Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10207


This item is only available as the following downloads:


Full Text


t
i
AMO XniX HOMERO 227,
Por tres mezes adiantados 58000
Ptr tres mezes vencidos 6JO00

SEGUNDA FERA 5 DE ODTUBRO DE 1863.
Por anno adiantado...... 19$O0O
Porte para o subscriptor. 3$00O
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCMPgO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquirn Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro di C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa,.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Bahia. o
Sr. Jos Martins Al ves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins <& Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escuda todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros. Bonito, Caruaru',
. Altinho e Garanhuns as torras feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury c Exu' as quartas feiras.
Serinhem, Rio Form'oso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Piracnteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas parten) ao '/i da.
EPHEMERIDES DO MEZ DE OlTl'BRO.
4 Quarto ming. as 3 h., 36 m. e 8 s. da m.
12 La nova as 3 h., 17 m. e 2 s. da t.
19 Quarto cresc. as 4 h., 40 m. e 32 s. da t.
26 La ebria as 2 h-, 30 m. e 20 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 54 minutos da manhaa.
Segunda as 7 horas e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o mi1 at Alagas a 5 e 25; para o norte at
a urania a 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
das i* dos mezes dejan, marc., maio, jul, seL enov.
n PARTIDA DOS MNIBUS.
0 ti? Recfe : d0 Apipucos s 6 'A, 7, 7 /,, 8 e
1 /2 aa m.; de Olinda as 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6i/j dam.; do Caxang e Varzea s 7
nra trafica s 8 da m.
Do Recfe : para o Apipucos s 3 i/,, 4, 4y4l4 A,
' l'-*' .Y* e 6 a-tarde? para Olinda s 7da
manhaa e 4/ da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4 /, da Urde; para
Bemfiea as 4 da Urde.
AUDIENCIA DOS TRIBINAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: terc,as e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: torgas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e' sexus ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quarUs e sabbados a 1 hora
da Urde.
DIAS DA SEMANA.
5. Segunda. Ss. Placida c seus comp. mm
6. Terca. S. Bruno; S. ErothMes,
7. On.ii (a. S. Marees p.; S. Augusto presb
8. Quinta. S. Brgida; S. Demetrio m.
0. Sexta. S. Diouuio b. m.; S. Abrahao.
10. Sabbado. S. Francisco de Borja.
11. Domingo. S. Sametra; S. Placida f.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praea. 4a Independenn..
ns 6 e 8, dos proprieUrios Manoel Figueiroa oV
Faria & Filho.
PARTE QFFICIAL.
DA PROVINCIA.
Expediente do dia 1 dr ontubro de 1863.
Offlcio ao Exm. presidente da provincia da
Iialiia.Devolvo a V. Exc:* competentemente in-
formado, o requermento^W soldado do 4o baUlho
de artilharia a p, Manoel Victorino do Naseimen-
to, a que allude o offlcio de V. Exc. daUdo de 29
de agosto ultimo.
Dito ao brigadeiro commandante das armas.
Em resposta ao offlcio n. 1,683 de 29 de setembro
prximo lindo, tenho a dizer-lhe que approvo a
-despeza feiU por ordem do director do hospital
miliUr, com o enterramento do cadver do soldado
do 7* batalho de infamara, Joao Baptista Guedes
Alcoforado, que falleceu do cholera-morbus.
Communicou-se ao inspector da thesouraria de
fazenda.
Dito ao mesmo.-Declaro a V. Exc. para sen
conhecimento, que em aviso de
quartcl do Hospicio por 1:395000 o o terceiro as
pinturas Becessarias do quartel das Cinco-Pontas
mediante aquantiade 325,5000. Communicou-so
ao inspector da thesouraria de fazenda.
Dito ao commandante do brigue barca Itamara-
c.Participando-me o Exm. Sr. ministro da ma-
rinha, em aviso circular de 9 de setembro ultime,
terem sido calculadas para o actual exercicio de
1863 1864, na razao de 500 res por dia as ra-
coes dos ofllciaes e mais pracas da armada empre-
ada nos differentes servicos que por lei e em con-
sequencia de ordem do governo tiverem direito a
Ues racoes : assim o communico V. S. para sen
conhecimento Communicou-se ao inspector da
thesouraria de fazenda.
Dito cmara municidal da cidade da Victoria.
Respondo ao offlcio que em 28 de setembro ul-
timo, me dirigi cmara municipal da cidade da
Victoria, dizendo-lhe que, em 23 daquelle mez se
deu solurao a materia do seu de 14 do predito mez.
Dito cmara municipal da Escada. Accuso re-
cebido o offlcio de 24 de setembro ultimo, em que
a cmara municipal da Villa da Escada commnni-
cou-menao terem sido arrematados por falu de li-
citantes os impostos de repeso de acougue e de 500
aviso de 19 de setembro
prximo findo, communicou-mc o Exm. Sr. mi- reis sobre cabeca de gado vaceum consumido nesse
nistro da guerra que ao 2 tenente do corno de j municipio, em resposu tenho a dizer que deve a
ngenheiros Zozimo Braulio Barroso, permittido' mesma cmara mandar por novamente em hasta
no seu regresso corte dmorar-se na provincia' publica os referidos impostos.
do Cear, durante dous mezes. I Dito ao gerente da companhia Pernambucana.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. Communico a directora da companhia Pernambu-
ConsUndo-me de aviso da repartirn de estran- j cana de navegado costeira, que, segundo me cons-
geiros, datado de 15 de setembro prximo findo,> tou de aviso da reparticao da agricultura, com-
que o Sr. Joao Anglada foi demittido do cargo de mercio e obras publicas de 19 de setembro prximo
Trice cnsul de Hespanha nesU provincia, sendo findo, sua magestade o Imperador por decreto n.
humeado para substitui-lo interinamente o Sr.' 3149 de 3 daquelle mez, houve por bem approvar
-Guilberme Kreisler, a cuja nomeacao houve S. M. os novos esututos da mesma companhia.
o 1. por bera conceder o seu imperial exeqna-' Portara.Os senhores agentes da companhia
tur : asslm o declaro a V. S. para que d sciencia brasileira de paquetes a vapor mandem dar trans-
de semelhante oceurrencia ao inspector da alfan- porte para a Bahia, por conU do ministerio da
lega.Fizeram-se as necessarias communicac5es. guerra no vapor que se espera do norte, ao capitao
Dito ao mesmo.Transmuto a V. S. para os i Claudio Marques de Souza que foi transferido do 9o
-convenientes exames a inclua copia da acta do | batalho de infanUria para o 10. da mesma arma.
Julio Ferreira, Lima Salema, e os francezes Vitry, sao obra das sociedades secretas e nao do povo :
Rey, Lombr, etc., fizerara-me lexcellente compa- altesto-o por aquella imagem de Christo Esta voz
w r 7 a t <* k- er?Hade^AntODI'oaeAImeida,quenocontendo
No da 17, segunda-feira, pelas 6 da manhaa, a indignaeao, nem temendo falur ordem do re-
entravamos a foz do Gironda, magestoso rio qne gimento, vingava assim a honra e gloria do seu
me recordava, pela amplidao do seu leito, a foz do paiz.
nos so Tejo. A maro vasava o por conseguinte re- A assembla rompen em appiausos; eu nao po-
tar daya-nos a viagem. AslOhorasesUvamosno da fazer mais, no meio daquella exploso de en-
Jongal, ondetivemos que passar para vapor mais thusiasmo, que sustentar com minha palavra a ver-
peq ueno, pois o havarre so em preamar poderia dade daquelle testemunho
chegar a Bordeaux. Como eram muitos os passa- verdade Tudo obra das sociedades se-
geiros e muiUs as bagagens, foram esUs para ou- cretas; obra dos governos chamados liberaes
tro vapor, que chegou mais Urde a Bordeaux ; os Os appiausos da assembla eram tantos a'ue i
passageiros desembarcavam as 2 1/2 horas da mal se podiam ouvir as ultimas palavras de D An-
Urde, isto 72 horas depois que haviamos come- Ionio de Almeida.
cado a descer o Tejo. Se eu ireuxesse bagagem 1 A assembla nestes unnimes appiausos coroava
menos pesada, que podesse ter ao p de mira, a nobre coragem do portuguez catholico c o ore-
houvera partido de Bordeaux pelo expresso s 5 sidente tocando a campainha pedia o restabeec-
1/2 da tarde, estara em Paris as 5 1/2 da manhaa I ment da ordem c do silencio
de 18, ed'ahi partindo no expresso para Bruxel-J Enlao Mr. MonUlembert,' volundo-se para o
las as 9, chegana aqu as 3 da tarde; mas porllado da presidencia, disse esUs palavras, pouco
meia hora _de demora era receber as bagagens, Jmais ou menos: aceitemos asexplicacoes que nos
atrazei a viagem perto de 24 horas. Part, pois, da este nobre portuguez, e agradecamos-lh'as .
no trom directo de Bordeaux a Paris a meia noi-1 Depois continuou a lr o seu eloquentissmo dis-
te ; chcguei na Urde de 18 pelas 6 ; demorei-me curso, que sobre tudo para o flm e obra diena da
so o tempo preciso para janur, e s 8 da noite repuugap europea daquelle Ilustre orador
parta para Bruxellas, aonde cheguei^a 19 as 6 da \ Hontem depois de fechado o congresso, e de ser
manhaa, pela va indirecu, por nao haver trem dada a bencao a todos os membros na catbedral
directo que chegasse mais cedo pelo eminentissimo cardeal arcebispo de Malines,
Assim caminbava eu apressado, quasi sem dor- metropolita de toda a Blgica, houve o jantar da
HUn5!!1 COm!r' >ent'a a,.dentro ",m Present- despedida, a que assisti, senundo-me junto de D.
ment a impellir-me para Malines, onde esuvam Antonio de Almeida, e do secreurio do patriarcha
reunidos em congresso geral tantos e Oo Ilustres de Jerusalm. v
CatrhC,idcmt0da,s as- prles ,d0 mu-nd0- v Presidi0,-ao Jan,ar eminentissimo cardeal arec-
(.hegado quo fui a Bruxellas, nao pensis que bispo; a direiu esuva o cardeal Wiseman e o na-
^r?,rou'^;Ana^^^rei'mealm0C!'l fuvi-f'a ) oras S Exc. o Nuncio de Sua San- seguiam prelados belgas e inglezes Era urna das
A sessao ordinaria de 27 do corrente, constou do "hora e.2 filhos menores, Januario da Cunha M1-'
seguinte : nezes, Antonio M. da Cunha Rege, Jos Anlonn
Ordem do dia, I Braga da Silva, Jos Francisco de Moura, sua se-
A prescripcao de direito natural. | nhora e 1 eiiohada, Jos! Luiz Ignaeio de Moura
O matrimonio, considerado como contrato, o di- 3 escravos, Jos Francisco Leitao, Jos Egydk) d.-
vorcio urna eonsequencia de semelhante con-' M. Castro, Manoel C. Lucio de Souza, Anioni
&X0- uedes Pereira, Wenceslao Al ves- Lobo. Jacinth..
raram sobre a 1 these os Srs. Estevlo de OH- Jos NunesLeite.Marianna Joaquina-de Ji-sus Joa-
veira e Pedro de Miranda, e tomaram parte na dis-' luim Jos Rodrigues, Anlonio Franetsro de Souzi
cusso da 2 these, os Srs. Casado Lima, Duarte Magalhaes Jnior, Jos Sevenno de Faria Rvd
Pereira, Jos Elysto e Pedro de Miranda. Dorotheo de Loreto e 1 menor, Joao de Dos An-
Procedeu-se a ehjicao de orador do Ensaio, e foi ionio Leonardo Polacchi, soldado Joao E B
eleito o Sr. Jos Hygino Duarte Pereira. de Mello, desertor Justino Alves de Souza
A sessao do de outubro constou do seguinte : Christovao 6ulherme Brckenfeld, Amonio Mon-
Ordemdodia. teiro Ribeiro Jnior, Joao Dias da Silva, alfeirs
Discussao adiada da these : a prescripcao de Izidoro Emiliano de Carvalho c t praca. Lniz Jar-
direito natural. quaes Brunet, Francisco de PaoU Ferro, desertor
Oraramos Srs. Oliveira e Leonardo de Almeida. Silverio Carneiro de Souza. vigario In Mamr
A contrafaegao um attentado ao direito de pro-. de S. Jos Ferreira e 1 criado, soldado Marcolio
-conselho administrativo do arsenal de guerra, da-
tada de 9 de setembro prximo findo.
Dito ao mesmo.Em vista das inclusas contas
em duplicau, que vao cobertas com um parecer
pelo director das obras militares, com offlcio de
29 de setembro ultimo, sob n, 186, junto por copia,
mande V. S. pagar a Antonio Pereira do Lago
(luimares, Manoel Antonio Teixeira e Rufino
Manoel da Cruz Consseiro, ao primeiro a quantia
de 4805, proveniente de 24 bracas de cano de
esgoto, feiUs no quartel da companhia de cavalla-
-ria ; ao segundo de 185$2i0, de obras novas man-
dadas executar no mesmo quartel ; e ao 3o a de
1855350, de grades de ferro e varios concertos
para a enfermara esubelecida no quartel de San-
to Amaro, certo que nesta data providencio para
que os empreiteiros de obras militares sempre que
requererem os respectivos pagamentos apresentem
logo attestado ou parecer daquella junU, qoanto ao
que disser respeito hygiene.Communicou-se
ao director das obras militares.
jDito ao mesmo.Expeca V. S. as convenientes
ordens, afim de que por essa reparticao se ajuste
conus at hoje, e se Ihe fornera a competente guia
de soccorrimento, ao capitao Claudio Marques de
Souza, que foi transferido do 9 para o 10 bata-
lho de infantaria esucionado na Haba.
Dito ao mesmo.Expela V. S. suas ordens afim
de que pela reparticao competente se arrecade
a importancia dos direitos, sello e emolumentos,
constantes das noUs juntas por copia, que os ca-
pitaes, secretario geral e cirurgiao-mr do com-
mando superior da guarda nacional da comarca
da Boa-Vista. Severiano Rodrigues (toclho de Ma-
cedo, e Francisco Manoel Gomes teem de pagar
por suas patentes.
Dilo ao mesmo.Expera V. S. suas ordens para
Expediente do secretario do governo.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
Sua Exc. o Sr. presidente da provincia manda
transmittir V. S. o incluso offlcio. da directora
s' geral das rendas publicas daUdo de 21 de setem-
bro prximo findo.
Despachos do dia 1 de oulobro de 1863.
Requeiimentos.
Antonia Lourenca do Espirito Santo.Apresen-
te o menor ao Sr. director do arsenal de guerra:
Antonia Prudencia da Silva Dutra.Reraettido
ao Sr. inspector da thesouraria de fazenda para
passar titulo de conformidade com a sua infor-
macao.
Francisco Eduardo Benjamim.D-se-lhe.
Francisco Eduardo Benjamim. Atteste que-
rendo.
Manoel Francisco Botelho.Drija-se ao Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Manoel Martins Pires.Satisfaga a eiigcncia do
Sr. Inspector do arsenal de marinha constante da
copia inclusa.
Rosa Mara da Conceirao Informe o Sr. direc-
tor do arsenal de guerra.
i inniwno DAS ARMAS.
Quartel general do commando das armas de Per-
nambnco, 2 de outubro de 1863.
Ordem do dia n. 255.
Tendo-se apresentado neste quartel general o Sr.
Dr. em medicina Francisco de Paula Soares no-
meado 2o crurgiao do corpo de sadc do exercito
por decreto de 19 de agosto ultimo, determina o
general commandante das armas que o mesmo 2o
ser arrecadada pela reparticao competente, a im- cirurgao faca o servieo que lhe competir nesta
portancia dos direitos, sello e emolumentos que o guarnicao, cmquanto nao segu para a do Amazc-
bacharel Pedro Pereira de Araujo Beltrao, tem de; nas> de conformidade com o disposto na ordem do
pagar pela sua patente de tenente-corone comman- au da secretoria de estado dos negocios da guerra
dante do batalho n. 23 de infamara da guarda de 12 de setembro ultimo, sob n. 368.
nacional do municipio de Santo Antao, e que cons- AssignadoSolidonio Jos Antonio Pereira de
ta da nota junta por copia. jag0m
pito ao mesmo Com copia do offlcio do bri- Conforme-Jbs Ignacio de Medeiro* Reg Mon-
gadeiro commandante das armas, de 29 de setem- f,,,vo, rapil5o ajudanlc de ordens encarregado do
bro findo, remetto inclusas as conUs apresentadas detalhc
pelo alfers Pedro de Alcntara Tiberio Capistra-
no, das despezas feitas com o destacamento que
^ommanda, na villa de Cabrob, afim de que es-!
tando nos fermos legaes mande V. S. creditar o
mesmo alferespela respectiva importancia.
Dito ao mesmo.Transmuto a V. S. para seu
conhecimento copia do aviso circular da reparti-
cao da marinha de 16 de setembro ultimo, man-
dando observar nesta provincia as regras estabe-
lecidas em outro aviso de 21 de agosto dcste anno,
constante do incluso exemplar, sobre a matricula
do pessoal alistado as capitanas dos porlos, e a
escripturacao respectiva.ofhciou-sc neste senti-
do ao capitao do porto.
Dito ao mesmo. Deferindo o incluso
tidade, o Sr. arcebispo Ledukouski, quejahi
estove como auditor, e que me recebeu do modo
mais obsequioso, e com Unta bondade, que jamis
a posso esquecer. Disse-me que de certo eu en-
contrara em Malines o nosso compatriou c antigo
companheiro as lides acadmicas, D. Antonio de
saudades, ou toasts como lhe chamam, o eminen-
tissimo cardeal Wiseman fez a sua despedida em
palavras taes que arrancaram lagrimas de muitos
olhos.
A interpretadlo que deu palavra aoels, foi
. eminentemente catholica, porm depois trocou-a
Almeida, nico portuguez que ate aquella dau por outra menos saudosa, dizendo: at vista
representava a nossa trra no grande congresso. em Inglaterra sim ; dai-me um serreUrio como
Part immedjaumeute para Malines. Quandoche- Mr. Ducpetiaux, e eu vos prometto que teremos
guei a estacao do camibho de ferro, achei-me no em Inglaterra um congresso tao numeroso e illus-
meio de mmensa gente, ecclesiasticos e leigos, tre como este.
que com ardor inexplicavel, esperavam a hora da E realmente Mr. Ducpetiaux um hornera dos
partida do irem, fallavara acerca do congresso, seos cincoenu e Untos annos, mas de urna ener-
commenUvam os resultados delle. Os membros gia, de um vigor de intclligencia, de urna activida-
oo congresso tinham o privilegio de andarem no de ad miravel.
caminho de ferro por meude do preco. E noUi D. Antonio de Almeida tevemencao especial em
que os caminhos de ferro sao propriedade do es- um brinde de Mr. Deschamps pela coragem da in-
p.- a v ,erruPfao que fez a Mr. de MonUlembert. Toda
Entrando no wagn achei-me ao lado de ura esta gente admiravelmente polida, e tem feto
joven franca provencal, quejogo as pnmeiras quantose pedia desejar para nos obsequiar a todos,
palavras de nossa conversacao, anda sem saber para nos contenur, e fazer-nos criar saudades por
onde eu vinha, me disse : temos gente de to- Uo bello e tao industrioso paiz.
das as partes do mundo... at de Portugal I Pois Um belga que vinha antes de hontem a meu la-
aqui tendes mais um portuguez, lhe tornei eu. A do no wagn, caminho de Malines para Bruxellas,
resposta foi aperUr-me o delicado provenga! a disse-me a respeito das cousas de Portugal,
mao; o mesmo flzeram dous ecclesiasticos que i Mas se a mmensa maioria dos portuguezes
am deronte de nos, e acabavam de abrir os seus catholica, como que se pdem l verificar aquel-
hrevianos para rezarem as horas diurnas durante, les aueqiados contra a igreja Nao tendes parla-
a viagem. Lm destes se offereceu logo como ment, lao tendes eleicoes f
provencal para me guiaran era Malines, aflm de Terao, lhe disse cu; mas queris saber o que
que eu nao perdesse tempo em buscar a secreu- o suffragio em Portugal ? Ouvl: Ha mezes um go-
ria, e receber l a carU que me habiliusse a en- vernador civil exiga de um administrador de con-
trar inmediatamente na sessao. celho que fizesse vingar a eleico de um candida-
(.negando a Malines, achei a cidade toda de ga- to ministerial: rcspondeu-lhe o administrador que
la, toda embandeirada : por todas as partes se segund. a lei elle s podia esclarecer a opiniao
viam dsticos ou emlatim, ou fraccez, ou em fia- do eleitor, mas nao illudi-la, nem sophisma-la. >
mengo, honrando a Santissimaf Virgem. Todos nos Tudo isso assim, lhe redarguio o governador
civil; a lei diz isso mas a pratica tem sido sempre
o contrario.
E pouco tempo depois o administrador era de-
mettido. A isso que all se chama liberdade. A
vossa comprehendora, e quero-a, sendo legitimis-
ta : aquelia rejeito-a porque o despotismo, com
mascara de liberalismo. Agora comprehendo, me
tornou elle; agora acho razao ao vosso compatrio-
U que interrompeu Mr. de MonUlembert.
Adeus, meus collegas e amigos. Fazei desta
carta o uso que vos parecer conveniente. Todo
vosso.
COMES DE ABHEU
(Naco.)
PERHAMBUCO
Bruxellas, 23 de agosto de 1863.
REVISTA DIARIA.
Meus charos collegas e amigos.S boje tenho'
alguns momentos de repouso para poder dar-vos
coala de mim. Pago esta divida a vos, e a todos
os meus amigos, a todos os que no momento da
partida me procuraram para me darern o adeus da
despedida: pago-a em publico a todos, pois nao a
i posso pagar em particular a cada um ; mas nem i
requer- l'por isso julgo as contas saldas, porque tenho o re-'
ment de Joao Divino de Mello Paixo, sobre que j conhecimento penhorado por toda a vida; nem
informou o inspector do arsenal de marinha, o < posso deixar de fazer especial men<;ao de dous no-
autoriso mandar entregar ao commandante da j mes, Joao de Lemos c Pereira da Cunha, esses
companhia de aprendizes artfices do arsenal de meus irmaos d'alma, que procuraram fazer-me ca-
marlnha, nao havendo inconveniente, a quantia de ros os proprios espinhos da saudade entrelaijando-
1465214, que pertenco ao supplicante, c tem de' lhe flores de suave perfume,
ser-lhe restituida relativamente ao tempo em que I Quando em alto mar abri a carta em qu" vinha
steve elle com prara na mesma companhia. a Nardo daquelle da, c quz ler o que nella vinha
Dito ao inspector da thesouraria provincial.' escripto a meu respeito, senti os olhos obscureci-
Mande V. S. pagar ao negociante Joao da Rocha c; dos com lagrimas, e s depois de muiUs tentativas
Silva a quantia de 1085400, despendida com o j para continuar a Icitura a pude acabar no flm do
sustento dos presos pobres da cadeia do termo do i dia. Nao me deslumbravam as apreciacoes, por
Ouricury, nos mezes dejulho e agosto deste anno, I que lhes sei_dar o descont, sabendo o pouco que
urna vez que nao naja inconveniente e estejam em valho, e quo exageradas deviam de ser inspiradas
ermos, as inclusas rontas, que paracsseiim me
foram remetlidas pelo rhefe de polica, com offlcio
de hontem, sob n. 1,386.
Dito ao director do arsenal de guerra.-Em vista
do que dispe o aviso circular do ministerio da
guerra de 10 de_setembro findo, junto por copia,
recommendo a V. S. que todas as vezes que tiver
de effectuar remessas de volumes para qualquer
provincia, faca-as acompanhar de urna communi-
caco aos inspectores das alfandegas por onde hou-
verem de transitar, declarando o seu destino e]
contedo dos mesmos volumes, que a ellas tive-
rem de ser recolhidos, afim de que as enviem com
pela amisade; commovia-me sim o coraca aquel-
le precioso tributo de dous coracoes casados ao
meu na convivencia intima de muitos annos.
As duas e meia horas de terca-feira 14 comoca-
mos a descer o Tejo, e pouco depois do por do sol
passavamos entre as Berlengas e Peniche. All
me recordei daquella agradavel viagem que ha 10
annos eu fizera em companhia dos nossos Bruschy
e D. Luiz Carvajal, hospedando-nos em casa do
nosso honrada padre Francisco da Coneeicao Car-
valho, na de seus irmaos, na dos nossos bons ami-
gos Nobres.etc.
Meia hora depois estavamos em frente da Foz,
a brevidade exigida no citado aviso.Igual ao naquelle lugar "onde das Gaieiras muitas vezes eu
inspector do arsenal de marinha. em companhia dos nossos Pinheiros, outros irmaos
Dito ao mesmo.Communico V. S. que o Exm.' d'alma que l me ficaram nessa trra, contemplava
Sr. ministro da guerra approvou como me deca- os baixeis que se cruzavam em diversas direegoes,
rou, em aviso de 21 de setembro ultimo, a delibe-1 sulcando as ondas. Ainda dirig o meu oculo para
raco que tomei de nomear o padre Francisco Joao trra; quena dar o ultimo adeus aos lugares que
de Azevedo para lecconar geometra, mecnica e tantas vezes me foram delicias do coracao ; mas o
desenho linear aos menores da companhia de manto da noite desenrolando-se sobre a trra e
aprendizes desse arsenal com o vencimcnlo mensal mar, caba sombro diante de meus olhos, como
de 5050000.Communicou-se thesouraria de fa- j crep de luto que melhor convinha tviuvez de mi-
zenda.
Dito ao mesmo.Em deferimento a petico de
Antonia Lourenca de Espirito Santo, sobre 'que
nha alma.
Besde entao perdi de visU a trra da patria.
Durante a noite o vento cresceu rijo; no diase-
versa a sua info'rmacao n. 107 desu data, autoriso gumte (15) navegavamos sobre grossas vagas, e
V. S. a mandar admittir na companhia de apren- por entre aguaceiros ; entao soffn um pouco disso
dizes desse arsenal os menores Joaquirn Francisco | que se chama cnjOo, nao fui eu s. Pelas 4 horas
.1. f 7 1? _.* ^ n_________ a. -_*_ Alku An rio tirria <.>n*w\n ________.
cortejavamos, como se foramos conhecidos de mui-
tos annos. Eu achava-m entre irmaos e bemdizia
a Providencia que me havia conduzido all, a mim,
tao sequioso da patria, Uo pungido de saudades,
com os olhos ainda mal enxutos de dr, nessa ho-
ra humedecidos de lagrimas de consolacao, pre-
senciando um espectculo o mais doce que tenho
presenciado em minha vida.
Apenas entrei na grande sala, onde j estavam
perto de quatro mil pessoas, percorri com os olhos
a primeira fileira de cadeiras que se segua dos
prelados, e a terceira ou quarta pessoa que se as-
senlava do lado, por onde eu entrara, era D. An-,
tonio de Almeida. Approximei-me delle como
pude; toquei-lhe no hombro; e elle apenas deu
com os olhos em mim saltn fra da cadeira a
abracar-me, em quanto eu ainda mais una vez
bemdizio a Providencia que me deparava a conso-;
lacao de encontrar-me all com um Portuguez ca-
tholico, c antigo companheiro na universidade.
Dizer-vos tudo quanto se passou nestes quatro
dias, -me irapossivcl. Espero mandar-vos a Ga-
zeta de Uene, onde vereis#o que nao tenho tempo
de escrever. Ha todava um facto que nao posso Damos hoje, soi> a rubrica Exterior, urna
deixar de referir-vos, porque nao sei como delle carta escripu do jornal Nacao, de Lisboa, pelo
darao conta os jornaes. seu collaborador o Sr. Gomes de Abreu, narrando
Na sexu-feira continuava seu longo e bello dis-' quanto se passou no congresso de Malines, na Bel-
curso Mr. o conde de MonUlembert. Como sabis gica ; reservando-nos sua segunda carta para o
Mr. de MonUlembert um dos primeiros oradores numero seguinte.
dcste seculo : mas campeao de urna idea que nao Foi approvado pelo governo geral a nomea-
tem grando squito em Franca, nao pode fallar as cao do Rvd. Francisco Joao de Azevedo, para lec-
questes religiosas sem entrar muto a dentro as cionar geometra, mechanica e desenho linear aos
polticas. menores do arsenal de guerra.
Apezar de lodos vermos e apalparmos, que por! Acabam de transferir o respectivo escripto-
toda a parte o liberalismo um falso programma rio para a ra do Imperador, andar terreo do so-
dos revolucionarios, e que os chamados liberaes, brado da travessa do Ouvidor, ambos os escrivaes
com rarissimas exceptes, nao sao mais nem me- dos protestos de lettras.
nos do que os inimigos do catholicismo; apezar dos Hoje s tres horas da Urde tira a mala no
factos que todos os dias nos mostram o que quer correio, para Macei, o vapor costeiro Jagvaribe.
dizcrEgreja licre no estado livre; todava Mr. de Na thesouraria de fazenda proceder-se-ha,
MonUlembert er que o programma exequivel,' do Io de dezembro futuro em dame, troca das
que os liberaes ho de vr-se obrigados a ser sin- notas do thesouro de 2005, da segunda e terceira
ceros; c que o que todos devemos exigir essa li- estampas,
vre egreja no estado livre. Tiveram hontem lugar as festas de S. Fran-
Para documenUr a sua doutrina recorreu his-' cisco, no seu convento, ena igreja de S. Jos de Ri-
toria antiga e contempornea, e referindo-se a esU' ba-mar, e da Senhora do Rosario, na matriz do
disse : Ahi tendes a Hespanha, onde se diz que Corpo-Santo. Todos os templos estveraoi com
ha proteegao para a igreja, e l a igreja escrava';! pompa ornados, e foram muito concorridos a noite.
ahi tendes Portugal, onde a lei Umbem d protec-1 Nenhuma noticia do norte adiantou o vapor
cao igreja, e vede o que por l se tem feto. tE costeiro Jaguaribe, entrado sabbado.
comecou entao a enumerar a confiscaran dos bens | Domingo pela manhaa, 27 do mez prximo pas-
ecclesiasticos, a expulsad das irmaas de caridade, I sado, leve lugar, com toda a decencia, a traslada-
a tyrannia do poder civil opprimndo cora vara de ; cao do S. S. Sacramento de urna capelja para outra,
ferro o poder ccclesiastico, os insultos dirigidos
contra o papa, a timidez do clero, etc., etc.
Eu achava-me dous passos atraz de Mr. de Mon-
Ulembert ; e logo ao lado junto s cortinas do do-
cel, sob que cstava um crucifixo, achava-se D. An-
tonio de Almeida. Cahiam-me as faces de pejo,
vendo all verberado o nosso Portugal cora espanto
o adrairacao de todo o congresso.
Os factos eram verdadeiros ; mas a apreciacao,
em quanto attribuia ao geral do povo portuguez
aquelles attentados, ora falsa, falsissima. Apezar
do que eramecessario ter pedido a palavra oito dias
antes, para ser inscripto o orador que houvesse de
jpouco concluida no hospiul Pedro H.
A Urde ahi comparecen o Exm. diocesano, e
chrismou nao s a varios doentes do mesmo hos-
pital, como a outras pessoas, que para receberero
esse Sacramento, al I i se achavam.
Estiveram presentes a esse acto os membros da
junta da Santa Casa de Misericordia desU cidade,
a saber : os Srs. desembargador Anselmo Francis-
co Piretti, Jos Pires Ferreira, Dr. Antonio Mara
de Faria Noves, Joaquirn da Silva Castro e Dr. Jo-
s Antonio de Figueiredo, alm de grando numero
de pessoas gradas de ambos os sexos; as exposUs
e as orphas, lindando o acto com. o tantum ergo
fallar, "cu mediUva ha necessidade de pedir ao j entoado pela msica do collegio dos orphaos e com
da Paixo o Antonio Francisco da Paixo, filhos da
supplicante, urna vez que esta satisfaga o disposto
no art. 4. do regulamento n. 113 de 3 de Janeiro
de 1842.
Dilo ao director das obras miliures.Approvo
os ajustes que V. S. fez como me communicou em
seu offlcio n: 184 de 26 de setembro prximo findo
a que respondo, com Joaquirn Milito Alvos Lima,
Theodoro Rampk e Jos Pereira de Alcntara do
O, para exeeutarem o primeiro as pinturas das
portas, portadas, barras e caiadura do quartel do
9. batalho de infantaria pela quantia de 4305000,
da tarde serenou um pouco o tempo, vimos trra,
que nos diziam ser o cabo de Fimstierra e outros
as linas de \ igo, o que me pareceu mais exacto.
Das 10 para as 11 horas da noite haviamos dobra-
do o Cabo e d'ahi por diante fomos econtrando o
mar cada vez mais manso. No domingo (16) esU-
vamos fra da visU de trra, em plena bahia de
Biscaia; navegavamos em mar de Tefe, os passa-
geiros entretlnhara-se todos agradaveliente ; toca-
va-se piano, harpa e rabeca; cantava-ae, etc.; em-
flm s vezes estas alegras dos duzentos passagei-
ros qne iam bordo, quasi me faziaip esquecer,
o segundo a reedificaco e accrescimo do muro do de que iamos sobre o mar. O nossos patricios
presidente urna excepcao para vingar a minha pa-
iria ultrajada, c dizer a Mr. de MonUlembert que
elle ignorava quera eram os autores daquellas ver-
gonhas, e vinha, de certo sem o querer, a ser in-
justo, fazendo rocahir a responsabilidade deltas so-
bre o povo e sobre o clero, quando os autores eram
urna pequenissima e insignificante faccao, dirigida
pelas sociedades secreUs, e protegida pelo gover-
no, cujos membros eram, ao menos em parte, os
chefes dessas mesmas sociedades.
Quando conccrUva cotnigo mesmo este plano, e
esuva para o communicar a D. Antonio de Almei-
da, ouco de repente meu lado urna voz, bradan-
do: Permitti-me que vos interrompa. Mr. de
MonUlembert, para protesUr nesta solemne assem-
bla contra a injuria que fazeis minha patria,
heroica e fidelsima nacao portugueza. Esses fac-
tos nao os attribuaes a Portugal, nao os attribuaes
ao bom povo portuguez, que se conserva catholico.
profundamente catholico, como sempre foi, como
espera em Deas ha de ser sempre. Essos factos
a bencao do S. S. Sacramento.
S. Exc. reverendissima mostrou-se por mais de
urna vez asss satisfeilo, nao s pela decencia da
nova capella, seus ornamentos e alfaias, como pelo
asseio dos doentes e de todo o hospiul
Em eonsequencia de determinacao do Banco
do Brasil, foi marcado o lapso de tempo a Andar a Farinha5 akmeires e 16 decimos.
23 de Janeiro prximo futuro, para ter lugar a con-1 Carne verde460 libras,
currencia das ultimas Drestaces dos accionistas
priedade luterana.
Tomaram parte na discussao os Srs. Mendonca,
Generino e Samuel.
Reparticao da polica :
Extracto da parte do dia 3 de outubro :
Feram recolhidos casa de detencao no dia 2
de outubro :
A' ordem do subdelegado do Recife, Rosa Maria
Joaquina, parda, por briga o desobediencia.
A ordem do de Santo Antonio, Perfeito, africa-
no, escravo de Joaquirn Elmiro Alves
para averiguaeoes.
O chefe da 2' seccao.
/. G. deMesquita.
Movmento da casa de detencao no dia 2 de
outubro de 1863.
Existiam...... 374 presos
Entraram..... 2
Sahiram...... 5
A saber
Existem...... 371
Nacionaes..... 259
Estrangeiros...
Mulheres......
Estrangeiras...
Escravos......
Escrava;......
28
10
3
68
3
371
Alimentados custa dos cofres pblicos.. 153
Movimento da enfermara no dia 3 de outubro
de 1863.
Tevc baixa:
Victorino, africano livre; congesto.
Tiveram alta:
Domingos Francisco dos Santos.
Goncalo Jos dos Santos.
Jeronymo, escravo de Francisco.
Casa de detencao.Movimento da enfer-
mara da casa de detencao do Io a 30 do setem-
bro de 1863.
Existiam................ 23
Entraram................ 33
Sahiram................. 37
Existem................. 27
Molestias nella fraudas :
Rheumatismo........ 6
Bronchites.......___ 4
Febrc caurral........ 5
Vermes.............. 1
Cephalagia........... 4
Colitc............... 3
Paraplegia........... 1 ..
Otile................ 3
Intermitientes........ 5
Paraphimose......... 2
Ferimcnlos.......... 3
Sarnas.............. 5
Anemia............. 3
Hemoplise........... 2
Hypetrophia......... 1
Ocdemacia........... 1
Gonorrha........... 3
Meneugite........... 1
Tumor.............. 1
Syphilis enventerada.. 2
Clicas.............. 2
Pleuriz.............. 1
Peleurodinia......... 1
Total................ 60
Existem em traUmento a saber:
Frederico Carlos de Araujo, rheumatism".
Jos Luiz da Silva, bronchite.
Domingos Francisco de Oliveira febrc caurral.
Goncalo Jos dos Santos, rheumatismo.
Antonio Jos da Silva, vermes.
Flix Antonio de Lima, cephalagia.
Jernimo Ferreira de Albuquerque, colitc.
Joao Luiz da Silva, paraplegia.
Francisco Antonio de FreiUs, otite.
Jos Ferreira da Silva Pinto, colite.
Marcos Pereira de Almeida, intermittentc.
Antonio Carlos Pessoa, rheumatismo.
Manoel Thomaz de Oliveira, paraphimose.
Vicente Ferreira da Silva, ferimentos
Tlieotonio Ferreira da Silva, sarnas.
Pedro Antonio Ribeiro, anemia.
Candido Pereira da Silva, hemoptise.
Antonio Cavalcanti de Albuquerque, bronchite.
Miguel Ferreira dos Santos, paraphimose.
Antonio Martins de Oliveira, hemoptise.
Manoel Nunes da Silva, febre catarral.
Bernardino Domingos Moreira, hypetrophia.
Francisco, escravo, de D. Mareolina, ocdemacia.
Serafim, escravo, de Manoel Pacheco de Couto, go-
norrha.
Sebastao, escravo, de Ferreira Matheus, meneu-
gite.
Fortunato, escravo, de Jos da Silva Loyo, gonor-
rha.
Luiz, escravo, de Isabel Maria, tumor.
= Coao de detemiio.Consurairam-sc com o
sustento dos presos "pobres recolhidos casa de
detencao durante o mez de setembro prximo passa-
do 5,103 racoes e gastaram-se com as mesuras os se-
guimos gneros, a saber :
Pes do 3 oncas5103.
Assucar-63/ libras e 14 oncas.
Caf em p -318 libras e 15 oncas.
Farinha85 alqueires e 3 decimos.
Feijo18 alqueires e 30 V2 decimos.
Toucinho232 libras e 13 onc,as
Azcite doce 14 garrafas e 68; oiUvas.
Vinagre57 garrafas e 10 onfas.
Carne verde2,882 libras.
Diu secca421 Vi libras.
Bacalho689 libras.
Consumiram-se com as dieUs na enfermarla
desu casa os segu n tes gneros a saber :
Pes de trigo (3 oncas)785.
Cha7 libras c 24 oiUvas.
Assucar57 libras c 8 oncas.
Arroz47 libras e 4 oncas.
Galinhas45 iatviras.
Manoel de Miranda, Martiniano Joaquirn dos Pra-
zeres, preso Luiz Francisco da Silva, Joaquirn dV
A. Pinto, Bento Joaquirn de Medeiros, Jos Alvaro
da Silva e 41 escravos a entregar.
Obituario do da 2 de 01 tlbro no cEurm
publico :
Antonio Fernandes da Rocha, Pernambuco, 60 an-
nos, viuvo, Boa-Vista; varilas.
Custodio, Parahvba, 60 annos, solteiro. Boa-VisU ;
escropoulas.
da Silva, Bernarda, escrava, 14 annos, solteira, S. Jos ; tu-
brculos pulmonares.
Delphina Alexandrina das Virgens Mendonca, Per-
nambuco, 60 annos, casada, S. Jos ; gastfo inle-
rite.
Tito Jos da Cruz, Peraambuco, 25 annos, solteiro.
Boa-Vista; inflamraa^o no ligado.
Joao Esteves da Silva, Pernambuco, 47 annos, sol-
teiro, Olinda hydronosia.
Raymundo Jos de Oliveira, Piauhv, 25 annos, sol-
teiro, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Cordolina Maria, Pcrnambnco, 3 mezes, Sanio An-
tonio; inflammacao.
Manoel Barbosa, Pernambuco, 40 annos, solteiro.
S. Jos; asphyxia.
Joaquirn Luiz do Espirito Santo, Pernambuco. 23
annos, solteiro, Boa-VisU : tubrculos palmo-
nares.
Maria, Pernambuco, 20 dias, Recife ; conviilsies.
3
Florentino, Pernambuco, 4 annos. dvarrha.
Violanta Thereza de Vasconcellos', Parahy., 90
annos, viuva, Boa-vista : velhice.
Antonia Maria dos Prazeres, Pernambuco, 7i an-
_ nos, viuva, Santo Antonio ; hydro-pericardile.
Anna Maria da Coneeicao, Pernambuco. 20-anno*
solteira, S. Jos ; tubrculos pulmonares.
Joaquina, Pernambuco, 15 mezes, S. Jos; Ter-
mes.
presta^es
respectivos.
O agente de leudes Siraoes transferio o seu
escriptorio para ra da Cadeia n. 28, primeiro
andar.
No sabbado installou-se a sessao judiciaria do
jury, tendo-se reunido numero suficiente de jui-
zes de facto.
Foram apresenudos para julgamento 8 processos
devidamente preparados pelo Sr. Dr. Araujo Bar-
ros, jaiz municipal da 1" vara.
Do-nos as seguintes informaedes sobre a as-
sociaejio Ensaio Litttrario Pernamimcano:
Passageiros do vapor nacional
vindo da Cear e portos intermedios :adre ta-
lindo Firmo da S. Cavalcanti e 1 cria lo, Dr. Luii
de Cerqueira Lima, sua senhora, 2 filhos, 1 criada
e 3 escravos, Belmlro Baptista de Souza, Amaro
Barreto de Mello Maranhao, D.Raymunda Teixei-
ra dos Santos Moura, D. Mana Ignez de Moura,
capitao Joo Paes Barreto, sua senhora, I filhos e
1 escrava, Rogerlo Furtado das Chagas, frei Jod
da Virgem Maria. e 3 escravos a entregar.
Passageiros do vapor nacional Tocantins,
sahido para os portos do sal :Jos Paulino Ro-
drigues de Barros, Jos Laurino de Goes, sua se-
Ul POUCO DE TUDO.
Tomamos o seguinte facto da Gazttte des Tri-
bunaux, da qual traduzmo-lo :
Ha dias, em urna das principaes. avenidas de
New-York, leve lugar urna horrivel tragedia do-
mestica.
A Sra. Parr, mulher de um opolento e honrado
conimerciante, viva depois de certo tempo em de-
intelligencia com o marido, a quem aecusava de
entreter relacoes adulteras com urna de suas p-
renlas, pobre moca que elle turnara sob sua pro-
teccao. O Sr. Parr nao querendo recer justificar
as suspeitas de sua esposa, recusou despedir da
casa aquella que era urna causa de perturbaco
para sua familia; do modo que. sob a influencia
do ciurae, o carcter da Sra. Parr tornou-se de dia
em da mais sombro, permanecendo militas veies
dias inteiros sem fallar a pessoa alguma.
Entao encerrava-se em sua cmara, e os domes-
ticos ouviam-lhe queixas e solucos.
A joven protegida do Sr. Parr, romprehendendo
o quanto era delicada a sua situaco, havia. por
dilferentes occasies manifestado o desojo de se
retirar do tecto, que a abrigava ; mas elle nnoca
esteve por isto.
Eu prometti a vosso pai. o meu melhor ami-
go, no momento de sua morte, tratar-vos como mi-
nha filha. Nao devo, pois, fallar ao meu compro-
niisso. Minha mulher urna pobre louca; nao vos
importis com as suas extravagancias.
A Sra. Parr, vendo que as suas queixas nao ob-
tinham resultado algum. jurou vingar-se de nma
mancira terrivel.
Desgranada Ella nao sabe o quanto eu sof-
fro; mas aprender de mim a conhecer o sonri-
raento!
l'ma criada ou vira estas palavras, e passou-a>
ao Sr. Parr e mora; mas elles nao ligaram im
portancia alguma a semellunte ameaca.
No entreunto um drama horribilsimo se pre-
para va.
A Sra. Parr esuva a jionto de executar as suas
ameacas terriveis.
Aproveitando-se de um momento em que a pro-
tegida do marido eslava toucando-se, pode penetrar
furtivamente em sua cmara \ e segurando-a.vio-
lentamente pela cintura, deu com ella nc chao,
derramando-llie sobre o rosto e seios porro de aci-
do sulphurico.
A victima, presa de dores atrozes, pede soecor
ro, implora a piedade do seu verdugo mas, ah '
quando sao ouvidos os seus gritos, e vem em seu
soccorro, a Sra. Parr j tinha saciado no todo a sua
vinganca.
A moga achava-se borrivelmente desfigurada,
tendo perdido oolho direito.
A Sra. Parr, orgulhosa e satisfeta do que fizcaa.
tinha-se recolhido a sua cmara, onde dava ri:
das e dizia em vozes altas :
Oh desgracada Nao excitaras mais o amor
dos horneas.... Es tou vingada, porque nao sers
d'agora por dianto seno um objecto de asco !
E aps estas palavras, recoroecaram s risa-
das ; mas para logo surcedea-lnes um silencio
profundo na cmara della.
Por este tempo o Sr. Parr bavendo sido informa
do do oecorrido, dirigira-se immcdiauraente par j.
junto de sua protegida ; cmquanto oceupava-se
de pensa-la e de consola-la o melhor Dossivel, dio-
lhe parte de que provavelraente sua mulher ter-ae-
lia suicidado. Entao ordena que deitem a pona da
cmara abaixo, o que (cito, deixa ver a Sra. Parr
estendida no leito debatendo-se as convuteoes da
agona,
A misera tinha-se envenenado com acido prns-
sico.
A visU do marido, fez um uhimo esforco para
IcvanUr-se; e, com o sorris nos labios c a morte
no rosto, exclamou :
Estou viBgada, nao verdade ?
E tornou a cabir no leito.
Instantes depois, tinha cessado de existir '
O numero dos emigradas da Gra-Rretano* e Ir-
landa no anno de 1862 elevou-se a 121.21 indivi-
duos. Destes embarcaram 58,706 para os Estados-
Unidos, 15,522 com destino s colonias iaglexas da
America do Norte; 41,843 foram para, Australia e
5,143 para outros p&izes.

As obras do isthmo de Suez esfio quasi conclui-
das. Em breve se ver realisado o arrojado pen-
samento do Mr. de Lesseps, pe.nsameoto ante coja
realisaco recuaram vario* principe da antigni-
dade.
O primeiro monarcha que emprehendeu ligar o
Mediterrneo ao MarVermel|io foi Sesoatris rei
do Egypto. '
Daro, rei da Pewla, nutri igual pensaneato, e
achou impossivol leva-lo a effeito.
Ptolomeu ctogou a mandar proceder a grandes ex-
ea va^oes par* o mesmo flm, mu aTeriguabdo os feo-




____


/
metros iaquelle tempo quo as aguas do Mar-J
nclito estavam mais altas que as planicies do Eg!
to tres covados e receiando nina Inundacao, man-
hendida intilmente. .
O quo de entao at hoje parecen urna utopia,c
boje um fado que vai mudar a Tace a navegajao
do mundo, que depois da arrojada empreza do im-
mortal Vasco da Gama tem de volver as suas admi-
racCes para Mr. de Lesseps.
Diario de Pemanibuco Segunda lelra 4 de Outnbro de 18S.
IIIROUQ JTIMCIAR.A.
TRIBIVAL DA REIiAClO.
SESSAO EM 3 DE OLTUBRO DE 1863.
rilESlDNCIA DO EXM. SR^CONSELHBIRO SII.VKIRA.
As 40 horas da manlia, achando-se presen-
tes os Srs. desembargaderes Caetano Santiago,
Assis, e Doria, faltando com participadlo o Sr.
lescmbargador Ucha Gavalcati, abrio-se a ses-
sie.
Rassados os fcitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
UL6AMENT0S.
Agitravo de petico.
Aggravante, Joao Francisco Saraiva- aggra-
vado, o juizo.
Relator, o Sr.'desembargador C. Santiago.
Sorteados ossenhores desembargadores Doria,
e Motta.
Negou-se prcviincnto.
Appellaces crimes.
Appellant, o promotor ; appellado, Manoel Go-
mes da Silva Jnior.
A' novo jury.
AppellairtP, o juizo-, appellado, David Porelr
de Sa e Suva.
A' nova'jury.
Appellante, o juizo; appellad, Francisco *Cor-
nelio Bafsta Vieira de Carvalho.
Confirmada a sentenca com deelaraco.
AppoHante, Francisco Jos Baptista : appellada,
a justto?..
Ini|irocedcnte.
Appellante, FidelisJos da Costa
Manoel Jos de Amorim c outro.
leMaule, o juizo i, aepeliado,
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appellacSo civel.
Appellante, a fazenda; appellado, F -ancisco Es
leves Paes Darreto.
0 Sr. deseuibargador Assis passou a > Sr. desem-
bargador Doria
Ai appellacbes civeis.
Appellantes, Paula e sua fillta, por seu curador;
appellado, Francisco Duarte Freitas. :
O Sr. desembargador Doria passou ao Sr. dc-
sembargador Caetano Santiago
A uppellucao cra
Appellante, Manoel Augusto Balbino Ramos; ap-
pellada. a justica.
A 1 } horas da tarde encerrou-se a sessao
apoollados, Eleitores liberaes, deveis voter serrados
deputados provinciais, nos cidadaos-atunxo
jioSto'^oreira | Machado nunca obrigou os eleitores a darem seus
votos homens que eram simplesmente seus ami-
gos. Elle s pedia para se votar em correligiona-
rios e homens que podiam faverecer a provincia :
assim, pois, dignos eleitores liberaos do primei-
ro circulo, deveis lembrar-vosdos correligiona-
rios abaixo, e vede que todos sao dignos dos vos-
sos votos: ____
Dr. Antonio Jos da Costa Ribaro.
Dr. Joaquim d'Aquino Fonceca.
Dr. Ixrarenco Trigo de Loureiro.
Dr. Manoel Perora de Moraes Pinheiro.
Floriaao Correa de Brito.
Dr. Jos dos Anjos Vieira d'Amorim.
Dr. Joao Francisco Teixeira.
Dr. Deodoro Ulpiano Cocino Calanho.
Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Um eleilor qtunao escroto, emuito liberal.
5 para LMem de araruta......arroba
deca- r Ufe0 de qualquer qudiidade
Nunes rrwhaes
i
um
arroba
*
App< liante, o iuizo; apneJIado, Pedro Ghrysolo-* Viriato de Freitas Tayares.
appeltado, Trajano I-opes
appellado, Jos Guilherme
TRIBIVAL DO JCRT.
5. SESSAO. DA 2 DE OUTUBRO..
Presibencia do Sr. Dr. Joao Antonio de Abaujo
Frotas Henriqles, jiib de direito DA i.* VARA
CRIME.
Promotor publico. O Sr. Dr. Francisco Leo-
poldino Gusmo Loba. s*.
Escrivao. O Sr. Joaquim Francisco de Paula
Este ves Clemente.
As 10 horas da manilla feita a chamada aeha-
fam-se presentes 29 senhores.
Foi dispensado da sessao, por
tia o Sr. Januario Constancio
drade.
Foram multados cm 20,5000 rs. cada um dos
senhores multados no dia anterior, e tambem os
Srs. seguintes:
Manoel dos Santos Nunes de Oliveira.
Dr. Joao Ferreira da Silva.
Geraldo Hcnriques de Mira.
Dr. Miguel Joaquim de Castro Mascarenhas.
Dr. Antonio Vicente do Nascimento Fetosa.
Francisco Antonio Cavalcante Cousseiro.
Francisco Seralieo de Assis Carvalho.
Joaquim Pedro Brrelo Mello Reg.
Hospital Portuguez.
Fumo em folha, bom .
dem ordinario ou restolho .
dem em rolo bom......
dem ordinario ou restolho
Gallinhas .'...... urna
Gonuna........ arroba
Ipecacuanha (raiz).......
Lenha emachas...... cento
Toros. -........
Linhas e esteios....... um
Mel oumelaco....... caada
Milho. .'........ arroba
Papagaios......... um
Pao Brasil........ quintal
dem de jangada...... um
Podras de amolar..... urna
Mem de filtrar.......
dem de rebolo......
Piassava......... molho
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novihos........ cento
Pranchdes de amarello de dous
costados........ um
motivo de moles-
Monteiro de An-
go i '.avaleanti Wanderley.
A' ovo jury.
AwM-llauU.', Francisco Jos Miguel; appellada, a
jusca.
A* novo jury.
Appellante, o juizo;
Sihaao. .
iA novo jury.
Appellante, o juizo;
da Silva.
A' novo jury.
Appellante, Jos Fernandes de Lima ; appellado,
Saturnino Gomes Duarte.
Improcedente.
Appellante, o juizo i appeUado, Manoel da Silva
Ancua
A' novo jury.
Appellante, o promotor^oppellado. Juliao Colno
da Silva Netto.
A' novo jury.
Appellante, Jos Barroso Valente ; appellada, a
justica.
Improcedente.
Appeliaute, o premoter; appellado, Antonio Bay-
uiuiulo Ferreira.
A' novo jury.
Appellante, Jos Corn-a de Melle ; appellada,
a justica.
A' novo jury.
Appellante, Manoel l'.ono. dos Santos; appel-
lada, a justica.
Annullou-sc o piot-esso.
Appelhtoor* civeis.
Appellante, Francisco' Ahes Cavalcante ; appel-
lada, D. Maria Joaquina de Santiago.
Confirmada a sentenca.
Appellante, Manoel KAeiro da Cunta Olrreira ;
appi'llado, Joao Evangelista Bello.
Kecel>eram-se os embargos, para tomar eonhe-
niento da ap|)llacao, e connrmaram a sentenoa.
DUJGENCIA8.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica
As appeHariies (rimes.
Appellante, Manoel Professor Bispo; appella-
da, a jnslira.
Appellante, Joao Ferreira de Lacerda Jnior ;
appellado, Manoel Fernandes Beltrao.
Appellant<-, o juizo appellado, Francisco Alves
do Nascimento.
Appellante, o juizo; appellado, Manoel Thomaz
da Rocha.
Com vista ao Dr. curador geral
A appHiariio civel.
Appellante, Antonio Lopes Braga ; appellado, o
menor Graciano.
Apiolante, Mathiasa Costa Barros ; appellado,
Jos Antonio Pacheco.
Appellante, Manoel Gamillo Pires Falcao; ap-
pellado, Paulino *ires Falcao.
BESIONACO DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
eitos :
Appetiaqoes critnes.
Appellante, o juizo ; appel ado, Manoel Felippe
Penara.
Appellante, Sebastiao Ribeiro de Mello ; appel-
lada, a justica.
Appellante, o juizo ; appi-llado, Antonio Francis-
co Rodrigues.
.appellado, Joao Soares de
Realiseu-se hontem quarta-feira 30 de setembro
do 1863 no theatro de Santa Isabel, o espectculo dem de louro.
que o artista Antonio Jos Duarte Coimbra^duem. Rap..........libra
beneficio do Hospital Portuguez de Beneficencia. Sabao
Antes d principiar a representacao, o artista Pe-
dro Baptisa de Santa Rosa, recitou o seguinte mo-
nologo :
Dr. Amaro Joaquim Fonseca de Albnquerque.
Gamillo de Salles FoBseca.
Antonio Marti ns Saldanha.
Dr. Francisco Antonio Cesario de Azevedo.
Joaquim de Almcida Pinto.
Sebastiao Lopes Guimaraes Jnior.
Sendo iosufflciente o n. de 29 jurados para aaver
sessao, o Sr. juiz de direito procedeu ao sorteio
de 19, e sahiram sorteados os Srs. segrate*:
Dr. Joaquim de Oliveira e Soma.
Dr. Cicero Odn Peregrino da Silva.
Dr. Antonio Herculano de Souza Bandeira.
Jacome Geraldo Mara Lumachi de Mello. ^^
Dr. Joaquim Antonio Carneiro da Canha Miranda.
Dr. Angelo Henriques da Silva.
Dr. Joaquim Jos de Campos.
Vicente Antonio do Espirito Santo.
Francisco Antonio da Silva Cavalcante.
Francisco do Albuquerque Mello.
Antonio Gomes Miranda Leal.
Miguel Jos de Abren.
Dr. Joao Jos Pinto Jnior.
Dr. Innocencio Serfico "Assis Carvalho.
Joaquim de Albuquerque Mello.
Eduardo Firmino da Silva.
Dr. Bento Jos da Costa.
Dr. Francisco de Paula Salles.
Joao Xavier da Fonseca Capibaribe.
Concluido o sorteio o Sr. juiz de (hrorto mandou
proceder as necessarias notiucac.oes
Lcvantou a sessao addiando-a para eflia segua
te, as 10 horas da raanhaa.
Caixa Filial do Banco do Brasil.
BALANCETE EM 30 DE SETEMBRO DE
ACTIVO.
Accionistas do ta*oo do Brasil.
Entradas nao rea-
lisadas de 10,000
acedes localisa-
das na provin-
cia ...........
Letras descontada*.
Com duas assigna-
turas residentes
no lugar do des-
cont....... 798:093*285
Com una s dita
dito....... 68:948W1
Kis aqui o artista humilde,
De vos todos conhecido,
Por seus irmos, por si mesmo,
Penhorado, agradecido.
J que a voss'alta bondade
Concorre a um fim justo e nobre
Aceitae em recompensa
Miuh'olTrenda, inda que pobre.
urna mesquinha offrenda,
Mas filha do coracao;
Ella encerra-se nos votos
Da mais pura gratidao.
Eu que partllho na paga
Dos meus irmaos, como actor,
Ao seu festo de assucenas
Quiz juntar mais urna flor.
Quando na classe de artistas
Predomina nm pensamento,
Q seolir dog meas collegas
E tambem meu sentimento.
Por isso viva alegra
No semblante meu se timbra,
Por deraais louvar ollerta
Do meu nobre irmao Coimbra.
Aceitae, oh Portuguezes,
A mais sincera oblacao
Deste irmSo, inda que o ultimo,
Da voss'alta instituico.
Por muitos dos meus patricios
Me confesso agradecido;
Quanto a mlm por aecoes vossas
Sou de mais reconhecido.
O bolo do meu collega,
Repito anda urna vea:
um rasgo a que tem juz
0 Hospital Portuguez.
Recife, I de outubro de 1863.
Sal..........alqueire
Salsa parrilha. .......arroba
Sebo em rama........
dem em velas........
Sola em vaqueta......urna
Taboas de amarello.....duzia
dem diversas........
Tapiocas.........arroba
Tatajuba.........quintal
Travs.........urna
Unhas de boi.......Cento
Vassouras de piassava. ...
dem de timb........
dem de carnauba..... >
Vinagre.........caada
SiflOO
14800
35000
OOlinn
10000
750001
5*000!
600
2*000
25*000
2*000
11*000
8*000
200
1*280
2*500
5*000
5*000
840
4*000
1*200
120
5*000
20*000
10*000
1*000
120
400
255000
5*000
7*000
2*800
110*000
7:i*000
3*000
2*000
0,5000
25000
104000
8*000
9*000
500
Aifandega de Pernambuco, 3 de outubro de
1863.
(Assignados):
O l. conerenle, Matutel Calda* Barreta,
da Silva.
O 2. conferente, Aristides Barboza Cordeiro
Approvo. Aifandega de Pernambuco, 3 de
outubro de 1863.Carvalho Ilets.
Conforme. O 4. escripturario, Joao dos San-
tos Porto.
ilccehedor la de rendas internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do
dem do dia 3
dia 1 a 2
3:431*347
1:071*908
4:503*255
Consulado provincial.
Rendimento do
dem do dia 3
dia 1 a 2
2:401*659
932*767
Letras caucionadas.
Por ouro, prata e
ttulos commer-
ciaes.......
Por outros ttulos.
As escrophulas privadas do sen
aguilillo.
Fazem trinta annos que as escrophulas eram
enfermidade Incuravel, porm o aspecto das cou-
. sas desde entao para c, teem mudado de face:
1863. desde o momento em que a sai.saparuu.ha de
bristol foi triumphanteniente introduzida no pu-
I blico.
Desde entao esta parte nao tem occorrido um
I s caso por mais violento que seja, em que a mes-
i ina tenha sido infructuosamente administrada. A
i simples innumeracao das curas que ella tem eftec-
04:720*000 tuado encheria volumes intuiros. nicamente, pois.
necessitainos dizer que o seu uso deve ser univer-
sal cm todos os desarranjos e alTeccoos ulcerosas e
eruptiveis, para que as possa curar, com tanta fa-
cilidade como um arranhao- ou um simples gol-
pe. E' o melhor de todos os remedios coahecidos
para o rlieuniatismo e afleccoes do figado, e quan-
do a pbtysica se complica com escrophulas.
Achar-se-ha venda em todas as principaes bo-
ticas e lojas de drogas do imperio do Brasil.
3:334*426
67:041*746
38:160*690
14:212*720
e Claudino Jos de Souza ;
aria da Conceicao e o
Appellante, o juizo ;
Lima.
Appellantes, o juizo
appellados, Romualda
juizo.
Appellante, Manoel Francisco dos Santos ; ep-
pellada, a justica.
Appejlante, o juizo; appollado, Antonio Francis-
co Pernambuco. #
AppeUaroes citis.
Appellant, Jos1 Ramea Pinto de Campos ; ap-
pellado, Manoel Joaquim Baptista.
PASSAGHKfi.
O Si-, desembargado!- Caetano Santiago passou
.ao Sr. desembargadnr Gitirana
A appettarocrtne.
Appellante, Thomaz Fernandes da Silva Gororo-
-iia; appellada, a fazenda.
A appeltacio tixl.
Appellantes, os herdeiros de Manoel Luiz da
Voiga ; appellada, a fazenda.
OSr. desembargador Gitirana passou ao Sr. des-
euibargador Loureneo Santiago
A appella^aocrime.
AppeMante, Jos Joaquim Flomno, por seu cura-
dor.; appellada, a justica.
A ajrpellamo vd.
Appeantes, o juizo e Antonio da-Silva Gusmao;
appellados, os mesmos.
O Sr. esembargador Lourenco Santiago passou
ao Sr. detinbargador Motta
As apnellaroes citis.
Appellante, Jos Maxiiiiiano Ferreira lima ; ap-
pellada, Jos Apolinario liorges.
Appellante, Joao Evangelisu Cavalcaali Passos ;
appellado, Luiz Guedes Alcoforado.
Appellante, Gustavo Gurgolino de Souu ; ap-
pellado. (iiuJlie.: int' Augusto de Miranda.
Appellaate, Kila Joaquina de Moura; appeiado,
Vicente Antonio do Espirito Santo.
Appellante, o regente da capulla dos Prazeres;
appellado, o solicitador de capellas.
Appellante, Jernimo Jos Figueira de Mello ;
appellado, Ooofre Muniz Ribeiro.
O Sr. desembargador Motta passou ao Sr. des-
embargador Peretti
As itppellacoes crimes.
Appellante, Caseuiiro Barbosa de Lima Cama-
rao.; appellada, a justica.
A^jiellante, o juizo; appellado, Martinho de
florges Lyra.
As appellaipes citis.
AppeUante, Antonio Siniiao de Faria Mattos;
atjypellado, Bernardo Jos Goocaives Lyra.
AppeJlantc, Joaquim Ramos de Oliveira ; appel
lado, Antonio Ferreira da Silva.
Appellaate, Aureliano Cavalcaali da Rocha
Wanderley ; appellado, Joao dos Santos Nunes de
Oliveira.
Appellante, Jos Bruno de Almeida Valladao
appellado, Francisco Ant onio de Vasconcellos.
O Sr. desembargador Peretti passou ao Sr. des-
embargador Aceioli
As appellares citis.
Appellante, Joao Ignacio de Avila ; appellada, a
fazenda.
Appellante, a parda Cordula, por seu curador ;
appellado, Jos Vicente Ferreira de Freitas.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appeacao civel.
Appellaate, Manoel Paulino da Cunha Gouva ;
appellado, Dr. Joaquim Jos Nunes da Canha Ma-
chado.
*. O Sr. desembargador Acciol passou ao Sr. des-
embargador UcMa Cavalcaati
As amellares crimes.
Appellantes. o juizo e Antonio da Motta Caval-
canti; appellados, o jai e Manoel Tbewotheo da
Cunha Boeiro.
ltnt a ireeber.
Saldo desta conta.
Diversos.
Saldo de varias con
tas........
Caixa.
Pelos seguintes va-
lores :
Em inoeda de ou-
ro de 22 quila-
tes ........L861:345*380
Em notas do the-
souro dos valo-
res de 10*000 e
superiores. 767:000*000
Em inoeda de tro-
co ........ 76*706
Em notas da pro-
pria caixa____4,248:000*000
5*373*410
509:843*252
3,801:012*470
COMMERCIO.
*
6,876:423*080
Pasara.
Banco do Brasil conta do capital.
Valor fornecido pe-
la caixa matriz.
Emissao.
Valor cm circula-
cao........
Letras a Migar.
Por dinheiro toma-
1I11 a premio. .
Per saques.....
antas correntes.
Saldo desta conta.
Diversos.
Saldo de varias con
tas........
Gaulios e perdas.
Lucros sjenos a
liquidaco. .
12,311:413*964
NOVO BANCO
DE
PERNAMBUCO
O Banco toma saques sobre as pracas do Rio de
Janeiro e Bahia.
Aifandega
Rendimento do dia 1 a 2 29:970*115
Idemdodia2........ 15:273*866
'45:243*981
no vintenio da aifandega.
Volumes* entrados com fazendas
com gneros
Volumes sahidos
com fazendas
com gneros
213
148
-----361
118
155
-----873
Descarregam no dia 5 de outubro
Barca inglezaSerafinamercadorias.
2,000:000*000 Brigue inglezMirmemercadorias.
Escuna inglezaSea Xiutpltmercadorias.
Barca ingleza Enroycarvao.
4,045:520*000 Barca ingleza=Fii'oncarvao.
Briguo inglezJames Sleuartbacalho.
Brigue uaraburguezteafarinba.
3:268*992 3:268*992
263:715*596
5,864:638*464
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
f ALTA DOS PRECO DOS 6ENER0S SBITOS A DIREITO DE
EXPOHTACXO. SEMANA DE 5 A 10 DO MEZ DE
OUTUBRO DE 1863.
Mercadorias. Unidades. Valores.
Abanos......... cent
Agurdente de cana. .... caada
135:720*912 dem restilada ou do reino >
Ideiu caxai-a. ........
anaci Nnues Correa
BALANCODA CAIXA FILIAL DO LONDON AND
BllASILIAN BANK (LIMITED) EM 30 DE SE-
TEMBRO DE 1863.
ACTIVO.
LondonandBrasilian
Bank i limited i
London ....
Letras descontadas
Diversas coalas cor-
rentes e ontros va-
lores .....
Letras a receber .
Mohiha.....
Caixa:
Em dinheirocorreate
Depositado na caixa
filial do Banco do
Brasil. .... 5OO;0*OOO
771:082*690
091:ll*8M)
1:110*090
PA6SIVO.
Capital ......
Depsitos e contas
correntes. .
Diversas contas cor-
rentes e outros va-
lores .....
Letras a pagar
1,068:110*099
2,903:2924680
888:8884890
831:5004600
1,177:7404110
5:1634080
Pernambuco, 3 da outubro de 1863.
H. /. Haynes, accountant.
PUBLICARES 1 PEDIDO.
Milito digan eleitores liberaea e nuilo liberaes.
Para quo sem ser eleitor ? Para que tantos sa-
crificios ?Para que ha tantos annos lidaes sobre
ai unas, fazendo assim serem derramados os san-
gues de vossos alliados ?
12,311:413*964 dem genebra. .
O guaida livros, demalcool ou espinto de agua-
arde n te.....,
Algodio m caroco..... arroba
dem em rama ou em la.
Arroz ani casca.......
dem descascado ou pilado <
Assucar mascavado. ....
dem braaou........
dem refinado. .'.....
Azeite de amendoim ou mondo-
bim......... caada
dem de coco.......
dem de mamona..... >
1 Batatas alimenticias..... arroba
281:129*140 Bolacha ordinaria, propria para
88:1284770 embarque......'.
3:72941501 dem flna........
Caf bom........ >
dem escolha ou reslota ... >
dem torrado....... libra
Caibros......... um
fl- ....... arroba
dem branca....... >
Carne secca (xarque) ....
Carneiros........ mn
Carvao vegetal...... arroba
Cavernas de sicupira .... una
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas .... >
Cha.......... ,
Charutos........ cento
Covados (poicos)...... um
Cocos (seccosf....... cento
2,903:2924680 Couros e bo; salgados '. '. "*?
dem idem seceos espichados. >
dem idem verdes.....
dem idem cabra cortidos. um
| dem idem de onca..... cento
Doces seceos ....... libra
dem em gela ou massa.
dem em calda......
Espanadores grandes..... um
Mem pequeos......
Esteiras para forro ou estivas
de navio........ cento
Estopa nacional...... arroba
Farinha de mandioca..... alqueire
14400
500
500
320
500
600
54750
234000
14000
2*000
14800
34000
44160
24000
1444
800
142O0
34500
84000
84500
74300
440
360
280
500
2*500
34000
14600
8*000
200
360
14400
24500
154000
3*500
300
155
230
090
350
IO4OOO
1*000
390
500
4*000
2*000
154000
14600
2*600
PRAQA DO RECIFE
3 DE Ol'Tl'BRO DE 186S.
As 3 horas da tarde.
Revista semanal.
Cambios........ Sobre Londres saceou-se a 27
V.e 27 /id. por 1*000, a 90 e
60 das; sobre Pars a 350 rs.
por fr-, a 90 das ; sobre Ham-
burgo a 666 rs. por M. B., a 90
dias; e sobre Lisboa de % a 100
por cento de premio.
Algodao........O desta provincia vendeu-se a
23*500 e 24*000 por arroba, e o
de Macei, posto a bordo, de
23*000 a 24*000.
Assucar........O branco vendeu-se de 3*000 a
3*600 por arroba, o somenos de
2*600 a 2*700, o mascavado
purgado de 2*000 a 2*100, e o
bruto de 1*700 a 1*800 por ar-
rolla.
Agurdente.....Vendeu-se a 60*000 a pipa.
Arroz.......... Opilado da India vendeu-se a
2*100 por arroba, c o do Mara-
nho a 2*800.
Azeite doce.....O de. Lisboa vendt>n-se de 2*550
a 2*600 o gallo, c o do Estreito
a 2*400.
Bacallao....... Retalhou-se do 14*000 a 15*000
por barrica, ficando em deposito
3,000 quintaes.
Batatas.........Venderam-se de 1*100 a 1*450
por arroba.
Bolachinha......dem a 2*700 a barriquinha.
Carne secca____A do Rio-Grande doSul vendeu-
se de 2*600 a 3*000 por arro-
ba ficando em ser 113,000 ar-
robas. Nao ha da do Rio da
Prata.
Caf...........Vcndeu-sede 8*000a8*600 por
arroba.
Cerveja......... dem de 4*400 a 55600 a duzia
de garrafas, conforme a quali-
dade.
Farinha de trigo. Retalhou-se de 16*000 a 18*000
a barrica, da de Philadelphia e
New-York, de 21*000 a 24*000
a de Trieste, e a 18*000 a l'ran-
ceza; ficando em ser 6,500 barri-
cas da nrimeira,.800da segun-
da, 4,500 da terceira c 300 da
quarta, ao todo 12,100 barricas,
inclusive dous carregamentos
um de Trieste e outro america-
no, entrados nesta semana.
Dita de mandioca Vendeu-se de 4*000 a 4*500 a
sacca.
Feijao..........dem de 6*000 a 8*000 a sacca.
Genebra........ dem a 300 rs. a botija.
Louca..........A ingleza ordinaria vendeu-se
com 300 por cento de premio
sobre a factura.
Manteiga.......A francesa vendeu-se a 450 rs.
por libra.
Massas......... Venderam-se a 6*200 a caixa.
Oleo de linhaca.. Vendeu-se a 2*200 o galao.
Passas.......... dem a 8*000 a caixa.
Queijos........ Os flamengos venderam-se a
1*600 cada um.
SabaO..........O amarello vendeu-se a 150 rs.
a libra, e o do Mediterrneo a
220 rs.
Toucinbo.......O de Lisboa vendeu-se a 9*500
- por arroba.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 100*
a 115*000 a pipa.
Vinhos.........Os de Lisboa venderam-se de
165*000 a 200*000 a pipa, e os
de outros paizes de 16050IX) a
180*000.
Velas..........Venderam-se de 530 a 540 rs. o
masso, das de composicao.
Fretes......... Sem transaccoes.
Descontos....... Os rebates de letras regulou a
7, 8,9 e 10 por cento ao anno.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 3.
Cear e portos intermedios4 dias e 12 horas,
vapor nacional Mamanguape, de 337 tonela-
das, commandante Manoel Rodrigues dos Santos
Moura.
Bombay77 dias, galera ingleza Editk Bayne, de
763 toneladas, capitao George Whiteway, equi-
pagem 23, carga la e linhaca, ao capitao ; tem a
bordo 6 passagelros. Veio refrescar.
'orioi sahidos no mesmo dia.
Lievrpool por Maceilugre inglez Editk, capitao
Walter Couth, em lastro.
Portos do sulVapor Bacional Tocaniiw, comman-
dante 1. tenentc Pedro Hyppolyto Duarte.
Mimo entrado no dia i.
Barcelona-47 dias, sumaca hespanhola Ardilla, de
1(2 toneladas, capitao Jaime Ferr, equipagem
9, carga vinho e outros gneros ; a Aranaga
hijo Jt C. Seguio para os portos do sul.
Navios sahidos no mesmo dia.
Bahapatacho nacional D. Luiz, capitao Jos
Teixeira de Azevedo, carga differentes gneros.
Pliiladelphiabarca americana Azelia, capitao C.
W. Kerlin, em lastro '
Cabo-Verdebrigue inglez Joshua & Mary, capi-
tao Furner, em lastro.
dembrigue hamburguez Palma, capitao C. F.
Kollm, em lastro.
por menos flzer a obra dos reparos do 22 e 23*
leos da estrada da Victoria, avallada em......
2:750*000.
A arrematacao ser feita na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de malo de 1854, esob as clau-
sulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia' cima mencionado, pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou passar o presente e
publicar pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 1 de outubro de 1863.
O secretario,
A. F. (CAnnunciac&o.
Clausulas especiaes para a arrematacao.
1.* Os reparos do 22" e 23 leos da estrada
da Victoria, na extencao de 2,093 bracas na
importancia de 2:750*000, serio executados
de conformidade com o respectivo orcamento ap-
provado pelo conscllio da directora das obras
publicas.
2.* O arrematante dar principio aos trabalhos
no praso de 15 dias e os concluir no de quatro
mezes, contados na forma da lei.
3.a Os pagamentos sero feitos em duas presta-
roes guaes, a primeira no meio da execucao -da
obra e a segunda depois do seu recebimento dofe-
nitivo.
4.* O arrematante, na execucao dos trabalhos,
seguir as prescripcocs que Ihe forem dadas pelo
engenheiro.
5." O mesmo engenheiro lhe marcar o ponto em
que deve ser comecado o servico.
Conforme,
.A. F. d'AnnunciacCio.
0 Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumplimento da resolucao da junta da
fazenda, manda fazer publico, que vo novamenle
prac,- no dia 15 de outubro prximo vindouro,
para ser arrematado quem por menos fizer os
contratos seguimos:
Concerlos da cadeia da villa de Scrinhaem, pela
quantia do 2:596*000.
Reparos da ponte da Mamucabinha, na estrada
Srovisoria de Tainandar Piabas pela quantia de
.2005000.
Colicortos da ponte da povoacao de Beberibe,
pela quantia de 225*500.
E para constar se mandou publicar pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 28 de setembro de 1863.
O secretario,
A. F. lAnnunciarao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fazen-
da manda fazer publico a todos os habitantes desta
provincia que era virtude da ordein do Exm. Sr.
ministro da fazenda, presidente do tribunal do the-
souro nacional se proceder do Io de dezerabro pr-
ximo futuro pela thesouraria a substituicao das
notas do mesmo thesouro do 200* da 2* o 3' es-
tampas, valor por valor at o m de julho de 1864,
comecando do 1 de agosto subsequente a soffrer
as ditas notas o descont da lei na razao de 10
por cento no 1 mez, de 20 por cento no 2, e assim
por diante do modo aperderem todo o valor no d-
cimo mez.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam.
buco 3 de outubro de 1863.
Ser viudo de official-maior.
Manoel Jos Pinto.
0 Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa c juiz de direito especial
do commercio desta ridade do Recife capital da
provincia de Pernambuco e seu termo por Sua
Magestade Imperial e Constitucional o Sr. D.
Pedro II a quera Dos guarde, etc.
Faco saber pelo presente que por este juizo e
cartorio corre urna execucao de sentenca entre
partes, como exequonte o bacharel Jos Cardoso
de Queiroz Fonceca, e como oxecutado o ausente
Francisco de Paula Queiroz Fonceca, por seu cu-
rador fura em audiencia deste juizo, aecusada
pelo sollicitador Bcrnardino de Sena Dias, procu-
rador do exequente, a penhora feita em dinheiro
existente no deposito geral, pertencente ao execu-
tado pelo requerimento do theor seguinte : Aos
28 de setemoro de 1863, nesta cidade do Recife
de Pernambuco, em publica audiencia que aos fei-
tos o partes fazia o Dr. juiz de direito especial do
commercio, Tristao de Alencar Araripe nella pelo
sollicitador Bernardino de Sena Dias, procurador
do exequente bacharel Jos Cardoso de Queiroz
Fonceca, fra aecusada a penhora feita em dinhei-
ro na quantia de 3:474*377, pertenecntes ao exe-
cutado Francisco de Paula Queiroz Fonceca, re-
querendo ficassem assignados os seis dias ponho-
ra, e e dez aos credores incertos, passando-se edi-
ta! para seren ei lados os mesmos ; e como o exe-
cutado esteja ausente, requer mais qne flqne em
vigor at ser elle citado por edital para os termos
da dita penhora, como j foi requerido. O que
ouvido pelo juiz, assim o deferio. Extrahi o pre-
sente do' protocolo das audiencia. Eu Faustino
Jos da Fonceca, escrevente juramentado, o es-
crevi.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, es-
crivao o subscrevi.
E mais se nao contralla cm dito requerimento
em audiencia aqui transcripto, e em cumpriracnto
de dito meu deferimento o escrivao respectivo, Ma-
noel de Carvalho Paes de Andrade, que este sub-
screveu, fez passar o presente edital com o prazo
de dez dias, pelo qual c seu theor chamo, cito, e hei
por citados os credores incertos do referido execu-
tado ausente Francisco de Paula Queiroz Fonceca,
para, que dentro do mencionado prazo de dez dias
comparecam ante este juizo, allegando o que for a
bem de seu direito c justica, sob pena de revelia.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente edital com o prazo de
dez dias, que ser publicado pela imprensa e afll-
xado nos lugares do costume.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, ao primeiro dia do mez de outubro de
1863.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao, o subscrevi.
TVtifao de Alencar Araripe.
0 Dr. Tristao de Alencar Araripe, oulcial da impe-
rial ordem da Rosa, e miz de direito especial do S^a*-^^
commercio desta cidade do Recife e seu termo,
capital da provincia de Pernambuco, por Sua Ma-
gestade Imperial e constitucional o Sr. D. Pedio
II, que Dos guarde, etc.
Faco saber polo presente, que no dia 5 de ou-
tubro do corrente anno, se ha de arrematar por
venda a quem mais dr, cm praca publica deste
juizo, depois da audiencia respectiva, unt parte
do eogenho Regala sito na freguezia da Varzea,
com todas as trras c obras no estado em que se
acham, o qual moente. com agua, e se acha cor-
rente, cuja parte do dito engenho suas trras, e
obras, vo a praca |>ela avaliacao de seis contos e
quatro centos mil reis, e dito engenho pertencen-
te a Jos Duarte Rangel, e vai a praga por execu-
cao da viuva e herdeiros do finado Bernardo Anto-
nio de Miranda.
E na falta do licitante ser a arremaco feita
pelo preco da adjudicaco com o abatimento res-
pectivo da lei.
E para que chegue ao conhecimeato de todos
mandei passar editaes que sero aflixados no lugar
do costume e publicados pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 12 de setembro de 1863.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao interino o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
Perante a cmara municipal desta cidade es-
tarlo em praca nos dias 2, 3 e 5 de outubro pr-
ximo vindouro para ser arrematado por quem por
menos fizer, o aterro do arrombo feito pelas aguas
da mar em um lado do cano de esgoto do sangue
do matadouro publico, oreado em 300*: os que
pretenderen! arrematar, dirijam-se nos indicados
dias ao paco da mesma cmara.
Paco da cmara municipal do Recife em sessao
de 28 de setembro de 1863 .= Luiz Francisco de
Barros Reg, presidente Francisco Canuto da
Boaviagem, secretario.
Tribunal da rrlaeio.
Por ordem do Exm Sr. conselbeiro nrtullilt.
da relaco, faz-se publico para todos os eOeitos le- .
gaes, que o numero dos solicitadores de camas
que acham-se sem proviso, sabio dando-se aleas
de menos, e por isso renovase a publicaco e da-
clara-se que sao os seguintes : Victorino fos de
Souza Travassos, Paulino da Silva Mindello, Joa-
quim Innocencio Gomes, Flix Francisco de Maga-
Ihcs, Juvelino Arruimo de Barras Correia, Manoel
Baymundo Penaforte, Joaquim Francisco de Albu-
querque Santiago, e Joaquim Theodoro Alves.
Becife 2 de outubro de 1863.
Domingos Alonso Ferreira. -
Secretario.
ArTtmatact-
Por impedimento deixou de ser arrematada na
praca do juizo municipal da 1.' vara, no dia 2 do
corrente, para cujo fim foi annunciada, a mobilia
pertencente a Jos Pinto da Costa, por execucao de
Rocha Lima & Guimaraes, em liqmdacao, deveado
ter lugar dita arrematacao na praca de 6 do cor-
rente, depois da audiencia.
O procurador da cmara municipal desta ci-
dade manda publicar a relaco abaixo, que Iba foi
remettida pela mesma cmara, dos senhores qae
tendo dcixadode comparecers sessoes do jurj, fo-
ram multados pelo Sr. Dr. juiz de direito da pri-
meira vara presidente do mesmo jury.e pede ara-
da um dos mesmos enhores que se dgnem rero-
llier ao cofre municipal a importancia em que fo-
ram multados, evitando assim que se proceda eje-
cutivamente.
Cmara municipal do Recife, 2 de outubro de
1863.
O procurador.
Jorge Vctor Ferreira Lopes.
6 de junho de 1863.
Jos Goncalves da Porcincula. 30ui*)
Jos Lopes Guimaraes........ 3004UU0
Jos Pires Campello de Almeida. 3009000
Mariano de S Albuquerque..... 300*000
Francisco Antonio de S Brrelo. .
Joaquim Pedro Carneiro Campello.
Dr. Manoel Figueira d% Faria. .
Manoel da Vera Cruz. t .. :WO30O
Jos Ignacio de Lira........ 30040B0
Manoel Carneiro Lco....... 3005000
Antonio Francisco das Neves. 3001600
Automo de Albuquerque Mello. 300*000
Francisco Pcreira d'Arruda Cmara 300*000
16 de julho.
Nereu de S Albuquerque......
Jos Pedro Vellozo da Silveira Jnior.
Antonio de Albuquerque Mello. .
Jos Joaquim de S Litao......
Antonio Francisco Lisboa Esteves. .
Joaquim Lucio Monteiro da Franca ..
Joaquim Mileto Maris................
Dr. Manoel Figneiroa de Faria.. ..
Francisco Lopes Guimaraes..........
Antonio Ferreira d'Annunciaco .
No dia 6 de outubro do corrente
28414000
28O4M0
200*009
260*9
2004009
200*989
200*99
200*090
200*090
169*000
anno pelas
11 horas da manhaa na audiencia|do Dr. juiz de
01 plios se arrematara a escrava de nome DelOaa,
de naci Congo, de idade de 67 annos, pela quan-
tia de 200*.
iuizo do eommerein.
A arrematacao dos escravos penhorado* ao Exm.
Visconde de Suassuna, por execocao de Paln,
Nash & C, foi transferida por despacho do Illm.
Sr. Dr juiz do commercio, requerimento do res-
pectivo depositario, para segunda-feira 3 de outu-
bro, depois da audiencia.
Gaia filial en Peraankora.
Por ordem da directora do banco do Brasil sao-
convidados os senhores accionistas loralisados na
caixa filial de Pernambuco recolherem ah al o-
dia 23 de Janeiro de 1864 a nona e ultima prrsta-
co de 10 0/0, ou 20* por accao, de roalonaadij
core os artigos 8 e 9 dos estatutos do banco do Bra-
sil, e art. 45 dos estatutos da caixa filial
Sala das sessoes da directora da caixa fttal do
banco do Brasil em Pernambuco 1.* da outubro d-
1863.-0 secretario,
Jos Maraede Alves Ferreira.
Conselho de compra narae*
Tendo-se de promover a compra sob as coadi-
coes do estvlo dos objectos do material da amada,
abaixo declarados, para provimento do almoxari-
fado de marinha, convida o conselho aos que pre-
tenderem vende-tos a apreseotarera suas proios-
tas em cartas fechadas no dia 5 do prximo mez de
outubro, em que isso ter lugar.
Objectos.
1,000 arrobas de cobre, SO arrobas de oJnagrc,
20 barris de alcatrao, 1 bomba de Japv com W
palmos de cano grosso de chumbo c 200 ditos de
dito fino, 15 liandeijas ferradas, 300 palmos de eaao
de barro, vidrado, ha vendo entre elles 12 rano
curvos, 160 palmos de chumbo em lenco! de 3 pal-
mos do largura, 20 arrobas de cairo velho, 20 ra-
bros de 50 palmos para cima, 300 ditos de 45 pal-
mos, 20 arrobas de cera cm arenles, 1 caaoa
de 50 palmos do comprimcnto, mais ou menos, o rt
ditos de bocea, 1 canoa pequea, 50 cadinaos da
lapis sonidos, 100 canecos ferrados para cafe, 40
conchas de folha para batanea, de 14 a 18 poUeaa-
das, 80 pecas de cabo de li'nho de 2 a 3 12 s*Me-
gadas, 50 espundios. 40 funis de folha sonido,
200 varocs de ferro de 4i8, 50 flmulas de escala-
res, 2 toles de 4 i/1 ps de comprimento e 2 1/2 de
largo, i pharol verde, 1 pharol encarnado, I paa-
rol de cor natural, de intensidade de 5 mi Ibas rom
raio visoal de 270 graos, 1 pharol de cor verde de
intensidade de 2 milhas peto menos com raio vi-
soal de 110 graos, 1 pharol de cor encarnada de
intensidade de 2 milhas pelo menos com raio vi-
soai de 110 graos, 6 duzias de limas triangulares
16 libras de linha cnia, 80 pecas de liaba de bar-
ca, 10 arrobas de linha alratraada e merhm, 20 ar-
robas de morrao. 40 martelos de orelha, 30 macha-
dos de carpinteiro, 20 arrobas de ocre amarello,
8 orillos de alcance, 100 ps de ferro, 20 ratoeiras
de ferro, 10 arrobas de sebo em pao. 12 duzias de
taboas de pinho da Suena de 1 pollegada. 12 du-
zias de taboas de dito de 1 1/2 pollegada. 100 latas
zinco, 100 latas de tinta preta.
50 latas de tinta verde e 100 vertedores.
Sala do conselho de campras navaes 30 de se-
tembro de 1863.O secretario,
Alexandre Rodribues dos Aajes.
Tribunal da rnmmrrria.
Pela secretaria do tribunal do commerri de
Pernambuco se faz publico que nesta data foi ms-
cripto no livro da matricula dos commereiaales o
Sr. Felisbcrto Ignacio de Oliveira, cidadao brasMri-
ro, de 31 annos de idade, commerriante da gne-
ros do paiz e estrangeros em conta propria e caaa-
missao.
Secretaria do tribunal do commercio de P-r
narobuco 2 de outubro de 1863.
Julio Guimaraes.
Oflirial majer.
Conselho de caaras Mvaes*
De ordem do conselho faro publico que aa d
do corrente mez, designado para compra de hvrr-
sos objectos do material da armada, fina sa aaa-
tratara em vista de propostas e sob as eaad^ies d
cstylo, o forneciment no prstale triaaanw da
outubro a dezembro de azeite inferior, ral pean
lenha para os navios da armada e estaManaasatna
de marinha.
Sala do conselho de compras navaes da ftnaav
buco 1. de outubro de 1863.
Alexandre Rodrigues dos Aajos.
Secretario.
EDITAES.
O nhn. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em eumprimento da ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, manda fazer publico que no
dia 22 do corrente, perante a junta da fazenda da
mesma thesouraria, se ha de arrematar, a quem
DECLAIACOES.
inspeeeSo do arsenal de
marinha.
Faz-se publico que a commisso de peritos exa-
minando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1854, o casco, machina, oaldeiras, apparelho, raas-
treaco, veame, amarras e ancoras do vapor Ja-
guaribe da eomanhia Pcrnambucana de na vega-
rao costeira, aehou todos esses objectos em regu-
lar estado.
Inspeccao do arsenal de marinha de Pernambu-
co 3 de outubro de 1863.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida.
Carrejo geral.
As malas que deve conduzir o vapor cosleiro
Jaguar be com desuno provincia de Macei e por-
tos intermedios, fecham-se hoje (5> do crrante as
3 horas da tard.
Praca de
ca.
Na quarta-feira 7 do corrente depois da ai
cia do Sr. Dr. juiz municipal da 1* vara, a
na praca dos movis penhorados a
le Marques por exeeiieio de Joao *
ros Wanderley, escrivao Atbayde;
1 sof, 2 cadeiras de lialaaco, 1 mea
pedra, 16 cadeiras, I cadeira de braco, e 1
los com pedra.
Directaria das aaras
A directora das obras militares
tendo de mandar proceder ao j
necessita os tres comparwaeaaiia
taleza de lumarac. convida as |
zeremeocarregar "'""'g
rem suas proaostas na a m-torto mm dka 1
3 e5do cmale mea, das 19 teraa aa matodh,
onde poderao obler as infanaaffaa d aaw
eerem.
Directora das obras militaras da
de catabro de 1913.La
AllMiquenme '
Terca-feira i
cia doSr. Dr. juiz otnasoaal da 1.*
rematados por ser a ultima praca,
nhorados a Nereu de S
cao que lhe move o tutor dos
do Manoel da Silva Barras,
f
]




________
a*-*


mk
1
Mari* de Pernarabuco
*y/p4*
ai
feira 5 de Outubro de 188.
-------------------------------------------:------------_.
S,
THEATRO
DE
EHPBEZA
DE
A. J.WIABTE COIMERA.
Grande e variado espectculo
A BENEFICIO
oo
Insigne clarinetista portuguez, msico da cmara i
S. M. F.' o Sr. D. Lnii I,
a/aef cfode Wtonei.
QUARTA-FEIRA 7 DE OUTUBRO.
lago que a orchesta houver executado urna das
suas mais brilhantes symphonias, subir scena
pela companhia dramtica a magnifica comedia-
drama cm tres actos, do Sr. Gamillo Castello-
Branco,
I?
LEUO
DE
3 eaixas rom miudezas*
Terca-feira 6 de outubru (oo deposito geral.)
O agente Pinto far leilao requerimen-
LOTERA
EXTRAORDINARIA
-los lo:ooo#ooo e t:oooo00.
Sabbado 10 do corrente inez, anJa-
r3o impreterivelmente as roda da 2a par-
DEN
lo de Al ves, Hamburger A C.,e por despa-j^ ^ 10a ,oteria a benefic0 da matriz da
cho do Illm. Sr. Dr. jan especial do com- Boa-Vista desta cidade, pelo mui. agradavel
plano abaixo publicado.
O abaixo assignado solicita do respeitavel
publico amante desta provincia, a compra
mercio de 3 caixas com bijoulerias e miude-
zas existentes do deposito goral, isto 1
liora do dia cima dito no referido deposito
na ra do Imperador em frente a secreta-: dos respectivos bilhetes, concorrndo assim,
ria da polica.
LEILAO
DE
sitio
Urna casa de campo com grande
em S. Jos do Manguinho.
Terea-leira S de oiitubro.
O agente Pinto far leilao requerimento dos
administradores da massa fallida de Seve, Filbos
14 C, e por mandado do Ulra. Sr. Dr. juiz especial
1 do commercio da casa grande c sitio na estrada
| de S. Jos do Manguinno pcrtencente mesma
i massa, s 11 horas do dia cima dito porta da
n3o s para o bem das nossas loteras qne
tanto a engrandecem, como para o flm pa-
ra que ella concedida.
Os bilhetes e meios bilhetes acham-se des-
de ja venda na thesouraria das loteras
ra do Crespo n. 15, e as casas commis-
sionadas, ra da Imperatriz n. 44, loja do
Sr. Pimentel, ra Direila n. 3, botica do
Sr. Chagas, ra estreta do Rosario n. 12,
typographia do Sr. Mira, e ra da Cadeia n.
45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 10:0000000 e de ris
LEILAO
Seguindo-se depois a comedia em um acto,
OINGLEZMACHINiSTA.
ORDEM DO ESPECTCULO.
No intervalio do primeiro acto o Sr. Raphael to-
car, acouipaiibando-o a grande orchestra
UMA PHANTAS1A
para clarinete, sobre motivos da opera TRA-
VI ATA.
No intervalio do segundo
SOIVEMII DE NOME.
No intervalio do terceiro
VAKIi^OKN
pira saxophone, sobre motivos da operaSONM-
BULA.
Final isar o espectculo com
CANTO GREGO
para clarinete.
O emprezario do theatro de Santa Isabel, sempre i
firme nos bons desejos de apresentar ao Ilustrado
publico desla capital artistas de reconhecido med-
io, com que prove o seu interesse e zelo pela causa
das artes no Brasil, acaba de combinar com o Sr. \
Raphael Jos Croner na ordem do espectculo an-
nunciado.
E-pera por isto a coadjuvacao do respeitavel
publico.
Comccar s 8 horas.
AVISOS MABITIMQS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos partos do norte esperado
at o dia 2 deouttibroo vapor To-
be
!>!) saceos com fariuha de mandioca.
Ter^a-felra do corrate.
Caetano C>riaeo far leilao de 9o0 saceos com
farinlia de mandioca 22 cuias de superior qualida-
de bem torrada e por isso para aturar sem damno
algum, propria para o Srs. de engenho e ser
i vendida em lotes a vontade dos compradores peto
i agente Pestaa : terca-feira 6 do corrate pelas
10 horas da manha no armazem do Annes de-
fronte daalfandega.
TSaSSat aberta para exame dos' 2:000*000 serlopagos jogo ao Andar a ex
pretendentes no dia segunda-feira 5 do corrente. traccO, e OS OUtroS ate OS (le 200000 uma
hora depois e por diante at s 4 da tarde.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
PLAYO "
para as parles extraordinarias
de loteras, approvado pelo
i:\ni. Sr. presidente da
Tela.
2,
Beneficio
ISTA DE PARS
19Rna Nora-19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca denles artificiaes, tildo com superio-
ndade e perfeirao, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
1 recisa-se de uma ama para rozinha : na ra da
Imperatriz n. 47, segundo andar.
$$& T#g
Ao importante cstabelecimento de fazend 8
rua do Grespo n 17, de Jos Gomes Villar
a
^> Proejain Exmas. senhoras a este bello estabeleel-
mento de fazendaa.
as mais modernas
Abreu & Veras mudaram seu escriptorio da
rea do Vigarto n. 21 para a na da Cruz n. 34.
~ Arrenda-se uma cxeellenie casa de campo
no Poco da Panel la, em bellissimu posigo, mnte
fresca, com graude terraco em frente para recreio,
e comandos para numerosa familia, com cocherra,
estribara, quartos para criados e feitor, sitio bem
plantado, com jardim, horta, tanques para banhos-
e lavagemde roupa, etc., etc. : quem a pretender,
dinja-se a roa da Imperatriz n. 17, segundo andar.
Aluga-se a loja da casa n. 17 da ra da Im-
peatnz, com commodospara nm bom estabeleci-
menlo commercial, tendo o pavimento assoalliado,
e quintal independente : a tratar no segundo andar
da mesma casa,
Armazens, casas e sitios.
Aluga-se q terceiro andar do sobrado n. 53 da
ra da Cadeia do Recife, com 4 janellas e uma
varanda de frente, 2 salas, gabinete, quartos, co-
sinha e terraco; o armazem do mesmo com duas
pro-1 portas de frente, todo lavado e lageado proprio
i para negocio de grosso ou a retamo pela
Ahi Vv. Excelencias encontrarao as niulhores fazendas
em direitura de Pars e Inglaterra.
Cliegaraui de Paris os mais bellos cortes de laa com barras delicadsima a rlt>
anles que se acaben. ^^
Pecas de madapolao de 13 jardas a 44, 4o00 e 5, ditas de ^godnzinh fe u,
ardas a 4 e 44500, dRas de bretanba de rolo a 34, bramante de linho ie 10 "ifui e
largura a 24 a vara, eambraia lisa fina de 10 jardas a 44 a peca, chita Uraoreza fia es-
cura a 320 rs. o eovaiJo, las de cores muito delicadas a 320 e 360 rs. o cavado. Tesado
de blond com capella e manta proj>rios para noivas, maMeietes, capas pr*tas de imito
posto a Luiz XIV, solfunnos pretos bordados, chapelinas de maito gosto, v.'-y para rhai-
pi-os pretos e brancos, vestidos braocos bordados, cassas de- cores liiidissiijw a M0 e
280 rs. o covado, organdy de muito gosto a 400 rs. o covado. chapeos de sol de icmmo
para meninos a 14000 cada um.
Msicas imnortantissrmas para ptaoo e canto de todas as torras e se vendem por
barafissimo preco para acabar.
Admiraveis 1.1 as escossezasde muito-aparado gosto piopria para vestidos oo vento
fazenda ptima de 3 e 4 palmos de largura a 400 e 500 rs. o covad
_ ptima
500 bilhetes a 104600...... 25:0004000 foeflidade: o armazem e primeiro andar da casa I
eneficio, sello e Icommisso 20 n;* da trayessa da Senzala Velha tambem no Re-
por cento
5:0004000
DE
Liquido...
20:0004000
1 premio de................... 10:0004000
1 dito de...................... 2:0004000
Um grande sitio com casa de pedra e cal,
com grandes salas, quartos, terraco, co-
sinlia fra, quartos para pretos, estriba-
ra, cacimba com boa agua de beber, sen-
do omesmositio a beira do rio, com cer-
ca de limito e parle murado, com laran-
geiras, jaqueirs, mangueiras, goiabei-
ras, cajueiros e outros arvoredos e com
grande baxa de capim que pode susten-
tar dous cavados.
Quarta-fcira 7 de oatnbro s 11 horas.
O agente Pinto legalmente aulorsado fa-
r leilao do sitio e casa supra mencionado
no lugar da Torre, o qual torna-se recom-
mendado por ficar junto da projectada pon-' ^ ran
te que tem de ser feita naquelle lugar.
leilao ser effectuado no da e hora ci-
ma dito em seu escriptoro ra da Cadeia
n. 24, o mencionado sitio pertence a Jos
Marianno.de Albuquerque.
5005000
2004000
40O5O0O
1 dito de
1 dito de......................
2 ditos que tero os nmeros mais
approximados ao que obtiver o
premio de 10:00004000, sendo
cada um a 2004000...........
3 ditos de 1004000.............. 3004000
2 ditos que terao os nmeros mais
approximados ao que obtiver o
premio do 2:0004000, sendo ca-
da um a 1004000............. 2005000
8 ditos a 404000............... 3205000
2 ditos que tero os nmeros mais
approximados ao que obtiver o
premio de 5004000, sendo cada
uma 404000.................
21 ditos a 204000................
558 ditos a 104000................
cife ; um sitio na Passagem do Zongu em Api
pucos, com 5 casas e quartos em separado, para
alugar-se, baixa de capim para negocio, sendo o
mosmo lugar bastante aprazivel, fresco e com boa
agna, por isso muito recommendado para guem
sotre qualquer encommodo de saude: a fallar
com Francisco de Miranda Leal Seve na roa do
Seve n. 12, visinho do Gymnasio Provincial em
obra, ou no escriptoro terreo n. 18 da ra do Tor-
res, prxima a praca do commercio.
Alugam-se o primeiro e sogundo andares do
sobrado da ra da Penha n. 29, por preco comino-
do : a fallar na mesma ra n. 5.
Aluga-se por preco commodo a casa terrea
n. 6, no primeiro becco da camba do Carmo : a
tratar na ra da Cadeia n. 62, segundo andar.
804000
4204000
AVISO.
Francisco Jes Alvos Guimares, Joaquim
Olintho Bastos e Demetrio Accacio d'Arau-
jo Bastos, membros da Arma social de GUI-
600 premios.
M
i na escrava com cria.
O agente Almeida far leilao por autorisacao
dos administradores da massa fallida de Rastos' &
cunta* cnmmamlante o nrimeim -'-"" mmntm ua um i.uuua ue oouis a
Qua. la-!Vira 7 do frrenle.
Recife n.
qual depoi
me seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poiler conduzir, a qual derer
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a fete at o dia da sabida as 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo C
Em seu escriptorio ra da Cadeia do
48, s 11 horas.
Vlnhos
DE
xerez, Porto, cognac,
cha preto, e carne salgada de
POkco e' vacea.
Quarlu-felra 7 to correle.
O agente Pestaa fani le 15o por conta e risco
de quem perteneer de caixas com vinho xerez, di-
tas do Porto,
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
-Vivcgaco costelra a vapor.
1LI1A DE FKRNANDO DE NOKOXHA.
- -" Seguir 0 vapor Jaguaribe, logo
que volte de Macei. O dia da
"sahida ser opportunamente an-
Fuunciado.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
!%avegaco costelra vapor.
Marei t escalas
O vapor Jaguarilw. commandan-
te Lobato, seguir para os portos
cima indicados no da 9 de ou-
tubro prximo. Receber carga
at o dia 8 ao meio dia. Enconi-
memlas, passageiros e dinheiro a frete at o dia
da sahida as 3 horas: escriptorio no Forte do
Mattos n. 1.
Para o Rio de Janeiro pretende seguir com
umita brevHade o brigue nacional Almirante :
tem parte de seu carregamento prompto, e para o fl 1 terrea e
resto qne Ihe falta, trata-se com o* seus consigna-
tarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, no seu
'MTiptorio ra da Cruz n. 1.
2500 bilhetes.
N. B.As sortes maiores de|4O0."000 estao sujei-
aos descontos das leis.
Thesouraria das loteras, 20 de setembro de
tas 1863.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Lotera extraordinaria.
Constando-me que alguraas pessoas se
acham em duvida a respeito dos nmeros
mais aproximados aos das sortes maiores,.
julgo conveniente declarar que sem funda-, *
ment essa duvida, -por quanto clarissimo
est que os nmeros mais aproximados ao
n. 1 sao os ns, 2 e 3, e ao n. 2500 sao os
ns. 2498 e 2499, assim como que os nme-
ros mais aproximados a outro qualquer que
nosejaon. I e200, como por exemplo
o n. 2000, sao os ns. 1999 e 2001, sendo
certo que ao possui Jor de um bilhete deste
plano pode caber por surte de um a tras
premios. Recife 30 de seteuibro de 1863.
O thesoureiro,
5' 5805000 ,*,;'l":
. MARAES & BASTOS, avisam ao publico e
e a seus freguezes e amigos, que transferirn)
o seu estabelecimento de lazendas denomina-
do Loja da Boa Fe da casa da ra do Quei-
mado n. 22 para a casa da mesma ra n. 46,
onde encontrarao os freguezes um completo
i sortimento de fazendas de todas as qualida-
I des e de roupas feitas.
Participm tambem que estabeleceram
I uma officina de alfaate, a qual est sendo di-
rigida por um hbil mestre, pelo que eslo
proraptos a mandar apromptar qualquer obra
i de alfaate, por medida e a contento do fre-
Esperam, pois, os mesmos que coutinua-
ro a merecer a preferencia, que at boje os
seus freguezes e amigos lhes tem dado.
Continua a haver pao de senteio uovo nos das
(piarlas c sabbados de cada semana, na padaria
em Santo Amaro ao p da fundico, na ra da Im-
pei atriz n. 22, e ra do Brum, confronte o chafa-
1 i/. *. 47, na das Cruzes, deposito n. 39, na Pas-
sagdpi, taberna da esimina do Sr. Rento, que vira
pari Remedio, e no armazem progresso, largo
da Penha n. 10.
NOVO ESTABELECIMENTO DE MEDICINA HOMEOPATHK
RIJA tf OVA M. 48*
O Dr. Sabino O. L. Pinho mudou o seu (CONSULTORIO para a loja de marnorr
ra Nova n. 43, onde continua a dar consultas todo o das uteis desale o- mek dia al
2 horas.
Os enfermos, que o procurarem logo na invaso da molestia, sem que haiaai lo-
mado qualquer remedio, nem allopathico, nem homeoprtbico, pagaro imt.i.v ,^ pre^oc
estipulados. Esta concessao tem por fim facilitar a cura de molestias, que p se complicadas pelos emprego intempestivo da therapeoaVa e ao mesmo tempo adquirir
para a homeopathia raaior numero de adeptos pela bateza da cara.
Em attenco as pessoas pobres, que nao podem sabir de dia, o Dr. Salino rwol-
veudar duss consulta por semanas as tercas esextas-feiras das seis assete horas da
noite.
Os chamados para visitos e conferencias devem ser dirjgidos por escripto ao con-
sultorio desde 8 horas do dia at 8 da noite, na certeza de qne sero attendidos na-orden
de sua precedencia, salva a circunstancia de eminente perigo.
ADVERTENCIA.
O novo consultorio est prvido dos melhores medicamentos, desde a pri.neira
at a trigsima dynaminjsaco.
E como os mdicos hespanhes e allemes nao cessam de certificar a major efi-
cacia das ultissimas dynaminisacoes do tratamento das molestias dironicas, o Dr. Sabino se
oceupa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais altas ( por ora al 200. ).
alim de verificar por si mesmo a forca dynamica, que se Ihe attribue.
Os mdicos, que quizerem experimentar taes dynaminisacoes poderlo dirigir ao
consultorio suas receitas, que -sero aviadas gratuitamente para os pobres.
No mesmo consultorio se vende a novissima edico do Thesomo hnmeopnihin
ou Vademcum do homeopatha, obra indisphsavel a dos que querem usar da Mana*
pathia.
Tudo o que diz respeito nova medicina se acha abundantemente neste novo estabe-
aecimento.
Ama de le te
Preeisa-se de uma ama de leite, preforindo-se
escrava : na ra da Imperatriz, loja ti. 28J________
fr> alilMt o secundo andar do ;!?'
':-' sobrailo n. 6 da ra da Lapa: a :
:-' tratar na ra Velha n. 57. *
iVecisa-se de um menino de idade de 12 a
l4annos, que saiba Mr,oude um homcm de 30 a ,
40 annos : a tratar na ra da Concordia, casa ter- j '/r,*,,y' /Tk'jR^/r- T T W-T '.+ ,T .?.
rea n. 38, das 3 horas da tarde em diaute. __
-------------------, .------------------- Precisa-se da quantia de WI05 a premio dV
- Aluga-se a toja de tres portas na ra do La- 24 mm so|)ni hvpo|eca vm meIaJl. de ^ silio
buga n. 2 A : qoem pretender a chave, pode pro-1 no va,0|. fc Iliaisiit!;,;001,5 m,n tjV(.r annunrj^
curar no mesmo correr, loja de miudezas n. 4, que
achara com quem faca negocio a vontade do pre-
tndeme.
653
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
ditas com cognac, algnmas caixas
I com superior cha preto primeira qualidade e bar-
iriscom carne salgada Unto de porco como de vac- All '3 SC precisa OC I! III CaiXCirO
ca, tudoem lotes sem limites para fechar coalas, ue eulttOda de phaflUatia '. na ra do
tambera havera caixas de vmho Bordeaux dos JTZ .. T
mais acreditados fabricantes e ditas de vinho taDngan.il.
muscatel, as amostras acham-se no armazem do
Annes onde ter lugar o leilao quarta-eira 7 do
corrente pelas 10 horas da manhaa.
IEIIAO
BE
de
l ma casa terrea e so*o em Fora
Portas n. 5o.
<|nint:i-feira 8 do corrente.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
iem perteneer tuna casa terrea e sotao sita na
ra do Pilar em Fra de Portas n. 55, de pedra e
40 PUBLICO
Nos abaixo assignados, abem de nossa reputacao
respondemos a um escripto publicado cm uma das
; collumnas do Cttmpeao, que trata a respeito da ta-
berna no pateo do Terco, denominada Conservador
lancando sobre os caixeiros odiosidade, e as sus-
! peitas dos compradores, dizendo que os referidos
caixeiros da taberna, costuinam a engaaren) os
freguezes nos pezos, illudindo-os dest'arte nos pre-
ces dos gneros, como ttzeran com um menino,
que comprou na referida taberna meia libra de assu-
car.e apenas deram-lhequarta e meia verificando-se
Precisa-se de vendedeiras de bolos de venda-
gem, e paga-se liem: na botica do pateo do Carmo.
CtRKT0S
Para dentro e fra da cidade se manda conduzi
objeelos por barato prego : a tratar no armazem
na bolaamarella da rua'do Imperador no oitao da
secretaria da polica.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Vi eiae.lo cos el ra a vapor.
Parahiba. Rafal, Maco, Ararat, Cear, e Acarac
O va|ior Munuinjnape comman-
dante Moma, seguir para os
portos cima indicados no dia 7
de outubro prximo. Receber
carga at o dia 6 ao meio dia.
Encommendas, passageiros c dinheiro a frote at o
dia da sahida as 3 horas : escriptorio no Forte do
Mattos n. 1.___________________
Para a Bahia pretende sahir com muita bre-
vidade a escuna Ernestina, por ter a maior parte
da carga urompta, para o resto que lhes falta tra-
ta-se com os consignatarios Palmeira 4 Beltrao,
largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
0 hiate Santa Rita, para o Araca-
ty segu por estes dias : a tratar
com Tasso Irmaos ou no trapiche do
algodo com o Sr. Joao AI ves de
Quintal.
O patacho Campestre, segu para o
Bio de Janeiro por estes 8 dias, com
a carga que ti ver, pelo que se far
fretes vontade do carregador, re-
cebe tambem escravos : a tratar com
os consignatarios Tasso Irmaos ou com o capito
Antonio Goncalves de Araujo.
SS n^?,^ t',2 'TLlp0r,a' assim dolo na grande prcaodemciacmarta.; norm
^SSS^JJSt E?!^' ?'" nos esperamos que o imbico sensato como nao
O para 0 sotao no .pial tem i quartos, sala atraz acrcJe Cl|1 um'0Scripto de tao pouca importancia,
para jantar com um quarto, cosinha fra, muito
grande, quintal murado por ambos os lados o com
dous quartos, cacimba o no fundo para o lado da
mnr tem um telhciro em toda a largura da casa
prompto a repartii-se onde se faz urna pequea
casa, os Srs. pretendentes poderao examina-la a
qualquer hora e o leilao ter lugar quinta-feira 8
do corrente pelas 12 horas da manhaa em ponto
como o publicada no CampeCio,i\uc s traz por fim o
desejo ardenlc de manchar a honra era dignidade
da prolisso que temos, como caixeiros, o que (lea-
mos tranquillos, que o publico far a devida justica
aos caixeiros da taberna Conservador, de que sao
incapazes de lezarem os compradores, em pezos tao
rediculos, como diz o autor do tal escripto que oc-
cupou meia colluinna do t'uip7o,escripto este quo
Pal!XtSH;^rrJ,,nt0Ha,atHJrna ^ ^ ^aoTlho^r^o^ Simpla ci ^0
mire ai & ^ ** associa^ com" que faz alarde de um pezo tao pequeo, como pe-
IjEIIAO
DE
HA C\H\ I URBE A.
niprcitil
_:_________________________________________queno o escripto que se l no Campeao, talvez de-,
; vido a engao de um dos caixeiros da referida ta-
bern; portn fique certo o Sr. autor de tal escrip-
I to pygmeu, que, a nossa dignidade, j contamos
com ella salva, pela honra, e dignidade do muito \
respeitavel publico; assim como, sempre, que o;
UUlIlta-leira 8 dO COrreilte as 10 horas Sr. autor do neqnenino escripto passar, pela refe-1
(ll ni'inlia a. taberna, verana tatwleta com letras doura-
0 agente Olvmnio bmri novamente em leilan a das ,ilul de OnwmK e nao de rapiador,'
caStSS S a e3as"a0VnaraCrta ?o SlB* ^Zi lez:lderm''$ ^ assi
gucl (nos Afogados) n. 22, a qual tem 2 salas, 2 louvado Deus' scr J'Jffl!^0
quartos, cosinha fra e quintal grande murado
com portao, pagando de foro annualmento 2^20 e
rende mensalmeiite 10S>.
O leilao ser effectuado no armazem do referido
agente ra do imperador n. 16.
LEILOES.
DE
i:*c u % vos i: io\ i in.
O agenle Almeida far leilao requerimento
dos administradores da massa fallida de Seve Pi-
lilos & C. e mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial
do commercio dos seguintes escravos e movis :
Mara, de idade de 60 annos; Francisco de li an-
nos ; Joo de 11 annos; Perpetua de 11 anuos ;
Jos de 8 annos; Antonio de 40 annos; Themoteo
de 80 annos ; rsula de 20 annos; Catharina de
7 annos ; Joao Nogueira de 70 annos ; Fclicidade
de 30 annos ; Valerio de 5 annos ; e Vicente de 4
annos.
17 cadeiras de Jacaranda, 2 ditas com bra^o, 2
ditas de balanco, 1 sof, 2 consolos, 1 mesa com
pedra, 1 piano hamburguez, 1 mesa clstica de
amarello com 5 taboas, 1 dita menor, um apara-
dor de amareUe, 2 ini .piezas, 18 cadeiras pretss
inglezas, 2 gtula vestidos. 2 ditos de pinho pin-
tado, uma privada de amarello, 3 lavatorios de
amarello, 4 castraos de casquinho com lanternas,
uma mesa de pinho para engommado, um cande-
labro com 5 mangas, 10 cadeiras haraburguezas,
um espelho grande dourado, uma mesinha de
amarao, mn lavatorio, uma lamenta de metal,
e outros mnitos objectos que estarao patentes aos
compradores.
IIO JE.
s II horas do dia, no Mangainho sitio do Sr. Se-
ve, defreate da entrada para a Capmnga.
As 10 horas encontrarao os concurrentes nm
mnibus para o transporte na esquina da roa do
Crespo.
AVISOS DIVERSOS.
No Diario de Pernambuco de hoje, foi publi-
cado um annuncio pelo Sr. Maqoel Jos Fernaudes
Barros ao qual nao posso deixar de responder. E
verdade que do meu poder perdeu-se o testamento
cora que fallecen a Sra. D. Carlota Joaquina de
Albuquerque Cmara, o qual consta-me que aupa-
recera e se acha em poder do Sr. Dr. Gabriel Soa-
res Raposo da Cmara, porin apresso-me a decla-
rar, que se recebi o testamento de qne se trata ao
sahir da reparticao foi na qualidade de amigo offl-
cioso do Sr. Barros, por conliecer seu sobrinho na
pessoa do portador, e nao na qualidade deemprega-
do publico comojquiz fazer crr o mesmo Sr. Barros.
Recife, 3 de outubro de 1803.
Vicente Machado Freir Pereira da Sitva.
100$ de graiificaco
Fugio no dia 20 de setembro de 1839, do enge-
nho Monge, comarca deGoianna, freguezia de Itam-
U, o escravo crioulo por nome Bartholomeu, de
idade 28 annos, altura regular, cor preta, falta de
dentes na frente, gengivas bem encarnadas, muito
pouca barba, corpo um ponco fornido, peinas fi-
nas, ps pequeos, olhos regulares, c o branco do
olho nm pouco vermelho, mnito palrador, tocador
Chegou no ultimo vapor vindoda Europa um
moco portuguez, e quer arranjar-se em uma refi-
nacao, o qual est habilitado para se encarregar
dotrabalho da mesma, tem muito boa pratica do
olicio : pode ser procurado na ra cstreita do Ro-
! gario a. fe___________________________j
Precisa-se de um homem que entenda perfei-;
tamente de refinaco, como bera derreter e bater, deseja-se fallar aos Sre. Gabnel Germano do Agmar
e tambem de caf, paga-se bom ordenado : a tra-
tar nos fundos da casa do Sr. Flix, ourives : na
ra da Senzala Velha com Jos Maria Machado.
Preeisa-se
de uma criada para casa de uma familia com-
posta de tres pessoas : a tratar na ra Augusta
n. a, sobrado de um andar.
m mmm mmm mmm
Loja de murmore.
Lino de Farla
devidamente autorizado pelss Srs. admi-
nistradores da massa fallida de Faria & C.
com approvacao do Sr. Dr. juiz de direilo
especial do commercio, convida pelo pre-
sente annuncio a todos os Srs. devedores
da dita firma extineta, a solverom seus
dbitos com a maior brevidade, dirigindo-
sc para esse fim casa do annunciante,
2o andar do sobrado da na do Imperador
por cima do estabelecimento do Sr. Flix
alfaiate. O annunciante, nao tratando de
cobrar dividas suas. caso em que poderia ~
ter contemplado para com alguns dos Jj^
Srs. devedores, a quem estima e grato, rgj
mas sim tendo de dar prompto e inteiro S
cumprimento ao mandato, que recebcu dos gj
ditos Srs. administradores, que parficu- ce
larmente Ihe recoramendaranv que accio- g
nassea tollos aquclles que nao quizessem Jgfc
amigavelmente pagar, julga de ver prev- |
nir disso os mesmos devedores, de quem ls
espera desculpa se o forcarem a propor ^
aceito ern juizo contra elles. Becife 25 5}
de'setombro de 1803.
ATTElflOo
Na ra estreita do Rosario n. 19 trabalha-se com
toda a perfeico cm bordados, e flores de todas as
qualidades, promptam-se ricas grinaldas e bo-
quets para casamentes e bailes, d-se tambem li-
coes de flores s familias que quizerem aprender.
sul.
John Bobertson retira-se para os portos do
Ka ra do Qu^imado a. 1
Montarroyos e Joaquim
tarroyos.
Ribeiro de Aguiar Mon-
Francisca Josephina Grego Guimares e o pa-
dre Leonardo Joao Cre^o, vi uva c cunliado do fal-
lecido capito Jos Francisco Manoel da Silva Gui-
mares agraderem cordial mente a todas as pes-
soas que se dignaram assistir ao memento manda-
do celebrar por alma do mesmo fallecido, bem co-
mo aos Srs. Quinteiro & Agr, os obsequios pres-
tados nessa occasiao, o que asss demonstra uma
verdadeira amizade.
ATTTBNVAO.
Anda se acha fgida a escrava Jacintha, e cons-
ta-me que esta escrava vive occulla pelos escravos
do Sr- Dr. Antonio Tristao de Serpa Brandao, em
Marinha Farinha, e qnando dahi sane oceultada
felos escravos do Sr. Honorio, dono do engenlio
apumim, em Goianna; por isso peco aos mesmos
senhores de me fazerem o favor de a mandar pe-1 rwan SSSi .lo rnrrwiAr a rasa, da ma do
gar, e r.mette-lo ra Nova 4^que se gi Cres^^lauo'ao'ce^e &?2*&
todas as despezas, asstnj como rautto se agradece na n^,e dc 4bbado 26 d(/eorrenle depoiTdo es-
aos mesmos sennores. _________________| pee^ujo dous bhmculos- sendo um pequeo de
e engomua-se madreperola e metal, com algum uso, dentro
__Pelo presente se faz publico, para conbeci-
mento de qnem interessar possa, que ninguem con-
trate negocio algum com a Sra. D. Thereea Fran-
cisca dos Passos acerca da casa que a mesma pos-
snc na Estrada Nova, visto como est essa casa su-
jeita ao pagamento das dividas contrahidas por
essa senliera, c desde j se protesta pela nullidade
de qualquer negocio tendente a alinelo de dita
casa.
Sabbado 3 do corrente, das 4 s 6 horas da lar'
de, desappareceu da praia detras do Carmo ou rua
da Pala, uma cabra (bicho) toda, preta, e mnito-
rnk'llda. boa cradeira, coro 3 eabritos tambem
pretos, eom as poatinhas do cabo brancas o duas
com ar signal branco; suppoe-se ter sido fusta-
da : a pessoa que d'ella der noticias, sera recom-
peensada na rua do Sol n. 37.
occasiao de bebedeira e dizer que tinha feito uma
morte em Pedras de Fogo. pelo que [o recolhido
cadeia de Nazareth, e nao tendo apparecido tal cri-
me foi posto em Itbcrdade, e dessa occasiao consta
3ue foi trabalhar na estrada de ferro com o nome
e Joo Francisco a titulo de forro : quem o levar
no engenho Monge aena dito ser gratificado com
10OJ00._______________________________________
Roga-se ao Ulm. Sr. Crmelo Seares de Car-
valho, morador na Piranga (Afogados} o obsequio
de mandar pagar os alugueis do sitio que arrendou
no mencionado lugar.
l. v-
que
rna do Crespo n.
4, loja de J.
_ Francisco Jos da Silva n/p;w ou arhado ditos bhculos farao um especial favor
para o R.od6 Janeiro ern^virlude da procuracao mn,aMo^ ^ Mu don 0 ^ de ,he fl.
pascada nesta data n o.cartn o detebet Ho Alimet- CJ1V ai,r restituir que tiverem dado
da, encarregon ao Sr. Jos Mana Nones oara o re- u
presentar durante a sua ausencia em toos ee se*
nettocios. Recife 5 de setembro de 1864.
--Os cscrivaes dos protestan d* ^* \
mudaraut osen m torio oara
Imperador no an!ar terrro \
deosoliciUdorAlbooi'ci
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artificiaes tanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a vontade de seus donos, tem ps
e outras preparacoes as mais acreditadas
oara conservago da bocea.
Manoel Raymundo Penaforte, solicitador pro-
visionado pelo Exm. Sr. presidente do meretissimo
jribunal do commercio, contina a residir na rua
do Livramento 11. 2o, segundo andar, aonde pode
scr procurado das 7 horas da manhaa at as 9, e
das 3 at as o horas da tarde, em sua casa, para
os misteres dc sua prolisso.____________________
Pergunta-se a certo advogado deste auditorio
se deixando a sua nobre prolisso por nao ter par-
tes qne concorram com suas causas, passou agora
a infamante proflssao de denunciante de alguns
empregados da justica, e que nada tem offenaido,
talvez isso devido a nao Ihe levarem causas como
o sentar tanto almeja t
A <|siesn possa interessar.
Avisa-se qoe a metade do sobrado de um andar
n. 34 da rua da Concordia, que consenhor o Sr.
Norberto Muniz Teixeira Guimaii-s. nSBSMa pe-
nhorda por uma execuco coinuieirial, escrivo
Joo de Andrade.
A. SchalTter j C. cstabelecidos nesta praca
com casa bancaria, fazem scienle ao corpo do i-oi
mercio que tendo contratado s- iedade com o Ban-
co Suissode Sante Gall, conVinuarrioi'omo|>elo pas-
sado, as suas operac,5es hancanas, consisiind em
descontar letras, tomar dinheiro em conta corrente
e saccar sobre Ixindres, Paris, Hamburgo, e dife-
rentes bancos suissos.
mmmmm
Attencdo
Pede-se ao soldado da guarda nacional em
aquartelamento Jos Rodrigues da Cruz, que va
rua doAlecrim deposito pagar as comedonas que
comprou desde 4 de agosto prximo passado e
tem allegado que nao recebe sold
Precisa-se aterrar um terreno alagado por
detraz da olaria da rua da Gloria, iont o Sr. Dr.
Moscozo: quem quizer contratar dirija-se a loja
da rua do Crespo n. 14. ___.
Ahigam-se a loja do sobrado n. 193 e arma*
zem n. 71 da rua Imperial; o armazem n. 4 da
rua do Apollo e a casa n. 27 da rna do Burgos : a
tratar na rua da Aurora n. 36.
O abaixo assignado apressa-se a declarar, rjue o
testamento da finada D. Cariota -Joaquina, de A.
Cmara, qne havia sido perdido pelo Sr. Vicento
Theodoro Machado Freir Pereira da Silva acaba
de scr entregue por um, preto que o "adion na
porta da alfandega, no mesmo dia em que fra
elle perdido. Recife, 3~.de outobro de 4663.
Manoel Jos Fernandez Barros.
Aluga-se uma oasa com tres quartos, bom
quintal, lugar de sombra, muito propria para os
Srs. estudantes aue sempre a tem. occupado,sita na
rua dos Coelhos piato ao sobrado.: a tratar na rua
do Mendego olaria n. 13.
Claudio Dubeux convida os seus bciguee-
credores a viitm receber no. seu escriptorio. aa
rua do Imperador n. 43, o primeiro dividendo da
respectiva concordata de 4 de onrabro de 1803.
l'm homem de idade so offerece para eaixeiro
de qualquer casa de ncfocio, o qual ten bastante
pratica, o dar informaces dc sua conducta : na
rua do Calabouco n. 18-
O Dr. Cosme de S Pen-ira conli-1
na a residir na na da Cruz n. .":i. 1
Io e 2o andar, onde pode ser pota-
ndo para o exercieio da sua prolis-
so medica, e com especialidad*-
sobre o seguinte
Io molestias de olhos
2o de peilo :
3o dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na onletn da suas
entradas romecando o traUlho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
Cao que julgar conveniente para o
prompto restabeleiimento dos seus
doentes.
.1
US I
Perdeu-sc na noite de 1." dc outubro uma
subscripto eom seus attestados. |ierteneendo a
Antonia Francisca Teixeira. embrulhado em um
lenee de eambraia, c perdido na rua da Cadeia
do Recife : quem achou tenba a bondade de en
tregar na livraria do Sr. Figueiroa, que a dona fi
cara agradecida.
mmmmmmmmmmmm'mm
Companhia delidade de |
seguros snarUInsos e ter-
restres estabeleeidu no!
Rio de laneiro.
AilF.XTKS EM rKPNAMBLT.0
Aiiliiaiit Luis de Oifira Azevedo k (.,
competentemente anK>risados |iela direo
toria da companhia de seguros Fidi.ud.v
dc, tumam segueos de navios, mercado-
ras e predios no- seu escriptorio rua da
Cru* n, 1.
O abaixo assignado faz ver ao respeitavel pu-
blico e prrcipataaenje ao corpo do commercio que
compren a taberna sita no becco do Campelb n.
4, Ikvre-e dcscabaraeada e se alguem se julgaj
com direito a aiguna reclamaco queira apre-
sentar suas contas nestes 3 dias. Recife 29 de se-
tembrede Mi.
Antonio Martins- Lisboa.
Alufa-se o (irimeiro andar da rua do Creef
n. 23 ; a tratar na loja.
- D-se dnhe"-o a juros sobre pennore ; no
pateo do Terco
Precisa-se
madvtira para uma
nito: quem quizer
Saudade n. 21.
a
cozinheira e engom-
">*' na villa do Bo-
i rua da
Aluga-se a casa da rua
eom 3 janellas e 1 porta-
da Alegra n. 4a
'i*a, na vi
ija-se
ijHguei p
,* '
< Pnulooos Santos quri-
s 4a Praia armaccm
!o de iievetfo, coai ir-
Agencia de passaporte.
Claudino do Reg Lima, despachante de pasa-
porte, tira-os para dentro e fra do imperio por
commodo preco, e com prstela: na rua da Pwiaj
primeiro andar n. 47.
Ollerece-s um rapaz idsnguei para tomar
coma de uma tanerna por balanco ou meso para,
eaixeiro o qual tem todas as habilitacoes e da uta
perfeito coniecimento de sua conducta : quem
precisar annuncic por este jornal._____________
Magno Coelbo Pereira, subdito portuguez
retira-se para fra da provincia.__________.
Precba-se alugar uma escrava parajw"^-
noinarar saW |Jo o mais cerneo de nwa. en
S lillsando-se o aeahor pelo seu
Precisa-se de uma ana para todo o servico. _
" 1a casa, prefere-se esertta : na rua Direila! oorfPsWalnW airatar
16 ^^
na rua da Cruz n. to,
armazem.
MUTILADO



Diario de Pero^ ueo Segunda letra 5 de Outubro de 18AS.



I
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
Candes de visita
Candes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartdes de visita
85000 a duzia
8*000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
____________Rna do Imperador_______________
Lava-se e engomma-se com pcrfcicao, tanto
para hemem como para senhora, por preco mais
commodo do que em outra qualquer parte : na ra
de S. Bou Jess das Crioulas, casa n. 36.________
Anda existe por vender-seas obras em fran-
cez, bem encadernadas e com estampas : Miste-
rios de Pars, Balzac, Vctor Hugo, obras completas
de Chateaubriand, Guizot, Historia moderna, Can-
tu, Historia universal e Historia do consulado e do
imperio : na ra das Cruzes, sobrado n. 9, lado
(Invito quera vai da ra do Queimado para S. Fran-
cisco, tambera se aluga o mesmo sobrado a quem
comprar parte da raobilia que no racsrao se acha.
Aluga-se por 185 a casa terrea da ra dos
Guararapes n. 67, com 2 salas, 2 quartos, cozinha,
quintal e sotao : a tratar na ra da Cadea do Re-
cite n. 47, loja.
oaquim Dias Pin apiro Larangera e Joaquim
Amonio Larangcira fazera publico para conheci-
raento de quera interessar possa, e com especiali-
dade ao corpo do commercio, que compraram ao i
Sr. JoSo da Silva Augusto a taberna sita na ra'
do Rosario da Boa-Vista n. 2, livre e desembaraza-
da : se alguom sejulgar com direito a qualquer
rcclamaco, comprela na mesma taberna, no pra-
so de tres das. Rccife 2 de outubro de 1863.
GABINETE
PORTUGIEZ HE LtlllIU EM PER-
KAIBVCO.
De ordem do lllm. Sr. presidente do conselho
deliberativo convoco o mesmo conselho para se
reunir em 6essao ordinaria na sala das respectivas
sessdes segunda-feira 5 do corrente, as 6 horas da
tarde.
Secretaria do conselho deliberativo do Gabinete
Portuguez de Leitura em Pernambuco 2 de outu-
bro de 1863.
A. A. dos Santos Porto.
_______________________Secretario interino .|
Offerece-se urna mulher ^apaz para cozinhar
em casa de pouca familia ; na ra da Imperatriz
n. 48, segundo andar. __________
Quera annuncioa preciar de 3 a 4:0005000
eom hypotheca, dirija-se ra cstreita do Rosario,
loja n. 10._______________________________
Agencia de Iciles.
Antonio Jos Cordeiro Simes scientiica ao res- i
peitavel corpo do commercio desta praca, como
tambera aos seus amigos, que mudou o seu escrip-
torio da ra do Vigario n. 17 para o pnmeiro an-
dar do sobrado n. 28 na ra da Cadeia, aonde pode
ser procurado todos os das uteis, das 9 horas da
nianbaa as 4 da larde, nara exercer os misteres de
sna profissd.____________________________
- Desencaminliuu-se, indo hontem para o sello,
uin saque de Francisco Gradeado da Costa & Fi-
Ihos. do Para, da quantia de 1:4005 ordom de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &C., a 15 d/v
sobre os Srs. N. O. Bieber & C, successores;
quera o adiar o poder entregar no cscriptorio
roa da Cruz n. 1.
Aiuga-se um mulato escravo muito flel e de
boa conducta, entende de todo o servico de casa
de familia, sabe tambem bolear : quem pretnde-
lo, dirija-se ra do Apollo n. 25, segundo andar.
O aJhaixo assignado faz publico, que desta
data em .liante deixa de ser caixeiro tos Srs. Mi-
guel Joaquim da Costa & C ; e aproveita a occa-
.-iao para agradecer aos mesmos seuhores a bene-
volencia- cora que o tralarain.
Recife, 2 de outubro de 1863.
^_____________Antonio Jos Borges
FAZENDAS DE BOM GOSTO.
PAEA 7BST1D0S-
Superiores cortes de gorgurao de seda com flores matisadas os mais modernos que tcm vindo a Pernambuco.
Ditos de moreantique de cores, de listas, de flores, e achamalotados, cores mu lindas.
Ditos de moreantique pretos de palmas com barra.
Lindos cortes de grenadine de seda com barra e chale igual.
Ditos de laa com barra matisada e da mesma cor, a imperatriz pelo barato preco de 105, 125, 185 e 20 cada corte.
Ricos vestidos de blonde para noiva com lindas mantas de fil de seda, de blond e com capella.
Ditos de cambraiabrancos bordados a 125, 155, 255 e 355cada corte.
Lindas laas lisas finas a 500rs. o covado.
Ditas de quadrinhos e de flores a 400, 500 e 600 rs. o covado.
Superiores organdys com listas de seda, os mais modernos que tem vindo a Pernambuco.
Lindas cassas de cores de superior qualidade a 400,600 e 640 rs. a vara; assim
_ Como um variado sortimento de percales, chitas francezas a 280,320,400, 500 e 640 rs. o covado, e outras muitas fazendas que
seria enfadonho mencionar.
PARA HOMBROS DE SISVIIORAN
Manteletes de seda pretos a 18.
Capas pretas de grs a 255,305 e 355.
Ditas muito superiores a 405,455 e 505.
Superiores santiembarques de casemira.
Ditos ditos de lindas laazinhas lisas e de quadros. > .
Ditos de seda pretos e de cores.
Ditos de musselina de seda chineza.
Superiores manteletes de torcal pretos.
Lindos chales de musselina e de chally roatisados com listas de seda.
Novos chales de torcal e outros muitos artigos modernos.
PARA CABERA DE SEMHORA E MECIMOS.
Superiores enfeites de flores, gostos os mais modernos em Paris, chegados pelo ultimo vapor francez.
Lindos chapeos de palha da Italia enfeitados com muito gosto, a Imperatriz e a Valeroy.
Ditos de palha para meninos e meninas.
Ditos de seda bordados.
Entremeios bordados largos e estreitos, tiras bordadas largas e estreitas, tiras de fustao bordadas para calcas de meninas, saias
bordadas c outros muitos artigos de gosto por precos mais commodos do que em outra qualquer parte : na ra do Crespo n. 13, loja
das columnas de Antonio Correia de Vasconcellos & C.
LOTERA.
0 thesoureiro das loteras desta provin-
; ca, desejando extrahi-Ias em maior capital
' e com menores intervaos, offerece a vanta-
gera de dous por cento jiiem comprar
para negocio, na quantia de i 005 para cima,
e de 1 '/i por /o as loteras extraordinarias;
assim como se propoe a estabelecer corres-
pondencias para qualcruer localidade da pro-
vincia, remettendo bilhetes, meios e listas,
sob flanea idnea; devendo o pagamento
delles ser feito logo que sejam recebidas as
listas e novos bilhetes remettidos. O the-
soureiro certo da conveniencia desse negocio,
convida aos Srs. eommerciantes da Victoria,
Goianna, Rio Formoso, Nazareth, SerinMem
e mais localidades populosas da provincia", e
mesmo os desta capital, que o quizerem, a
entenderem-se com elle, na thesouraria das
loteras, ra do Crespo n. 15: advertindo
que receber em pagamento e sem descont,
os bilhetes premiados de todas as loteras
da provincia recolhidos thesouraria da fa-
zenda provincial.
Thesouraria das loteras, 20 de unho de
1863.
O thesoureiro,
______Antonio Jes Rodrigues de Souza.
O abaixo assignado, tendo muita necessidade
de fallar aos senhores seguintes, e como ignore
suas moradas, por isso, pelo presente, pede quei-
rara dirgir-se villa do Cabo : Luiz Vieira de
Freitas, Jos Mara da Slveira e Francisco do Nas-
ciuiento.
____________________________J. Kreuzer. |
Aluga-se um segundo andar e sotao com
commedos para grande familia no caes do Ramos :
a tratar com JosHygino de Miranda.
Jos Antonio de Brito Bastos tem urgente ne-
cessidade de fallar com o Sr. Joaquim da Fonseca
Soares de Figueiredo (agrimensor); e por nao sa-
ber onde o encontrar, vem por este meio rogar-
Ihe o favor de vir lhe fallar no engenho do Meio
da Varzea, ou engenho Santa Cruz em Una.
0 advogado Joo Goncalvt
da Silva Sfontarroyos tem*o sea
escriptorio na ra estreita do
llosa rio n. 17, onde pode ser
procurado das 9 horas da nia-
nha s 3 da tarde.
AURORA
LARGO DA
')"' s
RRILHANTE.
L II
SANTA CRUZ.
Francisco Jos Fernandes Pires dono do grande estabelecimento de molhados denomi-
nado AURORA BRILHANTE, avisa ao respeitavel publico tanto da praca como de fra e com S
especialidade aos seus freguezes que o seu estabelecimento acha-se prvido de novo sorti-
mento de bons gneros tanto do paiz como do estrangeiro e promette vender muito em conta
tanto a retalho como em grosso :
"a*
Precsa-se alugar uin molequo para o servi-
i_c interno e extorno de urna casa de familia : na
ra do Imperador n. 71, segundo andar.
Juguel.
Aluga-se o primeiro e segundo au-
llar do sobrado da ra Vellia u. 20 : a
tratar n-rua do Seno n. 24.
O-Sr. Joa(|uim Antonio Pereira Botelho, na'
iural da vitia de Angiga no reino de Portugal, e
gue voio para Pernambuco era 24 de novembro de
1860, dirija-se i ra do Imperador n. 38, pharma-
cia franceza para receber noticias de sua patria de
pessoas que lhe inleressara, cu quem souber do
mesmo senhor, e aonde est, pode informar na
mesma botica.
Precisa-se de um caixeiro que lome conta de
urna taberna por balaneo : na ra,do Rangel nu-
mero 75._____________
TINTURARA.
Tinge-se com perfeico para qualquer
cor, e o mais barato possivel: na ra do
Rangel n. 38, segundo andar._________
Precisa-se de um menino de 13 a
13 anuos de idade para caixeiro de lo-
ja de ferragens e miudezas na cidade
de Macei, exigindo-se esereva soffri*
vel quaudo nao muito bem: quem pre-
tender di rija-se rna 4a Cadeia do
Retire ne tac idade loja de ferragens
de Silva & Abreu, que achara camquem
tratar.
Ainda est por alugar-se o segundo an-
dar do sobrado n. 44, em a ra da Auro-
ra : quem o quizer dirija-se esta mes-
ma ra casa n. 10.
"O baeharel Francisco Augusto" tem o
seu escriptorio de advogado na ra do
Imperador n. C9, onde pode ser procu-
rado das 9 horas da manhaa s 3 da ?i
tarde.
Aluga-se urna cscrava que cozinha, engom- [
ma, compra, c muito flel : na ra do Imperador i
n. 50, terceiro andar.________________
O Sr. Tito Livio Soares tem urna carta vinda
do Rio de Janeiro, no escriptorio de Tasso Irmos: |!
BA1CO l\IAO
ESTABELECIDO NACIDADE DO PORTO
Agentes em Pernambneo
Antonio .iz de Oliveira
Vzc vedo & C .
Sacam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agencias em Fi-
gueira, Coimbra, Aveiro, Vizeu, Villa-
Real, Regoa, Vianna de Castello, Guima-
raes, Barcellos, Lamego, Covilhaa, Braga,
Penafiel, Braganga, Amarante, Angra,
Ilha da Terceira, Ilha de Faias, Ilha da
Madeira, Villa do Conde, Valenca, Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves e Fafe, a
oito dias vista ou ao prazo que se conven-
conar.no seu escriptorio ra da Cruz
n. 1.
Manteiga ingleza flor a libra .800 e 960
Dita segunda sorte dita dita a 720 e 640
Dita terceira sorte dita dita a 480 e 400
Dita franceza da nova a 360 e em bar-
ris a..........520
Dita hamburgueza em barris pequeos
a 600 rs. a libra e.....640
Banha de porco fina a 560 e 480
Cha huxira miudinho muito superior
a libra........2#880
Dito hysson miudinho o melhor possi-
vel a libra.......35000
Dito hysson graudo a.....25720
Dito dito a........25560
Dito preto o melhor a desejar a 2000
Vinho do Porto em pipa muitoTfino" a
640, 720 e........ 800
Dito da Figueira puro a 560 c caada 45200
Dito dito a 480 e caada .... 35800
Dito de Lisboa branco proprio para
mesa.........640
Dito de dito cracavelos. temo e outros
a 500.........600
Vinagre de Lisboa puro a 240 e 280 e
caada........15000
Serveja branca e preta a garrafa 500
560 e........
LOTERA
GASA DA FORTUNA
O abaixo assignado faz scientc ao respeitavel
publico que vendeu nos seus muito felizes bilhe-
tes garantidos as sortes de 5:000 e 1;0005 e outras
muitas de 100?, 405 e 205 da lotera que se aca-
bou de extrahir em beneficio da igreja de Nossa
Senhora das Neves de Olinda e convida aos pos-
suidores de ditos bilhetes a virem receber seus
respectivos premios em seu estabelecimento casa
da fortuna ra do Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto venda em seu dito es-
tabelecimento e as casas do costume os mui fe-
lizes bilhetes garantidos da lotera extraordinaria
a beneficio da matriz da Boa-Vista, a qual se de-
vera extrahir no dia 10 de outubro prximo ; e as
sortes que clles obtiverem sero pela mesma for-
ma pagas urna hora depois da extraccao.
Procos.
Bilhetes nteiros..... 125000
Meios bilhetes. / 65000
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 115200
Meios......... 55600
__________________Manoel Martins Fiuza.
Armazens para alugar
Alugam-se os dous grandes armazens da ra de
Apollo ns. 38 e 40, communicados por dentro por
meio de arcos, e proprios para um grande estabe-
lecimento de assucar ou outro qualquer negocio
por ter excellente porto de embarque : trata-se
com AntonioAlvesBarbosa na ruados Guararapes
numero 28._____________________
Precisa-se de um braco de balanca e conchas
de pao, que seja bom, para balcao, e um terno de
pesos de arroba : na ra do Livramcnto n. 3 A.
COMPRAS.
Vinho Bordeaux em caixa a 85, 95 e
105 e garrafas a 800, 900 e .
Genebra de laranja em frasco a 15 e
Dito dito em massos a.....15600 Dita verdadeira de Hollanda a 640 e
720

40
480
Dito nacional em latas de urna e mais
libras a 15600, 15800 e .
Queijos do reino do vapor a 25400, 25,
15760 e......! V
Dito de prato muito novo a libra 640 e
Dito de manteiga muito frescaes do Se-
rid a libra.......
Ditos de qualha a libra.....
Bolacbinha ingleza de 240 e 320 e bar-
ril |u i nlia a arroba a 25 e 35000
Latas com bolachinha de soda, cracre-
nell, mixide, viloria, pequinique e
outras qualidades superiores a 15600
Ditas com ameixa franceza nova a li-
bra 800 e ....... 15000
Ditas com figos de comadre novos la-
tas de 4 libras a.....15400
Ditas ditas de dito com 8 libras 25500
Ditas com marraelada nova a libra
640 e.........
Ditas com massa de tomates a libra
640 e.........
Ditas com peixe de Portugal muito
bem conservado em molho sendo sa-
vel, salmonete, congro, goraz e ou-
tros a.......
Ditas com ostras americanas a
Ditas com sardinhas de Nantes a 360 e
Ditas com fructas era calda a .
Massa para sopa, macarrao, talharim,
aletria, estrelinha, pende, rodinhas
e arroz a libra
Frascos com conservas inglezas a
25000 Dito com mustarda franceza a 480 e .
I Alpista arroba 55 e libra .
15500 Espermacete libra 640, 720 e .
Velas de carnauba e de composico do
Aracaty arroba 105 e libra 360 e
Carne do Serid a libra ....
Linguica do sertao nova a .
Charutos finos de Simas, suspiros, pa-
i risiences, regala, delicias e muitas
outras qualidades e autores para di-
versos precos ......
Ervilhas novas a libra a .
Sevada nova em grao arroba 25500 e
libra.........
Sabio hespanhol branco a .
Sabio massa a 160, 200, 240 e .
Vassouras de timb e grande quanti-
dade a........
Saceos grandes com farinhade Goian-
na a 45800 e .. ..
Ditos com farello de Lsba de 100
bras a 45500 e .. .. .....
Ditas com arroz de casca novo a .
Azeite de coco e carrapato a 480 e .
Dito doce de Lisboa a garrafa .. .
Amendoas novas libra.......
Passas novas libra 480 e......
Gomma muito al va e nova arroba 25800
e libra ...........
Dita mais trigueira arroba 25 e libra
60 e
640
15000
900
960
800
640
180
880
400
240
400
240
Na ra do Crespo n. 16 compra-se urna ba-
lanza grande cora 5 pesos de 2 arrobas, 1 arroba,
1|2 arroba, 8 libras, 4 libras, 2 libras e 1 libra,
tudo j usado.
720
700
15800
400
500
500
.. 55">00
1-
55000
45OOO
320
1140
320
640
Corapram-se barriquinhas que serviram de
bolachinha americana a 500 rs. cada urna : na
travessa da ra das Cruzes taberna n. 6.
Compra-se um registro de gaz j usado e um
candieiro de brago: quem tiver annuncie ou diri-
ja-se ra das Larangeiras n' 12.________________
Compra-se urna carrosa em bom estado, cora
boi ou sem elle : na antiga ra dos Quarteis, fa-
brica de cigarros n. 21.
ATTENQiO
ia commoda em se
Compra-se urna commodaVii secunda mi. que
esteja em bom estado : quem tiver dirija-se a ra llu? "a ,1,"1rera,ri ja, ^ "{"S "-, V 1I(,U1'
da Palman. 43, defronuj de urnas casas? novas.F"^ datarm la firma Magalliaes & Mendes, Loureneo
w SO NA ARARA.
Esta-se liquidando diverjas qualidades de fazen-
das por precos baratsimos, na loja cima da
Arara, ra da Imperatriz n. 56, de Loureneo P
Mendes Guimaraes. ^^
A Arara vende cassas a 2 00 rs.
Ven-se cassas para vestidos a 200 rs. o covado
cassa-organdis fina a 240,280 e 320 o covado al-
pakim de lirho para vestido de senhora a 240 o>
covado, cassas suissas de quadrinhos, a 280 e 320>
o covado; na loja da Arara n. 56, de Mendes Gui-
maraes.
Enfeites da Arara a i#ooo.
Vende-se enfeites para caneca de sennora a 15.
ditos garibaldinos a 25, gollinbas bordadas com
botaozinhos a 15, gollinhas smente 320 rs., raeias
cruas para senhora, muito largas, a 320 rs. o par,
raeias para hornera a 120 rs. e ditas para meninos
a 100 ; na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende casemlras a lgttOO
Vende-se cortes de casemira inglezas escaras a
15600, ditas escuras infestadas a 15800 : lamber
se vende em covados a 15, pois tem dilas largaras,
e um covodo e tres quartas d um corte de caifa :
cortes de casemira preta a 35500 : ra da Impe-
ratriz n. 56, loja de Mendes Guimaraes.
Oh que pectiiocha a 2,300 rs.
Vende-se pecas de cambraias de carocinhos
brancas e de cores a 25500, ditas de salpicos a
25500, ditos de palmas solas de 1 vara de largu-
ra a 25, pecas de cambraia brancas finas a 35 e
35500, pecas de cassas para cortinados com 20
varas a 95, ditas de 10 varas a 45500, na ra da
Imperatriz n. 56 loja e armazem da Arara, de
Mendes Guimaraes.
Lencos de seda da Arara a 800 rs.
Vende-se lencos de seda de urna so cor muita
finos a 800 rs. ditos estampados a 15 e 15500 con
franjas, chapeos de sol ou marequezinhos para se-
nhora, com franjas e o cabo preto de 25500 a 35,
ditos para homem a 55; na ra da Imperatriz n.
56, Arara de Mendes Guimaries.
A Arara vende ricas colchas a 8,000 rs.
Vende-se ricas colchas de velludos para cama a
85000, ditas de fustao a 55, ditas de damasco a
45, cobertas de chita a 25, cobertores de alpodio
de pello a 15600, lencos brancos finos a 200 rs.,
tapetes para sala a 55-
Grande pechincha, o corle de cambraia por 1,000.
Vende se cortes de cambraia com pequeuo to-
que de copim a 15 e 25 cada um, cortes de cam-
braia de jabados linas a 35 e 45, camisas de meia
para senhora a 500 rs., lencos de retroz para se-
nhora a 500 rs. : na ra da Imperatriz, loja da
Arara n. 56, de Mendes Guimaraes.
Madapolio infestado a 4,000 rs,
Vende-se pecas de madapolio francez infestado
fino de 12 jardas a 45, 45500, dito inglez flno,
marca Morin, 75500 ; dito marca Rainha a 75,dito
marca HH a 85, dito n. 6,-85500, dito n. 7,95500,
dito elephante fino a 105, algodao muito incorpado
a 45,45500, 55 e 55500 pechincha, brim 1*5
linho a 15280 a vara, dito a 640 rs., dito fino de-
de algodao a 280 e 320 : no ra da Imperatriz n.
56, loja da Arara de Mendes Guimaraes.
A Arara vende baldes a 3,000 rs.
Vende-se balSes de arcos americanos, os mclho-
res que tem vindo, de 15, 20, 25, 30, 35 e 40 ar-
cos, pelos precos de 35, 35500, 45 e 55, ditos de
brilhantina a 45 e 45500 : s na Arara, ra da
Imperatriz n. 56, de Mendes Guimaries.
Chitas a 200 e 210 rs. o covado.
Vende-se chitas de cores fixas a 200 rs. o cova-
do, dilas francezas com pequeo toque de mofo a
240, ditos limpos a 320, 340 e 400 rs. o covado,
chitas em corte, finos a 25000, ditas francezas a
25500, cortes de riscados francezes com 14 cova-
dos, fazenda nova a 35 : s na Arara, ra da Im-
peratriz n. 56, loja de Mendes Guimaraes.
Laazinhas da Arara a 320 rs.
Vende-se laazinhas finas de quadriuho para ves-
tidos a 320 e 400 rs. o covado, ditas com 5 palmos
de largura, de urna scr, a 500 rs.; ditas de qua-
drfnhos a 500 rs., capas para senhora a 105 e 85 ;
roupa fela para homem, calsas de casemira da
Escossia a 25, palitotsde meia casemira a 25500,
35500 e 45 remisas francezas a 25, ditas de lis-
tas a 25500 e 35, ceroulas de linho a 15600 e 25 :
na ruada Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Attenro para todos,
Eu abaixo assignado declaro aos devedores da
firma de Magalhies A Mendes, o favor de virem
pagar seus dbitos, e juntamente aquellas pessoas
que tcm negado dividas, o favor de pagarem, do
contrario se declara os seus nomes por este jornal,.,
e serio cobradas judicialmente, conforme a lci.'
Ra da Imperatriz, loja da Arara, n. 56.O liqui-
Compr-se um tronco em bom uso : na ra
do Rangel n. 17.
Pereira Mendes Guimaries.
Continua-sea comprar ouro e prata em obras
usadas : no pateo d/Tercon. 12, taberna.
480
do n. 29.
Nova luja dos baratejros na ra do Queimado.
Velludo de cores fazenda muito boa o covado
35000, baloes de panno 35200, ditos de arcos
35OOO, 45000 e 55000, lias de duas larguras
para vestido o covado 500 rs., chitas francezas o
covado 360 rs., metim branco para forro de
vestido o covado 120 rs., tarlatanas de todas as
cores a vara 720 rs.
Ao n. 29.
Nova loja dos barateiros na rna d Queimado.
Cassa lisa pelie de ovo a peca 75500, cambraia
lisa muito fina a peca de 17 varas 105, cam-
braieta peca de 12 jardas 75000, cambraia adamas-
cada para cortinado a peca de 22 varas 105000,
mcias finas para senhoras a duzia 45000, chales
de lia ponta redonda 325500.
Ao n. 29.
Nova loja dos barateiros na rna do Qneimado.
Bicos pretos de linho a vara 120, 160, 240, 320
rs., franjas de seda a vara 80 e 160 rs., gales
de seda de algodao e de laa para enfeites de vesti-
do a peca de 10 e 15 varas a 400, botdes de seda
de velludo e de fustao duzias 120.
Caixas com libras de massas sortidas a 25500 Linguicas do reino novas de 560 e
Batatas novas inglezas a libra 60 rs. e
arroba........i600
Resteas com grandes sebolas cento a 25000
Solas a.........800
Presunto de Lamego a libra ... 320
Dito inglez para fiambre a 750
Vinhos genuinos engarrafados no Por-
to, chamico, duque do Porto, lagri-
mas do Douro e muitos outros finos
de 15280 a 25500 a garrafa, e duzia
de 145 a 205, dito engarrafado
aqui a........15000
jSjytt aam nnmerp de objectog que nao possivel menciona-los.
Sevadinha e sag novo libra
Ancorlas com azeitonas novas
Espirito de vinho a garrafa .. .
Mac,os com 20 macinhos de palitos
nos para denles a......
Tapioca nova libra
Toucinho de Lisboa novo arroba 105
e libra..........
Balainhos do Porto de diversos tama-
itos ......
Cordas para amarrar animaes e an-
daimes
Compra-se jar tronco em bom uso : na ra
do Bangel n. 17.______________________________
Comprahi-se duas negras perfeilas cozinhei-
ras c engommadeiras: na ra de Apollo n. 84,
segundo andar.
Compra-se cobre e lato vclho :
na ra da Cadeia do Kecife n. 36, pri-
nieiro andar.______________
Compra-se effectivamente ouro e
obras velhas: na praca da Independencia a. 22 lo-
ja de bilhetes.
VENDAS.
Vende-se um carro americano de 4 rodas,
comassentos para duas ou quatro pessoas : na
cocheira doSr. Paulino, praca do capim.
Ix la>SCO
Vende-se na livraria universal, ra do Impera-
dor n. 54.
Vende-se olr de ricino muito novo em latas
por preco commodo : na fabrica da travessa do
Carioca n. 2, Caes do Ramos.
No a mazem de fazendas bara-
tas de Santos C'ielho
Una do Queimado numero O.
Vende-se o seguinte
Cobcrlas de chita
da India pelo barato preco de 25. /
Lences /
de panno de linho a 25-
Lenrrs do bramante
de linho fino de um s pann pelo baratissimo
preco de 35-
Ricos vestidinhips
prata em' de seda enfeitados para menino j pelo baratissimo
preco de 45- (
Ricas saias de fustao
pelo barato preco de 55500.
Lenros de cassa
brancos finos pelo baratissimo prei'o de 25 e 25400
a duzia. [
Corles de calra
de ganga amarella de lista e quaaros fazenda su
perior pelo baratissimo preco de ^5200 o corte.
Pecas de madapoln
fino largo pelo baratissimo preco de\ 85-
Pecas de bretanba
de rolo com 10 varas propria para sarjas pelo ba-
rato preco de 35200 a pega.
Pe;as de cambraia
de salpicos fina com 8 1|2 varas pelo bararHssimo
preco de 45- \
Atoalhalho de linho 'X
toalha do
ALMANAK
Estando a confeccionarse o almanak
desta provincia, que contina ser im-
press nenia typographi, convidase a
todas as pessoas pue delle fazem paite,
para que remetiam livraria ns./6 e 8
da praca da Independencia, apis nonif s
e qualidade de estabeleci^to, e aos
senhores de engenho" ,dignem
remellar alm <*' de seus eu-
genhos, o dt fr comarca a que
perleBcerem. ______________
laboratorio hom*0P*tl>lco, "na
.\ova n. 48.
O Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho te.?i en_
carregado da sub-gerencia do seu estabelecimen *.
ao Sr. Jos Alves Tenorio, professor em homeopa-
thia, e competentemente habilitado para substitui-
to em oualquer ausencia
Ven<#slo Alves Lobo e Antonio Gue-
deg Pereira retiram-se para o Rio de Ja-
neiro.
Quem precisar comprar urna Historia Uni-
versal por C. Cantu, em 6 volumes, traduccao por-
tugueza, Ilustrada de gravuras, dirija-se a ra do
Sebo n. 43, que sa vender barato. '
MHMML
Maque sobre Portugal.
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta cidade, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
oualquer somma, vista e a prazo, po-
dendo logo os saques a prazo serem des-
contados no mesmo banco, na razio de 4
por cento aoanno aos portadores que as-
sim lha convier : as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. SI.
Joaquim da Silva Castro.
ATTEMiO.
Aluga-se a loja na rna da imperatriz n. IS, com
grandes commodidades e por preco commodo.
SEGUROS DE VIDA EM MUTUALIDADE.
A direccao do BANCO UNlAO tendo obtido do governo de S. M. F. a autorisacSo para estabele-
cer o seguro de vidas em mutualidades, faz publico que desde j toma subscripcoes annuaes por urna
so vez, debaixo das seguintes condicoes :
Com perda de capital e lucros;
Dito capital smente;
. Dito lncros smente;
deventio a pnmeira liquida^o ter logar no Io de Janeiro de 1859.
A* vantagens do emprego de capitaes em mutualidade, sao obvias, porque nao smente se co-
Ihe o juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar nenhum resultado; mas alm
disso, este rendimento augmentado pelo capital ou lucros, ou ambas as cousas, conforme as condicoes
da subsenpeao, dos que fallecem. Tambem partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os so-
cios morosos nos seus pagamentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que
occorrerem pela (alta de cumpriniento do compromisso social.
As liquidacoes sao pelo systema das companhias hespanholas, Tutelar e outras; e para se poder
fazer urna idea do que pode produzir urna entrada annual de 105, publica-se a seguinte tabella basea-
da sobre a experiencia de inultos annos de companhias desta natureza :
Em o annos Em 10 annos Em lo annos Em 20 annos Em 2b annos
Vende-se um boi de carroca grande e gordo,'com 8 palmos de largura proprio para
como urna vacca tourina com cria : na tra- mesa pelo barato preco de 25500 a vara,
segundo sitio.
assim
vessa da Ponte de Ucha,
Cola da Babia
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo, no seu escriptorio, ra da Cruz n. 1
Taixas de ferro.
Vendem-se taixas de ferro do mais acreditado
fabricante e por preco mais razoavel: no arraa-
zera de assucar de Jos da Silva Loyo & C.
pelo
A prazo ou a dlnhelro.
Vende-se urna excellente barcaca de 28 a
caixas, muito bem construida e aparelhada
tratar na ra do Apollo n. 4, primeiro andar.
Perda.
Porum menino de i
> de i
de 2
de 3
> de 4
Por urna pessoa de 15
de 20
> de 30
de 40
dia
anno
a
a 2
a 3
a 4
a 18
20
a 30
a 40
a 50
1 anno 1105
905
865
865
865
865
865
865
905
4005
3005
2905
2805
2705
2705
2705
2705
3005
9005
7505
7205
7105
7005
7005
7105
7205
7505
2:0005
1:7005
1:6005
1:5605
1:5505
1:5405
1.5605
1:6000
1:8005
7005
7005
5005
4005
3505
3305
4005
7005
0005
As entradas por urna s vez dao resultados muito superiores s annuaes.
tf k- e agosto de *863.Os directores do Banco Unio, Jos da Silva Machado.F. M. van
Agentes em Pernambuco : Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C., rna da Cruz n. 1.
Jal 12S??(
Aluga-se o sobrado de um andar e sotad da
ma Direita. g. 84: a tratar na padaria da viuva
a0?r,aPS,eta.riod> rennaco da ra Direitan. 10
defronte do oitao da igreja do Livraraento, faz sci-
ente a seus freguezes que vende seus assucares pe-
los precos seguintes : assucar refinado fino nn-
meira qoahdade a 35840, dita de segunda quali-
dade a 35200, e terceira qualidade a 25800.
. Aloga-se o primeiro andar do sobrado da
Perdeu-se da ra da Madre de.Deos recebedo- roa da Cruz n. 40, muito proprio para qualquer
rj do sello, e desta ra da Cadeia do Becile o escriptorio oo residencia de rapazes soiteiros:
testamento da finada Carlota Joaquina de A!pu-1 tratar no armazem do mesm sobrado. \
nerque Cmara, condado pessoa que o perdeu I ^-----------------r----------5---------------r
pora1 fr reftarar M consulado provincial: Alu,5--Se P5^1^^ ,s**;}0'{% an'
roga-se a quem tiver priado o favor de entrega! dar do sobrado o* ? !^*la Velhan.Sz: a
lo na ra Formosa n. 17. ^B*tar Da Ima do me^H
Vende-se ou arrenda-se
o engenho Camurinzinho, situado distante da es-
tacao de Gameleira urna e meia legua, moente e
corrente, com muito boas obras de pedra e cal.
excellentes trras de plantacao de ladeiras, assim
como de varze, fechado de matas de todas as qua-
lidades de madeiras e muito bom de assucar que
sempre preferido no mercado: para melhor in-
forma^es quem o pretender pode dirigir-se ao
mesmo engenho a fallar com o lllm. Sr. Austri-
clino de Castro S Barrete propietario que foi
desse engenho, e para qualquer negocio trata-se
na ra da Moeda n. 5, segundo andar.
Vende-se ou aluga-se
Vende-se um bom sitio no lugar da Capunga
Velha, com boa casa para numerosa familia, com
um bom tanque para banho e viveiro com pixe e
rio, com muitas arvores com fructe, o roe ha de
melhor em fructo : quem pretender dirija-se Ca-
punga, no sitio cima, a tratar com a viuva do Sr.
Joao Evangelista da Costa e Silva____________
Camisas ingle'as
de flanela de cores muito lindas, vendem-se por
preco commodo; na ra do Crespo n. 4.
Aluga-se a loja do sobrado n. 19 da ra ino-
va, propria para qualquer esubelecimento : a tra-
tar na rna da Cadeia n. 62, segundo andar,
INSTALLAQfiO.
A BOA F.
Ra do Queimado n. 22.
Este estabelecimento tendo passado a novo pro-
pietario, este resol veu fazer a sua installacao, ex-
pondo ao respeitavel publico desta capital um
grande e muito bello sortimento de
Chales
de finissirao gaze de seda, ditos de tamatare de
gostos chinezes os mais lindos possiveis, e ditos fi-
nalmente denominados mexicanos, de muito bellos
padroes, sendo todos esses chales muito recommen-
daveis para a presente estadio, e sobre tuflo pelo
seu diminutissimo preco que de 45 cada un.
Laazinhas de quadro
de gostos inteiramente novos pelo baratissimo
prego de 480 rs. o covado.
Bramante de linho
I com 10 palmos de largura fazenda superior
, baratissimo preco de 25300 rs. a vara.
Pecas de cambraia
adamascada fina com 20 varas para cortinado pelo
barato preco de 105 a peca.
Fil liso
flno pelo baratissimo preco de 680 rs. a vara.
Esleir da India
de 4, 5 c 6 palmos de largura propria para for-
ro de sala
A 4&00 o saeeo
de superior farinba de Santa Catharina ou de Por-
to-Alegre : vende-se a bordo do patacho Regulo,
em porcao ou a retalho : trata-se com o capillo a
qordo, ou com Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C, no seu escriptorio, ra da Cruz n. 1.
Hotassa da Hussia
Vende-se em casa dcN.O. Bie-
ber & C, successores, ra da
Cruz n. 4.
Palitos do gaz.
Vendem-se continuadamente no deposito geral,
travessa da Madre de Dos n. 16, armazem de Fer-
reira 4 Martins, em poredes e a retapo, por mo-
dico preco. .
Vendem-se palhas de coqueiro postas no banhoi-
ro a 35500 o cento : quem precisar, dirlja-se i rna
Direila dos Afogados n. 13.
Prelo a 3&00 e 4~~
a sacca : no armazem da estrella, largo do Parai-
zon. 14.
Vende-se
nm sanetuario de Jacaranda : na roa da Impera-
triz loja de marcineiro n. 25.
Massa phosphorlca
para matar ratos e baratas a preco de 500 rs. cada
pote, cujo effeito prompto e infallivel : na tra- celiente e puro vinho tinto de Lisboa, smente des-
Vinho puro.
No escriptorio de Euzebio Baphael Rabello, na
roa da Cadeia n. 85, vedem-se ancoretts eom ex-
vessa da Mad/u de Dos n. 10, armazem de Fer- tinado para gasto de casas particulares por ser re-
reira & Martina, mettido pelo proprio fazeodefro ou lavraor,
ilegveQ


"*-.-. lgB
i i
Diario de Pernanibuco Segunda eira de Outubi-o de A 3.
i
GRANDE EXPSITO
de fazendas baratissimas que se vcn-
dem para liquidar; na loja do Pa-
vio, ra da Emperatriz, b. 60.
Neste estabelecimento acha-se um grande
e variado sortimento de fazendas, tanto de
luxo, como de primeira necessidade, pro-
prias para a praca e para o matto, que se
vendem por precos muito resumidos, de to-
das as fazendas do-se amostras, deixando
penhor, ou mandam-se levar em casa das
familias para escolherem, pelos caixeiros da
loja do Pavao.
Lia* eom 9 palmos de largura
na loja do Pavo. ISIOO
Veodem-se laazinhas transparentes de urna
s c6r, de quadrinhos proprias para capas
e vestidos, tendo 9 palmos de largura, pelo
baratissimo preco de 1#400 o covado; s
na ra da lmperatriz n. 60, lojado Pavao.
O Pavo vende las de 4 palmos
de largura a ftOO rs.
Vendem-se lSazinhas infestadas, sendo das
msis modernas, de urna s cor e de qua-
drinhos, proprias para vestidos e capas, pelo
baratissimo prego de 500 rs, o covado; di-
tas matisadas, fazenda muito fina a 500; di-
tas garibaldinas a 440rs.; ditas dequa-
dros a 360 e 280 rs.: s na loja do Pavao,
ra da lmperatriz, n. 60. de Guimaraes A
Silva,
Laazinhas a 200 rs. o covado.
S o Pavo.
Vendem-se las de cordSozinho proprias
para vestido, sendo muito ba fazenda, cora
as coresseguintes: alvadia, cor de caf.rxo
escuro, claro e pretas, proprias para luto ;
ditas transparentes com palminhas, pelo ba- varios gostos e porcao de pares iguaes, conforme
rato preco de 280 rs.; ditas infestadas de possam precisar, e vendem-se nicamente na loja
o covado; fasta"o para vestidos e roupinhas
de meninos, a 320 rs. o covado; alpakin ou
gurguro de linho, a 260 rs.; ganguelin,
urna s cor, a 320 rs. o covado ; toalhas de
linho adamascadas para rosto, a i; vestua-
rios para meninos e meninas, a 1/1600 e 2$;
tiras bordadas e entremeios, mais barato que
era outra qualquer parte: tudo isto pe-
chincha e vende-se para liquidar: na ra da
lmperatriz n. 60, loja e armazem do Pavo
de Gama 4 Silva.
Grosdenaples a 1:500 rs., na loja do Pavo.
Vendem-se grosdenaples preto muito boa
fazenda, a 10500, 10600, 10800 e 20: s
na loja do Pavo, ra da lmperatriz n. 60.
Para luto vende-se na loja do
Pavo.
Vendem-se finissimo selim da China, fa-
zenda sem lustro, proprio para vestidos de
senho.-as, para capas e roupa para homem,
tendo esta fazenda 6 palmos de largura e
sendo muito leve, vende-se pelo baratissimo
preco de 20200 o covado, garantindo-se que
nao se torna ruca, e vendem-se nicamente na
loja do Pavo, ra da lmperatriz n. 60:
Cortes de chitas a 2:000 e 2:300 rs.
Na loja do Pavo veude-se cortes de chitas
inglezas, tendo 10 covados, a 20, e com
12%covados, a 20500, sendo todas de pa-
droes escuros: na ra da lmperatriz n. 60,
de Gama d Silva.
Carnauba.
Vende-se cera de carnauba em saccas, por
preco muito em conta, ou mais barato do
que em outra qualquer parte : a tratar na
ra da lmperatriz n. 60, loja de Gama
Silva,
Os cortinados do Pavo.
Vendem-se os mais bonitos cortinados de cam-
braias adamascadas, tapadas e transparentes, pro-
prios para adornar janellas e para camas, tendo de
ne:u m:. i ^ no.
QUINQUILHARIAS.
Ba do Queimado, ns. 49 e 55, lojas de
Jos Bigodinho, queiram ver ver as fazendas
que abaixo annuncio, pois todas eu garanto
que sao muilo novas e baratissimas.
Pegas de trancas de algodo de to-
das as cores a......; 80
Duzias de linhas com 200 jardas, A-
lexandre, a..... 10100
Carritel de qualquer numero 100
Varas de aspas para balo 80
Caixas com superior obreias a 40
Ditas de colla ;....... 80
1 libra de 13a sortida.....40000
1 libra de la muito superior em co-
res e qualidade......70000
Pares de Jwtoes de punho a 120
Pares de sapatos de tranca .10280
Ditos muito superiores, a 10600
Caixas e pacotes de papel amisade de
cores a. ...,'... 600
Duzia de meias muito Gnas para se-
nhora a........30500
Duzia de ditas cruas para homem a 2*400
Baralhos muito finos para voltarete a 300
Carriteis de linha com 100 jardas a 30
Cartoes de linha branca e de .cores a- 20
Novellos de linha com 400 jardas a 60
Ditos muito grandes com 800 jar-
das a .......120
Cartoes de linha com 200 jardas (est
se acabando a...... 60
Vara de fita prela com colxetes para
vestido, e tera um resto parda a 100
NJEM SMUJLXJIO.
Objectos de tintura e msica.
Na ra do Queimado, ns. 49 e 55, est
rmadrns a 280 rs s na na da Imneratri7 I do Pavao, na ra da lmperatriz n. 60, de Gama & "." 'ua.u" vwhiww, u. o uo, w
quauros a ssu ra.. so na ra ua imperis, ^^ v j qUeiraando tudo pelos precos abaixo decla-
8K36*fc^*fc^
BALIZA
Atteneo!
Posto que domine no cora-
co do BALIZA a mais bem en-
tendida ambicio de tirar de
seu negocio as melhores van-
tagens, com tudo elle, nao pro-
cura fazer fortuna vendendo
gato por lebre;
Quando nao se negocia aca-
nhadamente, est bem ao alcan-
ce de todos a facilidade de fa-
zer-se boas compras, para ven-
der-se barato.
Lclain iodos.
Ao armazem do BALIZA po-
dem ser devolvidos quaesquer
gneros qne por ventura nao
sejan do contento dos senho-
res compradores. Nao fica
resentimento algum em se tro-
car por outro, ou restituir-se
o dinheiro recebido,
Manter a todo o cusi o seu
crdito, e agradar aos seus a-
raigos e freguezes, todo o
desejo do proprietario deste
estabelecimento,
LEDE! LEDE! LEDEl
n. 60, lojado Pavo.
GRANDE PECHINCHA
*0 rs. na loja do Pavo.
Cassas a 210 rs.organdy a 210 rs.
Sedas de quadriuhos a 800 rs. s o
Pavo.
Vendem-se as mais delicadas sedinhas de qua-
drinhos, muito miudinhos, sendo proprios para
vestidos de senhora c roupinhas para meninos e
Vendem-se muito bonitas cassas francezas meninas, sendo fazenda que sempre se vendeu a
a 240 rs. o covado ; organdy matisado, pa- 1<&500 o forra-se a 640 e 800 rs. o covado, e sedas
trP mnitn hnnilni a SAO rs n rnvarn I brancas lavradas, proprias para vestidos de noivas
qroes muito oonitos a Z4U rs. o covauo, a m rs 0 covado s na ,oja do Pava rua da
ditos, fazenda fmissima que sempre se ven- lmperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
liquida-se a coo rs. a rcos vestidos de Soulhambac, vende
o Pavo.
dida,ou 360 rs. o covado, por haver grande
porco : na rua da lmperatriz, n. 60, loja
do Pavo, de Gama & Silva,
Nova pechlncha de cortes de
cambrala na loja do Pavo.
Vendem-se cortes de cambraia brancos
com babadosa 20500; dilosa 30000; ditos
a 40000 ; ditos chinezasa 40000 ; pegas de
cambraia transparentes, adamascadas, pro-
prias para vestidos, tendo 8 varas e meia a
30000; ditas lisasbrancas e decores a 20500,
30000, 3;>50(), 40000 e 50000 ; pecas de
cambraia de carocinhos tendo 8 varas e meia
cada urna, sendo brancas e de cores, a 30500;
ditos a 20500; pecas de cambraia para cor-
tinados, sendo tapadas e transparentes com
20 varas cada peca a 90000, isto tudo para
apurar dinheiro: na loja do Pavao, rua da
lmperatriz, n. 60, de Gama A- Silva.
O Pavao vende chales
A 20000, 20500, 30000, 50000, 60000.
70000, 8,000 e 100000.
Vendem-se chales de merino estampados,
claros e escuros a 20, 20500 e 30000; ditos
muito finos de todos.os piecos e qualidades,
tanto de ponta redonda como quadrados;
assim como finissimos chales de crepon com
cores inteiramente novas e ricamente bor-
dados a matiz,-sendo chegados pelo ultimo
vapor a 100000 ; ditos de pello, bordados,
a 20 : s na loja do Pavo, rua da lmpera-
triz, n. 60.
Ascasemiras do Pavo infesta-
das a 10GOO.
Vendem-se casemiras francezas encesta-
das, proprias para caigas, coletes, palitos,
e capa para senhoras, por ter (Je urna s
cor, sendo fazenda que sempre se vendeu
a 30000. liquida-se a 10600 o covado : s
na loja do Pavo,
Grande peehincha em chapeos
de sol na loja do Pavo.
Vendem-se chapeos de sol, a ingleza, sen-
do cobertos de linho e forrado de verde, pro-
prios para senhoras que forem passar a fes-
ta, ou para meninas levarem para a escola,
pelo barato preco de 1060 ; ditos marque-
zinhas, de seda com franjas e cabo de do-
brara30OOO; ditos de seda para homens,
sendo com armaco de balea a 60 e 70, isto
para apurar dinheiro : s na loja do Pavo,
rua da lmperatriz, n. 60.
Caxcmiras da Escocia a 3000
o cOrte.
Vendem-se cortes de caxemira da Esco-
cia, para calcas, pelo barato prego de 20,
tendo da mesma fazenda para vender em
covados a 580 rs., sendo esta fazenda mui-
to encorpada a imitago de caxemira, e ga-
rante-se que nao desbola. Tambem se ven-
dem cortes de caxemira ingleza, d cores
escuras para caiga pelo barato prego de
4800 cada corte, ou a 500 rs. o covado :
s na loja do Pavo, rua da lmperatriz,
n. 60.
Madapolo Infestado a 4000
84 e Pavo.
Vendem-se pegas de madapolo infesta-
do com 12 jardas a 40000, ditas a 40500,
ditas com 24 jardas a 7050o e 80000 : s
na loja do Pavo, na rua da lmperatriz.
n. 60.
Ricos vestidos brancos.
Vendem-se os mais ricos vestidos de cam-
braia brancos, bordados a croch, sendo os
mais modernos que tera vindo ao mercado,
tendo as salas 4 pannos, e vendem-se pelos
baratos precog de 100, 120 e 16 : s na
loja do Pavo, rua da lmperatriz, n. 60, de
Gama & Silva,
DMIREM S-PECHIHCHAS.
na loja do PavSo.
Ricos cortes de cambraia brancos com ba-
bados e duas saias bordadas crox, tendo
bastante fazenda para vestido, pelo baratis-
simo preco de 30 cada um; ditos de cam-
braia de seda com barras e babados, a
20500, para acabar; cortes de vestidos a
Mara Pia, sendo fazenda de bonito gosto, a
30500; cortes de cambraia brancos com ba-
^badinhos, a 20; enfeites para cabeca, sendo
li Garibaldi e a turca, a 40; ditos com fitas
e Dores, a 20; camizinhas bordadas para
senhoras, a 10; manguitos de varios roodel-
los, a 400, 500 e 640 rs; calcinkas para
meninas, a 500 e 640 rs: gollinhas bor-
dadas, a 320 e a 500 rs.; sedas de qua-
drinhos, a 640 rs:; ditas de listas, a 400 rs.
Vendem-se os mais modernos vestidos a Sou-
thambac, com barras de seda pelo diminuto preco
de 10000 cada um : s na loja do Pavo, rua da
lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os Casos
OS MAIS AGGRAVANTES
E
D'nma pertinaz uiiraiao
DE
ESCRFULAS,
rados, e prestem toda
o que bom e barato.
Duzia de facas egarfos muito finos a 20500
Dita dita dita de cabo preto muito
finas a.........
Dita dita dita de balango, melhor,a
Tesouras para costura, muito ti-
znas a .........
Ditas ditas para unhas, muito finas a
Carlas de alfinetes de ferro a .
Ditas ditos de lalo muito finos a .
a attengo para ver
30200
50500
400
400
80
40
Ditas de dito grandes.....120
Caixas de phophoros de pao
Grosa de di los do gaz a .
Duzia de dito dito a .
Massos de palitos para denles a .
Abotoaduras para coleles a .
Escovas para roupa.muito finas a 400,
500 e.........
OU ERUPGES ESCROFULOSAS,
Ulceras de oda a especie,
SYPHILIS. OU MAL VENREO.
TUMORES,
l'.lKiIIroc*.
BERTOEJAS,
OPKTHALIA,
HydropLsia,
Empgerts,
HERPES,
JDarfros,
ERISIPELAS
ESCORBUTO,
Tinlia.
CHAGAS ANTIGS,
R.Ptetrrnatsmo Chronrc,,
DEBILIDADE (JERAL,
Nervosidade, Nevralfiias,
FALTA DE APPETITE, FASTIO,
SUPPRESSO DAS REGRAS, ou
AMENORRHEA,
10
20200
200
160
160
800
M SEGUIDO.
PECHINCHA.
Perfumarla de superior qualidade.
O rival sem segundo, rua do Queimado,
ns. 49 e 55, esl disposto a vender mais ba-
rato que nunca vendeu, para o que queiram
ver :
Duzia de sabonetes finos a 720
Sabonete inglez, o melhor, a 160
Frascos com agua de Colonia muito
fina a......., 400
Ditos de dita grande a 500
Ditos de Lavande ambreado, o me-
lhor, a ....*.... 500
Ditos de macag oleo muito boma 100
Ditos perola muilo superior a 200
Ditos de oleo de babosa a 240, 320.
400 e ."......500
Ditos de banha branca a 320
Dito de cheiro muilo bonitos a 500
Ditos de banha, pequeo, muito fina
:........200
Ditos de opiata a 200 rs., e boa a 900
Ditos de banha japoneza a 800
Ditos de banha iransparente a 720
Ditos de oleo filoconne a 800
Sempre a frente do progresso, *
Constante marcha o BALIZA,
Tein por norte o bem commiim,
A verdade por divisa.
4. i; t \ 111:
S
vea
/' DE
Largo do Uvraniento ns. 38 e 38 A
Defronte da grade da igreja
AO RESPEITAVEL PUBLICO
Senhores e senhoras
O incansavel proprietario do grande armazem do Baliza toma a liberdade de mandar
declarar do alto da imprensa pernambucana, que elle perfeitamente liberal cm offerecer aos seus
benvolos freguezes as melhores qualidades dos mais bem escolhidos gneros, nao s do paiz como do
estrangeiro a precos de contentar e satisfazer a todos.
Fazendo tao publico e espontaneo manifest, o referido BALIZA julga de seu rigoroso dever
declarar mui seria e pusitivamente nesta oportunidade, que tambem o mais firme e dedicado conser-
vador de sua numerosa freguezia.
Da boa qualidade e barateza dos gneros offerecidos aos seus freguezes, junta ao pequeo ga-
nho que tira para si, tem sabido fazer o BALIZA a mais perfeita liga de interesses recprocos, que a to-
das as consciencias deve por forga e necessariamente agradar.
Tendo por conveniente tambem a publicago do seguinte aviso, o BALIZA faz saber nticamente
aquellas pessoas que sempre esto prompas a comprarem tudo, com tanto que se lhcs permita paga-
ran logo, que elle
NAO VENDE FIADO.
Os amigos da economa, aquelles que s compram os objectos de que careoem, e que gostam fi-
nalmente de empregar bem o seu dinheiro venham a este estabelecimento.
IjEIAJI todos.
Do prego de qualquer genero annunciado a venda cm outros estabelccimentos, podem os senho-
res freguezes diminuir cinco por cento, e vir compra-lo ao Baliza, que sendo, como todos sabem, o ho-
mem do movimento prefere ganhar muito pouco, com tanto que seja por muilas vezes repetido.
45-RUA DLREITA-45
Rcfriicao das l rias,
EMACIAgAO,
Ou emmogrecimento fferal d corpo, prow-
ttiente (lo estado vicioso do sangue,
fflFLAMMACOES CHRONICAS,
Affec9es Chronicas do Figado,
Assim como todas as mais similhantes mo-
lestias, 'RINCU'AI.MKXIK QUANDO SAO
CAUSADA8, 00 l'KODVZIDAS PELO MCI
UVUE OSO DO MeHCUKIO OC
QoraiBo,
Assim romo tninbem pelo frcqncnlr un dn AR-
SNICO e oiiiraa preparares .tlluernesi
Todas estas Eufennidades prompta e eficaz-
mente cedem benfica, poderosa e
purificantes qualidades da mui
justamente afamada
MSIPIRRIMII DE BRISTOL
A venda as boticas de Caors d Barboza,
rua da Cruz, e Joo da C. Bravo & C, rua
da Madre de Dos.
Capas para senhoras.
Na rua do Queimado a. II loja de Augusto Porto.
E chegado no ultimo paquete francez a este
graande estabelecimento um completo sortimento
de capas de seda dos ltimos gostos da Pars, bor-
dadas e enfeitadas ; um grande sortimento de ca-
rnizas inglezas de linho muito finas a 405000 a du-
zia ; um grande sortimento de camizinhas borda'
das para senhora a; las para vestidos a 400 e oOO
rs. o covado; chitas matizadas escuras, finas e
cambraias flnissimas a 320 rs, o covado; colleri-
nhos de linho. bordados para homem ; chapeos de
sol inglezes de ty, 9*5, m, iU e 135000 cada
um; casimiras finas de cores para paletots e cal-
cas etc.; chapeos pretos e de seda para homem ;
toalhas para mesa, guardanapos grandes e pe-
queos ; paletots de casimira e de panno preto uno
de 15\5,165 e 225000; mais urna peehincha ca-
simiras de cores entestadas a 15800 o covado :
isto s na loja da ruado Queimado n, 11,
RIVAL
SEM SEGUNDO-
Objeetos diversos.
Rua do Queimado, ns 49 e 55, vende os
objectos abaixo declarados, pois para aca-
bar; estes precos nao sao para continuar,
mas as nesessidades assim o permitte.
Pares de luvas de algodao finas a 80
Caivetes de aparar penas, de 1 fo-
lia a ........ 80
Ditosfle2 ditasa...... 160
Caixas de colxetes francezes a. 40
Duzia de dito francez a 360
Massos com grampos lisos e de cara-
col a ......... 40
Duzia de dedaes de metal em caixi-
nba de vidro....... 320
Tinteiro de vidro com tinta superior
a.......... 160
Ditos de barro que serve para tin-
teiro a........ 100
Grosas de botes de louca prateado a 160
Pecas de tranga lisa encarnada a 20
Varas de bicos e rendas, para aca-
bar a ......... 60
Varas de labyrinto de 3 dedos de
largura a........ 100
Ditas de pos para den tesa ... 100
Pentes de tartaruga a 3t000 e 34500
FAZENDAS
NA
\ova loja de Custodio, carvalho
& Companhla.
57RUA D<> Q. EIMAUO27
Cambraia
organdis para vestidos a 240 rs. o covado.
SUdapolao
fino proprio para camisas a preco de 85 a peca.
CoberUs
de panno de linho grandes a 25000.
Lenfes
de panno de linho grandes a 25-
Para mesa
pannos adamascados para mesa a 15300.
Guardanapos
adamascados a 25 a duzia.
Toalhas
para nvios pelo preco de 400 rs. cada una.
Fuslo liraiieo
proprio para roupa de meninos pelo barato preco
de 320 rs. cada covado.
Entremeios
finos bordados pelo barato preco de 15300 a peca.
Babados
bordados de todas as larguras peca 25300.
Golinhas
bordadas a 640, 800 e 15
Camisinhas
de cambraia para senhora a 25-
Bales
de arcos para senhoraa 35600.
Baloesmadade polio
dar meninas a 25300. I
Eia, rapasiada, coragem! parece queja
entregastes os vossos joanetes aos duros sei-
xos do pessimo calcamento da nossa cidade 1
So se observa em vossos ps botinas acalca-
nhadas e gastas at ultima sola; sapates
rasgados e quasi sem saltos___nem tanto I
a quebradeira nao deve chegar at este pon-
to I Vinde rua Direita munir-vos de excel-
lente calcado com 40 e at 60 por cento
menos do seu valor attendei:
Borzeguins, Nantes, bezerro e va-
queta 2 e mia solas....
Borzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta e lustre 2 solas. .
Borzeguins, francez e hamburguez,
bezerro, lustre e couro de por-
co 7# e........
Sapates, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas.....50500
Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas......
Sapates, Nantes, sola e vira. .
Ditos para menina, com laco. .
Ditos de ditas, de cores. .
Sapatos para senhora e homem,
tapete.........
Sapatos de borracha para senhora.
dem idem para meninas. .
Sapatos de lustre para enhora. .
dem de lustre s avessas .
T* O -^
O
as
as S 3 c'en c7
vi w a. as
g, 8" W | s
g? e.8 Eg
o
S-'
-
w
m
,-
as
a _
O,-; as 3 w .
ffl w 3 o o -, ;
s n ;?_ g B
_, -o o a = c-'o
5 O c D O ts as
S.8 3 ." p
as S.S
O = S a

r~ a *"
-1 as
1-3 H

as es
8&500
80000
60000
50000
40060
30500
20800
800
10400
10000
10000
500
-:
-
v.
Vi *-.
r.
g
0=2
.. 2 u
3 y *
as
il V
gi i-
3
o_
c_
"S
-2
j
O o. as' o' 3 O
lia s^
o se- jy as as
to tfC 2 as -
C^3

3
2.
:'
as
"Si
a-
-
as
C
O
o
gil
O ?l r:
as as vi O
n
m
o
o
as
w as'
si-
3 =r
m
s
A

a
H
9
Sd
Aiteoco
Parlaba de mandioca.
Vende-se farinha de mandioca a melhor que exis-
te no mercado por ser de Santa Camarina, a bor-
do do patacho Frima, entrado neste porto no dia
11 do correntc,por menos do que em outro qual-
quer barco : a tratar a bordo ou na rua do Amo-
rim n. 43.
Assucar do Monteiro
Rua do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
a 50600 aarroba.
Las eom
Aos senhores consummidores de gaz.
Nos asmazens do caes do Ramos n. 18 e na rua
do Trapiche-Novo (no Recite) n. 8, se vendo gaz
liquido americano primeira qualidade mais barato
do que em outra qualquer parle.
Cal de Lisboa a jf o barril.
Vendem-se barrs de cal de Lisboa de superior
qualidade : no deposito da rua do Brum n. 66.
8 palmos de lar- m
gara. *
Cheguem a loja de Marcelino & C, rua SS
do Crespo n. 3, para verem las muito |
finas, lisas e de quadros, gostos inteira-
mente novos, proprias para vestidos e ca-
pas e precos muito commodos. Alm
disto existe um variavel sortimento de
fazendas finas e grossas precos razoa-
veis.
FONTANA.
Yende-sea muito superior farinha
de trigo marea Pontana, chegada ulti-
mam^nte a este mercado, em barricas,
meias e quartos: no armazem de Joo
Quirino d'Agnilar & C-, no caes 'Apol-
lo n. 53.
Vende-se na praca da Independencia ns. 37 e
39, capellas de aljfar para se botar no cemiterio
publico no dia de finados com as inscripcoes 'se-
guintes :
Minha mai.
Meu pai.
Meu esposo.
Minha esposa.
Meu fiiho.
Minha Olha.
Urna lagrima..
Saudades, sempre vivas do apurado gosto desta
ainda nao vieram igual a este mercado.
Rua da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Low
Moor libra a!20rs.
O GALLO CANTA.
Nao possivcl que o gallo, vendo entrar em seu
ninho objectos de elegante gosto, deixe de dar o
seu canto, annunciando aos seus freguezes, para
que mandem ou venham ver para querer, a saber:
Enfi'ilis
Chcgaram os riquissimos enfeites e grinaldasde
flores, cousa muito delicada < de muito gosto, pois
s as senhoras poderao apreciar: s no vigilante,
rua do Crespo D. 7.
Flores
Tambem chcgaram o delicados ramos de flores
matizados de lindas core?, que servem para qual-
quer enfeite : s no vigilante, rua do Crespo n. 7.
Cinlos
Tambem cliegaram os novos e delicados cintos
com fiveila, guarnecida de pedrinhas e duas borto-
tinhas no centro, cousa de muito gosto : s no vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
BandtMJas
Riquissimas Landeijas de charao e outra? qxiMi-
dades de lindos desenhos, que se vendem por pre-
cos baratissimos para acabar ; s no vigilante,
rua do Crespo, n. 7.
Pomada real
Tambem cliegaram os bonitos copos de porce-
lana fina com banha e com lindos retratos, sendo
privilegiada pela rainha de Hespanha : s no vigi-
lante, rua do Crespo n. 7.
Sabonetes de familia
Grande sortimento de sabonetes para todos os
precos, de superiores qualidades, a 160, 200, 0,
280, 320, 400 e 300 rs.; assim como estojos com
todos os preparos para limpar denles pelo barato
preco de 3000 : s no vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Deliradas lesoarinhas
Grande sortimento de tesourinhas, tanto para
unhas, como para costura; assim como muitos
outros objectos de gosto, que nao possivel annun-
ciar pela grande variedade de sortimentos, cujos
precos serao menos do que em outra qualquer
parte : s no vigilante, rua do Crespo n. 7.
Botica.
Pilulas inglezas de pobre-homem.
Pilulas do Dr. Alian.
Salsa pardilla de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Pilulas americanas.
Remedios do Dr. Kemp.
Rob l'Affecteur.
Sortimento de papel para forro de salas e guar-
nieres : vende-se na botica e drogara de B. F. de
Souza & C, rua larga do Rosario n. 34.
Aos Srs de engenho
No caes d'pollo armazem n. 55, de
Jos Duarle das Xeves, acha-se ven-
da a mais superior farinha Fontana
sendo muilo recommendada as casas de
familia, as bar quilinas de 3 arrobas
e de 48 libras cada urna.
ArmaQes douradas
para cortinados vende-se por preco muito barato,
tambem vende-se um sof, 2 cadeiras de balando
estufada de molas e forradas de panno de couro,
modelo a Luiz XV : na rua da Ponte Velha n. 8.
Farinha de mandioea
Vende-se farinha do mandioca da melhor c mais
nova que ha neste mercado, no eteriptorio de Ma-
noel Ignacio de Oliveira 4 Filho largo do Corpo
Santo n. 19, ou abordo do palhabote Viamao, an-
corado no caes do barao do Livramento, j::nto ao
patacho Regulo.
-



Diario de PerBambiieo --. rgiinda feira 5 de Outubro de 1 S.

GRANDE E
(???)
<3> O
fLUl 1
!*53 O
r2JTJ
' ~^*~/ s*
-'-^
'"'*'/
'*?S .2
f5=, '^J
o
?
aaM ->
^_ j
1^ * ^
Vui
1^50 1
u
a
C5
V) 0 C5
i %> s
40 03 03 "t O
-a 03
Ib <
O O O S
o W. t
V) -i
t 9 -
O O
03 t <
' t
-a k -'
^- o < |
c -o t ti 03 03 t
es 3- o i 03 03 O -- e> O t Si t >-
O i S-. 03
~a O t 03
kj o C t
~1 U o
^ O t **a
.> t
03 03 Vi t
-O t-
<3 a. 22 i 03 t" t o
o so O 03 t
o n 03 O t-
3 a. O O
O "t
02 g a o o V) o
0 t "t 03
~- ec -
03 o t. O
o o Sata O Si, o *^
V) "t 03
03 O ** -t t t
-C O 03
- 03 t
Vinhos em pipa: Porto Figueira e Lisboa, a
4oo, 44o, 5oo e 56o rs. a garrafa, e em
caada a 2,56o, 2,8oo, 3,ooo, 3,5oo e
4,ooo rs. do melbor.
dem lagrimas do Douro, especial vinho do
Porto mandado yir de conta propria a
io,oo rs. a duzia e i.ooo rs. a garrafa.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado, das seguintes marcas: Duque do
Porto, Feitoria, Nctar, Velho Secco, Cha-
misso, Madeira superior a 9,ooo rs. a ai-
ra e l,ooo a garrafa.
dem Bordeaux das melhores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Esteph e outros a Too
rs. a garrafa, e 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
dem muscatel de Setubal verdadeiro a 2,ooo
rs. a garrafa e 22,ooo rs. a caixa.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Por-
to do Alto douro a 2,2oo rs. com o gar-
rafao..
dem com 5 garrafas de vinho Figueira
milito proprio para a nossa estaco, por
ser mais fresco a 2,4oo rs.
Vinhos velho chamisso em barril muito pro-.
prie para sobremesa por ser mnito claro
e macio a 6oo rs. a garrafa e 4,5oo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 5oo rs. a garrafa e 3,800
rs. a caada.
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa al,2oors.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e l,4oo iv. a caada.
Velas de spermacet a 6oo, 64o e 68o rs. o
masso.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
54o rs. e em barril a 5oo rs.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado.
SOBTIMENTO DE MOLHADOS
Banha de porco a 54o rs. a libra, e em bar-
ril se far abatimento.
Qoeijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, 1,800,- 2,ooo e 2,5oo rs. cada
um
dem londrinos os mais frescos que se po-
dem desejar a 8oo rs. a fibra.
Caf do Rio de 1* e 2a qualidade de 8,ooo a
8,5oo rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz caroliuo e do Maranhao a 3,ooo rs. a
arroba e loo rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
em porcSo ter abatimento.
Caiahas de ameixas francezas de 1 1/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,5oo, 2,ooo, e 3,ooo rs.
Fructas em caldas das seguintes qualidades:
ameixa, rainha Claudia, cerejas, pero,
ginja, pecego e alpech a 5oo rs. a lata.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 6oo rs. a fibra, e em la-
tas de 1 V e 2 libras.
Ameixas francezas em frascos de 1 1/2 e 3
libras de l,4oo a 3,ooo rs.; tambem ha em
latas de l.ooo e 3,ooo cada urna,
Cha huxim miudinho mandado vir de en-
commenda especial a 2,8oo rs. a libra,
garante-se a boa qualidade.
dem hysson o mais superior a 2,6oo rs. a
libra, afianca-se ser igual ao que regular-
mente se vende a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem pretomuito fino a l,9oore. a libra.
dem mais baixo, e miudo proprio para ne-
gocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs., a frasco.
Chouricas e paios, os mais frescos que se
pode desejar, a 5oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e lo,5oo a caixa.
Ricas caixinhas com confeiles e frutas seccas
muito proprias para mimos pelo baratissi-
mo preco de l,ooo rs. cada urna,
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8oo rs. o frasco.
Licores francezes das seguintes marcas: A-
nizete de Bordeaux, Plaisir des dames, e
outros a l,ooo rs. a garrafa e lo.ooo a
caixa.
Passas muito novas a 6,ooo rs. a caixa e
36o rs. a libra, ha caixas, meias e quartos.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs.
a libra.
Azeite francez clarificado a 8oo rs. a garrafa
e 9,ooo a duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. o pote.
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
rancha. 8
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de l,oooa 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oors.
a grosa;
Milho alpista a 160 rs. a libra.
Mho painco a 140 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra a 2,300 rs. a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabao verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 300 rs. a libra,
e em caixa ter abatemento.
Sabo massa de 180, 200, 220 240, rs. a
libra do melhor.
Graixas em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
curvin, salmo e outras qualidades prepa-
rados de escabexe, segundo a arte de cozi-
nha de 1,400 a 2,ooo rs. a lata.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
440 rs. cada urna.
Papel greve pautado eliso a 3,500 rs. a res-
ma.
Azeite doce de Lisboa muito fino em barril a
640 rs. a garafa, e era porcSo ter abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas a
l.ooors. agarrafa e lo,ooo rs. o gigo
com urna duzia.
Doce da casca da goiaba a 4oo, 5oo, 6oo,
7oo, 8oo, e l.ooo rs., o caix5o grande.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez, e
suisso, das mellrores qualidades a 9oo rs.
a fibra.
Velas de carnauba e composico a 32o, 36o,
e 4oo rs., a libra, e de lo.ooo a H,ooo rs.
a arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa a l,ooo
rs. a ancoreta, e l,5oo a de Lisboa, estas
ultimas raras vezes vem ao nosso mercado
pela sua boa qualidade.
Massas para sopa macarro talharim e aletria
muita nova a 48o rs. a libra.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 4,ooo, 3,5oo, 3,ooo e 2,5oo rs. a
caixa.
Serveja das melhores marcas a 5,ooo rs. a
7,ooo rs. a duzia.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies
Lunch, Cobin, eoutras a l,2oo rs. a lata.
Bolachinha de soda especial encommenda a
l,8oo rs. a lata.
Iem Craknel em latas de 5, 7 e 15 libras a
4,000, 5.5oo, e ll.ooo rs. a lata.
Massa de tomate em latas de 6oo a 7oo rs.
cada urna.
Sardinha de Nantes a 36o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijollo de limpar facas a 16o rs. cada um.
Ceblas a 9oo rs., o molho.
Farinha de Maranhao muito alva e cheiroza
a 14o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cominho, cravo, erva doce, enxofre, palitos
de denles em caixinhas que tudo vende-
mos por baratissimo preco.
Ricas caixinhas com confeiles e fructas sec-
cas muito propros para mimos pelo bara-
tissimo preco de l,oo rs. cada urna.
r
0M5

Baratfissimas bandeijas. Penies de eoneha.
A aguia branca por muitas vezes tem da-' Com as novas e diversas guarnicoes de
do a conhecer que quando acha alguma pe- Pintes que a Aguia Branca acaba de rece-:
chincha, nao quor somente com ella encher ljer- ve' tambem urna pequea qualidade
o papo, ao contrario deseja que toda sua boa de penies de concha que com graca e acer-
froguezia e o publico em geral prvem da todamente servem para o moderno atado dos'
mesma, o que agora mesmo acontece com cabellos. Ellesso de bonitos e agradaveis!
essas; baratissimas bandeijas, cuja limilacao mo'des, edetaraanho pequenino como con-
de precos admira, em relaco aostamanhoso vem Para fim que sao. E' esla a primei-
qualidades: avista do que convm todos a- ra vez ae d'elles aqui chegam, por isso
proveitarem-se dessa opportuna occasio e 1ue moda novissima, pelo que ganha-
proverem-se dum traste sempre necessario, rr,a Pa,ma aquellas senhoras que primei-
e que lhes distar quasi metade do justo va- r0 se apresenlarem com elles, para o que
lor. Assim, pois, dirigirem-se com dinhei- os mandaro comprar na lo;a d'Aguia Bran-
ro alegro e espacosa loja d'aguia branca ca' r.ua do Queimado, n. 8.
ra do Queimado n. 8. Bt Os afamados copos com banha, e E de segirant.a.
boies com fnscripedes. Ess?s P,109P|lnros hygienicos c'de seguranza, sao 1
Chegaram novamente para a agu,a branca' ^^T^S^^^ \Z I
esses alamados e estimados copos com banha f"o conhecidos c recommendados. Elles merec-1
una; assim como os bonitos boies de por- damen,e fanharam a preferencia a lodos osoulros
c llana dourada tambem com banha, e novas [!!" Sjo0^,raI0e.s -e qoon5 d.ei,am a,qielle i
inserid ( maviosas e jocoserias, mui ade- %3^^f^JT^\
em
no es-
tam-,
Oiifiima 8 "-'" "-"'"tf1, fall'a c,n qualquer que seja a esla-.
v/uwuiduu ii. o. ( cao; e alm de todas essas boas qualidades occor-
Ciraxa econmica. re mais a da baratez porque as caixas cra 400
A aguia branca acaba de receber essa acredita- I'hosphoros custam apenas 2iO, o que nao ha com-
da grajea econmica, cuja uperioridade est ge- paragao para com qualquer das outras qualida-
rameme reconhecida ; essa boa grajea se torna tlcs- Assim |wis, convm o uso delles, todos os !
recommendada, tanto porque o calcado lustrado c^belecimentos, cscriptorios, cartorios, reparti-
couiella dei\a perfeitamente lustroso ao menos O^es, casas particulares, etc., etc. Acham-se
tres das sem neces?idade de novo unto, como venila na r"a d Queimado loja d'Aguia Branca
mesmo porque sua preparaciio appropriaila para n- 8- Quoni comprar por(;o ter um abatimento
an iciare conservar o couro ; ella vem em caixi- "asoavel.
! nc ominen das d'agnia branca recebi"
das pelo ultimo vapor.
Ricos pentes de tartaruga com chapa de madre-
peroia.
Itonitos leqnes de madrepcrola.
Delicadas ranetas de dita.
Lindos chapeozinhos de setim para baptisados.
dente e acertadamente resando, cumprem dever de Tranrelins de 15a nira Pnf,>tn
bom cbiisto, c (|uaudo reparou essa sua falta,: -
mandou vir e acaba de receber delicados tersos e;
cortea de cornalina com cruz de prata, os quaes
ROUPA FEITA
NO
AH11A/F.JI
DE
I
KJETREIBO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento Completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
Casacas de panno preto, 35)5 e
Sobrecasacas idem, 30$ e .
Paletos idem e de cores, 250,
200, 150 e......
Ditos de casemira, 200, 150,
305000 Cohetes de fustao e brim bran-
250000 co, 30500, 30 e .
yt Seroulas de brim de linho,
1O0OO; 20400 e .
* jDitas de algodo, 10600 e.
nhas e barrizinhos, e acha-se venda na na do
Queimado n. 8, loja d'aguia branca, aos rezumidos
presos de 400, 500 c 610 rs.
TERCOS
e coroas de cornana.
A aguia branca pensando coaslantemente em
bimservir a toda a sua freguezia, uolou queainda
80500
20000
40500
640
deixa disposicao dos fiis que estivercm dis|)ostos
a gastar lo00!25e :i-3 para possuirem um bonito
terjo ou cora, com os quaes podem mesmo pedir a
Deus pela prosperidade d'aguia branca, em seu ale-
gre c espacioso ninho da ra do Queimado n. 8.
isahiizinhos com perfumarlas e
sem ellas.
A aguia branca vende benitos lialiuzinhos com 6
"rasquinhos decneiroa |K>r 1&3W e vasios por 800'
rs.. servindo estes pan meninas, e mesmo para
jiimis, etc., etc. : na na do Queimado. loja d'aguia
nninea n. 8. '
^'ovisslmos c bonitos enfeites
para cabecas.
Quando o bello sexo senlia a falta de bons
enfeites para cabeca, eis que a aguia branca
recebe urna sua encommenda de bonitos e
delicados enfeites, e de modernissima moda,
Fitas de seda eslreitas para ditos.
Ditas de velludo com listras para barras de ves
tidos.
Aspas de balea para vestidos.
Ditas de aso para espartilhos.
Bandees de dina.
Pulseiras de contas para meninas.
Paos para abrir luvas e port-charutos.
Essencia de ail para engommados.
Pos hygicnicos de Lubin para dentes.
Leite virginal para tirar sardas.
Dito d'ires para extinguir as caspas.
Vinagre aromtico para vcrtijrens. d
beca, etc.
Gootiqne garfie para cabellos.
Pomada para bigode.
Renda de fil. lisa.
Amostras de agulhas Inglezas.
A aguia branca acaba de receber por amostra!
urna pequea quantidade de carteirasde molde nao
cominum cora agulhas inglezas de urna admiravel
superioridade. As carteiras trazem accommoda-'
damente quatro papis de agulhas sortidas em
120, 100 e 70OOO
Ditos de alpaca, 50 e. 30500
Ditos ditos pretos, 90. 70,
50 e........ 30500
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. 30000
Ditos branco de linho, 60, S0 e 40000
Ditos de merino preto de cor-
dao, 100, 70 e..... 50000
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80 e......70000
Ditas de cores, 90, 80 e. 70000
Ditas de meia casemira de co-
res, 50500 e. 40000
Ditas de princeza e merino pre-
to de cord5o, 50, 40500 e 40000
Ditas de brim branco e de do-
res, 50, 40500, 40 e 20500
Ditas de ganga de cores, tos e
30500, 30 e.....20500 Lences de linho.....30000
Cohetes de velludo preto e de Cobertas de chita chineza.. 20000
cores, 90 e. 70000 |Pennasd'aco, as mais superio-
Ditos de casemira preta, 50 e 40000, res, a grosa...... 600
Ditos de ditas de cores 50 Relogios de ouro orizontaes,
0 e........30500; 900, 800 e......700000
20500
20000
10400
Camisas de peitos de linho,
50, 40, 30 e.....20500
Ditas de madapolo, 30,
20500, 20 e.....10600
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e. .
Ditos defltro, 50, 40,30500 e
Ditos de sol, de seda, 120,
H0, 70 e......
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda.......
Sortimento completo de grava-
tas. 0
Toalhas parroslo, duzia, 110,
90 e......... 60000
Atoalhado adamascado de li-
nho vara......10280
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....40000
i para vertigens, dores de ca-; i
Ditos de setim preto.
Ditos de ditos e seda branco,
.60 e.......
Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 60, 50 e
50000
50000
40000
Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes, 400 e
Obras de ouro, adercos, meios
aderecos, pulceiras, rozetas,
aneis e cruzes.
300000
i/9\ >
muito servindo isso para sanar aquella falta, jfirossuras, e estas na verdade sao de qualidade ain-
fi7Pr rnm mip a-i Ftma<5 anrprhdnr;! ila da nao vista a1u> 1ue facil de conheccr-se pelo .
6 ^Z^T^S^ZJ^S^Lt se" bom acabamento,_ pois que sao perfeitamente
Fl \SM AO 1H> BOWMAI-RCA DO
atas.
bella empreza Coimbra possam melhor real-
sar e mostrarem o apurado gosto que as
guia. Esses enfeites sao d'um tecido bas-
tante fino com continhas d'aco, e mui bem
enfeitados com flores, fitas, bicos, plumas
etc., entretanto que sendo obra de muito
gosto custam 50, 60 e 70 dinheiro vista;
na espacosa e alegre loja d'aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Albuns com perfumaras.
Muitas vezes aconteca que se procurando urna
bella galantaria para se offertar a ama seuhora ou
iiniiiiia em scus anniversarios, ou mesmo na
aitiarracaodas meslras destas, se nao achavconsa
que satislizesse, agora, porm, j nao deve sueco-
der assim porque na loja d'aguia branca encontra-
ra o pretendente bellos objectos para esse flm, so-
bre-sahindo entre elles esses bonitos albuns com
perfumaras, cujo gosto e novidade lhes d a pri-
maria. A aguia branca folgar de contente se
essas oftertas recahirem sempre em suas predilec-
tas freguezas, e quando assim nao seja, nao faz
mal, porque a mimoseada reparando na singulari- dos desenhos, suas escolhdas e bem acertadas co-
dade do objecto, querer desde logo alislar-se no I res fazemum todo agradavel aos olhos de qualquer
numero daquellas. Era todo o caso liavendo di-1 vvente qne saiba apreciar o bom. Assim, pois, a
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortimento
pulidas, ponas rao: agudas e bem tiradas, e fundos maCQinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
ovaes. Custa cada carteira 10, oque de certopa- fMt:__ A^ ^ v !__ "oouv^"> u. oa",-,
rece caro, mas que apreciada a boa qualidade del- Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas,
las, s terao a lamentar o nao vir mais dellas. Rodas d'agua de ferro com seus pertences.
Tambem veo igualmente caixinhas com alfinetcs Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
9?Jrad0?*e,rUm0Sr.boan?' os (|uaclse ,ve?dem a Rodas dentadas, angulares e de espora.
240 rs., J20, 500, CIO e 15 a caixinha, tudo isso t:_ ,i < Z7 i .j
na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8. IJ8* de ferro batido e coado.
Bolsas para vlacens. Roccas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Vendem-sc na ma do Queimado, oj d'Aguia Alambiques de ferro fundido.
Branca n. 8. Fornos para cozer farinha.
Voltas pretas Moinhos para moer mandioca.
* Amife Rpnrt'i!^ PLL a -a ,. Arados smericanos, etc. etc.
A Agina Branca recebcu as desejadas voltas
pretas, mui compridas e gradas.
Naravllha das bellas, noros e
delicados enfeites para tcs-
(idos.
aprasivel a aguia branca o ter de avisar a
sua boa freguezia, que acaba de receber pelo pa- \
quete francez um bello sortimento de enfeites de
seda denominado maravilla das bellas, os quaes
servem tanto para vestido de senhora como para I
roupinhas de criancas. Seus novissimos e delica-
de
RA DO QUEIMADO N. 46
' DE
IAZK\AS E IIOrPAS FEITAS.
bortimento completo de sobrecasacos de panno a 250, 280, 300 e 350, casaca
muitobemfettasa250, 280, 300 e 350, paletots acasacados de-panno preto de 160 at
250, ditos de casemira de cor a 150, 180 e 200, paletots saceos de panno e case-
mira de 80 ate 140, ditos saceos de alpaca, merino e 15a de 40 at 60, sobre de alpaca e
merm de 70 at 100, calcas pretas de casemira de 80 at 140, ditas de cor de 70 ate
150, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de roupas de brim
como sejamcalcas, paletots e cohetes, sortimento de colleles preros de metim, casemin
e velludo de 40 a 90, ditos para casamento a 50 e 60, paletots brancos de bramante a 4
e 50, calcas brancas muito finas a 50, e um grande sortimento de fazendas finas e moder-
nas, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senhora, ceroulas
de linho e algodo, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin para homem e se-
nhora. Temos urna grande fabrica de alfaiate, onde recebemos encommendas de grandes
obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de sejnelhante arte e um
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qualquer obra com
promptidao e mais barata do que em outra qualquer casa.
ESTABELECIMENTO COMMERCIAL
DE
CALDERAKh E FlIMHCiO DE METAESj
Hito na ma do Bruui n. lo junto
a fundlco do Hv. itowauaiii. nerlencenle a
vil laca Irmo <& C.
Neste estabelecimento encontrarao os freguezes um completo sortimento
de tudo que diz respeito as artes de caldereiro, funileiro, latoeiro, ferreiro e
ftindifao, e os abaixo asssignados que o dirigem, promettem servir a todas as
pessoas que se dignarem de os procurar, com promptido, sinceridade e pre-
cos muito rasoaveis. O dito estabelecimento estando montado em ponto
grande, tanto no que diz respeito a pessoal, como em materia prima, e tendo
habis ofliciaes, pode executar com toda a perfeic5o e seguranca qualquer
obra tendente as artes cima mencionadas e afoitamente pdem os abaixo as-
signados assegurar ao publico que nenhum outro estabelecimento Ihe pode
lornecer mais barato e mais perfeito do que elles. visto que recebem de sua
propria encommenda todas as materias empregadas em ditas obras.
Alambiques simples e continuos de to- Sinos de 16 libras 8 arrobas.
dos os tamanhos e dimencoes. : Parafuzos de bronze e ferro para ro-
Machinas de cobre para destilar e res- j das d'agua.
tilar espirito at 40 graos pelos sys- Torneii as de bronze e bronzes para
temas de Logier e Derosne. engenho.
Carapucas e serpenfinas de cobre, e Encanamentos de cobre e chumbo de
estanlio, avulsas. j todas as grossuras.
Taixas e tachos de cobre para engenho Bombas para cacimbas, aspirantes c
erefinaco. | de repucho.
Paroes de cobre e todos os cobres ne- Bombas para destilacoes.
cessarios para o fabrico do assucar. Ditas para regar jardins, borlas e
Cobres para rodas de moer mandioca. | capim.
Machinas econmicas para lavar roupa Ditas para navios e barcaras de varias
o melbor .possivel. I qualidades e dimencoes.
Cobre em lencol e arrodellas, estando em barrinha, chumbo em barra,
lencol e canos de todas as grossuras.
Villana Irmo & C.

flfc --o

Dhuiro, dirijaiu-se. a ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8, que tudo se arranjar.
Chegaram luvas de pellica para a loja d'a-
guia branca, ra do Queimado n. 8.
Novas cintas elsticas pira senhoras
casaHas.
A recoHhecida utilidade dessas necessaras cin-
tas elsticas fez com que em breve so acabassem
as que vieram da primeira vez, deixando assim
descontentes muitas senhoras que se no poderam
prover dellas, vista do que a aguia branca man-
dou buscar mais algumas, que acabam de dragar,
ainda mais perfeitas qtte as primeiras, isso por se-
ren menores; agora, pois, podem as senhoras ca-
sadas prevenirem-sc, mandando-as comprar na
loja d'agnia branca, roa do Qneimado n. 8 Se a
aguia branca precisasse de scmelhante OWa it
certo deta vez nao flearia sem ella.
duvida est em ha ver dinheiro, havendo-o, diri-
jam-se sem susto ao espacoso e alegre ninho de
aguia branca, ra do Queimado n. 8, que acharao
as verdades cima ditas.
Cal de Lisboa e potassa da
Rnssla.
Vendc-sc na ra da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o antigo c acreditado deposito da
mesma ra n. 12, ambos os gneros sao' novos e
legitimos, e se vendem a preco mais barato do que
iratra qualquer parle.
cal de
a mais nova do mercado
19, primeiro andar. ___
Lisboa
na ra do Vigario n.
novaj:
Cal de Lisboa
na roa do Vigario n. 19, primeiro andar.
XAROPE TNICO REGENERADOR
DE QUINA E DE FERRO
Preparado por GKIMA UU e c, pharmaceutcos de S. A. I. o Principe Napolelo, lacreados
da Escola de pharmacia de Pars, ra de la Feuillade, 7.
to auhmS^^^^ar^!SPn,e nmn dete* douB >JI MnT^^k^,X^tr^k*,BtmJ't'iu^la>i 8 mals dlBtinct0 o podero n^iilr
cSsTSS^rSSl?WSUS2,C" bomM',<*o-8eboje sodadas e*ias duas pbderoaas gubsura-
nonbiS'faKaT^ m^rulrita0 ^T*"!60 reen5'*'r8e *<> multo ffic O. u ***
^^m^^^rfiMm0' emPbreclBlento d0 croMIa,, o. trago, produ.ldo.
hBVSX?.I^a'm,.^0.X*ropeKe quM e ferr0 fol Pecado nos hosBlta 4e Part, elle
h0ri!!!^i^jrai!.!l!l^!!'-e?f,ul.nd0.- W Um drer,oimedlc.raeDto.ferruglii()wcoilMto:
prctenitivo das epidemia?
Acbn-ae i venda no dfpsito geral, em Parit, n pharmacia Grlnanli e
em Litboa, tm can do Sir xlrlfi 4a Cuii-Carialko, Barral e Ci no
Sin- MlSBrl-JM e 8 Ferrclra; no Rio-de-Janeiro, em casa da Tiara
SaMo, li M Baki*, TI <*M d Sfir Jaa-CalaaaPerrelra-Esplabelra; n
h m?**"'" ** 0m**ri no Mar<" <*& t Barthalawru-Praarlx-* e Boamai em casa dos Sftrs Shaaai e O, e bem assim nw nrlo-
cipae pharmaclu do Brazil e de Portugal. v
O, roa de la Feuillade, 7;
Porto, m pharmacia do
Mala, ra do
riviiKio

Deposito geral mT^ernambuco ra da Cruz n. 22 era casa de Caros 4 Barboza
DE
DE
FRANCISCO ANTONIO CORREIA CARDOSO,
Ra do IIruin. X. H2.
Acha-se novamente aberto este antigo e proreitoso estabelecimento, prorapto para
executar quaesquer encommendas de ferro fundido, balido ou de bronze, moendas para
engenbos, com vapores ou sem elles, tudo com a maior promptid5o, perfeicJo e com-
modo prego ; tem varias obras promptas da melhor e mais solida construefo qtw po-
dem ser vendidas por metade de seu valor, como sejam: '
Moendas inteiras e meias ditas de varios tamanhos, para engeobos.
Portas d'aguas guarnecidas de bronze com parafuzo de rosca qoadrada.
Rodas de espora, carretas e rodelas angulares.
Parafusos e cavilhoes de ferro ou de bronze, rosca quadrada ou singela. .^
Agulhoes fundidos de azas e balidos para rodas d'agua e ebumaceiras com brorw.
Bronses e torneiras de todos os tamanhos e qualidades.
Taxase fundos de alambique, de ferro fundido, de varios lmannos.
Cnvose porlas de fornalha de varios ramanhos e qualidades.
Uma machina de destillacao continua do autor Collares.
FogSes americanos econmicos paracas de pequea (amiba.
Fornos de ftier farinha.
Tubos d chumbo de todas as grossuras.
Cobre em arrobas e folbas. dito, dito.
Folha de Flandres em caixas, bom sortiment.
Chumbo em lencol e em rolos de diversas grossWf'as.
E uma grande porcSo de pacas de obras tanto de ferro fundido cono MMt i da
bronze que seria enfadonho descrever.
Espera, pois, o proprielirio desto etabatecimonlo que o pablko
prestar toda suaconfianca e attencSo.e
m
/




WMBBBS MaBiHaMaMi
BU rio de PeroaMtbuco Segunda felra 5 de Ontnbro de i9S.
f
/
/
GRANDE ARMAZEM
AE
EE
N. 56, ROA DiS CRIWS N. 36
DO
balrro de Santo Antonio.
0 proprietario do muito acreditado armazem denominado Progressista tendo
sempre em vista fazer todo o que for possivel para bem servir aos seos freguezes, tem
deliberado vender os seus j bem conhecidos gneros de primeira qaalidade pelos precos
abano mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
escravos, serem Ufo bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, ainda mesmo contendo objectos nlo proprios deste estabelecimento. 0
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que nao agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
i;3o com os seus portadores, fazendo-lhes ver que s no armazem Progressista da ra das
Cruces n. 36, que se vendem os melhores gneros por mais barato preco, porque estes
muites vezes olvidam se e v5o outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.
Vinho superior da Figueira e Lisboa, a 400,. Mustarda preparada, muito nova a 360 rs. o
PROGRESO
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS

DI
Msmmjvvmxmmmvte.
TODOS
os
vvroiuis
COMPLETO
SORTIMEflTO DE MOLHABOS.
se recebe gneros de conta ^ vende-se em porc5o e a reta-
propria e dos melhores esta- ^ lho, aprompta-se com toda a
440, 480 e 500 rs. a garrafa, e a 2,500,
2,700, 3,000 e 3,400 rs. a caada.
dem engarrafado, das seguintes marcas du-
que do Porto, Feitoria, Nctar, velho secco,
Chamisso, e-Madeira superior a 8,500 rs. a
duzia e 800 rs. a garrafa.
lilemBordeaux de diversas marcas a 640 rs.
a garrafa e 7,500 rs. a caixa com 12 garrafas.
dem Muscatel deSetubaa 1,700rs.agar-
rafa, e 18,000 rs. a duzia.
iarrafes com 5 garrafas de vinho do Porto,
Lisboa e Figueira a 2,100, 2,200 e 2,300
rs. com o garrafo.
dem hranco muito superior a 500 rs. a garra-
fa e 3,500 rs. a caada.
liarrafes cora 5 garrafas de vinagre a 1, loo rs.
Vinagre superior de Lisboa a 1,400 rs. a ca-
ada e 200 rs. a garrafa.
Velas de spermacete superiores a 580 e 640'
rs. o maco.
Manteiga ingleza de 1.a qualidade, a 800 rs.
a libra.
dem de 2. dita, a 700 rs. a libra.
dem de 3*. dita a 600 rs. a libra.
dem franceza. a melhor do mercado a 540 rs.
e em barril a 500 rs. a libra.
dem em latas com 2 '/ libras a 2,400 rs. a lata.
Banha de poreo refinada a 500 rs. a libra.
Ouoijos flamengos chegados ltimamente a
2,000 rs.
pote.
Palitos do gaz a 200 rs. a duzia de caixinhas
e 2,100 rs. a grosa.
Ditas bygienicas e de seguranca a 240 rs. a
duzia.
Alpista muito limpo a 160 rs. a libra,
Gomma de engommar a 80 rs. a libra, e
2,200 rs. a arroba.
Sag muito novo e alvo a 240 rs. a libra.
Sabao hespanhol, a 280 rs. a libra.
tem massa a 180, 200 e 220 rs. a libra.
Peixe em latas, savel, pescada, e corvina a
1.000 rs. a lata.
Genebra de Hollanda em butijas de conta a
400 rs.
Papel greve pautado e liso a 3,400 rs. a
resma.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa.
Champanhe das mais a creditadas marcas
a 10,000 rs. ogigo e l,OoO a garrafa.
Doce de goiaba de 400 a 800 rs. a caixa.
Chocolate porluguez, francez, hespenhol e
suisso de 800 a 1,200 rs. a libra.
Velas de carnauba e de composicao a 320 e
JICO rs. a libra e 9,500 e 10,000 rs. a ar-
roba.
belecimentos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer ge-
nero comprado neste
ESTABELECIMENTO.
O
P3
presteza e exactidao qualquer
encommenda dirigida a este
ESTABELECIMENTO.
DE
Eduardo Marques de Oliveira C.
o
>
o
25
o

C
u
Os proprietarios do muito acreditado armazem Progresso fazem sciente ao respeite-
vel publico e com especialidade aos seus amigos e freguezes que tem resolvido resumir os
precos dos seus acreditados gneros, como abaixo verao nao obstante os precos menciona- Azeite doce francez 800 rs. a garrafa.
Dito de Lisboa 680 rs. a garra.
Agurdente de canna de caneca a 240 e 320
rs. a garrafa.
Azeitonas a 320 rs. a garrafa e 1,3oo a an-
corte.
09
PTestes novos e grandes estabelecimentos rtemolhados. encontrar o respeita\ei
publico d'est cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro, expostos venus
todas as qualidades de gneros por menos preco que em quaesquer outro estabelecimrr
tos deste ordem, pois para bem servir os seus freguezes existe na Europa um dos st-
aos para serem viudos de conta propria diversos gneros, e desde j encontrar o n*-
peitavel publico sempre os melhores gneros do nosso mercado, e por preros baratsi-
mos como abaixo verlo, a saber :
Amendoas a 320 rs. a libra.
Avelles a 2oo rs. a libra.
Ameixas a l,jf a libra.
Ditas em frasee por 2,3800.
Arroz pilado da India loo rs. a libra e 30000
a arroba.
Dito dito do Maranho 120 rs. a libra e 3^500
a arroba-
dos a viste da qualidade dos gneros que se prova quanto se deseja servir satisfatoria-
mente aos nossos freguezes, advertindo-lhes que mandem seus portadores, que serio to
bem servidos como se viessem pessoalmente, isto s no Progresso.
Manteiga ingleza perfeitemente flor chegada Farinha de Maranho muito alva e cheirwa
a 16o rs. a libra.
Massas para sopa
400 rs. a libra.
macarrao e talharim a
Charutos dos melhores fabricantes da Ba-
ld.mipn.to o melhor que honeste genero J i* 3,000 e 2,400 rs. a
700 rs. a libra. / i
Arroz Carolino e do MaranhSo a 2,800 rs. ar- ^fffl, Jf, ff de 3' a
roba e 100 rs. a libra. | '
Amendoas de casca mole a 280 rs. a libra. Biscoitos inglezes de todas as marcas a 1,200
rs. a lata.
Caixinhas cora ameixas francezas, de diversos Bolaixinhas de soda em lates grandes a 2,000
tamanhosal, 200,1,400, l,800e2,100rs.
cada urna.
Fintas em calda, ameixas, rainha Oladia,pe-
cagos e alpech a 480 rs.
Marmelada de todos os conserveiros de Lisboa
a 600 rs. a libra.
\meixas em latas de 1 "i e 3 libras a 1,200
e 2,400 rs. a lata e 900 rs. a libra.
Cha huxim o melhor que possivel encontrar
neste genero a 2,700 rs. a libra.
Idea hysson muito superior a 2,5oo rs. a
libra.
dem miudinho a 2,100 rs. a libra
Idea preto de qualidade muito fina a 1,800 rs.
Idea mais inferiora 1,500 rs. a libra.
Genebra do laranja a 900 rs. o frasco e 500
rs. os frascos pequeos.
Chouricosu paios os mais novos que ha no
mereado a 500 rs. a libra.
Cognac inglez a 9oo rs. a garrafa.
Marrasquino de Zara a 7oo rs. o frasco e
H,ooo rs. a duzia.
e 1,800 rs. cada lata.
Massa de tomates em lates de i libra a 560
e 640 rs.
Sardinhas de
rs. a lata.
ames muito novas a 340
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijollo para areiar facas a 140 rs. cada um.
Farinha de Maranho a 140 rs. a libra.
Pimenta da India a 340 rs. a libra.
Erva-doce a 320 rs. a libra.
Palitos para meza a 160 rs. o maco.
Verdadeira farinha de ararute a 500 rs. a
libra.
Frascos com ameixas francezas a 1,400 rs.
cada um.
Prezuntos do Porto a 5oo rs. a libra.
Batatas muito novas em gigos com 38 libras
por l,5oo rs.
Canella da India a l.loo rs. a libra.
Cominho a 64o rs. a libra.
Azeitonas de Lisboa muito novas a l,6oo rs.
Licores francezes, annizete, plaisir des da-
mes, etc., etc. a 8oo rs. a garrafa e8,5oo. Espina o rodinha para sopa a 6oo rs. a
rs. a duzia.
Passas as melhores
rs. a libra.
Bolachiuhas inglesas muito novas a 36o rs.
a libra, e 3,5oo rs. a barrica.
Azeite refinado aSoors. agarrafa.
Conservas inglezas de todas as qualidades a
750 rs. o frasco.
. oju8tni33|8qeisd ojso jep
-tj8esop b jumera ap uia.uos so apno 'ajjed Mino e ora a as-mepiAio'saza.v sejinu sejsa
anbjod oiajd ojojeq sreui jod saiauaS sajoijjaui so apaeA as anb a og -u seznjQ sep
boj ep eisissajSojj uiazcraje ou os anb a saqi-opuazej 'sajopeyod snas so raoo og5
-uaiie epoj Jaj sajoquas sorasain s opua.vap Mepejft obu anb opafqo janbjBnb jaAjOAap
uiaJBpaBm ap joabj o raazBuuB ajsau JBjdinoa uiajepueui anb sajoquas sob apad orasara o
oluaupaiaqBisa aisop soudojd ogusopalqo opuaiuoa omsara epuie 'epuarauoaua jaub
-pnb jbiab ap as-tajjeoua aiuauqeossaa opuiA oraoo soptuas raaq ogi majas 'soABJOsa
no sopBUJ snas jod jejduiOD majBpuBra anb sBssad sb B3up a 'sopBuopuara oxiBqB soo
-ajd sojad apBppnb BJiararjd ap 60jaua8 soppaquoa maq Bf snas so japuaA opjaqqap
uiai 'sazanSajj snas sob jiajos insq utd laAissod joj aub o bpni jazbj bisia raa ajdmas
opuai 'BisissajSoJd opBunuouap raazBuuB "opBimajaB oimu op oijBiaudjd o
'8 *n ouo>nv ojuvft 9p oaj|i: a garrafa.
dem em barril muito superior a 5oo rs. a
garrafa e a 4,ooo e 3,8oo a caada.
Ameixas francezas em caixinhas de 1 '/*> 2
e 3 libras elegantemente enfeitedas com ri- Licor francez de todas as qualidades em
i 1,3oo | garrafas de vidro brancos a 72o e 8oo rs.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que tem vindo ao mercado a 72o e 8oo
rs., e em caixa a 7,5oo, 8, e 8,2oo rs.
libra.
I
que se encontrm a 360 Legumes seceos para sopa a 4oo rs. o maco.
Breu louro a 3oo rs. a libra e 8,ooo rs. a
arroba.
Papel pautado e liso almaco e de peso de
3,000, a 4,ooo rs. a resma.
Ervilhas seeeas chegadas no ultimo vapor a
2oo rs. a libra.
no ultimo vapor a 8oo rs. a libra.
dem de 2.a qualidade a 76o rs. a libra.
dem de 3. dita a 64o rs. a libra.
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
Manteiga franceza a mais nova que ha no mer-
cado 58o rs. a libra, e em barril ter aba-
timento.
Banha de porco refinada a 520 rs. a hbra.
Vinho em pipa Porto Figueira e Lisboa a 4oo,
48o, Soo, 56o rs. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e i.ooo rs.
dem em barril o mais superior que tem vin-
ao mercado a 6oo rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
I.ooo agarrafa e a lo.ooo a caixa, o preco
nao indica a qualidade d'este precioso vi-
nho, porm venhamao Progresso que a vis-
te faz f, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
demos vender por menos que outro qual-
quer annunciante.
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre-
ditadas e especialmente escolhido por um
de nossos socios, como sejam: Caraoes, Du-
que, do Porto, D.Luiz, Carcavellos, Cha-
misso A Filho, Madeira secco, e Feitoria a
9oo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com Pltos do gaz a 20 rs. a caixinha e 2,3oo rs.
12 garrafas.
Garrafoes com especial vinho do Porto con-
tendo 5 garrafas a 2,5oo rs. I ae 2 fibras a ^ pecbJncha
,d^ mA8arrafas de suPerk)r vinh0 Fi-?(Jcneora de Hollanda garrafoes com 16 gar-
rafas por 6.5oo rs.
Batatas inglezas a 6o rs. a libra e 1,8oo a
arroba.
Banha de porco a 55o rs. a libra.
Botaehinha de soda a 10400 a tete.
Bolacbinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
rica a 34000.
Cha hysson a 2^200 a libra.
Dito dito fino a 20600 a libra.
Dito miudinho a 2(5800 a libra.
Dito do Rio a 10800 a libra.
Dito preto a 10900 a libra.
Charutos de diversas qualidades a 10200,
10500 e 30 a caixa.
Champagne a f 0 e 10500 a garrafa.
Chouricas a 560 e 600 rs. a fibra,
e a 8oo rs. e a Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Caf em grao a 300 e 320 rs. a Hbra, e 90 e
Toucinho de Lisboa a 32o rs. a libra e a 9,ooo
rs. arroba.
Sardinhas de Nantes a 36o rs. a late.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. agarrafa e-a
4,8oo rs. a caada.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e a
l,2oo rs. a caada.
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa al,loo rs.
Champanhe das marcas mais acreditadas a
8 e a 1 o,ooo rs, o gigo
l.ooo rs. agarrafa.
Serveja prete marca T e XXX a 6,5oo e' M*00,a a,Jba- ,.,
7,ooo rs. a duzia, e aOoo rs. a garrafa, Dito moido a 360 rs. a libra,
tambera temos das mesmas marcas para 4, R00? .de S0,a,)a a 56 rs- caix5-
e 4,5oo rs. a duzia, e a 4oo rs. a garrafa. I EgPirito de vinho de 38 graos, a 280 rs. a
dem branca Te cobriohaa5,5oo e 6,ooo rs, Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tambem ha Dita flor de laranja a 10 o frasco.
para 4,ooo rs. a duzia.
Graxa em lates grandes a l,3oo rs. a duzia
e 12ors. late.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro obra
d.; umita duracao a 4oo rs. cada urna.
Palitos de dentes massos grandes a 2oo rs.
e28ors.
gueira a 2,4oo rs.
dem com 5 garrafas
2,loo rs.
arroza.
G;l A
Wks de
Gcneora de
Feijo branco muito novo a 440 rs. a cuia.
Figos a 32o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em botijas a 5oo rs.
Dita Hamburgueza a 44o rs. a botija.
Gomma d'araruta a 100 rs. a Hbra, e 20600
a arroba.
Graixa em lates a 120, e 10300 a duzia.
Genebra em garrafoes de 14 garrafas por
40600.
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito em garrafas grandes de superior quali-
dade a 10500.
Alperche chegada no ultimo vapor "? .,*fw- OA/v ^ ,.v
de 2 fibras a 8oo rs. pechincha I ^an eiga ingleza flor a 800, 900 e 10 a libra.
de vinho Lisboa a;
Idememfrasqueiras a6,3oors.e6,5oo rs. ea
56o rs. o frosco affianca-se ser verdadeira.
Vinho branco de Lisboa proprio para missa 1Anm An k .
vindo j engarrafado de Lisboa a 64o rs. de f?,ja em barricas com quatro du-
zias a 44o rs. cada botija.
dem de laranja em frascos grandes verda-
deira italiana a l,ooo rs. o frasco.
Marrasquino de zara a 72o rs.
1,6oo 2,ooo e 2,5oo rs.
dem em latas de, I / e 3 libras a 1,4oo e
2,6oo rs, cada urna.
Figos de comadre em bauzinhos de folha
muito proprios para mimo a l,6oo.
dem em caixinhas a l,4oo rs.
dem em caixinhas ermeticamente lacradas
e muito bem enfeitedas a 1,8oo rs.
dem a 2oo rs. a libra.
Passas de carnadas as mais novas que ha no
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,ooo rs. a
caixa.
Salmo em latas
8oors.
ermeticamente lacradas a
3a
WriZVICHV HMIVII
IWBA
Lagostim em lates grandes a I,loo.
Savel, corvina, cherne, vezugo, peixe espada,
preparados pela primeira arte de cozinha a
al,3oors.
Queijos flamengos chegados no ultimo va-
por a 2,4oo rs.
dem do vapor passado a 2,2oo 2,ooo e
l,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
Doce da casca da goiaba caixoes grandes a
6oo e9oo rs.
Chouricas as mais novas que ha no mercado
a 48o rs. a libra.
Chouricas mouras encommenda especial nos-
sa a 5oo rs. a libra.
Prezunto verdadeiro de lamego em calda
de azeite Soo rs. a libra
Bolaxinha ingleza a mais novas que ha no
mercado a 2,ooo rs. a barriquinha com
1 arroba, e a 24o rs. a libra.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
res.
dem em lates grandes, proprias para hinche,
com 5 a 6 fibras por 2,4oo rs,
Marmelada imperial do fabricante Abren e
outros conserveiros de Lisboa a 6oo rs. a
libra.
Frutas em calda de todas as qualidades a
Soo rs.
Ervilhas francezas a 5oo rs. a late,
dem portuguezas a 64o rs. a late.
Massa de tomate a 64o rs. a libra.
Amendoas confeitadas a 7oo rs. a libra,
dem de casca mole a 28o rs. a libra,
Avelans a 2oo rs. a libra.
Manteiga franceza a Goo o 64o rs. a libra.
Dita hollandeza a 72o 8oo rs. a libra.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
Previne-se ao respeitevel publico que todos os gneros cima sao de boa qualh
dade, e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annunciados.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a 560 rs. a Ubr.
Massa estrellinha para sopa a 5oo rs. a libra.
Macarrao, aletria e talharim a 48o rs. li-
bra.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
Passas a 4oo rs. a libra.
Palitos para dentes a 180 rs. o masso.
Phosphoros do gaz a 20500 a grosa.
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a 20 i
20500.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Cervejas de marcas superiores a 500,560.
600 e 640 rs. a garrafa, e 50300, 60
60500 a duzia.
Dita em barril por 40, e 240 rs. a garrafa.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 rs. a !
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 160 rs.
Vellas de spermacete do gaz a 1,2oo rs. a
libra.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 libras por 40000.
Ditas de carnauba a 400 rs. a libra.
Ditas de composicao a 360 e 380 rs. a libra.
Vinho do Porto, caada a 50500, garrab
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 40 e a garrafa a 500
rs.
Dito Figueira, caada a 30840 c a garrafa
480 rs.
Dito dita superior, caada a 40 e a garra!
a 500 rs.
Dito Estreito, caada a 30200 ea garrafa
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 e 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa em garrafoes de 5 garra-
fas por 10400.
Dito em caada a 20, e a 260 rs. a garrafa
Vinho do Porto em garrafoes de 5 garrote
por 20500.
Dito dito engarrafado a 10 e 10200.
Dito lagrimas do Douro a 10400 a garra!*.
Vinho branco de Lisboa a 720 rs. a garrafa,
e 50 a caada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, e a 405OC
a caada.
LIQUIDAQAO!!
NO
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol e
outros a 8oo rs. a garrafa.
Conservas inglezas sortidas e de urna s-qua-
lidade a 8oo rs. o frasco.
Ararute verdadeira a 32o rs. a libra.
Gomma de engommar muito alva a 8o rs.
a libra e 2,2oo rs. a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 16o rs. a libra.
Sevada muito nova a 12o rs. a libra e 3,2oo
s. a arroba.
Macarrao a 32o rs. a libra.
dem e talharim o mais novo que ha do mer-
cado a 48o rs. alibra.
Aletria a 5oo rs. a libra.
Arroz carolino a loo rs. a libra e a 2,8oo rs.
a arroba.
dem do Maranho
3,ooo a arroba.
a 12o rs. a libra, e a
Caf do Rio o mais superior que se pode de-
sejar a 32o rs. a libra,
dem a 28o e 3oo rs. a libra e a 8,2oo, 8,4oo
o 8,7oo rs.
Velas de carnauba refinada a 32o rs. a libra,
.e a lo.ooo rs. a arroba.
dem de spermacete a 64o rs, a libra.
Chocolate hespanhol e francez a 9oo e I,ooo
rs. a libra.
Estrellinha e pevide muito nova a 4oo rs. a
libra, e a 2,ooo rs. a caixinha com oito
libras.
Cha perola muito especial chegado neste ul-
timo vapor de encommenda particular
nossa a 2,8oo rs. a libra.
dem huxim muito superior a 2,7oo re. a
libra.
dem hysson a 2,56o rs. a libra.
dem hysson a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
dem preto homeopathico e muito superior a
2,ooo rs. a libra.
dem nacional al,600 rs. a libra.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e de todas as marcas, como sejam: sus-
1KHA/Kn CONSERVADOR
DE
21LARGO DO TERCO-N. 21
Avisa-se ao respeitevel publico que mndou-se do sen estabelecimento de molhades
denominado conservativo em consequencia de percisar concert, que obrigou-se a juntar
os gneros e por ser grande quantidade, este resolvido a vender por menos de 20 a 30
% do que em outra qualquer parte garantindo-se a superior qualidade de qualquer ge-
nero comprado neste armazem.
Garrafoes com vinho Figueira mandado vir por conta propria por 20000.
Vinho em pipa, Figueira, Lisboa, Porto de 32o a Soo rs. a garrafa.
Batatas novas a 40 rs. a libra e a l,2oo rs. a arroba 011 caixa.
Cha do melhor que ha no mercado a 2,800, 2,5ooo e 2,000 rs. a libra.
Manteiga franceza de muito boa qualidade a 5oo rs. em barril e 560 rs. a libra,
dem ingleza perfeitemente superior a 72o e 800 rs. a libra.
Tijollo francez de grande temanho a 14o rs. cada um.
Bolachinhas inglezas a 2,ooors. a barrica e 2oo rs. a libra.
Velas de espermacete, Aracaty e composicao a 36o, 44o e 63o rs. a libra.
Palitos do gaz sem avaria a 2oo rs. o maco e 2,3oo rs. a groza.
Milho alpiste muito limpo a 160 rs. a libra, e arroba 5,ooo rs.
Alem destes gneros ha outros muitos que enfadonho seria mencionado
se a dinheiro.
ve 1 me-
AGENCIA
DA
FUNDICAO DE LOW-MOOR.
Rua da Senzalla nova n. 42.
ESCRAVOS FGIDOS.
Neste estabelecimento contina a haver
Fugio em das do mez de abril do corntnle
' anuo, o escrauo Manoel, de narfio, idade de 50 as-
nos, pouco mais ou menos, rom os signaes segu li-
tes : tm a perna direita torta, Ixxra grande,
beiendo, sem barba e anda i|uasi sempre embr*-
um completo sortimento de moendas e meias gado, foi escravo do fallecido Joaquim de Pauu
moendas para engenho, machinas de vapor Lopes : quem o apprebender leve-o r da Ca-
e fachas de ferro batido ecoado, de todos OS deia n. 55, segunda andar, quesera recompensado,
tamanhos para ditos. Conliua a estar fgido desde abril do er-
--------------------------------------------------------- rente anno o escravo comprado ao Sr. Manoel Arados americanos e machinas para Gama Romeiro, morador em Santo Amaro de Sri-
Uvar rmina- pm casa n> S P Jnhnstrm A C nhim, de nomc Serapbim, cnoulo, de ti anans
^\aLrcr,-.nmNCf.- ? IV JOtmStn L' de idade pouco mais ou menos bonita gura,
to, espadado, pouca barba, olhos estranquirado,
dentes alvos e perfeitos, ps grandes, dedos
separados o desunidos, unhas achatadas, c 1
rua da Senzalla Nova n. 42.
Farinha de mandioca
em saceos grandes, e de superior qualida- atemorisado gagueija ; consta que tem sido
de : no armazem de Tasso Irm50S, rua do no sitio do Arraial ou Casa Forte, moradia doSr
Amm-im n i Manoel Romeiro de Gonvcia : quem o opprcbendpr
Amorim, n. 35.
\o coehclros.
Vendem-se encerados pretos e de cores para
forrar carros : no armazem de Tasso Irmos.
Vende-se tinta superior para ailar roupa a
2J0O0 cada garrafa, e 15 as meias garrafas: na
rua Velha n.93. Com urna garrafa orna familia
aila roupa um anno inteiro.
I
inguicas do ser to a
240 rs.
Vende-se linguica do sertao a 240 rs. a libra,
carne verdadeira do Sedir a 320, qneijos do mes-
mo lugar a 640, dito londrino a 800 rs., dito de
Srato a 700 rs.. ditos do reino novos a 2#2O0, oleo
e ricino a 480 a libra, e em garrafas a 640: no
pateo do Carmo, esquina da rua de Hortas n. i.
Rua da Senzalla n 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston A C,
aellins e silbos inglezes, candieiros e casti-
piros, havaneiros, mesjecipes, regala im- caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
penal, flor das mattes, primores a 4,ooo, chicotes para carros e montara, arreios para
3,5oo, 3,2oo, 3,000, e 2,8oo, 2,5oo, i carros de um e dous cavtllos, e relogos de
2,000 e l,6oo rs. a caixa. i ouro patente inglez.
e entrega-lo a seu senhor, Francisco Manoel de Sou-
za Oliveira, no engenho Jassir ou Cachoara, w
Serinhaem. ou nesta praca, na na Direita n. 2,
ser generosamente recompensado.
Acha-se ausente a um mez a mulata Anastv
cia, altara regular, cheia do corno, andar rompa-
sado, tem ambas as maos foveiras de queimador,
tem marcas de custicos no pescoco e no neitc,
cuja mulata bem conhecida por andar vendendb
tocas, sapatinhos de laa c outras vendas nao so
nesta praca como em Iguarass, S. Lourenro e di-
versas partes, tem sido encontrada veidndo os
mesmos objectos esta praca, Apipucos, Casa Por-
te e na Estrada Nova : a pessoa que a pegar le-
ve-a ao Monteiro a Francisco Rodrigues do Passo
ou rua da Imperatriz casa n. 21, que generosa-
mente se gratificar.
Contina a estar fgido desde o dia 18 de
setembro prximo passado o preto Antonio Jorp*,
crioulo, de idade 60 annos, pouco mais on mmm,
estatura baia, falla grossa, reforcado do corpa,
casado, e diz ser natural da comarca do Limoeiro,
mprega-se no trafego de ganhador, e tem o ja
visto as mas desta cidade. Este escravo Im esv-
arado com sua mulher na dous meses ao Sr. Jca-
iuim Alvos Nunes, rendeiro que foi dos ageM
roga-se portanto a quem o a
do
i ruaNom por cima da botica 4o Sr. ot^Cnu
Santos que ser generosamente recoBr*"0-
ffiTJtlDOr


s
Diario de Perntobud egnnda lelra 5 de Oiituf>io de 1 %3.
LITTERATRA
da pdrigrinaco, a ser. manchados pelo contacto da
impiedade dellos. > (1)
Provera a Deus podeapnos nos annunciar-vos
(usas de beatiOcaces e de ] fim de UlUs <*lamiafes da egreja! mas nao
c^oni^ces5""abrlen. de *. J Quejara ileraasiadas para chorar
rr-inptk I corruP'*o, que por toda a parle cresce, fo-
i mentada pelos eschptos e espectculos irreligio-
Joao Baptista de Borgonha^ ... sos> nefandos e obscenos, pelas casas de prostitu-
^gSKS SS&S-SS!: f es,;elecidas p^e Por to.
latino era Huma, fazem instancia cora a sagrada aePvaos meios ; alera disso a monstruosa allu
congregacao ti Httos por obterem a introduccao viao de erros geralraentc espalhada, a abominan-
da causa do padre frei Joao Baptista de Borgonha. da confusao de-todos os vicios e crimes, o morti-
jSBtrSS^tSA^ [orovenenoda increduMade o do"indifferentismo
chamava-seAntouio Dronc, e sua me Etiennettc larSa d'Alype. Dcram-Ihe no baptismo os nomes de siastico, das cousas e leis sagradas, o injusto e vio-
Claudio Francisco, afrai de prcm-no sob a protec- lento roubo dos bens da egreja, a acrrima e con-
(iodo santo arcebispo de Besancon e do patriar- ,:_,, ----- ..,.
cha de Assis. i a P^WCao as ministros sagrados, aos re-
Desde sua mais teiira infancia raanifestou elle 'g'osos, e as vrgens votados a Deus, e odio ver-
grandes sentimentos de devocao : e enviado Roma dadeiramente diablico contra Christo, sua egreja
para junto de seus irmaos Pedro e Huberto se- e doutrina, o contra esta cadeira apostlica, e ou-
guiu por espaco de seis annos o curso do collegio -nmnM ,
romano, onde serviu de excmplo e de edificagao lrf males quasi innumeraveis perpetrados pelos
rara todos que o conbeceram. Era seus momen- j mlmigos do catholicismo, que todos os dias somos
tos livres todo o seu prazer era visitar as baslicas obrigados a lamentar, parecem protrahir e affas-
e as catacumbas. Tcmiiwdos os sons tudM, tor 0 desejado momento em poSsamos vr 0
docidiu-se pe os conselhos do padre ualuzzi, je- v "*"*", ,JC1 "
L. cr<.colinMHn triumpho pleno da nossa santissima nOfarila d
,.,.- ,-
veis irmaos, nao pojemos deixar de fallar de outro i tras liberalidades, as nossas grandes angustias c
perniciosissimo erro, poto qual, ueste nosso garra 'as da s apostlica.
suita. a abracar a reforma dos Franciscanos do
convento de S. Boaventura era Roma, onde foi ad-
mittido em 1718, o mandado para o noviciado do
convento d'eltc Gazie, celebre sanctuario da Sa-
bina.
Foi ahi que comecou a vida verdadeiramente se-
raphica do servo de Deus. Joao Baptista foi um
iuodellQ completo de perfcco religiosa, principal-
mente por sua ilocura, e por sua paciencia no meio
das dores incessantes da enfermidade que tinha de
leva-lo sepultura.
No dia 25 de maio de 1723 recebeu ordens de
presbtero das raaos do santo padre Bento XIII; e
conta-se que o pontfice impressionado pelo ar an-
glico do moco religioso, lhe disse : Fazei-vos lo-
go vm santal. Pouco depois foi afectado de phty-
sica, que auginentando-se consideravelmente, obri-
gou seus superiores a raandarem-no para aples,
de cujo clima esperavam o seu restabelecimento;
porm a trra nao devia possuir este lyrio por
muito tempo. Joao Baptista predlsse que no dia
22 de margo de 1726, elle terminara sua vida; e
essa prophecia cunipriu-se fielmente. Nesse raes-
rco dia por elle designado, entregou elle sua alma
a Deus.
Depois de sua morte coloriu-se seu semblante,
sous membros conservaram sua flxibilidade natu-
ral, e derramaran] agradavel cheiro ; ainda depois
de morto sabio sangue de suas veas. O concurso
do povo foi immenso suas exequias.
Quando aos milagres feitos nessa occasio, c de-
pois, por intercessao do servo de Deus, seria lon-
go numera-los. l'romettemos, porm, dizer ainda
alguma cousa respeito desta vida admiravel.
II
O veneravel Anjo del Pas.
Por decreto da sagrada congregacao dos Ritos,
com data de 30 de julho de 1863, o santo padre
Po IX se dignou antorisar o proseguimento da cau-
sa de beatilicacao c canonisagao do veneravel Anjo
del Pas, natural de Perpignan, Franciscana refor-
mado, in datu et termitas em que esta causa se
aelia.
O veneravel Anjo del Pas viveu pelos flns do
secuto XVI, e toruou-sc Ilustre por suas virtudes,
por seus cscriptos e por sua carreira apostlica.
Depois de sua morte, que te ve lugar em Roma,
sua memoria foi sempre venerada em Perpignan,
e na ordem Franciscana, que honrou-se possuir seu
corpo na egreja de S. Pedro tu Montorio. Em 1624
o papa Urbano VIH permittiu expressamente a iu-
troducrao da causa e a instruccao do processo
apostlico, o qal pouco tempo depois foi conclui-
do, e desse processo tirou-sc nova copia em 1699.
Desde esta poca nao se proseguiu a causa por nao
haver instancia. O novo decreto de 30 de julho
consagra oficialmente o titulo de veneravel dado
ao servo de Deus, e dispensa numerosas e tongas
formalidades que exige o processo moderno. Vo
cecupar-se agora da escrupulosa revisao dos es-
criptos.
III
Um decreto do mesnio dia (30 de julho de 1863)
autorisa egualmente o proseguimento da causa do
beatificaco de quasi duzentos martyres, sacrifica-
dos jio Japo pela raesma poca em que foram mar-
tirisados os vintc e tres Franciscanos e tres jesutas
canonisados no anno passado.
Entre estes ha seculares e religiosos dominicanos,
Franciscanos e jesutas. A ordem de S. Francisco
couta uns cincuenta martyres entre estes venera-
veis, dos quaes a metade pertence primeira or-
Uem (dos religiosos) e o resto ordem terceira,
inclusive duas irmaas, una chamada Luzia e outra
Mara.
A sagrada congregacao dos Ritos que trabalhou
oulr'ora nesta canonisaco, deu un decreto em
que dza : constare de martyrio ex parte tyranni.
(1) Sem dar ento o outro decreto que deve cons-
tatar jurdicamente o martyrio exporte interfecto-
rum. (2) Agora a sagrada congregacao se oceu-
par incessautemente disto, em virtude do novo
decreto que permilte proseguir in statu et termi-
na esta causa tanto tempo abandonada.
IV
Na sessao de II de julho a santa congregacao
oceupou-se da beatilicacao de um religioso eapu-
chinlio por nomo Francisco de Romanelli, de Pre-
cetlo, morto em 1613, depois de haver dado o ex-
cmplo de todas as virtudes, principalmente de urna
maravilhosa tempornea
Precetto que actualmente faz parte da docese
de Spoleto, pertencia outr'ora a abbadia Nullius
de Fercntillo, e a familia dos Romanelli era urna
das primeiras do lugar.
'As pesquizas c indagacoes concluidas desde
1668 se estendem longamente respeito da tempe
ranea do veneravel Francisco, que tinha o coslu-
me de comer smente duas vezes na semana, ain-
da mesnio quando pregava missoes ; e sua nutri-
cio consista em alimentos j arruinados, sobre os
quaes elle deitava cnza para comer.
A causa de sua canonisaco esteve abandonada
por rauto tempo, porm o reverendissmo postuia-
dor actual resuscitou-a. Como as pesquizas escru-
pulosas que se fizsram, provam plenamente a re-
l.utaco de santidade de que goza a memoria do
veneravel Francisco, a sagrada congregacao per
mitn a introduccao da causa.
(Correspondence de Rome.)
fado socalo, os homens se allucinam e derni ar-
rastar. Fallamos do prejudicial e desenfreado
amor proprio, vctimas doqual mm'tos desprezando
completamente o sen prximo, so aspirara e procu-
rara os commodos e utilidades proprias ; fallamos
dessa insaciavel ambicao de dominar e adquirir,
pela qual, desprezadas as regras da honestidade e
da justica, nao desistem de amontoar riquezas qual-
quer que seja o meio de as adquirir, e entregues
todos as cousas terrenas, esquecidos de Deus, da
religiao e da sua alma, fazem consistir toda a sua
felicidade na riqueza. Lembrem-se taes homens,
e meditem seriamente naquellas palavras de Nosso
o meio porm de tantas provacoes, quando ru-
ge ama to grande terapestade contra a egreja, nio
desanimemos. Carissmos fllhos e veneraveis ir-
maos, por isso que to nosso conselho, a nossa for-
taleza Christo, sera o qual nada podcmos,e pelo
t qual podemos ludo ; o qual confirmando os pre-
gadores do Evangelho e ministros dos Sacraca-
mentos, diz : Eis-me aqu comvosco em todos os
dias at consummacao dos seculost (13) e por
isso que sabemos que as portas do inferno nunca estradas e meios de communicaeao, dos estabele-
Para esse flm o-imperador dignoa-se entregar
Polonia instituieSes proprias para servirem de
garantas aos interesses do paiz e para contribui-
rera, pelo pacifico exercicio de urna administracao.
distincta, para o desenvolvimento da propredade
nacional.
Faremos urna narraco rpida :
Institniram-se conselhos electivos de provin-
cias, de districto e cidade.
i Todos estes conselhos podem conhecer dos ne-
gocios agrcolas, industriaes e commerciaes, das
VIH
prevalecerao contra a egreja, a qual sempre se
conservou e conservar guardada e defendida pqr
Nosso Senhor Jess Christo, que a ediflcou, c quo
foi hotdem, oque Iwje e hade ser por toda a ter-
Senhor Jess Christo : Que aproveitatia ao homem
ter ganho o mundo todo, se perde-se a alma f (12)' nidade. (16)
Prestem toda a attencao ao que ensna S. Paulo : j Nao dnvidamos pois carissraos fllhos nossos e
' Os que querem ser ricos, cahera em tentacao, o! veneraveis irmaos do offerecerdia e noute com todo
i no laco do diabo, 6 em muitos desejos inuteis e o fervor e na humldade de nosso coracao e oracoes
nocivos que levam o homem a morte e perd-' preces a Deus por intervencao de Jess Christo pa-
cao< A raiz de todos os males a cubica, quan- [ ra que affastada esta horrorosa tormenta, a sua
O que rae pelo mundo.
Por Sua Santidade oSantissimo Padre Pi IX foi
expedida, aos cardeaes da Santa Egreja Romana, e
aos veneraveis arcebispos e bispos da Italia, a se-
guinte cncyclica :
Amados filhos nossos.Veneraveis irmaos, sa-
de e benco apostlica. Todos vos podis fcil-
mente imaginar quanto nos affligc a sacrilega e
cruelisma guerra fcita nestes infelicissimos tem
pos em quasi todas as regioesda trra egreja ca-
tholica, e principalmente a, ha muitos annos decla-
rada e cada dia mais exacerbada, feita nossa
vista, na infeliz Italia pelo governo subalpino. Mas
no meto das nossas angustias, quando olhamos pa-
ra vs, charissimos fllhos e veneraveis irmaos,
sentimos allivio c consolacao. Pos que vos, ainda
que norrivelmeutc perseguidos com a maiorinjus-
tfa e violencia, levados ao exilio, arrojados aos
carceres, cumtudo escudados pela virtude recebi-
da do cu, nunca deixastes de, ou pela palavra,
ou por vossos salutares escriptos, denodadamente
defender a causa, os direitos e a doutrina de Deus,
da sua egreja e desta cadeira apostlica, de pro-
videnciar salvacao do vosso rebanlio.
Congratulamo-nos comvosco pela alegra com
que soffreis pelo nome de Jess todas as injurias, e
vos damos os merecidos louvores, empregando as
palavras do nosso santssimo antecessor S. Leao.
< Ainda que da melhor vontade tomo parte nos
trabalhos, que soffreis pela observancia da f ca-
tholica, o as offensas que vos sao feitas as consi-
dero como feitas a mim proprio, entendendo com-
tudo haver aqui mais motivo para alegra do que
para tristeza, porque pelos auxilios recebidos de
Nosso Senhor Jess Christo, persists nsuperaveis
na doutrina evanglica e apostlica. E quando os
inimigos da f christaa vos arrancaram da sede de
vossas egrejas, preferistes offirer os incommodos
triumpho pleno da nossa santissima religiao, da
justica e da verdade. Triumpho que nao pode dei-
xar de vir, ainda que nos nao concedido conhe-
cer o dia que lhe est destinado por Deus, que com
a sua admiravel providencia rege, modera e diri-
ge tudo para nossa utilidade. Ainda que o pae ce-
leste permitte que a sua santa egreja, que milita
nesta miseravel e mortal perigrinacao seja afflcta
c vexadacom varias tribulacOes e calamidades com-
tudo por isso que ella foi fundada por Christo Se-
nhor Nosso sobre urna pedraimmobil e firraissma,
nao s nao pode ser por forca alguma destruida
ou derrabada, mas com as perseguicSes nao
se diminue antes augmenta, e o campo do Senhor
se cobre de urna mais abundante seara, pois que os
araos que cahem um a um, nascem multiplicados.
(2) E assim, charissimos filhos nossos e venera-
veis irmaos, atravez destes tempos luctuosissimos
vemos um singular beneficio de Deus. Porquan-
to ainda que Imraaculada Esposa de Christo pre-
sentemente se ach attribulada pela guerra de ho-
mens impos, comtudo trumpba de seus inimigos.
Triumpha sm de seus inimigos, e se cobre de ad-
miravel esplendor nao spelavossa f,amore de-
dicacao para comnosco e para com esta cadeira
de Pedro, mas pela de todos os outros veneraveis
irmaos, sagrados antistetes de todo o orbe catho-
lico; e pela eximia constancia em defender a uni-
dade catholica nao s por tantas piedosisslmas
obras de religiao e caridade christaa, as quaes,
pelo auxilio de Deus, todos os dias so multiplican)
no orbe catholico, mas pela luz da santissima f,
com que cada vez mais se Iluminara tantas re-
gioes ; pelo decidido amor e disvello dos catholi-
cos para com a mesma egreja e para comnosco e
para com esta santa s, e finalmente pela insigne
e immortal gloria do martyrio. Sabis como em
Tunchim e especialmente as regides da Cochin-
china os bispos, sacerdotes e leigos, as proprias
mulheres, meninos e meninas emulando os exera-
plos dos antigos martyres com animo invicto e
heroica virtude olham para os mais crueis marty-
rios, e exultando dao a vida por Christo. O que
na verdade nao deve ser para nos e para vos de
pequea consolacao, no meio das crueis provacoes
porque passaraos.
Porm como o nosso apostlico ministerio nos
impoe o dever de defender com todo o cuidado e
disvello a causa da egreja que nos foi confiada pe-
lo mesmo Christo, e de reprovar todos aquelles
que nao duvidam atacar e offender a mesma egre-
ja, os seus sagrados direitos, ministros e esta apos-
tlica sede, por isso por estas nossas lettras con-
firmamos, declaramos e condemnamos todas e ca-
da urna daquellas cousas que em muitas allocu-
Qoes consistorias e por outras nossas lettras lo-
mos, com grande pesar da nossa almav obrigados a
lamentar, declarar e condemnar. (3)
E aqui, charissimos filhos nossos c veneraveis
irmaos, cumpre novamente lembrar o reprehen-
der o gravissimo erro, em que desgraciadamente
esto alguns catholicos, que julgam que os ho-
mens que vivem em erros, e affastados da verda-
dcira f e unidade catholica se podem salvar. O
que absolutamente opposto doutrina catho-
lica.
bem conhecido a nos e a vos, que aquelles
que vivem em urna ignorancia invencvcl em rela-
co nossa santissima religiao, c que conservam
a le natural e os seus preceitos, gravados por
Deus nos coracoes de todos, que esto proraptos
para obedecer a Deus, que tem urna vida honesta
e recta, podem, operando a virtude da luz e graca
divina, conseguir a vida eterna, por isso que Deus
que perfeitamente v, observa e conhece os ni-
mos, cogttacoes e hbitos, pela sua infinita bonda-
de e clemencia nao pode consentir que alguem seja
punido com os suppllcios eternos, sera que, tenha
a mancha da culpa voluntaria. Mas tamben
bem conhecido o dogma catholico, que ninguem se
pode salvar fora da egreja catholica, e que os
contumazes contra a autoridade e defintQoes na
mesma egreja, e os que pertinazmente esto sepa-
dos da unidade da egreja, e do romano pontfice
successor de Pedro, a quem foi pelo Salvador con-
fiada a guarda da rinha [(k), nao podem obter a
salvacao eterna.
Sao clarissimas as palavras de Nosso Senhor Je-
ss Christo : Aquello que nao ouvir a egreja,
c seja tdo'por um gento e publcano (3). O que
vos ouve, ouve-me ; o que vos desprza, despr-
t za-me; o que me desprza, desprza quelle que
t me mandn (6). O que nao acreditar, ser con
demnado (7). O que nao acredita, j est jul-
gado (8). O quo nao est comigo, contra mim
(9). Por isso o apostlo S. Paulo chamava a
taes homens perdidos e por si mesmos condemna-
dos (10) e o principe dos apostlos lhes chama mes-
tres mentirosos, que introduzem seitas de perdicao,
negam o Senhor, attribuindo para si a condemna-
cao (H).
Nao aconteca, porm, que os filhos da egreja ca-
tholica por algura modo sejam inimigos daquellcs
que nao esto ligados comnosco pelos vnculos da
f e da caridade, pelo contrario procuram sempre
ajuda-los, se elles sao pobres ou doentes, ou soffrem
algumas outras tribulac5es, com todos os bons ofi-
cios da caridade christaa, trabalhando especialmen-
te por os affastar dos erros em que miseravelmen-
te esto, e por os chamar f catholica e nossa
amantissima me a egreja, que nunca deixa de
lhes estender carlnhosas mos e de os chamar ao
seu seio, para que firmes na f, esperanca e cari-
dade, fructificando em todas as boas obras, consi-
gam a salvacao eterna.
Agora, pois, carissmos filhos nossos e venera
. tos arrastados por ella, se affastarara da f e se
t precipitaram em muitos males (13).
Devem os homens, cada um segundo a propria
condicao, adquiriros meios necessarios para a sua
sustentaco, trabalhando ou pelas lettras, ou na al-
tura das sciencias, ou no exercicio das artes libe-
raos ou mechanicas, ou no commercio; sendo po-
rm, de absoluta necessidade seguir sempre a ho-
nestidade, a justica, a integridade e a caridade ;
ter sempre ante os olhos de Deus, e observar cui-
dadosamente os seus mandamentos e preceitos.
(1) Consta do martyrio por parte do tyranno;
iste que o tyranno os martyrisou para perseguir
a religiao e em odio da f.
(2) Soffreram a morte em defeza da f.
Nao podemos dissimular a dr que sentimos,
vendo na Italia alguns membros de um e outro cle-
ro, tao esquecidos da sua santa vocacao que se nao
pejam de por mortferos escriptos disseminar don-
trinas falsas, e excitar os nimos dos povos contra
nos e esta cadeira apostlica ; de atacar o nosso
principado civil e o desta s apostlica, e de ajudar
imprudentemente com todo o cuidado e empenho
os inimigos da egreja catholica.
Os quaes vares ecclesiastcos, afTastando-se dos
seus prelados, e de nos e desta santa s, confiados
na proteccao e auxilio do governo subalpino e de
seus ministros, chegaram a tal temeridade que,
desprezando as censuras c penas ecclesiasticas nao
tem tremido de crear algumas sociedades absolu-
tamente condemnadas, taes como : Clerico-liberal,
Dimutuo-soccorro, Emancipratice del clero italiano,
e outras do mesmo espirito, e ainda que com razo
interdictos do exercicio das funecoes do sacro mi-
nisterio, nao se atterram com tudo quando, intru-
sos, as vo Ilcitamente exercer era muitos tem-
plos. Pelo que reprovamos e condemnamos to
detestadas sociedades e o proceder de taes eccle-
siastcos. E ao mesmo tempo encarecidamente ad-
moestaraos a estes infelizes ecclesiastcos que, re-
flectindo melhor, oucam os gritos da consciencla, e
cuidem da propria salvacao, considerando seria-
mente que Deus por ninguem too offendido como
pelos sacerdotes, quando v que aquelles que estabe-
leceu para correccao dos outros, se offerecem como
exemplo de depravacao (14), meditando que algum
dia ho de dar ante o tribunal de Christo restricta
conta do seu procedimento.
Permita Deus, que estes ecclesiastcos obedecen-
do as nossas paternas admoestacoes, nos dem a
consolago que nos do outros alguns membros de
um e outro clero, que desgraciadamente Iludido e
induzidos ao erro, penitentes depois cada dia recor-
rem nos, supplicando o perdo e implorando hu-
mildemente a absolvico das censaras eccle-
siasticas.
Muito bem conheceis, carissmos filhos nossos e
veneraveis irmaos, os escriptos impos de todo o ge-
nero, sabidos das trevas, ctaeios de engaos, men-
tiras, calumnias e blasphemias 5 as escolas regidas
por mestres nao eatholicos ; os templos destinados
a um culto ante-catholico, e muitas outras insidias,
artes e esforcos diablicos, com os quaes os in'*n-
gos de Deus e dos homens na desgracada Italia,
nao podem destruir completamente a egreja catho-
lica, trabalham por depravar e corromper os po-
vos, principalmente a inexperta juventude, e de
seus corajes arrancar as raizes da nossa f e re-
li gio.
Assim nao duvidaraos de que vos, carissmos fl-
lhos nossos o veneraveis irmaos, confortados na
graca do Nosso Senhor Jess Christo, pelo vosso
egregia zolo episcopal, continuis, o que at aqui
com grande gloria do vosso norae tendes feito, e to-
dos concordes e redobrando esforcos defendaos a
casa de Israel, pugnis pela f, e livreis das insi-
dias dos adversarios os fiis commettidos ao-vosso
cuidado, e os admoestois e exhortis assiduamente
para que conservem a santissima f, sem a qual
Impossivel agradar a Deas, como a conserva e en-
sina a egreja catholica, recebida de Deus pelos
apostlos, e para que estaveis e immcveis perma-
necam na nossa divina religiao, que a nica ver-
dadeira, e qne prepara a salvacao eterna, felici-
tando ao mesmo tempo a sociedade eivil. Pelo que
vos recommendamos que nao desistaes, principal-
mente por va dos parochos, e outros ecclesiastcos
conhecidos pola integridade da sua vida, gravidade
de costumes, sae solida doutrina de continua e
cuidadosamente ensinar aos povos confiados ao vos-
so cuidado, pela pregaco da palavra divina e pela
catcchesc os venerandos mysterios da nossa augus-
ta religiao, a sua doutrina, preceitos e disciplina.
Bem sabis pois que a maior parte dos males
provm da ignorancia das cousas divinas, neoessa-
rias para a salvacao, e por isso conheceis qne se
deve empregar todo o cuidado e industria para
afastar os povos deste mal.
Mas antes do terminar esta nossa epstola, nao
podemos deixar de dar os devidos louvores ao cle-
ro da Italia, que na sua grande maioria, adherindo
a nos, a esta cadeira apostlica, e aos seus prela-
dos, nao se tem afastado do caminho da rectido,
antes seguindo os Ilustres exemplos dos seus pre-
lados, e soffrondo com toda a paciencia quaesquer
trabalhos, tem egregiamente desempenhado os seus
deveres.
Assim, esperamos que o mesmo clero, auxiliado
pela graca divina, continuando dignamente no ca-
minho, a que foi chamado, se hade sempre esfor-
zar por apresentar brillantes exemplos de sua pie-
dade e virtude.
Nao devemos tambe/n deixar de dar o devidotes.-
temunho do louvor que merecem tantas virgens
consagradas Deus, as quaes, violentamente expul-
sas de seus mosteiros, despojadas de suas rendas,
e reduzdas mendicidade, nao violaram coratndo
a f promeltida ao seu esposo
egreja respire de tantas calamidades, e por toda a
trra gose da desejada paz c lberdade, consiga
novos e brilbantissimos triumphos de seus inimi-
gos ; e para que todos, os que esto era erro, Ilu-
minados pela divina graca voltem da estrada do
erro para o caminho da verdade e da justica ; e co-
Ihendo o digno fructo da penitencia, tenham um
perpetuo amor e temor do seu santo norae. Mas
para que o Senhor das Misericordias mais fcil-
mente anna s nossas preces invoquemos o pode-
rossimo patrocinio da [inmaculada e Santissima
Virgem Maria Me de Deus, a proteccao dos san-
tos apostlos Pedro e Paulo, e de todos os santos,
para por seus valiosos rogos ante Deus iraplorera
para todos a misericordia e graca divina, e consi-
gam affastar todas as calamidades e perigos que af-
fgem a egreja, especialmente na Italia.
Finalmente como penhor de nossa benevolencia
para comvosco, vos damos, carissmos filhos nossos
e veneraveis irmaos, e ao rebanho confiado ao vos-
so cuidado, a benco apostlica.
Dada em Roma em S. Pedro aos 10 de agosta
de 1863.
Dcimo oitavo do nosso Pontificado.
La-se ba pouco no Journal de S. Petersbungo
e A maior parte dos jornaes europeus susten-
tara e progagam a opinio de que nada se tem fei-
to pela Polonia no reinado actual.
1 Para responder, basta lembrar snmmariamen-
te as medidas adoptadas para o reino da Polonia
desde a exaltaco ao throno de S. M. o imperador
Alexandre H, at ao Io de Janeiro de 1863.
Eis a enumeraco dessas medidas:
Amnista, actos de clemencia e de graca imperial.
Por nma serie de ukases-, dos quaes o primeiro
cimentos de beneficencia, em urna palavra de tudo
que diz respeito aos negocios locaes.
Os conselhos de districto devem eleger 1. de-
legados que funecionem as dfferentes commis-
socs de administracao local; 2. candidatos as
funecoes de membros dos conselhos provinciaes, e
3. tres candidatos s funcedes de juizes de paz.
Tomam parte na administracao dos bens do
districto, na conservaco das estradas, de commu-
nicaeao. Auxiliam as autoridades na repartico
dos impostes.
Os conselhos das cidades conheccm de todos
os negocios municipaes, subraettem approvaco
do governo os orcamentos mnnicipaes, vigiam pela
embelezaco e conservaco dos edificios, pela sa-
lubndade e bygiene publica.
Qualquer individuo do sexo masculino, que
habitar no reino, com edade de 23 annos; e que
MIM lr e escrever polaco, tem o direito de to-
mar parte as eleicoes para os conselhos da cida-
de e de districto, a qualquer classe ou religiao a
que pertencam, com tanto que possuam em bens,
ou que arrendem a longo praso, bens immoveis,
que paguem 4 a 6 fr. de imposto annual.
Sao elegiveis os proprietarios de bens immo-
veis, urna vez que paguem 13 francos de impostos
annuaes, os directores e os professores de cstabe-
lecimentos superiores de instruccao publica, as
pessoas que tenham adquirido, pela sua capacida-
de ou pelos seus talentos, urna certa celebridade,
assim como as que teem prestado ser vicos espe-
ciaes ao commercio e industria.
t No lugar e ponto da reunio dos departamen-
tos do senado do Varsova, foi restabelecido o con-
selho de estado do reino, com atlribuicSes e urna
esphera d'acco, muito mais vasta do que depors e
mesmo antes de 1831.
Alm dos membros do conselho administrati-
vo, e dos conselheiros do estado, ordinarios, po-
dem ser chamados por ordem imperial a tomar
assento provisorio ou permanentemente, no seio
do conselho de estado do reino, os bispos, os mem-
bros do arto clero, assim como os presidentes dos
conselhos provinciaes, e das nstifm'coes electivas
da associaco do crdito predial.
Esto sujeitos s delberacSes do conselho d'es-
tado :
L Os novos projectos de lei;
2. Qualquer reforma or reorganisaeo dos
dfferentes ramos da administracao geral do paiz ;
t $. O orcamento annual da receita e da dspe-
za do reino, assim como os relatorios das dfferen-
tes autoridades administrativas, do tribunar de
contas, e do procurador geral da commissac de
amortisacao da divida publica.
t O conselho d'estado, examina e discute todas
estas qnestoes, e d^ a sua opinrao, nicamente
com a condicao d nao atacar a ordem de cousas
polticas, e a forma de governo estabelecida.
O conselho de estado, conhece^ tambem das
appellacoes provinciaes e do conselho da cidade
de Varsovi, contra as dcisoes administrativas,
que houverem regeitadoas suas propostas.
t Recebe e examina petc5es, que qualquer sub-
dito polaco tenha direito de lhe dirirr, e regeita-
as ou transmitte-as, cora a sua opinio, ao conse-
lho administrativo.
A commissao dos negocios ecclesiastcos e de
instruccao publica, assim como o conselho eccle-
siastico catholico romano, fbram egualmente res-
tabelecidos.
Sob a presidencia do arcebispo, ou de um dos
arcebispos diocesanos, o> conselho eomposto de
dons membros, eleitos pelo alto clero
< Todos os negocios religiosos, as nomeacoos-
para as dignidades ecclesiasticas, a queixas pe-
los abusos contra o clero, o exame das qnestoes
legislativas, om que a egreja est Interessada, a
escolha dos professores do theologia, a designaco
dos prograramas de ensino religioso, sao os objac-
tos da competencia do conselho. Conhece egual-
mente de todas as queixas contra os abusos dos
funcionarios pblicos, e infracc.5cs das leis exis-
tentes.
154, ad Episcopos Acgiptios
et
dtado no mesmo dia da sua exaltaco ao throno,
S. M. o imperador dignou-se coneeder, desde 1856
at 1861, urna amnista plena e completa, a 8,693
condemnados a deportacao, a seren banidos, ou a
outras penas por crimes polticos, com autorisacao
de voltarem ao reino, e rcintegracao no goso de to-
dos os direitos civs e polticos de que tinham sido
privados.
Era virtude do ukase de 19 de fevereiro (i de
marco) de 1860, promulgou, por occasio da maio-
ridade do grao-duque herdeiro, que todos os con-
fiscos proferidos contra as propriedades de pesseas
que tivessem tomado parte na insurreico do 1831,
e ainda nao estivessem executados no todo ou em
parte, fossemamrallados desde 8 (20) de selembro
do 1859; o fisco suspendeu todo o procedimento
ulterior as propridades movis ou immoveis que
nao tivessem sido completa o definitivamente adt
quiridas ; os sequestros e as prohibie&es hypothe-
carias foram levantados e abandonados todos os
processos de reivindicicao.
t Por um ukase datado de 8 (20) de setembro
de 186, os beneficios da mesma graca sao am-
pliados aos condemnados polticos das pocas sub-
secuentes.
Desde 1861 at ltimamente, muitos outros
exilados polticos foram agraciados e voltaram ao
reino, sob proposta do lugar-tenente do imperador.
Cultos.
O governo do imperador Alexandre n nunca
se afTastou da estricta observancia da concordata
de 1847, e deligenciou testemunhar egreja catho-
Jtca romana, qual pertence a grande maioria dos
habitantes do reino, todos os respeitos e toda a pos-
si vel sollicitudc.
Proveu-se a vacancia das cadeiras archiepis-
copaes, episcopaes e s suas suffraganoas, com a
nomeaco de muitos prelados, os quaes receberara
da santa s a sua conflrmaco cannica.
Permittiu-se que se recorresse santa s nos
negocios relativos ao easamento no terceiro gru.
t As provincias das diversas ordens monsticas
foram autorisadas a dirigirem-se .Roma, no caso
de all serem chamadas, para tomar parte as etei-
Ces dos superiores geraes de suas ordens.
Os ecclesiastcos internados as provincias a-
fastadas do imperio, em consequencia de haverem
tomado parte as desordens polticas, e cuja con-
ducta ulterior nao tinha sido reprehensivel, foram
admittidos para rergessarem ao- reino.
Em 1862, attendendo a diversas reclamacoes
e queixas, que alguns prelados fizeram confiden-
cialmente, S. K. dignou-se especialmente recomen-
dar ao seu lugar-tenente no reino que vigiasse que
o.clerocathouco romano fosse tratado eom todos os
respeitos que lhes sao devidos.
t Em 1858 fez-sc um novo regulamento para o
seminario do rito grego unido das dloceses de
Chelm.aflm de all se formar um viveiro que po-
desse produzir ecclesiastcos dignos e instituidares
capazes.
c Foi confirmada em 1861 a creaco dos tnbu-
naes consistoriaes dos cultos evanglicos chamados
para conhecer dos negocios matrimoniaes.
III
PensSes, medidas financeras e de beneficencia.
A associaco dos militares do antigo exercito
polaco foi sensivelmente melhorada. A uns coa-
cederam-se direitos penso que tinham perdido
quando tomaram parte na revolta do 1830 ; a ou-
tros augmentarara-se as pensSes e os soccorros
que recebiam do governo. Tambem se tomaram
medidas anlogas para os empregados civis com-
prometidos no movimento insurreccional.
t Os emolumentos do pessoal dos diversos ra-
mos da administracao augmentarara-se considera-
velmente, e concederam-se subvences aos mais Este legamente assente as bases mais libc-
necessltados. ... raes. A instruccao tornou-se accessivel a todos,
1 Em 1858 e 18o9, adoptaram-se medidas finan- sem distncc50 je ciasse e de religiao, por isso
oeiras mais proprias para garantir a egualdade e a gg crearara numerosas escolas primarias, ru-
justa repartico dos impostos exigentes no remo racs e uruanas, assim como um lyceu era Lublin,
com o nome de offiara (imposto sobre a proprie-10 nstitul0 Alexandre e Maria para as creabas do
dade) de podtjmne (imposto sobre domicilios), e de sexo femjnn0| uma esc5ia polvtechniea florestal e
Charvasbtwe (imposto para a conservaco das es- agrC0|a> um Nowo-Alexandry'a, uma escola espe-
jadas. I Ciai de horticultura, tres escolas de economa ru-
t Os impostos pessoaes que pesavam na classe ra)) e finaimenle a escola superior de Varsova,
dos daorovi (rapazes que trabalham no campo o que 0nerece todas as vantaoens o todas as prero-
outros empregados as exploracoes ruraes) toram cativas universitarias,
completamente abolidos em 1863.
VI
Instruccao publica.
Desde 1837, tcm-se adoptado uma serie de
medidas no interesse do desenvolvimento intellec-
tual do reino:
i. O programma de ensino de gymnasios de-
senvolverse consideravelmente. Agregaram-se-
lhe cadeiras especiaes de direito e bellas lettras.
2. Confirraou-se o regulamento da escola flo-
restal e de economa rural de Murmont.
t 3. Creou-se em Varsova uma academia-me-
dica.
c '1. Alm das sommas j existentes a favor de
numerosos mancebos polacos, educados as uni-
versidades e diversos estabelecimentos militares e
civis do imperio, foi concedido um fundo especial
para occorrer educaco das creancas pobres as
escolas de districto e outros estabelemmentos do
reino. ',
t Em 1857, formaram-se em Varsova cinco es-
tabelecimentos differentes para a educaco das
creancas do sexo femenino, que S. M. a impera-
triz se dignara tomar sob a sua proteccao espe-
cial.
5." A 8/20 de maio de 1862, o imperador eon-
firmou o novo regulamento d'instrucco publica
do reino.
Por ordem imperial, tinha-se actualmente de
estudar e* de reorganisar o systema geral de im-
postos. .
Numerosos melhoramentos foram introduzdos
nos estabelecimentos de beneficencia, e crearam-
se muitos hosptaes novos e outras insttuc&es de
caridade.
IV
Vias de communicaeao, industria nacional.
Existem actualmente no reino 2,160 verstes
VII
Reformas introduzidas as relac5es entre os pro
prietarios e os possuidores.
f Foi em 24 de maio (3 de junho) de 1862, que
por meio de um novo regulamento especial, se fi-
xaram as relacoes entre os proprietarios ruraes e
os seus rendeiros.
t At 1846, qualquer individuo estabelecido no
terreno de um proprietario, sem arrendamento
com este ultimo, era obrigado a servi-lo, ou a pres
(1) S. LeoEpist.
edit Bailes.
(2) Sheo Serm. 82 innatal Apost. Petri
Paul
(3) Alout. 20 junii 185936 septerab. 1859
13 iuhi 1860-28 septemb. 186017dezemb. 1860
18mart. 186130 setemb. 18619 junii 1862
Epst Encycl. 18 jun. 185919 jan. 1860Aps-
tol. Litt. 26 mart. 1860.
(4) Concil Oecum. Chaleedonen in Relat. ad Leo-
nera Papan. '
(5) Math.c. 18v.l7.
(6) Luc. c. 10 v. 16.
(7) Marc. c. ult v. 16.
(8) Joan. c. 3 v. 18.
(9) Luc. c. 11 v. 23.
10) Ad. tit. c 3 v. 11.
11) Epist.3c.9v. 1.
de estradas da 1" classe, feitas e mantidas custa
mas soflrendo com I do governo. Ha alm disso 1,635 verstes de cal-, trahalhn anWinadn semindr
todaa resgnaco as mais tristes amarguras, nao; gj* db^^cinj^j^ ^fj* I &0 ^
cessamdediaedenoute de levantar as raaos ao Suiraadasse de estrada desta v ; A necessjdade de s^g,^,. este servico por
A recente creaco do uma sede de caminhos um? quantia fazia-se sentir cada voz mais, e isto
de ferro, poz o remo em" communicaeao directa no im:eresse da agricultura, assim como nodos
com a Russia, Prussia e Austria. proprios proprietarios, e para esse fim estabeleceu
Tem-se tomado e ainda se tomam numerosas !J* em I808, o conselho da administracao, o prin-
cipio do consentunento mutuo das partes interes-
sadas.
ain-
com
cu, pedindo a Deus a salvacao de todos,
da a dos seus perseguidores, e esperando
paciencia a misericordia do Senhor.
Folgamos tambem de poder dar merecidos lou-
vores aos povos da Ittalia, que, animados pelo espi
medidas para melhorar a navegaco fluvial.
Dea-se novo desenvolvimento a todos os ramos
narhinaciVs da industria nacional, e o numero das fabricas e
rito catholico, detestara tao impas macranaces, ^ manufactura nes,es mms ( s SQ
contra a egreja, e com uma piedade filial para com
nosco, para com esta santa s e seus prelados se
gloriam de proseguir na observancia e obediencia,
que ainda no meio das maiores dlfflculdades e pe-
rigos todos os dias zem manifestacSes do sea
amor e zelo para com nosco, e nao desistem de al-
liviar, j por subscripcoes pecuniarias, j por ou-
(12
(14
Math. c. 16 v. l.
13 Epist 1 ad Thimot c. 6 v. 910.
S. Gregor. Mat. Homil. 17 in Evangel.
t Finalmente era 1862 teve este principio nma
nova consagraco eom o regulamento que fixou
o arrendamento ao possuidor, por tempo limitado,
das trras de que se achava de posse, mediante
nma condicao previa e um foro ftxado f\ bases
convencionadas, at ao definitivo resgatWas tr-
ras.
Para introduzir esta nova ordem de cousas, e

tem organisado um testemunho disso.
V
Reorganisaco das instituieSes polticas e adminis-
trativas,
t Cora o actual reinado inaugurou-sc, para o
reino da Poloni?., assim como para o imperio, uma
nova era de. reformas e de progressos e S. M. L reWverVsVonloT VfiglosoT" estabeTeceram"se f-
consagrou a ellas os seus mais perseverantes es- fectivamente commjssoes especiaes, chamadas de-
ror55- legaedes de dependencias, e foram autorisadas pa-
------------------------------------------------------- ra formar commissoes locaes compostas dedele-
(15) S. Leo Epist. 167 ad Rustic, Norbon Epis- gados sahidos d'entre ellas.
cop. As partes interessadas podem appellar das suas.
(16) S. Paulad Hebr. e 13 v. 8, \ dcisoes para o conselho de estado do reino.
Extenso do direito commum aos israelitas no
reino.
< Por um nkase imperial do memo die, bte
24 de maio (5 de junho) de 1862, (onaMMes
todas as restricces applicadas pela amiga le
Cao polaca aos direitos dos israeWstas ktmmmr-
mittido adquerlr e possuir bens universaee, hsE
lar indiferentemente todas as cidades on poi
do reino, comparecer peante os tribunaes \
gocios civis e criminaes.
c O conselho de administracao foi ao 1
tempo encarregado de se oceupar da abo0b de
todas as restriccoes professionaes impostas aos i-
raelistas, assim como dos impostos exclusivos ?
que estavam sugeitos, e que assim foram abol
dos.
Deu-se nova extenso ao collegio chaii
rbidos de Varsova, com o duplo fnn de |
pregadores. e para contribuir para o
ment inteilectual da raocidade israelita.
IX
Reorganisaco de diversas outras partes nistraco do reino.
t A' par destas reformas orgnicas, o gos_
russo oceupou-sc da separaco dos ramos do i__
vico pblico, reunidos at'ento administracao
do reino.
Foi deste modo que a administracao dos car-
rejos, das vias de communicaeao. e a inspecro do
recenseamento militar, foram organizadas no reiao
em bases distinctas e independentes.
X
Reformas judicrarias.
< Por ordem suprema, emprehender-se-ha a re-
organisaco do cdigo penal em vigor, ero harmo-
na com os progressos da ciencia, com as exigen-
cias da poca e com as do paiz.
Em Varsova tratou-se de estudar o pro-
jectos :
1. Para o processo contra deKctos e crase-*
polticos ;
< 2." Para a reorganisaco dos tribooaes eriai-
naes :
3.* Para o processo pessoal;
4. Para a garanta da seguranca individual
t 5. Para a modifleaco da lei relativa ao con
fisco, coro o fim de modificar quanto fosse possrvel
a sua apphcaco.
Foi a respeito dos deiietos polticos, qne mai'
particularmente se fixou a attencao do imperador
para offerecer defesa do aecusado. como ao casti-
go do crime, solidas e seguras garantas d* tal na
tureza, que peesam rranquitlisar os espirites e res-
labelecer a ordem, sem recorrer a tribunaes ex-
cepconaes e applicaco da lei marcial.
XI
Elaboraco de varios outros projectos legisla'vo
e administrativos.
f Esto egualmente em estado de elaboraco. ou
de esecuco os seguimos projectos :
1. Reforma de administracao do reino no
principio da descenlraiisaco, da reduccio das des
pezas, da simplificaco dan formalidades burocr-
ticas *
i Abandono da cxploraco das ruina e esta-
belecimentos do estado, industria {articular ;
c :!. Creaco de ama sociedade de crdito ur-
bana ;
c 4.a Cadastro exacto e racional das proprieda-
des da cora no reino, afim de augmentar o rend
ment e realisar economas uteis.
5.* Kealisaco do banco polaco eom o auxilt.
dos capitaes particulares, cora o prepsito de por
termo aos embaracos administrativos, e ampliar a
sua esphesa de actividade, com vantagem do com-
mercio, da. industria e da agricultura.
1 6. Reorganisaco dos segaros eontra os in-
cendios, de roaneira que augmente acredito por
meio de novas garantas de exame etn que os se-
gurados possam tomar parte:
t 7. Desenvolvimento e augmento do numero
das caixas econmicas na. capital e no' interior do
paiz.
XII
Poder executivo e administratiro.
O imporador dignou-se nomear c seu proprio
irmo, para o cargo de lugar-tenente do reino. Poi
um Polaco de eminente raerecimento e de ardente
e esclarecido patriotismo, que S. M. se dignou col-
locar frente da administracao.
O conselho de estado e b conselh administra-
tivo sao quasi exclusivamente cmaoslos de Po-
lacos.
c Todas as funcct>s civis superiores, todas a~
remessas de correspondencia de governadores de
provincia foram exclusivamente confiadas aos Po-
lacos.
< Em todo o reino, finalmente, roo .ha va no 1
[de janeir de 1863, senooito funecionarios supe-
riores russos.
A Retolucdo de Setembro publica o qne segu
Mais um. dos 7,500' bravos do Mndello deixou
de existir.
Cora 75 annos de idade fallecen boje na sua ha-
!itacar da na do Arco do Liraoeiro o conselheirr-
Thomaz de Magalhes Coutinhoy eavalheiro *
apreciaveis qualidades, e austero-carcter qoe ti-
nha a estima de quantos o tratavam.
Era natural de Castello de Fcrreira no districto
de Vizeu.
Sentou praca de voluntario em 3 de junho. de
1808. Foi feito cadete em li de oulubro do ases-
ino anno. Alferes era 10 de Janeiro de 1810. Traen
t em 17 de dezembro de 1814. Capito em 10 dV
dezembro de 1820. Major em ti de agosto de UKlx.
Tenente-coronel em 24 de julho de 1834. Corone*
em 5 de setembro de 1837. Graduado em brigade-
ro em 6 de junho de 1847. Tenente-gcneral em 17
de dezembro de 1854.
. Fez a campanha da guerra |>eninsalar. Tomo
parte nos movimentos do 1823 e 182$, Emigrou
para Inglaterra. Batalhou durante toda a lula con-
tra o principe proscripto, at a conveacao d'Evora
Monte.
Entrou as seguintes batalhas. combates e asfal-
tos :Bussaco, Albuera, Badajoz, AjEapildes, Victo-
ria, Nivel, Nive, Ortez em que foi gravemente fe-
rido, e Villa da Praia.
Em 1821 parti para o Rio de Janeiro fazeadr-
parte do balalho de infamara n. 4. Volven a w-
tugal em 1823. Emigrou pasa Gallisa em H8.
Esteve depois nos Acores, e desembarcou na Min-
dello em 8 de julho de i&&.
Era commendador das ordens militarte de S
Bento de Aviz e N. S. da Conceico. e ravajbeiro da
de Christo. Tinha tambem a eominenda da ordnu
militar de Carlos III em Hespanha. Tinha rocdalaa
de honra de Albuera, e a das cinco caropanhas. 4a
guerra peninsular.
Em Sydney (Nora Hollanda) descobrio-se por
urna casual idado uma grande sociedade de ladroe.-
qnal varios ladres da Europa enviara o produc-
to dos roubos cncarregando-se a sociedade de ven-
der ou trocar as alfaias por ouro em p.
Uma senhora que acabara de rhegar a Sydney
passeava pela melhor ra da cidade quando to no
mostrador de um joaleiro uro collar de grande va-
lor to parecido com um que ha annos lhe haviun
roubado em Inglaterra, nao pode conter-se qne nao
entrasse na loja. Sem dizer palavra toinou o col-
lar, comprimi uma pequea molla que elle tinto,
e deu um grito de reconheeimento ao vdr nm pv'
queno risso de cabellos loaros, os qnaes beijou 1
amor entro uma torrente de lagrimas, qoe fia*
primeiro corar de raiva o joaleiro o depois o I
ram empallidecer de susto.
Referida a historia do roubo o joaleiro em t de
aeceitar a proposta da dama de levar o caso aos
tribunaes, fez-lhe uma ollera simplieissiaaa, 1
foi deixar quo a dama levasse o collar, seas i
mais nada, com a condico de qne se jffnnsw
quanto antes.
Esta generosldade den que pensar daasa tajad
partlcipou o caso a polica de Sydney. _
Os magistrados alvorocaram-se e as prava lee
ram vr que tudo quanto o joaleiro ^uj*aeri
producto de roubos commettidos pela mair nana
em Londres e Paris, ha perlo de seis annos.
Diz-se que esta associaco do ladrees lesa taaa-
bem ramiflcacSes no Oriente. _____
As autoridades judiciaes de Svdney Maanan
conta deste objecto, e mandaram photocraatar as
alfaias mais nolaveis da toja, e nao se davUt e/
muitas das victimas da socidade vtrao a 1
cer com prazer essas preciosidades, apezar da :
longa estada em Botany Bay.
Era 1861, Paris tinha 1,667:841 habitantes. K
registro das associaces e estabeleciaeentos i Be-
neficencia constara haver 90,287
um pobre por cada 18,047 habitantes,
mero de pobres s havia 23 por 1001
Pars.
PBPJU"
lUGO. TTP. DE M. F. F. FHJIO'
k-

_


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESU70KSWF_3CLKS7 INGEST_TIME 2013-08-27T22:29:10Z PACKAGE AA00011611_10207
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES