Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10245


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XXXIX HUMERO 265.
Por tres mezes adianlados 5S000
Por tres mezes vencidos 6JO0U
Tv>odai-<-f! ->fc i-
QARTA FEIRAloJOOVEMBRO DE 1863.
Por anoo adiantado. .... 198000
Porte par o subscriptor. 3JJO0O
*

ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima'
Natal, o 'Sr. Antonio Marques da Silva Araeaty, o
Sr.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Olivara; Maranho. o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Manoel Pinlieiro C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SCBSCRIPCAO NO BDIr
Alagas. o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
Sr. Jos Marlins Al ves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martin* 4 Gasparino.
EPHEMERIDES
MEZ DE NOVEMBRO.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras".
Santo Anto, Gravnt. Bezerros, Bonito, Caruarn',
Altinlio e Garanhuus as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, PesqueiraJ 25 La cheia as 5 h., 16 m. e 20 s. da m
lngazcira, Flores, Villa Bella,Tacaratu", Cabrob,
Boa Vista, Ourieury e Exu' as quartas feiras.
Serrahem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros. Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/j da.
3 Quarto ming. aos 8 m. e 26 s. da t.
H La nova as 4 h., 34 m. e 14 s. da m.
18 Quarto cresc. aos 12 s. da m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 54 minutos da manhaa.
Segunda as 7 horas e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagas a 5 e 25; para o norte at
a Granja 7 e 22 de rada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes de jan. maro., maio, jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recite : do Apipucos s 6 / 7, 7 '/? 8 e
8 Vi da n>;; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboato s 6 >/2 da m.; do Casanga e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Reeife : para o Apipucos s 3 '/i, 'A- 4 V*.
5, 5 'U, fi Vj e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 / da tarde; para Jaboato s 4 da tar-
de ; para Cacliang e Varzea s 4 '/i da tarde; para
Bemfica s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta.- s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
16. Segotoda. Si Goncalo de Lagos; 5. Emiliano o*
17. Terca. S. GregorioThaumaturgo b.
18. Quarta. S. ^bdon ab.; S. Baweila m.
19. Quinta. S. Ifcabel viuv. r. de Hungra.
20. Sexta. S. Flix de Valois f. dos trinos.
21. Sabbado. S* Honorio i Ileliooro mm.
22. Domingo. S> Cecilia v. m.; S. Filomon m.
ASSIGNA-SE
no Reeife, em a Kvrari da praca da Independenn
ns. 6 e 8, dos proprietaios Manoel Figuerroa d
Faria 4 Filho.
>\.
l>
PARTE OFFICIAL.
flnma da proyocia.
Expediente do dia IS de novembro de 1863.
Oflk-io ao Exm. presidente de Minas-Geraes.
Recebi com o offlcio de V. Exc. datado de 17 de
outuoro ultimo, 2 exemplares do relalorio que V.
Exc. apresentou a assembla dessa provincia, por
occasiao da abertura de sua sesso ordinaria no
crrente anno.\
Dito ao briguciro conimandante das armas.
Respondo ao offlcio que V. Exc. me dirigi sob
n. 2,037 e data de 5 do corrente, remettendo-lhe
por copia as informacocs ministradas pelo Exm.
presidente da provincia do Rio-Grande do Norte,
em H deste mez, e das quaes consta que o deser-
tor da companhia de cavallaria Jos Fernando de
Lucena, se evadir da prisao em que se achava
recolhido na villa do Principe.
Dito ao mesmo.Para que se possa resolver
sobre a ida para a corte, do alienado capito da
guarda nacional Joaquim Antonio Seve, que se
acha recolhido no hospital militar, convm que V.
Exc. o mande submetter a um exame de sanidade,
a fim de conhecer-se se curavel a alienaco
mental de que est soffrendo o referido capiio
conforme exige o aviso do imperio de 6 do cor-
rente.
Dito ao mesmo.Com copia do officio do Exm.
presidente do Rio-Grande do Norte, remello V.
Exc. para os fins convenientes o termo de inspec-
co a que foi sujeito o 2o cadete 2" sargento do 9o
atalho de infamara Germano Antonio Machado,
que se acha doente naquclla provincia.Commu-
nicou-se ao Exm. presidente da provincia do Rio
lrande do Norte.
Dito ao mesmo.A vista do que V. Exc. ponde-
ra em seu offlcio de 12 do corrente, sol n. 2.107,
convenho em que o tenente cirurgio do 3" bata-
Illao de infantaria da guarda nacional l)r. Jofio Ma-
ra Seve, continu no servico medico da guarnico
desta provincia, depois de dssolvido o contigete
de que faz parte, at que se aprsenle o 2o cirur-
giao r. Gustavo Balduino de Monra Cmara, que
so acha em commissao no interior da provin-
cia.Communicou-se ao commandante superior
da guarda nacional do Reeife, e ao inspector da
thesouraria de fazenda.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda
Determinando S. M. o Imperador por aviso circu-
lar expedido i>elo ministerio da justica em 21 de
outubro prximo lindo, que as arrecadaeoes a que
procederem os agentes consulares em virtude de
convenco consular, a autoridade legal competente
nao deixe, na coiiformidade do que se acha estipu-
lado na mesma convengan de comparecer aos in-
ventarios e de crusar os seus sellos, se convier
com os que tiverem sido poslos pelos mesmos
agentes nos casos em que a fazenda publica fr
interessada pelos impostos de successo ou por
outro justo motivo, nada obstando a que a referida
.wtorjJ^e represente ao f^iurmo imperial |K>r
interiB^.o osfcj ridades Competentes'contra os
actos prejudiciaes a mesma fazenda que por ven
tura se praticarem em taes proressos.
no entenderse a este respeito com
pectivas : assim o communco
conhecimento e direccao.
Dito ao mesmo.ltcommendo V. S. que em
vista dos inclusos documentos que me forain re-
Imperador, por decreto de 9 do mez passado, feito
merc a Joaquim Jos dos Santos da serventa vi-
talicia dos ornaos de partidor e contador do termo
de Ipojuca nesta provincia.Communicou-se ao no-
meado o aojuiz municipal de Ipojuca.
Dilo ao director geral interino da instrueco pu-
Ser, para os amigos de Mr. Billaut, para a sua dos provinciaes alguns conservadores que pou- fins de dezerabro- ou principio de Janeiro-prximo! a meu ver o escrivao s tem m o h
familia tao cruelmemte ferida, o nico lenitivo a co receberam ochryma deprogressislas. futuro,tambem seguir a tomar assenlona cama- s n,eSnio
lilil IllUimn.n rlAn t llT.lO mi ..-t I ..**.. _5 _____ a. .-___ S____
urna immensa dor. Diz-se que esta imposico vem de cima, do con
Todo o paiz, o primeiro Oberano, se associam trario nao ha progressismo !
ao seu luto e a sua consternaco, fortalecendo a
coragem dessas nobres e piadosas senhoras que se
at ao ltimos instantes cercaram seu pai de prov
ra temporaria.
Houve recurso para o superior tribunal da rea-
hontem. ficou
entrado no exercicic- das funecoes de director ge
ral interino da instru o publica. w
Dito Sebastio Jos de Arruda.Pela secreta-
e fiel
einpe
que elle seja despronunciado. Duvido que
i 'i?1- CODs;Ba Pr Que as provas do summario sao ir-
- No di 28, das 10 para as 11 horas da noite, refraga veis. Os autos anda nao foram prepara-
CS!?'-?~1.f5^.-?? conse3.utn?!aAe ?na' dos> ? diz:se a..ue fi cedo o nao serio. Nao sei o
blica.S. Exc. o Sr. presidente da provincia man
'la declarar V. S. que pelo seu offlcio datado de cuidados to dedicados./ E esses fllhos de urna em ajgumas frvguezias, pois a convocacao para esta recahir-a escolha do governo imperial.
iu inteirado de ter V. S. naquella data gloriosa adopcao, um dos quaes, j pelos seus br- eleicao j est designada para o dia 6 do mez fu-'
Ihantes xitos, tiuha mais de urna vez commovido turo. foi ,
o coracao de Mr. Billaut, ho de sentir redobrar I A assembla provincial depois de tanta de- denuncia, quando embarca va para Maraj, na dca que isto significa.
assuas Torcas e a sua energa quando pensarem mora e adiamento foi aberta pelo Exm. presidente do reducto, o canoeiro Domingos Martins No- Os jornaes andam por ah adizer muit cousa
ria do governo se communica ao Sr. Sebastio Jos que o seu nome est de futuro inseparavel de um da provincia, no da 3 do corrente. gueira, que Ihei parte, e indigitado de haver feri- que, se fr exacta; ha de talvez dar na cabeea a al
de Arroda, que por decreto de 9 de oulubro proxi- nome Ilustre e venerado. |rna fn>"" i*i antro n dn 117 it*/tntKm fin nio findo, houve por bem Sua Magestade o Impera- Quanto a nos, seus collegas e
dor fazer-lhe merc da serventa vitalicia dos offl- j nheiros das duas lutas e trabalha
cios de partidor e contador do termo do Buique,
afini de solicitar em tempo o respectivo titulo.
Despachos do dia 1 i de novembro de 1863.
Requerimentos.
Antonio Jos da Costa.Informe o Sr. inspector
da thesouraria provincial.
Franceliua Cesarina.I'asse portara conceden-
do a licenca pedida.
Francisca das Chagas Alraonia. Informe o Sr.
Dr. chefe de polica.
do que ninguem, pedemos apreciai .
zer i todos a lealdade do seu carcter, a bondade nal ea approvacao do respectivo contrato, para a pelo terco superior, continuando anda gravemente Veremos em que tudo isto dar quautoa mim
do seu coraco, e a firmesa das suas relacoes e publicaeao dos discursos e actos da assembla. doente das feridas pela cabeea, corpo, etc. parece-me difficii a posicodaquelies que3e e todas as qualidades da alma que, nelle engrande- ro escolhido o Jornal do Para, orgo dos con- Ia-me esquecendo tambem de dizer-lhe, que na eam em favor do escrivao.
ciam o esplendor do talento e a grandeza do mere- servadores, e preterido o Diario do Grao-Para, ac- mesma noite de 28 suicidou-se com um tiro de- pis- Tudo tem seu termo i ha entre nos urna cousa
ciraento^^-conservaremos piedosamenle a sua re- tualmenle folha offlcial e orgo dos progressislas. tola o Norte-Americano Honcock, que fora secre- chamadaopinao publicaque todos devem res-
cordacao, procurando inspirar-nos do seu exem- De entao para c nao tem havdo senao amua- taro da companhia gymnastica e equestre tAtande peitar, mormente os funeconariosda nacao.
po, e depois de havermos pela ultima vez curvado mentas e faltas da minora. \ tt Nnv-Yovk. Ignora'-se a causa de semelhante o dia 25 de outubro proceden cmara
a fronte deante d'essa campa, em que deixamos Nao ilie remello a talla da presidencia, porque acontecimento. municipal de Casias apuracao dos votos- obtido-
uma parte de nos mesmo, levantmonos di- anda nao foi publicada nos jornaes, e diz-se que, I No commercio os negocios e transaccoes no segundo districto eleitpra'l para deputados se-
zendo quelles que nos escutam : Honfrae o che- primeiramcjite sahira em folhetos. | vao animados ; as noticias chegadas por este pa- rae e provinciaes.
fe que acaba de suecumbir no campo da batalha,! No da 29 de outubro, pelo meio dia, o presi- quele, de que na Inglaterra subi o preco da br-
* I I I I il i t .i --------___*_____ __ .___I ...________________i_____ f>_9_ ak a a I bu- _- a -----*______________________-______A______"~ m '
oaquim
rendo.
Joo Bernardo Neivas de Figueiredo. Informe
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Sizenando Hilario Ramos. Passc portara na
forma requerida.
Sociedade Beneliccnte dos Artistas Alfaates.
Passe portara approvando.
derosa e fecunda de filhos gloriosos. Choremos peratriz, na provincia do Amazonas, pela sua elei-
sobre aquelle que j nao existe, e depois de cum- cao de deputado por essa provincia cmara tem-
prido este aever, imitemo-lo, cada um segundo as poraria.
suas forcas, e como elle serviremos at ao ultimo Eis a felicitacao :
suspiro a Franca e o imperador. | Hlm. e Exm. Sr.A cmara municipal da
Depois do discurso de Mr. Baroche. ministro da Villa-Bella da Imperatriz, na provincia do Amazo-
justica, fallou Mr. Routand, vice-presidente do se- as nos envia presenca de V. Exc. para em seu
nado, e disse : nome e nos de seus munielpes felicitarmos V.
Senhores. Venho, em nome do senado, dizer Exc, pela eleicao que acaba de fazer a mesma
tambem as ultimas palavras de adeus ao homem provincia do Amazonas, da pessoa de V. Exc. para
eminente, que a morte ferio, quando nos lhe espe- um de seus deputados assembla geral legis-
i ravamos novos triumphos, e novos servicos na car- lativa.
(reir em que o seu talento e o seu patriotismo ti- Parte interessada e victoriosa na lula, que
Discurso proferido por Mr. Ha- nham brilhado tanto. produzio to feliz resultado, nao obstante a opposi-
roehe. miulstro d:i iustiea SO- trav*s e dolorosos pensamentos surgem dian- cao e excessos do poder, armado de toda a forca e
i.. '1|n | -' |||il# 'te dos rests mortaes daquelle, que, ainda ha pou- prestigio da autoridade, a cmara de Villa-Bella
Mre l,,u,l,iI uc -"r' co, cheio de ardor e de vida, rico de distinccSes applaude e sada a eleifo de V. Exc, com trium-
Senhores No momento em ma a Franca na- con1uisti,das Pla intelligencia c pelo trabalho, pho expressivo das ideas liberaes e constitucio-
3iaConcentrara SSSom^LSToS^TmoaS l?oberto de nonras desceu ^repente sepultura, naos, e como um symbolo de progresso e de melho-
E porque os decretos de Deus sao impenetraveis, ramenlos futuros para o Amazonas, pela occasiao e
EXTERIOR.
recia concentrar-se silenciosa para ouvir a pal
1S^S^^^l,SX.r?^tJ&^!: des,roem **" vezes as mais legitimas es- meio, que presta V. Exc. de promove-los e de au-
te un rilo de dor annnciandra nS de Mr' pcra-n?as- ncliSemo-nos dian.e delles cora a resig- xilia-los em beneficio de todos os seus habitantes,
Bllaut anunciando amorte de Mr. narao do christo, mas os nossos coraedes conser- e a estes de esperar da reconhecida illustracao e
A enfermidade de nne sp -saIi pIIp linhi iitn vam"se opprimidos pela tristeza e pelo sentimento, patriotismo de V. Exc.
aSH'SSSSS isssarjassKS ^tsssyssrsnxs
n.. eslin |,n,ui, eanii da em que era os- J^ |r,to|to dos negw.os pub|M! as ,m ^ |>lsaslve| que um to | V. Eic.
e ao novo que o elegeu.
Digne se V. Exc. recebe-los com benignidade
uerado eslha-M a fatal nnlirn i Frinc p nim unl ruut; lraualnu uos negocios pumicus
JSSTS^LJmffm erridSs ma? for?as hr*T CSfrifSS S^S ""r
':..,.' incessantes da accao e do pensamento, cae al-
quem poder
tes unnimes senlimentos, a esta prova de reco
nliecimento nacional, a narracodos servicos pres
niettidoVcom 'officio do biigadeiro corunanilate fa.dos .or Mr Kllant e fazer o detalhe dos seus
das armas sob n. 2,108 e data de hontem." mande IT''""!1'^ oratorios do que muitos de vos tendes
pagar ao capiio do 4 balalho de ariilliaria a p sldo tflemunhas, c de Antonio Luiz Duarle Nones a quanlia de 9f30 meinor,a '
c aos 2"- tcnentes Hvuino Jos de Oliveira Colho a! A, voz E*^ qu,! den,r em Pouro a voz
"B 155480 e Jos Urbano Pacheco de Mello a de da l"?lor'a. J* os tem recordado pi.-dosamer'
i^tOO, por elles despendidas com o expediente | n:, J bordil.da sepultura, e quando a ferii
i mais una companhia. que cada umeommanduu la ainda gIeJan'P. QM eu |ioderia aprese
iranle o mez de oulubro ultimo, como se v rio.; ?e" 1aadr. \~ minhas forcas nao senara
de 15*480
165300.
de
dura
mencionados documentos. Communicou-se ao
commandante das armas.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Com-
munco V. S. para seu conhecimento e direccao.
que segundo constou de aviso da repartico da
marinha de 4 do corrente. foi anprovada adelibe-
raco que tomei de autorisar V. S. a nomear
Manoel Jos Pereira da Costa, para servir de ma-
chinista da barca de escavaco n. 2.Communi-
con-se ao inspector da thesouraria de fazenda.
Dilo ao mesmo. D V. S. as necessarias ordens
a lim de que seja recolhido e convenientemente
tratado nesse arsenal um dos africanos livres que j
Senhores da commissao.Agradeco-vos cor-
te a congratulado que acabaes de mani-
-me em nome da cmara municipal de Villa-
podis assegurar-lhe que me dedicare
presidencial, que salvava a Franca, ludo quanto ti- como representante pela provincia do Amazonas
nha de servico, intelligencia e'affeico. Alli en-' em promover, quanto esliver em meu alcance, os
grandeceu-se at a gloria e morreu, como se csti- melhoramentos moraes e materiaes dessa rica por-
i vesse envolvido na bandeira que defendeu nobre- cao do nosso paiz.
mente. Acceilai, senhores da commissao, a expressao
A sua alma est com Deus ; a sua memoria c seguranca da minha perfeita estima e subida
; existe no paiz ; a sua familia perlence ao impera- consideradlo.
" dor; e a nos, seus collegas e seus amigos, perten- Passando s noticias diversas tenho a dizer-
ida es-' c0 ,oda a s'ncer'dai,e ^os ma's profundos sent- lhe, que a salubridade desta capital nao tem sido
* mentos e a Bel recordaco do nosso collega e ltimamente das mais regulares: por que tem ha-
amigo. | vidoalguns casos de angina, com especialidadeem
Adeus, Billault, adeus I criancas ; s em urna casa, a do major Joaquim
Em seguida pronunciou as seguntes palavras Victorino de Souza Cabral em dez dias fallecern.
Mr. Alfred Le Roux, vice-presidente do corpo le- seis meninos, todos menores de 12 annos.
gislativo : A sciencia tambem acal de perder um dos
Senhores.Pertencia elegancia prestar home- seus mais desvelados cultores, e o povo paraense
nagem eloquencia. A tarefa foi to dignamente o decano de seus advogados ua pessoa do Dr. Jos
precnchida. que nao tent accrescentar um elogio Vicente Teixeira Punce de Leo, que fallcceu pelas
Nao repetirei os exiU iuridlcos nem os debates a eloSius (lue nao podenam ser excedidos. nove horas da noute de 26 do corrente, victima de
parlimentires do nosso Ilustre colleca *,;is! cnamaU0 a l'nra imprevista de substituir urna grande complicacao de molestias chromcas
Tocara apenas a idade em que muitos outros Pedente do corpo legislativo, conheco que te- de que solTr.a ha annos. Deixou nove filhos
comecam e ja eslava senhor da patarra, orando nho um dever a cumpr.r e nao e a m.nha fraqueza ODr. Ponce de Uao era natural de lontes do
n'uma das nossas mais importantes salas de au- ''ue "fvo consultr. Deposito, po.sem nome do Alto Douro em Portugal; filho de paes abastados,
diencia. A sua reputacao elevou-se de tal manei- cornP legislativo, mais urna coroa sobre esta cam-: e possue la bens de seu matrimonio lierc
lft I?cedona das rendas Provinciaes.........i Sao deputados provinciaes pelo mesmo districto
49:2.lo63 rs. os Srs. Dr. J. i Tavares Belford, tenente coronel
Asulrjs reparticoes fiscaes e municipaes...... J. V. de SouzaCoelho, Dr. Gentil Homem, Joa-
i:88:i>925 rs. quim Serra, Dr. Torquato T. Mendes, Dr. Joo Pe-
Os navios entrados e sahidos do porto desta pro- dro dos Santos Sobrinho, Dr. Fernando SHva, Dr.
vincia, no mez de oulubro prximo fmdo.
Entrados Sahidos.
Brasileiros..... 14 12
6 7
4 2
Portuguezes ... a 3
Peruanos...... i O
Hamburguezes. 0* 1
27 25
O movimento de passageiros no mesmo
e o segrate :
Entrados Sahidos
Portuguezes... 7 15
Hespanhoes... 6 2
Americanos... 5 2
Francezes..... 3 3
Suissos....... * 0
Marroquinos.. 0
Ingleses...... 1 3
Lubeguenzes.. 1 0
Hamburguezes 0 1
Peruanos ..... 0 1
Italianos...... 0 1
Russos....... 0 1
Bolivianos___ 0 4
27
33
resentar o.
para1
isso sullicientes.
A honra que me cabe de proferir aqui as ulti-
mas palavras, devo-a ao privilegio da anliguidade
enlre os nmus collegas. A minha amisade a Mr.
Billaut deveria merece-lo.
Vou comecar porque desejo at ao fim conser-
var-ine senlior da minha emoejio.
devo consultar.
For-
. pa, destinada a receber tantas oulras. Presto aqui mou-se em Coimbra em leis e caones, depois,
se acha ao servico da baculdarie de Direito desU "ego^abj^,*^* tra deoMtf o justo tributo da nossa admiraco. da nossa sv.n- sendo adepto das ideas liberaes, emigrou para o
dar cmara, preparando esta trplice consagra- Pa'hia e dos nossos sentimentos. flio de Janeiro em 1829, onde viven estimado e
coos xitos que alcancou ni tribuna corP 'ef?lslallV0 nunca pode ser interposto: considerado de todos quantos lhe sabiam apreciar
*'Elfectivamente a sua argumentado tornou-se mais fiel do paiz do que dirigindo-se estes teste-; os dotes da sua superior intelligencia e do sea es-
liera depresa engenhosa e possante a sua oala- niunhos merecidos, em presenca desta morte, que pinto elevado, ate que em 1831 veio para o eara
vra gil insisira semnre elesranle e muitas vasa nao pode fazer esquecer o hoinm, desta memoria, onde vircu serapre eomo cidado portuguez ; che-
elevada,'attraluram-lhe a allnco geral. Entre ('ue nunca pode ser esquecida, e para a qual j gada a hora suprema encarou a morte com rosig-
os polticos mais experimentados ; entre os orado- comecou a posteridade.
(Do Moniteur.)
cidade que segundo consta de officio do respectivo
director acna-se doente de rlieumatismo. Com-
municou-se ao director da Faculdade de Direito.
Dito ao commandante do corpo de polica.
Mande V.S. apresentar ao arrematante das barrei
ras rio Manguind e fopunga o soldado do corpo
de seu commando para coadjuva-lo na cobranca
dopedago da primeira riaipiellas barreiras.
Dito ao director do arsenal de guerra. Faja V.
S desembarcar de bordo do patacho nacional Be-
beribe, os 52 cunhetes, em que esto acondiciona-
dos o cartuxame e mais objectos mencionados no
conhecimento, deque lhe remeti copia cora o offl-
cio desta dala, ficando V. S. certo, de que para o
exame desses objectos acabo do nomear de confor-
midade com o aviso do primeiro de marco de
res mais habis; uns o saudam como poderoso
auxiliar, outros reconhecem n'elle um adversario
terrivel e digno delles. Precisarei eu dizer que
nesta primeira parte da sua carreira poltica, Mr.
Billaut excede tudo quanto os seus debates tinham
promeltido ?
Na segunda e na mais brilhante phrase da sua
vida, quando Mr. Billaut, cuja elevada intellgen-
INTERIOR.
1862 urna commissao composta do presidente e 2 cia foi logo conhecida pelo imperador, exerceu
dos vogaes do conseibo administrativo.-Officiou-se elle, sucesivamente o cargo de presidente do cor-
vogaes
neste sentido ao presidente do conselho adminis-
trativo.
Dilo ao conseibo de compras novaos.Approvo
os contratos que, segundo consta do termo annexo
por copia ao seu offlcio de 7 do corrente, fez o
conselho de compras navaes, com differentes
pessoas para a venda dos objectos do material da
armada, precisos ao almoxarifado de marinha,
do graves modilicacoes entre as relacoes do governo '',.,''
e os grandes corpos do estado. O imperador abre ncauo p -
" .r. i mee m mi
um mais vasto
p legislativo, o duas vezes de ministro do inte-
rior ; com que dignidade, saber e autoridade di-
rigiu os trabalhos das duas prinieiras sessoes do
corpo legislativo cora que habilidade presidiu
administraco interna do imperio I Que poderoso i
o
onH*:sioi>\F\ i \ no ii \
RIO DE PER* AMBITCO
PARA.
8 de novembro dr 1863.
Navios descarga.
/;. t/i'i Reiiutorff, briguc pjrlugroez.
Conflict, bricue inglez.
Hrnriqur, brigue brasileiro.
Florist, patacho inglez.
Jeune Ida, brigue inglez.
Puritano, patacho brasileiro.
Marklandr, patacho inglez.
Boa Nora, patacho portuguez.
Navios carga.
Havre, barca franceza.
Tamega, brigue portuguez.
S. Luiz, barca franceza.
Tocantivs, barca franceza.
Navios sahir.
A barcaS. Luiz a 9do corrente para o Havre.
Brigue portuguez Tamega 11 para Lisboa.
Patacho portuguez Bo'a Xora at 14 para Liver-
pool.
Pereira de Castro, tenente coronel Gomes de Souza,
tenente coronel Serra Lima, tenente coronel Silva
Ferro, tenente coronel Silva Lobo, tenente coronel
Pereira do Lago, capiio Joaquim Cavvalho e te-
nente coronel Jos Caetano Vaz.
O mais votado ficou com 404 votos e 11 em se-
parado e o menos com 361.
Neste vapor segu para a Parahyba, onde
vai estar com a Exma. familia, aotes de seguir
para a cmara temporaria, o Sr. Dr. Antonio isla-
noel de .tragas e Mello. Cavalleiro estimavel e
empregado publico muito distinelo, o Sr. Dr. Ara-
' gao e Mello deixou na provincia as melhores re-
cordagSes do seu nome c dos saus actos. Talvez
nao tenhamos a fortuna de elle voltar, pareeendo
mais natural que depois dos trabalhos legislativos
o governo o incumba de commisso mais alta.
D'entre os bons chefes de polioia que temos tido o
Dr. Aragao e Mello um dos melhores.
Fica-o substituindo interinamente o Dr. juiz.de
! direito Sebastio Jos da Silva Braga, magistrado
i de boa reputacao, funecionario- intelligente e zelo-
so no cumprimento de seus deveres. Julgo muito
acertada a nomeaco.
Alen* do concert Deptrini Verdini, no qual
a velha e a moga cantora nao passaram.por ne-
nhuns rouxines; alm da sesso judiciacia termi-
nada ha poucos dias com um s julganiento, o de .
capito Haynes, que foi condemnado a 14annos de
prisao, tondo por defensor o I'r. Cania .LpbO ; ater
J do novo regulamento para a escola agrcola do
' Cutim, expedido pelo Exnt. Sr. LeitSo- da Cunli::.;
alm da morte do major Clemente Joaquim da Sfl-
1 va abastado lavrador do, municipioder Aqajatubajp
chefe de urna respeitavet familia ; da alta no prseo
do algodo, nao sei o qu* mais falte norteiar-lhe das
, oceurrenrias da quinzena.
O cambio tica a 28 <4 d. por 1&800 a 90 dias.
O franco fica a 334 rs.
Aalfandega readou at o dia 9 44 0005.
pouco mais ou menos; o thesouro provincial. Ten-
dea cerca de 20:0005
Tem-sc vendido o algodo.a mais de 235000
a arroba.
nuiniiin.
S. Luiz, 11 de novembro de 1863.
Por causa de um pharol ficeu o nosso theatro
s escuras. Nao canse este meu dito admiradlo
ao alenlo Icitor. Pois nao foi por amor de urna
nacao evanglica.
Seguio sempre a profissao honrada de advoga-
do, na qual se tornou notavel pela copia que pos-
suia de conhecimentos praticos de ^jurisprudencia.
pelo sen espirito jovial e pelo sal da grana com
que sabia adubar as questoes mais andas, enfa-
donhas e massantes do seu officio; pelo seu tra-
balho adquiri alguns bens da fortuna chegandoa
ser um soffrivel proprietario. Instituio por seus
testamenteiros a seus tres filhos mais velhos.
Possuia muitas virtudes cvicas e sosiaes, era
dotado de um carcter severo, mas ameno e deli-
cado no trato* A desgrana e a miseria tinham
nelle o seu advogado natural e> gratuito.
O Dr. Ponce de Leo teve a sorte fue- leern to-
cumprindo que o mesmo conselho na forma
costume, remeta thesouraria de fazenda copia
dos termos que bou ver de assignar cada um dos
vendedores dos referidos objectos.
Dita ao bacharel Felsbino de Mendonca Vascon-
celos.De participacao da directora geral da
secretaria de estado dos negocios da justica de 6,
consta que por decreto de 5 do corrente, houve S_
M. o Imperador por bem reconduzir Vmc. -no
lugar de juiz municipal e do orphos do tcjrno de
Barreiros: o que lhe commumeo pautfseu co-
nhecimento e a fim de que opportuna" 'e preste
o devido juramento e entre em -- depen-
dente do titulo que aprese 3 me-
zes.Communicou-se atlies. ozenda e
ao juiz de direito da comarca de Palu. os.
Portara.O presidente da provincia, altcndendo
ao que lhe requeren Sesinando Hilario Ramos, pro-
fessor de instrucifao elementar da cadeira de
Aguas-Bellas resal ve conceder-lhe a remo^o que
pedio para a caAra que se acha vaga na fregue-
zia deS. Pedro-Wlarlyr de Olinda.Fizeram-se as
necessarias coWunicaces.
Dita.O presroeute da provincia, atlendendo ao
quereqnereu Francolina Cesarina professora inte-
rina de instrueco primaria da villa de Iguarassu,
e tendo em vista a informacao do director geral da
instrueco publica datada de hoje sob n. 194. re-
solve conceder-lhe 17 dias de licenca com venci-
mentos para tratar de sua saude.Communicou-se
ao director geral interino da instrueco publica
Expediente do secretario do yo ver no.
Offlcio ao conselheiro Josino do Nascimento e
Silva, director geral da secretaria de estado dos ne-
coeSos da Justica De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, acenso recebida a communi-
cacao que lhe fez V. Exc. de ter Sua Magestade o
Eis porta o Tocantins, com una viagem mais
demorada do que as do seu louvavel costume, e dos os homens de esphera superior ; "adquiri a-
roeur presto'lrgranXrp^nkmwitesTaVpT- Dara *.fn& chegou em .nao dia e a m hora, migos e adversarios, mas uns e outros curvados
trioticas iiitencdes do iinoerador I Pr(lue '0' no ^nn-1-!0 e luasi a noite, e vai sahir agora sobre a sua campa Lamenten a luz brilhan-
Mas. a final rhegoa oanno de 1860. Fizeram-se hoJe- ***** a mfia nol'e- KPor isl vf.os sel t (lue la de.n,r Jaz e-*icla. abencoando todos a
leitores que apenas temos 24 horas o em da sanii- sua memoria I
tratarmos de Untos affazeres, que te- | A' dias cahio no convento do Carmo, onde se
acha o collegio paraense, um raio som que fizesso
'r-tinnn a. itelitae LUi>IIana Mr mos e,n raaos Para eSle PaquetC
meado ministro, shb o-ist- reeebea! Emfl,n vai a nossa correspondencia correcta ou viciima alguma ; com tudo o ra pela direccao.
Xomnte e^ rais"a de expo as' caraa as! incorrecta para os prlos do seu *, e os leito- j admiravel que percorreu, dentro da igreja, fez al-
e ao paiz a poltica do imperador na directo dos res (ue desculpem, porque o meu finv nao escre-1 gum estrago por onde passou.
negocios externos.
, 'Aprcsentam-lhe urnas apoz outras, as questoes
da Italia, da Syria, do Mxico, e da Polonia. E
ver bonito e bello, mas transmiltir as novidades No dia 25 de outubro findo, chegou a este
desta parte do imperio. | porto, procedente dos portes do Per no Solimdes
Summamente admirado fiquei ao abrir o seu o vapor peruano Pastassa, o qual regressa agora
ento dando urna forca o inspiraco nova ao saber, Diar n- 22.de *? de outtthro lindo, quando de- (ao imperio inteiramenteeomo navio de guerra.
___j___j. :ji__ _*_______-_*i. ____ _v....._' nare as noticias i lo nortiv uta* iwln vanor 4ivi nne \u inesmn i lia linuve. nple norln nina;
DIARIO DE PEBWAMBCO
Hontem tarde fundeou em nosso porto o vapor
Tocantitis. procedente dos portes do norte do im-
perio, com datas; do Amazonas at 2, do Para ate
8, do Maranbo at 11, do Cear at 13. do Riu-
Grande al tS, eda Pjrahyba at K do correr.,c.
Amazona*.A cmara municipal, de Manus
laranja, que se declarou e se fez aquella ternvel expedio diplomas de deputados geraes aosEwns.
guerra trovanna ? Nao foi por causa de urna* bo- Srs. Drs, Francisco Carlos de Araujo Brusque e
tas que o general Bonaparte foi depois imperador : Antonio Js Morera,
dos Francezes ? Quanto me custa a dize-tt>: foi; As noticias aht recebidas do Per consta,que
por causa de um pharol que o meu velho S. Luiz 0 general Peret j se-achava em L'uma, tendo.assu-
licou sera as duas nicas luminarias artsticas, que m0 ^ redeas da alta. adrainisteacao da repuhli-
o alumiavam e o ensoberbeciam ': ca, no.da 2o de 2#a>to. A attenco publica no
Ah vai o caso como elle se deu ; m nem tiro urna virgula. I dos ao congresse.
No da 31 de outubro ultimo a empresa Colas p^i.Em oulra parte vai a,caru de nosso.eor-
& Couto Rocha solemnisou o anniversario natah- respndeme, qual apenas ascrescenteraos que
co do joven re de Portugal, o Sr. D. Luiz I com ^o passada toroou posse de commando da cor-
ma magnifico espectculo. Representava-se a veta de guerro Bcoeribc, o Sr. capito de fragata
liedemprao e o theatro estava tteraVroente cheio. j^, Mara Galhardo
A nossa sociedade elegante enehia a sala, eoi 'Em Ul0 fa numer05. seguimos daremos a
paizolficial fardado e bordado cuchen mais de um d0scripco do baile, de que falla nossoxorrespon-
camarote. denle
Annunciaram os emprezanos que antes do es- Maratttia. Tudo quanto occorreu digno de
pectaculo se tocara o bymno do Sr. D. Luiz I em menco acha-se na carta do nosso correspondente,
presenca de sua augusta.efflgic-, com assisteocia. Cear.Na villa da.Tlha foi assassinada, por
de toda a companhia. seu marido, urna muiher encontrada por ello-em
Como seja do uso antigo cantar-se o hyrano ora-' adulterio,
sileiro as noites de regosljonacional e em atten-; q cambio imn : sobre Londres do27 V
cao solemnidade do espectculo e a presenca das a ^ ^p 4,3000.; sobre Paris.355 frs. -.e^obre
primeiras autoridades e do corpo consular, que ijjj^ 445 ^.
toda alli se achava, lembreu o Sr. Furlado Coelho Mo-Grunde ePavahyba.S&A encontramos que
que se pozessenosalo terreo de entrada um pha- \ g0KI-A menco.
rol, no qualsedsse ao publico a exacta noticia
de nao se poder cantar o hymno portuguez por I'
nao ter havido tempo para o ensaio do canto.'
Nada de mais justo. Um dos emprezarios, que |
nessa noite acha va-so em rebelda com toda a cas-
ta de desculpas, gritn ao proponente : vao se fue
o pharol f
E por que nao se havia de por o pharol ? que
mal podera resultar d'aquelle inoffensive pharol,
que tinha-so de apresentar ao publico to respei-
toso e a pedir urna to merecida desculpa r
Furtado Coelho encrespou o bigode, corren os
grandesa de ideas, e concepeo de assumptos que
elle estava encarregado do desenvolver e defen-
der, o talento do orador, j to completo, to ele-
vado e engrandecido, elevou-se anda mais. To-
ma um vigor, e por assim dizer, urna amplitude
de que maravilha os seus mais ardentes admira-
dores, e todos sao forcados a concordar que to
grande poltica jamis foi to poderosamente defen-
dida.
Ah senhores,por que fatalidade deviam ser to
curtos estes brilhantes e legtimos xitos Por-
que fatalidade, quando os servicos prestados se
presagiavam maiores, quando 'uma luta talvez
mais ardente novos triumphos a accrescentar-se
aos amigos, essa palavra robusta, essa vasta inte-
ligencia foi ferida to sbita e imprevistamente ?
Curvcmo-nos deante dos decretos de Deus, que
tem na sua mo o deslino dos homens e dos po-
vos; e urna vez que so nos resta admirar o mo-
delo que perdemos, unamos os nossos elogios e
sentiinentos aos sentimento e elogios de toda a
Franca.
O signal d'este luto publico, o imperio,,
quem o d ; foi elle quera primeiro coD^eu e
apreciou a perda que acaba de haver e auem no-
bremente a deplorou. H
Esse augusto testeraunho do '& elevada estima
a maior honra que $e pod.'c prestar a um emi-
nente collega.
parei as noticias do norte idas pelo \fapor Apa, que No mesmo dia houve neste porto nma abal-
no ii nha recebido cartas, nem do seu correspon- roaco entre a barca franceza Sar Suir e o hiate
dente do Para, nem do Sbranho. de ronda da alfandoga, ficando este com bastantes
Declaro e protesto otto e botn sor, que escrevi e 1 avarias no apparelhe,
lancei a minha correspondencia no correio desta j Tivemos aqui como j lhe noclei os saraos
provincia. ( ). j faAos a 10 e 17 de outubro ao Exm. presidente da
Eu ranssima ver. hei deixado de lhe escrever, l prorincia, sendo o primeiro do commandante das
porque quando o r.ao faco por racommodo ou affa- armas e 0 SPgnndQ do terceiro batalho de arti-
zeres, tenho um amigo que se presta a semelhante ,haria a p6 \ :ll ^m bemteve lugar o baile dado
trabalho. .. ; por alguns portuguezes, nao s pelo nascimento
Por consegrme o meu protesto esta justificado do principe Mal, como pelo aniversario natalicio
e ratificado com a presente declaraco ; a redac- ,j0 re de Portugal.
cao, pois, do Diario de Prrnambuco que v haver | oeixo ce fazer a descripcao desta festa portu-
as perdas e damnos resultantes de semelhante falte guei>i porque remetto-lhe em separado a noticia
do crrelo do Para ou de Peniambuco, assim como que della deu o Jornal do Amasnos e o folhetira
que os seus amados leitors saibam que prestando- 0 Diario do Grao-Par, qne minuciosamente con-
me ao encargo de correspondente, nao o.< faco pas- tem lUd4 quanto n'ella houve; publique-as, pois,
sar pela decApcao ou omissllo das noticias do Para pra conhecimento dos seus leitores.
e Araazoi';as. { I Da provincia do Amazonas nao ha novidade
Isto dito vamos adianto. \ | importante at, as ultimas noticias de 24 do outu-
m negocios polticos pardee que as altas regidcs br0 apenas se sabe que a presidencia havia no-
e harmonas liberaes-progresteista?,, esto mais ou meado para lente de grammatica philosophica ao
menos turbadas. [ | capito-tenente Jos da Costa Azevedo; assim co-
Falla-se que ha desgostos dje varios liberaos, por ] mo ve0 no vapor Manos para seguir com destino
qiiercrem alguns chefes incluur na lista de deputa-1 a cpr,0 0 Reputado por aquella provincia, Dr. An-
() Recebemos a carta de qjue trata um mez de-
pois, de volta do Rio de Janeiru, onde foi ella parar
por deleixo do correio do Par*.
A reiaceSo,
tonio Jos Moreira.
Quanto aos deputados da provincia do Para, se-
gundo corre, devem seguir a W do corrente no
prximo vapor 5 e que o Sr. Dr. Bresque, para os
PERRAMBGO.
REVISTA D1ARU.
Hontem anda deixou de funecipnar o. jury dps-
ta cidade, por falta de realisar-so a presenca de nu-
mero legal de ;uzj de facto.
Foi privado do posto de teneote-corone com-
dedos pelo annelado caberte e'maU firme d! mandante do balalho da guante nacionalr do mu-
que a guarda imperial retorquio : ha de ir o pha-1 nicipio de Palmares o Sr. Thooj Al ves mm.
rot. Gom a Prova de P"110* ** servico pecHliar
Ao emprezario subi o sangue caheca, ao actor repartico, Andon-se hontem oconenrso a que se
esgotou-se-lhe a pacteneia, e de palavra em pala- proceda penle a thesouraria de fazeuda paja.f
vra, de phrase em phrase, chegaram ambos a um esenpturanoda mesma retr<;aa .
rompimento formar A ltima voz do intrpido Examinou neste materia o Sr. Jos Fnncisco de
actor foi urna ameaea bem entendida: vm o pha- Sah?s Bavtera. .
rol ou eu nao represento hoje I : Joi concurrente o pnlicante Joaquim Jos- de
Representou-so; mas, tres dias depois Furtado Olinda Tavares^iObtendo approvaao em dtBbren-
Coelho e Eugenia Cmara tinham-se despedido do tes graos de classilteacM as vanadas materias
theatro i de que se compunha a arguicao.
- Nao passarei das noticias theatraes para as Da apuracao dos votos dos doas collegios, que
deoutranatureza, sem lhe communicar o casa-! compem este pnmeiro districto eleitoral, resulta
ment da Sr.* D. Manoella Lucci com o Sr. Vicen-; que toram eleitos deputados provinciaes por elle os
te Pontos de Oliveira, actor que foi do nosso thea-! senhores seguintes :
tro O casamento eflectuou-se no dia 31 de ou- Dr JoaoHranMsccTeixeira.............. W
tui^o, I Dr. Antonio Jos da Costa Ribeiro......,.. 19"
Os negocios de Vianna deram no que se es-! Dr. Jos da Cunha Teixeira..............
pera va. Dr. Jos Etlgl ^Mn Jacobina ..... 182
O escrivao Egidio Jos Goncalves foi pelo Sr.' Dr. Joaquinvl Ponseca.......... 182
Dr. chefe de polica pronunciado por crime de ten- Conselheiro Lfl co Trigo de Lourelro:.. 174
taliva de morte. Houve prova plena contra o es- Dr. Francisco deCarvalho Soares Brando. 168
crivo ; nao menos de cinco testemunhas de vista Dr. Deodoro lpiano Colho Catenho...... 167
depozeram no processo. O summario attesta a in- Dr. Sabino Olegario Ludgero Ptnho....... L
teireza e rectido com que procedeu o Sr. Dr. Ara- Yotacio reunida dos coltegios de Olinda, Na
gao e Mello, que tanta conflanea inspirava aa es- zareth. Umoeiro e Iguarassu, faltando somente a
crlvao que este, logo que o Dr. chefe chegaku o colegjo de Goianna, que d 154 eleltoros;
Vianna, requereu-lho que avocasse a s o procoit*, Dr. Araujo Barros
j eomecado pelo delegarlo de policia. Dr. Sonto Lima.


214
164
i Mil ITII AhAr
Jm


,
-_-------------------------,-------------
Alarlo de Pernambneo ... Quarta felra i8 de Xorembro de i 863.

"V.
Jos AtrtoHirtte fttlva-e Mello
Dr. Jos Ignacio
Engenheiro Mamede.
Dr. Gervasio Campello.
Dr A mar I e Mello.
V gario Jeronymo Pacheco
Dr. Cesar Octaviano
Dr. Joao Hooorio.
Dr. Arminio C. Tavares dos Santos
Dr. Luiz Goncalves.
Vigario Guimares.
Dr. Queiroz Fonseca
Dr. Domingos Soriano.
Dr. Sabor Carneiro.
Deo Farlas
Dr. Maximlano Machado.
Dr. Jos Bonifacio.
Dr. Borges da Foneeca.
Dr. Manoel Hemelerio.
Dr. Cesarlo de Azevedo.
Dr. Maxiniiano Montarroyos.
Dr. Amida Falcao
Dr. Lucena
Dr Catanho
Dr. Jos Pacheco
Dr. Marinho.
Dr. Bandeira.
Fizeram artos na Faculdade de Direito nodia
47 do crrente os seguinles estudairtes :
! anno.
Jos Bernardes Gomes Serra Bellbrt, plenamente.
Aristides Anguslo Colho de Souza, dem.
Barloolomeu Toixeira Pallia, dem.
Antonio Jos de Carvalho, idem.
Antonio Pedro de Miranda, idem.
Clmente de Otiveira Mondes, idem.
."" anno.
Antonio Pereira Camello, plenamente.
Jos Fiel de Jess Leite, idem.
Manoel da Costa Honorato, idem.
Felippe Daltroe Castro, idem.
Cartas de Flores, que temos sob os olnos,-di-
zem o seguate:
i Ha penco teve aqni luear a retmiao do jury,
quasi todos os compromeltidos em diversos critnes,
gracas i intervencao do nosso vigario, quse at nis-
to quiz mostrar que um excellente pastor En-
tre as abselvicoes que mtis escndalo ten causa-
do a do tenente Juvin* Atayde, que em novem-
104 trsfrroearaaDr jtralcial que serll stmprt nm dm
1S7 MMctmtum do juizo, salvas as excepcoes do art.
156 antecedente, para core elle correr o feilo seus ter-
151 mos tegaes, e ser citado e intimado quando nao for
1*1 requerida a eitacao pessoaJ {art. 24 tit. nico), sob
148 pena de correr a causa revelia.
183 Ora, desta disposicao, clara, positiva e terminan-
131 te se v que smente os solicitadores do juizo, isto
lio e, o provisionados pelo competen presidente da
142 relacao, podem ser constituidos procuradores nos
110 ; feitos e causas coramcrciaes ; logo, evidente que
106 os feitos tratados por procuradores Ilegtimos, ou
96 solicitadores provisionados por autoridade compe-
90 tente, qual o presidente dotribunal do commercio,
82 que nao pode minear solicitadores do juizo, se
81 nullos do pleno direito.
Se porm, ainda nao bastante lei tao clara, eis
o aviso que confirma nossa oprnio, o qual tem sen
assento na le, e na conveniencia da restriccao do
numero dos solicitadores. Ei-lo :
N. J48. Aviso da justica de II de jnnho de
1855.Ao presidente do tribunal do commercio da
capital do imperio.
t 3." duvida. Se para servirem ante o tribunal
do commercio devem ser ailmittidos os solicitado-
res Horneados pelos presidentes das relances, em
virtude do decreto n. 398 de 21 de dezembro de
1844, ou se devem ser prvidos pelos presidentes
dos trlbunaes do commercio, a quem o art. 56 do
novo regulamento su da a nomeaco dos continaos
e officiaes de justica ?
Resposta. Quanto a 3.a duvida, que deve. ad-
ir.ittir-se servirem no tribunal do commerrio os
solicitadores Horneados dos presidentes das reta-
rdes, para que se nao niultipiiquem taes empre-
gados.
Com estas lois apontadas parece-nos sustentada
llavera por esse motivo urna grande festa na-
cional, debaizo da direceo da rainha de Inglater-
ra e do principe de Galles,
Serlo convidados a contribuir todos os admira-
dores do grande poeta nos tres reinos da Gra-
Bretantla e colooias, e bem assim todos os inglezes
residentes no estrangeiro.

No dia 25 de setembro teve lugar em Castiglia-
no, cerca de Bassano, o licenceamento do pequeo
exercito do duque de Modena.
O duque e a duqueza foram all passar pela ul-
tima vez revista aos 2,500 hoinens de que se com-
nao sao attrbuicdes bastantes para onfer'rrem aos.
mesmos presidentes a faculdade do noinoar solici-
tadores, at porque parece, que aquello citado de-
creto quiz excluir estes empregados-solicitalo-
res do pessoal do tribunal, quando no art. 83 dis-
se que, em cada um dos tribunaes para o exer-
cicio da respectivas attribuicoes alm des env-
gate existentes (escusa drcer quaes sejam em
vista do dec. 738) que sero communs na parte
judciaria e administrativa haveraodons escrves
de appellacfies e aggravos, dous continuos, e dous
officiaes de justica, tendo estes as mesmas funecoes
que os das relacoes, e serio estes orneados pelos
presidentes, (art. 36) competindo aos officiaes de punha aquello pequeo corno.
justica as deligencias entao incwnbidas ao por- O duque, agradecendo a fldelidade deste corpo,
teiro ele entregou a cada soldado e official urna medalha d
J se vii pois que nao falla este decreto em so- bronze, com a efflgie do conde e esta legenda : Fi-
licitadores. delitati et constantia in adeersis1863.
Sejam embora altas as fuiwcoes dos presidentes A dissolucao deste pequeo exercito foi precedi-
dos tribunaes do commercio, isto nao prova que da do enterro da bandeira.
elles possam conceder provisSes solicitadores Os tambores cobertos de crep, os soldados com
para o juizo comraercial, onde devem servir os do as armas em funeral e os officiaes com fumo na
/oizo e foro conimum._ espada acompanharam a bandeira, collocada n'um
Altas e mais aftas sao as attribuicoes de outros fretro, capella de Mantua, tocando a musica
Tunccionarios, inclusive as dos bispos, que confe- pecas fnebres.
rem ordena sacras, qee imprimem carcter n'al-' Quando a bandeira foi fechada no fretro, as
ma; mas nem por isso podem provisionar soli- tropas deram as descargas da ordenanza.
eitadores. O argumento pois do Sr. Justus da' Depois desta ceremonia teve lugar a en
ordem d'aquelles que provam de mais. As con- armas.
clusoes nao sao filhas das premissas. I Muitos officiaes e soldados regressaram aos seus
Estimaremos nao voltar a questao, havendo mui- lares.
to ainda que dizer sobre ella. Trezentos prefenram ir servir o novo impera-
Somos afeicoado ao digno Sr. presidente do tri- dor do Mxico.
bunal do commercio, e como para estreitar mais Cento e cincoenta foram servir no exercito pon-
os limites da discussaopode alguma cousaescapar, tiflcio.
que do margem a interpretacoes desagradaveis, Os officiaes passaram ao servico da Austria, po-' Jos de*Gouva.
recooherendo nelle honra, intelligencia, probida- rm nao Ihes serao reconhecidos os postes seno ; Offlciou-se ao Sr. desembargador Caetano San-
jvantajosae-cabalmente nossa epiniao.sem carecer-; de, dignidade, e zelo pelo servico publico, e a mais passados dous annos e com previo examc. tiago para vir receber este feilo em que juiz
mos entrar em maiores demonstracoes. completa independencia, unida a urna longa
lugar a entrega das
Foi reforrmada a entenca appelhida.
Appellante, Antonio Alves de Carvalho Veras ;
appellado, Joaquim Jos Ramos.
Sorteados os Srs. denotados Lemos e Rosa.
Relatado o felto pelo Sr. desembargador Vil-
lares.
Conflrmou-se a sentenca apnidlada.
Appellante, Jos Francisco Pinto Guirnaraes ;
apiellado, Gabriel Soares Raposo da Cmara, co-
mo administrador de sua mulher o tutor de suas
entcadas.
Sorteados os Srs. deputados Rosa e Malvcira; e I
jurando este suspeicao, foi sorteado o Sr. depurado
Lemos.
Relatado o feilo [telo Sr. desembargador Silva
Guimares. I
Apresentada a preliminar de prescripcao foi,
ella desprezada com o voto do Sr. presidMA: e:
entrando no merocimento da causa forroifir-
tnada a sentenca appellada com o voto do Sr. pre-
sidente.
DESIGNACO DE DIA.
Appellantes, os curadores fiscaes da viuva Amo-
rira & Filhos; appellados, Henrique Ochoa Hijo Ai
Conip.
Appellantes, os curadores de Ainorim, Fragoso, |
Santos & C.; appellado, Jos Francisco Bar-
rote.
Appellante, Antonio Jos do Siqueira ; appella-
dos, os administradores da massa fallida de Joao
Jos de Figueiredo.
Designado o primeiro dia til.
PA.SSACENS.
Appellante, Antonio Pereira de Carvalho Guima-
res; appellados, os curadores da fallencia de Joiio
3.* O pagamento ser efToctuado em ama s
prestace, quando estiver concluido todo o ser-
vico.
4/ Para o que nao estiver especificado as pre-
sentes clausulas, nem no orcamento, seguir-se-ha
o que dispoe a lei provincial n. 286.
Conforme.
A. F. d'Annunciarn.
Pela thesouraria provincial se faz pblico
que a arretamacao dos reparos urgentes da pon-
teslnha denominada do Guerra, no 3 lanco da
ramificacao da estrada do sul, para a villa do Cabo,
foi transferida para o da 19 do crrente.
Secretaria da thesooraria provincial de Pernam-
buco, 12 de novembro de 1863.
O secretario,
A. F. d'Annum iiirnu.
Pela thesouraria provincial se faz public, qne
a arrematacao dos reparos da ponte do Dico-Plia
na estrada do Pao d'Alho, foi transferida para o dia
26 do correntc.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 14 de novembro de 1863.
O secretario,
.4. F. d1 Annunciaro.
DECLARARES.
pra-
corto.
Percorrendo-se toda nossa egislaco nao se en- tica, ficamos aqui; e Ihe pedimos desculpa por ir- Milito a proposito diz um jornal estrangeiro que I Appellantes, os curadores fiscaes da fallencia de
contra urna s loi, aviso, decreto, ou assento, que mes fra da opiniao sustentada pelo Sr. Juslns em o seculo XIX poder, no futuro, chamar-se o soculo Seve, Filhos 4 C.: appellado Bcrnliard Spiro.
cunara aes presiden-es dos ribunaes do commor- apoio da de S. Exc." para quem s temos motivos I dos congressos. DoSr. desemliargador Villares ao Sr. desembar-
co a faonldade de provr solicitadores on advo- de attencao. Em pouco tempo houve os seguintes congres- gador Silva Guimares.
gados (ra o juizo commercial, encoiara-se ao con-1 Rsparticao da polica : sos : DisTiuimiroVs
trano probibicao implcita por torca virtode do, (Extracto da parte do dia 17 de novembro). O dos principes, o dos gymnastas,o dos diploma- Recrreme, Jos Tiburco dos Santos recorri-
pro|M-M'cargo, cujas attribniges na licito exoe-j Foram recolhidos casa de detencao no dia 16; ticos, o dos espiritualistas, o dos catholcos, o dus do, Antonio de Souza Ribeiro.
der. do .correntc : j jurisconsultos, o dos jogadores de xadrez, o dos
O regiment das cusas marcou emolumentos aos | A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Za- mdicos, o dos agricultores, e o dos orfeonistas,
presidentes das relacoes petas assigoaturas das pro-' charas, pardo, escravo de Francisco Geraldo Mo-' etc., etc.
visees .para advocados e para solicitadores. O reir Temporal, para correcca.
bro do anno passado aptiuhalou mortal e publica-! decreto 1,597 do primeiro de mato de 1853, diz a-! A' ordem do subdelegado do Recife, Jos, afri- O Wanderer de Viertna, d conta de urna sesso
mente o honeste capitn Prophirio Gomes Coiinbra, penas no art. %, que es emolumentos dos juizes e! cano, escravo de Agostinho Ribeiro da Silva, re- da municipalidade daquella capital, em que se
de qne esteve mrte, e de que ainda nao est I tribunaes do commeroio. e as custas dos processos ] queri ment d'este. tratou de decidir se a cidade devda tomar parte na
O chefe da 2* seccao,
./. G. de Mesqtita.
Mevimente da casa de detencao do dia 16 de
novembro de 1863 :
A saber
Existiam . 347 presos.
Entraram. . 6
Sahiram . 10 >

Nacionaes. . 245 presos.
Estrangeiros . 25
Mulhcres . 8
Estrangeiras . 3
Escravos . 58
Escravas. . 4 >
343
escapo.' (Jue o jurj o absolvesse, nao seria i sto de respectivos, sero pruvisorianietfte as mesmas, que
admirar, atienta a oumipotenra do noeso vigario: se eercebem no civcl pelo decreto 1.369 de 3 de
mas, que se nao appellasse de sua decisao, cousa < marco do mesmo anno de 1835.
digna de severo reparo Deste modo, tada dia es- j D'ahi se t que este novo regulamento dos tm-
caceam as garantas para o idadao pacifico, cuja bunaes do-commercio nao deu aos presidentes dos
vida corre a merc dos malfasejos, qoe, escudados -tribunaes os mesmos emolumentos que competen)
na impumdadc, nao trepidarao nunca diante do;4s presidentes das relacoes, Tazan tambem porque
pensamente do mal t i nao Ihes deu todas as mesmas attribuicoes, que
Que U>e dire sobre a ele4co? Correndo noticia "conipetem a estes.
na vespera que o capito Baptista, oamo Io juiz de por tanto evidente, que os presidentes des tri-
paz, ia presidi-la,o major iarros Palco gritous bunaos nao percobem legalmente os emolumentos
armas, c desde lego proclamou que nao ficaria vi- pulas pro visees que por ventura derem i selicita-
vo um s verml'to, e que o seu tesUimento estaca dores. A lei s fallou dos juizes e tribunaes.
j feo Diz o Sr. Jtutvt, que o aviso de H de jnnho de
O juiz municipal, qiK alias nao tem proced- 1855 nao lira aos presidentes dos tr*unaes do
do mal aqui, prevendo desaguisado serio, eiupr-e- commercio a faculdade de provisionarem aos soli-
gou todos os meios de affastar o capito Baptista eitadores, e que o que se conclue da doutriiia deste
da presidencia da eleicio, c com effeito o censo- aviso, .que o titulo dado polos presidentes das re-
guio, j quando o major Barros liavia postado pi- laees habilita os solicitadores a requerorem ontro
quetes em tudas as etitradas da villa! Turnando aus presidentes dos tribunaes do commercio para o
conta da presidencia da mesa o 4o juiz de paz, J foro commercial.
est kttando :om alguas invisiveis, nicos votantes E entretanto quem diz e sustenta semelhante
que comparecern!; de modo qee a matriz est\a- doutrina.- que magistral e peremptoriamente diz,!
sia, tendo somonte porta as guardas prelerianas 1 que aportamos o negocio de tal forma com a dou-:
Tora isto o norne lio elei^o ? Duvido. Ornes- trina d'aquelle aviso, que ficou subalterno um dos Alimentados custa dos cofres pblicos 139
mo major Barros est wuito iadispostocora o capi- dous empregados de que se trata, sendo ambos de Movimento da enfermariado dia 17 de novembro
tao Azevede, a quem-j deu ordem que stguisse igual calhegoria. corrente :
para essacapitaJ: tarabem csto muito desavindos Sustentar aquella doutrina, deque necessario Tiveram baixa :
o Isidoro Mascareotos e o Quedute, sem embargo ao soliciudor que seja previamente prvido pelo Joao Barqueiro da Silra: ruenmonia.
dos esforros que o digno juiz de direito tem einpre- presidente da relacao. que tornar subalterno c Benedicto (escravo) de Augusto de Oliveira ; feri-
gado para congracar estas duas influencias do-dia, secundario, o presidente do tribunal do commer- das eonluzas.
indo at^Jtflttr em casa do Isidoro, levaude coinsi- co, que se tem, o que Ihe negamos, o direito de Passageros do vapor nacional Tocanthu,
go o Quedute, o qual, apesar disto, se uiostra mui- provisionar solicitadores, o tem imperfeito, c lmi- vindo dos portes do norte :
to indignado contra o mesmo Isidiiro, vigario eou- tado, o que absurdo suppo-lo e onsidera-lo. Dr. Antonio Alexandre de Sonza Carvalho, Ole-
tros a quem qualifica de traidores. Ha qucni-diga De iguaes eathegorias sao todos os senhoros de- gario Ortiz da Silva Rios, Dr. Henrique do Bar-
que o Quedute tem razao, etc. sembargadores, quer estojam adjuntos ao tribunal ros c 1 criado, 2. tenente Alexandre Rodrigues
Pede-nos a seguinte publicarlo a pessoa que do commercio. quer com effectiviade na relacao. de Souza, Joaquim Jos Avellino, Antonio Jos
por esta Revista enoetou esta discussao : A qualtdade de presidente d'aquelle ou deste "tri- Rodrigues de Souza, Germane Francisco d'Ohveira,
Srs. redactores.Como V. S. dando publiaidade bunal nao constitue grao de superioridade de uns II.Tculann Jos d'Almeida, Dr. Antonio Fernandes
a uotnaa que Ihe fornecemos acerca dos w.liosis- sobre os outros desemliargadores; assim Como Tiigo de Loureiro, Francisco Jos Soares, Isabel
saos serrieos prestados p-jlo digno presidente da nao sj superiores aos deputados os presidentes Rosenda de Mello, Joaquim Jos Rodrigues da
relacao desta provincia bem do melhora- das asserablas, nem dos vereadores os presidentes Cunha, Laurindo Peregrino Bandeira de Mello,
ment do furo, iafelizmonte anda entorpecido das cmaras et sic de ceteris. M-anoel Joaquim d'Almeida. Miguel Garcia Alves
por causas, que do prompto se nao tem ,podi-; O que nos encommoda porm que no juizo de lima, cnsul hespanhol Juan Busson, Fabin
do remover, tendo aquella noticia, que nada commercial julguem e decidam dos feitos conten- Saplim, Guseppe Acetd, 1 soldado e 2 desertores
mais-era do que um merecido louvor ao meri- j ciososes deputados commerciaes, que nao sendo
to, motivado as ofcscrvacoes do /rfe estampadas, proltssionaes, parece que seus vetos deveriam ter
em seu registro noticioso do Diario de fsmmm outro valor. Mas eradm, a lei deu-lhes a mesma
eo n. 2 5 do correntc mez ; de jusiiea e torca e vigor que deu aos votos dos adjuntos, c
eiiiiJU.'tr.o for l"i, eniiipi a-.-e to iiilen\-imt'lit*- CO-
mo manda. Achamos iix'onstitncionalidade em tal
disposicao segundo nossa humilde opiniao.
Sao chamaremos com o Sr. Unstus comezinha a
questao relativa ao direito que se presume o Sr.
A' ordem do de S. Jos, os pardos Manoel Fer- celebraco do anniversario da batalha de Lepsck.
reir Cesar, e Rosara Mara da Conceicao, ambos; No debato qne se agitou a este respeito, um ora-
por disturbios. dor disse :
A' ordem do da Boa-Vista, Manoel Felippe da j Nao em honra da batalha de Leipsick,
Hora, crioulo, e Albino, africano livre, ambos para. em honra da batalha de Solferino, que se deve ins-
correccao. tftuir urna festa popular, porque foi o ponto de
na assembla, comtudo a votaco deu urna minora
de 11 votos contra a proposta para a celebraco
da festa de Leipsick.
Onze pessoas comprehenderam que para as na-
Coes ha anniversario mais gloriosos que os de urna
victoria alcancada sobre o immgo.

A municipalidade de aples votou fundos pa-
ra se levantarem naquella cidade duas estatuas,
urna ao rei Vctor Einmanuel e outra a Garibaidi.
Depois do combate de Aspromonte, provavel
que nao seja muito agradavel esta camaradagem
ao here de Marsalla.
at oV. hnmanidade, que nos permuta a faculdade
de susientarmos a opiniao, queja emitimos, quan-
do dissemos, que os presidentes dos Httunaefl do
commercio, nao podem sem exceder as attribui-
coes e funecoes proprias de seu emprego, conce-
der provises solicitadles, e percetier as braca-
gens corre.-pond.-otes, as quaes somente ocuipetem
aos presidentes das relatos canforme o reginiento
de 3 de marco de 183a', que est em seu intoiro
vigor.
Felizmente foi este o unice ponto de noeso pe-
queo artigo, quomereceucontesagae, o que con-
firma a verdade de tudoo mais que' disemos.
Apreciemos, pois, as observaoSes do 8r. Jsutm
cora o necessario comedimonto, ijuo reclama a im-
portancia e gravidade da materia, e a caftegoria
e importancia das pessuas a quem ella e refere.
liiio&r. Justas, que fallamos do onflieto de
jurisdici'o. que tem do apparener entre os dous
Exm*. eonsolheiros presidentet
e 1 voluntario.
Soguera para o sul:
Dr. Antonio Jos Moreira, sua senhora e 3 cria-
dos, Dr. Scverino Alves de Carvalho e 3 escravos,
4.- tonente Antonio da Silva Teweira. 1." tem.,
Joiio Baptista d'Olveira Montaury, Dr. Joaquim
Marcellinn de Bnto, Jos Vicente de Fignein*do,
Sebastio Jos Soares, Crispim Theodoro, alferes
Joie Soares Xciva, cadete Antonio Pinto de Mo-
irartida de urna nova era poltica.
Ao Sr. desembargador Villares.
Appellante, o Dr. Felippe era Collaco 4 C. ,
appellado, Geraldo Henriquesde Mira.
Ao Sr. desembargador Silva Guimares.
AOORAVOS.
Aggravante, D. Aloxandriua Duporron ; aggra-
vado, Osear estil)emx.
O Exm. Sr. conselheiro presidente dou provi-
mento.
Aggravante, Antonio Goncalves da Silva ; ag-
gravados, Kalkuian Irnios & C.
Deu provimento.
Aggravante, D. Francolna Amalia de Souza Ra-
mos ; aggravados, os administradores da massa
.* .- >.....* .,_. n VIM ('\'IHH it. IHI.- il^^lilillll".-, 17."* IllillillUiHflUWt'.'
Estas palavras produziram alguma impresso' fallida de Jos Antonio da Silva Araujo.
Nogou provimento.
Nada mais se pode tratar e oncerrou-se a sesso
3 horas da tarde.
O novo banco de Pernambuco convida os
credores das'massas fallidas de Mosquita & Dutra,
c Francisco Antonio Correia Cardse a apresenta-
rem seus titules no banco para se proceder a res-
pectiva verilicaco.
Tribunal d com ercio.
U Exm. Sr. conselheiro presidente do tribunal
do commercio, manda que se publique a soguinte
disposicao do art. 702 do regulamento n. 737 de 25
de novembro de 1850.O official de justica que fi-
zer citaco, ou qualquer acto ou diligencia contra
as formulas proscriptas neste regulamento, ser
punido pelo juiz, perante o qual servir na conor-
midade do art, 314. 0 mesmo regulamento esta-
Neleee as formulas das citamos no cap. 2 tit. 2*
art. 80 at 59, sendo que-^illegal qualquer inno-
vacaoou alterado ordenaaa^eto juiz, cunsentindo
que se pratique o que a loi prohibe, e manda pu-
nir. Secretaria 16 de novembro >de 1863.
Julio Guimares, /
Secretario. >
./
DO
presidente do tribunal do commercio de poder pro- raes Castro, Joao Antonio Rodrigues
visionar solicitadores : ao contrario urna ques- gue! dos Santos Gonsalves, Henrir
Martins, Mi-
...que Alves de
tao de murta importancia, pelos seus resultados : Carvalho, Francisco Candido Viegas Gomes, Mi-
porm simples jior se actor definida na legisla- gnel Francisco Monteiro, 52 pracas do exercito e
a"; armada, 16 escravos, Jos Candido Duarte.
E nem se diga que o aviso de 25 de maio de \ Passageros do patacho nacional Dous de
iaj7 favorece a opiniao queco amatemos. Este aviso : Desmibro, vindo do Porto Alegre : Joao Bap-
ncm se quer tem applicaco a materia; elle es- tista Francoes e Jos G
dos tribunaes da j tancia.
relacao c do commercio, por entender o Sr. pres-: igualdade do calhegoria.
dente deste, que tem a faculdade de provisfOBOT Mas desde que a lei citada, artigo 704 do regu-
solicitadores para o excepcional e especial juizo do lamento 737 do 25 de novembro, mandou que fos-
Gaspar.
- Passageiro da barca franceza Sphere,
do Hvre : Joao Gandel.
viuda
UW POUCO DE TUDO.
se trata nao futuro
existe, desde que loi dada
desdo que fui mandadatgegjstrar na secretaria Uo
tribunal do commercio o primeiro titulo de baeia-
espe-
pccial ac caso de poderer s presidentes dos tri
bunaesca commercio coni^eder licenca at trinta
, das ai oesembargadores adjuntos; porque s el-
; les pedan anliar da conveniencia ou inconvenien-
| cia resultante de taes licoucas. sempre aviso.
O tribunal do commercio e juizo de segunda ins-
incia, como a relacao, e isto o que constitue a Do Nain Jaune tradozimos o seguinte
As pessoas que tem a bondade de lr os jornaes
nao polticos, nao imaginam as difficuldados sem
numepo, que euconlra a cada posso o pobre que
os redige.
Se tendo de elogiar alguma cousa, hesita um
' pouco,.ai dellc t
elle e acta ou presente, e( daos. Se roubado, envenenado em algum botequim
pa uw cumpre que seja removido; jionjueelle | Ate pelas Jis fiscaes nao podem ser obrados os do passeio, tenha cuidado de calar-, alias o' in-
9,e impostes em duplcala: e assim o solicitador que dustrial promover um processo, e o ganhar.
|iauu novos e vclhos direitos |K>r urna provise S osSuissos admittem prova em materia de dif
temporaria sucedida pelo presidente do tribunal /amacao.
|iagar os j E o" qne a dilTamacao '
la
- pelo presidente do
lamoemiioe o exacto que brmassemos nossa .tribunal do commercio.Vo t in idem
opiniao s">ente_ no Ilustrado aviso de 11 deju-l Eis a intrega do aviso em que o Sr. Justas se
nho de 18aa. iei nai pronria le ou decrete n. 398. firniou. O publico ver que elle nao favorece a
de 21 do dezembro de 1844, que creou essa entida- opiniao que se.auer sustentar
de solicitador de cansas desconheeida pela le- N. 187. Ministerio da justica. Aviso de 25
gislacao antiga em que mais nos fundamos, citan- de maio de 1837.
do apenas o aviso em apoio de nossa opiniao. Foi presente a 3. M. o I. o offiew de V. S. de 13
Condemnaraos a
re formado, para quepodesse seu dono ser admit- da relacao, aao pode ser romprilido 3
tido a advogar e procurar no juizo especial docom-! mesmos impostes pela mesma -causa, isto pela
mercio e parante o tnbucal respectivo. proviso que Jlie concedida pelu presidente de
Condemnaraos a jurisprudencia dos avisos por do mez antecedente, em o qual participa que posto tado. me o
nao terem torca obngateria ; o s os aceitamos, ihe pareraser de sua atitribui.-ao conceder licenca ce^ nao h
pela razao delies, quando accorde a loi e aos prin- at 30 das aos dcsembagadres adjuntes desse 30 f'r que
opios immutaveis do direito. E se assim niio r de tribunal do commercio. vista das razoes queexpen- i D'ahi tir
razao, cumprao Sr. Justus todos esses avisos, cu- de, com ludo cumprira a que Ihe fra apresentada a vordade
jas doutrinas e razes repugnara entre si sobre a peJo desembargador Jos Ferreira Souto, adjunto
mesma materia, se de tanto fr capaz... ; do mesmo tribunal concedida pelo presidente da O seguin
E' a verdade apezar'da lei, dizem osSuissos.
O que anda a diffamaco.
A dlffamacao a historia.
Nao se pode escrever a historia contempornea
eis tudol
Se dizeis que vos depennarain em algum hotel,
condemnar-vos-hao a 100 fr. de multa e a 200 do
perdas e dainos.
Se telo contrario publicaes, que tostis bem tra-
dono do hotel um homem conscien-
ha lei que vos faca ganhar por isto os
que perdestes poraquillo.
D'ahi tira-se a ooncusv preciso, para dzer
ser rico, hbil e corajoso.

Para que nao andemos nos ares, cumpre, que
escrevaeaos os avisos e leis a respeito da questao
vertente, para iu^ possamos ebegar a una eon-
j'lusao lofjca e jurdica, sem emprego da iuterpre-
l'utio plksophica do Sr. Justas, a qual se torna
absolutamente desnecessaria, quando temos lei
paracumprire razan para discernir. Legeos luihe-
tnus, et i/tud kx nomdestigui, mr os (dstinyueie
debr mus.
Ponamos de partoaord. hv. tit. 48 % 4 e 19
que se refere aos amigos chanclleles, e a faculda-
de cpie tinham de prever advogados-ou procura-
dores judciaes, porque ninguem ha queduvideque
essas attribuicoes dos chanceileres pasaram aos
_0 eguinte dialogo teve lagar entre duas corte-
zaas celebres.
Nao sabes, mintia querida ? Anna vai agora
a missa!
E' que Ihe fizeram crer, que o sacristao aca-
ba de ter alguma heranca.
pelo pres
relacao dosa provincia, pedindo atina! ser esclare-
cido nessa materia.
Ouvido o conselheiro presidente do tribunal da
capital do imperio a tal respeito, e couformando-se
o mesmo Augusto Senhor com o parecer deste,
manda declarar V.S., que, noobsunte deixar
o regulamento n. 1,597 do 1." de rnao de IfSS de Traduamos da Ckronique de TOvcst o qne se-
dar exfiressamcnte aos presidentes dos tribunaes gue:
do commercio a altribuicao de conceder licencas Os habites democrticos propagam e desenvol-
ate 30 das aos desembargadores adjunctos delle, vera o individualismo, que nos etpoe aos perigos,
e aos juizes especiaes do commercio, semelhante que correra um cortieo sem a abelha mestra : ca-
attnbiucao de sutientende por torca do cargo ou- da abelha s4 trata de si, e nenhuma trata do en-
thorgado pelo sobrodilo regulamento, combinado xame.
com o de S de Janeiro de 833: nao podando ser
^"IVrt- h ,- a. ... ,______,- .o deouo ."{ 'nP circumstancia de nao fa- que no p e nio no cimo da montanha que se
zerem falta ao servico, os desembargadores adjun- est ao abrigo des foraroes e dos raios do sol.
tos, que as solicitara, so os presidentes dos tribu- *
naes perante quem serven podem avahar essa fai- Um dos mais etactos e melheres pegamentos
te, e nao os presidentes das relacoes, de cujo effee> de Sneca este : Pances tem! servUus,multi ser-
vo serano estao despensados polo art. 27 do cu. vitutem tenent.
regulamento do 1." de maio de lfcw, sendo como
sao todos os tribunaes de igual calhegoria, e func-
conando destinctamente. O que communico V. A poca, de Madrid, publica o segninte
S. para sua intelligeneia, eem resposta ao seu so-, Continua-se a recefcer trislissimas noticias das
bredito ofOcio. desitracas pessoaes e desastres causados pelo tem-
Ueos guarde a v. S. Francisco fioao Pereira poral na Catalunha.
de Vasconeellos, Sr. Manoel Messias de Leo. As que hqje transmiti o telegrapho de Vch in-
Temos dado as razoes de nossa conviccao; e fundem espanto, e nao podemos deixar de implorar
agora s nos resta dizer ao Sr. Justus sobre a per- a favor das infelizes familias, que foram victimas
Elle o explica phenomenos contemporneos.
O decreto n. 398 de 21 de dezembro de 1844.
que citamos em nosso primeiro artigo, concebido
estes termos:
Tendo em vista o disposto no arL 22 da desp.
prov. acerca da administrante da justica civil, e no
$ 12 do art 102 da consL puL do imperio, he por
bem decretar o seguate :
. Art. I" Os solicitadores Ue numero das reJa-
.oes, os continuos e es officiaes de justica delias
serio d'ora em diante prvidos pelos presidentes
das relacoes.
Art 2. Para ds provimentos se fario perante
s mesmos presidentes asjprovaoeas de idooeida-
de ua forma das leis; e os provimentos dos soli-
citadores sero temporarias ou sem tempo deter-
miiudo, como parecer aos mesmos presidentes, que
nao passarao as respectivas cartas aos prvidos commercio pelo dec' 1,597 do i. de maio de 1857 clama,
sem que tenham verificado o pagamento dos novos. como sejam as de decidir e julgar os aggravos de, Eis aqui o telegramma que hoje nos cheo i
e yteos direitos na forma das leis e regulamentos. petico e instrumento, cartas testemunhaveis, voto; Barcelona 10.Houve grandes desastres em
Tik ^ nao poz em duvWa "ireit0 cante- de qualidade as questoes commerciaes em 1* ins- Vich em resultado dainnundaco do rio Melde
lTvm-^T */ da- mMmP*K>*"e *nca, destribuir as appellacoes pelos adjuntos. Desaliaran! multas casas. .HouveT36 morios e tV
7rwai -jm^L* W <80 jul-1 er o sello do tribunal para sellar as sentencas ex- ram recomidos outros 16 enterrados entre mi-
vftm ,,.. cllaao d0 decrete si |P7porque ella trabidas dos accordos, expedir em seu nomo por-1 as. Sao muitos os feridos e contusos. As ras que
1't\2.... 5 B" confe- tanas e ordens para a execuco das decisoes do, soffreram sao as de S. Franeisco; Bemedk e Tene-
gunta com fuw nos honrou, que as altas attrbui- de tao terrivel calastrophe, os auxilios promptos
! ces conferidas aos presidentes dos tribunaes do efficazes que a sua desventurada situaco n
t
re-
(.mu MI M( ll'U.
SESSO EXTRAORDINARIA AOS 26 DE OUT-
BBO DE 1863.
Presidencia do Sr. Barros Reg.
Presentes os Srs. Reg e Albuquerque, Gustavo
do Reg, Mello, e Gameiro, abrio-se a sesso, e foi
lida e apprevada a neta da antecedente.
Lu-se o seguinte
EXPEDIENTE:
Um officio do subdelegado do Becife, Luiz An-
tonio Goncalves Penna, communicando ter entrado
em exercjco d'aquelle cargo em 23 do correte
Qne se aecnsasse licar a cmara sciente.
Outro do contador, informando a petico, em
que Joaquim Cava lean te de Albuquerque Lins,
arrematante da obra do muro do cemiterio da fro-
guezia de S. liourenco da Matta, pede o pagamen-1
to do excesso de materiaes empregados na mesma
OMB, declarando que o artigo 32 da lei provin-
cial n. 366, manda que a cmara pague o que jul-
gar dever ao arrematante, e segundo o officio di-
rigido presidencia em 21 de julho do anno pr-
ximo passado, reeonheceu a mesma cmara tr o
dito arrematante diroite a quantia de 1:1885000.
Mandou-to pagar. -"-^
Outro do fiscal supplente em exercicio da fre-
gueza do Becife, informando contra a pretenco l
de Domingos Rodrigues de Andrade, relativa-1
mente a ser desonerado da multa que pelo mesmo
fiscal Ihe fra imposta por ter infringido o artigo
10 do tit. 1 i das posturas de 30 de junho de 1849, >
I'osto em discussao, o Sr. Mello pedio a palavra,'
e disse que o fiscal assim devia informar, visto que
Bina vez feilo o termo de adiada, a cmara j mais
poda obstar que se procedesse contra o infractor,
por que bem claramente assim se explica a dispo-
sicao do aviso n. 6o de 4 de julho de 1850, com
referencia ao de 2 de julho de 1840 ; e admirava,
pela leilura da acta pouco approvada, que a c-
mara tivesse tomado urna deliberacao contraria
ao disposto nos mesmos avisos, notando ainda, que
se deliberasse serem primeramente submettidas
cmara as infraccoes, para ella resolver se se de-
via proeedpr ou nao; neste caso se nao poda ac-
cusar aos fiscaes por que nao do multas em quan-
tidade como por mais de una vez se tem feito.
Lides os avisos citados, a cmara indefferio a peti-
<;ao.
Outro do fiscal da Boa-vista, informando a peti-
co, na qual Antonio Pereira de Faria requer para
cstabelerer um aoougue na loja do sobrado n. 92
da ra Velha; diz que com quanto exisla urna
|stura opiwndo-se a taes conoesses, acha-se sus-
penda a sua execuco, era vista do que parece-lhe
que presentemente nao pode ser obstada a licenca
pedida.fferio-se de conformidadecont a info-
maco.
Ni approvado um parecer da commisso de edi-
icaces, no sentido de se desapropriar o muro do
quintal da casa da ra do Jardim, pertencente
Jos Francisco da Trindade, mandando-se ordem
ao procurador alim de informar se ha quota para
tal dcsapropriaco.
Foi apresentdo outro da commisso especial
encarregada de examinar o terreno da ra da
Concordia, onde pretende a cmara construir o
seu paco.Fioouaddiado em cordeador apresentava a llanta do mesmo terre-
no, para o que se Ihe mandou officiar.
Autorisou-se ao procurador, para de accordo
com o advogado, procurarem o meio mais rasoavel
de ser indemnisado Bazilio Alves de Miranda Va-
rejao, das custas pelo mesmo pedidas.
Despacharam-se as peticoes de Antonio Pereira
de Faria, Antonio Jos Bitanrourt, Dr. Antonio Jo-
s da Costa Bibeiro, Bemardino Jes Monteiro,
Bazilio Alves de Miranda Varejao, Domingos Fran-
cisco Regs, Domingos Ferreira Cavalcanle, Fran-
cisco de Barros Correia (2), Joao Francisco de A-
morim Lima, tfoaquim Cavalcante de Albuquerque
Lins, Jeo Safares da Fonceca Venoso, Jos Fran-
cisco de Menzes Amorim, Joao Saraiva de Araujo
Galvo e Pedro Das dos Santos; e levantou-se a
sesso. \
Eu Francisco Canuto da Boa-viagem, secretario
a subscrevi-^emo Reg, presidente. Henrigues
da Sdva.Ganteiro.Reg.Barata de Almeida.
MeUo.I/tal Sve.
PUBLICARES A PEDIDO.
As crianzas ftagelladas por affee
{oes verminosa
sao promptaincnte allviadas medante urna s dose
das pastilhas vermfugas de Kerap, cujo aspecto
tao tentador e seu sabor tao gostoso que as crian-
cas nunca chegam a recusa-las por mais que fo-
rem offerecidas. Estas admira veis pastilhas sao
grandemente procuradas por quatro razoes
nao contem mineral aljom;
nao exigem os depois do aperientes ;
produzem o objecto desejado sera causar a
mmima dor ou encointnodo;
as criancas geralinente se acham inclinadas
a tomar mais do que aquelle numero indicado.
Nenhuma mai que deltas tenha feito uso urna s
vez nao admttir nenhum outro vermfugo em
sua casa.
A' venda em todas as bolisas e lojas de drogas
do Brasil.
NOVO BANCO
DE
PERNAMBUCO
EM 17 DE NOVEMBRO DE 1863.
O banco desconta na presente semana a oito por
cont ao anno at o praso det quatro mezes, e a dez
por cento at o de seis mezes,,
Alfaodega
Rendimento do dia 1 a 16.......
Idem do dia 17.................
195:084524:i
22:845*722
M7:929#967
Moviineuto da alfandcsa
Volumes entrados
Voluntes sahidos
com fazendas.
com gneros..
com
cora
fazendas.
gneros..
203
94
161
301
216
Descarregam no dia 18 de novembro.
Patacho inglezLupwingi-farinha o mais gneros
Brigue inglez Henrietta bacal bao.
Lugre inglezZezine mercaduras.
Barca francezaSp/i/T-mercaduras.
Patacho americanoRid Wing farinha e gneros
de estiva.
Brigue inglezBillnfarinha.
Barca inglcza-StW/u baealho.
Recebedorla de rendas internas
Pernambuco.
geraes de
Bendimento do dia 1 a 16........
dem do dia 17.................
14:5395136
6105809
!5rlW|036
rio igual direito aos presidentes dos tribunaes do
commercio, antes um tal direito Ihe expressa-
mente vedado por d*M mmio e assim que
se deve entemfci mB|reg. n.'TW de 25
de novembro de ISSD^em Wo|Pipplicavel qnes-
to vertente; ati este artigo :
tribunal, julgar as suspeices de sua competen-
cia, dirigir os trabalhos, manter a ordem e fazer exe-
cutar as Uis e regulamentos commerciaes na parle
conienf iusa e na parte administrativa ; a do sus-
e advertir os empregados e promover a res-
IBdade destes etc. Bem como a de no-
rias.
,iA "i ",":,-----"" k H i .ua.ii; m-Mra f.%K. oeiii comu a ae no- anaKSBearc. so levantara naqi
' Alm de advogados nomearao sempre as par-1 mee* dous continuos, e dous officiaes de justica, I numento a este famoso poeta.
No Commercio do Porto l-se o qne segu :
As noticias de Londres dizem que no da 23 de
abril de 1064, 300 anniversario do nascimento de
Shakspearc, se levantar naquella capital um mo-
CHROUU JtDIClAKIA.
TRinr.v.n. io ronm:K(io.
SESSAO JUDCIARIA EM 16 DE NOVEMBRO DE
\ 1863. ()
PRESIDENCIA DOCXM. SR. CONSELHEIRO F. A.
Vsonsa.
Secretario, hijtii Guimares.
Ajaeia hora da tarde, K Sr. presidente abri a
sess.to, estando reunidos os) Srs. desembargadores
Villares, e Silva Guimaraesi e os senhores depu-
tados Lemos, Malveira, Bosa e C. .ilcoforado.
Lida, foi approvada a,; acta da sesso antece-
dente. ,'
Leu-se c foi assignado ,'o accordo proferido na
ultima sesso, na appetaco entre partes :
Appcllant.% Antonio Gemes Pereira : appellado,
Antonio Duar.te Carncro\Vanua.
roto
Appellante, Vicente A
Barroca & Medeii 'os.
Sorteados |os Srs.. dei
Alcoforado.
Relatado o feito
Guimaries.
IRHTOS.
^s Machado ; appellado,
litados Lemos e Casemiro
lo Sr. desembargador Silva
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 16......... 20:471318'.*
dem do da 17................. 3:3645898
23:8365087
MaeiM entrados no dia 17.
Portos do norte8 das e 7 horas do ultimo por-
to, vapor nacional Tocantins, de 750 toneladas,
commandaiitc o i" tenente Pedro H. Duarto,
equipagem 52.
Porto Alegre25 dias, patacho nacional Dous de
Dezembro, de 451 toneladas, capito Joao Clin-
sostomo Jun r, equipagem 10, carga 4,700 sac-
eos com farinha de mandioca ; Amorim Ir-
mo.
Havre41 dias, barra franceza Sphere, de 325 to-
neladas", capitn Ribos, equipagem 16, carga dif-
ferentes mercaduras ; a Tisset freres & L
Rio de Janeiro9 dias, patacho dinamarquez Pol-
lux, de 313 toneladas, capito F. W. Sehusen,
equipagem 9, em lastro ; Sauuders Brothers
&C.
Aorio sonido no mesmo dia.
Liverpool por Macei-brigue inglez Zone, capito
I. unan, em lastro. V
r*) Repetimos a presiento sesso do tribunal J
commercio, por se hav/reur dado dous engaos
Os RR.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente provincia, manda fazer publico, que no dia
26 do corrente, perante a junta da fazenda da mes-
ma thesonraria, se ha de arrematar, a quem por
menos fizer, os reparos da conservacao da ponte do
Anjo, sob o ro de Serinhem, avahados em
4403000.
A arrematacao ser feita na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo copiadas.
_As possoas qne se propoterem a essa arremata
cao cornparecam na sala das sessdes da referida
junte no dia cima mencionado, pelo meio dia,
competentemente habilitados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 12 de novembro de 186.1.
O secretario,
A. F.da Annunciarao.
(ljnsulas especiaes para a arremaco.'
1." A obrJ sera exeoutada de conformidade com
o orcamento apl?rovaa'0 Pe, conselho na importan-
cia de 440300a .
2.* O arrematante ar;' principio a obra no praso
de 8 dias contados d w**3 oa rromataoao e a
concluir 20 dias depois.
BEBERTBE
Xh se leudo reunido numero legal
dos Srs. accionistas para ter lugar a
assembla geral annnnciada para o
dia 1G, sao nevamente co'idarins os
mi'siiins senhores a se reunirem no lia
23 do correntc ao uicio da do escrip-
lorio da mesma cimp;tnkia alim de
exaiuin -reui as cuntas do semestre lia-
do e o i|iie ron\em por em c\erucn rr*
hti vamentc a fundo de reserva|prevc-
uiudo-sc desde j que na conformidade
do artigo 16 dos estatutos a reuna)
lera lunar rom o mimen de accionis-
tas que rompa rece re hi ueste dia. Es-
rripiorio da t onipantii.i do Bcberibc
llideuineiuurod- iNliX
0 escripturario,
larcolino Jos Pupe.
C iHisellio aduiinistratifo.
0 consellie administrativo para forneci-
mento do arsenal de guerra tem de comprar
os objectos seguintes:
Para o presidio de Fernando.
1 garrafo com 2 caadas de Accol, 1 ar-
roba de agua taz, meia barrica de akaiade,
alvaiade lino i arrobas, amarello francez H
libras, rame tle ferro soriido 2 arrobas,
azeile doce para o servico da igreja t bar-
ril de .", broxas de caiar 3 duzias, pennas
deaco .'] duzias deTcaixas. carv5o.de -^dra
1 tonellada, 3 caivetes de _,.oiar pciiuas,
cera emvetlas de Ir libra 4 arrobas, colla
da Babia 2 arrobas, colla franceza 1|2 arro-
lla, cordas de embira branca para andaime
(iO, l'olbas de (landres dobradas 1 caixa,
1 dita de dita lina, fio de vela ^ arroba,
cobre em folba para cobrir rodas da casa de
familia 4 arrobas, enxadas porluguezas 200,
lencesde ferro sortido t, oculo de alcance
2, papel almaco greve 4 resma, dilo dito
dito paulado 8 resmas, pinceis ssrlidos 24,
pennas lapis 4 duzias, lapis de cor para
marcar t, poitas de embira branca 50 pe-
Cas, pedras de amolar t, ditas de aiar fer-
ramenta 2, ditas de fuzi para granadeira
300, pennas de ganco das de secretaria 200,
pregos caibraes 10 mil, ditos caixaes 10 mil.
ditos ripaes 10 mil, ditos de gnarnico 2 mil,
ditos de meia guarnigo 2 mil, dilos fran-
cezes de i e l|2 pollegada tt libras, ditos
ditos de 1 pollegada 16 libras, ditos dilos
dita de 1|2 pollegada lt libras, taxas de co-
bre 1C libras, taboas de louro 8 duzias,
trincal 8 libras, secante 16 libras, Unta ver-
de em maca 2 arrobas, verrumas caibraes
2 duzias, ditas caixaes 2 duzias, ditas de
guarnirao 2 duzias, ditas de meia dita i
duzia, vermelbo 8 libras, vidros para cai-
xilbos meia caixa, ditos para lampeo de
roa meia caixa, vinho branco engarrafado
10 medidas, zarco 1G libras, 1 sineta para
o servico das respectivas ofleinas.
QtiPtn qnizer vender taes objectos, apr-
sentelo as suas propostas em carta feixada
na secretaria do conseibo administrativo s
10 horas da manliaa do dia 18 do corren-
te mez.
Sala das sessoes do conseibo administrati-
vo para fornecimento do arsenal de guerra,
11 de novembro de 1863.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
Sebastio Antonio do Reg Barros,
Vogal secretario.
O hospital militar contrata o seguinte forne-
cimento :
Para as dietas e races
Arroz pilado, assucar rellnado, azeite doce, ale-
tna, araruta, bolachas, bolachinhas inglezas, e de
araruta, bananas," bisroitos, banha de porco, cafi
moido e de carece, cha hyson, chocolate, carne
verde, de porco, e salgada, doce de goiaba e de
banana, farinha de mandioca e de trigo, fejo
I preto, frangos, galinhas, leite, laranjas, lenha (em
"aflijas), manteiga, macarro, marmelada, ovos, pao
de ra>paes de 2, 4 e 6 ticas, rap, sal, sag, ton-
cinho d>Lisboa, talharim, vinagre, vinho do Porto,
de Lsboa^ranco e generoso, e velas de carnauba-
P "mediente e outros serviros.
Areia ~*-s lapis, lvros de 30, 100 e
200 folh.. paes) papel almaco pauta-
do, em res ^ ~.>^* hollanda, marca grande, em
cadernos, iinpfesso de mappas, baixas o ontros
papis, e pennas de ac; sabio branco e amarello,
vassouras de piassaba, velas decora e de esparma-
cete, e bichas hamburguezas, por aluguel.
Os pretendentes apresentem-se 11 da 20 do ror-
rente, pelas 10 horas da manhia, om suas pro-
postas, as qoaes declarem o me preco e que
se sugeilam ascondices dos prece .tes eontratos.
Hospital militar de Pernambuco, 14 de novem-
bro de 1863.-Oe9crivo
Jos Marcelino Altes da Fonseca.
De ordem do film. Sr. inspector da thesou-
nria de faeenda se faz publico que no da Vi do-
crreme, l horada tarde, estar em basta pu-
blica, perante a mesma thesouraria, para ser arre-
matado, a quera por menos fizer, o fornecimento.
d'agua potavel fortaleza do Buraco ; as ptame
i quem convier osobredito fernecimento deverao
comparecer na subrediu thesouraria a hora indi-
cada.
Secretaria da thesonraria de fazenda de Per-
nambuco, 17 de novembro de 1863.
Serviodo de moia-fliaior,
Manoel Jos Pinto.
^
/

< A

ILEGIVE


.. ... t
Mario de Pernanabuco Quara felra 1)
le Votrmhro de 193.
i
C oinpaohlfcde earvallarla de Per Para a Baha val sahir com muila breviilade
Bambuco. o veleiro patacho Jequitui^pac lar a luaior parte
Por aulorisacio da presidencia communicada da cai*8a engajada, para o resto que Ihe falta tra-
pelo (piarte! general do commando das armas em u'se com ^ consignatarios Palraeira & Beltro.
largo du Corito Santo n. 4, primeiro andar.
Acarae.
No dia 22 do mez corrente com a carga que li-
vor a bordo segu o hiato Sabraltnce, capitao Pe-1
reir : quem quuer carregar para o mencionado
porto dirijam-se a Caetano Cyriaoe da C. Moreira
& Irmao ou ao capitao.
Para o Aracaty
sabe at o dia 22 o hiate Nicolao I: para carga e
passagoiras, trata se com Patente Vanos & C.
Porto.
Vai salur com brevidade a muito veleira barca
portugucza Lima I, capitao Jos Francisco da Cu-
nha, por ter parte de seu carregamento prompto,
para o resto epassageiros trata-se com os consig-
natarios Carvalho & Xogueira na ra do Apollo n.
20, ou com o capitao na praca.
offleio de boje, tem a companhia de cavallaria de
vender en hasta publica 14 cavaltos no dia 21 do
corrente ao meio dia.
Quartel no Campo das Princezas 17 de novem-
bro de 1883. -Manoet Porfirio de Castro Araujo,
capitao commandanle.
OHHKIOGERAI,
Helar ao das carias seguras rindas do norle pelo
vapor < Tocantius- para os seiihores abaixo de-
clarados :
Dr. Antonio Kaulino de Soma Uchoa.
Dr. Antonio Itereulano de Sooza Bandoira.
Perreira & Martins.
Felippe Ouarte Pereira Filho.
Fraaoisco Goncalves da Justa.
Francisco Marcelino do Amaral.
Gaspar Jos de Miranda.
Jos Henrique Cordeiro de Castro Jnior.
Jos Leopoldo Bourgard.
Mek'hiadus Pereira da Silva.
Manoel Joaquim Hamos.
Silva A Genros.
Manoel Jos Fiuza Lima.
Haymundo Cutrim de Souza.
Pela administraban do correio desta cidade
se faz publico que hoje 18, as 3 horas da tardo, fe-! Para O Porto.
char-se-hao as malas que too da conduiir o vapor | o brigue portuguez Mexcuri; segu prestes pa-
TocantiH* com destino aos portes do sul. Os w- ra aju> anja recele algumu carga o passageiros a
uros at as t horas, e os jomaos at o meio da. (frete, para o que tem excellentes commodos]: a
Directora das obras militares.
A directora das obras militares tendo de man-
dar proceeer a diversos concertos e caiacao no
ouartel de Oiinda, onde se acha alojado o 4.* bata-
lliao de arlilliaria a p, convida s pessoas que
quizerem incumhir-se de taes copcertos e caiacao
a apresentarem suas propostas das 10 horas ao
meio dia, nos das 16, 17 e 18 do corrente mez, na
dita directora, onde itodenao receber os esclareci-
nientos du que necessitarem a respeilo.
Directora das obras militares de Pernambuce 14
de novembro de 1863.Luiz Francisco de Paula de
Albuquerque Maranhao, serondo de amanuense. s|0 ,h falla ,rata.se m osconsi(f.
- Quinu-fe.ra 19 do corrente, por ser a ultima Pa|[D>eira & m- do c San*0
praca, ter de ser arrematado depois da audiencia 4 Drnjpiro L-jTL r
do Dr. juiz municipal do tormo da cidade de Olin- *' Primeiro anaar-_____________________
da, e por execuejo de Thomaz Jos das Neves ron- "qiwi*"^"^WW*1^*^********^**^"*
ira o casal de Jos de Moura Borges e Francisca
Virgilia de Moura Uorges, os sitios o urna casa ao
casal referido pertencentes, e sitos ambos na estra-
da do engenho Fragoso daquelle mesmo termo, e
todos os bens cima avallados em 1:2005-
THEATHO
DE
M
v
pro.
eaaa torreo em cbSoa
prloa.
Seita-Mra 20 de corrente ao mel dia.
O agente Olimpio em seu armazem ra do Im
perador n. 10, vender em leilo urna casi terrea
em chaos proprios sita na travessa da Fundicjio
(bairro do Hecife) n 4, tendo 22 1|2 palmos de
fundo e 16 de frente, cosinha, com porta e janella,
rendendo mensalmente 84-
Os preteedeates podem eutenderem-se com o
referido agente para quajquer informacaq.
rausfcreBcia de leilao
K
Escravop, uiovels e joiaa.
O leilo annunciado para hoje da massa fallida
de Amorim, Fragozo, Santos & C, tica transferido i
para outro dia o qual ser annunciado.
Para o Porto
segu brevemente a veleira barca S. .WunoW //,
que tem engajado inetade do seu oarregamento :
Kra o restante e passageiros, a quem olTerece bel-
oommodos, dirijam-se aos consignatarios M. I.
Hamos e Silva & (euros, na do Vigario n. 10.1
primeiro andar.
tratar com Marques Barros & C, largo do Corpo
Santo n. 6, segundo andar, ou com o capitao Joa-
quim Gomes da Cruz. I
Para o Bio de Janeiro pretende seguir coia
muita brevidade o brigue nacional Almirante :
tem parte de seu carregamento prompto, e para o |
resto que Ihe falta, trala-se com os seus consigna-
tarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, no seu
escriptorio ra da Cruz n. 1.________________
Para a Hahia vai sahir com muita brevidade
a sumaca Hortencia. capitao Antonio Francisco
Monteiro, por ter a maior parte da carga engajada:
AVISOS DIVERSOS.
*. .. M.............. .....i ii---
A r renda-se o sitio denominad- dos
4 leoes na Soledade, com urna grande
casa de sobrado, coveiras de estriba-
rlas, tanques para banho c cxeelleale
agua, a tratar no mesmo sitio das 4
horas da tarde em diante.
O Sr. Jos Francisco Pinto Guimaraes, cirur-
giao pela escola real de eirurgia, de Lisboa, trans-
ferio a sua residencia par a ra Nova, n. 60, pri-
mere andar, onde pode sur consultado todos os
das uteis, das 7 s 10 horas da tuanli, acerca de
doencas denominadas rirurgicas ou externas, es-
pecialmente daquellas, em cujo tratamento mais
frequentemente interven! a medicina operatoria.
LEILQES.
LEILAO
DE
linPKKZV
1K
k. y MIARTE COfflfilU
HOJE
fmfll ftil 18 de novembro de 1863.
Reelta e\traordlnarla
EM
BENEFICIO DO ACTOR
Jos Antonio dos Santos Porto,
E DO PONTO DA COUPANHU
Jos Bernardino Corris de Barros.
Logo que os senhoros professorus da orchestra
toeart-m a ouvertura do costurae, subir scena o
drama em dous actos, intitulado,
SETE DE SETENBIIO.
Findo o mesmo o Sr. Penante e a Sra. D. Camil-
la, em obsequio aos beneficiados, cantaro o muito
lindo e sempre applaudido dueto,
Fazenda francezas e mliidezas.
HOJE.
f.als Irmaos farito leilo por intervenco do agen-
te Pestaa, de um variado sortiraento de fazendas
: francezas proprias do mercado como sejam : cas-
| sas organdys, casomiras para caiga e em cortes,
chapeos de fellro e de seda para homcm e senho-
I ra, meias, loras, marroquins, pentes de diversas
qualidades para senhora e para pentear, caias
para rap de immensas qualidades e muitos ou-
\ tros artigas que sao iudispensaveis ao sortimento
| do logista o que se acharao patentes ao exame :
quarta-feira 18 do corrente pelas 10 horas da ma-
nha no seu armazem ra da Cruz n. 51.
LEILAO
HOfE.
Qurta-fcira 18 do torrente s 11 ho-
ras na ruada tadeia n. ol armazem
DE
i m;i u-iiMi/o de louro de loja
de ferragem e de mn earro
e bol.
Pelo agente Euzebio se vender cm leilao pelo
! maior preco que se adiar urna armaeao de louro
propria para loja de ferragem, miudezas ou outro
', estabelecimento, e um carro e boi bastante gran-
! de e gordo, negocio este para cem mil res que
mais vale.
CKIIIKI.
Precisa-so da um, que entend de soroco de si-
tie tambem, dando-se 120 por anno e comida. Na
ra Nova, sobrado n. 23, primeiro andar, das 9
horas da amanhia at o meio dia._________^_
AlGA-SE u BOA CASA, KKESCA, I EM PTI-
MA POSigAO PARA SE PASSAll A FETA, .E TOMAR BA-
NHOS SALGADOS A TRATAR NA RLA DOS COELHOS
N. 5.
CASA DE SAUDE
im. Saal* Aaur
lo l,. sil va llamo.
nico estabelecimento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo-
que pode-com todo o commodo e zelo tra-
tar qualqacr doente, que nella seja reco-
lhido.
Oedifirio magestobo e conservase
em pereito estado de limpeza e conve-
nieiitemeuto mobiliado.
Osdoeotes sao separados, segundos
sexos, natureza das molestias e condicoes
sociaes.
Ha quartos fortiQeados para os aliena-
dos, e urna enfermara para as |>artu-
rienles.
O proprietario encarrega-se de qual-
quer operav'o.
O estabeleeimento franqueado qual-
quef pessoa que o queira visitar.
Priraeira classe 3000 diarios.
Segunda dita.... i&m >
Tereeira dita.... 2^000
Para que qualquer doente seja ali rece-
bio, basta que se mande o nomo do doen-
te e da pessoa que o remelle, com a de-
. claraco da morada.
O proprietario aceita oontralos aoauaes
com qualquer que queira ter um ou mais
leitos sua disposicao.
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2* andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
s3o medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias de olhos ;
2* de peito :
3o dos orgSos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de ollios.
Dar consultas todos os dias d s
6 as 10 da inanhaa. menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
AVOLTADOMABLXHEIRO
1UO
DE
Bu seguida representar-se-ha a nova e muito
'inda comedia em um acto, do Sr. Alfredo Hogan,
intitulada.
PILTOS NO CREDO.
PERSONAGENS.
i'antaleaj Penteado....... O Sr. Flavio.
Carlos Penteado.......... Penante^
Angosto de Azevedo...... Guimaraes.
Julio da Silva............ > Lessa.
Mariauu................ ^ Sra. I). Camilla.
luela.................. 1 D. fhilomena.
i 111 criado..............._ O Sr. Araujo.
A scena passa-se em Lisboa.
Epoea actual.
Dar flm o espectculo com a chistosa comedia
. m um acto,
OS IRMAOS DAS ALMAS,
na qual tomam parte os Srs. Thomaz, Santa llosa
Lessa, Guimaraes, e as Sras. DU. Camilla, Jesuiua
e Leopoldina.
Os beneficiados esperam receber do respeitavel
publico desta cidade, sempre prompto a protgel-
as arles, toda a coadjuvacao possivel, visto ser esta
a priin ira vez que recorran sua valiosa protec-
cao. j
Os bilhetes que restam estao desde ja no escrip-
torio do theatro disposicao do publico
('nini'pari :is K ho
l'ma casa terrea e um carro de 4 roas,
O agente Almeida far leilao por conta e risco;
de quem pertencer de urna casa sita na ra dos
Praierea bairro da Uoa-Vista, com salas e 2
quarios, cosinha fon. um grande soto com '.i \
quartos o urna sala, janella para o oito, quintal
murado com cacimba s e portao, a qual fui ac-
liada |ioucos dias, um elegante carro novo de 4 |
rodas com arreios: os pretendemos podem exa-
mina-lo na coxeira do Sr. Antonio, ra da Paz.:
Quima-feira 19 do correte,
As 11 horas do dia porta da associacao com-'
mercial.
Alusa-ao
urna boa casa com todas as coramodidades para
grande familia, com um sitia para passear perto
do banho, boa agua, s se aluga pela festa por (mu-
co dinheiro na Torre, e no mesmo lugar fallar
na padaria._____________________________
Aluga se a casa terroa n. 7 na ra Impe-
rial, com muitos commodos para grande familia :
a tratar na ra do Imperador sobrado n. 2, entra-
da pela ra de S. Francisco.
Carne
salgada
LEILAO
DE
em barris e cha
preto.
Quiila-frira 19 do corrente.
O agente Pestaa vender por conta de quem
pertencer 9 caixas com cha preto e barris com
carne salgada cm lotes vontade dos comprado-
res : (juinta-feira 19 do corrente s 10 horas da
manhaa no trapiche do barao do Livramenlo no
Forte do Mattos.
C/>
LEILAO
DE
C.oineear s 8 horas
Predios e aeces
O agente Almeida far leilao a requeriinento
dos adinininisiradores da massa fallida de Amo-
rim, Fragozo. Santes & C, e mandado do IIIni. Sr.
j Dr. juiz especial do coininercio, dos seguinles pre-'
, dios : urna casa terrea sita ra dos Pires n. 25,!
I com 2 salas, 2 quartos, cosinha fra, quintal mu-
! rado ; urna dita na mesma ra n. 27 com os mes-
mos commodos; urna dita na ra das Cruzas n.
I i. com 2 salas, 2 quartos, cosinha fora, com
quintal e soto ; urna casa terrea na ra do Pilar
n. 80, com 2 salas, 3 quartos, cosinha fora, quin-
tal e cacimba; urna dita na inesraa ra n 24,
i com 2 salas. 3 quartos, quintal e cacimba \ urna
^n^sr^^Zm- *! ** *2 ('uartos'
me seguir para os portos do nmtal e cacimba ; a quarta parte de urna casa
F i terrea na mesma ra com 2 salas, 2 quartos, quin-
'"i'.',i. .. ^..i.m c nutimim a nniriii.cA a'ta' e cosinha fra ; urna meia agua na ra dos
^ZSSJSEiSnS* ^rarapes, 39 com urna sala 1 quarto; um
das e (i.nhe.r.i a frete at o dia UaMl ho- Sl.Q J sa,a Q n
ras, agencia ra da Cruz h 1 escriptorio de An- ^ ^ 2 4 ]a
ionio Luiz de Oliveira Azevedo & t.
3-RLA ESTREITA DO ROSARIO -3
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artificiaos tanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
flqucm a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparacoes as mais acreditadas
para cooservacao da bocea.
___AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BSASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
K' esperado dos perlos do sul
o vapor Apa, commandante o
primeiro tenente Alcanforado,
20>
O estabeleeimento de carros fuue-
btrs dopateodoParaizo n. 10 e 12,
c/nequ sicio de mu rico, carro para
primei'a ordem, de madeira sea'lo en-
vernisado e donrado em altos relevos,
obra perfeitarneute. acabada por artis-
tas penji.mbucaaos, o. publico ver
que i'o melhor cano funebr* que tem
apparecido uestu cida ir.
m RA DO IMPERADOR
I. 1%
Grande armazrn dr tintas.
Este armazem conten tudo quolo I
preciso para que a industria de pintura, de
qualuer genero que seja, desempenhe
seu liin, isto embellezar, conservar c
reproduzir.
Montado em grande escala e supprido
directamente ior grandes fabricas de Pa-
rs, Londres e llanibuigo. pode oTen-cer
productos de conlianea, e satisfazer qual-
quer enconiiiieiida grosso trato e a re-
talho.
Os Srs. artistas pintores, e os donos de
obna poderao eseolher vontade, pois
que tudo estar vista, as differentes co-
res de que tiverem neeessidade.
Ha tintas em massa e em p impalpa-
vel, B como as obras a envernizar s so
deve empregar tintas muidas, e nSo me-
recendo conlianea as que vein de fra para
eoiiiinereio. por velhas, e talvez falsifica-
das, neste armazem se as moer vis-
ta do consumidor, que s assiin ter tin-
tas frescas e verdadeiras.
Ha tambem ouro verdadeiro, verde em
p eemfolha, praja em folha, p debron-
zear de varias cores, diamantes para cor-
tar vidros, burnidores, ncar superfina en-
carnada, amanilla e verde, tintas vege-
taes. azul, roxa, verde a amarella, inoffen-
Mva.s, iinicas que >e devein emprear as
eoufetarias, eolleceoes de pinces para
fingir madeia, coui propredade, e outros
de varias qualidades. rendas, copal,
gtaaAj branco ou escuro para o interior
e eMerior, par etiquetas e quadros, tin-
tas linas em tubos, em era\ oes ou pastel,
lellas para (uadros, caixas de tintas linas
e papel para desenlio.
Kssencias aromticas verdadeiras, fras-
cos e vidros para vidraea de todos os ta-
inanhos. e muitos outros objeetos, cuja
utilidade e emprego s com a vista pode-
ro ser mostrados.
Jnao Pedro das Neves,
Gerente.
Pede-se a atteneao do governo para um pas-
sdico defronte do sitio da Exma. Sra. Baroneza da j
Victoria, e que ha pouco o mesmo governo dispen- j
den 500.5 rs. para inelhoramento do mesmo, de.
cujo melhoramento j se acha intransilavel una
das eabeeas do mesmo passadieo por ser de taboas
I estacada que guarnece as eabeeas do mesmo, e'
entao o entulho de areia va-se incontinente com
a correnteza das mares. de lamentar que no
centro da cidade e nas barbas do governo se faeam
obras de tal natureza, e por 500000....
. m sfcA .* A & A to ^
Joo da "Silva Ramos, medico pela um- Jjj
versidade de Cnimbra da consultas em
sua casa na ra Nova n. 50, las 8 s 10 flR
horas da manhaa a das 4 s 6 da tarde e ^
x recebe igualmente convites para dentro t6
ou fora da cidade com o llm de se en-
?x carregar de qualquer servico de sua pro- 2g
NOTO ESTABELECIMENTO DE MEDICINA H0ME0PATHIC1
RA \0VA %. 4.
O Dr. Sabino O. L. Pinbo mudoa o seu CONSULTORIO paro a loja de mannorv
ra Nova n. 43, onde continua a dar consultas lodos os das uteis desde o meio dia at
j2 horas.
Os enfermos, que o procuraran logo na invasao da molestia, sem que bajara to-
mado qualquer remedio, nem allopatbico, era homeopatliico, pagarao metade dos preco*
estipulados. Esta concesso tem por lim facilitar a cura de molestias, que podem tornar-
se complicadas pelos emprego intempestivo da tlierapeutica e at> mesero temp adquirir
Pra a homeopathia maior numero de adeptos pela bateza da cura.
Em attenco as pessoas pobres, que nao podem sahir de da, o Dr. Sabino resol-
veo dar duss consultas por semanas nas tercas e sextas-feiras da seis as sete horas d>
noite.
Os chamados para visitos e conferencias devem ser dirjgidos por escripto ao coo-
sultorio desde 8 horas do dia at 8 da noite, na certeza de que sero atindalos na ordena
de sua precedencia, salva a circumstancia de eminente perigo.
Aivi;iTi:\c i.\.
O) novo consultorio est prvido dos melhores medicamentos, desde a prhneira
at a trigsima dvnaminjsaco.
E como os mdicos hespanhes e altemaes nao cessan de certitar a major emV-
cacia das ultissimas dynaminisaces do tratamento das molestias chrenicas-, o Dr. Sabino se
oceupa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais altas ( por ora at 200.*).
aiim de verificar por si mesmo a forca dynamica, que se Ihe attribue.
Os mdicos, que quizerem experimentar taes d.vuamtnisacoes podfro dirigir ao
consultorio Suas receifas, que sero aviadas gratuitamente para os pobres.
No mesmo consultorio se vende a novissima edico do Tfiesouro homeopathico
ou Vademcum do homeopatha, obra indispensavel a dos que quercm usar da homeo-
pathia.
Tudo o que diz respeito nova medicina se acha abundantemente neste novo estabe-
aecimento.
IK9W
m
AURORA
LA [1.0 D4
BRILHANTE.
SAMAtilZ.
Francisco Jos Fernandes Pires, dono do grande estabeleeimento de mo- fR
Ihados denominado AROKA BRUJANTE, avisa ao respeitavel publico tanlo
da ptaca cumo de fra, e com especialidade aos seus fregueses, que o seu estahe-
lecimenlo acha-se prvido de novo sortimento de bons gneros tanto do paiz r<>- B
mo do estrangeiro e promette vender muilo em conta tanto a retalbu como em S
grosso:
Manteiga ingleza flor a libra 81.10,900 e 000
Dita franceza nova em barril a 360
e a libra......600
Presuntos de Lamego a libra 400
Cognac a garrafa alie. 15280
Azeite relinado a garrafa. ooo
Espermacete muito alvo a 600, 700 e 800
Arroba de velas do Aracatv a 104 e
libra :t20. 360 e .' .400
Caixinhas com ameixas francezas a 1580(1
Latas de ;i e 6 libias a 15400,
25400e.....43000
Caixinhas com 8 libras de passas no-
vas a ......35iioo
Ditas com ligos a 15400 25400
Latas de 4 libras de bolacha de soda
muito nova a '25000
Ditas com biscoutos inglezes.cracrenel
victoria, mixides e ovos, pequi-
niq e outras qualidades novas a 15600
Dilas com marnielada nova a libra
7*0 e......800
Dilas com fructas em calda a H0O
Dilas com ervilhas francezas 7o
Ditas com massa de tomates a 640 e 720
Ditas com peixe em posta muito bem
preparado. ..... 1500
Dita de Lisboa savel, salmonete, caxu-
xo.paigo e outros a 1J0OO
Ditas com ostras americanas a 80
Charutos finos ha grande quantidade
de caixas e meias.
Amendoas novas a libra 240 e 320
Massas sortidas para sopa a libra 480
Ervilhas verdes para sopa a libra 240
Grao de bico- arroba 45oOO e libra 160
Toueinho de Lisboa arroba 125 e li-
bra .... .400
720
Dito prato a libra a 640 e
Caf primoira qualidade do Rio e Cca-
r a 320 o segunda a .
Arrolia de arroz a 35 e libra
liareis com azilonas a
Vasos com sal relinado a .
Alpista arroba 55 e libra.
Serveja de dilferente> marcas superio-
res ......
Viulios e^peciaes em caixas de urna
duza de garrafas a 14,5, 165 e .5000
Ditos do Lisboa, Figueira e Porto a
garrafa a 400, 480, 560, 640, 800 e 15000
Dito branco de Figueira, Lisboa e Por-
to a 640, 720 e .
Espirito de vinho de 38 graos a
Frascos com rejiebra de Hollanda e
laranja a 640 e
Ditos com conservas a 400 e .
Saceos grandes com farelo marea
a 45500
Ditas com farirma muito fina a .
Ditas com milho e arroz de casca.
Ditas com farinha para animaes
Caixas com 100 charutos com furo
N
28 m
100 '.*
15300 ?
so m
M]
5
800
280
15000
800
35000
4-5300
45000
25300
640

B8-
PRESTEM TODA ATTENCAO
PROTEJAM TODOS
-saiueouqej aajoqpai sop scjjoj si sepoi ap oiae.) oueid ucd std)ea|
| ope.voo o sjoS smo ap seuij sessea somapua^
'ope.veo o sj rjov ^ seeq saioa ap cjuiiosvo ap sedeo
opAo.i o sj of v sesse;) so|aq oimiu su;j| ap sauo;i
setiuoq opiiiu StinQ supvpjoq seis
soiuied o ap ajuemejQ
oquq ap quetajy
oquij ap sawiiisa
caciq upas op
sopcAoo of a M.-iuiMii 'e||ad
sopcpjoq
soauBjq sopitsa.v ap sayo;)
'ff05 B sojajd sajafaiucu
Vjtq mn ap soepo3|v
sopetsaju soepoiiiv
vad v ffy a '$9 'ffS 't\ nP sart|odepeiv
somis
-siuij sazaauejj saejodcpajl -ca 'apmqq aj sopijsa^ soaiy
s'Oijpu3|i I *oi|njj m:i:-i
-eil
oepiq suieg
-saniui|iuaitcsj
sejaid sede-j
!l
ap eq|ed ap seuqadeq'.)
oi> ujiiu ap so.>dei|'j
'eqneiuaiiv" a
vssins 'si.ie.i 'i:uaie|3ui ap cjntiajip la scpui.\ sepuazej ap oiuainiuos OptUtA a o||aq mn
oy.iuiuooua saxg -a\ iqe 'oiuamuafaqujsa o||aq assa c sejoquas seiuxa mrfatoj j
v
**..
fissao.
Os chamados deverao vir por escripto. 3f!
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
cacimba com liomba, e junto a cosinha urna sen-
zal composta de 8 quartos, estribara e outros
muitos commodos; um sitio de trras denomina-
do Landim do Boqueirao na Ibura freguezia dos
1 Afogados, com casa de vvenda, contendo 2 salas,
Dos portos do norte esperado 4 quartos, cosinha fora com urna saleta em se-
at o da 30 do corrente o vapor gUda ,. um quarto. coxeira, estribara e mais um
Cruzeiro do Sui, commandante o 1 quarto, diversos arvoredos de fructo, baixa para
capitao de mar e guerra bervazio capm) viveiroe urna pequea casa de palha, 20
Manete, o qual depois da demo-' aCeoes da estrada de forro, D ditas do novo banco
ra 1I0 costme seguir para os portos do sal. I,],. Pcrnamburo, 67 dilas da companhia vigilante,
Desde j recebera-se passageiros e engaja-se a 54 tas da caixa filial do banco do Hrasil e 50
<-arga que o vapor poder conduzir, a qual dever ditas da Companhia Pernambucaua, tudo perten-
ser embarcada no dia de sua chegada: encom- cente a dita massa.
Alnga-se ou euilc-.sp
urna casa no Poco da Paneila na ra do Rio n. 16
com 2 salas e 3 quartos, cosinha fra e quintal
murado, fazendo frente para a ra da Poeira, chao
proprio, todo negocio se far com quem pretender :
na ra do Aragao n. 8.___________________
Precisa-se de una ama para comprar e en-
sinharem casa de pequea familia : na ra Hel-
la n. 40. _______________________
Perdeuse da ra do Hospicio at a ra da
Cruz urna pulceira de our > esmaltada, na noite
do dia 14 do corrente: quem a tiver achado po
der leva-la ruado Imperador n. 83, que ser
recompensado.____________________________
O abaixo assignado seientifica ao rospt-itavel
corpo commercial que desde 11 do corrente deixou
de ser caixeiro do Sr. Joaquim Lo|ies da Costa
Maja ; assm como deixou de ser seu procurador
e encarregado das cobranzas ; approveita o abai- existe uioapessoa que se propoe lavar e engom-
xo assignado a opporlunidade para agradecer ao marroupa, com toea a perfeico, e por preco com-
dito Sr. Maia as delicadas maneiras com que o modo. _______
tratou durante 10 anuos, 7 inezes a 5 dias que foi
seu caixeiro. Recite 16 de novembro de 1863.
Distoluc de socieiiade.
Os abaixo assignados participan) ao respeitavel
corpo do eommereio, que dissolveram e liquidaram
a sociedade que tinhan na loja de ferameos da
ra Nova n. 37, que gyrou na razo de Silva Ras-
tos & C no dia 3 de outubro prximo passndo ;
firando o socio Sebastio Jos da Silva com o esta-
belecimento e todo o activo, eresponsavel polopas-
sivo. sahindo o socio Antonio Leite de Magalhes
Bastos quite. Reeife 13 de novembro de 1863.
Sebastio Jase da Silva.
Antonio Leite de Magalhes Bastos
Na loja do sobrado n. 7, da ra da Penha,
Justino Manoel Ramos.
~- O Sr. Luiz Paulino Cavalcanti de Al-
buquerque, tem urna carta nesta typographia.
i=>
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo dr C._________
COMPANHIA PKRNAMBUCANA
Nuvega^So costelra a vapor.
I'araarba, Natal, Masio, Aracatj, Cear e Granja.
O vapor Jaguaribr, comman-
dante Lobato, seguir, aos portos
indicados no dia 20 do corrente
s 3 horas da tarde. Recebe rar-
1 ga at o dia 19 ; encommendas,
passageiros e dinheiro a frete at o dia da sahida
> 1 horas : escriptorio no Porte do Mattos n. 1.
Para Rio 4e i:inelr.
O patacho nacional Caprnam, pretende seguir
com muila brevidade, tem parte de seu carrega-
monto engajado, para o resto que Ihe falta e es-
crajpo frete para os quaes tem bons commodos
tratase com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio raa
da Cruz n. 1. ________________
Quinla-fcira 19 do corrate.
A'porta da associacao commercial s 11 horas.
Movis, cry&tae, obras de ouro
e prata e outros objeetos.
Quinla-ffira 19 do cerrente as 11 Iteras.
O agente Olimpio em seu armazem ra do
Imperador n. 16, far leilao de diversos trastes
novos e velhos e outros muitos objeetos sem m-
nima reserva de prego.
Para < ftio de Janeiro.
Pretende seguir com muita brevidade o pata-
cho oaeioaal Btbtrit)* tem parte de sen carrega-
m*> prompto para o resto que Ibe falla e eaera-
vos a frote |)ra o* V*** axeelleatea eomaae-
d. trata-se com ot- seus tonsignataros Antonio
Luiz de Olmra Aieved* 4 C, no seu escriptorio
ra da Cruz n. 1.
tn 19 o 2II do ton ente.
A. C. de Abreu contiauar o seu leilo do fa-
zendas francezas e ioglezas por intervenco do
agente Palo nos das ID e 30 do corrente no seu
armazem ra da Cadeia.
Transferencia
DB
Agencia de foiloes.
Francisco 1. Pinto aaente de leiloes desta praca
mudou o seu eacriptono a ra da, Cadeia n.
para a ra da Cruz n. 38.
SEGUROS DE VIDA EM MUTUALIDADE.
A direceo do BANCO NIO tendo obtido do governo de S. M. F. a autorisacao para estable-
cer o seguro de vidas em mutualidades, faz publico que desde j loma subsonpeoes annuaes por urna
s vez, ebaixo das seguinles condces :
Com perda de capital e lucros;
Dito capital smesle;
Dito lucros somonte:
devendo a primeira lquidavo ter lugar no 1 dejaneirv de 1859.
As vantagens d euipreg,o de capitaes em ututualidade, sio obvias, porque nao smenle se co-
Ihe o juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao poderla tirar iiunhum resultado; reas alm
disso, este rendmento augmentado pelo capital ou lucros, ou ambas as cousas, conforme as oasnatM
da suliscnpco, dos que fallecom. Tambem partido pele* sociossonreviventes todo aquiltoirae os so-
cios morosos nos seus pagnmentos, sao por este motivo irrigados a pagar, twm como caducidades que
occorrerem pela falta de eumprmenlo do comproinisse social.
As lquidages o pelo systema das compinhias hospanhetas, Tutelar e outras; e parase poder
fazer urna ideado que pode produzr urna entrada annual de M& publira-se a seguale tabella basca-
da sobre a experiencia de raujlos annos docompaohias desta natureza :
I o annos. Em 10 annos Em 15 annos Em 20 aanas Ka 2b' annos
Por um menino de l dia a 1 anno 'SI 86* 4004 3004 2904 2804 9004
> de i anno a 2 > 1 de 2 *. 3 > 704 7204
de 3 ? 4 * 7104
> de -i a 1" 864 tK 7004
Por urna pessoa de 1.1 K) 8tt# wo* 7004
1 > de a 110 - m*- 9704. 7104
de 30 a 40 . .a t74 7204
> de 40, a a.30 3M4 7604
2:004 1:7004 4:7004 3:7004
1(1004 3:5004
1:3004 3:4004
1:8804 3:340*
1.S404 3t3304
1.8604 3:4004
l:dOOU |7004
i:H004 5:0004
As entradas wTm.^sitw^rwM^W*10*^?!?* *?*??*?$' ..--*. *
Porto, 10 de agosto de 183.-Os directores p Banco Unan, Jet ia Sur a Machi***-
tr Hiepwrt. i __ .
Agentes em Pernambnco : Aatooio Luk de Obroira Azevedo C roa da Cruz n. t.
'UVlllA S3AJ0D 3S0P
Ai]
\ -a oilsa.i3 op na k scpuaziy ao ojoouipaiaiiBi Wmtm 15 (Dll
DE
DE
J. VIGNES.
I. &. UVA IX IMPERADOR BU 45.
sua
veis qu e elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que
suindo um teclado e macninismo que obedecen) todas as vonlades e caprichos das pianistas, sem
nunca falhar, por serena fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos impoi un-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por sto muito agrada-
veis aos 011 vi dos dos apreciadores. ,
Fazem-se conBcme as eucemmendas, tanto nesta fabrica com na do Sr. Blondcl, de Pars, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposires.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado sortimento de msicas dos
melhores compositores da Europa, assiin como harmnicos e pianos harmnicos, senJo tudo vendido
por procos muito razoaveis.
_____________
O juiz e *esor*ro de irmandado de N. S.
doltom Conselhoconvidam a iodo* osirawosd
mesma irraandade, para uuo domumo 3J do cor-
rente, pelas 3 lioras da tarde, se sirvau de compa-
recer na groja de S. Francisca, aQm da sahirem
d'alU reunidos para acompaiihar a prodssao de
Corpus t^hrisli, segundo o convite doe,xm. ar. tiu,-
po Diocesana de esperar que os ditos irmaos
pelo espirito religioso que o* distinguere pela im-
iioriancia da diw proci^sao, nao tteixarao de eom-
parecer a esse ao. ,______________
O Dr. Carolino Francisco VJjma San-
tos, contina a residir na rna do Impe-
rador n. 17, 2* andar, onde pode ser pro- *
curado a qualquer hora do dia_e da noite
para o exercicio de sua proflssao de me-
dico; tendo que os chamados, dopois de
meio dia at 4 horas da tarde, devein ser
deixades por escripto. O raerido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias do interior, prosegue, com o
maior afflnco, no das mais difBceis e deli-
cadas operacles. romo sejam dos rgaos
ourinarios, dos olbos, partos, ele:
subdito pariNguei,
Justino'Manuel Hamos,
vai para fora da provincia.
X9 Sr. *ln*-
Prarisa-se com urencla fallar com o
Gdelba, filho do interior da Paralaba;
Nova n. 7, primeiro andar.
Sr. Jlo
na ron
" _. Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
Direita n. 24 : a tratar na padaria.
Tbnodoro do Lago* enuaeuhor do. atonde Bo-
haribe, outr'ora pertoncenke aocaaai d finido, tto
Manoel de Serqueira, cujo sitio limitarse com o que
lof o depois da ladeira, outr'ora pwteaceu ao Sr.
Dorot'ilas, tem neeessidade de vender de sua par-
res daqueUe sitio 30 a 32 palmos do frente, com
os respectivos fundos. ojito la* publico para o co-
nhecimmto i1ii|ibjiui conaeohores, no caga de
quererem pretirWUntBpar tanta do que etaatton-
do por ofterta de (ereere.


Diarlo de Pernambuco As a. 29.
Nova lojj! dos baratairota ru dn.ut*oude.
Velludo de cores fazenda muilo boa o covado
3*000, ba!5es de panno 3*200, ditos Te arcos
4 3*000,4*000 e 55800, las de dtias larguras
para vestiflo o covado-iMO rs.,chitas.fcancezas o
covado 360 rs., melia branco para forro de
vestido o covado IJOts., tarlatanas -de todas as
cores a vara 720 rs.
A b. 29.
Nova toja dos barateros na roa doKfriieimado.
LOTERA.
CASA DA FORTUNA
AOft I0.O04>000.
Q altano assignado faz ente ao respeftavel
publico que veudeu nos seus afortunados bilhetes
garantidos a sorte de 2:000* e outras multas de
(00*, 40* o 20* da lotera que se acabo de ex-
trahir em beneficio da Santa Casa da Misericordia,
e envida aos possuidores de ditos bilhetes a v-
1 O Sr. Antonnio Philodolpho Pewira Butra tom
i urna encoramenda no escriptorio de Claudio Du-
, beux, na ra do Imperador n. 43, -vinda do Aeara-
c no vapor Jaguanbe.
Cassa .isa pe.le de ovo a peca 7*500, cambraia rfm reoeber *^V^"*JS
lisa muito fina a peca de 17 varas .a 10*, cam-
braieta peca de 12 jardas 7*000, cambraia adamas-
cada para cortinado a peca de 22 varas 10*000,
mcias finas para setfhoras a duzia 4*000, chales
de la ponta redonda 32*500.
A n. 29.
Nova toja dos harateiros na roa do-Uneimada.
Bicos pretos de-nho avara 120,160,240, 320
rs., franjas de seda a vara 80 e 460 rs., galoes
de seda de algodo e de laa para eufoites de vesti-
do a peca de 10 e 15 varas 400, botoes de -*
de velludo e de fusto duzias 120.
da
Arma-era para alugar-se.
Aluga-se o armazom n. 40 da ra do Apollo, com
30 palmos de frente e 150 de fundo, com a frente
para a ra do Apollo, e por preco commodo, pro-
prio para qualquer estabelecimento: trata-se com
Antonio Alves Barbosa, ra dos Guararnpes nume-
ro
te alauRi em seu estabelecimento Casa da Fortuna
ra do Crespo n. 23.
O mesmo tem exposte venda em sua dita casa
e nas-outras do costume, os novos e felizes bilhe-
tes garantidos da sexta parte da primeira lotera
a beneficio da rmandade do Senhor Bom Jess
da Via Sacra, que se extrahir a 21 do corrente
mez, e as sortes que elles obtiverem sarao pela
teama forma pagas.
Presos.
Bilhetes inteiras..... 12*000
Meios bilhetes...... 6*000
Para as pessoas que compraren
de tOO* para cima.
Bilhetes........ 11*200
Meios......... 3*600
Manoel Martins Fiuza.
Aluga-se urna casa
tratar cora J. I. de M.
Trapiche, n 34.
em Bebiribe ; a
Reg, na ra do
u Uail do aiiniveisai'io do
cluh-coraracicial ter ligar na
noite do dia 22 docoireale mez.
Aluga-se a toja do sobrado o. 193 da ra Im-
i: perial, e oarmazem n. 4 da ra de Apoo : na ra
| da Aurora n. 36.____________________'
Aluga-se o primeiro andar da ra do Crespo
n. 23 ; a tratar na leja.______________________
Regulador de escripluracao comiuer-
cial per partidas dobradas.
Organisado na cidade do Porto e conforme o c-
digo do commercio que nos rege, obra bem des-
cripta e resumida para chegar ao alcance de
qualquer intelligencia,contendo alm disso 4 ta-
bellas comparativas dos antigos pesos, para com
os do novo systema mtrico decimal e vice-versa
e do antigo systema de medidas, ella muito
precisa e necessaria e mui principalmente agora
que poucos se acham ao par das medidas que
actualmente se tem adoptado e por isso muito til
ao commercio, pelas quaes explicacoes podem fa-
zer de prompto qualquer reduccao, e custa a in-
uriedatlr de seguros mutuos
de vida Installada pelo Banco
Unlo ua cidade do Porto.
Os agentes nosta ridade e provincia Antonio
Luiz de Olivoira Azevedo C escriptorio na ra
da Cruz doJteeife n. 1, estao autorisados desde ja
a tomar asignaturas e prestar todos os esdareet-
mentos que torera n-'cessarios, as pessoas que de
sejarem coucorrer para lio til e benfica empre.
za, segurando um'futuro lisongeiro aos associados
Armazem para estabelccinieuto.
Aluga-se na ra da Praia o armazem da casa
n. 57, com fundos para o caes do Ramos : trata- significante quantia de 1*200 cada exemplar a ra
se n Campo Verde n. 20, sobrado do Dr. Miranda da Cruz n. 18, escriptorio de Jos Joaquira Lima
Tendo-sc arrematado em praca do juizo com-1 Bairao.
in-rrial nina casa -terrea n. 43, na ra das Calca-
das, com a frente para o largo da fortaleza, preci-
sa-se saber se o solo toreiro ; e por isso quem
se arhar coiu esse direito, dirija-se ao caes do Ha-
mos n. 6.
O bacliarel Francisco Gomes Velloso
de Albuqnerque Lins lem o seu escriptorio
de advogacia; na ra do Queimado n. 41,
1." andar, frente para a prscji de Pedro II-
BANHOS PBLICOS.
Pateo do Canto.
A abertura de*te estabelecimento das
6 horas da manhiia at s 10 da noite, o
publico encontrar banhos frios, momos
e medicinaes, vontade. das pessoas com
todo o asseio possivel.
Aluga-se o sitio da senhora viuva Carvalho,
em S. Jos do Mangunho, com boa casa de sobra-
do, esteiada, quartos para criados, es'.ribaria,
fructeiras, baixa de capim : no mesmo sitio se di-
r quem trata do aluguel.
i ni bom sitio.
S. A. Prez arrenda pelo tempo que se conven-
cionar, o seu sitio com boa casa de morada, co-
cheira, baixa de capim, boa agua, mutos arvore-
dos de fruclo, e alem de outras commodidades tem
a excel lente visinhanca de pessoas estima veis. As
condicoes do arrendamento serio favoraveis, e tra-
ta-se a praca da Independencia ns. 13 e lo, ou no
pateo do Paraizo n. 24. _______________
Aioda est por alugar-se o segundo an
dar do sobrado n. 44, em a ra da Auro
ra : quem o quizer dirya-se esta mes
ma ra casa n. 10.
Ao amarillecer do dia quinta-feira 29 de ou-
tubro ultim furtaram-me dous cavallos do cerca-
do reveso do engenho Aldeia do termo do Rio For-
moso, e para o conseguirem arrombaram a cerca
do dito reveso, onde silo recolhidos noite os ca-
vallos do pasto do mesmo engenho, mesmo paja se
evitarem os furtos. Os referidos. cavallos sao do
servico da mesma fazenda, sao crias do mesmo
pasto,'muito novos ej castrados, e anda nao fo-
ram marcados com o ferro do engenho, e por eon-
seguinte nenhuma marca de ferro tem. Um del-
les ruco pombo com a dina e cauda da mesma
cor, d tainanlio regular, um pouco galgo por
4|U(rue| anda nao estar refeito por ser muito novo, tem o
arvons >\,- fruclo : a tratar na ra do Sebo n. 24., an<|a <|p pa||t>|| Precisase de tuna ama forra ou captiva que | pOUCo aleados de branco, tem em um dos lados da |
saibacozinhar. lavar e engommar para urna casa | barriga um caroco resultado da mordedura de
^]e |wuca familia : na ra da Trompe n. 2.______j cobra, e tem urna'pequea belide ainda nova em
-se 900* a juro,--, com hypoibeca em urna. um olho, c tem passo curto : rogo s autoridades
<; .. : .iiiem nr.-t.Mider i'tmimcie a sua morada pa- policiaes que recommendem a seus agentes a ap-
ra ew ,.....-..lo. j Pf8lKJHBSu Ai< ditos cavallos Olido fnrom oncontra-
: dos ; a captura os ladroes para serem processa-1
dos na forma prescripta no decreto n. 1090 do i.
de setembro de 1860, tanto mais quanto se deu
arrombamento do reveso, onde estavam recolhi-
dos, o qual qualifica o crime de roubo. Devendo
qualquer resultado ser communicado ao admnis-
Waques sobre Porliigal.
Oabaixo assignado, agente do anco
mercantil Portaense nesta cidade, sacaef-
fectivamente por tedos os paquetes sobre
o mesmo tonco para o Porto e Lisboa, pr
qualquer somma, vista e a prazo,
dendo logo os saques a prazo serem fles-
contados no mesmo banco, na razao de 4
porcentoaoanno aos portadores que as-
sim Ihe convicr : as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. SI.
Joaqurm da Silva Castra
Pede-se a pessoa que levou da taberna do
Lima na ra .Nova, um guarda sol ingloz, de cor
verde, que o mande entregar na raesma, do con-
trario se publicar o nome, pois foi viste pelo cai-
xeiro.
Mu HE PKEPARATW 0S|
i ieographia e historia
Arithmettca e geometra
Francez.
A' ra do Queimado n. 30, primeiro
andar, de 1 horaem diante.
Lotera extraordinaria
lM 10:060000 e 2: 0 abaixo assignado vista do bom aco-
Ibimeiito que tem tido o plano das loteras
extraordinarias e a pedido de quasi todos os
compradores de bilhetes, tem exposto
venda para ser extrahid por esse plano, bo
dia 21 do corrente me/, os bilhetes da sex-
ta parte a primeira lotera a beneficio da
igreja de S. Bom Jess da Va-Sacra, o que
ter lugar no consistorio da igreja de N. S.
do Rosario da freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes e meios acham-se venda na
| respectiva thesohraria ra do Crespo n. 15
e as casas commissionadas ra da Impera-
trix n. 44, loja do Sr. Pimentel; ra Direita
n. 3, botica do Sr. Chagas; ra estreta do
Rosario n. 12, typographia do Sr. Mira e ra
da Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 10:0005000 at 205000
sero pagos urna hora depois da extraeco
e os outros no dia seguinte depois da distri-
buico das listas.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
Compra-se cobre e lato velho
Da roa da Cadeia do Kecife n. 36, pri-
meiro andar.
Compra-se um escravo de 35 a 40 annos, que
emenda do servico de sitio : na ra do Queimado
n. 13, primeiro andar.
VENDAS.
Alagad.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da ra
Velha n. 20 : a tratar na ra do Sebo n. 24.
Aluga-se
um primeiro andar em boa ra, com tanto que na
sala de jantar haja um terraco que fique inteira-
mente colloeado ao norte : no armazem da ra da
Cadeia do Kecife n. 60. _____
Aluga-se urna boa escrava, cozinheira do or-
dinario de urna casa, e compra na rna : no becco
das Barreiras, na Boa-Vista n. 2._____________
"ama"
Precisa-se de urna ama : na ra da Roda n. ot.
Na botica do pateo do Carmo precisa-se de
quitandeiras para vender pelas ras, alugadas.
Precisa-se de urna ama: na ra
estreta do Hosario n. 31.
D-se dinheiro a juros
n. 12, taberna.
no pateo do Terco
7 IIIA DA CRUZ 7
Chegou pelo ultimo paquete francez os artigos
seguintes :
Batatas novas.
Vi uno deBordeaux.
Vermouth.
Cognac.
Conservas alimentarias.
Fructas em calda.
Licores franeczes e de diversas qualidades.
FOLHINHAS PARA 1864,
Ma praca da Independencia livraria ns. ti
e 8, acham-se venda as seguintes folhi-
Aos Srs. fuinaates.
Xa loja da liquidaco junto ao passo na ra do
Imperador tem urna urande pechincha de charu-
tos da_ Baha a 13600 a caixa de 100, a elles que
se estao acabando, assim como um sortimento de
miudezas.
|jj| Na casa de leilao do Sr. Olimpio a ra
m do Imperador ha um excedente piano y
JR francez venda: quem o pretender di- jfSJ
>M riJa'se ao mesmo senhor. Asscgura-se
9 vende-lo por proco commodo. fKl
Urna mulher porlugueza,chegada ha 3 dias a
esta cidade, deseja accommodar-se como ama em
casa de alguma familia, a qual sabe engommar e
O abaixo assignado faz sciente ao respeitayel
publico e especialmente ao corpo do commercio,
queoSr. Antonio Bento de Campos deixou de ter plicacoes
gerencia nos seus negocios desde o dia 12 do cor-
rente mez. Recife 14 de novembro de 1863.
Jos de Castro Redondo.
Alug-ase a casa terrea na ra Augusta n. 90,
com 6 quartos, 2 salas, corredor ao lado, cozinha
fra, com quintal e cacimba : quem a pretender,
dirija-se ra do Vigario n. 12, que achara com
quem tratar. _
nhas para 1864 impressas nesta typographia fallaro inglez : na ra do Brum n. 41.
em excellente typo e bom papel,
Folhinha de porta contendo as mate-
rias do costume, rs.........ICO
Dita de algibeira, sob a epigraphe
religiosa, contendo alm das materias
do costume os sete passos da Paixo
de Nosso Senhor Jess Christo ; cnti-
cos do mez Mariano: hymnos e jacula-
torias ao Santissimo Sacramento; ex-
de diversas oracoes; cora
Seraphica; exercicio ao sagrado cora-
: cao de Mara; oracao para visitar as
igrejas no dia da Porciuncula ; oraco
para escolha dos estados da vida ; dita
a Senhora da Conceicao ; e meditacoes
sobre a reforma da consciencia, rs. .320
Dita de dita, sob a epigrapheVa-
riedade, contendo alm das materias do
costume : receitas uteis e necessarias
aos diversos mysterios da vida ; physi-
ca e recreativa ao alcance de todos:
pilheriase ralices; poesas; charadas;
mximas e pensamenlos colligidos por
um curioso..............320
i Grande novitlade para a festa.
| Ricos e elegantes vestidos de mocainbi-
| que com seus competentes corpinhos e
l santembarques enfeitados a capricho,
') chegaram a loja do barateiro na ra do
r Crespo n. 1, junto ao arco de Santo An-
i tonio.
| Verdadeiros cos unios da
i ultima moda em Paris
| para senhoras.
a_U
Baloes de 30,
Queimado n. 4i.
'ec hincha.
3o c 40 arcos a 35 : na ra do
A ifi a groza.
Na taberna do Campos, na ra do Imperador n.
28, vende-se a lfi a groza de caixinhas de phos-
phoros.
NOVA LIQUIDACO
de fazendas ingfezas, francezas, allemaas e suissa?,
que se pretendem liquidar antes da festa do na-
tal, por precos baratissimos, afm de apurar di-
nheiro, sendo a maior parte destas tazendas in-
teiramenteliovas, chegadas pelos ltimos vapo-
res ; de todas se dao amostras, deixaodo penhor :
na loja e armazem do pavao, ra da hnperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As laiihas do pavo.
Vendem-se as modernissimas laazinhas con 9
palmos de largura, sendo lisas e de quadrinhos,
propnas para vestidos, capas soutambaques pelo
barato preco de l200 o covado, ditas com 4 pal-
mos, lisas e de quadrinhos a 500 rs., dita ganbal-
dinas a 400 rs., ditas enfeitadas de quadrinhos a
360 rs., bareges matisados muito Dnos a 500 rs.,
laazinhas transparentes com palmas de seda a 500
rs., ditas matisadas a 320 rs. o covado: se na loja
do pavao, ra da Impcratriz n. 60.
Os cortts de cambraia que vende parlo.
Vendem-se cortes de cambraia branca com ba-
bados a 25300, ditos a 35000, ditos a 45000, ditos
chinezes a 45000, pecas de cambraia transparentes
adasmacadas proprias para vestidos, tendo 8 varas
e meia a 35000, ditas lisas brancas e de cores a
25500,35,35000,45e55, pecas de cambraia deca-
rocinhos tendo 8 varas e meiacada urna, sendo bran-
cas e de cores a 35500, ditas a 25500, pecas de
cambraia para cortinados, sendo tapadas e trans-
parentes com 20 varas cada peca a 95000, isto tu-
do para apurar dinheiro : na loja do pavao, ra da
Impcratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do pavo de Mocambique a 1:000.
Vendem-se os mais modernos chales de Mocam-
bique, sendo de urna s cor, com barra e muito
grandes, pelo baratissimo prego de 45000, afflan-
cando-se serem os mais modernos do mercado, di-
tos de merino estampados a 25000, ditos a 35000,
ditos muito finos de crepen com 4 pontas e ponta
redonda a 65000, 75000, 5000 c 95000 : s na
loja do pavo, ra da Impcratriz n. 60, de Gama
Silva.
0 pavo m' mi i' caseiuiras a 1:600.
Vendem-se casemiras francezas enfestadas, pro-
prias para calcas, cohetes, palitos e capas para se-
nhoras, por ser de urna s cor, sendo fazenda que
sempre se vendeu a 35000, liquida-se a 15600 o
covado : s na loja do pavao.
0 pavo vende chapeos de sol para senhoras a
1:000.
Vendem-se chaos de sol, a ingleza, sendo co
1 bertos de linho e forrados de verde, proprios para
senhoras que forem passar a festa, ou para meninas
levarem para a escola pelo barato preco de 15000,
ditos marquerinhos de seda com franjas e cabo de
dobrar a 25500, ditos de seda para homens, sendo
com armaco de baleia a 65000 e 75000, isto para
apurar dinheiro : s na loja do pavo, ra da Im-
peralriz n. 60.
:1
Precisa-se de ama ama para comprar e cost-
illar : na ra do Queimado n. 42, loja.
Precisa-sede urna aira que _iba cosiuhar, trador daquelleengenho Cosme Jos de Mello Mas-
A viuva Rosa Jane, achando-se de volta a sua
residencia, na ra de Santa Rita n. 61, e j no to-
do rcsiabelecida dos seus incommodos de saude,
avisa ao respeitavel publico que contina no exer-
cicio de sua arte de dentista.
BAMCO l \ I AO
ESTABELECIDO NA CIDADE DO PORTO
Agentes em Pernambuco
Antonio Luiz de Olivelra
Azevedo 1C
Sacam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agencias em Fi-
gueira, Coimbra, Aveiro, Vizeu, Villa-
Real, Regoa, Vianna de Castello, Guima-
ries, Borcolloo, Lamego, Covilliaa, Braga,
Penafiel, Braganca, Amarante, Angra,
Illia da Tcrceira, Una de Faias, Una da
Madeira, Villa do Conde, Valonea, Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves e Fafe, a
oito dias vista ou ao prazo que se conven-
ctonar,no seu escriptorio ra da Cruz
n. 1.
Precisa-se de um
ra do Rangel n. 9.
mestre de masseira: na
A pessoa que precisa de 3005 queira appa-
recer ra do Trapiche Novo n. 2, primeiro andar.
Itotinas para noivas.
Chegaram no ultimo vapor francez as mais in-
teressantes bolinas para casamentos, bailes, etc.,
etc. : na loja dos vapores, ra Nova n. 7.
A I* o cento.
Na taberna do Campos ra do Imperador n. 28,
vende-se o cento dos charutos suissos a 15-
lavar e engommar para o servico de urna casa d
tamil;, na ra lai^a dn Rosario u. 32, loja de
loooajueto a botica do Sr. Barlholotgeu.
:mfi
C4IX
Prooisa-se de um eaixeiro paca taberna que te
nha pratic?.: a tratar na ra Imperial n. 37.___
rarenhas, ou ao proprietano do mesmo engenho o
descinliargador Caetano Jos da Silva Santiago, na
ra do Hospicio n. 50.
Caetano Jos da Silva Santiago.
Precisa-ge alagar um moleque de 12 a 16
annes para fazer compras em casa de pouca fami-
lia : na travessa da Madre de Dos n. 57.
Xlela-agua de t$ ti. ^^SOSSOSSSSSSSS
Xa ra da (jazmnetro lu para alagar urna me'- Contina a liaver pao de senteio novo nos dias
igua propria para homem snlteiro, tendo porta e quartas e sabbados de cada semana, na nadara
anella com vidraca, e quintal na frente com por-' em Santo Amaro ao p da fundicao, na ra da Im- <
!o : a tratar no sobrado ao norte da fabrica | peratriz n. 22, e ra do Brum, confronte o chafa-1
riz n. 47, ra das Cruzes, deposito
margem do ro ; onde existe
25000 com mais commodos.
outi. de preco de
Urna famUia estrangebra com haliliac5e>; para
fazer a educarlo de meninas de disiiutcao, deso-
ja raceber em v;ua casa para leccioaai' pai ticu-
lannente smente o limitada numero de 6 meni-
nas ; a DMsma .jnhora pede aos pais de familia
que Ibes eonbareoieaas fillias de se dirigir^em para
informai-v.s na rna do Queusado n. 18, loja do
Sr. Manuel Kiheire de l^arvalbo.
Predca-se de uma ama que seja Iwa cosi-
.ilieira para casa de 'un estraogeiro solteiro : a
.atar na ruada Cadeia do Recie n. 40, laja de
rdojoeiro.
Precisa-se de uma ama (jue aiba cosinliar :
na ra do Apollo n. 14.
Julia Candida de pelo Exm. Sr. presidente da provincia para ensinar
particularmente primeiras letras, coser, bordar, e
tudo o mais que si^ faz misterio sexo femenino, tem
aborto sua aula na freguezia da Boa-Vista, no lu-
gar da Soledad'', casa n.,4, por isso offerece seus
servicns aos pais de familia que delles te queiram
utilisar.
Alngam-se dous ^cravosoptimos ozinhei-
ros : quem pretender aiuga-los, dirija-se ao hotel
Puech quir encontrar com quem tratar.
Desappareceu de um (|uinUl da ra do Ca-
uiaro, freguezia da Boa-Vista, urna ovelhiuha to-
la branca com 4 mezes de nascida,-tem dous urin-
gunhos no pescoen e dous signaos as orelhas,
consta que foi pegada na praca da Boa-Vi*ta :
quem della.souber lar o favor de dar parte ou
,lf;\a-la tabernada diu ra do Camarao, que e-
j* bem recompensado.
HOUBO
Oesappareceu da ra larga do Rosario n. 31 um
/elogio patente suisso, eapa de prata n. 18913 e em
bom estado: por isso pretrine-se a qualquer pessoa
que este Ihe for offerecido, ou o eneontrar em al-
guma mao, fazqr o favor de o apprehender e levar
a jua cima dita, gue ser generosamente recom-
pensado.
n. 39, na Pas-
sagem, taberna da esquina do Sr. Bento, que vira
rara o Remedio, e no armazem progresso. largo
da Penlia n. 10.__________________________
Aitencao
]fa ra estreita do Rosano n. 19Trabalha-secom
toda a perfeicao em bordados e flores de todas as
qualidades, apromptam-se ricas grinaldas e hoquets
para casamentse bailes, d-se tambeni lices de
flores s familias que quizerem aprender.
^tl$_I"jMoI!ll
i dentista!! pars
19Ra Nova-49
Frederico Gautier, cirurgio dentista,
faz todas as operacocs de sua arte, e col-
loca dentes artificies, tudo com superio-
ridade e perfeicao. que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentiflcio.
*jeuifcaplii;i, rraneez, e escriileraio
por pailitas Cobradas.
<) Franeez Ernest Regs, ex professorno collegio
de Bemtica, da licoes particulares. Os ptimos re-
(litados conseguido* por seu systema o recommen-
dain altamente confianca dos pais de familia,
pois em tres mezes i'onseguiojgue os meninos les
era com umita pureza e traduzssero eorrectamen-
te. Para as informaees podem dlrigir-se raa
da Cadeia n. 18.
- Precisa-se fallar cora o Sr. Ignacio
Viria de Mello, eecrvo era \a/.areth,
sobre negocio que o mesmo senhor nao
igaor; na ra do('respo loja de fa-
zendani n. 7.______________________
Ao publico.
Est aberta a subscripcao na praca da Indepen-
dencia as. 6 e 8, para a impre6ao de um peridi-
co poltico, que ter por titulo o Nacional. O seu
prograrama ja foi manifestado nos Diarios de Per-
nambuco do mez de setembro prximo passado.
Subscreve-se a 35 por trimestre, pagos adiantado.
Logo que se obtenha sufftciente numero de assig-
nantes sahir o primeiro numero. O Nacional ser
publicado em grande formato, duas vezes por se-
mana.
Joao Correia Lima propoe-se a ensinar em sua
casa e em casas particulares msica vocal e ins-
trumental pessoas de arabos os sexos, e isto por
preco muito commodo ; para o que podero pro-
turar na ra de Santa Isabel n. 3, a qualquer hora.
Aluga-se a casa da rui do S. Miguel dos
Afogados n. 28 : a tratar na ra Imperial n. 98.
Contraria de Manta Hita de
Cassla.
Sao convidados todos os irmaos desta confraria
comparecerem no da 18 do corrente, as 5 horas
da tarde, no consistorio da mesma, afim de em
mesa geral reunidos elegerem o novo escrivao e
thesoureiro que tem de funocionarno annode 1863
a 1864. Consistorio da veneravel confraria de
Santa Bita de Cania 14 de novembro de 1863.
Angelo Custodio Bodrigucs Franca.
Escrivao.
Precisa-se de 4005 a premio, hypothecando-
se por seguranca 4 escravos que valem mais de
2:0005 : quem quizer annuncie.____________
Aluga-se por prego mdico annualmente ou
somente pelo tempo da festa, um pequen* sitio con-
tiguo a povoacao de Beberibe, com casa de taipa,
rediBcada de novo, muitas arvores fructferas, pas-
sando pelos fundos do mesmo os dous ros grande
e pequeo : na ra Augusta n. 43.
~ Aluga-se uma casa e sitio na travessa da Ca-
punga para a Baixa Verde, defronte do porto do
sitio do Arantes : trata-se por anno ou por esta,
no mesmo sitio, ou na ra da Cadeia do Kecife n.
25, sobrado.
| ESSENCIAS DEPURATIVAS.
Anti-svphilitica e anti-rlieumatica
Approvada pela imperial 1
academia de medieina.
COMPOSICAO E ritEPARACAO DO
Dr. Ernest Freilerice nos Sanlos,
! Pharmaceutk pela escola de mediana l
do Rio de Janeiro.
f Estas essencias cuja formula j foi ap-
[ provada pela academia imperial de medi-
t cia do Rio de Janeiro, e pelas quaes seu
j autor foi premiado na exposicao nacional
| de 1861 e com duas medalha's na expo-
| sicao de Londres, sao sem contestaco o
[ mais eflicazde todos os medicamentos at
| hoje conheeidos para o curativo de todas
as molestias SVphilicaa ou que dependam
f de urna altera\*o do sangue.
Dstinguem-se estas essencias pelos ns.
[ 1 c 2, cujas formulas variam considera-
velniente, a de n. 1 empregada com o
mais feliz resultado as molestias vene-
reas ou que dependam de alteracao do
sangue, como, cancros venreos, chagas
sypluliticas, boubas, affeccoes herpeticaa
e dartrozas, as blennorrhas, leucor-
rbeas, vegetaces syphiliticas, escrophu-
las, escorbuto', ery jpelas etc. A de n. 2
tem sido empregad k exclusivamente pa-
ra debellar os rheumatismos syphiliticos
e gotosos e as exostoses ou tumores
osseos.
Acha-sc a venda este precioso medica-
meato na ra do Rangel n. 62, pliarma-
ca de Medronho & Martins.
Mho e farinha.
No armazem da aurora bri I liante ha saceos gran-
des com milho novo a 35500, ditos com farinha
igual a de Muribeca a 45 e 45500 e de farelo
de Lisboa muito fino, a 45, 45500 e 55, gomma
nova a 25100 a arroba e 80 e 100 rs. a libra, e
mais antiga a 15280 a arroba e 60 rs. a libra.
Uvas de pellica.
Vendem-se luvas de pellica Jouvm para senho-
ra o homem, chegadas no ultimo vapor do cor-
rente mez, para o baile do club commen ial de 22
do corrente mez : na ra do Queimado n. 63, loja
do beija flor.
0 pavo vende cachemiras da Escossia, corte
2:210, eovado CiO rs.
Vendem-se cortes de cachemiras da Escossia,
para calcas, pelo barato preco de 25240, tendo da
mesma fazenda para vender em covado a 640 rs.,
sendo esta fazenda muito encorpada, a imitaco do
casemira, e garante-se que nao desbota. Tambem
se vendem cortes de casemira ingleza, de cores es-
curas para calija pelo barato preco de 15800 cada
corte, ou a 500 rs. o covado : s na loja do pavao,
ra da lmperatriz n. 60.
0 pavo vende os vestidos brancos bordados.
Vendem-se os mais ricos vestidos de cambraia
brancos, bordados croch, sendo os mais moder-
nos que tem vindo ao mercado, tendo as saias 4
palmos, e vendem-se pelos baratos precos de 105,
125 e 165000 : s na loja do pavo, ra da Impc-
ratriz u 60, de Gama S Silva.
k't pechiuchas do pavo, anles que se acaben.
icos cortes de cambraia branca com babados e
uas saias bordadas croch, tendo bastante fa-
enda para vestido, pelo baratissimo preco de 35000
. cada um, ditos de cambraia de seda com barra e
- Vende-se uma armaco de taberna feita a7! babados a 25500, para acabar, cortes de vestidos
moderna, com todos os prtences, propna para | Maria_Pia, sendo fazenda de bonitogostoa 35500,
qualquer principiante, por ser em uma das nic-
Ihorcs ras de negocio : a tratar na ra da Sajita
(Cruz n. 9._________________________
(,/ier/iiem liqwdatfio
Chitas largas hamburguesas mnijo finas e cores
escuras e fixas a 280 rs. o covado, por lorom m
pequeo principio de mofo, o qual garntese que
na primeira lavagem larga, chegue a esta espan-
tosa pechincha antes que se acabe
da Madre de Dos n. 16 defronte
alfandega.
cortes de cambraia brancos com babadiuhos a 25,
enfeites para cabeca, sendo Garibaldi e turca a
45000, ditos com filas e flores a 25000, camizinhas
bordadas para senhoras a 15000, manguitos de va-
, rios modelos a 400, 500 e (i'iO rs., calcinitas para
' iteivtnas a W rs., jetabas tw_fe' A20
500 rs., sedas de qnae*rlnlios a a 400 rs. o covado. fusto para vestidos e rmip'inhas
de meninos a 320 rs. o covado, alpakim ougorgu-
1 rao de linho a 260 rs., gangnelin de una s cor a
: na loja da ra :(l rs. o covado, toahas de linho adamascadas,
la guarda da para rosta a 15000, vestuarios para meninos nte-
____________i ninas a 15600 e -50. tiras bordadas e entremeios
Vende-se uma parte do sobrado na ra da mais barato que em otitra qualquer parte, tud isto
Senzala Velha n. 110 e juntamente com um grande pechincha e vende-se para liquidar : na na da
armazem e um pedaco de terreno, tud junto, no lmperatriz n. 00, loja e armazem do pavao, de Ga-
ita) do dito sobrado :' quem pretender comprar, i ma A. Silva.
dirija-se ra da Palma n. 58, que aclara com ... .. > ...
quem tratar (iiosilena|ilcs a f:dOO, na loja ou pavao.
------77r-------t----------^--------n-------' Fazenda a 15300. 15600, 15800 e 25000 : sna
Vendem-se bolachas grandes muito boas a ...,.., rinda Imnei mi? n 60
35 a arroba, e a 100 rs. a libra : na ra lava do loja d0 |uwo' rua ua "nlllldIllz n- w-
Rosario n. 16, padaria do Sr. Manoel Antono de
Jess.
A o publico
Manoel Ignacio da Silva Teixera, com padaria
no pateo da Santa Cruz n. 1, e na casa immediata
da rua do Rosario n. 55, contina a mandar fabri-
car, alem do pao de dilfcrentes denoniinacoes e l-
mannos, e da raclhor farinha quevem ao mercado,
a antiga bolacha furada de dillerentes taannos,
bem como de 5, 10, 20 e 40, sem que Ihe ajunte a
menor partcula de oleoso, trabalhada a braco,
propria para saos e doentes, e igualmente a bola-
cha quadrada, maior e menor, trabalhada no cy-
lindro, assim como biscoitos, fallas e bolachinhas'
doces e tambem com ovos ; e breve mandar fa
zer as excellentes roscas que se usam no Porto,
Braga e Barcellos, tambem com ovos, e que annun-
ciar o da, tudo fabricado com esmero c aceio, e
precos razoaveis, conforme aqualidade.
0 pavo vende para lulo.
Vende-se linissinio setini da China, fazenda sem
Vendem-se canos paia esgoto de tediadas a lustro, proprio para vestidos "de senhora, para ca-
500 rs. o palmo, assim como jairas finas de tolos! pas e roupa para homem, tendo esta fazenda seis
os tamanhos, jarros de 2 4 baldes, potes le' palmos de largura e sendo muito leve, vende-se
Goianna, e toda a qualidade de lonca vidrada e ve \ pelo baratissimo preco de 25200 o covado, garan-
barro, e tambem quartinhas de todas as qualu_-l lindse que nao se torna ruca, e vende-se nica-
COMPRAS.
Alugara seduas casas na Capunga Nova, rua
da Amizade ns. 35 37, cuja casas sao feitas a
moderna e tem grandes quintaes com alguns ps
de arvoredos, e boas caeimbas : a tratar na rua
da Sania Cruz n. 1, taberna. ______
Aviso.
Jos Antonio dos Santos Coelho faz sciente ao
respeitavel publico que o Sr. Guilherme Carneiro
da Cunha deixou de ser eaixeiro de sua ca_ desde
hontem 15 do cowente._____________________
Aluga-se por preco commodo o segundo an-
dar da rua da Senzala Velha oj 48 : a tratar na
loja do mesmo.
Coinpanhla Ddelidade de
seguros martimos e ter-
restres estabelcclda no
Rio de Janeiro.
AGENTBS EM PEPNAIIBCCO
latonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fielida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
predios no seu escriptorio rua da
n .1.
TINTURARA.
Tinge-se com perfeicao para qualquer
cor, e o mais barato possivel: na rua do
Rangel n. 38, segundo andar.
Comprase uma armaco que fosse de taber-
na ou que sirva para este fiin : a tratar na rua das
Cruzes n. 42 junto a esta typographia.
Compra-se uma escrava que teuha de idade
12 16 annos, qu seja bonita: na travessa do
Paraizo, sobrado n. 18._____________________
Compram-se frascos vasios que tenham sej
vido a agua de colonia: na praca da Boa-Vista n.
26, deposito de assucar do Monteiro.
des : na rua do Rangel u. 4, loja.
ptima paragcni.
Vende-se a taberna da rua da Concordia n. 12 :
a tratar na mesma.
Lettc no Recite.
Do dia 17 em diaute liaver leite liquido a 320
rs. a garrafa : no oito do predio da rua da Cadeia
do Recife em frente do passadico.
Vende-se uma taberna com todos os prten-
ces, na estrada nova do Cachang, passando a se-
gunda bomba : quem pretender, dirija-se rua do
Rosario da Roa-Vista n. 56, que achara com quem
tratar.______________ _________________
Vendem-se meias de linho puro, assim como
de algodo, fabricadas no Porto pelo melhor fabri-
cante : na rua da Cadeia do Recife, loja de ferra-
gens n. 64._____________________________
Vendem-se os arreios completos para um
bello cavallo, visto ser de melhor que tem vindo
a esta prapa, e apenas servido duas vezes, uma
carteira d madeira de uma s face com seu ban-
co, duas mesas, sendo uma propria para escriva-
nia, pares de eaixilbos com vidros para janellas,
de palmas, uma serpentina ou tipoia, cpula e pao,
e mais outros ohjectos por prego muito commodo:
quem pretender, v rua da Penha n. 5
Vcndem-se no armazem n. 53 da rua da Ca-
deia quatro venezianas.
Vendem-se craveiros de todos os tamaitas,
brancos, cor de rosa e avelludados, assim como
Ciarraioes pequeos
No armazem da aurora brilhante largo da Santa: "ma mesa de amarello de pes movis, propria para
Cruz n. 84, compra-se garrafes pequeos a 320.
Compra-se uma escrava
costureira e engommadeira :
numero 17.
moca que seja boa
na rua do Crespo
engommado, com 10 palmos de comprimento sobre
5 de largura : na rua da Alegra n. I.
PARA 1 I l U \ IC
tbspkse una boa casa terrea com grande solo
a <*Bfha fra, um pequeo quintal e cacimba, na
rua da Concordia n. 63, urna mei-agua cora com-
modos pan pequea familia, na rua da Palma n.
'J6, por proco* commodos : a tratar na rua do
Quimado, toja da fazendas n. 41.
-r Precisa-se de nma ama para engommar
na
rua estreita do Rosario n. 31, ferceiro andar. j ro.Joao Diogo Estarlo da Silva.
CURA COMPLETA
OBTIDA
sem resguardo nem incommodo
Ery-ipela n< poma.
Sujeito por muitos annos, invariavelmente a mui-
tos ataques de erysipela na perna resol vi-me a 18
mezes a applicar as chapas medicinaes do Sr. Ri-
cardo Kirk, escriptorio na rua do Parto n-ll9>e
posso attestarque desde esta tempo nao tenno tido
ataque algum.
E por ser verdade Ihe passo o presente atiesta
do para ser conhecdo do publico. Rio de Jara-11861-0 secretario,
dssoIhcSo de socledade.
Os abaixo assignados participam ao respeitavel
publico e com e.-pecialidade ao respeitavel corpo
do commercio, que dissolveram amigavelmente a
sociedade que tinhara celebrado no estabelecimen-
to de ferragens, sito na rua Nova desta cidade n.
33, que gyrou na razao social de Fortunato Ribeiro
Bastos & C, ficando o socio Fortunato Ribeiro Bas-
tos com o estabelecimento e todo o seu activo, bem
como obrigado ao passivo que exisiia. Recife 13
de novembro de 1863. Sebastio Jos da Silva.
Fortunato Ribeiro Bastos.
Escravos.
Compram-se escravos crioulos de 12 a 20 an-
nos de idade, sendo de bonita figura, paga-se bem :
na rua do Queimado n. 13, primeiro andar.
Compra-se uma armaco invernisada de loja
de miudezas ou de fazendas : a tratar na rna d
Cruzes h. 29.
Compra-se urna escrava com habilidades e
uma dita de meia idade, bem como uma carraca
para boi ainda que seja nsada: na Capunga rua
das Crioulas as casas novas a tratar com II. Jos
LeitSo.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas: na praca da Independencia n. 22,
loa de bilhetes.
-*
LOJA III) PREGUIGA
Ordeni tcrceira de H. Francisco
do Recife.
A mesa da mesma ordem tendo recebido um
convite de S. Exc. Rvm. para acompannar a pro-
cisso de Corpus Cbristi, e sendo aceito o mesmo,
roga a todos os seus charissmos irmaos o san com-
parocimento no dia 22 do corrente, pelas 3 horas
O L1IHO DO POVO
Segunda ediclo mais correcta, ornada com
NA
Rua do Queimado n. 2.
Vendem-se pecas de madapoln fino enfestado
com 12 jardas por 55, cambraia preta a 500 rs. a
vara, meias de seda de peso para meninas de 1 a
: 10 annos a 25 o par, lindas e finissimas cambraias
1 de cores a 360 rs. o covado, paletots de alpaca de
todos os tamanhos para meninos, ditos para ho-
mem a 35, 4 e 55, chitas francezas de bens pa-
drees e cores fixas a 320 e 360 o covado, ditas es
licitas a 240 o covado, baldes de arcos a 35500 e
145, ganga de quadrinhos a 320 o covado, coberto-
! res de algodo a 15200 cada um, lencos de cassa a
80 rs., 100,120, 160 e 200 rs., e outras muitas fa-
zendas que se vende por barato preco, e de tudo
J se dar amostras: na rua do Queimado, loja do
Preguica n. 2.
Farinha de mandioca.
Vende-se farinha de mandioca da melhor e
27 estampas, e augmentada com 48 paginas mais nova que naneste mercado : no escriptorio
de texto, contendo : a vida de NOSSO Senhor de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho largo do
Jess Christo, fbulas, 0 vigario, O bom ho-1 Corpo Santo n. 19, ou a bordo do palhabote Via-
mem Ricardo, quadnipedes Uteis, O profes-1 f e brigae Minerva, ancorados no cat
sor primario, moral pratica, Simo de Nan-
tua, mximas e sentencas, hygiene, receitas
necessarias, o Brasil: vende-se na livraria de
da larde, paramentados com seus hbitos para o Manoel Figueira de Faria or Flbo, praca da
*'Independencia ns. 6 e 8, nrt nm-
Jos Goncalves Malveira. Ipl" e brochura, e a
a 600 rs. o exem-
1 acartonado.
Cofre inglez.
Vende-se por preco commodo um cofre inglez,
prova de fogo, e muito seguro, com pouco uso :
na rua Direita, padaria n. 84._________
Cbegeu rap de Lisboa novo, qne se vende
em libras ; na rua do Imperador n. 28,
mente na rua da lmperatriz ji. 60, loja do pavo.
A carnauba #o pavao.
V'nde-se cera de carniaba em saceos, por proco
mqStf. >m cooifd.ou in*s barato do que em otitra
quaiquer-prte : a ntar na rua da lmperatriz n.
60, |a de Cama & Silva.
Sedas do pavo a olio rs.
Vendem-se sedas de quadrinhos com pequeo
toque de mofo, pelo baratissimo preco de 500 rs. o
covado, ditas em perfeito estado a" 800 rs., ditas
com listas, para acabar a 400 rs., gorgnro de seda
para vestidos e roupa de meninos a 15000 o cova-
do : na loja do pavo, rua da lmperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
0 organd} do pavo a 300 rs.
Vende-se finissimo organdy matisado. branco,
para vestidos, pelo baratissimo preco desSOO rs. a
vara ou 300 rs. d*covado, cassas francezas finissi-
mas a 240 e 2801rs. o covado, ditas com palmas
grandes, fazenda mteiramente moderna a 440 rs. o
covado : s na luja do pavo, rua da lmperatriz n.
60, de Gama & Silva.
As chitas do pavo.
Vendem-se chitas francezas, escuras, a 280 rs.,
ditas a 320 rs., ditas a 360 rs., ditas matisadas mui-
to linas a 400 rs., ditas pretas largas e estreitas,
ditas matisadas com floroes proprias paracobertas :
na loja do pavo, rua da lmperatriz n. 60.
0 pavo vende os cortinados.
Vendem-se ricos cortinados adamascados pro-
prio para janellas, e camas para noivos, pelo ba-
rato preco de 95000 o par : na rua da lmperatriz
n. 60, loja do pavo.
0 pavo vende es retalhos.
Vendem-se por precos baratissimos, norco de
retalhos de chitas, cassas e laazinhas : na toja do
pavo, rua da lmperatriz n. 60.
Fnstio do pavio.
Vende-se fusto branco para vestido e roopa do
meninas a 500 rs. o covado, dito de palminhas a
320 rs., tarlatana de palminhas a 320 rs., fil bran-
co liso, e tarlatana branca e de cores a 800 rs. a
vara : na rua da lmperatriz n. 60, loja de Gama &
Silva.
0 pavio vende cortes de calca.
Vendem-se cortes de calcas de casemira de co-
res a 25400, ditos de cachemira da Escossia a
25240, ditos de ganga a 15600, ditos de brim de
uma s cor a 25240, ditos de castor a 15280, ditos
de casemira preta a 45000 e 55000, ditos de case-
mira fina de cor a 55500: s na loja do pavo,
rua da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os ricos vestidos sontambar-
que, que chegaram para a loja
do pavo.
Chegaram pelo ultimo vapor francez o? mais
ricos vestidos soutambarque, sendo com as saias
j feitas o ricamente enfeitadas e guarnecidas,
tendo a precisa fazenda para fazer 6 corpo i com
seus competentes soutambarques primorosamente
entortados, vindo tudo em nm s cartao, assim to-
mo as mais modernas camisinhas com manguitos e
punhos a balo ricamente enfeitados, e vendem-se
por preco favoravel : na loja e armazem do pavo
na rua da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
MUTILADO



Diarlo de Pe-Bambuco -
Quala felra IH de Xo ve subi de i 8*8.
4
1 AGUIA. BRINCA.
Receben por esse ultimo paquete:
Novas carteiras com as excellentes agulhas
ingieras.
Agulhas parisienses tambem de excellen-
te qualidade.
Irancelins finos de borracha para en-
fiar.
A AGUIA BRANCA.
Da ra i* Qaeimado n. 8, receben.
Tnico oriental de Kemp.
Agua florida Murray & Lamnan.
Dita de flor de laranja Condray.
Dita de rosasdito.
Bolsas para vlagens.
Vendcm-se na ra do Queiniado,
Botoes pretos de velludo, maiores e me- Branca n. 8.
ores para vestido. < voll.is pretas
Traosinlias brancas estreitinhas d'algodo, Mara pa.
45-RTJA DIREITA~45
Ssftl^ABSt
Ca, rapasiada, coragem! parece queja
: entregastes os vossos joanetes aos duros sei-
! xos do pessimo calcamento da nossa cidade!
jja d'Aguia S se observa em vossos ps botinas acalca-
38RA DO IMPBRADOR38
para enfeites de vestido.
Escoras cabos demadeira, osse e raadre-
perola para limpar pentes.
Piucos para p de arroz.
As lindas livellas com pedras para cintos.
Outras de fino dourado e esmaltadas.
Outrasde madreperola.
Bonitos leques de madreperola com bou-
quet.
Oulros leques d'osso com bouquet.
Outros de plumas, com cabos d'osso e
madreperola, e outros finalmente de snda-
lo e pretos.
Pentes de borracha, recortados, dourados
e com pedras para meninas e outros de tar-
turuga.
Meas de seda para baptisados.
Lindas louquinhas de fil de linho, cam-
braia esetim, mui bemenfeitadas para cran-
os.
Ligas de seda para senhora, e ditas para
manguitos, ou meninas.
Livrinlios para notas
Novos tercos de cornalina, e coral lapida-
do com cruz de prala etc.
Bonitas pulseiras brancas de perolas fal-
sas, e outros de chapa de cryslal o pago,
com lisias douradas.
Tudo na loja d'Aguia Branca, ra do Quei-
mado n. 8.
Lbvriulliose bicos,
t5o baratos que o comprador admira.
Esses labyrinlhos e bicos se applicam a
diversas obras e fins, e sempre com provei-
to por suas fortides e duraco, hoje mais
do que nunca, convem a todas as familias
compra-Ios para proveitarem-se da occa-
sio em que elles sao vendidos lo baratos
que na verdade o comprador admira, e bem
se pode dizer que por taes prepos nunca
mais haver. Os labyrinlhos sao de novos
e bonitos desenhos das larguras de quatro
dedos at mais de um palmo (ou tres a dez
pollegadas) e os limitados presos sao de 13
a.3# a peca de dez varas, variando esles em
relaco a largura. A ser em varas haver
mui pequeas differencas, os bicos porm
principiam por mais estreitos at a maior
largura dos labyrinlhos, e os precos sao
igualmente proporcionados. Isso pois. as-
sim simplesmenle dito talvez pouca conside-
raco mereca, porm para desengaar e fa-
zer o comprador reconhecer a verdade e a-
preciar o extremo da barateza, necessario
que se dirijam com dinheiro; a ra do
Queimado loja d'Aguia Branca n. 8.
Graxa econmica.
A aguia branca acaba de receber cssa acredita-
da graxa econmica, cuja superioridade est ge-
-alraente reeoiihecida; essa boa graxa se torna
recommendada, tanto porque o calcado lustrado
om ella deixa perfeitamente lustroso ao menos
.res dias sem necessidade de novo unto, tomo
"T\
^
Agua natural de Condllac.
mmto recommendada as afeccoes do tubo gastrointestinal, nos dos rin?, e bexica ouriuaria. pela>
C114C lUYUriiul iiL^ 'ilj*l I i ni ." a \ anillo ,.->..nl.i.. ,....i iiilm..xt., .. '..*. .. _
8EA1 SECiUNHO.
QUINQUJLHARaS.
Ra do Queimado, ns. 49 e 55, lojas de
Jos Bigodinho, queiram ver ver as fazendas
que abaixo annuncio, pois todas eu garanto
que sao muito novas e baratissimns.
hadas e eastas at ia*nJa- Anates I sua.s Prop^dades alcalinas, e o' acido carbnico que naturalmente conteni em suspesao! do preco! ^^ de bancas de lgodao de tO-
, mais commodo que a agua de Vichy, e de propriedades talvez superiores pela grande quatidade ce
A Aguia Branca recebcu as desejadas voltas
pretas, mui compndas e gradas._______' i
; lente calcado com 40 e at 60 por cento
!menos do seu valor.... attendei:
; Borzeguins, Nantes, bezerro e va-
supenor | qae[a 2 e meia solas .
rasgados e quas sem saltos.... nem tanto 11 acdo carbnico. Injecco Orou, qu* MlCheeieu, cupahiba de Mege, 'injeccoFugas de tanaU-
a quepradetra nao deve chegar at este pon- \de zrnoo, muito recommendada as gonorrheas. lrroy francez verdadeiro ; na mesma casa tem
tO I Vinde ra Direita munir-vos de excel-! algunas calas de instrumentos cirurgicos para operaces de Matieu e Charriere.
GRANDE LIQUIDACAO
DE
Fazendas franeezas e inylozas lodas de si.
qualidade: se vende muito barato para Ikjui- Borzeguins, Nantes, # bezerro, va-
dar cenias, na loja c armazem do Arara, ra, qUeta e iust.re 2 solas. .
da Imperatriz n. 06 de Loorenco Pereira Gui- Borzeguins, francez e hamburguez,
niarfs. bezerro, lustre e couro de por-
Grande pechlncha.a de co 7)5 e........
palmos a ijf'*o. Sapates, Nantes, bezerro e vaqW
Vende-se I5as transparentes de cores lisas, ta 2 e meia solas.....5500
e quadros com 9 palmos de largura, pro-. Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
prias para capas e vestidos para senhora a; bezerro 2 solas......
1)5280 o covado ; lazinhas muito finas de Sapates, Nantes, sola e vira. '. '.
quadrinhos a 280 e 320 rs. o covado ; di- Ditos para menina, com laco. .
tas transparentes muito finas a 400 e 500 Ditos de ditas, de cores. .
rs o covado ; gorguro de cordao, fazenda Sapatos para senhora e homemi
fina e nova para vestidos por ser padro de tapete.........
seda por 500 rs. o covado. S na Arara Sapatos de borracha para senhora!
ha este grande sortimento de Bazinhas e dem idem para meninas. .
outras muitas fazendas, que trouxe o ultimo Sapatos de lustre para senhora.
vapor viudo da Europa ra da Imperatriz idm e \HSfrQ s avessas .
n. 56, loja do Arara de .Mendes Guimares.'
85500,
8000!
65000
55OO0
4,5000
35500
25800
800
15400!
15000:
15000
500,
--RA DO QITEOIADO--??
Custodio, Ca> alho A C.
Superiores cambraias organdys as mais finas que tem vindo a esta cidade e pelo in-
signilicante preco de 300 rs. cada um covado ou 500 rs.
preco em virtudc da grande quatidade que compramos.
Veudem mais.
Fino fil de linho para vestido a 500 rs. a vara.
Baldes de arcos e madapolao a 3,Ji00.
Entremeios bordados fazenda fina peca por 1,5300.
Finas ras bordadas urna peca 2400.
Vestuarios.
Completos para meninos e pelo preco de 35500.
Cortes
de casemira de cores pelo barato preco de 24500.
Superiores laazinhas modernas para vestido a 4W rs.
Chales.
Chales de merino de 500 Si cada um.
Guardanapos para mesa duzia \|.
Lences de panno de linho fino a i$.
Colwrtas de chita indiana a if.
vara, vende-sc
A Arara vende ricos vestidos bordados brancos
a 125000 rs.
Vendem-se ricos e finos vestidos brancos
bordados a 125 ; ditos mais singelos a 55 ;
ditos de barras de tarlatana de cores a 35 ;,
ditos de barras a 35 e muito baratos : ra I
ila Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Mais pechinelia na AraraCassas a 200 rs. o co- j
vado.
Vendem-se cassas organdys de quadros;
cor de caf e mais claros a 200 rs. o cova-
do ; ditas franeezas finas a 240, 280 c 320'
rs. o covado; cortes de chitas de cores a j
25 ; ditas franeezas com pequeno toque de
mofo a 25500 ; cortes de riscados famosissi-
mos com 14 corados a 35 (s na Arara,
ra da Imperatriz n. 56); cortea de casimi-
ra enfestada para calca a 15, 15600 e 25,
tendo cada corte 1 vara e 3 quartas, cousa
muito barata ; casimiras finas a 25500 e 35
o corte ; casimiras lisas para capas de se- i
nhora com 6 palmos de largura a 35 o cova-'
do : ra da Imperatriz n. 56.
A Arara vcudc chitas a 210 rs. o covado. Sao
largas.
Vendem-se chitas franeezas com toque de i
mofo, que se extinguir logo que forem la-'
vadas, e as cores sao fixas a 240 e 280 rs.!
o covado ; ditas limpas e finas a 320, 360
e 400 rs. o covado ; lencos brancos com
barra de cores finas a 160 rs, cada um ; di
tos brancos todos a 200 rs.; ditos muito li-
nos a 320 rs ; mcias para homem a 200 e.
240 rs. o par : ditas para senhora a 320 e
400 rs. : na loja da Arara, ra da Impera-
triz n. 56, de Mondes Guimares.
Sedinhas da Arara a 500 rs. o covado.
Um
confeito e especifico para
expellir os Vermes.
fifn
ifslitas Vcrn.ifug.is
DE KEMP.
I la meninos s pedem ;i grito?, porque
ellas silo de elieiro, sabor e cor agrada-
veis. A elegancia, a segnridade de ac-
5:1o, .1 iiuH'oii.-ivc das
Pastilhas Vermfugas de Kemp
A PAR DA *l
(V.rnoMt.ao exclusivamente Vegetal,
Vendem-se sedinhas para vestidos de se-
nesmo porque sua preparaeia appropriada para n|,ora a 500 rs. o rovado ; Cassa-Seda com
palmas soltas a 500 rs. o covado ; chalim
de cores para vestidos de senhoras a 500
rs. o covado ; sarja de cores para vestidos a
400 rs. o covado ra da Imperatriz, loja do
Arara 11, 50, & Mendes Guinaraes.
Hadapolfio Tranriu uilcsiad a 1000 rs.
Vendem-se pecas de iuaaapotao dvr
eiif.sido a 4-5 e 3500 : pecas de algodo da Madre de Dos.
amaciar e conservar o couro"; ella vein em caixi-'
nhas e barrizinhos, c acha-se venda na ra do
Queimado n. 8, loja d'aguia branca, aos remolidos
arceos de 400, 500 e 640 rs.
Pentes de eoneliau
Com as novas e diversas guarmces de
pente9-e a Atroja Branca .acaba de rece-
ber, vero tamwn urna pequea qualidade
de pentes de concha que com gracj e cr-
iadamente servem para o moderno atado dos encorpado a 45, 45600 B 55500 ; madapo-
"jbellos. Elles sao de bonitos c agradareis lao ingiez com 2i jardas marca Rainha a?5J:
moldes, edetamanho pequenino como con- dito* klephanle a "5500: dilo 11. 6 lino a
vem para o firn que sao. E' esta a primei- 83 : dito n. 7 a 0 ; dito de corda dourada
ra vez que d'elles aqui chegam, por isso a I0|, todos estes madapoloes s3o muito fi-
que a moda novissima, pelo que ganha- |nos: ra da Imperatriz, luja da Arara de
rao a palma aquellas senhoras que primei-
ro se apresenlarem com elles, para o que
o* mandarSo comprar na loa d'Aguia Bran-
ca, ra do Queimado, n. 8.
Capellas. flores e Inras enfelta-
las para nolvas.
Pelo ultimo paquete a Aguia-branca rece-
beu os artigos cima sempre necessarios s I ditos de meia casimira a 3S00 e 45 ; se-
noivas, os quaes, segundo suas recommen-! roulas de bramante franeezas a 1?600 ; ditas
daces. vieram de muilo gosto, e perfeita- de linho a 25 : camisas franeezas a 15600 ;
ditas muilo linas a 25 e 25501); ditas de li-
so estas ]>ois ns suas luelhores e mais
completas de todas as reoonMBendacea
que se poesa fazo- e com justa racio as
colloeo na categora d'nin (vrtrito uni-
versal.
A raperioridado das
Pastilhas de Kemp
sobre todas as preparacea destinadas
para o mesmo fin devido sua sim-
ples composicio o sen aroma agrada-
vel e rapidez c iufallibilidade com
que alcanca a destrnicSO total das
LOMBRIGAS.
RIA DO (PUADO LOJA N. II.
KNTKIK.tN PARA 8AIA8.
Loja de fazenda de Auguslo Frederico des SaDls Porto.
A esto estabelecimento chegou um ptimo sortimento de esleirs para sala, com diversas laaras
e da mais superior qualidade que se vendem por precos mais mdicos do que em ootra qoaquer
Enfeites para bailes.
Os mais delicados enfeites para baile se encontram neste estabelecimento ; assim como
LUVAS DE PELLICA DE JOVIN para bomens e senhoras.
CHAPEOS DE PALHA DA ITALIA para senhoras, enfeitados com finissimas tlres.
CHAPEOS DE PALHA para meninas, enfeitados com finos veos de seda, fitas e llores fila*
CHAPEOS DE PALHA DE COR para homens a 1300, USWi e W00.
80
151(X>
l (JO
80
40
80
das as cores a
Duzias de linhas com 200 jardas, A-
levandre, a .
Carrtel de qualquer numero ,
Varas de aspas para balao ....
Caixas com superior obreias a .
Dilasde colla.......
1 libra de laa sortida.....45000
I libra de lila muito superior em co-
res e qualidade......
Pares de botoes de punho a .
Pares de sapatos de tranca .
Ditos minio superiores, a .
Caixas e pacotes de papel amisade de
cores a. ....... .
Duzia de meias muilo tinas para ie-
nhora a........
Duzia de ditas cruas para homem a
pretas e de cores, Has para vestidos, panos finos, casemiras pretas e de cores, toalhas para
guardanapos de linho, bramante largo para lences, platilhas, bales de arcos e de musselina. esnuies
damascos, chitas e outras muitas fazendas que se vendem por mdicos precos na ra do Queimado
IB
Id
lll'A 00 OlllMlDO V 0
Loja do bel ja-flor.
Facas para meninos.
Vendem-se faquinhas para meninos a 240 rs.,
ditas de balaneo de um botao a 280 rs. o talher.
bravatas para senhora.
Vendem-se grvalas para senhora a 300, 640,
800 e tfOO.
Fitas para debrum de vestido.
Vendem-se fitas para debrum, de linho, a 240 a
peca com 10 varas, dita de laa a 800 e 15, dita de
seda a i200.
Pennas de ac de lanra.
Vendem-se caixinhas de pennas de ac de 200
rs. a l&.
La para bordar.
Vende-sc laa para bordar, de cores claras, a
05800 a libra.
Imperatriz tr56.
todo o esmero : as llores soltas sao extre-
mamente delicadas e proprias para enfeites
de vestidos e mesmo ornatos de cabera, sen-
do delgadas vergonteas de jasmin, cachos de
resedas, e oulras eslimadas flores.
As luvas, porm, apreciada obra de Jou-
vin, parece que foram enfeitadas pelas mes-
:nas fabricantes das mimosas (lores, pois que
em gosto e perfeico nada deixam a desejar.
S5o essas, pois, as capellas, flores e luvas
que correspondem riqueza do vestido, for-
mam o completo asseio e perfeico, e ele-
vara a gathardia da candida noiva. Resla
somente que os pretendentes munidos de
dinheiro dirijam-se alegre e espacosa lo-
ja d'Aguia-brancn, ra do Queimado n. 8
alendar los semanaes : pelo
proco todos coinprarSo.
Sao desumma ulilidade esses kalendarios
semanaes, porque mostram acertadamente
a data e dias da semana, sem o continuo tra- ^
balho du bolir nelles diariamente, pelo que
se tornara necessarios e preferiveis a todos!
os outros ; tanto para casas de familias, co-
mo mesmo para qgalquer oulra parte, e
principalmente por 500 rs. cada um: na
ra do Queimado, loja d'Aguia-branca, n. 8.
Phosphoro de cera.
Vendem-se a 24o rs. a duzia de caixinhas ?"* dofruperador n. 28 e caes de Apollo n.
de phosphoros de cera : na ra do Que.ma- .3* rs- a hbra> e de 81,bras Para c,m8
Roneras dr |ehro.
Vendem-se.bonecas de cera a 800 rs. e l, ditas
A venda as boticas de Caors & Barboza,, C^ZS\mmme SSr,8 "" ^
, o uz, e joao oa c. bravo & 1,., ru' ^"^'L^m WrmSf^U$t.
Vendem-se colhes de metal principe muito Unas
_ r=T alje 25500 para cha, ditas para sopa a 2>0()0 e
WOl-"44 'SOO' concha Para assucar a G40.
e^r>lc^7'^r^7^\ r\ fitts t garfos.
wS #f -ry^ Aft Vendem-se f.-.cas e garfos a 2800 a duzia, ditas
S3> .Yrt lita do Queimado n. 43, esquina que lecabos de balaneo com 2 botoes a 65800, dMas
vota para a Congregago : pechineha. Jg gWK,> d,las de um bo,ao a b*< dl,as
Mendes Gltimai "es. Paletots de casemira a 5, 6, 7, 8, 12 e 145000 i'inV.iic an --
Itoup friU da Arara. '!<<* e panno preto e azul a 9, 10 12, 16 e 185 y^^ chicr nra ci lo Para os amantes
\- 1 m^> ..r >..,., ,.i.irt- *t Vendem-Se uniformes completos, como ^ d|os d0 alpaca pretaedeconlaoa V,6e quepassamfestaab40el5.
Sejam : paletots, calcas, COleteS de casimira 75, calcas de casemiras de cores a."i, 6,7 e 85OOO,! Mcias para senhora.
ingleza a 105? e 12^: calcas de brim O ditas pretas a 5o00, 8. 9e 105, paletots de fustao Vendem-se mcias para senhora muito finas a
nina casimira a 2: paletots le brim de c ganga a 25, 25800, :i c 45, calcas e col leles de 25400 a duzia, ditas para meninas a
.-...>.., jcnnn .. -i .m... i..ao ilt- todas as qualidadcs e por preco muito barato, len-1 Panel de di\crsas qiialidades.
' ces de puro linho a preco de 25800 e :i5, cober-: Vende-a papel de boira dourada a 15200, dito
las de cima a 25240, collarinhos de linho puro a amizade a 640 e 800 rs., dito pautado a 15, dito
600 rs. cada um, e outros muitos objectos que s adamascado a 900 rs.
vista ; e para isso se pede a attencao dos fre-' Anvelopes de diversas qualidades.
g"ees-___________________________________* Vendem-se avelopes brancos a 800 rs., ditos de
Caslaillias de LisllO. coresa 640, ditos para cartao de visita a 500 rs.,
________: ditos pretos a 800 rs.
apparelhos para senhora,
de mousacos e camapheos verdadeiros, vendem-se,
de mousaco a 65300, dito de camapheo a 135-
llomius e lisporas.
Vendem-se dminos muito finosal510 e 15400
c taporas a 800 e 15.
Enfeites.
Vendem-se enfeites de redes para senhora de di-
i! 1 versas cores, a 15000, ditos pretos a 900 rs., sendo
vjg; de fitas e sontas de ac, peca de fita de coz com 10
>K varas a 360 rs.
Extractes ingleses.
Vendem-se extractos inglczes muito barato, por
que foi comprado em leilao, e nao se quer conti
miar, a 320 c 400 rs. o frasco.
mente delicados.
As capellas sao de mui moderno e agra-lnho ingieras :i9 ; camisas de meia para ho- ^.^.....^ ^ .... 0-
lavel molde.de linas flores, e acabadas com mem a 500, 800 rs. e 10 : collerinlios de Vendem-secastanhas chegadas no vapor francez Tendo recebido ricos
I acarre a 160 rs. a libra, e canastras de 40 a oO ,, rallcwn ..,,,,
libras a 6-5-'i00 : na ra da Cadea do llecife nu-
mero 2o.
^'"F'Rua^do Crespo *. %M
*< Na loja de Marcelino & C, vende-se J;
linho a 500 rs:: roa da Imperatriz n. 56.
Baldes da Arara a 3)000' rs.
Vendem-se baloes ib'arcos americanos de
20, 25, 10 e 40 arcos a 3, 30500, 4S e
4500 ; ditos de biilliantina a i : ditos de ,
dita muito grandes a 33J6' 0 : ra da Impe- i M barege di lia de cores muito finos a 320
ratriz loja da \rara n. 56. I t$ rf- covado. ditos lisos com 8 palmos de
Lencos de seda a SOOrs. ktt ar?ura- soutembarques de cam-
,T 111 .^ ,\-! W braia bordado e outras muitas fazendas
Vendem-se lencos de seda de tima so .01 ^ do gosto proprias para o lempo de festa
muito finos a 800 rs. ; ditos estampados a K thegadas neste ultimo vapor, precos mui-
15, ditos com franjas a 14500 : ra da' ^ tp em iwita.
v. 4^ 4. <*-*
Chcgado pelo vapor:
O para o vigllaute, rua do Cres-
po 11. 9.
At que chegarain as muito desejadas cascani-
Ihas de lodas as cores com urna litinha de velludo
no centro, cousa muilo elegante para enfeite, assim
como de outras qualidades, e piceos muilo razoa-
veis : s no vigilante, rua do Crespo, n. 7.
Para dar de mimo.
Chegaram as nquissimas nonecas de todos o
taannos, veslidinhos ricamenti enfeiados, cada
um emsua caixinha, propriamenle para um deli-
cado mimo, por baralissnuo preco: s no vigilan-
te, rua do Crespo n. 7.
Para os senborcs barbareis.
Chegou lempo a riquissima fita de chanial.ilr
para cartas dos senhores hachareis, assim como
branca, lisa, propria para abrir letras, 011 para
sintos : sno vigilante, rua do Crespo 11. 7.
Pcnlea de marrafa.
Tambem ehegaram ns riqnissimos pentes de
marrafa com pcdrinhas.os lindos pentes de n gaco
para baptisados, meias de seda para imhora, BtM
de laa para debrum, fita de linho, trancas de laa,
de linho e de seda, luvas de seda e pellica, e lio de
Escocia e camorca, alflnetes de rabeea chata, car-
teirinhas com ludas as agulhas precisas para cos-
tura, livelas de madreperola esmaltadas de ac
para sintos, llores de todas as qualidades, caixinhas
com pastilhas de perfumarla, abafadores de laa
para senhora, 1......as e sapatinhos nhas de borracha para segurar manguinlos, litase
cordes de borracha, sabonetcs redondos, ditos
chamados de familia, pomadas de lodas as quidi-
dades e dos fabricantes mais afamad.-, clcheles
pratiados muito finos, retroz de todas as qualidades,
retroz em carretel e em noveno, e da nuada, de
todas as cores, escoras para dentes, ditas para ron-
pa, ditas para chapeo e ditas para unlia, d-' ledos
os precos, e outros mais objectos, que se tornara
enfadonho annunciar, e vista dos fregneces pro-
mette-si- fazer todo o negocio: s 11O vigilante, rua
do Cespo n. 7.
arallics muilo linos para voltarele a
Ca rilis de linha com 100 jardas a
Carlita de linha branca e de cores a
Novellos de linha com 400 jardas a
Ditos muito grandes com 800 jar-
das a .......
Caribes de linha com 200 jardas (esl
se acabando a ......
Vara de lila pela com rplxetes para
vestido, e tem um reslo pardo a
75000
1*0
1(5280
1*600
600
35500
2*400
300
30
20
60
120
60
100
NEJ SECsJlIHSrO.
Objectos de Untura c uinsiea.
Na rua do Queimado, ns. 49 e 55, est
queimando ludo pelos precos abaixo decla-
rados, e prestem toda a aiiencao para ver
o que bom e barato. ,
Duzia de facas e garfos muilo finos a 23500
Dila dila dila de cabo preto inuito
finas a......... 3,5200
Dila dita dita de balaneo, melhor.a 55500
Tesouras para costura, muito fi-
nas a ......... OO
Dilasditas para unhas, muito linas a 400
Cartas de allinetes de ferro a 80
Dilas ditos de lalao muito finos a 40
Ditas de dilo grandes..... ISO
Caixas de phophoros de pao ... 10
Grosa de ditos do gaz a 25200
Duzia de dilo dito a 200
Massos de palitos para dentes a 160
Abotoaduras para coletes a 160
Escovaspara roupa,muito linas a 400,
500 e.........800
KKiU NE2C.Ltj1'SHo
PECHINCHA.
Perfumara ilc superior qualidade.
O rival sem secundo, rua do Queimado.
ns. 49 e 55, est disposto a vender mais ba-
rato que nunca vendeu, para o que queiram
ver :
Duzia de sabonetcs finos a ,
Saboncte ingiez, o melhor, a .
Frascos com agua de Colonia muilo
lina a......
Ditos de Lavande ambreado, o me-
lhor, a........
Dilos de macar oleo muito bom a .
Ditos perola muilo superior a .
Dilos de oleo de babosa a 240, -120.
400 e...... .
Hitos (le banlia branca a .
Dito de cheiro muito bonitos a
Ditos de banha, pequeo, muito fina
..........
Ditos de opiata a 200 rs., e bn a .
pitos de banha japoneza a .
Ditos de banha transparente a .
Ditos de oleo iloconne a ....
re p- as ej c -, --r ~ & => a S"
as '

--
O ^ aa
^r re
r -
o
2 5T
S y- ca
A Arara vende ricas colchas
Vendem-s
cama a 85 .
damasco a 45: ditas de chit 25: rua da
Imperatriz n. 56.
avclludadas a S5000.1 jj0 armazem n. 38 rua da Madre de
se ricas colchas avelludadas para i rj00S) vende-se por preco mais commodo
; ditas de fusto a 55 : litas le j (|0 que em outra qualquer parte os seguin-
tes gneros \ indos do Aracaty :
t'otassa da Httssia
Vende-sc em casadcN.O. Bie-
ber A C, successores, roa da
Cruz n. 4.
Assiicar do Monteiro
agua
yU
8
.am-
a>65Xi00 aarroba.
Cha hysson
da India, da primeara (|ualidade; vende-se em cai-
xas de 60 'ibras cada caixa, por preco commodo
dinheiro : para tratar, na rua do Pifar n. 143, pri-
meiro andar, de manha at 10 horas, de tarde das
3 at s 6._________________________________
Rua da Senzalla iVova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a i 10 rs., idem de Low
Moor Ubra a 120 rs.
io, loja d'Aguia-branca n 8.
ingleza : Opiata e
Colonia.
A Aguia-branca da rua do Qu"'-
acaba de receber a apreciad
assim como mui boa agua da Cok
bem ingleza. '
Carrafas com agua da Colonia.
Chegaram novas garrafas com agua da Co-
lonia para a loj* d'Aguia-branca, rua do
Queimado n. 8.,
aravllha das bellas, novos e
delicados enfeites para ves-
tidos.
aprasivel a aguia branca o ter de avisar a
sua boa freguezia, que acaba de receber pelo pa-
quete francez um bello sortimento de enfeites de
seda denominado maravilha das bellas, os quaes
servem tanto para vestido de senhora como para I
aos^deSh^uas^lh^ etrnTer^cl'** ***< *< *&***
res faiemnm todo agradavel aosolhos de qualquer (a que tem nOS CBgCnhOS .ilatlO PcSSO
vvente que saibaapreciar o bom. Assim, pois, a fi.i-|,nai na \t>ema p SerinhAeni no
duvida eit em haver dinheiro, havendo-o, diri- WjaDUSSU 'CnRO oe seriBMCU nu
iam-si sera susto ao espaewto e aie^e ninho de valor de 31:83o$91 i rs. ,' a tratar US
fUS^aeS t^***"^cachar5>& a rw do Trapiche u. 34.
) Gomma nova,
1 Cera de carnauba.
i Dita em velas de differentes qualidades.
Pelles de cabra t
Sola ,.
FABINHA FONTANA.
Farinha da muilo arre Jila a marca
Fontana desembarcada hoje, vende-se
por preco mais commodo do que em
qualquer outra parte : na rua da Croz
u. 4 rasa de N. 0. Bicber & C. succes-
sores._______ I__________^___
Lencos de cauabrala de linho
bordados.
Vendem-se lencos de cambraia de linho borda-
dos muito linos sendo para acabar a 500, 610, 15,
1 JoOO, s quem vende por estes precos na rua
do Queimado loja do beija flor n. 63.
BATANAS
Quem deixar de comprar caixas com duas ar-
robas de batatas, pelo barato preco de 45, baratas
e perfeitamente novas : na roa da Madre de Dos
ns. 5 e 9.
Venda de urna hypotheca.
Os liquidatarios da massa fallida de
\o armazem de fazendas bara-
tas de Mantos Coelho
RUA DO QUEIMADO N. 19 VENDE-SE 0 SE-
GUINTE :
Cuberas de chita da ludia
pelo barato prec,o de ifiOOO.
Lencos
de panno de linho a 25000.
Lences
de bramante de linho fino pelo barato preco de
35000.
Lencos de eassa
brancos, finos proprios para algibeira pelo barato
preso de 25000 e 25400 a duzia.
Fil Use tino
pelo baratissimo preco de 680 rs. a vara.
Madapoln lino
pecas de madapolao largo superior pelo baratissi-
mo preco de 85000.
Ricas saias
de fustao a '5-iOO.
Pecas de brelanba
de rolo com 10 varas propria para saia a 35200.
Pecas do cambraia
adamascada para cortinado com 20 varas pelo ba-
rato preco de 105000.
Bramante de linho
fino com dez palmos de largura pelo barato preco
de 25300 a vara.
Toalhas alcochoadas
! para raao pelo baratissimo prego de 55000 a du-
1 zia.
Cal de Lisboa e potassa da
Rnssla.
Vende-se na rua da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o antieo e acreditado deposito da
, mesma roa n. 12, ambos os gneros sao novos e
Vende-se, em casa de fe. P. Johnston & C, | legitimes, e se vendem a preco mais barato do que
seUins e silhes inglezesAcandieiros e casti- outra qualquer parte. ------------------------
caes bronzeados, lonas inlezas, fio de vela, Potassa da Russla.
chicotes para carros e monaria, arreios para Acaba de chegar para o amigo e acreditado de-
cirrns dp nm o dnns MvaUW rplnffin* dp Psit0 da "" da Cade,a do Recl,e n" W> Pr0ceden-
carros de um e aous cavanps. e reiogios ae de Hamburg em 7 9 errente pela escuna
ouro patente ingiez.
A 200 rs) o covadol
Cassas muito benitas e finas:
^ na rua do Cresp\n. \7, loja de j|
I Jos Gomes Villai
Kua da Senzalla n. 42.
Em casa de Mills Latham
Croz n. 38, vende-se ferro galvan
melhores fabricantes inglezes,
tts de casas.
C., na rua d-
So de um doa
> para cober-s
__Vendem-se voltas de amarello para portas
circulara de 6 l|2 palmos de largura, pelo bara-
to prejo da W cada urna : na rua do Imperador
n. 16.
l\ m i 11 -rlli a r\
C 9rs w -
C- -" a=,_ "^
o s. T
o ai 2 = r 2
O 3 S i C"w
< o ^-p 5S|
2 3 g|e
= as as 3sr.1
c S
5? rr>_____
o S S = ~
o
^
~
X
a ST.
V.
9 59 OS
-i a
as
ir-e------------- =r
a B 5 5 a:
. -. a.- re 5 O.
2 V S.-'-'Z:
3 .
CO
i
as
ge s.
H
a o
s o
a
S-o>
?
rs S 5 2 ~:
3 -Ti, -. S as
_JD W o f *
n 3 S
&" < as
"ls -
as = k, a>
g =2 I:
3
o.

aT-,^
u (5" a 2
T U
es
8 "2 J-1
o -i s>
as as tn
-i
O
s

o
ti i a

?!
as 5T
-.3.
as

2
S
%
7^0
10l)

500
100
iOO
500
:20
i.OO
200
900
800
HO
80
RIVAL
Botica e armazem de
drogas
Rua do Cabug n. II.
DE
Joaqnim Martinho da Cruz Correia.
Vende-se o seguinte :
Salsa parrilha de Bristol.
Pastilhas assucaradas de Kemp.
Pastilhas vermfugas de Kemp. ^
Elixir de citro lactato de ferro do Dr. Thermes.
Rob da Lafecteur.
Xarope depurativo d'odoreto de ferro de Goy.
Xarope pcitoral sedativo de Guy.
Pastilhas peitoraes balsmicas de Guy.
Pilulas da vida.
Borel franciscano (mesclado) para imagen.
Injcccao Brow.
Xarope de citrato de ferro de Chablc.
Pilulas contra sesoes.
Salsa parrilha de Sands.
Extracto fluido de salsa parrilha de BaQys.
Xarope alroolico de vellame.
AJm destas drogas ha constantemente um com-
pleto sortimento de tintas, verniz, ouro para doe-
rar, preparados chimicos e pharmaceutices que se
vendem por commodos precos.
VE^^^SE
Direitointernacional privado e a applicacao de seos
Brincipios com preferencia as leis principaes de
rasil, em 1 volume,por Dr. Jos Pimenta Bueno,
8^000 : no escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C, rua da Cruz n. i.
Vendem-se 600 couros curtidos de caora a
37| o cento : na rua larga do Rosario n. 36.
SEM SEGUNDO.
Objectos diversos.
Rua do Queimado, ns 49 e ."i.'i, vende os
objectos abaixo declarados, pois pata aca-
bar; esles precos nao sao para continuar,
masas nesessidades assim o permute.
Pares de luvas de algodo finas a .
Caivetes de aparar penas, de 1 b-
li.aa .......
Ditos de 2 ditasa......
Caixas de colxeles francotes a. .
Duzia de dito francez a .
Massos com grampos lisos e de cara-
col a .........
Duzia de dedaes de metal em caixi-
nha de vidro.......
Tinleiro de vidro com tinta superior
a..........
Dilos de barro que serve para tin-
leiro a........
Grosas de botoes de louca prateado a
Pecas de tranca lisa encarnada a ,
Varas de bicos e rendas, para aca-
bar a .......;
Varas de l3byrinto de 3 dedos de
largura a........
Dilas de pos para dentesa .
Pentes de tartaruga a 35000 e
Resmas de papel de cores a
KO
SO
180
40
3t;o
40
3*0
ICO
100
166
20
GO
100
100
35OO
24000
Mra
!;< llliWHA
Vendem-se para liquidar eontas dous fogbes in-
glezes, sendo um grande com dous grandes fornes,
proprio paracozinhar em um hotel, para 120 a 150
pessoas, e outro para 15 a 5 pessoas, e se enrar-
regar de senta-lo o vendedor, ou dar explicacties
necessarias por escripia, sendo para fra : trata-
se na rua do Vigario n. 10, armazem naval, a
qualquer hora, das 6 da manhaa s 6 da tarde.
-- No deposito da rua da Lingueta n. 6 ven-
dem-se ervilhas e centilhas de diversas marcas.
CAL l)E LISB0\
Vendem-se barra com cal des-
ta procedenejfkgppedra. che ca-
da hoje. e irMnTnova. que ha no
mercado, na roa do Trapiche n.
13, armazem de Manoel Teliel-
ra Basto.
A 9001
se vendem as ostras easInhaUPovas da na da 9o-
ledade, cuja renda de 344 mensae* ; sao em ter-
reno proprio, bem edificadas e do lado da sombra:
trata-se na rua dos Prazeres da Boa-Vista com
Jos Carne i ro da Cimba.



Blnrlo de Pul ineo ~ Hurta IHra 18 de \ovrmbr de tS-S.
UNIAO
COMMERCIO
amm/m.
iicfronte do Pregnlea.
III t Ti: AliWEIDA
seiba de abrir o seu grande e sortido armazem de molhados denominado Unto c Com-
a-reto. Este grande armazem um dos mais hem]montados que temos em nossa praca,
nao s en limpeza o aceio, como as qualidades especiaes de seus gneros. O proprie-
a: io do Uniao c Commercio oflerece todos os senhores da praca. senhores de engenho
i ivradores a soguinte tabella, por onde verao a grande economa que Ihe resalta em
compraren em to til estabelecimento. afiancando o mesmii todo e qualquer genero
sabido de seu armazem.
Ma:ileiga ingie/.a perMUnwntfl flor, mandada
vir de. OMta propria, a 7oo a 800 rs, a
libra.
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
u'6o rs. a libra, e em ImutI ter ahatimen-
to.
dem ingleza em potes de 4 a 16 libras a
80 rs, a Hura eo pote separado,
CI11: uxim o mellior neste genero, mandado
vlr da conta propria a 2,8oo rs, a libra.
Idean hysson, grandH, inuito bom a 2,600 rs.
3 libia.
Id sm |>re.to muito fino, a 2,Goo rs, a libra.
Mem j)reto, mais baixo, a 2,ooo rs, a libra.
Idi'.m, verde, miudinlio, maisproprio para
negocio, a l,5oo rs, a libra.
Baiiia de. poico refinada muito alva a 46o
1 i, a libra, e em barril se far abatimento.
Butilos inglezes das seguales marcas;
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies.
Lunch, Cabio, e nutras militas marcas, a
l,4oo rs. a lata.
Bohchinha de sudo, especial encommenda, a
2,2oo rs, a lata.
Kscoito ingle* Craknel em latas de 5, 7 e !.*>
libras a 5.000 e 6,000 rs, e de l,2oo a
boo rs, a libra.
QiK'.ijos do reino poto iiaralissiino preo de
!,6oo, 1 81 mi e 2,ooo rs.. os do ultimo
vapor.
Id ;n prato muito fresco a b"4o rs, a libra.
Wnai londrino muito l'ivseo a 800 rs, a libra.
Vmhos e.m pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
48o, 060, c 64o rs, a gnala, e de 3,000 a
*,500 rs, a caada.
a Too rs. a libra.
Fruas e.m caldas das seguidles qualidades:
ameixa, rainba Claudia, peras, cerejas.
guija, pecegos e alpereh a Soo rs, a tota.
Figos e.m caixinhas de I 1 amiba e de 8 li-
brasa 8,000, 4,000, e .ooo rs, ea3on rs,
a libra.
Am doas de casca mole a 28o rs, a libra, e
i arroba ter abatimento.
Sardinhas de Nantes a 32o rs, a latinha.
11 icinio de Lisboa a 26o rs. a libra e en
arroba ter abatimento.
Massa de tomates a 64o rs, a libra.
Pimenta do reino a 34o rs. a libra,
Farinha do Marauhao a 14o rs. a libra.
Ceblas a oo rs. a restea.
Tijollo para limpar lanas a IGo rs,
Grvoja datmais acreditadas marcas de S,ooo
* 7..'ioo a du/.ia, e de Soo a 600 rs, a gar-
rafa,
Prezunto para Dambre
a 800 rs. a Ubi
ROUPA FEIT -
NO
A1IAIIB
DR
$wm ^mt
UTHOBO VERDE.
Neste estabelecimento ba sempre um sortimento completo de roupa frita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentas, pasa o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senboras,
homens e meninos.
Casacas de panno preto, 350 e 30000 Colletes de fusto e brim bran-
Sebrecasacas idem, 300 e 250000 co, 30500, 30 e 20500
Paletos idem e de cores, 250. j Seroulas de brim de linho.
200, 150 e...... 100010 20400 e......-20000
PHOGHESSIVOI
MSKD3 iUMlSSUI
DE
Largo do Carne .
Grande sortimento para a festa por menos
10 a 20 por cent o do que em outra qualquer
parte.
22S22S!*
muito fresco e novo
Genebra de laranja 1 9.m rs, o Irasco.
(Jiouricas as mais *ie-*a do mercado a 800
rs. a libra.
Cognac verdadeiro uigiez a Don rs. a garrafa,
c lo,5oo rs. a caixa com urna duna,
Licores (ranoezes das seguintes marcas: Ani-
en de Bordeaux, l'laisir des damos, e de
(Mitras militas mar. as a lo.ooo rs. a duzia,
Sal ,000 a garrafa.
' :^a:> muito novas a 5oo rs. a libra e a 8,5oo
rs. a caixa. Ha caitas, meias e (Hartos,
i:, lias a 1,000rs. o gigu rom 38 libras.
Bolachinha ingleza a 4oo rs. a libra,
A/.ftili- franeez e portOBWz refinado a 801 rs.
a garran, eO,on re. a i-aixacom umadu-
r.ia.
Conservas ingle/.as las seguintes marcas:
Mixcd, Pickesj e -'.bolas simples a 81 >o
ra. O frasco.
Mostanla ingleza preparada en potes a 4oo
rs. o pote.
(fraude I)ici a 16o 1 s a libra, I em arroba
fpr.4 abatimento.
Vasos inglezes malos de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de manleiga, doce.
c outro qualquer uquido, de 1,000 a 3,000
es. cada um,
Paulos do gax 3 2;3oc rs, a groza e 2o rs. a
i uxifihu.
Milho alpiste a 16o rs. a libra.
Painco a 2oo rs. a libra.
Gomma muito alva para engommar a 80 rs
a libra, e em arroba se far abatimento-
Sag muito novo a 28o rs. a libia.
Sabo verdadeiro bespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado a 28o rs. a libra.
Sabo massa de superior qualidade a 18o,
Soo, e 22o rs. a libra do melbor que lia.
Graixa em latas minia nova a 12o rs. a lati-
nha, e l,3oo rs. a duzia.
Peixe. em latas muito novo: savel, pescada,
curvin, salmo e oulras muitas qualidades
preparados de escabexe, segundo a arte de
cozinba, de l,2oo a 2,ooo rs. a lata.
Idem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado e escolhido pessoalmente por um
dos socios que se acba em Portugal, das
seguintes marcas : Duque, Genuino, Ve-
Ibo secco especial, Lagrimas Doces de
1819, vinho especial D. Pedro V, vinho
velho. Nctar superior de 1833, Duque do
Porto de 1834, vinho do Porto velho su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior D. Luiz I
de 18i7, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porto, de l,ooo a 1.2oo rs. a gar-
rafa e de 10,000 a 12.000 rs. a caixa com
urna duzia.
:dein Bordeaux de dilTerentes marcas, garan-
te-s a qualidade, a 8.000 rs. a caixa com
urna duzia, e a 7oo rs. a garrafa.
(arrafescom 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Domo a 2,2oors. com o garrafao.
Idem com 5 garrafas de vinho Figueira. mais
. ---------------1~-- j/O. dM ........
fresco a 2,4oo rs. com o garran.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
o garrafao,
Vinho bramo o menor norte genero a tioo rs,
a garrafa e 4,000 rs. a caada.
Vassouras americanas a 800 rs. cada urna.
Velas de spermacete as menores que ha 110
mercado a 56o e 64o rs. o masso. e em
Caixa se far um grande abatimento,
dem de carnauba e composicao, de 4oo a
32o rs. a libra, e de lo.ooo rs, a H,5oo
rs. a arroba,
Caf de Ia e 2a sorte de 8.3oo a 8,(ioo rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
llior.
Arroz da India, Maranhao e Carolina a 3,ooo,
2.8oo e 2,4oo rs. a arroba e a loo rs. a
libra.
Frasqueira de gembra a 5,8oo rs. e a 5oo
rs. o frasco.
A/.eile doce em barril muito fino, a 64o rs.
a garrafa, e em caada ter abatimento.
Papel grava pautado e liso a 3,5oo rs. a
resma.
Genebra de HoHanda em botija de conta a
Hora, a botija.
Champagne das mais a enditadas marcas a
l.ooo rs. a garrafa, e a lo.ooo rs. a duzia
ou gigo.
tacaneo a 14,5oo a barrica.
El vilhas franceza e portugueza a 040 rs a
lata de urna libra.
Chocolate franeez. bespanhol, suisso e por-
tngiiez a l.ooo rs. a libra, e a 28o rs. ca-
da pao de urna l/.
GarralSes vasios de 5 garrafas at 3 caadas
de Soo at l,3oo rs. cada um.
\meixas fraiicezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas. com diversas estampas
no exterior da caixa de 1,500 a 3,ooo rs.
cada urna: tambem ba frascos e lates de
dilerenles tamanhos que se vendera por
mdico proco.
Massas para sopa: macarro, telbariiu e alc-
tria a 48o rs. a libra, e em caixa se farj
abatimento.
Garrafoes com 14 garrafas de genebra de
HoHanda a 5,5oo cada um.
Chaiutos de todas as marcas c dos melho-
res fabricantes da Bahia de 3,ooo a 4,000
rs. a caixa.
Ditos de casemira, 200, 150,
120, 100 e...... 70000
Ditos de alpaca, 50 e. 30500
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50e. .......30500
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 305Oe. 30000
Ditos branco de linho, 60,50 e 40000
Ditos de merino preto de cor-
dao, 100, 70 e.....50000
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80e......70000
hDitas de cotes, 90, 80 e. 70000
rDftas de meia casemira de co-
res, 50500 o.....40000
Ditas de princeza e merm pre-
to de cordo. 50, 40500 e 40000
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e 20500
Ditas de ganga de cores,
30500, 30 e.....20500
Colletes de velludo preto e do
cores, 90 e......70000
l Ditos de casemira preta, 50 e 40000
Ditos de ditas de cores 50
40 e........30500
Ditos de setim preto. 50000
Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......50000
Ditos de gorgur5e de seda
pretos e de cores, 60, 50 e 40000
Ditas de algodo, 10600 e. 10400
Camisas de peitos de linho,
50, 40, 30 e.....20500
Ditas de madapolSo, 30.
20500* 20e.....10600
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e. 80500
Ditos de fltro, 50, 40,30500 e 20000
Ditos de sol, de seda, 120,
H0,70e......40500
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda....... 640
Sortimento completo de grava-
tes. 0
Toalhas parroste, duzia, 110,
90 e........60000
Atoalhado adamascado de li-
nho vara......10280
Chapeos deso, dealpaca, pre-
tos e de cores.....40000
Lences de linho.....30000
Cobertes de chita chineza.. 20000
Pennasd'aco, as mais superio-
res, a grosa...... 600
Relogios de ouro orizontaes,
900,800 e......700000
Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes, 400 e 300000
Obras de ouro, adercos, meios
aderecos, pulceiras, rozetas,
aneis e cruzes. 0
Puarte & C.a scientificam aos seus freguezese ao publico emgeral, que acaba de che-
gar da Europa um socio que faz parte da firma, com um grande e bello sortimento de
molhados por elle escolhidos, os quaes se vendem por menos de lo a-2o por o/0 do que ou-
.lro qualquer annunciante, garantindo a boa qualidade e peso de qualquer genero vendido
I neste j mnito acreditado armazem. e por isso, firmados em que cumprem fielmente o
que promettem, pedem todos os Srs. dapraca, de engenhos e laviadorcs, o favor de
mandarem suas encommendas ou relces ao armazem Progressivo, cortos de nao tereui
em tempo algum occasio de se arrependerem.
Aviso.
Todos os Srs., que compraren para tornaran a vender, terao, alm da diflerenca
. j publicada, mais 5 por % de abatimento. Os proprietarios tambem garantem o bom
acondicionamento anda mesmo dos mesmos para o mais alto serto.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de conta propria, a 800 rs. a libra.
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
Mo rs. a libra, e em barril ter abatimen-
to.
dem ingleza em potes de 4 a 16 libras a
800 rs. a libra e o pote separado.
Cha uxim o melhor neste genero, mandado
vir de conta propria, a 2,8oo rs. a libra
dem hysson, grande, muito bom a 2,6oo rs,
a libra.
Gomma muito alva para engommar a 80 rs.
a libra, c em arroba se far abatimento.
Sag muito novo a 28o rs. a libra.
Sab5o verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 28o rs. a Ultra.
Sabo massa de superior qualidade a 180,
200. e 220 rs. a libra do melhor que ha.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lati-
nha, e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
curvin, salmo e outras muitas qualidades
dem preto, muito fino, a 2,6oo rs. a libra. preparados de escabexe, segundo a arte de
dem preto, mais baixo, a 2.000 rs. a libra. cozinha' de U0 a 2' rs- a lala-
tttt?wraraw*WKttW3 ldOT^verde;miudi^hovmaisP^0P^ioPa^ane- Idem/; AUo vindo Porto engar-
mM'aSKtJkJ^mJl^k^kmmm Bocio, a I.Soo rs. ahbra. rafado e escolhido pessoalmente por um
r
^ 1? I
ATTEM^AO
Todos
cima k-rio mais 5
por
Fl \l>{ AO DO BOWUIAW-RCA DO
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortimento de
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
SK>

i
4

uso ^ F^TlRWf F,r.IlUEMTO COMAfERCIAL i
. DE .
CALEKAKIV E FliMIlfjA DE 1HETAES,;
Mito na ra do Brnm u. to junto
a fundl^o do Hr. linvuiiam. pertencente a
\ Villana Irmi A V.
Neste estabelecimento encontraro os freguezes um completo sortimento i
1 de tudo que diz respeito as artes de calderetro, funileiro, latoeiro, ferrerro e '
[undico, e os abaixo asssignados que o dirigem, promettem servir a todas as
pessas que se dignarem de os procurar, com promptido, sinceridade e pre- '
eos muito rasoaveis. O dito estabelecimento estando montado em ponto
1 grande, tanto no que diz respeito a pessoal, como em materia prima, e tendo j
1 habis olliciaes, pode executer com toda a perfeicao e seguranca qualquer
. obra tendente as artes cima mencionadas e alToitamente pdem os abaixo as- ,
signados assegurar ao publico que nenhum outro estabelecimeulo lhe pode !
fornecer mais barato e mais perfeito do que elles, visto que recebem de sua
I propria encommenda todas as materias empregadas em ditas obras.
Alambiques simples e continuos de to- Sinos de 16 libras 8 arrobas.
dos os tamanhos e dimencoes. | Parafuzos de bronze e ferro para ro- !
Machinas de cobre para destilar e res- das d'agua.
tilar espirito at 40 graos pelos sys- Torneiras de bronze e bronzes para
1 temas de Logier e Derosne. engenho.
Carapufas e serpenfinas de cobre, e Encanamentos de cobre e chumbo de
! estanto, avulsas. i todas as grossuras.
Taixas e tachos de cobre para engenho Bombas para cacimbas, aspirante? e
e refinacSo. de repucho.
Paros de cobre e todos os cobres ne- Bombas para destilacies.
cessanos para o fabrico do assucar. Ditas para rpgar jardins, hortas e
I Cobres para rodas de moer mandioca. capira. 1
Machinas econmicas para lavar roupa Ditas para navios e barcacas de varias
, o mellior possivel. I qualidades e dimencoes. <
Cobre em lencol e arrodellas, estanho em barrinha, chumbo em barra,
1 lencol e canos de todas as grossuras. j
I Villaca Jrmo cV C.
FncervS
DE
R. MlR60D0TERg0-N. 21
O proprietario deste bem sortido armazem de molhados vende os seus gneros j
bem conhecidos de primeira qualidade, e por isso caprichou de escomer, para bem servir
aos seus freguezes, mandando vir amaior parle do seu sortimento, para o que tem pessas
encarregadas para este fim, e os pode vender por menos de 10 a 20 '/o d 1ue m out,'a
qualquer parte. 1
Verdadeira genebra de HoHanda em botijas de conta certa a 400 rs. I
Mem de laranja em frascos grandes a 1,000 rs. e de HoHanda a 500 rs.
Caixinhas com 8 libras de passas de carnada a 2,400 re. e a libra a 480 rs.
Velas de espermaceti, carnauba e composicao a 63o, 44o e 36o rs. a libra e a arroba a
10,000 rs. ,,., \
Palitos do gaz sem avaria a 2,3oo rs. a grata e 2oo rs. o maco.
Serveja das memores marcas a 500 rs. a garrafa o a duzia a 5,5oo
Vinho das melhores marcas F. L. P. a 4oo, 5oo e 56o rs. a garrafal e a caada a 2.8oo e
4,000 rs.
Batatas desembarcadas ltimamente a 5o rs. a libra, e a arroba a 2,8)oo rs
Bolacbinhas americanas a 2,ooo rs. e 3,5oo rs. a barrica e 2oo rs. a/libra.
Aaeite doce de Lisboa a 3,ooo rs. o galao, e a 61o rs. a garrafa.
Queijos do reino s mais novos do mercado a 1,80o e 2,ooo rs.
.Milho alpista o mais limpo que ba a 5,000rs., a arroba a I60rs.)a>
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e a 720 rs. a libra. I
dem franceza, muito superior, a 560 ra. a libra e em barris a/ 540 rs. a fibra.
Caf do Rio da l.1 a 2. sorte 280 e 320 rs. a libra, e a arroba 4 8,000 e 9.000 rs.
rarem para negocio ou casa particular de 1000 para;
abatimento; proprietarie scientifica mais que todu*
der por muitc mtnos do que en outro quaJquw estabelecimento. ha outros muitos que enfadonho seria menciona-los : yende-se i dinheiro vwta.
Banha de porco refinada muito alva a 46o
rs. a libra, e em barril se far abatimen-
to.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ceede, Captain. Travellies
Lunch, Cabin, eoutras muitas marcas a
l,4oo rs. a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda, a
2,2oo rs. a lala.
Biscoitoinglez Craknel em latas de 5. 7 e 15
libras a 5,ooo e 6,000 rs. e de l,2oo a
800 rs. a libra.
Queijos do reino pelo baratissimo preco de
l,6oo, l,8oo e 2,ooo ns., os do ultimo
vapor.
dem prato muito fresco a 64o rs. a libra,
dem londrino muito fresco a 800 rs. a libra.
Vinhos em pipa: Porto,/Figneira e Lisboa, a
400, atio, e uo rs. a garata, e de 3.000 a
4.000 rs. a caada.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa em latas de 1 e mais libras
a 7oo rs. a libra.
Fructas em caldas das seguintes qualidades i
ameixa, rainha Claudia, peras, cerejas,
ginja, pecegos e alpereh a Soo rs. a lata.
Figos em caixinhas de 1 '/i arroba e de 8 li-
bras a 8,000, 4,000 e 2,ooo rs. o a 3oors.
a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra, e
em arroba ter abatimento.
Sardinba de Nantes a 32o rs. a latinha.
Toucinho de Lisboa a 36o rs. a libra eem ar-
roba ter abatimento.
Massa de tomates a 64o rs. a libras.
Pimenta do reino a 34o rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 14o rs. a libra.
Tijollo para (impar facas a lo rs.
Ceblas a l,2oo rs. o mlho, e a l.ooo rs.
o cento.
Cerveja das mais acreditadas marcas de
5,ooo a 7,5oo a duzia, e de 5oo a 600 rs.
a garrafa.
Prezunto para hambre muilo fresco e novo
a 800 rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs. a frasco.
Chouricas as mais frescas do mercado a
800 rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa,
e lo,Soo rs. a caixa com urna duzia.
Licores francezes das seguintes marcas: A-
nizete de Bordeaux, Plaisir des dames, e
de outras muitas marcas a lo.ooo rs. a
duzia, e a l.ooo rs. a garrafa.
Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a
8,5oo rs. a caixa. Ha caixas, meias e
quartos.
Peras seccas a 3,eoo rs. a caixa e 800 rs.
a libra.
Bolachinha ingleza a 4oo rs. a libra.
Azeite franeez eportugaez refinado a 800 rs.
a garrafa, e 9,ooo rs. a caixa cora urna
duzia. -
Grao de bico a 16o rs. a libra, e em arroba
ter abatimento.
Conservas inglezas das seguintes marcas :
Mixed, Pickes, e ceblas simples a 800 rs.
o frasco.
Mostarda ingiera preparada em potes a 4oo
rs. o pote.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 librmuitos, a
proprios para deposito de manteiga, doce,
e outro qualquer liquido, de 1,00o a 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz a 2.3oo rs. a groza e 2o rs. a
oaixinha.
Mimo alpista a 160 rs. a libra.
Painco a 2oo rs. a lnra.
dos socios que se acha em Portugal, das
seguintes marcas: Duque, Genuino, Ve-
lho secco especial, Lagrimas Doces de
1819, vinho especial D. Pedro V, vinho
velho. Nctar superior de 1833, Duque do
Porto de 1834. vinho do Porto velho su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior I). Luiz I
de 1847, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porlo. de l.ooo a 1.2oors. agar-
rafa e de lo,oooa 12,000 rs. a caixa com
umaduzia.
dem Bordeaux de differenles marcas, garnte-
se a qualidade, a 8.000 rs. acaixa com urna
duzia, e a 7oo rs. a garrafa.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a .oo r com o f "rafao.
dem com 5 garrafas da vinho Figueira, mais
proprio para a nossa estaco por ser mais
fresco a 2,4oo rs. com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
o garrafao.
Vinho branco o melhor neste genero a 600 rs.
a garrafa e 4,000 rs. a caada.
Albos a 80 rs. o masso.
Velas de spermacete as melhores que ha no
mercado a 600 e 4o rs. o masso. e em
caixa se far um grande abatimento.
Frasqueiras de genebra a 5.8oo rs., e a Tioo
rs. o frasco.
dem de carnauba e composicao, de 4oo a
32o rs a libra, e de lo.ooo rs. a H,5oors.
a arroba.
Gaf de Ia e 2a sorte de 8,3oo a 8,600 rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
lhor.
Arroz da India, Maranhao e Carolina a 3,ooo,
2,8oo e 24oo rs. a arroba e de loo rs. a
80 rs. a libra.
.vzeite doce em barril, muito fino a 64o rs.
a garrafa.
Papel grve pautado e liso a 3,5oo rs. a
resma.
Genebra de HoHanda em botija de conta a
44o rs. a botija.
Champagne das mais a creditadas marcas a
1,000 rs. a garrafa, e a lo.ooo rs. a duzia
ou gigo.
Sal refinado a 7o rs. a libra.
Krvilhas francezas e portuguezas a 64o rs.
a lata de urna libra.
Chocolate franeez. bespanhol. suisso, e portu-
guez a l.ooo rs. a libra, e a 28o rs. cada
pao de uma '/,
Garrafoes vasios de 5 garrafas at 3 caadas
de 5oo at l,3oo rs. cada um.
Ameixas francezas em caixinhaseiegantemen-
" te enfeitadas, com diversas estampas
no exterior da caixa. de l,5oo a 3,ooors.
cad'
a
root ^'reetr
Massas para sopa: macarro, taU-nm. e
aletria a 48* rs. a libra, e em eaiu
far abatimento.
Doce de goiaba de *oo a 8p rs. caixa.
grande,
dem a 2,ooo o can*o grande.
>a: tambem ha frascos latas de
tnhos que se vendem nor

eharutos de todas as marcas e dos melhores
fcbrittntes da Bahia de 3,ooo a 4*oeo rs.
ton
Alera dos generas cima a-tiaciadoaha um complete sortrnientod^en^oa, er-
doce, abatana outras mninaiajBnerss, pie tuflo se vende por raravsaatano proco,
MUTILADO


m
%
\ i
l

BUri ele
GRANDE ARMAZEM
AS
%MAB@\
S. 36, RA BIS CRDES N. 36
DO
balrro de Saato Antonio.
4) proprieterio do muito acreditado armazem denominado Progressista tendo
8empr* en Tiste fazer todo o que Cor possivel para bem servir aos seos fregoezes, tem
deliberado vender os seus j bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaixo mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
escravos, serem to bem servidas como rindo pessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
eacommenda, ainda mesmo contendo objectos nSo proprios deste estebelecimento. 0
mesa pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que n5o agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
cao com os seas portadores, fazendo-lhes ver que s no armazem Progressitta da roa das
Cruaes b. 36, que se vendem os melhores gneros por mais barato pre?o, porque estes
moitas veaes olvidam-se e vio outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
RA DO QUEMADO N. 46
9OTQI
DE
i
O*
t

TODOS
06
VAIMIR1IN
se receben gneros de conta
propria e dos melhores esta-
beleeimeiitos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer ge-
nero comprado neste
ESTABELECIMEfTO.
COMPLETO
S0KT1HXT0 DE IOLHAdOS.
vende-se em porco e a reta-
mo, aprompla-se com toda a
presteza e exactidao qualquer
encommenda dirigida a este
ESTABELEC11ENT0.
FAZEWDAS KOI IMS FEITAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 254, 280 305 e 3" sacas
muito bem feites a 250, 280, 30* e 35(5, paletots acasacados de'panno preto de 161 ate
250, ditos de casemira de cor a 150, 180 e 200, paletots saceos de panno o ase-
mira de 80 at i 40, ditos saceos de alpaca, merino e la de 40 at 60, sobre de alpaca *
merino de 70 at 100, calcas pretas de casemira de 80 at 140, ditas de cor de 73 ate
^ 150, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de roupas de brim'
^ como sejamcalcas, paletots e cotletes, sortimento de colletes pretos de metim, casemira
j*T e velludo de 40 a 90, ditos para casamento a 50 e 60, paletots brancos de bramante a 40
7S (e 50, calcas brancas muito finas a 50, e um grande sortimento de fazendas linas e moder-
Qi i as, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senhora. ccr>-ulas
^ I de linho e algodo, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin para homem e se-
' nhora. Temos urna grande fabrica de alfaiate, onde recebemos encommendas de grandes
obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de sememantc arto e um
pessoat de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qualquer obra con
promptidSo e mais barata do que em outra qualquer casa.

1 \as muito novas a l.ooo a libra.
< :.Ktanhas a 2oo rs. a libra,
Figot a 320 rs, a libra,
Mustarda preparada, muito nova a 360 rs. o
pote.
iei a *zu rb, a iipra, p[] d a 200 rs. a dazia de caixtnhas
\ uo superior da Figueira e Lisboa, a 400, J 2)1Q0brs a grosa-
446, 480 e 500 rs. a garrafa, e a 2,500,
2,700, 3,000 e 3,400 rs. a caada.
dem engarrafado, das seguintes marcas du-
que do Porto, Feitoria, Nctar, velho secco,
Ditas hygienicas e de seguranza a 240 rs. a
duzia.
Alpiste muito limpo a 160 rs. a libra.
Chamisso. e .Madeira superior a 8,500 rs. a ____._____mmmm M ;._
. ai\n M n m_X Gomma de engommar a 80 rs. a libra, e
.oo rs. a arroba.
Sag muile novo e alvo a 240 rs. a libra.
duzia e 800 rs. a garrafa.
dem Bordame de diversas marcas a 640 rs.'
a garrafa e7,500rs. a caixa com 12 garrafas.
de.n Moscatel de Setubal a 1,700 rs. a gar- Sab5 hesPanho1' a 280 a libra*
rafa, e 18,000 rs. a duzia. tem massa a 180, 200 e 220 rs. a libra.
Carrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto, Peixe em latas, savel, pescada, e corvina a
Os proprietorios do muito acreditado armazem Progresso fazem sciente ao respeite-
vei publico e com especialidade aos seus amigos e freguezes que ten resolvido resunir o
precos dos seus acreditados feneros, como abaixo verao n3o obstante os precos menciona-
dos a viste da qualidade dos gneros que se prova quanto se deseja servir satisfatoria-
mente aos nossos freguezes, advertindo-lbes que mandem seas portadores, que serSo tio
bem servidos come se viassem pessoalaaente, isto s no Progresso.
Lisboa eFigueira a 2,100, 2,200 e 2,300
rs. com o garrafao.
1.000 rs. a lata.
Genebra de llollanda em bujas de canta a
dem branco muito superior a 500 rs. a garra-1 400 rs.
la e 3,500 rs. a canada. ,- ,,,
Papel greve pautado e liso 3,400 rs. a
< iarratoes com 5 garrafas de vinagre a 1, loo rs.: resma.
Vinagre superior de Lisboa a 1,400 rs. a ca- Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa.
nada e 200 rs. a garrafa. !_. ....
Champanhe das mais a creditadas marcas
Velas de spermacete superiores a 580 e 640- a 10,000 rs. ogigo e 1,0 ^ a garrafa.
Is' : Doce de goiaba de 400 a 800 rs. a caixa.
Manteiga ingleza de I. qnalidade, a 800 rs. ., .
j ijl^ Chocolate portuguez, francez, hespenhol e
suisso de 800 a 1,200 rs. a libia.
a lilmt.
dem de 2. dita, a 700 rs. a libra.
dem de 3. dita a 600 rs. a libra.
dem franceza. a melhor do mercado a 540 rs.
e em barril a 500 rs. a libra.
dem em latas com 2 4/ libras a 1,400 rs. a lata.
Banha de pon refinada a 500 rs. a libra.
Queijo&^flamengos rlu'gados .ltimamente a
2,000 rs.
Velas de carnauba e de composico a 320 e
3C0 rs. a libra e 0,500 e 10,000 rs. a ar-
roba.
Massas para sopa macarro e talharim a
400 rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Ba-
ha 3,800 3,400 3,000 e 2,400 rs. a
caixa.
Cerveja das melhores marcas de 5.000 a
6,000 rs. a duzia.
lijara prato o melbor ipie ha neste genero a
700 rs. a libra. _. .. aAA
dem do Alantejo muito superior a 8oo rs. a Biscoitos inglezes de todas as marcas a 1,200
libra.
rs. a lata.
Vrroz Carolino e do Maranho a 2.800 rs. ar- Bolaixinhas de soda em latas grandes a 2,000
roba e 100 rs. a libra. e { i8qo rs. cada late.
.'.mendosa de casca mole a 280 rs. a libra.' Alassa tle tomales cm latas de 1 libra a 560
Caixinbas com ameixas francezas, de diversos e ula rs
tamanhos al, 200,1,400, 1,800 e 2,100rs.
rada urna. Sardinhas de Nantes muito novas a 340
Frutas em calda, ameixas. rainha Oladia, pe- j rs. a iatg.
i'.igosealpecha 480 rs. ....... _aA ...
'Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Wirmeladadetodososomserveimsde Lisboa, ,,n ,
a 600 rs. a libra. Tijollo pan amar facas a 140 rs. cada um.
Ameixas em latas de 1 > '* e 3 libras a 1.200 Farinha de Maranho a 140 rs. a libra.
Pimenta da India a 340 rs. a libra.
Erva-doce a 320 rs. a libra.
Palitos para meza a 160 rs. o maco.
Verdadeira farinha de ararute a 500 rs. a
<. 2,408,rs. a lata e!00 rs. a libra.
libra.
Frascos com ameixas francezas a 1,400 rs.
cada um.
Ch/i luixim o melhor que possivel encontrar
neste genero a 2,700 rs. a libra.
dem liysson muito superior a 2,5oo rs. a
libra,
dem miudtRlio a 2,700 rs. a libra
dem preto de qnalidade muito fina a l,800rs.
dem mais inferior a 1,500 rs. a libra. I prezuntos Jo poi.to a ^ f a 1bra
(}enebra de larania a 000 rs. o frasco e 500 ..
rs. os Irascos pequeos. Bastas mu.to novas em g.gos com 38 libras
Chourimse paios os mais novos que ha no Por *,>00 rs-
meroadl a 500 rs. a libra. Canella da ludia a l.loo rs. a libra.
c.o.iuac inglez a 9oo rs. a garrafa. Comioho a 64o rs. a libra.
Marrasquino de Zara a 7oo rs. o frasco e Azeitonas de Lisboa muito novas a 1.6oo rs.
8,ooo rs. a duzia. a ancorete.
Licores lianceaes, annizete, plaisir des da-.
mes, etc., etc. aHoo rs. a garrafa e8,5oo Lstn'linba e rndinha para sopa a Ooo rs. a
rs. a doria.
libra.
Passas as melhores que se en.ontram a 360' Legumes seceos para sopa a 4oo rs. o maco.
rs. a libra
Bolachas inglezas muito novas a 24o rs.
a libra, e 3,5oo rs. a barrica.
Azeite refinado a8oo rs. a garrafa.
Conservas inglezas de todas as qualidadesa
730 m. o frasco.
Bren louro a 3oo rs. a libra e 8,000 rs. a
arroba.
Papel pautado e liso almaco e de peso de
3,ooo, a 4,000 rs. a resma.
Ervilbas seccas chegadas no ultimo vapor a
1 2oo rs. a libra.
0 -oiuoniaaiaqeisa ojsa jep
-Milesap e Jiaown apmtv.ios so opno v^iied cajuoe ok.v o 3s-mepiA|o sma.\seiinmsaisa
mbjofl -o)3jd ooji:q sieui ,iod soj.mo3 s.i.ioirf.iin so opuav os onb ? "g -u sainjQ sep
un.i e> cjsiswjo,! maEui.li: ou os jub joa saqj-opuazej 'sojopunod snas so moa op3
-ii,",ib epot'-W1 W** souis.hu so o- i\ap 'jepcJe ogu anb ouafqo aanb|enb flf
nii)jt!i)U8Ui 9p joa^ MB8BU1.1R >is ''uod moJEpuBui dtib sajoquas sob epod oras9m o
:ll;lcuII^>l-?qeJS^^PBn", ifqo opuaiuoo orasaui epure 'Bpuounuooua jaub
-HMib hmv I ) 8S-hJJB3 110 sopi.MJD snas aod jejduo.t majcp...ui onb sessad sb bJobijb a 'sopBuopuara oxieqe so
-ajd S')jad aptpn51* *f auiiid op SOJ8038 soppdquo.i maq Bf snas so japoo* opEjaqqap
m.tj sazanS^lj snas w. jiajos maq BJBd [o.vissod joj anb o opnj jozbj bjsia uid oadraas
opuai Er^sojBoijropBHtuiouap inazeuuc opcjipajoc oitnra op oiJEjaudoad o
ttS -n ujaoia\ o?aes p ojjfrq ep zima p bil u 'K
Manteiga ingleza perfectamente flor chegada
no ultimo vapor a 800 rs. a libra.
dem de 2.a qualidade a 76o rs. a libra.
dem de 3/ dita a 64o rs. a libra.
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
Manteiga franceza a mais nova que ha no mor-
cado a 58o rs. a libra, e em barril ter aba-
time nto.
Banha de porco refinada a 520 rs. a libra.
Vinho em pipa Porto Figuetra e Lisboa a 4oo,
48o, 5oe, 56o rs. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,000 rs.
dem embarrilo mais superior que tem v.io-
ao mercado a 600 rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
1.000 a garrafa e a 10,000 a caixa, o preco
nao indica a qualidade d'este precioso vi-
nho, porm venhamao Progresso que a vis-
te faz f, a este genero constantemente man-
damos rir de conte propria e por isso po-
demos vender por menos que outro qual-
quer annunciante.
Farinha de Maranho muito aba e cheiroza
a 16o rs. a Hbra.
Toucinho de Lisboa a 32o rs. afcbra e a,o
rs. amaba.
Sardinhas de Nantes a 36o rs. a late.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. agarrafa e
4,800 rs. a caada.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa ea
l,2oo rs. a caada.
Garraoes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa a l,loo rs.
Champanhe das marcas mais acreditadas a
8 e a lo.ooo rs, o gigo, e a800 rs. ea]
l.ooo rs. a garrafa.
Serv.ija preta marca T e XXX a 6,5oo e.
7,ooo rs. a duzia, e a 600 rs. a garrafa,
taiiilx'ui temos das mesmas marcas pura 4,
e 4,5oo rs. a duzia, e a 4oo rs. a garrafa. 1
Jdem branca Te cobrinha a5,5oo e 6,ooo rs,
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tembem fia'
para 4,000 rs. a duzia.
Graxa em latas grandes a l,3oo rs. a duzia
e 12o rs. a late.
AOS SENHORES LOGISTAS
Des la capital, arrabaldes e provincias
adjacentes.
n \ \ l Kfli & CU
V. 23 BT7A NOVA N. 23.
Tem a satisfcelo de participar particulaimente aos seus amigos e freguezes, e em
geral a todos os senhores legistas deste e de outes provincias, que em consequeacia de
suas relaces com as principaes pracas manufactureras da Europa, tem conseguido
montar a sua fabrica da chapeos de sol sobre urna escala importante a ponto de poder
offerecer vantagensaos prelendeute, tanto na qualidade e bem acabado dos seus produc-
to, como pela reduccao dos precos ; verdade incontestavel, de que se podero coi\en-
cer viste da fezenda e pelos precos que vio abaixo :
Chapeos de sol de seda para homem 28, a 720 a duzia.
Ditos 26, a 66000.
Ditos 24, a 600.
Ditos para senhora 18 e 20, a 480.
A duzia tem descont de 12 por cento.
Ditos de panninho preto c de cor, armaco de balia 20, 24 e 26 sonidos, liquide
a 260 a duzia.
Ditos de junco 20,24, 26 e 28, a 180 a duzia.
Venham ver para convencer-se da verdae.
Encarregam-se de encommendas para da Europa.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro obra
demuda duracaoa 4oo rs. cada urna.
Palitos de denles massos grandes a 2oo rs. 1
e28ors.
Viaho do Alto Douro das marcas mais acre-
ditedas e especialmente escolhido por um
de nossos sodos, como sejam: Cambes, Du-
que, do Porto, D.Luiz, Carcavellos, Cha-
misso Filho, Madeira secco, e Feitoria a
9oo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com Pa'tos do gaz a 20 rs. a caixinha e 2,3oo rs.
12 garrafas. i a groza.
GarrafiVes com especial viimo do Porto coa-. Gda de Alperd)e chegaiia no ulUmo vapor
tendo 5 garrafas a 2,5oo rs. ,^s de 2 iibras a 800 rs. pecbinchiT

PHOSPHATO de FERRO
DE LERAS, DOUTOR EM SC1ENCIAS, INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARIZ, etc., etc.
Este novo ferruginoso, approvtdo por todas ai Academias da Medicina do mundo inteiro, rene a
composico dos ossos e do sangue, e conten o ferro em estado liquido. Segundo asobservactes fritas nos
hosjiit.ips de Parir, e consignadas no Prospecto elle superior s plala* ferraglnoMii, *n lclalo
se trra, aa frrr* radasmUlo p-lo h) roarara, a* cttral* de ferro, rilnlaa e Xaroae de
tadaro de ferro : elle cura rpidamente a ictericia branca, cor paluda, dores d'ealoinaiio. lajeatool peno-
sas, affeccoes nerrosas, escrophuias, mingoa de sangue, perda de frca e appetile, irregularidades,
(altas menstruaes, e flores brancas. E o melhor adjurante do ole* de flajado de baralbao.
Depsito geral : em i'aru, en casa do MM. Grimaalt e c. pharmaceutlcos, 1, ra de la Feuillede;
em tiilioa, en caga de Rodrigo da c*ata-Car*alh* no Porto, en casa de Miguel Jos de hihs-
rerrelra; em o 7110-de-Janeiro, la*a relio** nlala, roa do Sabao, II; em Baha, en rasa de
J** CaeSa FerrcIra-Kaplahrlr*; em /lio-6'rdf, en casa de J*a*uln de liadoj ; em Afaran-
ho, en casa de Perrelrae C; emPernambuco, Shosssa e O, ra da Gru, 22; Saaaa, e as principaes
pbarmacias do Brasil.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barboza
AGENCIA
dem com 5 garrafas de superior vinho Fi-
gueira a 2,4oo rs.
dem com 5 garrafas de vinho Lisboa a
2,loo rs.
Vinho branco de Lisboa proprio para missa
tefe j.i engarrafado d Lisboa a 64o rs.
a garrafa.
dem em barril muito superior a 5oo rs. a
garrafa e a 4,ooo e 3,8oo a caada.
Ameixas francezas em caixinhas de 1 */, 2
e 3 libras elegantemente enfeitadas com ri-
cas estampas na caixa exterior a l,3oo
l,6oo 2,ooo e 2,5oers.
dem em latas* de, 1 '/e libras a 1. 4oo e
2,6oo rs, cada urna.
Figos de comadre em bauzinhos de folha
muito proprios para mimo a l,6oo.
Genebra de Hollanda garrafoes com 16 gar"
rafas por 6.5oo rs.
dem em frasqueiras a6,3oors.e6,5oo rs.ea
56o rs. o frosco aflianca-se ser verdadeira.
dem de botija em barricas rom quatro du-
ziasa 44o rs. cada botija.
FNDICO DE L0W-M00B.
Ra da Sennlla nova n. 12.
Neste estabelecimeuto contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas
Cal de
a uuis nova do mercado
19, prieirmo andar.
Lisboa
na ra do Vigario n.
dem de laranja em frascos grandes verda-
deira italiana a 1 ,ooo rs. o frasco.
Marrasquino de zara a 72o rs.
Licor francez de todas as qualidades em
garrafas de vidro brancos a 72o e 8oo rs.
Xoftsa Nenhora da C'out-ri?o
<'ontin n. 15 a novena de N. S. da CoMCifu, COSsurOMi
u^am os reverendos earmelilas da Reforma do i..-
>ile, e tudo o mais conforme os aiinuneios felos
para eiigenho, machinas de vapor por me Difiri.
e techas de ferro batidoecoado.de todos os Folha d(! f^adha ntwrcoalda roe* toa
tamanhos para ditOS. f|iialidade; vende-se por atacado oo_por eixas
dem em caixinhas a l,4oo rs.
dem em caixinhas ermeticamente lacradas hdade a 8oo rs. o frasco,
e muito bem enfeitadas a 1,8oo rs. ; Ararula verdadeira a 32o rs. a libra.
dem a 2oo rs. a libra. Gomma de engommar muito alva a 8o rs.
Passas de carnadas as mais novas que ha no I a libra e 2,2oo rs. a arroba.
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,ooo rs. a Sagu muit0 novo a 24o ^ a ,bra
caixa.
! Sevadinha de Franca a 16o rs. a hbra.
Sevada muito nova a 12o rs. a libra e 3,2oo
ss. a arroba.
Arados americanos e machinas
lavar roupa: em casa de S. P. Johuston & C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
O GALLO CANTA
J sabido que, piando chega o vapor da Eu-
ropa, o gallo cania aununciando aos seus numero-
sos freguezes as galanteras de maisgosto u da ul-
tima moda que por elle recebe, como sejam :
('timsiiilias pina senhoras.
Riquissimas cainisinhas com manguitos e gra-
vatinhas para senhuras : s no Vigilante, ra do
I Crespo n. 7.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades i CirMlmluu.
que tem vindo ao mercado a 72o e 8oo; Rlojnlesiina ciiigolinbas ou gravatinhas, sendo
rs., C em caixa a 7,500, 8, e 8,200 rs. !cousa d,; ,n,li," 222 e a,primeira vez que apa-
rece para as senhoras de bom gosto : N no vigi-
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol e Unte rua do Cpe5J! \ conclul
outros a 8oo rs. a garrafa. Ha para p^^^p riqnisshnas punfim de pen-
frin ima so qua- rafaS) ^ ,lIV|.0:j nxMaa : si uo Vigilante, rua
tara I avu'so> a dmlieiro vista : na rua do Pilar n. 1 Vi,
! primeiro andar, para tratar, de manli.ia at n< 10
boras, de tarde das :i at as 6.
Toalhas.
Na rua do Apollo n. 20, veadem-M tnarhas rte
linho do Porto, com labyrintho e bico as ponas,
pelo lento prei.x) de 25J duzia.
do Cresjio n. 7.
Salmo em latas
8oors.
ermeticamente lacradas a
Lagosttm em latas grandes a l,4oo.
Savel, corvina, cherne, vezugo, peixe espada, Macan-So a 32o rs. a libra,
preparados pela primeira arte de cozinba a
a l,3oo rs.
Queijos flamengos chegados no ultimo
por a 2,4oo rs.
dem do vapor passado a 2,2oo 2.ooo e
l,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
dem e talharim o mais novo que ha no mer-
cado a 48o rs. a libra,
va-! Aletria a 5oo rs. a libra.
Arroz carolino a loo rs. a libra e a 2,8oo rs.
a arroba.
Doce da caspa da goiaba caixes grandes a
6oo e9oo rs.
Chouricas as mais novas que ha no mercado
a 48o rs. a hbra.
Chouricas mouras encommenda especial nos-
sa a 5oo rs. alibra.
Prezunto verdadeiro de lamego em calda
de azeite 5oo rs. a libra
Bolaxinha ingleza a mais novas que ha no
mercado a 2,ooo rs. a barriquinha com
1 arroba, e a 24o rs. a hbra.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
reis.
dem em lates grandes, preprias para lonche,
com5 a 6 libras por 2,4oo rs.
Marmelada imperial do fabricante Abren e
outros conserveirps de Lisboa a 6eo rs. a
libra.
3
IPSiSd
Frutes em
5oo rs.
calda de5 todas as qualidades
a I
dem do Maranho a 12o rs. a libra, e a
3,ooo a arroba.
Caf do Rio o mais superior que se pode de-
sejaa 32o rs. a libra,
dem a 28o e 3oo rs. a libra e a 8,2oo, 8,4oo
e 8,7oo rs.
Velas de carnauba refinada a 32o rs. a hbra,
o a lo.ooo rs. a arroba.
dem de spermacete a 64o rs, a libra.
Chocolate hespanhol e francez a 9oo e l,ooo
rs. a libra.
Ervilbas francezas a Soo rs. a late.
dem portuguezas a 6|o rs. a lata.
Massa de tomate a 64oVs. a libra. *,
Amendoas confeftadas ayoo rs. a libra.
dem de casca mole a 28c rs. a libra,
Avetens a 2oo rs. a libra!
Estreliinha e pe\ide muito nova a 4oo rs. a
libra, e a 2,ooo rs. a caixinha com oito
libras.
Cha perola muito especial chegado neste ul-
timo vapor de encommenda particular
nossa a 2,8oo rs. a hbra.
dem huxim muito superior a 2,7oo rs.
libra.
dem hysson a 2,56o rs. a libra.
dem hysson a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
dem preto horneopalhico e muito superior a
2,ooo rs. a libra.
a i dem nacional a 4,6oo rs. a libra.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e de todas as marcas, como sejam: sus-
piros, havaneiros, messecipes, regala im-
perial, flor das mattas, primores a 4,ooo,
3,5oo, 3,2oo, 3,000, e 2,8oo, 2,5oo,
2,oooe l,6oo rs. a caixa.
Vende-se una casa terrea nos A togados, na
rua de S. Miguel n. 22, com 17 palmos de frenie, ,
porta e janella na frente, e da parle de detraz 2 talhoque levou com um pao.e dcfeiliiuso doqueixo
ESCRAVOS rUGILCS.
Ftigiram ao amanliecer do da docorreute^
dons escravos crioulos, um de nome Manoel, o-
nheciilo por Manoel ferreiro, por ser deste officra,
rom os signaes seguintes : estatura regular, cor
preta, alguns cabellos brancos, tanto na caneca
como na barba, bem barbado, eorpo regalar, bem
parecido, rosto descarnado, idaile qne representa
do ib a."O annos, loma muito tabaco, folla um pOHr
co pelo nariz por cansa do tabaco, naltiral ra
villa Canstituf ional de Sani'Anna do Mntto, termo
da cidadedo Aasd, no ltio Grande do .Norte; outro
de nome ilerculann, idade de \"t a ISatnnos, l-
guns cabellos brancus, alio, corpo rofweado, co*
preta, psbastanu* grossos. tendo em um dos cal-
canliares urna grande cicatriz piovini>nte de um
quartos, cozinhn lora, quintal murado, grande, com
portao, cacimba em bom estado : quem a preten-
der, dirija-se ao escriptorio do Dr. Alcoforado, que
achara com quem tratar.
XAROPE
deLABELONYE
l'liaruiaci'iili. o da primeira cuisse
Kna Pars.
Este medicamento empregado ha mais de
20 annos, com successos constantes, pelos
melhores mdicos em todos os paizes, con-
tra as molestias do coraro, as hydropisias
e as a/fecrOes ib pcito, acaba de receber
um novo sutTragio por nao ter por ora ap-
parecido outro igual para curar infallivel-
mente todas as doencas do coracao orgni-
cas ou inorgnicas, palpitecoes, hydropisias
geraes ou parciaes. hydrothorax, asthmas
chronicas, bronchiles nervosas, e fluxos
ebronicos, aphonia (extinecao da voz), etc.
As gazetas medicas fallam calorosamente
sobre os effeitos preciosos do Xarope de
Labelonye, que tem hoje adquirido um dos
primeiros lugares no quadro dos medica-
mentos os mais afamados e da therapeutica
universal, como o declaram os celebres m-
dicos francezes: Andral pai e filho, Bouil-
laud, Cotlereau, Desruelles, Fouqnier, Le-
maire, Marjolin. Pasquier, Rosten, Rous-
seau, Delaberge, Parmantier, Puche, Ther-
rlm, Vidat (de Poiliers), etc., e outros fa-
1 cultaticos dos mais celebres.
Vende-se em garrafinhas de vidro verde,
trazendo um rotulo, fundo cor de violeta
clara, jaspeado, no qual sobresahe o nome
Labelonye, o gargalo da garrafa traz urna
tira azul jaspeada, com a firma de Labe-
touye, e a rolha coberta com urna capsula
de metal branco com a ioscripcab Sirop
de DgHitale de Labebnpe, pharmacieo,
Par.s.
Deposito gerals em Paris, rua Bourbon-
Villeueuv, 19.
Em Pernambuco, na casa de Caors & Bar-
bosa na rua da Cruz n. 22.
por teloKiii pouco lorio por um lado, um ale-
jao muito visivrl: auilms [agimm junto, levando
camisas de algoilao listrado e calcas azues, e tam-
bem alguuia roupa branca ; o Herculano nato-
ral dos serloesdo Piauby : roga-se s autoridades
policiaes e aos capilaes de ram|H> que os facam ap-
preliender e eonduzi-los i cim de seu senhor o
major Antonio da Silva (Susmao. morador na rua
Imperial, na cidade do Recito, provincia de Per-
nambuco, que gratificara generosamenie.
FraHCiseo,
pardo, com 20 annos de idade. cor acabocolada,
rosto redoudo, ollios pequeos, cabellos meiu tarar
pinbados, denles clieios de lodo, estatura recular,
sabe ler, escrever e contar, com offlrlo do alfaiate,
trabalhou m casa de Jorge Rodrigues Macliado.
no paleo da matriz de Santo Antonio, depois junk.
a Conceicao dos Militares, em casa de Batios i
Reg, e ltimamente no pateo da matriz de Santo
Antonio, em casa de Olegario ; anda calcado
botins de lustro, poe chapeo banda, sahio vestido
com calca de casemira verde escuro, paletot do al-
paca preta, camisa branca, chapeo de pUhinha
com quadros pretos e brancos, e consta o ler ti -
cado por ouiro de palhinha toda branca; tam-
ben) de suppor|ue trocara a roupa, costuma dizor
que filho de um major de guarda nacional, m-
tula-se forro, e assigna-sc unas vezes Praaciseo
Bernarde Quinteiro, e outras vezes Francisco Xa-
vier Nunes Quinteiro. Ha quasi seis mezes que
ss auseniou de casa : qualquer ptsaea que o en-
contrar, pegue-o e o leve rua Nova, em casa do
Sr. Quinteiro, que ser generosamente recompen-
sado.
tiscrava fgida,
Pugio no dia 4 do correle a negra Viceneia,
crioula, com os signaes seguintes: estatura e cor-
no regulares, com um signal de cabello noquciao
do lado esqoerdo, beicos grossos. andar lipeirp.
falla crossa, levou vestido de chita rxa com flores
encarnadas, panno da Costa com listras eucareji-
das e verdes, costuma andar nos arrabaldes desta
cidade, e consta ler sido encontrada em 01 i oda :
quem a pegar, leve-a rua do Queuuado *2,
loja, qne ser bem recompensado. __ ___^
"^TFogio desde~7 do corrente o mulato Tuornaz.
ue represenu ter de 35 40 anuos, secco corpo, bateo, bem barbado, com alguns cabellos
brancos, anda as vetes vestido de paletot c cbapto
preto e outras em Mangas de canica ou com palp-
lot.de estopa, ajando semprc de bengala preta, '
pedreiro e >ntatU-se de torro, tem sido visto no
Recife e arraflHas, sendo que no Manguinho ult-
ra m e irraios delle e foi escravo du Antonio
Luiz dos Santos: quemo pegar le vt-o ruado
Imperador n. 15, terceiro andar

r
MUTILAD



MHMM
MMMMi

8
ftlar.o e PMii>lHleA -~ QnHa fe Ira 18 de Vovr-brrt de t 948.
LITTERATDRA.
0 QUE VIE PELO MUNDO.
A Gazette de lAlUmagne da Nuri publ icono se-
grate relatorio, que o uiraistero prassiano diri-
gin ao re.
c Na conformidade das ordeas de V. M., o mi-
nisterio'tero a honra de fazer o seguinte relatorio
sobre a questa
E esta communidade Unto mais difflcil de
estabetocer e de sustentar, quanto nem a Prussia,
nem a Austria podem completamente renunciar a
liberdade que tem de regular a sua posicao a res-
pcito das qnest5es de poltica europea, na con-
formidade dos interesses de todas as snas monar-
-hias.
arbitracoes que satisfacara melhor a este Ara, do j Vejamos os termos era que se eipressa o
que o faz o projeeto de Francfort, e regalar a sua ^ourrter des lats Unit, desmentindo os boatos do
composicao de raaneira que a sgnilkacio de cada ^eco,,.h?cimen,0 > federacSo pela Franca:
, u ^^ "* A imprensa ingteza persiste e~ '-^*
um dos paizes rederaes nella representados corres- imprensa americana em reproduafr, ... .- ->*-
ponda sua importancia. tos. sobre as deliberacoes relativa ao prximo re-
_n | conhecimento do sul, por parte 4o governo francei.
t As ampias attribuicoes que o acto de reforma Informacoes particulares, e de carcter moito
d ao directorio que composto de poueos votos' cert, que nos chegam de Pars, nos autorisam
fwuwtj www j _" ; *>------ ~ ~~*-----------------;~
O projeeto apresentado resolve esta difflculda- e de votos illegaes, com oo sem a assistencia do
de pelo simples raachinisrao de um voto por maio- consemo fedcral' a formaCa 'mperfeita, e que nao
da reforma federal suscitada pela ra no seio do directorio, e por urna extensao dada corresponde as relacoes reaes da assembla des
ao fim federal at um gru de tal natureza que a' deputados federaes, proposta em face de urna re-
que satisfizesse sorver-se na poltica da confederado representada oem chamada a representar os interesses par-
la Prussia antes pelo orgao central desta ultima, i aculares e nao os interesses alleraies; finalmente
Austria.
O primeiro convite com o Om de desenvolver poltica de cada urna"daff duas"poteneiasdevaab-1 Prestnla3 nacional.-assembla que pela sua
a constituido federal de mancira
as necessidades nacionacs, parliu da
dosarontccimcnlus de 1148. As experiencias gra-
e interesses reaes, e nao era tendencia?
as attribuicoes dessii assembla reduzida a
consttoicoes exigentes; mas deixaram co- ^ an[igas (para nos servirmos das expressoes da f-3-..-
nbecer melhor as difflculdades, e aerara lices sa- memoria austraca); 0 e(Teil0 dos reslos de nma i .
lutares, que devem inspirar a prulencia nesta nnnarM3, .u-i.*. ___. ...__.- ..,.* )'
grande questao. Mostraram taml>em que se fez a j
injusta de depreciar o que ha de bom no que
existe, que se destruiu a confianca as instituicoes
em vigor, e que as abalaran! mesmo antes que
houvesse a certeza de obter algumas cousas de
albor.
Estas consideracoes determinaram V. M., na
T
construccao abalada, qual a simples opimao,
de que os seus muros em ruina sustentara amfe' *?* garan'* M0 J* nm,sterfo de *"
apropria lempestade, nao poderla inca dar-lh* ***** .f'** B representacao
a solidez.
Para prevenir nma eventualidad* lamenta-
verdaderamente nacional, em que tome parte di-
recta toda a nacao. Essa representaeao ha de dar
Prussia a certeza de que nao ter de fazer sa-
vel, parece-nos ndispensavel que a cooiederacao j criflcio ^^ nue naoaproveite a toda a Alten
nao intervenha por urna accio propria nos neg- 'nta.
- poca era que cada um dos membros da confede-,cios da Poli''<:a europea, senio de accordo entre as i
racao apreciava o valor da seguranca interna e duas-potencias, e que cada urna dellas possa eier-1
externa que llie provinha do laco federal, a nao
tentar as reformas desejaveis senao aproveitando
Ha poneos organismos de autoridade federal,
de! P0" mais enenbosas 1 ^i as combinacoes,
guerra, urna ver que o tonto* federal ne seja ?">">." os *>P**n>as e a reaccao dos
anacarado i inlewsses, dynastico e particulares que nao podem'
com cuidado o que anda exista de ut.l.dade e de "V*"- encontrar correctivo senao na representaeao na-
confianca as garantas dos tratados federaes. Este \eto e in*spensavet para seguranza da ona,
Vimos pelos documentos communicados pelo Allemaha. Sem elle, urna ontra das duas poten-
ministro dos negocio? estrangeiros, que da outra cias I*" achar-se na posicao, segundo as-cir-' ma assembla sabida de toda a Allemanha,
parte se nio observou a mesn prudencia que nmsuneins, de ser brigada submetter-se na razao da populacao por me.o de elei,-5es d.rec-
ao coutrari. se pedia a mudanca da cons.ituico, ,ra> reforcada Por um d >"> **. e **** podmii ""cacalnr
federal por motivos, cuja exposicao abalava gra- mesm0 Pek 9ue r a outra, essa maion, ton da Allemanba, era deslacar-se uin nico
vumente a confianca no valor e a consistencia nos quaodo, peb natureza das cousas- e condic>da
tratados federaos, e deviam provocar duvidas que sua existencia, nao poda submetler-se ella.
anda boje nao eslao extinctas. Teria sido pois
tanto mais para desejar que se procedesse a nego-
ciacoes que podessem melhorar e consolidar rela-
> "ni se pede arredilar que venha a ser duro-
doura urna situaeao destegenero.
Instituicoes que exigem un> impossive)
ees j tio abaladas, por rae.os que tivessem feito PrUSSa e/ Aos,ria' a *, que se snjeitem ao
Vroverom a maior certeza possivel uraa concia- T* 'T**** ?**?*"*' m ^^ *"
sao satisratoria S|,0'germen da separacao, nao sao acoittveis. nem
. Entre esses raeios, oque evidentemente J*?MM ^o pela subordinaeo toreada
nff.recia ora primeiro lugar era um aecrdo entre i f ^ raenosjex,fda' ,raPS3,w >"C
a Pmss e a Austria sobre as bases das propostas! for?a de nma *" duas P"***1" j sebre a su*
que se deviam fazer, e o gabinete austraco pode-
ria estar certc de que V. M. as acolhera com
scutimentos de amisade fraternal. |Em vez disto, a
Austria claborou s o aeto de reforma apresenta-
do em Francfort, e drigiu V. W., em 3 de agos- potencia, nao far inais do que provoear o quebra-
to, sobre o eontedo uesseacto, coinmunicacoes | ment das forgas reaes proprias de cada urna. Se-
uniao que se funda a forcaen seguranza da Alle-
manha.
i Qaalqner tentativa que 3#faeaprfvpasaruro*
grande medida potiea, contra a vontade da outra-
tao incompletas, que, segundo assas communiea-
>;..-. nao havia meio de fundar um juizo sobre o
alcauce dessas propostas.
A nica cousa clara, era a forma que se que-
na dar ao debate, e foi ella que primeramente
deu lugar as justas objeccoes que V. M. manifes-
tou na sua carta de 4 de agosto S. M. o impera-
dor d'Austria eontra o fado de lanear maos obra
por meio de um cougresso de principes convocados
toda a pressa. Nem alguns dias de discussao
nao preparada, nema vontade pessoal do mais no-
bre dos principes, podeiia levar aocabo urna obra
cujas diffieuhlades nao assenlavam s na diver-
gencia de opiroes pessoaes, mas uas relagoes en-
raizadas profundamente entre a nacao allemaa, e
que durante seculos se mantiveram sob as diver-
sas formas.
< Todava V. M. mostrou-se prompto, no inte-
resse de una grande obra, a entrar em discussao
mesmo sobre um projeeto de reforma, era cuja
preparaco a Prussia nao tinha tomado parte, o
o pediu mais do que o adiamenlo do coogresso
dos principes para o primeiro de outubro, ada
ment que, alrn dos embaraeos estranhos ao ne
gorio, era necessaro para a preparaco de nego-
cios indispensavefs um congresso de numerosos
soberanos.
Se, apezar desta disposicao providente de V.
M., e dcpois do gabinete austraco ter conhecimen-
to da vossa recusa em comparecer 16 de agosto
em Francfort, o canvite para esse dia foi com tudo
expedido todos os confederados e com urna data
anterior primeira communicacao feita V. M.,
nao podemos eximir-nos do pensamento de que,
desde a origem, o gabinete austriaeo nao teve me-
nos em vista a participado da Prussia na obra
commum do que a realisacjio da allanca separada
que ja tinha sido indicada na primeira carta es-
cripta em ;t de agosto V. M. para o caso da
Prussia nao adherir as propostas da Austria. Es-
tas ultimas nao foram ainda at boje communica-
da:- ao governo de V. M.
< Ao contraro a carta dirigida no primeiro de
setembro V. M. por urna parte dos principios
que se reunirn) em Franciort, e pelos represen-
tantes das cidades livres, deu conhecimento V.
M. do resultado das negociacoes de Francfort,
aceita condicionalmente pelos signatarios. V. M.
envin essa communicacao ao seu ministerio, na
conformidade da inteneao manifesta na sua res-
postaaos membros do congresso dos principes,
datada de Badn 20 de agosto, na qual declara-
ba que nao tomara resolucoes definitivas, senao
quando as reformas que se deviam operar na
constitucao federal tivessem sido submetlidas
um exame serio para se saber at que ponto
estao em rclacao com a posicao poltica dovi-
da Prussia e com os interesses legtimos da
iacao.
Km resultado desse exame, produziram-se ob-
jr-rces mais graves, em consequencia das quacs
o projeeto nao pareca aceitavel por V. M. nem
orno re da Prussia nem como principe allemao,
a menos que a nao operassem modifica?6es que,
no quo ten} s sitas proprias bases, mudassem es-
scncalmente todo o seu carcter. No actual theor
do projeeto, nao podemos deixar de propor que
agradeca Vossa Magestade recusar-lhe o seu
assentimento.
A fraqueza relativa da confederacao em pro-
pongo da torga total inherente nacao allema,
esi-ie na difflculdade de compor o poder central
da confederacac, e de o prever de attribuicoes
taesque sejam fortes e capazes de urna accao effl-
csz, ligando e conservando a justa independencia
dos estados particulares, e attendendo impor-
tancia dos diversos membros da confederacao
na proporcao do seu poder proprio c indepen-
dento.
< Esta difflculdade tem as suas raizes na histo-
ria completa do paiz, e nao pode ser vencida
I'i limpiamente nem completamente, apezar da boa
vontade das partes interessadas. Augmenta tanto
mais, quanto se pede a confederacao, nao s para
garantir aos seus membros, na conformidade do
seu principal Ora; a sua seguranca e a do terri-
torio federal, mas tambem para cumprir na pol-
tica externa e interna, os fins de uraa organisacao
militar.
' At estes ltimos annos, tinha-se, pois-evitado
cora cuidado experimentar a consistencia da con-
federacao, ampliando o sen fim primitivo. Dizia-
e cora justica que o accordo des membros mais
poderosos sobre os esforcos coVnmnns constitua a
base Indispensavel para qqalqner accio efflcai da
confederacao.
ra ilhidir-se de ama maneiea fatal, se a Prussia
quizesse impor-se antecipadamente a fewor de urna
anidado apparente, restriceSe* sua. livre deter-
minacao restriiros, que n'um casodadoy nao se-
ria capaz de sofurer e fado.
' A. pretencao. das duas potencias- aum scrae-
lbante voto tanto mais equitativa^ quantondirei-]
to de impedir urna declaraco de guerra pertenc
et.nstiiucionalmenie a qualquer minora que nao
cxceda mais de um voto os dous trros-dos votan-
tes (art. 4 do acto final de^ Vienna^ e-esse terco
quando nenhuma-das grandes potenzas esl nelle
representado, nio podia nunca reprasentar uraa
populiw-ao que qnivalesse aos patea federacs da
Prussia ou da Austria.
Os quatro reinos, Badn e os don de Uessn
fonnam juntos- que se pode combinar sera urna da* grandes pa-
tencias tomar parle; contara juntos 12 milhes
91fvOOU habitantes e teeoth 25 votos, isto, um ter-
co e mais :i. Ha n'um terco 23 votos que junios
nao represenlam mais de 2 milhoes 400,000 habi-
tantes, e que podem oppor o seu voto a qualquer
deelaracjto >!-> guerra. Com- qno-mais fortes ra-
soes a Prussia com uraa populacao de 14 mhoes
c meio de almas, na confederacao- nao pdia- pre-
tender o mesmo direito?
assim teria a Prussia conflanca
. Nio s quando se trata de prevenir emprezas
que podem por em duvida a solidez do laeo com-
mum, mas tambem em relacao- a parle qua-sedeve
tomar na accao da confederaro. parece necessaro.
que as formulas di constituidlo federal sejam a ex-
pressio dos fados existentes.
A Prussia nao s pgnal a Austria como po-
tencia allemaa, mas possue no seio dn confedeea-
^ao urna populacho mais numerosa. A paridade
formal da Prussia e da Austria tem ja sido objecto
de negoc iacocs cnt diversas pocas, e por occa6io
de se crear a commissao central previsoria da con-
federarao em consequencia da convenci de 30 de
setembro de 1840, as duas potencias tomaran) a si,
a titulo perfeilamenle egual, o e-xercicio da poder
central da confederacao germnica, em nomc de
lodos os governos federaes.
i No campo da competencia actual ua confede-
racao, a presidencia pertence, segundo os tratados,
a corte da Austria, sob a formulada direejao dos
negocios da dieta federal; mas as novas institui-
coes que a devem crear no campo de consideracoes
exteusoes que se devem dar as attribuicoes e pode-
res da confederacao no estrangeiro, a Prussia nao
pode permitlir que a Austria oceupe uraa posicao
privilegiada, e eleva a pretencao a urna perfeita
egualdade.
c A prova de que no projeeto de reforma, com
quanto ali se nao indique a presidencia senao como
nova direceio dos negocios correntes, se trata de
alguma cousa que nao deixa do ser urna formula
indifferente, e tanto mais manifesta, quanto, debai-
xo mesmo das antigs instituicoes, a Prussia julgou
dever protestar contra urna extensao nao justifica-
da da signilicacao do direito de presidencia, desti-
nado a formar urna prerogativa poltica essencial
da Austria, e a expressio fiel da unidade alle-
maa.
< Depois de urna semelliante experiencia, o go-
verno prussiano nao faria nesse accordo um sacri-
ficio permittido \ mas comraetteria um acto de in-
juslica para cora o seu proprio paiz, se renuncias-
se a urna pertinacao egualdade quando a compe-
tencia federal receba mais araplilude e a presi-
ponto de inteirar
para all'entrar.
Os interesses e as necessidades do poro prus-
siano sao esseneial e indissotavelmente idnticas
aos do povo al lema, em toda a parte aonde este
elemente adquirin o seu verdadeiro valor e signi-
fleacao, a-Prussia nunca ter de ser levada a urna
poltica opposta aos seos proprios interesses,. receto
duplamente justificado^ quando-a par de um orga-
nismo cuto centre degravidade est fora da-Prus-
sia, os elementos particulares descordantes sio
produzidos como principio na forraacao da repre-
sentaeao nacional.
t Julgamos no que precede radicar os erres es-
senciaes, e sem que teohara desappareeido- a re-
forma federal preoosta nao pode; na nossa opiniao,
ser aceita pela Psussia Julgamos tambem como
infructuoso, qualquer projeeto, urna vez que nao
baja um accordo previo sobre os-pontos prinoipaes.
V. BE! peder pois, se o julgar conveniente
entrar em negociacoes com os seus altos confede-
rados sobre estes ltimos pontos; e logo que V. M.
encorara disposicaes para adnutrir as bases cima
indicadas, poder. oonvidar o geverno austraco a
convocatv de accordo rom o governo de S. S., con-
ferencias- ministeriaes para combinar um novo pla-
no de reforma afiut de ser submettido a approva-
cio dos principes e das cidades livres da Allema-
nha.
Eatao depender da resoluco que tomrem a
este respeito os sotieranos ailemaes, se quizerem
ouvir sobre o que tencionam olferecer a nacao, a
opini desla pelo orgao dos seus representantes
eleitos, ou se quereniatlrahir, sem invocar a cor-
poraeaV daqaellhi representaoao, o assanlimento
constitucional dos parlamentos-de cada um dos es-
tados particulares.
t Para o governo de S. ffl, a rcuniao prxima
das amaras ha. iW ser urna aecasiao par eoohccer
a opiniao da representaeao do povo prussianb so-
breo eontedo do acto de reforma proposta eidos
principios que o governo deel-rei faz prevalecer
perante aquelle acto; e nao duvidamosde que oe-
las manifestacoes da representacio nacional prus-
siana, se ha-de reconhecer desde logo, de urna raa-
neira positiva, que nao psrroittia o assentimento
constitucional a mudanca dos estados federaes ac-
tuaes, urna vez que se nao atienda, cora o mesmo
titulo, digidade, e a posicao poltica da Russia,
e aos 'teresses de toda, a naci atlemia.
O povo prussiano forraou nra pacto integran-
te e essencial da Allemanha, e acha-se tao intima-
mente confundido pelas suas necessidades e inte-
resses assim como pelos seus votos e sentimentos,
com toda a naci allemaa ; que por va do parla
ment prussiano ha de offerecer ao mesmo lempo
indicacoes que at agora se nao tem feito. sobre o
acolhkncnto as instituicoes propostas devem espe-
rar da parte do povo alleao.
i Berlin, 13 de setembro de 1863. (Segu a as-
signatura do ministerio^
Mr. Masn, antigo enviado da confederacao
do Sul em Londres, que ha pouco aquella cidade,
suscitou as seguntes consideracoes Opinin Na-
lionole, quando chegou a Pars :
O enviado do Sul era Inglaterra, Mr. Masn,
esperava, segundo se diz, que a publcacao da car-
ta pela qual dava por linda a sua raissao ao conde
RusselL suscitasse em Inglaterra numerosos pro-
testos contra a poltica do gabinete. Aquella car-
ta era um desfoseo um verdadeiro ultimtum;
mas o conde Russell commoveu-se pouco, c a opi-
niao publica em Inglaterra, e mais ainda na Irlan-
da, mostrou-se muito satsfeita em ver que fora o
proprio enviado do Sul qne pozera termo i sua
missao. O ex-senador da Virginia deve ter deixa-
do Londres hon em, para vir flxar a sua residen-
cia em Pars.
Mr. Masn um dos adeptos da escola poltica
do sul que considera a escravidao como urna ne-
cessidade, mas como urna insltuicio divina. Con-
seguintementp, com estes principios, foi elle quem
propoz a muito celebre le sobre os escravos fugi-
tivos, adoptada em 1850, e em todo o |mpo se
mostrou favoravel ao restabelecimento do trafico.
Era 1859, logo que soube da tentativa de John
Brown, dingiu-se, acompanhado do governador
dencia mais importancia, pelas suas relacoes di- Wise, edeMr. Vallandighan, a Harpar's Ferry,
plomaticas no estrangeiro, as quaes lhe seriara re- eom a esperanca do arrancar ao infeliz martyr,
servadas > fcrido e quasi moribundo, alguma confissao que
| comprometiese os chefes do partido republicano e
Indicando V. M. a paridade da Austria com do paf'do abolicionista,
a Prussia, e a admissao de um voto, nos limites
cima indicados, confirmando na nossa humilde' f~*R?^nderei v0!unUriament?'e com ***
...',.. a franqueza, as perguntas que se referem a mim,
opiniao, condicocs preliminares para se consentir dlsse John Brown aos seus juizes arcusadores, di-
que o objecto federal seja mais ampliado assim re tudo quanto a honra permute dizer, mas nao
como a competencia da autoridade central da con- conseguiris nma nica palavra que tenha relacao
federacao nao dissimulamos que este meio nao re- com qualqaer ou,ra *"*** *
sol ve a difflculdade que consista em conciliar a E justo, porm, reconhecer qne Mr. Masn
divergencia dos interesses dynasticos comas con- na0 J"10"-. I*1 s> pafe, dever insistir n'esle
dieces proprias para facilitar a accao unitaria da $^&}^^*.
confederacao. Nao nos parece justo nem poli- prometledoras.
tico decidi-los summariaraente por votos sahidos
da maioria dos governos representados no direc-
torio.
O nome de Mr. Masn nao ficar menos, e de
urna mancira indelevel, ligado historia d'este la
mentavel processo.
cumpnmcntara imperatriz. Esta declaren que
nao precisava demorar-se no palacio de Aranjuez,
por ter jamado em Albacete, e mudado de trate
no espacoso sali, unido no trera real ao coche de
Sb. MM.
Depois de algum lempo de dcscanco em Aran-
juez, otremque conduziu a imperatriz poz-se em
marcha para Madrid, eram nove e meta da noute.
Por um equivoco do telegraphoj s oito e
meia se achavam na estacio central de Madrid,
no caminho de ferro do Mediterrneo, S. M. el-re,
os infantes 1). Francisco c I). Sebastiao, o pres-
deme do consejho Sr. marquez de Miradores, os
generaes ajudantes de S. M. el-re. e outraa pes-
soas de seu sequilo.
Tambem algumas damas de alia aristocrac ;f
antigs rela'coes da imperatriz Eugenia, se arha~
vam no sali regio.
A Sra. condessa de Montijo nio pode assisttr
a recepci de sua filha, por se achar incommodada.
Achava-se postada de guarda interior, urna
torca d'alabardeiros fora da estacan eslava urna
companha do regiment de Cuenca, seb o minan-
do do capitio Fej, cora bandeira e msica, para
fazer as honras da etiqueta imperatriz.
O trera que a conduzia, e i sua comitiva, en-
trou na estaHto de Madrid, s 10 e meia da noute,
coraoj dssemos. S. M. cl-rei foi inmediatamen-
te receber a sua Ilustro hospeda, e a conduziu
pelo braco, primeiro ao sali de descanso, e em se-
guida ao coche que a devia transportar ao-palacio.
Durante este tempo a msica da compa-
nha que fazia as honras militares tocava a marcha
real.
A imperatriz pareca muito sensibilisada com
a recomi de tantos obsequios.
Ais 11 menos um quarlo pz-se em marcha a
comitiva rega, coinposla de seis magnficos coches
de grande gala, em que iam a imperatriz, S. M. cl-
in e_a princeza Anua de Mural; os infantes D. Se-
bastian e Francisco, almirante Dupa?, coranian-
danle do vapor imperial; o conde d'ltatmra, o
nuuxiuez e Villa-Franca, grande de Hespanha,
coramisstonado com o conde d'Aliamira, para rece-
ber a imperatriz em Valencia, e o estado-maior de
S. M. el-rei e da imperatriz Eugenia.
A escada do palacio, quando a imperatriz se'
apresentava s 11 da noute olTerecia um golpe de
vista sorprendente. De ambos os lados, edebaxo
al aoima. se achava formada em- alas, a guarda
real de alahardeiros. S. M. a rainha eslava no to-
po da escada. rodeada pelos ministros da cora,
dignatarios do palacio, suas damas, e quasi todos
os grandes de Hespanha, existentes em Madrid, dos
montemos de S. M., dos directores e inspedores
das armas, e todos os mais individuos sujeilos a
etiqueta.
A msica da guarda exterior, desde que se
aproximou a imperatriz a palacio, e a dos alahar-
deiros, desde que ella chegou s oseadas tocavam
0 hvmno real ; a brilhante illuminaco, e a vista
de tanta grandeza e magnificencia nao poderao-dei-
xar de causar viva emocao em quantos estavam
presentes recepci da imperatriz por S. M. a
rainha.
Quando a imperatriz subiu o-primeiro degru
da escada, S. M. a rainha, acompanhada dos mi-
nistros da cora e altos funecionarios que ali se
achavam, desceu al ao primeiro patim. S. M. a
rainha eslava vestida ricamente e adornada com
um riquissmo adereco de saphiras e bnlhantes,
em tanta quantidade que a cobriam materialmente
de pedias preciosas.
A imperatriz levava um elegante vestido de
seda azul com matleta negra e rm chapen branco
guarnecido por dianle com renda da mesma cor.
' Ao aroxmar-se, a rainha o a imperatriz sau-
daram-se profundamente e depois aperlaram affee-
tuosaraente as maos, e depois de mutuamente per-
guntarera pela suasade e pela de seus augustos
lilhos, a imperatriz por convite de S. M. a rainha
subiu adiante encusladaao braco de S. M. -.I-iyi. S.
M. a rainha seguiu-se tallando earnhosa com a prin-
ceza Auna de Mural, e nesta ordem, seguidas por to-
das aspessoas de dislrareao, atravessaramSS. MM.
e AA. a sala dos alabardeirose o sali de columnas,
e chegaram as habitamos de S. M. el-rei.
Aqu a imperatriz saudou toda a corte e apre-
soniiiu a SS. MM. as pessoasque a acompanhavam.
Entao SS. MM. apresenlaram imperatriz os mi-
nistros e dignilarios do palacio, e concluida esta ce-
remonia SS. MM. acompanJiaram a imperatriz s
hahitacoes que lhe estavam preparadas, que sao as
do b\ M. el-rek e as do duque de Montpensier. reu-
nidas, e deixando-a nellas installada, se retiraran)
SS. MM. sua real cmara, onde anda fallaran)
com as pessoae- que haviaoi assislido recepeao.
Este aclo termnou mea noute. >
l^se no Jemal do Commercio da corte, o se-
grate :
O peridico inglez Wrlimjlon IMiHy Journnl pu-
blicou a segrale caria:
f Vapor Florida, des Estados Confederados. S.
Jorge, Bermodas, 21 dejulho.
c Os seus leitores estao ccrlamente inteirados
de que este vapor rcrapeu o bloqueio no porto Mo-
bile no dia 16 de Janeiro do correte anno, portan-
te nada direi a este respeito, o limitar-me-hei a
narrar-lhe o que temos feito desde ento. O pri-
meiro navio que apanhamos foi o patacho Estrila,
de Rosten, novo e na primeira viagem, indo de
Santa Cruz carrejado de assucar e mel de al)e-
Ihas para a boa gente daquella cidade ; tiramos-
Ihe b tnpolaco e consignamos ao velho pai Nep-
tuno. Eslava avahado em I38,00i patajes.
c. Em Havana recebemos rarvo e outros objec-
tos necessarios. Ao amanht>cer do dia 22 de Ja-
neiro suspendemos ancora e corremos a costa para
leste. As H horas desse mesmo dia capturamos
e queimamos e patacho H'iwhrard, que ia de Ma-
tanzans para Portland, o ao anoitecer fizemos cu-
tro tanto ao patacho Cotris Anttie de Phladelphia.
Este navio eslava duas- horas de fisgan distante
de Crdenas, para onde ia. Deixamos a costa de
Cuba, fazendo rumo para Coras i llahamas, e no
dia 20 largamos ferro no porto de Nassau. Aqu
recebemos rarvaoe o nosso casco, tendo poucas
apparencias de cbrislo, seguimos para Clreen
Keys afim de pinta-lo, e all fundeamos no dia 28,
empregando a tripolacao os tres dias seguntes em
raspar a cal do costado do navio. (Tinha sido caia-
de e pintado.)
t No dia Io de feverciro saliimos a cruzar ; ape-
nas porm haviamos caminhado algumas milhas,
avistamos logo a canhoneira federal Sonora, a qual
tendo muito melhor armamento que o nosso, jul-
gamos prudente mostrar os calcanharcs. Ella deu-
nos caca durante 48 horas, porm nada conseguio
e no terreiro dia apenas era vista do tope do roas-
tro grande.
Do 1" at 12 nao encontramos navio algum fe-
deral, e a gente comecava j a estar impaciente,
quando ouvio-se o viga gritar sail oh Mandamos
acender as fornalhas, juntamos a hlice, e s 4
horas da tarde abordavamos una preza de grande
valor. Era o Jacob Bell, indo de Foochow para
New-York, carrogado de cha, sedas, etc.; puze-
mos-lhe fogo e nos dirigimos para Barbadas.
Em seguida capturamos o Star of Pcacc. em
12 de marco ; ia de Calcula para Boston, carrega-
do de salitre : a victima que se seguio a esta foi a
escuna Aldebaram.
Durante quinze dias procuramos dobalde ou-
tra, at que no dia 28 capturamos o Ijrptcing. quo
nos forneceu de um genero bem precioso, carvao
de podra. Puzemos-lhe gente a bordo, e depois de
armado convenientemente mandamo-lo cruzar con-
1 tra os Yankees.
Este navio capturen depois a galera AVifr Dyee
a Madrid a imperatriz dos Franeeies. Esta augns- J que romprou a liberdade por 40,000 pat*c6es.
ta senhora sahiu de Valencia, hontem s 8 da ma> Em 30 de marco encontramos a barca M. /.
nhaa acompanhada pelo embaixador de Franca em Colcord, que ia de Nova-York para a cidade A
Madrid Mr. Barro!, pelo conde d'Altamira e pelo Cabo; lancanios-llie fogo.
marquez de Villa Franca, enviados por S.M. a rai- t Perto da linha encontramos o relo (Lap-
nha, e pela sua comitiva que se eompunha da pnn- wing), tomamos carvao e fi -araos cruzando alli e
ceza Anna de Mural, do almirante Dupuy. das suas as immediacoos.
damas as condessas de Montebelto, de Lourenes e f Era 17 de abril queimamos a galera Gantmon-
de Bescural ; do seu estribeir-mr o marquez de iceath, indo de New-York para S. Francisca
Lagnarja ; do bario de Boroignes; do coronel Fa- t No dia 3 a barca Henrtetta, de Ballimore [ta-
ro, ajudante de ordens do imperador ; do marquez ra o Rio de Janeiro. No dia seguinte a galera
de Caen, estribeiro da imperatriz; do lenle da Oneida, de Shanghai para New-York, carregada
armada Duperr, e de quatro camaristas mais. de cha
t O trem real chegou a Almanza ao meio dia, I Em 6 de maio tomamos o patacho Clerance
e demorou-se ali para a imperatriz e sua comitiva e botamos a bordo nma peca de calibre 12, vinte
almocarem. j.homens e dous officiaes, c mandamos cruzar.
t Em Albacete era a imperatriz esperada, para! A derrota que fez o lente Eeed neste navio
ser cumprimentada por ordem do conselho admi-' j sabida pelos jornaes.
nislrativo do caminho de ferro do Mediterrneo,
dar a esses boatos um desmentido categrico e sem
reserva.
A guesto de reconhecer os estados confede-
rados nao foi suscitada em nenburo conselho de
ministros, nio tem sido, de forma alguma, nem de
qualquer maneira. a ordem do dia entre aquellas
de que actualmente se oceupa o governo imperial;
nao est ligada, as combinacoes publicas de Na-
polfcio III, marcha actual dos negocios do M-
xico.
Os novellistas inglezes e outros, que entrara
tao largamente no thema ha algumas semanas,
teem estado completamente induzidos em erro por
um incidente, de que sem duvida apenas tiveram
conhecimento imperfeito.
Este incidente nao foi mais de que nma ten-
tativa reita, junto do gabinete das Tulhenas, pela
regencia do Mxico, para ter a opiniio do impera-
dor sobre o qne elle devia fazer a respeito do sul.
A conliguidade do lxico e de Texas pareca aos
membros da regenera nra raotrvo imperioso para
reconhecer oOicalmente. n'um prazo breve, o go-
verno de Ricfimond, do qual o do Mxico se acha
to prximo, debaixo do ponto de- vista territorial.
Consultad a este respeito, Nanoleao III res-
pondera que nao lhe cumpria decidir da linha de
conducta que o governo do Mxico devia seguir,
as snas relacoes exteriores ; que, pete sua parte
porm, nao via a urgencia de que a regencia se
preocenpava; que a questao da opportunidadc era
mesmo muito duvidosa. no-seu modo de entender,
e que finalmente o-reconhecimento do sul lhe pa-
reca urna medida muito grave, para ser tomada
por nma simples administraeao provisoria, que
Teste medo obrigaria irrevogvelmente a poltica
futura do soberano que se espera.
Ha distancia d'estes eonselhos cheies- de re-
serva para as ideas que gramilamenle se attri-
buem ao imperador, e repetimos que as nossas in-
formacoes nos permiliem affirmar que a nica
i-ircuinstancia em que se traten de reconheomento
do sul, as elevadas espheras do governo francez.
L-se na Presse, de Vienna :
Dlgam oque disserem os jornaes francezes so-
bre o estado dos negocios relalivos questao po-
laca, o que certo, nao se fazer cousa alguma
pela Polonia. O exterminio dos Polacos ha de se-
gatr o seu curso, quer sejam ou nao reconhocidos
como parte belligerante; quer se declare oa nio
quo os dreitos da Russia estao nnllos ; a viotoria
continuar ao principe GortschakoK e aos generaes
Berg_e Monrairvied.
Sob o terrorismo sanguinario que reina- ac-
tualmente na Polonia, a rraeixa expira e a resis-
tencia desfalece: A Russia termina a sua obra de
carnificina e quando mesmo o soccorro se aproxi-
me a favor da Polonia, se ehegar mesmo antes da
primavera, j chegar muito tarde.
A torca bruta, que enlbrca e fuzla, nue nio
respeta mais a religiao e a propriedade de qne a
vjda humana, que ameaea sinicamento de destrui-
cao cidades populosas, que destroe edificios ntei-
ros, e arranca mesmo os ms-rtos das suas campas
para sobre jjlles exercer a sua vinganra, semejan-
te torca, nio enfraquece por meio de notas diplo-
mticas e de protestos. Diaote d'ella nao ha argu-
mento de valor senio ultima rali, e se se nao
est resolvido a empregar este argumento roolhor
seria abandonar a Russia sua victima.
Na verdade a desgraca nao haver o principe
Gorfsehakoff ter despedido as tres potencias eomo
solicitadores importunos, mas estarem os Pete-
cos exhaustos de torcas pelas esperancas qne os
teem animado a resistencia; e que os tem formal-
mente entregues aos seus verdugos.
c A diplomacia devf ter grande percato-na
consciencia ; mas o que d'esta vez tem feito pela
Polonia o seu chele de obra. A menos que as po-
tencias nao cheguem ainda a resolver-se por urna
accao enrgica, olla nao s nctalhou c partilhou a
Polonia, mas ajudou a enfraqpece-la
Nao s despresou a occasao de repellir a Rus-
sia do porto a vaneado que esta potencia oceupa
para com a Europa, mas tornou roais forte do que
outr'ora a posicao da Russia-no Vstula, possi-
vel que isto seja indifferente Franca e a Ingla-
terra, mas a Austria o a Allemanlta nao d e- nem
dupressa arrepender-se amargamente.
O orgao do principe (iortscnakoff, o Journal
d Sainl-Petersburgo, traten de anachronismo a re-
eordacao da santa allianra.a. respeito da questio
polaca. E verdade que a santa allianra ja nao
existe ; mas os seus trabalhos existem sempre, e
nada impede que a seu tempo se estabcle<-a um
novo fado de justica.
t A quem, senas tradicoes da santa allianea
deve a llussia, que a Europa assista s atrocida-
des russas na Polonia sem saber o que ha de fa-
zer ? A quem, senio s tradicoes deve o principe
Gortschakoff, que as tres potencias nao lenham ou-
tra resposla aUm do silencio importante?
t O Jornal de S. Petcrsburgo tem j inserido um
grande numero de mensagensas suas columnas,
mas a maior de todas-foi a certidao de bito que
essa folha passou bontem sania allianea. Na,
nao morreu, vive entre nos. As suas recorda-
C5es guiam, talvex seni que o perecbam, os gabi-
netes de S. Petersburgo, Vienna c landres; por-
que por toda a parte ha homens de estado da ve-
llia escola, educados nos erres de 1815, que diri-
gen) a poltica exlerna, e nao podem alTasiar-sedas
antigs tradicoes.
Estas recordacocs da santa llanca sao tio
poderosas e tio. fortes, que o chefc de Franca, ape-
sar de toda a sua prudencia, sagacidade e pacien-
cia, incapaz de ncutralisar por uraa nova allian-
ea as tendencias da antiga, que lhe sao hostia ; c
o pensamento de que a colligacao de entao julga-
da morta, pode reviver, e que a Europa pode mar-
char de novo contra a Franca, impediu de obrar
s, e de tomar urna resolucao definitiva, que s
por si possa ainda salvar a Polonia.
esta lembranc-aque obriga o gabinete das
Tulherias a deelarar-se sem toreas perante a ques-
tao da Polonia. Que outra cousa senao una
confissio de impotencia, quando se declara em
Pars que se nao qur fazer nada so, e se espera
o que h ao de decidir a Austria e a Inglaterra ?
A Austria e a Inglaterra nada decidiro, que
jamis possa rehabilitar a poltica franceza na
questio polaca.
Se espera isto em Pars, espera-se em vao.
Nao interessa de cetro Austria e Inglaterra,
tirar a Franca dos embaraeos. Nao aceitaran)
para com a Polonia mais do que as obrigaedes re-
sultantes dos tratados; nunca pretendern) soccor-
rcr as nacionalidades opprimidas; nem se hiinii-
Iham se deixarem marchar as cousas.
A Franca, pelo contrario, ficar gravemente
lesada, profundamente humilhada, se for obligada
a conservar a espada na hainha. D'aqui resulta-
r um isolamento completo para ella ; porque nio
outra cousa mais do que isolamento, se se malo-
graren) todos os esforcos do gabinete das Tulhe-
rias para organ.or urna allianea contra a Hussa -,
se a Inglaterra declarar que jamis far a guerra
pela Polonia ; e se a Austria responder a todas as
representaeSes francezas, que nunca ir alrn da
Inglaterra.
Mas pouco provavcl que Nanoleao III aceite
scmelhante situaeao, e se exponha s censuras,
que tanto prejudiraram Lulz Felippe.
Da Correspondencia de Hespanha, de 19, trans-
crevemos o seguinte :
Hontem s 10 horas c raeia da nonte chegou
libertamos [tor IQM) pataedes e soba condieio de
condnzir a Bermudas os nossos prisioneiros, eram-
cerca de 50. A preza que segote-se a esta foi a'
galera Sumise, com 8 dias de riagem de Nova-
York para Liverpool, tendo a bordo um carrega-
mento neutro : demos-lhe liberdade por 60,900 pa-
taces; islo foi no dia 7 dejante*. Estavamos en-
tao perto de Nova-York, enodia seguinte apenas
distavamos deila cerca de SOfctlmilhas.
Ao meio-dia trocamos sifnjp cora um brguc
inglez, e avistndose outra vola demos-lhe caca.
Otilio o nevoeiro comecasse a desaparecer, avis-
tamos junto a este navio um grande vapor, o qual
havia mandado o seu escaler a seu bordo. Apro-
Miiiamo-iios at distinguir as cures federaes ira-
da. na carangneja. Tocamos immediatemente a
poslos.
t O vapor comecou a manobrar o dirigro-se pa-
ra nos. Quando eslava bastante perto irocamo-
a bandeira inglezaque linhamos nada pelo estan-
darte nacional, e demos-lhe ao mesmo lempo uraa
descarga de banda.
t A sua tripolacao abandonou o Kdiao da po
|ia e corren a refugiar-se airas dos baluartes.
O tempo, porm, eslava a favor delte; pots oes-
te momento calda um novueiro tao espesso, que
por longo espaeo nada se vi do Ermon; e tive-
inos que esperar ; mas ajaizai a nossa admiracao
quando, havendo clareado, vimos o Yankeez urnas
'ouG milhas correndo para Sandv Bok (ftova-
York.)
t Foi enlo que sentimos falla de bem carvao.
i O nosso bravo commamlnute MafBt oflereceu
1,500 pataces por l.'i libras de vapor as caldei
ras ; porm nio oMivcmos mais de 8 a Ui apezar
de queimaruios pise e bren. A nossa tripolacao
mostrou grande desojo de pegar o Eriaon, visto
elle ler sido mandado agarrar os corsarios rebel-
des, era ocaso de dizer-se : Veio buscar liae
voltou tosqueado.
t Nio o agarramos-, mas ti vemos o prazer de
tiueimar debaixo das suas vista nao menos de
dous navios, o-brigue >'. B. Naek de New-York, e
a escuna baleeira Itienzi Provincetvn. A tripola-
cao desle navio ja o tinha abandonado quando nos
vio q'Kimar o bngue.
Mostramos a tripolacao do Xaeh o vapor Rrie-
son fugindo para New-York. Votm pezar no cora-
Co dexantos esle lugar e lizemo*o rumo para
Bermudas, aonde chegamos a lli do correal^ lo-
go que houvermos lomado carvao continaarwnos
a cruzar, e os seus loitoivs podem 1-,-ar certos de
que o Florlii sustentar a sua repulaeo em in-
commodar os Yankees. Esperando que esta lhe
ser agradavel, concluo cora a seguinte Hala i
mortnlidade bavida a bordo do FloriHa, desde que
saliimos a cruzar, a saber: manijo .Intu Johnson,
molestia de ligado ; marujo lsac. While, cabio ao
mar ; marujo John Lehmann. phtysio: Dr. Graf-
iii. afogado perlo da linha ; James Sudley 0 o se-
cretario l.inch. molestia de pulmes. -
Lora Cameroo.
IV
(Conclutao.)
A infeliz resignou-se, porm nem por isso nassou
urna.noute manos atribulada. O dia seguinte era
o dia 27, anniversario do seu nascimento-e o dia
lixado para o seu casamento.
Cudram-Ilie entao ao espirito as sombras pala-
vi. i do llarrv : Sabe Deus-onde eu esteral no dia
28 I .
Seria tuna propheca ?
A esta lerobranea, a pobre donzella desatou a
chorar.
Allim, amanheceu, porm, inleli/memo, esta- or
cumslancia.em vez de diminuir, anda mais aug-
mentou os terrores de Lora.
Os insurgentes haviam reeebido aviso-da mar
cha e prxima chegada do general Lincoln, e,
portauto, principiaran! a preparar-se para com
bate.
Quando, aolonge. comecarara a ouvw-g* oe-pri-
meiros rufos do tambor, os shaysista acharam--e
collocados em ordem de batalha.
llarrv nio acabava de apparveer.
Lora do fundo d'alma fazia votos para-qoe o ata-
que nao oomecasso antes de elle ehegar..
De repente, porm, ao ver que os ripslrtei, por
um cruel olr;rtag*>ui(a, collocavam os prJMDOOiros
na frente para fazer delli.-s anteparo oa' intimdal-
os aggressores, soltou um griio de horrar, fez-se
branca cuino a ra!. e ao dar com m ofcos em
Francisco Graham, de pi-, firme, immoveh de bra.
eos cruzados, servindu de e.cudo a sem eebardes
inimigos, quasi esteva a ponto de- eakir des
maiada.
Finalmente, appareceram as tropa de Lincoln
sendo recebidas pola vanguarda Apa lasurgenle.
cotn ura fogo bera sustentado.
,> estrondo do tiroteio, respondern) alguns.
gritos pungentes, sabido do lado opposto do ca-
lumbo.
Era ura ouiro troco do ui-urgentes command.v
do por llarrv, atacando a tropa de lauco.
Mal aristn sen primo. ij,ra corren ao eneon-
trod'elle, por entre o chuvnro das balas, e ex-
clamou :
llarrv, llarrv olha que puieratn pri-
sioneiros na Iroate, e Francisco, 0 nosso amigo
tambem l se acha; corre a salva-Jo I..
llarrv passou, n'aquelte nstente, por oaacrise
violenta.
O odio, o cume. o amor, a compaiao todos es-
tes enconlrado)- sentiraenlos, o agitara ao mes-
mo lempo.
Voltou o rostu para o lado, para ocenltar nma
lagrima quo lhe biilbava nos othots. e disse com-
sgo :
Oh I que maior prova de amor podia ella dar
por elle 1 IVwra nao importa t Acin de todo
est o meu dever do hornera debst
Hito isto. confiou o conMMsfl tos insargen
les ao seu iramediato e dirigM 9 lugar do
combate.
Ao vAr que j ora demasiado para mu-
dar as disposicocs tomadas, por m ataque
j ham principiado, parliu aoet o de Fran
risco Grabara e collocuotee na freo
Lincoln, que s no ntomeoJ
aceio dra telo brbaro esi
gentes, sentiu confranger
tur. perm o severo dever
sensibilidad!' do bujnem, _
de lagrimas, bradou s suas
Fogo, meus filhos! e qli_
ilooa das almas d'aquelles infeli
Era justanwnle nesta ocrasa HatTy-f-
nerosameate corria a postar-sc em (reate do' seu
amigo.
0 infeliz, portante,
i nada para o outro c
A rofrega tornou-sn!
tgirm para nunca m
. Harry, ferdo
para a herdade e
a na v" ci do doloi
tao' Vesenlace.
1 -^
har
raen ....o1
ba mi.;*rou :
Lora, lembrasr
raste tanto por ca
nha matado ? Lera
se, referindo-me
algum de nos mol
solar o outro I ,
ipiar:.
iosur
ci d-
venceu a
arrasado
se compa-
i 0 elemento que deve conciliar os interesses < Mais recentemente, em 14 de abril de 1860,
particulares dos diversos estados com os interesses om dos senadores de Nova-Hampshire, Mr. Clark,
daunidadede toda a Allemanha s poder real- 5^P^?S^d,%pr5-3rS
mente encontrar-se na represeniacao da nacao al- no districto da Columbia. Mr. Masn levantou-
leroaa. se logo, indignado, e protestou com violencia
n ....... contra esta tentativa de tirar os negros, li-
Para tornar proficua neste sentido, a institu- Vre* ou nao, de urna ignorancia era. que importa
cao desta representaeao, ser necessaro dote-l de conserva-Ios sempre.
petos presidente e vogal do mesmo conselho os
Srs. Mon e Salamanca.
i Aqui aceitou a imperatriz um verdadeiro ban-
quete que a companha lhe tinha preparado, com
o modesto titulo de refreco.
t Hontem s 3 da tarda, por ordem de S. M. e
em seu real nome, foraraj cumprimenta-la ao real
sitio d'Aranjuez, o capitn general do 1* exercito
e districto D. Manoel de,- la Concha, marquez de
Douro. e governador civil o Sr. Espeleto. O pa-
ij0Q.de Aranjuez estay*, preparado por forma qne
s oito e meia efitroa o trem real na ertacaq
t OTarowj foi urna das suas prezas.
Em 10 de maio entramos em Pernarabuco,
donde sahimos a 12. No da seguinte queimamos
a galera Crotc Poinl, outro paquete de S. Francis-
co, que ia para alli, procedente de Nova-York.
romos em seguida para o Cear, onde recebe-
mos carvao e sahimos depois costeando o norte, e
a 6 de junho queimamos a galera Soulhein Crort,
indo de S. Francisco para New-York.
No dia 14 do mesmo mez fizemos igual obse-
quio a galera Red Gauntlet, de Boston para Honc-
Kon*.
Deste navio tambem tiramos carvao e por sig-
nal que era de pessima qoalidade, Dous dias de-
pois capturamos a galera B. F, foxi, iodo da Ca-
que cho
que eu ti-
eatao tedis-
qoe, se
ias virar para con-
ga^o a occasao de o
fazer! Sou eu o que morro e Francisco que
sobrevive........ AAjfr^meus queridos ami-
E, em voz naM^KM wneatou:
Oh I miaba Pon-tos
que a amis araras a que lhe imptoreis o mni
perdo I...
O infeliz fltou autd os olnos embaciados no
resto paludo de Lora, depois arate Francisco Gra-
ham, fez um derradeiro sforco para desabrochar
os labios, j braceos, e qgjlron sea conseguir
articular mais urna 6
mmmm-
FILHO

*
'"* j^B
-.......-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZYSKO9MT_E61VZB INGEST_TIME 2013-08-27T23:35:50Z PACKAGE AA00011611_10245
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES