer idea do estado em que ficaria o chapu. A
exactidao da sua memoria nao Ihe valia para esca-
par aos processos por motivos de imprensa, e elle
recordava-se rindo que fura condemnado pela ca-
mara dos pares a pagar urna murta, que fra preso
por ordem da camara dos communs, que pagara
outra multa e fora preso por causa do tribunal do
banco do rei, e que fra aceusado perante o tribu-
nal de polica de Oid-Bailey.
Os resumos dos debates redigidos de memoria
nao podiam apparecer senao depois de passados os
debates e j fra da actualidade ; por isso, Perry,
proprietaro do Morning-Chronicle e rival do jornal
de Woodfall, lembrouse de empregar diversos re-
dactores em vez de um s. Por meio dessa subdi-
visao do trabalho elle consegua publicar de ma|
nha os debates da vespera, e, quando Woodfal-
apenas acabava de redigir o seu resumo, o jornal
de Perry j circulava por todos os districtos de Lon-
dres. D'ahi resulloj^ajjjueda do jornal de Woodfall
e a fortuna de Perry.
No numero dos redactores dos debates parlamen-
tares, Perry Uvera o cuidado de alistar homens de
grande capacidade, mas forgoso confessar que,
salvo algumas brilhantes excepgoes, elles perlen-
ciam quasi todos a essa classe que em Paris se
chama a Bohemia.
A maior parle desses redactores vindos da Irlan-
da ou de Londres com o designio de exercerem
qualquer profissao trabalhosaou de se fazerem jor-
nalistas, conforme a fortuna os ajudasse, preferiam
as sessoes das tavernas s do parlamento. Ora da-
vam festras de Sardanaplo, ora langavam mo de
todos os exigientes para poderem pagar um ma-
gro jantar.
trativas, e tendo por nica arma a liberdade da
imprensa, sem temor entra re em luta com o go-
verno.
A hostilidade da camara dos communs para
com os jornaes excitou a colora da opiniao publi-
ca. Um carlaz impFesso que os representantes da
Inglaterra consideraran! injurioso para elles, foi
causa de ser o seu autor J. Jones preso em New-
gate.
Sir Francs Burdett tomou a peito o negocio, e,
em uraa carta publicada no registro poltico, jornal
redigido por Cobbet, sustentou que a camara dos
communs nio tinha o direito de mandar prender
um cidado mglez.
Houve a esse respeito, um grande debate qua
durou tres dias, e que terminou lavrando-se uma
ordem para que sir Francis Burdett fosse preso e
recolhido torre do Londres.
Sir Francis declarou que nao obedeca a uma
ordem Ilegal, e ntrincheirou-sc na sua casa da
ra do Piccadilly. A casa foi logo cercada de a-
motinadores, que repetiara mil vezesos gritos de :
Viva Burdett Quebraram as vidracas das pes-
soas indigitadas de anti-popularidade, e os botoes
dos constables foram impotentes contra os distur-
bios do povo ; foi necessario recorrer forga ar-
mada, que consegu u dispersar a multido, de-
pois de muita pancada e mesmo alguns ferimen-
tos. A infantaria e a cavallana, postadas no Pic-
cadilly, dissipavam os grupos, que d'ahi a pouco
formavam-se de novo.
A capital dos tres reinos eslava em tal ebul-
l{o, quo do outro lado da Mancha o imperador
Napoleo julgou que ia cahir o ministerio inglez.
Sir Francis Burdett sustentava corajosamente um
sitio contra os guardas do parlamento, e um de
seus funecionarios, que, com o auxilio de uma es-
cada, introduziu-se dentro da casa por uma das
janellas, foi expulso pelo mesmo caminho. Final-
mente, a polica abriu umo brecha pelo pavimen-
to terreo, penelrou na cazinha, e censeguiu apo-
derar-se dos andares snperiores. Sir Francis foi
preso e conduzido torre de Londres sob a guar-
da de diversos piquetes de cavallaria, e nao" sahiu
A vista do que temos dito, parece, que O'Connell
tinha grande empenho em que seus discursos fos-
sem reproduzidos palavra por palavra. Assim era
quanto aos dos parlamentos, mas nao se tratava do
que ello dizia em outros lugares. Em uma das suas
excurses oratorias na sua ilha natal, alguns ste-
nograpbos inglesa* lizeram expressamenle por cau-
sa dellc uma viagem Irlanda. Foram ter com o
enthusiaslico tribuno na assembla popular de
Kantuck.
O'Connell, a quem esses foram apresentados,
apertou-lhes a ralo, fez-Ibes muilas cortezias ecom-
prmentos, e declarou que nao comecaria a fallar
emquanto nao os visse sentados e munidos de peu-
na, papel etc.
Depois de ludo prompto, O'Connell comegou o
seu discurso e continuou-o em lingua irlandeza
(da qual esses seuhores nao comprehendiam uma
syllaba.) Disso aojseu auditorio quem eram aquelles
seuhores, e qual o llm que os lizera emprehender
uma viagem Irlanda : li geral o riso era toda a
assembla, e os steuographos desapuntados toina-
ram o partido de rirem tambem da raystillcago de
que erara victimas.
Jn.do ,em O' Connell mandou fechar as
ponas das tribunas, a propria camara dos com-
muns llcou mais casligada do que os jornalMu, e
os s.eus membros mais influentes inlervieram allm
de obter-se a revogago dessa ordem.
Lonvem que a camara termino que as suas de-
noeragoes serao secretas, quando ella entender que
isso e necessario aos nteresses do paix, mas ab-
surdo que omu humor de um nico dos seus raem-
Drossejasufflciente para que se fechan) as portas ao
publico.
Entretanto, o amigo regulamento nao est ainda
expressamenle abrogado, com quante nao estoja em
vigor. '
Por mais prodigiosa que seja a memoria de nm
hornera, e raro que fila seja capaz de reter lodas
as palavras de um orador cas columnas de alga-
ristnos que enchem as discussoes sobre materias
de Unangas; por isso nao hoje admittido no nu-
mero dos redactores dos debates do parlamento se-
nao quem um pouco versado nos mvsterios da
stenographia.
Esta arte tem originado diversos syslemas: ora
recorren) ao svsiema de Gurney, era ao de Tav-
lor, e muilas vezes ao svstema plionographico de
Pitman.
Carlos Dickenes, no seu David Copprrpeld, des-
creveu como perito todas as dfflculdades dessa
. scienca e lodas as agonas de um novico stenozra-
STITL-T0 rar occulta,nen,e <>Ut !'"-> m capitulo da sua antobiographia trL-
dssim st iiztsse. portado para o romance.
Desde que se comegou a introduzir a stenogra-
0 Times e os jornaes mais conceituados reclama-! I'hja na Inglaterra, no reinado de Elisabeth at
ram contra um tal procedimento ; appareceram! Iim>. lem-se inventado mais de vinte diflerentes
artigos ferinos que esmagavamo deputado irlandez methodos de abrevagoes, e tem-se publicado cen-
< niiaiiuoiuaui; IUIUI.1 CO ICUilllUICS uus uu
parlamentares pareccm que heridetaria na I
lia O'Connell. Em 1849, Joao O'Connell,
A animosidade contra ss redactores dos debates
farai-
que
tinha todos os defeitos de seu pae sem pos-
suir o seu talento, comegou um combate con-
tra a tribuna e os jornalistas e requereu que,
em virtude dos regulamentos antigos, elles fossem
excluidos da sala da camara dos communs, e esta
e o Punch (que o Charivari de Londres) nao Ihe
poupou dichotes nem caricaturas.
Transportemos-nos idealmente camara doscom-
mus, e entremos na tribuna dos stenographos ; ella
pode conter urnas 30 ou 40 pessoas; d'ahi, avista-1 o trigo, amassamos o pao'a vapor e at pregamos os
mos, direita, as cadeiras dos ministros, esquer- botoes por meio de machinas; entretanto a nossa
da os bancos da opposigo, e justamente em baixo
de nos a cabelleira do presidente e sua mussa, que
Crouwell classificou de matamba ; por cima das
nossas cabegas est a tribuna reservada para as se-
tros de tratados a esse respeito, mas a nossa escrip-
turagao usual contina a ser de um vagar deses-
perador.
Vivemos em um seculo de progresso e de atara-
vilhas, lavramos a trra, cegamos o feno, balemos
nhoras; ahi presta-se bem punca attengo aos deba
tes da camara, conversa-se sobre as raoedas, sobre
os criados que se pretende despedir.sobre os saraos
a que assistiu, e os bailes a que se ha de ir cora
vestidos novos, etc., ludo isso em risco de atordoar
os stenograhpos cora o fallatorio e faze-los commet-
ler singulares engaos na redaccao. O numero dos
estenographos de cada jornal varia conforme a im-
portancia do jornal que os emprega ; o Times tem
chegado a ter 16 ou 17.
Dividem-se em dous grupos, e assislem uns aos
debates da camara dos pares, e outros aos da dos
communs. Fazem o trabalho cada um por sua vez
e levaniau-se do banco com a ligeireza e regulari-
dade de uma machina.
O original que vae para a imprensa deve neces-
sariamente ser intelligivel para evitar os erros dos
typographos, qne sempre oscommettem em grande
numero, e os engaos s vezes ridiculos e outras
vezes bem desagradaveis. Quando ha um discur-
so muito longo, e que, por exemplo, um prmeiro
ministro falla muitas horas sobre uma questao de
grande inleresse para o ministerio, todos os steno-
graphos tomam parte na redaego ira h.. I bando cada
um por sua vez. Parle do discurso j est impre-
sa, outra parle passada a limpo antes que elle este-
ji terminado. Presentemente, gragas ao telegra-
pho elctrico, o principio de um discurso pode ser
lido em Liverpool e em Manchcster antes que o
orador tenha acabado de fallar em Westminster.
maneira de escrever comparada stenographia,
est no mesmo caso das amigas carruagens com-
paradas aos trens dos caminhos de ferro. Nao po-
demos entrar aqu nos detallws technicos do di-
versos systemas de stenographia, a maior parte dos
quaes apresentam caracteres tao indecifraves ro-
mo os hieroglyphos do tmulo do rei Hham.-s o
rande.
Uma boa stenogrophia aquella que tem bases
mais simples, e que fcil de tragar e de ler. Os
olhos habituam-se aos signaes e gestos stenogra-
phos assim como se habituara aos caracteres da?
linguasorientaes.
Quanto ao stenographo em si, diremos que para
ser um bom stenographo deve ter muita instruc-
go e conhecinientos: necessario que tenha al-
gn estudos de direito para evitar os erros quan-
do se trata de negocios judiciarios : convm rgnat-
menlc que esteja em dia com a litteratura antiga e
moderna; e alem de tudo necessario que tenha
talento para salier quando deve abreviar ou res-
tringir a sua redaccao. As vezes rhegam a Lon-
dres noticias de Paris ou da India cuja importancia
exige que se Ihes reserve ora lugar nos jornaes,
torna-se entao indispensavel cortar alguma eoosa
dos debates do parlamento, mas esses golpes devem
ser feitoscom muita habildade; uma obra muito
delicada.
Sem discutir o mrito dos livros sobre a arte de
escrever tao depressa como se falla, recommenda-
nios o Manual de phonograpliia de filman. E' f-
cil eucontra-lo cm Londres, cusa barato, e quera
nao ter muitas vezes desejado adquirir a setnete
de exprimir o seu pensamenlo por meio de dous
ou tres rabiscos de penna ?
Na tribunados stenographos nao se apreciara o
Em Franga onde os stenographos parisienses oradores como no publico, os mais brilhantes ira-
formara uma especie de corporagao, excedente o provisadores passam desaperrebidos menos qne
meio adoptado para dar conta dos debates legislati- "'"' M' enunciem vagarosamente. Goslam muilo
d<> li .nao **- Mfl.rri!*"" '-__-" I vos- De llous em Jus minutos cada stenographo de lord Palmerston, coraquanlo seja necessario ar-
de la senao depai de encerrada a sessao do parla- substituido por outro. Esse systema de rotago ranjar todas as suas phrases pois nao possivel
ment, v ingou-sc entao em dar urna queixa por assegura a maior exactidao eao mesrao tempo uma I reproduzi-las textualmente: no exordio dos seus
Um desses alegres filhos da pobre Erin chamava- prisao Ilegal contra o presidente da cmara, que extrema rapidez de trabalho. As notas tomadas I discursos as palavras sahem-lhe da bocea com dif-
desse modo sao organisadas c transtriptas por um nculdade e desUcadas urna* das outras: pouco a
redactor especial, melhodo muilo superior ao me pocco que o orador vae se animando. O elo-
thodo mglez, pelo qual cada stenographo, depois! quenle Fox dizia que os^seus discursos erara feitos
de ter tomado notas durante meia horaou tresquar- para serem ouvidos e nao lides, mas d-se intetra-
tos de hora, gasta duas ou tres horas, e s vezes
mais em transcreve-las.
se Marck-Supple; depois de ter despejado as suas assi8nou mandado de prisao, contra o soldado
duas garrafas no caf Bellamv, l a elle para a ca-1T prende" C0",ra lord maire' eovernador da
mara dos communs, e dava conta dos debates como "T" maS ^ ^ pr0CeSS0S nzeram muil ba-
hornera de muilo espirito toraava as maiores li-1 r"'h $fm/esullhado ilam-
l^rdades para com os oradores, e fazia-os fallar de JSf.T h"? ^ U ,reguas.en'1re Par"
maneira que elles mesmos se desconheciara mas T"'0 .Jornalls,as ; mas P0SI?ao des's a
como Ihes empreslava mais eloquencia do que U-1 '^l**'* "*l ?*>
nham, nao se queixa vara da metamorphose e accei-
tavam muilo calados a paternidade de discursos
que nunca proferirara.
Marck-Supple possuia uma exuberancia de jor-
nalisla que agradava a todos e razia com que Ihe
perdoassem as suas travessuras : refenmo-nos ape-
nas a uma entre rail. Era um momento em que
reinava o mais solemne silencio em todo o parla-
mento, que era presidido pelo sizudo M. Adding-
j uao tinham lugares especiaos que Ibes fossem des-
tinados. Pouco tempo antes da morte do Pitt,
tendo esse grande homem de tomar a palavra em
uma questao de extraordinario inleresse, quando
os redactores dos jornaes quizeram entrar na ga-
lera da camara dos communs, acharam todos os
lugares tomados. Foi ento qu elles se ligaran)
para formarem entre si uma cabala : em vez de
relatarem a sessao, publicaran! smente artigo
sobre a impossibilidade que encontraram de as-
ton, Marck-Supple, que nesse dia beber mais do sistir a ella. Esse estratagema produziu bom re-
que de costme, gritou lado alio da galera publi-! sallado : a camara dos communs mandou cons-
Faga favor de cantar uma cantiga, Sr. pre- truir para elles uma tribuna particular, e pouco
.te!... F.gure-se com que caraficou oaus- a pouco se Ihes foi facilitando tudo para o tra-
tero Addragton! Qual seria a sua jndgnago balho
hnivwriU-'hreVer^Ca'-- Levan,ou-seum A camarades pares, que tanto tempo foi iniral-
nZ.P aaCamara: Piu'oimJadaPublcidade, acabou tambera por seguir o
rao u P,tt, na cora riso homrico, quando se ap- exemploda camara doscommuns,c de.erminou que
ca
sideuie
Na America, fez-se um contracto com M. Bee-
ves para se dar conta das sessoes do senado. Elle
tem s suas ordens M. Sutton e dous irmaos cha-
mados Murphy. S elle* esto encarregados de to-
do o trabalho e o desempenham por meio do sys-
tema de phonographia de Pitman. J se v que
devem receber por tal servigo uma grande retri-
bugo pecuniaria, e que as cmaras Ibes devem
dar gralilicagoes alm do prego estipulado no con-
tracto. *
mente o contrario com os discursos do actual pr-
meiro ministro da Inglaterra. Lord Derby nao
agrada ats stenographos porque elles teem rmiito
que copiar quando elle toma a palavra : lord John
Bussell tambera nao Ihes cahiu em graga porque a
sua eloquencia verbosa e a sua pronuncia sao
das mais claras.
O celebre historiador Macaulay, quando teve
assento na camara dos communs, era o terror dos
redactores dos debates porque falla va com nma ra-
pidez extraordinaria e nunca Irsitava na cscolha
dos termos que devia empregar, pois preparara de
antemo os seus discursos, e os seas brilhantes im-
provisos eram feitos com todo o ragar. M. Disrae-
li teve a felicidade de agradar aos stenographos
apezar da rapidez de suas palavras, mas sir G.
S os discursos dos principaes oradores que
sao reproduzidos por exteuso, os outros que se
contenten) cora uma resumida analyse das suas Cornewall Lews mereceu-lhes antipathia porqae
palavras. Se se tivesse de publicar ipsis verbis' ra necessario corrigir os seus discursos, visto que
todas as phrases dos representantes que sao dota- qoas' 'odas as phrases eram repetidas mais de
dos da veia oratoria, uo s se daria ao publico uma vez-
um amontoado de frioleiras c absurdos, como fal-
tara aos impressores papel para imprimi-los, e aos
leitores ainda os mais intrpidos faltara lempo
para os ler.
Os mais mediocres oradores nunca acham que
bastante longa a reprodueco das suas harengas,
mas, dizia Perry, o public nunca as acha bastan-
te abreviada* e se os debates das cmaras fossem
redigidos oom lateral exactidao, eram capazes de
fazer aborrecer o governo representativo.
~^IS de "r *"?*> toN*" se reservassera lugares para os escrip.ores encar-
e delicio burlesco a ura gordo quaker que estar regados derelatarem as dscuss5es.
ker, Marck-Suppiefo. conduz.de a prisao, mas es- tempo e que se dssem muitos incidentes para
teve la poucas horas. E indecente rir dos fue- que a pubhcidade dos debates parlamentares se
raes, senao as ancdotas da vida de Marck-Supple, tornasse um direito reconhecido e incontestavel. J^^SZ^ZS^Z
Arrancaramosto^aos^aftHeoirauivrefendas pelas pessoas que o acorapanharam ao Era 1831, a cmara dos pares ainda fechou as cora'S\aviS o^ lSSu^
to diiiicu re.-iabelccer a ordem. seu ultimo jazigo, leara feito do sea emerro urna portas ao publico para deliberar sobro a raogao do sess,Jes. muilos mogos de taleuto e de boa educa-
As scenas tumultuosas as ras, as deliberagoes occasio de hilardade e nao de lagrimas. conde de Mansfleld, que se queixava de que o
T! Sf enl? ? parlameJ1nt0' as "rali | Outro amigo redactor dos debates parlamentares Taes chamara o conde de Limerick um ente
. 7d-ma,re> deram em resultado era Proby, que nunca sahiu de Londres, nunca poz que tem a pretengo de pertencer a especie huma-
rcerados o lord-maire e o alderman o p era ura barco, e nunca monlou a carallo. na., Nesse mesmo anno, o coronel Sibthorpe deu
Usou ma)s tempo do que os oulros seus contempo- Uma queixa contra o mesmo jornal qne escarne-
raneos as azas de pombo, o rabicho e a bolsa (I): cera delle e dissera quo os seus discursos eram in-
nunca deixara o guarda-chura nem mesrao nos terrorapidos por gargalhadas do auditorio,
mais bellos dias deso. Seusmonmentos eram to-1 Em 1832, houreram oras queixas contra o
dos compassados, e era tal a sua exactidao que, Times, por ter publicado o que so passou na ca-
quando chegara ao escripterio do seu jornal, os' mara muito secretamente, mas prorou-se que
empregados diziam : Chegou Proby, sao duas ho-' quem forneceu os pormenores |da sessao foram
sia. Esse homem tao pontual nanea pos- dous membros do parlamento (um dos quaes era
Joseph Hume) vista disso nao prosegua o pro-
Oliver na Torre de Londres.
-Jii estiverara al 23 de julho, dia do adiamen-
to do parlamento, que de entao em diante j nao
tinha o poder de os conservar detidos.
O sea livramenlo foi um verdadeiro triumpho
Em summa, o resultado desse conflicto entre a Ci-
t de Londres e a camara dos communs, foi esta-
blecer a publicidade das sessdes do parlamento, e
garantir nagao o direito de conhecer as palavras
e os actos de seus representantes, direito que nun-
ca mais foi contestado.
Hoje, disse lord Macunlav, a tribuna onde se
sentam os relatores das sessoes do parlamento
tem-se tornado uma quarta potencia no estado, e
a publicidade dos debates, que outr'ora punham
em perigo a liberdade, considerada como uma
salvaguarda e a mais poderosa salvaguarda das
liberdades da Inglaterra.
suiu um relogio.
Entre os escriptores que conflavam na memoria
para r.produzirem as sessdes do parlamento, lera-
cesso.
O anno de 1833 foi para Daniel O'Connell o anno
gao se encarregaram dessa trela. As universida-
des de Oxfort e de Cambridge, de Edimburgo e de
Dublin, concorreram com o seu contingente para
o batalbo dos relatores das sessoes, mas a advo-
cada a prollsso de onde sahio maior numero
delles.
Os advogados que tinham pouco que fazer acha-
vam agradavel acrescentar por esse meio mais du-
zentas ou trezentas libras esterlinas (5,000ou 7,000
franeos), aos seus rendimentos annuaes. Exer-
ciam, pois, as duas oceupacoes : de manhaa adro-
gavam nos tribunaes, e a Urde assistiam s sessoes
do parlamento.
Lord Campbell que vimos chegar alta dignida-
de de lord chanceller, fez parte dos redactores das
sessoes parlamentares pertencentes ao estado maior
lo Morning Chronirle, que era dirigido por Perry,
muir se rimnlu-i ora i., bra-nos Boberto Heron que uma febre veu llvrar dos discursos. Proferaos as duzas, tonto no par- e sempre se recordava com recoihecimento doi
------------------------------------------- lamento como fora delle. Foi nesse anno que elle emolumentos qne Ihe rendia esse emuretro Ha!
(I) Lma especie de saqumho de seda prela cosi- se armou em guerra contra os redactores dos de- Hit, Carlos Dickens, Pavne flier commentan^r
do na co a da casar uno u> <>... .^...i.. .... i, do na golla da casaca e que se dizia servir para bates parlamentares. Eram culpados de nao te- das obras deShakespeare M Snnk toXmrem
enca.xar-se al. o rdb,cho. Os cocheiros de S. M. o rem.reproduzidos os seus discursos em toda a ex- giam sessoesdo parlamcnm parao KiSrroS"
rei Luiz Felippe, cora quanto nao usassem rabichos tensao. I Bcie. Barnes, o juiTa fourd autorda^^to dX
tnziam sempre a tal bolsa quando trajavam gran-! I^vantou-se, pois, para denunciar as mutilages James Gran,, Jci,ia pera? prSu,SdKsrtS?:
I fetas a sua eloquencia e chegou a aecusar os jor- ees muito apreciados, e finalmente M. Russell lo
de libr
Nos nossos dias, qoando os caminhos de ferro
abrevian) as distancias, quando o iclcgrapho elc-
trico as faz desapparecer, quando a imprensa livro
e por mdico prego faz com que as publiragoes cir-
culen de uma outra extremidade da Inglaterra,
a leitura dos debates do parlamento est ao alcanc
de todo o mundo.
O jornaes Sandiirt e Mormng Chroniclt dito
muilo barato relacoes dos debates das cmaras to
boas como as que se leem nos jornaes mais earos.
Os debates do parlamento sao impressos em Man-
chcster antes que l cheguera os jornaes de Lon-
dres.
Era ama reunid publica que houve em Romsev,
lord Palmerston gabou essas maravillas da riviii-
saco moderna. Fez sentir quanto a comparagao
dos jornaes do seculo passado com os da nossa
poca dao todos os respeitos uma idea muito
avantajada do progresso da intelligencia hu-
mana.
Falln com enthusiasmo da rapidez e exactidao
de que d provas todos os dias a rolarlo dos deba-
tes do parlamento :
Admiro, disse elle, admiro e nao posso com-
prehender o prodigio por meio do qual os redacto-
res dos nossos debates conseguem acompanhar tao
promptamentc o cora tonta lldelidade as palavras
dos oradores 1
Um prmeiro ministro exaltando as vanlayetis
da publicidade. Um prmeiro ministro celebrando
os louvores dos escriptores que relatara as sessoes
parlamentares I Se os contemporneos e os subdi-
tos de Jorge III, se os North c os Onslow o podes-
sera ouvir, ergueriam as miios ao coa o exclama-
ran) ;
t Esto prximo o flm do mando !
(The Gallery, por Ciarles 1. Gratlon.)
PEKNAMBUCa- YP. g M F. F. & FIUH).
f


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7KVIGXS3_EYUV06 INGEST_TIME 2013-08-28T03:17:50Z PACKAGE AA00011611_10271
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES