Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10226


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\
f
.<
AMO XXXIX HUMERO 246.

Por tres mezes adiantados 5S0G0
Por tres mezes vencidos GjjUOO
0TB1
f
Por auno adianUdo.
Porte para o subscriptor.
.
19800O
3jooa
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SOL
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martras 4 Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as secundas e
1 sextas-feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratn', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Serinliaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Uha de Fernando todas as vezes que para ah' sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao */t da.
EPHEMERrDES DO MEZ DE OTBRO.
4 Quarto ming. as 3 h., 36 m. e 8 s. da m.
12 La nova as 3 h., I7m. el s. da t.
19 Quarto cresc. as 4 h., 40 m. e 35 s. da t.
26 La cheia as 2 b., 30 m. e 20 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 6 minutos da tarde.
Segunda as 2 horas e 30 minutos da manha.
d.~ PA, ^ VAPORES COSTE1ROS.
, rl t"1,*'!,^308* s *! Para o norte at
Su. iTl*. 7 e 22 de ^da mez para Fernando nos
das U dos mezesde jan. mar?, maio, iul, set. enov.
-rt D PARTIDA DOS MNIBUS,
a i/ A .fe,do Apipaeos s 6"/,, 7, 7 / 8 e
i L i; feOHnda s 8 da m. e 6 da tarde; de
fiWlft6 ?da v c**4 e Varzea as 7
n i Beranca s 8 da m.
Do tecife : para 0 Appuros s 3'/ 4, 4 >/, 4 >/
ni? &iu a da tarde; DaFa 0linda s 7da
Si "3rr u Iarde; Para Jalj"atao s i da tar-
n^JOl*'janpa e Varzaa s 4 '/, da tardo; para
BemOKat 4 da urde.
PARTE QFFICIAL.
GOYEMO DA PROVINCIA.
Expcdirale do dia 23 de ouliibrn de 1863.
Officio ao presidente do Rio Grande do Norte.
Com o incluso involucro contendo 4 laminas e dous
tulios de puz vaccinieo, satisfago a requisigao de
\. Exc. feita em seu officio do 9 do corronte.
Dito ao commandante das armas. Queira V.
Exc. informar acerca do que pede o sentenciado
Dito ao director das obras publicas.Respon-
dendo ao offlcio que Vine, me dirigi hontem, sob
n. 211, tenho a dizer que pode receber definitiva-1
EXTERIOR. *\
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commorcio: segundas s 11 horas.
Dito de orphds: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: torgas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DAS DA SEMANA
26. Segunda. Ss. Evaristo c Florio mm.
27. Terga. S. Elesbo inip. da Ethvopia.
28. Quarta. Ss. Simo e Judas Thadeo apps.
29. Quinta. S. Euzebia v. m.; a b. Bemvnda.
30. Sexta. S. Heduviges duq. da Polonia viuva.
31. Sabbado. S. Quintino m,; S. Lucida v. m.
i* Domingo. S. Cesario diac.; S. Benigno presb.
ASSIGNA-SE
c Recite, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Fana & Filho.
folhas liberaes da Austria condem-
mae do governo prussiano. Reconhe-
s abusos podem aproveitar em
meuto a obra da reconslrucco, da ponte doTrapi-[- x I sarta MHataa dn^iZZ^fwE' m?5r!*F.mB
recommendo ao inspector da thesouraria provincial I ;* dissolucao da
ou as dwrotas da causa liberal
Antonio Gomes de Souza no incluso requerimento. j respectivo commandante fazer a escripturgao do
Dito ao mesmo.De conformidado com o que V. | mesmo destacamento, bem como o azeite necessa-
&xc. ponderou em seu offlcio n. 1,967 de 22 do rio para luz do quartel, devendo essa despeza ser
crreme, o autoriso a mandar dispensar do serv-1 salisfeila pela rollectoria desse municipio. -Offl-
co para que se liavia contratado o 2o cirurgio re- ciou-se neste sentido tliesouraria de fazenda
formado da armada, Francisco Marciauo de Areu- Dito ao mesmoTrate V. S. de alugar urna
jo Lima, visto ja se ter apresentado o 2 cirurgio casa para quartel do destacamento dessa villa,
do corno de saude do exercito Dr. Cicero Alvares! visto que acha-se arruinada a em que est alojado
dos tantos, destinado para servir na guarnigo o mesmo destacamento c o dono nao querfazer-lhe
desta provincia. Communicou-se a thesouraria de! os necessanos concertos, segundo declarou-me o
i2In ;c a L .... I brigadeiro commandante das armas, em ofllcio de
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. 21 do crreme. Communicou-se ao commandan-
U juiz de direito da comarca do Limoeiro partid-' te das armas.
pou-me em 19 destemez, que por ter no dia ante- j Dito ao delegado de tanto Antao.Remetto-lhe
rior o tornareI Bartholomeu Torquato de Souza e um tubo com puz vaccinieo, para o fim solicitado
hil\a dado parte de doente, nomeou o advogado em seu offlcio de 3 do corrente
2~?2 da S,lva e Mell' Para "ercpr '"Ie-! D't a" juia de paz presidente da mesa parorhia!
numente naquella comarca o careo de promotor da fregueza da Alagoa de Bixo.-Declaro Vmc.
piii.nco : o que coinmumco a V. S. para seu co-; em resposta ao seu offlcio de 23 de setembro ulli-
i mo, que em data de 28 desse mez, me foi transmu-
de Cimbres urna copia
tores que se proce-
KiihT^nn^H4 fe1?61 ^ei roa "tte Fr i a & fidoTe'estandri rnUJdo ao^Svo EmeS
rt LJnnio adH r \PT'e?ICnleCmose v jamara o respectivo livro das actas, como consta
d.t conta junta em duplcala, de livros e impressos do seu citado offlcio, a ella me dirijo nesta dala
que fornrreram para o expediente daquella cap- exigindo por duplcala a referida copia.Neste
tama -Comraunicon-sc ao capitao do porto. sentido ofliciou-se cmara, de que se trata
.nrD a- "TT- ,,es,IIU0 a y- -S- cobertos com l o a gerente da companhia Pernambucana.-
n/aCMltdat^ra"Pn>*'ncalii.80de Pode Vmc. fazer seguir para os portes de seus
flJ u,l,mo- 2 ,res Jn(;lusos Jrer,',s em du" deslinos> nos dias e horas indicados, em seu offlcio
Le, k q7VC rS5P5 a de V- S; de 13 *" forren-: de non,e'n. os vapores Camnmgibe e Jaguaribe.
l'.^ a,' ', 522 *Aqm> co"forme ,ndica i4-1 Di, cmara municipal de Nazareth Nao tendo
^mliiar n ??i ^m'^.v''^. !heso,urar'.a' nJandft, acornpanbado ao offlcio de!7do corrente, com que a
at reinar o fallecido major Joao Francisco do Li-, cmara municipal de Nazareth me remtteu a c-
desSdalmand'' M qUan,!,a ^ ^^ ^^ ?* ** >* da a',urap5 ** dos votes para te^
fWSP quand0 pegado dos termos de Buique deputados assembh-a gcral pelo 2 districto desla
provincia, o offlcio com direceo aoExm. ministro
cmara electiva prussiana s ,n nualaupr n~ ~"yia* u"
que em vista do competente certificado mande pa-ladn'ra por haver tardado Unto. Desde o mez de samente^obre n sVTn^m 1^ oudesastr-
gar ao arrematante daquella obra John Kreuzer, a ",a|o o conde Bismarck, ou antes o rei Guilherme, os jorDa ? "> ;*?" '- .
1 decidir recorrer pela terceira veza Assim>iA ...a..I". ezes nao deixam de caracten-
extremo de verificar a opinio do paiz.
0 relatorio que precede o decreto de 2 do cor- f
rente, referendado pelos ministros HaMrefc.de 'ASS^f*ui,?S^*,,VoWto*^
Bodelschwing, von Roon, Itzemplitz, de Muhler, de OTmt l?L Peters.bl"-BO- ,
^J! aml? rei Pretende ser acrediu-
rn^reVll.id'SWrdeve apresentar um
mais liberal que o da Austria,
quantia de 1:1973900, a que tem direito segundo
consta do citado ofllcio. Communicou-se thesou-
raria provincial.
Diio ao delegado do Bonito. Recommendo
Vmc. que mande fornecer ao destacamento dessa
villa una mesa cuma cadeira, para quepossao
" daSrdV* -'^redT'Pr^slaTa^aV
Uvas de congracamento com a Russia, e
Lippe deSelchow, de Eulemburg, pondera as dif- WH
fuldades suscitadas para um accordo entre o exe- Brojecto de refnrm-i
cutivoea cmara, acercado orcamento e de ou- demittindn Artistas de coragao e por conseguinto onthusias-
tas de tudo quanto grande e bello, ficaram Tasso
e Santos maravilhados do sorprendente espectacu- l5
lo que Ihe offereceram as duas grandiosascapitaes *- J.e'3ao ,enho. observado,
que yisitaram, e onde alm dos gozos que all se pro-
porcionan a todos que tem meios e gosto para pro-
cura-Ios, tiverara eles aventuras excedentes apar
da frescura da novidade.
O folhetim'sta porluguez, a quem nada escapa, e
que tao bem sabe aproveitar os assumptos galan-
tes para os descrever com os mimos da sua penna
deliciosa; saudando, com a &~
Joded.do aos* f^ZtegJol eZ^Z" S*J^SJ!~!L&*^*& e ahi
Espalhafato, um dos benemritos dapatria, recebe
urna penso de l:20050tK>dO Fisco F
, Pelo que tenho observado, a quebradeira s
nao respeiia an quebrado de bens e proteecoes.
fcjicolheu os hombros, e eu sahi pela ra do Ca-
\*i%%, inergulliado em consideraees, que, se Deus
me ajudar, algum dia virao a llmpo.
Us sinos da matriz repiearam e dobraramao mes-
mo lempo, parecendo que quem os tanga eslava to-
mado de endemoniado. Os estouros ^as bombas
doYo^e*! ^bradeirr S "* Pr0teS'aUd ^^ > geral
dos afamados e! Parei;
tras questoes. Jlude s exigencias da maioria em 2l^T^,^1^Ddo f,seus ^^^'iSSSSSSSe^^ S SSiSK^F** WoW c5m'raos,ras
offensadaspreroganvas da eor6a, exduindo a U.JO&JS&SL- ^^^ST'^^TSSSa ^^^ disse c os meus bo-
peranca de urna mais longa cooperacae, e de um PrUssanos m iTJ con'enta em ponderar aos
resultado satisfactorio. ^ ^Srl1 Wravado pela Austria, elles
Declara, que antes da viagem emprehendida KXJ Quemcrecia. Se pedir que
por el-rei, a 20 de junho, S. M. acolhra bem a novas onDre^'.Ps506' eX'g'ra arantas conlra
idea da dissolucio ; e que a situacao dos negocios i n Journni aiu a
nao inspirou modificao resoluco orimitiva.! nr!-," ,!.'.". *'* emende que Bismarck fez
Ao contrario,
terreno da constituicao
fraquecer a
tencia na Alieraanha
tes^rEmfestaram'no '' ^JS^^^^^1^^0^1^
iissoiufao ; mas nao espera que tire vanla-
federal, com o fim de en-
STdllS, co grande S- l^rZ^Tt?5 STSf f&J divisa
Jleraanha e na Buropa, afcio C' ZSSStJ^. <* Heydt exerceu
constitue a heranca bem adquerid7da liistoria glo- STKEft.'S! ,os, dei,0Jes.- e/le s ob'
10S? d0,_paiz i e_3ue, Pvo Prussiano semPfe este" PortandolTu %S2%\S2L ^S*l:
portando-se a urna carta de Berln, diz que apezar
de prohibir-se qualquer agitacao, excepto em prol
do Partido retrogrado, os esforgos terao de
do imperio de que trata a msma cmara, recom-
Tacaratu, com o sustento de paisanos emprea-
dos na conduce.. de recrutas, com a compra di
Jo ?^ruiaeja!friaLe.Ino,lnien,e C0.m, *us,e.n|o mendo-lhe que m'o transmita para ter ocon'en'i-
uo recruu Joao Alves da Silva, remettido da villa ente deslino.
1? 3,fr^ rapital c?in deslino ao servico Portaria.-O presidente da provincia, tendo em
v < ? occasiao julgo necessano, vista oque requereu, Felino Dunstano Ferrei^a
a v. s. para o tim conveniente que acabo Colho guarda da alfandega desla cidade e bem
a moc -arVZ^10' da',U,'"a ,ll't'souraria' assim a" nformagoes das r1|Wrt,rgs compo.enteT,
?niJSLp2eSSiL!?r* "* Pa"a oportunamente' resol ve conceder-lhe tres mezes de licenga, com
do exercito. Por esta
declarar V. S.
de recom
a quantia de 184520 rs., a que se refere o predito
parecer, o qual dever ser eutregue nessa reparti-
cao para ser tambem crediuda ao mencionado na-
jor.Offlciou-se neslc sentido thesouraria pro-
vincial. vr
Dilo ao "pesaio.Restituindo V. S. os papei
que vieram annexos ao seu oflicfb de hontem, sob
n. 803, relativos ao pagamento que na importancia
de 16:000, se mandou pagar ao barao do Livra-
mento, proveniente de qualro prestacoes mensaes
da obra de que arrematante do caes em cons-
trurgao por detraz do theatro de Santa Isaliel, te-
nho a dizer em resposta, que de conformidade
eom seu citado officio, mande pagar smenle a
quantia de 12:0005 correspondente aos tres mezes
do actual exercicio, jullio, agoste e setembro, de-
vendo porm essa despeza conlinnar a correr pelo
ministerio da marinlia.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Po-
de V. S. conforme indica em sua nformacao de
tiontem, sob n. 330, mandar por novamente em
praca os reparos nao s da cadeia da villa de Se-
rinhaein, mas tambem da ponte de Mamurabinha,
servindo de base a essas arremalacoes o abate of-
erecido por Jos Augusto de jirujo,dc um por
cenlo nos valores dos respectivos orgamentos.
Dito ao mesmo.Mande V. S., conforme indica
cin sua informagao de hontem, sob n. 529, dada
com referencia a da conladoria dessa thesouraria
adiantar ao delegado do termo do Buique, por in
temadlo do thesoureiro da reparlicao das obras
pblicas, a quantia de 1505 para occorrer as des-
pozas com o forneci mente dos presos pobres da
respectiva cadeia, viste nao liaver quem queira
preslar-se a esse fornecimento secundo consta do
ofTn-io do rhefe daquella reparlicao n. 1419 de 12
do frrenle mez, devendo porm o mencionado de-
legado prestar opportunamenle contas dessa quan-
tia. Communicou-se ao chefe de polica.
Dilo ao mesmo Mande V. S. fornecer ao corpo
de polica, como soliciten o respectivo commandan-
te, o livro pautado de 300 folhas, mencionado no
pedido junte. Communicou-se ao commandante
do corito.
Dilo ao director do arsenal de guerra. Mande
V. S. recolher aos armazens desse arsenal os ob-
jeclos mencionados na relacao inclusa, os qoaes
esiavam a cargo do corpo de guarnigo c foram
dados em consumo como deelarou o brigadeiro
commandante das armas, em offlcio n. 1,968 de 22!
qualro quintos partes do respectivo sold, para
tratar de sua sade.
Dita.O presidente da provincia, resolve no-
mear o padre Ignacio Francisco das Santos, para
fazer parle da commissao de exames, de que trata
'f!03!': do regulamenlo annexoao decreto n.
ve resolvido a nao deixar contestar.
Segundo o gabinete Bismarck, os Prussianos ca-
recem de demonstrar as prximas elegoes, que hMrTsp'ai''''.'hV!^' USi es.I0.rcos ?erao de I"6"
nenhuma divergencia deopinioespolticas tem for-, ZSSmT,Fr**** de ele'toresindenendentes,
ga bastante para comprometter, em presenga de I 3. aar a nova camara "ma forga moral
urna tentativa dirigida contra a independencia e I ***&#& n.^, a
dignidade da Prussia, a undade do povo e a lide- ""^ !epr mZ correspondencias mais lison-
lidade inviolavel que professa a dynastia heredi- K, d, t,,a?/n1f'l,acaa Escrevem-lhe da pi-
tara. |, ,assfa' Que se pensa em revogar os decre-
Comosev,a reuniao de Francfort serviu de _?^e'd Junl'o, na vespera das eleigoes, que te-
pretexto para despedir os deputados, na idea de ""2K2S ir Um mez ou /nex eJmeio; de-
aue as complicagdes externas, em parte oriundas SSESSC ?6?."* nos es.frgos do principe
do descrdito do governo de Berlin, flzessem es-
quecer as tropellias, as Ilegalidades,
ei,, rt?K?qu,e ass,im comoobstou a promulga- com que naturalmente se deslisou a penna que
queceras iropeuias, as uiegaiidades, as provoca- WrJ^^^^Sr!!^'^^i^^^\^*^ ^ "'eigos versos, repassados domis
gesdosavenlurpiros, que constituem o ministerio 7- "^?J*.F^.V'PeBiaaarefcrado gabiae-1doce perfume daaaodade dos lempos que l se
prussiano. '. e ^"Penhada a lula dos comicios. vao, e que tao gratos impressocs nos deixa
Alludemao orgamento, sem reparar, que, por -.ft^^f !g?.?* ***** proficiencia do! toda a vida. E'sempre saudosos
culpa dos conselheiros responsaveis da cora dei- fceaerro
O que ser, meu Deus ?
- .,.._. iviiii deste- toes
tth&A&sn, san {S ts&sss*? a r
onde vem publicade, reproduzimo-lo em aossa oi^ I .:i?"arda-da deteica?' -(Jue vinha
lava pagina, certos nos de que com isto lhes ofle-
recemos mais alguns momentos de recreio e dis-
tragao, no meio da aridez de assumptos com que
os possamos entreter, e de que a nossa sociedado
tanto se recente.
. ~ Ao Gabinete Portuguez de Leilura, nesta- ei-
dade, foi offertado um volume de poesas corapos-
tos pelo Sr. Joao Rodrigues de Oliveira Santos, ne-
gociante portuguez estabelecido na praca do- Ma-
ranhao. "
Tem este *olume por titulo-Amor e Saudade,
e e digno de lr-se, nao s pela slngelesa, caden-
cia e originalidadc dos versos, como pela liberda-
de e sentimentalismo com que esto escripias to-
das as poesas.
Lemos com soffreguidao, principalmente, as mi-
mosas strophes da poesa intituladaffeco-/flgao
da infancia, e confessamos que urna das mais
harmoniosas e delicadas produegoes poticas que
lido. Admiramos a facilidade cadenciosa
a
_ a marche-
marche em soccorro ifc S. Miguel.
Alli ehegara a triste noticia, de que as almas do
purgatorio haviam arrombado as portas da prisao
quando o Archanjo era festejado.
A patrulha parou no adro.com mostras de arre-
meter ; os devotos assustaram-se, e ergueram-se
em confusao, mas urna, commissao da irmandade
veio fora assegurar aos bravos da detengao, que
nao era exacta a noticia, e agradecer-Ihes o auxilio
e a honra. Ento fazendo eHa meia volta direita
marchou em ordinario, tornando por onde tinha
vindo, ao sora do tiUnmplao de duas caixas destem-
peradas.
Fzeram aoto& na Facutdade de Direito
dia 26 do corrente, os estudanlos seguintes :
Prmeiro anno.
Joo Paulo Gomes-de Mattos, plenamente.
Jos da Costo Carvalho GuimarJes, simplesmentc.
no.
deixam para
que nos recor-
xou de discutir-se o do 1862. Referem-se inicia- ,
t.va do imperador da Austria, sem distinguir que SaT**!*ygJgf.^* V***** CQBSelboe, e -
os Prussianos nella reconhecem a absoluto incapa- ."'^* ,r"ns''a fren'e do movimento nacional
de Berlin. Declara que o golpe de nada damos dos innocentes folguedos e passatempos da
, se nao esta resolvido a desamar a oppo- nossa meninice, e com macea e tristura que re-
1,568 de 24 de fevereiro de 1855.Communicon-se
ao director da Faculdade de Direito, e ao da ins-
truegao publica.
Expediente do secretario do governo.
Offlcio ao commandante das armas.-De ordem
de S. Exc. o Sr. presidente da provincia, commu-
nico V. Exc. que por despacho desla data auto-
risou-se o director do arsenal de guerra a mandar
concertar os objectos mencionados no pedido a que
alinde o offlcio de V. Exc. do 22 do corrente, sob
n. 1,966.
EDITAL.
Pela secretaria do governo se faz publico para
conhecimento de quem inleressar possa, que se
acha vago desde a sua ereagao e de novo em con-
curso o offlcio de escrivao privativo do jnrv e exe-
cuges criminaos do termo do Cabo, creado pelo
art. 108 da lei n. 261 de 3 de dezembro de 1841.
Os pretendentes devem apresentar seus requeri-
cidado do seu rei, e a falta completa de requisi-
tos para attrahir quaesquer sympathias germ-
nicas.
Suppunha-se, que a par do decreto dissolutorio,
viesse a ordem para proceder as eleigoes por qual-
quer lei dictatorial.
Ainda desta vez as meias medidas e as hesita-
ges mascararam o proposito oceulto da cama-
rilha.
O principe real inslou fortemente no conselho
germnico, langando a barra adianto da Austria,
t Taes resoluces, diz o citado peridico, assigna-
lam os grandes ministros e os grandes reinados.
bena loucura aguardar semelhantes ira sigen-
cias |tor parte de um ministro, que faz gala em ex-
citar os odios e os resenlimenlos dos compatriotas,
cuja nessoa ainda mais antipalhica aos Prussia-
nos^ do que os seus actos. Inconsequencia, provo-
cagao, ma vontade serao as suas constantes feices
caractersticas.
para que nao se violasse o pacto fundamental no j'^-if ?rtJS2 captar o favor publico antes
"--'- ----- das eleigoes. Envidar-se-hao os recursos da arbi-
methodo das eleigoes e o seu voto nao encontrou
manifcsla reprovagao.
Entrelanto, ninguem pode admittir, que o rei c
seus ministros sejam tao innocentes que julguem
o povo prussiano inclinado a escolher candidatos
de um governo detestado, a pretexto de se desfor-
garem dos insultos da Austria, e de manterem a
dignidade nacional.
trariedade, para prodnzir maioria governamental.
Dcpoi* do suffragio, em frente de urna camara ad-
vewa.j.provavel que se revoguem os actos ille-
bm de i de jonho para ostentar deferencia s
formulas constitucionaes, para apparenlar home-
nagem aos eleitos do paiz. e sobre tudo para nao
correr o risco daregeigio, submettendo-lhe as res-
Deve antes soppor-.se, que ha proposito deli- K'ccoes Prescnptas imprensa. Depois, continua-
beradode levar o golpe de estado aos derraderos rao a "i^rgencia e a lula, at que surja o golpe
limites. i ae estado definitivo, ou a abdicagao de um sobera-
A nova camara electiva pode conter maitos ad- no ,mPossivel.
( Jornal do Commercio, de Lisboa )
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
Secretaria do governo de Pernambuco, 24 de ou-
tubro de 1863.-0 secretario, Dr. Francisco de
Paula Salles.
Despachos do dia 23 de oulubro de 186o.
fequerimentos.
Commendador Antonio Jos Gomes do Crrete.
Informe o Sr. director geral da instruccao pu-
blica.
Antonio Joaquim Pereira Guedes.-Informe o
Sr. director do arsenal de guerra.
D. Auna Espinla Cavalcanle.-Informe o Sr.
director da instruegao publica.
lenlo Jos da Silva. Indeferido.
Ernesto Botelho de Andrade.Remettido ao Sr.
inspector da thesouraria provincial, para attender
ao supplirante.
Dr. Francisco de Paula Soares.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda em vista do
ddcorrente.Communicou-se ao commandante das 'P'f, novamente allega o supplicante.
armas.
Dilo ao mesmo. A'vista da sua informagao de
17 do corrente, sob n. 114, o autoriso a mandar
admittir na companhia de aprendizes desse arse-
nal, o menor de nome Rento, urna vez que sejam
saiisfi iias as disposigoes do art. 4 do rcgulamento
n. M3 de 3 de Janeiro de 1842
Dito ao director das obras militares.Mande V.
S. examinar com urgencia os concertos de que ne-
cesita o quartel do l" batalhao de arlilhana a pe,
segn lo declara o respectivo commandante, no of-
ficio de 10 do corrente, constante da copia inclusa,
e me aprsente o orcamento da despeza a fazer-se
cora o* referidos concertos. Por esta occasiao re-
conunondo V. S. a mais restricta flscalisag.ioda
parte dessa directora na execugo das obras mili-
tares, aflm de que se nao deem abusos contra os
quaes reclama o brigadeiro commandante das ar-
mas, em officio de 13 deste mez, tambera por copia
inclusa
Dito ao mesmo.Recommendo V. S. que man-
de fazer os concertos de que necessita o encana-
mente do gaz para illumieacSo do quartel do corpo
Felino Dustano Ferreira Coelho.Passe portara
concedendo a licenga pedida com quatro quintas
partes do respectivo sold.
Franklin Climaro Pereira de Souza.Aprsente
o menor ao Sr. director do arsenal de guerra,
aquetn nesta data se expede conveniente ordem.
Jos jAuguslo de Araujo. Indo novamente
praga as obras de que se traa, pode o supplicante
concorrer ella se assim Ihe convier.
Luiz Pedro das NevesDirija-se thesouraria
de fazenda.
Vasco, africano livre.=Informe o Sr. inspector
do arsenal de marrana.
(OuMIWmi DAS ARIAS.
Quartel general do commando das armas de Per-
nambuco, 2i de oulubro de 1863.
Ordem do da n. 263.
O general commandante das armas tendo em
presenga o offlcio da presidencia, datado de hon-
. tem, declara despensado do servigo medico militar
de guarnigo, tendo V. iodo o cuidado para que desta guarnig3o, para o qual fra nomeado, o Sr.
es
se
para aquclle fim.
Dito so commandante do corpo de polica.Pode
V
paisano Jos Antonio J^erreira^de Alcntara, a ConformeJos Ignacio de Medeiros Reg Ion-
versariosda Austria ; mas tal vez aprsente menos
amigos de Bismarck do que tinha a dissolvida. O
presidente do conselho conhece assaz, que nao ha
boroen mais odiado do que elle.
Sem escrpulos, sem consciencia lenciona con-1
cluir com a destruigo do cdigo, que jurn man-
ter e guardar.
Parte do principio de que um novo ministro em-
bora venha continuar a encarecer o systema obno-1 Depois d'amanhaa reune-se o Instituto Archeo-
xio do gabinete, deve considerar-se frente de uraa lgico e Geographico Pernambucano em sessao or-
administracao recem-fermada e por isso declara, diara^
com pasmoso sangue fri, que a camara agora I m Do-nos informagoes de que nos ltimos dias
'o da forga do batalhao de arli-
n ac icmal. chegonao conhecimento
commandante, o Sr. major Frias Vil-1
Jas pragas do seu commando havia
marek disse a varios amigos, que se as eleigoes desvirginado a urna moga menor de 14 annos, de
nao forem conformes com o voto do governo, dis- familia pobre, mas honesta. Em presenga disto,
solver outra vez, repetindo a experiencia tres ou o mesmo Sr. major convenceu-o de que devia re-
quatro vezes. parar a falta commetlda, legitimando sua uniao
Se entao se verificar, que o resultado sempre o com aquella a quem offendera em seu pador virgi-
mesmo, el-rei ter ensejo para decidir se possi- nal, pelos lagos do hymineo ; o que annal teve lu-
vel marchar cora a constituicao vigente E' a sen- gar sabbado 17 do corrente.
da perrorrida pelo ministerio Polignac, que servio O referido major, alm disto, concorreu com
no reinado de Carlos X, e provocou a revolugao tudo quanto se fez necessario para ter o acto a
de julho de 1830, alias pouco provavel na Prussia decencia devida, tornando-se assim elle digno de
Mas se os subditos de Guilherme I sao phleug- considerago por duplicado motivo,
malicos por excellencia, teimam por outro lado em Ao capitao do 2 batalhao de reserva da
usar dos recursos legaes contra os oppressores. guarda nacional desta capital, Eduardo Frederico
Ha occasioes em que os partidos esquecem as dis- Banks, inanilou-se passara guia de que trata o art.
sengoes, em que a voz da patria se faz ouvir para 45 do dec. n. 1,130 de 12 de margo de 1853, visto
produzir a uniao contra o inimigo commum. ter mudado a sua residencia para o municipio de
Mas, as actuaes circumstancias, s ha a debel- Barreiros.
lar um poder brutal, inlratavel, desptico, que I Remettem-nos o seguinte :
pretende subjugar quaesquer resistencias. Ogo- O anniversario natalicio de qualquer chefe de
verno qur que os povos prescindiam das suas an- familia, sempre solemnisado com todas as galas
lipaihias ; e nao offerece penhor algum de modifi- do prazer e alegra; por todos os seus membros;
cago nos aggravos ou de emenda nos erros com- se um dia destes traz expansao do coragao aos pa-
meltidos. i rentes e amigos, que se reunem em communhao
u desenlace da crise constitucional nao c difflcil para solemnisar um tal dia, dizemos nos; ninguem,
de prever, O executivo procurar influenciar as por certo, ter maior direito a esse acto de amor e'
eleigoes, apoiando-se as medidas diclatoriaes de 1 respeto do queum monarcha.pai commum de todos
de junho. < os seus subditos, os quaes festejando o dia natali-
A imprensa foi reduzida ao silencio, as univer- co dd seu rei, dao urna prova exhuberanie de seu
sidades foram reprehendidas, os funecionarios se-! acrisolado amor e dedicaco, partilhando igual-
rao sujeitos a penas disciplinares, os eleitores en-' mente da honra e gloria de um scmelhante proce-
contraro ameagas, exercer-se-ha a maior presso diraento : o rei, porque reconhece o amor de seus
possivel.
A pezar de tudo o resultado ser adverso ao mi-
nisterio.
A dissolvida cmara ser reconduzida, salvas
pequeas excepgoes.
Os empregados pblicos amovveis nao se apre-
sentaro ao suffragio, os professores mais eruditos
e mais intelligentes receiaro quig aderadas per-
seguigoes.
O futuro parlamento flear talvez sem alguns dos
melhores oradores, alguns opposicionistas mais
conspicuos.
Entretanto, a perda ser para o paiz e para a
camara; o rei nada lucrar com os que substitui-
inagoa o tristura que
passamos pela mente esses lempos de tonta ledice
e alegra, que s urna vez na vida nos dado
gozar.
0 Sr. Oliveira Santos revela um verdadeiro ta-
temo potico, e pena que a sua afanosa profisso
Ihe vede caminhar na estrada florida e perfumosa
da litteralura, para a qual a vocagao por certo o
chamara, mas de que a sorte o desviara para o
acorrentar ao porte do positivismo e do calculo
ariihmetico, murchando-lhe n'alma as doces aspi-
raeoes de gloria com que sonhara.
Consta-nos que o Sr. J. R. de O. Santos, o quar
apenas conta trinta e um annos de idade, uiu
dos commerciantes mais estimados do Maranhao, e
que em menos tempo tem adquirido urna posigao
lisongera no seio da honrosa corporaeo a que
pertence. Deve, pois, ufanar-se da sua bella po-
sigao e da sua esmerada intelligencia, tudo duvi-
do nicamente a si, ao seu trabalho, perseveranca
e talento, *
O nosso collaborador remetle-nos a seguinte
BU Mm
Compadre. Quebradeira... quebradeira... e
mais quebradeira.
E a voz, que se repete de um ao outro canto des-
ta cidade, como um echo triste que sahe d'entre as
rumas de um sepulchro I
O negociante, o funecionario, o militar, o padre,
o artista, emflm desde o grande at ao pequeo tudo
d'z quebradeira I Os seus capitaes, os seus orde-
nados, sidos, letras e suas industrias nao cliegam
para acudirem as necessidades, que occorrem na
presente quadra da vida.
Tudo se complica : diminue a concurrencia, eres-
ce o trabalho do funecionario, augmenla-se o alu-
guel das casas, foge o dinheiro, e at os tediados
das igrejas j nao gotejam I
Nao se conversa em outra cousa : as pragas,
as tejas, na ra c as casas l vem sempre a mal-
ditaquebradeiracomo um papao de horripi-
lante catadura. Pelo que vejo, brevemente todos
se reduziroao triste esqueleto da ultima carta que
vos dirig, que boas postas ficaram de escabeche na
offlcina do patro.
Mas quem aquelle, que alli vai tao obeso, e tiio
cheto de gravidade estudada como um definidor
franciscano no acto de pedir a palavra em capi-
tulo ?
E' um rcasso, que tem fundos em toda parte :
em Buenos-Ayres, em Lisboa, em Londres, Paris...
Hih !... basta.
E aquelle desgragado, que passa tao azafamado,
a fazer a gente suar, e a esgotar-se em suor como
una retorta ?
Desgragado!... ainda hontem princpiou, e j
hoje tem uraa fortuna nielhor de 300 contos.
Mas, como pode ser isso? Como que aquello
embrulho de flores de sabugo enricou tao depressa
no meio de tanta quebradeira r
D'ahi ha pouco, appareceu um joven almiscara-
do, e foi dizendo muito cheio de si :
Estiveram no baileesta noitecento e vinte e tan-
tos senhoras, cada qual mais chique. (Nao embi-
quis com o termo, compadre, est tao fossil como
um hyppopoiamo.) A msica esteve excedente, a
dansa animada, o cha bem servido e a casa per-
feitamente adornada.
Sanio Deus I... como se dansa com aniraagao
ao som da lgubre cantilena :quebradeira, que-
bradeira e mais quebradeira? I
Favorecei, senhor, a pobre viuva tao pobre como
carregada de fllhos.
Perdoai, inna. a quebradeira geral; e logo a
vassallos, e estes porque festejando o anniversa
rio natalicio de seu soberano, diio urna prova in- j coitoda esgueirou-se por urna porta travessa, e sa-
concussa de seu amor, e inleresse que consagrara
a peuoa do seu rei; satisfacao plena que elle re-
cebe cora reconhecimente e cheio de jubilo, e que
os outros povos applaudem com enthusiasmo e
verdadeiro patriotismo.
Ahi se approxima o sempre memoravel e faus-
hio mais envergonhada do que entrou.
V que estado estamos reduzidos f Aquella mu-
lher a viuva de F...
O Fisco tomou ludo quanto o marido Ihe deixou
por urna divida de seis vintens I
Quero contor-lhe essa historia, que interessan-
para
toso dia 31 de oulubro ; dia anniversario natali- te, chegue-se para aqu. Eeu aproxinei-mo
ci de Sua Magestade el-rei de Portugal, o Sr. D.! ouvi-la:
Luiz I : neste dia, que todos os Portuguezes, | Quando aquella infeliz chorava a morte do mn-
chelos de jubilo, devem dar expansao alegra do do, e rogava a Deus por ede, que liavia deixado um
coragao, pelos annos do seu rei; concorrendo com pequeo pao para ella e para os fllhos, entraram
todos os meios ao seu alcance, para que essp dia sbitamente duas ras sraistras, e a foram tirar d-
se scrvigoseja feto com jierfeigao ede modo que cirurgio da armada reformado, Francisco Mar-'remas notabilidades apprehensivas. Hao de ser' seja solemnisado com todo o briliio e explend'or, e suas lagrimas para ijiniinur umlnandadode
i evite o consumo de mais gaz do que o preciso ciano de Araujo Lima, visto como j nao sao ne- homens de rija tempera, de, antes quebrar do que! que embora longe da cara patria, nopasse elle des- nhora.
cessarios os seus serviros.
AssignadoSolidonio Jos Antonio Pereira do
. S. fazer engajar no corpo sob seu commando, o' Lago.
usano Jos Antonio Ferreira de Alcntara, al Cor
quem u refere o seu officio n. 435 desta data.
Dito ao procurador fiscal da thesouraria do fa-
zenda Devolvo Vmc. como pedio em seu offlcio
de hoje, sob n. 7, o mandado que vcio annexo a
outro seu offlcio de 17 do corrente, sob n. 6, em
virtude do qual devia ser cobrada no presidio de
Fernando a Manoel Thomaz dos Santos, a quantia
de 355, proveniente de custas, em que foi condem-
nado pelo juizo dos foi tos da fazenda
Dilo aojuiz de direito do Cabo.Sciente por of-
ficio do Dr. Miguel Joaquim de Castro Mascare-
nhas, datado de 22 do corrente, de tereut sido en-
tregues i Vmc. os objectos que sobraram do trata-
inento das pessoas Indigentes accommettidos do
cholera-norbus nesse termo-, tenho a recommen-
dar-lhe que os conserve em sea poder para serem
applicados aquelle fim, se por inlelicdade reappa-
recer ahi a epidemia.Offlcion-s aquelle doulor,
dizendo (car inteirado de quanto Smc. communi-
cou relativamente a commissao de que adi se acha-
va incumbido.
teiro, capitao
edtalhe.
ajudantc de ordens encarregado do
26
Ordem do dia n. 264.
O general commandante das armas, faz certo pa-
ra sciencia da guarnigo e devido effeito, que nes-
ta data, precedendo inspeccao de sade, contraten
para servir por mais tres annos na fnusica do 9*
batalhao de infamara nos termos da imperial pro-
visao de U de Janeiro de 1853, ao msico de se-
cunda classo Delioterio Jos de-Santa Anna, que a
8 de agosto ultimo finalisou o-seu prmeiro contra-
to, o qual percelier por sobre os vencimento que
por lei Ihe competirem, o premio de 1505, pago de
conformidade com o decreto e regulamenlo do 1
de maio de 1858.
AssignadoSolidonio Jos Antonio Pereira do
Lago.
ConformeJos Ignacio de Uedeiro ego Mon-
torcer.
Os Prussianos sabeni, que se Trata de defender
o rgimen constitucional, e j tem dado provas de
affeigao ao systema. Combaten) por elle ha qua-
tro annos. Sacrificaran! o gabinete Schwerin-
de*ia
apercebido entre nos; e o meio mais fcil que se Que penhora esta, sonhores ? A quem
nos offerece, para tal demonstragao, assistirmos meu marido?
ao espectculo, annunciado pela empreza do thea- Ao Fisco.
tro de Santa Isabel, para a noito desse dia, em' Quera esse- senhor ? Meu marido nunca
honra e saudacae do anniversario natalicio do' transaecae com sewelhante creatura.
Juliana correspondente
teve
Anerswald, e affroniaram o de vqn de Heydt, para j nosso soberano; com esse procediment demons- E o imposto da escrava
nao comprometter o cdigo poltico. Sem du vida \ traremos, que sabemos manter t amor, e respeito ao exercicio cadonto.
ho de rejeitar corapromissos coa a administrago
Bismarck.
Nao se cura agora da complicada questao da re-
orgaoisagao militar, trata-se de resolver se o mi-
nisterio tem direito de despender soramas que nao
foram votadas pela mar popular.
O governo arrogou-se essa faculdade ; "e se a
camara a consentisse abolira ipso fado a consti-
tuicao.
Para evitar a calamidade, proposito geral re-
eleger os deputados, que sem hesitago souberam
manter-se firme no posto de honra.
De balde se esforga o governo por encapotarse
na questao germnica A nova mar hade ser
adversa as resolugoes de Francfort no sentido aus.
triaco ; mas nao appro vara as Ilegalidades do oon-
""". j -"- --.., ..l3 ^.u..- n.oiu mas uau approvai'a a&iiiegauuaues uuuon-
toiro, capitao ajuqanlo de ordens eqrregado do! de de Bisroarok na administrago interna, oraquau-
detalhe.
te a sua voi poder ser ouvida.
augusta pessa de Sua Magestade, o que jamis
nos sao esquecidas as tradiges gloriosas de nos-
sos antepassados. >
Sao tiio chistosos os escriplos do folhetinista por-
tuguez Julio Cesar Machado, que quasinos impos-
sivel resistir ao desejo de frequentes vezes, trans-
crever as columnas deste Diario alguns dos seus
artigos que mais de perto possam interessar nos-
sos Icitores, j pelo espirituoso da pbrase, j pela
importancia do assumpto.
Os grandes e celebrados artistasdramaticos por-
tuguezes, Tasso e Santos, aproveitando-se da sus-
Isso est pago, aqui teem os sooliores o co-
nhecimento.
Nao occasiao, allegue isso por embargos )
ao entretanto d-nos bens a penhora, quand nao...
E a penhora se fez, e a coitada gastou tudo quan-
to tinha, porque nao consta va dos Hvros o respecti-
vo- tongamente.
Perdeu, que nao havia vencer ao Fisco* o ei-la ahi
Boou arremessada ao. eio da ra esmolar o pao
da candado.
A historia era eom effeito interessante t
Cheguei porte para me distrahir, quando pas-
pensao dos espectculos que annualmente ha em sava urna linda senhora em magnifica berhnda. O
Ltsboa na estacao Imosa, e animados domis a ambiente Qoou perfumado do mais lino sant ritum
mais pela munificencia regia, foram faaer urna do Lubin
digressao artstica at Paris e Londres, e voltarara Quem esto senhora perguntei.
ha poco tompo a Lisboa, para reapnarecerem no g' urna senhora rauite respeitavel, maito in
theatro norma dquotta capitel, j teressante e rauito bella.
Francisco do Reg Baprista, plenamente.
Virgilio Augusto de Moraes, idem.
Segundo anno.
Jos Peregrino de Araujo, plenamente.
Antonio de Arme ida Oli\-eira, idem.
Antonio Francisco Correia de Araujo, idem.
Ignacio Ferreira do Alraeida Guimares, idea,
Terceiro anno.
Victorino Antonio do Sacramento, simplesmeote.
Antonio Jos Lopes Filho, plenamente.
Antonio da Silva Antunes, idem.
Manoel Francisco do Nascimento Sobreira, idem,
Quarto anno.
Joaquim Correia de Araujo Jnior, plenamente.
Joaquim Guennes da Silva Mello, idem
Jos Francisco de Paula Correia de Araujo, idem.
Andr Cavalcanti de Albuquerque, idem.
Quinto anno.
Francisco Antonio Carvalhal, plenamente.
Celso Tertuliano Fernandes Quintella, idem.
Daro Gomos da Silveira, idem.
Rkpautiqao da polica :
(Extracto das parles dos dias 25 e 26 de outobro.)
Foram recolhidos casa de detengao no dia 2t
do corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, os
pardos Jos Laurenlino da Paz, por suspelto de ser
criminoso de morte, Maximiano Gomes, por se achar
processado no termo de Nazareth, e Joaquim da
Costa, Africano, por suspeito de estar fgido.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Jos
Candido de Souza, branco, os crioulos Joo Ber-
nardo de Mattos, ambos por embriaguez, e Jose-
pha, escrava de Manoel Joaquim Rodrigues deSou-.
za, requerimento desle.
A' ordem do da Magdalena, Manoel da Costa.
Portuguez, requisigao do respectivo cnsul, Jos
Ferreira Fialho, branco, Luiz Machado Fagundes,
tambera branco, arabos por insultos.
25
A' ordem do Illm. Sr. Dr. rhefe de polica, Joa-
quim Marinho Falco, branco, sem declarago do
motivo.
A' ordem do subdelegado do Recife, Jos, criou-
lo, escravo de Manoel Alves Ferreira, requeri-
mento deste.
A' ordem do de Sanio Anlonio, Januario Pereira
dos Anjos, pardo, por embriaguez.
A' ordem do da Boa-Visto, Benedicto Cardoso da
Silva, semi-branco, os pardos Luiz Antonio do Nas-
cimento, ambos por infraego de postura, Slvino,
escravo de Jos Francisco Pereira da Silva, por
fgido, Jeito dos Santos Lima, Herculano da Multa
Fonceca c Ponciana Mana da Conceigo, sem-bran-
ca, todos por briga e insultos.
A' ordem do da Magdalena, Manoel Agapto de
Paiva, pardo, como desertor da armada.
A' ordem do do Peres, Severiano Rodrigues dos
Sanios, branco, por entrada em casa alneia.
0 chefe da 2* secgo.
J. G. de Mesquita.
Passageiros do vapor nacional Jaguaribe, sa-
bido para os portes do norte : Cicero Por Deus da.
Costa Lima, Dr. Manoel Coelho Cintra, Virgilio Au-
gusto de Moraes, Justino Norat, conego Joao Cbry-
sostomo de Paiva Torres, Joaquim Luiz Alves Vian-
na, Flix Antonio Pereira Lima, Normando Alves
Feitoza, Jos P. de S Souto-Maior e 1 criado, Leon-
cio Jos Theophilo, Antonio Nunes Teixeirade
Mello, Francisco Gomes Prente Filho, major Fran-
cisco Urbano Pessoa Monte-Negro e 1 criado, Ma-
noel de Mello Monte-Negro, Rosa Mara da Concei-
go, Jos Antonio Guimares, Adriano Jos Lucas,
e Jeronymo Jos F. de Mello.
pg x C/3 m M
M o B s X
i (i 3 3
3 -3 i W 3


; | { |
>
I 00
Masculino.

Feminino.

o
5.
-
i .LL
Masculino.
Feminino.
-i
Masculino.
Fwiinino.
Masculina.
&L
Feminino.
K
n
si
0
>
s
Masculino

Fmu'niao.
i
f
I
i
s
. TOTAL.
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doentes existem 0% sondo
alienados 9 homens e 2 mulheres,
Foram visitadas aa enfermaras estes dias :
Pelo T)r. DoruMtos, s 8, *0 3/4, 10, 10 IA
ti, 11, 10 3/4,
Polo Dr. Jtarmento, s 8,7 3^4, T 3/4, 8 3/4,8
E" a van do general HA 8, 8 |/4 da manhaa.

-
-
_
-


.......
-.. ...
Diario de Pernwnfonc ... Terca lelra t de Outubro de i 3.

pelo Df. 'PHlas-Boas, as S 1/1 7,6,6 1/*,> "vez ppweeido tos Termes Be seputetn?4 mi-
6 1/4,6 da tarde.
Fallecern! : ,
Antonio Benedicto do Espirito Santo ; intente
chronica.
Domingos Jos das Neves idem dem.
Severioa Manoella do Sacramento ; ulcera gau-
ManwWoaquim Gomes dos Santos, tubrculos
pulmonares.
Jjanna (menor) anemia. \ __
Passageiros do patacho nacional Campista,
sahido para o Rio de Janeiro .Francisco Paes e
Joaquim Vieira.
Movimento da casa de detencio do dia 14 de
(ulubro de 1863
A saber:
Existan). Entraran. Sahiram . 337 presos 9 8 .
Existem . 338
Nacionaes Hstrangclros. Muflieres. Estrangeiras. Esc ravos Escravas . 240 > t 9 > 3 87 4 >

338
Alimentados a custa dos cofres pblicos.
Movimento da casa de detenco do
de outubro de 1863 :
A saber
Existiam. Entraram Sahiram. . 338 presos 11 > 4
Existem. . 345
Nacionaes. Estrangeiros Mulhercs Estrangeiras Esc ra vos Escravas . 24o 24 10 3 59 4 >
345
Alimentados usta dos cotres pblicos. 141
Movimento da en/ermaria <)o dia 86 do ouiul.ro
correte :
Tiveram baixa:
Felippe Pereira do Souto, urticaria.
Joao Gomes Damasceno, sarnas.
Jesuino Lima dos Prazeres, rheumatisme.
OBITUAIBD DO BU. 25 DS OCTL'BR >0 CEM1TE-
nio publico:
Innocencia Rosa do Sacramento, Pemambuco, 64
annos, soKeira, S. Jos; hvdropesia-
26
Anacleta, Pernambuco, 40 asnos, solteira, S. Jos ;
hydropesia.
Rosal ia, Pernambuco, 11 mezes, VS. Jos ; convul-
soes. .
Marcelina, escrava, frica, 60 anuos, solteira, Boa-
Vista ; cancro no peito.
Joanna, liberta. frica, 70 anuos, solteira, Boa-
Vista: cancro uterino.
Rita Mara das Candoias, Pernambuco, 60 annos,
vi uva, Boa-Vista; gastro nterite.
Benedicta, escrava, frica, 50 annos, solteira, Re-
cite; cachexia.
III POUC0 DE -TODO.
Em nm jornal da Europa l-se o seguinte fado:
lina tarde da semana passada, dous jovens da
ilha de Princkipo, voltavam da caga em urna lan-
cha, quando ouviram um .ruido que nao poderam
definir, de repente wom sobre suas canecas um
passaro enorme, cuja apparencia os enebeu de es-
panto.
Mettem pois as armaseeraedisparam, quando
gritos de dr, palavras iutercortadas dicgarain
seus ouvidos. Dirigem-se nesta conjunctura para
o lugar em que tinha cabido o voltil, e entao reco-
nhecemque o quetinham lomado por passaro era um
homem armado com urnas azas raechanicas. Pres-
taram-lhe logo lodos os soccorros, e reconhecem
felizmente que asferidasnoapresentavamsympto-
DM8 de cuidado.
Este novo Icaro era j a terceira vez que atra-
vessava o Antigono a Plati, onde ia visitar a sua
bella, servindo-se para Jstc de urnas azas mechani-
cas por elle inventadas.
A Naci cscreve o seguinte :
E hoje o primeiro dia de urna serie de regosijos
muito populares emRema, que recordam as antigs
naumacbias.
Todos os domingos do mez de agosto, a praea
N'avona se transforma em um grande lago. E' no
sibbado depois domo/odia, que secomeeaa mudar
a praca deixando correr as quatro abundantes fou-
tes que a emballesam. AJgumas horas bastampara
cobrir urna superficie de 12,00 metros quadrados
de urna profundidad no centro. A concavidade
do pavimento, permute urna passagem as orlas
para as pessoas que andam a p.
A praca Xavona o amigo circoagonal de Ale-
xandre Severo.
Todas as casas que a cercam, foram edificadas
sobre os fundamentos da aotiga gradera.
Representa exactamente a forma de um circo ro-
mano, isto um parallelogrammo rectngulo, ter-
minando n'uma das extremidades por um semi-
crculo.
-No satinado a noite., e durante todo dia de do-
mingo um grande numere de carruagens c chcias
de homens e senhoras se dirigen praca. Os ca-
vallos sao lancados ao meio do lago c impellidos
com rapidez, ao som de urna furmidavel orchestra,
c ao ruido das risadas e gritos de alegra da iiuil-
tido que se apnha as bordas.
Os gaialos que assistom a todas as festas, to-
inam parle nesta nao so como espectadores, mas
lainbem como actores, apezar da ppohibico da po-
lica.
Gorrem na agua, agarram-se as carruagens e
executam mil evolocdes grotescas, at que os gen-
darmes pontificios os expulsan pranchadas.
Tal o espectculo divertido offrecdo ao povo
romano, durante os das caniculares, eem que a
sociedade aristocrtica nao desdeuha lomar parle.

0 Mercury, de Qucbec, annuncia que se acaba
de descobrir ouro em abundancia no senhorio de
\audrenil, e as margens de mulos regatos tribu-
tario do rio Chandire, a uinasoO milhas da capi-
tal Canadianna.
t'm peda? de ouro puro, que pesava urna libra
" mu quarto, appareceu no leite de um destes re-
galos, que est quasi secco nesta estacao.
1 m outro pedaco, do peso de nove oncas, pro-
veniente das mesmas paragens foi exposto em
Ouebec.
GaJcula-sc em 20,000 libras o valor do ouro j
.-.'xir-iliiil j dcstas novas minas.

Os bandos de guerrilhas. qne as provincias de
Kapoles sustentam, desde 1861, urna guerra per-
tiaaz, teem causado ao exercito pieraantez as se-
guimos pardas:
Desde 1861 at marco de 1863, lefliciaes c
283 soldados merlos, e ."> olliciaes e 81 soldados fe-
riada.
No mesmo periodo o numero de guerrilhas fu-
zlados, morios em combate, prisioneiros e apresen-
lados de 7,151 homens, sendo 1,038 fuziiados,
2,413 morios em combate, 2,768 prisioneiros 932
apresen tados.
Agora esta sabor o que dizein os cgoe das
guerrilhas napolitana*.

A divida dos Estados-L'ndos do Norte, segundo
os dados offlciaes 1.222,297:103 duros.
O papel nioda em circulaco no valor de___
:i96,7ttt037.
Os juros que 6e pagam per esta divida sao 42 mi-
hdes de duros.
Concluimos hoje as
NOITES INTIMAS.
TKRCWBA NOITE.
- BecordarSfS.
Desidefabiiia super aurum et
lapidem preciosura multum : et
dulciora super niel et favuni.
I'SU.Mo 18" v. II.
I
Passai, e repassai, brisas nocturnas, nesse volte-
jar constante me tos marcou a oatureza.
Vagas suspirosas do mar, gemei rossos lamen-
tos.
Pescadores, cantai; derramai o perfume de
vossas reminiscencias erticas nesses cantares
sentidos, qne tanto me compenetram.
Estrellas, que brilhaes tno firmamento com essa
luz que tremo como a incerteza da rgem
Estrellas do co, copniai vossa derrota.'
Noite, abre-me o teu seio 5 abriga-me em tua so-
lid5.o.
II
S, 8mre nieu destino.
Isolado, como o naufrago na mmenadade do
ocano a nwnba actualidade.
Esqiiecido e deslembrado dos homens, mas tai-
nha ron solaceo I
Nao importa. Na solidao destas noites, no iso-
hmento *esta vida, no esqueciniento e deslembran-
ca de ludo, restam-me o Ibemoro do passado.
Oh 1 passado I como me foste rico de inpiraQoes
de crencas, delirios, de esperanzas, de sonhos, e
quera sabe se nao de felicidade I
As. inspiracoes retemperam o animo abatido.
As crencas fortalecem o espirito que urna vez
descambou nos despenhadeiros do scepticismo.
Aos delirios succede a placdea; aos desvarios
a tranquillidadV d'alnia.
As esperancas dao vida.
Os sonhos Res embriagam, nos seduzem, nos ar-
rastam idalidade.
E ludo issoinspiracoes, crenca, delirios, so-
nhos, espenmeastudo isso o que senao a felici-
dade?
Mas tudo isso passou-se!
Nie wiDorta. As floros de liontem murebaram.
As borboletas douradas, que brincando as beija-
vam, passaram.
O sol que as animava tambem passou.
0 orvalho que hontem cabio sobre ellas sec-
on-se.
Tudo passa neste mundo; mas vivetn as recor-
iacoe wai'i denegareis que a abundancia de ouro
e de pedras preemas, mais doces qne nel e que o
'favo.
1411 III
dia 28; Vem noite, minha sincera confidente. Quero
moslrar-te os Ihesouros do meu passado, thesou-
| ros que eu zdlo com a supersticiosa cebica do ava-
rento.
01 los humanos nunca os nao de ver. Tu, e a se-
pultura que me coubcr por sorte, nicas, sberao
quanto valem esses destrocos amados, essas reli-
quias bemdtas.
Vou abrir-te, noite, o meu cofre precioso.
IV
Idolatrado penhor de minha jsrventudc, Hvro pre-
cioso de. minha vida passada, historia de tao Lem
queridos amores, segredo de tao amadas ffeicoes,
abre-to ainda urna vez, abre-te.
Talvez seja a ultima, quem sabe f Quero dspe-
dir-me Justas reliquias. Recobei este beijo que ain-
da resorvei para Sl^-
Recebei-o, qtie jWpctom resabo dos beijos da
perjura, recobei-o, quoVide meus labios evaporou-
se a essencia dos beijos deHa, e agora s Ibes resta,
apenas, o travar do fel que Ibes transmute met
coraco.
V
Vs ?___ urna tranca loura de seus maeios
cabellos.
Um dia, oHa sorrindo-me deu esse talismn,
que, idlatra, adorei, oemo os Guebros adoravam
o sol.
Verdadeiro talismn, porque foi o laco, o grilho,
levissimo, mas demasiado ptente para sedoiir-me,
para captivar-me I
Quanto lempo nao andaste ligtda as pal pitayes
de meu peile,< traca venturosa 1
Quanto lempo nao foste o-pouso dos meus beijos
ardentes, o emblema dos meus dourados anhelos 1
Hoje tudo est mudado, tranca I Apezar disso,
ainda nao te desamei, porque hoje ainda para
mira s urna recordaco I
VI
Outra reliquia, mais santa, mais nobre, mais
mentirosa talvez 1.. .sao asletlras daquella mao
traicoeira.
Mais santa, mais nobre I Seus cabellos sao a
muda represenlacao de urna parte material ; mas
suas fettras eiprimem o pensamento, revelam por
vezes rasgos beni vivos de urna intelligencia nao
vulgar.
E per isso mais mentirosa a charaei I
E come bella essa leitra Mais bella a mao
que a escreveu!
Nao quero ler-te as phrases que ella rae -soube
dizer piando eu perdido a esculava I Basta que
saibas que jamis mulher as formulou tao meigas,
tao seductoras, lo fementidas, tao doces I
Pobre de quem se deixou Iludir aos cantos ma-
viosos da sereia I
Pobre de quem, dosiIludido, anda se lembra de
recordar tantas maguas 1
Vil
Flores seccas, queenfeitastes seus cabellos se-
dosos, seu peito palpitante, seus vestidos perfu-
mados;
Flores seccas, que lbe ornastes a frente de ala-
bastro, hoje sois a imagem desses amores ingratos;
e por isso (oh 1 forea da contradieao!) por isso eu
ainda vos amo, e vos-conservo.
Se fosse possivel, eu vos quizera juncando a fra
lage da minha sepultura.
Seccas como as esperanzas que eu live, como
ellas jbrilbastes, e muito.
Mwrhadas com as idalisarOes de niinh'alma.
como ellas aao voltaram, tambem nao voltareis ao
vosso anligo frescor de mocdade.
Por isso, c eu nao sei por que mais attractivos,
anda estimu-vos muito, 6 flores I...
VHI
Appellantc, Jos Marlins Gomes
Rozendo Jos Moreira.
A novo jury.
Appellante, Manoel Vicente Ferreira; appellada,
a justica.
Improcedente.
Appellante, Jos Francisco dos Santos -, appella-
da, a justica.
Annullou-se o processo.
Appellante, o juiso i appellado, Manoel Vieira
Plnlo.j
Perempla a|accao.
Appellanle, o promotor;
Rocho Oliveira
Perempu a accio.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Gabriel dos
Santos.
A' novo jury.
Appellante Joao da Molla Virgem ; appellada
a justica.
Improcedente.
appeWados, riton tao assanhada; que onsasse plca-lo ; nos an-
naes forenses da corte do imperio o nome do Ur.
Urbano ser escripto em lettras d'ouro.
Sendo assim, o que poder autorisar a guerra,
que os dictadores da situacao fazem sua candi-
O-povo o diz, e o bom sonso da multido finis-
simo; duas sao as causas de tal guerra:
l. Querer o Sr. Paes Barrete garantir a sua ca-
deira no senado;
2.a Nao querer o Sr. Feitoza, que algum (a nao
ser o seu especial amigo Paes Brrelo ) pese mais
appellado, Vicente 4a|Ho que elle nos negocios do Pernambuco.
Nos artigos seguintes indagaremos a proceden-
cia d'estes-molivos.
Recife 23 de outubro de 1883.
- Na minha-carta aos etetorestdo primeiro dis-
tricto, publicada sabbado, entre mulos erros de
impresso e troca de palavras, vem urna que nao
Appellante, Severino Luiz da Roeha 5 appellada,' se pode supprir era despensar ; e quando se
justica.
Improcedente. Ji"
Appellante, o juizo-' appellada, Mara Francisca
de Barros. -
A' novo'Jujy.
Appellante, Vrofirio Jos Ferreira; appellado, a
justica.
Improcedente.
Appetleuo ckel.
r Garateante
de Altinquirque
Joao de S Albuquerfltf
Appellante(
L'chOa ; a|>pe
entro*.
Desprezaram-sc os embargos.
Habeas-corpus
Concedeu-se ordem de habeas-corpus pedWa fiar
Antonio Garlos Pessoa, para o dia 34 do -conmute,'
as 11 horas de da.
D1LIGRNCIAS.
AppeUacoes crimes.
Com vista ao Sr. Sr. desembargador promotor da
justica.
Appellaate, o juizo ; appellado, o escraw Ray
mundo.
trata dos fados depois do dia 2 de fevereiro de
1849, se ldepois de (esta veio Honorio ,deve
ler-se dopois de Tosa veio Honerio.
Affonso de Albuquerque Mello.
Illm. Sr.Na occasiao a mais solemne em
que esta heroica provincia vai exercer a mais
sublime e importante funegao da soberana
nacional, apresentando sabia escollia do
poder moderador tres nomes distinclos para
o preenchimento da vaga deixada no senado
"jjielo fallecimoole doviscoode de Albuquer-
que e quando eu venbo sollicitar a honra a
mais subida, que um cidadao pode preten-
der de seus patricios, a de ser contemplado
em urna lista trplice para o lugar de senador
do neu vigoroso dever explicar-me, e ma-
nifestar com franqueza meus principise
Ti ve um annel, simples, singelo, valioso por ler i embargador Accioli
estado em seu dedo.
Gomo nao acarkiei-o, raen Deus !
l'ra darasgava-me os seos d'alma o espinho
do tame .eu a tnha visto enlacada estreilssi-
mamenle, no rodopio da walsa, pelo brago de um
rival, que insullei, provoquei, que venci I
Era urna vinganca pueril e frivola ; mas era
urna vinganca i O auir se nutre dessas insignifi-
cantes loucuras 1
Nao satisfeito, doixava a trra em que habitavam
os que eu julgava mais felizes do que eu !
(x>rlava os os mares em demanda de disU'ahir-
me, de esquecer-me, esqueoendo-os.
f na noile, a la se derrawava pelo convz do
navio que me levava ; a brisa dorrata queda na su-
perficie das aguas; o silencio era quasi profundo.
Eu debaide precurava na fumaga de meus cha-
rulos o remedio que narcotisasse as angustias de
niinh'alma.
Sua imagem, a imagem da mulher que eu pro-
curava fugir, me persegua como um espectro,
me acorapanhava, como a sombra acompanha o
corpo.
Eu desesperava dessa teimosa insistencia, dessa
foreada reproduceao de meus males.
Por acaso, toquei o annel que foi della, que me
ornava o dedo mnimo, e Oque! electrisado como
pelo effeito de urna piiha galvnica.
Irritado contra essa innocente testeniunha de
meus soffrimentos, satisfeito arrojei o inoffensvo
annel immeusidade do mar !
L no fundo do ocano se esconde, como as
prol'undezas do peito se esconde a magua que ha
de levar-me soledade da campa.
Ah I se eu pod'.sse retav-lo, meu pobre, meu
innocente annel!...
K
Entretanto que essas recordagoes nao rae dei-
xara !
No labujar constante dosta vida, passam e re-
AppeWaote, juizo 1 appellado, Antonio da Ro-1 sentimerUos para que os meus concidados
cha Ueecrra. possam em sua consciencia julgar-me.
Appollante, o promotor; appellado, Arteoio Ama- Sieto-me acanbado em minlia pretencSo.
n*SSm o juizo, appellado, Secundino !?MBdo considero a importancia do manda-
Guedes. ; to, que a provincia vai coDtenr ; mandato
Appellante, Antonio Mantas Gachia*!; appella- do mais alto alcance, j por sua natureza de
do, a justica. irrevogavel, j pela gravidade de seu objec-
Assignou-se dia^p^raYulgamemo dos seguintes t0> e influencia que deve exercer nos desli-
feitos fws do imperio sendo por isso que com ra-
AppeUarSe* ermet. z3o exige a constituicio o candidato seja pes-
Appellante, Paulino Jos Bezerra ; appellada, a soa e saDr) capacidade 6 virtudes, com
,UAjnilante, o juizo-, appellado, Jos Francisco preferencia os que tiveretn feito servicos
de Paula. patria.
Appellante, o preto Ignacio; appellada, ajus- .Nao me desvanece de possuir 08 requisi-
'?* tos precisos para bem desempeoliar o man-
gjAppellante, o juu; appeUado, Joqutm Jos da ^ e 3nte OS ilkStres Pernambucanos,
Appellante, o juizo; apponado, Juvenal Antonio que se apresentam, me reconheco e confesso
Flix. ... Pas fraco e o menos digno, e 6e me de-
fT/'^C5 nve?- A o termino a pedir ossuffrauios de meus conci-
jST^^SXt.'SStM. dadSos, fundado sement na pureza de mi-
monia. nbjs intencoes, no desejo de servir ao meu
Appellante, Domingos Francisco de Sonta Leao; paiz, e na certesa, que tenho na propi'ia
appauado, Joaquim Manoel do Reg Barrete. consciencia, de empregar OS esforcos, que
doTSis^S" ISeZ&t Satt"*wS 35 omelhorcump'ri-
da e iguarass. ment de meus deveres, e animado unica-
mssagbns. mente por tantas demonstrarles de estima e
O Sr desembargader Gaetano Santiago passou COnfianca. que hei recebido de minlia pro-
ao Sr. d-UB--p^Jj-^ vinca nala<( que penno em extre^0;
Appellante, o juizo; appellado, Manoel Thomaz minha gratido, e me mduzem crr que
da ocha, alguma cousa raereco no conceito nobre e
0 Sr. desembargad* Ghirana passou ao Sr. des-! generoso de meus comprovincianos.
erabargadorUur^nuago^ j Meus principios g bem ^^^ e
Appciianu", o promotor; appellado, Amanilio desde o anno de 1836, em que entrei na
Borges dos Santos. 'scena poltica, seropre os lenho susteutado
A appetUicao nmL __ com sinccridade. dedicacao e dignidade. En-
Appellante, Antoro Vieira da Cunha ; appeUado, Uhrdadfl Tn fim pwnrial (lis
Manoel Ignacio de Jess. i,en?0.9w a Uperaat e O Iim esencial das
Sr. desembargado* Reis e Silva passou ao Sr. sociedades civis, c felizmente a considero as-
ao Sr. desembargador Motta saz garantida em nossas instiUiiroes furnla-
. .. $ W wSSJ^Sj^SSSk*,MV- leisregula'mentares, que a tor-
Appellante, o Dr. Gcvasio Gongaives da Silva; tiem eflectiva na pralica, e a assegurem
apianada, a fazemia. Hielhor contra os abusos e vexames da forga
O Sr. desembargador Motta passou ao Sr. des- e Jq arbitrio,
embargador ^retlt ^^^ ^^ j Applicarei os mais serios cuidados no in-
AppeUantes, osberdeiros de Manoel Lula, d tuto de occorrer decadencia da agricullu-
Veiga ; appelladaV tarenda. ra, commercio e industria, que ollios vistos
Appellanu,', a cmara municipal; appellada, > i- (jefmiiam o demandam urgente proteceo.
*M^2Sm dos Santos Pereira Ras-1 ^m estes principios solicito de V. S. 0
los ; appellado, Francisco Elias do Reg Dantas. Seu voto e valiosa COadjuvagaO, e SC Ino me
O Sr. desembargador Peretti passou ao Sr. des- recer esta prova de sua honrosa conianga.
no maior apreso e agradecimento a
que V. S. se dignar de tomar em
MOVIMENTO DO PORTO.
Ulna, Mr, Caetano lurrllano de
C'ai'valho Cont.
Nao obstante o bom Christao nao querer descer
de sua dignidade para a km, com tudo, como a Navio entrailo no da 23.
quem doe o denle, quem vai casa do barbeiro, Pasagua (no Per)73 dias, barca ingleza Couiicss
iiap .^a .!.' A..n *..m nPk..lk.. I____t_.a- ff ^ftntt Hn ft'U\ InnnlitJn. nH__*9 _
por isso direi que ficar sem esbulhar o bem vinda
seja V. S.; mais que nao deixa sempre de dizer que
nao mando mais como pretenda o meu fllho Pedro
Jorge de Souza depois de prompto dos prepara-
os Sfton, de 460 toneladas, capitao Thomaz Row
equipagem 14,cata salitre; aomesmo canao'.
Veio refrescar. y
Navio entrado no dia 26.
torios, para se academar em S. Paulo, em comea- Londres-63 das, patacho inglez Sarah FAln ,u
-i.:. a------,-------,-------s -----*. j 109 toneladas, capila-o W. C. Hicks, eqoinaem
7, carga 1260 barris plvora e outros genero a
Rotbe i do ulac.
Aai-ios sabidos w mesmo dia.
Rio de Janeiro Brigue nacional Imperial Pedro,
capilao Vilal Jos da Motta, carga assucas, roi-
Iho e ovtros gneros e 16 escravos a enlregar.
Portes do norteapar nacional Jmpiaribe, eom-
mnndante Manoel Joaquim Lobato.
Rio de JaneiroPatacho nacional Campista, capi-
tao Antonio Gon^alvos de Araujo, carga farinha
de trigo e oulros gneros.
New-York -Patacho inglez &m< Peler, capiuol.
f. Lace, carga assucar.
nba de um to e primo; nao restando duvida na
cunta que esta obra me fazia; pois sou forte, e falto
de meios para os nove filhos que existem, e que
pela tempera das machinas continuarlo a numero
oaior.
Sou com gosto seu certo observador.
Em 26 de outubro de 1863.
Francuco Jorge de Souza..
Srs. redactores.-J live occasiio de in-
teirar o publico de todas as violencias e tro-
delias que foram praticadas pelos amigos e
agentes do governo, na eleic3o que se pro-
cedeu na freguezia de Ipojuca, em 9 de a-
gosto prximo passado. ft 'essa occasiao os-
tentou-se o apparato possivel de forca e a-
meacas para conseguir-se um fim, embora
nullo e immoral; porm, firmado na lei, e
sustentado pela opiniao da immensa maioria
d'aquella freguezia, consegu inulilisar to-
das as artinianlias que se havia preparado.
Agora, na eleigao a que se lem de proce-
der no dia primeiro de novembro prximo
futuro, para eleitores de senador, continuam
as mesmas araeacas e permanecem os mes-
mos elementos de violencia, naquella fre-
guezia.
O delegado Theotonio da Silva Y'teia, em-
bora aclie-se fora do exercicio em razao de
estar pronunciado pelo juiz de direilo, ainda
nao foi demiltido, para assim conservar al-
guma cousa de forea policial e poder servir
aos aulores da mascarada de agosto.
0 commandante do destacamento, alferes
Manoel Erasmo de Camino Moura, que
tantas brilhaturas fez na primeira eleigao,
, nao s conservado no mesmo commaudo,
porm ainda acaba de ser nomeado subdele-
gado, com a mais escandalosa infraccao do
EDITAES.
0 Illm. Sr. inspector da ihesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. r. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico, que no
da 5 de novembro prximo futuro, vonovamente
praca para ser arrematado a quem por menos fi-
zer as obras abaixo mencionadas, ser viudo de ba-
se arrematacao o offerecimenlo feilo pelo lici-
tante Jos Augusto de Araujo, de 1 por cenio de
a bal i raen lo.
Reparos da ponte de Mamucabioba na estrada
provisoria de Tamandar Piabas, avahado- era
2:200^ rs.
Reparos d cadeia da villa de Serinhaem, avaha-
dos em 2:96 rs.
E para constar se mandou publicar o prsenle
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 26 de outubro de 1863. -- O secretario, A. P.
d Allliuin-iac;"io.
0 Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico, que no
dia 12 de novembro prximo vindouro, vio nova-
mente praca, para serem arrematados a quem
mais der os impostos abaixo mencionados, visto nao
ter Manoel Thomaz de Albuquerque Maranhao
apresentado o Dador no prazo que lbe foi mar-
cado.
253tM) por cabeca de gado vaceum na comarca
art. 27 do regulamento n. 120 de 31 de ja- de Goianna, avahado annnalmente em rs.......
neiro de 1812.
Consta, com todo o fundamento, que os
livros e papis necessarios ao processo da
eleieo cnam-se no engenhoTimb-Ass,
em poder de um dos acires da farga de
agosto; o que tudo revela que o proposito
da fraude e da violencia permanece ainda em
todo o seu vigfir e pureza.
Apesar de ludo, previno o publico e pre-
vino a administrac/o da provincia que eu e
os meus amigos temos resolvido n3o aban-
donar o exercicio de nm direito que a cons-
tituigao nos concede, e que como cidados,
altamente presamos. Portanlo, correr5o
por conta e risco de quem pertencerem as
consequencias resultantes de quaesquer pro-
cedimentos que nos possam difficullar ou im-
pedir o exercicio daquelle direilo, a que nao
estaraos dispostos a renunciar.
Recife, 23 de outubro de 1863.
Manoel Jos da Costa.
7:289>33.
20 por cenlo de agurdente na comarca de Pao
d'Alho, avahado animalmente em 270293.
As arrematacoes serao feitas por tempo dt 31
mezes, a contar do de dezctnbro do corrente an-
no a 30 de jnnho de 1866.
Epara constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 26 de outubro de 1863. O secretario, A. V.
d'Annunciacao.
Pela thesouraria provincial se taz publico,
que os contratos das obras dos reparos de que pre-
cisam os 22" e 43- leos da estrada da Teioria,
foram transferidos para o dia 29 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 22 de outubro de 1863. 0 secretar, A. K.
d'Annunciacao.
O Dr. Ernesto d'Aquno Fonceca, cavalleiro
da ordem de Christo, juiz de orphos e
ausentes do termo da cidade do Recife,
por Sua Magestade o Imperador, que
Deus guarde, etc., etc.
Fago saber que por este juizo, cariorio
do escrivo'Guiiiares, na porta da sala das
audiencias, tem de ser arrematada de ven-
da, lindos os dias da le, a casa lerrea n 25,
sila no largo do Santa Theresa, freguezia de
Santo Antonio, com urna porla e janella de
frente, dezeseis palmos de vao, cincoenla e
quatro de fundo, duas salas, dous qtiartos,
cozinha externa, pequeo quintal murado,
cacimba meieira, chao de foro, precisando
do alguns reparos, avahada por 8i'05000 ;
pertencente ao menor Jos Pires de Moraes,
e que vai praga a requerimenlo do exc-
appellado
As appellacoes civeis.
Appellante, Anastacio Jos da Silva
Alexandre Muniz Gorreia Barros.
Appellante, a fazenda nacional ; appellado, Jos
Hygino Miranda.
Appellante, D. Anna Francisca da Conceicao,
curadora de seu marido ; appellados, os herdciros
de Arcelino Francisco Nobre.
Appellante, Malinas da Costa Barros; appellado,
Jos Antonio Pacheco.
Appellante, Domingos Jos Dias de Oliveira ; ap-,
pellada, a cmara municipal.
O Sr. desembargador Accioli passou ao Sr. des-
embargador L'choa Cavalcanti
As appellai'cs crimes.
Appellanle, Rufiuo escravo ; appellada, a jus-
tica.
Appellante, o juizo ; appellada, Mara Joaquina
de Souza Rolm.
- Ao Sr. desembargador Assis
As appetlacoe* rireis
terei
parte
minha eleigo.
Com a maior considerago e eslima sou
de V. S., patricio o correligionario obri-
gado.
Urbano Sabino Pessa de Mello.
Recife, Io de selembro de 1863.
A minha candidatura.
Em 31 de agosto do corrente anno, dirig aos
senhores eleitores do i districte urna circular,
solicitando os seus votes para depulado provin-
cial.
Bem conhecia eu que me faltavam muitas habi-
litaces para bem cumprir os deveres inherentes
esse cargo, mas confiado nos meus bons desejos

, e na sincendade e constancia de minhas opinioes
Appellanle, AurefianoGavalcau da Rocha Wan- polticas sempre consagradas ao culto da liberda-
derley ; appellado, Joao dos Santos Xuues de Oli- de, entend que a minha candidatura nao seria mal
veira! j recebida, tanto mais quanto os meus precedentes
Appellante, o Dr. Jorgo Dornellas Pessoa ; appel- nao auturisam alguma duvida, acerca do meu pro-
lado, Manoel Muniz de Araujo Castro. \ cedimento na futura assembla em relacao aos
O Sr. desembargador L'choa Cavalcanti passou
ao Sr. desembargador Assis
As appellacoes crimes.
Appellante, Antonio Florencio da Paixao; ap-
pellada, a justica.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Thomaz
de Oliveira.
A appellacao civel.
Appellante, Antonio Climaeo Moreira Temporal;
appellado, o Dr. Manoel Gentil da Cosa Al ves.
O Sr. desembargador Doria passou ao Sr. des-
sembargador Caetano Santiago
As appellacoes civeis.
Appellante, o hachare! Antonio T. de Serpa
Brandao; appellado, Joaquim Goncalves Lima
Appellante, D. Senhorinlia Genoveva do Amaral;
cedimento
verdadeiros interesses da provincia.
Com elTeito nao me enganei.
Um cerlo numero de amigos c correligionarios
tem tomado a peito minha eleigo, e se esforgam
para que ella vingue.
Entre tanto eu nao contava com o formidavel
obstculo da apresentacao de urna chapa pela il-
lustre commissao do directorio.
Olhava para cada um dos districtos
Elcico dos devotos que devem festejar
o -Mr han jo Sao lliguel, no anno de
1864.
Jliiza por eleieao
A Exm.* Sr.' Baroneza de Utinga.
Juizaspor devoeao
As Exro." Sr." :
D. Candida Albina da Cunha, mulher do Illm. Sr.
Albino Ferreira de Cunha.
D. Ttoreza Portella de Souza Leao, filha do Illm.
Sr. Dr. Ignacio Joaquim de Souza Leo.
D Joaquina Fellsmina de Albuquerque Ribeiro.lquentC StU ex-tulor, Juaqutm AntffliO Pe-
iii-.i H11 -1 do Illm. Sr. capitao Manoel Antonio Ri-'rcira.
Iieiro.
D. Joanna Moreira Alves, mulher do Illm. Sr. Mi-
guel Jos Alves.
Juizas protectoras
As Exm." Sr." :
D. Libania Emilia Cezar de Albuquerque, mulher
do Illm. Sr. capitao Joaquim de Albuquerque
Mello.
D. Cordolina da Silveira Lins, mulher do Illm. Sr.
Francisco Mamede de Almeida.
Escriva por eleieao
A Exm." Sr.a D. Mara Francisca das Chapas Pessoa,
mulher do Illm. Sr. tenente-coronel Manoel Ca-
mello Pessoa.
Escrivaa por devoeao
A Eira.* Sr." D. Joaquina Antunes de Miranda,
mulher do Illm. Sr. J. Antonio Henriques de Mi-
randa.
Escrivaa protectora
A Eira.' Sr.' D. Feliciana da Conceicao Reg Villas,
mulher do Illm. Sr. Manoel Jos Lopes.
Mordomas
As Exm." Sr." :
D. Auna Francelina de Carvalho Correa, mulher
do Illm. Sr. Carlos Joao de Souza Correa.
D. Marcolina Idisna Gomes da Silva, mulher do
Illm Sr. Jayme Eneas Gomes da Silva.
D. Mara Rosa Ferreira da Cosa e Silva, mulher
do Illm. Sr. Herinino Ferreira da Silva.
D. Senhorinha Pereira Leal, mulher do Illm. Sr.
Manoel Gomes Leal.
D. Anna Mara do Reg, mulher do Illm. Sr. Jos
do Reg Pacheco.
D. Laurinda Mara da Silva, mulher do Illm. Sr.
Francisco Duarle da Silva.
D. Ignacia Francisca da Conceigao, mulher do Illm.
Sr. Joaquim de Jess Pinto.
D. Rosa Candida Noves do Reg, mulher do Illm.
Sr. Jos Francisco do Reg.
Consistorio da irmandade das Almas erecta na
lado, Joaquim Ignacio da Costa.
A 1 horas da tarde encerrou-se a sessao.
passam, doloridas s vezos, mas quasi sempre
agrada veis.
E, a nao serem ellas, j meu peito teria es talado, j appellado, o Dr. Antonio de Carvalho Rpozo.
resequido pelas febres da desesperacao. Appellanle, Joao Venancio Machado Paz ; appel
Elias borrfam-o de lagrimas. E as lagrimas '
consolam.
Por isso cu tanto vos estimo, minhas recor-
dacoes I
Porque sois o balsamo das minhas affliccoes.
Porque sois as flores cuio perfume a saudade.
Porque sois o crepsculo vespertino de toda a
minha existencia.
Porque sois o relrospeeto sentido de todos a-;
bellos episodios, de todos os lances dolorosos da mi-
nha vida.
Por isso vos soismais desejaceis que a abun-
dancia de ouro e pedras preciosas : mais doces que
o mel, mais doces que o favo t
COMMUNICADOS.
Alfandega
nho comecado; e apesar do respeito que me mere- Rendimento do dia 1 a 21........
CIIROMCA Jl'DICIARIA.
TRIBUNAL VA REL \C lO.
SESSAO EM 24 DE OUTUBRO DE 1863.
A caiadidataara senatorial do
Dr. irbano ftablno Pessoa de
Mello.
6." artigo.
Demonstrad^, que o Dr. Urbano Sabino um ce a l's,a aa Ilustre commissao entrego-me sorte
dos vultos mais importantes do velho partido libe- das urnas dos dous collegios doldslncto eleitoral,
i ral de Pernambuco; que lem um paseado glorioso cbe.10 do conflanca na genorosidade dos senhores
eillbado ; que foi de inabalavel Adeudado sua eleitores; e solicito dos meus amigos em geral a
! bandeira, qur na ventura, qur na desgraca ; que continnacao do seu apoio; e de cada um dos se-
j core a sua peona levantou o padrao de honra para "hores eleitores em particular a graca de me con-
i os raarlyres de 1848, e cora essa mesma penna es- templaren! na lista dos nove cidados, quem tem
crevau elle proprio o decreto do seu ostracismo, ae honrar com seus votos.
O vi gario,
V. H. de Bezende.
pipilorips
da provincia, e va que era nenhuma parte carria matriz de Santo Antonio do Recife, 18 de outubro
perigo o partido liberal ou progressista com a eleieao de algum membro do partido conservador,
visto que o corpo eleitoral (salvas rarissimas ex-
cepcoes) todo dedicado s ideas de liberdade e
de progresso.
Nao acredilava pois na possibildade da apresen-
tacao de chapa, e multo menos em sua necessida-
de, quando nao havia a temer a concurrencia de
adversarios.
E, sob a influencia desia minha convicco, endi-
recei aos senhores eleitores a mencionada circular
de 31 de agosto.
Aos 34 dias depois discerra-se o vu que enco-
bria nao sei que interesses privados da polica, e
apresenta-se urna lista de candidatos a escolher,
cada um dos quaes sem duvida com todas as habi-
lilacoes para o exercicio das funecoes legis-
tivas.
Eu, porm, nao podia mais retroceder do empe-
l-. ne\mrtC"\Al\ n nnnnn Jn n.____!_
COMMERCIO.
NOVO BANCO
DE
PERNAMBUCO
0 Banco toma saques sobre as pracas do Rio de
Janeiro e Baha.
dem do dia 2fi.................
3Sirt8tftM
11:198*417
332:38i243
voltando sempre o resto a esses sorrisos corruptos
e corruptores da conediaco, por guardar o seu
posto de sincero liberal; demonstrado que o Dr.
Urbano Sabino urna gloria de Pernambuco, oc-
corre logo perguntar :
Por que a guerra, que os directores da ac-
tual siluacas pernambucana declaram sua can-
didatura a urna cadeira do senado 1
Tem medn da exaltaco t
Mas o Dr. Urbano olrerece mais do que nin-
guera as garantas d'um espirito calmo, e demons-
ir.'i-o toda a sua vidn particular, e a tribuna do
nosso parlamento. So carregou impvido o ostra- tas,
cismo consequenlc da rovolucao de 1848, at aqu
Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho.
PDBLICACOES 1 PEDIDO.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SILVEIRA.
As 10 horas da raanba, achando-se presen-
tes os Srs. desembargadores Caetano Santiago,
Gilirana, Motta, Res e Silva, Ucha Cavalcanti,
Peretti, Aecioli, Assis, e Doria, fallando com
parlicipaco o Sr. desembargador Lourenco San-
tiago, abrile a sessao.
0 Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
ra, nao compareceu. lra-o toda a sua vida particular, e a tribuna do do forte que a faz vencer era innunieraveis mos-
Passados os eitos e entregues os distribuidos inosso parlamento. So carregou impvido o ostra- tas. Reslabelecem o ligadoentorpocido regulara
deram-se os seguintes i cismo consequenlc da rovolucao de 1848, at aqu o ventre e alliviam a constpaeao habitual Sua
niLUAMRNTOs. ainda ninguem se lombrou d mpuiar-lhe o ha ver operaeao e tao suavee branda que a mulher ou'erian-
Appella*fies crimes. aconselbado esse arrisoadissimo passo. j ?a a mais delicada e lenra nao podem receber pre-
Appellante, Jos Ayres Brana; appellado, Jos Querem illustracao ? Mas, o Dr. Urbano tem os juizo algum de sua aecao catbanica. Purgam sem
Antonio de Oliveira. Mulos seus nos acedes suat, o nao se ronfunde com causar a mais leve irrilaeao, funecionam sem in-
Nullo o processo^ por incompetencia. esses camaleoes da tribuna parlamentar, esses piri- commodo e conservara o estomago, o ligado e ven-
Appellante, Simfio de Siqueira Brandao ; appel- lamjios de ministerio, esses estadistas de cosmett- tre no melhor estado possivel, assim de poderem
lado, o juizo. j eos : a aossa tribuna a nossa jurisprudencia, os resistir os mos effeitos produzidos por urna atmos-
A novo jury. 1 nossos annaes judieiarios ficam pelo Dr. Urbano. pncra impura, ama agua insalubre oa provaaientes
Querem a moraUdade ? 0 magistrado integer-: de tuna oceupacao sedentaria,
rimo troeou a cadeira de juiz pela banca de advo- A venda em todas as boticas e tojas de drogas
oaAn e qU(ir p'uma qur^i'outra na encontrn' na America do Suf. i
Movlmenlo da ;Kan (lega
184
1,048
Volumes entrados com fazendas.
com gneros.
Volumes sahidos
cora
cora
fazendas...
gneros...
63
270
1,229
332
Descarregam no dia 27 de outubro.
Barca ingleza Annmercaduras.
turen d#v ar .n,i;.a.__ Brigue inglezZone-idera.
a nawrcza ve ser auxiliada em seos combates Barca poriugueza-& M. //-pedras.
om a rnfrrmidadr. I Brigue porluguez Mercurio diversos gneros.
Um laxante admirawJ .., ~. Brigue inglez-DonWDur-carvao.
ITlfl'M^^nySr. f.Tl4mm, ieJamas Escuna ingleza Sarah -plvora.
elae?af Zl2'ZtlLl J!!'*/ Brigue A-Katty *n-n,ercadorias.
Reeebedorla de rendas loleraas
geraee de Peraanabneo.
Rendimento do dia 1 a 24........ 40:528*864
dem do dia 26................. 1:915*897
Appellante, Mara des Prazeres do Nasciwento];
appellada, a justica.
A novo jury.
42:444*761
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 24........ 29:600*747
dem do dia 26................. 488*343
gado
30:089*090
E para que chegue ao conhecimenlo de
quem inle essar poiaa, mandei passar o pr-
senle, que, sellado, assignado e transilado
pela chancellara do tribunal da relacao, se-
r alfixado no lugar publico do cosiume, e
publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do llecife,
capital da provincia de Pernambuco, aos ii
de outubro de 18G3, quadragesimo segundo
da independencia e do imperio do Brasil.
E eu Joao Facundo da Silva Guimaresy
escrivo, o subscrevi.
Ernesto d'Aquno Fonceca.
- Pela inspectora da alfandega se laz publiro
que no dia 27 do corrente, depois do meio dia, a
porla da mesma, sera vendido em leilao loo le-
mas de papel para embrulho, avariadas. vindas de
Ballimore pelo navio aoiericano B. W. Troth, ava-
hadas a 230 rs. a resma, total 25*, abandonadas
ao pagamento dos direitos por TIhmii Burkiuyomeg
& Roberts, sendo a arrematacao livre de direilo-,
Alfandega de Pernambuco 24 de oulubro de
1863.0 4. escripltirario,
Joao Antonio da Silva Pereira.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico, que no
dia 12 de novembro prximo futuro, peranie a
junta de fazenda da mesma thesouraria, se ha de
arrematar, a quem por menos llzer, a obra dos re-
paros urgentes da ponlezinha denominada do Guer-
ra, no terecro lauro da estrada do sui para a vil-
la do Cabo, avahada em l:04.'i*000.
A arrematacao ser feila na forma da lei pro-
vincial u. 343 de 15 de mato de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremala-
eao eoinpai'eean na sala das sesses da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meto dia. e
compclenlenienle habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de outubro de 1863.-0 secretario, A. F.
d'Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arrematacao.
! Os reparos necessarios na ponte do Guerra,
sobre o rio Gruja, no 3 lanco da ramiGcacao da
ramilieaeao da estrada do sul para a villa do Cabo,
serao feitos de contormidade com o respectivo or-
camente approvado pelo conselho director, na im-
portancia de l:04o*000.
2* 0 arrematante dar principio aos trabaihos
no prazo de ura mez, contado da dala do termo da
arrematacao, e os concluir no de 4 raeze.
3' O pagamento ser electuado em duas pres-
lacoes iguaes : a primeira quando esiiver prompta
melade da obra, o a segunda e ultima no fim da
mesma.
4' O arremtente nao ter direito a reclamaco
alguma tendente a indemnisaco, qualquer quo
seja a natureza em qne se funde para tal lira.
5* Em tudo o mais que nao fr epeciflrado rus
prsenles clausulas, seguir-se-ha o que dispoe a
lei provincial n. 286.
Gonforme.A. F. d'Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda fazer publico que no>
da 12 de novembro prximo futuro, perante a jun-
ta de fazenda da mesma thesouraria, se ha de ar-
rematar a quem por menos llzer, a obra do reparo
geral da ponte do Rieo-Peba na estrada do Pao
d'Alho, avahado em 5:720*.
A arrematacao ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 13 de maio de 1834, sob as clau-
sulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem essa arremata-
cao, comparacam na sala das sessdes da referida
junta no dia cima indicado, pelo meio dia. e com-
petentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presento
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 21 de outubro de 1863. O secretario, A. P.
d'Annunciacao.
Clausulas especiaes para a arrematacao.
1.* O concert ou reparo geral da ponte do Bi-
co-Peba sera feito de conformidade com o orca-
mento nesta data approvado pela directora em
conselho, na importancia da 5:720*.
'
'
(
1
J


"'
1

-

talarlo de Pcruantyiic <<- Tereafeir 9 de Ontiifere de S.
-. O arrematante dar principio obra no pra'
o de imi n, contado da data da arrematado, e
a ^concluir no de S mezes coudos desta ul-
. 3." O pagamento ser felo era daas presttcSes
'PJ*** a prlraeira qaaado estiver exeeatada me-
ttde da obra, e a segunda quande fr recebida
provisoriamente, devendo de cada urna dessas
Couselho administrativo.
O coasellio administrativa para forneeimento do
arsenal de guerra tem de contratar o rancho da
companliia de menores do arsenal de guerra nos
mezes de novembro e dezemoro prximos vin-
douros.
Pao de quatrooncas, bolacha, assncar refinado
de segunda sorte, caf em grao, cha
prestares deduzir-se um dcimo que ficar no de- ietaaTElce^^
positeda thesouraria provincial, aum de ser entre- g SS^i2 ^ a \
giie ao arrematante oo flm de ura anno de respon- E ffiXTe UsC a te do,-e vi^r .
satiilidado contada da data do rccel>imento provi- rS-"1 b'
son.
4.* Para tudo o mais que nao fr especificado
as presentes clausula, nem no orcamento segor-
se-ha o qne dlspSe a lei provincial n. 286.
Conforme.A. F. d'Annunciacao.
DECLARACOES.
calho.
Para o arsenal de guerra.
Pranehoes de skupira. eom trinta e dons pal-
mos de compriiuenlo, quatone polegadas de largu-
ra c nove ditas de grossura, tres frechaes de ma-
deira de qnalidade com quarenta e cinco palmos
de comprimento, lencol de zinco com 1,600 pal-
mos qnadrados para coberta um, taboas de louro
de refugo duzias dez. cabo de linho branco de 1
1/a polegadas pecas dnas, brochas batidas milhei-
ros Tinte, laxas de bombas pequeasmilheiros vin
te, ditas ditas grandes milheiros Tinte, "
lecalisados na o j1^0 ncoenu, flanella para suadores de dirigir-se ao agentearima
Can filial em Pernambj o
Por ordem da directora do banco
convidados os senhores accionistas L...
caixa filial de Pernambuco recolherem ahi at o se'ins covados cincoenta.
du 23 de Janeiro do 1864 a nona e ultima presta-1 .-80 arrubas de oca, 20 alqueires de cal branca,
Cao de 10 0/0, ou 205 por aeco, de conferraidade arrobas de rocho trra, 5 arrobas de alvaiade
com osartigos 8 e 9 dos estatutos do banco doBra- de chumbo, 5 arrobas de alvaiade de lineo, 5 ar-
sl, e art. 45 dos estatutos da caixa filial. robas de verde crome, 5 arrobas de seccante, 2
Sala das sessoes da directora da caixa filial do barris de vernia Blac.
banco do Brasil em Pernambuco L de outubro de! Para hospital militar desta provincia.
1863.-0 secretario, *opos de T*dro P21"3 aSua doze> hacas de rosto
Jos Maraede AItcs Ferrera. "re- pratos quarenta e eito, chinellas pares vinte
Por ordem do Mu. Sr. Dr. chefe de f.8?16' ">' deraeia doze, colxes de panno de
polica taco publico, que pelo subdelegado m T.e P,mos*s. comprimento e tres di-
u "--^^ Aa !,,' i'uuuclc6'u tos e meiode largara cheios de aa sessenta, ira-
do disinclo de lieberibe fot preso e adiase Tesseiros de panno de linho
Para o Ro de Janeiro.
O brigue nacional Belizano, prestes a seguir
para all, por j ter parte do seu carregamento,
tambem recebe escravos a frete, o alguna carga
muda: os pretendentos dirijam-se ao largo d
Corpo Santo n. *, seguado andar.
LEILOES.
DE
IXM CARRO INGLKZ.
immi;.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer 1 carro ingiez de 4 rodas inleira-
mente novo para um ou dous cavallos para o que
lem exci'lltiites arreios novos e oulros usados e
rangeiros. i carteiras para escriptor', urna!
aro;dcao de pinho para armazem de azendas, du-
as de cahx para vinho, mappas geographico, i
pparelhos de louca, 1 mobilia de Jacaranda com-'
pwa de 16 caderas de guarnico, 2 de brago, 2
ae Daianco, 1 consolos com podra marmore, i
mea de meio de sala com dita e 1 sof, i grande
tapete para farro de sala, Iguaria vestido, 1 mesa
*"i1' aPPrador, 1 lavatorio eom pedra, urna
na rranceza, pares de jarros para flores, com-
o?as, i mottlia de Jacaranda composta do 12
irasdegnarne5o, 2 de braco, 2 consol com
pwra marmore e 1 sof, 1 apparelho de metal
HP00 e Po'ros mullos artigas que c*taro pa-
tentes aos compradores na vespera e dia do leilo.
MEIHA B WTWA US\ RETLIZ
O lt T O.
la di.- flores, 1 t 3 (juulua greja da Misritrdia )

AVISOS DIVERSOS.
(jiiiin da Costa,
o eslar fgido.
que se presume ser escravo
-----,------...... com tres palmos e
casa de detencao 0 Africano Joa- meio de comprimento cheiode 15a sessenta.
Quem quzer contratar os gneros alimenticios
da companbia dos menores do arsenal, e vender
. os objectos cima declarados apresenlem as suas
Secretaria de polica de Pernambuco, 24 propostas em carta fechada na secretara do con-
de outubro de 1863. selho as 10 horas da manhaa do dia 30 do
Eduardo de Barros Y. de Lacerda
No dia 27 do corrente (terca-feira) depois de
oda a audiencia do Sr. juiz de paz do 3." districlo
da. Boa-Vista sa bao de arrematar 18 cadeiras de
ereja e um sof da mesma, penhorados por execu-
rao de Joo Antonio de Carvalho Menezes Jos
Menezes de Almcda.
Xo da 27 do corrente, depois da audiencia
do Illm. Sr. Dr. juiz municipal da !. vara, tom de
ser arrematado escravo Silvestre, idade de 1*
dirigir-se ao agente cima e o leilo ter logar
terca-feira 27 do corrente pelas H horas da ma-
nhaa no largo do Corpo Santo junto da taberna dos
Srs. Palmeira & Beltrao.
DE
Loja de alfaiatt.
HOJE
O agente Pestaa vender em kalao a toja de
alfaateda rua Novan. 40 consistindo de obras
j feitas para homem e diversas fazendas o que ludo
ser vendido em lotes a voptade: terca-feira 27
do corrente polas 1S horas da manhaa na roesma
loja cima indicada. Tudo se vende sem limites.
cor-
rente.
Sala das commissdes do censelho administrativo
para forneeimento do arsenal de guerra, 23 de
outubro de 1863.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastiao Antonio do Reg tarros,
Vogal c secretario.
Ficou transferida a arrematacao dos objectos
da taberna da ra da Senzala Velha n. 50 para ter-
liKIliAO
annos, pela quantia de 4005, por excucao de Jos .a'f?ira 27 d9 corrente, depois da audiencia do Sr.
Candido Thomaz >;. juiz mnn.c.pal da 1 vara, por excucao de
Fortunato dos Santos Porto contra
Percira Dutra, escrivo Baptista.
A rrematacao
Qu;ita-ieh*a 28 do correte, depois
da .'udieiicia do Illm. Sr. Dr. juiz
municipal ta segunda vara, continuar
ai rem l cao de diversos escravos nos
januuiiiads por este Diario, per-i
tone ntcs a herauca do finado Jos Fer-
nn do da Cruz.
Manta Casa da Misericordia do
Reclfe.
A Illm.' junta administrativa da Santa Casa da
Domingos Fernandes Bodrigues do Passo contra
Joaquim Con cal ves Beltrao : a ultima praca.
THEATRO
DE
Mi
KRPREZA
DE
A. .1.1)1ilTE COmitRA.
BENEFICIO DO ACTOR
ANTONIO JOS PEIXOTO Gl IM.iRAES
DE
Fariuha de trigo e bolachinha.
O agenta Pinto farJeilo por conta e risco do
quem pertencer de cerca de 480 barricas com fa-
rinba de trigo a variada marca extra de Baltimore
e algumas barricas com bolacltinba americana.
MI
Terca-feira 9 7 do correte as
i O horas em ponto, (visto o
mesmo agente ter mu oii-
tro leilo as II hora.
No armazem de Henry Forster & C. junto a
ponte novado Kecifc ra do Imperador, sendo tudo
em lotes a vontade dos compradores.
LEI 40
^ASr^^^J^o^'afi^ QMr-fcin, 28 de outul.ro de ,863.
ala de suas sessoes tenide ir praca as Vn-' e|K"! <|Ue os g*988"" da orchestra tverem
Misericordia do Recife
o dia
na salaue suas
das das casas abaixo declaradas por lempo de um cxeculad afrande tivertura
ios. Os pretendentes devem comparecer A [V| ARflIlF 7A
ncompanhados de seus fiadores ou munidos de car-
ias destea.
Lstabelecimenlos de caridade.
Ba Direta.
N. 4 particular c 3:1 publico um andar.
N. 82 particular e 5 publico 3 audarts.
N. 8.1 particular e 7 publico 3 andares.
Ba do Padre Flonano.
N. 6 particular e 47 publico casa terrea.
N. 7 particular e 45 publico casa terrea
K. 60 particular c 63 publico casa ter-
rea.............
N.!)() particular e 13 publico casa ter-
rea ......... .. ..
Becco da Carvalha.
H. 10 particular e o publico casa ter-
rea..
Ra dos Pescadores.
P. lt' particnlar c 11 publico casa ter-
rea V ......
Ra da Calcada.
X. 21 particular e 38 publico casater-
Subir scena
3 actos
a muito applaudida comedia em
5 900501M)
0005000
1865000
1265000
1405800
1685000!
1495000
I
2005000*
i mm 11
Seguc-se pelo proessor da orchelfra, o Sr. Pedro
Nolasco Baptista, no seu offclide
UMA CAVATIiVA.
Depois pelo actor Penante, e a actriz Camilla o
dueto
n OMEIRINHOEAPOBRE.
Uara Um o espetaculo a nova comedia em 1 aclo
O MOUftO DE VENEZA
Os bilhetes podem ser procurados na casa do be-
neficiado e no thealro.
Comccar s 8 horas.
Prepara-sc para subir scena no dia 31 do cor-
que pede o autor
espectculo,
DE
Urna lancha
HOJE.
O agente Pinto far leilo com autorsacao do
Sr. cnsul francez e em presenca de um seu dele-
gado, de urna lancha viuda de Fernando de Noro-
nha, pertencente a barca franceza Sirede Vivone ;
o leilo ser effectuado as 11 horas do dia cima
dito no trapiche da Alfandega, onde pode ser exa-
minada desde j a dita lancha.
Institu,, Archeologlco e Ceo-
graphico Pernambucano.
Haver sessau onliDuia quint i-IVi-
ra 29 deseiembro, s 11 horas da ma-
nhaa.
Secretaria do Instituto 26 de outu-
bro de 1863
J. Soares de Azevedo,
_______Secretario perpetuo.
Lotera extraordinaria.
Aos \9M*m t 2:000,j000.
O abaixo assignado attendendo a Me acet-
tacao que leve toteria extraordinaria, ha'
pouco extrahida, e tambem aos pedido de !
qaasi todos os compradores de bilhetes, de-!
vido sso ao excellente plano das lotera ex-
traordtnarias, approvado pelo Exm. Sr. pro-'
stdente da provincia, lem exposto a venda
os billietes da segunda lotera extraordina-
ria, que correr no dia 6 de novembro prxi-
mo, sendo a terceira parte da segunda da
Santa Casa da Misericordia, e espera do res-
peitavel publico a compra dos bilhetes, pois.
assim contribuir para o beneficio da Santa
Casa da Misericordia, reunindo o til com o
agradayel.
Os bilhetes e meios achara-se venda na
respectiva thesouraria ra do Crosqo n. 15
c as casas commissionadas ra da Impera-
triz n. 44, loja do Sr. Pimentel; ra Direita
n. 3, botica do Sr. Chagas; ra estreita do
Rosario n. 12, typograpbia do Sr. Mira e ra
da Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto.
Os
, GRANDE LOTERA DE HESPANHA.
tuja eitraccao serU fcita a 23 de dezeubro de tm
>Ri:hi I de.......
1 de..... '
i de............
2 de 80,000 pesos fortes. .' '. \ \
10 de 10,000 ditos. ....
15 de 5,000 ditos........
30 de 2,000 ditos........ .
100 de 1,000 ditos.....
2816 de 500 ditos........\
9 da dezena que obtiver o-premio de 3 10,000
pesos.......
9 de 400,los para os 9 ditos dita do de' 1,000
pesos..........
2 approxiiMcoesde 1,000 pesos cada um* para
os numero anteriores e posterior ao premiado
com 300,000 pesos.........
2 ditas de 700'pesos para os difcsdo de 1,000 ps.
2 ditas de5O0pesos para os ditowtode50,000'ps
3000 premios em 30,000 bilhetes......
SOS IWorS. *>"?> parlifMn.
300,000 , ou rs. 270:g00(J000
100,000 fH>:00WX>
50,000 45:V|00O
40,000 3(5:0080000
1Q",000 90:0et|n0i)
75,000 07:{WHJk)00
60,000 54:QgQMM>
100,000 K):000,JOOO
1,408,000 1. 67:2001000
9,000 8:100A
3,600 3:24i)d00O
2,000 :800o0it0
1,400 f:2K0/000
1,000 9QO000
2,250.000
2,025:(X,OOO
Bilhetes inteiros a
Meios bilhetes a
Precos na moeda forte.
, 120MK)- | Unimos de bi&*tea
. 60#000 Decimes a
245000
12,Hi00
Jos Ignacio" Ferr ra Hmizf
iiKIliAO
rente.
com lodo o brilhantismo ,
rea................ 156JW00 drama em cillC0 ac'os, d grande
*.*** A CRUZ 0U0 TALISMN.
Do dramaturgo o Sr. Luiz de Vasconcellos de
Azcvcdo e Silva.
Para solemnisar o annversario natalicio de S. M.
F. el-rei de Portugal.
Desde j eslao a disposico do publico os cama-
rotes e cadeiras.
DE
lindezas e ferragens em co itinuacao.
HtME.
Hnrique & Azevcdo continuarao hoje por nter-
vencao do agente Pinto, o seu loilode miudezas e
ferragens existentes em sou armazem da ra da
Cruz n. 57, onde esperam a concurrencia de seus
freguezes. Principiar s 11 horas.
LEILO
DE
Cerca de 'OO barricas com bo-
lachlnhas americanas
(Com varia, i
IToje as 10 1)2 horas em ponto.
O agente Pinto far leilo por conta e risco de
quem pertencer de cerca de OO barricas com bo-
lacliinlus americanas avariadase existmtos no ar-
mazem do Sr. Annes em frente da alfandega onde
se effeeliiar o leilo as 10 1|2 em ponto.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
OO* 1.01K DE C.VHBI9 E BILHETES DE LOTERAS
enancado no governo civil do l'orio. em roufoimidade do cdltai
de Mi de jonho de 1A0IO.
Satisfaz com promptidao todas ai enpommendas qne lhe sej.wi feitas, mesmo em
Uidade e pelos precos cima indicados, vindo acompanhadas do aeo imporfe' :
a ciiiinmeoda de
premios de lO.OOOOOO at 200000
ser5o pagos logo depois da extraco ao at as
4 horas da tarde e os outros no dia seguinte I e.no da extraccao remette as listas dos premios. N. B. Sendo-
depois da distribuico das listas. CU1C0 Mhe^ para cima, faz-se o abatimento de 5 por cento.
Para informacoes no eseripterio da ra- da Cruz n. 10;
publico 2 an-
tor-
4005000
ter-
ter-
ter-
108^000
895000:
1125000!
1205000;
3065000'
1445000
4805000
6OO50OO
1445000
Ji. 29 particular e 41
daros..... ...
Ra da Roda.
N. 3o particular e 3 publico casa
rea..............
N. 3G particular e a publico casa
rea ..........
M. 37 particular e 7 publico casa
rea....... ...
N. 92 particular e 1 publico casa
rea .. ......
Ra da lmperatriz.
N. 46 particular e 68 publico casa ter-
rea................
Ra da Gloria.
Jf. 31 particular e 63 publico casa ter-
rea ....
Ra do Encantamento.
N. 52 particular e 3 publico 3 andares
Ra do Azeite do Peixe.
Jf. 53 particular e 1 publico 2 andares
Ra da Lapa.
N. 56 particular e 8 publico 1 andar.
Ruado Pilar.
N.89 particular e 73 publico casa ter-
rea.................
Ra de S. Rom Jess das Crioulas.
N. 61 particular e 8 publico casa ter-
. rea ......
Roa da Cruz.
N. 68 particular e 15 publico 3 anda-
res .............
Becco da Lama.
N. 73 particular e 30'publico casa ter-
rea ...............
Travessa do Carcereiro.
T. 83 particular e 11 publico casa ter-
rea...............
Paliimoii 10 eorplios.
Recco das Boias.
N. 39 particular e 18 publico 2andares
Ra da Moeda.
S. 44 particular e 21 publico casa ter-
rea............... 2515000
Ra do Amorim.
N. 54 particular e 21 publico 3 anda-
res. ............ 3005000
N. 56 particular e 26 publico casa ter-
rea............... 725OOO
Ra do Bnrgos.
N. 69 particular e 21 publico casa ter-
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do su I esperado
at o dia 30 do corrente um dos
vapores da rompanhia o qual de-
pois da demora do costume se-
seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageirs e engaja-se a
, carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
I ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
183 WDO mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
LEIIi.%0
DE
FAZENDAS.
Qnarta-felra 2H lo corrente.
A' requerimento dos administradores da massa
fallida de Seve Filhos & C. e por despacho do
Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio, o agente
Pestaa far leilo de fazendas todas de lei e pro-
prias do mercado taes como madapaloes, algodoes,
chitas, cassas finas etc., pertencentes a referida
massa que serao vendidas em lotes vontade dos
compradores no dia cima determinado pelas 10
horas da manhaa no armazem da mesma ra da
Cruz n. 50.
LOTERA.
B 4 nmiNA
O abaixo assignado faz scienle ao respeitavel
publico que vendeu nos seus muito afortunados bi-
lhetes garantidos o bilhete inteiro de n. 235 com a
sorte de 5:0005000 e outros mu i tos de 1006000
405000 e 2O3O00 da lotera que se acaboiTdVex-
trahir a beneficio do Gyoinasio, e convida aos pos-
suidores de ditos bilhetes virem receber seus
respectivos premios sem descont algum em seu
estabelecimento da Casa da Fortuna, ra do Cres-
DO n. 23.
O mesmo tem exposto venda em sua dita casa
e as outras do costume, os novos e aiorlnnados
bilhetes garantidos da segunda lotera extraoidina-1
ra, cuja sorte maior de 10:000=>000, a beneOcio
da Sania Casa da Misericordia, que se extrahir a
6 de novembro prximo, e as sortes que obtiverem
sero pela mesma forma pagas. ,
Precos.
Bilhetes inteiros..... 126000
lleios bilhetes...... 66000
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 116200
Meios......... 55600
Manoe.1 Martina Fiuzn.
a juros: no paleo do Terco
AURORA
H, 84
LARGO DA
BRILHA1VEE.
I. U
SANTA CRUZ..
2,5000
640
Francisco Jjs Fernandes Pires, dono do grande estabelecimento de mo-
ldados denominado AUBRA BR1UIANTE, avisa ao resjjeitavel publico tanto
da praca como de fura, e com especialidade aos seus freguezes, que o seo estabe-
lecimento acha-se prvido de novo sortimento de bons gneros tanto do paiz ro-
mo do estrangeiro e prometi vender muito em conta tanto a retalbo como em
grosso:
Biscoutos ingle/es em lalinhas
muito enfeitadas de varias
qualidadesde 10600 a ...
Latas com mai melada nova a li-
l>ra 70 e............ 800
Ditas com ameixas......... 16400
Ditas eom erviiims francesas. 800
Ditas com inicias em calda,
500 e.............
Ditas com figos de comadre a li-
bra 320 e...........
5t0
Da-se dinheiro
n. 12 taberna.
K Cai.xas com passas novas de 8 li-
bras a 3f5000, a libra 480
400
500
IIO5OOO
1:0005000
915000
IOO5OOO
3OO5OOO
Dos portos do norte esperado
at o dia i de novembro o vapor
Prinreza dt Joinvilte, comman-
dante o eaptao de fragata Santa
Barbara, o qual depois da demora
do costume seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras, agencia na das Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevcdo & C.
COMPANHIA PERIS'AMBUCANA
DE
IVavegacSo costeira a vapor.
Parahvl>a, Natal, Maca, Aracaly, Cear c Aearae.
O vapor Jaguaribe, seguir aos
portos indicados no dia 26 do
corrente as 5 horas da tarde. Re-
cebe carga at o dia 24, encom-
mendas
LEILO
DE
tfenarta-feira 98 do corrente.
O agente Pinto levar leilo pela terceira vez
as dividas activas da massa fallida de Victorino Jo-
s Ferreira, servindo de base a maior offerta ob-
tida no segundo leilo, isto s 10 horas de dia ci-
ma ditoem seu escriptorio ra da Cadeia n. 24.
REVISTA
DO
Instituto Archeologleo e eo-
graphleo Pernambucano
nublicou-se o 1 numero (o de outubro de 1863.)
Subscreve-se na livraria de Jos Nogueira de Sou-
za ao arco de Santo Antonio, por 55 annuaes, pa-
gos a entrega do 1 numero. Nmeros avulso
15500.
. passageiros e dinheiro a
frete at as 2 horas da tarde do da da sabida : es-
rea.......T .... 7 736nnn triptorio no Forte do Mattos n. 1.
v i4 i d? Sebo- Para o llio de Janeiro segu com brevidade
ir e 3 publico casa ter- a escuna Emilia, recebe carga a frete : a tratar
2455000 com Francisco Jos da Costa Araujo, ou com o
ttuarta-felra 28 do eorrente na
rna da Cadeia n.53 armazem.
Pelo agente Euzebo se vender em leilo di-
versas obras de marcineira sendo 2 estantes de
amarello para uvros, 2guarda roupa, 2 mesas cls-
ticas, 2 pares de cadeira de balanc* americanas,
camas de balaustres para solleiro e casal, ditas de
ferro, urna mobilia de amarello vinhatico a Luiz
XV, consolos ejardineira de amarello raz com
tampo de superior marmore branco, mesa, redon-
da, marquesas, candelabro de vidro, jarros ricos
de porcelana dourada, rclogios, quadros com ricas
molduras, toucadores, lavatorios, berco, sofs, ca-
bides, mesa paraadvagado, porta licor, 2 guarda
louca, cadeiras, lustre de 5 luzes, castigaes, copos,
garrafas e outros objeotos.
I Francisco da Silva Car
I doz piz sciente a todot os
seus devedure que nesta
dda tem aut Sr Antonio Jos dj Si-
queira para liquidar to
do o) divo da sua casa,
portanto seus devedores
re quriram entender com
mesmo senhor resprit ao
pagamente de seas del
tos 'oprazo de 8 dias, e
pode ser procurado na
ra do Imperador n 0
Hecife, 23 de outubro de
1863.
Ditas com figos com 8 e 16 li-
bras a 2000, 20500 e...
Chocolate portuguez e bespa-
nhole francez a libra.....
Queijos do reino do vapor a
2/e.............2240
Ditos de prato novos, a libra a
046 e......... .
Ditos de manteiga muito fres-
caes a...............
Vinho do Porto muito fino, ca-
ada a 00060 e 70, e a
garrafa a 040, 800 e. ...
Dito da Figueira de marcas supe-
riores, caada a40 e 50, e a
40500
10000
720
560
1000
900
garrafa a 560 e ...
Dito de Lisboa a 30; 30500 e
40000, e a garrafa a 400,
480 e............
Uenebra de laranja. o frasco a
900 e................ 10000
Dita de Hollanda a 040 e...... 1000o
I Spermacete a libra a 640, 720 e 10000
640jCaixo de doce de goiaba, a
500, 640 e...........
Charutos finos, caixas e meias,
deSimas. regaba, parisien-
ses, delicias, trovadores,
suspires, varetas, fr de
S. Flix, Traviata guana-
barae muilas onlns qua-
lidades, a 20860, 3000.
30500, 40O< 0, 40500 e. 50000
Vinbos finos engarrafados em
caixa a 130, 150e 200 e
a garrafa a 1/ e...... |#500
Copos lapidados para agua e vi-
nho, a duzia a 60500 e 0OoO
Caf lavado e de Moca, a 280,
320 e 36" rs a libra, ea
arroba 80500, 90000 e 00500
Cb bison superior, a 2056O
20800, 30OOOe........ 30200
>:
Finalmente tudo que consta tendente a molhados encontrar semprao res-
peitavel publico um grande sortimento de boa qualidade e porpreyos comawdos.
AUJGJ-t* AL0JAE3P0IIT.S.
Aluga-so a loja de 3 portas, na ra do Cabugal
n. 20; a pessoa que precisar, pode procurar as
chaves no mesmo correr loja n. 4, o aluguel or
mez 505000.
R0V0EST.4BUMMVT0
DE
Antonio Ignacio tteltor
Va ra Nota n. 26
Se fazem encanamentos de pe,as d'agna da
companbia Deberibe muito bem *ito* pelo peco
muito barato, assim como toda qualquer obra de
lalo, cobre, estanto, chumbo, zinoo, folha e ferro,
tambera tem venda bombas de m-llior svstama.
Quem precisar de urna ama secca para tratar de pelo preco de 1650Ocada una, c vidro de espalaos
.
II)
menino ou para coser, dirija-se
reiro n. 28.
ra do Calde- eUe vidraca.
LEILO
capitao a bordo.
Para o Rio de fanelro
pretende seguir cor muila brevidade o patacho
nacional fegulo, tem pxtie de seu carregamento
prompto : para o resto que lhe falta e escravos a
frete, tratase com es seus consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu escriptorio,
ra da Cruz n. 1.
rea. ....
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Hecife 24 de outubro de 1863.
O escrivo,
F. A. Ca*alcanti Cousseiro.
Correo |era.
Pela adminisiraco do correio desta cida-
que em virlude do disposto no art. 138 do
legulamento geral dos correios de 2 de' Aracaty.
tiuemuio ue ir. e art. i ao uecreto nr com o Sr. Joio Alvesde Quintal no trapiche do
. 785 do i o de maio de 1,85^ se proce- tig0d*o.
admiiustracao perlencel ao mez de eutu-! multa brevidade o brigue nacional Almirante :
bro do anno passado, no dia 3 de novembro te parte de seu carregameolo puompto, e para o
prximo s 11 horas da manhaa na porta do' l^f01"e Jbe tolla, trata-so com os. seus consigua-
n-osmo correio, e a respectiva lisia se acha SS^JJSJ ^Do;'^a Azevedo, no seu
desde ji vista dos interessados.
Adiuuiistraco do correio de Pernambuco,
24 de outubro de 1863.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Crmo geni.
Pela administracao do correio desta cidade se
i./, publico que em virtude da convenco potal
celebrada pelos governos brasileiro e francez, se-
rao expedidas malas para a Europa no dia 30 do
Para o Rio de Janeiro
deve sabir com brevidade a escuna nacional Ctm-
poneza : ipicrt nella quizar carregar o embar-
car escravo*, pode dirigir-se ao largo do Corpo
Santo n. 6, segundo aadar, a tratar con Marques
Barros & C.
Vender
O muito veleiro palliaboLe americano Ro-
bert A Trotk de 151 toneladas, eowtruido
o.rrente pelo vapor fraurez Bear. As carta se-'em *858, inleiramcnte w carvalho branco.
r."u recebidas ate Choras antes da que for marca-
da para a sahida do vapor, eos jomaos at 4 horas
;i ules.
Adminislracao do correio de Pernambuco 21 de
oiitulro de 1863.O administrador.
Domingos dos Passos Miranda.
forrado de cobre e muito proprio para a
navegagao desla cosUi, ffor smente deman-
dar 9 ps d'agua estando muito carregado :
trata-se at o da 28 do corrente cora os
Srs. Thom, Burkinhyoung & Roberts.
DE
Mobilia, escravos, miudezas e perfu-
maras.
Sexta-feira 30 do carrale.
Ra da Cadeia n. andar.
O agente Pestaa vender em leilo por conta
de quem pertencer urna elegante momita de jaca
randa de apurado gosto com tampos de pedra, 1
cama de dito no mesmo sentido, t rico guarda-
roupa, 1 guarda louca, lavatorio, bercos, cadeiras,
quadros. mesa*, lonca de mesa para janlar e al-
inoco. vidros, caslicaes, espelhos, quadros e outros
muitos objectos que serao patentes.
Em continuucao diversos escravos de ambos os
sexos.
Em seguida diversas miudezas c perfumarlas
sem limites : sexta-feira 30 do corrente pelas 10
horas da manhaa na ra da Cadeia do Recife n.
6, segundo andar.
DE
llobilias, (T)slies, obtas de turo e
brilaaBtea e ontrns muitus artigas
de gasto.
QuiaU-toira 2a oritMnlaia 40 ootoh.
Sb armazem e priueto wdar do sobrado sito na
travessa do Vigarjba, V oilao de Corno
Santo a>ude esveram ltimamente os Srs. Lin-
den WiW C.
0 agenteOtymiiion. dia, hora c Ingac cima
venderemjlao os objectos seguintes:
1 mobilia de Jacaranda a Luiz \lV composta de
16 cadeiras^de guarnioae, 4 de braco, 1 sof, X
consolos com lampos tic pedra marmore e 1 mesa
de meio de sala com dito, urna porjao de papel
para forro de nasa, diversos quadros com- moldu-
ras douradas, urna porcia de-caixas de charutos
ADEO
Candido Pereira Monteiro nao podendo despe-
dir-se do seus- amigos pelas proocupaces de sua
partida com a familia, pede desculpa aos mesmos
oflbreeendo seu diminuto presumo em qualquer
parte que habitar, assim como deixa ordens ao-
Sr. Claudia Dnbeus para pagar qualquer debito
que por ooqueeimento nao o satisfug._____________
Preeisa-se de um caixeirode 10 12 a naos
de idade : na na do Rangel o. 69.
AeSou-se em urna calcada da ra do Fogo
um saceo de panno de algodao da trra com al-
gumas pecas do roupa ordinaria dentro: quem
fr seu dono dando os signaes lhe ser entregue
nesta typograpbia.
^anoel Pereira Lonea, ttl-
beize. barliero e amolador j bem conheeido oap
s nesta capftal como no Rio Grande do Sul, Mon-
levideo,_Pclotas e Jaguarao, amla todo ferro cor-
tante (naosendo muito. posado}, declara-quc apren-
deu na llua 4e S. Miguel de Ponta Delgada com
um hbil amolador hespanhol em 1829 \. assim co-
mo tirar dentes sangrar e applicar ventosas, apren-
deu no hospital da misericordia da mesma ilha e
exereendo nesta capital cssa occupaco no hospi-
tal de caridade durante 2 annos que trabalhou co-
mo offlcial do Sr. Jofio Antonio. Coelho cujo hos-
pital ainda exista ao Carnio: quem se quizer
aproveitar deste sorvico nrocnre-o na ra do Ran-
gel b. 18, tem afiadores ae eortia sem composicao-
aloina,derlnque trabatha nos ditos auadores'. entod de COfltbHd'4 ara SetVrT
desde 1842, ensina como se assenta as navalhas. I '
- Deseja-se saber quem a pescoa que ten o
direito de receber os foros, com relacao ao siiro na
estrada do Luca, pertencente a Hangel; e roga-e a quem se joigar nessas cir-
onmstancias, e nesse direito, se aprsente en seu
proprio interesse na ma da Glom n. 86, dentro do
praso de 8 dia) a contar deste, mesmo a Ikn de
j nao se chamar ignorancia neta poder allega-la,
a proposito de qualquer negocacao que por ventu-
ra se naja de fuer sobre este sitio.
Precisa-ee de um hornea para andar com
urna carroca de boi, ou alugatse esta: na travessa
da Ponte de Uchoa, sitio do Powbal.
UM .11.1 VKKM.IE
Est venda esse peridico, cujo Io numero fb
publicado hontem, i ra estreita do Rosarlo n. 16,
pateo do Terco ni 10, pateo do Arsenal de Mari-
oha, loja do Sr. Anselmo Cedrn, e na typogra-
pbia do Libeial:
SOCIffl>ADE
UNIAO BEKEFICENTE MA-
RTIMA
Por ordenado Sr. presidente ^cientfico pela se- Alugarse urna grande-easa terrea-.para pas-
gunda vez aos senhores socios eflectivos que ha-. sara fes,a> na povoacao do Monteiro, eco grandes
verisessao daassembla geral no dia sexta-mira salas. 4 quarlos, cozinha fia, cacimba, com dous
30 do corrente, allm de tratar-se do art. 33 | i* e quintaes murados, com sabida para o rio, quarto
3. e art 12.g.3. dos estatutos. para escravos : quem o pretender, dirija** ra
Secretaria da Sooiedade Unio lienefiecnte Ma- do Hospiaion. 58, casa terrea.
ritima 20 de outubro do-1863. Aluga-se o segundc.andar do soft
Baltlwzar Jos dos Res. do ogaein a. 19, c a oasa terrea d)
1 miin n. 10, coja casa est pintada e-<
AJuga-se em Beberibe, a casa de Francisca
Francolina de Mello, que Oca defronte do. sitio do
Sr. Jofio Ignacio de Medeiros Reg; tratar com
Anoa Mara da Luz, que mora ao p do mesmo
sitio, a. qual tem a aba ve.___________ ____
vo : a tratar na ra Di rala, loja de l
73, o aa Capunga, (porto do Lasserre),
da easa da Sra. vjuva. Carvalho,
los Joaquim fiamos Ferreiu, Brasileiro, vai
Precisa-se de urna mulln* fefra ou escrava que
saiba cosudiar bem, para se empregar smente
aisso em easa de familia, na rna do Oueimado-
. 30, loja
l'recjsi-se Ae
em urna padaria: a Iratai- aa
^ ImaerairiiH 50,
i caiaeiro fue
rir
i na du
a:xiiii4*ic-Ha hormigas
Com o eiaprego das velas mixtas compostas. .
ingredientes taes qpe, estesdannhos insectos aspi- i .. \\ Si* S'tlHciit
rando um so vea a fumaca deste letlial mixto, ar OAWS'Hllt I jnaC d 501b
inorrera inevilaveluwnt oque nao acontece com ia 0116 fflOM na CtilOUBC l tem ama car-
as veJaaiaixtas cotmouns, as quaes Ion de mata ij, w.,_ |VBIir|lil-. R '
rem pela fumaca, obrara pele etcesvo calor, o I Hcau' 'J|rogvanw. ________
y ". M!e*to exigir duzias para I Precisa-se alugar duas KPetas otra o aervico
o effMo de urna s, as do syslema do faUeeido ioternode urna easa do pouca^^iaTsemto .
pyrothMWnicoRoflao. Para amostras e ejicommen- que saiba lavor temommri* eutra OMeto^i
MaDinaroUada ***** ^ ^""^ d* \*!*0V* <**^*Sfl rK5&5p-
oota amareua. | no a. 9 primeiro andar.
Europa.
nunca
Fomecem-se comidas cm casa para
lora, com
muito aceio : na easa de pasto da ra da Cruz do
Beeife n. H.
Ao coinmcreto.
Um rapa Brasileiro com i mam da pratica.
coijinercial sa uflerece para qaakper escriptorio.
ou armazem, dando fiador de sua repulac.ao: quem
pretender, dever dirigir carta fechada romas,
iniciacs 6. o praca da Indepeadenria a- 6 8.
O Dr. Francisco Raphael de Mello Reg, mu^
dou-se paca a ra da Aurora n. 28, segundo andar
1o sobrado em que uocaoExm, S,r. Bario da Ve-
ra-Crqi.________________________________________
Rreeisa-se d urna criada pora confiar, ea-
gonunar e cozinbar, para casada pouca familia :
na ra estreita do Rosario, sobrado n. 23, no se-
gundo andar,
____ mv%------
D-se comida par tora
eommodo pre?: na rn da
pasto.
m
mmm




Diario de
J>iM Terca fclra *9 de Outubro de 1H3
FAZENDAS DE BOffl GOSTO.
PASA VESTIDOS.
Superiores cortes de gorguriode seda com flores matisadas os mais modernos que tera vindo | Pernambuco.
Ditos de moreantique de cores, de listas, de flores, e achamalotados, cores mu lindas.
Ditos de moreantique pretos de palmas com barra.
Lindes cortes de grenadine de seda com barra e chale igual. ___ .
Ditas de laa com barra n.aUsada e da mesma cor, a imperatm pele barato preco de lOJ,12,5 18* e 20 cada corte.
Ricos vertidos de blondo para noiva com lindas mantas de fil de seda, de blond e com capciia.
Ditos de cambraia brancos bordados a 12*, 13*, 25* e 35* cada corte.
Lindas laas lisas finas a oTOrs. o covado
Ditas de quadrinhos e de flores a 400, oOO e 600 rs. o covado. Dariwmkl,m .
Superiores orirandvs com listas de seda, os mais modernos que tem vmdoa Pernambuco.
seria enfadoaho mencionar.
PARA SO?!BSIU>S DE SJEWHORAS.
Manteletes de seda pretos a 18.
Capas pretas de grs a 255, 3* e 355.
Ditas muito superiores a 40*, 45* e 50*.
Superiores santiembarques de casemira.
Ditos ditos de lindas lazinhas lisas e de quadros.
Ditos de seda pretos e de cores.
Ditos de musselina de seda chineza.
Superiores manteletes de torzal pretos.
Lindos chales de musselina e de chally matisados com listas de sed*.
Novo6 chales de torcal e outros muitos artigos modernos.
PARA CABERA DE SEMHORA E MEtfIMOS.
Superiores enfeitcs de flores, gostos os mais modernos em Paris, pegados pelo "''j *aPr francez-
Lindos chapeos de palhada Italia enfeitados com muito gosto, a Imperatm e a Valeroy.
Ditos de palha para meninos e meninas.
^iStSSSr^ e estreitos, tiras bordadas largas e f^^\^(^S^nTualf cesTo^btfa
bordadas c outros muitos artigos de gosto por precos mais commodos do que cm outra qualquer parte na ra do crespo n. u, toja
das columnas de Amonio Correia de Vasconcellos & C.
Precisa-se de urna ama forra para o servico de
ama casa de pouca familia : na ra do Queimado
n. 39. ____
lili M3iQ
Ricos vestidos de fil forneo bordados, com veo,
capclla e flores, proprias para as senhoras noivas,
os quaAs se vendem a proo rasoavel, por serem
em priraeira mo e chegados ltimamente de Pa-
rs por encommenda propria ra da Cadeia
Perdeu-se
na madrugada de sabbado para domingo em um
lenco brancode linho 785, sendo urna nota de 505, escriptorio e armazem de fazenda n. 47.
urna dito de 105, tres de 55 e tres de 15, urna car-
ta de cipeumstancia, um annel com a firma J. N. j
P. A. J.'fom 5 oilavas de ouro, outro de cabelllo
com a.firma B. A. P. C. desdo a na da Cadeia no-
va at* da Gloria da Boa-Vista: quem achou e
qnizer restituir, leve ra do Caideireiro n. 28, |
que ser recompensado.
Vende-se urna casa terrea no pateo de S. P
dro-.\uvo em Olinda, aonde o eommendador Joa
Pinto de Lemos, tem passado a Testa, temi 4 guar-
ios, 2 salas, 1 gabinete em separado, chaos pro-
prios e perto do banho salgado; tratar com Joao
Simos Pimentel, na ra do Amorim n. 36._____
Vende-se tinta superior para ailar roupa, a
250OO, cada garrafa e 15000 as mcias garrafas;
na Rua-Velha n. 93. Com urna garrafa, urna
familia aila roupa um anno inteiro.
Armazem para alagar.
Aluga-so o armazem n. 40 da ra de Apollo,
<:om maiisde300 palmos de comprimento, todo co-
berto e proprio para qualquer estabelecimento por
dos Guararapes n. 78._____________________
Precisa-sede urna ama paracozinhar e com-
prar para urna casa de pouca familia : na ra da
Concordia n. 34, sobrado do armazem do sol.
Aluga-se com alguma mobilia ou sem ella,
por cinco anexes, para passar a festa, urna boa ca-
sa no Jaboatao, pouco adianto da ponte, com 3
grandes quartos, 1 gabinete, sala da frente e de
jamar, coonha fra, com estribarae 1 quarto jun-
to desta, portad de ferro cora grande quintal cerca-
do ate o ro Jaboatao : a tratar na ra Direita n. 3,
ou no mesmo lugar, na padaria Sebastopool.
Precisa-se de urna escrava que saiba engom-; topreco de 25500 a eaiza : na ra do Amorim n.
mar para urna familia de duas pessoas, preferin- 43>ou na rua da Madie do Deos D- 3-
do-se que seja recolhida, pois se nao quer para
rua : na roa da Cadeia do Recife n. 52, terceiro
andar.
PRESTEM TODA ATTENCAO
PROTEJAM TODOS.
69iUB3uqJ B0J0ui3iu sop scYioj se snpoi ap oiuo o onc|d wed seaisnw
i opeAoa o sjooj e saaoo ap seuu sbssbj souwpuoA
OpBAOD 0 -SJ 00 B SBn S3J0 8P BJIIU'SBD 0p SBdBQ
OpBAOO O SJ OS b sbsso
-sBjiuoq oj|nui sciiqQ
souj|ed o ap ajuBmeja
OqUI| op Bt|UB)3Ja
oquij ap sooinSJsg
BDBjq Bpas Op
SOpRAOO O 8 SBJUBU1 'B||3d
Saques sobre Portugal.
O abaixn assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta cidade, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer somma, vista e a prazo, po-
dendo logo os saques a prazo serem des-
contados no mesmo banco, na razao de 4
por cento ao anno aos portadores que as-
si m Ihe convier: as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
Furtaram na noite dodia 10 do corrente dous
cavallos pertencentes ao Dr. Francisco Caldas Lins,
do cercado de seu engenho Siqueira, na freguezia
^f\W$MOfo%WiW@\ 'do Rio Formoso.com os signaes seguimos : um
Contina a haver pao de senteio novo nos dias mellado, cauda e dinas pretas, castrado, grande,
qoartas e sabbados de cada semana, na Dadaria gordo, os quatro ps pretos at cima, sem anda-
em Santo Amaro ao p da fundicao, na rua"da Im- res, porm de sella outro rodado sujo, cauda e
peratriz n. 22, e rua do Brum, confronte o chafa- cimas pretas, bom tamanho, grosso, castrado, rela-
riz n. 47, rua das Cruzes, deposito n. 39, na Pas- do pelos peitos por ter sido de roda, urna baixa
sagem, taberna da esquina do Sr. Bento, que vira em um dos lados das costellas, meio corcunda e de
para o Remedio, e no armazem progresso, largo carga: quem der noticia dos mesmos cavallos ou
os entregar a seu dono no referido engenho, ser
recompensado com a quantia de 50 a 1005.
Che gado pelo vapor.
H parao vigilante, rua do Cres-
po n. j.
At que chpgarain as muito desojadas casearri-
Ihas de todas as cores com urna Htinba do velludo
no centro, cousa muito elegante para enfeite assim
comodeoutras qualidades, e procw muito' razoa-
veis : s no vigilante, rua do Crespo, n. 7.
Para dar de mimo.
Chegaram as riquissimas bonecas de todos os
lmannos, vestidinhos ricamentf enfeitados, cada
um em sua caixinha, prepramente para um deli-
cado mimo, por baratissuno preco : s no vigilan-
te, rua do Crespo n. 7.
Para os senhores hachareis.
Chegou tempo a riquissima illa de chamalote
para carias dos senhores hachareis, assim como
branca, lisa, propria para abrir letras, ou para
sintos: s no vigilante, rua do Crespo n. 7.
Peutea de niarrab.
Tambem chegaram os riqusimos pentes de
marrafa com pedrinhas.os lindos pentes de regaco
para meninas, meias de seda e sapatinhos proprios
para baptisados, meias de seda para senhora, fitas
de laa para debrum, fita de linho, trancas de lia,
de linho e de seda, luvas de seda e pellica, e lio de
Escocia e camurea, alllnetes de cabeca chata, car-
teirinhas com todas as agulhas preeisas para cos-
tura, fivclas de madreperola esmaltadas de ac
parasinlos, flores de todas as qualidades, caixinhas
com pastilhas de perfumara, abafadores de laa
para senhora, toucas e sapatinhos de laa, pulseiri-
nhas de borracha para segurar manguintos, fitas e
cordes de borracha, sabonetes redondos, ditos
chamados de familia, pomadas de todas as quali-
dades e dos fabricantes mais afamados, clcheles
pratiados muito finos, retroz de todas as qualidades,
retroz em carretel e cm novello, e de meada, de
todas as cores, escovas para dentes, ditas para rou-
pa, ditas para chapeo e ditas para unha, de todos
os precos, e oulros mais objectos, que se tornara
enfadonho annunciar, e vista dos freguezes pro-
______________________________________ mette-se fazer todo o negocio: s no vigilante, rua
A AGUIA BRANCA. Xo armazem de fazendas bara-
Recebeu para esse ultimo paquete: |JW |le HskntoH Coe|ho
Novas carteiras com as excellentes agulhas' RUA Do queimado N. 19 vende-se O SE-
inglezas. GUINTE:
Agulhas parisienses tambem de excellcn- Cobertas de chita da India
Vende-se urna bonito escrava, com as quali-
dades proprias para ser apreciada, saliendo en-
gommar, cosinhar, coser e bastante moca, bem
parecida; tratar na travessa do Paraso sobrado
n. 18.
Hua do Trapiche n 2.
Vfndem-sc i buhan s. ________
Batatas
Caixas com duas arrobas de batatas desembar-
: cadas do patacho Mara da Gloria, hoe, pelo bara-
A ssiicar do Monteiro
I Rua do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
a 55600 aarroba.
da Penha n. 10.
sopepjoq
soonBjq sopiiFA ap saco
ffO? b sojaid saiapiHK
jnSjBi biuu ap soepoiv
sopnisaju sowpo8v
3ad 'tf9 'tfS '& P sao|odepBK
soiuw
so||aq otinu sbb| ap sojjoo
SBpBpjq SB|BS
oijpjq seifis
sanbiBqmaijBS
sciajd sBdeo
bu
-bii ap eq|Bd op seunadeqo
ojso8 ojmiu ap soadci|3
sepa
'equBmanv 8
ssms 'subj 'cijaie|8ui ap cjniiajip uia npau srpaznj op omamiuos opcuea o onaq um
objbjjuoouo saxg AA !1B 'oiuauioaiaqeisa o||aq assa b sBJoquos SBiuxa lUBfaioJj
-stun sazaonejj KoomdepcK -bj 'opuoiq ap sopiisaA soaiu
socpoSiv I soi|a|i svv't
Na rua dos Pires n. 50 se dir quem vende
um piano forte de mesa em perfeito estado, e da
melhor construccao._______________________
Anda est por alugar-se o segundo an-
dar do sobrado n. 44, em a rua da Auro-
ra : quem o quizer dirja-se esta mes-
ma rua casa n. 10.
Aluga-se a loja do sobrado n. 193 da rua Im-
' perial, e o armazem n. 4 da rua de Apollo : na rua
da Aurora n. .1(3.
- Precisa-se fallar ao Sr. Leoncio Jos Theof.lo l^ecom toW^tofa^J*T*no
Sitio para alugar.
Ainda est por alugar o grande sitio da estrada
da Cruz de Almas, com duas frentes, sendo a ou-
tra para a estrada deParnameirim (o qual lira de-
fronte do sitio do Sr. cirurgiao Leal) com um gran-
de sobrado de um andar, cocheira para carros, ca-
sa para escravos e fetor, estribara para cavallos,
e outra separada para vaccas, casa para fazer fari-
nha com forno, e todos os pertences, cacimba com
bomba, horta para planta de hortalicas, sitio muito
te qtiaiidade.
Trancelins finos de borracha para en-
fiar.
Btes pretos de velludo, maiores e me-
nores para vestido.
Transmitas brancas estreilinhas d'algodo,
para enfeites de vestido.
Escovas cabos d'aco, madreperola para
limpar pentes.
Pincs para p de arroz.
As lindas fivellas compridas para cintos.
Oulras de fino dourado e esmaltadas.
pelo barato preco de 25000.
Lencos
de panno de linho a 25000.
Lcnces
de bramaute de linho fino pelo barato preco de
35000.
Lencos de rassa
brancos, finos proprios para algibeira pelo barato
preco de 250U0 e 25400 a duzia.
Fil liso Gno
pelo baratissimo prego de 680 rs.a vara.
Madapoln Gno
pecas de madapolo largo superior pelo baratissi-
mo" preco de 85000.
Ricas sai as
que veio da Bahia : dirja-se ao armazem de Tasso
! Irmos a fallar com Raymundo Correia de Men-
I doea.____________________________^^
'uviiia s3Bioo jsor
30
\nei?rao
/1 11 oils.vr) op kim i; sRpuoztij ap oin3iapd|oqe|s9 9)oei.iodoii y
iioaolisa 15 i
souiaOxMvaisa a s0xMV3iai\[v\[aad^
Daniel de Moura Pacheco e Francisco Jos Fer-
reira fazem sciente ao respeitavel corpo commer-
cial, que desde o 1." de julho do corrente anno que
dissolveram amigavelmente socedade de que fa-
| ziam parte, sobre a razo de Daniel & Ferreira,
eslabelecida na serra de Luiz Gomes, provincia do
Rio Grande do Norte, c declaram que a mesma so-
ciedade havia satisfeto todos os seus dbitos pas-
1 sivos.___________________________________
Aluga-se o primeiro andar da rua do Crespo
n. 23 ; a tratar na loja.______
Bebiribc ; a
para plantar mandioca para farinha, e para todos
os mais legumes, terreno separado para ter 6 vac-
cas de leite, e pasto para estas ; alm de ludo sto
tem mais duas grandos baixas com capim, que s
estas do para pagar o aluguel do mesmo sitio, ten-
do o devido trato; cujo sitio foi do fallecido cirur-
giao Manoel Jeaquim Pereira, e s se arrenda por
annos : quem pretender, all se pode dirigir para
ver, pois a chave est em mo de pessoa que l
est a tomar conta ; e para tratar, na rua do
Crespo n. 25 A, na loja do Sr. Ramos. ______
SS5S-&
^ **f
MiVVS
menino de 1 da a 1 anno 1105 4005 9005 2:0005 4:7005
> de X anuo a 2 > 905 3005 7305 1:7005 3:7005
de t a 3 > 865 2905 7205 1:6005 3:5005
de S a 865 805 7105 1:5605 3:4005
de 4. > a 15 865 2705 7005 1:5505 3:3505
pessoa de 15 > 20 > 865 2705 7005 1:5405 3:3305
de 20 ... a 30 865 2705 7105 1.5605 3:4005
de 30 1 a 40 j 865 2705 7205 1:6000 3:7005
de 40 a 50 905 3005 7505 1:8005 5:0005
SEGUROS DE VIDA EM MUTUALIDADE.
A direceao do BANCO UNlAO tendo oblido do governo de S. M. F. a autorisacao para estabele-
cer o seguro de. vidas.3m mutualidades, faz publico que desde j toma subscripges annuaes por urna
s vez, debaixo das seguimos condices :
Com perdade capital e lucros;
Dito capital smentc;
Dito lucros smente;
devendo a priraeira liquidaco ter lugar no Io de Janeiro de 1859.
As vaatagns do cm prego de capitaes em mutualidade, sao obvias, porque nao smente se co-
lhe o juro de quemias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar nenhum resultado; mas alm
disso, este rendiuiento augmentado pelo capital ou lucros, ou ambas as cousas, conforme as condices
da subscnpi;o, dos que falhVem. Tambem partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os so-
cios morosos nos seus pagamentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que
occorrerem pela faita de cumprimento do compromisso social.
As liquidares sao pelo systema dascompanhias hespanholas, Tutelar e outras ; c parase poder
fazer urna idea do que pode prcduzir urna entrada annual de 105, publica-se a seguinte tabella basea-
da sobre a experieceta de muitos annos decompanhias desta natureza :
Em ; annos Em 10 annos Em 15 annos Em 20 annos Em 25 annos
Por um
Por mea
Adentradas por urna s vez do resultados muito superiores s annuaes.
Porto, 10 de agosto de 1863.Os directores do Banco Uniao, Jos da Silva Machado.F. M. van
ie< -Niepml.
Agestes em Pernambuco : Antonio. Luiz de Oliveira Azevedo & C, rua da Cruz n. 1.
Bi\(0 L Y J lO
BSfABELECIDO NA CIDADE DO-PQBTO
Agestes em Pernambuco
i0 % *,* edo & C.
Sa-'.aat por .todos os paquetes sobre o
mesmo .banco prazo ou vista, sobre a
caia uUal em Lisboa, e agencias em Fi-
ueira, Coimbra, Aveiro, Vizeu, VJa-
,eal, It.'goa, Vianna de Castello, Guiaia-
raes, Barcenos, Lamego, Covilba, Braga,
Penafiel, Blanca, Amarante, Angra,
Ilha da Terira, llhade Faias, llha da
Madeira, Villa do Conde, Valenc, Bastos,
Oliveira de Amejs, Chaves e Fafe, a
oito dias vista ou ao prazo que se coo ven-
I .onar, no seu eacxiptoro /na da Cruz
U. 1.
J.baebarel Francisco Gomes VoUose de Al-
haqaerqg Lins tem o seu esrriptorio de advoca-
da na rua do Queimado n. 41, primeico andar,
frente paiy a pra^a do Pedro lt
Aluga-se utna casa em
i tratar com J. I. de M. Reg, na
Trapichen 3i^___________________^_
Precisa-se de um trabalhador para sitio de
capim : na loja do Passeio Publico n. 7.________
-- Precisa-se de um:i criada forra
qoe saiba engmmar: u: na do Im-
perador n. 17, seguinlo andar.
Aluga-se o sitio da senhora viuva Carvalho,
cm S. Jos do Manguinho, com boa casa de sobra-
do, esteirada, quartos para criados, estribara,
fructeiras, baixa de capim : no mesmo sitio se di-
r quem trata do aluguel.
A pessoa qoe annunciou precisar de
um escravo para sitio pode procurar na rua
Augusta n. 13, que achara com quem tra-
tar.
ALMANAK
Estando a confccco ar-sc o a'manak
desta provincia, que contina serim-
I presso nesta typographi*, convidase a
ia'dQ todas as pessoas pue 'elle fazem pa- te,
1 para que lemcllam livraria m. 6 e 8
da praca da Independencia, seus nom^s
c qualidade de esl^beiecimenlo, c aos
pcoliores oe engenhos que se dignem
remetter alm ds nomes de seus en-
gcnlios, o da freguezia e enmarca a que
serlcnccrcm.
Caetano Pereira de Brito, solicitador de cau-
sas no civel e commercio, participa aos seus cons-
tituimos e aos que se quizerem utilisar de seus
servidos, que elle se acha residindo na rua da
' Praia, sobrado n. 49, primeiro andar, onde o acha-
ro sempre prompto das 6 s 10 horas da manhaa,
e das 4 s 7 da tarde, e fra dessas horas as salas
das audiencias.
Outras de madreperola.
Bonitos leques de madreperola com bou- de fustao a 55500.
quet. Pecas de bretanha
Outros Jeques d'aco com bouquet. .de rol com 10 ^aras propria para saia a 35200.
Outros de plumas, com cabos d'aco e Peca do cambraia
, ___, ,__nm.t-,__, i ,i- adamascada para cortinado com 20 varas pelo ba-
madrcperola, e outros finalmente de sanda- rat0 pre0 de' toooo.
lo e pretos. ) Bramante de linho
Pentes de borracha, recortados, dourados fino com dez palmos de largura pelo barato preco
e com pedras para meninas e outros de tar- de 25300 a vara.
tuni".-i Toalhas aleochoadas
Meias de seda para baptisados. Para pelo baratissimo prego de 55000 a du-
Lindas touquinhas de fil de linho. cam-
zia.
Atoalhado de linho adamascado
braia e setim, mui bemenfeitadas para crian- proprio para loalha dc mesa a2i&5()0 a vara.
fas. Algodo monstro
Ligas de seda para senhora, e ditas para com 8 palmos de largura pelo baratissimo preco
manguitos, 011 meninas. de 15060 a vara.
Livrinhos para notas CorlfS de ca,fa ,
Novos tercos de cornalina, e coral lapida- de?M8a1am*re,!?d.e''s,^
, v r nenor pelo baratissimo preco de 15200 o corte.
do com cruz de prata etc. f Liaiinha de quadro
Bonitas pulseiras brancas de perolas tal- de posto inleiramente novo pei0 baratissimo preco
sas, e outros de chapa de cryslal o paco, dei80rs. o covado.
com listas domadas. | Pejas de cambraia de salpicos
Tudo na loja d'Aguia Branca, rua do Quei- fina com 81/2 varas pelo baratissimo preco de IJL
mado n. 8. PfCs de cambraia de forro
I -ih\ i-influs p hicis Pe, baratissimo prego de 25200.
Laoyi Minse DOS, Esleir da India
tao baratos que o comprador admira. forro de sa|a dc j B e 6 palmos de /larcura.
Esses labyrintlios e bicos se applicam a
Companhia Odedade d
seguros mritimos e ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EMPBPNAHfiUCO
Antonio Luiz de Oliveira Atete do & C,
[.competentemente autorizados pela direc- i
loria da companhia He seguros Fidelida- <
de, tomam seguros de navios, mercado- i
rias.e predios no sea escriptorio rua da i
Cru,u .1.
Modista.
Madama Plorinda, conhecida por madama Scas-
s, acha-se novamente habilitada para bem servir
s suas fraguezas, tanto em fazer vestidos na ulti-
ma moda de todas as qualidades, como armar cha-
peos, enfeitar segundo o gosto moderno, assim co-
mo lava-Ios ainda estando no peior estado possivel,
e renova-los, o melhor que se pode desejar; no
mesma casa precisase alugar urna prcta liba qui-
tandeira de miudezas.

Aluganvse tres rasas terreas ni. 23, 24 e 25
na rua da Amizade, na Capunga, com commodos
para pequea familia : a tratar na rua das Trin-
cheiras n. 1, loja de tartarugueiro.
Precisa-se alugar urna ama para coaabar e
comprar, para dormir em casa; adverte-se que
nao seja radia : dinja-e rua do Cabug n, 4,
loja de miudezas.
Ao b. 29.
Nova loja dos harateiros na rua do Queimado.
Velludo de Ores fazenda muito boa o covado
35000, baldes de panno 35200, ditos de arcos
35OOO, 45000 e 55000, las de duas larguras
tawmyos.
Aluga-se ou iraspassa-se o arrendwnento da
padaria da rua dos Pescadores n. i : a tratar na
rua do ftangel n. 9.._____________
-5- PreoUa-se de urna ama forra para comprar
e eozinhar, para casa de pouca familia : na rua
-Nova 9. 23.
Va na do Qucima4 o. i
4eseja-se fallar aosSrs. Gabriel Germano de A guiar para vestido o covado 500 rs., chitas francezas o
Montarroyos e joaquim Ribeiro de i^uiar Mv'n-, covado 360 rs., metim braneo para forro do
' vestido o covado JO rs., tarlatanas de odas as
cores a vara 720 rs.
A n, 29.
$ova loja dos barate iros na rua do Queimado,
Cas*a lisa pelle de ovo a peca 75500, cambraia
lisa imito fina a peca de 17 varas a 105, cam-
jbraieta pe^a de 12 jardas 75000, cambraia adamas-
cada para cortinado a peca de 22 varas 105000,
mcias finas para senhoras a duzia 45000, chales
do lia poma ntfonda 325500.
As n. 29.
tfova leja dos harateiros na rua do Queimado.
Bicos pretos de linbo a vara 120, 160, 240, 320
rs., franjas de seda a vara 80 e 160 rs., gal&es
de seda de algodo e de laa para enfeites de vesti-
do a peca de 10 e 15 varas a 400, botdes de seda
de relluAj t fustao duzias JO,
Precl^C de um forneiro para urna padaria
m Gamoleira : a \stm B* fu P>rwu pad>ria^
Aluguel.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da rua
Velha n. 20: a tratar na rua do Sebo 11. 24.
O abaixo assignado declara aos seus deve-
dores que d'oraem diante tica sem effeito algum
a procuracao que autonsa ao Illm. Sr. Andr Ave-
lino Sobreira de Mello, para ser seu cobrador de
dividas. Recife 22 dc outubro de 1863.
_____________Joao Correia de Carvalho.
Aluga-se a casa terrea da rua da Gloria n.
116, combons commodos para grande familia,
pintada e ladrilhada de novo, o o segundo andar
da rua da Matriz n. 35 : tratar com o Sr. An-
I tonio Joaquim Ferreira Porto, na ponte Velha, ou
I na rua da Cadeia n. 12 com Miguel Joaquim da
Costa.
COMPRAS.
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artificiaes tanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
flquciii a vontade de seus donos, tem ps
e outras preparaedes as mais acreditadas
para eonservacao da bocea.
Antonio Jos Fernandes Lopes, Porluguez,
rhegado a esta provincia no dia 16 do corrente no
paquete inglez procedente dos portos do sul, reti-
ra-ce para Lisboa no paquete francez que se espe-
ra oo da 30.
Compra-se urna negra perfeita cozinheira e
engommadeira : na rua da Praia n. 26.
Compra-se um buhar com todos os seus per-
tences, em bom estado: na rua do Imperador n.
44, terceiro andar.
Compra-se urna mulatisiia de 10 a 14 annos'
na rua de Santa Thereza n. 58.
Compra-se um torno em bom estado : ua bo-
tica da rua do Cab g n. 11.
Quem ver para vender tuna casa terrea no
bairro da Boa-Vista, com bons commodos e bem
construida, dirja-se rua da Imperatm n. 47, ter-
ceiro andar._____________________________
Um preto.
Compra-se um preto de 35 a 45 annos de idade-
na rua do Crespo n. 17, loja.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras venias : na praca da Independencia n. 22 le-
a de bilhetes.
diversas obras e lins, e sempre com provei-
to por suas fortidoes e durazno, boje mais
do que nunca, convem a todas as familias
compra-Ios para aproveilarem-se da occa-
sio em que elles sao vendidos tao baratos
que na verdade o comprador admira, e bem
se pode dizer que por taes pregos nunca
mais liaver. Os labyrinthos sao de novos
c bonitos desenhos das larguras de quatro
dedos at mais de um palmo (ou tres a dez
pollegadas) e os limitados precos sao de 1$
a 3# a peca de dez varas, variando esles em
relaejio a largura. A ser em varas liaver
mui pequeas differencas, os bicos porm
principiam por mais estreitos al a maior
largura dos labyrinllios, e os presos sao
igualmente proporcionados. Isso pois. as-
51! MHhH5^
t'otassa da ttussia
\>nde-se em'casadeN.O. Kic-
lipi* i (., successores, rua da
Onz o. 4.
Cal de Lisboa e potassa da
Rnssla.
Vende-se na rua da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o amigo e acreditado deposito da
mesma rua n. 12, ambos os gneros sao novos e
legtimos, e se vendem a preco mais barato do que
outra qualquer parte.
lina da Scnzalla i>o>a n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas da
sim simplesmente dito talvez pouca conside- g .chado ."J" a H0 *" idem de LoW
ragao merega, porm para desengaar e fa- a re"
zer o comprador reconhecer a verdade e a-
preciar o extremo da barateza, necessario
que se dirijan com dinheiro; a rua do
Queimado loja d'Aguia Branca -ti. 8.______
Sacos vasios.
Vendem-se saceos vasios de estopa a 320 rs., di-
tos de algodozinho a 320 : quem precisar dos mes-
mos, queira annunciar por este jornal para ser pro-
curado_________________________________
Vendem-se duas casinhas pequeas na rua
Imperial ns. 280 e 282 : a fallar junto das mes-
mas n. 284.
TaT"
HOtlM
Na rua do Queimado n. 43, esquina que
volta para a Congregagao ; pechincha.
Paletots de casemira a 5, 6, 7, 8, 12 e 145000
ditos de panno preto e azul a 9, 10, 12, 16 e 185
ditos sobrecasacos de panno muito fino por 245 e
285, ditos de alpaca prcta e de cordo a 4,5, 6 e
75, calcas decasemiras de cores a 5, 6, 7 e 85000,
ditas pretas a 65500, 8, 9 e 105, paletots de fustao
e ganga a 25, 25800, 3 e 45, calcas e rolletes de
todas as qualidades e por prego muito barato, len-
ces de puro linho a prego de 25800 e 35, cober-
Sapaliiilios pata meuinos de
annos.
Chegaram no ultimo navio francez, os mais bel- ^de ch^ta a 25240, collarnhos de linho puro a
los sapatinhos abotinados, enfeitados de marro-
quim, lustro e cordavo a 25 :
rua Nova n. 7.
na loja do vapor,
Anda esto por vender a grande casa terrea
com grande sotao e bom quintal murado com por-
to cora sahida para outra rua, as Cinco Ponas
n. 37, e a casa terrea na travessa do Pocinho n. 5 :
quem pretender, dirja-se rua do Hospicio n. 58,
que se dir quem as vende.
Sitio para vender. *
Vende-se um cxcellente sitio muito perto da
praca, situado na estrada de Santo Amaro para
Belem, com boa casa de vivenda, muito fresca, ten-
do o eUio excellente baixa para capim e horta com
muitas boas arvores de fructo : trata-se na rw
dos Guararjpes n. 28.
600 rs. cada um, e outros muitos objectos que s
vista ; e para isso se pede a attenco dos fre-
guezes._______________^______________
Vendem-se dous terrenos, um com 685 palmos
de frente sito na rua Imperial, freguezia de S. Jos
n. 226, outro com 200 palmos de frente sito em
Santo Amaro perto do sitio do Sr. Calo : a tratar
na rua do Trapiche n. 9. ____________'
Fardo.
Vende-se um completo fardo da guarda nacio-
nal do 3. batalho, por preco razoavel, e urna ban-
da para o servico ordinario : na rua da Cruz, ar-
mazem n. 26.
AI ca ro.
Vendem-se barrfs de alctro, chegados ltima-
mente : na rua da Cruz n. 4.
Compra-se cobre, lato e chumbo: no arma-
! zem da bola ama re I a no oilo da secretaria de po-
licia, rua do Imperador.___________________
Compram-se barriquinhas que serviram de
bolachinha americana a 500 rs. cada urna : na
ravessa da rua das Cruzes taberna n. 6.
Offerece-ge para servido de campo em algum si-
lio ou engenho, um homem de 25 annos de idade
ehegado ltimamente do Porto com familia, cora-
posta de sua mulher e tres lillios menores: quem
. pretender seus servicos, dirija-se rua da Madre
de Dos n. 3, ou a bordo do -briguo portuguez
Mercurio.
Padaria franceza.
Na roa da Imncratriz n. 50, padaria franceza,
fazem-se todas as qualidades de bolos, sequilos e
massas finas, preparam-se bandejas para bailes,
soires e casamentos, sendo enfeitadas pelo melhor
e mais moderno gosto, e reeebem-se encommendas
era tudo isso ; garante-sea perfeico do trabalho,
i qualidade das massas, e promptdao as en-
commendas, pois que para serem bem servidos os
fr.eguzos, acha-se de taes oceupaees encarregodo
un paswJeiro francez, asss perito em sua pro-
Bulo.
Ca* eoMmerflal
A reunjo familiar do corrente ai** de outubro
t<# lagwj pojte do dia 31 do mesuxJ,
Casa para a festa.
Aluga-se urna casa no Monteiro e outra na Tor-
re defronte da Ponte de Uclida, onde se encontra
conduelo no mnibus para o Recife; ambas as ca-
sas tem accommodaces para familia, esto pinta-
das de novo, e se > Pr P^ commodos: a
tratar na rua estrella ?Resan0 *________
- Compram-se duas negras perfeitas cozinhei-
ras e engommadeiras : na rua de Apollo n. 84'
segundo andar.
Compra-se cebre lato velho
na roa da Cadeia do Hecife n. 36, pri-
meiro andar.
Compra-se urna casa terrea de boa construc-
cao, situada em alguma das principaes ras desta
cidade: a tratar no escriptorio de Manoel Ignacio
de Oliveira & Pllbo, no largo do Coroo Santo nu-
mero 19. *^
AOS SENHORES LOCISTAS
Desta capital, arrabal-des e provincias
adjacentes.
MAMUEIi 23 RUA NOVA N.
l.
23.
tm
VENDAS.
-Di^tUnheiro a premio*? ^quenas e gran-
des quantias, sob penhores de oaro e P'8 "*
rua Auguste a. VI M dir quem da.
Camisas de 15a (flanela) Ja cores pelo
barato preco de 55 a duzia 54 cada
orna: na rua dp Crespo n. i.
Tem a satisfaefao de participar particularmente aos seus amigos e freguezes, e em
geral a todos os senhores logistas desta e de outas provincias," que em consequencia de
suas relaces com as principaes pracas manufactureiras da Europa, tem consegnido
montar a sua fabrica da chapeos de sol sobre urna escala importante, a ponto de poder
offerecer vantagens aos pretendemos, tanto na qualidade e bem acabado dos seus produc-
tos, como pela reduccio dos precos ; verdade incontostavel, de que se poder3o conven-
cer vista da fezenda e pelos precos que v9o abaixo :
Chapeos de sol de seda para homem 28, a 72$ a duzia.
Ditos 26, a 66t000.
Ditos 24, a 603.
Ditos para senhora 18 e 20, a 48.
A duzia tem descont de 12 por cento.
Ditos de panninho preto rde cor, armacSo de balia 20, 24 e 26 sordos, liquido
a 260 a duzia.
Ditos de junco 20, 24, 26 e 28, i 184 a duzia.
Venbam ver para convencer-seda verdae.
Encarregam-se de encommenda para da Europa.
ILE


-X
ftlarlo d Pernanibuco Terca tetra ti d utubrode A3.

\
GRANDE EXPOSICtO
de fazendas baratsimas qoe se ven-
den para liquidar; na loja do Pa-
vo, roa da Imperalriz, i. 60.
Neste estabelecimento acha-se um grande
e variado sorlimento de fazendas, tanto de
tuxo, como de primeira necessidade, pro-
pinas para a praca e para o mallo, que se
vendem por precos muito resumidos, de to-
das as fazendas dao-se amostras, deixando
pcnhor, ou mandam-se levar em casa das
familias para escolherem, pelos caixeiros da
loja do PavSo.
Las rom O palmos de largara
na loja do Pavo. l# loo.
Vendem-se lazinhas transparentes de urna
s cor, de quadrinhos proprias para capas
e vestidos, tendo 9 palmos de largura, pelo
baratissimo preco de 16400 o covado; s
na ra da Imperatriz n. 60, lojado Pavo.
O PavSo vende las de 4 palmos
de largura a 500 rs.
Vendem-se lazinhas infestadas, sendo das
o covado; fusto para vestidos e roupinhas
de meninos, a 320 rs. o covado; alpakin ou
gurguro de linho, a 260 rs. ; ganguelin,
urna s cor, a 320 rs. o covado; toalhas de
linho adamascadas para rosto, a 10; vestua-
rios para meninos e meninas, a 10600 e 20;
tiras bordadas e entremeios, mais barato que
em outra qualquer parte: tudo isto pe-
chincha e vende-se para liquidar: na ra da
Imperatriz n. 60, loja e armazem do Pavo
de Gama & Silva.
(irosdenaplrs a 1:500 rs., na loja do Pari.
Vendem-se grosdenaples preto muito boa
fazenda, a 10500, 10600, 10800 c 20: s
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
Para luto vende-se na loja do
PavSo.
Vendem-se finissimo selim da China, fa-
zenda sem lustro, proprio para vestidos de
senho.as, para capas e roupa para homem,
tendo esta fazenda 6 palmos de largara e
sendo muito leve, vende-se pelo baratissimo
preco de 20200 o covado, garantindo-se que
nao se torna ruca, e vendem-se nicamente na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60:
Cortes de chitas a 2:000 e 2:500 rs.
Na loja do Pavo vcude-se cortes de chitas
uuis modernas, de urna s cor e de qua- nglezas, tendo 10 covados, a 20, e com
drinhos, proprias para vestidos e capas, pelo 12% covados, a 20500, sendo todas de pa-
baratissimo preco de 500 rs, o covado ; di- droesescuros: na ra da Imperatriz n. 60,
tas matisadas, fazenda muito fina a 500; di- de Gama 4 Silva.
tas garibaldinas a 446 rs. ; ditas de qua-
dros a 360 e 280 rs.: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz, n. 60. de Guimaraes &
Silva,
LSazInhas a SOO rs. o covado.
So o PaTn.
Carnauba.
Vende-se cera de carnauba em saccas, por
I preco muito em conta, ou mais barato do
l que em outra qualquer parte : a tratar na
ra da Imperatriz n. 60, loja de Gama &
Silva,
Vendem-se las de cordozinho proprias j Sed*s de quadriuhos a 800 rs. so
para vestido, sendo muito boa fazenda, com PaVan.
as cores segui rites : alvadia, cor de caf, rxo Vendem-se as mais delicadas sedinhas dequa-
escuro, claro e pretas, proprias para luto ; drinhos muito miudinhos, sendo proprios para
SEJU SEftUfDO.
QUINQUILIIARIAS.
Ra do Queimado, ns. 49 e 55, lojas de
Jos Bigodinho, queirara ver ver as fazendas
que abaixo annuncio, pois todas eu garanto
que sao muito novas e baratissimas.
Pecas de trancas de algodao de toj %,
das as cores a .:.... 80
Duzias de linhas com 200 jardas, A-
lexandre, a.....; 10100
Carrilel de qualquer numero 100
Varas de aspas para balay 80
Caixas com superior obreias a 40
Ditas de colla ....... 80
1 libra de la sortida ..... 40000
1 libra de la muito superior em co-
res e qualidade......70000
Pares de botoes de punho a ... 120
Pares de sapatos de tranca .. 10280
Ditos muito superiores, a 10600
Caixas e pacotes de papel amisade de
cores a. ....... 600
Duzia de meias muito finas para se-
nhora a........3#B0
Duzia de ditas cruas para homem a 2*400
Baralhos muito finos para voltarete a 300
Carrileis de linha com 100 jardas a 30
Carles de linha branca e de cores a 20
Novellos de linha com 400 jardas a 60
Ditos muito grandes com 800 jar-
das a .......120
Caribes de linha com 200 jardas (est
se acabando a...... 60
Vara de fita prela com colxetes para
vestido, e tera um resto parda a 100
MMb
NE.H SKI-l YIIO.
- Objectos de tintura e msica.
rato preco ue 280 rs.; ditas infestadas de 1,5500 e torra-sea640c800rs. o covado, e sedas I Na ra do Queimado ns 49 e 55 est
r60rToi'rPavoSnarUada,mPeralrZ' a^rl^^^ q^ando tudo pelos precos aba.xo deca-
JO- t------.. Mw.7.fl.Tj.cn_ rados, e prestem toda *<* mm vAr
BAL"r
ulm.
i i, vestidos de senhora e roupinhas para meninos e
-lilas transparentes com palmmhas, pelo ba- meninas ^^ fazenda qe semp^e
Attenco!
Posto que domine nocora-
co do BALIZA a mais bem en-
tendida ambicio de tirar de
seu negocio as melhores van-
tagens, com tudo elle nao pro-
cura fazer fortuna vendendo
gato por lebre;
Quando nao se negocia aca-
nhadamente, est bem ao alcan-
ce de todos a facilidade de fa-
rer-se boas compras, para ven-
der-se barato.
Lelam todos.
Ao armazem do BALIZA po-
dem ser devolvidos quaesquer
gneros qne por ventura nao
sejam do contento dos senho-
res compradores. Nao fica
resentimento al*um em se tro-
car por outre, ou restituir-se
o dinheiro recebido,
Manter a todo o custo o seu
crdito, e agradar aos seus a-
migos e freguezes, todo o
desejo do proprietario doste
estabelecimento,
\
LEDE! LEDEl LEDE!
Compre a frente do progresso,
Constante marcha o BALIZA,
Tem por norte o bem commum,
A verdade por divisa.
GRANDE PECHIWCHA
a
aoo rs. na loja do Pavao.
Cassas a 210 rs.organdj a 240 rs.
Vendem-se muito bonitas cassas francezas
a 240 rs. o covado ; organdy matisado, pa-
droes muito bonitos a 240 rs. o covado;
ditos, fazenda finissima que sempre se ven-
deua 10000 a vara, liquida-se a 600
Imperalriz n. 60, loja de Gama & Silva.
lucos vestidos de Soulhamuac, vende
0 Pavo.
Vendem-se os mais modernos vestidos a Sou-
thambac, com barras de seda pelo diminuto preco
de 105000 cada um : s na loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Grande pechincha de las a
3'O rs.
a attenco para ver
o que bom e barato.
Duzia de facas e garfos muito finos a 20500
Dita dita dita de cabo preto muito
finas a.........30200
Dita dita dita de balanco, melhor.a 50500
Tesouras para costura, muito fi-
nas a .........
Ditas ditas para unhas, muito finas a
a vara, liquida-se a 00U rs. a
dida,ou 360 rs. o covado, por haver grande
porcio : na ra da Imperalriz, n. 60, loja pado urna grande porcaodesta fazenda loja 0
do Pavao, de Gama & Silva,
Aova pechincha de cortes de
eambraia na loja do Pavo. &~Silva!
Vendern-se corles de eambraia brancos
com babadoia 20500; ditosa 30000; dilos
a 40000 ; ditos chinezasa 4000" ; pecas de
eambraia transparentes, adamascadas, pro-
prias para vestidos, tendo 8 varas e meia a
30000; ditas lisasbrancas e decores a 20500,
35000, 30500, 40OJO e 50000 s pecas de
eambraia de carocinhos tendo 8 varas e meia
cada urna, sendo brancas e de cores, a 30500;
ditos a 20500 ; pecas de eambraia para cor-
tinados, sendo tapadas e transparentes com
20 varas cada peca a 90000, isto tudo para
apurar dinheiro: na loja do Pavo, ra da
Imperalriz, n. 0, de Gama A Silva.
O Pavo vende chales
400
400
80
40
Vendem-se as mais modernas lazinhas matisa- Carlas de a|fnetes de ferro a
das para vestidos de senhoras e meninas pelo ba- r-.. j ,i i.. c
ratissimo preco de 320 rs. o covado, por ter che- "ltas ditos de latSo multo finos a
pado urna grande porfodesta fazenda loja do| Ditas de dito grandes.....120
Pavao, assim como se vende outras mais finas com Caixas de phophoros de pao ... 10
desenhos miudinhos a 360 rs. o covado : s na Grosa de dlos do gaz a 20200
loja do pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama Duzja ^ dto dto
<. i 5 \ \ 1 m :
A GRANDE CURA
* PARA TODAS AS MOLESTIAS 1)0
mu 1 FUI E JS ESTMIffi
Massos de palitos para dentes a .
1 Aboloaduras para coleles a .
Escovas para roupa,muito finas a 400,
500 e.........
200
160
160
800
Hilas
A 20000, 20500, 30000, 50000, 60000.
70000, 8,000 e 100000.
Vendem-se chales de merino estampados,
clarse escuras a 20, 20500 e 30000; ditos
muitoSinos de todos os pregse qualidades,
tan lo de ponta redonda como quadrados;
assim como (inissimos chales de crepon com
cores inteiraraente novas e ricamente bor-
dados a matiz, sendo chegados pelo ultimo
vapor a 100000 ; ditos de pello, bordados,
a 20 s na loja do Pavao, ra da Impera-
triz, n. 60.
As caseniiras do Pavo lufcsta-
das a IgttOO.
Vendem-se casemiras francezas enfesta-
das, proprias para calcas, coleles, palitos,
e capa para wnhoras, por ter de urna s
cor, sendo fazenda que sempre se venden
a 30000. liquida-se a 10600 o covado:. s
na loja do Pavao.
Grande pchincha cm chapeos
de sol na loja do Pavo.
Vcndem-se chapos de sol, a ingleza, sen-
do caberlos de linho e forrado de verde, pro-
pnos para senhoras que forem passar a fes-
la, ou para meninas levarem para a escola, i
pelo barato preco de 1060 ; dilos marque- !raa da Cruz, e Joo da C. Bravo (t C, ra
xilinas, de seda com franjas e cabo de do- B y|adre de Dos,
brara 30000 ; ditos de seda para homens, [
sendo com armaco de balea 1 60 e 70, isto \
AS
Punas Vegetas Ai
De Eemp
Compostas dos dois novos rc-sinoides chama-
dos Podopilina c Lbptandrina, c inteira-
mente vres do Mercurio ou outros venenos
minonm 011 metalIooB, to de grande utili-
daiic ium paisea clidos cm cazos de
DISPEPSIA, ENCHAQECA,
Constipaciio ou Prizao do Ventre,
PADECIMENTOS DO nGADO,
AffcecCes Biliosas,
HEMOREHOIDAS, CLICA,
Ictericia,
FEBRE GASTEO-HEPATICA,
E outras enferraidad anloga;.
Ellt Vilo rpidamente substituindo os anegos
purgantes drsticos.
NEH El-\ML
PECHINCHA.
Perfumara de superior qualidade.
O rival sem segundo, ra do Queimado,
ns. 49 e 55, est disposto a vender mais ba-
rato que nunca vendeu, para o que queiram
ver:
Duzia de sabonetes finos a 720
Sabonete inglez, o melhor, a 16o
Frascos com agua de Colonia muito
fina a......., 400
Ditos de dita grande a 500
Ditos de Lavande ambreado, ome-
1 llior, a....... 500
Ditos de macaca oleo muito boma 100
Dilos perola muito superior a 200
Ditos de oleo de babosa a 240, 320.
400 e.........500
Ditos de banha branca a 320
Dito de cheiro muito bonitos a 50c
Dilos de banha, pequeo, muito fina
..........200
Ditos de opiata a 2<>o rs., e boa a 900
Dilos de banha japoneza a 800
Dilos de banha transparente a 720
Ditos de oleo filoconne a 800
para apurar dinheiro : s na loja do Pavo,
rua da Imperatriz, n. 60.
Cax.emlras da Escocia a S0OOO
o corte.
Vendem-se cortes de caxemira da Esco-
! RIVAL
SEM SEGUNDO.
I t Objeetos diversos.
Rua do Queimado. fis 49 e 55, vende os
'. objectos abaixo declarados, pois para aca-
bar; estes precos nao so para continuar,
mas as nesessidades assim o permitte.
A venda as boticas de Caors & Barboza, i ^Jf?* Iu.vas de alSodSo fin.as fa f '
a da Cms. e Joan a fi. Rravn c. m Caivetes de aparar penas, de I fo-
Iha a ........
Ditos de2 ditasa......
Caixas de colxetes francezes a. .
Duzia de dilo francez a .
Massos com grampos lisos e de cara-
col a .........
I Duzia de dedaes de metal em caixi-
nha de vidro.......320
Tinteiro de vidro com tinta superior
a...........
Ditos de barro que serve para tin-
teiro a
DE
LLLlOi
Largo do Uto*aincnto ns. 38 e 38 A
Defroule da grade da reja
AO RESPEITAVEL PUBLICO
Senkores e senhoras
0 ncansavei proprietario do grande armazem do Baliza toma a liberdade de mandar
-declarar do alto 4a imprensa pernambueana, que elile perfeitamente liberal em offerecer aos seus
benvolos freguezes as melhores qualidades des mais bem escolhidos gneros, nao s do paiz como do
estrangeiro a precos de contentar e satisfazer a iodos
Fazendo tao publico e espontaneo manifest, o referido BALIZA julga de seu rigoroso dever
declarar mui seria e pusitivamente nesta oporlunidade, que tambem o mais firme e dedicado conser-
vador de sua numerosa freguezia.
Da boa qualidade e barateza dos generes offerecidos aos seus freguezes, junta ao pequeo ga-
nho que tira.para si, tem sabido fazer o BALIZA a mais perfeita liga de interesses recprocos, que a to-
das as consciencias deve por forca e necessariamente agradar.
Tendo por conveniente tambem a publicav-rio do seguinte aviso, o BALIZA faz saber nicamente
aquellas pessoas que sempre eslao promptas a cemprarem tudo, com tanto que se lhes permita paga-
xem logo, que elle
NAO VENDE FIADO.
Os amiges da economa, aquelles que s compram os objectos de que carecem, e que goslam fi- C
^anente de empregar bem o seu dinheiro venham a este estabelecimento. ^3*^
vSLm
JLEIAJfl TOllO^o
Cal de Lisboa
no armazem 4c Guimaraes k AI coto ra-
llo na rua do Amorim n. 54, no Retire,
vende-se barril com cal nova em pedra
cnegados hoje de Lisboa n patacho
^Wt^wMWMwMWMWM
45-B.XTA DIEEITA--45
Ea, rapasiada, ooragem! parece queja
AGENCIA
DA
FUNDICAO DE L0W-M00R.
Rua da Senzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
' um completo sortimento de moendas e meias
cia, para calcas, pelo baralo preco de 20, moendas para engenho, machinas de vapor
tendo da mesma fazenda para vender em e tachas de ferro batido e coado, de todos os
covados a 580 rs., sendo esta fazenda mui- tamanhos para ditos._____________________
to encorpada a_imitaco de caxemira, e ga- Arados americanos e machinas para I Grosas de botoes de louCa prateado a
rante-se que nao desbota. Tambem se ven- ]Mm roupa: em casa de S. P. Johnston & C, j Pecas de tranca lisa encarnada a ,
dem cortes tie^mira mgleza, de cores ^ da Senzalla Nova n. 42. Varas de bicos e rendas
escuras para calca pelo barato preco de
i800 cada corte, ou a 500 rs. o covado :
s na loja do
80
80
160
40
360
40
160
O GALLO CANTA.
Nao i; possivel que o gallo, vendo entrar cm m
nmlio objectos de elegante gosto, deixc de dar o
seu canto, annunciando aos seus freguezes, pan
que mandem ou venham ver para querer, a saber:
Hai'ia da tOCia, ama n>a que" existe ta!^J^^^^i!^L aTS-nTIS! Chearam os nquissimos enfetes e prinaldas d
na mritaa entregastes os vossos joaneies aos aurns sci- flores, eoosa muito delicada e de muito gosto, rais
no rot-i tdU. xos do pessimo calcamento da nossa Cldade so as senhoras poderao apreciar : s no vigilare
-------------------------------------------------- S se observa em vossos ps botinas acalca- jrua d Crespo u. 7.
nhadas e gastas ate ultima sola; sapates t\wes
rasgados e quas sem saltos.... nem tanto I m,Tf,mHe,n/1liepjiram.os del<10* '-^os de Oort
a niiPhi-ilPira n'x, deiP rlwvar atP psIp non- ma,,zad(ls.de lindas cores que servem para lral-
a queoiaaeira nao aeve cnegar aie esie pon- quer enfeile so no Vip|ante rua do Crt.si)0 i
to } Vinde rua Direita mtmir-vos de excel-
lente calcado com 4.0 e at 60 por cento
2=r&cjcOO-s rr'-< as O O os S"
1 ) 3 T ; c. a a
~ Q 2
2"= SS 3 uc-3 5 &S3 S
,<

C s 3
a s as


u
C v
~
para aca-
n. 60.
Sladapolo
A 240 rs o cavada. 'I bar .......
Pavo na npratriy firande sortimento de eambraia de cor fixaj a. Var3S d labyrintO de 3 dedos de
rano, rua ua i aperara, m rs 0 ?OVJ?do na do Quemado n 43; es .jlargura a........
Infestado
S o Pavo.
a 40OOO
quina qu> 'olta para a Congregacao.
Ditas de pos para dentesa .
Penles de tartaruga a 3000 e
ra inlia de S. Mailiciis
. i Vende-se a bordo do patacho Industria, defron- Resmas de papel de cores a
m JS u. ,!, SL 7, S te do traP'che B31-50 d0 Livrtmento, a bem conhe-
do com 12 jardas a 4(?000, ditas a 40500 Cida e nova farinha de S. Matlieus, a melhor que
ditas com 24 jardas a 7050" e 80000 : S dalli temos no mercado._____________________
na loja do Pavo, na rua da Imperatriz. j \os eoeheiros.
n. 60. Vendem-se encerados pretos e de cores para
__ ., forrar carros : no armazem de Tasso Irraos.
Ricos restldos braneos.
100
160
20
60
00
100
30300
20000
<" q, as
O. OT
:iisiiilg|i^s-r5
2^ 3 S
3 o
Di
O
T3

S s 2.
o <*
s
as
FARINHA
Vendem-se os mais ricos vestidos de eam-
braia brancos, bordados a croch, sendo OS Vende-se accas grandes com a melhor farinha,
mais modernos que lem vindo ao mercado. ^^^.T^'F^^TZ
tendo as saias 4 pannos, e vendem-se pelos rua do Amorim n. 43, ou na rua da Madre de
baratos precos de 100, 120 e 16 : s na Dos n. 5.
loja do Pavao, rua da Imperalriz, n. 60, de
Gama & Silva,
ADMIREN! AS PECHINCHAS.
na loja do Pavao.
Kna da Senzalla n 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston C,
sellins e silhes inglezes, candieros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
Ricos cortes de eambraia brancos com ba- chjcotes ^ e montarja( arreios par
bados e duas saias bordadas crox, tendo
bastante fazenda para vestido, pelo baratis-
simo preco de 30 cada tim; ditos de eam-
braia de seda com barras e babados, a
20500, para acabar; cortes de vestidos a
Maria Pia, sendo fazenda de bonito gosto, a
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Chapeos de palha ricamente
enfciUfJ'is
Chegou pelo ultimo paquete loja da rna do
30500; cortes de eambraia hrancos com ba- Queimado n. II um grande sortimento de chapeos
badinhos, a 20 enfeites nara rahpca spndo dc Palha de Ital,a I* senhoras e meninas, o mais
p!n,h,ia l L inrn, Rf a^ ^' a. moderno que-tem vmdo a esta praca, e vende-se
a Ganbaldi e a turca, a 40; ditos com fitas por precos muito lanos.___________________
e flores, a 20; camizinhas bordadas para Vendo-se naCapunga, rua da Jacobina, junto
senhoras, a 10; manguitos de vanos model- ao sitio do finado padre Capltrano, urna casa ter-
1os, a 400, 500 e 640 rs; calcinhas para de pedra e cal com 3 quartos e cozinha fra,
meninas, a 500 e 640 rs: gollinhas bor- frente murada com nprtaoe um pequeo sio cer-
dadas a 120 e a .OO rs sAdaa dp mw cado de P6* de loeiro> pertencente a mesma
fjaaas, a zu e a auu rs., seoas oequa- ca^ por pn;cocwunodo ;tnuras CincoPon-
(Jrinhos, a 640 rs.; iM do listas, a 400 rs. mA
Delicado mimo.
Domingos da Silva Campos com taberna na rua
do Imperador, defronte da rclaeao, avisa aos seus
freguezes e amigos que recebeu urna pequea por-
cao de caixinhas com ameixa rainha Claudia,
ricamente enfeitadas pelas freirs de Elvas, pro-
priamente para um delicado mimo, e seus precos
muito ra7.oavcis conforme o tamanho._______
Familia de mandioca
em saceos grandes, e de superior qualida-
de'; no armazem de Tasso Irmaos, rua do
Amorim, n. 35.
Vidrus de cores.
Vendem-se caixas com vidros de cores e a re-
tallio : na rua da Imperatrit n. 65.
Oleo de ricino.
Vende-se oleo de ricino em latas a 400 rs. a li-
bra, na rua da Cadeia Velha n. I.
Farinha de mandioca
Vende-se farinha da mandioca da melhor e mais
nova que ha neste mercado, no escriptorio de Ma-
noel Ignacio de Oliveira & Filho largo do Corpo
Santo n. 19, ou abordo do palhabote Viamao, an-
corado no caes do barao do Livramento, junto ao
patacho Regulo.
i

i'
3
o
o.
&
i
..
" SPfi a
-i 2
&, 1 O
o o
lili
os as m Q
' i'
g-as-
__ N
T3 o
as "i
n
?
as
"I
H
e
t

ss
e
menos do seu valor___altendei;
Borzeguins, Nantes, bez^rro e va-
queta 2 e meia solas.... 80500
Borzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta e lustre 2 solas. 80000
Borzeguins, francez e hamburguez,
bezerro, lustre e couro de por-
co 70 e........60000
Sapates, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas.....50500
Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas......50000
Sapates, Nantes, sola e vira. 40000
Ditos para menina, com laco. 30500
Ditos de ditas, de cores. 20800
Sapatos para senhora e homem,
tapete......... 800
Sapatos de borracha para senhora. 10400
dem idem para meninas. 10000'
Sapatos de lustre para senhora. 10000
dem de lustre as avessas 500
Oaz a AOO rs. a garrafa.
Na roa do Vigario deposito n. 6.
Venu'S-se um balco de louro proprio
para taberna ou" outro qualquer estabeleci-
mento, tem tambem urna grade de ferro e
ferro para balanca, jl* PTflce commodo :
na praca da Boa-Vista n. 0.
Vende-se na praca da Independencia ns. 37 e
39, capellas de aljfar para se botar no cemiterio
publico no da de finados com as inscripcoes se-
guimos :
Minha mai.
Meu pai.
Meu esposo.
Minha esposa.
Meu filho.
Minha filha.
Urna lagrima.
Saudades, sempre vivas do apurado gosto desta
anda nao vieram igual a este mercado.
Pata dia de filiados
Lindas capellas de contas com ictreiros, apropria-
das para tmulos, sao ellas as nicas que tem nes-
ta praca : vendem-se na loja de madama vova Le-
comte, rua da Imperatriz n. 7.
Attencat do respeitavel publico
Para grande pe- hincha
Custodio, Carvalhodt ., rna do
Queimado n. 99.
Offerecem ao respeitavel publico a mais fina de
-todas as cambraias tanto em desenhos como em
tintas sao as verdadeiras organdys da India che-
gados a esta capital pelo ultimo vapor inglez. A
grande quantidade qne recebemos faz com que a
vendemos pelo baratissimo preco de 300 rs. cada
nm covado, venham ver para desenganarem-se se
grande pechincha s na rua do Queimado n. 27.
Cintos
Tambem chegaram os novos e delicados cintos
com fivella, guarnecida de pedrinhas e duas torlo-
tiuhas no centro, cousa de muito gosto : s no vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Baudeijas
Riquissimas bandeijas de charao o outras quali-
dades de lindos desenhos, que se vende! por pre-
cos baralissimos para acabar : s no vigilante,
rua do Crespo, n. 7.
Pomada real
Tambem chegaram os bonitos copos de porcel-
lana lina com hanha e com lindos retralos, sendo
privilegiada pela rainha de Hespanha : s no \>m
lante, rua do Cresi n. 7.
Sabonetes de familia
(cande sortimento de sabonetes para torfos os
precos, de superiores qualidades. a ICO, SOff, 240,
280, 320, 400 e 500 rs.; assim como estojes cem
todos os preparos para limpar dentes pelo Larato
preco ao 3000 : s no vigilaule, na do Cresp >
Deliradas tesonrinlias
Grande sorlimento de tesourinhas, tanto para
unhas, como para costura; assim como muitos
outros objeetos de gosto, que nao possivel annun<
ciar pela grande variedade de softimentos, cojos
precos serao menos do que em oulra qualquer
parte : s no vigilante, rna do Crespo n. 7.
Cyllndro para padaria.
Vndese um cylindro para padaria em multo
bom uso e por commodo preco : na rua Direfa
n.8i.
i
Vinho de luHm'ps e Cariacho.
Vende-se em ancoretas pequeas o especial vi-
nbo de Collares e de Cariacho : a tratar no arma-
zem da rua do Vigario n. 7.
\inli do Podo e part' ufar.
No largo do Corpo Santo n. 6, segando andar,
se vende o especial e particular vinho do Porto en-
garrafado, caixas de I e 2 duzias: a tratar no ar-
mazem da rna do Vigario n. 7.
ca m usiiih
vendem-se barra com cal des-
ta procedencia, em pedra, chega-
da hoje, iinica nova, que ha no
mercado, na rua do Tra
13, armazem de Manoel
ra Basto.
fSfc"-
venda de urna taberna
Viuva Couto & C. de intelligenria com sea ^-e-
dores.e curador nomeado ao ausente Victorino. %s
Saldanha, e com despacho do l)r. juiz de direiito nV
commercio, vende o estabelecimento de JUmerna
sito na rua larga do Rosario n. 33 a tintar com
o credor Lniz Jos da Costa Amorim & C, Ba rna
da Madre de Dos.
VINHOS
R. B. Lasserre & C, rua da Cruz n. 5,
vendem por precos commodos :
Porto, Bordeaux e Collares em ancore-
tas ;
Figueira fino em barris;
Mdoc e S. Julien fino )
Santernes ) em caixas:
Cognac fino e inferior )
por toda a semana que entra.
Vaquetas e conros de bode.
E' chegado casa do selleiro da rua lar-
ga do Rosario n. 28 as mui afamadas va-
quetas francezas para cobrir carros, assim
como um sorlimento de couros de bode
com cabello comprido mui proprio paro
mantas ; a elles antes qne so acaberu.
MUT
->..
m
i


Hiarfi de Pernanibnco Terca Mflt 91 e Onfiihro de iSUl.
_---------.
Graxa econmica. Bolsas para vlagens.
. ,ra,, Vendera-se na rua do Queimado, loja d'Aguia
A aguia branca acaba de receber essa acredita- Branca n. 8.
da gma ccoaoniica, cuja snperioridade esta ge- vI#m ..<,<,
ramente recontaecida ; essa boa graia se torna i uAnrPni*
recommenda.la, tanto porque o calcado lustrado A ahia ha.
comTfhdoixa perfeitamente lustrolTao menos A/guia Branca recebcu as desejadas voltas
a-es das sem nocessidade de novo unto, .orno I"**8mui >mpridas e gradas.
mesmo porque sua prepara?* appropriada para-------------------------* _._7
M)V\ eximsimo F F\ZE^DAS.
unas e barrizinhos, e acha-se a venda na rua do
Queimado n. 8, loja d'agaia branca, aos rezumados
precos de 400, 500 e 640 rs.
Pentes de concha.
Com as novas e diversas guarnices de
peo tes que a Aguia Branca acaba de rece-
ROVPA FEITA
NO
arhaxeh
DE
Baratissimas que se vendem para apurar dl-
nheiro, na loja e armazem da Arara, rua
da Imperatril n. 56, loja de Lourenco
Pereira Mendes Guimares.
Neste grande estabelecimento acha-se um
li ^Wfc
i
hm, veio tambera urna pequea qualidade grande sortimento de fazendas, tanto para o
de penles de concha que com graga e acer- matto como para praca, advertindo aos
(lamente serven para o moderno atado dos seus freguezes que as fazendas tem subido,
ca!)ellos Elles sao de bonitos e agradaveis porm no seu estabelecimento cada vez ven-
moldes, e de tamanho pequenino como con- de mais baratissimo, na loja cima da Arara,
vem para o tira que sao. B' esta a primei- rua da Imperatriz n. 56.
LETREIRO VJEROE.
ra vez que d'elles aqui chegam. por isso
que a moda novissima. peto que ganha-
ro a palma aquellas senhoras que primei-
ro se apresentarem com elles, para o que
Principia Arara, cusas organdis a 200 ra.
Vende-se cassas organdis de quadros, cor
de caf para vestidos a 200 rs. o covado, cas*
sas francezas finas 240, 280 e 320 o cova-
Neste estabelecimento ha sempre nm sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
os mandaran comprar na lo,a d'Aguia Bran- do,apopelina de quadrinhos para vestidos de
ca. rua do Queimado, n. 8-
C! apella *. flores e I uva* enf cita-
das para nolvas.
Pete ultimo paquete a Aguia-branca rece-
ben os arligos cima sempre necessarios s
neiras, os quaes,
e perfeita-
senhora a 320 o covado: rua da Imperatriz
n. 56, Arara.
Sellabas da Arara a >C0 ra.
Vende-se sedinhas de quadrinhos e de lis-
tinhas miudas para vestidos de senhora e
meninas a 560 o covado. laazinhas de qua-
segundosuasrecoramen-idl.ohos a m o covado, ditas muito finas
dacoes, riera* de muito gosto, e perreiia- transparentes, fazenda chegada neste ultimo
mente delicados^ j vapor a 400( 50o e seo rs. o covado, desta
As cape las sao de mu moderno e agr- qua,idade s tera Arara : rua da Imperatriz
davel molde, de finas llores, e acabadas com n 56 de Mendes Guimares.
todo o esmero : as flores solas sao extre-,
mmente delicadas e proprias para enfeites 0,r* ***raeBa M *r*r 240 re.
de vestidos e mesmo ornatos de cabeca, sen-1 Vende-se chitas francezas cores fixas com
do delgadas vergonteasde jasmin, cachos de pemieno toque de mofo, porm ananca-se que
resedas, c ouiras estimadas flores. h? qe se lave flea hmpa, padroes escoras
As luvas. porm, apreciada obra de Jou- dar,os a 242 *?" .^vado' *taslim-
vin, parece que foram enfeitadas pelas mes- Pas> atas, a 320, 360 e 400rs. o covado;
mis fabricantes das mimosas Dores, pois que Jja loJa Ja a da Imperatriz da Arara n. 56",
em gosto e perfeicao nada deixam a desejar. de Mendes Guimares.
Sao essas, pois, as capellas, flores e luvas Arara rende as camisas para senhoras.
que correspondem riqueza do vestido, for- [ Vende-se camisas para senhoras com goli-
najn o completo asseio c perfeico, e ele- nhas e punhos, com botozinho e gravata,
vain a galhardia da candida noiva. Resta fazenda vinda por este ultimo vapor a 40500
gemente que os pretendentes munidos de cada urna, golinhascom botozinho e punho
dinlieiro dirijam-se alegre e espagosa lo- muito finas a 10000, gravatinha ou golinha
ja d'Aguia-branca, rua do Queimado n. 8 com botozinho para senhora a 320 rs.,
s na Arara vende-se capinhas bordadas
para menino a 10000 cada urna, entre-meios
e tiras bordadas para enf itar vestidos a
15000 e 14280 a peca; na loja da Arara,
Bialcndarlos semanaes: pelo
prr-w todos comprar.
Sao de summa utilidade esses kalendarios
semanaes, porque mostram acertadamente
a d i! i e das da semana, sem o continuo tra-1rua a S^a z 5
bIIio de h>lir nefles diariamente, pelo que
se loroam
0 oul,os; '- 15000 rs., meias erijas para senhora a 320,
lencos de retroz para meninas a 320 rs. s
na Arara, rua da Imperatriz n. 56, de Men-
des Guimares.
Casacas de panno preto, 350 q
Sobrecasacas idem, 300 e .
Paletos idem e de cores, 250,
200, 150 e......400000
Ditos de casemira, 200, 150,
tSMWe......
Ditos de alpaca, 50 e. .
Ditos ditos pretos, 90, 70,
We........
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30560 e. .
Ditos branco de linho, 60,50 e
Ditos de merino preto de cor-
300000' Colletes de fustao e brim bran-
250000 co, 30500, 30 e .
Seroulas de brim de linho,
20400 e ......
Ditas de algodSo, 10600 e. .
Camisas de peitos de linho,
50, k, 3e.....20500
Das de madapoln, 30,
.20500, 20e.....
Coapos de massa, pretos fran-
qezes, 100, 90 e.
7/
30500!
30500
20500
20000
10400
10600
30000
40000 Ditos defltro, 50, 40,30500 e
\ Ditos de sol, de seda, f20,
80500
20000
ao, 100, 70 e.....50000 1*0, 70 e
40000
40000
20500
Redinhas da Arara para senhoras.
Vende-se redinhas para segurar cabello
TS?. Sltet:\W*- enf':ites Paracabe^ *"*
mi mesmo para qualqtier oulra parte, e
principalmente por 500 rs. cada um: na
rua do Queimado, loja d'Aguia-branca, n. 8.
Meias criias Inglezas.
Anda mais urna prchincha na Arara a 2;>000 rs.
A loja ,| Agoia-oraw. na rua do Queima- Vende.so C)-,rtcs dc chitasinglezasa20000.
do n. 8, esta hem prvida de mu boas ditas francci,as com um peqUeno toque de
meias croas ingfezas, tanto para homens, mf0( porm aiango que logo que lave fica
como para meninos, as quaes est vendendo |imi)a, ven.le-se a 205UO, cortos de riscados
baratamente em proporcao da siiperiorida-'guissos com 14 covado. a -m^ eftes ^
de d-llas; ass.m pois, os pretendentes d.-cassa debabados e de barras a 20000, para
rijaro-sa com dmheiro e sem susto dita lo-facaljart ditos de barras de seda a 30000 rs.,
ja, que serSobem servidos. Tambem ha um (los francos
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80 e......
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50500 e. .
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 50, 40500 e
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores,
30500, 30 e.....20500
Colletes de velludo preto e de
cores, 90 e......70000
Ditos de casemira preta, 5# e 40000
Ditos de ditas de cores 50
40 e........30500
Ditos de setim preto.
Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......50000
Ditos de gorgur5o de seda
pretos e de cores, 60, 50 e 40000
| Collarinhos de linho- fino, ulti-
70000! mamoda....... 640
70000 Sortimento completo de grava-
tas. 0
Toalhas- para rosto, duzia, 110,
We., ...... 60000
Atoalhado adamascado de li-
nho vara ...... 10280
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores. .... 40000
Lences de linho.....30000
Cobertas de chita chineza.. 20000
Pennasd'aco, as mais superio-
res, a grosa...... 600
Relogios de ouro orizontaes,
9O0,8O0e......700000
50000 Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes, 400 e 300000
Obras de ouro, adercos, meios
aderegos, pulceras, rozetas,
aneis e cruzes. 0
bordados de groxe enfeitados
com entre-meios a 40000: rua da Impera-
triz, loja da Arara-n. 56 de Mendes Gui-
mares.
Arara vende ronpa feita.
Vende-se calcas de meia casimira e de
do phosphoros de cera : na rua do Queima- brim a 25000 rs, palitos de brins de cores
do, loja (I Aguia-branca n 8.
bom sortimento de dilas brancas para se-
nhoras e meninas, e so vendidas na mesma
coiiform'ulade. -
Phosphoros de cera.
Vendem-se n 2V> rs. a duzia de caixinhas
e agua da
a 20500, ditosbranros a 3;5i>00, ditos de ca-
simira a 40000 e 60000, camisas francezas
a 10600, 20 e 20500, ditas de linho de pre-
ga larga a 35000, seroulas de bramante de
algodSo a 10600, dilas de linho a 20, gr-
valas a 400 c 500 rs., pares de meias a 120
e em duzia a 10400, 20500 e 30 : rua da
Imperatriz, loja da Arara n. 56.
Corles de laa a 30600, 10 c 50 rs.
Vende-se ricos cortes de la de quadri-
tana para a loja Aguia-branca, rua do nhns a 3.5000) ^ e w cada crle> s na
! Arara; rua da Imperatriz, loja da Arara
lugEczas: Opiata
Colonia.
A Aguia-branca da rua do Queimado n. 8
acaba tic receber a apreciada opiata ingleza,
assim como mu boa agua da Colonia tam-
bem ingleza.
Garrafas com agua da Colonia.
Ciieg irara novas garrafas com agua da Co-
Rovos cintas clsticas pura senhoras n- 8*.
casada
*.
Arara vende ricas cohas aveludadas a 80000 rs.
Vende-se ricas colxas aveludadas para ca-
A reeonhecHla uiiliJafie dessas necessanas cin- m!1 .e ,1,...,. (lp f.wlsn 9 y (ita Hp da
tas elsticas i : -;ltas de tustao a 00, cillas de da-
s que vii-ram da primeira vez, deixando assim masco a 40, roberas de chita a 2;>000 ; rua
descontentes mu las senhoras que se n5o poderam ida Imperatriz, loja da Arara n. 56.
provw dolas, vista do que a aguia branca man- Lencos de seda da Arara a 800 rs.
S^i^ST ^^i!l^!!Z%1SbSSll!f!lK Vende-se lencos de seda tino, um s a
ai 1 la mate nerieitas que as pnmciras, isso por se-1 or.,, Kanf, ... e ,iUnr,
tem m mores agora, pois, nodem as senhoras ca- 80() e iWOO..(lltas com fl>:mxa a *d00,
sadas prevenirem-se, mandando-as comprar na chales de merino estampados a 30000, ditos
tj. d'affuia branca, rua do Queimado n. 8. Se a finos a 50, 60500 e 80", s na Arara; rua da
atraa branca precisasse de scmc'.hante obra de
i !I vez nao (Icaria sem ella.
EfiCoBiaenfas d'agnia branca recebi-
a< pelo ultimo vapor.
Bien pantos de tariaruga com chapa dc madre-
perola.
; mitos loques da madreperola.
DiIcadas cautej il- dito.
LiAos edapoosinhoa i<-setim para baptisados.
!i' 1 biaiii'os o pretos.
'; taitas caixinhas r osJura,
rrancelins de la para enfeiMa.
filas '!' soda Hslreitas pare ilitos.
Hitas de velludo com listras para barras de ves
tMos.
Aspas de balea para vestidos.
Ditas de ac para spartilbos.
Uandcsde dina. '
l'ulsciras de cuntas para meniuas.
Pus para abrir luvas e port-charutos.
Bsseaeia de ail para engommados.
Pos hy^ienicos de Lubin para dentes.
I-cite virginal para tirar sardas.
t):ti> irires para extinguir as caspas.
Vinagra aromtico para vertigens, dores de ca-
beca, etc.
Coiiinetique surfine para cabellos.
Pomada para higode.
Kcnda de fil, lisa.
Slaravlllia das bellas, uovos e
delirados enfeites para ves-
tidos.
aprasivel a aguia branca o ter de avisar a
boa freguezia, que acaba de receber pelo pa-
fraucwz um bello sortimento de enfeites de Das experiencias lenas ua ludia, e em
MdUnafininadn maravilla das bellas, os quaes, Franca, resulta que as affectoes da pelle, e
>.'iva\ Unto |ara vestido de senhora como parai, n rmpidMaV crianras. Seus novissimos c deca- "- aS q,e Ie*ullam a,nm vicv ^ganieo
rtid* Ka, iiiiscMoibidai, cbc.m acertadasco- sao promptamente curadas por este novo
re r.izal||b't" to agradavelaosolhos de qualt|uer, medicamento. Segundo um relalorio feito
viente, qne sai lia apreciar o bom. Assim, pois, a' na academia imperial de medicina de Paria,
<* i(ae>tr,n haver dinheiro, bavendo-o, dan- f e|te fo julgado miL e ^.fl. wo rnente
Imperatriz n.
Balees de arcos americanos a 30000.
Vende-se balites de arcos americanos a 30
30500, 40 e 40500, baloes de panno a 30500,
ditos brilhantina a 40, s na Arara vnde-
se pecas de madapolo enfestado fino a 40,
ditas dc 14 jardas lino a 50500, 70e80,
algodao CQCOrpado a 40, 40500 e 50000 rs.,
s na Arara: rua da Imperatriz, loja e ar-
mazetn da Arara n. 50, de Lourenco Perei-
ra Mendes Guimanu's.
Casimiras da Arara.
Vcnde-se cortes de casimiras escuras a
10600 e 20000, tambem se vende em covado*
t covado e tres quartas d urna calca a 10
o covado; na loja da Arara.
Arara vende as eambraias de carocinhos a 20500
Vende-se pecas de eambraias de caroci-
nhos de cores brancas a 20500 a peca, cam-
braia liza fina a 30 e 30500, ditas para cor-
tinados de 20 varas a 80, ditas dc 10 varas
a 40, e 30, cortes de cassa com palmas sol-
tas, com 1 vara de largura a 20, na Arara ;
rua da Imperatriz n. 56.
GRANULOS e XAROPE
D'HYDROCOTYLE asitica
de J. LEPINE
FITUTDI^AO DO BOVI U1X-KI % IH
BRUH \. 38.
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortimento de
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taas de ferro batido e coado.
Roccas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinbos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.


ESTABELECIMENTO COMMERCIAL i
DE
G\MER\Rh E FIiMIICaO DE METAES,
Sito na na do Brnm u. 40 junto
a fundioo do %v. HowBiam, perteneente a
Tillara Irmo & C.
Neste estabelecimento encontraro os freguezes um completo sortimento
de tudo que diz respeito as artes de caldereiro, funileiro, latoeiro, ferr o e
fundifo, e os abaixo asssignados que o dirigem, promettem servir a todas as
pessas que se dignarera de os procurar, com promptido, sinceridade e pre-
cos muito rasoaveis. O dito estabelecimento estando montado em ponto
grande, tanto no que diz respeito a pessoal, como em materia prima, e tendo
habis oficiaes, pode executar com toda a perfeicao e seguranca qualquer
obra tendente as artes cima mencionadas e affoitamente pdem os abaixo as-
signados assegurar ao publico que nenhum outro estabelecimento lhe pode
fornecer mais barato e mais perfeito do que elles, visto querecebemde sua
propria encommenda todas as materias empregadas em ditas obras.
Alambiques simples e continuos de to- Sinos de 16 libras 8 arrobas.
dos os tamanhos e dimencoes. I Parafuzos de bronze e ferro para ro-
Machinas de cobre para destilar e res- das d'agua.
tilar espirito at 40 graos pelos sys- .Torneiras de bronze e bronzes para
temas de Logier e Derosne. engenho.
Carapucas e serpenfinas de cobre, e Encanamentos de cobre e chumbo de
estanho, avnlsas. todas as gwssuras.
Taixas e tachos de cobre para engenho Rombas para cacimbas, aspirantes e
e refinaco. de repucho.
Paroes de cobre e todos os cobres ne- Rombas para destilaces.
cessarios para o fabrico do assucar. Ditas para regar jardins, hortas e
Cobres para rodas de moer mandioca. capim.
Machinas econmicas para lavar roupa Ditas para navios e barcacas dc varias
o melhor possivel. I qualidades e dimencoes.
Cobre em lencol e arrodellas, estanho em barrinha, chumbo em barra,
lencol e canos de todas as grossuras.
Vitlaea Irmo A C.
ERVADO
DE
bom.
t em haver dinheiro, bavendo-o, uiri-,
iln-se sdm susto ao espacoso o alegre ninho do i
Sml branca, roa do Queknad n. 8, que achirlo, offecres leprosas e em algunas outrat
,3 verdades cima dilas. molestias aa pelle rebeldes, mas tambem
as escrfulas e a sijphilis. E enlim, al-
guna praticos distinelos, e especialmente os
Srs. Devcrgie, Cazenare e Hilfairet, mdi-
cos do hospital de San Luiz, de Parv af-
das molestias cu-
preparages d'Hy-
,- Mh .s e-ni pcrfunwria.
imitas vezes acoatoria que m procurando tima
lella galaotaria para se oflrlar a urna senhora u
menina em seus anniversarios, ou mesmo na
araarraeaa das mestras destas, ge nao achava eousa Teclados ao tralanenlo
(pie satuflzeue, agora, porom, j nao dovo sueco- taneas, empregaram as
der assim porqne na loja d'aguia branca encostra- ,|rftcnlvlp rom nm nolavl successo contra
rao pretndante bellos objeelos para osse nra, so-l urocotyie co,n um. "o>. wlc 'V
bro-sahindo entre elles esses bonitos albuns com ,* eczemas, opreriasis. o impetigo e asai-
perfumarias, cujo posto e novidade Ihes d a pri- versas variedades de darlrot, contra as af-
mszia. A aguia branca algara e conten* se feeces sfithlleelicas recentes e antigs,
essas offertos recahirem soropre em suas predilec- n |,.nro a* utepraR pwrnfnlrwa; # mitra*
las freyuexas, e qoaado assim nao seja, nao faz n iLp- nitT- escrofulosas e eurras-,
mal.'porquc a mimoseada reparando na singulari- rReumatismos coroic/s, etc.
dade do olijecto, qaerer desde logo alistar-seno Deposito geral em Pilis: K. Fonrtmr
numero daquellas. Em todo o caso havendo di- & Ltbttmifft, pharmaceutkos, fBa Borbon-
nheirOj dirijam-se roa do Queimado, loja d'aguia VilWanMMt 19
branca n 8, que tudo se arranjar. F pernamUC0 denosito ceral-' Rt tmn
- Chejfaram luvas de pellica para a toja d*a- r'm rernammico uepobiio gerai a van
gmi branca, rua do Queimado n. 8. I de Caors 4 Barbosa, rua de Cruz n. 24.
#(D&$11IIII Q XDfi 8*\n'J'D3
N. 21LARGO DO TKBft-N. 11
O proprietario deste bera sortido armazem de motilados vende es seos gneros j
bem conhecidos de primeira qualidade, e por isso caprichou de escolner, para bem servir
aos seus freguezes, mandando vir a maior parte do seu sortimento, para o que tem pessas
encarregadas para este ko, e os pode vender por menos de 10 a 20 % do que era outra
qualquer parte.
Verdadeira genebm de Hollandi em botijas de conta certa a 400 rs.
dem de laranja em frascos grandes a 1,000 rs. e Caixinhas com 8 libras de oassas de carnada a 2,400 rs. e a libra a 480 rs.
Velas de espermacete, carnauba e composico a 63o, 44o e 39o rs. a libra e a arroba a
10,000 rs.
Palitos do gaz sem avarla a 2,3oo rs. a groza e 2oo rs. o maco.
Serveja das melhores marcas a 500 rs. a garrafa e a duzia a 5,5oo rs.
Vinho das melhores marcas F. L. P. a 4oo, 5oo e 56o re. a garrala e a caada a 2,8oo e
4,000 rs.
Batatas desembarcadas ltimamente a 5o rs. a libra, e a arroba a 2,800 rs.
Bolachinhas americanas a 2,ooo rs. e 3,5oo rs. a barrica e 200 rs. a libra.
Azeite doce de Lisboa a 3,ooo rs. o galao, e a 61o rs. a garrafa.
Queijos do vete) os mais noves do mercado a l,8oo e 2,oeors.
Mimo alpista o mais limpo que ha a 5,000 rs., a arroba a 160 rs. a libra.
Marrteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e a 720 rs. a libra,
dem franceza, 'muitb superior, a 560 rs. a libra e em barris a I40 rs. a libra.
Caf do Rio da l.' e 2.* sorte 280 e 320 rs. a libra, e a arroba a 8,800 8,000 rs.
Cha de primeira e segunda serte a i\8oo 2,5oo e 2,ooo rs. a Hbra.
fijlo francez do grande tamenbo a 14o rs. cada um. e a lm dos genero* aananciados
ha outros muitos que enfadonho seria menciona-los: vende-se dinheiro vista.
4 L
c a
< pi
a O
>s w
>
0.
"*Z 2
r
M> S
aal - &
9>

t 0
ss
PKOGRESSiVO
MH1D3 HEI331I
BE
MOLHADOS
9 Imo do Carino f.
Grande sortimento para a festa por menos
10 a 20 por cento do que em outra qualquer
parte.
Duarte & C* scientificam aos seus freguezes eao publico em geral, que acaba de che-
gar da Europa um socio que faz parte da firma, com um grande e bello sortimento de
molhados por elle escolhidos, os qnaes se vendem por menos de lo a 2o por o/0 do que ou-
tro qualquer annunciante, garantindo a boa qualidade e peso de qualquer genero vendido
neste j muito acreditado armazem, e por isso, Armados em que cumprem fielmente o
que promettem, pedem todos os Srs. da praca, de engenhos e lavradores, o favor de
mandarem suas encommendas ou relaces ao armazem Progressive, certos de nSo tereui
em tempo algura occasio de se arrependerem.
Aviso.
Todos os Srs., que comprarem para tornarem a vender, terSo, alm dadiferenra
j publicada, mais 5 por % de abatimento. Os proprietar'tos tambem garantem o Jx>m
acondicionamento ainda mesmo dos mesmos para o mais alto sertao.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de conta propria, a 800 rs. a libra.
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
56o rs. a libra, e em barril ter abatimen-
to.
dem ingleza em potes de 4 a 16 libras a
800 rs. a libra e o pote separado.
Cha uxim o melhor neste genero, mandado
vir de conta propria, a 2,8oo rs. a libra
dem hysson, grande, muito bom a 2,600 rs,
a libra.
dem preto, muito fino, a 2,600 rs. a libra.
dem preto, mais baixo, a 2,ooo rs. a libra.
Idem, verde, miudinho, mais propriopara ne-
gocio, a l,5oo rs. a libra.
Ranha de porco refinada muito alva a 46o
rs. a libra, e em barril se far abatimen-
to.

Biscoitos ihglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies
Lunch, Cabin, eoutras muitas marcas a
l,4oo rs. a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda, a
2,2oo rs. a lata.
Riscoitoinglez Craknel em latas de 5, 7 e 15
libras a 5,ooo e 6,000 rs. e de 1,200 a
800 rs. a libra.
Queijos do reino pelo baratissimo preco de
l,6oo, l,8oo e2,000 rs., os do ultimo
vapor.
dem iyato muito fresco a 64o rs. a libra,
dem lo ^miito fresco a 800 rs. a libra.
Vinhos r.,..: Porto, Figueira e Lisboa, a
48o, 56o, e 64o rs. a garafa, e de 3,ooo a
4,5oo rs. a caada.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa em latas de 1 e nmis libras
a 7oo rs. a libra.
Fructas em caldas das seguintes qualidades:
ameixa, rainha Claudia, peras, cerejas,
ginja, pecegos e alperch a 5oo rs. a lata.
Figos era caixinhas de 1 ys arroba e de 8 li-
bras a 8,000, 4,000 e 2,ooo rs, e a 3oo rs.
a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra, e
em arroba ter abatimento.
Sardinha de Nantes a 32o rs. a latinha.
Toucinho de Lisboa a 4oo rs. a libra eem ar-
roba ter abatimento.
Massa de tomates a 64o rs. a libras.
Pimenta do reino a 34o rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 14o rs. a libra.
Ceblas a l,2oo rs. o molho, e a l,ooo rs.
o cento.
Tijollo para limpar facas a 16o rs.
Cerveja das mais acreditadas marcas de
5,ooo a 7,5oo a duzia, e de 5oo a 600 rs.
a garrafa.
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 800 rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs. a frasco.
Chourigas as mais frescas do mercado a
54o rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa,
e lo,5oo rs, a caixa com urna duzia.
Licores francezes das seguintes mr ;as: A-
nizete dc Rordeaux, Plaisir des dames, e
de outras muitas marcas a 10,000 rs. a
duzia, e a l,ooo re. a garrafa.
Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a
8,5oo rs. a caixa. Ha caixas, meias e
quartos.
Peras seccas a 3,ooo rs. a caixa e 800 rs.
a libra.
Bolachinha ingleza a 4oo rs. a libra.
Azeite francez eportuguez retinado a 800 rs.
a garrafa, e 9,ooo rs. a caa com ama
duzia.
Conservas inglesas das seguintes marcas :
Mrxed, Pickes, e Geboias simples a 800 rs.
o fraseo.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo
rs. o pote.
Grao de bico a 16o rs. a libra, e em arroba
ter abatimento.
Vasos inglezes vasios e 4 a 16 librmuitos, a
proprios para deposito de manteiga, doce,
e outro qualquer liquido, de l,oooaS,ooo
rs. eada um.
Palitos do gaz a 2,3oors. a groza e 2o rs. a
caixinha.
Milho alpista a 160 rs. a libra.
Painco a 2oo rs. a libra.
Gomma muito alva para engommar a 80 rs.
a libra, e era arroba se far abatimento.
Sag muito novo a 28o rs. a libra.
SabSo verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 28o rs. a libra.
Sabo massa de superior qualidade a 180,
200, e 220 rs. a libra do melhor que ha.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lati-
nha, e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
curvin, salmo e outras muitas qualidades
preparados de escabexe, segundo a arte de
cozinha, de 1,400 a 2,ooors. a lata.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado e escolhido pessoalmente por um
dos socios que se acha em Portugal, das
seguintes marcas: Duque, Genuino, Ve-
Iho secco especial, Lagrimas Doces do
1819, vinho especial D. Pedro V, vinho
velho, Nctar superior de 1833, Duque do
Porto de 1834, vinho do Porto velho su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior Loiz I
de 1847, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porto, de l.ooo a 1.2oo rs. a gar-
rafa e de lo,oooa 12,000 rs. a caixa com
umaduzia.
IdemBordeaux de di Arenles marcas, garnte-
se a qualidade, a 8,000 rs. acaixa com urna
duzia, e a 7oo rs. a garrafa.
Garrafes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2,2oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira, mais
proprio para a nossa estaco por ser mais
fresco a 2,4oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
o garrafo.
Vinho branco o melhor ueste genero a 600 rs.
a garrafa e 4,000 rs. a caada.
Velas de spermacete as melhores que ha no
mercado a 600 e 64o rs. o masso, e em
caixa se far um grande abatimento.
dem de carnauba e composico, de 4oo a
32o rs. a libra, e de lo.ooo rs. a 11,000 rs.
a arroba.
Caf de 1 e 2* sorte de 8,3oo a 8,600 rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
lhor.
Arroz da India. Maranhao e Carolina a 3.000,
2,8oo e 24oo rs. a arroba e de loo rs. a
80 rs. a kbra.
Frasqueiras de genebra a 5,8oo rs., e a 5oo
rs. o frasco.
Azeite doce em barril, muito fino a 6io re.
a garrafa.
l'apel grve pautado e liso a 3,5oo rs. a
resma.
Genebra de Hollanda em botija de conta a
44o rs. a botija.
Champagne das mais a Viadas iarcasx a
l,ooo rs. a garrafa, e a lo.ooo rs. a duzia
ou gigo.
Alhos a 80 rs. o masso.
Sal refinado a 7o rs. a libra.
Ervilhas francezas e portuguezas a 64o rs.
a lata de urna libra.
Chocolate francez, hespanhol, suisso, e portu-
guez a l.ooo rs. a libra, e a 28o rs. cada
pao de urna '/
Garrafes vasios de 5 garrafas at 3 caadas
de 5oo at l,3oo rs. cada um.
Ameixas francezas em caixinhas elegantemen-
te enfeitadas, com diversas estampas
no exterior da caixa, de l,5oo a 3,ooors.
cada urna; tambem ha frascos e latas de
differentes tamanhos que se vendem por
mdico preco.
Massas para sopa: macarro talharini, e
alotria a 48o rs. a libra, e em caixa se
far abatimento.
Doce de goiaba de 4oo a 800 rs. o caix3a
grande.
dem a 2,ooo o caixao grande.
Charutos do todas as marcas e dos methore&
fabricantes da Babia de 3,ooo a 4,000 rs.
acaixa.
Alera dos gneros cima annunciados ha um completo sortimento de oom'mhos, er-
va doce, alfazema e outros muitos gneros, que tudo se vende por baratisssirao preco.
*-
MUTILADO
~



Mario de PevittMfcuoo -- t( felet J de Oaliibro de 8.
i

I
GRANDE ARMAZEM
AE
EE
Y 36, RA DAS CRUUS N. 36
balrro de Santo Antonio.
0 proprietario do muHo acreditado armazera denominado Progresista tendo
*empre em vista fazer todo o que for possivel para bem servir aos seus fregneaes, tem
deliberado vender os seas j bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos .procos
abuzo mencionados, e amanea s pessoas erae mandarem comprar por seas criados ou
escravos, serem Uio bem servidas como vindo pessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, ainda mesmo contendo objectos nSo proprios deste estabelecimento. 0
mesmo pede aos seahores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que nao agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
(,3o com-os seos portadores, fazendo-lbes ver que so no armazem Progresista da ra das
Cruzes n. 36, que se vendem os memores gneros por mais barato preco, porque estes
murtas vezes olvidam-se e vio outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.
Uvas mnito novas a 1 ,ooo a libra. Mustarda preparada, .muito nova a 360 rs. o
Castanhas a 2oo rs. a libra, pote.
Figos a 30 rs, a libra, !Paiit0S 0 gaz a 200 rs. a duzia de caixinhas
Vmho superior da Figaetra e Lisboa, a 400, lnftB
4*0, 480e 500 rs. a garrafa, e a 2,800,! e z,,w rs' a gro8a"
2,700, 3,000 e 3,400 rs. a caada. Drtas hygienicas e de seguranca a 240 rs. a
(111713
dem engarrafado, das seguintcs marcas du-
que do Porto, Feitoria, ISectar, veltaosecco, Alpista muito limpoa 160 rs. a libra,
^amisso^Madeira,sUperiora8^00rs.a|G ad QQ |to
duna e 800 rs. a garrafa. %m ^J^
dem Bordeaux de diversas marcas a 640 rs.

GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
BE
?&mmm&m$Mij!mmMte.
iAOTQi
W*
RA DO QUEIMADO N. 46
TODOS
08
YAPOBD
se receben gneros de conta
propria e dos melhores esta-
belecimentos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer ge-
nero comprado neste
ESTABELEC1MEM0.
COMPLETO
SORTIMBrTO DE MOUDOS.
vende-se em porcJo e a reta-
Iho, aprompta-se com toda a
preste e exaetidao qualquer
encommenda dirigida a este
ESTABELECIIECTO.

FAZE VIIAS E RO VAS FEITAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 250, 28d, 305 e 350, caracas
muito bem feitas a 250, 280, 300 e 350, paletots acasacados de panno preto d 160 ule
250, ditos de casemira de cor a 150, 180 e 200, paletots saceos de panno e eme*
mira de 80 at 140, ditos saceos de alpaca, merino e laa de 40 at 60, sobre de alpaca e
merino de 70 at 100, calcas pretas de casemira de 80 ate 140, ditas de cor de lo- al
180, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de roupas do brtat,
1 como sejaracalcas, paletots e colletes, sortimento de colletes pretos de metim, casemira
t"*! e velludo de 40 a 90, ditos para casamento a 50 e 60, paletots brancos de bramante a 40
^ e 50, calcas brancas muito finas a 50, e um grande sortimento de fazendas finas e moiler-
' na?, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senhora, ceroulas
de linho e algodao, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin para homem e se-
nhora. Temos urna grande fabrica de alfaiate, onde recebemos encommendas de grandes
?bras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de semelhantc arle c um
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qualquer obra com
promptid5o e mais barata do que em outra qualquer casa.
50
Os proprietarios do muito acreditado armazem Progresso fazem sciente ao respeita-
Rll IIA UIPEKITUM H. *.
a garrafa e7,5O0rs. a caixa com42 garrafas.
dem Muscatel de Setabala 1,700 rs. a gar-
rafa, e 18,000 rs. a duzia.
(arrafes com 5 garrafas de vinho do Poeto,
Lisboa eFigueira a 2,100, 2,200 e 2,300
rs. com o garrafo.
Idetn branco muito superior a 500 rs. a garra-
fa e 3,500 rs. a caada.
arrafoes com 5 garrafas de vinagre a 1,1 oo rs.
Vinagre superior de Lisboa a 1,400 rs. a ca-' Aaeile doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa.
. a garra a. Champanhe das mais a creditadas marcas
Velas de spermacele superiores a 580 e 640 a iO;000 rs. ogigo e 1,0>>0 a garrafa,
rs. o maco. j^ dfl g0aba d(J 4QQ ( 8QQ rg ^^
Mantiga inglesa de I- qualidade, a 800 rs. ChocoIa,e porluguez< franceZ) hespenhl e
suisso de 800 a 1,200 rs. a libra.
Sag mullo novo e alvoa 240 rs.a libra.
Sabo hespanhol, a 280 rs. a libra.
tem massa a 180, 200 e 220 rs. a libra.
Peixe era latas, savel, pescada, e corvina a
1.000 rs.a lata.
Genebra de Hollanda em butijas de conta a
400 rs.
Papel greve pautado e liso a 3,400 rs. a
resma.
a libra,
dem de 2. dita, a 700 rs. a hbra.
dem de 3*. dita a 600 rs. a libra.
dem franceza, a melhor do mercado a 540 rs.
e em barril a 500 rs. a libra.
dem em latas com 2 '/i libra j a 1,400 rs.a lata.
Banha de porro refinada a 500 rs. a libra.
Quoijns flamengos chegados ltimamente a
2,000 rs.
Mam prato o melhor que ha neste genero a
700 rs. a bra.
Arroz Carolino e do Maranhao a 2,800 rs. ar-
roba e 100 rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 280 rs. a libra.
_ ,:______ ... ____1 Massa de tomates em latas de 1 libra a 560
Caixinhas cora ameixas francezas, de diversos rin
tamanhos al, 200,1,400,1,800 e 2,100rs.! e u*u '*
cada tuna. Sardinhas de Nanles muito novas a 340
Frutas em calda, ameuas, ramha Oladia, pe-
o>gos e alpech a 480 rs.
Marmelada de todos os conserveiros de Lisboa
Velas de carnauba e de coraposico a 320 e
30 rs. a libra e 9,500 e 10,000 rs. a ar-
roba.
Massas para sopa macarrao e talliarim a
400 rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Ba-
bia 3,800 3,400 3,000 e 2,400 rs. a
caixa.
rvrvoja das melhores marcas de 3,000 a
6,000 rs. a duzia.
Biscoitos inglezes de todas as marcas a 1,200
rs. a lata.
Bolaixirhas de se* m latas grandes a 2,000
e 1,800 rs. cada lata.
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegada
,no ultimo vapor a 8oo rs. a libra.
dem de 2.a qualidade a 76o rs. a bra.
dem de 3,* dita a 6 lo rs. a libra.
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
Manteiga franceza a mais nova quena no mer-
cado a 58o rs. a libra, e em barril ter aba-
timento.
Banha de poreo refinada a 520 rs. a libra.
Vinho era pipa Porto Tigneira e Lisboa a4oo,
48o, 5oo, 56o ts. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,ooo rs.
dem em barril o mais superior que tem vin-
ao mercado a 6oo rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
l.ooo agarrafa e a lo.ooo a caixa, o preco
nao indica a qualidade d'este precioso vi-
nho, porm venhamao Progresso que a vis-
ta faz f, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
demos vender por menos que outro qual-
quer aonunciante.
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre-
ditadas e especialmente escolhido por um
de nossos socios, comosejamrCamoes, Du-
que, doPorto, D.Luiz, Carcavellos, Cha-
misso d Filho, Madeira secco, e Feitoria a
9oo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com
12 garrafas.
Garrafoes com especial vinho do Porto con-
tendo S garrafas a 4,5oo rs.
dem cora 5 garrafas de superior vinho Fi-
gueira a2,4oors.
dem com 5
2,loo rs.
a 600 rs. a libra.
Ameixas era latas de 1 V* e 3 libras a 1,200
e 2,400 rs. a lata e 900 rs. a libra.
Cha huxira o melhor que possivel encontrar
neste genero a 2,700 rs. a libra,
dem hysson muito superior a 2,5oo rs. a
libra.
dem raiudinho a 2,700 rs. a libra
Mea preto de qualidade muito fina a l,800rs.
'dem mais inferiora 1,500 rs. a libra.
Genebra de laranja a 900 rs. o frasco e 500
rs. os frascos pequeos.
Cliouricose paios os mais nevos que ha no
mercado a 500 rs. a libra.
Cognac inglez a 9oo rs. a garrafa.
Marrasquino de Zara a 7oo rs. o frasco ej^^ de Lisboamuilo novas a 6oo rs.
8,000 rs. a duzia. a ancoreta.
Licores francezes, annizete, plaisir des da-1
mes, etc., etc. a8oo rs. a garrafa e8,5oo Estrelinha e rodinha para sopa a 6oo rs. a
rs. a lata.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijollo para areiar facas a 140 rs. cada ura.
Farioha de Maranhao a 140 rs. a libra.
Pimenta da India a 340 rs. a libra.
Erva-doce a 320 rs. a libra. '
Palitos para meza a 160 rs. o maco.
Verdadeira farinha de araruta a 500 rs. a
libra.
Frascos com ameixas francezas a 1,400 rs.
cada um.
Prezuntos do Porto a 5oo rs. a libra.
Batatas muito novas em gigos com 38 libras
por l,5oo rs.
Canella da India a l.loo rs. a libra.
Cominho a 64o rs. a libra.
rs. a duzia.
Passas as melhores que se eneoatram a 360
rs. a libra.
Bolachas inglezas muito novas a 24o rs.
a libra, e 3,5oo rs. a barrica.
Azeite refinado a 8oo rs. a garrafa.
Conservas iuglezas de todas as quadades a
750 rs. o frasco.
libra.
Legumes seceos para sopa a 4oo rs. o maco.
Breu louro a 3oo rs. a libra e 8,ooo rs. a
arroba.
Papel pautado e liso almaco e de peso de
3,ooo, a 4,ooo rs. a resma.
Ervilhas seccas chegadas no ultimo vapor a
2oo rs. a libra.
Qiuaupaiaqeisa ajsa aep
-eiSesop Bjiaueui ap ura.uas so apno 'ajaed ejnoe og\ a os-ra8piA|o sozoaMnansajsa
anbjod 'ojaid ojoueq sieo jod saaauaS 6aioqiara so apirn os onb a gg -u saznj^ sep
en.i ep eisissajSoj,! mazeaue oa os anb ja.i saq[-opuazej 'sajopeijod snas so ujod og5
-ui))e upenaai saaoquas soiusataso opua.vap 'jepeoSeobuanb opafqooanb|enb jd.v|a\ap
ui.)jepueui ap joabj o mazeuuB ajsau jBiduioa uiajepucui anb sajoquas soe apad oujsaui o
ojuauiaaiaqBjsa aisap soiadojd ogu sopafqo opuajuoo orasam epuie 'Bpoaunuosaa jaub
-ci Jeue ap as-B8aB3ua .' ajuatoieossad opui.v oraoo sopiAjas raaq obj majas 'soabj3so
no sopeija snas jod JBJdraoa majepueraanb seossad sb b5uci|b a 'sopsuopuaui oxiBqe so5
-ejd so[d apBptjBnb BJiamud ap soaauaS sopioaquoo raaq b snas so japuav opjaqqap
iu.u 'sazau8ajj snas soe JiAias raaq und jOAissod joj anb o bpm Jazej bjsia ma ajduras
opuaj 'B)S!*s8j8oJd opBU|iuouap uiazemjB opejipajaB ojinra op ouBjaudaid o
S *n oinopny n?n ap ojm|<| op *na3 p chj c
M
Tera a honra de participar ao respeitavel publico e aos seos freguezes que acaba de recolar
um lindo o variado sortimento de objectos de phantasia para presentes, assim como vcntarolas de di-
versas cores e feitio modern, ricas capellas para noivas as melhores que tem viudo at Itoje em l'xr-
namhuco,, .grande quantidade de agua do colonia, extractos para lenco, banha e oleo para cabello*,
vel pblico e com especiahdade aos seus amigos e freguezes. que tem resolvido resumir -es *do em vldros grandes c pequeos muito lindos e variados e por precos diminutos.
,.__,, Oontmua a receber por todos os paquetes da Europa tovas de Jouvin brancas, pretas o de todas
precos dos seus acreditados gneros, como abaixo verao nao obstante os precos menciona- as edrts.
,,..., Agua-de tingir cabellos de Marquis, ingteza, melanogene, berger etc., etc.
dos a vista da qualidade dos gneros que Se prora quamo se deseja servir satisratoria-( Na mesmacasa continua a receber encommendas docaboleiras para homem e semhora, chino,
, ,. ,, trancas, crescente, nos etc., etc.
mente aos nossos freguezes, advertmdo-lhes que mandem seS porUdores, que sero to Oorrentes para relogios trancelins e tudo quanto diz respeito a arte de cabeleireiro, corta-e c
riz-se f*bellos pelo preco de 500 rs.
bem servidos como-se viassem pessoalmente, isto s no Progresso.
alva e cheiroza
Farinha de Maranhao multo
a 16o re. a libra.
-Toucinho de Lisboa a "32o rs. a libra e a9,ooo
rs. arriba.
Sardinhas de Nantesa 36o rs. a lata.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. agarrafa e a
4,8oo rs. a caada.
Vinagre de Lisboa a .2oo rs. aLfarrafa/ea
1,oo rs. a caada.
Garraees com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa a 1,loo rs.
Egpartllhns spartfllbos.
Esuarllios regencia privilegiados da fabrica mais afamada de Pars, esses espartiibos sao
tos de tal modo que urna senhora com um delles ha de ser semprc bem vestida.
Rjcas e lindas capellas para noivas de urna fabrica especial : ruada lmperatriz n. 7.
FUIDICAO
ti?
l)E
DE
garrafas de vinho Lisboa a
Vinho branco de Lisboa proprio para missa
vindo j engarrafado de Lisboa a 64o rs.
a garrafa.
FHAJVCISCO ANTONIO CORREIA CAIiDOSO,
Roa do Kriiiii. N. 89.
Acha-se novamente aberto este anligo e prove toso estabelecimento, promnto para
.axecutar quaesquer encommendas de ferro fundido, balido ou debronze, moendas para
Chmpnhe"darmarcas mais .acreditadas a "genhos, com vapores ou sera elles, tudo com a maior promplidao, peifeicjio e fpm-
8 eia lo ooo rs o eico e a8oo rs ea moc'0' preco ; tem vanas obras promptas da melhor e mais solida construccao que p>--
l,ooors. agarrafa j4em.ser vendidas por raelade de seu valor,comosejarh :
Moendas inteiras e meias ditas de varios tamanhos, para engenhos.
Portas d'aguas guarnecidas de bronze com parafuzode rosca quadrada.
Rodas de espora, carretas e rodelas angulares.
Parafusos e cavilhoes de ferro ou de bronze, rosca quadrada ou siugela.
Agulh5es fundidos de azas e batidos para rodas d'agua e churaaceiras com bronze,
Bronzes e torneiras de todos os tamanhos e qualidades.
Taxase fuodos de alambique, de ferro fundido, de varios tamanhos.
Crtvose portas de fornalha de varios tamanhos e qualidades.
Urna machina de destillacilo continua do autorCollares.
FogS'es americanos jeconomcos para casa de pequea familia.
Fornos de fazer farinha.
Tubos de chumbo de todas as grossuras.
Cobre em arrobas e folhas. dito, dito.
Folha de Flandres em caixas, bom sortimento,
Chumbo em lencol e em rolos de diversas grossuras.
E urna grande porcao de pecas de obras tanto de ferro fundido como batido ou de
bronze que seria enfadonho descrever.
Espera pois, o proprietario deste estabelecimento que o publico sempre benigno
prestar toda sua confianca e altenco.e
Serveja preta marca T e XXX a 6,5oo e
7,000 rs. a duzia, e a 6oo rs. a ..garraia,
tambem temos das mesmas marcas para 4,
e 4,5oo rs. a duzia, e a 4oo rs. a garrafa.
dem branca Te cobrinha a5,5oo e 6,oeo rs,
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tambera ha i
para 4,ooo rs. a duzia.
Grasa em latas grandes a l,3oo rs.a duzia
e 12o rs. a lata.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro obra
de muita duraco a 4oo rs. cada urna.
Palitos de denles massos grandes a 2oo rs.
e28ors.
Paltos do gaz a 20 rs. a caixinha e 2,3oo rs.
a groza.
Gela derAipe
una Oc 21
erche ebegada no
: libras a 8oo rs. e
ultimo vapor
pecninca.
Genebra de Hollanda garraf5es com 16 gar*
rafas por 6.5oo rs.
dem em frasqueiras a 6,3oo rs. e 6,5oo rs. e a
56o rs. o frosoaffianca-se ser verdadeira.
dem de botija em barricas com quatrodu-
zias a 44o rs. cada botija.
dem de laranja em frascos grandes verda-
deira italiana a l,ooo rs. o frasco.
dem em barril muito superior a ooo rs. a
garrafa e a 4,ooo e 3,8oo a caada.
Ameixas francezas em caixinhas de 1 4 2
e 3 libras elegantemente enfeitadas com ri- Licor francez de todas as qualidades (
cas estampas na caixa exterior a l,3ooi garrafas de vidro brancos a 72o eSoors I
l,6oo 2,ooo e 2,5oors.
Marrasquino de zara a 72o rs.
su
i izviuv :ia^vHr>
mu ,
dem em latas de, 1 \i e 3 libras a l,4oo e
2,6oo rs, cada urna.
Figos de comadre em bauzinhos de folha
muito proprios para mimo a l;6oo.
dem em caixinhas a l,4oo rs.
dem em caixinhas emticamente lacradas
e muito bem enfertadas a 1,8oo rs.
dem a 2oo rs. a libra.
Passas de carnadas as mais novas que ha no
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,ooo rs. a
caixa.
SalmSo em latas emticamente lacradas a
8oo rs.
Lagostim em latas grandes a l,4oo.
Savel, corvina, cherne, vezugo, peixe espada,
preparados pela primeira arte de cozinha a
a l,3oo rs.
Qucijos flamengos chegados no ultimo va-
por a 2,4oo rs.
dem do vapor paseado a 2,2oo 2,ooo e
l,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. abra.
Doce da casca da goiaba caixes grandes a
6oo e9oo rs.
Chouricas as mais novas que ha no mercado
a 48o rs. a libra.
Chouricas mouras encommenda especial nos-
saa 5oors. a libra.
Prezunto verdadeiro de lamego em calda
de azeite 5oo rs. a libra
Botaxinha inglesa a mais novas que ha no
mercado a 2,ooo rs. a barriquinha com
1 arroba, e a 24o rs. a hbra.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
res.
dem em latas grandes, proprias para hinche,
com 5 a O libras per 2,4oo rs.
Marmelada imperial do fabricante Abreu e
outros conservaros de Lisboa a 6eo rs. a
'libra.
Frutas em calda dtf todas as qualidades a
5oo rs.
Enilhas francezas a 5oo rs. a lata.
dem porlugue/.as a 64o rs. a lata.
Massa de tomate a 64o rs. a libra.
Amendoas confutadas a 7oo rs. a libra,
dem de casca mole a 28o rs. a libra,
Avelans a 2oo rs. a libra.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que tem vindo ao mercado a 72o e 800
rs., e em caixa a 7,5oo, 8, e 8,200 rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol e
outros a 800 rs. a garrafa.
Conservas inglezas sortidas e de urna so qua-
lidade a 800 rs. o frasco.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
Gomma de engommar muito alva a 80 rs.
a libra e 2,2oo rs. a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 16o rs. a libra.
Sevada muito nova a 12o rs. a hbra e 3,2oo
ss. a arroba.
Macarrao a 32o rs. a libra.
dem e taiharim o mais novo que ha no mer-
cado a 48o rs. a libra.
Aletria a 5oo rs. a libra.
Arroz carolino a loo rs. a libra e a 2,800 rs.
a arroba.
dem do Maranhao a 12o rs. a libra, e a
3,ooo a arroba.
Cale do Rio o mais superior que se pode de-
sejar i32o rs. a libra,
dem a 28o c 3oo rs. a hbra e a 8,2oo, 8,4oo
e 8,7oo rs.
Velas decarnauba refinada a 32o rs. a libra,
e a 1q,ooo rs. a arroba.
dem de spermacete a 64o rs, a hbra.
Chocolate hespanhol e francez a 9oo e l.ooo
rs. a libra.
Esirellinha e pevide muito nova a 4oo rs. a
libra, e a 2,ooo rs. a caixinha com oito
libras.
Cha perola muito especial chegado neste ul-
timo vapor de encommenda particular
nossa a 2,8oo rs. a hbra.
dem huxim muito superior a 2,7oo rs. a
libra.
dem hysson a 2,56o rs. a hbra.
dem hysson a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
dem preto bomeopathko e muito BapOrtor a
2,ooo rs. a libra.
dem nacional a l,6oo rs. a libra.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra. _^
Charutos dos melhores fabricantes daBatna
e de todas as marcas, como sejam: sus-
piros, havaneiros, messecipes, regaba im-
perial, flor das mattas, primores a 4,ooo,
3,5oo, 3,200, 3,000, 6 2,8oo, 2,8oo,
2,000e l,6oo rs.a caixa.
AJSAui OLEO >. :"!:. '.!''* v' W>;
XAROPE DE RBANO IODAD0
Segundo o llegado dos mdicos dos hospitaes de Parir, c<>mignados no l*nwnrrto. e :: auprvaeRo
de uarinj Acadmicos, este Xarope etnprea-8e com o maior auccesso, em lugar do OLEO DE FIOADO DE
BACALHAO, aoqual elle realmente superior. Cura as molestias de pello, as escrfulas, o Ijmphalisuto, a
pallidei e mollea das carnes, as perdas d' appetlte, e regenera a constlliilcflo purificando o Bangue. Em
gamma o mais poderoso depurativo contiendo. Elle nunca canea o esiflmaeoou os tMesttnoa BOOM o
ioduro de polassium e o ioduro de (erro; e administra-ce com a maior efllcaeidade aos rnlona sujeitos
aos humores ou ao entupimentodas glndulas. O Douior CHavr, do hospital de San' Luii de l'aris,
o recommt-nda d'nm modo inteiramente particular as molestias da pelle, conjunetamentc com as pilulas
que teem seu nome.
Depsito geral i em Pars, en cata de MM. Grlmault e C, pharmaceuticoa, 7, ra de la Fenill.ide;
n Lisboa, en casa de Rodriga da Coata-Carvalha; no Porto, en casa de Miguel Jaa dr sauaa-
rerretra; em o Rio-de-Janeiro, lava Prlzota e Mala, ra do Sabio, 11 j em Baha, en cusa d
Jaa-Cactan* FerrcIra-EaBlahelra; em lio-Grande, en casa de Joaaaln de Gado; ; em 1/nrnn-
han.en casa de rcrrrlra e C-; em Pernambuco, Saaoaae C, ruada Gru, 22; Sama, e as prineipaes
pbarmaciasdo Ilrniil.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barboza
O GALLO CANTA
sabido que, qaando chega o vapor da Eu-
Fn rin ha de w a n Hv en
de Sania Calharina, da melhor c mais nova que
J
ropa, o gallo cania annunciand aos ses numero-! existe-nesle mercado ; vende-se em por^ftrs gran-
aos freguezes as galanteras de maisgosto e da ul- des e pequeas epor preco muilo favmav I, a bcr-
lima moda-que fior elle recebe, como sejam : do da barca Lima I, chegada em H do cmale e
Camsinlias para senhoras.
Riqoissimas camisinhas com mauguitos c gra-
vaiiuhas para seuhoras : s no Vigilante, ra do
Crespo b. 7.
Cirigotinhas.
Bjquissimas cirigolinbas ou gravatinhas, sendo
ousa de muitogosto, e a primeira vez qne appa
rece para as senhoras de bom gosio : s no Vigi-
lante ra do Crespo n. 7.
Pentes de concha.
Ha para chegar riquissimas guarnicoes de pen-
tes de lindo gosto, tanto para atar, como para mar-
rafas, por preces razoaveis : s no Vigilante, ra
do Crespo a. 7.
Redes com lacinhos de fita.
Lindas redes pretas e de cores com um lindo la-
cinbo de fita para conservar o cabello, pelo barato
preco de l&HOO; assim como os novos enfeites pa-
ra cabeca a 3,5000, W e o000 : s no Vigilante,
ru;i do Crespo n. 7.
Ligas.
Riquissimas ligas de seda de bonitas cores a
14500; assim como fita propria para o mesmo ef-
feito a 500 rs. a vara : s no Vigilante, ra do
Crespo a. 7.
Luvas de Jouvin.
Tambem chegou e chegam por todos os vapores
grande sortimento de luvas de Jouvin, onde os fre-
guezes podem escolher; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 37.
Bntremeios e babadinhos.
Tambem chegou grande sortimento de ntre-
melos e babadinhos. que se vendem pelo barat-
sima preco de 15300 a pecinlia : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Finetas para cinto.
Tambem chegou grande sortimento d* lindas i-
vellas de ac e de metal com pedrinhase sem el
las, pelo barato prego de 25 o 25500, dando-se a
fita para as mesmas : s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
O GALLO CARTA.
J sabrdo que o gallo nao podia denar do can-
tar, annunciand a seus numerosos freguezes os
riquissimos pentes, que acaba de receber por este
ulthno tapor.
Cal de
a mais nova do mercado
19, primeiro andar.
Lisboa
na ra do Vigario n.
Vendem-se os utencilios de urna padaria com
poueo Uso, sendo tudo, ou peca por pega, confor-
me a vontade do comprador : na ra do Cordonii
n. 18, deposito.
Vende-se a taberna da praca da Boa-Vrta n.
'21, com botrros fundos, propria para quem qner
principiar por eslar bem alregnerada para a trra;
a tratar na mesma.
CAL 0K 1,1* HO *
VetUJe-se a 4,5000 o barril na ral
D.O,
Apolto
ancorada defronte do trapiche Bario do Livra-
mento : a tratar no escriptorio de Miguel Jos A4-
ves, rna da Cruz n. 19.__________'_________
Direito inlernacional privado e a applicaco de seus
principios com preferencia s leis prineipaes rio
Brasil, em 1 volume.por Dr. Jos Pimenta Bueno,
85000 : no escriptorio de Antonio Luiz do Oliveira
Azevedo & C, rna da Cruz n. 1.
i -- -
Vende-se a loja de calcado da roa do
Livramenlo n. 35 propria para qualquer
principiante, por ter poucos fundos: quem
a pretender dirija-se mesma ra n. o9.
taberna da tartaruga.
Na padaria da rna da Senzala Velha n. Ri, ven-
dem-se muito boas bolachas propria para escravos
a 25800 a arroba.________________________
minos de ferro.
Vendem-se cannos de ferro com pnllegada de
dimetro proprios para encanamentos d'a^na, pnr
Sreco multo barato : na ra Direila n. 84, pa-
ana.__________________________________
Cofre Inglez.
Vende-se por commodo preeo um cofre
prova de fago, em perfeito estado por ter
nso : na ra Direila n. 8i, padaria.
ingk-*:
pouco
nsu na ra diitiui u. o, puana.
Vcnde-se urna nepra boa qnianrieira, c nnt
preco commodo : na ra do Queimado n. % luja
pre;o
do Preguita
Terreno
Vende-se umho lugar de Mara Sim
Olinda: a tratar na ra da Crnz armazem
ESCBAVOS F6ID0S.
-i.
No dia 14 do corrente moa do outubro fugi
do engenho Velbo de JaboatSo o eseravo Silvino,
crioulo, Idde ao 25 annos, cor bem preta, corpa e
estatura regulares, olhos grandes e smortccl'Ios,
rosto um pouco descarnado, nariz chato, falta pau-
sada, rendido de ambas as verllhns, enlende de eo-
zinheiro e bem conheclflo nessa ciclarle por alen-
mas pessoas, como bto o Sr. Francisco Pinto da
Costa Lima, alfaiate na ra larga do Rosarlo, e
mesmo por toda a familia; e lambem pelo Sr. Ma-
chado com casa de commissao de venda o compra
de escravos, na ra Nova : rogo a todos os caffi-
taes de campo e torldads policiaes a captura do
dito eseravo, e a entrega do mesmo em seu enga-'
nho aclrn dito, fjue serSo recompensados; e pie-!
testo contra aquella pessoa, em cuja casa estiver.
Jos francisco Pefeir da Silva.


*

Diarlo de Ptriiiifttmeo Tere felra IJ de Outnhro de ife9.

LITTERATRA.
Elementos de Historia Uni-
versal.
No estudo da historia,
siderar: Io a iradico,
monumental, ou oral:
cias, que determinara
temos a con-
ou escripia, ou
2o as circumstan-
a tradc5o: 3 os
destinos providenciaes dos fados: 4o a f
divina, e a fe humana, que merecem esses
Comate titulo acaba de publicar-se a fados; e 3 e 6o a chronologia e ageogra-
princira parle do-compendio dd Historia phia.que delerminam o lempo e o lugar,
universal organsado pelo Sr. Raposo de onde se deram os fados.
AliiR-i'la, c approvado e mandado adop-' A bussola como acabamos de ver,
lar no seminario archicpiscopal pelo Sr. D. o instrumento iiulispensavel para o curso
Manoel Joaquim da Silveira, nosso veneran- da viagem : as regras elementares da sci-
do metropolita, | enca e da arle da historia sao indispensa-
Esia primeira parte contera os Elemen-' veis para o estudo da mesma historia.
tos da Nomenclatura da Historia, a segn-1 Ha nma especie de preconceito con-
da contera os Elementos da Historia An- tra o esludo elementar, ou rudimental da
tja, inclusive a Hebraica : a terceira con- historia ; e chega a di/.er-se que para
ter os Elementos da Historia Intermedia- conhecer a historia sufDcienle l-la. Seja
ria, ou da Edade Media; e a quaria os assim, o ocano percorre-se, a historia
Elementos da Historia Moderna e Contem- '-se.
fornea. Mas assim, como para percorrer o
Para fazer-se urna idea desla publicado ocano, preciso a bussola, para estudar a
transcrevemos as proprias palavras do seu historia, preciso a nomenclatura ou ter-
Eis precisamente o que sao estes EU- Dentro da berlinda achavam-se duas mu-
mentos de Historia Universal Iheres, urna veiha, cujo rosto exprima cui-
A historia urna grande carnada geo- dados e receios; a oulra, moca, e bella;
lgica com veiasde differentes c6res. D'es- porm com o roslo bandado em lagrimas
sa immensa mina quebramos differentes Em frente de ambas ia sentada urna negra,
especiraens para dar idea do que era a pe- anda moca, companheira desde a infancia
dreira. da que ento chorava. A negra com gra-
O que nos parece que aquellequese cejos e mimos conseguiu una legua de
houver compenetrado destes elementos ter Cadix que sua ama enchugasse os olhos, e
a bussola para viajar atravz da historia, e que um sorriso substituase aos suspiros
o que tver examinado" a combinago deste | que sahiam de seus labios,
mosaico lia de conhecer a natureza e o fim\ A ilha do Leo triste apesar de seus
da historia.
prologo
t A historia pode comparar-se ao oc-
-ceano
* O occeano vasto na sua extencao,
profundo no seu leilo, e mysterioso no ilu-
so e refluxo das ondas.
monologia da historia : preciso saber as
regras crdeles de a estudar; marcar o
lugar onde se deram os fados, e a pocha
era que succederam.
A historia urna especie de Ddalo,
por cujos corredores tortuosos e escuros
A historia lambem vasta no seu nao se pode andar sem ura fio de Ariadne :
rbjeelo, profunda nos seus arcanos, e ou melhor, urna cidade vasta, cujas ras,
misteriosa no lluxo e refluxo dos fac-' para as percorrer, indispensavel, ou um
tos. (guia, ou urna planta topographica. Este
t O ocano nao pode descortiuar-se de compendio como o fio de Ariadne, ou
um s relancear de olhos ; a historia nao,como o guia, ou como a planta topograDhi-
pde lambem comprehender-se de um s.ca: e, em summa, para a historia o que
o desenlio linear para a pintura.
N'uma cadeira nao se pode ensinar,
nem nos bancos escolares possivel apren-
der historia ; mas deve-se ensinar, e po-
de conceber-se a arle de aprender a his-
toria.
Tal o limite de nosso programma de
ensino, a que cuidadosamente nos temos
restringido ; porque, assim como urna cr*-
anca nao pode acompanhar o liomem robus-
to em longa excurso, assim o alumno, ape-
nas iniciado no primeiro lumiar da historia,
nao pode, sem fatigar-se e iropecar, acom-
panhar o professor na selva inextnncavel
dos tempos e dos fados.
Tal o pensamento. que presidiu
confeceo, organisaejio e redaeco destes
Elementos de Historia Universal.
Quando a principio os tracei, foi para
me servirem como de urna especie de an
daime, sobre que eu teria de construir a
arsenaes e diques etc
A berlinda parou diante de urna formosa
casa de campo.
Em frente da porta achava-se o jardim na
extremidade de urna galera de columnas
de marmore, que formavam ura bello con-
traste no meio dos jasmins, madresilvas e
roseiras, achava-se cercada. Pequeas e bem
acabadas calcadinhas dividiam o jardim em
quatro partes.
No meio do jardim havia um carraman-
cliSo t3o espessamente coberto de rosas e
outras flores, que mais pareca urna gruita;
no centro havia um pedestal sobre o qual
eslava collocado um amorzinbo de marmore,
que com urna mo esconda suas flechas.
jacto de inlclligencia.
E' por sso que os geopraphos tem di-
vidido o ocano era cinco partes principaes :
grande ocano, ocano atlntico, ocano
glacial rctico, ocano glacial antrctico, e
ocano indico ou mar das Indias. Nos po-
demos lamben dividir a historia em cinco
parles principaes, islo hebraica, ami-
ga, intermedia, moderna e contempor-
nea.
O ocano o reservatorio da gran-
de massa d'aguas, que escorrem dos ros,
c caliera da athmosphcra, e se junlam na
vasta concavidade do nosso globo.
A historia o reservatorio dos fac-
tos, relativos humanidade, isto, ao ho-
mem multiplicado desde Ado at a my-
riada do povos diversos, que boje subsis-
tem.
Os mares sSo linhas imaginarias, que
os gcographosi Iracaram convencionalmente
na superficie do ocano.
As pochas sao pontos convencionaes, m consagro, ha annos i estaTparte~' A ex- serviries de modelo para alg'um ouadro> da'
marcados na ampia estrada do lempo, periencia do magisterio fez-rae conhecerquej viuva de Padilla.
especialidade dos estudos histricos, a quea|dade, e se tos visse Joaquim Broguer,
F. M. Rapozo d Almeida.
(Do Brasil.)
A fllha do sol.
Esl-ce vrai ?
Otri, mais qu'importe ?
Balzac.
Davam Ave-Marias as muitas egrejas da
cidade de Sevilla, e muitos coracoes reli-
giosos elevavam-se Senhor n'aquella hora
dedicada pela egreja aos morios. Era urna
noute de dezembro, silenciosa, triste e de
profunda escuridao; urna espessa cortina
de nuvens encobria as estrellas, esses olhos,
que segundo diz um poeta, observam o cu eom a 00lra Punna um dedo sobre as labios
e a trra. iropondo silencio
Em urna sala das formosas casas de Se-
villa, a que os estrangeiros chamam pa-
lacios, defronte de urna charoin na qual
ardia a boa lenha de oliveira, eslava senta-
da urna mulber moca, absorta nos tristes
pensamentos que insprava a noute, da qual
nao se ouvia seno o sossurro do tent que
acoutava as larangeiras do jardim.
Pareca que a solidao aborrecia-a.
No mesmo momento abriu-sea porta da sa-
la, apparecendo na entrada urna pessoa cuja
vista devia ser-lhe agradavel, pois que a
moca ao v-la soltou urna exclamacao de ale-
gra, e foi recebe-la.
A recem-chegada era urna senhora de
edade, baixa, trigueira, cujos modos desem-
barazados e olhos vivos e alegres mostra-
vam que os annos tinham passado por
aquella creatura sem que ella os con-
tasse.
Na verdade, marqueza, disse a recero-
chegada, estive observando-vos por entre
as cortinas, e tendes um ar de languidez,
segundo dizem os poetas, que assenta-vos
mu bem.
Se vos visse vosso amante o baro de S.
Preces, dira que parecieis a estatua da le-
em que a humanidade percorre ao seu des-
tino.
antes o foco reverberante de luz, que inun-
da de Claridade o nosso systema solar.
t A Iradico o manancial da verda-
de histrica: o Jordo immenso, era
que se haptisam todos os fados, segundo o
teslemimlio humano, e segundo a revela-
Cao.
t As estrellas saa muitas vezes pontos
accessoros, que delerminam a exaclido da
viagem.
Os factos sao os elementos dos grandes
acontcimentos histricos.
i Os ventos sao essas forcas da natureza.
cultamente dirigidos por um dedo provi-
dencial.
Os destinos sao successos, que nao
se podem conceber nem explicar, seno
referindo-os a urna ordem sobrenatural.
< A bussola o instrumento indispensa-
vel, que, actuado no seu mecanismo pela
fhfltjuiu-ia do im.in. Java o tmmmtm no porto
do sen destino.
A critica a f, que nos faz discri-
minar os successos humanos da acejio da
Providencia'sobre as circumstancias, eos
resultados desses mesmos successos.
a E como indispensavel saber n'uma
viagem o lempo que se leva, e conhecer o
lugar que se percorre ; no estudo da histo-
ria indispensavel saber-se a chronologia ; e
conhecer-se a geograpliia
Temos por tanto: ocano egoal a his-
toria : mares egnal a pocha : sol egual a
iradico : estrellas egual a factos : ventos
egual a destinos: bussola egual a critica:
tcjnpo eual a chronologia : tugar egual a
geographia.
t Anda mais:
c N'uma viagem pelo ocano temos a con-
siderar : \", o sol : 2o, as estrellas : :,
os ventos : 4o, a bussola
po, que se
fmr onde,
gcm.
que |
elles deveriam ser convertidos como era | De nenhum modo vos me entretenis
degraus de urna escada, que teriam de melhor, do que se me contasseis alguma
subir todos os que pretendessem entrar no cousa, disse-lhe a marqueza.
alcagar da historia.
E' verdade, que n'uma longa viagem,
(e a historia a maior viagem das sciencias)
muto grato ao viandante, em urna ou
outra hora de repouso, subir a urna das al-
turas da estrada, e descortinar ao longe a
distancia que tem de percorrer, ou voltar
os olhos para a que tem decorrido.
o Para satisfazer este desejo, o professor
dever intermediar as regras da arte da his-
toria coma razio providencial da sciencia
da mesma historia.
Lembrae-vos que rae prometestes contar
a historia d'aquella formosa dama, que de-
veu sua singular belleza o nome pelo qual
foi conhecida?
Lembro-me, fallaesda Filha do Sol.
Contar-vos-hei com muito gosto, pois fui
educada no mesmo lugar, onde se deu este
triste successo.
Sentaram-se ambas defronte da chamin,
e a recem-chegada, principrou a fallar da
maneira seguinte:
Ficou vi uva a Sr.1 D. C... com urna
E' sso o que temos praticado ; e pare- filha de 15o maravilhosa belleza, que mere-
ce-nos que com algum proveilo; porque, se ceu appelhdo de Filha do Sol pelo qual foi
em lodo o trabalho se deve combinar o uti- conhecida
le dulce de Horacio, no estudo severo das
puchas e dos factos, indispensavel ir tra-
vando, e correlacionando esses factos. refe-
rindo-os mo invisivel, que conduz a hu-
manidade atraviV/. djM '"""^^SS
Sobre o mechanismo, por assim dizer,
destes Elementos de Historia Universal di-
rei apenas duas palavras sobre a sua ori-
ginalidade, e difficuldade da sua execu-
Co
Na exposigao dos fados nao ha ori-
Temendo as calumnias do mundo, creou
a Sr.* D. C... sua filha longe do mesmo
no silencio e na solidao, onde velara cons-
tantemente sobre seu thesouro. ai ^sa*la I
com o homom digno e IiOnratl, que unindo-
se com a formosa don/.ella deu-lhe seu nome
e fortuna.
A. F. era um liomem de qualidades ex-
celentes.
A filha da vinva unira-se a elle, sem
ama-lo nem aborrece-lo.
Seguir como sempre a vontade de sua
e 5o e 6o o tem-
gasla na viagem
ou para onde se
e o lugar
faz a via-
ginalidade possivel. Na apreciacao dos fac- me,"a qual n5o encontrou resistencia "al-
tos, o philosopho pode muitas vezes alten-! guia da parle da dbil moca
gir originalidade ; mas a missiio do pro-1 Gosavam os dous esposos j a algum tem-
fessor e antes expor o indispensavel, do po, de ura manancial de delicias nao mer-
que apreciar os successos sb differentes rompido, quando um acontecimenlo inu-
pnsmas.
O todo destes elementos pode compa-
rar-se a um desenlio de mosaico, sen3o
til de ser aqu referido obrigou aoSr. A. F.
a fazer urna viagem a Havana.
O Sr. A. F. antes de partir pedio sua
immodestia de nossa parte classfica-lo como sogra, que fosse com sua mulher para fra
tal. |de Cdiz, isto para a ilha do Lefio, onde
O artista de mosaicos quebra as pe'dras deveriam residir durante sua ausencia.
Dias depois, ao sahir urna magnifica frota
de differentes cores em differentes taraa-
nhos; e sobre um marmore escavado col-
loca com paciente trabalho as differentes
pedras de differentes tamaitos. combi-
nadas nos tragos e no colorido de um de-
senlio.
magestosa porm lentamente da baha de
Cdiz, via-se tambem rodar pelos arrecifes
que conduzem de Cdiz a ilha do Lelo, urna
rica berlinda puxada por quatro vigorosos
cavados.
FOLHETIM.
A CONDESSA DIANA
POR
Mil. HAMO UCUARD.
(Continuacao do n. 245.)
VIH
Se bem que apparentemente nada houvesse mo-
dado cm nossa vida, todava bem depressa ti ve
motivo de arrepender-me da minha invencao;
f orque eomecei a notar alguma alteracao as ma-
eiraj da roodesn. Os testemunhos que me dava
4a sua amisade, outr'ora to cheia de abandono,
pareciain forjados entao.
Vi-me dranido do meu paraso. Nao me poda
illudir acerra das causas dessa sbita tibieza, e -
quei atterrado em face do resultado do meu sub-
terfugio.
Ai do mm I era j muito tarde para retroceder:
do minlia propra vontade me havia eu despoetisa-
do I Foi entao que reflecti na loucura desse amor,
coja ronlissao me assustava como se fosse urna
profanapao.
Na.i tardaran) a apparecer outras decepcSes,
que mais anda me acabrunharam.
(.'ni da passeiava no parque, buscando a soli-
d3o de proposito. O acaso guou os meus passos
Kira o lado de urna cabana conhecida no castello
fi'lo nome da .Administraran, que era residencia
do Sr. Placido. Camnhava encostado a cerca de
um jardimsinho, que havia nfrente da cabana,
cuando feriram-me os ouvidos algnmas palavras
de um rolloquio entre o intendente e outro liomem.
que eu nao poda ver, e ouvi pronunciar-se o meu
nome.
O Sr. bario Andr nada tem que ver com
estes negocios, ditia o Sr. Placido com enfado;
pois nao se acha em estado de comprehende-los.
Se amanhaa voc nao me pagar todos os atrasados,
nando-o agarrar em nome delle.
Porm sto arruinar-me, Sr. Placido I res-
pondeu urna voz supplcante. O Sr. bem sabe
Ge a colheita nada rendeu...
Nao me importa com sso I Se fr dar ouvi-
dos a voces todos, nunca me taaviam de pagar.
Peca dinheiro emprestado...Eu c cumpro or-
dens.
Onde qur o senhor gue v achar dous mil
francos de hoje at amanhaa ? O Sr. baro nao
de ser tao insensvel, e se me fosse permittido
fallar-lhe...
J liie disse que o Sr. baro nada pode fa-
zer ; e se voce, Guillot, tentar abusar da sua fra-
quesa de espirito, previno-o de que ha de sahir-se
muito mal!.. .Ollie que dinheiro dinheiro, e...,
O Sr. Placido nao concluiu, ficou boquiaberto.
Eu tinha virado a cerca, e achava-rae na sua pre-
senta.
Infame, miseravel! disse-lhe bramindo de
clera. Explique-me j o sentido das palavras que
acaba de pronunciar.
O intendente levantou-se para refugiar-se em
casa : segurei-o |iela gravata, e fi-lo cahir outra
vez sobre o banco.
Senhor, senhor! exclamou elle empallde-
cendo de mdo. Nao levante a mao para mm...
De joelhos, e |>ede-me perdo, senao esma-
go-te como urna vbora I
Sorcorro I socrorro I halbuciava elle deba-
tendo-se entro as minhas mos.
No meu furor apertei-lhe a garganta com toda
a forea. Guillot assistia impassivel a esta secna.
Perdao, perdao, normaron o miseravel.
A sua cobarda me desarmou; abr as maos,
deixei-o cahir no chao. D'ahi a pouco levan-
tou-se.
Quero que des immediatamente nma quita-
cao a este homem, repliquei com voz imperiosa
dando um passo para elle.
Senhor, cedo violencia; mas o Sr. conde
apreciara...
Nada de replica I Entremos em casa. Ve-
nha. Guillot
Chegando dante da sua carteira o intendente
sentou-se lvido de raiva : apresentei-lhe urna fo-
Iha de papel, e elle escreveu com mo trmula a
quitacao exigida.
s isto que deseja pedir-me, Guillot? per-
guntei ao rentieiro.
Oh Sr. baro, V. S. tem um cxeellente co-
raco I.. .0 meu arrenda ment linda por S. Joo,
e tem de ser renovado. J muito caro, senbor-
e quando a colheita boa posso apenas salvar*
me.. .Entretanto o Sr. Placido falla emaugmen-
ta-lo.
De quanto era o seu arrendamento no tempo
de meu pae ?
De quatro mil e dozentos francos.
E agora T
De cinco mil e quatrocentos francos, o mais
cem francos para o Sr. Placido, accrescentou Guil-
lot que se va apoiado por mm.
Meu honrado intendente, repliquei, renov
o arrendamento pelo preeo antigo.
Isto impossvel, senhor!
Aconselho-o que nao resista, disse-lhe seve-
ramente. Faca o que Ihe digo.
Porm, senhor, eu nao estou autorisado pa-
ra assignar ttulos de arrendamentos.
Isto nada qur dizer; assignarei eu.
Um sorriso malicioso, de que de vara descon-
fiar, acompanhou subraisso do Sr. Placido. Pu-
N'esto carramancho era que Clara, a bel-
la filha do sol, passava compridas horas de
aborrecmenlo. Algumas vezes dizia-lhe Pe-
pa, sua negra, em sua graciosa meia-
lingua r
Este menino minha senhora, faz signa!
que nos callemos, entretanto qm se fellas-
seraos esqueceriamos........Em fim meu
amo tem no barco: o mar, os ventos e os pe-
rigos ; porm nos ci s temos flores.
Clara boccejava e responda- he:
Minha me diz, queaisolido um paraso,
na porla do qual vela um anjo para impe-
dir a entrada do bem e do mal,
Assim passava a vida esta mulher, a quera
nao tinha sido ensinada urna oceupaejio; e a
occiosidade pezava-lhe tanto, como a um
gal as correBtes que deve arrastar. P*e-
cisava da vida activa e livre para divertir-se
assim como a mariposa.
Nao ha homem grande, dizia o rei da
Prussia, (*) sem o pedestal das circumstai>
cas.
Pode applicar-se esta grande verdade ero
muitos casos.
(Conlinuar-se-ha)
VARIEDADES.
Tass e Sanios.
l c esto os homens.
Vollaram exactamente com o mesmo fei-
tio> com que tinham ido, um pouco mais
queimados, menos alegres tal vez. e? tonteados
ligeiramente do que viram, meio dormen-
tes do que eslao vendo, e fallando-incessan-
temente do nosso ch'ma, que o avallo de
batalha de quem nao sabe o que dizer em
louvor deste paiz I
Pelos modos, levaram por l urna vida de
prazeres. Elles dizem que nao, mas lu-
do pudor. Santos correu de conquista em
coaquista, como a borboleta de flor em flor,
(estylo de i802) almocando urna biche, cean-
do urna lorette; no estrangeiro leem muila
sahida as physionoraias como a sua,.olho ras-
gado, cabello crespo, beigo grosso cor mo-
rena,... e hombros largos; os hombros n5o
pertencem bem physonomia, inascomnle-
iam Q/jni crim -i-o o* 4t. imiudc s<;u sem-
blante. As parisienses, um pouco enfastia-
das do bigode retfif cido e pestaa curta dos
seus compatriotas, nao podiam deixar de ob-
servar a guedelha s tnica deste meridional
da gemma, mais oolhar ardenle, a expres-
so rabe, a sobrancllia pesada, o lodo car-
rancudo e bello do amoroso galla ; todava,
onde elle produziu um enthusiasmo plios-
phorecente, um fanatismo, como por l se
diz, foi em Inglaterra: as lacties pergunta-
vam sensivelmente desmaiadas, o que sgn-
licava semelhante typo; no thealro, at os
banqueiros oexaminavam.os porteiros dei-
tavam-lhe o oculo; foi urna vez tirar o retra-
to a um photographo, e d'ali em diante va-
se gaqo com o artista, porque o r.omem ti-
nha tanta venda aos retratos do moco, que
o quera escripturar sem embargo do Sr.
Francisco Palha,... s para Ihe lirar retra-
tos. No seu regresso a Paris, deu-se ainda
urna aventura, que demonstra o quanto por
(') O autor refere-se a Frederco o gran-
de da Prussia.
(Nota do traductor.)
chou um masso de papis, trou o antigo arrenda-
mento, e poz-se a copiar servilmente. Segu com
os olhos o movimento da sua penna com mdo de
que me illudisse.
Quando acabou de escrever, assignei, e entre-
guei a Guillot o titulo de arrendamento, dizendo-
llie :
Agora est tudo em regra. Se este bregeiro
o incommodar de hoje em diante, dirija-se a mim.
Quando eu me retirava cm companhia do meu
rendeiro, vi o intendente tomar por urna alea um
pouco distante, e dirigr-se ao castello toda a
pressa com o designio lalvez de contar tudo ao Sr.
de Maufert. Pouco caso fazia eu da sua denuncia.
Satsfeito com a aeco, que havia praticado, e com
a correccao infligida ao executor das ms obras
do conde, julguei intil entrar em alguma expli-
cacao sobre a minha conducta. Fiz o que devia,
e juslficar-me neste caso seria rebaixar-me.
S vi o Sr. de Maufert hora do jantar. Espe-
rava alguma exploso da sua parte; mas enganei-
me, e at mesmo encontrei-o quasi amavel, o que
nao me deixou de siirprehender. A prebendada
continuava a dispensar-me a sua benevolencia.
Smenle minha madrinha eslava inquieta, e me
observava com atteneao, como se receiasse algu-
ma imprudencia da minha parte.
O que Ihe aeonteceu com o Placido ? per-
guntou ella em voz baixa.
Nada de importante, respond: corrigi-o ape-
nas da sua audacia.
Esta resposta a tranquillisou. O conde estava
de bom humor. Nada denotava que estivesse zan-
gado commigo.
O parque achava-se humedecido por ter chovido
nesse dia : fieamos por tanto no salo. Magdale-
na poz-se ao piano, meu tutor e a baroneza come-
caram urna partida de xadrez; sentei-me ao p de
Diana que tomou urna obra de tapessaria
No fim de al{[uns minutos perguntou-me ella
anda em voz baixa :
Voc nao sae ?
Nao; porque me faz esta pergunla ?
. ~ Por nada i I*"18*' cio tora, accrescentou n um tom de indifferentis-
mo.
Negocio, eu ? Mas onde qur Vmc. qUe eu
v?
Nao sei; suppux que quizesse sahir.
Porm Vmc. sabe que nao costumo dcixa-la
a esta hora, salvo quando vou escrever alguma
carta.
Est bom, nao exijo confidencias, disse ella
vivamente.
Encarei-a, admirado desse tom de amargura.
Inclinada sobre o seu trabalho, nem se qur le-
van tou os olhos. Nao sei que perturbacao a agi-
ta va.
M#u Deus I exclarati: acaso Ihe offeodi.
minha madrinha T
com esta minha per-
la esto valendoos trigueiros: parece que o
nosso Santos deixra ficar n'um photogra-
pho o retrato que ali tirara, e estivera seis
dias sem o ir buscar. O photographo, ao
stimo da. resolveu ir procurar este Pedro
do Sr. Mendes Leal.
-* Meu senhor..
Viva !
O senhor ...
r- Um gala.
' Um gala ? Acredito. O meu nego-
cio, todava, nao tem referencia alguma
sua posico, e a dizendo simplesmente que
oSr. ...
Que eu sou?...
O cavalleiro que ha seis dias foi a mi-
nha casa tirar o seu retrato...
Exactamente.
E que nao voltou !
E que nao voltou; sou eu.
Muito bem. Venho perguntar-lhe ape-
nas...
Diga l I
Se faz empenho no seu retrato?
Como, se fago empenho!
Se o estima, se o deseja., se sempre
qur ficar com elle?
E porque nao I Tem sido apenas o ter
muito que fazer, que me impediu de o ir
buscar I
que, proseguiu o photohrapho um
tanto embancado, alguem deseja vivamente
compra-lo, e offerece por elle um bonito di-
nheiro.
Oh! As mullieres I exclamou Santos,
desdenhoso e enfastiado. Estou farto de me
um ponto n'isto!
D'esta vez nao urna mnlher I
Ah NSo? Enlo quem...
um eslalajadeiro!
Hornera I Essaagora? Que empenho
pode ter de me possuir um locandeiro ho-
nesto, que nem me conhece I
Deseja-o para por na parde, do lado
da ra...
Do lado da ra !
Sim senhor, elle h dono da estalagem
da Ti'le-noisc.
Ah! Como smbolo l Percebo.
Apesar, todava, de propoetas vanlajosissi-
mas, Santos temnuem nao ceder o retrato
e a sua ultima phrase ao photograph foi
simplesmente esta:
Se ao menos-fosse urna-estalajadeira !
Pel que respeit* a Tasso nao bastara um
volume, para conten suas aventuras amoro-
sas- no eslrangeiro. Os dous gaias que cos-
tumam levar a vida a fingir que amam, ama-
rara desla vez; semelhantes aos pastelleiros
que fazem pastis todos os dias e nunca oe
comem, chegou tira din em que- o appetile
veiu imperioso; paslelleiros do-amor, os ga-
ias Tasso e Santos terminaram... por comer
o pastel!
Habituado a escola- das paixes perigosas,
Tasso que veiu em tempos mais agitados que
os de hoje, em que o-coraco nao anda va em
calmara alravez das pecas simples e desco-
radas-da nossa poca, nao pode esquecer ain-
da completamente as sensacoes- de um duel-
lo en* seguida a uro randez-vous, nem dis-
pensar-se, em se querendo divertir, de dar
um tiro n'um marido' e passar por cima do
seu cadver! .. A educado que faz tudo.
de pequenino que se torce o pepino. Of-
ferecatn l a Tasso um amor sem falalidade,
a ver se elle qur. Ha de atirar-se frente
de dous cavallos que vo coro o freio nos
denles, salvar qualfuer senhora. que v na
carrungem, nao querer nunca ser visita da
*" po" iiui.: t|ua o ilutara, .lo proposito
para que a familia estranha guando l o sar-
prehender um dia. saltar por urna janella,
que deita para ura rio, e pela noute adiante
voltar de capote, e dizer dama:
Queris ser minha ? Fujamos!
E' um defensor do rapto, e um acolito
exaltado das entrevistas pop escada de cor-
da. A chronica das salas, indi screla sempre,
fez bulha aqu lia tempo- a proposito de um
caso, que terminara por onde a guerra de
Troya principiou, isto o roubo de urna
Ihllena do Ciliado levada para Canecas por
um pastor Pris de bota de poliraento. O
Chiaao, tra toda a sua casca dourada, estre-
mecen de jubilo. Santos deixou-se sorrr,
e disse no seu melhor tom irnico:
Pois ainda se acham nestes termos de
realismo mullieres to tontas, que encom-
mendem um rapto ao namorado !
Tasso respondeu-lhe com a dignidade do
antigo amor na ra dos Condes, o amor de
1830 :
Deves de preferencia admirar-te, ga-
la desta manha, de ainoa nesla poca de
namorados gordos (pungente remoque ao
A condessa commoveu-se
gunla.
De sorte alguma, respondeu com mais doeu-1
ra. Suppondo que voc ficava em nossa compa-:
nhia por mera condescendencia, quiz restituir-lhe
a liberdade.
Diana pronunciou estas palavras com tristeza.
Pareceu-me descobnr-lhe um pezar oceulto. Am-
bos guardamos silencio.
Magdalena continuava a tocar.
Oh !_ baroneza, exclamou meu tutor de re-
pente ; nao ataque o meu rei com tanta furia.
Ei-lo n'uma siluaco tao desesperada romo a do
pobre Placido seguro pela gola por um certo barao
do nosso conhecimento.
O conde concluiu a sua phrase lancando sobre
mim um olhar jovial. Suslentei esse olhar sem pos-
tanejar.
O que diz, meu caro ? proseguiu elle sorrin-
do. Parece-me que nao brinca muito com a minha
ente I..... Pobre Placido !... Que cara nao havia
e fazer I...
AfDanco-lhe que muito fea, repliquei com o
maior sangue fro.
Creio estar ouvind os seus gritos quando
viu-se agarrado pelo n da gravata... O titulo de
arrendamento sobre tudo havia de custar-lhe mui-
to...
Mas nao teve remedio senao copia-lo ; era o
importante I...
Justamente ; era o importante, tornou o con-
de cada vez mais alegre.
E concluiu a sua partida.
IX
Muito satsfeito eom o resultado desse meu pri-
meiro ensaio de autoridade, resolv ir pessoalinen-
te visitar alguns dos meus rendeiros, afim de re-
colher as queixas que podessem ter contra o inten-
dente. Com o enthusiasmo dos meus vinte annos,
pareeia-me glorioso representar o papel de repara-
dor de injusticas, e apparecer assim de repente
aos olhos de todos elles como urna providencia,
afim de faz-los abencoar a memoria de meu pae,
que reviva em mim.
Orgulhoso por este meu projeeto, logo no seguin-
te da depois do almoco dei ordem para que cel-
lassem um cavado. *
Vae sahir f perguntou-me Diana.
Vou dar um passei'o na florosta do lado da
cabana de Smao.
Nao Ihe pergunto onde vae..
Part contristado, porque reconheci urna censu-
ra nesta resposta. Pareceu-me que minha madri-
me aecusava por abandona-la enfadonha
nha
companhia de sua ta. Porm tinha um devera
preenrher, e estava certo deque ella me ponteara
quando soubesse o motivo da minha ausencia.
Nao me enganei as minhas conjecturas ; al-
guns rendeiros, quera vsitei, disseram-me que
eram odiosamente perseguidos. Energqnhava-me
a minha riqueza s ao pensamento de que para
accrescentar mais alguns milhares de escudos as
quinhentas mil libras de renda do meu patrimonio
ousavam, nao obstante o pacto feito com os meus
antecessores, opprmir em meu nome essa pobre
gente, que ahmentava o meu luxo e occiosidade r
Voltei chcio dos mais generosos designios. An-
dei doze leguas a galope, recejando recolher-me
muito tarde, e causar sustos minha madrinha.
Magdalena fez-me algumas perguntas sobre o meu
passeio, e pediu-me noticias da mulber de Simo,
casa de quem costumava ir outr'ora.
Nao a vi, respond : no caminho tomei outra
delberaco.
Pois andou errando na floresta todo o dia !
E verdade ; deixei-me conduzir descripeo
do meu fiel Ralph.
de suppr que elle oconduzisse muito lon-
ge, disse minha madrinha, pois que voltou coberto
de espuma e bastante fatigado.
Est claro que a condessa me vira chegar. Co-
rei por me apanharem assim era flagrante delicio
de mentira, e arrepeodi-me de ter inquietado a
sua soliciude. Contava desculpar-ma no outro
dia declarando-lho o segredo do meu passeio ; po-
rm debalde a esperamos, eu e Magdalena ; nao
appareceu.
Urna manha achava-me s no parque, e vi cor-
rer para mim o rendeiro que eu havia protegido
contra o intendente. Estava to paludo que presa-
gei logo alguma desgraca.
O que islo, Guillot ? Falle depressa.
Eis o que senhor. Outro da, quando nos
separamos, voltei aos meus affazercs em Monther-
ra. Entrava na minha casa muito contente, eis
que minha mulher me apresenta chorando um
papel que tinha sido entregue por um offlcial de
justca na minha ausencia : era urna citaco para
pagar dentro de vnte e quatro horas os dous mil
francos de atrasados do meu arrendamento. Tran-
Juilisci minha mulher dizendo-lhe que o offlcial
e justica fra procurar-me semduvida em quanto
eslavamos na casa do intendente. Tinha na algi-
beira o recibo que V. S. me havia dado, e nada
receei : porm hoje pela manha vollaram tres
oflciaes, e apoderaram-se de tudo que eu pos-
suia.
Nao pode ser : o seu recibo est em or-
dem.
Lea V. S. este papel que elles me deram.
Tomei-o precipitadamente, percorricom os olhos
o seu contedo, o fique i indignado : era urna or-
dem de sequestro requisico do Sr. de Maufert,
meu tutor.
Meu pobre Guillot, nao se afflija, disse-lhe eu
dominando a minha clera : o negocio nao para
Unto. Pague j os dous mil francos, que ser sus-
tado o sequ estro.
Mas eu nao tenho este dinheiro, senhor, e
j mudo tarde para, pedl-lo emprestado!
collega I), se encontrarem rapazes bastante
romnticos para se incumbirem da opera-
cof
E' to raro avistar dous artistas verda-
deramente amigos, que estes dous creio
que foram saudados no reino amoroso cora a
sympalhia contemplativa que sabem inspirar
s mullieres. la ura sombra do outro, e
ellas ficavam s vezes sem saber decidir'-se
pela comedia moderna ou pelo drama ultra-
romanlico. Parece que um destes I'ra Dia-
volos dos coracoes teve por l a phaniasia
de ser admiltido em casa de urna das for-
raosuras da voga; foi o Tasso Dizia-lhe el-
le urna noute no boudoir:
Ha de conlar-mo se verdade o que
me teem dito de si. Gostou realmente da-
quelle esttico X, que atravessa Paris como
urna vrela de chapu de chuva a andar ?
Monta to bem a cavallo !
E o esopo de um tal H' ?
Tem to boas carruagens I
E o romancista V ?
Tem tanto esiylo!
E um que nao tem nada dsso, um
Portuguez que ah est, e que me dizem
que tambem mereceu j as suas boas gra-
cas, um tal Santos ...
Ah f E' to seu amigo f
Foi por isso, en to ?
Cerlamente. E' muito seu am?o f
Tudo sto elles negara. Soube-o por car-
las confidencaes de aiguns amareis espioes
parisienses. A dar ouvidos a estes dou3
Faub as da Lusitania, nao fi/.eram por l se-
nao ir ao theatro, observar, esmdar, correr
trras, ver mando, comprar objectos- d'arle,
e aprender pela ausencia a amaren ainda
mais suas mulheres! Tudo historias, est a
bem decrr. Levam a astucia a pone-de
terem trazido nma quaotidade prodigiosa
de objectos proptios de scena, alm de mui-
tas curiosidades artsticas, as photographias
de toda a gente celebre de theatro, gravu-
ras notaveis, galantarias parisienses, recor-
dacoes do palacio de erystal, presentes par
a familia e para os seus melhores amigos
emfim, tudo disposto de forma que chega
a parecer nao haverem? tido tempo de tratar
por l seno de cousa6 serias f O' disfar-
ce f...
Vale-Ihes apenas serem ambos to bons
mocos, e haverem armai to subtilmente
o lacoa toda a gente de morrer- por elles
de sympalhia, a ponto de ninguem espalhar
por c a historia de seus abusos venturosos.
Que etles, aqui para nos, ^ deviam ver na
graca regia urna especie de aviso sua ju-
venil imprudencia : vejam l: se el-re lites
deu um Gaixa de rap, como e de praxe pa-
ra com estes hroes de theatro a quem se
quer obsequiar I Nao teem ainda o feitio
proprio para um presente dessa natureza,
o que isto revela !' E' sabido o quanto os
res da Europa professaro o cute* do rap.
Os narb.es- dos artistas sao insaciaveis. Os
melhores reis andam sempre com duas ou
tres caixas- de rap, de ouro, na algibeira,
para, se encontrarero algum maestro cele-
bre ou algum actor extraordinariamente fi-
lustre. Em este peiz podendo alargar os
vos, um dos primeiros passos a dar esla-
belecer um ministerio especial das caixas
de rap nacion3es e estrangeiras. Nao se
sabe bem o motivo da predileccn dos mo-
narchas per esta dadiva, mas suppoe-se que
gostam de dar consumo cultura do tabi-
co, por ser urna das rentes mais abundantes
do orcamento. O que certo que, para um.
actor, nao ha prazer mais alto do que rece-
ber esse presente ; Epiphanio, pie tinha o
habito de Christn r.nstnu-lhe sempre n:
ter a caixa de rap ; e o Sr. Braz Mnrlins,
que, no fundo de sua consciencki, nao pode
de certo soffrer o eslurro e o raacaroca, fr>
mou rap durante muitos annos, como-con-
vite munificencia regia e alcangou em-
fim que o Sr. D. Fernando se lembeasse
delle neste sentido I
Tasso e Santos esto de novo entre nos,
este o caso. Saudemos un> instante a se-
rio estes dous artistas de talento e de ccra-
(o. Veem encantados, veem saudosas, co-
mo eu os esperava. Quando partiram de
Paris, quizeram matar-se, e Santos foi o en-
carregado de comprar duas pistolas, para
poderem morrer juntos. Saiu para as r
buscar, mas pelos modos trouxe so urna.
Ento tu trazes urna pistolla s ? f dis-
se-lhe Tasso.
Pois ento ella de dous tiros Cada
um tem o seu.
Como esta idea os fez rir, o riso os des?
armou. Resolvern) suicidar-se por outr
maneira voltando para o theatro de D. Mar
ria. Representam d'aqui a seis das !..
(Da Revoiuco de Selembro.)
Eu vou dar-lhe: siga-me.
E arrastando-o eomigo corr at o me* aposen-
to ; abr precipitadamente a gaveta cm qpe guar-
dava o dinheiro.
Fiquei aterrado i Esqueca-me de que tres dias
antes um amigo de Heidelberg me escruvra pedin-
do tres mil francos emprestados, e qu eu os ha-
via mandado, ficando apenas com mis quarcnla
luizes.
Guillot mais aterrado ficou : via-se perdido.
Tinha recebido na semana passada a mesada de
dous mil francos, queme dava o-uiwi tutor : com<
tudo resolv dirigir-me elle, ainda que contasse
com urna recusa. Recommendei Guillot que mp
esperasse ali mesmo. A occfeiao o era propra
para suscitar questes cora, o Sr. de Maufert,. que-
seriain desagradaveis, e era assim reclama* con-
tra as iniquidades commettidas em meu boom.
Elle tinha o dreito por si, e era homem canaz le
arruinar sem pedade o Btetiz que se toriasse ir-
reflectidamente cmplice da minha desobediencia.
Revcsti-me de coragem, decidido a usar de tor-
mos brandas afim de obter um adiaiuamonto da
minha penso, e desci toda a pressa. Disseram-
me que o conde estara em conferencia com o seu
intendente at a noute.
O tempo urgia : nao me restaya outro rocurso
senao tentar um emprestmo con* meu tabelliao,
que me havia ajodado por diversas vezes a pagar
algumas dividas de esludante.
Guillot se lastimava : mandei-o esperar-me *
eaminha Fiz por o carro, e partimos para Moa-
therm, onde chegamos duas horas. Por urna, de-
ploravel falalidade o meu tabelliao estava agua-
te. Fui casa do offlcial de justica. contando que
sb minha garanta elle podesse esperar mais um
dia, suspondendo o sequestro. Mas respoodeu-me
3ue recebra ordem de proseguir na exeoueao sem
emora, e que a minha nalavra de menor nao ga-
ranta a sua responsabilidad?.
Furioso per nada poder fazer, desesperado com
as lamenta^es do pobre Guillot, andava atoa pelas
ras, quando o acaso me fez encontrar Bastlao,
o contrabandista, que me disse, sabendo o mou
embaraco:
Com effeito, Sr. Andr : dirija-se casa do
pae Abraho I
A sua lembranca pareceu-me urna inspiracodo
cu. Na minha perturbacao esquecra esse Judu,
quem j tinha recorrido nos meus dias de lou-
cas dissipaces para pagar dividas de jogo, que o
meu tutor recusara saldar.
Dez minutos depois baila porta do usu-
rario.
{Contuur-te-kaJ
PERNAMBCO- 1TP. M. F. P. 4 FILHO-
'
4
-

i
ILESLYEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJ9XXWQNW_TX0TNS INGEST_TIME 2013-08-28T01:55:16Z PACKAGE AA00011611_10226
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES