Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10217


This item is only available as the following downloads:


Full Text
W\1
Mi"!
AMO XHX NUMERO 237.
Por tres mezes adantados 5$000
Por tres mezes vencidos 6SO09
SEXTA FEIRA 16 DE 0DTBRO DE 1863.
Por anno adantado.....19S00O
Porte para o subscriptor. 3JJ000
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQO NO NORTE
Parahyba. o Sr. Antonio Alexandrno de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de. Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaqiiim Marques Ro-
rigues; Para, os Srs. Manocl Pinheiro & C; A-
inazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL
Alagas, o Sr. Claudino Falro Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
roira Martins PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas
sextas-feiras'.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo,'Psqueira,
Ingazcira, Flores, Villa Bella, Tacarata', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sennhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali shir
navio.
Todos os estafetas partem ao / dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE OUTUBRO.
4 Quarto ming. as 3 h., 36 m. e 8 s. da m.
12 La nova as 3 h., 17 m. e 2 s. da t.
19 Quarto cresc. as 4 h., 40 ni. e 32 s. da t.
26 La cheia as 2 h., 30 m. e 20 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 5 horas e 18 minutos da manhia.
Segunda a* 5 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTE1ROS.
P**? so' at Alagas a 5 e 25; para o norte at
a GraH|* a 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
das Hdos mezes dejan, marc., maio, jul, set. enov.
1 PARTIDA DOS MNIBUS.
Pata* Recife : do Apipueos s 6 '/r, ?> 7 '/, 8 e
8 '/i "; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6"/, da m. do Caxang e Vanea s 7
da mi ie Bemfica s 8 da m.
^ ?*fe,,: P*!3 ? AP'PUC0S as 3'/?, 4, 4 Va, 4 V?,
' !* t '* e 6 da larde-, para Olinda s 7da
manhaae 4 /i da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; pa Cachang e Vanea s 4 >/ da tarde; para
Bemfkas4datarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dlo de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
12. Segunda. Ss. Cypriano e Walfrido bb. mm.
13. Terca. S. Eduardo; S. Daniel m.
14. (Juana. S. Calislo p. m,; S. Gaudencio b. a.
15. Quii'. S. Thereza de Jesus v.c.
16. Sexta. Ss. Martiniano, Elisio e Satunan irs.
17. Sabbado. S. Florentino b.; S. Mariano ni.
18. Domingo. S. Lucas Evangelista; S. Trifona m
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praca da Independenei i
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiro da
Faria & Filho.
PARTE OFFIGIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 13 de ontnbro de 1863.
Offieio ao commandante das armas.Queira V.
IMMiWH) DAS ARMAS.
Per-
Quartcl general do coniniando das armas de
nal i lineo, 12 de ontubro de 1863.
Ordem do da n. 258.
Acontecendo por mais de uina vez ter em al-
gum presos fgido do poder das escoltas que
os condusem por se ter tolerado o abuso de viaja-
F.xc. expedir as suas ordens para que a terca que rem elles a cavallo, ao passo que as escoltas o fa-
tem de seguir para o presidio de Fernando em vir-zem p, sem que ao menos sejam manietados
tude do meu offlcio desta datase aprsente na casa de modo que nao lhes fiquem os movimentos livres
de detengo afim de receber os presos destinados para tzerem correr os cavallos, e
ao mesmo presidio. parem-so: determina o genera'
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. mandar pres-
tar com urgencia urna forca de vinte pracas afim
de escollarem igual numero de presos para o pre-
sidio de Fernando no vapor Jaguaribe, que para
all deve largar hoje, podendo ossas pracas firarem
ali em subslituico a outras que V. Exc. julgue
conveniente mandar retirar do mesmo presidio.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Em vista dos inclusos documentos que me foram
desta arte esca-
commandante das
armas muito expressa c positivamente aos Srs.
commandantes de destacamentos que j mais rece-
bam e nem mandem conduzir pelas escoltas pre-
sos cavallo, sejam elles de que natureza forem, e
sim p, afim de que com toda a seguranza che-
guem os lugares de seus destinos, e ficar assim sal-
; va| a responsabilidade de seus conductores.
Esta ordem deve ter o mais restricto e literal
cumpnmcnto,sob a immediata responsabilidade dos
remedidos pelo brigadeiro commandante das ar- mesmos Srs. commandantes de destacamentos.
mas com ofllcio de fiontem, sob n. 1,902, e nao ha- AssignadoSolidomo Jos Antonio Peretra do
vendo inconveniente, mande V. S. pagar ao 2o te- Lago.
nente do 4 batalhao de artilharia a p Olvmpio ConformeJo*? Ignacio de Medeiros Reg Mon-
Aurelio de Lima e Cmara, a quantia de 9*030 rs. taro, capitao ajudante de ordens encarregado do
por elle despendida desde 8 ate 22 de agosto ulti- dctalhe.
roo com o expediente da quarta companhia da- ^___^
quelle batalho.que commandou conjuntamente com
a quinta durante aquelle tempo como se v dos
citados documentos.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que soliciten o
director das obras militares em ofcio de hontem,
sobn. 21C, junto por copia, recommendo V. S.
que em vista daconta tamhem junta em duplcala
-mande pagar Frederico Skiner, a quantia de
1005 proveniente do acrescimo de obra que se deu
na raleada construida em frente do quartel do cor-
po de guarnico.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
EXTERIOR.
(OKKISI'OBMXiA DO DIA-
RIO de PEBv%mn o.
iu:si\\n.
Madrid, 2o de setembro.
O partido progressista acaba de perder o seu pri-
orador, infatigavel
meiro ornamento, o brilbante .
Restituindo V. S. o requerimento documentado' publicista e insigne poeta D. Pedro Calvo Asceneio
do professor publico de nstrucco elementar do ex-deputado s cortes, e director, e proprietario da
Io grao da povoaco de Tamandar Virgilio Vieira i iberia.
da Cost Pinto sobre que recusa a sua inforroaeo Falleceu no dia 18 do correte s 11 X da ma-
de hontem, sob n. 520, o autoriso a mandar pagar nha victima de urna febre typhoide, deixando no
ao supplicante a'quantia de 915636, que se Ihe es- maior desconsol a sua familia e povoaco intei-
t a dever proveniente de seus vencimentos a con- ra, que durante a sua curta enfermidade demons-
tar do Io de julhoat 13 de agosto deste anno con- trou impaciente o vivissimo interesse que Ihe ins-
fornie indica a contadura dessa thesouraria, no pirava a vida de to Ilustre patriota, defensor,
parecer a que se refere a sua citada informaco.! ainda que moco, dos direitos do povo e da causa
Dito ao commaudanle do presidio de Fernando.! commum da liberdadc e do progresso.
Havre, mu delicada do sade, tratando de sua fl- cumenta, com que pedem os vigarios o pagamen-1
lha a marqueza do la Isabella, mui adiantada em l0 das congruas o visto do mesmo visitador,
sua segunda gravidez. I y. intpector da thesouraria, attendendo esse
O duque de Rianzares que Picara em Vella Bos- Pedido, deu suas ordens nesse sentido.
3uet desde a morte de seu filho o eonde de Gracia, l O vigario da cidade das Alagas, porm, nao
isponha-se a marchar para o Havre, afim de reu-1 Quercndo estar jielos autos, nem se sujeitr a um
nir-se a sua esposa.
Foi ratificado o convenio entre o governo hes-
panhol o o dos Paizes Baixos para assegurar reci-
procamente nos ditos estados o exercicio do direito
de propriedade litteraria e artstica ; foi assignado
na Haya a 31 de dezembro ultimo.
Foi exonerado por decreto de 19 de setembro do
governo das ilbas .'aleares, D. Mathias Edmundo
Firel, marquez de los Llagares, e nomeado por de-
creto da mesma data para o substituir D. Joao Bap-
tista Madramany, alcaide corregedor de Barce-
lona.
Acerca da annunciaua expedicao d'Afrea
dz-se que a Hespanha vai mandar doze mil ho-
mens para castigar as insolencias dos mouros da
costa de Riff.
A opposicao entende que a Hespanha nada tem
a ganhar com esta expedicao, e que os sacrificios
peenniarios e as perdas de vida nao estavam em
relaco com as gloras que houverem de se con-
quistar.
A administraco militar, porm, dispoz todo o
ser vico necessario para prever raeo e etape des-
de o dia em que a tropa deixe o territorio peninsu-
lar.
O tenente general D. Manoel commandaria a ex-
pedicao. O general Maldonado dirigir a parte que
se lhc encarregar; os brgadeiros Reino e Gaertner
e outro ainda nao indicado, commandaro as bri-
gadas.
O capitao D. Joaquim Buisan, ajudante de campo
do marquez del Duero, vai na expedicao a Mellila
s ordens do general em chefe.
Tem havido mui tos pedidos para fazer parte da
expedicao.
Os negros de S. Domingos insurgiram-se con- j
tra os Hespanhes. Dous mil soldados sahiram
pan debellar a revolt. O presidente da repbli-
ca do Hait, Gcoffar, est resolvido a perseguir com !
energa qualquer conspirarlo contra S. Domingos
c a todo aquelle que a proteger no territorio da re- i
publica. Assim o annunciou ecomecou a levar a
Ritmetto a V. S. para terem o convenienje destino
as guias de 20 sentenciados de jutica que seguem
para esse presidio no vapor laguaribe, c cujos no-
mes constain da relaco inclusa, sob n. 1, e bem

daquell
doados na relaco annexa ao meu ofico de 10 de
setembro ultimo, deixando de seguir o de nome
Antonio dos Santos.
Dito ao capitao do porto.Pode V. S. remetter
para a corte, no vapor que se esperado norte, os
4 reerntas menciouados na relaco annexa ao offl-
c i i que me dirigi hontem, son n. 127, ficando
cando V. S. certo de que esto expedidas as con-!
venientes ordens para o respectivo transporte.
Dito ao thesoureiro das loteras. Pode Vmc. I
fazer extrahir a parte da lotera extraordinaria de
3ue trat o seu offieio de hoje datado, em beneficio
a Santa Casa de Misericordia, regulando-se assim
pela tabella organisada em 26 de junho ultimo.
Dito a cmara municipal do Bonito.Ao offieio
queme dirigi a cmara municipal da villa do Bo-
nito, em 22 de setembro ultimo, respondo, decla-
rando que ficam approvadas as arrematcoos dos
diversos ramos das rendas de seu municipio pet
quantia mencionada no citado offieio, cumprindo
qoe essa cmara remetla-me as copias dos termos
dos respectivos contratos.
Dito a cmara municipal de Ipojuca.Approvo
a? arrematarles dos mpostos de que trata o termo
de contratoque acompanbouo offieio que mediri-
fio a cmara municipal da villa de Ipojuca, em
dala de 30 de setembro ult'ino..
Dito ao gerente da companhia Pernambucana.
Em os lugares de estado de que dispoe esta presi-
dencia, mande V. S. dar passagem para o porto do
presidio de Fernando a Anna Maria do Espirito
Santo, casada com o preso Manoel Pereira de Li-
ma, ( proa) cujas comedorias serao pagas por
parte della.
Dito a.o mesmo.Rocommendo a Vmc. que nao
consinta largar do porto desta cidade o vapor Ja-
guaribe, sem que estejam embarcados os officiaes,
sentenciados de justica e pracas, que tem de seguir
no mesmo vapor para o presidio de Fernando.
Portara. O Sr. gerente da companhia Pernam-
bucana faca transportar para o presidio de Fer-
nando, por conta do ministerio da guerra, o 2 ci-
mrgiao Dr. Lvido de Bastos Varclla, que vai ser-
vir no mesmo prosidio.
Dita.O gerente da companhia Pernamburana,
faca transportar pa.ia o presidio de Fernando, no
vapor Jaguaribe, por conta do ministerio da guer-
ra, o capello do mesmo presidio padre Jos Lopes
Dias Camello.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana mande dar transporte para o presidio de Fer-
nando, no vapor Jaguaribe, a 20 praras de primei-
ra linha, que vao escoltando igual numero de sen-
tenciados de justica.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana mande dar transporte para o presidio de
Fernando, por conta do ministerio da justica, no
vapor Jaguaribe, aos 20 sentenciados de justica
mencionados na relaea) junta, ficando sem cffeito
a portara de 10 de s'etemnro ultimo
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana mande dar transporte para o presidio de Fer-
Ainda ha poucos dias tomava activamente parte
as questes de maior interesse para o seu paiz ;
em grande parte se deve a elle a attitude digna
que o partido progressista tem tomado nestes
-se de todos os actos eleito-
profundamente ferido seus
s da reaeco.
effeito mandando prender todos os emigrados
minicanos que tem apparecido na fronteira.
O brigadeiro Sr. Espinae commandanje geral da
provincia de Avila foi destinado ao exercito de S.
Domingos, tendo recebido. ordem de dspr a sua
viagem com a maior brevidade.
0 Sr. Espinae um dos cheles mais notaveis do
exercito hespanhol, pelos seus conhecimentos tech-
ado de sen superior ecclesiastco, que" nao tem
fundamento na legislacao fiscal, requereu presi-
dencia, que mandasse pagar a sua congrua, in-
dependente do visto do visitador, urna vez que
apresentava elle attestado de autoridade compe-
tente.
Ouyidas as partes, decidiu o governo, que o
visto do visitador nao era essencial nos documen-
tos para pagamento das congruas.
A eneldo o visitador nesse terreno, publicou logo
fin buxas, urna circular, em que ordenava aos
seus vigarios, que antes de apresentarem esses
attestados s thesourarias, os submettessem ao
visto dos vigarios da vara as respectivas fregue-
zias, ou ao seu visto, invalidando dest'arte os at-
testadOB exigidos por le e passados por autorida-
des competentes.
Alera dessa preserlpcao ecclesiastca abundou
elle em mais algumas consideracoes tendentes a
demonstrar o fundamento do seu procedimento.
Entendemos, que o governo nao poda dcixar
de proceder deste modo.
A imprensa alagoana tem estado em completa
pasmaceira.
O Jornal de Macei, presumido orgao dos li-
gueiros da trra nao tuge nemmnje, contenta-se
apenas em dar algumas noticias, fazer algumas
transenpedes, e publicar os actos do governo 111
Parece-nos que est soffrendo de alguma moles-
tia chronea, ou que j nao ha identidade de pen-
sar I
A desconfianza lavra com intensidade, verda-
de; mas por ora vai tudo sem maior novidade.
O Diario das Alagas est refocillando das fadi-
gas da ultima adminstragao.
Mira-se hoje em outro espelho, e deixa vogar a
nu publica merc das ondas e dos ventos pro-
gressistas.
Tem-se limitado a transcrex-er alguns artigos e
variedades do Constitucional do Rio e de Pcrnam-
buco. Em um de seus ltimos nmeros foi pu-
blicado um artigo sobre a exrlusao do Dr. Jos
do-! Angelo de membro do directorio do partido pro-
gressista.
Nada adiantamos a este respeito em quanto nao
virmos publicado o memorndum do mesmo dou-
tor, relatando e apreciando os factos occorridos.
No Mercantil tem sido publicada urna analise
aos artgos eseriptos por Adolphe a"Asier na Revue
des deux mondes. E trabalho do intellgcnte padre'
nicos demonstrados em Cuba, Mxico e Melilla, on- Manoel Amancio das Dores Chax-cs.
de tem desempenhadocommissoes e cargos de im-'
portancia.
Corre o boato de que o gox-erno vai introducir'
A sna perda irreparavel, principalmente para grandes reformas na organisacao econmica e ad-
o partido progressista puro de que era a alma.: ministrativa da ilha de S. Domingos.
Ninguem mais activo, mais arrojado, mais honesto,' Assegura-se que vai ser rendido o general Ri-
mis consequente do quo elle. ; vero capitao general de S. Domingos, cujo cargo se
Embalsamado o seu cadver foi depositado na pa- confiar ao marechal de campo D. Carlos Vargas,
rochial groja de S.iuiz, d'onde foi-trasladado no Diz-seque o brigadeiro Buesia. cuj arrojo o le-
donungo 20 s 4 horas da tarde para o cemiterio vou alancar-se entre as fileirwdos negros suble-
Com as noticias d'ahi recebidas pelo ultimo x-a
por teve grande alta o preco do algodao. Eslava
sendo vendida a arroba a IMBOOl e hoje est elle
a 23 o a 245000.
At primeira.
Mnml
de Isidoro, extramuros, e o mais affastado da po-
voaco.
Militares de pessoas vestidas de d tomaram par-
te no cortejo fnebre, prestando assim nomena-
gem lealdade e honradez do seu carcter.
Os seus amigos tratam de promover urna mani-
festacao nacional da sympathia pela virtude, pure-
za e honestdade daquelle homem eminente abrin-
do urna subscripeSo que assegure o futuro da in-
feliz esposa e orphos de D. Pedro Calvo Asceneio.
Esta homenagem deve adiar grande acollii men-
t entre os briosos sentimentos dos Hespanhes.
A Iberia publicou domingo urna biographia de seu
fundador e proprietario.
O governo publicou um decreto annullando todas
as mullas que tinliam sido applicadas Iberia na
parte que pertenciam aD. Pedro Calvo Asccnsio, e
fazendo entregar essa valiosa quantia a viuva e or-
phos do Ilustre cscriptor.
Esta homenagem virtude o talento de seu ad-
versario poltico produzo muito bom effeito.
Eis o decreto com o relatorio que o precedeu e
que merece ser citado :
Senhora : Entre as 'elevadas prcrogativas
que correspondem V. M. e urna das mais gratas
ao seu maternal coraco, a de allviar as desgracas,
levando a consolaeao ao seio das familias.
O governo que sabe, como todos os Hespa-
nhes, a satisfaco com que V. M. se digna dispen-
sar, sempre que possivcl, os seus beneficios aos
desgranados, julga conx'cniente propr superior
resol Ufao de V. M. a ado|ico de urna medida que
allivia cm parte o profundo sentimento de que est
possuido nestes momentos a honrada familia do di-
rector que foi do peridico La Iberia, D. Pedro Cal-
vo Ascensio.
Este diario, como a maior parte dos polticos,
soffreu em distinetas occasies multas impostas pe-
lo tribunal correspondente, em consequencia das
transgressoes da lei, mas ainda que estas multas
se applicaram em circunstancias determinadas, e
com as condiees de legalidade, opportunidadc e
conveniencia que eram necessarias, hoje, que aquel-
las circumstancias passaram, pode V. M. dignar-se
dar expanso aos seus naturaes e generosos senti-
mentos contribuindo assim a melhorar o porvir de
uns orphos que acaso contam com o principal par-
te da sua heranca, o deposito que a lei exige para
a publicacao de"peridicos polticos, do qual tem
j tido que deduzr-se as multas satisfeilas pelo intitu-
(lado La Iberia.
i As quantias a que as citadas multas sobem
tem entrado, como a lei dispde, no thesouro publi-
i co, pelo que preciso contar com o concurso das
cortes para que a sua dex'oluco; mas o governo
vados tinlia fallecido, mas nao ha por ora noticia
alguma offlcial.

nando, por conta do minisieno da justica no vapor ; acudir a tempo representaco nacional, na con-
Jaguanbe, aos sentenciados Augusto Marcal Vaz flanea de encontrar a sanecao deste acto benfico
Ccrquinha e Venssimo pretoescravo este vindo da > que'submette deliberaco de V. M.
provincia do Maranhao e aquelle do Rio de Janeiro- j por estas accSes o abaixo assignado, de accor-
Dita- O Sr. gerente da companhia Pcrnambu- jdo com oconselho de ministros, tem a honra de
cana mande dar urna passagem de re destinada a propor approvacao de V. M. o projecto de decre-
passageiros de estado, at o Aracatv, no vapor Ja- w junto.
gnmihe Cicero Paz Deus da Costa Lima. Madrid, 23 de setembro de 1863.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira Senhora : aos ps do V. M Florencio Rodri-
de paquete a vapor mandem dar transporte para a gues Vaatnonde.
Bahia, por conta do ministerio da guerra no vapor DECRETO.
<|ue se espera do norte ao soldado Jos Antonio Pin-
to Borges que foi transferido para um dos corpos
em guarnico naqtiella provincia.
Dita. Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes a vapor mandem dar transporte por
conta do ministerio da marinha Joao Francisco
Barros da Silva, Marcellino Jos Tenorio, Lourenco
Jusliniano Correia de Barros c Laurentino Cheru-
bino Ferreira Paes que o capitao do porto tem de
remetter para corte.
Dita.O presidente da prox-incia attendendo ao
que requeren Antonio Jos Rodrigues de Souza the-
soureiro das loterias.resol ve conceder-lhe 40 dias de
licenca para ir provincia do Cear deixando sob
sua responsabilidade no exercicio desse emprego,
o seu irmo Jos Rodrigues de Souza.Communi-
couse thesouraria provincial.
Despacho do dia 13 de oulubro de 18li6.
Requer intentos.
Antonio Lopes Gnimaraes.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Uaac africano livreInforme o Sr. inspector do
arsenal de marinha.
Jos Leandro Martins Filgueira.Solicite licenca
do gox'crno imperial para ser admittido a escola
preparatoria o filho de que trat.
VIsconde de Suassuna.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Attendendo s razdes que me expoz o ministro
da goveraaeo, de aecordo com o conselho de mi-
nistros, he por bem decretar oseguinle :
c Art. 1.Annullar-se-ho as multas impostas,
desde que rege a actual lei da imprensa at hoje,
ao peridico La Iberia na parte que tenham cor-
respondido a D. Pedro Calvo Asceneio, como direc-
tor ou proprietario que foi do dito peridico, e a
importancia se devolver sua viuva e orphos.
t Art. 2. Desta determinacao se dar cont s
cortes para os elTeitos opportunos.*
t Dado em palacio, aos 23 de setembro de 1863.
t Est rubricado pela real mo.O ministro da
governacao Florencio Rodrigues Vaamonde.
Grande parte da imprensa hespanhola conti-
na a atacar violentamente o gabinete Miraflores,
cuja existencia considerada por alguns jornaes
como prejudicial ao paiz.
A poltica de abstencao inaugurada pelo partido
progressista tem posto cm crise o gabinete e pro-
duzio profunda sensacao. Quasi todos os centros
progresistas das provincias tem adherido ao pro-
testo dos progressistas da capital; e promettem
abstencao absoluta de modo que a nova cmara
nao pode apresentar os desejos do paiz.
El-rei, j quasi completamente restabelecido,
sahio para os banhos de Alhana; onde se demorar
pouco tempo.
S, M. a rainha Christina. contina na quinta do
DIARIO DE PERNAMBUCO
i----------------------------------------------------------------------------.________________ i
Hontem por tarde fundeou em nosso porto o va-
por inglez Magdalena, vindodo Rio e Bahia, apenas
adiantando dous dias de cada um, isto trazendo
datas do primeiro at 9 e da segunda at 13 do
eorrenle.
Minas-Geraes.Pelo resultado da votaeao dos 1
e 2o districtos sao deputados geraes os Srs.: no 1"
! T. Ottoni, Fonseca Vianna e Martinho Campos ; e 1
no 2 bario de Prados, Cbristiano Otloni e Lima
Duarte.
No 7o districto o resultado dos 4 collegios
conhecidos d : Dr. Alfonso Celso 139 votos, e Dr.
Limpo de Abreu com 129.
Rio ile Janeiro.Por decreto de 6 8 do corren-
te foram nomeados:
Ojuiz de direito Daniel Accoli de Azevedo, pa-
; ra o cargo de chefe de polica da provincia de Ser-
gipe.
Bacharel Mignel Archanjo Monteiro de Andra-
de, juiz de direito da comarca de Jaicoz. de en-
tranria, na provincia do Piauhy.
O bacharel Ignacio Antonio de Assis Martins,
juiz municipal e de orphos do termo de Santa La-
ta, na provincia de Minas-Geraes.
O bacharel Francisco Manocl Paraizo Cavalcan-
ti, juiz municipal e de orphos dos termos de Ita-
picur e Soure, na provincia da Babia.
O tenente coronel Nicolao Alves Rodrigues, co-
ronel commandante superior da guarda nacional
dos municipios de Atalaia e Pilar, na prox-incia das
Alagoas.
O capitao Jos Pedro da Motta Sayo, major aju-
dante de ordens do commando superior da guarda
nacional dos municipios de Mag, Estrella e Potro-1
polis, da provincia do Rio de Janeiro.
O tenente Jos Pinheiro de Siqueira, capitao se-
cretario geral do mesmo commando superior c
provincia.
Foram removidos a pedido seu :
O juiz municipal e de orphos Joao Gonzaga Ba-
cellar, do termo de Ipojuca para o do Cabo, na
provincia de Pernambuco.
Ojuiz municipal e de orphos Luiz Manoel da '
Silva Mendos Velloso, dos termos de Itapicur e
Soure, na provincia da Bahia, para o da barra de
S. Joao, na do Rio de Janeiro.
Foi designada a comarca do Paran, de 1* en-
de Minas-Geraes, para nella
ter exercicio o juiz de direito Joaquim Bernardes
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PER-
NAMBUCO.
ALAGOAS.
Macei, 13 de oulubro de 1863.
A eonfraria da Santa Casa da Misericordia, que,
como j Ihe temos dito, eslava quasi sem meios de
satisfazer aos benficos fins do sua instituico, tem
melhorado consideravelmente.
Novos horisontes se Ihe abriram; o circulo da
seus irmos se tem alargado, quando at enlo c
admisso em tal eonfraria era um monopolio;
grande parte de sua divida tem sido amorlisada;
c, alm das reformas feits pelo actual administra-
dor, e providencias tomadas, muito contribuio pa-
ra este estado prospero a quantia de 11: loo00o.
beneficio liquido da 1* lotera concedida pelo de-
creto n. 986 de 22 de setembro de 1858 para ser
applicada s obras do mesmo hospital. Foi remet-
tida esta importancia thesouraria por aviso de
18 de setembro ultimo.
Com 6:100&000 amortisou grande parle da divi-
da por se sujeitarem alguns credores ao abate de
20 % na quantia a receberem, e com o restante
vai continuar a obra de um raio do edificio.
No dia 8 reuniu-sc a cmara municipal para
fazer apuracao dos votos do 1" districto eleitoral, e
dos diplomas aos que reunissem materia de votos. I
A cmara nesse acto procedeu de um modo dig-
no de elogios, quando apreciando as duplcalas
havidas no Passo de Camaragibe, nao se pronun-
ciou por qualquer dellas, tomando os votos de am-
bas cm separado. Este procedimento de urna ca-
ntara liberal nao agradou a alguns progressistas!
Eis a apuraco sem os votos separados de Ca-
maragibe :
Dr. Ambrosio.............. 609
Dr. Speridio.............. 332
Dr. Tavares Bastos........ 519
A duplcala conservadora de Camaragibe votou irancia, na"provncia
no commendador Jacinlho Paes de Mcndonca, e
nos liberaes Perdigad e Dr. Tiburcio. i da Cunha.
Um attentado contra a lberdado individual Concederara-seasdemissoes que pediram :
est sendo pralicado nesla provincia, alm de ou-; O bacharel Francisco do Carvalho Soares Bran-
tros que ignoramos, e para o qual chamamos a at- do, do lugar de juiz unicipal e de orphos do
tenco do meretissmo tribunal da relaco, afim termo do Cabo, na provincia de Pernambuco.
de, pelos meios a seu alcance, por termo to O bacharel Daniel Arthur Hort O'Leary, do lu-
fatal abuso. gar de juiz municipal e de orphos termo de San-
Nao nada menos do que a conservaco de um ta Luzia, na provincia de Minas-Geraes.
pobre homem na cadeia a cinco annos pouco me- Foi removido o juiz de direito Manoel Jos Pin-
nos. Eis o caso : | to de Vasconcellos, da comarca do Paran, na pro-
Joaquim Jos de Lira foi preso em feverciro de vincia de Minas-Geraes, para a de S. Matheus, na
L-se no Correio Mercantil, que por ra vez
Iranscrex-e-a do Jornal do Havre, a seguinte no-
ticia :
Annunciamos j na nossa parte maritima que
um corsario confederado capturara e queimra,
perto do estreito, o navio americano W. B. asch,
carregado de banha.com destino para Marselha.
Um correspondente de New-York, em data do
primeiro de agosto, confirma nestes termos a no-
ticia :
O briguo americano W. B. Nasch, capillo
CoITIn, que d'aqui parti a 3 de julho pora Marse-
lha, foi capturado e destruido a 18 de julho pelo
corsario confederado Florida, a 40 latitude N, a
70 longitude O.
Quando o Nasch descobrio o Florida, perse-
gua este o paquete federal Eriessor, mas aban-
donou-o para cahir sobre o Nasch.
O capitao e a tripolaco foram depois desem-
barcados as Bit ni udas. onde o Florida arribou
para tomar carvo e lazer algumas reparacoes.
t O Florida tinha destruido 12 navios desde 17
a21 de julho.
Bahiali era conhecido mais o resultado do
collegio de Pilao-Arcado, pertencente ao quinto
districto da provincia, que declara deputados ge-
raes aos Srs. Junqueira, Spinola e Frederico, pe-
zar mesmo de faltar ainda o coilegio de Urub,
que j nao influe.
NOTICIAS COMMERCIAES E MARTIMAS.
Rio de Janeiro, 8 de oulubro.
Cambios.Loudres, 27 1[2 e 27 5|8 d. a 90drv.
Paris, 360 rs. a 60 div.
Havre, 345 rs. a 90 d[v.
Apolices.-De 6 [, 92 "[.
Accoes. Banco do Brasil, 605 de premio.
Gneros.Caf lavado superior, 85500 ris por
arroba.
Dito dito, 85350 por arroba (hontem).
Manteiga franceza, 800 res por libra
(hontem).
Assucar mascavo de Campos, 25 por
arroba (honlem).
Couros seceos do Rio Grande, 240 rs.
por libra (hontem), ditos ditos de
Santa Catharina, 230 ris por libra
(dito).
N. B.O cambio sobre Paris de hontem a 30
d|v, foi a 350 rs. e nao a 345 ris, como por enga-
o declarou o Sr. corrector, segundo a rectificaco
que faz hoje,
Nao constam vendas de caf.
Saccaram-se sobre Londres cerca 30,000 a 27
1|2 e 27 5|8 d. e sobre a Franca pequeas som-
mas a 345 rs. a 90 d|v. e 350 rs. a 60 d|v.
Negociaram-se um lote de apolices geraes de 6
OlO a 92 o|0, 240 acedes do Banco do Brasil a 605
de premio, varios lotes de ditas do dito a 655, 665
e 685 de dito, e 700 ditas do dito a 705 de dito.
Boletim de 23 de setembro ~ de outubro.
Assucar.Entraram de Campos 8,538 saceos,
273 caixas e 413 barricas.
Das provincias do norte nao houveram entradas,
e apenas se esperam pequeos supprimentos de
Pernambuco, pelos navios Cursor e Social.
No periodo que passamos em rexista houve gran-
de movimento no mercado de assucar. mascavo,
tanto para consumo como para exportaco, tendo-
se embarcado bastante para Portugal, Rio Grande
e sobre tudo para o Rio da Prata.
Em assucar branco pouco se fez. Tedax-ia, sen-
do tardas e pequenas as futuras safras do norte,
de crr que o mercado tome em breve alguma
animaran. Alm disso, os especuladores para o
sul principiam a appareccr no mercado ; constan-
do-nos que se devem reembarcar para o Ro da
Prata as barricas em ser de Macei e que algum
de Pernambuco tambera est em trato com o mes-
mo destino. Para consumo houxcram vendas in-
significantes aos precos seguintes :
De Pernambuco
1859 por crime de furto de cavallo; e julgado
duas vezes pelo jury do termo de Anadia foi absol-
vido nos dous julgamentos, tendo tido lugar o ul-
timo dous annos. Entretanto ainda est recluso
na radeia desta capital 11
ltimamente o Exm. Sr. presidente tem procu-
rado syndicar desse facto, que compromette
muitos pela incuria e deleixo no cumprimento de
seus deveres.
do Espirito Santo, ambas de 1* entrancia.
Foram reformados :
Jos Gabriel Pereira Pinto, capitao do primetro
batalhao de infantria da guarda nacional da pro-
vincia' das Alagas, no posto de major ;
Francisco Felizardo Ribeiro, capitd do oitavo
batalhao de infantria da guarda nacional da pro-
vincia de Minas-Geraes, no posto de major.
Foi suspenso o bacharel Balbino de Moraes P-
Branco, fino 45000 a 45200
2/ sorte 35850 a 35950
3. 35650 a 35800
4.' 35400 a 35500
Somenos 25800 a 35300
Mascavo nao ha.
A cotacao de 25800 refere-se a assucar muito
escuro e hmido.
De Macei : branco 35 a 35100 mascavo nao ha.
un Babia e Cotnguiba : branco 35100 a 35300
mascavo nao ha.
De Campos : branco, 35200 a 35600, mascavo
nao ha.
O deposito fica reduzido :
De Pernambuco, 6,500 saccas, branco e some-
nos ;
De Cotnguiba, 2618 saccas e 276 caixas, branco;
De Macei, 2,600 saccas, 24 caixa^ e 750 barr-
CAS
De Campos, 2,500 saccas, 270 caixas e 1,186
barricas, mascax-o.
Total, 14,218 saccas, 570 caixas e 1,936 barri-
cas.
Caf.Logo depois da sahida do paquete fran-
cez Guienne, mostrou-sc grande animacao no nosso
mercado e as vendas nesta quinzena montaram a
115,900 saccas. Esta boa disposicao dos compra-
dores fez com que os cafesistas, apezar das abun-
dantes entradas do interior, pudessem de alguma
mancira sustentar os precos quo estabelecem hoje
apenas urna fidenca de 100 rs. por arroba, compa-
rados com as cotaces do dia 22 de setembro.
Por cabotgem e pelas outras vas de communi-
caco entraram nesta quinzena cerca de 90,000
saceos, afflxando hoje em ser cerca de 110,000 sac-
eos.
Carne secca.
Existencias a 21 de setembro..........
Sendo :
Rio-Grande............... 16,000
Rio da Prata............ 24,600
Entraram desta data a 6 de outubro....
Sendo :
Rio-Grande............... 74,785
Rio da Prata............. 80,942
Arrobas.
40,900
155,754
Seguiram para a Bahia :
Bio-Grande pelo Adelate..
Para Cuba:
Do Ro da Prata pelo Anto-
nio Mara...................
Total 196,334
7,464
15,626 23,089
Praza Deus que nao tenhamos a lastimar mu- nheiro, do exercicio do lugar de juiz municipal e
tos factos desta ordem. i de orphos do termo de Uberaba, na provincia de
A falt de cadeias pelo menos em todos os ter-' Minas-Geraes, afim de ser responsabilisado.
mos canecas de comarcas muito concorre para o Concedeu-se ao segundo tenente do corno de ar-
esquecimento dos presos que sao remettidos para tilharia do Amazonas, Manocl Caelano Vieira Ca-
as cadeias das capites, onde passam muito tempo valcanti, a dcmisso que pedio do servico mi- j
sem seren julgados, e alguns continuam presos litar.
at depois de absolvidos. Quem tem disso a cul-1 Foi transferido para a quint companhia do ba-
pa ? i talhao de caradores de Matto-Grosso o capitao do
O Exm. presidente tem mandado orear a obra dcimo-segundo batalhao de infantria Theotonio
de cadeias em diversas partes, melhorar alguma, Jos Ferreira de Castro,
e fazer reparos em outras. Foi aposentado Lui Vieira da Costa Delgado
O vapor da companhia transatlntica, quo. Perdigad, no lugar de inspector da alfandega da
era aqu esperado at agora nao ehegado; ere- proxincia do Cear.
mos que se arrependeram da pretendida experien- Foi concedido ao capitao de fragata Flix Lou-
cia. renco de Siqueira, deraisso do lugar de capitao do
O vapor da companhia bahiana ainda nao porto da provincia do Espirito-Santo como pedir,
deu a primeira viagem do corren te mez. e nomeado o capiiao-tenente Joao Paulo da Costa
Devia aqui chegar no dia 6 at 8 do corrente, e Netto para o substituir,
ainda hoje esperado 11 Por outros da mesma data foram removidos o
Temo-la travada...O visitador, que tem que- capitao de fragata Achules Lacombe, do lugar de
rido reformar o clero alagoano, e raie-lo entrar capitao do porto da provincia do Cear para a do
no verdadeiro camraho, pedio ao inspector da the- Maranhao; e desta para aquella o capitao de fra-
souraria de aienda, que mandasse exigir nos do-, gata Joao Baptista de Oliveira Guimaraes.
Total
Venda para consumo nesta
data........................
Sendo :
Rio-Grande............... 20506
Rio da Prata.............. 40,80o
173,245
67,321
105,924
Existencia a 6 de outubro
Sendo :
Rio-Grande............. 56,815
Rio da Prata............. 49,109
O preco de venda foi de 2*600 a 35200 para a
do Rio-Grande de 25400 a 25800 para a do Rio
da Prata.
AccSes.Este mercado experimentou urna ani-
macao extraordinaria e das acedes do banco do
Brasil que at o 1' do corrente se tinham nego-
ciado a 40-, 415 e 425 de premio, fizerara-se nos
ltimos dias transaceoes importantes a 505, 51j>,
525, 555 o hoje a 60 de premio.
Vendcram-se tmbem as do banco Rural e Hy-
Eithecario a 555 de premio, da estrada do ferro de
'. Pedro II com 175 de descont, da companhia
i Brasileira de paquetes vapor a 1205 cada urna,
| da companhia de seguros Fidelidade com 35 e <5
de descont ; e da dita Nova Permanente a 855
cada urna.
Apolices.Estes fundos pblicos melhoraram
tambem sensivelmente, negociando-se a 89, 90,
91 ) 92 X c 93 % as geraes de 6 %
Das provinciacs de 6 % venderam-se dous
pequeos lotes a 84 c 85 %
Cambios.Para o paquete Magdalena, iaea-
ram-se sobre Londres cerca de 400,000 a 17 V
e 27 V: d.
Ncste algansmo nao se acham incluidas 90,000
tomadas pelo governo a 27 '/, e 27 J/ d. a maior
parte ultima taxa e 150,000 tomadas pelo ban-
co do Brasil, sendo 120,000 a 27 \{ d. e 50,000
a 27 / d-
Sobre a Franca negociaram-se cerca de 2,300,000
frs. de 345 a 348 rs.
Os saques sobre Hamburgo soramara cerca de
200,000 marcos banco a 650 rs.
Para os saques sobre Portugal regulou a seguinte
tabella:
102 o/0 a 3 dias
101 % a 30 .
100 % a 60 .
99 / a 90
Descontos.Nos bancos a 9 /-, na praca de 8 a
9 V? % Pr anno.
Metaes.Cotamos as oncas da patria a 295400.
Fretes.Durante a quinzena effectuaram-se os
seguintes fretamentos a saber: para Trieste 1
bngue inglez a 40 sh.-, para Nexv-York 1 barca
ingleza a 30 h., 1 dita argentina e 25 sh., I dita
ingleza a 30 sh., 1 brigue sueco e 1 dito dinamar-
quez a 40 sh., 2 brigues e 1 patacho inglezes a 35
sh., para o Canal, 1 brigue sueco e 1 dito bremen-
sc a 45 sh., e 1 dito norueguense a 35 sh; para
Marselba 1 brigue francez a 50 fr. e 1 barca ita-
liana a 30 sh.-, para Cdiz ordens, 1 brigue in-
glez a 45 sh.; para um porto no Bltico 1 brigue
dinamarquez a 50 sh.; para carregar no Cabo-Ver-
de para este porto 1 barca portugueza a 400 rs.,
por alqueire; para o Rio da Prata carrejando em
Paranagu 1 dita dinaraarqueza por 5 1,300, para
Port Louis (Maurcias) para transportar a carga da
barca franceza Mauricien, condemnada ueste por-
to, 1 barca ingleza a 24 sh.; para California, para
transportar a carga da barca americana Karen.
condemnada neste porto, 1 galera ingleza por 5
5,000; e para Corf e Syra 1 patacho bremense
a 55 s., 6 d. e 57 s. 6 d.
Fretes.
Antuerpia................ Nominal.
Canal. ................ 45 a 50 sh. nomnale
Hamburgo................ 40 sh.
Estados-Unidos, Norte.... 30 a 40 sh.
Sul....... Nominal.
Londres ................ 30 sh.
Liverpool................. 30 sh.
Havre .................. SO fr.
Marselha................. 50 fr.
Constntinopla............ Nominal.
Mediterrneo...... ...... 45 a 50 sh.
Metaes, etc.
Oncas da patria.......... 295400.
Soberanos............... 85890.
Pos hespanhes......... Nominal.
> da patria ........ Nominal.
Patacoes................. Nominal.
Apolices de 6 / ........ 90 a 93 %
a proviucaes___ 84 a 85 %
Deseantes.............. 8 a 9 '/ '/o
Ouro em moeda nacional. Nominal.
Cambios.
Londres............... 27 V a 27 >/i d.
Paris.................. 355 a 348 rs.
Hamburgo.............. 650 rs.
i 99 /o a 90 dias.
Lisboa e Porto.......... {100 % a 60 dias.
! 101 o/, a 30 dias.
Chegou, procedente de Pernambuco, 7 do
corrente, o patacho Social, com 8-dias.
Bahia, 12 de otitubro de 1863.
Cambio.Regulou : sobre Londres de 27 3(8 a
27 1|4 d. por I-3; sobre Paris 348 rs. por fr. ; so-
bre Hamburgo 645 rs. jior m. b. ; e sobre Lisboa
de 96 100 por cont.
Moedas.Oncas hespanholas e mexicanas 295
305500 ; a 85890.
Fretes.Para Gibraltar 47 1|2 sch. por ton. ;
para o Canal e porto inglez 30 40 sch. ; para o
Continente 40 oO sch.; e para o Mediterrneo
at Trieste a 50 sch.
Boletim de 3 10 de outubro.
As transaceoes no nosso mrcalo de exportaco,
na semana, iimitaram-se- a urna venda de assucar.
do de Nazareth ; alguma agurdenle e algodao,
com grande melhoria no preco.
Dos outros nao nos consta de vendas, a nao ser
a de algum Jacaranda e piassaba.
Ti\*emos 5 navios, com gneros do estrangeiro
para consumo : um com carvo, um com farinha
de Trieste, um do Porto e um de Lisboa, com ba-
tatas, ceblas, sal e vinho, c um de Liverpool que
nao vimos o manifest.
Nenhuma venda de importancia teve lugar, que
A retalho vendeu-sc azeite, batatas, ceblas, co-
nimbos, fructas, manteiga, sal, e muito pouco vinho.
Cambios.Os saques sobre Londres que se tem
feito para o Magdalena, que dex'6 seguir a 13, tem
sido a 27 1|4, 27 3|8 e 27 1)2 d. poT 15, e Itea com
tendencias para alta.
Sobre Paris a 348 rs. o franco. S
Sobre Hamburgo a 615 rs. o m. b
Sobre Lisboa de 96 a 100 por cento ie premio.
Fretes.Fizerani-se 3 fretamentos : um par "
o Canal, porto inglez e continente, entre o Havre "C
Amsterdara, a carregar em Maroim, por 50 l|2 sh.'i
e 5' por canto ; um para o Canal, se estiva, por
por 40 sch. a tonelada; e um (grande) para Liver-
pool, por 500 6.
Descontos.O banco descont letras at 4 mezes
a 7 por cento ; e as a vencer at- 31 de dezembro
a 6 por cento ao anno.
As caixas sem emisso descontam de 7 a 12 por
eeuJo.
Na praca desconta-so a 7 e 8 por cento ao anno.
Accoes.As nicas que nos consta se venderam
foram as do banco da Bahia com 6 por cento
premio.
Da sociedade Cominera com 10 por cent
descont.
Da Caxa Hypothecaria com 30 por cento de-des-
cont.
Julgamos salisfarer curiosidade dos nossos rei-
teres o resumo que abaixo damos, dos bataneles
do mez de setembro, do banco da Baha, eaxa fi-
lial, sociedade Commercio e caixa Commercial.
O banco da Baha lem 4,000:0005090 de fundo,
tem 2,582:00X18000 de emisso, c em tres metes
obteve de premio 149:0005000.
A sociedade Commercio tem 5740;0005000 de
fundo, nao tem emisso, e obteve em tres mezes
240:0005000 de premia
A caixa Commercial tem 2,480:0005000 de fun-
do, tambera nao tem emisso, obteve de premio ero
quatro metes 94:0005000.
E a caixa filial do Banco do Brasil, que tem de
fundo 1,786:0005000 (desprezamos as fraccoes) e
que tero de emisso 7..666.0005000, obteve de pre-
mios do 1 de junho a 30 de setembro (4 mezes),
14:6005000 I I Que satisfaoao para os acciows-
tast 11...
PERNAMBUCO

REVISTA DIABLA.
Compareoondo hontem apenas o Exm. monse-
nhor Muniz Tavaves e os Srs. Dr. Joaquim Portcl-



Diarlo de Pernambnco Sexta felra i de Outubro de i SUS.
'
/
la, Witravio Pinto Bartelra, Flguelroa, Soares de
Azcvedo, Rodrigues Campcllo e padre-meslre Lino,
deixoa de funccionar o Instituto Archeologtco e
Geographico Pernambucano por flfo ter compare-
cido o Sr. 2 secretario. ,
Saino a luz o Io n. da Recula Trtmensal do
Instituto Archeologico e Geographico Pernambu-
cano. ,
E' a manifestarlo real da existencia desse gre-
mio societario.de' que muito ha a esperar, se noa
vontade de alguns se ajuntar os esforcos de muitos,
a quem nio deve ser indiferente o que diz respei-
to historia e s glorias patrias.
Ha ven lo sido consignada na lei do ornamen-
to vigente quota para a despeza com o accr'escimo
de trinta e nove lampeoes na illuminacao publica,
cuja distribuico foi deixada S. Exc. o Sr. presi-
dente, opportuno que lembremos a necessidade
de serem alguns reservados para a Capunga, onde
at hoje nao houve anda illuminacao alguma.
O povoado da Capunga acha-se mui desenvolvi-
do a ediflcacao all mui importante ; e a sua
concurrencia para as despezas publicas, avulta
alguma cousa, de modo que deve tambem gozar
dts vantagens a que isto Ihc d direito.
O vero sob que vamos passando, aconselna
que se nao prctira a irrigacao das ras ou a lim-
peza dellas; pois a poeira que se levanta, tras a
populacao suflbeada em nuvens da mesma poeira.
Chamamos a attenco de quem compita para
a porcao de caes, que oceupam o espaco desde a
travessa do Starr at a entrada da Tacaruna; visto
queelles accommettem a quem por all transita.
lo pode ser tolerado semelhante abuso, pois
quem possuir caes bravios, deve-os ter em seus
quintaesou sitios, e nao sollos como os de que tra-
tamos.
Depois d'a manhaa celebra-se na matriz desta
freguezia de Santo Antonio, com a pompa devida a
estividade do Archanjo S. Migue!, sendo a mesma
festividade feila pela irinandade das almas.
Sao oradores, no Evangelho, o Rvm. padre-mes-
tre Leonardo Joo Grego ; c no Te-eum o Rvm.
padre-mestre Antonio de Albuquerque Mello.
A direccioencarregada pela mesa regedora, para
mais abrillantar a solcmnidade do acto, solicita
dos moradores do largo e ras adjacentes matriz
o obsequio de Iluminar as fachadas de suas casas.
Com rehiran a noticia, que demos na quarta-
fetra sobre a invaso de urna casa da ra das Cru-
zas, de vemos dizer que, por informacao da propria
pessoa que nella mora, toda a imprudencia e exor-
bitancia de autoridade parti da parte da ronda da
guarda nacional, tendo-se os urbanos abatido de
invadir a casa, como o fez aquella e llies urde-
nava.
O Sr. Dr. Gusmlo Lobo nos reclama que de-
claremos em rectiGracao chronica judictaria do
julgamento do preto Luiz, escravo de Sebastio An-
tonio do llego Barros, que pelo ministerio publico
nao foram recusados os juizes de facto cujos no-
mes furam hontem publicados no lugar conve-
niente.
Erabora a lei mande guardar segredo com rela-
cao s recusaeoes peremptorias, dando assim occa-
siao que no maior numero de casos sejam moti-
vadas as recusacSes por mera condescendencia,
nos observa todava o Sr. promotor que em seu
excrcicio faz constantes esforcos para deferir o di-
reito de julgar aos jurados que mais idneos re-
puta sem attenco aos tantos pedidos, que sao fei-
tos para esse fim por alguns dos membros do jury.
Isto posto, temos como rectificada essa publica-
cao, e roigamos por saber que o Sr. promotor liga
a devida importancia ao exercicio do direito do fa-
zer recusagocs.
Entrou hontem em julgamento perante o ju-
ry o processo instaurado pelo subdelegado do dis-
tricto da Magdalena contra Manoel Francisco da
Rosa, que fora pronunciado s penas do art. 194
do cdigo criminal.
Eis o facto que deu base aecusacao :Em um
dos primeiros dias do mez de agosto passado, le-
vando Remigio Alves da Silva cabeca um feixe
de capim, dirigio-se ejle o seu cantarada Manoel
da Rosa e com um faci, proprio do servido do
campo, prctendeu cortar algumaspontasdo capim.
Desvairando-se infelizmente o golpe, que o oleudido
attribuio mero gracejo, resvalou sobre o braco
direito de Remigio que soffreu um ferimepto leve.
Confiando na leveza da offensa, limitou-se Remi-
gio banhar a ferida com agurdente sem appli-
car nenhuin tratamento serio. Sobrevcio-lhe, po-
rm, alguns dias depois o phenomeno do espasmo,
e ooffendido deu a alma eus.
Allegando-se, por parte da defesa, que oreo com-
mettera o delicio casualmente no exercicio de um
acto licito, feito com attenco ordinaria, sendo-lbe
por este modo applicavel "a disposicao justificativa
do art 10 % 4 do cdigo criminal, ponderou o Sr.
Dr. promotor publico que, se os autos moslravam
que o reo efectivamente conimctlera o crinte ca-
sualmente e no exercicio de um acto licito, nao
proceder todava com attenco ordinaria, de ma-
neira que nao Ihe por ncnlium modo applicavel
a disposicao cima indicada.
Ouvidos os debates e preenchidas as fowida-
dus legaes, o Dr. juiz de direito publicou a senten-
ca pela qual absolva ao aecusado e condemnou
as custas a cmara municipal, que as pagar por
metade na forma da lei.
Foi advogado o Sr. Dr. Americo Neto de Men-
doza.
Est assignado pelo presidente do-jury o dia
de hoje para ser suhmeltido julgamento o proces-
so em que acousado Antonio Jos .tlpieri pelo
assassinato do porluguez Luiz de Souza e Silva.
Hontem noite foi ferido um individuo por
outro na freguezia de S. Jos, sendo o ferido con-
duzido para a botica do Sr. Medronho, onde rece-
beu o primeiro tratamento.
Sobre o facto por ora nao podemos colher outros
dados, dizcndo-sc-nos que a polica local nao deu
signal de si, comparecendo porm a desta freguezia,
visto pertencer a sua jurisdiccao o local daquella
botica.
Em solemnisacao do feliz natalicio de S. M.
a Sra. D. .Mara Pia, ranha de Portugal, d hoje a
empresa do Santa Isabel um pomposo espectculo
levando scena o bellissimo drama Vinte e Noce
ou Honra e Gloria, que to applaudido tem sido em
nosso theatro.
E' urna manifestaeao queda a referida empresa
da sua dedicaco naeo, que nos ligada por la-
Sos to estreitos; e a esculla que fez de um drama
e costumes militares, em que o pondonor se re-
vela por modo to saliente, uiais um testemunho
de sua admiracao pelo povo que illustrou o seu a-
me levando-o a todas as parles lo mundo.
Emface pois de um motivo de tainanha ponde-
raeo para os portuguezes aqui residentes, e que
m sua graciosa rainha veem a perd'-
dvnaslia, que Ihes assegura a paz e a prospendade
da patria, conta-se que o espectculo seja concur-
rido grandemente de modo a tornar inequvoco o
seu enthusiasmo.
Em consequencia da faustosa noticia que nos
rouxe o paquete francez do nascimento do princi-
pe real de Portugal, o Gabinete ParUujuez de Lei-
tura illumjnou por tres dias, e a illuminacao con-
tina, iioje em virtude do anniversario natalicio da
SrayD. Maria Pia de Saboia, virtuosa esposa do jo-
vMi monarcha o Sr. D. Luiz I.
/'---- Rkl'Al;Tli;AO DA POLICA :
y (Extracto da parte do dia 15 de outubro. i
Foram recolhidos casa de detencao no dia 14
do correte :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Cus-
todio ou Flix Montcir da Silva, semi-branco,
como desertor do corpo de polica; os pardos F-
lix Jos Alexandre, como sentenciado evadido da
cadeiado termo de Santo Anto ; Jeronymo Fer-
reira Veras e Jos Caetano dos Santos, eriouki,
anbott como criminosos, todas vmdos da provincia
dasAlagas.
A' ordem do suhelegado de S. Jos, o pardo Fran-
cisco Jos Ribciro, conhecido por mo de grelna,
jtara averiguaees em crime de urto.
O chefe da 2' seceo.
J. G. deMesquita.
Passageiros do vapor inglez Magdalena, vin-
Jacob Leleman, Guilherme Augusto, Ricardo An-
tonio, Jos Fernandes Lopes, Domingos da Cunha
Taltoi da e J. A. da Silva Pereira.
Passageiros do vapor nacional Prisceza de
Joinville, sabidos para os portes do norte :
Jos Etecnegoegem, um escravo de Sersm Tei-
xeira Basto Iriuo, Henrique Otta e seu escravo, 2
presos e 3 pracas de linha, Clemente de Araujo
Lina Jnior, Miguel Ferreira de Mello, sua senho-
ra, urna mana, 2 escravos, Rogolerto Tentiliano
Krangier, Antonio Jos Rodrigues do Souza e Joo
Bapsta Alves Ferreira.
Movimento da casa de detencao do dia 14
de outubro de 1863 :
Escravas .
316
Alimentados costa dos colres pblicos. 124
Movimento da enfermara do dia lo de outubro
de 1863.
Tiveram baixa:
Jos Joaquim Nogueira ; febre beliosa.
Estevao Jos da Silva ; cholerina.
Ignacio Francisco da Silva ; bronchite.
Jos, escravo do cap tao Jeronymo ; cholera.
Teve alta :
Raymundo, escravo do Vianna.
Obituario do da 14 de outubro no cesuterio
publico :
Maria Helenia Fortunata da Conceicao, Bahia,
annos, casada, S. Jos ; cholera.
Urna mulher, Recife; asphixia.
Francisca Maria das Neves, Pernambuco, 16 an-
nos, solteira, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Theodora, escrava, Perrambuco, 42 annos, solteira,
S. Antonio; a nazarea.
Anna Luiza da Rocha, Pernambuco, 45 annos, ca-
sada, Santo Antonio ; urna intente.
Mara do Carmo, Pernambuco, 86 annos, solteira,
S. Jos; apoplexia.
Manoel Luiz do Nascimento, Pernambuco, 25 an-
nos, solteiro. Santo Antonio; hydropesia.
- 15-
Antonio Hcleria, Pernambuco, 83 annos, viuvo,
Boa-Vista ; conscepcao senil.
Luiza, escrava, Sobral, 50 annos, solteira, Santo
Antonio-, ttano.
Antonio, escravo, Pernambuco. 2 mezes, Recife ;
convulsao
Manoel, Pernambuco, 5horas, Boa-Vista; espasmo.
hialina. Pernambuco, 7 mezes, Santo Antonio ; in-
tente.
Joo, escravo, frica, 50 annos, solteiro, Becife ;
anazarca.
Eduardo Francisco Lins, Pernambuco, Boa-Vista;
tubrculos pulmonares.
Maria Allema, .vfrica, 50 annos, solteira, S. Jos;
ttano.
Ventura da Silva Boa-Vista, Portugal, 36 annos,
solteiro, Santo Antonio; inflaramacao da bexiga.
Existiam. . 394 presos
Entraram. . 3
Sahiram.... 8 .
Existem. . 346
A saber :
Nacionaes. . 241
Estrangeiros . 27
Mulherea . 13
Esrangeiras . 3
Escravos-. . 59
urpouco DE TUOO.
Sobre a destrmcao do forto Sumpter, ontregue
por capitulaco aos federaes, eque era seno a
, principal defeza de Charleston, nos Estados-Unidos
i ao menos urna das suas mais formidaveis fortiQca-
c5cs, diz um jornal de New-York o seguinte :
0 general Gilmorc enviou mn offlcial ao general
Beauregard, como a declarado de quo se os fortes
se nao rendiam antes de 24 horas, bombardeara
a praca, e que por tanto Ihe pedia que fizesse sahir
della todas as mulheres c meninos.
Beauregard nao fez caso da intimacb, e na tar-
de do dia seguinte os federaes arrojaram 15 bom-
bas carregadas de fogo grego que incendiaram a
cidade por diversos pontos.
No sabbado de tarde o general Beauregard en-
viou um parlamentario portador de um enrgico
protesto contra o uso do fogo grego, qualificando-o
de infame e indigno entre povos ci vi usados, e pe-
dindo urna tregoa de 40 horas para fazer sahir da
cidade as mulheres e crianzas.
Os cnsules de Inglaterra, Franca e Hespanha
protestaran) tambem contra a br^vidade do prazo
concedido pelo general Gilmore, e pedirn mais
1 teinpo para por a salvo as pessoas e fazendas dos
subditos das suas respectivas nag5es.
O general Gilmorc respondeu no domingo, exi-
I gindo novamente que os fortes se rendessem, e a
' entrega de toda a propriedade publica. Beaure-
| gard enviou outro parlamentario pedindo pela se-
| gunda vez urna tregoa de 40 horas, que o general
| Gilmore recusou peremptoriamente, acrescentan-
do, que nao aceitara senao a entrega sem condi-
C<5es. meia noite deste mesmo domingo renovou-
se o bombardeamento. A 24 de agosto o forte era
um monto de ruinas.
O fogo grego de que neste bombardeamento fi-
zeram uso os federaes urna composicao incendia-
ria inventada, segundo se suppoe, na Grecia, para
incendiar os navios inimigos nos combates navaes.
Durante muitos seculos julgou-se que se tinha per-
dido o segredo, porm os federaes empregam-no
ha j algum tempo.
O fogo grego inextinguivel, e quanto mais a#ua
se Ihe Tanca maior a sua violencia.
A vista disto j se pode suppor que como pro-
jectil de guerra o mais destruidor de quantos se
conhecem, porque, nao s reduz a cinzas todos os
edificios, mais fende os metaes e calcina as pe-
dras.
Nos Estados-1'nidos foi ltimamente julgada urna
causa curiosa no tribunal de Chicago.
Um medico raptou urna das suas doentes, de 17
annos do idade, e a esposou. Os pas da joven sou-
beram que elle era casado, e o perseguirn) judi-
cialmente
O raptor defendeu-sc dizendo :
Casei tres vezes. O meu primeiro casamento era
valido ; o meu segundo era nullo porque foi con-
trahido em vida da minha primeira mulher. O ter-
ceiro que me liga a vossa tilha muito legal, por-
que quando teve lugar, a minha primeira mulher
tinha morrido ; c a segunda nao se conta porque
o seu casamento estava nullo, e de mais a mais
morreu depois.
Esta jnstificacao singular foi admittida pelo tri-
bunal de Chicago, que absolveu o bigamo do ob-
jecto da aecusacao.
O Sr. Y. Jnior remette-ns a seguinte poesa !
0 NAMORADO.
Acorda com o namoro no milo,
Na sua bella s vive fallando,
Dorme, trabalha e come namorando,
E, por via de regra, muito tolo.
Anda toa na ra, anda a reblo,
Como idiota que anda malucando,
Ora em risos a vida vai passando,
Ora anda triste c vive sem consol.
ceg, nao v mais que a sua bella,
E passa um dia inteiro repimpado
A fazer macaquices na j.mella.
D ponto, se estudante ou empregado,
E exacto s com a sua ella
Nao ha tolo maktr que um namorado I
Offcreccmos as nossas amaveis leitoras a seguin-
te descripcao das modas do dia :
J'amfka toilette.Vestido de foulard cor de li-
laz da Persia, com listras finas um pouco separa-
das. A roda da saia guarnecida de um folho de
pregas fundas, tendo por cima urna dobrada ordem
de fofos (ruches) recortados formando festoes de
taet cor de lilaz, separada por um entremeio de
reuda preta. 0 mesmo adorno repete-se em ponto
mais pequeo sobre o corpinho, e imita urna i mirra
quadrada. As mangas sao estretas, de cotovello, e
ornadas, embaixo, denm dobrado festao semelhan-
te aos do corpinho. Cabecao irmao do vestido e
rodeado da mesma guarnicao.- Chapeo de fil bran-
co franzido, fitas cor de lilaz e tufo de malmeque-
res dos prados. Batolet de renda branca, litas de
tafel branco. Chapelinho de sol duqueza, de tafe-
t da cor do vestido, guarnecido de urna comprida
franja. Botinas de setim de la cor de lilaz, pontas
da mesma fazenda, saltos altos. Luvas de pellica
cor de milbo claro, com dous botes.
Segunda toilette.Vestuario do amazona de al-
paga branco; saia comprida, lisa; coliete de abas,
fechado por urna ordem de pequeos botes dou-
rados; casaquinha aberta, com canhoes, e formando
postilhao as costas, guarnecida de pequeas tiras
com botes brancas; mangas estreitas, com eanhocs
ornados das mesmas liras. Cinto de marroqun de
eOr ful va, fechado por urna iivela chata; deouro, e
ao qual acha-se suspensa urna pequea bolsa igual-
mente de marroqu ni. Luvas de pellica de game com
punhos. Gravata de cassa bordada. Chapeo de pa-
lha da Italia branca, com um tufo de plumas pre-
tas e brancas; comprido veo de ganja verde. Chi-
i'oiiillm de corno de rhinocerontc com cabo de ma-
deiraesculpida e donrada. Pequeas botas de mar-
roquim cor fulva, abotoadas no lado, e termina,
das no alto com borlas de
Depois de urna hora de combate 8 guardas na-
cionaes tinham cabido aos tiros dos assassinos, que
muito numerosos e exaltados pela vista de urna
rica presa, conseguirn) por a escolta em fuga, e
fazer prisioneira a caravana composta de nobres e
ricas familias.
Entre as pessoas capturadas pelos bandidos,
conta-se o marquez Donapcrna, personagem de
grande importancia, e Mr. Guiseppe Sol, pelo res-
gate dos quaes os bandidos esperan) obter gressas
sommas.
Os assassinos pedem enormes quantias pelo res-
gate dos prisioneiros. que a cada instante araeaca-
vam com a morte. E esli mais furiosos e exigen-
tes, porque tiveram muitos morios e feridos no
combate.
Este acontecimento tem espelhado a consterna-
ro em toda a provincia,
/ Em urna aldeia nos arrebaldes da cidade de Sa-
ragoea, em Hespanha, viviafuma donzolla de urna
familia rica, de antigos fldalgos e de grande bel-
leza.
Um mancebo cortejava a joven aragoneza, que
por espirito de vaidade se deixava fcilmente cor-
tejar por outros. Comtudo, as duas^amilias esta-
vam de accordo no casamento, quando appareceu
um sargento, fllho da trra, que foi passar com a
sua familia tres mezes do licenca.
Fascinado pela belleza da joven, o militar enfe-
leirou-se immediatamente entre ?s seus adorado-
res, o que no mais alto grao excitou o ciume do
noivo.
A' sabida da missa os dous rivaes tomaram-se
de palavras, e desaiaram-se faca. O duello foi
lixado para essa mesma tarde.
Depois do jantar os dous desgracados dirigiram-
se para o lugar do combate.
A luta foi terrivel e duron perto de tres quartos
de hora no mais profundo silencio.
O" desposado receben nove facadas e o sargento
onze.
Os dous combatentes s cahiram quando esta-
vam j de todo exanimes.
Quando aecudiram para os soccorrer tinham
ambos exhalado o uliimo suspiro !
CHRONICA JllDICIARU.
TltlBIVAI, DO CO TI JIKKt IO.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 15 DE OUTUBRO
DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBABGAJXlR
SOUZA.
As 10 horas da manota, reunidos os Srs. deputa-
dos Lemos, Malveira e suppleate Alcoforado, o Sr.
presidente declarou aberta a sessao, sendo lida e
approvada a acta da ultima.
EXPEDIENTE.
Um offico do secretario do meritissimo tribunal
do commerco da corte, enviando a lista dos nego-
ciantes que se matricuaram naquelle tribunal no
mez de setembro do crreme anno. Accuse-se a
recepcao e archive-se.
Outro do secretario do tribunal da Babia, aecu-
sando o recebimento da lista dos negociantes ma-
triculados neste em os mezes de maio julho.
Archive-se.
Foi presente a cotacao ofllcial dos procos cor-
rentes da praca na semana (inda.Archive-se.
DESPACHOS.
Um requerimento de Antonio Alves de Carvalho
Veras, satisfazendo o exigido no despacho de 8 do
corrente, para o registro do sea contrato social
com Jos Joaquim Gomes de Abreu Registre-se.
Outro de Cardoso de Almeida & Passos Guima-
res, pedindo o registro de seu contrato social.
Rcgistre-sc.
Outro de Antonio Joaquim de Vasconcellos & C,
pedindo o registro de seu contrato social com Ma-
noel Vctor de Jess Matta. Vista ao Sr. desein-
bargador fiscal.
Nada mais houve.
SESSAO JV'DICIARIA EM 15 DE OUTUBROJ)E
1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEHBARGADOR
SOUZA.
Secretario, Julio GuimarCies.
Ameia hora da tarde, o Sr. presidente^ abri a
sessao, estando reunidos os Srs. desejnbargadores
Villares, Silva G ti i maraes e Assis, eos Srs. deputa-
dos Lemos, Malveira, Rosa, e Casemiro Alcofo-
rado.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
Foi I ido o officio de 10 do corrente do Sr. conse-
lheiro presidente da relacao, communicand, ha ver
designado o Sr. desembargador Caetano *ns da
Silva Santiago para rever dous feito quetpendem
de decisa deste tribunal.
JULGAMENTOS.
Appellantes, o Dr. Joo da Silva Ramos e Louren-
co Pereira da Silva Pimentel; appellado, Jos Mar-
ques dos Santos Aguiar.
Adiado na sessao anterior.
Apresentadas duas preliminares de nnllidade pe-
! lo juiz relator o Sr. desembargador Silva Guima-
raes, foram ellas desprezadas com o voto do Sr.
presidente : e entrando-se no mrito da causa, jul-
gou-se a accao incompetente.
DES1GNACAO DE DIA.
Apncllante, Jos Francisco Pinto Guimaraes;
appellado, Gabriel Soares Raposo da Cmara, co-
mo administrador de sua mulher e tutor de suas
cateadas.
Designado o primeiro dia til.
PASSAGENS.
Appellante, Jos Moreira da Silva ; appellados,
os herdeiros de Jos Antonio Lourenco.
Appellante, Antonio Gomes Pereira ; appellado,
Antonio Duarte Carneiro Vianna.
Appellante, o Rvd. Francisco Colho de Lemos c
Silva ; appellados, Guimaries & Oliveira.
Appellante, o I ir. Manoel Buarque de Macedo;
appellado, J. F. G. Kladt.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Villares.
Appellante, Gabriel ^ntonio ; appellado, o Dr. Ig-
nacio Nery da Fonceca.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Assis.
Appellante, Joo Pinto de Lemos Jnior ; appel-
da. D. Anna de Souza e Silva.
Appellante, Vicente Alves Machado ; appellados,
Barroca & Medeiros.
Appellantes, Francisco Xavier de Oliveira, como
administrador de sua mulher c Luiz Pedro das Ne-
ves ; appellado, Jos Cordeiro do'RegPontes.
Appellante, Manoel da Silva Lopes; appellado,
Joo do i '.otilo Alves da Silva.
Appellante, Guilherme Jos da Motta; appellado,
Joao Baptista da Silva.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Villares.
DISTniBUIC5ES.
Appellantes, os curadores fiscaes da massa fal-
lida de Amorim & Filhos ; appellado, Henrique
Augusto Millet.
AoSr. desembargador Silva Guimaraes.
Appellante, Manoel Jos de Siqueira Pitanga ;
appellados, o presidente e directores da caixa filial
do banco do Brasil.
Ao Sr. desembargador Villares.
AGGRAVOS.
Aggravante, D. Maria Magdalena de Almeida
Catanho ; aggravada, D. Anna Josepha Pereira dos
Santos.
O Sr. presidente negoa prov mente.
Aggravante, Luiz Solano de Mello; aggravados,
Manoel Polycarpo Moreira e outros.
O Sr. presidente deu provimento.
Nada mais se pode tratar e encerrou-se a sessao
s t}{ horas da tarde.
Joaquim de Oliveira.
Dr. Francisco de Paula dos Santos Alleluia.
Joao Athanazio Botelho.
Sebaslio Lopes Guimaraes Jnior.
Pela aecusacao foram recusados os Srs.:
Joaquim Pedro Barrete Mello Bego.
Dr. Joaquim Antonio Carneiro da Cunha Miranda.
Dr Rufino Augusto de Almeida.
Joo Xavier da Fonseca Capibaribe.
Ficou o jury de sentenca composto do6 senhores
seguintes:
Domingos das Neves Teixeira Bastos.
Camillo de Salles Peixoto.
Joaquim de Albuquerque Mello.
Manoel Juvencio de Saboia.
Antonio Marti ns Saldanha.
Antonio Gomes Miranda Leal.
Luiz de Moraes Gomes Ferreira.
Jos Izidoro Pereira dos Reis.
Jos Hygino de Souza Galvio.
Dr. Jos Flix de Brito Macedo.
Dr. Felippe Nery Collaco.
Simplicio Jos de Mello.
E prestaran) o juramento dos Santos Evange-
lhos.
Foi o reo interrogado, e procedeu-se a leitura do
processo.
0 Sr. promotor pedio acondemnacao do reo, no
grao mximo do art. 205 do cdigo criminal.
O Sr. advogado deduzindo a defeza, pedio a
absolvico do reo.
Findos os debates e preenchidas as solemnidades
da lei, o Sr. juiz de direito propoz os quesitos se-
guintes :
l." O reo Joaquim Benedicto da Silva, no dia 11
de maio do corrente anno, fez em Miguel Jas de
Moraes c Silva, os ferimentos descriptos no auto de
corpo de delicio a folha do processo ?
2. Os referidos ferimentos produziram no pa-
ciente grave encommodo de sade ?
3." Os ditos ferimentos inhabihtavam o paciente
scrvjco por mais de 1 mez?
5." 0 reo commetteu o crime de noite ?
3. Existem circumstancias attenuantes favor
do reo ?
Recolhido o jury de sentenca sala secreta das
conferencias ao meio dia, voltou 1 hora da tar-
de, respondendo aos quesitos pela mancira se-
guinte :
Ao 1." Sim, por 11 votos.
Ao 2.* o 3. N5o, por unanimidade.
Ao 4." e 5." Sim, por 10 votos.
Lidas as respostas pelo Sr. Dr. Felippe Nery
Collaco, presidente do conselho, o Sr. juiz direito
publicou sua sentenca, condemnando o reo a pena
de 6 mezes e 15 dias de prisao, e multa correspon-
dente a metade do tempo, e as custas.
Lcvanteu a sessao addiando-a para o dia se-
guinte, s 10 horas da manhaa.
do daquella minha irmaa, e outras razoes existen-
tes no seu despacho proferido no documento abai-
xo transcripto n. 3; sendo para notar-se 1* que o
Sr. Dr. Ernesto, de ludo isto se prevalccesse, sem
nada a respeito constar dos papis, que foram sub-
mettidos ao seu conhecimento e decisao, e s Ihe
poderiam ser talvez informados pelo primeiro escri-' seca
vo o Sr.Brito ou por outra qualquer pessoa; 2* que Illm. Sr. Dr. juiz de orphos. Requeiro que a
o Sr. Dr. Ernesto, considera fatal a perda do casa- respeito do contedo da peticao do Sr. Antonio da
por si directamente. Assm o requeiro, pois, sus-
penso o conseutiruento para o casament.-F. J.
Becife 12 de setembro de !863.-Sou Reis.
Digam o Dr. Moraes Pinhero e a menor Maria
Amelia.
Recife 12 de setembro de 1863. Aquino Fon-
ment do Sr. Dr. Moraes Pinhero, com dita minha
sobrinha, quando outros, em iguaes ou melhores
circumstancias tem-lhe pretendido a mo, segundo
me consta como por um fllho do Sr. Lourenco Ca-
valcanti, de Pao d'Alho, gue se forma em direito
no corrente anno; 3" quando a dita minha afilhada
conta o melhor de cineoenta contos de ris em bons
Cunha Sores Guimaraes, seja ouvida ero primeiro
lugar alllma. e Exma.Sra.D. Mara Amelia de
Freitae Guimaraes.
Nestes termos o supplcante pede deferimento
E R. MeManoel Pereira de Moraes Pinhero.
Sendo de minha livre e espontanea vontade o
casamento contratado com o Sr. Dr. Manoel Perei-
predios e por consegointe com forca para esperar ra de Moraes Pinhero, c merecendo-me o roesmo
outro qualquer vantajoso casamento. inteira nmiianea, nao quero nenhum contrato nem.
Tendo pois, cumprylo o meu rigoroso dever, na condices sobre os meus bens.
qualidade de tio e padrnbo de baptismo daquella Recife 16 de setembro de 1863. Maria A. do
menina, e nada havendo conseguido em prl da Freitas Guimaraes.
futura sorte della, venho trazer scenca do res-1 uigam o Dr. Moraes Pinheiro e de novo o cura-
peitavel publico todos estes factos, para que todo dor geral.
tempo conste, e se reconheca, que proced em re-1 Recife 21 de setembro de 1863. Aqnino Fon-
gra, assim como, que anathemas, e animadversio seca.
merecero sempre aquelles, que pelo contrario tem Concordo com a opinio supra exarada pela
conspirado, favorecido ou eslo interessados nessa Exma. Sra. D. Maria Amelia de Freitas Guimaraes.
Recife 22 de setembro de 1863. Manoel Perei-
ra de Moraes Pinhero.
A vista das respostas dos interessados, e achan-
do-se contratado o casamento sem condices, uo
verdadeira obra Ide iuquidade.
Quanto ao que me arge o Sr. Dr. Ernesto (por
suggestes de meu irmao, que de sua casa ou da
doSr. Brito, nao sahe durante todos os dias baju-,.
la-Ios) nada responderei, porque nao sei destruir i tendo sobrevindo motivos para altera-lo, conforme.
senao factos indicados, assim como despreso allu- lembra o supplcante, peuso nao ter lugar a sua
soes. proposta; estejuizo, porm, nielbor julgar. F.
Se eu quzesse trocar olho por ollio, talvez clles
fossem s nuvens........
Basta por hoje..............
Ao Sr. Ignacio Luiz de Brito Taborda, agradec/)
mui cordialmente todos os carinhos, disvellos e nie'ncia de se eTectuar o casamento de sua sobri-
interesses, que sempre demonstrou em favor da nha I). Maria Amelia de Freitas Guimaraes com o
dita minha alilhada, e einprova deste meu profun- Dr. Manoel Pereira de Moraes Pinheiro, sem un
J. Becife 26 de setembro de 1863.Souza Reis.
Illm. Sr. Dr. juiz de orphos deste termo. Diz.
Antonio da Cunha Soares Guimaraes que havendo
requerido V. S., reflexionando sobre a incon ve-
do reconhecimento, Ihe offereco esta minha publ-
caco.
Protesto continuar a referir pelo prlo cousas
bellas acerca dos caracteres que cima a menconei,
se houvcr quem se atreva a contestarme.
Recife, 13 de outubro de 1863.
Antonio da Cunha Soares Guimaraes.
DOCUMENTO N. 1.
Deus te abence, minha afilhada.
Para me antecipar com tempo e com a razio do
meu costume, que te desejo o seguinte, que se
contrato ante-nupcial de dote e arrhas, occorre que
depois de mandado ouvir por V. S. oDr. curador
geral de oruhos, 'o qual se pronuncia em favor
dessa pretenco, e depois de haver respondido
igualmente respeito naos o honrado lente cu-
rador dessa orphaa, bem como ella mesma quaudo
suspirava a resposla do futuro esposo o Dr. Moraes
Pinheiro, occorre que este recusa-se de entregar.;
respectiva petico sob fundamento de que a man-
dara por seu fmulo, o que necessariamente ex-
traviou-se, porque anda nao chegou ao seu desti-
No mez de agosto ultimo deu-se um doloroso
acontecimento na provincia de Bailicata, do reino
de Italia.
Urna carta de aples publicada no jornal a
Disrussioni contt assim :
Mnas familias das mais consideradas de Lenise
e outras povoacoes visinbas foram para Maratea
temar banhos. A 18 de agosto estas familias reu,
niram-se em grande numero para regressar juntas
a suas casas, e sabendo que deviam passar por
caminhos pouco seguros, flzeram-se escoltar por
um destacamento da guarda nacional, de modo
que toda a caravana, incluindo mulheres e crian-
zas, montavaa urnas sessenta pessoas.
Viajavam tranquillamente quando no bosque de
Magnano virara apparecer os bandidos.
# pnico tomou a todos e sobretodo s mulheres.
A guarda nacional e os homens do companhia es-
timulados pelos choros das mulheres e criancas,
bateran-se com a matar bravura.
THIRIAML DO JIJUT.
.' SESSAO. DA 14 DE OUTUBRO.
Presidencia do Sr. Dr. Joao Antonio de Araujo
Freitas Hbnriqubs, juiz de direito da 1.* vara
crime.
Escrivio. O Sr. Joaquim Francisco de Paula
Estoves Clemente.
Promotor publico. O Sr. Dr. Francisco Leo-
poldino Gusmo Lobo.
Advogado.O Sr. Dr. Jos Boberto da Cunha
Salles.
As 10 horas da manhaa feita a chamada acha-
ram-se presentes 40 senhores.
Foi dispensado do comparecimento de hoje Sr.
Dr. Joo Jos Pinte Jnior.
Foram multados em 20000 rs. cada um dos
senhores multados aos dias anteriores, e tambem os
senbores que faltaran) boje.
O Sr. juiz de direito declarou aberta a sessao.
Entra em julgamento o reo Joaquim Benedicto
da Silva, aecusado por crime de ferimentos gra-
ves, feitos na pessoa de Miguel Jos de Moraes e
Silva. Nao tendo o reo advogado, o Sr. juiz de di-
reito nomeou o Sr. Cunha Salles, para o de-
fender.
Procedendo-se ao sorteio do jury de sentenca,
foram recusados pela defeza os Srs. :
Joo Valentn) Villela.
Vicente Antonio do Espirito Santo.
PUBLICARES A PEDIDO.
Minha querida mi a Sra. D. Francisca Thomazia
da Concedi Cunha, creou por muitos annos, e
idolatrou sempre, o mais que era possivel, a sua
neta, e minha cara sobrinha e afilhada a Sra. D.
Maria Amelia de Freitas Guimaraes, filha legitima
do finado Jos Joaquim de Freitas Guimaraes, e
sua mulher D. Anna Maria da Cunha Guimaraes,
tambem fallecida.
Havendo ella perdido, na flor de seus annos, seu
estimavel pai, teve de ser educada em companhia
de sua cara mi at que esta passou a segundas
nupcias com o Sr. Ignacio Luiz de Brito 'taborda,
o qual Ihe prestou todos os carinhos e disvellos
proprios de seu verdadeiro pai.
Na educaco dessa menina sempre afanoso; na
fundacio de um brilhante patrimonio para assegu-
rar-lhe um porvir venturoso, elle se mostrea sem-
pre sollicto, e incancavel toda prova, a ponto tal,
que renunciou parle de seus proprios bens em
beneficio dessa sua tutellada, com desinteresse
inaudito.
Nem se diga que qualquer motivo desfavoravel
me arrastra, a fazer to solemne confisso, porque
a prova mais evidente da verdade desta minha
asserco existe estampada no documento que abai-
xo offereco sob n. 4, que encerra os maiores elogios
do Sr. juiz dos orphos desta cidade Dr. Ernesto
d'Aquino Fonseca, e do curador geral o Sr. Dr.
Joaquim de Souza Reis, por to louvavel proceder
do mesmo Sr. Ignacio Luiz de Brito Taborda.
Permittio, porm, a infausta sorte, que quasi
repentinamente perecesse a dita minha cara irma
D. Anna Maria da Cunha Taborda, digna esposa
do Sr. Ignacio Luiz de Brito Taborda.
Para logo trovejou no horisonte, fusilaram re-
lmpagos, e conheceu-se o annuncio de prxima
borrasca, de que are agoureira, e omnipotente
] nanuelle juizo, navj} dado signal.
O benemrito, e exemplar escrivao do juizo de
orphos o Sr. Florlano Correa de Brito, depois de
haver-lhc intimado a sua demisso de tutor da dita
minha sobrinha e afilhada veio casa do mesmo
j Sr. Taborda trazendo em sua amavel companhia o
juiz supplente o Sr. Dr. Virginio Carneiro da Cu-
nha Albuquerque, moco muito dcil e simpathico,
que ento eslava em exercicio da vara de juizo
(logo que cessou o quatriennio>doSr. Dr. Ernesto);
fez persuntas aquella pobre menina, aconselhou-a,
, e at mesmo passou admoesla-la_ em tom rgido
! para ella abandonar a casa de seu zeloso tutor,
como quera aquello magistrado tupo, que ludo
se conservou silencioso.Sem duvida por estar
absorto em vastos pensamentos que teria de reali-
zar sua alta sabedora mais ruinas do que imprecava
Camilla para Roma, por occasio da morte do seu
idolatrado amante no fatal combate dos Horacios,
e Coracios.
Puisse-je de mes yeux y coir tomber ce foudre,
Voir ses maisons eu cendre et ees lauriers en poudre I
Voir le dernier Romuin a son dernier soupir,
Moi seul en etre cause et mourir de plaisir !
Nem se julgue que isto falsidade, porque para
attestar poder-sc-ha invocar o valioso testemunho
do Sr. Dr. Braz Florentino Henriques de Souza, que,
como visinho do Sc.Taborda, por elle foi chamado no
tremendo alarma de to triste scena, as testemu-
nhou, e como pessoa fidedigna nio se dever recu-
sar de narrar tudo pelo miudo.
Pouco depois foi aquella minha infeliz sobrinha
e afilhada removida, de ordem do Sr. Dr. V. C. da
C. A., para o collegio das irmas da caridade, e
posta na mais dura incommunicabilidado com o Sr.
Taborda, comigo (to e padrnho della), em urna
palavra com todo ente de folego, nao ser com o
seu amavel tutor, meu honrado irmo o Sr. Joo
; da Cunha Soares Guimaraes, eleitor da freguezia
de Santo ntonio, o qual o mesmo Sr. Dr. Ernesto,
ha alguns mezes antes, oonsiderava, e declarava
! quasi analphabeto, incapaz de regar sua pessoa t
bens. porgue prensara entao de seu curador, tudo
como se v do documento ora junto n. 4.
I Em seguida, um commerciante muito acreditado,
honesto e laborioso, pretenden a mao de minha so-
brinha que negou-lhe o Sr. Dr. Ernesto, sob
pretexto de nao estar concluido o inventario dos
'bens da mi della, e de nm interrogatorio, que
particularmente com o Sr. primeiro escrivao o Sr.
Brito, fizera dita menina, depois de siiggestes do
seu nobre tutor, 2oento se dissecirculoa ento,
que o casamento della estara qnem mais vanta-
fens offerecesse, mas a final coube essa dita ao
r. Dr. Manoel Pereira de Moraes Pinheiro.
Nao desconheco as boas qualidades moraes do Sr.
, Dr., alera de esbelto, bonito, intelligenle, instruido,
| tanto assim.que talvez nao hesitas e muitode dar-lhc
em casamento urna filha minha se por ventura
alguma tivesse para tomar estado.
i Por essejributo de amisade prestado por minha
; querida mi, que idolatrava essa menina, pelos
vnculos de parentesco corporal, e espiritual do tio,
i e padrnho de baptismo della; por esses sacrifi-
! cios prestados pelo Sr. Taborda em favor da sua
' sorte, resolvi-me requerer, replicar, e treplicar,
I pedir, supplicar ao Sr.Dr.Ernesto, que nao consen-
tisse no casamento da dita minha sobrinha, e afi-
. Ihada com o Sr. Dr. Moraes Pinheiro, sem urna
1 escriptura de dote, e arrhas, invocando para prova
1 do meu procedimento o facto mui constante em
minha familia, de qve todas as tninlias irmaasque
-assim casaran contatn anda hoje prosperas fortu-
I nos, ao passo que a nica que casou pelo regtmem
da eotmnunho acha-se hoje em desagradareis cir-
cumstancias. Meu honrado irmotutor de minha
sobrinha e afilhada, gntou s armas com isso, como
se v do sua resposta no documento oflerecido
n. 3 e at me dizem, que semostra por isso doente
do seu terrivel nervoso, ou da cabeca, porque sem
duvida o casamente assim feito vai destruir moi-
tos clculos, e elle se achara em grandes embara-
cos.................. Minha sobrinha e afilha-
da, e seu futuro noivo, como cordas do mesmo
violo, vibraran) um momento.
O Sr. Dr. curador geral que pareceu ao prin-
cipio reconhecer a justiea de minha pretenco
por ultimo mudou de opinio Intelligentis mutare
consium.
Em flm o Sr. Dr. Ernesto d"Aquino Fonseca, pdz
termo tudo, indeferindo por ser 1* muito bom, e
econmico o Sr. Dr. Moraes Pinheiro; 2* nao poda-
elle esbanjar o patrimonio de minia tobrinka e
afilhada, por nao ser commerciante, como o mari-
algum da vieres "a qneixar-t'no te quei'xars de 15o- E_como. .ur 1ue entretanto va-se apressan-
mim : I 0 a allectividade desse suspirado, para o que a
Sonbe por meu mano, teu tio e tutor me mandar I decso do requerido do supplcante chegue tarde
communicar o teu casamento com um Moraes Pi-1 e.?eni nms remedio contra laes bodas; vem o sup-
nheiro (nao o conhego), mas sei tambem que se r??25? r.e de tua vontade, eu te o digo e aconselho, que i dadelros mteresses da mencionada orpha asss
facas por urna escriptura, como teu padrasto fez comprovados naquella peticao. do supplicante, se-
cn) tua mi, e a nao ser assim feito, nao me cha- d,8ne mandar suspender o dito casamento, at que
mes meu padrnho.
Hoje fazem nove mezes que tua mi jaz na eter-
nidade, nao te pode dar os conselhos que te eram
muito precisos, mas logo que nao tcns, ouve os de
teu padrnho : cases com Moraes Pinheiro, mas
por urna escriptura de arrhas.
Ninguem, minha afilhada, qur casar com tigo
pelas qualidades, educaco e formosura, mas sim
pelo teu dinhero, que teu av e pai te deixaram,
e que teu padrasto te augmenlou; este dinheiro
todo teu tlicsouro, por Isto que de chamara
formosa, atraz do ane vio : assim, pois, eu desc-
jarei que, j que nao tens mi nem pai, que te
aconselhem, ouve este pequeo conselho de teu pa-
drnho.
Cases com quem fr de teu gosto, mas antes de
casares reflecte bem quem te deve aconselhar, afim
de evitar futuras consequencias.
Recife, 11 de setembro de 1863.
DOCUMENTO N. 2.
Venancio Henriques de Resende, presbytero secu-
lar.offloial da imperial ordem doCruzeiro, conego
honorario da imperial capella, e vigario collado
na igreja matriz do Santissiino Sacramento do
bairro de Santo Antonio do Recife.
Certifico que revendo olvro 16 dos baptizados
a lis. 79, achei o assento da forma e theor se
guinle :
Aos 25 de marco de 1846, nesta matriz do Sacra-
mento de Santo Antonio do Recife, de minha licen-
ca o Rvd. fr. Apolinarlo de S. Liborio baptisou e
poz os Santos leos em Mara, branca, nascida em
30 de Janeiro deste anno, filha legitima de Jos Joa-
quim de Freitas Guimaraes, natural de Portugal, e
D. Anna Maria dos Passos Cunha, natural desta
freguezia, onde sao moradores : foi padrnho An-
tonio da Cunha Soares Guimaraes, solteiro, mora-
dor nesta freguezia : do que mandei fazer este as-
sento, e por ser verdade assignei. Estava a seguin-
te assignatura : Por commissao, o conego viga-
rio Venancio Henriques de Resende.
E nada mais se conthiha no referido assento, que
bem e fielmente liz copiar. E por ser verdade,
mandei passar a presente, que assignei. Fregue-
zia de Santo Antonio 27 de Janeiro de 1863. O
conego vigario Venancio Henriques de Resende.
DOCUMENTO N. 3.
Illm. Sr. Dr. juiz de orphos. Diz Antonio da
Cunha Soares Guimaraes, que chegando a sua no-
ticia haver V. S. autorisado com o bacharel Ma-
noel Pereira de Moraes Pinheiro o casamento de
Maria Amelia de Freitas Guimaraes, sobrinha le-
gitima do supplcante, e filha de sua fallecida ir-
ma Anna Mara dos Passos Cunha Guimaraes, o
supplicante para acaulelar e garantir o bem estar
desta sua prxima parenta, vem com todo o respei-
to pedir, e requerer V. S. se sirva de ordenar,
que antes de se effectuar este casamento, seja ce-
lebrada entre os ditos nubentes urna escriptura
publica de dote e arrhas, sob a quantia por V. S.
estipulada d'entre a sua avallada fortuna, para for-
talecer esta pretenco do supplicante, elle chama a
attenfo de V. S. para o facto existente em sua fa-
milia, de que todas as suas irmas teem casado por
contrato nupcial, como fossem a propria me da-
n'la sua sobrinha, como Maria Jos de Jess com
ingos Antonio Gomes Guimaraes, sendo que
as fortunas, que ellas tiveram ao tempo da realisa-
co de suas nupcias, em lugar de diminuirem, fo-
ram por estas precauces augmentadas, e prospe-
raran) consideravelmente, ao passo que a nica
irma que casou com Jos Joaquim da Silva Maia,
pelo costume do imperio, nao se acha hoje em boas
condiQoes de fortuna, o que mui sabido nesta ci-
dade, e deve pesar no espirito recto e desinteressa-
do de V. S., afim de prevenir em tempo futuras
consequencias irremediaveis e profundos desgostos.
Pede V. S. que se sirva deferir. E R. Me
Antonio da Cunha S. Guimaraes.
Digam o tutor da menor e o Dr. curador geral.
Recife 10 de setembro de 1863.Aquino Fonseca.
Certifico que sendo nesta cidade deixei em po-
der do tnlor Joo da Cunha Soares Guimaraes,
a petico suppra para todo o contedo da mesma,
e ficou entendido, hoje s 3 horas e meia. Recife
10 de setembro de 1863. O referido verdade.
Oofficial do juizo Jos Joaquim Pinto Martins
Jnior.
Illm. Sr. Dr. juiz de orphos.Em cumprmento
ao respeitavel despacho de V. S. mandando ouvir-
me sobre o requerimento de meu irmo Antonio
da Cunha Soares Gimares, cumpre-me responder
V. S. que alm de nao ter lugar a exigencia me-
ramente affrontosa feita pelo mesmo meu irmo,
porque, nao s o contrato de casamento do Sr. Dr.
Manoel Pereira de Moraes Pinheiro, com minha
sobrinha e tutelada D. Maria Amelia de Freitas
Guimaraes, foi legitima e legalmente por mim fei-
ta, sem semelhante clausula, e j approvada por V.
S. e o digno curador geral, sem esta restriceo,
como porque o carcter distincto, nohre e honrado,
junto com una economa admravel, a urna posieo
respeitavel, e a urna fortuna mediana e honesta do
Sr. Dr. Moraes Pinheiro, dispensam completamen-
te a exigencia requerida.
Meu irmo procura ser intruso em todos os ne-
gocios, mas reconhecendo ser elle meu irmao, dei-
xo de ajuntar neste requerimento um documento
que nada Ihe honra, c prova ser elle um homem
sem sentimentos ; o Sr. Dr. Moraes Pinheiro nao
deve a ninguem, nao commerciante, conserva o
que herdou de seu pai, assim julgo nao ser preci-
so o que pede o mesmo meu irmo, (que so tem
servido de fazer vergonhas a ella.)
Julgo ser o competente a procurar os beneficios
da mesma minha sobrinha e tutelada ; e julgo des-
necessario t! exigencia. V. S. melhor julgar
como verdadeiro defensor dos orphos, a quera
sempre cumprire as ordena.
Recife II de setembro de 1863.O tutor de D.
Maria Amelia de Freitas Guimaraes, Joao da
Cunha Soares Guimaraes.
Certifico quo tendo lindado as 24 horas, recebi
a petico quei deixei em poder do tutor Joo da
Cunha Soares Guimres, a qual respondeu. O re-
ferido verdade. Recife 11 de setembro de 1863.
O ofllcial do juizo Jos Joaquim Pinto M.
Jnior.
As consderacoes feitas pelo supplicante sio de
algum peso, embota reconheca no Dr. Moraes Pi-
nheiro qualidades que protcstem contra qualquer
juizo menos-favoravel que a seu respeito se faca,
para que o casamento se realise como o mesmo
supplicante propde.
certo, porm, que sem audiencia do mesmo
doutor, se nao deve resolver cousa alguma, e at
sem ouvir-se a menor, que pela lei pode interrir
O v ..- ii.-j init. i j uitU V tl?iUllCUl<. dlC IIUC
se decida esse negocio atina I. sendo citado o mesiuc-
Dr. Moraes Pinheiro, para incontinente entregar ao
ofllcial de justca a mesma pet^io, sob pena de
desobediencia e cusas.
Nestes termos pede V. S. assim a defira.E-
R. MeAntonio da Cunha Soares Guimaraes.
Cite-se. Becife 23 de setembro de 1863.Aqui-
no Fonseca.
Certifico que intimei a petico ao Dr. Manoel Pe-
reira de Moraes Pinheiro, por todo o contedo, e
ficou entendido.
Recife 23 de setembro de 1863. Em f de ver-
dade. Francisco da Silva Neves, offlcial do juizo.
Certifico em tempo que nao me foi entregue os-
papis pelo mesmo doutor, disse-me que nao se
achavam presentemente em seu poder, se quizesse
esperar receberia ditos papis.
Recife 23 de setembro de 1863. Era f de ver-
dade.Francisco da Silva Neves, ofllcial do juizcv
Illm. Sr. Dr. juiz de orphos. A' vista da certi-
do do ofllcial na petico retro, o supplicante pede
providencias sobre o que ellas mencionam, afra*
de que nao fique preterido o direito do supplicante
Outro sim o supplicante requer deferimento da.
primeira parte de seu requerimento retro. ER.
MeAntonio da Cunha Soores Guinaraes.
Cite-se de novo o Dr. Moraes Pinheiro, para, no
termo de 24 horas, entregar com sua resposta o-
requerimento a que alinde o supplicante.
Regife 25 de setembro de 1863. Aquino Fon-
seca.
Certifico que sendo nesta cidade, em virtude do*
contedo do respeitavel despacho intimei ao Dr.
Manoel Pereira de Moraes Pinheiro, este inconti-
nente cntregou-me duas petices com a competen-
te resposta, as quaes entrego ao supplicante Anto-
nio da Cunha Soares Guimaraes. O referido
verdade.
Recife io de setembro de 1863. O offlcial do-
juizo Francisco de Paula Real.
Illm. Sr. Dr. juiz dos orphos.O supplicante
vem ponderar V. S. as respostas dadas pelo tu-
tor da menor D. Maria Amelia de Freitas Guima-
raes della mesma e do seu futuro consorte nada
provam contra a pretenco do mesmo supplicante.
Nao procede a resposta do honrado tutor por que
necessariamente ha de defender e sustentar essa
obra para que elle tanto concorreu de que Ihe deve
caber toda gloria o que supplicante contenta-se se-
ment de ajuizar por ser isto em favor do bom
conceito desse tutor por que Ihe apraz repellir os
desfavoraveis boatos de certas porceutagem, ou
correclagem para elle e mais alguem.
Quanto a resposta da menor n;io pode ser levada
em conta por que a sua idade, e o interesse que
ella tem nesse negocio tambem a tornam suspeita.
Se taes respostas nao podem valer contra a pre-
tenco do supplicante, devem tero mesmo alcance
sobre a opinio eraittida pelo nobre procurador cu-
rador geral de orphos que nella se bascou exclu-
sivamente.
Urna simples consideracao basta para tornar
digno de deferimento a pretenco do supplicante
contra taes respostas, e queque todas as irmas
menos urna tem casado por escriptura ante-nup-
cial, e suas fortunas tem prosperado, ao passo que
aquella que assim nao casou e sim por costume do
imperio hoje se acha em ms circumstancias como
publico, e notorio.
Este facto por si s bastante significativo para
muito pezar em qualquer animo desprevenido, e
consciencioso para nao consentir no casamento da
sobrinha do supplicante sem um contrato ante-nup-
cial como alias se praticou com sua mi quando se
casou.
Este facto ainda mais dever influir para effecti-
vidade da pretenco do supplicante atlendcndo-se
que o futuro noivo de sua sobrinha acha-se engol-
fado na vida poltica com aspiracoes futuras de
deputado, que peder obriga-lo a graves sacrificios
de sua fortuna como j tem acontecido a outros,
Cutio dar-sc-ha a realisacio do que receia o sup-
plicante em detrimento d"o bem estar de sua sobri-
nha e elle busca-a acautellar por este modo, de mais
quando aquello casamento contrato ante-nupcial
venha a frustrar-se esse contrato ante-nupcial o
que nio de esperar do bom senso do illustre noivo,
nem por sso a sobrinha do supplicante as boa
circumstancias em que se acha nao deixar de ef-
fectuar o seu consorcio com outra qualquer pessoa>
to recommeudavel como aquello seu futuro noivo.
Quanto ao dezar que o honrado tutor contra o-
supplcante atra, nao Ihc pode chegar por que na-
quelle injusto aggressor falta bom senso, segundo-
a opinio de muitas pessoas sensatas, que o conhe-
cem ( e domina-o certa paixo menos propria da.
sua parte, que o tornam muito suspeito, e s para-
elle inrpiram compaixo.
Nestes termos o supplicante, padrnho de bap-
tismo daquella meuor, possuindo por isso de vivo-
interesse pela prosperidade della: pede V. S. as-
sim Ihe defira, receben merc.
Antonio da Cunha Soares Guimaraes.
Diga de novo o Dr. curador geral.Recife 29 do
setembro de 1863.Aquino Fonceca.
Nada tenho que accrescentar ao meu parecer
dado em vista da resposta dos contratantes.
Recito 1 de outubro de 1863.Souza Reis,
Como de notoriedade publica, e este juizo sabe
de sciencia propria, o bacharel Manoel Pereira de
Moraes Pinheiro, alm de exercer a profisso de
advogado, e nao ser dado a emprexas era as quaes
possa vir a compromotter sua fortuna havda e por
haver, homem de hbitos to econmicos, que,
temi concluido sua formatura propria cusa
quando j maior, o fez sem diminuir no capital a
respectiva legitima paterna.
Foi por ter o predito bacharel creado daquella
arte urna presumpeo favoravel a sea respeito,
quanto a sua aptiuao para bem gerir qualquer for-
tuna que por ventura viesse a ter, que o tutor da
menor Maria Amelia de Freitas Guimaraes, esta,
3ue por sua idade, como bem pondera o Dr. cura-
or geral, tem direito a intervir as condices quo
devem preceder a seu casamento, e este juiso re-
solvern) que o de que so trata se eOectuasse sem
a escriptura ante-nupcial, por que insiste o snppli-
cante, que, alera de nao ter qualidade legal alguma
que o habilite a vir iramiscuir-se nos esponsaes' da
referida menor, nio toma certamente por esta, 'em
vista de um facto por elle pratieado prximamente
para com a mesma menor o interesse que afleeta
ter.
Os precedentes a que o supplicante se refere nao
podem apadrinhar sua pretmclo, visto como as ir-
mas casaram-se com pessoas dadas vida eom-
mcrcial, em que, por um capricho da sorte sraen-



(
"
MU TI LADO



Diario de Pernanibitco %e\ia lelra 16 de Oulubro de 1 SttS.

sem a mnima tendencia para especulares com-
promeitodoras de seas possuidos.
Isio posto, e em vista do que disseram a refe-
rida menor, scu tutor.seunoivocoDr. curador gc>
casamento de que se trata se realise pelo modo
como eslava aulorisado, islo por carta de amela-
de, segundo ocostume do imperio.
Recito 5 de oulubro de 1863.
Aquino Fonceca.
DOCUMENTO N. 4.
Ulm. Sr. Dr. juiz municipal dajirimeira vara.
te, c mo grado as malares camellas, nSo raro se ] o embargado (Coto a fls. S8), e tendo o embar- duas pessoas abx^tadas, havendo por este lado a
perdem de uin para oulro da fortunas avultadas ;. gante replicado por negocio (Cola a s. 358 v.), I precisa garanta Independente dos bus com que
ao passo que a menor Maria Amelia de Freitas succedeu, que requerido laucamente de prova e sua muTher entrou para o casal, com os quacs
Gnimaraes vai casar com um heracm de lettras, vista allnal, fossom os autos com vista ao advogado alias nonhum inconveniente haveria em garantir-
da predita embargante (o mesmo- que minutouo se mais a curatella, convindo sua dita mulher ; e
prsenle aggravo) aos 30 de maio de 183, e que eonsistindo quasi a tolalidade dos bens da desassi-
elle nao mais os devolvesse ao cartorio. e que so- sada em predios, o que se deve procurar autes
mente em dias de Janeiro do corrente anuo cahis-1 um curador sebretudo humano, activo, intelligen-
ral ero seus pareceres, com os quaes me conformo, sem elles em poder do meu antecessor o Dr. Se- te e zeloso, do que senhor de grande fortuna, por-
indefiro a petico do supplicante, e mando que o, bastiao do Reg Barros de Lacerda, que pela por- que a curatella de que se trata demanda principal-
tana de fls. S3 mandou-os juntar aos de inventa-1 mente huraanidade para um bom tratamento
rio de Jos Joaquim de Freitas Gnimaraes, sendo curatellada na sua avancada idade, zelo, intelli-
para notar que com ultimtum de tSo reconhecida gencia e actividade para que sejam os predios devi-
quao retardada lldo, o dito advogado escrevesse a' Jmente conservados c sua arrecadaeao feita sem-
seguinte cota que sel fls. 259 v.: [pre com efflcacia e promptidao, sendo por isto
Nao sou mais advogado da autora, e consta-me bastante que a garanta seja tal, pelo que respeita
qne as partes estao compostas, e por isso dou os aos bens que corresponda as rendas annuaes dos
Antonio da Cunha Soares Guimaraes vera requerer autos para o cartorio, sem allegarlo. mesmos predios, e Taborda est nestas condicSes
V. S. se sirva mandar que, qualquer tabelliao Nao era, poie, do bem estar da orphaa que se o quanto se pode desojar.
desta cidade, a quem for apresentados os autos de tratava ; havia ao que parece o desejo de salisfa- Quanto ao que se diz em desabono de Taborda
inventario dos bens da interdicta D. Francisca Tho- zcr caprichos e desgostos, contra o tutor e padras- na qualidade de tutor de sua enteada, pelo que diz
mazia da Lonreicao Cunha, Ihe d por certidao o lo della, tanto que, apenas taes caprichos desappa-, respeito suspeita que se quer fazer valer de que
theor rerbo adrerbum das pecas_ que pelo suppli- receram, logo que semelhantes desgostos emiti- nao administrar elle bem os bens da desassisada,
garem, dormiram os autos nd escriptorio do adro- responde a minuta deste juizo no aggravo to-
gado minutador do aggravo, por cinco annos, e Ihas, comprovada com os autos de .inventario de
afinal apparecem como por encanto com urna de- Jos Joaquim de Freitas Guimaraes, e responde o
elaraciio de composicao entre as partes contenta- procedimento coristante deste jnizo na apreciacao
das, c com a desistencia do patrocinio da causa das suas contas, e conservacao delle em tal cargo,
por parte desse advogado, que alias o mesmo d'onde se v que falsamente se avancou tudo
que depois figura em tudo quanto se requer em, quanto contra elle se disse, e pelo que diz respei-
j uizo contra Taborda. to ioimisade com a desassisada, por ter esta
E, pms, singular, que depois da nadmissao das, pretendido retira-lo daquclla tutella, responde o
arguicoes dessa_ petigao, por julgamento deste jui- (resultado que leve tal pretencao qual o aecrdo
zo, e da confissao feita de que as partes se achavam "
compostas, se queira contravir a esses actos, e ti-
rar partido delles.
Outro pretexto para por em duvida a capacidade
do curador novamente nomeado foram os aggra-
cante Ihe torem apontadas nos ditos autos, entre-
gando estes c a referida certidao pessoa que lh'a
presentar.
Nestes termos, pede V. S. assim Ihe deflra
E. R. M.
Sim. Recito, de abril de 1863. -Hermogenes
de Vasconcellos.
Francisco Baptista de Almeida, tabelliao denotas
nosla cidade do Recito de Pernanibuco, capital
da provincia do mesmo nome, por S. M. Impe-
rial o Senhor D. Pedro II, a quem Deus guarde,
etc.
Certifico que em cumplimento do despacho re-
tro, c sendo-me apresentados os autos mencionados
na petieao tambera retro, sobre a qual cujo despa
ven e firmn com scu proprio punho, no livro dos
talantes que Ihe fo* apresenudo pelo Sr. conse-
Iheiro administrador geral, as seguintes palavras:
t Folgo semphk quando posso elogiar ouALQUEn
ESTABELECIMKNT0 DO ESTADO. ESTE EST NESTE CA-
SO. DOM LUIZ.
Retirou-se sua magestade, depois das nove horas,
tendo sido sempre acompanhado nesta visita pelo
Sr. eonseUieiro administrador geral Firmo Augus-
to Pereira Mareos, pelo empregado da contadoria
Ko da 16 do corrente mez de oulubro se ha-
de arffttatar em praca publica du Sr. Dr. juiz mu-
nicipal da 1.* vara desta cidade, um terreno cora
alicerces, e frente para a travessa do Montciro, na
freguezia de S. Jos, com 120 palmos de largura e
130" de. fundos, pelo prego da adjudicacao que
8005. E a ultima praga.
LEILES.
Souza Lacerda Villaseca contra Mximo Marinho
da Rocha Wanderlev. a ultima praga.
O procurador da cmara municipal desta ci
dade manda publicar a relagao abai:
a que j alludimos, e por outros empregados e ar-1 do por 200*, por execucao de D. Maria Carneiro de
listas encarregados das diversas repartieses e offlci- "
as, que todos licaram penhorados da extrema bon-
dado com que sua magestade houve por bem atten-
der as suas explicares.
A imprensa nacional de Lisboa, que deven ao
nunca assas chorado monareha o senhor D. Pedro
V a mais Ilustrada proteccao, acaba assim de rece-
ber tambem na visita do senhor D. Luiz I. (a ter-
ceira que faz a este estabelecimento) nao s urna
prova solemne de quanto se empenha pelos seus
progressos, como um eloquente testemnnho de be-
nevolencia e Ilustrada animacao, que ser de cer-
to para todos os seus numerosos empregados e ar-
tistas um nobre estimulo para se empenharem ca-
da vez mais em merecer o generoso lonvor do nos-
so esperangoso e magnnimo soberano.F. P.
(Da Federacao.)
IJEIfitO
uQl
'\jij. tu <\ tiitiniii i'i ata. p j*
No dia 16 do corrento mez de oulubro se ha 36118-fera 16 do COlTCute 03 rila da
de arrematar em praga publica do Sr. Dr. juiz mu-! Cadra u VI | | km -.>
nicpal da !. vara desta cidade um escravo avalia- u"ueid u. o d 1 1101 ,l>.
DE
cho toi proferido ; toi-me por parte do supplicante vantes adduzir do faci de tor-se elle casado, me-
apontado em ditos autos em primeiro lugar o que diante urna escriptura anti-nupcial de dote.
delles consta de fls. 106 a fls. 116, que a resposta A torlilidade desta allegaco palpitante e evl-
do Dr. juiz de orphaos desta cidade dada ao aggra- dentissiraa. Quando nao bastasse o privilegio cabi-
to inforposto do mesrao juizo por Antonio da Cunha el ao tutellado e curatellado nos bens do tutor on
Soares Guimaraes para o superior tribunal da re- curador Pereira e Souza g 468 cdigo commercial
lagiio do distrieto, cujo theor da forma, modo c art. 874 5, anda mesmo na colisao e com renun-
maneira seguinle
que chegou Taborda com a 'desassisada, correndo
como certo e de plano que tudo aquillo tora movi-
do pelo primeiro embargante sera sciencia da-
quclla, sendo ella fcil e prompta em fazer retirar
tudo logo que soube do modo por que seu filho
flzera figurar em juizo contra Taborda.
Nao haportanto razao alguma para que Taborda
nao ame sua sogra, e pelo contrario ha umita ra-
zio pelo procedimento ulterior della para com elle,
para que muito a ame e respeite, como alias
consta.
Deixode dfcer extensamente sobre as contas de
Vm eslavo pardo offlcialde ra-
n. patelro.
Pelo agente Euzebjo reqnerimento de iateres-
alxo, que Ihe toi sado e por autorisagao do lllra. Sr. Dr. juiz muni-
remetlida pela mesma cmara, dos senhoresque cipalda pnmeira vara do civel se vender o es
tendo deixado de comparecers sessoes do jury, fo- cravo pardo de nome Francisco idade cercado
ram multados pelo Sr. Dr. juiz de direito da pri- 40 annos, offlcio de sapateiro, pelo maior oreco
raeira vara presidente do mesmo jury, e pede a ca- que seachar para pagamento de divida e nessa
da um dos mesmos .-enhores que se dignem reco-1 occasiao se '
lher ao cofre municipal a importancia em que fo- j Apresentar para trocarse por dinheiro duas
ram multados, evitando assim que se proceda exe- excellentes collecgoes de via sagra que aiana de
cutvamente. | se possuir, em quadros grandes, pintados a oleo
Cmara municipal do Recito, 2 de oulubro de pelo melhor autor de Londres, sio aoronriadn
1863. "'"----------------
Agu flerlda de Jlurray fc
. JLanman.
Pde-se quasi por em duvida se as mil e urna
flores com seus multiferos matizes, que derramam
sobreoleilo de Edn a sua perfumara folhagem m
diffundirao pela atmospheua urna fragrancia mais Manoel da Vera Cruz
delicada e pura que aquella que se derrama e en-1 jos buida de Lira.......
che ogabraete de vestir ou o boudoir aonde urna Mann^i rarnAim !.;'
garralinha desta mimosa e odorfera agua fr aber-
0 procurador,
Jorge Vctor Fcrrcira Lopes.
6 de junho de 1863.
Jos Gongalves da Porcincula. .
Jos Lopes Guimaraes. .......
Jos Pires Campello de Almeida. .
Mariano de S Albuquerque.....
"Francisco Antonio de S Barrete. .
Joaquim Pedro Carneiro Campello. .
Dr. Manoel Figueira de Faria. .
aos templos ou mesmo a alguma familia pieoaa,
aos santos exercicios da via sacra pelo tempo da
prxima quaresma.
. cia de outros privilegios que militem em prol des- folhas a folhas de modo a fazer sobresahir a in-
Senlior.-Posto que rae parega o presente aggra-, tes ltimos, quando ainda nao bastasse apenado conveniencia da conservagao do primeiro embar-
vo excntrico dos casos em que sao cabiveis taes priso fulminada pela ordenacao livro 4 titulo 102 gante na curatella de sua mai, porque como re-
recursos ( vista do art 15 do regulamento do 15 5 contra os tutores e curadores alcangados para quen a folhas, julgo conveniente ser esclarecido
do margo de 1842.) com tudo nao quiz tolher o pro- ,c<>m os seus lutel lados ou curatellado?, urna sim- pelos interessados, que primeiro devem fallar
seguinento do mesmo aggravo, s para subnietterj pies consideragao deveria dissipar o pnico terror respeito, e visto como pelo que tenhodito, e pelo
esclarecida apreciagao de V. M. I. o negocio a que affecta os aggra vantes sobre a falta de garan- \ que dos autos consta se evidencia que de ve ser sus-
que elle se refere. fra de toda duvida que para tia que Ihes parece offerecer o curador novamen- tentada a nomcayao de Taborda, conhecendo-se
o presente aggravo nao se devra ter buscado apoio
na lei de 3 de dezembro de 1841, como fizeram os
(gravantes, porquanto, embora no art. 120 da
presente lei se mandasse restaurar os casos da an-
tiga legislagao para taes recursos, todava, havendo
o mesmo legislador autorisado o poder executivo a
dar o respectivo regulamento, franqucou-lhe im-
plcitamente a attribugo de reconsiderar os ver-
daderos casos em que elles deveriara ser admissi-
veis. sera que se possa deixar de considerar aquel-
la disposicao como subordinada o de accordo com
o regulamento.
O primeiro pretexto do presente aggravo toi pelos
ageravantes tirado do acto deste juizo pelo qualum
dilles, Antonio da Cunha Soares Guimaraes, fra
privado da curatella provisoria de sua mai D.Fran-
cisca Thomazia da Couceigao Cuaba, julgada de-
mente sem a pretendida audiencia dos interessa-
dos, o (pie nao tem a menor sombra de proceden-
cia. Sendo certo que respeito da remocao dos
curadores e causas de sua inhabililagao, applica-
vel tudo quanto determinado acerca dos tutores
Pereira de Carvalho, processo orphanalogico,
nota 29o, segue-se evidentemente, que podendo-se
remover os tutores antes do tempo das cuntas
Ordenar.lo livro i titulo 6 33, titulo 88 % 30, li-
vro \' titulo 102 Io o mesmo sem previa au-
diencia delles Ordenacao livro 1" titulo 88 % 50
Guerreiro, tratado 3" livro 8 capitulo 3 n. 17,
cita.lu Pereira de Carvalho, nota 272, do mesmo
modo, isto antes do tempo das contas, sem pre-
via audiencia dos curadores podem ser elles remo-
vidos, quando legitimas causas existentes inslem
te nomeado, e vem a sero facto de hav-lo este quanto antes das contas daquelle. Entretanto este
juizo obrigado a prestar a slida flanga de dous juizo melhor o julgar.Faea-se justiga e custas.
capitalistas e proprietarios ricoscomo se v do
termo de folhas 87 dos presentes autos.
Nao menos improcedente o ultimo pretexto
Recito, 11 de abril de 1859.Souza Reis.
Certifico mais que por parte do supplicante me
toi flnalmenteapontado nos supraditos autos o que
urna sen-
theor
seguinte :Vistos estes ac-
tos, etc.
Attendendo que a desassisada D. Francisca Tho-
masa da Conccigao Cunha nao tem esposo, pai,
parte de urna casa em que era consenhora sua en-
teada o latellada.
O exame dos autos de inventario, que mando
appensar este, explica essa eavillosa historia, e ou av para ser seu curador nos termos da orde-
convence de que nao houve ma f da parte de Ta- naco do livro 4 titulo 103 5;
borda no negocio de que trata. Na ignorancia de Attendendo que na falta delles tambem nao tem
que, tendo passado segundas nupcias, sua mu- filho algum varao tal nuc seja idneo para o dito
lher uao era herdeira, mas apenas usufructuaria' cargo, porquanto dos dous filhos que exisiem, nc-
do quinho de seu filho Antonio, morto depois do nftwm offerece as precisas garantas, e nao tem a
pai, Taborda, tendo de tentar aegao contra o Dr. necessaria aptidao para desempenha-lo, como bem
Jos Joaquim de Moraes Sarment, por causa de pondrrou o Dr. curador geral em seu parecer de
um terreno que lhc dora o governo, contiguo fls. 137;
casa n. 1 A da ra de S. Francisco, em que ha-; Attendendo que desses filhos daquella desassisa-
viam tido parte o finado menor e sua tutellada, e da um, que o primeiro embargante Antonio da
nao querendo sujeitar esta aos riscos de urna de- Cunha Soares Guimaraes se tem mostrado muito
manda, pedio c ubtevo permisso do juizo para emgenhado em ser conservado naquelle emprego,
pcrmutlar o que ahi possuia sua tutellada com par- razao sufficicnte para ser excluido delle.Pereira
te de igual valor na casa da predita ra n. 7 (pe- de Carvalho, processo orphanologico ola 253 e o
tgo e documento de folhas 158 a 160); mas o segundo embargante Joo da Cunha Soares Gui-
solicitador Rodolpho Jo5o Barata de Almeida, que maraes, desisti da opposigao que de accordo com
diriga semelhante transaccao por parle de Sar-, o primeiro fazia nestes autos nomeaca de Igna-
meuto, reconhecendo depois de effeclua-la, que ci Luz de Brito Taberdacomo se v fls. 143;
ella se ressentia da falla, em que por mera igno- Attendendo que na falta de qualquer daqucllas
rancia rahira Taborda, assenlou de remedia-la com pessoas para ser curador, manda a citada Ordena-
a petieao de folhas 161 de sua lettra, e que, com gao do livro 4* tirulo 103 5" in fine, que deve ser
audiencia do curador geral (parecer a folhas 161 constrangido algum prenle mais chegado, ou ex-
verso) produzio o termo de folhas 168, julgado por tranlio idneo e abonado, em cujas circunstancias
sentenga a folhas 169. se acha com maioria de razo, o dito TalKtrda, por
>este p se achavam as cousas, quando appa- sergenro da desassisada, e por consegrante equi-
Cunha Soares Guimaraes da curatella provisoria de 'receu advogado minutador deste aggravo com parado a filho, por torga da Ordenacao do livro 3
sua mai, porquanto dos autos se evidencia a inepti- a extensa petigao de folhas 170 a 174, atoiando o ttulo 9 8 2, e com justa causa porque o vinculo
dao cora que elle se tem havido nessa gestao. procedimento de Taborda, que ouvido respeito conjgate tao eslreito una et eadem caro Pareee-me nao dever ser mais explcito neste ', resjiondeu por seu advogado folhas 183 contos- fiea 6 associa cada esposo com os prenles do seu
ponto, porque corre-me a obrigagao de chamar esse sando que na melhor f fra levado ao acto de que conjugo, e produz os mesmos effeilos resultantes
curador destituido a um ajuste das contas de sua s* 'he arguia, e que nenhuma duvida teria em re- dos lagos naturacs do sangue quia sorer ant steera'
gestao, e nao rasoavel que cu deixe entrever aqu i mediar a falta era que involuntariamente incorr- habent'ur loco patris, et protatt reputalur. E qua-
os vicios o irregularidades deque ellas se resen- ra, dando sua tutellada, para complemento do tro 3. D. de grudet affin Pheb. Decs. 91, 3.
'pm- que Ihe portencia, como legitima herdeira de seu Peg. Tom. 13, livro 3, titulo 9 2 n. 6, Domat.
So e inconlraslavel que esle juizo facultado o "nado innao, o armazera terreo n. 12 assente no Trail des Lois capitulo 3, Toullier 165
smpregB da remoeap, ou demissao de.ura curador fun(1o do citado sobrado n. 7 da ra de S. Fran- Attendendo que o embargado Taborda curador
meeino definitivamente nomeado, mas oraisso, c'cisco. nomeado para a dita desassisada sua sogra tem
poueo dtgno de confianga, com maioria de razao !; Aps as mais cscropulosas diligencias, constan- cora ella vivido em boas relacoe^e ha prestado re-
essa medida era admssivel no caso vertente, em i tes dos autos desde folhas 184 verso at folhas guiares contas perante este juizo de oulro munus
189, toi aceito este offerecimento e sanado todo o publico que Ihe toi confiado, a tutella de sua en-
inconveniente havido na transaegao pelointerlocu- teada, e por isso nao ha desmerecido da confianga
torio de folhas 189 verso, devidamente intimados que nelle se ha depositado ;
aos interessados (certidao folhas 190.) Attendendo que dos cunhados e concunhados de
Onde, pois, o dolo, ou artificto fraudulento Taborda nenhum se tem opposto sua nomeaca,
constitutivo do estellionato, n'um facto todo pratica- senao o embargante Antonio da Cunha Soares Gui-
do pelo procurador do comprador daquelle qui- maraes, pelo interesse de ser conservado no cargo
nhao hereditario, com
jmr essa medida em prol da sorte dos curatellados. I
Nao abusarei da attengao de V. M. I. com a de-'
monstrngao da necessdade indeclinavel que actuou'
neste juizo para remover o aggravantc Antonio da \
ta. Se a compararraos cora esse transiente e vol-
til cheiro de essencias ordinarias, o seu aroma p-
do-se chamar indestructivel, em qnanto que por ou-
tro lado, o nico artigo em seu genero, o qual vi-
vidamente nos trz vente o delicioso perfume de
aromticas flores ainda frescas.
O volunte do rico e delicado aroma que se espa-
Iha ao derramar-se algumas gotas no tongo, de-
liciosamente maravilhoso. Como um -meio para
aliviar vertigens e dores de cabega, para perfumar
o alito e a propria pessoa, e finalmente quando
usada no banho ou como um comestlco, nao tem
ella igual por entre todo esse sem numero de aguas
odorferas ou extractos superfinos que constante-
mente se importara.
Acha-se as boticas e loja de perfumaras do
Brasil.
Manoel Carneiro Lcao.
Antonio Francisco das Neves. .
Antonio de Albuquerque Mello. .
Francisco Pereira d'Arruda Cmara .
16 de julho.
Nereu de S Albuquerque......
Jos Pedro Vellozo da Silveira Jnior.
Antonio de Albuquerque Mello. .
Jos Joaquim de S Leitao......
Antonio Francisco Lisboa Esteves. .
Joaquim Lucio Montciro da Franca ..
Joaquim Mileto Maris...............
Dr. Manoel Figueira de Faria..
3004000
300,8000
30OJO00
3004000
300*000
3004000
3004000
3004000
3004000
3004000
3004000
1.1:11,10
e prato
DE
Queljos flamenco
IIOJE
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer caixas com quejos flamengos e
prato os mais superiores que existem neste mer-
cado desembarcados do vapor francez; em totes a
vontade dos compradores : hoje 16 do correte
pelas 10 horas da inanha no armazera do Annes
3004000 defronte da alfandesa.
3004000, ---------------
2804000,
2804000'
2604000'
2604000
2OO4OOO
2OO4OOO
20040 0,
2004OOO
LEiL.0
DE
Movis f, miudezas.
Sabbado 18 de oulubro.
(IVo deposito geral.)
O agente Pinto far leitao reuucnmento de
FranciscT^GTraares":1!::..:. SSBo^ffi EcS d^JS^fS dU ,,UH'
Antonio Ferrara dAnnunciago....... 9 ^JS^fS^T^- '
COMMEBCIQ.
NOVO BANCO
DE
PERi^AMBUCO
O Banco toma saques sobre as pragas do Rio de
Janeiro e Bahia.
Alfandega
lien'I i ment do dia 1 a 14. .
dem do da 15.......
199:839454!'
8:3564088
208:415,6637
vlorimcnto da alfandega.
Voluntes entrados com fazendas
com gneros
Volumes sahidos
com fazendas
com gneros
133
264
-----397
que o dte aggravante Antonio Soares da Cunha
Guimaraes era apenas um curador provisorio, c s
nomeado para inventariar os bens constitutivos do
acenso de sua mai e curatellada, visto como tendo
elle estado na doce fruigao desses mesmos bens por
longo tempo, e durante a lvre administragao della,
ostra assaz habilitado para prestar os mais cir-
cumstanciados esclarecimentos tendentes a sua me-1 pho hereditario, rom sciencia e approvgao deste de curador, que parece convir-lhc, donde resurta
loor arrecadagiio, o que conseguido, como suecc-jjuizo, "edianle previa audiencia do curador ? | que essa nomeaca tem merecido a acquiescencia
deu, devera seguir-se neccssarianienlc a sua de- Pois Taborda jicdee consegue deste juizo licengae approvagiio de todos os oulros co-herdeiros da
missao altamente reclamada, para evitar duvidas para permulla de um predio em que fra aqu- dita desassisada ou membros da sua familia
46
91
----- 137
Descarregam no dia 16 de outubro
Barca ingleza Envoycarvao.
Brigue haniburguez Margaretha = farinha.
Patacho inglez Oward farinha.
Barca francezafaoulmercadorias.
Patacho nacional Palma gneros de estiva.
Patacho portugnez Maria da Gloriagneros de
estiva.
Barca ingleza ^ Vesioncarvao.
Reeebedoria de readas Internas
geraes de l*ernambuco.
Rendiraento do dia 1 a 14. 14:5754674
dia 15......... 6024926
13:1784600
Santa Casa Recifc.
O Illin. Sr. tbesoureiro da Santa Casa de Miseri-
cordia do Recito manda fazer publico, que no da
21 do corrente, pelas 10 horas da manhaa, na casa
dos expostos, far pagamento das mensalidades
vencidas at setembro prximo passado s amas
que se apresentarem acoinpanhadas das ci angas
que Ihe foram confiadas.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cito, 13 de oulubbro de 1863. '
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Escrivao.
No da 19 do corrente mez, depois da au-
diencia do Dr. juiz municipal da 2.a vara, Francis-
co de Araujo Barros, vai praca para ser arrema-
tada a armaco e mais objectos da taberna sita na
ra Direita desta cidade n. 127, cuja armago e
mais objectos vo praga requerimento de Ma-
noel Gomes da Silva, como tutor dos menores Mar-
cos Gomes da Silva e oulros, na execugao que o
mesmo move pelo cartorio do escrivao Motta con-
tra Francisco Jos Correia Guimaraes : os preten-
dentes que quizercm arrematar dita taberna, po-
dem drigir-se ra eslreita do Rosario, sobrado
n. 8, segundo andar, afim de examinarem os mes-
mos.
No dia 17 do corrente, depois da audiencia
do Dr. juiz municipal da segunda vara provedor
de capellas e residuos, vao a praga dous cavados
pertencentes a bens do evento, avahados un por
205 e ou tro por 104, a ultima praga.
, 1 mesa tudo em mo
estado, e urna porgo de miudezas, objectos em-
bargados a Bernardo da Silva Cardoso e existentes
no deposito geral casa em frente a secretaria de
policia, onde se efectuar o leilo s 11 horas do
dia cima dito.
THEATRO
Rend
dem
Consulado provincial.
rnjjjto do da 1 a 14. 18-6894320
dWl
\\i 15.
1:7094457
20:3984777
MOYIMENTO DO PORTO.
DE
EnPREZA
DR
A.
Navios entrados no dia 15.
Hamburgo-72 dias, rscnnahannveriana Luna, de
196 toneladas, cap tao J. J. Botelho, equipagem
6, carga fazendas ; a Manoel Joaquim Ramos c
Silva & Genros.
futuras, de i|ue se tornara germen, pela completa | nheada em parte sua tutellada, e deixaria dulo- Attendendo que o mesrao Taborda, alm de co-! a*/!, J*" ,,r.,Pnft ,ho1 andez eenymph, rte
dbseogao em que vive com os outros membros de i smente de impetrar igual lcenga em relagao ao herdeiro, e por isso erapenhado em fazer prospe-'
sua familia ; alm de ser muito para se tercm con-
siili'raeao a sua reconhecida inhabilidade, e cir-
eumslncias era nada lisongeiras.
Prelendem os aggravantes que este juizo nao
dever rJeD^gar-ihes vista para embargos que que-
rain oppor a nomeaca de Ignacio Luiz de Brito
rborda para curador da-mi delles, por constituir
a vi>ta defeza natural, e por isso ser admissivel a
concessao della para opposigao de quaesquer em-
bargos.
Era verdade, vista conlm defeza natural, que
a nlnguem se deve negar, como insnuam os pra-
xstas; mas essa opiniao nao tao lata que nao es-
teja restringida aos casos em que ella somonte
cabivel Ordenacao, livro 3* titulo 66 6 Pegas
Forense, p. 1116, etc., porque do contrario seguir-
se-hia o absurdo de que os recursos se tornariara
multiplicados e interininaveis.
Na especie actual, por exemplo, nao tendo havi-
do sentenca alguma, a opposigao de embargos se
iornaria inadmssivel em boa de toda a legislagao
vigente.
Alera disto, sendo apenas cabivel a defeza do cu-
rador removido, como acouselham os praxistas,
porque esse aclo envolve a seu respeito alguma
suspeita desfavoravel, fra de duvida que haven-
do o aggravante Antonio da Cunha Soares Guima-
raes nessa qualidade renunciado a sua propria de-
feza, nao poda elle de accordo com seu irrao in-
lervir na apreciacao da medida puramente admi-
nistrativa deste juizo, que Ihe deu un successor
nesse encargo, por meio de arguciosos embargos,
cora o fim soraente de obstar ou contrariar a sua
outro quinhao hereditario, pertencente ao finado' rar o patrimonio da desassisada, prestou para as-
orphao de quera suppuz sua mai universal her- sumir o cargo de curador desta urna ianga solida
deira } I e bastante de pessoas idneas e abastadas desta c-
Seria elle tao inexperto, que sabendo ser a dita, dade, o que por si s garante a respectiva admi-
menor sua tutellada tambem herdeira do quinhao; nislracao;
deixado pelo orphao, ignorasse, que a falta de con-! Attendendo que mais natural que aquella desas-
sentimento do juizo para venda de qualquer desses sisada viva e esteja mais comraoda e satisfatoria-
quinhes arrasiaria a nullidade da venda delles, e mente na companhia de sua filha, mulher de Ta-
sobre seus hombros urna tremenda responsabili-. borda, e de sna neta, enteada e tutellada deste,
dade ? porsercm mais fortes as rclaces existentes entre
Se elle, apenas se Ihe assignalla a falta em que estas pessoas do que as que se dao respeito de
incorrra, vem juizo confessa-la, d-se pressa e um filho : por tudo isto eo mais que dos autos
pede providencias para corrigi-la ou remeda-la, consta, e disposcoes de direito, despreso in tumi-
como se insiste era dizer que elle obrou de m f i ne os embargos 'a lis. 122, e mando que subsista
Onde o dolo, o artificio fraudulento para se ap- em seu inteiro vigor e surta todos os seus cftoitos
propnar da fortuna de sua tutellada, de que nao jurdicos a nomeaca feita por este juizo de Igna-
seutilisou |K>r modo algum ? ci Luiz de Brito Taborda para curador de sua so-
243 toneladas, capitao Frederech, equipagem 10,
carga 2,225 barricas com farinha de trigo ; a N.
O. Bieber & C.
Portos do sul6 das, vapor inglez Magdalena, de
1,617 toneladas, commandante Wooward.
Navio sahido no mesmo dia .
Porlos do nortevapor nacional Princesa de Join-
tille, commandante capitao de fragata A. I. de
Santa Barbara.
DECLARACOES.
Armnstaco.
No dia 17 do corrente mez, finda a audiencia do
Sr. Dr. juiz municipal da segunda vara, escrivao
Baptista, ser
Abreu Porto e sua mulher, na execugao que Ihe
move a Santa Casa da Misericordia desia cidade :
pede-se a quem tiver direito ao solo da mesma ca-
sa que comparega na occasiao da praga, ou an-
nuncie por este jornal.
Aviso.
Para conhecimento de lodosa quem possa inte-
ressar as relaces coinmerciaes, com a repblica
argentina, e coin especialidade os Srs. capitacs de
vendida em hasta publica, a quem
Contra a infundada suspeita sobre a capacidade gra a desassisada D. Francisca Thomasia da Con- mais der' uma casa tcrrea niea-agua n. 33, com
do dito curador, falla alto a regularidade com que ceicao Cunha. Condemno os embarcantes de fls Iso,ao- na rua "c 'lor,as desta cidade, avahada em
elle tem prestado as suas contas na qualidade de 122* as custas pro-rafa, e o embargado as do ag-1S004O00, a qual casa toi penhorada a Andr de
tutor de sua enteada, como se pode ver dos autos gravo a fls. 91.
3ue por appenso offerego esclarecida apreciagao Recommendo ao escrivao que cancelle de raa-
e V. M. I, sendo para notar, que o dito tutor as- neira que se nao possara lr, as cotas que se depa-
sumimhi si a boa ou m cobrmai das dividas ram nestes autos de fls. 128 e fls. 133, e que com
em que sua tutellada fra aquinhoada, deu-lhe em semelhantes nao mais faga subir autos conclusao.
pagamento tosas dividas predios na importancia Os autos de inventario dos bens do fallecido Jos
dereis 7:0774365 (avaliages de folhas 229) como Joaquim de Freilas Cuimares continuem appensos
se v. do termo de folhas 229 folhas 230 verso, estes,
julgado por sentenca folhas 231. I Recito, 14 de abril de 1859Ernesto de Aquino
Tenho sido prohxo para referir circunstancia-' Fonseca. navios, como para deserapnho de instrueges re-
dara ente todo esse negocio era que este juizo tem' Nada mais me toi apontado em ditos autos alm cebidas, se manda transcrever em sua integra o
sido solicito, para nao abandonar os inleresses da do que aqu vai bem e fielmente transcripto a cu- seguinte decreto de 24 de setembro ultimo,
demente D. Francisca Thomazia da Conceigao Cu- jos autos me reporto e os entrego a quem me os El presidente de la repblica ha acordado v de-
prompla execugao, tito necessaria e reclamada para nha a ambigao de uns de maos dadas com as ar- apresentou igualmente com esta que vai na ver- creta :
os iuteresses da demente. | gucias de outros, e confia-los pessoa que mais, dade sem cousa que duvida faga, conferida e con- Articulo 1." Los buques procedentes de puertos
Da sustentacao do presente aggravo se evidencia zelosamente delles possa curar. ,certadana forma do cstvllo por mim tabelliao1 donde hava agentes consulares de la repblica que
a neptido dos taes embargos que os aggravantes Nao obstante toda essa loriga demonstracao para no principio declarado subscripta e assignada nes- no haigaii sus manifest visados como correspon-
tmham em vista oppor somente acerca da suppos- mostrar a improcedencia deste aggravo, V. M. L la cidade do Recito de Pernambuco aos 2 dias do de por los consoles respectivos, sern obligados
(a inhabilidade do curador novamente nomeado mandar o que fr mais acertado e justo.O juiz mez de abril de 1863. Subscrevo c assigno e ni f
por este juizo Ignacio Luz de Brito Taborda, e por de orphaos, Ernesto d'Aquino Fonseca. de verdade.Francisc
rioiseguinte disso deriva-se raais um valioso fun- Certifico igualmente que me toi mais apontado!
(Jmenlo para justificar o acto com que fra frus- em ditos autos o que delles consta de folhas 137 I
trado esse meio meramente de chicana. I verso 140 verso, que vem a ser uma proniocao! VisiU real.
Allegara os aggravantes, que o dito curador no- do Dr. curador geral, cuja do theor e forma se- Sua magestade el-rei o senhor D. Luiz I acompa-
vamenle nomeado incapaz do respectivo munus,! guinte : nhado do Sr. tenente-coronel Francisco da Cunha
J. DIARTE COIMERA.
Recita llvre da asslgnatnra.
Sevta-fcira, 16 do outubro de 1863.
ISPIKTK no
EM
GRAMDE ilii,
Cin solfmnisafao ao anniversario natalicio de S. I.
a raiuba de Porluyal B. Maria Pa de Saboia.
Logo que S. Exc. o Sr. presidente da provincia
se dgnar comparecer na tribuna, a orchestra exe-
CUtara uma de suas melhores ouverturas.
Finda a qual tocar-sc-hao perante as efflgies de
SS. MM. o Imperador do Brasil, re de Portugal e
D. Mara Pia
ON IIYUAOS
BRASILERO E PORTUGUEZ.
Em seguida a companhia dramtica representa-
r o muito desejado drama em quatro actos, de
costuraes militares,
DE
4 escravos, Miia, pala e um re
pililo le jaca tanda.
Sabbado 17 do frrenle.
O agente Pestaa legalmente autorisado far
leilo por conta e risco de quem pertencer de i
escravos a saber: 1 mulato para servigo, 1 cabra
para servigo, 1 erionla boa cosinheira. soffrivel
costureira eengommadera, 1 muala cora as mes-
mas habilidades e diversos objectos de mobilia,
como sejam : 1 cica mobilia de raogno com ca-
deiras e de bracos, sof, consolos e mesa oblonga,
guarda roupa, apparador, mesas e dejogo, camas,
raarquezas, sofs, cadeiras, quadros, una rica se-
raphina, ricas fructeiras e outros ricos objectos
de gosto, um apparelho de cha de prata, diverses
objectos para facilitar os trabalhos domsticos co-
mo sejam machinas de lmpar facas, de engom-
mar c lavar roupa, prengas para livreiros, moinhos
torradores para caf e milho, sorveteiras com-
muns e para sorvetes arfieiaes, fogoes, fogarei-
ros econmicos etc., candieiros de gaz, 1 barrica
com salitre, 1 grande cofre de ferro, diversas ar-
mas de fogo, entre ellas 1 carabina obra de esme-
ro justo c cursa 1200 ps, e inuitos differentes
artigos que seria enfadonho enumralos e que se
acharo patentes aos concurrentes, sabbado 17 do
corrente pelas 10 horas em ponto, no armazera da
rua eslreita do Rosario n. 32.
IjEIIA3>
BE
.ticvi-:i* ; iMiittON
Oagente Almeida em virtudc do despacho do
lllm. Sr. Dr.juiz especial do commercio far no-
vamente leilo dos movis e escravos pertencen-
tes a massa fallida de Seve Filhos & C
Sabbado 19 do eorrente
s 11 horas do dia no sitio em S. Jos do Mangui-
nho defronte da entrada para a Capunga.
Os concurrentes encontrarlo um mnibus na
esq ina da rua do Crespo as 10 horas do mencio-
nado dia.
JLjEIIAO
DE
C'ouros espichados e 15 saceos
com dinas de ca va I lo.
Scgunda-eira 19 do crtenle,
O agente Pestaa vender por conta e risco .de
quera pertencer 15 saceos cora dinas de cavallo e
porgo de couros espichados, ludo no estado era
que se adiar : segunda-teira 19 do corrente pelas
10 horas em ponto.na rua do Trapiche da alfande-
ga velha n. 19,defronte da associaeo commercial.
29
ou
HONRA E GLORIA.
Os senhores assignantes tem preferencia aos seus
bilhetes at a vespera do espectculo s duas horas
da larde.
Comcgar s 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
rancisco Baptista de Almeida.
pagar el duplo de los derechos consulares que de-
bieron sasfacer en el puerta de su procedencia,
cuyo importe ser percibido por la colectura,
aplicando la mitad al fisco y depositando la otra
mitad disposicin del cnsul a quien corres-
ponda.
Art 2. La multa del duplo que queda estabele-
porque, a visia do documento de fls. 94, se mani-1 Nem a ordenago livro 4 titulo 103 prohibe a Menezes, oficial s ordens, honren a aprensa na- cida por el articulo anterior, empezara cobrarse
fusta, dzem os aggravantes, que elle mal se houve- nomeagao do genro para curador do desassisado, cional de Lisboa com uma minuciosa visita na ma-' cuatro mezes depues de la publicacin de este de-
rana tutella de sua propria enteada. Em pnmei-! e pelo contrario a permute, porque os genros sao nha do da 4 de setembro corrale. | creto, cobrndose entretanto los direchos consula-
ro lugar e-se documento de fls. 94 nada prova, por. tidos como filhos, e smente sendo estes vares, e '
ser uma simples petigio de D. Francisca Thomazia, para isso idneos, sao preferives ; nem a lesassi-
oipre influenciada pelo mesmo aggravante Ante- < sada tem filho varao que em consciencia se diga
na da Cuaha Soares Cuimares, na qual todas as idneo para sua curatella, para que pretorisse o
ar,
;uiges sao inveridicas e vigorosamente contra- nomeado, porque o mais velho pelo que destes
nha do da 4 de setembro corrente.
Eram seto hora e tres qnartos quando sua mages-
tade ebegou ao ediUcio da imprensa nacional, e
sendo convenientemente recebido pelo offlcial da
contadora Pedro Pinto de Moraes Sarment, diri-
giu-se logo fundieao dos typos, aonde sua mages-
res solamante como lo dispona el articulo 8 del
decreto de 7 de noviembre de 1862,
Art. 3. Communiquese quienes corresponde,
pubiiqueses y dse al registro nacional.
(Assigndo) -Mitre.Rutina de Elizald.
Consulado da repblica argentina em Pernam-
iadas pelo regular procedimento com qne Taborda autos consta, mostra ter bem administrado os bens tede teve occasiao de reconhecer o notavel pro-
se. tem havido na tutella de sua enteada, como se do casal, quando para isto toi autorisado por ac- gresso e desenvolv ment desta grande offleina. Em buco, IS de outubro de 1863. -Jos Joo de Amo-
'ifenteia dos autos do inventario do fallecido pai crdo dos interessados, e geralmente sabido que seguida passou fabrica de cartas de jogar, of- run, cnsul.
dessa menor, os quaes, para melhor conviegao at nem mesmo os seas bens administra, sendo fleina e escola de grarura e galvanoplastia, aonde' ( ii\ i lili'll 0111 PeririmhllCO
deste veneravel tribunal, mando subir por appenso j disto uma g^**^*? Sef^S8 SZft?!^' P<" *toria *>' banco do Brasil sao
ao prsenle aggravo. i acha, nao obstante a DOa heranca que teve de seu cues ae caracteres, reproduegoes de gravaras e OIlv(laAl, ^ sMihnrM am-if>nista.s incalisadns n
f!omo V.ICL ver pos ditos autos, appareceu' pai, sem qne conste (pe a fortuna se Ihe tenna medalhas, etc. ; a lithographia, emque aetualmen- -^T^^vS^^^^v^S^^
co.n effeito em juizo D. Francisca Thomazia da mostrado adversa, sendo que por isto diz-se ja nao te se esta estampando a magnifica carta de Ango- c
Omceielo Cunha cora essa petigao a fls. 94, emque possuir elle os bens herdados, ou t-Ios em nome la, gravada primorosamente pelo Sr. capitao Cabral
azendoaecusacoes a Taborda no excretora da tu- albeio, e em qualquer um destes dous casos elle Calheiros; s ampias offleinas de composigao e
: o menos apto para o cargo que procura e deseja, irapressao, manual e mechanica, e suas depeaden-
e o mais moco, com quanto de apreciareis quali- cas, bem como casa em que funcionara as ma-
dades moraes, todava tido e reconhecida sem ap- chinas de aparar papel e calandras com que foram
tidw para a gerenaa de negocios complicados, t se recentemente enriquecidas ; e finalmente conta-
tivesse de exercer a curatella de sua mai, sem du- doria, e livraria, aonde se deraorou a examinar cora
vida que se entregara alguem de toda a boa f,, muito interesse alguns dos objectos que forara apre-
v), succedeu qne pela sentenca e is. 248 v. o juiz o que podia ser demuitomo resultado. \ sentados na exposlgo universal do Londres, e ron-
de entiio declarasse que nao havia causa para se- Entretanto na falta dos filhos vares taes que receram imprensa nacional de Lisboa a medalha
inelhante dcslitoigao, acerescenlando que pela sim- sejam idneos, sendo o nomeado genro e como tal, de honra.
files crcutnstancia de torera 0s avs preferencia a considerado filho, e quando nao, uma vez que ne -1 Sua magestade dignou-se por vezes manifestar a
tutella dos netos, e querendo a srapplicante a da nhum p-irente consanguneo consta que tenha a sua aatisfago pelo estado em que encontrara as
tella de sua enteada e nela della peticionaria, re-
queria quo, destituido dito Taborda de semelhante
<-argo Ihe fosse este conferido, mas tendo o suppli-
rasoado de fc. 244 a fls. 245 v.). e tendo o Dr. cu-
rador geral opinado respeito (parecer a fls. 2
dia 23 de Janeiro de 1864 a nona e ultima presta-
gao de 46 0/0. ou 20 por accao, de conformidade
con os artigo* 8 e 9 dos estatutos do banco do Bra-
sil, e art. 45 dos estatutos daca xa filial.
Sala das sessoes da directora da caixa filial do
banco do Brasil em Pernambuco 1. de outubro de
1863.-0 secretario,
Jos Maraede Alves Ferreira.
'ORREtOoKHAi.
Relacio das cartas segaras rindas do sifl pelo
upar ingle i Magdalena > para as senhores
abaixe declarados.
menor de qne se tratava, a assumissAlogo que para
issa justificasse capacidade. \
Com esta sentenca nao se eoatormou DSprancs-
ca Thoinazla, e Ihe oppoz os embargos de flsS31 a
mas tondo sido estes receidos pelo fhter-
desassisada tal que possa ser seu curador, a no- differentes reparligoes e offleinas, as quaes, apezar Antonio Castre Alves.
meago de Taborda, mesmo como cstranho, se as- de nao ter havido a menor prevengo da regia vi- Porfirio Amancio Gongalves.
sim devesse ser considerado, permittida pela sita, se encontravam, como de ordinario, no mais Joaquim Augusto Ferreira Jacobina.
fls. 253
loentorio de fls. 257
ordenago citada no 5 in fine, sendo como eflec-
tiva e reconhecidamente Taborda, idneo, na
havendo fallado acerca detos 1 expressio da lei, e foi alm disto afflancado por
escrupuloso aceio e ordem.
E querendo distinguir o estabelecimento com um
documento authentico dos seus sentimentos, escre-
Manoel Joaqxira de Souza Jnior.
Manoel Mximo dos Sanios Torres.
I Zcterrao Jos Teixeira Campos.
Ao Para.
Segu com brevdade o veleiro brigue escuna
Graciosa, capitao Jacintho Nunes da Costa, por j
ter prompta uma parte do seu carregamento, para
o resto que Ihe falta trata-se com o consignatario
Antonio de Almeida Gomes, rua da Cruz n. 23,
primeiro andar.
Uma loja de alfaiale e fazendas.
Da rua \ o va n. l o.
Terca-felra SO do corrente.
O agente Pestaa vender por conta c risco de
quem pertencer, a loja de alfaiate da rua Nova n.
40, constando da armaran, obras feitas o diversas
fazendas ainda em pega, bem afreguezada e tem
poucos fundos, propria para qualquer estabeleci-
mento : o leilo lera lugar na mesma loja, terca-
toira 20 do corrente, pelas 10 horas da manhaa cni
ponto.
O palhabote Garibaldi segu para
a Bahia nestes dias, tem a maior
parte do carregamento prompto, tra-
ta-se com Tasso Irmos ou cora o
capitao Custodio Jos Vianna.
Para o Rio de Janeiro
o brigue nacional imperial Pedro, de priraeira clas-
se, segu preste para all, ainda recebe alguma
carga e escravos a frote: a tratar com Marques,
Barros & C, largo do Corno Santo n. 6, segundo
andar, ou com o capitao Vidal Jos da Motta.
COMPANHIA BRASLLELRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos pertos do norte esperado
at o da 18 do corrente o vapor
Apa, commandante Alcanforado
o qual depois da demora do rs-
tame seguir para os portos do
sul.
Desde j reeebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua enerada, encora-
mendas e dinheiro frete at o dia da sabida s i
horas: agencia rua da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonia Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para o Rio de Janeiro pretende seguir com
muita brevdade o brigue nacional Almirante :
tem parte de seu carregamento prompto, e para o
resto quo Ihe falta, trata-se com os seus consigna-
tarios Antonio Luiz de Oliveira zeredo, no seu
escriptorio roa da Croa n. 1.
Para a Bahia pretende sahir com muita bre-
vdade a escuna Ernestina, por ter a maior parte
da carga prompta, para o resto que lhes falta tra-
ta-se com os consignatarios Palmeira & Beltrao,
largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA*
Sexta feira, 23 do crtenle mez, se ex-
trahir a stima parle da terceita lotera do
Gymnasio Pernambucano terceira conces-
s3o(, no consistorio da igreja de Nossa Se-
nhora do Rosario da fregucia de Santo An-
tonio. Os bilhetes e meios bilhetes acliam-
se venda na respetiva tliesouraria, rua
do Crespo n. 15, enas casas commissiona-
das: rua da Imperatriz n. 41, loja do Sr.
Pimentel: rua DirSita n. 3, botica do Sr.
Cliagas; rua eslreita do Rosario n. 12, ty-
pographia do Sr. Mira; rua da Cadeia n.
45, loja do Sr. Porto. Os premios de___
5:0005000 al |(000 rs., serao pagos nata
hora depois da extracco al s 4 horas da
tarde, e- os outros no dia seguinte depois da
dislrtbuicSo das listas.
Thesouraria das loteras, iO de outubro
de 4863.
Servindo de tbesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
A pessoa que annuncioa precisar de um so-
cio para tomar conta dV uma taberna entrando
eom algum dinheiro, dtrija-se ao pateo do Terco
n. 12.______________________________________
Precisa-se atusar um* escrava que saiba
vender na roa : no pateo do Terco n. II._______
A pessoa que aununciou vender uma casi-
nba nova quo da tt& ineusaes querendo 600 di-
rfo-se ao pateo do Terco n. 11
Compra-se um escravo que saiba trabalhar
em sitio, que tenha alguma molestia : no pateo do
Terco n. 12.
Vende-se uma taberna com poucos fundos
bom afreguezada, a prazo ou a dinheiro: ao pateo
do Terco n. 12. __________________
Precisa-so alugar uma sala independento
para moco solteiro: no pateo do Toreo n. II.
Aloga-se um sitio na rua de S. Miguel dos
Afogados n. % junto a fabrica de sabao, com gran-
de casa, estribara e quartos para prelos, multes
arvoredos de fruclo. baxa de capim, etc.: a tratar
com Manoel Jos da Silva Grilo no sitio de dona
portoes de ferro junto a tfcreja de 8. Miguel no*
Afogados.
7


*
-


Mario de Frriambne* Sexta felra 1S de Ontufcr* de 1 SS.




ZAMORA.
DRAMA HISTRICO PELO OR. THE8ER6E,
QUAL NtO MTERIEI PftSORAfiEi
FEMENINA.
Na ra Nova n. 11 vende-se a l*eoo o
exemplar.
tinturara.
Tinge-se con perfeico para
cor, e o mais barato possivel:
Rangel n. 38, segundo andar.
qualqucr
na ruar do
Anda est por alugar-se o segundo an-
dar do sobrado n. 44, era a roa da Auro-
ra : quera o quizer dirija-se esta mes-
an ra casa n. 10.
m\
Precisa-se de urna araa de
gustan. 36.__________
leite: na ra Au-
Aluga-se a toja do sobrado n. 19.1 da ra Im-
perial, e o armazera n. 4 da ra de Apollo : na ra
da Aurora n. 36._____________
Aluga-se urna boa casa nova e pintada de
novo, com 3 quartos, 2 salas, cozinha fra, quintal
e cacimba, na ra do Principe n. 4, freguezia da
Boa-Vista, o lugar rauito sadio : a tratar na ra
Nova n. 3_______________________________
Paz-so qualquer encoinraenda de canos de
bom barro, com promptido e perfeico, por preco
rouito cpraraodo : no Remedio, olaria da Capclla.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
corpo de commercio,que deixou de ser seu eaixeiro
o Sr. Joao-Mara dos Santos desde o da 5 do cor-
rete mez. Hecife 14 de outubro de 1863.
Jos Goncalves da Silva Raposo.
Aluga-se casa terrea da ra de Aguas-Ver-
des n. 94 : a tratar narua_do Queiraado n. 13.
Constando ao abaixo assignado que a confei-
taria da ra da Cruz, e hoje na ra do Trapiche, de
Figueiredo de Ferreira, foi fechada a porta pelos
credores, e o mesmo abaixo assignado credor de
205*850 proveniente de doces que forneeeu para a
dita confeitaria : previne a quem comprar, que
fica obrigado pela dita quantia.
Manoe! Nunes de Mello.
A o pub tico religioso
Acha-se venda na ra do Imperador n. 29, a
vera efflgie do virtuoso Fr. Sebastiao, representan-
do-o vivo e revestido de seus hbitos talares. Os
Rvms. padres misionarios da Congregacao de Nos-
sa Senhora da Penha sao unnimes era attestar a
fidelidade da efligie daquelle distincto religioso. Os
precos sao mdicos e ao alcance de todos.________
Precisase fallar ao Sr. Leoncio Jos Theoilo
que vcio da Bahia: dirija-se ao armazem de Tasso
Irmaos a fallar com Raymundo Correia de Men-
donca.__________________________________
Precisa-se de urna pessoa anancada para co-
branzas miudas nesta cidade : dirijam-se por car-
ta fechada com as iniciaes X Z, na livraria n. 6 e
8 da praca da Independencia._______________
Aluga-se um sobradinho na ra da Praia
com dous quartos e 2 salas : na livraria n. 6 e 8
da praca da Independencia._________________
Manoel Goncalves de Aguiar subdito portu-
guez retira-se para o Rio de Janeiro.__________
do n. 29.
Nova loja dos barateiros na ra do Queimado.
Velludo de cores fazenda muito boa o covado
3*000, baloes de panno 3*200, ditos de arcos
3*000, 45000 e 5*000, laas de duas larguras
para vestido o covado 500 rs., chitas francezas o
covado 360 rs., metim branco para forro de
vestido o covado 120 rs., tarlatanas de todas as
cores a vara 720 rs.
Ao n. 29.
Xova loja dos barateiros na roa do Queimado.
Cassa lisa pelle de ovo a peca 7*500, cambraia
lisa muito lina a peca de 17 varas 10*, cam-
braieta peca de 12 jardas 7*000, cambraia adamas-
cada para cortinado a peca de 22 varas 10*000,
mcias finas para senhoras a duzia 4*000, chales
de laa ponta redonda 32*500.
Ao n. 29.
Nova loja dos barateiros na ra do Queimado.
Bicos pretos de linho a vara 120, 160, 240, 320
rs., franjas de seda a vara 80 e 160 rs., galoes
de seda de algodao e de laa para enfeites de vesti-
do a peca de 10 e 15 varas 400, botoes de seda
de velludo e de fustao duzias 120.___________
O secretario da irmandade de N. S. do Terco
convida a todos os irmaos da mesma para reuniao
de mesa geral no domingo 18 do corrente, pelas
11 horas da manhaa, para se elegerem os no vos
funecionarios que teem de reger a irmandade no
futuro anno de 1864. Recife 14 de outubro de
1863.-0 secretario,
__________Domingos Ribciro da C. Oliveira.
Ao commercio.
Ura rapaz hrasilciro com 9 annos de pratica
commercial, se offerecc para qualquer escriptorio
ou armazem. dando fiador de sua reputaco : quem
pretender, dever dirigir carta fechada com as
iniciaes G. J., praca da Independencia ns. 6 c 8.
Perdeu-sc hontem 1 i do correle um relogio
de prata coberto, patente Inglez : pede-se a quem
achou, o favor de o levar ra da Aurora n. 36.
que ser bem recompensado. Assim como tam-
bem se pede aos senhores ourives e relojoeiros a
apprchenso do mesmo se lhe offereccrem._____
A pessoa que annunciou no Diario de 10,
precisar de urna pessoa para tomar conta de urna
taberna, e entrando com dinheiro, dar sociedade,
pde-se dirigir ra do Livramento n. 9, loja de
calcado, que se dir quem faz este negocio.______
Criado.
Xa ra de Hortas n. 24, primeiro andar, precisa-
se de um que nao tenhamais que 13 annos e que
saiba fazer compras._______________________
Offerece-se urna ama vinda de fra, cozinha o
diario, engomma e cose : na ra do Sebo n. 35.
Hisso apostlica no Brasil.
Fre Caetano de Messina, commissa-
rio geral dos luissionarios capuchi
nlios, nao podendo agradecer pessoa I-
inente as esponjeas e caridosas de-
monstra ces qoe orna grande parte do
catholico e piedoso p >>o de Pernambu-
cotomou no funeral e enterro do seu
muito amigo Prei Sebastiao da Helia
de Vessina, prefeito da Penha, vem por
meio deste patentear-lhes seo eterno
rccoiilic imi'iilo.
Kiode Janeiro e hospicio central de
S. Sebastiao 7 de outubro de 1863.
Fre Caetano de llessina.
Professor eiu llores de cera.
Cbegado ltimamente da corte presta-se a dar
licSe de flores de cram casas particulares com
toda apurada perfeico: ra da Iraperatriz n. 67,
onde pode ser procurado.
Precisa-se-alugar urna escrava de idade para
comprar cm casa de pouca familia e que seja di-
ligente para vender de tarde na ra : quem esti-
ver nestas cireumstancias annuneie.
Ama de lele.
Precisa-se de urna ama de leite : na ra das
Trjncheiras n. 8, loja de Jos Joaqun da Cunba
Guioaraes.
-=- Um moco chegado ha pouco do Rio de Ja-
neiro offerece-se para eaixeiro de escripia nao s
pelo sjEstema simples como dobrada encarrega-se
de balances etc., etc.: quem precisar dirija-se ao
caes do Ramos n. 4, armazem.
Aloguel
Aluga-se a casa terrea da ra da Calcada n, 48 :
a tratar na ra do Sebo n. 24.
nta. MUDAMC
O abaixo assignado cora offleina de ferreiro e
serralheiro, estabelecido na rua do Brum n. 15, faz
sciente ao respeitavel publico que mudou-se para a
mesma ra n. 67.
__________Joao Carlos Frederico BJangnvald.
Joao de Siqnelra Ferrao e Farrao & Maia fa-
zera publico aos seas devedores qu teem dado ao
sen advogado Dr. Antero Manoel de Medeiros Fur-
tado, poderes Ilimitados para receber araigavel e
judicialmente os aeus crditos.
FAZENDAS DE BOM GOSTO.
7ESTIDCSU
Superiores corles de gorgurao de seda com flores matisadas os mais modernos que tem vindo a Pernarabuco.
Ditos de moreantique de cores, de listes, de flores, e achamalotados, cores mui lindas.
Ditos de moreantique pretos de palmas com barra.
Lindos cortes de grenadine de seda com barra e chale igual.
Ditos de laa com barra matisada e da mesma cor, a imperatnzpelo barato preco de l*, iz#, te* e zu taua corte.
Ricos vestidos de blonde para noiva com lindas mantas de fil de seda, de blond e com capeita.
Ditos de cambraia brancos bordados a 12*, 15*, 25* e 35* cada corte.
Lindas lias lisas finas a 500 rs. o covado.
Ditas de quadrinhos e de flores a 400, 500 e 600 rs. o covado.
Superiores organdys com listas de seda, os mais modernos que tem vindo a Pernambuco.
Lindas cassas de cores de superior qualidade a 400,500 e 640 rs. a vara;ussim ,, .
Como um variado sortimento de percales, chitas francezas a 280,320,400,500 e 640 rs. o covado, e oulras multas fazendas que
seria enfadonho mencionar.
PARA HOMBROS DE SEWHORAS.
Manteletes de seda pretos a 18.
Capas pretas de grs a 25*, 30* e 35*.
Ditas muito superiores a 40*, 45* e 50*. .
Superiores santiembarques de casemira.
Ditos ditos de lindas laazinhas lisas ede quadros.
Ditos de seda pretos e de cores. #
Ditos de musselina de seda chineza.
Superiores manteletes de torcal pretos.
Lindos chales de musselina e de chally matisados com listas de seda.
Novos chales de torcal c outros muitos artigos modernos.
PARA CMUEVA DE SEWHORA E MENINOS.
Superiores enfeites de flores, gostos os mais modernos era Paris, chegados pelo ultimo vapor francez.
Lindos chapeos de palha da Italia enfeitados com muito gosto, a Imperatriz ea vateroy.
Ditos de palha para meninos e meninas.
Ditos de seda bordados. .- w._j.. .
Entremeios bordados largos e estreitos, tiras bordadas largas e estreita, tiras de fustao bordadas para calcas de meninas, saias
bordadas e outros muitos artigos de gosto por precos mais commodos do que em outra qualquer parte : na ra do Crespo n. 13, loja
das columnas de Antonio Correia de Vasconcelos &. C.
AOS 5,000:000
CASA DA FORTUNA
liillieles garantidos,
A' ra do Crespo n. 83 e casas
do eostume.
No dia 23 do carrente se extrahir a stima par-
te da terceira lotera do Gymnasio.
O abaixo assignado recomraendando ao respei-
tavel publico a compra dos seus mui afortunados
bilhetes garantidos, lembra lhe a vantagem que
ba em receber os premios por inteiro, por quanto
quem tirar a sorte de 5:000* em bilhete garanti-
do nao receber somente 4:200*, em virtude dos
disconlos de 16 por cento que se faz em vista
das leis, mas sim os 5:000* que vem a ser a dita
quantia e mais a de 800* que pagar o abaixo as-
signado, importancia de dito disconto, acontecendo
o mesmo com as outras sortes.
Os bilhetes garantidos pelo abaixo assignado le-
varao a sua assignatura de chancella atravessado
na frente do bilhete.
Os premios maiores de 10* sero pagos urna
hora depois da extraccao.
Preco.
Bilhetes inteiros..... 6*000
Meios bilhetes. ...... 3*000
Para as pessoas que comprarem
de 100* para cima.
Bilhetes........ 5*500
Meios......... 2*750
Manoel Martins Fiuza.
AURORA
i. S
LARGO DA
RRILHANTE.
1.84
SANTA CRUZ.
Francisco Jos Fernandes Pires dono do grande estabelecimento de rnolhados denomi-
nado AURORA BRILHANTE, avisa ao respeitavel publico tanto da praca como de fra e com
especialidade aos seus freguezes que o seu estabelecimento acha-se prvido de novo sorti-
mento de bons gneros tanto do paiz como do estrangeiro e proraette vender muito em conta
tanto a retalho como em grosso :
9601 Vinho do Porlo em pipa muito fino a
640 640, 720 e........800
400 Dito da Figueira puro a 560 e caada 4*200
Dito dito a 480 e caada ..... 3*800
Maoteiga ingleza flor a libra .800 e .
Dita segunda sorte dita dita a 720 e .
Dita terceira sorte dita dita a 480 e .
Dita franceza da nova a 600 e em bar-
ris a..........560
Dita baniburgucza em Larris pequeos
a 600 rs. a libra e.....640
Banha de porco fina a.....480
Cha huxim miudinho muito superior
a libra........2*880
Dito hysson miudinho o melhor possi-
vel a libra.......3*000
Dito hysson graudo a.....2*720
Dito dito a........2*560
Dito preto o melhor a desejar a 2*000
Dito dito em massos a.....1*600
Dito nacional cm latas de urna c mais
libras a 1*600, 1*800 e 2*000
Queijos do reino do vapor a 2*400, 2*,
1*760 e........1*500
Dito de prato muito novo a libra 640 e 720
Dito de manteiga muito frescaes do Se-
rid a libra.......640
Ditos de qualha a libra.....480
Bolachinha ingleza de 240 e 320 e bar-
riquinha a arroba a 2* e 3*000
Latas com bolachinha de soda, cracre-
nell, mixide, viloria, pequinique e
outras qualidades superiores a 1*600
Ditas com ameixa franceza nova a li-
bra 800 e ....... 1*000
Ditas com figos de comadre novos la-
tas de 4 libras a.....1*400
Ditas ditas de dito com 8 libras 2*500
Ditas com marmelada nova a libra
640 e.........
Ditas com massa de tomates a libra
640 e.........
Ditas com peixe de Portugal muito
bem conservado em molho sendo sa-
vel, salmonete, congro, goraz e ou-
tros a.........
Ditas com ostras americanas a .
Ditas com sardinhas de Nantes a 360 e
Ditas com fructas em calda a .
Massa para sopa, maearrao, lalharim,
aletria, eslrelinlia, pevide, rodinhas
c arroz a libra ....
Caixas com libras de massas sortidas a
Batatas novas inglczas a libra 60 rs. e
arroba........1*600
Resteas com grandes soblas cento a 2*000
Dito de Lisboa branco proprio para
missa .........640
Dito de dito cracavelos, temo e outros
a 500.........600
Vinagre de Lisboa puro a 240 c 280 e
caada........1*600
Serveja branca e preta a garrafa 500
560 e........640
720
700
1*000
800
500
500
480
2*500
Vinho Bordeaux em caixa a 8*, 9* e
10* e garrafas a 800, 900 e
Genebra de laranja em frasco a 1* e
Dita verdadeira de Hollanda a 640 e .
Frascos com conservas inglezas a .
Dito com mustarda franceza a 480 e .
Alpista arroba 5*c libra ....
Espermacete libra 640, 720 e .
Velas de carnauba e de composico do
Aracaty arroba 10* e libra 360 e
Carne do Serid a libra ....
Linguica do sertao nova a .
Ervilhas novas a libra a
Sevada nova em grao arroba 2*500 e
libra.........
Sabo hespanhol branco a .
Sabao massa a 160, 200, 240 e .
Vassouras de timb e grande quanti-
dade a........
Saceos grandes com farinha de Goian-
na a 4*800 e.......5*500
Ditos com farello de Lisba de 100 li-
bras a 4*500 e ......5*000
Ditas com arroz de casca uovo a 4*000
Azeite de coco c carrapato a 480 e 320
Dito doce de Lisboa a garrafa ... 640
Amendoas novas libra....... 320
Passas novas libra 480 e...... 640
Gomma muito al va e nova arroba 2*800
e libra..........100
Dita mais trigueira arroba 2* e libra
60e............ 80
Linguicas do reino novas de 560 e .. 640
Sevadinha e sag novo libra .... 320
Ancoretas com azeitonas novas a .. 1*280
Espirito de vinho a garrafa .. 280
1*000
900
960
800
640
180
880
400
240
400
240
' 00
10
280
120
Loja de marmore.
Lino de Farla
devidamente autorisado pelss Srs. admi-
nistradores da massa fallida deFariadc C.
com approvacao do Sr. Dr. juiz de direito
especial do commercio, convida pelo pre-
sente annuncio a todos os Srs. devedores
da dita firma extracta, a solverem seus
dbitos com a maior brevidade, dirigindo-
se para esse fim casa do annunciante,
2 andar do sobrado da ra do Imperador
por cima do estabelecimento do Sr. Flix
alfaiate. O annunciante, nao tratando de
cobrar dividas suas, caso em que podera
ter contemplacao para com alguns dos
Srs. devedores, a quem estima e grato,
mas sim tendo de dar prompto e inteiro
cumpriment ao mandato, que recebeu dos
ditos Srs. administradores, que particu-
larmente le recommendaram, que accio-
nasse a todos aquelles que nao quizessem
amigavelmente pagar, julga dever preve-
nir disso os mesmos devedores, de quem
espera desculpa se o forcarem a propor
accao em juizo contra elles. Reife 25
de setembro de 1863.
Irmandade das Almas do Cor-
vo Santo.
Nao podendo ter lugar a mesa geral que foi aa-
nunciada para domingo prximo passado, de novo
convido os nossos irmaos para compareceris nc-
domingo 18 do corrente, as 11 horas da manhaa.
no consistorio da mesma irmandade.
Consistorio, 14 de outubro do 1863.
Francisco Jos dos Passos Guimaraes,
____________________Escrivo.
De ordem do Sr. presidente da associacao
Beneficente dos Artistas Alfaiates fondada em 13
de maio de 1860, conv da-se aos socios da mesma
afim de reunirem-se no dia 16 do corrente as 7
horas da tarde na casa da ra de Hortas n. 87r
para tratar-se de negocios concernientes a mesma
sociedade. Recife lo de outubro de 1863.
Jos Rogerio Marcelino,
! secretario.
Precisa-se de um menino para eaixeiro d&
14 a 18 annos : na ra Nova n. 08, deposito.
Jos Hara Nunes, declara ao res-
pe'uavel corpo do commercio desla
praca qne deixra de ser cai viro pur
sua livre e expontanea vonlulc da Sr.
Manoel Alves Ferreira, de conformida-
de com a carta ce sua despedida 4o dia
6 do corrente, e declara em tempo ao
mesmo senhor qu se obriga a dar to-
dos os eschrecimentos concernentes
a escripturaco que se achata sea
cargo.
D. Mara Candida Theodora Alves c seus filhos,
em extremo agradecidos se confessam as pessoas
qne tiveram a bondade de acompanhar ao ultimo
jazigo, os restos mortaes de seu chorado esposo e
pai, e com especialidade a aquelles que com o seu
bolo concorreram os Illms. Srs. Dr. Antonio de
Vasconcelos Menezes de Drummond, Luiz Perei-
ra Vianna, Dr. Joaquira da Costa Dourado, rogan-
do-lhes de novo de suas caridades evanglicas de
assistirem a missa do stimo dia, que ter lugar
na igreja da matriz da Boa-Vista no dia 19 de ou-
tubro as 5 horas da manhaa.
Na ra do Trapiche n. 28, vende-se linhade
roriz.
Arrenda-se na ra da Aurora n. 26, a pro-
priedade denominada Barra de Serinhaem, com
perto de 300 ps de coqueiros que do fructo e
dous mil anda novos, alem de quasi 1:200* de
foros e outras proporc,ocs vantajosas que offe-
recem.
Retabillo ou taboleta.
Para se collocar em frente de loja, compra-se es-
tando era bom estado, tendo pouco mais ou menos
25 palmos de cumprimento e 3 a 3 1|2 palmos de
largura : na ra da Cadeia do Recife armazem
n.60.
Escravos para alugar.
Alugam-se 5 escravos robustos o proprios para
todo o servico : na ra dos Coelhos sobrado n. 8,
loja.
Aluga-se um sobrado a mrgem
do Gapibaribe, muito grande e fresco,
sito na ponte de Och, por preco rom-
modo: na ruado Crespo n. 19, loja.
Aluga-se por commodo preco a loja do so-
brado da ra Augusta n. 94, com i salas, 4 quar-
tos, cozinha fra, quintal cora cacimba: quem pre-
tender, dirija-se ao mesmo sobrado, que achara
com quera tratar.________
Joao Cavaleanti Pessoa de Albuquerque, ten-
do arrematado o imposto da afericao dos pesos e
medidas do municipio de Olinda, faz sciente s
pessoas que tiver de aferir os pesos e medidas de
seus estabelecimentos, que dirijam-se para tal fim,
ra do Cabral da dita cidade, casa n. 4, do dia
15 do corrente mez em diante, das 9 horas da ma-
nhaa s 3 da larde.
Existe no becco do Marisco na casa n. 3 urna
senhora viuva para ser ama de leite.
Aluga-se urna casa Ba travessa da Trempe
para o Mondego, muito fresca, com grandes com -
modos para familia, assim como a loja na ra de
Hortas na esquina que bota para a ra de Aguas-
Verdes, comprehendendo urna boa armacao para
taberna ou outro qualquer negocio, de maneira
que o pretndeme s tem de entrar com os gene-
ros, bem localisada, e preco commodo: quem pre-
tender, dirija-se ao mesmo sobrado cima, terceiro
andar, ou na ra do Imperador n. 44, terceiro
andar.
(asas para alugar-se.
No caes d'Apolto n. 17 sobrado de dous andares,
na ra de Santo Amaro, a loja do sobrado n. 14 ;
a travessa do Pocinho n. 69, armazem proprio
para qualqucr estabelecimento : todas as casas
Aluga-se
o primeiro andar da ra da Imperatriz n. 34, com
muitos commodos e fresco : a tratar na taberna
do mesmo.________ ____________________|
Fugio no dia 11 do corrente o escravo criou-
lo de nomo Manoel cenhecido por Manoel ferreiro,
por ser deste officio, de idade de 50 annos pouco
mais ou menos, com alguns cabellos brancos po-
rm muito poucos, bem parecido, rosto descarna-
do, cor bem preta, falla um pouco fanhoso, esta-
tura regular, magro, bastante desbarrigado, na-
tural da villa Constitucional de Sant'Anna do
Mato termo da cidade do Ass na provincia do
Rio Grande do Norte, levou roupa e entre ella
calcas de algodao trancado azul e camisa tambem
de algodao: portanto roga-se as autoridades poli-
ciaes o aos capitaes de campo que o facam ap-
prehender e conduzi-lo a casa de seu senhor o
major Antonio da Silva Gusmao na cidade do Re-
cife, ra Imperial, que gratificar generosamente
a quem o conduzr.______________________
Pcrgunta.se ao Sr. A. D. M. com loja de ou-
rives na ra da Imperatriz, queira dizer que fim
deu ao trancelim de ouro que lhe foi offerecido
por um homcm mal trajado e desconhecido, tendo
teem bastentes commcdos,"e augain-se"po7barato!Smc. procedido a exame da qualidade e peso,
a tratar na ra larga do Rosario n. 3i, dando em resultado dez oitavas e meia, d
preco :
botica.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 17
na ra do Queimado, com sufficientes commodos
para familia, tendo cano de esgoto e despejo : a
tratar na loja do mesmo.
cm poder do offerecedor o relogio que desapegara
do mesmo trancelim, e fazer retirada sem paga.
O sunga eu.
Furtaram na noite do dia 10 do corrente dous
i cavallos pertencentes ao Dr. Francisco Caldas Lins,
^Tpecisa-se alugar urna escrava para o serv-! 4o ^rc^ de seu engenho Siqueira, na freguezia
co interno e externo de urna casa de familia
quem tiver, dirija-se ra dos Guararapes n. 18,
sobrado de um andar.
Contina a haver pao de senteio novo nos das uo ptiub puios pur
quartas e sabbados de cada semana, na padaria emum dos lados das coslellas.memcorcundae de
do Bio Formoso, com os signaes seguintes : um
mellado, cauda e dinas pretas, castrado, grande,
gordo, os quatro ps pretos at cima, sem anda-
res, porm de sella; outro rodado sujo, cauda e
clinas pretas, bom tamaito, grosso, castrado, rela-
tor sido de roda, urna baixa
Soltas a.........
Presunto de Lamego a libra .
Dito inglez para fiambre a .
Vinhos genuinos engarrafados no Por-
to, chamico, duque do Porto, lagri-
mas do Douro e muitos outros finos
de 1*280 a 2*500 a garrafa, e duzia
de 14* a 20*, dito engarrafado
aqui a........
Macos com 20 macnhos de palitos fi-
nos para dentes a........
Tapioca nova libra......
Toucinho de Lisboa novo arroba 10*
800 e libra..........
320 Vinho xerez o melhor possivel a 8* a
750 caada e a garrafa a.....1*000
, Gigos com urna duzia de serveja fran-
ceza a 5*, e a garrafa a .
i Grao de bicco novo a 4* a arroba, e a
libra..........
Saceos, grandes com farinha de Goianna
1*000 e Santa Camarina a 4*500 e. 5*000
200
160
360
500
160
em Santo Amaro ao p da fundico, na ra da Im-
peratriz n. 22, e ra do Brum, confronte o chafa-
riz n. 47, ra das Cruzes, deposito n. 39, na Pas-
sagera, taberna da esquina do Sr. Bento, que vira
para o Remedio, e no armazem progresso, largo
da Penha n. 10.
carga : quem der noticia dos mesmos cavallos ou
os entregar a seu dono no referido engenho, ser
recompensado com a quantia de 50 a 000*. ___
A mesa regedora de N. S. do Bosario da Boa-
Vista convida a seus irmaos para comparecerem
no consistorio para presidirem a eleicao dos novos
eleitos que bao de reger o armo de 63 a 64 no dia
18 do corrente, as 11 horas da mauhaa. Consisto-
deseja-se fallar aos Srs. Gabriel Germano de Aguiar r0 14 ue outubro de 1863.O secretario,
Ka ra do Queimado n. 4
Montarroyos e Joaquim
tarrnvos.
Ribeiro de Aguiar Mon-
Finalmente tudo que consta tendente rnolhados encontrar sempre o respeitavel publi-
co um grande sortimento, de boa qualidade e por precos commodos.
f
Precisa-se de urna ama de meia idade para
cozinhar e engommar para casa de pouca familia :
na ra das Larangeiras n. 12. _____________
Offerece-se um moco com habilitaces para
ensinar particularmente prime.ras letras e o latim,
em qualquer parte offerecida : na ra Direita n.
43, loja.
Aluga-se a casa terrea na ra travessa do
Calabouco, per detraz da ra Nova n. 24: a fallar
na ra da Penha n. 5.______________________
Aluga-se a loja do sobrado da ra Nova n.
67 : a fallar na loja do caf Junto ao mesmo so-
brado.
Precisa-se de um hornera que esteja no caso
de assentar praca por outro : na ra da Guia nu-
raero 54._______________________________>
Precisa-se de urna ama para cozinhar e com-
prar para urna casa de pouca familia : na ra da
Concordia n. 34, sobrado do armazem do sol.
Pnblicaco Iliteraria
CULPA E ARKEPGNIIIHIWO!
Drama de coslumes, orl-
Iginal portuguez em 4 actosj
POR
JOAQUM GERARDO DE RASTOS.
Este drama, em um volume ntidamen-
te impresso, acha-se venda em Santo
Antonio, na ra do Crespo n. 2, livraria
Econmica, e no Recife na ra da Cruz
I n. 52, livraria do Sr. Jos Barbosa de
Mello, e ra da Cadeia loja do Sr. Car-
doso Ayres; preco 2*.
Os Srs. assignantes, que aiuda nao ti-
verem recebido os seus ejemplares, po-
fcrio procura-Ios em qualquer das in-
dicadas lojas.
Aluga-se a casa terrea da ra da Gloria n-
116, pintada e ladrilhada de novo, e commodos pa-
ra grande familia : a tratar na ra Velha com o
Sr. Antonio Joaquim Ferreira Porto, ou na ru da
Cadeia n. 12.___________________________
Perdeu-se no sabbado, do sitio do Sr. Brito,
at no largo que foi viveiro, um cachorrinho de
raca ingleza com os signaes seguintes : pelo preto
e corrido, tendo sobre os olhos dous pontos amarel-
los, e um risco tambem amarello na parte superior
das inaos e ps, que acompanha at as patas, ter
um palmo de comprido e meio de alto, orelhas e-
cauda cortadas, sobre a cabrea tem urna pequea
falta de cabello, levou no pescoco urna fita encar-
nada com um guizo de metal: quem o achou ou
delle der noticia, dirija-se ao sitio cima, ou na
ra do Trapiche n. 17, que ser generosamente
gratificado.__________ "__________________
anda se est a espera do Sr. Se-
sostris Silvio de Sloraes Sarment, nes-
ta typographia.
Precisa-se de 6:000* a premio de um por
cento dando-se urna boa propriedade por segu-
rancia nesta cidade: quem tiver annuneie.
Quer-se saber se nesta praca baver pessoa
ue compre algodao em caroco, e qual a differenca
e preco era cada arroba, do de caroco para o des-
carocado e ensaccado : aresposta o annunciante
pede que seja dadajieste mesmo jornal.
Um interessado.
Precisa-se tomar a juros a quantia de 4 a 5:000*
dando-se hypotheca em 560 palmos do terrenos :
3uem quizer fazer este negocio indique a sua mof2"
a em urna carta fechada, deixando-a na livraria
do Sr. Cardoso Ayres, ra da Cadeia do Recife,
| pondo na subscripta as iniciaes A. B,
O bacharel Antero Manoel Medeiros Furtado
tem o seu escriptorio de advogado na ruado Quei-
mado n. 10, onde pode ser procurado nos das
uteis das 9 horas do dia s 3 da tarde, e nos casos
extraordinarios, em casa de sua residencia, no
Corredor do Bispo n. 16. Encarrega-se de causas
e commissdes commerciaes para o interior da pro-
vincia, e fra desta. Em sua ausencia fica pessoa
habilitada em seu escriptorio, que, ob ua respon-
sabilidade, far as suas vezes^______________
da
Precisa-se de vendedeiras de bolos de venda-
gem, e paga-se bem: na botica do pateo do Carmo.
Anda est por alugar o sitio da estrada da
Cruz de Almas, com duas frentes, sendo a outra
para a estrada de Parnameirim, com um grande
sobrado de um andar, cocheira para carros, casa
para escravos e feitor, estribara para cavallos e
para vaccas, casa de fazer farinha, com forno e lo-
dos os seus pertences, cacimba com bomba, e hor-
ta para planta de hortalicas, sitio muito grande
com muitos arvoredos de fructo, terreno para
plantar, alm deste, terreno apropriado para ter 6
vaccas de leite, e pasto para estas; alera de tudo
istotera mais duas grandes baixas de capim, que
s estas do para pagar o aluguel do dito sitio, isto
comodevido trato; cujo sitio foi do fallecido cirur-
gio Manoel Joaquira Pereira, o qual se arrenda
por annos: quem pretender, all se pode dirigir
fiara ver, pois a chave est em mao da pessoa que
i est tomar conta : a tratar na ra do Cres-
po n. 25, loja do Sr. Ramos.
Joaquim Jos Fortnalo.
o abaixo assignado, respondendo ao annnncio
do Sr. Manoel Nunes de Mello, declara que o esta-
belecimento na ruado Trapiche n. 18, pertencente
ao mesmo abaixo assignado por compra feta
Olympio C. de F. Cruz, nunca pertenceu firma
social alguma, como consta de documentos authen-
ticos que existem em seu poder, havidos no acto
da compra; em juizo se mostrar, e nao ser por
meio de annuncios adrede, que far o annunciante
valioso o seu supposto direito- Recife 15 de ou-
tubro de 1863.
Guilherme Joaquim da Silva Braga.
Aluga-se o 1., 2. e 3. andar do sobrado n.
13 da ra da Lapa, no bairro do Recife, por muito
commodo preco, est caiado e retificado de novo:
na praca da Boa-Vista n. 9. ^^^______
Aluga-se o primeiro andar da ra do Crespo
n. 23 ; a tratar na loja.
Precisa-se de urna araa escrava para tratar
de urna menina de um anno : no largo do Collegio
junto ao sobrado amarello, terceiro andar.
Engommadelra.
Na ra da Cruz n. 5. primeiro andar, precisa-se
de urna boa engommadeira para casa de pequea
familia: quem estiver no caso de servir all acha-
ra com quem tratar.___________
non te Po Popular Per-
nambueano.
Por ordem do Sr. director ter lugar domingo,
18 do corrente, urna sesso da assembla geral pa-
ra a eleicao da nova direccao ; os senhores socios
effectivos sao convidados a comparecerem as 8
horas do dia na ra Direita n. 5, segundo andar,
entrada pela ra da Penha.
Secretaria do Monte Pi Popular Pernambucano
14 de outubro de 1863.
Jos Fernandes Moreira.
1.* secretario.
Italiano, vai para fra
G;rolano Bruno,
provincia. ^_-
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
Direita n. 64, com bastante commodos : a tratar
no primeiro andar do mesmo.____________
escravo de boa con-
de sitio,
o
Precisa-se alugar um
dn-ta preferindo-se do mato, para serjieo de siti
uio aiW WOsal nao exceda a 15* Tauem
cujo aluo
tiver annuneie'.
Aluga-se urna boa casa terrea na estrada do
Pombal, com commodos para regular familia, gran-
de quintal, metade murado e metade cercado, pe-
queo jardim na frente, cacimba com duas bom-
bas e boa agua e tanque, o lugar o mais sadio
possivel, e seu aluguel barato : a tratar na ra
dasTrincheiras n. 1, loja de tarlarngueiro.
Aluga-se a sala da frente do 1 andar do
sobrado da ra do Queimado n. 15, propria para
qualquer escriptorio : na mesma ra, botica nu-
mero^___________________
Aluga-so um mulato escravo muito bom co-
peiro e comprador, fiel e intelligente : na ra da
Uoio n. 39. '.....
Perdeu-se ura relogio de patente inglez de
prata com chave ordinaria, com um cordo peque-
no de borracha, raeio, foi perdido da casa da
ra da Cruz do Recife at a na da Cadeia : quem
achar, querendo restUuir, queira entrega-lo a Joa-
quim de Souza Pinto, na ra da Senzala Velha n.
92, ou ra da Aurora n. 36, que se lhe dar o
achado.
Precisa-se alugar um escravo para o servico
de urna casa, preferinde-se que entenda alguma
cousa de cozinha: na ra do Pilar n. 143, taberna
Aluga-se a casa terrea da ra Imperial n.
160, cora bons commodos para familia, grande
quintal com grande telheiro e poni que deita pa-
ra um terreno com camba : a tratar na padaria
da ra Direita n. 84.______________________
Precisa-se de um menino portuguez para eai-
xeiro de urna casa em Panellas de Miranda, dando
fiador a sua conducta: a tratar na padaria da ra
Direita n. 84.
Aluga-se por cinco mezes com alguma rao-
bilia ou sem ella, para passar a resta, urna boa
casa no Jaboatao, pouco distante da ponte, com 3
grandes quartos, 1 gabinete, sala de frente e jan-
tar, cozinha fra, com estribara, e 1 quarto junto
desta, com grande quintal cercado at o rio Jaboa-
tao : quera a pretender, dirija-se ra Direita nu-
mero 3.
Precisa-se de urna araa secca : na ra da
Senzala Nova n. 39, esquina que volta para o bec-
co Largo, taberna.________________________
Aluga-se urna preta para o servico interno de
urna casa : na ra de Hortas n. 126.
Est para alugar-se o 1." andar do sobrado
da ra de Aguas-Verdes, urna pequea casinha
com quintal e cacimba, era Olinda, ra do Cabral :
quem pretender, falle uo sobrado da ra das Cru-
zes n. 9, lado direito quem vai da ra do Quei-
mado para S. Francisco. No mesmo sobrado ha
duas soleiras de pedra de Lisboa para vender-se;
e se alaga o mesmo sobrado a quem comprar par-
te da mobilia que no mesmo se acha.
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artificiaesjanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparacoes as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
COMPRAS.
Compra-se urna batanea
da Cadeia n. 55.
com pesos : na ra
Compra-se cano de chumbo usado para en-
canamento d'agua : na ra do Sabo n. 35, ou ra
Nova n. 48.________________________v .
Compra-se urna preta que tenha boas quali-
dades e que saiba bem cozinhar c engommar : na
rua da Concordia n. 8. relinaco.
Compra-se urna casa terrea de boa construc-
cao, situada em alguma das principaes ras desla
cidade: a tratar no escriptorio de Manoel Ignacio
de Olivcira & Filho, no largo do Corpo Santo uu-
mero 19._______________________________
Compram-se barriquinhas que serviram de
bolachinha americana a 500 rs. cada urna : na
travessa da rua das Cruzes taberna n. 6.
Compram-se duas negras perfeitas cozinhei-
ras e engommadeiras: na rua de Apollo n. 8i,
segundo andar.
Compra-se cobre e latiio vellio
na rua da Cadeia do Hecife n. 36, pri-
meiro andar.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas : na praca da Independencia n. 22 lo-
ja de bilhetes.
VENDAS.
fJara paso?' afesta.
Vende-se a casa denominada Casa amarella,
situada em um dos melhores lugares do Arraial,
com bastantes commodos para familia, quartos pa-
ra escravos, estribara, etc. : a tratar na rua do
Mondego n. 47, padaria.
Vendem-se palhasde coqueiro proprias para
banheiro, e botam-se em qualquer porlo : a tratar
na rua Direita dos Afogados n. 13.____________
Vende-se urna negra de naco, de 40 annos,
pouco mais ou menos, bem gorda e sadia : a tra-
tar na rua de Hortas n. 53._____(___________
Na padaria da rua Direita n. 84 ha para ven-
der um cavallo muito bonito e gordo, e muito pro-
prio para menino por ser rauito pequeo.______
Batatas.
Caixas com duas arrobas de batatas desembar-
cadas do patacho Mara da Gloria, hoje, pelo bara-
to preco de 3* a caixa : na rua do Amorim n. 43,
ou na rua da Madre de Dos n. 5.
H a dinheiro a G o par.
Borzeguins de bezerro e outras qualidades obra
muito bem acabada iguaes as que se vendem por
10* e 12* liquidacao, aproveitar que a porcao
pequea : na rua do Imperador loja junto aos
pacos.__________________________________
Vende-se sement de coentro muito nova a
240 rs. a garrafa : no largo do Carmo, esquina da
rua de Hortas n. i.________________
Vende-se urna canoa aberta que earrega 600
tiiolos de alvenaria grossa, propria para alguma
olaria ou para capim: quem quizerdinja-se a roa
da Concordia n. 4, que achara com quem tratar.
Vendem-se madeiras de sicupira e de ama-
rello para construc<;o e concertos de canoas aDer-
tas, inclusive cavernas, busiardas, gios,
a tratar na rua do Queimado n. 10.
etc. etc.
(BARIA
sertao
Nova remessa da verdadeira carne e linguicas do
serto a 320 e 400 rs. a libra : no armazem da
aurora brilhante, largo da Santa Cruz n. 84.
Vende-se a casa terrea n. 9 da roa do Jas-
mim : a tratar na rua dos Pires n. 64.
__ Vende-se o deposito sito na rua do Rangel
n. 52: a tratar no mesmo, proprio para qualquer
principiante.
Cal de Llafcoa
boy ; j rua do Vigario n, 19, primeiro andar.


II I --
Diarlo de Pernambuco Sexto felra ltt de Oulubiodc 1863.
i o covado; fustSo paja vestidos e roupinhas
de meninos, a 320 rs. o covado; alpakin ou
gurguro de linho, a 260 rs.; ganguelin,
urna s cor, a 320 rs. o covado; toalhas de
linho adamascadas para rosto, a 15; vestua-
rios para meninos e meninas, a 10600 e 24;
tiras bordadas e entremeios, mais barato que
em outra qualquer parte: tudo isto pe-
'chincha e vende-se para liquidar: na ra da
Imperatriz n. 60, loja e aramem do Pavao
de Gama 4 Silva.
Grosdenaples a 1:500 rs., na loja do Patio.
Vendem-se grosdenaples preto muito boa
fazenda, a 1,5(500,10600, 1,5800 e U : s
na loja de Pavao, ra da Imperatriz n. 60.
Para lato vende-se na loja do
Pavo.
Vendem-se finissimo selim da China, fa-
zenda sem lustro, proprio para vestidos de
senho.-as, para capas e roupa para homem,
tendo esta fazenda 6 palmos de largura e
sendo muito leve, vende-se pelo baratissimo
preco de 20200 o covado, garantindo-se que
n5o se torna rufa, e vendem-se nicamente na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60:
Cortes de cintas a 2:000 e 2:500 rs.
Na loja do Pavao veude-se cortes de chitas
inglezas, tendo 10 covados, a 20, e com
12% covados, a 20500, sendo todas de pa-
drees escuros: na ra da Imperatriz n. 60,
de Gama & Silva.
Carnauba.
Vende-se cera de carnauba em saccas, por
preco muito em conta, ou mais barato do
que em outra qualquer parte : a tratar na
ra da Imperatriz n. 60, loja de Gama &
Silva,
Os cortinados do P\o.
Vendem-se os mais bonitos cortinados de cam-
braias adamascadas, tapadas e transparentes, pro-
prios para adornar janellas e para camas, tendo de
varios gostos c porcao de pares iguaes, conforme
possam precisar, e vendem-se nicamente na loja
do Pavao, na ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Sedas de quadriuhos a 800 rs. s o
Pavo.
Vendem-se as mais delicadas sedinhas de qua-
drinhos, muito miudinhos, sendo proprios para
vestidos de senhora e roupinhas para meninos e
meninas, sendo fazenda que sempre se vendeu a
15500 e torra-se a 640 e 800 rs. o covado, e sedas
brancas lavradas, proprias para vestidos^ de noivas
a 800 rs. o covado : s na loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Ricos vestidos de Soulhambac, vende
o Pavo.
Vendem-se os mais modernos vestidos a Sou-
thambac, com barras de soda pelo diminuto preco
de 105000 cada um : s na loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
0 Perfume da Moda.
GRANDE EXPOSIQftO
de fazendas baratsimas que se ven-
dem para liquidar; na loja do Pa-
, vio, rna da Imperatriz, b. 60.
Neste estabelecimento acha-se um grande
e variado sortimento de fazendas, tanto de
luxo, como de primeira necessidade, pro-
prias para a praca e para o matlo, que se
vendem por precos muito resumidos, de to-
das as fazenda* dao-se amostras, deixando
penhor, ou mandam-se levar em casa das
familias para escolherem, pelos caixeiros da
loja do Pavao.
i-Sas com O palmos de largura
na loja do Pavo. ig too.
Vendem-se laazinhas transparentes de urna
s cor, de quadrinhos proprias para capas
e vestidos, tendo 9 palmos de largura, pelo
baratissimo preco de 10400 o covado; s
na ra da Imperatriz n. 60, lojado Pav5o.
O Pavo vende las de 4 palmos
de largura a 500 rs.
Vendem-se 15azinhas infestadas, sendo das
mais modernas, de urna s cor e de qua-
drinhos, proprias para vestidos e capas, pelo
baratissimo preco de 500 rs, o covado; di-
tas matisadas, fazenda muito fina a 500; di-
las garibaldinas a 440 rs.; ditas de qua-
dros a 360 e 280 rs.: s na loja do Pav5o,
ra da Imperatriz, n. 60. de GuimarJies &
Silva,
Lazlnhas a OO rs. o corado.
S o Pavo.
Vendem-se 15as de cord3ozinho proprias
para vestido, sendo muito boa fazenda, com
as coresseguintes : alvadia.cr de caf.rxo
escuro, claro e pretas, proprias para luto;
ditas transparentes com palminhas, pelo ba-
rato preco de 280 rs.; ditas infestadas de
quadros a 280 rs. : s na ra da Imperatriz,
n. 60, foja do Pavao.
GRANDE PECHINCHA
a Cassas a 210 rs.organdj a 240 rs.
Vendem-se muito bonitas cassas francezas
a 240 rs. o covado ; organdy matisado, pa-
drees muito bonitos a 240 rs. o covado;
ditos, fazenda finissima que sempre se ven-
deu a 10000 a vara, liquida-se a 600 rs. a
dida, ou 360 rs. o covado, por haver grande
porco : na ra da Imperatriz, n. 60, loja
do Pavo, de Gama A Silva,
Nova pechlncha de cortes de
cambraia na loja do Pavo.
Vendem-se corles de cambraia brancos
com babadosa 20500 ; dilosa 30000; ditos
a 40000 ; ditos chinezasa 4000o ; pecas de
cambraia transparentes, adamascadas, pro-
prias para vestidos, tendo 8 varas e meia a
30000; dilas lisasbrancas e decores a 2$500,
30000, 30500, 4,5000 e 50000 pecas de
cambraia de carocinhos tendo 8 varas e meia
cada urna, sendo brancas e de cores, a 30500;
ditos a 20500 ; pegas de cambraia par* cor-
tinados, sendo tapadas e transparenles com
20 varas cada pega a 90000, isto tudo para
apurar dinheiro: na loja do Pavo, ra da
Imperatriz, n. 60, de Gama d- Silva.
O Pavo vende chales
A 20000, 20500, 30000, 50000, 60000.
70000, 8-,000 e 100000.
Vendem-se diales de merino estampados,
claros e escuros a 20, 20500 e 30000; ditos
muilo finos de todos os pregse qualidades,
tanto de pona redonda como quadrados:
assim como finissimos chales de crepon com
cores inteiramente novas e ricamente bor-
dados a matiz, sendo chegados pelo ultimo
vapor a 100000 ; ditos de pello, bordados,
a 2-0 '. s na loja do Pavo, ra da Impera-
triz, n. 60.
Ascascmiras do Pavo infesta-
das a I0GOO.
Vendem-se casemiras francezas enfesta-
das, proprias para calcas, coletes, palitos,
e capa para senboras, por ter de urna s
cor, sendo fazenda que sempre se vendeu
a 30000. liquida-se a 10600 o covado : s
na loja do Pavo,
Grande pechlncha em chapeos
de sol na loja do Pavo.
Vendem-se chapeos de sol, a ingleza, sen-
do cobertos de linho e forrado de verde, pro-
prios para senhoras que forem passar a fes-
ta, ou para meninas levarem para a escola,
pelo barato prego de 1060 ; ditos marque-
zinhas, de seda com franjas e cabo de do-
brara 30000 ; ditos de seda para homens,
sendo com armago de balea a 60 e 70, isto
para apurar dinheiro : s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz, n. 60.
eaxemiras da Escocia a 2000
o corte.
Vendem-se cortes de caxemira da Esco-
cia, para caigas, pelo barato prego de 20,
tendo da mesma fazenda para vender em sos freguezes as galanteras de
covados a 580 rs., sendo esta fazenda mui- "* *> gjjg^gj1 J*J
to encorpada a imitago de caxemira, e ga-1 Riquissimas camisinhas com
rante-se que nao desbola. Tambem se ven- vatinhas para senhoras: s no
dem cortes de caxemira ingleza, d cores Crespn. 7.
escuras para caiga pelo barato prego de j Ri issimas cirlXsou' gravatinhas, sendo
18800 cada Crte, OU a 500 rs. 0 covado :' ^^^ de mul0gosio, e a primeira vez que appa-
s na loja do Pavo, ra da Imperatriz, rece para as senhoras de bom gosto : s no Vigi-
n (o I lame ra do Crespo n. 7.
.Uadapolo Infestado a 4*, Ha ^^Zl^oes te ven-
S o Pavao. tes de lindo gosto, tanto para atar, como para mar-
Vendem-se pegas de madapolo infesta- rafas, por precos razoaveis: s no Vigilante, ra
do com 12 jardas a 40000, ditas a 40500, do Crespo n. 7. _
ditas com 24 jardas a 7050o e 80000 : s i ... ^edes cm la.cinh.0$ de *.... ,,
, r, j i Lindas redes pretas e de cores com um lindo la-
na loja do Pavao, na ra da Imperatriz. cinho de flta para conscrvar o cabello, pelo barato
n. 60. preco de i500; assim como os novos enfeites pa-
ra cabeca a 3000, 4 e 5,5000 : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Ligas.
Riquissimas ligas de seda de bonitas cores a
braia brancos, bordados a croch, sendo OS 11500; assim como flta propria para o mesmo ef-
mais modernos que tem vindo ao mercado, Jeito a 500 rs. a vara : s no Vigilante, ra do
tendo as saias 4 pannos, e vendem-se pelos (Crespo n- Luvas ^ Jouvn,
baratos pregos de 100, 120 e 16: Sna Tambem chegou e chegam por todos os vapores
loja do Pavo, ra da Imperatriz, n. 60, de' grande sortimento de luvas de Jouvin, oude os fre-
* escolher: s no Vigilante, ra do
DBT3
AGUA FLORIDA
De Murray & Lanman.
SEJML SJECiUXllOo
QUINQU1LHARIAS.
Ra do Queimado, ns. 49 e 55, lojas de
Jos Bigodinho, queiram vr ver as fazendas
que abaixo annuncio, pois todas eu garanto
que sao muito novas e baratissimas.
Pegas de trangas de algodo de to-
das as cores a....... 80
Duzias de liabas com 200 jardas, A-
lexandre, a..... 10100
Carrilel de qualquer numero 100
Varas de aspas para balo 80
Caixas com superior obreias a 40
Ditas de colla....... 80
1 libra de la sortida.....40000
1 libra de la muito superior em co-
res e qualidade......70000
Pares de botoes de punho a 120
Pares de sapatos de tranga 10280
Ditos muito superiores, a 10600
Caixas e pacotes de papel amisade de
cores a. ....... 600
Duzia de meias muito finas para se-
nhora a........30500
Duzia de ditas cruas para homem a 2*400
Daralhos muilo finos para vollarete a 300
Carriteis de linha com 100 jardas a 30
Cartoes de linha branca e de cores a 20
Novellos de linha com 400 jardas a 60
Ditos muito grandes com 800 jar-
das a .......120
Cartees de linha com 200 jardas (esl
se acabando a...... 60
Vara de fita prela com colxeles para
vestido, e tem um resto parda a 100
SEM *i:.l MMK
Objectos de tlntnra e msica.
Na ra do Queimado, ns. 49 e 55, esl
queimando tudo pelos pregos abaixo decla-
rados, e prestem toda a atlengo para ver
o que bom e barato.
Duzia de facas e garfos muito finos a 20500
Dita dita dita de cabo preto muito
finasa.........30200
Dita dita dita de balango, melhor,a 50500
Tesouras para costura, muito fi-
nasa .........400
Ditas ditas para unhas, muito finas a 400
Carlas de allineles de ferro a 80
Ditas ditos de lato muito tinosa 40
Ditas de dito grandes.....120
Caixasde phophoros de pao 10
Grosa de ditos do gaz a 20200
Duzia de dito dito a 200
Massos de palitos para denles a 160
Abotoaduras para coletes a ... 160
Escovas para roupa,muito finas a 400,
50Qe.........800
O BALIZA
Este raro (pifio delicado perfumo l>
quasi que incxtinguivel e (o cheio de
mimosa fragrancia c frescura como o
delicado cheiro das proprias yerdecen-
tes flores. Durante os mezes caloren-
tos do verlo o sen uzo torna-so imineu-
tenicntc aprazivel e desejavel em con-
sequencia da influencia refrigiranto c
suave que ella produz sobre a pello:
era quanto que uzada no banho ella
imparte o corpo lnguido e caneado
urna certa elasricidade de vigor e forja.
Ella imparte transparencia as feices,
c removii panno*, sardas e letioejas di
sobre a pclle.
BE REMP
PARA OS CABELLOS,
urna preparaciio admiravcl para lim-
par, aformosear, conservar e restabele-
cer os cabellos.
venda as boticas de Caors 4 Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo & C, ra
da Madre de Dos.
J
ropa,
0 GALLO CANTA
sabido que, quando chega o vapor da Eu-
o gallo canta aununciando aos seus numero-
s gosto e da ul-
o sejam:
as.
anguitos e gra-
igilante, ra do
Ricos Testldos brancos.
Vendem-se os mais ricos vestidos de cam-!
Gama A Silva,
ADMIREN! AS PECHINCHAS,
na loja do Pavo.
guezes podem
Crespo n. 37.
SwtrtmtiM e babadinlios.
Tambem chegou grande sortimento de entre-
Ricos cortes de cambraia brancos com ba- ff ^^%5^ffvtt
bados e duas saias bordadas a croxe, tendo rna do Crespo n. 7.
bastante fazenda para vestido, pelo baratis-, Fcelas para cinto.
simo orego de 30 cada um; ditos de cam-1 Tambem chegou grande sortimento de lindas ii-
braia VSh. L barras e babados, a]- f^*--T.^BBC*
20500, para acabar; cortes de vestidos a flt' ra as meFsmVs: s no Vigilante, ra do
Maria Pa, sendo fazenda de bonito gosto, a crespo n. 7.
30500; cortes de cambraia brancos com ba-1 0 GALLO CANTA.
badinhos, a 20; enfeites para cabeca, sendo J sabido que o gallo nao podia deiiar de can-
Garibaldi e a turca, a 40; ditos com fitas tar, annunciando a seus numerosos freguezes os
e flores, a 24; camizinhas bordadas para ^^peaie^ que aet de ^ iw e.
senhoras, a 10; manguitos de varios model-,----------- --------- -----------
los a 400, 500 e 640 rs; calcinkas para I Farinha de mandioca
meninas, a 500 e 640 rs: gollinhas bor- em saceos grandes, e de superior qualida-
dadas, a 320 e a 500 rs.; sedas de qua- ed; no armazem de Tasso IrmSos, ra do
drinb, 1640 rs,; ditas de listas, a 400 rs.' Araorim, n. 35.
sem. ni:;i \ho.
PECHINCHA.
Perfumara de superior qualidade.
O rival sem secundo, ra do Queimado,
ns. 49 e 55, est disposto a vender mais ba-
rato que nunca vendeu, para o que queiram
ver :
Duzia de sabonetes finos a 720
Sabonele inglez, o mellior, a 160
Frascos com agua de Colonia muito
fina a......., 400
Ditos de dita grande a 500
Ditos de Lavande ambreado, o me-
llior, a........500
Ditos de macaca oleo muito bom a 100
Ditosperola muilo superior a 200
Ditos de oleo de babosa a 240, 320.
400 e .......50
Ditos de banha branca a 320
Dito de cheiro muilo bonitos a 500
Ditos de banha, pequeo, muito fina
..........200
Ditos de opiata a 200 rs., e boa a 900
Ditos de banha japoneza a 800
Ditos de banha transparente a 720
Ditos de oleo filoconne a 800
RIVAL
SEM SEGUNDO.
Ohjeetos diversos.
Ra do Queimado, ns 49 e 55, vende os
objeclos abaixo declarados, pois para aca-
bar; estes pregos nao sao para continuar,
mas as nesessidades assim o permitte.
Pares de luvas de algodo finas a 80
Caivetes de aparar penas, de 1 fo-
lhaa ,........ 80
Ditos de 2 ditas a...... 160
Caixas de colxeles francezes a. 40
Duzia de dito francez a 360
Massos com grampos lisos e de cara-
col a ......... 40
Duzia de dedaes de metal em caixi-
nha de vidro....... 320
Tinteiro de vidro com tinta superior
a.......... 160
Ditos de barro que serve para tin-
teiro a........ 100
Grosas de botes de louca prateado a 160
Pegas de tranga lisa encarnada a 20
Varas de bicos e rendas, para aca-
bar a ......... 60
Varas de labyrinto de 3 dedos de
largura a........ 100
Ditas de pos para denlesa ... 100
Pentes.de tartaruga a 30000 e 30500
Resmas de papel de cores a 20000
INSTALLAQAO.
A BOA F.
7ia do Queimado n. 22.
Este estabelecimento tendo passado a novo pro-
priclario, este resolreu fazer a sua installacao, ex-
pondo ao respeitavel publico desta caplal um
grande e muito bello sortimento de
Chales
de finissimo gaze de seda, ditos de tamatare de
gostos chinezes os mais lindos possiveis, e ditos fi-
nalmente denominados mexicanos^de muito bellos
padrees, sendo todos esseschales muito recommen-
daveis para a presente establo, e sobre tudo pelo
sen diminntissimo preco que de & cada nm.
Tai xas de ferro.
Vendem-se taixas de ferro do mais acreditado
fabricante e por preco mais razoavel: no arma-
zem de assucar de Jos da Silva Loyo C.
Las com 8 palmos de lar-
gura.
Cheguem a loja de Marcelino 4 C, rna
do Crespo n. 5, para verem laas muito
finas, lisas e de quadros, gostos inteira-
mente novos, proprias para vestidos e ca-
nas e precos muito commodos. Alm
disto existe nm variavel sortimento de
fazendas Unas e grossas precos razoa-
veis.
Vende-se a armacao da loja da ra do Quei-
mado n. 82 : a tratar com Jezuino Barroso de Mel-
lo, na ra da Cruz n. SO, ou ra da Concordia
numero 40.
AtteneSo!
Posto que domine no cora-
g5o do BALIZA a mais bem en-
tendida ambico de tirar de
seu negocio as melhores van-
tagens, com tudo elle nao pro-
cura fazer fortuna vendendo
gato por lebre;
Quando nae se negocia aca-
nhadamente, est bem ao alcan-
ce de todos a facilidade de fa-
zer-se boas compras, para.ven-
der-se barato.
Lelam todos.
Ao armazem do BALIZA po-
dem ser devolvidos quaesquer
gneros qne por ventura nao
sejam do contento dos senho-
res compradores. Nao fica
resentimento algum em se tro-
car por outro, ou restituir-se
o dinheiro recebido,
Manter a todo o custo o seu
crdito, e agradar aos seus a-
migos e freguezes, todo o
desejo do proprietario desje
estabelecimento,
LEDE! LEDE! LEDE!
Sempre a frente do progresso,
Constante marcha o BALIZA,
Tem por norte o bem comnium.
A Tcrdade por divisa.
<- it i \ i i:
OLH DO
DE
la
.imoi
Largo do Uvramento ns. 38 e 38 A
Defronte da grade da igreja
AO RESPEITAVEL PUBLICO
Senhores e senhoras
0 incansavel proprietario do grande armazem do Baliza toma a liberdade de mandar
declarar do alto da imprensa pernambucana, que elle perfeitamente liberal em ofierecer aos seus
benvolos freguezes as melhores qualidades dos mais bem escomidos gneros, nao s do paiz como do
estrangeiro a precos de contentar e satisfazer a todos.
Fazendo to publico e espontaneo manifest, o referido BALIZA julga de seu rigoroso dever
declarar mui seria e pusitivamente nesta oportunidade, que tambem o mais firme e dedicado conser-
vador de sua numerosa freguezia.
Da boa qualidade e barateza dos gneros offerecidos aos seus freguezes, junta ao pequeo ga-
nho que tira para si, tem sabido fazer o BALIZA a mais perfeita liga de interesses recprocos, que a to-
das as consciencias deve por forca e necessariamente agradar.
Tendo por conveniente tambem a publicaco do seguinte aviso, o BALIZA faz saber nicamente
aquellas pessoas que sempre estao promptas a comprarem tudo, com tanto que se lhes permita paga-
rem logo, que elle
NAO VENDE FIADO.
Os amigos da economa, aquelles que s compram os objectos de que carecem, e que gostam fi-
nalmente de empregar bem o seu dinheiro venham a este estabelecimento.
MSI :UI TOMOS.
Do preco de qualquer genero annunciado a venda em outros estabelecimcnlos, podem os senho-
res ireguezes diminuir cinco por cento, e vir compra-lo ao Baliza, que sondo, como todos sabem, o ho-
mem do movimento prefere ganhai muito pouoo, oam i-,..i que seja por minias vezes repetido.

Cal de Lisboa
no armazem de Guimaracs k Alcofora-
do na ra do Amorim n. 54, no Un IV,
vndese larris com cal nova em pedra
chegados lioje de Lisboa no patacho
Haria da Gloria, urna nova que existe
no mercado.
45--RUA DIREITA-45
VIDROS A 11,000.
Na ra da Imperatriz n. 03, loja de funi-
leiro vendem-se caixas de vidros em perfeito
estado de todos os tamanhos pelo barato
preco de Hff a caixa._________________
VEMW-SE
urna urna de Jacaranda para deposito de ossos : na
ra da Imperatriz, loja de marcineiro n. 23.
Vnde-se a verdadeira graxa n. 97 em bar-
ricas com lo duzias de potes a 325 a barrica, c
champanha por barato prego: na ra do Trapiche
. 19, no escriptorio de Eduardo Fenton.
Farinha de mandioca
Vende-se farinha da mandioca da melhor e mais
nova que ha neste mercado, no escriptorio de Ma-
noel Ignacio de Oliveira 4 Filho largo do forpo
Santo n. 19, on abordo do palhaliole ViamSo, an-
corado no caes do baro do Livramento, junto ao
patacho Repulo. _____________
GAZ.
Em latas grandes a 10$ e 110 de 5 ga-
loes, latas de galo a 25200 e 20500, e
garrafas cheias a 440 rs.: na loja de funi-
leiro da ra da Imperatriz iu 65.
FARINHA
Vende-se saccas grandes com a melhor farinha,
tanto de Santa Calharina, assim como de Portq
Alegre pelo barato preco de 4$000 a sacca ; na
ra do Amorim n. 43, ou na ra da Madre de
Dos n. K.
Kua da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavados, e relogios de
ouro patente inglez.
lioio francez a )$'bva\
meia libra
E' chegado pelo ultimo vapor de Bor-
deaux aquella excedente pitada a 15200
^ a meia libra ou 2 hectograramas: em ca-
fK sa de Manoel & C. ra Nova n. 23.
Aos Srs de engenho
No ees d'Apollo armazem n. 35, de
Jos Iluarle das Nevos, acha-se ven-
da ; mais superior farinha Fontana
sendo muilo recommendada as casas de
familia, as barriquiihas de 3 arrobas
t de 48 libras cada orna.
80500
8)5000
0(5000
Eia, rapasiada, coragem! parece queja
entregastes os vossos joanetes aos duros sei-
xos do pessimo calcamento da nossa cidade!
S se observa em vossos ps botinas acalca-
nhadas e gastas at ultima sola; sapatoes
rasgados e quasi sem saltos nem tanto !
a quebradeira nao deve chegar at este pon-
to Vinde ra Dircita munir-vos de excel-
ente calcado com 40 e at 60 por cento
menos do seu valor___attendei:
Borzeguins, Nantes, bezerro e va-
queta 2 e meia solas ....
Borzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta e lustre 2 solas. .
Borzeguins, francez e hamburguez,
bezerro, lustre e couro de por-
co 7)5 e........
Sapatoes, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas.....5#500
Sapatoes, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas......55000
Sapatoes, Nantes, sola e vira. 4;5O00
Ditos para menina, com lago. 35500
Ditos de ditas, de cores. 20800
Sapatos para senhora e homem,
tapete.........
Sapatos de borracha para senhora.
dem idem para meninas. .
Sapatos de lustre para senhora. .
dem de lustre as avessas .
Attenro do respeitavel publico
Para a grande pe<-hinclia
Custodio, C :irvalho A C, rna do
Queimado n. 19.
Offerecem ao respeitavel publico a mais fina de
todas as cambraias tanto era desenhos como em
tintas sao as verdadeiras organdys da India che-
gados a esta capital pelo ultimo vapor inglez. A
grande quantidade que recebemos faz com que a
vendemos pelo baratissimo preco do 300 rs. cada
um covado, venham ver para desenganarem-sc se
grande pechincha s na ra do Queimado n. 27.
800
1^400
10000
10000
500
Cambraias muito finas a 220 rs. o covado, chi-
tas francezas matisadas a 320 rs. o covado : na
ra do Queimado n. 23.
A(te?K*o
Farinha de mandioca.
Vende-se farinha de mandioca a melhor que exis-
te no mercado por ser de Santa Catharina, a bor-
do do patacho Fris>a, entrado neste porto no da
11 do corrente, por menos do que em outro qual-
quer barco : a tratar a bordo on na ra do Amo-
rim n. 43.
A 2ft0 rs o covado.
Cassas muito bonitas e finas : na ra do Crespo
n. 17, loja de Jos Gomes Villar.
O GALLO CANTA.
Xao possivel que o gallo, vendo entrar tm
ninbo objectos de elegante gosto, deixc de >. i
seu canto, annunciando aos seus foform, m
que manden ou venham ver para querer, a m r
F.iifros
Chegaram os nqnissimos enfeites o griMMaa ii>
flores, cousa muito delicada c de muilo |
s as senhoras poderao apreciar : s no ri|
ra do Crespo n. 7.
Flores
Tambem chegaram os delicados ramos de I
matizados de lindas cores, que serven 111
quer enfeite : s no vigilante, ra do Creaw) a. 7.
Cinlos
Tambem chegaram os novos e dtUeain ftMM
com fivella, guarnecida de pedrinbn; e du.ts tari
tinhas no centro, cousa de muilo gusto : s no vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Bandcijas
Riquissimas bandeijas de chao e outras quali-
dades de lindos desenhos, que se vondem por pre-
cos baratissimos para acabar : s no igl
ra do Crespo, n. 7.
Pomada real
Tambem chegaram os bonitos conos de porcel-
lana jia com banha e com lindos retratos, endo
privilegiada pola rainha de Hespanha : s
lante, ra do Crespo n. 7.
Sabonetes de familia
Grande sortimento de sabonetes pira todos os
precos. de superiores qualidades, a tO, ii;0. -o,
280, 320, 400 e 500 rs.; assim como estojes o ni
todos os prepares para impar denlos prlo barato
pre^o de 3000 : s no vigilante, na do Crespo
n. 7.
Delicadas tesoariibas
Grande sortimento de tesourinhas. tanto para
unhas, como para costura; assim como monos
outros objectos de gosto, que nao possivel anona-
ciar pela grande variedade de sortimentos, rnjos
precos scro menos do que em outra qualquer
parte : s no vigilante, roa do Crespo n. 7.
Vende-se na praca da Independencia ns. 37 e
39, capellas de aljfar para se botar no comiirrio
publico no dia de finados com as inscripcoes *.-
Suintes :
linha raai.
Meu pai.
Meu esposo.
Minha esposa.
Meu filho.
Minha filba.
Urna lagrima.
Saudades, sempre vivas do apurado gosto desta
ainda nao vieram igual a este mercado.______
Kua da Senzalla Veva n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Urw
Moor libra a 120 rs.

1
1
A ssucar do Monteiro
Rna do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
a 5600 aarroba.______________________
Vendem-se duas escravas, urna cabra e ontra
mulata de 15 annos, a primeira coznha o diario de
urna casa de familia, e a segunda lava bem roana,
engomma, cose e faz grade para labyrintho, o me-
lhor possivel: na roa Dircita n. 3.


Mario 4c Pernanibneo sexta felra 1 de Ontnbro de 193.





GRANDE E COMPLETO SOBTIMENTO DE MOLHADOS
i 8
3 |
a fe
*9
O
t
5.
S=*
% "2
<*>
&e> C5
fLUl |
&S O
(?0 s*
^ V-A e
' -*1 ^ w
/sg .P s
,^-p *
o
5
f^
fLUl 1
fi^d 1
y
O
o
w
&
o
o **
-O 05
3
"1 1
6

t
o
o.
5
S
1
s
e
t-
~-<
a
a-
t
-si
o
a
t- s
o
C
o
t
t
6.
I I

5 *
O
o
ao
O
-t
O
Si-
to
O
"t
s>
-s
o
o
S
t*
o
"t
i
c
a.
o
o
t
t
Vinhos em pipa: Porto Figueira e Lisboa, a
4oo, 44o, 5oo e 56o rs. a garrafa, e em
caada a 2,56o, 2,8oo, 3,ooo, 3,5oo e
4,ooo rs. do melbor.
dem lagrimas do Douro, especial vinho do
Porto mandado vir de conta propria a
i0,000 rs. a duzia e l,ooo rs. a garrafa.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado, das seguintes marcas: Duque do
Porto, Feitoria, Nctar, Velho Secco, Cha-
misso, Madeira superior a 9,ooo rs. a cai-
xa e i.ooo a garrafa.
dem Bordeaux das melhores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Esteph e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
dem muscatelde Setubal verdadeiro a 2,ooo
rs. a garrafa e 22,ooo rs. a caixa.
Garrafes com 5 garrafas de vinho do Por-
to do Alto douro a 2,2oo rs. com o gar-
rafao.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira
muito proprio para a nossa estacab, por
ser mais fresco a 2,4oo rs.
Vinhos velhe chamisso em barril muito pro-
prio para sobremesa por ser muito claro
e macio a 6oo rs. a garrafa e 4,5oo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 5oo rs. a garrafa e 3,3oo
rs. a caada.
Garrafes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa ai,2oors.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e l,4oo rs. a caada.
Velas de spermacet a 6oo, 64o e 68o rs. o
masso.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
54o rs. e em barril a 5oo rs.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado.
Banha de porco a 54o rs. a libra, e em bar-
ril se fara abatimento.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, l,8oo, 2,ooo e 2,5oo rs. cada
ura
dem londrinos os mais frescos que se po-
dem desejar a 8oo rs. a libra.
Caf do Rio de 1* e 21 qualidade de 8,ooo a
8,5oo rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz caroliuo e do Maranhao a 3,ooo rs. a
arroba e loo rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
em porc5o ter abatimento.
Caixinhas de ameixas francezas de 1 1/2, 2
e 3 bras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,5oo, 2,000, e 3,ooo rs.
Fructas em caldas das seguintes quahdades:
ameixa, rainha Claudia, cerejas, pero,
glnja, pecego e alpech a 5oo rs. a lata.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 6oo rs. a libra, e em la-
. tas de 1 V 2 libras.
Ameixas francezas em frascos de 1 1/2 e 3
libras de l,4oo a 3,ooo rs.; tambem ha em
latas de l.ooo e 3,ooo cada urna,
Cha huxim miudinho mandado vir de en-
commenda especial a 2,8oo rs. a libra,
garante-so a boa qualidade.
dem hysson o mais superior a 2,6oo rs. a
libra, aflanca-se ser igual ao que regular-
mente se vende a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem preto muito fino a l,9oo rs. a libra.
dem mais baixo, e miudo proprio para ne-
gocio a l,6oo re. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs., a frasco.
Chouricas e paios, os mais frescos -que se
pode desejar, a 5oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a Ooo rs. a garrafa
e lo,5oo a caixa.
Ricas caixinhas com confeites e frutas seccas
muito proprias para mimos pelo baratissi-
mo preco de l,ooo rs. cada urna,
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8oo rs. o frasco.
Licores francezes das seguintes marcas: A-
nizete de Bordeaux, Plaisir des dames, e
outros a l.ooo rs. a garrafa e lo.ooo a
caixa.
Passas muito novas a 6,ooo rs, a caixa e
36o rs. a libra, ha caixas, meias e quartos.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o re.
a libra.
Azeite francez clarificado a 8oo rs. a garrafa
e 9,ooo a duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a Soo rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. o pote.
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a Soo rs. cada urna gar-
rafinha.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de 1 ,ooo a 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oore.
a grosa.
Milho alpista a 160 rs. a libra.
Milho painco a 140 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra a 2,300 rs. a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespahhol que rapas vezes
vera ao nosso mercado a 300 rs. a libra,
e em caixa ter abatemento.
Sabao massa de 180, 200, 220 240, rs. a
libra do melhor.
Graixas em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
curvin, salmao e outras qualidades prepa-
rados de escabexe, segundo a arte de cozi-
nha de 1,400 a 2,ooo rs. a lata.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
440 rs. cada urna.
Papel greve pautado eliso a 3,500 rs. a res-
ma.
Azeite doce de Lisboa muito fino em barril a
640 rs. a ganda, e em porcae ter abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas a
l,ooore. agarrafa e lo.ooo re. o gigo
com urna duzia.
Doce da casca da goiaba a 4oo, 5oo, 6oo*
7oo, 8oo, e l.ooo rs., o caix5o grande.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez, e
suisso, das melhores qualidades a 9oo re.
a libra.
Velas de carnauba e composico a 32o, 36o,
e 4oo rs., a libra, e de lo.ooo a 11 ,ooo rs.
a arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa a l,ooo
re. a ancoreta, e l,5oo a de Lisboa, estas
ultimas raras vezes vem ao nosso mercado
pela sua boa qualidade.
Massas para sopa macarro talharim e aletria
' rauita nova a 48o rs. a libra.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Babia a 4,ooo, 3,5oo, 3,ooo e 2,5oo re. a
caixa.
Serveja das melhores marcas a 5,ooo rs. a
7,ooo re. a duzia.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies
Lunch, Cebin, eoutras a l,2oo rs. a lata.
Bolachinha de soda especial encommenda a
l,8oo rs. a lata.
Iem Craknel em latas de 5, 7 e 15 libras a
4,ooo, 5.5oo, e 11,000 rs. a lata.
Massa de tomate em latas de 6oo a 7oo re.
cada urna.
Sardinha de Nantes a 36o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa a 320 re. a libra.
Tijollo de Iimpar facas a 16o rs. cada um.
Ceblas a 9oo rs., o molho.
Farinha de Maranhao muito alva e cheiroza
a 14o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cominho, cravo, erva doce, enxofre, palitos
de dentes em caixinhas que rudo vende-
mos por baratissimo preco.
Ricas caixinhas com confeites e fructas sec-
cas muito proprios para mimos pelo bara-
tissimo preco de l,oo rs. cada urna.
Grava econmica.
i Yovissimos e bonitos enfeites
A aguia branca acaba de receber essa acredita- n___. P ,. ~* ;. %,. An
da grasa econmica, cuja superioridade est ge- Quando o bello sexo sena a falta de bons
ralinen'e reconhecida ; essa boa graxa se torna enfeites para cabeca, eis que a aguia branca
recoramendada, tanto porque o calcado lustrado recebe urna sua encommenda de bonitos e
eomeiia deixa pcrfeiamente lustroso ao menos delicados enfeites, e de modernissima moda,!
tres das sem necessidade de novo unto, tomo ,,, __- A ______________" :
roesrao porque sua preparagao c appropriada para m"lto servmdo sso para sanar aquella falU, j
amaciareeoaservarocouroi ella vem em caixi- e fazer com que as Exmas. apreciadoras da
nhas o barrzfohos, o acha-se venda na ra do bella empreza Coimbra possam melhor real-
Qucimadonu8 Na d'aguia branca, aos rezumidos Mr e mostrarem O apurado gOStO que as
preces de 400, 500 e 640 rs. ^ Esseg ^^^ ^ ^ ^ faas..:
Penles de concha. tante fino com continhas d'aco, e mui bem'
Com as novas e diversas giiarnices de enfeitados com flores, fitas, bicos, plumas' I
pentes que a Aguia Branca acaba de rece- etc., entretanto que sendo obra de muito
ber, veio lambem urna pequea qualidade gosto custam 5(J, O e 7$ dinheiro vista;'
de pentes de concha que com graca e acer- na espacosa e alegre loja d'aguia branca ra
ta lmente servem para o moderno atado dos do Queimado n. 8.
cabellos Ipiles sao de bonitos e agradaveis
muldes, e de tamanho pequenino como con-
vem para o (im que so. E' esta a primei-
ra vez que d'elles aqu chegam. por isso
que a moda novissima. pelo que ganha-
ro a palma aquellas senhoras que primei-
ro se apresentarem cora elles. para o que
Os mandara comprar na lo;a d'Aguia Bran-
ca, ra do Queimado, n. 8.
Capcllas. Sores e luvas enfeita-
Pelo ultimo paquete a Aguia-branca rece- tidos.
EDcommeodas d'agui branca recebi-
d;i- pelo ultimo vapor.
Ricos pentes de tartaruga com chapa de madre-
peroia.
Bonitos loques de madreperola.
Delicadas caetas de dita.
Lindos chapeozinhos de setim para baptisados.
Bicos de seda brancos c pretos.
Bonitas caixinhas com msicas e sem ellas para
costura.
Trancelins de laa para enfeites.
Fitas de seda estreitas para ditos.
Ditas de velludo com listras para barras de ves
beu os artigos cima sempre necessarios s(
dacoes, rieram de muito gosto, e perfeita-
menle delicados.
As capillas sao de mui moderno c agr-'
davel molde.de linas flores, e acabadas com
todo 0 esmero: as flores solas sao extre-'
mmente delicadas e proprias para enfeites1
de vestidos e mesmo ornatos de cabeca, sen- beca, etc.
lu delgadas vergonteas de jasmin, cachos de
resedas, e outras estimadas flores.
As lavas, porm, apreciada obra de Jou-
vin, parece que foram enfeiladas pelas raes-
mis fabtiemlM das mimosas flores, poisque
em gosto o perfeicao nada deixara a desejar.
Sao essas, pois, as capellas, flores e I uvas
qu:; corresponden! riqueza do vestido, for-
mun o completa asseio e perfeicao, e ele-
va.n a gallarda da candida noiva. Resta
s> ,i : i que os prctendentes munidos de
dinbeiro dirijam-se alegre e espacosa lo-
a d'Aguia-branca, ra do Queimado n. 8
Aspas de balea para vestidos.
Ditas de >f< l)ara espaminos.
uandoes de dina.
Pulseiras de contas para meninas.
Paos para abrir luvas e port-charutos.
Essoneia de ail para engommados.
Pos hygienicos de Lubin para denles.
Leite virginal para tirar sardas.
Dito d'ires para extinguir as caspas.
Vinagre aromtico para vertigens, dores de ca-
ialcndarios semanaes : pelo
preco todos conpraro.
i desumma utilidade eswa kalendarios'
setnanaes, porque mostram acertadamenle
a d ili e das da semana, sem o continuo ira-
balliu de bulir nuiles diariamente, pelo que
so loiiiam necessarios e preferiveis a lodos
i.s outros : tanto para casas de familias, o-;
mo meslo para qualquer oulra parle, e
principalmente por SOO rs. cada um: na
ra do Queimado, loja d'Aguia-branca, n. 8.
Meias ornas Inglezas.
A loja d'Aguia-branca, na raa do Queima-
do n. 8, esl bem provida de mui boas
meias croas inglezas, tanto para homens,
romo para meninos, as quaes est vendendo
baratamente em proporco da superiorida-
de d -lias ; assim. pois, os pretendentes d-
njam-se rom dinheiro e sem susto dita lo-
ja, que serao bem servidos. Tambem ha um
bom sortimento de ditas brancas para se-
nhoras e meninas, e sao vendidas na mesma
conformidad.
Phosphoros de cera.
Vendem-sea 24o rs. a duzia de caixinhas
de pliosphoros de cera : na ra do Queima-
do. loja d'Aguia-branca n. 8.
Inglezas : Opiata e agna da
Colonia.
A Aguia-branca da ra do Queimado n. 8
acaba de receber a apreciada opiata ingleza,
assim como mui boa agua da Colonia tam-
bem ingleza.
darrafas com agna da Colonia.
Chegarain novas garrafas com agua da Co-
lonia para a loja d'Aguia-branca, ra do
Queimado n. 8.
Novas cintas elsticas pura senhoras
casadas.
A reconhecida utilidado dessas necessarias cin-
ta elsticas fez cora que em breve se acabassem
as que vieram da pnmeira vez, deixando assim
descontentes militas senhoras que se n3o poderam
Cosmetique surfine para cabellos.
Pomada para higode.
Renda de fll, lisa.
Albuns em perfumaras.
Muitas vezes aconteca que se procurando urna,
bella galanlaria para se onertar a urna senhora ou
menina em seus anniversarios, ou mesmo na
imarracaodas mestrasdestas, se nao achavacousa
que satisOzesse, agora, porm, j nao deve succe-
Jer assim porque na loja d'aguia branca encontra-
r o pretndeme bellos objectos para esse fim, so-
bre-sahindo entre elles esses bonitos albuns com
perfumaras, cujo gosto e novdade I lies d a pri-
mazia. A aguia branca folgar de contente se
essas offertas recahirem sempre em suas predilec-
tas freguezas, e quando assim nao seja, nao faz
mal, porque a mimoseada reparando na singulari-
dade do objecto, querer desde logo alstar-se no
numero daquellas. Em todo o caso havendo dt-
aheiro. dirijam-se i ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8. que tudo se arranjar.
Chegaram luvas de pellica para a loja d'a-
uia branca, ra do Queimado n. 8.
Holsas para viagens.
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'Aguia
Branca n. 8.
% olas pre(as
MARA PA.
A Aguia Branca recebcu as desejadas voltas
pretas, mui compndas e gradas.
Naravillia das bellas, noros e
delicados enfeites para ves-
tido*.
aprasivel a aguia branca o ter de avisar a
sua boa freguezia, que acaba de receber pelo pa-
quete francez ura bello sortimento de enfeites de
seda denominado maravilha das bellas, os quaes
servem tanto para vestido de senhora como para
roupinliasde criancas. Seus novissimos e delica-
dos desenhos, suas cscolhidas c bem acertadas co-
res finen um todo agradavel aos olhos de qualquer
vvente que saiba apreciar o bom. Assim, pois, a
duvida est em havor dinheiro, havendo-o, diri-
jam-se sem susto ao espacioso e alegre ninho de
aguia branca, ra do Queimado n. 8, que acharao
as verdades cima ditas.
ROUPA FEITA
NO
ARMA TEJ
DE
AfeHBNi Mt KUlHHlfr1 M
LETREXRO VEKOE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as cpialidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
Casacas de panno preto, 35)5 e 30)5000 Colletes de fustSo e brim bran-
Sobrecasacas idem, 30$ e 25,5000 Co, 3#500, 30 e .
Paletos idem e de cores, 25#, Seroulas de brim de linho,
20& 150 e......100000, 20400 e......
Ditos de casemira, 205, 150, | Ditas de algodo, 10600 e. .
120, 100 e...... 700001 Camisas de peitos de linho,
Ditos de alpaca, 50 e. .
Ditos ditos pretos, 90,
l6> J.
RA DO QUEIMADO N. 46
20500
20000
10400
70,
a;J5O
3.-5000
40000
oa e .
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. .
Ditos branco de linho, 60,50 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 100, 70..... 50000
Calcas de casemira preta, 120,
100,-80 e......70000
. 70000
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50500 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 50, 40500 e
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores,
30500, 30 e.....20500
Colletes de velludo preto e de
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditas de cores 50
0 e........
Ditos de setim preto. .
1 Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 60, 50 e
305O(X( 50, 40, 30" e.....20500
Ditas de madapolao, 30,
a^isoo, a* 8 ....
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e. .
Ditos defltro, 50, 40,30500 e
Ditos de sol, de seda, 120,
H0, 70 e......40500
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda.......
Sortimento completo de grava-
tas.
Toalhas para rosto, duzia, 110,
90 e........
Atoalhado adamascado de li-
nho vara.......
Chapos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....
Lences de linho.....
Cobertas de chita chineza.. .
Pennas d'aco, as mais superio-
res, a grosa......
Relogios de ouro orizontaes,
900,800 e......700000
Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes, 400 e
Obras de ouro, adercos, meios
aderecos, pulceiras, rozetas,
aneis e cruzes.
DE
FAZENDAS E ROITPA& F El TAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 250, 280, 300 e 350, casacas
muito bem feitas a 250, 280, 300 e 350, paletots acasacados de panno preto de 160 at
250, ditos de casemira de cor a 150, 180 e 200, paletots saceos de panno e case-
mira de 80 at 140, ditos saceos de alpaca, merino e la de 40 at 60, sobre de alpaca e
merino de 70 at 100, calcas pretas de casemira de 80 at 140, ditas de cor de 70 at
150, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de roupas de brim.
como sejamcalcas, paletots e colletes, sortimento de colletes pretos de metim, casemira
e velludo de 40 a 90, ditos para casamento a 50 e 60, paletots brancos de bramante a 40
e 50, calcas brancas muito finas a 50, e um grande sortimento de fazendas finas e moder-
nas, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senhora, ceroulas
de linho e algodo, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin para homem e se-
nhora. Temos urna grande fabrica de alfaiate, onde recebemos encommendas de grandes
obras, cpie para uso est sendo administrada por um hbil mestre de semelhante arte e um
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qualquer obra com
promptido e mais barata do que em outra qualquer casa.
40000
40000
20500
70000
40000
30500
50000
10600
80500
20000
640
0
60000
10280
40000
30000
20000
600
300000
50000
40000
0
LIQUIDADO!!
NO
1RHAZEH CO\ttEKTAOlt
DE
Cal de Lisboa e potassa da
Rnssla.
Vende-sc na ra da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o antigo e acreditado deposito da
mesma ra n. 12, amitos os gneros sao novos e
legtimos, e se venden a preco mais barato do qne
nutra qualquer parte.
Srover dellas, vista do que a aguia branca man-
ou buscar mais algumas, que acabam de chegar,
anda mais perfeitas que as primeiras, isso por se-
rem menores; agora, pois, podem as senhoras ca-
sadas prevenirem-se, mandando-as comprar na
loja d'aguia branca, roa do Queimado n. 8. Se a
aguia branca precisasse de semelhante obra de
certo desta vez nao flearia sem ella.
Cal de Lisboa
a mais nova do mercado : na ra do Vigario n.
19, primeiro andar.__________
Palitos do gaz.
Vendem-se continuadamente no deposito geral,
travessa da Madre de Dens n. 16, armazem de Fer-
reira 4 Martins, em porcoes e a retalho, por m-
dico preco.
Aos eoehelros.
Vondem-se encerados pretos e de cores para
forrar carros : no armazem de Tasso Irmos.
Veode-se
alcatrao ou verniz do gaz, pelo prec/) do gazome-
tro: no armazem da bola amarella no oitlo da se-
cretaria da polica.
TeMde-se
chumbo para caca a 160rs. a libra, estopado linho ,,
a 80 rs. a libra: no armazem da bola amarella no JMoinhos para moer mandioca.
oitao da secretaria da poea. 1 Arados americanos, etc. etc.
i)J)A V1HEl 8, IDD8
N. 21LARGO DO TEItgO -N. 21
Avisa-se ao respeitavel publico que mudou-se do seu estabelecimento de molhados
denominado conservativo em consequencia de percisar concert, que obrigou-se a juntar
os gneros e por ser grande quantidade, est resolvido a vender por menos de 20 a 30
e/o do que em outra qualquer parte garantindo-se a superior qualidade de qualquer ge-
nero comprado neste armazem.
Garrafes com vinho Figueira mandado vir por conta propria por 20000.
Virmo em pipa, Figueira, Lisboa, Porto de 32o a 5o rs. a garrafa.
Batatas novas a 40 rs. a libra e a l,2oo rs. a arroba ou caixa.
Cha do melhor que ha no mercado a 2,800, 2,5ooo e 2,ooo rs. a libra.
Manteiga franceza de muito ta qualidade a 5oo rs. em barril e 560 rs. a libra,
dem ingleza perfeitamente superior a 72o e 8oo rs. a'libra.
Tijollo francez de grande tamanho a 14o rs. cada um.
Bolacbinhas inglezas a 2,ooo rs. a barrica e 2oo rs. a libra.
Velas de espermacete, Aracaty e composico a 36o, 44o e 63o rs. a libra.
Palitos do gaz sem avaria a 2oo rs. o maco e 2,3oo rs. a groza.
Milho alpista muito limpo a 160 rs. a libra, e arroba 5,ooo rs.
Alem destes gneros ba outros muitos que enfadonho seria menciona-los, vnde-
se a dinheiro.
rniMrio no bowhai-riji imi
BRUJfl IX. 38
ESTABELECIMENTO COMMERCIAL &
DE
CALDERARIi E FI!iM)l(l0 DE METAES,;
Sito na rna do Brunt n. lO Jnnto
a fiindico do Hr. Bowinam. pertencentfe a
villaca i mo v c.
Neste estabelecimento enconlraro os freguezes um completo sortimento
de tudo que diz respeito as artes de caldereiro, funileiro, latoeiro, ferreiro e
fundifao, e os abaixo asssignados que o dirigem, promettem servir a todas as
pessas que se dignarem de os procurar, com promptido, sinceridade e pre-
co* muito rasoaveis. O dito estabelecimento estando montado em ponto J1
grande, tanto no que diz respeito a pessoal, como em materia prima, e tendo H\
habis officiaes, pode executar cora toda a perfeicao e seguranca-qualquer ^
obra tendente as artes cima mencionadas e affoitamente pdem os abaixo as- A^U
signados assegurar ao publico que nenhum outro estabelecimento Ihe pode j}j
fornecer mais barato e mais perfeito do que elles, visto que recebem de sua '
propria encommenda todas as materias empregadas em ditas obras.
Alambiques simples e continuos de to- Sinos de 16 libras 8 arrobas.
dos os tamanhos e dimencoes. Parafuzos de bronze e ferro para ro-
Machinas de cobre para destilar e res-! das d agua.
tilar espirito at 40 graos pelos sys-1 Torneiras de bronze e bronzes para
temas de Logier e Derosne. engenho.
Carapucas e serpenfinas de cobre, e Enconamentos de cobre e chumbo de
estanho, avulsas. | todas as grossuras.
Taixas e tachos de cobre para engenho Bombas para cacimbas, aspirantes e
e refinaco. | de repucho.
Paroes de cobre e todos os cobres ne- Bombas para destilacoes.
cessarios para o fabrico do assucar. Ditas para regar jardins, hortas e
Cobres para rodas de moer mandioca. capim.
Machinas econmicas para lavar roupa Ditas para navios e barcacas de varias
o melhor possivel. I qualidades e dimencoes.
Cobre em lencol e arrodellas, estanho em barrinha, chumbo em barra,
lencol e canos de todas as grossuras.
Villaca Irmo & C.
r
^3S^
>m
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortimento
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas (Tagua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de Trro batido e coado.
Boceas de fornalha pel novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornes para cozer farinha.
de
F1/31111 AO
UE *
DE
FRANCISCO ANTONIO CORREIA CARDOSO,
Rna do Km ni. \. H'i.
Acha-se novamente aberto este antigo e proveitoso estabelecimento, prompto para
executar quaesquer encommendas de ferro fundido, batido ou de bronze, moendas para
engenhos, com vapores ou sem elles, tudo cora a maior promptido, perfeicao e com-
modo preco ; tem varias obras proraptas da melhor e mais solida construccO que p6-
Jem ser vendidas por metade de seu valor, como sejam :
Moendas inteiras e meias ditas de varios tamanhos, para engenhos.
Portas d'aguas guarnecidas de bronze com parafuzo de rosca quadrada.
Rodas de espora, carretas e rodelas angulares.
Parafsos e cavilh5es de ferro ou de bronze, rosca quadrada ou siDgela. ___
Agulhoes fundidos de azas e batidos para rodas d'agua e chumaceiras com brome,
Bronzes e torneiras de todos os tamanhos e qualidades.
Taxase fundos de alambique, de ferro fundido, de varios tamanhos.
Crivos e portas de fornalha de varios tamanhos e qualidades.
Urna machina de destillaco continua do autorCollares.
Foges americanos econmicos para casa de pequea familia.
Fornos de fazer farinha.
Tubos de chumbo de todas as grossuras. -
Cobre em arrobas e folhas. dito, dito.
Folha de Flandres em caixas, bom sortimento.
Chumbo em lencol e em rolos de diversas grossuras.
E urna grande porco de pecas de obras tanto de ferro fundido como batido oo do
bronze que seria enfadonho descrever.
Espera, pois, o proprietario deste estabelecimento que o publico sempre
prestar toda sua conanca e altencao.e


Diarlo de Per
tm ~ exte felra 1 de Omahre de 18S.
k
**

l
',
i ,

GRANDE ARMAZEM
AB
*
EB
N. W, RA IAS CRDWS I!. $6
DO-
batrro de Santo Antonio.
0 proprietario do maito acreditado armazem denominado Progressista tendo
8empre em vista fazer tudo o que for possivel para bem servir aos seus freguezes, tem
deliberado vender os seos j bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos presos
abaixo mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seos criados ou
escravos, serem t5o bem servidas como rindo pessoalmcnte; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, anda mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento. 0
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que nao agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
cao com os seus portadores, fazendo-lhes ver que so no armazem Progressista da ra das
Cruzes n. 36, que se vendem os melhores gneros por mais barato preco, porque estes
muitas vezes olvidam-se e vSo outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
TODOS
os

VAPOR*
se recebem gneros de conta
propria e dos memores esta-
belecimentos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer ge-
nero comprado neste
ESTABELECMWO,
COMPLETO
SORTIMENTO DE MOLHADOS.
vendc-se em porco e a reta-
lbo, aprompta-se com toda a
presteza e exactidao qualquer
encommenda dirigida a este
ESTABELECIMENTO.
OS SENHORES LOGISTAS
Desta capital, arrabades eprovincias
adyacentes.
N. 23 RA NOVA N. 23.
Tem a satisfaccSo de participar particularmente aos seus amigos e freguezes, e em
geral a todos os senhores logistas desta e de outas provincias, que em consequenen de
suas relaces com as principaes pracas manufactureiras da Europa, tem con-f'tilc
montar a sua fabrica da chapeos de sol sobre urna escala importante, a ponto de poder
offerecer vantagensaos prelendentes, tanto na qualidade e bem acabado dos sin- prorior-
tos, como pela redueco dos precos ; verdade incontestavel, de que se podero ronveo"
cer vista da fezenda e pelos precos que v3o abaixo :
Chapeos de sol de seda para homem 28, a 720 a duzia.
Ditos 26, a 66*000.
Ditos 24, a 605.
Ditos para senhora 18 e 20, a 48$.
A duzia tem descont de 12 por cento.
Ditos de panninho preto e de cor, armacao de balia 20, 24 e 26 sonidos, muido
a 26$ a duzia.
Ditos de junco 20,24, 26 e 28, a 185 a duzia.
Venham ver para convencer-se da verdae.
Encarregam-se de encommendas para da Europa.
Uvas muito novas a i,ooo a libra.
Castanhas a 2oo rs. a libra,
Figos a 320 rs, a libra,
Vinho superior da Figueira etsboa, a 400,
440, 480e 500 rs. a garrafa, ea 2>00,
2,700, 3,000 e 3,400 rs. a caada.
dem engarrafado, das seguintes marcas du-
que do Porto, Feitoria, Nctar, velho secco, Alpista muito limpoa 160 rs. a libra,
Chamisso, eMadeira superior a 8,500 rs. a ^___. 0-___,_ on ,K
,i., a ann M ~J~S. Gomma de engommar a 80 rs. a libra, e
2,200 rs. a arroba.
Mustarda preparada, muito nova a 360 rs. o
pote.
Palitos do gaz a 200 rs. a duzia de caixinhas
e 2,100 rs. a grosa.
Ditas hygiemcas e de seguranza a 240 rs. a
duzia.
Os proprietarios do muito acreditado armazem Progreaso fazem sciente ao respeita-
vel publico e com especialidade aos seus amigos e freguezes que tea resolvido resumir os
precos dos seus acreditados gneros, como abaixo verae nao obstante os precos menciona-
dos a vista da qualidade dos gneros que se prova quanto se deseja servir satisfatoria-
mente aos nossos freguezes, advertindo-lhes que mandem seus portadores, que serlo to
bem servidos como se riessem pessoalmente, wtosno Progresso.
duzia e 800 rs. a garrafa.
dem Bordeaux de diversas marcas a 640 rs.
a garrafa e 7,500rs. a caixa com 12 garrafas.
dem Muscatel deSetubala 1,700 rs. a gar-
rafa, e 18,000 rs. a duzia.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto,
Lisboa eFigaeira a 2,100, 2,200 e 2,300
rs. com o garrafao.
dem branco muito superior a 500 rs. a garra-
fa e 3,500 rs. a caada.
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre al,! oo rs.
Sag muito novo e alvo a 240 rs. a libra.
SabSo hespanhol, a 280 rs. a libra.
tem massa a 180, 200 e 220 rs. a libra.
Peixe em latas, savel, pescada, e corvina a
1.000 rs. a lata.
Genebra de llollauda em botijas de conta a
400 rs.
Papel greve
resma.
pautado e liso a 3,400 rs. a
Vinagre superior de Lisboa a- 1,400 rs. a ca- Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa,
nada e 200 rs. a garrafa.
Velas de spermacete superiores a 580 e 640
rs. o maco.
Manteiga ingleza de I." qualidade, a 800 rs.
a libra.
dem de 2.* dita, a 700 rs. a libra.
dem de 3a. dita a 600 rs. a libra.
dem franceza. a melhor do mercado a 540 rs.
e em barril a 500 rs. a libra.
dem em !atascom 2 '/* libras a 1,400 rs. a lata.
Banha de porro refinada a 500 rs. a libra, i
Quijos flamengos chegados ltimamente a
2,000 rs.
dem prato o melhor que ha neste genero a
700 rs. a libra.
Arroz Carolino e do Maranho a 2,800 rs. ar-
roba-e 100 rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 280 rs. a libra.
Caixinhas com ameixas francezas, de diversos
tamanhosal, 200,1,400, l,800e2,100rs.
cada urna.
Frutas em calda, ameixas, rainha Oladia, pe-
cygos e alpech a 480 rs.
Marmelada de todos os conserveirOs de Lisboa
a 600 rs. a libra.
Ameixas em latas de 1 / e 3 libras a 1,200
e 2,400 rs. a lata e 900 rs. a libra.
Cha huxim o melhor que possivel encontrar
neste genero a 2,700 rs. a libra.
Idemhysson muito superior a 2,5oo rs. a
libra.
dem miudinho a 2,700 rs. a libra
dem preto de qualidade muito fina a l,800rs.
dem mais inferior a 1,500 rs. a libra.
Genebra de laranja a 900 rs. o frasco e 500
rs. os frascos pequeos.
Chourieose paios os mais novos que ha no
mercado a 500 rs. a libra.
Champanhe das mais a creditadas marcas
a 10,000 rs. ogigo e l,OuO a garrafa.
Doce de goiabade 400 a 800 rs. a caixa.
Chocolate portuguez, francez, hespenhol e
suisso de 800 a 1,200 rs. a libra.
Velas de carnauba e de composeao a 320 e
3e0 rs. a libra e 9,500 e 10,000 rs. a ar-
roba.
Massas para sopa
400 rs. a libra.
macarrio e talnarim a
Charutos dos melhores fabricantes da Ba-
bia 3,800 3,400 3,000 e 2,400 rs. a
caixa.
Ceneja das melhores marcas de 5,000 a
6,000 rs. a duzia.
Biscoitos ingtezes de todas as marcas a 1,200
rs. a lata.
Bolaixinhas de soda em latas grandes a 2,000
e 1,800 rs. cada lata.
Massa de tomates em latas de 1 libra a 560
e 640 rs.
Sardinhas de
rs. a lata.
Xantes muito novas a 340
Manteiga ingleza perfeitamente flor chegada
no ultimo vapor a 8oo rs. a libra.
dem de 2. qualidade a 76orsva libra.
dem de 3,* dita a 64o rs. a libra.
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
Manteiga franceza a mais nova que ha no mer-
cado a 58o rs. a libra, e em barril tera aba-
thnento.
Banha de porco refinada a 520 rs, a libra.
Vinho em pipa Porto Figueira e Lisboa a 4oo,
48o, 5oo, 56o rs. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,ooo rs.
dem em barril o mais superior que lem vin-
ao mercado a 6oo rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
1,000 a garrafa e a lo.ooo a caixa, o preco
nao indica a qualidade d'este precioso vi-
nho, porm venhamao Progresso que a vis-
ta faz fe, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
demos vender por menos que oulro qual-
quer annunciante.
Farinha de Maranho muito alva e cheiroza
a 16o rs. a libra.
INJECGAO E CAPSULAS
GRIMAULT E G'.A PHARMACEUTICOS EM PARS
Noto tralamento(reparado com as folhua de Matlco, rtorr do Pera,para a cura rapidj e in'alliv. 1
da Gonorrhea sem recelo algum da contraccSo do canal ou da inflammico dos Intestinos. O r?eL:c
doirtor Rlrord, de Pars, ter renunciado, desde sua pparicto, aoemprgo de qualquer outro tr.it.imento.
Emprega-se injercft* no cmico do fluxo. as capsulas em todos os casos ebronicos e inveterado*, que
resistirfio s preparaces do copahu, cubeba e s injecc&es com base metallica.
Depsito geral i ero Po.ru, em casa de UM. rimaalt e C, pharmareutlro, 7, roa de la FeulRade;
em Lisboa, Joa-Asoatlnh* da Co(a-CarvHllio Juatar; no Porto, Minarl Jane de Soma Per-
retra; em o Rio-de-Janeiro, Oeataa, 102, ra S. Pedro; em Baha, Jaa-Caetaaa irrnl t.ila-
helra; em Rio-Grande, Joaaain de Goda;; em Maranho, Ferrelra e C em Pernambuco,
Shaun e (:, roa da Cruz, 22 saaaa, e as principaes pharmacias do Braiil.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barboza
Toucinho de Lisboa a 32o rs. a libra e a 9,ooo
rs. arriba,
Sardinhas de ames a 36o rs. a lata.
NOVA EXPOSICA DE FAZENDAS.
[hies de arcos americanas a 3-MMO.
Vende-sc baloesde arcos ameiii-anosa 35
Baratsimas que se vendem para apurar di- 30500,45 e 45500,bales de panno a3500,
nheiro, na loja e armazem da Arara, ra ditos brilhantina a 40, s na Arara vrmle-
da hnperatnz n. 56, loja de Lourencose pecas de madapolao enfestado fino a 4#,
PereiraMendesGuimaraes. ditas de 14 jardas fino a 5&00, 70e80,
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. agarrafa e a | Neste grande estabelecimento acha-se um algodao cncorpado a 40, 40500 n-SWQ rs.,
4,8oo rs. a caada. jgrande sortimento de fazendas, tanto para o s na Arara; ra da Imperatnz, loj;i e ar-
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa eamatt0 com> Para a Praca advertindo aos mazem da Arara n. 56, de Lounuco Perei-
4,2oo rs. a caada. f18"8 freguezes que as fazendas tem subido, ra Mendes Guimaraes.
Garrafoa com 5 garralas de vinagre de Lis-;P1orm. no '** estabelecimento cada vez ven- ^0 ariMzeM de faz...
boa a i ,iao rs. | nws baratissimo, na loja acuna da Arara, | i^de Saato C "lh
Champaba das marcas mais acreditadas a f"3 ^a Imperatriz n. 56. RUA D0 qIE1MAD0 n. i'j venuk-se 0k-
PriDripia Arara, cassas organdis a 200 rs. GINTE :
Vende-se cassas organdis de quadros, cor j Cobertss de chita da India
Sea toooo rs, o gigo, e a8oo rs. ea
l.ooo rs. agarrafa.
Servea preta mara T e XXX a 6,ioo o
7,ooo rs. a duzia, e a 6oo rs. a garrafa,
de caf para vestidos a 200 rs. o covado.cas- peto barato prc<;o de 1*5000.
sas francezas finas 240, 280 e 320 o co\a- LeBfs
. do, pupelina de quadrinhos para vestidos de de Pann tambem temos das mesmas. marcas para 4, 'senhora a 3-20 o covado: ra da Imperatriz A h .... J9^ > .
e 4,5oo rs. a duzia, e a 4oo re. a garrafa. I n. 56, Arara. %m d "nb fln pe' baraU> pre?0 *
Wem branca Te cobrinha a5,oo e 6,ooo rs,
a duaia e ooo rs. a garrafa, tambem ha
para 4,ooo rs. a duzia.
Graxa em latas grandes a l,3oo rs. a duzia
e 12o rs. a lata.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro obra
de muita duraco a 4oo rs. cada urna.
Palitos de dentes massos grandes a 2oo rs.
e28ors.
logo que se"lave fica limpa, padrDes escufos rat0 pce0 de 10*00-
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre-
ditadas e especialmente escolhido por um
de nossos socios, como sejamrCamoes, Du-
que, do Porto, D.Luiz, Carcavellos, Cha-
misso & Filho, Madeira secco, e Feitoria a
9oo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com P-jlPs do gaz a 20 rs. a caixinha e 2,3oo rs.
12 garrafas. jr*groza.
G to^SmSt^re d P0rt ^rCcla de Alpercbe chegada no ultimo vapor
lenao 5 garrafas a 2,5oo rs. ., ,atas de 2 ^^ a ^ Dechinchaf
dem com 5 garrafas de superior vinho Fi- fonphr* o Hniianria rMf?;QO n^m Ia lo^a da rua da ImPeratr,z Ja Arara n. 56,
gueira a 2,4oo rs. I *S}, 5 ,,anda ^n5es com 16 gar- de Mendes GuimarSes.
raas por u.ooo rs.
dem com o carrafas de vinho I klia a i .
2,loo rs usooa V Wememfrasqueiras a6,3oors.e6,5oo rs.ea
56o rs. o frosco affianca-se ser verdadeira.
Vinho branco de Lisboa propro para missa uAM a~ k u
vindo j engarrafado de Lisboa a 64o rs. ,demn,de f?Uja em .ban8 com *" du"
Sedinbas da Arara a 560 re. Lencos de eassa
Vende-se sedinhas de quadrinhos e de lis- *& T^ST^" Pe' ^
tmhas miudas para vestidos de senhora e fjm |So fjno
Bieninasa 560 o covado. lazinhas de qua- pelo baratissimo preco de 680 rs. a vara,
drinhos a 320 o covado, ditas muito finas Madapolao Qne
transparentes, fazenda chegada neste ultimo pecas de madapolao largo superior pelo baratiss*-
vapor a 400, 500 e 560 rs. o covado, desta rao P"P de 8*000
qualidade s tem Arara : rua da Imperatriz .. ..tSu. R,MSM,as
o. 50, Mendes Colmarte. | -*. ,,,,,
Outra pechiacha na Arara a 210 rs. de rolo com 10 varas propria para saia a :i00.
Vende-se chitas francezas cores fixas com Pe?318 d* eambraia
pequeo toque de mofo, porm afianca-se que ^mnar^andri1,p Branante de linbo
e claros a 240 e 280 rs. o covado, ditas lim-
pas, finas, a 320, 360 e 400 rs. o covado;
Cognac inglez a 9oo rs. a garrafa.
Marrasquino de Zara a 7oo rs. o frasco e Azeitonas de Lisboa muito novas a l^oors.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijollo para areiar facas a 140 rs. cada um.
Farinha de Maranho a 140 rs. a libra.
Pimenta da India a 340 rs. a libra.
Erva-doce a 320 rs. a libra.
Palitos para meza a 160 rs. o maco.
Verdadeira farinha de araruta a 500 rs. a
libra.
Frascos com ameixas francezas a 1,400 rs.
cada um.
Prezuntos do Porto.a 5oo rs. a libra.
Batatas muito novas em gigos com 38 libras
por l,5oo rs.
Canefla da India a l,loo rs. a libra.
Cominho a 64o rs. a libra.
8,ooo rs. a duzia.
Licores francezes, annizete, plaisir des da-
mes, etc., etc. a 8oo rs. a garrafa e 8,5oo
rs. a duzia.
Passas as melhores
rs. a libra.
que se encontram a 360
Bolachas inglezas muito novas a 24o rs.
a libra, e 3,5oo rs. a barrica.
Azeite refinado a 8oo rs. a garrafa.
Conservas inglezas de todas as qualidades a
750 rs. o frasco.
a ancoreta.
Estrelinha e rodinha para sopa a 6oo rs. a
libra.
Legumes seceos para sopa a 4oo rs. o maco.
Breu louro a 3oo rs. a libra e 8,ooo rs. a
arroba.
Papel pautado e liso almaco e de peso de
3,000, a 4,ooo rs. a resma.
Ervilhas seccas chegadas no ultimo vapor a
2oo rs. a libra.
0JU8UJID8I8qt?]S8 81S8 JBp
-ci2csap b BJijtuEui ap rao.uas so apno 'ancd cuno B oba 9 as-raepiAio'sazaA sejinra saisa
anbjod 'otead oiojeq siera jod sajeuag s9Joqj9ra so apua.v 9s 9n6 a og -u S9znj3 sep
jmj ep EtsissooSoJd ubzbuijb ou os 9nh J9A soqj-opuazBj 'sajopeyod snas so moo ok3
-uae upo i9| saaoquas sorasam so opu9.\9p 'jBpej3e ogu 9nb opatqo jgnbienb jaAiowp
uiojcpueui 9p joabj o raazBra.iB 9}S9u jBJiiraoD ragjepuBra gnb saaoquas soe apad orasara o
'oaaunaaiaqBtsa ajsap soudojd ogu sopafqo opuajuoa orasara cpuic 'Bpuararaoaua .iaub
-lenb jbiab ap as-B8aJJBoua '. amarajeossad opuiA oraoo sopi.uas raaq og majas 'soABjasa
no sopei'jo snas jod jejdraoo raajBpuera anb SBOssad se boubob a 'sopsuoiauara oxibob soo
-ajd sojad apBpiienb BJtaraiJd ap soaanaa sopiaaquoa raaq ?f snas so ja'pua.\ opjaniiap
raai 'sazan8aJi snas sob jiajss raaq BJBd laAissod joj anb o bpnj aazBj ejsu raa ajdraas
opuaj 'bisissojSojj opBUiuioaap ui9zbuijb opBiipajOB ojmra op ouBiaudod o
'OS o|oonv oyaetu ap ojj|vq op znj.> p mu se .%
M
ia
a garrafa.
dem em barril muito superior a 5oo rs. a
garrafa e a 4,ooo e 3,8oo a caada.
Ameixas francezas em caixinhas de 1 */a 2
e 3 libras elegantemente enfeitadas com ri- Licor francez
zias a 44o rs. cada botija.
cas estampas na caixa exterior a i,Soo
l,6oo 2,ooo e 2,5oors.
'/i e3 libras a l,4oo e
dem em latas de,M
2,6oo rs, cada urna.
Figos de comadre em bauzinbos de folha
muito proprios para mimo a l,6oo.
dem em caixinhas a l,4oo rs.
dem em caixinhas emticamente lacradas
e muito bem enfeitadas a l,8oo rs.
dem a 2oo rs. a libra.
Passas de carnadas as mais novas que ha no
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,ooo re. a
caixa.
Salmo em latas
8oo rs.
emticamente lacradas a
li IZVliUV
.V%1|->
Lagostim em latas grandes a l,4oo.
Savel, corvina, cherne, vezugo, peixe espada,
preparados pela primeira arte de cozinha a
a l,3oo rs.
Queijos flamengos chegados no ultimo va-
por a 2,4oo rs.
dem do vapor passado a 2,2oo 2,ooo e
l,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
Doce da casca da goiaba caixes grandes a
6oo e9oo rs.
Chouricas as mais novas que ha no mercado
a 48o rs. a libra.
Chouricas mouras encommenda especial nos-
sa a ooo rs. alibra.
Prezunto verdadeiro de lamego em calda
de azeite 5oo rs. a libra
Bolaxinha ingleza a mais novas que ha no
mercado a 2,ooo rs. a barriquinha com
1 arroba, e a 24o rs. a libra.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
reis.
dem em latas grandes, proprias para lunche,
com 5 a 6 libras por 2,4oo rs.
Marmelada imperial do fabricante Abreu e
outros conserveiros de Lisboa a 6oo rs. a
libra.
Frutas em calda de todas as qualidades a
5oo re.
Ervilhas francezas a 5oo rs. a lata,
dem portuguesas a 64o rs. a lata.
Massa de tomate a 64o rs. a libra.
Amendoas confeitadas a 7oo rs. a libra,
dem de casca mole a 28o rs. a libra,
Avelans a 2oo rs. a libra.

dera de laranja em frascos grandes verda-
deira italiana a l,ooo rs. o frasco.
Marrasquino de zara a 72o rs.
de todas as qualidades em
I garrafas de vidro brancos a 72o e 8oo rs.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que tem vindo ao mercado a 72o e 8oo
rs., eem caixa a 7,5oo, 8, e 8,2oo re.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol e
outros a 8oo rs. a garrafa.
Conservas inglezas sortidas e de urna s qua-
Udade a 8oo rs. o frasco.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
Gomma de engommar muito alva a 8o rs.
a libra e 2,2oo rs. a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 16o rs. a libra.
Sevada muito nova a 12o rs. a libra e 3,2oo
s. a arroba.
Macarro a 32o re. a libra.
dem e talharim o mais novo que ha no mer-
cado a 48o rs. a fibra.
Aletria a 5oo rs. a libra.
Arroz carolino a loo rs. a libra e a 2,8oo re.
a arroba.
dem do Maranho a 12o re. a libra, e a
3,ooo a arroba.
Caf do Rio o mais superior que se pode de-
sejara 32o rs. a libra,
dem a 28o e 3oors. alibra e a 8,2oo, 8,4oo
e 8,7oo re.
Velas de carnauba refinada a 32o rs. a libra,
e a lo.ooo rs. a arroba.
dem de spermacete a 64o rs, a libra.
Chocolate hespanhol e francez a 9oo e l,ooo
re. a libra.
Estreilinha e pevide muito nova a 4oo rs. a
libra, e a 2,ooo rs. a caixinha com oito
libras.
Cha perola muito especial chegado neste ul-
timo vapor de encommenda particular
nossa a 2,8oo re. a libra.
dem huxim muito superior a 2,7oo ts. a
libra.
dem hysson a 2,56o rs. a libra.
dem hysson a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
dem preto homeopathico e muito superior a
2,ooo rs. a libra.
dem nacional a l,6eo rs. a libra.
Batatas muito novas a 8o re. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e de todas as marcas, como sejam: sus-
piros, havaneiros, messecipes, regala im-
perial, flor das mattas, primores a 4,ooo,
3,5oo, 3,2oo, 3,ooo, e 2,8oo, 2,5oo,|
2,000 6 l,6oo rs. a caixa.
fino comdez palmos de largura pelo barato ;:
de 2V300 a vara.
TuaHias alcochoadas
para mao pelo baratissimo preco de 5$000 a du-
ia.
Amainado de linho adamascado
vara.
Arara vende as camisas para senhoras.
Vende-se camisas para senhoras com goli- proprio pa"ra"toa'ha de mTsT3o"
nhas e punhos, com botaozinho e gravata, Algodo moustr*
fazenda vinda por este ultimo vapor a 40500 com 8 palmos de largura pelo baratissimo pp
cada urna, golinhascom botaozinho e punho de 1*300 a vara.
muito finas a 10000, gravatinha ou golinha s Cortes de calca
com botaozinho para senhora a 320 rs., degangaamarcladel.staedeqti.viro f.v.ndaso-
j__.___ ', ^'" wio., nerior pelo baratissimo preco de 15*4) o corte.
sO na Arara vende-se capinhas bordadas v Lanha de auadro
para menino a 10000 cada urna, entre-meios de posto inteiramente novo pelo baratissimo preco
e tiras bordadas para enfilar vestidos a de 480 rs. o covado.
liJOOO e 15280 a peca; na loja da Arara
rua da Imperatriz n. 56.
Redinhas da Arara para senhoras.
Vende-se redinhas para segurar cabello a
13000 rs., enfeites para cabeca de senhora a
1#000 rs., meias cruas para senhora a 320,
lencos de retroz para meninas a.320 rs s
Pecas de eambraia de salpicos
fina com 81/2 varas pelo baratissiiiM prego de ij.
Pecas de eambraia de forra
pelo baratissimo prego de 25300.
Esleir da India
para forro de sala de 4. S e 6 palmos de larmra.
Vende-se nma morada de cas:i terrea, nova,
com bons commodos para familia e negocio, no
na Arara, rua da Imperatriz n. 56, de Men- largo da feira na povoacao dos Montes, mais co-
^es Guimaraes. nbecido por Trombeta, freguezia d'Agua-Preta, or>-
0 de presentemente mora Jos Martins da Crtu a
Anda mais urna pechincha na Araia a 2($000 rs. tratar no Recife, pateo do Parado n. 10._______
Vende-se cortes de chitas inglezas a 25000,
ditas francezas com um pequeo toque de
mofo, porm afiance que logo que lave fica
limpa, vende-se a 25500, cortes de riscadus
suissos, com 14 covados a 35000, cortes de
cassa de babados e de barras a 25000, para
acabar, ditos de barras de seda a 35000 rs.,
ditos brancos bordados de groxe enfeitados
eom entre-meios a 45000: rua da Impera-
triz, loja da Arara n. 56 de Mendes Gui-
marSes.
Arara vende rniipa feila.
Vende-se calcas de meia casimira e de
brim a 2500 re., palitos de brins de cores
a 25500, ditos branco? a 35000, ditos de ca-
simira a 45000 e 65000, camisas francefas
a 15600, 25 e 25500, ditas de linho de pre-
ga larga a 35000, seroulas de bramante de
algodo a 15600, ditas de linho a 25, gr-
valas a 400 e 500 rs., pares de meias a 120
e em duzia a 15400, 25500 e 35: rua da
Imperatriz, loja da Arara n. 56.
Ctrl*s de lia a 3500, 45 e 55 rs.
Vende-se ricos cortes di
AGENCIA
la
FUNDIGO DE LOW-MOOR.
Ruada Sentada nova n. 12.
Neste estabelecimento continua n haver
um completo sortimento de moeiulas c m
moendas para engenho, machinas de vapni
e tachas de ferro batido e nado, de ti*l<
tamanhos para ditos^__________________
Arados americanos e na. lunas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnslon C,
rua da Senzalla Nova n. 42.
Aos senhores rousunimiilorrs rfegaz.
Nos armazens do caes do Ramos n. 18 c na rua
do Trapiche-Novo (no Recife) n. 8, se vende gal
liquido americano primeira qualidade mais baraln
do que em outra qualquer parle.
SO na
Arara
nbos a 35600, 45 e 55 cada corte,
Arara; rua da Imperatriz, loja da
n. 56.
Arara vende ricas eolias ave ludadas a 85060 rs.
Vende-se ricas colxas aveludadas para ca-
ma a 85, ditas de fustao a 55, ditas de da-
masco a 45, coberlas de chita a 25000 ; rua
da Imperatriz, loja da Arara n. 56.
Lencos de seda da Arara a 800 rs.
Vende-se lencos de seda fino, um s a
800 e 15000, ditas com franxa a 15500,
chales de merino estampados a 35000, ditos
finos a 55, 65500 e 85, s na Arara; rua da
Imperatriz n. 56.
Arara vende as eambraias da taiwMM a 25S00
Vende-se pecas de eambraias de caroci-
nhos de cores brancas a 25500 a peca, eam-
braia liza fina a 35 e 35500, ditas para cor-
tinados de 20 varas a
l>elirado mimo.
Domingos da Silva Campos com taberna na roa
do Imperador, defronte da relacio, avba ata acta
freguezes e amigos que recebeu urna equena por-
co de caixinhas com ameixa i rainha Claudia,
la de quadri-!r' , nriimitila ipo um l^il ir>*ii-t miran a i:an r
pinamente para um delicado mimo, e
muito razoaveis conforme o taando.
seus prec.o-
vinho paro.
Ne- eseriptorio de Euzebio Raphaei Rabello, na
raa da Cadeia n. 56, vendem-se anroretas com en-
cllente e puro vinho tinto de Uatoa. imente dea-
tinado para gasto de casas particulares por ser re-
mettido pelo proprio faiendeiro on lavrador.
ESTOPA 01 TERRA
Vende-sena rua Direita n. 91 a 1*600 a arroba
ESCRAVOS FGIDOS.
Pugio SO do mez lindo, Joao, Angola, bean
ladino, representa ter 35 annos, estatura cora*
regular, tem olhos papudos, e o signal mais visivtt
ter uns calombos no rosto sabidos de urna a nu-
tra orellia e por debaixo doqueixo, que por es?a
andar
causa costuma andar com lenco amarrado
_ 85, ditas de 10 varas queijos : qualquer pessoa que o segar, leve-* a
a 45, e 35, cortes de cassa com palmas sol-, *u senhor ? s- m?*>M rua *> *"!*'
tas, com 1 vara de largura a 25, na Arara ;
rua da Imperatriz n. 56.
Casimiras da Arara.
Vende-se cortes de casimiras escuras a
15600 e 25000, tambem se vende em covado,
no dia 4 do crreme mei o
qne representa 30 e tanto
Fugio
preto, Luiz, ,
Idade, crioulo, baixo e cheio do carpo, *
andar vaforoso, olhos vesgos e nciueam,'
chata, bocea saliente, com falta de denles, i
1 covado e tres quartas dk urna cale* a lliJf^iSi^J V^T
o covado; na loja da Arara. lgra,i*'* 28, que ser gratificado.
*->-
MDTLADOL




Diario t Pertxumbnc Htxi* felra 1 de Ouiubro de i&l.
LITTERATRA.

0 que vae pelo mundo.
Dos jornaes de New-York extrahimos
03]seguntes documentos:
Quartel-general do departamento do
sul, Iba Morris, Carolina do su!, 21 de
agosto de 1863. Ao major-geheral H. W.
Hallcck.
c Senhor.Tenho a honra de informar
y. que o forte Sumpter foi demolido com-
pletamente depois de sete dias de bombar-
deamento, indurado dous dias em que urna
tempesiade do nordeste diminuiu conside-
ravelmente a exalido e efficacia do nosso
fogo.
4 O forte Sumpter hoje urna massa de
ruinas informe e inoffensivas. O meu chefe
de artilharia, o coronel J. N- Turner, in-
forma-me que a deslruigo tao completa,
que o forte de nada servir j para a defesa
de Charleston. Diz tambem que se con-
tinuasse o fogo, reconseguiria reduzi-lo a
um monlo de ruinas, comqnanlo isso nao
fosso mais intil para a defesa da baha.
A artilharia de baler dividiu-se por
inhr amaS o gran- raramente desejam que se plante e se c
solide em Hespanbaum raimen verd
ramente constitucional.
;ar completo solide em Hespanbaum rgimen verdadei-
distnncias, que variam de 3,330 a 4,240 va-
ras do forte, e agora to efficaz como dan-
tes. Julgo intil continuar a fazer fogo con-
tra as ruinas do Sumpter.
Com o maior trabalho e debaixo de um
fogo terrivel da ilha de S. James, conse-
guirse estabelecer bateras minha es-
qucrda, ao alcance de Charleston, e rom-
peu-se o fogo contra ellas, depois de ter
avisado devidamenle o general Beauregard,
de qual era a minha inteng5o.
Transmitliu-se ao quartel general do
exercilo a minha notificag5o ao general Beau-
regard, a resposta desta ameaca com o uso
de represalias, e a minha replica.
* Os projectis das minhas bateras entra-
ram na cidade, e o proprio general Beau-
regard as considera como as mais destrui-
doras que at agora teem sido empregadas
em qualquer guerra.
t Remello a informacTio do chefe de ar-
tilharia e a narraco do estado de ruinas do
forle Sumpter, feila hontemao mcio-dia.
Sou, com o maior respeito, etc. D.
A. Gilmore, bngadeiro general em chefe.
Capitana Augusta Dinsmore, 16 de
agosto de 18(53Desde segunda-feira, rei-
na aqu a maior monotona. Trocamos al-
guns tiros com o inimigo, sem provavel-
jiienle Ihe causarmos damno algum, O tim
do inimigo retardar os trabalhosde sitio do
general Gilmore ; mas esto j concluidos.
Abandonou-se o projecto de dar um ataque
no da 13, em consequencia da indisposi-
cSo do general Gilmore, e por que parece
que as munigoes que tem o exercilo nao sao
da melhor qualidade. O general j est
muito melhor, e o ataque comegar ama-
haa ao romper da manha.
As bateras de trra, segundo as pro-
vas que se izeram bnntem sobre o alcance
da artilharia, fkeram duas aberturas as
muralhas do forte Sumpter.
Julga-se que o inimigo esta evacuando
aquelle forte, e que o far voar logo que co-
mece o assalto. Das trinta pecas que tinha
nos narapeitos ha doze dias, s ficaram seis;
desappareceram quasi todas que havia as
baleras acasamatalas.
O inimigo construiu urna nova linha de
defesa a urna mlha de distancia, na ilha
James, desde o forte Johnson at Leces-
sionvill, e montou ali alguma artilharia, Sup-
pOe-se que Desta nova linha montar as pe-
gas que lirn do forte Sumpter.
Consta, por dous botes que fazem a
ronda da noute, que o inimigo se oceupa
com muita aclividade as obras de defesa.
Tanto a marinha como o exercito esto
promptos para prnci
de .ataque, seguros
resallado.
* Todos os das chegam reforcos de tro-
pas, e pode dizer-se qne as libas ha um
grande exercilo.
c Na quai ta-feira noute, o inimigo rom-
peu o seu fogo contra as nossas bateras,
vemos dous morios e dous ferdos
t Os Monitores collocaram-se conveniente-
mente e despararam contra o forte llagner,
at conseguirem fazer callar o fogo do ini-
migo.
Oalmiranle Dahlgreen avancou a bordodo
Potopseo, o foi al debaixo do fogo do forle
Wagner, onde esteve a ponto de morrer
com urna halla de dez pollegadas desparada
pelo inimigo. Tudo indica que este confia
nos obslaculos que exislem em consequen-
cia dos objectosque se teem submergidono
rio, assra como as obras de defesa.
c Se amanha se der o ataque, a batera
Trorsides bombardear o forte Sumpter, e
os navios de madeira e as bombardas farao
fogo contra o forte Moultrie.
a As fortiicacoes que o inimigo est cons-
truido nr ilha James indicara que, ou tra-
ta de arrojar d'ali o general Gilmore, ou
impedir que contine o sitio contra o forte
Sumpter.
c A' ultima hora.
t Agosto, 16, s 5 da tarde,
f Annunoiam de trra que o inimigo est
formando parapeitos com saceos de areia
na rectaguarda do forte Sumpter, para pro-
teger os pioes contra os projectos das nossas
baleras de trra.
t E' muilo provavel que o inimigo esteja
convencido de que a nossa artilharia ha de
fazer callar o fogo dos seos, e por isso
tira as pegas dos parapeitos do forte Sump-
ter.
< Washington, 19 de agosto,
c O governo recebeu despachos de Char-
leston, por via do forte Monroe, e nelles se
diz que o bombardeamento de sexta-eira e
sabbado produziu um terrivel effeito. No
domingo o mar esleve t3o agitado, que as
canhoneiras nao poderam cooperar com as
bateras de trra. Esperava-se que na se-
gunda-feia melhorasse o lempo, e que os
navios blindados podessem tomar parte no
ataque.
t Accrcscenta o despacho que, segundo
se diz, o general Gilmore, com urna das suas
pegas de grosso calibre, tinha conseguido
disparar contra a cidade, com t5o bom effei-
to, que o general Beauregard mandou um
parlamentario para tratar com o general Gil-
more sobre o assumpto.
Deve declarar-se que o governo nSo
receben a confirmagao official desta noticia
extraordinaria, e que nos circuios militares
nao se Ihe d crdito.
t Washington, 20 de agosto,
c Nos despachos officiaes do general Gil-
more e do almirante Daqigreen.confirmam-
se as noticias recebidas anteriormente sobre
a6operagoes no porto de Charleston.
c Conia-se em que o forte Sumpter se
render puucas horas depois de comecar o
bombardeamento. Ser este um passo para
a tomada de Charleston ; mas prematuro
quanlo se diz respeito da immediala ter-
minagSo do sitio e da tomada da cidade.
Temos muito que fazer equecombater, de-
pois de tomado o forte Sumpter.
Tudo isto leva muito terapo.
Nos circuios officiaes n3o se acredita
no que prometlem os correspondentes' de
um jornal de Ballimore, islo que conse-
guiremos o triumpho inmediatamente. N"o
se duvide do resultado final; mas o povo
deve acolher com desconfianga estes annun-
cios de victorias annunciadas que nao pro-
vavel que se realisem.
i Alguns officiaes distinctos, actualmente
em frente de Charleston, declaram na sua
correspondencia que o ataque combin?do
das forgas de mar e Ierra produzir o re-
sultado final que se deseja ; mas no'per-
lixam o terreno para a tomada do forte
Sumpter, como teem aprestenlado os entu-
siastas da imprensa.
A obra que tratamos de levar ao cabo,
alguma cousa' pesada, e requer muito ta-
lento e precaugo. e necessario ter em
conta todas as difficuldades que ba a ven-
cer, de maneira que nao devemos esperar
urna victoria prompla e decisiva. Disto
esto aqu convencidas muilas pessoas, que
sabem dos planos e das intences dos che-
fes que esto afrente de Charleston.
c Aqui, os separatistas dizemque a po-
voago de Charleston pora fogo a cidade s
para a n3o entregar aos federaes.
O partido progressisla do Mxico pu-
blicou oseguinte manifest:
artes faziam a aprendizagem da destreza, vemos de consagrar a nossa vida e todos
Isto mesmo provava que ainda se tinha al- os nossos esforgos, dentro de terrenos le-
gum respeito pelo publico. Mas os que gaes, para conseguir intacto esse direito que
com'palavras fofas vieram condemnar o vi- tan gratuito e com t5o pouco calculo se tem
ci oceulto, tiveram o cynismo do vicio, e postergado. E por agora offerecemos com
inventaram a sua formula, a da influencia, sacrificio as nossas mais caras esperances,
por antphrase moral. A nagSo j a tem Renunciamos acolher o fructo dos nossos
irabalhos eleitoraes, tanto mais improbos
quanto mais desegual a lula que tenho ac-
ceitado com a energa propria do nosso par-
tido. Renunciamos tambem a satisfagao
(porque a havemos de negar?) com que pro-
} curavamos levantar a nossa humilde voz no
sanctuario da leis, em defeza da liberdade e
e da dignidade da patria. as urnas nao se
encontrar um nico voto progressivo; no
parlamento nao soar o eco da nossa pa-
lavra.
Desejavamos dirigir-nos nicamente aos
nossos amigos polticos, dando-lhes um con-
selho que pediram na crise a que inevita-
velmente nos tinha conduzdo, e j nos con-
duziu, por desgraca, o falseameulo sysle-
matico do rgimen constitucional. Mas con-
siderando a gravidade do conselho e a au-
loridade moral de que estamos investidos
para Ih'o dar, pela confianga absoluta que
nos teem dispensado os progressistas de
Madrid e das provincias, julgamos que nao
interpretaramos bem os seus desejos, nem
cumpririamos com o nosso dever se n5o
dessemos conta nago, em breves e since-
ras palavras, dos princpaes motivos que nos
decdram a adoptar, depois das prolixas es-
plicagoes.e de dscussoes tranquillas e lumi-
nosas, urna resolugSo, cuja importancia e
transcendencia nao podemos desconbecer.
Para melhor assegurar a nossa vontade,
houve, por fortuna, quem examinasse a
queslo debaixo de diversos aspectos; mas
lodos do o mesmo conselho ao partido pro-
gressisla.
Este grande partido, sem os esforcos
do qual leria sido impossivel vencer na
[guerra civil qu3 os defensores da monarchia
absoluta promoverara contra as instituicoes,
e contra o throno constitucional, o partido
progressista, que no mais empenhado da
terrivel lula, longe de exagerar as suas
ideas, redigiu a censlituigo de 1837, que
os seus mais prximos adversarios admira-
ram," applaudiram e consideraram comosua;
o partido progressisla, ao qual exc'usiva-
raente se devem, alm de todas as grandes
reformas polticas, a aboligo dos privilegios
e dos raorgados, dos dizimos e primicias,
e a desamortisacSq civil e ecclesiastica, uni-
nas fontes copiosas do augmento portentoso
da riquesa publica, e da grande e cres-
cente prosperidade da nossa nago ; o par-
tido progressista aTfasta-se completamente
da vida poltica, e retira-se na mais pacifica
attitude, para conservar tranquilamente a
f dos seus principios, e a esperanga de um
dia os ver adoptados por todos os que sin-
Os seus homens pblicos bem teem
provado, nestas e n'outras pocas, que nao
os move o
ulgado. Nada diremos mais a seu res-
peito. Morreu aquelle poder, e como
hbrido e monstruoso nao deixou suc-
cesso.
c Vejamos agora o actual, n3o para
julgar e condemnar, que d'sso se encarre-
gam os seus amigos e protegidos de hoje,
mas para dizer alguma cousa das eleiges
que prepara, e da circular que limita o di-
reito de reunio, e que motvou o protestado
partido progressista. Os que fizeram esse
protesto por s, e em nome dos seus amigos
ausentes, receberam nSo s a approva-
co, mas a gralido d'estes. Anteciparam-
se ao sentimento que eslava no animo de
todos.
< O partido progressista acceita pouco os
direitos que s leem por garanta e forca o
papel em que esto escriptos. Conhece a
facilidade com que se pode alterar ou Ilu-
dir o seu cumprimenlo. Temos lido leis,
e ainda as temos, que observadas tornariam
impossiveis os attentados que lamentamos.
As leis nao bastara para fazer que am po-
vo seja livre. A liberdade ha de estar
affiangada pelos costumes, e desgragada a
nago, que, por urna nica vez renuncia a
ellas, e deixa perder um direito que con-
quistou. O segredo da solidez, e da per-
petuidade do rgimen liberal de Inglaterra
est na vigilancia, e ainda mais na tenacida-
de d'aquelle grande povo, que j mais aban-
dona o que consegu u alcangar.
c Mas nos nao temos, dizera alguns, as
instituigoes d Inglaterra, nem o partido pro-
gressista as copiou quando poda. D'aqui
tirara a consequencia de qne os hespanhoes
nao teem direito de reunr-se para cousa
algn, em quanto que os mglezes gosam
d'esse direito absolutamente e sem a menor
restriega. Se os que se expressam n'estes
e outros termos sewelbantes accreditassem
o que diziam, nao dariam crdito iirostra-
go que nos com muito gosto Ihes conce-
demos.
Nao agora oeGasio do entrar em
ura exame de direito publico de Hespanha
e de Inglaterra; mas -conveniente recordar
a origem a que os ingiezes attribaem o di-
reito de reuaiao, assim como todos os de-
mais direito do hornean Os mais obscuros
e os mais ignorantes d'aquelle paizr assim
como os jurisconsultos e os polilwos sem
distineco alguma de partidos, deem que
esses direitos pertencem ao cidadO' mglez
em virtude de seu nascimenlo. Em toda a
parle nascem homens livres. Tornam-se
esc ravos os que o- mereeem.
Nascemos pois, com o direito- de dos
reunir, assim como naseemos com a- neces-
sidade de viver em sociedade ; reunam-se
os homens em Ilespanha como em toda a
parte, e mesmo em grandissimo numero,
aonde os chame as suas necessidads e os
seus interesses. Ha por ventura alguma
lei que o prohiba? Nao pode ha*e-la. O
cdigo penal pode prohibir a otganisago
das associagoes polticas, a que na lingua-
gem d'outro tempo se chamavam sociedades
patriticas; o cdigo pode e- deve exigir
que, quando as reunes tenham por 1.41
tratar de materias polticas, sejam procedi-
das de um aviso autoridad* ou do seu con-
sentimento, porque pode alterar-se a tran-
quildade publica, e isso j mais se deve con-
sentir.
c Nao se consente em parte alguma,
nem mesmo se tolera em Inglaterra. A
tranquildade alterou-se ltimamente em um
meeting, que houve para favorecer a unida-
de da Italia ; isto raras vezes acontece, mas
pouco depois quiz celebrar-se oulro meeting
tores, e quelles intima-se o cumprimento do ; j se intitula liberal e proclama a opi-
da nova Tontade dos ministros. E haviamos
nos ir confundir-nos com deputados eleitos
desta maneira, e os nossos eleitores com os
que prometlem similhantes prodigios de do-
cilidade!
Ainda que nao tivessemos outras rases
que nos aconselham a abstengo, bastara
esta para nos affastar da urna. Basta tam-
bem o que fica dito, para que o aconseja-
mos com a mais completa confianga ainda
mesmo depois de hiver passado todos os in-
convenientes (que em grande parte espera-
mos evitar) que traz comsigo a abstengo.
US C ilumino u[iuvoo, i|Uv uv |,Uuu ,------.,--------------------- -j j I."*'
desejo de engrandecimientos para o mesmo fim, e aautondode proniDiu;
pessoaes, por isso que nunca tem querido
seguir o caminho por onde fcil alcnce-
los, ainda mesmo com escassos merecimen-
tos; e bem tem mostrado todo o partido
que nao o affastam, antes o excitara e es-
timulam, as difficuldades de qualquer luc-
a, que acaso tenha apparencia legal, por
mais deseguaes que sejam a posigo e as
armas dos combatentes. Estejam, por con-
segrante, certos de que ninguem ha de at-
tribuir as suas resoluges ao despeito, nem
ao receio, e nao estejam menos certos de
a immensa maioria da nago, e o tem-
que
po o mostrar, ha de
liga as suas intenges,
deixar de fazer jus-
t O partido nao quer hoje referir-se s
pocas passadas, para enumerar como quei-
xa os actos deploraveis, que, com urna con-
stancia sem egual, como se obedecessem a
um plano premeditado e fxo, tem ido mi-
nando e reduzido a formulas vas a liber-
dade do povo hespanhol. Por agora deve
nicamente fixar a sua attengo na maneira
com que se tem ido desnaturalisando em lo-
dos os ministerios do partido moderado o
systema eleitoral, at ao ponto de chegar
hoje a ser um simulac-o ridiculo, que, se
tem de verdadeiros os vicios que origina
nos costumes e na administrago do paiz, e
os indevidos e gravosos favores que exige,
assim como as njustigas que sent, e as
perlurbaces que causa Se sao estes os ef-
feitos, que acontecera se contempbssemos
s ingiezes abstiveram-se de se reunir no
ponto indicado, assim como se absteve o
povo de Madrid de concorrer ao movimento
de 2 de maio. reservando a sua manfesta-
go patritica para o prximo anniversario;
o governo julgou que alguns descontentes
poderiam encontrar occasio propria para
satisfazer os seus desejos de desorden),
Isto prova nem em Inglaterra, nem em
Hespanha esse direito absoluto, nem
em parte alguma pode s-lo qualquer di-
reito.
Deixar por isso de ser um direito na-
tural o de reunio, ou ser de difireme es-
pecie entre os povos que tenham feito a de-
clarago de que direitos nunca sao leis, e
entre quelles que se contentan, que as leis
nao desconhegam os direitos que Ihes deu a
natureza?
E ainda que nao fizessemos voluntaria-
mente este sacrificio, teriamos de faz-lo
por necessidade. As grandes reunies do
partido progressisla tinham dous caracteres
mui distinctos. N'ellas eram admittidos,
sem distineco todos os cidados. Assim
consultavamos todas as intelligencias, e ac-
ceitavamos os servigos dos que podiam pres-
ta-Ios, ainda que a lei os nao jolgasse aptos.
Pela nossa parte nao tinhamos outro meio
de emendar os vicios e as falaes consequen-
cias de urna oligarchia eleitoral. Por mais
importante que isto seja, comprebendemos
que por urna vez se pode renunciar a elle;
mas, o fim principal d'estas grandes reu-
nies era designar os que haviam de com-
pr o nosso centro eleitoral, fixar a poltica
que tinhamos a seguir, e pela qual se deviam
eleger os candidatos.
Nos, semelhanca de todos os povos li-
vres, s temos estes meios para Ihes dar ou
negar o nosso apoo. Onde existe um go-
verno constitucional verdadeiro, os candida-
tos conservadores procedem do mesmo mo-
do; e se em Inglaterra, por exemplo, quan-
do estao no poder, fossem de outro modo
indicados, envergonhar-se-hiam de sentar-se
no parlamento.
Se em Hespanha, as coasas se suceedem
de outra maneira; se ha quem se chame re-
presentante do povo sem que jamis tenham
visto O' povo rearklo, nem este os con beca
pessoalmente 00 pelo nome, o- mais que po-
demos fazer respeitar esse gosto particu-
lar ; mas, seguir o seu exemplo, renunciar
a pureza da nossa propria origem, fazer des-
apparecer a difierenga que seropre nos tem
separado dos favoiecidos pelo poder, e dos
assim designados pelo povose foi isso e-
que quizeram, ne- se fez justica nosso-
dignidade, que a nica cousa que jmai
renunciaremos.
t Eem que pca nos queremconfundir
os eleitores e candidatos independentes corn-
os que esto subsidiados pelo governo, e coro
os que este manda votar I J se nao oceulta
o artiioio nem se julga bastante a chamada
influencia moral.
t E os que n'am momento deenthusias-
mo cenfessavam que a machina administra-
tiva era to pesada que opprimia a liberda-
de dos districtos ? os que bem claro davam
a entender que eia preciso acbarem-se em
posices mais elevadas para seren mais in-
dependentes, apertaram os eixos- da machi-
na, como se se tratasse de atormentar o cor-
po eleitoral para converlr a mentira em urna
verdade legal.
c Os nossos antigos inquisidores nao eram
mais severos..
c Mas quelles, pelo menos pode faaer-
se a justica de que sabiam o que quema, e
de que eram perseverantes nos seus prop-
sitos.
c Actualmente, a agrupaco casual dos
homens de differentes origens, de diversos
compromissos e de tendencias oppostas, que
por alguns dias pode oceupar o lugar do go-
verno, no intervalo de urna crise laboriosa,
procede de oulro modo.
N3o Ihe negaremos nos o respeito que
legalmente se Ibes deve,em quanto gozarem
da confianga de sua magestade, nem a justi-
ga que mereeem pelas suas circumstancias
iodividuaes; mas amamos a nossa patria e
envergonhavamo-nos do triste espectculo
que offerecemos Europa, que comegava
Nao devemos concluir sem tocar um
ponto que alguns apontaram com extrema
delicadeza, e que o despeito ou a m f po-
deriam ter inieresse em propalar. O parti-
do progressista tem-se indicado de ante-
m3o, e possivel que se repita agora com
mais seguranga, sabe do campo legal, e en-
tra, por conseguinte, no revolucionario. Dos
que d3o este nome a tudo o que conduz ao
desenvolvimenlo natural e pacifico da liber-
dade, nao nos oceupamos nos. Honrara-nos
muito com esta denominag3o, que acceita-
mos com orgulho no sentido em qne elles a
empregam ; mas, se os que admittem, ain-
da que s no nome, as ideas liberaes, nos
suppem menos interessados do que elles na
manutengo da ordem publica, commettem
um erro que lamentamos se sincero, epor
outro lado nos fazem urna injustiga, que re-
gatamos com indignagao.
t A nago deve exclusivamente a noss
partido os grandes melhoramenlos em que
principalmente consiste a sua actual prospe-
ridade e os seus prodigiosos adiantamentos ;
e como a desordem, a falta de tranquillida-
de, e mesmo o receio fundado de que se po-
de alterar, bastara para deter esse progres-
so, que com razo olhamos como urna obra
nossa, ou ao menos das nossas ideas, cla-
ro que ninguem tem mais interesse do que
o partido progresista em preservar o paiz
das desordens que comprometteriam o seu
magnifico porvir.
< E eomo poden desejar a desordem os
homens honrados que vivem do se trabalho
ou das suas propriedades, e os qne forga
de constancia e de servrgos teem adquirido
entre os seus concidadoos ttulos de aprego,
que nao podem ser os mais estimados em
pocas de revoltas? Os que podem deseja-
las e meno6 prov-las sao os impacientes de
conquistar o mundo, es que querem- vincu-
la-lo as suas pessoas, e escassas parcialida-
des, e os que para conserva-lo ou admiiri-lo
procuram pretextos para mudar de ideas,
ou pelo menos de nome, e que professam
os mesmos principios, e nao tendo f em
ninguem, se fazem entre si a guerra sem
outro fim mais do que repartir os despojos.
O partido progressista tem mostrado bem
o seu desinteresse e a sua abnegagSo.
nio como rainba do mundo pela mesan
voz, que conderanou a dos nossos legislado-
res a ser ouvida s pelas paredes. A mu-
danga tanto mais notavel, quanto se refe-
re a um hornera Iwnrado, de cuja sinceri-
dade nao licito duvidar.
Mas, se n'outro houvera fiego, breve
terminara, tendo um termo digno da hypo-
crsa poltica que temos, ha muito tempo,
dado certa apparencia que vae perdendo.
To nobre o papel, que nos desanimam os
nossos eternos detractores. S nos faltava
adular-nos para nos fazer ver quanto nos
querem mal. Mas, se em quanto dorar a
fiego, a reaego, que se esconde, trabalha
era seguida para qm dia se apresentar a
descoberto; dar-lbe-hemos urna verdade
em retribuigao de tantas lisonjas inespera-
das ; esse dia ser o ultimo do poder reac-
cionario em Hespanha. De urna outra ma-
neira o triumpho certo. Mas este trium-
pho nao se poder alcangar sem tranquillida-
de, e ha de consolidar-se para sempre pela
sua firme e inabalavel deciso em defender
ao mesmo tempo os principios da liberdade
e os da ordem legal, pelo seu respeito a to-
dos os direitos legtimos, pela sua tolerancia
e pelas virtudes cvicas, de que deve ser
prova segura a abnegago, e a disciplina
que tem mostrado, mais do que nanea, nes-
ta solemne occasio.
Mas se a humanidade perder os seus
ttulos, a civilisago de qualquer povo ira
cedendo e enfraquecendo quelles que care-
cemd'ella para o seu bem estar e para o
seu progresso. O povo hespanhol, depois
da sua regenerag3o, encontrou no direito
de reunio pacifica, n3o s o melhor meio
para por em pralca as instituigoes que a si
proprio dra, mas o nico para fazer conhe-
cer a sua vontade e para Ilustrar a sua
consciencia sobre o espirito que deve pre-
sidir as eleiges para deputados s cortes.
E' esta, em toda a sua sinceridade e grande-
za, a machina com que o povo transiere a
o labyr'mtho em que se forja a grande intri-1 sua omnipotencia para o parlamento ; e os
ga, e em que se forgam todas as pegas do qUe qUiZerem deter, este movimento, com
machinismo do governo da nago para tor- que clireito se chamaro deputados da na-
cer a vontade desta, e prepara-la segundo a 1 ^0 ? Nnguem at agora tinha desconhecido
vontade de quem maneja ? Um dia conse- esla necessidade ; ninguem tinha contraria-
gue que toda a Hespanha official vote como 0 esse direito. Havia recebido a sanego
um s homem a condemnago dos seus con-' dos g0vernos mais retrgrados, que tem
trarios, e Ihe aprsente um congresso una- hsmdo em Hespanha. quelles mesmos
nime para que dsponha delle como bem Ihe qUe qUeriam cerrar a tribuna do congresso
aprouvr. Outro dia apoderam-se os contra- e do senado, deixavam aberta a tribuna do
rios da machina, e a nago retracla-se e des- povo E aos mas fortes e sagrados ttulos
faz a sua obra, e de ambas as vezes se pro- da ordem physica e moral, a naturea, a
duz, com a mesma solemnidade, a proscrip- necessidade, a prescripg3o ao reconhecimen-
g3o do grande machinismo anterior, ou, co- t0 de todos esses ttulos se aggregou oulro
mo posteriormente se Ihe chamou, do gran-
de eleitor.
Que lempos to vergonhosos os que pre-
cederara o anno de 18541 Disse depois al-
guem que se propunha continuar por outro
methodo a obra comegada. Foi effectiva-
mente urna poca de vergonha. Nao po-
demos dizer o mesmo d'aquelles que assim
a classificaram. Ao menos havia vergonha
antes de 1854. Escndam-se para proce-
der o mal, e n3o se ouvia nem se quer o
ruido do machinismo. A scena mudava,
mas os operarios nao se deixavam ver. Se
alguem desempenhava mal oseuofficio.era
condemnado por torpe, como os lacedemo-
nios procediam para com os filbos que as
que nao menos legitimo, nem menos dig-
no da considerago de um governo, da
moderaco e da prudencia com que o po-
vo hespanhol tem sabido usar d'esse di-
reito.
Nem urna nica vez deu occasiSo ou pre-
texto para que se perturbe a ordem nem
para que se commetta um nico acto de vio-
lencia particular. E querem que renun-
contemplanar-nos admirada de que ao so-
pro vivificador da liberdade fra esta gran-
de nago recobrando as suas forgas. e se pre-
parava para oceupar o lugar que Ihe corres-
ponde.
e Ella sabe que devemos isto exclusiva-
mente ao governo constitucional, e acredita,
por conseguinte, que o povo aqui eleger
os seus deputados, e os eleger para que de-
fendam os seus deputados, e os eleger para
que defendam os seus interesses e a sua
dignidade.
E pela confisso do proprio governo
sabe logo que se n3o trata as eleiges de
resolver nenhuma queslo que interesse ao
povo, mas sim de saber como se ha de com-
pr e regular um partido, que teve a des-
graca, e a ter em toda a sua vida, emquan-
to monopolisar o governo de n5o poder en-
tender-se na diviso dos seus empregos e
mercs.
E o que o governo nao diz sobre o metho-
do que emprega para conseguir este nobre
e patritico fim, conlam-n'o mui prolixa-
mente os que se chamam seus amigos, e o
publicam os seus org3os na imprensa.
e Gragas sua maneira de proceder, sa-
bemos que o conselho de ministros, tendo
sobre a mesa a lei eleitoral, s para ver o
numero dos districtos que ba em Hespanha,
e urnas dez vezes maior de aspirantes a de-
putados, vae votando os que mais Ihe con-
vem, excluindo os que Ihe n3o agradam. Mas
como os gostos sao muito variados, e deve
contemporisar-se com tantas exigencias, os
que hoje sao repellidos, sao amanha admit-
tidos, e os que antes o haviam sido Gcam
reprovados ou s5o pelos menos transferidos.
Ainda nao ebegou a hora das revelagoes;
esta a poca das escolhas toreadas dos ajustes
e transaeges; mas houve um homem de
bastante delicadeza para registar o que Ihe
propozeram, e de bastante valor cvico para
levantar urna ponta do vu que por ventura
encobre os mais vergonhosos mystenos.
Assim temos dado logo urna prova evidente,
que mais tarde ser confirmada por multas
outras, da approvago, desaprovaco e trans-
ferencia dos candidatos pelo governo, e do
Mas, prescindrado ainda de qualquer
consideragao- pessoal, iateiramente falso
que saiamos do campo legal, e mais- falsa e
ainda a consciencia de que por isso entre-
mos no campo revolucionario. Se a luta
eleitoral fosse perfettemente legal e livre,
poderiames, no uso do nosso direito, e por
conseguinte sem offeader ninguem, abster-
nos de entrar nella. E quando s por isso
nos fica a liberdade, querem tambem ve-
dar-no-r? Isso n3o ; se em alguma cousa
somos livres, se a lei nos protege, usemos
digna o pacificamente dessa liberdade legal,
que, comquanto seja passiva, com tudo li-
berdade. E se era isso mesmo a tyrannia
quizer consentir, seria ella ento que mere-
cera o titulo de revolucionario.
A nossa revolugo. est feila; fize-
ram-n'a nossos paes, os legisladores de C-
diz ; que destruiram o absolutismo e a in-
quisigo, e langaram -no territorio hespanhol
a rica e fecunda sement da liberdade. Nao
produzio desde logo, e o povo nao os de-
fendeu contra a horrivel vinganga da ingra-
tido, mais de urna vez sairam dos calahou-
gos e regressaram da emigrag.3o para conti-
nuar a sua nobre e ardua tarefa, e foram
desapparecendo d'entre nos, deixando-nos,
como melhor legado, o seu grande exem-
plo ; como ligo, o poder lento e mais irre-
sistivel da constancia ; e como consolago
esperanga, os grandes e immensos progres-
sos que tem feito a razo publica em Hespa-
nha durante meio seculo de luta intellectual
e poltica.
Madrid, 8 de setembro de 1863, (Se-
guem as assignaturas.) >
A'cerca da procisso, pelo vencimen-
lo da causa polaca, escrevem o seguinte de
Roma, com data de 8 do correte :
t Verificou-se no domingo passado, a
grande procisso, annuueiada com tanto en-
thusiasrao, para a trasladago da milagrosa
imagem do Salvador. Esta piedosa ce-
remonia, commoveu vivamente os fiis,
animados de ardente f ; mas convm di-
zer que a massa do povo, estimulado s-
raente pela curiosidade, deu urna prova de
decepeo.
e Era lugar d'essas longas procisses, que
se est- habituado a ver em Roma, em que
figura um inumeravel clero, regular e se-
cular, urna multido de prelados e de car-
deaes, o papa, cercado de toda a sua corte,
e da sua casa militar, erafim todo o exercilo
a p e a cavallo, via-se urna aaagra procis-
so, composta de duas arehi-confrarias,
do clero e dos captulos das baslicas, e de
tres cardeaes. Todo o interesse da cere-
monia, consista na exposigo da imagem,
chamad aqu acheropeta, o qee significa
nao feila por mo d homem.
< Esta imagem, que e tradigao altribue
a S. Leas, veiu do Oriente, e ha militas
verses, sobre a poca, da sua chegada a
Roma e sobre a maneira porque para ali
foi transportada. Vejamos o que ba dentis-
popular n'essas verses:
Das suas campas venerandas parece
que nos aconselham urna tregoa ; que nos
abengoam por ter proseguido na sua grande
obra; mas que nos adverlem que neste mo-
mento devemos fazer urna breve pausa. O
povo hespanhol era escravo, e j sent a sua
dignidade e o seu poder; estava sumido na
ignorancia, e j conhece os seus direitos ;
estava opprimido pela inquisigo, e j pen-
sa e falla livremente ; era pobre, e temos-
Ihe aberto e elle tem sabido aproveitar fon-
tes inexgotaveis de riqueza. Ninguem se
atreve j a negar-lhe de frente a liberdade
que ama, e que merece. Querem salisfaz-
lo com falsos nomes e cora mentidos simu-
lacros. Ha de conseguir a realidade, e nin-
guem poder ent3o arrancar-I h'a das mos,
como ninguem pode j arrancar-lh'a do co-
rago. Em dias aziagos formou-se, contra a
liberdade de Hespanha, a allianga das nages
mais poderosas da Europa. Mas voltae as
vistas para ellas. A Austria, para salvar o
seu imperio, teve que destruir os obstculos
tradiccionaes, que repelliam com mais forga
do que urna qualquer outra monarchia, a
formula constitucional, e at agora d de-
raonstragoes pouco communs da sinceridade
do seu arrependimento ; na Prussia ha de
succeder o mesmo dentro em pouco; ou
hSo de triumphar completamente os pro-
gressistas que representam o espirito libe-
ral daquella nac3o ; e o proprio autcrata
de todas as Russias annuncia que offerecer
urna conslituigo liberal, para pacificar a Po-
lonia,' e conter urna revolugo no paiz. To
prompta e terrivel foi a experiencia dos go-
vernos da santa allianga, porm foi mais ain-
da a da dynastia franceza, cmplice e dcil
instrumento dos seus planos liberticidas.
Escutemos a voz de nossos paes, atten-
5 direito 1 Isso nunca. Pro- papel que este reserva aos cllegios eleito- damos s liges da experiencia e vendo que
testamos de novo, em nome do que ba de raes. O ministerio escolhe, o governador a liberdade tr.umpha era toda a parte es-
mais sagrado para o povo hespanhol; pro- intima, e o distrito obedece. O ministerio peremos com confianga e com a mais com-
"estamos era norae do passado; protestamos torna a escolher, o governador intima os ele.- pela seguranga, que dentro em pouco ha
nelo futuro e declaramos com toda a es- lores para que nao fagam o queja Ihes ti- de triumphar era Hespanha.
Dontaneidad'e da nossa alma, e cora loda a nha exigido, dizendo-lhes que disso se en-
forga da nossa inabalavel conriccao, que ba- \ carregara outros goveruadores e outros ele- A reacco chegou ao seu ultimo peno-
t O acheropeta, foi conservado no Orien-
te pela piedade dos fiis, al ao anno de-
72 .
< N'essa poca, tendo o imperador Le3o
repellido de Constantinopola o patriaccha
Germano, este refugi&u-se em urna ilha do
archipelago, levando comsigo, o que tinha
de mais precioso ; mas, temendo de nao
poder subtrahir a imagem do Salvadsr, ao
furor dos inoclastas, resolveu manda-la para
Roma.
Por consequencia, depois de ter es-
cripto ao pap Gregorio II, urna carta
era que indicava o dia e a hora da re-
rnessa, langou ao mar o quadro que ebe-
gou em v'rate e quatro horas a embocadora
do Tibre.
N'esse tempo, tendo o papa sido avisado
por um sonho, transporlou-se com lodo o
clero de Roma para o porto d'Ostia. Ten-
do-se aproximado do rio, o papa viu o qua-
dro boiando mageslosamente sobre a agua,
e que sua vista, pareeia dirigir-se para
elle, curva-se para o receber as mos.
Com este precioso fardo, Gregorio II, en-
carainhou-se para a baslica do Vaticano, e
depostou sobre O tmulo de S. Pedro a
santa imagem, que comegou a fazer n
grande numero de milagros, deixando sa-
lar pelos ps um liquido benfico, mas
curava loda a qualidade de dores, 011 erar-
midades.
t A imagem acheropeta, foi depois. trans-
portada para a capella, que serve de ora-
torio aos papas, quando estes habitam no
palacio de S. J0S0 de Latr3o, e ali receben,
no tempo de Leo III, o nome de Snela
Sanctorum.
Era out'ora pratica levar processional-
raente aquella imagem a militas egrejas de
Roma, durante a noute que precede a
festa da Assumpgo ; mas tendo estes pas-
seios nocturnos, dado motivo a algumas
desordens, os papas julgaram conveniente
supprimilos.
c Desde aquella poca, a santa reliquia
nao tornou a sabir seno com raros in-
tervallos, e as grandes calamidades pu-
blicas. A sua ultima peregrinagio foi no
reinado de Gregorio XVI, por occasiSo da
insurreig3o das Romanias era 1831. O ve-
neravel Pi IX quiz restabolecer aquelte
anligo uso, aulorisando a procisso que aca-
ba de ter lugar. A sagrada imagem foi
transportada para a baslica de Santa Mara,
onde permanecer ex posta portodaasemana.
Domingo prximo ser recondozttfa com o
mesmo ceremonial para a basila de S. Jo3o
de Lalro, e tres das depois ser reintegrada
no seu santuario.
t Hoje, dia da festa da Natividade de N.
S dirigu-se o papa, como faz todos os an-
uos, egreja de Santa Maria del Poplo,
onde assistiu raissa solemne celebrada
pelo cardeal titular. O santo padre foi re-
cebido com teslemunhos de sympatuia mais
ou menos espontneos. as immediafes
da egreja viam-se afxados as esquinas
hymnos e sonetos feitos para o lisongear, e
ouviram-se alguns gritos, que Ihe devem re-
cordar essas calorosas ovacoes que celebrisa-
ram a sua exaltaco ao pontificado.!
PERNAMBUCO.- TTP. UB M. P. ? & FIUtQ'
l
ibt^
.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGZ36ZJ2F_A60HCW INGEST_TIME 2013-08-27T23:51:41Z PACKAGE AA00011611_10217
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES