Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10244


This item is only available as the following downloads:


Full Text
y
AMO mg HOBEBO 2M.
Por tres mezes diantados 5)000
Per tres mezes vencidos 6$u0

!
JERGA FBffii 17 DE NOMBRO; DE 1863.
Por-auno adiantado. ,
Porte- para- o subscriptor.
9J00O
3$00U
DIARIO DE PERNAMB
ENCARREGADOS DA Sl'BSCRIPgAO NO NORTE

Parahyba, o 9r. Antonio Alexrindrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Araraty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
uiazonas, o Sr. Jeron>ino da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL
Alagoas, o Sr. Claudino Falrao Dias; Bahia. o
Sr. Jos Marti Alves; Bio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins d Gasparino.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
3 Quarto ming. aos 8 m. e 26 s. da t.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e -ada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras. ,,
Santo Antao, Gravat, Rezerros, Bonito, Caruaru', Lua nova as 4 h-> 34 e i4 s- da m-
Altinho e Garanhuns as tarpu feiras. *8 Quarto cresc. aos 12 s. da m.
Pao d'AIho, Nazareth. Limoeiro, Brejo, Pesqueira, 25 Lua cheia as 5 h., 16 m. e 20 s. da ni
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratn', Cabrob,
Boa Vista, Ourirury e Exu as qnartas feiras.
Serinliaem, Rio Formoso. Tamandar, Una, Barrei-
ros. Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Bha de Fernando todas as vetes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/2 dia.
PBEAMAB DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 6 minutos da manha.
Segunda as 6 horas e 30 minutos da tarde.
PABTIDA DOS VAPORES COSTEIBOS.
Para o sol at Alagas a 5 e 25; para o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, maro., maio, jul, Mfc enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Pan o Rea fe : do Api pucos s 6 'A- 7, 7 'A, 8 e
8 >/? da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboato as 6 da m.; de Bemfiea s 8 da m.
DoRecife : para o Apipueos s 3'/- 4. 4 Vi. 4 'A,
5, 5'A, '/ e 6 da tarde; para Olinda s 7da
manhaa e 4/da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachang e Vanea s 4 A da tarde; para
Bemfiea as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TBIBUNAES DA CAPITAL
Tribunal docommerrio: segundas e quintas.
Relago: tercas c sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do coramercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: (martas e sabbadoe a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
16. Segunda. S. Gongalo do Lapos: S.Emiliano m
17. Terca. S. Gregorio Thaumaturgo b.
18. Quarta. S. ^bdun ab.; S-. Barrella m.
I!. Quinta. S. Isabel viuv. r. de Hungra.
20. Sexta. S: Flix de Valoi* i. dos trinos.
21. Sabbado. Ss. Honorio t- Heliodoro mm.
22. Domingo. S. Cecilia v. ai.; S. Filomon m.
ASSIGNA-SE
no Becife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarias Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
\
PARTE QFFICIAL.
G0YERM DA PROVINCIA.
Espediente do dia 13 de notembro de 1S63.
Offlcio .to Exm. Sr. hispo.No dia 15 do corren-
te tem de reunir-se na igreja matriz da freguezia
cipio de Recife, a fim de procedercm a eleigo de
deputados assembla legislativa provincial."
Para que pois tenlia lugar no dia seguinte a
mina solemne do Divino Espirito-Santo, conforme
o disposto no art. 72 da lei de 19 de setembro de
1846, sirva-se V. Exc. de providenciar convenien-
temente na parte que Ihe diz respeito.Recom-
mendou-se cmara municipal do Becife o cum-
primento dos arfe. 58 e 72 da supracitada lei.
Dito ao brigadeiro commandatite das armas.
Respondo o offlcio que V. Exc. me dirigi em 10
do correnle, sob n. 2.0!>7 declarando-lhe que ica
approvada a nomeago que fez o almoxarife do
hospital militar do cidado Joo Carlos dos Santos,
paraexercer interinamente as funcces de porteiro
daquelle estabelecimento que cummulativamente
serve de flel da rouparia. durante o impedimento
do respoctivo propnetario Joo Joaquim Babcllo
Pessoa.Communicou-se ao inspector da thesou-
raria de fazenda.
Dito ao mesmo. De conformidade. rom o dis-
posto no aviso do ministerio da guerra de 4 do
dens para que o soldado 5Ianoel Jos Francisco,
seja desligado do 2" batalho de infamara, visto
ter sido transferido para o 4o da inesma, e siga
para a corte na primeira opporiunidade.
como suspeito de ser desertor da armada, visto ha-
ver-se verificado da informaco dada pelo quartel
general nao pertencer elle mesma.
Dito ao Dr. Silvino Cavalcanti de Albuquerque.
Ficando inteirado pelo seu offlcio de 12 do corren-
te, sob n. 192. de ter V. S. entrado naquella data
no gozo da licenca que Ihe foi concedida, tenho a
dizer que por portara de H deste mez designei o
professor Jos Soares de Azevedo para o substituir,
em quanto durar e seu impedimento.Communi-
cou-se ao inspector da thesouraria provincial.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional de Palmares.Constando de participacao da
directora geral da secretaria de estado dos nego-
cios da instiga de 28 deoutubro prximo findo, que
por portara de 23 do mesmo mez, S. M. o Impera-
dor houve por bem privar do respectivo posto, o te-
nente-coronel commandante do batalho de infan-
taria n. 46 da guarda nacional do municipio de
Agua-Preta, Thomaz Alves Maciel : assim o com-
munico V. S. para seu conhecimento. e aim de
que o faca constar ao referido Maciel.
Dito ao juiz de paz do 1 districlo da freguezia
de Santo Antonio.Tendo de reunir-se no dia 15
do corrente, na igreja matriz da freguezia de San-
to Antonio, os eleitores das freguezias do munici-
pio do Becife, para a eleiro de deputados as-
sembla legislativa provinril : assim o declaro
Vmc. para seu conhecimento e direcgo.
Dito ao provincial do convento do Carmo Fr.
Jorge de Santa Anna Locio.Constando de aviso
do ministerio do imperio, de 5 do crrente, que S.
M. o Imperador, tendo ouvido o parecer de conse-
Iheiro procurador da corda, fazenda e soberana na-
cional, acerca do requerimento em que V. Bvma.
pedia licenca para conservar os bens que herdra
a ordem carmelitana desta capital por fallecimento
do religioso Fr. Joo de Santa Isabel Pavo, houve
de com o quadro annexoB.
! classe. 2* classe. 3' classe.
De 1 a 10 leguas 400 rs. 300 rs. 200 rs.
Carneiros, Pers
cabritos etc. ganos etc.
a 5 leguas 100 ris. 200 ris.
a 10 20 150
10 100
galinhas
etc.
160 res.
80
50
tes pregos calculados por legua, e de conformida- o nome e destino do passageiro escriptos de urna
maneira intelligivel.
MERCADOBIAS. De
Art. 26. Os transportes de mercadorias se envr- De
De 10 a 20 J00 rs. 200 rs. 180 rs. tuarao pelos trens especialmente destinados para : De 10 a 20
Art. 2. A distribuirlo dos biihetes cessar cinco este tim (pequea velocidade) e pelos de passagei-1 Art. 53. As aves serao transportadas por duzias
minutos antes da partida dos trens, e a essa hora ros (grande velocidade); e serio reguladas pelas segundo os precos fixados na mesma tarifa,
serao fechadas as portas que dao mgresso para a \ tarifas ns. 1, 2, 3 4 e cjassiflcaeo annexas. i Art. 54. Os nimaes podero ser transportados
plata-forma da estago. Tarifa n. I nos trens de passageiros. mixtos ou de mercado-
Art. i. Os passageiros nao terao entrada nos car-' Art. 27. A tarifa n. 1 comprehonde os objeelos rias, a vontade do espeditor, conforme as seguinte, I
ros seni um bilheteou paste ae circulacao em for- que noexcederem de 6 arrobas de- peso ou24 disposices; e em trens especiaes, mediante ajus-
ma, dado por nm agente da companhia ou do ge- palmos cbicos de volunte, que pagarao os preeos te previo, todas as vezes que encherem dcz carros
verno, competentemente autorisado. \ seguintes: I para a mesma destnaro
Art. 4. Os biihetes ou pastes devem ser apresen-' De 1 a 5 leguas 60 rs. por arroba. Art. 55. Os animaes vaccum e cavallar, em nu-!
tados na entrada para a plata-frma das estaques De 5 a 10, 40 rs. por dita. mero de 1 a 4, podero ser conduzidos nos irens de i
e conservados para serem entregues ou exhibidos De 10 a 20, 20 rs. por dita. passageiros, pelos precos da tarifa respectiva. Dalii'
sempre que forera exigidos pelos empregados da Art. 28. Se a remessa se compozer de varios por diante a admimstacaosobrigada aadmitti-
auministracao. volumes, o frete ser contado por um so, compre- los em trens de mercadorias ou especiaes.
Art. 5. Os biihetes para viagens de ida serao va- hendendo o peso de todos os outros. Esta conces- As expedicoes destes anmas que comprehen-
lidos nicamente no dia em que forem distribuidos; sao s ter lugar se os volumes se acharem reun*- derem cinco ou mais waggSes poderao ter- um aba-
os de tda e volta, porm, circularo em todos os dos debaixo do nome de um s destinatario. i timento de 30%.
trens dentro de 24 horas ou 48 se nellas se com- Art. 29. Toda a mercadoria expedida pelas con-; Art. 50. Os outros animaes, como porros, car-
prehender domingo, dia santiticado ou de festa na- dignes da tarifa n. 1 ser transportada nos trens de neiros, aves, etc.. poderao ser conduzidos nos trens I
conal, e serao vendidos com o abatimento de 25 %,' passageiros, e devera ser inscripta no respectivo de passaeiros, qualquer que seja o seu numero, i
al- .S a1' classe no ultimo caso ser5 vali' escriptorio meia hora antes da partida dos ditos desde que nao exceder a carga de dous waggoes; i
trens. sendo, porm, o numero superior a esta carga, se-!
Art. 30. Os objectos de um peso ou volume su- rio expedidas pelos trens de mercadorias, e tero j
periores aos tixados pela tarifa n. 1 poderao ser o abatimento de 50% sobre os preeos da respectiv
igualmente transportados pelos trens de passagei- va iarifa, todas as vezes que occcnparem cinco ou j
ros, em virtude de requisi<*o dos expcditores e pe- mais waggSes.
las condicocs da mesma tarifa, com tanto que nao Ar. 57. Os animaes de qualquer natureza que
damnifiquen! a expedico do outras mercadorias Oraran de seguir pelos trens de passageiros deve-;
de preferencia, nem retarden! a marcha dos ditos rao ser apresentados as estacoes meia hora antes j
Dito ao mesmo. -Com as inclusas copias, que i por bem mandar-me declarar que deve V. Bvma.
ine foram remettidas com aviso da reparlico da dirigir-se ao |ioder legislativo, para obter dispensa
guerra de 2i de outubro ultimo, das nforiacoes das leis d'amortisaco: oque Ihe comraunico para
ministradas pelo commandante das armas do Para seu conhecimento.
c commandante do corpo de guarnico do Amaso-1 Dito aos agentes da companhia Brasileira de pa-
nas, flca satisfeita a requisieo de V. Exc. em ofli-1 quetes vapor.Podem Vmcs. fazer seguir para
ci de ll_de novembro do auno prximo passado j os portos do norte o vapor Cruzeiro do Sul, ama-
sob n. 2177, relativamente aos assentamentos do! nha. hora indicada em seu offlcio de hoje.
soldado do 7- batalho de infamara Jos Manoel Portara.O Sr. gerente da companhia Pernam-
?'vao- I bucana de navegaco costeira, mande dar trans-
mito ao mesmo.-Com a inclusa copia do aviso porte para a capital do Cear, em lugares destina-
do ministerio da guerra de 26 de outubro ultimo, dos para passageiros de estado, no primeiro vapor
transmuto a V. Exc. para os iins convenientes o i que seguir para o norte, Manoel Pereira do Nas-
inclusu processo de conselho de guerra a que res-1 cimento, que leve baixadoservico do exercito, e
ponderara o furriel Januario da Silva Assumpco, sua mulier e um lilho menor de*4 annos.
> anspecada Antonio Lopes da Silva, e os soldados Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
Antonio Raymundo Alves Machado, Manoel Perei-1 de paquetes vapor mandem dar transporte para
la Lima, Amando da Silva, e Jos Joaquim da a provincia da Parahyba, por conta do ministerio
"s d.ms ltimos do 10" batalho de infanta- da guerra, no vapor procedente do snl, ao segundo
i outros do 2 da mesma arma estacionado cirurgio do corpo de sade do exercito, Dr.Fran-
Silva, os dous
ria, e os
ni'sta provincia. cisco de Paula Soares, que vai servir na provincia
Dito ao mesmo.-Remetta-me V. Exc. para ser do Amazonas, e a ramilla do mesmo doutor, com-
enviada a secretaria de estado dos negocios da posta de mulher e dous lilhos menores.Commu-
-.'ucrra, conforme exige o aviso de 30 de outubro nicou-se ao brigadeiro commandante das armas,
ultimo, a cerlido de assentamentos do 2o sargento Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
do 4- batalho de artilhana ap Miguel dos Santos de paquetes a vapor, mandem dar urna passagem
t.uimaraes. de proa para a provincia do Para, em lugar desti-
JJito ao mesmo.Transmuto a\,Exc. os pro-: nado para passageiro de estado, no vapor proce-
cessos do conselho de guerra das macas mencio- dente do sul. *ntonia Mara do Espirito-Santo,
n idas na*3lacao inclusa a fim delerem rumpri-; Dita.-O presidente da provincia, attendendo aO
das as Meneas nelles proferidas^pelo conselho que requerpu o senteaciado Manoel Peregrino de
supremo militar de justica. Almeida Albuquerque. resolve ronceder-lhe licen-
ito ao mesmo.Determinando o Exm. Sr. mi- ca para mandar transportar ilha de Fernando no
nistro da guerra em aviso de 5 do corrente, que primeiro navio para all seguir, o seu escravo de
seja elevado oitenta o numero de pracas que | nome Claudino. que se acha nesta cidade.
vonipoem o destacamento do 7- batalho de infan- Dita. Os Srs. agentes da companhia Brasileira
provincia das Alagas, recom- de paquetes vapor mandem dar una passagem
expedico de suas ordens neste | de r at o Cear no vapor Cruzeiro do Sul, era
dos por tres dias.
Art. 6. Os biihetes ou puta concedidos poras-
signatura, por servico do governo ou da compa-
nhia, e que do direito de circulacao em todos os
trens, nao serao transferiveis.
Art. 7. Os biihetes de periodo ou assignatura
que do ingresso nos trens ordinarios, serao regu-
lados pela tabella dos transportes communs, ten-
do-se em vista as seguintes deduccoes :
Para um mez 25 %.
Para tres mezes 40 %.
Para seis mezes 50 %.
A pessoa que comprar qualquer destes biihetes
dever assigna-lo no lugar para este fim designado;
e as pessoas que nao souberem escrever deverao
ser reconhecidas por algum empregado da com-
panhia, ou a sua identdade ser provada a conten-
to do chefe da estaco, se ella fdr duvidosa.
Nesta disposieao e as do art. 6 nao estao com-
prehendidos os scravos ou criados de urna mes-
ma pessoa, declarando esta ao tomar a assignatura,
e escrevendo-se nos biihetes quantos e quaes os
fmulos que delle se servirlo.
Art. 8. A administrarlo tem o direito de tomar
qualquer bilhete de que' trata os arts. 6 e 7 apre-
sentado por pessoa que delle se nao deva servir,
cobrando pela primeira vez a respectiva passagem,
e d'ahi por diante urna somma correspondente ao
seu duplo.
Art. 9. Os passageiros sem biihetes. portadores
de biihetes nao carimbados pela administraco, ou
que tenhara o carimbo de outro dia, salvas as dis
posices do art. 5, pagarao o prego de sua viagem,
contada do ponto de partida do trem, se pelo seu
conhecimento de bagagem nao estiver provada a
estaco de sua procedencia.
Art. 10. As enancas menores de 3 annos, que
viajaren) sempre ao eolio nada pagaram; os meno-
res de 6 annos que se accomodarem dous em cada
lugar, pagarao metade da passagem e deverao ser
acompanhados.
Art. 11. O conductor do trem examinar duran-
trens. I de sua partida.
Art. 31. Os fretes dos objectos expedidos pelas Art. 58. O expeditor que desojar effectuar o'
condieSes da tarifa n. 1 deverao ser satisfeitos no; transporte de grande numero de animaes dever
acto da inscripcao da mercadoria. previnir disso a administraco 48 horas antes da
Tarifa n. i. partida do trem que ttver de condu2i-los.
Art. 32. A tarifa n. 2 comprehende o transpor- j Art. 59. Urna passagem gratuita de ide e volta,
te dos objectos classificados no quadro annexo A, nos carros de 3* class, ser concedida ao conductor
e semelhantes, de um peso inferior a 90 arrobas. dos animaes, quando estes ceuparem cinco ou!
Art. 33. As mercadorias transportadas pelas mais waggoes; e era taes casos a sua presenca ser
condicoes da tarifa n. 2, sao divididas em quatro exigida.
classes, de conformidade cora o quadro appen- Art. 60. As aves e pequnos animas em capoei-
so I)--. ras ou cestas fechadas, poderao ser expedidas pe- '
Art. 34. Os fretes da tarifa n. 2 serao cobrados las condicoes da tarifa n. 2, 2" classe, ou de con- '
por arroba c regulados pelas seguintes bases : formidadecom a tarifa respectiva. A administra-
! classe. 2" classe. 3* classe. 4' classe. cao nao responde por expedicoes desta ordem.
De 1 a 5 leguas 45 rs. 30 rs. 15 rs. 10 rs. Art. 61. A companhia s *se responsabilisa pelo i
De 5 a 10 38 rs. 25 rs. 10 rs. 8 rs.' valor real dos animaes que se acharmonos carros'
De 10 a20. 23 rs 15 rs. Srs. 6 rs. \ apropriados, ese for provado que por culpa de
Art. 35. Os objectos da l1 classe da tarifa n 2, seus empregados foram demorados mais lempo do \
que a requisieo dos respectivos expeditores forem que o necessario, mal tratados durante a viagem j
enviados nos trens de passageiros e pelas condi- ou excedida a lotaco dos ditos carros.
Art. 62. Os fretes dos animaos serao pagos no:
acto da inscripcao, salvo se oceuparem mais deum ;
waggo e vieremeom destino ao Becife; neste caso:
ser permitldo satisfacer a importancia do trans-
porte na estaco destinataria.
niseosicoF.s GBRA8S.
Art. 63. Os objectos expedidos pelas tarifas ns.
08
tara existente na
mendo V. Exc. a
sentido.
Dito ao mesmo. Envo V. Exc. para ter o con-
veniente destino a inclusa cei lido de assentamen-
tos do eapjlao Manoel de Azevedo do Nascimento,
transiendo do batalho de infantera para o9-
da mesma arma por decreto de 19 de agosto deste
auno.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmiti por copia V. S. para seu conhecimen-
to e direceo o aviso circular do ministerio da
guerra de 31 de outubro ultimo, declarando que
nao obstante suspender-se o recrutamento durante
us periodos eleitoraes nao deve suspender-se a
gratillcaco dos reclutadores que estiverem era
exercicio.Communicou-se ao brigadeiro com-
mandante das armas.
Dito ao mesfno. Transmiti por copia V. S.
liara seu coonecimeuto e direceo o aviso da repar-
lico da guerra da 5 do corrente, approvando a
nomeaco que fiz do coronel chefe do estado-maior
roes da tarifa n. 1 pagarao 50 % mais sobre
precos desta tarifa.
Art. 36. Os objectos cujo transporte se elfectuar
pela tarifa n 2, tem direito a urna demora de 24
horas na estaco da cidade e de 6 dias as do inte-
rior, por conta e risco de quem pertencer. Findo
que seja o prazo fixado, pagarao a seguinte arma-'
zenagem por arroba : ; 2,3 e 4, serao conduzidos nos trens especiaes de raer
Pelos primeiros 10 dias 30 ris por dia. eadorias e podero ser inscriptos a todas as horas
De 10 a 30 > 50 > do expodiente das estacoes. A admnistragao s- |
De 30 a 90 100 mente por conveniencia" de servico, ou quando nao I
Decorrido este termo deverao elles ser retirados, houver um trem regular daquell natureza, pode-
e do contrario proceder aadminislrago na forma ra cxpedi-los pelos trens de passageiros ou mix-
to o trajelo, se os viajantes esto munidos de bi- dos arts. 63 e 65 do regulamonto de 26 de abril de tos.
Ihetes, se occqaem os lugares a que tem direilo, e | 1857.) Art. 64. As mercadorias que nao poderem ser
se nao excederam o ponto a que se destinavam. > Art 37. Os fretes das tres primeiras classes da misturadas com outras sem que as damnifiquen),
Art. 12. Qualquer infraego dos arts. 3. 5, 6, 7,! tarifa n. 2 sero pagos na estaco de procedencia s serao transportadas pelo fret de um waggo.
9 e 10, da direito a percepgo de um bilhete snp-1 ou destinataria. vontade do" espeditor ; os da ; Art. 65. A companhia nao responde por damno I
plernenlar. Os viajantes deverao exigir do conduc- quarta classe, porm, pagarao sempre o seu trans-' de qualquer mercadoru, se nao houver estrago ro-
tor o referido bilhete que indicar a somma perce-1 porte no acto da inscripcao. nhecido nos involucros procedente de negligencia
lugar destinado passageiro de estado, ao tenente
reformado Leocadio da Costa Weyne.
Expediente do secretario do governo.
Offlcio ao conselheiro Joslno do Nascimento Sil-
va, director peral da secretaria de estado dos ne-
gocios da justica.De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, aecuso recebida a communi-
caco que era 6 deste mez Ihe. fez V. Exc, de ter
S. M. o Imperador, por decretos de 22 e 24 do mez
lindo, nomeado para tenentes-coroneis comman-
dantes, o capito Pedro Francisco de Albuquerque
eomajor Domingos Alves Matheus, este do pri-
meiro batalho de reserva da guarda nacional do
municipio do Becife, e aquello d batalho n. 46 de
infantaria da comarca de Palmares.Fizeram-se
as necessarias communicaces.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
O Exm. Sr. presidente da provincia manda trans-
lo Francisco Joaquim Pereira Lobo, para recrula
dor nos municipios do Recife e Olinda percebendo
a gratilicagao mensal de 18U5O0.
Dito ao mesmo. Consta de aviso de 29 de ou-
tubro ultimo, que oExra. Sr. ministro da fazenda
approvra a demisso dada ao guarda da alfande-
^'a desta capital Pedro Antonio Argentino da Sil-
va. O que declaro V. S. para o seu conhecimen-
to e fim conveniente.
Dito ao mesmo. Mande V. S. indemnisar o 2
da directora geral das rendas publicas datado de
7 do corrente mez, sendo que a ordem n. 202
nao acempanhou a copia que ella se refere.
Despachos do dia 13 de novembro de 1863.
Requeiinwntos.
Antonia Mara da Conceico.Pode seguir.
Antonio de Moura Bolim!Nao veio anda or-
dem do thesouro para pagamento da divida, de
lente do corpo de engenheiros Jos Tiburcio Pe- 1ue,,rala sU|pl'Cante.
reir de Magalhes da quantia de 204 rs., que de a. V.anci*co es ?'?- -Satisfaga a exigencia
conformidade com o meu offlcio de 5 de outubro
ultimo despendeu com as mediges e exames ne-
cessarios para levantar a plaa da fortaleza de
Itamarar e do respectivo terreno de servido,
como se determnou em aviso da repartigo da
gaem de 18 de marco do anno corrente. Com-
inunjrou-se ao commandante das armas.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S. de conformi-
dade com a sua inforinago de honlem. sob. n.
854, a mandar indemnisar a caixa do 7" batalho
de. infantaria da quantia de 205 rs., despendida com
a condurco e embarque no vapor Jayuaribe, de
caixes de fardamento e bagagem de soldados e
presos que seguiram no mesmo vapor para o pre
do inspector do arsenal de marinh, constante da
copia inclusa.
Francisco Jos Baptista.Assignado, volte que-
rendo.
(mnit\!M> DAS ARMAS.
Qiiarlel general do corainando das armas de Per-
namhuro, \ i de novembro de 1863.
Ordem do dui n. 269.
O general commandante das armas, faz certo
para conhecimento dajjuarnigo, e lins convenien-
tes, que segundo constou de offlcios da presidencia i
quedevolvo cobertos com offlcio do brigadeiro; '" t,'"!^^'0 *5ff".* te00111-'
commandante das armas n. 1998 de 26 de outu-1 ^T *' qU.e na0 bs,:V"e 1Mlsl,e,,der-.sc
bro ultimo, e que vieran, annexos sua citada in- S^^n^"""L* SSsES"^ e,e,,oratesi na0 i
lormagao.-Comraunicou-seao brigadeiro comman-! dT fff^*6 a Kra,!lu;a> recitadores
Jante das armas. <"wmM qUe estiverem em exercicio e que por outro avi-,
iiim a iumuim__ManH.. v c ,;.,cio- ^..o ia so de 5 dese mez, approvou o acto da mesma pre-
o iradomrorrenTe ^Da Snde Srri ,ideneia t,nean,, ao Sr alferes reformado o'
iTrrrnrt\,/n ?. ... a s~corn exercito o toronel chefe de estado maior da guar-
m i>r franr rJL P.o.T& da ^^^ Francisro Joa,lulm Per-ira Lobo Para
rancisLo de PauL-i Soares^ que segue^. g0 (]e recrutador 'nos Inunicip0s de lin-
pro\.ncia do Para com destmorda e Recife, percebendo por este servico a gratifi-1
0 cago mental de 180*000.
Faz certo igualmente, que approvou o engaja-;
ment quo no dia 13 do corrente contrahido para
servir por mais seis anuos, nos termos do decreto
e rcgulamento do primeiro de maio de 1858, pre- '
cedendo inspeceo de sade os soldados da oitava >
companhia do stimo batalho de infantaria Fran-'
cisco Alves Cosme, e da quinta do nono batalho |
da mesma arma Bazilio Xavier de Souza, conforme
participaram os respectivos senhores commandan-
tes em offlcio da referida data sb os ns. 819 e
2021.
AssignadoSolidonio Jos Antonio Pereira do
MIJO.
ConformeJos Ignacio de Medeiros Reg Mon-
tetro, capito ajudante de ordens encarregado do
edtalhe.
seu co-
.i aviso do
ultimo me
'ficante da
Feliciano de Noronha
escripturario da alfan-
amanha para a
do Amazonas, onde vai servir por deliberaci
governo imperial. Communicou-se ao bryKeiro
commandante das armas.
Dito ao mesmo.Declaro V. P
nhecimento e tim conveniente
ministerio da fazenda de 5 de sti
foi remettida a portaria nomeando
recebedoria da corte,. Jos
Freiuis, para o lugar le 4o
dega desta capital. '
Dito ao ins|iector de V. S. asta'r na /companhia de aprendizes art-
fices o menor Amaro, como pede Carlos de Souto
Gondim, no requerimento a que se refere a sua
informagao de 30 de outubro ultimo, sob nume-
ro 405.
Dito ao capito do porto.Para cumplimento do
que determina o Exm. Sr. ministro da marinha
em aviso de l do corrente. faga V. S. organisar,
alim de ser enviado aquella secretaria de estado
com a possivel brevidade, um mappa conforme o
modello junto dos navios pertencentes praca des-
la provincia, cumprindo que na confecgo lo refe-
rido mappa se empregue rigoroso escrpulo.
Dito ao mesmo. Em avino expedido em 3 do
corrente determnou o Exm. Sr. ministrada mari-
nha que seja posto em liberdade o individuo de
nome Joaquim da Silva Res, que se. acha preso
TARIFAS E INSIRlLr.OIS
que devem regular o transporte de passageiros, ba-
gagens, mercaderas t animaes na estrada de
ferro do Recife ao S. Francisco.
TRANSPORTE DE PASSAGEIROS.
Art. 1. Os passageiros das tres classes pagaffe
do Recife para o interior, ou vico-versa, os segide>
bida.
Art. 13. E expressamente prohibido a qualquer
passageiro :
I Viajar em carro de classe superior a que des-
ignar o seu bilhete, salvo se previamente houver
pago ao conductor a differenca da passagem:
II Passar de um carro para outro estando o trem
em mnvimento;
III Viajar as varandas dos carros ou debrucar-
se (iara fra;
IV Viajar nos carros de 1* e 5* classes, sendo es-
cravo ou estando descalco;
V Entrar ou sahir diis carros com o trem em
movimento, devendo-o fazer pela plata-frma da
estaco, e porta para este fim designada;
VI Fumar as salas de espera de 1" e 2* classes
em quanto ah permanecerem senhoras :
Art. 14. A entrada dos trens interdicta :
I As pessoas que estiverem embriagadas ou in-
decentemente vestidas;
II Aos portadores de armas carregadas, mate-
rias inflaramaveis ou volumes de objectos cujo odor
possa incommodar aos passageiros.
Todo aquelle que transportar urna arma de fogo
dever apresenta-la ao chefe da estago para veri-
ficar que se acha dcscarregada.
Art. 15. Os caes em caso algum poderao ser ad-
mitidos nos carros destinados ao transporte de
passageiros. Devem ser conduzidos nos carros de
animaes e com mordagas. A companhia nao res-
ponde pelo seu transporte.
Art. 16. Todo o viajante que infringir as pre-
sentes instruccoes ficar sujeito s penas impostas
pelo art. 104 do regulamento de 26 de abril de
1857.
BAGaGENS.
Art. 170s passageiros podero transporlargratui-
tamente, e sob sua nica responsabilidade, a baga-
gem de um peso inferior a urna arroba, que possa
ser collocada por baixo do seu lugar e sem incom-
modar os demais viajantes. Esta concessao nao
se estende aos objectos preciosos.
Art. 18. Toda a bagagem que se nao achar as
condicoes do artigo precedente dever ser registra-
da, para oque ser entregue no escriptorio respec-
tivo um quarto de hora antes da partida do trem
que dever transporta-la.
Art. 19. Os volumes que forem apresentados pa-
ra serem transportadas como bagagem podero ser
recusados desde que o seu peso exceder a 6 arro-
bas, ou seu volume a 24 palmos cbicos.
Art. 20. O conhecimento de incripcao da baga-
gem vlido nicamente para o trajelo que nelle
estiver indicado.
Art. 21. Se depois da chegada do trem faltar um
ou varios volumes inscriptos no conhecimento, o
passageiro ou pessoa encarregada do receb-los
dever dirigr-so immediatamente ao chefe da es-
tago, e dar-lhe todos os signaes dos objectos ex-
traviados.
O mesmo chefe entregar ao reclamante, em tro-
ca do conhecimento, urna declarago que indique
o numero e peso dos volumes que nao poderam ser
entregues.
Art. 22. O passageiro que quizer deixar sua ba-
gagem nos armazens da companhia dever trocar
o respectivo conhecimento de expedigo por outro
de deposito, e pagar 100 rs. por volume e por
dia, devendo em todo caso retira-la no fim de um
mez.
A companhia nao responde pela bagagem que
nao for reclamada logo depois da chegada do trem
que a transportar ou que nao tiver satisfeilo as con-
diroes cima.
Art. 23. Em caso de perda de um ou mais vo-
lumes inscriptos, o passageiro tem direito de recla-
mar da administraco a semma correspondr.'nte ao
peso dos objectos perdidos e calculada razo de
500 por arroba. Este arbitramento nao se en-
trale com os objectos preciosos que se acharem/
mencionados nos conhecimentos, e que sero pago*
pelos valores declarados. y
Art. 24. A bagagem que nao reclamar um're-
messa immediata poder ser expedida como/mer-
cadoria pelos fretes e enndigoes estabelecflas para
os transitorias desta nalnrma ^T
Tarifa n. 3. i da administraco.
Art. 38. As mercadorias da natureza das que Arl. 66. Desde que um expeditor necessitar de
estao classilicadas no quadro annexo A ou seme- um waggo para carga completa de sua mercadoria,
Ihanles. u cujo peso for superior a urna ou mais dever requisila-lo com antecedencia de 24 horas,
toneladas, sero transportadas pelas condicoes da c se o pedido for de dous, Ires ou mais waggoes,
tarifa n. 3. ; ser leito 48 horas antes da espedico, para o que
Art. 39. As mercadorias tranportadas pela tari- existir emeada estaco um hvro "onde seao re-
a n. 3 se dividem em tres classes; e seus fretes ; gistradas as requisics desta natureza. O ex|>e-
serio cobrados pelas seguintes bases de accordo j dilor tica sugeilo auma multa deoSOOOporwaggo
com o respectivo quadro E :
Ia classe.
De 1 a 5 leguas 600 ris.
De 5 a 10 300
De 10 a 20 200
Art. 40. Cora excepgo do
se a mercadoria nao for remettida a estaco nodia
2J classe. 3' classe convencionadiK A importancia desta multa ser
500 ris. 250 ris. | depositada no acto da requisieo, e a administraco
200 i 180 i no dia immeliato ao Oxado para a expedigo da
150 80 | merradoria.poder dispor dos wagones. O chefe da
i objectos de pouco estago dever prevenir cora antecedencia o expe-
valor era relago ao seu peso ou volume, que pa- ditor do dia e hora em que os waggcsestaro a sua
garo sempre no acto da inscripcao, os fretes das disposico. as estages intermedias os waggdes
mercadorias tranportadas pelas ondiges da tari- sero crregados pelos' trabalhadores do expeditor
fa n. 3 sero cobrados na estago de procedencia dentro do praso que Ihe for fixado, e ficar elle su-
ou destinataria a vontade do expeditor. jeito neste oaso as penas do art. 44.
Art. 41. As mercadorias cujo transporte se effec- Art. 69- Qualquer expeditor de mercadorias de
tuar pela tarifa n. 3 tem direito a urna demora de 3 grande peso ou volume e de pouco valor poder
dias na estaco da cidade e 8 dias as do interior, effectuar o transporte dessas mercadorias por as-
lindos os quaes pagarao 200 ris por tonelada e por signatura, medanle ajuste especial esm a admi-
dia de demora. A companhia em taes casos nao nislraco, e sujeito as seguintes condicoes :
responde pelos extravos ou damnos. 1. numero de carros assignados nunca pode^
Art. 42. JSe urna mesma expedigo pela tarifa n. r exceder a 6 para cada expeditor;
3: contiver mercadorias de diversas classes, que 2.' A assignatura nao dever comprehender me-
no prefagio, cada urna de per si. a carga de um ou nos- de 3 dias otis;
mais wages, o frete total dever ser cobrado pela 3.* O expeditor nao poderiexceder, sab pretex-
laxa da classe mais elevada. ; to algum, a lotaco dos waggoes;
Art. 43. A carga e descarda dos objectos trans- < 4.a Os waggoes deverao lavar um leireiro com o
portados pelas condiges da tarifa n. 3, sero feitas seu. nome e residencia;
as estages do interior pelos expeditores. 5," O expeditor ser responsavel por toda a ava-
Art. 44. A adrainistrago poder fazer o servico ria causada nos vehculos, proveniente de negiigen-
de que trata o artigo precedente, no caso de negli- ca d seus empregados.
gencia do expeditor, cobrando deste a respectiva A administraco poder fazer. para transportes
importancia e mais uraa mulla correspondente a de seuuiliante natureza, os abatimentos que jul- j
500 res por waggo. gar conveniente at 50 % sobre os.fretes da tarifa
Art. 4o. As mercadorias transportadas pelas con- n. 1 f' classe), sem prejuizo doservico da estrada
dges da tarifa n. 3, deverao chegar ae seu dssli- e das mercadorias de prompla expedigo.
no dentro de 24 horas depois de sua expedigo, Art. 68. as estaeoes intermedias as mercado-
salvo caso de forga maior oualfluenria de merca- lias s sero recebiaas para serem transportadas
dorias cujo transporte dva effectuar-se por tarifa nos trens que all pararen. Os dias e horas da.
mais elevada. passagem dos trens sero axadas nas^Iitas esta-
Art 46. As espediges feitas pela tarifa n. 3, que goes.
comprehenderem dous ou mais waggoes tero uiu Art. 69. A administracSo nao so obriga a traas~
abatimento de 20 %. As mercadorias de 3" ca*- portar mercada*as de um peso superior a 70 ar-
se da iiiesiiyi tarifa,queoceuparera mais de 5 wag-' robas, ou que exijam a consecvafo de umoumak
goes poderao ter um abatimento at 50% wagns sobre a linha principal, as estages onde
Tarifa n. 4. I nao existir linha de desvio.
,,., ., Art. 70. 0 transporta de objectos que reslamam
Art. 47. A tarifa n. 4 se apphca aos transportes 0 empreg0. de ura mateElai special nao -obriga-
dos carros de passeio, carrogas e outros vehculos lor0 r
semelhantes, t pagarao por pega os- seguintes pre-
cos : Art. TI. O transporte de materiaes jitlamma-
Carros de Carrogas de veis, taes como plmosphoros, liquidas alcoolicos,
2 rodas. 4 rodas. 2 rodas. 4 rodas aguavdentes, esseocias e outras materkus perigosas
De 1 5 leguas 25000 35000 15000 15500 ou d volumes, cujo involucro possa. occasionar
De 5 a 10 15000 IfiOOO 5800 15000 incendio, nao podero ter lugar peto trens de
De 10 a 20 5500 5750 5401 5500 passageiros. Essas substancias deverao ser acon-
Estes precos comprehendem a carga e descarga dieionad s era barris ou caixoes de madeira com-
dos objectos Rio sincnte na estaco do Recife; as potentemente fechados, e sero expedidos pelos
estages do interior aquelle servico ser feiio pe~ trens de rueccadorias em carros especiaes, coitos-
Ios agentes dos espeditores. I cados na frente do ultimo carro- do freios.
Art. 48. Jhs expeditores dos carros ou carrosas I Art. 72. O transporte de plvora, agua-raa, vi-
devero apresenta-las na estaeo da procedencia trilo ou outras substancias de grande pertge, s
pelo menos duas horas antes da partida do trem se poder effectuar por conta do governo, ou quan
peto qual ilesejam fazer a remessa.
Art. 49C Os vehculos transportados nao podero
co'ater bagagem ou quaesquer outros objectos alm
dos qu/|hes pertencerem.
Ar50. Os fretes da tarifa n. 4 sero cobrados
no ac/j da inscripcao.
51. Os transportes da tarifa n. 4, podero
'fe i los por convenio quando a expedigo rom-
hender mais de tres waggoes, e tero um abali-
mto at 30 % sobre os respectivos fretes.
Tarifa n. 5.
rt. 52. A tarifa n. 5 regula o transporte de ani-
do esses artigos forem destinados eonstruceno da
estrado de ferro.
Os transportes de seiuelhante natureza deverao
satisfazer as seguintes condieoes : '
!_O remetiente dar conhecimento adminis-
traco das substancias que remelle, com antece-
dencia de 24 horas.
2* Os barris ou caixoes emqno se acharem essas
substancias sero recolhidos aos carros especiaes.
quando nao existirem na estago locomotivas em
servico.
3* Ura conductor ou viga, acompauhar a ex-
Art. 25. Os volumes de baga-
rao conter
maes por legua e pelos preeos estabelecidos no pedico, e dever assistir a carga e descarga den
quadro annexo G de conformidade com as seguln- tro das horas que Ihe forem marcadas pelo chefe
i da estaco.
Bois e Porros e | Art, 73. Em relago ao volume, a carga dos
vitellos. bezerros.' waggoes nao poder exceder as seguintes diraen-
250 ris. 200 ris. ses :
ISO 40 Largura lt palmos altura cima do nivel dos
80 30 I trilhos 15 palmos.
tes bases :
Ca vallse
burros.
De i a 5 leguas 809 ris.
De S a 10 200
De 10 a 20 100

Art. 74. O chefe da estago dever dar aviso ao
destinatario \ chegada da mercadoria e do tempo
que pode ficar nos armazens da companhia sem re-
tribuigo algcma, sempre que este tirar a su.vre-
sidencia na cidade ou as proximidades das esta-
ges do interior, e quando o seu nome e domicilio
se acharem inscriptos as guias. Se, porm. mo-
rar distancia, poder laze-lo se algum dos inte-
ressados o exigir, depois de satisfeita a laxa de
15 |>or legua ou fraeco de legua.
Art. 75. Os saecos" vasios, ancoras ou barris e
outros involucros que tenham servido ao transpor-
te de gneros pela estrada de ferro, o que em aso
de duvida sera atiestado pelo chefe da estago, se-
ro conduzidos gratuitamente.
Art. 76. Toda a inscripcao de mercadorias, bi-
gagens, dinheiro, joias, anmaes. etc., feita me-
diante um conhecimento dado ao expedictor, que
ser exigido no acto da entrega dos objectos. Urna
taxa addicional de 40 rs> ser pereebida polo co-
nhecimento d inscripcao.
No caso de perda do conhecimento, o recebedor.
depois de justificada a sua identdade, poder pas-
sar um recil, em vista do qual Ihe ser-entregue
mercadoria.
Arl. 77. Todo o volume, qualquer que seja a na-
tureza do transporte,' dever conter uia .endertsgo
bem intelligivel.
Art. 78. Osobjeetos que nao se acharem suffi-
cientemente acondicionados, podero ser recusa-
dos, ou transportados sem responsabilidade da
companhia, com tanto que nao daraniflquem as de
mais mercadorias.
Art. 79i Toda omisso ou falsa declarago su-
geitao expeditor a urna multa e s penas impostas
pelo reg. de 26 de abril de 1857.
Art. 80. A adrainistrago tem o direito de abrir
os voluntes todas as vezes que tiver motivo para
suspeitar que se faz urna falsa declarago do seu
contedo. Em taes casos o expedictor ser obriga-
do a pagar frete duplo dos objectos nao manifesta-
dos. Se, porm, esses objectos pertencerem na-
tureza dos que sao mencionados nos arts. 71 e 72,
o expedidor lica sugeito mulla dj 505 1005.
Arl. 81. A,administraco poder fazer adianta-
menlos aos cargueiros dos generes transportados
do interior, com. tanto que o valer da mercadoria
exceda o duplo da somma adiantada. Todooadian-
tamento dever ter lugar mediante recibo do re-
metiente, e em caso algum poder ser garantido
por mercadorias sugeitas deteriorago.
Art. 82. Quando a mercadoria for recusada pelo
destinatario, ou quando fr este desconhecido, os.
artigos sugeitos a se deterioraren! ou corrupgo
pedem ser vendidos por conta e risco de quem
pertencer. e nos termos do citado regulamento de
26 de abril de 18S7. Fica entendido que toda a
mercadoria recambiada, e que nao se achar as
condiges cima, sera sujeitaao frete.
Art. 83. Todo o transporte que necessitar de um
ou varios waggoes pagar a sarga nteira do5. que
forem empregados, qualquer que seja o.peso da
expedigo, tendo-se em vista as redueges inhe-
rentes classe das mercadorias e numero dos
waggoes. Quando a expedirao for de peso menor
de 10 toneladas, e que por seu volume nucessitc
doempregode dous waggoes, o seu frete sera co-
brado por 10 tonelados.
Art. 8i. A companhia nao responde por esgoto
de lquidos, ou diminuigo de peso dos objectos
conduzidos frete, salvo o caso de provada negli-
gencia.
Nao responsavel igualmente por outras ava-
rias. desde que nao foram autenticadas pelo chefe
da estaco antes de retirados os cujelos, nem
quando'o involucros nao apresentarein signar?
exteriores de deterioradlo.
Art. 85. Os expediciores deverao declarar se
suas mercadorias sofrageis. ou se devem ser pre-
servadas da htimidado; era falta do que a compa-
nhia n> responde par avaria deste .especie.
ArL 86. Os objectos preciosos aes como joias,
dinhetros, metaes, ect., sero admittidos frete.
pagando o expedictor, alera daquelle, 1|80|0. ad*
ralorcm. A compifhia respcnsavel neste caso
pelos valores declarados.
Art. 87. Nenhuin transporte se effectuar por
frete menor de 500ts. para urna distancia de 1.1
10 leguas, e de 80 rs. para a de 10 a 20.
Art. 88. A responsabilidade da companhia ,ces-
sa com o acto da-entrega dos objectos aos destina-
tarios ou sous delegados, salvos os casos especifi-
cados as presentes iustruecoes. e para os quaes
esta responsa'sdidade est definida.
Arl. 98. J. caso de perda ou damno da-mer-
cadoria a cumpanhia responsavel r.oicamento
pelo valor renl.e immediato dos volumes extravia'
dos, e nao pelos lucros que desuaentregaeram es-
perados, e assim mesmo s quando na forma des-
le regularsantoc leis do pa tiver o espedictor di-
reito a esta, garanta.
No caso.de- nao ter o expedictor declarad na
occasio daiBscripgo ?. qualidade da-morcauoria.
a admiiv>ti :v;ao s est- obrigada pela peadaou
daniuo na razo de 25 js. por arroba, para o> trans-
portes das tarifas ns. I e 2.
Art. 90. Toda a reolamaco tcndjl. por objecto
una M\;i indevidamcote ptrcebueCperda ou ava-
ria deve ser inmediatamente dujRda ao chefe da
estaca. Da deciso do dito chefe pqderi o recla-
mante appellar .-ara a administraco dentro de
prazo deoitodias, fiados os Vacs nao poder ser
ai'.endido.
Art. 91. O transporte das malas do eorreio, seus
agentes, e dinheiros do thesouro nacional ou pro
vuneial, ser feit .gratuitamente por cont e risco,
do proprio ge ver no. As demais mercadorias tesao
o abatllenlo consignado uys contratos da com-
panhia.
Art. 92. Sob a requsigo de qualquer pessoa. a
adrainistrago. sem prejuizo. do servico da estrada
de ferro. Rodera expedir trens especiaes de passa
geiros paca qualquer das estacoes da mesma. es-
trada. A taxa destes trens ser calculada razo
de 25500 por milha percorrida, rebocando.a loco-
motiva um s carro de 1* classe com o competente
carro de freios.
Os de mais carros que corapozerem o trem, sero
pagos pelas suas respectivas lotacoes comoabati-
mesto de 50 0ri>. A demora destes trens as esta-
ges de procedencia ou destinataria ser contada
a Bazo de 4 railhas por cada hora ijua estiver em
>apor a lecomotiva.
A importancia dos ditos trens ser depositada no
acto ca retyiisigo.
Art. 93 A administraco pdela, conceder re-
dueges waipres que as ulorisadas pelo presenie
regulamento em circumstancias excepcionaes^o
para os casos de grandes transportes.
Art. 94. A administraco poder formar taens
de xecurgo para o transporte do passageiros, os
quaes pagarao neste caso a nportancia de- ama
viagem simples, que Ihes. dar direito ida e
volta.
Ajjl- 9& Os transportes, a que se refere os arts.
93 e% s, sero perinitladps mediante provio con-
seuso do presidente da. provincia.
Art. 96. A adrainistrago poder transportar por
convenio as mercaderas que nao se acharem in-
cluidas na elassillcacao annexa, ou qjie nao forem,
de natureza semeJhauto, devendo classiflca-las logo
depois, ouvindoearaisto o engenueiro fiscal do go-
verna .._ .
Art. 97. 0% empregados da companhia deverao
ministrar aos. exiedctores todas as informages
necessarias inteflgencia e cumpriuiento das
presentes, instruegbes.
Art. 90: Os agentes da companhia nao poderao
exigir eutros fretes ou retribuiges de q/ialquer na-
turia, que n5o se ade especificadas neste regu-
lameto. e. de accordo.com as tantu aunesas.

V\
-
MUTILADO
-*h


V
Dlarlo de Peraambueo Tei*<* felra 19 de \ovembro de 18*3.
r VI"

2a das. 2a ur.
3- dita idem
2* dita idem
idem idem
idem idem
:) diu idem
i* dita idem
3a diu dem
2' diu idem
dem idem
idem idem
3a diu idem
2* diu idem
V diu dem
2a diu idem
idem idem
:t diu idem
2a diu idem
idem idem
;$ dito dem
don idem
2a dita idem
27 de outnbroJe 1863.Asignados.) Manoel^
Ilumine de Matea, engenheiro fiscal. Ricardo
Austiu, superintendente interino.
Approvo provisoriamente. Palacio do governo
ile l'ernainbuco, 10 de novembro de 1863. Joao
SitVftra de Souza.
Uassiliyro das merradorias, eni ordem alpha-
bftica.
Abanos de pennas ou ventarolas
Abanos de palha
Abelhas.
Acafales e semelhantes.
Agafroa.
Aro.
Aduelas.
Agurdente da paiz.
Agoa de llor de laianja.
Agulhas.
Alabastro.
Alambiques de cobre e perlences
Alcatifas.
Alcatrao, pixe, etc.
Alfazema.
Alfinetes.
Algodao.
Albos.
Amendoas.
Amendoiu.
Angico (resea).
Ail.
Arados e instrumentos semelhantes
de utilidade a lavoura.
rame de cobre e lati.
rame de zinco de ferro.
Araron.
Arcos do ferro ou madeira.
Arenles.
Ardozia em ladrlhos oh bruta.
Areia para moldar.
Areia.
Arjila.
Armamento.
Arroz.
Artigos de folha de Sandros.
Artigo* d Arvores e arbustos vivos.
Asphalto,
Assucar.
Azeite doce em barris ou caixas.
Azcite de peixe.
Azeitd de mamona t qualquer ou-
tra qualidade
Azulejo,
m
Baealhao.
Bacas de rame.
liarias de cobre.
BalaMMila lati eu outro metal se-
nielbantc.
Balde de Ierro eu madeira.
Baleiras.
Bambinellas.
Bamb.
Bancos de ferro-
Baudeijas.
Banba de porto.
Banheiras.
Barbante.
Barbajanas do Baieia.
Barro para looca ordinario.
Mulatas alimenticias.
Baonilba.
Bebidas esperituosas.
Bengalas.
Benjoin.
Bigortan,
Biscoulos em latas.
Bolacha ordinaria.
Bolsas de viageiu,
Bolos de qualquer qualidade,
Bombas de ferro e outras.
Borracha bruto.
Borracha trabalhada.
Botijas vasias.
Boles.
Breo,
Bronze em objectos de arte.
Burras de ferro.
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
dem
idem
3* diu idem
2* cas. 2' Ur.
idem idem
dem
2' dito
3" diu
idem
2a diU
4* dia
2-diU
3* diU
idem
4a diU
8" diu
V1 diu
dem
3- diU
4" diU
2 diu
3a dita
idem
2a dita
idem
4a diU
3a diU
2a diU
3a dita
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
3a dito
2* diU
idem
idem
idem
idem
idem
idoni
idem
idem
idem
idem idem
4' diU dem
3 das. 2a ur. !
dita
dita
idem
3a dito
2* (tila
idem
4* dita
2a dita
idem
& dita
2* diU
dem
idem
3a diu 3
idem 2a dita
2a diu idem
idem
idem
-idem
idem
idem
idem
idem
dem
idem
idem
Idem
idem
idem
idem
diu
Especiaras nao denominadas idem
Espingardas idem
Esponjas idem
Espellios em moldura Ia dito
Diios encaixotodos 2* dito
Estompas encaixotodas idem
Ditas em moldura 1* dito
Estanto bruto 4a diu
Dito fabricado 3a diu
Esleirs da IndU 2* diU
Ditas de penperi )
Ditas de carnauba)
Estopa da trra 4* dito
Eslrume at 70 arrobas idem
Mais de 70 arrobas 3" dito
F
Varinlia de araruto)
Dito de mandioca i
Dito de iiiillio i
Dita de trigo e outras nutritivas)
Farello)
Favas )
Fazendas de qualquer qualidade
Feijio ecco ou verde
Feohaduras, dobradicas e ferragens
miudas semelhantes
Fcltro
Ferragens ordinarias nao denomi-
nadas
Ferros de engommar
Ferro em barra ou folha
Fios de linho, seda, lia e algodao
Filas de qualquer qualidade
Flores artificiaos
DiUs e fainas inedicinaes
Fogareiros
Formas para assucar
Fornos econmicos
Formas diversas
Fauces
Fructos confeitadas e seccas
Ditas frescas
Fumo do paiz em rolos ou folha
Gaiolas
flalian
Carrafas
Garrafes
Gelatina
Oenebra
Giges c cascos vasios
Jengibre
Gomosa arbica
Dita do paiz
Grelhas de ferro
Guano
Guaran
idem
idem
3a dito
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
4' diu
2a diU
3a dito
2a diu
idem
3- dita
idem
2a diU
3a diu
2* -diU
V dita
* dita
idem
idem
idem
idem
i ile ni
idem
idem
dem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem 2-
4a diu
2a dito
3' dito
dita
dito
dila

Cabida de ferro. fr das. 2a tar.
Cacao. 3* dita idem
Cal monillo. .2" -dita idem
Cale en gris. -3* dita idem
Caibros. .2* dita 3a dito
Caixas de rap. idem 2a dito
Caixas vasias de madeiras 00 olbia idem idem
Caixocs com chapeos. '1* dila idem
Cal branca do paiz. 4a dita idem
Cal de Lisboa. 2" dita idem
i "al preta al 70 (S. 4* dito idem
Mais du 70 de. .> diU 3a dila
Calcado. 2a diU 2a dila
C.ililciraiia. idem idem
Camas de (erre, idem idem
Camas de lona. 3a dila dem
Cnmphora. .2" dila idem
Candieiros sollos. Ia dila idem
Cadieiros encaixotados. dija idem
Canela. idem idem
Cangaihas e perlences. V dito idem
Canos de barro. 3" dila idem
Cuinos de cobro. .2* dito idem
Canos de ferro chumbo ou zinco. .4a dita idem
Capachos. 2a dita idem
Capia*. A'.dila idem
Carnauba em rama. 3a dita idem
Carta secca ou verda. idem idem
Carros de mao. -4a di|a idem
Carro* de passeio desmontador 2a dita idem
Carrafas desmoniadas. 4* dila idem
Cartas pera Jaor. 2a dita idem
Cartejras de algibeira. idem idem
Carvo animal, mineral ou vegeto i
at 70$. i.dita
Mais de 70 al. 3" dito
laucas dearvoree para atanar cou-
res,
Cassuas vasios.
Castanhas de Europa.
< '.astanhas do paiz-
Cera branca.
Cera amaratta.
Cera m vetas.
Cerraja em garrafas barris ou en-
laixotada. idem
Cha. idem
Chapas de Cogi. 4a dita
Cbaposde sol. 2 dita
Chapeleria (artigos de). idem
Charutos. idem
Cnifres brutos. -\- dita
Cifres irabalhado diU
Chocolate. N idem
Chombo em barras ou lencOe*. i* dito
Cliiuiibo traba I hado. v 3a dito
lChumbo de muirn. 2' dito
Cigarros. idem
Cimento. 4a dito
Cobre em barras. idem
Cobre ern folhas. Ia dito
Cobre trabalhado. 2a dita
Conteos seceos ou verdes. 3a dito
Coclionilha. 2' dito
Cok*. 4a dita
Colla forte. 2a dita
Colla de peixe. idem
Colxoes e perlences de cama. 2* dito
ConfeiUria (artigos de). idem
Conservas era latas ou em vidors
i'iiraixoiados. idem
Cerdas de instrumentos. idem
lardas de linho. idem
Cordasde imbira :* dita
Cardas de piassava. idem
'.orientes de lati ou cobre. 2* dito
Correles de ferro. i" dita
Cortica bruto. 3a dito
Coi tica em rdhas. j diu
Coaros seceos ou verdes. 3" dito
Courds traoalhaos. 2* dita
Coxitis. 2" diU
Crivos de ferro. 4" dito
Crina. 2 dita
Ci. 4a uito
Cnsues. i dila
Cutilaria (artigos de). 2 dito
Cyhndros. 4> dito
Limas de ae
Lngiiica> do paiz.
idem
a dita
dita
idom
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
sdem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
dem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
dem
i di-m
idem i
idem 1
idem;
idem !
idem i
idem i
idem |
idem'
idem
idem
idem
idem
idem
idem
D
Diamante
Dinheiro \ /. ad valorem idem idem
Doces de Europa 2- dita idem
Ditos de paiz ,> dito dem
Kixos demonstrados 2* das. 2" tar.
Elsticos (mollas para movis)
Encerados para tapetes
Ditos ordinarios
Enxadas
Enxofre
Equipninento militar
Herva mate
Hervilbas
Escarradeiras de mola I
Escoras
idem
idem
3- dita
4a diu
2* diu
dem
* dito
idem
dita
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
Imprcssos
Inhames e outras raizes seinelhanles
Instrumentos de medicina, oirorgia,
engenberia e semelhantes
Instrumentos de msica, eptica e
semelhantes
J
Jardineiras
Joias % /o ad valarem.
Jogos e damas, xadrez, gamao.
Junco. -
I-
L5a bruta.
Lajedo.
Lamparillas.
Lampioes.
Lallo em obras nao classiucado.
Lavatorios de ferro.
Legumes em conservas.
Ditos frescos.
Leite em flandres ou em garrafas.
Lenha em feixes at 70 arrobas.
Mais de 70 arrobas lenfia em toros.
Licores.
ac.
sdo .
Lingua's salgadas.
Lialias para costura,
vros.
Lembo de porco salgado.
Looea de barro do paiz.
Lenca fina.
Lousa.
Dito em molduras.
lavas de qualquer qualidade.
Macarrao e outras messas alimen-
ticias
Machinas de copiar cartas.
Ditos de costura.
D i tas di versas al 10 arrobas de peso.
lulas grandes pesando mais de 70
arrobas.
Madeiras de construrao como al-
mescar, amarello, angelin, amar-
goso, guararoba, gulandin, lou-
ro, mai;araiuluba. oilicica, pao
santo, spucaia, sicu|>ira e outras.
Madeiras preciosascomoangico,cun-
dur, goncalo alves. jacarando,
jaaneira, milo de amora, pao de
ol-o, pao setim, pitia marta, raz
de amarello, violeto e outras.
Madeira em tabeados Madi ira para tinturam.
Mad repella.
Malas de viagem vasisw.
Mamona em caroca
Mznteiga.
Marta.
Marmore.
Medidas diversas.
M!.
Dito de abelhas.
Meiaco.
Meialavrado.
Milbo.
Mol.ilias.
Modelos.
Moer.dasde engenhos at ~b arrobas.
Diu mais de Ti.i arrobas.
Ms para nioinlios e roblos.
Muinhos.
N'ozes.
Nosmos-ada-.
O
Objectos preciosos de arte.
Ditos lu\o, de ferro, cobro bronze
ou qualquer qualidade.
Ditos de grande responsabilidade ou
perigo.
Ditos manefacturados nao denomi-
nados.
Obras de caiiellereiro.
Ditos de marcenara e carpintaria
desmontadas.
leos de qualquer qualidaiie.
Oleados.
saos.
Ostras.
Ouro bruto ou em obras '/% aa
valarem.
Ovas do serjau.
P
Palos.
I'alha.
Panellas de barro do paiz.
DiUs de cobre.
Ditas de ferro.
Panno de qualquer qualidade.
Papel de qualquer qualidade.
Parafusos de casquinhas
Ditos de lati dourados.
Ditos de ferro.
Ps de qualquer qualidade.
Pastas de papel, papelao etc.
Pavios de algodao.
Pcdra de aliar.
Dita de amolar.
Diu de calcara.
Dita de calcamenlo.
Dito de cantara at 70 arroba.
Dito de lilhographia.
Dito de porcellana para cscrever.
Peixes seceos, salgados ou frescos.
Pellos brutas.
Ditas envernisadas, preparadas ete.
Pndulas para relogio.
Peneiras de rame ou tela metollica,
cabello da sda-
Ditos de palha do paiz.
Pennas de ac e de aves para es-
rever.
Pennas de ouro i|8 0|o ad valo-
rem.
Pennas para enchimento.
Pentes.
Perfumaras.
Pesos de latSo para balanzas.
Ditos dito de dito de ferro.
Petrechos de caca.
Pianos.
Picaretos.
Pinceis.
Pipas vasias.
4a dito idem
idem idem
idem idem
2a diU idem
idem idem
idem idem
dem idem
4a diU idem
idem dem
2a diu idem
idem idem
f diu idem
2a diU idem
3" dito idem
idem idem
2- das. 2a lar.
31 diU idem
2a diU idem
idem idem
idem idem
idem idem
4a dita idem
2a diu idem
idem idem
3a diU idem
4a diU idem
3a diU 3a diU
idem za dita
2a das. 2a ur.
3' diU idem
2" dito idem
Ia dito idem
2" das. 2a tar.
Ia cas. 2a tar.
2a dito idem
idem idem
3a das. 2" tar.
4a dito idem
2a diu idem
idem idem
idem idem
idem idem
idem idem
3a diu idem
idem idem
4* diU idem
3a dito 3a dita
2a dito 2a dita
idem idem
3a dito idem
idem idem
2* dito idem
idem idem
3a dito idem
idem idem
Ia dito dem
4a dito idem
2a dito idem
idem idem
2a das. 2a lar.
idem dem
idem i de m
4> dito idem
Plvora e artigos inflammaveis. 1* dito idem
Porcellana. idem idem
Piala piula ou em obras < 1(8 0(0
ad volorem. idem idem
PraU ingleza nao elassifleada. 2a diu idem
Pregos de cobre. idem idem
Ditos de ferro. 4a diU idem
Prelos. idem idem
Prensas. idem idem
Presuntos. 2a diU idem
Productos chimicos, preparagoes
pharmaceuticas, e medicamentos
em geral. idem idem
Quadros.
Queijos.
Ouinquilharias.
R
Bapaduras.
Bap.
Bdes.
Belogios (artigos de.)
Bendas.
Bcsina do piiz.
Betratos.
Betroz.
Hipas.
Bodas para carro de passeio. 2*
Ditas de carrocas. 4* diu
Boupas. diU
Bodas de machinas. i dito
H
: Sabio ordinario. :p das.
Sabonetas. dita
Saca-rlhas. dem
Saceos de qualquer qualidade do paiz 3* dita
Sag. idem
Salames. 2 ciU
Sal ordinario. 4a diu
Sal refinado. 2* diu
Sebo. 3a diU
Sedas. 2a dita
Sdlins e arrotos. idem
Sedientes diversas. idem
Sims. idem
Sola da tena. 3a
SovelU e instrumentos de sanateiro. 2'
T '
Tamancos. 3 cas.
Tapioca. 3a dito
Tapetes. 2a diU
Taxas de cobre idem
', Ditas de ferro e zince. 4 dita
iTecidos. 2 diU
Tenas metlicas. dem
i Tellias de vidros. dem
: Telhas de barro at 70 arrobas. 4a diu
i Telhas de barro mais de 70 arrobas. 3* diu 3
Ao favor de nm raigo devemos o segnintc ex- Dr. Jos dos Anjos Oo
tracto do artigotarifasdo relalorio aun jal apre- Dr. Rulino Coelho 6*
senUdo pelo engenheiro flseal o Sr. Dr. Buarque Manoel de Carvalho w
de Macedo ao governo, no qual se leem os pode- Dr. Maximiano W
rosos motivos que leve aquello engenheiro para Dr. Augusto C. M. da Silva Sanios
propor modificaoes no antgo projecto de urifas Dr. Antonio Justino de Souza **
por elle confeccionado e mandado adoptar pelo Dr. P. S. Meodes Lins 40
mesmo governo. Dr. Joao Maria S*v 37
Tarifas. Dr.Cabral 37
0 projecto de tarifas que confeccione! de accor- Dr. Jorge Dornellas Bibciro Pessa 33
do com a adminislracao desto estrada de ferro, Dr. Manoel Joaquim Slvcira 30
teudo side posto era execu^o por ordem do pre- Dr. Affonso de Albuquerque Mello 23
sidente desto provincia, revelou na praU.-a irregu- Dr. Jos L. Pereira da Silva 20
laridades quedeviam ser quanto antes removidas. Commendador Antonio Joaquim de Mello l'
Como j tive a honra de informar a V. Exc, as Dr. Leandro Franeisco Borgcs i
disposicdes regulamenUres do referido projecto Dr. Joaquim de Olivdra e Souza
salisllzeram em geral as necesidades e condi^oes Dr. Manoel Jos Pereira de Mello
dos transportes desta estrada ; as bases, porm, Manoel de Carvalho Soares Brandao
das tarifas e a maneira porque foram estas calcu- Dr. Luiz de Carvalho Paes de Andrad_,/
i ladas, evigiam seria reconsideraejao. A concurren- Dr. Joao Jos Pinto Jnior
idem cia estabe,ecil,a pela navegacao e pelas estradas de Dr. Jos Roberto de Moraes e Silva
idem i rodagem adquiri sensivel superioridade sobre os Dr. Manoel do N. Machado Porlella
idem |nossos transportes de mercadorias que nao recia-1 frijutulo districto.
idem' mam PromP,a expedicio ; os objectos de conside- VoUcao dos collegios reunidos de Nazareth e
i' Ala dem r |)eso ou voluMe e pequeo valor, estavam cal- Olinda.
i a ta idem culados Pr ura:i "ase excessiva, e por este facto Dr. Jos Ignacio
i Hii V diu eram c0111P|eUmente excluidos do nosso trafego. Deao Farias
Hita dita. Alem "'ss0 calculo das urifas, que foi exclusi- Dr. Soulo Lima
Ia das. 2- ur.
2a dita idem
i- diu dem
3a cas. 2a ur.
i- diU idem
idem
Ia diu
2a dita
2a ur.
idem
idem
idem
idem
dita
diu
Tijollos de limpar facas.
; Tijollos de barro at 70 arrobas.
Mais de 70 arrobas.
: Tinas.
TinUs de qualquer qualidade.
Torneiras.
Toucados para senhoras.
| Toucinho.
Trem de rozinha de meul estanha-
do ou esmaltado.
Trincos de metal.
Tvpos.
V
Unhas de boi.
l'ruc.
l'lencilios de luxo nao classifcados.
idem Xamente contiado aos agentes da companhia, con- Vigario Jeronyrao Pacheco
idem tinna erros ari,nmetics, alm de nao ser propor- Dr. Araujo Barros
idem Cl ^ mstanc,as dis diversas estacos, que fo- Dr. Cesar Octoviano
rammaisou menos alteradas na cnclusao da' Jos Antonio da Silva e Mello
parte da estrada contratada, Dr. Armino C. Tavares dos Santos
Em presenca de too serios inconvenientes, uns ; Dr. Queiroz Fonscc
que s a pratica pedera denunciar, e outros que Engenheiro Mamede.
me fazem lamentar ter confiado mesmo o trabalhe, Dr. Luiz Goncalves.
material das tarifas aos agentes da companhia.que Dr. Joao Honorio.
procederam na sua confeecao com tonto deleixo,', Dr. Gervasio Campello.
dem 0 recurso que me reslava era o de urna atiento re- Dr. Nabor Carne no.
1 j vi sao do projecto, modifioando-o igualmente na' Dr. Domingos Soriano.
parte em que a experiencia assim o aconselliasse. Dr Amaral e Mello.
Tenho, portanlo, a honra de offerecer aprecia- j Vigario Guimares.
cao de V. Exc. o projecto de regulamento e tarifa Dr. Manoel Hemeterio.
que aqui vai annexo sob o n, e que dever ser Dr. Maximiano Machado.
considerado como urna modiflcacao ao que foi Dr. Tavora.
mandado adoptar nesto estrada de ferro. E' mu Dr. Cesario de Azevedo.
trabalbo mais correlo, e que encerra os dados
que a experiencia lera aconselhade para a orga-
nisaciii de tarifas que devem favorecer e desenvol-
ver o trafego da diu estrada.
Guiado pelo peusamento de avanujar quanto
possivei fossea estrada de ferro sbreos meios
idem j de transporte que Ihe fazem concurrencia, procu-
idem re, de accordo coma companhia, eslabelccer para | e S. Anlao :
idem as mercadorias lases mais libereVs que as da ve- Dr. Jos Maria de Albuquerque Gama,
idem \ llia tarifa, tendu principalmente por norma a na- Jos Joaquim do Bego Barros
idem tureza, valor e quantidade do objecto transportado, '
idem e a distancia percorrida.
1 dito Para chegar a este resultado por meios rogula-
idera
idem
idem
idem
idem
idem
idem
idem
2a tar.
idem i
idem
87
81
77
78
71
88
83
02
tt
SI
49
'.8
43
3
38
38
54
33
26
18
17
11
11
7
1
1
2a diU 2* ilita res, duas condieoes roe parecerara essenciaes :
4" diU idem [ urna classificacao mais ou meuos completa das
3a diu 3a diu mercadorias offerecidas a transiiorte, e urna rela-
idem 2* dito, gao tal, entre as bases das Urifas e as distancias a
2* dito idem que fossem estos appladas, que a raercadoria que
idem dem j tivesse de percorrer mator trajecto e em maior
Ia dito dem, quantidade pagasse, dentro de certos limites, rae-
3a dito idem: or frete por unidade de trafego.
Urna grande dassi/icacao das mercadorias se
idem | acha mais ou menos estabelecida nos regulamen-
2" dito
idem
idem
Dr. Maximiano Munlarrovos.
Dr. Borges da Fonseca.
Dr. Jos Bonifacio.
Dr. Marinho.
Dr. Baudeira.
Terceiiu districto.
Votacao dos collegios reunidos do Cabo, Escada
119
104
98
97
93
78
76
69
Pelo Dr. Sarment as 7 1/2, 8, 8, 8 10, 8, 7
Pelo Dr. Pereira do Carmo s 6 1|4, 3 3(4 da
tarde.
Fallecern! :
Camarina Maria do Bosario, no dia 9 do crrante
paral ysia.
Balbina Maria da Conceisao, dia 11 idero, dyar-
rha.
Jos Flix da Silva Barrete, dia 13, tubrculos pul-
monares.
Antonio Jorge da Conceirao, dia 13 ; anemia
Pedro Francisco Inojosa, da 14, catharro chro-
Felix da Costa Coutinho, dia lo, hydro pericar-
dite. ,
Mevimento da casa de detencao do dia 14 de
novembro de 1863 :
Existiam .
Entraran*.. .
Sahiram .
338 presos.
8 >
12 >
Existem .... 348
A saber :
Naeionaes. .
Estrangeiros
Mulhercs .
Estrangeiras
Esclavos .
Escravas .
246 presos.
24 >
11 >
3 >
60
I
348
- Alimentados custa dos cofres pblicos
Dia 13 de novembro.
. Exisliam. ... 348 presos
Entraram ... 2
Sahiram. ... 3
I4ij
Existem. ... 347
A saber:
Naeionaes. .
Estrangeiros .
Mulheres .
Estrangeiras .
Escravos .
Escraras .
247
24
9
3
60
I
347
Dr. Francisco Amintos de Carvalho Moura.
Dr. Cicero Odn Peregrino da Silva.
Dr. Manoel Xetto de Souza Bandeira.
Dr. Henrique do Bego Barros.
Dr. Francisco Augusto da Costa.
Dr. Antonio Rogerio Freir de Carvalho.
Dr. Jos Candido Dias.
Jos Antonio Lopes.
Dr. Pedro Bezerra Pereira de Araujo Beltrao.
Dr. Avies de Albuquerque Gama.
Dr. Jos Paulino da Cmara.
Dr. Joao da Silva Ramos.
Dr. Gaspar de Menezes Vasconcellos de D.
idem tos do governo, que as distribuem debaixe da de- Conego F. Bochael Corroa de B. Medeiros.
idera nominacao de gneros de importacao e exportocao.; Dr. Joao Francisco Coelho Biltencourt.
I As reduccoes que all se conceden! tem por flm Dr. Francisco Alves da Silva
4 tar.! principal proteger os producios naeionaes. Creio Dr. Jesuino Lopes de Miranda
idem (lue foi este o pensamento que dictou a differenca Dr. Francisco Brandao Cavalcanti de A.
das.
dito
dito 2a dito
Yassouras de crina 2a das. 2a Ur.
Vassouras de Piassava e outras. 3* diU idem
Velas em caixees. 2* diu idem
Velas solUs. idem Idem
Verniz. idem idem
Vidros para caixilbos encaxoudos. idem idem
\ inagre. 3* diu idem
\ inbo. 2a dito idem
S
Vaxores. 2" das. 2a ur.
\eijas. 4a dita idem

lineo bruto ou em obras. 4a cas. 2a tar.
(Assignado.'Buarqur de Macedo, engenheiro
fiscal.
(Assignado.) R. ititdtn, superentendente inte-
rino.
(Assignado.)Augusto Dupral, chele do trafigo.
de frete por unidade de transporte entre as mer- Dr. Carlos Justiniano Rodrigues.
cadorias que sao expedidas cora direecao a esto ci-: Dr. Miguel Bernardo Vieira de Amorim.
dade, e as que nos sao remettidas do interior, em Dr. Joio Coimbra.
una estrada de ferro onde as difficuldades de trac- Henrique Augusto Millet.
cao sao idnticas em ambos os sentidos. Dr. Emilio de Moraes Dias.
Levado igualmente pela conveniencia de conce-i Padre Antonio de Albuquerque Mello,
der aos uossos productos vantagens protectoras, e Henrique Augusto de Miranda
tendo em visto a grande classitiaacao do regula-
mento do governo, organisei o projecto de una
classificasao por na tu roza e valor das mercadorias
geralmente offerecidas aos nossos transportes, a
qual vai aqui annexa por ordem alphabetica. lima
semelbante classifkacio rae parece mais apropria- Dr. Amintos
da ao emprogo das tarifas das estradas de ferro, Dr. Francisco Brandao Cavalcante
sujeitondo-as a menos irregularidades. Como V. Dr. Francisco Alves da Silva
Exc. ver, os diversos artigos que podem ser offe- Commendador Jos Antonio Lopes
recidos a expedioo se acham favorecidos segundo Dr. Beltrao
a sua importancia, prefer ndo sobre todos os gene- Major J. J. do Bego Barros
-----------i.Ki^.liiI!..!-- hbIb J ^ .___ -^Ta_____ .'_ Jn Im lili* II Al'.Ll'li i 'ti i i V i I I 1 i k
Francisco Alves de Albuquerque Gama.
Uuplkata de Ipojuca.
(Votacao em separado.)
Kleicao da matriz
Conego Fraocisco Bochael
2a dita 3a dita
idem idem
Ia dito dem
idem idera
2J dita a diU
Ia dila dem
2a dito idem
3a dita idem
2a dita idem
idem idem
3a diU idem
2a dito dem
3a dita dem
2' dita idem
3a dito idem
2" dita idem
3a dito idem
Ia dito idem
2a dita idem
4a dita idem
2a diu 3a dita
4a dito 2- diU
idem idem
2a di!*. 2a Ur.
idem dem
1 das. 2a tar.
idem idem
idem idem
2a dito idem
idem idem
idem idem
idem idem
idem idem
4' dita idem
-Ia dita idem
i dita idem
3- dila nl.'ii;
2a das. 2a dita
41 dito dem
3a dita dem
2a dito dem
4a dita idem
2a dita idem
idem idem
idem idem
idem idem
4- drto idem
idem idem
2" dita idem
3a dito idem
2a dita idem
dem idem
3a dito 3a diu
idem idem
2a dito lilelll
idem 2" diu
idem idem
3a dita idem
idem idem
2* dito idem
I dito idem
2a dita dem
3a dito idem
2a dita.' 5a dito
1* dito idem
* dito dem
idem idem
dem idem
idem idem
4 dito idem
* dito idem
1 dita dem
4a diU dem
2a diU dem |
3* diU idem,
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
Por cartas do Rio de Janeiro temos noticia de
que o Bvm. missonario frei Seraphim nao logrou
resolver ao Bvm. commissario geral frei Caetono
de Messina a vir a esu provincia, alim de curar
de sua importante saude, que alli tem sffrido con-
sideravelmente, como ja o notidamos.
O digno Sr. frei Caetono nao quiz deixar o lugar
em que apreuve a Divina Providencia colloca-lo,
embora d'ahi resulte evidente daino ao seu beni
estar pcssoaL preferindo como verdadeiro enviado
daquella o cumprimento de seu apostolado pro-
pria vida, que assim se extena de seiva Xo en-
tretanto penhoreu-o assaz a missao do seu digno
rmo frei Seraphim, que nella representova os
votos dos numerosos amigos do Hospicio, aos quaes
deixa de acceder pela razio indicada.
Islo posto, no prximo vapor procedente da cor-
te, estar aqui de volto o Rvm. Sr. frei Seraphim,
alim de tomar parte nos trabalbos do Hospicio; e
por nossa parte agradecemos-lhe o encargo que
tomou em annuencia nossa lembranca e aos de-
sejosdo povo pernambucano.
Tendo sido exonerado do cargo de 1" sup-
plente do subdelegado desto freguezia de Santo
Antonio o Sr. major Antonio Bernardo Quinteiro,
seu pedido, foi para o mesmo nomeado o Sr. Se-
veriano Jos de Moura.
Informam-nos que entre essas caixas de m-
sicas, ornadas de figuras movediras e burlescas,
que correm as ras desta cidade m exposicao e
tocatas, ha urna que nesses grupos de liguras
contm Os doze apostlos a fazerem visagens ao
som da msica, que pouco lem de rdigiosa. Mas,
quandoainda o fosse, parece que nisto ha urna in-
congruencia ; e sendo certo que se acham desto-
cadas taes figuras do lugar que Ibes proprio,
1 importa que sejam tiradas de semelhante painel.
A produccao oe apostlos por esse modo an-
tes nm aclo de mcoospreco rehgao,do que una
pratica innocente e licito."
Foi approvado pela presidencia para uso das
eecolas primarias da provincia, o compendio de
aritheietica do professor Joaquim Antonio de Cas-
tre Nones.
_ Teve hontem lugar a convoc.ncao da 6a ses-
sao do jury sob a presidencia do julz de direito da
2a vara criminal, Dr. Manoa, Jos da Silva Xeiva.
Compareceram apenas 8 jaiaes de facto, sendo
multado na forma da lei os que ixaram de com-
parecer, e procedendo-se em seguida, para com
ros alimenticios, qur de exportaco, qur de im- Dr. Rogerio de Carvalho
portacao, e os de maior consumo produzidos no Dr. J. C. Dias
paiz. Dr. H. do Reg Barros
A classificacao annexa semelhante* a que se tem Dr. J. P. da Cmara
seguido em todas as estradas de ferro, qur ingle- Dr. Ramos
zas, qur do continente, divergindo alienas quan-
to natureza dos productos que pelas nossas con-
dieoes devem ser favorecidos, e, para algumas da-
quellas linhas, quanto sua ordem ; minucioso e
ordenado como se acha, aquello trabalho facilito
Dr. Gaspar Druiiimond
Dr. Jos Marto
Dr, Cicero Odn
Dr. Manoel Xetto
Dr. Jesuino Lopes
consideravelmente o servico interno do nosso tra- Dr, Ayres da Gama
fego.
Dr. Joao Coimbra
Dr. Vieira do Amorim
Eleico do convento.
Dr. H. do Bego Barros
Dr. Jos Mara
\s concessoes da estrada de ferro desto provin-
cia estabdeceui como mximum da Uxa dos trans-
portes de mercadorias 20 rs. para os gneros de
exporUcao e produccao do paiz, e 30 rs. para os
de importacao, e periittem a elevadlo destes pre- H. A. Millet
eos at o duplo para os objectos de" grande valor i Dr. Joao Coimbra
responsabilidade. Dr. Vieira de Amorim
Os mxima de laxa que estoluem as conresses Jos Antonio Lopes
rarlssimas vezes sao attingidos as estradas de i Dr. J. P. da Cmara
ferro, principalmente quando lulam ellas cora a j Dr. Gaspar Drummond
concurrencia da navegacao ou tem necessidade de \ Dr. Francisco Augusto da Costo
desenvolver o transporte de productos de pouco Dr. Jesuino Lopes de Miranda
valor. Em Pernambuco, porm, o limite superior Dr. Bauos
de unidade de transporte foi logo posto em plati-
ca, e al hoje tem sido manlido, o que sem duvida
tem servido para animar a concurrencia de outros
meios de conduccio. Hoje que a base das tarifas
desto estrada de ferro nao deve ser mais o limite
mximo das concessoes, tal ao menos a idea que
tem o governo e a companhia, julgo que o meto
mais racional e prudente de escolher urna ora
unidade inferior qu&aa fazer variar a toxa de
transporte em retocao distancia e ao peso damer-
cadoria. Foi essa variaran que dictou-me o es- ,
tabelecimento das bases tas tarifas annexas, e que; brijja.
' feito de 1 a 3 leguas, de 3 a 10 e de 18 a 20. Os | A ordem do de Santo Antonio, Galdino,
69
64
39
37
37
33
51
51
44
43
42
42
27
23
13
9
3
1
I
21
21
20
20
19
18
14
14
11
11
10
10
10
8
7
5
5
8
;
3
23
23
25
23
22
21
20
20
19
17
11
11
4
2
i
Dr. Pedro Beltrao
Dr. Biltencourt
Major J. J. do Bego Barros
Dr. Bogerio de Carvalho
BEPARTIC.AO DA I'OLICIA :
(Extracto das partes dos dias 13 e 16 de no
vembro).
Foram recolhidos casa de detencao no dia 14
do corrcnle :
A ordem do subdelegado do Becife, Marcelino,
pardo, escravo de Andr de Abren Porto, por
crioulo,
geral
nossas expedirdes, e deram resultados proporcio- nhores.
naes aos sena respectivos preces de mercado. i A ordem do da Boa-Vista, Jos Joaquim dos San-
A tarifa de passageiros, que se achava em vigor los, branco, por suspeito de ser desertor da armada,
exiga igualmente modilicacoes. A toxa das, passa- Luiz de Franca da Silveua, Antonio Gomes Beni-
gens de Ia classe era elevada, c concoma para co. ambos como suspeitos em crime de roubo, \ i-
que houvesse pouca alluencia nos respectivos car- cen e, crioulo, escravo de Francisco Pacheco de
ros ; em relacao, igual facto se dava nos vehicu- Araujo por jogos prohibidos,
los de 2a class'e, entretanto que os de 3a eram sem- A ordem do da Capunga, Antonio Venancio,
pre procurados, mesmo para os grandes trajelos, crioulo, escravo de Francisca Francelina, para
Maniendo quanto foi possivei o aclual preco dos averiguacoes policiaes.
passageiros de 3a classe, fiz, de accordo com a ~" "
companhia, ligeras alteracoes as laxas de Ia c 2a A ordem do lllm. Sr. Dr. diere de polica, Olym-
classes. pie Augusto de Vasconcellos, pardo, sem declara-
As bases qne servirn* para o calculo da tarifa, cao do motivo,
dos viajantes, que incluso se acha sao : ordem do subdelegado de Santo Antonio, Gas-
1* classe. 2a classe. 3' clase, par Claudino Franca, crioulo por briga.
De 1 a K leguas 400 rs. 300 rs. 200 rs.'. 0 ebefe .la 2a seccao,
De 10 a 20 300 rs. 200 rs. 180 rs. | G. i Mrsquita.
Cedendo suggestao da directora de Londres o
-
pletor o numero legal de 48, .sorteio da uroasup- actual superintendente desta estrada de ferro pro- 2-
plementar. poz ao governo da provincia a suppressao dos car- :
Expediram-se as notifieacoes do^stylo, e levan-1 ros de 3a classe nos trens, allegando paraisto a di-
toti-se a sessio as 11 '/z horas da mibia.
- Fizeram acto no dia 16 do crrante na Fa-
<-uldade de Direito, os seguintes estudantes :
1 aneo. "
BonvindoGurgel do Amaral, plenamente.
Antonio Pedro Ferreira Lima, idem.
Joaquim Lopes Cohao. idem.
Reinaldo Gomes de Oliveira, idem.
3 anuo.
Trajaii-1 Veriato de Medeiros, plenamente,
Vctor Isaac de Araujo, idem.
Alfonso Jos de Oliveira, dem.
Francisco Antenode Freltas Barros, dem.
Inserimos hoje em lugar competente as novas
tarifas e regulameato confecionados para os trans-
portes de passageiros, bagagens, animaos e mer-
cadorias da estrada de ferro desu provincia.
As bases dess tarifas e as condieoes segundo
as quaes devem ellas ser applicadas, nof parocera
muito I i be raes, e offereeem sen coate
des vanUgeas aos expedidores que
aquello meio de transporte navegacao
sas pessimas estradas de rodagem.
Louvanics milito em seoielha'nte trabalho
minuto concurrencia dos carros das classes supe-
riores.
Dignando-se S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia ouvir-me acerca desta medida, e conside-
' ramio que a sua applicaco contraria aos inte-
j resses da classe menos favorecida, da lavoura, e
do proprio governo, que ser (breado a effectuar
os transportes da tropa por preros mais elevados
; que os aduaes, observei S. Exc. que nma seme-
i Ihante proposta nao eslava no caso de ser aceita.
Resta-me accrescentar que remetti copia dos
documentos appensos qne concernem as tarifas
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, de quem
i soliciiei a necessaria approvacao provisoria para
as modilicacoes alli mencionadas.!
Foi concedida ao professor publico de ms-
truceao elementar de Aguas-Bellas a remocao que
pedio para a cadeira de S. Pedro Marlyr de 0-
linda.
Obteve 17 dias de iicenca com vendmentos
a professora interina da cadeira de primeiros lat-
irs da villa de Ignarass Francelina Ccsarina,
' para tratar de sua sadc.
i Temos o seguinte resultado de alguns colle-
gios do primeiro, segunde e terceiro districtos
; os quas damos em seguida.
Primeiro estricto.
Collegio do Becife.
Dr. Ribeiro 170
nacional, roclamavam aquella medida, que alm/ Dr. Jacobina 132
de fazer a mercadura transportada pela va ferreof Dr. Joao Teixeira 144
pagar urna taxa correspondente ao seu valor de Dr. Aquino 142
mercado, vai desenvolver sem duvida alguma -A Dr. Jos Teixeira 1W
expedicio de maior numero de productos, e (juica vMc- Soares Brandao 105
a creacao de novas industrias. I GoDseiheiro Loureiro 104
Sentimos que at esU dato nio se tenha annun-' Dr.'Sabino 104
ciado a exeeucao das novas tarifas, e aproveia- \ Dr. Detodoroi 102
mos esto opportunidade para sasfazer as instan- Dr. Api eio 99
ciasdaquelles que clamara por essa exeeucao, so-: Dr. Moraes Pinheira 86
licitando de S. Exc. o Sr. presidente da provincia Brito 77
as providencias nenes-arias para tal flm. Dr. Montarro 06
m < 'J) w m i
* m 3 <
ib -i -3
3 3 3 "1 i '^ i i 3
: :

: I I
2
>
se
>
Masculino.
y.
a
Feminino.
Masculino.
Feminino.
r
?1
3
ao gran-
erirem
as nos-

I w N^ I *
I
. I A I
Masculino.
Feminino.
"(
s

Ma.iculiHO.
Feminino.
3
i
3
9
30
* M ao
-i
Si
Masculino
Feminino.
TOTAL.
S
s
o
i
AbVERTENaA.
Na totolidade dos doentes existem IB5, sendo
alienados 10 homens o 20 mulheres.
Foram visitadas as enfermarlas estes dias :
Mo Dr. Dornellas, s 8 1/4, 8 20,81/4,11
1/, 8 40,81/2, II 1,2.
Alimentados custa dos cofres pblicos 13l
Movimento da enfermariado dia 16 de novembro
corrente :
Tiveram baixa:
Joaquim. africano livre, darrha
Andr Ferreira da Silva, sarnas.
Jos Henrique de Santa Anoa, sarnas.
Uffl POUCO DE TOO.
Offerecera-nos o seguinte:
Era urna das freguezias do Amazonas lia-se ei.i
26 de maio de 1858 o seguinte editol, cujo original
existe em nosso poder.
F. presbtero secular vigario collado na villa de..
e vigario presbtero arcipreste do 3# e 6 districto
da 3a comarca ecclesiastica da provincia do Para,
ete.4 etc.
Faco constar aos meus parochianos o que segu:
1." Que nao recebo visito de pessoas em mangas
de camisas, principalmente das autoridmtes, excep-
to daquelles que suas circumstoncias o nao pennit-
tirem.
2._Que essas visitas nao sejam em tempos que
me sao precisos empregar no servico de meu mi-
nisterio, porm deverao ser das 10 horas ao melo-
da e das 4 s 6 da tarde : salvo se fr algum cha-
mado por necessidade, em atteneao ao meu minis-
terio, ento esse a qualquer hora.
3. Que nao dou a mao a apertor a qualquer
pessoa, se nao aquella que disto se flzer mere-
cedor.
4.* Que em minha residencia nao consinto que
se falle em vida privada de pessoa nenhuma.
5. Venham todos prevenidos os que me visita-
rem em nio fumarem e nem pedirem fogo em mi-
nha residencia ; pois devem saber que visitom o
vigario, e nao convm faliarem ao respeito.
6. Nao consinto que me chamem padre-raestre,
massim-Sr. Bvd. vigario, que nao tendo seiiho-
ria, mas Bvma.
Mando afflxar no lugar mais publico para que
niBguem allegue ignorancia.
Villa de... 28 de maio de 1858.
0 vigario colladoF.
Em o lugar Thesoura, lermo da villa de Pao dos
Ferros do Hio Grande do Norte, existe um honietn
honrado e trabalhador chamado Francisco Ferrei-
ra Campos, tem 14 filhos cujos nomes sio os se-
guintes : e pela originalidade dignos de mencao.
Moyss Orlando Bailn Filgueira
Misad Epaminnuila- Piemontc. k
NoGilperinoC. oipos. ^1
Abraam Mamara Campos Ayres.
Vital Augusto Campas Sallo.
Phopotenciano Bartholino Campos.
Geremias Apriano Campos Sinira.
Minervino Dan Gil Merodach.
Deocleciano Porsena Galba
Eneas Advocre Diomede.
Epaminondas Cleias Campos.
Oresmidas.
Viterbo.
Clodomiro.
Tres pequeas que anda nio tinham sobrononies.
Do Siecle traduzimos o seguinte :
Os jornaes acbam-se pejados de communicacoes
sobre o terremoto experimenudo na noite de 3 para
6 desto mez, das 3 para as 3 horas e mea, nos
condados do centro e do oeste : era Liverpool, em
Derby, em Hereford. e em varios ouiros lugares.
Dizem uns, o abalo era de leste para oeste ; ou-
tros de oeste para leite : ha quera relate que era
de norte para o sul, e tambem quera aflirme que
se diriga de SSE para SSO.
Damos alguns extractos que apresentom urna idea
geral do acontecimenlo e da impressao que com
elle sentiram os habitantes.
De Liverpool dizem : As 3 horas e 23 minutos
da manliaa, sentio-sc um forte abalo de trra em
toda a extensao de Liverpool e dos lugares prxi-
mos de Cheshire c de Waterloo. Anda que nao
houvesse esse ruido surdo que geralmente acom-
panha os phenomenos de tal natureza, sentia-se
corntudo a agitaco do solo mulo distinctameni-. e
em muitas partes de um modo muito agradavei.
Na visinhanca de Egrcmont e de Liscare, houve
pessoas que se aterraram muito, sentindo agitar-e
os leitos e tinir a louca.
Em muitas partes pararam os relogios.
Houve guardas de noite que se assustoram tonio
cora a oscilaeio das casas, que deilaram a fugir.
Um medic, que fazia urna visita a urna doente
em Clanghton (Birkenhead), convenceu-se de tal
sorte do perigo, ao sentir tremer a casa, que fngio
loco para, a ra.
Em Boottc, em Seafoath, em Waterloo e em Cros-
by, o abalo foi mujto violento e fortissmo.
De Birmingham cscrevera : O abalo senlio-se
muito distinctamentc aqui, em Wolverhamplon e
eim todos os distrides intermediarios; teve lugar
s 3 horas e 33 minutos. i
Houve dous choques, o segundo foi mais violen-
to. Ambos eram acompanhados de um ruido sur-
do; emalgums lugares viam-sc as paredes agta-
rem-se, as portas e as janellas baterem ; a vibra-
cao era geral.
Em Staiford, um inspector do camnho de ferro,
que tinha ido deitar-se, voltou a toda pressa com
a idea de que tinha havido urna colisaona linha.
Na prisao e barulho das chaves fez acrediiar
n'uma tentativa de evasao.
As noticias de Derby dio os abalos s 3 horas e
20 minutos, e attribuem-lhes urna duracao de mul-
los minutos.
A emocao parece ter sido muito grande, a noite
--'itava soregada, sem o menor vento que podes-e
e\T*>Jjcar phenomenos to notoveis.
C?.^ de Hereford descrevem o choque como
violent^^mo, tj niedonho o ruido que o acompa-
nhava. ^
Pedem-no lublca^ao extrabida de ootm
OH I SK TB AMEI I
Oh f se te araei I
Eras um anjo a fulgir tao lindo,
No cu inundo de um innocente amor ;
Visad celeste qne me apagava a mente,
Qual luz fulgente, que abrilhanta a flor r
Oh se te amei !
Na luz do sol, na pallidez da la,
A tua imagem retratada eu via,
Tinham teas olhos divinal candura
Atea natura de te ver sorria I
Lembras-te anda, das palavras ternas.
Juras eternas que nos uniam entoe...
Onde os protestos que en ouvia muda?
Ai! tudo... tudo foi um sooho era vio I
- Oh I se te amei I
Tu Coste ingrato, escarneceadd os cantos,
Qne amargo pranto s nos dad agora;
"\

(i
s
MUTILADO


>;
Jarle
tii
o de Pernambuco Terca felra 19 de Yotembro de 1863.
i
Quebras-te a lyra do poeta rente,
Qu hoje, descreme, de tristeza chora!
TRIBU AI- DO fl'RT.
SESSAO. *
da 10 de novembio dk 1863.
Presidencia do Sr. Dr. Manoel Jos da Stlva Neiva,
juiz de dtreito da 2* vara criminal.
Promotor o Sr. Dr. Praneisco Leopoldino de Gus-
miio Lobo.
Escriviio o Sr. Joaqun) Francisco de Paula Esle-
ves Clemente.
A's 10 horas da manhaa fui la a chamada dos ju-
rados, acharam-se presentes 8 senhores.
Foram dispensados da sessao, por terem servido
no frrente anno, os Srs. :
Ain......> Mana da Costa Delgado.
Dr. Jos Soares de Azevede.
Foram dispensados por motivos de molestias
os Srs. :
Dr. Amaro Joaquim da Fonseca Albuquerque.
, Diniz Antonio Ferreira Marques.
. Miguel lleudes da Silva.
Foram lambem dispensados, visto se acharem
mudados do municipio os Srs. :
Francisco de Camino Soares Itrandao.
Manoel Nunes Correia.
Manoel Cavalcanti do Albuquerque Lins.
Pedro Lopes Rodrigues.
Vicente Ferreira Lopes (uimaraes.
Foi finalmente dispensado requisito do Sr.
CALA TBU CANTO, POETA !
Cala ten canto, poeta!
Arranca as cordas da lyra,
Que em vio leu prauto desliza,
Que em vio tua alma suspira!
Em vez de flores, s tens
Duros espinaos na vida;
Foram teus sonbos qnal nuvcm
Por fortes ventos batida!
Amaste!... Deste teus cantos
A' eterna imagem do amor...
Nao lembrasto que o veneno
Tambem se oceulta na flor I
Cala leu canto, poeta!
Arranca as cordas da lyra.
Que em vao tea pranto desliza,
Que em vo tua alma suspira !
I--sc na Revolurao de Setembro o que segu :
Foi ulUrnamente pleiteada em Inglaterra urna
queslo bem extraordinaria, diz o Escolloste Me-
dico o que pode ser coinece da cuidados hygieni- Dr. chefe de polica o" Sr. Francisco' Sotter de F-
eos mais obrigativos. i gueiredo Castro.
T., lavrador e dono de urna casa parlicelar que Foram multados em 20*5 eada um dos irs. se-
recebia hospedes, pedio a P. urna indemnisacao de guintes
60 libras, em razio da familia deste ultimo le ter Antonio de Albuquerque Mello,
mettidu era casaa escarlatina. Antonio Francisco das.Neves.
P. ti.'ilia com effeiio lomado a casa para fazer Joaquim Lucio Monteiro da Franca,
residir a sua familia, que eslava em convalescen- Jos .Narciso Camello,
ca daquelle exanthema ; e a familia de T. fura de- Amaro Goncalves dos Santos.
pois aceommeltida da mesma molestia, vendo-se Francisco de Paula do Reg Barros.
elle obrisad a tratar dos doentes e a privar-so de Domingos Jos de Castro,
sou irabaiho. Francisco Duarte Coelho.
Depois de ouvidos os mdicos, que assenlaram Jos Cesario de Mella
na nalureza contagios* da doenca. e na origem da Jos Lopes Guimaraes.
deje ni,; a para a familia de T o tribunal concedeu Jos Duarte Rangel.
aoqueixoso urna indemnisacao de 10 libras, obri- Manoel Juvencio de Menezes Jnior,
gando o acensado ao pagamento das cusas. Thom Correia de Araujo.
Pelo lado medico o caso provou a necessidade de Antonio dos Santos Souza Leao.
nao permittir a saida dos doeirtes de escarlatina, Manoel de Souza Leao Jnior,
emquanto o periodo de descamarlo nao estiver Antonio Francisco Paes de Mello Barreto.
acabado. I Antonio de S Albuquerque.
----- Estevo Jos Paes Barreto.
Do Commercio do Porto extrahimos o seguinte : Fernando Francisco de Aguiar Montarroyos.
Os joruaes francezes fallaram de una dama po- Jos Caetano Cavalcanti.
laca que em iarritz recebeu urna carta que fez Jos Thomaz Pires Machado Portella.
explosao no momento em que foi aberta. \ Miguel Nunes Correia.
A este respello diz o Ariel do Hume : Jos Francisco de Barros Reg.
As pessoas que chegam de Biarritz eontam que Manoel Jacintho Pereira.
a dama polaca a condessa Lisa Pnezdvecka, BEBER IDE
Nao se leudo reunido numero tegal
4 sarcos gomma, 4 macos con ros miados e 325
meios de sola i a Jos de Si Leilao.
756 meios de sola; a Jo5o Jos de Carvalho
Moraes.
De Maeu.
30 couros salgados e 1 garajao caree seoca a
Ballhazar de Moura e Souza.
71 couros salgados ; a Domingos Jos da Cunha
7S" eouros salgados, 30 nomos oouriohos, 16 dos SrS. Of COBStnS POP ler I
saceos cora de carnauba, 12 caisoes velas de dita isseibla Seral llllllllliiil (,i Dar 0
a Silva Bastos c C. .' ,',
17 saceos cera de carnauba ; a Manoel Jos da U Ib, 890 lili WlllieuJe C0I1 lllailns OS
silva GriHo.. mesmus seiiliores a se reuuireiu do -Ua
3 couros salgados e 300 uiolhos com 3,000 cou-
rinlios; a Bruno do Rosario.
Do Aracatv.
91 saceos com 473 arrobas e 22 libras de algodo;
a ordem.
Do Natal.
15 saceos com 75 arrobas de algodo; a Reg
AC
6 ditos com 33 arrobas e 30 libras de dito; a
ordem.
Da Parahyba-
20 saceos com 119 arrobas de algodo; a Saun-
ders Brothers 4 C.
Patacho nacional Jiquitaia, viudo da Babia, con-
signado a Palmeira & Beltrao, manifestou o se-
guinte :
Generas nacionaes.
13 caixdes e 441 caisinbas eom 188,750 eha-
rutos ; a Palmeira & Beltrao.
2 ditos com 32,750 charutos ; a Jos Leopoldo
Bourgad.
6 vjdiimu.se 497 caixinlia-, com 113:650 charu-
tos, 250 fardos panno de algodo, 112 saceos caf,
600 netas de piassava, 105 paos de Jacaranda; a
ordem-
Mercadoriaestrangera.
3 volumes fazendas ; a Monhard A C.
2a barricas cimento, 50 ditas cerveja, 30 barris
vinho branco; a ordem.
73 volumes com 726 barricas abatidas. 14 bar-: preto, frangos, galinhas, leite, laranjas, lnha (em
ricas com lampos para as ditas a Manoel Joaquim. achas), manteiga, macarrao, marmelada, ovos, p ao
Ramos Silva liento. de 15, paes de 2, 4 e 6 oocas, rap, sal, sag, lou-
Recebedorla de rendas internas -
geraeg de Peruambiiro.
Sfstr.!*.*-.-.-.-.-.-.v. amai drS*aj*.-;
200 folhas, obreas, (em paes) papel almaro pauta-
tra o casal de Jos de Monra Borges o Francisca
Virgilia de Moura Borges, os sitios e urna casa ao
I casal referido pertencenles, e sitos ambos n.iestra-
i da do engenho Fragoso daquelle mesmo termo, e
todos os bens cima avahados em 1:2005.
fev
THEATRO
TUj
por intervencao do
23 ilo trrenle ao meio da no eserip-
lorio da meMiia c-*mp mhia alim de
evaminirru as cuntas do semestre fin-
do e o que con vera por em exeiuc re-
I ti va mente a u fundo de reserva'preve-
nindo-se desde j que na conformidude
do artigo 16 dos estatutos a reuma.
ter Ingar com o numero de accionis
tas que cumparecerem aesle da. ts
cripiorio da Companbia do Beberibe
<6 de novembro d 1863.
0 escriplorarlo,
Marcolino Jos Pune.
/-x i ... ... r w v ni- -ni" .-i. i -ii.tiiu- c a ora. u
_V "osP|,al miniar contrat o segrate foiiu:- \ la, em obsequio aos beneficiados, cantarao o
Para as dietas e raides
Arroz pilado, assucar refinado, azeite doce, ale-
tna, aramia, bolachas, bolachinhas inglezas, e de
araruta, bananas, biscoitos, banha de porco, caf
moido e de caroco, cha hysoq, chocolate, carae
verde, de porco, e salgada, doce de goiaba e de
| banana, familia de mandioca e de trigo, feije
<&
A. C. de Abroo fara leilao
I agente Pinto, de um lote de chitas avariadasd'agua
salgada, c era seguida vender um completo surti-
nieiito de fazendas francesas e inglezas, terca-feini
17 do corn-Hte as 10 huras da maulia era poni.
no seu arma/.em ra da Cadea.
IEIIAO
DE
Kaeravos. movcU c Jolas.
0 agente Simoes far leile requerimento do
administradores da massa fallida de Amoriiu, Fra-
gozo, Santos i C, e mandado do Dr. juiz especial
do cominercio, do seguinte Hita, erioola, idade
de ii airaos; Tliereza, crioula, idade de 28 an-
i nos ; Maria, crioula, idade de 30 anuos; Lucia.
crioula, idade de 9 anuos; Margarida, erioula.
Idade de 6 ataos ; Luduvina, crioula. idade de 2
1 annos : Honorata, crioula. idade de 2 anuos Da-
Logo que os senhores professores da ofehestra i f,,aa' crioulo, idaue de 2 anuos; Manoel, Meio,
locarem a ouvertura do costume. subir secna o i.da!,e (,e annos f" i """a rica twbilia
drama era dous actos, intitulado, de jacaraud cora taaipos de pedra, urna dula de
dito de aterra valor ; urna dita de amarellu, um
rico piano de Jacaranda, um dito dito de limos
proco, grandes e ricos espelho de moldura deja-
EHPKE7/A
DE
A. J. DIARTE MIMBRA.
Quarta-feira 18 de novembro de 1863.
Recita extraordinaria
KM
BENEFICIO DO ACTOR
Jos Antonio dos Santos Porto,
K DO PONTO DA COMI'ANHU
Jos Bernardina Correia de Barros.
SETE DE SETEHBRO.
lindo e sempre applaudido dueto,
cinho de Lisboa, lalhanin, vinagre, vinho do Porto,! T;,,'nid ^ '
de Lisboa, branco e geneoso e velas de carnauba- uSJo espectaculc
Para o expediente e outros serviros. a/Z3u J. .
grandes i pequeos, cadwras de abrir e ditas
Maneo, mesa para janlar. apparadores. timadores.
A VOLTA T)() MA n mTETUO l;,v""ii"s *-retalia, iurNM*>Mwi, nHisa
Em seguida representar-se-ha a chistosa come- usfr,;- ser|>entinas, candelabros, casiieaes ele, re-
i logio e rorrentr, aderece e nnsts ^derecos e Irn
celins ludo de onro, salva, castM-ae e ciilheres de
prata e muilos outros objeclos que seria enfado-
nho enumerar.
Qutrla-frira 18 du coirenlc mez m 10 horas da
luauha.
Na ra do Sebo sobrad ik 37.
dia em um acto,
OS IRMOS DAS ALMAS,
na qua{ tomain parte os Srs. Thomaz, Santa Rosa,
Sras. DD. Camilla. Jesuina
aculo com a nova e mnito lin
da comedia em um acto, do Sr. Alfredo Hogan, in-
titulada.
LEILAO
foi recibida na residencia imperial.
A caria era de urna dama russa e foi entregue
jusliea
Assegura-se que coucebida nos seguintes ter-
mos, com,um styloe uina orlhographia inteirameu-
te moscovitas :
Villa polaca, como sois, acreditaes que nos nao
sabemos que forga de intrigas e baixezas que
conseguiste ser adinittida nessa pobre corte de
Joao Fraucisco do Reg Barros Mar i cola.
Sendo insufflciente o numero de jurados presen-
tes para haver sessao, o Sr. juiz de dreito proce-
deu ao sorteio de 41, e sahiram sorteados os Srs.
seguintes :
Pedro de Alcntara dos Guiramaes Peixoto.
Thomaz Carneiro da Cunha.
Dr. Joao Honorio Bezerra de Menezes.
Dr. Joaquim da Costa Dourado.
Franca, pelo que nao mofamos pouco delles e de Jos Francisco de Saltes Baviera.
vos. Nao vos orgulbeis dessas misera veis distinc- Joio da Silveir
Ojies, que nos saberemos impedir quaudo uos
prouver.
Que nao imaginera os vossos compatriotas de
p> descalcos que cotnvosco triumpham.
Fieacs advertida; elles o serio lambem '
A dama russa que escreveu esta carta passa por
ser a esposa de um coronel das guardas em S. Pe-
tersburgo que, no invern passauo, conheceu em
Nisa a condessa Puezdvecka.
Silveira Borges Tavora.
Jos Xavier Faustino Ramos.
Jos Antonio Lopes Guimaraes.
Manuel Joaquim Ferreira Esleves.
Vicente Ferreira de Paula Villas-Boas.
los Kibeiro do Amaral.
Domingos Jos des Santos Neves._
Antonio Goncalves Ferreira Cascao.
los Pedro Velloso da Silveira Jnior.
Dr. Jos Antonio de Figueiredo.
Jos de Barros Correia Selle.
Antonio Machado Perera Vianna.
Luiz de Franca Souto.
Antonio do Reg Medeiros.
Joo Baptista do Reg.
1 Thom Carlos Perelti.
Dr. Brai Florentino llenriques de Souza.
Antonio Nobre de Almeida.
Galdino dos Santos Dunes de Oiiveira.
Claudino do Reg Lima.
Agoslinho Eduardo Pinas.
Antonio Jos Teixeira Bastos.
Januario Constancio Monteiro de Andrade.
Fauslino Jos dos Santos.
Joaquim Bernardo dos Res.
Ravmiindo da Silva Maia.
Francisco Alexandrino de Vasconcellos Callara.
Dr. Joao Capistrano Bandeira de Mello Filho.
Severiano Jos de Moura.
Manoel Izidoro de Olivara Lobo.
Ir. Antonio Jos da Gasta Ritiro.
Dr. Ijiiz Salazar Moscoso da Veiga Pessoa.
Dr. Caetano Xavier Pereira de Brito.
Domingos dos Passos Miranda.
Francisco Jos Martins Penna.
Francisco de Miranda Leal Seve.
Concluido o sorteio o Sr. juiz de direiro inandou
proceder as necessarias notificacoes, e levantou a
sessao, adiando-a para o dia seguinte, s 10 horas
da manha.
CIIROMCA JIDICIAKIA.
TKIIU \\l, IMI OnulR IO.
ESSAO ADMINISTRATIVA EM 16 DE NOVEM-
BRO DE 1863.
l'lltSIDKNCIA DO EXM. SR. CDHHUEOJO K. A.
DE rana.
As 10 horas da manhaa, reunidos 08 Srs. deputa-
dos Lemas, Malvira. e Rosa, o senhor pre-
sideota i elaroii alteria a sessao, sendo lida e ap-
provada a acta da ultima.
mamut.
l"m oflicio do secretario do tribunal do coDimer-
cio da corte, enviando a lisia dos negociantes ma-
triculado- iiaquelle tribunal.-Aecuse-se a recep-
<;ao j^irrliive-se. ,
Lin rcqut'iinit uto de Sebaatiio Jos da Silva e
Antonio Leite de Magalhaes Bastos, pedindo e re-
gjslre do sea contrato de dissoluco de sociedade.
Regislre-se.
Outro de Antonio Muniz Machado, pedindo o re-
gfstru da carta imperial que concedeu alfandega-
mento ao armaxem n. 42 du caes de Apollo Beata
cidade.Itegi.-lre-se.
Nada mais houve.
sessao .udiciabia em 16 dk novembro de
18:j.
I'KKSI'JENCIA DO EXM. Sil. CONSELIlEIIIO V. A.
H SOUZA.
Sfcrctario, Julio (vnmires.
A meia liora da larde, o Sr. presidente abri a
-.>sao. estando reunidos os Srs. desembargadores
Villares, e Silva Guimaraes. e os senhores depu-
ladtM Lemos. Malveira. Rosa e C. \lcoforado.
Lida. I'j approvada a acta da sessao aniece-
deote.
Lc-ii-m-e foi assignado o accnrdao proferido na
- >>ao de 9 do correnle, na appcllacao cnUepar-
ii-s :
Ap|iellaiiie. Antonio Gomes Pereira ;
Antonio Duarte Carneiro Vianna.
Jl I.AMKNTOS.
AnpaBaote, VleaotoAlres Machado ; ap|tellados,
Barroca J^ Medeiros.
Sorteados os Srs. denotados Lemos e Casemiro
AJcoJbrado.
Relatado o feito pelo Sr. de>emliargador Silva
Foi confirmada a senlenca ajipellada.
Appolla He. Antonio Altes de Carvalho Veras ;
appeliado, Joaquim Jos Ramos.
Surteadiw os Srs. dejiulados Lemos B Rosa.
Relatado o feito pelo Sr. desembargado!' Vil-
lares.
iloiilirmou-se a sentenea ap|iellada.
A|i|iella:ile. Jl(s,i Kraneiseo Pinto Guimaie>
appeliado, Gabriel Soares Raposo da Cmara, co-
n i admioistrador de sua mulher e tutor desuas
eutoadas.
Sorteados o Sr. depatados Rosa Malveira ; e
jurando este suspeieao. li sorteado o Sr. depulado pdem verdadeiramente considerar como o proto-
"S j i o j j ,.-, typo dos aperitivos caseiros, completamente effica-
Belatado oferto pelo Sr. desembargador Silva zes e absolutamente inofensivas. Na sua composi-
utmaraes. ,.! cao nio entra um s nico alomo de nenhuma
Apresentada a preliminar de prescripcao foi substancia mineral. Constitue, uois, o nico re-1
lia desprezada com o voto do Sr. presidente :__e.medio necessario para os desarranjos do estomago,
' !rt?, ". 2f!2SI! causa f'conflr->refmaridado do ventre, constipacao habitual, af-
inada a senlenca appellada rom o voto do Sr. pre- f^Se biliosas, dyspepsia e todas as enfermida-
des dos intestinos predominantes nos climas ca-
PSLICACQES A PEDIDO.
Srs. Hedactores. Constando-nos que o
Rv. Manoel Gomes de Brito, pretente ser
vigario d'esla freguezia de Bezerros, no
caso que o nosso digno vigario Rvd Trajano
de Figueiredo Lima, prefira oulra freguezia,
pedimos encarecidamente S. Exc. Rvm,
! que por tudo quanto ha sagrado, nao nos
[bote por vigario semelhante padre, avista
appeliado, os seus pr0cedimenlos na freguezia de Gra-
i vat. que sao pblicos
tal este padre que em lempo de epede-
mia nao se presta aos accommellidos com os
soccorros espirituaes, e se tivermos a infe-
liz sorte que seja nosso vigario, podemos
pedir Dos misericordia, e lamentamos
os habitantes que o tiverem por parodio.
Queiram Srs redactores dar publicidade a
, estas toscas linhas.
Bezerros 29 de outubro de 863.
O Bezerreme.
Pilulas vegelacs assucaradas de
Kcnip.
Entre as innumeraveis classes de pilulas, que
continuadamente se aiinunciam, estas s que se
ConsHlad provincial
lVii'l'lfiLiVJ d,)- ''"' resmas, dito de hullanda. marea grande, em I)TI I rjl/\n W\ PTiT}Tl(\
__==== cadernos, impressao de mappas, baixas e outros IIjAIUij lili IjilLUll
_ it'iii^K i. twnni^ .1. -in-. .-'.1.^,1 t.p.itk.... .. f>iM.all.i **J*A A V %J Al \/ VtaaJ<&# \J .
papis, e pennas de ac; sabio branco e araarello,
""~
H^gaWBWHi^g

iMi.oiii.iuw prunaciai. vassouras de piassaba, velas de cera e de esparma-
Rendimento do da 1 a 14......... 1?:52fS c,'le- e bich;if; hamburguezas, por aluguel.
dem do da 16................. l:b2ZOt> 0s pretendentes apresenlem-se no dia SO do cor-
*fi AtntriQ ren,l' Pe,as *u 'tras ^* roanhiia, com suas pro-
w:\M)&iSi> poStaS! nas qUaes declarem o menor prej e que
se sugeilara as condicoes dos precedentes contratos.
Hospital militar de Pernambuco, li de novem-
brode 1863.-Oescrivo
Jos Marcelino Aires du Fonseca.
i -onselho administrativo.
0 conselho administrativo para forneci-
mento do arsenal de guerra tem de comprar
i os objeclos seguintes:
Para o presidio de Fernando.
i garrafao com 2 caadas de Accol, i ar-
MOVIMENTO DO POETO.
Navios entrados no da 16.
Rio de Janeiro18 dias, polaca hespanhola Edu-
viges, de 201 toneladas, capitao J. Casis, cirai-
pagera 12, em lastro; a ordem.
Marseille40 das, barca ingleza Itecife, de 46 to
neladas, capitao Douglas, equipagem 16, carga
sal; a Saunders Rrotees C.
.Nao houveram sabidas.
B^^"W
EDITAES.
roba de agua raz, meia barrica de alvoiade,
alvaiade lino 2 arrobas, amarello france/. 8
libras, rame de ferro surtido 2 arrobas,
azeite doce para o servido da igreja 1 bar-
- ril de 5., broxas de caiar 3 duzias, peonas
O Dr. Tristao de Alcncar Araripe, offlcal da im- de aQO 3 duzias de caixas car vo de pedia
perial ordem da Rosa e juiz de dreito especial tone||a(Ja 3 canVetes de aparar penuas,
do commercio desta cidade do Recife de Per- _._. ___"1 .1 T.al-Z t n
nambuco e seu termo por Sua Magesiade tape- f?. ^ >C"aS dc ,| llbra 4 arrobas- col,a
rial e constiluctonaJ o Sr. D. Pedro II, a quera da Babia 2 arrobas, colla franceza i|2 arro-
Deos guarde, etc. ; ba, cordas de embira branca para andaime
z 600, felfa* de .landres dobradas i caixa,
1 dita de dita lina, lio de vela 1 arroba.
PERSOXAGENS.
Pantaleo Penleado....... O Sr. Flavio.
Carlos Penleado.......... Penante.
; Augusto de Azevedo...... > Guimaraes.
Julio da Silva............ Lessa.
Mnrianna................ n Sra. D. Camilla.
Julieta.................. D. Philomenn.
I Um criado............... O Sr. Araujo.
A scena passa-se em Lisboa.
poca actual.
Os beneficiados esperara recabar do respeitavel
publico desta cidade, sempre promplo a protgel-
as artes, toda a coadjuvacao possivel, visto ser esta'
a primeira vez que recor'rem sua valiosa protec-
cao.
Os bilhetes que restara estao desde j no escrip-
torio do theatro disposico do publico
Comccar s 8 horas
no dia 30 do inez
de novembro do correnle ano. se ha de arrematar
em praca deste juizo depois da audiencia respecti-
va a esc'rava Maria, de 2o annos de idade, avahada cobre em folha para cobrir rodas da casa
Bf.
Fazendas franceza e niiidezaa.
Qnarla-feira 1S du rorrentr.
Cals Irmaos farao leilao [or inierve.ni;ao do agen-
te Pestaa, de um variado sortiinenlo de, fazendas
francezas iirojirias do mercado como sejara : cas-
, sas organdys, casemiras para calcha e en corte.-,
: chapeos de feltro c de seda para hornera e seiiho-
| ra, meias, luvas, marroijuiis, pentes de divi-rsas
qualidades para senhora e para penteac, Misas
para rap de iinmeiisas qualidades a inuMos oa-
| tros arligos ajne sao indispensaveis ao sortiinenlo
j do legista e que se aeharao patentes ao BHie
I quarla-feira 18 do correnle pelas 10 horas dama
nhaa no seu arniazem ra lia Cmx n. 51.
!BB
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRA.SILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E* esperado dos portos do nor-
te at o da 18 do corrente o va-
por Tocan!ins, commandante o
LEILAO
t)u:irla-ft'ir;i 1Sdo cimente s 11 lio-
ras 11a i'iut i!.i Caileia 11. 51 arm;iz*iu
DK
t'iiiaat'in-u'i de louro de loja
de ferragew e de nina carroea
e li.
Pelo agente Ensebio se vender em leilao pelo
maior proco que se achar nina armaco de louro
propiia para raja de ferragem, miude'zas ou outro
estabeleeiinenlo, e um carro e boi bastante gran-
de e gordo, negocio este para cera rail ris que
mais vale.
IEIIAO
pnmeiro lente Pedro Ilviio-; !_ __ t >
lito Duarte. o qual depois da de- \ !m WlfW C BIB rarPO lie 4 ro 8S.
em 700*000, a qual escrava pertcncente a Per- familia i arrobas, enxadas portuguezas 200,1 '"^a do coslurae seguir para os portos do sul. 0J**** *ll,H'iua,far lcilao lr coma e risco
reir &Lnia, e vai a praca porevecuco que con- ,-nr,w ,,., u" 71 ^ZIS Desde ja recebem-se passage.ros e engaja-se a le quem pert.mcer de uinacasa sita na ruados
ira os meamos encaminha D. Zeferina Mana de Je- 'e,"-"es a- trro *> ocul ue alcance carga qilc 0 vapor poder conduz.r, a qual devera Pra/.eres bairro da Roa-Vista, cora 2 salas e 2
sus e na falta de lidiantes ser a arremacacu lei- '- Papel almafO greve 4 resma, dito (Jilo i ser embarcada no da de sua chegada, encommen- quarios, cosinha tora, um grande sotao com .!
ta pelo preco da adjudicarlo como abatiraeito res- dilo paulado 8 resmas, pinceis SSrtidOS 24, j das e dinheiro a ficto at o dia da sabida as 2 ho-' quartos e urna sala juana para o oilo, quinlal
pedivodaiei. peonas lapis 4 duzias, lapis de cor para ras: af"CH ru^.da Cruz h.1, escr.ptor.o de An-; murado cora cacimba so. e portao, a
Epara que chegue ao conliecimen.o de todos JJJ g' ^ de m[* ^m W^f* "*> Azovede &C
luciiia i., unmn uc iu lecife, capital atK), >ennas de ganco das de secretaria 200, ? ,Y ,,.,,
le miv-Hinliro -i -i .n ,, l'ara ivlta. Natal. Macau, Ararat
ae.n"v itregos caibraes 10 mil, ditos caixaes 10 mil.1 ,,
o imperio do ^ ., _,-_!, mU : ___ 1 OmgrJ
ao conliecimcnto de lodos
mandei passar o prsente edilal que ser afflxado .
nos lugares do costume e publicado i*la im- C-'s. pedias de amolar 1), ditas de altar fer-
prensa. lamenta 2, ditas de fuzi para graoadeira
Dado e passado nesia cidad: do Recift
da provincia de Pernambuco.. aos 16 de
de 1863, 42" da independencia e do hu
Brasil. ditos ripaes 1-0 mil, ditos de guarnigao2 mil,
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade. escri- ditos de meia guarnigo i mil, ditos fran-
vao osubscrev. eczes de l e 1|2 pollegada 10 libras, ditos
-r .- aT!' AkT?L"l?L Jdilos de 1 pollegada 10 libras, ditos ditos
Dr. Tristao de Menear Araripe, oficial
da imperial ordem da Rosa, juiz de direi-
to, especial do commercio da cidade do trinca| 8 |j|jra s
Recife e seu termo, capital da provincia j. en nian
de Pernambuco, por Sua Mageslade Im- duz J,^ C;|xaes 2 (luzias (1las de
penal e Constitucional, o Sr. .Pedro II, guarn,c5o 2 duziaS; dilas de meia dila ,
(i
pollegada 10
dita de 1|2 pollegada 10 libras, laxas de co-
bre 10 libras, taboas de louro 8 duzias,
COMPANHIA PERNAMRIXANA
DE
.HavegaeSo costelra a vapor.
aii, Cear e lranja.
'aguaribe, cominan-
daote Lobato, siguir aos porlos
indicados no dia 20 do correnle
s5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 19 : encomraendas,
passageiros e dinheiro a frele ato o dia da sabida
s 2 horas : escriplorio no Forte do Mattos n. 1.
qual foi aca-
bada |Kjueos dias, um elpante carro novo de '1
rodas com arreios : os |tretondentes podem Ota-
, mina-lo na coxeira do Sr. Antonio, ra da Paz.
ftaiiift-feira l) do correnle,
As 11 horas do dia |>orta da associacao com-
, mercial.
Para a Babia ral sabir com milita brevidade
ovelein patacho Jequilaia. por ter a maior parle
1 arrobas, verrumas caibraes da carga engajada, tara o resto que Ihe falta ira-: l*[^'n,'er9jcaixas com cki
ta-se com os consignatarios Palmeira es
a quem Deus guarde, etc.
Paco saber aos que o prsenle edital virem que
no dia 7 do mez de dezembro de correnle anuo, se
hade arrematar por venda a quera mais der era
praca publica deste juizo. depois da audiencia res-
pectiva a casa terrea meia agua n. 10, cita no bec-
co das Kacadas na estrada de Joao Fernandos Viei-
ra, com porta e janella na frente. 2 salas, !) ojear-
duzia, vermelhao H libras, vidros para cai-
xillios meia caixa, dilos para lampeo de
rua meia caixa, vinho branco engarrafado
10 medidas, trelo 10 libras, 1 sineta para
o servico das respectivas oficinas.
Quem quizer vender taes objeclos, apre-
tse urna pona no fundo, avahada em 2005, a'senlem as suas propostas em carta feixada
qual pertencente a Andr de Abreu Porto, e vai na secretaria do conselho administrativo s
praca por exeeuco que contra o mesmo enea- JQ noras da manhM do dia ,8 d(1 corren.
mmha Adarason Howie i C., e na falla de lici-
tantes ser a arreraatacao feta pelo prego da ad- *e m"-
judicagao cora o abatimenlo respectivo da iei. Sala das sessoes do conselbo adminisliati-
E para que cliegne ao conheciinenio de todos vo para fornecimento do arsenal de guerra,
mandei fazer o presento edilal que sera alixado || de noembro de 1803.
nos lugares do costume e publicado pela im-
prensa.
Dado e passado nesla cidade do Recife de Per-
nambuco aos 16 de novembro de 1863.Eu Mi-
noel de Carvalho Paes de Andrade, escrivao o
sidente.
UESIC.NAQAO DR OU.
Appellantes, os curadores Ascaesd* viuva Amo-
i-ira c Filhos : appellados. Heeriqae Ochoa Hijo ,\
Ouinp.
\ppellantes, os curadores de Amonm. Fragoso.
Sollos 6i C.; appellailo. Jos Francisco fiar-
role.
Appell inte, Antonio Jos de Siqueira : appella-
ibts, os administradores da massa fallida de Joao
Jos de Figueiredo.
Designado o primeiro dia til. s '
passacrks. /
Appellnnte, Antonio Pereira de CarvaH uima-
r.'i. s: appellados. os curadores da falknr/a de Joao
leaj de (ouva. /
Oificioii-se ao Sr. deseni Caetano San-
tiago para vir recelier este em que juiz
certa,
Appellantes. os curadores fiscaes da fallencia de
'>>-, Filhos A C ; appeliado. Bernhard Spiro.
DoSr. desembargador Villares ao Sr. desembar-
gador Silva Gijimftre-.
MSTBBHitCdgf.
Recorrente, Jos Tiburcio dos Santos; recorri-
da Antonio de Souza Ribeiro.
Ao 8r. desembargador Villares.
Appellante, o Dr. Fclippe Nery Collaco 4C.;
apitellado, Uaraldo Henriques de Mira.
M Si. desomliargador Silva Guimaraes.
AGQgAVOS.
VggrivJintc, D. Alejandrina Duperron ; agKra-
\ndu, Osear Destibeanx.
O Exai. Sr. conseltieiro presidente neuou nrovi-
n lento. '
Aggravante, Antonio Goneaives da 8ilva ; as-
fi-avados, ttalkman Irmaos 4 C.
Den provimento.
Af gravante, D. Francolina Amalia de Souza Ra,
iooic: aggravados, os administradores da mas&j
1 iHiaa de Jos Antonio da Silva Araujo.
Veguu provimento.
Xaoii mais se pode tratar n encerrou-v a* sessao
'' horas da tarde.
lidos.
Tomadas tempo evitara infallivulmente os
morilleros flagellos epidmicoseendmicos das re-
gioes interlropicaes. Sao as nicas pilulas que se;
vendem em frasquinhos de crystal, e a capa as-
sucarada que as cobre ronserva'suas virtudes e as
torna raui agradaveis ao paladar.
Acham-se em todas as boticas, drogueras e lojas
da-drogas no Imperio do Brasil.
COMMEBCIO.
JLlfandega
Rendimenlo do dia 1 a 14........ 181:07S499o
dem do da 16................. 11:0082o0
105:084*243
lluviuienl da allaadega
Volumes entrados eom fazendas...
c com gneros.
Volumes gaidos
f
com
cos
fazendas...
generes...
184
76
09
118
260
177
Descarregam no dia 17 de novembro.
Patacho americanoAid Wing farinha e gneros
de estiva,
Brigue inglezBiou-farnha-
I,ugre ingles-z< -mercadorias.
Brigue ingles ~H**rie(ta baeame.
Barca hn^eu-rSteUa -bacalh*.
Patacho 1 ngleiLapiting farinha.
importa^ao.
Vapor nacional Jagnarie, vindo dos porlos do
norte, manifestou o seguinte :
Do Aearacu.
318 meios de sola; a Almetda Goncalves de
Azevedo.
99 meios de sola a Jos Rodrigues Ferreira.
249 meios de sola; a ordem.
141 ditos dita; a Jos Joaquim da Silva Gomes.
subscrevi.
Tristao de Alcncar Araripe.
O III111. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumplimento da ordem do Exiu. Si. presi-
dente provincia, manda fazer publico, que no dia
26 do corrente. perante a junta da fazenda da mes-
ma thesouraria, se ha de arrematar, a quera por
menos fizer, os reparos da conservacSo da ponte do
Anjo, sob o rio de Serinhem." avahados em
U0J0Q0.
A arreraatacao ser feita na forma da lei provin-
cial n. 943 de" 15 de maio de 1854. e sob as clau-
sulas esperiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozeretn a essa arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
junta no dia cima mencionado, pelo meio dia,
competentemente habiliados.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 12 de novembro de 1863.
0 secretario.
A. F. da Annunciarao.
Clausulas especiaes para a arremaco.
l.J A obra ser executada de conforuiidade com |
o orcaniento approvado pelo conselho na importan-
cia de 440,5000.
2.* O arrematante dar principio a obra no praso
de 8 das contados da data da arreraatacao e a
concluir 20 dias depois.
3." O pagamento ser e(Tremado em urna s
presiaeo. (piando estiver concluido todo o ser-!
vico.
4.* Para o que nao estiver especificado nas pre-
sentes clausulas, nem no orcamento, seguir-se-ha
o que dispoe. a lei provincial 11. 286.
Conforme.
A. F. d'Annunciarao.
Pela thesouraria provincial se faz pblico,
qne a arretaraacao dos leparos urgentes da pon-
teslnha denominada do Guerra, no 3o lanro da
ramideacao da estrada do sul, para a villa do'Cabo,
foi transferida para o da 19 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 14 de novembro de 186(1.
O secretario.
A. F. d'Anntnu i/irin. .
Pela thesouraria provincial se faz publico, que
a arremaiaead dos reparos da ponto do Dlco-Pba
na estrada do Pao o"Albo, foi transferida para o di
26 do eorrimte.
Secretaria da thesouraria provincial de Pern
buco, 14 de novembro dc 1863.
O secretario,
^______________A. F. dAnn
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
SebattiSo Antonio do Heno Barros,
Venal secretario.
Conselho administrativo.
O conselbo administrativo para forneci-
mento do arsenal de guerra, tem de com-
prar os objeclos seguintes:
Para o hospital militar.
Vidros crvstaes de bocea larga dc !0 li-
bras 2i, vidros crystaes de bocea larga de
8 libras 24. vidros crystaes de bocea larga
de G libras 24, vidros crystaes de bocea lar-
ga de 4 libras 2i, vidros crystaes de bocea
larga de 2 libras 24, viflros de bocea estrei-
ta de meia onca 24, vijrosde bocea estreila
de 2 oitsew 24: todosjestes vidros devem
ter rolhas de vidro.
Quem quizer vende taes objeclos, a pre-
senten! as suas propostas em caria feixada
na secretaria do consejho, s 10 horas da
manh3a do dia 18 do crrente mez.
Sala das sessoes do causelho administrati-
vo para fornecimento do arsenal de guerra,
II de novembro de 1863.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
Sebastfao Antonio do Reuo Barros,
Vogal secretario.
Iriuual do commercio-
O Kxra. Sr. conselheiro presidente do tribunal
do commercio, nanda qee se publique a seguinte
disposico do art. 702 do regulamento n. 737 de 25
d novembro/de Ikod otlicial do justica que ii-
zer estaeo/em qualquer acto ou diligencia contra
as formulas proscriptas ueste regulamenio, ser
punido felo juiz, perante o qual servir na confor-
leidade&o art. 314. O mesmo regu'amento esto-
belece is formulas das cHaeies no cap. 1. tit. t
'fat S9, sendo que Ilegal qualquer inno-
011 alteraeio ordenada pelo juiz, eonsentindo
pratique o que a le prohibe, e manda pu-
largo do Corpo Santo n. 4. primeiro andar.
Aearae.
No dia 22 do mez crrenle com a carga (\au ti-
ver a bordo segu o hiate fSabrabmet, capto Pe-
reira : quem qui/.er carregar para o mencionado
porto dirijam-se a Caetano Cyrlaco da C. Moreila
& Irmo ou ao capitao.
Pataeho Regulo.
Segu para o Rio de Janeiro no dia 15 do cor-
rente, s recebe carea miada e escravos a frele
trata-se com
de Ohveira Azcv
da Cruz n. 1.
Para o Aracaty
sabe al o dia 22 o hiate Nicolao I: para carga e
passageires, trata se com Prente Vianna c C.
Porto.
Vai sahir com brevidade a milito veleira barca
portugueza Lima I, capitao Jos Francisco da Cu-
nha, por ter parte de seu carregaraento prompto,
para o resto e passageiros trata-se com os consig-
natarios Carvalho & Xogueira na rua do Apollo n.
20, ou com o capitao na praca.
LEIEAO
M
Carne salgada em barris e cha
preto.
Quinla-ffira du correnle.
O agente Pestaa vender por cunta de quera
rtencer 9 caixas com cha preto e barris eom
Beltrao. Itarne salgada em lotes a vontade dos comprado-
res : quinta-tiiira 1! do corrente s 10 horas da
manhaa no trapiche do barao do Livrament no
Forte do Mattos.
LEILAO
DE
Predios e ac^es.
O agente Alenla far leilao a requerimcnlu
dos admininistradores da massa fallida de Amo-
rim. Fragozo, Santos & C, e mandado do Illm. Sr.
L** v os seos consignatarios Antonio Luiz Dr. juiz especial do commercio, dos seguintes pre-
izevedo & C, no seu escriptorio rua d|0S : uia casa terree sita rua dos Pires n. 25.
Para o Porto
segu brevemente a veleira barca & Manoel II,
que lera engajado metade do seu carregamento :
para o restante e passageiros, a quemofferece bel-
los eommodos. dirijam-se aos consignatarios M. J.
Hamos e Silva t Genros, rua do Vigario n. 10.
primeiro andar.
Para o Porte.
O brigue portuguez Mercurio, segu prestos pa-
ra all, anda recebe alguma carga e passageiros a
frote, para o que tem excellentes eommodos : a
tratar com Marques Narros A <"- largo do Corpo
Santo n. 6, segundo andar, ou com o capitao Joa-
quim Gomes da Cruz.______________________
DECLABACOESi
O novo banco de Pernamba
credore* das mansas fallidas de Mesqij
r francisco Antonio Correia Cardse
re m seus ttulos no banco para se 1
I patilla verifleacao.
convida os
& Dutra,
ita-
a ros-
ita
Para o Rio de Janeiro pretende seguir com
muita breyidade o brigue nacional Almirante :
tem parte de seu carregamento prompto, e para o
resto que Ihe falta, trata-se com os seus consigna-
tarios Antonio Luiz de Ohveira Azevedo, no seu
escriptorio rua da Cruz n. 1.
Para a Baha vai sahir cora muita brevidade
a sumaca Hortencia, capitao Antonio Francisco
Monteiro, por ter a maior parto da carga engajada:
para o rosto que Ihe falta, trata-se eom os consig-
natarios Palmeira & Beltrao. largo do Corpo Santo
n. 4, primeiro andar.
LEILES.
Transferencia
DK
Agencia de leudes.
Francisco I. Pinto agente de leiloes desta praja
mudon o seu escriptorio da rua da
para a rua da Cruz n. 38.
Cdela n. 44
retara 16 de novembro de 1863.
Julio Guimares,
Secretario.
Directora dos obras milita- es.
' A directora das obras militares tendo de man-
dar proceeer a diversos coneertos e caiacao no
qnartel de Olinda, onde se acha alojado o 4. bata-1
Iho de artilharia a p, convida as pessoas que!
qnizerom incumbir-se de laes coneertos e caiajao \
a apreseotarem suas propostas das 10 horas ao
meio dia, nos dias 16, 1? e 18 do crrente mei, na
Ha
DK
novel*, eseravos, miudezas. ler-
ragens e perfumarlas.
HOalEe
O agente Pestaa legalmente aetorisado vender
com 2 salas, 2 quartos, cosinha fura, quinlal mu-
rado ; uina dila na mesma rua n. 27 cora os nies-
mos eommodos: uina dila na rua das Cruzes n.
14, com 2 salas. 2 quartos, cosinha fora, cora
quintal e sotao : uina casa terrea na rua do Pilar
n. 80, cora 2 salas, 3-quartos, cosinha fora, quin-
tal e cacimba; urna dita na mesma rua n 2*.
com 2 salas,3 quartos. quinlal e cacimba-, una
dita na mesma rua n. 3, com 2 salas, 2 quarlos.
, quintal e cacimba ; a quarta parte de urna casa
I terrea na mesma rua con 2 salas, 2 quartos. quin-
tal e cosinha fra : urna meia agua na rua dos
Guararapes n. 39. cora uina sala e 1 quarto; non
sobrado de 1 andar e sotao na rua do Sebo 11. 37.
cora 40 palmos de frente, 100 de fundo, lendti o
soto una sala e 5 quartos. o primeiro andar 2 sa-
lta e 3 quarlos e o andar terreo 2 salas, 4 qtiarfi s.
cacimba com lioraba, e junto a cosinha urna nen-
ala composta de 6 quartos. estribarla e outro>
muitos eommodos; un sitio de trras denomina-
do Landira do Boqueiro na Iliura freguezia dos
Afogados, com rasa de vivenda, contendo 2 salas.
4 quartos, coMha fora com urna saleta em se-
guida e um quarto, coxeira, estribara e mais 111:1
quarto, diversos arvoredos de fruclo, baixa para
eapim. viveiro e urna pequea casa de parta. 20
acedes da estrada de ferro, 20 ditas do novo banco
de Pernambuco, 67 ditas da corapanhia vigilan!'-.
54 ditas da caixa filial do banco do Brasil e 50
ditas da Conipauliia Pernambucana, tudo perten-
cente a dita massa.
Quinta-fcira 19 do corrente.
A* porta da associaco commercial s 11 horas.
aTOQS DIVERSOS.
PRECISASE
tle urna pesroa que traiiuza eo^-
rectamen te ti lmg ua f'rancezu,.
a tteixar carta com a Irttra Zy
na ivrnria n. 6 e 8 ti a pwm
da Inriependencvi
ArreuuVsr. o sitio, deuontinod. tes
i lecs na Soled a de, eom ama grande
casa dr* sobrado, roveias do e^iriaa-
rias, taoqurs para banho e neHlMiie
goa, a lr*lr no mesmo stii das 4
boresda taidoeadiante..
diu dreotoria, onde poderao reeoner os esclareei- i apurado gasto e aualidade. esnclhos, cama de j-
menles de qee neeossitarem a rospeile. caranda lavatorios, guarda roupa, guarda louca,
Direoloria das oliras militares de Pernambuco 14 candelabros, louca de jantar e de almoco, crystaes
de novembro de 10*3.Lu? Francisco do Paula de ele, tudo de gustos modernos, alguns escravos,
Albuquerque Maranhao, servindo de amanuense I diversas miu.lezas, ferragens e perfumaras alian-
Quinla-feira 10 da corrente, por sor a ultima > cando o agente que tudo ser vendido pelo maior
praea, ler de ser arrematado deiiois da audiencia preca offcrncido seat reserva na roa da Cadeia do
do Dr. juis municipal do termo da eidade de Olio- Recife n. 6, segundo andar, as 10 horas em poe
da, e por execucao de Thomaz Jos das Neves con- to sem falla
O Sr. los FraiiciM'o Pinto Guimaraes, cirur-
gio pela escola real de eirurgia de Lisboa, trans-
ferio a sua residencia para a rua Nova, n. 60, pit-
en leilao porconta e risco de quera pertem-er urna ">> indar, onde pode ser consultado todos os
riea moliilia de Jacaranda lampos de pedra de i 5'as m^ *? ** hor*s d* manhS. *"01^ de
doencas denominadas rurgtoas ou externas, es-
pecialmente daquellas, eu eujo tratmento mais
troquentemente interveaa a medicina operatoria.
CttltDO*
Precisa-oc de uaa, jae aatenea de semeo de si-
tie Um*at, danda-M 1201 por aano e comida. Na
roa Nava, sobrado n. 23, primeiro andar, das 0
horas da nmn^** at o amo dia.


MI ITII Ann
M



Diario de PemambHco i^ Mira 1* de *oenabro de 83.
Aro. 29.
\'m toja dos baraleiros na** do Quemado.
Velludo de cores azenda muito boa o covado ..
.15000, baldes de panno '35209, ditos de arcos
35000, 000 e 55000, laas do duas larguras
para vestido o covado 500 rs., chitas francezas o
LOTERA.
CASA A FORTUNA.
I irmandade da alias da matriz
da Boa Vista.
. Por orden da mesa.remedora convido a todos os
,' nossos maos para comparecerem na mesma ma-
Lotera extraordinaria.
Aos 10:000300 e 2:0005000.
O abaixo assignado vista do bom
AOS lOUOOXOttO.
O abaixo assignado faz scientc ao respe itawl
covado 300 rs., metim .braceo V*" ,*Llico que vendeu nos seus afortunados bilhetes
vestido o covadoia. 190 rs., tarlalanas de todas as granudos a sorte de 2:0005 e outras umitas de
cores a vara a 710 rs. W0S) 40ij c jgg da |oleria que M aoabou dc cx.
\" II. 2.), ti.'iliir em benelicie da Santa Casa da Misericordia,
Xm toja dos barateiros na wia do Qucimado. convida aos possuidores de ditos bilhetes a vi-
Cassa lisa pelle de ovo a peca 75500, cambraia rcin receber sous respectivos premios sera disron-
_*------ mi ----to algum em seu estabclecimento Cas* da Fortuna
lisa muito fina a. peca de 17 varas 105, cam
braiett peca de t jardas 75000, cambraia adamas-
cada para cortinado a peca de.22 varas 105000,
meias Unas para senhoras" a dtvzia 1*000, chales
de la ponta redonda 32*500.
Ao n. y.
\'m UJa dos barateiros na rna do Qucimado.
Bicos pretos de linho avara* 120, 160, 2i0, 320.mesmaforma 4>agas.
rs., franjas de seda a vara SO e 100 rs., galoes
de seda de algodo e de la para enfeites de vesti-
do a peca de 10 e 15 varas 400, )ot5es de seda
de velludo e de' fusfo duzias '120.
ra do Crespn- 23.
O niesmo tem exposto venda em sua dita casa
e as outras do- oostume, os noves e tes garantidos da sexta parte da primeira lotera
a beneficio da irmandade do Sensor Bom Jess
da Via Sacra, que se extrahir a .21 de corrente
inez, e as sortes que elles obliveren serao pela
Arma (mr para a'u$ar-se.
Aluga-se o armazem n. 40 da ra do Apollo, com
:K) palmos de frente c 130 de fundo, com a frente
para a ra do Apolla, e por preco commodo, pro-
prio para qualquer estabelecimeto : tratase com
Antonio Altes 'Barbosa, ra dos Cuararapes nume-
ro 28.
o uail'". do annivtrsnrio do
clntt-comutc> eial lora lugar na
noite d- da 22 do trrenle nn*z.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 12*000
Meios biluetes...... 6*000
Para as pessoas que coinprarem
de 100* para cima.
Bilhotes ........ 11*200
Meios......... 5*600
Manoel MarUtis'Fatza.
Aluga-se una casa
tratar com J. I. de M.
Trapiche, n 31- ______
era Bebiribe ; a
liego, na ra do
Coni|iaahia de -seguros marilims Ulil-
daile-l'uhlioa.
A directo desta companhia, eir. virtude do art.
U do-seos estatutos convida aos senhores accio-
nistas parase reuniretn om asscmWa geral segun-
Ia-feiral6 do corrente, ao meio ife:, neste escrip-
iiii io, ra da Cadeia n. 42. llecife 11 de novem-
brode.4863.-Os directores,
Feliciano Jos Gomes.
Domingos Rodrigues de Andrade.
ttoeledade de seguros mutuo*
de vida insta! la da pelo Ha neo
i' nijt na eidade do Porto.
Os agsntes nesla eidade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C., escriptorio na ra
da Cruz do Recife n. 1, estao autorisidos desde j
a tomar asignaturas e prestar todos as esclarcci-
mentos que Harem Decenarios, as pes*oas que de
sejarom coneorrer para to til e benfica empre.
za, segurando um futuro lisongeiro aos associados
Armazem para e^tabeleeiniento.
Aluga-se na rna da Fraia o armazem da casa
n. 57, ora- fundos para o -caes do liamos : trata-
se no Campo Verde n. 20. sobrado do Dr. Miranda
- Temile, arrematade.em praea do juizo com-
mereiaj urna casa terrea a. 43, na ra .das Calca-
das, com a. frente para o largo da fortaleza, preci-
sare saber se. solo foreiro ; e por ieso quem
se achar eotuesse direito, dirija-se ao caes do Ra-
mos n. -.
Aluga-se a leja do sobrado n. 193 da ra Im-
perial, e o armazem n. 4 da ra de Apollo : na ra
da Aurora n. 36.__________________________
- Aluga-se o primeiro andar dama do Crespo
| n. 23 ; a tratar na toja.______________________
Regulador dc cscripluiaco commer-
cial por partidas dliradas.
Organisado na enfade do Porto e cenforme o c-
digo do commercio que nos rege, obra bem des-
cripta e resumida para chegar ao alcance de
qualquer intelligencia, contendo alm disso 4 ta-
bellas comparativas dos antigos pesos, para com
os do novo svstema mtrico decimal vice-versa
e do auligo 'systema de medidas, ella muito
precisa e necessaria e mui principalmente agora
que poucos se acham ao par das medidas que
actualmente se tem adoptado e por isso-muito til
ao commercio, pelas quaes explicacyies poden fa-
zer de prompto qualquer redueco, e custa a in-
significante quantia de 1*200 cada cxemplar ra
da Cruz n. 18, escriptorio de Jos Joaqun Lima
Bairo._______________________
Aluga-se o sitio da senhora viuva.Carvalho,
em S. Jos do Manguinho, com boa casa de sobra-
do, esteitada, quartos para criados, estribarla,
frueteiras, baixa de capin : no mesmo sitio se di-
r quem trata do aluguel. _________________
Um bom sitio.
S. A. Prez arrenda pelo tempo que se .conven-
cionar, o seu sitio com boa casa de morada, co-
cheira, baixa dc capim, boa agua, muitos arvore-
dos de fructo, e alen de outras commodidades tem
a excellenle visinhanca de pessoas estimaveis. As
condicofcs do arrendamenlo serSo favoraveis, c tra-
ta-se a. praea da Independencia ns. 13 el-5, ou no
paleo d'l'aaif.o n. 24.
aro-
triz terca-feira 17 de corrente, pelas 8 horas da Cimento que tem tido o plano das loteras
S^SSST^^S^^^ ^traordin.rias e a pedido de qaasi todos os
misso. Consistorio da .irmandade das almas da compradores de JJlllietes, tem exposto a
matric da Boa-Vista 14 de novembro de 1863. venda para ser extrabid por esse plano, no
Manoel Domjnguesda Silva Jnior, dia 21 doorrenle mez, os bilhetes da sex-
_________________bscriyao:________. taparte da primeira lotera a beneficio da
- O Sr. Antonio Flnladelpho Pereira Butra tem greja de s Bom Jesus da yia-Sacra, O que
urna ncommenda no esonptorio de Claudio J>u- tr;,J|I1[r;ir nn r/lnootftrin da iarPi. A ve
beux, na ra do Imperador n. 43, vinda do Acara- tera lugar no consistorio (la Igreja de IV. S.
cu ao vapor aguaree. do Rosireo da freguena de Santo Antonio.
Os bilhetes e meios acham-se venda na
respectiva tbejjouraria ra do Crespo n. 15
e as casas commissionadas ra da Impera-
triz n. M, loja do Sr. Pimentel; ra Direita
, n. 3, botica do Sr. Chagas; ra estreita do
Rosanio n. i2, typographia do Sr. Mira e ra
da Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 10:0005000 at 290000
1 serao pagos urna hora depois da extraeco
] e os ouiros no dia seguinte depois da distri-
' buico das listas.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
-se ellectivamente dinlwiro a premio sob
penhores de ouro e prata : na ra Augusta n. 4o
se dir quem da.
Julia Candida de Souza Marlins, autorisada
polo Exia. Sr.aresidenle da provincia para ensinar
pariicularraeda primeiras letras, coser, bordar, e
tudo o mais que se faz misterao sexo femenino, tem
aberto soa aula na freguezia da Boa-Vista, no lu-
gar daSoledade, casa n. 4, e por isso oerece seus
servicosaos pais de familia que delles se queiram
utiliSar.
Alugara-se dous escraves ptimos cozinhei-
ros : quem pretender aluga-los, dirija-se ao hotel
Puech que encontrar com quem tratar.
WIS0,
O proprictano dc engenhei'ernandes, dp.'regue-
zia de Ipojuca, faz ver ao pnlico. que nao costu-
mando vender o netn trocar avallos e burros de
sna propriedade, os tem feri hoje en eiaia da
anea com o nome de seu engocho Fernandes: por-
tanto, ocavalloou burro que appareeer om a dita
marca en poder de alguma BOSSOa que ni*! seja
portador seu, est sem duvida jfnrtado, e por isso
pode ser tomado, e ser avisado o dito proprielario
Lourenco Bezerra de eqoeira (- ralcaoli, que ya-
pari qual.juer Jespeza, e licar agradecido a quem
0 lizer.
O baoltarel Francisco Gomes Velloso
de Albuqoecgue Lias lem o seu escriptorio
de advogaciar; na ra do Qtximado n. fe?,
ailar. Crete para a prnca e Pedro II-
Alega-se para passzr a testa, ori mesmo po;-
mo, i: Mr se vei-le, um sitio no ligar da Torre,
.i margem doria rom todas as commodidades pas-
ea) is, >'. alm > fraeteiraf de diversas qunlidades,
tem urna baixa de napu que tastenta al d-jm
anillos : a tratar rom o propriafario il" mesmo
Jos Mariaanode Jboejaergue, ma do Impera-
da n. 12.
:-j^pi(j|o!;i!g;-ll5':|l'5H:l
BMHOS PU5LIC0S.
fPateo^o Carino.
A abertura deste estabeleeiment das
6 Aoras da uianhta at, As 10 da noite, o
Bjialieo eaeontrac banhos frios, m. nos
Aoamanhecer do dia quinta-feira 29 de ou-
tubro uitim furtaram-me dous cavallos do cerca-
do reveso do eugenho Aldea do termo do Itio For-
moso, e |>arao eonseguirem arrombaram a cerca
do dito reveso, oude sao recolbidos noite .os ca-
vallos do pasto do mesmo eugenho, mesmo para se
evitaren os furtos. Os referidos cavallos sao do
servieo da. mesma fazenda, sao crias do iiesmo
pasto,' muito novos c j castrados, e ainda nao fo-
ram marcados com ferro do engenho, e por con-
seguinte nenhuma marca de ferro tem. m del-
les ruco pombo com a cliaa e cauda da mesma
cor, i: de tamanho regular, uro pouco galgo por
anida nao tstar refaito por ser muito novo, tem o
pescoco lino, e a cabeca alguma cousa acarnera-
da, tem os dous cseos dos ps e de urna das maos
pretos, e o da outra mao liranco, estando este ra-
xado, e quamo a andares, principiava a andar bai-
xo, sendo bem vivo a.esporas. O outro eavallo
eastanho amareilo de tamanho regular, chinas e
cauda de cabellos bem pretos, lem os dous ps
pinico aleados de branco, tem em um dos lados da
barriga "um caroco resultado da mordedura de
cobra, e tem urna pequea bebde ainda nova em
um olho, e lem passo curio : rogo s autoridades
polici.iis qoe rerommendem seus agentes a ap-
prehensao dos ditos cavallos onde forem encontra-
dos ; a captura dos ladrees para serem proeessa-
dos na forma proscripta no decreto n. 10110 do 1."
de setembro de 1M50, tanto mais quanto se deu
arrombamento do reveso, onde estavam recolbi-
dos. o qual qualilka o crite de roubo. Devendo
qaaJqimr resaltado ser eomroonicado ao adminis-
trador daquelle engenho Cosme .los de Mello Mas-
carehas, ou ao preprietano do mesmo engenho o
Kaqnes sobre Portnga1
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Pertuense nesta eidade, saca -ef-
foctivamente por todos os paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
Jualquer somma, vista e a prazo, po-
endo logo es saejues a prazo serem des-
contados no mesmo banco, na razao de 4
por rento aoanno aos portadores que as-
sim lhe convier : as ras do Crespo n.
% ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
mmMm mmwm i
Ainda est por alugar-se a casa terrea n. 20
da ra da Florentina, com commodos para nina
grande familia, tem duas boas salas, 6 quartos,
cozinh. fra, um bello terrado, e mais 2 quartos
fora, ptima agua de gasto que serve para lavar
roupa, tem um grande quintal murado, onde ha
um encllente parreiral, e tem propor?6es para
entreter a quem gostar de plantacoes: quem a
quizer ver, pode procurar ao Sr. Gurjao, dono da
fabrica de carros na rna da Florentina n. 16, onde
estao as chaves, e a tratar com o proprielaro na
ra do Hospicio n. 30, em qualquer dia at as 9
horas da manhfta, e das 3 s 6 da .arde.
IEiXIM5PiP4R4T0K0s|
Geograpliia e historia
^rithmetica e geometra
Franccz.
A' ra do Queimado n. 30, primeiro
andar, dc 1 horaem diante.
Aluguel
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da ra
Velha n. 20 : a tratar na ra do Sebo n. 24.
Aluga-se
um primeiro andar em boa ra, com tanto que na
sala de jantar haja um terraeo que fique inteira-
mentc collocado ao norte : no armazem da ruada
Cadeia do iHecife n. 60.
lo illastrado publico.
Graves ataques de erysipela na pema es-
querda.
Eu declaro publicamente que me adiando gra-
vemente enfermo por diversos ataques que tinha
solTrido de erysipela na perna esquerda, e isto
com dores agndissimas pelo longo espado de qtiatro
anuos, e tendo usado dc varios remedios, nao foi
bastante, at que informado de varias pessoas, re-
solvi-me a applicar as chapas medkinacs do Sr.
Ricardo Kirk, escriptorio na ra do Parto n. 119,
e mil graeas sejam dadas ao mesmo senhor, que
no tiequeo espaco dc dous mezes fiquei inteira-
mente bom. O que aco publico para iustrucco
de quem convier.
Antonio Aleixo Pires.
Beconhecidaverdadeiraaassignatura supra pelo
tabcllio.
Pedro Jos de Castro.
Antonio Dorado Pereira
brasileiro, vai a Europa,
da Cunha, subdito
Anda est por alugar o sobrado de um andar
da ra de Aguas-Verdes n. 55, assim como a casa
terrea da ra do Destino n. 4, que se alugam por
mdicos precos : na ra do Queimado n. 46. ou
na rna do Hospicio n. 26.___________________
O Sr. thesoureiro da irmandade de N. S. do
Rosario da freguezia de Santo Antonio, venba rece-
ber do abaixo assignado. naqualidade dc testamn-
telo des bens do fallecido Manoel do Livramento
Silva Mello, as alfaias pertencentes a S. Dominaos
de (jiismao. que estavam extraviadas, do eontrnio
sarao as mesmas alfaias reeolhidas ao leposito pu-
blico. Recife 12 de novembro de 1863.
Jos Theodoro Gomes.
Aluga-se um* boa escrava, cozinheira do or-
dinario de urna casa, e compra na ra : no becco
das Barrciras, na Boa-Vista n. 2.
. .'" 'asist *S#*S^*:' yagy******
-^ li inaiidailc dc \ossa Senhora da W
desembargador Caetano Jos da Silva Santiago, na So (' i;il:' '&
regedora
j& ra do Hospicio n. 50.
Caetano Jos da Silva Santiago.
*4 ^
*W.
e medicinaes, a ventado das petsoascom
todo o asseo posaweL
Precisase alugar un inoleque de 2 a 16
kanes pura fazer compras em casa de poaeafami-| C,
lia : na travessa da Madre de Dos n. o".
Ainda est por.alugar-se o segundo an
dar do sobrado n. 44, em a ra da Auro
ra : quem o quizar dirija-re esta
rar. ra ca n. 10.
Alagaaopar fesa oa por auno o sitia da Pi(n-
beira, nc lugar da (^a*a Forte, com boa casa, com
muitos comi.'.r.dos. com cochetra, estribara e quar-
toa para criado 4 feitoe, cacimba com muito boa
-igua de tbor, an|ue, i todo murado, com milita*
arvores de frur'> : a tratar na rna do-Sebo n. 24.
Precisa-sede urna ama forra cu captiva que
sailj.icozinhar. liv-ir e eiigflinmar pai'a urna casa
de pooca familia na rna da Trempe n. 2.
-- D-se I&tt.jqros casa : quem pcetapaer annmaeie a sua moraiia pa-
ja, ser orocurado.
Contina a haver pao de senteio novo nos das
quai'tas e sabbados de cada semana, na padaria
em Santo Amaro ae p da fundicao, na ra da im-
mps 1 perairiz n. 22, e ra do Brum, confronte o chafa-
| riz n. 47, ra das Cruzes, deposito n. 39, na Pas-
sagem, taberna da esquina do Sr. Bento, que vira
para o Remedio, e no armazem progreso, largo
da Peona n. 10.
Aitciicao
Na ra .estreita-do Rosario n. J9 trabalha-se com
toda a perfeicao iim bordados e llores de todas as
qualidades,apromptam-se ricas grinaldas e boquets
para casamentos e liailes, d-se tambem Jices dc
II ires s familias que quizercm apren 1er.
- a botica do pateo do Carmo |recisa-se de
goitandeiras para vender pelas ras, alugadas..
A mesa regedora da irmandade d
tiossa Seiihora da Soledade erecta na
;l\ igreja de Xossa Senhora do Livramento
desta eidade, convida a todos os nossos
i ebarissimos irinios para comparecerem
*S\; no consistorio ila mesma, domingo 15 do
'jj/ corrente as 10 horas, para reunidos em
l- i mesa geral eleger os novos funecionarios
*"*. que tem de reger a mesma no anno de
M de 1863 a 1864.
S A mesma avisa ao respeitavel ])iiblico
,,Hr que transferio a sua festa para o dia 9
do corrente por motivos imprevistos.
iJ Consistorio da irmandade de Nossa
,.v< Senhora da Soledade 14 de novembro de
rM 18G:J-
f$ Sebastiao Pereira da Silva,
M> Secretario.
Alugam-se o segundo e terceiro andares e
sotas do sobrado .da ra da Cadeia Velha n. 27
proprio para pequeua familia : a tratar na loja do
mesmo.



Procisi se de orna ma para comprar .e cosi-
Mhar : na -rii.-i do Precia-sed'; uny. ama que saiha co>uliar,
lavar eeng^mmar parn o servieo de urna casa de
fanaUfa : O roa larga dt Rosario n. 32, loja de
louea junto a botica do e. Hartholagaeu.
iuita a^reneo.
Preeisa-sc de 7505 sobre hypotheca em nina
esema e A fias a saber : t moleque de 9 anno*,
outro de Ji, outro de 4 aunas e urna moleea de 8
ditos, sendo os.servicos da escrava em eompensa-
?o aos juros. Q mesmo (tiacisa de 2005 pelos
servicos de urna escrava boa lavadeira e quitan-
deira : quem pie rado.
- Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rna v
do Amorim n. 58 : a tratar na ra da Cadeia n.
62 segundo andar.
mmmm
i'recisa-se de uro catxeiro para taberna que le-
sha pratica : a tratar na rna Imperial n. 37.
Meia-agna de |f rs.
Va ra do Gazometro ha para alugar urna meia-
^gua propria para iiomem solteiro, leudo porta e
janell com vidraga, e quintal na frente com por-
lo : a tratar no 'sobrado ao norte da fabrica
margera do rio ; onde existe outra de ireco de
1250OO com mais commodos.
ATTEfcCiO.
l.ma fa/-.a estrangeira com k.ibilitacoes /azer a edueaeao de meninas de distiuccao, dese-
ja receber em sua casa para leccionar pai tieu-
larmente smnote o limitado numero de 6 meni-
nas; a mesma senhora pede aos pais de familia
que Ibes conliarom suas flhas dse dirigirem para
infornucoes na ra do Queimado n. 18, loja do
Sr. Manoel Ribeiro de Carvalho.
-r Madama Mazeron, franceza, se^ae para o Rio
An Janeiro Precisa-se de urna ama que seja boa cosi-
nlieira para casa de um strangeiro solteiro : a
tratar oa ra da Cadeia do Recife n. 40, loja de
relojoejfo.
Preeisa-se de urna ama qae saiba cosinhar :
na ruado Apollo n. 4.
AMA.
Preeisa-se de urna ama para cosinhar em urna
casa de familia: na ra Imperial n. 215.
Precisa-se de uma criada que compre, coej-
nhe e engomroe para casa de pouca familia
quem pretender dirija-s^ a ra de Hortas sobrado
n-W,
Di. W. H M. GRAH
Detitisla iiMcricano
/iMa do Imperad r n G3.
Otfci-ece ao respeitavel publico de Pernambuco
os servicos de sua prolisso % todas as operaos
da bocea e denles serao executadas com o ultimo
e muito nielhorado principio de cirurgia dental.
Pre*ine-se ao respeitavel publico que os es
cravos Benedicto e Martinho, pertencentes ao Sr-
commendadar Francisco Antonio Pereira da Silva'
ainda estao sujeitos penhora feita requerimen-
to de Antonio oncals-es Pereira Lima, e conse-
guntemente nao podem ser alienados em quanto
mesmo Antonio Goncalves nao se ackar integral-
n* aquelle commendador. Faco o presente annun-
cio por ter sido informado pelo Sr. Dr. Jos Joa-
quim de Souza, que o mesmo commendador tinha
lhe mandado o cscravo Martinho para o mesmo
Dr. Souza embarcar para o Bio de Janeiro oara ser
vendido para pagamento do dito Dr., deixando o
dito Dr. de assim fazer per saber da penhora que
exista sobre os escravos Benedicto e Martinho.
Antonie Gonealves Pereira Lima.
mmwfflmi
DENTISTA DE PARS
19Jtu Nova-i9
Frederieo Gautier, cirurgiSo dentista,
faz todas as operacoes de sua arb?, e col-
loea dentes aitificiaes, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos denuncio.
~ Precisa-se fallar coiu o Sr. Igaacio
Viera de Mello, escrvo em Nazarelh,
sobre negocio que o mesmo senhor nao
ignora; na roa do Crespo loja de fa-
zendas n. 7.
,- QTerece-se urna mulher para ama de leite
paW casa de familia, e outra para eozinhar, lavar
e enWnmar
na ra do Vigario n. 24.
ATBta-se a casa terrea n. .90 na ra Vellia :
(nemapretender,dirija-se rua Direita n 91, pri-
meiro audaX ou na la je rna ao p.
Precisa-se de um ama : ua ra da Roda n. 54.
AO publico.
Est aberta a subscripcao na praea da Indepen-
dencia ns. 6 e 8, para a impressao de um peridi-
co politizo, que ter por titulo o Nacional. O seu
programte j foi manifestado nos Diarios de Per-
nambuco do mez de sitemhrn prximo passado.
Subscreve-se a 35 por trimestre, pagos adiantado.
Logo que se obtenha sufficieole numero de assig-
nantes sahir o primeiro numero. O Nacional ser
publicado em grande formato, duas vetes por se-
'mana.
Precisa-se de urna ama para engoramar : na
ra estreita do Rosario n. 31, tereeiro andar.
A ma.
Offercee-se urna mulher para servieo d urna
casa, que cosinha perfeitamente, engomma sen
falta, desempenha qualquer servieo que se fiffere-
ca, com informacao de sua Conducta : na ra das
Crunes n. 28._________________________
Quem annunciou querer 2005 dando por
garante urna preta a qual Vendedeira e lava-
dora procure .rua da lnperatriz n. 64._______
Aluga-se urna casa e sitio na travessa da Ca-
punga para a Baixa Verde, defronte do portao do
sitio do Arantes : tratase por anno ou por festa,
no mesmo sitio, ou na ra da Cadeia do Recife n.
25, sobrado.
838333 8$8 H& WSS MfflffiiMM
Companhia Odelidade de g|
seguros marltlmosSe ter-
restres estabeleeloa no
Rio de Janeiro.
AGKNTE6 EM PKPNAMBUCO
.Intonio Luiz de Oliveira Azevedo k ('..
competentemente autorisados pela direc
toria da companhia de seguros Fidelid!
de, tomam seguros de navios, mercad
rias e predios no seu escriptorio rna d
Cruz n .1.
TINTURARA.
Tioge-se com perfeicao para qualqu
cor, e o mais barato possivel: na ra do
Rangel n. 38, segundo andar.
Precisase dem* ama: na roa
estreita do osario n. 3'.
No armazem da aurora brilhante se dir
quem compra duas casas terreas em boa ra na
Boa-Vista.
Compra-se una armacio iavernisadade loja
de miudezas ou de fazendas : a tratar na ra da
Cruzes n. 29.
Compra-se urna escrava com habilidades e
urna dita de meia idade, bem como urna carroca
para boi ainda que seja usada: na Capunga ra
das Crioulas as casas novas a tratar com B. Jos
Leitao.__________________________
Compra-se efectivamente ouro e prata em
I obras velhas: na praea da Independencia n. ,
! loa de bilhetes.
esappareceu de um quintal da ra do La- ( *=:------------------------------------------------
marao, freguezia da Boa-Vista, urna ovelhinha to- lloillOPa-SP COOre lataO Velno '
da branca com 4 mezes de nascida, tem t^urin- j Cadeia iln Hwifo 2( nri-
gunhos no pescoco e doussignaes as orelhas, rud Od LdULid uu im.uh u. uu, pri
consta que foi pegada na praea da Boa-Vista : meir andar.
quem della souber far o favor dc dar parte ou -------^--------------------------^sn------------
leva-la taberna da dita ra do Carnario, que se- Compra-se um escravo de J5 a 40 annos, que
r bem recompensado entenda do servieo de sitio : na ra do (jueimado
---------=^ L. --_ ^.^ ------- n. 13, primeiro andar.
Desappareceu da ra larga $p Rosario n. 31 um
relogio patente suisso, ca|a de prata n. 18933 e em
bom estado: por isso previne-se a qualquer pessoa
que estejhe for offerecido, ou o encontrar em al-
guma mao, fazer o favor de o apprehender e levar'
a ra cima dita, que ser generosamente recom-!
pensado.
VENDAS.
D-se dinheiro a juros
3. 12, taberna.
no paleo do Terco
ATTEff40.
O abaixo assignado, na qualldade de balancea-
dor e escrlpturario, faz selente ao respeitavel cor
Geugraphia, fraocez, e escripiuracao Bautas novas.
por partidas dobradas. \ venrhm0out'hBo'deaux'
O Francez Ernest Regs, ex professor no collegio c,oaa3.c.
de Bemfica, da licoes particulares. Os oplintos re- Conservas alimentarias,
sultados conseguidos |>or seu systema o recommen- Fructas em calda,
dam altamente confianca dos pais de familia,
pois em tres mezes eonseguiojquc os meninos les
sem com muita pureza e traduzissem correctamen-
te. Para as informaeoes podem dlrigir-se ra
da Cadeia n. 18. ______________________
PARA AliUGAR
7 H14 Di GHiZ 7
Chegou pelo ultimo paquete francez os artigos
segui lites :
cripturacao para poder ftxar dilo b.ilanco.
14 de novembro de 1863.
Jeronvmo Jos da Costa.
Recife
Licores franeezes e de diversas qualidades.
Mllho e farinha.
.\o armazem da aurora brilhante ha saceos gran-
des com milho novo a 3oOO, ditos com farinha
igual a de Muribeca a 4A e 4j^00 e de farelo-
de l.isii ia muito lino, a 45, 4^500 e -'i-j. gomrna
nova a 200 a arroba u 80 e 100 rs. a libra, e
mais amiga a b>280 a arroba e 60 rs. a libra.
Lavas de pellica.
Aluga-se urna boa casa terrea com grande sotao i Vendem-se luvas de pellica Jouvn para senho-
cacimba, na ra e homem, chegadas no ultimo vapor do cor-
;ua com com- rente mez, para o baile do club comraer ial de 22
da Palma n. do corrente mez : na ra do Queimado n. 63, loja
na ra do do l>eija llor.
_________ Vende-se una armaeFto de taberna feita a
moderna, com todos os prtences, propria para
qualquer principiante, por ser em urna das me-
Ihores ras de negocio : a tratar na ra da Santa
Cruz n. 9.
leite
Offerece-se nina mulher com bastante
para criar : na ra de Aguas-Verdes n. 10._____
Alugam-se duas casas na Capunga Nova, ra
da Amizade ns. 35 e 37, cujas casas sao feitas a
moderna e tem grandes quintaes com alguns ps
de arvoredos, e boas cacimbas : a tratar na ra
da Santa Cruz n. i, taberna.
Dis>olucao de sociedade.
Os abaixo assignados participam ao respeitavel
corpo do commercio, que dissolveram e liquidaran!
a sociedade que tinham na loja de ferragens da
roa Nova n. 37, quegyrou na razao de Silva Bas-
tos & C, no dia 5 de outubro prximo passado ;
fieando o socio Sebastiao Jos da Silva com o esta-
helecimentoe todo o activo, e responsavel pelo pas-: ,.e#peiiavel publico que o Sr. Guilherme Carneiro
sivo, sahindo o socio Antonio Leite de Magalhaes da Cunn;l deMU de ser caxero de sua casa desde
Bastos quite. Beeife 13 de novembro de 1863. i nontein 15 do corrente.
Sebastiao Jos da Silva. -----------------------'-----------------------.
Antonio Leite de Magalhaes Bastos | -. Aluga-se por prego commodo o segundo an- v.ndem-se 600 couros
Aviso.
Jos Antonio dos Santos Coelho faz sciente ao
Cheguem liqm dardo.
Chitas largas lianiburguezas muito finas e cores
escuras e fixas a 280 rs. o covado. por terem um
pequeo principio de mofo, o qual garntese que
na primeira lavagem larga, cheguem a esta espan-
tosa pecl lincha antes que se acabe : na loja da ra
da Madre de Dos n. 16 defronte da guarda da
alfandega. ________________
FOLHINHAS PARA 1864,
Na piaa da Independencia livraiia ns. t
e 8, acham-se venda as seguinies
dar da ra da Senzala Velha
loja do mesmo.
n-48
a tratar na ;|75 0 (.tnt0
curtidos dc catira a
na ra larga do Rosario n. 36.
----------------------------------- Vende-se urna parte do sobrado na ra da
Monte 1'O 1'OpUlar l'criiaill'ill alio. Senzala Velha n. 110e juntamente com um grande
O directorio desta Associacao, penhorado pela armazem e um pedaco de terreno, tudo junto, nr,
,'" deferencia com que fora tratado pelas differentes m do dito sobrado: quem pretender comprar,
nhas para 18b4 impressas nesla lypograplna sociedades desta capital que se dignaram a aplau-
em excellente lypo e bom papel, I dir o seu anniversario, aceitando o convite que
Folhinlia de porla contendo as mate- i pelo mesmo directorio fora feita para assistir a
riasdocostume, rs.........ICO "* oseu padroeiro easessao magna que leve
Dita de algbeira, sob a epgraphe
religiosa, contendo alm das materias
do costume os sete passos da Paixo
de Nosso Senhor Jesus Chrislo ; cnti-
cos do mez Mariano; bymnos e jacula-
torias ao Santssmo Sacramento; ex-
plicacoes de diversas oracoes-, cora
Seraphica; exercicio ao sagrado cora-
Qo de Mara; oracao para visitar as
igrejas no da da Porciuncula ; oraciio
para escolha dos estados da vida ; dita
a Senhora da Concerno ; e med tacos
sobre a reforma da conscienca, rs. .
Dita de dita, sob a epgrapheVa-
riedade, contendo alm das materias do
costme : receits uleis e necessarias
aos diversos mysterios da vida; physi-
ca e recreativa ao alcance de todos:
pilheras e ralices; poesas : charadas;
mximas e pensamentos colligidos por
um curioso..............
lugar na manhaa do dia 15 do fluente mez, cor-
I dialmente agradece s referidas sociedades to su-
; bida concideracao, e o mesmo faz a todas as pes-
soas que se dignaran tomar parte nessa festa;
! prevalecendo-se da presente opportunidade para
apresentar contraria de N. S. do Livramente seus
| protestos de. gratido pelo acolhimento que deram,
assintiudo que em sua greja se eelebrasse a mis-
] sa, comparecendo em corpo de irmandade aquella
ceremonia.
Secretaria do Monte Pi Popular Pernambucano
16 de novembro de 1863.
Bcrnardino Falcode Souza.
1. secretario.
sobrado:
dirija-se ra Ja Palma n. 58,
quem tratar.
que achara com
Vendem-se bolachas grandes muito boas a
f a arroba, e a 100 rs. a libra : na ra larga do
Rosario n. 16, padaria do Sr. Manoel Antonio de
Jess. _____________________________
Vendem-se canos para esgoto de telhados a
500 rs. o palmo, assim como jarras finas de todos
os tamaitos, jarrocs de 2 4 baldes, potes de
Goianna, e toda a qualidade de louea vidrada e de
barro, e tambem quartinhas de todas as qualida-
des : na ra do Rangel n. 4, loja._____________
ptima paragem.
Vende-se a taberna da ra da Concordia n. 12 :
a tratar na mesma.
20
Leite no Keclfe.
Do dia 17 em diante haver leite liquido a 320
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel \ fs_ a ,rarrafa n0 0itao do predio da ra da Cadeia
publico e especialmente ao corpo do commerao, do Het.ife ein ,reDte do ()assadico.
3-20
queoSr. Antonio Rento de Campos deixou de ter
gerencia nos seus negocios desde o dia 12 do cor-1
rente mez. Recife 14 deriovembro de 1863.
Jos de Castro Redondo.
.^.^^^ i
Alug-ase a casa terrea na ra Augusta n. 90, \
com 6 quartos, 2 salas, corredor ao lado, cosinha
fra, com quintal e cacimba : quem a pretender, i
dirija-se ra do Vigario n. 12.
quem tratar.
0 Dr. Carolino Francisco de Luna San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17, 2 o andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do dia e da noite
para o exercicio de sua prolisso dc me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da larde, devem ser
dei vados por escripto. referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias do interior, proseguc, com o
maior affineo, no das mais diliceis e deli-
cadas operacoes. como sejam dos orgos
ouriuarios, dos olhos, partos, etc.
GURA COMPLETA
OSUDA
sem resguardo nem iucomniotlo
Vende-se urna taberna com todos os prten-
ces, na estrada qpva do Cachang, passan a se-
cunda bonilia : quem pretender, dirija-se i ra do
Rosario da Boa-vista n. 56, que achara com quem
tratar. _i_______________
Vendem-se meias de linho puro, assim como
que "achara"com : de algodo, fabricadas no Porto pelo melhor fabri-
\ cante : na ra da Cadeia do Recife, loja de ferra-
gens n. 64.
Vendem-se os arreios completos para nm
bello eavallo, visto ser da melhor que tem viudo
a esta praea, e apenas servido duas vetea, orna
carteira d madeira de una s face com sen ban-
co. duas mesas, sendo urna propria para escriva-
BrV'incla ll1 nern*. m"a, pares de eaixilhos com vidros para janelias,
-u, ^.1 .* _.. de palmas, nina serpentina ou tipoia, cpula e pao,
Suje.to por muitos annos, invanavelmente a mu-: J JEg vreJm[ll \.innmim
tos ataques de erysipela na perna resolv.-me a 8,f "' J ( j p'enlia n. ;
mezes a applicar as chapas medicinaos do S>\ lli- <""" '
cardo Kirk, escriptorio na ra do Parto n. 119, e Vendem-se no armazem n. 53 da rna da
pnsso alteslar que desde este lempo nao tenho tidodeia quatro v<
A-
3005
A pessoa que precisa de
(paira appa-
reeer ra do Trapiche Novo n. 2, primeiro andar.
Pede-se a pessoa que levou da taberna do
Lima na ra Nova, um guarda sol inglez, de cor
verde, que o mande entregar na mesma, do con-
trario se publicar o nome, pois foi visto pelo cai-
xetro. _____
Os abaixo assignados siiinmamente gratos
agradecem cordialmente aos Srs. major, officiaes
e inferiores do 7o batalhao de infamara as manei-
ras delicadas com que sempre os trataram durante
o tempo que estiveram recolbidos no estado maior
no quartel das Cinco Fontas. Recife, 16 de no-
vembro de 1863.Joaquim Jos da Costa Fajozes
Jnior.Jos Laurentino de Azevedo.
Fugio desde 7 do corrente o mulato Thomaz,
que representa ter de 35 40 annos, seceo do
corpo, baixo, bem barbado, com alguns cabellos
Illancos, anda as vezes vestido dc paleto! e chapeo
preto e outras em mangas de camisa ou com pale-
tot de estopa, usando sempre de bengala preta,
pedreiro e intitula-se de forro, tem sido visto no
Recife e arrabaldes, sendo que no Manguinho mo-
ra mi e irmaos del le e foi escravo de Antonio
Luiz dos Santos : quem o pegar leve-o ra do
Imperador n. 45, terceiro andar
Confraria de Manta Rila de
Csala.
Sao convidados todos os irmaos desta confraria
comparecerem no dia 18 do corrente, as 5 horas
da tarde, no consistorio da mesma, afim de em
mesa geral reunidos elegerem o novo escrvo e
thesoureiro que tem de funecionar no anno de 1863
a 1864. Consistorio da veneravel confraria de
Santa Rita de Canil 14 de novembro de 1863.
Angelo Custodio Rodrigues Franca.,
Escrivao. j
Precisa-se de 4005 a premio, hypolhecando-
se por seguranca 4 escravos que valem mais de >
2:000 : quem quizer annuncie.
ataque algum. Vendem-se ciaveiros de todos os tamanhas,
fc por ser verdade lhe passo o presente atiesta- |ancos, cor de rosa e avelludados, assim como
do para ser condecido do publico. Rio de Janei- uma mefaije amareilo de ps movis, propria para
ro.Joio Diogo Estevo da Silva. engommado, com 10 palmos de comprimento sobre
5 de largura : na rna da Alegra n. 1. ___
A vinva Rosa Jane, achando-se de volta a sua
residencia, na ra de Santa Rita n. 61, e j no lo-
do reslabelecida dos seus ncommodns de saude,
avisa ao respeitavel publico que contina no exer-
cieio de soa arte de dentista.
BAMCO f I .IO
ESTARELECIDO NACIDADE DO PORTO
Agentes em Pernaubuco
Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
Sacam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa lilial em Lisboa, e agencias em Fi-
gueira, Coimbra, Aveiro, Vizeu, Villa-
Real, Regoa, Vianna de Castello, Guima-
res, Rarcellos, Lamego, Cevilha, Braga,
Penaflel, Braganca, Amarante, Angra,
Ilha da Terceira, Una de Faias, Ilha da
Madeira, Villa do Conde, Valenca, Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves e Fafe,, a
oito dias vista ou ao prazo que se convn-
conar, no seu escriptorio ra da Cru>
n. i.
Joo Correia Lima prop5e-se a ensinar cm sua
Aluga-se por preco mdico animalmente ou
somente pelo tempo da festa, um pequeo sitio con-
tiguo a povoaco de Beberibe, com casa de taipa,
redilicada de novo, muitas arvores fructferas, pas-! casa e em casas particulares msica vocal e ns-
sando pelos fundos do mesmo os dous rios grande trumental pessoas de ambos os sexos, e isto por
e pequeo : na ra Augusta n. 43. prego muito commodo ; para o que podero pro-
' curar na ra de Santa Isabel n. 3, a qualquer hora.
Dlssolucao de sociedade.
Os abaixo assignados participam ao respeitavel
publico e com e peeialidade ao respeitavel corpo
do commercio, que dissolveram amigavelmente a
sociedade que tinham celebrado no estabelecimen-
to de ferragens, sito na ra Nova desta eidade n.
33, que gyrou na razao social de Fortunato Ribeiro
Bastos & C, fieando o socio Fortunato Ribeiro Bas-
tos com o estabeleci ment e todo o seu activo, bem
como obrigado ao passivo que exisiia. Recife 13
de novembro de 1863. Sebastiao Jos da Silva.
I Fortunato Ribeiro Bastos.
nhiwi 'mui '
Ordena terceira de S. Francisco
do Recife.
A mesa da mesma orden tendo recebido um
convite de S. Exc. Rvm. para acompanhar a pro-
issao de Corpus Christi, e sendo aceito o mesmo,
roga a todos os seus ebarissimos irmaos o seu com-
paiecimento no dia 22 do corrente, pelas 3 horas
'.d tarde, paramentadas com seus hbitos para o
inix8cima dito. Secretoria 16 de novembro de
1863O secretario,
Jos Goncalves Malveira.
Aluga-se a casa da mi de S. Miguel dos
Afogados n. 28 : a tratar na ra Imperial n. 98.
COMPRAS.
Compram-se frascos vasios que tenham ser
vido a agua de colonia : na praea da Boa-Vista n.
26, deposito de assucar do Monteiro.__________
Garrales pequeos
^^'hebdoro do Lago, consenhor do sitio de Be-1 No armazem da aurora brilhante largo da Santa
beribe.oVt'ora perlencenle ao casal do finado Joo' Cruz n. 84, compra-se garrafoes pequeos a 380.
Manoe de sSrqueira, cojo sitio Mmita-se com o que "
logo depois d^'adelra, outr'ora perlenceu ao Sr.
eeessidadede vender de suas par-
30 a 32 palmos de frente, com
los, o que faz publico para o co-
lmis consenbores, 00 caso de
ir tanto por unto do que- macha n-
terceiro.
Doradlas, tem
tes daquelle si ti;
os respectivos
nbecimento d
quererem pref
do por offart'
Compra-se urna escrava moca que seja boa
costureira e engommadeira : na roa do Crespo
numero 17,
Escravos.
Compram-se escravos crioulos de 12 a 20 an-
pos de idade, sendo de bonita figura, paga-se bem :
na ra do Queimado o, i3, primeiro aDdar.
LOJA 110 NtEGlJ{\
NA
Itua ilo Queimado n 2.
Vendem-se pecas de madapoln fino enfesiado
com 12 jardas por 55, cambraia pela a 500 rs. a
vara, meias de seda de peso para meninas de 1 a
10 annos a 25 o par, lindas e linissimas cambraias
de cores a 360 rs. o covado, palelots de alpaca de
todos os tamaitos para meninos, ditos para ho-
mem a 35, 4 e 55, chitas francezas de bons pa-
drees e cores lixas a 320 e 360 o covado, ditas es-
trellas a 240 o covado, balees de arcos a 35500 o
45, ganga de quadrinhos a 320 o covado, coberto-
res de algodo a 15200 cada un, lencos de cassa a
80 rs., 100, 120, 160 e 200 rs., e outras muitas fa-
zendas que se vende por barato preco, e de tudo
se dar amostras : na ra do Qucimado, loja do
Preguiea n. 2.
Quem deixar de comprar caixas com duas ar-
robas de batatas, pelo barato preco de 25, bandas
e perfeilamente novas : na ra d Madre de Dos
ns. 5 e 9._________________
Venda de urna hypotheca.
Os liquidalai'ios da niassa fallida de
Jos Antonio Basto mmhIciii a hvpothe-
ca que tem nos engenhos Multo Gmsso
e Cajabuss no termo de Serinheni no
valor de 31:8358911 rs.; tratar as
c*as a rna do Trapiche n. 34.
farinha de mandioca.
Vende-*S^rinha de mandioca da melhor e
mais nova janoste mercado : no escriptorio
do Manoel Ig. iijwira & Filho largo do
Corpo Santo n. .1 bo^do do palhabote Via-
mao e briguc .1 6a, ancoihdos no caes do haro
do Livramento.__________\ __________
Cal de Lisboa e potassa da
Russla.
Vende-se na ra da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o antigo e acreditado deposito da
mesma ra n. 12, ambos os gneros sao novos e
legtimos, e se vendem a pre$o mais barato do que
outra qualquer parte. ______
Potassa da Russla.
Acaba de chegar para o antigo e acreditado de-
posito da ra da Cadeia do Recito n. 5, proceden-
te de Haraburg em 7 do corrente pef.a escuna
Marta.
Cofre inglez.
Vende-se por preco commodo um cofre inglez,
prova de fogo, e muito seguro, com pouco uso :
na ra Direita, padaria n. 84._______________
-v Chegeu rap de Lisboa novo, que se vende
em libras : na roa do Imperador n. 28._______
Vendem-se voltas de amareilo para portas
circulares de 6 I|2 palmos de laifura, pelo bdra-
to preco de 55 cada uma : na rna do Imperador
_-- MOTIL ADiO




Diario ge Pernaiubuco Terca felra I 3 de \ovcuabro de .S*3.
ft




K AGUIA BRANCA.
Recebeu por esse ultimo pagele:
Novascarteiras com as excellentes agulbas,
inglezas.
Agalhas parisienses tambera de excellen-
te qualidade.
Trancelins finos de borracha para en-
flar.
Botes prelos de velludo, maiores e me- Branca n. 8.
orespara vestido. Voltas pelas
Tra^nhas blancas estre,tinhasd'algod3oJ:^ AglliaBjSat desejadas voltas
45RA DIREITA45
Eia, rapsiada, coragem! parece queja
entregastes os vossos joanetes aos duros sei-
xos do pessimo calcamento da nossa cidade!
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'Aguia S se observa em vossos ps botinas acalca-
nhadas e gastas at ultima sola; sapates
rasgados e quasi sem saltos nem tanto'
A AGUIA BRANCA.
Da ra do Queimi 8, reaebeu.
Tnico oriental de Kemp.
Agua florida Murray & Lanman.
Dita de flor de laranja Condray.
Dita de rosasdito.
Bolsas para vlagcns.
38RA DO IMPERADOR38
i
_>
_V
Agua Datfiir.il de Condllae,
para enfeites de vestido.
Escovas cabos demadeira. osso e mad re-
Derola para limpar pentes.
Pincs para p de arroz.
As lindas livellas cora podras para cintos.
Outras de fino domado e esmaltadas.
Oulrasde madreperola.
Bonitos leques de madreperola com bou-
quet.
Outros leques d'osso com bouquet.
Outrn; de plumas, cora cabos d'osso e
madreperola, e outros finalmente de snda-
lo e preos.
Pentes de borracha, recortados, domados
e com pedras para meninas e outros de tar-
turuga.
Meias de seda para baptisados.
Lindas touquinhas de fil de linho. cam-
braia eselim, mu bem enfeitadas para crian-
cas.
Ligas de seda para senhora, e ditas para
manguitos, ou meninas.
Livrinlios para notas
Novos tercos de cornalina, e coral lapida-
do com cruz de prala etc.
Bonitas pulseiras brancas de perolas fal-
sas, e outros de chapa de crystal o pago,
com lisias douradas. \
Tudo na loja d'Aguia Branca, ra O Quei-
mado n. 8.
Labyrinthos e bicos,
to baratos que o comprador admira.
Esses labyrinthos e bicos se applicam a
diversas obras e lins, e sempre com provei-
to por suas fortides e durado, hoje mais
do que nunca, convem a todas as familias
~compra-los para aproveilarem-se da ooca-
8O ein que elles sao vendidos lo baratos
que na verdade o comprador admira, e bem
se pode dizer que por taes precos nunca
mais haver. Os labyrinthos sao de novos
e bonitos desenhos das larguras %' ,l,alr0
dedos at mais de um palmo (ou tres a dez
pollegadas) e os limitados precos sao de \$
a 3j i pera de dez varas, variando estes em
pi peas, niui eompndas o (fraudas.
pela.-
de precc
quantidade de
tamtle
to Vinde ra Direita munir-vos de excel
lente calcado com 40 e at (50 por cento
menos do seu valor attendei:
Borzeguins, Nantes, bezerro e va-
queta 2 e meia solas ....
Borzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta e lustre 2 solas. .
8^00,
80000j
0,5000
50000
4000
3550G
_800
800
1,5400
10000
1,0000
300
relacio a largura. A ser em varas llavera : nhora com G palmos de largura a 30 o cova-
mui pequeas differencas, os bicos porm; ,i0 ra da Imperatriz n. 56.
principiam por mais estreitos al a maior; \ Arara vende chitas a 210 rs. o eovado. Sao
largura dos labyrinthos, e os precos s5o j largas,
igualmente proporcionados. Isso pois, as-j Vendein-se chitas francezas com toque de
simsiraplesinentedito talvez pouca conside- i mofo, que se extinguir logo que forem la-
rac/io mereca, [>orm para desengaar e fa-
zer o comprador reconhecer a verdade e a-
GRANDE LIQUIDACAO
DE
Fazendas francezas e inylozas todas de superior
qualidade: se vende milito barato para liqui-
dar rentas, na loja e anuazem do Arara, ra
da Imperatriz n. 56 de Loureuro Pereira Cui-: Borzeguins, francez e hamburguez,
maraes. bezerro, lustre e couro de por-
dirande pechlachaLa de O co 70 e........
paliaos a 1#S0. i Sapates, Nantes, bezerro e vaque-
Vende-se las transparentes de cores lisas j ta 2 e meia solas.....50500
e quadros com 9 palmos de largura, pro- {Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
prias para capas e vestidos para senhora a i bezerro 2 solas......
10280 o eovado ; laazinhas muito finas de j Sapates, Nantes, sola e vira. .
quadrinhos a 280 e 320 rs. o eovado ; di- Ditos para menina, com laco.
tas transparentes muito tinas a 400 e 500 Ditos de ditas, de cores. .
rs o eovado ; gorgurao de cordito, fazenda: Sapatos para senhora e homem,
fina e nova para vestidos por ser padro de \ tapete.........
seda por 300 rs. o eovado. S na Arara; Sapatos de borracha para senhora.
ha este grande sortimento de lazinhas e dem idem para meninas. .
outras multas fazendas, que trouxe o ultimo Sapatos de lustre para senhora. .
vapor vindo da Europa : ra da Imperatriz, dem de lustre s avessas .
n. 30, loja do Arara de Mondes Guimares.!
\ Arara vende ricos vestidos bordados brancos
a 120000 rs.
Vendem-se ricos e finos vestidos brancos
bordados a 120 ; ditos mais singelos a 50 ;
ditos de barras de tarlatana de cores a 30 ;,
ditos de barras a 30 e muito baratos : ra
da Imperatriz n. 36, loja da Arara.
ais perliineha na AraraCassas a 200 rs. e eo-
vado.
Vendem-se cassas organdys de quadros
cor de cale e mais claros a 200 rs. o cova-1
do ; ditas francezas linas a 240, 280 e 320 j
rs. o eovado; cortes de chitas de cores a
20 ; ditas francezas com pequeo toque de
mofo a 2500 ; cortes de lisiados famosissi-
mos com 44 covados a 30 (s na Arara,
ra da Imperatriz n. 56): cortes de casimi-
ra entestada para calca a 10, 10600 e 20,.
tendo cada corte 1 vara e 3 quartas, cousa
muito barata : casmirasinas a 20500 e 30;
o corte; casimiras lisas para capas de se-
a quebradeira nao deve chegar at este pon- m i 7nrlP rna nireitu munir-vos de excel- *lgumas caixas de instrumentos cirurgicos para operacocs de Maticu e Chamere.
mmmm mmmmm mssmm mmmmm mmmmmwg
t*ltUA 1IO QlIEOIAlM>--9 I
Custodio, Cd' valho A C.
80
10!O>
100
80
to
80
Superiores oarmbraias organdvs *s mais finas que tem vindo a esta tidade e pelo in-
significante preco de 300 rs. cada m eovado ou 500 rs. a vara, vende-se por este baixe
preco em virluc da grande quantidade que compramos.
Vendein mais.
Vino fil de linho para vestido a 300 rs. a vara.
Baldes de arcos e madapolao a 3,5300.
ntremelos bordados fazenda fina peca por 15300.
Finas tiras bordadas urna peca 15*00.
Vestuario.
Completos para meninos pelo preco de 35300.
Cortes
de casemira de cures pelo barato proco de 25500.
Superiores laazintoas modernas para vestido a 440 rs. o eovado.
Chales.
Chales de merino de 25500 '85 cadaum.
Guardanapos para mesa duzia ij>-
Lences de panno de liuhu lino a i$.
Cobrtas de chita indiana a 25-
A GRADE Gl
PARA TODAS AS MOLESTIAS 1(0
Hift I flSll E JS DrTUfltl

AS
preciar o extremo da barateza, e necessano
que se diiijam com dinlieiro; a ra do
Queimado loja d'Aguia Branca n. 8.
Gra\a econmica.
A aguia branca acaba de receber essa acredita-
ra graxa econmica, cuja superioridade est ge-
'almente reconhecida ; essa boa graxa se torna
-ecommendada, tanto porque o calcado lustrado
Cornelia totea pcrfoltamente lustroso ao menos
ores dias sem necessidade de novo unto, como
mesan porque sua preparaela appropriada para
amaciar e conservar o couro ; ella vem em caixi-
r.has e harrizinhos, e acha-se venda na ra do
Queimado n. 8, loja daguiabranca, aos rezumidos
feos de 400, 300 e 640 rs.
Pentes dtl concha.
Comas novas e diversas puarnices de
nenies que a Aguia Branca acaba de rece-
ber, veto tambem urna pequea qualidade
de pentes de concha que com graca e acer-
vadas, e as cores sao fixas a 2iO e 280 rs.
o eovado ; ditas litnpas e linas a 320, 3t0
e 400 rs. o eovado ; lencos brancos rom
barra de cores linas a 160 rs, cada um : di
tos brancos todos a 200 rs.; ditos muito li-
nos a 320 re ; meias para homem a 200 e
240 rs. o par ; ditas para senhora a 320 e
400 rs. : na loja da Arara, ra da Impera-1
triz n. 56, de Mendos Guimares.
Seilinlias (la Arara a 560 rs. o eovado.
Vendem-se sedinhas para vestidos de se-
nhora a 560 rs. o eovado : cassa-seda com
palmas solas a 500 rs. o eovado ; chalina
decores para vestidos de senlioras a 500
rs. o eovado ; sarja de cores para vestidos a |
400 rs. o eovado ra da Imperatriz, loja do;
Arara n, 56, & Mondes Guimares.
Plalas Vegetaes Assiicaradas
De Kemp
Compostas Jos dois novos resinokles chama-
dos Pooophxuva e Leptandrija, e inteira-
mente livres miiieracs ou metallicos, s-io de grande utll-
DYSPEPSIA, ENCHAQECA,
ron>li]>a^o ou Prizio do Ventre,
PDECIMENTOS DO FIGADO.
Affecces Biliosas,
HEIOaRHOIBAS, COUCA,
Ictericia,
FEBRE GASTRO-KEPATICA,
i; nutras riifmiiidaiirs anlogas.
RLA M OliEIMDO LOJA i\. \\.
KftTKJ K.%* PARA N.l li
Loja de fazenda de Augaso Frederico dos Sants Porto.
A este estabelecimeiito chegou um ojrtimo sortimento de esleirs para sala, cora diversas larguras
I-e da mais superior qualidade parte.
KBfeites para bailes.
Os mais delicados enfeites para baile se encontram nesh> cstabelecimento ; assim como:
Ll'VAS DE PELLICA DE JOVIN para homens -o senlioras.
CHAPEOS DE PAL1IA DA ITALIA para senlioras, entestados com linissimas tlres.
CHAPEOS DE PALHA para meninas, enfeilados com finos veos de seda, filas e flores fiaas.
CHAPEOS DE PALHA DE COR para homens a 1200, 3.j00 e 4000.
CHAPEOS DE SEDA PRETOS para twmens, d superior qualidade a 95000 e 05000.
CAMISAS INGLESAS cem cxilarinhos, pcitos epunhos, de linho, a H-5000 a duzia.
CAPAS DE SEDAPRETA para senderas, enfehadas, e'lwrdadas de diversos postes de 225 a :0-500(!.
CAPAS ESCOCESAS DE CASEMIRA .para seuwras, enfeitadas cm ricas franjas, a KM e 280000.
Tem este estabeleennento sortimento de fazendos de seda, laa, linho e alpodao, como sejam >edas
pretas e de cores, laas para vestidos, panos finos, casemiras pretas e de cores, toalhas para me-a c
guardanapesde linho,bramante largo para lcnce, platilhas, baliesde arcse de musselina, esguioes,
damascos, chitas e outras muas fazendas que ce vendeti por mdicos precos : na ra do Queimado
n. 11.
QIJINQUILIIAHIAS,
Ra do Queimado, ns. 49 e 55, lojas-de
Jos Bigodinho, queiram vr ver as fazendas
que abaixo annuncio, pois todas eu garanto
que sao muito novas e barassimas.
Pe?as de trancas de algodao de to-
das as cores a......
Duzias de linhas com 200 jardas. A-
lexandre, a .
Carritel de qualquer numero .
Varas de aspas para balo ....
Caixas com superior obreias a .
Ditas de colla.......
1 libra de la surtida.....i#KK>
i libra de 18a muito superior em co-
res e qualidade......7)5000
Pares de botes de punho a ... 120
Pares de sapatos de tranca 1180
Ditos muito superiores, a 1 Caixas e pacotes de papel amisade de
cores a. ..., 600
Duzia de meias muito linas para se-
nhora a........3500
Duzia de ditas cruas para homem a 2*400
Uarallios muito finos para voitaiete a
Carrileis de linha com 100 jardas a
Carlees de linha branca e de cores a
Novellos de linha com 400 jardas a
Ditos muito grandes com 800 jar-
das a .......
Cartees de linha com 200 jardas (est
se acabando a .....
Vara de lita preta com colxetes para
vestido, e tem um resto parda a
RA 110 OWHtft Pi- fi
toja do beija-Oor.
Facas para meninos.
Vendem-se faquinhas para meninos a 240 rs^
ditas de bataneo de um botao a 280 rs. o talher.
(iravatas jiara senbora.
Vendem-se grvalas para senhora a 500, uM),
1800 e 15200.
Filas para defarum de vestido.
Vendem-se fitas para debrum, de linho, a 240 a
peca com 10 varas, dita-dc laa a OO e 15, dita de
seda a 15200.
Pcimas ilc ani ilc labra.
Vendem-se caixinhas -de pennas de ac de 200
rs. a 15-
Lia para bordar.
EDisvMC^iditmentcsubsttaindoosaiit'igoa Vende-se I5t para bordar, de coros claras, a
pursaut.-s dn'ihficos. ':6$800 a libra.
. Seeras delcliro.
A venda as boticas de Caors & Barboza. Vendl,ni.se bonecas decora a soo r>. e i?, ditas
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo A C, rea ,mm mascara de tirar e botara 640 e-BOO rs., ditas
Uada|K)lao franre entestado a -1000 rs. da Madre de Dos.
Vendem-se pecas de madapolao francez
enfestdo a l| e 3500 : pecas de algodao
.admente servem para o moderno atado dos encorpado a 4i, 43000 e 53O0 ; madajio-
cabellos Elles sao de bonitos e agradareis, lo ingiez com 24 jardas marca Itainha a 70|;
moldes, edetamanho peqoenino como con-jdito Elephante a 7->i00 : dito o. 6 fino a
vem para o (im que sao. E' esta a prmei- 8 : dito n 7 a ): dito de cora dourada
i vez que d'elles aqai chegam, por isso a I0# todos estes madapoles sao muito fi-
que a moda novissima. pelo que ganha- nos: na da Imperatriz, loja da
rio a palma aquellas senlioras que primei-; Men.les GubnarSes
ro se apresentarem com elles, para o que i Im>> frita da Arara.
os mandaro comprar na lo;a d'Aguia Bran- Veodem-se uniformes complete
ea, ra do Queimado, n. 8. sejam : paletots, calcas, coletos
capellas. flores e luvas enfoita- ingtea a 105 e 10; calcas
das para nolvas. meia casimira a 2 : paletots
Pelo ullimo paquete a Aguia-branca rece- cores a 2-jOOO, e
bea os artigos cima sempre necessarins s ditos
ooms, os uuaes. segundo suas recommen- roulas de bramante francezas a 1- bOO .fitas a2i
daces. vieram de muito goslo, e perfeita- tde linho a 2* : aniisas francezas a lWO;
mente delicados. "'^ muil "1,as a -* e 2'>'00 "
As capellas sao de mu moderno e agr- nho inglezas :t
davel molde, de finas flores, e acabadas com mem a 500,
todo o esmero: as flores solas sao exire-"
wmnw,.
Na ra do Queimado n. 43, esquina que
ooUa para a Congregago ; peckincka.
Paletots de c^eniira a S, 6, 7. 8, 12 e l't^HM)
Arara de ditos de panno pretoe azul a 9, 10, 12, 10 e 185
ditos -nbrreasacos de panno milito lino por 245 e
ditos de alpaca preta a de cordao a 4, o. Ge
sem mascara a 200, 400, oOO e 800 rs.
Colberes de metal principe.
Yendem-sc colhes de metal principe muito linas
a 15 e 25000 paradla, ditas para sopa a 2J0O0 e
45800, eoncha para assucar a 640.
taras e narfot;.
Vendem-se facas e garfo's a 25S00 a duzia, ditas
cravadas a 35, ditas de cabos pretos a 3520, ditas
decabosdebalanco eotn 2 botocs a8J(800, dhas
para luce a 34600, ditas de um botao a 65, ditas
para doce a 55.
Chicote para cavallo.
85, .
7-5, calcas de cascnras de cores a 5, 6, 7 e 85000,
, como (lil;i, |PI:;.|as a 6Vm. 8. 9 e 105, paletots de fasta* de casimira e naga a 25. 25800.:'. e 45, calcas e cohetes de Metas para wiiliora.
, 1..--,,., todas as lualidadcs e por preco muito barato, leu- Vendcm-se meias para senhora nimio ti
1 1 m In roes lle fro linho a pr.ro de'25800 e 35, cober- 25400 a duzia, ditas para meninas a 2$.
He 01 im 01 l,s de ebda a 25240, coiiarinhos de linho puro a Papel de diversas ijualiilades.
3 : tutos luaiicos a 3# ; (im> rs. cada um, eoutros muitos objectos queso Vende-se papel de belra dourada a 15200,
Casimira a 3|$500 6 Id; se- avista; e para isso se pede a attencao dos fre- amizade a 640 eflOOrs., dito paulado a 15.
_______ adamascado a 900 rs.
dias de li-
para ho-
800 rs. e 15 : collerinhos de
linho a 500 rs:: roa da Imperatriz n. 5G.
Kales ila Arara a 30000 rs.
Vendem-se balos de arcos americanos de
O. 25, 30 e 40 arcos a 335, 3;5500, 4> e
4500 : ditos de brilhantina a U ditos de
mmente delicadas e proprias para enfeites
ie vestidos e mesmo ornatos de cabera, sen-
do delgadas vergonteas de jasmin' :aohos de
resedas, e outras estimadas llor. ^
\s luvas, porm, apreciada obra de Jou-
nn, parece que forana enfeitadas pelas mes- ralriz, loja da Arara n. ;(>.
mas fabricantes das mimosas flores, pois que
em costo e perfeicao nada deixam a desejar.
Sao essas, pois, as capellas, flores e luvas. muito linos a 800 rs.; ditos ^estampados a
a ltoOO : ra da
a\('lindadas a X:>IHI0.
(aslinlias de Lisboa.
Vendem-se eastanhas chepadas no vapor francez
Novare a 160 rs. a libra, c eanastras de 40 a 50
libras a 65500 : na ra da Cadea do Recife nu-
mero 25.
V %
T-y* Una do Crespo a. 5. .;
Na loja de Marcelino & C, vende-se %
a bareec de laa de cores muito linos a 320
dita muito grandes a 36' O : ra da Impe-
d Arara n. 50.
Lencos de seda a SOO rs.
Vendem-se loncos de seda de urna s cor
que correspondem riqueza do vestido, for-11*, ditos com franjas
mam o completo asseio e perfeicao, e ele-Imperatriz ir56.
vam a p-alhardia da candida noiva. Resta A Arara vende rwas colchas
gmenle que os pretendentes munidos de; Vendem-se ricas ilchas; avellu.ladas para
ainheiro dirijam-se alegre e espacosa lo-;cama a 8?; ditas de tostar, a ojl: ditas de
ja d'Ajuia-branca, ra do Queimado n. 8 I damasco a W; ditas de chita 25: ra da
KaieudarioN seiuanaes : pelo i Imperatriz n. 5(5.
preco todo* comprar. Cortes de la a 3,600 1,000 e 5,000 rs
Sao desumma utilidade esses kalendariosj Vendem-se cortes de aa para seniora
semanaes, porque mostrara acertadamente a 33000, 45 e H ; ditos de organdys linos
a data e dias da semana, sem o continuo tra-' a (J c 1& : camismhas muito linas para se-
balho de bolir nelles diariamente, pelo que nhora a 45500 com grvala e tambem goi-
se tornam necessarios e preferiveis a todos linhas muito finas para senhora com botao-
os outros; tanto para casas de familias, co- itabos a 320 rs. ; ditos de golla e punho a
mo mesmo para qualquer outra parte, e t$ : ra da Imperatriz o. ;i6, loja da Arara
principalmente por 500 rs. cada um: na! de Mendes Guimares
ra do Queimado, loja d'Aguia-branca, n. 8.
^ rs. o eovado. ditos lisos com 8 palmos de Cj* largura, ricos soutembarques de cam- vjy
|p braia bordado e outras militas fazendas
fifS do gosto proprias para o tempo de testa M
*^ ehegadas ueste ultimo vapor, precos mui- 1
^ lo em conta.
Ainelopes de ili\crsas qnalidades.
Vendem-se avelopes brancos a 800 rs., ditos de
cores a 640, ditos para cartao de visita a 500 rs.,
ditos pretos a 800 rs.
Tendo recebido ricos apparelhos para senhora,
de mousacos c camaplieos verdadeiros, vendem-se,
de mousaco a 65500, dito de caniapheo a 135-
Dminos e visporas.
Vendem-se dminos muito linos a 15100 e 15400 i primeiro andar, para tratar, de manhaa al as 10
e visporas a 800 e 15. I horas, de larde das 3 ate as 6.
Enfeites.
Vendem-se enfeites de redes para senhora de di-!
versas cores, a 15000, ditos pretos a 900 rs:, sendo!
Ghoni peto vapor:
% para o Titilante, na do Cres-
po n. .
At-qne ebegaraea as muito desojadas cascarri-
lhasde todas as corescom una litinha de velludo
no centro, cousa muito elegante para enfeite, assim
cmodo outras qnahdades, e precos muito razoa-
veis : no vigilante, ra do Crespo, 11. 7.
Para dar de minio.
Chegaram as nquissimas bonecis de todos os
taannos, vestidinlios ricajnenti enfeilados, cada
um em sua carnuda, propriaincnte para um deli-
cado mimo, por baratissimo preco: s no vigilan-
te, ra do Crespo 11. 7.
Para os seuhores barbareis.
Chegou i. lempo a riquissima lita de eliamalotc
para cartas dos senbores bai'harcis. assim como
branca, lisa, propria para abrir letras, ou para
sintos : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
I'enlea de inarrala.
Tambem efaegaram os riqoissiraos pentes de
marral'a com peJrinhas,os lindos pentes de regace
para meninas, meias de seda e sapatinhos proprios
para baptisados, meias de seda para senhora, litas
de laa para debrum, fita de linho, trancas de laa.
de linhc e de seda. luvas de seda e pellica, e lio de
Escocia e eamurca, alneles de caneca chata, car-
teirinbas com todas as agalhas precisas para cos-
tura, (velas de madreperola esmaltadas de seo
para sintos, flores de todas as qualidades, camnuas
com pastilhas de perfumara, anafadores de laa
para senhora, tuncas e sapatinhos de laa. pnlseir-
Dhasde borraelia para segurar manguintos, litase
cordes de borracha, sabonetea redondo>, ditos
chamados de familia, pomadas de tudas as quali-
dades e dos fabricantes mais afamados, clcheles
pratiados mullo finos, retrae de todas as qualidades,
retro/, em carretel e em novello, e de meada, de
todas as cores, escovas para denles, ditas para rou-
pa, ditas para chapeo e ditas para india, de todos
os precos, e outros mais objectos. que se tomara
enfadonho annunciar, e i vista dos (regnetes pro-
mette-se tazar todo o negocio: s no vigilante, ra
do Cespo n. 7.__________________________
Vende-se nma casa terrea de chaos proprios,
que. tem salas de frente e de detraz, 2 quartos, co-
zinlia fra. quintal c cacimba, de porta e janella :
quem o quizer comprar, dirija-se a roa de S. Fran-
cisco, sobrado n. 8, que se dir quem vende.
Folha de Flandres Charcoal de mullo boa
qualidade; vende-se por atacado 011 por caixas
avulso, a duibeiro vista : na rna do Pilar n. 143,
30
20
m
lo
60
100
NEM SEttUllO.
Objecto de tintura c ninsieu.
Na ra do Queimado, ns. 49 e 55, est
queimando ludo pelos precos abalvo decla-
rados, e prestem toda a attencao para ver
o que bom e barato.
Duzia de facas e garfos murto finos a 24500
Dita dita dita de cabo preto muito
finas a....... 8|20
ila dita dita de balanro, melhor,a o^bOO
Tesouras para costura, muito fi-
nas a ......
Ditas ditas para uuhas, muito finas a
Cartas de allinetes de ferro a .
Ditas ditos de lalao muilo finos a .
Ditas de dito grandes
Caixas de phophoros de pao .
Grosa de ditos do gaz a .
Duzia de dito dito a
MasSOS de palitos para dentes a
Abotoaduras para coletes a .
Escovas para roupa.muito linas a 100,
oOOe.........
I 1 .
400
80
40
120
10
200
200
160
160
800
PECHINCIIA.
Perfumara de superior qualidade.
O rival sem secundo, ra do Queimadj,
ns. 49 e 55, est disposto a vender mais ha-
rato que nunca vendeu, para o que queiram
ver :
Duzia de abneles finos a .
Sabonele ingiez, 0 melhor, a .
Frascos com agua de Colonia muilo
lina a.......,
Ditos de dita grande a .
Ditos de Lavande ambreado, o me-
lhor, a........
Ditos de macar oleo muilo bom a .
Ditos perola muilo superior a .
Ditos de oleo de babosa a 'iO, 320.
iOOe.........
Ditos de baiiha branca a .
Dito de cheiro muilo bonitos a .
Ditos de banha, pequeo, muilo fina
;i..........
Ditos de opiata a 200 rs., e b6a a .
Ditos de banha japonesa a .
Dilos de banda transparente a .
Ditos de oleo filoconne a .
720
1G<>
1Q0
500
500
too
200
500
: 20
200
900
720
80
RIVAL

de fitas e rontas de ac, peca de lita de coz com 10
varas a 360 rs.
FAlractes inglezes.
Vendem-se extractos inglezes muito barato, por
Noarmaiemn.38ma da Madre de! pe foi comprado em leilao, e nao se qnercon-
ommodo nuar,a.]i0ei00rs.ofrasco.
Dos, vende-se por preco mais
do que em outra qualquer parte os
tes gneros viudos do Aracaty :
Gomma nova.
Ceta de carnauba.
Dila em velas de differentes qualidades
Pelles de cabra
Sola
seguin- Xo armazem de fazendas bara-
tas de Mantos Coellio
RA DO QUEIMADO N. 19 VENDE-SE OSR-
GUINTE :
Coliortas de chita da India
pelo barato preco de 000.
Lencos
de panno de linho a t&tOi).
Lences
de bramante de linho fino pelo barato preco de
Phosphoros de cera. r. /
Vendem-se a 24o rs. a duzia de.oaftiinhas
le phosphoros de cera : na ru?,-#> Queima-
do, loja d'Aguia-branca n 8
inglezas : Opl- agua da
(Da
Tarlatana da Arara a 800 rs.
Vende-se tarlatana muito fina a 800 rs. a
vara: (il de linho liso e fino a 800 rs.;
ditos de salpicos ala; Ot de linho de co-
res a 160 rs. o eovado : cortes de cambraia
com 1 vara de largura cora palmas soltas
9# ; pecas de cambraia de salpicos a 35500:
, ra da imperatriz n. 56, loja da Arara de
A Aguia-branca da 1 o Queimado n. 8 MpndftS GuimarJies.
acaba de receber a apreciada opiata ingleza,
anta como mui boa agua da Colonia tam-,
bem inglesa.
arralas cona agua da Colonia.
Ghegaram novas garrafas com agua da Co-
Imia para a loja d'Aguia-branca, ra do
Queimado n. 8.
araYlIha das bellas, botos e
delicados enfeites para ves-
tidos.
aprasivel a aguia branca o ter de avisar a'
na boa freguezia, que acaba de receber pelo Pa" RUa do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
qoete francez um bello sortimento de enfeites de ^ jb e de 8 libras para cima
seda denominado maravilha das bellas, os qoaes J '^.^11' *
servem tanto para vestido de senhora como para a Oflow aarroua._____________
rouninhas de criancas. Seus novissimos e delica-
dos desenhos, suas escolhidas e bem acertadas co-
res faiem um todo agradavel aos olhos de qualquer
.___ n I.ai_ A inm r\Alc 3
votassa da Hussta
Vende-se em casadeN.O. Bie-
ber ^ C., successores, ra da
Groz n. 4.
A ssnear do Monteiro
\BWF.-SE
liba apreciar o bom. Assim, pois, a Dircitointomacional privado e a appb'cacM de sen*
V?-a ..A h,Vr dinheiro havendo-o diri- prnepos com preferencia as leis principaes de
ttn*Z^*Xl aSe nlnbo de Brasil, em 1 volume,por Dr. Jos Pimcnta Bueno,
Luu b^/r rU QSado n 8, que ach^ro 8000 : no _escriPorio de Antonio Ii de s verdades cima ditas.
I Azevede FARINHA FONTANA.
I:;iiinli;i da muito acredita a marca\ajmo.
Fontana cesembat-cada hoje, vende-se i brancos finos ^Sp^^ibcira pe.o barato
por preco mais commoao do qne em prcc0 c 25000 e 25400 a duzia.
qualquer outra parte : na rna da Cruz
11. 4 rasa de N. 0. Biebcr & C. succes-
sorc*. _____________
de liuho
Fil liso lino
pelo baratissimo preco de 080 rs. a vara.
Madapoln lino
pecas de madapolao largo superior pelo baratissi-
mo preco de 85000.
Ricas saias
e na ra
15."i00, s quem vende por estes precos
do Queimado loja do beija flor n. 63.
Vendem-se gigos com batatas a 15: no ar-
mazem do Annes defronte da alfandega.
Lencos de camhrala
bordados. .,,- KXKfr
Vendem-se lencos de cambraia de linho borda- i fe fus,a0 a ',d5,p,a Af t,,.t.
dos muito linos sondo para acabar a 500, 6W, 15,' _, Pffas dR S-h *m
qe rolo cora 10 varas propria para saia a J*2uo.
Pecas do cambraia
adamascada para cortinado com 20 varas pelo ba-
rato preco de 105000.
Bramante de linho
o com der palmos de largura pelo barato preco
e 253OO a vara.
Toalhas alcochoadas
ra mo pelo baratissimo preco de 55000 a du-
a.
Atnalhado de linho adamascado
proprio para toalha de mesa a 25500 vara.
Algodo monstro
com 8 palmos de largura pelo baratissimo preco
de 1,5000 a vara.
Cortes de calca
de ganga amarella de lista e de quadro fazenda su-
perior pelo baratissimo prec.0 de 15200 o coi te.
Liazinha de quadro
de gosto inteiramente novo pelo baratissimo preco
de 480rs. o eovado.
Peps de cambraia de salpico
fina com 81/2 varas pelo baratissimo preco de 45-
Pecas de cambraia de ferro
pelo baratissimo preco de52O.
Esleir da India
para forro de de *. 5 e 6 palmos de largura.
SA 200 rs o covadoi
; Cassas muito bonitas e nas:
'! na ra do Crespo n. 17, loja de |
i Jos Gomes Villar. 1
lina da Sen zalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. John
sellins e silhSes inglezes, candieir
caes bronzeados, lonas inglezas,
chicotes para carros e montarj
carros de um e dous val
ouro patente ingiez.
ndrC,
casti-
de vela,
rreios para
e relogios de
Em casa de Mills Latha
Cruz o. 38, vende-se ferro gal
melhores fabricaptes inglezes,
tas de casas.
,0
ii C, na roa d-
isado de um doa
io para cober-s
Toalhas.
Xa ra do Apollo n. 20. vendem-se toalhas de
linho do Por lo, com iahyrintlio e bico as pontas,
pelo barato preco de 25g a duzia.
O GALLO CANTA.
Nao possivel que o gallo, vendo entrar en seu
ninho objectos de elegante goslo, deixe de dar o
seu canlo, annunciando aos seus freguezes. para
que mandem ou venham ver para querer, a saber :
Enfeites
Chegaram os nquissimos enfeites e grinaldas de
flores, cousa muilo delicada e de muilo goslo, pois
s as senhoras poderao apreciar : s no vigilante,
ra do Crespo u. 7.
Flores
Tambem chegaram os delicados ramos de flores
matizados de lindas cores, que servem para qual-
quer enfeite : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cintos
Tambem chegaram os novos e delicados cintos
com ti ve! la, guarnecida de pedrinhas c ditas borlo-
tinhas no centro, cousa de muito gosto : s no vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Ilandrijas
Biquissimas bandeijas de charao e oulras quali-
dades de lindos desenhos, que se vendem por pre-
cos baratissimos para acabar : s no vigilante,
ra do Crespo, n. 7.
Pomada real
Tambem chegaram os bonitos copos de porcel-
lana fina com banha c com lindos retratos, sendo
privilegiada pela raintia de Hespanha : s no vigi-
lante, ra do Crespo n. 7. i
Sahunetes de familia
Grande, sortimento de sabonctes para todos os
precos, de superiores qualidades, a 160, 200, 240.
280| 320, 400 e 500 rs.; assim como eslojos com
todos os preparos para limpar dentes pelo barato
preco de 35000 : s no vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Deliradas tesom inlias
Grande sortimento de tesourinhas, tanto para
onhas, como para costura; assim como muitos
outros objectos de gosto, que nao possivel annun-
ciar pela grande variedade de sortimentos, cujos
precos serio menos do que em outra qualquer
parte : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
SEM SEGUNDO.
Objeetos diversos.
Ba do Queimado, ns 40 e 5o, vende os
objectos abaixo ileclaradus, pois para aca-
bar; estes precos nao sito para continuar.
masas nesessidadesassimo permilte.
Pares de luvas de algodo finas a .
Caivetes de aparar penas, de 1 fo-
llia a ........
Ditos de ditasa......
Caixas de colxetes francezes a. .
Duzia de dito francez a .
Massos com grampos lisos e de cara-
col a .........
Duzia de dedaes de melal em caixi-
nha de vidro.......32U
Tinteiro de vidro com tinta superior
a..........
Ditos de barro que serve para tin-
teir*a........
G rosas de botes de louca prateado a
Pe?as de tranca lisa encarnada a ,
Varas de bicos e rendas, para aca-
bar a ........
Varas de labyrinto de 3 dedos de
largura a .....
Ditas de pos para dentesa .
Pentes de tartaruga a 35000 e .
Resmas de papel de cores a .
Cha hysson
da India, da primeira qualidade; vende-se em cai-
xas de 60 libras cada caixa, por preco commodo
dinheiro : para tratar, na ra do Pilar n. 143, pri-
mei ro andar, de manhaa at 10 horas, de tarde das
3 at s 6.
Hita da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Lo
Moer Hora a i 20 rs.
80
SO
160
40
3CO
40
ICO
100
160
-20
60
100
100
31300
ooo
i'i-riiixcn.t
Vendem-se para liquidar contas dous foges in-
glezes, sendo um gramle com dous grandes fornos,
proprio para cezinhar em um hotel para 120 a 150
pessoas, e oulro para 15 a 25 pessoas, e se anear-
pra de senta-lo o vendedor, ou dar explicacocs
Decessarias por escripia, sendo para fra : trata-
se na ra do Vigario n. lO.armazem naval, a
qualquer hora, das 6 da manhaa s 6 da tarde.
No deposito da ra da Linguela n. 6 veo-
dem-se ervilhas e centilhas de diversas marras.
ClL HE LISBOA
Vendem-se barris com cal des-
ea procedencia, em pedra. chega-
da hoje, e nnlca nova, qne ha no
mercado, na ra do Trapichen,
13, armazem de Hanoel Telxei-
ra Basto.
A 900$U se vendem as outras casinhas novas da ma da So-
ledade, coja renda de 245 mensaes ; sao em ter-
reno proprio, bom edificadas e do lado da sombra:
traia-se na ra dos Prazercs da Boa-Vista com
Ak Cameiro da Cunha.




MUTILADO



Mari* de Pernanioneo Terea felra 19 le ovenbro de les.
J\IO
COMMERCIO.
ROUPA FEIT1
NO
ABHilEn
DE
Defronte do Pregnlca.
iHtirn; iiifiRini
,a aba de abrir o seu grande e sortido armazem de molhados denominado Unio e Com-
merao. Este grande armazem um dos mais lmmjmontados que temos em nossa praca,
.#.\ i so em limpeza e aceio, como as qualidades especiaos de seus gneros. 0 proprie-^
4ario do Unio e Commercio offerece todos os senhores da praca, senhores de engeiriuij
ivradores a seguinte tabella, por onde vero a grande economa que lhe resulta em
'co.njirarem em to til estabelecimento, afilorando o mesmo todo e qualquer generoj
paludo de sea armazem.
tiiMVti id ^TriasaiDD-as
LETREIKO VEBDE,
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
| todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, asshu como tambem tem um
grande e vanado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras.
Riinteigainglezapeifejtamanteflor, mandada
vir de eoota propria. a 7oo a 8oo rs, a
libra.
Iil'in t'ranceza cegada pelo. ultimo navio a
96o rs. a libra, e em barril ter abatimen-
idem ingleza em potes de 4 a 16 libras a
rioo rs. i lilira e o pote separado,
C!n uxim o mi'llior nestc genero, mandado
\ ;r de cunta propria a 2,8oo rs, a libra.
'Idem hysson, grande, muito bom a 2,6oo rs.
i libra.
dem preto muilo fino, a 2,6oo rs, a libra.
Milli" alpista a 46o rs. a libra.
Paincoa 2oo rs.a libra.
Gomma muito alva para engommar a 8o rs-
a libra, e-em arroba se far abatnente
Sag muito novo a 28o rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado a 28o rs.'fa Ubra^
Sabio massa de superior (jualidade a 18o,
2oo, e 22o rs. a libra do melhor que ha.
Graixa em latas muita nova a 12o rs. a lati-
nha, e l,3oo rs. a duzia.
homens e meninos.
Casacas de panno preto, 35)51 e 300000 -Golletes de fusto e brim bran-
Sobrecasacas idem, 300 e 25*1000 co, 34500, 3| e .
msMM umtxm
DE
8B
o.

Largo do (armo .
Grande sortimento para a festa por menos
10 a 20 por cento do que em outra qualquer
parte.
co ^S "i
^TS i
2-aol
It 1
7 a
I Peixe em latas muito novo: savel, pescada,
Uem pr.-to, mais l.aixo. a 2,ooo rs, a libra, j curvin, salmao e outras muitas qualidades
M m, verde, miudiuho. maisproprio paral P^3^ de cabexe, segundo a arte de
, a l,5oo rs, a libra COi,nlia' de l>*x>a '000 a lata-
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado e escolhido pessoalmente por um
dos socios que se acha em Portugal, das
seguintes marcas: Duque, Genuino, Ve-
ibo secro especial, Lagrimas Doces de
1819, vinho especial D. Pedro V, vinho
velho. Nctar superior de 1833, Duque do
Porto de 1834, vinho do Porto velho su-
l"-iior. Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior D. Luiz I
de 18i7, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porto, de l,ooo a 1.2oo rs. a gar-
rafa e de lo.ooo a 12.ooo rs. a caixa com
urna duzia.
dem prato muilo fresen a 4o rs, a libra, j 'dem Bordeaux de differentes marcas, garan-
4Am tondrino mnto fresco a 8oo rs. a libra i ff ,a *&*&**> 8.000 rs. a caica com
d-' urna duzia, e a 7oo rs. a garrafa.
Hinhos empipa: Porto, Figueirae Lisboa, a ir.. <- ,
48o, 5o, e tilo rs. a garran, de 3.ooo a Ga$ra?S S" b gaJn?as de v,nho do *ovto
i. Sqd re> a canalla. d AUo Doui' 2 wmenda imperial dos memores conserrai- Wem 'r,m a ;,1Talas ** villho EigMmra, mais
ros de Lisboa em latas de I e mais libras i P}*no l';"/';l m^ *> por ser mais
'panha de poreo refinada muito alva a 46o
rs, a libra, e em barril se far abatimento.
Bjsuoitos inglezes das seguintes marcas:1
Craknel, Soda* Geede, Captain, Travellies. I
Lunch, Cabift, e oatras muitas marcas, al
4oo rs, a lata.
Boiaehmba de sdo, especial encommenda, a
2.2oo rs, a lata.
BiSCOtO inglez Craknel em latas d<' 5. 7 e 15
libras a 5,oeo e Cumio rs, e de l,2oo a
800 rs, a libra.
Oiieijos do reino pelo baratissimo preco de
{.600. 18oee 2,000 rs os do ultimo
\apor.
.1 7oo rs, a Hbra.
fritasen caldas las seguintes qaalidndes.-
ameia, raiiiba Claudia, peras, cerejas.
,-inja, pecegos e llpareh a Son rs, a lata.
ftgOi em laixinhas de 1 1 1 arroba e de 8 li-
1 8,0 11,1,000,? 2,000rs,ea3oo rs,
libra.
i/esn. a 2.4oo rs. com o garrafao.
dem com 8 garrafas de vinagre a l,2(io rs.
o garrafa. 1.
Viiili.- bianco o melhor neate genero a 600 rs,
a garrafa e 4,ooo r. a caada.
Paletos idem e de cores, 250,
200, 150 e......100000
Ditos de casemira. 200, 150.
120, 100 e...... 70000
Ditos de alpaca, 50 e. 30500
I Ditos ditos pretos, 90, 70,
50 e........30500
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 305OOe. 30000
Di tos bra neo de I i nh o. 00, S0 e 40000
Ditos de merino preto de cor-
dao, 100, 70 e..... 50000
Calcas de casemira preta. 120,
100, 80 e....... 70000
Ditas de cores, 90, 80 e. 70000
Ditas de meia casemira de co-
res, 50500 e.....40000
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 50, 40500 e 40000
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e 20500
Ditas de ganga de cores,
30500, 30 e.....20500
Colletes de velludo preto e de
cores, 90 e......70000
Ditos de casemira preta, 50 e 40000
Ditos de ditas de cores 50
40" e........30500
Ditos de setim preto. 50000
Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......50000
Ditos de gorgurSo de seda
pretos e de cores, 60, 50 e 40000
20500
Seroulas de brim de linho.
20400 e......20000
Ditas de algod5o, 10600 e. 10400
Camisas de peitos de linho,
50,40,30e.....20500
Ditas de madapolSo, 30.
20500, 20 e.....10600
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e. 80500
Ditos de fltro, 50, 40,30500 e 20000
Ditos de sol, de seda, 120*
110, 70 e......40500
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda....... 640
Sortimento completo de grava-
tas. 0
Toalhas para rosto, duzia, 110.
90 e........60000
Atoalhado adamasado de li-
nho vara......10280
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....40000
Lences de linho..... 30000
Cobertas de chita chineza.. 20000
Pennasd'aco, as mais superio-
res, a grosa...... 600 M
Relogios de ouro orizontaes.
900,800 e......700000
Ditos de prata, galvanizado.
patentes e orisontaes, 400 e 300000
Obrasdeonro.adercos, meios
aderecos, pulceiras, rozetas,
aneis e cruzes. 0
FUMDI^AO UO llim U1A-K1 A DO
KIUU Y. 38.
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortimento de
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
.Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taas de ferro batido e coado.
Roccas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
Duarte A C.1 scientificam aos seus freguezese ao publico emgeral, que acaba de clie-
| gar da Europa um socio que faz parte da firma, com um grande e bello sortimento de
I molhados por elle escomidos, os quaes se vendempor menos de lo *2o por o/0 do que 011-
j ro qualquer annunciante, garantindo a boa qualidade e peso de qualquer genero iiflili
' neste j muito acreditado armazem, e por isso, firmados am que cumprem fielmente o
que promettem, pedera todos os Srs. da praca, de engentaos elavradores, o favor de
mandarem suas encommendas ou relacoes ao armazem Progressivo, certas de nao terem
j em tempo algum occasio de se arrependerem.
Aviso.
Todos os Sis., que comprarem para tornarem a vender, ter3o, alm da differenia
i j publicada, mais 5 por % de abatimento. Os proprietarios tambem garantem o bom
; acondicionamento aiada mesmo dos mesmos para o mais alto serto.
I Manteiga ingleza perfeitamente ftr, mandada I Gomma muilo alva para engommar a 80 rs
vir de conta propria, a 800 rs. a libra. a libra, e em arroba se far abatimento!
dem franceza chegada pelo ultimo navio a Sag muito novo a 28o rs. a Hbra
56o rs. a libra, e em barril ter abatimen- ,. ..
to. baDa0 verdadeirohespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 28o rs. a libra.
Sabo massa de superior qualidade a 180
200, e 220 rs. a libra do melhor que ha!
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lati-
nha, e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel. pescada,
curvin, salmao e outras muitas qualidades
preparados de escabexe, segundo a arte de
dem preto, mais baixo, a 2.000 rs. a libra. ^^ de 1,400 a 2,ooo rs. a lata.
II Idem, verde, miudinho, mais proprio para ne- dem do Alto Douro vindo do Porto
gocio, a 1,5oo rs. a libra. rafado e escolhido pessoalmente por mu
Ranha de porco refinada muito alva a 46o1 ds socios que se acha em Portugal, das
rs. a libra, e em barril se far abatimen- j seguintes marcas: Duque, Genuino, Ve-
lho secco especial, Lagrimas Doces de
dem ingleza em potes de 4 a 16 libras a
800 rs. a libra e o pote separado.
Cha uxim o melhor neste genero, mandado
vir de conta propria, a 2,8oo rs. a libra
dem hysson. grande, muito bom a 2,6oo rs,
a libra.
dem preto, muito fino, a 2,6oo rs. a libra.


A
Vassouras americanas a 800 rs. cada urna.
Velas de spermacete as melhores que lia no
A : uKloasd. casca mole a 28o rs. a libra, e mercado a 56o e 6io rs. o niasso e em
n arroba lera abatimento. cama se far um grande abatimento,
ohas de Nantes a 32o rs, a lanha.
Til inbo de Lisboa a Itors, a libra e em
1 uba ter abatimento.
dem de canutaba e eoamosicio, de 4oo a
32ors.a libra, e de lo,ooo rs. a ll,5oo
re. a arroba,
Cafe de e 2a sorlc de 8.3oo a 8.600 rs. a
arroba, e de 28o a 32o re. a libra do me-
lhor,
Arroz da India, Maranhi. e Cirolina a 3.n.i.
2.8-.0 i\ 2,ioo rs. a arroba e a 1(m. rs. a
libra.
I ta de tomatesj 64u rs. a libra.
lmenla do reino a 34o rs. a libra.
1 inha C .n)as a ion rs. a restes.
rjjoJJO para impar facas a 16o rs.
r Irasqueira de genebra a 5,8oo rs. e a 800
y.. \ eja das mus a 1 editadas marcas de 5,oio 0 frasco,
a 7,5oo a duzia, e de 5oo a 600 rs. a gar-
ifa,
P ezunto para Rarohre muito fresco e novo
a 800 rs. a luir,
G netai de laranja .1 *m rs. o fraseo,
-Cinturicas as
re. a libra,
Cognac verda.l.-u.j iogku a Itoniv. a garrafa. (CJiuiJi|j;i^nf das mais a creditadas marcas a
ri^
n '- :ns 11 nii-rradn a .Su
Axeite doce em barril muito fino, a 64o rs.
a garrafa, e em ranada ter abatimento.
Papel grave pautad. tira a 3,5oo 1*. a
resma.
iGeneltra de MoManda em botija de conta a
mi i'm rs. a botija.
A lo,5oo rs. acaixa com urna duzia.
1,000 rs. a garran, e a lo.ooo rs. a duzia
ou gigo.
i :vs frnuezM das segiiiuli'S marcas: Ani-
aete da Bordeaux, Plaisir des dame?, e de ,to(:a,h-o a 14,5oo a barriea.
oatras umitas marcas a lo.oeo re. a du/.ia,
e a l.oiiii a garran.
Krvilbas franceza e jwrtagueza a 640 re. a
lata de urna libra.
*J fiS&b, 22 SW J&l
:>v<^Xr "3^*z&r ^$&*
m ESTABELECIMENTO COMMERCFAL i
i DE
CALf)EH4RI\ E F!MSlll\l) M ET4ES,
Hlio na na do Brnm n. 40 junto
a fundi^o do Hr. Itovt luam. perteneente a
Villana Irmo A ^
Neste estabelecimento encontrarn os freguezes um completo sortimento jfR
de todo que diz respeito as artes de calderniro, funileiro, laloeiro, ferrare e ^r
fmdico, e os abaixo asssignados que o dirigem, promettem servir a todas as A I.
pessoas que se dignarem de os procurar, com promptido. sinceridade e pro-
cos muito rasoaveis. O dito estabelecimento estando montado em ponto ,*,
grande, tanto no que diz respeito a pessoal, como em materia prima, e tendo habis olliciaes, pode executar com toda a perfeico e seguranca qualquer ^
A. obra tendente as artes cima mencionadas e aflbitamente pdem os abaixo as- A-
;^S signados assegmar ao publico que nenhum outro estabelecimento lhe pode W fornecer mais barato e mais perfeito do que elles, visto que recebem de sua
^fe propria encommenda todas as materias empregadas em ditas obras.
Alambiques simples e continuos de to- Sinos de 16 libras 8 arrobas.
dos os tamanhos e dimencSes. Parafuzos de bronze e ferro para ro-
Machinas de cobre para destilar e res-! das d'agua.
tilar espirito at 40 graos pelos sys- Torneiras de bronze e bronzes para Si
temas de Logier e Derosne. engenho. ^
Carapucas c serpenfinas de cobre, e Encanamentos de cobre e chumbo de &
estanho, avulsas. todas as grossuras.
Taixas e tachos de cobre para engenho Rombas jiara cacimbas, aspirantes e
e refinaco. de repucho.
Paroes de cobre e todos os cobres ne- Rombas para destilacties.
cessanos para o fabrico do assucar. Ditas para regar jardins. bertas e JSl
1 Cobres para rodas de moer mandioca. capim. ow
2g] Machinas econmicas para lavar roupa Ditas para navios e barracas de varias ^
o melhor possivel. I quaUdades e dimences. Sw
Cobre em lencol e arrodellas, estanto em barrinha. chumbo em barra,
lencol e canos de todas as grossuras.
to.
da pao de urna '/*
' Garrames vasios de 5 garrafas at 3 caadas
y >sas muito novas a 5oo re. a libra ea8,5on
rs. a -aixa. Ha <-aixas. nmias e quartus. [Chocotete (ranees, hespanhol, snisso e por-
I !a>ai,ours.ngigoa,m38libras.
V. :la'-hinba ingleza a too rs. a libia,
Azeit. franri'7. e portiiguez refinado a 800 rs.' *1'' 5" ;,t <3oo rs. cada um.
1 carrafa, e O.ono rs. a raixa com urna du-.
/|a- i Ameixas francezas em caixinhas elegaute-
Cor.servns inglezas das seguintes marcas:' ^ZSSTS^fStTSS^
,i;v;,.i,,- ,ui. ,. no (xienor oa aixa de 1,500 a J.ooo rs
M M. *" imples a 8o ^ ,. t8mben, a ^ p j^
i differentes tamanhos que se vendem por
I larda ingleza preparada em potra t leoj "wdmopreeo.
rs. o pote.
Grao* beo a 16o rs a libra, e em arroba \ *? f^T L S''*0' ta,h?rini *tX
I ahatiment... Jli l,bra' C Cm C3,Xa Se ian
abatimento.
V ios inglezes vasiu.Mli; i a 16 libras, muito .,,,,,,,-^ ,, ,
Qarraffies <^m 11 garrafas de genebra de
Hollanda a 5,5oo cada mu.
propnos para deposito di manteiga, doo*.
" outro qualquer limjido, de l,ooo a .'{.ooo
s. cada um.
Ihiitos do um i 2,3oo
ivinha.
a groza e 2o rs. a
Charutos de todas as marcas e dos melho-
res fabricantes da Bahia de 3,ooo a 4,000
rs. a caixa.
ATTUH^AO
V
Todos t. senliui^ pn comprarem para negocio ou casa particular de 100(5 para,
rima torio me 5 a IQpor "/ de abatimento; o proprfetam aeicotiftoa mais uve todos
os seus gneros sao lyoebidos de sua propria encommenda. razao esta para poder ven?
>-r por rasHo men 0
N. 21LARGO DO
D3 8lItf(DSK
O proprietario deste bem sortido armtzem de molhados vende os seus gneros j
bem eonhecidos de primeira qualidade. e por Isso caprichou de escolher, para bem servir
aos seus freguezes, mandando vir a maior parle do seu sortimento. para o que tem pessas
encarregadas para este llm, e os pode vender jpor menos de 10 a 20 /0 do que era outra
qualquer parte. F
Verdadeira genebra de Hollanda em botijas de conta certa a 400 rs.
dem de laranja em frascos grandes a 1,000 rs. e de Hollanda a 500 rs.
Caixinhas com 8 libras de jassas de carnada a 2,400 rs. e a libra a 480 rs.
Velas de espermacetc, carnauba e composicao a 63o, 44o e 36o rs. a libra e a arroba a
10,000 rs. [
Palitos do gazsem avaria a 2,3oo rs. a groza e 8ao.rs. o maco.
Serveja das melhores marcas a 500 rs. a garrafa e sduzia a 5,5oo rs.
Vinho das melhores marcas F. L. P. a 4oo, 5oo eaBo rs. a garrafa e a caada a 2,8oo e
4,ooo rs. \
Batatas desembarcadas ltimamente a 5o rs. a libra, c a arroba a 2,oo rs.
Jiolachinhas americanas a 2.ooo rs. e 3,5oo rs. a barrica le 2oo rs. a libra.
Aceite doce de Lisboa a 3,ooo rs. o galio, e a 64o rs. a garrafa.
Queijos do reino os mais nevos do mercado a l,8oo e 2.ooo re.
Milho alpista o mais limpo que ha a 5,000 rs., a arroba a 160 rs. a'libra.
Manteiga ingiera perfeitamente flor a 800 e a 726 rs. a libra. \ /
dem franceza, muito superior, a 560 rs. a libra e em barris a'N540 rs. a Hbra.
Caf do Rio da 1.* e 2.1 sorte280 e 320 rs. a libra, e a arroba a/8,800 e 0,000 re.
C* de primeira e segunda serte a 2,8oo 2.300 e 2,ooo rs. a liara.
T^olo francez de grande Umanho a 14o rs. cada um. e a lm dos generes annunciados
ha ontroB muitos que enndonho seria menciona-los: vemfle-se dinheiro vista.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies
Lunch, Cabin, e outras muitas marcas a
l,4oo rs. a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda, a
2,2oo rs. a lata.
Biscoitoinglez Craknel em latas de 5, 7 e 15
libras a 5,ooo e 6,ooo rs. e de l,2oo a
8oo rs. a libra.
Queijos do reino pelo baratissimo preco de
l,6oo, l,8oo e2,ooo r.s., os do ultimo
vapor.
dem prato muito fresco a 64o rs. a libra.
Iflem londrino muito fresco 8oo rs. a libra.
Vinhos em pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
48o, 56o, e 64o rs. a garafa, e de 3,ooo a
4,5oo rs, a caada.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa em latas de 1 e mais libras
a 7oo rs. a libra.
Fructas em caldas das seguintes qualidades:
ameixa, rainha Claudia, peras, cerejas.
ginja, pecegos e alperch a 5oo rs. a lata.
Figos em caixinhas de 1 '/arroba e de 8 li-
bras a 8,ooo, 4,ooo e 2,ooo rs, e a 3oors.
a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra,
em arroba ter abatimento.
Sardinha de Nantes a 32o rs. a latinba.
Toucinho de Lisboa a 36o rs. a libra eem ar-
roba ter abatimento.
Massa de tomates a 64o rs. a libras.
Pimenta do reino a 34o rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 14o rs. a libra.
Tijollo para limpar facas a 16o rs.
Ceblas a l,2oo rs. o molbo, e a l.ooo rs.
o cento.
Cerveja das mais acreditadas marcas de
5,ooo a 7.5oo a duzia, e de 5oo a 6oo rs.
a garrafa.
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 8oo rs. a libra.
Genebra de laranja a Ooo rs. a frasco.
Chouricas as mais frescas do mercado a
8oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a Ooo rs. a garrafa,
e lo,5oo rs. a caixa com urna duzia.
Licores francezes das seguintes marcas: A-
nizete de Bordeaux, Plaisir des dames, e
de outras muitas marcas a lo.ooo rs. a
duzia, e a l,ooo rs. a garrafa.
Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a
8,5oo rs. a caixa. Ha caixas, meias e
quartos.
Peras seccas a 3,eoo rs. a caixa e 8oo rs.
a libra.
Bolachinha ingleza a 4oo rs. a libra.
Azeite francez eportaguez refinado a 8oo rs.
a garrafa, e 9,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
Grao de bico a 16o rs. a libra, e em arroba
ter abatimento.
Conservas inglezas das seguintes marcas:
Mixed, Pickes, e ceblas simples a 8oo rs.
o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo
re. o pote.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 librmuitos. a
proprios para deposito de manteiga, doce,
e outro qualquer liquido, de 1 ,ooo a 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza e 2o re. a
caixinha.
Milho alpista a 160 rs. a libra.
Painco a 2oo rs. a Hbra.
1819, vinho especial D. Pedro V, vinho
velho, Nctar superior de 1833, Duque do
Porto de 1834, vinho do Porto velho su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior D. Luiz I
de 1847, Lagrimas do Domo, espacial vi-
nho do Porto, de l,ooo a 1.2oo re. a gar-
rafa e de lo,oooa 12,ooo rs. a caixa com
umaduzia.
dem Bordeaux de differentes marcas, garnte-
se a qualidade, a 8,ooo rs. acaixa com usa
duzia, e a 7oo rs. a garrafa. -..
Garrames com i garrafas de vinho do Pinto
do Alto Douro a 2.2oo rs. com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira. mais
proprio para a nossa estaco por ser nns
fresco a 2,4oo rs. com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
o garrafao.
Vinho branco o melhor ueste genero a 6oo rs.
a garrafa e 4,ooo rs. a caada.
Alhos a 8o rs. o masso.
Velas de spermacete as melhores que ha no
mercado a 6oo e 64o rs. o masso. e em
caixa se far um grande abatimento.
Frasqueiras de genebra a 5,8oo rs.. e a Soo
rs. o frasco.
dem de carnauba e composico, de loe a
32o re a libra, e de lo,ooo rs. a 11 JSm rs.
a arroba.
Caf de 1 e 2a sorte de 8,3oo a 8.600 rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
lhor.
Arroz da dia. Maranhao e Carolina a 3.000,
2,8oo ( .ioo rs. a arroba e de loo re. a
80 rs. a libra.
Azeite doce em barril, muito fino a 64o rs.
a garrafa.
Papel grve pautado e liso a 3.5oo rs. a
resma.
Genebra de Hollanda em botija de conta a
44o rs. a botija.
Champagne das mais a creditadas marcas a
l,ooo rs. a garrafa, e a lo,ooo rs.a duzia
ou gigo.
Sal refinado a 7o rs. a libra.
Ervilhas francezas e porluguezas a 64o re.
a lata de urna libra.
Chocolate francez. hespanhol. suisso. e portu-
guez a 1,000 rs. a hbra, e a 28o rs. cada
pao de urna \\.
Garrames vasios de 5 garrafas at 3 caadas
de-5oo at l,3oo rs. cada um.
Ameixas fraowzas em caixinhas elegantemen-
te enfeita<\. com diversas estampas
no exterior dk de l,5oo a 3.oeers.
cada urna; tar. a fraVose latas de
differentes taraaTfis que se vendem por
mdico preco.
Massas para sftpa: macarrao. talbarn, e
ajetria a 4%) rs. a libra, e em caira se
far abatimento.
Doce de guiaba de ioo a 800 rs. o caixao
grande,
dem a 2,ooo o caix5o grande.
Charutos de todas as marcas e dos melliores
febriores da Babia de 3.ooe a 4.ooers.
ac*.
ATTENCJU!
Alem dos gneros cima annuncidoe ha um completo ara timante de mmmm,
n doce, alfazema e ontrn mollee fine**, me taifeae *vfc jw-fcti-ttisennn nrafo.
MUtiLADOi
ILEGIVELl-


DUH d reraimbict Teres letra t de Xovembre de !.
f
A

GRANDE ARMAZEM
AE
EE
*m*mrnjimmMmmm^Mmma*:
N. 36, REA DAS CRCBLN.
DO
36

GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
BE
:afll*?aJim*rW*^^
balrro de Santa Antonio.
0 proprietario do maito acreditado armazem denominado Progresmta lendo
empre em vista fazer todo o qne for possivel para bem servir aos seas freguezes, tem
deliberado vender os seus j bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos I
abaixo mencionados, e affianca s pessoas qne mandarem comprar por sens criados ou j
escravos, serem t5o bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer |
encommenda, aiada mesmo contendo objectos n5o proprios deste estabelecimento. 0
mcsmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualqner objecto que nio agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atien-
do com os seus portadores, fazendo-lhes ver que s no armazem Progressista da ra das
r.ruzes b. 36, que se vendem os memores gneros por mais barato preco porque estes
tnuitas vezes olvidam-se e vio a outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.
w
CL,
i
o1
-2
TODOS
os
o
a COMPLETO
VAPORDS
se recebem gneros de conta
propria e dos memores esta-
belecimentos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer ge-
nero comprado neste
ESTABELECIMENTO.
O
l
32
SORTIMENTO DE MOLHABOS.
vende-se em porcao e a reta-
Iho, aprorapta-se com toda a
presteza e exactidao qnalquer
encommenda dirigida a este
ESTABELECIMENTO.
r1
>
RA DO QUEMADO N. 46
itootid
DE
Ivas muito novas a l.ooo a libra.
r.iistanhas a 2oo rs. a libra,
ftgM a 320 rs, a libra,
Vinho superior da Figueira e Lisboa, a 400,
140, 480 e 500 rs. a garrafa, e a 2,500,
2,700, 3,000 e 3,400 rs. a caada.
dem engarrafado, das seguintes marcas du-
que do Porto, Feitoria, Nctar, velbo secco,
tihamisso, e Madeira superior a 8,500 rs. a
duzia e 800 rs. a garrafa.
hlpm Bnrdeaux de diversas marcas a 640 rs.
a garrafa e 7,500 rs. a caixa com i 2 garrafas.
Klein .Museatel de Setubal a 1,700 rs. a gar-
rafa, e 18,000 rs. a duzia.
iarrafes com I garrafas de vinho do Porto,
Lisboa e Figueira a 2, 100, 2,200 e 2,300
rs. com o garraRo.
Mustarda preparada, muito nova a 360 rs. o
pote.
Os proprietarios do muito acreditado armazem Progresso fazem sciente ao respeita-
vel publico e com especialidade aos seus amigos e freguezes que tem resolvido resumir os
precos dos seus acreditados gneros, como abaixo rero nao obstante os precos menciona-
1 dos a vista da qualidade dos gneros que se prova quanto se deseja servir satisfatoria-
FAZE Y DAS E ROUPAS FEITAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 254, 28^1, 300 e 350, casaras
muito bem feitas a 250, 280, 300 e 350, paletots acasacados de panno preto d 1(50 ule
250, ditos de casemira de cor a 150, 180 e 200, paletots saceos de panno e casi-
mira de 80 at 140, ditos saceos de alpaca, merm e laa de 40 at 60, sobre de alpaca e
merino de 70 at 100, calcas pretas de casemira de 80 at 140, ditas de cor de 70 ate
150, roupaspara menino de todos os tamanhos, grande sortimentode roupas de brim,
como sejamcalcas, paletots e colletes, sortimento de colletes pretos de metim, casemira
e velludo de 40 a 90, ditos para casamento a 50 e 60, paletots brancos de bramante a 4J
e 50, calcas brancas muito finas a 50, e um grande sortimento de fazendas tinas e moder-
nas, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senhora, cerouhs
de linho e algodao, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin para homem e e~
nhora. Temos urna grande fbrica de alfaiate, onde recebemos encommendas de grandes
obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de semelhante arte e nm
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qualquer obra com
promptidao e mais barata do que em outra qualquer casa.
AOS SENHORES LOGISTAS
Desta capital, arrabaldes e provincias
adyacentes.
JIA*l'Kli . 23 RUA NOVA N. 23.
Tem a satisfaccao de participar particularmente aos seus amigos e freguezes, e era
geral a todos os senhores logistas desta e de ootas provincias, que em consequencia de
(suas relagoes com as principaes pracas manufactureiras da liuropa, tem consegnido
Palitos do gaz a 200 rs. a dHzia de caixinhas I mente aos nossos freguezes, advertindo-lhes que mandem seus portadores, que seo ta montar a sua fabriea da chapos de sol sobre urna escala importante, a ponto de peder,
' offerecer vantagens aos prelendentes, tanto na qualidade e bem acabado dos seus produe-
| tos, como pela redueco dos precos ; verdade incontestavel, de que se poderao corrven-
'oeri vista da fezenda e pelos precos que vo abaixo :
Chapeos de sol de seda para homem 28, a 720 a duzia.
e 2,100 rs. agrosa.
Ditas hygienicas e de seguranca a 240 rs. a
duzia.
bem servidos como se viessem pessoalmente, isto s no Progresso.
Alpista muito limpo a 160 rs. a libra,
Gomma de engommar a 80 rs. a libra, e
2,200 rs. a arroba.
Sag muite novo e alvo a 240 rs. a libra.
Sabao hespanhol, a 280 rs. a libra.
tem massa a 180, 200 e 220 rs. a libra.
Peixe em latas, savel, pescada, e corvina a
1.000 rs. a lata.
Genebra de flollanda em butijas de conta a
luVm branca muito superior a 500 rs. a garra-: 400 rs.
fa e 3,5*30 rs. a caada. |papel gfeve paulado e ,so 3 400 rs
arrafoes com 5 garrafas de vinagre a 1, loo rs. i resma.
Vinagre superior de Lisboa a 1,400 rs. a ca- Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa.
nada e 200 rs. a garrafa. ^ | champanne das m!,is a creditadas marcas
v.'las de spermacete superiores a 580 e 640 a 10,000 rs. ogigo e IJM a garrafa.
rs. o maco.
Manteiga ingleza e 1.* qualidade, a 800 rs.
a libra.
dem de 2. dita, a 700 rs. a libra.
dem de 3\ dita a 600 rs. a libra,
dem franceza, a melhor do mercado a 540 rs.'
Doce de goiaba de 400 a 800 rs. a caixa.
Chocolate portuguez, francez, hespenhol e
suisso de 800 a 1,200 rs. a libra.
Velas de carnauba e de composigao a 320 e
3t!6 rs. a libra e 9,500 e 10,000 rs. a ar-
roba.
macarro e talharim a
Massas para sopa
400 rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Ba-
ha 3,800 3,400 3,000 e2,400rs. a
caixa.
de 5.000 a
e em barril a 500 rs. a libra.
dem em latas rom 2 '/* libras a 1,400 rs. a lata,
lanha de pon refinada a 500 rs. a libra.
On.'ijos flamengos rhegados ltimamente a
2^0 rs. t
Idea prato o melhor que ha nesie genero a
700 rs. a libra,
dem do Alantejo muito snpenor a 8oors. a
libra.
\i i (iz Carolino e do Maranhao a 2,800 rs. ar- Bolaixinhas de soda em latas grandes a 2,000
roba e 100 rs. a libra. e |t$00 rs. cada lata.
Vm.'doas de casca mole a 280 rs. a libra.
Ciixiulias rom ameixas francezas, de diversos
l mtanhos al, 200,1,400, 1,800 e 2,100rs.
ca la urna.
Frotas em calda, ameixas, rainha Oladia.pc--
fligM ealpeca a 480'rs.
Maruielada de todos os conserveiros de Lisboa
a 000 rs. a libra.
Ameixas <>m latas de 1 "2 e 8 libras a 1,2001 Farinba de Maranhao a 140 rs. a
e 2,400 rs. a lata e 900 rs. a libra. pimeQta da Iridia a 340 rs. a libra.
Chi huxim o melhor que possivel encontrar Erva-doce a 320 rs. a libra.
Ceneja das melhpres marcas
6,000 rs. a duzia.
Biscoitos inglezes de todas as marcas a 1,200
rs. a lata.
Massa de tomates em latas de I libra a 560
e 640 rs.
Sardinhas de Nantes muito novas a 340
rs. a lata.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijollo para areiar facas a 140 rs. cada um.
libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegada
no ultimo vapor a 800 rs. a libra.
dem de 2.* qualidade a 76o rs. a libra.
dem de 3,a dita a 64o rs. a libra.
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
Manteiga franceza a mais nova que ha no mer-
cado a 58o rs. a libra, e em barril ter aba-
timento.
Banha de porco refinada a 520 rs. a libra.
Vinho em pipa Porto Figueira e Lisboa a 4oo,
48o, 5oe, 56o rs. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,ooo rs.
dem em barril o mais superior que tem vin-
ao mercado a 600 rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
l,ooo a garrafa e a lo.ooo a caixa, o preco
nao indica a qualidade d'este precioso vi-
nho, porm venhamao Progresso que a vis-
ta faz f, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
demos vender por menos que outro qual-
quer annunciante.
Farinha de Maranhao muito alva e cheiroza
a 16o rs. a libra.
Toucmho de Lisboa a 32o rs. a libra e a 9,ooo
rs. arroba.
Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. agarrafa e a
4,800 rs. a caada.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa ea
l,2oo rs. a caada.
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa a l.loo rs.
Champanhe das marcas mais acreditadas a|
8 e a lo.ooo rs, o gigo, e a 800 rs. e a |
l.ooo rs. a garrafa.
Serveja preta marca T e XXX a 6,5oo e
7,ooo rs. a duzia, e a 600 rs. a garrafa,.
tambem temos das mesmas marcas para 4,,
e 4,5oo rs. a duzia, e a 4oo rs. a garrafa.
dem branca Te cobrinha a5,5oo e 6,000 rs,
I duzia e 5oo rs. a garrafa, tambem ha
para 4,ooo rs. a duzia.
Graxa em latas grandes a 1,3oo rs. a duzia
e 12o rs. a lata.
Ditos 26, a 66000.
Ditos 24, a 600.
Ditos para senhora 18 e 20, a 480.
A duzia tem descont de 12 por cento.
Ditos de panninho preto e de cor, armaco de balia 20, 24 e 26 sortidos, liquido
a 260 a duzia.
Ditos de junco 20,24, 26 e 28, a 180 a duzia.
Venham ver para convencer-se da verdae.
Encarregam-se de encommendas para da Europa.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro obra
de muita duracao a 4oo rs. cada urna.
\\i).\. os.iiod.figaio^ac.mjiao.
XAROPE DE RADANO IODADO
Sfgundo os attestados dos medico. dos hospitaes de Parn, consignados no Prosoocio, e a apurvaei
ie viriot Acadmicos, este Xarope emprega-se com o maior succewo, em lugar do OLEO DE FIGADO DE
BACALHAO, aoquslellerealmente superior. Cura as molestias de yeito, as escrfulas, o lymnliatismo, a
pallidei e molleza das carne, as perdas d' appeUte, e regenera a conslituiao purificando o sangue. Em
fumma o mais poderoso depurativo conhecido. Elle nunca canea o estmago ou os intestinos como o
loduro de potassium e o ioduro de ferro; e adminiatra-se com a maior efficaidade aos meninos sujeitos
aos humores ou ao entupimento das glndulas. O pautar cmeaavr, do hospital de San' Luii de l'aris.
o recommenda d'um modo intelramente particular as molesUag da pelle, conjunctamente com as pilulas
|ue teem seu nome.
Depsito geral i em Part, en cata de MM. GriMault e c, pbarmaceuticos, 7, ra de la Feuillade ,
em Lisboa, en casa de Rodrigo da Costa-Carvalha; no Porto, en casa de Mlgnel Joa de sonia-
Perrelra; em o Hto-d-Jonero, lava Frlxota e Dala, ra do Sabio, 11; em Bahta, en casa d
Jaa-Caetaoa I rrrclra-Enplahrlra, em kio-Grandt, en casa de Joaqun de Godo? ; em Maran-
hio, en casa de Ferrelra e C; em Pemambuco, Bhaan e C, ra da Cru, 22; Sansa, e as principaes
pnarmaeias do Brasil.
Palitos de dentes massos grandes a 2oo rs.
e 28o rs.
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre-
ditadas e especialmente escolhido por um
de nossos socios, como sejam: Cambes, Du-
que, do Porto, D.Luiz, Carcavellos, Cha-
misso 4 Filho, Madeira secco, e Feitoria a
9oo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com Paltos do gaz a 20 rs. a caixmha e 2,3oo rs.
12 garrafas. a groza-
Garrafoes com especial vinho do Porto con- Gela de aperche chegada no ultimo vapor
tendo 5 garrafas a 2,5oo rs. laas de 2 libras a 8oo rs. pechincha.
dem com 5 garrafas de superior vinho Fi- Genebra de HoHanda garrafoes com 16 gar-
rafas por 6.5oo rs.
de vinho Lisboa a
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Harboza
Cal de
a mais nova do mercado
19, prieirmo andar.
Lisboa
na ra do Vigario u.
ESCRAVOS FGIDOS.
gueira a 2,4oo rs.
dem com 5 garrafas
2,loo rs.
dem em frasqueiras a6,3oors.e6,5oo rs. ea;
56o rs. o frosco aJBanca-se ser verdadeira.
Vinho branco de Lisboa proprio para missa; ,dem de botJ}a em barrcas ,ro d
vmdo ja engarrafado de Lisboa a 64o rs. zjas a JJJ^_ ca(]a botj]a_ *
dem de laranja em frascos grandes verda-
deira italiana a l,ooo rs. o frasco.
nrsr.e genero a 2,700 rs. a libra.
Mera kjsmo muito superior a 2,5oo rs. a
libra.
Idea itiiudiuho a 2,700 rs. a libra
Ii1.mii preto de qualidade muito fina a 1,800rs.
'd.ra uais inferiora 1,500 rs. a libra.
Geoebr rs. os frascos pequeos.
t:!iouii-;ose paios os mais novos que ha
nicn ado a 500 rs. a libra.
Cognac inglez a 9oo rs. a garrafa.
Palitospara meza a 160rs. o mago.
de araruta a 500 rs. a
Verdadeira farinha
libra.
Frascos com ameixas francezas a 1,400 rs.
cada um.
Prezuntos do Porto a 5oo rs. a libra.
no
Batatas muito novas em gigos com 38 libras
por l,5oo rs.
Canella da India a l.loo rs. a libra.
Cominho a 64o rs. a libra.
a 7oo rs. o Irasco e j \zeitonas de Lisboa muito novas a l,6oo rs.
a ancoreta.
Marasquino de Zara
S.ooo rs. a duzia.
Licores trancezes, annizete, plaisir des da-
mea etc. etc. aoo rs. a garrafa e8,5oo Lstrehnha e rodinha para sopa a Goo rs. a
is.a'^uia. ,ibra-
Pawas as mHItores que se encontram a 360 Legumes seceos para sopa a 4oo rs. o maco.
rs. a libra.
IV.Iadias inglezas muito novas a 24o rs.
a libia, e 3,5oors. a barrica.
Breu louro a 3oo rs. a libra e 8,ooo rs. a
arroba.
Papel pautado e uso al maco e de peso de
3,ooo, a 4,ooo rs. a resma.
a garrafa.
dem em barril muito superior a 5oo rs.
garrafa e a 4,ooo e 3,8oo a caada.
Ameixas francezas em caixinhas de 1 % 2 Marrasquino de zara a 72o rs.
e 3 libras elegantemente enfeitadas com ri- Licor francez de todas as qualidades
Cumsinlias para senlwras.
em Rjquissimas ramisiiihas com mauguitos e gra-
cas estampas na caixa exterior a l.Joo garrafas de vidro brancos a 72o e 8oo rs. vatinhas para senhoras : s no Vigilante, ra do
l,6oo 2,ooo e 2,5oers. ... ^ Crespn. 7.
i Vinho Bordeaux das melhores qualidades! CirigoiiHhas.
que tem vindo ao mercado a 72o e 8oo' Rifjuissimas cirigulinhas ou gravatinhas, sendo
r p pm cia a 7 5no S p R 9nn rs I cois* de muitogosto, e a primeira vez que appa-
rs., e em caixa a 7,ooo, 8, e 8,200 rs. rece para as scsnnoras de Lom gosto s6 B0 v.gi-
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol e laDle rua do CwSJ \, concha
outros a 800 rs. a garrafa. Ha para Chpgar riqnissimas guarnigoes de pen-
Conservas inglezas sortidas e de urna s qua-: ^ ~&1gS!ttSJgl
lidade a 800 rs. o frasco. rj0 crespo n. 7.
, ., ,., Redes com lacinhos de fita.
Araruta verdadeira a 32o rs. a hbra.
AGENCIA
DA
FUNDICAO DE LOW-MOOB.
Rua da Somalia nova n. 12.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e raeias a a a -"-"---
moendas1 para engenho, machinas de vapor t^SSX^tSSS.
e tachas de ferro batido e coado, de toaos os ni,ecd0 por Manoet ferreiro, por ser deste y|
tamanhos para ditos. com os signaes seguiutes : estatura regular, ror
-------13------------------- _u ^___ preta, alguns cabellos brancos, lauto na heca
Arados americanos e machinas para ^omo'nabbarba> bem barbado, eovpo regular, bmn
lavar roupa: em casa de S. P.JohnstondrC, parecido, rosto descarnado, idade que representa-
rua da Senzalla Nova n. 42. de i8a50 annos, toma muito tabaco, falla um pou-
__________________________________ co pelo nariz por causa do tabaco, natural ila
On i 1 n f. iiiTl villa Constitucional do Sant'Anna do Matlo, termo
[-Al Q N A da cidade do Assii, no Itio Grande do Norte; outro
^ HsSSi M t-ar-a a^'AVSA
sos
tima
o gallo canta annunciando aos seus numero-
sa, ogaiiocauw auuuuauuu*cuuuu.- r)rcta p.s bastanles grossos. lendo em um dos cal.'
m freguezes as galanteras de ma sgo.to e da ul- I P J cjcalriz Vt.nieiltt dt Ulu
ima moda que por elle recebe, como sejam ,fa levou com um po, defeiiuoso do queixo
dem em latas de, 1 Vi e 3 libras a l,4oo e
2,6oo rs, cada urna.
Figos de comadre em bauzinhos de folha
muito proprios para mimo a l,6oo.
dem em caixinhas a I,loo rs.
dem em caixinhas ermeticamente lacradas
e muito bem enfeitadas a 1,80o rs.
dem a 2oo rs. a libra.
Passas de carnadas as mais novas que ha no
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,000 rs. a
caixa.
Salraao em latas ermeticamente lacradas a
800 rs.
por te-lo um pouco torto por um lado, um alri-
jao muito visivel: ambos ugiram jimio, levando
camisas de algodo listrado e caloas aztios, e MR*
bem alguma roupa branca ; o Herrulano natu-
ral dos sertoesdo Piauhy : roga-se s autoridades
policiaes e aos capites de campo que os facam ap-
prehender e conduzi-los casa de seu senhor o
major Antonio da Silva flusmao, morador na na,
Imperial, na cidade do Recife, provincia de |B -
namliuco, (|ue gratilicau generosaineute.______
rua
Escravo fgido.
No da o do corrente fugio desla cidade o cscra-
i vo Patricio, mulato alaranjado, do 1S annos rieia-
de, baixo, um pouco cheio do corpo, sobraneclhae
Lindas redes pretas e de cores com um lindo la-1 Ueni gros>as, olhos grandes, com sardas peto : o--
cinho de fita para conservar o cabello, pelo barato j m, natural da cidade de tfamwgnatM, | roviiu-i
Gomma de engommar multo alva a 80 rs. pre^o de 15300; assim como os novos enfeites pa- j ,ja i>arahiba, levou vestido taiga e camisa itrio**
a libra e 2,200 rs. a arroba. ra cabefa a 33000, 45 e aJOOO : s no Vigilante, muito ladino e esperto roga-se s autoridades
rua do Crespo n. 7. de polica, a qualquer pegsoa, ou rapltao de campo
Lujas. a apprehensao de dito escravo. e leva-lo seu se-
Rtquissimas ligas de seda de bonitas cores a nUor na rua de Santo Auuro 11. 6, ou capital 1
15500; assim como fita propria para o mesmo ef- j Parabiba entregaran leuente-coronel Joao Gaval-
feito a 300 rs. a vara : s no Vigilante, rua dog^mj je Alhuquerque. Recompensase generosa-
Crespo n. 7. mente.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 16o rs. a libra.
Sevada muito nova a 12o rs. a libra e 3,2oo
ss. a arroba.
Macarro a 32o rs. a libra.
Lagestim em latas grandes a l,4oo.
Savel, corvina, cherne, vezugo, peixe espada,
preparados pela primeira arte de cozinha a i ,dem e telharm Q mai novo que ha n0 mer.
a 1,00 rS. mAn Rr> re a lihra
Queijos flamengos chegados no
por a 2,4oo rs.
v laile retinado a 8oo rs. a garrafa.
r,;ri-^rvas inglezas de todas as quahdadesa Ervilhas seccas chegadas no ultimo vapor a
750 rs. o frasco. 2oo rs. a libra.
oi(i.tui!.M|a(|t:is.i d)S9 Jcp
-i: igiffM 8 iwueui ap md.uas so apno 'a;jed bimio e ofa a as-meptAjo saza.\ mm sajsa
..n'uod 'o.">ajd oiojeq sieui jod sajauaU sajoqpw so apuaA as anb a 9g *u saznjo sep
mi i e eisissaj3oJd ra^euue oh os anb ^w.\ saqi-opuazej 'sojopejiod snas so raoo op
mam imkjj jai saaoquas somsaui s opna\ap 'jepeoe ogu anb opafqo aaobtenb jaAio.wp
OH iRpucm flp JOabj o mazBuue ajsau JBjdraoa uKjpueui anb sajoquas soe apad omsam o
i.iujiunoiaqejsaaisap soudoj/f o?u sopafqo opaaiuoa orasam Rpnre 'epuaratnoaua joub
lu ib jbi vb ap as-B2ajAau* 'ajuamieossad opui.v oraoo sopi.uos raaq obj majas 'sovBJosa
il, iotmn snas jod jb siajeputm anb seossad se boubub a 'sopeuoiauam oiciBqB so
ajdfOfMl apepBnb wiaiu >psojaua3 sopiaaquoa raaq ?f snas so japuaA opBtqqap
m u lie03teJl sna/soB Ji.as raaq Bjed jaussod joj anb o opnj jazej bjsa raa ajdraos
jsjssajioJd opBuraiouap raazBuuB opBjipajoB oimra op oumaudoid o
opua
.oft mjL ofaopav o>BK* p ojjk| op ZllJ.) vp BIM 98 '%
sa
iiidfvifv aamwuo
dem do vapor passado a 2,2oo 2,ooo e
1,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
Doce da casca da goiaoa caixes grandes a
600 e9oo rs.
Chouricas as mais novas que ha no mercado
a 48o rs. a libra.
Chouricas raouras encommenda especial nos-
sa a 5oo rs. alibra.
Prezunto verdadeiro de lamego en calda
de azeite 5oo rs. a libra
Bolaxinha ingleza a mais novas que ha no
mercado a 2,ooo rs. a barriquinha com
1 arroba, e a 24e rs. a libra.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
reis.
dem em latas grandes, proprias para lanefee,
com 5 a 6 libras par 2,4oo rs.
Marmelada imperial do fabricante Abren e
outros conserveiros de Lisboa a 600 rs. a
libra.
Frutas em calda de todas as qualidades a
5oo rs.
cado a 48o rs. a libra,
ultimo va- Aletria a 5oo rs. a libra.
Arroz carolino a loo rs. a libra e a 2,8oo rs.
a arroba.
Ervilhas francezas a 5oo rs. a lata,
dem portuguezas a 64o rs. a lata.
Massa de tomate a 64o rs; a libra.
Amendoas confeitadas a 7oo rs.Jrlibra.
dem de casca mole a 28o rs*r libra,
Avelans a 2oo r. a libra.
dem do Maranhao a 12o rs. a libra, e a
3,qoo a arroba.
Caf do Rio o mais superior que se pode de-
sejara32o rs. alibra.
dem a 28o e 3oo rs. abbra e a 8,2oo, 8,4oo
e 8,7oo rs.
Velas de carnauba refinada a 32o rs. a libra,
e a 10,000 rs. a arroba.
dem de spermacete a 64o rs, a hbra.
Chocolate hespanhol e francez a 9oo e l.ooo
rs. a hbra.
Eatrellinha e pe\ide muito nova a 4oo rs. a
libra, e a 2,000 rs. a caixinha com oito
libras.
Cha perola muito especial chegado neste ul-
timo vapor de encommenda particular
nossa a 2,8oo rs. a libra.
dem huxim muito superior a 2,7oo rs. a
libra.
dem hysaon a 2,56o rs. a libra.
dem hysson a 2;ooo e 2,2oo rs. a libra.
dem preto heroeopathico e muito superior a
2,000 rs. a libra,
.dem nacional a l,6oo rs. a libra.
Batatas muito novas a.8o rs. a libra.
Charutos dos melhores abricantes da Bahia
Lucas de Jouviu.
Tambem chegou e chegaro por todos os vapores
grande sortimento de luvas de Jouvin, onde os fre-
guezes podem escolher: s no Vigilante, rua do
Crespo n. 37.
ntremelos e babadinhos.
Tambem chegou grande sortimento de entre-
roeios o babadinhos, que se vendem pelo baratis-
sima preco de 15500 a pecinha : s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Fcelas pora cinto.
Tambem chegou grande sortimento de lindas li-
vellas de ac e de metal com pedrinbasc sem el-
las, pelo barato preco de 25 e 25500, dando-se a
fita para as mesmas : s no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
O GALLO CANTA.
J sabido que o gallo nao poda deiiar de can-
ter, annunciando a seus numerosos freguezes os
riquissimos pentes, que acaba de reeebor por este
ultimo vapor.
Fitas ecoDoniieas.
A loja do vigilante acaba de receber urna encom-
menda de fitas especiaes para barras de vestidos,
assim como para debrum, cousa muito bonita, e
precos baratissiraos: na loja do vigilante, n o
Crespo n. 7.
Ronets.
Tambem acaba de receber os bonets de linho,
proprios para passar a festa, torna-se muito econ-
mico por ser maito leve, podende-se lavar e engom-
mar ; precos de 15500 cada um : na loja do vigi-
lante, rua do Crespo n. 7.
Suspcnseries.
Chegaram os superiores suspensorios de seda e
de Unho, e que se vende por precos baratissimos :
na loja do vigilante, rua *> Crespo b. 7.
\o*sa senhora da Conedel
Contina a estar 4 venda na rua do Imperador
n. 15 a novena de N. S. da Conceicfo, conforme
uaam os reverendos carmelitas da Reforma do Re-
cife, pido o mais conforme os annuncios fetos
par este Diario._________
Vendit-ac urna casa terrea nos Afogados, na
"e de todas as marcas, como sejam: ms^ruadS. Migjieln. 29,con 17 palmos de fceuie,
nW* havanpirr* mesiflriljes. rCfalia im- Pru e janella na frente, e da parte de detrs 1
pires, navaneiros, ^'J3"d "" \mum,cmieM (ara, quiatal murado, grande./com .
penal, flor 03S mattas, primores a *,ooo, ^^ cacimia era bom estado : quem a preten- cidade, e consta Ver sido encontrada em linda
3,5oo, 3,2oo, 3,000, 9 3>8oO, 2,5oo, ar,dirjaseaoegcriptoriO^ePr. Alcoorae,^!,
2,000 e l,6oo rs. a caixa. I achar com quem tratar.
rrauosco,
pardo, com 20 annos de idade, cor acaborolada,
rosto redondo, ollios pequeos, cabellos mcio cara-
pinhados, dentes rheios de lodo, estatura regular,
sabe 1er, escrever e contar, com oBcio de alfaiate,
trabalhou em casa de Jorge Rodrigues Machado,
no pateo da matriz de Santo Antonio, depois junto
a Conoeicio dos Militares, em casa d*- tastos y
Reg, e ultimamenle no pateo da matriz Antonio, em casa de Olegario : anda calcado d
botins de lustro, poe chapeo banda, sahio vestido
com calca de casemira verde escuro, paletot de al-
paca prta, camisa branca, chapeo de palhinh
com quadros pretos e brancos, e consta o ter tro-
cado por oo.tr de palhinha toda branca; tam-
bem de suppr que trocara a roupa, costuma diier
que filho de um majer de guarda nacional, ifl&-
tula-se forro, e assigna-se urnas vara Fninci-ro
Bernardo Quintero, e outras vezes Francisco Xa-
vier Nunes Quinteiro. Ha quas seis metes que
sa ausentou de casa ; qualquer pessoa (|iie o en-
contrar, pegue-o e o leve roa Nova, em casa do
Sr. Quinteiro, que ser generosamente recompen-
sada_____________ .
m
Fugio do engenho Burarema, districto de Seri-
nhacm, no da 23 de Janeiro do corn-nto anuo o
cabra Honorato, escravo de Jos do liislro Paup*
Brrelo, com os signaes seguintes : altura mais
que regular, grossura regular, um pouco trangel,
pouca barba, olhos grandes e verroelhos, cabellos
pouco carapinhos, ps chatos, rosto secco, com sig-
naes salientes de relho as costas, falla desemb-
iracadamente e (era 36 aunes de idade, pouco mais
ou menos : quemo pegar, srvase leva-lo ao tilo
engenho, ou a Leal & Irmao nesta praca. que sera
bem recompensado._________________
tiserava fgida
Fugio D&djfjjAd^torreme a negra Vicenc,
crioula, coflfl Hk seguintes : estatura e cor-
po regulare^mn um signal de cabello noquerxo
do lado esquerdo, beic.es grssos, andar ligetro,
falla gressa, levou vestido de chita rxa com llores
encarnadas, panno da Costa com Ustrtts encarna-
das e verdes, costuma andar nos arrataldee desta
quem a pegar, leve-a rua do Qudimado n-
ija, que ser bem recompensado.
,
MUT



;
8.
Diario de Permmbii<*> -- Terf letra i 9 de Soxemhro de 196S.
'i
LITTERiTORi.

0 bem e e nal.
XVII
(Concinso.)
As duas sympathicas velhinhas, Brasa de viv
Cova e Brites de Recaldim, essas ha muilo que ja
l vao. Com isto privo o jornalisrao do innocente
gaudio de anonadar duas macrobias. Brasia mor-
ra, come la dizem, imtaco d'um passarinho,
com oilenia e nove aunos de edade, em >eu perfei-
dade a sade. Em cortos das do anno vae visi-
tlr a memoria de Duarte Bellancourt, e depoisvae,
pe, a S. Juliao ouvir missa por alma delle. Res-
peilavel piedade, cujo quilate s Deus pode avaliar,
a despclto da censura hypocrita com que nos fingi-
mos representar os juizos do Senhor.
Aqu est o que podemos dizer dostas familias.
As outras albas do Huy de Nellas l estao em suas
casas, honrando seus maridos, e abencoando a me
liberal de sua tia, que, em vida, vae disseminando
a sua riqueza, ja muito diminuta em comparad
do que foi. Parece que o anjo da felicidade anda,
ti imzo e conformada com a von ade de Deus. t.e- __ ..
ia juizo, e wraun (k. casa em ca saudando, ora o avrador de Vi -
trou os seus ordenados de setenta e nove annos ao .,, ._. .. ..'.. ,
IUU9 9CU3U1 __________ la-Cova, ora o lavrador de Pinhe ora o virtuoso de
E em seguida continuou :
Est bora ; sio horas de irmos embora. Har-
ry, ajuda a por Lora a cavallo para partirmos.
Os tres jovens, porm, que haviam combinado
entre si urna pequea excursao, por tal modo in-
tercederam com mistress Lambson para que dis-
pensasse Lora de a acompanhar, que aps mil re-
sistencias, vivamente combatidas, a excellente se-
nhora veiu, por ultimo, a render-se, segundo o cos-
tume. aos dse jos dos seus tres tyrannos, como
ella os denominava.
muito tempo para conhecer que entre elle e Harry sivamente e mordeu os labios com tal torca, que de Francisco era nm r,^:nr. *. v ,.,
existia ceno germen de discordia. Sabia que Har- quasi fez sangue. I do nue ellf cukiou S J maiS E
ry amaro sua prima e por ella eraaraado. Ento nao te alegra a noticia ? continuou a um acC(,rdo com' Seth-Wwe^ niSlheln!
Graham, porm, era dotado de lao generosa in- Lora. I nm a. u. .. Ier>. P
dol, e as suas relaces com a donzella mostrava
tao francas e prazenteiras exterioridades, que nin-
guem suspeitava que elle sentisse por Lora um pro-
fundo amor.
Ao mesmo tempo que elle hita va contra a paixo
que pretenda assoberha-lo, Harrv entregava-se
sua com a confianca de urna alma feliz, e Lora ig-
norando que as suas aiTeiees tivessem encontrado
um duplo echo, esperava descuidosa odia em que
ibo mais velho de Ladislu, c o seu miro compos-
tj de cordo, cabalas e annis a Peregrina. E'
S. Juliao; e dos actos de todos vae dar contas ao
Senhor, que o reenva com hendaos novas.
verdade que estes valores nao chegaram para as
rota de que ella onerou os herdeiros por sua al-1 0ecorredosU Myfc natural e conclu(Jentemen.
na e por almas idas ha tanto tempo que ou Deus |e que 0 ^^ Aq ^^ ^^ na sciencia e
as tinha coinsigo, ou o descondemna-las sena tar-
. ,. ,j- .. nos costume amigos, encorra a urna dos blsamos
Brites la se finou em Recaldim. pou- para as chagasdo
dio intento.
os coracoes formados moderna,
ros mezesdepois da sah.da de. Eugenia para o Exemplos tres vezes bemditos: o vgario de S. Ju-
Drasil. As desventuras da ilha da sua menina mi- ,iao da Scrra) Ladjs)au Tiber0> peregrina e Casi.
naram-na tanto que a saudosa velha, de da para mjr0 j^tta,,,.,^,
dia, se resvalou sepultura, pedindo a Deus que a Excellenle seria tivessemos muilas daqucllas
nao castigasse por ter protegido a desgranada se- rel as (]os s Qb as -^ scrvs.
nliora. Aquella Apol.nar.a da calcada dos Barba- $em CQmQ A& quebra.,UZj afi|n de que br|hanU
inhos, que o leilor esqueceu, nao esqueceu a con- claridade dos mi| |anipadanS da civili^aco nos
dessa de Asinhoso. De volta do Rio de Janeiro
procurou-a, achou-a pobre e cega. deu-lhe abun-
dancia, cmprogou-lhe os filhos, e fez-lhe o enterro'
aunos depois.
Ruy de Nellas rnorreu em 1830, nos bracos de
Casimiro c Christina, nicos filhos que viu hora
da inorte. O vigario de S. Juliao d'Arga tao santos
nao cegucm de todo.
Aqu est, muito flor da trra, a moralidadeda
historia, em que tentamos esboear urna face do bem
e outra face do mal desla vida, lao infamada por
uns como glorificada por outros.
Senhor dos mundos! ve, quando creastes a bra-
dizeres Ihe fallou naquclla tremenda hora, que o sa da sede, que requeima os labios do caminheiro
moribundo inclino suavemente a cabeca, e expe- do nosso deserto, mandastes s ara9que se desen-
('iu a alma ao seu Creador, abeucoand as filhas tranhassem em fontes As foutes correm. E o m-
;iusentes. P' sequioso bebe, consola-se e injuriados I
Ao nono dia depois do fallecimento, a casa esta-; Camillo Gistei.lo-Branco.
va vasia, e D. Sueiro entrava a empossar-se nella.; (Commercio do Porto.)
instaurando logo demandas s cunhadas, c articu- j
laudo contra Casimiro Bellancourt um libello de Lora fallieron.
Mibtracciio de baixella vinculada : calumnia que
nos tribunaes redundou em maior infamia do liti-
~ante. Por urna tarde de estkt do auno de 1780; acha-
Casimiro, Christina, e sua miie passaram casa va-se a porta de urna modesta herdad situada no
construida. Ahi receberam, volvidos tres annos. fundo do valle de Barrngton, no estado de Mas-
D. Guiomar de Nellas, fugitiva do marido, que a sachusetls, um grupo composto de quatro persona-
martyrisava, tornando-a serva de suas criadas.com gens, nao mettendo em linba de conta um respei-
quem elle devassamente coraraerciava a morle len- tavel cavallo, que, sellado, enfreado, mmovel, com
ta da espesa. o pescoco estendido e os olhos meio cerrados, es-
Casimiro recebeu-a com respeito, Christina com perava que mistress Lambson, senhora de mei-
amor, e a condessa com a virtuosa indulgencia que edade c ainda nao de todo destituida de formusu-
aprendera na desgraca. A perseguidlo de D. Suei- ra, o cavalgasse. Ajuda va-a no intento seo filho
10 ali mesmo Ihe cravou a setta hervada, fazendo- Harry, mancebo de dezesseis annos, que no refor-
a intimar para se ir voluntariamente estender no jado do aspecto, no bronzeado da tez, no vigor e
jjorlo de torturas. grandeza das mos bem dava a conhecer a> vida
Casimiro tomn sua cunhada sua guarda, de- activa e livre a que se entregara na hertade.
postou-a n'um mosteiro de Villa-Real, e d'ahi re- No limiar da porta via-se urna joven de doze ou
querou separago judiciaria, que censeguiu com treze annos, chamada Lora,
illibados crditos. I Esta joven era urna sobrinha de mistress Lamlr
D. Sueiro, passados annos, rnorreu d'um tiro que son, orphiia de pae e mae, porm sempre tao ma-
por descuido se deu. andando caca. Em Miranda tenalmente acarinhada por sua tia, que ainda nao
v.igava a snspeita de que o tiro Ihe fra desfechado havia tido occasiao de dar pelo seu desamparo no
por um irmo vingativo, inconciliavel com a Gdal- mundo,
ga deshonra de sua irmaa. Guiomar tomou cargo Lora era urna joven maravillosamente bella ;
da educaco de suas filhas, que nao tinham nenhu- suas negras sobrancellias destacavam-se graciosa-
i.n, e vive em paz e devotamente no seu palacio mente no meio da extrema branenra da pelle
de Pinhel. sua tez, circumstancia rara entre as mulheres da-
Ladislu l est em Villa-Cova, saudoso do seu quelle paiz, era ligeiramente colorida ; juntao a
primognito, que, ha dous annos, casou com Mafal- isto uns olhos do mais potico azul e farlas tran-
da, fillia de Casimiro, e foi viver em casa do sogro. cas de cabello prelo, cahindo-lhe em delgados an-
Ruy, seu filho segundo, est-se ordenando para, no neis pelo pescoco, onde o sol deixara levemente
futuro, continuar a misso dos sacerdotes daquella impresso o rogar dos seus sculos de fogo.
casa. O ma!rimoniarem-se aquelles dous primo- Junto de Lora achava-se um mancebo da vizi-
genitos era plano feito desde o berco, esanecionado nha aldeia. por nome Francisco Graham, rapaz al-
pelo cu. Amaram-se desde infantes, e hoje ado- to, bem apessoado, da mesma edade que Harry e
rain-s como seus paes. seu intimo amigo, embora, pelo lado da fortuna.
Mestre Antonio tambem j lest no mundo das existisse um abysmo entre ambos,
almas generosas e puras. Acabou a vida quasi No momento em que principia a nossa historia,
sem erguer mo do trabalho. Como intrevasse aos Francisco Graham achava-se entretido a explicar
sessenta annos, mesmo sentado no leito fazia boce- donzella o mechanismo de urna espingarda de
ta-; para doce, s quaes dava consumo a condessa, dous canos que tinha na mo ; Lora examinava-a
arrumando-as em rimas, e pagando-as por um pre- l com escrupulosa minueiosidade e de vez em q.uan-
^0 que o artista acceitava, sorrindo piedade da i- do puxava pelo gatilho.
dalga. Nanea foi possivcl demove-lo de sua casa e __ Lora Lora exclamou mistress Lambson,
Por nica resposfa, Harry esquivou-se pressio eTpos afear.^oTS vSS' S Im
da donzella, deixando ouvir um surdo rugido de todos ,italos d divida elan^ao lome
- Mas como ha de ser agora, fiha, que elle par-
completara dezoito annos, pora marcada para a
Apenas mistress Lambson parta, pozeram-se realisacao do seu casamento com seu primo,
os tres jovens a raininbo, costeando a margem de' No fl,n da e*uerra da independencia, e no mo-
um regato em roce* a um bosque, no qua. es- ffOS, VS^fSSlSSSSl
peravam encontrar ca?a. I da halalha a morte do soldado, dexando por nica
VoMMUD j em extremo deiapontados, depois heranca a seu filho um nome respeitavel, a reeor- Lora, einpallidecendo tambem.Tia Lambson lh>s-
urna excursao de quasi urna hora, quando Lo- da55 da,sua dedicacao pela patria e um grande ry que teve hoje ? *
numero de dividas, que Harrv, collocado afrente: Eu sd, lilh !replirou a pobre senhora,
da admimstraco da herdade,' procurava a todo o forcejando por disfarear os sol uros que Ihe con-
frangiam a garganta.A causa da sua tristeza sabe-
colera, ao mesmo tempo que o rosto se Ihe cobrin
de mortal pallidez.
Nao Mi, mas este senhor parece que quer que
Ihe digam as cousas ainda mais claras I murmu-
rou a incansavel Lora, voliando a collocar-se junto
de seu primo.Entao o senhor nao se lembra
continuou ella que eu no dia 47 faeo annos ?
Lenibro retorquiu o mancebo Eslava a
pensar nisso mesmo e lembrar-me que, quando mi-
nha querida me fixot esse dia para a celebradlo
do nosso casamento, eslava longede suppor que vi-
ra a ser talrez um dia de lagrimas e luto.
Ora, primo Tu ests exquisito I exclamou
de
ra, que caminhava na frente, acenou aos compa
nheiros que vienen devagarinho, apontando-lhes transe amortisar.
para urna cotovia escondida entre a folhagem de Durante a guerra, as dividas contrahiam-se com
urna arvore. extremada facilidade a lembranca de quepodiam
Harrv melteu a esmncardi cara dpsfprhnn e ra!"r ambo" a par no mesmo ca,n'l)0 dt ba,alha e
Harry raetteu a espingarda a cara, desfechou e ^ mesnia causa egm^,,,,.a cnlre 0 credor e 0
a ave cahiu aos ps de Lora, que pegou nella do devedor urna especie de tregua. Porm, restabe-
chao e exclamou entre solucos : i lecida a paz, mudaran) as cousas de figura. Fin-
Cotadinha I Que croeldade f ,dara *f lrpgua- rrelocra o enthuslasmo e o in-
...,_ ... teresse dominava todas as outras consideraces-, A
E, ao dizer isto, affagava-a e estreitara-a alTec- avidez dos credores tornava-se excessva,' e a le,
tuosamente ao eoraeao. estranhamente rigorosa, favoreca at actos de bar-
^ .. .... ._ baria.
Ora ja viran urna exquiHtice assim f-acu- Pelo anna ^ l786> ^ crueis se ,ornaram as
diu HarryNem que fosse a pnmeira vez que nos perseguicdes, tantas foram as atroridades e injus-
v matar um passaro ; tifias commettidas, que os devedores secolligaram
, : contra os credores e urna inmensa nsurreieao re-
b verdade que tenho visto matar moito*, itenton no Massachusetts, theatro principal das-
replicou a jovenporem nunca tire na mo ne-; snas enormidades. Esta insnrreicao, a que se deu
nlHimaindaquenteea palpitar, como oste. Coi- nome de 9" .mii ii. .- ongem, um carcter poltico, dividmdo por altrum,
tadinlu I Anda ha um instante a cantar tao ale- aida qne pouco tempo. asoriedade americana em
gremenle e agora aqu morta, e morta porminha dous campos inteiramentedistinctos: de urna par-
causa \... i,e os T,C(>S> da outra os pobres e os fallidos.
| O mu estado dos negocios de Harrv Lambson
Graham e Harry nao poderam ter-se que nao naturalmente o levara a alistar-senesla ultima ca-
nssem do singular assoroo de sensbilidade que *egoria, qual abertamente se dava o nome de
accommetnra a donzella I P>"",lo.dos w>surgente*,aopassoque Graham, pelo
accommetrera a aonzella. contrario, se tornava o que se denominava um dos
Esta-me a parecer qne. se morresse algum delrnsores dw tribuna,*, isto da lei.
de nos, nao sentiras maior pena!disse Gra-' Por infelicidade, Francisco Graham, em virttide
nain ; das suas numerosas oceupaedes, nao pode ir a- her-
1 dade durante algumas semanas, e Harry via-se pri-
Se matassem algum de vos, ea morria tam- vade-de bons aonselhos e instantemente aolieitwo
bem !-murnrou Lora, ainda entre solucos. ; Pelos c,,efes mais ;n""uen' da nsurreieao. A isto
cumpre accreseentarqueo pobre mancebo se acna-
POis nao razias bem. Loradisse-lhe grave- va era luta com gravissimos embaraeos pecunia-
mente Harry,Se algum de nos morresse, devias r'0*- ....
viver mra consolar o outro i Ein viver para consolar o outro. i ce0; a sua mae> fmfm a |)reves ssw. 0jM ^
Este dito simples, o de certosem'importancia a<- apparecer a verdade em toda a sua triste nudos,
gurna em semelhante conjunctura, pareceu causar Por sentenca proferida contra elle pelo tribunal,
profunda impressao a I,ora, porque logo estancou- competente a herdade a sur:me arrebatada e elle
. c. ..__.a_________w-j___ Janeado n urna ppisao, se nao embo sasse um ta
as lagrimas, e filando os seas dous companhe.ros- ****. a quem era devedor.
de folguedos com- urna especie de assombro, estn- Urna torde, recolheu-se casa aluicto, depois de
deu-lhes a mao sen) proferir urna palavra. Direis ter passado um dia ausente. Mal entrou, foi sen-
que neste morimento como(Uie se enconrava uin ,arAse a m cant0 sem Proferir amenor palavra.
^ ...., Decorndos instantes, disse- lie sua mae. nao sem
secreto e inst.ncl.vo juramento. : a]guma hesilacao .
Fmdo este passagero incidente, proseguiram to-; Entao, filho t Nao conseguiste nada ?
dos tres o interrompido passeio. Chegados a um ; E! verdade, minha mae!
sitio onde o regato, formara um pequeo canal,! Z m^tontruprntoana!CbO,froujn-
na atravessalo a vu, em vez de dar urna grande vol- impaciencia,
ta para passar na ponte. Pois fizeste mal! replicou mistress Lambson,
Granham, temeroso de que Hora nao consegus- Vancisco nm amigo dedicado, e as occasoes de
^ i apuro e qne...
se attingir a opperta margenasen) grave rtsco de r_ FraneLscn Grahan)? m|lha j^jj na&(; para
seus pi'-s mimosos, poz-se de joelhos e disse-lhe :; mim o amigo de oufr'ora! replicou o mancebo, le-
Senta-te nos meus hombros, que eu- passo-te
para > lado de l a-p enxutc.
vantando-se.
Com assm ?
Hoje Prancscc-Graham ns se oceup seno
Lora rrou, deitou os olhos ao chao e respondeu en perseguir os mesquinhos que, como eu, de,fen-
que profera que a passasse seu primo. dpm mie Jg : f^SS^ *"'" f* B'u.m*
M ,-,. m;w. como advogado, e com a espingarda na outra,
- hjuste-respondeu Harry.-Ficaste-me en- coine rapiode milicias. Foi elle quem iMmtro
trege, portanlo a , vae ser entercado por causa das dividas contrahi-
Ao ver a donzella, porem, que o rosto de Gra- das pelo pae. Oh ninguem espere commseracao
liam se annuveara com a recusa ipue oppuzera ao nem justica da parte dessa raca de gente !
seu prestadio olferecimenlo, com a preferencia Harry pronundava as palavras que acabam de
dadaao mesmo auxilio recebido das mos de seu ler-se com tal exaltapo, que sua me nao pude ven-
. cer-se a iionto de nao exclamar :
primo, atalnou, eiuendando-se:
Harry, vejo do teu modo de fallar que- te de
Nada, nada, tambem nao aceito : quero an- xaste vencer pelos^rrasoados dos rebeldes de Shay,
tes passar por meu p. ainda bem que nao tencionas juntares-te a elles,
E, voltando-se para enviar um gracwso sorriso
e um gesto de adeus aos seus dous amigos, parliu arossados por todos os lados, fugem como m ban-
agil romo urna rorca. sallando de pedra em pedra ido de enterninhos ante as tropas do general Lin
e evitando eonii inexprimivel destreza as que iam
ainda bem que nao tencionas juntares-te
pois nao ? Tu bem vs. filho, que. alm de outras
i zoes, seria urna rematada louenra agora que elles,
da sua officina Ponha o compositor os pontos de
admiradlo qne Ihe parecer.
Do vigario de S. Juliao sabe tambem o leitorque
que acabava de tomar assento no seu veneravel
palafremnao brinques com sso !
Nao esta carregada. minha tia
por sso nao
nao ha tira-lo d'ali. As virtudes do ultimo padre I tcm davidareplicou a joven com impcrturbavel
de VTUa-Oova preciso lembra-las elle, que o povo, sercndade.
awneoaado as que v, esqueceu as outras. O ( QUr na0i menina bulir com espingardas
egresso capello da condessa, propendendoabispo, sempre arriscado.
fez-se poltico, e fallava mais nos comicios cleito- p,^ quP meu marido e teu to, que Deus te-
vaes que cantava no coro. Na vespera do ser no-1 nl)a em desCanso, rnorreu na guerra, fiquei sera-
meado, ceiou com tres deputados de sua fabrica, e prc coni medo a armas de fogo.
rebentou de madrugada, com grande terror das 0ra mnna tia que na de estar sempre a re-
criadas, que afllrmaram nocheirar bem o conego : pizar a mesma Cousa atalhou a joven com ron-
o que possivel c sem que a sua alma perdesse i,|anle de riso.
TTb r__/.*____--* '- r,crA E accrescentou, voltando-se para Francisco Gra-
Jose Pastor, transiormauo em Jos, de Lastro
Vieira Silva (como elle arranjon isto !) tenente
de engenheiros, empregado as estradas, com gran-
des vencimentos e crditos de habilidade. Estudou
ham :
Pois nao queres saber ? N'outro dia, d-me
na cabeca para pegar na espingarda de Harry,
.'uito, fez a pontana a engrandecer-se, nao quiz, que j nao tem cano nem fechos, como sabes, e
saber de nanoros, nem de tlieatros, nem de bailes, j dtntar a correr atraz de um cao. De que se ha
e medita em fazer-se deputado por alguma parte, I de lembrar minha tia ? Queria fina forca tirar-
no louvavcl intuito de ser ministro das obras pu-
blicas : ministro, que eu hei de defender, posto
que eu o considero mais de molde para os estran-
geiros em vista da diplomacia de telhado, que o vi-
mos tirar a limpo ha vinte e seis annos.
A condessa de Asinhoso ainda urna senhora ro-
busta com os seus sessenta e sete annos. A felici-
nnnnnnnnnnnn^nnjnna
FOLHETIM.
A CONDESSA DIANA
POR
MR. VARIO UCHARD.
(Cofltmuaro don. 260.)
XVI
me das mos aquelle bocado de pu, porque po-
da, s vezes, acontecer-me alguma desgraca I
A estas palavras. Lora e o dous mancebos desa-
taran) a rir e a pobre senhora viu-se forcada a fa-
zer coro com elles, repetindo ao mesmo tempo :
Eu dizia-te sso, menina, porque tu nao tens
cautella nenhunia com as armas de fogo.
cobertas de agua.
J quasi havia atlingklo a margem opposta,
quando, tropezando n'umapedramais alta, perdeu
o equilibrio o esteve em risco de calnr para o lado
se nao tivesse a destreza, de se agarrar a um pe-
nedo e segurar-se al dar tempo que os seus dous
eompanheiros a viessemsoccorrer.
Este aconiecimento revelou a Harry e a Fran-
cisco Graham o sangue fro, a energa e ao mes-
mo tempo a corajosa resoluco daquella joven.
Detivemo-nos com estas minuciosidades coneer-
neules pnmeira parte da existencia dos hroes
da nossa historia, e mu acintemente o fizamos,
porque as julgamos importantes para melhor dar
a conhecer a ndole de cada um e o futuro papel
que ho de vr a representar.
H
Decorridos seis annos depois dos acontecimentos
que acabamos de narrar, Harry e Francisco Gra-
ham tinham attngido a edade em que o homem
principia o sentimento das realidades da vida.
Francisco Graham, senhor de urna grande fortu-
na, como no principio dissemos, e destinado a se-
guir a carreira do foro, achava-se em relaces com
a sociedade mais opulenta da tena. A propria
natureza das suas occupa;oes sera bastante para
qm elle quebrasse todas as relaces com os mora-
dores do valle de Barrngton, porm tal nao bavia
acontecido. O mancebo nao encontrava no mundo
prazer que podsse ser comparad alegra (ue a
sua presenca levava sob o tecto da herdade, ao cor-
dial acothimento de Harry, aos benvolos sorrisos
de mistress Lambson, e, sobretodo, ventura de se
ver junto de Lora. Urna cousa, porm, devemos
notar, e vem a ser que nao fura mister decorrer
coln.
Perdao, minha boa mae; acudiu Harry, in-
terrompendo mistress Lambson nao fallemos
mais em semelharrre cousa, se nao vae contra isso...
mesmo porque me parece que se dirige para aqui
alguem.
No mesmo momento, entroa Francisco Graham.
ronduzindo Lora pelo braco. A semelhante aspeo-
to, o rosto de Hanry contrahiu-se sob um esforco
de raiva.
Que novidade esta, Harry disse Graham,
eslendendo-lhe affectuosamente a mao. Tinha-le
mandado recado que fosses fallar-me aoesersp-
torio : porque nao appareceste ? Isto nao bo-
nito !
Harry balbueiou nao sd que resposta vaga, em
tom febricitante, e calou-se.
Tao preoccopado se achava, que nem sequer deu
pelo, signal de intelligencia que Lora e o seu antigo
amigo trocaram entre si.
Graham continuou forcejando por abrir conversa,
porm a frieza de Harry era tal, que logo Hie pu-
isiia remate.
A' vista disto Graham, resolveu reiirar-se, o que
nao fez sem por ultimo dizer.
Adeus, Harry. Pareces-me hoje um surdo-
mudo, por consegine ate mais ver!
E sahiu.
Lora acercou-se de seu primo, e, encostando-lhe
graciosamente o braco no hombro, disse-lhe cora
accento de irresistirel mcguiee :
Tu que tens hoje, Harry 1
Nada I respondeu elle com frieza e estreme-
cendo ao contacte de Lora e ao timbre da sua ar-
gentina voz.
Nao queres saber ? continuou a donzella. ma-
dama Graham prometteu de nos dar um baile no
dia 27, isto de hoje a dez das, se o general
Lincoln j tiver chegado, como tudoleva a crerque
sim.
A estas palavras, Harry feehou os pannos convul-
a elle.' Porm, em todo o caso, o vosso casamento
lera lugar no dia 27. Nao bom agouro alterar
dia de um casamento.
Sabe Deus onde eu estarc no dia 27 !...
murmurou Harry, enxugaudo com a mo as lagri-
mas que lhc borbulhavam dos olhos.
E, apenas aeabou de proferir estas palavras,
apertou a mo a Lora e a sua me, e sahiu, de-
xando as duas senhoras em presa aos mais som-
bros pensamentos.
III
Em vez de diminuir, a tristeza e as preoecupa-
coes do infeliz mancebo augmentavam cada vez
nais. Sabia e s vezes s alta noute recolhia a
casa.
Mistress Lambson, para quem nao passava desa-
percebidoo prwredimento em extremo, porm em nada tocara a semelhante
respeito, no decorrer das pratcas cora sua so-
brinha.
A final, um din, a 2 de marco. Ifarr) recolheu-
se mais cede do que de eostume, indo fechar-se no
sea quarto, sem si?r valo MU ouvide-de mais nin-
guem alm de sua mae, que mniedialamente par-
tiu em seu seguimento.
Valha-te Deus, filho !-disse-lhe ella, abra-
fando-o.Anda bem que rollaste mais cedo, Fran-
cisco Graham esta ah toa espera desde o meio
dia.
Nao tem duvida, de ter parecido enfadonha A Lora ha de ter sa-
bido entrele-lo !,..
Harry proferiu estas palavras ^om inflexao de
zombereiro resenimento, pelo qual mistress Lamb-
son pareceu nao ttr dado, por que accresCentou
logo em seguida :
Francisco Graham trouxc-lhe de eerto al-
guma noticia de genio, por que a vejo toda alegre,
porm que noticia foi, e que eu nao sei. Mas isso
que r T nao vens para oade elles estao toa
esqera ?
Na; minha mae.
N'este instante, duas estrondosas gargalhadas,
soltadas por Lora e Frani'isco Sraham, se fizeram
ouvir no warto onde o mancebo se adiara com
sua me.
Harry franziu o solnolho, e, erguendo-se de cho-
rre, respondeu s novas instancias da pobre senho-
ra pedindolhe que o deixassc s.
Apenas ella sahiu, Cechou o mancebo a |>orta por
dentro, na esperanca de obstar a que as risadas
dos dous jovens, que cruelmente Ihe pungan) os
anvidos e o coradlo, penetrassem at onde elle se
aohava.
Passado nm quarto de hora, f*i a pobre senhora
bater porta do quarto de seu filho.
Harrv,^bradou-lhe ellase ests deitado,
levanta-te. qne tens aqu urna carta de Francisco
Graham, e. pela prono que elle mostrava de que
t a recebesses, quasi jurara que contera alguma
boa noticia.
Estou persuadido que se engaa, mavem to-
do o caso vejamos...
Mistress Lambson metlea por baixo da porta um
papel e retirou-se.
Harry alnin-o e leu o que se segu :
< Pelo presente fica Harry Lamoson emprazado
para comparecer impretervelmente manhfia no
raen escriplorio, em nome de Seth-Warner, cajos
tMulos de bypotheca sobre a propriedade de Lamb-
son parara em meu poder.
o Franciioo Grahu.advogado.
E foi slo o <|ue o trouxe e 1bradou Harry
com gesto de raiva, Latendo um vigoroso murro
na mesa qiw tinha dante de si. luame l S elle
seria capaz de urna vileza assim !
E desatou a chorar como tima crianza. Recor-
dou-se entao da conlidenda (jue Ihe havia feito um
dos obeles da insurremo sobre a trai<;a de Gra-
ham, qne, segundo se "dizia, api'isj reiterados esfor-
oos, conseguir por al timo fazer-se aman de 1-ora.
A principio Harry repellira semelhanle aecusa-
cae, pari'fendo-llie istoapenasum meio ompregado
pelos insurgentes para o faaerem cortar por tudas
as hesitaefies e indud-lo a alistar-se as suas fi-
leiras.
Porm. vista d'aquelh intimaco feta por
Harry como procurador de Seth-Warner,que prova
mais evidente ?
Estn claro que o fitn do seu indigitado rival
era persegui-lo para se ver livre d'elle e chegar
sem estorvo ao conseguimento da posse de Lora.
Dexa, que eu me vingarei, infame mur-
murou Harrv.
A contar desde aquelle momento, a sua resolu-
co tornou-sc definitiva.
Muito antes de amanhecer, ergtieu-se c sihiu
furtivamente de casa.
Ao passar pelo quarto de Lora, parou um ins-
tante comraorido, porm de subdito, como Ihe
viesse lembranca a trai;o da donzella, soltou
ura grito de raiva* e parliu "a correr.
Apenas mistress Lambson acordot, deparou com
o seguinte bilhete, escripto a lapis |wr mo de seu
tubo :
Minha querida me : a carta de Graham foi
a ultima gota entornada no calix das minhas do-
res Nao ti ve animo para supportar tamanho in-
sulto da parte de um homem amigo e que cu imaginava seria o ultimo a invo-
car o rigor das leis contra mim Crdo que a re-
soluciio qne tomo, minha me, justa aos olhos de
Deus e aos olhos dos homens. Se mocrer, d-me
o seu perdo e as oracCos
Lora! Lora !bradou a pobre senhora af-
flicta.
Aos gritos de mistress Lambson, acudiu a don-
zella assustada, indagando a caasa da sua agi-
tadlo.
Por nica resposta, a infeliz enrregou-lhe o fatal
papel e cahiu soffocada para cima de urna cadeira.
Meu Deus Que fatal equvoco t A arta
tiu para se ir juntar aos insurgentes ? Deus se
amerceie de nos I...
Ao passo que a infeliz senhora, de joelhos cem
a face collada parede, orava e solucava,' Lora
cujo sangue fri, quando esteve a ponto' de dispe-
nsa r-se dos rochedos do ro, os leitores de certo
nao olvidaram, mostron-se digna d'esse lance da
sua infancia, isto raulher de corajosa resoluco
e maduro juizo.
S Francisco nos pede aind3 salvar l-re-
tlectiu ella comsigo.
E, deixando sua tia debulhada em lagrimas, cor-
ren sem perda de lempo a casa da me de Fran-
cisco Graham
Apenas avistan o mancebo, contou-lhe o terrvet
engao a que dra origem a saa carta.
Achava-se Gralmn reflectindo no modo de sal-
var Harry, (piando fra se ouvki de repente o tro-
pel de cavallos, acompanhado de gritos furiosos.
Lora chegau-se a una ja nella e avtelou urna
niullido de cavalleiros atravessando o lugar.
Pelo ramo verde que trmula va na cabeca dos
cavallos, conheccu logo que era ura troco de insur-
gentes denominados skayxuta.
Ao grito de alegra soltado pela donzella, respon-
demos como ura echo fatal, estas- palavras de
Francisco Graham :
Estou perdido I
Perdido?acudiu Lora E porque, se Har-
ry se acha no me d'elles- ?
Enganas-te ; Harry nao se acha ahi com el-
lesrespondeu Graham;Esse bando de scele-
rados jurou agarrar-me e nesse intuito tem andado
todo o da- atraz de mira. Porm lid de vender-
Ihe cara a vida !
E, apesar das supplieas de Lora e de sua pro-
pria me, o mancebo irrompeu contra as- fileiras
dos insurgentes, travando cora elles luta oncanii-
cada, mas impoteate, apoz a qual licou seu- prisio-
eiro.
Ao ve-lo em poder don insurgentes, Lora sentiu
nascer em s nova e indidvtH energa.
Travou das mos de Mad. Graham, e apertando-
as entre as suas, disse-lhe :
Nao chore, me infeliz'; ore por elle e por
mim. que hei de, querendo Deus, restituir-li'o aos
bracos!
Que tencionas fazer, Lora ?
Ir procurar meu primaonde elle se acha.
Pois t ousarias ir metter-te entre seme-
lhante casta de gente f Lora, prohibo-te que d'aqui
sius I
Nada temo!respondeu. a animosa dcnzella.
Hei de fazer-me respetar, por que sou a et.|>o-
sadade Harry, e, una vez que o encontr, ;u fi-
lho flear salvo.
IV
Sahiu Lora do casa e foi informar-se pnneiro
do sitio em que- os insurgente* tinham combinado
juntar-se.
Como soubesse que elles se- drigiam paraSliel-
field, doze milha distante d'ali. onde esperava ni
reforcos para resistir a um consideravel cerpn de
muidas que avanrava s orJens do general Lin-
coln, mandou apprelhar um dos cavallos de Fran-
cisco Graham. cobriu urna capa e parliu a galope
em dlrecco a Sheffield.
A' excp|n;o de alguns que nao tinham podido
aturara marcha, o grosso des-insurgentes levava
grande diaotelra a donzella.
Lora, porm,. nao desanimara, antes, no -anto
empenhoqne amova, a cada passo indfara os
bro* do animal, tazendo-o desfilar em rpida car-
reirat
A final, ao vclter de um. carreiro, ouviO' um
sussurro de raros cantando e fallando alto
Ajwsar da snawrajosa resoluco, forra- con-
fessa-lo, Lora estremecen, |>orm foi um mo-
mento.
Ao reeonhecer entre aquellas rozes as- de al-
guna-vsinhos da herdade de Barrngton, os rous
temores para logo se dissiparam.
Emaminhou o cavallo para o meio daniultido,
e, aproximaniAv-se do commandante do desta-
camento, pergantou-lhe cemarcheiode raeignice :
Sr. Adams, a filha de nm dos seus antigos
visinlws reclama a sua proteceo ate ShefBeld.
Ira Camoron exclamou M: Adams.
A menina aqui. a esta horas da nonte e 80-
sinha?! Que vem a se? isto? Que vae fazer a
Shetldd?
Nao achas Wilhelm, que c estranha a minha si-
tuaco ? Eu convencido de louenra, trato do meu
medico, lomo-m*; o salvador do meu carcereiro!
Se nao estivesse tao triste, rir-me-hia agora.
Sou obrigado a dexar a minha penna ociosa, e
o papel intacto ; porque Sehullz me oceupa o da
inleiro.
Comprehendi que o seu espirito divagava j no
paiz das apprehensoes. Veu-me de repente a idea
de tentar urna experiencia, mostrando-lhe a minha
carta.
Wilhelm um amigo sincero, quem confio
sem reccio os meus mais ntimos segredos. Leia o
que Ihe escreva.
O doutor abriu o papel. A prindpio nao pode
reprimir ura gesto de sorpreza. Vencido este pri-
meiro choque, ontitiuou com socego, approvando
cada phrase com um movimento de cabeca, como
se estivesse commentando a consulta de um col-
,eBa- ...
Emfim ousou encarar o immigo em face...
lava ameacado, com tanto que ficasse ao p della ?
Presa das mais crueis angustias, busquei toda-
va no seguinte da dissmular as agitaepes que me
opprniiam. Diana nterrogoii-me com solictude e
a sua commoco mais ainda augmentou o raeu
pezar.
Afim de tranquilisa-la, de como desculpa um
aecesso de melancola.
Pois falta-lbo a energa, disse ella, ponto
de nao poder reagir contra um splcen lao incom-
niodo ? Voc que j tem vinte annos, e pd* mar-
char na existencia apoiado pela dupla forca de um
grande nome e de urna grande fortuna ? Animo,
meu amigo ; deixe para nos mulhores as tristezas
pueris. O que faria entao em face de urna ad ver-
in-
dicio que a cura progride. Quo mais te direi, Wi- .
lbelm ? Descobrindo o subterfugio, que eu havia sidade real, so nao sabe defender-se de um enfa-
recorrido, disse com olhar maligno : ido imaginario?... Ah Se eu fosse homem I...
,, ... Havia na sua voz tal accento de altivez, que tive
irnos para o sen passeio hygie- j vergonha das minhas fracas hesitares : desertar
| da minha causa, seria degradar-me aos olhos de
Diana. * pedindo-lhe urna conferencia, e no seguinte logo
jugando; saiutar desviar por urna fadiga I ^nTnnnr*ta$S5i \' ^ ced<> P"11 para """"^
Tem bem que saber disse um dos ho-
mens que aeompanhavrn dam-;E' porque qar
irjnntar-se com o noiro.
Seu primo Harrv?
Agora! replicn o ooti-o OSi.i. i
cisco Graham.
E' tactocontinuou um ^c-gundo. Ainda
nao vae ha.muito que eu ouv estar o capito H?jn-
n a dizer a Harry lambson que o rico e elegante
advogado Ihe tinha roubado a noiva.
Pow mentiram acadlu Lora com voy.
trmula, mas de colera e nao-de sustoO mf a-co-
raqo e a minha mo perJencem a meu primo
Harry. e-urna vez que os homens, coja proiceio
sollicitei, sao tac-vis, que abusara da sur..supc-
rinrd.ide para injuriar urna pobre mulher, prose-
guire sosinha o n>eu raminhn.
E, apenas acabou de proferir estas palawas. fer
mencSode partir outra vez desfilada.
Devagar, mss Lora! acudiu Adrjns, de-
tando-lhe a mae s redeas do cavalloEstoja cer-
ta que nao somos tao mus como nos jakja. Se.
realmente, ama sen i>rinio, pode conor que Ihe
faremos a melhor companhia possivel.
Jnro-o t respondeu a donzella.
A coragera, energa e sangue fri daquella jo-
ven tornaram-a respeitada dos sene- grosseiros
eompanheiros de jornada.
Mal Adams Ihe prometteu a sua protecro. o
resto da raultido dos insurgentes raudou logo de
tora e maneiras para com ella, de modo aie al
Sheffield trataran) Lora com tanta respeito como
se Iheshouvera sido confiada pete proprio Harn.
Chegados a urna herdade, distante apenas meta
millia de Sheffield. fizeram alto.
Mal a donzella entrou para dentro da casa da
herdade. circumvagou rpido olhar por entre a
multiilo, porm nao avstou Harry nem Francisco
Graham.
Conduzram-a a um quarto pegado sala pr-
ndpal. Collou o ouvido ar> tapuroe, espreilou pe-
las fendas da porta, e nao ouvm mais nada aJm
dos cantos dos rebeldes e- do estrondo que faziain
com as armas.
meo.
E poz-se rir.
O doutdr riu-se, ouvste, Wilhelm t e o seu riso
era nm riso franco e sonoro, e o seu olhar nao de-
excessivao curso de pensamentos que o oppnmem
Mestre Uranger era um desses tabellies anti-
ba-algunY das, fing um desojo extraordinario de I ^ uanuo quieres e^entafE toa (,uissimos' d "ue se encon,ra ainda a"">"^>^
exercicios ; e assim o obrigo a acompanhar-me ?ravSndas Q ,uas as provincias, quenascem e que morrea, pode-se
em passeios forcados pelos campos, qualquer que extravagancias. dlzer! enlro duas epcas h ra eMe nuera red.gira
roja o tempo. VoltamoT Uirde raneados, c creio, o '"rao de casamento de minha
Deus me perdoe. que essas correras fazem mim
tanto bem como elle. Fritz notou que o meu
somno, ordinariamente agitado, tornra-se em
eonsequencia dos passeios, socegado como o de
urna crianca.
Adeus, adeus, o meu tyranno me reclama. Vou
leva-Io um passeio de cinco seis loguas
p.
P. S.O meu tyranno acaba de entrar no meu
quarto. Achando-me a escrever, ficou desasocega-
do ; suppoz sem davida que o abandonara por
nJe- _-^i^
Est trabalbando ? ) Upe elle com
um tom de timidez. mf
Nao, respond ; escrevs^Pnente algumas
palavras ao meu amigo Wilhelm.
Para annunciar-lbe qne vae v- muito
breve t
Qual I nao isto.
Deveras t replicou elle fi ando-ne com an-
ciedade.
AYU o contrato de casamento de minha me, e era
A evidencia quasi que me cegava ; entretanto memoro do nosso conselho de familia. Eslava eu
nao podia ainda dar crdito vergonhosa traicao certo de encontrar nesse homem ura apoio efflcaz,
do meu tutor I laillu m;uS quanto era elle desaffecto ao Sr. de
Accusava o Placido smente : porm como ad Maufert. ,
mittr quo elle se houvesse arriscado tanto sem o As oito horas da manhaa encontrei-o no seu ga-
coiisentimento do Sr. de Maufert ? A sua complici- bnete; recebeu-me com urna especie de amenWa-
dade nao eslava pois manifesta ? Queria tirar par- de ao mesmo tempo respeitosa e protectora,
tido contra mim, epermitta ao seu intendente que i Oh I Sr. baro, que bom vento o traz ppr
rae declarasse louco I I a(lu' Segundo rae raandou dizer um negocio
Durante a noute inteira o meu pensamento de- grave... alguma nova temeridade, hen? Emllm,
bateu-se no meio dos projectos os mais audazes. seja o que fr, alegro-me por me haver tomado
Nao podia haver illuso : o perigo eslava paten- para seu confessor isto me proporciona o prazer
te, e eu perdido, se assm me deixasse avillar sem de v-lo.
protestar. eu car0 *r- Granger, respond, o Sr. acaba
A luta, pois, era urna necessidade : masou vic- de pronunciar justamente a palavra que melhor
torioso ou vencido, forcoso seria sahir do caslello, caraclerisa o meu acto. E' um confessor que pro-
e nelle dexar o que eu mais amava no mundo curo, quando me dirijo ao amigo para solicitar o
Diana I seu conselho; porque o objecto que aqu me traz
A este horrivel pensamento o meu coracao ees- muta serio,
sava de bater ; e mim mesmo perguntava, se Diabo I o que esta dizendo ?.., Exphque-se,
aa seria melhor soffrer o avilumeato, de que es- pois hem sabe que Ihe sou dedicado.
Comecei ento a narracao minuciosa das er-
cumstancias, que me haviam revelado eslranhos
boatos, principio por mira aceitos como calum-
nias provocadas pelo odio que a grosseria do Sr.
de Maufert tem suscitado contra si. Contei a que-
rela que havia tido com o Placido, e a que depois
se seguir ; os couselhos do pae Abraho, e a mi-
nha alterago com o conde
Granger ouvu-me com ar pensativo, e foi-me
fcil reeonhecer que ello nao se mostrara sorpre-
zo, quando Ihe narrei os fados sera commen-
taries. *
Agora, meu caro Granger, conclu eu, diga
o que pensa. Pode ser que, julgando-me bastante
oBendido, tenha cedido mais paixo do que
outra cousa. Trata-sedo meu futuro; colloco-o em
suas mos.
O tabellio ficou alguns instantes sem respon-
der, abanando a cabeca em ar de rellexo.
Finalmente disse :
E' verdade, Sr. bario ; o negocio grave,
muito grave I
Entao acredita nessas aecusaedes odiosas ?
Nada, nada, nao interprete mal o sentido das
minhas palavras. K' muito arriscado suscitar-se
taes quesioes. Vamos que sejam justificadas as
suas susp citas, o resultado ser a deshonra do Sr.
de Maufert, de quem retiraro a tutora, medida
extrema, que o tribunal cestuma applicar mui ra-
ras vezes.
O seu parecer que me deixe de alguma
forma desmoralisar sem protestar?
E' muito grave, muito grave, repetiu o ta-
bellio, atlacar face a face o senhor de Maufert.... e
talvez mesmo muito perigoso para o Sr. oaro.
Perigoso, porqueurna vez que elle trahiu
os seus de veres de tutor e de prente ?
Mas preciso provar isto. E' difficil a sua
situaco, meu amigo. A sua edade........a sua
i enorme fortuna.......
k Mestre Granger hesitou; comprehendi-o logo.
V, Falle sem receio, disse-lhe framente, e para
o auxiliar completarei o seu pensamento. O Sr.
Granger receia qne effetivamente me declaren)
louco>.v. -.
GrangeV fes nm gesto de espanto vendo-me tratar
deste assumpto.
Nada, disc immediatamente; aflirmo-lhe que
pao este o mei|\pensamento.
fCniwmr w km)
Neste caso, repliquei eu decidido a forca-lo
nos seus ltimos baluartes, d-me a sua palavra
de que nao acredita as culposas intencoes do meu
tutor, e ficarei descancado.
E' justamente o que rae embaraca, Sr. baro,
e a razo porque me voxam as suas instancias, Em
semelhante oceurrencia nao das cousas mais fa-
cis garantr-se a conducta do Sr. conde?.. E*
verdado que ninguem pode suppr que elle se
queira appropriar dos seus bens; isto lhc im-
possvel. E de mais o que aria della f.-... Capi-
talisa j os seus rditos, eis quanto basta. Mas a
avareza occulta estranhos myslerios : o conde ad-
ministra essa fortuna com muito lino; a sua pai-
xo exercese vontade; ajunta, accnmula, ty-
rannisa, reina em Qm sobre urna quizena de mi-
Ihoes..... Que importa ao regente de um reino
nao trazer a corda sobre a cabera, se tem o poder
em suas mos, se govenia ?........ O Sr. baro
emancipando-se, ter elle de restituir esse thesou-
ro que animara a sua vida....... Qur que Ihe
diga tuilo ? Nao garanto o seu totor, e receio com
muito boas razoes que elle, aproveitando-se da sua
situaco.....toda excepcional, nao seja tentado a
commetter urna iniquidad1, a vista das inclinagoes
que Ihe conheco. Eis aqui, Sr. baro, porque hesi-
to em o aconselhar. Urna estralada pode tudo sal-
var, mas tambem pode tudo perder.
Pois seja! repliquei. Ao menos conhecerei a
minha sorte, sahire dessas perplcxidades que me
levam a duvidar de mim mesmo, e que acabarlo
por deixar-me realmente sem juizo I Pense smen-
te muito : alimentar durante sds mezes o pensa-
mento de que ho de despojar-me dos meus direi-
tos no momento de revindicar o titulo de homem,
que at o ultimo dos meus das supportarei essa
tutora, e qne, mais aviltado que um escravo, nao
me ser dado fallar, obrar, e viver!...... Nao,
nao ha de ser assm; estou decidido todo : bem
sei ao que me exponho. Nao tenho pae para de-
fender-me; por isso reccorri ao meu amigo: sal-
ve-me! O senhor, bem me est vendo, bem me
est ouvndo...... Diga, um louco que Ihe est
olhando um idiota que Ihe est fallando?
O Sr. baro resttue-mc toda a confianca,
respondeu o tabellio; mas devo dizer-lhe que
vamos eneetar urna larefa bem difficil. Promet-
te-me nao aventurar o menor passo sera primeiro
me consultar ?
Prometi.
Neste caso, faca-se a sna vontade Agora
entendarno-nos. Na especie, de que se- trata, nen-
huma aecusaco podemos intentar contra o senhor
de Maufert. Tu> nos lera a crer que o lhacido
nao se atrevou a tanto sem o consentimento do sou
amo, e talvez por sua ordem ; mas nada o prova. e
sao necessarias provasevidentes para que o tribunal
se decida a pronunciar a sua dcsfituico. de tutor,
especialmente dando-se a circunstancia de |ue em
seis mezes expira essa tutora. Convem-nos entre-
tanto vencer a ditliculdade sen affrontar a um
inimigo tao fnrmidavel. O nico indo de cortar a
queslao, manifestar o Sr. baro o desojo de em-
prehender urna tonga viagein, ou cousa que vaina,
talvez melhor ainda o desojo de sentar praca. Re-
lucamos bem nisto. Assim nada mais trame a
fazer do que provocar urna retian do conselho de
familia, perante o qual expor os seus projectos. e.
concluir pedindo a sua emancipadlo___
^ue me ho de recusar, affianco-lhe isto.
Que un vid a 1 Em qualquer outra circums-
tancia o siKcesso nao seria problemtico, pois
a|ienas metadeTQum anco o separa da sua maiu
ridade : porm de ^os Contar cora as objeccoes
do seahoride Mae stas Ihe sero facis, se 6
que abriga rea' no espirito as intencoes, que
Ihe attribuem. uir que... .\
Dir que, iuterrompi err, estou ameacado do
loucura, e que sou louco talvez. Estarc presente
para provar o contraro, e Ac tudo decidido.
Infelizmente, Sr. baro, nao se dizem todas
as cousas que se quere ti dar a entender.... e
sobre esse ponto sensivel que versar o debate. Em
tim; quando l- chegarmos, j que estamos resol-
vidos a lutar, lutaremos. E' melhor talvez affron-
tar o perigo, e foroar o conde a desmaswar-so. e
patentear os seus projectos.
Convencionamos que Granger dirigira ao juiz
de paz urna petcao para a convocacao do con-
selho de familia no menor praso possivel; e depois
de nos entendernos sobre a conducta a seguir,
separamo-nos.
(Conthuar-se-ha.)
PERNAMBUCO- TYP. >E M F F c FILHO
4
\
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E54JOUZPJ_IHMB5J INGEST_TIME 2013-08-28T02:52:51Z PACKAGE AA00011611_10244
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES