Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10242


This item is only available as the following downloads:


Full Text
h .
w

I
AMO XHIX NUMERO 262.
Por tres mezes .-idiantHdos >$000
Por tres mezes vencidos 650OU
DIARIO DE
SABBADO 14 DE WOYEMBRO DE 1863.
Por anno adiantado. .... 19$00O
Porte para o subscriptor. 3$00
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahvba, Sr. Antonio Alejandrino de Lima
Natal, o'Sr. Antonio Marques da Silva; Ararat?,
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhio, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C.; A-
razonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL
AlagSas. o Sr. Claudino Falro Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martina Alvo; Rio do Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins Gasparino.
EPHEMERrDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
3 Quarto ming. aos 8 m. e 26 s. da t.
1 La nova as 4 h., 34 m. e 14
18 Quarto cresc aos 12 s. da m.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
lguarassu', Gdfa.jia e Parahyba as segundas e
Santo Antao, Gravat. Bezerros. Bonito, Caruani,,| \l ^na_nova as 4 h-> .3* m\e s- da m-
Altinho e Garanhuns as trras feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,| 25 La eheia as 5 h., 16 m. e 20 s. da m.
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Taearatu', Cabrob,
Boa Vista, Ourirury e Exu as quartas feiras.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-[ PREAMAR DE HOJE.
ros, Agua Preta e Pimenteir.is as quintos feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/i dia.
Primeira as 2 horas e 54 minutos da urde.
Segunda as ."i horas e 18 minutos da manhaa.
PARTIDA 1K)S VAPORES COSTE1ROS.
Para o sul at Alag&as a 5 e 25; para o norte al
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, marc, maio, jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipuros s 6'/?, 7, 7 A, 8 e
8 '/i da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 '/? da m.; do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 '/2,4. 4 Vi, 4 Vi,
5, 5 V. 5 % e 6 da urde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 '/i da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Carhang e Vanea as 4'/ da tarde; para
Bemfica s 4 da urde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaro: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta.- s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tersas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : trras e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do eivel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DAS DA SEMANA.
9. Segunda. Ss. Ursissino e Agripino bb.
10. Terca. S. ndr Avelina f.; S. Nympha v.
11. Quarta. S. Martinhol),; S. Verano b.
12. Quinta S. Martinhop. m.; S. Livino b. m.
13. Sexta. Ss. Arradio, Pautillo e Zebina v. mm.
14. Sabbado. S. Abilio diac. ;S. Gorias m.
15. Domingo. S. Clenientinom.; S. Filomeno u.
ASSIGNA-SE
no Rerife, em a livraria da-, praca da Independenci.'v
ns. 6 e 8. dos proprieUrios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PASTE GFFIGIAL.
JIUISTERIO 10 IMPERIO.
3* scelo. Rio de Janeiro.Ministerio dos ne-
gocios do imperio, em 5 de outubro de 1863.
Illm. e Exm, Sr. Em rusposta ao ollicio de V.
Exc n. 19 de 10 do mez prximo lindo, deelaro-
Ihe que o goveruo imperial approvou, por seren
conformes a lei, as seguintes decisoes |>or V. Exc.
dadas a cmara municipal dessa capital.
1.* Que urna vez fixado por lei o ordenado de
qualquer mangado municipal nao licito c-
mara altera-no por qualquer forma, porque isso
importara o assuinir ella a faculdade de derogar
na provincia do Cear, um lugar de juiz munici- Termo do contrato celebrado como banco do Brasil de 16 de fevereiro de 1781 deve corresponder
pal, que accumular as funecoes de juiz de or- para a compra de 5,550 apatices da divida publi- poca dessa apresentarao.
_-------,- ^ _| .,,,. ____|_ ....._ i .____________ t a Itnn mn o......:.!______*
phaos; revogadas as disposicoes om ce
Joo Lins Vieira Cansanso de Sinir
contrario.
iiiini, do meu
conselho, ministro e secretario de estado dos ne-
gocios da justica, assim o tenlia entendido e faca
execular.
Palacio do Rio de Janeiro, em 17 de outubro de
1863, 42" da independencia e do imperio.Com a
rubrira de S. M. o Imperador.Joo Ltns Ki'ra
Cansanso de Sinimb.
DECRETO N. 3,172 M 30 DK OUTUBRO DE 186J.
Torno extensiva} ot, interpretes t/o commercio da
praca da Baha as atspostcoes do decreto n. 2,923
de 14 de muio de 1862.
Hei por bem, attendendo ae que me representa-
ba de 1.0005 carfa urna a 6 ( ao anno. I 2- Que se considefaro nullos e sera etleito os
Aos 24 dias do mez de outubro do anno de 1863, despachos dos qfflciacs que, sendo admittidos ao
na directora geral do contencioso, presente o Sr. retido corpo, deixaretn de apresentarem-se dentro
conselheiro Jos Carlos de Almeida Aras. procu- do praso de seis mezes, contados da data da publi-
caco das nomeacoes no Diario Oficial.
O que communico V. Ecx. para sua intelligen-
cia e devida execuco.
Dos guarde V. Exc.Joaquim Itatjmundo de
Lomare.
Sr. chefe de diviso, encarregado do quartel ge-
neral de marinha.
esta que tem seu assento em disposicoes ex- i", ,{,, ;' AnAanroll, m ab
1861: e que por tanto, ha vendo sido lixado pela
rador fiscal do thesouro, compareceu o Exm. Sr.
conselheiro de estado Candido Baptisia de Oliveira,
presidente do Banco do Brasil, devidamente auto-
risado pela directora do mesmo banco, e disse
que, tendo o governo imperial pelo ministerio da
fazenda resolvido aceitar proposta do naneo para
a compra, por conta de terreiro, d<,650 apolices
da divida publica de 1:000fi cada urna a juro de
6 % ao anno, com as condiedes constantes do ollicio
de 16 do rorrente do banco ao governo, vinha em
virtude dos poderes que Ihe foram conferidos, as-
signar o presente contrato debaixo das mesmas
condices, que aceitava e rectifieava por parte do
banco do Brasil, do modo o mais formal e solem-
ne, do thenr seguinte :
1" O banco do Brasil receber at o dia 24 de
Barao de Muribeca e outro.Informe o Sr. Dr. nou a manifestacao de varios chefes de Entre
terpretes do commercio da praca da Bahia.
Art. 2. Fica revogado o decreto n. 915 do 24 de cada um dos mezes de outubro, novembro
i*: K-l^>l ............. fT .*.. li J~ : .n.~ j. rtl*. *. re* icniaanuuuaifiu ll. vio ut; i m urna un uua iiicacs tic uuiuinn, uifteiiimu u ur-,
^^^I^TJ^aJ^^,^^^ fevereiro de 1852, na parte em que se refere ao zembro do corrente anno, 1850 apolices de 1:0005 i
Zlo^L^S^^^c^^^- ar'*6 d0 deCre, nm *>" de novembro e de juro de 6 o/0, sendo entrega feita mediante'
aas lomes ue Apu um, h.io era ncuo a cmara a- Ho tii~. ttn,_j, a* c, imr,n,f,n; ni, frc a *------i
decreto a. 5,169 de 29 de om-BRO de 1863.
Estabetece-sc rearas sobre o preenchinvnto das va-!
gas, que se derem no quadro dos ofpciaes da ar- i
maila.
Hei por bem, em virtude do art. 102, 12 da \
constituirao, decretar o o seguinte :
Art. 1*. As vagas que se derem no quadro dos
offleiaes da armada devem ser preenrhidas logo |
e de- que houver dellas conheci ment offlrial.
Art. 2".
juiz de orphaos desta capital.
Francisco Botelho de Andrade.Passe portara
prorogando o prazo por trinta das.
Bacharel Guilherme Cordeiro Coelho Cintra.
Passe portara concedendo a prorogaro reque-
rida.
Dr. Joaquim da Silva Gusmao.Passe portara
concendo mas sem vencimentos a licenga que re-
quer
Manoel Cardozo Ribeiro.Pode seguir.
Manoel Perigrino do Almeida te Albuquerque.
Passe |x>rlaria no sentido que requer.
Mana Joaquina Ribeiro.-Informe o Sr. desem-
bargador provedor da Santa Casa de Misericordia1.
EXTERIOR.
As promores aos postos inferiores ao
de capitn de mar e guerra serao feitas de confor-
istn de 18S1- Ia cn'rada de sua" importancia nos cofres do thesou-1 midade com o disposto na resolucao de 5 de no-
Hi Hirn de^'rvir esselurv ir^nnn uSn n ioio Lins Vi,!'ra Cansansio de Sinimb, do meu | ro a razo de 905* por apolice : vembrode 1796, afeara de 13 de novembro de 1800,
9 conselho, ministro e secretario de estado dos ne- \ 2 O governo obriga-se a nao emittir apolices du-! art. 5 da lei n. 874 de 23 de agosto de 1856, e
as
gal.
* Que nao poda
o presidente da cmara sus-
pender a sesso por divergir da opiui io da maio- ^'^ '? com~"
riano senUdo de nao adm.ttir aquella proposta, 0m"' 5L VK" A
alim de consultar a presidencia : porquanto,- es-, .Sf
mm alim do ornosln iiminrliria n i.rnvimunln rtn t.uiiciiiu, iimiiaiiu c acvicuiiiu WBMW uus nc- t~ \ gurc lio uui i|!d-c a nao emiiiir o|kiii;c3 uu- dii. u uaiciu.o/t ne a.) ue agobio ue lwu, c
\nX Ir arreo aArn mor L ,1p ,, iip ocios da Justica' as"m ,enna entendido e faca rante o anno de 1864, excepto as que tiverem sido ; mais disposicoes em vigor, de forma que das vagas
1, ^ arremaiasao, e por iso ae modo me- executor | ou forem aut0rsadas por lei para fins especiaos:! que forem apparecendo so preencham successi va-
Palacio do Rio de Janeiro, em 30 de outubro de i 3* Os juros das 5.550 apolices assim contratadas; mente, tres por antiguidade rigosamente observada
1863, quadragessimo segundo da independencia e principiar a correr do Io de julho do anno vigen- e urna por merecimento distincto.
rubrica de Sua Magestade te do 1863 ; Art. 3o. O conselho naval continuar a remetter
Lins Vieira Cansanso de Si- i 4* O banco do Brasil fica directamente respon- ao ministro da marinha a inforinacso de que trata
tanda marcados claramente na lei do primeiro de Immmm : 2 Pela lntual.dade dos pagamenUw devidos ao o art. 12 de' regulamento que baixou com o decre-
outubro de 1828 os casos em que o presidente da ----------- i *B"E "as "P0035 acima esPMllicadas; | to n. 2,208 de 22 dejunho de 1858, a vista da qual
cmara municipal pode e dore suspender a sesso, MINISTERIO DA FAZKNDA. ; ? Nenhuma eommimao ou corretagem pagara i sera Mai a promoeao a que se refere o artigo an-
. 7 o thesouro pela operagao de que se trata. O que teredente.
Ministerio dos negocios da 'enda.Rio de Ja- sendo ouvido pelo conselheiro procurador fiscal, | O chefe de divisan Joaquim Ravmundo de Lamare,
uro, em is ue outubro de 180.1.U marquez de ^^ esle ue tambera aceitava as referidas condi- do meuawiselho, ministro e secretario de estado
nao"noria' V^dZ^aT^lrTr'^rl T72. ^ 3J",*! T i ,nlennocdo lr,buna d ^ edes por parte do governo imperial, pelo minisle-' dos neglos da marinha, assira o tenha entendido
^JS^m^^^h^^^^lLaZ'IS^l 2*rWtK!,i2t08 Srs 'Wctores das fio da fazenda, era virtnde dos avisos do mesmo e faca ejecutar.
Lanuonar os traoainos, emoora o lizesse para re- thesouranas de fazenda, para a devida uitelligen-
presentor com outros tres vereadores, j eolao ca e execurao, que as dividas de exercicios lin-
nesse carcter somente, sem renunciar o direito de
nao se
trata.
ministerio de 22 e 23 deste mez, e para que o men-
cionado contrato produza todos os seus effeitos le-
llurnos-lues, 2G de outubro de 1SG3.
Quando se escrever a historia dos successos que
Ros, desconliecendo a autoridade do governo na-
cional, de que dei noticia na minlia ultima carta,
desappareceram vista daseguranga que official-
mente deu o general Urquiza de que castigara o-
signatarios da manifrstaoso. Sem embargo disto, a
imprensa de Enlre-Rios contina na mesma lin-
guagem loquaz e destemporada, amearando com (
revoluco, que annunriava, para o dia 23, anniver
sario da batalha de Cepeda. At agora nao tivemos
noticia de cousa alguma de transcendencia.
O general Penalosa contina a ser perseguido
em Rioja por forcas superiores, o que leva a cree
que brevemente desapparecer de novo da scenar.
O congresso apresentoo a lei que manda proce-
der liquidaco da divida, posta em eirculacao
' pelo governo da confederarao at o 1" de abril de
j 1861, e bonds e letras sobr as alfandegas e bilhe-
I tes da thesouraria, apgregando aos capitaesojuro-
I de 1 por cento mensal nos crdito.* que teem o ju-
| ro escripto, c ocrupa-se do projecto mandando li-
I quidar a divida dos exercitos libertadores.
Na cmara dos depntados foi rejeitado o tao de-
preseiicaraos no Rio da Prata nao se ha de dar ere- batido art n do proj(.(.t0 organlsando 0 credit0
ln!?rt0aZ~^T,rS,'ll?at0d0S0S d'aS ""ipuWco, pelo qual se autorisava o pagamento dos
offerece o governo de Montevideo. [uros e atnort a0 d()i |0,000,000 oVpMOS forte^
Nao sei se mais inspira riso ou indignacaa &r
pouco verdade dos documentos ofllciaes.
Desde que princpiou a revolurao os generaes
por urna parte e os peridicos por outra annuncia-
que se mandou crear em fundos pblicos.
E nada mais ha que seja digno de mencionar-se-
ram mais decinroenta vezes que a inv^sao eslava
vencida, que tinliam atirado o general Flores
para a fronteira imperial, e outras mentiras de igual
lote; e ha pouco lempo um feito de armas veio des-
mentir semelliantes noticias de urna maneira elo-
quente.
,0 paquete passado levou a noticia falsa de que
o general Flores fura completamente derrotado, ao
passar o rio Negro, pelas on-as do general Me-
dina : e o general Flores appareceu ao norte do
mesmo rio com mais de tres mil homens, derrotou
iio\!i;iiiii:o.
27 de outubro de 1863.
J urna vez o disse, e constantemente se confir-
ma o meu pensameuto : n*este paiz singular tudo
imprevisto e sorprendente ; nenhum juizo se po-
de batear sobre os samemos que se desenvolvem ;
porque os fados posteriores o modificara, quando
o nao destroein completamente.
Amigo da paz e ancioso por v-la firmada na
bella banda oriental, me persuad, romo rmiitos.
outra vez o general Diogo Lamas, e poz emconflic- ; depois do combate das Brujas e da persesuico in
to os povos do Salto e Paisand, ficando senhor i cessanle do general Medina, que a revoluco esta-
1863, 42 da independencia e do imperio.Com a absoluto de metade da repblica e do todos os ca-. va agonisante e tao sincera era a minha convic-
residir nessa ocnsir iMinh . aballios da mesma ca- (do exercito se adiara comprehendidas na regra Lssignaram. j de Lamare. Ao lempo que islo succedia o ministro da guerra
mar
4.a Que tendo se retirado o presidente da cma-
ra, poda e mesmo devia o vereador inmediato em
votos assumir essa presidencia, continuando a c-
mara nos seus trabalhos, visto que se achava em
materia.
5." Que constituida legalmente a cmara.
fixada no art. 4 do decreto n. 2,897 de 26 de feve-
reiro de 1862, por terem a natureza dos lancados
em folha, atiin de serem liquidadas pelas mesmas
thesourarias, e por ellas pagas, se os credores re-
| sidirera as respectivas provincias ; e bem assim
qoe os proressos de taes dividas, pertencentes a
podia individuos residentes na corte, devem ser reraetti-
E eu Carlos Jos de Almeida, 1 escripturario do
thesouro nacional, o escrevi.Jos Carlos de Almei-
da reas.Candido Baptista de Olireira.
uOYEKMl DA PROVINCIA.
Eipedirote do dia 11 de novembrri de 1863.
das armas.-
annunciava, por um documento offlrial, que linham
denosto as armas as forras da cavallaria dos exer-
citos do sul, por que basta va o general Lamas para
extinguir os restos dos insurgidos ; de maneira
1 que houve grande desanimaro quando se soube
nistia para conclui-U promptameute, e para amor-
tecer a exaltaro dos odios dos partidos por ella
provocada.
Todava, na ultima correspondencia, vista dos
sucressos de que fui tendo ronhecimeato, affirmei-
que, se o general Flores passasse de novo para o
conse-
a mesma c-
provr, como o fizera legalmente, os lugares de dos, nao ao thesouro, mas ao ministerio a que
guarda das fontes de Apicum e do mercado pu- pertencerem as dividas.Marquez de Abrantes.
buco, por serem cargos muncipaes, e por conse _______
Circular s thesourarias.Ministerio dos nego-
cios da fazenda.Rio de Janeiro, 21 de outubro de
1863. 0 marquez de Abrantes, presidente interi-
no do tribunal do thesouro nacional: attendende
as reclamaces de differentes negociantes e a ne-
decreto y. 3,170 de 29 dk OUTUBRO de 1863. Ollicio ao brigadeiro commandante
Confirma a concessCw de tres loteras irmandade Queira V. Exc. informar acercada tabella queaqui em Montevideo que a revoluco tomara maior in- I norte do rio Negro, o que pareca que uinguem
du Santa Casa da Misericordia da cidade de Ma- ajunto organisada pela thesouraria de fazenda para cremento, e que o general Flores obtivera um lhe poderia impedir, que eslava salvo, ao seu exer-
cei, na provincia das Alagos. regular os fornecimentos de etapa as pracas dos
Attendendo ao que me representen a irmandade cornos em guamieo nesta provincia, de pao alvo
guinte pertencer o seu provimento
mar
Deus guarde V. ExcMarquez de Olinda.
Sr. presidente da provincia de Maranho.
3* seccao.Rio de Janeiro,
gocios do imperio, em 10
Illm. e Exm.Levei ao alto
o. Ministerio dos ne- cessidade de promover a exporlaco dos productos .ipl, &__
de outubro de 1863. narionaes, a qual se effertua em algumas piovn- d 'ai n de
i conhecimento de Sua cas do imperio nos envoltorios de mercaduras es- ZttT2.i
da Sania Casa da Misericordia da cidade de Ma- para os doentes das enfermaras militares e de for
cei, capital da provincia das Alagoas, sobre as ragens para a cavalhada da companliia de cavalla-
quatro loterias concedidas pelo decreto n. 986 de ra no segundo semestre do anno corrente.
22 de setembro de 1858, em beneficio do hospital; Dito ao mesmo.Ficando nesta data expedidas
de caridaile da dita cidade, e conformndome com as convenientes ordens para que seja transportado
as informarles resultantes do exame a que se pro-' no hiate Sergipano. a ambulancia quo se destina a
forma da lei n. 1,099 de 18 de setembro enfermara do presidio de Fernando conforme V.
decreto n. 2,874 de 31 de dezembro de Exc. solicita em seu offlcio de hontera datado sob
a- lins convenientes, as barricas e outros envoltorios,
i euihora vazios, em que tiver sido acondicionada a
farinha de trigo comprehendda na mesma tabella.
incompati
neo das tueco de parocho
qTq^SaUs]r;,c^ocado coma supp.ente o '^S^SfSJZIXZSSSnS ^^^a-bricadeS. M.oIraperador.-*,-
professor publico de lalim, por isso que o aviso de dega da corle. 9 mi ames,. _______
22 de julho de 1843 declara simplesmente incom- A' thesouraria da Bahia, communicando para
pativel o exercicio simultaneo dos empregos de sua inteiligencia e devidos elTeitos, que o tribunal
professor publico e vereador; o que nao seda- do thesouro, tomando conhecimento do recurso de
va entao, visto estar em ferias o dito profes- Antonio Florencio de Andrade, que acompanhou. o
seu offlcio n. 165 de 5 de junho ultimo, da deci-
sao da dita thesouraria, pela qual confirmou a da
alfandega, na parte em que impoz ao recrreme,
conforme o art. 598 do regnlamento das alfande-
sor.
E o mesmo augusto senhor, tendo-se conforma-
do por sua inmediata resolucao de 7 do corrente,
com o parecer da seccao dos uegecios do imperio
do conselne de estado, exarado em consulta de 12
de setembro prximo lindo, ha por bem mandar
declarar o seguinte:
1. Que acertada foi a deciso de V. Exc. quan-
to a incoinpatibiliilade do exercicio simultaneo das
funecoes de parocho e_vereador supplente, por isso
que, quando outra razo nao houvesse, bastavt nao
as.-.im o tenha entendido e fa?a ejecutar.
Palacio do Rio do Janeiro, em 29 de outubro de
ni\isti:rio DA Gl'ERRA.
DECRETO N. 3,168 DE 29 DE OUTUBHO DE 1863.
Rcvoga o decreto n. 1,634 d>5 de setembro de 1855,
e determina que as promores dos differentes cor-
pos e armas do exercito tenham lugar propor-
cao que nelles se verificarem
se poderera accumular as respectivas funecoes sem difierenca de qualidade para cuja verjlicaro os re
'- gulamentos sempre teem marcado regras espeeiaes
atienta a natureza do assumpto; que, estando pa-
ra sabir as mercaduras, cumpria, depois de toma-
das as providencias precisas, proseguir-se no des-
pacho nos termos dos arts. 597 e 598, combinados
vagas.
Sendo conveniente ao servico do exercito que as
gas, a multa de 50 por cento do valor dos direitos promocoes dos postos que vagarem nos differentes
de doas despachos de fazendas, em que se verifi- curpos'e armas do mesmo exercito deixem de ser
cou differenca de qualidade, o a reformou, guante
ao prazo de suspenso por um anno que Ihe im-
poz do lugar de despachante, cessando definitiva-
mente a patente.
Considerando o tribunal que
corpos
nnuaes, como se acha determinado pelo decreto
n. 1,634 de 5 de setembro de 1855 : hei por bem
revogar o referido decreto ; outrosim determinar
thesouraria, mande V. S. pagar a Francisco de
Souza Guerra, ou ao seu procurador nesta praca,
a quantia de 3853% rs., proveniente do a luguel da
casa que serviu de quartel ao destacamento de
Villa-Bella, desde 28 de julho at 10 de outubro,
tudn deste anno, e para esse lim devolvo o reque-
rimento documentado a que se refere a sua citada
informaco.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que solicitou o
brigadeiro commandante das armas em offirio de
hontem sob n. 2,101 recommendo V. S. a exped-
novo triumpho sobre o exercito do norte. I rito, e assignaei ao mesmo tcinpo a extrema des
A nova victoria dos revolucionarios noticiou-a unio que lavrava no partido dominante, que ja
o proprio general Flores com a seguinte procla-' havia feito explosao, como ama causa mu impor-
ina^ao : i tante para transternar inteiramente a .situaoio fa
General Freir.....Canas e maiscompanhei- i voravel qae Unha chegado o govsrno, depois de.
ros I O general Lamas, derrotado vergonhosa- tantos revezas, com os acontecimontos felizes do
mente em Canas, quiz de novo provar seu imagi- mez de setembro. Pois assim va-se verifieaedo.
nario prestigio no norte do rio Negra Hoje pro- Chegando ac departamento do Sorro-Largoy n'.to
vastes uina vez mais a sua impotencia e o vosso encontrou o general Medina os recursos cora que
denodo, destrocando-o n'uma tenaz perseguicao,' contava, porque o major Fideiis Paes, que oom-
victoria para as armas liberte- ; manda urna jiartida colorada, pouco antes havia
! entrado n'aqueHa povoaco, depois de um comba-
Estao vencidos os nossos ni-1 te com as fonjas policiaes do departamento,
da nossa victoria teem-a elles >'o podeiiido mudar os cava'.los cansadas, nem
obter muni^oes indispensaveis, e saliendo que Flo-
res tnha transposto o rio Negro pelo passode Ma-
zangan^ e qoe conseguir reunir rpidamente tu-
do qu earecia para tomar a oflensiva, o wlho Rt~
preciso que se not que at o presente, onde, neral julgou |rudente retroceder no longo do di*
que pretendam pela mentira oc-
seus olhos. Fazein-a brilhar
vencedoras como hoje e como
sempre, etc. Veuanoio Flores
qur que este general se decida a combater, tem
sempre conseguido derrotar seus inimigos, de ma-
neira que nao se deve estranhar a inlimativa com
que allirma que est vencido o governo.
Ha fundadas razoes de crer que o que Nin Reyes
chamoii licenciamento foi antes urna dissotitato do
exercito do sul, que nao pode resistir por uina
parle desinnralisaco e ao desalent que produz
a incapaeidade dos chefes, por outra, s intrigas
que se armam para adquirir votos as prximas
rio, e assento* seu arampamento prximo ao Du-
rasno. espeira dos arontecimentos. Propalam-fcc
rumores de serias desavenras entre oIHeiaes s-
perioresda diviso e o proprio general, mas juigo
que nao sao exactos.
Entretanto o general Flotes augmeutou a sua
forra com numerosos voluntarios, e hnjese calcula
que elle se acha atesta de 1,500 a l.WW.homens ;
e o corooel Girbalo, frente de 80U, haveado,
alm disco, partidas pequeas espalhadas eaa to-
^o de suas ordens para que Antonio de Lemos i.
e Vasroncellos, seja pago do que se Ihe estiver a! eleiQoes. que nao sei se tero lugar, pelo estado de, das as diraeeSes, que praticam venladeiras vjalen-
dever do aluguel da casa que servio de quartel ao conllagraco em que se acha o paiz. Todos os que cias. Os pe riodicos |Kirtenhos afftrmam que esta
destaramento de 1* linha existente na povoaco de figura ram na primeira linha apresentam-se como, forra excede a 4,000 homens, entre os quaes ha
Gravat desde 19 de julho al 19 de outubro, tudo candidatos futura presidencia, e a todos combate ; cerra de 300 de infantera, passados de. Ents*-Ros,
"Ticora seu commandante Hcarique Kastro. Se for
deste anno, a razo de 30tJ0 mensaes, bem assim o actual presidente, que parece pretender nomear i
a quantia de 75680, despendida durante aquelie quem Ihe ha de succeder em t.o elevado poste. assim, nada Ihe resiste.
se trata de urna
que aquellas promores teniiam lugar a proporcao; ,empo com 0 fornecimeuto de luz para o mesmo Devia haver hontera urna grande reunio popu- Quando ;e sabia positivamente deste faato, veio
que se verificaren vagas nos corpos e armas lo i qHa^t,. -Communicou-se ao brisa '
prejuizo do servico, anda no caso de ser proviso
rio o de vereador;
t." Que nao pode ser approvada a segunda de-
<-isao de V. Exc, visto que na forma do aviso de
6 du agosto ultimo, cuja doutrfna applicavel a
o professor publico nao pode
hypothese presente, o professor publico nao pode com os arts. 559 e seguintes do regularaento, e nao rubric^eTFol^^d'or^^oWjfanoWd Z^i^lSn^^aTKtL'n^
xer,,r as funecoes de >ereador, aera accurati.ar ^J^,T^oco^r^des- Mello. ^l^fSS^^T^Se^.
este cargo.
Deus guarde V. ExcMrquez de Olinda.
Sr. presidente da provincia do Cear.
pacho sobre um farto de que elle era tambera res-
ponsavel, e proferirse depois a deciso sem mais
audiencia do prepost do dono da mercadoria,
conseguintemente que deu-sc inverso de todos os
termos do processo : resolveu julgar millo o pro-
se
6." seccao.Rio de Janeiro.Ministerio dos ne
rocos do imperio, em 20 de outubro de 1862. ceta^dVllVVadWlSaoleonr^pd09*% flm. e Exm. Sr.Resultando da falla de unirorrai-
Illm.eExm. Sr.Convindo regular o modo por cados motivos. dade na organisago das derrotas feitas pelos com-
que deve ser executado o artigo 52 do decreto n. porque, pela absoluta impossibilidade de rea- mandantes e officiaes dos navios da armada c dos
3,669 de 17 de abril ultimo, quando os ttulos dos |isarem-se as condices previstas nos citados arli- paquetes, que sao obrigados a apresenta-las, gran-
pasaires da religies toleradas forem passados era gos para a audiencia da parte e seu preposto,, e de embaraco para o extracte ou expedico dos da-
linpua estrangeira : manda sua magestade o lm- exame pelos empregados das mercaduras que se dos e observacoes nella registradas ; e nntando-se,"" V?0i
perador declarar a V. Exc. que, nesses casos, taes acham actualmente fra da alfandega nao se possa outro sim as referidas derrotas deficiencia, tanto crdito.
ttulos devem ser apresentados com traducr.ao por instaurar novo processo, e conste, todava, das in- de estudos sobre a variacao da agalla, correntes,!, """ao directorio arsenal de guerra.-Lontra-
pesso legalmente habilitada, langando-se o visto formaedes officiaes que foram pn'sentes ao thesou- ventos, disposicoes de nuvens, etc., como de quaes- it \-. a mducrao para o presalio de I-ernando
nos termos do citado artigo, assim no original ro que nos despachos de que se tr.ta, em circums- quer notas ou dados meteorolgicos, alias indis- =
como na tradueco aulhenlica, com a declaraco de tancias de sahir a mercadoria da alfandega depois pensaves para trabalhos que se tenhara de reali-1
qua desta traduco que se ar o registro.Dos de pagos os direitos. verificou-se urna avultada dif- sar posteriormente, cumpre que V. Exc. expeca as j
uirde V. KM.Mrquez de Olinda.Sr. presi- ferenca a favor da fazenda, proveniente da quali- ordens necessarias aflm do ser adoptado, para as
deite da provincia de---- licaco feita pelo despachante, diversa da que Ihe sobreditas derrotas, odiario nuticoac.onselha-
7 fra indicada pelos donos da mercadoria, difieren- do pela conferencia martima de Bruxelas, lateado
3 seccao.Rio de Janeiro.Ministerio dos neg- caessa que por um lado revela a falla de curapri- distribuir aos navios da armada os exemplares da
ci* do imperio, em 23 de outubro de 1883.Cons- ment de seus deveres da parte do ronferente do traduccao do mesmo diario que existem na biblio-
tar.do da piibiracao dos trabalhos da lllma rama- despacho, Domingos Jos Antonio Rabello, e do theca da marinha, c ordenando que, quando cheios,
quarto escripturario Antonio Monteiro de Carva- sejam enviados esta secretaria do estado para te-
Iho, e por outro lado torna suspeita aos interesses rem o conveniente destino; devendo V. Exc re-
da fazenda publica a conducta do despachante An- commendar a todos os commandantcs que nao se
tomo Florencio de Andrade; cumpre que a dita limitem a fazer nicamente as observacoes para
, piarte!. Communicou-se ao brigadeiro comraan- lar no theatro de Solis, com o fim dizem nns, de sorprender a popularo da rpita! o arto do minis-
exercito. I dante das armas. uniformar as opimoes do partido blanco ; segundo j tro da guerra, de 18 do corrente, licencuwto parte
Antonio Manoel de Meno, do meu conseino, mi-; |)|t0 ao mesrao.Mande V. S. indemnisar o 9o outros parece que se tratara de impor ao presiden-I da diviso vencedora do general Luna* Moreno,
rastro e secretario de estado dos negocios da guer- ^ nataHa0 de infantera como solicita brigadeiro te Berro mais enrgica poltica, por que temia-se j seb pretexto de que a de Medina era sufficiente
ra, assim o tenha entendido e lagaexerutar. commandante das armas no offlcio de 9 do corren- que elle andasse em negociaroes secretas com o' para debellar a revoluco, e de que cnnvinlia dar
ibm mS'i i a neir' ei ?uturo ao te por copia incluso da quantia de 194400 em que chefe da revolurao. lalgum descanso aos- bons e leaes ioados que
11 -a importam as rares de etapa segundo a relaro Nao faltou aqu mesmo quem assegurasse que com puntura aquella, para irsm ver suas familia:
est tratada a paz entre o presidente Berro e o ge- e-ocrupar-se de seus trabalhos campestres ha tault
|ue cstiveram acostadas a aquelle bata- neral Flores; porm minha opinio que carecera tempo nt'.'rnimpidos, devendaconservar-se promr.
Iho.Communicou-se ao brigadeiro comtnandan- de fundamento estes lioatns. | tus para primeira vez rcurremtse- de novo aose'i:.
1 te das armas. Entretanto, dos documentos officiaes expedidos chefe. Isto se l no decretoque nomeou o ex-mir,
Dito ao inspectorda thesouraria provincialEra pelo Sr. Berro deduz-se tudo, menos o desejo de- nistro do governo Seura, ehefe politice do dep.r-
vista das duas contas juntas mande V. S. pagar a transigir com una revoluco que indubitavelmeu- lamento de S. Jos.
| companhia de Beberibe, a quantia de 36S800 pro-. te nao podem domar.
: veniente d'agua pntavel fornecida durante os mezes! Com data de 20 do corrente foi expedido um.de-
! maio a outubro deste anno a secretaria do governo' creto, convocando extraordinariamente a assem-1
e a repartico das obras publicas, lazendo proc.es-! bla geral. O lira la couvocaco :
1 sar a somina pertenrente ao exercicio j encerrado 1." Arbitrar os recursos com que o poder exc-
de 1862 1863 para ser satisfeita quando houver culivo pode fazer face s despezas da guerra.
2." Determinar especialmente os- raeios legacs
uimsti:rio da ti \ri\iia.
3a secro. Rio de Janeiro.Ministerio dos ne-
gocios da marinha, em 22 de outubro de 1863.
I no hiate Sergipano, de urna ambulancia
i destina a enfermara militar all establecida.
ra municipal, feita no Jornal do Commercio de 18
do correntimez, que era sesso extraordinaria da
mesma lllma. cmara, celebrada no dia antereden-
te, o vereador o Dr. Jos Joaquim Monteiro dos
Santos oppoz .l'.tnal recusa execucoda portara
de ministerio do imperio de 12 do mesmo corrente
m.*z, pela qual se determinou a lllma. caara que
dsse nteiro cufnprimenio portara do dito mi-
nisterio de 30 do mez passado, relativa a obser-
vancia das providencias tomadas pelo chefe de po
No dia seguiste cntrava Lucas Mnreno n'.ta .
apital somente rom seus ajudantes d'ordens.
Ninguem se Iludi rom a signcacao ueste
acto. Elle provava a veracidade dos boato: .que
corriam, de que toda a guarda nacional da riferi-
da diviso, cansada por urna Iota tao demorada, a
que nao se v um tercio prximo dehaodiriscom-
pletamente, imitando a alguns-soldados de linha;
pelo que o governo se vio foicad a fingir que li-
cenciava essa forc,a, que se dissotoia por si mesma.
para encurtir aquella triste verdade, que pcoduzia
nao podem ser raais ambi-j urna grande desmoralisaeao.
Outros diziain qae este licenciamento fura um
pretexto para afastar aquelle chefe, que candi-
dato presidencia, e podia. servir deemtaraeo parai
um ajuste cm e.partidixwlorado, conikiaando a,
thesouraria ordene a alfandega que faca proceder determinaco da posico do navio c variacao da
nos termos do artigo 568 contra o dito despachan- agulha,e sim que estendam taes ohservacSes, cera
te, e nos do artigo 98 paragrapho primeiro contra relaro determinaco dos differentes (tontos da
os referidos empregados, dando de tudo ronta ao rosta, sempre que estiver vista, empregando
thesouro. igualmente os clculos de distancias lunares, de
E em soluco parte do citado ollicio de 5 de estrellas, ele.
|( ia deste cidade, na conrarmidade do regulamen- junh0) m (|ue a mesma thesouraria pede que se E porque esta nnovacSo exija o uso de alguns
to approvado |>or portera de 11 de maio de 1843, |Xt a Uitelligencia do art. 534 do mesmo regula- instrumentos que al agora nao se tem concedido,
e lo que baixou com o decreto n. 2,0i6 de 9 de mentjf atienta a divergencia em que a sua opinio autoriso nesta data intendencia a foroccer aos
dezembro de 18o/, na parte: concemente ao eort^-psa da do inspector da alfandega, sobre o espirito sobreditos navios, quando forem pedidos, os mais
do gado no matadouro publico; o outro sim roflS- dessa disposico; assim como se o naufragio de precisos, corno sejam barmetros, thermometros,
laudo de um offlcio do presidente interino da^Tma. Um navio e mesmo um valioso contrabando sao ou inclusive os de temperatura abaixo da superficie
ra.nara, de 19 do corrente mez, que na > >esso nao oceurrencias extraordinarias que interessam o d'agua, hygrmotros, molinetes le Voltamam, para
cx'raordinaria os vereadores os Drs Mariano servico da repartirn, para que sejam levadas peja conhecer as correntes, e prumos de patente de
da Costo Velho, Francisco de" s Dias da alfandega ao conhecimento da thesouraria em.vr- Long.
Cruz e Adolpho Bczerra de S. apresentaram tnde do art 126 paragraph"Y% 4* %^lamehto; bu& guarde V. ExcJoafin'm Raimundo de
protesto rontra a execueo da c .ada portara de deejara-se a referida thesouraria que a clareza da L amare.St. chefe de diviso encarregado do
12 do corrente mez, rctirando-se da sala das ses- disposico do mencionado art. 554 dispensa a ex- quartel-general da marinha.
s5es da lllma. cmara depois de lido o mesmo pro- piicaco pedida ; porquanto, nos termos os mais i ----------
testo recusando-se deste modo os quatro yereado- precisos all se determina que para a verificaco aviso de 22 de outubro dk 1863.
res que formavara maioria, a execular a j citada da qnantidade, medida, peso de mnitos volumes e Declara a maneira de contar a antiguidade e tem-
portaria de 12 do corrente, que mandou cumprir pecas iguaes imhquo o conferente os que julgar po de servico dos officiaes nomeados para o corpo
a anterior de 30 do mez pasado : S. M. o Impe- convenientes ; mas que em todo o raso dever ve- de officiaes de saude da armada nacional e im-
raor ha por bem suspender do exercicio dos seus pitearse os differentes volumes postos em despa- perial.
cargos para serem resnonsahiusados os sobrdaos Ch0 contm mercadorias ou pecas da mesma na-' seceo.Uto de Janeiro.Ministerio dos ne-
vereadores os Drs. Jos Joaquim Monteiro dos San- tureza e qualidade, d'onde resulta cere da mate- gocios da marinha, era 22 de outubro de 1863.
to?. Jos Mariano da Costa Velho, Francisco de Me- ra em questo que do rigoroso dever do confe- Illra. c Exm. Sr.Sua Magestade o Imperador hou-
nc.es Dias da Cruz o Adolpho Bezcrra de Menezes. rente procurar reconheccr e verificar em todos os ve por bem, por immediata e imperial resolucao de
Marque: de Olinda. volumes a natureza e qualidade das mercadorias 14 do corrente, tomada sobre consulla da seccao
_____ nelles contidas; e quanto ao naufragio e contra- de guerra e marinha do conselho de estado de 18
MINISTERIO DA JUSTICA. bando, a natureza de qualquer dessas orcurren- de junho ultimo, mandar declarar:
^-r,, & ttu ni 17 ne m tiibho im 1863 cias, affectando muito de perto os nterossos do 1." Que a antixuidade e tempo de servico dos of-
n u* Z MnrLn,. ,. nrotincio do commercio e da fazenda, exi?e que sejam coraran- ficiaes nomeados para o corpo de sade dawnada
C7-l-TLTLart^ SS3S repartido superior, Um ue que pos- contar-se-ho da dala em que os mesmos officiaes
^^SM'\oAq an ser tambera por es'ta tomadas as cautelase se apresentarem no quarte general d. marinha,
1 providencias que n^caibam na aleada da alfan- para entrar na escala do servico, visto como o as-
cer interinamente o lugar do director geral da ras-
truecan publica durante o m|edirannlo do respec-
tivo proprielario.Fizerara as necessarias comu-
nicacSes.
Dita. O presidente da provincia resolve nomear
para o lugar de promtor publico dacomaroa de Ca-
brob o bacharel Antonio Lopes da Silva Barros.
Hei por bem decretar o seguinte:
Artigo nico. Haver no termo de Marauguape, i dega.
sentamento de praca a que allude a real resoluto
nisterio da marinha, no vapor que se espera do sul
a pratico da costa do norte Antonio Travasso da
Rosa.Communicou-se ao commandante da ca-
nhoneira Itajahy.
Desaaehos dn dia 11 de nevemhrede 1863,
Requ+rimnttot,
Antonio Alves de Miranda Guiroares -Informe
o Sr. inspector da thesouraria provincial.


para as prximas eleices.
3. Dar a iniciativa para a reforma da consti-
tuco, em conformidade com o.seu art. 15.1.
Tanto as consideracoes desse decreto, como a
Circular aos coramandantes superiores da guar-1 sua parte dispositiva, nao poden
da nacional de Santo Antao, Limoeiro, Rio Formo- guas, pois nao comprehendemos o art. 2o, nem nos
so, Palmares, Flores, Tanarat. e Boa-Vista.Nao; parere opjiortuna a occasio de pensar era refor-
(endo recebido al esta data o. raappa geral da for-, mas roostitucionaes.
ra activa e de reserva e do- armamento da guarda O general Medina arhavase doente do lado de
nacional sob seu commando- superior, exigidos por! c do Y, e sem poder mover o seu exercito por exercer aquelle commando, por perter-tw ao parr
circulares de 14 de agosto, e de 2 e 3 de outubro/ falta de cavallos, pois os que passaram de Entre- tido exaltado.
ul irnos, para eumpr>oento do aviso do ministerio. Ros cahiram em poder, do general Flores, depois Euaceito as duas veesoes como intattdo era-
da justira de 22 de julho, cumpre queV. S. me os da victoria alcncela sobre Lamas, quefoidemit- junctamente para, esta deliberacao, que inoppor-
envie cm toda a urgencia a fira de poder satisfa- tido do commando era chele das forcas ao norte do tun* e perigosa, ainda raesmo nao saado. volauto-
wr osobredito aviso,No mesmo sentido offlcieu-se rio Negro, sendo confiadas ao coronel Lenjuaes. i ra. mais mas imposta pelas circumstancias.
ao do Bonito e em resposta. Que forcas do.governo soffrem grande deser- parte da forca de- liaba que formava essa.diwi^
Offlcio cmara mimieipal do Recife.-Reeom-' cao, provam-o seus proprios dociura>ntosv | sao, a maie brilhanteque o govern at huje coa-
mendo acamara municipal da cidade da Rjjcife, i Antes de concluir esta commanicago recebi SPgUira reunir, eque salvnu acapitaL jfei.parae
que mande extranir dos livros competentes e re- urna caria do general Flores, em que rae d por- Sallo, e o resto firou na villa da Unio e aqu,
metta-me. com urgencia e em duplcala as copias menores do triumpho obtido sobre o general La- \ para talvez desfarcar ainda mais a debilidade
das actas da eteie de eleitores a que se procedeu mas, que deixou escapar-se para nao se ver na ne- em que se rioonhec, o governo. concedeu liber-
nas freguezias do seu municipio ao dia Ia do cessidade de sacrifica-lo raiva de seus soldadas. dade a um irwo do geueral Flores que eslava
corrente.No mesmo sentido e mutatis, mutandis. Diz o mesmo que a revolueao nao pode perder- prese-; permittioaes emigrados que rejfretsassem,
officiou-se as camarasdeOlinda, Nazaretb, Goianna, se, ainda quando queira Com as novas incorpora- faVor que nenhum ainda aceiou, e publirou urna
Pao d'Alho. lguarassu, Limoeiro, Cabo, Santo An- ctes que leve, e os reforcos de armas e muwcdes, amnystia para os desertores dos divensos eorpos
lo, Escada, Serinhem, Rio Formoso, Agna-Preta, tornar a avancar sobre Montevideo, sendo de es- de polica, fazendo nella a seguinte importante de-
Caruar, Bonito, Garanhuns, Bom-Conselho, S. perar q/ie, como da primeira vez, o nao interrom- laraco :que, decidindo a.pr em jogo ledos os
Bcnto, Buique, Villa-Bella, Flores, mgaseira, Ta- pa a cheia dos ros. elementos neressarios para, vencer n rebtttto por
carat, Brejo, Barreiros, Cimbres, Ba-Visla, Ca- Ssgundo a retar^o do offlcial que trouxe as com- meiodm armus, suppunha.que esse actode mag-
brob e Ouricury. nmniraroes, grande o enlhusiasjno, do exercil nanimdade desengaan oes que seducidos por
Portara.O presidente da provincia resolve de- revolucionario, se bem que soffre urivacdes. falsos numeres de urna tr-mnsaccao tmposstvel com
signar nos termos da le n. 369 de 14 de maio de Ha, |k)s, motivos parajulgarie, que at o Bm os retentes, possam ler abandonado- seu posto de
1855 o professor JosSoares de- Azevcdo |iaraexer- do anno se ha de por fim a esia guerra desastrada, honra, desconfiando _.. hi^iuuM. imu i Hirwtor uer da ins- que tanw darano causa a nacionaee e estrangeiros. publica.
Nao chegou hoje navio algum de Montevideo, de Os jornaes aproveilaram logo, este trecho para
sorte que nao sei se se deu algum novo successo cantar a palinodia, gnum era todos os tons, que-
com a reunio no theatro de Slis a nica transaccao.com Flores a torca, horrivek
Vi urna carta que dnia textualmente : revelaco dos pensamentos sinrstros que morara
t Cada vez maior a diviso entre os homens as cabecas dos exaltados do partido blanco, que
do partido blanco. Domingo que vem, na reunlio acriciam com. satisfaco a idea de urna seguida
Dita.Os Srs. agentes da companhia brasileira np theatro, ha de se acensar Berro, e at obriga-lo edieo da matonea de Quinteros, que projecla urna
de paquetes a vaiwr raan-lem dar urna passagera de a renunciar a presidencia; se o nao fizerem, ser luz tao sombra, e como que urna facha sangui-
r |M\ra a capital do Maranho, por conta do mi- por fa|ia do anino, c nao por falta de vonlade. Te- nolenta sobre todo o partido
que se torno respon-
mem-se muilos deste ajuntamenio. savel peranto o mundo civilisado por esle crime
< Moreno diz que tornar a sahir a campo no espantoso!
dia 26 ; muitos duvidam, porque nao ser fcil re- Como urna desgraca nunca vem s, anos a disso-
! unir o exercito. Estao muito agitados os nimos lucao da diviso de Moreno arrebeaou aqu no
i com a reunio da assembla, que ha de ler lugar a da 20 a noticia da completo derrota do general
28 do corrente. Veremos como termina a presi- Lamas, que linha sabido do Salto, em companhia
1 denria de D. Bernardo. > do celebre Waldina Urquiza. com ama torca de
Pouco Ihes posso dlter que seja de alpm ate- quatrocentos homens, para se reunir a outra que
i resse da RepubUca^Argentiua, Os tenores que or- satura de Paysandu, e operar sobre as. dous depar-
* .*_


I

Diarlo de Pernnmbtieo abitado 14 de Xovembro de t3.
**
tameotos. 0 Infeliz general foi sorprendido pot
urna partida colorada composta de quinhcntos no-
meus, commandada, elle mesa nao sabiapor
impossibidade de pollciar-se, tao extensa fron- afastesse da mencionada regra nao poda ser aeel-
teira, para conhecer a razad par qu; nio appa-1 (apelo governo imperial; e aque se propiizesseiio
recem estes meii praticos elficazes que recia- sentido della nao necessitava do previoassenlimento
do mesmo governo.
t O ministro do Brasil em Londres, cumpre re
corda-lo, na alludida nota de 23 de maio, em no-
quem, pois que ora se dista commandada por Goyo ma do nosso governo, que ora inerte, ora des-
Soares, ora por Saldanha e Santana. !*! e sempre apresentado sb um desfavoravel
Finalmente se soube que o proprio general Fio- aspecto ? I
res, adiantando-se rom sua vanguarda, e fazendo Se tlem scmpro possivel prohibir a violacddo me do governo imperial, reclamou do conde Rus-
urna violenta viagem de 50 leguas, foi quem sor-. bloqueio de um porto, por mais pequea que seia sell, como reparacd dos suecessos do me de ja-
prendeu aquello que entrou na povoaco do Salto,. a sua entrada e numerosos os navios do guerra neiro que o governo de S. M. britannica exprt-
que a vigiara, como obter fechar aquella immensa
perseguido de perto, e com muito poucos compa
nheiros. De Waldino l'rquiza nada se sabe, pois
que elle julgou prudente ahafar.
O capito Bravo, que havia destruido poucos
dias antes a partida colorada do capito Regado,
ticou inorto nesto accao.
Depois desta ova entrada na offensiva, o gene-
ral Floros foi sitiar o Salto, e mandou Carahallo
sitiar Paysand. As duas lindas estad bem guar-
necidas.
Hontem tarde constou ao governo que elle reu-
ni toda a sua gente, e que passou para o sul do
Vio-Negro, naturalmente com o lim de approxi-
mar-se desta capital. O general Medina que est
no Durazno, entre o Rio-.l c o Rio-Negro, prova-
velraente se approximar tambem. Urna porcao de
armamento e fardamento que Ihe ia ser enviado
nao seguio por causa daquelle movimento do ge-
neral inimigo.
Cerno se ja nao fossem bastantes as prevas de
desuniio revelladas, c que j tem animad bas-
tante o partido adverso, o general Laceas Moreno
acaba de fazer publicar as romas diarias urna cor-
respondcnria contra o Sr. Aclia, ex-redaetor do
El Pas, e que era e seu fidas Achate, e que mais
tem sustentado sua candidatura ; poreue aquelle
escriptor publican que sua decisao liaba sido li-
cenciada ; oque S. Exc. nega affirmaado que ella
apenas est destacada, e dizendo que elle e o re-
dactor da Tribuna sao os dous homens que mais
tem prejudicado ao governo comseus esenptos.
OSr. Acha defendeu-s/?, como devia, desta com-
paracd Injurise, e resjiondeu ao general, mas
comcommedimento.
Nio sondo possivel cTectuar-se a eleico de de-
putados no ultimo domingo de ovembro, como
marca a oonstiluicio, pela situxcao anormal da
repblica, o nao prvvendo ella est circumstancia,
o governo tomou a deliberacao de convocar a ac-
tual assembla, que se rene amanha, afim de
resolvers tres seguintesquesles : adiar as elei-
cocs; conceder recurso ;io governo para os gaste*
extraordinarios da guerra, e tomar a iniciativa de
propor, como Ihe compete, a reforma dos artigas
da constituieao, que prohiben que sejam eleitos
representantes os cidadios de qualquer eiasse que
recobem vencimenios do estado.
Para o adiamento das eleiees a assembla tio
est habilitada iom os ctmpetentes poderes- s
urna constituate deveria fazer esta alterarn : mas
se impossivel proceder-se a urna etojead 'ordi-
naria de representantes, quanto mais a urna ex-
traordinaria para aquelle fim smente ? O remedio
inconveniente; porque estabelece ura rao pre
cedeute porm o que se parece na is tegal, o
nico razoavel nestas circumstancias de que se
pedera lanearinio.
Os jornaes de Buenos-Ayrcs dirrm aos blancos
que nao se cansem ; que as eleicoes se h&o de fa-
zer no dia marcado, porque antes delle c paiz es-
tar pacificado, tendo o general Flores entrado
triuruphanteem Montevideo. Tud pode suceeder
nesta torra.
Odeputado Vasqaes Sagustume, que era o se-
cretario do general Medina, detxou o su chefe e
veto tomar assento em sua cmara. Arompanhou-o
at a Florida, onde fui gozar algarts das de lieenca,
o coronel Apparicto, que camtnandando a van-
guarda da diviso de Medina, derrotou Goyo Soa-
rez no districlo de Taquaremb
O coronel Olid contina doeale e impertido de
servir.
O general Lamas, depois de sua segunda derro-
te foi destituido do commanda ao norte do rio Nel
gro, chamado capital. Foi substitui-lo o.corone-
T.enguas, a quem acompanhou o coronel Lucas Pi-
res. Sao dous offieiaes valentes e dedicados.
O celebre l'rquiza e seus companheir as cntre-
ria nos, commetteram no Salto toda a casta i de vio-
lencias, e nada respeitavam. As atiton tlades se
Tiran) obrigadas a reforear as patrulha s noite
para as conter em seus desatinos motril a popu-
lacho pacifica. O Standar!, peridico inglez, que
se publica em Buenos-A yres, nico que all com-
bato a revolucao e o partido colorado, noticiou
rom indignaran que aquello proprio chefe havia
violentado umaingloza '
As partidas coloradas tambem vao pi alicatxki o
que podem por onde passam. Consta q uc na es-
tancia do Hervidero, em Paysand, pert encent ao
.Sr. Juanic, nao dcixaram urna s cabera de
gado I
Como nao ficar este infeliz paiz der ois desta
desgranada luta I Os prejuizos parli. cabres ja
sao immensos, e os Brasileiros bastante tem sof-
frido.
A Reforma Pacifica nao perde occasia o de hosit-
lisar o Brasil, e de indispor-nos eoui os Orietrtaes.
O argentino D. Nicolao Calvo, que respeito como
homem de intelligencia, quer se mo.- trar mais
oriental do queeiles : e nio se afasta d o plam> lia
muito seguido pelos escriplores portenho ^ que aqui
estabelecem seus arraiaes para incitar : is masas
e trazer o estado do Fruguay em cons :mte agi-
laeio.
E' a desgraca deste paiz ter sempre ei n seu soio
un daqneOas es-riptores.
Nos actos Robres da generosa politi ca que o
govereo imperial segu em suas rolacrtes, depacMU
ellos constantemente inten<;cs sinistas. ura novel
machiavelico, um lim prejudicial.
Ellos envenenan! ludo Appareoeu nacamna-
nha a seguinte priK-lamariio, impressa ira pape!
amarello, som assignalur alguma. Pois niosa
extensao I
Fra raister erguer a muralha da China, e anda!
assira nao sei se ella pedera conter homens roso-'
lutos por urna causa ou que estejam as condoes:
descriptas. i
O governo imperial tem feito o que 6 humana- \
mente possivel, porque a nnguem convem tanto j
como ao Brasil a existencia da paz e da ortlein no
misse o seu pezar pelos actos que aeompanha-
ram as represalias, edeclarasse que ao ti vera a
intenco de offender a dignidade e de violar a
soberana territorial do imperio; e, quanto aos
damnos resultantes do apresamente dos navios,
Suaconcordasse o governo britannico em atten-'
er. mediante urna liquidacao arbitral, recla-
macao feita em favor dos interessados.
Foi depois de definida assim clara e terminan-
Rodrigues ChristovaV. Bodrigo Francisco Branco
Jnior e Manuel Jos de Souza.
Por decreto n. 3,16o do mesmo dia 21 foi con-
cedida aos subditos portuguezes visconde da Es-
trella eoutros, autori>aco para estabelecerein nes-
ta corte urna sociedade de beneficencia denomina-
daCaixa de soecorros de D. Pedro V,e foram
approvados os respectivos estatutos.
Por decretos da mesma data :
Foi conferida a medal ha da segunda classe, de-
signada no | 2. do decreto n. 1,379 de 11 de mar-
co de 1858, ao imperial marinheiro Joao Julio Ma-
riano, pelo servico extraordinario que prestou,'
salvando o seu companheiro Joilo Goncalves do
Nascimento, que, em consequencia da explosao de I
una peca, cahio ao mar, c estove ponto de afo-
gar-se.
Foi concedida
a pensao mcnsal de 205 ao sol-,
Estado Oriental. Suas deelaraeoes lamentando os temente a posieao do imperio em una questao de! dado do corpo de 'artfices da corte, Leocadio Fer- i
males que o afflgem sao sinceras, seu procedimen- honra que teve o governo imperial rommunicacd reir de Lacerda, que se aclia impossihililadode!
to coherente com ellas. da mediacio offerecida pelo governo lidelissimo, ao procurar os meios de subsistencia, por ter licado'
Estude-se sera prevenijo, sera animosidade. j mesmo tompo que era informado do modo porque
a questao c conhccer-sc-ha esta pura ver- o conde Russell se enunciara no parlamento a sc-
dade. ; melhante respeito.
Nnguem tem medo no Brasil da prosperidade i Mcdindo bem toda a gravidade das circums-
desla repblica, de sua riqueza, do desenvolv-; tancias, mas consciodo compromisso solemne ein-
mento de snas torcas. Seu destino, por mais bri- ; declinavel que havia contrahido para com o paiz, o
Ihante que seja, nunca |id oluscar-nos
trano, nos temos tudo a ganhar ues
sem o braco direito e sera tres dedos da mo es-
querda, em consequencia da explosao de urna
peca.
Foram apresentados":
O padre Antonio Goncalves da Rocha em um
canonicato da ordem diaconal da caihedral e dio-
js. Ao con- governo imperial, em resposta obsequiosa olTerta cese do Para, e o padre Luiz Martinho de Azevedo
sta situacao do do S. Magestade Fidelissima, manifestando os ( Couto na igreja parochial da Seda capital da mes-
della; porque veremos ampliar-so, de urna ma- j votos domis profundo reconhecimento pelo inte- ma diocese.
neira incalculavel, o ja extenso cornmercio que' resse e syrapathia que ao mesmo governo inspirara Os padres Manoel Joaquim Forte e Jos de No-
mantomos, com reciproca vantagera para os dous i a causa brasileira, o pelo empenho que mostrava, ronha aples Massa, em cadeiras de conego da
paizes. I em ver removida a sitnaco desagradavel cm que \ cathedral da diocese e provincia de S. Pedro, e o
E esto o nosso afn, o segredo da nossa poli- laos-achamos, expoz em resumo os justos motivos ; padre Jos Vasques Goncalves na freguezia de
tica, o fim constante de soasas aspiracoes, lim que que o aconselhavam a nao ser mais acodado e ex- (Santa Victoria do Palmar, na mesma diocese e
tem sido sem cessar eslorvado pela falta de pa- {ilcito a pronunciar-se a respeito da mediacao do provincia.
que o fra o governo britannico perante o seu par-1 Por carta Imperial do referido dia 21 foi no-
lamento, meado commendador da ordem da Rosa o vis-
E consequentomente, referndo-se condico conde de Gouva, subdito de Sua Magestade Fide-
indispensavel para o restabolecimento das relacoes lissiraa.
triotismo de alguns desvairados Orientaos, e pelos
manejos prfidos dos Argentinos, cujos interes-
M sao diametralmenfe oppostos, o que desoja-
rlam ver supprimido do Rio da Prata o porto de
Montevideo, para constituir sobre suas ruinas o
de Bueaos-Ayres o emporio das transaccoes com-
merciaes com lodo c- mundo.
O quo os Brasileiros querom, o que o maior
nhelo de nosso governo, que, em vez de duzen-
itos e cincoenta mil consumidores, a Repblica Ori-
ental conloada em seu frtil e rico territorio um
tnlhao ou mais; porqp.e tambem em Ingar de
quatro mil contos de ris productos do imperio
Ibes venderamos o quadruplo ou mais.
E este augmento de populacao nao se onsegue
sead com a ordem, com a paz, com gevernos es-
lavis e moracs, como o actual, com a felioidade
publica, erafim ; e, portanto, nos nao pederemos
concorrcr para perturba-la, ponme faremos tanto
mal a aos como a nossos vizinhos.
E o Brasil por ventura tao nescio que ao
comiircbenda isso 1
-28
Erabora csteja cm duvida o facto da passagem
de Ftres para esta banda do rio Negro, apparec-
ram hoje providencias que denotara que o gover-
no orgamsa de novo a defesa da capital. Procede
muito bem aisso.
O general Lucas Moreno acaba de ser |no-
roeado chefe da vanguarda do exeroitoda capital,
e deve tr collecar-so com algumas torcas em Ca-
aeloncs.
Pela raatihaa voltou do Salto, para onde tinha
ido na poucos dias um batalkao de infantaria,
eomposto- Na forma do costume, que publicar-se algu-
ma 'cousa contra o Brasil na vespera da sabida do
paquete, o Sr. Acha transcreve no Pais urna carta
de Bag, que muito acensa o governo imperial, e
26
Na madrugada de hontem houve na ra de S.
com a Braa-Brctanha, declarou o governo imperial
por sua vez que estimara tambem muito ver rea-
tadas essas relacoes, desde que o fossem conforme ] Pedro um incendio, a respeito do qual fomos obse-
a nota de 23 de mao. quiados com as informacoes seguintes :
* Cumprindc assim oque ceputouseudever,nao i fleje (25), das 2 para 3 horas da madrugada,
julgou o governo imperial necessario communicar manifestou-se um grande incendio na casa terrea
desde logo csso seu acto ao paiz, porque tinha e de duas portas sita na ra de S. Pedro n. 295, on-
tom a convicrao de que seu procediraento receher de se achava estabelecida urna taverna pertencente
o assenso e pprovaeao de todos os Brasileiros, Antonio Pereira Leite Jnior, e de que pro-
cujo apoio unnime lisongea-o de haver merecido pnetario o Sr. desembargador Francisco de Quei-
quando ere Janeiro deste anno assumio a atttu-' roz Coutinho Mattoso Cmara,
de que a diguidade e os bros nacionaes Ihe indi- j O fogo comecou na sala do negocio, c quando
earam. foi descoberto j lavrava com grande intensidade ;
Em conclusao, o governo imperial nao rejei- todava, conseguio-se reduz-lo immediatamente ao
tou, tiem poda rejeitar em absoluto a graciosa me- foco principal, de modo que a casa smente fieou
diacad que Ihe foi offerecida. Apresentou apenas estragada da cumieira para a frente. Os fundos
apreciacao do governo fidellssimo as difflculda- nada soffreram, e toda a cobertura se acha em p,
des que se oppunham a urna aceitacd desde j do estando apenas carbonisadas as madeiras doviga-
passo amigavel e obsequioso dado por aquelle go- mente que corresponde sala, lugar em que o fo-
verno. go se deu.
Antes de tudo una explicacd. Se a conGanea \ Os estragos que solfreram as casas ns. 293 e
em si mesmo, e no assento de todos os Brasileiros, i 297, que sao terreas e contiguas incendiada, re-
motvou justamente a reserva do governo imperial; duzram-se aos respectivos toldados, por terem es-
o nosso procedimento est asss justificado pela ne- tes servido de pontos de ataque ; sendo insignifi-
cessdade que sentimos de prevenir e desvanecer cantes os causados pelo fogo.
falsas apreciacoes, de evitar que se desvirtuasse o A polica procede a indagacoes, para chegar
procedimento" do mesmo governo imperial, e se ao conhecimento da verdadeira causa deste sinis-
transviasse aopinio publica em mciodas coBJec- tro.
turas, boatos c commentarios que circulavara des- Compareceram diversas autoridades, cujos no-
de que da Europa nos chegou a noticia da media- mes e graduacoes foram levados ao conhecimento
io offerecida pelo governo de Sua MagestadeFide- do Sr. ministro da agricultura pela directora ge-
ssima. ral do corpo de bombeiros; os piquetes do corpo
O assumpto suramament melindroso, e nada policial e do Io de infantaria, a bomba das obras
est tao longe do nosso pensamento como o desejo publicas, todas as secgoes auxiliares c todos os
de crear-lhe a menor diflieuldade. Nao portanto, postos da 1* seccaodo corpo de bombeiros, sendo
qual elle accresconta que, emquanto tanto se I nosso proposito notar e apurar cada urna das-pala- o central o primeiro que se apresentou.
decanta a nentralidade e se pronitte officialmente
permanecer dentro dessa poltica, os fados des-
mentem de urna maneira eloquedtissiraa. E' de-
tainago i sdica aqui.
Com o titulo de Importante, l-sc na Reforma
Parifica de hontem o seguinte, que deve oceupar
tnufto o attenco puhiica do Brasil:
Escrcvem-nos de Bucnos-Ayres que o governo
argentino tinha adherido a urna* convenci inter-
naeioaal, a cujos termos nao seria estranho o go-
vorne brasilero.
' Se nos informa que por urna das clausulas
desta convenci, todo o motive de divergencia fu-
tura entre as duas rcpuWicas (icaria subtnettido ao
arbitramento de urna teroeira potencia.
Anda que se nos fallo de algumas outras con-
dieoes mui vantajosas para oa Repblica Oriental,
naactual situacao em que se acha, devemos, em
materia desta importancia, demorar a publica-
riio dos detalhes comniunic&dos, emquanto nao
os fr possivel certificarnos completamente de
sua exactidao.
O Sr. ministro hrasileiro deve achar-se de
volla a Montevideo para o lim desta semana, ten-
do preenchido satisfactoriameuto os objectos de
sua misso extraordinaria junto do general Mi-
tre.
Sem querer ser profeta, vatcinei as minhas
anteriores correspondencias que o nosso badil di-
plomata o Sr. ix>ureiro desempenharia o seu en-
cargo perfeiiamcnte. A missao est acabada, e
ao que parece, j daquolla noticia, j do que me
infnrmam pessoas competentes, os resultados dola
sao, nao s saiisfactorios para estas duas repbli-
cas, como mui honrosos jiara e Brasil, escelhido
livromenle para arbitrio em todas asquestoes que
sobrevierom entre ellas.
E' una prova manifesta de que nossa vor sem-
pre sera ouvida aqui, onde to baixo tinha deso-
do nossa influencia, quando trvermos um repre-
sentante de tino e illustracao como o Sr. Lou-
rcro.
Uevo guardar a mesma reserva que a Reforma,
porque anda nao est publicada a dita convenci;
mas asseguro que nella ha muite de queorguiar-
se todo o boa Brasileire que ama sua patria c seu
mouareha, e desoja que o nosso naiz oceupe a po-
sicio distincta que Ihe comiicte no sul-amerieano
lipjia d este bra- loor sua civilisacio e riqueza.
Mais algumas Jinhas, e doixare descansados por
Fasta vez os Icitores do Sornal 'do Otmminio.
OSr. bario peMau 1-m cooperado activamen-
para orestabelecimento da paz nesta repblica
para manutencio da ordem na confederacao
polo mujer
argentina.
Tem adquirido tanto jus coniianca dos ho-
mens Ilustrados dos dous paizes e dos seus go-
vernos pelo progresso que tem dedo a estas na-
vrasdoorgao official e sim contentar-nos comas O trabalho da extinecio deste incendio ficou
suas deelaraeoes explcitas, acompanhando-as de completamente concluido s 4 tf horas da manhaa,
mui succintas consideraces, que ousamos ainda nao se dando desgraca alguma.
sujeitar ao alto criterio do governo do impera- 27
dor. L-se no Paulisla de Taubat de 18 do cor-
Resulta das deelaraeoes offieiaes que o gabinete rente :
de S. Christovao i nao rejeitou, ncm poda rejeitar Hontem s 2 j horas da tarto, cahio sobre a
em absoluto, a graciosa mediacao que Ihe foi offe- cidade urna forte chuva de pedra tocada de vento
recida. Apresonlou apenas apreciacao do gover- do sul, que deu serios cuidados populacao, pelo
no lidelissimo as difficuldades que se oppunham a tempo que durou, pela intensidade e o peso das po-
uma aceitacao desde ja do passo amigavel e obse- dras, que na maior parto regulavam o tamaito de
quioso dado por aquelle governo. um pequeo ovo.
As difficuldades a que se allude no precedente Depois que passou poda-seajuntar aos alquei-
periodo sao a Taita de aceitacao previa por parte res a pedra amontoada as testadas das casas que
do gabinete de S. James, c a honrosa coherencia olham ao poente.
que o governo do Brasil deve guardar cm seu pro- < Fazemos votos para que nio fosse geral e que
cedimento ulterior com as exigencias ou declara- nao soffressem os cafezaes e mais plantaeoes.
con que em seu nomo lizera a legacao do Brasil cm 28
LoHdres por nota de 2o de maio. A fragata ingleza Topaze trouxe datas de Valpa-
Os escrpulos do governo imperial, quaes se raiso at 21 de setombro.
manifestam em suas explicacoes, que prestamos O Chile permaneca em paz, echoando por todo o
o dcvido crdito, parecem-nos dictados pelos mais paiz o ruido da festa com que a 15 daquelle mez
louvaveis sentimentos de pundonor nacional. Urna se abri ao publico a estrada de ferro de Santiago
vez que nao conslava officialmente a aceitacao do a Valparaso.
governo de S. M. Britannica, a aceitado olcial Voltadas as attencoes para os melhoramentos
por parte do Brasil poderla parecer acodamento li- materiaes, tratava-se dos trabalhos preparatorios
Iho do medo, o que nos degradara ante os olhos da para a coiislruccao de outras vas frreas nao me-
propria Inglaterra. Por outro lado, nada constando nos importantes.
positivo sobre as disposicfcs conciliatorias do ga- Tinha sido adiada at ao Io de outubro a sessio
bnete britannico, ease procedimento da nossa pjir- do congres so, cujos debates pouco interesse nos of-
te fariacrer em Londres que recuavamos da posi- ferecem. A feicao mais pronunciada foi a cierro-
caoem que nos collocou a nota de 23 de maio. ta de todas as indicacoes do ministro do culto, cm
Em urna palavra, nao houve recusa nem an- que se suppoz ver una tendencia theocratiea, che-
nuoncia formal, em resposta ao amigavel e gracio- gando a cmara dos denotados a revogar a lei que
so oITcrecimento do Sr D. Luiz I. Houve bem eu- autorsava a enviatura de urna legacao a Romana-
tendido escrpulo em nio encaminharnios para o ra celebrar urna concordata,
governo britannico antes que elle dsse os pri- A questao de Mejillones estava adiada at a che-
meiros passos para nos ; houve deferencia para gada do ministro Frias, enviado da Bolivia, para
com o augusto mediador, ponderando-lhe a diffl- reatar as relacoes interrompidas. Tinham porm
culdade da empreza, e o risco de ser mal succedi- desapparecido lodosos receios de guerra,
do, se o gabinete Palmerston nao estivesse cordial; Das outras provincias do Pacifico nenhuma no-
mente disposto fazer-nos justica, como alias ticia de importancia encontramos as folhas que
sempre fcil e airoso urna naci Ilustrada epo- tomos vista,
derosa. --------
Por aviso de 24 do corrento ordenou-se que ti-
vesse exercicio na alfandega da corte :
6 ajudante do inspector da alfandega do Bio-
Grande provincia de S. Pedro, Antonio Maria L'l-
rich;
O pagador da caixa filial do thesouraria da mes-
O acto do governo imperial assim inteiramen-
te digno dos applausos do povo hrasileiro, e nao
pode senao acarear-nos, na Inglaterra e em Por-
tugal, novos testemunhos de estima e considera-
gao, se all poder ser justamente apreciado.
At aqu.idontificamo-nos com o governo impe-
rial em sua sensibilidade e rigor de lgica official. | ma provincia Patricio Augusto da Cmara Lima ;
Soja-nos agora tambem permiltido, col locando-nos O ofiicial da secretaria da intendencia da niari-
em outro ponto de vista, apreciar um facto estra- nha Jacintho Rodrigues Soares de Meirellcs.
nho, o da supposta reserva do governo britannico ( --------
ante o olTerecimento de Portugal, c as condicoes Sustentou these ante-hontom e foi approvado o
a priori postas por nossa (irte ao desojado accordo doutor em medicina pela universidade de aples
entre o Brasil e a Inglaterra. Roque Lucas Antonio Amato.
Entcnde o governo que a mediacao portugueza
a mediacao portugueza i 9
cCes, que exerce urna influencia real e mui legr nio est aindaaceita pelo gabinete da rainha Vic- Por portara de 26 do correte foi nomeadoCe-
tiea sobre elles, e conseguc ser attendido em seus' toria, ainda mais, que houve proposito no espirito sario dos Santos Monteiro para o lugar de fiel de
esorcos. I de lord John Russell em deixar ao Brasil a priori- armazem da alfandega do Rio de Janeiro.
i Jornal doCommerck.o Rio.)
Reforma afrnniuqueera distribuida
Fidolis. como pz abaixo della a
siloiro !
Proclamarao.Brasileiros E' tempo i le correr
s armas o despertar do lethargo em quejareis.
Ulante de urna serie nao interrompida de- factos
horrorosos, commettidos |Hir urna horda d e assas-
sinos o perturbadores da ordem. no estado limitre-
plio, com manifest prejuizo das propried ades e
iut^ressesdo nossos patricios e imane.
Bravos orientaos Vs quo, por meis des' urna
voz, tendes emigrado para um paiz bospitaleiro,
ajudaia libertar a nossa patria desses malvados
degoladores, que tem manchado a nossa historia de
independencia com os actos mais horrorosos; que
jaman foram praticados em todo o orbe.
Ex Oricntaes I Tendes vosa frente um novo
campead, libertador da nossa patria, o vaiente ge-
neral D. Venancio Flores. Hoje em vossos lares
trmula briosamente o estandarte da victoria :
pois chegadoo momento solemne de oorrermos
unides.ao campo dos martyres, ende devemos tri-
umphar com honra ou morrer airosamente.
Pela santa causa da razio e da justica, c Brasi-
leiro que se vos dirige convlda-vos a reunir-
vos para tao alto destino, c proromperdes eom em-
thusiastico brado :
Viva a religio catholica !
Vira a constituieao poltica do estado I
Vivara as nossas leis o, instituices !
Vivao dravo general Libertador Fidel Is Pas da
Silva.
Ainda eo tica nisso a maldade. Como Fi-
delis Paes, e bem assim alguns outros Brasileiros
m insignificante numero dos que aeompanhaa o
general Flores sao offieiaes da guarda nacional,
propalam que ellos vestem o uniforme do cxerco
^ie linha do imperio, e que sto a sold, e com
*sta allegajia pretendem prevar que o governo
imperial nao neutral e tem adoptado urna politi-
za prfida, desleal.
Nao ha quem nao calcule que materialmente
mpossivel vedar a passagem de gente, ede outros
-objectos |Kir una immensa l'roateira de mais cem
Juguas ; limitando mesmo esta extensao frontei-
ra de Canavarro. que a causa das queixas, e a
ioate dos escndalos, ainda assim >' urna langa li-
nha a vigiar.
Alm disso, como sabido, por abi vagam mui-
to- desertores do .nosso exercito, nebros fgidos e
criminosos de um o do outro paiz, sempre promp-
tos a se reunir aa primeiro bando armado ue
appareee para roubar e saquear. Sao estes os
elementos que encoara a seu favor o general Fi- j Esclarecido assim este ponto, observaremos' ciaes por outro modo que nao seia o'da mais veira
sileiros que, em rande nu-1 que o procedimento do foverno imperial por oeea- i completo adhesao ao justo resentimento da nossa Dispeasa do servico para estudar. concedida
dignidade nacional oHendida. para matricular-se na escola preparatoria da corte,
dade dessa acwtacao. Da ordem do dia n. 372, publicada ante-lion-
As palavras proferidas no parlamento pelo tem pela reparticao do ajudante general, consta o
; conde Russell, por occasiio de annunciar o facto, seguinte:
llmitaram-se a declarar que o governo da rainlta O Sr. general ministro e secretario de estado dos
estimara rer reatadas as suas relares com o do negocios da guerra determinou, para que tenha
.imperio. Estas palavras de corto nao importam execucao o disposto no aviso circular de 4 de no-
urna aceitacao expressa, ao passo que revelam a vembro de 1862, publicado na ordem do dia n.
recusa da iniciativa no assumpto. 333, que sejam remettidos a esta reparticao todos
A nossa nterpretaco diametralmente opposta os processos deconselho de direecao e deaveri-
do governo miwrial. O conde Russell. aunun- guagio para reconhecimento de cadetes e soldados
ciando ao parlamento a ofliciosa mediacao do re particulares, organisados desde o cornejo do anno
de Portugal, e acompanhando este annuneio da- de 1857. os quaes, segundo o dito aviso, acham-se
quedas palavras de sentimentos amigaveis para reunidos, e constara das relacoes dirigidas mes-
com o Brasil, traba aceitado indubitovelmento a ma reparticao, onde devem ficar os referidos pro-
augusta intervencao que foi offerecida rainha cesso archivados.
Victoria. Nesse annr.acio, nessas expressoes de Nomeacoes.Do Sr. tenente-general bario de
paz que o acompandaram, est irapressa, bem im- Suruhy, para ficar disposieao do ministerio da
presea, a resolucao ou iniciativa, se esta palavra justica, alira de inspeccionar o corpo policial da
vale mais, do governo britannico. corle.Aviso de 26 do correte mez.
Approximemos dostas observaeoes as palavras Do Sr. capito do corpo de estado-maior de 2a
do discurso dirigido ao parlamento, em nome de classe Joaquim Barroso de Carvalho, para major
S. M. ritannica, e vr-e-ha que aquelle proced- da praea na fortaleza daLage.Em 19 do corren-
mente do gabinete de S. James nio pode ser du- te mez."
vidoso para quem o apreciar sem os escrpulosj approvadaaque fez a presidencia da provin-
cia da Parahyba, do Sr. tenento-coronel do corpo
Pareceu conveniente ao Imperador do Brasil de estado-maior de 2* classe Antonio de Dos e
romper as suas relacoes diplomticas com a ra- Costa para commaadanto da fortaleza do Cabedel-
IKTERIOR.
IO BE 4AWEIBO.
2* de oulubro.
A. questio angto-brasileira.
A respeito desta qaestao, esplicou-se o governo
da forma segointo:
A imprensa desta corte (era ltimamente omi-
nado a attenco publica com a questao anglo-bra-
sileira aa parte relativa mediaoio offerecida pelo
governo de S. M. Fidelissima.
Para desvanecer eprevenir falsas apre-iaces
e para que por ventura nio se desvirtu o proce-
dimento do governo imperial e iransvie a opiniio,
julgamos dever restabeleeer a verdade doo Tac-
tos.
i Convra antes de tudo deixar elucidado um
ponto que consideramos essencial no assento. Al-,
ludimos ae acolhimento presuroso gne se diz ter' offieiaes.
dado o governo britannico mediacao de que se
itrata.
t Ao conhecimento do governo imperial ainda nha por ella nao ter dado salisfacao urna exigen- lo, na mesma provincia,
aao chegou de um modo autheotico e official a ae- ca a que julgou nao Ihe ser possivel annuir. Sua Exoneracao.Do Sr. capito do 2 batalhao de
eeitacio, por parte daquelle governo. da mediacao Magestade nao deseja a contimiaco deste romp- artilharia a p Tito Luiz Manoel de Jess, do lu-
oflertada. ment, e o r.6stabelecimento das suasrelagoes com gar de major da praca e commandantedas bateras
As palavras proferidas no parlamento pelo o imperio braJIeiro seria para ella urna verda- da fortaleza da Lago, como requereu em 19 do cor-
conde Russell, por occasiao de annunciar o facto, deira felcidade. rente.
limitaram-se a declarar que o goterno de rainha Era quanto s condicoes estabalecidas pela noto Grao scientifico.Apresentou diploma de bacha
estimara ver reatadas as suas rdacoes com as do de 25 de maio, que o governo aprsenla como base re em matlicmaticas, que Ihe foi passado pela es-
impci-M. ac nosso futuro procedimento, o ponto essencial cola central em 30 de dezembro de 1859, em vir-
Estas palavras de certo nao importara urna' da questao, a questao internacional cm sua ori tude do art. 149 do regulamento approvado pelo
aceitacao expressa, ao passo que revelam a recusa gem e suas lameotaveis consequencias. Nao nos decreto o. 216 do 1 de marco de 1839, o Sr. major
da iniciativa no assumpto. | licito meUi- todo o alcance das deelaraeoes offi- do corri Ae. pncRnheiros Vicente Antonio de Ol-
do a roda de proa. Soccorrido a tempo pela capi-
tana do porto, conseguio-se salvar parte do carre-
gamento.
Entrou arribado neste pono o patacho Unido
Paranaense, que segua viagem de Guaraluba para
o Rio de Janeiro. Na sahida da barra daquella
villa bateu no banco, e ah perdeu o leme e abri
agua.
L-se na mesma folha do dia 17 :
Urna carta escripia da PontaGrossa a 4 do cor-
rente diz o seguinte :
Hontem as 8 doras do dia andaram passeando
aqui pelas ras da cidade duas jaguatiricas (onca
pintada), urna maior outra menor.
A mais pequea foi agarrada em um quintal,
e a maior, que se suppunda ser mai desta, nao se
pode |iegar.
E isto na Princeza do Paran!
L-sc no Merrimac de Valeuca de 24 do cor-
rente :
No da 17 do corront, s 3 MuM da tarde,
cahio nesta cidade una grande chuva de pedras,
e em tanta quantidade que diversas pessoas llze-
ram sorvetes com gelo natural.
Muitos fazendeiros so tem queixado dos estra- \
gos produzdos pela podra.
30
Consta-nos que o Sr. Alexandre Affonso de Car- j
lho, director da secciio da secretaria de estado dos
negocios estrangeiros, foi condecorado por S. M. o
rei da Italia com o olficialato da ordem de S. Man-1
ricio e S. Lzaro, por occasiao da troca das ratili-
cacocs da convenci consular, celebrada entre o
imperio e a Italia.
31
S. M. o Imperador, acompanhado de seus sema-1
naros e dos Srs. ministro da marinha, general Ca-
bral, inspeeton do arsenal do. marinha, chefe do 1";
districlo naval e encarregado do quartel-general,
embarcou hontem s 9 / horas da manhaa na-
quelle arsenal e dirigio-se Boa-Vi gem, onde exa- j
niinou as forlificaes, seguindo depois para o
Gragoal, fim de visitar o quartel que all existe. |
De volta visttou anda S. M. as fortalezas de Ville- j
gaignon e da Ilha das Cabras, assistindo naquclla
ao exercicio de artilharia com balas rasas c fugue-
tes Congrve.
s 8 horas da tarde rcgrcBsou S. M. ao arsenal. |
de onde logo retirou-se.
Por portara de 29 do corrente foram nomeados
para 4" escriturarios da alfandega da Babia o
praticantc da mesma alfandega Melquades Anto-
nio Pereira Guimarcs, e o 4" escriplurario da do
Maranhao Jos Antonio de Miranda.
Concedeu-se, por decreto de 22 do corrente, ao
Dr. Francisco Julio de Freitas Albuquenjue, a dc-
misso quo. pedir do lugar de 2o cirurgio do cor-
po de saude da armada.
Ia de novembro
S. M- o Imperador, companhado pelos Srs. ca-
marista e guarda-roupa de semana e pelo Sr. mi-
nistro da guerra, visiteo hontem ao meio dia o
hospital militar, e s 2 horas da tarde o observa-
torio astronmico.
| licito medir todo o alcance das deelaraeoes offi- do corpo de engenheiros
mero, como assegura a Reforma, constitaem oseulsio dos deploraveis aemitoe i meatos de Janeiro des-
xercito. Se ajuntamog urna meia duzia de atfoi- ; le anno, a posieao que t'bem da dignidade e da
toados e alguns que aproveam o onsejo de tirar autonoma nacional teve de assumir em consequeo-
ma vinganca de viedenoias que Ihes forera foi tas eia del les, impunha-lhe o maior melindre e o mais
no territorio da repubhca, em plena paz, per au- rigoroso escrpulo no moda dft deixar es6a posi-
toridade della, que tinham por misso defendd- cao.
los, como a estrangeiros laboriosos e honestos.' E tao bem o com pretirale u o governo impe-
leremos achado lodos os Brasileiros qne este com rial, que tratou logo de expressar clara e posiu'va-
Flre. mente a maneira nica porque pedera ser retno-
E aote-se que aquellos affeicoados nao sao mo- vida a situacao desagradavel e difticil em que os
dernee ; datam do tempo da revolucao do Rio- mencionados successos collocaram as relacoes en-
Grande, e pagam hoje o auxilio que sempre rece- tro o imperio e a Gra-Bretanha.
bramdo Estado Oriental para a realisacao do j A noto do ministro do Brasil em I/indres, diri-
seus planos. glda ao conde Russell, em 25 de maio do corren-
Seo governo imperial nao ten podido prender to auno, e desde logo posta no dominio do publico,
aquees criminosos para pnni-los, cono Ihe ser deve regular o procedimento do governo imperial
possivel prohibir que elles paasera ae Estado Or- na renovaco de wjas relacoes cora o da Gra-Bre-
entaf tonda.
Nao era melaar que o Sr. Calvo refieetisse na 1 < Era taes crcurastancias. mediacao que se
Cremos, porm, poder, sem que commeuamos a no anno prximo futuro, se satisflzerera as coudi
mais leve indiseripcad, acerescenlar aquellas pala- vras oklaes, que a formula de soluco indicada Ao Sr. Io cadete do 7" batalhao de infantaria Jo-
em a nota de 43 de maio nao deve ser considerada s Joaquim Fon seca de Albuquerque.
como urna formula sem equivalente possivel, in- Ao sargento do batalhao de cacadores de Ma-
Oexivel c fatidica. A diplomacia ha de achar, se to-Grosso Januario Pereira Costa,
or indeclinavel para evitar aos dous paizes a cala-: Ao 2 sargento da companhia de artfices da Ba-
midade de orna guerra, alguma outra solu- dia Joao da Silva Res.
cao igualmente honrosa. Nao tanto a coa- i --------
iissio do erro, como urna reparaco assaz significa-1 Sustentou these e foi approvado o Dr. em medi-
jiva e condigna de duas naedes que se devem mu- cia pela universidade de aples Francisco de
tuo respeito e amisade, o que nos parece condicio Salvo.
n qua non imposta pela justica e pela honra
Graa-Bretanha o ao Brasil.
leve de refugiar-se era Chattanooga, com perda de
12,000 horneas e muito armamento.
A divsao do general Thomas foi a nica que se
bateu em regra, salvando de total deslruicao um
exercito perdido, segundo se diz, por falla de tc-
tica. 0 vencedor foi Braxton Bragg.
Ilurnsidoavanoava em sooeurrode Rosenkranz,
e, se conseguirse impedir que Chattanooga cahisse-
nas maos dos confederados, privara estes do me-
Ihor fructo da sua victoria.
Dos exercitosde Loe e Meade nada se refere ca-
ad que se conservam em frente um do ootro, e
cm Charleston suspenderam os federaes o ata-
que.
A expedieao nortista sahida de Nova-Orleans foi
repollida de Texas, que mostrava tendencias para
encorporar-se ao Mxico.
Maiaraoras estava cm poder dos Francezes. quo
neste ponto fcilmente podiam ter alguui contlicto
com a esquadia federal do Rio Grande.
O geral Furey dispunba-se a voltor Franca,
mas a condicio do Mxico estova longe de ser sa-
tisfactoria. Debalde o triumvirato creado na capi-
tal notificou aos representantes das potencias es-
trangeiraso restalKdecimenlo do imperio; os en-
viados dos Estados-Unidos, Per, Chile, Guatema-
la, -Nicaragua, Costa-Rica, e outros s querem re-
conliecer o governo de Jurez.
No interior havia ainda muito que fazer tiara fir-
mar a tranqullidade.
Por cartas imperiaes de 21 do corrento mez fo-
ram naturalisados cidadios brasilerros os subiitos
portuguezes Francisco Ignacio Das da Silva, Joao
L-e no Conmerao do Paran de 10 do cor-
rente :
O hiate orn Jos; entrado de S. Francisco
com um carregamento de farinha, mllho e couros,
foi cima das pedras da Ponto da Cruz, arromban-
cerca da viagem de experiencia que fez ulli-
mamente a corveta Xitheroliy, fomos obsequiados
com a noticia seguinte :
s 9 horas da manhaa do dia 10 do corrente
largou a amarraed deste ancoradouro a corveta
Sitherohij e seguio a vapor barra fra, sendo Ban-
dada com o hymno nacional pela fragata ingleza
Forte, que foi" correspondida eom o hyinno inglez.
As corvetas Bahiana o, Imperial ilmiidieiro rece-
beram reboque dos vapores Thetis e Paraense para
acompanharem a Silheroliy em sua viagem de ex-
periencia. Ao passar pelas fortalezas do Ville
gaignon, Lage e Santo Cruz, saudou-as a Nitherohy
com pecas de msica cscolhidas e variadas. As 10
horas, j fra da barra, formou-se muito cerraco,
e comquanto navegasse a corveta com a mnima
vcloridade para nao se affastar das duas outras
corvetas, nem por isso pode v-las, ou ter indicios
de acha-las, pois dando alguns tiros de peca nada
ouvio por nao seren correspondidos, e assim pas-
saram-se 4 dias, tendo nos dous ltimos chegado
at a barra, suspoitando o commandanle acha-las
fundoadas junto Iba llosa, e como nio restasse
duvida de torera ellas seguido qualquer rumo, sen-
do provavel estarem na liba-Grande, acenderam-se
os lugos, e seguio a Xitherohy para este ponto,
onde encontrou-as ancoradas. Ahi fizeram exerci-
cios de artilharia e mosquetera de bala ao alvo,
oblendo-se resultados muito satisfactorios : atirou-
se em quatro milhas de distancia para os rodizios
raiados de calibre 70, sendo os tiros feitos pelo
commandante, c obtendo bons resultados.
Esta artilharia aprsenla precisao nos tiros an-
tes do recochete, notndose considoravel desvio
para a direito depois delle. Atirou-sc era 8 amar-
ras para as pegas raladas de calibre 30 o nao rala-
das do mos'mo calibro, verificando-se, alm da ex-
cedencia de ambas, um exercicio digno de unta
guarnicao adestrada, na artilharia.
t 0 exercicio de mosquetera, foi regularmente
satisfactorio, foi feito em um alvo collocado ao mar
pelo travez da corveta e na distancia de 300 me-
tros ; depois de haver-se adrado muito, e quandu
mais se entliusiasmava a guarnicao por bem ferir
0 alvo, ouvio-se a voz de homem ferido, que inme-
diatamente trouxe a consternacio, e o silencio suc-
eedeu ao estampido dos tiros, com a lembranea do
padecer desnecessario de quem quer que fosse, ou
da victima se suecumbisse; o que effectuou-se
pnoco depois, sendo ella um imperial niariuhuiro
que se achava de guarda cm ura escaler da corve-
ta, que estava amarrado popa foi elle ferido
casualmente nos vastos e a bala atravessou-lhc os
intestinos.
A experiencia vela satisfez quanto a veloci-
dade, que _regular, c mostrou a nerossidade de
urna alteracio na mastreac,io ou no lastro. A in-
clinacio da corveta de 10 graos com vento re-
gular, o que suflicienie para nutilisar a artilha-
ria de sotavento e projudicar soiisivelinonlo a de
barlaveuio. A corveta entrou no dia 13 na ensea-
da das Palmas, da liba-Grande, e d'ahi salito em
21. Encontrou vento fresco e bonanooso, podendo
assim ser experimentada satisfactoriamente.
Tem ella grandes vantagens com a machina
que, apozar do ter a torca nominal de 200 caval-
los, tem a velocidade de 7 e meia milhas, com
vento de intensidade regular pela proa, e nao bra-
ceadas as vergas.
Tendo ainda feito na vespera exerciciosde bala
oca, entrou a Sitherohy vola neste ancoradouro,
e assim al maiTacao, sendo saudado o pavilliao
do Sr. chefe Parker pela fragata ingleza Topri.se, no
que foi correspondida. A ImperialMarinlieiro pode
alcanoar o ancoradouro, nao podondo-o fazer a
corveta Baliiaua, que fundeou na barra, de onde
regressou ante-hontcm pela manhaa, rebocada por
um dos vapores da companhia de reboques.
No dia 3 do corrento partir para a enseada dos
Buzios a corveta Imperial Marinheiro, levando
seu bordo o professor e os alumnos da escola prali-
ca de artilharia, que all vio exercitar-se em pon-
tarias ao alvo.
- 2
Por carta imperial de 28 do passado foi natura-
lisado cdadao hrasileiro o subdito portuguez Joao
Teixeira Lopes Guimares.
Por decreto n. 3167 da mesma data, foi concedi-
da autorisaco ao Instituto Histrico e (eographico
Rio-Grandonse, estobelecido na provincia de S. Pe-
dro, para continuar a exercer suas funcijes, e fo-
ram approvados os respectivos estatuios.
Por decretos do mesmo dia foi nomeado o la-
chare! Benjamn Constant Botelho do Magalhies
para o lugar do professor dacadoirademathemati-
cas do Instituto Commercial do Rio de Janeiro ;
Teve a morco da modalha de primeira classe de-
signada uo artig Io do decreto n. 1,379 de 14 de
marco de 1833 o carpintoiro Faustino da Rosa SO
ci, por ter salvado ao imperial marinheiro Bene-
dicto Carlos Fredielli, que, tendo sido laucado ao
mar por urna peca com que trabalhava a bordo do
briguc barca Itamarac, esleve a ponto do afo-
gar-se.
Ver tubro ultimo foi refor-
mado no posto de capilao de mar e guerra, com o
respectivo sold, de conformidade com o al vara de
16 de dezembro de 1790, o capilao de fragata Ga-
briel Ferreii a da Cruz, visto contar mais de 33 an-
uos de servico e achar-se impossldilitodo de nelle
continuar.
Por decreto de 26 do passado, foi nomeado Joao
Jos Alexandre de Moraes,para o lugar de ajudan-
te contador do correio da provincia do piatihy.
Por poriaria do hoje foram nomeados : Joao de
Oliveira Lara Baeellar, para ageat do correio do
Bio Claro, na provincia do Rio de Janeiro, e Joao
Luiz Fraucisco de Paula Azevedo, para ajudante
do correio do Rio Borato, na mesma provincia.
-3- /
Dos Estados-Unidos temos datos at 26(de se-
tombro.
Outra vez pareca a sorte da guerra sorrir ao
sol, cujas armas alrancaram no Tennessec assig-
nalada victoria sobre o* federaes, commandados
pelo general Rosenkranz, que, roto e destrocado,
sa chuva de pedras qne
j> Bemposta no dia 26 de
Escrevt
da Parahiba.
Depois da "C
desabou na fregu. ^i
julho prximo |>asSao, outras se tm succedido.
causando enormes prejuizos aos fazendeiros da-
quelle lugar, que, depois de lularem quatro annos
com a penuria a que ficaram reduzidos em conse-
quencia da praga dos caeteiros, ffcaram desespe-
rados de nao eolherem caf algum cerca de dous
annos seguintes, tempo necessario para refazerenr-
se os arbustos.
- Km outros pontos do municipio tem cabido
tambera chovas de pedras enormes, e em grande
quantdade, de forma qne tem estragado tambem
telhados das casas, e outras plantaeoes annuaes.
Fazendas ha que tem soffrido por duas, quatro e
mais vezes os estragos que occasionam toes chu-
vas, que snppoc-se continuarao sob a rnfbjeaem
da baixa temperatura 64 a 7 graos nos dias mais
quontes, nestes mezes de agosto outubre, qiw or-
dinariamonte so*ie (era outros annos) a 80 o 86
Siros e mais. E' esto a causa presumida petos
azendeiros das chovas de pedras deste armo, e, so
ass.-m fr)#tereiOQs de lamentar ainda novos pre-
juizos.
1
Do Rio da Prata entrou o paquete inglez Mersey
com datisde Buenos-Ayres' at 27 e Montevideo
29 do passado.
No Estado Oriental a revolucao, capitaneada por
Flores, longe de achar-se esma'gada, a I cava nova-
monte o callo triumphante. Passando ao norte dr>
Rio Negro, engrossou aquello chefe as snas torcas
c derrotando segunda vez o general Lamas, sobre
quem cahio de improviso, foi por cerco o Saltee
Paysand.
O general Medina, por causas que nao sao intei-
ramento liquidas, vio-se impossibililado de conti-
nuar a perseguir Flores, e ohrigado a fazer altoem
Durazno, ao paaso que a divisad de Moreno, com-
posto era grande parte de guardas nacionaes rom
alguma tropa de linha, se dispersava intrramente,
voltando o general apenas com os seus ajudantcs
do ordens capital, onde foi nomeado conranandan-
to das torgas da defoza.
Com offeito, nao era impossivel fque Flores re-
passandoo Rio-Negro, viesse em brevebateroiitia
vez s portas de Montevideo.
Nesta cidade reuni o governo extraordinaria-
mente as cmaras, afim de se autorisar o adiamen-
to das eleicoes, a que no estado actual do paiz se-
ria impossivel proceder.
Da Repblica Argentina nio ha sucoesso nota-
vel que referir.
Em Entre-Rios abrandra, suffocada pelo mes-
mo l rquixa, a exoitaco contra o governo de Bue-
nos-Ayres, e na Rioja dizia-so que Penaiosa era
perseguido por torcas superiores.
yuaoto ao mais, rcmettemos os leitores para as
cartas dos nossos correspondentes de Buenos-Ay-
res e Montevideo.
4
Pelo patacho Imperatriz Thereza recebemos jor-
naes al 22 do corrente do Bio Grande do Sul.
Os Allomaos residentes na cidade do Rio-Grande
tinham festejado no dia 18 o anniversario da bata-
lla de Leipsck.
0 Echo do Sul refere da maneira seguinte os
episodios desta festa :
Como j haviamos annunciado, teve lugar do-
fliingo o festejo do anniversario da batelha de Leip-
sick pelos cidadios allemies aqui residentes.
Juntaram-se todos na praca Sete de Setembro,
a cavado, s 10 horas da manhaa; adornavam-lhes
os pedos lacas de fita das cores nacionaes : as ban-
deiras dos diversos estados germnicos eram con-
duzdas por alguns cavalheiros, que se distnguiam
por faixas a tiracolo das mesmas cores nacionaes ;
urna banda de msica tocava durante a reuniao
bellas e alegres marchas.
Quando eslavam todos reunidos, o Sr. Ewald,
negociante desta praea, recitou um discurso em al-
lemao que foi muito applaudido, executando-se em
seguida os hymnos nacionaes da Alleraanha e do
Brasil.
t Percorreram depois algumas ras da cidadeja
dous de fundo, sendo a marcha fechada por urna
carruagem a quatro cavallos, todos enfoitadns,
que conduzia um venerando anciio allemao que
assistio a batalha.
Em seguida dirig ram-se para a casa de cam-
po do fallecido major Silveira, distante da cidade
duas leguas, onde existe um bosque boira-mar,
collocado na mais bolla e desejavel situacao para
una festa campeare.
Por dehaixo das arvores, que proporcionavam
a mais amena sombra, estovara estendidas mesas
com algumas iguarias, e em cima de duas mesas
harris de eervaja com torneira, circumdados fle fo-
Ihagem e llores, convidavam os sequiosos a dosal-
teraroni-se.
Muitos Brasileiros e estrangeiros de diversas
nacionalidades acompanharam 0 grupo festivo.
Ao chegar foram todos os estrangeiros convida-
dos a acompanharem os Allemies nesse da de re-
gosijo, ao que gosiosos se prestaran todos, reinan-
do a maior expansio de recprocos sentimentos de
alegra e cavalheirismo.
Foram recitados alguns discursos em referen-
cia ao dia, e varios brindes entusisticamente cor-
respondidos foram dirigidos da parte dos cava-
lheiros alternaos ao Brasil, provincia do Rra-Grau-
de e aos Bio-Grandeses ; sendo retribuidosi por ou-
tros, em que se saudou os Estados Germnicos e a
sua Ilustrada populacao, que, esiabeleeendo-se as
nossas plagas, traz-ns, com os gei mens de una
civilisacaomais adiantada, o trabalho eo esforco
preciso da perseverancia e de outras virtudes que
caraeterisain os da sua rara.
As 3 horas rocolheram-se cidade, percorre-
ram algumas ras e dispersaram-se na praca Sete
de Setembro.
noite reuniram-se de novo all a p c aeom-
panhados de urna multido extraordinaria, com ae-
chles acesos e as bandeiras dos Estados Germ-
nicos, no meio das quaes collocaram a do Brasil,
com msica a frente, seguiram de passeio por al-
gumas mas c tindaram a marcha triumphal na pra-
ca Municipal, onde tinham feito urna fogueira, ao
redor da qual se collocaram e canlaram, acompa-
nhados do msica, o hjmno da sua naci.
D'alli rerolheram-se ao hotel Lagaclie, onde os
aguardava urna oppara cea, que se prolongou at
tarde.
O sali do hotel estava adornado cora arcos de
triumplio. estados, inscripcoes apropriadas c ar-
maduras do melhor gostoe a proposito.
Os consulados e navios surtos no porto cou-
servaram-se ombandeirados, e durante a noite al-
gumas casas illuminaram-se, distinguindo-se o
Club Rio Grandense, ante o qual tocou a msica e
deram-se vivas.
O Commercial de\20 publica a seguinte cora-
municacao da povoaco de Santa Victoria :
Na Lagoa-Merim tom ltimamente navegado
urna lancha, que se emprega na pirataria ; tripu-
lada por quatro homens, sendo um de cor preta.
Estes individuos divertem-se em roubar pela
costa do Brasil o qne podem, c at se apossaram
as immediaccs da (inoa de uns peros de prata
de um cavado.
Parece qne na Lngoa-Merirn nao exstem nem
a escuna Bujur nem lanchad de guerra algum.
Um ponto como aquelle nao deve estar j mais des-
guarnecido de torca para nos fazer respeitar.
Segu depois da manhaa para e Para, fazen-
do escala pelos portos do norte, aanhoneira Igua-
temy, pertencente divisad daquelle districto.
-5-
Foi nomeado inspector interino da pagadoria das-
trepas da corte, e entrou em exercicio, o Sr. Jos-
Rutino Rodrigues de Vasconccllos, chefe da 1* ec-
catstja 4 directora geral da secretaria de estado
dos neiocios da guerra.
losem data de 31 de oulubro da villa
A.
1
i -
mn
-1~*


ftlario de Pernambuco ftabbado e Miembro de 1*63.
S
6 Teve passa^eni para o servieoda rcsefvi, Jicau-
Por decreto de 4 do corrente | do aggrogado ao primeiro batalhao da guarda ii.a-
Foi concedida ao conselheiro Manoel Maria do cioaal do mosmo servieo, Vicente Machado de Cas-
Animal a aposentadoria, que pedio, no lugar de tro, capitao-quartel-nicstre d) cominando superior
inspector da thesouraria de azenda da Bahia ; e. da guarda nacional do municipio de uro-Preto, da
ao bacharol Frederico Augusto de Almeida a de- provincia do Mnas-Gcraes.
missao que podio do lugar de inspector geral do*
terrenos diamantinos da Bahia.
Foram demittidos :
Ignacio Jos Caetano da Silva, do lugar de ins-
pector da alfandega da Parnahyba. no Piauhy,
e Uoavcntura Fcrreira da Silva Coimbra do de
porteiro e cartulario da thesouraria de fazenda do
Amaamaa
E foram nomeados
Concedeu-so a demissao que pedio Candido Leo-
poldino de Paiva, tunen te-coronel commandante do
batalliftodu inrantana n. 12 da guarda nacional da
provincia da Para'nyba.
Fez-se merc a Augusto Jos de Mello, da ser-
vontia vitalicia dosolllcios de segundo tabelliao do
judicial e notos, e cservfio das oxecucoes civeis e
Crimea da villa do Pilar, na provincia das Alagoas.
Foi: -lutada a pena de tres mezes de prisa
Nicolao Antonio Tassara de Padua, para o lugar e multa correspondente melado do lempo a que
de inspector geral dos terrenos diamantinos da foi condotnnado Albano Antonio de Moraes Lastro;
provincia de Minas-Geraes; e Antonio de Souza pelo juiz de direito da comarca da Parnahyba, por
Spinola, para identieo lugar na da Bahia. crime de injurias na de um mez de pnsao e multa
I correspondente metade do lempo.
Da ordem do dia n. 373, publicada a 2 do cor-.
rente pela rcparticao do ajudante-general, consta' Hontem, i,H' da tarde, emharcou Sua Mages-
o seguate : todo o Imperador no arsenal de mar.nha, e, acom-
Decreto n. 3.468 de 29 de oulubro prximo pas- panhado dos seus semanarios e dos senhures mi-
sado, revogando outro n. 1,634 de o de setembro nistro damarinha, general Cabral, inspector do ar-
de l53, e determinando que as promoedes nos seale encarregado do quartcl-general, dirigio-se
diftefttttes cornos t armas do exercito tenham lu- corveta Nitheroliy, onde, sendo recebido pelos
gar a proporcio que nelles se verificarem vagas, serthores chefe do primeiro districto e comman-
Artso di 2*7 de ourtibro (indo, mandando louvar dante do navio, assistio ao ejercicio de artilharia.
ni ordem do dia o capitao do primeiro batalhao A s 2 y horas regressou Sua Magestode ao ar-
de arlilharia a pe Conrado Maria da Silva Bitlan- seal, demorando-se alli ate as 3 X horas na visita
4-ourtpela intelligencia e zelo com qne desempe- das offlcinas de construcao e de machinas.
bou os traballios de que foi incumbido ultima- -------- -
mente para o armamento da fortaleza de S. Joo Falleceu anle-hontem com 73annos de idade, e
da Barra do Rio de Janeiro o nslruccao da guar- sepullou-se hontem no cemiteno de S. Francisco
da nacional nella desiacada. e pelos serviros que Xavier, a senhora baronezade Jacotinga, viuva do
ju vsiaram na mesma of easiao o capitao do referi- finado barao do mesmo titulo, que foi medico de
do batalhao Luir Fernandes de Sampaio, como S. M. o Sr. D. Pedro I.
ommandante da fortaleza da Lape, e o alferes do 9PaMgMHiwMB!*91^'
eT|K>de estado-maior da primeira elasse Manoel %/% *% nrnUlununA
Ignacio Carneiro de Pontoura, como sen ajo Q|J\|f|y |J PEnNAlflDULU
NometirSo.Do Sr. padre Albino de Carvalho,"
Lessa paracapellao da enmpanhia de menores do
arenal do guerra da provincia de Pernambuco.
Km 21 de outubro finjo
Temos a vista jornaes do sul do imperio, dos
quaes foram portadores os vapores Cruzeiro do Sul
e inglez neiia, alcanzando : os do Rio 8, da
Uni scit-ntificu.Ao Sr. segundo tenente do cor- Bahia 11 e de Alagoas 12 do correntc.
pode engenheiros Miguel Vieira Fcrreira foi con- Sob as rubricas Parte Official, Exterior e Inte-
ferido o grao de doutor em sciencias mathematicas ; rior encontrarao os leitores, por extenso, o que de
physicas.Diploma passado pela escola central, mais importante ha ; alm do que apenas encon-
en! 17 deontubro findo.
fkwiym.--Fii\ concedida, nesta cidade, ao Sr.
tramos nos jornaes o que damos em seguida.
Minas Geraes.-O resultado da eleicao para se-
alferes do carpo de estado-maior de segunda cas- nador, nos 42 collegies conhecidos, formava assira
se Jos Joaquim Pinto de Azevedo, que tem de res- a lista trplice :
p m 1er a eoiiselho de guerra. -Em 28 de outubro
lindo.
hfcenttu concedidas. Aos Srs. major do 12 ba-
talhao de infatuarla Miguel Jeronymn de Novaes,
Thiophilo Ottoni..... 1410 votos.
Dr. Martinho Campos 1297 <
Dr. SilveiraLobo.... 1289
Gogaz. Foram eleitos deputados geraes os Srs.
dmis mv.es com sold simples para ir cidade de ', conselheiro de Lamare e Dr. Caetano Xavier da
Montevideo tratar de negocios de seu interesse. Silva Pereira.
i' cirargfo do corpo de anude do exercito Dr. i Paran.yo dia 9 do passadobateu aas pedras
Jos Cudiha Mu eir de Souza, tres mezes de favor, da Ponto da Cruz, o hiate Maria Jos, em viagem
para tratar de sua sade na provincia da Bahia. de S. Francisco para Paranagu. salvndose toda
2 eirurgiao do corpo de sade do exercito Dr. a gente e parle da carpa.
Evaristo Nunes Pires quatro mezes, com sold e S. Paulo.Coineearam os actos na Faculdadc de
etapa, para tratar de sua sade onde Ihe convier. i Direito.
Km 27 de outubro finido. Ja se haviam entregue a pristi os Portugue
Tcnente do corpo de estado-maior de primeira zes autores dos disturbios na estrada de. ferro, con-
cl.isse Eduardo Jos Ramos, seis mezes. com sold tinuando a formar-seo processo.
e etapa, para tratar de toa sade em qualquer \ Rio de Janeiro.Falleceu 2 do corrente o co-
parte do imperio onde Ihe convier.Aviso de 27 roncl Luiz Cesar de Athayde. inspector da paga-
de outunro lindo. doria das tropas na corte.
Teneute do quartc batalhao de infantaria Hor- Tanibom falleceu e chefe de divisao reforma-
tencio Maria da Gama Souza e Mello, dona mezes Pedro Paulo Boutrouellc.
com sold e etapa, pura tratar de sua sade.Em i Foi nomeado commandante da canhoneira
K de outubro indo. Iguateiny, o I" lente Justino Jos de Macedo
2 lenle do corpo de engenheiros Joaquim Ro-, Coimbra.
drigues Gamboa, tres mezes, com sold e etapa, I L-se no Crrelo Mercantil:
par tratar de sua sat'ule. c Houve protcstacao de f hontem (4) na igreja
2 (mente do corpo de artfices da corte Joo de S. Pedro, do russo Rodolpho Steemhock, que
Rodrigues Barbosa Jnior, quatro mezes, com: pertencia a seita lutherana, as nios do vigario
SOido simples para if provincia do Espirito San- capitular, conego Flix Maria de Frcitas e Albu-
lo. Km 2S da outubro findo.
Por decretos de 2 2!. 28, 30 e 31 de oulubro.
Foram nomeados: I fez seguir pelo paquete Cruzeiro do Sul as cop
11 l..icharel Fernando Vieira de Souza, juiz de di-; da denuncia dada contra os Srs. desembargadores
'tito ila comarca da Boa-Vista de Tocan tins, del' Antonio Joaquim de Albu/merquc Mello, Basilio
entrauda, na provincia de Goyaz ; i Quaresma Torreao e Jos Pereira da Grapa, e de-
0 bacharel MartinpoAvelioo da Silva Prado, juiz pinados Joaquim Antonio da Silva Fcrreira e Jos
municipal e deorphibs dos termos reunidos de Joaquim Lopes da Silva, do tribunal do commer-
Porto Feliz. Lapivary? e Pirapora, na provincia de | ci do Maranbao, por intermedio da presidencia
cavo para cxportaro, oni eoaisawaeMla das a*B foram conhecidas bok u 2 3i,000 lomadas pelo
noticias que nos t'rouxe o Oneida dos mercados banco do Brasil a 27 Vr d. somm.'*m os saques fe-
consumidores, diados pelo paquete iajgtel Oneida:
A procura de caf foi pequea, e a esto circums- Sobre Londres: 750,000 a 27 >, 27 Vb e 27
lanri reunida a da accumulacao do produelo em Vi/, "ndo o cambio firme a estes extremos,
deposito devida a baixa de cerca de 250 rs. em Snre rranea: 1,000:000 francos a 341, 342e
arroba que apresontam as suas cotacoes actuaos 3- reis-
em rela$o s que vigoravam sahida do Btarn. Sobre Hamburgo : oO.OOl) tu. b. a 04 rs
Deu-se esta reducao da maneira seguinte : at o; oobre Lisboa e o Porto realisaram-se o* ltimos
dia 31 do passado 50 100 rs. e desde 3 do cor- saques, conforme a tabella seguinle :
rente, depois da entrada do Chinda, cujas noticias 100 %... vista,
foram em geral desfavoraveis, mais 150 rs. jjjj % a 30 dias.
No dia 27 do passado enretaram-se as operacoes j 98 0... a 60
de cambio, tomando o banco do Brasil de varias; 9/ %... a 90 >
casas bancarias 228,000 sobre Londres 27 Vs <*.! Ab ultimas cotacoes de cambio sobre Londres,
Desla data at boje tem-se fechado a totalidade dos de qne temos noticia, foram : na Bahia 27 3/4 a 28
saques sobre essa praca 27 Vi, 27 '-/ e 27 'A d-, u- em ernanibuco 28 X a 28 d.
Ilcando hoje o cambio mais lirme aos mesmos ai'olicks.as geraes de 6 % negociaram-se
extremos. '"'J'' um I"-''!1""'" '"tu de 94 %, 15 ao par, e 100 a
.No dia 24 do passado fechou o banco do Brasil 102 % com tranferencia no da 10 do corrente.
com o governo Imperial, por conta da casa banca-! I'rovmciaes venderam-se 9 a 95 %.
na dos Srs. Gomes & Filhos, a compra de 5,350 iJmcostos. ()s bancos niantin a laxa de
apolices da divida publica de 6 % 90'/%, de-; '
vendo-se effecluar a transac5o em tres prestacoes >a praca regn am de 8 a 9 >/2 0/0.
mensaes contadas da referida data, e obrigando-se, O mertado continua folgado.
o governo a nao fazer emissao nova durante o an- M.-hxportaram-se desde o 1 do correntc
no prximo futuro de 1864. a,t "je {i> valurCi seguiutos em mueda :
Dessa- data al Iwje teni-so negociado esses fun-
A saber :
Sahiram . 12 >
Existem. . 356
Nacionaes. . 231 presos.
Eslrangeiros Mulhcres . 24 1.1 >
Estrangeiras Escravos . 3 61 .
Esrravas . 4 i
356
dos ab-ir, dem ex-div., 101 e 102 %
O mercado monetario conserva-se folgado. Os
bancos manlm a laxado descont a 9/0: na pra-
ca regulam de 8 '/2 10%-
Cafe.-As vendas ellectuadas, apsa saluda do
vapor francez Bearn, sommam :
Para os Estodos-Unidos........... 17,544 saccas
o Canal e norte da Europa... 12,520 ditas.
o Mediterrneo............. 4,870 ditas.
o Cabo da Boa-Ksperanca----- 2,500
Deslios. Ouro.
Lisboa..... 3:9945700
Pernambuco 711:2003000
Montevideo. 35:8303000
751:0343700
Prata.
4003000
103000
4103000
Cakk. Venduram-sc hoje 3,000 saceos. O mer-
cado conservase frouxo.
Entraran), procedentes de Pernambuao: 24,
ditas. a barcadinamarqueza Aunustu Aurora,rom 7 dias;
29. o patacho hanoveriano Frisa, com 8; 5,0
Total ... 37 434 ditas, brigue Imperial Pedro, com 8, e o dilo hamburguez
Para melhor comparacio' da baixa'que sofTre- Dm, com 11; 6, o patacho Campista, cem 10; e
ram os precos neste periodo, publicamos com as 7, o bngue dinamarquez Commwleur com 9.
cotacoes actaes as que vigoravam no dia 23 do Sahiram, para Pernambuco:
passado :
Alimenta** custa dos cofres publico 139
Movimento da enfermariado dia 14 denovembro
corrente :
Teveram baixtf:
Damiao Goncalves Pacheco; sarna?.
Jos-Pereira Colho; oplitalmia.
OWTl Aillo DO DIA 12 DK .NI.VKMUllO NO CEMITE
nio publico :
Maria, R*rnambiico, II annos, Boa-Vista; febre
perniciosa.
Jovina, Pernambuco, 3 annos, S. Jos : espasmo.
13
Ambrosia*, Pernambuco, 1 mez, S. Jos ; convul-
sOes.
Manoela. Pernambuco, 3 dias,. S. Jos convul-
soes.
beral. mereceincontesavelmenfeiimacaJera em a
nossa asseinbla.
Esperamos que o notne de tao Ilustre candida-
to, credor alna de maiores ttulos c de figurar
em mais elevados encargos, geja leinbrado por to-
dos os eleilores deste dislricto, por que sna elet-
co das mais honrosas para a nossa provincia.
i'm eleitorde Santo Antmw<.
Como son tido. e com razio, por um dos redac-
tores do Constitucional Pm;mimbucano, para cuja
redaccao tenbo concorrido lao flacamente como
permlttem os recursos de que disponbo, venho
protestar pela imprensa contra mu trecho da cor-
respondencia .lo Lear. em trae se tolla de meu
cunliado e amigo, Dr. Benjamn Pinto Xogueira.
juiz municipal do ('.rato, de um modo indigno e
COmpromeUedor de sua independencia e digni.lade.
corres|iondencia inserta naquello peridico n. 44,
publicado hontem, seni scicncia minha.
Facoaos meos amigos que seacham frente da
reda cao daimclle jieriodico, a juslii;a de acreditar
que. por descuido, consentirn! na publicacao da
supradila correspondencia, sein alteracao; entre-
tanto, como quer que seja, corre-me o dever de.
salisfazendo s ex-igencias e aos impulsos da aini-
z.ule. fazer um solemne e enrgico protesto contra
aquelle trecho, que someiHe cncerra 'falsidade e
revela despeito.
Recite. 13 de nnvembro de 186:1.
Joao Jurntcio Ferreira de Ajuiar.
ttcnhnres eleitore Ao primeiro
distrete.
.Nao por que bem me julgue. que de nalure-
23 de outubro.
Lavado........ 73500 a 83500
Superior fino... 73200a 73300
Superior...... 73200 73300
l'boa.........63900 a 73000
! ordinaria... 63600 63700
2 ba........63400 a 63500
2- ordinaria... 63200 65300
Ha em ser 160,000 saccas.
querqoe ; servio depadrinho o Exm. visconde de
l'ruguav.
A secretaria do supremo tribunal de justica Da ?allia e (-otinguiba, branco.
seguir pelo paquete Cruzeiro do Sul as copias ')e Campos, banco............
mgleza Ronrtrd; 26, a polaca hespanhola India-,
6de novembro. a -** adila Edwiges; 29, o patacho Capwim;
73500 a 83300 'O, a barca americana Ella Virginia; c a 31,opa-
73IOO a-520O tocho Ileberibe.
63900 "3(KiO Acham-se a carga, para Pernambuco : o bri-
0 5700 63800 gue dinamarquez Pottux, o patacho Correa, e o
63400 63500 brigue Trmirfor.
632IXJ 65300 Baha, 10 de norembro.
63000 65100 Lambo.Regulou : sobre I-ondres a 28 d. por
113000 ; sobre Paris 343 rs. por franco; e sobre
Agurdente. Enlraram 450 pipas. j ""* dc fl *00 0/0 de premie.
EfTecluaram-sc vendas de 60-3 a 653000 por' tretes-Reahsaiara-se: para Breinene Ham-
pipa v burgo a 40 sch. por ton. \ para Gibralta dc 40 a
Ficam em ser 800 pipas. Zm; K. ?!LB!ni ^ 1/ SCl'"; e
Assucar.-Entraram : De Pernambuco 606 sac- Pa>"a 1neste de 4/1/2 a 60 sch.
eos, pelo brigue Imperial Pedro ; da Cotinguiba Sabio, para Pernambuco, a 7, o patacho Jc-
100 ditos c 139 caixas, pelo patacho Flor do Pen- \qnina. _____^....
do ; de Campos 5,458 ditos, 320 ditas e 494 barri- ^re^e2?JB2[2^ a *' *** ampnca-
cas, por dilTerentes navios. Total 6,158 saceos, 439
caixas e 494 barricas.
No comeco da quinzena esteve o mercado des-
murado, porem reanimou-se depois da chegada do
Oneida, que trouxe noticias mais favoraveis dos
mercados consumidores, onde pouco se contava
com a concurrencia do producto da beterraba, cu-
ja collieita a secca diminuir.
Vendeu-se desde ciitao quasi lodo o mascavo de
Campos que havia em ser ohtendo para o Canal c
o Mediterrneo de 15900 at 23400 Ospossuiln-
res do pouco que resta teem elevado as suas pre-
tcncoes.
branco tem estado inactivo em consequencia
de supprimentos inesperados e da siluaeau desfa-
voravcl dos mercados do sul e do Bio da Prata.
Para o consumo effectuaram-se vendas insigni-
ficantes :
De Pernambuco, brauco, 2* sorte
3*
4'
somens.......
De Macelo, branco............
UM POUCO DE TUOO.
Tradusimos do Nouvelliste do Ruo :
Urna intelligente menina de 12 annos, dotada de
imaginacao notavelmente precoce, foi ltimamente
vii tima,'no Havre, da sua sensibilidade exccssiva-
inente exaltada.
Em consequencia de una falta de creanca, os
paes de Delina D... reprehenderam-na com algo-,
u ia
viver
foi
C rSo TJSVSS^L. onde beben todo ^^^^ *- ft*J2
.epois % a a. de urna v,- -IjJ^fJ SS^StUSS-
eialavor de qjuein t-
aK!Bis(U---i- S-flarj^aara sa
nliao. por que em a mi dos eseoMiidos sao deposi-
1 liquido corrosivo : edepo
sinha con.ar-.l,e o que lizera ; a qual_ prev.niudo wVdSve,pen1^r",|ol,!
os paes, chamou-se o Dr. Muller. porm lodos o SJ? ^ "**
bi melos.
Foi as 6 horas da nianhaa que foi buscar o vi-
triolo, em quanto a mai estova deitada.
L-se no Ikiilij-Neics :
No codicilio que lord Clydc acrescentou ao seu
leatameHM lembra-se assim do general francez Vi-
noy, que actualmente cornmanda a primeira divi-
san de Paris:
Dou c lego ao meu velho e muito querido cama-
tados os mais altos inleresses soeiaes. A esculla
por contemplacao somonte aos pedidos, e que nao
tenha por motivo a capacidade moral e intellcrluul
dos candulatos, s pode dar os irnos resultados
de que se qpefaum todos os dias os propnos que
assim escotheni.
Maiores mosivos de queixa dore ter o |>ovo dos
eleitores que escolhein sem toda a calma e retir-
rada da Crimea o general Vinoy. commandante de f- do ^ os eleitores dos deputados a que alten-
":,... -:,u. derain por mais 011 menos romtemplacao ; porque
S. Paulo:
(l capillo Josa Marcelino Alves de S, tenente-
coronel commandante do 'r corpo de cavallaria
dlt guarda nacional, da provincia de Santa Catha-
riiw; .
Jos Kraneisco Malaquias i.oemo, tenente-coro-
n'I commandante do batalhao do infantaria n. 26
da guarda nacional, da provincia de S. Paulo ;
Matlieus Mareondes Machado Cesar, capitao se-
cretario geral do coflimando superior da guarda
do mesmo tribunal.
33830 35950
35500 3373O
35200 a 3400
25700 a 35OOO
25900 35100
25900 33000
35200 34800
mascavo.......... 1580!) a 25<>0
O deposito acba-sc reduzido 674caixa-. 5i7
barricas e 10.700 saceos, sendo :
De Pernambuco 6,00 saceos.
De Macelo, 2,000 saceos.
Def.otingniba, 369 caixas e 1,300 saceos.
Do Campos, 305 caixas. 567 garrirs e 1.200
Os juizes denunciados devem responder no saceos.
prazo de 15 dias que Ibes concede a lei.
Etfirito Santo.No dia 20 do passado instollou-
sc a assembla provincial, sendo eleitos :
Presidente, Dr. V. lUbdlo.
Vice-dito, Dr. B. Freir.
1." secretario, A. Tovar.
2." dito, padre Aniaos.
Bahia.Un dia Io do corrente proeedeu-se
nacional 'los municipios de Tanbat, Cagapava, S. eleigao para um senador, sendo o resultado dos
collegios conhecidos. em mais de tres partes dos
em que se divide a provincia, o seguinle :
Conselheiro Zacbarias de Ges. 1325 votos.
Dito Jos A. Saraiva......... 1280
Coronel A. de Souza Spinola... 1159
A eleicao para deputados provincias deu em
resultado :
1." concluido. Drs. Antonio Alvares da Silva,
Ferreira Franca,
Couto, Ro-
Loiz, Hndamonhangaba, S. B.-nto e I'batuba, da
mesma provincia. \
Fez-se mote a Marcos Mareondes de Andrade
la sprventia vitalicia dos officios do 2o tabelliao do
publico judicial e n >tas, e escrivao de orplos do \
termo da Barra Mansa, na provincia do Rio de Ja-
neiro.
Foi eoinmulada em gales perpetuas a pena de '
Despacharani-s 242 caixas, 877 barricas. 4,901
saceos e 130 latas com o destino seguinte :
Buenos-Ayres, 573 barricas o 493 saceos.
Faimouth, 4,000 mccus.
Gibraltar, 236 ceos.
Lisboa, lOraixas e 30 barricas.
Loan da, 150 latas.
Montevideo, 117 caixas e82 barricas.
Porto, 115 caixas.
Bio da Prala, 192 barricas e 172 saceos.
Carne secca.Ha em deposito 203,000 arrobas,
sendo 60,000 ditos do Rio-Grande e 143,000 ditas
do Rio da Prata.
Vende-se a primeira de 15800 a 23600. c a se-
gunda de 25 a 33200.
Couros. Effectuaram-se as ultimas vendas a
230 e 240 rs.
Ha em ser 2,000.
Mercado firme.
Despacharam-sc 676 seceos para o Mediterrneo
na polaca italiana Emettine.
Fumo da Baha em folln. Nao houve entrada.
Venderam-se cerca de 400 fardos aos precos an-
teriores.
Colamos : Patente 153 a 195, Flor 123 a 14 i I
Freles.Fecharam-se 11 fretamentosa saber:
mnite a qne foi condemnado o reo Silverio de Oli- Pedro Francolino Giiimaraes. A. Ferreira
reir Bueno, pelo jnrj da villa daEnrruzilhada, da J. L. de Almeida Couto. D. J. da Silva C
provincia de S. Pedro do Bio Grande do Sul. jdrigo 0- de Oliveira Meiiezes.
--------- 2." menos o do CamisaoDrs. Franklin Doria,
Por decreto de 29 do mez prximo (indo foi exo-' Pedro Brandan. Sebastiao Cardoso, Joo Garcez,
-nrado o capillo de fragata Antonio Caetano Per- Demetrio. Ildefonso e Arsenio, conego Brandio e
raz do lugar de capitao do porto da provincia deS. Antonio darlos.
Pedro do Rio Grande do Sul, como pedir, por se! 3." menos o da Victoria Drs. F. Maria Sodr.
icliar imposibilitado de continuar a servir, em, Arcbias de Menezes, F. J. da Silva e Almeida, Jos 95500 a 115, 21 73 a 9jj e 9 of a 6j>.
onsequencia das molestias que soffre. I Gomes da Silva; Henriqne Aulran, Goncalo Mari- Ficam em ser
Porttin nomeados. em 3 do corrente. amanuenses nhode Aragao Buleao,c Paschoal de Maitos, Rami-
lla secretaria de estado dos negocios da inarinlia o ro AfloOBO Monteiro e vigario Honorio J. de Le-
Dr. Domingos Lopes da Silva Araujo e Joaquim do mos.
SaManha Marinhe Jnior. Do 4." e 5." apenas eram conhecidos alguns col-
Por decretos de 22, 21. 30 de outubro e 3 do ; legios.
crrante : L-se no Diario ;
Coneeden-se a demissao que pedio o bacharel : Hontem i4i as 5 horas da tarde falleceu, vic-
i-i-o Pereira de Souza Jnior do lugar de juiz ma de una congeslao cerebral, o general Luiz da
Liaos do termo da capital da provincia do Franca Pinto Garcez e enterra-sc hoje s 4 horas
!> ir. I no cemiterio do Campo Santo.
Poi declarado de ncnhuin effeito o decreto do Io Ao noliciarmos lao lamentare] acontec ment,
.le maio deste anuo, pelo qual foi reconduzido o' nao podemos deixar de derramar urna lagrima de sch. e 6 d.
bacharel Joao Ricardo da Costa Drummond, no lu- dr e saudade, como testeinunho sincero e cor- Colamos quasi nominalmente
B ir de 1 lzmunicipal e de orphios dos termos de dial as quatidades distinctas, que ornavam oillus-
Oiravellas e annexas^ na provincia da Bahia, vis- tre finado. 1
1 nao ter entrado em exercieio dentro do prazo i Cavalheiro distinelo, descendente de urna fa-
I. paJ. I mi lia notavcl, o general Luiz da Franca gozava de
Foram reeondnzidos : geral sympatbia na Ierra, que tantos serviros Ihe
> bacharel Felisblno da Kendonea Vasconcellos, Aove epor cuja independencia pugnou esforzada
REVISTA DIARIA.
Tendo sido dispensado proprio pedido do lugar
de delegado litterario de Pao d'Allio o Sr. Dr. Del-
fino Augusto Cavalcanti de Albuqueniue, foi no
lieame substituido pelo Sr. Dr. Einygdio Marques
Santiago.
Continuando hontem o concurso a que se pro-
cede perante thesouraria de fazenda, lerininou
com a prova oral a arguicao na parte relativa a es-
cripturacao mercantil; e em seguida foi dada a
prova de' geographia e historia do Brasil.
Examina nesta materia o Bevd. Sr. padre Vicen-
te Ferreira de Siqueira Varejao.
Entrn hontem em exercieio da directora
geral da instrueco publica o Sr. Dr. JosSiares
de Azevedo, que fra designado para nella funecio-
nar durante o impedimento do respectivo director.
Hoje dar a Sciedade Recreativa Corgbanli-
na a sua reuniao familiar do corrente mez ; deve
estar muito concurrida, como sempre que d essa
Sociedade snas remides dansantcs.
Fizeram acto na Faculdadc de Direito do
Rcrife no dia 13 de novembro os seguntes estu-
dantes :
Io anno.
Joan Adolpbo Ribeiro da Silva, plenamente.
Joaquim Cajurirn do Campos, dem.
Benedicto Raymundo da Silva, idem
Pedro Carneiro da Silva, idem.
31' naso.
.fos Francisco de Araujo Lima, plenamente.
Lino Leoncio d'Assumpco, idem.
Jos de Hollanda Cavalcanti de Albuqucrque. sim-
plesmeHle
Benedicto Marques da Silva Acanita, plenamente.
Joaqun! Francisco de Anuda, idem.
Matimiano Jos de Inojosa, idem.
Francisco Gougalves da Justa, idem.
4o auno.
Thcodoro Tha'deu d'Assumpco, plenamente.
Bem viudo Pinto Lobo. idem.
Manuel Roilrigues de Arroda Cmara, idem.
Juaquim Germana Hamos, idem.
5" auno.
Lonrenco Bezerra Cavalcanti de Albuqucrque. ple-
namente.
Custodio Jos licite de Salles, idem.
Joo Silverio Marques Bacallao, idem.
Magno Bruno Marques Bacall;o, idem.
Celebrar-se-ba amanha na igreja de Nossa
Seuhora do Livramento desta cidade, urna nrissa
solemne, em commeinoraco do stimo annirarsa-
rio da Bjciedade Monte Pi Popular Periiambucano
eem honra da Santissma Trmdade, sua padroeira,
urna diviso do exercito francez, a somma de 300
libras sterlinas (14:3003000).
O general Vinoy coiiimandava na Crimea um
corpo de Hopas estacionado junto das que com-
mandava sir Coilin Campbell em lialaklava.
Em umitas occasioes ditliceis os dous generaos
uniraiu as suas forras.
Estabeleceu-se entre elles urna eslreila e franca
amisadc, e. a exemplo dos dous genraes. os zua-
vos e os higlanders fraternisaram durante toda a
guerra.
Se estamos bem informados, um retrato do gene-
ral Vinoy est actualmente coloeado na galena de
S. M., em Windsor, ao lado do de seu irmo de ar-
mas, sir C illi
da ludia, foijnomeado lord (nivele.
o eleitor quando escolhe nao arrisca s'mento o seu
interesse, mas tamben) os de Iodo o pVo de quem e
conmtente. Bem sei. as nossas cleigbes, o povo
como levado ; mas os eleitores que ora estio
vendos mos resultado.; dotas ms praticas. po-
dem-se enllocar na altura de grande juiz em que a
lei os col loca :
E por isto que al ultima hora deve o eleitor re-
fleelir no processo de cada candidato que tem de
julgar. como o tapa penca na senfenca atea hora de
a pronunciar. E por lato que o escrutinio secre-
to, porque o juiz pode mudar o seu pronuiiciainen-
to at a hora de o exibir. K por isto qne todo o
compromisso, toda a promessa nao
n Campbell, que. depois da campanha ^"'i'"""'p-'- amwwive obrlgar
neiu moralmeiite, porque o eleitor nao da. mas en-
carrega ; porque nao favorece, julga ; porqile nao
dispOu, desemuenha a mais alta funecao docidado.
Imprudencia do candidato que reclama pela pro-
messa.
Exponho com franqueza o que me parece que
a verdade. e que se Kvesse sido praticada muito me-
lhor andaramos; por que lodo o nial ou bem so-
cial depende dos representantes do .povo ; e quau-
do elles nao dependen! do bom conceito do publi-
co, mas somonte dos pedidos particulares, nao se
Da Rerolnro de Setembro Iranscrevemos :
l'm nosso compatriota, o Sr. R que ha annos
vive em Helsingter casado com urna ingleza mis-
mas C... mulher de carcter fri c inalteravel.
depois de ter esgotado intilmente todos os meios
de produzr oin sua mulher urna impres>o que a
lizesse sair da sua eterna indilL'reneaappellou para
um extremo recurso.
Ergueu->e una manhaa rom o rosto desfigurado, *" sc,""-'"Ie .? particulares^ nao se
n.iluiellle saiu. .....nc
Dirigu-se redaccao do Times, e. depois de al-
guma dilliculdade, conseguiu que este peridico
dsse noticia circumstanciada da sua morte por
suicidio.
Quinze dias depois dirigiu-se a casa alegrndo-
se anticipadamente com a idea de causar urna sur-
presa sua iniperlurbavel melado.
Chegou.
A poria estova aborto.
Mistress C. eslava sentada mesa.
O nosso compatriota appareceu e tixando a vista
no rosto da esposa, julgou que cuinecava a sabo-
rear o sen triuinpho.
iniins.
Nao 6 porque tenha conflanca em mim que
enuncio estas ideas, que esta devem. todos os que
se apresontam, ter em si, como j o disse ; por-
que nunca achei geito n'oulro eaminho alm des-
te. nao obstante anda nao ter podido ebegar por
esta estrada.
Nunca gostei de fallar de mim ; 110 entanto ha
obrigaeao de faze-lo quando se pede ser juagado,
quando se pede, no meu ver, a mu importante e
alta commisso de depuiado provincial. Sendo do-
mingo o da ila eleicao, peruiilti ainda duas pala-
janras com queme rcemmende vo-sojuir-i, i>ois
Depressa suas es|>erancas
Mistress C com ademanes magestosamenle gla-
ciaes, estendeu o braco, e sacudindo a campanilla
disse ao criado :
Mais um talher.

Sr. redactor. Bem que isso nao va causar a
des
dad
odo e que desojara ver desaparecer
Para o Canal : I brigue dinamarqus a 50 scli. eomecjkodu precisamente s 9 horas da manhaa.
1 brigue sueco a 27 sch. e 6 d., 1 brigue inglez a
30 sch., e 1 brigue hanoveriano a 30 sch.
Para o Cabo da Boa-Esperanca : 1 barca france-
za (meia carga) por 330.
Para Gibraltar a ordens : 1 brigue hollandez a 10
sch.
Para New-York : 2 brigues inglezcs a 30 sch. e cao do motivo
Repauticao da polica
(Extracto da parte do dia 13 de novembro).
Foram recolhidos casa de detenco no dia 12
do correte :
A" ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de policia, An-
tonio Marques de Siqueira, branco, sem declara-
2 ditos a 35 sch.
Para S. Tliomaz : i brigue dinamarquez a 22
10 lugar de juiz municipal e de orphaos do termo e heroicamente.
I! irreiros, na provincia de Pernambuco.
O bacharel Esmerino Gomes Prente, 110 lugar
fie juiz municipal e de orphaos do lermo dc Ac-
racii, na provincia do Cear.
Foram nomeados :
O bacharel Jos Pires de Carvalho e Albuqucr-
que, juiz municipal e de orphaos dos termos de
aravellas e annexos da provincia da Babia ;
O bacharel Alcibiades Dracon de nlbuqucrquo
t.una, juiz municipal e dc orphaos do termo de
Mossor, na provincia do Rio Grande do Norte ;
Canal : 40 a 45 sch. (sem transaegoes.;
Hamburgo, Autuerpia, Liverpool e Londres : no-
minaes.
Havre : 30 francos.
Marselha: nominaes.
Mediterrneo: 40 a 86 sch.
Now-Vork : 30 a 40 sch.
A' ordem do subdelegado do Recito, Leonardo
PraneisOO de Oliveira, semi-branco, para averigua-
roes em crime de furto.
A' ordem do de Santo Antonio. Sebastian Bap-
tista Pereira, pardo, para avertguaedes policiaes;
Maria dos Passos Monteiro, crioula, por embria-
guez.
A' ordem do de S. Jos, Manuel Raymundo dos
Santos, pardo, para rorreeco; Benedicta Ignacia
de Franca,crioula,por estar nos trilhosda estrada;
se desvanecceram.: nao torio lodos Irdo a extensa exposico qui j liz
Mestosamente gla- de meufl precedentes polticos, desd o principio
al boje.
Tenbo estado sempre na opposico, nunca me
poupaodo quando acbo qualquer "jornal queme
abra suas columnas, castigando sem piedade o
vicio e a corrupeo do poder, sem guardar alguma
es.'ra'ca da hmanidadTqo j por si urna rer- eonveniencia para com algum de tantos desman-
adeira desgraca. declaro-lbe que me acbo aburre- ,dOS de que somos victimas; porque tenbo visto
udo c que desejra ver desaparecer da minha qne todos os govertos que temos ndo, sao mos e
vista as seguiales cousas e Dossoasqne me olou- da vez peiores, mais mimoraes e arbitrarios.
dein o ss sienta nervoso. | a l)('ssi,a e P"c0* 1""",'n^ <"< 1'''"ll,) CP*-
Aborreco asdonzellas nretenciosas queescrevem do, mas sem nonca tonar nem Iludir a sna nda
coracocm e sem cedill.a, e que poem cannim privada : e so para onde reservo as nimbas con-
nasaces. vcn.enc.as
Aborreco as casadas qne suspiram na ausencia Nunca adulc ao grande nem ao povo. dizendo
do marid scmlire a verdade, que tal me parece, nua e erua,
Aborreco as noivas que clioran pela casa pa- i agrade 00 nao. RecordkHros ainda urna vea q* as-
tenvt 1 snn ja sempre. usei, oeenpando a tribuna constan-
Aborreco as viuvas que choram ainda tres me- te e ineansavelmente n'uns dias que estire de sup-
les depois da morte do marido. \ I'1';'1"' provincial.
Aborreco as viuva^ que namoram as escon-; Pareee-me qoe seria bomaproveitar um bomein.
didas 1u, J;l l l)rova do nada poupar contra tantas un
Aborreco as raparigas que usam calcas, c as ve- serias qne sobrepujara nesta trra, ea tal ponto
Ibas que s nsam com renda. mle loaos tremeiu do futuro, nao se pudendo pre-
Aborreco os maridos que se recolhem logo ao ver a quanlo chegaivmos. se os horneas de boa
anoitecer* vontade. se os vossos escomidos, nao oppozereir.
Mmrreco os namorados liegas que choram dian- forte barreira a tantas torpezas, concorrendo cada
te do objecto amado. i U"1 el lmnl Cl)m 1'- POder.
Aborreco os viuvus que para apagar saudades Se tudo isto e esaeto, ou quanto o seja que me
do em extravagantes. | POSSa ser applicavel. julgai at a ultima hora.
Aborreco os jirnalistos petiscos que se crem _.....Affonso de Albuquerquc Mello.
seniideuss e quoreni abarcar o co
coin as i Recite, 12 de outubro de I83.
de ferro! quando passava o vapor; Joaquina da
s fechados al hoje Conceiea > Araujo, africana, para avenguaedes po-
No dia 15 de setembro ultimo, pelas 9 horas Lambo.Sommam os saque
da noite, na villa de Monte Alto, Francisco Manoel (6) pelo paquete inglez Oneida : I Hciaes.
da Silva, encontrando sua mulher em adulterio Sobre Londres: 55u,OO0a27 1|2. 27 3|8 e27 ; A' ordem do da Boa-Vista, Joao Olegario da Paz,
com Jos Antones Lopes a ferio inortolmenle com 3|4 d., incluindo 225,000 tomadas pelo banco crioulo, por crime de furto.
5 lacadas, de que veio soecumbir em menos de do Brasil ao segundo algarismo. A' ordem do da Muribern, Hypolito Francisco do
Sobre Franca : 1,300,000 francos a 341.342 e Monte, criouloj por crime de furto : e Lourcncoou
343 rs. j Florencio, africano, escravo de Joao da Silva Car-
Sobre Hamburgo saccaram-se sommas diminu- pinteiro. |r fgido,
tas a 646 rs. O chefe da 2 seceao,
Sobre Lisboa e o Porto tem regulado a tabella /. de Mesquito.
seguinle : Passageiros vindos do Rio de Janeiro c por-
101 a 102 0|0___avista. tos intermedios, no vapor nacional Ci-icWro do
100 a 101 0|0.... 30 das Sal: _,
99 a 100 0|0.... 60 Dr. Paulo de Oliveira, Dr. Estevao C. de A.,
O capitao Pedro Francisco de Albuqucrque, te-: Cambio. Londres, 25 }( e 23 K d.; Pars,: 98 a 99 0|0-----90 sua senhora e 1 escrava, Dr. Joao Ribeiro de Bnto.
nente-coronel commandante do batalhao de infan- 38 rs.; Hambuigo, nominal; Bio do Janeiro, 5 Apolices.Negociaram-se a 97 0|0 ao par ex- Mara Bem venuto dos Aojos, Jos reiix .\oromia
Ui ia n. 46 da guarda nacional da provincia de Per- e 6 Ve; Bahia, 5 a 3 % i Pernambuco, 3 /. div., 100,101 e 102 0|0. Feit.tl. Elias Jos dos Santos, Jannano Bento Gon-
48 lloras.
O adultero fugio. bem como o criminoso, que
a policia procura capturar, e contra o qual se ins-
taurlo competente processo,
Alagoas. Nada encontramos nos jornaes digno
1 de menean. No numero seguinte daremos a car-
PUBLICARES A PEDIDO.
Ao fallecido frei ttebastio de
Mcssiia. mi.ssionario apostli-
co romano. po*scn devoto ami-
go o coronel Antonio Cordciro
Pal cao.
SONETO.
O bacharel Juan Kerreira Cotho de Bittoncourt, la de nosso correspondente,
juiz municipal e de orphaos do tem do Ip, na1 NOTICIAS COMMEBCIAES E MARTIMAS,
provincia do Ceara ; Ato (cande do Sul. 25 de oulubro.
I
na 111 buco ;
O major Domingos Alves Malheus, tenente-coro-
ne| commandante do primeiro batalhao de reserva
O capitoo Jos Tliomaz Pereira de (iaslro^encn-
I -coronel commandante do batalhSo de Cantara
i. 12 da guarda nacional da provir da Para-
hyba;
O capitao Jos Anlao de (!a> lenente-coro-
v.e\ cmnniandanto do bau. infantaria nume-
10 19 da guarda nocional dn Inda do Piauhy ;
O (cuente Ricardo de Souza Martins, capitao-
piartel-mrsv do commando superior da guarda
.icional do municipio de Valenca, da mesma pro-
vincia ;
p,"i,is Inglaterra," conros salgados, 50 sh. a Deseontos. Conservam-se nos bancos a 9 0|0. salves Pereira, Manoel Accioli Santiago, Manoel
3 o/Je cinza, 45 sh. Bio de Janeiro 280 rs.; Bahia, i Na praca regulam de 8 1|2 a 10 0|0. Antouio Martins, capitao Manoel Martins Ros, i
l'rs. ; Pernambuco, 440 rs. Mctaes. Nos dias 27 e 28 do passado realisa- lilhos e 3 escravos, padre Joao Barato, vigario ge-
Papel moeda.Nacional 8 8 /, % de premio, ram-se transwc5es importantes a 29*600. ral Camillo Furtado de Mendonca e 1 criado, naja-
Met es. Oncas 32, pesos 2, patocoes 2$, Aceoes.Foram negociadas em lotes regulares rio Joao Soares dc Albuqucrque e 1 criado, Anlo-
ecas americanas 5 dlrs. 10, ditos ditos do 2 >/2 as do banco do Brasil a 60fi a\: premio, do banco nio Teixeira Pinto, padre Jos Roberto da Silva.
4, um peso boliviano 13, meios pesos bolivianos Rural e Hypothecar|o a 555, 56,5 e_60 de dito, da Joao Jos de Miranda, Joao Jos de MirandaFimo,
o 8
X
, um peso boliviano 15, meios pesos bolivianos Rural .
300 rs., <{ dollar americano 800 rs., columna- estrada dc ferro dc D. Pedro II a 105 de descont, EmigdioL. Paes Brrelo, Francisco Jos de Oli-
rios hespanhoes 300 rs.; X de palacio dito ao par e 45 de descorito, e da Companhia de Se- veira Silva, Jos dc Souza Guumraes Jnior, Rap-
440 rs. 1 gnros Fidelidade a 105 de dito. tista dos Santos, padre Vicente Ferreira Lima, Jos
Rio ile Janeiro. 6 de novembro. 7 ultima hora. Velloso Soares, alferes Felsl>erlo da Costo Correa,
Boletim de 23 de oulubro 6 de novembro. O paquete inglez Oneida deixa em nossa praca cabo Jos Faria de Figueiredo, Joanna Mana Na-
Durante a quinzena que passamos em revisto esperancas de melhor futuro. Auxiliada pela Pro- buco, Sadoc, Gulherine, (Sertrtides, Antonia, 1 es-
bouve pouca animaco em nosso mercado dc un- videncia, a lavouva lo norte calcula obter maiores crava a entregar, pracat, 1 desertor, 2 mulhe-
portocao, o que dvido em parte poca em lucros na safra do algodao, cuja importancia, ero- res, 3 criminosos remitas
1 reformado Antonio Ribeiro Torres, que; nos adiamos, prxima do fim do anno, em bora ainda nao nos eolloquc em alto posico corto Seguem para10 norte.
rauitoo innrU'l-meMre do comiiando superior da que os compradores limitom as suas transaccoes, foraecedores dos grandes rvntros de consumo, j Capia* ament Francteeo n
- "as. da dito facilitando os seus balancos e liquidacoes. prova exliuberantemente quanlo nos dado esperar, lente Jos Vieira de Sana li
Sob toes circumstaucias
Parahibuna dos Reis,
uedes, sua senhora
guarda nacional do municipio de Barra
provincia ;
O tenento Luiz de Souza Fortes, capitao eirur- cao notavel a posicao dos gneros ^ ....-----._ --------- ^
ciao-.no"do mesmo commando-.uperior e provin- mo.se eicupiuarmos a manteiga, cujos precos caf tambem se espera Inms resultados; e te com tonio da Costa Ferircira, Jmio Josc da Cruz Quer-
-~ estes favores do sle souber-se appliear producti- no Jos Vieira, Mara Jos Waldemelk, Antonio
nao apresntou altera- anda em quadras menos proprias. deste ramo de e 1 escrava, Dr. Fernando Moreira delSouza <* 1 es-
meros de maior consu- cultura faeil e vantajosa. Da falura colheito de crava, Dr. JoSo jtiltortio de Alencar, Dr. Lacio Aiy-
de entradas conse- vamente os capitaes que
ni' rf*/^*' *. **>
nos vao trazendo as no- Jos: de tinta, Matheus Jos Soares, Pedro Ferreira
di Mello. Thifmaz Prreira e 3 pnutos.
4.i^ tm melhorado.
Pedro Joseda Silveira tenente-coronel comman- O sal, em consequencia
Mto do batalhao de infantina n 29 da guarda cutivas e da sahida pouco favoravel que Ihe offe- vas tnstituicoes de crdito, creadas em Londres e df Mello. Tlntmnz Prreira e;.t pravas.
mmnsJ da provioca dc MiXGeraes recem os mercados do sul, tem afrouxado; as ul- aqu. ramificadas, podemos caminhar sem assom- Passageiros vindos do Rio de Janeiro e Baha
O capitao Antonio Xavier Cotrim. major ajudan- timas venas foram elTectuadas 530 e 300 rs., bro a par de um progresso seguro o reflectido. no vapor ingtes Oneida: raanrn
rie ordens do commando sunerior da uarda na- e actnalmeirte cota-sede 466 500 rs, Foi recelada bvoravelmente em nossa praca a Hennque Joaqmm dos Santos Pinto Carolino
^domu^^ As vendan de vinho do Mediterrneo foram re- noticia que nos trouxe o Oneida da facilidadecom Pe.erscn, 2ffilhosetcreados, AugustoTe.xe.ra Bel-
,,.,,, v guiares. 1 se effectuou o novo einprestimo brasilcro. fort BxotiB paoaa Eoropa.
' i) teaMmto Raymundo Jos Ferreira de Alcntara, No dia 31 vendeu urna casa importadora-cer- Apezar ^^w^r^delwroa^ojnimnronrift Segln para aEnroan :
maos.
Aborreco os noticiaristas vaidosos.
Aborreco os escriptores n.assudos.
E aborreco finalmente os boinens aborrecidos.
Ahorreco-ine a mim proprio.
No Commerch do Porto l-se :
O conde Madre estabeleceu ha tempos em Paris
Hm bairro para operarios e pessoas de escassa for-
tuna.
riliinamente fez visitar este bairro pelas pessoas
mais Botareis que se dedican) aos osludos de eco-
noma e melhoramento
sentando os dados
ja solueao de urg
grandes centros de |iopiilacao F lo respt,IOU 0 hr santo.
As numerosas casas edilicadas pelo conde Madre
compoem-se de tres a quatro divisos e cosinha. Veg pcn,|a d(J d Q nopro mant0>
Nos pateos ha casinhas que podem servir de oUI- J n-0 (eM (,n| |0|1 S(l() fl (.haro jrma0 .
cia independeiite para cada um dos inquilino^. () Efenm ^ condllzit> :1 San-a Silo,
O conde Madre provou que. \m es e medo, tira E o djj F|, ^^ lanl0
6 e meio por cento do capital empregado.
Os iuquilinos teem direito a que se llies nao aug- 0' feRi SebasUio, na excelsa gloria,
mente o aluguer em quanto vivara. Aonde creio, que existes firmemente,
m dos excellentes resultados deste syslema e aceita os parabens pela victoria!
que o conde Madre nao precisou aiuda despedir ju-
dicialmente a nenhum inquilino |>or falto de pa- Nao esqnecas os fiis, que unanimeate..
gamento do aluguer. Coin Santo te cnmtemplam na llisferln;
Muito para desejar seria que o exemplo fosse im- Boga emlim. por todos nos Deus Clemente,
todo por todos aquelles que o podem fazer. ________
amento das classes sociae^apre- Q Sl,n(ini(,nI, auur, o pranto,
,s que resolvem un problema cu- ft aJ |risteinnt|! 0 r0ra,-o
urgente neeessidado em todos os p^,, a crup| SPm eompixio:
Ao mesmo.
SONETO.
Em Plieken, um cidadio chamado John Res-
leuibach. sendo intimado para pagar a sua quota
do impasto, responden :
Julgo incompativel com os meus deveres de ci-
dado dar um apoio qualqu/r a um ministerio Jdeixou de existir o varao justo,
violador da consliiuco, qnedministra sem orea- txempio da virtude saa o pura,
ment regularmente votado pelos deputados da na- Quaos apostlos entilando rom brandura;
cao. Resolvi, portante-, nao |gar voluntariamente- A palavra do Senhor pregn sem susto,
iiniiostos em quanto se nao restobelecer a ordem.
constitucional Jubiloso vio crescer da f o arbusto.
O consolho municipal Ide Berln tambem no dia E elew-se. por seu ido. i somma altura;
30 de setembro recuso enviar a mensagem de fe- Mnitos amos missionon. tendo a ventura,
licitaco pelos annos da ranha, declarando que De hrmar de Deus a le, e o nome augusto.
USO enviara 'l^i!!SSi5t >' Q* "**r*r ^Omnipotente,
Cao. em quanto foreoi prohibidas as mensagen*po- ^ ^ ^^ a mm Tl{^m;i.
Chama Sebastiao, que alegremente
ajJOJL,!
ticas.
/
COMMUNICADOS.
Val ouvir do Juiz Saprcmoesta sentenca.
Casaras do meu rviuo etafnnim-nte;
Por que tirme propagasles minha cren^a.
l-Heiro provincial.
U:
A,pprOxirn&-se o dia em que o corjio eloitoral J"3 piO tosfce poile hCgar
.T^Vrtei-mesVre STommaiiX^soneriTd"! cade 350 pipas do branco a urna casa nao signa- opiniao da inprensa ingleza onVrcrn'esta o|teicao Agostinho Antonio, Viceusio Cernicaro, Jos Go- dsto prorinea se deve reUrtir, nos ditersos dis- tWT#rttl
'S Sm TVr^ TC;T toria d convenio o a pn-co superior s oflrtas aos seus auliacriptores, a promplidio com u*erfoi mos-.doM*s, Guettvo Artsiitek, Antonio Ca trirtos. para eleger deptadOs a assemJda pro- se nao se atolhar a lempo ; porm esitir-e-ha
"ilaleresjeao Pate Rilieiro Franco cai.iiaose- at ento recobidas-; sobre estes facaos porem, aceita e terminada, alm de provar mais lana vea no Pacheco, Eduardo Merretteld, John Roberison, vincial. com|ileUmenle o perigo fcueudo-se uso iiinnediato
UM* era du oommaoto up.'rir da guarda provenientes de causas anorn.a uaoimul dosmnnieipios de Campos S. Joiodn sivel *srar qual ser a marcha futura do ar- crdito imqnella praca,derxa-nos crer nue a essa boa Hnghes o Jos" Rodrigues da Silva.
Barra, da p-ovincia do Rio de Janeiro. tlao, cm> ttmto em roo dos importador* 6 hnrmonia de nossas reracSes noanc#iras acompa- --**""
Fui wforudo Isaac Esps de Miranda, caoao nesta dato de 2, W4 pipas, branco e Unto. a nhara co^^Tembdeci^nnRrde nossas relac flbtcflmr
da guarda nacional da provincia do Maranhao, no N'n """ districto o Sr. Dr. Aprigiu. Justinian da Silva qoal mediante sua beitlca inflnenca faz
esia Uaia Ue Z.l.t pipa.>, uianu o "i"* """"." ""-! -^--......"~"
No mercado de exportacao efleotoartmi'Se nos polticas com a posto de major.
ltimos dias vendas imprtenles de assucar mas-1 Cambio.Incluindo algumas. operacoes que s
H'MUTILADO i


Diario c Pernandmco wabbado 14 de Xovcmbr 4c l HQ3.

al subjuga essa ilitf*a molesiiB, nda mesmo
quaodo debaixodas farias as mate obstinadas e
airrravantes. As anilinas nunca tarminarao em
*Poochites,a tosse em phtysica.nera rouquidao em
asinina, se desde toga "e seu principio forem* ata-
nadas com este balsamo vegetal^ tuavisador e se-
dativo. Seus benotices effeilos sao para desde logo
notados as enferndades dos paUuoe, dos vasos
bronchios e da pleura.
Pde-se aehar a nda era todas-as boticas e lo-
jas de drogas.
A publico.
Enfastiado do proeediinento dos polticos da
nossa trra, nao comprehcndo seus trabalhos, nem
0 modo porque intrigara para chegarem a seus
fras, sempre obnoxios as conveniencias publicas,
venho declarar nnha pretenoac de entrar era no-
-a viameramente industrial.
Pelo que, e julgando-me core a capacidado e ac-
lidade precisas para quaesquer etnprezas como es-
tradas, (Kuites, calcadas e obras semelliaules ; of-
lereco-me aos particulares para dirigir as que ti-
verem unmaos, ou pretenderen! fazer propou-
do-me as publicas, como acabo de azer, a .rosen-
tando nimba propon para etmliuuagao da estrada
Uamede, sendo-me de ver declarar ter S. Exc. o
Sr presidente da provincia recebido-me perlera-
mente; pelo que espero ser deferido com justica,
visto como pens ser minia proposta a mais favo-
ravel a provincia.
S. Exc. ganhar associando seu nomo a tao til
empieza. ......
Espero poder publicar um jornal industrial, cu-
ja uecessidade se faz muito seutir nesta capitale
provincia, tendo por um dar conselho e direccio
as industrias, que se vo por aqui estabelecendo.
Recife. 13 de novembro de 1863.
Dr. Antonio Borges da Fonseca.
ra de 3 pollegadas quintes 10. dito de 4 i Pela subdelegada do Peres foram Tecolhidos
DOl?easito dous cavallos, sendo um preto ruco com
i i i q'fwe!> IW, ierro em ien(JOl ae i, ^ braneos,.eoutro castanh, castrado: quera se
a o l|- arrota cada um i. julgarcom direito aos mesmos, comparega, que
Para o 10 batalliao do infantera addido ao provando seu dominio Ihe serio entregnes.
"2a da raesma arma.
Bonels de panno verde 5, eraergoes i O,
mantas de la 5.
Qaem quizer vender taes objectos apr-
sente assuas propostas em carta feixada na
Subdelegada do Peres 9 de novembro de 1863.
O subdelegado,
Alexandrno Martins Correia Barros.
Crrelo ceral.
Pela admmistraco do correio desta cidade se faz
publico que as malas que tem de roaduzir o vapor
Secretaria do conselho as 10 horas da ma- nacional Cruzeiro do Sul para os portos do norte,
nliaa do dia IR dn rnrrpnlp m sero fechadas hoje (14) as 3 horas da tarde : os
iinaa uoma iouu crreme mez. I jornaes at meio dia, c as cartas admettidas a se-
sala das sessoes do conselho administrati-; gUro at 2 horas,
vo para fornecimento do arsenal de guerra,! mmmmmmmm_^_
9 de novembro de 1893.
vontade : segunda-feira 16 do corrente pelas 10
horas da manhaa no armazein do Annes defronte
da alfandega._________________
COMMERCIO.
Alfandega ,
I Rendimento do dia 1 a 12........ 16:670S90
dem do dia 13.................. 7:0095610
169:6805300
Moviuicnto da alfaadega
volumes entrados com fazendas...
< com .gneros...
Volumes saludos cora
c coiu
bzendas...
.{eneros...
13
72
ir;
Antonio Pedro de S Brrelo.
Coronel presidente.
Sabastto Antonio do Reg Barros,
Io secretario.
Companhia do Beberibe.
Bevendo reunir-se a assembla ge-
ral dos accionistas para deliberar so-
bre as cunts do semestre lindo c a al-
t rata que conveni faer-se nos novos
estatutos relativamente an fundo de
reserva, con ida-se aos nii'siu >s Srs.
accionistas a cnnip do'oircute ao nt.-io dia. Recife 9 de
novcnbro de 1863.
0 seorctaiio,
Padre Anton:o da Cunha eFi^ueiredo.
OKHFIOOEHA..
| Rrlario das carias seguras \indas do sul pelos
vapores inglez e brasilciro para os senhores
abaixo declarados :
Antonio de Castro Al ves.
Antonio Correia de Vasconccllos.dt C.
Antonio Jos da Costa Reg.
Dr. Cata:) Guerreiro de Castro.
Christovao Gomes Pereira.
Francisco Jos Silveira.
Hennque Guilhermc Stepple.
Joaquim Gilseno de Mesquita.
General Solidonio Jos Pereira do Lago.
! Tobas Barreto de Souza.
I
87! Retacan tas cartas seguras existentes
na ad ni a atracan u* correio desta
cidade para os senhores abaixo de-
clarados
THEATRO
A>^Lie-a
E91PREZA
DR
A. J. DIARTE CWMBR4.
Kecita extraordinaria
EM BENEFICIO
DAS
Obras da igreja de Xwsa Senhora do
Terco.
Sabbado II de novembro de 1863.
Logo que os senhores profesores da orcUestra
LOTERA.
CUSA m FORTUNA.
Ao IO.OOO#0.
O abaixo assignado faz sciento ao respeitavel
Movis, eseravos, mhidezas, fer-
ratens e perfumarlas. tOO*. 405 e 205 da lotera "que se acabou de ex-
Tpi-i-a fpiva \ 7 da rni'l'PIlle lrahir eJ'n benelicio .>Sant &**da Misericordia,
lerta-ieird l/ uuiicn 0 agente PesUna legalmentc autorisado venaera rem m.c\KT seus respectivos premios sem discon-
em leilao por conta e risco de quem pertemer urna t9 a rica molHlia de Jacaranda taaipos de pedra de rua apurado gosto e qualidade, espelhos, cama de ja-1 q mesmo tem ex|iosto venda cM^Ta dita casa
caranda, lavaturiss, guarda roupa, guarda louca, e as outras do costume, os novos e felizes bilhe-
candelabras, louca de juntar de alinoco, crystaes tes garantidos da sexta parte da primeira lotera
etc., tudo de gostos modernos, alguns escrayos, a benelicio da irmandade do Senhor Bom Jess
diversas miudezas, ferragens e perfumaras auan- a ya Sacra, que se extrahir a 21 do corrente
$ando o agente que tudo ser vendido pelo maior meZ) e ^ sortcs que ellcs obtiverem serao pela
proco offcrecido sem reserva na rua da Cadea do mesma forma pagas.
Um bom sitio.
S. A. Prez arrenda pelo tempo que se conveo-
cionar, o seu sitio com boa casa de morada, co-
cheira, baixa de capim, boa agua, muitos arvore-
dos de fructo, e alem de outras comraodidades tem
a excellente visinhanca de pessoas estimaveis. As
eondi^es do arrendamento serao favoraveis, e tra-
pnblico que vendeu nos seus afortunados nilhetes ta-se na praca da Independencia ns. 13 e 15, ou no
garanudw a sorte de 2:000* e outras militas de pateo do Paraizo 11^24._____________
Aluga-se na rua Nova n. 32, segundo adaF,
um escravo
casa.
quem o quizer, dirija-se misma
ttecife n. 6, segundo andar, as 10 horas em pon-
to sera faU_____________________________
LjEILAO
DE
Eseravos. movis e jolas.
O agente Simoes far leilao requerimento dos
administradores da massa fallida de Amorim, Fra-
gozo, Santos di C.,e mandado do Dr. juiz especial
do commercio, do seguinte : Rila, crioula, idade
de 22 annos; Tliereza, crioula, idade de 28 an-
uos ; Maria, crioula, idade de 30 annos; Luca,
crioula, idade de 9 anuos; Margarida, crioula,
a
nescarream no dia ti de novembro.
Brigue ingleztenrieita bacatho.
'Patacho americanolitd Wiiuj farinha e gneros
de esliva.
Brigue inglezAlmacarviio.
Importaco.
Vapor nacional Cruzeiro do Sul, entrado dos
portos do sul, em 13 do corrente, manil'estou o se- **"' "or,,|ra da'-"''I:
D. Joanna Fraucisca Paes Barreto.
Do Rio de Janeiro. ,e"'- ** AIves dt' Amorim (%.
tlsrao de Guararapes.
D. Eufrazia Mara de Jess.
tocTrera^a orortrado costoaM, s'bir 'seeoa o 'datle de 6 annos 5 Luduvina crioula idade de i
drama .era tres actos, original portuguez, intitu- annos | Honorata, crioula, idade de 2 annos Da-
tado mazio,crioulo, idade de 2 annos ; Manoel, nacao,
idade de 40 annos ; urna cria; urna rica mobilia
de Jacaranda com tarapos de pedra, urna dita de
dito de menos valor ; urna dita de amarello, um
, rico piano do Jacaranda, um dito dito de menos
preco, grandes e ricos espelhos de moldura de ja-
caranda, guarda roupa, commodas, cadeiras ame-
ricanas douradas, ditas de faia, sofs de amarello
grandes e pequeos, cadeiras de abrir e ditas de
halanco, mesa para jantar, apparadores, tocadores,
lavatorios, secretaria, machina de costura, prensa
de copiar cartas, cofre, livros de diversas obras,
lustre, serpentinas, candelabros.
Preeos.
Bilhetes inteiros..... 125000
Meios bilhetes...... 65000
Para as pessoas que comprarem
de 100 para cima.
Bilhetes........ 115200
Meios......... S5C00
Manoel Martins Fiuza.
Aluga-se uma casa em Bebiribe
tratar com
Trapiche, n
J. I.
3i.
de M. Reg, na rua do
Em seguida o Sr. Penante representar a secna-
comica de sua produccao,
rulote:
Mercaduras estrangeiras.
1 ladina ; ao London llrasiiiaii Bank.
1 caixote mercadorias ; a Joaquim Ignacio Ri-
beir Junior.
I ca i va mercadorias; a Lourenco Servat.
1 caixote mercadorias : a Joaquim Francisco do
Espirito Santo.
231 volumes barricas astas e dous eaixotes pa-
pel pintado a ordem.
Gneros nacionaes.
1 caixa rap a Goncadres & Cruz.
1 caixao charutos ; Jos Leopoldo Bourgard.
1 dito volumes impressos; a Jos Barbosa de
Mello.
1 barrica farinha : a Joaquim Francisco do Es-
pirito Santo.
1 embrulho amostras de cal, 1 caixao charutos,
!2 latas fumo, 80 jacazes toucinko ; a ordem.
Enconunendas.
1 caixao ; ao 2o batalbao de infantaria.
1 dito ;. a-Sil vino G. de Barros.
I volume ao Exm. visconde de Roa-Vista.
1 dito: a Gomes & Oliveira.
1 dito; a Iliocleciano de Souza Danos.
1 dito : a Joaquim Felicio Gomes.
t dito ; a Jos Antonio de Barros Junior.
1 dito ; a Paulino Rodrigues remandes Chayes.
! caixotinbo ; a Manuel Joaqun) llamos e Eilva
\ Genro.
1 paeotc ; a Jos Baptista da Fonseca.
1 encapado; a Tliomaz Jefleres Ksc|uina.
.Recc)edri:t de readas interna
gerac le PcraanliHC.
Rendimento do dia 1 a 12........ 18:197*143
iJem do dia 13................ 1:20,-3tu;
I3:t02f805
Consulado provlneial
Rendimento do d
dem do da 13.
a 1 a 12.
14:3704261
2:134*033
lfi:504*314
MOYMENXO BO PORTO.
Ai''os entrados no da 13.
Ito de Janeiro e portos intermedios dias e 20
limas, vapor nacional Cruzeiro do Sul, de 1,100
fondadas, rixiimandaiite G. Mancebo, equipa-
ein (4.
i'liilaiiHlphia -At dias. patacho inglez Laumtg, de
tW4eneladas,capitao B. Cremdr, equipagem 7,
cai.ua l.H'JO barricas com farinha e outros gene-
ro-: Ittnry Pastor & C.
Uferpool il dias, lugre inglez Ziziue, de 177 to-
nntadnn. rapiti W. J. Pnest. e |uipagem 10, car-
ca fazeodas e otitros gneros ; a Johnstoa I'a-
ter ,.\ C.
Terra-.Nova -28 dias, brigue inglez Mary, de 237
toiiiladas, eapitao George Debix, equipagem 12,
earga 3.000 larricas com baeauio ; a Johnston
Pater &C.
Tem-Nova -27 dias, terca inglez;: Stella, de 230
toneiada^capitao PetarM. Kenoi, equipagem 12,
carga 2.230 barricas eom bacalhc ; a Saunders
Brothers & C.
Rio de Janeiro e Bahia-5 dias, vapor inglez Oiic-
'/ ^Ws, equipagem 130.
.Virw stkldos no tnesmo dia.
Rio Grande do Sul pelo At Emilia, eapitao Joo Ferreira de Sctsza ; em
lastro.
-jtithampton e portos intermedios vapor inglez
Oncida, commandante T. A. Kevis.
EC1TAES.
O Dr. Antonio Epaminondas de Sfello, offlcial da
Imperial ordem da Rosa, 1 juiz de paz do i'dis-
tricto da freguezia Santissimo Sacramento do
bairro de Santo Antonio da idade do Recife, e
presidente interino do coliegio desta idade; em
virlude da le.i, etc.
Faro saber que recebi do Exm. Sr. presidente
la provincia, o seguinte oficio :4* scelo.Pa-
lacio do governo., J3 de novembro de 18o3.Ten-
doxje reunir-se no dia 15 do corrente na igneja ma-
!>-a .-la freguezia de Santo Antonio, oc eleitoresdas
freguezias do municipio do Recife, para a eteicao
de depotados assembla legislativa provioeial;
asshn odeclaro Vmc. para seu conlieeimeoto e
'lirecijao.
Deus guarde Vmc.Joao Silveira de Souza.
Ir. juiz de paz do 1 distrieto da freguezia de San
U) Antonio.
Em consequencia do que invoco aos precitados
eleilores, que sao os da freguezias de S. Frei Pedro
Housalves, Santo Antonio, S. Jos, Afogados, Muri-
heca, Santo Amaro de Jaboatao, S. Lourenco da
Malta, Varzea, Poco da Panella e Boa-Vista, a
comparticerem no dito lugar as 9 horas do dia
E para constar mandei publicar este pela im-
prensa, no (fiial roe assigno.
Recife, 13 do novembro de 1863 Eu, Joaquim
da Silva Reg, escrivao que o escrevi.
Antonto Epammondas de Mello.
DECLAHACES.
Conselho administrativo.
Oeonselho administrativo para forneci-
mento do arsenal de guerra tem de comprar
os objectos segnintes:
Para o arsenal de guerra.
Lati em lencol de 16 18 librascha-
pas 6, cobre em dito de 7 ditas -chapas 6,
fobre reino, arrobas 20, ferro sueco em bat-
los Maria da Cosa Pinto.
Miguel da Silva Pereira.
Manoel Ignacio Pras.
Viuva de Ventura Pereira Penna.
3 r re mato cao
Segunda-feira 16 do correle me?, de no-
vembro, depois da audiencia do lllm. Sr.
r. juiz especial do commercio se lia de ar-
rematar por execu(;o do Antonio Luiz dos
Santos, cessionario do Dr. Gabriel Soares
Rapozo da Cmara, os escravos seguinles
pertencentes a heranra do tinado Jos Fer-
nando da Cruz :
Abrabo pardo de 14 annos ava-
hado por.............800,3000
Jos cabra de I o annos avaliado
por................... 700f?000
Ivo cabra de 10 annos avaliado
por..................... 700^000
Joo crioulo de 9 annos avaliado
por..................... 7000000
Ignacio Fabio crioulo de lo an-
nos avaliado por.......... 800^000
Endraz crioulo de i 7 annos ava-
liado por ...............1,100^000
Geraldino crioulo de 12 annos
avaliado pur.............. 900^000
Vicente criuulo de l annos ava-
llado por................ 800000
Severino crioulo de l annos
avaliado por............ 800^000
Escolstica crioula de 10 annos
avahada por........ ..... 5o0??000
Ueniiquela crioula de 13 annos
avahada pur............ 1,000^000
Saluslana crioula de lo annos
avahada por.............. 800#000
Ignacio Justino crioulo de 15
annos avahado por........ 80,)0Q0
Ignacia Flora crioula de lo an-
nos avahada por....... 800^000
Duvina crioula de 11 annos ava-
hada por........... 800(000
Rosa lina crioula de 7 annos ava-
hada por....... ... 4503000
Severiano crioulo de 12 annos
avahado por............. .800000
Jucundiatia crioula de 7 annos
avahada por.............. 500#000
Velaliano crioulo de 8 annos
avaliado por.............. 550#000
Joanna criou!a hada por.. ....... ..... 400#0O0
Expedida crieuladeS annosava-
liada por............... 400#G00
JJellina crioula 4e 5 annos avalia-
bada por................ 350/000
Lurenea crioula de 5 annos ava-
hada por................ 3500000
Gerlrudes crioula de 7 annos
avahada por............ 6S0000
Augusto crioulo de 3 annos ava-
llado por................ 280,5000
Ponciana crioula de 2 annos ava-
hada por............... 2000000
Ignacia crioula de 15 ancos ava-
hada por.............. 4,000*000
- Pela eaurtania do porto se taz publico que as
embarcaeocsqae navegara do Forte do Mallos para
alem da ponte do Recife, devem passar somente
pelo canal mareado peta boia, em que durante o
.dia tem uma bandeirola encarnada. a noite uma
lauterna. Os que transgredirem essa ordem, e as-
shh perturbarem os trabalhos da otra da nova
ponte, serao punidos cora a multa coraminada no
art. 114 do regulameoto das capitana*. B para
que conste, faz-se publico pela imprensa.
Capitana do porto de Pernambuco 4 de aovem-
brode W63.- O secretario,
J. P. B. de Mello Reg.
Coasefho administrativo.
O conselho administrativo para forneci-
mento do arsenal de guerra, tem de com-
prar os objectos ssguintes:
Para o hospital militar.
Vidros crystaes de bocea larga do 10 li-
bras 24, vidros crystaes de bocea larga de
8 libras 24. vidros erystaes de bocea larga
de 6 libras 24, vidros crystaes de bocea lar-
ga de 4 libras 24, vidros crystaes de bocea
larga de 2 libras 24, vidros de bocea estrei-
ta de meia onca 24, vidros de bocea estreita
de 2 oitava? 24; todos estes vidros devem
ter rolhas de vidro.
Quem quizer vender taes objectos, apre-
senlem as suas propostas em carta feixada
na secretaria do conselho, s 10 horas da
manhaa do dia 18 do corrente mez.
Sala das sessoes do conselho administrati-
vo para fornecimento do arsenal de guerra,
11 de novembro de 1803
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
Sebattiao Antonio do Heoo Barros,
Vogal secretario. i
ESTIMNTE EM QDEBMDEHA.
Dar lim o espectculo com a comedia em dous
actos,
0 DOUTOR GRAMMA.
Para mais brilhantismo do espectculo achar-
se-ha col locada no salao a banda de msica dos
menores do arsenal de guerra, a qual locar bellas
pecasjios intervallos.
Os bilhetes que restara estilo desde j no escrip-
torio do theatro disposicio do publico.
Comecar s 8 horas.
A mesa regedora da irmandade de Nossa
Senhora do Tergo, desde j agradece a todas
as pessoas que se dignaram aceitar bilhetes
para o espectculo do dia sabbado 14 do
corrente, no theatro de Santa Isabel, e bem
assm a lodos aquelles que ainda ten nam de
o fazer, em beneficio das obras da reedifica-
co de sua pobre igreja.
Uma coratnisso acompanhada de duas
virgens, no lira do drama, se dirigir aos
camarotes receber bolo que cada um
de seus prolectores se dignar offertar.
AVISOS MARTIMOS.
Aluga-se a loja do sobrado n. 193 da rua Im-
perial, e o armazem n. 4 da rua de Apollo : na rua
da Aurora n. 36.__________________________
Aluga-se o primeiio andar da rua do Crespo
n. 23 ; a tratar na loja.________________
il i linni i< u! ni i Conceico.
Ricas estampas coloridas da Immaculada Con-
ceico e de outras santas troca-se barato: no ar-
mazem da ruada Caoeia do Recifen. 60.
casticaes etc., re-
logio corrente, adereco e meios aderecos e tran-
cclins tudo de onro, salva, casticaes c eolheres de e||a comparativas dos amigos pesos,
prata e muitos outros objectos que seria enfado-
nbo enumerar.
Qmrla-feira 18 do torrente mez s 10 horas da
nianba.
Na rua do Sebo sobrado n. 37.
Regulador de cscripiuracao roiuuier-
t-ial por partidas d-biadas.
Organisado na cidade do Porto e conforme o c-
digo do commercio que nos rege, obra bem des-
cripta e resumida para chegar ao alcance de
qualquer iiitelligencia.contendo alera disso 4 la-
bellas comparativas dos antigos pesos, para com
os do novo systema mtrico decimal e vice-versa
e do antigo systema de medidas, ella muito
precisa e necessaria e mui principalmente agora dos, o qual qualilica
que poucos se achara ao par das medidas que | qualquer resultado s
Offerece-se uma ama limpa com todas as ha-
bilidades de cozinha, para casa de homem soltei-
ro : quem precisar, dirija-se rua da Penha nu-
mcro il. _________
Os Srs. Joao Nepomuceno AIves Maciel, An-
tonio Antero AIves Monteiro, Manoel de Mendonca
Guimaraes e Barnab Elias da Rosa Calheiros
teein cartas viudas da provincia de Alagoas, no
esrriptorio do Dr. J. Campos, praca de Pedro U
numero 32.
Ao auianhecer do dia quinta-feira -9 de ou-
tubro ultira fururara-me dous cavallos do cerca-
do reveso do engenho Aldea do termo do Rio For-
moso, e para o conseguirem arromLaram a cerca
do dito reveso, onde sao recolhidos noite os ca-
vallos do pasto do mesmo engenho, mesmo para se
evitarem os furtos. Os referidos cavallos sao do
servico da mesma fazenda, sao crias do mesrao
pasto, muito novos e j rastrados, e aiada nao fo-
ram marcados com o ferro do engenho, e por con-
seguinte nenliuma marca de ferro tem. Um del-
les ruco pombo cora a dina e cauda da mesma
cor, de tamanho regular, um pouco galgo por
anda nao tstar refeito por ser muito novo, tem o
pescoeo lino, e a cabeca alguma cousa acarnera-
da, tem os dous cascos dos ps e de uma das mos
pretos, e o da outra mo branco, estando este ra-
xado, e quantoa andares, principiava a andar bai-
xo, sendo bem vivo esporas. O outro cavallo
castanlio amarello de tamanho regular, chinas o
cauda de cabellos bem pretos, tem os dous ps
poueo aleados de branco, tem em um dos lados da
barriga "um caroco resultado da mordedura do
cobra, e tem urna pequea bebde ainda nova em
um ollio, e tem passo curto : rogo s autoridades
policiaes que rerommendem seus agentes a ap-
prehensao dos ditos cavallos onde forem encontra-
dos a captura (los ladres para serem processa-
dos na forma prescripta no decreto n. 1090 do 1.
de setembro de 1860, tanto mais quanto se deu
arrombamento do reveso, onde esta vara recolhi-
o crime de roubo. Devendo
er communicado ao admiras-
LEILAO
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do nor-
le at o da 18 do corrente o va-
por Tocont/iw, commandante (
primeiro tenentc Pedro Ilypo
lito Duarle, o qual depois da de-
mora do rstame seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, eocomuien-
das e dinbeiro a frete at o dia da sabida as a ho-
ras, agencia rua da Cruz fi. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C
Pataeho llegulo.
Segu para o Rio de Janeiro no dia 15 do cor-
rente, so recebe carga miuda e escravos a frete
trala-se com os sens consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo 4 C, no seu escriptorio rua
da Cruz n. I.
Para o Aracaty
sabe at o dia 22 o hiate Nicolao : para carga
passKgeiras, trata se cora Prente Vianna & C.
Porto.
Vai sabir com hrevidade a muito veleira barca
portugueza Urna I, rapio Jos Francisco da Cu-
nha, |ior ter parte de seu carregaraento prompto,
para o resto e passageiros trata-se com os consig-
natarios Garvalho Nogueira na rua do Apello n.
20, ou com o eapitao na praca.
Para o Porto
segu brevemente a veleira barca S. Manoel II,
que tem engajado metade do 6eu carregamento :
para o restante e passageiros, a quem offerece bel
los coinmodos, dirijam-se aos consignatarios M. J.
Ramos e Silva & Genros, rua do Vigario n. 10.
primeiro andar.
Para o Porto.
O brigue portuguez Mercurio, segu prestes pa
raalli, ainda recebe alguma carga e passageiros a
frete, para o que tem excellentes eommodos : a
tratar cora Marques Barros <& C, largo do Corpo
Sanio n. 6, segundo andar, ou com o eapitao Joa-
quim Gomes da Cruz.
Para o Rio de Janeiro pretende seguir com
muita brevidade o brigue nacional Almirante
tera parte de seu carregamento prompto, e para o
resto que Ihe falta, trat-se com os seus consigna-
tarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, no seu
escriptorio rua da Cruz n. 1.
Para aBaitia vai sahir com muita brevidade
a sumaca Hortena, eapitao Antonio Francisco
Monteiro, por ter a,maior parte da carga engajada:
para o resto que Ihe falta, trala-se com os consig-
natarios Palmeira & Beltrao, largo do Corpo Santo
n. 4, primeiro andar.
LEILOES.
IEIIjAO
DE
um sobrado de 9 andares e soto
na rua da senzalla n. to.
HOJE
Por ordem dos administradores da massa_ falli-
da de Manoel de Azevedo Pontes, ir a leilao por
intervenco do agente Pestaa, o sobrado de 2
?andares e sotao, sito na rua da Senzala Velha n.
40, pertencente a mesma massa, os Srs. preten-
dentes queiram examina-la e qualquer iuformacao
o agente est prompto a dar.
O leilao ara lugar sabbado 14 do correle pe-
las 12 horas da manhaa em ponto na porta da as-
soclacio commercial.
LE 40
de
DE
O barris eom louelnho
Lisboa.
Segunda-feira 16 do torrente.
O agente Pestaa vender em leilao por conta
de quem pertencer 10 barris com excellente tou-
einho de Lisboa recentemente chegado em um ou
mais lotes a voolade : segunda-feira 16 do cor-
rente pelas 10 horas da manhaa no armazem do
Annes defronte da alfandega.
DE
tO jaeazes de touclnho de Mina
Sffnnda-feira 16 do corrate.
O agente Pestaa vender em leilao por ctTita e
DE
Predios e acedes.
O agente Almeida far leilao a requerimento
dos admininistradores da massa fallida de Amo-
rim, Fragozo, Santos & C, c mandado do lllm.Sr.
Dr. juiz especial do commercio, dos seguinles pre-
dios : uma casa terrea sita rua dos Pires n. 25,
com 2 salas, 2 quartos, cosinha fra, quintal mu-
rado ; urna dita na mesma rua n. 27 com os mes-
mos commodos; uma dita na rua das Cruzes n.
14, com 2 salas, 2 quartos, cosinha fora, com
quintal e sotao ; uma casa terrea na rua do Pilar
n. 80, com 2 salas, 3 quartos, cosinha fora, quin-
tal e cacimba; urna dita na mesma rua n 2i,
com 2 salas, 3 quartos, quintal e cacimba ; uma
dita na mesma rua n. 3, com 2 salas, 2 quartos,
quintal e cacimba ; a quarla parte de uma casa
terrea na mesma rua com 2 salas, 2 quartos, quin-
tal c cosinha fra j urna meia agua na rua dos
Guararapes n. 39, com uma sala e 1 quarto; um
sobrado de 1 andar e sotao na rua do Sebo n. 37,
com 40 palmos de frente, 100 de fundo, tendo o
soto urna sala e 5 quartos, o primeiro andar 2 sa-
las e 3 quartos e o andar terreo 2 salas, 4 quartos,
cacimba com bomba, e junto a cosinha uma sen-
zala composta de 6 quartos, estribaria e outros
muitos commodos; um sitie de trras denomina-
do Landira do Boqueiro na Ibura freguezia dos
Afogados, com casa de vivenda, contendo 2 salas,
4 quartos, cosinha fora com uma saleta em se-
guida e um quarto, coxeira, estribara e mais um
quarto, diversos arvoredos de fructo, baixa para
capim, viveiro e uma pequea casa de palha, 20
aeces da estrada de ferro, 20 ditas do novo banco
de Pernambuco, 67 dilas da companhia vigilante,
54 dilas da caixa filial do banco do Brasil e 50
ditas da Companhia Pernambucana, tudo perten-
cente a dita massa.
Quinta-feira 19 do eorrente.
A' porta da assoeiacao commercial s 11 horas.
significante quantia de 15200 cada exemplar
da Cruz n. 18, escriptorio de Jos Joaquim J
a rua
Lima
Bairo.
Aluga-se o sitio da senhora viuva Carvalho,
era S. Jos do Manguinho, com boa casa de sobra-
do, esteiada, quartos para criados, es ribaria,
fructeiras, baixa de capim : no mesmo sitio se di-
r quem trata do aliiguel.________^_______
rua do Hospicio n. 50.
Caetano Jos
Ja Silva Santiago.
A'tencao
Na rua estreita do Rosario n. 19 trabalha-se com
toda a perfeicao em bordados e llores de todas as
qualidades,apromptam-se ricas grinaldas e boquels
para casamentos e bailes, d-se tambera licoes de
flores s familias que quizerem aprender._______
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 17,
na rua do Livramento, com excellentes commodos:
a iratar na rua do Queimado n. 83.___________
- Na botica do pateo do Carmo precisa-se de
quitandeiras para vender pelas ras, alugadas.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rua
do Amorim n. 58 : a tratar na rua da Cadeia n.
62, segundo andar. ____________
Precisa-se alugar urna escrava que saiba co-
zinhar, engommar e lavar, para o servico de duas
pessoas : na rua Direila n, 43, primeiro andar.
As pessoas que precisarem de roupa lavada
de varrela e sabao, com promptido c aceio, diri-
ja-se Inven* d i rua das Cruzes n, 4. que se di-
r quem manda promptilicar, prefenndo-se gran-
des familias.
Transferencia
DE
Agenda de leiles.
Francisco I. Pinto agenta de leiloes desta praca
mudou o seu escriptorio da rua da Cadeia n. z4
para a rua da Cruz n. 38.
AVISOS DIVERSOS^_____
t _.. i ..
Assoeiacao Typogaaphica Per-
nambucana.
Domingo, 15 do corrente, haver sessao ordina-
ria do conselho director no lugar e hora do cos-
tume.
Secretaria da Assoeiacao Typographica Pernam-
bucana 12 de novembro de 1863.
O I" secretario, Guillienne Canejo.
Lotera extraord naria.
Aos 10:060500 e 2:000^000.
O abaixo assignado vista do bom aco-
lhimento que tem tido o plano das loteras
extraordinarias e a pedido de qtiasi lodos os
compradores de bilhetes, tem exposto
venda para ser extrahid por esse plano, no
dia 21 do corrente mez. os bilhetes da sex-
ta parte da primeira lotera a beneficio da
igreja de S. Bom Jess da Via-Sacra, o que
ter lugar no consistorio da igreja de N S.
do Rosario da freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes e meios acham-se venda na
respectiva thesotiraria rua do Crespo n. 15
e as casas commissionadas rua da Impera-
triz n. 44, loja do Sr. Pimentel; rua Direita
n. 3, botica do Sr. Chagas; rua estreita do
Rosanio n. 12, typographia do Sr. Mira e rua
da Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 10:000,5000 at 205000
sero pagos uma hora depois da extraccSo
e os outros no dia seguinte depois da distri-
buidlo das listas.
Servindo de thesoureiro,
______________Jos Rodrigues de Souza.
O Sr. Jos Francisco Pinto Guimaraes, cirur-
giao pela escola real de cirurgia de Lisboa, trans-
ferio a sua residencia para a rua Nova, n. 60, pri-
meiro andar, onde pode ser consultado todos os
dias uteis, das 7 s 10 horas da manb, acerca de
doencas denominadas cirurgicas ou externas, es-
pecialmente daquellas, em cujo tratamento mais
frequentemente inlervem a medicina operatoria.
DK. W. H M. GR-iH
Dentisla americano
Run dn Imperad r n 63.
Offerece ao respeitavel publico de Pernambuco
os serviros de sua profisso ; todas as operacoes
da bocea e denles sero executadas com o ultimo
e muito melhorado principio de cirurgia dental.
Previne-se ao respeitavel publico que os es
cravos Benedicto e Martinho, pertencentes ao Sr-
commendador Francisco Antonio Pereira da Silva'
ainda estao sujeitos nenlinra feita requerimen-1
to de Antonio Goncalvcs Pereira Lima, e consc-
gHlatemenle nao pedem ser alienados em quanto
o mesmo Antonio Goncalvcs nao se adiar integral-
mente pago o satisfeito do resto que Ihe deve
aquelle commendador. Fago o presente annun-
cio por ter sido informado pelo Sr. Dr. Jos Joa-
quim de Souza, que o mesmo commendador tinha
Ihe mandado o escravo Martinho para o mesmo
Dr. Souza embarcar para o Rio de Janeiro ara ser
vendido para pagamento do dito Dr., dcixando o
dito Dr. de assim fazer por saber da penhora que j
existia sobre os escravos Benedicto e Martinho.
Antonie Goncalvcs Pereira Lima.
"detsta dep*r7si
19Rua Nova -19
S Frederico Gautier, cirurgio dentista, l|g!{
jjgj faz todas as operacoes de sua arte, e col- jjjg
S5 loca dentes artificiaos, tudo cora superio- g
35 ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
gg didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
Precisa-se de uma ama para comprar e co-
zinhar, preterindo-se escrava : na rua do Qucima-
do n. 2, loja.___________________________
Precisa-se de uma ama forra ou cap-
tiva, que cosinlie com limpeza o diario de
uma casa de rapazes solteiros ; na rua do
Crespn. 21. _____________
Precisa-se alugar um moleque de 12 a 16
annes para fazer compras em casa de jiouca fami-
lia : na travessa da Madre de Dos n. 57._______
Contina a haver pao de senteio novo nos das
quartas e sabbados de cada semana, na padaria
em Santo Amaro ae p da fundigao, na rua da Im-
peratriz n. 22, e rua do Brum, confronte o chafa-
riz n. 47, rua das Cruzes, deposito n. 39, na Pas-
sagem, taberna da esquina do Sr. Bento, que vira
liara o Remedio, e no armazem progresso, largo
da Penha n. 10. ____
Arrenda-se o sitio na Passagem, a direita do
do Dr. Firmo, e vendem-se lotes do mesmo para
edificar : na rua do Imperador n. 14.
1 BANHOS PBLICOS/ f
Pateo do Carmo.
rjgt A abertura deste cMahelerimeoto das
j^i 6 horas da manhaa at s 10 da noile, o
3 publico encontrara banhos frios, momos
8 e medieinaes, vontade das posoas com
todo o asseio possivel.
Casa para alugar.
Aluga-se urna pequea casa na Capunga Nova
rua da Amizade n. 2t, com 2 salas, 2 quartos, co-
sinha fra e pequeo quintal murado por 125 : a
tratar na rua das Trincheiras n. 1.
iate-se
notas das caixas liliaes do Banco do Brasil, bilhe-
tes premiados das loteras do imperio e estrangei-
ras, com tanto que nao tenham cabido em pres-
cripcao : no armazem da hola amarella, oito da
secretaria da polica.
,%o publico.
Est aberla a subscripgao na praca da Indepen-
1 dencia ns. 6 e 8, para a inpressao de um periodi-
Ainda est por alugar-se a casa terrea n. 20 ,
da rua da Florentina, com commodos para uma |
grande familia, tem duas boas salas, 6 quarlos,
cozinha fra. um bello terraco, e mais 2 quartos ,
fra, ptima agua de gasto que serve para lavar | poltico, que tora por Ululo o NuwuaL O seu
roupa, lem um grande quintal murado, onde ha ; pro~amma ja foi manifestado dos Diarios 4tor-
na excellente parreiral, e tem proporgoes para nambuco do mez de setembro prximo pinado.
cntretera quera tostar de planlacoes : quem a Subscreve-se a .1,3,por trimestre, pagos adiantado.
quizer ver, pode procurar ao Sr. Gu'rjo, dono da Logo queW obtenha scnViente numero do assij;
fabrica de carros na rua da Florentina n. 16, onde,
estao as chaves, e a tratar com o proprietano na
rua do Hospicio n. 50, em qualquer dia at as 9
horas da manhaa, e das 3 s 6 da .arde.________
Ha nina carta para o Sr. Joao AIves de Oli-
veira, na rua do Crespo n. 20 B.
mmmmm mm mm mmmm
iE\Sif\OllEPKPR-\T0B0>
Geographia e historia
Arithmelica e geometra
Franccz.
IS A" rua do Queimado n. 30, primeiro
CS3 andar, de i hora em diante.
Aluga-se o primeiro andar da rua estreita do
Rosario n. 22 : a fallar na rua da Penha n. 5.
Aluga-se para passar a festa uma casa no
Cachang por commodo prego: a tratar na rua do
Hospicio n. 17.
Conrad Girsbcrger, suisso, vai para Europa.
Aluguel.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado di rua
Velha n. 20 : a tratar na rua do Sebo n. 24. v
Jos Duarte Coutinho faz sciente aos seus de-
vedores, tanto da praca como do mato, que elle a
bem de sua saude precisa retirar-se da provincia queiraT
e que d o praso de 15 dias para que venham li- lar-lhe, a ~|^de se retirar para a Baha.
nantes saldr o primeiro numero. O Nocional ser
publicado em grande formato, duas vetea por se-
mana. _________________________________
Ainda est por alugar-se o segundo an-
dar do sobrado n. 44, em a rua da Auro-
ra : quem o quizer dirija-se esta mes-
ma rua casa n. 10.
Aluguel.
Aluga-se por festa ou por anno o sitio da Pitom-
beira, n lugar da Casa Forte, com boa casa, com
muitos commodos, ,-om cocheira, estribaria e quar-
tos para criado e feitor, cacimba com muito boa
agua de beber, tanque, e todo murado, cora muitas
arvores de fructo : a tratar na rua do Sebo n. 24.
I'rt'cisa-sc tlcuim -una: na rua
estreita do Kosario n. 3'.
Offerccc-se um caixeiro que tem alguma pra-
ticade deposito de padaria. mas servo para qual-
quer servico e arrumar;), tem 18 annos, e muito
fiel : quem o pretender, va rua Direita ns. 94 e
95, que achara o proprio.
Precisa-se de dous amassadores, um que se
sujeite a vender pao na rua : a tratar na roa lar-
ga do Rosario n. 10, padaria do Sr. Manoel A. de
>sns.
calino.
Precisa-se de um, que entenda de servico de si-
tie tambem, dando-se 1200 por anno e comida. Na (Iuidar suas conlas. do contrario entreeara a seu
rua Nova, sebrado n. 23, primeiro andar, das 9 procurador para fazer effeetiva a cobranga.
horas da araanha at o meio dia.
a-se ao Sr. acadmico Moura Magalhaes
nciar sua morada, que se precisa fal-
- <> Sr. Dr Jo'i Jos de Moura lia-
Irraaudat. *> glorioso patriar
cha m., J^ de\Rba-inar.
A actual mesarefedora, teiWo dehberado fazer
a festa de seu padroeiro domirto 1 ne-
convida a todos os seus irmaos a
referido da atiin de assistirem a
mparecerem no
rtiieira que tera
Monte Pi Popular Pernaminirano.
Tendo esta Assoeiacao de mandar no domingo 15
_ doeorrenle (stimo anniversario de sua installa-
galnaes queira Vir a esta t)pograpnia, yo) celebrar uma missaem honra da Santissima ,
que milito SC Ihe deseb fallar. I "indade, sua padroeira, convid.1 aos senhores so- lugar na madrugada desse dia, a festa e Te-Deum.
cios para as 9 horas da manhaa do referido dia | Consistorio da irmandade 13 do novembro de
comparecerera na igreja de N. S. do Livramento 1863.-0 secretario,
alira de assistirem este acto de religio, depois do
qual comparecero na casa das sessoes, onde tera
lugar a sessao magna.
Secretaria do Monte Pi Popular Pemambucano
11 de novembro de 1863.
Maria Candida Bandeira de Magalhe- tem
a honra de participar ao respeitavel publico desta
capital e com espeeiahdade s pessoas que se dig-
narera contiar-lhe o ensino de suas filhas, que mu-
dou o seu estabelecimento de educagao que func-
cionava na roa larga do Rosario n. 16, para a rua
do Cahug n. 5, segundo andar, com entrada pela
rua das Larangeiras, aonde contina a receber
alumnas eilernas, pensionistas e meio pensionis-
tas. Neste estabelecimento ensinam-se as seguin-
les materias: primeira* letras, grammatica por-
tugueza, arithmelica at as operaefles decimaes,
muaica, desenho, costura chaa, labyrintho, borda-
dos de branco, marca a matiz, ouro e flores de la.
Madame Mazeron, Franceza, segu para o
Rio de Janeiro com sou filho menor Emilio Maze-
ron.
Bemardino Falco do Souza.
Io secretario.
A casa assobradada n. 36 na rua da Alegra,
Felippe de Paula Arroda.
EfSt
Fugio do engenho Burarema, distrieto de Seri-
nhem, no dia 23 de Janeiro do corrente anno o
cabra Honorato, escravo de Jos do Castro Vs
Brrelo, com os signaos seguinles : altura mais
oceupada por Ilustres acadmicos, breve ser des- j regular, grossura regular, um pouco trangola,
^"R".-*!0.^-^?*!^^ grandes e vermelhos, cabellos
pouco carapinhos, ps chatos, rosto secco, com sig-
naos salientes de reino as costas, falla desemba-
ragadamente e tem 35 annos de idade, pouco mais
ou menos : quem o pegar, srvase leva-lo ao dito
engenho, ou a Leal 4 Innao nesta praca, que ser
O Sr. Jos Lopes das Neves doixou de ser
risco de quem pertencer 20 iacazes com toucin'Jw eajxelro dos abaixo assignadas desde o dia 1 Ido
de Minas de superior qualidade chegado ultima- corrente.. Recife 12 de novembro de 1863.
mente, o quaj ser vendido em mo eu mais lotes a | Silva B>stos & C.
saes, propria para os mesmos senhores ou familia:
a traur na rua do Mondego, olaria n. 36.______
- Precisase Tallar ron o Sr. Ignacio
Vietra de Urllo, e^crvo em Vazarelh,
sobre negocio qoe o mesrao genitor nao
igaon; na rua f| iresa* loja de fa-
i zendas n. 7.
pfra recompensado.
D-se effactivamente dinhjiro a premio sob
pMaores da ouro e prala : na na Augusta n. 45
se dir quem d,
MUTLDiO k

~:
-
_k


Diario de Pernanibuco abbado i i de Novembio de A03,
I..
r
.4 roa.
S#eledade de secaros Mataos
de vida iastallada pelo Banco
l'nio na cldade do Porto, c*
Os agentes esta cidade e provincia Antonio falta, desempenha qualmter servieo que se oliera- co, linguas e canecas,'ludo secco, a 320 e 240 rs. a
Luiz de Oliveira Aievedo & C esc.riptono na ra ca, cora informacao de sua conducta : na ra das 2Z B ucvas> 4U
da Crui do Recife n. 1, estad autorisados desde j Cruzes n. 28.
todos os esclarec- '
Ou-erece.se urna mulher para servir* o* urna s,n u'z"n 8chego, um ararte
.a.que cosinh peritamente, engomma sem S"Sg^S"do rl^lel e'Sas ft
Ita, desempenha qual.mer servieo que se offere- ," \ ,haM. .,A mMn ,,ft
Hovldade.
No armazem da aurora brilhante, no largo da
sorti ment
fato do por'
por
an-
a tomar assignaturas e prestar toaos os esclarec-1 Quem annunciou querer 2004 dando por
mentos que forom necessanos, as pessoas que ae- garanto urna preta a quai vendedera e lava-
sejarera concorrer paratao uUl e benetica empre- dejra procure a rna ,ja impmtriz n. 61.
za, separando um futuro Itsongeiro aos associados. |---------------------------------------------------------------
rmazena paraestabelecimeuto. AflAo
Aluga-se na ra da Praia o armazem da casa 3recisa-se de urna ama para cosinhar em urna
n. 57, com fundos para o caes do Ramos : trata- '.casade familia: na ra Imperial n. 215.
se do Campo Verde n. 20, sobrado do Dr. Miram^aJ Precisa-se de una criada que compre, cosi-
- Aluga-se urna casa com commodos parafa-iulie o engomme para casa de nouca familia:
milia. a margem do rio Capibaribe, na ilha do Re- quem pretender dirija-se a ra de Hortas sobrado
tiro, na Passagrm da Magdalena, por 150J> : a en- n. 30.
tenderse com Joaquim Antonio Pereira, na luja de
louca da ra larga do Rosario._________________
Ao n. 29.
Nova luja des karaleiros na rn de Queimado.
Velludo de cores fazenda muito boa o covado
35000, baldes de panno 33200, ditos de arcos
a 35OOO, 45OOO e 55000, las de duas larguras
para vestido o covado 500 rs., chitas francezas o
covado 360 rs., melim branco para forro de
vestido o covado 120 rs., tartatanas de todas as
cores a vara 720 rs.
As n. 29.
Jim leja des baratriros a na doQ*cimado.
Gassa lisa pelle de ovo apega 75500, cambraia
lisa muite fina a peca de 17 varas 105, cam-
braieta pega de 12 jardas 75000, rambraia adamas-
cada para cortinado a peca de 22 varas 105000,
mcias Gnas para senhoras a duzia 45000, chales
de la pona redonda 325500.
Ao n. 29.
Nova leja dos liarateiras na roa do Qncimado.
Bicos pretos de linho a vara 120, 160, 40, 320
rs., franjas de seda a vara 80 e 160 rs., galoes
de seda de algodao e de lia para enfeites de vesti-
do a peca de 40 e 15 varas a 400, botSes de seda
de velludo e de fusilo dnzias 120.___________
laboato.
Alnga-se por prego commodo para passar a fes-
ta, em Santo Amaro de Jaboatao, urna casa grande
com bons commodos para familia, com os fundos
fiara o mesmo rio Jaboatao, a qual tem um excel-
ente banho de sombra : quem esta pretender, di-
rija-se ae Recife, na ra do Brum n. 78, que acha-
ra com quem tratar.________________________
Auna em para a'ujRar-sfi.
Aluga-se o armazem n. 40 da ra do Apollo, com
30 palmos de frente e 150 de fundo, com a frente
para a ra do Apollo, e por prego commodo, pro-
prio para qualquer establecimento: trata-se com
Antonio Alves Barbosa, ra dos Guararapes nume-
ro 28.
libra.
o baile do auniveivario do g
I clult-cammei cial loca ligar uajeg
I neite din 22 dot orn-nte m*z. j|
mMmmmmm
ALMAJNAK
Est;iado confeceio ar-sc s a'manak
.de^a provincia, que contina seiim-
presso oesla l^posaphi, convida se a
todas as pessoas pue <**lle fazeai pa te,
para que icracliam linaria ns. 0 e 8
ila pi-ara da Independencia, seus nonus
e qaalidade de est^be'erimcnto, e aos
peiihores renelter alcm ds nomes desiusen-
geauos, o da freguezia e comarca a que
sertencemn.
Silva,
i 11
Precisa-se de 3005 a premio dndose
seguranca metade de um predio : quem livor
nunrie.
Irmandade ue >ossa Senhora da
Soelav
A mesa regedora da irmandade de
Nossa Senbora da Soledade erecta na
igreja de Nossa Senbora do Livramento
desta cidade, convida a todos os nossos
charissimos irmos para comparecerem
no consistorio da mesma, domingo 15 do
eorrente s 10 horas, para reunidos em
mesa eral eleger os nuvos funecionarios
que tem de reger a mesma no anno de
de 1863 a 1864.
A mesma avisa ao respeitavel publico
que transferid a .-ua fusta para o dia :9
si do eorrente por motivos imprevistos.
g5? Consistorio da irmandade de Nossa
Senhora da Soledade 14 de novembro de
m 1863-
B? Sebastio Pereira da
fc Secretario.
Si.k5> MBR^R 7*x&* >k*>s*,
A pessoa que precisar de 2005 a premio, pro-
cure na ra de Hortas n. 128, sobrado, das 5 ho-
ras da tarde em diante.
Os encarregados da Testa da gloriosa Virgera
e Mariyr Santa Cecilia do convento do Carmo, fa-
zem scicnte que mudaram a festa de sua padroei-
ra para o dia 24 por ter S. Exc, Rvm. no dia 22 de
lazer a procissao de Corpus Christi ; e tambem l'a-
zem ver aos devotos da mesma Virgem Martyr que
as novenas pnneipiam sabbado 14, tudodo corren-
te mez, devendo ter no flm das novenas versos,
poesia de um artista, e a romposico musical de
bem conhecido professor Manoel P. de S. Jos-
zedello. Convento do Carmo 13 de novembro de
1863.O secretario,
Joao Manoel Ferreira,
Alugam-se o segundo e terceiro andares e
sollo do sobrado da ra da Cadeia VeJha n. 27,
proprio para pequea familia : a tratar na loja do
mesmo.

OUerece-se urna mulher para ama de leite
para casa de familia, e outra para cozinhar, lavar
e engommar: na ra do Vigario n. 24.
Aluga-se a casa terrea n. 90 na ra Vclha :
quem a pretender, dirija-se rua Direila n. 91, pri-
meiro andar, ou na ta ierna ao p.
Est elicgaiido a safra do caj, ensina-su a'
fazer o vinho de caj, um proeesso muito fcil,
pelo mdico preco de 65: no becco da Bomba nu-
mero^_______^____________________________
AMA
Precisa-se de urna ama : na ra da Roda n. 54
Const. Nuppel vai para a Babia.
Precisa-se de urna ama para engommar : na
ra estreita do Rosario n. 31, terceiro andar.
Vendo-se urna casa terrea de chaos propnos.
que tem salas de frente e de detraz, 2 quartos, co-
zinha fura, quintal e cacimba, de porta e janella :
quera o quizer comprar, dirija-se ra de S. Fran- j
cisco, sobrado n. 8, que se dir quem vende.
itoop %
JVo ra do Qwimado n. 43, esquina que
volta para a Congregagao; pechincha.
Paletots de casemira a 5, 6, 7, 8, 12 e 145000
ditos de panno preto e azul a 9, 10, 12, 16 e 185
ditos sobrecasacos de panno muito tino por 245 e
285, ditos de alpaca preta e decordao a 4,5, 6 e
75, calcas de casemiras de cores a 5,6, 7 c 85000,
ditas pretas a 6500, 8,9 e 105, paletots de fustao
o ganga a 25, 25800, 3 e 45, calcas e rolletes todas as qualidades e por preco muito barato, len-
ces de puro linho a preco de 25800 e 35, cpber-
tas de chita a 25240, collarinhos de linho puro a
600 rs. cada um, e outros muitos objectos que 90
visto; e para isso se pede a atteaco dos fre-
guezes._________________________________
Leamos de cambraia de lloho
bordados.
Vendem-se lencos de cambraia de linho borda-
des muito linos sendo para acabar a 508, 640, 15,
15500, s auem vende por estes preces na ra
do Quelmado l>ja do beija flor n. 63.___________
Vendem-se gigos com batatas a 15 i
mazem do Annes defronte da alfandega.
noar-
l' m DescobriracBto Espantoso!
Jluiwo Srieiifiro unanimamente o approri.
j
Aluga-se urna boa casa com todas as commo-
didades para grande familia em um sitio para pas-
sear, perto de banho, boa agua, s se aluga pela
festa por pouco dinheiro : na Torre, e no mesmo
lugar, a fallar na padaria.
Coni[iaafaia de segures aarta-s Uliti-
i!adc-)uiili(-a.
A direcclo desta companhia, om virtudc do art
(i de sj'us' estatutos convida aos senbores accio-
nistas pura se rcunirem om asseinbla geral segun-
il.i-i. n a 16 do eorrente, ao meio dia, neste escrip-
torio, ra da Cadeia n. 42. Recife 11 de novem-
bro de 1863.-Os directores,
Feliciano Jos Gomes.
Domingos Rodrigues de Andrade.
Riecisa-sede2005 ao premio que se conven-
conar e pelo lempo de tres mezes, dando-se hypo-
theca em urna escrava : quem iiuizer fazer este
negocio, annuncie.
feado-se arrematado em praea do juizo com-
morcial urna casa terrea n. 43, na ra das Calca-
das, com a trente para o largo da fortaleza, preci-
sa-se saber se i; o solo foreiro ; e por isso quem
se ai-bar coiuosse direito, dirija-se ao caes do Ra-
dios n. 6.
HA:
i
I*
Precisa-se e urna ama muito capaz para tomar
conta da casa de um strangeiro solteiro e morar
n'um sitio, fazendo todo o servieo da casa : na ra
Nova n. 19, primeiro andar.
- Alnga-se para passar a festa, ou mesmo por
anno, c al aa vende, um sitio no lugar da Torre,
margem do rio, com todas as commodidades pre-
cisas, e. alm de Iructeiras de diversas qualidades,
lem urna baixa de capim que sustenta at dous
cavados : a tratar com o proprietario do mesmo
los Marianno de Albuquerque, ra do Impera-
dor n. 12.
rhmUGt.
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
botica: dirija-serua Nova n. 18, casa de P. Mau-
rer & C.____________________________________
Aluga-se uun boa escrava, cozinheira do or-
dinario de una casa, e compra na rna : no becco
das liarreiras, na lixi-Vista n. i._______________
Precisa-se de um eaiveiro de 12 ;i 14 annos
de idade: na Passagcm da Magdalena, ra do
liomui n. 1.
A Coiaposicao Anacahuite
Pritoral de ko-mp.
Por espac,o Ho muito tempo se ha tizado i-
teoaamenba -em Tanipieo para a cura le
TSICA PLMONAE,
CATARREO, ASTHMA,
BEGNCEITE, TOSSE CONVULSA,
CEUPOOUGAEEOTIlHO.e
Inflamma56e8 da Garganta e do Petto,
ramente assombroso o pao ou inadeira d'uma
aore que ch&inao Anacaui-ita, c que s
se cncoutra no Mxico.
A Composi9o Anacahuita Peito-
ral de Kemp un Xarope delicioso, intei-
ramente differente na sua composicao de
todos os mais Peitoraes c Exjioctorantes ma-
nufacturados de fruetoa astringentes, cascas
e raizes, ic, o uicsmo nao conten ncnhmu
. [ado Prui-iico ou outros qnaesquer ingre-
dientes venenofios.
Todas as molestias e afiecc^oes da garganta
I c dos pulmoes desapparecem como por um
mgico encanto, mediante a aceao deste in
ompanral c irresistivcl remedio.
venda as boticas de Caors A Barboza,
ra da Cruz, e Joao da C. Bravo & C, ra
da Madre de Dos.
.0 GALLO CANTA.
Nao possivel que o gallo, vendo entrar em sen
ninho objectos de elegante gosto, deixe de dar o
seu canlo, annunciando aos seus freguezes, para
que mandem ou venham ver para querer, a saber:
Enfeites
Chegaram os riqusimos enfeites e grinaldas de
(lores, cousa muito delicada e do muito gosto, pois
s as senhoras poderlo apreciar : s no vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Flores
Tambem chegaram os delicados ramos de flores
matizados de lindas cores, que servem para qual-
quer enfeite : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cintos
Tambem chegaram os novos e delicados cintos
com livella, guarnecida de pedrinhas e duas borlo-
tinhas no centro, cousa de muito gosto : s no vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Randeijas
Riquissimas bandeijas de charlo e nutras quali-
dades de lindos desenhos, que se veudeui por pre-
eos baratissimos para acabar : s no vigilante,
ra do Crespo, n. 7.
Pomada real
Tambem chegaram os bonitos copos de porcel-
lana fina com banha e com lindos retratos, sendo
privilegiada peta rainha de Hespaatia : s no vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Sabonetes de familia
Grande sortimento de sabonetes para todos t>s
precos, de superiores qualidades, a 160, 200,2*0,
280, 320, 400 e 500 ts. ; asshn como cstojos com
todos os prepares para limpia- denles pelo barato
preco de 35000 : s no vigilante, rna do Crespo
n. 7.
Delicadas tesoorinhas
Grande sortimento de tesourinbas, tanto para
nnhas, como para costura; assim como muitos
outros abiertos denosto, que nao possivel amum-
ciar pela grande variedade de sormentos, cujos
precos serlo monos do que em outra qualquer
parte : s no vigilante, na do Crespo n. 7.
"\o armazem de fazeadas liara-
tas de Santos Coellio
RA DO yi'LIMADO N. 19 VENDE-SEO SE-
GUIRTE :
Caberlas de cliila da India
pelo barato preco de 25000.
Leamos
de panno de linho a 25000.
Lenfes
de bramante de linho "fino pelo barato 'preco de
35OOO.
UtfM de eassa
brancos, finos proprios para algibeira pelo barato
preco de 25000 e 25400 a duzia.
Fil liso fino
pelo baratissimo preco de 680 rs. a vara.
Madapolao lino
AURORA
LARGO DA
*m
.?-.
BRILHANTE,
L M
SAINTA CRUZ.
320 |J
80 fjfi
O >&
160
km
700
105
Francisco J)s Femahdes Pires, lono do grande establecimento de ir.o-
lhados denominado AURORA BRILHANTE, avisa ao respeitavel publico Ualt &
da praca como de fra, e com especialidade aos seus freguezes, que o sen Brtabe- 8
lecimento acha-se prvido de novo sortimento de bons gneros tanto do pail co- ^
mo do eslrangeiro e promette vender muito em conta tanto a retallio como em
grossu:
Manteiga ingleza flor .1 libra 800,900 c 15000 Amendoas novas a libra 2i0 e .
Dita franceza nova em barril a 06O Massas sortidas para sopa a libra
e a libra. ... .600 Ervilhas verdes para sopa a libra
Presuntos de Lamego a libra
Cognac agarrafas 15 c .
Azeile refinado a garrafa.
Espermacele muito alvo a 600,
Arroba de vetas do Aracaly a
libra 30, 360 e .
Caixinbascom ameixas francezas a tS0n
Latas de 2 3 e ti libras a 15100,
25i00e.....45000
Caixinhas com 8 libras de passas no-
vas a ...... 35OOO
Ditas coni figos a 15400 '. ". '. 25400
Latas de 4 libras de bolacha Je soda
muito nova a 25000
Ditas com biscoutos nglezes,eracren'l
victoria, inr.iilrs e ovos, pequi-
1 niq e outr-as qualidades novas a I^ul,
Ditas com marmelada nova a libra
,720 e......WW
1 Ditas com Tructas em calda a .
[ Ditas rom ervilbas francezas .
Ditas com massa delomates a 640 c 720
Ditas com peixe em posta muito bem
400 Grao de bico arroba 45500 e libra
. 15280 Toucinho de Lisboa arroba 125 e li-
e !5800 Quedos do vapor a 2y>00 e do passado 25OO fg
e Dito prato a libra a 640 e '-0 X
400 Caf primeira qualidade do Rio e Cea- fi
r a 320 e segunda a ~*> i;
Arroba de arroz a :<5 e libra jW JH
Barra com azeitonas a 15 iuo gfi
Vasos com sal retinado a >0 j
AlpUla arroba 35 e libra. tb I
Serveja de differenles marcas superio-
res v
Vinhoa especiaes em ca.xas de utna
duzia de garrafas a 145, 165-e .185000
Ditos de Lisboa, Figueira e Porto a
garrafa a 400, 480, 560, 640, 800 e 1JCC0 ,vj
preparado.
Dita de Lisboa savel, salmonete, caxu-
xo, pargo e outros a .
Ditas com ostras americanas a .
Charutos fines ha grande quanlidad
de caicas e indas.
Dito branco de Figueira, Lisboa e Por-
to a 640, 720 e
500 Espirito de vinho de 38 graos a
720 Frascos com genebra da HulUndi
laranja a 640 e .
Ditos com conservas a 400 e .
15300 Saceos grandes com fardo marca
a45-'00 .
iMtas com farinha muito fina a .
Ditas com milho o arroz de casca.
Ditas com farinha para animaos
Caixas com 100 charutos com furo
N
15200
00
I
280 ,*,
15OOO (e
rm o
45500 .+5
25-fto as
640 ;!.)

'"4
38RUft DO IIWPERADOR38
Agua natupil de Condilae,
Pecas de breUiha
de rolo com 10 varas-propria para saia a 35200-
Pecas do cambraia
adamascada para cortinado com 20 varas pelo ba-
rato preco de 105000.
Bramante de linio
fino com dez palmos de largura .pelo barato preco
de 253OO a vara.
Toalbas alcochoadas
para mao pela baratissimo preco de 55003 a du-
zia.
Atoalhado de linho adamascado
propek para toalha de mesa a 25500 vara.
Algodo monstro
com 8 calmos de largura pelo baratissimo prego
de 15OOO a vara.
Cortes de caifa
de ganga amarella de lista e de quadro fazenda su-
perior pelo baratissimo prego de 15200 o corte.
Lazinha de quadro
de gosto inteiramente novo pelo baratissimo preco
de 480rs. o covado.
Pecas de cambraia de slateos
lina com 81/2 varas pelo baratissimo prego de .45-
Peeas de cambraia de forro
pelo baratissimo preco de 25200.
Esleir da hidia
para forro de sala de i. 5 e 6 palmos de lareura.
A viuva Rosa Jane, acbando-se de vnlia a sua
residencia, na roa de Santa Rila n. 61, e j no lo-
do reslabelecida dos seus incommodos de saude,
avisa an respeitavel publico que contina no exer-
eieio de sua arle de dentista.
Anda esta por alagar o sobrailo de um andar
da ra de Aguas-Verdes n. 55, assim como a casa
terrea da ra do Destino n. 4, que se alugam por
mdicos precos ; na rna do Queimado n. 46, ou
na ra do Hospicio n. 26.
4VIM).
O proprietario do engenho Fernandes, da fregu
m de Ipojuca, faz ver ao publieo, que nao costu-
mando vender e nem trocar cavados e burros de
sna propriedade, os tem ferido boje em cima da
anca com o nome de seu engenho Fernandes: por-
tauto, o ca vallo ou burro que apparecer com a dita
marca em poder de alguma pessoa que nao seja
portador seu, est sem duvida furtado, e por isso
pode ser tomado, e ser avisado o dito proprietario
Lourenco Rezerra de Sequeira Cavalcanli, que pa-
gar qualquer despeza, e licar agradecido a quem
o fizer. _________________________________
O bacharel Francisco Gomes Velloso
de Albuquerque Lins tem o seu escriptorio
de advogacia; na ra do Queimado n. 41,
i." andar, frente para a praca de Pedro II-
Manta Cecilia.
A actual mesa regedora da irmandade da Vir-
gem e Martyr Santa Cecilia, erecta na igreja do Li-
vramento desta cidade, pelo presente convoca a
todo* os irmos para comparecerem no diar IC do
eorrente mez, pelas 10 horas do dia, a(Kf"de proce-
der-se a eleicao da nova mesa que/ha de reger o
anno de 1863 1864 na forma /b compromiso.
titulo 5.
Jos foe" ji'va e Araojo.
rivao.____________
Alnga-se
um primeiro andar em boa ra, com tanto que na
sala de janta haja am terraco que fique inteira-
mente collocado ao norte : no armazem da ruada
Cadeia do Recife n. 60. _____________________
S.LUI) OimMK V 03
Loja do beija-flor.
Facas para meninos.
Vendem-se faquinhas para meninos a 240 rs.,
ditas de bataneo de um Iwto a 280 rs. o talher.
Uravalas para senhora.
Vendem-se gravatas para senhora a 500, 640,
800 e 15200.
Fitas para debrtim de vestido.
OSrTthesoureiro da irmandade de N. S. do Vendem-se flus para debrum, do linho, a 240 a
Rosario da freguezia de Santo Antonio, venia rece- Pef m1 10 varas, dita de laa a 800 e 15, dita de
ber do abaixoassignado. na qualidade de testamen- ^ea a 1_0U.
ti-tro dos bens do fallecido Manoel do Livramento i Pcnnas de age de lanra.
Silva Mello, as alfaias pertencentes a S. Domingos Vendem-se caixinhas de pennas de aeo de 200
de G-usmao, que cstavam extraviadas, do contrario rs. a 15-
ser.io as mesmas alfaias recolhidas ao leposito pu-1 La para bordar,
blieo. Recife 12 de novemhrode 1863. Vende-se lia para bordar, de cores claras, a
Jos Thoodnro Gomes. 65800 a libra.
lioneras de (choro.
Vendem-se nonecas de cera a 800 rs. e 1#, ditas
O novo banco de Pernambuco convida os
credores das massas fallidas de Mesquita & Dutra,
c Francisco Antonio Correia Cardoso a aprsenla- : com mascara de tirar e bolar a 640 e 800 rs. ditas
rem seus (tutos no banco para se proceder a res-, sem mascara a 200, 400, 500 e 800 rs.
pectiva verificaco.
Roga-se polica que lance as vistas sobre a
casa de um empregado publico, na ra Augusta,
que nella se joga todas as.noites todos os jogos ; o. 45800, concha para assucar a 640.
Colberes de metal principe,
Vendem-se colhes de metal principe muito linas
a 15 e 25500 para cha, ditas para sopa a 25000 e
nome do dito senhor se menciona.
COMPRAS.
Facas e garios.
Vendem-se facas e garfos a 25800 a duzia, ditas
cravadas a .35, ditas de cabos pretos a 35200, ditas
de cabos de balanco com2bot<5es a 65800, dbas
para doce a 55600, ditas de um botao a 65, ditas
para doce a af.
Cbicote para cavado.
Vende-se chicote para cavallo, para os amantes
Ao {Ilustrado publico.
Graves ataques de erysipela na perna es-
querda.
Eu declaro publicamente que me adiando gra
vemente enfermo por diversos ataques que tinha
sotTrido de erysipela na perna esquerda, e isto
com dores agudissimas pelo longo espago de quatro
annos, e tendo usado de varios remedios, nao foi
btante, at que informad* de varas pessoas, re-
sol vi-me a applicar as chapas medicinaes do Sr.
Ricardo Kirk, escriptorio na ra do Parto o. 119,
e mil gragas sejam dadas ao mesmo senhor, que
no pequeo espaco de dous mezes flquei inteira-
raente bom. O que fago publico para iastrucgo
de (iuem convier.
Antonio Aleixo Pires.
Reeonhecida verdadeira a assgnatura aupra pelo
tabetluo.
Pedre Jos de Castro.
Compra-se una preta de 20 a 25 annos, que 1
nao tenha vicios, e que saiba engommar e cozi-1
nhar : a fallar na ra larga do Rosario n. 34, bo- lqu palera Vesta 640 V\&.
l-------^-------------------------------------------------- Meias para senhora.
Compra-se urna escrava moca que seja boa j Vendem-se meias para senhora muito linas a
costureira e engommadeira : na ra do Crespo 25400 a duzia, ditas para meninas a 25.
numero 17._________________________________j pape| de jj,er8ag qualidades.
Compra-se para montara de umoffirial de i Vende-se papel de beira dourada a 15200, dito
(avallara da guarda nacional os pertenees de um amizade a 640 e 800 rs., dito pautado a 15, dito
sllim, inclusive coldres, manta, cahegadas, etc., adamascado a 900 rs.
te. : na praga da Independencia, loja ns. 37 e 39. j Anvelopes de diversas qualidades.
1 Compra-se effeclivamente ouro e prata em Vendem-se avelopes brancos a 800 rs., ditos de
obras velhas : na praca da Independencia n. 22 le- cores a 640, ditos para cartao de visita a 500 rs.,
a de bilhetes.' i ditos pretos a 00 rs.
--------t^------------------ -------1 i-n valhn Tendo recebido ricos apparelhos para senhora,
- LOmpPa-SC CODIfe UtUtO veillO Idemeasacos e camapheos verdadeiros, vendem-se,
na roa da Cadeia do Kecfe D. 36, Ol- de mousaeoa 65500, dito de camapheo a 13*
. r Dminos e visporas.
mei'Oaiioai.____________________________ Vendem-se dminos muito finos a 15100 e 15400
Compra-se um escravo de 35 a 40 annos, que I e vlsporas a 800 e 15-
entenda do servieo de sitie : na ra do Queimado: Enfeites.
Chegado pelo vapor:
M para o vigilante, ra do Cres-
po ii. 9.
At que chegarain as muito desejadas cascarri-
Ihasde todas as cores com urna litinha de velludo
no centro, cousa muito elegante para enfeite, assim
como de outras qualidades, e precos muito razoa-
veis : s no vigilante, ra do Crespo, n. 7.
Para dar de minio.
Chegaram as riquissimas bonecas de todos os
tamauhos, vestidinhos ricamente enfeitados, cada
um em sua caixinha, propriamente para um deli-
cado mimo, por baratissimo prego : s no vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.
Para os senhores barbareis.
Chegou tempo a riquissma fita de chamalote
para cartas dos senhores hachareis, assim como
branca, lisa, propria para abrir letras, ou para
sintos : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Pentea de marrafa.
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
marrafa com pedrinhas,os lindos pentes de regaco
para meninas, meias de seda e sapatinhos proprios
para baptisados, meias de seda para senhora, filas
de laa para debrum, fila de linho, trangasde la,
de linho e de seda, luvas de seda e pellica, e fio de
Escocia e camurga, alfinetes de cabega chata, car-
teirinhas com todas as agulhas precisas para cos-
tura, (velas de madreperola esmaltadas de ac
para sintos, flores de todasas qualidades, caixinhas
com paslilhas de perfumara, abafadores de la
para senhora, toucas e sapatinhos de laa, pulseiri-
nhas de borracha para segurar manguntos, fitas e
corddes de borracha, sabonetes redondos, ditos
chamados de familia, pomadas de todas as quali-
dades e dos fabricantes mais afamadas, colchetes
pratiados muito finos, retro de todasas qualidades,
retroz em carretel e em novello, e de meada, de
todas as cores, escovas para dentes, ditas para rou-
pa, ditas para chapeo e ditas para unha, de todos
os precos, e outros mais objectos, que se tornara
enfadonho annunciar, e vista dos freguezes pro-
mette-se fazer todo o negocio: s no vigilante, ra
do Crespo n. 7.
algumas caixas de instrumentos cirurgicos para operages de Matieu e Charriere.
Custodio, La vulho A C.
Superiores eambraiasorgandys asmis finas que tem vndo a esta cidade e Dlo i K
significante preco de .'00 H. cada um covado ou 500 rs.
Dreco em virlude da grande quantidade que compramos.
Vendem mais.
Fino fil de linho para vestido a 500 rs. a vara.
Raides de arcos e madapolSo a 35200.
ntremelos bordados fazenda fina pega por 15300.
Finas tiras bordadas urna pega 25400.
Vestuarios.
Completos para meninos e pelo prego de 35500.
Cortes
de casemira de cures pelo barato preco de 25500.
Superiores Jaaznlias modernas para vestido a 440 r*
Chales.
Chales de merino de 25500 85 cada um.
Guardanapos para mesa duzia 25-
Lenges de panno de liulio lino a 25.
Cobertas de chila indiana a 25.
a vara, vende-se por este caira
covado.
mmm
Ricos vestidos de fil de seda bordados e ditos de seda o que tem viudo de melhor c mata m*
dernos para bailes, vende-te barato : no armazen: da na da Cadeia do Recife n. 60.
7?. S'B-p-a 5 ~-^

S
ya n r: < c. ss ss > > r } cr -n h g
2 ?2 S = 9 5 .1 5TH = 2 % o
_ n s a 2
338g3a
- 3 a._S
o 8-o
- ii =
rS'5.r.'
a a
'*>
o
o p. 2 i?
9 p S S
srsFi
b o ^ o a
o o a c ~ es
< O CT. 3 ts as
2 a ^ Si* "
c. S a 3 S Y
a, =
co a

(te

.3
E.O.
as W. r~
a. o
Cofre inglez.
V3nde-se por prego commodo um cofre inglez,
prova de rogo, e mito seguro, com pouco uso :
na ra Direita, padaria n. 84.
si
S na
co i g
as a3
3 3 3.
02.S

co 5
as
as'
i
Ca.
I
o
a _
& 2.3;
3 I"
-z as
C -s
'C as
**5 a" S
O -J a X"
u u

as
i
o
o
as
5 s Sg-e-g*.
383.9:|515
o a?r S
_ fs "W
^ 2
Ss? M
es-
as
5

s
co
em
- Chegu rap de Lisboa, novo, que se vende
libras : na ra do Imperador n. 28.
n, 13. primeiro andar.
YENDAS.
ptima paragem.
Vende-se a taberna da ra da Concordia n. 12
a tratar na mesma.
Antonio Dorado Pereira da Cunha, subdito
bnwileiro, ni a Vuropa,
Na cocheira do Sr. majorQuinteiro est para
vender-se um cabrolet em muito bom estado, ma-
neiro e barato : "a tratar na ra Nova n. 86.
PFXHinrcm
Vendem-se para liquidar contas dous fogdes in-
gleses, sendo um gi ande com dous grandes fornos,
proprio para caWnhar em um hotel para 120 a 150
peusoas, e outro para 15 a 25 pessoas, e se encar-
regar de senta-1o o vendedor, ou dar explicages
neressarias por escripia, sendo para fra: trata-
se na rna do Vigario n. 10, armazem naval, a
qualqoar hora, das Oda manha s 6 da tarde.
Vendem-se enfeites de redes para senhora de di-
' versas cores, a 15000, ditos pretos a 900 rs., sendo
de fitas e contas de ago, pega de fila de coz com 10
varas a 360 rs.
Extractes ligleies.
Vendem-se extractos ingieres muito barato, por
que foi comprado em leilo, e nao se quer conti-
nuar, a 380 e 400 rs. o frasco.
mmmmmmmmmwm
\A 200 rs o covado
Ciissas umitu lionits e finas:
na ruado Crespo n. 17, loja de
Jos Gomes Villar.
Tiras e lencos bordados.
A nova loja da aurora, ra larga do Rosario n.
38, recjbeu tiras e lencos de cambraia bordados,
muito proprios para qualquer senhora e menina,
assim como tambem reeebeu ricas fitas lisas largas
de chamalote brancas, muito propras para sinlos
de senhora, boas luvas de pellica brancas muito
frescas, tanto para homem como para senhora,
mantas de fil de seda bordadas, obra de muito
gosto para casamento, assim como tambem boas
capellas Brancas para o mesmo, muito boas linbas
de seda branca para bordar.tanto de meada grande
como de meada pequea, muito bons bicos de seda
braaeos e pretos, grande sortimento de pentes dou-
rados para marrafa e para atar cabello, finalmen-
te temos frande sortimento de um tudo, o qual se
vende barato, pois a vista faz f.
Pofassa da Russla.
Acaba de chegar para o antigo e acreditado de-
posito da ra da Cadeia do Recite n. 26, proceden-
te de Hamburg em 7 do eorrente pela escuna
Marta.
urna boa tina e nova, propria para deposito de
agua em jardm, ou para tomar bandos, por bara-
to prego : na Capunga Nova em casa do Amaral
Jnior.__________________________________
Cal de Lisboa e potassa da*
Russla.
Vende-se na ra da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o antigo e acreditado deposito da
mesma ra n. 12, ambos os gneros sao novse
legtimos, e se vendem a prego mais barato/do que
outra qualquer parte. _____________/
(l.'.anbs i Lislio
Vendem-secastanhas chegadas no/apor franeez
Navarre a 160 rs. a libra, e canastras de 40 a 50
libras a 65500 : na ra da Cadeifl do Recife nu-
mero 25.
Botica e armazem
drogas
Ra do Cahug u. II.
Joaquim Uarlinfao da Cruz Correia.
Vende-se o sepuinte :
Salsa parrilba de Bristol.
Paslilhas assuraradas de Kemp.
Paslilhas vermfugas de Kemp.
Elixir de cilio lclalo de ferro do Dr. Thermes
Rob da .afectenr.
Xarope depurativo d'odorelo de ferro de Gny.
Xarope peitoral sedativo de Guv.
Paslilhas peitoraes balsmicas de Guv.
Pillas da vida.
Burel franciscano (mrsclado) para imagens.
Injeccao Brow.
Xarope de curato de ferro de Cbabie.
Pxlulas contra sesoes.
,' Salsa parrilha de Sands.
Extracto fluido de salsa parrilha de Balys.
Xarope alcoolico de vellame.
Alm destas drogas ha constantemente um com-
pleto sortimento de tintas, vernjz, ouro para doo-"
rar, preparados rhimicos e pharmaceutices que so
vendem por commodos pregos.
RELOGIOS,
Vende-se em casa de Jolinston Pater 4
C, ra do Viaro, n. 3. um bello sor-fi-
mento de relogios de ouro patente in-
glez, de um dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, e tambem una variedade de
bonitos Irancellins para as mesmos.
Roa da Senzalla n 42.
Vende-se, em casa de S. P.JohnstonC,
sellins e silb&es inglezes, candieiros e cagti-
caes bronreados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e doiis cavallos. e relogios de
ouro patente inglez.
Vende-se urna escrava de meia idade que faz
o servido ordinario de urna casa : na ra Imperial
numero 139.
Sal do AssU
Vende-se sal do Ass de muito boa qualidade :
a tratar na ra da Madre de Dos u. 2, ou no caes
do Ramos, a bordo da barcaga flota Espn-anca.
Vende-se urna machina ^ra descarogar al-
godao, a qual prepara 6 sacca/ com 36 arrobas de
algodao limpo de primeira sJrte por dia, e tambem
se vende um motor para espillo, obra muito bem
feita, a qual foi feita esuerialmente para mover a
mesma machina, sendqyqiie tanto a machina como
o motor podem ser transportados com faclidade
para o centro : para/ver c tratar, na fabrica da
travessado Cariocjrn. 2.
mm
9 nina do Crespo n. ..
Na loja de Marcelino A C, vende-se
bareet'de laa de cores muito finos a 320
rs. o"covado, ditos lisos com 8 palmos de
largura, ricos soutembarques de cam-
braia bordado e outras multas fazendas
de gosto propras para o tempo de festa
chegadas neste ultimo vapor, pregos mui-
to em conta.
fiftdtfaV \
Foiha de Flaudres Cbarcoalde muito
qualidade; vende-se por atacado ou por
aN-ulso, a dinheiro vsu : na ma do PilaM.!, i ^ |,eneros yindos di) AracatV :
primeiro andar, para tratar, de manhia at as 10 c
horas, de tarde das 3 at as 6.
No armazem n. 38 ra da Madre de
Dos, vende-se por f reco mais commodo
* I do que em outra qualquer parte os segatn-
Toalhas.
Na rna do Apollo n. 20, vendem-se toalbas de
linho do Porto, eom labyrintho e bioo na$ pontos,
peto barato prego de V a duzia,
Gomma nova.
Cera de carnauba.
Dita em velas de diflerenles qualidades.
Relies de cabra
Sota
NJEGCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito na bt>-
tica franceza, ra da Cruz n. 22, pr-
CQ3.5- ____________________
No deposito da ra da Lingneta n. H ven-
dem-se ervillias e centilbas de diversas mareas.
una da Senzalla .Aova n. 42.
Neste establecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLow
Moor libra a 120 rs.
C'b hjsson
da India, da primeira qualidade; vende-se em cai-
xas de 60 libras cada caiza, por prego commodtr
dinheiro : para tratar, na ra do Pilar n. 143, fl'i-
meiro andar, de manha at 10 horas, de tarde das
3 at s 6. ____________^__
A 900$000
se vendem as outras casinhas novas da ra da So-
ledade, cuja renda de 245 mensaes ; sao em ter-
reno proprio, bem edificadas e do lado da sombra:
trata-se na ra dos Prazeres da Boa-Vista "com
Jos Cirneiro da Cunha.
Vende-se urna commenda de Chrislo crui
pendente : na ra do Imperador n. 16, a entender-
se com o agente de le loes.
Wossa Menhora da Coneelein
Continua a estar venda na ra do Imperador
n. 1S a novena de N. S. da Concpigo, eoofdrnn
usam os reverendos carmelitas da Reforma do Re-
cife, e tudo o mais conforme os annuncios feitos
por este Diario.
Farinha de mandioca.
Vende-se farinha de mandioca da melhor
mais nova que ha neste mercado : no esrrulof fo
de Manoel Ignacio de Oliveira Corpo Santo n. 19, ou a bordo do palhabot* p-
mao e brgue Minerva, ancorados ao caes do barao
do Livramento.
Vendem-se dua cabras com eras, boa le-
leirgs: no pateo do Paraizo n. 40.
mTTtI in*


.. ***>-.**
iMaHo de pernainbnco afeado f 1 de *or<*mftro de 1*3.

A AGUIA BRANCA.
Rocebeu por esse ultimo paquete:
Novas carteiras cora as excelleotes agulbas
m piezas.
Agulhas parisienses lambem de excellen-
te qualidade.
Trancelins finos de borracha para en-
fiar.
lajfei prelos de velludo, maiores e me-
aorespara vestido.
Transinhas brancas estreitinhas d'algodo,
para enfeitcs de vestido.
Batieras cabos demadeira, osso e madre-
penda para limpar pentes.
Pines para p de arroz.
As litlas tiveilas com pedras para cintos.
Outras de lino douradoe esmaltadas.
Outras de madreperola.
Benitos leques de madreperola com bou-
qoet.
Outros loques d'osso com booquet.
nutro* de plomas, com cabos d'osso e
Madreperola, e outros finalmente de snda-
lo e prelos.
Peales de borracha, recortados, dourados
e com pedras para meninas e outros de tar-
UiriljM.
V.oias de seda para baptisados.
Lindas tnuquinhas de fil de linho. cam-
br; a esetim, mu bemenfeitadas para crian-
za-
A GUIA BRANCA.
Da ra do Queimado n. S. receben.
Tonteo oriefclal de Kemp.
Agua florida Murray & Lanman.
Dita de flor de laranja Condray,
Dita de rosas-d"rto.
Bolsas paira viagens.
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'Aguia
Branca n. 8.
Voltas oris
MARA PA.
A Aguia Branca recebcu as desojadas voltas
prctas, mni conipridas v gradas.
GRANDE LIQUIDACO
DE
tondas francezas e inglozas todas de snperior
qualidade : se rende muilo barato para liqui-
dar contas, na loja e armazen do Arara, rna
da Imperatri n. 06 de Lourearo Pereira Gai-
maries.
Grande pechincha1.5 de O
palmos a I*j*8.
Vende-se laas transparentes de cores lisas
e quadros com 9 palmos de largura, pro-
prias para capas e vestidos para senhora a
10280 o covado ; lazinhas muito finas de
quadrinhos a 280 e 320 rs. o covado ; di-
tas transparentes muito finas a 400 e 500
rs o covado ; gorguro de cordo, fazenda
lina e nova para vestidos por ser padro de
seda por 500 rs. o covado. S na Arara
Ligas da seda para senhora, e d.tas para ha ^g g|.audc sortmento de Uazinhas' e
angottos, ou meninas. o0tra? muitas fazen(ias, que trouxe o ultimo
- I vapor vindo da Europa : ra da Imperatriz
n. 56, loja do Arara de Mendos Guimaraes.
N ivas tercos do cornalina, e coral lapida
do com cruz do piala etc.
Itonila-; polseiras brancas de perolas fal-
sas, e outros de chapa de crystal o paco,
conr lisias domadas.
Tudu na loja d'Aguia Branca, ra do Quei-
atade n. 8.
L ibvrinthes e bicos,
tao baratos que o comprador admira.
Esses laliyrintlios e bicos se applicam a
divnsas obras e fins, c sempre cora provei-
to por suas fortides e durafao, boje mais
da que nunca, convem a todas as familias
compra-!os para aproveitarem-se da occa-
s\~\* era que ellos sao vendidos lo baratos
j te na verdade o comprador admira, e bem
se 00 le di/.cr que por taes presos nunca
mais llavera Os labyrinlhos sao de novos
e bonitos desenhos das larguras de qualro
M I at mis :1c um palmo (ou tres a dez
potiegada*) e os limitados precos sao de 1<$
3 :>> a pe -a le dez varas, variando estes em
relajo a largura. A ser em varas haver
m;n pequeas differencas, os bicos porn
prii iciptaua por mais estreitos at a maior
largura dos lahyrinthos. e os precos sao
igualmenta proporcionados. Isso pois, as-
sur, siraplcsmente dito talvez pouca conside-
ra." merece, porm para desengaar e fa-
ter i com .r. Inr reeoohecer a verdade ea-
pre;iar o extremo da baratez, c necessario
que se dirijan) com dinheiro; a ra do
Queimado luja d'Aguia Branca n. 8.
rala econmica.
\. aba de receber essa acredita-
4a $ v\: i.ilica, cuja superioridade est ge-
aluteato rncnnhecida ; essa boa grata se torna
1 i.. |. tanto porqae o calcado lastrado
ooajella deia perfoiUmente lustroso no menos
?cs dias sem aeeessidado de novo unto, lonm
saesmo parque soa preparaeSe appropriada \m
aniieiai 1conservar ocouro- ella vem m raixi-
. e acha-se venda na rna do
Qouii 1 .1 ti. i, I >]a d'asaia branca, aos razonudos
; .'; .- -' '::. 500 e 640 rs.
artes de concha.
i as i: ivas e diversas puarnices de
pe'ttes i le a Ajnia Brahca acaba de rece-
b?r, vei-i lambem urna pequea qualidade
do. pentes de concha que com graca e acer-
ladameute s 'rrem para o moderno atado das
t, tlliu i^!"sso de bonitos e agradaveis
ip les, e letamanho peqnenino como con-
vera pai n im que sao. E' esla a primei-
ra ve qiw ii'elles aqui ebegam, por isso
.....i moda novissima, pelo que ganha-
roa palma aquellas senhoras qoe primei-
ros ipresentarem com ellcs. para o que
os -.iliVi comprar na loa d'Aguia Bran-
ca i ni i Queimado, n. 8
Cjj 'lares c lavas enfeila-
d 9s para nolras.
Peto ultimo paquete a Agiiia-branca rece-
ben os artigos cian sempre necessarios s
r. >;..!-. os qmes, segundo seas recomraen-
d.-:;."; s, vi im ii de muito gosto, e peifeita-
neite delirados.
As capell is slo de mui moderno e agra-
davel mnlh. de (has flores, e acabadas com
i o es ero : as flores solas sao extre-
manfmtA delicadas e proprias para enfeites
d3 resti los e inesmo ornatos de cabeca, sen-
i lelga las vergonteasde jasmin, cachos de
I c oulras estimadas flores.
,\s tuMS, porm, apreciada obra de Jon-
m, parees que fnnm edfeltadW pelas mes-
raas fabricantes ti is miin isas dores, pois que
f>m gostn o perfei i nada ib-ixam a desojar.
Sao 68834, poi?. ''"-iias. Iliires e luvas
ene mrrespondp'iii i n i iez.1 do vestido, for-
'aam o r.inipV > e perfeicjk), e ele-
vam a galhar lia da candida noria, Resta
*iTjnn!e qtin os pretendentes munidos de
h'r-'ro dirijam-se alegre e espacosa lo-
ja d'AffUM-branea, ra do Queimado n. 8
Caleadarlossemanaes : pelo
pj'cco todos compi'aro.
Silo di siinna utidade esses kalendarios
(trmaiwes, i'irque mostram acertadamente
n d ita h das da sematia, sem o continuo tra-
haiii'i de bulir nelles diariamente, pelo que
se luran nocesserios e preferivpia a iodos
os ouiro< : tanto para casas de familias, co-
mo raesmo para qunlqner oulra parle, e
priiic.ipalineiite por 500 rs.'cada una na
roa du Qteimado, loja d'Aguia-branca, n. 8.
Phosphoros de eera.
Vendem-se a i1 rs. a duzia de caixinhas
4e phosphorns de cera : na rna do Queima-
do, loja d'Aguia-branca n 8.
Lnglezas: Opiata e agna da
Colonia.
\ Aguia-branea da ra do Queimado n. 8
aba de receber a apreciada opiala ingleza,
assim como mu boa agua da Colonia lam-
ban ingleza.
arralas com agna da Colonia.
Clteganwn novas garrafas com agua da Co-
lonia para a loja d'Aguia-branca, ra do
Queimado n. 8.
si ira t! ha das bellas, novos e
delicados enfeites para ves-
Hilos.
apravel a aguia branca o ter de avisar a
la boi frefnezia, que acaba de receber pelo pa-
qni*t". (ranciv. um bello sortiraento de. enfeites de
seda danominado maravilha das beHs, o*quaes
si*vim tanto para osttdo de senhora como para
mtfpil!ia<1e enancas. Sens iwvissraios e delica-
jfiwil-cnhrts, sas escottridas bem acertadas ro-
rfazi'.ia um todo agraavel aoc olhos de qual iyoer
Tem .pie saituapreciar hwn. Assim, pois, a
tnda rrt em haver dinbeiro, haveo*)M; diri-
rn-se tsm so
afilia branca,
a verdades cima
A Arara vende ricos vestidos bordados braaeos
a 12,5000 rs.
Vendera-se ricos e finos vestidos brancos
bordados a 120 ; ditos mais singelos a H ',
ditos de barras de tarlatana de cores a 30 ;
ditos de barras a 30 e muito baratos : ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Mais perhineha na AraraCassas a 208 rs. e co-
vado.
Vendem-se cassas organdys de quadros
cor de caf e mais claros a 200 rs. o cova-
do ; ditas francezas linas a 240, 280 e 320
rs. o covado: cortes de chitas de cores a
20 ; ditas francezas com pequeo toque de
mofo a 2>SO0 ; cortes do lascados famosissi-
mos com 14 covados a 30 (s na Arara,
ra da Imperatriz n. 56 ); cortes de casimi-
ra eiifestada para calca a 10, 1)5600 e 20,
tendo cada corte i vai'a c 3 quailas, cousa
muito barata; casimiras tinas a 20500 e 30
o corte; casimiras lisas para capas de se-
nhora com 6 palmos de largura a 30 o cova-
do : ra da Imperatriz n. 56.
V Irara vende hitas a 210 rs. o eovado. Sao
largas.
Vendem-se chitas francezas com toque de
mofo, que se extinguir logo que forem la-
vadas, e as cores sao fixas a 240 c 280 rs.
o covado ; ditas limpas e finas a 320, 3t>0
e 400 rs. o covado ; lencos brancos com
barra de cores linas a 160 rs, cada um ; di
tos brancos todos a 200 rs.; ditos muito fi-
nos a 320 rs ; meias para hornero a 200 e
240 rs. o par : ditas para senhora a 320 e
400 rs. : na loja da Arara, ra da Impera-
triz n. 56, de Mendos Guimaraes.
telabas da Arara a 5G0 rs. o covado.
Vendem-se sedinhas para vestidos de se-
nhora a 560 rs. o covado ; cassa-seda com
palmas soltas a 500 rs. o covado : chalim
de cores para vestidos de senhoras a 500
rs. o covado ; sarja de cores para vestidos a
400 rs. o covado ra da Imperatriz, loja do
Arara n, 56. cv Mondes r.uimares.
atapoUi francez enfestad a 1000 rs.
Vendem-se pecas de madapolo francez
enfcfttdo a 40 e 3500 ; pecas de algodo
encorpado a 4:>. 40608 e 50300 ; madapo-
lo inglez com 24 jardas marca Rainha a 70 ;
lito Elephahte a 70500; dito n. 6 fino a
8>; dito n 7 a 9 ; dito de. cora dourada
a 10;>, todos estes madapoles sao muito fi-
nos : ra da Imperatriz, loja da Arara de
Mendos Guimaraes
limi|i- frita da Arara.
Vendem-se uniformes completos, como
sejam : paletots, calcas, colotes de casimira
ingleza a 105 e 120; calcas de brim e
ni"ia casimira a 2 : paletots de brim de
cores a 20000. e 39 : ditos brancos a 30 ;
ditos de meia casimira a 30500 e 40 ; se-
millas de bramante francezas a l" 600 ; ditas
de linlio a 20 : camisas francezas a 10600 ;
ditas miiit" linas a 20 e 80500 : lilas de. li-
nbo inglezas :i camisas de meia para ho-
rnero a 500, 800 rs. c 10 : collerinhos de
hubo a 500 rs:; roa da Imperatriz n. 56.
Italoes da Arara a :i$000 rs.
Vendem-se baloes de arcos americanos de
20. 25, 30 e 40 arcos a 35, 30500, 40 B
11500 ; ditos de brilhanlina a 40 ; ditos de
dita muito grandes a 356 0 : ra da Impe-
ratriz. loja da Arara n. 56.
Lciirns de seda a 800 rs.
Vendem-se lencos de seda de urna s cor
Huito Unos a 800 rs.; ditos estampados a
rf, ditos com franjas a 10300: ruada
Imperatriz ir50.
A Arara vende ricas colchas avelludadas a 80000.
Vendem-se ricas colchas avelludadas para
cama a 80 ; ditas de fusto a 50 : ditas de
damasco a 40: ditas de chita 20: ra da
Imperatriz n. 56^
Cortes de lia 4^,000, S,000 e 5,000 rs.
Vendem-se cortes de Ina para senhora
a 30606, 40 e 50 : ditos de organdys finos
a 65 e 70 : camisinhas muito linas parn se-
nhora a 40500 com grvala e lambem gol-
linbas muito finos para senhora com boto-
zinlios a 320 rs. ; ditos de golla e punho a
10 : rna da Imperatriz u. 56, loja da Arara
do Mondes Guimaraes.
Tarlatana da Arara a 800 rs.
Vende-se tarlatana muito fina a 800 rs. a
vara : fil de Viho liso e fino a 800 rs.:
ditos de salpicosX 10 ; fil de linho de co-
res a 160 rs. o coYuio ; cortes de cambraia
com 1 vara de larVura com palmas solas
90 ; pecas de cambraia de salpicas a 30500:
ra da Imperatriz n. 56, loja d Arara de
Mendos Guimaraes.
rema da ******
Vende-se era casadeN.O. Bie-
*-C., soeeessores, ra da
n. 4.
Aiumcnr fio Mofiteiro
(lea do Imperador b. 28 e caes de Apollo a.
67. 200 rs. a libra, o de 8 libras para cima
a tfflOO aarrnba.
ROITPA FEITA
HHIZI!
DE
&
r
fe-
*aD
LETREXRO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as quahdades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as quahdades, para senhoras,
bomens e meninos. ,
[ .Casacas de panno preto, 350 e 300000 Colletes de fustao e brim bran-
Sobrecasacas dem, 300 e .
Paletos idem e de cores, 250,
&&&SDI AH121182J2
BE
LHAD
9 Largo do Carino .
250000
20500
200, 150 e...... 100000
Ditos de casemira, O0, 150,
120,100 6...... 70000
Ditos de alpaca, 50 e. 30500
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50 e........ 30500
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. 30000
Ditos branco de linho, 60,50 e 4^000
Ditos de merino preto de cor-
d3o, 100, 70 e..... 50000
Calcas de casemira preta, 120,
10, 80 e......70000
Ditas de cores, 90, 80 e. 70000
Ditas de meia casemira de co-
res, 505OOe.....40000
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 50, 40500 e 40000
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 450d, 40 e 20500
Ditas de ganga de cores,
30500, 30 e.....20500
Colletes de velludo preto e de
cores, 90 e......70000
Ditos de casemira preta, 50 e 40000
Ditos de ditas de cores 50
40 e........30300
Ditos de setim preto. 50000
Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......50000
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 60, 50 e 4^000
co, 30500, 30 e .
Seroulas de brim de linho,
20400 e......20000
Ditas de algodo, 10600 e. 10400
Camisas de peitos de linho,
50,40,30e.....20500
Ditas de madapolo, 30,
20500, 20e.....10600
Chapos de raassa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e. 80500
Ditos de fltro, 50, 40,30500 e 20000
Ditos de sol, de seda, 120,
110, 70 e......40500
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda....... 640
Sortimento completo de grava-
tas. 0
Toalhas para rosto, duzia, 110,
90 e........60000
Atoalhado adamascado de li-
nho vara......10280
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....40000
Lences de linho..... 30000
Cobertas de chita chineza.. 20000
Pennasd'afo, as mais superio-
res, a grosa...... 600
Relogios de ouro orizontaes,
900,800 e......700000 i
Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes, 400 e 300000
Obras de ouro, aderemos, meios
aderemos, pulceiras, rozetas,
aneis e cruzes.
fi vnarAo do bowuvwui do
BRUJfl IX. 38.
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortimento
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
dt

fXX 9S^./rQ
1:
ESTABELECIMENTO COMMERCIAL i
DE
GMttifeK I FUNDICid DE NET4ES,
lo na rna do Brnm n. 40 junto
a fundi^o do Mr. Howinan,' pertencenle a
Tillaba Irmo C.
Neste estabelecimento encontrar os freguezes um completo sortimento
de tudo que diz respeito as artes de caldereiro, funileiro, latoeiro, ferreiro e
fundifao, e os abaixo asssignados que o dirigem, promettem servir a todas as ,
pessoas que se dignarem de os procurar, com promptido, sinceridade e pre- -y S
eos muito rasoaveis. O dito estabelecimento estando montado em ponto f?U
grande, tanto no que diz respeito a pessoal, como em materia prima, e tendo
habis officiaes, pode executar com toda a perfeifo c seguranca qualquer *?
obra tendente as artes cima mencionadas e affoitamente pdem os abaixo as-
signados assegurar ao publico que nenbum outro estabelecimento Ihe pode gj
fornecer mais barato e mais perfeito do que elles, visto que recebem de sua
propria encommenda todas as materias empregadas em ditas obras.
Alambiques simples e continuos de to- Sinos de 16 libras 8 arrobas.
dos os tamanhos e dimences. I Parafuzos de bronze e ferro para ro-
Machinas de cabr para destilar e res-' das d'agua.
tilar espirito at 40 graos pelos sys- Torneiras de bronze e bronzes para
temas de Logier e Derosne. engenho.
Carapufas e serpenfinas de cobre, e Encanamentos de cobre e chumbo de
estanho, avulsas. w | todas as grossuras.
Taixas e tachos de cobre para engenho Bombas para cacimbas, aspirantes e
e refinaco. de repucho.
Paroes de cobre e todos os cobres ne- Bombas para destilaces.
cessarios para o fabrico do assucar. Ditas para regar jardins. hortas e
Cobres para rodas de moer mandioca. capim.
Machinas econmicas para lavar roupa Ditas para navios e barcacas de varias
o melhor possivel. I quahdades e dimencSes.
Cobre em lenfol e arrodellas, estanho em barrinha, chumbo em barra,
lencol e canos de todas as grossuras.


Yillara Irmo de C
seas
VEMIK-SK
Aireo internacional privado e aappllraeo de ~.<. ,y
prDciprak om> preft-rencia as le prihelpasa d[l^y.
la ao osvqoBo e alesre aiiho de i Irarfl, em 4 velnme, por Dr. Jos Pinwnia B^^flT^TLa^'^al wande" tmanho a *4o ra.' ead Ui. O a lm dos
BE
N. 21LARGO DO TERCO-N. 21
O proprietario deste bem sortido armazem de molhados vende os seus gneros j
bem conheidos de primeira qualidade, e por isso caprichou de escolher, para bem servir
aos seus freguezes, mandando vir a maior parte do seu sortimento, para oque tem pessoas
emarregadas para este lim, e os jwde vender por menos de 10 a 20 % do que em outra
qualquer parte.
Verdadeira genebra de Hotlanda em botijas de conta certa a 400 rs.
dem de laranja em frascos grandes a 1,000 rs. e >le Hollanda a 500 rs.
Caixinhas com 8 libras de jassas de carnada a 2,400 rs. e a libra a 480 rs.
Velas do espermacete. carnauba e composico a 63o, 44o e 36o rs. a libra e .i arroba a
10,000 rs.
Palitos do gaz sem alaria a 2,3oo rs. a groza e 2oo rs. o maco.
Serveja das melhoTes marcas a 500 rs. a garrata e a doaia a 5,5oo rs.
Vinho das melhores marcas F. L. P. a 4oo, 5o e 56o r. a garrafa e a caada a 2,8oo e
4,ooo rs.
Batatas desembarcadas ltimamente a 5o rs. a libra, e a arroba a 2,8ioors.
Bolachmhas americanas a f,ooo rs. e 3,5oo rs. a barrica e 2oo rs. a titira.
Azeite doce de Lisboa a 3,ooo rs. o gal2ot e a 6k> rs. a garrafa.
Queijos do reino os mais novos do mercado a l,8oo e 2,ooo rs.
Milho alpista o mais liropo que ha 5,000 rs., a arroba 160 rs. HM*.
Mairlei-a ingle peritamente flor a 800 e a 720rs. a libra.
dem franceza, mite soperior, a 56r> rs. a libra e em barris a M6 rs. a libra.
Caf do Rio da l.1 ^%* orle 280 e 320 rs. a lftra, e a arroba a 8,800e 9-,0fi0 r.
depranma a. segunda sortea.Soo 2,5ee e 2,ooors. a libra.
- genero aaauaciadee
a diBhairo.arvim
Grande sortimento para a festa por menos
10 a 20 por cento do que em outra qualquer
parte.
Duarte & C* scientificam aos seus freguezese ao publico emgeral, que acaba de che-
gar da Europa um socio que faz parte da firma, com um grande e bello sortimento de
molhados por elle escolhidos, os quaes se vendem por menos de lo a 2o por o/0 do que ou-
tro qualquer annunciante, garantindo a boa qualidade e poso de qualquer genero vendido
j neste j muito acreditado armazem, e por isso, firmados em que cumprem fielmente o
que promettem, pedem todos os Srs. dapraca, de engenhos e lavradores, o favor de
| mandarem suas encommendas ou relacoes ao armazem Progressivo, certos de nao terera
em tempo algum occasio de se arrependerem.
Aviso.
Todos os Srs., que comprarem para tornarem a vender, tero, alm da diflereiK-a
j publicada, mais 5 por % de abatimento. Os propietarios tambem garantera o bom
acondicionamento anda mesmo dos mesmos para o mais alto serto.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de conta propria, a 8oo rs. a libra.
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
56o rs. a libra, e em barril ter abatimen-
to.
dem ingleza em potes de 4 a 16 libras a
8oo rs. a libra e o pote separado.
Cha uxim o melhor neste genero, mandado
vir de conta propria, a 2,8oo rs. a libra
dem hysson, grande, muito bom a 2,6oo rs,
a libra.
dem preto, muito fino, a 2,6oo rs. a libra.
Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza e 2o rs. a
caixiuha.
Milho alpista a 160 rs. a libra.
Painco a 2oo rs. a libra.
Gomma muito al va para engoromar a 80 rs.
a libra, e em arroba se far abatimento.
Sag muito novo a 28o rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 28o rs. a libia.
Sabo massa de superior qualidade a 180,
200, e 220 rs. a libra do melhor que ha.
dem preto, mais baixo, a 2.000 rs. a libra.' .
j Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lati-
Idem, verde, miudinho, mais propriopara ne- j nha, e 1,300 rs. a duzia.
gocio, a l,5oors. a libra. i .
| Peixe em latas muito novo : savel, pescada.
Banha de porco refinada muito al va a 46o curvin, salmo e outras muitas quahdades
preparados de escabexe, segundo a arte de
cozinha, de 1,400 a 2,ooo rs. a lata.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado e escolhido pessoalmente por um
dos socios que seacha em Portugal, das
seguintes marcas: Duque, Genuino. Ve-
lho secco especial, Lagrimas Doces de
1819, vinho especial D. Pedro V, vinho
velho, Nctar superior de 1833, Duque do
Porto de 1834, vinho do Porto velho su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior I). Luiz I
de 1847, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porto, de l,ooo a 1.2oors. agar-
rafa e de lo,oooa 12,ooo rs. a caixa com
umaduzia. v
IdemBordeaux de differenles marcas, garante*
se a qualidade, aft.ooo rs. cana com urna
duzia, e a 7oo rs. a garrafa.
Garrafes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2,2oo rs. com o garrafio.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira. mais
proprio para a nossa estaco por ser mais
fresco a 2,4oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
o garrafo.
Vinho branco o melhor neste genero a Ooo rs.
a garrafa e 4,ooo rs. a caada.
Velas de spermacete as melhores (pie ha no
mercado a 6oo e 64o rs. o masso, e em
caixa se far um grande abatimento.
dem de carnauba e composico. de loo a
32o rs a libra, e de lo.ooo rs. a U ,5oo rs.
a arroba.
Caf de Ia e 2a sorte de 8,3oo a 8.600 rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
lhor.
Arroz da India. Maranho e Carolina a 3,ooo.
2,8oo e 24oo rs. a arroba e de loo rs. a
80 rs. a libra.
Frasqueiras de genebra a 5,8oe rs., e a Km
rs. o frasco.
Azeite doce em barril, muito fino a 64o rs.
a garrafa.
Papel grve paulado e liso a 3,5oo rs. a
resma.
Genebra de Hollanda em botija de conta a
44o rs. a botija.
Champagne das mais a creditadas marcas a
l,ooo rs. a garrafa, e a lo.ooo rs.a duzia
ou jigo.
Alhos a 80 rs. o masso.
Sal refinado a 7o rs. a libra.
Ervifhas francezas e portuguezas a 64o rs.
a lata de urna fibra.
Chocolate francez. hespanhol, suisso, e portu-
guez a 1,00o rs. a libra, e a 28o rs. cada
piode urna '/*
GarrafoesNasios de 5 garrafas at 3 caada
de 5oo ateNL3oo rs. cada um.
Ameixas francez. -1 caixinhas elegantemen-
te enfeitadas. diversas estampas
no exterior da caMMf de t.^oo a 3,ooo rs.
cada urna; tambem faa francos o lata de
differente tamanhos que se ^ndem per
mdico preeo.
Wassas para' sopa: acarro, talbarim, e
ale tria a 48o rs". a libra, e em caixa aa
far abatimento.
rs. a libra, e em barril se far abatimen-
to. ;
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travcllies
Lunch, Cabin, e outras muitas marcas a
l,4oo rs. a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda, a
2,2oo rs. a lata.
Biscoito inglez Craknel em latas de 5, 7 e 15
libras a 5,000 e 6,000 rs. e de l,2oo a
800 rs. a libra.
Queijos do reino pelo baratissimo pre?o de
l,6oo, l,8oo e2,000 ns., os do ultimo
vapor,
dem prato muito fresco a 64o rs. a libra,
dem londrino muito fresco a 800 rs. a libra.
Vinhos em pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
48o, 56o, e 64o rs. a garafa, e de 3,ooo a
4,5oo rs, a caada.
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa em latas de 1 e mais libras
a 7oo rs. a libra.
Fructas em caldas das seguintes quahdades:
ameixa, rainha Claudia, peras, cerejas,
ginja, pecegos e alperch a 5oo rs. a lata.
Figos em caixinhas de 1 !/8 arroba e de 8 li-
bras a 8,000, 4,000 e 2,ooo rs, e a 3oors.
a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra, e
em arroba ter abatimento.
Sardinha de Nantes a 32o rs. a latinha.
Toucinho de Lisboa a 36o rs. a libra eem ar-
roba ter abatimento.
Massa de tomates a 64o rs. a libras.
Pimenta do reino a 3io rs. a libra.
Farinha do Maranho a 14o rs. a libra.
Ceblas a 1.2oo rs. o mlho, e a l,ooo rs.
o cento.
Tijoilo para limpar facas a 16o rs.
Cerveja das mais acreditadas marcas de
5,ooo a 7,5oo a duzia, e de 5oo a 600 rs.
a garrafa.
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 800 rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs. a frasco.
Chonrifas as mais frescas do mercado a
800 rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa,
e lo,5oo rs. a caixa com urna duzia.
Licores francezes das seguintes marcas: A-
nizete de Bordeaux. Plaisir de dames, e
de outras muitas marca* a lo.ooo rs. a
duzia, e a l.ooo rs. a garrafa.
Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a
8,5oo rs. a caixa. Ha caixas, meias e
quartos.
Peras seccas a 3,eoo rs. a caixa e 800 rs.
a libra.
Bolachinha ingleza a 4oo rs. a fibra.
Azeite francez eportuguez refinado a 800 rs.
a garrafa, e 9,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
Consenas inglezas das seguintes marcas :
Mixed, Pickes, e ceblas simples a 800 rs.
o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo;
rs. o pote.
GrSo de bico a 16o rs. a libra, e era arroba Doce de goiaba de 4oo a 800 rs. o cajxa
ter abatimento. grande.
Vasos inglezes vasios do 4 a 16 librmuitos, a dem a 2,000 o caixSo grande,
proprios para deposito de manteiga, doce,' Charutos de todas as marcas e dos melhere
e outro qualquer liquido, de l,oooa 3,eoo; Abrigarte da Babia de 3.000 a 4,ooo rs.
rs. cada um. catea4.
Alem dos.genoros cima annunciado na um completa sortimento de <
'?a dota, aKaxenu e outro.muito*geseroa, que tudo se vende por baratas* presa
-

MlOTLADO


DlMttf lel>
-fc KabtaMi* 14 fSe"Wnihro4e 1 *;'

-


/
I
GRANDE ARMAZEM

- 11
A
N. 36, RIA DAS CRMIS N 36
DO
balrro de Santo Antonio.
0 proprietario do muito acreditado armazera deneminado Progressista tendo
'empre em vista fazer todo o que for possivel para bem servir aos seas fregaezes, tem
deliberado vender os seus ja bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaixo mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seas criados ou
escravos, serem tao bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
eacommenda, aiada mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento. 0
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que n3o agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atteo-
clo com os seus portadores, fazendo-lhes ver que 8 no armazem Progressista da ra das
Cruzos n. 36, que se venden os melhores gneros por mais barato preco, porque estes
muitas vezes olvidam-se e v5o outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.

.. i
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
<
X
n
fi.
O
-2
TODOS
05
&
VAIMIRIIN
se recebem gneros de conta
propria e dos melhores esta-
belecimentos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer ge-
nero comprado neste
ESTABELECIMENTO.
COMPLETO
SOIITIME-NTO DE MOLHADOS.
vende-se em porcio e a reta-
lho, aprompta-se com toda a
presteza e exacdao qualquer
encommenda dirigida a este
ESTABELECIMENTO.
IWas muito novas a i ,ooo a libra.
Castanhas a 2oo rs. a libra,
Figos a 30 rs, a libra,
Vinho superior da Figueira e Lisboa, a 400,
HO, 480 e 500 rs. a garrafa, e a 2,300,
2,700, 3,000 e 3,400 rs. a caada.
dem engarrafado, das seguintes marcas du-
que do Porto, Feitoria, Nctar, velho secco,
Ctamisso, e Madeinuuperior a 8,500 rs. a"
duzia e 800 rs. a garrafa.
dem Bordeaux de diversas marcas a 640 rs.
agarrafa e 7,500rs. a caixa com 12 garrafas.
Mera Muscatel deSetabala 1,700 rs. a gar-
rafa, e 18,000 rs. a duzia.
arraoes com 5 garrafas de vinho do Porto,
Lisboa eFigueira a2,100, 2,200 e2,300
rs. com o garrafSo.
Icton branca muito superior a 500 rs. a garra-
fa e 3,500 rs. a caada.
< .irrafoes com 5 garrafas de vinagre al, loo rs.
Vinagre superior de Lisboa a i ,400 rs. a Ca-
nad e 200 rs. a garrafa.
Velas de spermacete superiores a 580 e 640
rs. o maco.
Manteiga iogleza.de 1.a qualidade, a 800 rs.
a libra.
Os proprietarios do muito acreditado armazem Progresso fazem sciente ao respeita-
! vel publico e com especialidade aos seus amigos e freguezes que tem resolvido resumir os
Mustarda preparada, muito oova a 360 rs. o! Pre*>s editados genaros, como abaixo verlo nao obstante os precos menciona-
pote. dos a vista da qualidade dos gneros que se prova quanto se deseja servir satisfatoria-
Paitos do gaz a 200 rs. a duzia de caixinhas' mente aos nossos freguezes, advertindo-lhes que mandem seas portadores, que serio to
e 2,100 rs. a grosa. .. ...
bem servidos como se viessem pessoalmente, isto so no Progresso.
Ditas hygienicas e de seguranca a 240 rs. a
duzia.
Alpista muito limpo a 160 rs. a libra,
80 rs. a libra, e
Gorama de engommar
2,200 rs. a arroba.

! Sag muito novo e alvo a 240 rs.a libra.
Sabio hespanhol, a 280 rs.-a libra.
tem massa a 180, 200 e 220 rs. a libra.
Peixe em latas, savel, pescada, e corvina a
1,000 rs. a lata.
Genebra de Hollanda em butijas de conta a
400 rs.
Papel greve
resma.
pautado e liso a 3,400 rs. a
dem de 2.* dita, a 700 rs. a libra.
dem Je 3*. dita a 600 rs. a libra.
dem franceza. a melhor do mercado a 540 rs.
6 em barril a 500 rs. a libra.
Idea em latas com 2 '/. libras a 1,400 rs. a lata.
Bauha de porco refinada a 500 rs. a libra.
Azeite doce de Lisboa a-600 rs. a garrafa.
Ghampanhe das mais a creditadas marcas
a 10,000 rs. ogigo e l,OuO a garrafa.
Doce de goiaba de 400 a 800 rs. a caixa.
Chocolate portuguez, francez, hespenhol e
suisso de 800 a 1,200 rs. a libra.
Velas de carnauba e de composigo a 320 e
300 rs. a libra e 9,500 e 10,000 rs. a ar-
roba.
Massas para sopa
400 rs. a libra.
macarrao e taiharim a
Charutos dos melhores fabricantes da Ba-
bia 3,800 3,400 3,000 e 2,400 rs. a
caixa.
Sufijos flamengos ehegados ltimamente a
2.000 rs.
Idem'praU) o melhor que la neste genero a
700 rs. a libra.
Idea do Alantejo muito snpenor a 8oors. a Biscoitos inglezes de todas as marcas a 1,200
Cerveja das melhores marcas de 5,000 a
6,000 rs. a duzia.
libra.
Arroz Carolino e do Maranho a 2,800 rs. ar-
roba e 100 rs. a libra.
Ainendoas de casta mole a 280 rs. a libra.
Caixinhas comameixas francezas, de diversos
tainanhosal, 200,1,400,1,800e2,100rs.
cada urna.
Frutas em calda, ameixas. rainha Oladia, pe-
ivgos e alpech a 480 rs.
Marmclada de todos os conservniros de Lisboa
a 600 rs. a libra.
rs. a lata.
Bolaixinhas de soda em latas grandes a 2,000
e 1,800 rs. cada lata.
Massa de tomates em latas de 1 libra a 560
e 640 rs.
Ameixas em latas del \'t e 3 libras a 1,200
e 2,400 rs. a lata c900 rs. a libra.
Cha huxim o melhor que possivel encontrar
neste genero a 2,700 rs. a libra,
dem hysson muito superior a 2,5oo rs. a
libra,
dem miudinho a 2,700 rs. a libra
dem preto de qualidade muito fina a 1,800rs.
>da mais inferiora 1,500 rs. a libra.
Genebra de laranja a 900 rs. o frasco e 500
rs. os frascos pequeos.
<:,>uiirose paios os mais novos que ha
mercado a 500 rs. a libra.
no
Sardinhas de
rs. a lata.
Nati tes muito novas a 340
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegada
no ultimo vapor a 8oo rs. a libra.
dem de 2.* qualidade a 76o rs. a libra.
dem de 3/ dita a 64o rs. a libra.
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
Manteiga franceza a mais nova que ha no mer-
cado a 58o rs. a libra, e em barril teraba-
timento.
Banba de porco refinada a 520 rs. a libra.
Vinho em pipa Porto Figueira e Lisboa a 4oo,
48o, 5oo, 56o rs. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo c 4,ooo rs.
dem em barril o mais superior que tem vin-
ao mercado a 6oo rs. a garrafa.
Lagrimas do Deuro especial vinho do Porto a
l,ooo a garrafa e a lo.ooo a caixa, o preco
nao indica a qualidade d'este precioso vi-
nho, porm venhamao Progresso que a vis-
ta faz f, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
demos vender por menos que outro qual-
quer annunciante.
Farinha de MaranbSe muito alva e cheiroza
a 16o rs. a libra.
Touciaho de Lisboa a 32o rs. a libra e a 9,ooo
rs. arroba.
Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
Azeite doce de Lisboa a 64o re. agarrafe o a
4,8oo rs. a caada.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e a
l,2oors. a caada.
Garrafes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa a l,loo rs.
Champanhe das marcas mais acreditadas a
Sea lo,oo rs, o gigo, e a 8oo rs. e a
l,ooo rs. a garrafa.
Serveja preta marca T e XXX
7,ooo rs. a duzia, e a 6oo rs.
RA DO QUEMADO N. 46
uro
DE
Fi/f\nAS E ROUPAS FE1TAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 25$, 285 3(W e lifl ,1CM1
nraitobemfeitasa25, 2*0, me'W, paletots acasacados de'panho pretaTl 6?5
250, ditos de casemira de cor a 15,5, 180 e m, paletots saceos de paZ. r-Z
mira de 80 at 140, ditos saceos de alpaca, merino e laa de 40 at 60, sobr de atoan
merm de 70 at 100, calcas pretas de casemira de 80 at 140, ditas de cor de 75 it
150, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de roupas de brim.
como sejamcalcas, paletots e cohetes, sortimento de colletes pretos de metim casemira
e velludo de 44 a 90, ditos para casamento a 50 e 60, paletots brancos de bramante a \x
e 50, alcas brancas muito Anas a 50, e um grande sortimento de fazendas tinas e moder-
nas, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senhora. eerouias
de linho e algodo, chapeos de sol de seda, tovas de seda e de Jouvin pan homem e se-
nhora. Temos urna grande fatirica de alfaiate, onde recebemos encommendas de gruta
obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de semelha'iU' are e um
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qualquer efen em
promptido e mais barata do que em outra qualquer casa.
AOS SENHORES LOGISTAS
Desa capital, arrabaldes eprovincias
adjacentes.
N. 28 RA NOVA N. 23.
'mm^ i3 salisfacf de Participar particularmente aos seus amigos e freguezes, e em
geral a todos os senhores logistas desta e de outas provincias, que em consequencia de
suas relacues com as pnneipaes pracas manufactureiras da Europa, tem consolido
montar a sua fabrica da chapeos de sol sobre urna escala importante, a ponto de poder
offerecer van agens aos prelendentes, tanto na qualidade e bem acabado dos seus produo
tos, como pela reduccao dos precos; verdade incontestavel, de que se poderlo ronvet-
cera vista da fezenda e pelos precos que vo abaixo :
Chapeos de sol de seda para homem 28, a 720 a duzia.
Ditos 26, a 66000.
Ditos 24, a 600.
Ditos para senhora 18 e 20, a 480.
A duzia tem descont de 12 por cento.
Ditos de panmnho preto e de cor, armaco de balia 20, 24 e 26 sonidos, liquido
a 260 a duzia.
Ditos de junco 20, 24, 26 e 28, a 180 a duzia.
Venham ver para convencer-se da verdae.
'Etocarregam-se de encommendas para da Europa.
AGENCIA
DA
a 6,5oo e
a garrafa, j
Livros de moral.
Exame de confessores.
Cuntate.
Lar raga.
Obra do Monto.
Na ra do Imperador n. 15.
FUNDICAO DE LOW-MOOB.
Roa da Sonzalla nova n. i:'.
Neste estabelecimehto contina a haver
. um completo sortimento de moendas e meias ~AWS^S^ ,maJiim terra "os Atraaos, a
Zf&T?tZ%^& Sf?? eT,lh,0' maclr5, ,le:apor w'iX>tftZ SSTS^S
rs. a duzia, e a 4oo rs. a garrafa, e tachas de ferro batido e coado, de todos os | quartos, cozinha Mn, iuinui mura.to. grande, mm
tamanhos para ditos. portan, cacimba em bom estado : ignen a pretf-
Idem branca Te cobrinba a5,5oo e 6,ooo rs,
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tambem ha
para 4,ooo rs. a duzia.
Graxa em latas grandes a l,3oo rs. a duzia
e 12o rs. a lata.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro obra
de inuita duracao a 4oo rs. cada urna.
Palitos de dentes massos grandes a 2oo rs.
e28ors.
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre-
ditadas e especialmente escolhido por um
de nossos socios, como sejam: Camoes, Du-
que, do Porto, D.Luiz, Carcavellos, Cha-
misso & Filho, Madeira secco, e Feitoria a j
9oo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com Paltos do gaz a 20 rs. a cai?
12 garrafas. a groza.
Garrafes com especial vinho do Porto aMhlfw&. a *ik v,-. i i.-
tendo 5 carrafas a 2.5oo rs i GS,a de,^he chej?ada n ultim<> W
latas'd 2 libras a 8oors. e pechincha.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston de C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
O GALLO CANTA j
J sabido que, quandochega o vapor da Eu-1
ropa, o gallo canta annunciando aos seus numero-
sos freguezes as galanteras de mais gosto e da ul-
tima moda que por elle recebe, como sejam :
Camsitilias para senhoras.
der, dirija-se ao escriptorio do Dr. Alcoforadu, que
achara com quem tratar.
Cal de
a mais nova do mercado
19, prieirmo andar.
Lisboa
na ra do Vicario n.
lenda de urna hypothtca.
Os liqnidalariesda massa fardarte
Jos Antonio Basto \CHdcm a bvpolne-
ca qoe tem nos engcnhos Bati sso
Riqoissimas camisinhas com maugoitos e gra- e CajabusSH 110 lermo de Si'IMIlll'Hl lie
xinha e 2,3oo rs. g^, senltt,ras: 8 no *^ roa do, valor U SI :83o$911 rs.; tratar as
casas a na do Trapiche n. 34.
"^.VioT ^ SPCrOr ^ Fl-; Genera de Honandagarraroes'com 16 g
dem com 5
2,loo rs.
garrafas de vinho Lisboa
rafas por 6.5oo rs.
a. dem em frasqueiras a 6,3oo rs. e 6,5oo rs. ea
56o rs. o frosco affianca-se ser verdadeira.
Vinho branco de Lisboa proprio para missa ,
vindo ja engarrafado de Lisboa a 64o rs. e bot,ja em barncas com quatro du-
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijollo para areiar facas a 140 rs. cada um.
Farinha de MaranhDo a 140 rs. a libra.
Pimenta da India a 340 rs. a libra.
Erva-doce a 320 rs. a libra.
Palitos para meza a 160 rs. o maco.
Verdadeira farinha de araruta a 500 rs. a
libra.
Frasees com ameixas francezas a 1,400 rs.
cada um.
Prezuntos do Porto a 5ao rs. a libra.
Batatas muito novas era gigos com 38 libras
por l,5oo rs.
Canella da India a l,ioo rs. a libra.
Cominho a 64o rs. a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas a l,6oo rs.
a ancoreta.
Estrelinha e rodinha para sopa a 6oo rs. a
libra.
Legumes seceos para sopa a 4oo rs. o maco.
Breu louro a 3oo rs. a libra e 8,ooo rs. a
arroba.
Papel pautado e liso alraaco e de peso de
3,ooo, a 4,ooo rs. a resma.
Ervilhas seccas chegadas
2oo rs. a libra.
no ultimo vapor a
Cognac inglez a 9oo rs. a garrafa.
.Marrasquino de Zara a 7oo rs. o frasco e
8,000 rs. a duzia.
Lieores francezes, annizete, plaisir des da-
mes, ele, etc. a 8oo rs. a garrafa e 8,5oo
rs. a duzia.
Pantt as melhores que se encontram a 360
rs. a libra.
Hnlachas inglezas muito novas a 24o rs.
a libra, e 3,5oors. a barrica.
Azt.'ite retinado a 8oo rs. a garrafa.
t /.uservas inglezas de todas as qualidadesa
750 rs. o frasco. 1
ojuomtoaiaqejsa ajso jep
kj8sp e ejiooboi ap raa.uas so apno 'ajed ciino e o.\ a as-raepiAfo saza* seimm sais
pubiM 'oiaJd ojojeq s|Bm jod sajauaB sajoqiara so opua\ as anb a gg -u soznr) mu ep eisiss8J0J -u.tllB cpoi m saaoqsas soaisjai so orjuawp^jepejae oeu anb opafqo jaob|enb JOAiOAap
oijjcpaera op Jo.vej o nazcrajc ajsau jbj4uio9 raajepuBm anb saaoquas sob apad orasara o
'oiudUH3diaqe|S3 aisop sotadojd asirsopafqo opuojuoa omsara epuiB 'epuauratoaa aaab
-|cnb jetvB ap as-B2ajJB3ua '. 91" aeossad epuu owoa soptuos moq ov\ majas 'soAcaosa
no sopcm suas jod jd1 ,iBaianb sBoasadse Suene o 'sopeuoiauaraoitiBqBsoS
-ajd sopd apcp.iBnb ejib^iiju sojao8 sopoaquoa raaq ef snas so japaa.\ opBjaqqap
iiuj sozauSojj s'nas sob Ji.uas uiaq Bjrd (a.vissod joj ab o bpnt jazej bjsia na ajduias
opwi 'eissajoJ opeaimouap uiozbuub opejqmoB ojmm op oijejaudiud o
~ |BO|BV 0|Ue 9p ojjfirq op ioj) cp cbj f,,; .M
a garrafa.
dem em barril muito superior a 5oo rs. a
garrafa e a 4,ooo e 3,8oo a caada.
Ameixas francezas em caixinhas de 1 l/t,
zias a 44o rs. cada botija.
dem de laranja em frascos grandes verda-
deira italiana a l,ooo rs. o frasco.
2 Marrasquino de zara a 72o rs.
e 3 libras elegantemente enfeitadas cm ri- Licor francez de tod
cas estampas na caixa exterior a l,3oo
l,6oo 2,ooo e 2,5oors.
as qualidades era
garrafas de vidro brancos a 72o e 800 rs.
dem em latas de, 1 '/ e 3 libras a l,4oo e
2,6oo rs, cada urna.
Figos de comadre em bauzinhos de foiha
muito proprios para mimo a l,6oo.
dem em caixinhas a l,4oo rs.
dem em caixinhas ermeticamente lacradas
e muito bem enfeitadas a 1,80o rs.
dem a 2oo rs. a libra.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que tem vindo ao mercado a 72o e 800
rs., e em caixa a 7,5oo, 8, e 8,2oo rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol e
outros a 800 rs. a garrafa.
Conservas inglezas sortidas e de urna s qua-
lidade a 800 rs. o frasco.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
alva a 80 rs.
Crespo
Cirifjolinlias.
Riquissimas cirigolinhas ou gravatinhas, sendo
coosa de muito gosto, e a primeira vez que appa- FARINHA FONTANA.
ES^fcc^n.7",w,,,80,lo:',,oV,gi"! farinha da muito acre'L. a marca
Pmtes de c&ncha. Foiiliuuicsoiiibarcada liajc, vende-se
Af^StSffSSiSSi impreco niais comniod.,'rio em
rafas, por prejos razoaveis : s no Vigilante, ra qualquer Ollllil parte : na rila da Cl'ltX
* Cr6SP0 Les com J*. de fita. i 4 f,Sa de N' &** & & *<***-
Lindas redes pretase de cores com um lindo la- SOrCS.
ciaho de lita para conservar o cabello, pelo barato
preco de 15500; assim como qs novos enfeites pa-1
ra cabeca a 3*000, 4 e u'5000 : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.

Quem dcixar de comprar caixa com dnas ar-
robas de batatas, polo barato preco de '3, baratas
e perfeitamente novas : na ra d Madre de Dos
ns. 5 c 9.
ESCRAVOS FGIDOS.
, Gomma de engommar muito
Passas de carnadas as mais novas que ha no a l'&ra e 2,2oo rs. a arroba,
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,ooo rs. a
caixa.
Salmao em latas
8oo rs.
erraeticamente lacradas a
5M

Lagosm em latas grandes a l.ioo.
Savel, conina, cherne, vezugo, peixe espada,
preparados pela primeira arte de cozinha a
a l,3oo rs.
Queijos flamengos chegados no ultimo va-
por a 2,4oo rs.
dem do vapor passado a 2,2oo 2,ooo e
l,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
Doce da casca da goiaba caixes grandes a
6oo e9oo re.
Chouricas as mais novas que ha no mercado
a 48ors. alibra.
Chouricas mouras encommenda especial nos-
sa a 5oo rs. a libra.
Prezunto verdadeiro de lamego em calda
de azeite 5oo rs. a libra
Bolaxinha ingleza a mais novas que ha no
mercado a 2,ooo rs. a barriquinlia com,
1 arroba, e a 24o rs. a libra.
dem de soda de diversas qualidades a l ,400
reis.
dem em latas grandes, propinas para hinche,
com5 a 6 libras por 2,4oo rs.
Marmelada imperial do fabricante Abren e
outros conserveiros de Lisboa a 6oo rs. a'
libra.
calda de todas as qualidades a
d
Frutas era
5oo rs.
Ervilhas francezas a 5oo rs. a lata,
dem portugua/as a 64o rs. a lata.
Massa de tomate a 64o rs. a libra.
Amendoas confeitadas a 7oo rs. a libra,
dem de casca mole a 28o rs. a libra,
Avelans a 2oo rs. a libra.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 16o rs. a libra.
Sevada muito nova a 12o rs. a libra e 3,2oo
ss. a arroba.
Macarrao a 32o rs. a libra.
dem e taiharim o mais novo que ba no mer-
cado a 48o rs. a libra.
Aletria a 5oo rs. a libra.
Arroz carolino a loo re. a libra e a 2,8oo rs.
a arroba.
dem do Maranho a 12o re. a Hfcra, e a
3,ooo a arroba.
Caft'do Rio o mais superior que se pode de-
sejar a 32o rs. a libra.
dem a 28o e 3oo rs. alibra e a 8,2oo, 8,4oo
e 8,7oo rs.
Velas de carnauba refinada a 32o rs. a libra,
e a io,ooo rs. a arroba.
dem de spermacete a 64o rs, a libra.
Chocolate hespanhol e francez a 9oo e l,ooo
re. a libra.
Estrellinha e pevide muito nova a 4oo re. a
libra, e a 2,ooo rs. a caixinha oom oito
libras.
Cha pe-ola muito especial chegado neste ul-
timo vapor de encommenda particular
nossa a 2,8oo rs. a libra.
dem huxim muito superior a 2,7oo rs. a
libra.
dem hysson a 2,56o rs. a libra.
dem hysson a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
dem preto hemeopathico e muito superior aj
2,ooo rs. a libra.
dem nacional a l,6eo re. a libra.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e de todas as marcas, como sejam: sus-
piros, havaneiros, messecipes, regala im-
Serial, flor das mattas, primores a 4,ooo
,3oo, 3,2oo, 3,000, e 2^00, 2,5
2,ooo e !,6oo rs.a caixa.
Ligas.
Riquissimas ligas de seda de bonitas cores a
14300; assim como Gta propria para o mesmo ef-
fi'iio a 500 rs. a vara : s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7. i
Luvas de Jouvin.
Tambem chegou e chegan? por todos os vapores'
grande sortimento de luvas de Jouvin, outie os fie- \
guezes podern escolher: s no Vigilante, ra do ...
Crespo n\37. PJ Eseravo fgido.
Entremeios e babadinhos. ,Vo dia 5 do torrente fugio desta ridade o escra-
Tambem chegou grande sortimento de entre- Patricio, mulato alaranjado, de 18 anuos de ida-
meios e babadinhos, que se vendem pelo baratis- e Da,xo um l'ouco cncio do corpo, M>brancelhn
sima preco de lo00 a pecinlia : s no Vigilante,: bem. g'ossas, olhos grandes, com sardas pelo ro-
rua de Crespo n. 7. ; ,a> e """ral da cidade de Mamaiiguapr, provincia
Fivelas para cinto. da Parahiba, levou vestido cal^a e ramio braneaa.
Tambem chegou grande sortimento de lindas (i-, j muito ladino e esperto : roga-se s autoridad**
relias de ac e de metal com pwlrinhase sem el- de pohna, a qualquer pessoa, ou rapiluude nmp
las, pelo barato prego de 25 e 25300, dando-se a a apprehensao de dito escravo, e lvalo i seu se-
fita para as mesmas : s no Vigilante, ra do! or na ra de Santo Amaron. 6, ou capital da
Crespo n. 7. "arahiba a entregar ao tenente-coronel Joiio Caval-
0 G4IIO r4*%TA ; canti de Albuquerque. Recompensase generosa-
l sabido que o gallo nao poda dei tar, annunciando a seus numerosos freguezes os i Ira litasen,
riquissimos pentes, que acaba de receber por este' pardo, com 20 annos de idade, cor acabocolada,
ultimo vapor. rosto redondo, olhos pequeos, cabellos meio cara-
Filas rcAnnmiM pinhados, dentes cheias de lodo, estatura regular,
i a -i '""U"'*9- sabe ler, escrever e contar, com offlcio de alCaiata,
A^***!~** tSrSSS' "-^alhou em casa de Jorge Rodrigues Ihchaft
nienda ae litas espec aes para barras de vestidos, no pateo da malr7 de Sant0 AnInJ0 d'-nois junte
ass.m como para debrum, cousa muito bonita e a clmceio dos Militares, em rasa de Ba.-os fl
precos baratissimos : na loja do vigilante, ra do ReROe u|,iman,ente no pateo da n.atru de San
Crespo n. 7. j ^nuao, em easa de Olegario ; anda calcado de
0,e'8- I boiins de lustro, pe chapeo banda, sanio vestido
Tambem acaba de recelter os bnnrtt de lioho, com calca de casemira verde escuro, palelot de a*-
proprios para passar a testa, torna-se muito econo-j paca preta, camisa branca, chapeo de palhinha^
com (/iiadros pretos e brancos, e roit.-la o ti-r !M-
mico por ser muito leve, podendo-se laaare engom-
mar ; precos de 15800 cada um : naHoja do vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Suspensorias.
Cbegaram es suierires suspensorios de seda e
de linho, e que se vende por procos baratissimos :
na loja do vigilante, ra do Crespo n. 7.
LOJA o riraict
NA
Bna do Queimadii n 2.
Yadero-se pecas de madapoln Huo entestado
com 12 jardas por 55, cambraia preta a 500 rs. a
vara, meias de seda de peso para meninas de 1 a
10 annos a 25 o par, lindas e tinissimas cainbraias
de cores a 360 rs. o covado, p^Ftots de alpaca de
todos os lmannos para mejjmos, ditos para ho-
mem a 35, 4 e 55, chitas/francezas de bons pa-
drees e cores flxas a 320hT60 o covado, ditas es-
trellas a 240 o eovade, lialoes de arces a 35500 e
15, ganga de quadriulms a 320 o covado, cober*j-
res de algodaoa I520 cada um, lentes decassa a
Wi rs., 100, 120, 1^* rs. outras muitas fa- to talhad0) sahlb veslido com paletnt
endas que se vend por barato preco, e de tuso
sedar amostras/ta ras do Quelmado, kja o
Pnguita n. 2.
cado por outro de palhiaha toda branca ; .- tam-
bem de suppr que trocara a rou|ia, rostuma diztr
que Blho de um major de guarda nacional, inft-
tula-se forro, e assigna-se urnas vezes Francisca
Bernarda Quinteiro, e outras veaes Francisco Xa-
vier Nunes Quinteiro. Ha quasi seis mezes que
sa aasentou de casa : qualquer pessoa que o en-
contrar, pegue-o e o leve ra Nova, em casa do
Sr. Quinteiro, que ser generosamente recompen-
sado____________________
Fugio o dia 8 do correte, pela manhaa, um
escravo de Dome (ragorio, de idade de 12 l.i .an-
uos, pouco mais ou menos, com os signaes seguiav
tes : cor preta, rosto redondo, nariz achatado, com
alguns pannos e urna cicatriz na testa do lado -
querdo e um pequeo taino no rosto por baixo do
olho direito. levando vestido calca de algodo oom
listras laicas e camisa da mesma fazenda com lu-
irs miudas, e chapeo de parta : por isso roga-se
s autoridades competentes a sua captura, e de '
levar roa da SenzaU Velha n. 68, ou a ra 4n
Trapiche n. 7, que se graiilk-ara.
1,500
a lata de verniz ou alcatro do ga.
de tres caadas e meia : no armazem
amarella, no oito da secretaria po-
Em easa de MiUs Lathau & C, na ra a
*M, vende-ee ferro galvanwade de w eos
melhores fabricantes inglezes, praprio para afeer-
tas de casas.
- Fugio no domingo8 do corrente, do engente
Sapucagi, um escravo de nome Sandio, de Angola,
alto, secco, beicos grossos, falla atravossada c ros-
velho de cas-'
tor, ramisa de chita, calcaasol e chapeo deuan:
quem o ppretiender leve-* ra da Sensala lis-
va n. 38, ou ao dito engenho ao Sr. tenenle-con'-
ncl Jos Francisco de Faria Salles.
ti sera va fugitki"
Fugio no dia 4 do eerrente a negra Vicei
crioula, com os signaes segointes : estatura e
po regulares, com um signal de cabello nuqut
do lado squerdo, beicas grossos, aalar liaein,
falla grossa, levou vestido de chita rxa com floras
encarnadas, panno da Costa com listras encarna-
das e verdes, cestuma andar Aos arrbaldes desta.
cidade, a consta ter sidafeoeoalrada em liaa:
q*tem a peaaf, leve-a* do Raimado .iw|h
loja, que sera bem reJfcpensado.
ue




Mari* de Pernambueo ftbbado 14 e > Timbro de IMS.
lodo ali um suspirar, um ouvir-se multo interno
harpas c coros, symphonias aeras, milhares de
pronunciagoes confusas da trra, dizendo todas
amor!
E para onde ellas levaram Eugenia, que j com-
sigo levava a saudade a saudade, verdugo que
mata com caricias, corda de estrangulado luci-
da com ftos de ouro, segredo que Lucifer, ao
e nunca mais resti-
nTTElUTORA^
0 lea e ma.
XIV
(Continuagao.)
As cartas do padre ao fidalgo aventavam como
oerto o mu resu todo do pleito em UiimDra, e in- ,
ccjw o mau rtsuiiau y despenliar-se, roubou do cu,
vucavam o patrocinio de nii) para que eui uuuva ^
(/supremo tribunal ou o poder moderador drimis-
sem a entcnca rondemnatoria.
Tuvo Huy de Nellas como acert escrever desde
logo a sua irnia, convidando-a a esquecerem o
l>assado, para ir assiui predispoudo-a a mais de
volitado o servir.
condena de Asinhoso respondeu com
amor ao irmo,lastimando que elle recusasse a sua
aniisadc tantas vezes, em diversos tempos, offerc-
cida ; e accrescentava :
c Eu nao podia odiar o mano Ruy, que nenhuma
tarto lomou nos supplicios que me lizeram. Os
atgotes j esto na presenga de Deus! >
Aiuda nao esta arrependida !..disse entre
sro fidalgo, relendo aquelle periodo. Mullieres,
ibuHmM I arerescentou, sacudindo a caneca.
E-stranliaia o leitor, que entre aqui mal cabido o
episodio de-urnas aventuras de D. Eugenia de Nel-
las, condessa de Asinhoso. Cunto, porm, com a
hila ntleneo ; e pego licenga para me desvanecer
de apontado em nao me desviar da historia prin-
cipal, sem ao depois me justificar do defeilo.
D. Frederico de Paim e Lecena, tio materno de
Huy, vivia na capital, e muito no Paco, posando as
saas numerosas commendas, solteiro, septugenario,
a al listado.
Por alma de minha me, valle-me?
Se Ihe valho, meu serafim ? que qur V.
Exc. da sua serva humilde?
Quera escrever urna carta.
O' menina, sao barato de fazer; mas o
rendeiro da commenda anda cobranca, e levou
a cbave da sala, onde est o linteiro e o papel.
cesso piedade. Eugenia cuida que o revelar-se
aos irmaos Ihe dar um esposo, Ihe ser redemp-
cio de ignominia.
- Nao,
velha.
minha infeliz senhora, nao exclama a
E conta-lhe tres idnticas o des venturosas histo-
rias que ella presenciou em sessenta annos de *er-
Pois nem um bocadinhe de papel?!.. .Nao vico naquella familia: tres mulheres sepultadas
Ali que o amor pegou d'ella com a rnao
violenta, sendo que at quelle dia Ihe fra
sempre mao cheia de meignices, e serenas espe-
rangas.
Gongalo e Vasco julgaram sua irmaa segura, o
muito ncaran> Por Lisboa, onde tinham seus affectos, e
suas devassdoes. O velho. contente com as suas
arvores, e com a menina, que Ihe ouvia a menos
editicativa lenda dos amores de D. Isabel Moniz,
nao sahia de Camarate.
A' noute, assim que a brisa esfriasse, D. Frede-
rico digressava do jardim, dava um sculo em sur.
sobrinha, e fechava-se em seus aposentos.
Ora, depois aiuda, a menina Pica va, sentada no
banco rustico, resguardada de sycomoros, aspi-
rando as baunilhas, sacudindo as granulacdes das
pimenteiras, ou devaneando peia va lctea fra,
de constellago em constellago, com os olbos l,
e o coragao na trra, e na trra prxima, no mu-
ro da quinta por onde o alferes suba. E nao se
atemorisava dos pltanos gigantes nsm das dancas
macabras das sombras, agitadas pelo vento da al-
ta noute I
A" urna hora ruga a folhagem deba rao dos seus
ps as ras ladeadas de murtas; os molossos
tem nm livro?..
Livro tenho as minhas Horas,e o Retiro Espi-
ritual.
Deixa-me ver se ha l urna lauda em bran-
co?
Acho que ha, Deus queira que haja.
O Retiro tinha a primeira folha surrada, mas
susceptivel de receber caracteres. Eugenia des-
pregou um alflncte, picou o dedo indicador, aper-
em conventos, onde nunca entrou raio de conlric-
cao nem conforto.
O alferes sabe em llrapanga as agonas de Euge-
nia, e sent n'alma o estylete excruciante da ex-
piaco. Nenhuma morte sustenta o parallelo com
as flasrellages de seis mezes, soffridas a tantas le-
guas do distancia.
Eugenia recebe o ar e a luz pela janella do seu
Loga asabida do carcere.ouviu Casimiro dizer :
7 preciso ir acabando com os assassinos. Um j
l vae; este nao tai da; os ontros ho de ir, quando
lhes^hegar a vez.
tou-o at boluar sangue. Depois com a cabeya do 'l0 nicamente. Teme-seda observaeao das
criadas, que Ihe espiam os passos, sem suspeitarem
i- _*. A j.lhtnhn tii.ln ni',.,'/, n rtmvA m TW
commenda do tio. Aqui morrerei. Voltou-se com
recrescente vehemencia para a velha, e disse :
Da-me um bocadinuo de pao para eu fechar
este bilhete?
Sim, minha menina.
Fechou o bilhete, e subscrptou-o
E agora ?tornou ella. -O peior agora.
One quera V. Ene. ?
Quem me levasse este bilhete a Lisboa.
A Lisboa? A menina nao sabe o que ir a
Lisboa I Sao dous das e meio de jornada, andan-
do de noute duas horas.
Nao importa.. .Eu pago...
Mas pagar a quem, meu anjinho doSenhor?
Ora venha c-. .isto paixo?
Paixo de morrer, minha amiga...
Chame-me sua creada lidies. Paiso para
bem ou para mal ? I j^vsia de bracos, e pedlu gasalhado em Recal-
Eu quera casar-me com elle; mas meus irmaos m xrocou ligeiras palavras com Brites, e nao
perseguem-nos. I vu Eugenia. Voltou a albergara do commenda-
Eu logo vi que a vinda de V. Exc. era cousa dor a|gumas noutes. Os eriados conteniplavam-
de amor.. .0 seu adonis nao fidalgo, pois nao? -0 e ^a
alflnete embebida no sangue, escreven :
i'""J^/fiaW'?' ^L' dl T0l?,e$.:Nova*' na derrites! A relhnha tudb pro'v e prev ; mas,
a intervallos, qur morrer, antevendo as agonas da
hora improrogavel, da hora em que o grito de afflic-
co rompe atravz mesmo das mos da vergonha,
que tentam suffoca-lo.
Era no mez de dezembro de 1816.
O alferes lancou-se aos ps do general da pro-
vincia de Traz-os-montes, que demorava em Bra-
ganea, nessa occasiao. Abre-lhe sua alma, em tor-
rentes de pranto. O velho general chora, e diz :
Tenho rigorosas recommendages a sen res-
pclo; mas v: peca-me licenca para ir ver sua
familia. Dou-lh'a por quinze das. Va, emboraeu
tenha de soffrer.
O alferes vestiu hbitos paisanos, e desceu a Tor-
res-Novas. Ali, vestiu-se de mendigo, simulou urna
A mulher de Luiz XVI tinha pequea alma, eo-
nhra vingangas mesquinhas, e por isso Ihe enca-
neceram os cabellos n urna hora.
Madama Roland, a seismadora das revolucoes
uteis, ia formosa no seu carro de morte. Quem &0 ^m:imem discreleava era o cidadao
Carlota Corday illuminou-se de tormosura mys- |lonfft0 da Co"a?a los Apostlos, em coja cabeca
tica ao vr-se espelhada no ac do alfange. Guilnerme deixara um signat intil para a morige-
r^ : racao da pessoa.
XVI
Sentou-se Casimiro no banco dos rus. Christi-
Ao cabo de cincoenta das estava o processo "a. Peregrina, o padre e Ladislau flearam fra da
prompto para entrar em julgamento. Dominava lea. D. Alexandre ds Aguilar, como parte, sent-
em Coimbra a opiniao de ser nevitavelmente con- ra-se entre o seu advogado e o representante do
dennado Casimiro de Betlancourt. A innocencia, mtmsteno publico. Na acareacw de autor e ru,
que algumas pessoas apregoavam, era em geral pergtintado o primeiro se reconhecia em Casimiro
recebida, a riso, como um paradoxo. Bettancourt o sujeito que o espancra, o fidalgo
respondeu:
A alma de Christina confrangia-se, e os labios
sorriam ainda. Era ella s quem anda simulava Nao podia ser outre.
esperancas; mas que supplicios surdos Ihe cuy|^ fergunto V. Esc. se aquelle, e nao se
a dissimulaco I Poaia ^ ^ro, replicou o juiz.
E'aquelle.
Ladislau e o vigario em vo queriam imita-la. A Sahiram a depor as testeraunhas d* aecusajo.
sua tristeza era como as trevas do ceg que resis- Eram concordes em dizer que viram entrar em cas
tem ao tremer convulso das palpebras. Queriam j0 ru o sujeito que matara um hornera, e deixra
es|>erancar-9e, e de teda a parte Ibes soava como 0 outro estendido. Recordaram todos as preceden-
irremediavet a sentenga. Rosnava-se em compra tes aggressoes que o reo fteera contra e autor, j
de jurados: nao era preciso argir ao suborno a no botequm da ra Larga, j na Ponte. O cidadao
eondemnago. Casimiro estava sem defeza : o seu honesto sobreexcedeu a m vontade das dmais
silencio impressionava favoravelmente as almas testemunhas, dizendo que o ru era sujoito de to
distmetas; o vulgacho, porm, que havia de julgar raus coslumes que roubra- urna fllha a nm fidal-
das provas, dara importancia nulla mudez do g0 seu boinfeilor. e coma Dlha roubra as joia*
ru. Os protectores de D. Alexandre eran os mais dafamilia.
grados fidalgos de Coimbra e cercanas. Por Ca-1 Esse infame est a mentir exclamou Chris-
simiro Bettancourt ninguem pedia. O padre e o tna.
eunhado reduziam se a sollicar o andamento ra- Casimiro voltou-se para o lado onde estava sua
pido do processo, pagando liberalmente as despe- mulher, e encarou-a lito, com severo olhar
, lambiara-lhe as maos, ^orvendo os latido* bawi
Corra por sua conta a educacao palaciana de [M .iv^inhns aminla'Mm TZJZZl _09fer0Zes.'
dous sobrinlios, Vasco e Gonzalo, irmaos de
Kny, -
Eugenia, muito mais nova que seus irmaos,
aliiu tinbem de Pinhel, aos doze annos, em
180G, para ser educada as Silezias, visto que
na jiiae tinha morrido, e sua cunhada a trata-
va as|ierainente.
Em 1811 sabia a menina do collegio para casa
da seu tio. Era uns dezoito annos superabundan-
(L'.S de guantas gragas feminis, raras vezes, a ins
as avesinhas aceordavam e saudavam-na ao pas-
sar; o rouxinol das cinceira* soltava as notas mais
dilectas; e ella ia gruta conhecida, e espera va
com a mao no seio(coino quem diz ao coracao :
t Espera, ditoso impaciente t >
Ao abrir da manha de 16 de agosto deste anno
de 1815. Eugenia ouviu quatro tiros as cercanas
da quinta, e tremeu, tremeu at cahir de jocUios.
D'ahi a pouco estrondearam os argolCes do por-
to da quinta. A aia entrou ao quarto da meuiaa,
e disse :
Chegaram seus irmaos.
uiraco divina segreda aos creadores que dizem
rita! ou ao mannore o seu fiat tus, e o marmore f T U^T T *" ^^ *""
ua tella desontranliam-sc em Fornarinas do Ra- friri.do num brav : Ja f chamar-se o cirurgiao
t>hael, em Colonnas como as de Angelo, em Ve-
como
mis como as de Praxiteles.
(Vistas, o artista, o que nao artista, o homem
fi rorago e sede do bollo, diz : f-las o cinzel ou
uuinnel dos anjos I de Eugenia dina o arlista'
& amador, o poeta, o moco ardente, o ancio es-
(perido de seus ardores, diram todos : um
bafagt do Dous, urna alma vestida das pereigoes
interaes, privativas do cu, #e no cu podem
cdnccber-sc formas corporaes I
Foi Eugenia requestada por consideraveis se-
ihorw da corte. D. Frederico responda aos que
iOjirilavam sua mao : Miuha sobrinha orpha
de pac e mi. Casar sua escolha. Intenda-se
com ella quem houver de ser seu marido, que eu
lavo as mos d'alii.
Ba resposta -, mas Eugenia repella delicada-
mente os solicitadores, as maviosidades, e as so-
berbaa foridas na resistencia.
Pois lao dotada c fadada para amar, Eugenia
o-a assim de refrartaria condicao ao bem supr.v
o da vida? Dar-se-ha que o seu pcito seja
dentro do alabastro como se augura no exte-
rior I
Nao
ea 6 quem a e
ao I.miliar.
Gongalo e Vasco cstrenoutaram o to, e fecha-
ram-se com cll*. O que ahi diseerara collige-se
dos successos seguintes:
Durante o dia, Eugenia nao viu seus irmaos
nem tio. Sabia que se fazam preparativos de via-
gem. Maadou indagar dos casoiros o que seriam
os tiros da madrugada. Os caseiros tinham oron-
do as detonages, e a estropeada de cavallos. Es-
tara morto o alferes ?
Mata-lo-iam ?perguntava Eugenia sua-
aia-e, depois, ousava pergunta-lo a Deus.
Se ella pudesse ouvir este dialogodos irmaos...
Chego a duviuar que as pistolas tivesseob
balasdizia Goncalo.
Carreguei-as euaffirmava Vasco.
E fui-se a salvo f
Quem sabe?f
i\ao o viste correr sobre nos, e desfechar de
perto, e retirar-so muito a passo? E depois na o i
avistaste a subir a charueca, sobre o cavallo?
Vi.
Como queres tu que elle fosse ferido I ?
rctorquu Goncalo.Com meia polegada esque-
Nao
Logo vi.. .E pessoa de bota porte ?
um alferes de cavallaria, muito boni de
coragao, muito gentil, a minha paixo nica, o
meu disvelo do ha tres annos, a minha vida. ..e
ser a causa da minha morte.
Coitadmlia! Deus- o far melhor. Enfao
qur a menina que elle saiba quo a trouxeram pa-
ra aqui ?
Sim, quera.
Ehtao, deixe estar, que eu de boje at ama-
nhaa hei de cogitar no caso. Pediu-me isso por
alma de sua me, e eu s- se nao puder de todo
em todo. Qaem ha de levar a carimba, se as
contas me nao falliam, ha de ser o cncheiro da ca-
lera -, mas o peior nao termos outro papel.. .Ora
espere,, que eu tenho ali urna sentenga que me c
deixou nm meu sobrinho, qpe andava a aprender
a lr. Tinta arranja-se sem a menina furar os
seus mimosos dednhos. Com urna pouca de felu-
gem da>ehamin, e vinagre, faz-se tinta. Penna.
vae-se tirar urna de galinha, e com urna faca fa-
zem-se-lhe os bicos.
A Srai Brites en* tanto lempo qnanta era a an-
o mesmo amor de que a julgam inimi. ^ o canal|,a mettia-me a bala na cintura-dizia
ncrueceu assim contra os ulicos, ellft ltvando a mao cuerda ao ante-brago dircito.
soberanos da galantera d'aquelle ~Eu que eslou ferido devras...Nao contava-
mos com isto, Vasco O hornero, tem fibras I
Ao Um da tarde, sahiu da cocheira urna caieca.
de jornada apposta parelha de machos.
Nesla occasio foi chamada Eugenia presenga
de seu tio, que mansamente Ihe disse:
*S ricos, os
lempo.
A'iuva Eugenia, e amava desatinadamente. O
deito de sua alma era um alferes de cavallaria,
xmavri de figura, composto de encantos; mas
u>m foro grande nem pequeo, sem amigos da
jprimuiras casas do reino, sem nome, que, ao me
bis raeordasse um general
Ilustre, um lidador
Se tivesses pae ou mae, mandar-te-ia para
riles, sem te dizer a razio : tu a saberias de mais,
(Jislincto das ultimas pelejas grandes da patria e eu me pouparia dr e pejo de repet-la. En-
flem os cstraulios. Um mero e simples alferes, trego-te a leus irmaos. D'elles te defend alguma
Maltido,s. melanclico,e tmido debaixo dos olbos vez; agora estou desarmado pelo teu proceder.
.,)., I Disse de mais. Ahi fra est posta a caieca para
O palacio de 1>. Frederico de Paim era na ra conduzir-te a outra parte, segundo vontade de Vas-
- co. Nao vae Gongalo, que est ferido da bala do
homem, que saltava os muros da minha quinta,
O alferes passava ali duas
alguns dias duas vezes em
ce Santa Barbara,
vezes em cada dia, e
cada hora.
E ella via-o sempre, esperava-o sempre, espe-
vava-o mesmo mais vezes do que o via. Gongalo
erVasco viam-no tambeni, e diziam :
A assiduidade d'este homem!... Que cuida-
r elle, ou que cuidar nossa irma I
indagaran! pela rama; e, em occasao opportu-
na, disse rain a Eugenia:
Olha que o militar, que t vs ahi passar, c
MMM procuras ver, um nada, que principiou
soldado. Sirva-te isto de governo, e lembra-
te que s Eugenia de Nellas Gamboa de Bar-
bedo.
A menina, se a revelacao a envergonbasse, co-
rara; se o coracao Ihe desse, empalidecera;
(C, romo nem crou nem impallideceu, razao
presumir que o seu pudor e coracao ticaram
illesos; e, depois, concluir que ella, assim mesmo
amava-o sem pejo da baixeza dclle nem vanglorla
do seus apellidos. Concluam assim que tem a m-
xima probabilidade do acert.
E o alfores contnuou a passar na ra de San-
ta Barliora, e a surgir no alto da collina da Pe-
com teu consenlimenl. Adeus, Eugenia.
1). Frederico eutrou rpidamente no seu quar-
to, contiguo sala, e fechou-se, a chorar.
Vestiu-se Eugenia em solugos, e cohrou animo-
quando viu que a sua aia se preparava. Entra,
rain ambas na caieca, onde as seguiu Vasco. Che-
garam de noute a Lisboa, e pararam porta do
palacio de p. Frederico
Vasco mandn descer a aia de sua irma, e dis-
se-lhe :
Sobe; diz ao mordomo que te pague; e vae
tua vida.
Onde vae ella? !gritn Eugenia.
Nao queremos gritosatalhou o irmao -Pi-
ca, boiieiro I
As muas galoparam at entraran estrada do
Beato Antonio, onde Vasco de Nellas cavalgou,
adiantando-se.
A ornada de Eugenia durou dous dias e meio.
Paron a carroga diante de um palacete velho, em
Recaldim, no termo de Torres-Novas. Era ali
urna grossa commenda de D. Frederico, casa cha-
mada da renda, habitada pelos pains de Lu-
mirad0Ur fnso vr?aSrn"a^rt,r0nSaQl A'J
b-fi vista va.
D. Frederico, avisado pelos sobrinhos, disseque
eslava segure do bom siso de Eugenia; mas,
por rautella, na primavera de 1815, quando a
henina ja entrava nos seus vinte annos, foi pas-
car seis mezes sua quinta de Camarate.
O remedio prudente este disse o reino
aes sobrinhos.Nao fagamos alarido, que ha casos
de fragois avesinhas, espavorecidas por alg azar ras
Eutrou Eugenia a um grande salo decorado
como o deixaram seus avs, quando voltaram a
Lisboa.
A tranzida menina sentiu fri e mdo.
Surdiu-lhe logo, de sob a orla de um reposteiro
de cor inqualificavel, urna creatura, ao que pare-
ca, femeal. Dirieis que urna cuvilheira dos Lu-
cenas, adormecida em 1680, ao sahirem seus amos,
acordara, como Epimenides, cento c trinta annos
ciedade de Eugenia, veiu com tudo a ponto: meia
folha de papel sellado do teaipo d D. Joao V,
urna tigella com a dissolugo da felugem em vina-
gre, urna, penna de galinha, e a faca mais afiada.
Eugenia, se se nao uzasse o aparo das pennas,
te-lo-ia inventado naquella oceasio.
Eslava ludo em ordem. Scrveu a Sra_ Brites
urna pitada de esturrinho, e diese :
Esereva l V. Exc.
XV
D. Eugonia escreveu o quedietava Brites :
c Minha sobrinha. Logo que esta reoeberes,sem
t demora de tempo, vae tu mesma em pessoa pes-
i soalmente... >
Onde que ella ha de levar a carta ? pergun-
too Brites.
Ao quartel de cavallaria a Alcntara.
Esereva, meu Vae ao quartel de cavallaria a Alcntara-, een-
t trega o, bilhete, j|ue vae dentro desla, pessoa
< que I;*diz por foca... >
En interrompeu-se Brites. atacada de mo-
destianao tenho muito geto para notar cartas ;
ma> o que a gente qur que nos entendam.
Vae muito bem, disse Eugenia.
Pwisponha l :
Toma conta que a nao vis entregar a outra
pessoa : e da resposta que houver escreve-me
t para Torres-Novas. Sem mais enfado, trata dis-
< to como cousa de muita... de muita...
Ponha l a menina urna palavra, que diga,
sim... que diga que cousa de muita aquella.
De muita considerago.
Isso mesmo.
Eugenia subscriptou Sra. Apolinara dos Mar-
tyres, na calgada dos Barbadiohos, n. 215 andar
esquerda.
A irma de Ruy de Nellas abragou-se na amady
sua mae, e elamou :
i.uidoi que estava mais desamparada. Ha
almas boas em toda a parte, lomado seja o Al-
tissimo t
Amen respondeu chrstamente a Sra. Bri-
tes, e foi a corintia, onde o boiieiro estava jantaudo
para vollar rom a calega ao Um da tarde.
Vine, faz-me o favor do entregar em Lisboa
urna carta minha sobrinha ? Aqui vae o nome s
a ra. Se Ihe nao custa... disse a velha.
Nao me custa nada, tia Brites; mas debre-
me a norgao do vinho.
Ahi vae, homem. Beba; mas ao desatreme,
nem me perca a minha rartinha.
Fique certa, de hoje a tres dias por estas ho-
ras, ja est na mao da dita suppucante. Diz ella
tudo pelo claro ?
Vae tudo pelo claro.
Entao, metta-m'a ahi no bolso da jaqueta, e
carregue-me o copo.
Foi a carta entregue Sra. Apolinara, e o bi-
lhete ao alferes de cavallaria, o qual, segundo ver-
dicas informacoes da engommadeira da ra dos
Barbadinhos, rhorou, e vasou as algibeiras as
mos tolerantes da Sra. Apolinara.
Escreveu o alferes urna longa carta D. Euge-
nia. Principia va contando a descarga de dous ti-
ros imitis que Ihe deram. Disse nao conherer as
pessoas, que Ihe atiraram, por virem rehucadas, e
estar ainda a limpar a manha. Contou que o nao
feriram ; mas suppunha elle ter sido mais certeiro
na pontaria. Accrescentava que ia ser removido
para Braganga, por intriga e influencia dos irmaos
de Eugenia ; e declarava-sc, aftnal, tao desgragado
e desprovido de recursos, que nao podia r arreba-
ta-la das mos de sua cruel familia, sem desertar,
e collocar-se na preciso de ir perecer de miseria
com ella em reino estrangeiro. Peda-lhe, em sum-
ma de tudo, animo e esperanga.
Leu Eugenia a carta com profundo desgosto.
Nao me amar ?! disse ella entre si.
Viu-a chorar a devotada Brites, e pediu-lhe o fa-
vor de Ihe ler a carta. Quiz ouv-la segunda e 1er-
ceira vez. Consoiidou as suas conveges com urna
pitada .e disse :
Esse rajiaz, quem qur que elle seja, tem tino
na cabega, e pensa bem. A menina porque chora ?
Nem sequer falla em vr ver-me t...
Pois se o pobre homem vae de marcha l
To novo, e tolhido de bracos!
As criadas acerescentavam :
E nao havia de ser feot
Na noute de 15 de Janeiro, por volta de onze ho-
ras, abriu-se a porta da albergara, e entrou Brites,
com a face alagada de suor o lagrimas. O alferes
formou entre os bracos com as dobras da rapa de
mendigo urna caminha de farrapos, recebeu um
menino, e sahiu. A duzentos passos estara o leal
camarada do oflicial. com um cavallo redea. O al-
feres cavalgou, o auxiliar saltou anca do cavallo
e partiram.
Em Torres-Novas alimenta ramo recem-nascido.
Proseguiram at Santarem, ov>de foi baptisado sete
dias depois. Ali vea urna ama do Cartacho, e o
levou comsigo.
Estava a expirar a licenga. O alferes entrou no
uartel, ultima hora, e bejou as maos do general,
dizendo :
Dei-lhe o nome do V. Exc. Alii me fica a me-
moria da sua commiserago, general t
D. Eugenia de Nellas, dous mezes depois destes
suocessos, recebia urna carta de seu rmo Vasco,
participando-lhe que iacasar coro urna titular bra-
siloira, agraciada pelo 3r. D. Joo VI, e convidava
sua irma a acompanha-lo corlo do Rio de Ja-
neiro.
D. Eugenia respondeu que quera vvere morrer
no seu desterro de Recaldim.
t Bem sei, replicou Vasco, bem sei... Bre-
< vemente, se quizeres salvar o amante, mudars
f de resolocao. j
Decorreram alguns mezes. Instaura-se pro-
cesso Gomes Freir de Andrade. Sao presos os
cumpllces.
O' alferes chamado a Lisbt*, e recolhido ao
castello de S. Jorge, oomo indiciado nos planos
subversivos do general Freir de Andrade. Sao
os Lucenas que tramam a bem agourada per-
dicao do alferes.
Eugenia avisada do encarceramento do alfe-
res. A faca apontada ae peito da tmida senho-
ra um dilemma : se ella presiste em fiear, o al-
feres morrer; se vae para o Brasil, o ru ser
abontaddo
Eugenia vae para e Brasil, e o alferes sem sa-
ber porque o aecusam, nem porque o absolvem,
se do castello, e caira as fleiras.
Ruy de Nellas, acanteado sempre no seu solar
de Pinhel, recebera a infausta nova da queda do
sua irma.
Respondendo Vasco, disse :
t Nao tenho irma : nunca mais me fallom
nessa mulher. Fizeram bem nao me dizer o no-
. me do insultador de nossa familia, se que elle
tem nome. >
Saltemos 182D. D. Eugenia o assombro dos
saldes do Rio de Janeiro. Revicam-lhe todas as
iracas ; a da melancola realga-lh'as, melancola,
que dava a entender que o anjo, lembrado do ceu>
tinha saudades.
Vasco -lbe odioso. A casa do irmao atormen-
ta-a como um ergastulo. Perdeu es|rancas de
voltar patria, e aspira a ver no cu o esposo d
sua alma.
De repente, como que as esperangas lhc raor-
rem, e a querida dos fidalgos brasilenses desee os n
zas e actividade do procurador. Isto era bastante
mas faltava muito.
Ruy de Nellas afuigia-se a cada nova carta de-
sanimadora que recebia; entretanto, asolugofa-
voravcl etn Lisboa era um respiradouro para elle
e para os poucos amigos do preso.
Designado o dia do Julgamento, o pae de Chris-
tina escreveu a sua irma, contando-lhe os porme-
nores do casamento da filha, as desventuras do
genro, a sua innocencia no crime assacado, a inde-
feza pertinaz em que elle se pozera, o mysterio do
homicidio, a eerteza de que o silencio de Casimiro
Bettancourt era um herosmo de honra, talvez no-
vo. Rematava pedindo condessa de Asinhoso
que patrocinasse em Lisboa sua sobrinha, que era
me, e esposa extremosa.
Na ante-vespera da audiencia, travaram desor-
denr urna malta de acadmicos rixsos com as
patrulhas nocturnas. Alguns estndantes retiraran!'
ferrdos, e nvoearam Guilherme Lira, em nome da
honra acadmica. O ehefe da sociedade da Manta
respondeu que, n'uma das prximas noutes, seria
vingad a academia.
No'dta immediato, entrou Guilherme no escrp-
torio de um tabellio, e pediu meia folha de papel
sellado. Assignou-se no fundo da lauda, e fez que
o naterio Ihe raconhecesse a asignatura.
Recolheu a casa, e deteve-se algum. espaco es-
crevendo no branco da folha assignada e reconhe-
cida. Fecliou em forma do officio, lacrou, e escre-
veu algumas palavras no involucro. Depois fez
algumas cartas: urna sobrescripta a D. Joaquina
Soares de Lira, sua me, residente emEvora; ou-
tra a sua irma, casada em Extremoz; e ainda
urna- terceira brevissima, dirigida a urna senhora,
que tinha o segredo da ferocidade daquelle ho-
rnera. Termkiava assim:
t Nao te cito para o cu nem para o infer-
no. Chamo-la diante de teu proprio remorso. Vb-
te-me um anjo aos dezoilo annos; e ficeste de mim
isto que sou. Nao te aecuso: ltens dentro d'alraa
o tu algoz. E' tempo do acabar.
Deitou as cartas na caixa postal, e foi cadeia,
segundo sen costume quotidiano ver Casimi-
ro. Eram quatro horas da tarde. Estava o jantar
na mesa. Guilherme sentou-se ao lado de Chris-
tina, e comeu com appetencia. De urna vez incli-
nou-se ao ouvdo da senhora, e disse :
Amaaha j V. Exc. janla em casa com seu
marido.
Christina soltou um brado de alegra.
Que ?-inquiritam todos.
Guilherme fitou-a, e descahiu as palpebras.
Era impor-lhe silencio, e ellaabafu a revelagao,
que Ihe crispava nervosamente os labios, e arene-
java oseio.
Esperaram, breve tempo, a resposta com ancie-
dade. Christina filou os olhos supplicantes no aca-
dmico, e elle, ergueudo-se disse:
Pode fallar, minha senhora, d'aqui a ins-
tantes.
E abragou Casimiro, beijando-o as faces am-
bas; abragou Christina osculando-lhe afronte;
apertou affetuosamente as mos de Peregrina. La-
dislau, e padre Joo; affagou as duas creancinhas,
e sahiu de golpe.
Casimiro ehamou-o eom vehemencia, e elle nao
voltou.
Referiu Christina o que Ihe ouvira. Casimiro
concentrou-se, pensou alguns minutos, e disse :
mentiu. Amanha jantaremos em
Ojuiz disse :
A senhora nao pode aqui fallar.
(que ella diz nao ?e escreve, acrescentou a
faceta testemunha, sorrindo do alto da sua probi-
dade.
Querello da testemunha, disse o advogado do
ru.
Eu nao querello da testemunha, emendou Ca-
simiro.
Em tempo competente resolverao, admoestou
o juiz. .
Convergiram todos os olhares sobre Casimiro.
Um dos jurados disse :
Eu ja nao condemno aquelle homem 1
Porque ? pergunlou o visinho.
Aquelle honem est innocente, ou doudo.
Qual doudo? aquillo um grande farcistal
Elle nao querella da testemunha, porque sabe que
roubou as joias.
Terminou o depoimento da aecusagao por parte
do autor e do ministerio publico.
Esperavam-se testemunhas de defeza : o escri-
vao disse que nao estavam inscriptas nenhumas
E' doudo ou nao ? disse o jurado bem inten-
cionado.
Qual doudo ? replicou o outro. E' to patife
que nao tem quem o defenda.
Ia levantar-se o patrono de D: Alexandre, quan-
do o administrador do concelho entrou na sala do
tribunal, e cntregou ao advogado do ru urna car-
ta em forma de officio.
O orador, que j tinha dito : Srs. jurados
suspendeu-se.
O patrono do ru leu urna meia folha de papel, e
disse, em p, com os cabellos hirtos .
Sr. doutor juiz de direito, V. Exc. dir se o
debate deve continuar, depois de ler a declaraco
que remetlo considerarlo de V. Exc.
Machimamente crgueram-se todos, auditcno e
jurados.
O juiz leu mentalmente; e passou o papel ao de-
legado. .
Trocaram breves palavras, e deram ao olnciat
de jusliga o papel.
Leva o Sr. advogado do ru, disse o juiz. tu-
por mim entendo que.terminou o debate.
So de egual parecer 1 ajuntou o ministerio,
publico.
O advogado de Casimiro, liropando as caman-
nhasdosuor, leu com voz tremente de alegra e
commogo d'alma :
Declaro, eu Guilherme de Noronha e Lyra,
estudante do 5 anno de direito, que fui eu quem
matou, na noute de 16 de Janeiro do correte anno
de 1840, um criado de Di Alexandre de guila*, e
empreguei os meios de matar tambem o amo. Nao
tinha contra algum delles motivo de odio pessoal;
mas, como inimigo jurado de poltroes covades, e
saliendo eu que elles espreitavam ensejo de matar
Casimiro de Bettancourt, mancebo tao honrado
como valente, protestei livra-lo de to miseraveis
immigos, atacando-os sozWiho e sem mais arma
que um pu de choupa, no momento em qe elles
tinham arrumbado a porta de Casimiro para o irem
matar entre sua mulher e sua lilhinha de um
roinperem os arames da gaiola. d e es,remuilhaua sahira sa|5o prI vr
Quando isto foi, j o alferes se cartea va com hu-1 ___, .,__ ,+ .,____,_______ _._.
geaia, mediante a aia, que viera de Pinhel.
A passagem para Camarate aggravou a enfer-
enidade.
Convm saber que ha casos em que o amor,
ciis sadio e rosado dos deuses, se chama enfer-
tniiade. Exemplo : amarem-se duas pessoas, di-
vorciadas pelo acaso do nascimente ou da riqueza,
renfermidade ; amarem-se, porm, um casal de
tico, de nobres, de rale social, ou de mendican-
tes, isso sim amor, que sade, e s pode adoe-1
nx, n'uns, em hidropesa de tedio, n'outros, em '
resiccago de fome.
A quinta de Camarate era um arvoredo, que
qual das tidalguinhas pains estava a solugar.
Eugenia encarou-a, e cstremeceu.
Entrou a velha, fez tres mezuras, e disse :
Guarde Deus V. Exc.
Adeusmurmurou Eugenia.
Em quanto nao chegam as outras creadas
tornou a creatura com ares benignosa fidalga
| queira mandar-me em seu servigo. Eu fui ama
i de leite de sua mezinha, que foi casar a Pinhel*
Estas palavras rcanimaram Eugenia, que se
aproximou voluntariamente da velha, em quanto
ella continuava :
V. Exc. o retr'i del la : ja o sabia por m'o
dizer o Sr. D. Frederico; mas eu estou aqui ha
coaueiia cotu o reinado de u. Joo III. Fra
planudo e altanado por D. Mera Vasques de Lu.: quarenta annos desde que ella casou. Seu avo<
v ... ,. ., n ,- | o Sr. D. ("arlos de Lucena mandou-me para Rocal-
ocjia, sum her de el-re, e aio do infante I>. Joao, ik- ia _...
dim com ordenado e casa para a velhice. Ja quiz
lias de D. Seaasliao. botar-me por essa estrada fra at Lisboa, s para
i^^^^^*^^1^\^i^4l,1B^mJSiBm a carga dos
^itom^toD.Inmtn^ ,, se leva onde a gente
M Muniz, moga da cmara da ra.nha D. Leonor do, y. entrar 0
ajaores que deram de si o principe, arcebispo de **"' 8 \. ,
,v r. j menino Vasco, e me disse: minha irmaa vem
Jlraga, D. Duarte, que morreu na fiordos annos. ",cu,uu '""-^ ""
Para ali diziam os Lucenas que o monarcha trans-1 aQui esIar al8um temP* Amanha chegam ou,
ftl" a a dama, odiosa rainha. tras creadas, que flcam debaixo da sua vigilanch-
Parecia, pois, que a folhagem do arvoredo' e um creado Ihe transmiltir as minhas ordens. t
Clava rumorejaado urna ctironica de reaei
amores.
para cascos de rolhas, como quer a fidalga que elle
deserte s bandeiras, e venha aqui ? E depois ? que
seria dclle ? e a sorte da minha flor do eu, era
muito melhor?!...
Podcram muito com D. Eugenia as razes de
Brites, e mais ainda a promessa de tora* a velha
sua conta a correspondencia segura entre Bra-
ganga e Torres Novas.
Era chegado o momento de urna confidencia, que
tem sido o balsamo de piedade em coragao de paes
lacerados pela ira e pela deshonra : nao ser mui-
to que o leitor. invocado a julgar o bem e o mal
desia serie de biographias, d sua piedade des-
ventura culpada, assim como tem dado suas ben-
gos virtude sem nodoa. Ha crimes repulsivos;
o engenho mais abalisado, a philosophia mais bem
fingida, sob capa de verdade, tenia em balde mo-
ver-nos comnaixo do delinquente, em quanlo o
retalhar do remorso o nao tez delir com lagrimas
o stygma que a moral Ihe assignalou : ouiros cri-
mes, porm, sao de si, e por vontade divina, sym-
pathcos nao direi; mas, se a r se prantea, e se
olha em sen seio, e exclama : O' meu Deus I M
de eu espedacar em respeito ao mundo este timo,
qne o meu amor e o meu opprobno ?... hei ae
eu abafar o grito da minha consciencia e coragao,
para que o mundo me veja um rosto 11 rapo, um ros-
to lavado no sangue do meu lilho ?... guarni
a mulher assim falla Deus, a misericordia divina
d-lhe um anteparo contra as injurias do mundo
B o mundo, se Ihe adevinha as dores, e o mimo da-
quella paixo, qual s Taita um sacramento para
ser santa, o mundo |>erdoa-lhe, embora a repulse do
contacto das almas candidas, das suas ulnas, das
suas esposas, das suas irmas, que Deus permuta
nao humilhemcom maiores desprezos a desgragada,
olhos sobre a trra.
V uro conde que fra de Portugal, com o prin-
cipe regente, e a requesta de joelhos. E vae ella,
levanta com a sua mo o homem que ha de resga-
ta-la do dominio do inno, e se condessa de Asi-
nhoso da casa abominada.
No redemoinho das festas, a condessa parece
estar sempre em contemplago d'um tmulo. E o
marido mais a adora assim; e ella, de-lhe ver o
amor atravez das lagrimas, enchuga-lh'as, e pede
a Deus um novo coragao para seu marido.
Nunca mais seus labios responderam a Vasco'
e, ao terceiro dia de casada, disse ao conde:
Meu amigo, a presenga de meu irmo n'esta
casa como a do algoz da minha elicdade, e da
tua, se posso dar-t'a.
O conde de Asinhoso ouvia sua mulher, e obe-
deca com jubilosa escravido.
Goncalo de Nellas havia morrido em 1819, D.
Frederico Paim de Lucena morreu em 1820, le-
vando os seus bens ao sobrinho vivo; Vasco em
viagein para a patria, morreu de Tabres.
A condessa enviuvou em 1833. Cuidoa em li-
quidar os seus copiosos haveres, e voltar a Por-
tugal.
Dan delirante esperanga vinha com ella. Ri-
ca, livre, com a alma inteira no seu passado
amor!
Desembarcou em Lisboa por junho de 1834. Rei-
nava D. Pedro IV.
Mandou indagar do alferes de 1817 aos seus ca-
maradas anteriores se i sao poltica. Responde-
ram-lne que tinha morrido na guerra.
Ergueu ella ento as mos, e disse:
__O' meu Deus: mereca eu tamaito cas-
tigo ?!
Mandou ainda perguntar por um filho do mi-
litar que morrera. Ninguem deu novas de tai
fin.
liberdade.
Pediram-lhe o sentido das palavras do acadmi-
co. Bettancourt respondeu *.
Amanha.
Notaram todos que a larde e a noute daquelle
dia foram as mais tristes horas de Casimiro na sua
priso de dous mezes. E, com tudo, Christina es-
conda o seu conten lamento.
Eram dez horas da noute, quando Casimiro ou-
viu grande grito e o estrondo de alguns tiros. Es-
tava j sesinho, passeando febrilmente na saleta, e
disse entre si:
E' agora.
O alarido e o troteio continuaram.
Colln o ouvido s portadas da janella, c ouviu
dizer na ra:
Mataram o Lira.
Meia hora depois rceahiu tudo em silencio que-
brado pelas passadas das patrulhas em tresdo-
bro. E o carcereiro bateu de manso porta de
Casimiro, e disse :
Dorme?
Nao. Pode entrar.
As fontes respondan! s arvores, as aves s
Ionios, as borboletas diak
floree trabiam om a vr.
que e mae. .
, pois, chegado o momento da confidencia. Quem
a recebe a consternada velna, que v.ra nascer a
At quelle mom-ento, Bri-
um erro naquelles
julgava-os na M">>xina pureza. Des-
imcom as flores, a*, Eugenia, n'nm impeto de confianga, abragou-se cem lagrimas na rugas dos oiienta annos, lagri-
-waTborbolotas: era na felha, e exetamou; l m de bom agouro, que deixam mais Itvre o ac-
O mano j sahiu ?atalhou Eugenia.
Chegou s quatro, e sahiu s cinco horas \ me daquella menina. Ale aqi
mauha. Admiro que V. Exc. o nao encomras-v tes estivera tonge de imaginar
O espirito publico bata as azas ainda no ambi-
ente de f|o, e ninguem cura va de saber onde
podia existir
rebelde.
Venho contar-lhe o que vae. O seu amigo
Lira espancou as patrulhas, que encontrn desde o
bairro at a ra do Coruche. A soeiedade da Man-
ta appareceu em armas, atacou o reforgo, que sa-
hiu do quartel. Quando ia retirando para o monte
Arroio a estudantada, debaixo de fogo, o Lira ficou
atraz, sem arma nenhuma, a nao ser o varapu de
choupa que mettia ao pcito dos soldados. Tinha
recuado at s grades de Santa-Cruz, quando ca-
hiu morto com urna bala atravessada de fonte a
fonte. Meu lilho vem de o observar. Faz d ver
um homem to valente assim morte. como se mata
qualquer poltrot ........ "Wg
Obrigado sua noticia.
anno.
Declaro mais quo fui eu quem amgentev a
companhia, postada s portas de Casimiro, na in-
tenco de o arrancar s garras da justiga; mas o
me amigo nao quiz fugir, assegurando-me que se
havia de salvar sem por em risco a minha segu-
ranea. E, porta nto, resol vido a acabar com a vi-
da, poucas hras antes de me dexar malar, fago
esta declaraco, e pego a Casimiro Brtlancourtper-
do de o ter infelicitado, quando cuida va que o be-
neliciava com o meu zelo guardador da sua precio-
sa vida.
Pego tambem perdo da inoxplicavel flaque-
za que me tolheu, de eu ter fetfo esta declaraco
desde o momento que o meu amigo entrou no cax-
cere. Eu se que elle me perdoou ; mas vollo as
minhas supplicas para a esposa attribulada, que
tantos vezes, com um sorriso de amiga, devia exe-
crar o causador das suas calamidades !
Fago esto declarago debaixo dos olhos de
Deus, e juro pela virtude te minha me, quo ver-
dade o que digo, e ser infame quem nao acre-
ditar. _
t Coimbra. 19 de margo de 18-Mk Gmlherme
de Noronha e Lyra.'
D. Christina perder o alent nos bracos de Pe-
regrina.
Mnitos acadmicos rotnperam de salto a lea, e
vi. rain parar no meio da sala.
O advogado do ru, esquecido das praxes, foi
abragar o cliente, que pareca dar levemente conta
da agitogo do auditorio, c applicava o ouvido aos
solugos da esposa.
Os jurados hmpavam as lagrimas, excepto um
que tinha recebido uus vinte mil ris de D. Ale-
xandre.
O lidalgo-autor acacbapava-se de modo que pa-
reca querer sumir-se debaixo da mesa. O seu ad-
vogado lia a declarago e careca de coragetnpara
nipugnar-lhe a validado.
O juiz dizia ao advogado :
Deviam esperar isto, ou cousa semelhante
Este homem sem provar nada, tinha provado a sua
innocencia.
E o delegado conflrmava :
Eu espero a minha vez de abraca-lo !
O cidadao honesto da Couraca dos Apostlos ia
a sahir, quando Casimiro, que pareca absorto,
disse:
Sr. jan, pego a V". Exc. a graga de ordenar
aquella testemunha, que se demore um instante.
Quer querellar I bradou o patrono.
Nao quero querellar, acudiu Casimiro, des-
aliotoando urna carteira, d onde tirou um papel, e
acrescentou:
O senhor, ficou triste deveras!tornou o
carcereiro.Tem razao, que elle era sen amigo de
urna vez!.............. Boas noutes, Sr. Bttan-
o lilho d'um oflicial, que morrra court. Amanha o dia da grande batalha. Es-
pero ero Deus que............
se... Entio que foi pelo caminho de baxo. moros
Foi ento que a condessa de Asinhoso, aterrada
da sua soledade, escreveu a Ruy de Nellas, pedin-
do-lhe a sua estima, c urna ulna, que Ihe fosse
compauhia.
O irmo nao Ihe respondeu.
Esta a historia triste da senhora, cujo va-
hmento Ruy de Nellas vae pedir a favor de seu
genro.
Qual o valimento da condessa em Lisboa ?
o prestigio da riqueza, e da belleza ainda.
Quarenta e seis annos, com trinta de amar-
guras, e ainda formosa t E' que ha mulhe-
res de tamanha alma, que primeiro o fel da des-
graga ha de enchc-la antes que o corpo se aU
quebr.
Das masmorras de 1793 sahiam, formoslssiroas
mulheres para a Juilbotina.
O carcereiro tao certo estova da eondemnago,
que nao ousou mesmo concluir a phrase da espe-
ranga em Dens.
Mal se abriram as portas da cadoia, entraram
Christina e os amigos a contaran o successo. A
justiga ia tomar conla do espolio do morto. Coim-
bra estava agitada de terror. Receava-se grande
luta da academia com a tropa no acto do enterro
de Guilherme. Suppunha o padre quo se nao
abrisse o tribunal, para obviar o azo da desor-
dem. Contou. Ladislau que o estudante, na vespe-
ra, tinha :,iio reconhecer a sua assignatura a um
tabelli-i-j. Christina, que tudo sabia, esperava que
seu *,narido fosse salvo por alguma declarago de
Gailherme. Eram, porm, nove horas, e nao ip-
parecia alvar de soltura, nem contra-ordeui do
julgamento.
As dez horas, chegou o oBcial do juizo para
acompanhar o ru ao tribunal.
J
X
J
-
Disse a testemunha que eu roubra as joias
da familia de minha mulher. A testemunha fal-
tn verdade. Peco licenga para ler, e offerecer
ao exame das pessoas que me escutam, a segrale
declarago de meu sogro :
< Ruy de Nellas Gamboa de Barbedo, de Pinhel.
declaro que minha filha Christina Elisiana nao
subtrahiu de minha casa valor algum, nem os seus
pros vestidos e adresses, quando fugiu para ea-
saoui tesimiro Bettancourt. E por isto ser ver-
iladiVimii espontneamente e com o juramento aos
Santos Sangelhos, o declaro agora e sempre.
t Pinhel2 de abril de 1839. Ruy de Mas,
etc. ^V .
Meu sv -^b-o para confirmar esta de-
claraco. A ^^v
ConfirmoTbradou >una voz d entre as tur-
bas comprimidas na teta. E^pP <-'" 8en''' f""*
de venerarais caes, e nobre W^'***
arregoadas de lagrimas, entrou "f'*"" 9
roultidolhe abra, e chegoabera je-Cuma*
e repetiu com voz quebrada dT solugos .
Contirme! confirmo I honrado moco, meu fi-
'^'abracou-se nelle, e logo na Olha, que se Ihe
lancou aos ps, e em Ladislau e no padre e na ir-
maa, e ein todos quantos vinham com os olhos h-
midos, porque ali quantos choravam, e choravara
lodos, elle adoutova como amigos, como quiuooei-
r\i da sua alegra I
Que momentos aquellos I Aquelle jubilo ebri I
nao matou, porque era santo, porque a ProviJtncia
Divina se comprazia em contcmula-lo I
(Contmuar-u-ia./
PERNAMBCO- TYP. B M. P. P. & PILHO
MPTILDOl


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPAB1FLM2_XFRR88 INGEST_TIME 2013-08-28T02:51:26Z PACKAGE AA00011611_10242
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES