Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10268


This item is only available as the following downloads:


Full Text
nm HUESO m
<0m
OARTA FEIRA 16 DE DEZEMBRO DE 1863.
Pnr auno idiintadi,
Pirte para i sahuofiplor
%
i9$noo
3j000
DIARIO DE PERNAMBUGO.
fcwmjw!* ******

t Dar**** Mr WfMta* f
RHIKMRIOD15S DO MU DK DKXKMMO-
a Qmn tna*ta1h, Wm, a 1 *, i* w
to l,n* *-v* ft, n.. tl> m a *w I* i
CWMHu iVtirfveav DnMfcV ClMWhl |
r MMQW M* MY* MN*. I
H TAMv Keaarvfk. liwnv fcvfrv |vMirtrt IV l,w* , ta v U *ta t
MM, t* tw V MU. 1W*M\ CafcntaV
\>*f***r<*t> vK\ Wk-iHMrta* tora-.
TwMntar* fna. Rame-
ras Amm fr* ft**Mm na nla Mr*
W*RAMAR M HOIR
tX
uta
tota* w^ ^ pwt ) rthlf ^^ M liifw I H 4a tMnnJa
^^r ^^PMWBi ^^M^^r^PW W ^W*\
PAITE omeiAL
, tomr, m-, ctata ta 4tvita *rrritl<> ta
,1- pjmfei
*taiv>

Mfwrm i jmMri.
ta 11 d
4mtU vtr
4 l'4l 4N;
a J.h..
aj.l

HIMMTKIIIO MV AI.HM l I .TI -
m \ i onnr.nt io
: ohhvs pini.it \H.
t^.nn.. y ;i r. i m ti> m mhmm >* i**-1
IUnm-aA- rt >mnW NA* Kwii l.'onojo jiwtffU'H
fW V; NMNM /*/'! MU' M im/ttl'H' # KM Mji
I |wW*i < iWMiM No IHlritt'i ./i.. nbAl'MM.
I Aleudando mu que nio requorcu Daniel Pealro
Utat, i- do i oiiiiiiiniilaili' coiu a minliii
Un\io de i ilo ro rento iiii, toma-
iliu' o iriHHi Ja Mr ; ra dos negocios Iu im-
estado, r n cuiisulla
. do iu' lioi |hii- Iiimii concede r-lhe
privilegio |m>i J.v. ai t nos para u-ar no imperio de
na a(i>aii'ili.i. |uo lor iiivenUdo |>ar
nili i idi dii> iiIiIcio.s.
i inuu cons>lho.
rclaiiu ]<: oUiiu d>i.- iiogixi da
iiiuiTi iu uifas ptihliras, assiin o
IkJBka cnuiidiiln o fm,'a t-x<> ui.ir.
.* .o do Hio l J.iiii d: oulolir.' ite
i Mguu lo da i'i'lapentleiici p
..jmx u lium Su* Ha+.'''-' i !i' o
irde.
fusfioA* w'.S WD U mtnnttvi 4 urdo
i|uo M'i'vio w,\ idilio wlh K> MtwolomtV lnl>
AJMw>riioH tj< iimvo om mtmmn
m
Hilo o nh>mo,NJo havtintlo lnenvtmiBio
mando V, S, naoar a Joainlm hmt do 9*nl'Anna
ai|uanlia do \sitKH) |iit>vi #tt* moio, voiieiilos do urna U ca quo M h
inoio Jo Samo Amaro de Jaboala rerr* fe miar-
lol ao roaiHNMiw wtjMMMMO, romo so vi* da oon<
lajunla wu iluiiln-ala i|iio |vara osso tlm mo fui n-
nioiiida (Hvn omno o rhcfo do |voliria do 10 do
oorrenlo ol n. IflU. Comniunn-ou-se ao Dr. cho-
lo do |K)licia.
hilo ao mosmo. Ao negociante Joa finio Hi-
beiro mando V. s pagar, ronformo solioitou o
chafe de |iolea om odleio de 10 do enrenle, sol
n lOCI, a qnanlia do OiftSlMi, despendida rom o
sn>ienlo (lu presos pobres da cadeia do Bonito no
semestre de abril a Miembro iwwo auno, urna vez
ipie nao liaja inconveniente e eslejam eni lermos
as dnas con las juntas. Communicou-so ao Dr.
ilieii' do oiwia.
Dilo ao vicario da freguom da Escada.He-
metta me Vine, com urgencia o inappa ios eWtos
haviilos nossa freguezia diiranle o MM de 1802
organisado de conl'ormidade com o modelo que
acompanhou > minha circular de 27 de novembro
ilaqiiolle anno.
lino ao vigario da frepuezia de Ileierros. Per
mo ao anuo de 1H6 o mippa dos ol.iio> que
Vine, me envin em viriudc da circular de 7 de
eweabro atpelie amo. mmpre que me remeta
xini toda a urgencia, ede roiir J eom.'.iiiw aet:ia "ireular oas obi-
anno d 1H61. -
PARTIDA DOS YAPOU& iHv|MH fareoxMl h> AtofM* A**i8 ^af* wHnrhh*
tfank A e 11 V HM niw. |*M rS^MWmh n*k
* HKv> mete* talan-. nwVAn(v jwl, wl M\>\
NfA n Rwin I. Api^HHw 1.^ I, t % I
S V ta w> \ ta l^ik *!> i da m-. > A ta \m \ ta
innalo *> H i/, da \\\.\ ta Uavaim* ? \w*H a t
ta w,t Jp Hornea I ta -.
D> llar-iA! |vai>a o A|vih 5 % A, */>* ty*>
. 8 A ''if ta lainl i imix* niinta a> T ta
manhsa a i >/,ta lana |ata JaboalSo a V ta tai-
ta \ nara Hachan?* a \ ana i A da lar^a t ara
lianifli a a* 4 da lardo
AIWNIA \m TmWNAt DA eAMTAW
TrifettHal ta Wmntarvle, .^mU ^imU>
l\al*e\\ i iw^a a *ilta\ta* i W lew*.
I^MiWdrt I quinta IU KttW
Mi ta mhmIi nfunta* > ti lew*-.
DH> da jhW | Nlfy e MM a* Ift hW*
himaiw vara ta riwl; Iw^ IHlH H Unta
da
*aj}d* vara d elwl i qwaria* a *aWtadw I hftw
da larda.
MAJ DA MMANA
V. St>ili*^-. *, AiMIn alv o, i I \\mm n
>V fiv*-. fe-. IWllWnH a l-:hMlan" m
m llnVlil. W-. AnanhV-. W^l a MiH-to* li
? Uillnl!-. H. rhd'Wni tk.\f > itan*
MU, tlWHiW 10 i ^ lU*Wn l>
Vmiiwihv l*
. All ..
Miztli** I lll i I
AWtINAW

Hn at^ifa, amlivran* ta rw l Mn|Nln<>v
i i. ta* wojriaian.u MauMal rib
ria A Kilha ^^
me o ,si Winltariiadnr iiMvadw da Aania Ua*a
le Mi-iBiiiHirdia do Hocifo.
Jttanna Mara da Conooieaa-INnallido ao Si
taaeniharfatar promlur da Sania Uan da Miseri-
cordia, para aiioiule uimlieanla, no* fermoa de
sua inlormaeao.
Mana Kiilna fai e faiva.Hemoliido ao Sr.
desambarsador provedor da Sania Catata Miseri-
cordia, para ailender a lUpplioanlts nos lorios de
sua informacSo.
nenie Manuel C.arnoiro Machado Freir.Hi-
rija-se ao laapeotor ta Ihatoararia do faienda,
queni se eipeide ordem para papar ao supplicanlo
a gialilicacao vencida e III de outubro ultimo em
ili.inie. Quanlo, pnrm, graiillcae'to anterior
aquella dala, requeira ao governw imperial.
Maria Francisca da Anniiiiciaeao. Informe o
Sr. director das oleas publicas.
Porcina Maria da Conreirito.Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marfnna.
Hosa Maria de Olivcira Owta. HcmcllidoaoSr.
di iembargaifor provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia, lena ailender a supplicanlo, nos termos de
ssa inloriiiacan.
Sebastian Aecioli Santiago Hamos.Informe o
Sr. inspector da Ihesonrrla de fazenda.
Tertuliano Krneslo de Moraes C.irvallio.Infor-
I me o Si. director geral interino da instruccao uu-
Mica.
I'mbelii da tra Qneiror.Informe o Sr. di-
IM rla ni.ioiM iu tirandaa illualrar,> paituoeu
jlara* i-c|ip.iionda, o eoipu |ejii>lalivu abri ni
luralmonto ous irabalhos pala \H>rilH' >
dar*. Sajuimlo >ann debate, ti, o i q pnbln
poniata com a pouea enaiiav>o das diwn
Kspcrava-M' que um niame dlaonrM feai
|ao moviinento elelloral do |M(i;i sua ampia glfniD-
tao. ISuisava-so quo urna palavia autoi
senlasM' de una sorte o exanio do conscieiicia do
suffragio uaivoraal, asbocaudu em mntai lripw
O caracler dan eleieoo-.
Kmliui acreditav-se que unta voz eloquento re-
cordane Mprinelploa, que lalaram wmpre M *
lemblai na verlfV is poderes, Apenas
iiouve urna discuasiu iraca, tratando de mindeas
c assisllratn n'a com grande decep-
Sate que ltllio Simn, mil di i, defelldeudo o
ipioma de um candidato liberal vencido em II >i -
deanx, elevon o dbale a altura necessaria a laes
discussoesKilo noganhou a causa do jornalla
girondino, mas conqustou no scio da cmara
breludo perante a opiniao publica um lugar dis-
ii neto.
Argtins dias M. Eugenio de Pellelan, o pdbllcisl i
lijieial, linlia eloqueniemeiite e com urna al
po, cuja honra reflecti I
pr it stado em primeiro lugar c mira (oda a restrir
Jo e tojo eipiiviic i que podesse atfingir urna
ontaneidade Ihe garanto, adiande-a,
sua entrada no corpo legi ule seii kig.ir
rciilos,
trata, sefio convocados para dezetnbro.
f>ev r que nuia lameniivl e psiranha
doutrina, '
e-ta
1
que a ilioli yciin.uuca le u>ou-llio i,
I II de alia-
ohngaeocj doliyou os siynalarioa e pailiudo d alo
u ,io pie da I|ol>iain-Auiuioii>lmur(i apoiaduprin
ei|ialineiile pelo fiao-duque de hade, pilo duque
do Saxo-ieiboiirg-iioilia, pelo urau-duquo de 8a\e
Waimar a pelo duque de taxo-Meiniuien, du
au habilanlos dos ducados uuu pt
qiul revondica sous diroilos.O ministro do duque
de Hade a em ai regado dos negocios do duque
de Hlatelo.
lia peuoaa, que dliem que ludo i-to nao i mai-
ilo que urna lelpeittde u'uiu copo d'agua, o que
rldicularlsam os pequeos principes allemlea, de
sejoso de arrancar a monarchia dinamarqm
parte mais imporiaiite di i ilieleeimentos,
allin de terein um port i de mar allemio no Kiel
A Inglaterra esta testa eorrente de ideas.
K enganar-se COln as preteneoe- dos principe
zinbos da Al lemanita : trata-se da paixio nacional
do mundo germnico, a qual potara em breve ar
rastar comsigo os governes mais recalcitraates. As
complicacoos deste negocie constituem boje o pe
rigo mais eminente para a par. europea. Os duca
lo se sulmietterao senao a forea, e nada po
dera impedir que a Allcmanha os soccorra. O iri
buual supremo do alslein recusou unauimemeii-
le o juramento a Christiano I\.
Teve lugar no Hanover um meeling de 12,(VMi
Nacioiuil Vciein pe disp<
lencia todos os fundo que elle tein reunido. I
um gruid
tro 11 alliawa offen-iva defei
*


Diarlo e reraHUsme* nutria lelra 1 de Descubro de 1S.
PERHAHBOGO.
IEVISTA DIARIA.
Como j hontem noticiamos, foram exonerados
da vire-presidencia desta provincia os Exms. Srs.
visconde de Camaragibe, bario de Veracrnz e Dr.
Machado Portelia, (|uo occupavam
Joaquim Pires
os tres primeiros lugares na respectiva lista; e sem
que pretendamos desconhecer o direito do governo
imperial de exonerar aos funcionarios de ordem
poltica, nao nos podemos todava aler a indiffe-
renga perante esta ou aquella demissao, cuja ra-
zio de ser se nao inspire evidentemente era urna
razio de publico interesse ; o qual considerando
ns superior a ludo, nos merece tambera mmor
preito do que essas conveniencias de momento,
que se engem era causas determinantes de cerlos
actos. .
.A faculdade constitucional de dcmittir taes ranc-
eionarios nao pode ser tao discricionaria, que te-
nha por limites pura e simplesmcnte a vontadc
governativa; ella deve, quando traduzda em fac-
i, exprimir urna necossidade social, a que se sa-
tisfaga. Mas isto se nae pratica, quando exoneram-
se sem plausibilidade a homens reconhecidamente
honestos, cheios de servicos ao estado, e cercados
de todas as coudicoes que se pdera exigir no ci-
dadao para exercer os cargos da nagao com pro-
veto dola e da moralidade publica.
E pois, nao podemos omittir em reparo as de-
missoes daquclles nossos dignos comprovincianos,
nos quaes nioguera negar a existencia de lodos
os requisitos de bem dirigir es destinos da provin-
cia. Com elleito, cidadaos como Ss. Excs., sao po-
derosos garantes da boa execugao das leu, ja aor
que sao homens de moralidade provada, j por que
lela independencia de posicao e carcter, quando
tiveram de assunnr a governanga da provincia, o
fizeram ero inas de una occasi.io a contento de
todes os homens honestos, sem diiTertnga de prin-
cipios polticos.
Consignadas estas lindas em amor da verdade e
reconheeimento de mrito dosdemitlidos, ser para
desejar que na nomcacao dos scus substitutos o
governo imperial se inspire em motivos de interesse
publico, pondo de parte outros quaesquer quo com
elles repugnem.
Concluindo-sc hontem o examo de habilila-
o para o magisterio primario do sexo leminino,
lera hoje lugar a apreciacao c julgamento das pro-
vas respectivas.
Ante-hontem, s 8 horas e tres quarlos da norte,
foi posta a populago em alarme |>clo toque de in-
ceudo do bairrodb Recife, e que se ateiava no ar-
mazem de gneros n. 45 da rua do Ainorim, per-
tenconte ao Sr. Francisco Jos da Silva Guimaraes
Pouco daino solTreu o propretario, porquanto ape-
nas perdeu o importe do roubo que Ihe fizeram
em vinle e lantes mil ris em prata, que tinha
numagaveta, tendo o seguro pago o mais que
soffreram os gneros.
Mais esse roubo, aggravado por incendio poste-
rior, veio augmentar o catalogo dos occorrdos nes-
tes ltimos tempos.
O resultado dos collogios do Recife, Pao
d'Alho,Olinda, Iguarass. Cabo, Escada, Limoeiro,
Nazareth, Santo Antao, Serinhaem, Goianna, Boni-
to, Rio Formoso, Barreiros, Caruar, Brejo, Cim-
bre, aranhuns e Papaeaca, excluidas todas as
duplcalas, forma assim a lisia | Conselheiro Francisco Xavier Paes Brrelo. 10>2
Dr. Joaquim Saldanha Marinhe........... RJ->*
l)r. Antonio Vicente do Nascimento Feitosa. 8oS
Dr. Urbano Sabino Pessoa de Mello....... b3*
Dr. Francisco Carlos Brandan............. 43b
Conselheiro Chicliorro.................... *j>7
Remcttem-nos o seguinte pedindo a pobli-
racad:
leve ante-hontem lugar na igreja matriz de
S. Jos o baptisado de urna enanca de cor branca,
a qual recehende o baptsmo recobeu tambem a
liherdade, |>ois sendo lilha de urna parda escrava
do Sr. Ignacio Manoel Vegas, este Ihe concedeu a
liberdade pela quantia de 1003000, que fornece-
ram por tmala para esse lira os Srs. Bernardo
Pereira do Valle e mais quatro senhores cujos no-
mos lloramos, pois esta asead muito ennobreee
quelles quo a praticaram o oxal que fosse imi-
tada, pois que disso digna : para lamentar que
haja homens tao degenerados que nao Ihe suba s
faces o rulior por vercm seus lilhos sendo libertos
pela candade, quando elles eram os unios obri-
gados a I i berta-Ios, ao passo que teem sempre di-
nhoiro para quanta infamia ha----
Pelo subdelegado da Boa-Vista foram presos
os escravos Joao, do Sr. Francisco Aceioli deGou-
va Lins, e Lauriano, de Manoel dos Santos, como
antores do rouk> da loja de ferragens da rua do
Queiniado, doSr. Jos Victor da Silva Pimentel.
Pelo dito de Rarreiros, foi preso Joao Paulo
Garanhuns, como criminoso no termo de Porto
tlalvo.'
Ha muilo que sonte-scnestacapjlal a ausencia
de um as>lo de mendicidade, e por maiores deli-
gencias oue homens benifazejos tenham emprea-
do para eoncecucao desea creagao, nao ha sido
possivel tocar a stsfagao plena des-e ilesnlmitum
at boje.
E' verdade que realisou-se algum capital, (pian-
do essa idea pareceu ir ter sua realidade; ver-
dade anda que do producto ii'ellc alimenta a San-
ta Casa do Misericordia cerca de vinle mendigos;
mais nao menjs verdade tambem, (iuc este nu-
mero de soccori idos em nada diminue o numero
Pedro Herreckct'n, John Bronce, Alfred Pegeau,
Thomaz Lechofreld, William Luolhokll, todos re-
quisieia do respectivo coiiaul.
A" ordem do de S. Jos, Antonio Alves de Souza,
pardo, por insultos; Silvestre, crioulo, escravo de
Anna Francisca Vianna, para averiguagoes poli-
ciaca.
A' ordem do da Boa-Vista, Luiz Antonio do Nas-
cimento, indio, sem declararlo do motivo: Joanna
Laurnea da Coneeicao, semi-branca, Silvina Mana
do Cana, parda, Francelina Maria das Chagas,
crioula, todas para correccio.
O chefe da i* seccad,
/. G. de Mesquita._____
5
Masculino.
1 s
Feminino.
9
~.

g
Masculino.
a

Fiiiiiniw

I I
Masculino.
Feminino
ino. \
r.
$
<
Masculino.
Feminino.
i
I
B
o
3>
rompoc de saes tic ferro inseridos no lecdo m-
inediatameiiti! eoberto pela epiderme ; o assim tra-
ta-s de destruir ou neutralisar estes saes, sera al-
terar as partes orgnicas, que estao delles satu-
radas.
E' urna operacao longa e delicada.
que mais receais do perder ; mai afflicta pela per-
3a ilo tillio que lo ternamente amaveis ; esaaM
iucousolavel, que antes de teinuo estis condera-
nada a urna triste viuvez : nao percais de vista o
modelo que em Mana se vos aprsenla.
Assfmchorou Jos sobre o tmulo de Jacob, sen1 0 individuo col locado, durante todo o tempo
nai assim chorou S. Agosnho quando morreu que ella dura, em um qoarlo onde nao penetre a
Santa Monica sua mi. luz> submeltem-n'e urna fumigacSo constonte de
Mas vede Maria que vos ensioa a sacrificar a nitrato de prata volatisado; e ao mesmo tempo
Dos a vossa dr e o modo de supporta-la. um rgimen alimentar, de que sao excluidas todas
a mort'e de romper irrevogavelmente os as substancias que conten qualquer dze de ferro
---------'-- nao come carne, alimentando-so uni- Bntoj aggravado, Jos Gomes Leal.
Ao Sr. (lesembargador Villares.
AGRAVOS.
Dojuizo etpectal do commerdo.
Aggravante, Joao Baptista Fragoso; aggravados,
; os administradores da raassa fallida de Amorim,
i Fragoso, Santos & C
Aggravante, Joaquim Jos da Costa Fajozes J-
nior ; aggravado, o juizo.
Aggravante, Tiburcio Valeriano Baptista ; ag-
gravados, a viuva do Joaquim Flix Machado e
outros.
Aggravante, o Dr. Antonio Agnpino Xavier de
ag-
a sua de-
S

I -
Masculinn.
-i
i*
Feminino.
X.
>
I I
^ I TOTAL.
vnculos quo neste mundo vos uniam pessoa, por oa enxofre
quem choris agora. Mas porveatura nao espe- camonte com legumes e bebidas levemente adu-
rais vr-vos anda um dia reunidos 1 Porventura badas.
estaris vos mesmo no mundo para sempre? Depois de um mez de tratamonto, a epiderme
Nao vos ensnaavossa f que os verdadelros solta-see cabe gradualmente ; e ao mesmo tempo
liis ver-se-hao unidos no seio de Dos, de um mo- descoram de da para dia as partes descobertas,
do infinitamente mais perfeilo do que o poderiam at que todo o corno aprsenla a mesma transfor-
pstir nc^tc inundo ? ni3HO.
Todos nos resussttaremos um dia. Doceepre-i Quando desapparece toda a primitiva epidenno,
ciosa esperanca que o apostlo propunha aos pri- o que acontece passados tres mezes, cessa o trata-
mitivos christaos, como um motivo capaz de enchu- ment, e o paciente volta luz e aos seus ha-
gar as suas lagrimas, e fazer-lhes supportar em bilos.
paz a perda de seus irmaos. A epiderme reforma se, e ficam nicamente os
Nao vos entrraueu pois tristeza como quelles cabellos encrespados e os caracteres anatmicos
homens, que nao tem esperan,*. (Thess. 4, 12.) | da raca. Evidentemente o negro e sempre negro.
Mas chorai como christaos cheios de f, que, ten- mas ca branco.
do satisfeito ternura natural, logo readqurem A experiencia e muito recente para que se possa
sobre ella o seu imperio. saber se a transformacao e duradoura ; comtudo
S dado religiosanta e divina, que professa- acredua-se que o principio da coloracao tica para
mos, o forneccr-nos tao solidos motivos de conso- sempre destruido.
laco Tambem se nao pode saber se os descendentes
E demais, essa pessoa que tanto amaveis, o que dos homens tratados por este processo ficarao pa-
a morte vos arrebatou, fazia ella na trra toda a | ra sempre pertencendo a raca caucasiana.
X^rventuravosa amaveis mais do que a Deas | 0 Commercio do Porto publica urna correspon-
mesmo que pelas razoes que deveis adorar permit- dencia de S. Petersburgo que diz que um general
tin pii ninieSoT russo fora meltido em processo para dar conta de
Sem duvida que essa pessoa vos era cara; po- um dficit de 300:000 rublos (216:0005) que Ihe foi
rm mais cara anda deve de ser-vos a vontade de encontrailo.
Deos Era o chefe da reparticao do commissanado da
Todava nao era bem regulado o vosso amor para guerra, comprehendendo os vveres do exercito, e
comella; a amizade que Ihe vetaveis era grande cudava, ao que parece, mais do seu fornecimento
de mais. Vossas lagrimas, tao amargas e abundan- que do dos soldados do czar !
tes o estao provando. .,., ,. ..u:mn
Quem sabe se nao era ella um obstculo a vossa Tres exploradores inglezes realisaram, ultuna-
perfeicao ou mesmo vossa salvadlo ? Deos pois mente, urna empreza que, antes delles, ninguem
tinha levado a cabo.
Um delles, Macdonald-Stuart, atravessou todo o
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doenles exislem 175, sendo
alienados 8 homens e 2o mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes das :
Pelo Dr. Villas-Boas s 7 1|2, 7 3i*, 7 20, 7 3|4,
7 PeoVr/'sarmento s 8 10, 7 3|i, 8 li2, 8 l|i,
8 1|2, 8 20, 7 35.
Falleceram :
Exoquiel Mazanares, tubrculo pulmonar.
Senhorinha Maria da Coneeicao, dyarrhea.
Francisca Ferreira Guizanda, gastnte chronca.
Antonio de Azeredo da Silva, phtysica pulmonar.
Mevimento da casa de detencao do da liae
dezembro de 1863 :
A saber :
Existiam Entraram. Sahiram 324 presos. 11 14 >
Existcm. 321
Nacionaes. Estrangeiros Mulheres Estrangeiras Escravos Escravas . 217 presos. 34 5 2 56 7
O Exm. Sr. conselheiro presidente deu provi-
mento.
Do juizo municipal do Cabo.
Acgravante, Joao Pinto de Lemos Jnior
gravado, o barao de Muribeca.
Teve provimento.
O Sr. conselheiro presidente sustentou
ciso proferida no aggravo entre partes :
Aggravante, Francelina Amelia de Souza Ra-
mos ; aggravados, os administradores da massa Tal-
uda de Jos Antonio da Silva Araujo.
Nada mais se pode tralar e encerrou-se a sessao
a 3 horas da tarde.
Os partidos, os governos, e a silnaco.
VI
A paz manifesta, mas, a crisc nao se ocoulta.
Nao se opera urna revoluco violenta, mas, pre-
sente-se a mudanca lenta, regular o progn
nos hbitos da vida publica e nos intuitos dos par-
tidos. Ao capricho dus homens, a vaidade dos mi-
nistros, a hita das iiersonalidades oppoe-so a opi-
nio publica, castigando a uns com o desprezo, e
a outros com o sorriso, e collocando cima destes
pwpaenos embaraces a idea como salvadora, e a
doulrina como nica bandeira capaz de grangear
adherentes.
A opinio j vai dominando ainda indecisa e
perplexa nos seus desejos e sympathlas, mas, j
vai provando para que lado pende o seu receio, e
a sua condemnaco.
Sroveitai esta amicho para nao vos affeicoar- cont^^iano^artind .AWf* .HjlJ** ^^ SmfXtSi
Os outros dous, MM. Mackenlay e Landsborough W "" I". cstrannar vtr surgir a aescomun
nao o amis ejectuaram a mesma viagera em outras direc-, pwa ^ J. ^ ^ ^ a conflan?a qM
queSo^ramr^^^
.. .vio amor que deveis a Deos; nesu ^mj^^^^^^;^ ob- ^SSSSXRV^^^SSS
pessoa amai a Deos. servacoes e aescobertas uos tres viajantes. majs do q rainiIia mcntiroso, mais do
E amando assim, sempro estaremos dispostos, atahra :,*,*nr ;.,i,nn nmn ha 1e a declamaco conira as miserias, de que se
apezar de. todas as repugnaras^sensibilida-1 ^^^^^Z^^ ffi g ?eem servido o?s partidos.
arrebalando-vo-la, usou para comvosco de miseri-
cordia.
de natural, a separar-nos, quando Deos o ordenar,
do legitimo objecto de nossas affeicSes.
No dia do sacrificio o coracao
os olhos vertem lagrimas : entretanto
Tessino (Suissa).
preciso que o paiz nao d ouvidos aos homens
Bt^.R9teanils 3i^^^!HSi:
321
Alimentados a custa dos eorespblicos. 13o
Movimento da enfermaria no dia 13 de de-
zembro.
Teve alta:
Manoel Pereira da Silva.
Vicente de Souza Perras.
Liberato Nunes da Silva. .. ...... .
Passageiro do briguc brasileiro Marinno u,
vindo da Babia. Francisco Ferreira do Espirito
Santo Couto. ,
Passageiros do vapor nacional Princeza de
Joinrille, sabido para os portos do norte:
Jos Felippe N. da Silva e sua senhora, 2 filhos
maiares, e 1 criada, Henrique de Ohveira Arthur,
Ravmundo T. de C. Silva, Dr. Fabio A. Bayma,
Alexandro M. Bavma, Antonio P. Slveira Castello
Branco, Antonio Joaipum da Silva, (kinrado Bren-
der, Henrique Pedro, Antonio Jos Marques, '
Offerecem-nos a seguinte poeeia :
SAUDADE.
O ten vestido eu beijei tremendo,
Quasi teniendo a razo perder,
A alma em extase contemplara rindo
O rosto lindo de tao poro ser.
An-
Quiz enlacar-te n'um extremo abraco,
Seguro 1 aro de ventora infinda,
A razo conteve meu ardente goso
Era forcoso supporta-la ainda.
Estavas bella como a flor mimosa,
Qual a rosa, a espargir perfume
Zeloso o coracao por ti senta,
Que no peito ardia, voraz ciume.
Com os teus affagos renovava a vida,
A f perdida de infantil amor t
Pura linguagem tu expressavas
.Mas nao fallavas, era o rubor.
Deosa, anjo, ou mulher, nao sei,
Sempre a amei como visao do co,
Supremo esforro, por Deos formada,
Para ser amada ella nasceu.
Leu-se no Commercio do Paran o seguinte :
O presidente da provincia de Goyaz dirigi a c-
mara municipal de... urna portara, exigindo que
a mesma Ihe informasse quantos indgenas havia
em seu municipio, e em resposta a cmara ende-
docnca
i nao descanca um momento, oceupando-se Incesan-
temente a escrever ou dictar memorias, e entre-
gando-se ao mesmo tempo a muitos outros traba-
mos differentes, claro quo os seus mdicos ho-
meopathas ou allopathas devem ter pouca esperan-
ca de melhorar o estado do umdoente que est em
ma continua sobre-excitagao febril que llies con-,
traria os esfercos da sua arte.
*
O governo pontificio inaugurou ltimamente as;
suas reformas pela reducc dos direitos das ate
fandegas.
Anlogas diminuicoes se fizeram as taxas pos-
taes.
Ao mesmo tempo urna commissao presidida pe-
lo cardeal Mertel prosegue nos trabalhos de refor-
ma judiciaria, cujas bases sao em grande parte ti-
radas do cdigo Napoleao.
Quatro tribunaes excepcionaes, que sao o da
cmara apostlica, da mordomia do papa, da fabri-
ca do Vaticano, edo cardeal vigario, para osjudeus
sero abolidos.
A administradlo da justica ser regulada por
um systema uniforme, qu parmittir a precisa
unidade as decises.
Estas reformas esto a ponto de ser submettidas
approvacao de Sua Santidade.
para beneficiar prenles, gratificar isongeiros, e
satisfazer favoritos.
preciso que nao vejamos o intrigante, de ruim
intelligencia e peior carcter, subir da obscurida-
de aos maiores esplendores da vida publica, e que
os ministros nao paguem a custo do thesonro os
elogios mercenarios dos seus familiares. Que os
mais elevados cargos pblicos sejam deslribuidos
pelo poder nao ao mais servil, mas, ao mais dig-
no, preciso ainda mais que o poder nao recrute
cao de seu malvolo intento, procurou seduzir sua
incauta lilha Mara Clara dos Anjos, de maior ida-
de que se achava em casa de seu genro Joaquim
Pereira da Silva, nesta mesma villa, e com effeito,
ella, desconhecedora do mundo, acreditando as
altas promessas que aquelle ministro do altar, Ihe
fazia, deixou-se arrastrar ao precipicio e finalmen-
te consentid em que fosse por elle raptada e levada
para sua casa na noite do dia 1 i do mez de agosto
prximo passado.
este Exm. e Rvm. Sr. nm acto filho da malva-
deza de um sacerdote que despresando as vestes
sacerdotaes, e a honra, e segnindo os brutaes ins-
tantes, s procura saciar os scus libidinosos dese-
jos sacrificando a infeliz filha oosupplicantee mes-
mo procurando-a despenha-la ao lubrico declivio
da prostituicao 111
Realisado o facto delictuoso que levou por mais
de 2 mezes em silencio sem que se soubesse o lu-
gar onde se achava a infeliz lilha do supplicante,
pareceu que a Providencia norrorisada de tanta
perversidade, quiz fazer patente o crime e seu au-
tor, permittindo que no fim de 2 mezes fosse ella
encontrada alta noite em companhia da preta Rita,
escrava do mesmo vigario, que a conduzia para o
engenho Santo Antonio, propriedade do vigario
Fausto, a transpo-la em casa de Joao Rodrigues de
Souza, conhecido por Ventana, onde continua a
estar a expenca de seu raptor.
O supplicante que nutria tanta amisade, tanta
confianca com o vigario Fausto Freir de Carvalho,
a dar-se semelhanlc procedimento, exprobou para
que elle soubesse, tanto abuso de confianca, o o
crime que elle acabava de commetter desgranando
a sua innocente filha, que outra fortuna nao tinha
se nao a coroa da virgindade.
Soube ento o supplicante que o roubador da
honra de sua filha, mordido pela consciencia, hor-
rorisado talvez de si proprio, conhecendo seu erro
prumetlia que seria reparador dessa falta. Mas
como Exm. e Rvm. Sr. poder esse hornera
hypocrita e cheie de peconha no coracao reparar
esse seu acto de loucura ou antes de perversida-
de ? E muilo escarnecer I !
A vista do que allega o supplicante e que cora-
provada com os dous documentos juntos nao en-
contrando punicao na legislaclo criminal do pas
pela maioridade da Giba do supplicante, soccorre-
se a luz da igreja e d a V. Exc Rvm.", a presente
queixa para que seja ella considerada e punido o
crime commettido por um sacerdote vigario, qne
como o lobo faininto nao poupou das garras a inno-
cente ovelha.
O supplicante offerece por lestemunha a quasi
totalidade dos habitantes da villa de ..gua-Preta,
que todos mais ou menos sabem do faci escanda-
loso e do mais que pratica o vigario Fausto coa
suas ovelhas, que as deixa morrer sem coolissao,
que impoe aos seus servicos pagas maiores do que
as que Ihe manda dar a sua tabella, expondo que
zeloso no cumplimento de seus deveres.
O supplicaale espera que V. Exc. Rvm." com
pai espiritual e pastor da igreja, providencie enr-
gicamente a ser punido o crime que orjginou a
presente queixa para desafroota da religio c da
sociedade, e desta arle possa deixar que outros mi-
nistros de Deus a quem seja confiada a guarda de
urna freguezia saiba respetar a honra e dignidade
de seus parochianos. E receber merc.Honorato
Jos de Mello.
Dirjase ao nosso Rvm. vigario geral a quem
compete tomar couheciinento da presente queixa
na forma da lei.
Palacio da Soledade, 27 de outubro de 1863.B.
de Pernambuco.
Pelicao.
Illm. Sr. delegado de polica de Agua-Preta.
Diz Honorato Jos de Mello, que tendo sido rapta-
da urna sua filha de nome Mara Clara dos Anjos,
ionio Jos D. Combra, Pedro Antonio E. O. de Vas-; reCou ao presidente o seguinte officio
concellos Tnomaz Antonio E., Flavio Aurelio Nu-1 ,||m. c Exm. Sr. A cmara municipal des a
villa, em obediencia respeilabilissima ordem de
V. Exc, tem a subida honra de levar ao alto co-
nltccimento de V. Exc. que, excepcao de dous
cmara, nao
nes Vascke, Jos da L. Penante, Gil Braz da Motta
Jos Antonio Porto, Jos Bernardo C de B. c2 li-
lhos, Salustiano A. de Araujo, Argemiro D. de
Mello, Wilhelm Brambe. r e sua senhora, Manoel: portuguezes velhos ho distncto de>ta c
da Costa Lima, Sebasliao A. de A. Mello e sua se-; existe indgena de quahdade alguina.
nhora i lilho c 1 criada, Paulo de F. de P. Monte Esta cmara tem alem disto a honra de signil-
Negio, capillo M. V. de Aguiar, Dr. M. F. V.; car V. Exc. os seus protestos de_ antipaUna^ por
\ Aguiar, Jos Marques Baptista,
II, I/I. ".Ifll d I.4V/. U3.'tUJ pwWW **^......I K
Manoel Joaquim ser com reconheeimento e gratidao urna humilde
Soares c 1 escravo a entregar.
Passageiros do vapor inglez Paran, saludo
para Southampton o portos intermedios :
Bento Jos Rodrigues, Francisco do Carmo Bra-
ga e Viccncio Antonio.
OlTIAIlIO DO DIA 12 DE DEZEMBIIO NO CEMITE-
nio pi'bi.ico :
serva de V. Exc.
Deos guarde V. Exc. Villa, 24 de outubro de
1863.-Illm. Sr. Dr. presidente de Goyazes.-Se-
guem-se as asignaturas dos membros da cmara.
A Revoluco de Setembro d o seguinte :
0 numer total de filh/)s legtimos que nasceram
daquelles que percorrem as ras desta cidade
o qual parece que leude a crescer pelo contrario, YL.ntma escravo, Pernambuco, 13 anuos, solteiro, em Hespanha no anno de 1800 elevou-sc a oit,2Jl
visto que na semana linda reparamos n'elle insj- Boa-Vista; ttano. e o dos Ilegtimos a 32,222.
nuadas physiognomias porfeitamente novas e di- j0aqum," escravo, frica, 50 annos, solleiro, Boa-, O numero total dos expostos no dito anuo, que
vei -as das do costume. I Vista; anazarc. deram entrada as casas dos expostos das capitaes
ra, semelhaiile estado revela |K>r certo mais Joj0 escrav0 ^frCa, 45 anuos, solteiro, Boa-Vis- da provincia, foi 17,912.
Suc o pauperismo, e este deve ser discreminado ta'. hepato'intcrile chronica. A de Madrid recebeu 1,600 criancas, c as de Se-
a vadiaco. Iteconhecenios que deve_ proeu-1 j0SCi' Pernambuco, 6 das, Santo Antonio; es-j vilha c Cdiz 1,000 cada una.
rar os ineios de subsistencia (|iiem os nao pode
tirar das proprias fon;as ande sua industria ; mas
cora i; lo nao .lucremos que seja Iludida a canda-
do publica, e menos ainda que anime-se o vadi-
ismo de esmoladores, que no lim da semana najan
recolhido sommas que vao ser empregadas em de-1 joao 'pernambuco 8 mezes, Boa-Vista; convul- zcr, tambera em leilao publico...
vassidoes ou mesmo era lins alheios a iutencao da I j-,'es Coni o producto da venda eonstitue-se urna ren-
caridade, rue as orneceu. Maria da Coneeicao, Pernambuco, 60 annos, viuva, da de 50,000 libras, que assegura a paz da sua ve-
E pois, para evitar os inconvenientes qne apon- s jose apoplexia. 'hice,
tamos, occorre-nos lembrar polica a necessidade rija 14. O mais curioso destes espectculos o que sem-
de urna revista mensal passaJa aos mendigos, | juz jos ,je Magalhes, Pernambuco, 50 annos, [ pre succede ; urna parto dos diamantes vendidos
alim de discriminar-se os carecedores dos effeilosi caSiV]0, Poco da Panella; anaiarca. foram comprados pelos mesmos que Ih'os haviam
ila caridade publica, d'aquelles que d'ella abusam jos Goncalves Agr, Pernambuco, 28 annos, sol- dado.
; o Minulacoes, podendo at dar-se quelles una| iero, Santo Antonio; phtysica pulmonar. *
mezes, Recife; Dizem de Varsoviaao Invalido Russo que a po-
pasmo.
Antonio Azevcdo da Silva, Rio de Janeiro, 21 an- ( A celebre Rigolboche, essa tarifa cujo nome e
nos casido Boa-Vista: phtvsica pulmonar. ; conhecido em toda a Europa,seguioo exemplodas
Francisco Ferreira Guizanda, Pernambuco, 40 an- toretes da sua cathegoria, vcmlendo em publico
no-i viuvo Boa-Vista ; gastrite chronica. leilao as joias que baria adquirido, por assim di-
CHROMCA JUDICIARIA.
tri ni \ 11- im roMni;iui(.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 14 DE DEZEM-
BRO DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO F. A.
DE SOUZA.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. deputa-
dos Lemos, Malveira, e Rosa, o senhor pre-
sidente declarou alierta a sessao, sendo lida c ap-
provada a acta da ultima.
DESPACHOS.
Um requerimento de Hygino Augusto de Miran-
da, pedindo o lugar de agente de leiloes. Satis-
faca a exigencia do Sr. desembargador fiscal.
- | i i. una -na inini u. ii^mv, j* --
o seu conselho entre as nullidades evitando os lio- da ^^ dc geu ,ro Joaquim perera da Silva, a
mena de talento porque Ihes fazera sombra e os 2 mezes |nais ou men0Sj e chegando agora
de independencia porque Ihes dizem a verdade. a ni)t|cia ao supplicante que a mesma sua filha se
Sejam postos de um lado os interesses mesqui- \ acha em casa de Joao VenUnia, no engenho Santo
nhos, socegue a critica, qne s deseja o poder Antonio pequera V. S .se sirva manda-lo citar para
para usar das insignias, e haja firmeza nos prmci- que ve||ha J j,resena jt y. S. afira de ser iuter-
pios, e esperanca na victoria. I rogado e declarar quem a pessoa que recollieu dita
As paltes polticas e os interesses partidarios loldam e transviam as mais claras inteligencias e>se v g mai|ar cnu-egar ao supplicante o interro-
as mais puras intencoes, e nao conseuteni a justi- gator0 para com e||e requerer o seu direito caso
ca recta e apreciacao unparcial dos acontecimentos pre(.se
e homens, levando a intollerancia at ao ponto de' Assirn ^de a V. S. deferimento, E receber
cstranharera quem rocusa o emprego d'outras ar- merct-
mas as lides da imprensa. j Honorato Jos de Mello.
Quem s presta culto a verdade, quem so exal-; Passc man(]a(j0 na forma requerida e designo o
ta a virtnde sem Ihe importar onde ella se acha, dia de ouluuro prximo vindouro as 1 horas
quem slygmatisa o vicio ou critica o erro sem se ara dar parecimeulo do citdo em casa de minha
subordinar a consideracus facciosas; e manifesta resiiencja.
setembro de
antes o pensamento de morigerar os costumes p-
blicos do que a idea de especular com as miserias
humanas; quem as*im oliedece aos dictames de
sua consciencia, aos preceitos do seu raciocinio
qualilicado pelos novos Macliiarellos como um
utopista, um excntrico, um habitante da la.
Digan |iorm, o que qnizerem, e deem-nos
Delegara de Agua-Preta, 30 de
1863.Alfonso Ferreira.
Auto de perguntas a Joao Rodrigues dc Souza
conhecido por Ventana.
Aos 2 dias do mez de outubro do anno do nae-
cnenlo de Nosso Senhor Jess Christo dc 1863
! neste engenho Japaranduba, do termo da villa de
_. pol
nho, e em vez de occuliarmos as pstulas dos fonso Ferreira aonde eu esenvao do seu cargo fui
nossos parciaes, para s descobrir as borhiilhas vm(i0) sendo ah, compareceu Joao Rodrigues dc
dos nossos contrarios, poremos o dedo na ferida gouza, conhecido por Joao Ventania, a quem o de-
onde ella esliver, e chamaremos as cousas pelo |egad0 fez as segnintes perguntas :
Perguntado qual seu nome, idade, estado, filia-
leiro, Santo Antonio; phtysica pulmonar
especie de dislinclivo, que os indique a benevolen- Amelia, escrava, Pernambuco, 4
cia dos abastados, arredando-os assim da concur-
rencia dos que d'ella nao tem absoluta ur-
gencia.
Deixod o Sr. Manoel Antonio de Jess Jnior
o exercico da subdelegada desta froguezia de
Santo Antonio, passando-o ao seu substituto o Sr.
Sewi ano Jos de Moura.
No decurso de seu exercico por longo espaco,
o Sr. Manoel Antonio portou-se sempre com zelo e
aclividade, nao se |ioupando esforcos para bem
cumprir os deveres inherentes ao seu cargo, de
qne s tira o cidadao a consciencia de servir ao
paiz
hcpatile.
Joanna Prinrcza dc Olveira Fortes, Balita, 4b an
nos, casada, Recife ; apoplexia cerebral.
Joanna Maria Nobrc, frica, 67 annos, viuva, Boa-
Vista ; parotite gragrenosa.
Gregorio, Pernambuco, 7 mezes, Santo Antonio;
tumor.
Luciana, Pernambuco, 3 annos, Santo Antonio
bexiga.
Francisco dos Santos Aragao, Pernambuco, 23 an-
nos, solteiro, S. Jos; peritenite.
Francisco das Chagas, Pernambuco, 40 annos,
viuvo, Sanio Antonio; interite.
' licia descobrio a imprensa e lilhographia dojfover-
i- no nacional, onde fez prisoes c apprehenses im-
Imporla que se nao permuta, como ah vai proderro, Pernambuco, 18 mezes, Santo Antonio,
do costume, quo esmolo para festividade roli-
giosas, com bolsa ou reliquias, quem para isto nae
livor licenca do Exm.* prelado diocesano, com o
espasmo.
visto da polica.
Com esta restriccao cessar o escndalo desses'
esmoladores que encuernas mas, en quem cabe o
ver.-o do poeta:
UM P0UC0 0E TUDO.
portantes.
Esta oIRcina, primitivamente cstabcleclda n'um
subterrneo esquina das roas Capeloulnaia e Pod-
valnaia, foi depois transferida para casa do ajudan-
te do mpressor era chefe, na rua Mostvala.
As prisoes comeearam hora em que os opera-
rios entravam tranqnillamente, sendo presos me-
dida que iam chegando.
Encontraram-sc os orignaes de todas as ordens
Sublicadas pelo comtt revolucionario desde o fim
o anno de 1860, assignados em aranco, e recibos
de toda a forma e de todo o genero, cartas e or-
dens originaos dos membros do comit central e do
vomite nacional, ttulos em branco destinados
\ emissao de um emprestmo Interior de 40 milhes
de zlotys, divididos em cinco classes, segundo o
! seu valor, e impressos em papel de cinco cores de-
ferentes, umitas gravuras revolucionarias, etc.,
A Cruz, sob a denominaco dc em que espirito
devenios supportar a perda tas pessoas que nos sao etc.
caras, imitacio de Maria, publica o seguinte ar-1 E" para notar que o emprestmo interior tinha
1 tjgo: ; sido annunciado como devendo ser de lo milhes
Jess morrera. de zlotys c que os titulos encontrados sao pela som-
Oh como foi longo para Maria o lempo que de- ma dc 40 milhes.
correr entre a morte de Jess c a sua resurrei-; 'Esta descoberta, prisoes e apprehenses que se
co! Ihe seguirm foram feitas pelo aferes Onoprienko,
Jesns morrera. de artilharia da imarda, cujas diligencias durante
Maria perdeu o fllho mais amavel c o mais seis semanas c investigaces do director de plida
..mado! Rosinski deram este resultado.
A tristeza de David na monede Absalao, osgcmi- Os dous smente e tres agenh-s de polica esta-
anc se propanham a irmaos das confrarias e das dosde Rachel lamentando seus /M*w,-s imperfeita- vam no segredo e effectuaram a dellgencia.
irmandades; e assim servia elle como prova do mente nos exprimem a dr de Maria, quando ella O governo nacional decretou que ja tinha desig-
hnmildade para a respectiva adraissao : era nm nlo vio mais a Jess, nem mais o ouvio fallar. nado tres dos seus mais irados da
Com tao ruim gambias
Andas d'aqui paraalli.
Procurador td nlo me engaas
T procuras para ti.
Effeclivamente elles esmolam para se locnpleta-
rem com os valores que ohtem, e qne ropartem
comsigo romo Ihes apraz.
Em tempos mais remotos, este recurso reli-1
gioaldade publica smente era feilo por pessoas
SESSAO JUDICIARIA EM 14 DE DEZEMBRO 1)B
1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSEI.HF.IRO F. A.
DE SOUZA.
Secjrtario, Julio Gut maraes.
A meia hora da tarde, o Sr. presidente abri a
sossao, estando reunidos os Srs. desembargadoros
Villares, Caetano Santiago, Gitirana, Silva Coima
raes, Lourenco Santiago e Peretti, e
deputados Lemos, Malveira e Rosa.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
Foi assignado o accordo proferido na sessao dc 3
do correte, entre partes :
Appellante, Henrique Enren ; appellados, os ad-
ministradores da raassa fallida do mesmo.
Appcllantes, Almeida a Cai; appellado, Joa-
quim Antonio da Silva.
Desprezaram-se os aaaaflgaa
Appellante, Ignacio Barroso de Mello; appella-
do, Antonio leAzcvodo Villarouco.
Sorteados os Srs. deputados Icemos e Malveira.
Foi confirmada a sentenca appellada.
Apiiellante, Joao Francisco Ferreira da Silva
da Silva Freir
seu nomo.
Se os partidos polticos estivessem conslitncio-1
nalmente organisadps, se cada um delles se agru- ,
passe em torno de um corpo de doutrinas, de i
principios c de ideas, formando poderoios e pro-!
ficuos elementos de governo, se a moral fosse mais
respeitada pelas intrigas e ambicoes das dilTeren-
tos parcialidades e individuos; entao para otrium-;
pho das grandes reformas e para manter a mora-
lidade nos comproinissos partidarios, conceberia-
mos que a philosophia dos homens pblicos fosse
mus talerante e menos escrupulosa em sacrificar
as susceptibilidades da moral e desculpar certos
os senhores desvio? e fraquezas, em vista de nleresses soda-
es de urna ordem mais elevada.
Infelizmente nos estamos bem longe deste esta-
eao, naturalidade e profissao.
Respondeu chamar-se Joao Rodrigues de Souza,
mas que era smente c*nhecido por Joao Venta-
na, com dade de 45 annos, casado, filho do falle-
cido Joao Francisco Regs, natural do Bonito, e
vive de agricultura.
Perguntado como se chama uina moca, que se
acha recolhida em sua casa, de. quem ella lilha,
c (juera recolhcu emsua casa, e para que fim
Respondeu que a moca que est em sua casa,
chama-se Maria, filha de Honorato Jos de Mello,
morador na villa de Agua-Preta, e que chegou em
i sua casa 15 dias pouco mais ou menos, em um
| dia, a noule, acompanhada de urna mulher, cujo
seudo certo que antes desta moca
resposlas d'este ao segunto e terceiro; do contra-
Braga ; appellado, Alipio Annes
A^,%tt^
preliminar de nao caber na aleada do tribunal a
nomo ignora,
do : nao temos verdadeiros partidos polticos, que chegar em casa delle respndeme, o padre viga-
sao a vida do systema constitucional, e sim emba- rio desta freguezia Fausto Freir de Carvalho, le-
le do ambiguos individuaes, e o conflicto de inte-. dio a ello respndeme para ter em sua casa dita
resses raesquiuhos. moca, at que Ihe podesse dar commodo, que ella
nao faria despeza alguma a elle respndeme, por
ter com que sanar; c no caso quo ella aabuaae
licar morando no mesmo sitio, onde mora elle res-
lioudente, que cnto fazia para ella urna caaa, dfesc
mais que depois da chegada da moga emeasa delle
Srs. redactores.Pan pdennos satisfazer o pe- i respndeme, o vigario mandn por elle um bah
dido doapreciador indispensavel, que S. S. \ de flandres da dita moga que eslava em casa delle
faga tambem publicar o primeiro e terceiro offl-; vigario.
cis dirigidos ao juiz especial do commercio, e as E como nada mais disse e nem Ihe foi pergnn -
para
como noviciado.
Bem poderla ser restaurada esta
mi digno costume por certo.
RBPARTICAO DA POLICA !
(Extracto da parte do dia 15 de
Esta mi, porm, a mais santa e religiosa que pohcia nacional para assassinar o aferes Ono-
usanca, pois jamis existi, perdendo a Jess, nada perder de prienko.
sna virtude. ~ .,
1 Sna fe na fwurn e prompta resurreiclo de seu No Correio dos Estados-Unidos l-se :
daaembro). fllho, sua resgnagao ao que Beos ordenara para a Um chimiro phylantropleo descobrio nllma-
Foram recolhidos, i rasa de detencao no dia 14 sna gloria e para a sal vacuo do mnndo, foram o mente o raeio de bronquear os negros.
do corrente: sen anxilio o a sua consolacJo. Sabe-se ha multo tempo que a materia colo-
A' ordem do subdelegado do Recife, os inglezes1 O'vos, a quem Deos afflige, arrebatando-vos o rante a que deve-se a cor da raga africana, se
presento causa foi ella desprezada com 4 vol
do Sr. conselheiro presidente : e entrando-se no
mrito Foi reformada a sentenca appellada, na
parte relativa ao condominio da menor de nome
Maria na escrava penhorada.
Appellante, Antonio Pereira de Carvalho Guima-
raes; appellados, os curadores da fallencia de Joao
Jos de Gouva.
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, Francisco da Cunlu Machado Pedro-
sa ; appellados, Ferreira & Araujo e Monteiro Lo-
pes & C.
Sorteados os Srs. deputados Malveira e Lemos.
Foi reformada a sentenga appellada.
Ap xdlante, Eustaquio Antonio Gomes ; appella-
do, Manoel de Barros Cavalcanti.
Receberam-se os embargos, e entrando-se no
raerecimento da causa reformou-so a sentenga
appellada.
PASSAGEKS.
Appellante, o Dr. Felippe Nery Collago & C ;
appellado, Gemido Henriquesde Mira.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Villares.
Appellante, D. Miquelna Maria do Livramenlo,
herdeira de Felippe Nery dos Santos ; appellado,
Elias Marinho Fak-o de lbuquerque Maranho.
Do Sr. desembargador Villares ao Sr. desembar-
gador Silva Guimaraes.
OSr. desembargador Silva Guimaraes apresen-
ton em mesa a revista entre parles : Recrreme,
Jos Tiburcio dos Santos, recorrido Antonio de
Sauza Ribeiro, sollicitando o andamento legal
lade, o pericia no turibulo.
O habitante da trra.
Illm. Sr. vigario juiz commissario.Honorato
Ferreira Martius, com o delegado eastestemunhas
Felippe Nery Aflbnso Ferreira, e Gabino Austri-
cliano dos Santos, do que ludo dou f.
E eu Jos Norberto tasado Lima, eacrivao o
escrevi. Miguel Afionft Ferreira.Vicente Fer-
reira Martins.Felippe Nery Alfonso Ferreira.
Gabino Austricliano dos Sanios.
Primeira tcstcnumlia.
iuvo, cora
Rio-Gian-
de negocio,
lestemunha jurada aos Santos Evangelhes, em um
livro delles em que pz sna mo direita e prometteu
dizer a verdade e do costume disse nada.
E Ihe sendo perguntado pelo couledo da pelicao
de queixa de Houorato Jone de Mello, que Ihe foi
lida c declarada disse; que sabe por ver que o
| querellado nutria grande relacao de amisade eom o
De-se-.be nao l.avendo inconveniencia a promp-! ^iiqSS^^S^!^
ta remesados autos ao poder competente. ; ., ara a casa de/oaquini Pe?eira da C o
Agua-Preta, 3 dezembro de 186J.-0 v.gano accusadl) freq41eniava rauie essa caaa, e de la
de Carvalho, por queixa do suplicante dada ao
Exm hispo diocesano se d por conidio a petigo
do queixa, o auto de perguntas feitas a Joao Ro-
drigues de Souza, e os depoimontos de Manoel Jos
Avioira Vianna, Manoel Jos Serpa, e Joaquim An-
tonio da Silva, e por isso requer a V. S. se sirva
mandar passar a ceidlo pedida. E receber merc.
Honorato Jos de Meti.
Baptista.
Jos Norberto Casado Lima, escrivao nomeado para
o processo de que traa a pelicao retro, etc.
Certifico que revendo o processo do que trata a
mesiiia petigo, d'elle consta serem as pegas {adi-
das por ceidlo do theor seguinte :
Pelicao de queixa.
Exm. e
Jos de Mello, branco. casado, morador
sahia alta noute, que va ella nutrir relacdes amo-
rosas, com a mesma moca, e esta coro elle; e que
em dias do mez de agosto do corrente anno, desap-
parecendo noute dita moca, da casa de Joaqnim
Pereira da Silva, foi voz publica dizer-ae aer o
acensado, que a raptara e a levara para ana casa
reufao ae quena. onde esteve muitos dias e qne quando quiz ir ao
Rvm Sr. hispe' J'^ff;-"00.0^ certo a mandou para a casa oeJoio Ventana
lio. branco. casado, morador u v.lia de morador no ^ J^ d(J ^ ^^ g^
o Sr. conselheiro presidente oficios ao Sr. conse-
lheiro presidente da relaclo requisilando juiz re-
visor.
DISTRIBUigES.
Appellante, Luiz Caetano da Silva Cansaos; ap-
pellado. Jlo dc Almeida Monteiro.
Agua-Preta, vem perante V. Exc Rvm*. quei-
xar-se do vigario desta freguezia Fausto Freir de
e Carvalho, e o motivo de sua queixa o seguinte
Antonio, onde esta, sustentada
sado.
pelo mesmo aecu-
Vivia Exfn. e Rvm. Sr. o queixoso em saa casa em Disse asis qaa aosaas a meca eslava em casn
companhia de sua familia procurando no trabalho do queixoso, ouvio dizer qne e acensado lora a
urna manutencao honesta, entreunto, enlendeu o nonle encontrado par osas pessoa da casa do quci-
vigario Fausto Freir deCarvaHio, que devia Irn*' xoso no qninul do mesmo queixoso, e perguntado
tornar o seu socego ; e fazer-Hic passar urna ve- o que fazia ella; responden que procorava \x>r
Ihice cheia de acerbos desgostos, e para a realisa- Luiz.

j



Diarlo de Pernambu,
narta efr I de Dezembro de 1S8.
i|i
iniinha corno ttes emolumentos se possa cobrar, rem e dsMo noticia
a tiverem que por es* | se ^^ a-jgj^, dlttfvaccas, sn ama '
de Joaquim Percha, eHo toslcinunlia vio o aecusa- enterrando-so estos corpos no mitto, sem se lomar ja,20 pen4e nns autoade exteupao de sen- ^^i^ |isa nwgreirona, e oulra abrcenla, bai- j
do ir a casa da mesmo Pereira, e perguntando a assento do seos fallecimentos, o se estar encona- fa^a, g^g pj-tes coi equette Antooto tt grossa : quem tor seu dono, compareja, que
urna pessoa que tinha elle ido ah aior, disse- mondados disse mais que na 'gr^J* S'|"CJS; da Cunba Soares Guitnaries como execu- provando. Ihe sarao (treges,
ram-lhe que fra perjontar pela dito moca. no_ e anbu^ porem kmtt ffgf mo ClUiai^soar^ uuitii* ^ yarzea 14 de dezembro de 1863.-0 subdelega-
_ tem rStec^ndo" aTguem precisar d"e ra- tado Augusto Pacheco de Queiroga. E pro
se fallara aos cumprimentos de seus de- ment, tcm de esperar para o da sefointe que se segando seus devidOS termos SC Riera pe-
I diga missa e consagre-se a formula, nhnra m Hinhairn n*rtenr,fliite ao mesmo
Perfumado se era costume sacramentar-se aos
enfermos T
Respondeu que depols que elle respndeme mo-
ra nesla villa, ha um anno c tanto, s vtoseM-
Perg anudo se e aceusaJo era exagerado em su*
tabella, o
veres.
Itespoaieu que sabe per r qae o casado
xige dous mil res, por cada um baplisado, e que
deixa morrer sem rentos as peesoes, bem como
succedeu eom o Jobo Padeiro, que estando mal, foi o
aecusado chamado quatro ou mais vetes |>ara o
cunfessar, e a ual quando foi j o- nao podo con-
fessar, sendo o enfermo seu visinho; que sendo
chamado por Joaquim Perei-1
de 2 supplente em exereicio.
Jos Joaquim da Costa Guimaraes.
nhora em diaheiro pertencente ao mesmo CnsiUd prnvinciaJ.
executado. ... Pe!a mesa do consulado provincial se faz publi-
E sendo em publica audiencia que aos coque os 30 lias uleis marcados para a arrecada-
feitos e partes dera este juisso, pelosolici- ^J^ad<> cofrero i*sfn,es|f ra nema vina, na un tiiiuu i'" <"j ---. euus u ndiiesuea cote juiw, pciu aw. y-- ------r i i5i -----. j. a~
cramentar tres enfermos, tolo Luiz, J* <> tador Remardino de Sena Dias, procurador ceiro corrento de 1863 a 1864 dos imposto* da de-
cues de Arauio o urna mulher na ra do ado do l,dUI Dflr"dUI"u u. i '*riman,n cima urbana das freguezias dcsta cidade e da dos
pues Araujo, e urna mumer a exequfcn 8, me foi felO 0 requenmentO AfogadS e de 3o, Disse mais que os ossos dos defuntos estao por constante do seguinte termo.
Aos 30 denovembro de 4863,
de mao mora se
de dezeuibro vin-
raiz pertencentes corporales
princlptam a contar do dia 1
douro.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco
SS de novembro de 1863.
Antonio Carneiro Machado Hios.
Administrador.
Ilio Grande do Sul.
Segu brevemente a barca nacional Palmita, de
primeira marcha : recebe carga por fretes baixos
c irata-se eom Bailar & Oliveira, ruadaCadeia
n 86. __________________________
Para Lisboa pretende sahir eom muita brevi-
dade e patacho Jarro, eapitao Jos Marqnes Coe-
Iho Sobrinho, por ter parle de seu carregamento
tratado : para o resto que Ihe falta, e passageiros,
tratase eom os >eus consignatarios Palmeira &
Beltrito, largo do Con Santo n. 4. prunetro
ndar. '
LEILAO
Porto.
Segoe at o nm do crreme a mui releira barca
portugueza Sympathta : |ra alguma carga e pas-
sageiros trala-sc cora Bailar & Oliveira, ra da
Cadeian.26. __,________
tambera o aecusado c.namaao por joaquim roioi- r "~~ h~ ------------------ ~-----T.-"",-"" ioo
ra, para confessar Joo da Costa, este respondeu cima da Ierra dispersos Aos 30 de novembro de IWM, na anat-
lueirianodlasegointe quando viesse do seu en- Disseque esqueeeu-se de declarar que oaccu- enca do Df jujz especia| do COmmer-
genho Santo Antonia; logo vio elle testemunha sando nao querendo ceder da quaotia de ii# pea, Alencar Araripe, pelo SO-
nasaar o u-ciisado nara a casa de Joao Bernardo, m ssa que cima fallou, mandou dizer que se tosse ut iribiao ue aiciiwu n"'l'''* y
mni^i^ ^^u^fi^^m^ii para de dia, que diria por xfi ; porm foi dita por hcitdor Bernardino de Sena Dtas, pro-
SSveioMrapp2^ ^ I li s cinco horas ua madrugad. : e mais nao j curador do exequente fot acusadaa
Disse mais que sabe por ver dentro da igreja disse. .MlDr penhora feiU em dinheiro pertencentft 80
urna mulher que mora nesta villa, desde menina; Dada a pa avra ae abusado para coa*r a i exeCuUdo. e requerido que ftcassem 88Sg-
a mu envinruirto no temno do cholera, e ndo estemunha, disse que nada mais tinha a duer. e uwu ?" y j .M/iftPB
ne'ssa' SS^L v Siram da | Lido o depoime'nto e por achar conforme assig- nados OS seis dtas da le. Jej^^8
igreja sem serem casados? porque s tinha 4*000. nou o juiz, a testemunha e aparte. I mcertOS, passando-se OS respectivos e litaes,
E euJose Norberto Casado Luna, esenvao, o ouvido Dlo dito 1UIZ assim Ihe di- eslatistica geral da poputoeae portugueza residen- b, recebe carga a frele e escravos : quem quixer
' fprir. F fiz O Dresente do protOCOllo das te neste imperio, o que muito Ihe recemmenda- nelle carregar enlenda-se eom Manoe Ignacio de
JS2L. 1 que Si o mandado ter- ttJ0^le*< t^Z^L'^t^ liwein & F"K 'arBU. \ ^ 1 "
Manoel :!.!^^-^7- con,Pa,rr*.Sui".r.1e. t:r l*ara o Rio de Jaelr.
e o accsado quera 8J00O, pascando elle testemu-
, tonio da Silva. Honorato Jos de Mello
do-lhe o que tinha, e ella r'espondeu-he que cho-1 Certilico que pelo aecusado [o dUojae ass.gna-, aud.enctas,
rava por nSo ter podido casar por falta de 45000, va ao depois, e dou f Era ut ret o.O escrivo, m0 e pen|1I)ra que
que s tinha 4000, o vigario nueria 8*600 ao Jos Norberto Casado Lima
Welle tetlemaoba deu-lhe 2*000, e o Trajano, E mais se nao continha em litas pe?as ped.das
outros OOO I Pr certidao que o esenvao abaixo assignado tez
Mais nao disse e dada a palavra ao aecusado copiar do proprio original, ao qual me reporto e
para contestar a testemunha, disse que a testemu- dou t. mK~, ,ia ifi.i i*
oha, dej.ois de urna reflexio, disse que nao sabia I \.lla de Agua-Preta, 4 de Miembro de 186.1 4-
seos83a) ,,?jCreEmefrdfverdade.-Jos Norberto Casado
Lima. .
Honorato Jos de Mello.
Para o Araeaty
O hiato Dous Intuios pretende seguir eom bre-
^ I vidade, tendo parto da carga, e para o resto tra-
' OnSlllUflO (IB t'OrtUnal -u-mi narna do Amorimoo escriptorio de Tasso
, Irinaos.
O cnsul de Portugal nesta provincia, tendo de ,-----------------------. -^-----
procederaoarrolaroento de todos os subditos por- | Para llIO f-ranue ao sai.
taguezes, nella residentes, para a organisa^o da Sahir eom brevidade o brigue nacional Corum-
m
Vm arado de na aadar
Waato Aaiaro.
HOJF
O agente Almeida competentemente aulonsad
far leilao de um sobrado de um andar sito em
Santo Amaro ra ilo Lima ou travessa da Fnndi-
cao do Star, eom 43 palmos de frente e 96 do fun-
do, cosinlia fra. eoeheira, quarios para criados o
escravos, cavallarice, ludo em ponto grande, mu-
rado eom porto de ferro, rom fundo at o rio,
eom pree nde ndo um vivairo, alguna terrenos pr-
ximos que se vendem em separado.
O leilo lera lugar porta da assocac,o com-
mercial as 11 horas do dia cima.
LiEIliVO
seguem, eu
enterro do seu marido, ou outra qualquer cousa, e
mais nao contestou, lido o depoimento e por achar
conforme assignou eom o jz, a testemunha, o
aecusado e autor.
E en Jos Noberto Casado Lima, esenvao o
acrevL O vigario Soares.Manoel Jos Arieira
Vianna.Honorato Jos de Mello.
Certido.
Certifico que pelo aecusado foi declarado que
nao assipnava este depoimento. do que dou fe.
va o.
PHulas vegelaes as8aeapis de
Kemp.
Agradaveis vista, exemptas do todo o sabor re-
pugnante, tao suaves quo efflcazes, tnicas e pur-
Igaiivas, estas famosas pilulas, possuem pois todas
"Agua-Prea, 3 de"deTem"bro'dV 1863.-0 escre-, a, inapreciaveis qualidades perteoeenlM a um re-
5o, Jos,. Xoberio Casado Lima. medio cathartico, alterativo e restourante Tal e o
Segunda testemunha. juizo medico conrmado pela 0f*Iwr'enc,a. dn9 "V;
Manoel Jos Serna, braneo, casado, eom idade llares dedoentes. Quando as funecoes do ligado
qa disse ter33 anuos, natural da cidade do Beci- e ae ventre se achara por qualquer forma desal-
e, e morador nesta villa, vive de negocio, teste- ranjadas, devem ser restituidas a boai ordein e re-
munha jurada aos Santos Evangelhos, em umlivro gulandade cora estas pilulas irresistiveis. hilas
delles m que imjz sua mao direita e promelteu sao too infalliveis quanto sao agradaveis e sem
der a verdade do eue soubesse, e aos costumes controversia alguma, e o melhor aperitivo geral, o
disse nada ",,' remedio anti-bilioso que se pode conseguir,
E Ihe sendo perguntado pelo conledo da peticao quer oeste ou em qualquer um outro pan. Era
de queixa de Honorato Jos de Mello, que Ihe foi consecuencia dellas se acharem acondicionadas em
lida e declarada, disse que sabe por ver que o frasquinhos de crystal, o lempo nao altera as suas
actusado vigario tinha muita amisade rom Joa- propnedades; a venda nos estabelecimentos phar-
<;a lillia do quetsoso e alli demorava-se o vigario C. Bravo t C ra da Madre de Deus.
al duas horas da nouto jogando dama, e que em
urna noute do mez de agosto do corrente anno, de-
sappaicccndo a moca, foi voz geral, que linha sido
o acensado que a raptara; dias dopois um por-
a este
consulado at o dia 31 de' dezembro prximo,
Sil vino de Barros Falc80, OHtrevont jura- Uma relaeao contendo os seus nomes, idades, es-
mentado, 0 escrevi, eu Manoel Mara Bo- lado, filiacao, nalnralidade e oceupacio e bem as-
uicuuuu, v i ____s- n cha. sim os nomes das iiessoas de sua familia, incluin
dngues do NascimentO, tecnvSo o 8D9-|dofaixeiroserriado8, .m as respectivas desig-
ere vi. nacoes e eom as mesmas declaracoes.
E mais sen5o COtinha em dito requer- s pessoasquenao souberem escrever e que nao
ment aqui mui bem e finalmente copiado e tenham quera Ihes faga estas relaees deverao vir
transcripto, e em cumpriruento, o referido
escrivSo fez passar o presente edital eom
o praso de dez dias, pelo qual chamo in-
timo e hei por intimados os credores incer-
tos do dito executado para que dentro do
indicado praso comparecam neste juizo,
munidos de seus respectivos documentos,
aftm de allegarem o que for de justica.
E para que chegue ao conhecimento de
todos mandei passar editaes que serio pu-
blicados na forma do estylo.
Becife, 30 de norembro de 1883.
Eu, Manoel Mara Rodrigues do Nascmeoto
escrivao osabsrevi.
Trislao de Alencar Araripe.
ao consulado fue-las verbalmente, onde Ihes se-
rio tomadas todos os dias uteis desde as 9 horas
da manhaa at s 3 da tarde.
Os caixeiros ou outros quaesquer individuos
que nao estejara em casas portuguezas devem
mandar as relaees relativas a suas pessoas.
O cnsul do.Portugal depois de tantas provas
de deferencia que tem receido de seus compa-
triotas aqui residentes, nao pode duvidar de que
Ihe concederla mais esta que desde i agradece.
Entretanto v-se na necessidade de Ihes declarar
que o consulado nao reconhecer como portugue-
zes, era prestar auxilio algum em nome de seu
governo aquellos que at o referido dia 31 de de-
zembro nao acudirem a este convite.
Roga-se a todos os portuguezes que deem toda
a uublicidade possivel a este annuncio.
~ 9
O patacho nacional Capuam, pretende seguir
eom muita brevidade, tem parte de seu carrega-
mento engajado, para o resto que (he falta e es-
cravos afreto para os quaes tem bons commodos
trata-se eom os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio ra
da Cruz n. 1^_____________________^___
Pura Valaaraizo.
Segu at o dia 20 do corrente mez a barca
americana Hugh Perckliead, recbese passageiros
m
Um carro americano de 4 rodas eom arreios
para um cavado.
|aiata-feira 19 de drttmbro.
O agente Pinto far leilo por conto de quem
pertencer de um cabriolel americano novo da 4
rodas eom arreios para um cavaII. as 11 horas
do dia cima dito no trapiche do Barbosa em fren-
te ao Corpo Santo, onde poderlo os pretendenles
examinaren! o referido carro na vespera e entre-
vespera e dia do leilo, podendo entenderem-se
eom o mesmo agente em seu escriptorio ra da
Cruz n. 38.
liKIliVO
1>K
3 eansie passeio
ass ara
americano*
festa.
Quinta-feira !7 do corrente.
O agente Pestaa far leilo por coala de queui
para os quaes tem excellentes commodos, a tratar pertencer de 3 carros de passeio americanos ra-
toa os consignatarios Henry Forster & C. ra do dos de New-York no patacho ingles Meruy, 4o*
Trapiche n. 8.________________________ gustos mais modornos que tcm viudo a eta praca
e muito elegantes, os quaes serlo vendidos cada
nm de per si na porta da associacSo commercial,
quinta-feira 17 do corrente pelas 11 horas da ma-
nilla onde se acliaro expostos concurrencia e
eom a qual desde j o agente espera.
DECLARACOES.
Santa Gasa da Misericordia do
Kecife.
COMMERCIO.
NOVO BANCO
DE
PERMAMBUCO
os
A Illuv juula administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Becife manda fazer publico que no
dia 17 do corrento pelas 4 horas da tarde, na sala
de suas sessoes, tem de ir praca o fornecimento i
dos gneros abaixo declarados que houver de con-1
sumir os difterentes estabelecimentos pios cargo
da niesraa Sania Casa no trimestre de Janeiro
margo prximo futuro, a saber :
Estabeleeimcntos de caridade.
Assucar retinado fino, arroba
tunea Joaquim de Tal Maia, que estava em casa
del le testemunha, disse-lhe que procurando um
avallo, que havia peado. o acoutecendo passar
pelo fundo da casa do aecusado vira na porta da
cosinha dito ino\;a que dando eom os olhos nelle
correa para dentro; depois disseram a ello teste-: __o novo banco de Pernambuco convida
munha que a dita moca passara pelo engeuho Vi- cre(|ores das massas fallidas de Mesquita & Dutra,
da-Nova, em companhia da preta Bita, escrava do p |rancsco Antonio Correia Cardoso a aprsenla- Dito refinado segunda sorte, arroba.
* rem seus ttulos no banco para se proceder a res- Dito em torrao, arroba,
pectiva verificacao. Arroz pilado, arroba.
Bacallao, arroba.
EM 15 DE DEZEMBBO DE 1863. Toucinho de Lisboa, arroba.
O banco descont na presente semana aoito por Velas de carnauba, arroba.
' cento ao anno at o praso de quatro mezes, e a dez Sabio, arroba,
por cento at o de seis mezes
aecusado, que ia para o engenho Santo Antonio, o
de feito, dias depois soube que ella estava em casa
de Jola Ventana, no s tio Mamte do engenho, do
aecusado, e *> mesmo JoaoVentania, disse a elle les-
temunli.i que era certo ter era sua casa dita mofa
pedido M aecusado,
Perguntado se o aecusado era exagerado em sua
llhrlli e sa f.iliava ao cumplimento de seus deve-
i s de parodio ?
Respondeu que o aecusado pouco se importava
<-om a groja tanto i|ue nao dizia missa em dias da
semana, soecedia uma vez dizer, que exiga por um
haptisadta i-SOOO, e llezerra vindo baptisar um filho, e nao tendo di-
nheiro. e o aecusado pedindo o dinheiro, ella disse
dar de penlior. eom elfeito o acensado mandou por
seu iiiolcque buscar estes objectos depois de feito
ro, visinho do aecusado e sendo este chamado mui-
tas vezes para o confessar, quando foi j o nao pode
confessar assim tem acontecido eom jnuitos ou-
tros enfermos, por quanto o aecusado nlo se presta
a confisses. e mais nao disse.
Dada a palavra ao aecusado para contestar a
testemunha, disse que nao conteslava, e omiltia a
.sua defeza, lido o depoimento e por adiar confor-
me assignou o juiz, a testemunha c partes.
Alfaadega
Bendimento do dia 1 a U........ 270:22*iS
dem do dia 15................. 17:971go06
288:961*639
Movlmento da alfandega
Volnmes entrados eom fazendas...
c eom gneros... 361
Volumcs sahidos
eom .fazendas... "6
eom gneros... 314
361
390
Desearregam no dia 16 de dezembro.
Barca ingiera Tracclterfarinha.
Brigue porluguezBe/ampnso-diversos gneros Dcana'0,airar'a'
T">--------_ j!>i*iniHaa ImIiiI foi-lili*' '
Batatas, libra.
Caf cm grao, arroba.
Cha preto, libra.
Manteiga franceza. dem.
Tapioca, idem.
l'arinha de mandioca da trra, alqneire.
Vinho tinto de Lisboa, caada.
Dito braneo idem, caada.
Vinagre idem, caada.
Aguardme, caada.
Azeite doce, caada,
Dito de carrapato, caada.
Prelo de Lisboa, sacca.
Patrimonio dos orphios.
Assucar refinado, libra.
Cha prelo, libra.
Caf em grao, libra.
| Manteiga Tranceza, libra.
Arroz pilado, libra.
Carne verde, libra.
Peixe fresco, libra.
Escuna dinamarquezaAcoiiifarinha.
Brigue inglez GMru=carv3o.
Barca ingleza-Dnnfc bacalhtf.
EU Jos Norberto Casado Lima, escrivao, o es- Barca InrtmImperador farinha e bolarliintia. Toucidno de Lisboa> ,iL(raa
crevi.O vigario, Soares.Manoel Jos Serpa. Barca ingleza Gora^bacalnao. Farinha de mandioca da trra, alqueire.
Honorato Jos de Mello. uecebedorla de reaas internas Fejlo, alqueire.
Certifico que o aecusado nlo quiz assignar o geraes de Pernambuco. Azeite doce, garrafa.
depoimento. e dou fe. Era ut retro.O escrivao, Ren()imenl0 do da 1 a 14........ 17:030Ai88 Vinagre, garrafa.
Jos Norberto Casado Lima. 1(Jem do (lia 4g................. 1:689*628 Sal, cuia.
Lenha em achas, cento.
Para o 'orlo
A barca portugueza S. Mantel II segu imprete-
nvelmente para o Porto no dia 24 do corrente, e
s recebe passageiros, nara os quaes tem excel-
entes commodos : a tratar no escriptorio de M. J.
Ramos e Silva 4 Genros, na ra do Vigario n. 10.
Para o Hio de Janeiro
Pretende seguir eom muita brevidade o pata-
cho nacional Beberibe, tem parte de seu carrega-
mento prompto para o resto que Ihe falla e escra-
vos a frete para os quaes tem excellcutes commo-
dos trata-se eom os seus consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, nt seu escriptorio
ra da Cruz n. 1._____
Barea Lima 1
Sahc em |>oucos das para o Porto por ter parte
da carga engajada : para o resto e passageiros,
trata-se cornos consignatarios Carvalho 4 Noguei-
ra, na ra de Apollo n. 20, ou cora o capillo na
praca.
LEILOES.
LEIUO
Terceira testemunha.
Joaquim Antonio da Silva, braneo, viuvo, eom
idade que disse ter 58 annos, natural da freguezia
de (loa, morador nesta villa, vive de negocio.
Testcmonha jurada aos Santos Evangelhos em um
livre ddles em que poz sua mao direita, e pro-
ineiteu dizer a verdade, e aos costumes disse nada.
K Ihe sendo perguntado pelo conledo da peticao
de quehta de Honorato Jos de Mello, contra o vi-
gario Fausto Freir de Carvalho, disse que sabe
lir ouvir dizer, que o aecusado raptara a lllha do
njueixoso. e mandara depositar no sitio Mamte,
o que sabe por ouvir dizer. porquanto quem faz
estas cousas mIo chama ninguem.
Pcrgontad se conheeia a moca ?
I'.espondeu que a conheco.
Perguntado se haviam precedentes que podesse
justificar este faciT
Bes|iondeu que apenas sabe por ver, que duas
ou tres vezes o aecusado sabia muilo cedo da casa
de Joaquim Pereira da Silva, e que elle testemu-
nha perguntando ao mesmo Joaquim Pereira da
Silva, se o aecusado dorma em sua casa, disse-
ilie que sim, que o vigario tinha mdo de dormir
s ; mas logo que se deu a fgida da moca da
casa de Joaquim Pereira, o aecusado tomou cora-
gern, qoe nao durmi mais em casa de Pereira.
Perguntado se o aecusado procurava receber
mais por seus servicos do que aquillo que manda
;i sua tabella ?
Hespondeu que isto sabe, que tendo elle de
mandar celebrar uma missa no stimo dia, do fal-
iceimeiilo de sua mulher, o mandando o sachristao
e Mr ao vigario para a celebrar, este disse que a
(aria pela madrugada mediante a paga de 11*;
elle testemunha rellectindo no pre$o, pedio um
abate que nlo Ihe foi dado, e tendo assim aconte-
cido eom elle testemunha, pro va ve! que aconteea
eom as demais pessoas.
Perguntado se era o aecusado cumpridor de
seus deveres T
Bespondeu que respeito ha tanta cousa qne
seria um mundo a acabar, e a prova est que pe-
Juido Joo da Costa, confissao em estado de morte,
o sendo o accusulo chamado para confessalo, res-
pondeu que iria no outro dia, e logo cedo passou
para o cemiterio o corpo do Joo da Cosa, para
ser sepultado, tendo fallecido sem confissao.
Que eslandu Joo padeiro visinho do aecusado,
moribundo pedindo coufissao, foi o aecusado cha-
mado, por vezes, e nao foi : o resultado foi o po-
bre homcm morrer sem confissao.
Querendo um Wanderley, morador em Trom-
petas, chamar o aecusado para confessar nm en-
fermo, a isto se negou, e mandou que fosse cha-
mar o padre Antonio coadjutor para ir confessar,
c que o padre Antonio resiwndeu nao poder ir por
estar tambem confessando e corando um escravo
do coronel Zeferino; voltou o Wanderlcj a casa do
acensado, e de novo pedindo que fosse confessar o
'iifeHBo, o aecusado do maouca alguma (|uiz ce-
der o que obrlgou a Wanderley dizer, que so
raera d'nhciro para poder comprar um padre
e chegaudo casa, eom pooco morreu o enfermo
sem confissao. .... .
One todos que morreram do cholera, e que se
sepultaram, esta sm ser encoflMnendados ; e
suceedendo vir algnma |ssoa da famifia de alguns
acensado exige dessa pessoa pagamento de enterro
e desobrigas, entretanto qne nao sabe elle teste-
18:720*116
Consulado provincial.
Bendimento do dia 1 a 14......... 42:828*818
dem do da 15................. 6:711*9.11
49:540*749
Aletria, libra.
Po, libra.
Bolacha, libra.
Os pagamentos serlo feitos raensalmente. Os
pretendentes devem comparecer eom suas pronos-
las em cartas fechadas, que serlo distinctas, tendo
Quarta-fera 16 do torrente, linda a audien-
cia do juiz de paz do 2 districto da freguezia de
Santo Antonio, irlo praca varios bens penhora-
dos a Joaquim Emilio de Mederos por execuelo
de Jos Bernardo de Sena.
Quarta-fera 16 do corrente. linda a audien-
cia do juiz de paz do 2" districto da freguezia de
Santo Antonio irlo praca varios bens penhorados
Frankhn Pinto de Sorbona, por execuelo de Jo-
s da Silva Oliveira.
Quarta-feira 16 do corrente linda a audien-
cia do juiz de paz do 1" districto da freguezia da
Boa-Vista, irlo novamente a praca os bens an-
nuneiados no sabbado 12 do corrate, penhorados
D. Vicencia Ferrera de Alhuquerque Nasci-
DE
O saccas eom algodo (aya-
riadas.)
MI
Quarta-feira i t de dezembro ao meio
dia em ponto.
O agente Pinto far leilo por conta e risco de
quem pertencer de 60 saccas eom algodo avaria-
do,as quaes se achara depositadas no trapiche do
algodo onde se effectuar o leilo ao meio dia em
ponto do dia cima dito.___________________
LEILAO
DE
Movis e outros objeetos.
Quinta-feira 17 do corrente as 11 horas,
O agente Olimpio em seu armazi m ra do Im-
perador n. 16, vender em leilo diversos trastes
novos e usados._________________
aa
Manteiga ingleza.
Quinta-feira 17 do' rorrete.
0 agento Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer cerca de 25 barris eom manteiga
inglezade superior qualdade a sahir hoje da al-
fandega e serlo vendidos em um ou mais lotes a
vontale dos compradores : quinla-leiral7 do cor-
rente pelas 10 heras da manilla no armazem do
^nnes defronte da alfandega._________________
LEIlitO
A 1 do corrente
O testamenttiro de Henry Gibson far leilo por
interxenlo do agente Pestaa, de boa |>orclo
fardos contendo cada um 50 pipas de algodo
corpado para saceos, os melhores que tem
importados neste mercado, e de diversas fazendas
inglezasdc linho c de algodo, para fechar conta-
Sexta-feira 18 do corrente
s 11 horas da manhla em ponto, no seu arma-
zem. ra da Cadea do Becife.
de
o en-
tera sido
las emeana. ieciiduda,!iuu sci.iui.--.'v-, -7- monto mw YA aceitas propostas especiaos para o fornecimento de n"10;.^ "*U5M de id0 terre,ra e Moura'
pao o bolacha.
a ultima praca.
Sao os mesmos pretendentes obrigados apresen-!
tarem fiadores idneos que se resptfnsaliilisem pelo |
fiel cumprimento dos contratos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Be-1
cife, 14 de dezembro de 1863.
F. A. Cavalcauti Coussciro.
Escrivao.
MOVIMENTQ DO PORTO.
Natos entrados no dia 15.
Bio do Janeiro14 das, brigue portuguez Impro-
ciso, de 284 toneladas, capito Jos Goncalvcs
Lima, equi|>agem 12, em lastro Amorim &
Ir 1 nao.
Baha7 dias, brigue nacional Martnho III, de
340 toneladas, capillo Jos Maria Alfonso Ba-
cellar, equipagem 15, carga varios gneros, era
lastro.
Bio de Janeiro16 dias, brigue portuguez Trova-
dor, de 220 toneladas, capito Manoel Candido; ""caf em grao, carne verde, carne secca, fari-
Ferreira, oquipagera 14, carga barricas vasias e nha,'fejlo, lenha, manteiga, pao de 6 onfas e de
AVISOS MARTIMOS.
outros gneros; Marques Barros & C.
Montevideo23 dias, brigue hespanhol Manoel, de
148 toneladas, capito Antonio Boldos, eqnipa-
gem 11, carga 13,3001 quintaos hespanhoes de
carne ; a Aranaga Hijo & C.
dem31 dias, sumaca hespanhola Amelia, de 95
toneladas, capillo P. Bertrn, equipagem 9,
carga 2,000 quiotaes hespanhoes de carne ;
Marques Barros t C.
Bio de Janeiro15 dias, brigue portuguez Acoto,
de 373 toneladas, capito Augusto Wenceslao
dos Sanios, em lastro; Amorim & lriuo.
Navios sahidos no usno dio.
MarseilleGalera franceza Ral, capito Berinda-
gen, carga assucar e algodo.
Liverpool pela ParahyhaBarca ingleza Netherton,
capillo Samuel Morrish, carga assurar.
Porto do norteVapor nacional Printeza. com-
mandante prlmeiro lente
da Silva Araujo.
Southampton e porlos intermediosVapor inglez
Paran, commandante Jellicoe.
Observaco.
Suspendeu do lamaro para Macei a barca in-
gleza, Albinut, capito Watson, eom o mesmo las-
tro que trouxo da Baha.
Fundeou no lamaro uma barca ingleza, mas
teve communicacae eom a trra.
Appareco ao tul duas embarcacoes.
COMPANHIA BRASELEIRA
DE
^.^**-PAQUEES,A VAPOR.
U1ICO. I ^A yK al o da 18 do corrente o vapor
0 ronselho econmico do mesme corpo contra- *WR6n'%v Apa, commandante o primeiro
ta para fornecimento das pravas arranchadas dn- ?$j'. fij^- lente Alcanforado, o qual de-
rante o Io semestre de 1861, os seguimos gneros: | |g KMBP P<>is ua demora d 1 coslume se
arroz pilado, assucar refinado, azeite doce, baca- Jfllir para os |lortos 00 su|_
Desde j recebem-se pasMgeir e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chagada, encommen-
das e dinheiro a fretc al o dia da sabida as 2 ho-
ras, agencia ma da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
E
Fazendas fi-ann /.as e niiuUv.as
Para liquidar.
HOJE.
Cals Irraaos querendo liquidar sua casa farao
leilo por intervenci do agente Pestaa de todas
as mercadorias existentes era seu armazem como
sejara cassas, organdys, casemiras, chapeos de
feltro e de massa para hornera, ditos de lia, ditos
de seda para senhora, luvas, bicos, pentes de tar-
taruga de excellente goslo, ditos de alisar o de bu-
falo, muitos outros artigos que tudo se achara pa-
tente e ser vendido sem a menor duvida nem li-
mito para lquidacao da mesma casa : quarta-fei-
ra 16 do corrente pelas 10 1|2 horas da manhla
no seu armazem ra da Cruz._______________
DE
Uma fabrica de destilaco e seus pertences, uma
dita de sabio e seus pertences, uma grande
propriedade e diversos terrenos, gneros de
distilacio, botijas e garrafas vazias e garrafoes.
O agente Almeida autorisado pelos Srs. admi-
nistradores liquidatarios da massa fallida de Joa-
quim Lucio Monleiro da Franca, far leilo da
propriedade da ra Nova de Santa Bila n... na
ipial esto collocadas as fabricas de destilaco e de
saldo, tendo tambem uma grande casa de morada
eom todos os commodos nlo s para familia como
proporcoes para acommodar erapregados necessa-
rios para taes estabelecimentos, urna magnifica
eysterna para conservar 200 pipas de liquido, al-
guns terrenos annexos a rmsma propriedade, um
dito na ra Imperial, diversos gneros como ge-
nebra, vinho de caj, essencias, grands porcio de
Iwtijas, garrafas e garrafoes vazos.
HOJE.
A' porta da associaclo commercial s il horas
os pretendentes poderlo examinar os estabeleei-
mcntos pois se acham abertos para esse flra.
4, toucinho e vinagre ; os gneros devem ser do
primeira qualidade, e as propostts serao aceitas
at as 10 horas do dia 24 do corrente, e entregues
na secretaria do dito corpo.
Quartel na Soledade era 15 de dezembro de 1863
Jos BaptisU de Meneies.
Alferes secretario.
Inspeccodo arsend de mai-inlia
Faz publico que a commisslo de peritos exami-
nando, na forma determinada na regulamento an-
nexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de 1854,1
o casco, machina, caldeiras, apparelho, mastreaelo,
amarras e ancoras do vapor Jatjwmbe da compa- j
nhia Pernambucana de navegacao costeira, achou
todos esses objectos em regular estada
Inspecco do arsenal de marinua de Pernambo
co H de dezembro de 1863. oinspec|ori
H. A. Barbosa de Almeida.
Crrelo.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
XavegacSo costeira a vapor.
Para a liba de Fernanda.
Segu no da 16 as 11 horas
da maoha o vapor Jaguaribe,
commandante Lobato. Recebe
carga al o dia 15. Encommen-
das, passageiros e dinheiro a fre-
te at o da da sabida as 10 horas i escriptorio
no Forte do Mattns n. 1._________.
EDITAES.

0 Dr. Tristlo de Alencar Araripe offlcial
da imperial ordeno da Rasa, o juiz de di-
raito esepecial do commercio desla ci-
dade do Recite e seu termo, capital a
provincia de Pernambuco, por 80a Ma-
gestade Imperial e Constitucional, o Se-
obor D. Pedro II, quera Dos guar-
de, ect.
Fa?o saber aos que o presente edital vi-
Para o Rio de Janeiro
At e da 30 do corrente pretende seguir im-
pretervelmente o patacho nacional eberthe, para
o resto da carga qoe Ihe falta e escravos a frete
para os quaes tem excellentes commodos trata-se
Pela aaininistracao de correio se faz pMio que .om os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
no sen escriptorio ra da
a mala que deve conduzir o vapor costeiro kwta- vejra AreVB(ro 4 &,
riite cora destino ao presidio de Fernando, tecnar Cnu n |
se-ha hoje (18^ s 11 horas da manbaa.
Peranle o juiz de paz do segundo districto
do Recife, tem de ser arrematado, linda a audien-
cia no da 17 do eerrente, os bens seguiotes : um
sof, 6 rateras, 1 P de onsolos, rudo de ma-
deira de amarello em bom uso, no valor de
53,5000; penhorado por Andr. Barbosa Soares,
contra Gongalo d'Almeida Leite.
Arremalacao.
Rio de ianelro.
O brigue urasileiro trovador segu eom muita
brevidade, pode receber earga e esiiavos frete,
trata-se eom os consignatarios Manjas, Barros
C largo do Corpo Santo n. 6.______________
DB
Aerees.
O agent Almeida far leilo requerimento
dos adminisiradores da massa fallida de Amorim,
Fragozo, Santos & C. o m indado do Illm. Sr. Df.
juiz especial do commercio de 42 aeces da com-
panhia vigilante e 20 ditas da estrada de ferro.
Sabbado 1!) do correoe
A' porta da associaclo commercial s 11 horas
do dia.
iii:iii%o
DE
t 111 grande sobrado de um an-
dar na eldade do Aracaty.
O agente Almeida far leilo requerimento
dos administradores da massa fallida de Seve Fi
Ihos & C. e mandado do lllra. 8r. Dr. juiz especial
do commercio, de um sobrado de um andar eom
33 palmos de largo tendo 3 jandlas na frente, na
ra das Flores da cidade do Aracaty en caos fo-
reros a cmara municipal de dita cidade.
asxla-feln, 8 de Janeiro dr 1S6.
aporta da associaclo commercial s 11 horas ; os
pretendentes podemoiiter qualquer informadlo do
agente cima.
AVISOS DIVERSOS.
LEILAO
PARA 0 RIO DE JANEIRO
segu impreterivelmente no dia 16 do corrente o
Finda a audiencia do dia 18 do corrente, do Sr. Drigue Almirante, s recebe escravo* afrete, para
Dr. juiz municipal da 1.' vara, escrivao Baptisla, os quae8 ,0-, exrellentos commodos : trato-so eom
ser vendida a caaa terrea de tolo e cal, coberla os seus consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
de tenas, eom SI palmos de fundo e 38 ae frente, Azevedo 4 C, no seu escriptorio, ra da Cruz nu-
2 salas e 4 quarios, aw4 nao acabados, 4 janollaa awvo t-
de frente, e 1 porta em cada oito, em terreno to- --------
reiro, sita no logar denominado Campo Grande,
fregnezia da Boa-Vista dcsta cidade : vai a praea
Para a Baha
0 palhanotafiat'iiiMt pretende seguir eom bre-
Lotera extraordinaria
Aos 10:0005000 e .:0005000.
Corre no dia 24.
0 abaixo assignado tem resolvido e\-
trahir no dia supra mencionado, vespera do
dia d nascimento do Redemptor do Uni-
verso, urna lotera extraordinaria, a qual
a quarla parte da quinta em beneficio da
igreja de Nossa Senliora do Guadelupe de
Olinda, e a sua extraer, 10 ter lugar no con-
sistorio da igreja de N S. do Rosario da
freguezia de Santo Antonio.
Os bilbetes e meios acliam-se venda na
respectiva thesouraria ra do Crespo n. 15
e as casas commissionadas ra da Impera-
triz n. 44, loja do Sr. Piraeotel: ra Direita
n. 3, botica do Sr. Chagas; ra estreita do
Rosara n. 12, typographia do Sr. Mira e ra
da Cadea n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 10:000,5000 at 20(5000
serSo pagos tima hora depois da extraeco
e os outros no dia seguinte depois da dislri-
buic5o das listas.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
O Sr. Jos Francisco Pinto Guimaraes. cirur-
gSo pela escola real do ciriirgia de Lisboa, trans-
ferio sua residencia para a ra Nova, n. 60, pri-
meiro andar, onde podo sor consultado todos os
dias atis das 7 a 10 horas d^mauna, aceita das
doencas denominadas cirurgcas ou externas espe-
E" sem limite. ciaimente dannellas, em cojo tratamento mais fre-
Por interveiKo do agente Entebia s* vender quentemente intervem a medicina operatoria.
cm leilo naquelle dia e hora o sitio e casa de vi- ^^ .... *f|Yf n 1 mtf\
venda cuja propriedade em chao proprio, tendo de fll TD PF || 1 A H I U| I. A lili
se vender em nm s lote, nlo se duvidara no caso \Jl_UD X JUllll AuIIf l/UXll V
dehanertpwi-galrayftteraveafagpyeajo;| t reunanf' gar nanoitedell to corren c
As 10 horas cm ponto.
Uma armario de amarello envidracada e ou-
tros objectos,
hoje.
O agente Pinto far leilo 1 requerimento de
Cals especial do commercio da armaco de amarello
envdracada, 1 balcao, 1 banca, 2 cadeiras. 1 ca-
bale, 2 armarios, 6 chapeos para meninos, 7 tou-
cas, 24 enfeites para cabeca, 3 chapeos de castor,
e 20 eaixas de papello objectos pertencentes a
madama Bosa-Hardy e existentes na loja do sobra-
do da ra Nova n. 0. .
HOJE.
Quarta-feira 16 do corrente s i 1 ho-
ras ta ra da Cadeia n. 51.
DE
i ni sitio e easa de vlvenda no
principio da estrada do
Hangntaho e esquina da ma
da Amizade. em ehio
proprio.
limite.
tes, tendo"l7* palmos de frente, ser 7t Palmos
inrtnindo a casa om lote, o segando ser de 100
at6 a esquina ernn 200 palmos de fondo, e o ter-
oiro eom frente na ra da Amizade cerca de 200
palmos a 300, cora todo o fundo a eatromar eom
o sitio do Sr. Gadaalc, pete ue sao convidados os
pretendentes ao previo exame, na. resdado ser*
uma boa aeqnhicfio de aproveitar a oppor-
tunidade.
me*
Precisa-so alogar uro preto para earragar
iima caia eom lateadas : na roa Nova n. Si la
mesma casa precisase d boa costwaiaan do
uma ama para todo o servido.

j;


Diarto de Peraamfcoeo Quaria lelra lede Deznubro de 18413.
PAU4 A FESTA
Alaga-se urna das melhores casa no Cachang
eonronte a igreja, murada com caes e portao para
o rio, pintada c caiada de novo : a tratar na ra
do Queimado, loja n. 43.
O Dr. Antonio Vicente do Nascimenlo Peno-
sa, tendo de retirar-se para a corte do Rio de Ja-
neiro, alim de tomar assento na cmara tempora-
ria, cerno deputado assembla geral por esta pro-
vincia, avisa ao respeitavel publico, e com especia-
lidade aos seus constituinles desta e de outras pro-
vincias, que o seu escriptorio na ra estreita do
Rosario n. 23 contina sob a direccao de seu com-
panheiro e collega o Sr. Dr. Joaquim Jos de Mi-
randa. Os solidos estudos do Sr. Dr. Miranda em
jurisprudencia, a pratica que possue dos negocies
forenses, o conhccimcnto que tem das causas do
escriptorio, onde trabalha ha cito annos, c o carc-
ter probo que o distingue, sao garantas sufflcien-
tes de que na ausencia do Dr. Feitosa os negocios
forenses a seu cargo, e os que occorrerem de novo,
proseguirao com a mais perfeita regularidade.
O Dr. Feitosa avisa, outro sim, ao respeitavel
publico, que as pessoas que quizerem ouvir suas
opinies, podero remetter-lhe para a corte suas
consultas por intermedio do mesmo Sr. Dr. Miran-
da, certo de que a resposta Ihes ser enviada pelo
primeiro vapor que dl'alli partir depois do recebi-
mento da consulta; assim como all se encarrega-
r da direccao de revistas ou de quaesquer nego-
cios forenses.
O mesmo Sr. Dr. Miranda fica munido de pro-
curaco bastante para tratar de qualquer negocio
que diga respeito ao Dr. Feitosa, quer particular
quer forense.
Jos Azevedo de Andrade faz
se i mte ao co> pn praca ca sen frigMMi em gen I, que
tiMiisfoiio o seu t'slilc leci ment de la-
zeiidas silo roa do Crespo loja n. 20
A para a de o. 18 da mesma ra.
ALUGA-SE
Una boa propriedade de sobrado no lugar da
Torre em muito bom local, muilo fresca e esta
forrada de papel, com bastantes commodes para
una grande familia, tendo cocheira, eslnbaria,ba-
nheiro, boa cacimba, muitos arvoredos e novos,
urna grande baixa de capim e muito bem tratada,
cuja propriedade a que foi anteriormente do so-
licitador Manoel Pereira Magallies, quem a pre-
tender di rija-sea ra da Scnzalla Velha n. 100, no
primeiro andar, das 10 horas da manha as 3 da
tarde, qne se proraette alugar por prego raxoavel
pedendo levar a chave para examina-la.
Alugam-se as lojas dos sobrados do pateo do
Terco ns. 12 o 29 proprias para qualquer estobe-
lecimento por ser om boa locaiidade e bem espa-
eosas : a tratar na ra da Praia n. 36.
Naques sobre Portugal.
Oabaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta cidade, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
e mesmo banco para o Portoe Lisboa, por
qualquer somma, vista e a prazo, po-
dendo logo os saques a prazo sercm des-
contados no mesmo banco, na razao de 4
por cento ao anno aos portadores que as-
sim Ihe convier: as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 51.
.Inaquim da Silva Castro.
Mociedadc de seguros mutuos
de vida installada pelo Banco
I ti i fu oa cidade do Porto.
Os agentes nesla cidade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C,, escriptorio na ra
da Cruz do Recife n. 1, esto aulorisados desde j
a tomar assignaturas e prestar todos os csclareci-
nientos que foreni necessarios, as pessoas que de-
sejarem concorrer para tao til e benfica empre-
za, segurando um futuro lisongeiro aos associados.
HHBarai-snn
DENTISTA DE PARS
II-Ra Xova-19
25 Fiedi'iico Gautier, ciruijiao dentista,
i faz todas as operae.oes de sua arte, e col-
S loca denles artificiaos, nido com superio-
I ridade e perfeicao, que as pessoas cnten-
H didas Ihe roconiecem.
i3 Tem agua e i>s dentifcio.
Antonio Jos Rodrigues de Souza aluga a sua
casa e sitio do Monteiro, em frente ao oitao da
igreja de S. Pantaleao, com bastantes commodos :
a tratar na thesouraria das loteras, ra do Gres-
po n. l.*>.__________
- Aluga-ss o primeiro andar do sobrado da
ra do Crespo n. 23 : a tratar na loja.
Hontem 13 do corrente a noite, um portador
que da Capunga seguio para o Reberibe em um
cavallo de cor ruca, novo, com cangalha, deitan
do-se a dormir pelo seu estado do embriaguez, de-
sappareceu o cavallo e cangalha : por isso roga-se
a quem o tiver achado leve-o ra do Queimado
n. 23, que ser gratificado.__________________
Aluga-se ou vende-se um pequeo c bello si-
tio no becco do Maxixe, freguezia dos Afogados,
com diversas e odorferas fructeiras e urna boa
casa terrea de tijolo, com excellentes commodos
para familia, e alguns pequeos beneficios, achan-
do-se ludo no melhor estado possivel : a tratar na
ra do Rangel n. 61, ou na povoaeao dos Afogados
eni casa do annunciantc Querino Jos dos Santos.
~^ O abaixo assignado deixou de ser caixeiro
do Illm. Sr. Antonio Joaquim de Mello no da 12 do
corrente, e agradece-lhe muito o bom tratomento
que teve durante o tempo de quatro annos que foi
seu caixeiro.
Joao de Almeida Lima.
Precisa-se alugar urna preta de boa conduc-
ta que saiba engommar bem e cozinhar : na ra
do Queimado n. 44, primeiro andar, paga-se bem.
Na travessa do Costa junto a fundicao em
Santo Amaro, ha algumas casas pequeas para
alugar : trata-so na mesma travessa n. 2 ou 5.
Arithuietica, algebra e geome-
tra.
O professor de mathematicas no gymnasio pro-
vincial pretende abrir um curso particular destas
sciencias, no da 4 de Janeiro do anno vindouro,
se houver numero sullleiente de alumnos: os pre-
tendentes dirijam-se casa de sua residencia na
ra Direila n. 74, para se malricularcm.
ATTT i;\t,iO.
Aluga-sc um liom sitio no Manguind, com bas-
tantes arvoredos de fructo, boa casa de vivenda,
casa fra com quartos para pretos, estribaria, ca-
cimba com boa agua, c tanque com casa para ba-
nhos: quem o pretender, dirija-se ra Nova,
loja de calcados n. 7.
Quem quizer oar 2005 a juros sobre hypo-
theca em una casa de vivenda e urna de rancho,
toda em muito bom estado, na freguezia dos Afo-
gados, queira deixar una carta na mesma typo-
graphia rom as iniciaes M. P. C.
Deseja-se fallar com pessoa encarregada dos
negocios, nesta cidade, da Sra. D. Candida Mara
Pedrosa, na ra Nova n. 'l._________________
Precisase de um moleque de 12 a 14 annos
para fazer o servico de casa : quem o tiver para
alugar queira dirigir-sc ra Nova n. 2o.
Aluga-sc o segundo andar da casa da ra de
S. Francisco n. 68 : a tratar na ra do Queimado
n. 8, primeiro andar.
Cai\eiro
Xa taberna grande da Soledade precisa-se de
um caixeiro com pratica ou sem ella.
Precsase de um pequeo para caixeiro de
loja de ferragens, de queja tenha alguma pratica :
a, tratar na ra do Queimado n. 69.
Aluga-se barato o segundo andar do so-
brado n. 44 em a.rua da Aurora, que lti-
mamente fra concertado e pintado de no-
vo : quem o pretender dirija-se loja de
Bastos & Reg, na ra Nova, que achara
j com quem tratar.
Precisa-se de um moleque de 16 a 18 an-
: nos : quem o tiver para vender, queira dirigr-se
ra do Trapiche n. 12.
^ Antonio Jos Rodrigues de Souza, na ra do
Crespo n. 1j, precisa alugar um moleque para o 0 Dr. Jos Liberato Rarroso, partindo para o
servio* de casa de familia, e que saiba bolear car-1 Rio de Janeiro tomar assento na cmara tmpo-
ra sendo d(
i-
M
Dentista aincrieano
De \cw-Vork. ra do llo-
rador o. 03.
Ir. W. II. Me. Grath, offerecc ao res-
('I publico de Pernambuco os ser-
de sua prolissao, todas as opera-
- i bocea e denles serio execiiladas
'tea e muito inelhorado princi-
u.. i irurgia dental.
raria, dexa encarregados de suas cansas aos Drs.
Aprigio Justiniano da Silva Guimarcs c Joo Jos
Ferreira de Agolar : a tratar em seu escriptorio
na ra do Imperador n. 17. Durante a sua estada
no Rio de Janeiro encarrega-se de qualquer nego-
| co relativo a sua prolissao de advogado.
O Sr. Luiz Paulino Cavalcanti de Al-
huquerque.lrm urna carta nesta typopraphia.
Precisa-se de um bom cosinheiro e de una
ama que saiba engommar e lavar : tratar no
-obrado n. .'2. da ra da Aurora.
Curso de Inicua italiana para as meninas c
-enhoras, no novo anno lectivo de 1864. O res-
pertivo i'P'l--- n rvialieleceu um mdico ordenado
para ensillar perlinamente e-.se bello idioma, a es-
crever, ler, traduzire fallar grammaticalmente. A
experiencia acaba de o demonstrar em duas meni-
ii;>- peruainUicana que fallain a dita lingua com
nuita praca romo qualquer senhora italiana. Aba-
lisados jonsconsulios e lentes d.i faculdade desta
cidade do Rerifc lizeram ao respectivo professor a
boara de o consultar a respeito, as diversas obras
d" direila de hal>eis jurisconsultos italianos. As
-enhoras que desejarem estudar em suas casas essa
Ix-lla lingua e suas poesas, antes que rhegueni as
campanillas ricas a e>ta provincia, tem as suas
cirdens o respectivo professor. boinein de todaedu-
ioe res[Ni Na tarde do dia 9 do corrente, desde ra
Dircita at ra do Sebo, perdeu-se um par de
los de aros de ouro, com vidros partidos e de
graos differentes : quem o achou quereudo resti-
tuir leve-o ra Direila n. 91, 1" ailar, que ser
recompensado.
No escriptorio de Amorim Irmaos, ra da
Cruz n. 3, deseja-se fallar com o Sr. Antonio Joa-
quim da Costa Santiago, cuja morada se ignora.
0 Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17, 2 andar, onde pode ser pro-
curado a qual pier hora do dia e da noite
para o oxercicio de sua profissao de me-
dico sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados pr cscripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias do interior, prosegue, com o
maior afflnco, no das mais difliceis e deli-
cadas operac.K-s. como sejam dos orges
ourinarios, dos olbos, partos, etc.
< aixa li'ial de London e Krasilinu Bank
(timiUed em ernaniliuco.)
A caixa filial de London c Rrasilian Bank em
n fifi. O mesmo nrofessa as lingoas latina, grega e Pernambuco, faz sciente ao publico e mais espe-
1 cialmente aos seus deposttadores em conta cor-
franceza, e as falla cnrreclamenlfi.
Agoslinho Martins Campanbao subdito por-
iguez va i a Kurojia.
Alaga-se a rasa terrea n. 26 da na da Ale-
ara : a tratar na ra da Imperatriz n. 40.
Precisa se alugar urna preta para casa de
pequea familia, para fazer compras e cozinhar :
na ra do llrum, caldeiraria n. 40.
Tendo de ser arrematado de renda o enge-
nlio Roncador na freguezia deS I/mrenco da Mal-
la, do coronel Jos Pires Campello por execucao j das por menos de 7 dias.
nnie que se v na rigorosa obrigaco de alterar
as suas condiccoes deste modo de deposito, nao
smente pelos proprios inleresses da caixa, como
lambe ni pea conveniencia do publico, como a ex-
periencia o tem mostrado.
Portanto liqucnias ditas condiccoes desde o Io
de Janeiro prximo futuro em diaute, modificadas
como segne:
Smente se recebem quautias de 504 para
cima.
.Nao sao contados juros sobre quantias deposita-
que Ihe move J-se Jeronymo Monteiro pelo juizo
i Dinmercial. cscrivao Paes deAudrade, faz-se certo
a quem convier. que o dito engenbn tem de ser
arrematado por seis annos como foi determinado
|telo juizo, sendo que o dia da arr -matacn ser a
19 do crreme como ja fra publicado por edital
Aluga-se o sitio da (^apanga, pertencente
Sra. viuva Torres : a tratar na ra Direita, loja de
cera defroute de N. S. do Terco.
Alugam-se as casas terreas na roa da
< lalcada n. i# t roa Vdba n. 2 : a tratar
na ra do Sebo n. 24.
Imaaaee Iwssa >eahni Mai i%>
Os juros fiqiem reduzidos a razao de 2 por cen-
to ao anno capitalisados como d'antes.
As retiradas do dinheiro podem ser eflectuadas
a vista sem disiinceo de quantias e sem previa
partieipacao obi igala e sim obsequiosa se isto fr
possivel.
Os depsitos a tempo fixo as condiccoes sao as
segu ntes :
Pelo tempo de 30 dias vencerlo juros a
razao de 4 OjO ao anno
> > 60 ;i0|0
90 60,0
180 e alero 7 OpO
Rwt ^BWJKK"SlsR wwflB
FAZENDAS DE BOM GOSTO
Superiores cortes de seda de cor a 504, 604, 704,804,904 e 1004 cada corte, os mais modernos que tem vinde a Pernambuco.
Ditos do moreantique de cores e pretos.
Lindas sedas de cores a 24200 rs. o covado.
Ditas de ditas de quadrinhos a 14 e a 14200.
Moreantique carmezim cor da moda a 14200 o covado.
Superiores cortes de blonde para noivas.
Lindos cortes de crep de liespanha com barra de cores as mais lindas que se pode desejar.
Cortes de laa com barra de cor.
Ditos de la cora barra aquille.
Lindos cortes de grinadine de seda com barra de gostos inteiramente novos.
Linda fazenda para vestidos denominada crep de liespanha de cores mui lindas.
Superiores las do cores matisadas.
Grande e variado sortimento de percales de cores para vestidos.
Dito de chitas francezas muito finas escuras, claras e matisadas.
Lindas catilinetas para vestido, gostos inteiramente novos.
Superiores cortes de cambraia brancos bordados e eutras muitas fazendas de bom gosto para vestido de senhora
Para hombros de senlioras.
Superiores capas pretas a 204, 254, 304, 404 e 504.
Santiembarques do cambraia ricamente enfeitados.
Ditos de cachemira de cores e brancos enfeitados com muilo gosto.
Lindas capas de caximira de cores as mais modernas que tem vindo a esta praca.
Superiores zuavos de cambraia e de seda preta.
Lindos postilhoes de merino de cores.
Grande e variado sortimento de camisinhas bordadas
dem de chales de merino lisos de barra estampadas de quadros e de crep a 44500, 54, 64, 74,84,94 e 104.
Para cabera de senhora.
Superiores chapelinas de palha de Italia.
Lindos chapeos de palha de Italia enfeitados com muito gosto e grande variedade para escolher a 124,144 e 164.
Modernos enfeites de flores chegados no ultimo vapor francez.
Variado sortimento de enfeites denominados conservadores para cabeca.
Bordados.
Grande sortimento de entremeios bordados a 14,14200 e 14500 a peca.
Lindas tiras bordadas largas a 24, 34 e 44 a peca.
Calcas bordadas muito tluas para senhora.
Superiores e modernas saias bordadas.
Kspart; Ihos superiores e outras muitas fazendas de gosto na loja das columnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Crrela de Vasconcellos C.
Pechincha sem igual.
Na mesma loja das columnas vende.se cortes de cambraia organdys de barra de duas saias e de babados malisados com 14 a 16 varas
corte a 64, 84,104 e 124 o corte.
cada
c^a
SEGUROS DE VIDA EM MTUALIDADE.
A direccao do RANCO UNIAO tendo obtida do governo de S. M. F. a autorisacao para estabele-
ccr o seguro de vidas em mutualidades, faz publico que desde j toma subscripedes annuaes por urna
s vez, debaixo das seguintes condicSes :
Com perda de capital e lacros;
Dito capital smente;
Dito lucros smente;
devendo a primeira liquidacao ter lugar no de Janeiro de 1859.
As vantagens do emprego de capitaes em mutualidade, sao obvias, porque nao smente se co-
in o juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar nenhum resultado; mas alm
disso, este rejidimento augmentado pelo capital ou lucros, ou ambas as cousas, conforme as condi^oes
da subscriBclo, dos que fallecem. Tambem partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os so-
cios morosos nos seus pagamentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que
occorrerem pela falta de cumprimento do compromisso social.
As liquidacoes sao pelo systema das companhias hespanholas, Tutelar e outras ; e para se poder
fazer urna idea do que pode produzir urna entrada annual de 104, publica-se a seguinte tabella basca-
da sobre a experiencia de muitos annos de companhias desta natureza :
Em .'i anuos Em 10 annos Era 15 annos Ein 20 annos Em 25 anuos
Acaba de chegar a esta cidade um machi-
nista j experimentado com 20 annos de pratica,
tanto as offlcinas do Sr. Fausscth, em Liverpool,
como nos engenhos da Ilha de Cuba do Sr. conde
de Orely, e em muitos outros onde lem tido oc-
casiao de plantar a sua invencao chamadacarre-
telpara transferencia do nagaco da canna so-
mente com o motor que a faz moer sem outra
despeza mais que a compra do mesmo carretel,
poupando-se assim o servico de 20 escravos.
Persuadindo-se o referido machinista que a ma-
china de sua invencao que a tantos annos tem
produzido os melhores resultados seria tambem
proveitosa nesta provincia, vem offerecer seu
prestimo a qualquer pessoa que della queira usar
tanto nesta cidade como no interior da provincia.
Para semelhante fim podem-se dirigir ra da
Imperatriz n. 52, aonde o mesmo machinista
enipregado em concertar machinas de costuras,
espingardas, bombas e tudo que pertence a sua
arte.
Precisa-se de urna
Aguas-Verdes n. 10.
ama : na ra das
Por um menino
de 1 dia
de 1 anno
> de 2
de 3
de 4
Por urna pessoa de 15
> de 20
de 30
de 40

a
a
a
a 15
20
a 30
a 40
a 50
1 anno II
2
3
4
904
864
865
864
904
4004
3004
2904
2804
2705
2705
2705
2705
3005
9004
7504
7204
7104
7004
7005
7104
7205
7505
2:8005
1:7005
1:6005
1:5604
1:5504
1:5404
1.5604
1:6000
1:8004
4:7004!
3:7004
3:5004
3:4004
3:3504
3:3304
3:4004
3:7004
5:0004
As entradas por urna s vez dao resultados muito superiores s annuaes.
Porto, 10 de agosto de 1863.Os directores do Raneo Uniao, Jos da Silva Hachado.F. M. van
der Niermrt.
Agentes em Pernambuco : Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C, ra da Cruz n. 1.
Musicas para piano e canto do todas as forjas, e metbodos dos melhores autores, e vende-j
ise baralissimo.
Goncalo Joao da Silva Fortes esposo da
finada Joanna Princeza Fortes, agradece a
todas as pessoas que se dignaram honrar
com as suas presentas as exequias da dita
finada e pelo presente convida as mesmas
pessoas que se dignem comparecer no dia
19 do corrente s 7 horas da manha na
igreja do Corpo Santo, afim de assislirem a
missa que deve ser celebrada por alma da
mesma finada, pelo que desde j Ihe d os
devidos agradecimentos.
EXCELLENTISSIMAS SENHORAS,
Aproveitem as pechiuchas da loja ra do Crespo d. 17
DE
JOS GOMES VILLAR.
Para apurar dinheiro est vendendo baralissimo,
Aproveiteni lodos.
Recebeu de New-York 2,000 baloes de 20 arcos e vende a 25500 cada um.
txtraordinaria pechini-ha, sem igual.
Las de eros, de quadros a 280 e 400 rs. o covado.
Cassas de cores a 200, 240, 280, 320 o covado I 11
Chitas francezas muilo boas a 320 e 360 rs. o covado.
Madapoloes, pecas de 20 varas a 74, 84, 94, 105. 115 e 125 a peca.
Cambraias lisas, pecas de 81|2 varas a 25500, 45,55, 65, 75, 85 a peca.
Capas pretas, manteletes pretos bordados a 205 e 325 l*. !
Sotambarqucs pretOs de 255 a 305 rs.
Capas de casemira de cores a 255 o 305 rs.
Ontras fazendas de inulto gosto.
PROTEJAM TODOS
Cortes de cambraias bordadas ; cortes de vestidos de blonde para noivas, com capella ej
'manta. Chapeos Maria Pia a 125cada um I I Meias para senhora a 45, 55, 105 e 125 |
rs. a duzia. Bramante de linho, de 10 palmos, a 25 a vara. Bramantes belgas a 35 a vara ;
esguioes de linho finissimo ; bombazinas pretas para luto ; merinos pretos etc. etc.; da-
mascos de la de 8 palmos de largura, proprios para colchas e para cortinas de salas.
oiuatuiooioqeisa ouiissiiueijodiu; ossa c -'-seis seiuxy 'oeaaiojd
u.iniqmp v 'seuitssuejuq sepaazej
-i:|uaojp: > b.voii i:p sei|9n|qaad se uiojj vo.nl*
S0HI3)NVHJLSa 3 SONVaiaWVNUad-
Desappareceu no dia Fdo corrente o escra-
vo cabra, de nome Seraphlm, de 34 annos, pouco
mais ou menos, altura regular, cheio do corno,
barba serrada, marcas de bexigas, com signal vi-
i sivcl no p esquerdo por Ihe faltar os tres dedos
do meio, diz elle ser de nascenga, falla manso, cos-
turna fumar cachimbo, levou a roupa que tinha,
paletot, jaqueta e sapatos, tal vez ande calcado para
se inculcar de forro; este escravo foi comprado
no dia 20 de novembro prximo passado a Manoel
Pacheco Couto, residente no olho d'agua dos Bre-
dos, comarca de Paje de Flores; lia supposicao
de que fosse para cima pela estrada de ferro, tai-
vez seduzido para algum fim : pede-se aos capi-
, taes de campo e autoridades policiaes a captura
| do mesmo, e juntamente ans senhores capitaes de
navios e mestres de barcadas tenliam atlencao aos
signaes cima ditos: na ra do Aragao n. 8 se gra-
tificar generosamente.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
JH na a residir na ra da Cruz n. 53,
g Io e 2o andar, onde pode ser procu-
| rado para o exercicio de sua profis-
| sao medica, e com especialidade
| sobre o seguinte
1 molestias
2o
3o y
BE
PARTIDAS DOBRADAS
/v>
OFTBRECIDAS
A ASSOCIA^O COMMERCIALBKNBFICENTE
n
PERNAMBUCO
POH
Tereeiro escriturario da Utesouraria
de fazenda de Pernambuco e competentemente au-
torisado para evercer pro-
fessorato particular dearilhuietira nainesma
provincia.
Acha-se esto obra nos prelos da typographia
-ommercial, d onde em breve sahir luz da pu-
bhcidade em ntida inipresso e sob o formato de
8* portuguez.
Compe-se esta obra de um volume, dividido em
urna parte theorica e outra pratica, de fcil alcan-
ce as pessoas que se queiram dedicar ao estudo da
esenturacao.
A respectiva assignatura acha-se aberta em to-
das as livrarias desta cidade, ao preco de 55000
por volume. _______
Continua venda o n. 2 do RAIO, nos luga-
res do costume.
CASA DE SADE
En Sanio Amara
Do Dr. Silva Ramos.
nico estobelecimento desta natureza
que existe enlre nos, montado do modo
que pode com todo o cemmode e zelo tra-
tar qualquer doente, que nella seja reco-
lhido.
O edificio magestoso e conserva-se
em perfeito estado de limpeza e conve-
nientemente mobiliado.
Os doentes sao separados, segundo os
sexos, natureza das molestias e condicoes
sociaes.
Ha quartos fortificados para os aliena-
dos, e urna enfermara para as partu-
rientes.
O proprietorio encarrega-se de qual-
quer operacao.
O estobelecimento franqueado qual-
quer |>essoa que o queira visitar.
Primeira classe ."14000diarios.
Segunda dita.... 24500
Terceira dito.... 24000
Para que qualquer doente sejaali rece-
bido, basta que se mande o nome do doen-
te e da pessoa que e remette, com a de-
claracan da morada.
O proprietorio aceito contratos annuaes
com qualquer que queira ter um ou mais
leitos sua disposico.
e 8, acham-se venda as seguintes folhi-
nhaspara 1864 impressas nesla typographia f
em excellente typo e bom papel,
Folhinha de porta cerniendo as mate-
rias do costume, rs.........160;
Dita de algibeira, sob a epigraphe
religiosa, conteni alm das materias
do costume os sete passos da Paixlo
de Nosso Senhor Jess Christo ; cnti-
cos do mez Mariano; bymnos e jacula-
torias ao Saotissimo Sacramento; ex-
plicacoes de diversas oracoes; cora
Seraphica ; exercicio ao sagrado cora-
Por orm da mesa regedora vido lodos os
nossos iraos a reoaineBfK em mesa geral afim
de te tntar de tusamfUK ie grande interesse pa-
ra iMhilr. faarta (eir 16 do correle, s 6
hars datarse, ao i aaiaiJamio da igreja ds Ma4re
de eos.O eccrtvia,
Joaquim Gerardo de Bastos.
asas
cao de Maria; oracao para visitar as
naMa~fiamTCe7lMfe~de ig|i8reJas lia da Porciuncula ; oracio
f Rustamante, retirudo-se para o Rio de i Para escolha dos esladosda vida ; dita
Irabada jira a dever nesta provincia, g | a Senhora da ConceicSo ; e med lar oes
sobre a reforma da consciencia, rs. .
r. sa "ipa cobertTdT ^ e ja- r,edade **> al d ateras do
neJU, do todo 4o norte, pertencente a Manoel Fer- COStupe : receitas UtetS e necessarias
def Sfcaies, tem de ser arrematada em praca aos diversos mysterios da vida ; phvsi-
no dia 17 do correle anorta do Sr. jniz de paz ca e recreativa ao alcance de todos:
os*pdo dntricto da Roa -Vista, s 9 horas da piherias e ratices; poesas; charadas;
320
. mximas e pensamentos colligidos por
~ aaaaar laroeaw aaar dm travos- nm Curioso .
a.UeaM vta; a
- I,
Ma fren e com excel-
Joio Manoel da Coaha
por baixa
320
segaros martimos e ter-
restres estabeleelda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PKPNA1IBUCO
Antonio Luix de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
de olhos;
de peito :
dos orgaes geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rio examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d si
6 as 10 da manhSa, menos nos de-
mingos.
Pratiear toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Aluga-se a loja do sobrado beira do rio, o
ao norte do gazometro, morada muito fresca,
tem commodos para familia, quintal murado, ca-
cimba, e o aluguel muito barato: podem tratar
com o Sr. Va lenca no mesmo sobrado.
Aluga-se urna pequea casa terrea na ra do
Gazometro, quasi junto ao rio, tem quintal mura-
do : a tratar com o Sr. Yalenca. sobrado beira
do rio e ao norte da mesma fabrici, que aluga ba-
rato.___________________
Per^unta-se ao Sr. administrador da massa
fallida de Moreira & Codeceira, porque j nao ten
feito o dividendo do producto da dito massa, tendo-
se liquidad todo o activo della des Je marco do
corrente anno.
Um credor impaciente.
3-RIA ESTREITA DO ROSARIO-3
Francisco Pinto Ozono contina a col-
locar denles artiticiacs tanto por meio de
molas como pela prcsso do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiqueiu a vontode de seus donos, lem pos
e outras preparacoes as mais acreditadas
para conservaco da bocea.
Furtaram do engenho Tinoco em Serinbaem,
no dia Io de dezembro, um cavallo ruco pombo,
pequeo, com una nialba vermelha no lado es-
querdo do pesclo, o casco do p esquerdo branco,
anda bem baixo e inteiro : quem o apprehender
ou der noticias delle no mesmo engenho Tinoco,
ou na estrada nova do Cachang, no sitio de Tbo-
maz Cavalcanti da Slveira Lins, ser generosa-
menle recompensado.___________
Aluga-se um sitio no lugar do Caminlio No-
vo, ra da Esperanca, quem vai para o Manguinho,
tendo boa casa e muito fresca, com 6 quartos e 4
! salas no andar terreo, 3 salas no salan, o qual tem
11 janellas, e por sso torna-se muito fresco, casa
para banhos, duas grandes cacimbas com agua do
beber, casa para criados, estribaria, e o sitio todo
murado e com larangeiras de umbigo, fructa-po e
jaqueiras : a tratar na ra do Desuno n. 16.
Joao da Silva Ramos, medico pela uni-
: versidade de Coimbra d consultas em
l sua casa na ra Nova n. 50, das 8 s 10
horas da manha e das 4 s 6 da tarde e
recebe igualmente convites para dentro
ou fora da cidade com o fim de se en-
carregar de qualquer servico de sua pro-
fissao.
Os chamados devero vir por escripto.
< a Pcaapparecen no da 13 do corrente tarde, do
Hospicio, sitio n. 10, onde mora Eduardo P. Wilson
Jnior, urna cachorrinha galga, cr de veado : ro-
ga-se a quem a achar leva-la ao mesmo sitio, que
vessa do oueiraado n. i, nos tunaos ao ireguica serao generosamente recompensados, levando-o ser recompensado, ou quem della der noticia
a muito desejada carne do sertao a 320 rs. a libra,' casa de seu senhor na Capunga velha, ou no ar- i------n imin.cin,w .i, ... a >.;'-r~
saccas grandes com arroz de casca a 44600; s mazem de madeiras na ra nova de Santo Rita I adminislrador > "asa de banhos do pateo
FOLHINHAS PARA 1864, fSSgHBUn =
Na praca da Independencia l.vrar.a ns. me.eVOH ...,, i timos tr- 5
No dia 8 do corrente fugio da casa de seu senhor
o escravo Romualdo, do cor parda, tem offlcio de
serrador, altura regular, barba serrada, um tonto
cheio do corpo, olhos pequeos, a vista um tonto
espantada, falla moderada, tem cicatrizes de ferro
no corpo, rendido de urna das veninas, levou
calca de metim branco e camisa de chito, julga-se
ter ido para a cidade do Ip, d'onde veio para esto
| cidade ser vendido: roga-se a polica toda vigilan-
cia em dito escravo, assim como a todos os capi-
Que bella pechincha.
At que chegou recentemente a taberna da tra-1 taes de campo ou a qualquer pessoa que o negar,
essa do Queimado n. 1, nos fundos do Preguica j serlo generosamente recompensados, levando-o a
barato.
Mudanza de estobeleci-
mento.
Flix Venancio de Cantolice avisa aos seus nu-
n. 15.
do Carino roga s pessoas que possuem antigos
cartees, hajam de ir trocar por novos at o da 31
deste mez; llcando inutilisados se o nao fizerem.
ESCRAVOS FGIDOS
IOO04MO.
Desappareceram na noite de 9 para 10 do cor-
rente os escravos Francisco e a preta Rita, sendo.
merosos freguezes "aqul da provincia como de fo- aque||e cnou\0 e esta de naco Angola, com os zea a "rgem do no Capibarfbe, no lugar Ambol,
ra, que madou seu estobelecimento dcalfaiateda sjBnaes seKuintes : o negro Francisco lera altura Pe'to do Cachang por firar no caminho do ntes
Alugam-se duas mei-aguas no becco das Rar-
reiras : a tratar no mesmo becco n. i
Alaga-se para passar a festa um sitio na Var-
Na ra Formosa n. 14 precisa-se de urna mu-
Iher que saiba cozinhar.
ra do Imperador, para a ra Nova n. 19, no qual
est sempre prompto para enmprir com qualquer
encomenda tendente a sua arte. ____
No sitio n. 8 junto ao Hospital Portuguez,
compra-se um negro de boa conducto, e que en-
tenda bem de plantacao : quem o tiver e quizer
vender, leve-o ao mesmo sitio, que achara com
quem tratar.
signaes seguintes : o negro
regular, testo pequea, macas do rosto altas, falto mo>.com s e tem commodos para grande fa-
de denles na frente, barba fechada, cheio de cor-
no, bracos e rolos grossos, ps pequeos c gros-
sos ; a preta, altura e corno regulares, falto de
dentes na frente, ps grandes, sobresahindo o dedo
pollegar entre os outros : quem os pegar e levar
ao corredor da Varzea, casa de Francisco Pedro
da Costo, lera a gratifieacao de 1004.
milia e escravos, lugar para carro; tambem se
permuta por onlro em Beheribe, ou casa no Reci-
fe : a tratar em Olinda, sitio defronte da igreja do
Guadalupe. ^^^^^
Precisa-M alugar urna preta para vender na
ra : quera tiver para alugar, dinu-se rna da
Glorian. 27.
i
l


mmmmm
T
?larlo de FcrBambuco 4|uai-ta fclra ltt de Dezembro de 1863.
Sahta
*% J.Vetai
taMtar^
tf**"^0 ** Epiphanu *> pa- O Sr. Jos da Silva Capella queiraan-
'e^iS^i tattlfn UUK*ir s*" n>or*la para Ihe fallar urna ps-
cese", soa chapada de fora e que deseja ter noti-
ptob la austero 4a riada tos Macos a*
po e aVfaBL O mw 4e sea autor o seu mais CttS Suas.
\ e K Precisa-se c
la- *^K i* fv(* antm
> etapa.
Km lino atikssiaao para a ed vacio moni
"i 4as aaaihas nao s pela sua doutrna
> *e ota dos Buiores e mais eoasola
i aivsaeo* 4e aossa refiia, coa pelas ra-
toesajBeacoipiilMM a tadas as fritaras. E ua
amnale avaro pan a celebrara da festt
dos Res Maros.
O sea producto destinado pelo autor pan au-
xilio do coUegio de orphaos, que o virtuoso hispo H^jfi^WB^ StHKW SIS
alo umappello as^lma* jdobospiu, |Vdro ra maiolr com. 8
modklade das pessoas que o honram com
-se de ama ama osera va que se-
ja boa eagomroadein se preste a >do o
serriro de ama casa de familia, excepto
odecosDha : na ra cstreita do Rosario 2
31, terceiro andar.
eswtstaas pan que concormn com orna esoola
pan om ata tao pi e to kmvavel.
Veada-se aa li vrara da ra estreita de Rosario
n. 12, e na linaria ccoaonuca de Nogueira, a 25 o
exemptar encadernado.
Precisa-sede urna ama de leitc : na ra es-'
treita do Rosario sobrado n. 8, segundo andar.
gesela de passaporte.
Claadino do Reg Lima, despachante de passa-
porte, tira-os pan dentro e fon do imperio por
comroodo preco, e com presten : na roa da Praia
n. 47, segundo andar. I
O abaixo assignado, encarregado da cobran-
ca judicial dos dbitos da botica do Sr. Joaquin de
Almeida I'into, previne ao Sr. Jos Goncalves da
Porciuncula que perdeu as receitas, para cujo pa-
gamento foi Smc. citado, tendo ellas sua tirina,
menos urna que est signada a seu rogo por seu
sogro Fortunata Jos*': Dias de Sampaio, bein como
uina ordein que o mesmo Sr. Porciuncula havia
dado para receber a quantia de 205 por eonta de
seu debito, tendo-se verificado essa perda do lugar
de Api;, icos at a Casa Forte, no dia 10 do cor-
rente. O abaixo assignado protesta contra quum
pretender fazer uso desses documentos, que a nin-
guem podem ulilisar. Recife li de dezembro de
1863.Caetano Mendes da Cunlia Azevedo.
n. 6.
a sua confianza, participa que ser en-
contrado todos os dias no referido hos-
pital das 7 as 10 da manha e dessa hon
em vante aa ra do Queimado n. 44, se-
gundo andar, onde ha estabclecldo o sea
consultorio, ou em casa de seu paiCam-
po das Pnncezas. consultas gratuitas
lodosos dias no dito hospital, onde pla-
tica toda e qualquer operao de que os
pobres precisen) para o seu rcstabeleci-
mcHto. Incumbe-sc especialmente da
cura das molestias do dominio da medi
cia operatoria, que se ha dedicado,
das affeccoes do tero e da uretra.
D-se dinheiro
Ckegado pelo tapor:
S para o vigilas te, ra do Cres-
po m. 1.
Ate que chegarain as milito desejadas cascarri-
Ihas de todas as cores com urna fitinlia de velludo
no centro, cousa inuito elegante para enfeite, assim
como de outras qualidades, e precos muito razoa-
veis : s no vigilante, ra do Crespo, n. 7.
Para dar de mimo.
Chegaram as riquissimas bonecas de todos os
tamaitos, vestidinhos ricamenh enfeitados, cada
um em sua caixinha, propriamente para um deli-
cado mimo, por baratissimo preco : s no vigilan-
te, ra do Crespo a. 7.
Para ts Minares hachareis.
Chegou tempo a riquissima fita de chamalote
para cartas dos senhorci bachareis, assim como
branca, lisa, propria para abrir letras, ou para
sintos : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Peilea de narrara.
Tambcm chegaram os riquissimos pentes de
man-afa com pedrinhas.os lindos pentes de regace
para meninas, meias de seda o sapalinhos proprios
para baptisados, meias de soda para senhora, litas
de laa para dehrum, lita de linhe, trancas de 15a,
de linho e de seda, luvas de seda e pellica, e fio de
Escocia e camurca, alflnetes de cabeca chata, car-
teirinhas com todas as agulhas precisas para cos-
tura, (velas de madreperola esmaltadas de ac
para sintos, flores de todas as qualidades, caixinhas
com pastilhas de perfumara, abafadores de laa
para senhora, toucas e sapa ti ni ios de laa, pulseiri
nhas de borracha para segurar manguintos, fitas e
a juros: na ra do Rangel, cordes de borracha, sabonetes redondos, ditos
chamados de familia, pomadas de todas as quali-
Aluga-se o armazem n. 4 da ra do Apollo, e dades e dos fabricantes mais afamados, colchetes
o terceiro andar da casa n. 88 da ra da Impera- pratiados muito finos, retroz de todas as qualidades,
triz ; na ra da Aurora n. 36. retroz em carretel e em novello, e de meada, de
! todas as cores, escovas para dentes, ditas para rou-
, ,__. ,.i _..i j. ..., a ,- r-.,lK in sunes, rsiuvas uaia anos, uiias naia ixiu-
gSSSlSTSl ^LS ST."SI r ditas > ^ e ditas para unha, "de todos
dos lee
com grandeVerraco^ porcommodo preco, a casa, os mlrQS majs bj c g .
rr M ZS A w n 7 enfadonh annunciar, e vista dos freguezes pro-
mesma ra n 32, urna dita na ra do Socego n. 7, mpt,fi.sp fa7fir lndn n'nfionl.in. ^ nn ^Sint Vn.
a tratar com Jos Carneiro da Cunlia.
Precisa-se alugar urna pessoa que compre e
,^i^ Tl*1 ? declarara que ncarn- fa?a a ^^^ da ca^a de homem so|teiro prefe-
^r^aLhm'fc^'T Sob,re'rafldeMeDl0d,a r^e escrava : na ruado Queimado n. 33 A,
cobrarKa dos bilheles do nosso beneficio. Recife :., cnrar,,
14 de dezembro de 1863Jos Rernardino de Bar- J-
ros.Jos Antonio dos Santos Porto.
AOS 10,000:000
C48\ U\ F0HTU,U
Bllhetes garantidos
A' ra do Crespo n. 23 e casas do costume
.\o dia 24 de corrente se extrahir a quarta
Ainda estar por alugar a casa da ra do Am-
paro da cidade de Olinda para se passara festa,
cora 5 quartos e 3 salas : quem quizer, dirija-.se
mesma ra, na taberna por baixo do sobrado.
Precisa-se saber se existem nesla provincia
os subditos do estado pontificio Guiliana Sabati-
nee Alexandre Sabatine, a negocio de seus inte- parta daquintaloteriade S. do Guadalupe.
resses : queiram dirigir-se a ra do Imperador, o abaixo assignado recommendando o respei-
armazem de louca n. 41. j tavel publico a compra de seus muito afortunados
Precisa-se de um pequeo portuguez de 12 a bi,hetes pranlidos, lembra-lhe a vantagem que bal
l4annosparacaixeiro d taberna, nao,t ver em r"eber os p[em,os Jfr ,nte'' ?\ 1a
pratica tambera serve: na ra da Paz n. 2. ; (luen' l,rf a sorte "8 m b,lnete pnttde
"----------------------------------------------------- nao recebera somente 8:4005, em virlude dos
Aluga-se o pnmeiro andar do sobrado de es- descontos de 16 por cento que Ihe farao em vista
quina da ra Bella n. 37 : a tratar na luja de ou- das leis, mas sim os 10:000$, que vem a ser os
mette-se fazer todo o negocio: s no vigilante, ra
do Cespo n. 7.
~ A GRANDE CURA
PARA TODAS AS MOLESTIAS 1)0
!B| 0 N E tS HTE1MS.
rives junto a igreja do Rosario da freguezia de
Santo Antonio.
Imperial Instituto dei\. S. do Itoni <; sellio, roa da Aurora n. 50.
Como consta da declaraco feita por meu cu-
nhado, o r. Joaquim Barbosa Lima, no Diario de
Pernambuco de 9 do corren te, foi-me por elle trans-
ferida a propriedade e direceo deste instituto.
A longa pratica que tenho do movimento desta!
casa, em que por espaco de cinco annos exerci as'
runecoes de yice-directr; a estima e consideracao
cora que inaitos pais de familias sempre me hon-
raram
amigos,
Soares
drreccao
me a tomar sobre meus hombros lamaiiha empre-
ditos 8:4005 mais 1:6005 <)ue pagar o abaixo
assignado, importancia de ditos descontos. Os pre
mios sero pagos como de costume.
Precos.
Bilhetes inteiros 125000
Meios bilhetes...... 65000
Quartos. ...... 35000
Para as pessoas que comprarcm
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 115200
Meios......... 55600
Quartos....... 25800
Manoel Martitu Fiuza.
Sapatospara senhora a 240 rs., sapatoes de cou-
ro de lustre franceses a 35, horteguins para ho-
mem a 25500, ditos francezes a 45, sapatos de ta-
pete para senhora a 640, para homem a 800 rs.,
sapatos de marroquim com salto obra de 35 a
153G0, sapatos de lustre para senhora a 800 rs. :
na ra dos Quartcis n. 22, junto a loja de funi-
leiro.
IVtltt tl^STA
Bolos francezes em caixinhas com diversas es-
tampas no exterior da caixa, e em latas as mais
delicadas para mimo, e muito proprias para en-
feites de bandejas ou pratos a 800, 15090, 15200,
155OO e 25 as caixinhas : na roa do Queimado n.
7, armazem uniao e commercio, e pateo do Carino
n. 9, armazem progressivo.
CAL DE LISBOA
vendem-se barrls coui cal des-
ta procedencia, em pedra, chega-
da boje, e nica nova, que ha no
mercado, na ra do Trapiche n.
I, armazem de Manoel Teixel-
ra Basto.
Meias do Porto.
Vendem-se na loja de ferragens da ra da Ca-
deia Velha n. 44, meias de linho e igualmente de
algodao, por pre^o muito commodo.
FAZENDAS BARATAS
9 IllM llO t}lTjEIJIA0--?9
Custodio, Caroalho A C.
i
Finas cambraias organdys indianas pelo baratissimo pre;o de 300 rs. o covado ou
300 rs. a vara.
Cirande sortlmento
dos mais finos baloes de arcos para senhora c pelo barato preco de 35 cada um, ditos da rna- I
dapoiao para meninas a 25500.
Xovldade
Os mais lindos e mais finos e modernos cortes de laa com ricas barras, tendo cada corte
20 covados e pelo baratissimo preco de 205.
Fil de linho vara a 500 rs.
Modernas laazinhas para vestido o covado a 440 rs.
i"''-' II
CALCADO
Ra Direita
4.5
ATTEMiO.
Aprovcltem em quanto tempo ?
Borzeguins francezes de lustre pa-
Vende-so o diccionario bibliographiro de Portu-
gal e Brasil, obra em 7 voluntes de Francisco Inuo-
cencio da Silva, no largo do Paraizo n. li.
Vende-se 3 importantes escravos, sendo 1
ra homem............ iiOOO nePrinna de 13 annos, 1 mulatinha de 10 annos e
na*: bmu*. aL ^uJ ^ 1 mulato de 25 annos carreiro; na na Novan.
de Guy.
de palha pintado-, roga-sc a todas as autoridades i
ZmTSJSS ^ a"mvo^ao e pro^Sde faPit5es *""P caP"^ df T?,"'!
.N S do Bom Conselho f"^V'o "- podendo o levar a qualiiier hora em Santo Amaro
" 'Nao tenho pretendi de exceder a altura a que a seu enhor Manoel Custodio l'eixoto Soares, ou
a direceo de meu eunhado clevou o eslabeleci- na *"*& do r-orp0 Santa______________________
ment, mas pretendo desvelar-me para que nao Innoccncio Smoltz, subdito Italiano; retira-
perca elle o gr de crdito que Ihe deixou, pro- se para fora da provincia. ____
metiendo por mim e por ininha senhora todo o dis-
vello para com os meninos que nos forera confia-
dos, lano na educacio scientilica como na moral
o religiosa.
Ne dia 7 de Janeiro prximo achar-se-ha, pois,
dos alumnos, lanto internos como externos, conti-
nuando no mesmo predio da ra da Aurora n. 50,
oade passarei a residir com minlia familia.
Becife 12 de dezembro de I m:!.
Antonio Augusto Ferreira Lima.
Tendo-se alugado um cava lio russo pedrez,
com signaes no peito de trabalbar em carro com
selitn de meio uso e estribos de metal principe, a
um peruano que falla bem hespanhol, c cigar-
reiro e charuteiro por nome Manoel Lessa, e por
nao ter apparecido no tempo tratado, desronlia-se
ter-se evadido com o cavallo e ior isso roga-se as
autoridades polieiaes de o remetterem cocheira
da ra da Sanzalla Velha, de Joaquim P. da rin
Silva.
AS
Pilulas Vegetaes Azucaradas
De Kcmp
Compostas dos dois novos resinoides chama-
dos Todophilina e Lbptanukina, e inteira-
mente lima de Mercurio ou outros venenos
inineraes ou metnllicos, s;To de grande utili-
dade nos paizes cllos em caaos de
DYSPEPSIA, ENCHAQECA,
Constipaco ou Prizao do Ventre,
PADECMENTOS DO FIGADO,
Affecco>s Biliosas,
HTMORRHOIDAS, CLICA,
Ictericia,
FEBRE GASTRO-HEPATCJ,
E oalrflspiiffrmitliKlfsnniilepw.
EII rao rpidamente substitoimio os ant'.ex>s
purgantes drsticos.
venda as boticas de Caors & Barboza,
da Cruz, e Joo da C. Bravo A C, ra
Mulla uttencao.
Jos Joaquim da Cunha, deixou de ser cai-
xeiro da Sra. vi uva de Manoel Goncalves Silva,
bem como gerente do armazem de assuear do
caes do Apollo, pertene.ente a mesma senhora. Be-
da Madre de Dos.
Avisa-so ao respeitavel publico que nao laca .
transaccao abruma com a letra de 1:0005 vencida cife 15 de dezembro de 1863.
en miD, aceita pelo Sr. Pedro Alexandre de Mat-
TraneiK de laa pelas de cores.
Sendo lisa a 80 rs. a peca, e de caracol a <00 rs.
a peca : na toja de mhidzas da ra do Quemiado
n. 10.
Lavas de Jornia
e de cores para liomcm
Botica e armazem de
drogas
Ra do Cabiig n. 11.
DE
Joaquim Marliulto da Cruz Correia.
Vende-se o seguinte :
Salsa parrilha de Bristol.
Pastilhas assucaradas de Kemp.
Pastilhas vermfugas de Kemp.
Elixir de citro lactato de ferrado Dr. Thermes.
Bob da Lafecteur.
Xarope depurativo d'odoreto de ferro de Guy.
Xarope peitoral sedativo de Guy.
i Pastilhas peitoracs balsmicas de
/ Pilulas da vida,
r Burel franciscano (mesclado) para imagens.
I Injeccao Brow.
f Xarope de citrato de ferro de Chable.
I Pilulas contra sesdes.
Salsa parrilha de Sands.
Extracto (luido de salsa parrilha de Bailys.
Xarope alcoolico de vellame.
Alm destas drogas ha constantemente um com-
pleto sortiment de tintas, verniz, ouro para dou-
rar, preparados chimicos e pharmaceuticos que se
vendem por commodos precos.
Cal de Lisboa
chegada ltimamente ; na ra do Vigario n. 19,
primeiro andar._____________________________
Vistas Unas,
Aloja da aurora na ra larga do Bosario n. 38
recebeu bonitas vistas sendo de Lisboa, Porto e
diversas, tambem recebeu estampas muito finas
em ponto grande sendo a mortc do justo, a niorto
do peccador, inferno e paraizo, assim como rece-
beu retratos de D. Luiz I, D. Mara Pa, D. Pedro
II e a familia.
Vende-se urna escrava sadia e sem vicio,
com 17 18 annos de idade : na ra Augusta nu-
mero 37.
**cm defeito
Borzeguins de bezerro e vaqueta cora batera.
Ditos todos de couro de verniz.
Ditos de pellica gaspiados de verniz.
Ditos de merino gaspiados de verniz.
Dilos de bezerro sera hatera.
Fabricados em Paris, por precos que chega a
todos : no armazem da arara, ru da Imperatnz
numero 56.
FARINHA FONTANA.
Farinha da muito acre lita a marca
Fontana i>esembarca por preco mais commodo do que em
qualquer ontra parte : na ra da Cruz
n. 4 casa de li 0. Biclier k C. succes-
sores.
Borzeguins fraHcezes de cores pa
ra meninas................ 20000
Borzeguins francezes pretos para
meninas.................. 2(500
Sapatos de lustre para senhora.. 10000
Sapatos de lustre as avessas..... 500
Granito liquidara de faze,Hd; Testa, para se Andar contas, auro ci-
veilcm qne destas pei-liinchas na ha
sempre : na ra da Imperatriz, loja
e ;irni;tzein d \r. ia u. 06, de iou-
renco Pcreira Mendes Gu'marps.
Cobertores da Arara a l.
Vende-se cobertores de pellos a !$ e 15600,
cobertas de chita a 25 ; na ra da Imperatriz n.
56, loja de Mendes Guimaraes.
A Arara vende as lazinlias de 9 pal-
mos ai $200.
Vende-se laazinhas de urna s cor e quadrinhos
proprios para capas, cora 9 palmos de largura a
1,200 o covado, ditas para vestido a 280, 320 c
400 rs. o covado : na ra da Imperatriz, loja da
Arara n. 56, de Mendes Guimaraes,
Bi-lm da Arara a -400 ris o
covado.
Vende-se brim pardo de linho com pequeo to-
que de mofo, que depois de moldado larga, proprio
para calcas e palitols, a 400 rs. rs. o covado;
brim braneo de linho a 15 e 15200 a vara, fustao
de cores para caigas, coletes e palitols a 500 rs.
o covado : na ra da Imperatriz, loja da Arara n.
56, de Mendes Guimaraes.
Lazlnha Harta Pa da Arara.
Vende-se laazinhas a Mara Pa muito finas, com
quadros e palmas de seda, para vestidos a 560 o
covado, sedinhas finas a 500 rs. o covado ; na ra
da Imperatriz n. 56
A Arara vende as capas a 8,000 rs.
Vende-se ricas capas para senhora a 85, chales
de merino estampado a 25500, dilos finos malisa-
dos de novo goslo a 55, dito de ponta redonda e
horlota a 75500 : na ra da Imperatriz n. 56,
loja da Arara de Mendes Guimaraes.
Oh que pechincha, laazinhas a 280 rs.
Vende-se laazinhas linas para vestidos a 280
e 320 rs. o covado, lencos brancos com barras de |
cores a 200 rs., meias finas para senhora a 400 e
500 rs., ditas cruas a 400 rs., ditas para hornera a
44, 3. andar.
ATTENCAO.
Vendem-sc collecces da Duna Lija de n. 1 a
16 : na ra do Imperador n. 67.
Vende-se ou hypotheca-se um sitio cora dil-
ferentes qualidades de fructeiras, boa casa de vi-
venda e urna grande baixa de capun, na Ponte de
Ucha ou Cruz de Almas : a tratar com Joaquim
Demetrio de Almeida Cavalcanti Jnior, na ra
de S. Goncalo n. 34.
Vende-se a casa terrea sita na ra de Horlas
n. 55 : a tratar na ra Imperial n. 35.
IHM1 Bt*ATO
Manteiga ingleza flor a 800 rs., franceza a 600
rs., chouricas novas a 700 rs., loueinho nevo a 320.
arroz a 100 rs., gomma de aramia muito alva e
nova a 100 rs., espermacete a 600 rs., vinho da
Figueira e Lisboa a 400 e 500 rs. a garrafa, cana-
da a 35 e 35800, do Porto a 610 a garrafa, casa-
da 45500, azeitc doce a 640 a garrafa, de (arr-
palo a 280, banha de porco refinada a 400 rs., qnei-
jos novos a 25 : na ra das Cruzes n. 24, esquina
da travessa do Ouvidor.
Vende-se urna carraca nova e muito bem
construida: para ver, na fabrica de carros do
francez Carlos, no fim do becco das Barre-iras, c
para tratar, na ra Nova n. Si; e lamliem se ven-
de um boi novo para o servico da mesma.
Vende-se manteiga ingleza flor a 15 e 800
rs.. dita hollandeza muito fina a 880, dita franceza
a 600 rs., banha de porco a 460, queijos chegados
no ultimo vapora 25300e 25100, tdiicinho do ser-
tito especial qualidade a 240, carne do mesmo lu-
gar a 360, linguicas do Serid a 320, ebourieaa no-
vas a 800 rs., paos novos a 560, inacarrao, talha-
nm c estreliuhas a 480, nozes novas a MOj passas
a 480, figos a 240, alpista a 160, e outros muitos
generas muito em conta : no largo do Carao, es-
quina da rua de Hurtas n. 2.__________________
ATTEM^O.
NotU-posito de louca da fabrica o Bar-
lialho, na do imperador n 41.
30 0|0 menos do que em outra qualquer parte.
Louca vidrada de todas as qualidades, e tao boa
como a que vera do estrangeiro o mais barata.
Sal d? Lisboa
Vende-se superior sal de Lisboa, a bordo do bri-
160 e 200 rs.; na rua da Imperatriz n. 50, loja da gue Constante : a tratar com Manoel Ignacio de
Arara. Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
A Arara rende as eassas a 200 rs. o covado.
Vende-se cassas de quadrinhos a 200 rs, ocova-
do, ditas finas a 250 e 280 o covado, organdys finos
a 240 e 280 o covado : na rua da Imperatriz n. I
Hua da Senzaila Aova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a HO rs., idem de Low
Moor libra a 120 rs.
par : aa loja de miudezas da rua doOuei-
16.
Couiiua a vender-se
a guia do processo criminal, obra indispensavel
para senhora a aos delegados, subdelegados, juizes muncipaes,
te a quem apresenlar na Estancia casa 11. 4, um
signal qualquer que coustitua prava de quem se ja
o autor do sobredito roubo, o qual cousta no todo
Precisa-se de 3005 a juros, dndose poralu-
guel um escravo que ganiu mcnsalmente 255 :
dos seguinles |objectos : paltt de panno prelo quera pretender, annuncie por esta folha._______
cjm umaearteira eonteiido 105, alguns papis e w. A. GsJwrne sabe do imperio.
a referida letra, um collete de fustao de cor com |
salpicos brancos, urna calca de merino de cordao
e chapeo inglez de palhnha branca c bengala,
iluas saias urna de madapolao c outra de sarja
preta, um corpinho braneo guarnecido com enfei-
tes de tr^nea* pretas e mais 15 quo estava sobre
urna mesa de raarmore.
COMPRAS.
^mMnT$mmi\m
\m sb
a taberna da traversa da rua das Oruzes 11. 6 cora
(Kiucos fundos e bera afregaezada, e garante se o
alnguel ; a qual vende-se por o dono estar doente
c ser preciso rctrar-sc para tratar de sua saude :
a tratar na mesma.
Assuear do Monteiro
I Rua do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
II % BEC *
Precisa-se comprar una pequea rabeca que 67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
Conlm^Tht'veTRo^e^eTtlo^o^^oTdlL! ^ Paramenino aprender : na rua larga do Bo- a 5600 aarroba.
quarlas e sabbados de cada semana, na padaria |
em Santo Amaro ao p da fundico, na rua da Ira-
sario n. 36.
Compram-se tres casas terreas ainda novas,
peratriz n. 22, e rua do Brum, confronte o chafa- \ com commodos para familia grande, em chaos
rz n. 47, rua das Cruzes, deposito n. 39, na Pas- proprios, na Boa-Vista : os pretendentes dirijam-
(agem, taberna da esquina do Sr. Bento, que vira "
para o Remedio, e no armazem progresso, largo
da Penha n. 10.
crarcica
rua dos
Gab.nete medir
Flores n. 37.
O Dr. Estevao Cavalcanti de Albuquerque da
consultas medico cirurgicas em seu gabinete das
8 as 11 horas da manhaa e das 11 ale s 3 horas
da tarde, os chamados deverao ser por escripto e
dessa horaem diante daver ser procurado na ca-
sa de sua residencia no Chora-Menino.
I." Partos.
2." Molestias de pelle.
I.0 dem dos olhos.
4. dem dos orgaos genitaes.
Praticar toda e qualquer operacao em seu
bnete ou em casa dos doentes conforme Ihes
mais conveniente.
se rua da Cadeia n. 51, armazem do agente Eu-1
labio.
Compram-se aecocs da caixa filial e do novo
banco : na rua da Cadeia, escriptorio de Leal
Res.
MUPA FITA
Compra-se para encommenda alguns escra-
vos, molecotes de 15 a 20 annos, bonitos e sadios:
a tratar com Tasso lrmaos, rua do Amorim n. 25. de panno preto e azul a 9,'10, 12,' 16 e 18& ditos
Na rua do Queimado n. 43, esquina que
volla para a Consrcgaeo.
E' pechincha.
Paletots de casemira a 5, 6, 7, 8,12 e 145, ditos
que tenha habili- sol,recasacos de panno muilo fino por 245 e 285,
ua d'a Cadeia n. 35. di,,os d(* alPaca P.rela e do cordao a 4, o, 6 e 75,
Ao n. 29.
Nova loja dos barateiros na roa do Queimado.
Velludo de cores fazenda muito boa o covado
:I5000, baloes de panno 35200, ditos de arcos
35000, 45OOO e 55000, las deduas larguras
para vestido o covado 500 rs., chitas francezas o
covado 360 rs., metim braneo para Zorro de
vestido o covado 120 rs., tarlatanas de todas as
cores a vara 720 rs.
A n. 29.
Nova leja des barateiros na rua do Queimado.
Cassa lisa pelle de ovo a peca 75500, cambraia
lisa muito fina a peca de 17 varas 105, cam-
braieta peca de 12 jardas 75000, cambraia adamas-
cada para cortinado a peca de 22 varas 105000,
meias finas para senhoras a duzia 45000, cales
de laa ponta redonda 325500. .
Ao b. 29.
Nova loja das barateiros na rua do Queimado.
Bicos pretos de linho a vara 120, 160, 240, 320
rs., franjas de seda a vara 80 e 160 rs., galdes
de seda de algodao e de laa para enfeites de vesti-
do a peca de 10 e 15 varas a 400, botdes de seda
de velludo e de fustao dnzias 120.____________
Procisa-se de urna ama para casa de duas
pessoas, dando-se preferencia escrava : no largo
do Collegio junto ao sobrado amarello, terceiro
andar.
VENDAS.
Comora-se una escrava ,
dades e de boa conducta : na rua
-------tt-------------------, .. .. .,---------- caifas de casennras de cores a 5, 6, 7 e 85, ditas
Compra-se urna mulatinha de 12 a 14 anuos, preus a 65500, 8, 9 e 105, paletots de fustao e
nl"tifn i- S cos,umes: Da rua d0 Cres- ganga a 25, 25800,3 e 45, calcas e colletes de to-
po, 101a n. lo.______________________________^ das as qualidades e ^ ,,rero mujl0 Darato, len-
Corapra-se um escaler que seja pequeo e ?cs de puro linho a preco e 25800 e 35, cober-
em bom estado : a tratar com .-.ntonio Jos Bodri- tas de chita a 25240, collarinhos de linho puro a
gues de Souza, na rua do Crespo n. lo. 600 rs. cada um, e outros muitos objectos que s
Compra-se efectivamente ouro e prata em v's' ; e Para isso M ^o a alten?ao dos fre-
obras velhas : na praca da Independencia n. 22 g _____________________________________
loadebilhetcs-____________________' Pianos novos.
Os melhores que tem viudo a esta praca fabrica-
dos de encommenda por um dos melbores fabri-
cantes de Pars, especialmente para este clima :
quem quizer aproveitar a occasiao de munir-se de
Vende-se farello de Lisboa, eal ulti- um excellente piano por preco commodo dirija-se
mmente chegada e carvo animal: na rua rua Nova n. 19 primeiro andar.______________
do Vigario n. 10, primeiro andar. Cal de Lisboa e potassa da
Rsala.
Vende-se na rua da Cadeia do Becife n. 26, para
a, 1 -i,: SiSS^iVSS^J^S So
legtimos, e se vendem a preco mais barato do que
utra qual quer parte.
.Hua da Senzaila n. 42.
Vende-se, em casa de S. P.JohnstonAC,
sellis e silhoes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos. e relogios de
ouro patente inglez.__________________
Cortinado* bordados.
Superiores cortinados bordados para camas fran-
cezas, ou para portas : vende-so somente na rua
do Queimado n. 46, loja de Guimaraes & Bastos.
Guarda nacional.
banda e fiel para oflirial da guarda na-
cional : a tratar na rua tVeva loja nu
mera 17.
Acha-sc a venda na I i vrar la
dos ftrs. Giiimares fe Oliveira
um opnsciilo qne tcni por (Mu-
loIJlelco de 1803 em Peruana-
bateo preco 10.
Vende-se ura par de dragonas decaixo, urna
banda e um fiel de espada, tudo novo c de apura-
do gosto, para offlcial da guarda nacional, pela
melade de seu valor : na rua do Cabug, loja de
Ramos & Urna n. 1 C.
stipplentes, etc., para a formcio dos processos
criiniiaes e diligencias polieiaes; na qual o autor
trata de capitular as differentes disposieoes do c-
digo do proeesso criminal, lei de 3 de dezembro
de 1841 e regulamentos respectivos, de modo que
torna fcil o conhecimento deesas mesnias dispo-
sicoes s mencionadas autoridades; escripta pelo
Dr. Vicente Ferreira Gomes, juiz de direito, ete.,
I volume era oitavo encadernado 25 : na rua do
Imperador n, 73.
Van pe rain a occasiao
O cidadao que quizer andar bem calcado por
pouco dinheiro, dirija-sc loja da arara, que
vista dos cobres, vende por nielado do seu valor,
borzeguins de pellica, merino, couro de lustro, va-
queta e bezerro, obra que admira : na rua da Im-
peratriz n. 5C._______________________________
de bom fabricante
Lourenco Pereira Mendes Guimaraes vendo, bo-
tinas francezas para hotnens, a dinheiro vista,
por precio que admira avistada perfeicao da obra :
na sua loja de fazendas e roupas teit'as : na rua
da Imperatriz n. 56.
Vendase por 405 ura boi acosturaado ao
trafico de carro da alfandega ou de carraca por
nao ter mais urna cousa e outra : a tratar na
casa da esquina da primeira entrada para a Ca-
punga antes de chegar S. Jos do Manguinho nu-
mero 75.
Caniislnhas com manguitos a
IJJ* SO so o Pavo.
Acaba de chegar para a loja do Pavao, um
grande sortimento das mais linas camisinhas de
cambraia com manguitos e gollinhas bordadas,
que se vende a 15280: ditas de fil, tendo tara
bem manguitos e gollinhas, pelo barato preco de
1-5000 : s na loja do Pavao, rua da Imperatriz,
n. 60, de Gama & Silva.
Manteletes curtos a 3$000.
Acaba de chegar para a loja do Pavo, ura bo-
nito sortimento de manteletes curtos de cambraia
e de fil bordados, quo se vendem pelo barato
prego de 35000 cada um ; romeiras de cambraia e
de fil a 15600: s na loja do Pavo, rua da Im-
peratriz, n. 60, de Gama & Silva.
Manteletes a 80000.
Vendem-se ricos monteletes de cambraia borda-
dos com mangas a turca, pelo barato preco de
85000: na rua da Imperatriz, n. 60, loja de Gama
& Silva.
Gollinhas a 2Ors.
Vendem-se flnissimas gollinhas de cambraia,
bordadas, a 240 rs.: na loja do Pavo, rua da
Imperatriz, n. 60, loja de Gama & Silva.
56, loja da Arara.
!' -hincha, spilinhasila Arara a 800 rs. o covado.
Vende-se sedinhas com quadros e lisas, escuras,
proprias para quem est de luto, por ter una s
cor a 800 rs. o covado, ditas da mesma qualidade
de cores para vestidos a 800 rs. e ditas de listi-
nhas a 500 rs. o covado: na rua da Imperatriz n.
56, loja da Arara de Mendes Guimaraes.
Pe-hincha na Arara, cortes de chita a -1 >0().
Vende-se cortes de chita franceza com pequeo ,
toque de mofo a 25500, cortes de riscado francez qilC tem I!0S CngCUllOS HattO (il'.SSO
Vende-so sement de coentro muito nova a
240 a garrafa, ole,* de ricino a 460 a libra : no
largo do Carino, esquina da rua de Hartas n. 2.
Hnda deuma hypothtca.
Os liquidalarios da massa la'lidade
Jos ii I o 11 o llaslo venden) a Irtpolhe-
cora 14 covados a 35,cortes de cassas francezas e GajabUSS 110 'CI'IIIO (IC ScriltliacIU li
pintadas a 25 o corle, ditos de barras a 25, 35 e ...,i a. > i .vt'tn i i c .i Ihih ,
45: na rua da Imperatriz 11.56, lujada Arara de val01 rte ,{1 .oM9M PS. 1 lld'dl R!
casas a rna do I rapiche n. 34.
no
US
AtiISiNCJA
DA
Mendos Guimaraes.
Cascmiras a -1 -><)0 11 covado.
Vende-se cascmiras de cores para calcas, cole-
tes c paletots, infestada, a 15600 o covado, cortes
de casemira infestada a 15600 e 25, e era covado a
15 : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara de
Mendes Guimaraes.
A Arara vende rouna frita e batata.
Vende-se palitols de casemira a 45'iOO, 65 c
85, calcas de 35500 a 55, palitols de panno a 105, um comP|eto sortimento de moendas e meias
ditos finos de 125 e 145, palitots de brim de cor moendas para engenho, machinas de vapor
a 25500 e 3-5, ditos de meia casemira a 35300, e tachas de ferro batido e coado, de todos os
calcas de brim de cores a 25 e 25500, ditas '
FilIDICAO DE L0W-M00H.
Una da Senzaila nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a' haver
bran-
cas de buho a 35500 e 45, ditas de meia casemira
a 25, coletes a 25500 e 35, camisas francezas a
15600, ditas finas a 25 e 25500, ditas de linho
prega larga a 35, seroulas linas a 15600, ditas de
linho a 25 e 25500 : na rua da Imperatriz n. 56,
loja da Arara de Mendes & Guimaraes.
Baldes da Arara a 3, 3300 e 10.
Vende-se baloes americanos, os melhores que
tem vmdo, de 20, 30, 35, 40 arcos a 35, 35500,
45 e 45509, ditos de brilhantina a 45, dilos de
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Jolinston & C,
rua da Senzaila Nova n. 42.
GRANDE
IE< BIS\C31
Madapolo francez o mais superior que tem vm-
do a este mercado, vende-se a 600 rs. a vara, son-
madapolao a 35600 : na rua da Imperatriz n. 36, do em peca: na rua do Queimado n. 46, casa de
loja da '
Arara.
Chitas da Arara a 210 rs.
Vende-se chitas a 240 rs. o covado, ditas fran-
cezas com pequeo loque de mofo a 280 rs., ditas
lirapas a 320, 360 e 400 rs. o covado : na rua da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara receben pelo vapor um sortimento de ro-
meiras para senhora, dos mrlhores gostos que
tem Tindo, a preco de 1$, tGOO e 2sJ.
Vende-se romeiras para senhoras de cambraia
de salpicos brancos e de cores o bordados a 15,
I a 600 e 25, golinhas com botaozinho a 580 rs.,
ditas com peitos e botaozinho a 15, camizinhas
para senhora a 15,15600 e 25, aventaos e corpi-
nho para meninas a 500 rs. : na rua da Impera-
triz n. 56, loja da Arara.______________________
Para o dia de natal.
Guimaraes cv Bastos.
TABOADO
Vende-se taboadu de peroba e canella de muito
boa qualidade e por preco commodo : a tratar no
Forte do Mallos trapiche do Cunha.
gcrwascjOO-i sr"-< a> o o o
2 a a t ca 2 ro o t ^
9-b taa.^ Jari~ ^K
=>=>
l3
3
3) v>
5 i
? sr
w 3 5' o c
se
/.
~
fX
o
1 j 35 u M ;'S^2 -9
S" S'-tSo.S1 -"3_S
5 ?:-S3{?g-s>S
\or.es e batatas.
Vendem-se saceos com oito libras de nozes pelo
barato prego de 15600, e caixas com urna arroba
de batatas por 800 rs., nada mais barato vista da
boa qualidade : na rua da Madre de Dos ns. 5 e 9.
Vende-se urna armaco de una taberna, na
rua Imperial n. 162 : a tratar na mesma.
E' de gasto
Vende-se um deposito com pouoos fundos, pro-
prio para principiante : a tratar na rua Imperial
numero 124.
T3 fij
1 3.
O
1 <5
g*S
3b|
Queijo prato muito fresco a 760 rs. a libra, dilo
flamengo do ultimo vapor a 35000, manteipa in-
gleza Ilr a 800 e 700 rs. e a franceza a 560 rs.,!
cha uxim ni ni lo bom a 25560 e 25400, caf de _
primeira sorte a 280 rs. a libra e 85500 a arroba, r -3, 5
banha refinada a 440 rs., biscoitos inglezes a 15400 $
a lata, bolaxinha a 240 rs. a libra, vinho duque do
Porto verdaaeiro a 15500, Chamico I5OOO e 700
rs., Bordeaux fino a 640 rs., Figueira puro a 480
rs. a garrafa e a caada a 35500, Lisboa a 400 rs.
a garrafa e a caada a 25800, enreja branca e
preta a 480 rs, genebra de Hollanda e de laranja
a 480 rs. o frasco, vinagre de Lisboa a 200 rs.,
azeite doce a 600 rs., talharim, eslrellinha e aletria
e 480 rs., farinha do reino e de Maranhao a 120
rs. a libra, gomma a 80 rs., arroz a 80 rs., touci-1
nho novo a 280 rs., sag a 280 rs., batatas a 60
rs., estearinas a 560 rs., composicao a 320 rs., car-
nauba a 360 rs., azeitonas a 240rs. agarrafa, mas-1
sa de tomate a 640 rs., lata de doce de goiaba a
560 rs., caixo, palitos lixados a 160 rs., tijolos
para lirapar faca a 140 rs., sebolas, pimenia, alho,
cravo, cominhos, canella, erva-dce, tudo muito.
baratissimo ; no armazem da Estrella largo do Pa-
raizo n. 14,
isIllPffr
sBi-*S- Q.O
S
va ya
3
"" 8 i 5.^
8 s g ?
a as q,
lff
T3
u
3

-I
3
o
o.
3
f
O os
03 1
25?
-1
2 EL
3 O)
9
s
5
V*
>
9
i
Fita para drbriiui de vestidos. antlgas e recentes unico deposito na bo-
Vende-sc u para debrum de vestido, a peca .8- ', r / 9 t
com U varas a 400 rs. : na rua do Queimado, lo- tica rranceza, rua aa cruz n. xz, pre-
ja do beija-flor. CO 35.
INJECClO BROAV.

Remedio infallivel contra as gnorrheas
nico der
da Cruz n.



,/ ''


Diarlo de PernainDuce Qiiartu clra 1 de Oezenbro de 19S.
lTO J'TfM
Pede-se toda al'onco.
Custodio Jos Alvos Guimaraes, dono da loja in-
ib>4 titulaba Gallo Vigilante, ra do Crespo n. 7, avisa
imrwifi aos sms nnmerosos Tregeles e ao respeitavel pu-
(I I \ M" \l II I1/.AS blico, que tendo de reformar uo fim deste anno seu
lAJ+i*. 1/JU JUt \JLsMJlXV j estabe^JB.en^ equerendo liquidar grande quan-
1ft Pllil flfl OllPlTlUlO II) 'tidade de diversos objectos, est rosolvido a vender
U JXUtl UU uuliuauu. au ((udo ^ p barsuissimos. como sejam :
l'ecis de tranca de laa preta e de cores lisa a peyas com 45 varas de franjas de linho a 3.
80 rs. Ditas com 45 varas de galo de linho a 3.
Pecas de tranca de laa preta e de cores, caracol, a \A sortida para bordar, libra a 4*.
100 rs. Froco de cores sonidos, peca a 160 rs.
Tecas de tranca de linho branca de caracol a Manguitos para senhora, o par 80U rs.
100 rs. i Golinhas de bonitos gostos a 400,500 e 14-
Peras de tranca do linho mesclada de caracol a Salvas de metal principe a 1^500, 23 e 23500.
100 rs. Ditas com copos de metal proprio para meninos
Pecas com 10 varas de fila de velludo cor de rosa 13200.
a '5. Facas e garfos para sobre-mesa a 43 a duzia.
Pecas com 18 varas de lita de veludo preto a 13200 Dtas e ditos dita com cabo de martim a 63-
e 1340O. Bandejas de todos os tamanhos mnito finas a 13,
PBCM com 13 varas de fita de velludo lavrado a 13 13200, 1400, 1*00, 23300, 33300 e 53-
PECHINCHA
COMO MUWCA HOITVB
NO
ARMAZEM
LNIAO
e I32OO.
Peras com 20 varas de galao lavrado a 13300.
lVias de franja branca estrella a 13-
Pecas de franja larga para cortinados a 33-
Pegas de lita de seda de cores a 360 e 800 rs.
Pegas de franja de laa a 13-
Pcras de franja de seda preta e de cores a 33-
P ;is .le lita de retroz preta e de cores a 240 rs.
Pegas de foicos e rendas a 13200 c 13300.
V iia- de hinos e rendas a 100 e 160 rs.
Varas de bieos pelos a 160e 240 rs.
Varas de bico preto da largura de ura palmo a
500 rs.
Varas de labyrintho de um palmo de largura a
Varas de bonitas fitas para cintos a 500 rs.
de lila preta de borracha a 160 rs.
Varas de babados largos a 120 rs.
Varas de galiio branco e de cores lavrado a 100
ri-is.
Flvelas de ago galvanisadas para sinto a IfiaOO.
1!V d cintos rom fivelas de pedrinhas a 33-
Grvalas de seda a 400, 600 e 800 rs.
Grvalas para laco a 800, 13 e 15280.
Grvalas com bonitos passadores a 13 e 13*80.
Grvalas de pona larga bordadas parasenaoras a
13280.
Passadores para grvalas a500 rs.
Conservadores de continuas prelas e brancas a
t000.
Vallas de perolas brancas e de cores, com cruzes,
a 13.
Vollas prelas a balo com crines a 13 e 13500.
Visitas pristas decantas muito gradas a Mana
.',., 1 l-WOOe 23500.
Vollas de coral pequeas e grandes a bOO c 2.5 too
Macinhos de coral a 360 e 600 rs.
Oitavas de retroa preto e do cores a 160rs.
Pares de gramnos enfeitados, a balao a 13-
Pares de brincos pretos e de cores, a balao. a
040 rs.
Pentas de borracha para regaco a 800 rs.
Pi oles domados com pedrinhas para regaco a
900.
iticas iiarnicwes de pentes dourados com cachos
u pedrinhas e as marrafas iguaes a 43 e 53-
Ricos pentee dourados a 23, 23500 e 33-
li nulas marrafas com pedrinhas a 13-
Bonitas guaraiefca de pentes com layo esmaltados,
com marrafa-i iuaes a 53.
BouilM giiarnices de pentes com laco para lulo,
ei ni marrafas iguaes a 33-
Bouitos pentes de tartaruga a 43 e 53-
Bonitos pentes de raassa virados imitando tartaru-
, a IJflOOel* onA
Penies de maesa em caixinhas a 500, 640 c 800 rs.
P para atar cabello a 80, 160 e 240 rs.
Lavas de Jouvin brancas e de cores a 13500.
i. 1 as da Escossia brancas e de cores a 500.
Bonitos botoes para punhos a 160, 320, 480 e 800
Duzias de bonitos liotoes dourados a 480 e 960 rs.
Duzias de bonitos botoes de vidro a 480 rs.
i. Imitas brancas e de cores com conlinhas a 13-
Sa|Kitos de tranca do Porto a 1600.
Tesoaras linas pan unhas e costuras a oOOe
ROO rs.
I vas para denles a 160, 320 e 480 rs.
Escovas para unhas, roupa, chapeo c cabello a
1 rs.
Bonitos toucadores com ps a 23, 23500 e 43-
Caixas de ntalo encasloadaseni marlim a 23.
li '.Talas de junco e de canna a 640 e l<5280.
Cl icoles de janeo c de baleia a 13 c 13600.
1 de armaeao de ac prateada, dourada e h-
lela a 800 e 1-. ,, ,
Duzias de collwrcs de metal principe para cha a j
13600e33. ,.. -
Duzia ile colheres de metal para sopa a 33 c
l'.\ oti-s de papel de cores pequeo a MU.
Caixinhas de capel amizade a 800e 15-
Uixinhas de papel de beira dourada a 15200.
ciaoas de papel phantasia de cores a 13-
Caixiohaa com lOO envelopes a 800 e 15-
Caixinhas de lacrea 200 e 400 rs.
dnhasde peona de ac a 800, 15200 c 150OO
C lindas 1!.' obreias de cola a 80 e 120 rs.
Fi 1 piinhos de tinta azul ou encarnada a 320 rs.
! de cores ou encarnados a 120 rs.
Brincos e rosetas pretos a 160 c 240.
li i es altos ile tinta injileza a 160.
Fu is e conloes para espartilhos a 80 r>.
1 iadores pretos para borzeguins a 160.
Caixinhas com looagulhas francezas a 240 rs.
(Viixinhas com 100 agulhaa da Victoria a 320 rs.
Caitas portuguesas e francezas a 200 c 320 rs.
Cartas de Mueles a 80 e 160 rs.
Massos de superiores palitos lixados a 240.
1: ixinhas vastas para guardar joias a 300. 400 e
rs.
I 1.- de canudos de pomada a 240 rs.
... n : 8 franeezes a 100 rs.
Fraseos de agua de Colonia a 400, 500, 800, 15 c
: 3500.
Ditas redondas para copo de 500 rs. para 25800.
i Tesouras era carteiras, a duxia a 500 rs., 640 e
I 800 rs.
1 Pellos para camisas, a duzia a 25-
Camisinhas bordadas para senhora a 15500 e z*.
Chapelinas para senhora a 35-
Ditas para menina a 23-
COMMERCIO
IO IiARGO DA PEIHA O
anU^Vk.
Defronte da loja do Pregnlea.
ni titri: iiuEi 11 %
asaba de abrir o seu grande e sortido armazem de moldados denominado Umo e Com-
mercto. Este grande armazem um dos mais bem montados que temos em nossa prafa,
oftb so em limpeza e aceio, como as qualidades espeeiaes de seus gneros. 0 proprio
Francisco Fernandes miarte dono deste rauito acreditado armazem tario do Unio e Commercio offerece todos os senJiores da praca, senhores de engenho
,, -i. u* j^A,,^^ 1-* -*. P- ve* gMde econo^ ,ue a.
comprarem em to til estabeleciment, afianzando o mesmo todo e qualquer genero
23 e 33-
! por elle na Europa, todos muito proprios para a festa os quaes est resnrv
por
Firs~frncezas, caixos grandes; a 600 rs. prec,)S baratissimos como vero pela segumte tabella, e mesmo pede a todos os Srs. da
Lavas de seda com pequeo toque de mofo a ou pra^a de eBgenhf) e [av|.ad0res para que mandem suas relaces para serem despachadas
Toura* Sl'aa para memnos a 500 rs., fil a 500 e| no armazem do Progresso do largo da Peoba n. 10, aflm de verem a grande vantagem
600 rs.. de seda a 800 rs. bm I que tiram, tanto na superioridade dos gneros como nos precos ; f,
Sapatinhos de merino a 800 rs., e
Bolsinhas de raissauga
800 rs.
I que .
de laa a 500 rs. j os Srs que n3o poerem vr poderao mandar seus portadores anda que nao tenhara pra-
I tica, que sero to bem servidos como se viessem pessoalmente.
aludo de seu armazem.
Bollinho francez em latas e caixinhas asmis
delicadas que tem viudo ao nosso merca-
do de 800 9 2,ooo rs. a caixinha.
Botoes dourados para punho a 200 rs. o par.
Tinteiros de metal a 320 rs.
Trancelins para relogio a 100 rs.
Ditos de fita chamalote a 200 rs.
Escrivaninhas de metal a 33500.
Colheres de metal para cha a 200 rs. a duzia.
Ditas de dito para sopa a 25 a duzia.
Botoes de dura^ue pretos a 400 rs. a groza.
Cartas hespanholas para jogos a 13200 a duzia.
Casticaes brancos e amarellos de metal a 15-
Carteiras para algiboira a 500, 600. 800 e 15-
Sabonetes muito linos a 13200.15600 e 25 a duzia.
Fivelas para calca a 300 rs. a duzia.
BolSes de ago para calca a 320 a groza.
Caixinhas comallineles.grampos e colchetes a 320,
400e500rs. CA
Filas de borracha prelas e de cor a 120 e 160 rs.
a vara.
Latas com dous massos de agulhas por 800 rs.
Brincos de aljofares a balo a 320 o par.
Alllneles pretos o de cores com pedrinhas a 200 rs.
c320.
Camisas para homem feitas em Lisboa a 23-
Fitas de velludo lisas c lavradas a 800, 15, 5o00
25 e 35 a peca.
Ditas para sinteiro a 300 e 400 rs. a vara.
Caixinhas para costura de senhora a 15500,23.
3,4, 5 e 65- _,
Compolciras de vidro com pralos de metal a 35 e
45OOO.
Franja de laa para debrunhar tapetes a 25 a peca
Palitos de fogo, prova d'agua, a 15 a groza ou 120
rs. a duzia.
Assim como tem grande sorlimento de minios
mais oujectos que se tornara enfadonho mench>-
na-los. que tudo so vender muito barato para li-
quidar : na ruado Crespo n. 7, e ra do Impera-
dor n. 59. junto ao passo, c casa da liquidacao.
O interesse que tira o propietario de.te acreditado armazem, ja deve ser bem co-; ^^ ^ ^.^^ flr ^
nhecido pelos seus numerozos fregueaes, pois simplesmente consiste em servir bem e ga- vir de conta propria, a 7oo a 800 rs, a
que a primeira vez se dig-1 ""**
dem franceza chegada pelo ultimo
nhar potico, aOm de conseguir a continuaco daquellas pessoas
narem honrar o seu estabelecimento.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 2,ooo rs.
dem do vapor passado a 1,80o rs.
dem prato muito noves e de superior qua-
lidade a 4oo rs. inteiro, e a 5oo rs. a
libra.
Doce de goiaba fino em caixSes com 2
libras por 600 rs.
dem mais baixo a 54o rs.
Vi
Sevadinha de Franca a 2oo rs. a libra
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
Cominhos, ervadoce e pimenta do reino a
:i6o rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 5,5oo rs. a frasquei-
ra com 12 frascos, e a retalho a 5oo rs.
cada um.
os
'rasco de extractos a 400, 500, 800 c 15-
c 13-
Pr icos de banha franceza a 400. 500, 800
os de palcholy a 100, 500, 800 e 15-
le oleo babosa a 500 e 600 rs.
le oleo philocome a 800 e 15-
F ros de extracto de sndalo a 15-
!OS de banha transparente a 800 rs.
1- Jo banha Japoncza a 800 e 15-
1 i de agua de Lavande ambreada.
Carrafas deua de Lavando ambreada.
fas de agua Floi ida lefttiaaa a 15500.
G;-nafas coinprhjas de apta de Colonia a 800 rs.
Fraseos com banha o extracto juntamente a J5*w>-
Ceslinhas com 4 frasquinhos de oxlraclos a 6*0.
KII.1110 0UKIHo \. 63
l.oj:i do beija-flor.
Voltas do aljofares.
Vendem-so vollinhas de aljofares com pedra,
imitando a brilhantcs a 15 cada urna.
lioliirs para punhos.
Vendem-se boloes para punhos, muito bonitos
padrOes. a 200 rs. o par.
Facas para meninos.
Vendem-se (aquilinas para meninos, de cabooi-
tavado. a 240 rs. o lalher.
Laa para bordar.
Vende-se laa de todas as cores para bordar a
63700 a libra.
Facas e yarfos.
Vendem-se acas c garfos de calw preto cravado
a 25800 a duzia, ditas de balanco de 2 botoes para
mesa a 65200 a duzia.
Luyas de Jomin.
Vendem-se luvas de Jouvin chegadas pelo ulti-
mo paquete, tanto para homem como senhoras.
Extractos inglezes.
Vendem-se extractos inglezes muito barato por
serem sido comprados em leilo a 240 rs. o frasco.
Escovas para denles.
Vendem-se escovas para denles a 120 e 240 rs.
cada una, dilas muito linas inglezas a 500 rs.
'I miras de la.
Vendem-se toacas de laa para menino a 800,15
e 13280 cada urna.
Sapatinhos de laa.
Vendem-se sapatinhos de laa para meninos a
400,500 e 640 cada par.
Tesouras.
Vendem-se tesouras para costura a 500 rs., ditas
para unhas a 400 rs. cada urna.
Collarinhos.
Vendem-se collarinhos de papel a 40 rs. cada
um, ditos de linho a 640 rs.
Pentes de travessa.
Vendem-se pentes de travessa para menina, de
borracha, a 500 rs. cada um.
Tocadores de Jacaranda
Vendem-se locadores de Jacaranda a 25500
25800cadaum.
Escovas para roupa.
Vendem-se escovas muilo Anas para roupa a 400
e 500 rs. cada urna
Espelhos cora estojo.
Vendem-se espelhos com estojo para navalhas a
25, 25500 c 25800 cada um.
Adereces prelos.
Vendem-se aderecos pretos a 25200 cada ade-
reco.
Hulees df perola.
Vendem-se botoes de perola para cohete e vesti-
dos a 400 rs. a abotoadura.
navio a
56o rs. a libra, e em barril ter abatimen-
to.
dem ingleza em potes de 4 a 16 libras a
800 rs, a libra e o pote separado,
Castanhas rauito novas a 2,neo rs. a canas-
tro ea i60 rs. a libra.
Cha uxim o melhor neste genero, mandado
vir de conta propria a 2,8oo rs, a libra.
1 dem hysson, grande, muito bom a 2, Roo rs.
a libra.
dem preto muito fino, a 2,6oo rs, a libra.
Irascos [em p^^ mas baixo, a 2,ooo rs, a libra.
dem, verde, miudinho, mais proprio para
Vinho de caj o melhor que ha no mercado; negoci0) j^00 ^ a fert.
franceza de primeira qualidade a a l.ooo rs. a garrafa,
a libra, e 52o rs. em barris ou m ,. a a c Banha de porto refinada muito alva a 46o
Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza e 20 rs. ^ a |ibra; e em barr| se fera abatimento.
a caixinha. .
Cha perola neste genero nao ha nada a de- dem de dentes lixados a 160 rs. o maco com Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
sejar, e de especial qualidade, mandado 2o macinhos. Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travelhes.
vir de conta propria a 2,8oo rs. a libra. m ... Lunch, Cabm, e ottlras multas marcas, a
dem huxim o melhor do mercado a 2,6oo, Enilhas seccaschegadas nesteult.mo navio: {ioo Bj a iata.
rs a libra a 16 rs- a llbra' e em P01"?38 se faz aL,a"
dem de segunda qualidade a 2,ooo rs. a \ tmente.
libra. Banha de porco refinada a 48o rs. a libra e
dem hysson muilo superior a 2,5oo rs. a li-
bra.
Manteiga ingleza flor a mais
mercado a 72o rs. a libra,
dem de segunda qualidade a 64o rs. a libra.
Manteiga
56o rs.
meios.
' dem em botija hamburgueza a 4oo rs.
superior do Genebra de laranja a i ,00o rs.
grandes.
Bolachinha de sudo, especial encommenda, a
2,2oo rs, a lata.
dem preto homeopathico muito fino a 2,ooo
rs. a libra.
Bolachinha de soda chegada neste ultimo
navio a 1,35o rs. a lata, deste genero ha
grande porco e de differentes marcas, '
que se vendem todas pelo mesmo proco a
vontade dos compradores.
42o rs. cm barril.
Vinho branco de superior qualidade proprio |
para missa a '
Biscoo inglez Craknel em latas de 5, 7 e 15
libras a 5,ooo e 6,000 rs, e de I,2oo a
800 rs, a libra.
64o rs. a garrafa.
1 Queijos do remo pelo baratissimo preco de
Ameixas francezas em caixinhas elegante-, 1)6o0j 4 8o c 3,ooo rs os do ultimo
mente enfeitadas com ricas eslampas a vapor.
i,2oo, l,5ooe 2,ooo rs. cada urna. "
dem francezas em frasco de vidro com tam- [ Wem prato muito fresco a 64o rs, a libra.
pa do mesmo contendo 1 Vi libra a 1,29o Wem londnno muito fresco a 800 rs, a libra.
rs. s o frasco val quase o dinheiro.
dem em latas de 2 libras por l,4oors.
a retalho, e a 800 rs. a libra.
V'tnhos em pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
48o, 56o, e 64o rs, a garrafa, e de 3,ooo a
4,5oo rs, a caada.
nhosmuilo proprio.- para mimo al,28o rs.
caixas para retalho a 16o rs. a
Iem em latas grandes a 2,00o rs.
dem propria para lanche em latas grandes
*i \ Orwi rs
', .' ... _Jwb__LJU m ,.; F'80S de comadre muito novos em bahuzi- Marmeiada imperial dos melhores conservei-
Marmelada imperial dos melhores rab can-
tes de Lisboa a 6o rs. a libra.
dem em
Frutas em calda em latas de 1,000 a ,>oo rs., ibra
neste genero ha diversas qualidades a es-'
coiher. Passas de carnada a 48o rs. a libra e em
quarto com 8 libras por 2,5oo rs.
Champanha superior das marcas mais acre- j
ditadas a 1.5oo rs. a garrafa e 15,ooo rs. D ....
' Bolaxitihas inglezas de superior qualidade a
1 2,ooo rs. a barrica, e a 2oo rs. a libra.
o gigo.
Serveja das melhores
mercado a 5oo rs. a
a duzia
marcas
garrafa
que veiu ao
e a 5,ooo rs.
ros de Lisboa em latas de I e mais libras
a 7oo rs, a libra.
Frntasem caldas das seguintes qualidades:
amaiza, nanita Claudia, peras, cerejas,
giuja, pecegos e alperch a 5oo rs, a lata.
Figos em caixinhas de 1 '/i arroba e de 8 li-
bras a 8,000,4,ooo, e 2,ooo rs, e a 3eo rs,
a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs, a libra, e
em arroba ter abatimento.
Chocolate francez o melhor que se pode de-
sejar neste genero a 1,00o rs. a libra. Sardinhas de Nantes a 32o rs, a latinha.
dem preta superior a 56o rs. a garrafa e a Macas para sopa estrelinha, pende, arroz de | Toucinho de Lisboa a 36o rs, a libra e em
maca a 48o rs. a libra, c em eaixa a 2,ooo
rs. cada urna, macarrao, talherim, e ale
tria a 4oo rs. a libra.
Amendoas de casca mole a loo rs. a libra.
Avelans muito novas a 2oo rs. a libra.
Ervilhas francezas muito novas em latas
grandes a 6io rs.
Varinh-.i re in;inlloci.
Vonde-se fariiiha de mandioca da melhor t
mata aova que baaste mercado : no escnplonc
Xo ai'Uiiizeui le faz en das baea
tas de *aut 5,4oo rs. a duzia.
Vinho Bordeaux de difTeientes marcas, e as
melhores do mercado a 7,000, 7,5oo e
8,000 a caixa com urna duzia, e em gar-
rafas a 64o, 7oo e 800 rs., garante-se a
boa qualiJaik'.
dem Figueira de superior qualidade a 48o
rs. a garrafa e 3,5oo rs. a caada.
dem de Lisboa a 2.800 rs. a caada e 4oo Idem em (^ pequeas a 4oo rs.
rs. a garrafa.
dem do Porto de superior qualidade para Maca de tomate em latas de 1 9 2 libras a
mesa a 5t50 rs. a garrafa, e 4,000 rs. a ca- 64o rs.
nada- Salmo em latas de 1 1 libra a 800 rs.
dem fino do Alto Douro da colheita de 1833, LaR0Stiriho em iatas ,,randes a l.io rs. ca-
como sejam: Luiz, Fetona velho, ^ec- ^ uma
tar, Carcavones e Caraoes em caixa de
uma duzia a 9,ooo rs. Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto Cognhac inglez a 800 rs. a garrafa,
a i.ooo rs. a garrafa e lo.ooo rs. a caixa. ^ ^^ das n-BjgW8 mgm Q me[.
Duque do Porte, Madeira secco, duque ge-
nuino, lagrimas doces a 9oo rs. a garra-: n(
de Manoel Ignacio deOliieira A Filho largo de
1 Santo n. i, 011 a bordo do palhabole Va-
e l.rijue Minerva, ancorados no caes do Uerac
j i.ivramonlo. j^ara torro de sala, de 4, -> e 6 palmos de largura,
i por menor preco do que em outra qualquer parte.
IU:.\ 1>0 QI'EIMADO N. 19 VENE-SE O SE-
Gl'lNTE :
Esleir da India
A 9500 ubi balo.
Custodio Jos Alves Guimaraes dono da loja in-
a. respeitavel publico que tendo recebido um
p-ande sortimento de saias de balao tanto bran-
mbu encamadas e para liquidar de promplo
rcsolvido a vender pelo baratissimo preco de
ififSOO cada um
TraHsi>areutes.
Tambem cheparam os lindos transparentes para
j.Hii ilas que sevonderao pelo barato preco de 100
o jar.
Pentes sem iguaes.
Barraisslmos pentes de concha para os novos
pencados conforme os igurinos que vem na
iiicsaVkcaixinha : na loja do gallo vigilante ra do
r.re Cevada.
Vendem-se sacras com cevada muilo nova e por
mena do Manoel Ignacio de Oliveira & buho,'
criptocie 'le
no Corno Santo n. 19.
Lencos
de panno de linho pelo barato preco de 2000.
Lenroes
de bramaute de linlio lino pelo barato preco de
3*000.
Cuberas de chita da India
pelo barato preco de 25000.
Lencos de eassa
brancos, fmissimos, proprios para algiheira pelo
baratissimo proco de 24000 e 2*400 a duzia.
Cambraia adamascada
para cortinado, pelo baratissimo preco de 10*000
a per,.
Pecas do cambraia
de salpiros, fina, com 8 1/2 varas, pelo baratissimo
preco de 4*.
Fil Use fino
peloharalissimo pretjo de 680 rs. a vara.
Bramante de linho
argura pelo barato proco
i de 2*:joo a vara.
fa e 9,5oo rs. a duzia.
Garrafes com vinho do Porte a 2,2oo rs.
cada um.
Vinagre de Lisboa de superior qualidade a
2oo rs. a garrafa e l,2oo rs. a caada.
Azeite doce retinado em garrafas grandes a
800 rs.
dem He Lisboa a 64o rs, a garrafa, e em
caada a 4,8oo rs.
Presuntos inglezes para fiambre a 7oo rs. a
libra,
dem de lamogo encommenda particular a
48o rs. a libra, e inteiro se faz abatimento.
Toucinho do reino o melhor do mercado a
320 rs. a libra, e em arroba a 9,ooo rs.
Velas de espermaceti- de 4, 5, e 6 por libra
cado a 800 rs. a garrafa.
Batatas chegadas neste ultimo navio
xa com duas arrobas por l,6oo rs., e 4o
rs. a libra.
Concervas inglezas a 75o rs. o frasco.
Sal refinado em potes a 5oo rs. cada um.
Mostarda ingle .a a l,ooo rs. o Irasco,
dem franceza a 4oo rs. o pote.
a 16o rs. a libra e 4,800 rs. a
nu\m
baratas para aeabar.
Sedas de quadros e de lislras a 380 rs. o cora-
do Hadas tas de ijoaidrinhos a 360 o eovado, so-
l>< 1 lores, casis de cores a *)0 rs. o eovado, ditas
iinitii linas a 240 o eovade : na loja das colnmaas.
na roa do Crespn. 13. de Antonio Correia de Vas-
cuucollos i\ C,
Tualhas alcorhoadas
para mar.pelo baratissimo preco de 6*000a du-
7,ia.
Peras de bretanha
de rolo com 10 varas propria para saia, pelo bara-
to preoo de 3*000._______
Em casa de Mills Latham & C-, na ra d-
Crui n. 38, vende-se ferro galvanisado de um doa
melhores fabricantes inglezes, proprio para -
tas de casa-.
Milhn al{>ista
arroba.
Graixa muito
ris.
nova em Litas grandes a 120
Latas com peixe em posta ermecameute
becada das melltores qualidades de pei-
xe que ha em Portugal a 1,2oo rs.
. 500,-,, ZVSESS: c-fi^a. i-eL!s
cobers
dem de carnauba- retinada a 32u rs. a libra
e 9,(x>c rs. a arroba.
Idtnn de carnauba pura do Aracat}- a 4oo rs.
a Hbra e lo,5oo rs. a arroba.
Gomma muito fina e alva a 80 rs. a libra.
Aramia verdadeira a 32o rs. a libra
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 12o rs. a libra.
Sag muito novo o 24 rs. a libra.
de 2a a 28o 1 s. a libra e 8,2oo rs a arro-
ba, dito de 3* a 26o rs. a libra e 7,8oo
rs. arroba.
Charutos- suspiros dos melhores fabricantes
d S. Eefi a 2,5oo rs. a caixa com loe
charutos.
dem fines de. dWersoa fabricantes a l,6oo
lA8oo e 2,ooo rs. a caixa com loo charu-
tos, Jo proco nao indica a boa qualidade
arroba ter abatimento.
Massa de tomates a 64o rs, a libra.
Pimenta do reino a 34o rs. a libra,
Farinha do Maranhao a 14o rs, a libra.
Ceblas a 4oo rs. a reslt;i.
Tijollo para ltmpar facas a 16o rs,
Cerveja das mais acreifitadas marcas de 5,ooo
a 7,5oo a duzia, e de 5oo a 600 rs, a gar-
rafa,
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 800 rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs, o frasco,
Chouricas as mais frescas do mercado a 800
rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa,
e lo,5oo rs. a caixa com uma duzia,
Licores francezes das seguintes marcas: Ani-
zete de Bordeaux. Plaisir des dames, e de
outras militas marcas a 10,000 rs. a duzia,
cal ,000 a garrafa.
Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a 8,5oo
rs. a caixa. Ha caixas, metas e quartos.
Batatas a 1,000 rs. o gigo com 38 libras.
Bolachinha ingleza a 4oo rs. a libra,
Azeite francez e portnguez refinado a 800 rs.
a garrafa, e 9,ooo rs. a eaixa cern uma du-
zia.
Conservas inglesas das seguintes marcas:
Mixed, Piekes, e ceblas simples a 800
ns. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo
rs. o pole.
Gr5ode bico a 16o rs a libra, e em arroba
ter abatimento,
Vasos inglezes vastos de 4 a 16 libras, marte
proprios para ileposito de manteiga, doce,
e ouro qualquer liquido, de 1,000 a 3,ooo
rs, cada um.
Cominho a 4oo rs. a libra.
Erva-doce a 5oo rs. a libra.
Champanha de 20 a 22,ooo o gigo.
Pautes do gaz a 2,3oo rs. a groza e 2o rs. a
caixinha.
Milho alpista a 16o rs. a libra.
Painco a 2oo rs. a libra.
Gomma muito alva para engoaimar a 80 m
a libra, e em arroba se far abatimento
Sag muito novo a 28o rs. a libra.
Sabe verdadeiro hespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado a 28o rs. a libra.
Vinho branco o melhor neste genero a 600 rs,
a garrafa e 4,ooo rs. a caada.
dem Bordeaux de differentes marcas, garan-
te-se a qualidade, a 8.000 rs. a caixa com
uma duzia, e a 7oo rs. a garrafa.
Garrafes com 5 garrafas de vinho do Porte
do Alto Douro a 2,2oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira, mais
proprio para a nossa estaeao por ser mais
fresco a 2,4oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
o garrafo,
Sabo massa de superior qualidade a 18o,
2oo, e 22o rs. a libra do melhor que ha
Graixa em latas muita nova a 12o rs. a lali-
nha, e l,3oo rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo: savel, pescada,
curvin, salmo e outras muitas qualidades
preparados de escabexe, segundo a arte de
cozinha, de l,2ooa 2,ooe rs. a lata.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado e escolbido pessoalmente por um
des socios que se acha em Portugal, das
seguintes marcas : Duque, Genuino, Ve-
lho secco especial, Lagrimas Doces de
1819, vinho especial D. Pedro V, vinho
velho. Nctar superior de 1833, Duque do
Porto de 1834, vinho do Porto velho su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vino do Porto superior D. Luiz I
de 1847, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porto, de l.ooo a 1 2oo rs. a gar-
rafa e de lo,ooo a 12,ooo rs. a caixa com
uma duzia.
Vassouras americanas a8oors. cada uma.
Velas de spermacete as melhores que ha no
mercado a 56o e 64o rs. e masso, e em
caixa se far umjgrande abatimento,
dem de carnauba e composico, de 4oo a
32o rs. a libra, e de lo,ooo rs, a H,5oo
rs. a arroba,
Caf de Ia e 2 aorta de 8.3oo a 8,600 rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
lhor,
Arroz da India, Maranhao e Carolina a 3.oo...
2,8oo e 2,4oo rs. a arroba e a loo rs. a
fibra.
I'rasqueira de genebra a 5,8oo rs.
rs. o frasco.
e a
Azeite doce em barril muito fino, a 64o rs.
a garrafa, e em caada ter abatimento.
Papel greve
resma.
pautado e liso a 3,5o re. a
Genebra de Hollanda em
44o rs. a botija.
botija de conU a
Baista a 1(,5m a nica.
Ervilhas franceza e portugueza a 640 rs a
lata de uma libra.
Chocolate francez. hespanhol, saisso e por-
tugus a 1,00o rs. a libra, e a 28o rs. ca-
da pao de uma '/*
Garrafes vastos de o garrafas ate 3 caadas
de 5oo at l,3oo rs. cada um.
Ameixas francezas era caixinlkas elegante-
mente enfeitadas, aun diversas estampas
no exterior da caixa de 1,500 a 3.ooo rs.
cada uma: tambem ha frascos e latas de
differentes tamanhos que se vendem por
mdico preco. ,
Massas para sopa: macarrao, talhai hn e ate-
tria a 48o rs. a Sbra, e em caixa se far
abatimento.
Garrafes com 14 garrafas de genebra de
Hollanda a 5,5oo cada um.
Charutos de todas as marcas c dos melho-
res fabricantes da Baha de 3,ooo a 4.oo
rs. a caixa.
.1*?
%TTE\^AO
Todos os senhores, que comprarem para negocio ou casa particular de 1004 para
cima torio mais o a 10 por o de abatimento; o proprietario scientifica mais que todos
porm deea-se ao trbalo de vice 00 i os seus gneros sao recebidos de suo propria encommenda, razo esta para poder ven-
mandarem e vero a realidade. I der por muito menos do que em outro qualquer estabelecimento.



<*,

Diario de Pernabno* <)u,ir(a feira l de ltezenibro de 18S
ATTENCAO
9 LARGO DO CARMO 9
GRANDE SORTIMENTO
DE
PARA A FESTA.
ARMAZENS
DO
PROGRESSISTA
RA HAN CRUZfiS A. 3
E
RA DO CRESPO H. 9
%o balrro de *anlo Antonio.
Joaqulni tior Gomes de onza scicntiGca a seus numerosos fregu,
zes e ao pablico em geral que acaba de estabelecer um novo armaxem de molhados
ra do Crespo n 9, aonde se encentrar sempre os melhores gneros de estiva, que
se vendern a retalio e por atacado, por menos dos que se venderem em outra qualquer
parte, affiancando-se aquellas pessoas que comprarem nestes armazens a superior qua.
lidade de gneros, precos commodos e bom aeondicionamento.
38RA DO IMPERADOR38
Agua natural de Condllae,
muito recommendada as affeccoes do tubo gastrointestinal, nos dos rins, e bexiea ominara, pelas
suas propriedades alcalinas, e o acido carbnico que naturalmente contm em suspenso. de preco
mais commodo que a agua de Vichy, e de propriedades talvez superiores pela grande qnantfdade de
acido carbnico. Injecco trou, agua d l Cheeleu, cupahiba de Mege, injecco Fugat & tunato
dezinoo, muito recommendada as gonorrheas. Le noy francez verdadeiro ; na mesma cas i ten
algumas caixas de instrumentos cirurgicos para operacocs de Matieu e Charriere.
CONSERVATIVO E CONSERVADOR
21 e 23Largo do Terco21 e 23.
Participam aos seus numerosos freguezes e ao publico em geral que acabam de
recatar de suapropria encommenda, o mais lindo e completo soi'timento de molhados,
os quaes vendem por grosso e a retalho por menos 10 por cento do que outro qualquer
annunciante, como verao pela seguinte tabella que abaixo notamos, garantindo os mes-
mos proprietarios nao s o peso como a qualidade de seus gneros.
A VINO.
Todos os senliores que comprarem para negocio ou casa particular de 100* para
cima tero mais 5 a 10 por cento de abatimento, os proprietarios scientificam mais que
todos os seus gneros sao receidos de sua propria encommenda, razao esta para poder
vendar por muito menos do que outro qualquer estabelecimenlo.
CaaUrita muito novas a 2,ooo rs. a caixa, e Vellas de carnauba e composico de 32o a
a 16o rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor mandada
vir de conta propria a 8oo rs. a libra.
dem bancaza amis nova do mercado a 5Go
rs. a libra, e 54o rs. em barril.
Itlem de porco refinada muito alva 46o rs.
a libra.
l'rezunto para fianbre a 8oo rs. a libra.
Cha uxim miudinho vindo de conta propria,
o melbor do mercado a 2,8oo rs. a libra.
dem hyson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perola o melhor que se pode dtsejar a
,7oo rs. a libra.
dem preto muito fino a 2,5oo rs. a libra.
dem mais baixo pouco a 2,ooo rs. a libra.
dem mais baixo a 1,8oo rs. a libra.
Vinho do Alto Douro viudo do Porto engar-
rafado garante-se a superioridade deste vi-
nho, das seguintes marcas : Duque, Ge-
nuino, velho secco, especial lagrimas do-
res de 1819, vinho especial D. Pedro V., ,
vinho vebo, Nctar superior de 1833, Du- j F,'!?;f em, Si?e d,versas 1aalltlades a
que do Porto de 183t, vinho do Porto ve-
36o rs. a libra e de lo.ooo a 11,600 rs. a
arroba.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
440 rs. a botija, e em duzia ou em barrica
ter abatimento.
Massas para sopa macarro, talharim e aletria
a 48o rs. a libra e em caixa ter abati-
mento.
dem estrelladla, rodinha e pevide em caixi-
nhas de 8 libras, muito bem enfeitadas de
2,5oo a 3,5oo rs. a caixinha e a 6oo rs. a
libra. '
Doce de goiaba em caixas de diversos taa-
nnos de 6oo.a l.ooo rs. o caixo
Sabao massa de 2oo a 24o rs. o melhor, em
caixa ter abatimento.
dem hespanhol a 28o rs. a libra.
Peixe era latas muito novo; savel, pescada,
corvina, salino e outras militas qualidades
preparada de escabeche 2. a arte de cosi-
nha de I,2oo a l,8oo rs. a lata.
Joaquim Simes dos Santos, proprietario destes cstabelecimentos de momados
participa ao publico ea lodos em geral, que vende nos seus armazens os gneros por
O armazem da ra do Crespo situado no melhor local desta cidade com o as- men(s de 3 10 por cento do que em outra qualquer parte, garantido-se pela superior
qualidade.
seio que de necessidade manter-se cora estes cstabelecimentos, faz erer a sea pro- Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 rs. a libra.
prietario, que ninguem deixar de sortir-se n'um estabelecimenlo aonde se encontra sin- *61? h*1' vin,da Pel u[to navio a 560 rs. a libra e 540 rs. em barris ou meio.
1 M e Banba de porco retinada, a 400 e 44o rs. a libra.
ceridade, para ir-se comprar aonde se nao offerecem tantas vantagens. Velas de espermacete e carnauba a 860, 400 e 600 rs. a libra.
Sende este armazem no verdadeiro ponto de partida para os arrabaldes desta Gaf do Rio de Ia e 2a sorte a 270 e 300 rs. a libra,e a arroba a 80500 e 9/000 rs.
., .._ .. ,__. ., Batatas em caixas com 2 arrobas por 2)5000, e a 4o rs. a libra.
cidade, nao sera difficil quelles senhores que tem de partir nos ommbus darem suas Toucinho de Lisboaj a 32o s> a ,jbrfl) ^'^ a 9(500O> ou barr,
encommendas neste armazem, que sempre lhes offerecer os mais agradaveis gener os Cha de Ia, 2a, 3a e 4a sorte a 2^800, 20500, 20000, e 10800 a libra
Figos em caixas de 1 arroba, '/a e 8 libras
a 8,ooo 4,ooo e 2,ooo rs. a caixinha.
5oo rs. a latinha.
Iiio superior, madeira secca de superior
qualidade, vinho do Porto superior D. bo-
fe 1 de 1847, lagrimas do Douro espe-
cial, vinho do Porto de l.oooa l(,2oo rs.
a garrafa e de lo.ooo a 14,ooo rs'. a caixa
i-om urna'duzia.
Bolachinha de soda especial encommenda e a
ni is nova que ha no mercado a 2,loo rs. a
lata.
fiiscoitos inglezos das melhores marcas em
latinhasde 2 libras a i,3oo rs. a lata.
Idea agiese* craknel em latas de 5 e 7 libras
de 5,oiio a 6.000 rs. a lata, e em libra a
8oors.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de 2,ooo a 2,2oo rs. cada um.
dem prato a 7oo rs. a libra.
Vinho un pipa das mais acreditadas marcas
cuno sejamBA F., PRR, JAA, outras
multas marcas. Puto, Lisboa e Figueira ;
de 48o, 5oo, 56o, 64o e 8oo, rs., e o do
Porto lino em garrafa, e em onada a
3,ooo, 3,5oo, 4,ooo e 6,3oo rs. o melhor
to Porto.
dem Bordoaux das mais acreditadas marcas
a 7oo rs. a garrafa, e a 8,ooo rs. a caixa.
Garrames com 5 garrafas de superior vinho
do Porto a 2,2oo rs. com o garrafo.
Iilem com 5 garrafa de vinho da Figueira mais
proprio para a nossa estacao por ser mais
fresco a-2,4oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
com o garralao.
Vinlio bronco o mais superior que vera ao
nosso mercado a 6oo rs. a garrafa, e a
4,2oo rs. a caada.
Velas do esparmacate as melhores neste ge-
nero de 56o a 64o rs. o maco, e em cai-
xa ter grande abatimento por havo-r
grande porcao.
Azeile doce em barril muito fino a 64o rs.
a garrafa e 4,8oo a caada.
Mera francez refinado a 8oo rs. a garrafa.
KrvIbas framezas epurtuguezas a 64o rs. a
lata.
dem portuguez a I8o rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 36o a libra, e em
arroba ter abatimento.
dem de Santos a 32o rs. a libra.
Caf de 1.a, 2.a e 3.a qualidade de 26o, 3oo
e 36o rs. a libra, doCear de8,2oo, 8,4oo,
c 9.2oo rs. a arroba do melhor.
Arroz da India, Java eMaranho de 2,2oo a
3,ooo a arroba, e de 8o a loo rs. a libra.
Passas muito novas a 8,5oo a caixa e 5oo
a libra, ha caixas meias e quartos.
Sevadinha de Franca a 24o rs. a libra.
Sag muito novo a 28o rs. a libra.
Marmelada imperial dos m- Ihores conservei-
ros de Lisboa a 7oo rs. a latinha de 1 libra,
ha latas de 1 '/a e 2 libras.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 64o
rs. a lata.
Ameixas fraucezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas de 1,5oo a 3,ooo rs. a
caixinha, tambera ha latas de 1 ','j a 6 li-
bras de l,2oo a 4,5oo rs. a lata.
dem em frascos com tainpa de rosca a 1,6oo
rs. o frasco.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso a l.ooo rs. a libra.
Conservas inglezas das seguintes mareas:
Mixde-Picles e cebollas simples a 75o rs.
o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo
rs. o pote.
Sardinhas de Mantea a 32o rs. a latinha.
Charutos das mais acreditadas marcas da
,5oo a 4,ooo rs. a caixa.
Champagnhe a melhor do mercado de 12,ooo
a 24,ooo rs. o gign, e de 1,2oo a 2,ooo rs. a
garrafa.
Papel greve paulado ouliso a 3,5oo rs. a res-
ma.
dem de peso pautado ou lizo de 3,5oo a
4,ooo rs. a resma.
Gomma muito fina e alva a 8o rs. a libra.
Milho alpista e painso de 16o a 2oo rs. a li-
bra.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2oo rs. a
duzia.
Vasos inglezes de 4 a 16 libras vasios, muito
proprio para deposito de doce manteiga
ou outro qualquer liquido de l.ooo a
3,ooo rs. cada um.
Licores das melhores marcas e mais finos
a I ,ooo rs. a garrafa e em caixa ter abati-
mento.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e lo,5oo rs. a caixa.
Chouricas as mais frescas do mercado a 8oo
rs. a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a
l,ooo rs. o frasco.
Serveja das mais acreditadas marcas de
5,5oo a 6,5oo a duzia e de mais a 5oo rs.
a garrafa,
dem em botijas e meias, sendo preta da
muito creditada marca T de 6,5oo a 7,8oo
rs. a duzia.
Ceblas em molhos grandes a 1 ,ooo o molho
e em restea a loe rs. cada urna,
Pimenta do reino a 34o rs. a libra.
Farinba do Maranho a 14o rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 16o rs. cada um.
Cominho a 64o rs. a libra.
Erva doce.
Canella a 1 ,ooa rs. a libra.
Batatas a 1 ,ooo rs. o gigo com 32 libras liqui-
das.
Cha perola de especial qualidade a 2,8oo rs.
a libra,
dem hysson multo superior a 2,7oo rs. a
libra,
dem uxim a 2,5oo rs. a libra,
dem hysson a 2,3oo rs. a libra,
dem idem a 2,ooo rs. a libra,
dem preto de qualidade muito especial a
2,eoo rs. a libra,
.dem idem inferior a l,6oo rs. a libra.
Champagne a melhor neste genero a 1.5oo
rs. a garrafa e 18,ooo rs. o gi#o.
dem inferior a lo,ooo rs. o gigo e l.ooo rs.
a garrafa.
Chocolate francez, hespanhol, e portuguez, a
a 9oo e l,2oo rs. a libra.
Charutos dos melhons fabricantes da Bahia
ede qualidades, especialmente escoJhidos,
de 2,ooo a 4,5oo rs. a caixa.
Farinba do Maranhe muito alva a 14o rs. a
libra
dem de araruta verdadeira a 4oo rs. a libra.
Vinhe do Alto Douro engarrafado, e os mais
bem escolhidos, lagrimas do Douro, D. Pe-
dro V, D. Luiz I, Duque genuino, Nctar
superior, Malvar lina, Bastardo, e outros
a 11,600 e 12,ooo rs. a duzia e l.ooo rs>
a garrafa.
Idem Cherry e Madeira a l,5oo rs. a garra-
fa e 16 ooo rs. a duzia.
Idem Bordeaux de diversas marcas de 8,ooo
a lo.ooo a duzia, o 8uo iv. a garrafa
Bolaxinhas americanas a 3,ooo rs. a barrica,
e 2oo rs. a libra.
Batatas muito novas a l.ooo rs. o gigo, e 6o
rs. a libra.
Banha de porco refinada a 48o rs. a libra, e
em barril a 140 rs.
Vinho em pipa de Lisboa, e Figueira, de3,ooo
a 4,000 rs. a caada, e 5oo rs. a garrafa.
dem de Lisboa em ancoretas de 8 a 9 cana-
das por 27.ooo rs.
dem do Porto muito especial a 5,50* rs. a
caada e 72o rs. a garrafa.
dem era garraoes com 4 "2 garrafas por
2,5oo rs. com o garrafo.
Vinagre de Lisboa muito superior a 2,ooo
rs. a caada.
dem mais baixo a l,5oors. a caada, e 2oo
rs. a garrafa.
dem em garrames com 4 ['* garrafas por
l,2oo rs. com o garrafo.
Manteiga ingleza a 600, 7oo, 800 e 9oors. a
libra de primeira qualidade.
dem franceza a 56o rs a libra em barril, e
a 600 rs. a retalho.
Ameixas francezas em caixinhas com ricas
estampas no exterior de l,2oo a 2,ooo rs.
cada urna.
dem em frasco de vidro de diversos tama-
nhos a l,5oo e 2,5oo re.
Idem em latas de 1 1/2 e 3 libra a l,3oo e
2,3oo rs. cada urna, e a 800 rs. a libra.
Figos de comadre em bazinhos de folha pro-
prios para mimos a l,6oo rs. cada um.
dem em caixinhas de fblha a 32o rs.
dem em caixas grandes a 2oo rs. a libra.
dem em latas emticamente lacradas de
I.600 a 3,000 rs.
Arroz da India e Maranho a 80, loo e 12o
rs. a libra.
Amendoas de casca mole muito novas a 4oo
rs. a libra.
AzeMonas superiores a l,2oo rs. o barril.
Alpista a 14o rs. a libra e 4,6oo a arroba.
Letria a 4oo rs. a libra.
Biscoitos e bolacbinbas inglezas as ultimas
chegadas ao nesso mercado a 1,2oo e 1, loo
6. cada lata.
Bolaxinba de soda e lunch em latas grandes
a 2,ooo rs. cada lata.
Cognac de superior qualidade 800 rs. a gar-
rafa.
dem muito superior a l,ooo rs. a garrafa.
Caf a 28o e 32o rs. a libra, e a 8,000 e
9,ooo rs. a arroba.
Cerveja das melhores marcas do nosso mer-
cado de 5,000 a 6,000 rs. a duaia, e Seo
rs. a garrafa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e 8,600
rs. a duzia. .
Doce era calda a 5oo rs. a lata.
dem de goiaba em caixas e diversos tama-
nhos o de diversas qualidades de 64o a
l.ooo rs. cada urna.
Ervilhas francezas muito novas de 48o a 64o
rs.
dem portuguezas a 72o rs. a lata.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Vassouras do porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Velas de espermacete da melhor qualidade
a 600 rs. o maco.
dem de carnauba e composico a 32o e 36o
rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Tijolo para limpar facas a 14o rs. cada um.
Toucinho de Lisboa e Santos a 32o rs. a libra.
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
Peixe em latas grandes, savel, pescada, cor-
vina, c outras qualidades a l,eoors. cada
lata.
Papel greve pautado e liso de 3,ooo a 4.000
rs. a resma.
Passas muito novas a 8,5oo a caixa e 48o rs.
a libra.
Palitos lixados para dentes a 14o rs. o maco,
dem de flor a 2oo rs. o maco.
Prezunto para fiambre inglezes e americanos
a85ors. a libra,
dem do Porto a 48o rs. a libra.
Queijos prato de 48o a 600 rs. a libra,
dem londrinos os melhores que se encontram
nesle mercado a 800 rs. a libra.
dem flamengos vindos no ultimo vapor de
2,ooo a 2,4oo rs.
Sardinhas de Nantes muilo novas a 32o rs.
a lata.
Sag muilo novo a 2oo rs. a libra.
dem muito superior a 28o rs. a libia.
Sabao maca de diversas qualidades a 2oo e
21o rs. a libra.
dem inferior de 12o a I80 rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras a 6,5oo
rs.
dem hamburgueza em ditas a3,8oo rs.
dem de Hollanda em garrames grandes a
5,5oo cada um.
dem era botija a 4oo rs. rs. cada urna.
Garrames vasios de diversos tamanhos a5oo,
64e e l,2oors.
Gomma do Aracaty a loo rs. a libra.
Graixaa loo rs. a lata, e l,2oo rs. a duzia.
Licores finos francezes em garrafas e fras-
cos de diversos tamanhos de 600 a 800 rs.
cada um.
Marmelada imperial de Udos os conservei-
ros de Lisboa a 64o e 700 rs. a libra.
Massa de tomate muito nova a 64o rs. a
libra.
Marrasquino de Zara a 64o rs. o frasco.
dem em frascos grandes a 800 rs.
Cominhos muito novos a 5oo rs. a libra.
Erva-doce a 24o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cravo da India a 6S0 rs. a libra.
Cannella a i,loo rs. a libra.
Alfazema a 2oo rs. a libra.
de vidro a 600 rs.
Azeile doce de Lisboa a 30000 o galo, e a 600 rs a garrafa.
dem de carrapato, a 280 rs. a garrafa, e a 26000 a caada.
Genebra verdadeira de Hollanda, marca gallo a 100 rs. a botija.
Milho alpista o mais limpo que ha a 160 rs. a libra a 44800 rs., a arroba.
Vinho verdadero Figueira e Lisboa, a 500 e 400 rs. a garrafa e a caada a 30300 e 36000.
dem do Porto, a 4500 a caada.
E alm dos gneros annunciados ha outros muitos baratissimos, assim romo
queijos novos, chouricas, servejas das melhores marcas, aletria, ameixas sevada, a i-
nho, erva-doce, pimenta, sabao, canella, phosphoros do gaz, que tudo se vende per
menos de 5 10 por cento, a dinheiro contado.
Sal refinado em frascos
o frasco.
ATTENCAO
a
O proprietario dos armazens do Progressista jamis deixar deoffereeer aos seus
freguezes tudo o que for preciso para que sejam bem servidos, e como a festa se aproxi-
ma ptima a occasio dos seus freguezes experimentaren! a realidade, que nunca dei-
axr de ser mantida -peto proprietario destes armazens.
NOVA LIQUIDADO
de fazendas Dglezas, francezas, alJemSas e saissas,
que se pretenden) liquidar antes da festa do na-
tal, por precos baratissimos, afim de apurar di-
nheiro, sendo a maior parte destas fazendas in-
teiramente novas, chegadas pelos ltimos vapo-
res ; de todas se dao amostras, deixando penhor :
11a luja e armazem do pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
is lazinhas do pava,
yeodem-se as modernsimas lazinhas com 9
palmos de largura, sendo lisas e de quadrinhos,
proprias para vestidos, capas soutan baques pelo
barato preco de i200 o covado, ditas com 4 pal-
mos, lisas e de quadrinhos a 500 rs., ditas garibal-
dinas a 400 rs., ditas enfeitadas de quadrinhos a
360 rs., bareges matisados muito finos a 500 rs.,
lazinhas transparentes com palmas de seda a 500
rs., ditas matisadas a '20 rs. o covado : s na loja
do pavao. ra da Imperatriz n. 60.
(irnsH en a pies a 1 :'>( 10. na loja do pavo.
Fazenda a 1*500, 1*600, 1*800 e 2*000 : s na
oja do pavo, ra da Imperatriz n. 60.
O pavo vende os cortinados.
Yeudem-se ricos cortinados adamascados pro-
prios para janellas, e camas para noivos, pelo ba-
rato preco de 9*000 o par : na ra da Imperatriz
n. 60, loja do pavo.
fustn do pavo.
Vende-se fusto branco para vestido e roupa de
meninas a 500 rs. o covado, dito de palminhas a
le rs., tarlatanade palminhas a320rs., fil bran-
eo liso, e larlatana branca e de cores a 800 rs. a
vara : na ra da Imperatriz n. 60, loja de Gama &
Silva.
A carnauba do pavo.
Vendc-sc cera de carnauba em saceos, por preco
muito em conla, ou mais barato do que em outra
qualquer parte : a tratar na ra da Imperatriz n.
60, loja de Gama & Silva.
A 10$000, s o pavo.
A' So 11 la 111 lian|ue.
Vestidos a 10000, s na loja
do pavo.
Vendem-se os mais modernos vestidos de lazi-
nhas transparentes com lindas barras bordadas
Soutan-enharquo, trazendo cada um o enfeite pre-
ciso para o corpo, sendo fazenda rhegada pelo ul-
timo vapor francez, muito propria para o tempo do
festa, o vendem-se pelo baratissirao preco de 10*,
na loja do pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
A Silva
qnc, que chegaram para a loja
do pavo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais
ricos vestidos soutambarque, sendo com as saia
ja felfas c ricamente enfeitadas e guarnecidas,
temi a precisa fazenda para fazer o corpo; com
seus competentes soutambarques primorosamente
enleitados, viudo tudo em um s cartlo, assim co-
mo as mais modernas camisinhas com manguitos e
pannos a balao ricamente enfeitados, e vendem-se
Jrpor preeo favoravel : na loja e armazem do pavao
na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os modernissimos vestidos do
pavo.
Acaba de rhegar um variado sortimento dos
mais modernos cortes de lazinhas, proprias para
vestidos, tendo as barras primorosamente matiza-
das, trazendo hada um corte seu figurina para
amostra e vende-se na loja do pavao, ra da Im-
peratriz n.60, de Gama A Silva.
PERCALAS DE LAA
a 300 rs., so o pavo
Vende-se esta nova fazenda de lia denominada
precala, tem 4 palmos de largura, com os mais mo-
dernos padres, de quadros e listras, com lindas
cores, proprios para vestidos, e sendo urna das fa-
zendas mais modernas que ha para a festa, e ven-
de-se pelo barato prego de 360 rs o covado : na
loja do pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 1S1
Silva.
As bretanhas do pavo.
Vende-se bretanha de algndao em pecinhas de
rolo, cada peca com 10 varas, pelo diminuto preco
de 3*200 cada peca, assim como lencos braucos
muito superiores a 2* a duzia : na luja do pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
O pavo vende pira loto.
Vende-se fimssimo setim da China, fazenda sem
lustro, proprio para vestidos de senhora, para ca-
pas e rpupa para homem, tendo esta fazenda seis
palmos de largura e sendo muilo leve, vende-se
pero baratissimo preco de 2*20 o covado, garan-
tlodo-so qae nSo se torna roca, e tende-se nica-
mente na ra da Imperatriz n. 60, loja do pavo.
O pavo vende cortes de ealea.
Vendem-se cortes de calcas de casemira de co-
res a 1*400, ditas de cachemira da Esrossia a
2*240, ditos de ganga a 1*600, ditos de brim e
urna s cor a 2*240, ditas de castor a 1*280, ditos
de casemira preta a 4*000 e 5*000, ditos e case-
Na ra do Vigario armazem n. 7. ha para ven-
der os seguintes artigos :
Panno de algodo da Baha.
Vinagre do Porto.
Vinho especial do Collares, em ancoretas.
Dito dito do Porto em caixas de 1 e 2 duzias. o
melhor que ha no mercado.
Dito particular do Cartaxo, em ancoretas.
Pregus caibraes.
Pomada de sebo.
Linlia de roriz.
Diversas qualidades de vidros proprios para bo-
tica.
Sabao nacional do ltio de Janeiro.
Velas stearinas.
Farinha de mandioca de S. Matheus.________
Barricas com bren : na ra da Cadeia do He. i-
fe, loja de ferragens de Bastos.
O GALLO CANTA
J sabido que, quando chega o vapor da En-
ropa, o gallo canta annunciando aos seus iiuiik'li-
sos freguezes as galanteras de maisgosto e da ul-
tima moda que por elle recebe, como sejam :
Camsinhns para senhoras.
Riquissimas camisinhas com manguitos c- gia-
vatinhas para senhoras : s no Vigilante, n
Crespo n. 7.
Cirigolinlias.
Riquissimas cirigolinhas ou gravaiinlias.
cousa de muitogosto, e a primeira vez qae a; 1 .v
rece para as senhoras de bom goslo : s no \ fi-
lante ra do Crespo n. 7.
Pentes de concha.
Ha para chegar riquissimas guarnicoes de 11 in-
tes de lindo gosto, tanto para atar, como para n .1 -
rafas, por precos razoaveis : s no Vigilante, uta
do Crespo n. 7.
Tranca prcla e laa.
Vende-se tranca preta de la, lisa, panenfeites
de vestidos, zuavos e roupas de meninos a 130 t
160 rs. a pega : s quem tem o beija-flor na ra
de Quciinado n. 63.
MlW
Na ra Imperial, defronte do chafariz. ven se as seguintes mercadorias, pelos ImnHortw -
precos :
Duzia de marroquim 18*, urna peile 1*600.
Duzia de bezerro 40*, urna pelle 3*500.
Duzia de meias cruas para homem 1*800, par
160 rs.
Duzia de meias brancas para senhora 2*<>00, par
240 rs.
Duzia de baralhos de carias portuguezas Bnafl
baralho 200 rs.
Duzia de baralhos de cartas francezas 3*200, bara-
lho 280 rs.
Duzia de pentes em masso para atar cabello 1"
um masso 2ll0 rs.
Duzia de ditos em caixinha 4*500, urna raixinlia
500 rs.
Borracha para borzeguins, jarda 1*800.
Filas de laa para borzeguins, peca 180 rs.
Ditas de seda 11. 1 1|2, peca 240 rs.
Fivelas para sapalos, groza 400 rs.
Pitas lavradas n. 4, peca 1*.
Ditas largas n., peca 1*600.
Ditas ditas n. 7, peca 1*800.
Ditas ditas n !>, peca 2*.
Ditas ditas n. 12, peca 2*500.
Duzia do sapatos de tranca escossez 18*000, pai
1*600.
&mm
^> Ra do Crespo n. 5.
Na loja de Marcelino & C, vende-se
barego de laa do cores muito finos a :io
rs. o~covada, ditos lisos com 8 palm
largura, ricos soutembarqnes de eam-
braia bordado e outras militas fazenla-
do gosto proprias para o tempo de frsia
chegadas neste ultime vapor, precos mui-
to em conta.

CAVALLO
Vende-se um cavallo cor russa, muito
novo, gordo e grande, com todos os anda-
res : tratar na cocheira de Jos Furnias-: ,1
ra do Imperador.
ESCRAVOS FGIDOS.
Escrava fgida.
Fugio no dia 6 do corrente da casa do seu so-
nhor, o bacharel Trajano Viriato de Medeiro?, a
escrava Crela, mulata,-de ti annos de Made, na-
tural do Sobral, estatura e corpo regulares, labios
bstanles grossos, cabe'loB corridos o muito eor-
mlra fina de c6r a 5*800: s na lda do pavo,. tdos Roga.sp as autoridades pohViaes e capile*
na da Imperatm n. 60, do Gama & Silva. ; de Campo aBfaptora fle|iai e entrega-la Domneos
Sebolas em resteas a 600 rs. o cont, muito do Passo* Miranda, na rt do Hwptcio n. 51, d
novas, viudas na Sympathia : na ra do Vigvia I qual gratificar generosamente, pratoelando-st
D. 8. I igualmente contra quem a liver aceitado.


8
Diarlo de Peroambnco Qiirta felra 10 de lczembro de 1963.
LITTERATORA.
OQUEVIE PELO MUNDO.
Eis o discurso pronunciado por S. M. o re dos
Delgas, na abertura das cmaras :
Os projectos que acabo de enunciar, e aquel-
es de que j anteriormente me haveis orcupado
serao sufBcientes para tornar fructuosos os vossos
Irahalhos, que concederis ao meu governo o con-
curso leal e efllcaz quelhe necessario paraalcan-
garo nosso flm com mu m..
- S. M.
o rei Guillicrme da Prussia pronun-
. Sonhores.Depois dos testemunhos de affei- c\oa o seguinle discurso na abertura das cama-
cao e dedicado de que tenlio sido ulijccto e que ras
me sensihilisaram profundamente, julgo-me fe-
liz de me encontrar entre os representantes da na-
rx
Contino a receber as demonstragocs de con-
anga e de sympathia da parte dos governos es-
trangeiros.
i Desdo a ultima sessao legislativa, o paiz viu
consumado un acontecimento que era objeegao das
suas legitimas c seculares aspiracOes, o Escalda
est irrevogavelmente livre. Realisado de com-
mum accordo rom os Paizes Raixos, a suppresso
do direito que pesava sobre a navegacao fortifica
as nossas boas relagoes com um povo visinho e
amigo: a completa liberdade do nosso bello rio,
sanecionada por todas as potencias, faz de fu-
turo parte do direito publico dos estados marti-
mos.
A diminucao das laxas recebidas nos nossos
portos turna mais efllcaz anda a franqua do Escal-
da, e urna serie de ajustes internacionaes estipula
novas garantas c facilidades, com o flm de aug-
mentar as nossas relacoes com a maior parte dos
mercados do mundo.
* O nosso commercio c a nossa industria nao
deixaro esteris as vantagens que presentemente
.he esli asseguradas.
Graeas aos esforgos intelligentes, daquelles
que su dedicam, a agricultura nao deixa de fazer
progressos.
Os productos da trra, que servem para a ali-
meularo publica, sao abundantes. Este resultado
favoravul veiu miuorar as provacoes que acontec-
menlos mfelizcs impozeram a urna parte dos nos-
sos Irabalhadores, que as soffreram corajosamente.
Podemos esperar que os ltimos vestigios dessa si-
tuagao bem depressa se desvanecero pelo desen-
volvimento da nossa industria, cuja fecunda artivi-
dade estimamos mostrar e que toma o maior
descnvolvimeuto sob a influencia benfica da livre
concurrencia.
Ser submettJo as vossas deliberagoes um pro-
jectode lei que tem por fim decretar com applica-
go geral, a parte que re-ulta das nossas recentes
convenee.. internacionaes, e ampliar ainda mais
as reformas da nossa legislage aduanara.
Os transportes rpidos c econmicos todos os
dias tecm influencia mais nolavel sobre a prosperi-
dade dos povos.
As juestes que se Iho prendem cliamaram
constantemente a solicilude do meu governo. As
ultimas leis de concessoes de caminhos de ferro
contiuuam a executar-se. Entre as linbas que fo-
rana decretadas, umitas sero entregues explora-
rlo n'um futuro prximo, e diversos contratos, que
tecm por objecto dar maior extensao s nossas vas
terreas, sero apreseutados legislatura.
t Na* laxas dos caminbos de ferro do estado fi-
zeram-se modilicages, favoravelmente acolladas.
O meu governo oceupa-se de ali introduzr anda
algumas icduceoes, procurando conciliar as exi-
gencias liuanceiras com os interesses do commer-
cio e da industria.
A siluayu do lliesouro satisfaloria, apesar do
considcnvel augmento de despezas occasionado
pela necessidade de collocar os vencmentos dos
empregadus do estado, da magistratura e do clero
om relago com o preco das cousas necessarias
vida. ,
Para deixar cada vez mais a sua livre expan-
sio liberdade individual, importa regular as nos-
sas leis em harmona com os progressos que a ex-
periencia tem consagrado, l'm projecto de revisao
do cdigo do commercii, elaborado neste espirito,
ha de ser-vos submettido, e em quanto nao pode
ser sanecionado vos serao apresentadas propostasj
que prescrevam novas regras para a constiluig
das sociedades anonymas.
i A liberdade do emprestimo a juro, implcita-
mente adnitido na revisao do cdigo, pela sup-
presso das ponas contra a usura, ser defimitiva-
mente consagrado n'um projecto de que vos oceu-
pareis.
A nossa eonstituigao, assim como as nossas
leis orgnicas, de accordo rom as nossas (radicos
asseguram s nossas communas urna grande liber-
dade de arcao.
Todava, diversas medidas tecm j sido toma-
das para simplificar e accelerar a marcha dos ne-
gocios administrativos ; novas d i sposcoes vos se-
rio dispostas, que ampliando o poder das deptita-
goes permanentes dos conselhos provinciaes, tor-
naro mais fcil e mais rpido o exercicio das at-
tribuigoes das communas.
Logo que as cmaras tenbam assentado os
principios que devem regular a orpansacao judi-
cial, particularmente no que diz respeito a forma-
do do tribunal de appellago o meu governo ron-
t'uir a obra que emprchendeu da revisao do c-
digo de nstrucco criminal.
Tambem vos ser apresentado um projecto de
cdigo rural.
Nao so na ordem material que mostramos a
situaco feliz do paiz.
O espirito nacional anima todas as classos da
sociedade, c revela-se nos sentimentos de patriotis-
mo que reina no seio da guarda cvica e do exer-
rito.
Illustres, nobres e cares senhores das duas
cmaras da dieta.A ultima sessao da dieta da
monarchia fui encerrada anles de se chegara urna
deliberago sobre o orgamento, e a cmara dos
deputados foi dissolvida um pouco dopois, por-
que, segundo as declaracSes que me tinham sido
dirigidas, nao se podia esperar que ulteriores dis-
cussoes produzissem um resultado satisfactorio.
t Tcnbo vivo desejo de que terminem as dissi-
doncias que se suscitam entre o meu governo e
una parte da representago do paiz. O meu de-
ver real ordena-me que mantenha com firmeza e
defenda o poder c os diretos da minha cora, nao
menos do que as attribuicoes constitucionaes da
representaco nacional.
t Apresentaram-se ideas divergentes sobre a
extensao e limites do direito, nao contestado era
si, que a representagao nacional tinha de tomar
parte na fixago legal do orgamento. Para chegar
a concilia-Ios, ha de ser-vos presente um projecto
de lei, destinado a regular os direitos do governo
no caso do oreamento seno fixar legislativamente,
e a prevenir o receio de que o meu governo tem
tencoes de pretender, n'esse caso, o direito de
dispor de urna raanera absoluta dos fundos do es-
tado, sem altender ao direito da representagao
nacional. Mas e nao tenho nicamente o dever
de cuidar pela prosperidade interna do estado,
mas tambem pela seguranga externa; e tanto a
respeito de urna como de oo'ra, eu devo poder
contar com a vossa cooperagao.
A nova formagao do exercito proveio da ne.
cessidade indispcnsavel de conserva-lo na altura
do augmento das forgas defensivas dos estados I ^ZTZS^T. S m TTZ" T
visnhos e de attender aos interesses econmico; 'eHe Pdef "gUrMt* da Allemanha-
do nosso novo por meio de urna repartigo mais
egual do servigo militar legal.
O exercito sempre, segundo a sua organi"
saeo, como eu j disse neste lugar no snno de
1860, o povo prussiano armado, e com mais algu-
ma verdade do que at agora; porque, emquanto
a organisagao reforgada da linha permitte allegar
o servigo das rlasses mais antigs dos landwehr>
forga total dos landwehr sempre a mesma.
Esta formagao tornou-se nos ltimos onnos,
gragas aos crditos concedidos pela dieta as ses-
soes de 1860 e 1861, urna nstluigao poltica de-
finitiva : cuja existencia nao se pderia j ques.
tionar sem que os interesses mais preciosos do paiz
fossem postos em perigo.
t A apreciagao deste perigo impde-me o dever
de nao conceder a minha sanegu exigida pela
eonstituigao, senao a um orgamento que assegu-
re a conservago da organisagao militar existen-
te. Para afinal chegar soluco legal desta ques-
to, ha de vos ser apresentado um projecto de.
lei restalicleeendo de novo a obrigagao do servigo
militar.
Para reagir contra a agitago que a imprensa
periadica excitava de orna maneira perigosa no
paiz, era necessario promulgar urna ordenanca
provisoria, nos termo t do an. 63 da eonstituigao,
contra es excessos d'aquella naturesa. Esta or-
denanga ser apresentada ao vosso voto cons-
titucional, com um projecto de lei tendente a mo-
dificar muitas disposicoes da lei sobre imprensa e
cdigo penal.
Os movimentos insurgentes que teem por fim
o reslabelecimento doantigo reino da Polonia a-
meagavam a seguranga das nossas fronteiras. Po-
demos felicitar-nos de que as medidas militares
que ordenci c a conducta enrgica das minhas
autoridades pouparam Prussia prejusos mu
graves.
t A confederagao germnica resol vea fazer va-
ler, por meio de execugo, os pedidos federaes a
que o governo de sua nagestade el-re de Dina-
marca nao satisfez at agora, relativamente aos
ducados do Holstein e de Lanemburgo,e a que nao
satisfar sem ter principio a execugo. Para o
caso da se oppor ama resistencia superior s tro-
pas federaes, previu se a cooperagao das forgas
prussianas e austracas. Se esto caso se apre-
sentar, e exigir o emprego de meios extraordina-
rios, o meu governo submetter dieta as pro-
postas necessarias.
t O mea governo far communicacao dieta
sobre a marcha que at agora tem tido as nego-
ciacoes relativas a reforma federal proposta pelo
governo austraco. Jamis desconheci os erros da
eonstituigao federal existente, mas nao podia acre-
ditar qnc este momento fosse opportuno para a
mudar, nem que se tenha seguido um bom cami-
nho para chegara esse lira.
t Lamenlarei profundamente ver realisar o re-
ceio que manifest aos meus confederados, que o
eafraquecmento da confianga de que carecen) as
instituigoes para preencher o seu fim, e a depre-
eiago das vantagens que resultam na situagao ac-
tual da Europa para os inembros da confederagao,
sejam os nicos effetos das tentativas de refor-
mas federaes emprehendidas sem garanta de
xito.
t Ora, esta garanta nao poderia obter-se seno
por meios de reformas que, decindo com justiga a
influencia na proporgo da forga e das prestagocsj
assegurassem ao estado prussiano a posigo que Ihe
pertence na Allemanha. Considero cora um dever
sagrado garantir esse bom direito da Prussia, e com
t Depois, realisou-se a esperanga de que a or-
ganisagao do exercito nao ha de encontrar obsta-
culo nos recursos finanecirns do estado. Como
se sabe, as receitas foram tao abundantes no anno
passado, quanto bastava, nao s para cubrir as
despez.is do estado, mas deixaram ainda um con-
sideravel excedente, a respeito da ompresa da
qual vos serao apresentadas propostas. As recei-
tas deste anno do as mesmas esperangas. Tanto
quanto se pode julgar, ho de fornecer meios suf-
ficientes para cobrir todas as despesas publicas
deste anno, sem que se sejaobrigado a estancar o
lliesouro do estado.
O meu governo vos apresentara 'sem demora
o orgamenlo do anno corrente, com ara supple-
mento.
No oreamento de 186i, que ser tambem
sujeito ao vosso exame, o dficit apporente ainda
nao est coberto. verdade ; todava Al-rece suf-
t Senhores, estamos n'uma poca agitada, talvez
na vespera de um futuro mais agitado ainda. Di-
rigi-vos com tanta mais instancia o convite para
vos oceupardes da solugao das nossas questoes in-
ternas, com a sera vontade de chegar a um ac-
cordo.
t Mas este fim nao poder alcangar-se seno
quando o poder do governo real, indispenjavel
monarchia prussiana, se tver conservado na sua
integridade, e se, no exercicio das vossas attribui-
gues constituicionaes, me apoiardes no comprimen-
to dos meus deveres reaes.
i Devcmos obrar juntos pela honra e prosperi-
dade da patria. Os meus esforgos dedicam-se inva-
riavel e exclusivamente a esta tarefa, e cheio de
confianga inabalavel na fidelidade do meo povo,
espero poder cumpri-la de maneira que possa res-
ponder perante Deus. >
paizes confederados possam ser considerados pou-
co garantidos.
Por outro lado, tambem certo que o que a
confederagao procura obter nao poderia de modo
algum alcangar-se, t nos ducados de Holstein e de
Lanemburgo por meio de urna execugao.
Por consequencia, o governo real, tem direito
de esperar que a alta dieta germnica submetter
este negocio a um novo exame, antes de recorrer a
urna medida extrema e fatal, que, sem assegurar
confederagao o cumpriraento de um nico pedido
legitimo, cumprimento que nao pode conseguir-se
por outro modo, e melhor do que por um accordo
reflectdo, nao teria outre effeito mais do que lezar
interesses importantes e recprocos, e enfraquecer
a esperanga de um accordo duradouro. >
O Monitcnr publica a seguinte proclamagao
do general Forey, nagao mexicana :
Mexicanos.
a ultima vez que vos dirijo a palavra, e
para dizer os meus adeus.
t O imperador, considerando terminada a mis-
so que me tinha confiado no Mxico, chama-me
a Franga.
Nao vos cause esta resolugao do meu sobera-
no o menor receio sobre o resultado final da em-
presa, na qual vou deixar de tomar parte; nao im-
porta mudanga na poltica do imperador. O exer-
cito fica, e frente delle um general, em que po-
dis ter toda a confianga.
t Antes de dlxar o commando do corpo expe-
dicionario, desejaria que todos os meus desejos fi-
cassem satisfeitos. vendo os partidos oppostos reu-
nidos em um nico, o partido de toda a nagao.
Chegar a constituir aquelle partido era o mea em-
pento, e se ainda nao est realisado, jiorquc as
inlcngoes do imperador sao desconhecidas e prfi-
damente desfiguradas por aquelles que, com a mas-
cara do patriotismo, engaara, os crdulos, e se ser-
vem de vis instrumentos para sesegurarem no po-
der que Ihei escapa.
c Mas, quanto ao Mxico, nutro a esperanga de
que a verdade nao se demorar a desvendar os
olhos dos menos esclarecidos, e que os falsos pa-
triotas, que cobmm de ruinas este infeliz paiz,
tomando a licenga, a desorden) c a anarchia pela
liberdade, ficaro dentro em pouco entregues a si
meswe-.
Da Europa, de Francfort, traduzimos a res.
posta dada pelo governo de Copenhague ultima: tn&o os verdadeiros patriotas, os boos Mex-
tutmago da dieta germnica : canos, contando aqucHes que os levaran at a bor-
Em consequencia da intimago feta ao gover- da do> precipicio, ho do admirarse do seu- peque-
no real, por meio da resolugao federal do deste nunero.
mez, o enviado dinamarqus fot encarregado de Se perfeitaraente que a sua audacia soppre a
formular a seguinte declaragao:
t A execucao resol vida, em data do i de outu-
sua fraqneza; que, ne- seu orgulho, tratare- com
desden e com desprezo- mesmo, o governo actual,
bro, pela alta dieta germnica, deve produzir, nos e que se rangioriara de derrubar o que a nagao
ducados de Holstein e de Laueaburgo, o eumpri- fondn, polo orgo do seu memores cidadSos.
cnto d resolte eeraes de tt de Janeiro, e Mas Deus>. que dirige a espada da Franga aos- seus
114 de agusio de 1858* de 8 de margo de^!8(, 7 de (designios, nao o ha de permiuir, e confundir, os
seus projectos fratrecida.
fevereiro de 180-1 e 9 de julho de 1863. Eainda
,que a resolugao federal accrescenta.: t comquanto
este cumprmonlo-nao tenha anda tido lugar,
facto que as ditas wsolugoes j teem sida executa-
das nos pontos essenciaes pelo governo real.
t Adeus- Mexicanos! Parto cheio de confianga
ne futuro do vosso bello paiz, por cuja fortuna nao
deixarei de fazer votos, fsliz e altivo de ter posto a
mo nesta grande obra da sua regenerago que a
Providencia com a do imperador NapoleO) oon-
duzir a bom (ira.
EITeclivamento,.em quanto a alta asserabla
julgou dever pedir que a posigo-constitucional dos
esladosconfederados fosse modificada, e protega! Cm-vos pois, com o mesmo sentiment, oda
estes ltimos contra as pretendidas usurpagoe vin-! concordia, fio pedido, qae, do navio que do na-
das de monarchia que nao pertenciam confdb-' vio raco ; o em quaato se tratava, em geral, de oo-! vos- >*ns> ura nl,imo m*t sobre esta terra do
torgar aos ducados allemaes as eondigoes farora-' ^xko, regada pelo sangoe dos nossos melhores
veis ao descnvolvmentj livre e autonmico, S-. M. soldados. Que elle a possa fertilisar e fazer alinal
liciente prova de que as receitas do estado pode-; el-re, desejando manler relagoes amgaveis rom a Aorescer a paz, a ordem e a verdadeira liberdade,
rao ser calculadas mais alto, sem que se tenham Allemanha, e satisfazer aos votos dos seus suMitos, [ Para a 1ual correis ha o-tempo sem tenalcan-
abandonado as bases ordinarias do calculo, e for-' pode e quiz dar seguimento aos-descjbs manifesta-! au0 ll0r ora mais u0 Qu9 a sombra,
necer i os meios para satisfazer numerosas neces- j dos pela confederagao. As deligencias feitas per Mxico, 30 de setembro de 1863. O marcchal
sidades |novas, em todos os ramos- da adminis- S- M- atiestan) sufflcientemento o empenho que de Franga Forey.
tragito. I te"1 na0 s de conceder aos ducados de Holstein e
de Lanemburgo urna completa liberdade eonstilu-:
Na ordem do da qne dirigiu s tropas para
A repartido da nova; contribtiipo- sobre bens | onal, relativamente a-^s negoeios proprios- do sea | ^^ **"**' ""^ eXprm3-se deS,e
de raz,est muito adiantada, e pde-se con(ar I paiz> mas tambem de conferir aos estados holste-
que esteja concluida no comego rfe 1865. O ex-! tmMf nos negecios commui>S) e no que ditr ^p^.
mm Ha(J n^piias niip rpxnttir norraitiir ilrtsr n a ^ ... a u iperauor uniia-iae couocauo a mu ironie
tesMj uas receiias que resonar permitiira saiuar o to ao ducado os mesmos d re tos pp-sj vns fl- i_ iu j j a
remenlo de 186^> sPm dficit l *;raesmos arenos legislativos e u para ^u,, 0 orgullio dos pretendidos venced-
Soldados
a O imperador tinha me collocado vossa fronte
as desj*zas de anno de- constitucionaes das partes nao allemaas do paiz, e
base emita geral desie
- Por toda a parte ha urna nohre cmolagao em
contribuir para o desenvolvimento intellectual c
moral de paiz.
A escola belga brlhou em prmeiro lugar na
0rcamento de 1865 sem Mcil. nanceiros exereidos pelo Rigsraad em nfaio aes I ^^^'qu^ u^unmPmkuT^
As contas geraes dos orcamentos de 1859^ ootros pontos da monarchia que nao pertencem ra entregar o Mxico a si mesmo, expulsando da
1860 e 1861, bao de ser-vos subraettidas, afim de-
que approveis o excesso da despesa ; ha de sar
vos apresentado tamljem um projecto de lei fi
xando s receitas e
1862, para servir do
anno.
> A situagao econmica do- paiz satisfactoria.
A eolheita abundante melhora a situagao das-olas-
ses laboriosas, e a cultura do solo testemunha um
progresso feliz, graeas actividade crescente dos
cultivadores. A actividade industrial augmentou.
c os trahalhos remuncradores nao fallaran. A
eirculago dos caminhos de ferro nao deivou de
se desenvolver. Emquanto se abran, recente-
mente as communicages frreas com a Nova Po-
merania, comegava a constroegao de outras 1-
nhas nao menos importante, e vos ser apresen-
tado um projecto de lei para a ciacao denovos
caminhos de ferro.
t O meu governo, maniendo a poltica com-
mercial que prosegue de accordo com a represen.
oonfederagao ; mas qnand os pedidos da alto as- caplaJ um gOVerno, ouja tvrannia e- cobiga eo-
nTn,l,'a,ee"\maiora't'aiM!f-re tenden> Pnn1cil1-' briram.de ha muito este bello paiz de ruinas e-de
mente para iniroduzr modificagSes nos- relagoes
en. i leado Puebla suecurabido aos- vossos golpes,
volvmento destas ultimas, osdeveres-deel-re para e,cndo Mex,co s,d* ''uertadodos- seus-oppeesso
com os seus-subditos dinamarquezes a sua posi- es, o imperador pensou que a missaoque me ti-
co de soberano, europeu independente, nao permit- aha. confiado, esuxa terminada, e chamarme
tem S. M, attender da mesma maneira s resolu- franga.
goes da serenissima confederagao, da qual nao con-' Quanae- vos perlences voltar a Franga,
sentiu que fizosseo parte, senao- os. seas ducado M acaso Qa KUL'rra vos coHoear de no.vo- debaixo
allemaes. i das minhas ordnns, ser com sarisfago ifue me hei
Qualquer pedido concebido nestes termos epor' *? ver ,esta ** raeus valefites sol^& do Me"
sua naturezaexclusivamentoMiternacional, e assim XIC0" *
como ama execugo emprehendda com este fim I Jo,ltiaI ^cial de Yarsovia Publica a se-
no seria de maneira algaraa justificada peto.direi- guin,e or(lonanca russa' acerca dos alos de lu,a:
to federal, tambem de toda a evidencia a impos" Io O luto e em geral todos os signaes revota-
sibifidade de chegar aceumprimento de um.pedido cienuios. nos falos qoe forraam urna manifestado
desta natoreza, por meto de urna execugo. nos di-
tente, e governe real est inteiramente dsposto a Os funecionarios cojas mulheres e criancas
entrar em negociag5es com a serenissima confede- forem P^sas por vestirem de loto, perderlo alem
rago, afim de se entender cora ella sobre as mo- 5^ "SXS^il^stS
ditlcagoes que se devem fazer naquelle acto, no Um mez da sua penso.
qual, por eonsequenci i, o governo real s reconhe- Varsovia, 27 de 1863.(Assignado) Itwchini,
ce um carcter provisorio. major general.
. O mais que a confederagao germnica poderia Jol" Sgff&W logotro 1ffKteq5o
oblerpara conseguir a execugio de Holstein c de por intermedio do ernbaixador inglez.
Lanemburgo, pode, pois, alcangar-se mais fcil e Eis a sua tra-lucgao :
mais completamente, por meio de um accordo re- Foreiger Office. 30 de outubro de 1863.
flectido. Porque, o governo real, (orno a renelir My,or--} hara- ,f,r.'lnowu communicou-mc
.... 6. c,uu,Cdl' ,urH0 a rep-iir Um despacho do principe dortschakolT, com data
t esta dsposto a anlecipar-se aos desejos da con fe- de 26 de agosto (7 de setembro) em resposla ao
deragao em todos os pontos, a respeito dos quaes a despacho que vos dirig (n. 178) a M do mpz pas-
aotonomia c a egualdade dos direitos pedidos pelos saJ(\fom a recommendaco de azer delle leitura
a o. fc.xc.
c O governo da rainha esl disposto a prolongar
a correspondencia a respeito da Polonia, nica-
mente com o fim de discutir.
f O governo de S. M. receben com satisfago a
seguranga de que o imperador da Russia contina
aeslar animado do inlencoes benvolas para com
a Polonia e conciliadoras a respeito de todas as po-
tencias estrangeiras.
O governo de S. M. reeonhece que as commu-
uicagoes da Russia com as potencias da Europa
estao conformes com o direito publico. Mas o im-
perador da Russia tem obrigages especiaes pelo
que diz respeito Polonia.
t O governo de S. M. demonstrou, no seu despa-
cho de 1 i de agosto e nos precedentes despachos,
3ue, relativamente a esta questo particular, os
ireilos da Polonia se conlm no mesmo instru-
mento que constitue o imperador da Russia, rei
da Polonia.
Sou, ele,
(P. S. V. Exr. convidado a deixar copia
deste despacho ao principe Gortschakoff. i
L-se no Czar :
t O discurso do imperador Napoleao foi repro-
duzido por extenso no Dziennik, mas com modi-
(icagoes caractersticas :
A passagem : l'ma nagao rebelde aos olhos
da Russia, mas aos nossos, etc. est alterada des-
te modo : l'ma nagao revolucionaria que aos
olhos da Russia...
c A passagem : < De ambos os lados se com-
mettem excessos que em nomc da humanidade se
devem egualmente deplorar, esl modificada as-
sim : i Dos dous lados comroelteram-se excessos
que se devem egualmente deplorar s em nome
da humanidade. >
A phrase : t Os tratados de 1813 deixaram de
existir, est modificada assim -, Os tratadus do
1815 deixaram de existir quasi geralmente ; de
maneira que, o que no discurso do imperador era
urna declaragao solemne, toma ali ares de urna
simples resposla histrica, Ilustrada eom a enu-
merago da Blgica, Grecia, etc.
t As palanas : A forga das coosas rompe os
(tratados), on (ende a rompe-los quasi por todaa
parte esto completamente omitlidos na versao
do Dziennik, e em lugar de dizer com o impera-
dor que a Russia calca esses tratados aos prs em
Varsovia, o orgao offlcial russo diz someBfe : E
a Russia wo os respeita em Varsovia.
Mas o que ha de mais curioso, que e-orgao
offlcial russo eviiou cuidadosamente na tradueco
pronunciar a palavra de cungresso, e des* mo-
do que elle aprsente as ideas do imperador dos
Prancezes : Que ha, pois, de mais legitimo- e de
mais sensato do que convidar as potencias a urna
arbitragem suprema ?r
Ora, a verdadeira passagem, e na qual snttli-
nbamos todas as palavras- omttdas pelo traductor
do jornal russo, est asnim- concebida : Quehai
pois, de mais legitimo, e de mais sensato do que-
convidar as potencias da Europa a um conwres&s
onde os amores proprios r as resistencias desap-
parecen* diante de urna abitragen suprema?
We o Tempo, que se publica em Trieste :
O es-dictador Marlaao Lanitiewitz, que se
acha actualmente preso em Jbsenhstadt, supplieou
de novo-, em 24 de outubro, acmrnrssro de estado,
que o poresse em liberdade, e que odeixasse par-
tir para a Suissa. Se este pedido o fr aco-
llado, sellicita ser o mais breve possivel entregue
as autoridades russas.
Em seguida publicamos o pedido que o general
Langiewitfc'dirifiu ao govorno-nusiriacn-:
O governo prrssiano, desembaragando-me, pe-
lo seu rescripto de 17 de setembroultimo, da mi-
nha qualidttde de subdito prussiano, concordou
que, apesar da sua convengao de 8 de fevereiro,
eu nao eslava- sujeito a pena alguma per tomar
parte na insurreiro, nem segundo a logislago
prussiana, nem segundo as leis internacionaes; e
cjue eu nao tenho a menor qualideaoao para ser
entregue Russia.
t baquell rescripto, as segulntes expressoes :
com o fim de partir para a Suisa provam que
com aquella partida se nao commettia o menor
ataque aos compromisos internar
verno prussiano' para com a Ritssra.'
co a sua cabega. Mas qnando o procura va m em
Shang-Hai, dirigio-se elle para Pekn, afim de ver
se consegua que justiga Ihe fosse feita. Depois de
longos esforgos, sempre sem resultado, Rurgevine,
profundamente ferido, voltou bruscamente para
Shang-Hai, e appellou em segredopara os aventu-
remos de (odas as nages,que naquella cldadc sao
em grande numero.
frenio de uns 300 bomens langou-se era
Sou-Tchoou, onde exisliam os seus amigos solda-
dos, s ordens do major Gordon, o onde foi receb-
do como um salvador pelos chufes dos Taepings.
3ue desde logo o aulorisaram a promclter a eleva
a paga de 600 francos por mez a qualquer eslran
geiro que viesse juntar-se a elle. Rurgenive esta.
pois, hojea frente dos rebeldes que combata c
tornou-se para os mjieriaes um adversario peri-
goso.
Esle inesperado acontecimento prolonga a du-
raco da hita, de que o Celeste Imperio 6 sangui-
nolento tlieatro, mas preciso nao se exagerar a
sua importancia.
Elfectivamente, a formidavel insurreico que
ha trese annos acommelte a maior parle das forgas
do governo, parece estar actualmente n'uma posi-
go muito critica.
t Diz-se que Tseu-Kouofan, general em chefe
do exercito imperial, e que, com justos ttulos,
passa por um dos personagens mais consideraves
do imperio, aproveilando as vantagens alcancadas
pelos almirantes Protet e Hope, tinha comegado no
vetio passado um movimento de concentragao que
linha por fim repellir os Taepings para as cdades
do litoral, protegidas por forcaj europeas, tirando-
Ibes deste modo todos os meios de retirada. Man-
gando de oeste para leste ao vale de Yahgtse-Kiaog. -.
tinha, effectiramente, conseguido no flm da ram
Sanha repelli-los prmeiro em Kianasi, d*po era
gan-Hol, e tmha-se apoderado da capital da pro-
vincia, Ngan-Kinn, onde havia ostabeieeido o sel)
quartel general.
A oceupago de urna posigo que o tomava se-
nhor do curso superior do rio, deva permitiir-llie
proseguir as operages com mais rapidez. Des-
de a primavera deste anno, dividindo o seu eserci
to em tres cornos, dexwa um delles em Ngan-Rinn.
daudo-lhe ordem para se dirigir a loda a parte en-
de os rebeldes conseguissem abrir urna passagem.
e para se apoderaren), com o auxilio do segundh
eorpo, de ludas as cidades fortes de Xgan-Koei.
emquanto que seu irmo, Tseng-Kouo-Kouan,
frente do terceiro corpo, desria os dous ros de
Yang-ise Kiang, c forra va o Taepings a encerra-
ivin-v em Nankm, sede do seu governo, e sua
principal praga d'armas.
Av mesmo tempo, Tso-Tsong Tuog, vice-rei do
Fo-Kienve do Tche-Kiapg, apodera\a-se das pra-
gas ucrimadas pelos rebeldes no ut daquella ulti-
ma provincia, e apoiando-se aoOesfc na* tropa-
de Tseng-Kow-Fan, e Este no corpo franco ehinez,
avangava sobre os muros de Kang-Tcneoo.
t Se se acrescenlar que o corno anglo-chinez
sobre Schasf-ai, e ameaga Son-Tcheon ; qne por
outro lado, a- esquadra chineza, seniora do rio.
protege a ponte septentrional de Kian-Sbn, eonlra
quabjuer tentativa de invaso, v-so que' a msnr-
rego dos Taepings esl actualmente cireumecrip-
ta a un) triangulo que eomprehende Nankin, K-
ang-Tchon, e Sen-Tcheou.
No momento em que estas tres cidades. cuje
abastecimento diflicil, eaiam em poder do-gover-
uo, poder considerar-se que os rebeldes recebe-
ram um golpe fatal.
Reccberam-se em Pekn noticias satisfactoria
se monsenhor Faarie. Para dissipar as apprc^
lienses que outr'ora inspiravam a situaco'dos
nwssionanos de Konei-Tcliou, basta dizer que os
mandatarios notoriamente boslis aos christos, e
comproinettidos na ultima pers'guigo, foram stic-
cessivamenle destituidos ou degradados.
O Momteur pubttcou ai segaunte ordem que o
general Forey dirigi ao exercito francez tno M-
xico; para se despedk das tropas expedicionarias
que commandoo :
<- Soldados :
f O Imperador collecon'me vossa frente par?.
omar o orgulho dos pretenddes vencedores de
!-: rea su liberdade, arrojando daeapital um cover-
i'i-ciij*- tvrannia e cubioatem- fenfado ha temiio
aquolle farinoso paiz na* ruina e nantiseria.
p TVndo Puebla suceumbido aos vossos golpes,
e estando o Mxico libertado dos seus oppressores.
julgou'O imperador que estova1 ultimada a misso
que me tinha confiado, a-ohamoo-nie Franca.
< O prazer que experimento con a idea de tor-
nar 3' ver dentro em breve a nossfrmosa patria.
(lepo-'t doler cumprido-um-grando-dever satis
fac.lo d nosso muito amado soberano, nao est
isempct do pesar.
t Como poderia eu, elfeotivamentc^esquecer que
ao vosso-valor nos combates, vossa-persevejanra
cfon'aes dogo- i nas f^dip* e as privagoes,. vossa wstgnaco nos
laJ Por fonse-' momentos diftlceis, vossaalinegacaa-em todas as
bastao-de marechal.
quencia, o gevorno austraco, dando o seu C3nsen- crrcumstanetas,
tmenlo minha prxima partida para a Suissa,! mais .k^aie aos meus mercetmentos.?
nao comn.et.era tambem o menor ataque aoe-seus Co^nsoldados comn-ros. que,otetecu los; ha
compromissos internacionaes. que poc^oc ser msuperavets ? Qnali r a victoria
O minlsU-e-dapolica declaro em 23 e ju-' auiuosaT jas^n,rllih,r i,
Iho ultimo cmara dos representantes que ogo-1 Mas- parto com o-pezar den^part.lhar
verno austraco nao poda dan passaportcs aos'05 tral!bos que vos aliam a rcalisan compraz-me
insurgentes, porisso que nao Sihha garacia de
tos ducados.
A ultima resolueio da alta dieta germnica
particularmente dirigida contra a patente de 30 de .
margo ultimo. A este respeito, ao pede o governo! dtt"das a Te^n^ do P1"c,a', ou > ;e,,das
real deixar de declarar que, publicando a dita pa- a, 1oe **> Pao a mu lia aba.xo .ndteada;
tente, tinha precisamente ialengo de satisfazer s I Z^S^ "S^^SJ^
criminosa, devem acabar -,
f > As mulheres, sem distinego de classe, pro-
fisso ou edade que desde 10 de novembro se apre-
sntarem em hbitos de luto, sero presas, e con-
exposigao universal de Londres. As nossas expo-' t?ao do paiz, entrn em negociaguos com o dse- -
sic5cs de bellas artes, onde porm nao estavam re- J sincero de consolidar de novo o lago que abra
presentados muito dos nossos principaes mestres,'aos interesses matenaes de maior parte da Al-
orrnpados em importantes trahalhos de pintara lemanita, sustentando e tratado concluido com a
monumental, mostrou que os novos talentos se Frauga, para depois regular, logo que o ducado
multiplican. I do Zollverein estiver seguro, as suas relagoes com
O paiz pode esperar que a nossa escola, conti- o imperio austraca
nuando a aperfeigoar-se, ha de ser cada vez mais' As associacocs que teem por flm melhorar a
digna no future das gloriosas tradigoes do pas- sitoago econmica dos operarios, carecen, para
saao_ chegarem ao desenvolvimento completo da sua
t O ensino publico corresponde a todos os res- aecao te til, ter os seos direitos regulados por
peitos aos votos dos povos. A instruegao popular uraa le. O mea governo oceupa-se da elabora-
qne excita nteresse constante da parte dos poderes gao de um projecto de lei que satisfaga a este
jiublicos, cada vez se desenvolve mais. Em mui- fim.
tas localidades, as escolas sao nsufflricntcs para o Os projectos de lei sobre os direitos de cer-
numero de crcancas que se apresentam. Este es- tos sociedades paraaeges, e da gente do mar, tucionaes nos mesmas negocios, o governo real nao ^ roage"rlsalugdas7flacrese mnibus em que essas honradez d Dtirgevine era atacada.
lado de coasas exige sacrificios permanentes da que nao paderam ser votados na ultima sessao,! se engaa, suppondo que, pelo menos, at disposl-! mulheres forem presas, serao conduzidas a Mirow. Vendo esle os seus soldados a ponto de
parte dascommunasdasprovinciasedo estado. No- assim
vos crditos vos sero pedido? para auxiliar a cons- mod
trueco das escolas e outras despezas necessarias 1ro des navios no mar, serao submetldos vossa' retirada daquelle acto. toda multa; os conductores e eocheiros "ftoarao tanci dos saldos atrasados, A sua denmsfto" foi
para o seu exercicio. deliberago. I Quanto s outras disposiges comidas na dita pa-' sojeilos a uma pena de polica. ( immediatamente pronaociada, sendo pota a pre-
exigencias da confederagao na medida cima indi-
cada.
Ora, a alta dieta germnica pediu que aquella pa-
tente real fosse retirada ; mas como justamente
por causa dessa ordenanga que o poder legislativo,
c as attnbuiges financeiras exigidas pelas resolu-
gocs federaes para os ducados allemaes, com a
amoaga de execugao, foram determinados e con
feridos com as conseqaencias necessarias de um
cia de morto de pae, me ou marido, com a condi-
go de que ho de obter licenga d aqu at 10 de
novembro do chefe de polica, a qual traro coin-
sigo.
As mulheres que andarem a p vestidas de
loto pagaro uma multa de 10 rublos. As que nao
podercm pagar soffrero a pena de prisao.
i As mulheres que andarem vestidas de luto,
' i em carroagem, quor seja propra ou alugada, se- aerra"mado no7'eTles "wu'sangue
' rao conduzidas a Mirow, onde a carroagem e os
cavallos permanecerao, emquanto nao pagarem
que estes deixassem de voltar para o campo de-ba-
lalha ; que por consequencia aquelles que procu-
f ram um refugio devem submettcp-se s eoitmcoes
desse refugio.
Esta dee'ar*eao ministerial nao pode, pois; j
comprchendetvme, visto que o governo pressiano
consente na minha partida para a.Suissa.
Alm disao, os subditos icglezes, franeezes,
italianos, suissos e prussianos tem minia > vc7.es
sido postos emJiberdade pela Anstra, sen>-a me-
nor garantiaide que nao vollarao um dia jamar-
se aos combatentes.
D'aqui resulta que o governo- austraco feata de
impedir essa sabida nicamente aos Polaco*- sub-
ditos da Russia.
O govarno prussiano consentindo na minha
partida para a Suissa, mostra assim que um>esta-
do neutro- e mesmo amigo no- obrgade a. exi-
gir de um. insurgente posto em liberdade., que
parte para a Suissa a garanta de que elle jamis
tomar parte no combate.
Se, pois, o governo austraco recusa, deixar-
me sabir para a Suissa, serei forrado, por este
procedimento a meu respecto; a pedir-lhe a minha
extradH'-go immediata para a Russia.
< Quando passei fronteira a 19 de margo ul-
timo, tinha por fim procurar um reltigto? Ser
um refugio a minha prtso n'uma fontateza ? Ha
seto mezes, que peco que me dexem, sahir para a
Suissa, e deste modo proco, que nao proeuro refu-
gio na Austria.
Espero que o governo austraco consentir na
minha partida para a Suissa, ou na minha extra-
dkrao para a Russia.
Josephstodt, 21 de outubro de 1863. Mr. Lan-
gieuitz.
O Moniteur publica as seguinles noticias de
Pekn :
f A luto entre o governo ehinez c os rebeldes,
acaba de apreseotar um novo incidente.
< Ha um anno, pouco maisou menos, um Ame-
ricano, o coronel Ward, que, testa de um corpo
de tropas chinezas que ec mesmo adextrara, se
tinha feito nolavel em numerosos encontros com os
Taepings, foi morto entrada de uma cidade obs-
cura de Kiangson, dcixando o commando ao seu
tenente, Burcevine, enjo nome tinha j adquirido
uma certa autoridade. Dotado da maior cora-
geni, mas nao tendu a presenga de espirito que
altrahira ao seu antigo chefe a confianga dos man-
darras, Rurgevine dissimulava mal os. sentimentos
qoe Ihe nio eram favoraveis.
Os funecionarios civis e militares de Kiang-
son tambem Ihe eram pouco dedicados. Mas era
necessario um pretexto para se atacar um homem
' qoe linha prestado to assignalados servigos, e
systcma, pelo qual duas assemblas separadas, e
t Neste meio lempo, o governador de Kiangson
uma multa de cem rublos por pessoa. deixara pouco a pouco do fornecer os fundos ne-
i t As mulheres que vestirem de luto em carrea- cessarios para o sold das tropas, dirigindo ao
nao homogneas devem exercer os direitos consti- \ gem a,ugada paga|!ao 15 rublos catla uma. As car. mesino tem^ ^n ^^ nm re^lorio qaa|
ijue naopaaeram ser voiaoos na unima sessao,: se engaa, supponao que, pelo menos, ai disposl-: mulheres rorem presas, serao conouzuasa aiuu. enuo esie os seus soiuauos a pomo de se
assim como as ordenancas provisorias relativas a coes fundamentaes da patente real nao esto com- Os proprietaros dessas carroagens pagarao 10 ru- amotinarem. e irrtodo pelas calumnias de que era
_ .... .- t .,^ ... i j blos oor cada mtilher vestida de luto; as suas car- victima, dingiu-se a Shang-Hai, a casa do ban-
mod.ficag.ao da pauta das alfandegas e ao encon (pretendidas no pedido da confederagao tendente a ^T e cava|los flwa0 retidos at ao pagamon- queiro do governo, e exiglu i viva forga a impor-
acreditan que deixo entre vos aluonscojas neces-
sidades.dHigenciei prover e salisfaior. rojos scrvi-
cos fiz valer, procurando qoe fosse recompensa-
dos os que mais e merecan, e exaltar as soas vir-
tudes guerreiras.
i Essas virtudes sao-as que coastifuem a forca
e a superioridade do nosso exercito;. e nunca dei-
xeis de as praticar debaixo das- ordens do vosso
novo chee.
t Nao carego fazer o-elogio desse ehefe. Sabis
tambem tumben comaeu quanto elte vale, e para
vos fallar s dos seus-servigos no Mfcxico, lembro-
vos de ."-. Lourengo, onde frento-itoalguns bata
Ihoes, destruiu um corpo de exeraitocompleto, cu-
jos restos nao sejulgando segures atraz das forta-
lezas da capital, fu giran at s fronteiras dos Es
tados Unidos da America.
Lembrae tambem que a texnaia do forte de Si
Januario- iniciou e-sitio de Puebla, que a do forte-
de Tetnehuacan e-uliimou, e que estes dous feito*-
de armas so reasaram sob a sua intelligento-v
vigorosa direegao.
Ento vos utonares de ton- vossa frente- se-
melhanto chefe. Se tiverdes de dar novos conba.
tes, estaris cerlos da victortav.e o vosso antigo. ge-
neral em rhefe- applaudir tonge os vosses-tFi-
umphos, uma vez queja Ihe nao dado toman com
vosco- porto nelles.
K se qnando vos pertencer regressar ; Frau-
ga, es acasos da guerra vos collocar pela segunda
vez debaixo das minhas or-dens, ver-me-hei de no-
vo eom grande prazer frente dos meus valentes
soldados do Mxico.
Quartel-general do Mxico, 30 de setembro de
18*3.
O marechal d Franga
O Morning Star publica o seguate, sobre os
ltimos acontec mentes quetiveram lugar no Japo :
c Julgamos quo o coronel Neale ser completa-
mente contrariado na e-peranga qne tem de vei
approvado o sea procedimento pelo-governo da rai-
nha. Nao tratamos de saber qual e a responsab-
lidade comparativa do enviado o do almirante yo
abusou das suas torcas de uma maneira tao extra-
ordinaria. Estos deus bomens praticaram umacto
que todo o inglez humano e rasoavel regrita com
vergonha, um acto, que se fosse accidental, deve-
ria ter sido lamentado desde logo pelos se*% auto-
res, emquanto evidente que aquelle acto foi pra-
ticado de proposito deliberado, eque excedeu mui-
to as instruegocs do conde Russeil.
i Aulorisados a capturar algons navios japone
zes, a bloquear um porto ou quando muito a demo-
lir um palacio, aquelles dous horaens incendiaram
uraa cidade populosa, viram-na arder durante toda
uma noute, alimentaran o incendio lancando-lbe
bombas para alear o fogo, c quando part ram, pas-
sado quarenla e oito horas d'aquella obra infernal,
virara as chamas e o fumo sahir de todas as casas
em qoe habitavam 180.000 almas, e sao estes ac-
tos praticados por bomens qoe se orgulham de ser
representantes de uma das nacfie* mais civilisadas
do mundo I
PKRNAMnTCO.- TYP. uR M F. F. 4 F1LHO.





Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESPXA0GA2_0ZPPIZ INGEST_TIME 2013-08-28T01:31:01Z PACKAGE AA00011611_10268
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES