Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10227


This item is only available as the following downloads:


Full Text
(MMWnd*

-
auro xxxix humero 247.
Per tres eses adiantados
P%r tres neies vencidos .
OARTA FEIRA 28 DE ODTDBRO DE 1863.
Por aneo adiantado.....9J00O
Perte para o subscriptor. 3J000

DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty,
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Manoel Pinheiro di C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO SCL
Atagas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins di Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, BttKrros, Bonito, Cmaro',
Altinho e Garanhon Has tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazcira, Flores, Villa Bella, Tacarat", Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exn' as quartas feiras.
Sennhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, BJrrfei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partenvao / dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE OTUBRO.
4 Quarto ming. as 3 h., 36 m. e 8 s. da m.
12 La nova as 3 h., 17 m. e 2 s. da t.
19 Quarto cresc. as 4 b., 40 m. e 32 s. da t.
26 La cheia as 2 h., 30 m. e 20 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e Si minutos da tarde.
Segunda as 3 horas e 18 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Parao sil at Alagas a* e 25; para o norte at
a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
das 14 dos,mer.es dejan, marc., maio. jul, set. enov.
J PARTIDA DOS MNIBUS.
**cife : do Apipucos s 6'/?, 7, 7 /,, 8 e
- "t Dde 01inda as 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao ai 6 '/t da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; deBemflcas8 dam.
k WkI) **?? Apipucos s 3 A 4, 4 % 4 /*
' '-' i'" e 6 da tarde? Para 0linda as 7da
manhaa e 4 '/2 da larde; para )al>oatao s 4 da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4 /, da tarde; para
Bemflca as 4 da tarde.
Paran
81/2 da m.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relago: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 oras.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
26. Segunda. Ss. Evaristo e Florio mm.
27. Terca. S. Elesbo imp. da Ethyopia.
28. Quarta. Ss. Simo e Judas Thadeo apps.
29. Quint*. S. Euzebia v. ni.; a b. Bemvinda.
30. Sexta. S. Heduviges duq. da Polonia viuva.
31. Sabbado. S. Quintino m.; S. Lucilla v. ni.
1. Domingo. S. Cesario diac.; S. Benigno presb.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da prara da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE OFFICIAL
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 24 de outubro de 1863.
Offlcio ao presidente de Cear.Com as inclu-
sas copias das informaces ministradas pelo Dr.
chefe de polica e o administrador da casa de de-
tencao em data de 23 do corrente, respondo ao of-
ficio de 3 deste mez, em que V. Exc. consulta se
podem ser remcttidos para a mesma casa, afim de
seguirem para o presidio de Fernando, os 12 sen-
tenciados mencionados na relago annexa ao seu
citado offlcio.
Dito ao commandante superior do Recife Em
deferimcnto ao requerimento do eapito do 2o ba-
talhao de reserva da guarda nacional desle muni-
cipio, Eduardo Frederico Banks, sobre que versa a
sua informagao n. 118, de 24 do corrente, autoriso
V. Exc. a mandar passar-lhe a guia, de que trata
o art 45 do decreto n. 1,130 de 12 de marco de
1863, visto ter-se mudado para o municipio de
Barreiros.
Dito ao chefe de polica.Respondo ao offlcio de
V. S. de 21 do corrente dizendo que o delegado do
termo de Serinhaem requisite do commandante
superior da guarda nacional do Rio Formoso a for-
ca necessaria para escoltar at esta capital os 10
criminosos, de que trata offlcio cima citado.
Dito ao inspeetor da thesouraria de fazenda.
Ordene V. S. collectora de Garanhuns que sa-
tisfaga a despeza que legalmente houver feito e fr
azendo o alferes Francisco Genuino Simes com
luz para o quartcl do destacamento que commanda
na villa de S. Bento.Communicou-se ao comman-
dante das armas.
Dito ao mesmo.Resttuo V. S. coberto com
offlcio do brigadeiro commandante das armas de
13 do corrente e sob n. 1,923, o requerimento,
quo se refere a sua informagao de 22 deste mez,
n 800, afim de que conforme indica a contadoria
dessa thesouraria, mande entregar ao alferes do 2o
batalhao de infantaria, Constantino Martin Fer-
nandes. a quantia de 56, sendo 405 para o alu-
guel da canoa, que o deve transportar da cidade
do Penedo povoacao de Piranhas, e bem assim
os 4 volumes com fardamento, que elle conduz com
destino villa de Tacarat ; %& para urna besta
de bagagem na viagem que fez por trra daquella
villa a mencionada povoacao, bem como no seu
regresso ; e o restante finalmente para a condc-
elo dos ditos volumes tambeni por trra desde Pi-
ranhas at a predita villa de Tacarat.Commu-
nicou-se ao commandante das armas.
Dito ao mesmo.Recommendo V. S. que por
cont do ministerio do imperio mande pagar ao 1
-cirurgiao do corpo de sade do exercito Dr. Miguel
Joaquim de Castro Mascarenhas, alm dos venci-
mentos que deixou de perceber pelo da guerra,
desde 15 de setembro ultimo at 22 do corrente
mez, em que esteve incumbido do tralamento dos
indigentes accommettidos do cholera-morbus na
comarca do Cabo, urna gratifiracao de 400,5, como
remuneracao dos sen-icos mdicos queorestou du-
rante aquella commissao.
Dito ao mesmo.Mande V. S. recolher ao cofre
dessa thesouraria a quantia de 11,5 que Ihe ser
apresentada por parte do director da colonia mili-
tar de Pimenteiras, sendo essa quantia provenien-
te de sepulturas concedidas Dar inhumacao de
cadveres no cemiterio da mesma colonia.Com-
municou-se ao director da colonia.
Dito ao mesmo.Participando o bacharcl Bar-
tholomeu Torquato de Souza e Silva, que em 21
do corrente assumio o exercio do cargo de promo-
tor publico dessa comarca de Pao d'Alho, para
onde foi removido, e por molestia deixou nessa
mesma data o referido exercicio; assim o commu-
nico V. S. para seu conhecimento,
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Devolvo V. S. a conta em duplicata. que veio an-
nexa ao seu offlcio de 5 do corrente sob n. 507, da
despeza feita com o sustento dos presos pobres da
cadeia de Santo Antao, durante o mez de julho ul-
timo, afim de que, de ronformidade com o meu
offlcio ds 21 de agosto deste anno, mande pagar a
quantia de 625, em que importa a citada conta,
que vai auihenticada com o visto do respectivo
promotor fiscal, como solicitou V. S. no seu citado
offlcio.
Dito ao mesmo.Devolvendo V. S. coberto com
a informagao ministrada pelo director geral da
instruegao publica, em 2o de maio ultimo sob n.
94, e parecer da contadoria dessa thesouraria o
requerimento documentado em que o professor pu-
blico de instruegao elementar de Timbaba, Jos
Francisco de Souza, pede o pagamento dos venci-
mentos que deixou de perceber desde 20 de junho
Ate 16 de setembro do anno de 1861, por se achar
preso em conscqucncia de crimes que Ihe foram
imputados, tenho a dizer, que conforme indica a
mesma contadoria, mande processar essa divida na
importancia de 196^824, afim de ser paga quando
houver crdito, visto pertencer aos exercicios j
encerrados de-1860 J861 e 1861 1862.
Dito ao direclor do arsenal de guerra.Mande
V. S. apresentar ao brigadeiro commandante das
armas o menor Amaro Paulo Martins Filgueiras
para assentar praga, com destino ao Io batalhao
de artilharia a p, como pedio o pai do mesmo me-
nor, urna vez que seja considerado apto para isso.
Communicou-se ao commandante das armas.
Dito ao mesmo.Declarando-me o general com-
mandante das armas em offlcio de hontcm sob n.
1,972 com referencia informagao de V. S. datada
de 21 do corrente, nao haver presentemente em
disnonibilidade um official de artilharia para exa-
minar o estado das boceas de fogo da fortaleza do
Cabedello na provincia da Parahyba, deve ser en-
carregado dessa commissao, de conformidade com
o aviso expedido pela repartigao da guerra, em 23
de setembro ultimo, de que se Ihe remetteu copia,
o ajudante desse arsenal capilao Apolonio Jacome
da Gama, que deve seguir para all com toda a
urgencia.
Quanto a gratificacao da commissao activa de
engenheiros, gue V. S. prope para o referido ca-
plte, o governo imperial, a cuja deliberagao sdB-
metto semelhante proposta, resolver, como enten-
der conveniente.
Dito ao conselho administrativo.Recommendo
ao conselho administrativo que compre para a en-
fermara dos menores do arsenal de guerra os 13
colchos com travesseiros, de que trata o incluso
pedido.Communicou-se ao inspector da thesoura-
ria de fazenda.
Dito ao commandante do brigue-barea llamara-
c.Ao offlcio, que V. S. me dirigi nesta dala,
sob n. 333, respondo declarando que o subdito por-
tuguez Joaquim da Silva Reis, preso por suspeita
de desertor da armada, deve ser conservado a bor-
do de um do navios de guerra surtos no porto
desta cidade, at que o governo imperial cujo co-
nhecimento levei essa oceurrencia, resolva o que
Ihe parecer conveniente.
Q colar aos commandantes superiores de Olin-
da, Cabo, Pao d'Alho, Limoeiro, Rio Formoso, Bo-
nito.Brejo,Flores, Tacarat, Boa-Vista e Cabrob.
Nao tendo V. S. enviado at esta data os mappas
da Torga activa e de reserva c do armamento dos
cornos da guarda nacional sob seu commando su-
perior, exigidos por circular de 14 de agosto e 2
do corrente em observancia do aviso circular do
ministerio da justiga de 22 de julho ultimo, cumpre
que o faga com toda a urgencia.
Offlcio ao commandante superior do Bonito.Com
a copia da informagao ministrada pelo Dr. chefe de
polica, em 23 do corrente, sob n. 1,467 e da que
dea 9 subdelegado supplente do districtu de Gra-
ar*7F!,?ran cto na Faouldade de Direito no
da X7 do correte, os estudantes seguntes :
_ anno.
PnamS *** deArau* *"* **.
nia,. az-se necessario que me aprsente urna con-
ta especificada do que despendeu, ficando Vmc.
prev enido de que nao deve fazer despeza alguma
de seu livre arbitrio e sem previa autorisagao da
presidencia.
Dita ao juiz de direito do Cabo.Inteirado pelo
seu offlcio de 20 deste mez do que Vmc. me com-
munica acerca do cholera morbus, tenho a dizer-
Ihe em resposta que em nome do governo louve a
yata, Bento Jos de Araujo, respondo ao offlcio de ca do promotor da justiga o suramario por crime
V. S. de 27 do mez prximo lindo com referencia de uso de armas, correndo arabos perante o Sr. J.
ao guarda nacional Antonio de Lima Torres. Pacheco de Queiroga, subdelegado em exercieio-
Dito ao director da colonia militacMi'UAfcnentei- naquella freguezia.
ras.-Para que eu possa resollfj**.^ paga- O Sr. Decio de Aquino Fonseca, na qua\'\dade
ment que Vmc. solicitou em seu offlcio de 17 do de supplente do subdelegado da BOa-Vis ta, pro- Joao Lopes Pessoa da Costa idem
corrente.da despeza feita com os prepares da casa cessou ao Sr. Manoel Teixeira da Silva, por inju-' Antonio Aires de Carvalhal' dem
destinada para a celebragao dos actos religiosos riasverbaes proferidas contra o serventuario effec- \ Joaquim Rogerio'de Oliveira idem
em quanto se nao aprompta a igreja dessa col- tivo em acto e exercicio de suas funcedes, e con- 2.0 ann
demnou o reo pena de 3 "/ mezes de prislo por Antonio Carneiro Antunes Guimarie* plenamente
incurso. no grao medio do artigo do cdigo que Jos Gomes da Frota idem ^^ '
pune minanteRelicto 1 IrincCiciliano Pereira da Costa, simplesraente.
sr. Antonio Nobre de Almeida, acaba de Joao Vaz de Carvalho Sodr idem
offertar ao crescente museu do Gymnasio Provm-' 3.0 ann
cial as 14 moedas antigs do imperio romano, de' Bruno Jansem Pereira simplsmente
que j fizemos menguo descriptiva nesta Revista, Carlos Francisco Soar'es de Brito Jnior nlena-
ndo 7 del las de prata eoutras de 7 cobre. mente. v
O referido Sr. Nobre, jem outra occasiao offer- Ernesto Odilon Maciel Monteiro idem
commissao de soccorros dessa villa pela solicitu- i tou ao mesmo museu urna grande medalha com- Ildefonso de Andrade Mello idem
de com que prestou seus servigos aos accommetti- memorativa da tomada de Cajena aos Francezes, e 4 ann'0
dos d'aquelle mal. que este anno na exposigao oceupou o centro das Jos Henriques Cordeiro de Castro Jnior nlena-
Quanto aos medicamentos c mais objectos men- diversas moedas que constituem a colleccao nu- mente. v
cionados na relago junta ao seu citado offlcio, mismatica, que foi offerecida pelo Sr. Dr. Manoel j Miguel Floriano Gama da Costa noria idpm
de Figueiroa Faria, em 14 de setembro de 1861. Coriolano Augusto de Lovola idem
Sao por tanto dignos de encomios esses senhores Joao Vieira de Araujo idem '
que assim tem contribuido, para engrandecimento 5- anno
e urna instituigo, que, alm de concorrer para o I Horacio Valfrdo Peregrino da Silva, plenamente,
perfeigoamento intellectual, serve ao mesmo tem-; Manoel do Reg Barros Souza Leo idem
de urna inocente distraccao. S^ todos fossera Francisco Leonardo de Souza Miranda Couto. idem.
sendo
as desavengas domesticas nao figures de juiz
para Bao sahires intrigante.
As discordias de familias quasi sempre se curam
de portas a dentro com o balsamo do amor dos fi-
Ihos, objectos temos aos olhos dos pais.
A primeira disputa que se suggere entre os ca-
sados o ponto da discordia, que lhes promette
campo aberto guerras continuas.
o calgamcnto, faca com que observem elles o que
uispoe o artigo 4 das referidas iostruegoes a res-
peitos dos passeios.
Outro do director da repartigao das obras publi-
conserve Vmc. por em quanto em seu poder at
segunda ordem.
Dito ao juiz municipal do Ouricury.-Nesta data
fago reproduzir aqui edilaes abrindo concurso aos
offlcios de partidor e contador e de depositario I ap
geral desse termo. E tendo sido indeferido o re-: po
querimento em que Jos Marques Bacalho pedio dominados de tio nobres sentimentos, por certo
ao governo imperial a serventa vitalicia dos de: jne sem muito dispendio dos cofres pblicos da
partidor e distribuidor, mande Vmc. pd-los de no- provincia, feriamos em breve tempo um museu
vo em concurso e remetta a copia do edital para enrequecido das immensas variedades do nosso
ser reprcduzido. frtil solo*
Dito ao director das obras publicas.Achando- Com o praso de 60 dias, acha-se concurso
se concluida a obra dos rncenos da ponte dos i provimento do offlcio de escrivo privativo do
Remedios, segundo consta de seu offlcio de 22 do' jury e execugdes criminaes do termo do Cabo. A' ordem do de Santo Antonio Jos Francisco
corrente, sob n. 213, pode Vmc. recebe-la defin-1 Fo nomeado oRvm. padre Ignacio Francisco da Silva Samuel, africano por disturbios
tivamente. certo de que nesta dat recommendo' dos Santos, para fazer parte da commissao de exa-1 A" ordem do de S Jo'Sabino I oues de Medei-
ao inspector da thesouraria provincial que, vis- mes, qne deve proceder-se no curso de preparato- ros, pardo, e Joaquim Fernandes africano para
Rbpartiqao da polica :
(Extracto da parte do dia 27 de outubro.)
Foram recolhidos casa de detencao no dia 25
do corrente :
A' ordem do subdelegado do Recife, Sebastio,
cnoulo, escravo da viuva Gybson, por embriaguez
e insultos.
ta do competente certificado, mande pagar ao ar- jnos annexo Faculdade de Direito.
rematante daquella obra a ultima prestacao, a .Hontem ao meio-dia, no paco da cmara mo-
que tem direito, na importancia de 4405550 reis.! nicipal e em presenga do seu pro-presidente Dr.
O que communico Vmc. para seu conhecimento' Angelo Henriques da Silva e Dr. promotor publico
em resposta ao seu citado offlcio.Offlciou-se nes- Gusmio Lobo, proceden o juiz de direito da 2'vara
te sentido thesouraria provincial. _, sorteio da urna geral, e foram designados para
Portaria.-Os Srs. agentes da companhia brasi-"! servir como juizes de facto na 6" sessao judiciaria,'
leira de paquetes a vapor mandem dar transporte convocada para o dia 16 de novembro, os seguiutes
para o Maranho no 1. vapor que passar do sul senhores:
ao tenente Joao Gongalves Baptista, um anspegada' S. Fr. Pedro Gongalves
e cinco soldados todos pertencentes ao corpo de Pedro Lopes Rodrigues,
guarnigao do Piauhy os quaes vieram d'aquella i Biniz Antonio Ferreira Marques,
provincia escollando presos de justiga.Commu-' Antonio Mara de Castro Delgado,
nicou-se ao commandante das armas. Vicente Ferreira Lopes Guimares.
----- Antonio de Albuquerque Mello.
EDITAL. Santo Antonio
Pela secretaria do governo se faz publico para Francisco Lucio de Castro,
conhecimento de quem interessar possa que so Dr. Manoel de FguelrOa Faria.
acha do novo em concurso o offlcio de depositario' Dr. Jos Soares de Azevedo.
geral do termo do Ouricury, creado pela lei pro-: Tencnle-coronel Manoel Ignacio de Brido,
vncial n. 529 de 6 de junho de 1862. Os preten-1 Boa-Vista
dentes devem apresentar seus requerimenlos no Antonio .Francisco das Neves.
praso de 60 dias contados desta dat, e instruidos Balduino Jos Tavares da Silva,
na forma do decreto n. 817 de 30 de agosto de! Sao Jos
18-il e do aviso n. 252 de 30 de dezembro de Di"- Amaro Joaquim Fonseca de Albuquerque.
<854. ^ .i Manoel Elenteno do Reg Barros.
Secretaria do governo de Pernambco, 24 de Joaqoim Lucio Monteiro da Franca. '
outubro de 1863. Magdalena
O secretario Jos Marcellino Alves da Fonseca.
Dr. Francisco de Patita Saltes. Jos Narciso Camello (advogado| -
----- Pogo
EDITAL. ; Francisco de Paula do Reg Barros.
Pela secretaria do governo se faz publico para Jos^ Gongalves da Porciuncula.
conhecimento de quem interessar possa que se Domingos Jos da Cost,
acham de novo em concurso os offlcios de parti- Jose Cesario de Mello,
dor e contador do termo de Ouricury, creados pe- Amaro Gongalves dos Santos,
la lei provincial n. 504 de 29 do maio de 1861. ios Lopes Guimares.
Os pretendentes devem apresentar os seus reque- Francisco Duarte Colho.
rimemos no praso de 60 dias, contados desta dat,' Varzea
e instruidos na forma do decreto n. 817 de 30 de Jose Duarte Rangel.
agosto de 1851 e do aviso n. 252 de 30 de dezem- Francisco Soter de Figueirdo Castro,
bro de 1854. I Manoel Soares Mendes.
Secretaria do governo de Pernambuco 2i de Manoel Juvencio de Menezes Jnior,
outubro de 1863. Thom Correa d'Araujo.
O secretario Jaboatao
correegao.
O chefe da 2* seccao.
J. G. de /desquita.
Movimento da casa de detencao do dia 26 de
outubro de 1863:
A devogao o anjo consolador das almas piedo-
sas.
O horisonte mais extenso o da esperanga.
A esperanca necessaria ao corago como o sol
existencia das Odres.
O homem, que perde a esperanga tocou o grao
mximo do infortunio.
A vida um ponto entre duas eternidades.
dfts, commonlcando ter o Exni. presidente d pro-
vincia, em resposta a urna consult que elle direc-
tor Ihe havia feito, declarado em offlcio de 18 do
corrente que, quando em consequencia do nivela-
mento dado ao calgamento das ras os passeios des-
tas tivessem de ficar cima daquelle, ou que
aquella repartigo os achasse sem as devidas di-
mensdes, ou arruinados, carecendo por isto de re-
mogo ou reparo, o communkasse logo eamara;
pelo que traz ao conhecimento da mesma cmara
que os passeios das casas da ra da Aurora, entre
as esquinas das ras Formosa e da Imperatriz, on-
de se est procedendo ao calgamento, nao s nao
Nao confundas o hypocrit com o homem timi- teem a largura de dez palmos, exigidos pelas pos-
do de coragao, nem pretextes o receio de ser enga- ituras municipaes, como at acham-se em grande
nado para fechar os ouvdos voz da humanidade Parl arruinados de tal modo que alguns precisara
e da religiao, por que nesse caso sers tu o hypo- ser renovados, accreseendo a isto que por falta de
crit. regularidade na linha da superficie delles, alguns
Ha certos homens que se gabam de irreligiosos. teem de ser rebaixados, convinha que a cmara de
juigando que serlo olhados como philosophos, po-' conformidade com o que foi determinado pelo
rra nunca conseguem mais do que a compaixio E^tn.- presidente da provincia no 4o quesito de seu
das pessoas discretas. 1 offlcio de 18 do corrente, expedisse as convenientes
A religiao tao necessaria aos estados, como a 0ens, afim de que os proprietarios daquella ra
harmona aos corpos celestes. tratem de cumprir o dever em que se achara.
O homem sem religiao pode nao ser temivel no Quo se expedisse ordons ao fiscal respectivo, c se
meio da prosperidade; mas fogem delle quando a respondesse nesle sentido ao direclor das obras pu-
desgraga Ihe bater porta. i meas.
As nossas approvagoes e reprovagoes polticas' Outro do ongenheiro cordeador, informando o
nem por isso mostram a nossa conviegao interior : requerimento, no qual Manoel Jos Lopes Guima-
o homens do grande mundo teem urna consciencia I raes, proprietrio da casa de dous andares da ra
poltica c outra religiosa; ha casos em que, postas ia. Livramento n. 19, pede para que Ihe seja per-
ambas na balanga, pesa mais a ultima do que a pri-
meira.
A saber
Existiam. .
Entrarara .
Sahiram. .
Existen). .
Nacionacs. .
Estrangeiros
Mulheres .
Estrangeiras
Escravos .
Escravas .
345 presos
4
342
243
25
10
3
58
3
342
Alimentados cust dos cofres pblicos. 144
Movimento da enfermara do dia 27 de outubro
corrente :
Tiveram haixa:
. Joaqun! Mari^ff Falcao, aimiia.
Alexandre E7W, indigesto.
K ------------ \
mittido fazer na mesma casa urna sota, conforme
as posturas em vigor; diz que a casa do peticiona-
rio nao tem as dimensoes marcadas pelas mes-
A riqueza dos homens serve de thermometro aos mas posturas, mas que neste mesmo caso j tem a
falsos amigos; pelo peso do dinheiro, determina-' cmara deferido a outros ; entretanto que resolva
se a quantidade de consideranao que se devo pres- como achar justo.Concedeu-se licenga.
tar as sociedades. Outro do mesmo, informando o requerimento
Os homens que nos fatigam com a relago de que devolva, no qual Jos Rbeiro da Fonseca, co-
seus hvros commerciaes, sao quasi sempre os que mo procurador de Jos Francisco da Trindade pe-
ganham menos e devem mais. : de para que Ihe seja permittido levantar parte do
Os homens zombara da ignorancia das mulheres,: ggg ?*?* s5?.ca" "L?? *- ^
sem se lembrarem de que as educara como s es- v^ro o nnif,i ai ,. Z'. 1^.* S5?5 S
cravas nue s necessiiam r nhedener I g i ,clum,al da casa em questao e parte della
Outro do mesmo, communieando que o emprei-
i mulheres o talento do que os vicios.
As mulheres devem enfeitar-se com virtudes e
com
com
Dr. Francisco de Paula Salles.
Dr. Francisco do Rogo Barros Barreto.
Antonio dos Santos Souza Leao.
Antonio Fracisco Paz de Mello Barreto.
Manoel de Souza Leo Jnior.
EDITAL.
Pela secretaria do governo se faz publico para'
conhecimento de quem interessar possa que se; Muribeca
acha de novo em concurso o offlcio de depositario ,os Caetano Cavalcanti.
geral do termo do Limoeiro, creado pela lei pro- Sos Carneiro Lelo,
vncial n. 529 de 6 de junho de 1862. Os preten- Jos Ribeiro de Aguiar Montarroyos.
dentes devem apresentar seus requeriments no Francisco de Carvalho Soares Brando.
praso de 60 dias contados desta data, e instruidos Manoel Cavalcante de Albuquerque Lins.
na frraa do decreto n. 817 de 30 de agosto de Estevao Jos Paes Barreto.
1S51 e do aviso n. 252 de 30 de dezemoro de femando Francisco de Aguiar Montarroyos.
1854. i Manoel Nunes Correa.
Secretaria do governo de Pernambuco, 24 de: Miguel Nunes Correa.
v UM P0UC8 DE TUDO.
Na casa n. 108 Marylebone Avad, em Londres,
teve lugar ha pouco urna horr orosa tragedia.
Assistia all ha alguns rae zes urna joven,
urna menina e urna ama, e se dizia casada
um cavalleiro que s vezes a visitava.
Fiveram um dia urna disputa, eo cavalleiro nao
tornou a apparecer ; a joven despedio ent'io a
ama, depois assassinou a menina e degolou-se.
A scena que olTerem a vista a liabitacao em
que teve lugar este crime, era horrorosa entre ou-
tros objectos, encontraraiu-se um punhal e una
navalha de barba, novos e comprados evidente-
mente para este lim.
Achou-se tmbem sobre urna mesa a Biblia
aberta e cornos versculos 9, 10, 12, 13, 18 e 37
sublinhados, e um exemplar da lcgo de Han
Miller intitulado Funeral e matrimonio.
Esta tragedia, cujas circunstancias ma is repug-
nantes se omittem, causou muito terror em Lon-
dres.
L-sc no Tnblet o segrate :
Aoflerta voluntaria leita pela fidalguia napolita-
na, pondo urna porgo de suas rendas anouaes
disposigo do seu exilado re, um facto que a
imprensa ingleza teve em pouco porque em nada
concordava com a theorfa do partido liberal, isto
, que a revolugao que privou Francisco "
sciencia, com asseio e decencia. teiro da estrada do matadouro, Jos Augusto de
A bisonhice de urna mulher tao m como a sua ArauJ> fez os concertos que Ihe foram indicados
desenvoltura. jcomo precisos naquella estrada para o fim de po-
Uma mulher virtuosa, elegante e instruida o, ^er ser ella recebida definitivamente, mas que ten-
mais completo ornamento da sociedade. "lar 'eito um arrombo e penetrando por elle
As mulheres de espirito nunca envelhecem. grande quantidade d'agua, tem esta agua, agitada
A sorte das mulheres depende muitas vezes da Pel venl0>tett0 alguns estragos na base do talude
educaco moral que se lhes d, ou di instruegao da mesma estrada, pelos quaes julga nao ser res-
scientifica que adquirem. ponsavel o mesmo empreiteiro.- Posto em discus-
0 toucador de urna senhora tao necessario'sao .fT- ^eK<> pede a palavra, e requer que sendo
como os livros; estes ernara a alma, e aquelle en-1 aJ*'ie estabelecimento um sorvedouro dos di-
feit o corpe. j nheiros municipaes, a cmara tomasse nma provi-
Se urna senhora instruida nao unir as gracas deacia, entendendo elle vereador que se devia pe-
artificiacs as do espirito; se fr um prodigio de scie n-' 'r ao Exm- presidente da provincia que encarre-
outubro de 1863.
0 secretario
Dr. Francisco de Paula Salles.
Despachos do dia 24 de outubro de 1863.
Requeriments.
Alexandre Primo Camello Pessoa.-Informe
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Barao de Muribeca e outro.-Informe
pector da thesouraria provincial.
Eduardo Frederico Banks.Expedio-se ordem
no sentido que requr.
Jos Thomaz Pires Machado Portella.
Antonio de S e Albuquerque.
Miguel Mendes da Silva.
; S. Lourengo.
Manoel Jacintho Pereira.
i Jos Francisco de Barros Reg.
1 Jos Antonio Carlos da Silva.
ca c om disparate era vestuario, presidir a um
pequeo auditorio como as sibyllas quando profe-
riara orculos no fundo das mais tenebrosas ca-
vernas.
O uso dos vestidos decentes nao ofrende a Deus
nem ao mundo ; mas os nossos vestidos devem ser
tes, que se nao fagam objectos de desgostos, nem
de risadas.
A mais poderosa influencia, que se tem conheci-
do nos negocios pblicos, a das mulheres.
Ha pessoas que afflrmam nao ser tao forte a in-
fluencia das mulheres nos governos constitucionaes;
a experiencia mostra o contrario, e sirvam de
exemplo urna Roland, urna Beauharmais, urna
Stal, urna Recaraier e muitas outras que tiveram
tanto poder como as Estres, as Maintenons, as
Montepans, as Longuevilles, as Ursins. etc., todas
ellas instruidas e respeitadas pelas pessoas das raais
altas sociedades, j pelas suas virtudes, j pelos
seus vastissimos talentos.
A moda no vestuario, as mobilias e em outras
cousas semelhantes accrescentam o luxo, desen-
volvem a industria e a civilsago ; mas estas van-
lagens pagam-se s vezes bem caras; muitas fa-
milias arruinam-se completamente, esquecendo-se
da indispensavel economia correm aps da incons-
tante moda e nao duvidam sacrificar os seus pro-
pros bens, e ainda o futuro de seus proprios 11-
ihos.
II do seu ] Nao ha cousa mais difflcil do quo conhecer a
tnrono.toi o resultado do movimento nacional. | opmio publica, pos que todos os partidos annun-
A lista publicada no anno findo de 1862, mostra ciam a sua como tal.
queascontribugdes da fidalguia napolitana, pagas' Muitos homens ganham a opmio publica prati-
no thesouro privado do rei, durante aquelle anno,
subiram a 964,122 ducados, ou mais de 160,000
libras.
i Jos Francisco do Reg Barros Maricote.
o Sr ins-' ^e Pa0 d'Alho temos noticias at 22 do cor-
: rente, dizendo-se-nos o seguinte :
Hontem se devia concluir os trabalhos do' casa de madama Ruch, ra do Ouvidor n.
jury ; restando ainda um processo, propoz o jniz | mdico prego de 101.
A SemanW Ilustrada conta o seguinte sobre o
novo chapeo-gbus (chapeau claque),
O Sr. Laiz tinha ouvido gabar muito a ex-
celencia dos novos chapeos, vai comprar um em
99, pelo
Jacintho Antonio Ferreira.Informe o Sr. Dr de iireit2 um dia de Prorogagao, que foi votado,
chefe de polica. porm afinal deu em nada, porque nao houve nu-
Dr. Miguel Joaquim da Costa Mascarenhas.Di-' mero-
rija-se thesouraria de fazenda.
Urgula Joaquina de Souza.Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
REVISTA DIARIA.
Havendo o Exm. presidente da provincia man-
Est, portnto, fechado o jury.
Houve algumas condemnages e absolvigSes,
destas appellou o juiz d direito de duas, e o pro-
motor de urna,
Servio de promotor interino no resto da sessao,
o Dr. Pergentino Saraiva de Araujo Galvo, que
mostrou-se na sua mis?o discrecto e intelligente.
Os escravos que tentaram matar a Antonio
Vicente da Luz foram : um, o autor do delicio,
condemnado mortc. Alguns acharam dura a pe-
na, porque dos autos, s est provado o crime
pela connssao do reo. Mas o mesmo juiz declarou
dado responsabilisar ao Sr. Adolpho Liberato Pe-' que existe outra prova alm da'conflssao. Os ou
por haver por vezes infringido o tros foram absolvidos, porm o Dr. Pergentino +
art. 2= do decreto n. 413 do 1845, verificou-se pelo pellou.
ri'SiiecIivo nrnc.P4A aam n rpcnAYicnhilc^fin >.nn.^ i n.^....
respectivo processo1 gue o responsabilisado, sendo | Houve aqui boje 25 do outubro topamento de
escrevente em um dos cartonos do juizo especial boi. um folguedo, alm de barbare, perigosissi-
do commercio, nao exercera em tempo algum o mo. Desejaramo que a polica nao consentisse
cargo de esenvao, anda mesmo interinamente, nao em tal divertimento.
Ihe sendo por este modo imputeveis as faltas e A
omissoes que por ventura heuvesse coramettido Achande-se prompto o caes de Santa Isabel,
sob a responsabilidade do serventuario effectivot na altura da praca do Capim, parece rasoavei que,
tontra este, pois, mterpoz ha pouco o Dr. promo- attendendo-se concorrencia de carros e cavallos
tor publico a competente denuncia penrie o Dr. pelo extremo da roa do Sol, que alli vai dar, se
juiz da direito da vara; o qual julgou improce- faca remover a venda do capim para a praga do
'" ^T1?8.?VC,ma nolado- CtPim- o""16 "a ^ande espago, de.xando-se livre o
Era virtude de alguns pequeos roubos que traansito no lugar em que actualmente se vende
hmamaniA appareceram na cidade de Olinda., esse genero.
O Sr. Luiz aproveita a occasiao do sarao do
Club, e regosija-se de ante-mao com o efleito que
vai causar o seu novo chapeo, no coragao de sua
preferida.
- Encontrando a sua bella tem a fortuna de
' receber a commissao de Ihe ir buscar um copo de
! aroseie, e para mostrar aapplicagao do poderoso
1 invento, serve o groseille sua amada, trazendo o
copo sobre o chapeo, transformado em salva.
i Mas quando a bella vai a tomar o copo, o
I brioso mechanismo do chapeo dstende as molas
poderosas, e o Sr. Luiz estraga a paixo e o vesti-
do da sua bella, lange ndo agua fna na fervura-do
seu amor.
Extrahimos da Revista Popular, da corte, as se-
seguintes mximas devidas ntelligencia da
Exma. Sra. D. Gracia Herraelinda da Cunta
Mattos.
Os prejuizos adquiridos na infancia raras vezes
se perdera.
Conduz os teus filhos pela estrada da virtude
em os pnmeiros passos da vida, na corteza de que
elles nao se afasia rao totalmente della, ou que a
buscarao na adversidade.
A mi de familia que entrega a educagao de
suas fllhas a cuidados estranhos, nao merece o ti-
tulo glorioso de mi, c eu Ihe dou, ainda com diffl-
culdade, o de madrasta.
Se um estatuario exulta de prazer vendo conclui-
da e perfeita a estatua de um here ou de urna
cando o mesmo que a faz perder aos outros.
0 governo que abandonar a lei e esquecer a jus-
tiga, para correr aps a opnio publica, atraves-
sar urna eternidade sem encontrar o ponto quo
busca.
Um bora preceptor de rei metal de prego su-
blimado : a elle que as nages devem abengoar
ou maldizer, por que sao os que formara e dirigem
os coragoes de seus pupillos.
A humanidade urna das primeiras virtudes,
quando emana do coragao; mas ha homens que
affectndo humildade com aquelles de quem de-
pendem, esperam o momento de alcancarem o que
desejam para se erguerem orgulhosos, como a vi
bora, que se occulla entre as flores, para tornar
mais certo o seu golpe.
Aquelles que nos dizem que os homens devem
ser iguaes, fallam dos outros e nao de si; a igual-
dade desses polticos se limit s pessoas que Ihe
sao superiores, e nunca s que ficain meia polega-
da abaixo da sua situaco.
O valido raras vezes* se retira com sentimentos
dos homens de bem; mui poucos sao os que no
theatro de sua gloria se lembram que sao p, e que
para o p ho de tornar.
Nao ha honras que possam pagar ao soldado as
fadigas da guerra.
O homem taciturno infunde melancola as pes-
soas da sociedade.
Raras vezes o homem ocioso deixa de servi-
cise
CMARA MUNICIPAL.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 24 DE SETEM-
BRO DE 1863.
Presidencia do Sr. Barata de Almeida continuada
pelo Sr. Henriques da Silva.
Presentes os Srs. Mello, Gustavo do Reg, Seve
iu. p uma e Gameiro, faltando sem causa comraunicada os
!ilim ," .? a polica local em attitude verda- De dia em dia cresce o montura junto do beldade, em cuio trabalho havia empenhado o seu' mais senhores, abro-se a sessao, e foi lida e appro-
) a impedir a conti-1 caes 22 de novembro, por causa do despejo que talento, tempo i CMdados, qual nao deve ser o bri-! vada a acta da antecedente.
ufnnn. S ,atlentados c*nIra a propriedade. alli se faz diariamente, rom grave incoramJo dos
Principalmente agora, que a velha capital offere- moradores, com especialidade noite, que sao for-
SL?JESIV fr,'?er|oconIra os rigores do vero, cados a terem as portas fechadas para evitarem o
rZTll ctT !LU garb0-H Sm gSande unw>^e, n> cheiro que exhalara as vazilhas alli vasadas.
t,* -i? Providencias dignas de applau- Hoje o beneficio do actor Guimarles, quo
I?".!, b? qUlll!sem-se P1S' os frequentadores do, representa no Noviro, engragada comedia, que ha
yichy-Pernambucano, que a audacia do crime sido empre bem merecida entre nos.
Acha-se marcado o flia 16 do mez prximo
futuro para a reuniao da 6." sessao jndiciaria do
jury desta comarca.
nao vira perlurba-los era seus amaveis passatem-
pos.
Em um conflicto que tivera lugar na fregue-
zia da Boa-Vista, em um dos ltimos dias de setem-
bro entre dous soldados do 2o batalhao de fusileiros,
e do qual sahio um delles com ferimento no pavi- ao corpo fxo, co"ra^lncommod7de"quem"po77ffl
lhao da orelha direila, apresentou-se um dos con- ~
tendores con) uma faca, e com ella mesma soffreu.
o fermenta D'ahi, resultou insturou-se i um
Ihante triumpho de uma mil, vendo completa a
difflcil obra da educacSo* de sua (ilha ? Ah I este
prazer o mais puro que uma mi pode gosar;
o mais lisongeiro para uma mi; finalmente, o
premio de sacrificios penosos e de vigilantes cui-
dados. Se todas as mulheres estivessera persua-
didas destas verdades, a sociedade seria mais feliz.
As mais devem ser as melhores mestras de suas
fllhas, dando-lhes exemplos de virtude e educan-
do-as debaixo de seus olhos, evitando a leitura-de
Informara-nos que o principio da estrada de obras immoraes, historias de feiticeiras, duendes,
Joao de Barros est servindo de lugar de despejo j encantamentos e almas do outro mundo; expli-
passa.
preciso que se nao continu em semelhante
pratica, a ser exacta a informadlo; e para isto
dellego devido proeesso pelo onme quali^do no,chamamos a attenco de quem deve velar em oue
ajt, 201 do cdigo crimjMl, e a outrq 0 por duran-1 se nao dem taes abuso, n
expl
cando-lhes o sentido dos contos fabulosos e das
novellas recreativas, que debaixo de nomes sup
postos e aventuras impraticaveis, muito concoirem
para a civilsago da mocidade.
O collar mata precioso, com que se, .orna ama
nji, sao os braoos de set) filho.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE :
Um offlcio do Exm. presidente da provincia ac-
ensando ter recebido o da eamara do 31 de agosto
ultimo, acorapanhado do parecer da commissao de
polica sobre as questoes a respeito das quaes o
consultara o director das obras publicas no seu of-
flcio de 3 de Julho passado, e tendo em attengo o
que no referida parecer consta, dirigir era 18 do
corrente ao mencionado direclor as iustruegoes
por copia juntas, sobre as quaes llzesse a cmara
as observagdos que julgasso convenientes.Posto
em discussae, deliberou-se responder S. Exc.
que a cmara n3o tlnha objocgao a fazer sobre tes
instruegoes, visto que as achara razoaveis, pelq
que neste sentido ia mandar expedir ordens ao fis-
cal da Boa-vista para que, euteudeadO'Se com os
proprietarios dos prediosj^e w ^ procedenda
gasse a uma commissao de engenheiros das obras
publicas, para com o da cmara exarainarem se a
obra daquelle estabelecimento e local onde elle se
acha susceptivel de melhoramento, afim de evi-
tarse diariamente tantas despezas, indicando logo
a commissao os meios que se devia applicar para
se conseguir o fim que se deseja.
O Sr. Barata, pedindo tambera a palavra, susten-
ta o que expoz o Sr. Reg, fazendo muitas outras
considerages a respeito da questao, e por fim vota
pelo requerimento, o qual sendo posto a votos foi
unnimemente approvado, mandando-se todava
pagar ap empreiteiro da obra da estrada a ultima
prestagao.
A commissao de edificages apresentou dous pa-
receres que ambos foram approvados, o prmeiro
no sentido de ser adoptado o becco denominado do
Falcao, conforme a informagao dada pelo engenbei-
ro cordeador, pedindo-se ao Exm. presidente da
provincia a alterago da planta do lugar para po-
der ter lugar a suppresso indicada, o segundo,
que tendo examinado as obras que Joao Donnelv
havia feito no centro de seu terreno, entenda fa-
z-las sem licenga, por quanto nao esto ellas feitas
nos lugares em que a plant prescreve cordeago
e nivelamento ; que o telheiro existente no mesmo
terreno j fra de taboas, e est transformado com
paredes de pedra e cal quasi alicorees, sendo obra
provisoria por consegrante.
Quanto ao prmeiro resolven-se offlciar ao presi-
dente da provincia pedindo a alterago da plant.
Quanto ao segundo, mandou se expedir ordem ao
procurador para sobrestar a execugo judicial
contra Donnely.
A requerimento do Sr. Barata, mandourse con-
vidar o prmeiro supplente do juiz de paz do 1J
dstricto da freguezia do Pogo, para vir prestar
juramento, visto o terceiro votado nao ter querido
presta-Io.
Despacharam-se as petgoes de Antonio Joaquim
Salgado, baro do Livramento, Chistovo Guilher-
me Brcchenfeld, Francisco Ferreira da Silva, Te-
moleo Duarte de Albuquerque Maranho, Jos
Jeronymo Monteiro, Joao Donnely, Jos Caetano de
Carvalho e Maria da Paixao Costa, Manoel Jos Lo-
pes Guimares, Manoel de Souza Tavares, e Vicente
Herculano de Lemos Duarte, e levantou-se a ses-
sao.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario
a escrevi. Barros Reg, presidente -~al Sete,
Henriques da Silva.Reg ilaiaGameiro.Reg.
Helio.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 28 DE SE-
TEMBRO DE 1863.
Presidencia do Sr. Barros Reg.
Presentes os Srs. Henriques da Silva, Gastavo
do Reg, Mello, Seve, Maia e Gameiro, abrio-se a
sessao, e lida a acta da antecedente a qual sen-
do post a votos para ser approvada, o Sr. Henri-
ques da Silva pede a palavra, e diz que tendo a
cmara na sessao passada despachado uma peticao
de Joao Donnely, concedendo, era vista do pare-
cer da commissao de edificages, poder elle conti-
nuar na execuco da obra que eslava fazendo em
un telheiro existente em seu terreno da ra da
Praia, mandara ordenar ao procurador para so-
bre-estar na execuco que eslava sendo promovi-
da em juizo contra dito Donnely, por infraccao de
posturas, houvesse a mesma cmara de reconsi-
derar sobre semelhante decisao, visto como tai de
encontr a disposigo do aviso n. 65 de 4 de julho
de 1850, que e muito terminante a este respeito, e
lendo a disposigo do dito aviso, requr para que
se julgue de nenhum efleito a resoluco tomada, e
se ordene de novo ao procurador, e ao solicitador
para que a jwcao prosiga nos seus termos.Posto
em discussao o requerimento, foi approvado.
O Sr. Mello approveitndo a occasiao, pede a
palavra, e declara tmbem que na sessao ultima
se permittio licenga a Jos Caetano de Carvalho. e-
outros, para tparem um becco que passa por
traz de suas propriedades na ra do Calaaouco
Velho, mas antes de conceder-se a liceng*, se di-
zia que o terreno era de propriedade particular,
pertencente aos asignatarios; entretanto corre
haver questao por ura s querer se. anossar, do to-
do o terreno, tapando com port^ e Soque a c-
mara nao conceden, e por isso. requr qne o fiscal
respectivo impedisse que tato se efiectoasse.Re-
lolven-se conforme o aos ponderen o Sr. Mello, e
estando presente q Bical, ficoa inteirado de cum-
prir esta dever,
Concluidas, esos net&aftijSes, W Wt apprq.


Diario de Pemmbuco Qnnrta felra tS de Outubro de lttS.
""
=
--
L-se o segurte
EXPEDIENTE.
m offlcio do inspector da saude publica, cora
despacho da presidencia, mandan*) a cmara in-
formar sobre o que no mesmo offlcio diz o mo
inspector, a respeito da indemmsacao pedida por
Antonio Jos Pinto de um seu terreno na ra de >.
Miguel, freguezia dos Affogados, que servio de cc-
miterio de choterioos.-Posto em discussao, del-
berou-se offlciar a S. Exc. com o occorndo.
Outro do Dr. juiz de direito da i.' vara, remet-
iendo tres retacees do multas impostas aos jurados
que faltaram as sessoes do jury do corrente anuo.
Que se remeticsse ao procurador para promo-
ver o recebimenlo das multas. i
Outro du director da eorapanhia de Bcberibe,
Joao Goncalves da Silva, communicando, em res-1
posta ao que Ihe foi dirigido peta cmara em 42
do nrrente; declara terem sido dadas as provi-
dencias, para que o chafariz que existe no centro
da caixa d'agua da fregus da Boa-vista, seja
removido para outro lugar onde nao se ncontrem
os inconvenientes indicados pela mesma cmara.
- Intcirada.
Outro do cidadao Seraflm Percira da Silva Mon-
teiro, 4." juiz de paz do 1." districW da freguezia
dos Affogados, communicando ter recebido no dia
$7 de setembro corrente, um oficio do juiz de
paz do 3. anno do mesmo disrricto, capitao Anto-
nio Goncalvos de Moraes, partecipando que no im-
pedimento do I." e i.', nao pode elle por motivo
de molestia, exeroer as funches de presidente da
mesa parochiai as prximas cleicoes; declara,
que tamban per graves incommodos de sua sade
nao pode exeroer tifo peladas fuoccoes, o quecom-
munico cantara para proceder no presente caso
como entender, e de accordo com a le.'Que se
levasseao-conheciuienle da presidencia.
Outro procurador, rcnietteudo, conforme *s
ordens q*c leve, um quadro demonslratvo da rc-
ceita,e despeza dos tres cemiterios puMicos deste
municipio, desde o 4. de outubro do anno prxi-
mo passado a li> do correte.a conunissd de
noticia,
Outro do engenheiro cordeador, communicando
que leudo examinado o arrmbamelo feito pelas
mares ao lado do catino de esgolo do sangue do
matadouro, verifioou ser necessawo zer-se com
o sen reparo, a despeza nao meos de 30OA00O
res, por quanto, com esta obra que deve ter urna
estacada de cumprimeiito de 150 palmos, preci-
so un alieno de viuic de largura.Mandou-se
pr in prac.a.
Outro do fiscal stipplontc da freguezia do Reefc,
informando ser verdade o que allega Miguel da
Silva Nevos, estebeloeido com olliciua de barbeiro
na roa da Sanzalla .Nova, de nao vender bic has,
nao obstante ter um seu oficial, na occasiao de
proceder-se a collecta, dito que tinha elle bichas a
venda.Deffero-se a peticao.
< tutro do fiscal da Boa-vista, informando o qncrimente que devolve, de Antonio Jos Bitau-
curt, o qual pede se Ihe conceda levantar um an-
dar sobre a casa que est edificando na ra do
caes do Capibaribe; declara que tem ella as di-
mencoes e solidez necessarias como prescreve o
artigo 1?do titulo 7 das posturas em vigor, por
isse nao acha inconveniente em se Ibe conceder.
Ao engenheiro cordeador.
Outro do fiscal du S. Jos, informando a peticao,
na qual Manoel de Souza Tavares, requr para le-
vantar um curial pana seguranca de seu gado, em
um terreno que possuc entre a ra Imperial, e o
rio Capibaribe, diz nao haver inconveniente na
cooeessao.Concodeu-se.
Oatro do 1. supplente do subdelegado da fre-
guzia de S. Jos, Jos Francisco de Souza Lima,
commuuieando tur entrado no exereioio da mesma
subdelegara no dia X do corrente.Que se accu-
zasse ficar a cmara sciente.
Despacharam-se as petices de Antonio Joaquim
Pereira d'Oliveira, Antonio Jos Biteucurt. Goi-
lherme Augusto dAthayde, irmandade de Nossa
Senhora do Terco, Joaquim Francisco de Paula
Esieves Clemente, Manoel Mara Rodrigues do
Nascimente e Miguel da Silva Xcves; e levantou-
sc a sessao.
Eu Francisco Canuto da Ba-viagem, secretario
a escrevi. Uenriques da Silva, P. P.Reg ilaia
Sece-Barata aAJmda -BegoGameiro.
CBMip JlHCIARli
TRIBIVAL l0 OT1 TI I It < IO.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 26 DE OUTUBRO
DE 183.
PHKlbENCJA DO EXM. SU. DESEMBARGADOR
SOUZA.
As 10 heras da eianhaa, reunidos os Srs. deputa-
dos Marrara olemos, o Sr. piodentedcclarou aber-
la a sessao para mero expediente, designando Sr.
deputado Malvcira para servir de secretario.
DESPACHOS.
Um requerimeuto de Antonio de Azevedo Car-
valho. (icJiidu o registro da eseriptura (!< hypo-
theca que aprsenlaRegislre-se.
Nada .mais houve.
SESSAO JUDICIARIA EM .26 DE OUTUBRO DE
14188.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
MOZA.
Secretario, Julio Guimaraes.
Ameia hora da tarde, o Sr. presidente abri a
sessao, estando reunidos os Srs. desembargadores
Villares, Caetano Santiago, c Silva Guimaraes, e os
senliores tieputedos Leiuos e Malveira.
Lida, fui approvada a acta da sessao antece-
dente.
Tendo fallado os Srs. Rosa e Casemiro Alcofo-
rado nao pode haver julgamcnto.
Foi Mdo o-oflieio de 23 do corrente do Sr. ronse-
lheiro presidente da rolaeo, communicando haver
designado o Sr. desembargador Gitirana para re-
ver a appellaeao entro pirles :
Appellanii-. Joao Francisco Foiveira da Silva
Braga ; appellado, Alipio Annes da Silva Freir
que pende de decisao deste tribunal.
O Sr. desembargador Villares requisitou as pro-
videncias necessarias para o andamento legal da
revi-ta entre partes :
Kecorrcnte, Guilhcrme Berg ; recorrida, a com-
panhia de seguros Segtiridade.
E da appellarao cin que se averbou de suspeito
o Sr. desembargador Silva Guimaraes.
E o Sr. presidente officiou ao Sr. conselheiro
presidente da relajad requisitando juizes.
Officiou-se ao Sr. desembargador Lourenco San
tiagfi para que se digne comparecer neste tribunal
.afim de receber unt autos de appollaeao era que o
anesmo senhor jukcerto, entre partes :
Appellantes, Alm-2ida ft Cai; appellado, Joa-
4]uim Antonio da Silva.
I>KSI Appotlnnte, Vicente AI ves Machado ; appellados,
Itarroca & Medeiros.
Appellante, Jos Morcira da Silva ; appeHadoi
os herdeiros de Jos Antonio Lourenco.
Appellante, o Rvd. Francisco Colho de Lentos e
Silva ; appellados, Guimaraes & Oliveira.
Appel'antes, Francisca Xavier de Oliveira. como
administrador desua mutber e Lniz Pedro das Ne-
v* ; apellado, Jos Gordeiro do Reg Pontes.
Appotlante, Joao Pinto de Lemos Jnior ; appel-
da. I). Aana de-Souza e Silva.
Designado o priraeiro dia til. I
PASSAGEHC
Appeilaato, Joao Baptista da Fonseca Jnior ;
ri|i|H-liado. Jos Duarte une
ItoSr. desembargador Villarer ao Sr. desembar-
trador Silvaiuimares.
Appellante, Antonio Goncaiveeda Silva; appel-
lados. Mello U.boA C.
Do 8r. desembargador Villares ao Sr. desembar-
gador Caetano Santiago.
DISTRIBUICOES.
Appellantes, os curadores liscaesda viuva Amo-
rim & Filhos ; appellados, Henrique (*-hoa Hijo A-
Comp.
Appellantes, os curadores Aseaos de Amorim,
Fragoso, Sanios it ; appellados, Ramos, Duprat
.>.r... representados por Daniel de Guimaraes.
Appellantes, Domiugos Jos de Amarwi e ou-
ro; appellados, os caradores fiseaes de Guilher-
me Carvalho a C.
Appellmte, Jos Rodrigues Ferreira -, appellado,
Antonio Jos de Castro.
Ao Sr. desembargador Villares.
Appellantes, os curadores fiscacs de Amorim,
Fragoso, Santos C; appellados, Daniel & Gui-
maraes, liquidatarios da firma Ranos Duprat A C:
e outro.
Appellanle, Joao Flix de Mello ; appellado,
Francisco de Barros Velloso da flilveira (terceiro
embargante.)
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes.
Nada niais se pode tratar e encerrou-se a sessao
1 s horas da tardo.
COMMBfflCABOS.
PiAL'HY.Vatai(i.
Meu charo redactor.Depois do dosejar-lhe a
inelhor ?*de, e perfeita pax pas eeicdej de sua
provincia, vonho tarabem contar-lhe o ttocJoi>or-; do vimos entrar por^o de cavalWrne, eereade
que foram feitas neste bom cantinho do nossocha- 400 pessoas; percorreram a villa dando viva*
ro Brasil; e desculpe-me. m alguma vez para ser liga
fiel vordade eu estigraatise um pouco, ora esta,
ora aquella individualidade; condemne este ou
aquelle acto, oa se, para accommodar as palavras _
s cousas, e usar de termos textuaes, tenha de em-: ligueiro que nao encontrou quem Ihe eniprestasse
pregar as expressdes, nao em sua significacao le- cavallo; e proporgao que o povo passava na fren-
chnica ou propria, mas naquella em que aqui dao te da janella, ia elle mostrando-me e apontando
mais a conherer as causas. Cada trra com sen certos personagens, e descrevendo-rae a sua chro-
iga, S. M. I., ao gabinete, e ao commandante su-
perior.
Sendo para mim todo esse povo desconhecido dei
para bens nunha fortuna por ter a companhla do
uso, cato roda com seu [uso ; e algures eu li de
um velho poeta que o uso era a norma de fallar.
A onda da sorte arroiou-me esta villa d Va-
leosa da Piauhy, urna cas mais ricas e das mais
nica, onde fazia-me a apologa da coragem de cada
um delles.
Quero mostrar-lhe o commandante superior :
v I aquelle sujeito de altura mais que ordinaria,
civilisadas e industriosas deste cento,eoideabun-1 algum tanto gordo, cor indgena, pouca barba, pas-
da as vezes de modo prodigioso os gneros alimen- sa-piolhos j alguma rousa grsalhos ; quecavalga-
ticios, que nao tem preco nem valor : pois embora va aquelle bonito bucfalo, que traz chapeo Gari-
a villa seia em si pequea e acanhada, tem mni | baldt, tao grande que, com mais algumas polega-
visinbos neos proprieurios, que se empregam na, das, cobriria teda a liga.
lavoura da canna, da mandioca e de todos os le- Nao Ihe cont ludo quanto sabemos e se diz
gumes conhecidos ; trabamos to lucrativos e tao; delle, porque deve lembrar-se que ainda honlem
proveitosos em outras partes, mas aqui de pouco Itie pnz corrente da sua intereuante chronica
alcance pelas mil difflculdades de exportaco, pois Aqnelle sujeito gordo que vem paralello ao com-
a que ha toda feita em costas de cavallos ou ma- mandante, da mesma cor que este, porm mais
chos com incriveis dispendios. iidoso e mais bisarro no cavalgar, vou dizer-lhe
mo sempre acontece, em lugares pequeos, a quem ; o grande orago dos castelleiros, tao rn-
minha chegada nao passou desaoercebida. Era lente qne^em um so da matou tres Mesquitas, e
justamente alguns dias antes do da designado pa-' tao feliz, tem tal mandinga, que at hoje ainda nao
ra fazer-se a eleicao de eleitores. Ao divulgar-se; foi nrocessado, e nem o sera,
rainha morada all, diversas pessoas rae visilaram, e i E verdade que o nosso chefe de polica vive so-
como muito natural entre todo povo hospitaleiro nhando crimes, mas vai fechndoos olhos a alguns
a familiaridade, membros, ao que se diziara, de horrorosos, com tanto que o agente possa prestar
urna e outra parcialidade poltica, contavam-me liga algum servido, que o nosso presidente dese-
cada qual por sua vez o estado de suas coosas po-; ja o qur plantar nesta provincia, e at mesmo
liticas ; estes as suas esperanzas, as suas forcas, a porque, se assim nao fosse, muito ligueiro decidido
certeza da victoria com mais ou menos cnthusias-' nao estara hoje aqui. Em occasiao do eleicao
mo, aquelles as suas apprchensoes, os sous reccios, disse (disse-me o meu Ciceronis) o cliefe nao sepa-
etc, etc.,; em fim todos ou se diziam conservado- r-se delle e nesta d'amanbaa temos de ver mara-
res ou tigtimros. listes diztam-me com urna espe- vilhas.
ci de segnranca intuitiva qne sen triumpho seria! AqueH'outro (designando nm sujeito que tinha
infallivel,perquanto se Ihes bavia enviado um pre-, ares de commandante) o padre Joao A. C. B., re-
sidente decidido, prompto, com poderes e disposi-, sidente em Marvo, primo e compadre do nosso
goes para montar a liga na provincia, fosse por! chefe, e seu companhelro inseparavel de campa-
que moios fosse, ainda que para conseguir seu de-' nha ; 'homem de pulmoes de ac; oprimetro em
sideratum corresse ros de sangue I sempre al-1 dar vivas a seu partido em occasiocs de elei^o,
guma exageracito da parte destes polticos de aldeia, de urna coragem a toda prova, nunca desmentida,
mas o que fra de toda duvida que o Sr. Leao como mostrou em certa occasiao nesta mesma villa,
Velloso disse na Parnahiba e disse em Therczina,' batendo-se com um tal Sampaio, to valenteraente
que, delegado de nm gabinete ligueiro, e quo.de qual Diomedes batendo-se com Hctor. Lntarame
mais, tinha ido de proposito executar a eleicao, \ depois separaram-se por si mesmoSj sem conhece-
ijneria c desejava que a liga vencessel E pois, era, rem vantagem, cada um com as maos enchadas, o
intil irem os vermelhos palacio, por que, disse rosto livido, a barba esqualida : elle cunhado do,
elle, estava de animo a romper com efles I Os por mim e por todos os ligueiros, aborrecido, Cos-
conservadores me repetiam todas estas historias! taAraujo; mas, longo de acompanha-lo, segu os
visivelraenle perturbados, verdade, pelo irem nossos, o qual ser por isto recompensado breve.
eHas tomando certo corpo e como que formando i Aquell'outro, tao paludo, da bocea negra e os
convicfocs, e sobre ludo pelo carcter de authen-: denles amarellos, aquella feia e horrenda creatura,
ticidade de que eram revestidas; mas nao deixa-; que faz-me arripiar as carnes e os cabellos, a mira
vara de assegurar com profunda conviccao que [ e a todos s de ouvi-lo e v-lo, n5o nasceu para as
era certo o seu triumpho, nao s por descrerera armas, nem para as lettras i mas anda ao p do
das tricas presidenciaes, por acia-las absurdas, im- chefe, por ser o seu esendeiro e criado, arte em
moraes e impossiveis, mas porque tinham por seus que ainda nao encontrou rival : maravilha v-Jo
todos os eleilores e supplenles e a absoluta maio-1 sellar com rapidez inaudita, o cavallo do amo ; elle
ria dos votantes qualificados. Nao podemos crer tem sobre todo um mrito apreciavel, sabe fazer
(dizia-me um conservador, homem que me pareceu certas intrigas, que com alguma facilidade consc-
sizudo e grave) nao podemos crer que um presi- gue requestar ao incauto saquarema do nosso gre-
dente Hustrado que tenlu raoralidade, cheie de mi. Baja vista o grande e immenso servieo que
um gabinete que se proclamava moderado, viesse acaba de preslar-nos trazendo a communhao li-
(atravs mesmo da circular de lo de maio do cor- gueira, o velho sogro, um cunhado e todos os tios,
rente anno, firmada pelo venerando marquez de multando de mais ao primerro em 600^000 para a
Olinda) viesse, digo, coagir o povo, tyrannisar as burra do nosso terceiro candidato genro domen so-
conscicncias, exercer perseguieoes e derramar o gro, c arranjando certa porcao de dinheiro empres-
sangue daquelles mosmos que ainda hontem ha- tado (ora se emprestado I) para gastar nos nossos
viam acompanhado o dito marquez, e que ainda comicios eleitoraes.
se sentem alquebrados em suas sades e em suas Ole I Ol I la vem o Gomes 1 at aquelle moro,
fortunas, trabalhaHdo cm prol do Sr. conselheiro que, desde a delegacia do major Modesto nao nos
Paranagu, eldorado nesta provincia de Cregos e honrava com sua presenca, porque (aqui para nos)
Troiannos. o finorio um grande criminoso, diversas mortes
Contaram-rae os conservadores que no dia 10 e outros crimes commetteu elle no sertao da outra
de julho chegou a villa de Valonea um cavalleiro banda (Cear); e vem ao lado do coronel I Tam-
cingindo insignias de embaixador, o qual dirigin- bem nao quiz deixr seu digno sogro, que, apezar
do-se a casa do delegado de polica (que ento era de inclinado s bordas do tmulo, enviou adiante o
o Sr. major Manoel Machado da Assumpcao), apre- infeliz e desditoso N, e tao astuto que fez essa
sentara-lhe suas credencias constantes de duas churinada com tal mestria, que anda hoje est im-
cartas, ambas do presidente Leao Velloso, urna pa- pune, e vem com todo garbo e ar de importancia
ra o delegado pedindo-lhe para ligarse ao chefe | prestar-nos seu valioso auxilio,
da nova seita neste municipio, e outra em que ou-' Nao achas que val a pena ser-se ligueiro t Como
torgava a seu embaixador plenos poderes para exe- Ihe nao respond, continuou : veremos se vem tam-
cutar a decantada liga, e onde prometlia que, se o bem o matreiro Rocha, como rae affirmou o so-
delegado renegasse suas crencas o se ligasse seria brinho.
recompensado com urna patente de tenente-coronel Massado de estar a ouvir a suja chronica de tan-
do estado raaior da guarda nacional, conservado tos, e vendo que era um nunca acabar, perguntei
na delegacia, considerado pela presidencia, e rece- ao meu Ciceronis, se todo aquelle povo estava 711a-
beria muito mais cousas... ;que o delegado re- H/icndo ? Se Vine, nao fosse bahiano, c portanto in-
cusra a offerta com dignidade e atirou-a a face differentc s nossas lulas polticas, eu commetteria
de quem lh'a fazia, e que sua resposta fra lida urna indiscripcao nesta occasiao; mas como o jul-
depois em um circulo dos mais pblicos da cidade go extranho a nossos barulhos, disse elle, Ihe dino
de Ooeiras, cujos circumstantcs vituperavam ao aqu baixinho que a metade do nosso extreito li-
sen autor. gueiro nao reside, nem nunca tiveram domicilio no
t Confesso-lhe que, a ouvir urna semelhante histo- municipio, como qne ha de ser neUe quaKfinado f
ra, e ver adversarios do delegado entarem-nas E onde moram nlio ? perg ei.
como ineontestavel, comecei a ter reminiscencias Sao sobras das freguezias de Marvc\S. Gon-
de que o Sr. Leao Velloso era o mesmo e idntico calo e Oeiras.asquae, por nao reunireiu o* raque-
homem de consciencia pura da Bahia, Alagos o silos da lei, por se achar a maioria processada em
Rio-Grande do Norte...; revoltou-me summa- crimes inalllancaveis, foram repellidas da qualifica-
menteum tal acto, e para logo acreditei que o Sr. cao daqiiellas partes, cujas juntas malditas eram
Leao era, no dizer de certo noticiador, pao para vermelhas! E vieram aqui por convite e chamado
lodo colher, e forma para lodo pe. do nosso chefe; e Vmc. qur saber d'uma? todo
Entretanto chegra a villa, vindo da capital nm aquello povo ha de votar, dando-se-lhe cm paga-
capito com 21 praeas de tropa de linha, inclusive ment alguns sons harmoniosos da(nossa bella inu-
um cadete primo legitimo do Dr. Polidoro, 3o can- sica, e alguns goles da ardasa.
didato do presidente ou da liga Este ofneial vinha j Assim desenferra j a lingua o meu companhei-
to prevenido contra os conservadores de Valen-, ro forciori, quando urna caixa de guerra soava
5a, que transitou boas 25 leguas no municipio sem atordoadamente, sem que embaracassem tao estri-
tocar em urna s casa; trouxe volumoso squito e denles sons das clarinelas e do rabeco da matriz,
trem (nao seria maior o que condnzia Scipiao que a esta hora tocavam.
quando foi conquistar Carthago). Chegando a vil- i O meu ligueiro sapateou um pouco, e apenndo-
la, aqnartelou-se em urna propriedade pertcncente me a mao, disse-me-: at depois da eleicao ; vou
aos ligueiros, c a quantas pessoas o lam visitar ao quartel-gcneral ; tenho promcss.adc serolugar-
alardeava com certo ar de importancia, que S. Exc. tenente do coramando do destacamento e delegado
o Sr. presidente Ihe harta dado carta branca para de polica, e empregarei, se uecessario for, neste
vencer a eleicao de Valonea no sentido da liga cus- pleito a rainha durindana e duzentas balas da
tasse oque custasse, oque seus planos j estavam guarda nacional. Vmc. ter noticia das grandes
feitos, as providencias determinadas. faeanhas: puz peito que meu mano havia de ser
Disseram-mc mais os ligustros ser seu chefe em eloitor, e o ser cnste o diabo : e escamoleou-sc
Valonea o commandante superior Antonio Leoncio to rpido como urna lebre. Este meco eraum ca-
Percira Ferraz, que sogro e padrinho do candi- liomense a fallar, e se nao era um camello, era
dalo Polidoro;-que era millonario, homem de idiola : pareca ver-so o retrato do Cacaceno. De-
grandes recursos e magnnimo coracao, muito des- pois observei que o exercito tinha feito alto a porta
tro em todas es armas, muito hbil 'mas que era de um pequeo, baixo e. antiquissimo telheiro,que
um novoL>fauette, nao linha o dom da palavra! e me disseram pertencer ao commandante superior,
que mpossivel era perderem os ligueiros a eleicao, Ao pino de meio dia vi dispersareni-se todas aqucl-
por que o commandante superior ameacava o mu- las varegadas creaturas e aquartellarara-se em
ncipio de recrutamento de todos os volantes, que, duas atadas de pessima construeeao e debaixo das
sendo solteiros, o nao acompanhassem na eleicao,' arvoresque sombreiam um lmpido arroio que serve
c de irem destacados para os municipios mais dis- de fonle aos habiiantes desta villa,
hantes de Valenca dos votantes casados; que de um Succedeu-se um morno silencio, qual era mares
s golpe havia de anniquilar o esmagar o coronel tempestuosos urna grande calmara ; recolhi-me e
Candido de S. Martins e major Manoel Modesto da! espichei-me em minha typoia, bem fatigado, aguar-
Assumpcjio, cheles dos conservadores nesta villa, dando a hora da entrada dos conservadores,, e pe-
para o que contava com os recursos monetarios, dindo Deus que alguns delles nao encontrasse
com carias brancas do presidente, com a sua im- cavallo, e, meu conhecido, viesse prestar-me ser-
mensa coragem (j bem exper-mentada e notoria vico igual ao que recehi do meu bom ligueiro.
no colobre circulo de Oeiras!) e, finalmente com
a forr.a que Ihe tinha enviado o Sr. Lco Velloso.
n nuto ouc le' deu o tal ao endiz d' podia "ociante requerer sem jnntar 'a proeu-
foffw cKdr^^^ Queria ganhar lempo I... Pelo que, e
e esleve a^i.rde ca,1rapun1drpetesS^ ,irarao anunciado todo e qnalquer ure-
do chefe ligueiro; insulte e violencia igual soffreu t?l,0Joe W*r a Providencia pedida, se Ihe satis-
um pacifico moco da familia de Traz da Serra, ao M ].-n a precuracao.
qual o mesmissimo delegado pretenden conduzr de N sne"'^ncs,m f hsm d-e V.'-r denani*d0
astos para fra do templo : este ligado ou delega- e,LErT?* recusar jusca a supplieanle,
do ordenara em mutas occasies e por muitas ve- S ?J direito salno-se com outra csca-
coronsl (continuou o meu Ciceronis) urj, ocap|. occasies e lugares, mantem a lei, garante 1 irinm
eliano da Silva Soares e o oi;(ro o cap- e a seguranca individual do cidadao, o que se cha-
WK mtb Francisco Dantas : aquello um ancio mava aqui autoridado, erara, cabos de eleicio da
respeitavel por suas virtudes cvicas e domesticas, urna parcialidade, manivelas do chefe tm^'roTvis
por sua mansidao e honradez; est mogo de instrumentos, automatos, cujo movimento era oef-
iguaes virtudes a seu to, um conservador decid- feito do fabriquetro eleitoral deste collegio; alm
do, relevantissimos servicos tem prestado ao nosso disto o here da sampaida, o criminoso Joao Go-
partido, ambos com o major formara a triudade da mes (denunciado em vio ao subdelegado), oesbir-
familiaSoares, a maior, a mais pacifica e mais ro aprendiz de pedreiro, dous miseraveis libertos
industriosa de todas quanlas compoem o mnai-, do chefe ligueiro, alguns seus pobres vaqueiros,
cipio. guardacam durante o processo da eleicao as costas
Os quatro cavalheiros, que vem mu annexos ao do juiz de paz presidente da mesa e mais membros
coronel, sao os Ferreiras, a quem os ligueiro msanos, formando ao que pareca, urna quadrilha
chamam Serranos : elles constituem a flor da la- de salteadores e assassinos promptos ao menor ace-
milia de Traz da Serra ; sao conservadores desde no do chefe a devorarem os cinco membros da
que fallou-su aqui em partidos; sao caracteres fir- mesa.
mes e de eonvlcces profundas, pacficos e leaes t O cidadao Joao Baptista d'Assumpco, repellin-
em seus trates. do com dignidade e energa, propria de seu carac-
Assim tagareHando, fomos detidos pelos vivas ter, um "
dados por todo aquelle povo religio calliolica, pedreiro
S. M. {., independencia, familia imperial e ao
bom povo valenciano.
Esta gente suba quinhentas pessoas, se nao
excedesse, todos bem montados, a maioria em tra-
jos decentes e o rstente vestido de couro, eomo
uzo entre a patulea no sertao. Ao chegarem
villa, abriram-se quasi todas as casas e receberam
0 povo, por onde conheci, que os conservadores
aqui eram, como me diziam, os Polacos entre os
seus e os ligueiros os Russos entre os Polacos, e
quo aquelles eram, como affirmou o meu Cicero-
nis, hospitaleiros, mais ricos e beneficentes. Pas-
sados alguns minutos que conservamo-nos em si-
lencio, continuou o vznho : anda aquelle povo
nao est completo, pois nao de vir hoje mesmo
dous irmos Nogueiras, ricos proprietarios c fa-
zendeiros, que costumam conduzir porcao de vo-
tantes ; anda nao veo o povo do Funial e mais
suburbios desta villa, c eu que conbceo mais gente
aqui do que o Sr. vigario, sei que faltam mais de
trinta votantes qualificados de um quarteirao.
verdade que eu desconfio que elles nao venham
c, aterrados pelas ameacas do commandante su-
Fprior e do delegado de serem recrutados e presos,
or aqui vi que a maioria dos vermelhos nesta tr-
ra exceda quatro vezes ao partido do presidente.
Depois disto deitei-me a dormir at a hora elei-
tiir.il. As nove horas quando hii a minha janel-
la vi o commandante superior a porta principal
da igreja a frente de seu povo ; o parocho e o de-
legado de polica, o commandante do destacamen-
to dirigiam-se para o-mesmo lugar : alguns ins-
tantes depois vi partirem na mesma direccao lo-
dos reunidos, dando-se os bracos os conservadores,
mas vi ao mesmo tirapo que a maioria daqucllc
fiovo caminhava tmido e cheio de temor, vacil-
ante como se marchassem para o cadauUo. En-
tretanto a gente limpa anda va impvida, nsonha
e destemida.
O coronel Candido eseu amigo e correligionario
major Modesto mostravam-se incanjaveis em ani-
mar aos sens, fallavam e exhorlavam a que o
acompanhasse. sem receio; mas qual; o systema
infernal e criminoso dos adversarios fizera cffei-
to; e o exemplo, a palavra, o geste, nada aprovei-
tava, tal fra a influencia entre povo ignorante das
ameacas e terrores da vespera adrede inclusive o
propno ofneial de tropa de linha, que veio de en-
commenda do Imo para a Onfa.
O povo parecia-eslacar, e bons minutos escoa-
ram at que se emparelhasse com seus adversa-
rios. Logo que a porta se abri, o vigario nervo-
samente trmulo, ou por sar atacado de ervos,
como elle mesmo ra'o disse, ou, mais; natural-
mente pelo cuidado que o atormenta va o S. liar-
tholomeu de urna maior parte de seu rebanho, an-
tecedentemente annunciado com arrogancia ferina
e leonina ou leontina, e o vigario, repito, fez urna
breve e affavel allocuc^ao ao povo mostrando o aca-
nbado esparo da matriz, o a conveniencia de fica-
rem a maior parte do povo fra do templo, donde
todava poderiam ouvir a missa.
Ao lindar a missa o virtuoso vigario fez urna
breve, mas eloquente pratica a todos, exhortando-
' os para querespeilassem aquelle recinto sagrado
e santos, e nao o manchassem com actos immoraes
e reprevados que desejasa-nos urna feliz harmo-
na, tranquilla eleicao; que, priraeiro qne ludo ti-
, vessemos diante dos olhos Dos e a lei, o amor e a
fraternidade. Concluida aquella ceremonia, orga-
nisou-se em seguida a mesa, que ficou em sua to-
talidade composta de conservadores, presidida pelo
priraeiro juiz de paz, major Manoel Modesto da
Assumpcao. Procedeu-se a chamada de dous quar-
teiroes, e nenhun ligueiro vete depositar o seu vo-
to na urna.
O resto do dia passou-se sem novidade, sem fal-
lar na auieacadora.guarda que o cauteloso delega-
do mandou postar porta da igreja^commandada
pelo fa/iikerado C(tcacmo,'de que ja tenho falla-
oL met ido dentro de urna farda do tempo de D.
Joao.VI, a'ira.-iando urna itiiuieiisa espada maior
que sua ridicularissima pessoa.
No scguintedia(lO) voltei a igreja em compa-
nhia do meu vizmbe e os votantes conservadores,
e encontramos porta da matriz o delegado, seu
segundo supplentc, com um revolver no bolso do
palitot, os subdelegados do priineiroe segundo dis-
trictos, o quarto supplente do juiz municipal em
exercicio, um seu cunhado, c nm aprendiz de pe-
dreiro, de mos costumes, depravado, por causa
do que j tinha sido expulso de Campo-maior (vil-
la desta provincia), de ndole perversa, agente e
j susceptivel de todos os crimes, segundo me infor-
maran), e cu pode bispar pela orellui. Toda essa
1 sucia oceupava-se em arguirem aos volantes que
poltica seguiam, e se a resposta era-lhe avessa,
isto que yotavam cora o major Modesto e o co-
ronel Candido, vcdavain-lhe o uigresso na matriz,
cobriam-nos de injuria, ameacavam-nos de pri-
soes ; e se eram recalcitrantes e resisliam, como
Jos ro tuna, que extremamente corajoso, rompeu
a rede dos sicarios do commandante superior, e
penetrouat o interior da igreja, eram inmediata-
mente presos, mesmo ao p da mesa, como o foi
' pelo subdelegado do primeiro districto pessoal-
raente.
nnnciodo mandado prohibitorio, ctnminatorio, de
numutencao com a clausula de embargos a prime ir a
contra o invasor, fundada na Ord. 1.3 t. 78 8 5, e
deixando de langar mao, por mais odioso, dos ter-
mos de seguranca criminal do Cod. doProc. art.
12 e regulamento de 21 de Janeiro de 4842 art.
111 e seg.
O denunciado, que por vezes tem mostrado qnan-
to presta serviqdo o eargo de delegado de polica
e que sob a capa de ignorante ou bem intenciona-
do faz o que quer, recutou-se a mandar passar o
mandado requerido, mandando que o denunciante
juntasse proeuraco.
E se reflectindo que o cae era urgente, e que
essa seria apresmtada na audiencia cm que fosse
aecusada a intimacao do supplicado, e proposta a
aceflo, como de estylo, despachou :que nada
-..... que fosse de direito".
elle qualificado, nao poda tomar parte na elote* mciad^l. .^Obrando fflnl l** ^
K\wg.'lc-Z,a" u .. I Se Ihe refleclio, que
i'.u filma este hroe, com urna arrogancia de
comprehende o caso de que se trata, escreveu elle t
Se Ihe reflectio ento de novo que comprehen-
dia, e para isto meVwr ver, ahi estava Mor. Carv.
Prax. For. n. 67, e que o caso era urgente. De
mais, sendo elle juiz, e nao advogado, deixatse es-
dos ligueiros; eslou no meu direito; so hoje bel
feito alguma cousa, aiiianha faroi muito mais I >
Quando v-** um phosihoro o a mesa recusa va!
fundada na lei, o commandante do destacamento,
gritava: vote I vote! lei de eleico urna borra-
exU rora txs s^i^ss jas a?'- de conoili4fSo'
urna parcialidade ; o povo de que chefe o Sr.co- "em p 1 "uTS"^? ,f|Ue V^
rouel (apontando ara o superior indgena) repre- ""' !, &Sindf'1'ss^m0 te?dcs *'"-
senu outra parcialidade, e tambera soberanol T?ZZTZe2' nn^cTT,""0 "^"'*
Quando este ficho, para nao dizer ignorante e idiota, If, o XPa nf, 1,.,^"/' "5 era ^
acabava de insultar o bom senso com estas estira- rTtXyul^^em^lf^ Td ? na
das sempre bem aculludas pelo chefe (o que aeon- ^^r^^^tSrrt^V S&8?*a'
tecia muitas vezes por hora) os ligueiros runiram- ,- 2222 """ranos a le. Sahio-se
se em torno mc avam o voto%ra! "5? 2ra eomnSn-: \ nte trecho : O juiz nao obrigado a su-
dante Lafavette (segundo a^,So!doPuSTS- S"aIiardSK W dS t
ro) pretenda toniar parte cm todas as discusses, &2i2 Comrar, ev,,ar ,oda e ^^^
mas invariavelmente repeta sempre em tem de su-, *ZnZlE!Zu ,^o Q 4 ;,... j-. a
zerano: .Sr. juiz de paz, nao nos provoque I. To-! J**? ""**&.a vista desses seus des-
dos aquelles conservadores, a quera o chefe liguei- *!SVt^9fM\ ro e alguns seus comparcas, pediam votos para sua SStSkT LTl^w n*a lU~'"\i.para **:
chapa, erara logo presos, se recusavam votar com T Ct m *ffn"nc,ado seacha.com onoder
elles, como acouteceu coin o anciao Estevio Pinto tJZ^Z^J^0 PnP6,,de ,UIX C /e ^"
Vilella, que foi recomido cnxovia a titulo do cri- J^?doP ,* par^'ndvi* *-^enos ,er a <>randezade
minoso; o mesmo com Zefennoda Coste, Joaquim 2T22I122 an/an""hos no vacuo, nao
Fino, C muitoS outros. Anuelles. a non,; sTolIe- n05,9Cndo P0SS vp| advin^ar Y^* qual
Sem embargo destes ameacas gostei do modo
sempre cortez, mas enrgico com que o presidente
da mesa protestava contra violages flagrantes da ] gar o partido conservador; mas S. Exc. e
lei, contra urna vexacao inaudita, e reclamava dalo ]>or esse partido e talvez deputado '
unte garanta para a liberdade do cidadao, da mesa
e de todos.
Com effeito, eu j havia presenciado eleicoesem
minha provincia, onde os partidos disputevam o
triumpho cora mais ou menos arbitrio e despolis
recinto cobertos de injurias e vituperios. Este ex-
tranho proceder fez desertarem e fugrera para
mais de 200 votantes conservadores antes de lan-
Sirem seu voto na urna; um delles chegou a eii-
oudecer, outro falleceu, talvez maltratado pelos
cacetes dos ligueiros. E-poreste theor consumou-
se esse desproposito de eleicao.
O Leo ligado com a Onca triumpharam, mas
triumpharam com a fraude, a ameaca, a corrupcao,.
o enme, a compressd, o cynismo, a imprudencia'
triumphou o phosphoro, o arbitrio, a llegalidade, a
forca, a bayoneta, como s podem triumphar todos
s facQdes sem prestigio, sem elementos, anthipa-
tisados e odiados dos que sentem-se espesinhados
e opprimidos, dos que vem sua liberdade captiva,
suas consciencias tyranisadas, (') seus direitos con-
culcados.
0 cynismo destes salteadores foi mais longe :
abusando da forra de qne dispunliam, apenas con-
cluo-se a apuracao da ultima cdula, e extrahidos
os diplomas, o commandante superior, delegado e
mais sucia avangaram quaes lobos esfaimados so-
bre a mesa, e, quaes novas harpas, apoderaram-se
do livro das acias, dizondo que o presidente da pro-
vincia assim Ihes ordenara I Kem foi permiltido
mesa a extraccao das aulhenlicas para serem
enviadas aos poderes competentes, sera duvida para
evitarem que all fossera narrados os escndalos e
arbitrariedades por elles praticadas.
Estas notas e informacfes torneras en pessoal-
mente, pois rara era a occasiao que nao me achara
na igreja durante o processo eleitoral, mesmo para
avaliar por mim mesmo como se embaie e Ilude o
inexpenente povo, cuja educacao do certo nao est
anda preparada para o desacreditado systema do
governo representativo no Brasil, Eo que mais
para admirar, as autoridades superiores sao as pri-
meiras a darera o mao exemplo lanzando assim o
povo em una dcscrenca perniciosa.
Urna reflexo e terminara.
Os conservadores nao Uzeram os eleitores, mas
quem renceu ? Seriam os ligueiros ? Nao, por
que a luta nao era de bayonetas policiaos, nem de
cacetes, de ameacas ; visto o governo sempre
vencedor : a luta devia ser de maior numero de
votantes qualificados, o este estevo sempre do lado
conservador neste municipio ; nisto foi o vencedor.
Neste mesmo dia (19) desappareceram todos os
ligenos a msica, e nem fizeram passeata, tanta
era a consciencia do triumpho ephemero, do certo
pouco invejavel, que criminosamente apparenta-
riain obter ; e no seguinte ( 20 ) sabia da villa s,
seguido de um escudeiro o sogro do meu genro,
chefe ligueiro.
Sua se. o Sr. presidente manda executar em
Valenga urna eleicao de eleitores a ferro e a fogo
para fazor erguer'uma faeco, que j morrea com
outro baptismo de liga ; para isto despacha um of-
ficial, e tropas, derailte odelegado, que er contra-
rio a liga, mas noinca outro decididamente parcial
ligueiro ; concede caria branca a individuos que
nada tem a perder nem azelar : tudo para esma-
candi-
Ex-
pliquem os sabios da escriptura, que segredos sao
estes da natura.
Urna cousa, porm, digna de mensaoa mesa
parochial aqui, com seu presidente sal vou o mu-
nicipio das scenas sangrentas que esta hora ter-
teresse pela regularidade do processo do que a sup-
plieanle, que com ella far valer o seu direito, e
de outro modoo perdera. Porque se o nao ensi-
na, nao ha accao alguma que possa nascer nerante
o seu poder, direito algum que possa ser prsenle
em juizo, discutido, verificado e aflnal julgado. Per-
sisti ainda no seu proposito de indeferir a sup-
plieante, dizendo:que depois de intentada a con-
ciliacao, defereria como fr de justica.
Mas o que a justica para o denunciado, vis-
ta do poder que se arroga nesses despachos ? E a
sua desptica vontade ; o seu quero, posso e man-
do. Nao ha outra. Poder sempre dizer :re-
qneira romo fr de direito, o juiz nlo obrigado
a subordinara ordem do processodeve evitar to-
da e qualquer irregularidade, etc. Assim nao ha
juizo possivel ; o juiz mata logo a accao. Ainda
se Ihe replicou !... Para que mais replica ? E
malhar em ferro fri. Se Ihe nao le vou mais a
replica. A replica nada tinha que j se nao livos-
se allegado muitas vezes.
Sr. Dr. ju>' de direito, esses modos do denuncia-
do revelariam summa estupidez, se toda luz
nao manifestassem summa perversidade de faltar
com a justica sem o mnimo temor de pnnico. O
denunciado nao guarda ao menos as apparencias,
vai at o escndalo do arbitrio o mais revollante,
aquelle que impe silencio palavra, que nao
quer que se discuta... Masjsso deve ter lira termo.
Estamos cm algum estado brbaro, acspolicor
cuja le a vontade do juiz, ou onde cada um faz
a justicia por suas maos, repellindo a forca pela
torea, sem recurso autoridade ? 1... Qual o-
fim de todas as nossas instituyos ? Para que a
nac,5o gasm tanto com juizes etc ? 1... Nao pa-
ra honrar o direilo, dando a cada um o que seu,
garantindo a sua liberdade, o seu trabalho. a sua
propriedade, a sua honra, etc., etc. ?... FraU'a-
qui, a desordem cora todos os seus horrores;
cri me rom o eolio levantado, sobranceiro mo-
ral...
Os fados argidos ao denunciado, e comprova-
dos rom o documento sao qualificados criminosos
no art. 120, 6 do Ced. Crim., por issoo denun-
ciante os traz aoconhecimento de V. S. para pro-
ceder conforme o art. 157 do Cod. do Proa, vi-.to
que o crime publico. De sua parte nao prose-
gue-o: porque...-! R. M.
Sobral, 24 de setembro de 1863.
/o<7o Felippe da Cunha Bandeira de Mo.
DESPACHO.
Nada ha que providenciar, visto que os despa-
chos do juiz municipal supplente tem por funda-
mento o art. 161 da constituicao eart 5da tlisposi-
cao provisoria, que nao pede ser entendida como o
faz dito denunciante, e ainda assim o sendo ao juiz
ertamente era que devia conheccr do caso.Ar-
chive-se para constar.
Sobral, 30 do setembro de 1863.Coila Fer-
rara.
COMMENTO DO DESPACHO.
O denunciado fez muito bem no que fez, negan-
do justica ao denunciante, e quando assim nao fos-
se a elle proprio que compete tomar conheci-
mentodoseu acto!crime.
Como v-se, era o leao fazendo KM com a onca pa-
ra dar cabo dos pobres conservadores valencianos.
Estupefacto com tantos cootos, o a ouvir e ver
narrar-sc tantos despropsitos, tanto cynismo e au-
dacia, as vezes queria convencer-mo de que tudo
Por volta de cinco horas, ainda eslava deitedo
quando o relinxar dos bucfalos veio-rae desper-
tar : corri janella c encontr! meu vizinho que
bata fortemente a minha annosa porte do meu
pardieiro. Oh l vizinho, venlia ver o nosso ve-
lho. .. como vai todo acodado ao encontr do ma-
jor Modesto. Dei narabens pela descoberte, quiz
aquillo nao era outra cousa mais do que a verdade observar-lhe que nao convinha accordar-rae a ca-
do rifao, que em lempo de guerra, mentira como cetc, mas calei-me, porque planejei utilisar-me de
Ierra, e que taes historias nao passavam de espa- sua companbia, e apenas respond : nao me disse
nholadas, e que as cousas se mostravam diflerentcs o vizinho que era conservador, porque nao vai en-
conforme o prisma por que se viam. contra-Ios ?
Mas fazendo-me urna vez de Job, pensei mais Ora, muito desojo tenho eu, mas o meu cavallo
fundo, e esporava de certo algum Warteloo politi- fugio ; e ha males que vem por bem ; porque, co-
co, algum terremoto universal, quando nao fosse mo Ihe disse, eu fui liberal at bem pouco tempo,
algum trama infernal que se forjava oceulto, ou e os amigos caraaradas prometteram agora neste
algumas saturnaes. Mas o quo succedeu ? Tudo campanha tirar-me o couro e recrutar os meus ur-
que eu pensava; nao houve eleicao, seno pro for- nocentes filhinhos, sem embargo do mais velho ter
mtU : assisti a um arremedo disto, e aflnal os elei- apenas onze janeirinhos. E note-se elles nao tem
teres foram nomeados pelas notes do Sr. presiden- razo de odiarem-roe tanto pela minha lvre me-
te Leo Velloso I thamorphosc, porque tambem efles eram hontem,
Bks urna outra mancira de executer-se a consti- ao que diziara, llberaes, carrapatos e hoje sio U-
tuieao do imperio e urna immensa soluc,ao dada ao gueiros.
problema d governo representativo 111 Queris Em lodo caso, eudesejo apresentar-me soraente
saber como um presidente executa urna eleicao em eom meus novos amigos e alliados. Ento amigo
Valenea do_Piauhy ? Attendtte et videte. Ihe disse, conversemos, assente-se; dei-nie aku-
0 Sr. Leao Velloso (o celebre ejt-presidente do mas informaces do seu povo. Tantas quantesq-
Alagas c Rio:Grande, depois de ter sido oito das zer, me respondeu.
da do Maranhao) havia mandado, contra urna juri- i A esto tempo vimos que j comecava a anonlar a
dica disposieao de seu Ilustre antecessor, fundada i vanguarda. Olhe, aquelle da frente o ex-deleca-
no art. 118 da lei de 19 de agosto de 1846, suspen- do de polica o major Manoel Modesto e aquelle
der a cmara municipal e juizes de paz legalmenle' outro da sua direita o velho coronel Candido de
eleitos, sem a menor sombra de vicio, mandando Souza Martins, influencias reaes dos conservado-
funcrionarcm os juizes de paz do quatrennio fin- res de Valenca; aquelle velho que Vmc. est vendo
do! E segundo me disse um carcter sizudo e! um dos nossos melhores caracteres ; seus prece-
grave o mesmo presidente conseguir da potestade denles honrosos, no espago de doieoove annos le-
de Marvao sede esdruxula do collegio que compre-! vando urna vida de abnegado ao seu partido' de
hende a freguezia de Valonea, o nao recebiraento sacrificios, sempre prompto e disposto, sao assaz
da eleicao que presidisse o juiz de paz major Ma- conhecidos e apreciados ; se Vmc. o communicar
noel Modesto, e tambera conseguir do presidente ha de ver o que franqueza, lhaneza, poldez e af-
ila cmara da capital nao ser apurada a dita elei- fabilidado para com todos, despido de certos
55o ; note-se que o referido major o juiz de paz prejuizos de fidalguia e aristocracia do meu anligo
mais votado tanto na aetualidade, como no quatrien- chefe.
nio pascado. As cousas neste p, vejamos entre- i O major ainda bem moco, mas nablidade e es-
tanto o que se passou. prito nao Iho faltara ; em 1860 fez o eommandan-
No anterior ao dia 8 me haviam dte que o se- te superior andar vendendo aieite s canudas qua-
guinte seria o da entrada na villa de todos os vo-; si louco, a dar explicacoes e satisl'acoes i todo
tantos, e que os ligueiros entraran! s 8 horas da viandante, porque o Modesto derrubou o seu cas-
manhaa e os conservadores s 5 da tarde. | tello feudal deste municipio, foi quando apreciei
De feito assim acouteceu. Logo muito cedo pela seu tino e actividade, e pode dizer-se que Coi o res-
manhSa pequeo numero de ligueiros seguio ca- taurador do partido a que segu. qne o nosso
valle a estrada que val da villa para oeste : um partido sempre foi mater que o finado partido li-
elle que nSo pode obter bucfalo velo postar-se beral, em cabedaes, em caracteres, era honradez e
eotnigo janella, e eram jostemente 8 oras quan-1 votantes. Aquelles dous que ladeiam o major 8 o
mo; mas confesso, que foi para mim novo aquello se-ho dado em outras liarles da provincia, e do
modo de fazer eleicao, onde a propria autoridade paiz em geral, onde os nimos forem menos paci-
era a primera a prender o volante dentro da gro-! fieos; no que, sem duvida merece ella o maior
ja, porque recusava aceitar sua chapa; e, em tu- elogio e louvor. Nisto nao fez mais do que execu-
do isto, admira-se o papel que representa um vil tar fielmente o pensamento do primero vulto poli-
instrumento destes, que commelte tees infamias s tico do Brasil, o Sr. conselheiro Torres Homem.
para servir ao amo I Em summa referir-lhe todas Xo paiz, onde estiver falseado oalcerce dogover-
as arbitrariedades comraettidas pelas autoridades no representativo, diz este distncto parlamentara
policiaes, que viam commelter-se crimes punidos, prudencia a primeira das virtudes dos partidos
pelo nosso cdigo criminal, e fecbavam os olhos,! politices, os qnacs nem sempre devem porfiar era
todas as infamias praticadas por esses caricatos po- reclamar todos os corollarios de sen direito, embora
uticos da liga neste provincia, de que declarou-se inconteslaveis, para nao arriscarem a sorte da
propagador o presidente Leao Velloso ; referir-lhe causa que representara e defendem.
tudo, seria am nunca acabar. E, pois, basta di-1 Adeos, meu caro redactor, se massei-o. descul-
zer-lhe que desde o dia 11 ale 19 estove a matriz' pe-me que foi desejo de sfir em tudo fiel verda-
em complete anarchia e despropsito, porque o de acerca da estupenda eleicao, que executou-se no
commandante superior, mancommundo com a poli-' anno de nosso Senhor Jess Christo de 1803 nesta
1 cia e cercado da sua quadrilha de salteadores e as- villade Valenca do Piauhy.Seu correspondente
sassinos roubavam mesa o direito de soberana 1 O tropeiro da Bahia.
e arroga va-se a si qualquer decisao que por ven-1 P. SAo fechar este emOeiras souhe haver falle-
. tura livesse dependente della, por|meio da violencia, cido em Valenca o tenente-coronel Francisco de
, vexaces, e I.! I.....Este directorio vedava a en- Souza Martins, que j nao viera eleicao all por
trada na igreja todo conservador. Encheu-so a se achar muito enfermo. Me consta que esse moco
cadete de votantes conservadores; fazia-se intima-.era muito sugeito mpressoes, e que sem duvida
coes e impunha-se a estes por ordem expressa do a fizeram-ihe incurtar os dias devido os insultos
commandante superior uns a obrigaco deguar- feitos pelo tal Cacaceno a seu bom to e oorreligio-
dareni os presos e os centenares de clavinotes que nario coronel Candido. Intelligentc e honrado,
disseram-me acharem-se all depositados; a outros aquelle nobre carcter deixon um grande vacuo
de se recolherem ao quartel-general para sahirem no partido conservador destt^Mtovincia, e inconso-
diligencias fra da villa III Cacaceno vivia en- lavel sua Exm* familia a
' chotendo os votantes vermelhos, anucm cobria das sames.
mais atrozes injurias, por meio de palavras gros-
seiras, estpidas e immoraes, propnas e dignas de'
. sua educacao de cgano, tees eomo canalhu. la-
t droes, patifes, fUluts da----e tudo isto se prati-
cava s barbas do aristcrata chefe dos ligueiros
neste infeliz comarca, do juiz municipal, do dele-I
Sado c subdelegados, e at me affirmarara de or-
era o conseutimento de tedas ellas I A audacia e
petulancia daquelle esbirro ia sendo causa de um
caso, cujas consequencias ninguem poderte prever
e assegurar.
O coronel Candido de Souza Martins vfo-se obri-
gado a sabir de seu carcter pacifico e usar de sua
energa para rechara-lo e rebate-le : grandes des-
ordens teriam ceriamente succedido se aquelle
enorme sendeiro nao se tornasse humilde de arro-
quem envi os meus pe
A JisricA.
O DR, JOS AIlf.EKSO DA COSTA FEHI1KIHA. O SI.TrLK.N-
TE O JUIZ MUNICIPAL E DELEGADO DE POLICA AIS-
TONUMpkXUl'NDO CAVALCANTE.MESTRE DA OBRA.
DOMINGOS JOS PINTO MAGA JOIIOR, RBULA EM
SOBRAL.
Illm. Sr. Dr. juiz de direito. -A V. S. denuncia
o advogado Joao Felippe da Cunha Bandeira de Me-
l, de Antonio Raymundo Cavalcanle, terceiro subs-
tituto do juiz municipal deste cidade, por crime de
prevaricajao qualificado no art. 129 6o do Cod.
Crim.
Pelo documento junte ver V. S.:
Que D Francisca das Chagas Bandeira de Mello,
RSrf&:MC s^^^'^zZrT1^
te ao conflicto nara ver s havia IhIvpt aimoi o Sltl I" A&na> na serra Meruoquinha, por An-
Enlretanto, aflluiam os phosphoros, e cada um o'ra em caminho, no lugar Julio, requeren ao de-
votava 4 e mais vezes. () Consto nesta provincia e fra d'ella qte os
A mesa, por mais que seexforcasse para obstar jurados em Valenca ( sem duvida ha excepces )
a tente impudencia e cynismo era violentamente votam vontade do commandante superior deste
desattendida, djsrespeiteda, senta-so tyranntea- municipio e algnns casos eitaram-me. Ora, isto
mente coagida sem nenhuraa garanta da su pro- unja infamia que os senhores jurados devem vin-
prla existencia physica porquanlo o que em outras gar e repellir.
Ao (rilMiH.il da rela^So.
Roga-se muito encarecidamente aos digos senho-
res desembargadores, que compoem esse egregio
tribunal, o cardoso obsequio de lerem cora 11111
pouco de atteneo as duas publicacoes abaxo, viu-
das do Cear.
A justica era Sobral tem andado em verdadeira
tropela, promovida pelo famoso rbula Doningos
Jos Pinto Braga, cujo carcter e perversidade do
anio nao tem qualificao, e pelo ex-juz municipal
baiharel Jorge Auguso do Brito Inglez, homem su-
pinamente imbcil, ignorante e estupido, e que
commetteu, durante a sua fatal judicatura quasi
todos os crimes previstos pelo art. 129 do cod.
crim. : Braga, mancommunado com Brito Inglez)
seu eompadre e amigo excorde, que o assessonou*
nos mais peq ni nios despachos, fazia ao mesmo-
tempo o papel de advogadoe de juiz.
O grande numero de appellacoes, que pairan
nesse tribunal, vindas daquelle termo, provan
evidentemente o que acabamos de dizor.
Em nossa mao temos documentos, que provam ir-
refragavelmente o quanto Brito Inglez prevarcou,
atropeleu a justica, aniquilou o direilo do cidadao-
em beneficio do referido r bulo, seu comprado o
amigo excorde, que nunca perdeu causa alguma,
sendo juiz o refirdo Brito, mesmo as mais injustas.
Bom juizo I I I
. Soreidm,
Recife, 27 de outubro de 1863.
Resposla -Queix do rbula Brapi-
Rha- do Sobral.
Illm. Sr. Dr. miz de direito Bespondendo
queixa por copia, que tenho presente, de Domin-
gos Jos Pinto Braga Jnior, sb o nome de Her-
mano Lopes Freir, cumpre-nos, antes de tudo,
desembrulha-la do cahos em que se acha eswolr
vida.
O que quer o mesmo Ptnto I de qne se que-
xa ?...
Queixa-se da senlenca que dei, despresando os
seus segundos embargos sentenca na accao de
forra nova e esbrulho, que propuzeram Jeronvmo
Jos Figueira de Mello, e sna raulher, contra her-
mano Lo|ies Freir, e sua mnlher ?
Quexa-se de ter eu julgado esses embar-
gos, sendo parenel por afflnidade e consanguinida-
de drtifro do quarto grao do direito cannico dos
referidos Jeronymo e sua mulher 1
Quexa-so do mandadado de restituicoo da
posse. que em vista dessa sentenca, raandei passar
sem necessidade de previa citacdo dos espoliadores
em execucao ?
Ou queixa-se de nao ter eu conctdido-lhe
vista para tereeiros embargos ?
Ou porque erig que me fosse aprsentela
a sna proviso, nao sendo elle formado e assiena-
do-seadvogado t
-~*,Qoal a queixa T alguma estas rnterroga-
cces 1 SSo tedas reunidas f On ha mais alguma
v


f
MU TIL ADQI






lorio de Pernambuco --- Qtiaria lelra tH de Outubro de lStag,

cousa, que nao escreveu. ou que por miope eu nao seu effeilo sera causa a menor .n.-itcrgo 1 de prejudicar as emucas as uiais delicadas; alas

-----
im um montad de palavras oucas de sentido pasllhas sao reeommendadas para a expulso das
toatiiunup cmphaucamente :os factos argidos lombrigas, como nico remedio que quajer urna
anstituem crinw de provaricaeo, estabelecidos nii prudente e humana pode administrar a seu
noart. 129 8 i. e 6. do Cod. Crs. I Obi... fHhinbos : sao absolutamente felaes aos vermes ra-
ase Sr. Pinto, como perante outras acredita, festinaos que eipukam do corpo sem que soja ne-
oiiss acreditar, que perante V. S. a lei sua von- eeesano o fazer-se uso de eat)tartieo,Tio predu-
tale ; basta cita-la, e ella se applica I Mas assim lindo evaouaooes violentas e debilitantes. Achara-
nao assim uao deve ser; cima de todos o de se conservadasem frasqutnhos de, crvstal 06 quae
tudo a lei, a lei sem aftodes nem odios. os preservamda humidade.
Ora, o que diz a lei ?... a venda em todas as boticas.
Quanto segundos embargos sentenciaa _______
Jos Luft Irnioeencio Poggf,
2* tenente.
Antao do Saeramento Rodrigues,
Alferes.
Francisco Gomes de Oliveira Sobrtnho,
2o tenente secretario.
Oni. 3. liL 88 pr. nejo os admitte : mandamos
nao possain as parles vir mais que com uns em-'
barbos, e depois de as parte virem com embargos,
posto que ellas ou seu? procuradores digara que
tem embargos ao despacho, ou desembargo que se
deu sobre les, nao serao ouvidos com elles, era
lites sita recebida petigao de aggravo, nem o feito
Jhes ser mais dado para v;rem com elles.
Mas Isso nao e que qn> o queixoso I...
Quanto ao parentesco era (erceiroou optarlo grao
(solio em meu apote Souj. Pit. Lan. Civ. art
915, Ass. for. Part. Civ. al. 206, cod. do proe. art.
61, Hcg. das Relaooes, dec. de 3 de Janeiro de 1833
art. 3, Reg. de 31 de Janeiro de 1842 art. 247, dcc.
de 25 de novembro de 1850, art. 86 3, que todos
s reconheeem legiiima a suspefcao per coosan-
gunidade ou afluidade at o segundo gro4 con-
tado segundo o direito cannico.
Mas isso o o ose qner e queixoso I...
Quanto ao mandado restituiterio da posse espo-,
Uada.eusioa-oPor.'e Sraua a, 948 : Para are*
tituicao dajwsso nao uecessaria citafio do reo
cm execucao da sentenca; mas basta que se apre-,
sent ao juiz o instrumento desta, requerendo-se-
ilie inandado ou ordem para esta restituico. E na
O. 786 : i Mas na exocuco da sentenca dada em
ceao de forca, nao necessara a citago do ven-!
ido para o vencedor se ratificar na posse : pois
assim como de facto o reo esbulhou o autor, tam-',
Iwm de [acto lite deve ser tirada a posse era virtu-
de da sentenca. Cor. Tel. Man. do Proc. Civ. J
562 : Se a sentenca manda restituir a posse ao
autor, este invasiido nella por autoridade de
justica, sinn jM-vht citac3o do executado. E no
422 : Porm o vencedor ejn aceito de forea nova,
o co-herdeiro que apresenta formal de partiiha
sao logo investidos na posso judicialmente, sem
dependencia de previa citado do executado.i
Mas isso nao e o que diz o queixoso I...
Quanto a vista para tereciros embargos, seria
mu claramente infringir a Ord. L. 3, t 88, por se
Ih'a eonceder-se. Jamis farei semelhante cousa,
seja o requerente o mesmo Pinto, ou qualquer
outro.
Mas nao isso o que qur quer o queixoso I...
Quanto a provisao, os a pedra de escndalo! Pois,
um horaem que se assigna advogado que nao
_formado em direito, que se diz teve urna provi-
eao, a qual ncui so ada registrada nos livros com-
petentes, nem consta sua apresentacao do proto-
ollo das audiencias, o que quera I... Que
rime I...
O crime, Sr. Dr. juiz de direito, a justica, a
lei, como V. S. v, que o queixoso qur que seja a
sua vontade, sirva os seus interesses, ande, ou
pare, ou \ ir de perna* para cima, segundo o seu
aceno. Louca preteugau !
O queixoso, parece, s sabe dvogar perante
juiz compadre, ou assessoriado, de modo que nao
perca utna questao, e zanga-se quando a vara pas-
sa outro casualmente, que nao se aelte as mes-
ntas comlcoes e aprega logo, que hade atana-
sa-lo. Que poder I
Isso nao pode ser ; preciso um termo ; porque
considero que um juiz, quando nao d a cada um
t que c seo, tira de um para dar a outro, faz o
mesmo que o ladiao, com a dihYrenca a favor des-1
te, que arrisca a sua vida, ou a parar na cadeia;'
aquelle mida arrisca.
De mim, nem o queixo por mais poderoso ou ou-
sado que seja, nem outro qualquer por meu paren-!
te do Adiio e Eva, ou confiado cm relacoes de ci-
yilidade, pode tal pretender ; porque, constituido
jttiz; abslrahio-me inteiramente de toda a conside-!
racae com as partes, para s ver o direito. Porque
o cargo de juiz nao para roubar as partes, nem
para fazer favores; cada um d ou faca-os do que
for seu proprio, nao do que de toda a sociodade,
do interese publico, moral e religioso jus-
tica. -
V. S. ver do documento junto...
Trata-se de urna acelo ioferga nova e esbulho,
qno deve ser logo decidida para a qual nao ha fe-
rias, dec. n. 1285 de 30 de novembro de 1853 art.
3 1 ">, e a cujo respeito a Ord. L. 3, t. 48 que
se exprimo assim : Todos os julgadores que co-
nhereai de forgas novas, procedam os feilos dol-
as, sem ordem nem figura de juizo ; e sem delon-
ga, nem estrepito os desembarguen). E no 2 :
Outro sim, abreviarlo quanto poderem as fila-
cues, que em outras causas costumam ser dadas,
e podero sentenciar os ditos feitos, estando assen-
W4
Ai I quo toaoo eu eraentao
Nesse teni|>o em que te amava,
Quando a la mgratido
O meu amor despresa va,
Quando em sonhos de harmona
Eu a tua iraagem va
A bauhar-me de ventura;
Erara sonhos de mentira/
-Nuiles quasi me Iludir,
Me entregando desventura I
Vi-te, amei-le fervoroso
Coma ao orvalbo ama a flor,
Adorei-te como adora
O justo a cruz do Senbor;
Tinha eu brando o coracao,
N3o tema a ingratidao
Que existia em ti brilhante :
Ai I na chamma della ardido
Lerabro-me boje, arrependdo
Desse meu intento errante.
Nunca tinha anda amado,
E o amor em mira fer vento
Quera ser a cari aliado,
Escalhi-te, inexp'hento ;
Mas t com risos mentidos ,
Nos leus labios exprimidos
Enganaste-me, mulher I
Oxal, se nunca amaste,
Que quando ehegues a amar
Te acntela igual contrasto.
Amei-te como poeta
C'o um amor ai dente e puro;
Era ti o bello scismar
Era s o meu futuro:
Nao amei a tua riqueza,
Adorei a tua pobreza
Que foi o dote que herdaste:
Como poeta, sim, amei-te,
Como poeta eu olvidei-te,
J que tambera m'olvidaste.
Hoje os teus padecimentos
Sao p'ra iniin indiflerentes;
So-me os teus' contentamentos
lloras vas, inexp'rientos:
Mulher louca, ambiciosa,
Nao te tinha eu tanto amor ?
P'ra que me martyrisasle
Com leu injusto d'esprezo ?
Queras antes a nobreza,
Ou antes, louca, o explendor T
E na vida lia mor riqueza
Deque seja o casto amor?
Oh! o amor este alimento
Que mantera a iptolligencia,
Este caro e grato alent
Que confera a existencia,
Esta doce inspiracao
Que dirgo a experiencia I
Mas td mulher nao oomprehendes
Esle gozo divinal,
Tens o coracao de marmor
E mesquinlto o ideal.
Vive, pois, nesse egosmo
Que te serve d'alimento.
Que com teu indilTrentismo
Viverci, sem soff/imento :
Se inqu'rida fores um dia
Se um instante mim amaste,
Dize que nunca m'olhaste,
Que p'ra ti eu nunca olhei :
Vive pois, para opulencia,
Que sem ti cu viverei.
J. d'Almbid.v.
Outubro de 1863.
Os inferiores dos corpo da guarda nacional des-
ta capital, abao signados, vom por meioda im-
prensa patentear ao Illm. Sr.s major Alexandre
Augusto de Fras Villar, o seu reconnecimento pe-
las maneiras delicadas e atteoeiosas com que sem-
pre os tratou durante o tempe que estiveram
aquarteliados sob seu digno commando.
1 catxa chapeos de seda para sol; a Carneiro &
Nogucira.
caixasfczendasdelaa, 2 ditas chapeos de sol,
de algodao, de alpaca c de seda; a Ferreira di
Araujo.
RecebedorU de rends InteriMs
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a26........ 42:4445761
dem do dia 2?................. 708*413
43:153*174
do
BSHl.id* |rrliiil.i!.
, Rendimeato do dia 1 a 26 XV1095090
Se o superior railitor que sabe manter a dtset- dem do dia 27... 2071J197
plina regularidade no servido torna-se digno de
encomios, muito mais o deve ser aquelle que como
o Illm. Sr. major Fras Villar, asumindo o com-
mando de um corpo, formado de contingentes ios
diversos cornos, procedeu por forma tal que du-
rante todo o tempo de seu digno commando, ne-
nhuma falta se deu no servico, alias bastante pesa-
do, sendo sao devido sem duvida nao s a execu-
clo do suas acertadas ordens, como ao delicado
trato o attencoes que empregava para ora os seus
subalternos, dando por essa forma nm desmentido
aquellos que acostamados a sorem negligentes em
seus deveres, e conhecendo em 9. 9. demasiado
xelo pek) servido, iulgavam impossivel que entre
S. S. e seus subordinados roinasse ordem, harmo-
na, respeito e disciplina.
Nao sao estos eipressQes Albas da lisonja, e sim
da gratido que Iba tributa os ahaio assig-
nados.
Segundo sargento, Antonio Ferreira de Deus Man-
dioca Cruz.
Segundo sargento, Jos Pedro Moreira.
Furriel Godofredo Jeronyno Lucas.
Sargento ajudante, Apdr Xavier Vianu.
Segundo sargento, Jos Leonardo Radich.
Furriel, Jos Franciseo d> Mello Carneiro.
Pri metro sargento do tereeiro batalltao, Andr Ave-
lino do Rosario.
32:1805287
MOVIMENTO DO PORTO.
Para os E\ns. Srs. presidentes da pro\incia e re-
larfi apreciaren eomo se administra justica
aa cidade de Goianna.
Calando todas as arbitrariedades e irregularida-
des e absurdos que se deram no processo da fallen-
ca do commerciante Candido Moreira da Costa
e Manoel Moreira da Costa Passos,com o fim de fa-
vorecer aos fallidos em razao de serem protegidos
tados ou em p, e a sentenca que elles derem seja pelo Sr. Antonio Francisco Pereira o qual seu
valiosa, a sem embargo de nos ditos feitos nao ser genro Manoel Jos Ferreira figurara como credores
fetaconeluso.. dos fallidos da insignificante quantia de 23:0005
Segundo sargento do dito batalhao, Manoel (Arillo
de Oliveira Jnior.
Primeiro sargento do dte, Hormillo Pereira Mon-
tero.
Segundo sargento de artilliaria, Jos da Costa
Arantes.
Primeiro sargento do dito batalhao, Francisco Jos
de Sampato.
Segundo sargento, Jos Hermenegildo dos Santos
Pina.
Segundo sargento, Hercuano Daniel da Silva Lou-
reiro.
Furriel, Joao Baptista de Memlonca.
Segundo sargento do tereeiro batalhao, Candido Ma-
ximiano de Almeida.
COMMEBCIO.
< i... i...... ....
\o\o llaitcu dePeiuaiulfuco.
O Banco toma saques sobre as pracas do Rio de
Janeiro e Baha.
NOVOMNCO
DE
PK\l!IBI"CO
EM 27 DE OTBRO DE 1863.
o Banco descoma na presente semana a oilo por
cento ao anno at o praso de qualro mezes e a dez
por cento at o de seis mezes.
_ Navl *ahido no da 27.
l araDyua -Escuna ingleza Ornar, capitid John
Gengelly.em lastro.
Observaeao
Suspenden do lamarao para Liverpool, a barca
maleza Counleis of Sefton, capttao Thoraaz Row,
com a mesma carga que trouxe de Pesagua (no
gao houverara entradas.
DIT1ES.
B
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provn-
CjfL em curopriinenlo da ordem do Erm. Sr. pre-
aidoBte da jirovincia, manda faier publico, que no
dia 5 de novembro prximo futuro, vo aovainente
praca para ser arrematado a quem por menos fl-
zer as obras abaixo mencionadas, servindo de ba-
Alfandega
Rendimcnlo do dia i a 26........
dem do dia 27...............,.
332:3815243
10:0525163
342:4335406
Hollnenlo da ulfandcga
Voluntes entrados com fazendas... 244
217
com gneros.
Voluntes sabidos

com
com
fazendas..,
gneros...
66
625
461
691
._ denegacao
niandando-se que os reos restituissrm tmmtaiala- data, ou formar-se o contrato da uniao.
m ne a posse expoliada. O juiz foi o Dr. Jorge Foi pelo juiz muuicipal suppleute Joaquira Jos
Augusto de Brito Inglez, que niio suspeito ao de Mello Snior, marcado o da 9 de setembro pro-
quelxosn pois, durante o seu quatriennio, sempre xmo passado : chegado esse da, nao obstante nao
decidlo em favor do queixoso, excepto s esta se terem dirigido aos credores circulares do escri-
':iUsa vo como preceita o art. 842 do cod. do comraer-
A.! de fevereiro do dito anno pediram os reos cio.estaitdo presentes alguns dos credores legtimos
vista para embargos sentenca, assignando elles residentes nesta cidade, mandou o juiz dizer ao
v-smus a sua peticao, e foram indefiridos; mas escrivo por um bilhete que nao podia Itaver reu-
voKando logo depois com urna replica, Velo (iieixaso, promptamentc se lites concedeu a no dia indicado deu-se o mesmo facto, que foi repe-
vista pedida Offereuidos os embargos, e discut- tdo por mais tres vezes, tendo a final lugar no dia
dos afinal, foram despresados em 2! de mato, indo 25 de setembro nessa reuniao havendo sido im-
quasi qtiatro mezes da primeira sentenca a esta, pugnado alguns crditos, o juiz de seu arbitrio no-
Quem (lesjiresou essos embargos foi anida o mere- meou urna commissao para verificar os crditos,
isMino Dr. Jorge Augusto de Brito luglez composta de tres inembros, e designou o dia 3 do
Depois do que. offereceram os reos segundo cm- eorrente para nova reuuio, nessa tendo a commis-
bargos a smtenga em 28 do mesmo mez, e discu- 5ao impugnados tres crditos legtimos, as partes
tidos, conclusos os actos, se poz unta pedra era ci- [wranm^i n Anna -..->.n.-..o #x n.n,niM
:ia, at que, conclusos mim, os decid a 24 de
agosto do i.'orrente anno, confirmando a primeira
n segunda senlcn^as, que j os autores haviam ob-
tipo, e que se v afl...
iouvaram-se em dous arbitros, e at o presente se
nao designou dia.
Devc-se notar que do 4o ao 5o dia marcado se
apresentaram como credores de insignificante quan-
I tas diversas pessoas que nada consta da escriptu-
ora, br. Dr. juiz de direito, um processo de ac- (ra5ao a seu respeito cora grave nfracgao da le, "
rao de foryi nova e esbulho, que dorme dous an- Jos interesses dos legtimos credores o que se
i -=. de 24 de agosto de 1861 a 24 de agosto_de avanza est provado dos documentos-extrahidos
s juizes que demoraram assim a justica, dos autos e podem ser promptamente ministrados
nao erara prevaricadores? E porque eu,' ao sr. |)r. promotor.
" lei, que acordei esse processo, pre-
1863!
porque nao
que cumpti
variquei ? I E' porijue aquillo eslava nos interes-
ses do queixoso, e isto nao. O intoresse ceg, ou Os abaixo assignados, penhorados pelas manei-
odiento e o queixoso mal acosturaado, entende ras urbanas e cavallteirosas com que foram trata-
que perder unta questao desacreditar-se, nao ter dospelo Hlm^Sr. major Alexandre Augusto de Fras
mais clientes que Ihe paguem bein. E este pro
j>iiament o motivo da presente queixa ;_ porque.
Villar, ex-commandante do corpo da guarda nacio-
,t nal aquartelado, fallar,iara ao mais sagrado dever
se comraetl alguma falta, da innlia decisao appel- perante opflblico nao patenteassem a esseeava-
lon o queixoso, como se v do documento, e a re- ^eiro os sentimentos de sua gratido e reconheci-
lagao que decida.
Mas o queixoso teme a relago, com a relago
nao qur negocios ; sent que a relac,ao lhe est
muito superior. Nao por kso, que ganhando aqu
& causas, envida todos os esforcos para que nao
cheguem relacao ; j dando-lhes' para appcllacao,
depois da sentenca, um novo valor que caiba na
alfada do juiz; j diloulundo o escrivo s ex-
traeces dos respectivos traslados ? Felizmente
para a justica, duas dessas questoes a de Mari-
nlio no Acarac, e a de Vicente Dias neslo cidade
que j foram decididas na relacao, o foram contra
ment.
Durante o perodo de mais de tres mezes tivemos
a satisfacao do servir sob as ordens do Sr. major
Fras Villar e nesse periodo nunca tivemos occa-
siao de nos arrepender de ter feito parte da forga
a seu mando. A mais completa fraternidade re
nou entre nos, e ella s era dstincta as occasoes
do servico, fra delle todos eram iguaes.
Receba, portante, o mesmo Sr. major e igualmen-
te o Sr. capitao mandante nao os-encomios que tem
a vil adulacao, mas os verdadeiros sentimentos de
seus companheiros d'armas que uns acabam e ou-
o queixoso. Porque nao uueixa-se' tambera contra tros continuam no servico militar reetndo-lhes o to 4 C.
esse tribunal ? fcil depois de soltar muitas
cousas, mesroo innocentes, ou conforme a lei, con-
cluir os fados argidos constituem crme de
prevaricacao. establecidos no art. 129 1 e 6 do
0>d. Crn. I...
Sr. Dr. juiz de direito, todo o nosso mal a fal-
ta de justica, eudesejo que a justica d Igualmen-
te em grandes e pequeos ; se errei, se commetti
alguma falta, algum crime, peco contro mim a
Justina, s sentindo que o queixoso O tenha elle
jiroprio asslgnado a sua queixa.
Notarei anda V. S., que a queixa, apezar do
d'.spacho de V. S., nao est jurada; ao menos
nesta copia que me remetteu o escrivo, to do
Sueixoso, nao vem o juramento. E ainda que,
evendo o escrivo faaer-me a remessa ordenada
|Kir V. S., dirigindo-se-me por carta respeitosa-
inente, eomo eumpre a nm escrivo, quando tem
e fazer taes intimases um juiz, nao o fez, ape-
nas um termo de remessa por um offlcial de justi-
ca, em menospreso. autoridade.
' Deus guarde V. S. felizmente. Sobral 22 de
setembro de 1863. Iflm. 8r. Dr. Jos Asenlo da
Cost Ferreira, multo digno juiz de direito da co-
marca.O 4 substituto do juiz munieipal,4G no Francisco Lmt*.
f
PUBLCAC&ES l PEDIDO.
Pastillas vera 'fojas de Kenp.
Aprasiveis vista e ayadavei m paladar, on-
posus de substancias do reoo vegeUl, prodozndo
sentmenlo nicamente do modo porque foi o ba-
talhao de ariilltaria dispensado de sua commissao,
mas nao importa. Uodie mihi eras Ubi.
Jos Gomes Leal,
Capito.
Maneel Nasci ment de Araujo,
Capito.
Joo Caetano de Abren,
Capitio.
Ignacio Pinto dos Santos Sazes,
Capito.
Cantillo Augusto Ferreira da Silva,
Tenente.
Joao Ribeiro Pessa de Lacerda Jnior,
Tenente.
Jos Joaquim Lopes de Almeida,
!? tenente.
Jeronymo Emiliano je Miranda Castro,
1* tenente quartel-mestre.
Joaqnim Antonio Henriques da Silva,
Alferes.
Jos Lepes de Oliveira,
Alferes.
Vicente Ferreira Pinto.
Altores.
Jos Francisco Brandad,
Alferes.
Manoel Osmundo da Cmara Pimentel,
2 tenente.
Arphelim Jos da Costa Carvalho,
Alfera.
Tboaai JosoMariaho,
Altaros.
Jos Alfredo de Carvalho,
Alferes.
Oescarregam no dia 23 de outubro.
Brigue inglez Katly Ellen.mercadorias.
Barca ingleza Aunmercadorias.
Briguo inglezZone -idem.
Brigue portuguez -Mercurio diversos gneros.
Brigue inglez Daniel Dyer -carvao.
Escuna ingleza Saiah BUen mercadorias.
lHi|or(;iro.
Briguo inglez Elty Elen, entrado d# Liverpool
em 22 do eorrente consignado a Mills Latham &
C, manifestou o seguinte:
66 fardos e 83 caixas tecidos de algodao, 10 ditas
lencos de dito, 2 ditase 6 fardos tenidos de linlto, 2
ditos dito de la, 1 dito tapete de la, 1 caxa pian
no forte, 1 dita mobilia, 25'tllas cha, I barril car
ne ; a Mills Latham & C.
40 fardos e 97 caixas tecidos de algodao: a J.
Ryder & C
7 caixas c 32 fardos tecidos do algodao, 1 -dito
dito de linho, 1 dito dito de algodao e la; a R.
Lghtbourne & C.
23 fardos e 13 caixas tecidos de algodao, 2 di-
tas e 2 fardos dito de linho; a Adamson Howie
&C.
12 caixas tecido de algodao, 2 ditas dito de la e
algode; a J. Keller & C.
i caxa tecido de algodao e la; a Schafheitlin
AC.
3 fardos tecido de la ; aos testamenteiros de
H. Gibson.
4 caixas Itrim de algodao, 5 ditas dito de linho,
2 ditas riscados de algodao ; a T. Jeffers.
9 fardos e 2 caixas tecidos de algodao, 3 ditas
dito de linho; a Isidoro Nelto & ('..
4 fardos tecidos de algodao; a Ferreira Si Araujo.
, 4 caixas tecidos de la e algodao ; a Carneiro &
Nogueira.
1 caixa tecido de linho; a Southall Mcllors & C
2 fardos c 3 caixas tecido de algodao 1 dita car-
teira e cadeiras; a Augusto C. de Abreu.
1 caixa brim de linho, 1 dita camisas de algo-
dao, collarinhos de linho c fazenda de dito ; a L.
A. Siqueira.
^ 1 caixa chapeos de sol, de seda o de algodao e
la ; a A. Correa de Yasconcellos.
12 barrieas enchadas; a Brander a Brandis.
i caixa miudezas; a Vaz A- Leal.
1 caixa cassas, 6 ditas tecidos de linho, 6 ditas
burras de ferro ; a Phtpps Brothers & C.
25 bar i< corveja, 15 ditos manteiga, 1 caixa
passas; a .Uanoel Jos Goncalves da Fonte.
3 caxoes miudezas ; a I.'D. D. Ribeiro.
38 barr linhos pregos ; a Rothe & Bidoulac.
70 barris corveja ; a Wilson t Hette.
60 chapas para caldeira, o barras de ferro, 1
caixa cha, ,1 embrulho estopa ; a C. Star & C.
1 caixa conservas, 1 dita biscoutos, 1 dita pre-
suntos ; a J. F. Lima.
50 gigos louc.a, 50 saceos piment, 3 caixas teci-
dos de linho, 63 toneladas lastro de pedra; a Saun-
ders Brothers & C.
1 caldeira ; a Francisco F. Borges.
20 laxas de ferro; a S. P. Johnston.
1 caixa effeitos particulares ; a T. Wchkwright.
leaixa camisas de crinotna, 10 barris oleo de
linhaca; a E. A. Burle &C.
50 barris baana ; a Pato Nash & C.
120 feixes aro* de ferro, I barrica vidro, 9 ditas
e 1 caixa ferragom, 200 fogajeiros } a Isidoro Net-
se a arramaiaco o offereci ment feito pelo lici-
tante Jos Augusto de Araujo, de 1 por cento de
abatnente.
Reparos da ponte de Marnucabinha na estrada
provisoria de Tamandar Piabas, avahados em
2:200* rs.
Reparos da cadeia da villa de Serinliem, avaha-
dos em 2:596* rs.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 26 de oulubro de 1863. 0 socretano, A. F.
: (TAiinunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
i cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico, que no
dia 12 de novembro prximo vindouro, vo neva-
mente praga, para serem arrematados a quem
mais dor os impostes abaixo mencionados, visto nao
ter Manoel Thotnae de Alboquerqne Maranho
apresentado o fiador na pnt que lhe foi mar-
cado.
2*500 por cabeca de gado vaceum na comarca
de Goianna, avahado annualmente em rs.......
7:289* 133.
20 por cento de agurdente na comarca de Pao
d'Alito, avahado annualmente em 270*293.
As arrematacoes sero feitas por tempo de 31
mezes, a contar do Io de dezerabro do eorrente an-
no a 30 de junho de 1866.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 26 do outubro de 1863. 0 secretorio, A. F.
d'Annuncianao.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que os contratos das obras dos reparos de que pre-
cisam os 22* e 23* landos da estrada da Victoria,
foram transferidos para o dia 29 do eorrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 22 de outubro de 1863. O secretario, A. F.
d'Aiinunciacii.
O capito JosLuiz Pereira cavalleiro da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de paz do primeiro dis-
trlcto da freguezia do Santissimo Sacramento do
bairro de Santo Antonio da cidade do Recife
provincia de Pernambuco em virtude da lei etc.
Faco saber aos que a presente carta de editos vi-
rem que por parte de Rabe Schraetlau & C. me
foi feta a potico do llteor seguinte :
Dizem Rabe Schinettau & fj., que querom fazer
notificar Servulo Pereira da Silva, para amiga-
vclineiiie e por raeiodo conciliacjio pagar aos sup-
plicantes a quantia de 8623460 e seus juros, im-
portancia de duas letras mercarais vencidas; re-
Nauta Casa da Misericordia
Reeife.
A Illm.'junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que
no dia 29 do eorrente mez pelas 4 horas da tarde
na sala de sjjas sessoes tem de ir praca as ren-
das das casas ab?ixo declaradas por tempo de um
a tres annos. Os pretendentes devera comparecer
acompanhados de seus fiadores ou munidos de car-
tas destes. ,
Estabeiecimeoles de caridade.
Ra Direita.
N. 4 particular e 33 publico nm andar.
M. 82 particular e 5 publico 3 andares.
N. 8a particular e 7 publico 3 andares.
Ra do Padre Floriano.
N. 6 partkolar e47 publico casa terrea.
N. 7 particular e 45 publico casa terrea
N. 66 particular e 63 publieo casa ter-
rea...............
X. 90 particular e 13 publico easa ter-
rea.......... .. ..
Beeco da Carvalha.
X. 10 particular e 5 publico casa ter-
rea....... .. ..
Ra dos Pescadores.
X. 16 particular e 11 publico casa ter-
rea........ .....
Ra da Calcada.
N. 21 particular e 38 publico easa ter-
A MARQUEZi
acea a multo aplaudida i
Subir scena a muito aplaudida comedia eu
actos
565*000
900*000
900*000
186*000
126*000
140*800
166*000
149*0001
200*000
rea................ 156*000 F^'"rSi f? Por,u5fal:
Segue-se pelo professor da orcIieSu-a, o Sf. Pedro
Nolasco Baptista, no sen offelide
n MA fyiYATIlll.
uepois pelo actor Penante, e a actriz Camilla
0 MEIRINHO E A POBRE.
Dar im o espetaculo a nwa contedia em 1 aclo
O MOUBO DE VBNEZA
Os bilbetes podem ser procurados na casa do be-
neficiado e no theatro.
Comecar as 8 horas.
Prepara-se para subir scena no dia 31 do cor-
rente, com todo o brilhantismo que pede o autor
o drama em cinco actos, de grande espectculo,
A CRUZ OU 0 TALISMN.
Do dramaturgo Sr. Luiz de Vaseoneellos de
Azevedo e Silva.
Para sotemnisar o aniversario natalicio aVS. M.
Desde j est a dispwipo do publico os cama-
rotes e eadeiras.
AVISOS MARTIMOS.
Ra de Hurtas.
X. 29 particular o 41 publico 2 an-
dares. .............. 400*000
Ra da Roda.
N. 35 particular e 3 publico casa ter-
rea......~........ 108*000
N. 36 particular e 5 ..pblico casa ter-
rea ............
N. 37 particular e 7 publieo casa ter-
rea........ .. ..
X. 92 particular e 1 publico casa ter-
rea.. .. ......
Ra da Imperatriz.
N. 46 particular e 68 publico casa ter-
rea................ 306*000
Ra da Gloria.
N. 51 particular e 65 publico casa ter-
rea .. .. .......
Ra do Encantamento.
X. 52 particular e 3 publico 3 andares
Ra do Azeite do Peixe.
N. 53 particular e 1 publico 2 andares
Ra da Lapa.
N. 56 particular e 8 publico 1 andar.
Ruado Pilar.
N. 59 particular e 73 publico casa ter-
rea... .. ..........
Ra de S. Bom Jess das Crioulas.
N. 61 particular e 8 publico casa ter-
rea ........
Ra da Cruz.
N. 68 particular e 15 publico 3 anda-
res .............
Becco da Lama.
N. 75 particular e 30 publico casa ter-
rea ...............
Travessa do Carcerciro.
N. 85 particular e 11 publico casa ter-
rea............... 100*000
Patrimonio "e orphos.
Becco das Roas.
N. 39 particular e 18 publico 2andares
Ra da Moeda.
X. 14 particular e 21 publico casa ter-
rea............... 251*000
Ra do Amorim.
N. 54 particular e 21 publico 3 anda-
res...............
N. 56 particular e 26 publico casa ter-
rea...............
Ra do Burgos.
N. 69 particular e 21 publico casa ter-
rea...............
Ra de Sobo.
N. 12 particular e 3 publico casa ter-
rea............... 245*000
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife 24 de oulubrode 1863.
O escrivo, F. A. Cavalcanti Coussero.
Conseibo administrativo. Para o Rio de Janeiro
O conselho administrativo para forneetmento do pretende seguir com muita brevidade o pataeho
arsenal de guerra tem de contratar o rancho da nacional Regulo, tem parte de seu earregamente
companla de menores do arsenal de guerra nos prompto : para o resto que lhe falta e escravos a
mezes de novembro e dezerabro prximos vin- \ frete, trafa-se com os seus consignatarios Antonio
COMPANHIA BBASELEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos por tos do su I esperado
at o dia 30 du crrente um dos
vapores da rompan hia o qual de-
pois da demora do costume se-
seguir para os portes do norte,
esde j reeebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no da de sua chegada: eacom-
jnendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as t
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escrptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COJIPV1HIA
| DAS
MESSAGERIES IMPERIALES
No dia 30 do eorrente espera-se
dos portes do sul o vapor francoz
Bearn, coroutandantc Atibry de la
"oc, o qual depois da demora do
stunte seguir para Bordeaux
tocando em S. Vicente e Lisboa.
Em 8. Vicente ha um vapor em correspondencia
com Gore.
A companhia encarrega-se de segurar as mer-
cadorias embarcadas a bordo dos vapores, assim
como tambem recebe dinheiro e objectos de valor
I com destino a Londres em transito por Bordeaux.
e Boulogne.
Para as rondiees, fretes e passagens trata-sc na
agencia ra do Trapiche n. 9.
Dos portos do norte esperado-
at o dia 2 de novembro o vapor
Princeza de Joinville, comman-
dante o capito de fragata Santa
Barbara, o qual depois da demora
do costume seguir para os portos do sul.
7*,snon Desde Ja recebem-se passageiros e engaja-se a
'z** ; carga qua o vapor poder eonduzir, a qual dever
I ser embarcada no dia de sua chegada, eocommen-
7i*nnn das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
/j,uuu ras a(,enPia mi (jas Gnu B. j( escrptorio de An-
j tonio Luiz de Oliveira Azevedo t C
Para o Rio de Janeiro segu com brevidade
a escuna Emilia, rece De carga a frete t a tratar
89*000
112*000
120*000
144*000
480*000
600*000
144*000
183*000
s.
120*000
1:0005000
91*000
300*000
3000008
cora Francisco Jos
capito a burdo. -
da Costa Araujo, ou com o
querein k \. S. se digne mandar notifcalo para o douros. Luiz do Ofiveira Azevedo 4 C., no seu escrptorio,
im ex|iosto, pena de revelia, e por quanto o sup- J ps0 de quatro oncas, bolacha, assucar refinado roa da Cruz n. 1.
i pilcante se tenlta ausentado desta cidade dizem que de segunda sorte, caf em grao, cha hyson, man- -------------------
" teiga rranceza, carne verde, carne secca, farinha da ...
do Mar-! mate Dous Irmaos, segu nostes das : a tra-
para o sul do imperio, mas se nao sabe o lugar
certe onde exista, querem os supplcantes justifi-
carem a sua ausencia para julgada, ser elle citado
por carta edital para dita conciliaco, passando a
referida carta com o prazo legal do estylo.
Pede ao Sr. juiz de paz deferimento, e receber
inerc. .Como procurador Luiz Francisco de Mello
Tavares.
Xa qual peti^o dei o despacho que so segu.
Justifique, primeiro districto de Santo Antonio 12
de outubro do 1863.Pereira.
Emvirtudc do qual despacho se procedeu a in-
quirco de testemu>thas, que depozeram sob o ju-
ramento dos Santos Evangelhos a respp'ito da au-
sencia e Incerteza do lugar da residencia do justi-
ficado Servulo Pereira da Silva, e sendo tudo au-
thoadoe preparado me vieram os autos conclusos
e por mim lidos, nclios profer a sentenfa do theor
seguale :
Visto prqvar-se pelo depomentos das tosmunhas
que o supplicado Servulo Pereira da Silva se acha
ausente em parte incerta, hei por justificada a sua
ausencia, e passe-se carta de editos com o prazo de
30 dias pagas as custas pelos justificantes.
Primeiro districto da freguezia de Santo Antonio
do Recife 16 de oulubro de 1863.Jos Luiz Pe-
reira.
Xada mais so continlia era dita sentenca dada
nos autos por beut da qual se passou aos justifi-
cantes o presente edital com o prazo de 30 dias,
pelo qual se chama e cita o referido Servulo Pereira
da Silva para que dentro dos 30 dias corapareca
por si, ou por seu bastante procurador, prenles e
amigos para se proceder aos termos de conciliago
na forma da petifo e qualquer outra pessoa para
que lite faca saber desta mesma cUac.o afim de
que elle nao fique indefezo.
O portelro deste juizo publicar este nos lugares
mais pblicos deste districto, e o afflxar passando
certido em forma.
Dadae nassada neste primeiro districto da fre-
gaeziade Santo Antonio do Recife 19 de outubro
de 1863.
E eu Joaquim da Silva Reg escrivo que o es-
crevi.Jos Luiz Pereira.
Ao sello 300 res.Valha sem sello ex-eausa. -
Pereira.
nada mais se continha emdto edital a que me
reporto e dou fe, e vai a preente sem cousa que
duvida faga na forma do estylo e por mim eserip-
ta e assignada.
Primeiro districto da freguezia do Santissimo Sa-
cramento do bairro de Santo Antonio da cidade do
Recife da provincia de Pernambuco aos 16 dias do
mez de outubro do anno do nascimouto de Xosso
Senhor Jess Chrislo de 1863, 43 da independen-
cia e do i mper do Brasil.
Subscrevi e assigaei, em f da verdade.=0 escri-
vo Joaquim da SiWa Reg ______
Aracaty.
0 hiate Dous Irmaos, 9egue nestes dias
tar com o Sr. Joo Alves de Quintal no trapiche do
algodao.
trra, feijo preto ou mulalnlio, arroz
nho, teucinho de Lisboa, azeite doce, vinagre, ba-
calho.
Para o arsenal de guerra. Para o Rio de Janeiro pretende seguir com
Pranchoes de sicupira com trinta c dous pal- muta brevidade o brigue nacional Almirante :
mos de comprimento, quatorze polegadas de largu-. tem parte de seu earregamente prompto, c para o
ra e nove ditas de grossura, tres frechaes de ma- resto que lhe falta, trata-so com os seus consigna-
deira de qualidade com quarenta e cinco palmos taros Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, no seu
do comprimento, lencol de zinco com 1,600 pal- escrptorio ra da Cruz n. 1.
mos quadrados para coberta um, taboas de louro P m II! S~iir^--------------'
de refugo duzias dez, cabo de linho branco de 1 Yara 0 l 10 e JilIH'iro
1/2 polegadas pecas duas, brochas batidas milhei- deve sahir com brevidade a escuna nacional Cun-
ros vinte, taxas d'e bombas pequenasmilheiros vin- j poneza : quem nella quizer carregar ou entilar-
te, ditas ditas grandes milheiros vinte, linha de car escravos, pode dirigir-se .ao largo do Corpo
barca para caixas de guerra pecM vinte, fio ama- Santo n. 6, segundo andar, a tratar com Marques
relio novellos cincuenta, flanella para suadores de Barros & C.
selins covados cincoenta.
50 arrobas de oca, 20 alqueiros de cal branca,
10 arrobas de rocho trra, 5 arrobas de alvaiade
Vrndc-w
O muito veleiro palhabote americano /lo-
do chumbo, 5 arrobas de alvaiade de zinco, 5 ar- \bert & Troth de 151 toneladas, construido
50 barris cerveja, 2 barris oleo de linhaca, 3 di-
tos conservas, a caixas agoardenle, 1 dita saino, 2
ditas cha, ttditas miudezas, 3 ditas e 2 barris mer-
cadura de linho, 56 caixas folhas de landres, 26
ditas (erro galvanisado, 10 rallos chombo, 1 caixa
e 2 barris presuntos e teucinho, 1 caixa tecido de
algodao e la, 57 ditas e 17 tardos tecido de algo-
dao, 8 ditas dito de linho, 2 barricas cutileria, 1
aria camisas de algodao, 1 dita raeias de dito e 1
barrica e 60 gigos louca ; a ordem.
2saccos amostras; a diversos.
Brigue ingtei Daniel, entrado de Cardiffent 26
do correte consignado a Wilson & Hette, mani-
festou o seguinte :
315 toneladas de carvo de pedra e 2 fardos for-
ro ; ao meemos.
Brigue inglez Zone, entrado de Liverpool em 14
do correte consignado a Saunders Brothers & C,
manifestou o secuinte :
SA fardos e 10 caixas fazendas de algodao, 5 di-
tas, de ditas de hubo, 4 ditas naohinismo, 6 barri-
cas fcrragens, 6 ditas oraros de ferro, 20 ditas en-
xadas, 1 feixe correntes, 306 fogareiros, 50Jpesos
de ferro, 50 chapas de fogao, 50 lampos para as
ditas, 13 gigos c 9 barricas e 3 cestos loufa, 368
barriras cerveja, 50 barris manteiga de vacca. 100
ditos banha de poroo, 200 saceos arroz, 1:000 cai-
xas sabao, 3 voluntes amostras, e QO toneladas de
pedra de lastro ; aos consignatarios.
38 fardos e 30 cajxas fazendas de algodao; 1 vo-
lurae doce, l etilo amostras ; a Braga Son & C
2t harrisJM*; a Milis Latnaa & C.
McaisM plktspfcu-ov, a Remira MartiM.
1 caixa fazenda de atgodJ; a Arm lhtn>
gu &C.
DECLARARES.
Caixa filial em Pernambu'-a.
Por ordem da directora do banco do Brasil sao
convidados os senhores accionistas Iecalisados na
caixa filial de Pernambuco recomen:m ah al o
da 23 de Janeiro de 1864 a nona e ultima presla-
fo de 10 0/0, ou 20* por accao, de confermidade
cora os artigos 8 e 9 dos estatutos dirbanco do Bra-
sil, e art. 45 dos estatutos da caixa filial.
Sala das sessoes da directora da caixa filial do
haoeo do Brasil em Pernambuco 1.* de outubro de
1863.O secretario,
Jos Mamede Alves Ferreira
Greci ftcr.-l.
Pela administraco do correio desta cida-
de, se fyr. publico para tns convenientes,
que em viriude do otsposlo oa arL 138 do
regula ment geral dos crrelos de 21 de
dezerabro de 1844, e art. 9. do decreto
n. 785 de !5de maio de 485!, se proce-
der o couiummo das carias existentes nesta
administraco periencettte ao mez de oulu-
bro do anno passado, no dia 3 de novembro
prximo s 11 horas da manha na porta do
mesmo correio, e a respectiva lista se acha
desde j vista dos interessailo.
Administradlo do correio de Pernambuco,
24 de outubro de 1883.
O adminjaiador,
Domingos dos Passos Miranda.
robas de verde crome, 5 arrobas de seccante, 2
barris de verniz Blac.
Para o hospital militar desta provincia.
Copos de vidro para agua doze, hacas de rosto
dozc, pratos quarenta e oite, chinellas pares vinte
e sete, camisas de meia doze, colxSes de panno de
lilil cora nove palmos de comprimento e tres di-
tos e meio de largura cheios de la sessenta, tra-
vesseros de panno de linho com tres palmos e
meio 4u comprimento cheio de la sessenta.
Quem quizer contratar os gneros alimenticios
da companhia dos menores do arsenal, e vender
os objectos cima declarados apresentem as suas
propostas em carta fechada na secretaria do con-
selho as 10 horas da manha do dia 30 do eor-
rente.
Sala das commssies do conselho administrativo
para fornecimento do arsenal de guerra, 23 de
outubro de 1863.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastio Antonio do Reg Rarros,
Vogal e secretario.
f-urroio geral.
Pela administraco do correio desta cidade so
faz publico que em virtude da convenco postal,
celebrada pelos governos brasileiro e francez, se-
rlo expedidas malas para a Europa no dia 30 do
eorrente pelo vapor francez Bearn. As cartas se-
ro reoebidas ate 2 horas antes da que for marca-
da para a sahida do vapo, e os jornaes at 4 horas
antes
Administraco do correio de Pernambuco 24 de
outubro de 1683.O administrador.
Domingos dos Passos Miranda.
Por ordem do Illm. Sr. Dr. cuele de
polica faco publico, que pelo subdelegado
do districto de Beberibe foi preso e acha-se
recolhido casa de detenco o Afrieano Joa-
quim da Costa, que se presume ser escravo
e estar fgido.
Secretaria de polica de Pernambuco, 24
de outubro de 1863.
Eduardo de Barros F. de Lacerda -
Arremata eo
Quarta-ieira 28 do crrente, depois
da aadiencia do Illm. Sr. Dr. juiz
municipal da segunda yra, continuar
a arrematacao e diversos escravos dos
januHHi-ia'dos por este Diario, per-
lencntes a heranca do finado Js Fer-
nando da Cru.
em 1838, inteiramentc de carvalho branco,
forrado de cobre e muilo proptio para a
navegado desta costa, por somente deman-
dar 9 ps d'agua estando muilo carregado :
trata-se at o dia 28 do eorrente com 06-
Srs. Thom, Burkinhyoung & Roberts.
-arao Cear
O palhabote GariboJdi tem parte da carga : pa-
ra o resto, trata-se com Tasso Irmaos.
Para o Rio de Janeiro.
O brigue nacional Belizario, prestos a seguir
para all, por j ter parte do seu earregamente,.
tambem recebe escravos a frete, c alguma carga,
nuda: os pretendentes dirijara-se no large do-
Corpo Santo n. 6, segundo andar.
LEILOES.
THEATRO
DE
UJHPRKZA
DI
A. J. DUAITEMIMBA.
BENEFICIO DO ACTOR
AMOMO JOS PEIXOTO fiUlMalUKS
Qoarla-eira, U do tonta lo 1863.
Depois que os professores da orcheslra tivarom
executado a grande ourertura
DE
FAZK\IM*.
iio.ji:.
A' requerimento dos administradores da massa
fallida de Se Ftlbos & C. e por despacho do-
Illm. Sr. Dr. juu esjwcial do commeraio, o ageale
Pestaa far, leilao de faicndas todas de lei c pro-
prias do meneado taes como madapeKes, algoddes,
chitas, cassae unas ele, pertoncentes a referida
massa que serao vendidas em lotes vontade dos
compradores no dia cima determinado pelas H>
horas da manha no armazem da mesma ra da,
Cruzs.36.
LEILAO
HOJE
O agesto Pinto levar leilao pela terteira vez
os dividas activas da massa fallida de Victorino Jo-
s Ferreira, servindo de liase a maior oflerta ob-
tida no segundo leil3o, isto s 10 horas de dia ci-
ma dito en seu escriptoro ra da Cadeia n. 44.
SSaA#
MOJE
uarta-felra 2 doorree
roa da Cadeia ai. wBoawopa-
Pelo agente Euiebio se vendar em wilao di-
versas obras de mamnejria senflo 2 estantes de
amarello para hvros, 2guardaroupa, mesas els-
ticas, 2 paros de cadeira dbala^* americanas,
camas de balaustres para Miro e casal, ditas de
ferro, uro moWia de mareO vinhatteo a Luit
XV consolos e iardineira de amarello raiz com
tam'po de superior marmore htaeo, mesa redon-
da nwooezas, candelabro de tidro, jarros ricos
de'porcelana dourada, relogios, quadros com ricas
molduras, tooeadores, lavatorios, beroo, soRs, ca-
bides, mesa para advogado, porta flodr, i guardo
kwca, cadatras, Instrt de 8 ItusS) castiaes, copos,
gnalas e outros objectos.


.

aas-


QaarU felra SS de Outubro de 18S8.


Mobilias, crystaes, obws de uro e
brillantes e oatros muitos arligos
de gosto.
QuinU-feira 29 do correle s 10 horas.
LOTERA.
CASA DA FORTUNA.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
publico que vendeu nos seus muito afortunados bi-
lhetes garantidos o bilhete inteiro do*n. 235 com a
sorte de 5:0008000 e outros muitos de 100*000,
' 40*000 e 20*000 da lotera que so acabou de ex-,
No aromera e pnmeiro andar do_ sobrado sito na ,rahir a ^^^^ do Gymnasio, e convida aos pos-1
travessa do \iganon. 27 oao do Carpo suiaorcs e ditos bilhetes virem receberseus
Santo aondeestiveramulumameme os Srs. Lin- respectivos preraios sem descont aigum em sea
den Wild & C. i estabelecimento da Gasa da Fortuna, ra do Cres-
0 agenteOlympiono da, era e lagar cima* ^
vender em leilao os objectos seguintes : ) "o mesmo tem exposto venda em sua dita casa
1 mobilia de Jacaranda a Law XIV composta de e nas outras 0 costume, os novos eaiortunados
18 cadeiras de guarnico, 4 de braco, 1 sof, 2 bilhetes garantidos da segunda lotera extraordina-;
consolos com tampes de pedra marmore e 1 mesa rja> cuja sor(e niaor e de 10:000000, a beneficio
de meio de sala com dito, urna pprco de papel da ganta (;asa Misericordia, que se extrahir a
para forro de casa, diversos quadros com moldu- g c noVembro prximo, e as sorles que obtiverem
ras douradas, urna porcao de caixas de charutos ; sera0 [a mesma f6rma pagas
estrangeiros, 4 carteiras para escriptones, i
BRILHANTE.
S.. 84
SASTACRUZ.
armacao de pinho para armazem de fazendas, au-
zias de calix para vinho, mappas geographicos,
apparelhos de louca, 1 mobilia de Jacaranda com-
posta de 16 cadeiras de goarnicao, 2 de braco, 2
de balanco, 2 consolos com pedra marmore, 1
mesa de meio de sala com dita e 1 sof, 1 grande
pete para forro de sala, 1 guarda vestido, 1 mesa
elstica, 1 apparador, 1 lavatorio cora pedra, urna
can franceza, pares de jarros para flores, com-
modas, 1 mobilia de Jacaranda composta de 12
cadeiras de guarnicao, 2 de braco, 2 consolos com
pedra marmore o 1 sof, 1 apparelho de metal
prateado e outros muitos artigos que cstaraq pa-
tentes aos compradores na vespera e dia do leilao
Preeos.
Bilhetes inteiros..... 12499?
Meios bilhetes...... 5000
Para as pessoas que comprarem
de 100* para cima.
Bilhetes........ "fjOO
Meios......... 5*600
Manoel Martins Fiuza.
REVISTA
DE
Palhabotc americano Robert X.
Troth.
QuinU-feira 29 de outubro ao meio dia em ponto a
porta da assoeiacio eomntereial.
O agente Pinto legalmente autorisado far lei-
lao por cont e risco de quem pertencer do casco,
mastros, vellas e mais pertences do palhabotc ame-
ricano Robert W. Troth, de 151 toneladas, forrado
do cobre o proprio para navegacao desu costa,
o qual ser vendido Ul qual se acha fundiado nes-
te porto no dia e hora cima dito a porta da asso-
ciaco eommereial.____________________
DO
Instituto Archeologle e Ceo-
graphlco Pernambncano i
publicou-se o Io numero (o de outubro de 1863.)
Subscreve-se na livraria de Jos Nogueira de Son-1
za ao arco d Santo Antonio, por 5* annuaes, pa-
gos a entrega do Io numero. Nmeros avulso
1*500.
I.KII-VO
DE
l m cabriolet de 1 rodas com ar-
re los e cavaI lo.
QwnU-feira 29 do correle s \\ horas.
Na poru do armazem da travessa do Vigario n.
27. oito do Corpo Santo.
O agente Olympio vender em leilao um ca-
briolet de 4 rodas com arreios e cavallos.
Traasfeie.tia do lelo defa endaspa-
ra aiuanha 29 do coi-rente.
O leilao de fazendas pertencentes a massa falli-
da de Seve Filhos & C, annunciado para hoje nao
tem lugar em consequencia das mercaduras nao
se acharem ainda em ordem e por isso Ika trans-
ferido para amanhaa 29 do corrente pelas 10 ho-
ras da manhaa.
LE1L&0
DE
Mobilia, escravos, miudezas e peifu-
marias.
Sexla-feira 30 do corrente.
Roa da Cadeia n. G, andar.
O agente Pestaa vender em leilao por conta
de quem pertencer urna elegante mobilia de jaca
randa de apurado gosto cem tampos de pedra, 1
cama de dito no mesmo sentido, 1 rico guarda-
roupa, 1 guarda louca, lavatorio, bercos, cadeiras,
quadros, mesas, louga de mesa para janUr e al-
moco, vidros, casticaes, espelhos, quadros e outros
muitos objectos me sero patentes:
Em continuadlo diversos escravos de ambos os
sexos.
Em seguida diversas miudezas e perfumaras
sem limites : sexU-feira 30 do corrente pelas 10
horas da manhaa na ra da Cadeia do Recife n.
6, segundo andar._________________________
Transferencia para segunda-feira 2 de
n .M'iiiliro de 18(i3.
O leilao de mobilia, escravos e miudezas annun-
ciado para sexta-feira 30 do corrente nao pode ter
lugar no dia cima e por isso flea iransfendo para
0 dia segunda-feira 2 de novembro de 1863, na ra
da Cadeia n. 6, segundo andar. ______________
LEILAO
DE
Urna loja de alfa ate rni do imperador
d. 40 a iiiobihi.
Terca-feira 3 de novemhro.
O agente Pestaa legalmente autorisado vender
em leilao por coudo quem pertencer urna loja
de alfaiate na ra do Imperador n. 40, consundo
depaletots de panno, casemira, casacas, calcas de
casemira e brim, colleles de dito, pannos pretos,
casemiras, brins, camisas de meia, gorguroes pre-
tos e de cores, sedas para forro, boloes de todas as
qualidades, um fiteiro de amarello, i cofre, mesas
e carteiras e muitos outros objectos que sero pa-
tentes.
Era seguida urna linda mobilia branca ameri-
cana, ricos quadros, relogios de parede, lindos en-
feites para cima de mesa, cadeiras de balanco,
commoJ.i, lavatorio, marquezas, guarda loua,
louca, espelhos dourados e muitos outros objectos
que seria enfadonho o enumcra-los e que serao
patentes terga-feira 3 de novembro de 1863.
Francisco da Silva Car
doz faz sciente a todos os
seus dtvedores que nesta
dita tem autorisado. ao
Sr Antonio Jos d* Si-
queira para liquidar to
do o activo da sua casa,
portanto seus devedores
fe queiram entender com
mesmo senhor respeit" ao
pagamento de seus debi
tos uoprazo de 8 dias, e
pode ser procurado na
ra do Imperador n 4 0
liecife, 23 de outubro de
1863.
20000
800
1(5400
800
640
400
560
40500
10000
20240
720
560
1000
640
560
AURORA
LARGO DA
Francisco Jos Fernandes Pires, dono do grande estabelecimento de mo-
lhados denominado AURORA BRILHANTE, avisa ao respeitavel publico tanto
da praga como de fra, e com especialidade aos seus freguezes, que o seu estabe-
lecimento acha-se prvido de novo sortimento de bons gneros tanto do paiz co-
mo do estrangeiro e prometa vender muito em conta tanto a retalho como em
grosso:
Biscoutos inglezes em latinbas
muito enfeitadas de varias
qualidades de 10600 a___
Latas com marmlada nova a li-
bra 720 e............
Ditas com ameixas.........
Ditas com ervilhas francezas. .
Ditas com fructas em calda,
500 e............. .
Ditas com figos de comadre a li-
bra 320 e............
Caixas com passas novas de 8 li-
bras a 30000, a libra 480
Ditas com figos com 8 e 16 li-
bras a 20000, 20500 e...
Chocolate portuguez e hespa-
nhol e francez a libra.....
Queijos do reioo do vapor a
2/ e.............
Ditos de prato novos, a libra a
640 e.........
Ditos de manteiga muito fres-
caes a................
Vinho do Porto muito fino, ca-
naria a 50600 e 70, e a
garrafa a 640, 800 e. ::.
Dito da Figueira de marcas supe-
riores, caada a40 e 50, e a
800
garrafa a 560 e.....
Dito de Lisboa a 30, 30500 e
40000, e a garrafa a 400,
480 e............
Genebra de laranja, o frasco a
900 e................ 10000
Dita de Hollanda a 640 e...... 10000
Spermacete a libra a 640, 720 e 10000
Caixo de doce de goiaba, a
500,640e...........
Charutos finos, caixas e meias,
deSimas, regala, parisien-
ses, delicias, trovadores,
suspiros, varetas, flor de
S. Flix, Traviala, guana-
bara e muitas outras qua-
lidades, a 29800, 30000.
30500, 40000, 40500 e.
Vinhos finos engarrafados em
caixa a 130, 150 e 200 e
a garrafa a 1/ e.....
Copos lapidados para agua e vi-
nho, a duzia a 60500 e
lavado e de Moca, a 280,
320 e 360 rs a libra, e a
arroba 80500, 90000 e..
hison superior, a 20560,
20800, 30000 e........ 30200
Finalmente todo que consta tendente a molhados encontrar sempre o res-
peitavel publico um grande sortimento de boa qualidade e por preeos commodos.
Achon-se em ama calcada da ra do Fogo
nm aacco de panno do algodao da trra com al-
guraas pecas de roupa ordinaria dentro : quem
for sea dono dando os signaes lhe ser entregue
nesta typographia.____________________
^ Manoel Pereira Lopes
beiro barbeiro e amolador j bem cunhecido nao
so nesta capital como no Rio Grande do Sul, Mon-
tevideo, Pelotas e Jaguarao, amla todo ferro cor-
tante (nao sendo muito pesado), declara qneapren-
deu na Ilha de S. Miguel de Pona Delgada com
um hbil amolador hespanhol em 1829; assim co-
mo tirar dentes, sangrar e applicar ventosas, apren-
deu no hospital da misericordia da mesma ilha e
exercendo nesta capital essa oceupacao no hospi-L
tal de caridade durante 2 annos que trabalhou co- -
mo oflicial do Sr. Joao Antonio Coelho, cujo hos-
pital ainda exista no Carmo: quem se quizer
aproveitar deste servico procure-o na ra do Ran-
gel n. 18, tem aiadores de curtir sem composirao
alguma, declara que trabalha nos ditos afladores
desde 1842, ensina como se assenta as navalhas.
Attenco
D-se comida para fra com muito aceio por
com modo proco : na ra da Cruz n. 11, casa de
pasto.
TfSSI
Camisas de 13a (flanela) a
jrr barato prego de 550 a duzia
\~l urna: na ra do Crespo n. 4.
Caf
Cha
50000
10500
40000
90500
Vende-se sal do Ass, a bordo da barcaca
Dout Amigos : a tratar no caes do Ramos n. 6T^
COM avariaT
Autos que se acabom
Custodio, C arvallio fe c\. ra
do Qiieimado umuero 99
l'echincha.
Pe^as de fil de linho fino proprio para vestido
tendo cada peca 8 1|2 varas e pelo baratissimo
preco de 2300 cada peca, tendo um pequeo to-
que de avaria de agua doce.
9
Precisa-se de urna ama forra para o servigo de
urna casa de pouca familia : na ra do Queimado
n. 39.
O abaixo assignado pergunta ao Sr. hachare 1
Joaquim Francisco de Miranda se o Sr. Joaquim
Pires da Cruz tambem herdeiro do casal de Jos
Francisco Belem.
Jos Rodrigues do Passo.
O abaixo assignado faz ver ao publico que
deixou de dirigir a casa de bahs na ra do Im-
perador, do Sr. Antonio Jos dos Reis. Recife, 27
de outubro de 1863.
Manoel Francisco Alves.
3-fiSI__i
SOCIEDADE
NIO BENEFICENTE MA-
RTIMA
Por ordem do Sr. presidente scientiflco pela se-
gunda vez aos senhores socios effectivos que ha-
! ver sessao daassembla geral no dia sexta-feira
i 30 do corrente, afim de tratar-se do art. 33 2. e
3." e art, 12 3. dos estatutos.
Secretaria da Sociedade Uniao Beneficente Ma-
rtima 26 de outubro de 1863.
Balthazar Jos dos Reis.
________________ 1. secretario._________
Aluga-se em Beberibe, a casa de Francisca
Francelina de Mello, que fica defronte do sitio do
Sr. Joao Ignacio de Medciros Reg tratar com
Anna Mara da Luz, que mora ao p do mesmo
sitio, a qual tem a chave. _________^__
O bacharel Francisco Gomes Velloso de Al-
buquerque Lins tem o seu escriptorio de advoca-
ca na ra do Queimado n. 41, prmeiro andar,
frente para a praca do Pedro II. ___________
Armazem para alagar.
Aluga-se o armazem n. 40 da ra de Apollo,
com mais de 300 palmos de comprimento, todo co-
berto e proprio para qualquer estabelecimento por
ter excellente porto de embarque: trata-se na ra
dos Guararapcs n. 78.__________________
Precisa-sede urna ama para cozinhar e com-
prar para urna casa de pouca familia : na ra da
Concordia n. 34, sobrado do armazem do sol.
Aluga-se com alguma mobilia ou sem ella,
por cinco mezes, para passar a festa, urna boa ca-
sa no Jaboato, pouco adianto da ponte, cora 3
grandes quartos, 1 gabinete, sala da frente e de
jantar, cozinha fra, cora estribara c 1 quarto jun-
to desta, portao de ferro com grande quintal cerca-
do at o rio Jaboato : a tratar na ra Direita n. 3,
ou no mesmo lugar, na padaria Sebastopool.
Precisase de urna escrava que saiba engom-
mar para urna familia de duas pessoas, preferin-
do-se que seja recolhida, pois se nao quer para
ra : na ra da Cadeia do Recife n. 52, terceiro
andar.
Vendem-se 3 casas terreas, novas, fres-
cas e baratas, tambem aluga-se, na ra
dos Prazeres na Boa-Vista : a tratar no
becco do Veras n. 15.
Ricos vestidos de Al branco bordados com
veo, capella e flores proprios para as se-
nlioras noivas, os quaes se vendem a preco
razoavel por serem em primeira mao e che-
gados ltimamente de Paris por encom-
menda propria : ra da Cadeia escriptorio
e armazem de fazendas n. 47.
A 200 rs o covade
Cassas niuilo bonitas e faas:
na i na do Crespo n. i 7, loja de
Jos Gomes Villar.
Mon tarro vos e Joaquim
tarrnvos.
vrri;\c io,
Aluga-se o secundo andar do
sobrado da rna da Cruz n 40:
a ira lar no armazem do mesmo
sobrado.
mmm
I.miros de cavallos.
Aoamanliecer do dia 22 do corrente furtaram
do cercado do engenho Camaragibe, da freguezia
de S. Lourenco da Matta, dous cavallos pertMicen-
tes a Antonio Pereira da Silva, residente na fregue-
zia de Taquarelinga, que vindo para o Recife per-
notou naquelle engenho, os quaes tem os seguin-
tes signaes : mellado, pernudo e dinas pretas, o
outro rodado, baixo, bem feito de ancas, ambos
castrados c ferrados : roga-se s autoridades poli-
ciaes a apprehensao dos referidos cavallos, que
podem ser entregues na ra do Crespo n. 20 A,
ou em Taquarctinga seu legitimo proprietario.
Precisa-se alugar urna preta ou preto para
carregar fazendas: na ra do Hospicio n. 62.
Lava-se e engomina-se roupa de homom co-
mo de senhora, por preeos commodos : na ra do
Caldcireiro n. 46._____________ __________
Precisase de um menino de 12 a 14 annos
com pratica de taberna : quem pretender, dirija-
se ra do Palacio do Bispo n. 40.____________
Monte Po Popular Per-
nambueano.
De ordem do Sr. director convido pela segunda
vez a todos os senhores socios em dia para se reu-
nirem na quarta-feira 28 do correntej s6 1|2 ho-
ras da noite para se cffectuar a eleicao de alguns
membros do conselho e membros de commissoes,
declarando que sempre se far a eleicao com qual-
quer numero de socio em virtude do artigo 20 dos
estatutos.
Secretaria do Monte Pi Popular Pernambucano
2o de outubro de 1863.
Jos Fernandes Moreira.
1. secretario.
Furtaram na noite do dia 10 do corrente dous
cavallos pertencentes ao Dr. Francisco Caldas Lins,
do cercado de seu engenho Siqueira, na freguezia
do Rio Formoso, com os signaes seguintes: um
mellado, cauda e dinas pretas, castrado, grande,
gordo, os quatro ps pretos at cima, sem anda-
Na ra do Queimado n \ res, porm de sella; outro rodado sujo, cauda e
;e fallar an^r? Gahriel Germano de Almiar'clDas Pretas' bom tamanno> 8rosso> castrado, rela-
m m ffirr.d^A.iiar Mon-:doPelosPeitosPr ter sido de roda, urna baixa
ir0 de Aguiar aon em um dos ,adog das costei,aSj me0 corcnnda e dt
___________.-----I carga: quem der noticia dos mesmos cavallos ou
Aluga-se ou traspassa-se o arrendamento da: os entregar a seu dono no referido engenho, ser
padaria da ra dos Pescadores n. 1 : a tratar na recompensado com a quantia de 50 a 100.5.______
auadoRangeln.9. -------------Sido para alugar.
Anda est por alugar o grande sitio da estrada
da Cruz de Almas, com duas frentes, sendo a ou-
OITerece-se para servico de campo em algum si- tra para a estrada de Parnameirim (o qual fica dc-
tio ou engenho, um homem de 25 annos de idade,! fronte do sitio do Sr. cirurgiao Leal) com um gran-
chegado ltimamente do Porto com familia, com-1 de sobrado de m andar, cocheira para carros, ca-
posta de sua mulher e tres filhos menores : quem ; sa para escravos e fetor, estribara para cavallos,
pretender seus servicos, dirija-se ra da Madre e outra separada para vaccas, casa para fazer fari-
de Dos n. 3, ou a bordo do brigue portuguez nha com forno, e todos os pertences, cacimba com
Mercurio. bomba, horta para planta de hortalizas, sitio muito
grande com muitos arvoredos de fructos, terreno
para plantar mandioca para farinha, e para todos
os mais legumes, terreno separado para ter 6 yac-
cas de leite, e pasto para estas ; alm de ludo isto
tem mais duas grandes baixas com capim, que s
stas do para pagar o aluguel do mesmo sitio, ten-
do 0 devido trato; cujo sitio foi do fallecido cirur-
giao Manoel Joaquim Pereira, e s se arrenda por
annos : quem pretender, all se pode djrigr para
ver, pois a chave esf em mao de pessoa que l
est a tomar conta ; e para tratar, na ra do
Crespo n. 25 A, na loja do Sr.' Ramos.__________
Macaas
a 25 a caixa : na ra Nova n. 8.
IGO rs. a libra oh 4000
a arroba.
Vendem-se fatias de bolo sovado a 160 rs. a li-
bra, e sendo de 8 libras para cima a 15 a arroba :
na ra da Matriz da Boa-Vista, padaria n. 26.
Vende-se um lindo cabriada com 4 para 5
annos de idade : na ra Augusta n. 45.
Club eommereial
A rcuniao familiar do corrente mez de outubro
ter lugar na noite do dia 31 do mesmo,________
Precisa-se de um caixeiro de 10 12 annos
de idade : na ra do Rangel n. 69. _________
29.
Precisa-se de urna mulher forra ou escrava que
saiba cosinhar bem, para se empregar smente
nisso em casa de familia, na ra do Queimado
n. 39, loja. \_________________________
Precisa-se de um caixeipo que a o n.
entenda de COnlabilid-de para servir Nova loja dos barateiros na ra do Queimado.
em urna padaria: a tratar na ra da 0_ade c,res fazenda ? b,-L T
, n 3000, baloes de panno a 3,5200, ditos de arcos
lmperalrizn 50.__________________ 35OOO, 45OOO e 55000, las de duas larguras i
,1 o S ,; /______ n t.. para vestido o covado 500 rs., chitas francezas o,
U ar. aalUS'ian lyriaCO aeaOU cova(]0 360 rs., melim branco para forro de:
Za que mora na Capunga, tem Um* Car- vestido o covado 120 rs., tarlatanas de todas as'
ta nesla typographia.
Precisa-se alugar duas pretas para o servico
interno de urna casa de pouca familia; sendo urna
3uc saiba lavar eengommar, a outra que
adosa para criancas : para tratar ra
ro n._9 prmeiro andar.
cores a vara 720 rs.
Ao n. 29
Nova loja dos-barateiros na ra do Queimado.
ALMANAK
Estando a confeccio ar-se o a'manak
desl provincia, qne contina ser im-
presso nesla typographia, convida se a
seja cui- Cassa lislipelle de ovoapeca 75500, cambraia todas as peSSOaS pue drlle fazein pa< le,
do Viga-lisa muito fina apeca de 17 varas a 105, cam- _.._ *__ 4 livMrt aa Ap 8
braiela peca de 12 jardas 75000, cambraia adamas- P Cal nova de Lisboa:
piche n. 9.
vende-se na ra do Tra*
Macas a 'iS a caixa,
e bolacdinha inglezaa 15800 a barrica, a ellas, an-
tes que se acabera : no armazem da estrella, largo
do Paraizo n. 14.
Vende-se a cavallarice n. 114 da ruada Sen-
zala Velha com pequeo numero de cavallos, sen-
do que vende-se a vontade do comprador, com os
cavallos ou semellcs : a tratar no largo do arse-
nal de marinha n. 4.
Precisa-se de urna criada para comprar, en-
gommar e cozinhar, para casa de pouca familia :
na ra estreita do Rosario, sobrado n. 22, no se-
gundo andar, I
ALIGA-Sh A LOJA l)B 3 PKTlS.
Aluga-se a loja de 3 portas, na rna do Cabugal
n. 20; a pessoa que precisar, pode procurar as
chaves no mesmo correr loja n.,4, o aluguel por
mez 505000.
H
III.
cada para cortinado apeca de 22 varas 105000, ,|| npaca da Independencia, SPUS DOnUS
t\^Xont^^^i$m'chales c qualidade de est.bclerimento, e aos
Ao n. 29. penhores Nova loja dosbarateiros na ra do Queimado. TtUtiter alm dos nOlUCS de SeUS en-
Bicos pretos de linho a vara 120, 160, 240, 320 genhOS, 0 (la lieguezia e MWUU qUP
rs., franjas de seda a vara 80 e 160 rs., galoes cpp|pnp0Pi>m
de seda de algodao c de la para enfeites de vesti-1 acnciHxinu.______________________-----
- Caetano Pereira de Brito, solicitador de cau-
sas no civel e commercio, participa aos seus cons-
tituintes e aos que se quizerem utilisar de seus
servicos, que elle se acha residindo na ra da
Praia, sobrado n. 49, prmeiro andar, ondeo acha-
rao sempre prompto das 6 s 10 horas da manhaa,
e-das 4 s 7 da tarde, e fra dessas horas nas salas
das audiencias.
do a peca de"lO e 15 varas 400, botdes de seda
de vellu.do e de fustao duzias 120.
ADEOS
AVISOS DIVERSOS.
Instituto Archeologico e Cieo-
grapbico Pernambucano.
Haver sesso ordinaria quinta-fei-
ra 29 de seiembro, s 11 horas da ma-
nhaa.
Secretaria do Instituto 26 de outu-
bro de 1863.
J. Soares de Azevclo,
Secretario perpetuo.
Lotera extraord naria.
Aos 10:000500 t 2:000000.
O abaixo assignado attendendo a boa acei-
tado que leve a lotera extraordinaria, ha
pouco extrahida, e tambem aos pedidos de
quasi todos os compradores de bilhetes, de-
vido isso ao excellente plano das loteras ex-
traordinarias, approvado" pelo Exm. Sr. pro-
sidente da provincia, tem exposto venda
os bilhetes da segunda lotera extraordina-
ria, que correr no dia 6 de novembro prxi-
mo, sendo a terceira parte da segunda da
Santa Casa da Misericordia, e espera do res-
peitavel publico a compra dos bilhetes, pois
assim contribuir para o beneficio da Santa
Casa da Misericordia, reunindo o til com o
agradavel.
Os bilhetes e meios acham-se venda na
respectiva tnesouraria ra do Cresqo n. 15
e nas casas cmmissionadas ra da Impera-
triz n. 44, loja do Sr, Pimentel; ra Direita
n. 3, botica do Sr. Chagas; na estreita do
Rosario n. 12, typographia do Sr. Mira e ra
da Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 10:0000000 at 200000
sero pagos logo depois da extrae? o at as
4 horas da tarde e os outros no dia seguinte
depoig da distribuico das listas.
Servindo e thesoureiro,
j Rodrigues de Souza.
- O abaixo assignado declau aue tenciona dei-
xar brevemente a clisara do estaov",eciriieil0 de
calcados do Sr.Luix Antonio da Silva ; n P0100
sej fncarregado de comprar .as mercadorias desse
estabelectmt'0' -Pr 'ss0 ^ com antecedencia a
presente declarca. facife 24 de outubro de 1863
iawaio 0a Cruz R'teiro.
Candido Pereira Monteiro nao podendo despe-
Quem precisar de urna ama secca para tratar de dir-se de seus amigos pelas preocupacoes de sua
menino ou para coser, dirija-se ra do Caldei-; partida com a familia, pede desculpa aos mesmos
reiro n 28 offerecendo seu diminuto prestimo em qualquer |
parte que habitar, assim
novo ts i \iu\mm i o
D?
Antonio Ignacio Heltor
Na ra Kova n. 26
Se fazem cncananientos de pennas d'agua da
companhia Beberibe muito bem feitos pelo preco
Aluga-se a casa terrea com gabinete na la- muil0 Daral0 assim Como toda qualguer obra de
deira do VaradOuro, em Olmda, a ultima na sub- |at5o cobre estanho, chumbo, zinco, folha e ferro,
da, lado esquerdo : a tratar na ra do Imperador i^oen, tera a ven(ia bombas do melhor systema,
numero 4._____________ ________________ pe|0 pre?0 e i6500cada uma,e vidro de espelhos
Justina Mara Wanderley, moradora no en-! e de vidraca._____________________________
genho Sapucaia, na freguezia de Serinhem, faz Deseja.se sauer quem a pessoa que tem o
publico que tendo fallecido no da 5 de outubro direit0 de receber os foros. com relaco ao sitio na
corrente seu mando Jos Albano Wanderley de estra(]a 0 Luca, pertencente a Antonio de Souza
um ataque apopltico e nao tendo por [sso feito de- Range| e roga.Se a qaem & ju|gar nessas cir-
claracao alguma de seus negocios, e nao tendo ella cumstancias, e nesse direito, se aprsente em seu
conhecimento ou certeza delles, faz o presente avi- proprio iDteresSe na ra da Gloria n. 86, dentro do
so para conhecimento de quem se julgar credor, praso de 8 dias a conlar deste_ mesmo a fim de
visto quejse vai proceder o inventario pelo juizo : n5o se Chamar ignorancia nem poder allega-la,
dos orphaos._____________________________I a proposito de qualquer negociaco que por ventu-
Precisa-se de urna pessoa que saiba tratar de ra se haja de fazer sobre este sitio.________ .
andar com
na travessa
vaccas de leite : no
Silva no Arraial.
sitio do Sr. Elias Baptista da
AO RESPEITWEL PUBLICO
Ra da camba do Carmo nu-
mero 22
Jos Anacleto, bem conhecido sangrador dentis-
ta, continua em sua proflssao de tirar dentes e ra-
zes sem o menor risco e dor, tanto nos meninos
como nas pessoas adultas de ambos os sexos, sepa
Precisa-se de um homem para
urna carroca de boi, eu aluga-se esta:
, da Ponte de Ucha, sitio do Pombal.
Aluga-se urna grande casa terrea para pas-
sar a festa, na povoacao do Monteiro, com grandes
salas, 4 quartos, cozinha fra, cacimba, com dous
quintaes murados, com sabida para o rio, quarto
para escravos: quem o pretender, dirija-se ra
do Hospicio n. 58, casa terrea._____________
Aluguel.
como deaa ordena ao- Ahiga-seo segundo andar do sobrado da
Sr. Claudio Dubeux para pagar qualquer debito VelnaDn. 20: a tratar na ra do Sebo n. 24.
que por esquecimento nao o satisfez.
^mmmammmm
Contina a haver pao de senteio novo nos das
quartas e sabbados de cada semana, na padaria
em Santo Amaro ao p da fundicao, na ra da lui-
peratriz n. 22, e ra do Brum, confronte o chafa-
riz n. 47, ra das Cruzes, deposito n. 39, na Pas-
sagem, taberna da esquina do Sr. Bento, que vira
para o Bemedio, e no armazem progresso, largo
da Penha n. 10.
ra
Aluga-se a casa terrea da ra da Gloria n.
116, com bons commodos para grande familia,
pintada e ladrilhada de novo, e o segundo andar
da ra da Matriz n. 35 : tratar com o Sr. An-
tonio Joaquim Ferrera Porto, na ponte Velha, ou
na ra da Cadeia n. 12 com Miguel Joaquim da
Costa.
Ainda est por alugar-se o segundo an-
dar do sobrado n. 44, em a ra da Auro-
ra : quem o quizer dirija-se esta mes-
ma ra casa n. 10.
COMPRAS.
Corapra-se urna escrava moca de quasi at
20 annos, que tenha bonita figura : na ra das
Aguas-Verdes n. 21.
Compra-se urna negra de meia idade, que se:
ja sadia, fiel] e diligente : quem ver, dirija-se
ra dos Guararapes n. 18, sobrado de um andar.
Comprase um carro era bom estado, de 4
rodas e cora 4 assentos : na ra da Cadeia n. 35
Compra-se urna negra perfeita cozinheira e
engommadeira : na ra da Praia n. 26.________
Aluga-se o prmeiro andar da ra do Crespo Compra-se um bilbar com todos os seus per-
Aluga-se a loja do sobrado n. 193 da ra Im-
perial, e o armazem n. 4 da ra de Apollo : na ra
da Aurora n. 36.__________________________
Precisase fallar ao Sr. Leoncio Jos Theofilo
que veio da Bahia: dirija-se ao armazem de Tasso
Irmaos a fallar com Raymundo Correia de Men-
donca.__________________________________
n. 23 ; a tratar na loja.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
do Nogueira n. 19, e a casa terrea da ra do Jas-
ra, limpa, e calca bem os dentes turados com as mm n_ jq cuja casa est pintada e caiada de no-
mclhores massas brancas mineraes, sangra bem e
applica ventosas, tudo com .muita promptidao e
preeos commodos: a qualquer hora do dia, tanto
em sua casa como fra, mandando-lhe escripto, in-
dicando o lugar e numero da casa.
Aluga-se urna casa
tratar com J. I. de M.
Trapiche, n 34.
em Bebiribe ; a
Reg, na ra do
tences, em bom estado :
44, terceiro andar.
na ra do Imperador n.
Precisa-se de um trabalhador para sitio de
capim : na loja do Passeio Publico n. 7. _____
-- Precisa-se de urna criada forra
que saiba engommar: na ra do liu-
Aluga-se o segundo andar do sobrado da na
do Livramento n. 7 : a tratar na loja.
vo : a tratar na ra Direita, loja de ferragensn. .
73,ou naCapunga, (pono do kasserre), defronte perador n. \7, segundo andar.
da casa da Sra. viuva Car va I ho.______________
Jos Joaquim Ramos Ferreira, Brasileiro, vai
4 Europa.
Precisa-se de urna ama de meia idade para
Modista.
Madama Florinda, conbecida por madama Scas-
s, acha-se novamente habilitada para bem servir
1 s suas fraguezas, tanto era fazer vestidos na ulti-
Ao commercio.
Um rapaz Brasileiro com 9 annos da pratica ma moda d todasi as qualidades, como armar cha-
vender na ra : quem ver dinja-se ra da Ca- eommereial, se ofTerece para qualquer escriptorio peos, enfeitar segundo o gosto moderno, assim co-
dcia Nova n. 40, que l achara com quem tratar. u armazem. dando fiador de sua rebutacio : quem mo lava-Ios ainda estando no peior estado possivel,
------,,_______________.______. n_____. i pretender, devera dirigir carta fechada cora as e renova-los, o melhor que se pode desejar; no
mesma casa precisa-se alugar urna preta boa qui-
tandeira de miudezas.
Aluga-se urna excellente casa na Capunga niciaes J., na praca da Independencia n. 6 e 8.
margem do Capibaribe ; a tratar no caes da alfan-
dega, armazem n. 5.
Na travessa dos Expostos, sobrado n. 16, pr-
meiro andar, apromptam-se bandejas de bolinhos
para bailes e casomentos, muito em conta, com
suas armacoes, e boquets de cravos e rosas; na
mesma casa tem para vender flores para festas de
igrejas, ditas finas para senhoras e meninas. tam-
bera tem velas de carnauba muito boas de 6 e 14
era libras : quem quizer, dirija-se dita casa, que
tudo mais barato do que em outra qualquer
parte.
O Dr. Francisco Raphael de Mello Reg mu-
dou-se para a ra da Aurora n. 28, segundo andar
do sobrado em que mora o Exm. Sr. Bario de Ve-
ra-Cruz.
Padaria franceza.
Na ra da Imperatriz n. 50, padaria franceza,
fazem-se todas as qualidades de bolos, sequilos e
massas finas, preparam-se bandejas para bailes,
soires e casamentes, sendo enfeitadas pelo melhor
e mais moderno gosto, e recebera-se encommendas
Compra-se urna multinha de 10a 14 annos:
na ra de Santa Thereza n. 58._______________
Quem tiver para veuder urna casa terrea no
bairro da Boa-Vista, com bons commodos e bem
construida, dirija-se ra da Imperatriz n. 47, ter-
ceiro andar.
Um preto.
Compra-se um preto de 35 a 45 annos de idade-
na ra do Crespo n. 17, loja.________________
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas : na praca da Independencia n. 22 lo-
ja de bilhetes.____________________________
Compra-se cobre, latao e chumbo: no arma-
zem da bola amarclla no oito da secretaria de po-
licia, ra do Imperador.
Compram-se barriquinhas que serviram de
bolacbinba americana a 500 rs. cada urna : na
ravessa da ra das Cruzes taberna n. 6.
- Compram-se duas negras perfeitas cozinhei-
ras e engommadeiras: na ra de Apollo n. 84'
segundo andar.
No largo do Corpo Santo n. 6, segundo andar
precisa-se fallar cora o reverendo padre E. de Sou-
za Aranjo, natural de S. Christovao do Nogueira,
reino de Portugal.
Extlngue-se as formlgas
Com o emprego das velas mixtas compostas de
ingredientes taes que, estes daninhos insectos aspi-
rando-uma s vez a fumaca deste lethal mixto,
raorrem inevitavelmente ; o que nao acontece cora
as velas mixtas communs, as quaes longe de mata-
i rem pela fumaca, obram pelo excessivo calor, o freguezes, acha-se de taes qecupaces encarregado cao, situada era alguma das principaer ras desta
que as torna canssimas, atiento exigir duzias para urajiasteleiro francez, assas perito em sua pro- cidade: a tratar no escriptorio de Manoel Ignacio
o effeito de urna s, das do systema do fallecido
Compra-se cobre lalo velho
na rna da Cadeia do H ce i fe n. 36, pri-
para tudo isso ; garahte-se a perfeicao do trabalbo, \ mpun andar
boa qualidade das massas, e promptidao nas en-i ____________1
coraraendas, pois que para seren bem servidos os Compra-se urna cas terrea de boa conslruc
fisso
pyrothechinico Rufino. Para amostras e encommen-
das no oito da secretaria de polica, armazem da
bola amarella.
Casa para a festa.
Aluga-se urna casa no Monteiro e outra na Tor-
re, defronte da Ponte de Ucha, onde se encontra,
no conducao no mnibus para o Recife; ambas as ca-
' gas tem accommodacfcs para familia, esto pinta-
das de novo, e se dao ~
de Oliveira & Filho,
mero 19.
no largo do Corpo Santo nu-
Aluga-se urna preta para todo servico
Arraial; sitio do Falco._________________
- Aluga-se o siUo da senhora viuva Camino, gfJlJX L^VLK T*
em S. Jos do Manguinho, com boa. cas* Je obra-. tratar na rna estreita do Rosario n.
VENDAS.
Qarlos Lenidas do Reg Barros faz sciente
ao respeitavel publico que ninguera faca negocio
^Ko^raaTtiTS I -A.uga.se o sitio da senhora viuva Carvalho, "J" Vendee
\ sua assignatora, por ser ella falsa, por quanto em S. Jos do Manguinho, com boa casa de sobra-,------,_.---------- *" ^ grades de amarello para portas -e janella confor-
'_' serihor nunca teve transaccoes S.Hiumas, do, Bsteirada, quartos para criados, fSTibaria, Da-se dinheiro a prenrioem peqoaoas fra rae as poeturas da cmara, para ver e tratar na
*"* '-"te, e acha-se prompto para isto _*. fructeiras, baixa de capim : no mesmo sitio se di- des quantias, sob penhores de ouro prau : a travs do Pociabo n. 49, con Sr. Hennque
"^ Ti qqetstra*>aluguel. jHii|Mfi>, W se rgMad. JWR
e nem o conuv.
no provar.
..-.*:,
Vende-se umaraobilia Luiz XV, propria
para casamento por ter muito pouco uso e compos-
ta de 18 cadeiras, 4 ditas de bracos, 1 sof, 1 mesa
de meio de sala e 1 par de consolos com tampo de-
pedra, 1 candelabro e 2 serpentinas no gosto mo-
derno, e 2 espelhos grandes cora moldura dourada:
na i na das Larangeiras, sobrado de um andar nu-
mero 26._______________________________
Vendem-se dous moleques : no largo da Ki-
beira de S. Jos n. 15.
< ha i utos.
Vendem-se superiores charutos suspirosa 15200
a meia caixinlia, e outros de diversas marcas em
meias caixas a 600 rs.: no deposito da ra Nova
numero 58.___________________________
Vende-se urna carroca para cavallo, em bom
estado : quem pretender dirija-se cocheira da
ra da Florentina n. 5.
Batatas
Caixas com duas arrobas de batatas desembar-
cadas do patacho Mura da Gloria, hoje, pelo bara-
to preco de 25500 a caixa : na ra do Amorim n.
43, ou na ra da Madre de Dcos n. 5.
Saces vasios.
Vendem-se saceos vasios de estopa a 320 rs., di-
tos de algodiiozinho a"320 : quem precisar dos mea-
mos, queira annunciar per este jornal para ser pro-
curado.
Anda esto por vender a grande casa terrea
com grande soto e bom quintal murado com por-
tao com sabida para outra ra, nas Cinco Ponas
n. 37, e a casa terrea na travessa do Pocinho n. 5 :
quem pretender, dirija-se ra do Hospicio n. 58,
que se dir quem as vende.
Sitio para vender.
Vende-se um excellente sitio muito perto da
praca, situado na estrada de Santo Amaro para
Belm, com boa casa de vivenda, muito fresca, ten-
do o sitio excellente baixa para capim e horta cora
muitas e boas arvores de fructo : trata-se na ra
dos Guararapes n. 8. ____________________
Vende-se a loja de calgado da ra do
Livramento n. 35 propria para qualquer
principiante, por ter poucos fundos : quem
a pretender dirija-se mesma ra n. 39.
taberna da tartaruga.
Cal de Lisboa e potassa da
Russia.
Vende-se na ra da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o antigo e acreditado deposito da
mesma ra n. 12, ambos os gneros sao novos e
legtimos, e se vendem a preco mais barato do que
outra qualquer partej______________________
IIOIJPA
Na rita do Queimado n. 43, esquina que
volta para a Congregago ; pechincha.
Paletots de casemira a 5, 6, 7, 8, 12 e 145000
ditos de panno preto e azul a 9/10, 12, 16 c 1K5
ditos sobrecasacos de panno muito fino por 245 e
285, ditos de alpaca preta e de cordo a 4, 5, 6 e
75, calcas de casemiras de cores a 5, 6, 7 e 85000,
ditas pretas a 65500, 8, 9 e 105, paletots de fustao
e ganga a 25, 25800, 3 e 45, cairas e colletes de
todas as qualidades e por preco muito barato, len-
qes de puro linho a preco de 25800 e 35, cober-
tas de chita a 25240, collarinhos de linho puro a
600 rs. cada um, e outros muitos objectos que s
avista; e para isso se pede a attenco dos fre-
guezes.
Vendem-se dous terrenos, um com 685 palmos
de frente sito na ra Imperial, freguezia de S. Jos
n. 226, outro com 200 palmos de frente sito em
Santo Amaro perto do sitio do Sr. Calo : a tratar
na ra do Trapiche n. 9.
Alcatro.
Vendem-se barris de alcatro, chegados ultima-
mente : na ra da Cruz n. 4.
Botica e armazem de
drogas
Ra do Cabugft n.
II.
DS
Joaqun Marnbo da Crui Carreia.
Vende-se o seguinte :
Salsa parrilha de Bnstol.
Pastilhas assucaradas de Kemp.
Pastilbas vermfugas de Kemp.
Elixir de citro lactato de ferro ao Dr. Tberraes.
RobdoLafecteur. .. ____ .
Xarope depurativo d odoreto de ferro do Guy.
Xarope peitoral sedativo de Guy.
Pastilhas peiloraes balsmicas de Guy.
Pilulas da vida.
Burel franciscano (mesdado) para imagens.
Injecco Brow.
Xarope de citrato de ferro de Chable.
Plalas contra sesdes.
Salsa parrilha de Sands.
Extraen fluido de salsa parrilha de Bailys.
Xarope alcoolico de vellame.
Alm destas drogas ha ennitaimnir.* om com-
pleto Mfti; :itas, verniz, ouro para dvti-
pharmaceutcos que se
ILEGIVEL
r-
r


H
mmmmmmmmmmmmmmmmm
Diario de Pernambuco Quarta lo.;ra de Outubrode ISttS.

GRANDE EXPOSigSO
de fazendas baratissimas que se veo-
dem para liquidar; na loja do Pa*
vao, roa da lmperatriz, o. 60.
Neste eslabelecimento acha-se um grande ^
e variado sortimento de fazendas, tanto de chincha e vende-se para liquidar: na ra da
o covado; fusUto para vestidos e roupinbas
de meninos, a 320 rs. o covado; alpakin oh
gurgurSo .de linho, a 260 rs.; ganguelin,
urna s cor, a 320 rs. o covado ; toalhas de
linho adamascadas para rosto, a i&; vestua-
rios para meninos e meninas, a 1 600 e 24;
tiras bordadas e entremeios, mais barato que
em outra qualquer parte: tudo isto pe- ^ j^"mulionovas'eVaratissinas.
laxo, como de-primeira necessidade, pro-
prias para a praca e para o mallo, que se
vendem por precos rauito resumidos, de to-
das as fazendas d5o-se amostra, deixando
penhor, ou mandam-se levar em casa das
familias para escolherem, pelos caixeiros da
loja do Pavo.
Laas com O palmos de largara
na loja do Pavo. Ig-ftO.
Vendem-se ISazinhas transparentes de urna
s cor, de quadrinhos proprias para capas
e vestidos, tendo 9 palmos de largura, pelo
baratissimo preco de 1*5400 o covado; s
na ra da lmperatriz n. 60,JojadoTavao.
O Pavo vende Ias de palmos
de largara a &OO rs.
Vendem-se laazinbas infestadas, sendo das
mais modernas, de urna s cor e de qua-
drinhos, proprias para vestidos e capas, pelo
baratissimo preco de 500 rs, o covado ;"di-
tas matisadas, fazenda rauko Gna a 500; di-
las garibaldinas a 44G rs.; ditas de qua-
dros a 360 e 280 rs.: s na loja do Pav5o,
ra da lmperatriz, n. 60. de GuimarSes &
Silva,
Lazlnhas a *0 rs. o corado.'
S o Patio.
Vendem-se laas de cordiozinho proprias
para vestido, sendo muito boa fazenda, com
as cores seguintes: alvadia, cor de caf.rxo
lmperatriz n. 60, loja e armazem de Pavao
de Gama & Silva.
Grosdenaples a 1:500 rs., na loja do PiYe.
Vendem-se grosdenaples preto muito boa
fazenda, a 1*500, lf)600,1*800 e 2*: s
na loja do Pavao, ra da lmperatriz n. 60.
Para lato vende-se na loja do
Pavao.
Vendem-se finissimo setim da China, fa-
zenda sem lustro, proprio para vestidos de
senhoras, para capas e roupa para homem,
tendo esta fazenda 6 palmos de largura e
sendo muito leve, vende-se pelo baratissimo
preco de 2*200 o covado, garantindo-se que
nao se torna ruca, e Yend#i-se nicamente na
loja do Pav5o, ra da lmperatriz n. 60:
Cortes de chitas a 2:000 e 2:500 rs.
Na loja do Pav3o veude-se cortes de chitas
inglezas, tendo 10 covados, a 2*, e com
12% covados, a 2*500, sendo todas de pa-
dres escuros: na ra da lmperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Carnauba.
Vende-se cera de carnauba em saccas, por
preco muito em conta, ou mais barato do
que em outra qualquer parte : a tratar na
ra da lmperatriz n. 60, loja de Gama &
Silva,
Sedas de quadrinhos a 800 rs. s o
Pavao.
Vendcm-se as mais delicadas sedinhas de qua-
SEJtl SEGUNDO.
QUINQU1LIIARIAS.
Ra do Queimado, ns. 49 e 55, lojas de
Jos Bigbdinbo, queiram ver ver as fazendas
que abaixo annuncio, pois todas eu garanto
80
1*100
100
80
40
80
nvnrn claro e nrctas nronrias nara luto : i drinhos, muito nrnidinhos, sendo proprios para
escuro, Claro e preas, proprias para mu,, Wos de senhora e roupmhas para meninos e
ditas transparentes com palrninhas, pelo ba-:meninas> sendo fazenda quesemprc se venden a
rato preco de 280 rs.; ditas infestadas de 15300 e torra-se a 640 e 800 rs. o covado, e sedas
quadros a 280 rs.: s na ra da lmperatriz, brancas lavradas, proprias para vestidos_ de noivas
n fifi Inia rio Pav3n a 80 rs- e covado : s na loja do Pavao, ra da
n. w, toja ao ravao. ImMMtr na i9 a* r.9m a silva.
GRANDE PECHINCHA
a 55 00 rs. na loja do Pavao.
Cassas a 2 0 rs.orgaudj a 210 rs.
Vendem-se muito bonitas cassas francezas
a 240 rs. o covado ; organdy malisado, pa-
dres muito bonitos a 240 rs. o covado;
ditos, fazenda flnissima que sempre se ven-
dea a 1*000 a vara, liquida-se a 600 rs. a
dida.ou 360 rs. o covado, por haver grande
porco : na ra da lmperatriz, n. 60, loja
do Pavao, de Gama A Silva,
Nova pechincha de cortes de
cambrata na loja do Pavo.
Vendem-se corles de cambraia brancos
com babadosa 2*500; dilosa 3*000; ditos
a 4*000 ; ditos chinezasa 4*00o ; pecas de
cambraia transparentes, adamascadas, pro-
prias para vestidos, tendo 8 varas e meia a
3*000; ditas lisasbrancas e decores a 2*500,
3*0()0, 3500, 4*000 e 5*000 ; pecas de
cambraia de carocinhos tendo 8 varas e meia
cada urna, sendo brancas e de cores, a 3*500;
ditos a 2*500; pecas de cambraia para cor-
tinados, sendo tapadas e transparentes com
20 varas cada peca a 9*000, isto tudo para
apurar dinlieiro: na loja do Pavo, ra da
lmperatriz, n. 60, de Gama & Silva.
O Pavo vende chales
lmperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Reos vestidos de Southanibac, vende
o Pavo.
Vendem-se os mais modernos vestidos a Sou-
thambac, com barras de seda pelo diminuto preco
de OOOO cada um : s na loja do Pavao, ra da
lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cirande pechincha de las a
sao rs.
Vendem-se as mais modernas laazinhas matisa-
das para vestidos de senhoras e meninas pelo ba-
ratissimo preco de320rs. o covado, por ter che-
gado urna grande porcao desta fazenda loja do
Pavao, assim como se vende outras mais finas com Caixas de phophoros de pao
desenhos miudinhos a 360 rs. o covado: s na Qrosa de ditos do gaz a
f!4mn O
5*000,
6*000.
A 2*000, 2*500, 3*000,
7*000, 8,000 e 10*000.
Vendem-se chales de merino estampados,
claros e escuros a 2*, 2*500 e 3*000; ditos
muito finos de todos os precos e qualidades,
tanto de ponta redonda como quadrados;
assim eomo finissimos chales de crepon com
cores inteiramente novas e ricamente bor-
dados a matiz, sendo chegados pelo ultimo
vapor a 10*000 ; ditos de pello, bordados,
a 2* s na loja do Pavo, ra da lmpera-
triz, n. 60.
Ascascuiiras do Pavo infesta-
das a I0GOO.
Vendem-se casemiras francezas enfesta-
das, proprias para calcas, coletes, palitos,
e capa para senhoras, por ter de urna s
er, sendo fazenda que sempre se vendeu
a 3*000. liquida-se a 1*600 o covado : s
na loja do Pavo,
Cirande pehincha em chapeos
de sol na loja do Pavo.
Vendem-se chapeos de sol, a ingleza, sen- j
do cobertos de linho e forrado de verde, pro-
prios para senhoras que forem passar a fes-;
la, ou para meninas levarem para a escola,'
pelo barato preco de 1*60 ; ditos marque-:
zitihas, de seda com franjas e cabo de do-
loja do pavao ra da lmperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Pecas de trancas de algodo de to-
das as cores a.......
Duzias de linhas com 200 jardas, A-
lexandre, a.....
Carrilel de qualquer numero ,
Varas de aspas para balo ,
Caixas com superior obreias a .
Ditas de colla.......
1 libra de 13a sortida.....4*000
1 libra de 15a muito superior em co-
res e qualidade......7*000
Pares de bolees de punho a ... 120
Pares de sapatosde tranca 1*280
Ditos muito superiores, a 1*600
Caixas e pacotes de papel amisade de
xcres a. ....... 600
Duzia de meias muito finas para se-
nhora a........3*500
Dozia de ditas cruas para homem a 2*400
Baralhos muilo finos para voltarete a 300
Carriteis de linba com 100 jardas a 30
Cartoes de linha branca e de cores a 20
Novellos de linha com 400 jardas a 60
Ditos muito grandes com 800 jar-
das a .......120
Cartoes de linha com 200 jardas (est
se acabando a ..... 60
Vara de fita prela com colxetes para
vestido, e tem um resto parda a 100
SEM SEC.ITNDO.
Objectos de tintura e msica.
Na ra do Queimado, ns. 49 e 55, est
qneimando tudo pelos precos abaixo decla-
rados, e prestem toda a allenco para ver
o que bom e barato.
Duzia de facas e garfos muito finos a 2*500
Dita dita dita de cabo preto muito
finas a..........3*200
Dita dita dita de bataneo, melhor,a 5*500
Tesouras para costura, muito fi-
nas a .........400
Ditas ditas para unhas, muito finas a 400
Cartas de alfineles de ferro a 80
Ditas ditosde lalo muito finos a 40
Ditas de dito grandes.....120
10
2*200
BALIZA
Attenco!
Posto que domine no cora-
$0 do BALIZA a mais bem en-
tendida ambico de tirar de
seu negocio as melhores van-
lagens, com tudo elle nao pro-
cura fazer fortuna vendendo
gato por lebre;
Quando nao se negocia aca-
nhadamente, est bem ao alcan-
ce de todos a facilidade de fa-
zer-se boas compras, para ven-
der-se barato.
Lelan todos.
Ao armazem do BALIZA po-
dan ser devolvidos quaesquer
gneros qne por ventura nao
sejam do contento dos senho-
res compradores. Nao fica
resentimento algum em se tro-
car por outre, ou r'estituir-se
o dinheiro recebido,
Manter a todo o custo o seu
crdito, e agradar aos seus a-
migos e freguezes, todo o
desejo do proprietario deste
estabelecimento,
LEDE! LEDE! LEDE*
Siempre a frente do progresso,
Constante marcha o BALIZA,
Tem por norte o bem commum,
A verdade por divisa.
Um confeito e especifico para
expellir os Vermes.
Duzia de dito dito a .
Massos de palitos para dentes a .
Abotoaduras para coletes a .
Escovas para roupa,rauito finas a 400,
500 e.........
PaNtillias
en
DE KEMP.
Os meninos sptdem gritos, porque
ellas silo de eluro, sabor e cor agrada-
veis. A elegancia, a segnridade de ac-
co, o inoffeusivo das
Pastilhas Vermfugas de Kemp
A PAR DA SVA
Ccraposic^io exclusivamente Vegetal,
sao estas pois :ts siias melhores ( mais
completas de todas as recominendaces
que 6e posa fazer e com justa razo as
colloco na categora d'tiui favorito uni-
versal.
A superioridiide das
Pastilhas de Kemp
sobre todas as preparaces destinadas
para o mesmo fin 6 devido sna sim-
ples composicao o sen aroma agrada-
vel e rapidez e infallibilidade com
que alcanca a desfruico total das
LOMBRIGAS.
A venda as boticas de Caors & Barboza,
brara 3;50OO ; ditos de seda para homens, ra da Cruz, e Joo da C. Bravo & C, ra
sendo com armaco de balea a 60 e 7$, isto da Madre de Dos,
s na loja do Pavo,
para apurar dinbeiro
ra da lmperatriz, n. 60.
AGENCIA
DA
FUNDICO DE L0W-M00R.
Hua da Senialla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a hayer
um completo sortimento de moendas e meias
! moendas para engenho, machinas de vapor
Caxciniras da Escocia a 2000
o cOrte.
Vendem-se cortes de caiemira da Esco-
cia, para calcas, pelo barato preco de 2&
tendo da mesma fazenda para vender em
l^ada SJSf^SK ?t t^*^9^
rante-se que nao desbota. Tambera se ven- techos para ditos.
dem cortes de caxemira ingleza, d cores
Arados americanos e machinas para
escuras para calca pelo barato preco de layar roupa: emeasa de SvP.Johnston & C,
1*800 cada corte, ou
s na loja-do
n. 60.
Madapoln
a 500 rs. o covado
Pav3o, ra da lmperatriz.
ra da Senzalla Nova n. 42.
infestado a 40OOO
S 0 Paran.
Vendem-se pecas de madapolSo infesta-
do com 12 jardas a 40000, ditas a 40500,
ditas com 24 jardas a 70500 e 80000 : s
na loja do Pavo, na ra da lmperatriz.
n. 60.
Ricos vestidos brancos.
&
o cavado.
200
160
160
800
WI SEGUNDO*
PECHINCHA.
Perfumara de superior qualidade.
O rival sem secundo, ra do Queimado,
ns. 49 e 55, est disposto a vender mais ba-
rato que nunca* vendeu, para o que queiram
.ver :
Duzia de sabonetes finos a 720
Sabonele inglez, o melhor, a 16<>
Frascos com agua de Colonia muito
fina a......., 400
Ditos de 'dita grande a 500
, Ditos de Lavande ambreado, o me-
llior, a........500
; Ditos de macar oleo muito bom a 100
Ditosperola muilo superior a 200
I Ditos de oleo de babosa a 240, 320.
400 e .......500
Ditos de banha branca a 320
', Dito de cheiro muito bonitos a 500
Ditos de banha, pequeo, muito fina
..........200
Ditosde opiata a 200 rs., e boa a 900
, Hilos de banha japoneza a 800
Ditos de banha transparente a 720
Ditos de oleo filoconne a .
RIVAL
SEM SEGUNDO.
Objeetos diversos.
Ra do Queimado, ns 49 e 55, vende os
objectos abaixo declarados, pois para aca-
bar; estes precos nao sao para continuar,
masas nesessidadesassimo permitte.
Pares de luvas de algodo finas a .
Caivetes de aparar penas, de 1 fo-
lha a ........
Ditos de 2 ditas a......
Caixas de colxetes francezes a. .
Duzia de dito francez a .
Massos com grampos lisos e de cara-
col a .........
Duzia de dedacs de metal em caixi-
nba de vidro.......
Tinteiro de vidro com tinta superior
a..........
Ditos de barro que serve para tin-
teiro a........
Grosas de botes de louca prateado a
Pecas de tranca lisa encarnada a ,
Varas de bicos e rendas, para aca-
bar a .........
Varas de lalyrinto de 3 dedos de
largura a........
Ditas de pos para dentesa .
Pentes de tartaruga a 30000 e ,
Resmas de papel de cores a
Grande sortimento de cambraia de cor fixaj a
240 rs o covado : na ra do~Queimade n. 43, es-
quina que volta para a Congregacao.__________
Farinha de S. Ilaiheos
Vende-se a bordo do patacho Industria, defron-
te do trapiche Barao do Livramento, a bem conhe-
Vendem-se os mais ricos vestidos de cara-'cidae nova farinha de S. Matheus, a melhor que
braia brancos, bordadora croch, sendo os dalli temos no mercado.________________
mais modernos que tem vindo ao mercado, aoh eoehelros.
tendo as saias 4 pannos, e vendem-se pelos Vendem-se encefados pretos e de cores para
forrar carros : no armazemde Tasso Irmaos.
FARINHA h h
Vende-se saccas grandes com a melhor fannna,
Unto de Santa Catharina, assim como de Porto
Alegre pelo barato preco de 4J0O0 a sacca.; E
n. 43, ou na
baratos precos de 100, 120 e 16 : s a
loja do Pavo, ra da lmperatriz, n. 60, de
Gama & Silva,
Ricos cortes de cambraia brancos com ba- ra do morim
bados e duas saias bordadas crox, tendo Dos 5-
bastante fazenda para vestido, pelo baratis-
simo preco de 30 cada um; ditos de cam-
braia de seda com barras e babados,
20500, para acabar; cortes de vestidos
ra da Madre de
80
80
160
40
360
40
320
160
100
160
20
60
100
100
30500
20000
4. It \ \ l> i:
DE
Largo d(r Livramculo ns. 38 e 38 A
Defronle da grade da igreja
AO RESPEITAVEL PUBLICO
Senhores e senhoras
O "mcansavel proprietario do grande armazem do Baliza toma a liberdade. de mandar
declarar do alto da imprensa pernarabucana, que elle perfeitamente liberal em offerecer aos seus
benvolos freguezes as meihores qualidades dos mais bem escomidos gneros, nao s do paiz como do
estraDgeiro a precos de contentar e saisfazer a todos.
Fazendo t3o publico e espontaneo manifest, o referido BALIZA julga de seu rigoroso dever
declarar mui seria epusitivamente nesta oportunidade, que tambem o mais firme e dedicado conser-
vador de sua numerosa freguezia.
Da boa qualidade .e barateza doe gneros acrecidos aos seus freguezes, junta ao pequeo ga-
nho que tira para si, tem.sabido .fazer o BALIZA a mais perfeita liga de interesses reciprocos, que a to-
das as consciencias deve por forca e necessariamcnla agradar.
Tendo por conveniente tambem a -publicacao .do seguinte aviso, o BALIZA faz saber nicamente
aquellas pessoas que sempee eslo prompas a comprarem tudo, com tanto que se lhes permita paga-
ren! logo, que elle
NAO VENDE FIADO.
Os amigos da economa, aquelles que s comprara os objectos de que carecen, e que goslam fi-
nalmente de empregar bem o seu dinheiro venham a este estabelecimento.
IEI % fl TODOS.
Do preco de qualquer genero annunciado a venda em outros estabelecimentos, podem os senho-
res freguezes diminuir cinco por eento, e vir compra-lo ao Baliza, que sendo, como todos sabem, o ho-
mem do movimento prefere ganhar muito pouco, com tanto que seja por muitas vezes repetido.
Cal de Lisboa 45--EUA DIREITA--45
no armazem de Gui maraes k .A le lora-
do na ra do Amorm l. 54, no Recite,
vndese harris com cal nova em pedra
chegados hoje de Lisboa n palacl.o ^ rapasada) coragem( parece quej.
llanada (dona, urna nota qne existe entregastesosvossosjoanetesaos duros sei-
no mercado.

aYB jyjl-V.il
O GALLO CANTA.
Nao possivel que o gallo, vendo entrar em seo
ninho objectos de elegante gosto, deixe de dar o
seu canto, annunciando aos seus freguezes, pan
que mandem ou venham ver para querer, a saber :
Enfeitfs
Chegaram os nquissimos enfeites e grinaldas de
flores, eousa muito delicada e de muito goslo, pois
m Ci- aa n 1 < i r*-* i O O ,-

DJ
-; as o
o "
~ = -
. !
o 0.3 g -
% 3.
?
C-
"' C.SJ
a w ao "
it o 5 ; tf 2 3
- -
CB
O A
I ,__ O

'."'^e-s
en
9

i"*~z*
2 a ~s o. 3. o
0
XOS do pessimo calcamcnto da nossa cidade I; s as senhoras poderao apreciar : s no vigilante
S se observa em vossos ps botinas acalca- "* do Crespo n. 7.
nhadas e gastas at ultima sola; sapates
rasgados e quasi sem saltos.... nem tanto
co
ff*0 C.T3 ->
S,ffi.S-s" 1 O J O p
* ec'S
09
<
09
3
s
"lis
xa ce C 3 a; -s
j
>
9
Hua da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P.Jobnston AC,
a seins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
a caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,,
Mara Pia, sendo fazenda de bonito gosto, a chicotes para carros e montara, arreios para
3<5590; ertes de cambraia brancos com ba- carros de um e dous cavallos. e relogios de
badinhos, a 2; enfeites para cabeca, sendo puro patente inglez.
Garibaldi e a turca, a 4; ditos com fitas
e flores, a 20; camizinhas bordadas para
Delicado mimo.
Domingos da Silva Campos com taberna na ra
do Imperador, defronte da relacao, avisa aos seas
freguezes e amigos que recebeu urna pequea por-
fo de caixinhas com ameixa rainha Claudia,
ricamente enfeitadas pelas freirs de Elvas, pro-
priamente para um delicado mimo, e seus precos
muito razoaveis conforme o tamanho._________
Farinlia de mandioca
em saceos grandes, e de superior qualida-
de'; no armazem de Tasso Irm5os, ra do
Amorim, n. 38. _____________
Vidroi de cores.
Vendem-se caisas com vidros de cores e a re-
talho : na ra da lmperatriz n. 65.
Oleo de ricino.
Vende-se oleo de ricino em latas a 400 rs. a li-
bra, na ra da Cadeia Velha n. 1.________^_^
senhoras, all; manguitos desvarios model-
Chapeos de palha ricamente
enfeitados
Chegou pelo ultimo paquete loja da roa do
lo,, a 400, 500 e 640 rs; ^cjnhas para ugon |f ^ ^ ^.^ ^ ^^
meninas, a 500 6 o*U rs. gouuiOM uur- ^ palha de lulia para senhoras e meninas, o mais
dadas a 320 e a 500 rs.; Sedas de qua- moderno qne tem vindo a esta praca, e vendo-se
drinbs, a 640 rs.; ditas de listas, a 400 rs. por precos muit* Jwato.
Farlnha de mandioca
Vende-se farinha da mandioca da melhor e mais
nova que ha neste mercado, no escriptorio de Ma-
noel Ignacio de Oliveira 4 Filho largo do Corpo
Santo n. 19, ou abordo do palhabote Vtamao, an-
corado no caes do barao do Livramento, junto ao
patacho Regulo.___________
aza&OO rs. a
Na ra do Vigario deposito n.
arrala.
Vende-se um balcao de louro proprio
para taberna ou outro qualquer estabeleci-
nlo, tem tambem urna grade de ferro e
para balanca, por preco commodo :
na braca da Boa-Vista n. 9.
09
s s
? a.
f o
09
"1
3
i
^33
o 3 a s
M ?
09
09 gj>
n
g"
t
6
se
e
Sd
-
8^500
84000
630OO
Vende-se na praca da Independencia ns. 37 e
39, capellas de aljfar para se botar no cerniterio
publico no dia de finados com. as nseripcoes se-
guintes :
Minha mai.
Meu pai.
Meu esposo.
Minha esposa.
Meu filho.
Minha filha.
Urna lagrima.
Saudades, sempre vivas do apurado gosto desta
ainda nao vieram igual a este mercado.______
Pata dia de tinados
Lindas capellas de contas com letreiros, apropia-
das para tmulos, sao ellas as nicas que tem nes-
ta praca : vendem-se na loja de madama viuva Le-
comte, ra da lmperatriz n. 7._______________
Vende-se na Capunga, ra da Jacobina, junto
ao sitio do finado padre Capistrano, nina casa ter-
rea de pedra e cal com 3 quartos e rozinha (ora,
frente murada com portaoe um pequeo sitio'cer-
cado fie ps de limoeiro, pertencente mesma
casa, por preco commodo : a tratar as Cinco Pon-
tas n. 31
Cyllndro para padarla.
Vende-se um cylindro para padaria em muito
bom uso e por commodo proco : na ra Direita
.M.
a quebradera nao deve chegar at este pon-
to Vinde ra Direita munir-vos de excel-
lente calcado com 40 e al 60 por cento
menos do seu valor___attendei:
Borzeguins, antes, bezerro e va-
queta 2 e meia solas ....
Borzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta e lustre 2 solas. .
Borzeguins, francez e hamburguez,
bezerro, lustre e couro de por-
co 75e........
Sapates, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas.....5#50O
Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas. ..... 50000
Sapates, Nantes, sola e vira. 4{000
Ditos para menina, cmlaco. 3)5500
Ditos de ditas, de cores. ... 2)5800
Sapatos para senhora e homem,
tapete.........
Sapatos de borracha para senhora.
dem idem para meninas. .
Sapatos de lustre para senhora. .
dem de lHStre as avessas .
Allenco do respeilavel publico
Para a gratule pe-hincha
Custodio, CarvaIho ti C, ra do
Queimado n. 25.
OfTerecem ao respeitavel publico a mais fina de
todas as cambraias tanto era desenhos como em
tintas sao as verdadeiras organdys da India che-
gados a esta capital pelo ultimo vapor inglez. A
grande quantidade que recebemos faz com que a
vendemos pelo baratissimo preco de 300 rs. cada
tfm covado, venham ver para desenganarem-se se
grande pechincha s na ra do Queimado n. 27.
Flores
Tambem chegaram os delicado? ramos de flores
matizados de lindas cores, que serven para qual-
quer enfeite : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cinlos

800
10400
10000
10000
500
Tambem chegaram os novos e delicados cintos
com fivella, guarnecida de pedrinhas e duas borlo-
linhas no centro, cousa de muito goslo : s no vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Randeijas
Riquissimas bandeijas de charao c outras quali-
dades de lindos desenhos, que se vendem per re-
eos baralissimos para acabar : s no vigila le
ra do Crespo, n. 7.
Pomada real
Tambem chegaram os bonitos copos de porret-
lana fina com banha e com lindos retratos, si 1
privilegiada pela rainha de Hespanla : s no sai-
Jante, ra do Crespo n. 7.
Sabonetes de familia
Grande sortimento de sabonetes para lodosos
precos, de superiores qualidades, a 160, 200. 210,
280, 320, 400 e 500 rs.: assim romo eslojos com
todos os preparos para impar dentes pelo barato
prego de 3000 : s no vigilante, ra do Crespo
prego
Delicadas tesonrinhs
Grande sortimento de tesourinhas, tanto para
unhas, como para costura; assim eomo muitts
outros objectos de gosto, que nao possivel annun-
ciar pela grande variedade de sortimentos, enjos
precos sero menos do que em oulra qualquer
parte : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Vinho de endures e Carlacho.
Vende-se em ancoretas pequeas o especial vi-
nho de Collares e de Cartacho : a tratar no arma-
zem da ra do Vigario n. 7.
> inlio do Porto e particular.
No largo do Corno Santo n. 6, segundo andar,
se vende o especial e particular vinho do Porto en-
garrafado, caixas de 1 e2 duzias : a tratar no ar-
mazem da ra do Vigario n. 7.
Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3YR2NU92_ETAEH0 INGEST_TIME 2013-08-28T03:22:38Z PACKAGE AA00011611_10227
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES