Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10243


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I

ANUO XXXK HOMERO 263.
Por tres nezfc adiantados $$000
Ptr tres mezes vencidos 6$O00
SEGUNDA FEIRA 16 DE TOVEMBRO DE 1863.
Por anno adiaotad*. .... 19$00
Porte para o subscriptor. ... 3$00
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyha, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Araraty,
Sr. A. de Icemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro t C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL
Alagas, o Sr. Claudino Falcad Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio do Janeiro, os Srs. Pe-
reir Martins A Gasparmo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parabyba as segundas e
soxtas-feiras.
Santo Antd, Grvala, Bezerros, Bonito, Cntaro',
Altinho e Garanhuns as trras feiras.
Pao d'Alho, Nazareth. Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Plores, Villa Bella, Tacara tu, Cabrob,
Boa Vista, Ourirury e Exu as quartas feiras.
Sennhem, Rio Forrabso, Tamandar, Una, Barrei
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahiri
navio.
Todos os estafetas partem ao V da.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
3 Quarto ming. aos 8 m. e 26 s. da t
i I La nova as 4 h., 34 m. e 14 s. da m.
18 Quarto frese, aos 12 s. da m
2.*> La cheia as 5 h., 16 m. e 20 s. da ni
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as horas e 18 minutos da manha.
Segunda as 5 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTE1ROS.
Para o sul at Alagas a 8 e 25; para o norte at
a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, marc., maio, jal, sel. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife ; do Apipucos s 6 >/*> 7, 7 '/,. 8 e
8 Vi da m- i de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as i/, da m.; do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
* ^u ***,'; P? o Apipucos s 3 /,, 4, 4 A, 4 %
b, o 'A, 5 /, e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 ty, da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Carhang e Vanea s 4 '/i da tarde; para
Bemflca as 4 da urde.
AITDIENCIA DOS TBIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas o quintas.
Relacio: trras e sabbados s 10 boras.
Fazenda: quinta? s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphios; tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do eivel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
16. Segunda. S. Genealn de Lagos; S. Emiliano m
17. Terca. S. GregorioTliaumaturgo b.
18. Quarta. S. bdon- ab.; S. Barcella m.
19. Quinta. S. Isabel viuv. r. de Hungra.
20. Sexta. S. Flix de Valois f. dos trinos.
21. Sabbado. Ss. Honorio e Heliodoro rom.
22. Domingo. S. Cecilia v. ni.; S. Filomon ni.
ASSIGNA-SE
no Recife, era a linaria da praca da Independenci
ns. 6 e 8, dos proprieUrws Manoel Fgueiroa d
Faria fcMko,
PARTE QFFIOAL.
0VER.N0 IiA PROVINCIA.
forem passados em lingua estrangeira, devetn ser na corte, e outras cousas referidas no novo me-1 Os militares do exercin>earmada, que ponen de 12 membros, acha-se em opposicao aberta ao
apresenudos com traduccao por pessoa legalmente thodo para fazerem passar na assembla. nao fazem contrbuindo coin o seu producto d Exm. presidente Dr. Meira.
habilitada para ser laucado o visto -nos termos do O projecto de lei que fixa a forca policial ainda i sangue era defeza citado artigo, tanto no original cerno na traduccao nao foi apresentado pela cominissao. magistrados e de empreados as repartieres do com lieenca, para a corte, o actual chefe de poli-
Rosna-se por ah muito cousa; mas nada tem estado, e companhias publicas e sociedades part- ca Dr. Severino, que ser substituido pelo Dr.
soado. I colares, segund todos o magnnimo e pafriotco Costa Lobo, juiz de direito da capital.
A assembla provincial at esta santa data vai, exemplo do Imperador e de sua augusta familia, A safra do assucar quatro vezes menor do
em perfeita entente cordeale com a presidencia. | se estao mensahnente privando e s suas familias que a do anno passado. A do algodo,. porm pro-
Verdade que cada um tem vivido era seu de urna quota de seus ira'nguados rendimentos. Isto mette triplicar ou mesan quadruplicar.
canto, nao se entendem sobre o que fazem. nao justo. Os sacriticios extraordinarios devem Contina a miseria do cofre provii
Assiin que devia sempre succeder.
Em um d'estes dias passados o Exm. Sr. Souza
sergeraes, e os abaxn assignados estao certos de
que, rhegada a occaslao de defender a honra na-
autbenlita com declararlo de que desta traduc-
cao que se far o registro; assim o conununico a
Ministerio dos neg.wios da fazenda.Rio de Ja- Vmc. para seu conheelmeuto e execuco.
nciro, 29 de outubro de 1863.Mu. e Exm. Sr. Dito ao presidente da cmara municipal do Pao
Commuinco a \. Exc. em resposta ao seu ofllcio d'Alho.Respondo ao seu officio de 5 do correte
n. 81, de 29 de agosto ultimo, que nao convm por d.zendo que no impedimento M> molestia dos 4
ora que seja creada urna collectona na villa d Agua juMs de paz dessa freguezia e iinpossibilidade de
reta nesta provincia. reunio da cmara uiunici|ial pode Vmc. juramen-
te ^ nrntaH^rT^Lr;^rJKf C.Xbrante$- ta o supplente a quem competir a subslituico Gama, accompanhado pelo inspector da thesouraria cional, os BrasiWros, sem dstmecao de parciaida- para oannoftaanceirodelSfii65w
ar. prtsiueure aa provincia ue rernambuui. d aqnelles visto ser applicavel a hypothese da dou- provincial visitou a inspeceo do algo1o, con- j des, porao suas vidas e fortunas discripcao de ___^,^____^__^______
,. ...... tr'"a dos avisos n. 147 de 20 de Huw de 1859, e sulado provincial, armazens de depsitos, e al-. governo imperial, se, como de esperar erma- '
HjWMM do dia i2 de novembro de 18KJ. n. 181 de 20 do abril de 1861. fandoga. necermos no posto de honra em que nos temos col-
Otllcio ao brigadeiro coinuiandante das armas. Portara.U presidente da provincia, atlendendo Depois desta visita nomeou urna comissao com-' locado, desafiando geraes sympathas, e, na Ifngua-
Determine V. Exc. ao alferes do 9o batalho de in- ae que requereu o Dr. Joaquim da Silva Gusmo, posta dos inspectores das thesourarias de fazenda gem insuspeita do muto honrado Sr. J. Bramlev
antaria, Feliciano de Lira, que se acha designado facultativo da colonia militar de Pimenteiras, resol- geral e provincial, do algodo, e da alfandega e Moore, a admirara do universo.
para couduz^r a quantia destinada s despezas do ve conceder-lhe trinta dias do licenca sem venc- administrador do consulado para examinaren! os | B^m ponderado tudque tica exposto, Jresol-
provincal, como
di-lo o Exm. presidente da provincia em seu rela-
torio: no qual menciona um dficit de 63:0005000
PERNAMBUCO.
presidio de Fernando, at o fim do corrento anno, ment para vir a capital tratar de negocios de seu trapiches de Silva Leo, e de Barbosa & Vascon- veram os abaixo assignados mterromper os traba-
que opportunaraente se aprsente na thesouraria particular interesse. cellos, e darem o parecer sobre os commodos, Ihos da subscripcao nacional cessando de receber No sabbado ultimo,
de razenda, atiin de receber a mencionada quantia, Dita.O presidente da provincia conformando- para junecao em um s dos edificios, das tres re-! as mensalidades" snbscriptas, e entrando para o de perante a thesuui
REVISTA DIARIA.
para o que licam dadas as convenientes ordens. se com a proposta do Dr. chefe do polica n. 1461 parlicoes, "alfandega, consulado e inspeccao.
fficiou-se ao inspector da thesouraria de fazenda de 22 do mez prximo lindo, resolve conceder No dia 7 do corrente essa commissao"deu prin-
neste sentido. Antonio Bernardo Quinteiro a exoneraco que pe- cipio a seus trabalbos, examinando os dous tra-
ito ao mesmo.O Exm. Sr. ministre da guerra dio do cargo de priineiro supplente do subdelegado piches,
dando solucao materia do oIBcio de V. Exc. de da freguezia de Santo Antonio, desta cidade e para No dita 10 foi preso por orden do juiz muniri-
9 de seteinbro ultimo, sob n. 1,648, solicitando o substituir nomeia o cidado Severiano Jos de pal o negociante Antonio Maia, socio do negociante
providencias no sentido de serem pagas varias pe- Moura.Communicou-se ao Dr. chefe de polica. Ferrad dessa praca.
cas de fardamento que se estao a dever compa-
nhia de cavallaria, relativas ao anno de 1861, aca-
ba de expedir o aviso datado de 16 de outubro pr-
ximo findo, junto por copia, declarando que pela
circular de 8 de marco de 1859, publicada na or-
demdodian. 118, foi determinado o processo a formidade com o decreto 2,7Tde"9 de dezm-!nw's seguro esperar pelo resultado
seguir-se quanto as pracas que forem endona ao t,ro de 1860 e le em vigor as disiiosicoes dos ca-: Consta-nos, que foi deprecada a prisao do acrei-
estado de pecas de fardamento que deixaram de pimos 3 e 12 do art. 1 e 20. art. 1 e 31, art. 1
recetar em seus competentes lempos: o que com- 7. dos estatutos.
no concurso a que se proce-
mraria de fazenda, ullimou-se
f thesoaro nacional com o producto da colhitaque com a prova oral a prova de geographia e historia
; se tem realisado, para que o governo imperial em do Brasil; e passando-se de. algebra at equa$des
j vista dos fins da subscripcao, applique e confor- do 2o grao, foi dada a escripia e a oral.
midade com as patriticas intencoes dos contrilmin- Nesta materia examina o Sr. lenle
tes. Esta somma elevase a 1,171:886^570; sendo Egidioda Silva.
),123:J60.S62 o producto das entradas, e res___\ .~. jf m.a ? tera !uBar a procissao de Corpus
Antonio
Jos Gomes, Jos Theodorico de Souza Pinheiro,
Eduard Fentam, Mathias lavares de Almeida, Do-
mingos Fernandes Grillo, Ji>s Francisco deOlivei-
ra, Rahhasar de Moura e Silva, Ignacio Francisco
Pereira da Silva e seu wcravo, Joao de Castro Pa-
gelo, Viecncia Mara- da Conceico. Joao Facundo
de Castro Menezes, Jos Theodorico de Castro, Ma-
noel Jae Pereira Pacheco, 3 filhos menores e 4
escravos, Agelo- Antunes de Parias.
Passageiro* sabidos para os portos do norte,
no vapor nacional Cnuze'o do Sul :
Anttmio Loureneo de Carvalho Serra, almirante
D. Ignacio Marategni, D. Pedro Garciav D. Ulisses
Deooiy, Cesar Dfetoiy, Nicolao Bayona, Augusto
Ferrewa Belfort Rxo, Vicente do Reg Toscano
Barretee 1 criado, Antonio Francisco da Rosa,
'Antonio MartiniaBo Lapemberg e 1 escravo, Jos
August Galvo Pires a 1 escravo, Tiberio A.
Galv Pires, Antonio Raymnndo Tavares Belfort
el escravo, Dr. Francisco de Paula Soares, sua
s^ihoea e 2 filhos. Contado Gersberger, Jean U.
Graf, padre Sebastia Faaio de Oliveira Lima, Jo-
s Vicente da fiosta Bastos, Dr. Lzaro Pires da
PoasOn, Cosma Maria da Luz, tenenle Leocadio
da Cosa Weyn^,- Antonio Pires Ferreira e 1 cria-
do, Dr Antonio Alves de Souza Carvalho, Jos Pe-
dro Bl Virira el: escravo, Augusto Gambi, Joa-
quim Jos Rodrigues da Cnnha, Theophilo Nunes
Sarment, Miguel Clozel, Nicola Ferrara H., Gea-
De>pachos do da i 2 de novembro dr 1863.
Requerimcntos.
Abaixo assignados representantes da sociedade
Phil'Artistica. Modifiquemos supplicantes decon-
A causa segundo dizera, e consta do exame
feito a requerimento do promotor publico, a alte-
racn de urna letra de 3:000,3000 para.....
13:00000O.
Correm diversas versSes sobre este facto; e o
48:7265008 o nos juros que pagou o banco Man, Christi, cujo itinerario ser na sabida da igreja do come Antonio Cheareltv Miguel Jos Barbosa Gui-
""25500 Collogio pelas roas do Imperador, Crespo, praca da I maraes, Antonio Maria do Espirito Sa Ito e Manoel
munico V. Exc. para seu coiihecimentb c di-
rec^o.
Dito ao mesmo.De conformidade com o que
iolicitou o inspector da thesouraria de fazenda em
officio de 10 do corrente, sob n. 850, lembro V.
Exc. como necessario providencia que indica o
mesmo ns|>ector era outro officio, que por copia
acompanhou ao que dirig aV. Exc. em 3 de ou-
tubro ultimo, relativamente as coritas das despezas
miudas a cargo do almoxarife do hospital militar.
Cominunicou-se ao inspector da thesouraria de
fazenda.
Dito ao mesmo.Declarndome o director do
arsenal de guerra, em officio de hontom datado sob
n. 148, nao haverem na companhia de aprendizes
menores daquelle estabelecimeato tambores que
possam servir nos corpos do exercito, respondo as-1
."4111 -i.i ntfliiirt ni> n..i ,.,.^i.i. ^._ J:_!_;_ ir i>___ I
D. Catharina Francolina Pessoa de Laccrda.
Informe o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Domingos da Silva Guimarcs. Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
tante r- do endossante.
O facto grave, e se real, digno de severa pu-
nicao.
No dia 4 do corrente foi destribuido o manifes-
t do Dr. Jos Angele, explicando a divergencia
harida no partido progressista desta provincia.
O algodo contiaa no mercado por elevado
Mac Gregori C; deduzida aquantia de l:50i$500
de despezas, como ludo se demonstra pela cunta Independencia, ras do Cabug, Nova,
corrente com o mesmo banco e com. as publica- pela da Cambo* do Carino, pateo do mesmo, prin-
coes feitas nos jnrnaes diarios desta corte. cipio da ra de Hurlas, travessa de S. Pedro, pateo
< E as commissoes parriacs na corte e as pro- do inesmo, travessa da ra Direka, Livramento,
vincias sao convidadas a suspender os seus traba-! Queimado e travessa do CoILegio recolhendo-se
Ihos, apressando-se em remetter ao thesouro as! nesse templo.
quantias que por ventura anda estejam. em sen l^>r S: Exc. Rvraa. foi resolvido, que s as ir-
poder, publicados nos joraaes os nomes dos subs- mandades do Santissimo Sacramento das matrizes
Esmnan, Africana livre.Informe o Sr. cura- preco
dor dos Africanos livres. Vamos bem, gracas Deus, de salubridade.
Francisco Jos Lisboa. Informe o Sr. desera- Hontem (11) entrou no nosso theatrinho urna-
ata ao officio que neste sentido me dirigi V. Exc. | poctor do arsenal de marinha.
em data de 7 deste mez sob n 2 073. 1 Joo HvPIlito de Meira Lima.-*
D.to ao ronselheiro presidente da relagao.-Com- formaco, nao pode o supplicante si
nico a V S, que por portara de hontem nomeei En^euheiro Joaquim Pires Carnei
bargador provedor da Santa Casa de Misericordia. I companhia dramtica composla de alguns curioso*, | de Man
Galdino Eleuterio Teixeira de Itarros.Informe !
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Henrique, Africano livre.Informe o Sr. inspec-
tor do ar>enal de marinha.
Ignacio, Africano livre. Informe o Sr. inspec-
tor do arsenal de marinha.
Hachare! Joaquim Eduardo Pina.Ccrtilque-se.
Joaquim I, Africano livre. Informe o Sr. ins-
criptores e as quantias subscriptos.
t Por ultimo declarara os abaixo assignados que
uho resignan o mandato de honra que reeeberam
na praca do commercio, e que ao contrario volta-
rao pres*urosos ao spu posto logo que os seus ser-
vicos sejam necessarios.
t Rio de Janeiro, outubro de 1863:Vtsconde
de Ypanema.Tkeophilo Benedicto Ottom. -Bardo
vi rulos dahi.
Adeos.
Numa.
Post senptum.Chegarara neste instante presos
da villa do Pilar e foram recolhidos cadeia. o
j propietario Viveiros, e negociante Sabugo, endos-
Tendo o Rvd. padre Macario Cesar de Alexan-
dria e Souza, sido nomeado director do centro co-
lonial estabelecido no Rib-ro das Lags, districto
de Philadelphia, ne Mucury, forara-ltie communi-
cadas pelo ministerio da agricultura, commercio e
obras publicas as seguintes instrueces, que alm
-Em vista da io-
muoico a V.gj que por portara de hontem nomee En^uleirJ Jraquiml'ires'CarnAro Momeiro.-
0 bacharel Antonio Lopes da Silva Barros, promo- RemeWido ao Sr. inspector da thesouraria de fa-
tor publico da comarca de Cabrobo.-Commun- Ieuda para mandar pagar, nao ha vendo inconve-
cou-se ao inspector da thesouraria de fazenda, ao ojale
juiz de direito da comarca de Cabrob eaono-j coronel Manoel Goncalves Pereira Lima.Em
m?. ... .1 vfsta da inforraaco, nao pode ser atiendido o sup-
Hn ao l)r. chufe de polica. -Com a inclusa co- p|jCaule
pia da^i. >rmaco Thinistrada "pfelo ins|>ector da, '_ ______________-r^ "________
thesouraria provincial, em 10 do corrente, sob n.
561, respondo ao officio de V. S. de 6 deste mez,
com referencia diaria dos preses pobres da ca- i
deia do Limoeiro.
Dito ao commandante superior da guarda naci-
nal de Santo Anto.Informe V. S. com urgencia :
de quantas companhias se compon cada um dos
Latalhoes dessa comarca, declarando qual o nu-
mero de pracas distribuido cada urna das mesmas >
companhias.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
D V. S. suas ordens para que ao alferes do 2o ba-
talhao de infamara Francisco Jos Gomes, que vai
em diligencia villa Bella conduzindo presos de jos-
tica, nao s se adiante o sold do corrente mez, mas
tambera se Ihe abone o quantitatvo que fr suffi-
ciente para urna besta de bagagem para ida e vol-
ta.Coiniiiunicou-se ao brigadeiro commandante
das armas.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S. para os
convenientes exames a inclusa copia da acta do
conselho administrativo para fornecimento do ar-
senal de guerra desla provincia, datada de 4 do
corrente.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Pode V. S.. conforme indica no final de sua infor-
macao de 10 do corrente, sob n. 559, mandar pa
INTERIOR.
1LVGOVS.
Macci, 12 de norrubre.
Tem proseguido a assembla provincial cora seus
trabalbos. e mtiito j tem feito, nao obstante o pe-
queo numero dos dignissimos :
I.020 nos
sante e arceitante da lettra de i3:000*000, que se das de 3 de novembro de 1862, deve enmprir no
diz falsificada. j exercicio de sen cargo.
fe* Deve V. Rvin. cuidar que os casacs j es-
tabeleeidos no novo-centro colonial, e os que suc-
cessivamente vierem ah estab-lecer-se, se appil-
qnem a rotear e rnltivar seus prazos, suspendendo
j o subsidio para alimentacao aos que se entregaren
Damos em seguida dous extractos do Jornal do ^iosidiv e aos vicios, e que, dooois de ad r-
Commemo do Rio, que passaram-nos sabbado na ^ Por primeara e seganda wz, wo mudarerade
DIARIO DE PERNAMBUCO
wKMrta
2.* Procurar V. Rvra. fazer que reine eitre
cse/joiM- a ni- -Ihor harmona, concillando os as
quepis que oecorrerem entre ettes. Reprimindo
couduzam revesadamente o pallio.
- Recebemos o seguinte resultado- da eleicao
procedida em Bom Conselho para elettores, que tem
de eleger o senador por esta provincia:
Manuel de Albui|ucrque Cavalranti eco.
Vicente Ferreira da Cruz.
Antonio Guedes Aleoforado Cavalcamti.
Manoel Pe (esa da Silva Quati.
Pedro Cavalcanti de Albuquerqiie,
Liurenco Justiiuano Guedes Alcoerado
Hcurii|ue Alves Feitosa.
Luiz Flix V'Leira de Amorim.
Francisco das Chagas Cavalranti.
Antonio de Freitas Padilna Santos.
Antonio Tilo de Ges.
Joo Vicente da Costa.
Joaquim Amero da Silva.
Felicio Jos de S.
Joaquim Jos de Souza.
Antonio Francisco Taveira.
Antonio Joaquim Ferreira.
Pedro Theotonio de S Cavalcaati.
Antonio-Severo Lins.
Manoel Avelino Dias.
Francisco Thenorio de Araujo.
Joaquim Correa de barros Araujo.
Cesario de Benevides Falco.
Ago>linbo Alves Pereira Castor.
compilaco das noticias do sul
Ao grito da patria, ultrajada em seus bros pe-1
lo abuso da forca, que trouxe o rompiinento de
Com1 e encarregou os abaixo *sig lados de promo- ^emdonvro de matricula, de que falla o^ S.S'ra.
Loureneo de Hollanda Cavalcanti.
Joaijui Alves de Souza.
Liuo Evangelista dos Reis.
que os dons patriticos deveriam ser de preferen- P,!**1 **' rn e todM os Deodato Francisco da Suva,
ca empregados na compra de navios encouraca-; suPPnmentos que recebeci-m. e credHadas as
dos ; masara vista de nelamacoes numerosa?, a Q^ntias que forem pagaud.1.por conta.
commissi julgou prudente abrir a subscripto,! *" ?* "*5 f *t **.,uma
annunciando smente, eem termos genricos; que caderneta, em que mensalmonle Ihe ser:u> deh.tailos
as quantias arrecadadas seriara appl.cadas aera a os suppr.ment. que receberem c credltadas as
quantias por elles pagas. Esta cadeneta deve
verem em commissao urna derrama nacional des- ,
tinada defeza do paiz. art li ">ceoes de O de novembro, deve
. Decidir o voto popular na reunmo da praea: havT unJ da rfeita e ^ do centr0 eu*oan\
do commercio, quarnto a commissao fui acclamada, ? oalTO- d rmt* coiren,e <* Rolnos' nual
entrando Marques Camaehe.
Passagoiros do biale nacional Invencwel, vra-
i do Ararat y :
Aristides de Paula Martins, Antonio Saboa de
S Ceban, l'.aymundo Olympio- Goncalves de Fre-
tas, Euclides Deocleciano de Albuquerque, Joo
da Cunha Hollanda, Jos Antonio Nunes, Sabino
Jos da Silva, Joo- Machado de Souza Pimenlel.
Lucio da Silva, e Mara Felipen dos Santos.
Passageiros do patacho nacional Cupuai,vn-
do do Rio de Janeiro :
Jos Marques Baptsto, Manoel Marques Baptis-
ta, e urna escrava de Domingos Rodrigues de An-
drade.
Repartiqao da polica :
(Extracto da parte do dia 14 de novembro).
Foram recolhidos casa de detencao no dia 13
do corrente :
A' ordem do lllm. Sr. Dr. chefe de polica, An-
tonio Correa de Araujo, ou Antonio Leite, branco,
e os pardos Vicente de Souza Ferraz, como crimi-
nosos de morte, Francisco Martins Gomes, como
sentenciado, vindos do termo de Ouricury e Flix,
escravo de Jos Antonio de Araujo e Souza, vndo
do termo do Brejo, requisicao do Dr. juiz especial
do commercio.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Daraio
Gonfalves Pacheco, pardo, para avemguactes |*oli-
ciaes; Maria, afrkana, escrava de Joaquim Fonte s
requerimento deste.
A ordem do da Magdalena, Mathias Fernandez
dos Santos, pardo, por es|iancamento.
A' ordem do de Jaboatao, Epiphanio da Silva.
Magalhes, crioulo, como cmplice em furto de ca;
vallos.
O chefe da seceo,
J. G. de Mrsquita.
Mavimento da casa de detencao do dia 13 lu
novembro de 1863 :
Kxistiam 356: presos.
Entraram. O 1
Sahiram i >
primeiros dias de sessae foi apresen
tado projecto extinguindo a contribuicao extra- defeza nacional. :-------- fnnfcrma ma 1 nmintitra mm
ordinaria que dous annos acabrunhava o func- Asum se especiflcou no rotalodas listos apre- ?
cionalismo publico, assignado pelos deputados I sentadas aos subscriptoresSubscripcM nacional
Theotonio, Felippe de Vasconcellos e Arroxellas
Galvo.
Neste projecto foram consignadas as seguintes
autorisaeoes ao governo, que as pedia em seu re-
la torio, continuar a obra da eadeia da capital
Eeln svstema penitenciario, com a quantia de
0:000000, despender 50:0005000 com o auxilio
I a uina com|ianhia ou enipreza, que se proponha a
realisar o encanamento de agua potavel para a
capital, c contratar a navegaco do Rio de S. Fran-
cisco at Piranhas; foi tambera creado o imposto
gar'pela verbaeventuaesa quantia de 435, que, de barreiras em todas as estradas geraes da pro-
segundo a nota junta, que me foi remet ida pelo vincia.
chefe de |lria com officio de 31 de outubro ull- Este projecto, que encerrava os interesses de
mo, sob n. 1,493, despendeu o delegado do termo urna classe da sociedade, teve csse cortejo de me-
do Exu, Roque Carlos de Ab-iirar Peixoto com al- didas, alias indispensaveis, e foi baptisado com o
gnu reparos de que precisava a casa que all ser- nome de encourarjado; passou em poucos dias por
ve de caileia, e bem assiin com a acquisicao de um tres dl>cnssoes, sem a menor oppnsico, c no dia
tronco constante da mencionada conta.Ownmu- 10 foi submtetida sancro do governo.
nicou-se ao Dr. chefe de polica. Tamhem passuti em 5/ discusso, e foi sanc-
Dito ao director das obras militares.Appro- cao o projecto Velloso restabelecendo o contrato
vando o ornamento que V. S. me apresentou com rescindido pelo Sr. Souza Carvalno para o deposi-
o seu officio de hontem datado, sob n. 24, na im- lo exclusivo dos assucares desta provincia ah
portanria de 3175469, o autoriso mandar execu- nessa.
tar os concertos e caiadura de que precisa o quar- Tambem foi saneco o projecto de lei, que res-
tel de Olinda, em que se acha ahijado o 4o bata- taura algumas cadeirs do amigo lycu, c garante
a alguns lentes, que as exerceram, anda que in-
terinamente por mais de 5 annos, o direito de se-
rem para ellas noineados pelo goman, se quizer
usar dessa autorsa^o.
Dous la o smente estao neste caso, que sao o
Dr. Jos Alexandrino Dias do Moura, cx-secrela-
rio do governo, que regeu a de inglez por mais de
10 annos. e o Dr. Thomaz do Bomlini Espindola,
que regeu a de geographia e historia por mais de
modo I
provin-
Iho de artilharia a p.Communicou-se ao ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Dito ao director do arsenal se guerra.Respon-
do ao officio de,V. S. datado de hontem, sob n. 149,
(litendo-lhe, que p le contratar com o mestre do
hiato nacional Scrgipano a condueco para o presi-
dio de Fernando, das formas iiara'sapatoes, barras
de madeira e ps do ferro, que esse arsenal tem
de remetter para o referido presidio.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Res- 5 annos.
tiluindo V. S. a proposta baro do Livramen- O provi
rovimento dessas dnas cadeirs as pessoas
to que veio annexa ao seu officio do hontem data- mencionadas, um acto de juslica.
do, sob n. 408, para o fornecimento por esparo de O projecto de le que concede um eraprestimo
seis mezes a datar do Io de Janeiro de 1864, do de 26:0005000 companhia Vnio Mercantil, ja
cimento preciso para as obras desse arsenal a pre- passou em terceira discusso, com urna emenda
co de 85500 a barrica de 10 arrobas, tenho a di- dando urna gratiliraco de 3005000 ao procurador
zer V. S. que abra concurrencia para semelhan- fiscal da-.thesouraria provincial. Brando o governo
te fornecimento na forra a proscripta no regulamen- autorisado a tirar desse eraprestimo algumas van-
to que baixoiicon o decreto n. 2,108 de 20 de fe- tagens(para a provincia, c prescrever as con-
vereirode 18*1, aiim de preferir-se a proposta que dicoes.\
melhores vant.gens oiTereca fazenda publica. Foi>i*esentado um projecto creando urna escola
Dito ao napilo do porto.Mande V. S. por em ju^fhal na capital, onde se devem habilitar os que
liberdade o recruta David Gomes de S, vistuAr se dedicaren ao professorato.
provado isen^ft legal. _J Passou em terceira discusso o projecto de le
Dito ao inesmo.Achando-se j promn^o ar- do orcamento com 22 artigos, em alguns dos
enal de. marinha. segundo deelarou-m- respec- quaes passaram essas cousas a que chamam-jvio-
tivo inspector em officio de hpntei" ...o, sob n. tat e em outras importantes medidas para a
419 as. boias de ferro que viru*i de renuis- fazenda provincial.
fe'd* V S de 22 deitiliu .^, sob n. 114, fo- Entre as primeiras merecem mencao *omwi,
Tara mandadas all constru., a.n de ierem col- pela especialidade, urna moratoria de moratoria
ocadisnos b^ixosqVi Olinda e do Inglez ; assim o para pagamento de letras atonda provincial,
eomuiunieo V S/para seu conhecimento, e aliin com longos e urna outra concedida ao arrematan-
bcr ditas boias naquello arse- te do imposto de carnes verdes, que, tendo-o re-
director do arsenal de cebido dos contribuintes, gastou. e agora pede o
praso de 3 annos para a quantia de 1:4005000 e
do corno de polica. tantos mil ris.
a bem da defeza do estado do mesi
as circulares expedidas para a corte e
cas :
t Illm.Sr.A commissao que o corno do com-
mercio desta praca eurarrogo 11 de agenciar uina
subscripeao nacional, com o flm patritico de ar-
mar o governo para a defeza da in*tependenca e
dignidade nacional, appella para o patriotismo de
V. o.
c Os perigos que estremeceram o paiz nao estad
ainda conjurados, e as treguas em que estamos
conquistou-as, nao a justica e o direito, mas o ora-
do unnime da indujoac brasileira, a firmeza c
patritica dedica^d do Imperador, do governo im-
perial, e tambera a honrosa syinpathia que nos ma-
uifestaram era geral os estrangeiros nossos hos-
pedes.
Portanto, a commissao espera que V. S., nao
s concorrer eom aquella quantia que julgar de-
ver doar para lo justo tim, como tambera que re-
commendar a todos os seus amigos a subscripcao
nacional, que se acha aberta em casa do presiden-
te o Exm. Sr. visconde de Ypanema, ra Direi-
ta n. 82, primeiro andar, onde lodos podero ns-
crever-se em qualquer dia til, das 9 horas ao
meo-dia.
Os senhores que ti verem subscripto podero
pagar ou no acto da subscripcao.
Mau, Mac-Gregor & C.
Deus guarde V. S.Rio de Janeiro, 14 de Ja-
neiro de 1863.Theophilo Benedicto Ottom, secre-
tario da commissao.
< Mal, porm, se havia encelado o trabalho,
quando pelas manifestaces geraes na Europa e na
America, e es|>erialmente na propria Inglaterra,
lirn averiguado que o mundo civilisado, applau-
dindo a energa brasileira, fulminava as mais se-
veras censuras contra os nossos injustos aggresso-
res, e que o parlamento livre da livre Inglaterra,
animado do espirito mais elevado, noblemente ar-
livros da colonia.
5.* Deve enlender-se que o subsidio para ali -
mentaco, bem como qualquer despeza com os co-
lonos, sao adiantados na qualidade de emprestimo,
a sujo pagamento foram riles obrigados com a hy-
potheca de suas trras na forma di> artigo i das
instrurcofs de 43 de novembro.
* 6." Deten V. Rvm. facilitar o paste religioso
aos colonos e aos mais habitantes da circiunvisi-
nhanca, celebrando missa em- todos os das de
guarda, e praticando os actos |arochaes aulorisa-
itos pelos provimentos eclesisticos, de que estiver
no gozo, ou que para adiante alcancar.
7.* Alm do encargo de administrar o centro
colonial, conferido a V. I*vm. o de promover a
catechesedos indgenas cujas aldeas hNroem mais
prximas, afun de traze-los definitiva iwnviven-
cia com a popnlacao chtista.
i 8.* Sem prejuizo de conceder lotes de trras
contiguas colonia s torailias indgenas que ah
quierem estabelecer-s, procurar V. Rvm. regu-
lansar a existencia das aldeias, inspirando-lhes
hbitos de trabalho, para o qual facilitar utensi-
lios ile agricultura, sement e outros auxilios an-
logos.
c 9.' Nao consentir V. Rvm. que contra os in-
dgenas se empreguem agifresses, c mesmo,
quando elles a pratcarem, influir para que a for-
oT^ ?a militaron os moradores re.nuncem a qualquer
pensamentode vinganca ou represalia, e se limi-
te m estricta defeza de suas vidas e profiriedades.
10.* As fuiic<;6es de director do centro colo-
nial devera entender-se subordinadas ao director
das colonias do Mueury, e as de. encarregado da
catechese procurar V. Rvm. ir de aocord- com
o director dos ludios e mais autoridades lcaos do
Mucury.
t II." Trimensalmento V. Rvm. far nm breve
re I tono sobre o andamento das serviros a seu
cargo, e as nvdidas que Ihe parecerein convenien-
tes. As reVlamaces sobre objectos graves
Guillierinino Jos da Rocha.
Fizeram acto no dia 14 do corrente na Va-
culdade de Direito, os seguintes exudantes:
Ia auno.
Samuel dos Santos Puntual, plenamente.
Duarte Estoves de Oliveira, idem.
Adolpho Lamenha Lias, idem.
Joo Pedro Belfort Vieira, dem.
3U anno.
Lenidas Ferreira Barbosa, plenamente.
Antonio Jtinsen de Maltes Pereira, idem.
Antonio- Borges da Fonseca Jnior, idem.
Jos Vicente da Costa Bastos, uteui.
Jos Francisco de Barros Reg Jnior, simples-
mente.
A saber
Exstem. .
Nacionaes. .
Estrangeiros
Mulheres .
Estrangeiras
Escravos .
Escravas .
352
248 preses.
24 1
12
3 .
61
4 >
352
Alimentados custa dos cofres publicas, 146.
Movimento da enteruiariado dia 14 de novembro-
corrente :
Teveram baixa:
Antonio Jos^i de Souza ; constipacao.
Francisco Xavier de Mattos Teiles de Menezes,! Antonio Manoel dos Santos ; gasirite.
idem.
Bolvar Teixeira Mendes, plenamente.
Antonio Joaquim dos Passos, simplesmente.
4" anno.
Malinas da Vega Ornellas, plenamente.
Melcades Pereira da Silva, idem.
Joo Thom da Silva Jnior, idem.
Epphamo- Verres Domingues da Silva, idem.
5a anno.
Francisco Amintasda Costa Barros, plenamente.
Jeronymo Cabral Bedcigues Chaves, dem.
Flix Jos -) Souza Jnior, idera.
Jos Joaquim Domingues Carneiro, idem.
A casa de banhos do paleo do Carino, que se
aflhen inuito parausada, de novo cotnecou a tra-
balliar, e seu servil acha-se bem regularisado.
Acerca de 20* annos, se bem nos recordamos,!
terminou o ultimo estabelecmento de molhados
que existi na ra do Oueimado, ra. que outr'ura
' toda de lojas deste genero; agora porm
Teve alta :
Jos Goncalves Maras.
OBITUARIO DO OA 14 0K N0VEMBB0 NO CJUIITK
RIO Pl'BLICO :
Luiza Carrea, frica, 70 annos, soBeira, Santo An-
tonio ; febre perniciosa.
Mara, Peroambueo, 15 das, Santo Antonio: ev
pasmo.
Antonio Jorge da Conceieo, Pernambuco, 25 an-
nos, solteiro, Boa-Vista-, anea:ia.
Jos Flix da Silva Rarreto, Rio de Janeiro, 33 an-
nos solteiro, Boa-Vista ; tubrculos pulmonares.
Antonia Candida Cordeiro, Pernambuco, 25 annos,
casada, itoa-Vista ; tubrculos pulmonares.
Bemjamin. Pernambuco, 3 aanos, Afogados, febre
panitoMa.
c ur-
aramaao do espirito mais eleva, o, noreraente ar- ., ^ M em qi,all|U)!r ..poca,
redava de si eda nacao qualquer solidar.edade 8 ^ 0 ^^ v' Rvin jn,prado ao
com a lgano Chrislie. que saeta ficou pertencen- mesmosll!m|K) pe|0 ^u zelo religioso pelo amor
do exclusivamente ao conde Russell. ,. ao paiz, dar o melhor desempenho aos encargos,
Correndo brilhanleinente estes actos de justi- *" ".VT^n conferidos
....:__.k;- ........;. j.x .........i i .>i.i.. Que me sao conienuua.
Pelo vapor Jaguartbe, entrado sabbado dos poetes
baixos d
V.S/|
ule reijpb
II lllieBl-
ber
se
de (|iie mam
nal.Coinmun
marinha.
Dito ao commandante
ao
sentar ao Dr. chefe de polica Outras militas concessoes foram feitas na tal
mu escolta de 6 pracas da seceo volante do cor- barca de No. amn, ,im ioi,n a
no sb seu eommamoVanm de escoltar tres crmi- O projecto de le do orcamento e um le te de
nososat os termos do Rio Formoso e Barreiros.- Pr>crustes, que prenda os viajantes, e nelle os
Coramnnicou-se ao Dr. chefe de polica. dritava; se exced.am o_ seu compr.niento.corta-
Dito ao director geral interino da iustrucco pu- va-lhes o excesso; se naochegavam p.r meio de
ca, veio o sabio veredicto do veneravel Leopoldo
garantir ao llrasil a reparacao das injurias que sof-
. Bm taes crcumstancias, acroditaram os abai- do norte de sua escala, recebemos jornaes do Ceara
xo assignados : at 8, do Rio Grande at 12 e da Parahyba at 13
. Que a sentenca de Sua Magestade el-rei da j do corrente. Delles collieraos o que segu.
Blgica devia produzir os seus effetos legaes ; Oard.- A arreraatocao dos **"***&*
Que por emquanto possuiamos o nico talis- provinciaes |iroduzio etto anno mais / .jjujuuu ao
man que pode resguardar os pequeos contra a que o passado.
prepotencia dos grandes. O eonde Russell fiera L-se uo Cearense :
sabendo que temos coragem para ludo arriscar Um facto extraordinario, extranho nos annaes
e tudo perder, com tanto que a honra fique sal-! do crime de nossa provincia araba de ter lugar.
va ; Hontem (5) pelo meio da, via-se urna nuvem
Que solados do governo inglez emquanto nao negra de corvos esvoacar pelas bandas da Lagoi-
recebermos satisfacao condigna, nos nao" acharaos nha, e pairar sobre um cisqueiro, algumas pe>soa>
entretanto, como no principio do anuo, ameacados por mera curlosidade, encaminnam-se para o lu-
de urna lula material em que tivessemos de deen- gar da crnica, e que espectculo lgubre e sinis-
der nossa independencia, ou ao menos caro ven- tro se Ihe aprsente... o cadver de urna recem-
d-la. E que assim nao tinham mais razo de ser nascida serva de pasto aos corvos 111 Horror I
os sacrificios extraordinarios qne os abaixo assig- Horror I .
nados haviam comecado a reclamar do patriotismo este um facto que nao admitte comraen-
de seus coucidados. rio, a sua exposioao so basta para julgar-se da nos-
c Por isso muitos mezes ha que a commissao sa civiiisacu '
UM POUCe B TODO.
era quas. ..
de novo ah e>labeleceram oSr. Duarte de Almeida L-se no Droit, jornal de Pars, o segcuite :
um bem montado armaiem de seceos e molhados, Commeteu-se ltimamente, as mmediacoes de
cm grama o a relalho, que nada drixa a desejar. j Torrelavega, provincia de Santander, um assassi -
Hoje deve ter lugar a abertura da 6* sesso nato cora horriveis circunstancias,
iudiciaria do jury desta comarca, sob a presidencia I Um Andrea, de 40*nnos de idado, idiota por,
do Sr Dr juiz de direito da 2* vara Manoel Jos causa de mos trato* que na infancia recebera, dt
da Silva Neiva.
Cemecou hontem o processo para
de membros assembla provincial.
a eleica
Formou-se a mesa como segu, recebenro-se. ?os que exigiam dlle.
orna nii cruel e desnaturada, era hornera de pa-
cifica ndole, que pwcorria as aldeias, prestando
aos habitantes, por, pequeo salario, todos os sem-
inis de 200 cdulas e deu-se principio auwaco,
que se deve concluir boje :
Presidente, conselUeiro Loureneo Trigo de Lou-
reiro.
Secretarios, Decio de Aquino Fonseca.
Dr. F. de Araujo Barros.
Escrutadores, Emilio Cazumb.
Mendonra Vianna.
Por aviso de 5 de novembro foi apprevada
pelo Exm. ministro da guerra a nomea(o provin-
cial que recamo no coronel Francisco Joaquim Pe-
reira Lobo |>ara o lugar de reclutador, nos muni-
Todos o couhcciaui a qninze leguas de roda e o
acolhiam bem, porque Andrea esteva sempre ale-
gre e alegrava as mulheres e camponezes, pela boa
vontade com que se prestava a cantar as cantigas,
andaluzas oua dancar ofandango.
Este infeliz nao poda ter ioiiuigos, porque na
fazia mal a ninguem.
Nos primeirus dias da. semana ultima, mnilos
almocrevtts que se dirigiam CasteUa Nova esto-
vara reunidos porta de urna taberna situada a 3
kilmetros de Torrelavega.
A tahea solada e s tem na visinhanca urna
tilica.Approvo que seja adoptado as escolas pri-
marias deste provincia o compendio de arithmelica
comiiosto pelo professor publico Joaquim Antonio
de Castro Nunes, a que allude o officio dessa di-
rectora de 27 de maio ul'imo, sob n. 97.1
Circular todos os vigarios da provincia.Ha-
cordas e com forca os puxava at ficarem guaes
ao leito.
Assim se faz no projecto de lei do orcamento;
decretara despezas, eortam largamente sem olha-
rem para o passado, e de|is esticain algumas ver-
bas da receita para, ainda que apparenlemente,
veddo Sua Magestade o Imperador mandado deca- fazer ella face desjieza.
rar-me or aviso do ministerio do imperio de 20 's um Thsu podera cortar a cabeca de Pro-
de outubro prximo Ando, que quando os ttulos custes........ .
do* ua artigo 52 do decreto n.' 3069 de 17 de abril jillimo legios, e a um menino para aprender taclugrapliia
ficou inactiva, esperando conselho dos acontec
mentes, continuando apenas as cotisacoes a que di
versas corporales se haviam sugeitado.
Parecen a principio que esta expectacao deve.-
ria prolongar-se at que o gabinete Russell atinas-
se com alguin ex|iediente que o habilite a articular
por modo menos doloroso a eonfisso de seu erro,
a que est sentenciado.
Mas, interrompida parcialmente a subscripea |
nacional, dava-se urna injusta desigualdade em'
lamno daclassc dos subscriptores menos fa#orcJ-
dos da fortuna
cipios do Recife e Olinda, mediante a gratiSeaco miseravel luja de ferraitor, em que, ao lempo, es-
mensal de 1805000 rs. tava.um velho unicantente.
Lou vando esse acto, que sem duvida correspon-1 Na taberna tambem >6 esuva ama criada, porque
de ao assignio de ser meihorado o servico do re- os amos tinham ido para Torrelavega.
crutamento, estimamos que se bouvesse aproveita-1 Andrea, passando nessa occasio, annuw ao con-
do os prestimos do nomeado, que official antigo vite dos almorreves, que o uzeram successivamen-
e de reconhecida actividade. te beber, cantar e dancar.
- Pelo agente Pestaa haver hoje leilo de O alinocreve hespanhol 6 um typo que mm*
queijos iirato, no armazem do Aunes, no caes da desapparecer de dia para dia, em conseijuenria aa
* .--_- ^----.k. ,i f,.rrn e. anliL'amente
Alfandega.
Hontem, s 9 horas da manha, teve lugar,
na igreja do Uvr.ime.nto. urna missa Sanlissima
Trindade, mandada celebrar pela sociedade Atonte
consiruccaodo* caiuinhoa de ferro, e amigamente
nao ora era cruel de natureza-
Entendase cornos chefes dos salteadores que in-
festavain certas provincias, e o viajante poda, me-
Pi Popular Perrutmbucano, por ser o dia do seu diante um mdico salario, conuar-raes a sua wm
Os cabellos se roe irricam ao descrever lio
hrrivel scena, e o coracao se me confrange ao
ver reiiresentar-se desses espectculos em face de
moa populaco ijue se diz civilsada 1 !
Sao os fructos, tal vez, dessa horda desaulrea-
da de mulheres vadias, qiie diariamente eurre,i
as ras desta capital, anrentando cyleamunhi a
moral publica.
Do Ria Grande dii-nos o nosso correspondente :
A provincia flea em paz.
A materia d assembla provincial, composu
auniverswm. i a sua pt^ssoa, com a certeza de nao ter nenhum
O aetoesteve solemne e bastante concorrido de' mo encontr. .. ^------
socios. Unto elfectivos, como bononrios. I Hoje o carcter do ttanm SSSSS-
- S.ibbado deu a sociedade Corybantina, urna' te modificado, sem duvida por ver que o seu ret-
partida, que nieve muito concurrida e animada, i nado vai acabar. .
- Honlem deixou o aquarlellamanto a torca I Um daquelles de que fallo lembrou-se de propor
Oa guarda nacional, que se .chava destacada no a idadejertat-Ajadr..^^'^^"^
quarlel de. polica.
Passageiros vindos do Acarar e portos in-
termedios, no vai-or nacional Jaguaribe :
Dr. Adelino Antouio de Luna Freir, Dr. Viren
ou urna muli, eessa idea foi acolhid com barba-
ras garjalhadas, e posta logo em pratica.
Andrea, julgando que era hrlncadeira, prestou-
se volunuriameoto a fazer o que exigiram delle.
j Ferrara Gomes e 1 escravo, tenente-coronel' porJin nem tompo teve pwa se arrenender de sua
Joo Franklin de Luna, Leopoldina Mora do Reg condescendenria.
Barras Torinho, Genesio Javier Pereira de Brito,' Oinfelufoi hitoratarato h**^**
Bernardino de Sena Dias. Guimaraes, Francuco Ihe envaren nee pea uro bpm numero de eravos.

\
i MtlLADOi


I < 11 '-.
r

-*-
t\\
J
#-*:
.
os carrascos quizeram com chicotai
"Andrea cahio moribunda soSnWdo borriyeis,
"S^W de quasi vhile MtaMos conservis
sentimento de suas dores atroies e os seus gritos
nao commoveram nenhum dos seus assassinos,cre
consunimaram a barbaridad^ axendo-lhe as niaos
e ao rosto a inesina opcracao que sollrera nos
A ndra era ja cadver e esto cadver oi eo-
forcado n'um castanheiro que est bera da es-
trada.
'

i-------f -g i
Hesflaaba, no ultimo heijamo que deu, tinha um
magnifico adereco de esmeraldas.
A maier dess esmeraldas era de maior di-
metro que um duro hespanhol.
Ufarlo de Pernanihuco Neniada felra IO de XovetnJuo de 18413.
==--------------------~------'-----
cao lie
U-se no Ost-Deuische-Post :
Dma dama que ia subir para uro wagn em
Wenskercben, na Moravia, do momento era que o (
trein se punha em marcha, embaracou-se-lheo mais do que a
vestido n'uma roda e cabio debaixo do trem. Fi-11
Tesam. Mas j que o seu autor, con alte procura
ter preferencia na elcico.c fundar a sua saperie-
dade em re I a cao lodos os competidores, no in-
tuito de provar que imprescindivele necessaria
a sua candidatura; enmpre verificar qual a im-
portancia real deste documento, e decidir se, entro
o programla e nada, ha alguma dfferenca.
Principio da bberdado I Para muiu nao he
tabella de um grande jogo poii-
cou gravemente
depois.
(erida e morreu algumas horas
Temos pranos, que semelhaote principio, sen-
do j uina conquista da qual estilo na posse
prolongada os paires livres, nao pode servir de
Hi motivos iixrii irrt'dit'ir uno G rn3QtlTl0i^' n ,--------v
Depois disto,osalmocwves raontoram as suas Poustoweito, a compauheira de Ungiewicz, pote gaMo, SJ^f^J^.^^j^^
muas e seguiram o seu caminho garganteando can-
tigas obscenas I
Tive todas as intoreacoes desta scena selvagem
no proprio Jugar en que se deu e que atravessei
se assemelha muito ao retrato photographico des-
U dama. Tinha um passaporte inglez com o nomo
de Eliska.
eio e industria, qae olhos vistos definham, e de- sas e cniptiveis, para que as posa curar, com tan- jeho em mnz. ....
mandan urgente moteccao. i ta facildade como a U arranhao eu um simples, dem em velas.....
Nesto treclio nana vemos que se aproveite, a nao golpe. E o melhor de todos os remedios conheci- jola em vaqueta. .
ser a prora mais frisante e cabal de que o Sr. r- dos para o rheumatismo affeccoes do ligado, e Taboas de amarello. .
bao, nao tora ideas fixas, nem estudos feitos so-' quando a phtysica se complica cora escrophulas. dem diversas.....
bre as questdes mais importantes da actualidade, I Achar-se-ha venda em todas as principis bo- Tapiocas.......'. arroba
nem sobre algum outro assumptoj) litico. Oque ticas e lojas de drogas do imperio do Brasil. Tatojuba.........quintal
------------- Travs.........urna
urna
duzia
meaos pedera expr algn candidato novo que
solicitasse votas para deputado provincial ? Esto
teria acaohamento de dizer em publico, e ao corno
eleitoral, que depois de tleito havia de appliear se-
rios cuidados s necessidades do paiz; mas que
antes nada, sabe, e tudo ignora, que seja proficuo,
ou tenda a melhorar a agricultura, comtnercio, e
'iM Mlll_ Ul< l VI \J VI\H UHIlH'.-ll \T'\ M
Ta maha segrale ao assassinato. O general MoorawielT mandou fuzlar em \ una
Pareceu-me to biacreditavel, que ped a narra- quatro individuos da nobroza polaca, MM. atassas-
q ddla a mais de 30 pessoas tldcdignas. "gj?" ^^Siu^f ter"SvidJ de i precederam e suecederam ao feudalismo,' o prior i- industriosos do Brasil, em meliora.nenio i
AjaJ5 E^sbYn,E ^ P'o da liberdade s por si, bastara para estahelo- situacao; ou cruzem os bracos como o cal
Asseguram-me que o vellio que esta va na I .
ierra dor tora preso porm, pelo que respeite aos espiao aos insurgentes,
almoorcves, a justica ainda Ihes nao descubri o
rasto.
O Moniteur acerca dos baldes aereostaticos. es-
creve :
Foi em Lisboa, no principio do XVffljtoCttlo,
que tere lugar a primeira asscnco em balao, rea-
lisada por mu padre da compaiibia de Jess cha-
mado (usmirt. que se tinha dado particularmente
s sciencias physicas _e era dotado de um grande
espirita de iuvesgaco.
Conta-se que achando-se um dia a sua janella,
vira umrorp espherico e concava muiu leve que
tluctuava nos ares a urna certa altura; e querendo
e.nto imitar esse plienomeno em proporooes maio-
res, cliegou a construir um balo de tela leve i fez
urna primeira experiencia seguida de muitas ou-
tras, e apoz o jue pretender aeresontar a sua desco-
heru n'uuimaior theatro.
ParUo, pois, para Lislwa, onde chegado, fabri-
cou um balo de grandes diwonsoes, que collooou
n'uma praoa contigua ao palacio real, e em prc-
senca de D. Joao V, da real familia e d'uma int-
meosa inultido de esjwcUdures tixou sub elle um
peguono fogarciro, collocon-se por baiKo, olevou-
se aos ares e baten na cornija de urna das casas
prximas.
O balo estava ainda preso a Ierra por coritas
e ama errada manobra dos homens que o retinhain
q appttaimou violentamente da cornija; abri e
cabio, mas muito devagar, e fiusmo uo leve o
ineiior periga .. .
A iw|usH-io, diz o jornal Im MomlM, onde em-
ontramos estas interes.-antes pai'tieulwidadFs.
nao gostuu desta experiencia andacio&issima i tus-
mp. para a acalmar,) propqz levar aos ares/o in-
quisioor-mr com lotlo o santo tribunal. A pro-
posta fez o eueito de um mo gracejo, e susfcitou a
(iusmu numerosos inimigos. ExciUram contra
elle o povo, qu, por escarno, lbe chama va o ho^
mem voador, a foi tinalmonte lanrado n'uma mas-
morra.
Os jcsuilas conseguiram faaer-llie recobrar a sua
liberdade, e zeram-no passar para a Hespanha,
onde morreu de pesar em 1724.
SessenU e quatro annos mais tarde, oo da$ de
junbo de 1763, os irmaos Montgolfier laacaram um
balo de lela forrado de papul pesando quinbeatas
libras, de rento o de/, ps de circunferencia e que
se elevou em dez minutos a altura de mil toezas.
Nesse mesuio auno, no parque de Muelle, era
presenra.de urna multido maravilhada, dous ho-
mens intrpidos, Pilastre des Rosiers e o conde de
Orlandes, embarcaram n'um cesto sespenso ao es-
quenUdor de uot monigolfor, e eli'varain-se aos
ares! Que coragem e sanguo fro gao era preciso
para se deixar assim arrebatar pela mmensidade
por tima esphera de tela lisa e de papel I
Alguns das mais tarde, dous pnysicos celebres,
Carlos e lloberto, partiam do jardira das Tulherias
arrebatados por um balo um pouco mais slido:
era feito de estofo de seda gommado e cheio degaz
hvdrogeniodBzesseU! vezes menos pesado do que
q ar.
Estas iluas brilhantes assencesexcederam to-
das as esperaacas, e a multido tomou fr, al-
gumas horas depois, os navegadores aerios com
urna alegra enthusiasiiea.
Re|H'tio-se depois e por muitas vezes a experien-
cia de la Muelle e a das Tulherias em nada se lhe
acci escrutar.
Os aeronautas dos nossos das, semelhantes aos
seus antecessores, nao saltera, como elles, seno
elevar-se alturas maiores ou menores e abando-
nam-se aos ventos que os arrastam sem poder di-
rig r-se.
Franklin, que se achava era Pars, havia segui-
do com urna grande attencao as primeiras expe-
riencias da nova arte creada pelos irmaos Mont-
golfier.
Interrogado acerca do futuro destas grandiosas
tenUtvas, respondeu :
E' nina enanca que acaba deflfeeer; mais
tarde ser um gigante.
Ora, nao julgamos ainda que o gigante entre-
visto por Franklin seja aquello que se elevou estes
das aos ares no ineio dos applausos <>nlhusiastas
de quatrorentos mil espectadores.
Outras leuUtivas. em diQerentescondicoes, se
devem fazer ; mas em todo o caso, e quaesquer
que seja ni os progressos que possa fazer a arte
aereostatca, justo nao esquecer aquelles que
abriram audaciosamenle o caminho. e que. pri-
nieiramente, procuraran! dar ao Uomein b imperio
dos ares.

so Cotnmercio do Porto le-se o seguinte :
Diz a Niitton, que o rei da Grecia, depois de es-
tar alguns das em Pars, deve embarcar a i'i em
Toiilon para Athenas, e que sera acompauhado
na sua viagem por urna fragata franceza, oiitra
ingleza c nutra russa.
E' curioso ver as actuaes circuinstaeias a
bandeira da Russa fluctuar fraternalmente ao lado
la.- liandeiras franceza e ingleza.
0 vapor confederado Juno, que cera vezes tinha
victoeiosameote violado a bloqueio, cabio as re-
des do cruzeiro federal. .
Foi capturado ti de setembro, a visU de vvu-
mington, na Carolina do Norte, depois de ser per-
seguido quatro horas, durante as quaes o Louecti-
mt, crusador americano, I he atirou trinta bandas
de bombas e balas.
0 Juno lancou ao mar urna parte da sua carga
de algodo.
E' um navio encouracado, de mais de I.IJO to-
neladas, construido ha 10 anuos em Bristol (Ingla-
terra.) .
Quando foi tomado, o Juno ia para a Berrauda.
Brasil, a liberiade se acha asss garantida as iw-
tituices fundamentaes. e assim cessa todo o anU-
gonismo entre os brasileiros neste terreno. Aquel-
les que creassein um partido para alcanca-la, em- fiar, salvo adopurem a divisa "dos fortes, de
pregariam esforcos vaos e improflcuos, e'camiuha- falla o escriptor que por ultimo citamos : Spes 'il-
riam sem alvo. lortun et tU-na inunortalitates.
Para os tempos remotos, para essas pocas que: Nada desejem os agricultores, commerciantes e
sua
po da imeruaae so por si, oasiava para estttieio- situacao; ou cruzem os bracos como o cahocl de
Srs. redactores: Constando-nos que o Rv.
Manoel Gomes de Brito pretende ser vigario desta
freguezia de Bezerros, no caso que o nosso digno
vigario Rvd. Trajano de Figueiredo Una, prefira
outra freguezia, pedimos encarecidamente S.
* ha sagrado nao
frem e lutam ha muito cara ranni^difflcudad.., I ^^^?^% qt
de nenhum recurso podem tancar mo, nem con-1 s5 p!jy."
dos fortes, da que j ^PjJ, ^ ^^ qae m tcmpo de epidernJiilo
se presta aos acominoltidos com os soci^fBs es-
Ccnto
caada
:^ooo
um
i'OO
IKUOt
i&>m
2*000
b\5
SOOO
10*000
000
6*000
oOO
T ir -KiK-uiiuie, commeicio, e g Rvm que por tudo quatO ha sagr
',St^..2f &2^2*1!22B' i lK? vhB semeliante padre, \
cer a luU e o antagonismo, exigir at o sacrificio Paula Souza, ou nutram-se com urna esperanza im-
de sangue, dos homens dedicados patria. mortal, por que s depois de eleito senador o Dr.
As liberdades nada sao, diz Guisot, em quan- Urbano, que elle cuidar seriamente de Ues ob-
to nao se tornara direitos, direitos positivos, for- jectos. Antes disto, nao. Applicarei, a sua ex-
inalmente recotiecidos e consagrados. Os direitos, presso na circular lithographada ; e qub s para
ainda j ruconhecidos, nada sao, em quanto nao depois de eleito senador, que elle se oceupar des-
se achara entrincheirados as garantas. | te trabalho, resulta evidentemente do progamma
Converler as liberdades era direitos, cercar os que fez para solicitar o lugar de deputado geral ;
direitos de garantas, entregar esUs garantas onde nao trata de semelhante assumpto.
forcas ndependentes e capazes de as manter, Ul j Se a liberdade s veio nos progammas como
a marcha progressiva de um governo livre. urna pilula deixada para ser tragada pelos inex-
Antes de qualquer socedade humana achar-se pertos, os simples, e os patriotas, a promessa de
constituida ueste estado, e condico, a liberdade prottecao urgente a detlnhada agricultura, o deca-
pde servir de symbolo, ou bandeira dos partidos, dente coramerco, deura ridiculo tao alegre, que
Comprehende-se, portanlo, perfeilaraente, que na nao pudemos conter o riso.
Inglaterra os grandes e pequeos baroes colhga- A breve refutacao do progamma senatorial, que
dos, e frente do povo, lancassem mo das armas tracamos cima, e pela qual se v que
presta
piriluaes, e se tivermos a infeliz sorte que seja
nosso vgirio, podemos pedir Dcos misericordia,
e lamentamos os habitantes que o tiverem por pa-
rodio. Qiteirara, Srs. redactores, dar publicidade
a estas toscas lionas. Bezerros 29 de outubro de
1863.O Bezerrense.
l'nhas de boi
Vassouras da piassava.
dem de timb. .
dem de carnauba .
Vinagre......
Alfandega de Pernanbuco, 14 de novembro de
1863.
(Assignados):
0 i. conferente, Manoel Peregrino da Silva.
O 2. conferente, Francisco Afronto Ferreiru.
Approvo. Alfandega do Pirnanibuco, It de
novembro de 1863.Carcalho P.ets.
Conforme. 0 4. escriplurario, Joao dos San-
tos Porto.
Heeebedorla de rendas Interna
geraes de Peroarahiieo.
Rendimento do dia 1 a 13........ 13:402580.")
dem do dia-14................. 44^.3297
COMMERCIO.
Falleceu em Florenca onde ha annos viva mu- dos, e a trente ao povo, lancassem raao das armas iraca mos cima, e pela qual se ve que o distincto
lo retirada Mad. Trollop'pe nascida em Heckeld- e travassem luU de raorte com o sen rei-Joao, candidato s funeces vitalicias longe est de me-
hauts era 1779 sem trra, at que este Ihes cencedeu esse acto recer a adltesao e suffragios dos eleitores; nao o
1 America e os Americanos, Pars e os Parisin- famoso, conhecdo sb o nome de grande carta, nosso principal designio na presente serie de arti-
ses Vienna e os tistriacos etc., sao os principaes {magna carta) momento da derrota do rej, e base gos que encelamos : cora a referida circular, foi-
titiilos Iliterarios de Mad. Trollppe, que morreu da coostitui^o ingleza. De um lado estavam os nos igualmento remanido unmamfesto asignado
com 84 annos de idade. bare? collgados, e seus dous mil cavalleiros, pelo Sr. Dr. Urbano, que mais nos veio firmar no
que queriain a liberdade, que esU fosse formal- proposito de lhe reeusarmos o nsso voto para se-
ment reconhecida, e consagrada como direito. nador. Cumpre que continuemos a patenlear os
Do outro, estava o rei, frente de estrangeiros fundamentos dessa nossa negativa patritica : pro-
mercenarios, seus mimosos Urabances, que no incitemos fase-lo, nos eserptos subsequentes.
IIHRO^ICA JlilHCURli
TRIBIAW, DA RELAMI.
SKSSAO EM 13 DE NOVEMBRO DE 1863.
l'RK-IFNiK DO EXM. SR. CoNsBI.HKIHO
SILVBIRA.
As 10 horas da raanlia, achando-se presen-
tes os Srs. desembargadores Caetano Santiago,
Gitirana, Lourenc,o Santiago, Reis e Silva, Molta,
Perett, Assis, c Doria, faltando com participaco
os Srs. desembargadores Accioli e Ucha Caval-
cauti, ahrio-se a sesso.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
roa, nao compareceu.
Passados os feitos e entregues os destribuidos,
deram-se os seguales
JLLGAUK.NTOS.
Agoraros de peticao.
AggravaBte, D. Mara Jos de Magalhes Prado \
aggravado, o juzo.
Relator o Sr. desembargador Luurenco Santiago.
Sorteados os senhores desembargadores Assis
e Gitirana.
Nao se fez aggravo.
accesso de seu furor, exclaraava :
Porque me nao pedem tambem o meu reino t
i Sunca les conceder liberdade, que me kao de re-,
duzir escracido para com ellet.
Comprehende-se perfcitami-nle que qualquer
paiz em tal situacao, ou somelhante, tome a lber- j
dade para objeclo de sua conquista, para symbolo
dos partidos. E' por esta razao que os patriotas
de 1817, sao ainda hoje acatados em extremo, pois
.4.
CORRESPOBDENCIAS.
NOVO BAJVCO
DE
PERHAMBUCO
Convoco os senhores accionistas da novo banco
de Pernambucopara uina sesso extraordinaria no
dia 20 do corrente, ao meio dia, as casas do ban-
ca alira de se tratar de objecto quo rauto interes-
sa aos mesraos senhores accionistas. Recite I de
novembro de 1863.
Viscondede (^amaragibe.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 13........ I69.60*500
dem do dia 14................. 14:395*495
13:847*102
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 13......... 16:504*314
dem do da 14................. 2:303*695
18:808*009
184:075*995
Movlmento da alfandega
Voluntes entrados com fazendas.
c com gneros...
Volantes sabidas
com
com
Srs. redactores. Peco Vv. Ss. se dignem dar
pnbliridade no sen eoreituado Diario aos docu-
mentos, que a esta acempanhara, os quaes provam,
que o lira que aspiravam, era a concessao do urna que na quaiidade de offlcial do juizo do commer-
consttuicao brasileira assim que a revolugio ci0 n0 pf,ssei certidio falsa de harer eitade a mu-
de 1824, eucontrajuslieacao nos homens impar- jherdo Sr. Joao Morerade Carvalho, e se ful de-
cais, porque tendo a mesraa base, poda ainda mittida, foi por que o lllm. Sr. Dr. Alencar Ara-
invocar o principia da liberdade, embora a qoes- ^ ngo rae qnizeuvir, attendendo smente ao Sr.
tao da forma, isto ser a consluicao dada pe escrivo Paes de Andrade, que, ignorando mesmo
monarcoa, e nao pela nacao, viesse prejudicar 0 m se p^^ em sua propria casa, nlo teve du-
a essencia da luta, e arrerecer, attetwar, ou quasi vida em asseverar, que en nao havia ido a seu en-
fazer esquecer os erros ou crunes do podr. genho Uchoa, no dia 24 do mez Bndo, ao passo que
Mas as revoluces de S. Paulo e Minas,en 1842, 0 StU parente e commensalo dito Sr. Joao Monira
e de Pernambuco era 1848, nao se podem escudar ^ carvalho diz o contrario ; isto que eu fui a
cora o principio da liberdade : oestes tempos ja ti- csse engenho iw da mencionado, era cuja occasio
nhamos urna constituicao com liberdade de pensar, tambera o citei para prestar conUs de urna tuto-
Aggravante, Jeronymo de Souza Colho ; aggra-' fallar, escrever, e liberdade de accao; tmhainos ra, pelo juizo de orphos.
vado, o juizo. ; mais o acto addicioiial, com as franquezas, regalas (^ a publicidad* de taes documentos llca igual-
Relator o Sr. desembargador Gitirana c privilegios previuciaes. mente respondida a noticia, que Vv. Ss. deram na
Sorteados os Srs. desembargadores Reis e Silva i Anda em S. Paulo e Minas, havia a questoo de fai** Diaria de 3 do corrente.
e Doria n>ais ou menos garantas para esse principio, e a E por que eslou intinnmente convencido da que
Negou-se provimento. reforma da lei de 3 de dezembro, da guarda na- 0 autor dessa noticia anda mal informado, por isso
Aggravante, Ignacio Luiz de Brito Taborda ; ag- cional e outras, eram reclamadas em bera da li- peco-ihe que se dirija a qualquer ou a todos os se-
gravado, o juizo. berdade/a reconliecida. e hoje os adhereates des- nhores empregados do foro, advogados, escrivaes.
Relator o Sr. desembargador Doria. ses moviinentus populares e raarciaes, continuam solicitadores, e as pessoas que de ordinario tem
Sorteados os senhores desembargadores Lourenco a pugnar por taes reformas. Mas em Pernambuco, mais de urna questao, e examine qual o meu pro
fazendas
gneros..
42
20
62
Santiago e Assis.
Deram provimento.
Habeas-corpus
Negaram a ordera de Iiabas-corpus pedida em
petizo por Manoel Jos Salgado Couto e outro.
Appellares aimes.
Appellantes, Joaquim Jos da CosU Fajozes J-
nior e Jos Laurentino de Azevedo ; appellada, a
justica.
Dett-fifl provimento a appellaco para absolver as
os chefes revolucionarios, confessam de pleno, e cedimtmto, qur como offlcial de justica, qur como
sem rebuco, que a revolta de 1848, fot ion roo. particular, Picando desde j sciente que tenho tanta
Especialmente para o Sr. Dr. Urbano Sabino Confianca nos actos que he pratcado, que seja qual
ResM de Mello, nao aprovem a questao de ga- fr a informacSo que o autor de semelhante noti-
rantas da liberdade que Minas e S. Paulo exigiam, cia nouver de'obter, em nada me desabonar,
porque o illustre postuUnte dos suffragios senato- g se me fosse possivel saber com sciencia certa
riaes, aeeitou, susttntou e de(e*deu a le de 3 de qUem foi o autor da referida noticia, entao direc-
dezembro de 1841, a mais nociva e tyrannica, na tamente elle me dirigira e contentar-me-ha com
opinio dos antigos liberaes do imperio. a res(osta, visto como nao ha nesU capital quera
Nao pode, porUnlo, a liberdade em si, como apresenle m,, act0 que me desdoure, quanto mais
principio, servir para proaramma nos lempos era (.U( ,enna [l0r costume ^^r certides falsas,
que vivemos, e muito menos para aquelles homens, Como ^feao lite perdo tanta leviandade. A-
que como o r. Urliano, declaram que ella se ocha CTVRteHtni, que, segundo me consta, o sobre dito
assaz garantida em nossas tnstUuiroes fundante- Sr Joao Moreira de Carvalho e sua mulher, appa-
appellantes.
Appellante. Manoel Augusto Balbino Ramos
appellada. a justica
eu-se provimento para absolver o appellante.
Appellante, o juizo: appellado, Manoel Anto-, t ues, e nao se animam a dizer quaes as poucus re- rtceitdoem juizo sobre o negocio, pelo miaKforam
io. ; formas quo precisam as leis regularaentares para dla(lus pelo juil0 ao co,ninerco, nao constestaram
que tornem a liberdade effectiva na pratica, e a a Veracdade das citacoes.
,i.isegu,em mtlior contra os abusos e mames da Ao JHa| Sr (^ Alinear Araripe, como
forja e do aiilrio. \
Quando se procura saber quaes as lis rJKU-
lamentares que sao ms c prejudicial* a liberdade,
! e quaes as que necessitamos para mellior garan-
ti-la, nao encontramos luz no programma do Sr.
Dr. Urbano, e acliamo-nos na mais perfeiu eseu-
nio.
A' novo jury.
DILIGENCIAS.
Com vista ao Dr. curador geral
A appcllucao civel.
Appellante, aExm." mrqueza doRecife
pellados, Jos (darlos Paes Barreto e outro.
DRSIO.WQAO DE OA.
Assignou-se dia para julgamento do seguinte
ap-
subdito,
que fui, continuo a dever-lhe respeit e obedien-
cia, qur como dijzno juiz quo do cummercio.
qur como particular.
IVeife, 13 de novembro de 1863.
Agottinho Jos dos Prazeres.
DOCUMENTOS
feito : rido I i||ra. Sr.Declaro que no da 24 do crreme
A appellaco crime. Se o vosso titulo de liberal consiste em pesqui-1 mei; ao abrir a p,,,^ desU era qUe moro no
Appellante, u juizo : appellada, Mara Joaquina sar mais garantas para a liberdade, forra e ma- ei,geano Uchoa, enconrei o ofiftcial de justica do
de Souza Rolim. nifestar e especificar quaes as que queris, e em (:o,merc0 AgoMinho Jos dos Prazeres dizendo
passacens. que ellas consistem, para que vosso programma vir ci^me assim como a ntinha senhora a man-
0 Sr. desenibargador (kieUuo Santiago passou; exprima alguma cousa. I da(|o do mesmo juiz do que declarei-lhe me achar
ao Sr. desembargador Gitirana Passando a considera-lo como doutrina, e evi- cnx0 ^^ comt minha senhora, que nao appa-
As appellacves ciceis. \ dente que tal programma se annulla completa- recja ^ eslar ajn(ja detaaa. por tanto que pode-
Appellantes, os herde'iros de Bernardo Antonio mente. Nao admitlimos como verdade, o que
de Miranda; appellados, Joaquim Jos de Miranda nao passa de paradoxo.
e outros.
Descarregam no dia t6 de novembro.
Brigoe inglezBitluufarnha.
Barca ingleza- Stetta bacalho.
Lugre inglez Zezine mercadorias.
Brigue inglez -Henrietta bacalho.
Patacho inglezLapmina farinha.
Patacho americanoflt Wing farinha e gneros
de estiva.
importavo.
Barca ingleza Stella, entrada de Terra-Nova,
consignada a Saunders Brothers & C, manifestou
o seguinte : ,
2,230 barricas bacalho, 500 dUs farinha de
trigo e 40 toneladas de lastro de podra; aos
raesmos.
Brigue inglez Ijipicing, entrado de Baltimore,
consignado a Henry Forster c C, manifestou o se-
grate : .
1,5: barricas farinha de trigo, 400 barriqut-
nhas bolachinha, 200 barrlinhos banha de porco
e 1,917 taboas com 28,836 ps; aos consigna-
Urios.
Brigue oriental Protegida, entrado de SanU La-
tharina, consignado a Antonio de Alraeda Gomes,
manifestou o seguinte:
9,881 alqueres de farinha de mandioca, 7 du-
zias de Uboas de cosudo e 100 esleirs; a ordem.
Brigue inglez Hanretta, vindo de Terra Nova,
consignada a Johnston Patee & C, manifestou o
seguinte:
2,615 barricas bacalho; aos mesmos.
Patacho nacional Beberibe, vindo do Rio de Ja-
neiro, consignada a Antonio Luiz de OUveira Azc-
vedo o C, manifestou o seguinte:
Mercadorias estrangeiras.
2 barricas vidros fastos, 1 caixao camisas,_61
barricas cerveja, 3 caixas annacoes para balees,
20 ditas canella, 200 barris banha de porco, 300
barricas farinha de trigo, 21 saceos alfazema, 100
barris manteiga, 500 resmas panel de embrulho,
30 pipas vasias, 200 voluntes e 40 ternos barricas
abatidas; a ordem.
Mercadoria nacional.
20 pipas rraxa. 80 Jiarricas sebo, 2 caixoes cha.
2t saceos e & barricas farinha de mandioca. I cai-
xao cigarros e charutos, 56 latas e 136 rolos fumo,
798 saceos cal, 79 fardos c 21 rollos panno de al-
godo e 300 ceixs eomposi^ao: -
verso.
a ordem de di-
Appellante, Joao de Medeiros Rorges ; appella-
dos, Joao t^ivalcant e outros.
Appellante, Joao Venancio Machado Paz ; appel-
lado, Joao Ignacio da Costa.
O Sr. desembargador Lourcnco Santiago passou
ao Sr. desemoargador Bes e Silva
As appellacoes cireis.
Appellante, a cmara municipal ; appellado,
Trajano Antunes de Alencar.
como verdade, o
A lilierdade o iim
das sociedades civs ? I... Nao, nao As socie-
dades nao aspiram tao pouco : ellas lancam-se
para muito longe, e sua raisso tao grandiosa,
quanto sublime. i
O tim das sociedades civis anda estreitamente li-
gado aos fms do hornera, que sao os mesraos da hit
manidade. 0 estado e a oreja, sao as ditas ni-
cas sociedades que se considerara perpetuas ou
eternas, porque se drigem a lins eternos fundados
na natureza humana, estado nao acaba ; so-
Sobie o pleito em que Mad. Rives disputa rai-
nha Victoria o ttulo de duqueza de Lencaster e
bens correspondentes, o Internacional coala a se-
guinte historia, que ha tcmpo corre em Londres :
Segundos diz-se, a fallecida duqueza de eM
s com cusi veio para Inglaterra na occasio de
lar luz sua lilha, hoje nossa muito amada
ranlta-
0 duque de Kent estava nessa poca nos maio-
res emltaracos pecuniarios, e a actual soberana
do lieiim-l'unle vria ao mundo n'oulro paiz, e nao
na Inglaterra, se Mad. Olivia Serres nao empres-
tasse 400 libias S. A. R.
Mad. Olivia Serres morreu, a duqueza de Kent
tambem. A ilba da primeira os hoje pobre e
reclama em vo que se lhe reslituara as honras
devidas sua eathegoria, em quanto que a lilha
da segunda est assentada sobre o throno mais
poderoso da trra.
Sabe-se ltimamente que esla pobre Mad. Rives,
que j de idade avancada, esteve muilo lempo e
est ainda privada das cousas as mais necessarias
vida
Temos de publicar documentos relativos ao pro-
resso '|ue vat provavelmento insUurar-se nos tri-
lmnaes. e te remos os nossos letores ao corrente
da* diversas peripecias desta causa, que necessa-
riamoAte trar lurae alguns tactos curiosos da
historia cortempornea de Inglaterra.
Mad. Olivia Serr, mii de Mad. Uves, era
ni ha do duque de ('.uuibarland, irmo de Jor-
ge IB
< | duquelde Kent reconheceu Mad. Rve como
-ua sobriolia, e legou-lhe unta somma coosidera-
vel, porm as reclamarles desta este reso*.to fo-
ram senqire illiididas pela cora eonn as siihtilezas
da 1.1.

Diz urna cartt de Roma, publicada pelo Temf*,
mas o jiadre Thener, obtend autopisaco do Santo
Padre para destruir todos os manuscriptos que
eKirtiam na "biWiothya do Vaticano que podcs-
j^era ser prajudiciaes igreja. es lancou s eham-
ma*l
Era to grande o thesouro de doo amen tos histo-
n.ricos ipiei mados pelo padre Theiner, que os
pi>oprios prelados ceosuravara a sua ntowrancia.

Urna carta de Brest diz que o capito do corsa-
rio Fturida, que all est, M. Burnay, era, antes
da guerra civil americana entre o norte e o sul,
amigo intimo e um ponen parente do segundo
ommandante da corveta federal Kearsage. que
est tambem na baha de Brest.
Os ofBciaes inimigos exnostos eneontrarem-se
todo o momento, observam uns para com es ou*
iros urna conducta fra, nas digna-
os marinheirof, menos reservados, travaram
briga, o tao seria, que exigi a inteivenco da au-
tondade martima do porto.
Os habitantes de Breat ttveram o espertaculo
de um pequeo romate entre federaes e confede-
rados, que sera a-intervencao da" lorca toral, nao
eria o menoe sanguinolento da guerra chrfl ame-
rjcana.
Appellante. Silvestre Domingues da Silva Praen- mente se transforma proporcoque as novas ge-
tera; appellado, Jos Joaquim de Almeida Leite racoes, que nascorom em seu seio, forem adqui-
Sampaio. rindo ideas mais exactas, c mais precisas sobre o i
O Sr. desembargador MotU passou ao Sr. des- lira da instilue.o. .
embargador Peretti 0rai l>omem prnpoe-se a differentes fms, to-,
A appellacoes ciceis. dos fuudados na sua natureza. Taes sao: deseo-1
Appellante, Vicente Dia's de Carvalho; appella- volver-se em todo o seu ser com o Ente Supremo,
do, Beinaldo Francisco Filis, como scr religioso : desenvolver a sua ratelligen-
Appellantc, Pedio Jos da Costa; appellado, ca as sciencias, que lera por objecto a verdade,
Antonio Joao Ferreira Damasceno. & pelas quaes o hornera transforma toda a nature-
Appellante, Vicente Ferreira Padilha Calumby ; za, e se faz senhor do mundo ; cultivar as artes
appellado. Martinho de Mello Albuquerque. '<' c as bellas artes \ desenvolver-se debaixo da
Appellantes, D. Felicdade Mara de Vasconcel- relacao da sua voutade, pois se a ratelligencia tem
los c fllhos; appellailo. o Dr. Antonio de Carvalho particularmente por fin a verdade, o sentimento,
Raposo. 'e bello, a verdade refere-se ao bem, c morali-
A appellaco crine.
Appellante, o promotor; appellado, Antonio Ama-
ro de Pinho.
O Sr. desembargador Peretti passou ao Sr. des-
e mliar ga dor Accioli
A appellaco cicel.
Appellante, o juizo ; appellada, D. Luiza Thoma-
zia Cnrreia.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desera-
bargador Doria
.4 appellaco crime.
Appellantes, Camargo & Silva ; appellada, a
justica.
.1 appeUacMo civeL
dade.
na passar a respectiva certido.
Por meio desta espero que me seja dispensado
comparecer no dia determinado para a justfleac
do memo offieial, [ior me achar encommodado.
Joo Moreira de Carvalho.
( Estava sellada c reconhecida a assgnatura.)
lllm. r. Joo Vicente de Torres BandeiraPor
amor a verdade peco V. S. se digno responder
ao pe desta se saho que eu como offlcial do juizo
fui ao engenho Uchoa no dia 24 do mez lindo, e
ahi citei a Joo Moreira de Carvalho, por mandado
do juizo de orphos, e a senhora do mesmo Joo
Moreira de Carvalho, por despacho do juiz do com-
mercio.
Perml-me V. S. usar de sua resposta.
De V. S. atiento e criado.
.Igostinho Jos dos Prazeres.
Recfe, 4 de novembro de 1863.
Respondendo a cari suppra alirmo-lhe o se-
guinte :
Tendo eu do uo dia 25 de outubro prximo lin-
do, para o engenho Uchoa com meu iruio Antonio
Rapgel de Torres Bandeira ah o Sr. Joo Moreira
de Carvalho, me pedio para fazer ao Sr. Dr. juiz de
orphos uina pelico para eleito de prestar pe-
rante aquelle juizo suas comas, para o que havia
elle sido citado, e como eu nao eslivesse Uto a par
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DOS PRKQO DOS fiE.N BROS SOFITOS A D1RKIT0 DE
EXPOIITACAO. SEMANA DE 16 A 21 DO MEZ DE
NOVF.MBHO DE 1863.
Mercadorias. Unidades. Valores.
Abanos......... cent 1JHO0
Agurdente de cana..... caada 600
dem restilada ou do reino 600
dem caxaca........ 320
dem genebra....... 600
dem alcool ou espirito de agua- "00
ardente.....,
Algodo em caroco..... arroba
dem era rama oi em laa.
Arroz com casca......
dem descascado ou pilado
Assucar mascavado.....
PRACA DO RECITE
i* DE Mil I-:tiHltO DE IH:t.
.4 3 horas da tarde.
Revista semanal.
Cambios........Os saques da semana elevaram-
se a 120,000 plo vapor Onei-
im, sendo : sobre Londres de 28
a 8 4 d. por 1*000: sobre Pa-
rs 340 rs. per fr, e sobre Lis-
boa de 96 a 100 por cento de
ralo,
desta provincia vendeu-se de
28*000 a 2840O por arroba, o
de Macei, posto a bordo, de
28*800 a 29o00, e o da Para-
hyba de 29*300 a .-JOioOO, tam-
bem posto a borda
Assucar........ O braneo vendeu-se de 3*200 a
3*300 por arroba, o somenos de
2*700 a 2*800, o mascavado
purgado de 2*200 a 2*300 e o
bruto de 1*900 a 2*200; a en-
trada da semana foi boa.
Agurdente..... Vendeu-se-de 56* a 60*000 a
pipa.
Loaros.........Os seceos salgados venderam-s
a 160 rs. por libra
Arroz.......... Opilado da India vendeu-se a
AIOO por arroba, e o do Mara-
lo de 2*600 a 3*000; ha ven-
do abundancia do primeira
Azerte doce..... Vendeu-se a 2*4 por gal.>
do do Estreno.
Bacalho'....... Retalhou-se de 13*000- a 14*000-
por barrica; ficaudo era deposi-
ta 8,000 barricas.
Batatas......... Venderanvse a 1*200 por ar-
roba.
Bolachinha..... dem a 3*800 a barriqunha.
Carne secca-----A do Rio-Grande- do Sul reta-
lhou-se de 2*600 a 3*200 por
arroba, tirando- etn ser 76,000
arrobas. Nao ha em primeira
mo- da do Rio da l'rata.
Carreja......... Vendeu-se de 5*200 a 6*000 a
duzia de garrafas.
Feijo.......... dem de 6*000 a 8*000 o sacco.
Genebra........dem a 310 rs. a botija.
Louca..........A inglez ordinaria ohteve .'tOO
por cento de premio sobre a fac-
tura.
A franceza vendeu-se a 300 rs.
a libra, e a ingleza a 800 rs.; li-
eando em ser 1,000 barris de
ambas.
Vendoram-se a 8*000 a raiva.
Vendeu-se de 6*500 a 7*000 a
caxa.
Connuoua vender-se a 14*00r>
a arroba
Queijos........Os flamengos venderam-sc de
1*600 a 1*800 cada um.
Taw'inho....... O de Lisboa vendeu-se de 105 a
0*500 por .rrobfc -A
Vinagre........O de Portugal vendeu-se'de I l.'i*
a 120* a pipa.
Os de Lisboa venderam-se de
200* a 240*000 a pipa, e os de
outros paizes de 190* a 210*.
Velas.......... As de composico venderam-se
a 500 rs. o inasso.
Descoutos....... O rebate de letras regulou de 8
a 10 por cento ao anuo.
Fretes......... Para New-York a 40 para o Ca-
nal pela Parahyba 47/6; do las-
tro para Liverpool 20 ; e do al-
godo recebendo na Parahyba
Mantei''a.
Massas.....
Passas.....
Presuntos..
Vinhos..
ca. Por ultimo o direito, a justica em si mesraa,
um ti racional da vida do hornera.
Um celebre escriptor moderno, combatendo a
iheoiia (ilnlosopliica de Kant, seexpriine nos se-
guintes termos : < 0 principio estabelccido por
AppdJante, Antonio Veriato de Medeiros ; ap- KaoL defeituoso por considerar a liberdade de
pellada. Rosa Maria de Albuquerque. llma maneira muito absoluta, e porque-bao indica
O Sr. desembargador Doria passou ao Sr. des- o Iim individual, e social que se trata de realisar
sembargador Caetano Santiago
As appeack& dimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Clau-
dmo Pac i l ico.
A l) hora da tarde eucerrou-se a sesso.
desses negocios, como meu dito irmo, a este o re-
Alem da religiao, a sciencia, as artes, e a moral, ferido Sr. Carvalho, fez igual pedido que immeda-
que consumera os lins principaes da vida humana, tamente fora servido.
o humera produz por sua actividade nestes ramos,; E o que tenho a responder-lbe por ser na reali-
ou obras da intelligenria, ou obras industriaes. dade o que se passou a tal respeit, podendo Vine.
D'ahi resulta a necessidade do comtnercio, porque fazer desta miaba resposta o uso que lhe convier.
os homens vivendoem communidade, devem trans-, De Vmc. venerador e criadaJoo Vicente de
mittir as suas produrces por urna troca recipro- Torres Bandeira.
( Estava sellada.)
Floriano Correa do Brito, etc.Certifico que dos
autos de inventario des bens que licarara por falle-
ciraento de Luiz Moreira de Carvalho, consta que,
o suplicante Agostinho Jos dos Prazeres, na qua-
iidade de offieial de justica deste juizo notilicou a
Joo Moreira de Carvalbp, no dia 24 de outubro
de corrente anno. para na quaiidade de tutor dos
orphos filhos daquelle tinado, vir anto este juizo
diera branco........
dem retinado....... *
Azeite de amendoim ou im'iido-
bira......... caada
dem de coco.......
dem de mamona..... '
Batatas alimenticias. .... arroba
Bolacha odinaria, propria para
embarque.......
dem lina........ *
Caf Ixim........
dem escolha ou restoll ...
dem torrado....... libia
Caibros......... um
Cal........... arroba
dem branca.......
Carne secca (xarque) ....
Carneiros........ um
Carvao vegetal...... arroba
Cavernas de scupira .... uina
Cera de carnauba era bruto. libra
dem dem em velas ....
Cha..........
Charutos........ ce-uto
7*000
L'8*00
1*000
2*000
2*200
3*150
'1*160
Vt por libra
pela liberdade, pois evidente que todas as acces preslar cotas je seus tulellados: sendo que a
nriulimii:is noi ella devem ter um lira racional.___j:.. ItlT.i. u.__ _:.._________.u. t-~k. f- '
IWWB"
COMMNICiDQS.
A circular e e
manifest de Dr.
Peneea de MI*.
i
trkaneo Saeta
produzidas poi ella devem ter um Gm racional.
Este deleito do principio de Kant, igualmente
| um defeilo do systema liberal actual, que em suas
reelamaedes da liberdade para todos e em tudo, se
esquoee de indicar o uso que se deve fazer doUa,
e de determinar os lins racionaes, que o homem e
C-iedade devora proseguir e realisar pelo livxe
nvolvimento de suas faculdades. Taes fins,
verdade, nao devem ser impostos; sua escolha de-
predita citaco fra feiu nu engenho Uchoa fre-
guezia dos togado.
Certifico finalmente que o supplicado compare-
ceu era juizo com urna peeo dando sciencia de
sua no ificaao e pedindo que o juzo de orphos
tendo em consideracao que os rendimentos de seus
tutellados sao de nenhuma importancia o dispeii-
sasse de prestar semelhantes cuntas atira de nao
estar accarrelandu despezas desnecessanas a seus
ve ser livre. Todava importante fazer compre- f.:ffi???5L rMl
u, fm. nrociJiarfA ih^," -zT'T. dos autos aos quaes me reporto,
Cidade do Recfe de Pernamhuco, 10 de novem
Os eleitores destacdade, e do interior, j come-
earara a receber a circular lithographada, por que temos apresenlado, qqe a liberdade nao e o
ineio da qual o Dr. Urbano Sabino se acredita pe- nm da socedade, pas que esta tem fias diversos,
rante o corpo eieitoral, para deste obteros votos complexos, que se podem resumir na palavrafeli-
que pede na prxima escolha de um senador por cidade-. Para felicdade, enejaremos por inter-
Pernamhuro. medio do proqresso, que eeriamente, como bem diz
Na (Bialidade de eleitor da freguezia de S. Jos, Pelletan, f nao pretende renovar a socedade ronj
nos julgamos com a restricta obrigacao de exami- o toque de ahjuma varinlia mgica, era por mila-
nar oproramma contido nessa circular to repe- gre de seu genio, n'um abrir e fechar de olhos,
bro. de 4863,Ftz escrever e assigoo em f de ver-
dado Floriano Gorjea de Brito.
S*gun*) dlr nm

jornal tncer..
a rainha de
progr.....
tida pela imprensa, para os admiradores do seu
autor a commentareni e defenderera como mo-
dela _
A exibieio dos ttulos de benemerencia do Dr.
Urbano, que a circular nos d a conhecer, to
pallida e estril, quanto paluda e estril teto sido a
sua vhla nestes ltimos annos, em relaco pol-
riea
Com effeilo, o pensamento cardeal do program-
ma, as grandes ideas qrte o Dr. Urbano alimenta
em bem do paiz, sobresaheme pestringem-se se-
guinte proposicao a Hberdade o flra das so-
fodaries civis.; son pelo principio da liberdade,
fora de dwtde, qne oe programmas sio lides
maltes vezes com iodiflerenen, poto quasi certeza
qne so neta m fclta do cumprimenio do qoo elles
substituir sciencia ignorancia, a abundancia a
pohrpza. lYecisamentc porque o progresso expri-
me sticcessaa a hora depois da hora, a transfor-
maeo medula, pautada, regular, seus adeptos,
crei que a civitisaco camrnha com o passo ao
lempo, como a gravitaco no espaco.
Taes sao os pontos essenciaes em que os phHo-
sopqos de mais rredito, e os publicistas mais no-
tavcfs, estio V tert/rm.
E -visto, que esta primeira parte do programma
POBLICAES i PEDIDO.
\h ecr|>tiula privuduN do aeu
aguilho.
Fazem trinta annos que as escrophulas eram
enfermidade incuravel. porm o aspecto das cou-
sas desde ento para ca. teem mudado de face :
desde o momento em qne. a s.u.s.vrAHHiLUA de
bristol fot triumphantemente inlreduzda no pu-
bHco.
Desde ento esla parte nao tem concorrido um
do f>r. Urbano Sabino, ncerra nma banaldade s caso por mais violento que seja, em que a raes-
seni significaco alguma. Se apreciarmos a outra ma tenha sido infructuosamente administrada. A
parte complementar, veremos ojie seu autor se h- simples enuineraco das curas que ella tem effec-
mHa spgBi ates palatr, vastas de sentido: toado encheria relames inteiros. nicamente, pois,
Applicarei os mais rios cuidados no intuito noessHamos dizer que a sen oso nao date ser un-
a oocorrer- decadencia da agricultura, eommer- versal em todos os desarranjos e affecebes ulcero^
241KH)
1*600
800
1*200
:t*000
7*000
8*S00
7*300
440
:igo
280
oOO
2*300
:ooo
1*600
8*000
230
:I60
1*300
2*300
i:i*00
:i*300
:W0
160
220
090
350
10*000
16000
m
300
'4*000
2*000
13*000
1*600
1*:U)
Cevados (porcosj...... um
Cocos (seceos)....... cont
Colla......... libra
Couros de boi, salgados ...
dem dem seceos espichados. >
dem dem verdes.....
dem dem cabra cortidos. mu
dem idem de onca..... couto
Doces seceos....... libra
dem em gela ou massa.
dem om calda......
Espanadores grandes um
dem pequeos.......
Estciras para forro de estivas
de navio........ cento l
Estopa nacional...... arroba
Farinha de de mandioca. alqueire
dem de araruta..... arroba
Feijae de qualquer qudlidadc.
Frechaes........ um 3*000
Fumo em tolha, bom arroba 14*000
dem ordinario ou restolho 8*500
dem era rolo bom...... 8*000
dem ordinario ou restolho > 3*000
Galladlas........ urna 600
Gorpma......... arroba 1*700
Ipecacuanha (raz), ...... 23J000
Lenha em achas ...... cento 2*000
Toros.......... 11*000
Lnhas e esteos....... um. 8*000
Mel ou nwla?"....... caada 200
Milho.......... arroba IfiQOO
Papagaos. .>..... um 2&00
Pao Brasil........ quintal 5*000
dem de jangada...... um 3*000
Pedias de amolar..... unta, 840
dem de filtrar...... \*000
dem de rebolo...... > $200
Piassava........ raojho 120
Ponas,, ou cliifres de vaocas ou
novilhos........ cemo 3*000
Pranch5es de amarello de dous
costados........ um 20*000
dem de loiiro....... lOftfjOO
Rap.......... libra 1*000
Saba........... 120
Sal.......... alqueire 400
Salsa parrilla. ..... arob 23*800
MOVIMENTO DO PORTO.
Sucios entrados no da 14.
Acarar e portes intermedios8 dias, vapor na-
cional Jaguuribe, de 442 toneladas, commandan-
te Manoel Joaquim Lobato, equpagem 31.
Rio de Janeiro19 dias, brigne hespanhol buha,
de 307 toneladas, capito Joo Pl, eijuipagem
13, em lastro de pedra ; a Tasso& Irmo.
Baha6 dias, patacho nacional Jiquitaia, de 102
toneladas, capito Jos Mara, cquipagrm 10.
carga Jacaranda e outros seeros ; a Palmeira ft
Beltro.
Itio de Janeiro12 dias, patacho nacional Beberi-
be, de 292 toneladas, capito Jos Manoel rastra,
eijuipagem 11, carga caf e outros gneros : a
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Ro de Janeiro18 dias, barca ingleza Bottald, de
590 tonelada*, capito C H. Braskefell, equpa-
gem 14, em lastro; a Saunders Brothers & C.
Nc\\-Yoik 5o das, brigue ingles Bellon. de 18i>
toneladas, capito Davis, equpagem 8, carga
1,600 barricas com tarinha de trigo ; a Saunders
Rrothers 4 C.
"Sucios sahidos no mesmo dio.
Cear escuna dinamarqueza Veritat, capito
Groth, carga parte da que trouxe de Ham-
burgo.
I'ortos do nortevapor nacional Cruzeiro do Su/.
commandaute o capito de mar e guerra G.Man-
ee oo.
Obser vacad.
Suspendeu do lamaro para a Baha o brigoe in-
glez Mari/. capioG. Deba, com a mesraa caiga '
que trouxe de Terra-Nova.
Navios entrados no dia 13.
Rio de Janeiro 13 as, barca americana Mu
Virginia, de 457 toneladas, capito John & Al-
ien, equipagera 15, en lastro ; a Phipps Bro-
thers A C.
Ilha da Assumpco 8 dias, barca ingleza Entku-
siast, de 293 toneladas, capito J. M. Kenney,
equipagera 12, em lastro- a Johnston Pater
& C
Rio de Janeiro16 dias, patacho nacional Capuum.
de 212 toneladas, capito Thoolonio Jos da Sil-
va Rosa, equpagem 12, carga cale e outros g-
neros ; a Antonio Luiz de Olivera Azevedo 4.C.
Navios saktdot na mtstno din.
3*000 AraMly Hiate nacional Invencixel, capile-J. oa-
ijirSyAUes da Silva, carga differentes geoex s.
Rio Gr V) do Sul l'alaeho nacional Relmpago,
capiti Aatonio Rodrigues, carga sal.
~-
iPa^
i


.:
4 <
EDfriES.
0 Dr. Tristo du Alencar Arartoe, oflicial da im-
perial ordem da Rosa e juiz fie direito especial
do commerco desta cidade vo Recfe de Per-
nambuco e seu termo por Sua Magestade Impe-
rial e constitucional o Sr. D. Pedro IL a quera
Dos guarde, etc.
Faco saber |elQ Rrcsonle que no dia 16 do mez
de novembro do corrento anuo, se ha de arrematar
em praca deste mizo depois da audiencia respecti-
va os escravos seguntes :
Abrahd, pardo, de 14 apnos, abitado em 800*-
Jos, cabra, de 10 anuqs, avahado cm 700*000.
Ivo, cabra, de 10 annos, avaliadoem 700*000
Joo, criouio, de 19 annos,avaliadoem700*000.
Ignacio Fabro. de 15 annos. avallado emSOO*
Exdaes, criouio, de 17 anuos, avallado era..
1:100*000.
Geraldno, crioulp, de il.aqops, avalado em...
'Ni\x HMi
Vicente, de 12 annos, avallado em. 800*000.
Sevenno, criouio, do 13 annos, avahad em
800*000.



Diario de l*ernambuco fcegnudu fclra Itt de Kovetubro de I 03.
p^etaic*, eriouja, de | aano>.avaJiada em ditos ripaes 10 mil. ditos de guarnilo 2 mil,
'iKnueta, crioula, do annos, avaliada em *tos Je meia guarnigSo i ^1 ditos fran-!
i:i libras, ditos,
Salustiana, crioula, de 15 annos, avaliada em ditos de i pollegada 46 libras, ditos ditos
0)5000.
Ignacio Justino, crloalo, de 15 annos, avaliado
em 8505000.
linaria Flora, crioula, de 15 airaos, avaliada em
*M*0OO.
Duvma, crioula, de 11 annos, avaliada em.....
8005000.
liosa lina, crioola, de 7 annos. avaliada om___
400,50*1.
Sevoriauo. crioulo. de 12 annos. avaliado em....
800JOOO.
Jucundiua, crioula, de 7 asnos,avahada era...
5005000.
Victaliano, crioulo, de 8 asaos, avaliado em...
S50J000.
Joanna, crioula, de 6 annos, avaliada em___
.'i00500.
Expedita, crioula, de 5 annos, avaliada em___
Dclphma, crioula, de o annos, avaliada em___
3505000.
Lourenea, crioula, de 5 annos. avaliada em___
3505008.
Getrudes, crioola, de 7 annos, avaliada en>-
6505000.
Augusto, crioulo, de 3 annos, avaliado em
.050.1).
Ponciana, crioula, de i annos, valia em.....
2005000.
IfaMio, crioulo, de 15 annos, avaliado em.....
1:0005000.
Os quaes escravos sSo perteneonles a D. Joanna
Maria das Dores, como herdeiros do finado'Jos
DI
t*eljo urato.
HQie
Lotera extraord nana
Aos I0:000>00 e 2:000,^000.
O abaixo assignado vista do bom aro-
dita de i\t pollegada 10 libras, laxas de co-1 """lIOjiT*""' I Uiunento que lem litio o plano das loteras
bre 10 libras, taboas de louro 8duzias, O agente Pestaa veoderpor coma e meo de UriWdinarias e a (dido de quasi lodosos
trincal 8 libras, secante 10 libras, tint ver-,Qu^ perteaceros niaisexcellenteb aueijs piato compradores de bilfeeltt, tiu exposto i
de
2
guarn ,
duzia, vermelho 8 libras, vidros para cai- '------"-5;--------------" tgrejarie S. Bom Jess da Via-Saira, nue
xilnos meia caixa, ditos para lamptsio de| ^ '^'^ L fi\ ,l',a'"^rno consistorio da igreja de N. S.
ra meia caixa, vinlio branco engarrafado _La_St^?fl&\l7 do Rosario da freguezia Ue SaiitoAntoio.
\3J
JO meiiijas, zarco 10 libras, 1 sitela para 1 m ** hilhetes e meios acham-se venda na
o vico das respectivas otlicinas. MoveJ, eaeravos, miiidexa*. fer- respectiva thesouraria ra do Crespo n. 15
Qum qtiizer vender laes objectos, apre- rageas e perfil muri. e .nas casas commissianadas ra da Impera-
sentem as suas propostas em carta Imada Terca-feira 17 to coiTt'Uie. 1 inz.n-4''.> loJa do Sr. Pimentel; ra Direita
na secretaria do conselho administrativo s( O agente Pestaa togalmeBie autorisado vender { .Dot,ca do Sr. Chagas; ra estreita do
em leilao por con ta e risco de quem perlen.er urna Rosaiao n. 12, tvpographia do Sr. Mira e ra
ca raohilia de Jacaranda tauuas de nedra de da (Jadeia n A?; inU a c d,...i~
10 horas da nianbaa do dia 18 do corren-
te mez.
Sala das sesses do conselho administrati-
vo para brnecimento do arsenal de guerra,
i 1 de novembro de 1883.
Antonio Pedio de S Barreo,
Coronel presidente.
Sebaxtio Antonio do Reg Barros,
Vegnl secretario.
- Pela capitana do porto se faz publico que as
embarcaces que navegan) do Forte do Hattos para [
alem da ponte do Recite, deven) passar somente
pelo canal marcado pela boia. em que durante o
dia lem urna bandeirola encarnada, e a noito urna
Fernando da Cruz, e vo a praga por oxecucao lauterna. Os que transgredrem essa prdem, e s-
|ue contra a mesma muve nntomo Luiz dos San- s,m perturbaren) os trabalhos da obra da nova
os, como seu oesMonario ao bacoarel abriel Son- Pen,e- 9erfio nidos o a mu"3 comminada no
rica Olalla de Jacaranda tam^s de pedra de da Cadeia n. 45, loia do Sr Porto
apurado BostoeuuaUdade,espelhg> cama deja-; Os premios de 10000-5000 it <2Mnnn
caranda, lavatorio, guarda roupa, guarda louca,' ^ "" i ,uuJiU*VuuJale WW
candelabro, louca de jantar e de alroaeo, cr> staes serao pagos uma hora depois da extraooao
etc., tudo de gostos modernos, alguns sera vos, 6 OS OUtros no dia seguinte depois da distri-
diversas miudezas, ferrageas e perfumaras alian- bUK'So das listas
cando o agente que tdo ser vendido pelo maior 1 Servindn dp tlP;niim>rn
preeo offerecido sem serva na rpa daCadeia do | servinao ae ttiesOUreiro
Recifo n. 6, segundo andar, as 10 horas n pqn-_________________Jos Rodrigues de Souza.
OlTerere-se um caixero <|ue tem aljumapra-
t$W>m deposito de padaria. mas serve para qual-
qiier ervico e arrumado, tem 18 annos, e muito
lie!: quem o pretender, v ra Direita ns. 91 e
9'a, que achara o proprio.
to sem falta.
res Raposo da Cmara, e na falta de licitantes ser
a arremataran feita pelo proco da adjudicacao com
o abainiu-nto reapectivo da.le.
E para que chegue ao cwhecimenlo de todos
mandoi |iassar o presento edilal que ser alxado
nos lugares do costume e publicado pela im-
prensa.
Dado e passado nesta cdade do Recife, capital
da provincia de Pernambuco, os 31 deoulubro
de 1863. M- da independencia e do imperio do
Brasil.
Ku Hanoel de Carvalbo Paes de Andrade, escri-
bi o subscrevi.
Ti istia de Alencar Araripe.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cuinpritncnto da ordom do Exin. Si. presi-
dente provincia, manda fazer publico, que no dia
art. 114 do regulamcnto das capitanas. E para
que conste, faz-se publico pela imprensa.
A- C. de Abreu far leilao por ituerveiigao do
Capitana do perto de Pernambuco 4 de novecn-! aP,!ll'e PBo, de um lote de chitas avariadas daj^ua da ra da Florentina, com coiamodos para uma aecimento.
o de 1863.-0 secreUrio, salgada, e em seguida vender um eompleto sorti- grande familia, tero duas boas salas, 6 quarin^r
NOVO ESTABELECIMENTO DE MEDICINA H0ME0PATHIG1
ba mo\A 1%. Jtt.
O Dr. Sabino 0. L. Pinho mudou o seu CONSULTORIO para a luja de man&oce
ra Nova n. 43, onde continua a dar consultas todos os das uteis desde o meio dia aw
a horas.
Os enfermos, que o procuraren logo na invasao da molestia, sem que hajaw lo-
mado qualquer remedio, nem allopathico, nem homeopathico, pagaro metade dos jre?03
estipulados. Esta concesso tem por lim facilitar a cura de molestias, que podem tornar-
se complicadas pelos emprego intempestivo da therapeutica e ao mesuro lempo adquirir
para a homeopathia maior numero de adeptos pela bateza da cura.
Em atteutio as pessoas pobres, que n3o podem sahir dr dia, o Dr. Sabino reol-
veu dar duss consultas por semanas as tercas e sexlas-feiras das seis as sete hor*s da
noite.
Os chamados para visitos e conferencias devem ser dirjgidos por escripto ao con-
sultorio desde 8 horas do dia at 8 da noite, na certeza de que sero attendidos na ordeo
de sua precedencia, salva a circumstancia de eminente perigo.
ADVKBTKXflA.
0 novo consultorio est prvido dos melhores medicamentos, desde a primeira
at a trigsima dynaminjsacao.
E como os mdicos hespanhes e alleme.- nao cessam de certificar a major efli-
cacia das ultissimas dynaminisacoes do tratamento das molestias chronicas, o Dr. Sabino se
oceupa agora de elevar os seus medicamentos as potencias mais altas (por ora at 200.a).
afim de verificar por si mesmo a forca dynamica, que se Ihe attribue.
Os mdicos, que quizerem experimentar taes clynaminisacQCs podero dirigir ao
consultorio suas receitas, que sero aviadas gratuitamente para os pobres.
No mesmo consultorio se vende a novissima edico do Thesouro homeapoikiai
SjtQF aoSr.academ.co Moura Magaiha ou Vademcum do homeopata, obra indispensavel a dos que querem usar da horneo-
, pathia.
Tudo o que diz respeito nova medicina se acha abundantemente neste novo estat^-
uinunriar sua morada, que se precisa
antes de se retirar para a Babia.______
Pinda est por alugar-se a casa terrea n. 0
bro
J. P. B. de Mello Reg.
< onsellio adwiaistralivo.
0 conselho adminUtrativo para forneci-
menlo do arsenal de guerra, tem de com-
prar os objectos seguintes:
Para o hospital militar.
Vidros crystaes de bocea larga de 10 li-
bras 24, vidros crystaes de boeca larga de
1
quartps,"
quartos
que serve para lavar
roupa, tem um grande quintal murado, onde ha
um cxcellente parrciral, e tem proporcoes para
eatretera quem gostar de plantacoes': quema
quizer var, pode procurar ao Sr. (lurjao, dono da
fbrica de carros na rna da Florentina n. 16, onde
fttS*! SWSSila.StfTSraS
ment de azendas francezas e inglezas, terca.fera rozinha fra, um bello terraco, e mais 2
17 do corrate s 10 horas da roaahaa am ponto, fra, ptima agua de gasto que serve pa
no sen arptazem ra da Cadeia.
MMVLA0
DE
lisc-ravos. movis eJoiu?.
c^a
8 lihras 24 vidros rrvsliPs Ip hncc^'lpoa 'i010' Santos C.,e mandado do Dr. juiz especial
B nppis Z4. viaros cryMaes ae DOCCa larga do cammercio, do seguinte : Rita, rioula, idade
administradores da massa fallida de Amorim, Fra- ^^3,1^ Ti'i .1.
/,. .^i,c r ma.4a. n ;.,;, ^Lu.M bor*s da manhaa, edas 3 a> 6 da .arde.
EWs;MHIKPKP\1UT0B0>i
W0000.
A ai 1 i-malacao sera feila na forma da Ici provin-
cial n. .41 de 15 de maio de I80I, e sob as clau-
sulas es|teciaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa MTt|tla-
cao ciiiparecam na sala das sessoes da referida
junta no dia cima mencionado, pelo meio dia,
competentemente habili ados.
K para constar se mandn
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco. l de novembro de 1863.
secretario,
.4. F. da Annunriarao.
Clausulas especaos para a arremacao.
I.' A obra ser executada de conformidade com
oorcaincnto approvado pelo conselho na importan-
cia de 41OJ000.
I / i'l rt f -1 1 1 I**" .**hiuwiiw,u fw.-*iuiiit(.- mu. VI lUUIt
de b libras 24, vidros crystaes de bocea lar- de U annos ; Thereza, crioula, idade de 28 an-
ga de 4 libras 24, vidros crystaes de bocea | nos: Maria, crioula, idade de 30 annos; Lucia,
a, idade de 9 annos; Margarida. crioula,
de 6 annos ; I.uduvina, crioula. idade de 2
Honorata, crioula. idade de 2 annos ; Da-
, xioulo, idade de 2 annos; Manoel, naco,
ter rollias de video. idade de 40 annos; uma cria: urna rica mob'ilia
Quem quizer vender taes objectos, apre- *}? Jacaranda com tampos de pedra, urna dita de
sentem as sua< nrono*ta pm cnrii fpivirla dUo de immos valor ; um:l iu de aare110- um
seniem as suas propostas em carta leixaa rico piano de Jacaranda, um dito dito de menos
na secretaria do conselho, as 10 horas da preco, grandes e ricos espelbos de moldura de ja-
manha do dia 18 do corente mez. caranda, guarda roupa, coinmodas, cadeiras ame-
Sala das sessoes do conselho administra!!- ricana douradas, ditas de faia. sofus de amarello
I vo nara fornpcimento do aimnal rlp ffnprra 18randes e Pequeos, cadeiras de abrir e ditas de
publicar o presente V! I"rd ? .?' arsenal ce guerra,! bai,,,,^, mesa para jantar, apparadores. tocadores
de novembro Geographia e historia
Ariiliineiica e geometra
Francci.
A' ra do Qiieimado n. 30, prmeiro
andar, de 1 hora em diante.
SEGUROS DE VIDA EM MUTALIDADE.
Adireccao do BANCO UNIAO tendoobtido dogoverno de S. M. F. a autorisaco para estabule
cer o seguro de vidas em mutualidades, faz publico que desde j toma sobseripedet annuaes por orna
so vez, debaixo das seguintes condicoes :
Com peda de capital e lucros;
Dito capital smettte;
Dito lucros gmente;
devendo a primeira lijuidacao ter lugar no 1" dejaneir ule 1859.
As vantagens do emprego de capitaes em mutual de, sao obvias, porque nao itatMe se eo-
Iheo juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao pvderia tirar nenhum resultado; mas alm
AIUj|Hfl.
Aluga-se o primero andar do sobrado da ra
Velha n. 20: a traUr na ra do S-bo 11. 2i.
A casa assobradada n. 36 na ra da Alegra.
eeorrerem pela falta de cumprimento do coinproinisso social.
As liquidacoes sao pelo s\ stema das conipanhas hespanholas. Tutelar e outras ; e para se poder
fazer uma idea do que pode prodtizir uma entrada animal de 105, publica-se a seguinte tabella basca
da sobre a experiencia de niuitos annos decompanhias desta nalun-za :
Em : annos Ein 10 annos Em 15 annos Em 20 anuos Em 2o anos
Arreuaiac'u.
Htj< imU da audie ca do ll'm.
Sr. Hr juiz especial do coniiii-nio,
1 ( arremtame dar principio a obra no praso fH.-, |,lff.. n.i.nniil wia ii iniuiii,-i. i
le 8 di.is coulados da data da arremalacao c a W1 ,US" a H'emaiHCaOJd HIIMM-
da por esle Di 'ri-, dos esrravos per-
lenccntes a licruici do lina lu Jos'
Fernando 'a n, os quaes va a pi-
ca |iui- i'\('c!irio de Uilon'hi lni/, dos:
Sanios cessionari' do \)-.-. Gabriel So i-
res Hapozo da f a ni na.
avisos martimo!""
COMPAXHIA BP.ASILEIRA
DE
sa
Antonio Pedro de S Brrelo, j de copiar cartas, cofre, livrosde diversas obra
Coronel presidente. j lustre, serpentinas, candelabros, easticaes etc., re-
Sebasliao Anlonio do Reg Borros, logio e corrente, adereco e meios aderecos e tran-
Vogal secretario. celins tudo de onro, salva, easticaes e rblheres de
prata e muilos oulros objectos que seria enfado-
nlio enumerar.
Quirla-feira 18 do rorreute am s 10 horas da
manlia.
Na ra do Sebo sobrado n. 37.
concluir 20 das depois.
3.a O pagamento ser effectuado em uma s
prestacao, quaudo estirar concluido todo o ser-
V''o.
L' Para o que nao estiver especificado as pr-
senles clausulas, nem no orcarnento, seguir-se-ha
1 que dispe a le provinciarn. 286.
Conforme.
.1. /'. d Annuiii tardo.
Pela thesouraria provincial se faz publico, i
que a arreamacao dos reparos urgentes da pon-'
tesinha denominada do Guerra, no 3 lauco da i
ramilicacao da estrada do sul. para a villa do Cabo, i
foi transferida para o da 19 do corrente.
S icrctaria da lliesouraria provincial de P-ernam-
b ico \i de novembro de 18l.'(.
O secretario.
LEILAO
d:
FazeudaH f raneezas e aiiudeza.
Oiiarta-IVra 18 do corrente.
Cals lrmos farao leilao por intervencao do agen-
te Pestaa, de um variado sorlimento de fazendas
francezas pronrias do mercado como sejam : cas-
sas organdys, casemiras para calca e em corte-,
chapeos de fellro e de seda para "homem e senho-
ra, pelas luvas, marroquins, pentes de diversas
qualidades para senhora e para pentear. caitas
para rap de inmensas qualidades e muitos ou-
tros artigos que sao indispen.-aveis ao sorlimento
1 do logista e que se acharao patentes ao raime :
occHpada por Ilustres acadmicos, breve ser des
ocenpada ; o seu aluguel tem sido o de 40& men-
saes, projina para os mesmos senhores ou familia: '
a tratar na ra do Mondego, olaria n. 36._______;
Aluga-e
um primeiro andar em ba ra, com tamo que na I
sala de jantar baja um terraco que fique inteira- ;
mente collucado ao norte : 110 armazem da ra da
Cadeia do lieeife n. 60.
Xo il311**rada publico.
Grates ataques de erysipcla na perita ca-
(juerda.
Eu declaro, publicamente que me achando gra-
vemente enfermo por diversos ataques que tinlia
solTrido de crysiiiela na peina esquerda, e isto
com dores agudissimas pelo longo espado de quatro
annos, e temi usado de varios remedios, nao foi
bastante, at que informado de varias pessoas, re-
solvi-me a pplicar as chapas medicinaes do Sr.
Ricardo Kirk. escriptorio na ra do Parto n. 119,
e milgranas fajan dadas ao mesmo senhor, que
no pequeo esiiaco de ilous mezes liquci inteira-
mente bom. 0 que foco publico para insiruccao
de quem ronvier.
Antonio Aleixo Pires.
Keconbecida vcidadeiraaassignatura supra pelo
Por um
menino de 1 dia a 1 anno 110 4005 9005
de 1 anno a 2 - 905 3005 750&
de 2 a 3 865 KOI 7205
de 3 1 a 4 > 865 2805 7105
> de 4 * a 15 > 865 2705 7005
pessoa de l. 1 20 . 865 2705 7005
> de 20 1 a 30 865 2705 7105
> de 30 a 40 > 865 2705 7205
> de 40 > a 50 905 3005 7505
2:005
1:7005
1:6005
1:5605
1:8505
.1:5401
1.5601
1:6000
1:8005
4:7005
.1:7085
3:5005
3:4005
3:3fi05
3:3305
3:4005
3:7005
5:0005
As entradas por uma s vez do resultados muito superiores s annuaes.
Porto, 10 de agosto de 1863.Os directores do Banco L'nio. Jos da Siliu Machado.F. SI. tan
der Niepoert.
Agentes em Pernambuco : Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C, ra da Cruz n. 1.
^Pclathesouraria provincial se faz publico, que
a arremalacao dos reliaros da ponte do Dico-Pba
irada do Pao d'Alho, foi transferida para o dia
26 ilo crrenle.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 14 de novembro de 1863.
O secretario,
A. F. d~'Annunri'iiylii.
O Dr. Anlonio Epaminondas de
Imperial ordenada Bus
Iricto da freguezia Santissi
bairro Santo Antonio
presidenteimarina do collegio desta cdade; em
virtude da lei, etc.
Kaco saber que recebi do Exm. Sr. presidente
da provincia, o seauia oflicio :4" aeccao.Pa-
nin l?rri7'C' \ irinAD 11"arla-feira 18 do corante pelas 10 horas da ma ,. KP.r
:4^e Antonio Dorado Pereira da Cuuha, subdito
mm mmmm wm mmmm
C'ompanhia flilclidailc de
seguros martimos c ter-
restres estabeleclda 110
Itiode laneiro.
AGENTES EM PEI'NAMUUC.)
Anlonio Luiz de Oliveira Azevrdo i C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da eompanhia de seguros Fidelida-
de. tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
E' es|ieraito dos portes do nor-
te at o da 18 do corrente o va-'
por Tocantins, commandante o
primeiro lente Pedro Hypo-
ito Duarle. o qual depois da de-'
morado costume seguir para os portos do sul.
Desde j rerebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder coniluzr, a qual dever
LEILAO
Pedro los de Castro.
DE
trasileiro, va i a Europa,
Predios e aeee.s.
O agente Almeida far leilao a roquerimenlo
dos admiuinistradores da massa fallida de A1110-
rm, Fragozo, Santos & ti, e mandado do Illm. Sr.
Dr. juiz especial do commercio, dos seguintes pre-
AM.I.
Precisa-se de uma ama para cosnhar em uma
Anida esl |H>r alugar o sobrado de um andar
da ra de Aguas-Verdes'n. 55, assim como a cas;i casa de familia : na na I.....erial n. 21o.
terrea da ra do Desuno n. 4, que se alugam por
mdicos presos : na ra do Quemado n. 46. ou
na ra do Hospicio 11. 26.
indas de Mello, official da ser embarcada no dia de sua cl.egada. encommen- d/n/ V.m 'T ,.r,- l' rSE^ ^-' ..... .....' ....."------------------------------r
sa. 1 juiz de paz do 1" dis- das e dinbeiro a frete at o dia da sahida as 2 lio-; Jj fg ^^JE% !&.* ~ f- f"'^urd^ f ^f'!^ *' l ^ S
iantissimo Sacramento do ras, agencia ra da Cruz R. I. escriptorio deAa- ^,r^S*iq^^^*^,J~D mU" tosar.o da freguezia de Santo Anlonio. venha rec-
ri da cidade do Recifce ton Luiz de Oliveira Azevedo & C. ? Jl? "H K?"i~r ^^0 abaixo asonada na qnabib.le de testainen-
Patacho Resillo.
mos com modos ;uina dilana ruadas Cruzes n. teiro dos bens do fallecido Manoel do Livramento
14, com 2 salas. 2 quartos, cosnha tora.
Segu para o Itio de Janeiro no dia 15 do cor- 111. 80, com 2 satas,
luintal e sotao ; uma casa terrea na ra do Pilar
com Silva Mello, as alfaias perlenccntes a S. Domingos
quartos. cosnha tora, quin-
icio dogoverno. 13 de novembro tolfa-T&l!??%%*r* ***** ****"" a .-ete : .al e c.cmba; urna dita na mes.ua ra n 21
ilo de reonir-se no dia 15 do corrente na igreja ma-!
Irix da freguezia de Sanio Anlonio, os cleloresdas
-----------, ..,.... ... r ,.,.u..,. ^- ......u.u.> ". 1 .. .'.ir >,. L.111.1 una lia uir.^uja mil II I,
trala-se com os seus consignatarios Antonio Luiz ;com 2 salas, 3 quartos, quintal e cacimba; urna
de Oliveira Azevedo A C, no seu escriptorio ra dita namesina ra 11. 3, com 2 salas. 2 quartos,
de Gusiuiio, que e.-lavam extraviadas, do contrario
sero as mesillas alfaias recolhidas ao ieposto pu-
blico. Hecife 12 de noveuilirude 1863.
Jos Theodoro Gomo.
fregueziasdo niunicipio do Recife. para a eleico
dedepulados assembla legislativa provincial:
assim o declaro Vmc. para seu conbecmento e
(iireceo.
Deas guarde Vmc Jotto Silreira de Souza.
Sr. luiz de paz do Io dislriclo da freguezia de San-
io Anlonio.
Em conseqoencia do que convoco aos precitados
eleitores, auosSo os da (reaaezjas de 8. Pi*l Pedro
Oonsalves, Santo Antonio, S. Jos, Alagados, Mur-
beca, Santo Amaro de Jahoato, S. Lourenco da
Malta, Vanea, Poco da Panella e Boa-Vista, a
comparecernra no dito lugar s 9 horas do dia.
E liara constar mande publicar este pela im-
.iieiisa. no qual me assieno.
Reeile. I.'t de novembro de 1863 Eu, Joaquim
da Silva Reg, escrivo ajano cscrev.
Antonio Fixitmnondus de Mello.
da Cruz n. I.
DECLARACOES.
C-ompaohia do Beberibe.
Devendi n'uui'-st a isseaibla ge-
ral (Itisacconislas para deliberar so-
bre as dulas do semestre iudo e a A-
l'-raiao i|ii-t oii'i'iii fa/ei'-si' nos no\o>
estatutos re tivuuiente a* funde de
reserva, con ida-se. ans ui'sm s Sis.
^rcionist.sa Dimp rece rem no dia 1G
ilo i oriente ao ih. io dia. tlerilV 9 de
uiMOinb.o di' lMli;!.
secreta rio,
Paire Anin oda CuiiheFijAue! *edo.
Conselho administrativo.
O cotiselho admiiiistialivu [tara forneci-
mento do arsenal de guerra leui de comprar
US objectos seguiolos: ... -
l'ata u [tiesidiode Fernando. M
i garrafSo com canadas de Ac/% 1 ar-
4.iba de agua ra/., meia barrica alvaiade,
^Uaiade lino arroba- < j fmatm 8
'Mtras, arante de ifei, ^ j2 jirrobas,
i/.*?ile doce para p servido da igrfa 1 bar-
ril de 5.", broxas de catar 3 duzia, pennas
de :\w ,\ duzas de caixas. oarvito de pedra
1 Umellada, 1 caivetes de aparar peiiuas,
*''ra einveilas de 1| libra 4 arrobas, colla
*i:i Balita 2 arrollas, colla franceza \\i ano-
ln. curdas de embira brama para andaime
1 dita de dita una, lio de wda 1 arroba,
obre em folba para mbr\r rodas da casa de
.ioiilia 4 arrobas, emulas porlyguezas 200,
l.-iicoesde ferro surtido a, oculo de alcance
1. pa|K?l ali.iacn greve 4 resma, dito dito
inmutado jesws, pwet miidot HA,
4ieooas tafos i amias, iapis &, cor para
marcar i, imitas de embira "branca 'O pe-
cas, pedras de ainoiaf ^ .^iias de aliar fer-
rawun^ t,, dilaj fin w itra grm.axJeira
W)[), iNMinaa de c?acjO tiasfiesecrutaria MX),
pregos caibraes lOml/ditoscaixaes'lO mil,
Para o Ar hmv
sabe at o dia 2 o Inate Nkaho I: para carga e
passacirs, trata se com Prente Vianna & C.
O novo banco de Pernambuco convida os
i-redores das massas fallidas de Mesquita & Dutra,
c Francisco Antonio Crrela Cardo*) a a|>resenta-
rcn seus ttulos no banco para se proceder a res-
pectiva verilicaco.
Porto.
Vai sabir com hrevi lade a muito velera barca
portoguea Urna I, capitn Jos Francisco da Cu-
nta, por ter parte de seu carrejiamento prompto,
para 0 resto epassatreiros trata-se com os consig-
natarios Carvalbo 4 Nogueira na ra do Apollo n.
20, ou com o capito na praca.
i quintal ..-cacimba : a quarta parte de uma ca I terrea na niesma ra com 2 salas, 2 quartos, quin-
I tal e cosiHba fra ; uma meia agua na ra do.N
i GuararajK's n. 39, com uma sala e 1 quarlo: um
sobrado de 1 andar e sotao na ra do Sebo n. 37.
i com 40 palmos de frente, 100 de fundo, tendo o ll'M"III ('
1 viUe a'S !tt JTT"? a?dar lSa" 'recisa-se de um caixeiro qu tenha prntica de
I lase 3 quartos e o andar terreo 2 salas, 4 quartos, imlira. ,i,rii-seirna X.ivi n 18 citi de \> Man
I cacimba com Inmba, e junto a cosinba urna sen- '
i tala comporta de 6 quartos, estritern e oniros
muitos commodos; mu sitio de trras denomina-
- Precisa-se de urna criada que compre, cosi-
nbe e engomine para casa de prnica familia :
quem pretender dirija-se a ra de Borlas sobrado
B.30._____________________________________
Precisa-se de 3O-5 a premio dando-se por
seguranca metade de um predio : quem livor an-
nuncie.
Heia-agiia de <# rs.
Na ra dj Gazomeiio lia para alugar urna meia-
agua propria para liumem sol te ir o. tendo porta e
anella com vidraea, 8 quintal na fenle com poi-
jao : a tratar no sobrado ao norte da fabrica
margem do rio ; onde existe outra de preeo de
12000 com mais commodos.
4TTE_%\.
O abaixo assignado, na qualidade de balancea-
dor e escriturario, faz tlente ao respeitavej cor-
po do commercio e principalmente aos senhore>
vendelhdes, que em virtude de sertas abusos do
preco dr um bataneo por tabella, de costume
levar-se 105. salvo qnando baja resquic.os de es-
cripluracao para poder lixar dito b.lanco. Recife
14 de novembro de 1863.
fcronymo Jos da Costa.
IHsMiiur de Mtcie.iatle.
Os abaixo assignados pnrticipam ao respritavel
cor|io do commercio, que dissolveram a liquidaran)
a sociedade que tinham na toja de ferragens da
ra .Nova n. 37, quegyrou na razao de Silva Bas-
tos C, no dia o de outubro prximo passado :
licando o socio Sebsstiad ** da Silva com o esla-
belerimentoe todo o activo, e responsavel pelo |.as-
sivo. salnndo o sojRJo Aul.niio Leite de Mairalliaes
Bastos quite. Recife 1.1 de novemltro de IS63.
Sebasliao Jos da Silva.
Antonio Lelte de Hinlhaes Bastos
rer & C.
Rara o Porto
segu brevemente a vcleira barca S.
Aluga-se uim boa eserava, coiinbeira do or-
do Landim do Boqueiro na bar freguezia .ios diuario de una casa, e compra na rna : no becco
Afosados, com casa de vivenda, contendo 2 salas, das Barreiras. na Boa-Vista n. 2._______________
I 4 quartos, cosinba tora com uma saleta em se- Precisa-se de um caixeiro de 12 a 14 annos
------------- guala e um quarlo, roxeira, estribara a mais um de idade : na Passagem da Magdalena, ra do
quarlo, diversos arvoredos de fruclo. haixa para Jtonilim n. 1.
Manoel II. capim, viveiroeuma pequea casa de palba, 20 m
'\ <
... -. M O------1-------
I
pie tem engajado metade do seu carregamento : j acedes da estrada de ferro, 20 ditas do novo banco V, V. & +. "h ',,Vt,v, j^^, ^ &&%
para o restante e passageiros. a quem ..ITerece bel- Ule Pernambuco, 67 ditas da i:on)pania vigilante, $L- | riliaUtliltlC le vOhSU SenhOl'U d.
los commodos, dinjam-se aos consignatarios M. J. 54 ditas da caixa filial do banco do Brasil e 50 *5 c i i
Ramos e Silva & Genros. ra do Vigario n. 10. ditas da Cotnpanliia Pernarabucaua, tudo perten- 'h
primeiro andar. ,t.lUea dita massa.
QiiinU-fcira 19 do corrente.
A" porta da associacao commercial s H heras.
Transferencia
l'K
Agencia de, leiles.
Francisco I. Pinto amla de leilfies desta praca
mudou o seu escriplorio da ra da Cadeia n. i\
para a ra da Cruz n. 38.
Para o Porto.
O brigue porluguez Mercurio, segu prestes pa-
ra all, anda recebe alguma carga e passageiros a
frete, para o que tem excellentes commctos : a
tratar com Marques Barros A. C, largo do Cor|w
Santo n. 6, segundo andar, ou com o capito Joa-
quim Gomes da Cruz.
Para o Rio de Janeiro pretende seguir com
muita brevdade o brigue nacional Almirante :
tem parte de seu carregamento prompto, e para o I
resto que Ibe fulla, trata-se com o< seus consigna-
tarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, no seu I
escriplorio ra da Cruz n. 1.
Para a Baha vai sabir com umita brevidade '
a sumaca Horlencia, capito Antonio Francisco i ,
Monteiro. pr ter a maior parle da carga engajada: i 6 lima pes/OO O tt tra para o resto que Ibe falta, trata-se com os consig-1____.____.
natarios Palnnira A; Beliro, largo do Corpo Sanio \recbimeilte U Ufiqua franCeZO,
n. 4,^primeiro andar.
.^ A mesa r.gedora da i;
C5 Xossa Sen I iora da Soledade erecta na <
irmandade de jK
..._ade erecta na (3
J^lj iPTeja de N.issa Senlwra do Livrameiilo jfe
y desta cdade, convida a todos os uossns J&
?!t"5 cliarissimos inuaos para coiuparocerem ^
:S% no consistorio da niesma, domingo lo do J2g
S^ corrente s 10 horas, para reunidos em *i
l$ mesa geral eleger os novos funccionarios H
' que tem de reger a mesma no auno de J|
de 1863 a 1861. 5
A mesma avisa ao respeitavel publico ^g
que transferioa >ua fi.'sta para odia i9^
aie:.
Lma familia eslrang ira com habilitacoes para
fazer a ediieacao de meninas de di.-tiuccao, dse- ^
ja receber em sua casa p;ira lecciouar pai ticu- ;
larmente smente o limitado numero de 6 meni-
nas ; a mesma senhora pede aos pais de familia
que Ibes contiarcmsuas filhas dse dirigirem para
iuforuiacoes na ra do Quemado n. 18, loja do
Sr. Manoel Rihciro de Carvalho.
Madama Mazaron, franceza, segu para o Rio
de Janeiro com sen lilho menor Emilio Mazeron.
Precisa-se de uma ama que seja boa cosi-
nheira para casa de um estrangeiro solteiro : a
tratar na ra da Cadeia do Recife n. 40, loja de
relojoeiro. ________________________________
Precisa-se de uma ama que saiba cosiuliar :
na ra do Apollo n. 14._______________________
Precisa-se de uma ama forra ou captiva que
saiba cozinhar, lavar e engommar para uma casa
de pouca familia : na ra da Trcmpe n. 2.
l)-se 5003 a juros coin hypotheca cm urna
casa : quem preteuder anouncie a sua morada pa-
ra ser procurado.
Joo Correia Lima prop3e-se a ensinar em sua
casa e em rasas pai licular-'S msica vocal e ins-
trumental pessoas de ambos os sexos, e islo |xir
preco muito comino.lo ; para o que podero pro-
curar na ra de Santa Isalml n. 3, a qualquer hora.
Aluga-se a casa da ru. de S. Miguel dos
Alegados u. 28 : a tratar na ra Imperial n. s.

Ht A\C O l \I iO
ESTABELUC1DU NA CDADE O PORTO
Ayriitrs eu Pe aaubuco
Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo tC.
Sacam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa tilial em Lisbua, e agencias em Fi-
gueira. Coimbra, Aveiro, Vizeu. Villa- %
Real. Regoa. Vianna de Castello. Guiua- _
raes. Itarccllos, Lamego. Covilba, Braga. "|w
Penaliul, Braganca, Aiiiaraute. Angra. J
IlUa da Terceire, liba de Faias, liba da
Madeira, Villa do Conde. Valeuca. Bastos.
Oliveira de Azemeis. (Chaves e Fafe. a
oitodias vista ou ao prazo que se conven-
conar. no seu escriptorio ra da Cruz
n. 1.
V,
i
cos-
AVISOS DIVERSOS.
PfiECISASE
i*5,
4
do corrente por motivos imprevistos.
Consistorio da inundado de Nossa
Senhora da Soledade 14 *>>' novembro de
48153.
Sebastio Pereira da Silva,
Secretario.
Alugam-se o segundo e terceiro andares e
sotao do sobrado da ra da Cadeia Vnllia n. 47,
Frecisa>sedeuma ama para comprar e
nhar : na na do Quemado n. 42, laja._______
Precisa-se de uma ama que saiba cosnhar,
lavar e engommar para o servico de urna ca familia : na ra larga do Rosario n. 32, loja de
louca junto a botica do Sr. Bartholomeu.
Milita atteneo.
Precisa-se de 750J sobre hypotheca em uma
eserava e 4 crias a saber : 1 moleque de 9 annos.
putro de 7, oulro de 4 annos e urna mnleca de 8
Irmandade da alma da matriz
da Roa-l'lsta.
Por ordem da mesa regedora convido a lodos aa
nosso.- irmos para romparecerem na mesma ma-
triz terca-feira 17 do corrente, pelas 8 bocas da
manhaa,'para assistirem o offlrio geral pelas almas,
conforme determina o art 51 do nosso compro-
misso. Consistorio da irmandade das almas da
matriz da Boa-Vista 1 i de novembro de 1863.
Manoel Doininguesda Silva Jnior.
____________________Escrivo._________^^
O Sr. Antonio P.iiladelphi Pereir.k Huta lem
uma cncommemla no earriptorio de Claudio Du-
beux, na ra do Imperador n. VI, viuda do Acara-
LEILES.
LEI JU)
de
DE
io barr com toncinno
l-lslioa.
HOJE
0 agente Pestaa vender em leilao por corta
de quem pertenror 10 barris com exeellente tau-
cinho de Lisboa recentemente chegado em um ou
mais lotes a vontade : seguiula-feira 16 do cor-
rente (las 10 horas da inanba no armazem do
Annes defronte da alfaodega.
recmente a imgua franceza, ^Z*taiM?*tov*'iwio <"> *"^ os W** da eerava f"**- >*i*^
ti tlt" rttv rnvlti imii n 1,-ttra 7 ne-ino cao aus juros. O mesmo precisa de 20O petos ffljHWWMiiOH l'l
aiUXUl lUtUl LOM a Lmra i.,. ipesnm---------------------------------------------^^ tvco* de urna orrava Ma lavadeira e quitan- aPKSX^Sffl^ l5
naliVraHan. & tS da Vraca1 ~ O^reee^e urna muluer para ama deleite dera:qUem ptecisar annuncie para ser procu- 91 ^*ia-U** *nrc ri
^ M" ". w **'* r^V1* para casa de familia, ecutra para cozinhar, lavar tado H Oaliaixo assignado, age
da ladenentlrnei
\ e engommar: na ra do Vigario n. 24.
Ahiga-se a casa terrea'n. 90 na ra Velha :
al de oirurgia de L.slta, trans- qnemapfetonder.dinja-se ama Dire.u n. 1, an-
ida para a ra Nova, n. 60, pri-1 aimo anditr' "" na to. ">p"a ao ^
O Sr. Jos Francisco Piulo Guiuares, cirur-
fio^iela escola real
crio a sua residenci
meiro andar, onde pode ser consultado todos' os i Est chegaado safra do caj, ensina-s.- a
dias uleis, das 7 s iO boras da maulla, cerca de fazer o vinho de taj. um processo muito fcil,
doencas denonuiu.las eirurgicas eu exlernas, es- pelo mdico prego de "
pecialmenle daquellas, em cujo ttalamento mais mero 5.
mum
Precisa-se de um caixeiro para taberna que te-
-qha pratiea : a tratar na ra Imperial n. 37.
SO jaraze* ale toueluliu de Minas
IIOJK.
O agente Pestaa vender em leilao per eonta o
risco de imn (M'toufer O iacazes com Iomciido
requeiilemeiiti: iutervem a medicina operatoria.
CnlvOM.
Prec*a-*eo>:n. jue-nieiilado servioo-de si-
tie tambem, damto-se 405 per anno e comida. Na
nua Nova, Mitrado p. 23, primeiro andar, das 9
liaras da amaulia at o meio dia.
- Sr Dr. Ja.Jo^deItmra a*
galbesquei
que muito ^e1he deseja Tallar.
D-se etfecti va mente diuliairo a peemio.sob
penhores d ouro e prata : na ra Augusta i; i."
.se dirqueai d.
- Fqgiram ao amanliorer do dia 9 do crrenle
""uo'becco"da Bomba uu- dousescravos crioulos, um de mime Manuel, co-
Qhecido por Manoel ferreiro, por ser de.-te oflicio,
; com os signaos seguintes : estatura regular, cor
A!WI % preta. alguns cabellos hrancos, tanto na cabeca
Portug;
,enle do banc
mercantil Portuense nest'cidadv, sacaef-
(ectivaiuente por todos os paquetes sobre
o mesmo banca para oPortoe Lisboa, jr
ralquer sowiua, a vista e a prazo, po-
ndo logo os saques a prazo sermu des-
coniadus no mesmo bancev na razo de 4
por ceutoao auno aas portadores (|e as-
sim Ihe coovier : as ras do Crespo u.
8 ou do Imperador n. M-
Joaquim da Silva Castro.
ma ama : na ra .da Roda n. 54. CBl> na ,,a**> bei" barli;ido. imnpu rqgular, bera
------------rj-p-------------1 parecido, rosto descaruado. la.le iiueyepresent
el vai para a Batua.__________ e ^a5J minos, toma muito tabaco, falla um pou>
Precisase de uma
Const. Noppel
Precisa-se de uma ama para engommar
ra estreita do Rosario o. 31, terceiro andar.
A mu
Dlolneo de sociedade.
Os abaixo assignados partici|m ao respeitavel
na ce palo nam por causa do tabaco, natoraJ ,d* n^bi^B coin e peciaiidmle ao resoeilavel copa
vla Constitucional de Sant Auna do Matto, termo J rounnercio. que disolvern) amigavelmento a
da OHladedo Ass, no Rio Grande do forte; ouire 80,.i Offerece-so uma mullier para servigo dr. uma
Prerisa-tte le wti ana: bm tbs.
deJlinas"de suprior qualidaile chafado ullima- fgtreita l\n '0trio ... 3'.
mewe.-ofua4,sra weWido.em -umu mais&tosa ,T- ,'n ,..,, "
vontade : seguada-fi-ira 4$ ido cusraale pelas 10 Ttoarmatem aa aurora 1)rWlann":ie
boras da manhaa no armazem do AApes a^etoojito qaem compra duas casas terreas ea b*a
da alfandega. Boa-Vista.
mime Herculano, idade de 4$ a a8 annos, al- h, ^ ferragons sito na ra Nova de,ta ci.Luto n.
s cabellos brancos, alto, corpo retornado, cor m ,e CVrou na razao social de Fortun.it.) RHn-irc.
a, pe basuutes ressos. leudo cshuu dw al- ^g t., tican.tooswieftirwnalo Ribeire Bas-
......JiaauS'Uaii grande cicatriz provimieole di' um ^ com 0 astalieleci>enito-e todo osen activo, boa
a, coramftirmaeaodrtsuaeaiiducta: sa ra da* talhoque levouemamn ua^e ttofeauts fcruzeso. 18. _______ W "".' P010 ^ P;'r. Wo. e uiatoi- (e novembro de Wfi l. Sebastia 4os-da Silva.
_....... i.....,, i m........ jin) muito vjsixel: auuws fugiram junto, levado .,_,u, uitMro Bastas
- Qpem anuunc.ou querer 2005 dando por ^.oi^iValgivlo lisir*tol ealca W, e tain- 'gfjgggiLgy "***--------------------,
sranto urna pseta a qual .vepdetoira e lava- j^ a|uin;77.m|)a pranca ; o H^utaao na ~ *** *law a juros : no pateo do Tere
pira procure rna da Impcratnz n. ^. ^ d()s Strt0>sai) p^uhy ri)ga.S(, s ;unorL,|;4l4es -n.il. ttbaraa.______________________________
Ala*** wna.casa e sio ajrovesso da Ca- puliciaes e aos i!a|i*.v do ainuo qir a> facan ftfi- TW1LHAH1A.
qnga para a Baixa Verde, delronte do porto do .prel)onjkr.*4wiU|Uzi-ies c*>a de seusoaaor-o rinpp-se cota uerfotcSu liara nnalnuer
So do Araatas : traivae Mipou por festa, mjor Antonio tajava tttwaao, ,m-rad*,na1rua ^J"1/ ,. w_^_viy i? ri2 da
-mesmo sitio, ou,oa*H*.da Cad.-ia do Recife n. Iiqpenal, na cdade do Recife, provwto ft*- &r> (
sobrado. -, nambuco,que gratificara generosamente.
, /fnadp,na1rua>
proweia,.r V- cor'
i Kangel n. M, segunUo anOar.
JILEGIVE


de Pcrnambnco ... leonada letra t de Xovembro de 1HOS.
"5H
FAZENDAS DE BOM GOSTO.
PASA 73STIDCS-
Superiores cortes de gorgurao de seda com flores matsadas os mais modernos que tem vindo a Pernambueo.
Ditos de moreaiitquc de cores, de listas, de flores, e achamalotados, cores mu lindas.
Ditos de moreantique pretos de palmas eom barra.
Lindos cortes de grenadine de seda com barra e chale igual. iMHi(U*ttrfiiM
Ditos de la com barra malisada e da mesma cor, a imperatnz pelo barato preco de 105,fc 18* e l caoa cone.
Ricos vestidos de Monde para noiva cun Jindas mantas de l de seda, de Wond e com capen.
Ditos de cambraia brancos bordados a 12*, 15*, 255 e 36* cada corte.
Lindas-Jaas lisas-uasa 500rs. o covado.
Ditas de quadrinhos e de flores a 400, 300 e 00 rs. o covado. _--mK-,ft
Superiores organdvs com listas de seda, os mais modernos que tem vindoa Fernam-uco.
Lindas cassas de odres de superior qualidade a 400,500 e 64CTrs.a vara; ^ azendas ,qe
Com um vanado sortimenlo de percales, chitas francezas a 280, .120,40U, ouu e ow rs. o iimi. o mu m
seria enfadolio mencionar.
PARA IHMlUltOS DE EWHOBAS.
Manteletes de seda pretos a 18.
Capas pretas _e pros a 255, 305 e 355.
Ditas iiiuito superiores a 405, 454 e 55-
Superiores santiembarques de casemira.
Ditos ditos do lindas lazinhas lisas e-de quadros.
Ditos de seda pretos e de cores.
Ditos de musselma de seda chineza.
Superiores manteletes de torcal pretos.
Lindos chalesde muselinas e de chally matisados com listas de seda.
Notos chales de torcal e outros muitos artigos modernos.
PARA ABE(piDE SEUMORA^ E MEMIMMh
Superiores enfeites de flores, gostos os mais modernos era Pars, cheg^s pete ultimo, vapor francez.
Lmdos chapos de palhada Italia entortados com muito gosto, a Imperati.zea \aleroy.
Ditos de pal lia para meninos e meninas^
Ditos de seda bordados. ___.__ _____ _.._;.-.. tir'; de fustao bordadas para calcas de meninas, saias
Entremetes bordados largos e estreitos/tiras bordadas largasn* ^^- \^ea3uer Trie : na ra do Crespo n. 13, teja
bordadas e outros muitos artigos de gosto per precos- mais commodos do que em outra quaiquer pane ua j~ i
das columnas de Antonio Correia de Vaseeocellos & C.
I.OTI.Itl t.
CAS* IU FORTUNA.
lo io.ooojooo.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
publico que vendeu nos seus afortunados bilhetes
garantidos a irte de 2:0005 e outras muitas de
1005,405 e 205 da lotera que se acahou de ex-
trahir em beneficio da Santa Casa da Misericordia,
e convida aos possuidores de ditos bilhetes a v-
rem receber seus respectivos premios sem dscon-
to algn em seu estabelecimento Casa da Fortuna
ra do Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto venda em sua dita casa
e as outras do costume, os novos e felizes bilhe-
tes garantidos da sexta parte da primeira lotera
a beneflcio da irmandade do Senhor Bom Jess
da Via Sacra, que se extrahir a 21 do corrente
mez, e as sortes que elles obtiverem serlo pela
mesma forma pagas.
Preeog.
Bilhetes inteiros..... 125000
Meios bilhetes...... 65000
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes'........ 115200
Meios./........ 55600
Manofl Martins Fiuza.
Ahjga-sc uma casa em Bebiribe ; a
Aviuva Bosa Jane, acbando-se de volta a sua
residencia, na ra de Santa Bita n. 61, e ja no to-
do restabelecida dos seus inenmmodos de saude,
avisa ao respeitavel publico que continua nij
cicio de sua arte de dentista.
tratar^ com
>lta'4_he
n
J. I.
34.
de M. Reg, na ra do
COMPRAS.
Compra-se uma preta de 20 a 25 annos, que
nao tenha vicios, e que saiba engommar e cozi-
nhar : a fallar na ra larga do Bosario n. 34, bo-
tica.
O GALLO CANTA.
Nao possivel que o gallo, vendo entrar em sea
ninho objectos de elegante gosto, deixe de dar o
seu canto, annunciando aos seus freguezes, para
que maudem ou venham ver para querer, a saber'
Enhiles
Chegaram os riquissiinos enfeites e grinaldas de
flores, cousa milito delicada e de multo gosto, pois
so as senhoras podero apreciar : s no vigilante,
ra do Crespo u. 7.
Flore
Tambem chegaram os delicados ramos de flores
matizados de lindas edres, que serven pira qual-
quer enfeite : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ciatos
Tambem chegaram os novos e delicados cintos
com flvella, guarnecida de pedrinhas e duas borlo-
tinhas no centro, cousa de muito gosto : s no vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Bandeijas
Biquissimas bandeijas de charlo e outras quali-
dades de lindos desenhos, que se vendein por pre-
sos baratissimos para acabar : s no vigilante,
ra do Crespo, n. 7.
Pomada real
Tambem chegaram os bonitos copos de porcel-
lana lina com banha e com lindos retratos, sendo
------------ Idlid lilla iuui i'.imiii o vwm intu/.- i ii imw.1, --ti'V"
Compra-se urna escrava moga que seja ooa prVileRada pela rainha de Hespanha : s no vigi-
costureira e engommadeira : na ra do Crespo |anle> rua jQ Qrt^ n, 7,
-f Aluga-se a teja do sobrado n. 193 da rua Im
! perra 1. e o armazem n. 4 da rua de Apollo : na rua
da Aurora n. 36._____________________________
- Alaga-seo primeiroandar da rua do Crespo

n. 23 ; a tratar na teja.
PRESTEM TODA ATTENCAO
PROTEJAM TODOS
ff9 f 'l
WOJUOMqei S*U0q(8lU SOp S.JjOJ S_ SRPOl Dp OJUEJ 3 OUBld J-d SCaiSnig
| opeAOO o SJ0O5 ojoo op ewig sessbo souiopu.v
opcAoa o sj 00 Sn e3J0;) 8P J!"J8SB0 8P ><*teO
opBAOJ o SJ.05 esst-j so||aq ojmu sve\ ap sajjoo
sBiiuoq oimiu gniqo -stspepjoq sbis
souj|d o ap oiuciuBja
oqu|| ap BquBiaja
oqui| p 890joJs3
BJUBjq Bpas op
sopEAOO 06 a seiuBiu 'Byad
SOpBpJOq
sojub^j *-op|is
05 e BOUid sj]a|ani|
BauaiBi cun op soupojv
sopcis.^111 soepo|Y
i 'op so^iodept'K
soujis
-ni
OB|Kq SBIBS
sanbjequidiiBS
*sei3Jd sBdcj
!l
ap q|ed ap snui|9dcqn
oso oimu ap sbadeqj
'BquBUi3||V a
Nsmg 'suBrf BJJ9jBl3ui apumiajip tua snpnjA sepuazBj ap oiuatniuos opnm a o||aq uin
OKjBJiuoJua s.ixa :\\ qe 'cjuaiiaaiaqeisa o||aq assa e sBJoquas sBUixa uiefaioJd
-SIUIJ
sazaJitcJl sao|od|)eK -bj apuo|q op sop|isa.\ soaiu
OUpO^lV I S01|U|| 661
'UV11IA S3IAI0D 3S0f
a
tm\ s tiwig p tu srtpadZBj ap |uaio!M|r|B|* ajaujodrai y
SOUOA Il'VPMIOafl
IftlBiSl 1S (Ol
S0HI39MYHISa 3 S0MV3MWVMa3d^
wmmmemmm
1 AURORA
LARGO D4
BRILIIANTE.

SAXTACRt'Z.
Francisco J >s Fernandes Pires, dono do grande estabelecimento de mo-
tilados denominado AUfiOKA BIULHANTE, avisa N respeitavel publico tanto
da praca como de fra, e cmn especilidade aos seus freguezes, que o seu estabe-
lecimBiilo acha-se prvido de novo sorlimento de bons gneros tanto do paiz co-
mo do ftslraogeiro e promette vender muito em conta tanto a retalho como era
grossu:
Manteigajuglcza flor a libra ttO, 900 e 1000 Amendoas novas a libra 240 e .
Dita trncela nova em barril a 300 Massas sortidas para sopa a libra
600 Ervilhas verdes para sopa a libra
iO Grao de bico arroba 45500 e libra .
15280 Teueinho de Lisboa arroba 125 e 1-
I500 bra
e a libra......
Presados de Lainego a libia
Cognac, a garrafa a 15 e .
Azeite retinado a garrafa.
Esperraacete muito alvo a 000, 700 e
i Arroba de vela* do Aracaty a 105 >
libra 320, 3.60 e 00
Caixinhas coro ameixas francezas a 15800
i Latas de 2 3 e 6 libras a 15400,
25MX)e.....45000
! Caixinhas com 6 libras de passas no-
vasa ...... 34000
Ditas com figos a 15400 5400
! Latas de 4 libras de bolacha de soda
muito nova a 25000
)las com biscoutos inglezes, cracrenel
victoria, miides e ovos, pequi-
niq c outras dualidades novas a
nitas com marmelada nova a libra
7i0e......
Ditas com fruc6 em.ealda a .
Ditas com ervilhas francezas .
Ditas com niassa de tomates a 640 e .
Ditas com peixe em posta muito bem
preparado......15300
Dita de Lisboa savel. salmonete, caxu-
xo, paigo e outros a 15200
Ditas cora ostras americanas a 600
Charutos finos ha grande fjdanlidade
de cai.wi e meias. .5
320
480
240 m
160
400 1
800 Queijos do vapor a 'iOO e do passado S5000
Dito prato a libra a-640 e .. .720
Caf primeira qualidade do Bio e Cea-
r a 320 e segunda a 290
Arrota de arroz a 5 e libra 100
Barris com azeitonas a 15300
Vasos.com sal refinado a ... 30
AJpista arroba 35 e libxa. 100
Serveja de differenles marcas superio-
res ......5
Vinhos especiaes em eaixas de uma
duza de garrafas a 145, W5 .185000
Daos de Lisboa, Figueira e Porta a
garrafa a 400, 480, 360, fiiO, 800 e 15000
Dito branco de Figueira, Lisboa e Por-
15600
800
500
720
720
to a 640, 720 e" 800
Espirito de vinho de 38 graos a 280
Frascos com genebra de Hollando e
laranja a 610 e 15000
Ditos com conservas a 400 e 800
Saceos grandes com farete marca N
a 45500.....55000
Ditas com farinha muito fina a 45500
Ditas rom milho e arroz de casca. 45090
, Ditas com tarinha para animaes 25-">00
1 Caixac coro 100 charutos com furo a 640
Re bate-se
Precisa-se de uma ama muito capaz para tomar
conta da casa de uin estrangeiro solteiro e morar
n um sitio, fatendo todo o servico da casa : na rua
Nova n. 19, primeiro andar.
Aluga-se para passar a testa, ou mesmo por
anno, e at se vende, um sitio no lugar da Torre,
margem do ro, com todas as commodidades pre-
notas das caixas tiliae.-. .do Banco do Brasil, bilhe-
tes premiados das loteras do imperio e estrangei-
ras, com tanto que nao tenhain cabido em pres-
'ripeo : no armazem da bola amareila, ctao da
-ecretam da polica
Ao pwMJco.
Est abrta a subscrip^ao a praca da Indepen- c'as, e. alm de fructeiras de divereas qualidades,
Cenca ns. i e 8, para a impresno de um periodi- tem uma baixa de capiro que sostena at dous
co poltico, que ter por ttulo o Nacional. O sen cavallos : a tratar eom o proprietario do mesmo
programmaj toi manifestado nos Diarios de Per- Jos Mananno de Albuquerque, a rua do Impera-
u'iutbuco do nwz de setemnro prximo passado. j A>r n. 12.
Subsereve-se a 35 por trimestre, pagos adiantado.
Logo que se obte&ha sufllriente numero de assig-
oantes sahir o primeiro numero. O nacional ser
publicado em grande formato, duas vezes por se-
mana.
Ao n. 29.
Naw loja dos barateiros na ru d Queimado.
Velludo de cores fazenda muito boa o covado
35000. baldes de panno 35200, ditos de arcos
35000, 45000 e 55000, lias de duas larguras
para vestido o covado 500 rs., chitas francezas o
covado 360 rs., metim branco para forro de
vestido o covado 120 rs., tarlatanas de todas as
cores a vara a 720 rs.
a. n. 29.
Nova loja dos barateiros na rua doQueimado.
Cassa lisa pelle de ovo a peca 75300, cambraia
lisa muito fina a peca de 17 varas 105, cam-
braieta peca de 12 jardas 75000, cambraia adamas-
cada para cortinado a peca de 22 varas 105000,
meias finas para senhoras a duzia 45000, chales
de laa punta redonda 325500.
Ao n. 29.
Nova loja d*s barateiros na roa do Queimado.
Bicos pretos de linbo a vara 120,160, 240, 320
rs., franjas de seda a vara 80 e 160 rs., gatees
de seda de algodao e de laa para enfeites de vesti-
do a peca de 10 e 15 varas 400,-boloes de seda
de velludo e de fustao duzias 120.____________
tlaboato.
Aluga-se por pro^o commodo para passar a tes-
ta, em Santo Amaro de Jaboatao, uma casa grande
-com bons commodos para familia, com os fundos
jiara o mesmo rio Jaboatao, a qual tem um excel-
ente banho de sombra : quom esta pretender, di-
rija-se ao Rec.ife, na rua do Brum n. 78, que acha-
ra eom quem tratar._______________________
AiHia em p^a 'pr-w.
Aluga-se o armazem n. 40 da rua do Apollo, com
30 palmos de frente e 150 de fund, com a frente
para a rua do Apollo, e por preco commodo, pro-
arlo para quaiquer estabelecimento: trata-se com
Antonio Alvos Barbosa, rua dos Guararapes,nume-
ro 58. ?
o liail do aiiiiiverario do S
elon-comue rial lera logar na gg
aoited di < 22 drom-pie mn. _|
Tlhanak
Estnndo coafeccio ar-se o a manak
dfi-ia provincia, que feiliuiia seiini-
presso Kesia l\poaplii, Mi^vid-se a
todas as pessoas pue -'rile fazem pa le,
para que remiliaoi hvrai'ia i.s. 8
da trac da Independencia, s>us iium-s
e qnililade de esl be c Henhores e onjienlms que sedignem
remelter afeui ds norae* des'-useu-
^eii>i08, o da freguezia e conarca a que
ser (encere m.
Coapauiiia de seguros uiantiui s L'lili-
ilaile-Pui>li A crerrao de.-ta companhia, em virtude do art.
41 de seus estatutos convida aos seiiberes accio-
nistas para se reunirein om assernbla geral segun-
da-feira 16 do correle, ao mete da, neste escrip-
torio, rita da Cadeia n. 42. Recite 11 de novem-
brode 1*63. -Os directores,
Feliciano Jo'- Gomes.
___________DomingosJodrigues de Andrade.
Muciedade de seguros mirtaos
de vida isKiallada pela Baneo
Uoio oa eidade do Porto.
Os agentes aesta cidade e provincia Antonio
Loiz de Oliveira Azevedo & C escriptoro na rua
da Cruz do Recite n. 1, estao autorsados desde j
a tomar assignaturas prestar todos os esclarec
meatos que forrai n*cessaros, as pessoas que de-
sejarem concorrer para lio til e benfica empre.
za, segurando um futuro lisongeiro aos associados.
Armazem para estabejecimeato.
Alugi-se na rua da hraia o armazem da casa
n. 57, com fundos para o caes do Ramos : trata-
se no Campo Verde n. 20, sobrado do Dr. Miranda
Tondo-se arrematado em praca do juizo com-
mercial uma casa terrea n. 43, na rua das Calca-
das, com a frente para o largo da fortaleza, preci-
sa-se saber se o solo foreiro ; e por isso quem
se acnar eoutesse direito, dirija-se ao caes do Ra-
kos n. 6.
Da Iramaealada Concel^So.
Ricas estampas coloridas da (inmaculada Con-
ceigo e de outras santas trocase barato: no ar-
muzem da rua da Cadeia do Recite n. 60._______
Regulador de escripiui-aco rommer-
cial por partidas d Im -atlas.
Organisado na cidade do Porto e conforme o c-
digo do commercio que nos rege, obra bem des-
cripta e resumida para chegar ao alcance de
quaiquer intelligencia.contendo alm disso 4 ta-
bellas comparativas dos antigos pesos, para com
os do novo sysleraa mtrico decimal e vice-versa
e do anligo systema de medidas, ella muito
precisa e necessaria e mui principalmente agora
que poucos se acham ao par das medidas que
actualmente se tem adoptado e por isso muito til
ao commercio, pelas quaes expliea^oes poden fa-
zer de prorapto quaiquer redcelo; e custa a in-
significante quantia de 15200 cada exemplar a rua
da Cruz n. 18, escriptoro de Jos Joaqun Lima
Bairo.______________________________
Aluga-se o sitio da senhora viuva Carvalho,
em S. Jos do Manguinho, com boa casa de sobra-
do, esteitada, quartos para criados, esribara,
fructeiras, baixa de capim : no mesmo sitio se di-
r quera trata do aluguel. _______________
I in bom sitio.
S. A. Prez arrenda pelo tempo que se conven-
cional o seu sitio com boa casa de morada, co-
cheira, baixa de capim, boa agua, muitos arvore-
dos de fructo, e alem de outras commodidades tem
a excelleute visinhanga de pessoas estimareis. As
condicocs do arrendaiuento serio favoraveis, e tra-
ta-se na praca da Independencia ns. 13 e 13, ou no
pateo do Paraso n. 24.________________
Ao auianhecer do da quinta-feira 29 de ou-
tubro ultiin furtaram-me dous cavallos do cerca-
do reveso do engenho Aldea do termo do Rio For-
moso, e para o conseguirem arrumbaran a cerra
do dito reveso, onde sao recolhidos noite os ca-
vallos do pasto do mesmo engenho, mesmo para se
evitaren os furtos. Os referidos cavallos sao do
servico da mesma fazenda, sao crias do mesmo
pasto, muito novos e j castrados, e ainda nao fo-
ram marcados com o ferro do engenho, e por con-
seguinte nenhuma marca de ferro tem. Um del-
les ruco pombo com a clina e cauda da mesma
cor, de tamaito regular, um pouco galgo por
anda nao estar refeito por ser muito novo, tem o
pescoco fino, e a cabeca alguraa cousa acarnera-
da, tem os dous cascos dos ps e de uma das raaos
pretos, e o da outra raao branco, estando este r
numero 17.
Compra-se uma armagao invernisada de loja
de miudezas ou de fazendas : a tratar na rua das
Cruzes h. 29._______________________________
Uscravos.
Compram-se eseravos crioulos de 12 a 20 an-
nos de idade, sendo de bonita figura, paga-se bem :
na rua do Queimado n. 13, primeiro andar.
Comprase uma escrava com habilidades e
uma dita de meia idade, bem como uma carroca
para boi ainda que seja usada: na Capunga rua
das i '.rumias as casas novas a tratar com B. Jos
Leitao.____________________________________
Comprase ellectivamente ouro e prata em
obras velhas: na praca da Independencia n. 22.
loa de bilhetes._____________
Compra-se cobre lato vclho
na rua da i'.adcia do Kecife n. 36, pri-
mei'oa"dar._____________________
Compra-se um escravo de 35 a 40 annos, que
entenda do servico de sitio : na rua do Queimado
n. 13, primeiro andar.
Sabonetes de familia
Grande sortimento de sabonetes para todos os
precos, de superiores qualidades, a 160, 200,240,
280, 320, 400 e 500 rs.; assin como estojos com
todos os preparas para limpar denles pelo barato
preco de 35000 : s no vigilante, rua do Crespo
Delicadas tesonrinhas
Grande sorlimento de tesourinhas, tanto para
unhas, como para costura; assim como muitos
outros objectos de gosto, que nao possivel annun-
car pela grande variedade de sortimentos, cojos
pn-cos serio menos do que em outra quaiquer
parte : s no vigilante, rua do Crespo n. 7.
w_n' __S S8"sF_T3"S
2 ?. w = s. a a* &
09
__ s c uj yi

-->
.>
u
VENDAS.
ptima paragem.
Vende-se a taberna da rua da Concordia n. 12 :
a tratar na mesma._____________________
Na cocheira do Sr. majorQuinteiro est para
vender-se um cabrio'.et em muito bom estado, ma-
neiro e barato : a tratar na rua Nova n. 56.
ii:< iii\ ha
Vendem-se para liijuidar contas dous foges in-
glezes, sendo um grande com dous grandes tornos
3 n
a. o
3
i" 3
ffl3
o a c rs c-r
err* a te as
B a.
-> 3
I
o o
S cd'S
II
as =
2&I
sr
3 2
o
o
as
as
2. '
as
&
3
3
va
3.

3 era "
J. 'Z
^ g 3
as "O _- g
o "ii te **"
a: J-
f
as
i
rs
as
i*

Si
e
recu.-
neressarias por escripta, tema para fra: trata
se na rua do Vigario n. 10, armazem naval, a
quaiquer hora, das 6 da manhaa s 6 da tarde.
No deposito da rua da Lingueta n. 6 ven-
dem-se ervilhas e centilhas de diversas marcas.
Kua da Senzalla \ova n. il
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Low
\Ioor libra a 120 rs.______
\o armazem de fazendas bara-
tas de Mantos Coelho
BA DO QUEIMADO N. 19 VENDE-SE O SE-
GUINTE :
Caberlas de chita da India
pete barato preco de 25000.
Lencos
de panno de linlio a 25000.
Lenrcs
de bramante de linho fino pelo barato preco de
35000.
Lencos de cassa
brancos, finos proprios para algbeira pelo barato
Cha hysson
da India, da primeira qualidade; vende-se em cai-
JSSfJSTi uSto egulaT, chraas'e > -* de manhia al .0 horas, de tarde das
uma pequea belidc anda nova en led.((li, c -a renda,-. (]ti 2Wl mensaes sao
n passo curto : rogo as autoridades .iroi.rio, bem edificadas o do lado da s
reeommendem a seus agentes a ap- lrU2^ na rua dos Prazeres da Boa-Vis
cauda de cabellos bem pretos, ten os dous pes
pouco aleados de branco, tem en um dos lados da
barriga "um caroco resultado da mordedura de
cobra, e tem uma pequea belide ainda nova en
uin olho, e tem
I pohciaes que
prehensao dos ditos cavallos onde forera encontra-
dos ; a captura dos iadroes para serera processa-
dos na forma prescripta no decreto n. 1090 do 1.
de setemhro de 1860, tanto mais quanto se deu
arrombatneuto do reveso, onde estavara rerollii
dos, o qual qualifica o erime de roubo. Devendo
quaiquer resultado ser eommunicado ao adminis-
trador daquelle engenlw Cosme Jos de Mello Mas-
<-arenhas, ou ao proprietario do mesmo engenho o
desembargador Caetano Jos da Silva Santiago, na
rua do Hospicio n. 50.
Caetano Jos da Silva Santiago.
3 at s 6.
A mnsiioii
se vendem as ontras rasinhas novas da rua da So-
sao em ter-
sorabra:
Vista com
Ainda est por alugar-se o segundo an I
dar do sobrado n. 44, em a roa da Auro
ra : quero o quer dirija-se esta mes
ma rua casa n. 10,
Aiuguei.
Alnga-se por (esu ou por anuo o sitio da Pitom-
beira, no logar da Casa Forte, com boa casa, com
muitos commodos, eom eoeheira, estribara e quar-
tos para criado e feitor, cacimba roo muito boa
agua de beber, tanque, e todo murado, coro muitas
arvores de fructo : a tratar na roa do Sebo n. 24.
O Sr. Jos Lopes das Nevos deiiou de ser
caixeiro dos abaixo assignado* desde odia 11 de
corrente. Recite 12 de novembro de 1663.
Silra Bastes & C
BANflOS PBLICOS.
Pateo do Carmo.
A abertura deste estabelecimento das
6 horas da manhaa at s 10 da noite, o
publico encontrar banhos trios, momos
e mecuVinaes, vontade das pesoas com
todo o asseio possivel.
AVINO.
Casa para alagar.
Alnp-se uma pequea casa na Capunga Nova
rua da Araizade n. 24, com 2 salas, 2 quartos, co-
staba (ora pequeo quintal murado por 125 : a
tratar na roa das Trincheras B- i-
Precisa-se de 2O05 ao premitfflne se conven
conar e pelo tempo de tres mezet, da.tdo-se hypo-
tbeea en unaeserera : quem qaiter azer este
nogof te, annuBcfe.
O proprieUro do engenho Fernandes, da fregue-
zia de butaca, f vr ao Publico, que nao costu-
mando vender e era trocar cavallos e burros de
sna propredade, os ten ferdo hoje em cima da
anea cora o nome de seu engenho Fernandes: por-
tante, o caralloou burro que apparecer coma dita
marca em poder de alguna pessoa que nao seja
portador seu, est sem duvida furtado, e por isso
pode ser tomado, e vr awsado o dito proprietario
Lourenco Bezerra de Sequeira Cavalcanti, que pa-
gar quaiquer despeza, e ficara agradecido a quem
o fizer.
Precisa-se alagar um moteque de 12 a 16
annes para fazer compras em casa de pouea fami-
lia : na travessa da Madre de Dos n. 57._______
Contina a haver pao de senteio novo nos das
quarlas e sabbados de cada semana, na nadara
em Santo Amaro ao p da fundiejio, na rua da lm-
leratrk n. 22, e rua do Brum, confronte o chafa
riz n. 47, rua das Cruzes, deposito n. 39, na Pas-
agem, taberna da esquina do Sr. Bento. que vira
para o Bemedio, e no armazem progresso, largo
daPenhan. 10.____________________________
Arrenda-se o sitio na Passagem, direita do
do Dr. Firmo, e vendem-se lotes do mesmo para
edificar : na rua do Imperador n. 14._________
AtHieao
Na rua estreita do Bosaro n. 19 trabalha-se com
toda a perfeicao em bordados e flores de todas as
qualidades,apromptam-se reas grinaldas eboquets
para casamentse bailes, d-se tamben bcCes de
flores familias que quizerem aprender.______
Aluga-se o segundo andar do sobrado n, 17,
na rua do Livramento, com excellentes commodos:
a tratar na rua do Queimado n. 53._____________
Na botica do pateo do Carmo precisa-se de
quitandeiras para vender pelas ras, alugadas.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rua
do Amorim 38: a tratar na rua da Cadeia u.
62, segundo andar._______________________
O bacharel Francisco Gomes Velloso
de Albuquerque Lins tem o seu escriptoro
de advogacia; na rua do Queimado n. 41,
1." andar, frente para a praca de Pedro !!
llanta Cecilia.
A actual mesa regedora da irmandade da Vir-
gen e Martyr Santa Cecilia, erecta na igreja do Li-
vramento desta cidade, pete presente convoca a
todos os irmbs para comparecerem no da 16 do
corrente mez, pelas 10 horas do da, afira de proce-
der-se a eleico da nova mesa que ha de reger o
anno de 18634 (864 na forma do compromisso,
titulo 5.*
Jos* t_jelbodai_ va Arante.
EscriviO.
Da. W. H M GRAlH
Dentista americano
fwi do Imfterad r n 63.
Offerece ao respeitavel publico de Pemambuco
os sarvicos de sua profissao ; todas as operacoes
da bocea e denles serio ejecutadas com o ultimo
e muito melhorado principio de cirurgia dental.
Previne-seso respeitavel publico que oses
cravos Benedicto e Martinho, pertencentes ao Sr-
commendador Francisco Antonio Pereira da Silva'
ainda estio sujeitos penbnra feita requerimen-
to de Antonio Goncalves Pereira Lima, e conse-
guintemente nao poden ser alienados em quanto
o mesmo Antonio Goncalves nao se achar integral-
mente pago e satisfeito do resto que Ihe deve
aquelle commendador. Fago o presente annun-
cio por ter sido informado pelo Sr. Dr. Jos Joa-
qun de Souza, que o mesmo commendador tinha
Ihe mandado o eteravo Martinho para o mesmo
Dr. Souza embarcar para o Rio de Janeiro jara ser
vendido para pagamento do dito Dr., deixando o
dito Dr. de assim fazer por saber da penhora que
exista sobre os eseravos Benedicto e Martinho.
Antonia Goncalves Pereira Lima.
DENTISTA DE PARS
19Roa Nna-19
Frederice Gautier, eirurgiio dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dente* artificiaos, tudo com supero-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas Ihe reronhecem.
Tem agua e pos dentificio.
Jos Carneiro da Cunta.
de mandioca.
de mandioca da melhor
Farinha
Vende-se farinha
mais nova que ha ueste mercado : no escriptoro
de Mam el Ignacio de Oliveira t Filho largo do
Corpo Santo n. 19, ou a bordo do palhabole Via-
mo e brgue Minerva, ancorados no caes do baro
do Livramento. ____
Cal de Lisboa e po.assa da
Mustia.
Vende-se na rua da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o antgo e acreditado deposito da
mesma rua n. 12, ambos os gneros sao novos c
legtimos, e se vendem a prego mais barato do que
outra quaiquer parte.________________________
ai-
Fil liso fino
pelo baratsimo preco de 680 rs.avara.
Madapolo lino
pecas de madano'ao largo superar pelo barifissi-
mo preco de 85000'.
Ricas saias
de fustao a 35300.
Peras de bretanha
de rolo com 10 varas propria para saia a 35200y
Pecas do cambraia
adamascada para cortinado com 20 varas pelo ba-
rato preco de 105000.
Bramante de linho
fino eom dez palmos de largura pelo barato prego
de 25300 a vara.
Tnalhas alcorhoadas
para mi pelo baratissimo preco de 35000 a du-
za.
Atoalhado de. linho adamascado
propro para toalha de mesa a 25300 vara.
Algodao monslro
com 8 palmos de largura pelo baratissimo preco
de 15000 a vara.
Corles de calca
Vende-H uma machina para descarocar
godo, a qual prepara 6 saccas, cora 36 arrobas de e ~an~a amareila de lista e de quadro fazenda su-
algodao lini|>o de primeira sorte por dia, e tambera perj0r pete baratissimo prego de 15200 o corte.
se vendeum motor para cavalto, obra muito bem Laazinha de quadro
feita, a qual M feita especialmente para mover a d(, pr,stonteiramente novo pelo baratissimo prego
mesma machina, sendo que tanto a machina como de i8Qrs Q rovado
o motor podem ser transportados com faulidade
para o centro : para ver e tratar, na fabrica
travessado Carioca n.
Potassa da Knssia.
Acaba de chegar para o antigo e acreditado de-
posito da rua da Cadeia do Becile n. 26, proceden-
te de Hamburgo em 7 do corrente pela escuna
MM-ia. ________________
al do Ass
Vende-sc sal do Ass de muito boa qualidade :
a tratar na rua da Madre de Dos n. 2, ou no caes
do Bamos, abordo da banaga Aor Esperanca.
Cofre inglcL
Vende-se por prego commodo um cofre inglez,
prova de fogo, e muito seguro, com pouco uso :
na rua Diroita, padaria n.84.
Chegu rap de Lisboa novo, que
em libras : na rua do Imperador n. 28.
Pegas de camhraia de salpicos
: fina com 81/2 varas pelo baratissimo prego de *5-
Pegas de cambraia de forro
pelo baratissimo prego de 25200.
Esleir da India
para forro de sala de 4. 3 e 6 palmos de lareura.
se vende
liua do irupkke n. 9.
Chegou pelo ultimo paquete francez os artigos
sepililes :
Batatas novas.
Vinho de Bordeaux.
Vermoulh.
Cognac.
Conservas alimentaras.
Fructas em calda.
Licores francezes e de diversas qualidades. -\_
Vendera-se voltas de amarelio para portas
circulares de 6 1|2 palmos de largura, pelo bara-
to prego de 55 cada uma : na rua do luipera__r
n. 16.
Lelte no liedle.
Do dia 17 em diante haver leite liquido a 320
rs. a garrafa : no oitao do predio da rua da Cadeia
do Becife em frente do passadico.
Chcgailo pelo tapor:
O para o vigilante, na do Cres-
po n. 9.
At que chegaram as muito desejadas cascarri-
lhas de todas as cores cora una fitinha de velludo
no centro, cousa muito elegante para enfeite, assim
como de outras qualidades, e pregas muito razoa-
veis : s no vigilante, rua do Crespo, n. 7.
Para dar de mimo.
Chegaram as riqussimas nonecas de todos os
lmannos, vestidinhos rcainenU enfeitados, cada
um em sua caixinha, propriamente para um deli-
cado mimo, por baratissimo prego: s ne vigilan-
te, rua do Crespo n. 7.
Para os senhores hachareis.
Chegou a tempo a riquissima fita de chmatele.
para cartas dos senhores hachareis, assim como
branca, lisa, propria para abrir letras, ou para
sintos : s rio vigilante, rua do Crespo n. 7.
Penlea de marrafa.
Tamben chegaram os riquissimos pentes de
marrafa com pedrinhas,os lindos pentes de regaco
para meninas, meias de seda e sapalinhos proprios
para baptisados, meias de seda para senhora, fitas
de la para debrum, fita de linho, trancas de lia,
de linho e de seda, luvas de seda e pellica, e lio de
Escocia e carourga, allinetes de cabeca chata, car-
virinhas com todas as agulhas precisas para cos-
fivelas de madreperola esmaltadas de ago
parantes, flores de todasas qualidades, caixinhas
rom pasteas de perfumara, abafadores de la
para scnhl^toucas e sapalinhos de la, pulseiri-
ara segurar manguintos, Clase
I'01.
nhas de -
Vende-se uma taberna com todos osperten- cordes de Ik. bonete redondas, ditos
ees, na estrada nova do Cachang, passando a se- chamados de fai^j^y ^s de ,0/las *s,(l!_} .
guuda bomba : quem pretender, dirija-se a rua do dades e dos fabricantes naisafan,ad''s' l*lra
Rosario da Boa-VisU n. 56, que achara com quem pratiados muito finos, retroz de jodasas quatiaaaes,
tratar^_________________________________* retroz em carretel e em novelice.de meada de
- Vendem-se roeias dejinho puro, assim como C.T^,f^_Pfl__,<5f unha, de todos*
Truunii-.^ im i^ u<' iiiiiiu puto, 1^.11(11 LUIIIU _. ---------* 'Aiia nara linilR. Q_ lUltV
de algodao, fabricadas no Porto pelo melhor fabri- Pa>dltas lra ^^dM qu e tonara
cante: nar"* H*r-"ta>' ** '-'- >- ___ *"',.?."__
eens n. 64.
: na rua da Cadeia do Becife, toja de ferra- aEB'JgKlJi ^ ^S^^
mette-se fazer todo o negocio: s no vigilante, rua
do Cesno n. 7. ________________________
Vendem-se os arreios completos para um
bello cavado, visto ser do melhor que tem vindo
a esta praga, e apenas servido duas vezes, uma
Vende-se uma casa terrea de chaos proprios,
que tem salas de frente e de detraz, 2 quartos, co-
- Precisa-se fallar rom o S\ Ignacio
Vieira de vilo, eecrvo eo Vazarelh,
sobre negocio que o mesmo seahor nu
i^nor-; u ma U Crespo lja it fa-
zeadis i. 7.
carteira de madera de uma s face com seu han- !Li,a 0, quintal e cacimba, de parta e janclla:
co, duas mesas, sendo uma propria para escriva- auem 0 quizer comprar, dirija-se rua de S. Fraa-
nia, pares de caisilhos com vidros para ianellas, isc0 Mbrado n. 8, que se dir quem vende,
de palmas uma serpentina ou tipoia, cupua e pao -_f^,ha de Flandres Charcoalde mnilo boa
e mais outros objectos por prego muito coi-modo., |idlde. -ende_ie por acado ou por caixas
quem pretender, va a ra da Penba n. 5 l___ J fl { a dinnpjr0 visU do p^ir ,M
a* primeiro andar, para tratar, de manhaa at
. horas, de tarde das 3 at as 6.
as 10
Vendem-se no armazem n. 53 da
dla quatro venezianas._______ _______.
- Vendem-se craveiros de todos o **"; I'" _.
brancos, cor de rosa e avellul*. como, loaittas.
uma mesa do amarelte de pee *veU,rProprU para Na f do Apollo iv 20, vendem-se toalhas de
eufommado, eom lOpalmosde ebmpritnento sobre hnho^do Porto, com labyrrath* o meo as pon-m,
de iMfonl: aa raTito Atogrla u. I. I pete barato prego de )Sf a duiia.
* 1
MUTILADO,



Mario de PerMMbueo Segunda felra lo de Votrubro de 16S.

mu uquidaco
NEJI SEGUNDO.
QUINQUILIIArUAS.
Ra do Queimado, ns. 49 e 55, lojis de
45-RUA DIREITA-45
80
le bzeadas inglezas,.tra*raMS,alleinaas-9issas,
que-se pretendem liquidar antes da festa>Bo na-
ttl,Mr precos baratissimos, allm de apurar di-
nheiro, sendo a maior parte dcstas fazendas in-
tetramente novas, chegadas pelos ltimos vano- Jos Blgodinlio, queiram ver ver as fazendas
res; de todas se dao amostras, deixando penhor: que abaixo aiillUUCio, pOJS todas eu garanto
.aMai e armazeni do pavo, ra da InuieratrK ,e ^ mujlo n(jvM e baj.alissimas>
** de Gama *'Sllva- Pecas de trancas de algodao de to-
As lainhis d pavo. das as cores a.......
Ve*dem-se as "H^rBismas lmatecom9 Duzias de linhas cora200 jardas, A-
palmos^e largura, sendo lisas e de quatrinhos,
roeras para vestidos, capas soutambaquespelo r ie?farf' a \.....
barato preco de 15200 o covadt, ditas cora 4 pal- Carmel de qualquer numero ,
mos, Usase de quadrinhos a 500 rs., ditas carbal- Va. Je asnas para balu .
dinas a 400 rs, ditas enfeitadas de quadrmhos a & superior ODre.aS a w.a
360 rs, bareges mattsados ramio unos a-500 rs., nil ", ,,7 on Borzeguins, Nantes, bezerro e va-
lazinbas transparentes com palmas de seda a 500 "'"h. i- ,L.....MlYui1 quela 2 e meia solas .
libra de aa sorbda. * c odC I:i-hT P 7*nnn I qea e lustre 2 solas. .
resequaltdade 70000 ooe^uin, francez e hamburguez,
i mwi bezerro, lustre e couro de por-
co 7,5 e........
VaUa UAJiSi
Eia, rapasiada, corageml parece queja
entregastes os vossos joanetes aos duros sei-
xos do pessimo calcamento da nossa cidade!
S se observa em vossos ps botinas acalca-
nbadas e gastas at ultima sola; sapates
rasgados e quasi sem saltos.... nem tanto!
16100 a quebradeira n3o deve cbegar at este pon-
QQ to I Vinde ra Direita munir-vos de excel-
gQ lente calcado com 40 e at 60 por cento
menos do seu valor attendei:
40
rs., ditas matisadas a 320 rs. o covado: so na loja
do pavao, ra da Imperatriz n. 60.
Os ortes de cambriia que vende o pawo.
Vendem-se cortes de cambraia branca eom ba-
Pares de boioes de punho a
badpsTfc^7aitosT3^ Pares de sapatos de tranca
ohineaets a 45000, pecas de cambraia transparentes Ditos multo superiores, a lotJOO
adasmacadas proprias para vestidos, tendo 8 varas pacoles de pape| amisade de
emeia a 35000, ditas lisas trancas e de cores a v r .
25500,35.35500,45e55,pecas de cambraiade.ra- cuica d. ........
roeiuhestendo 8 varas emeia cada urna, sendo bran- Duza de meias mullo Unas prase-
las e de cores a 35500, ditas a 25500, pegas de n|,ora a........3)5300
cambraia para cortinados, sendo tapadas e trans- Quz-,a de ditas cruas para homem a 2*400
prenles com 20 varas cada peca a 950O0, isio iu-
T- ____ _______- .i; t-:__. ..U A,\ mr-in ni! fl?
8^500
841000
64000
(9, fofofof&<
BALIZA
600
ifinu Baralhos muilo linos para vollarete a
do para apurar dmheiro : na loja do pavao, ra u
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
Os chales do pavo de Moeambique a 4:000.
Vendem-se os mais modernos chales de Mozam-
bique, sendo de urna s er, com barra e muito
grandes, pelo baratissimo prego de 45000, afllan-
ando-se serem os mais modernos do mercailo, di-
tos de merino eslampados a 25000, ditos a 35000,
ditos muito linos de crepen com 4 pontas e punta
redonda a 65000, 75000, 85000 e 95000 : so na
loja do pavao, ra da Imperatriz n. 60, de dama &
Silva.
0 pavo vende casimiras a 1:C>00.
Vendem-se rasemiras franrezas entestadas, pro-
prias para calcas, colletes, palitos e capas para se-
nhoras, por ser de urna s cor, sendo fazenda que
sempre se venden a 35000, liquida-se a 15600 o
covado : s na loja do pavao.
0 pavas vende chapeos de sol para senhoras a
1:000.
Vendem-se cheos de sol, a ingleza,
Carrileis de linha com 100 jardas a
Cartes de linha branca e de cores a
Novellos de linha com 400 jardas a
Ditos muilo grandes com 800 jar-
das a .......
Cartes de linha com 200 jardas (est
se acabando a......
Vara de lila prela com colxetes para
vestido, e lera um resto parda a
Sapates, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas..... 5#500
Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas...... *h$000
Sapates, Nantes, sola e vira. <5000
Ditos para menina, com laco. > 300
3Q; Ditos de ditas, de cores..... 4*800
Sapatos para senhora e homem, \ I
tapete.........\ 8
Sapatos de borracha para senhora. !$400
dem dem para meninas. I #900
Sapatos de lustre para senhora. I|5ii00
dem de lustre s avessas 500,
20
60
120
60
100
Objeetos de tintura e mnslca.
Na ra do Queimado, ns. 49 e 55, est
qneimando tudu pelos precos abaixo decla-
rados, e preslem toda a attenc5o para ver
sendo co- oque bom e barato.
bertos de linho e forrados de verde, proprios para rjiizia de facas e garfos muito finos a 2*500
senhoras que torempassar a fesla,ou para meninas W|a dila dlla de ca|jo pretO muito
levarem liara a escola pelo barato prego de 1WW, fi JHftn
ditos marqiierinhos de seda com franjas e cabo de ""' ^"p"
dobrar a 25300, ditos de seda para borneas, sendo Dita dita dita de balanco, melhor.a 5>oUU
com arrnaeao de baleia a 65000 e 75000, isto para Tesouras para costura, muito fi-
apurar dinheiro : so na loja do pavao, ra da Im-,
apurar
pratriz n. 60.
400
i Ditas ditas para un has, muito linas a 400
0 pavao vende cachemiras da Escossia, corte Cartas de allineles de fero a 80
2:110, covado CIO rs. Ditas ditos de laio muito finos a 40
Vendem-se cortes de cachemiras da Escossia, D>tas de dilo grandes.....120
para calcas, pelo baratoi pregopde 2 tenada (, d ( de
mesma fazrnda para vender em covado aowr., i f
sendo esta fazenda muilo encorpada, a imitagao de orosa de liosao gaz a .
casemira, e garante-se que nao desbota. Tambora Duzia de dito dito a .
se vendem orles de easemira ingleza.dei cores es- f,\a$OS e palitos para dentes a .
curas para caiga pelo barato prego de l#WU cada 4i.ni(iafir,. liara rft|p|Pc a
.crte, ou a 500 rs. o covado : s na loja do pavao, AUOtoaaiiras |ara COleles a .
*ua da Imperatriz n. 60. Escovas para roupa.muttO linas a 400,
M pavo vende os vestidos brancos bordados.
Vendem-se os mais ricos vestidos de cambraia
brancos, bordados croch, sendo os mais moder-;
nos que tem viudo ao mercado, tendo as saias 4
palmos, e vendem-se pelos baratos precos de 105, ]
125 e (65000 : s na loja do pavao, ra da Impe-
ratm n. 60, de Gama & Silva.
10
2,5200
200
160
I(i0
800
NEH SVUl \UO.
PECIIINCHA.
Perfumara de superior qualidade.
O rival sem secundo, ra do Queimado.
ns. 49 e 55, est disposto a vender mais ba-
A's pechinchas do pavao, antes que se acibero,
llicos-ci tes de cambraia branca com babados e
duas saias bordadas croch, tendo bastante fa-
zenda para vestido, pelo baratissimo pregode 35000 rato que nunca vendeu, para o que queiram
cada um, ditos de cambraia de seda com barra e ver :
babados a 25500, para acabar, cortes de vestidos Dnzia de sabonetes finos a 720
MaraiPia, sendo fazenda de bonogosto a 35500, s.irKHiete inglez, O melhor, a 16'
corles de cambraia brancos com babadmlios a 2-3, ,, ,, .___..
enfeites para cabeca, sendo Garibaldi e turca a rrasCOS com agua de Colonia muitO
45000, ditos com fitas e flores a 25000, camizinbas lina a......., 400
bordadas para senhoras a 15000, manguitos de va- Ditos de dila grande a .... 5U0
Tos modelas a400.^300 e tiW^rs. ^dcinbas para mm Je Lavalule albreado, 0 me-
memnas a oOOe OJO rs., gullinbas bordadas a .zO ..
,.')(4*.,s,\d;ifi ^MOrmUmaM, ditas.de lisias,. '"0I> a .> ^
a .400 rs. o corado, lusiao para Temaos e roanJnliM Ditos le macaga oleo muito bom a 100
de in-uinos a 320 rs. o covado, alpakim on Rorgu- Dilosperola muito superior a 200
rtoAe linho a 2CO rs. ganjrH.din de una so cor a Du (| d fa b 24Q m
.120 %s. o covado, toalhas de linho adamascadas, aa. nn
para rosto a 15000, vestuarios para meninos eme- _. ,uu Y *.','.......
ninas ?. 15600 e 25000, tiras lardadas oentremeios Ditos de banha branca a 3120;
fliais barato que em onlra qualquer parte, indo isio Dito de cheiro muilo bunilos a 500
pechiucha e nmdMe para liquidar : na rua^da ilustie Dan|ia pequeo, muito fina
ltuperr.tr.-lz n. 60, loja c arniazein do pavao, de Ga-
ma & Silva.
Grosdraaples a \:'M*K na U Fazenda a 1*800, 15600, 15800 e 25000 : sna
loja do pavao, ra da lniperalriz n. 60.
0 pavo vende para lulo.
Vende-se linissimo setim da China, fazenda sem
lustro, proprio para vestidos de senhora, para ca-
pa* e roupa para homum, leudo esta fazenda seis
palmos de largura e sendo muito leve, vende-se
pelo baratissimo prego de 25200 o covado, garan-
tindo-se que nao se torna ruca, e vende-se unica-
meafe na roa da Imperatriz'n. 60, loja do pavo.
200
900
800
70
800
Ditos de opiata a 2"0 rs., e boa a
Ditos de banha j.iponeza a .
Ditos de banha transparente a .
Ditos de oleo filoconne a .
RIVAL
SEM SEGUNDO.
Objeetos diversos.
Ra do Queimado, ns 49 e 55, vende os
objeclos abaixo declarados, pois para aca-
bar; esles precos nao sao para continuar,
mas as nesessidades assim o permille.
A carnauba do pavo.
Vende-se cera de carnauba em saceos, por prego
muito coi conta, ou mais barato do que em outra pares de luvas de algodao finas a
qualquer parte: a tratar na ra a Imperatriz n. C1 d penas, de I fo-
bO, loja de Gama & Silva. I .. v r
i iba a, ..
' Sedas do pave S00 rs. ; Ditos de 2 ditas a......
Vendem-se sedas de quadrinbos com pequeo Caixas de colxeles francezes a. .
toque deimfo, pelo baratissimo^ 1':^ ^ ^ Duzia de dito francez a .
covado. ditas em perfeilo estado a 800 rs., ditas ..:.. .
com lisias, pura acabar a 400 rs., previo de seda Massos com grampos lisos e de cara-
para vestidos e roupa de meninos a 15000 o cova- > col a.........
do : na loja do pavo, ra da Iiiqieratriz o. 60, de Duzia de dedaes de metal
Gama <& Silva.
Os Dass
OS MAIS AGGRAVANTBS
K
D'uma pertinaz auracao
DE
ESCRFULAS,
OD ERPCOES ESCROFULOSAS,
Ulceras de toda t espeefe)
SYPHILIS, e MAL VENREO,
TUMORES,
EbiiIIi^'oes,
BERTOEJAS,
OPHTHALMIA,
Ilydropisia,
Empgerrs,
HERPES,
Etarlros.
EBVSIPRL1S
ESIORCITO.
'S'iiiha.
CHAGAS ARTIGAS,
Rheumatismo Chronfco,
DBB1LIDADE (ERAL,
Nenwidade, Ncvraliis.
Fiffl de wrri. Mi,
STTPPRESSO CAS REGRAS, ou
A3MENOHRHEA,
UKBU. 8! FUE itt
R'tcucao das Urinas,
EMACIAgAO,
Un iiiuiagr i,< uto ,'/ <\tl do corpo,prove-
i- (r. do estatu vicioso do tanffut.
WWmim GHEONICAS,
Afec9oes Chronicas do Figado.
\ 1
l'osto qoe domine no cora-
cao do BALIZA a mais bem en-
tendida ambico de tirar de
seu negocio as melhores van-
tagens, com tudoelle n5o pro-
cura fazer fortuna vendendo
gato por lebre;
Quando n5o se negocia aca-
nhadamente, est bem ao alcan-
ce de todos a facilidade de fa-
zer-se boas compras, para ven-
der-se barato.
Lelam todos.
Ao armazem do BALIZA po-
dem ser devolvidos quaesquer
gneros qne por ventura n5o
sejam do contento dos senho-
res compradores. N5o fica
resentimento alum em se tro-
car por oirtre, ou restituir-se
o dinheiro recebido,
linter a todo o custo o seu
rdito, e agradar aos seus a-
migos e freguezes, e todo o
desejo do proprietario deste
estabelecimento,
LEDE' LEDE^J LEDE?
*k*mprr a frente do progresso.
Constante archa o BALIZA.
Tem por norte o bem eomninm.
A verdade por divisa.
* k \ a 1:
Z*Ko
JiOLIIDO;
DE
m
Til 1
ro
mmmmu
Largo do Li^ramento ns. ttS e 3 A
Defronle da grade da igreja
AO RESPEITAVEL PUBLICO
Senhores e senhoras
"


0 incansavel proprietario declarar do alto da imprensa pernamhucana, que elle perfeitamente liberal em offerecer aos seus
benvolos freguezes as melhores qualidades dos mais bem escolhidos gneros, nao s do paiz como do
esttangeiro a precos de contentar e satisfazer a todos
Fazendo tao publico e espontaneo manifest, o referido BALIZA julga de seu rigoroso dever
declarar mui seria e pusitivamente nesta oportunidade, que tambem o mais Arme e dedicado conser-
vador de sua numerosa freguezia.
Da boa qualidade e barateza dos gneros offerecidos aos seus freguezes, junta ao pequeo ta-
nho que tira para si, tem sabido fazer o BALIZA a mais perfeita liga de interesses recprocos, que apo-
das as consciencias deve por forca e necessariamenle agradar.
Tendo por conveniente tambem a publicaco do seguinte aviso, o BALIZA faz saber unicamentp
aquellas pessoas que sempre estSo promptas a c rem logo, que elle
NAO VENDE FIADO.
Os amigos da economa, aquelles que s comprara os objeetos de que carecem, e que gostam fi- !X
nalmente de empregar bem o seu dinheiro venbam a este esUibelecimento.
I-IIUB TODO.
Do preco de qualquer genero annunciado a venda om outros pstabeiecimontns. podem os senho-
res freguezes diminuir cinco por cento, e vir eompra-lo ao Bauza, que sendo, como lodos sabem, o ho-
mem do movimenlo prefere ganhar muito pouco, com tanto que seja por muilas vezes repetido.
'V^-i
W^^M^M^M^MM
80
80
100
40
3(50
0 organdy d pavo a 300 rs.
Vende-se linissimo organdy matisado, branco,
para vestidos, pelo baratissimo pre^o de 500 rs. a
vara ou 300 rs. o covado, cassas franrezas finissi-
mas a 210 e 280 rs. o covado, ditas com palmas
em catxi-
nba de vidro.......
Tinieiro de vidro com tinta superior
1
Ditos de barro que serve para tin-
teiro a ........
grandes, fazenda inteiramente'moderna a 440 rs. o Grosasde botes de louca prateado a
covado : s na loja do pavo, ra da Imperatriz n. Pecas de tranca lisa encarnada a ,
60, de (ama Silva. Varas de bicos e rendas, para aca-
As chitas do pavo. bar a........
Vendem-se chitas franrezas, escuras, a 280 rs.,. Varas de labyrinlo de 3 dedos de
ditas a 320 rs., ditas a 360 rs., ditas matisadas mui- largura a........
to Unas a 400 rs.. dius pretas largas e estrella*, Ditas de pos para dentesa
ditas matisadas com lloroes proprias paracobertas :
na loja do pavo, ra da-Imperatriz 11. 60.
0 pavo vende os cortinados.
Vendem-se ricos cortinados adamascados pro-
prios para janellas, e camas para noivos, pelo ba-
rato preco de 95000 o par : na ra da Imperatriz
n. 60, loja do pavo.
Pentes de tartaruga a 30000 e
Besmas de papel de cores a
0 patio vende os retalhos.
Vendem-se por precos baratsimos, porcSo de
,etalhos de chitas, cassas e lazinhas : na loja do
pavo, ra da Imperatriz n. 60.

pa de
minlias a
fil hran-
800 rs. a
40
320
160
100
160
20
60
100
100
3S00
25000
COMO TODA >< MI!- .SIMILI1AXTE.S MO-
LESTIAS, i'kincii'Aimkxh: QGAHDO sao
'' MADAP, 00 IMtODC/.IDAS PELO VII
i.nKE rao no Mkroukio ou
QOIKINO,
\.im i'.imo Im.ilirm p.'lo fl-rqurntf* ti-n lo A R-
HMMM r mur;is prepurn >liurriii-s
Todas estas Enferndades prompta e efficaz.
mente cedem a benfica, poderosa e
purificantes qualidades da mui
justamente afamada
lir no oikimio \. 60
Loja do belja-flor.
Facas para meninos.
Vendem-se faipiinlias para meninos a 240 rs.,
ditas de balanco de um botu a 280 rs. o talher.
Grvalas para senhora.
Vendem-se gravatas para senhora a 500, 640,
800 e 15200.
Fitas para debrum de vestido.
Vendem-se fitas para debrum, de linho, a 240 a
peca com 10 varas, dita de la a 800 e 15, dita de
38RA DO IMPERADOR38

W, fflRNL
rn* -*.
LOJA 1)0 PltE(lllC\
vJk
NA
Ra do Uueiiuadn n 2.
em-se peras de madapoln fino entestado
a>* 2 jardas por 55, cambraia preta a 500 rs. a
vara, meias de seda de peso para meninas de 1 a
10 annos a 25 o par, lindas e f'missimas cambraias
de cores a 360 rs. o covado, palelots de alpaca de
lodosos tamaitos para meninos, ditos para ho-
mem a 35, 4 e 55, chitas francozas de bons pa-
_ droes e cores fixas a 320 e 360 o covado, ditas es-
' de Graa& ,reitas* 24rovade' bal5flS de arcos a 3*500 e
45. ganga de quadrinhos a 320 o covado, coberto-
res de algodao a 15200 cada um, lencss de cassa a
80 rs., 100, 120, 160 e 200 rs., e outras muilas fa-
zenda* que se vende por barato preco, e de tudo
se dar amostras : na ra do Queimado, loja do
Preguca n. 2.______________
Fnslio do pavo.
Vende-se fusto branco para vestido
meonas a 500 rs. o covado, dito de
320 rs., tarlatana de palminhas *" ..,
co liso, e tarlatana branc- i
vara : na ra da Imperan n.
Silva.
0 pave vende corles de calca.
Vendem-se crtts de calcas de casemira de co-
res a 25400. dit* de cachemira da Escossia a
25*0, ditos de Anga a 15600, ditos de brnn de
urna s ct a 25)140, ditos de castor a 15280, ditos
de casemira preta a 45000 e 55000, ditos de case-
mira fina de cor a 55500: s na loja do pavo,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. Quem deixar de comprar caixas com dua* ar-
_ _-.__, robas de batatas, pelo barato preco de 25, baratas
OH rleOS vestidos a SOniamoar- e perf,.iamente novas : na ra da Madre de Dos
qne, qne chegaram para a loja, ns. 5 e 9.
do patio.
Chegaram pelo ultimo vapor francez os mais
ricos vestidos soutambarque, sendo com as saia*
ja feltas e ricamente enfeitada e guarnecidas,
tendo a preeia fazenda para fazer o corpo; com
seda a 15200.
Prnnas de aro de lanca.
Vendem-se caixinhas de peonas de ac de 200
i rs. a 15-
La para bordar.
Vende-se la para bordar, de cores claras, a
65800 a libra.
lioneras de |chiro.
Vendem-se nonecas de cera a 800 rs. e 1#, ditas
com mascara de tirar e botar a 640 e 800 rs., ditas
sem mascara a 200, 400,500 e 800 rs.
Colheres de metal principe.
venda as boticas de Caors : Barboza,' Vendem-se colhes de metal prnc|>e muito finas
TJL^Vl010 ^ C- BraV C- raa Um, cSaPparraaCatsudcarS >V ** '
Facas e garfos.
Vendem-se facas e garfos a 25800 a duzia, ditas
cravadas a 35, ditas de cabos pi utos a 35200, ditas
de cabos de balanco com 2 botes a 65800, dias
para doce a 5560, ditas de um botao a 65. ditas
para doce a 55-
Cnieote para cavallo.
Vende-se chicote para cavallo, para os amantes
que passam festa a 640 e 15-
Meias para senhora.
Vendem-se meias para senhora muito finas a
Agua natural de c ondllae,
muito recommendada as affeccoes do tubo gastro-intestinal, nos dos rin?, c bexira ourinaria, pe!.?:
suas propriedades alcalinas, e o acido carbnico qne naturalmente contm em suspensao, de preo
' mais rommodo que a agua de Vicky, e de propriedades talvez su[ieriores pela grande qaantidade >
acido carbnico. Injeccao Urou, agua d le Cheeleu, rupahiba de Mego, injecco Fuga* de tauaio
de zinoo, muito rcconimendada as gonorrheas. Le noy francez verdadeiro ; na ineMna casa tona
algumas caixas de instrumentos cirurgiros para operacoes de Matieu e Charriere.
da Madre de Dos.
ItOlPt
Na na do Queimado n. 43, esquina que t
mita para a Congregago ; pechinrha.
Paletoto de casemira a 5, 6, 7, 8, 12 e 145000
ditos de panno preto e azul a 9, 10, 12, 16 e 185
ditos sobrecasacos de panno muito fino por 245 e
285, ditos de alpaca preta e de cordo a 4,5, 6 e 25400 a duzia, ditas para meninas a 25-
75, calcas de rasemiras de cores a 5,6, 7 e 85000, i V Papel de diversas qualidades.
ditas pretas a 65500, 8, 9 e 105, paletots de fusto! Vende-se papel de beira dourada a 15200, dito
e ganga a 25. 25800, 3 e 45, calcas e colletes de amizade a 640 e 800 rs., dito pautado a 15, dito
todas as qualidades e por preco muito barato, len- adamascado a 900 rs.
ces de puro linho a preco de 25800 e 35, cober- Anvelopes de diversas qualidades.
Us de cinta a 25240, eollarinhof de linho puro a | vendern-* avelopes brancos a 800 rs., ditos de
000 rs. cada um, e outros inultos objeetos que so cores 640 ditos para caro de vislla a 500 rs,
a vista; e para isso se pede a attencao dos fre-, dit0R pretos m 'n
trueeg-_________________________________I Tendo recebido ricos apparelhos para senhora,
I.cbco de cambraia de linho 1 de mousacos e camapheos verdadeiros, vendem-se,
bordados. 'de mousaco a 65500, dito de camapheo a 135-
Vendem-se lencos de cambraia de linho borda-1 Dminos e visporas.
dos muito finos sendo para acabar a 500,640,15, i Vendem-se dminos muito finos a 15100 e 15400
15500, s quem vende por estes precos na ra e visporas a 800 e 15-
Enfeites.
1SJjl5iI@ljlg3 W'joi.jloiijojf'o!; i]o!Ml2l;plM';Sil!@| |@il!i^,!0!^|^fJiSi5|Si)
tfHIJA DO 0UEIHIADO--99
Custodio, Ca vnlho A C.
i-nuda deuma hypiithe.ca.
Os liquidalarios da massa fallida de
Jas Antomo Basta vendem a hypollie-
seuTcmpetentes souUmbarques primorosamente ra que Ifill IIOS eigenhOS WnllO (h'SSO
entenado, vindo todo em nm so cartao, assim co- -i.-w uo ,-r|nffl .ip ^-uhPIll na
mo as mais modernas eamisinhas com manguitos e e tajaulSSU UO leroio e >erilllldtiu 00
punbos a balaoricaineiile eefeitados, vendem-se V;iUr de '\ 'Mo$9i 1 P8. I IflUr
SXXSZS rWiSSr*!" < mtm a. 34.
do Queimado tija do beija flor n. 63.
Vendem-se gigos com batatas a 15: no ar-
mazem do Annes defronte da alfandega.
A 200 rs o covado]
|& Ossas milite heniles e tinas:
m na roa do Crespo a. 17, loja de'
jg Jos Gomes Villar.
Superiores cambraias organdys as mais finas que tem vindo a esta cidade e pelo in- %
significante preco de 300 rs. cada um covado ou 500 rs. a vara, vende-se por este baixo
prego em virtudc da grande quantidade que compramos.
Vendem mais.
Fino fil de linho para vestido a 500 rs. a vara.
Baldes de arcos e inadapolo a 35200.
Entremeios bordados fazenda fina peca por 15300.
Finas liras bordadas urna peca 25400.
Vestnarlos.
Completos para meninos e pelo prego de 35500.
Cortes
de casemira de cores pelo barato preco de 25500.
Superiores lazinhas modernas para vestido a 440 rs. o covado.
Chales.
Chales de merino de 25500 85 cada um.
Guardanapos para mesa duzia 25.
Lences de panno de linho fino a 25.
Cobertas de chita indiana a 25-
Ricos vestidos de fil de seda bordados e ditos de seda o que tem vindo de melhor c mais jno
demos para bailes, vende-se barato : no armazem da ra da Cadeia do Reciten. 60.
Hna da Senzalla n 42.
Vende-se, era casa de S. P. Johnston & C,
sellins e sillines inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
oaro patente inglez.
Cal de Lisboa
a mais nova do mercado : na ra do Vigario n
' 19, prieirrao andar.
Vendem-se enfeites de redes para senhora de di-
versas cores, a 15000, ditos pretos a 900 rs., sendo
de fitas e cotilas de ac, peca de lita de coz com 10
varas a 360 rs.
Extractes inglezes.
Vendem-se extractos inglezes muito barato, por
| que foi comprado em leilo, e nao se quer conti-
nuar, a 320 e 400 rs. o frasco.
i;Tl iie iJMiiu
, Vendem-se barrls eoni eal des-
la procedencia, em pedra, chega-
da hoje. e nica nova, qne ha no
mercado, na ra do Trapiche n.
13, armazem de Uauoel TeUei-
ra Basto._______________________
lovldade.
No armazem da aurora brilhante. no largo da
Santa Cruz n. 84, chegou um grande sortiinen to
de linguicas do serto, costelas e mais fato do por-
ro, linguas e cabecas, tudo secco, a 320 e 240 rs. a
libra.
Tiras e lencos bordados.
A nova loja da aurora* ra larga do Rosario n.
38, recobeu tiras e lencos de cambraia bordados,
muito proprios para qualquer senhora e menina,
assim como tambem recebeu ricas fitas lisas largas
de cbamalote brancas, muito proprias para sintos
de senhora, boas luvas de pellica brancas muito
frescas, tanto para homem como para senhora,
mantas de fil de seda bordadas, obra de muito
gosto para casamento, assim como tambem boas
capellas brancas para o mesmo, muito boas linhas
de seda branca para bordar,tanto de meada grande
como de meada pequea, muito bons bicos de seda
brancos e pretos, grande sortimento de pentes Hon-
rados para marrafa e para atar cabello, finalmen-
te temos grande sortimento de um tudo, o qual se
vende barato, pois a vista faz f.
Castaahas de Lisboa
Vendem-se castanhas ebegadas no vapor franca
Navarre a 160 rs. a libra, e canastras de 40 a.50
libras a 65500 : na ra da Cadeia do Recife m
mero 25.
X&> lina do Crespo n. &.
_ Na loja de Marcelino A C vende-se
SR barese de la do cores muito linos a 320
&6| rs. o'covado, ditos lisos com 8 palmos de
y** largura, ricos soutembarques de cam-
SK l""a'a bordado e outras militas fazendas
2 do gosto proprias para o teuipo de festa
S chegadas nesle ultimo vapor, presos mul-
SR to em conta.
FARINHA FONTANA.
Farinlia da muito acre'ita a marca
Featana desembarcada hoje, vende-se
por preco mais commod do que em
fialiwr outra parte : m ra la Cr ^em velas^ difftreDtes ,ldades
a. 4 casa de B. 0. Bieber & C saeees- pejies ^ caora
wre. }soia
No armazem n. 38 ra da Madre de
Dos, vende-se por pre?o mais comraodo
do que em outra qualquer parto os segur-
tes gneros viudos do Aracaty :
Gomma nova.
Cera de carnauba.



n
MUTILADO



* o
Mari* > Pernaaaanco ... abunda lelra f de -o*?iul)io de l*3.
& AGUIABBANCA.
Ret'wu por esse ultimo paquete:
Novas carteiras com as excelleotes agulhas
ingleza*.
Agulhas parisienses tambem de excellen-
te qualidade.
Trancelins finos de borracha para en-j
fiar.
ButSes pretos de velludo, maiores e me-
ares para vestido.
Transmitas (trancas estreitinhas d'algodo,
para enfeites de vestido.
Kscaras cabos demadeira, osso c madre-
perola para liinpar pentes.
:Pnes para p de arroz.
As lindas liveUas cora pedras para cintos.
Oulras de lino donradoe esmaltadas.
dntiasde madreperola.
Bmiitos leques de madreperola cora bou-
Rt.
utros leques d'osso com bouquet.
litros de plumas, com cabos d'osso e
uadroperola, e outros finalmente de snda-
lo e pretos.
' Pentes de borracha, recortados, 'dourados
b com pedras para meninas e outros de tar-
taruga.
Meias de seda para baptteades.
<-Lindas touquinhas de fil de linho. cam-
braia esotiin. mui bemenfeitadas para Crian-
BS.
A AGU A BRANCA.
Ba roa do Queimado u. 8, retebea.
Tnico oriental de Kemp.
Agua florida Murray & Laaman.
Dita de flor de laranja Condray.
Dita de rosasdito.
Bolsas para vlagcns.
Vcndem.se na ra do Queimado, loja d'Afuk
Branca n. 8.
volas pretas
MARA PA.
A Apuia Branca recebcu as desejadas voltas
pretas, mui compndas i; pradas.____________
GRANDE LIQUIDACO
DE
K unidas franeeias p inglazas todas de superior
qualidade : se vende niito barato para liqui-
dar coutas, na loja e armazem do Ararattb* i
da Imperjrtrii n. 56 de Loureneo Pereira tui-
mares.
Grande pechincha La de
palmos a I098O.
Vende-se las transparentes de cores lisas1
e quadros com 9 palmos de largura, pro-
prias para capas e vestidos para senhora a
15280 o covado ; lazinhas muito Anas de.
quadrinhos a 280 e 320 rs. o covado ; di-
tas transparentes muito finas a 400 e 500
rs o covado ; gorguro de cordo, fazenda
fina e nova para vestidos por ser padro de
500 rs. o covado. S na Arara
WHJf*A FJEIT4
NO
ARHACK91
PE
seda por 500 rs. o covado. SO na .
1 Ligas de seda para seohora, e ditas para ha este do sortjmento de lazinhas e
nngnrtos. ou meninas. i QUtras muitas fazendaSj que trouxe o ultimo
>tt*nn!ios Pa nolas.. .... vaporvindo da Europa: ra da Imperatriz
Notos tercos de corn na, e cora pida-1 n -gj ^ do knn dft Mendes Guimartesj;
A Arara tendericos sAldos bordados biancps I
do eem cruz de prata etc.
BaflHas (tuiseiras brancas de parolas fal-
sas, O'Qulrus de chapa de cryslal o paco,
cooi listas douradas.
Tud na loja d'Aguia Branca, ra do Quei-
mado n. 8.
Labyi inlhos e, bicos,
. to baratos que o comprador admira.
yEsses labyriiithos e bicos se applicam a
diversas obras e lins, e sempre com prove-/
lo por suas foiiidoes e duraco, boje mat
da que nunca, convem a todas as famijlas
compra-Ios para aproveitarem-se da occa-
sia'j chi que elles siio vendidos to baratos
que na verdade o comprador admira, e bem
se p le di/.cr tjne por laes preces nunca
RUIS iiaver Os labyrinllios sao de novos
ec b mitos desenhos das larguras de quatro
d# at ni lis .le tim palmo (ou tres a dez
pujadas) e os limitados precos sao de 1)5
rM a poca de de/, varas, variando estes em
iv'n;!: a largura. A ser em varas Iiaver
mui peruanas differencas, os bicos porm
pr'm.-ipiain por mais streilos al a maior
fergura dos labyrintfios, e os precos sao
g.ualattnte propurcionados. bso pois. as-
aras sunplesmenie dito talvezpouca conside-
rar.n. wereca, porm para desengaar e fa-
net .icoiii.irailor reconliecer a verdade ea-
prsciar o extremo da-barateza, necessario
me e diiijam com dinlieiro; a ra do
Chimado luja d'Aguia Branca n. 8.
j'iua econmica.
A agua branca acaba de receber cssa acredit-
is i nica, cuja superioridade est ge-
r a o nhoeid: cssa Ixia prata soturna
. manda, lano porque o calcado lustrado
> ,;i !l.i rieixa pertoitananft' lustroso ao menos
D Km m i necessldade de novo unto, ..orno
a i a ir [uo siu preparadlo appropriada para
a neiarc con^'.rvar ocouro; olla vom em raixi-
shage barriiinhos, e acha-se ;. venda na ra do
i'rf.lo ii. H, luja (l'apuiabranca, aos rezumidos
- -js de. WO, 500 e 610 rs.
Secutes de eoneha.
Ci;::i as miras c diversas cuarnicoes do
r ijsque a Ajtuia Branca acaba de rece-
b :-. fem tambem ama pequea quaNdade
d' pentes de cincha que com graca e acer-
! i fj|> jii> ari'am para i> mo4oniD atadollOS
c.'i':;'is Bllesaio de bonitos e agradaveis
r. i lis, edetamanho pequetiino como con-
v ; para n li n que s5o. E' esla a primei-
r m 'i i" il'ellps aqui cliegam. por isso
q'Wa moda novissima, pelo que ganda*
r" > :i ;nl:n i nquellas senlioras que primei-
ro <^ apresenlarera com elles, para o que
ik mandarlo comprar na loa d'Aguia Bran-
<>, rin '!.. Om'imado, n. 8
empellas, ores e lavas enfclla-
da. para noivas.
Pelu ultimo paquete a Aguia-branca rece*
i ; as artigos cima sempre necessarins s
:'.'-. n^ q.'iaes, segundo suas reeoinmen-
;'S. vieram de muito gosto, c perfeila-
tu r4e delicados.
As (-.i.!!,is sin de mui moilerno e agra-
'ii inolile.de li:ias flores, e acabadas com

. i (i esmero
as llores solas sao cxire-
iii i me delicadas e pruprias para enfeites
i s los e mesmo ornatos de cabera, sen*
fhi i'la lis vi'igonteasde jasmiu, cachos de
i -si las, e mitras estimadas flores.
As linas, porm, apreciada obra de Jou-
viu, parece i>, finm 'ifeitadas pelas mes-
uvis fabricant's >1 ununsas Buree, pnbqnv
em gosto e perfei i-la >l i\aui a desejar.
i essis. pois .. 'lias, flores e luvas
|ae corresponde n 11 iq ie/,a do vestido, for-
iftiilll o couiplc :iss!n oi'rfeiro, e ole-
>aia a galiiarlia da candida nuiva. Resta
fi':n Tile que os pretendentes munidos de
fn!- ro iii;j'rn-se alegre e espacosa lo-
ji BJAguia-branca, ra do Queimado n. 8
t-ilea.I j -las semanaes : pelo
precia tojos comprar.
Sio di; siiiMia ulilidade esses kaleudarins
-> ii i: ;.-s. poique mostrara acertadamente
a d iti o dias da semana, sem o continuo 1ra-
bilUti de boiir nelles diariamente, pelo que
turnam necessarios e preferiveis a iodos
os (antro j; lauto para casas de familias, co-
mo paamu para qualquer oulra parle, e
principalmente por 500 rs. cada um: na
i i) do Qiieunnlo, loja d'Aguia-branca, n. 8.
Puo*phoros de cera.
Yendi'in-si' a i- rs. diuia de caixinhas
de pliosplioros de cera : na ruado Queima-
C'i, loja irAj-Miia-branca n 8.
faiglezas : Opiata e agua da
Colonia.
A Aguia-i)i;i[ica da ra do Queimado n. 8
mu* -le Mceber a apreciada rpiata ingle/a,
sssiin como mu ba agua da Colonia tm-
rii^m iugie/a.
(Jirri* com apena da Colonia.
Otegaram novas garrafas com agua da Co-
irnp para a loja d'Aguia-branca, ra do
,. yueimado n. 8.
' flftravtlha das b<-llas, ovos e
. flslie uls enfeites para ves-
tidos.
iaprasivel a aguia branca o ter de avisar a
siia Bm fropue/ia, p.e acaba de rec*er pelopa-
^n^iwfranivz um bele sortimento 4e -nfritfl de
*mU dotioiuia*l.i maravitha das boas,,os fliae*
* vem un'o para vostido .& eshera eonopaca,
n>a'ii!ia t; dft^nlws sms escolhidas o Km awrtada.-r-
n-s fizom um tinlo apradavel aosollws leqnliju**1
trc.uie 1(110 sailta apreciar e bom. JUaiui, imia, a
rivila .isa-M vvr .(nbeito, hjumwnA M
a -i 2.-5000 rs.
Vendem-se ricos e.finos vestidosbranGOft
bordados a li& ; ditos mais singelos .-SA^
ditos de barras de tarlatana decoros a^},;
ditos de barras nM e muito baratos : ua/
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Jais pechincha na AraraCassas a 200 rs. e co-
vado.
Vendem-se cassas organdys de quadros
cor de caf e mais claros a 200 rs. o cova-
do ; ditas francezas. finas a 240, 280 e 320
rs. a covado; cortes de chitas de cores, a
25 : ditas francezas com pequeo toque de,
mofo a 2*500 ; cortes de riscados famosissi-
mos com i i covados a 35 ( s na Arara,
ra da Imperatriz n. 56); cortes de casimi-
ra entestada para calca a 14, liJ600 e-2&
tendo cada corte i vara e 3 quartas, (usa
muito barata ; casimiras finas a 2$J}Oe3>5
o corte: casimiras lisas para capas de se-
nhora com 6 palmos de largura a 3$ o cova-
do : ra da Imperatriz n. 56. ,
A Aran vende chitas a-240 rs. o novado. SSo
largas.
Vendem-se chitas francezas com toque de
mofo, que se extinguir logo que forem-la-
vadas, e as cores sao fixas a 2i0 e 280 rs.
o covado ; ditas limpas e finas a 30, 360
e 400 rs. o covado ; lencos brancos com
barra de cores finas a 160 rs, cada um ; di,
tos brancos todos a 200 rs.; ditos muitofr,
nos a 320 rs ; meias para homem a 200 e
240 rs. o par ; ditas para senhora a 320 e.
400 rs. : na loja da Arara, ra da Impera-!
triz n. 56, de Mendes Guimares.
Se diadas da Arara a 560 rs. o rotado.
Vemlem-se sedinhas para vestidos de se-
nhora a 560 rs. o covado ; eassa-seda com
palmas solas a 500 rs. o covado ; iChaUm
de cores para vestidos de senhoras a 500
rs. o covado i sarja de cores para vestidos a
400 rs. o covado ra da Imperatri/., loja do
Arara n, 56, A Mendes Guimares.
Madapolo franeez enfestado a 4000 rs.
Vendem-se pecas de madapolo franeez
enfostdo a M > 3300 ; pecas de algodo
encornado a W, 45600 e 5550!): madajie-
13o inglez com 24 jardas marca Bainha a 75 ;
dito Elephante a 7^800 : dito n. 6 fino a
8> ; dito n 7 a 9 : dito de cora dourada
a 105, todos estes madapoles sao muito fi-
nos : ra da Imperatriz, loja da Arara de
Meadas Guimares
lloup fcita da Arara.
Vendem-sc uniformes completos, como
sejam : paletols, calcas, coleles de casimira
ingleza a IOS) e -125 : calcas de brim e
meta casimira a -2 ; palcits de brim de
coras a 25000, e 3 : ditos brancos a 35 :
dilos de meia casimira a 3:?50'i e 45 ; se-
Duulas de bramante francezas a 1 "600 ; ditas
de linho a 5 ; camisas francezas a 15600 ;
ditas muito linas a 25 e 2550> ditas de li-
nho ingle/.as 3 ; camisas de meia para ho-
mem a 500, 800 rs. e 15 ; collerinhos de
linho a 500 rs:; ra da Imperatriz n. 56.
Bates da Arara a 36000 rs.
Vendem-se bales de arcos americanos de
20. 23, 30 e 40 arcos a 33, 35500. 45 e
4oOO ; ditos de brillantina a 45 ; ditos de
dita milito grandes a 336 0 : ra da Impe-
ratriz, loja da Arara n. 56.
Leneoa de seda a 800 rs.
Vendc;n-se li-ncos de seda de uma so cor
muito linos a 800 rs. : ditos estampados a
lo, dilos com franjas a 1-5'iOO : ruada
Imperan i/ 11 "56.
A Arara vciide ricas colchas arclludadas a 85000.
Vendem-se ricas colchas avelludadas para
cama a 85 ; ditas de fustn a 55 ; ditas de
damasco a 45; ditas de chita 25: ra da
Imperatri/. n. 56.
Cortes de la a 3,000, 1,000 e 5,000 rs.
Vendem-se cortes de la para senhora
a 3)600. 45 e 55 : ditos de organdys finos
a 63 e 75 : camisinhas muito linas parn se-
nhora a 45500 com gravata e tambem gol-
linlias muito finas para senhora com boto-
zinhos a 30rs.; ditos de polla e punho a
15 : ra da Imperatriz n 5(5, loja da Arara
de Mendes Guimares.
Tarlatana da Arara a 800 rs.
Vende-se tarlatana muito fina a 800 rs. a
vara ; tilo de linho liso e fino a 800 rs.;
ditos de salpicos a 15 ; fil de linho d co-
res a 160 rs. o covado ; cortes de cambrahi
com 1 vara de largura com palmas soltas
95 ; pe?as de camhraia de salpicos a 35500:
ra.da Imperatriz n. 56, luja d Arara de
Mendes Guimares.
35500
350OO
45000
iiMM
750OO
750OO
45000
450OO
255O0
25500
750OO
45000
35500
550OO
S5OO0
45000
Ca
25000
15400
Vfcfe ******
&ETBEIRO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
.todas as quadades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dosmelhores professores, assim como tambem tem um"
grande e variado sortimento de fazendas de todas as quadades, para seahoras,
.horneas e. meninos.
.Casacas de panno-preto, S5 e '305000 Colletes de/usto e brim bran-
Sobrecasacas idera, 305 e 855000 co, 35jOO, 35 e 25800^
Paletos idem e de cores, S85. Seroulaa de brim de Hnho
205, 155 e......105000 25490 -e.....
Ditos de casemira, 205, 55. D' 'de algodo, 15600 e.
12M05>e...... 75086-
Ditos de ajpaca,- 55 e. 3550O
'Ditos ditos pretos, 95, 75.
65e........
Ditos de brim e ganga de co-
res, 45500, 45, 35500 e. .
Ditos branco delinbo, 65, 55 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 105, -75 e.....
Calcas de casemira preta, 125,
l 105, 85 ......
Ditas de cores, 95, 85 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 55500 e.....
Ditas de princeza e merinpre-
to de cordo, 55, 45500 e
Ditas de brim branco e de so-
res, 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de cores,
35500, 35 e.....
Colletes de velludo preto e de
cores, 95 e.......
Ditos de casemira preta, 55 e
Ditos de ditas de cores 55
45 e........
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
65 e.......
Ditos de gorgure de 'seda
pretos e de cores, 65, 55 e
DE
640
5
65000
sas de peitos de linho,
5, 45, 35 e.....25500
D*-*" jde madapolo, 35,
25500,256.....15600
Chapeos de raassa, pretos fran-
ydezes, 05, 95 e. 85500
itos dofltro, 55,45,35500 e 25000;
|rDiios de sol, de seda, 125,
115, 75 e......-45500
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda.......
Sortimento completo de grava-
tas.
Toalhas parroste, duzia, H5,
95 e........
Atoalhado adamascado de li-
nho vara ...... 15280
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....45000
Lences de linho..... 35000
Cobertas de chita chineza.. 25000
Pennasd'aco, as mais superio-
res, a grosa...... 600
Relogios de ouro orizontaes,
905,805e......705000 M
Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes, 405 8
Obras de ouro, adercos, meios
aderecos, pulceiras, rozetas,
aneis e cruzes.
Lauo do Carne *.
Grande sortimento para a testa por menos
10 a 20 por cento do -que em outra qualquer
parte.
Duarte d- C* scientifieam aos seus freguezese ao publico emgeral, que acaba de elie-
gar da Europa um socio que faz parte da firma, com um grande e bello sortimento de
molhados por elle escolhidos, os quaes se vendempor menos de lo a3opor o/0 do que-ou-
tro qualquer annunciante, garantindo a boa qualidade e peso de qualquer genero .vendido
neste j muito acreditado armazem, e por isso, firmados em que cumprem fielmente o
[ique promettem. pedem todos os Srs. dapraca, de engenhos elavradores. o favor de
mandarem suas encommendas ou relaces ao armazem Progresivo, certos.de nao ierera
em tempo algum occasio de se arrependerem.
Aviso.
Todos os Srs., que compraren paratornarem vender, ter5o, alm da dtfferewa
, j publicada, mais 5 por % de abatimento. Os proprietarios tmbem garantem o bom
i acondicionamento anda mesmo dos mesmos para o mais alto serto.
! Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada Gomma muito alva paia engommar a80 rs
vir de conta propria, a 800 rs. a libra.
305000
A
IHP
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
56o rs. a libra, e em barril ter abatimen-
to.
dem ingleza em potes de 4 a 16 libras a
800 rs. a libra e o pote separado.
Cha uxim o melhor neste genero, mandado
vir de conta propria, a 2,8oo rs. a libra
dem hysson, grande, muito bom a 2,6oo rs,
a libra.
dem preto, muito fino, a 2,6oo rs. a libra.
dem preto, mais baixo, a 2,ooo rs. a libra.
a libra, e em arroba se Jar abatimento.
Sag muito novo a'28o rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 28o rs. a libra.
Sabo massa de superior qualidade a 180
200, e 220 rs. a libra do melhor que ha.
Graka em latas muito.nova a 120 rs, a nti-
nha. e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
curvin, salmo e outrasmuitas quadades
preparados de escabexe, segundo a arte de
cozmha, de 1,400 a 2,ooo rs. a lata.
II\ll(iO IIO KOU!Il\-IUl DO
II li t H Mn 39.
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortimento de
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro com seus pertences.
'Moendas e meias moendas de todos os tamanhes.
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Mtanos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
'S^>
ESTABELECIMENTO COMMERC1AL
DE Jjtv
CV)FJ\RI\ 1 JUMril l)EMETAES,|
Hlio na na do !5inni n. 40 iiinto
a tundizno do Sr. Bowmam, pertencente a
villana limo A C \i)
Neste estabelecimento encontraro os freguezes um completo sortimento 3n
de tudo que diz respeito as artes de caldereiro, funileiro, lateeiro, ferreiro e Sp'
fmuiimo, e os abaixo asssignados que o dirigem, promettem servir a todas as
pessas que se diguarem de os procurar, com promptido, sinceridade e pre-
sos muito rasoaveis. O dito eslabelecimento estando montado em ponto '.*+.
grande, tanto no que diz respeito a pessoal, como em materia prima, e tendo ism
habis olliciaes, pode executar com toda a perfeico e seguranca qualquer ^^
obra tendente as artes cima mencionadas e alloilamente pdem os abaixo as- c^
signados assepurar ao publico que" nenhum outro estabelecimento lhe pode ^/j-,
fornecer mais barato e mais perfeito do que elles. visto que recebem de sua
propria encommenda todas as materias empregadas em ditas obras.
Alambiques simples e continuos de to- Sinos de 16 libras 8 arrobas.
dss os taannos e dimencoes. l'arafuzos de bronze e ferro para ro-
Machinas de cobre para destilar e res- das d'agua.
tilar espirito at 40 graos pelos sys- Torneiras de bronze e bronzes para
temas de Logier e Derosne. engenho.
Carapucas e serpentinas de cobre, e Encanamentos de cobre e chumbo de
estanho, avulsas. todas as grossuras.
Taixas e tachos de cobre para engenho Bombas para cacimbas, aspirantes c
erefinaco. de repucho.
Paroes de cobre e todos os cobres ne- Bombas para destilaces.
cessanos para o fabrico do assucar. Ditas para regar jardins. hortas e
Cobres para rodas de moer mandioca. capim.
Machinas econmicas para lavar roupa Ditas para navios e barcacas de varias
o melhor possivel. I quadades e dimencoes.
Cobre em lencol e arrodellas, estanho em barrinha, chumbo em barra,
lencol e canos de todas as grossuras.
Villara Irmo & C.
'otnssa da Kttssia
Vr-Rve-ae em casa de S. R. Bie-
fcer a *E, Mece*-,
<>az b. 4.
na
Axsncrtrtlo ftfwtteiro
Ba do Imperador n. 28 e caes de Apollo a.
67, a 200 rs. a libra., e de 8 libraspartreiraa
a 55600 arroba. 1
MBlUNflIOS
RCASit,
ji n-sr <'"n s lin :io espa(5so e aletrre .ninba den >,
au*la lir-m*a. rn.i do Queimado n. 8,'que achario"'
m rnnLidtn acoa dita*.
DE
dem, verde, miudinho, mais proprio para ne-: dem do Alto Douro vindo do Porlo
N.
fi9 IDD3 3IT!DB-
MLARGO DO TERCO-N. 21
pi'oprietario deste bem sortido armazem de molhados vende m *ess gneros j
bem conhecidos de primeira qualidade, e por issu caprichou de eaeolher, para bem servir
aos seus freguezes, mandando vir a maior parte do seusortimento, para o que tem pessas
encarregadas para este m,.e os pode vender por menos de 10 a 20 % do que em outra
qualquer parte.
Verdadeira genebra de Ilollanda em botijas de conta certa a 400 rs.
Mam de laraoja em frascos grandes a 1,000 rs. e le Ilollanda a 500 rs.
Caixinhas com 8 libras de lassas de carnada a 2,400 rs. e a ubra a 480 rs.
Velas de espermacete, carnauba e composico a 3o, 44o e 36o rs. a libra a arroba a
10,000 rs.
Falitos do gaz sem avaria a 2,3oo rs. a gcozae 2oo rs. o maco.
Serveja das melhores marcas a 500 rs. a garrafa e a d*jzia,a5,5oo is.
.jinho das melhores marcas F. L. P. a 4oo, 5ooe6ors. a garrafa ,t caada.a 8,800 e
4,000 rs.
Batatas desembarcadas nKtmamentea8o.-a Ubra, e a arroba a 2,8001.
BolaCWBhasarnericffliasa^ooors. e^.-tooirwa barrica e loo r*. ai*bw.
Azete doce deLisboa -aSvooo rs. o gaB* 6V0 rs. a garrafa.
Quecos -do remo os-nwis novos do mercado a 1,800 -e 2,000 rs.
Milhe-atpista o iwistympo-que'ha-a-WOO rs., a arroba a 160rs..a"4ib.
Manteiga ingleza perfeitamente flor- a T20rs. a libra.
4dm franceza, mao"periw, a 560 rs. a libra e em barris a 640 rs..aAlbra.
gocio, a l,5oors. a libra.
Banha de porco refinada muito alva a 46o
rs. a libra, e em barril se far abatimen-
to.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies
Lunch, Cabin, eoutras muitas marcas a
l,4oo rs. a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda, a
2,2oo rs. a lata.
Biscoito inglez Craknel em latas de 5, 7 e 15
libras a 5,ooo e 6,000 rs. e de l,2oo a
800 rs. a libra.
Queijos do reino pelo baratissimo preco de
l,6oo, l,8oo e2,ooo ns., os do ultimo
vapor.
dem prato muito fresco a 64o rs. a libra,
dem londrino muito fresco a 800 rs. a libra.
Vinhos em pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
48o, 50o, ev6io rs. a garafa, e de 3,ooo a
4,5oo rs. a caada.
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa em latas de 1 e mais libras
a 7oo rs. a libra.
Fiucias em caldas das seguintes quadades:
ameixa, rainha Claudia, peras, cerejas,
ginja, pecegos e alperch a 5oo rs. a lata.
Figos em caixinhas de 1 -'2 arroba e de 8 li-
bras a 8,000, 4,000 e 2.000 rs. e a 3oo rs.
a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra, e
em arroba ter abatimento.
Sardinha de Nautas a 32o rs. a latinha.
Toucinho de Lisboa a 36o rs. a libra eem ar-
roba ter abatimento.
Massa de tomates a 64o rs. a libras.
Pimenta do reino a 34o rs. a libra.
Farinha do Maranho a 14o rs. a libra.
Tijollo para limpar facas a 16o rs.
Ceblas a l,2oo rs. o mollio, e a l,ooo rs.
o cento.
Ceneja das mais acreditadas marcas de
5,000 a 7,5oo a duzia, e de 5oo a 600 rs.
a garrafa.
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 800 rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs. a frasco.
Chouricas as mais frescas do mercado a
800 rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa,
e lo,5oo rs. a caixa com uma duzia.
Licores francezes das seguintes marcas: A-
nizete de Bordeaux, Plaisir des dames, e
de outras muitas marcas a lo.ooo rs. a
duzia, e a l.ooo rs. a garrafa.
Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a
8,5oo rs. a caixa. Ha caixas, meias e
quartos.
Peras seccas a 3,ooo rs. a caixa e 800 rs.
a libra. -" -v
Bolachinha ingleza a 4o rs. a libra.
Azeite franeez eportuguez refinado a 800 rs.
a garrafa, e 9,000 rs. a caixa can una
duzia. "
engar-
rafado e escolhido pessoalmente por m
dos socios que se acha em Portugal, das
seguintes marcas: Duque, Genuino, Ve-
Iho secco espeaial, Lagrimas Doces de
1819, vinho especial D. Pedro V, vinho
velho, Nctar superior de 1833, Duque do
Porto de 1834. vinho do Torio vlho su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior I). Luiz I
de 1847, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porto, de 1,000 a 1.2oors. agar-
rafa e de 10,000a 12,ooo rs. a caixa com
umaduzia.
dem Bordeaux de differentes marcas, garnte-
se a qualidade, a 8.000 rs. acaixa com urna
duzia. e a 7oo rs. a garrafa.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho.do Porto
do Alto Douro a-2.2so rs-. com o gam^n.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira. mais
proprio para a nossa estaco por ser Man
fresco a 2,4oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre a 1.2oo n.
o garrafo.
Vinho branco o melhor neste genero a 600 rs.
a garrafa e 4,000 rs. a caada.
Alhos a 80 rs. o masso.
Velas de spermacele as melhores que ha no
mercado a 600 e 4o rs. o masso, e em
caixa se far um grande abatimento.
Frasqueiras de genebra a 5.8oo rs., e a Soo
rs. o frasco.
dem de carnauba e composico, de tea a
32o rs a libra, e de lo.ooo rs. a 11,5oo rs.
a arroba.
Caf de Ia e 2a sorte de 8.3oo a 8,oo rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
lhor.
Arroz da India, Maranho e Carolina a 3,ooo,
2,8oo e 24oo rs. a arroba e de loo rs. a
80 rs. a libra.
vzeite doce em barril, muito fino a 64o rs.
a garrafa.
Papel grve pautado e liso a 3.5oo rs. a
resma.
Genebra de Hollanda em botija de conta a
44o rs. a botija.
Champagne das mais a creditadasmarcas a
l,ooo rs. a garrafa, e a lo,ooo rs.a duzia
ou gigo.
Sal refinado a 7o rs. a libra.
Frvithas francezas e portuguesas a 64o rs.
a lata de uma libra. ,
Chocolate franeez, hespanhol. suisso. e |M>rtu-
guez a l,ooe rs. a fibra, e a 28o rs. cada
pao de uma -/*
Garrafoes vasiosde 5 garrafas at 3 caadas
de 5oo at l,3oo rs. cada um.
no c^taior da cai
cada a^^tambe
t^ltointerrocionnl privado e a^p1lraj<5tflie3g ^tatoMcrda 4-^:*,"^y80'*-*-0-^ '*" eJJarnba a 8'800 e 9'5*0 R-
lem dos- -freaeros annunciados
vende-se i drohero vista.
<*Mvel*
Grao de bico a 16o rs. a libra, e em arroba AeMS francezas ^ caixinhaselegantejnen-
ter abatimefl-o. te\%enfeitadas, com diversas estampas
Conservas inglezas das seguintes marcas:
Mixed. Pickes, e ceblas simples a 800 rs.
o fraseo.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo
rs. o pote.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 librmuitos, a
proprios para deposito de manteiga, doce,
e outro qualquer liquido, de 1,000 a 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz a 2,3oors. a groza e.2nrs.
caixinha.
Milho alpista a 160 rs. a Irbra.
Painea a2ooTS. a bra.

caixa, de l,5oo a 3,ooors.
ambem ha frascos latas de
nhos. que se vendem por
T
macarrifo, talharim. a
a fibra. Aem eaa se
difterentes
mdico pc^a
Massas parlrspa:
aletria a 48o rs.
far abatimento.
Doce de goiaba de 4oo a 800 rs. o .caixa*
grande. ,
dem a 2,000 o caixo grande.
Charutos de todas as marcas e dos melhores
fabricantes da Babia de 3,000 a \,ooj^
a caixa.
Me* dos iepewflw MDtTLDiI
ilLEGVE
V


)
/
DlaHo de Peraanabuco Segunda felfa I de MvembrA de 1
3
i m

GRANDE ARMAZEM
AE
EB
u
N. 36, ROA DAS CRCZES R. 36
DO
halrro de *ano Antonio.
O proprietario do muito acreditado armazem denomiaado Progressista tendo
'empre em vista fazer tndo o qae for possivel para bem servir aos seus freguezes, tem
deliberado vender os seas j bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaixo mencionados, e affianca s pessoas qne mandarem comprar por seus criados ou
escravos, screra tao bem servidas como vindopessoalmonte; encarrega-se de aviar qoalquer
encommenda, ainda mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento. 0
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar ueste armazem o favor de mandarem
devolver rjaalquer objecto qne nio agradar, deludo os mesmos senhores ter toda atten-
';o com os seas portadores, fazendo-lhes ver que s no armazem Progressista da ra das
<;rures n. 30, qne se vendem os melhores gneros por mais barato proco, porque estes
innitas vezes olvidam-se e v5o a ontra parte onde os servera de maneira a desagradar este
^sUtbelecimento.
RA DO QUEMADO N. 46
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
PE
aUMnnaeqmi^NCUHwnwfcU*:
"* I COME
V AIMHM1N SOUTIME-XTO fE M01HA1I0S.
Uvas muito novas a 4,ooo a lbica.
Castaetas a 2oo rs. a libra,
Figos- a 340't-s, a libra,
Vinjo superior da- Figueira e Lisboa, a 400,
UO, 480 e 500 rs. a garrafa, e a 2,500,
2,700, 3;000e3,4Ors. a caada.
lita-engarrafada; das soguintes marcas du-
fue do Porto, Peitoria, Nctar, velhosecco,
Chamisso, e Mdeirasuperior a 8,500 rs. a j
dueia e 800 rs. a garrafa,
na
litara Bordeaux de diversas marcas a 640 rs.
a garrafe7,500rs. a<:airacorrH2 garrafas.
'tem Muscate de Salbala 1,700 rs. a'gar-
rafa, c 18,000 rs. a duzia.
'Jarrafcs cora 8 garrafas de vinho do Porto,
Lisboa eFigticira a 2,100, 2,200 e 2,300
rs. cora o garrafio.
dem branca muito superior a 500 rs. a-garra-
fa e 3,500 rs. a ranada
;.iiraoes Canl garrafas de vinagre-a I, i oo ra.
.Mustarda preparada, muito nova a 360 rs. o
pote.
Palitos do gaz a 200 rs. a dazia de camnhas
e 2,100 rs. a grosa.
Ditas hygienicas e de se|aranf;a a 240 rs. a
duzia.
Alpista muito limpo a 160 rs. a libra,
Gorama de engommar a 80 rs. a libra, e
2,200 rs. a arroba.
Sag muite novo e abroa 240 rs.a libra.
SabSo hespanhol, a 280 rs. a libra.
tem massa a 180, 200 o 230 rs. a libra.
Peixe en latas, savel, pescada, e corvina a
1,000 rs. a lata.
Genebra de Hollanda era butijasde conta a
400 rs.
se recebem gneros de conta
propria e dos melhores esta*
betecimentos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer ge-
nero comprado neste
ESTAULECISEMO.
vende-se em por$o e a reta-
lbo, aprompta-se com toda a
presteza e exactidao qualquer
eucommenda dirigida .a este
RSTAREI.KCIMEMO
Os proprietarios do muito acreditado armazem Progresso laxen, setenta; ao respeita-
vel publico e com^snecialidade aos seus amij$>s e freguezes qovtew wsoWdfmwimirTO
precos dos seus acreditados gneros, como abaixo vero nao obstante os precos menciona-
dos a vista da qualidade dos gneros qne se prova qnanto se eseja servir satisratoria-
mente aos nossos freguezes, advertindo-lhes que mandem seos porgaderos, que- ser to
bem servidos como se viessem pessoalmente, isto s no Progresso.
Papel greve
resma.
pautado e Uso a 3,400 rs. a
Vinagre superior de Lisboa a 1,400 rs. a ca- Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa.
nada 1 Cnampanhe das mais a credHadas marcas
a 10,000 rs. ogigo e 1,0UO a garrafa.
Doce de goiaba de 400 a 800 rs. a caixa.
Velas de spermarete superiores a 580 e 640
rs. o maco.
Uantetga ingtewi de 1. qualidade, a 800 rs.
a libra.
dem de 2.* dita, a 700 rs. a libra.
M>m de 3. dita a 600 rs. a libra.
dem franceza, a melhor do mercado a 540 rs.
e era barril a 500 rs. a libra.
Iijeiii oinlatasiom 2 '/4 libraba 1,400 rs. a lata.!
Banha de porro refinada a 500 rs. a libra.
Qaea lamengos eaegad&a. ulfmmente a
4,000 rs.
dem prato o raelhor que ba neste genero a
700 rs. a libra.
dem do Alantejo muito snpenor a 8oors. a
libra.
Arroz Carolino edo Maranh5o a 2,800 rs. ar-
roba e 100 rs. a libra.
Chocolate portuguez, francez, hespenhol e
suisso de 800 a 1,200 rs. a libra.
Velas de carnauba e de composico a 320 e
360 rs. a libra e 9,500 e 10,060 rs. a ar-
roba.
Vtossas para sopa
400 rs. a libra.
macarriio e talharim a
Charutos dos melhores fabricantes da Ba-
bia 3,800 3,400 3,000 e 2,400 rs. a
,cawa. \
Cerveja das melhores marcas de 5,000 a
6,000 rs. a duzia.
Biscoitos inglezes de todas as mareas a 1,200
rs. a lata.
Bolaixinhas de soda em latas grandes a 2,000
. e 1,800 rs. cada lata.
Amondoas de casca mole a 280 rs. a libra. Ma9sa de tomates em laias dd ,bra a 560
< imnhas com amenas francezas, de diversos e fii0
(amarillos al. 200,1,400, 1,800e2,10Ors.;
cada urna. .._,,. Sardinhas de Mants muito novas a 340
I*rutas em calda, amenas, raraha Oladia, pe-
chos e alpech a 480 rs.
Marmelada de todos os ennserveiros de f ,isboa |
a 600 rs. a libra.
\ vi xas em latas de I '/s e 3 libras a
e 2.400 rs. a lata e 900 rs. a libra.
1,200
r.hn liuxim o melhor que possivel encontrar
neste genero a 2,700 rs. a libra.
dem hysson muito superior-a 2,5oo rs. a
libra.
dem miudinho a 2,700 rs. a libra
Mom preto de qualidade muito fina a 1,800rs.
ldem mais inferiora 1,500 rs. a libra.
Genebra de laranja a!KK) rs. o frasco e500
rs. os Irascos pequeos.
Owmricose paios os mais novos que ha no
MMfe a 500 rs. a libra.
Cugnac inglez a 9oo rs. a garrafa.
Marrasquino de Zara a 7oo rs. o frasco e
8,ooo rs. a duzia.
Licores francezes, annizete, plaisir des da-
mus, etc., etc. a 8oo rs. a garrafa e 8,5oo
rs. a duzia.
rs. a lata.
Toucinbo de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijollo para areiar facas a 140 rs. cada um.
Farinba de MaranhSo a 140 rs. a libra.
Pimenla da India a 340 rs. a libra.
Erva-doce a 320 rs. a libra.
Palitos para meza a 160 rs. o maco.
Verdadeira farinba de araruta a 500 rs. a
libra.
Frascos com araeixas
cada um.
francezas a 1,400 rs.
Pama as melhores
rs. a libra.
que se encontram a 360
Huinchas inglezas muito novas a 24o rs.
a libra, e 3,5oo rs. a barrica.
Azeite refinado a 8oo rs. a garrafa.
Conservas inglezas de todas as qualKladesa
730 rs. o frasco.
Prezuntos do Porto a 5eo rs. a libra.
Batatas muito novas em gigos com 38 libras
por l,5oo rs.
Canella da India a 1,1 oo rs. a libra.
Comrabo a 64o rs. a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas a l,6oo rs.
a ancoreta.
Estrelinha
libra.
e rodinba para sopa a 6oo rs. a
Legumes seceos para sopa a 4oo rs. o maco.
Breu louro a too rs. a libra e 8,000 rs. a
arroba.
Papel pautado e liso aJmaco e de peso de
3,000, a 4,ooo rs. a resma.
Ervilhas seccas chegadas no ultimo vapor a
2oo rs. a libra.
oiuoauaopqeis) 9jsa jep
-i!.tAes^p k Bjwueui ap raa.uds so apno %ie<^si\no e ora a as-mepuio S3za\ sejmra 63sa
aniuod uiwdoiojEq sibui jod sajauaa^sjjoqpai so 8pua.\ 99 enb-c gg mi saznja sep
04 up ejsissdJlojd; mazeaue oa os^ro jb\ saq|-opuazej 'saaopewod soas so moa 05o
-u.utf.' cpoi -Wl sajoqoas soasara: Si^^uaAap 'jupejn ogu anb owalqo janb|enb aaA|0A8p
uituepueui ap joacj o hwzbujjp a jujdroo.) majepuera anb saaoquas soe apad ouisoiu o
ojuauiDaiaqetsa aisap "* ^a sotaafqo opuajuoo oiusara epure 'cpuaumiojua joub
-iBiib jiAeap as-e8WJsou. (uaraieossad opuiA oraoo sopiAjaa raaq o\ uiaias 'soAejasa
11 j sopeiJJ soas jod^JRJdmo wajepaeo anb seossad se cJuegR a 'sopeuoiouaui oxicqB soa
-aod sotad apapujeub ejuaraud ap sojauaS soptaaquoa raaq yf snas so japua.v opejaqijap
11 wi "sozanaij .stias soe jujas uiaq eaed |a.\issod joj anb o opni iazej osia raa ajduias
eprw 'epwajaokM opcrraouap moran opetipoioe oiinm op oijeiaudbjd o
-at laWfPir U^m P oa4iq op zn*3 ep un4 98 *M
aa
Manteca inglesa perfeitamente flor chegada
no ultimo vapor a 800 rs. a libra.
Uen-de'S:*-qualidade a VaVftt a Hbr.
dem de 3.a dita a 64o rs. alibnr.
dem para tempero a 32o e 4oo rsa libra.
aflMn franceaamisnowqoehanomer-
cado a 58o rs. a libra, e-ej barril tera aba1-
timeato.
Banba de porco refinada a 520 rs. a libca.
Vinbo em pipa Porto Figoeira e Lisboa a 4oo,
48o, 5oo, 56a rs. a garrafa, em canada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,000 rs.
dem em barril o mais superior que temvK
ao mercado a 600 rs. a-garrafa.
Lagrimas' do Douro especial vmho do Porto a
1,00o a garrafa e a 10,000 a caixa, o preco
1 uv) indica a qualidade d'este precioso vi-
nho, porm venharaao Progresso quea vis-
ta faz fe, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
dnos vender por menos que outro qual-
quer anunciante.
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre-
ditadas e especialmente eseolhido por ura
de nossos socios, como sejanr.Camoes, Du-
que, doPorto, D.Luiz, CarcaveUos, Ch*
mieso VFilbn, Madeira secco, e Feitoria a
Ooors. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com
12 garrafas.
Garra/oes cora especial vinho do Porto con-
tendo 3 garrafas a *,5oo r*.
dem coraS garrafas de saperior vinbo gueira a2,4oors.
dem com 5
2,loo rs.
Farinha de Maranhe raoMo alva- e choiroza
a 16ors. a Hbra.
Toucinbo de Lisboaa 33o rs. a Bbra ea 9,ooo
rs. arroba.
Sardinhas de Nantesa NMl -aatti-
Azeite doce de Lisboa a 64ors. agarrafa ea
4,800 rs. a caada.
Vinagre de Lisboa a. 2oo. rs. a garrafa eaj
l,2oors. a caiiaua.
Garrafes com 5 garrafas de vinagre,de Lis-
boa a l.loo rs.
Gbarapanbe- das 1 marcas, mais acreditadas a
8 e a lo.ooo rs, o gigo,.e a.8o rs. ea
l,ooo rs. a garrafa.
wmm
DE
a?AZEIDASE ItOlFAS FEITAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 25, 28, 305 e 1"W --------
miuto bem feitas a 25d, 2M, 303e33, paletots acasacados de panno preto^l V\5*5 *
25,5 ditos de casemira de cor a 15,5, 18^ e 203, paletots saceos de panno cT^
mira de 8l at 14, ditos saceos de alpaca, merino e 15a de h& at 63, sobre de ato-..-,
merino de 70 at 103, calcas pretas de casemira de 8& at 143, ditas de cor de 73 at '
t3, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de roupas de briiu
como sejamcalcas, paletots e colletes, sortimento de colletes pretos de meiim ea e velludo de 43 a 93, ditos para casamento a 53 e 63, paletots brancos de bramante a 44
e 53, calcas brancas muito finas a 53, e um grande sortimento de fazendas linas e modea-
as, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senhora, ceroika
de linho e algodo, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin para hornera e ^e^
nhora. Temos urna grande fbrica de alfaiate, onde recebemos encommundas de ara*
-obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de gemelhante arte c raa
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qualuuer obra m
ipremptidao e mais barata do que em outra qualquer casa.
AOS SENHORES L0G1STAS
j Desta capital, arrabaldes e provincias '
a dja cenes.
HAJtftJEI. s C.
N. 23 WJA NOVA N. 23.
Tem a saUsfacco de participar partieularmente aos seus amigos e f-g"TH
geral a todos os senhores togisUs desta e de outas provincias, que. em consequenci a
suas-trelacoes com as principaes pragas manufactureiras da Europa, tem consciinaly
imontar a sua fabrica da chapeos de sol sobre urna escala importante, a ponto c uotkr
offerecer vantagens aos prelendentes, tanto na qualidade e bem acabado dos seus urlue-
tos, como pela redueco dos precos; verdade incontestavel, de que se poderao conven-
cer a vista da fezenda e pelos precos que vio abaixo :
Chapeos de sol de seda para homem 28, a 723 a duzia.
Ditos 26, a 66000.
Ditos 24, a 603.
Ditos para senhora 18 e 20, a 483.
A duzia tem descont de 12 por ceato.
Ditos de panninho preto e de cor, armado de balia 20, 24 e 26 sortidos, anuido
a 163 a duzia.
Ditos de junco 20, 24, 26 e28, a.l83a duzia.
Venham ver para convencer-se da verdae.
Bacarregam-se de encommendas para da Europa.
garrafas de vinho Lisboa a
Vinho braneo de Lisboa proprio para missa
\indo j engarrafado de Lisboa a 64o rs.
a garrafa.
Serveja preta marca T e XXX a >j5oo e'
7,ooo rs. a duzia, e a 600 re. a- garrafa,
tambera temos'das mesmas marras para 4,
e 4,5oo rs. a duzia, e a 4oo rs. a garrafa;
Idea branca T e cobrwa a 5,5oo e 6,000 rs,
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tambem ba
para 4,000 rs, a duzia.
Grasa em latas grandes a 1 3oo rs. a duzia
e 12o rs. a lata.
Vassoura do Porto arqueadas de ferroobra
de muila duraco a 4oo rs. cada urna.
Patitos de denles niassos grandes a^ 2oo rs.
e 28o rs.
Paitos do gaz a 20 r*. a^auinha e 2,3oo rs.
a groza.
Get-dc Alperche'chegada no ultimo vapor
latas de 2 libras a 8onrs. peetrincba.
Genebra de HolfandaarraJoes eom,i6 gar-
rafas por 6.5oo rs.
. dem em frasqueiras a 6,3oo rs. e 6,5oo rs. ea
56o rs. o frosco affianca-se ser verdadeira.
dem de botija em barricas com quatro du-
/.ias a 44o rs. cada botija.
dem de laranja em frascos grandes verda-
deira tabana a 1,000 rs. o fraseo.

dem em barril muito superior a 5oo rs.
garrafa e a 4,000 e 3,8oo a caada.
Ameixas francezas em caixinbas de i % 2 Marrasquino de zara a 72o rs.
e 3 libras elegantemente enfoitadas coran- Lieor franeez de j^g as qUalidah em
ras estompas na caixa exterior a 1,3oo. garrafas ^ dra bmicos, 72o e 800 rs.
l06oo 2,oop e 2,500 rs.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que tem viudo ao mercado a 72p e 800
dem era latas de, 1 '/i e 3 libras a l,4oo e
2,6oo rs, cada rana.
Figos de comadre em bauzinhos de folha
muito proprios para mimo a l.tioo.
dem em caixinbas a 1,4oo rs.
dem em caixinbas ormeticamente lacradas
e muito bem enfeitadas a 1,800 rs.
dem a 2oors. a.libra.
rs., e em caixa a-7,5oo, 8, e 8,2oo rs.
Azeite doce rofinado do fabricante Pelanol e
outros a 800 rs. a garrafa.
Conservas ngle.zas sordas e de unja s qua-
lidade a 800 rs. o frasco.
Araruta verdadeira a 32o rs. a bra
XAROPE TNICO REGENERADOR
DE QUINA E DE FERRO
Preparado pvr UUKULTeC, pJwrmaccoticos dS. A. I. o Principe Napoleio, laureados
da Escola de pharcuek de Pars, ra de Ja Femllade, 7.
o Ela nov comblnacio rene debaite de um pequeo Tiume nina forma aeradavel e om f. 11 ddicioM.
Ha muito que os mdicos deaejavao ardenlemenle a reuniao desles doua medicamenlo, e UxlaVia, apelar
dm mmnre* eeforQns, nem a cienra medica, nem os qumicos o* mala digltactos o podi-rAo o.nsecuir
ateaawi ^nacasporm a peraeverauea humana acho-e*oie aseociadaa esta duat poderosas sulwian-
cias, a quisa, o Inico, reslaurador por excellentia, o ferr, a bare de oosso saogue, e conseKuinie-
menle o reparador dos forcas e da saude aderada ou perdida.
Asmoleatiat contra as quaes o Xarope inico regenerador se Um mostrado muito efllca pho as ame-
porrhelu, faltas de Dvnstruaqao, drea d'estomaao, fastio, digotoes penosas e tardas, flores Iirancas
menstrum;6cs diflleeia, o lymphatismo, o empobrecimento do sangue, as escrfulas, os estraao proundos
yriae molestias syphlliticas.
Ha apenas um anno que o Xarope de quina e de ferro fol appllcado nos boepitaes de Pari, e elle
hojeo medicamento maisem voga, substituindo, por assim diier, os medicamentos ferruginosos canecidos.
O proa, ecto enterra numerosos certifleadoa de muito membros da Academia de Medicina e professorea
da faculdade que attestao que este precioso medicamenio o conservador da saude por excedencia, e
4 o rei-on-tiiuinte da economa animal, indispensavel s pessoas que habitu oa paites quemes como
preservativo das epidemias.
Acha-se venda no deposito geraj, em Pars, na phannacia 6rlmault c,rua de la Keuilade. 7i
em Lisboa, em caa do >nr rin.lrluo a Cnota-carvalbo, Barral eC>| no Porto, na pliarmacia do
sfir niKurl-Jo*r de snmm Fcrreira; no Bt"o-de-Janeiro,emcasa da vlma Pelioto e ninis, ra do
Sabo, 11; na Baha, em casa do !sr Joac-Cartaaa Frrrrlra-Esplahelra i no Rio-Granne, em caxa do
Nir ioaqulii de Catate; no Jldraii/Mio, em casa dos Srs Fcrreira e t>; em Pernomburo, em eu&a
do inr norHioionieu Francisca ac Soasas em caaa dos hura sboMia e C, e bem assim nas prin-
cipsea phannaoias do Brazil e de Portueal.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros* BarfeaM
AGENCIA
DA
Gomma de engommar muito alva a 8o rs,
Passas de carnadas as mais novas que ba no j a Hora e 2^2oo rs. a arroba.
aSag4mratonovoa*4ors.aiibra.
Sevadinha de Franca a 16o rs. a Libra.
Sevada muito nova a Sors. a libra-o 3,eo
s. a arroba.
caixa.
Salmao em latas
8oe rs.
ermeticaraente lacradas a
M
HlZVliUV
nmm
ItlVVtlr
Lagostim em latas grandes a i,4oo.
Savel, corvina, cherne, vezugo, peixe espada,
preparados poja primeira arte do cozinba a
a l,3oors.
Qui'ijos flamengos coegados no ultimo va-
por a 2,4oo rs.
dem do vapor passado a 2,2oo 2,ooo e
I,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
Doce da casca da goiaba caixes grandes a
(too eftoo rs.
Chouricasaa mais novas rapo ha: no mercado
a 48o rs. a libra.
Chouricas mouras eucommenda fispecial nos-
sa a 9oo re. a libra.
Prezunto verdadeiro d lamego ea> caWa
de. aseite 5oo rs. a libra
Bolaxinha ingleza a mais novas qup ha no
mercado a 2,ooors. a barriquinha com
1 arroba, e a 24o rs. a libra.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
res.
dem em latas grandes, proarias san lonche,
com 5 a 6 libras por 2,4oo re.
Marmelada imperial do fabricante Abren e
outros conserveiros de Lisboa a 6eors..a
libra.
Macarrao a 32o rs. a Hbra.
dem e teUvarim.onwt.opvtt qmfam MR*
cadoa 48o rs- ItjUn
Atetria a 5oo.p6. ailbra.
Arras Carolina a k*o rs. a .libra e a -2i8/iai;s.
a arroba.
dem do Nfaranhio a 12o rs. a libra, e a
3,ooQ a arroba.
Caf do Rio o mais superior que so pode de-
sejar a 32o rs. a libra.
dem a 28a e 3oo rs. a bbra e a 8,2o, 8,4op
a8v7pars.
Velas de carnauba refinada a 32o rs. a libra,
e a 10,000 re. a, arrpba.
dem de spermacete a 64o re, a libra.
Chocolate hespanhol e francez a 9oo Iyoo
re. a libra.
Frats env calda de todas as qualidades
5oo re.
Ervilhas francezas a ooo rs. a lata.
dem portugua/as a 64o rs. a lata.
Massa de tomate a 6lo rs. a libra.
Amendoas confeitadas a 7oo re. a libra.
dem da easea mole a 28o rs. a libra
Avelans a 2oo rs. a libra.
Bstrellinha e pe>ido muito nova a 4op rs. a
libra, e a 2,ooo rs. a caixinha cora oito
libras.
Cha perola rauito especial ebegado este raV
timo vapor de. eucommenda particular
nossa a 2,8oq rs. alibra,
dem huxim maita.Sper'OP a-2,700.,13, a
libra,
dem hysson a %56om a libra.
dem bjsson a 2,ppo, e 2,2op re. a Hbrav
dem preto homeopathico e muito superior a
.ooo rs. a libra.
dem nacional a f ,60o r. a Hora.
Batata muito novas a8o rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e de todas as marcas, como sejam: sas-
piros, bavaneirosi raessacipes, regaba im-
perial, flor das mattas, primores a 4,ooo,
3,500, 3,2oo, 3,000, e.2,00o, 2,Soo,
2,ooo e l,6oo re. a caixa.
FNDICAO BE LOW-MOOR.
litada Srnzalla nova n. te.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e ceado, de todos os
tamanhos para ditos.___________
Arados americanos c machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston A C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
O GALLO CANTA
Ji sabido que, guando chega o vapor da Eu-
ropa, o gallo cania annunciando aos seus Buoiero-
sas,freguezos as galanteras de irais gosto e da ul-
' tiyia moda t/ue |Kir elle recene, como sejam :
Camsinhas para senhoras.
Rlqaissimas camisinhas rom mauguitos e gra-
vMinhas para senhoras : s no Vigilante, ra do
Crispo n. 7.
Cirigoiinhcui.
Riqusimas cirigolinhas ou gravatinhas, sendo
cousa de muito gosto, e a primeira vez que appa-
rece) para as sonhoras de bom gosto : s no Vigi-
lante ra do Crespo n. 7.
Pentes de concha.
Ha para chegar riquissimas guarnicoes de len-
tes de lindo gosto, tanto para atar, como para mar-
ralas, por precos razoaveis : s no Vigilante, ra
4 Grspo n. 7.
Redes com aritilips de fita.
Lindas redes pretas e de cores com um lindo la-
rfmSo de fita para conservar o cabello, pelo barato
preco de 15500; assim como os novos eofeMes pa-
ra cabeca a 3000, 4 c 5000 : s no Vigilante,
raa do Crespo n. 7.
Ligas.
Biauissimas ligas de seda de bonitas iras a
assim como fita propria para o mesmo ef>
a 500 rs. a
Brespo n. 7.
Luvas de Jornia. *
Iferobem ciffiQ e cegaj por todos os vapores
grande sortimento de luvas de Jouvin, onde os fre-
llctao podem escolher: s no Vigilante, raa da
Crespo n. 37.
Entrijneios e babadinhos.
Tambem chegou grande sortimento de ntre-
melos e babadinhos, que se vendem pelo baratis-
oa*. prfeo de 1^500 a peciotia : s no Vigilante,
raa de Crespo n. 7.
Fivelas para cinto.
Tatabem chegou grande sortimento dp lindas fi-
vslias de ago e de metal rom pedrinhas e sera el-
las, pelo barato preco de 25 e 25500, dando-se a
fita para as mesmas : s
Crespo n. 7.
O GALLO CANTA.
J sabido que o gallo nao poda dei'ar de can
lar, annunciando a seus numerosos freguezes os
riquissimos pentes, que acaba de receber por este
Ot mo vapor.
Fitas ffanemris.
- A. loja do vigilante araba de receber urna enrom-
menda de fitas esperiaes para barras de vesiios,
assim como
preess
Craspo n. 7.
i Twbew araba de receber os brinets de linho,
proprios para passar a festa, torna-se muito trono
mico por fer muito leve, nodendo-se lavar e engom-
mar pree*i!e t#300 eada um : na laja do vigi-
iMle, roa de Oeapo n. 7.
Snfneories.
Chegaranj os superiores suspeasorion de seda
A 1,500
A 15500 a lata de verniz ou alcatrao >!
com mais de tres caadas e meia : do armaiRn
da bola amarella, no otao da secretaria de p
licia. ________________
- Km casa de Mills Latham Cruz n. 38, vende-se ferro galvanis.ido de um dos
mellKiros fabricantes inglezes, proprio para coa*-
tas de caras.
ESCBAVQS FGIBOS.
Escrane futido.
Sodia 5 do correte fugio desta cidade o esrra*
vo Patricio, mulato alaranjado, do 18 anuas tic Ma-
le, baixo, um pouco cheio do corpa sobranrerhus
bem grossas, olbos grandes, com sardas iwlo r,e>
ta, natural da cidade de Manuiigoapc, provMQa
da Parahiba, levou vestido calca ccami^abranraK
r muito ladino e esperto : roga-se s auloiiitedft
de |K)licia, a qualquer pessoa, ou capitao de campo
a appreheorao de dito escravo. e leva-lo 4 sen &
nhor na ra de Santo Amaro n. 6, ou rapitaltnV
Parabrba entregar ao tenente-coroncl Joio t"ji*#ar
canil de Albuquerque. Recompensa-so gt
maule.
Ir-Maura, .
pardo, com 20 annos de idade, cor araborola*,
rosto redondo, olbos pequeos, cabellos meto rara-
pinnados, denles cheios de lodo, estatura repula/,
sabe ler, esciever e contar, com offlrio d>- sl/aiafe,
vara : s no Vigilante, raa do, (mbaibeu em cas no pateo da matriz de Santo Antonio. dr-puH juio
a Conceifao dos Militares, em casa de Bastes &
Reg, e ltimamente no pateo da matriz de Ssnfi
Afilme, em casa de Olegario ; amia ralcadoi&j
bolJORd lustro, pe chapeo banda, sabia W>ljdi>
com calca de casemira verde escuro, palatal de n-
paca preta, camisa branca, chapeo de palhinna
eom qtiadros pretos e brancos, o ronsia o ter ttV
cado por ontre de palhinha toda branca ; lato
bem de snppr que trocara a roupa, custuina dlzer
que lillio de um major de guarda nacional, ijr-
tu)a-se forrev e assigna.se urnas vezes Prant-i^i
fttrnarde Quinleifo, e oalras vezes Francisco la-
vier Mues Quinteiro. Ha qoas seis meics anv,
sa ansenlou de casa : qualquer pessoa que o tu-
no Vigilante, ra do- contrar, pegue-o e o leve raa Nova, em ra*a*fc>
8r. (Juinteire, qne ser genorosamenle retemplo
sado._________________________________
>
Fngio do engenho Burarema, distrirto de 9*-
nhaem. no dia 23 de Janeiro de corrrnte aan.o
cabra Honorato, escravo de Jos de Quita Pacs
Brrelo, com os signaesfegtintes : altura ttak
:omo paradehrum", eousa muito bonita, e- S.t.T.'^ giwUra reIular' u,n PT "^Ot'
baratissimos : na loja do vigilaate, ra da K?" i'a^! ^ ~"^ n11**- **'
potico rarspinhoa, pee chatos, rosto sirro. coro-?"
nae salientes da rellio nas costas, falla desea
rajadamente e tem 35 annos de idade, pour
on menos; qnem o pegar, sirva se leva-ro ao i
engenho, ou a Leal & IrmSo nesta |>raca, que sTa
bem recompensado.
de linho. e que se vende jmr precos baratissimos :
na roja do vipibnte, na dn Crespo n. 7.
\o**a enhora da Coucclco
Cbntintia. a estar venda na ra do Imperador
n. IS-a novena de N. S. da Conceicio, conAtrW
nram o reverendos carmelitos da Reforma do Re
tm, e tndo a mais conforme oa annuacioa. fetos
per este Diario.
, hmava. fugla
i Pngjo no dia i do cerrente a negra VicnrTa.
. irlouta, rom os signaes seguintes : estatura e cer-
p regatares, conaunvsnrnai de rabel* norpufc
lado eMioerdo, betoos grnssfM, andar liiiPa'a,
falla grossa, levon vestido de chita roa com flores
encarnadas, panno da Costa com listras encarna-
das e verdes, rostuma andar m arrabaldes desf
tinne, .cooste t sido eocoafiail*. eo Olinda:
qnem a pegar, leve-a 4 raa do Quoimado a.e\
toja, qne ser bem recompensada
TliLADO
I
ILEGIVEL
^
Vende-se urna casa terrea nos AlogadwstIaa '
ra de S. Miguel n. 22, com 17 na luios de frepja,7
porta e janella na frente, e da parle de detraza
quartos, cozinha fra, quintal murado, grande, cTIb
portan, cacimba em bom estado : qnem a preten-
der, drija-se ao escriptorio do Dr. Alrofurado, oaa
achara com qnem tratar.
-*-
Mi



6
Diario de Peraambaeo aegnada f elra 1*3 de ^iovemhr de t 4*3.
LITTERATRA
i.
km 11
XVII
(Conrliiaso.)
la turbulenta a canrilta, que seguiu at a casa
de Bettancourt. A
recobida nos lances do tribunal, conflajrou nimos
V. Ek. esta gracejando mas, ainda assimj l nao apparecas raais lu do sol; mas
raagoa-me. Eu podia esperar muitas melhorias
minha sorte, quo ainda hnntem era desgrayadissl.
ma no drzer do mundo porm a vindadeV. Exc.
cora to amoravel perdo, tomanho bcra que eu
nem sonhava. V. Exc. dir se ea...
- NSo me des sempre excellencia, Casimiro ;
faisca elctrica do enthusiasmo,! chania-rae al6uma vez pae, se queresque eu te cha-
mu ihu.
uvi-uis, cm bellieoso arrehatamento contra a |>oli-
cia c trn|ta; suido que, as duas familias levava ti um tomando o maior.quiriho do contentamente d'aquel-
nroKtD de centenares de mancebos, urrando vivas 'a adopyo paternal, abrayou-se ao pescoco do ve-
academia, e morras aos fulricaseo.ssoldados. Ca- Iho, eacariciou-o infantilmente.
miro parou algumas vezes no intuito de arengar Ao
os moyos; porm, a cada palavra conciliadora sa|jjr
responda o fremir de muitas vozes, a pedirem
besta, que, para seres ra, s te falta a bravura.
O tumulonto fita va o ouvido, e responda com
mucos insultos, requintados em obscenidades de
alcoace.
De madrugada, o nete dos Parmas d'Eea acor-
dou de fro que tinha o peito ensopado no proprio
vomito.
Sentou-se, cirrumvagando os olhos espavoridos
calla-te,) na corte.
teu caf.
por sobre a desordera que o rodeava. Ergueu-se
Reijou-lhc- de novo a mao, em quanto Christina. cambaleando, recahiu n'uma poltrona, escondeu
o rosto entre as mos, e chorou.
Oh I aquellas lagrimas que nao eram infa-
anoutecer, Casimiro pediu licenya para
singue e vinganca I
Paroeem-me ranibaes!dizia Ruy de Nellas
ae vigarioEsta rapaziada nao tem quem a gover-
nc I? Pobres pacs e mies I
Ginscguiram entrar cm casa, e acommodar os
pequinitos, que v :ham chorando de medrosos da
Onde vaes ? !acudiu Ruy de Nellas.
Vou acompaobar o cadver de Guilherme
Lira.
Encararam-se mutuamente, e voz nenhuma con-
trariou a piedado do amigo.
Ladislu tomando licenya de suamnlher, seguiu
voieria, Mafalda nos bracos do av, e o fllho de o compadre. O vigario ficou em companhia de Ruy
Ladislu nos do padre Joao. I e das senhoras.
Casimiro sabia janella a dizer expressoes de | Christina, ao despedir-se do esposo, no pata-
ieconlkimento que a turba dcsattendia, clamando mar d* escada, disse-lhe em modelayo suppli-
saipre por vinganca, e pedindo ao acadmico que cante :
fouiasee o coiiunando dos esludantes para vingar a
morte do valenle, que o defender a elle.
Por entre os amotinados circulavam pessoas de
E se bou ver desorden ?..
Eu farei que haja paz, minha filha.
Ento vaes na idea de te envolveres m de-
sespiito, pacificando os nimos, ou enganando-os sordem t
I ara mais azado lauco. A custo, porm, se disper
*u. ni, compromettidos areuoirem-senosahimento
do Guilherme Lira.
Aquiotou-se a ra.
O rell sentou-se entre a Olha e o genro, lan-
gando-hVs os bracos em volta do pescoco. Alegre-
didnln conversou, ora queiando-se de o nao terem
acuitas vezes im|K>rtunado com rogos de perdo,
ora promettendo-lhes em redobro a amisade, quo
i
bes nao dora mais cedo.
- Nada de Coimbra-dizia elle a Rettancourt
V'mnos para Pinhcl, que tu nao tens necessidade de
%et uOJcial com tanto trabalho. A legitima de tua
loullior vae augmentando, sou eu que a tomo a
raros; c, em quanto eu vi ver, estaris em cata,
sera despender do vosso. E' preciso pagarem-so as
dividas do dinheiro, que as de amor nunca se pa-
gau. Esto l-adislau um grande moyo, o pae
i rosta c no corayo. Este padre Joaosei eu bem
o que elle : creou-se debaixo das minhas telhas,
e-4a da vir a ser bispo, se a virtude qualidade
ara ser bispo. Em quanto cachorra da Peregri-
na, esta, se nao fosse do Ladislu, havia de casar
comigo. que est guapa, esbelta, e urna perfeita
flama. Voces riem-sc ? Talvez pensem que se eu
flUlzesse dar madastra minha Christina, andara
imito tempo a farojar as boas familias da provin-
cia I ...... Ora agora, tu Casimiro, deixa-te de
uiathemalicas, faz-te lavrador, toma tua conta os
caseicos da no casa, melnora-mo os bens livres
gnnnto poderes. bemfetoria> e mais bemfeitorias
os prazos de nomeayo, que eu quero deixar o
mana que possa ser ao Sueiro, quelle vil en-
onnado em hbitos fidalgos. Sao uns lacaios to-
cos, desde o morgado at D. Alexandrc, e a minha
Ctoinar l se fez com elles, que nem j se dignou
eScrever-me no dia dos meus annos I Deixae-a
coro.*o... Vamos a saber : voces nao ja ntam? O
crjntenlamento urna boa iguaria; mas sempre
vejam se me guizam o contentamento com urnas
batatas, e urna fatia de presunto. Voces comem o
contentamento. e eu o resto.
Sahiu Ladislu a tomar o jamar no Paco do
Ctode, visto que em casa ninguem atinava a saber
onde estavam as panellas.
Entretanto, continuou o infatigavel fldalgo:
Vou logo cscrever a minha irma, a contar-lhe
orfurcedido. Tenho vontade de a ver; nao quera
morier sem a ver I Foi para Lisboa aos treze an-
cos: eraum lyriode brancura, cgalantaria. Nun-
ca mais a vi..... Velha nao pode estar, que eu
levo-Me vinte annos de vantagem Relia van-
tegem, nao tem duvidal---- Talvez a convide a
vir 'passar comnosco em Pinhel alguma tempora-
da; mas ella sc l de Lisboa I Disse-mc um
Iter-ntado que a condessa vive l no ultimo fausto,
e* visitada por ludo que tem um nome grande na
aristroeracia c na poltica. Ser ella constitucio-
nal T I-so l me custa; mas em fim, o marido
era-o; e justo que ella herde as convicyoes de
..(nem herdou seiscentos mil crusados em dinheiro,
Kjac os vinculos foram a quem tocaram. Fez urna
asneira miaba irrnaa em enviuvar sem fillios.
Ninguem Ihe cortava a jovial parlenda ao velho,
at que chegou Ladislu comilous moyos carrega-
Co de vitualhas. A' excepyiro de Ruy de Nellas,
os convivas debiraram levemente as iguarias. Ca-
simiro romera regularmente no dia em que fra
Iiivso; r, sollo, entretinha-se a repartir o pratu
eiilre os pequeos. Nao pareca ter a satisfayo
da alma que llie tornava fastidioso o alimento; pe-
to contrario, revia-lhe o semblante urna extraordi-
naria mi'lancolia.
E' que o moyo via diante de si continuadamente
Jmagem de Guilherme, que, vinte e quatro horas
tes, tinha dito a Christina : Amanha j V. Exc.
tanta em casa com seu mando. E abstiuha-se de
revelar a sua magua para uo compugir a esposa
amigos, que to alegres estavam, e perdoavel-
ani'i.U'- esquecidos do couimensal do dia anterior,
ctquella hora amortalhado I
Era ja proposito de Casimiro sahir da Universi"
aile.o ir buscar sua vida emqualquer mister. Era
quelle anno o segundo j perdido. Entrou-se da
certeza que a desgrana Ihe atravancara o caminho
das sciencias. E elle amavao estudo, deleitava-se
as aspvridoes da matliematica, e ia desaiar-su
|>ara sempre c saudosissimo dos seus livros, das
suas ote horas de estudo, da sua banqueta de pi-
nito pintado, e de toda aquella pobreza limpa, que
as mos de sua mulher transformava em jaspes,
tnognos, razes, e ouro.
O convite de ir para Pinhel, com o sogro, seu
amigo, entrar no goso das honras da Ilustre fami-
lia, ostentar a benemerencia da sua probidade,
vgndo a avultada casa, vingar-se assim parifira-
iiente dos de Miranda, nenhum destes incitamen-
los lint descorita va as dores. Ser parodoxal o
dizer que DetUneourt mais se queria refugiar no
casal de Villa Cova, com sua mulher e filha, e an-
Cus de melhor rosto acceitaria o seu prato mesa
de Ladislu 1 Pois urna sublime verdade esta t
Casimiro olhava em Ladislu, no vigario, e sua
nia, e dizia-se : iO' meus amigos, a minha dr
ncunsolavel ser deixar-vos. Eu hei de fugir sem-
pre para asvossas serras.emquanto tivervida para
ene lemhrar o que fortes para mim e minha mnlher
bus dias do desamparo I
Cuidei que te vinha trazer mais alegra
Nao, tilha ; vou na idea de evita-la. Limpa
as lagrimas, Christina : nao appareyas assim dian-
te de ten pae, que me aecusar de duro par ti-
Rem sabes que sagrado ever en vou cumprir,'mi-
nha filha.
Sabiram.
Raro acadmico faltoo ao sahimento do cadver.
As alas negras raoviam-se vagarosas, tristes e com
os olhos em ierra. Ao lampejar das lochas rebrilha-
vara muitas lagrimas.
Guilherme Lira morrera propugnando pelos bros
acadmicos,diziam : eraum engao: Guilherme
morrera, suicidando-se. verdade que, no cor-
rer de quatro annos, mao terrorista pesara sobre
a gente coimbran, avssa aos acadmicos, de cujo
pao vivem. Soldados e verdeaes respeitavam a
balina, porqne Guilherme Lira vesta urna. So-
bravam razes de gratido quelle desgracadov
mas o seu morrer, o derradeiro arrojo nao era j
valenta ; fra um ir mutter o peito ia espingardas
que o abocavam.
Foi o cadver lancado a cova. N'este acto, Ca-
simiro sahiu de entre a multido que rodeava a se.
pultura, e lancou sobre o cadver a primeira pa de
trra Depois cruzando as maos sobre o peito, e
sem desfilar os olhos da cabeca empannada e en-
anguentada do morto, disse :
t Ali est a raocidade, ea forra; aliest am.
mancebo, que deixou me neste mundo; n'iste
parou o grande alent d'onde os infortunios da vi"
da desviaran) as torrentes dos inftuxos do cu. Es-
'e hornera seria o anjo do bem, se melhores con-
cedes da mocdade o nao houvessem saturado de
odio contra o mundo. Eu sei a historia desta exis-
tencia perdida, senhores. Este moco era bom; der-
rauou intilmente os blsamos do coracio ; acbou-
se vasio de amor ; e repletuu-se de peconha e odio
Cansou-lhe a coragem para a resignacao; sobre-
veiu-lhe o delirio da vinganca, cega vnganya, sede
Senta-te, Ruy, e d-me tuna cbavena do Esperemos.
A condessa afastou das tontes as cabellos em-
- Tu aqui, mana f tu aqui !...voltava o pastados de suor, e disae cortando as palavras de
fldalgo Deixame convencer bem de que estou
occordado \ ... Quemquelle senhor?...
E o men capel lio.
Sente-se, Sr. padre capelln, sente-se.
Qual destas meninas t tua filha! pergontou
a condessa.
esta, aqui tens a minha Christina.
A condessa beijou-a, abrayou-a, e mandou-a
sentar.
suspenses, que pareca o abalar de mao eslra-
nha na garganta :
Casimiro esteva ao eellegio dos nobres ate...
At 1834, nuahi senhorareapondeu o filbo
do maior.
E depois...
Como perd meu pae, fui a Pinhel procurar
amparo de prenles pobres.
E nunca ti no Diario do Govrrno um an-
Este meu genrocontinuou o velho, apre-1 nuncio pertmntando se existia um fllho do major
mes!
O desgracado lembrou-se que, cinco amios an-
tes, tinha me, c que a profetica senhora muitas
vezes Ihe dissera: Presagia-me o corayo que
has de ser desgracado, meu fllho.
Porque? -perguntava elle.
Porque tens dezesete annos; sahiste hontem
do collegio, e j hoje escarneces a relgiao de teus
pae?. Assim to cedo deixaste estragar o cora-
cao !.. -D aqui a annos, nem por amor do teu no-
me, nem por calculo, sers honrado 1
E, cinco annos depois, e s ento Ihe lembra-
ram as palavras de sua me I.. .Era o seu anjo da
guarda que as recebera ento, e agora Ih'as offe-
recia memoria, como lemmento nico d'aquella
funda ulcera de descrdito, desgraca, e infamia
Na noute desse dia, D Alexandre desappareeeu
de Coirnbra, foi caminho de Lisboa, d'ahi pediu
sua legitima a D. Sueiro, e sahiu de Portugal. Ha
vio* e tres annos que foi, e nao voltou.
XVUI
A's duas horas da madrugada do dia seguate
ao das scenas descriptas no anterior capitulo, che-
gou porta da hosi>edaria, chamada Poco do Con-
de, urna carruagem, tirada por duas parelhas-
Aberlas as portas, apeou urna senhora, dando a
mo a um padre velho que descera primeiro, e lo-
go urna creada. O padre, responderlo pergon-
ta do creado do hotel, disse que a senhora con-
dessa de Asinhoso tomara nm caldo de galinha, e
voltou a receber as ordens de S. Exc.
Pergunte padre Franciscodisse ellase
hoje foi o julgamento de nm acadmico chamado
Casimiro de Rettaacourt.
O padre foi cumprir. dizendo entre si: que
importa enhora condessa o julgamento do aca-
dmico, chamado Casimiro de Rettancourt ? Pois
ser para assistir audiencia que ella vem a Coirn-
bra com jornadas toreadas ? 1
Volveu o padre, dizendo:
ama historia interessante, qoe parece no-
vella, a do tal acadmico, senhora condessa. Em
resumo, conta o estalajadeiro que, estando para
ser julgado o ru, e forcosamente condemnado,
appareceu a deciaracao d'outro acadmico, que
matarara antes de hontem, confessando o matador.
Em consequencia do que, o tal Rettancourt foi
posto em liberdade.
Gracas, grayas, meu Deus !exclamou a
condessa, ajoelhando.
O padre petricou-se, e encarou na creada tam-
bera petrificada: neohum ousava tugir ura raooo-
sylabo.
Ergueu-se a condessa, e enviou de novo o ca-
pello pedir ae dono do hotel a bondade de fallar
com ella por alguns minutos.
O estalajadeiro vestiu a casaca, e esperou na
sala a Sra. condessa de Asinhoso.
Interrogou-o ella acerca de todas as raiadezas
concedientes soltura de Rettancourt. O infor-
voraz de sangue ; mas observae, senhores, que a I mador relatou-as todas, desde as severas liyoe
teutayo nem sempre venceu o instincto do cu
com que fra dotado este moyo. quelle homem
leve tantos amigos, tantos que,entre vos, um s nao
ha que se peje de mostrar as lagrimas. As minhas
seria vergonhoso que se novissera : eu hei-de cho-
ra-las longo tempo---- Vos sabis que as porta
docarcereseabrirara hoje, porque esta sepultura
vae ser fechada. E eu, ba presenya de centenares
de testemunhas, e por aquella redemptora cruz vos
juro que acceitaria a minha priso perpetua em
troca da vida deste homem, que era vosso, assim
como tinha sido o meu defensor...
Vinganca 1 vinganca! bradarara algunas
vozes de estudantes, que agitavam os gorros, e as
tochas. Espectculo para terror era quelle era
volta de um cadver i r. um brado, conglobado
de mil brados, respondeu.
Vinganca I
Casimiro ergueu a mo, pedindo silencio, e ex-
clamou :
Paz paz I que eu vos peco, em nome de
vossas mes I em nome das cans do velho pae,
que espera ampararse em vosso brayo 1 em nome
do vossas irmas que am do vosso auxilio o seu
futuro em nome das almas candidas que vos
sorriem ao corayo dias de maor felicidade. Paz
vos pey eu, meus amigos, apontando-vos este mo
yo que est por aquelles labios frios contando o que
a desordem, o que a guerra, o que o desenca-
mnhar-se um homem da estrada, onde ha espi"
uhos, para tomar pela estrada onde ha abysmos'
Que til liyo, que excellente preceptor nos est
sendo este cadver I Lembrae-vos.senhores que es-
te moyo tem me. Eutrae com o espirito no corayao
das vossas. A val ai o amargor das lagrimas que
verter cada urna das santas do amor, se um de
vos cahir n'aquelt'outra sepultura Consent que
que eu falle neste instante pelo brado de todas, e
vos peyao que ellas supplcantes a cada um de vos
pedem : Paz, meu fllho I >
Callou se Casimiro. Respondeu o cciar da res-
pirayo alta d inmolo auditorio. Retirou-se elle
da margem da cova, e caminhou triste por entre
a multido, que deixra pender o brayo sobre a
arma escondida sob a capa. D'ahi a pouco, os aca-
dmicos debaudavam em grupos, e o silencio d'a-
quella sepultura estendeu-se pela face da cidade-
Ao sahir do cemterio viu Casimiro diante de si
a esposa, o segro o vigario e Peregrina.
Vientos ouvir-te, filho disse commovido
velho.
E superior nossa admirayo, Sr. Casimiro I
disse o vigario.
Eu sou apenas superior aos rous pela vlrtu.
de de os lastimar respondeu Casimiro, dando o
brayo ao sogro, cuja sensibilidade Ihe quebrantava
as foryas.
Desde logo, pedido de Ruy de Nellas comeya-
ram as senhoras os aprestos para a jornada no dia
que o acadmico dera a D. Alexandre, at ao lin-
do discurso, dizia elle, que o amigo de Guilherme
Lira improvisara beira da sepultura; e n'uma
especie de apostilla narrativa contou a esqueci-
da circunstancia de ter rompido inesperadamente
pelo tribunal dentro o fidalgo, sogro do estudante.
Pois elle est em Coimbral intenotnpeu
vivamente a condessa.
Vi-o eu, minha senhora 1 um velho boni-
to I basta ve-lo para se dizer : < quelle um fi-
dalgo dos antigos lempos t >
Sabe onde mora Casimiro Rettancourt'
Sei, minha senhora.
De manhla tem a bondade de me guiar a
casa delle ?
Pois nao, Sra. condessa 1...
O capello, cujo quarw era sob o pavimento dos
aposentos da condessa, apesar de contuso e nwido
dos solavancos da carruagem pelas barrocas da
estrada real de 1840, nao pode adormecer, ouvin-
do at madrugada os passos da Ilustre dama, e
o abrir e fechar das portadas d'uma janella. Certo
fra que a condessa nem se qur encostara a face
as almofadas do leilo, e, de quarto em qnarto de
hora, ia impaciente abrir a janella a ver se rom-
pa a alva.
Assim que aclarou o cu, j a senhora desper-
tou a creada para Ihe dar do balm outros vestidos
e ornatos.
Ao nascer do sol, estava S. Exc. vestida a rigor
de viuva opulenta: modestia elegante, pompa
meio velada pela cor escura do estofo.
O padre, que perder a esperanya de adorme-
cer, levantou-se, e foi ante-camara receber as
ordens da condessa. Sahu ella a dizer-lhe que
tomara urna chavena de caf, e s nove horas sa-
hna acompanhada de sua reverendsima.
Sua reverendissima, vendo-a assim adereyada,
consentiu que o demonio da maledicencia Ihe en-
cavalgasse o espirito. Dar-se-ha caso, dizia el-
le comsigo, que a condessa esteja namorada deste
Bettancourt ? Querem ver que esta senhora, aos
quarenta e seis annos, tresvaliou, e vae destruir o
bom nome que est gosandn ?!... Mas nao Imo-
nologava elle, tornando sobre si. Vae-te espirito
aleivoso que me tentas t Aqui ha segredo que eu
vou saber logo I Esta senhora o typo da honesti-
dade, e o modelo das viuvas honradas!
A's nove horas sahiu a condessa, com o seu ca-
pello e o estalajadeiro.
Chegaram defronte da pequea casa da Couraya
dos Apostlos.
aquidisse o goia.
Obligada. Pode ir, quo eu demoro-ma,
Subiu a dama a declivosa cscadinha, e batea
porta do topo. O capello seguiu-a, gemendo.
Abriu urna criada a porta.
Posso fallar ao Sr. Ruy de Nellas ?disse a
condessa.
Foi a criada saleta era que as duas familias
estavam almoyando, e noticiou que era urna se-
sentando-lh'o.
Casimiro den um passo, e curvou reverentemen-
te a cabeya.
Este que o Sr. Casimiro Bettancourt ?
disse a condessa apertando-lhe a mo.
E a mi arda, tremia, e apertava extraordina-
riamente.
As outras pessoas,concluiu Ruysao fi-
Ihos do met corayao: aquella a minha Peregri-
naje quelle o meu padre Joao. Lembras-te, Eu-
genia, do Jos Ferreira da Rechousa, nosso ca-
seiro?
Lemhro.
Pois sao frlhos delle qne eu herdei. quelle
oufro, que ali vs, Ladislu, marido de Pere-
grina
E estas duas eriancinhas ?
Urna minha neta e tua sobrkiha, primog-
nita e nica de Christina, a ootra filho de Ladis-
lu.
A condessa, ouvindo o irmo, a cada instante re-
lanceava os olhos de Rettancourt, nico da comiti-
va, que Acara do p, no intento de servir a hospe-
da, e dar a sua cadeira ao capello.
Senta-te, Casimirodis.se o velhoAqui tens,
Eugenia, o meu orgulho, a minha gloria, o meu Ca-
simiro sem mancha de culpa, coni a sua honra il-
libada I Nao foi preciso appellarmos para Lisboa.
A justiea de Deus veiu mais cedo do que a espera-
vamos. Eu te cont como isso foi. .
Sei tudoatalhou a irmaJ me informa-
ram na hospedara.
Mas como ests tu aqui, mana ?tornon Ruy
Vmhas munida, talvez, de cartas para afcanya-
re> a absolviyao de teu sobrinlnv em Coirnbra T
Nao, Rnytartamudeou a condessa.
Ento que palpite foi esse de te botares ao
caminho, sem saberes a decisao-do julgamento?!
Dizes bem, Ruy... foi ura palpite.
Bem hajas tu que vieste dar o remate nos-
sa sahsfayo I Agora vaes comnosco para Pinhel,
nao assim ?
Irei. E hoje janto comvoseo.
tsso estava sabida I... pois ento ?!
A condessa disse a padre Francisco :
Pode ir, e descansar sua vontade, padre ca-
pello, que en passo aqui o dia Queira dar esta
parte criada. i
Sahio o padre, e todos passaram ao quarto de
estudo de Casimiro, que era a parte mais alegre
e arejada da casa.
Estou entre amigos! diese com um profun-
do suspiro a condessaa primeira vez na minha
vida que digo isto !
Ruy comprehendeu a irma relerabrou a moci-
dade dolorosa de Eugenia, e fez um gesto compas-
sivo, e outro que significava : nao lembremos o
que l vae. >
Porm, Casimiro impressionado daquellas pala-
vras, disse respetosamente :
As felicidades de V. Exc. nao devem ter sido
invejaveis 1 Em volta da riqueza, da formosura,
e de nm nome distncto rostumam rennir-se mu-
tos amigos... ou pelo menos, mu tos que o pare-
cer ...
A condessa encarou nelle rom penetrantes olhos,
e disse:
Lastima-me, alo verdade?
Minha senhorabalbuciou Casimiropey
perdo... nao quiz dizer que lastima va V. Exc...
Quaesquer que tenham sido suas maguas, a sua
elevada nosiyo nao consente que eu me conda...
Est bom, est bom atalhou Ruynao se
falla aqui era maguas, nem d, nem lastimas Es-
te meu Casimiro tem urna propenso para discup
sos tristes, que nunca vi !... Olha que hontem a
noute, mana, o que elle disse beira da sepultura
do Guilherme, ia arrancar ao fundo do corayo as
lagrimas de quem nunca livesse chorado t
porque eu dava o exemplo, chorando, Sra
condessaajuntou Casimiro.
E deve ter chorado muito disse ella.
Pouco, minha senhora. Sou um homem mui-
to resignado, ou muito forte. A mim as grandes
angustias levemente me abalam. Algunas vezes
tenho chorado oorenusas nsisrnlkantes. Posso ver
a olhos enchutos morrer minha filha, e nao poderei
ouvir sem lagrimas o piar de urna ave, a quem
mataram os tiraos no ninho. Isto ser deformidade
de organisayao ;mas dureza de alma nao minha
aeiiliora Meditando na minha ndole, vim a con-
siderar que para mim o incentivo das lagrimas,
urna certa poesa fnebre e maviosa, sensayo que
eu nao sei de outro modo definir; ao patn que as
desditas positivas, cerradas e solTocantes regelam-
me a alma.
Elie ahi est a fugir para a tristeza !inter-
rompeu o fidalgo.
Deixa-o fallar, mano ..pediu a condessa.
S. Exc. tem razo...disse Rettancourt
eu sou incorrigivel, e tenho contagio. Aqui est
a minha Christina absorvida tambem na sua me-
ditayn...
Nao! -aecudiu Christinaeu estava a pensar
com alegra as tuas tristezas passadas, meu Casi-
miro.
E todos com o passado s voltas!clamou
Ruy-Fallem no presente, desrubram o futuro, e
nao me afflijam, que vae aqu tudo razo I Querem
ver que a minha Eugenia tambem melanclica ?
Em pequea eras muito, menina O teu gosto
eram sombras de arvores, fontes, ver o cu de nou-
te... Aqui estou eu tambera a fugir para traz trin-
ta e Untos annos Rem diz o Casimiro que a sua
scisma pegadiya! ..
Mas olha, mano, deixa-me conversar com o
teu genro, aima que o passado te aborreya...
0 que eu observo, Eugenia, que tu sympa-
thisas grandemente cora elle I
Por que nao ?
Reijo as maos de Y. Exc.disse Casimiro.
Isso. quando se faz, diz-se.
O que, Sra. condessa ?
Disse que me beijava as mos...ento...
beiie.
Casimiro inclinou-se, e beijon de leve a mao da
dama, que Ihe apertou vertiginosamente a delle.
Este visivel estremecimento impressionou Chris-
tina e Peregrina, que se encararam de ura modo,
que poderia ser duvidar do bom senso da condessa.
Vamos conversar, Sr. Casimiro disse Euge-
nia. Queira sentar-se ao meu lado. Meu mano j
me disse que o senhor era filho de um militar, que
morreu no cerco do Porto.
Sun, minha senhora, sou filho de Duarte Bet-
tancourt
Conheceu seu pae f onde estava quando el-
le morreu ?
Conheci meu pae. Vi-o em 1810 pela ultima
vez. Estava eu no collegio dos Nobres quando elle
morreu.
Salie em que anno nasceu ?
Sei-o dos propios apontamentos de meu pae.
Escriptos por elle raesmo ?
Sim, minha senhora.
D-me licenya que os veja ?
Por que nao, Sra. condessa ? Aqui est a ve-
lha rarteira de meu pae.
A condessa tomou da mo de Casimiro, com sof-
frega ancia, a carteira que folheou.
Onde? disse ella convulsiva.
Duarte Bettancourt ?
A Pinhel nunca chegou esse jornal disse
Casimiro E quera se inleressava em saber se eu
exista ?
Quem? .. ^af
Sim, minha senhora.
Era eu. .
V. Exc.! acudiu Casimiro com assombro.
Com que fim eras tu, Eugenia ?perguntou
o fidalgo ?
A condessa fitou a vista incendiada no irmao, e
disse : ... ,
Com o fim de saber se existia .. meu filho I
Assim devia ficar urna familia de Pompea, de
sbito, empedrada na invaso da tova fulminante.
Uns a outros, com olhos pavidos, parecam pedir o
claro sentido daquellas palavras.
Casimirosentu lavaredas no seio, e descerrou os
labios expediyo do lume. Estrondeavam-lhe no
encephalo urnas allucinayoes de ebrio. Dos olhos
de sua me afusrlavam urnas como frechas que
Ihe cortavam de larapejos o curto espayo de ar in-
termedio. Para os outros, ha s o termo estupe-
facyo que os descreva. A condessa oscillava mitra
vez assoberbada pela coramoyao nervosa ; j se
nao sustinha, com as mos apoiadas as costas da
cadeira. Levantou-as, estendeu os bracos como a
pedir amparo. Encontrn o seio de Casimiro, e
n'elle inclinou a face, exclamando :
Meu filho !...
Mas isto tudo nm sonho! disse Ruy de
Nellas, levando as mos s fontes.
Casimiro ajoelhoa com a me nos bracos. As
duas senhoras, sem segura consciencia do que fa-
zam, foram amparar a condessa. O vigario poz as
mos em attitude de quem ora. Ladislu cruzou os
bracos no peito contemplando o grupo.
De sbito Casimiro afastou um pouco a face, con-
templou o rosto pallido da condessa, beijou-a na
fronte e disse:
Tenho me, raeu Deus I ... Eu sabia que a
tinha, e havia de eneontra-la! .
Ento, chorou, a torrentes !
Se nao chorasse, enlouquecia.
XIX
Decorridas alguraas semanas, o casamento de
Casimiro Rettancourt com sua prima carnal D.
Christina de Nellas era validado pelo nuncio apos-
tlico, dispensando no parentesco, e saneando a
ignorada rregulardade. A condessa perfilhava
Casimiro para Ihe segurar a successo de seus
grandes cabedies. Casimiro, porte, com quanta
delicadeza e respeito a ternura filial Ihe inspirou,
disse que s acceitava a perfilhayo para ser seu
filho, e nao seu herdeiro. Fkou interdicta, e alheia
da intenyo da resposta, a condessa. O filho escla-
receu assim a propria demencia :
Minha me herdou de seu marido : eu, filho
de outro homem, que morreu pobre, pey licenya
para ser estranho aos naveres do Sr. conde de
Asinhoso. Eu sou filho de D. Eugenia de Nellas.
Minha me ainda tem a sua legitima n'esta casa
de Pinhel. Essa acceito-a como dote para egualar
o patrimonio de minha mulher.
Pois sim, filho, faya-se a tua vontadedisse
a condessa. Por minha morte ficars agricultan-
do alguraas geiras de trra em Pinhel, que vale
rio doze mil cruzados. Pirars sendo um lavra-
dor dos menos abastados da comarca. Minha so-
brinha Guiomar vira senhorear-se do vinculo c da
casa que vinculada. Tu com tua mulher e fi-
ltros irs viver no casal da Rechousa, oa n'outro
seinelhante, que ameayam ruina.
As paredes abaladas especam-se, minha que-
rida me ; a dignidade aluida que nunca mais
se repara. Eu amo a mediana, que o refugio
da paz.
As lices da vida deu-m'as o lavrador de Villa-
Cova. Minha me prometteu-me ir ver de perto
a casa de entre serras, quelle abrigo de honra
dos e de santos. Venha commigo ali estar uns
dias, e V. Exc, olhando d'ali para o cu, dir :
se ha parazo na trra, se ha bem no mundo,
aqu. >
Iremos, filho; eu tambem o desejo. J es-
tou convidada para ser madrnha do segundo fi-
lho de Ladislu. Rem vs (pie ando a cuidar-lhe
do enxoval.
E, logo na semana seguinte, partiram todos pa-
ra Villa-Cova, e as meninas solteiras de Pinhel
tambera.
Quem este homem de jaqueta de pao azul e
colete encarnado, e chapu braguez que vae a p,
ao jado da egua em que monta a condessa ?
mestre Antonioo carpinteiro. Ali vae con-
versando em obras, que preciso fazer aqui e
acola, as casas arruinadas do fidalgo.
A rondessa trahalha por tirar este homem do
officio : oftVrece-lhe dinheiro para erguer casa, e
comprar bens. Mestre Antonio responde :
Fidalga, grande nn, grande tormenta Dei-
xe-me c com a minha vida que vou bem assim.
Meu filho brasileiro manda-me duzentos mil ris
cada anno, e eu, a fallar verdade V. Exc, te-
nho-os ali para urna gaveta, sem saber de que me
servem.
A minha alegra o trabalho. Em pegando
dous dias santos, ando como tolo sem saber em
que hei de gastar o tempo.
Mas gaste-o em trabalhar nos seus bens.
Nos meus bens trabalho eu, Sra. condessa
Logo que me pagara o serviyo, alguma cousa te-
nho dos bens era que trabalho.
Ficars, portante, carpinteiro, honrado hornera,
mas homem honrado, toda a tua vida.
Custa a caber tanta gente na casa de Villa-Co-
va Armam-se leitos de bancos nos cazaroes das
tullas. O quarto solemne dos padres consignado
ao fidalgo.
A condessa oceupava o de Peregrina. Que fe-
liz barafunda ali vae I Os creados vera carregados
de caya dos montes. 0 fidalgo qur ir cozinha
fazer urnas trouxas de ovos, cuja receita Ihe deram
os anjos.
A rondessa anda l pelos campos a correr atraz
da netinha.
As irmas de Christina sbem lapa da Crasta
e entram de l a herrar que Ihes acudam, que a-
coraein os lobos.
0 capello da condessa, acertando de encontrar
na Im aria dos padres Miltdes, as cartas manus-
crptas de Fr. lartholoraeu dos Martyres, perse-
gue toda a gente para que Ihe ouyam ler as cartas
e os commenlarios soporipheros delle. Quem mais
o atura Casimiro; que foge do bulicio para a li-
vrana defeza s corrimacas das cunhadas.
Chega o dia do baptisado, o nesse da appareee
inesperado em Villa-Cova um tabrllio de Pinhel,
a rogo da Sra. condessa de Asinhoso. Lavra-sr
urna escriptura. una doayo, que faz a me de
Casimiro, ao seu alunado Ruy, filho de Ladislu.
Da-lhe quinze mil cruzados era inscripyes no
banco de Portugal, em virtude dos minios e impa-
ga veis favores que devia a seus paes.
Casimiro abraya sua me, e exclama :
A virtude engenhosa, uiiaha querida a-
miga !
Os paes do menino beijam-ma a mao, e Ladis-
lu diz :
Com a condiyo de que meu filho conserva
Vdisse-lhe ella, sorrindova lar na
PWeui erelesiastioa o seu predilecto Barlftrtomea
dfe Martyres.
r-^Tesma;dat? ?ra nonwado coneo da S da
C-iarda o padre Joao Ferreira
d SJ.^1*'"'a.visad0 M s"a pobre paroahi, foi a
rTse ^ *** condessa,
~ ]>erdoc;me >' Km. a recusa : eu nao posso
separarme de minha irmaa e cunhado. V. Exc.
na quer que eu-morra de saudade as (Micas de
urn-eabido. Consinta que eu me deixe ali viver
a satura duvirtodes doa padres de Villa-Cova.
EU aqu um padre novo,que desloadas dou-
tnnas do meu velho capello ddisse a condessa
-I\)ii sim, padre Joao, v para osen presbvtero,
Vnr',nu UKnla vez> ,orae roma a
minha velluce.
n5!!i,na/onlou a sua m e ogra os menores
incidentes do sea na-nnro, e mostrou-lheo Jos
pastor que tao til e leal Ihe fra.
Oteara a fidalga o Jos-pastor e mandou-lhe
(pie dtssesse a raza porque lizera aquelles servi-
yos ao Ssr. Casi mico e a menina.
O rapaz respondeu ;
Era toda a gente contra elles, e hi disse c.
cornos meus bornes : oradeixa estar que eu vos
dou as ventas para traz.
E nunca le deram nada ?
Elles queme haviam de dar, fidalga? I
Entao razias tudo sem interess?
O que eu quera era v-los casados. A me-
nina estava l em cima fechada a chorar, e o Sr.
Casimiro andava l por longe escondido... fize-
ram-me umita penal Foi o que fot
Queres tu ser padre ?pergnntou a con
daaaat,
Padre ? !
Sim.
Nao, senhora. Antes quera ser sargento.
Sargento I... mas tu s muito rapaz aiada.
para assentares praya.
Bosso assentar praya de tambor, que os tam-
bores sao do meu tamaito.
Es tolo, rapaz Queres tu estudar para de-
pois seres ofllcial ?
Eu j sei lr., que me ensiuou o Sr. Casi-
miro.
Pois sim; mas agora vaes aprender entras
cousa para Lisboa.
E leva-se l bordoada de sgo ?
Nao, patarata, ninguem l te bate.
Ento. se a fidalga qur, e o fidalga deixar.
vou.
E foi para a Polytechnica de Lisboa, com recom
meadayo da coadessa.
D. Sueiro de Aguilar te*e noticia destes suc-
cessos estupendos. Sentiu guiadas de fazer as
pazescom a familia de Villa-Cova, e por um ca-
bello se nao dcscobre nesta extrema de despejo.
Guiomar anda escreveu a sua ta, comprimentan
do-a pela sua ehegada, A condessa respondeu :
Agradeyo o comprmanlo de minha sohrinha. e
fayo votos pela sua felicidade.
Esta sequdo irrito* D. Sueiro, que se desea*
tranhou era apostrophes contra a canalha du Pi-
nhel. A ta de sua mulher foi exposta irriso
dos seus hospedes, na presenya da sobrinha. Reoe-
tiram-se os vilipendiosos amores que deram o fi-
lho natural, sobrinho do carpinteiro. Desde es-
te facto, D. Guiomar odiou o marido, cuja hedion-
dez de carcter s pedia ser aventajada por D. A
lexandre.
Tratou a condessa de casar suas sobrinhas, cora
auxilio dos seus ha veres. Aeeorrerampretendea-
tes das melhores casas das duas provincias coa-
liguas, e casaram todas cera murgados, horneas
de bem, vaidosos de seus apellidos, mas inofhnsi-
ves, e virtuosos mesmo por vaidade de imitarem
seus avoengos. As senhoras dispersas por aquel-
les palacetes sola rengos reuniam-se em casa de
seu pae, nas festas do anno, nos natalicios, e no
anniversario do casamento de Casimiro. Esta
clausula fra instituida pela condessa.
A tiro de peya de Pinhel, exisaam uns casebres
derrocados, onde nascer a, segundo nwmayes
de mestre Antonio, seu cunhado Duarte Rettan-
court, filho de um soldado dailhadeS. Miguel
que ficara na meiropole, e ali estabelccera urna
tenda. Comprou a condessa estes pardieiros aos
possudores, e mandou-os arrazar, e sobre elles
edificar um obelisco, cintado por grossa cantara.
rom portadas de ferro. Ia todos os dias ver a.
obra, que durou um anno, com os menores alvs-
neis rebuscados na provincia. Conclvido o obelis-
co, foi entalhada na base urna lamina de -rr>
com esta h'genda:
MKMORIA IF. DtrARTK BKTTANC01RT.
immedato Urde. O velho futorava o rompimen- nhora ricamente vestida a perguntar pelo Sr. Ruy
to de alguma revoluyo acadmica, a ntervenyo ( *ei|a3
Quem pode ser ?!reflectiu o fidalgo.
Abre-lhe o meo quarto de estudo, e diz se-
nhora que entredisse Casimiro.
Quando a criada sahia da saleta, j a condessa
estava a entrada, dizendo:
_ Nao sou de ceremonias, vou entrando, por-
pacificadora de Casimiro, e fortuita desgraca de
ser emnenhado pela honra a coadjuvar o partido
dos estudantes.
A esta hora, meia noute seria, D. Alexandre de
Aguilar, infamado, despresado, e solitario na sua
angustia, esvasava garrafas de cognac, no inten- ,
. V \,- ... a ... [ niiB i conheci a voz do mano Ruy.
u to de aturdir-se e responder com a gargalhada do ^^g^Eto urfog- 0 veloo ^-^ os bracos
irrairo I -dizia o fidalgo |,,rio ^ Krit0 da '"gonha. Os deploraveis per- e flron com os bracos abertos, e bocea tambera
- V.Exc descalpe a minha tristeza respon- did(W',,uese valcm.desU *5 -""" que*f *^ndessa cheRou-se ao alcance do abraco e
ra-Ca D*im h.m do que rw^na cast.ga-los a justiea humana. u,3_ parewqoe o mano duvda....
- hois sim, bem sei qne deves ter pena do ra- Noule ,*, 0 ebrto ,,atia corn a cabesa m, vidra- DuVido -balbuciou elle-pela mesma ra-
a>az; com lado, cada cousa tem sen lugar. Conver. ?as de suas janellas, farpava a face nas arestas zao qw nao devia duvidar... Tu tens vinte e cin-
aa com a gente, abre nm riso nesse rosto, e faz dos vidroi>i e ru ja mp^acSe, rontra Deus. As co aunes, Eugenia! Ests quasi como te vi sahir de
*SrZSr 8^qUC^^,demaSparairu,hasacu'"'"u,avam- sua Poru, egarga- ^^^ tefiS eram desusada en-
* Ihavam das estpidas objurgatorias do moco. Acu- tre jrraaus, Ruy I Pois eu dir-te-liel que ests
Casimiro hrrad aos labio* a mao do velao, e i diam os acadmicos visinbos, e bradavam-lae: bastante alcancado. A vida de provincia menos
djsse: I Calla-te ah, miseravel; afoga-te em cognac; salutar do que dizera as pessoas que envelhecem
r o deposito como patrimonio dos desgranados ;
Aqu, minha senhora = respondeu Casimiro, mande \ xc escrever esU clausula na escrip-
indcandiv-lhe a pagina, que a condessa leu ; tura ~_
Meu filho Casimiro nasceu em 15 de Janeiro de Ladisludisse a condessaj Iha deveer
1816. Foi baptisado em S. Domingos de Santarem escrpta no corayao
aos S do mesmo mes. Fot criado no Cartucho, Ali se detiveram trinta das. De Pinhel, em ca-
donde tahiu em 1820. da semana, vnham cargas de vveres. Lasdlu
A condessa murmurava anda ; mas nao lia o semia-se e o fidalgo responda :
restante da nota. Fechou a carteira, e volteuu-a .' ... .
nas mos, remirando-a. Depois pregou os olhos !sl Para o ca(jellao da mana condessa, que
no rosto de Casimiro, e permanecen n'cste espas- muito as carbis do_Fr. Rartholomeu ; chora de
mo alguns minutos, i
seio Ihe sahiu um grito
de lagrimas em que a luz da vista pareca ...
voar-se am'B Ladislu, eramos todos victimas da gulodi-
V." Exc. sofTre! .. disse Casimiro. c,e do Padre- VaB10S 'anyando estes bocados ao
E acercaram-se todos da condessa, que, toman- Acheronte, que promette, ao contrario do outni,
do a mo de Rettancourt, ergueu-se de impeto e levar-nos para o ceu, se nao adormecer no meio
Ihe disse : do minho.
o, e perinanoceu n'cste espas- l mni* a-s (>arti,s d.Fr- .Bariholomeu ; chora de
s, at que muito do fundo do enthusrasmo : mas nao o imita na temperanya. Se
rito estridente, e urna exploso ria calaz de fn|l,r san,- o bom do egresso,
ue a luz da vista pareca inne- se o pilhasse Sem este contrapeso de vitualhas,
I.eve-me a urna janella... d-me are urna
gotta d'agua.
Sao ervos I -observou Ruy- da casa que
abafada... Abram toda. as janellas... Queres tu
descer ao quintal I Vae cora ella, Casimiro... Va-
mos todos.
Estou melhoratalhou D. Eugenia J res-
pirei...
Costumam dar-te estes accessos, mana ?
Costumam ..
Sentou-se de novo reparando na carteira, e outra.
vez se Ihe tingiu de escarate febril o rosto.
Mysterio I disse o vigario ao ouvido do cu-
nhado.
Que cuidas? Iperguntou Ladislu.
A alegra dava graya ao velho, que em geral,
era semsaboro.
Na volta para Pinhel trouxeram comsigo a fa-
milia de Villa Cova, salva o vigario que voltou ao
amor de seu rebanho,
Sahiu para Lisboa o capello da condessa com
ordens ao procurador para vender o nafecio, os
trens. <*> primores da Asia.que opulenavam a tris-
te viveuda da viuva. Triste, sera ui amigo, co-
'.no ella dizia. Ao mesmo tempo, o egresso cura-
priu outras ordens com referencia ao ministro la
justiya. Ultimado tudo, voltou o padre a Pinhel :
ia reloucado d prazer, porque a nltitn* hora, sou-
brra que fra nomeado conego da patrisrchal. Ret-
jou as raaos condessa.
morto no ski' posto df. honra,
dk 1834,
ma.vdol' kr1gir sku filho
C.\s.i.RO RETTAN .UL'UT.
KM 18VJ.
Ruy de Nellas, l muito no seu interior, uo
tostn da lerabranoa. Era a natureza a prichai
por elle.
Neste tempo, .ove a condesse urna hora de mui-
tas lagrimas.
Casimiro, de proposito e por veoerayo, nnnea
Ihe mostrara duas cartas, que conserva entre
os papis de seu pae. assignadas pela inicial t.
E'uma tarde, como estivessen sentados na base
da columna, Casimiro ti ron da carteira dous pa-
pis dobrados e amarellecidos.
Que isso, filho ?
Veja, minha me.
Abriu ella, e exclamou:
E' minha a lettra t Como possues islo 1'.
Minha mej deve saber como as pomo.
A condessa leu soluyante, e beijou quelle papel,
que estivera nas mos de Duarte. Leu a segn
da, e, em meio da pagina, susteve-se afogada de
aneias e lagrimas.
Casimiro arrependeu-sc da indiscriyao, acari-
cion-a, pedindo-lhe, pela memoria .de seu pae.
que vencesse a sua dr.
Era este o contheudo da primeira carta :
t Nao sorTras, D. Conta com o meo valor.
Parece-me que vou ser arrebatada para urna
quinta do tio. Nao sei qual. Eu te avisare, a
preco de tudo. O mais que podem matar-ne
meus maos. A minha alma ir identitlcar-se
tua : vivirei sempre coratigo na ierra, e aman
< do-te de um mundo melhor. Sooega, meu arni-
go. Se Deus v a nossa innocente paixo, elle
nos proteger. Se nao ha Deus para nos, se-
remos um para o outro. Tua, .
Esta carta devia ter sido escripia antes da ida
para Camarate.
segunda dizia :
t E' horrivel esta oppressao Tenho medo de
morrer abafada pela angustia. Vem, aproxima
te, ili-me alentos, se nao pretiro anleripar a
i morte. Ai que soledade I que abandono nesta
< hora I Vera, vem, D., que eu queria ver-te an-
i tes de morrer I E>
Presume-se que esta ultima carta foi escripia
de Recaldim para Torres Novas, quando Duarte
deseen de llraganca, a receber das mos de Brites
aquella creanya, que ali est agora com o rosto de
sua me aperlado ao seio.
Em seguida quelle trance, a condessa acalmou,
e teve febres por longos dias. A presenya do fllho,
magro, lvido, triste como quem pede a primasia
na morte ao lado de um enfermo em perigo, abra-
zou-a em supplcas fervorosas a Deus, pedindo a
vida. Declinaram as febres, volveram espelu-
cas e saide, e continuou o hymno de gracas ao
Senhor, entoadn por aquellas duas familias que
rodeavam o leito de Eugenia
Segura a convalescenya, a condessa, prevendo
que por morte de seu irmo, a casa de Pinhel
passaria successora do vnculo, cuidou em
construir um palecete, em nome de Chris-
tina.
simiro objectou que d'aqoellc 'modo passava
us Hlhos a casa do conde de Asinhoso.
respondeu :
taras tu privar-me que eu beneficie mi-
nha soi>!*J|ha ? Isto nao tem nada que ver comti-
go, CasimiV*s demasas da dignidade sao nm;:
impertinent.. jl
JjL CONCVSAO.
Passaram-se vite e um airaos.
Ainda que o contrario se augure a pessoas, que
tem a boa sorto de nao escrer*m roinances, a
concluso de um livro desu especie e dolorosa
de fazer-se, qur os personagens tenham existido,
qur vivessem, corno chiraeras qnendas, na phan-
tasia do escriptor. .
E' doloroso, digo, porque ha ah nm facto for
midavel, e horrendo, que tanto vinga os perso-
nagens verdadeiros como nos imaginados: a
ino>te. O romancista histrico tem de mata-Ios
em nome da historia ; o romancista inventor ten
do uiata-lo em nome da verosimilhanya.
Eucreioque e leitor denega sua f aos sue-
cessos, que Ihe contei. E' injusto com a mxi-
ma parte d'elles. Ah foram esbocadas amas pes-
soas, que viveiaui, e outras, que vivera, com
outros uoim-s, e em outras trras. E por >so
redobra a minha magua por nao poder dizer que
vi vera todos.
(Continuar-stJM.)
. ?
.':


(


i
% H
PERNAMRUCO- TTP. US P. P. 4 FILHO
TILADQ


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8JGTJPLZ_934OGY INGEST_TIME 2013-08-27T23:18:50Z PACKAGE AA00011611_10243
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES