Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10205


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMBO XXXIX HUMERO 225.
Per tres Mezes adianlados H|OO0
Ptr tres mezes vencidos 6jft
.*
SEIIA FEIRA 2 DE ODTUBRO DE 1863.
P*r auno adiaritadc.....19$00O
Pei*e para o- subscriptor. 3JJ000
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SURSCRIPgAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima>
Natal, o Sr. Antonio Margues da Silva; Araeaty, o
Sr.A. de Lentos Braga; Cear,' o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maraaho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C.J A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Cosa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO NO SUL
Alagas, o Sr. Clandino Falco Dias; Baha, o
r. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reii-a Martins d Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as torcas feiras.
Pao d'Alho, Nazarcth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Serinhiiem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Piraenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/j da.
EPHBMERIDES DO MEZ DE OUTUBRO.
4 Quarto ming. as 3 h., 36 m. e 8s. da m.
12 La nova as 3 h., 17 m. e 2 s. da t.
19 Quarto cresc. as 4 h., 40 m. e 3t s. da t.
26 La cheia as 2 h., 30 m. e 20 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e <> minutos da manha.
Segunda as 6 horas e 30 minutos da tarde.*
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Pira o sul at Alagas a 8 e 25; para e norte at
a Gr*V j a e ** de cada mez Para Fernando nos
dias 1*dos mezesdejan, marc.. maio,jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipueos s 6 >/i, 7, 7 '/t 8 e
8 >/frda m.; de Olinda s a da m. e 6 da tarde; de
Jabottao as 6 Vi dan.; do Caxang e Vanea s 7
da a.; de BeroJica s 8 da m.
k %iHeKfei,: paiIJ Api^cos 3 Vi. *. %, Vi,
5, 5V*. '/i e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manaaa e 4 V, da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; jara Cactiang e Vanea s 4 >/j ua tarde; para
Bemfca as 4 da tarde.
___i--------
AUDIENCIA DOS TRTBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quinta
Helacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazeada: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos : tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartae e sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
28. Segunda. S. Wenceslao duque monge.
29. Terca. S: Miguel archanjo-, S. Fraterno t.
.10. Quarta. S-. Jeronymo card.; S. Leopoldo m.
1. Quinta. S. Remigio b.; S. \Yrtssiim> m.
2. Sexta. S; Leodegario b.: S. Guarino ni.
3. Sabbado. S-. Maxiiniano b.; S; Eustaquio m.
4. Domingo. S: Francisco de Assi*
ASSIGNA-SE -
no Recife, em a llvraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa d<-
Faria & Filho.
PARTE QFF1GIAL.
MINISTERIO DA VGRK l I.TI -
RA (onmmio
E OKKAN I l lilil 'AS.
DECRETO N. 3.149 DE 3 DE SETEMBRO DE 1863.
CAPITULO IV.
Da commissao de exorne.
Art. 21. A commissao de exame de contas ser
composta de tres membros eleitos em lista trplice
pela assembla geral dos accionistas, e por maioria
relativa de votos, na sessao que deve ler lugar no
principio de cada anno. Suas funcees serao per-
manentes, e duraro por tres annos.
Art. 22. Compete commissao examinar escru-
pulosamente o relatorio, balanco,actas, escriptura-
" gao da caixa c mais livros da' companhia, corres-
pondencia, execuco dada aos estatutos e decisoes
da assembla geral, interpondo acerca de tudo o
seu parecer, de maneira a ser inserido no relatorio
annual do gerente, antes da convocacao da assem-
Approva os ocoi estatuios da companhia pernam
bacana de navegacao coiteira por vapor.
AUendendo ao que me requereu a companhia
pernambuca de navegacao costeira por vapor, es-
tabetecida na capital da provincia de Pernambuco,
e do conformidade com a minha immediata reso- bla geral.
lucao de 22_do mez passado, tomada sobre o pare-! capiti lo v.
cer da seccao dos negocios do imperio do conselho Da assembla geral.
de estado, exarado em consulta de 26 de abril ulli-! Art. 23. A assembla geral a reuniao dos ac-
tu,-bei por bem approvar os novos estatutos que cionistas, comtanto que csteja representada pelo
devem reg-la, e que com este baixam. j menos melado do capital realisado.
Pedro de Alcntara Bellegarde, do meu conse- Art. 24. A reuniao ordinaria da assembla ge-
Iho, ministro e secretario de estado dos negocios da ral ter lugar animalmente no mez de fevereiro,
ag cultura, commercio e obras publicas, assim o para Ihc ser presente o relaturio e balanco de que
do n. 1 do art. 20 dos estatutos da mesma compa- totho presente o offlcio de 18 do corrente em que
nbia. r. superintendente interino da estrada de fer-
Pedro de Alcntara Bellegarde, do meu conse-
lho, ministro e secretario de estado dos negocios da
agricultura, commercio e obras publicas, assim o
tenha entendido e faca executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 11 de setembro
de 1863. 42da independencia e do imperio. Com
a rubrica de Sua Magestade o Imperador.Pedro
de Alcntara Bellegarde.
a suppresso dos carros de classe de
nos tres da mesma estrada, e demi-
nu,ca0 .Proco nos da classe, pelos motivos
que expende no mesmo offlcio, e em resposta ca-
De-me dizer-ihc que em vista da informaco, por
copia annexa, ministrada pelo engenbeiro fiscal,
nao ae parece conveniente a adopcao da medida
propata, sendo antes preferivel a que indica o
mesa cngenhero fiscal na sna predi ta informa-1
cao, sobre aqual o Sr. superintendente far suas'
reflexoes, aflm de se poder resolver ulteriormente
a seaelante respeito como fr melhor.
Portaria.O presidente da provincia attendendo'
ao que expoz o inspector da thesouraria provincial
em officio de hontem, sob n. 490, resolve abnr um
crdito supplementar na importancia de 1:200,5 rs.,
A foHia official publicou a 1T de agosto um de- Pelo relatorio que a direccao da companhia l'ti-
creto encarregando o ministro das obras publicas dade Publica apresentou em reuniao dos acck>-
o Sr. Monso Martnez, do ministerio da fazenda, | Distas, do dia 31 de agosto ultimo, c referido ao
durante a ausencia do Sr. Manoel Moreno Lope/* janno do 1862, v>sc que o servicoas estradas a
O novo ministro do ultramar o Sr. Permanyer cargo da companhia custou
prestou no da 8 de agosto o seu juramento.
Conservaco das estradas do
Porto Braga, do Porte Santa
Christina e de Villa Nova de
tenha entendido e faca executar.
I "alacio do Rio de Janeiro, em 3 de setembro de
1803, 42 da independencia e do imperio.Com a
rubrica de S. M. o Imperador.Pedro de Alcnta-
ra Bellegarde.
Lslatolos da companhia pernamhucana dr navega
cao roste ira a vapor.
CAPITULO I.
Da companhia e sens fins. ,
Artigo 1. A companhia so denominar* como at !
aqui, Companhia pernambucana de navegacao
costeira a vapor e ter sua sede na cidade do Re-
cife de Pernambuco.
i.' Oobjecto e flm principal da companhia
trata o art. 18.
Nessa occasia se proceder renovacao de que
faz menguo o art. 12.
A primeira eleicao de presidente e secretario da
assembla geral e commissao de exame ter lu-
gar Da primeira reuniao ordinaria depois da ap-
DECRETO N. 3,153 DE 18 DE SETEMBRO DE 1863.
Concede a Antonio Luiz Astier & C. privilegio por
dez annos para introduzirem no imperio carros
ou carracas de sua invencao.
.-ittendendo ao que me requereram Antonio Luiz
Astier & C, e de conformidade com a minha im-1
mediata resolucao dos negocios do imperio do afJ^/?pq^ ^^e wnsignada no 1 do art.
conselho de estado exarado em consulta de 1 de h ,^5?,C c ^ exerclC10 Proximo Qndo
maio do crreme anno. hei por bem conceder-lhes 1" '^S 1 *5S ,)8.ga J,0rreraa.taJ1,e da obra
privilegio por lempo de dez annos para introduzi- "^rr^rosfi a te*frada *)Pao dAlho ntreos
rem no imperio carros ou carrocas, movidos por! 5SJS 7 ml bra^s> An,on, Miteaum de
animaes, que declararam ter inventado para '9z****>. segunda prestacao daquella
transporte de cargas, e que denominara charrettes ^a~r coa'se aoinsPectr da thesouraria
ou vhariots rals.
Pedro de Alcntara Bellegarde, do meu conse-
provincial.
>ita.Os Srs. agentes da companhia brasileira
provacao dos presentes estatutos, e suas funS ^TcTi^t ?
coes duraro tres annos; Ando esse periodo se pro-
ceder cada triennio. a nova eleieo de presidente,
secretario e commissao de exame.
Art. 23. A convocacao da assembla geral ter
lugar por convite do conselho de direccao por an-
nuncios publicados nos jornaes mais liaos da pro-
vincia, com anticipacao de dez dias.
Art. 26. Quando a assembla geral nao pude r
a navegacao regular a vapor desde o porto da ci- deliberar por falta de votos sufflcientcs, ser feita
dale do Recife at o de Sergipe ao sul, e os da pro- nova convocacao, com as formalidades do artigo
viuda do Cear ao norte, na forma do decreto n. antecedente, declarando-se o motivo da nova reu-
1,113 de 31 de Janeiro de 1853, de sua creacao ; niao, e ser valida qualquer deliberacao tomada
ii. 1,478 de 22 de novembro de 1831, n. 2,511 de 14 ento com os accionistas presentes.
de 1862. da extraordinariamente pelo conselho de direccao
Art 3." Para preencher estes fins ter a compa- ou commissao de exame. quando se dm motivos
nhia os vapores que entender suficientes, de tone- que a tornem necessaria.
Jagem e forca convenientes para o desempenho do Art. 28. O accionista que nao comparecer as-
servico a seu cargo.
Iho, ministro e secretario de estado dos negocios "jgj^JL!por1,nandem dar transPr1e Pr
da agricultura,commercio e obras publicas, assim 22SM! h, ^ a a v esperado norte, para a Baha, ao desertor do 10
aaeiro, em 18 de setembro' SS* 'Saria Jof, Antonio da Silva Vici-
de 1863. 4^da independenciaedo imperio.-Com gM"** ei^ soloado voluntario do 1 da
rubrica de S. M. o Imperador. -Pedro de Alcanta- me^ armao- evangelista Bandeira de Mello.
A Gaceta publicou um decreto de 6 de setembro
concedenuo ao capitao general doexercito D: Fran-
cisco Serrano, duque de la Torre, demissao do car- Famalico Guimares, compre-
go de vice-presidente da junta consultiva da guer- hendendo material, pessoal, Os-
ra; o duque da Torre fundamentou o seu pedido no calisacao e administracfio......
mo estado de sua sade, e a rainha declara ficar Debito do anno de 1861......
muho satisfeita do zelo e intelligenciac om que des-!
empenliou aquelle cargo.
Ignoram-se os motivos desta demissao. A-s portagens as estradas ci-
Os mouros das proximidades de Mellila atacaran,ma referidas renueram........
traicoeiramcnte no dia 27 de agosto a guarnicao-1
hespanhola daquella praca. Segundo um telegram- i Saldo em debito para 1863 .
ma do governador, os hespanhes tiveram no con- Este debito foi j ex tinelo no6 primeiros meies
fticlo um official levemente ferido, outro contuso,! do corrente anno.
tres soldados morios e 42 feridos. sendo dous gra-! A conta da receira e despeza das diligencias,
vemente. A perda mourisca foi grande ficando malas-postas e recwagem estabet.>cidas pela coa-
em poder de Mellila 94 prisioneiros. I panlua a segunte :
O general governador de Mellila euviouem data A recolta proveio :
de 31 do passado o seguintc-despacho ao ministro' .Diligencias, malas-postas, c recov.igem produ-
da guerra: ziram :
Reina no campo a maiseompleta tranquilina-1 Passageiros de
7-.63M7W
i:790*28H
9:i26*08f
8:96004011
466M686
ra Bellegarde.
Os Srs. agentes da companhia brasileira
de paquetes a vapor mandem dar transporte para
o Maranho, por contado ministerio da guerra, no
vapor que se_ espera do sul, ao cabo de esquadra
do 5' batalhao de infamara Aaacleto Henrique
gerentes da conjpanhia Pernam-
CAPITULO II.
Do capital da companliia.
Art 4. O capital da companhia ser de dous mil
contos oe ris, representado por dez mil acedes de
2U-IAOOO cada urna, que poder ser ainda elevado,
se as necessidades da empreza assim o exigirem ;
mas somente poder ter lugar da maneira pres-
<-ripta no art. 38 dos presentes estatutos.
Art. 5. Pode ser accionista qualquer pessoa,
toi poracao, associacao ou cntidade, com tanto que
a transferencia de uns para outros seja effectuada
DECRETO N. 3,154 DE 18 DE SETEMBRO DE 1863.
Permitte que a companhia tnglezaImperial Fire
Insurance Company estena suas operacoes ao Lmes
At'iendendo ao que me requereu a companhia' KllD"a:~:psnS,rs-B
Imperial Fire Insurance Company, fundaa em ^u^f d^.n.avea5ao csteira, faca transportar
Londres, e devidamente representada pelos seus ^'"f't JMi.Alagas' P".** do mimste-
agentesnesta praca Baird Le-Cocq 0.7hei por sd^"f[ LvaPorfsefair rfraall 4 cai-
bem conceder-lhe, de conformidade com a minha 5,!^j^JS*B?* Je ,faaniento desuados
immediata resolucao de 25 de julho ultimo, toma- *t? .Zm^a Ia 0uricury- ~ Comma'
i da sobre o parecer da seccao dos negocios do im- n,cou-se commandanto das armas.
iperio do conselho de de estado exarado em con- __. ...... .
| sulla de 17 do mez anterior, a necessaria autorisa-' Henos do du 29 de setenbre de 1863.
" itSSSiS^^TrSS^^l^'Si LAd^L^e^"^Bemet,ido ao Sr. juiz
u\oocasoaeeieicaoquer Josancos do jmperio 0 valor de 10:0005 consideracao o qne allega o supplicante.
iara directores,) nos termos do
ei n. 1,083 de 22 de agosto de 860,' combinado
com o art. 27 do decreto n. 2,711 de 19 de dezem-
bro do mesmo anno.
ftot 50deamcctsTSo p^rTadfib ac-' 'ho' ralnisro e "^> **> ^'
c5es da agricultura, commercio eobras publicas, assim
Aos
tar-se
do esenptorio da companhia em o livro competen-! votos, que ser o mximo,
te a em presenca das partes ou seus procuradores,' Art. 30. O accionista cujas aceoes nao lhe tive-
que assignaro o respectivo termo de transferencia, I rem sido transferidas pelo menos 30 dias antes da
de conformidade com a lei n. 1,083 de 22 de agos-1 reuniao da assembla geral, ter direito de assis-
lo de 1860, art. 2 24. | tir a ella, e mesmo discutir, mas nao poder vo-
Art 6. Os accionistas s respondem pelo valor tar. Erceptunm-se as transferencias por heranea.'
de suas aceoes (cdigo commercial, art. 298), que
podem ser doadas, vendidas, hypothecadas, legadas, i
ou por qualijuer forma transferidas, na conformi-
como fundo de garanta, na restric^ao segunda do Antonia Lourenca do Espirito Santo.Informe o
art. 46 do decreto n. 2,711 de 19 de dezembro de Sr. director do arsenal de guerra.
1860. | Francisco de Paula Ferrao Trant Requeira ao
Pedro de Alcntara Bellegarde, do meu conse- Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Feneira & Matheus. Inlorme o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Joaquim Jos de Olinda Tavares. Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Jernimo Tbeotonio da Silva Loureiro.Em vis-
ta da informaco, nao tem lugar o que requer o
supplicante.
u.i .i.ui nrimuiit. cuimiimo e ornas puoiieas. a-sim
i accionistas de maior numero de acC5es con-; ^^dineA!x?lu,S mhPft a0
-ha mais um voto mr cada 1(1 wpp* Rt 10' Palac, do Rio de Janeiro, 18 de setembro de
na mais um \oio por cada juaceoes, aie tu ,ftfi .*, .i.,,....-.,, 0 An __.r!n_rnm
dade do artigo antecedente.
Art 7.* O valor das acedes ser integralmente
realisado ; ou entao ser effectuado na razao de 20
por cento. Na segunda hypothese, as chamadas
sero feitas projiorgao que as necessidades da
companhia o exigirem, e de modo que entre urnas
e outras haja pelo menos o intervallo de dous me-
zes. Dentro de um anno, contado da data do de-
creto de approvacao dos eslatutos da companhia,
deverao eslar distribudas todas as aceoes.
CAPITULO III.
Da administracao da companhia.
CAPITUli) vi.
Dos dividendos e fundos de reserva.
Art. 31. Do livro de cada anno se deduzir 5
por cento sobre o capital effectivo da companhia
para fundo de reserva.
Art. 32. O fundo de reserva exclusivamente
destinado para fazer faces perdasdo capital so-
cial, ou para substitui-lo.
Art. 33. Far-se-ha dividendo entre os accionis-
tas no mez de fevereiro, fleando o quantum a ar-
bitrio do conselho de direccao, nao devendo toda
1863, 42 da independencia e do imperio.Com
a rubrica de S. M. o Imperador. Pedro de Alcn-
tara Bellegarde.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 29 de setembro de 1863.
Offlcio ao brigadeiro comraandanto das armas.
Em deferimento a peticao do sentenciado militar
Joaquim Jos Leandro, sobre que V. Exc. informou
em offlcio sob n. 1767|de 24 de corrente, o autori-
so a mandar apresenta-lo ao commandante do cor-
io de polica afim de ser empregado no servico da
achina do respectivo quartel.
Dito ao inspector da| thesouraria de fazenda.
Transmuto a V. S. os dous inclusos documentos
P
va exceder o disposto no 8o do art. Io da lei n.! em duplcala atim de que, nao havendo inconve-
1,083 de 22 de agosto de 1860.
Art. 34. Nao se poder fazer distrbuicao de di-
videndos emquanto o capital social, desfalcado em
Art 8. A assembla geral elegr, i>or urna lis- virtude de pedas, nao fr integralmente restabe-
ta somente, e maioria relativa de votos, um con-' lecido.
selho de dirercao, composto de tres de seus mem- Art. 35. Na dissoluco da sociedade o fundo de
bros, com plenos poderes para engajar o gerente reserva que houvcr ser accumulado ao capital e
para a companhia, o qual, no seu entender, rena \ dmdido pelos accionistas existentes, em propor-
as qualidades necessarias para aquelle flm, contra- cao de suas aceoes.
tando com elle o honorario que ha de vencer, e capitulo vil
mais condicoes. Da duracao da companhia e sua liquidacao.
Art. 9. Contratado o gerente, o conselho de di- Art. 36. A companhia durar pelo tem'po que
recelo convocar a assembla geral, e propor o lhe falta para o complemento de seu privilegio.
----m. Aa &> I (til '" t V. i- *-. .1 a^d-^ i ^ u 1. jf 1 ,1a il i .> i- i
niente mande pagar a Joo da Rocha e Silva, con-
forme solicitou o brigadeiro commandante das ar-
mas em offlcio de hontem sob n. 1793, a quantia de
373179, despendida pelo capitao commandante do
destacamento da villa do Ouricurv com o forneci-
^EXTERIOR.
--------7------------------------------------------------,------
HREMPODYt: V IA l0 DIA-
RIO DE PER V% JIBl/CO.
HE8FAXHA.
Madrid, 9 de setembro de 1863.
Segundo os boletins que publica diariamente a
Gaceta de Madrid, Sua Magestade el-rei continua-
va a sua convalescenca no estado mais satisfac-
torio. _
Os rumores de crisc minslMal tomavam cada
dia maior incremento, apczar\ji negativa dos jor-
naes ministeriaes e da confianza que apparentam
ter os amigos do governo na sua forca, prestigio e
vitalidade.
ment de luz para o respectivo quartel durante os A imprensa hespanhola discute acaloradamente
mezes de Janeiro agosto deste anno. a circular de 20 de agosto do ministro do reino o
Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar ao gerente Sr. Vaamonde, restringindo o direito de reuniao.
da companhia Pernambucana como solicitou este, Os peridicos ministeriaes tentam mostrar que
em offlcio de 26 do corrente a quantia de 7:0005, nao ha nesta circular nenhum ataqfll grave li-
proveniente da prestacao mensa! relativa a este berdade ; os da opposico dlzem que tal ordem
mez, com que o governo imperial auxilia aquella nao s urna offensa importante mesma liberda-
companhia, urna vez que nao haja inconveniente de, mas inteiramente contraria a todos os pre-
contrato approvacao, declarando o none do con-1 Art. 37. Quando a companhia tiver de dssol-' nesse pagamento. cipios liberaos,
tratado, o qual snbmctter approvacao daassem- ver-se far-se-ha liquidaeao pelo modo que ento' Dito ao mesmo.Em vista das inclusas contas Os partidos preparavara-se para a prxima luta
bla, sem discussao. I decidir a assembla geral, salvas as dsposicoes em duplicata que me loram remettidas pelo ins- eloitoral. Annunciam-se j algumas reunioes pa-
Art. 10. O conselho, como fiscal, poder tomar' dos arts. 295, 344 e seguintes do cdigo commer- [ pector do arsenal de marinha com offlcio de 26 do rao que se havia pedido permissao s aulorida-
contas ao gerente quando lhe approuver. e de fado cial; 35 e seguintes do decreto n. 2,711 de 19 de corrente sob n. 376, mande V. S. pagar ao geren- des.
as tomar todos os mezes, sobre balancetc apresen- dezembro de 1860. te da companhia de illuminacao desta cidade a Chcgaram a Madrid os Srs. Ollisags, Prim e Sa-
lado pelo mesmo gerente. Art. 38. A companhia julgar-se-ha incapaz de quantia de 1175540, sendo 125600 proveniente do gasta. Mais de quatroceutos membros do partido
Art. 11. O conselho tem autoridade para sus- continuar uas opcracSes, e conseguintemente ser gaz consumido com a illuminacao da casa da ins- progressista esperavam estes cavalleiros na estacao
pender o gerente at a derisao da assembla geral,' dissolvida, desde que houver soffrido prejuizos no peccao e o restante com a do mesma arsenal, tudo do caminho de ferro.
senipre que o julgar, por unanimidade de votos, in- valor dos dous tercos do capital social. durante o mez de julho ultimo.Communicou-sc Todos os dias chegam personagens importantes
capaz ou malversador. Neste caso a convocacao capitulo viii. ao^inspector do arsenal do marinha. do partido progressista que vem assislir grande
da assembla geral ter
suspenso.
de. Os seus visinhos j ahi vio passear, e outros
apascentar os gados. Os mouros experimentaran
O'castigo que a sua a le i vosa aggresso mereca.
As noticias de Havana alcancam a 18 de agosto.
Carlas e_jornaes se oceupam exclusivamente da
descripcao dos festejos da inauguraco do arraza-
mento das muralhas da praca. Deram a este acto
todo o carcter de solemnidade e festejo patritico.
Foi nomeado cnsul de Hespanha em Tetuao o
Sr. D. Carlos Vidal, vico-consul que era em Ge-
nova.
No dia 7_do corrente s 9 horas da manha
houve na eslacao de Villalba do caminbo de ferro
do Norte um desastre que podia ter tido mui se-
rias consequencias:
O trem que sahio de Madrid para o Escorial de-
teve-se em Villalba para esperar o trem correio
que vinha um pouco atrazado, e com o qual se de-
via ter crusado no Escorial.
Achavam-se os passageiros do trem de Madrid
tranquillos nos seus assentos, apezar de ter ouvido
o assobio que annunciava a proximidade de um
correio, quando comecaram a ouvir-se gritos
a^toQselhando que sentirassem dos wagons por ter
enVaio o trem correio na mesma via que oceupa-
va o d* Madrid. O guarda das agulhas causa do
sinistro hao appareceu, pelo que se ignora se deu
m direccao ao trem ouse nao eslava no seu posto.
QOs machinistas de um c outro trem ao ver ine-
vitavcl o choque das duas machinas deram movi-
m ento contrario a estas, fazendo retroceder at
Madrid o trem que eslava parado, e delendo a ve-
locdade do que vinha em marcha. Isto poderla ter
evitado todas as desgracas, mas succedeu que no
momento em que se deu movimento ao trem para-
do, intentaran! arrojar-se das carroagens algumas
pessoas e destas sofreram mais ou menos ligera-
mente contusoes uns trinta individuos. Os dous
accidentes mais graves foram o de umamulher que
quebrou um braco, e o de^im ecclesastco que
comecou a deitar sangue pela bocea, tal vez das gcu-
givas, que se negou a todo o cuidado facultativo
sem mais remedio me ter comido algumas frutas.
N"um deserto de Saragoca antes da estacad
de Sabadell quebrou-sc urna das brides de engate,
o que occasionou o desencanilhamenlo do algu-
mas carroagens e a queda de urna da 2" classe, e
o freio posterior que cahiram do terrapleno que
alli existe. J ha a lamentar a morte de urna se-
nhora, os ferimentos de um guarda freio e um via-
jante c seis contusos. Os empregados da empreza
e urna patrulha da guarda civil que a no trem
prestaram aos viajantes todo o auxilio necessario.
t-1 classe
Ditos de 2' dita.........
Ditos percorreudo
carreira............
Encommendas e excesso
bagagem............1.......
Prestacoes dos correos.....
Ferragens veluas, estrumes,
etc......................
Saldo da conta das officinas
parte da
de
:i:070WeO
17:6495450
7:0005V
t:MM
57159K.
5O7530O>
Rv. :t5.63Jl
lugar oito dias depois da
Dsposicoes geraes. "Dito ao inspector da thesouraria provincial.' reuniao que este partido"val effectuar para decidir
Art. 39. Os barcos d companhia soffrerao an- Tendo em wsta a sua informaco de 26 do corren- definitivamente qual o seu comportamento as pro-
Art. 12. Somente accionistas de 50 aceoes, pelo nualmcntc um abatimento de 10 por cento sobre te sob n. 483, autoriso V. S. a mandar abonar ao ximas eleices.
menos, podero ser eleitos membros do conselho' os seus respectivos valores. Esses abatimentos professor do gymnasio proviucial Luiz Jacques Verificou-se a reuniao dos homens mais impor-
d( direccao. j sero lancados em despezas sob o titulo dede- Brunet a quantia de 6005000, proveniente da gra- tantes do partido progressista para tratar da ques-
Art. 13. O conselho de direceio ser renovado terioramento, eos barcos figurarlo nos balancos tilicaco de 505000 mensaes que vencen durante tao eloitoral. Nao modificando o governo a circu-
annualmente, sahindo um de seus membros, que a com os seus valores assim rediudos, salvo o caso o exercicio proximo lindo em liquidaeao, como en- lar de 20 de agosto ultimo, a reuniao votou pela
sorte designar, sendo substituido por outro, que de terem soffrido concertos radicaes, em que figu- carregado de preparar os objectos precisos para o bstenco. Presidio a reuniao o*Sr. Olozga, e ora-
para esse flm ser eleito na reuniao da assembla raro com aquelles que porventura venham a ter museu daquelle estabelecimento, constantes da in- ram os Srs. marucz de los Castillejos (general
geral dos accionistas, que ter lugar em principio em consecuencia de taes reparos. -crasarelaco que me foi remettida com offlcio do Prim), Sagasta, Aguire, Mador, Calvo Ascensio,
de cada anno. O director assim substituido s po-' Art. 40. Os dinheiros e valores da companhia 'director geral da i nstrucco publica de 28 de julho Corradi, Figuerola, Alvarez, etc.
der ser novamente eleito passado um anno. serao arrecadados em um ou mais bancos pblicos ultimo sob n. 1224.
Art. 14. O conselho de direccao se reunir ordi- da praca do Recife. Dito ao mesmo.
Art. 41. Pelo allecimento de qualquer accio-
nista, e emquanto o espolio estiverpro indiviso
passapara seus herdeiros nao s o direito s ac-
Communicando-me o Exm.
O voto da reuniao progressista comecra a rece-
ber muitas adherencias. O marquez de Resales
nanamente urna vez por mez, c extraordinaria-
m mte, quando elle ou o gerente o julgar preciso,
on o presidente do conselho o convocar. As deci-
s5es serao tomadas por maioria absoluta de votos; {oes e os dividendos, como tambera o de lomarem \ importam as despezas com o sustento dos senten- Parece que as commissoes do partido progressis
os veneidos podero declarar e motivar seus votos parte as deliberacSes da assembla geral, com- i ciados de justica vindos daquella provincia com ta em Cdiz, Sevilha e Barcelona, pela mesma fr-
na acta. tanio que, sendo mais de um, se combincm entre j destino ao presidio de Fernando : assim o declaro ma adherirara abstencio.
presidente da|Parah>ba em offlcio de 23 do cor- foi um dos primeiros que declarou'aceita-Io. Odu-
rente que expedir ordem para ser o cofre provin- que da Victoria j tinna igualmente manifestado o
cial indemnisado da quantia de 295094, em que seu voto neste sentido.
Art 15. As sessoes do conselho de direccao se- si para um s votar. Depois de feita a partilha,
rao presididas |lo membro mais votado delle. O cada herdeiro representar o accionista fallecido,
immediato em votos servir de secretario. conforme o numero de aceoes que lhe tocaren).
Art 16. No impedimento de um dos membros Art. 42. Estes estatutos s podero ser alterados
do conselho de direccao, em occasia de ser convo- por deciso da assembl geral dos accionistas, ta-
cado, era convidado para suppri-lo o immcdiato mada em urna e vencida em outra sessao por
em votos. maioria absoluta de votos, estando presentes pelo
Art. 17. Sao attribuiccs do conselho : menos accionistas que representen) dous torcos do
1. Resolver : primeiro, acerca do rcqiienmen- capital da companhia, ficando dependente dapr-
to on representaedes s cmaras legislativas ou ao via approvacao do governo imperial qualquer al-
<_" veno; segundo, celebraeoes e reformas de con- teraco, reforma ou innovaeao que soffrerem os
mtos com o governo : terceiro, iniciar quaesquer; mesmos estatutos.
medidas que tenham de ser propostas assembla
geral sobre a reforma ou reorganisaco da compa-
n lia e seu fundo.
I 2. Convocar ordinaria on extraordinariamen-
te a assembla geral dos socios.
g 3. Prestar sua opinio sobre qualquer nego-
cio em que o gtrente haja de pedi-la.
Art. 18. Saoaltribuicoes do gerente : __
i 1." A gerencia, manejo c administracao dos ne-
g kmos, operaedes e expediente da companhia com
poderes para obrr como melhor entender em be
(Seguem-se as assignaturas.)
Directora central da secretaria de estado dos
negocios da agricultura, commercio e obras pu-
blicas, em 3 de setembro de 1863.O director,
Jos gostinho Moreira Guimares.
DECRETO N. 3,132 DE 11 DE SETEMHRO DE 1863.
Autorisa a companhia de navegacao e commercio
do Amazonas para elevar a 4,000:0005 o seu ca-
pital de 2,000:0005.
Attendendo ao que me requereu a companhia
iioficio della, levar a cffeito as resolucoes do con- de navegacao e commercio do Amazonas, e de
solho, poden'do eomtudo appellar dellas para a as-1 conformidade com a minha immediata resolucao
s.!PTibla geral dos socios em sessao ordinaria, ou de 2 deste mez, tomada sobre o parecer da seccao
convocando-a extraordinaria mente por si mesmo, dos negocios do imperio do conselho de estado,
se, havendo proposto esta convocacao ao conselho, exarado em consulta de 30 de julho ultimo : hei
eUe nao se prestar a faz-la. i Por Dem autonsar a referida companhia para elc-
t t.< Nomearos empregados da companhia sem' var a 4,000:0005000 o seu capital de 2,000:0005,
excepcao, os quaes Ihc flearo immediatamente su- computando-se no mesmo capital todas as sobras
lordinados de receita accumulauas ateas pocas das respec-
Art. 19. O gerente aposentar todos os annos tivas chamadas; devendo, porm, a dita compa-
f ssembla geral. at o dia 10de fevereiro, o balan-; nhia : 1, distribuir no prazo de 3 annos as 10,000
(o da companhia, fechado no flm do anno anterior, aceoes novas segundo exige o art 12 do decreto
rcompanhado d.J um relatorio da gestao de seus n. 2,711 de 19 de dezembro do 1860; 2, conser.
negocios e parecer da commissao de exame. I var sempre no computo das sobras de receita um
Art. W. No impedimento do gerente servir in-' fundo de reserva nunca inferior a 40:0005, o qual
terioaaente a pessoa por elle designada, depois Minados os 3 annos, continuara a aer augmentado
approvada pelo onselbo de direccao. I cora os 5 por cento dos meros, lquidos, na forma
y
V. S. para seu conhecimento. A commissao central encarregou o Sr. Olzaga
Dito ao director das obras militares.Mande V. de redigir um manifest do partido progressista
S. raiar e asseiar a fortaleza do Brum, como requi-' acercada deliberacao adoptada,
sitou o brigadeiro commandante das armas em of- Appareceu no da 11 o manifest, dos progres-
ficion. 1795 de 28 do corrente.Communicou-sc sistas expondo os motivos da abstencio. Decla-
ao inspector da thesouraria de fazenda. ram que faro todos os esforcos para obter do go-
Dto ao conselho de compras navaes.Autoriso verno que_o direito de reuniao etoitoral em Hespa-
o conselho de compras navaes a promover, nos nha seja to vasto c ampio como em Inglaterra
termos do regulamento de 20 de fevereiro de 1858, sem sahir das vas legaes,
a compra dos objectos de material da armada Os demcratas reunidos em, casa do ex-depula-
mencionados em seu offlcio de 28 do corrente, vis- do Rivero adoptarain igual resolucao dos pro-
toscrem necessarios para provimento do almoxa- gressistas ; afnrma-se (jue parcialidades liberaos
rifado do arsenal de marinha. j seguiran) o mesmo exeraplo.
Dito cmara municipal do Recife.Em soln- S. M. a rainha concedeu ao general Prim urna
cao ao (pie me consulta a cmara municipal do larga conferencia. Parece que o marques de los
Recife em seu offlcio de hontem datado, cabo-mu Castillejos, general Prim, expozera a S. Magestade
dizer que, se na occasio da eleicao a que se vai que o partido progressista eslava disposto por te-
proceder no dia 1 de novembro proximo vindou- dos os meios legaes a fazer triumphar os seus can-
ro, acharcm-se lcgalmente impedidos para presi- didatos as prximas eleicoes, mas que a circular
direm a mesa parochial todos os juizes de paz do de 20 de agosto ultimo tinna viudo parajysar todos
Io districto da freguezia dos Afogados, deverao sor estes trabalhos rosoivendo o mesmo partido aban-
elles substituidos pelo supplente que houver jura- donar a ama, a que era urna grave consequencia
mentado ou que cssa cmara poder, com a devida daquella determiuaco official; depois de muitas
antecedencia juramentar para esse flm nos termos outras reflexoes concluiu pedindo que so modifl-
do aviso n. 280 de 1831 ou pelo luiz de paz do dis- cassem as restricedes s reunioes eleitoraes.
trido mais visinho como preceitua o art. 4 das ins- Parece que houve urna certa esperanza de que o
trurcoes annexas ao aviso n. 168 de 28 de junho gabinete modifteasse alguraa cousa taes restriccoes,
de 1848 c art. 17 dos que baixaram com o decreto mas aOnal decidiu-se a manter integralmente a
n. 1812 de 23 de agosto de 1856, devendo em todo circular.
o caso a convocacao dos eleitores para a referida Repetem-se todos es dias os conselhos de minis-
eleicao ser feita sem perda de lempo e sobre res- tros, durando alguns largas horas. Os assumptos
ponsabilidade pelojulz de paz que presentemente principaes de taes reunioes sao as eleicocs, o a
esti ver no exercicio no Io districto daquella fre- adopcao de providencias para s victimas do terre-
guezia. moto das ilhas Philippinas. 0 ministerio est com-
Dito ao collegio eleitoral de Cabrob.JOpportu- pletamente unido, e uisposto a sustentar todas as
mente ser enviado ao Exm. Sr. ministro do resoluQoes adoptadas com relacao s eleices,
imperio o offlcio, que para ter esse destino me re- Parece que o duque de Tetuao nao vallar
metteu o collegio eleitoral de Cabrob oom o seu corteantes de terminadas as eleicds oslar com-
de 9 do corrente. | tudo em Madrid por occasio da abertura do parla-
Dito ao superintendente da estrada de ferro, monto.
PORTO.
U de se te mil ni.
Terminou a grave desintelligencia entre os subs-
criptores do novo Banco Allianca, levantada por
algumas das alteracdes feitas pelo respectivo mi-
nistro ao projecto de estatutos.
A muita sinceridade de uns accionistas, o capri-
cho de outros, e a maldade de alguns pozeram em
perigo a definitiva organisaeao desta nova casa
bancaria.
A reuniao do dia 26 de agosto, a primeira em
que se apreciaran) as emendas proposlas, fjcou
sendo tristemente celebre nos annaes das discus-
soes commorciaes da praca do Porto pelos dosios
lancados para o meio da discussao, e que por ve-
zes tornaram tumultuaria a sessao.
Felizmente, na assembla do dia 27, gracas aos
esforcos empregados por alguns cavalleiros, as
duas fraccOes em que se achavam divididos os
subscriptores do novo baaco vieram a um ac-
cordo.
Para redigir este accordo nomeou-se una com-
missao cujo parecer foi unnimemente approvado.
Esta commissao foi depois incumbida de ver quaes-
quer duvidas suscitadas pelo governo com respei-
to approvacao dos estatutos, em consequencia das
alteraces que acabavam de soffrer.
Em reuniao de assembla geral dos accionistas
do banco Uniao Mercantil Portuense do dia 1 do
corrente, foi a gerencia autorisada a aceitar do
banco Uniao a transferencia da quarta parte do
emprestimo de '00 contos de ris, que esto ultimo
estabelecimento bancario contratara ha temos
com o governo para as obras da doka da ilha de
S. Miguel, cora a clausula de poder transferir 200
contos de ris.
Nesta sessao tambem a gerencia apresentou a
idea do banco Mercantil lomar parte no empresti-
mo de rail e cera contos de ris que o governo vai^
coutrahir para estrada?., lembrando aos accionistas
a conveniencia de que qualquer operaco a tal res-
peito dependesse nicamente da approvacao do
conselho fiscal.
A idea da gerencia foi aceita pelos accionistas.
Nomeou-se urna commissao para dar o seu pare-
cer, o qual devora ser apresentado am&nbaa em
assembla geral.
No seu parecer prope a commissa.que a ge-
rencia deve ser autorisada a entrar no referido,
emprestimo pela cifra que julgar conveniente e
compativel con as forcas do banco, negociando
com as condicoes mais vantajosas que poder ob-
ter.
E' fura do duvida que este parecer reeeber o
vot approvativo da assembla.
Urna questo vellta, que jtdevia ter sido resol-
vida, entre o banco Mercantil e o Sr. Eduardo Mo-
zer, deve amanha tambera ser tratada e nao sa-
bemos se ficar resolvida definitivamente. Versa
A despeza costou :
Pessoal .................
Pensos e forragens ..........
Medicamentos ..............
Ferragens...................
Entrctenimento de trens.....
Concert de arretos.........
Diversas despezas de csta<*oes.
Deterioracao de trens, movis.
arreios e cavalgaduras.........
Total da despeza, rs.
7:7695113
16:189**7
1845775
466*780
2121*595
4:10*805
1:275*675
4:484*79
32:923f9iO
Aproximando o total das duas verbas eneoMra-
se o lucro liquido de rs. 2:7125950.
O dividendo que esta companhia d ao aceto
nistas pelos lucros de 1862 de 25700 rs. por ea-
da accao.
Para a direccao de 1863 1864 foram eleitos o?
Srs. Dr. Antonio Ferreira de Macedo Pinto) Fran-
cisco Jos Coutinho, e Diogo Jos Cabral.
Houve no dia 28 do mez passado um. divert-
ment novo no rio Douro. Foi a regata promovida
por alguns cavalleiros que nesta quadi tos ba-
nhos habitam em S. Joo da Fox, e que para essr
fin) lizeram urna subscripc.o entre es hanhhta-
alli temporariamente residentes.
O local das corridas foi o que medi-a caire a
praia do Ouro, ponto da partida, e o padrio a
Cruz de ferro, meta dessa partida, oixk eslava
situado o escaler do Sr. Jos Alvo Pinto Kalseai,
director da alfandega, como juiz e distribuidor do*
premios.
A' margem dircita do rio estava embandeiracb
em toda a extenso daquelle transito, i- na Caniei-
ra tocava a msica do regiment n. 48. A anuen-
cia de espectadores foi extraordinaria.
As corridas foram quatro, e oonieraram as 5
horas da tarde.
Na primeira corrida entraran ?ineo oealere*
particulares gnvernados pelos Srs. E Mural. Albi-
no Jos Pereira Soares. Alexandre Fleming, Joa-
quim Lage e Joaquim Goncalves. Tocaran a n*-t.i
pela ordem em que fleam mencionados.
A segunda corrida perteneeu aos barcos Infr-
iados por mulhercs de Avintes F.r.un nove, e e
da um del les remado por duas muflieres, tea*
primeiro vencedor um premio de 35 rs., e o se-
gundo outro de 15 rs.
O primeiro barco que ohegou balsa foi o e
Anna Amella, possante rapariga dos seus 24 ana*
c o segundo o de Anna Grilla que pouco sasCri-
ta de ter chegado em segundo lugar, disse, ao re-
ceber o premio, > cu estoo doente, s- nao havia
de mostrar aos senhores como se rema.
A terceira corrida coube aos barcos de toldo.
empregados na carreira do Dooro. Matrirulara-
se dez, sendo cada um tripulado por dous larqu.i
ros, e tendo o primeiro vencedor 4-5 rs. eo cna
do 25 rs. Aquelle premio foi ganho pelo harradr
Joo Rato, e o ultimo pelo de Migucz Viann--,
A quarta corrida foi a dos cahiques rea*
por um s hornera. Eran sete. (anliuii u presa
(25 rs.), o radique ruinado por Joor da mss, <
o segundo pruiiiio (15 r.^ o cahique reinpJopoi Miguel Vianna. i
Todos os barcos malrirnlados para entrirom na s
regata, e que fie arara vencidos as corridas, per
cebera ni urna gratlficaeao de 900 rs. radi- u
Este divertimento, que deve ser considera.*'
como um ensaio no. seu genero ao norte do reiao
agradou. milito, porque tudo correu na raei'-sx
ordem.
Fallarse era orgaaisar urna sociedade para> aro-
mover a repetico. de iguaesdivertinrientesiic-ae-
zes de vero de cada anno, e mesmo ^e diz j ooe
haver breveraanto outra regata.
J comecou, o seus trabalhos a oeaunisjsc% que
no districto. do Porto tem de roadjavar ** go-
vernador civil na organisacao c rtceuoMmeitl
da poputacSo, ordenado pelo decreto de-23 de ju-
lho ultimo,*e qoe deve eflecluar-st simitaneamen-
te em todo o reino no 1* de Janeiro de 1894
Acham-se- tambem j consumidas algnwas coa-
mi ssoes parochiaes, que tm de nomeu os agente
e proceder enumeracao dea fagos.
Sem o conhecimento exacto do namom de habi-
tantes d um paiz, e a sua tlisiribuici pelas dilfc-
rentcs reas em que elle adminisa-altTamenle e*
dividido, muito mal se podero. resolver as gran-
des questoes de governaeae e adnnirtraco poasi-
ea. Ninguem se atrevo a'negar a ntilidade e eoa-
veaieocia da medida ora adoptada, porm musa,
gonte receia que ella s tenha por flm auxiliar o
governo no aecretamento e dbtribuico de aovas
impostas, O recenjeamento,. aois, ha de reseasir-a
desta presnpposicao, e creaos que por esta va iri
muito longo da verdade.
O Sr. Jos faettamio, digno repre*entann
imperio nesta, cidade, deu aos seos intimas
um lauto jantar em saa casa no dia 7 correaje,
anniversacto da independencia do Brasil.
A commissao dos artistas portuenses. encalma-
da de levantar o monumento memoria de 9. Pe-
dro V no largo da Batalha, receben peto ulanoaa-
queto- urna letlra de cerca de 500*800 fortes, are-



sobro a remuneracao pecuniaria oue aquelle ca-
valleiro exigi, e lho toi promettda, pelos sous.
trabalhos na confoc?o dos estatutos c tabella de} duelo do beneficio levado a effette na capital desa-
seguro de vidas, hospitaleiro imperio, no theatro de a Podro de Al
Serve de baso a discussao que a este respeito cantara, pela Associacao dos Artistas Portufuexes
tem de ser encelada, urna proposta do accionista o.
Sr. Domingos. Manoel Barbosa Brando, pela qual
o banco ter de dar ao Sr. Mozer a quantia de fs.
4:000*.
Se a assembla geral approvar esta proposta, e
o Sr. Mpzer convier, terminar a pendencia judi-
cial que existe a tal raspe*,'to.
O banco Mercantil tern aberto o pagamento do
dividendo do 1- semes>.re do corrente anno na ra-
zao de 3 por cont o-a 6* por aeco.
Os lucros eran Dividendo a par ar...........
40:818*000
Fica por dividir..
ULfSVEL
8:021*161
A obra do monumento que os amigos do alari-
do Sr. Manoel da Silva Paseos resolvera erif-
ento ponte de Leca, fot contratada pelo esraJe-
r oSr. Almcida Costa. A estatua ser de marmo-
re e o pedestal de granko, Aquella medir de al-
tura 2 metros e 20 entimetros, e ate 3 metros e
50 centmetros.
O estabelecimeato. bancario London and Brasi
lian Bank, cuja sede em Loadles, esubetoreu
urna agencia nesta cidade a cargo do Sr. Tbeodoro
Crter. E na. rea de & Francisco n. 4.
Na visito qf\ o Sr. presidente do tribunal da re-
lacao passoo, no ultimo dia do mez pro* paaaa-
do, as oadeias chamadas tambem da reJetae, ea-


Diario de Peraambueo sexta felra 1 de Outubro de t8.
,, r^j jjix

v
controu as diSerentta ptisoes 14 homens
inulheres, c uasenfermabas 3 homens e
ss"
e 31 sobre a cadeira d'esto iwihfrado, fawnda
3 mu- sobre a sua cubeca o punhaj homicida!
u.nS A esie toinpo ja todos es espectadores, o jury
0 incendio que menciona na missiva passa- e ate ou meMaaiyw J'i%>(fciijl baytem retirado, e
da acontecido as medas d carqueja expostas o tnbunal achwa-se quasi deserto. A'qnellas des-
no caes da Corticera, indoo aswnpanhias de horas j ninguem all se va, exeepcab
rete 4a atM **%
cao dos sol-
sveuros desta cidade a pedir cmara municipal dados que haviara escoltado o reo, este, tres offl-
a remocao dos depsitos do palha existentes no ciaes de diligencias, o escrvao, o agente do mnis-
caes dos Ouindaes. lerio publico e o iuz. E todas estas personagens
Sob o tHulo de aviso notavel publicara os se divisavam cenlusamente ao lucubre ciarlo que
iornaes Esta cidade o "segrate annuncio, que pro- soltavam as luzes amortecidas. J se nao senta
va a escassez que ha de moeda mnima do cobre o mais leve rumor; reinava por toda a parte um
na dreulacio : ^8 silencio, mvsterioso e indefinido; todos os
Xas casinhas da ponte suspensa sobre o rio habitantes de Macedo aquella hora dormiam j a
Douro, se contina a dar premio pelas moedas de
cinco rh trocando-se por cobre a 188 rs. a mee-
da e a 100 rs, cm prata, e isto em consequencia da
grande (alta que deltas ha para trocos, que all
radspensavel fazereoi-se. Recebe-so toda e qual-
quer quatitia.
O Jornal do Porto conta que alguns engenheiros
francotes, empregados as obras do caminho de
ferro do Porto CoUnbra, sollicitaram o oblive-
ram do governo, nao sabemos sob que condicOes,
autorisacao para explora- os contornos do conven-
to da Sorra 4o Pilar.
Parece que mu velbe compatriota daquettes em-
pregados, que assist invaso dos Francezes,
aflaoera que no indicado sitio se achara soterra-
dos valores inijiortanles.
Os engenheiros francezes obliveram do Exm. ge-
neral urna forca de cinco homens, fizeram guardar
o lecal explorado, e encetaram ja as excavan
pele Jado do sul do anligo templo.
Est ja all aprofundada urna \
1,50 metro.
Os exploradores nao tm por em quanto extram-
<]o do fosso seno algumas velbas granadas.
mana velha!
J ha mais de um auno que aquellos mesnios si-
tios foram explorados, sem resultado algum, por
um individuo que para este flm voio do Brasil; em
consequencia da revelacao que lhc fizera na hora
da morte um frade, que pertencra *o convento da
Serra do Pilar. ,.
A respeito do naufragio do brigue Inglez Helen
Jane, succedido em 9 do mez passado, e do qual
demos conta cm anterior missiva, diz o Campeao
das Provincias, que foram recolhidas a alfandega
de Aveiro 93 pipas de vinho do Douro, 51 quar-
tollas, 19 barris, 172 eaixocs pequeos com garra-
las de vmho, e 16 caixdcs grandes, massame, vea-
me, correntcs e 1 ancora, visto e nao visto ro
arrematado no local do sinistro por 5*000 pelo la-
vrador Jos Pcreira e outres.
O citado jornal accresoenta :
Apczar dos esforcos que os empregados da ai-
landoga e do contrato do tabaco fizeram para ob-
star ao roulto, a desjunto mesmo da condemnacao
de dous individuos daquclla costa, julgados em
Estarreja na Nspera do naufragio por cumplicida-
de 06 rouho em paite da carga do hiate Liiicwo,
era por isso os povos daquclles sitios deixaram de
tancar mi da roupa da tripolacao, objectos de na-
vio c aproximadamente 300 caixes com vinho en-
garrafado, e todo seria roubado, se na oceasiao
nao estivessem os guardas do contrato all destaca-
dos, que, arrestando fadigas e ameacas, poderam
salvar parte da carga at chegar a alfandega que
logo tomou posse.
A alfttiidega e o Sr. fiscal do tabaco rcccbcram
participaclo do naufragio s 9 horas c meia da
manha daquoUc da, chegaram ao naufragio as i
horas da tarde e virara na distancia de 8 kilme-
tros espalhados jiela praia grande quantidade de
cebollas, caixdes e pipas, c cm volta dellas grande
nuniOBO de homens e inulheres, estendidos na arcia
to embriagados que mal podiain articular pala-
vra : era urna interessante scena ouvir aquel es
verdaneiros devotos de laccho, que cm repetidas
libacoes no famoso licor tintura sacrificado aquel-
le deus do paganismo lodos os scus cinco sentidos.
Segundo nos informara, este naufragio enco-
bre um grande crime Sao bem graves e de gran-
de peso as informaeocs que temos.
O mystcrioso dcsapparecimento do capitao ; o
navio naufragado com mar bonanzoso, navegando
havia dous das para o norte, tndo nos leva acredi-
tar aquella triste noticia .
. Das antes do navio sabir do porto a tripola-
cao revoltou-se contra o capillo, chegando este a
puchar por um rewolvcr para se defender.
A maruja foi despedida do navio e depois re-
admitida para seguir viagem, fallando na hora da
subida, nao sabemos por que. dous marinlieiros
portuguezes a quera o eapilao fallou para tripolar
o navio, e a quera tinba abonado 30000 a caua
um. ,
As estaofiea da telegraphia elctrica (ta ponte do
Dima e reos de Valle de Vez, na provincia do
Minho, comec.arara no lu do correnle mez a recep-
cao e transmissao de telegramraas de servido in-
tcriiaeional. Haviara sido montadas ha pouco tem-
poe abertas nicamente para o servico nacional.
A iuntt administrativa das obras da barra de
Vianna despendeu no anno econmico de 186-
1863, com relaco s obras da barra da dita cida-
de, a quantia de 7:8765904, tendo sido a recorta
1:178J391, e com a obra de reparos na ponte so-
bre o rio Lima 3:2635257, tendo sido a reccita
3.o60#033. t .. ,
As noticias viudas do-Douro sobre as novidades
do corrente anuo sao milito animadoras. Affirma-
se que o vinho (leve ser excedente e com qualida-
des nao inferiores s novidades mais especiaos que
o Douro tem priKluzido. Em quanlo a sua quantida-
de difierera bacante as onimSes, mas parece-nos,
pelo que temos visto esenpto a este respeito, que
a eollieita regular pola do anno passado.
Xa provincia do Minho j comeoaram as vindi-
raas, havendo muitos sitios onde o oulinm fez me-
nos estragos do que o anno passado; outros cm
que quasi nao se fez sentir ; e outros emim em
que atacou com malor forra. Assim nicsmo calcu-
la-se que o resultado geral das colheitas ser supe-
rior ao do anno passado.
No mercado de Vianna tem apparcrido grande
nuantidade de uvas, regulando o seu prego do
500 600 rs. o cesto, que prximamente [iroduz
um cntaro de vinho. "
Em Aveiro diz um jornal da localidade, pode
eonsiderar-se rsie anno terminada a safra de
sal.
As ultimas chovas fizeram perder as esperanzas,
se
nuar.
dra
Os marnotos appressam-se a acautellar as eiras
os montes (|uo ainda restavam |ior cobi ir para o
sal resistir ao invern (|ue parece amcacar-nos
"do.
Noticias recebidasSle Selubal dao tambera l'ra-
ca a colheita as salinas do Sao havia ainda
>[ 'i anca* de continuar a safra, as quaes, como
era Aveiro, tcaram perdidas com as ultimas
chovas.
O sal sobe de prego, e natural que os possui-
dores o queiram conservar visto que as ind<;oe*
favoraveis. Est por 35000 o moio, ou 125000 rs. o
barco. ,
Era Macedo de Gavalleiros deu-se no dia 20 de
agosto, no tribunal dos jurados, um crime inauto
de que nao temos menora haver precedentes nos
nilmnaes dopaiz.
Narra-o da seguinte forma urna eonespondencia
|)iiblicada n'um jornal portuense :
No dia 19 entrou -ern discussao e julgamento
a causa do clebre reo Jos da Prelada Barracho,
conhecido aqu tambera pelo Villa Bral, natural
de Ababas, aecusado o crime de homicidio,
acompanhado de cirruroetancias aggravanlissimas.
Este seelerado, assim que entrou para o tribunal,
principion lugo a prescrutar com a visla todos os
augulos do mesmo, e a mortrar corlo ar de inquie-
itacao e desasoei.'gadu, dando cora isto CAidentes
provas de um pensamento oeculto e reservado.
ainda.o que mais o traliio foram as respostas as-
peoa e pouco sulimissas que deu ao juiz, quando
lie liefez os interrogatorios. Ora como este ma-
gistrado dotado de grande finura e vista muito
pirsplcaz, felizmente nao deixou passar deper-
cebido6 estes moviraentos sinistros; logo notou
tudo isto, o nao foi preciso mais para se acantonar
e prevenir, mandando entrar para dentro do tri-
bunal O' cridados na orcasio em que tinba de
proferir a sontenoa. Todava, a discussao, que
i.rine|tiou s 9 tioras do dia, rorreu plarida e
tranquilla at s 2 hora* da manhaa do dia 20,
em que, finalmente, o digno juiz condemnou o reo
cm ijuinze annos de degredo para as costas da
frica, o cstava j fazeudo ao mesmo as exhorta-
ijoos lo coslume, quando oste monstrn, vaneando
tros pa6sos para a frente, parou, c, com a mao di-
reita mettida no bolso, n'uraa attitude aniea?adora,
dirigo-lhe as seguintes expressSes :
Entao j acabou de dar o seu recado? >
A' vista do que o jniz ara bou de conhecer, que
eslava por momentos a ser assaltado por urna fra,
com a anal, sera dtivida, tinha do travar urna lua
de morte, sem que alguera lhc pudesse de promp-
to valer; comtudo, nao se lhc netou a menor per-
turbaeo, antes, pelo contrario, conservando a
niaior presenta de espirito e sangue fri, revesiio-se
de um carcter ais severo, 'tomando uraar maw
nobro e circumsperto; c o assassino, com a rapi-
dez do relmpago, arremessou-se de um sallo
somno solt, bem longe de se lembrarem da scena
trgica quo entre elles so estava passando, a qual
devia salpicar de sangue e cobrir de luto, por
muito tempo, as paredes do tribunal 1
Que especuculo Um reo est fazendo esfot< >ros dizcm, oue se reunem !
una das janellas do Io andar do palacete
sembla provin taubem est -
ria, deu o grito de al
Foi chamad o inspiltor da thesourana provifr
cial, e com o delegado de polica, que tambem
compareceu a convite d'aquelle, procedeu orna
rigorosa busca em todo o edificio, sem encontrar
pessoa alguma.
Foi urna visSo da sentinelia. que, guarda dos
dinheiros pblicos, em cada vo demorcgov
um oerigo |>ara o iesouro, que lhe foi confiado.
Nt dia H do corrate teta lugar a sessao de
abertura da coireicao no termo desta capital.
O dia 18 de outubro vindouro fot designado
para a reuniao de deputados provirteiaes, que, ha
dous annos, nio so teein dignado de fazer lei de
Dizcm alguna, qne elles nio se remen, e ou-
cos desesperados para brbaramente apunlalar o
seu juiz, na raosma oceasiao em que este o acaba
de julgar I Miseria... vergonha... opprobrio 1...
N'estc momento perigoso e decisivo, o S, ofncial
de diligencias d'osle juizo, laucando mao rpida-
mente de urna cadeira, logo a onerece como escu-
do a este covarde e vil assassinfl, mettendo-se cn-
s segundos, parece-nos, raais avisados, assim
pensara, porque ha dous movis, qoo podora cau-
sar a reuniao ; um delles (e o mais poderoso) o
emprestirao de 50 contos que dizem, vai pedir a
companhia Unido Mercantil,para fazer face s
despezas, que ora demanda o eosteio do estabele-
cimento; o mitro o esforcp que fazera osempre-
tre elle e a sua victima, e em seguida, doze sida-, gados provincia para abohcao da contnbu.cao
dos, com os sabres uu^ sbitamente se precipitara extraordinaria de 20 y qne sobre elles posa ba
sobre o tigre cruento e o invesfem, ousando este tres annos.-A vista disto pensamos sem mdo de
lutar ainda com elles por alguns momentos. errar, que a assemblea funccionara.
. O digno agente do ministerio publico de certo ] Entendemos que os_empregados provmciaes es-
ficou aterrado e surprehendido ao ver a sociedade to no seu diieito.
E dema i s
do seculo XIX em tremenda luta com nm selvagem
indmito e feroz dos tcinpos primitivos, que, ainda
de|iois de algemado, soltou um chuveiro de inju-
rias e insultos alrozes' soliro a victima innocente,: dida^mais rasoavel.
Seovpre por ria ir iireita
Qncm do o>po)-tuno lempo se aproveita.
Com tudo a diminuicio na contribuicao a me-
S* argeuto Uejasio Seivqlo Alvef de
cadete Cotuelio Nepote de Magalhes.
filo de BMitaria. Reprovaidos : sar-
gento qxurtel-mestre Collatino Candido Tupinamb.
Btalhao de infanfaria.Approvado simples-
mente : t" cadete 2o sargento Joaqnim Maria da
Cuaba itegp Lopes Ferraz.
12* Batalho de infantaria. .ipprovaUos plena-
mente : lente Pedro Alves de Alencar, r sar-
gento Jos Mheiro de Carvalho.
Batalho de deposito.Approvado plenamente :
2 cadete Jlo Pedro Xavier da Cmara.
Corno de gnarnico da Paranyba.Approvado
simplesmaote: 2 cadete Jos Thomaz Carneiro da
Cunha.
1 Batalnio de arlilharia p.Approvados ple-
namente : 1* sargento Joo Correa dos Santos e
Almeida. Approvados simplesmente: Io cadete
Cesario de Almeida Nobro de Gusmo, 1 cadete 1
sargento Antonio Chrysostomo Gomes da Silveira.
2 cadete Fernando Joaquina de Mattos, 2 sargento
Francisco de Paula Alves. Reprovado : 2o sargen-
to Joo Nepomoceno da Silva.
Batalho de engenheiros. Approvado simples-
mente : Io sargento Luiz Jos da Costa.
1 Regiment de cavallaria ligeira.Reprovado:
2 cadete Guilherme Jes Pereira.
Dispensa do servico para estudar.Aos Srs. al-
feres do 1 regiment de cavallaria ligeira, addido
ao 1 regiment de artllharia a cavallo, Carlos Ma-
chado Bittencourt, para concluir o curso da sua
arma no auno prximo futuro, satisfazendo, inde-
peudente de froquencia. s provas de habilitaco
em todos os preparatorios exigidos para o actual
curso de infantaria e cavallaria, 2 tenenle do Io
mercado conserva-se frouxo e com apparenciasda Acciios.Venderam-se as do banco da Baha a 3
maior baixa.
No dia 10 abrio-se o cambio sobre Londres 27
% d. e a este algarisn e a 27 V d. tem-se firma-
do na totalidade das operaeoes fechadas at boje
(22) para o Gvimne.
Sobre Franca saccou-se a 347, 48 e 50 rs., sobre
Uamburgo a 655 rs., e sobre Lisboa e o Porto ao
par, a 90 dias.
Nao houve alteracao na taxa do descosto : o
mercado contina folgado.
Caf.Durante o periodo que passamos em re-
vista venderam-se :
Para os Estados-Unidos....... 12,300 saccas.
o Canal c Norte da Europa 19,300
a California............ 4,300
o Mediterrneo......... 3,700
Total.
que, pouco antes, havia pretendido immolar ao seu
furor, e que a Providencia milagrosamente salvou
das suas garras, porque, de certo, a reserva para
maiores cousas.
A alfandega do Porto rendeu no raez de agosto
ultimo 241:8825566 rs., a saber:
215:397*800
9:333*455
24*395
4:2545600
1:1095340
11:762*976
Importado.
Exportacao. .
Recxportasao. .
Consumo. .
Tonelagcm. .
Diversas receitas.
Abriram termo de carga:em 5 de setom
bro a barca Flix para o Rio de Janeiro; em J a
barca .Vora Carolina para o mesmo porta
Entrou: era 28 de agosto a barca Flix, do
Rio de Janeiro, por Lisboa, em 50 dias.
Sahirara;cm 29 de agosto a barca Aeluule
para o Rio de Janeiro; em 2 de setembro o pata-
cho Garrett para a Babia; era 4 o patacho Boa
Nova para o Para; era 10 a barca Manteiro 2."
para o Rio de Janeiro.
Nao tomos tempo para mais noticias.
Xuma.
DIARIO DE PERNAMBUCO
30,600 saccas.
Regularam para os ltimos lotes redondos os
precos seguintes :
Estados-Unidos.... 7*000 7*200
Canal............ 6*900 7*000
Norte da Europa
(qualidades linas) 7*500 7*600
Mediterrneo..... 7*000 7*100
E para as qualidades separadas :
Lavado.......... 7*600
Superior......... 7*300
1.* boa.......... 7*000
1.' ordinaria..... 6*800
2." boa e 2.' ordi-
naria.......... Nominaos.
stes preces cstabcleccm, em relaco s cota-
e6A-
As da Cate Filial om II* de premio.
Da sociedade Coarcio com M%d descanto.
Da caixa nypothecaria com 30 % de Ji irania.
Da caixa Reserva Mercantil com 38 % de des-
cont.
Arribou, com agua abena, viagem do
Rio de Janeiro para Genova, o patacho italiano
Evelina.
Chegaram, precedan! de "nimbnw : a
14, o brigue inglez Byrantmm, cam 6 diaae o pa-
tacho hoHandez Jokanna, com 5; a 17, a barrara
Novo Olinda, cora 34, depois de lar arribado Ma-
cei e Cururipe; a 25, o brigue hanoveriaae Be-
reslina, com 7; e a 85, a polaca hsspanhoia Mmr-
roquimo, com 8.
Sahiram para Pernambuco: a 18, o bngae
Minerva, e a 26, o brigue inglez Exctl*.
Achava-se carga para Pernambneo, o pa-
lbabote Garibaldi.
8*500
7*400
7*200
6*900
PERWAMBOCO.

REVISTA IMAMi
Vimos xuupleUr boje o resumo das noticias do
sul, de que foram portadores os vapores braseiro
e francez.
Jftnai Geraes.No dia 9 do passado leve lugar I achava matriculado antes de assentar praca.
a abertura da terceira exposicao industrial minei-1 tambera concedida para matricularem-se i
ra. com a asistencia das respectivas autoridades e anno prximo futuro, na escala preparatoria
Funccionou hontem o Instituto Ar<:heotor*
Geograpliico Pernamtmcano com assbtenco do
Exm. monsenhor Muniz lavares e dos Srs, Dra.
Joaquim Portella, Aprigio, Soares de Azevedo, Nas-
cimento Feitosa, Rodrigues Campello, Witruvio
Pinto Bandeira, Torres Bandcira, major Salvador
batalho de airharra a p, Joaquim Jos dos Reis c5es do da?do correnteTuina baix'a'ie"200"rs. em Henrique e padre mestre Lino. ___.
Lima, para estudar na escola preparatoria annexa arroba que deu-se da maneira seguinte : 100 rs. j O br. secretario perpetuo da conta d\sagmnte
nos primeiros dias seguintes partida do Paran, expediente: ,__. ,
e 100 rs. na ultima semana. I m oflco d Sr- Marcelino Sanago N aseonrd-
Ha em ser 130,000 saccas. tos Leito de Albuquerque offerecendo ao Inttitu-
As entradas io interior regularam durante a lo urna hiographia c nm retrato do finado major
quinzena razo de 7 8,000 saccas por dia. tose Muniz Tavares.
Agurdente.Entraram 883 pipas, e vendeu-sc Recebida a offcrta com agrado, remedida a
a 605000 a pipa. hiographia coramisso de re vi sao de maans-
Ficam em ser cerca do 1,200 pipas. Nao se es- criptos.
atoo do curso normal da escola central, no qual se peram por ora melhores precos. A coramisso de revista aprsenla o seu paramr
Assucar.Entraram de Pernambuco 2,600 sac- acerca da redaccao de artigos additivos aos ato
eos pelo patacho Cardia, 1,200 ditos pelo liiate D.
i escola militar, somente durante o anno prxi-
mo futuro. cadete do 4o batalho de artilharia a
p, Bernardo Refeello da Silva Pereira, para ma-
tricularse na mesma escola preparatoria, ou no
1* anno da escola militar, se satisfazer os requi-
sitos exigidos para a respectiva matricula. Ao
soldado do 1* batalho de artilharia, Emygdio Ca-
valeante.de Mello, para continaar a estudar o *
INTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PER-
NAMBUCO.
ii.ttoi*.
Macei, 20 de setembro de 1863.
E* hoje sem appello ncm aggravo conhecido o
resultado da cclelo do 2." districto cleitoral; os
collegios, de que nao lhe fizemos mencao em nce-
sa ultima corr espcmdencia sao os seguintes :
Palmeira dos Indios.
Dr. Jos Angelo............ 72
Dr. Arjstides Lobo.......... 72
Colleyio do Traip
(Composto das parochias do mesmo nome, Pao
de Assucar e Santa Anna do Panema.)
Dr. Jos Angelo .......... 45
Dr. Aristides Lobo.......... 44
Dr. Serapio............... 1
.Wc/Z/ii Grande.
Dr. Jos Angelo............ 30
Dr. Aristides Lobo...... 30
Dr. Serapio............... 8
Dr. Castello Branco...... 4
Apuracdo yeral.
Dr. Jos Angelo ........ 463
Dr. Aristides Lobo ...... 440
Venceu na provincia a chapa do directorio, sem
mais consequencia alguma at esta data, alm do
que j lhc referimos. Consta-nos, porm, que o
Dr. Jos Angelo prepara para dar publicidade
ummemorndumem que contando sua vida
poltica, narra osTJltimosacontecimentos, que frac-
cionaran! o partido progresista nesta provincia, c
demonstra com muita propriedade (bem entendido
de cxprcss3o) o que um racador poltico.
Nesta eleieo em diversos pontos do imperio de-
ram-se factos, que demonstram que pequeas cau-
sas prodnzem grandes cffuftoA.
E assim que em Sergpe, o intitulado chefe do
partido liberal o comniendador Scbastiao Gaspar
de Almeida Boto, dospede-se com saudade da che-
fanea do partido, c chama isto urna grande e pe-
nosa resoturao, sem todava dar o mSliyodesse
esforeo heroico.
D'o'ndc procede isto ? Cada cousa neste mundo
tora sua verdadeira causa; ninguem se pronuncia
deste modo, e nem toma urna resolucao destas
sem um movel poderoso.
Algumas pessoas sondando alternamente o inti-
mo do commendador ex-chefe do partido liberal,
attribucm esto faci circomstancias pequeas c
insignificantes, que inlluiram sobre seu humor, e
deram esta direcro sua vontade.
Estas pequeas causas, que produziram este
grande efieito, foram (las candidaturas, sendo
urna dellas do Dr. Felippe Lopes Netto, que foi
doito deputado pelo 1." circulo daquella provin-
cia.
Roferiinos-lhe o facto por ser elle seu compro-
vinciano.
Foi eleito juntamente com elle o Dr. Francisco
Leitc B. Sampaio.
Esla noticia nos foi trazida pelo vapor Gonral-
res Martins.
Depois do que occorreu com as divergencias
do partido ligueiro nesta provincia, tem havldo
completo armisticio, que cessar no dia 30 do Ja-
neiro de 1864, para miando foi convocada por ac-
to da presidencia de 25 do corrente a reuniao dos
grande concurso de povo, pronuncindose bellos
e bem elaborados discursee.
Entre os productos do slo figura va urna porco
de carvo d pedra, extrahido das proximidades
do Rio-Doce c Infeccionado.
Diversos assassinatos se liaviam dado em varios
lugares da provincia, logrando os assassinos fugi-
rem perseguicao da polica.
Rio de Janeiro. Pelo ministerio da guerra foi
publicada, cora data de 22, a seguinte ordem do
dia:
NoraeacOc : Dos Srs. Dr. em medicina F i deli-
cio Pedroso Barrete de Albuquerque para 2a cirur-
gio do corpo do sade do exercito. Decreto de 9
an-
nexa a escola militar,' satisfazendo s exiguncias
do regulamonto aos Srs.:
i" cadete do batalho do deposito, Francisco
Luiz de Souaa Concerni, 2o cadete do 5o batalho
de infantaria, Chilora Jos Aveiino, 2o cadete do
corpo de guaro o da Parabyba, Jo6 Justiuiano
Carueiro da Cunba Aranoa.
Designaces de reforma.AdoSr. major do cor-
no de estado-maier de 1 classe, Jos Lzaro de
Carvalho, no posto de tenente-coronel, ven-
cendo o respectivo sold, na eonformidade das leis
do 1 de dezeuibro de 1841 e 14 de julho de 1855,
Patente de 2 do corrente mez. A d Sr. crurgiao-
rar de brigada, major do corpo de saude, Dr. Joa
do correte raez. Teneoto-coronei do corpo de en- pjaim Luiz do Bomsuccesso, no posto de eirur-
_________ ijii-f i' >.! T n7T> >..n t!..nn ilii.'_ 1 -.ir... ...'..- .1 flini .T..\ I \i>1ii Irt it
genhelros Antonio Carueiro Lelo para ticar dis-
posi{o da presidencia da provinaia do Rio de Ja-
neiro, atira de ser eranregado como chefe da direc-
tora de obras publicas da mesma provincia. Avi-
so de 11 do correnle raez. 2" tenenle do cerno de
engenheiros Joaqutm Rodrigues Gamboa, para ticar
gio-mr de diviso lenente-coronel, vencendo o
respectivo sold, na conforniidade das leis cima
citadas. Patentes de 44 de agosto lindo. A do 1
sargento do corpa de gnarnico de Minas-Geraes,
Pedro Viegas do Menezes, no posto de alteres,
vencendo o respectivo sold, na eonformidade das
lisposi;o lo Sr. ministro da fazenda, aiim de ser leis cima mencionadas. Patente de 11 do cor-
cncarregado da deraarcaco e diviso da fazenda rente raez.
Mello, ua provincia de Minas-Geracs. 2 erargio Baixa do servico militar.Ao Sr. 2 cadete do
do corpo de salido do exercito Dr. Fidencio Pedro-; asylo de invlidos da corte, Thiago Olyrapio de
so Brrelo de Albuquerque, para servir na provin-
cia do Rio Grande do Sul.
Transferencias.Dos Srs. capito do 3 regimen-
t do cavallaria ligeira Carlos Francisco Cantoso,
para a 8* companhia do 4' regiment da mesma
arma. Decreto de 9 do correnle mez. Capito do
4 batalho de infantaria Antonio Ferreira Borges,
para a 6a companhia do 3o batalho da mesma ar-
Paula Moreira, por incapacidade physica.
L-se no Jornal do Comtnercto :
Entrou hontem (22) de Nova-York o vapor
norte-americano Golden Cut cora dalas dos Esla-
dos-Uuidos at 2 de seterabro.
c Charleston coutinuava a resistir apesar do fo-
go vivissimo dos federaes, que dirigiara contra os
fortes Wagner e SunUer a maior furia dos seus
na. Decreto de 16 do corrente mez. 2 cadete ataques, fazendo ao mesmo tempo choyer sobre a
2 sargento do 4* batalho de infantaria, Theosilio I cidade grande copia de balas incendiarias.
Autonio Borges, para o 3"'
batallio da mesma ar-
ma. Do cabo de esquadra do -> batalho de infan-
taria, Jauuario Dias de Moraes, para o corpo de
IfuamiiSo de Piauhy, engajando-se na forma da
ei, como requereu, na qualidade de simples solda-
do. Aviso de 5 do corrente mez.
Liccngas concedidas.Aos Srs. tenenle do bata-
lho de caradores de Matto-Grosso, Antonio dos
Sanios Caria, addido ao Io regiment de cavallaria
ligeira, tres rnezes, com sold e ejapa, para tratar
de sua sade ; dito do 8 batalho de infantaria
Lourenco Ignacio Burguetc da Gama, para esperar
na cidade da Barra Mansa a deciso do requoriraen-
to que fez pedindo reforma.
Capito do Io regiment de cavallaria ligeira,
Hermenegildo Servido Junqueira, quatro mezes cora
sold e etapa, para tratar de sua sade.
Pharmaccutico alferes do corpo de sade, Pedro
Alexandre Niicaior, tres mazes com soWo e -.pa,
para tratar de sua saude nesta corte. \^_-
Alferes do Io batalho de infantaria, Ainerce
Rodrigues Gamboa, quatro mezes com sold sim
pies, para tratar de sua sade.Em 16 do frren-
te mez.
2o cadete 2o sargento do 8o batalho de infantaria,
Massias Normantino de Arauja Lima, tres mezes,
sem vencimentos, para ir provincia das Alagas
tratar de negocios de seu interesse.
guintes
De Pernambuco,
4*100
35850
3*450
35400
35000
Nao ha.
3,5000
Nao ha.
2*900
15600
5200
1*000
3*200
3*200
seu mrito fosse mais gcralmente conberido, e
talento mais bem premiado.
E assim, tem percorrido effectivamente as
notaveis capilaes da Europa, causando sciupre
3*100' mraco aos qnc o ouviam, c deixando seu i
1*700 cscripto no livro das notabilidades artsticas; e
3*500 ltimamente, animado pelo brilhante xito de sna
2*500 excurso artstica, resolveu-se a vir ao Brasil,
' tendo estado na corte e na Babia, donde agora.
checa.
Nao se pode
Dos outros pontos do theatro da guerra nada
se refere de importancia; recontros sem resultado,
tomadas do navios e grandes batalhas em perspec-
tiva. O general federal Rosecranz atravessou o
Tenoessec, e Burnside, tambera federal, ia atacar
Kingston.
Do Mxico e das repblicas centro-americanas
e do Pacfico uenbunia noticia de vulto encontra-
mos. Do Equador diz-se que o presidente Moreno
aceitara o convite do general Mosquera para urna
conferencia na fronteira, mas que do antemo re-
jeitava qualquer proposta .para reforma da gover-
no. Em S. Salvador o general Barrios derrotou os
invasores guaiemalezes eoramandados por Carrera,
e as forjas de Martnez, presidente de Nicaragua.
Spzeram era debandada os insurgentes capitanea-
os por Chamorro.
Em Venezuela ertt Puerto Cabello a nica pra-
ca de alguma importancia que restava aos insur-
gentes. O general Falcon, nomeado presidente
'iinterino da repblica pela convengo de Valencia,
- \entrara na capital, e o general Paez expatrira-se
pela terceira vez.
Baha.Pelo vapor francez Guienne exportaram-
se para a Europa 166 oitavas e 38 graos de dia-
mantes.
Inaugurra-se 13 a illuminaco gaz do
passeio pnblco, que naquelles dias foi extraordi-
De Cotinguiba1,591 saceos e 224 caixas.
Total 22,591 saceos, 1,202 barricas e 994 cai-
xas.
Dcspacharam-se 70 barricas de Lisboa, 107 cai-
licrlo dos maiores louvores.
O Sr. Croncr prepara seu beneficio no ilieairo de
Santa Isabel. O publico desta cidade nao deve per-
der a oceasiao dejwssar algumas horas sublimes
xas, 240 barricas e 615 sarcos para Liverpool, 500 ouvindo um artista, to notavel, como e o Sr. Cro-
saccos para Marselha e Genova, e 60 barricas e ner, e que brevemente tem de rctirar-se para.
200 saceos para Montevideo. i Lisboa. ...
Carne secca.Ha em deposito 50,000 arrobas, Os proprietanos do estabeleeiraonto de azan-
sendo 25.000 ditas do Ro-Grande c 25,000 ditas do ds ra do Queimado n. 22, sob a denominara
Rio da Prata. de Boa-F, transferiram-n'o para a casa da raesraa
Vende-se a primcia de 2*800 a 3*600, e a se- ra n. 46, onde addciouaram urna offHua de al-
gunda de 2*500 a 3*. faiates, cuja direcrao acha-se commeltida a na
Couros.-Ha em deposito 3,500. i liahil mestre.
Despacharam-se 2,650 salgados para o Havre na No da 4 do corrente festeja a escola central
galera franceza Charles Dupm, 19 seceos para Mar- ] do methodo Castlho o seu dcimo anniversario ea-
Capito reformado, Alfonso Noronha F'ortes, para | nanamente concorrido
residir na provincia das Alagas.Aviso de 16 do I a sociedade Piafe e quatro de setembro fez celc-
correnle mez. fc brar, no dia do anniversario do pagamento do Sr.
Sao approvadas : ams dous mezes concedida J d. Pedro I, um funeral quo estove concorrido.
>roV
provincia, e umitas sao as aspi
directorio nao governa mais, pode mito bem acon-
tecer, sem ser inilagre, que corra ella livremenle.
Quando lhc dissemos na ultima correspon-
dencia quo o actual presidente era trabalhador,
nao nos engananms -, as reformas feitas era esta-
belecimentos pblicos, regulamentos para arreca-
daooes de diversos mpostos, e ltimamente as
iustruccoes, regulando a venda das trras da co-
lonia militar Leopoldina, sao prova de nossa as-
serco.
Esta ultima idea lo grandiosa e tao feliz, c de
<|ue se podem colher ptimos resultados, foi pedi-
da cm julho de 1861 ao ministro de agricultura e
obras publicas antori^aro para mandar medir e
demarcar as trras d colonia em lotes de* 250
bracas em quadro, e vend-las praso colonos
naoonaes, visto como de outro modo nio poda
augmentar a popularlo da colonia.
Por aviso do referido ministerio de 24 de julho
do mesmo anno foi autorsado o gorerno da pro-
vincia a realisar esta idea. Consta-nos, porm,
que alguns nacionaes requereram a compra de
terrenos, mas nao tiveram despacho algum, por-
que ainda nao tinham baitado instruccoes regu-
lando o racio pratico de effeetuar estas vendas.
Esta idea vai ser sgora fecundada pelo Exm.
Sr. Souza Gonzaga, que sellicito, como se tem
mostrado pelo progresso da provincia, lhe dar
todo o incremento.
E' por sem duvida este acto a primeira eondi-
co de um deseovolvimento sao e fecundo para a
colonia, e um meio quo vai ter o governo para
imprimir direceo racional e til ao progresso d'a-
quelle estabelecimeiito que lhe tem custado dlnhei-
ro e esforcos. Atienda bem o governo, antes de
tudo, para a moralidade, e bous costumes desses
colonos, que ali se vo estabeleccr, e s difflcul-
dades com que se luta em nm paz, onde a sua
jinniensa extensao,' e ecu gru de civilisa^o sao
crios obstculos acc/to da Justina.
O Diario das Alagaos de 25 do corrente den-
nos a grata noticia de que a nova linha de paque-
te* transatlnticos estalielecida de Liverpool para
o Brasil, vera aqu fazer urna viagem de experien-
cia, (ara indagar se pode tirar proveito de tocar
em nosso porto.
pola presidencia da proVincia do Rio Grande do
Sul, ao Sr. alferes do 3" regiment de cavallaria li-
geira, Joo Francisco da Fontoura Menna Brrelo,
para tratar de sua sade na mesma provincia.
A de dous mezes, concedida pela referida presi-
dencia, ao Sr. alferes do 3" liaialho de infamara,
Francisco Carlos da Costa Aguiar, para tratar de
sua sade na mesma provincia.
A de tres mezeS; concedida pela presidencia da
provincia do Rio Grande do Norte, ao 2" sargento
addido companhia de caradores da mesma pro-
vincia, Joaquim Francisco de Vasconcollos, para
tratar de sua sade.
Grao scentitlco.Ao Sr. alferes do corpo de es-
tado maior de 1* classe, Antonio Jos Raposo, foi
conferido o de hachare! em mathematicas e scien-
cias-physicas. Diploma passado pela escola cen-
tral, em 4 do corrente mez.
Resultado de exames de pratica fcitos na eonfor-
midade dos arts. 28 e 29 do regulamento de 31 de
marco de" 1851.
Arma de artilharia. Approvados plenamente :
alferes alumnos Adriano Xavier de Olivoira Pimen-
tel e Joo Baptista Marquos da Cruz.Approvados
simplesmente : alferes alumnos Joaquim Vieira
Ferreira, Benjamn Franklin de Albuquerque Li-
ma c Vicente Polydoro Ferreira.
Io Regimenti de artilharia ca vallo.Approva-
dos plenamente : capito Antonio Carlos de Maga-
lhes. 2o" cadetes Joo Vicente Leite de Castro,
Francisco Raymundo Ewerton Quadros e Marcos
de Azevedo e Souza.
1 Batalho de artilharia p. Approvado ple-
namente : 1 cadete Julio Alvaro Teixeira de Ma-
cedo ; approvados simplesmente: Io sargento Jos
Pinto de Araujo Rabello, 2o sargento Francisco de
Paula Alves, 2o cadete Antonio Francisco Duarte ;
roprovados : 2" sargento Jos Thomaz Mariani, !
cadete Tristao Franklin de Alencar.
Batalho de engenheiros.Reprovados : 1* sar-
Ecnto Manoel Aprigio de Souza Costa, 2o sargento
ni/. Jos da Costa.
Corpo de artfices da corle.2o sargento Ricardo
Alfredo da Costa Carvalho.
Arma de cavallaria.! regiment de camllaria
ligeira. Approvados plenamente : capito Pedro
Braulio Lassance Cunha, sargento-ajudante Jos
Lino da Rocha, 2 cadete sargento quartcl-mestre
Jos Luiz Alexandre Ribeiro, Io sargento Filinto
Joaquim do Sant'Anna. Approvados simplesmente:
teen tes Marcelino Ferreira de Azevedo, Jos Pro-
copio lavares, Leopoldo Alves Barrio, 2o* cadetes
l" sargentos Jos Pinto Freir, Joao Luiz Alexan-
dre Ribeiro o 2o cadete Guilherme Jos Pereira.
2* Regiment de cavallaria ligeira.Approvado
plenamente : tenente Alalina Manoel Fernandes.
Arma de infamarla.1 batalho de infantaria.
Approvados plenamente : tenentes Manoel Jorge
Monsinho, Francisco de Lima e Silva; 2o cadete
Jos aples Tollos de Menezes, 2 sargento fran-
cisco Ricardo Bravo Sussuarana. Approvados sim-
plesmente : Io sargento Salustiano Cornelio dos
Santos, *- sargentos Frederico Augusto de Souza
Machado o Egydio Leopoldino de Moraes, cade-
te Walabancio Alves da Roeha, 2 cadete Irinco
Paes de Azevedo e Almeida. Reprovados : l sar-
gentos Francisco Teixeira de Carvalho e Wences-
lao Freir de Carvalho
. 2 sargento Firmino Pon-
Ao pasaj que sinceramente desejamos este facto, j ciano dos Santos, 2- cadetes Florencio Pereira Ma-
temos seras apprehensoes de que so dar elle ranho o Joao Joaquim Rosa Montelro.
urna viagem. Batalho do infantaria. Approsados idena-
Entrento Deus queira que compenetrando-se o' mente : 2o cadete 2 sargento Lycurgo de Alencar
nosso commercio da importancia que adqnirB, fa- Mattos, 2o sargento Jos Jeronymo Chaves. Ap-
cam convergir todos os aeus esforcos praoste provados simplesmente : 2o cadete Io sargento Jos
pomo. | Joaquim Soares Carncviva, 2* cadete 2* sargento
No dia 26 do corrento fnndeou em nosso Francisco Antonio de Ollvelra, 2" sargentos Ange-
porto o hyate de guerra Rio de Contas, comman- lo Manoel de Freitas, (rlno Barbalhe de Bezerra.
dado pelo 1. tenente Nolasco ; demorase aqu Reprovados: Io cadete Io sargento Josu Jos Bar-
um mez pouco mais ou menos. bosa, Io sargento Hermenegildo de Freitas Salda-
A' urna hora da manilla do dia 22 do cor- nha, l* cadete 2" sargento Leoncio Frederico An-
rente, pensando urna sentinelia ver um vulto em gusto Neiva, particular 2 sargento Zeferlno Alves
No dia 27 devia proceder-se a elcicao para a
formarlo da lista trplice, da pial deve ser escolla-
do um senador pela provincia.
NOTICIAS COMMERCIAES E MARTIMAS.
Buenos-Agres, 13 de setembro.
Cambios.Inglaterra, 66 c 66,6 sch. ; Franca,
83 e 82 < francos; Hamburgo, 43 m. b. ; Ge-
nova, 83 frs.; Rio de Janeiro, 29*800 29*100.:
Montevideo, a < por cento do descont.
Descontos. Regulara na praca de V a 1 por
cento em moda corrente, e 1 % a I ,'4 por cento
cm metlica.
Oncas.Ultima venda a dinhoiro, 431.
Montevideo, 14 de setembro.
Cambio.Inglaterra, 51 H a 51 / Saccaram-
se cerca de 18,000.
Franca, 82 frs. Saccaram-se cerca de 120,000
francos.
Genova, nominal.
Rio de Janeiro, 29*300.
Buenos-Ayres, ao par.
Divida publica.Fundada 70 por cento, o inter-
na 41 a 42 por cento do valor ; anglo-franccza, no-
minal ; c consolidada, 2,70 a 2,80.
Descontos.Os bancos Commercial e Mau em-
prestara a 12 e recebom a 8 por cento ao anno.
Na praca regulara a 1 X por cento ao mez.
JFretcs.Inglaterra : 25 sch. couros salgados, 50
sch. ditos seceos, e 25 sch. os fardos com 5 por
cont de capa.
Havre : 45 frs. couros salgados, 90 frs. ditos sec-
eos e 40 frs. os lardos com 10 por cento de capa.
Marselha : 45 frs. couros salgados, 90 frs. ditos
seceos, e fardos 40 frs. com 10 por cento de capa.
Estados-Unidos : couros seceos i ct., c fardos *
8 com 5 por cento, sob bandeira estrangeira.
Brasil: carne secca, 3, 4 e 5 rls. cora 5 por
cento de capa.
lio Grande, lide setembro.
Cambio.Londres, 24 a 24 }( d. ; Pars, 390 a
393 rs.; Hamburgo, nominal
Por cento a 90 dias ; Bah"
ernarabuco 3 e 4 por cento
Moda nacional. 9 \i a 10 por cento de pre- i *cham-se carga para Pernambuco
mi. gue Misario, e a barca portugueza Luna I.
Frates.Inglaterra, couros salgados nominaes,
cinza 42 } sch c o por cento para o Canal.
Rio de Janeiro, 23 de setembro.
Revista de 7 22.
Durante a
selhano brigue italiano Ru'sonie Sorelli,e 35 ditos
para Londres na barca inglcza Ocenica.
Fumo cm folha.- Entraram 934 fardos pela bar-
ca Rio Lima.
Venderam-se cerca de 600 ditos.
Colamos P. 175 a 19*, F. 13* a 15*, Ia 11* a
125, i' 95 a 10*, 3" 5*300 a 6*.
Ficam cm ser cerra de 1,500 fardos.
Fretcs.ElTectuaram-se 18 fretamentos, a sa-
ber :
Para Cabo Verde, carregar sal, 1 barca portu-
gueza a 400 rs. por alqueire.
Para o Canal, 1 escuna dinamarqueza, 1 brigue
hamburguez c 1 dito dinamarquez a 40 sch., 1 di-
to dito a 35 sch., 1 barca franceza a 30 frs. c 10
por cento, 1 brigue escuna dinamarquez c 1 bri-
gue hamburguez a 45 sch., 1 patacho hollandcz a
32 sch e 6 d., c 1 brigue sueco 35 sch.
tre nos.
All, ao contrario das outras escolas, sao os pe-
queninos de 7 a 8 annos os que recitara os discur-
sos proprios da Testa, como o j fossem esludaates
provectos.
Damos a carta do nosso collaborador :
Compadre.J houve lempo le que bom lempo
era esse !) em que a 31 de dezembro, dia do mar-
tyr S. Silvestre, toda esta cidade do Recite por torra
c por agua ia em romaria visitar a Senhora do
Monte era Olinda, fazendo-se naquellc dia grandes
festas na igreja e fra dola.
Toraava-sc as goteiras do templo, raiata-se de
novo e fazia-sc fumigacocs para se acabar com os
morcegos ; as entalhas ornamentadas de volantes.
gal oes e flores de panno, recebiam nova forma ;
era um co aberto !
S se cahia neste mundo do cmaras de sangue
Pan Ckrutiama : 1 patacho norueguense a 42 c febres podres, quando se passava a olhar^para
sh. e 6 d 1 brigue dito para 3,300 saccas (limitel! as paredes lateraes, porque nellas se va eolio era
a 47 sh. e 6 d., c 1 dito dinamarquez a 52 sh. e' muitasordens horrorosa quantidade de peilos ul-
6 d. corados, pernas coberlas de chagas varicosas, bra-
Para Hamburgo : 1 brigue prussiano a 35 sh. eos c mos lavrados de empigons i-avallares, abs-
Para o Havre, carrogando era Santos: 1 brigue ( cessos e Astillas ; quadros quo representa vam eo-
francez a 60 frs. c 10 por cento. fermos nos seus ltimos paroxismos, cobrando a
Para New-Tork : 1 barca bremense a 40 sh. e; falla e engordando depois corao um conego de pre-
1 barca austraca a 32 sh. e 6 d. | benda inteira, segundo os altestados que tiotuut
Para Syra e Constan!inopia : 1 brigue hambur-; por baixo, o dos quaes nao era lcito duvidar sea
gnoz a 55 sh. pena de excommunhlo maior.
Cambio.Somam os saques affectuados at hoje i Era um Deus nos amida csses tristes altestados
(22) pelo paquete francez Guienne : das miserias humanas ; mas embora a
Sobre Londres : 600,000 a 27 1/4 e 27 3/8 d.,' que representa va correr de tantas ferida
incluindo S 70,000 tomadas pelo governo imperial josas, nem por isso o estomago ficava em
a 27 1/4 a. c f 140,000 que tomou o banco do contraegoes, c fra se concertava cora Uvagens
Brasil ao mesmo algarismo. de Porto, Madeira, Champagne e oulras deccoroes
Sobre Franca : 1,400,000 francos a 347, 348, iguaes porcra os seus dignos proprietarios em
349e350rs., incluindo 750,000 francos para o menos de um credo com a cara daquelle sojeili-
bancodoBrasila349rs. nho maneta, que vera stereotypado neste Dmrm
Sobre Hamburgo : 200,000 ni. b, a 655 rs. para se conhecer da efflcacia da salsa-prrilba de
Sobre Lisboa e o Porto tem regulado a tabella se- Brstol nos casos mais desesperados de erappit*
guinte
103 O/o vista.
102 O/o a 30 das.
101 0/0 a 60 das.
100 O/o a 90 dias.
Apolices.Negoeiaram-sc as geraes de 6 O/o a
88. 88 1/2; 89 e 90 O/o.
Descontos.Conservani-se nos bancos a 9 O/o-
Na praca regulara sem difficuldade de 8 1/2 a
10 O/o.
Acedes.ElTectuaram-se transacces das do ban-
co do Brasil, a 40*, e do banco Rural e Hypothc-
45*, 40* e 39*500 de premio; da compa-
' escrophulosas.
O pcior era, compadre, que depois de tanta
voco o folia apparecesse quas sera pre pao a al
rolar. Era um desengracado entremez, quo M re-
prsenla va ao vivo; \ ilevo dizer-vos em honra vordade, que oenhun
dos apanhados teve a lenibranca de se retratar en
painel, desviando dos lomos o compa<;o do par-
rte. E' que a contrico estava afogala em ra-
nadas de vinho !
Mas embora !.....mullo se diverta, e oito
depois nio se fallava seno da festa do Monftv
Lembrei-rae disto por ver a lida afamo
rae todos agora vo Olinda, nao a festa do 1
cano, a
nhia Brasileira de Paquetes a Vapor, a 125* cada ,
urna, da estrada de Mag e Sapucaia, a 30* dem, que ja nao ha, e se ha e tora Mang
ededoeesSa ^ fCrr ^ D" FCdr "' 3 lS* 17* ^^^S^l^^m
-Chegaram, procedentes de Pernambuco : a dtas aqu atraz em demanda de um cao,
10, o hiato D. Em /, com 17 das ; a 11, a fraga- l">gua mstica celebrasse a sua peregrina
todera Ama^s, cora 5 ; a .9, o brigue M- & --fi T/S S~*
inal ; Rio de Janeiro, 6 perador, cora 11 ; a 20, a canhoneira hespanholae noa*' Vl
ia, 4 por cento a 90 das; a fragata ingleza Stroiitboli, havendo tocado ambos a to?os-
uto a 90 das. na Baha; e a 21, o patacho Cauuant, com 12. Va0 ,!
vehculo absolcto c em desuso, nao
:Z
Baha, 26 de setembro.
Revista de 19 26.
Ha multo tempo que nao se passa
ha remedio seno arregar as calcad pr
o bri- os j ellla,
Qual outra D. Candida
(^oberta d'ouro c prata,
urna semana me jtxa descobrir-lhe o rosto para exuw
rai-
qunzena nao houve alteraQo mpor- era que to poucas transacces se lizessem no nos- mjrar aqUe||es dous olhinhos nequima]
tante cm nosso mercado de importacao, continan- so mercado de exportacao como a que hoje linda. ,je emboscada, que se alegrara de matar
do os compradores a suppnr-se apenas para sals- Apenas consta de urna pe|uena venda de cafe espremer e reduzir p impalpavel
facao das mais urgentes necossidades do con- de Caravellas. com nena tornarse donsestroitos del
sumo Nao podemos attribuir essa apatlua a pequea qUe em linguagem oriental significa d*H
As vendas de maior vulto foram : de mantega subida do cambio, mas sim aos poucos navios que ts lagrimas!
franceza, cujos ltimos, procos toram 720, 740.e esto carga, porquo anisar do screm osnossos. Ninguem sabe ao certo ditar qnn 1
750 rs. ; e as de vinho de Lisboa aos desfavora- depsitos pequeos,dao lugar ainda para bastantes nna ge fo nem ^ niio foi desthronnl |pc-
veis extremos de 130* a 220*000, conforme a qua- transaccoes. ... as conhecida por aquello noroe de mnaedr.
IJdade. As entradas do estrangeiro foram duas cargas, Nao deixa o mais rigoroso incogaiaa^e eac o
No mercado de exporUglo urabem houve pouca de carvo, urna do charquee urna de farinha. artm nao 0 annunciasse com m\
actividade, alm de algumas vendas de assucar No morcado de importacao llzeram-se vendas de om forma de folhas de asnada, que I inm da
para a Europa e o Rio da Prata. importancia cintura aos ps para defendereinj
Das duas cargas de farinha entradas de Boston,
1,000 barricas da entrada da Terra Nova
At o da "17 a pouca disposicab (rae mostra vam
os exportadores de caf para entabolar novas com-
pras e as entradas mais regulares deste producto
produziram sobre as cotaces anteriores urna baixa
de 100 rs. em arroba.
Desta data era diante nenhuraa circurastancia
concorreu para firmar os precos; as noticias que
trouxe o Guienne nao foram animadoras, novos su-
primentos do interior continuaran! a abastecer o
mercado, o ainda hontem o Golden City, proceden-
te de New-York, com datas at 1 do corrente, trou-
xe-nos dos Estados-Unidos informagdes pouco pro-
picias sobre o valor do artigo.
Nesta ultima semana soffreu oste, portante, urna
baixa igual primeira, regulando actualmente a
(Hminuieo dos precos 200 rs. om arroba em rea-
cao aos que vigora vara saluda do Paran. 0
e 1,000
da entrada por cabotagom. A retamo pouco se fez.
Cambios.Os saques sobre Londres que se lera
feito para o Guienne que deve passar a 28, foram
a 27 1/8 e 27 1/4 d. 1*.
Sobro Paris a 350 rs. o fr.
Sobre Hamburgo a 647 rs. m. b.
Sobre Lisboa e Porto de 96 a 100 % de premio.
Fretes.Fez-se nra fretamento por um navto
para o Canal e iwrlo inglez a 35 sch., e para o con-
tinente entre o Havre e Hamburgo, 40 sch. por
tonelada c 5 %.
Descontos.O banco da Babia contina a des-
contar a 7 As caixas sem eoiissio descontam ue / a ia /.
Na praca desconia-se a 7 e 8 % 1
burra, o ( orbe, nao jurasse aos seos deusos mw ella orto
. Oder, que todos qnasi extaaiara .
rainha, talvez passasse sem aquella salva-real
aue o Diario publicou a 12 de setembro.
O Incgnito nao est j muito incgnito por cul-
pa do cartaz ; o cantor por flm appareeeo, ta i
poder
< Das perlas finas, meu Den, oh I que riqueza
e os versos surgirn como olhos (Tagua do Co-
cumb, espontneos c doces a malar sedo do
quera se metteu a impar com carne salmea assada
uo rescaldo.
J se falla pela bocea pequea que ella t des-
%
tutos.
Luiz I, OO ditos pelo brigue Imperador, e 1,800 A mesma coramisso aprsenla outro parecer
ditos pelo patacho Capuan ; da Babia 64 barricas propondo a adopgo do additivo relativo cuadV
pcla barca Rio Lima ; de Campos 19,651 saceos, cao de seren os socios eftecvos domiciliados an
413 barricas e 789 caixas por diversos navios. To- sedo do Instituto.
tal 25,951 saceos, 477 barricas e 739 caixas. Sendo votado, approvado o parecer.
De Macei e Cotingnma nao houverara entradas. i E lida, e mandada coramisso de admisso de
Era eonseqnencia dos baixos procos do nosso socios, urna proposta do Sr. Dr. Torres Bandeira
mercado, venderam-se durante a quinzena cerca, propondo para socios honorarios os Srs consclhei-
de 4,009 saceos de Pernambuco, a maior parte na- ros Antonio e Jos Castlho.
ra o so! e Rio da Prata ; e reembarcaram-se todos j Nao havendo nada mais a tratar, levaula-se a
os mascavos que havia no mercado para a Europa, sessao.
para onde se fizeram vendas regulares de mascavo Acha-se entre nos um distncto artista oor-
de llampos, embarcando-se tambera algum para o' tuguez. que durante sua demora nesta eidade,mn-
Rio Grande e Ro da Prata. ciona dar-nos alguns momentos de indisivcl pra-
Para o consumo so se fizeram vendas para a sa- zer e louco enthusiasrao, fazendo-nos ouvir o ma-
tisfaclo de necessidades urgentes aos precos se-' trumento por elle tocado com to notavel perfeicao,
[ que lhe tem grangoado urna rcpulacao europea.
fino....... 4*100 4*300; O Sr. Raphael Croner era, cm Portugal, lao ad-
2" sortc... 35850 4*000 mirado pelas difficuldades, que executava na ela-
3* sorte... 3*450 3*860' rineta, e pelas suaves harmonas, que delle tirava,
4' sortc... 3*400 3*550 \ que seus amigos o aconselharara viajar, para qne
sumo nos...
mascavo..
De Macei, branco..........
mascavo..
Da Baha e Cotinguiba, branco
mascavo..
De Campos, branco..........
mascavo-.
Exislera :
De l'ernambuco8,800 saceos.
De Macei3,200 saceos, 750 barricas c 24 cal- Nao se pode descrever o enthusiasmo com
xas. i foi ouvido no Rio, at merecendo a honra de m
De Campos9 000 saceos, 452 barricas c 746 cai- memoriado por S. M. o Imperador, como ja o na- *
xas. ticiamos nesta Rmsto; e na Baha, donde veioco-


i I II '




. -
'- ;
i ni i. pi i| i i. im ------
tendente em taha rata do califa Al-Manso
lebro fundador de Bagdad sobre o Tigris, c que
como elle prnra instrair-se as hnguas vivas,
que as moma lhe causam hysterisroo.
) Bmb Trovador dividi obra que fez em
duas ralesroupa e carne, e mcetrou-se ser
itteMCto poete em qualquer dellas, nao quiz se-
giro ab dos retratistas rimadores ;istoe,
le quiz principiar da cabeca Pra l*s' K{'
Cdospee cabeca \ cammho mmeiHimodeM-
por me ter sido ainda explorado, e aperar das
ponas das espadas que ameacayam como duas
aenBaitas perdidas traspasar o imprudente que
E ellefoliimente passou e disse do meio do
mundo :
Enlatada tambem roa na cintura
Tinha fita, cujas pontas pendoradas,
Fluctuantescorrwn at-as plantas
Quaes d'espadas folhas duas prateadas.
Eqi guarda pareri*m collocadas,
A' thesouro divinal, cofre sagrado ;
Ou entao, raios dous de so brilhanie
Quando face do mar contemplado. >
Barril*)!...
Se o poeta nao eslivesse em ceroulas, poda vir
scoua, e receber os applausos, que tem incon-
testavel direito pela origmalidade.
Recommendo-vos, compadre, essa 3*1 va potica,
mas tende cuidado de vos nao ferir o gime das
espadas. .
Seu gosto era ir por diante, mas o patrao bnga
quando a consa sabe grande. ; .. ,__.
Acaba de ser exonerado de consul.de Hespa-
nha, nesta cidade, o Sr. Juan Anglada Hijo, que por
mu i tos anuos xerceuesse cargo cora completa sa-
feTacao dos que iam aquello consulado, e semprc
ooni distinccSo do seu governo.
Para snbstoi-lo oi maneado o Sr. D. Miguel
Valle, c befe gerente da casa Aranagaa11* ; que,
achando-so bastante enfermo, foi mandado subs-
toir interinamente, em quanto durar sua molcsa,
pelo Sr. Guilberrae Kreisler.
(>s brados que continuamente crguemos con-
tra as agencias do correio, no interior dcsta pro-
vincia, em vista do dcleixo c morosidado na entre-
ga das cartas e jornaes que vao da capital para as
diversas localidades, sao sempre contra os respec-
tivos agentes, que, talvez por causa do pequeo
rendimenlo que percebom, dcixam dormir sob suas
mesas das e das as malas que recebem, com ver-
dadero prejuizo nosso e dos interessados.
Em peral tem semprc sido bera acomidas pelo
digno Sr. administrador, commendador Passos Mi-
randa, as uossas queixas, procurando, com os meras
ao scu alcance, chamar os seus agentes deleixados
ao pumprimento dos devores que a lei lnes creoti.
Feliies seriamos se podessemos obter do admi-
nistrador do correio do Cear, metade disso, por-
que entao nao soreramos repetidas queixas dos
asignantes do interior daquclla provincia.
Hontem reunio-se a 5" sessao judiciana do
iurv desta comarca do Recife, mas por falta de nu-
mero legal nao se encetaram os respectivos tra-
Passagoiros do vapor nacional Api, sahido
para os portos do norte: .
Joaquim merico A. Bastos, Olegario Jos da Lu-
idla, anspeeada Manoel F. de Souza, desertor Jos
P. Aveliuo, anspeeada Francisco das Chagas Uui-
Ihermino, soldados Miguel P. Lima, Antonio J. do
Naseimento, cabo Jos J. de Sant'Anna, soldado
Luiz Amancio, cabo Anacleto H. Gomes, Luiz Villa-
rinho, Manoel Jos B. Mello, Manoel P. Araujo,
Vianna Siraoes, Jos Forreira de Novaos, Joaquini
L. de Franca c Silva, Primo P. Borges, Luiz Soarcs
R. da Cmara, Jolm Garby, Candido M. Monteiro,
e William Henrv Broadtent.
Movimento da casa de detencao no da 30 de
setembro de 186.1.
Existiam...... 365 presos
Entraram..... 10
Sahiram...... 8
Existem...... 367
A saber :
Nacionaes..... 258
Estrangeiros... 28
Midlieres...... *0
Estrangeiras... 3
Escravos...... 65
Escravas...... 3
*ift7
Almenlados cusa dos cofres pblicos.. 131
Movimento da enfermara no da 1" de oututiro
de 1863.
Teve baixa :
Manoel Rachao Moror, sarnas.
Tiveram alta:
Frederico Carlos de Araujo.
Jos Luiz da Silva.
Antonio Francisco de Freitas.
Serfico, escravo de Jos da Silva Loyo.
-OBITTARIODO DA 30 DE SETEMBRO SO CEMITERIO
Maoe'lias da Conceicao Mendonea, Pernambu-
co, i annos, solteiro, S. Jos, phlysica.
Manoel Lopes da Silva, Maranhao, 40 annos. casa-
do. S. Jos, hvpetrophia no coracao.
Manoel Antonio" de Moraes, Pernambuco, 40 annos.
casado. Recife, tubrculos pulmonares.
Miranda, Pernambuco, 16 mezes, Recife, encepha-
lito
Mariano, Pernambuco, 4 mezes, Recife, convul-
so*'.
UM P0UC6 DE TUOO.
Do Petit Journal traduzimos o seguinte :
No anno que findou pelo S. Miguel passado, fo-
m levadas ao tribunal, em Inglaterra, 94,908 pes-
adas regulando 200 por dia, por embriaguez, como
ebrias e exaltadas, sendo reconhecidas culpadas
63,2oi.
A mor parle foi somente admoestada, mas cerca
<1p 7000 foram condemnadas prisao.
Honve por tanto um grande aecrescimo compa-
rado cBm o anno anterior, no qual somente foram
acensadas de embriaguez 82,196 pessoas, e reco-
nbecidas culpadas 54,123.
No numero total dos indiciados do anno passado,
haviam 22,560 mulheres, das quaes mais de 10,000
foram julgadas culpadas.
as iiidagacoes do coroner relativas ao anno de
1862 verilieou-se a existencia de 211 verdkts de
mane por embriaguez. Termmaram assim os seus
das 143 liomcns e 66.mulhercs.
Tomamos do Figaro, traduzindo-o, o que se-
tue :
Passeiava durante as horas do calor por una
.passagem de Paris.
Ah notei nina loja.
Urna loja inteiramentc vasia... .
Ao balcao eslava urna moca, bellissima nsonha
e bem vestida.
Sobre a porla lia-se :
PREX) F1XO.
Em presenca dessas' prateleiras desprovidas, o
=f|e poder-se-iiia vender alii ?
mk. P. Jnior pede-nos a pubiieacao da seguin-
ESEM MEUCORAgiO!
CEu triste deGobo
* Vivendo sosinho,
Oual um cordeirinho
Distante do lar;
E o lempo passando,
Como eu, suspirando.
I Mas nao suffocando
Meu triste penar I
Com o peito alterado.
E o crauo abrasado
.No Jogo aturado
De cruel saudade;
Assim que vivo,
. Daluctaoaptivo,
Seto ter lenitivo.
Oh! fatalidade!
Em noite d'inverno,
Eu gomo mu i temo,
Maldigo o averno...
To s em meu leito!
Sem ver as paisagens,
Qoe bejam aragens,
Sem sombra ou imagens,
Interrogo o meu peito.
m mo aoonslho,
Curvando o jolho: v
Reflicto ao espe
D'amor, minlia bella;
elle ao meu lado,
Me dizllevado:
I lorme descansado
Que sonluts com ella.
tobei,
Com ardor te beijei;
Meu bem te eu chamei,
,indo-te as plantas;

Mri4e Per*MMMie< *< tetra t e Outubro de 1.


Aseomaram-ts Mes faees
Os rseos realces,
D'amores enlaces,
Com que m'aquebrantas.
Beijei-to com ardor,
Com mui santo amor,
Qual Tasso a Leonor,
Sorrndo esperanca.
Teu peito pnlsav,
E de amor desmaiava,
Qual flor se inelinava
Com alma allianca.
'um altar vi-te emfim
rajando setn,
Croando com um tm
A nossa uniao.
Feliz mejulgaei,
Delirando acordei;
Ente s me acbei,
E sem meu coracao I...
O Jornal do Commrrcio, de Usboa, noticia o se-
guate :
Espera-sc era Paris, nos principios de setembro,
urna embaixada annamita, composta dos seguales
cavalheiros :
1." Vice grande censor do reino Phan-Thanh-
Giang.
2." Secretario do ministerio do reino Pban-Phu-
Thua.
3. Mestrc de ceremonias do paco e mandarina
da iustica Nguv-Khacdan.
4. Secretario do ministerio de obras publicas
Nguyen-VanChat.
S. O primeiro interpreto da embaixada com o
titulo deTam-Tinh-Tay-nam-Thongngan-hoc-Chanu.
Mais 2 secretarios, 4 amanuenses, 2 commandan-
tcs militares, 4 capitaes, 2 mdicos, ti soldados.
19 escudeiros, ao todo 63 pessas.
Presentes que trazemti volumes, com 1 palan-
quim, e 4 parasoes- Sendo 44 volnmes, coa o pa-
lanquim e os4 parasoes, para Franca; e 24 volu-
mes para a Hespanha.
Bagagem total da embaixada : 100 volumes, e
mais 500 volumes de mantimenlos.
0 primeiro interpreto ehristo; foi baptisado
com o nome de Petrus; ainda nSio tem 25 annos;
nao somente um sabio distincto, mas um cava-
lheiro de boa sociedade, conhecendo perfeitamente
os coslumes europeus.
Falla o escreve correctamente, alm da sua ln-
gua natal, lalim, franoez, liespanhol, jnglez, chinez,
malaio, siamoz e cambogio.
Freqnentou o collegio de Paulo-Pnaug com gran-
de xito; tere o premio em malheraatica e philo-
sophia. Compoz urna dissertacao em latim sobre a
divindade de Nosso'Senltor Jess Christo.
Cursou depois a universidade de Oxford.
Nao so sentindo com disposicoes para a vida ec-
clesiastica, para que o destinavam as missoes es-
trangeiras, veio exercer as funecoes de interprete
sob as ordens do almirante francez Regnault de
Genouilly.

Em um vapor que subia oMississipi distrahiam-
sc jogaudo alguns ricos cultivadores americanos.
Um d'elles aposta 20 dollars, ganha e deixa Gcar
parada, que, dobrando successivamente, leva o
monto gloria.
Um dos que perda, entrando em um accesso de
exaltacao febril, exclama :Vou todos os meus ne-
gros contra os cem mil dollars que j temos per-
dido.
Oparceiro feliz fica impassivel; nao responde
palavra.
Quera cala consente, accrescenta o outro cada
vez mais exaltado; vao pois n'esta parada todos os
negros da minba plantado.
Joga-se; e ainda d'esta vez o azar favorece o que
at al i i tinha ganliado.
Chegam-se todos a este protegido da fortuna, que
completa um ganbo de mais de 800:000 dollars...
Dao-lhe os parabens... A nada responde... Tocam-
Ihe... Eslava morto I...
Urna apoplexia fulminante o tinha accommetti-
do durante o jogo.
Os parceros infelizes querem logo apoderar-
se do que haviam perdido; mas os espectadores
resislera e entregara toda a quanta ao capitao do
vapor.
Segue-sc um processo, que ainda nao est deci-
dido.
Os parceiros allegara que um morto nao joga, e
por isso uao pode ganhar; os herdeiros contrariara
que,- nao se podondo demonstrar legalmcnte qual
fosse o momento da morte do seu prente, o ganho
se deve julgar effectivo.
A Crin publica o seguinte:
O catholicismo parece se estender em larga es-
cala pela ilha dos Santos.
As conversoes que se succedem urnas as outras,
o avultado numero de templos catliolicos, urna
prova exuberante dcsta tao consoladora verdade.
ltimamente, no dia 7 de julho, anniversario da
trasladarlo das reliquias do grande martyr S. Tho-
maz de Cantuaria, a cidade presenciou um espec-
tculo sublime e tocante : eram varios peregrinos
que de longinquas paragens all vnham assistir
raissa do grande prelado. All se achavam romeiros
ilaliauos, allemaes, francezes, hespanhes, e at
cbinezes.
A Cruz publica o seguinte episodio bblico :
0 direilo de primogeuitura.
ESAL' E JACOB.
Com Bebecca, Giba de Bathuel, se desposara
Isaac, e o Deus de Abraho, o primo dos circum-
cisos, que lhe prometiera posteridade lao numero-
sa como as estrellas do cu e as areias do ocano,
abencoara-lhe ocasamento.
Dous filhos nasceram : e cahindo com os joe-
lhos em trra, erguidos para o cu os ollios que
arrasavam lagrimas,'deu o santo patriarcha gra-
eas ao Senhor, que assim o favoreca.
E cresceram os dous, que bera dssimilhantes
lhe fuera a natureza, uas perfeices do corpo c
as qualidades d'alma.
Robusto c forte, como aquelles gigantes indo-
mitos, que nasceram do amor havido entre os fl-
Ihos de Deus c .as formosas Gibas, dos homens,
que os perverteram, hirsuto como o gamo das
montanhas nevadas c ingremos do Hymalaia, era
Esa, o primognito de Isaac, porque primeiro vira
a luz de Deus.
Entregue todo vida errante e agreste de caja-
dor, habituado a ver cahir esvaida em sangue a
caca ao atirar certiro da setla ; pernoitando em
meio das florestas: adormecendo descuidoso ao
ruido estrepitoso das cachoeiras, ao estallar das
arvores, ao nivir medonho das feras, ao zuir da
ventana, ao cslorar do trovao, ao sibilar do raio,
ao cahir da chuva; habitando as grutas, e tre-
pando o crao dos ror.hedos, tinha na voz, no as-
pecto e nos gestos alguma cousa de spero e de
duro, como as fragosidades das peuedias, por en-
tre as quaes sem descanco persegua o gamo.
Nao assim Jacob, o querido de Rebccca.
Nascra frgil, como a haste delicada do canico
ao soprar da brisa, lmpidos tinha os olhos da cor
do cu ; candida a tez, e branda e sonora a voz,
como o gorgear do rouxinol em meio da nonte a
descantar sandades.
Como a ave ainda inpluine, que nao deixa por
um s momento o mnho em que nascra; que se
abriga ao calor das azas maternas, e no seio, que
lhe deu vida procura amparo contra os vendaveis
da sorte, aiim Jacob ; e em quanto o irmao, as
correras da ca?a, arrostava as tempestades do in-
terno e os ardores do esto; em quanto ausente do
lar paterno levava a guerra aos animaes das sel-
vas, com a fronte a pousar no seio materno, com os
olhos fltos nos olhos de Rebecca, onvia Jacob as
historias tocantes das primeiras geracoes que per-
passaram na trra.
Amara-o muito Rebecca ; amava-o com esse
amor santo e intimo, que s se encentra em co-
racao de maes; amava-o com essa dedicacao sena
limites, com essa ternura indefinivcl, de que Deus
encheu o coracao da mulhcr que se ente reviver
em outro ser. '
E tambem a amava Jacob.
Doce lhe era ver o sol oriental, crguondo-se em
manhaa embalsamada de primavera e a dourar
as campias verdes, onde tranquillos passeiam os
rebanbos.
Doce lhe era ver a la bella e serena despuntar
silenciosa por traz das montanhas, em cu lm-
pido e transparente.
Doce, bem doce lhe ora ouvir o murmurio sur-
do da cachoeira que se despenhava ao longe, como
o solucar da Ivmpba qne se despede, e o bulicio
llgero da brisa na folhas das palmeiras e dos
cedros.
Mas para elle, mais doces de certo, eram as
vozes de sua mSi. mais lmpidos os seus olhos'
mais suaves as palarras cabidas de seus labios,
e o sculo santo que imprima era sua. fronte
juvena.
Era porm Esa o predilecto de Isaac.
Gostava o pai de ouvi-lo contar, as nootes es-
tiradas do invern, o pengos vencidos aa caca,
os saltos per .obre os precipicios, as moeOes que
o coracao experimentara, encarando face a face
amorte.
oevir o timbre varonil
Era-lbe a,Tadave
quella voz spera e agreste a narrar facanhas
e quando o G|ho terminava a historia de alguma
de suas latas travadas coa os Mes das selvas ;
quaudo centava que, aparlaodo a (era. no bracos
musculosos, lhe sentir o estallar dos ossos
qnando mostrava as cicatrizes do combate em noe qual prestou a esta iocadade os relovantes servi
oes, que passo a mencionar.
. Cbegaodo aqu
fora vencedor, lagrimas de prater saltavam do
olhos j anauveaaos do veno, e ere cem euo-
cao indisivel qne apep(avo-o contra o seio a pal-
pitar.
as primitivas eras, grande era a influencia.do
primognito, que na morte do chefe da familia
herd jva-llie nao s os bons. cerno toda a
dade paterna.
Ao seu aceno se curvavam todos, e at
que o Uvera em seu seio, reconhccia-lhe
ridade e proelamava-o senhor.
E nm dToltou Esat da eaca.
Deha mnito que o nao viam ropousar
paterno. S os sorvos da montanha e as fras da
planicie lhe poderiam indicar as pegadas.
auteri-
aquella
a auto-
no lar
para
f a. te tem prepurado,
gante fronte >.<
Acaba, pois, Srs. redactores, de sabir de entre
b*s, o virtuoso ministro do altar padre mastre Dr.
ibiapioa, que tao gratas recorda?oes nos deixou
em ioi mez que entre nos se demoren, durante o
^.t o virlouso sacerdote, e logo no
ta uemesiito sutndo tadetra sagrada, fn soar
sua vo eloquente e cheia de piedade, explicando
a palavra do Martvr do Golgotha aos Ueis, que
contractos affluiam porfa para ouvi-k. Nesse
iiiesmo dia, de acerdo com as pessoas mais gra-
da ueste lugar, propoz ao povo a idea de se fazer,
em lugar prximo povoacao e appropriado para
esse fiui, um acude, de cuja necessidade muito se
resentan) os seus habitantes oni raiao da scassez
d mua potaveJ, a qual s usdiam obter de alguma
distancia.
&* idea foi geralmenle abracada e applaudida
pelo povo, que n massa concrreu para o tra-
nm da cingir-lhe a.ele- lUov Sr. secretario da cmaraJoao Dovfsley
Jnior a bem de scu direito precisa que V. S. Ihc
passe por cerlidao o theor do termo de declaracao
que o supplicantc fez sobre a sua nacionalidade
para acautelar o seu direito futuro.Pede V. S.
defer ment.E. R. M.Recife, 21 de setembro
de 1863.JoSo Dotcsley Jnior.Em virtude da
petc5o supra certifico que revendo o livro de ter-
mo de deenraedes existente no archivo desta re-
particSo, deJIe coast a o tormo pedido por cerli-
dao, ojnwl do rbeor soguinte :Termo de de-
claracao que faa Joao Dowslcy Jnior para poder
gosar dos direitos de ciddo brasileiro.Aos
21 de setembro de 1863, nesta cidade do Recife
no paco da cmara municipal da mesma, conipa-
receu Joo Dowsley Jnior, e em virtude do des-
pacho que apresentou da mesma cmara, datado
de 14 docorrente, para ser admittido a fazer a
Voltou : mas deverava-o a fome -, aquelle corpo
do gigante seoiia-se alquobrado ante as torturas do *~im a?eita e abracada a idea, foi imraediaU-
eslomago, cujas paredes inquietas orna contra a meme designado o local para a planta do baldo,
outra revolviam-se. Parf- on(*e affluia o povo em massa levar seu
Tinha fome, mas essa fome que faz perder ara- contingente de trabalho, inclusive as proprias mu-
klo.essa fome que s aconhecera as naturezas vi- meres,que por espirito de penitencia, tambem se
erasas, dadas aes exercicios rodes da caca, eque ?avara a esse trabalho fatigante e nao adoptado
por muito tempo se veem privadas de qualquer a sua|Wieada complejo,
alimoatacao umiecado assim o servico, no decurso de 8 das
E Jacob preparava um prato de lentilbas. : e***a >neluido o acude cem o baldo de 200 pas-
D-me desse prato, disse o irmlo, mata-me s_at' tensao, 40 palmos de altura, e largura
Major T li WUI^fl
Francisco JoaqubftMM Tararea
Kmpregado publico Siroptcia Jos de MeUo.
Joaquim Jos Ferreira da Peoba.
Dr. Nabor Carneiro Bezerra CaralcanU.
Kmpregado publico Francisco Jee AW de Albu-
querque.
Escrivao Francisco de Barros Correa.
Christoviio Santiago do Nascimento.
denlo dos Santos llame.
Manoel Antonio Teixeira do AlbueaafOjae.
Francisco Joaquim da Costa Fialbe Juaior.
Tencnte-coroiiel Francisco de Miranda'Leal *ve.
Manoel do Nascimento Vianna.
Dr. liento Jos da Casta.
Manoel Rodrigues do O'.
Empregado publico Fraacelino Augusto de IW-
landa Chacn.
a (orne.
Nao ; que o preparo para mJat.
D-me, e em troca dar-te-Jiei a mais lmda
pelle de leao cacada alm do rio.
Nao; cede-me o teu direito de primognito ;
cede-m'o, e tea o prato.
Que me importa a mim o direito de primo-
geoito; deu.t'o, nao o quero ; quero sement a
liberdade dos campos, o ar vivo e puro das mon-
tanhas, o silencio das flores, as emoeoes da caca,
a luta cem as fras ; e depois.. .devora-me a to-
me, o de que me servir elle, se succumblr a
fome ?
J h rs*#ri* *^ *
Pelo Deas de nossos pais, dou-t'o, mas dai-mo
o prato.
sos de
correspondente, sendo 'avallado o servico feito em
2:o00*.
Satisfeita essa grande necessidade, o incancavel
ministro de christo convidou o povo para a editi-
cacao de urna casa, que servisse de asylo aos des-
! validos.
Esta idea foi igualmente applaudida ; mas,
ja estando prximo o da em que, segunao a or-
dem seguida, se deviam concluir as missoes, e nao
sendo por consequencia mais possivel a edifica^So
de urna nova casa, que tivesse os cemmodos ne-
cessarios, o virtuoso sacerdote pedio que lhe fosse
concedida urna das casas edificadas para fazer
nella os reparos qno fossem necessarios, e entao
servir para o estabelecimento. Foram-lhe imnic-
diatamnte offerecida la casas, das quaes fci es
sos pas.
CHROUQ JIIMCI.4RIA.
TIU B l \ II- BO (OHTIEIHIO.
SESSAO ADMLMSTRATIVA EM 1 DE OUTUBRO
DE 1863.
PRKSIDEN'CIA DO EXM. SR. DESEHBAROADOR
S01ZA.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. deputa-
dos Lemos, Malveira, Rosa, e Alcoforado, o Sr.
prosideote declarou a berta a sessao, sendo lida c
approvada a acta da ultima.
Ei-lo come o leu direito, de ora em diante celhida a offerocida pelos Srs. alferes Manoel Ma-
i eu o primognito ; jurastespelo Deus de nos- *'mano *obr Feito isto, tratou-se logo de demolir algumas
paredes da cesa para se reconstruir! de modo
adoptado ao estabelecimento, accreseenlando o que
se julgou conveniente. Para occorrer as despezas
que se tivesse de fazer com o estabelecimento des-
sa casa de caridade, o virtuoso sacerdote promo-
veu urna subscripcao, que subi 1:311 em di-
nbeiro, e perto de 250 cabecas de gado vaceura c
cavallar, que foram destinadas para siluar-se urna
fazenda, que sirva de patrimonio ao estabeleci-
mento.
Cbegado o dia nono de missao, no qual, con-
forme o costume, se deveriam concluir estas ; o
nao estando ainda concluido o estabelecimento
BXPEDIEWTE.
Um filien i do secretario do tribunal do commer- da casa de caridade, o virtuoso presby tero dignou-
cio da corte, aecusando o recebimeuto da lista dos { se permanecer entre nos por mais alguns das aj.
negociantes matriculados neste tribunal nos mezes que se coacluisse o servico, o que leve lugar no
de maio jalao do corrate anno.Archve-sc.
Foi presente a cotacao omcial dos preces cor-
rentes da praca na semana Anda.O mesruo.
DESPACHOS.
Um requerimento de Felisberto Ignacio de Oli-
veira, pedindo carta de registro para a sua scuua
Ernestina.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Outro de Joao Dowsley Jnior, pedindo o regis-
tro da declaracao que fez perantc a cmara muni-
cipal de sua nacionalidade.Registre-se.
Outro de Antonio Pietro, procurador de Manoel
Luiz da Costa, visto pelo Sr. desembargador fiscal,
pedindo o registro de seu contrato social.Satisfa-
ga o artigo 302 do cdigo | Io e 5.
Outro de Antonio de Almeida Gomes, pedindo o
registro de urna procuraco.Registre-se.
i
declaracao de confu'rmidade com o decreto n, 096 Benjamn Vraes Dutra.
de 10 de setembro de 1860, declarou, que era na- Jos Mara Freir Ganieire.
toral desta cidade, Gibo legitimo de Joao Dowsley Empregado publico Francisco Antonio Garantale
subdito britannlco, e D. Theresa Mara Pires Cosseiro.
Dowsley tambem desta mesma cidade, que tendo Manoel Marques de Abreu Porto.
cbegado a sua maioridade, por quanto tinha mais Jos Carneiro da Cunha.
de vinio e cinco annos, o que provava pela certi- Supplentes-
dSo de baptlsmo, que anaexa se acbava a dita pe- Tenente Decio do Aquino Foneeca.
ti^o, dosejava entrar ao goso de todos os seus di- Major Manoel do Nascimento da Costa Minuto.
reitos como cidado brasileiro, sujeitando-se a to- Dr. Caetano Xavier Peroira de Briio.
dos os deveres e obrigaedes inherentes, visto ce- Dr. Lourenco Trigo de Loureiro.
mo seu pai dorante o tempo que residi nesta ci- Dr. Silvio Tarquinno Villas-Boas,
dade exerceu a prolissao de commerciante, nunca Capitao Antonio Jos da Costa e Silva,
estevo como empregado no servico de sua naco, Clorindo Ferreira Lato.
art. 6.a 1." da constituieao do imperio, que a sua Tenentc-coronel Feliciano Joaquim dos Saato--
religiao era catholica apostlica romana, e bem Plavio Forreira Clao,
assim que era solteiro. E de como assim o disse,
assignou este termo. Eu Francisco Canuto da Boa
Viagem, secretario o escrevi. E nada mais se
continha em dito termo de declaracao aqui fiel-
mente copiado do respectivo Hvro a que me re-
porto. Secretaria da cmara municipal do Recife
aos 21 de setembro de 1863.O secretariofran-
cisco Canuto da Boa Viagem.
Aos senhores eleitores do se-
gundo riisf rlcto.
Joaquim Augusto Ferreira Jacobina.
Francisco Mendcs Martins.
Francisco Rufino Correia de Mello.
Deseinbargador D. Francisco Bnltasar
Capitao Joaquim Francisco Franco.
Manoel Francisco Honorato.
Dr. Joaquim de Oliveira e Souza.
Joao Bartholomu Goncalvcs da Silva.
! Joaquim Jorge do Mello.
Jos da Costa Brandan Cordeiro.
I Jos Joaquim Ramos e Silva.
Joo Pacheco do Queiroga.
da
Constando ao abaixo assignadoque scu nome fo- J*u'z Josc da Slya Guimares.
.incluido na chapa apresentada pelo directorio'peseinl.argador ManoelHodrigi _
do partido progressista para deputado provincial, Leopoldo Ferreira Martins Mmru.
o mesrao abaixb assignado declara aos senhores Commendador Thomaz de Ai|umo F
eleitores, que posto muito o honro urna scmclhante
apresentacao, todava della prescinde, agradecendo
sinceramente ao directorio urna tao espontanea pro-
va de sua consideracao, e aos senhores eleitores a
boa vontadecom quepor ventura tivessem de pres-
tar o seu apoio. Villa d'Agua-Preta 30 de setem-
bro de 1863.Joao Francisco da Silva Braga.
i:mm>I;i central do metbodo Cas-
tllho.
No dia 4 de outubro festeja a escola central na
ra das Flores o seu dcimo anniversario ; para
o que o director convida as familias das seus alum-
nos, os senhores professores e amigos deste uietho-
do de ensino racional, c com especialidade s au-
toridades luteranas e os Ilustres redactores dos
SESSAO JUDICIARIA EM 1 DE OUTUBRO DE
1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
SOt'ZA.
Secretario, Julio Guiwnnrs.
A meia hora da tarde, o Sr. presidente abri a
sessao, estando reunidos os Srs. desembargadores
Villares, Silva Guimares, e os Srs. deputados Lo-
mos, Malveira, Rosa, e Casemiro Alcoforado.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente :
Foram assignados os accordos proferidos i
ultima sessao, entre parles .
Appellante. D. Mequilina Maria do Livrame
herdeira de Folippe Nery dos Santos ; appellaiio,
Elias Marinho Falcao de Albuquerque Maianbo.
JCLGAMENTOS.
Appellante, Francisco Antonio de Brto ; appel-
lado, David William Bowman.
Adiado na sessao anterior.
Foi confirmada a sentenea appellada.
Appellante, Joao Baplist do Reg ; appollado,
Francisco Jos Germano.
Relatado o feito |>elo Sr. desembargador Silva
Guimares.
Desprezaram-se os embargos.
Appllantes, o Dr. Joao da Silva Ramos e Louren-
co Pereira da Silva Pimontel : appellado, Jos Mar-
ques dos Santos Agolar.
Sorteados os Srs. deputados Rosa c Casemiro
Alcoforado.
Relatado o feito pelo Sr. desembargador Silva
Guimares.
Adiado pedido do Sr. Casemiro Alcoforado.
Appellante, Alexandrino Martins Correa de Bar-
ros ; appellado, Francisco de Barros Velloso da Sl-
veira.
Belalado o feito pelo Sr. desembargador Silva
Guimares.
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, Jos Gonealves Malveira ; appella-
dos, Vez & Leal. #
Sorteados os Srs. deputados Bosa c Lomos.
Relatado o feito' |telo Sr. desembargador Silva
Guimares.
Foi reformada a sentenea appellada, com voto do
Sr. presidente.
PASSAGENS.
Appellante. Antonio Gonealves da Silva: appcl-
lados, Mello Lobo* C.
DoSr. desembargador Villares ao Sr. desembar-
gador Silva Guimares.
Recrreme, Guilberme Berg ; recorrida, a eom-
panhia de seguros Seguridade.
Appellante, Manoel Aires Ferreira ; appellado,
Francisco Santiago Ramos.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao-Sr.
desembargador Villares.
. DISTR1BIICOBS.
Appellante. Vicente Al ves Machado ; appellados,
Barroca & Mcdeiros.
AoSr. desembargador Silva Guimares.
Appellante, Manoel Gonealves da Silva ; appel-
lados, os curadores scaes de Amorlm, Fragoso,
Santos d C.
Appellante, Ignacio Barroso de Mello; appella-
do, Antonio de Azevedo Viliaroueo.
Ao Sr. desembargador Villares por jurar suspei-
rao o Sr. desembargador Guimares.
AGORAVOS.
Aggravante, Francolina Amalia de Souza Ra-
mos.} aggravados, os administradores da massa
fallida de Jos Antonio da Silva Araujo.
O Sr. presidente deu provlmento.
Aggravantes, Kalkman IrmSos e Miguel Jos Bar-
bosa Guimares ; aggravado, Monteiro Lopes & C.
Deu provimento.
Nada mais se pode tratar e encerrou-se a sessao
s 3," horas da tarde.
COMMmCADOS.
dia 20 deste corrente mez de setembro, dia em
que teve lugar tambera a installacao do estabelc-
| cimento depois de percorrer as ras urna grande
i ranltido de pessoas de ambos os sexos, acompa-
nhada por nma soflrivcl banda de msica, subindo
constantemente aos ares grande quantidade de gy-
randlas defoguetes.
Chegado o prestito casa, em que se tinha de
estabeleccr esse asylo para os desvalidos, e em
cuja frente se havia pnantasiado um pequeo jar-
dim, e levantado um pulpito, o eximio orador sa-
grado, subindo este, fez ainda urna vez ouvir sua
eloquente voz, acabando por dar vivas ao Santlssi-
mo Coracao de Maria, acompanhado nclles pela
mnltidoi calculada em perto de 5,000 pessoas,
que tambem prorompeu em estrepitosos vivas ao
virtuoso sacerdote, que tao gratas recordares lhe
deixou.
Depois disso foi servida s orphas em numero
de 14, urna lauta e esplendida mesa.
Nao lmtaram-se esses, Srs. redactores, os
serviros que nesta localidade prestou o virtuoso
padre' mestre Dr. Ibiapina ; elle concorreu mais
para a conclusao de um grande cruzeiro em frente
da matriz, talvez o primeiro da provincia, tondo-
se encarregado das despezas do mesmo o Sr. capi-
tao Sebastio Vctor da Nobrega.
J vai, pois, Srs. redactores, surgindo urna au-
a mais radiante para Santa Luza, e para seus
abitantes, que tanto se esforram lelo seu pro-
resso.
Bis, pois, Srs. redactores, a circumstancia que
me impelho a ir pedir um pequeo espaco em vos-
so conceituado jornal para a pubiieacao das lindas,
que Ihes envo.
Dignem-se, pois, dar-lhes publicidade, penho-
rando dest'arte a gratidao de seu criado
O Sertanejo de Santa Luzia,
Santa Luza, 21 de setembro de 1863.
oncee*.
Capitao Jos Francisco 1-avra.
Thomaz Garrctt.
Symphrono Olympio de Queiroga.
Pedro de Alcntara c Silva.
Antonio Jorge Guerra.
Cirurgio Jos Francisco Pinto Guimares.
Antonio Pires Ferreira.
Desembargador Agostmho Morcira Guerra.
Desembargador Firmino Antonio de Souza.
Francisco Accioly de Goveia Uta
Francisco Antonio de Menezcs.
Ignacio Jos Pinto.
Jos Nones de Oliveira.
Manoel Antonio de Santiago Lessa.
Dr. Antonio de Vasconeeltos M. de Drummeod.
E para constar, mandei passar o presente ew
que me assigno
Recife, 1 de outubro de IH.j3.-Eu ramele Aa
Barros Correia, escrvo qu>: o subscrevi
Gustavo Jote do Mf.
Agua florida ilimrj &.Lanman.
(Extrahido do Daily Times.)
A verdadeira prova da genudade c pureza de
qualquer um perfume extrahido das Odres, consis-
te na sua duradoura existencia quando exposto
influencia do ar. O aroma derivado de leos chi-
nacos desvanece em breve e deixa pz de s um
cheiro, por certo mu pouco agradavel, porm,
aquelle que obtido mediante a distillaco de fres-
cas o odorferas flores, se apura c a perfeca pelo
contacto do ar e por consegrante a sua duracao
de niaior espaco do tem. Eis por isso que a
agua florida de Murray & Lanman, formando urna
concentrada produccao das mais raras flores do
sul, apanhadas durante o zenith da sua florescen-
cia o maior fragrancia, nao s possue a fresquidao
de um fresco ramalhete, mas tambem indestruc-
tivel e inexlinguivel, nao ser a excepcao da la-
vagem do lenijo anteriormente humedecido na
mesma.
A' venda em todas as boticas e lojas de perfu-
maras.
dr
A palmilla aquartelada alyms inspectores
quarleiro da frryuexia de S. Jos.
O nosso communicado, inserto no Diario de
hontem, deu as vistas de alguns inspectores do
quarteiro da fregnezia de S. lose, e le'vou-os s
columnas do Jornal do Recife de hoje.
Como esperavamos, nao vieram fazer o caridoso
obsequio de defender seu collega, negando que elle
tivesse ostentado sua prepotencia, prendendo o
sargento por causa de seu perlgoso ciume contra
elle, e querendo per fas vcl per nefas, arrasta-lo
detencao : nao o vieram e contavamos, porque
sabamos que nao havia meio de negar a verdade,
publicamente tcstemunhada, de occullar tactos que
todos viram ; mas vieram queixar-so de Ibes ter-
mos barateado epithetos de agentes corrompidos,
eriminosos. apatronados e pretenciosos. Ainda bem,
mas, mesmo assim, nao teem razio. O aventura-
do pscudonymo occnlta todas as personalidades, e
flea certo, que nosso communicado nao tendo fal-
lado de todo o corpo de inspectores de quarteiro,
mas dos corrompidos, criminosos, apaixonados e
pretenciosos, cuja verifleacao fica conta de seus
superiores, para fezerem a reforma que pedimos,
bem pode ser que os alguns do Jornal do Recife
sejam os que esto fora da possibildade de re-
forma.
Como nao foi proposito desses alguns indagar os
motivos do espectculo de seu companbeiro, tam-
bem nao se-lo-ha nosso aceitar o revertimento de
epithetos, que, como carapucas nao foram mitradas
para todas as cabecas, mas "s para aquellas em
que se adaptarem C tambem coneluindo, respon
deremos pergunta do Sr. algifns inspectores, que
nao fallamos nos trinta e tantos soldados dos cor-
jios da guarda nacional aquartebtda, que Vmc. diz
terem lito sequiosos tomada d preso, porque as
noticias primitivas dessa oceurrencia occii'taram,
se existi este incidente que a Vmc. M suggerido,
e porque so ao segundo da foi phantasiado elle
nos jornaes, parecendo-se assim historia inven-
tada para descnlpar meninos.
Se Vmc, Sr. alguns inspectores, tem paciencia,
releia os jornaee que deram a primeira noticia do
espectculo t Vmc. que o denomina por tal), e
ver que nao se faUoo do que a nos e a Vmc. fez
estrauheza.
A segunda parte ae sila pergunta esta preju-
judicda.
Nao desejando fazer polmicas, mas nao que-
rendo qne se nos cont historias de Hoffnian, para-
mos aqu, esperando o mais.
A patrulha atnuirtelaa.
Recife, 89'de setembrojde 1863.
------------------------------------------------------Senhor redactor.--Grato orno sou ao Exm. Sr.
Bera longe eslava cu, Srs. redactores, de tomar Dr. Antonio Al ves d* Soaza fiuralho, este nobre
a ardua tarefa. inaccessivel s minhas fracas for-, c distinoto cavalleiro, que nada deixou a desejar,
cas, de arvorar-me em notieiador das oceurrencias ; no bom cumprimento de seus deveres, aos Alagoa-
desta localidade ; entretanto urna circumstancia, nos meas patricios, atirante o lempo que gover-
als estranba minha vontade, mas fillia do en- non a provincia das;Ai;das, nao passo calar era
thusiasmo e admiracao. com qne costnmo sempre meu coracao o conteiitameiilo, que de mim se
aquilatar o mrito, veio afTastar-mc dcste meu flr- apoderen ao vAr nos jornaes de sua provincia cs-
me prepsito, impellmdo-me a pedir nm pequeo lampado aqaelle Hlustre nome como um dos pro-
espaco em vosso conceituado jornal para a publi- ximos futuros representantes deste bello paiz.
cacao das seguintes linhas: Sado aos sobres e justiceiros Pernainbiicanos,
Quero fallar, Srs. redartores, dos relevantes que Uo acertadamente souberara premiar o roeri-
servicos, que acaba de prestar nesta localidade, to na pessoa do Exm. Sr. Dr. Ronza Carvalho.
tanto causa da religiao como do estado, o vir-' Saiido esse poro heroico o valoroso, que sabe
tuoso presbvlero. Dr. Ibiapina, que iguaes servieos conbecer os verdadeiros defensores do seus direl-
j tem prestado era outras partes, tanto na pro- tos, e repellir os olygaielias. que pretondera a to-! dem Hvpolito Cassiano de \asconcellos Albaquer-
vincia do Cear. sua trra natal, e qne deve ufa-' do o trance domina-lo. que Maranhao.
nar-se de um tal tilho, como principalmente nesta, I Pernambucanos I O Exm. Sr. Dr. Souza f.arva-1 dem Joaquim de Gusmao Coelho.
onde seu zelo e dodicacao pela causa santa da re- j Iho um moco Iletrado, o. com quanto ainda dem Pedro Alexandrino de Barros Cavaleanti.
ligio tem sido incancaveis. nao tendo em vista esteja a aurora da vida, sabera tornar-se digno Padre Francisco Alvos de branles,
cora isto tecer os encoiios. do que elle merece- da escolba, que delle fizestes, propugnando vossos Jos Cicilio Carneiro Monteiro.
dor, porque isso, alm de exceder s minhas di-; direltos par dos representantes de todas as pro- Empregado publico Francisco de Sena Duarle.
minutas forcas. seria talvez oftonder a sua inimi- vineles deste vasto imperio bratijeirn. dem Jos Antonio dos Santos c Silva.
tavel modestia -. mas simplesmente narrar rir-' Aoceite o Exm. Sr. Dr, Souat Carvalho esta exi- Tliom Carlos Piretti.
caflflMtodaraente os fados taes quaes se deram :, gua_demouslcacao de amisade qao do intimo d'al- Evaristo Mendos da Cunha Azevedo^
COMMERCIO.
NOVO BANCO
DE
PERNAMBUCO
0 Banco toma saques sobre as pracas do Rio de
Janeiro e Babia.
Alfandega
Rendimento do dia 1.....12:i49'i0O
.Movimento da alfandega.
Volumes entrados com fazendas
com gneros
Volumes saludos
com fazendas
com gneros
218
321
-----539
28
319
-----317
o que to pelo sea supino morito, que e engastar & cera,
que com tanta solicitado, abnegacao e dosinteres-
raa lhe tributa o sen fiel respeilador
Macci. 88 de setembro de 1S63.
Joao Alvcs Bronco.
differentes peridicos desta capital, a virem apre-
ciar o como criancinhas de 7 e 8 annos de idade
leem discursos anlogos ao festejo cora unta mesi-10 Dr A 0 EnaninoiMlJdQ"MeHo, fleta aa
tria tai que os torna dignos de toda a c> tma^ao c a| e|>de|n da Hi|sa ft h d amn
apreco. A festa principiara as 7 horas da noite, c udo do hlrklo da fregUezia do SS. Sarrsaaea-
* y- to do bairro de Santo Antonio da cidade de>Re-
cife provincia de Pernambuco em virtat 4a
lei etc.
Faco saber que em virtude das ordens dree-
vemo se deve proceder a eleco de um aenaaor
por esta |>rovncia, que v preencher a raga dei-
xada no senado pelo fallecimento do viscoade d>
Albuquerque, e por isso convoco os eleitores e
supplentes desta fregucza para que compareraai
no dia 1 de norewhro prximo vindoaro em
corpo da igreja matriz da freguezia do SS. Sarra-
racntodo bairro de Santo Antonio desta cidade da
Recife, aflu de se organsar a mesa parochial que
lera de fazer a eleco especial dos eleitores, focan-
do os que faltaren! sugeitos a multa legal: convi-
do outro si ni a todos os cidados qualifieados no-
primeiro e segundo districtos que sao em numera
de 1,09b a darem os seus votos em 38 cidad,u
por ser este o numero de eleitores marcados para
a niesnia freguezia.
Us eleitores e supplentes convocados sao o
que elegeram os deputados da cmara ltima-
mente dissolvida, cojas nomes se leeinem seguida :
Eleitores.
Antonio Augusto da Fonseca.
Joo da Cunha Soares Guimares
Adriano Xavier Pereira de Brito.
Antonio Jos da Costa Ribeiro.
Joo Francisco Teixeira.
Caetano Pinto de Veras.
Francisco Antonio de Rrilo.
Luiz Cesarlo do Reg.
Augusto Carneiro Monteiro da Silva Saate*.
Jos Flix de Brito Macdo.
Antonio Jos Alves Ferreira.
Manoel Antonio Viogas.
Jos Francisco Carneiro.
Joaquim Salvador Pessoa de Siqueia Carakaa.
Caelano Silverio da Silva.
Flix Francisco de Souza Magalbe>
Deodoro l'I piano Coelho Catanho.
Carolino Francisco de Lima Santo-
Luiz Jos Pereira Simoes.
Francisco de Souza Reg Monteiro
Claudino do Reg Lima.
Miguel Candido de Medeiros Pinto
Joaquim Militan Alves Lima.
Innocenco Rodrigues de Miranda
Manoel Antonio Pereira.
Paulino Jos Tavares de Lira.
Jos da Fonseca e Silva.
Supplentes.
Ignacio Nerv da Fonseca.
Antonto Ragel de Torres Bandeii j.
Claudino Benicio Machado.
Joaquim Antonio Carneiro.
Francisco de Araujo Barros,
Joaquim Francisco de Torres Gallinda
Sebastio Lopes Guimares.
Antonio Epaminondas de Mello.
Jos Luiz Pereira.
Ignacio Firmo Xavier.
Firmino Jos de Oliveira.
Antonio Bernardo Quinteiro.
Ignacio lenlo de Loyolla.
Angelo Henriiiues da Silva.
Jos Candido de Souza Castro.
Jos Joaquim de Moraes Sarniento
Agostinho Jos de Oliveira.
Antonio Joaquim de Mello.
Luiz Gonealves Agr Jnior.
Camillo Augusto Ferreira da Silva
Marcolmo dos Sanios Piuhero.
Virgilio Jos da Motta.
Jos Firmo Xavier.
Manoel Jos omingnes Codeeeira
Joaquim Jos de Abreu Jnior.
Manoel Jos de Oliveira.
Joaquim da Silva Bego.
Joo Luiz de Carvaiho.
Augusto Xavier de Beaaa Fonseca.
Bernardino de Sena Barro.
Francisco Jos do Sacramento e Si I va
E para que chegue ao conheciraento
mandei fazer o presente que ser publicado arla
imprensa c alxado nos lugares do costua.
Recite 1" de outubro de 1883.En Joaaaata da
Silva Reg, escrivao que o escrevi.
Antonio Epaminondas de MeHa
Jos Pedro das Nevos tenonte-qiiartel meatre eV>
3" batallio de infamara da guarda aaefeaai
delegado Iliterario do 2 circulo da capital, saV
delegado supplente da freguezia de S. Fre Pe-
dro Gonealves do Recife e juiz de paz presiden-
te da mesa parochial da mesma freguezia ete.
Faco saber que de vendo ter lugar no dia 1* de
novembro prximo futuro a eleco dos eleitores
que tem de eleger nm senador por esto provincia.
em consequonca da vaga deixada por fallecimento
do visconde de Albuquerque. segundo as orden-
da presidencia que me foram transmiltida* peta
cmara municipal, convoco aos Srs. eleitores e sop-
plentcs abaixo declarados para que coapareram
as 9 horas da manhaa do dia aprazado a ifreja
matriz do Corpo Santo alim de orgaaieer-se a mesa
parochial que tora de receber o aparar as latas
dos votantes, segundo-se em ludo as dispoaMea do
arts. 1, 5 e t da lei de 19 de agosto de 1856 e
raaisdispos^oeeera vigor.
Convide igualmente a todos ce ciaaea Meli-
ficados no primeiro e segando districto dcsta
freguezia para votarem em 83 eleitores aae i
lera de dar.
Eietores.
Antonio Gomes Miranda Leal.
Caetano Cy riaco da Costa Moreira.
Jos Pedro das Noves.
Jos Marques da CoeUSoare*.
Joao Francisco Marqi
Manool Francisco Marqu-
Anasacio Jos da Cesta.
i o Heurique Mafra.
EstevSo Jorge Baptista.
Luiz Antonio Gonealves Penna.
Descarregam no dia 2 de outubro
Escuna inglezaSea AVmpa=mercadorias.
Brigue inglezJames Stewartbacallao.
Paucho inglezFtorencedito.
Brigue inglezMormemercadorias.
Patacho inglez St. Petrefarinha.
Brigue hamburguezDea-=iata.
Barca inglezaSerafinamercadorias.
Barca ingleza =Fmmcarvo.
Recebedorla de rendas Internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1...... i:762^293
('instilado provlnelal.
Rendimento do dia 1...... 1:163,5189
MOVIMENTO DO PORTO.
y a vio sahido no dia 1.
Portos do norte Vapor nacional Ana, comman-
dante o primeiro lenle Alcoforado.
EDITAES.
O major Gustavo JosJ do Reg, juiz de paz presi-
dente da meta parochial da freguezia da Roa-
Vista, etc.
Faco 6aber, que por circular do Exm. presidente
da provincia de 82 de agesto do corrente, e da c-
mara municipal de 21 do mesmo, foi mareado o
dia Io de novembro prximo futuro para se proce-
der a eleico de eteitores que devem eleger um
senador para preeneher a vaga deixada pelo falle-
cimento do visconde de Albuquerque; por isso
convido aos eleitores e supplentes abaixo, aflm de
no mencionado dia s 9 horas da manhaa, organi-
sarem a mesa parochial; e aos cidados qualifica-
dos, que comparecam no da e hora precitado, com
suas listas con tendo cincoenta o cinco nomes de
pessoas quo rcunam os requesitos legaes ao elei-
torado, na conformdade do decreto de 18 de agos-
to de 1846 c mais disposicoes vigentes.
Eleitores.
Manoel Coelho Cintra.
Tenente-coronel Antonio Carlos de Pialio Borges.
Tenento-coronel Autono Carneiro Machado Ros.
Dr. Luiz do Carvalho Paes de Andrade.
Capitao Amaro de Barros Correia
Dezenibargador Lourenco Jos da Silva Santiago.
Empregado publico Manoel Luiz Viraes.
Dezembargador Csetano Jos da Silva Santiago.
Major Gustavo Jos do Reg.
Tenente-coronel Theodoro Machado Freir Pereira
da Silva.
Empregado publico Manoel Carneiro de Souza La-
cerda.


Empregado publico Porfiro da Cunha Moreira
Alves.
Nicolao Tolentino de Car va i
_~=


! I I


4
Diario de Pernambnco -
I
I
>
nao
affixar
Jos Francisco de-Sa-Leitio. BUftj*
Manoel Jos Baptista.
Ilerculano Jos Rodrigues Pinheiro.
Dr. Manoel Franaisee Teixeira.
Manoel Estanislao da Costa.
Antonio Jos Si I a-do Brasil.
Supplentes.
lnnoeecio Xavier Vianna.
.Manool Amane da Santa Cruz.
Manoel da Silva Neves.
Joaquim Alves da Silva.
Mijor Alejandre Augusto de Fras vitter.
Antonio Theodora dos Santos Lima.
Constancio da Pilva Neves.
-Benedicto Jos Hilarte Cedrim.
Joaquim Jos de Sant'Anna Barros.
Cosme Jos dos Santos Callado.
Manoel da Sirva Mendonca Vianna.
los Izidro Pereira dos Res.
Joao Baptista da Silva,
Diniz Antonio Forreira Marques.
Pedro Alexandrino Ferrcira Flores.
l.auriano Jos da Costa.
Manoel Joaquim dos Prazeres.
E para i|Ut- possa allegar ignorancia mandei publicar
o presente cdital.
Freguezia de Frei Pedro Goncatves do Recife
30 de setembro do 1863Eu Iunoeencio da Cu-
nha Goianaa, escrivao o escrevi.
O juiz de paz prndente,
Jos Pedro das Xeves.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe fflcial da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de.diretto espeeial do
commercio desta cidade do Reate e seu termo
capital da provincia de Pernambuco por 8. M.
imperial constitucional o Sr. D. Pedro H, quem
Deas guarde etc.
Faco saber pelo presente, que no dia 12 de ou-
tnbro deste aano se ho de arrematar por venda a
qnem mais der em praca publica, depois da audi-
encia respectiva, os objectos seguintes :
Armaco c seus pertences, 1505; em cobre den-
tro da gaveta,: 780 rs.; vinte e seis e moia dorias
de lencos de-chita, avahada cada duzia a 1500,
395730; deieseis duzias de lencos de cassa ordina-
rios a 15, U55; seis e moia duzias de meias para
senhora, avahada cada duzia a 25, 335; duzentos
e noventa e dous covados de riscado franeez a 1*0
rs., 33,5040; doze pecas de cassa pintadas, avaha-
da cada pega a 83. 865; tresentos e cincoenta e
sete covados de cassa em retalho a 100 rs., 715*00;
vinte e un pares de lavas de seda, avahado cada
par a 200 re., 4-5200; un par de meias de seda
por 500; quatro chapeos de feltro, avahado cada
um a 1550, 65 ; tres chapeos de seda para ho-
mem, avahado cada um a 15, 35; tres e meia du-
zias de gravata de seda a 45, 145 cinco duzias e
tres lencos de rambraia bordados, avahada cada
duzia a 25, 405300; duas duzias c oito chales de
cambraia, avahada cada duzia a 35,135332.; onze
chapeos de sol pera senhora, avahado cada um a
15, U5; seis pegas de cambraia para babado,
avahada cada peca a 35, 185 i doze covados de
velado prelo, avahado a 25, 245; sete mantas de
setim de cor a 'ij, 75; doze pegas de cambraia
.le salpico, avahada cada peca a 55, 605; dez pegas
de cambraia adamascada, avahada cada pega a 35,
305; vinte e dous cortes de vestidos brancos bor-
dados a 25, 445; treze varas de fll bordado, ava-
hada cada vara a-800 rs., 35400; dez lencos de
seda e algodao, avahado cada um a 300 rs., 55;
quinze ditos com frapja a 500 rs., 75500; oito cha-
les de seda adamascados, avahado cada um a
25300, 205; quatorze chales de la matisado e
bordados, a 33, 425; treze cortes de colote de
fuslao, avahado cada corte a 500 rs., 65300; dez
ditos de la a 600 rs., 65; quatro ditos de vellu-
do, avahado cada urna 15300, 65; um corte de
chali por 45; doze covados de dito, avahado eada
ovado a 100 rs.. 15*00; um mana de la para
. cavallo por 300 rs.; tres cortes de cambraia de se-
da, avahado cada corte a 25, 65; sessenta c oito
covados de cambria de seda a 200 rs., 75600; dous
covados e una terca de casimira encarnada a 15,
. 5333; dezenove covados de selim prelo, avaha-
do cada covado a 800 rs., 135200; cinco covados
de panno lino azul a 23, 105; urna pega de iran-
ia de seda por 25; quatro chales ordinarios, ava-
hado cada um a 200 rs,, 800; urna pega de chita
por 25; quarenta leagos de ganga, avahado cada
um a 200 rs.. :3; nove pajitos de alpaca, avaha-
do cada um a 25400, 23300; i Irezc palitos de ca-
simira e panno, avaliado.cada um a 55, 655; dous
-covados de princeza prela a 300 rs., 15; quatro
pegas de riscado de algodao paca caiga, com cento
" quarenta, e duas jardas e tres quartas, avahada
cada jarda a 320 rs. 455680: urna pega de riscado
con vinte e oito covados a.200, 55600-, urna peca de
-"'"' iuUrangado hranco com trinta jardas, a 400 rs.,
125;-.setenta e cinco covados de diversos retalhos
de riscado e brins para caiga, avaliadocada covado
a 200-rs., 15-J prefazendo ludo a quantia de
1:0165915, os quaes sao pertencentes a Miguel
Vieira de Mello, e vao praga por exeeucao que
'oaira..q..,piesmo cni-aminltam o presidente e direc-
tores, da ca xa lilial do banco do Brasil necto cida-
de e na.iika de licitantes serio arrematados pelo
prego da, adjudicag.o com o abamonto respectivo
da les.
E para ;que chegue a noticia a quem -oonvier
mandei pissar editaesque sero .aflixados e pu-
blicades-nos lagares docostume.
Dado e passado nsta cidade do Recife de.Per-
uambuee, aos, 30 de setembro de 1863. Eu Manoel
de Carvalbo Pas de Andrade, escrivao o subs-
erevi.
Tristo de Aleucar Araripe.
Peante acamara municipal desta cidade es-
taro em prega nos das 2, .3 e 3 de outubro pr-
ximo vindouropara menos fizer, o Aterro, do arrombo feito petes aguas
da mar em (miado, do cano de esgoto do sangue
lo matadouro publico, oreado em 3005 : o que
pretenderem ajremat.ir. dirijam-se nos indicados
dias ao pagoda jiicsm cmara.
Pago da camaiu municipal do Becife em sesso
de 88 de setembro de 1813 .= Luiz Francisco de
liarros Reg, presidente Fraaeisco Catiuto da
Uoaviagem, secretario.
Dadoe pmssadonesta-crdade do Recite
i nambuco, aos 30 de Mtenfcro de 1863. .
I Eu "Manoel de Carvallio IPaes de Andrade, escri-
l vao osbscrevi.
TrittSo-tie Alencar Araripe.
letr de tatabro 4c 1S4M.
DECLARARES.
fa; as C mm aa'UNe, W-
o'Sr. jaw aepaz do l. districto dos Afogados,
se b de arrematar a armaco-e niais objectos per-
tencentes a taberna de Atina Joaquina do Reg,
! por execugao de Antonio Domingues de Almeida
Pogas.
Caita Tial do Banco do Brasil.
Os sonbores accionistas da caixa filial do
lilo
3 caitas com mindezav
Terra-feira 6 de tubro (no deposite geral.)
O agente Pinto far leilao requerimen-
lu/< do coinmerclo.
A-rreraatacao dos seravos penhoradosao Exm
Visconde de Suassuna, por execugao -de -Patn, annuncww
Naen & C, foi traiwferida por despacho do Illm.
Sr. Dr juiz do commercio, requerimente do res-
pectivo depositario, para segunda-feira & de outu-
bro, depois da audiencia.
(lai\ \ liUal em Pernambuet.
Por ordem da directora do banco do Brasil sao
onvidados os seuhores accionistas lecalisados na
caixa filial de Pernambuco recolherem alii al o
dia 23 de Janeiro de 1864 a nona e ultima presta-
gao d 10 0/0, GU.205 por acfSo, de conformidade
com os artigos 8 o 9 dos estatutos do banco do Bra-
sil, e art. 43 dos estatuios da caixa filial.
Sala das sesses da directora da caixa filial do
banco do Brasil em Pernambuco 1." He outubro do
1863.-0 secretario,
Jos Mamede Alvesferreira.
ORKfclOGEKAU <
Relaco das tartas seguras vindas 8o sol e das
existentes na admiuislracao do eorreio desta ci-
dade para.os senliores abano deolarados.
Aprigio Jos da Silva.
Barao de Guararapes.
Domingos Rodrigues de Andrade.
Florencio Domingues da Silva.
Francisco Raphael de Mello Rege
Goncalo Jos Alfonso.
Dr Ignacio Alcibiades Velloso.
Joaquim Cavalcanti de Albuquerque<2).
Joao de Azedias Machado.
Joao Mitad de Souza.
D. Joanna Baptista dos Santos.
Luiza Francisca dos Anjos.
Miguel da.SUva Pereira.
Manoel do Nasoimento Teixeira.
Dr. Silvno Cavalcanti de Albuquerque.
Satyro Emeliano Mcira.
Consolko de compra* avaes*
De ordem do consclho fago publico que no dia 5
do corrente mez, designado para compra de diver-
sos objectos do matorial da armada, tambem se con-
tratara em vista de propostas e sob as condgoes do
cstylo, o forneci ment no presente trimestre de
outubro a dezembro de azeite inferior, cal preta e
lenha para os navios da armada c estabelecimentos
de marinha.
Sala do conselho de compras navaes de Pernam-
buco 1. de outubro de 1863.
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Secretario.
Tribunal do commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico que tendo Andado o
praso marcado para a duragao da sociedade de
Sebastiao Jos da Silva e Fortunato Ribeiro Bastos,
estabelecdos nesta praca sob a firma deste e com-
panhia, foi a mesma dis'solvida, tirando o socio Bas-
tos de posse do estabelecimento e do activo, e obri-
gado pelo passivo, visto ter o socio SebastiSo rece-
bido a importancia do seu capital e lucros.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 30.de setembro <'e 1863.
Julio Guimaraes,
Offlcial-niaor.
-No dia 2 do corrente, depois da audiencia do
Illm. Sr. Dr. juiz de orphos, vai praga por ven-
da urna casa terrea de tjolo ecal sem numero, sita
na estrada que segu para a Venda Grande, na
Boa-viagem, fregueza dos Afogados, com urna por-
ta e duas janellas de frente, com 23 palmos de vo
e 83 de fundos, com 2 salas, 3 quartos e 1 gabinete,
cozinha externa, quintal em aberto, cacimba so,
chao foreiro, avahada em 1:0005; vai praga
requerimente do inventariante dos bens do casal
de Jos Marcolino da Costa, Dr. Angelo Henriques ;
da Silva.
banco do Brasil em Pernambuco que nao sausfee- M>"J Hamburger A C, e por despa-
rama entrada de 10 0|0 da importancia de suas ac-, "O do illm. Se. Ut. juiz espectal do com-
ges ate
IiOTERIA.
O thesoureiro das loteras desta provin-
cia, desejando extrahi-las em maior capital
e com menores intervallos, offerece a vanta-
gem de ous por cento quem comprar
para negocio, na quantia de 100)5 para cima,
de t *i por /o as loteras extraordinarias;
Antonio Lacava e Angelo Laeorte, sbelos
italianos, rerani-se para Macan.
- O abaixo assignado deixoa de remen
dos Srs. Vicente herreirada Costa & C deaie
dia 29 29 de setembro.
___________ Joao Ignacio di Coala.
S e-dia 15 do crreme, na conformidade dos; mercio de 3-oawas com bijotlerias e mhide- pondencias para qualquer localidade da nro-
^S^t&^S^^o1^^^^ n.8deP?t0 gefral-St, 3 ,"l5*. remiendo bilhetcs, meios e lillas,
^XSSrS& SSS^SSXST i "? *5 d!a ac,raa. dll fcndo deposito sob flanea '
ArtlT Os accionistas que nao effectuarem *s|na rua do Imperador em frente a seorela-
seus pagamentos com devida pontualidade, Vi-, ra da polica,
xario de ser considerados como taes, e perderio
Aluga-se urna escrava, a qual
gommar, lavar o cozinbar, rauito limp *
traba!lio, tambem sabe vender na rua ifei.
assim como se propoe a estabelecer corres-1 a escrava: quem pretender, dirija-se rwbr
do Rosario, segundo andar, confronte a botica do
em beneficio do banco as prestacoes anteriormen-
te realisadas. Exceptuam-se todava os casos em
3ue ccorrerem cirenmstancias extraordinarias,
evidamente justificadas perante a diroctoria.
Canta filial do banca do Brasil em Pernambuco
22 de 6etembro de *863.O secretario,
Jos Mamede Alves Ferroira.
THEATRO
a
A.
Sabhado,
ehprjeza
J.B(]ARTEGOIHBRjL
3 de outubro de 1863.
Representar-se-tia o muilo applandido drama em
chico actos, do Exm. Sr. Mendes Leal Jtmior,
OSHOYJENS

Em seguida o Sr. Penante e D. Camilla cantarao
o muito engracado daeto,
AVOLTADOMARINHEIRO.
Dar lim ao espectculo a muito linda e espiri-
tuosa scena cmica do Sr. Penante,
DE
Sr. Pinto.
Feliciano Jos Gomes faz publico que i
o sea estabelecimento de assocar da roa do Tra-
piche para a rua do Apollo n. 36.
idnea; devendo o pagamento
deiles ser feito logo que sejam recebidas as
listas e no vos bilhetes remettidos. 0 the-
soureirocerto da convenienciadessenegocio, ~ Precisa-se de um meni# de 13 a
convida aos Srs. eommerciantes da Victoria, 15 anuos de idade para Caiier* de la-
Goianna, Rio Formoso, Nazareth, SerinhSem ja de ferraeos e miudezas na cidade
emais localidades populosas da provincia, e i h Mo.0;a .;:j ,--:
mesmoos desta capital, que o quizerem, a ?* "aei' >li5>n0-sc escre^a safn-
entenderem-secom elle, na thesouraria das vel Jjda wa milite ben : quem are-
loterias, rua do Crespn. 15: advertindo tender di rija-se rua da i>deia da
que receber em pagamento e sem descont, Recife no la cidade loja de ff ratf as
Um grande sitio com casa de pedra e cal,
com grandes salas, quartos, lerraco, co-
sinba fra, quartos para pretos, estriba-
ra, cacimba com boa agua de beber, sen-
S .TSS? ?beifa a Tl' COm cer- :s bilhetes premiados de todas as loteras de Silva k Abren m fhar ra
LiL 2,/% m COm a,Larl-i ^ provincia recolhidos thesouraria da fa- Z'1 ADre0' geuas, jaqueiras, mangueiras, goiabei- zenda provincial. itratar'______________________
Thesouraria das loteras, 20 de junho de
1863.
O thesoureiro,
^^^^ Ajitonio Jos Rodrigues de Souza.
ras, cajueiros e oulros arvoredos e com
grande baixa de capm que pode susten-
tar dous mallos.
Quarta-feira 7 de outubro s 11 horas.
O agente Pinto legalmente autorisado fa-
r leilao do sitio e casa supra mencionado
no lugar da Torre, o qual torna-se recom-
mendado por ficar junto da projectada pon-
te que lem de ser feita naquelle lugar.
O leil5o ser elfectuado no dia e hora ci-
ma dito em seu escriptorio rua da Cadeia
n. 2i, o mencionado sitio pertence a Jos
Marianno de Albuquerque. '
NESTE fl SO EU NAO NE C4S0.
Comegar s 8 horas.
Os bilhetes para este espectculo podem ser pro-
curados desde j em mao do Sr. Zcbedeu Cesar.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR*
Dos portos do norte esperado
at o dia 2 de outubro o vapor To-
cantins, commandante o primeiro
tenente Pedro Hypolito Duarte, o
qual depois da demora do costu-
rae seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as i
horas, agencia rua da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Arremata$ao
Saltltado 3 do corrate mez, de-
pois da audiencia do lilm. Sr. Dr. juiz
municipal da segunda vara, ter lugar
a conliauaco da arremataco de di-
versos esciavo pertencentes a heran-
ca de finado Ji-s Fernando da Cruz, os
qu es va a praca rcquerimenlo da
herdera c inventariante para paga-
meitlo ilos ere lu-es da iii^sma heranra,
sendo que entre os mesinos escravos
ha um bmii ollicbl de pedre!ro, urna
ptima lavadeirae um hortelo e jar-
dn ciro.
Thomaz Augusto de Vasconcellos Albuquerque Ma-
ranhao, liscal da freguezia da Boa-Vista do ter-
mo desta cidade, etc. etc.
Fago saber pelo presente cdital aos proprieta
AVISOS DIVERSOS.
Oab-ixo assignado leno a de-
claraco do Sr. secretario da relaco
em ame do Exm. presidente, na qnal
menciona estar sem provisao diversos
solicitadores entre elles o de Flix
Francisco de liagalhe?, vem pr este
declarar que nao se entende com elle
por se adiar provisionado, mas sim
com um irmo do Sr. Manoel Pereira
Hagalhaes que servio no foro e do qual
se retirou para urna das comarcas desta
provincia.
FHi\ Francisco de Souza Slagallies
LOTERA
EXTRAORDINARIA
Aos io:ooo#ooo e 9:oooooo.
Sabbado 10 de outubro prximo, anda-
ro impreterivelmente as rodas da 2a par-
te da 10a lotera a beneficio da matriz da
Boa-Vista desta cidade, pelo mui agradavel
plano abaixo publicado.
O abaixo assignado solicita do respeitavel
publico amante desta provincia, a compra
dos respectivos bilhetes, concorrendo assim,
nao s para o bem das nossas loteras que
engrandecen!, como
. PERNAMBUCANA pa^e%T,^3da!0,IIO ^ ^ **'
;ostelra a vapor. 9S b.ilhetef e "^ ,,ilhetes acham^se des-
iliu de Fernando de NOKONiiA de J3 a venda na thesouraria das loteras a
c,,. ^ r____-, rua do Crespo n. 15, e as casas commis-
Segun a o vapor Jaguar ibe, logo j ,, ,. ,, \
queTOlte de Mace.. Odia da aadas, rua da Imperatnz n. 44, ioja do
sahida ser opportunamente an- Sr. Pimentel, rua Direita n. 3, botica do
Sr. Chagas, rua estrela do Rosario n. 12,
----------------:---------------------p-i typographia do Sr. Mira, e rua da Cadeia n.
COMPANHIA PERNAMBUCANA k. y 43, Ioja do Sr. Porto.
ur- mA Os premios de 10:000,5000 e de ris
^avega^ao costeira vapor. ^ooOflGOO serao pagos logo ao findar a ex-
Maeeio e escalas | tracc5o, e os outros at os de 200000 urna
! hora depois e por diante at s 4 da tarde.
0 thesoureiro,
Antonio Josi Rodrigues de Souza.
PL1XO
para as partes extraordinarias
de loteras, aonrovado pelo
te Lobato, seguir para os portos
cima indicados no dia a de ou-
tubro prximo. Receber carga
at o dia 3 ao meio dia. Encora-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at o dia
da sahida as 3 horas: escriptorio no Forte do
Mattos n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
de
"V':ivoa;ivo costelra a vapor.
rios da rua da Aurora, a qual actualmente se es- Parahiba, Natal, Maco, Aracaty, Cear, e Acarac
l:i cnlpnnrlii iiip n IIIim Minan mmiicm.-tl n^ O vapor Mamanguape comman-
dante Moma, seguir para os
'idade provincia de Pernambuco,e seu termo por fiua
Magestade Imperial e .Constitucional o Sr. I).
IVJro II a quem D"stguarde, etc.
EQ saber pelo presntenme no dia 12 do mez
de*utubno do corrente .ao, se ho de arrematar
por venda a quem maisd^, em praca publica des-
te Jateo, depois da audiencia respectiva, os escra-
vos seguales:
Venancio, de 20 aonos, pasdo, sem defeito, bo-
ec, aviroaliado em 1:1005008; Joo.de 14 annos,
sem deeito, do servico do -campo, avahado em
H005000 ; Aguida, crioula, de 0 annos, sem de-
feito, avaJjada em 8004000; redre-cabra, de 40
annos, sem defeito, (acha-se aetudimente^oentede
fnaldade). carroiro, avahado ,em 3O050W); Joa-
quim, crioulo, de 30 annos, sem afeito, oarreiro,
avahado emSOOfiOeO; Cosme,crioulo, deliannos,
de servico de campo, sem defeito, avahado em
700,5000; Antonio, crioulo, de 30 annos, sem de-
feito, pedreiro, avadado em 800500; Sebasto,
crioulo, de 20 annos,.sem defeito, de servico decam-
po, avahado em fcOfiOO; Clemente, erieulo, deA
aanoa, sem defeito, carreiro, avahado eos 7005000.-;
Dsmingos, crioulo, de 30 annos, sem defeito, do
servico do campo, avahado em 7005000.
JS01 falta de licitante ttjrk a arremataeSt feita
pelo preco da adjudicacao com o abatimeola res-
pectivo dalei.
E .Pf que chegue ao conuecimento de todas,
mande! eassar editaes nue serio publicados pela
imprensa* afflxados nos lugares,do costume.
Dado e aissado nesta cidade.de Recife dePer-
lambuco, a%? 30 dias do mezde setembro de 1863.
_Eu Manoel de CarvaJho Pas .de Andrade, es-
criyao o subsefevi.
Tristo de AUacw Araripe.
a) Dr, Tristao de Aiencar Araripe, fflcial de impe-
rial ordem da Boga e Juiz de direilo.especial do
commercio nesta cidade do Recife de Pernam-
co por S. M. Imperial e constitucional a Sr. D.
Pedro II a quera Deus guarde etc.
Faco saber que no dia 49 de Janeiro do aano pr-
ximo futuro, pelas 12 horas da manhaa, na sala das
audiencias, ier lugar a reunfSo dos credore* da
massa fallida de Manoel Jos de fia Araojo, na con-
formidade do art. 135 do regulamento n. 738 de 25
de novpmuro de 1830, aflm de que reunidos todo
os credore?, em minha presenea, veriflauem os seus
i,t calcando, que a IIlina, cmara municipal desta
cidade, por oflteio de 24 do corrente me enviou por
copia o art. 4. das instruccocs do governo da pro-
vincia de 18 deste mesmo mez que abaixo se segu
Art. 4. das instruccoes de 18 de setembro de
1863 Portanto, se em -consequeheia do nivelamen-
to dado ao calcamento de urna rua, algum ou al-
guns passeios da mesma tiverem de licar abaixo
ou cima daquellc, oa se essa repartico os achar
sera as devidas dimensoes, ou arruinados, e care-
cendo por isso em quaesquer desses casos, de re-
novacao ou reparos, dever logo communica-lo
cmara eom os esclarceimentos, para que esta in-
time os proprietarios no sentido de oxecutarem
em seus passeios as obras que orem necessarias
immediatamente, ou em seguida da calcamento
da parte darua correspondente s suas testadas, ou
em praso razoavelmente limitado.
Em observancia de eujo artigo e da deliberaco
da municipalidade que me foi transmettida, intime
.aos prepeietarios da referida rua da Aurora para
darem fiel execugao ao disposto no artigo cima
ttanscrinjo.
para que nao appareca ignorancia lavrei o
presente, que ser publicado pelo Diario.
t'iscalisiu iin da freguezia da Boa-Vista 29 de se-
portos cima indicados no dia 7
de outubro prximo. Receber
carga at o dia 6 ao meio dia.
Encommendas, passageiros edinheiro a frete ateo
dia da sahida as 3 horas : escriptorio no Forte do
Mattos n. 1.
Para a Baha pretende sabir com rauita bre-
vidade a escuna Ernestina, por ter a maior parte
da carga prompta, para o resto que lhes falta tra-
ta-se com os consignatarios Palmeira & Beltro,
largo do^Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
loteras, approvado
Exm. Sr. presidente da pro-
vincia.
2,500 bilhetes a 105000...... 2o:0005000
Beneficio, sello e [commissao 20
por cento................ o:00O-30O0
IiOTERIA
CAS4 1)4 FORTUNA ,, a
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel <1 |liaca lia ludepeiHleilCia, SfBS fS
publico que veudeu nos seus muito felizes bilhe- ....ij~j- j- ..:-------. ---------
ALMANAK
Estando a coiifeccio ar-se tafaauk
desta provinria, que eoitiia ser ia-
presso oesta tvpograpbi*, cou>idasea
todas as pesso'as pue felle Uitn pa te,
para qoe remettam livraria as. $ e 8
tes garantidos as sortes de 3:000 e 1;0005 eoutras
mui las de 100^, i(>5 e 205 da lotera que se aca-
bo u de extrahir em beneficio da igreja do .Nossa
Senhora das .Neves de Olinda c convida aos pos-
suidores de ditos bilhetcs a virem receber seus
respectivos premios em seu estabelecimento casa
da fortuna rua do Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto venda em seu dito es-
tabelecimento c as casas do costume os mui fe-
lizes bilhetes garantidos da lotera extraordinaria
a beneficio da matriz da Boa-Vista, a qual se de-
vera extrahir no dia 10 de outubro prximo ; e as
sortes que elles obtiverem scro pela raesraa for-
ma pagas urna hora depois da exlracco.
reeos.
Bilhetes inteiros..... 125000
Meios bilhetes...... 65000
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima. -
Bilhetes........ 115200
Meios......... 55600
Manoel Maitins Fiuza.
c quaiidade de estbe!erinenl, e aos
seuhores ne engeahos qnr se igiea
remetter alm dos nomos desmsei-
genhos, o da freguezia e cunarra a qie
pei-lenccrem.
Aluga-se por preco commodo a casa terrea
n. 6, no primeiro becco da camboa do Canno : a
tratar na rua da Cadeia n. 62, segundo andar.
Alugam-se a Ioja do sobrado n. 193 e arma-
zem n. 71 da rua Imperial; o armazem n. 4 da
rua do Apollo e a casa n. 27 da rua do Burgos : a
tratar na rua da Aurora n. 36.
AVISO.
Francisco Jes Alvos Guimaries, Joaquim
Olintho Bastos e Demetrio Accaeio .lArau-
jo Bastos, membros da Arma social deGL'I-
| MARAES & BASTOS, avisam ao pablico e
Armazens para aluyar e a seus freguezes e amigos, que transferirn
Alugam-se os dous grandes armazens da rua do 0 seu estabelecimento de fazendas denomira-
Apollo ns. 38 e 40, communcados jwr dentro por d0 Loia da Boa F da casa la rua do uei-
meio de arcos, e proprios para um grande estabe-' m j n 2 n_ j m,vutn na n l;
lecimento de assucar ou outro qualquer negocio ma.ao n< Paa d a,8a (la mosma rua n-**
por ter excellente porto de erabarquo : trata-se, onde encontrarao os freguezes um completo
com Antonio Alves Barbosa na ruados Guararapes sortimento de fazendas de todas as qtialida-
nuraero 28._______________________________ es e de roupas Catas.
Precisa-se de um braco de balanca e conchas | Participm tambem que estalieloct'ram
de pao, que soja bom, para baldo, c um torno de uma oTicina dealfaiate, a qual est si-ndo di-
rigida por um hbil nutre, pelo que esto
' promptos a mandar apromptar qpaHJMr obra
1 de alfaiate, por medida e a contento do fre-
! guez.
Esperam, pois, os mesmos que contina-
pesos de arroba : na rua do Lvramento n. 3 A.
SOCOAM
De ordem do Sr. presidente convido a todos os
socios para comparecerem asessao extraordinaria, rj0 a"merecer a preferencia, que att- boje os-
amigos Ibes tem dado.
que ter lugar domingo 4 de outubro do corrente, s 10 horas da manha, para tratar-se de negocios i "cPu de bem da mesma sociedade. | O abaixo assignado,
Sala das sessoes da sociedade Amor ao Prximo
2 de outubro de 1863.
Joaquim Manoel da Silva Mendes.
1." secretario interino.
Venceslao Alves Saboia e
GonQalves Pereira retiram-se para o Rio de
Janeiro.
Manoel Monteiro da Cunlia declara
por este jornal que nada deve a pessoa al-
guma e sealguem se julgar seu credor quoi-
ra apresentar seus ttulos ou outros quaes-
quer documentos para ser embolcado na rua
do Cabug n. 2, isto no prazo de 0 dias a
contar desta data, assim como lindo este
prazo julgar-se-ha desonerado de qualquer
debito contrahido at a dala deste annuncio.
Recife. 1 de outubro de 1863.
endo a declararlo do
Sr. secretario da relacao em nome do Exm* presi-
dente, na qual menciona estar sem provises di-
versos solicitadores entre elles o de Flix Franra-
ciscode Magalhes, vem por eslt- declarar que nao
-rj' se entende com elle por se achar provisionado, mas
} | sim com um irmao ao Sr. Manoel Pereira Maga-
lhes que servio no foro, e do qual se lirou para
uma das comarcas desta provincia.
Flix Francisco de Souza Magalhes.
Precisa-se de 3005 a juros sobre Inpothera
de escravos : quem quizer fazer eaM ni-jiixio a-
nuneie por este Diario para ser procurado.
Precisa-se de uma ama para cosinhar e com-
prar para tres pessoas de familia : a tratar na rua
dos Guararapes n. 30.
Laboratorio hoaaeopathleo. rua
"\o\-a n. 43.
O Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho lem en-
carregado da sab-mreacia do seu .'.-lal l.-eimenio
ao Sr. Jos Alves Teuorio, proessor em homeopa-
thia, c competentemente habilitado para subslitui-
l.iquido... 20:000000
O hiato Santa Rita, para o Araca-
ty segu por estes dias : a tratar
.com Tasso I raos ou no trapiche do
algodao com o Sr. Joao Alves de
Quintal.
O patacho Campestre, segu para o
Rio.de Janeiro por estes 8 dias, cora
a carga que ti ver, pelo que se far
fretes. vontade do carregador,
re-
cebe tambem escravos : a'tratar cora
embeodo.W3. Thomaz Augusto de Vasconcel-!0sconsignatarios Tasso limaos ou com o caDitao
los JtmmV Marantuio. Antonio Goncalves de Araujo.
aa praca do juizo municipal da l. vara de 2___________________'______________^^^
de outubro, a sala das audiencias, tem de se ar-
rematar 1 sof de Jacaranda usado, avallado em
205, 2 canslos da mesma madeira avahados era
205, 1 mesa de meio de sala da mesma madeira
avahada em 125- t> .cadeiras |da mesma madeira
avahada era is5, .2 ditas deliraros por 125, por
exeeucao de fiecha, Lima & Guimaraes, em liqu-
dacio contra lose Pint da Costa, Jescrivao Saraiva
ArreDLitarao,
Dlo juizo de arphaos, depois da audiencia do
dia 2 de outubro, vai praca de venda os escravos
Sidronio. crioulo, eom o offjcio de serrador, ava-
llado por 6005; Anteojo, crioulo, por 6005. por
exeeucao de Custodia Antonio toares, cesionario
de Francelino Eleuterie Ferreira Chaves e sua
mulher contra Joaquim Vicente Marques.
Por ordem do Exm. Sr. conselheiro presidente
Freta-se para Bueaos-Ayres ou Montevideo o
brigue he^anhol Ventura, capitao D. Jayme Al-
sina, do porte de 300 toneladas, acha-se em bom
estado e de uma marcha regular : para tratar no
escriptorio de Amorim Irmos rua da Cruz n. 3.
1 premio de................... 10:0005000
1 dito de...............:...... 2:0005000
1 dito de...................... 3005000
1 dito de...................... 2005000
2 ditos que tero os nmeros mais
appxoximados ao que obtiver o
premio de 10:00005000, sendo
cada um a 2005000...........
3 ditos de 1005000..............
2 ditos que terao os nmeros mais
approximados ao que obtiver o
premio de 2:0005000, sendo ca-
da um a 1005000.............
8 ditos a 405000............... 3205000
2 ditos que terao os nmeros mais
approximados ao que obtiver o
premio de 5005000, sendo cada
urna 405000................. 805000
2i ditos a 205OOO................ 4205000
558 ditos a 105000................ 5:o80,5000
005000
3005000
2005000
LEUDE
LEILAO
en (utinuaco de pa**as.
BOJE
Em contintuco o agente Pestaa vender
. caixas com superiores passas, quartas e
da relacao faz-se publico, para todos os effeitos le- mpas flm iftpf. a rnntadJIdos rnmnradnrp
gaes. que achara-se sem provisio os seguintes sol. meiaS em l0t, \ r0Diat^e ?0b compraaoi es.
citadores de causa : Victorino Jos de Souza ;l ari"azeiO do Anoes, boje pelas 10 horas
Travassos, Paulino da Silva Mmdeiio, Joaquim In-1 da manh3a, o agente cima boje acabar em
noceocio .Gomes, Fehx Frand^o de Ma^lhaes, vista da excellente quilidade.
JuveJmo Araerico de Barros Correa e Maaoei Ray-
muBdo Penaore.
Reeife, 29 .de setembro de 1863.
O secretario da relacao
Domingos Alfonso Ferreira.
C ensillado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co que no dia t de outubro vindouro se ha de ar-
rematar em hasta publiea ao meio dia na porta da
mesma repariieSo, 8 caixas com'sabao avalladas
por 385400, appreiiendidas a Joaquim Jos Gomes
LEILAO
Sabbado S 4o correte, as 11
na rua i Cadeia Homero 53.
Hcm limite.
Pelo agente EuieWo se vender em leilSo
fs pintes objectos; um par de guarda
de Souza pelo gnarda Henrique Carlos da Costa, e J0"?3 ^ mogno quasi ovo obra bem aca-
rranos, concedam ou negu'em a concordata, on | mais dous caixoes contendo SO caixinhas de doce ba vinda de Hamburgo, e tambem um guar-
rato de uniao^e procedara a aomeacao em tnassa avahado por 285800, 2o folhas de Flan- da roupa com vidraca uma mesa Dar ian-
dres por 55,10 caixinhas com charutos por 255, tar marhinj da cniti. .^ i .,: JL,
12 bohks cora tinta preta por 15*), 10 libras de "r' ??2i'1! ^ ? ?mn ^ V'agJem'
rapti Meuon por 105, 2 libras de pimenta da In- P^ ae consoios de oleo, lavatorio, ,candela-
dia por 320 rs., que foram lambem apprehendidas DrOS de bronze de 5 luzes, 2 camas de ler-
dos administradores dos bens da referida r
fa hda, advertindo que, nenhum credor seradmit-
tido por procurador, se esto nao tiver poderes s-
peciaes para osaetos, e que a procuraco nao pode
.^. ^^f devedra aos fallidos, e nem um peto mesmo guarda a Antonio Lope Braga, 1 ao para meninos e 2 ditas nara casa!
mesmo procurador renresentar or Hnnc mi ms ^SMn Hnpnn.iiia.tn nmvnpai nrDo.rTh.,pn oa ^ v ... u,u* .Para caa,>
representar por dous ou mala) Me*a^wwujjg provincial de Pernambuco 28 ( banheiro de folba e outro dito de
mesmo procurador
diverso* credores.
Em cufljprimento do qae todos os credores da
referida massa fallida comparecam no dito dia e ho-
ra e Jugar a;gnados, sob pena de se proceder as
suas revelias.
E para que chegue ao conhecitnento de todos
mandei passar o presente edital que ser afflxado .
no* logares (jo cpstume e publicado pela imprensa ta de 2005,
um
i outubro de l3.' "*" o '" c uuu u uno ae chovsco,
Antonio Carneiro Machado Ros, i camas grandes velhas no modello sendo
Administrador. j nma de Jacaranda, berco dito, cadeira del
600 premios.
l'JOO brancos.
2500 bilhetes.
JV. B.As sortes maioresde;iO05000.eslSo sujei-
aos descontos das leis.
Thesouraria das loteras, 26 de setembro de
tas 1863.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Lotera extraordinaria.
Constando-meque algumas pessoas se
acham em duvida a respeito dos nmeros
mais aproximados aos das sortes maiores,
julgo conveniente declarar que sem funda-
mento essa duvida, por quanto clarissimo
est que os nmeros mais aproximados ao
n. i sao os ns, 2 e 3, e ao n, 2500 sSo os
ns. 2498 e 2499, assim como que os nme-
ros mais aproximados a outro qualquer que
nao seja o n. 1 e 2300, como por exemplo
o n. 2000, s5o os ns. 1999 e 2001, sendo
certo que ao possuidor de um bilhete deste
plano pode caber por sorte de um a tres
premios. Recile 30 de setembro de 1863.
O thesoureiro,
________Antonio Jos Rodrigues de Souza.
- 0 abaixo assignado, procurador geral da fes-
ta de IV. S, da Conceicao da Escada, agradece cor-
dialmente a todos os devotos o devotas que concor-
reram com os seus esforcos a esmolas para que se
flzesse com toda a pompa a festividade da mesma
Senhora, e particularmente ao Illm. e Exm. Sr.
presidente da provincia que comparecendo a noite
quiz assim dar mais uma prova da devocao que
sempre tributou mesma Senhora, e de quem es-
peramos ser excudados em todo e qualquer projec-
to que tebda a engrandecer o templo d alia ; tara-,
bem particularmente agradece ao Illm. Sr. teen-
te-coronel director do arsenal de guerra Luiz Jos
Monteiro pelas maneiras franca e delicada cora
que se presin para o brilhantismo do acto. Ella,
portanto, sabera recompensar a todos, em quanto
que ser sempre grato aos mesmos.
Jos Firmino de Oliveira Regs.
Tendo desapparecido no dia 30 do mez pro
ximo passado, de um quarto do hotel da Barra, to em nualquer ausencia
onde se achava hospedado Luiz Vilarinho, umsac-! -la-.->^m^laa^;i^-1
co de tiraclo. contendo dentro dinheiro, objectos: -^jyMIM JJSJ5LJj
de ouro, relogios e papis de circumstajicia, pe- j Continua a aver pao de senteio novo nos dias
de-se encarecidamente a quem quer que tiver ditos quarlas e sabbados de cada semana, na nadara
objectos, entregue ao menos os papis, que s ser- em Santo Amaro ao pe da fundicHo. na rua" da Im-
vem ao seu dono ; a fallar com Luiz Antonio Perei- \ peratriz n. 22, c na do Brum, confronte o chafa-
ra e Joaquim Luiz Vieira, que ser generosamente' riz n. 47, rua das Cruzes, deposito n. 39, na Pas-
gratificado, ou fechem ditos papis e ponha-os as sagem, taberna da esquina do Sr. Bento. que vira
casas dos cima declarados, ou remetta-os Luiz para o Remedio, e no armazem prefina, largo
Vilarinho, em Maranhao.
Hoga-se ao Illm. Sr. Clemente Soares de Car'
valho, morador na Piranga Mfogados) o obsequio
de mandar pagaros alugueis do sitio que arrendon
no mencionado lugar.
da Penha n. 10.
Precisa-se alugar uma ama para casa de
pouca familia : a tratar na rua do Cabug n. 4.
Kesposta ao Caupio n. IS.
O armazem conservador do largo do Terco n.
21 participa ao respeitavel publico que em seu ar-
mazem se vende os gneros pelo preco que o fre-
guez ajusta, que nao se vende gato por lehre, nem
tambem se pesa qualquer objecto cora falta ; por-
tanto nao sercsponsabilisa pelo peso sahido, di-
zendo que sao falsificados, quando os mesmos
compradores sao os falsificadores.
Pelo presente se faz publico, para conheci-
mento de quem interessar pssa, que ninguem con-
trate negocio algum com a Sra. D. Thereza Fran-
cisca dos Passos acerca da casa que a mesma pos-
sue na Estrada Nova, visto como est essa casa su-
jeita ao pagamento das dividas contrahidas por
essa senhora, e-desde j se protesta pela nullidade
de qualquer negocio tendente a alicncao de dita
casa.
Kngommadeira.
Lav-sc e engomma-se com a maior perleiro
possivel por commodo preco, garantindo-se as pe-
gas confiadas lavagem e'engommado : qnem qui-
zer dirija-se ao principio da rua do Hospicio, so-
brado novo de um andar com portao de ferro ao
lado.
Precisa-se de vendedeiras de lilos de
geni, e paga-se bem: na bolicado paleo do C
CiftRETM
Para dentro e fra da cidade se manda confuir
objectos por barato preco : a tratar no nunw
na bolaamarella da rua'do Imperador no oitao da
secretaria da polica.
A luga-se
t'erda.
por lempo m
do Monteiro.
calada, e 1
Perdeu-se da rua da Madre de Dos recebedo-
ria do sello, e desta rua da Cadeia do Recile o
testamento da finada Carlota Joaquina de Albu-
querque Cmara, confiado pessoa que o perdeu
para o fazer registrar no consulado provincial:
rogase a quem o tiver achado o favor de entrega-
Jo na rua pormosa n. 17.
Prec6a-se de uma ama para cozinha : na roa da
Imperatriz n. 47. segundo andar._____________
O Sr. Noberto Muniz Teixeira Guimaraes
queira dirigirse ao pateo do Paraizo n. 10, que se
Ine deseja fallar.
D-se dinheiro
na rua Velha n. 84.
a juros sobre ouro e prata
um sitio por tempo de um anno oa
festa na estrada que vai povoacao
com casa de pedra e cal pintada e
commodos para grande familia, pois conten dnt
salas, nove quartos, cozinha fra, cacimba com
agua de beber, tanque para banno. etc.. etc., todo
murado e com muitas arvores de frurio : os pro-
tendentes dirijam-se roa do Imperador a 42 se-
gundo andar, ou rua Direita n. 10 primevo
andar.
Precisante
de uma criada para casa de uma familia
posta de tres pessoas : a tratar na roa Al
n. 3, sobrado de um andar.
Abreu A Veras mudaram seu escriptorio da
roa do Vigarto n. 21 para a rua da Cruz n. 34.
No dd 6 de outubro do corrente anno pelas arruar, 2 grades para escriotorio i dita d*
de; Jouro com verguinlias de ferro,' obras de
es-<
il horas da m*M* na audiencia do Dr. juiide;jouro corjj verguinUlS de ferro ohra
orphos se arrem^W ? ejcrav & nome Delfina, ""' L^Z LuL !
de naeo Congo.de We 67 annos, pela quan- .uro !? i000 no O^wdo em que
T^ 1. 4A/i I IVA!*
tiver.
Al!ga-se uma escrava que cozinha, engom-
ma, compra, e muito fiel: na rua do Imperador
n. 50, terceiro andar. _______________ |
-- O Sr.Tito LivioBarflii tem urna carta rinda I dar do soTrdo'da rua "da Senzafa \
Arrenda-se uma excellonle casa de campo
no Poco da Panella, em bellissim* posicao, muito
fresca, com graude terraco em frente para recreio,
e commodos para numerosa familia, com coclieira,
estribara, quartos para criados e feitor, sitio bem
plantado, com jardim, horta, tonques para banhos
e lavagem de roupa, etc., etc. : qudm a pretender
dirija-se rua da Imperatriz n. 17, segundo andar.
Aluga-se a Ioja da casa n. 17 da rua da Im-
peratriz, com commodos para um bom estabeleci-
mento commercial, tendo o pavimento assoalhado
e quintal independent : a tratar no segundo andar
da mesma casa.
JkH
ioja de marmorM
Lino de Farla (*)
devidamente autorisado pelss Srs. adai- i
nistradores da massa fallida de Faria & C.
cora approvacao do Sr. Dr. juiz de direto
especial do commercio, convida pelo pre-
sente annuncio a todos os Srs. devedom
da dito firma extincta, a solveren seu
dbitos com a maior brevidade, dirigido-
se para esse fim casa do annunciaale,
z andar do sobrado da rua do Imperador
por cima do estabelecimento do Sr. Flix
alfaiate. O annunclante, nao tratando de
cobrar dividas suas, caso em que po*
ter contemplacao para com algnae
Srs. devedores, a quem estima e grato,
mas sim tendo de dar prompto eiateiro
cumprlmcnto ao mandato, que receben dos
ditos Srs. administradores, que particu-
larmente Ihe recommendaram, que accio-
nare a todos aquelles que nao qniwenn
amigavelmente pagar, julga dewr prove-
nir disso os mesmos devedores, de 1
espera desculpa se o forcarem a
accao em juizo contra elles. Recile 1
do setembro de 1863.
O proprietario da refinacao da rua Direita n. 10
defronte do oitao da igreja do Lvramento, Caz sci-
ente a seus freguezes que vende seus assucares pe-
los procos seguintes : assucar refinado fino pri-
meira qualidado a 35840, dito do segunda quali-
dade a 35200, e terceira qualidade a 25800.
Aluga-se por preco commodo o segundo aa-
do Rio de Janc-ro, pq escriptorio de Tas Inaios. | tratar na loia do memo.
lagunas amtRM
nnisniinmi
fluencia de annunoos. nao
() por anraencia ae annunoos.
sent publicado no dia proprio.
opre-
Os rtietarts.
Na rna estreito do
toda a perft
^ -
rcoes oe ores


V
Diario de lernauibttcd Sexta feira i de Outubro de S43.
)

BRILHANTE.
I* u
SANTA CRUZ. ,'.
Francisco Jos Fernandes Pires dono do grande estabelcciniento de molhados denomi-
nado AURORA BRILHANTE, avisa ao respeitavcl publico tanto da praca como de fra e cora
especialidade aos seus freguezes que o seu estabelecimento acha-se prvido de novo sorti-
mento de bons gneros tanto do paiz cmodo estrangeiro e promctte vender muito em conta
tanto a retalho como era grosso :
310
I
480
Manteiga ingleza flor a libra .800 e .
Dita segunda sorte lita dita a 720 e .
Dita terceira sorte dita dita a 180 e .
Dita franceza da aova a 560 e era bar-
"ris a........ .
Dita hamburguesa ein barrs pequeos
a 800 rs. a libra e.....
Baataa de porco fina a 560 o .
Cha huxim miudinho niurto superior
a libra........
Dito hvsso miadinho o rnellior possi-
vel a libra.......34000
Dito hysson graudo a.....2&720
Dito dte a........2*560
Dito preto o melbor a desejar a 2S090
Dito dito em massos a.....1600
Dito nacional era latas de urna c mais
! libras a IJOO, 1,3801) e 2.1000
' Quoijos do reino do vapor a 25400, 2#,
1,5760 e........15()0
| Dito de pratowuito novo a libra 640 e 720
Dito de manteiga rmto frescaes do Se-
ndo a libra.......640
! -Ditos de qualha a libra.....480
fiolachinha ingleza de 240 e 320 e bar-
riquinna a arroba a 2 e 34000
Latas com bolachinha de soda, cracre-
nell, HH&ide, viloria, pequiniqoe e
outras qualidades superiores lGO0
Ditas cora amei^ franceza nova a li-
bra 800 e -.......14000
Ditas com figos de comadre noves la-
tas de 4 libras a.....14409
Ditas ditas de dito com 8 libras 24300
Ditas cora marmelada nova a libra
640 e.........720
Ditas cora massa 640 o.........700
Ditas com peixe de Portugal muito
bem conservado era molho -sendo sa-
v-l. salmonete, congro, goraz e mi-
tros a ......... 14800
960 Vinho do Porto era pipa muitofliro a
640: 640,780e .......BOJ
400 Dito da Figueira puro a 560 c caada 44200
Dito dito a 480 e caada .... 34800
Dito de Lisboa branco proprio para
mesa ..........640
Dte de dito cracavelos, torno e outros
a500.........600
Vinagre do Lisboa puro a 240 e 280 e ^^^
caada....... ""
Serveja branca e preia a garrafa 500
Vinho Bordeaux em aixa a 84, 9# -e
104 e garrafas a 00, 900 e Lj
Genebpad( Iaranjam frasco a 14 900
Dita verdadeira de Hollanda a 640 e 960
Frasees com conservas inglezas a 800
Dito com mustarda franceza a 480 640
Alpista arrobare libra .... 180
Espermacte libra 640, 720 e 880
Velas de carnaaba e de composfrao do
Aracaty arroba 104 e libra 360 e 408
Carne do Serid a libra .... 240
Iinguica do sertao nova a 400
Charutos finos de Simas, suspiros, pa-
risiences, regala, delicias e umitas
outras qualidades e autores para di-
versos precos.......$
ErvilhaS novas a libra a ^240
Sevada nova era grao arroba 24500 e
libra.........100
Sabio hespanhol branco a 280
Sabao massa a 160, 200,340 c 280
Vassourasde timb e grande quanti-
dade a......... 120
Saceos grandes com farinha de Goian-
naa44800 e........54500
Ditos com farello de Lisba de 100 li-
Quem precisar de urna ama para o servqjo,
Interno do casa de pouca familia, dirija-se a praca;
da Boa-Vista n. 30, primeiro andar. '
Barbosa & Vasconcellos residentes e estab-
lecidos em Macei, successores da exUnct firma
Sacavem, Barbosa & C, dissolveram em maio pr-
ximo passado, e declarara que aquella extracta fir-
ma nada devo a esta praca de Pernamduco.
Precisa-so de um caixeiro de padaria que de
flanea da sua conducta : na padaria em Santo A-
inaro, atraz da fundico do Sr. Starr.
Precisa-se de um caixeiro para deposito : a
tratar no becco Largo n. 5. _
O abaixoassignado, tendo umita necessidade
de fallar aos sonhores seguintes, e como ignore
suas moradas, por isa), pelo presente, pedo quei-
ram dirigir-se villa do Cabo : Luiz Viera de
Freitas, Jos Mara da Silveira e Francisco do >as-
d ment.
/. Kreuztr.
Precisa-se de urna ama do leite: na ra das
Trinchen-as sobrado n. 17.____________________
engonv-
covado; fustJo para vestidos e roupinhas
de meninos, a 320 rs. o covado; alpakin oii
gurgurao de linho, a 260 rs. ; ganguelin,
urna s cor, a 320 rs. o covado; toalhas de
linho adamascadas para rosto, a 40; vestua-
rios para meninos e meninas, a 10000 e 2?$:
tiras bordadas e entremeios, mais barato que
em outra qualquer parte: tudo isto pe-
chincha e vende-se para liquidar : na ra da
luxo, como de primetra necessidade, pro- ImperatPZ n. 6o, loja e armazem do Pavao
prias para a praca e para o mallo, que se delGama 4Sva.
vendem por precos muito resumidos, de lo-, 6r08denaples, i ^ rs. m |* do Pavaa.
fazendas dao-se amostras, deixando; Vendem.se grosdenaples preto muito boa
GRANDE EXP
de fazendas baratissimas que se ven-
dem para liquidar; na loja do Pa-
vao, ra da Impcralriz, a. 60.
Neste estabelecimento acha-se um grande
e variado sortimento de fazendas, lauto de
icnhor, ou mandam*se levar em casa das
amilias para escolherem, pelos caixeiros da
loja do Pavao.
Ditas cora ostras americanas a .
Ditas com sardinhaa de Xanles a 360 e
Ditas cora fructasem calda a .
Massa para sopa, macarrao, talharim,
aletria, estrellaba, pevide, rodinbas
earroza libra ....
bras a 44500 e
Ditas com arroz de casca novo a .
Aceito de coco e carraptrto a 480 e .
Dito doce-de Lisboa a garrafa .. .
400 Amendoas novas libra.......
3001 Passas novas libra 480 e......
509 j Gomma muito alva e novaarroba 24800
e. libra..........
' Dita mais trigueira arroba 24 e libra
4801 60c ..............
Caixas com libras de massas sortidas a 24508, Linguicas do reino novas de 560 c
Batatas novas inglezas a libra 60 rs. e | Sevadinliae sagd novo libra ..
arroba........14600 Anooretas-com azeitona* novas a
Resteas com grandes sebolas cento a 24000 Espirito de vinho a garrafa
5f Solas a
Presunto de Lamego a libra .
Dito inglez para fiambre a .
Vnoos genuinos engarrafados ne Por-
to, chamico, duque do Porto, lagri-
mas do Honro e muitos outros finos
de 4280 a 245U0 a garrafa, e duzia
de 144 a 204, dito engarrafado
aqu a ........14000
E um sem numero de objectos que nao possivel mencona-los.
35000
44OOO
320
640
320
640
100
80
640.
320
15280
280:
Precisa-se alugar urna cozinheira e
madoira para Urna casa de familia, na viHa do Bo-
nito : quem quiter contratar, dnja-se ra da
Saudade n. 2L___________m____________-
Aluga-sc a loja do sobrado n. 19 da rtta vo-
va, propria para qualquer estebelecimenlo : a tra-
tar na ra da Cadeia n. 62, segundo andar.
Precisa-se tomar a premio de 3 a 4:0004
com hvpottieca em ura predio de grande valor :
quem pretender annuncie para ser procurado.
i-as com f> palmos de largura
na loja do Pavfio. I|1400.
Vendem-se lazinhas iransparentesde urna zenda sem lustro, proprio para vestidos de
s cor, de quadrinhos proprias para capas senho.-ns, para capas e roupa para homem,
re vestidos, tendo 9 palmos de largura, pelo tendo esta fazenda 6 palmos de largura e
baratissimo preco de I #400 o covado; so sendo muito leve, vende-se pelo baratissimo
na ra da Imperatriz n. 60, lojado Pav5o. preco de 20200 o covado, garantindo-se que
A _. ^ .. -_ nao se torna ruca, e vendem-se nicamente na
O Pavao vendelaas,de 4 palmos ,oja do Pav ^oa lmperatriz n.GO:
Vo^d*la^81,Ta*??5r9, ,a C4rtesdeefcilasa2KMK)e2:oOOrs.
Vendem-se laazitihas infestadas, sendo das
ias com h palmos de lar-
gura.
Cheguem a loja de Marcelino & C, ra
[ "o Crespo n. 5, para verem laas muito
tinas, lisas c de quadros, gostos inteira-
mente noves, proprias para vestidos e ca-
pas e precos muito cemmodos. Alm
disto existe um variavol sortimento de
fazendas finas e grossss pircos razoa-
veis.
200
160
800 Macos cora 20 macinhos de palitos ii-
3201 nos para denles a........
750 1 Tapioca nova libra.....
Toucinho de Lisboa novo arroba 164
e libra..........360 \
Balainhos do Porto de diversos tama-
nhos...........4
Cordas para amarrar animaos e aa-
daimes.........4
m
x' vv 4 *
fi\vn Ao ir.% i non\.
Moendas e meias moendas.
Taxas de ferro batido e coado.
Fornos de ferro batido para fazer farinha.
Boceas e crivos de ferro coado para fornalha.
M.i'-liinas para mandioca.
rCylindros para padaria.
Alambiques e fundos de dito, ferro coado.
Arados todos de ferro molde guararpes.
Hodas, eixos, grampas tudo de ferro para carroca.
Hodas dentadas, .rodelas, e rodas d' agoa.
Guindastes lxos-e j)orlateis.
Varandas de ferio fundido e cercas para janlim, moldes elegantes,
t^maps para jardim, muito fortes.
t;hpas finas para obertas de ferro galvanisado,
Serias .grandes de a^o com armaco e sem ella.
O que tudo se .vende por precos baratos.
Arm;izcns, csas't sitios.
Aluga-se o terceiro andar dosobrado n. 53 da
ra da Cadeia do Recite, com 4 janellas e urna
varanda de trente, 2 salas, gabinete, quartos, co-
sinha e terrsco; o armazem do mesmo cora duas
portas de frente, todo lavado c lageado proprio
para negocie de grosso ou a retalho pera ptima
localidade.; o armazem e primeiro andar da casa
n. Idatiavessa daSenzala Velha tambera-no Re-
cite ; ura-aitio na Passagem do Zongu em Api-
pucos, com o casas e quartos em separado, para
alugar-se, baixa de caprm nara negocio, sendo o
mesmo-hfrar bastante-aprazivel, fresco c cora boa
agna, portjsso maito reBomraendado pwa quem
soffre qualquer encemnssdo de saude: a fallar
com Francisco de Miranda Leal Seve na ra do
Scven. 12, visinho do (ymnasio Provincial em
obra, a no escriptrio terreo n. 18 da roa do Tor-
res, prximo a praca do-rommercio.
fazenda, a 10500, 10800, 10800 e 20: so
na loja do Pavao, ra da lmperatriz n. 60.
Para luto vende-se na loja do
Pavo.
Yendem%e finissimo setim da China, fa-
mais modernas, de urna so cor e do qua-
drinhos, proprias para vestidos e capas, pelo
baratissimo preco de 500 rs, o covado ; di-
las malisadas, fazenda mnito fina a 300; di-
tas garibaldmas a 440 rs.; ditas de qua-
dros a 360 280 rs.: so na loja 4o Pavao,
ta da Imperatriz, n. 60. de Goimaraes &
Silva,
LSazlanas a OO rs, o covado.
Si e Pavo.
Vendem-se laas de cordozinho proprias
para vestido, sendo muito boa fazenda, com
Na loja do Pavo veude-se cortes de chitas
ingieras, tendo 10 covados, a 25, e com
12,/0cova drees escaros: na raa da Imperatriz n. 00,
de Gama & Silva.
Carnauba.
Vende-se cera de carnauba em saccas, por
pre^o mutto em conta, ou mais barato do
que em outra qualquer parte: a tratar na
raa da Imperatriz n. 60, loja de Gama de
Sfet,
Os cor Uados do Pavo.
Vendem-se os mais bonitos cortinados de eam-
as cores seguintes: alvadia.cr de ca.r-ito braias a(lamascadas; lapadas e transparentes, pro-
n.60, lojado Pav5o.
GRANDE PECH1RCHA
Alogam-se o primeiro e sogundo andares do
sobrado da ra da Penba m. 29, por preoo commo-
do : a fallar na mesma roa n. o.
Vendc-se ou jrrenda-sc
Aluga-se a casa da ra da Gloria n. 116, la-
dn liada e:i.inlada de novo, com coramodos para, c d dj da cs.
Sn.nde raim'.a.eopr.meiro andar c ^ao da^sa. ,d G ma mea moente e
da ra da benzala Ni^lha n. .14 ; a tiatar na i'onte z*. m mi,:, ,, k^, ^S muir <:
VelbacoH o or. Antonio Joai|uim Ferreira Porto,
00 nalelioaciio da Scnzala Nora n. 4.___________
\a nua do Queiniado 11.1
deseja-se fallar aosSrs. Gabriel Germano de Aguiar
Montarroyos e Joaquim Ribeiro de Aguiar Mon-
ta rro vos.
Aluga-se a.caea da ra d'Alegra n. AO-com
,niuitos commodos para familia: a tratar na ra da
emperatriz n, 4:1, ou.ca ra do Imperador n. 67 e-
.qundo andar.
Aluga-se urna prta ptima engommadeira e
.loamheira, e faz todo o mais servieo tatemo de
urna .casa de familia; como tambem um benito mo-
leque de dezoito anuos de idade para pagem c ser-
vente, pois muito fiel e diligente; alianca-se a
soa conducta e a da preta ; ina praca da Boa-Vista-
n. 9.__________________________
- Precisa-se de nm servente forro ou capbvo
para o sorvico interno e xterne do hospital da or-
dem terceira de S. Franciisco : n mesrao se con-
tratar das 10 s 11 horas da manbaa.
corrente, com muito boas obras de pedra e cal,
excellentes tercas de planlaeao de ladeiras, assini
como de varze, fechado do matas de todas as qua-
lidades de madeiras e muito hom de assucar que
serapre preferido no mercado: para melhor in-
formaces quem o pretender pode dirigir-se ao
mesmo engenho a fallar eom o lllm. Sr. Austri^
clino de Castro S Jarreto proprietario que foi i
desse engenho, e para qualquer negocio trata-se ,
na ra da Moeda n. 5, segundo andar.
zsmmmmmMamtmmmmma

Precisa-se de um ornamento encarnado e
branco, uraoalix, ummissal e uma^pedra, embora
seja tudo usado : quem tiver e quizer dispor diri-
ja-se na da Imperatriz n. 3, segundo andar.
John AlfrcdThom participa ao publico que
tem feito sociedade com os Srs. Wm. Whitehnrst
lurkinyoung e John Wm. Roberts ambos de
Condres, debaixo da razao social de Thom, Bur-
kinyoung & Roberts que continua eom o nego-
cio de coininissoes dos seus antecessores Krabb,
Thom & C._________________________________
AJuga-se o primeiro andar do sobrado da
raa da ruz n. 40, muito proprio para qualquer
seriptorio ou residencia de rapazes sollciros :
tratar no armazem do mesrao sobrado.
Precisa-se de urna ama para casa e;tran-
geira de pouca familia que saiba fazer todo^servi-
eo: a tratar no armazem da ra da Cruz n. 51.
- D-se dinbeiro a juros sobre penbores : no
pateo do Terco n. 12._________________________
No da 28 de etumbro desappareceu da casa
do abaixo assignado, Joo de Souza Viera, natural
da ilha de S. Miguel, idade 40 annos, baixo, cdxo
de urna perna, o qual se achava hospedado pelo
abaixo assignado, e na mesma occasiao o annun-
ciante se achou roubado em 00-5 em scdulas, e
como nao se despedisse do abaixo assignado e sa-
hisse oceulto, de suprior que fosse o perpetrador
deste roubo ; por isso pede-se as autoridades po-
liciaes qne o prendam c remettam para o sulidele-
gado da Capunga para que se proceda judicialmen-
te.Jos Ignacio de Souza.
Precisa-se de uro bom caixeiro que tenha
aettridade na sua urotisso e de Dadora sua con-
ducta ; na roa Imperial casa de Amaro Jos dos
Praierai,___________________________________
Quem perdeu urna pulseira de menina, pode
procura-la na ra do Quoimado n. 73, que vista
de seus signaos I he ser entregue.____________
- Aluga-se um sito na estrada da Cruz de Al-
ma, com duas frentes, sendo a outra para a estra-
da de Parnameirim, com um grande sobrado de um
andar, cocheira para carros, casa para escravos, fei-
tores vaccas, qnarto e prensa para fazer farinha,
eom todos os pertences ; sitio muito grande, com
muitos arvoredos de fructos, o alm destes muita
trra para plantar, terreno apropriado para pasto
de vnecas, com dnas grandes baixas de capim ; es-
te sitio foi do fallecido Manoel Joaquim Pereira: a
tratar na ra do Crespo, loja n. 23 A. ^^^^^
Precisa-se de urna criada forra que saba en-
gommar, e fazer todo o servico de casa : na roa
do Imperador n. 17, segundo ai dar.
Offerece-se un rapaz portuguez para tomar
conta de ama taberna por bataneo ou mesrao para
caixeiro o qual tem todas as hailiutes e d nm
perfeito conhecimento de sua condnera ; quem
precBr annnncie por este jornal.
D. Mara Joaquina da Conceicao Azeve-
do, Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, Fran-
cisco Taiz de Oliveira Azevedo, mulher e
irmaos do fallecido Jos Luiz de Oliveira
Azevedo, muito agradcete a todas as pes-
soas que tiveram a bondade de acorapanhar
ao seu ultimo jazigo os seus restos mortaes,
de novamente rogara o caridoso obsequio de
assjstirem a missa do stimo da que ter
lugar no sabbado 3 de outubre pelas 8 ho-
ras da manbia na igreja da ordiera terceira
de S. Francisco.
'Companhia .fidelidadr
egiiros marif Irnos e ter-
restres eatabcleclda no
Ufo de dianelro.
AGENTES EKfErXAMBI'O.1
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &C,
ompetentemente antorisados pela, direc-
tor ia da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptrio ra da
Cruz n. 1.
TINTURARA.
Tingo-se com perfeiejo para qualquer
cor, e o mais barato possivel: na ra do
Rangel o. 38, segundo andar.
O abaixo assignado faz ver ao respeitavel pu-
blico e principalmente ao corpo doeommercio que
comprou a tabernil sita no becco do CampoHo r
i, livre e deserabaracada e se alguem se julgar
com direito a alguma reclaraaco queira apre-,
sentar suas ontas estes 3 dias. Recife 29 da *e-
tenibro de 1863. '
_______________Antonio Martina Lisboa.________
Aluga-se o prijntiro andar.da ra do Crespo
n. ; ; a tratar aa. loja.
Maques obre Portugal.
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta cidade, 6aca cf-
feclivamente por todos es paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer somma, vista e a prazo, po-
dendo logo os saques a prazo seren des-
contados no mesrao banco, na razao de 4
por cento aoanno aos portadores que as-
m lhe convier : as ras do Crespo jb.
8ou do Imperador n. SI.
Joaquim da Silva Castro.
il
Sedas e quadiiultos a 800 rs. so
Pavo.
Veriem-sc as mais delicadas sedmhas de qua-
drinhos, muito miudiuhos, endo propnos para
vestidos-de senhora oroupinhas para meninos e
! meninas, sendo fazenda que *emprc se vendeu a
1 ioOO e tona-fie a 640 e 8O0rs. o covado, e sedas
' brancas lavradas, propriaspara vestidos de noivas
a 800 rs. o covado : s na loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, loja de Gama Silva.
OO rs. na loja do Pavao.
Casa IVS rs.argandy *2W rs.
Vendem-se muitobonitas cassas francezas
a 240 rs.o covado ; organdy alisado,-pa-
roes multo bonkos a 240 rs. o covado;
ditos, laxenda finissima que sempre se ven- Bcos vesliils de Seuthambac, >ende
deu a l$m a vara, liquida-se a 600 rs. a
dida.ou 360 rs. o covado, por liaver grande
porco: na ra dalmperatriz, n. 60, loja
do Pavo, de Gama Xova pechlneba de eortes de
canbrala mi loja do Pavo.
Vendem-se cortes de cambraia brancos
com babadosa 2f55G0 ; ditos a 3000; ditos
a 40000 ; ditos cbinezasa 4^00o ; pecas de
-cambraia transparentes, adamascadas, pro-
prias para vestidos, tendo 8 varas e meta a
3(5000; ditas lisasbrncas e de cores a 2t50O,
3^000, 3(9300, 4IO0 e 5iOO0 5 pecas.de
ambraia de oarocinbos tendo 8 varas e meia
^?a Umc?^nd0 bnQCfe de "'a 3(550O; I Vende-se ura hoi de carroca grande e gordo,
ditos a 2,9500 ; pecas de cambraia para cor- assim como urna vac ca tourina com cria 1 na tra-.
tinados, sendo tapadas e transparentes com | vessa da Ponte de Uchoa, segundo sitio.
20 varas cada pera a 9-5000, isto tudo para
ESSENCIAS DEPURATIVAS.
Anli-sjjihililka c anu'-rhriHlka
Approiada nela Imperial
academia dcaaeleinn.
COMIMISigAO E PtEPAlU;O M>
ir. Ernesto Fre-ierict^asSaii
Phuihutceutau // eitltoie miitcia
do Rio de Junm.
Estas ossencias cuja formula ja foi ap-
provada pela academia imperial de medi-
cina do Mo de Janeiro, e pclag qoa en
autor foi preoiado na 1 \|Risi{io aaeon^I
de 1801 e eom duas medallias aa expo-
SiQao de Londres, -fio sem eoolettijao o
mais eflieaz de todos os mcdicaanlM at'^
boje conheridos para o curativo de todas
as molesti;i- -\pliilicas ou que
de urna ltcracao do sangne.
Distinguem-se estas essencias [
I e 2, cujas formulas variam eoMrra-
velinente, a de n. I .' .mpret'ada coa o
mais feliz resultado as moleste ae-
reas ou que dependarn de alteracao do
sangue, como, cancros venreo, caagas
svphilicas, boubas, affecc.Vs nerMbras
e" dartrozas, as blennorrheas, I m-or
rheas, vegetacoes syphilitie. escrophu-
las, escorbuto, erj sipelas etc A #e n. 2
tem sido empregadi exclu-iv ament pa-
ra debellar os rheumatismos sypWhaea
e gotosos e as exostoses ou tomores
osseos.
Acha-se a venda este precioso "au-
mento na ruado Rangel n. 03, pbaraia-
cia de Medronbo 4 Marlios.
M]
SEM ECU^TDO
QUINQUILII ARIAS.
Ra do Queima^o, ns. 49 e 55, tojas m
Jos Bigodinbo, queiram ver ver as aiendas
que abaixo annuncio, pois todas eu garanto
que sao muilo novas e baralissimas.
Pecas de trancas de algodo de lo-
das as cores a.......
Duzias de linlias com 200 jardaa, A-
lexandre, a
Carritcl de qualquer numero ,
Varas de aspas para balu ,
Caixas com superior obreias a .
Ditas de colla......
I libra de 15a surtida ....
o ?no.
Vendem-se es mais modernos vestidos a Sou-
thambac, com b arras de seda pelo diminuto preco
de 104000 cada um : so na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 6O1, de Gama & Silva._____________
Taixas de ferro.
Vendem-se tai xas de ferro do mais acreditado
fabricante e por preco mais razoavel: no arma-
zem de assucar d e Jos da Silva Loyo & C._______
Vinho puro.
No escriptrio 1 le Euzebio Raphael Rabello, na
ra da Cadeia n. t "3, vendem-se ancoretas com ex-
cellente c puro vin ho tinto de Lisboa, smente des-
tinado paragasto di 5 casas particulares por ser re-
mettido pelo proprio fazendeko ou lavrador.
apurar dinbeiro: na loja do Pavo, ra da
Imperatriz, n. 60, de Gama 4 -Silva.
O Pavo vende ehales
A .2#0OO, 2(51300, 3G00, 5,5000, 6,5000,
7)1000., 8,000 e 40^000
Aos eoehelros.
Vendem-se encerados pretos e de cores para
forrar carros no arm.izera de Tasso Irmaos.
Opiiseulo de moral religiosa por
A. lieudii.
Este precioso Jivrinho que acaba de ser adopta-
do pelo conselho de instruccao publica para Icitu-
Vendem-se chales de merino cstampadosjTanaVsco,.as^*ariasd^laJ^ovin("a', acna'^
a. venda em todas as livrarias dosla cidade a 300
.jcs-etn brochura e 400 rs. encadernado.
claros e escuros a 20, SjJISOO.e 30000; ditos
muito finos de todos os precos e qualidades,
tanto de ponta redonda orno quadrados;
assim como flnissimos chales de crepon com
cores inteiramente novas e ricamente bor-
dados a matiz, sendo ebegados pelo ultimo
Attaoc&fj
Farinha de mandioca.
\rende-e farinba^emandioca a melhor que exis-
vapor a 400000; ditos de pello, bordados, ^^"^^ i'orserJSanla ^rina, a bor-
* s na loh rio Parto rnn da Imftfra- ?? pa,ach. "' entfa.d nes,e porto no d,a
apera- n do corrente. por m"nos do que em outro qual-
a 2-5
I quer barco
: rim n. 1,'t.
a tratar a bordo 011 na ra do Amo-
triz, n. 60.
Aseasemiras do Pavo .Infesta-
das a ifffiO.
Vendem-se casemiras francezas enfesta-
das, propriaspara calcas, coleles, palitos, ,67, a 200rs. a'tbra, e de8libras"para dia
A ssuear do Monte tro
Ra do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
e capa para senboras, por ler de ma s | a 50600 aarroba.
cor, sendo fazenda que sempre se vendeu
a 30000, liquida-se a 10600 o covado : s
na loja do Pavo,
Aluga-se um segundo andar e sotao com
commodos para grande familia ao caes do Ramos :
a tratar com Jos Hygino de Miranda._________
ATTEVCAO.
Aluga-se a loja na nua da lmperatriz n, 15, com
grandes commodidades ,e por preco conunodo.
Tintura ingleza instantnea para tragr as
barbas e cabellos s.em manchar a pe le, preparada
por Desnous: acha-se a venda na botica da raa
do Imperador n. 44.
Cirande peehineha em ehapos
de sol na loja do Pavo.
Vendem-se chapeos de sol, a ingleza, sen-
do cobertos de linho e forrado de verde, pro-!
prios para senboras que forern passar a fes- i
ta, ou para meninas levarem para a escola,:
pelo baralo preco de 1060
lina da Somalia Aova u. 42.
Pfeste estaoftlecimecto vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 140 rs., idemdeLow
Moor libra a 420 rs.
Cal de Lisboa a f# o barril.
Vendem-se barris de cal de Lisboa de superior
quaridade :no deposito da ra do Brura b. 66.
COMPRAS.
Na ra da matriz da Boa-Vista n. 35, primei-
ro andar, se dir quem deseja comprar urna duzia
de cadeira de amarillo estando era bom estado.
Jos Antonio de Brito Bastos tem argente ne-
cessidade de fallar com o Sr. Joaquim da Fonseea
Soares de Figueredo (agrimensor); e por nao sa-
ber onde o encontrar, vem por este meio rogar-
lae o favor de vir lhe fallar no engenho do Meio
da Varzea, ou engenho Santa Cruz em Una.
Compra-se um tronco em bom uso
do Rangel n. 17.
na ra
Continua-sea comprar o uro e prata em obras
usadas : no pateodo Terco n. 12, taberna.
0 advoco Joo tioncalves
da Silva 011 la rro vos tem o seo
OMTiptoiio na na etreia do
Rosara n. 17, onde p6de ser
procurado das 9 horas da ma-
nlia s 3 da tarde.
- Compram-se duas negras pereitas cozinhei-
ras c engommadeiras: na ra de Apollo a. 84,
segundo andar.
Compra-se cobre e lata velho
na ra da Cadeia do Kecife n. 36, pri-
meiro andar.________v____________
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas : na praca da Independencia n. 22 lo-
ja de bilhetes.
Pechincha.
Peca e bretanha de rolo com 10 varas, propria
peio Dario preco ae I0ou ; ditos marque- P.ar1a saias: a Mta|5es zinhas, de seda com franjas e eabo de do- ^^S? S ck'^If^ *,*** r ocova-
u nnn j-. 1 1 u i<10' algoaao cora 4 ja das com toque de avaria
brara30OOO; ditos de seda para homens, por Ta paca: na ra do Queimado n. 17.
sendo com armado de balea a 60 e 70, islo
para apurar dinheiro : s oa loja do Pavao,
ra da Imperatriz, n. 60.
14100
ite
80
. : 40
... HO
. i/WOft
4 libra de laa muito superior m "-
res e qualidade......70O
Pares de boies de punho a 120
Pares de sapalos do tranca li;_
Ditos muilo superiores, a I600
Caixas e pacotes de papel amisade de
cores a. ....... 600
Duzia de meias muito finas para *e-
nhora a........30f,f)O
Duzia de di las cruas para homem a 2*400
Baralhos muilo finos para voliarete a 300
Carrileis de linha com 100 jardas a M
Cartes de linha branca e de cores a o
Novellos de linha com 400 jardas a 60
Ditos muito grandes com 800 jar-
das a .......120
Cariosa de linha com 200 jardas (est
se acabando a...... 60
Vara de fita prcta com colxetcs para
vestido, e tem um resto parda a 100
wi^
SEM SECnOmo.
Objectos de tintura e nuaslea.
Na ra do Queimado, ns. 49 e 55, esii
queimando tudo pelos precos abalio dech-
rados, e prestem toda a allenc5o para vr
o que bom e baralo.
Duzia de facas e garfos muilo tinos a 2$oOC
Dita dita dita de cabo preto muito
finas a.........3^
Dita dita dita de balance melbor, a 50500
Tesouras para costura, muito fi-
nas a .........
ilasdilas para unhas, muilo finas a
Cartas de aliineles de feroa .
Ditas ditos de lalao muilo finos a .
Ditas de dito grandes.....
Caixasde phophoros de pao .
Grusa de dilos do gaz a .
Duzia de dilo dilo a .
Massos de palitos para denles a .
Abotoaduras para coletes a .
Escovas para roupa.muiio finas a 400.
500e .
MM
80
tn
120
M
f|MI
200
lO
m
\'WMM>
800
Hua daSenzallan 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston &C,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
ca\emiras da Escocia a 9O0O ^es bronzeados, lonas inglezas, fio devela,
\TnAnn a T a a v chicotes Para carros e montara, arreios para
\endem-se cortea de caxemira da Esco- rorrn ,iA m a Ana ,.,n( a irt;^ ,,
YENDAS.
Anda est po' alugar-se o segundo an-
dar do sobrado n. 4, em a ra da Auro-
ra : quem o quizer dirija-se esta mes-
ma ra casa n. 10.
Alugara-se o e 2. andares da casa da
ra de Apollo n. 37, por preco eommodo, bem co-
mo a casa terrea da ra do Fogo n. 30 : a tratar
na ra da Moeda n. 29.
----------- v
Protesto
Antonio Pereira de Carvalho Guimares, 'pro-
testa contra o dividendo annunciado pelos curado-
res flseaes da massa fallida do finado Joo Jos
de Gouveia, visto como tendo intentado a.accao
competente contra os mesmos Oseaos, foram estes
condemnados pelo raeritissimo tribunal do com-
mercio a pagar o principal c cusas, cuja sentenca
anda nao foi ejecutada, por pender da decisao
dos embargos onpostos pelos administradores.
Recife 29 de setembro de 1863.
Vende-se oleo de ricino muito novo em latas
fior preco eommodo : na fabrica da travessa do
Carioca n. 2, Caes do Ramos.__________________
Vende-se a casa n. 47 da ra do Pires, chaos
proprios: a tratar no oitio da secretaria de poli-
ca, armazem da Iwla amarella.
Polassa da Hussia
Vende-se em rasa de Y 0. Bic-
he r i ('., successores, ra da
Cruz n. 4.
cia, para calcas, pelo baralo preco de 20,
tendo da mesma fazenda para vender em
covados a 580 rs., sendo esta fazenda mui-
to encorpada a imitaco de caxemira, e ga-
rante-se que n5o desbola. Tambem se ven-
dem cortes de caxemira ingleza, d cores
escuras para calca pelo baralo preco del
4*800 cada corte, ou a 500 rs. o covado : |
s na loja do Pav2o, ra da Imperatriz,
n. 60.
MadapolSo Infestado i#000
S o Pavao.
Vendem-se pecas de madapolo infesta-
do com 42 jardas a 40000, ditas a 40500,
ditas com 24 jardas a 70500 e 80000 : s
na loja do Pavo, na ra da Imperatriz.
n. 60.
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
~ FONTANA.
Vende-se a muito superior farinha
de triga m*rea Fonlana, chegada ult-
mame nle a este mercado, em barricas,
meias e quartos: no armazem de Joo
Quirino d'Agailar k ., no cfs d'Apol-
lon. 53.
Francisco Augusto tem o
escriptrio de advogado na ra do
1. 69, onde pode ser procu-
horas da. manhaa 3 da
Quem tiver penhoresem poder do major Ale-
xandre de Barros e Albuquerque, queiram vir res-
gatar no praso de 3 das, sob a condicP de serem
vendidos para pagamento do principal ejur1en-
dosos qoaes nao pavera reclamaco alguma.
Vendem-se palhas de coquero postas no banliei-
ro a 353OO o cento : quem precisar, dirija-se ra
Direita dos Afogados n. 13.
Aos senhores consummidoivs de gaz.
Nos armazens do caes do Ramos n. 18 e na ra
do Trapiche-Novo (no Recite) d. 8, se vende gaz
liquido americano primeira qualidade mais barato
do que em outra qualquer parte.______________
Prelo a 305OO e 18
a sacca : no armazem da estrella, largo do Parai-
zo n. 14,___________________,__________ __
Arreios de meal principe
para nm e doos cavallos; vende-se na ra da
Ponte VeJha n. 8.
Reos vestidos brancos.
Vendem-se os mais ricos vestidos de cam-
braia brancos, bordados a croch, sendo os
mais modernos que tem vindo ao mercado,
tendo as saias 4 pannos, e vendem-se pelos
baratos precos de 400, 120 e 46 : s na
loja do Pavo, ra da Imperatriz, n. 60, de
Gama & Silva,
ADMIREM AS PECHINCHAS,
na loja do Pavio.
Ricos cortes de cambraia brancos com ba-
bados e duas saias bordadas crox, tendo
bastante fazenda para vestido, pelo baratis-
simo preco do 30 cada um; ditos de cam-
braia de seda com barras e babados, a
20500, para acabar; cortes de vestidos a
Maria Pia, sendo fazenda de bonito gosto, a
30500; cortes de cambraia brancos com ba-
badinhos, a 20; enfeites para cabeca, sendo
Garibaldi e a turca, a 40; ditos com fitas
e flores, a 25; camizinhas bordadas para
senhoras, a 40; manguitos de varios model-
los, a 400, 500 e 640 rs; calcinitas para
meninas, a 500 e 640 rs: golliuhas bor-
dadas, a 320 e a 500 rs.; sedas de qua-
drinhos, a 640 rs.; ditas de listas, a 400 rs.
240 RS.
o covado
Novo sortimento de cambraia franceza de lindos
padroes por 240 rs. o covado ; grande pechin-
, cha, mandem antes que se acabe : na ra do Quei-
mado n. 43, esquina que volta para a Congregaeo.
Vende-se tinta superior para ailar roupa a
2*000 cada garrafa, e 15 as meias garrafas: na
ra Vclha n. 93. Com urna garrafa urna familia mas as nesessidades assim o permille-
Eli SEGUIDO.
PECHINCHA.
Perfumara de superior qualidadr.
0 rival sem secundo, ra do Qoenado.
ns. 49 e 55, esl disposlo a vender mais Inh
rato que nunca vendeu, para o que queiram
ver :
Duzia de sabonetes finos a "2e
Sabonele inglez, o melhor, a 160
Frascos com agua de Colonia muilo
fina a.......t 100
Ditos de dita grande a sot
Ditos de Lavande ambreado, o me-
lhor, a........;00
Dilos de macaca oleo muito bom a 100
Ditos perola muito superior a 200'
Dilos de oleo de babosa a 240, 320.
400 e......... 5#0
Dilos de banda branca a 310
Dilo de cheiro muilo bonitos a 500
Ditos de banha, pequeo, muilo fina
..........200
Ditos de opiaia a 2<>0 rs., e boa a
Dilos de banha japoneza a .
Ditos de banha transparente a .
Ditos de oleo filoconne a .
RIVAL
SEM SEGUNDO.
Objeetos diversos.
Ra do Queimado, ns 49 e 55, veode os
objectos abaixo declarados, pois para aca-
bar; estes precos nao sao para continuar.
900
5
800
aila roupa um anno inteiro.
i inguicas do sertao a
240 rs.
Vende-se Iinguica do sertao a 2M) rs. a libra,
carne verdadeira do Sedir a 320, queijos do mes-
mo lugar a 640, dito londrino a 800 rs., dito de
prato a 700 rs., ditos do reino novos a 24200, oleo
de ricino a 480 a libra, e era garrafas a 640 : no
pateo do Carino, esquina da ra de Hortas n. 2.
Sitio para vender.
Vende-se um excellente sitio muito perto da pra-
ca, na estrada de Santo Amaro n. 2, defronte do
sitio do Maduro, em chaos proprios, com casa de
vivenda de pedra e cal, muito fresca, com boa bai-
xa para capim, e horta por ter agua todo o anno de
nascenca, com muitas e boas arvores de fructo :
trata-se na ra dos Guararpes n. 28.
80
Farinha de mandioea
em saceos grandes, e de superior qualida-
de ; no armazem de Tasso Irm5os, ra f.do
Amorim, 0. 35.
Pares de luvas de algodo finas a .
Caivetes de aparar penas, de I fo-
Ihaa......... 80
Dilos de 2 ditas a......160
Caixas de colxeles francezes a. 40
Duzia de dito francez a MQ
Massos com grampos lisos e de cara-
col a ......... 40
Duzia de dedaes de metal em caixi-
nha de vidro.......3o
Tinteiro de vidro com tinta superior
a...........
Ditos de barro que serve para tin-
teiro a........
Grosas de botes de louca prateado a
Pecas de tranca lisa encarnada a ,
Varas de bicos e rendas, para aca-
bar a .........
Varas de labyrinto da 3 dedoa de
largura a........
Ditas de pos para dentosa .
Pentes de tartaruga a 30000 e
160
100
100
20
60
100
109
31500
'


%
'
Jkx
^

OS
[UJJ i
rtfl

&*5

o

o
O

VinUos em pipa: Porto Figueira e Liaboa, a
4oo, 44o, 5oo e 66o rs. a garrafa, e im
caoada a 2,56o, 2,8oo, 3,ooo, 3,5oo e
4,ooo rs. do melbor.
dem lagrimas do Dooro, especial vinho do
Porto mandado vir de conta prppria a
i0,000 rs. a dnzia e l.ooo rs. a garrafa.
dem do Alio Dooro nodo do Porto engar-
rafado, das seguiotes marcas: Duque do
Porto, Faitoria, Nctar, Vemo Secco, Cha-
mico, Madeira superior a 9,ooo rs. a cai-
xa eljOOo a garrafa.
I Jera Bordeaui das melhores mareas: 8t.
Julien, Medoc, S. Esteph e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
dem Busoael de Setubal verdadeiro 12,eoo
rs. a garrafa e 22,ooo rs. a caixa.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Por-
to do Aite dooro a 2,2oo rs. com o gir-
rafo.
dem com 3 garrafas de vinho Figueira
muito proprio para a nossa estacSo, por
ser mais fresco a 2,4oo rs.
Vinhos velho chamisso em barril muito pro-
prio para sobremesa por ser muito claro
e macio a 6oo rs. a garrafa e 4,5oo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 5oo rs. a garrafa e 3,8oo
rs. a caada.
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa al,oo rs.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e l,4oo rs. a caada.

Velas de spermacet a 6oo,
masso.
64o e 68o rs. o
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
54o rs. e em barril a 5oo rs.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado.
Baaha de porco a 54o rs. a libra, e em bar-
ril se far abalimento.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de t,oo, l,8oo, 2,ooo e 2,5oo rs. cada
um
dem londriaos os mais frescos que se p'o-
dem desejar a 8oo rs. a libra.
Caf do Rio de 1 e 2* quadade de 8,ooo a
8,5oo rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz caroliuo e do MaranhSo a 3,ooo rs. a
arroba e loo rs. a libra.
Amendoas de csea mole a 28o rs. a libra e
em porcSo ter abatimento.
Caixinhas d ameixas francesas de i i/2, 2
e 3 hbras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
|,3oo, l,5oo, 2,ooo, e 3,ooo rs.
Fructas em caldas das seguintes quahdades :
ameixa, rainha Claudia, cerejas, pero,
ginja, pecego e alpech a 5oo rs. a lata.
Marmelada imperial dos memores conservei-
ros de Lisboa a 6oo rs. a libra, e em la-
tas de l V e 2 libras.
Ameixas fraaeezas em frascos de i 1/2 e 3
libras de l,4oo a 3,ooo rs^ tambem ha em
latas de |,ooo e 3,ooo cada urna,
Cha huxim miudinho mandado vir de en-
commenda especial a 2,8oo rs. a libra,
garante-se a boa qualidade.
dem hysson o mais superior a 2,6oo rs. a
libra, afianca-se ser igual ao que regular-
mente se vende a 8,ooo e 3,2oo rs.
dem preto muito fino a l,9oo rs. a bra.
dem mais bajxo, e miudo proprio para ne-
gocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs., a frasco.
Chouricas e paios, os mais frescos que se
pode desejar, a 5oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e {o,5oo a caixa.
Ricas caixinhas com confeites e frutas seccas
muito proprias para mimos pelo baratissi-
mo preco de l,ooo re. cada urna,
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8oo rs. o frasco.
Licores francezes das seguintes marcas: A-
nizete de Bordeaux, Plaisir des dames, e
outros a l.ooo rs. a garrafa eo.ooo a
caixa.
Passas muito novas a 6,ooo rs. a caixa e
36e rs. a libra, ha caixas, meias e quartos.
Bolacbinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs.
a libra.
Azeite francez clarificado a 8oo rs. a garrafa
e 9,ooo a duzia.
Conservas inglesas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e OHtras
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. o pote.
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
ra linha.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
. ououtroqualquer liquido de l.oooa 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oors.
a grosa.
Milho alpista a 160 rs. a libra.
Milho painco a 140 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra a 2,300 rs. a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro h^pauhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 300 rs. a libra,
e em caixa ter abatemento.
Sabao massa de 180, 200, 220 240, rs. a
libra do melbor.
Graixas em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
curvin, salmSo e outras qualidades prepa-
rados de escabexe, segundo a arte de cozi-
nha de 1,400 a 2,ooo rs. a lata.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
440 rs. cada urna.
Papel greve pautado e liso a 3,500 rs. a res-
ma.
dlhados
Azaite doce de Lisboa muito fino em barril a
840 rs. a garafa, e esa porcS ter abati-
meoto.
Champagne das mais acreditadas marcas a
1,000rs. agarrafa e |o,aoors. o gigo
com urna duzia.
Doce da casca da goiaba a 4oo, 5oo, Ooo,
i7oo, 8oo, c l,ooo rs., o caixo grande.
Chocolate portugus, hespaohol, francs e
isso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a libra.
Velas de carnauba e composicao a 32o, 36o,
e 4oo rs., a libra, e de lo.ooo a 11,000 rs.
a arroba.
Azetonas novas do Porto e Lisboa a i,ooo
rs. a ancoreta, e l,5oo a de Lisboa, estas
ultimas raras vezes vem ao nosso mercado
pela sua boa qualidade.
Massas para sopa macarrao talharim e aletria
muita nova a 48o rs. a libra.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Rahiaa 4,ooo, 3,5oo, 3,ooo e2,5oo rs. a
caixa.
Serveja das melhores marcas a 5,ooo rs. a
7,ooo rs. a duzia.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies
Lunch, Cobin, e outras a i,2eo rs. a lata.
Bolaehinha de soda especial encommenda a
l,8oo rs. a lata.
Iem Craknel em latas de 5, 7 e 45 libras a
4,ooO, 5.5oo, e 11,000 rs. a lata.
Massa de tomate em latas de 6oo a 7oo rs.
cada urna.
Sardinha de Nantes a 36o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijollo de limpar facas a 16o rs. cada um.
Ceblas a 9oo rs., o molho.
Farinha de Maranho muito alva e cheiroza
a 14o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cominho, cravo, erva doce, enxofre, palitos
de dentes em caixinhas que tudo vende-
mos por baratissimo preco.
Ricas caixinhas com confeites e fructas sec-
cas muito proprios para mimos pelo bara-
tissimo preco de l,oo6 rs. cada urna.
>
Baratissimas bandeijas. Pentes de concha.
A aguia branca por muitas vezes tem da- j Com as novas e diversas guarnices de
do a conhecer que quando acha alguma pe- pentes que a Aguia Branca acaba de rece-
cnincha, nao quer somente com ella encher Der> Teio tambem urna pequea qualidade
o papo, ao contrario deseja que toda sua boa de pentes de concha que com graca e acer- (,
ireguezia e o publico em geral prvem da tadamente servem para o moderno atado dos' j
mesma, o que agora mesmo acontece com cabellos- Elles sao de bonitos e agradaveis^
essas; baratissimas bandeijas, cuja limitaco moldes, edetaraanho pequenino como con-
de preces admira, em relacao aostamanliose vem Pa,'a fin* que s5o. E' esta a prme-
qualidades: avista do que convm todos a- ra vez que d'elles aqui chegam, por isso
proveitarem-se dessa opportuna occasio e Qpea mda novissima, pelo queganha-!
proverem-se d'um trasto sempre necessario, r5 a Pa'ma aquellas senhoras que primei-.;
e que Ihes custar quasi metade do justo va- r0 se apresentarem com elles, para o que
lor. Assim, pois, dirigirem-se com dinhei- os mandaro comprar na lo;a d'Aguia Bran-!
ro alegre e espacosa loja d'aguia branca c*> rua doQueimado, n. 8.
roa do Queimado n. 8. -* -
Pnosphoros hyglenleos
Os afamados copos com banha. e E de seguranza.
boles cui inscripecs. :. Esses pliospboros hygienicos e'dc seguranea, sao
Chesaram novampnb? nara n -o-iua hranra induoila.lmente os melhores que at agora tem
uiefcararano\meme pata a aguia nranca apparccido, por cuja superioridade tanto so tem
esses afamados e estimados copos com banha feito conhecidos o recommendados. Elles merec-
lina; assim como OS bonitos boiCS de por-' lamente ganharara a preferencia a todos os outros
cellana dourada tambem com banha, e novas' f^las vantajosas raz5es de que nao deitam ageite'
ioscriocoes maviosas e iocoserias mui iIp ,jreJ4d,c'al e mao cleiro H"e costumam deixar
uisonpi^uL.b uidMO&us e jocoseuas, mu aue- (qUasi todos os outros, c mesmo pela seguranca de
quaaoparapresentesrestaporemqueosapre-;que cstam isomptos de incendiar poisque em
ciadores concorram, munidos de dinheiro, "cnlmma outra parte faiem fogo a nao ser no es-
kiegr e espacosa loja d'aguia branca rua do ''T3' paplel- i"e.^m Pregado na caixa, onde tam--
iteimadO n 8 "^ Oern nenlium falla em qualquer_que_seja a csta-
Ciraxa econmica.
A aguia bram
c;'. graxa econotr
ramente reconhecida ; essa "boa graxa se" torna es. Assim pois, convm*o uso delles, todos os
reeommeBdada, tanto porque o calcado lustrado cstabelccimentos, escriptorios, cartorios. reparti-
perfeitamente lustroso ao menos 5"esr casas particulares, etc., etc. Achara-se
KOI IA FEIT A
NO
ABIAIEH
DE
WkW ll ^^%e
UTBSIBO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sormento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as quahdades, para senhoras,
homens e meninos.
RUA DO QUEIMADO
i
cao; e alm de todas essas boas qualidades occor-
re mais a da barateza porque as caixas ctm 400
ica acaba de roceber essa acredita- pliosphoros custam apenas 2i0, o que nao ha com-
unica, cuja snperioridade est ge- paraco para com qualquer das outras qualida-
comelte deixa
tres dias sem necessidade de novo unto, como
mesmo porque sua prepara'cio appropriada para
amaciar e eonservar o couro"; ella vem em calx
olas e barrizinlio, e acha-se venda na rua do
Queimado n. 8, loja d'aguia branca, aos rezumidos
procos de 400 500 e 640 rs.
TERCOS
e cordas de cornalitta.
A aguia branca pensando couslantemeutc em
bom servir a toda a sua freguezia, notou que ainda
nao havia feito algum agrado a aquelles que pru-
dente e acertadamente resando, cumprem dever de
bom chrlstao, e quando reparou essa sua falta,
mandou vir e acaba de receber delicados tergos e
coras de cornalina com cruz de prata, os quaes
deixa disposicao dos fiis que estiverem dispostos
a gastar 1^500,2e 3& para possuirem um bonito
u-rco ou cora, com os quaes podem mesmo pedir a
Oeus pela prosperidade d'aguia branca, em seu ale-
gre e espacoso ninho da rua do Queimado n. 8.
lSahuziahos com perfumarlas e
sem ellas.
V ajaia branca vende bonitos bahuzinhos com 6
, inli.- I 'ch.-ir.is por 15300 e vasios por 800
; .lado estes >iir. iimninas, o mesmo para
>>"-. etc.. etc. : na na do (Jueimado, loja d'aguia
ica ft. 8.
_.>vS;|2j. M>altes cnfeltcs
par: eabeeaf.
ijuando o bello sexo sentia a falta de bons
casas
venda na rua do Queimado loja d'Aguia Branca
n. 8. Quein comprar porcao ter um abatiraento
rasoavel.
Encomniendas d'aguia branca recebi-
das pelo ultimo vapor.
Ricos pentes de tartaruga com cbapa de madre-
pe rol a.
Bonitos leques de madreperola.
Delicadas canelas de dita.
Lindos cliapeozinhos de setim para baptisados.
Bicos de seda brancos e prctos.
Bonitas caixinhas com msicas e sem ellas para
costura.
Tranceln de laa para enfeites
Fitas de seda estreitas para ditos. |
Ditas de velludo com listras para barras de ves .
tidos.
Aspas de balea para vestidos
Ditas de ac para espartilhos.
Dandes de clina.
Pulseiras de contas para meninas.
Paos para abrir luvas o port-cbarutos.
Essencia de ail para engommados.
Pos hygienicos de Lubin para dentes.
Leite virginal para tirar sardas.
Dito d'ires para extinguir as caspas.
Vinagre aromtico para vertigens, dores de ca-
beca, etc.
Cosnietique sni'lino para cabellos.
Pomada para bigodtt.
Renda d fil. lisa.
Amostras de agtilhas Inglezas.
A aguia bronca acaba de receber
Casacas de panno preto, 350 e 30#000
Sobrecasacas idem, 300 e 250000
Paletos idem e de cores, 250, ,
200, 150 e......1O0(OO
Ditos de casemira, 200, 150,
120, 100 e......
Ditos de alpaca, 50 e. .
Ditos ditos pretos, 90, 70,
5e........
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30300 e. .
Ditos branco de linho, 60, S0 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 100, 70 e..... 50000
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80e. .
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50900 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 50, 40500 e
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores,
Cohetes de fusto e brim bran-
co, 30500, 30 e 20500
Seroulas de brim de linho,
20400 e......20000
Ditas de algod5o, 10600 e. 10400
iSamisas de peitos de linho,
50, 40, 30 e.....20500
Ditas de madapolo, 30,
20500, 20 e.....10600
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e. 80500
Ditos de fltro, 50, 40,30500 e 20000
Ditos de sol, de seda, 120,
H0,70e......40500
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda....... 640
Sortimento completo de grava-
tas. 0
40000' Toalhas parroslo, duzia, 110,
90 e........60000
40000 Atoalhado adamascado de li-
nho vara......10280
20500 Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....40000
70OOO
30500!
30500
30000
40000
70000
70000
DE
JFAZEMDAS K ROUPAS FEIT AS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 250, 280, 300 e 350. casaras
muito bem feitas a 250, 280, 300 e 350, paletots acasacados de panno preto d-160 M
250, ditos de casemira de cor a 150, 180 e 200, paletots saceos de panno e case-
mira de 80 at 140, ditos saceos de alpaca, merino e 13a de 40 at 60, sobre de alpaca t
merino de 70 at 100, calcas pretas de casemira de 80 at 140, ditas de cor de 7* at
150, roupas para menino de todos os tamaitos, grande sortimento de roupas de brim.
como sejamcalcas, paletots e cohetes, sortimento de cohetes pretos de metim, casemira
e velludo de 40 a 90, ditos para casamento a 50 e 60, paletots brancos de bramante a 40
I e 50, calcas brancas muito finas a 50, e um grande sortimento de fazendas finas e moder-
as, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senbora. ceruubs
! de linho e algodo, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin jfera homem e se-
nhora. Temos urna grande fabrica de alfaiate, onde recebemos encommendas de grandes
| obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de semelhante arte e um
pessoal de mais de cincoenta obreiros escoltados, por tanto executamos qualquer ota-a tnn
promptido e mais barata do que em outra qualquer casa.


30500, 30 e.....20500 Lences de linho..... 30000
Colletes de velludo preto e de
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditas de cores 50
40 e........
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......
Ditos de gorgurSo de seda
pretos e de cores, 60, 80 e
Cobertas de chita chineza.. 20000
70000 Pennasd'aco, as mais superio-
40000 res, a grosa...... 600
; Relogios de ouro orizontaes.
30500 900,800 e......700000;
50000 Ditos de prata, galvanizado,
| patentes e orisontaes, 400 e 300000
50000 Obras de ouro, adercos, meios
adereces, pulceiras, rozetas,
40000. aneis e cruzes.
.A.
FUHDI^AO DO BOWMAI-RIJA ll
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortimento de
por amostra
enfeites para cabeca, eis que a aguia branca nma Pp(luoa quantidade de carteiras de molde nao
vwhe urna sua enmmmVnda de honitos o' commumJcom agn'has inglezas de urna admiravel
rtceoe urna sua encommenoa ae Donuos e SUperiordade. As carteiras traem aecommoda-
ados enfeites, e de modernissima moda,' damente qualro papis de agnlhas sortidas em
muito sen-indo isso para sanar aquella falta, grossuras, e estas na verdadesao de qualidade ain- m,-u^^",!^''^^"ul^^,7'u,,emu ts"a IVUW
e fazer com que as Exmas. apreciadoras da vista qui, o que fcil deconhecer-se pelo ch n_ smm propnos do' ftjncode assucar, a saber:
hell-i ernnre?! ("oimhra nnssim melhor real- seu bom acaba,mento, pois que sao perfeitamente Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
*"" polidas, pontas mni agudas ebem tiradas, e fundos Rodas d'agua de ferro com seus pertences.
ovaes Custacada carteiras, oque decertopa- Moendas e meias moendas de todos os lmannos.
rece caro, mas que apreciada a boa qualidade del- nj jj ___i___ A___x *""*"" ""
las,s terao a lamentar o nao vir mais deltas. Rodas dentadas, angulares e de espora.
Tambem veio igualmente caixinhas com alflnetes Taixas de ferro batido e COado.
dourados. e outros brancos, os quaes se vendem a Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
240 rs 320,500, 640 e 10, a caixinha, tudo isso Alambiques de ferro fundido.
na rua doQue.mado. .ojad ag.na branca n. 8. Fornosqpara ^ ^^
venderse T'Tua^udST*: d'Aguia Moinhos para moer mandioca.
Branca n. 8. Arados americanos, etc. etc.
Voltas pretas-------------------------------------------------------------------------------------------
A MARCA PA. ^_^^ 4 o J i
s desejadas voltas ^rf A OS bfS G Oigen/lO
sar e mostrarem o apurado gosto que as
guia. Esses enfeites sao d'um tecido bas-
tante fino com continhas d*aco, e mui bem
nfeitados com flores, filas, bicos, plumas
etc.. entretanto que sendo obra de muito
gosto custam 50, 60 e 70 dinheiro vista;
na espacosa e alegre loja d'aguia branca rua
o Queimado n. 8.
Albuns chi perfil mar as
Muitas veres aconteca a
. se offe
me se procurando urna
bella gulantaria para se offertar a urna sonhora ou
menina em seus anni versados, ou mesmo na
inirracao das mestras destas, se nao acliava cousa
que sa8fli8B60, agora, porm, j nao deve succe-
.ler assim porque na loja d'aguia branca oncontra-
rao pretondente bellos objectos para esse fim, so-
brc-saliindo entre elles esses bonitos albuns com
pu-fiimarias, cujo gosto o novidade Ibes d a pri-
mazia. A amia branca folgar de contonteae
^sas ofertas recahiivn sempre em suas piediiec-
tas frezueras, e (|uando assim nao seja, nao faz
mal, p'M-que a mimoseada reparando na singulari-
an> do objecto, querer desde logo alistar-se no
aumero daqnoWfi. Em todo o caso bavendo di-
>heiro. dirijam-se i rua do Queimado, loja d'aguia
?rien n. 8, quetudu se arrancar.
i^iegaram luvas de pellica para a loja d'a-
fniia branca, rua do Queimado n. 8.
Novas cintas casadas.
A reconhecida utilidade dessas necessarias cin-
Listicas fez com que em breve se acabasSem
as que vieraio da priineira vez, deixando assim
descontentes muitas sonhora^ qaeso nopoderam
prove di'llas, vista do que a aguia blanca man-
don buscar mais- algumas, que acabam de ebegar,
ainda mais pcrfeilas que as primeiras, isso por se-
' m menores; agora, pois. podem as senhoras ca-
badas prevenirem-sc, mandando-as comprar na
tojafguia branca, rua do Queimado n. 8. Sea
aguia branca precisasse de scme'.hante obra de
erto de#ta vez nao ficaria sem ella.
ESTABELECIMENTO COMMERCIAL
DE
[C.4LDERARII E FUMIljiO DE METAES,:
Mito na rua do Bram n. 40 jualo
a fiindieo do Hr. wniau. perieneenle a
Tlllaea Irmo A C.
Neste estabelecimento encontraro os freguezes um completo sortimento
de tudo que diz respeto as artes de cahlereiro, funHeho. latoeiro, firreirn e
fttndico, e os abaixo asssignados que o dirigem, promettem servir a todas as
pessas que se dignarem de os procurar, com promptido, sinceridade e pre-
cos muito rasoaveis. O dito estabelecimento estando montado em pon
grande, tanto no que diz respeto a pessoal, como em materia prima, e tendo
habis olliciaes, pode executar com toda a perfeicao c seguranca qiulqiwr
obra tendente as artes cima mencionadas e aToitamente podem es abaixo as-
signados assegurar ao publico que nenhum outro estabelecimento Ihe pode
fornecer mais barato e mais perfeito do que elles, visto que recebem de sua
propria encommenda todas as materias empregadas em ditas obras.
Alambiques simples e continuos de to- Sinos de 16 libras 8 arrobas.
dos os tamaitos e dimences. j Parafuzos de bronze e ferro para n>-
Machinas de cobre para destilar c res-' das d'agua.
tilar espirito at 40 graos pelos sys-; Torneiras de bronze e bronzes para
temas de Logier e Derosne. engenho.
Carapucas e serpentinas de cobre, e Encanamentos de cobre e chumbo de
estanho, avulsas. \ todas as grossuras.
Taixas e tachos de cobre para engenho Bombas para cacimbas, aspirantes e
e refinac5o. de repucho.
Paroes de cobre e todos os cobres ne- Bombas para destilaces.
cessarios para o fabrico do assucar. Ditas para regar jardins, borlas e
Cobres para rodas de moer mandioca. capim.
Machinas econmicas para lavar roupa Ditas para navios e barracas de vahas
o melbor possivel. ; qualidades e diraencoes.
(obre em lencol e arrodellas, estanho em barrinha, chumbo em
lencol e canos de toda6 as grossuras.
Yillarn Irmo r C.
larra.
pretas, mui eompridas e gradas.
naravllha das bellas, novos e
delicados enfeites para ves-
tidos.
E aprasivcl a aguia branca o ter de avisar a ,, end,,'sf na praca da Independencia ns. 37 t
sua boa freguezia, que acaba de receber pelo pa- ^y. eapellas de aljfar para se botar no ccraiterio SeBflft RlUllO l'CCOmmfnaana 8S casas OC
quete francez um bello soptiimnto de enfeites do [ bj^ n<> da de finatos com as ioscrlpcSes se- fymia as l>ai*r<|llinhas de 3 Ari'ObnS
No caes d'Apollo armatcm n. 5!5, de
Jos ftnarle das Neves, acha-se ven-
da a mais .superior l'arinh i Fontana
seda denominado maravilha das bellas, os quaes HJ]'Js '.
servem tanto para vestido de senhora como para 2',, mau
roupinhas de crianzas. Seus novissimos e delica- K^Jj P'J-
dos desenlios, suas escolhidas e bem acertadas co- Mnu, ?,??'
res fazemnm todo agradavel aosolhos de qualquer p.. niEo 3
vvente que saiha apreciar o bom. Assim, pois, a Minha n.,'
duvida osla om haver dinheiro, havendo-o, diri-
jain-se sem susto ao espacoso e alegre ninho de
aguia branca, rua do Queimado n. 8, que adiarlo
as verdades cima ditas.
e de 48 libras cada una.
Una lagrima.
Saudades, sempre vivas do apurado gosto desta
ainda nao vieram igual a este mercado.
Cal de lisboa c potassa da
Hnssla.
\'eiidi'-se na rua daCadcia do Recife n. 6, |ra
osde se muduu o amigo e acreditado deposito da
mesma rua n. 12. ambos os gneros sao novos e
legitirim>. o ?c vendem a preco mais barato do que
outra qualquer parte. _______________
Cal de Usboa
a ipais nova do mercado : na rua do Yigario n.
19, prlmeirQ andar. ____

Botica.
I'ilulas ingleas de pobre-homem.
Pilutas do Dr. AllaB.
Salsa parrilha de Brislol.
Remedios do Dr. Chablc.
I'ilulas americanas.
Remedios do Dr. Kemp. '
Rob l'Affectour.
Sortimento de papel para forro de salas e guar-
nieres : vende-sc na botica e drogara deB. F. de
Souza h C, rua larga do Rosario n. 34.
Cal de Lisboa
novaj. na rua do Yigario n. 19, primeiro
Yflae-se. a taber oinha do paleo do Terco a.
andar. 2">. com poOcos fundos ou nenhuns.
ArmaQes douradas
para cortinados vende-se por preco muito barato,
touibem vende-se urasof, 2 cadeiras de balaneo
estufada de molas a forradas de panno de couro,
modelo a Luiz XV : na rua da Ponte Vellia n. 8.
'arlaba de mandioca
Vende-se farinha do mandioca da melhor e mais
nova que lia neste mercado, no eserlptorio de Ma-
noel Ignacio de Oliveira di Filho largo do Carpo
Santo n. l'J, ou abordo do palhabote Vianuio. an-
corado no caes do baro do Livramonto. junto ao
patacho Hn/ulo.
FUMDICO
it? *
Cola do Baha
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
veao, no seu ateriptorio, rua ua Cruz n. 1
-- Vende-se um mulatinlio de l annos de ida-
de, muito proprio para pagem on bolieiro : na roa
da Cadeia do Recife n. 3.
E
BE
FRANCISCO ANTONIO CORHEIA CARROSO,
Rua do llriim. M. 89.
Acha-se novamente aherto este anligo e proveiloso estabelecimento, pro
executar qnaesquer encommendas de ferro fundido, batido ou de bronze, a
engenhos, com rapares ou sem elles, tudo com a maior promplido. perfeic*> e
modo preco ; tem varias obras promptas da melhor e mais so'ida cootru.r*>4** p
dem ser vendidas por metade de seu valor, como sejam :
Moendas inteiras e meias ditas de varios tamanhos, para engenhos.
Portas d'aguas guarnecidas de bronze com parafuzo de rosca quadrada.
Rodas do espora, carretas e rodelas angulares.
Parafusos e cavilhoes de ferro ou de bronze, rosca quadrada ou singla.
Agulhes fundidos de km c batidos para rodas d'agua e chutnaceiras -
Bronzes e torneiras de todos os tamanhos e qualidades.
Taxase fundos de alambique, de ferro fundido, de varios tamanhos.
Cnrose portas de fornalha de varios tamanhos e qualidades.
Urna machina de destillac3o continua do autorCollares.
FogSes americanos econmicos para casa de pequea familia.
Fornos de fazer farinha.
Tubos de chumbo de todas as grossuras.
Cobre em arrobas e folhas. dito, dito.
Folha de Flandres era caixas, bom sortimento.
Chumbo em lengol e em rolos de diversas grossuras.
E urna grande porco de t tafo
bronie que seria enfaoi
Espera, pois, o pro dacimento qt
prestar teda sua confian^'
BB
he benigno


aa.iai i mu i i ''
i I

w
jl
V
r
Diarlo de Pernamkuco > Sfei*ta leira t de O-UuHa* de & fts.
FAZENDAS
NA
Nova leja de Custodio, Carvalho
S7-RA 0ptEIMA.OO-T
orgaidis para vestidos a ttO rs. o covado.
lll|ll l
fino pnprio para eanaias a preoo de &4 a
Ufarla
de pMO de linho grasdes a #000.
Lentes
de panno de linho grandes a if-
Para mesa
pannos adamascados para mesa a I #500.
taaidaaapes
adamascados a 2J a duzia.
Tealhas
para atea pelo prece de 400 rs. cada urna,
fotfc arae*
proprio para ronpa d meninos pelo barato preco
de 3i0rs. cada corado.
Kntremnns
tinos bordados pelo barato preco de 1*300 a peca.
Baaaaes
borda* de todas as larguras peca 3800.
Gftlifitt&s
bordadas a 640, 800 e i*.
Camisinhas
de cambraia para senhora a 2#.
Bales
de arcos para senhoraa 35600.
Balcsmadade polio
dar meninas a 25300. ____________
O GALLO CANTA
\ao pOssivel que o gallo, vendo entrar em seu
ninlK) obioctos de elegante gosto, deixe de dar o
seu canto, annunciaodo aos seos fregueres. para
uue manden) ou venham ver para querer, a saber:
Enfeites
SO NA ARARA.
Esta-se liqaidMd B"ras qualidades de facen-
das por precos baratissimos, na loja cima da]
Arara, ra da Imperatriz n. 66, de Lourenoo P.
Mandes Guimaraes.
A Arara rende emsas a %%n r.
Ven-se eassas para vestidos a 200 rs. o covado,
cassa-organdis flna a 240,280 e 320 o covado, al-
pakim de linho para vestido de senhora a 240 o
IMJoa covado, eassas snissas de quadrifthos, a 280 e 320
o covado; na loja da Arara n. 56, de Mondes Gui-
arles.
Enfeltes da Arara a I0OOO.
Vende-se enfeltes para cabera de senhora a 15-
ditos garibaldlnos a 25, gollinhas bordadas, coiu
botaozrahos a 15, gollinbas sniente 320 rs., meias
cruas para senhora, mnito largas, a 320 rs. o par,
meias para hornera a 120 rs. e ditas para meninos
a )00 ; na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende casemtrasalfCMIO
Vende-se cortes de casemira inglezas escuras a
15600, ditas escuras infestadas a 15800 : tambera
se vende era covados a 15, pois tem dnas larguras,
e um covodo e tres quarias d um corte de calca:
cortes de casemira preta a 35300 : ra da Impe-
ratriz n. 56, loja de Mendos Guimaraes.
Oh que pcehincha a 2,500 rs.
Vende-se pecas de cambraia de earocinhos
brancas e de cores a 25300, ditas de salpicos a
25500, ditos de palmas solas de 1 vara de largu-
ra a 25, pec,as de cambraia brancas finas a 35 e
35500, pecas de eassas para cortinados com 20
varas a 95, ditas de 10 varas a 45300, na na da
hnperatrtz n. 56 laja e armazem da Arara, de
Mendes Guiraaraes.
Lencos de seda da Arara a 800 rs.
Vende-se lencos de seda de urna s cor muito
finos a 800 rs. ditos estampados a 15 e 15500 com
franjas, chapas de sol ou mareqnennhos para se-
nhora, com franjas e o cabo preto de 25300 a 35,
ditos para hornera a 55; na ra. da Imperatriz n.
56, Arara de Mendes Gaimaraes.
1 Arara vende ricas colchas a 8,000 rs.
Vende-se ricas colchas de velludos para cania a
'
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
I>B
tMmtmm&mx&mmmte.
TODOS
09
VAPORAS
se receben gneros de conta
propria e dos melhores esta-
belccimentos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer ge-
nero comprado oes
ESTABELECMESTO,
COMPLETO
S0UTIME.NT0 DE MOlflABOS.
vende-se era porcao e a reta-
lho, aprompta-se com toda a
presteza e exactid5o qualqaer
eneommenda dirigida a este
ESTABELEC11ENT0.
0 nuiu.
DE
Eduardo Marques de OHveira C.
a
53
s
3

e

y.
o
rfestes novos e grandes estabelecimentos de molhados, encontrar o respetova
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro, expostos en
todas as qualidades de gneros por menos preco que em quaesquer outro estabekrimef-
tos d'esta ordem, pois para bem servir os seus freguezes existe na Europa nm dot Ja-
cios para serem vindos de conta propria. diversos gneros, e desde ja encontrar o re-
peitavel publico sempre os melhores gneros do nosso mercado, e por precos baratr**-
mos como abaixo verao, a saber
Amendoasa 320 rs. a libra.
Avelles a 2oo rs. a libra.
Atneixas a 10 a libra.
Ditas em frasee por 2)5800.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita esrellinha para sopa a 560 rs. a libra.'
Massa estrellinlia para sopa a Soo rs. a libra.
\Macarro, aletria e talharim a 48o rs. a te-
Arroz pilado da India 100 rs. a libra e 3ooo i bra.
Os proprietarios do mnito acreditado armazem Progresso fazem sciente ao respeita-1 a arroba. J Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
'e t^SSita. vel publi> e com espeeialidade aos seus am^^ ^ l
*m rs
precos dos seus acreditados gneros, como abaixo ver5o nSo obstante os precos menciona-' Azeite doce francez 800 rs. a garrafa.
Chesarasi os riouissimos enfeiles e grinaldas de 45,cobortasde cinta a 25, cobertores
tlorcsTcousa mullo delicada e de muito gosto, pois de pello a 15600, lencos broncos Anos
,6 as sennoras poderao apreciar: s no vigilante, topetes para sala a 05. .-.-- -- D;to ( fiao rs ".,.
*, espo 7. ^ ^ai*^^^^jta.^ di **-**. ^. pm. quanto-se deseja servir ^^; Kerfde S'Sa a i> e 320
Tamban checaram os delicados ramos de flores quedecopim a 15 e 25 cada um, cortes de cam-1 mente aos nossos freguezes, advertindo-lhes que mandem seus portadores, que sero to' rs- a garrafa,
matizado de ludas cores, que seryerai para luc u ~ ni I nhora a 500 rs. : na ra da Imperatriz, loja. da *^
' Arara n. 56, de Mendes Guimaraes.
Cintas
Tambera chegaram os novos e delicados cintos
com ttwlla, guarnecida de pedrinhas e duas borlo-
tinhas no centro, cousa de muito gosto :
guante, na do Crespo n. 7.
Bandcijas
Umiissimas bandcijas de charlo e mitras quali-
dades de lindos desenhos, qne se vendan por pre-
cos baratissimos para acabar : s no vigilante,
ra ilo Crespo, n. 7.
Pomada real
Tambera chegaram os bonitos copos de porcel-
ana fina com basta e com lindos retratos, sendo
privilegiada pela rainba de Hespanha : so no vigi-
lante, ra do Crespn. 7.
Sabonetes de familia
Grande .ortimsnto de sabonetes para todos os
preco*, de superiores qualidades, a 160, 200, 2),
280,' 320, WO e 300 rs.; assim como estojas com
todos os reparos para limpar dentcs pelo barato
proco de 35000 : s no vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Delicadas tesaarkihas
Grande sorlimento de tesourinhas, tanto para
unhas, como para costura; assim como muitos
onlros otijectos de gosto, que nao possivel annun-
ciar pela grande variedade de sortimentos, cujos
precos serio menos do que em mitra qualquer
parte : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
H
vyo a mazenuU fazendas bara
tas de Santos C >elho
Rea lo Quetmado numero 19.
Vende-se o seguinte
Cobertas de chita
ila India pelo barato preoo de 25-
iMfM
de panno de linho a 25.
Lenres d bramante
de linho fino de um s panno pelo baratissimo
preco de 35-
Ricos vestidiuhos
de seda enfeitados para menino pelo baratissimo
preco de 15-
Ricas saias de fustao
polo barato proco de 55500.
Lencos de cassa
brancos tinos pelo baratissimo preco de 25 e 25i00
a duzia.
Cortes de calca
de ganga amarella de lista e quadros fazenda su-
perior pelo baratissimo preco de 15200 o corte
Pecas de madanolo
lino largo pelo baratissimo preco de 85-
Pecas de brcUinlia
de rolo com 10 varas propria para saias pelo ba-
rato preco de 35200 a pe?a.
Prcas de cambraia
de salpicos lina com 8 li2 varas pelo baratissimo
pceo de 45.
Aloalhalho de linho
com 8 palmos de largura proprio para toalha de
mesa pelo barato preco de 25500 a vara.
Laazinhas de qnadro
de gostos inteiramente novos pelo baratissimo
proco Bramante de linho
com 10 palmos de largura fazenda superior pulo
baratissimo preco de 25300 rs. a vara.
Pecas de cambraia
adamascada fina com 20 varas para cortinado pelo
barat preco de 105 a peca.
Fil liso
lino pelo baratissimo preco de 680 rs. a vara.
Esleir da India
de'4, 5 e 6 palmos de largura propria para for-
ro de sala.
(.iUMlELlQUIlUGiO
Na loja de funileiro, ra da Imperatriz n. 65, ha
nm completo sorlimento de candioiros para gaz
de lindos gostos por menos proco do que em outro
qualqoer lugar, para liquidar.
Gaa de primeira qualidade era garrafas c latas
por procos nunca vistos, para liquidar.
Machinas de metal para fazer caf.
Chicaras e pires tambera do mesmo e de pate.
Assim como um sorlimento immenso de obras de
follia, tudo por preco muito resumido para assim
rediuir a dinlieiro, e bem servir aos seus fregue-
zes |ara liquidar.
llallas grandes a 75, 55 e 45000 para liquidar.
Bacias grandes para banhos, folha dobrada a 65,
i5 e 35000, para liquidar.
O dono deste estabelecimento, para fcilmente
nounar a alguns de seus freguezes, c quelles que
morara em outro bairro as passadas, tem um ou-
tro ustabeleciinento sea na na Direita n. 31, onde,
pois, acharao tudo o que precisaran pelos raes-
nirts precos, tudo Para liquidar._______________
-- Vi' e-se ou hvptheea-se barato
um terreno a Ierra rio, coutendo 140
palmos talee 260 de(Mt,del- ^^tebloZ
lando frenle para duas ras, sendo
urna para a ra da Concordia a outra
|i i-;i a do Atecrim, assim come outro
Madapoli* infestado a 4,000 re,
Vende-se pecas de madapolao francez infestado
fino de 12 jardas a 45, 45500, dito ingles fino,
marca Mono, 75500 ; dito marca Hainha a 75,dito
marca HH a 85, dito n. 6,85500, dito n. 7,95300,
dito depilante fino a 105, algodao muito incorpado
a 45,45500, 55 e 55500 pechineha, brim d
linho a 15280 a vara, dito a b40 rs., dito fino de
de algodao a 280 e 320 : no ra da Imperatriz n.
56, loja 4a Arara de Mendes Guimaraes.
A Arara vende balSes a 3,000 rs.
Vende-se baldes de arcos americanos, os melho-
res que tem vindo, de 15, 20, 25, 30, 35 e 40 ar-
cos, pelos precos de 35, 35500, 45 e 55, ditos de
brilhantina a 45 o 45300 : s na Arara, ra da
Imperatriz n. 56, de Mendos Guimaraes.
Chitas a 200 e 210 rs. o covado.
Vende-se chitas de cores llxas a 200 rs. o cova-
do, dilas francezas cora pequeo toque de mofo a
240, ditos limposa.320, 340 e 400 rs. o covado,
chitas em corte, finos a 25000, ditas francezas a
25300, cortes de ciscados francezes com 14 cova-
dos, fazenda nova a 35 : s na Arara, rna da Im-
peratriz n. 36, loja de Mendes Guimaraes.
Lazinbas da Arara a 320 rs.
Vende-se laazinhas finas de quadriuho para ves-
tidos a 320 e 400 rs. o covado, ditas com o palmos
de largura, de urna scr, a 500 rs.; ditas de qaa-
drinhos a 300 rs., capas para senhora a 105 e 85 ;
roupa feta para horacm, calsas do casemira da
Escossia a 25, palitots de meia casemira a 25300,
.15300 e 45, cemisas francezas a 25, ditas d lis-
tas a 25300 o 35, ceroulas de linho a 15600 e 25 :
na ruada Imperatriz n. 36, loja da Arara.
\Unirn para todos,
Eu abaixo assignado declaro aos devedores da
firma de Magalhaes & Mendes, o favor de virem
pagar seus dbitos, e juntamente queHas pessoas
que tem negado dividas, o favor de pagaren), do
contrario se declara os seus nomes por este jornal,
e serao cobradas judicialmente, conforme a lei.
Ra da Imperatriz, loja da Arara, n. 56.O liqui-
datario da firma Magalhaes A Mendes, Louronco
Poreira Mendes Guimaraes.
$ 'Tf.uiic da Moda.
AGUA FLORIDA
De Imraj t Lanman.
Esto raro qaia qnasi'que inextingiuvel e to ciieio de
mimosa fragraaen (! frescura como o
delicado hciro das propiias verdecen-
te.- flores. Durante os mezos caloren-
tos i!o verio o seu uzo toina-se iiuiucu-
tementc nprnnivel e desejavcl em con-
equencia da inflnivicia refrgirante a
suave qne ella produz sobre a pelle:
em qianto que tizada no banho ella
imparte o corpo langurdo e caneado
nina corta elastieidade de vigor e forca.
Ella imparte transparencia as feigdes,
e remow pannos, sardas e berioejas di
obre a pelle.
0 WWl GIHHUL DE KEMP
PARA OS CABELLOS,
E uina preparaco adiniravel para lim-
par, aformosear, coD6ervar e restabele-
cer os cabellos.
A venda as boticas de Caors & Barboza,
ra da Cruz, e Jofo da C. Bravo 4C, ra
Manteiga ingl^za perfeitamente flor chegada
no ultimo vapor a 800 rs. a libra.
dem de 2.a qualidade a 76o rs. a libra.
dem de 3,1 dita a 64o rs. a libra*
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
Manteiga francesa a mais nova que ha no mer-
cado a 080 rs. a libra, e em barril ter aba*
timento.
Banha de porco refinada a 520 rs. a libra.
Vinho em pipa Porto Figueira e Lisboa a 4oo,
48o, 5oo, 56o rs. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,ooo rs.
dem embarrilo mais superior que tem vin-
ao mercado a 600 rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
,00o a garrafa e a io.ooo a caixa, o preco
nao indica a qualidade d'este precioso vi-
nho, porm venhamao Progresso que a vis-
ta faz f, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
demos vender por menos que outro qual-
quer annunciante.
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre-
ditadas e especialmente escolhido por um
de nossos socios, comosejam:Cames, Du-
que, do Porto, D.Luiz, Carcavellos, Cha-
misso & Filho, Madeira secco, e Feitoria a
)oo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com
12 garrafas.
GarrafOes com especial vinho do Porto con-
tendo 5 garrafas a 2,5oo rs.
dem com 5 garrafas de superior vinho Fi-
gueira a2,4oors.
dem com 5 garrafas de vinho Lisboa
2,loo rs.
Vinho branco de Lisboa proprio para missa
vindo j engarrafado de Lisboa a 64o rs.
a garrafa.
dem em barril muito superior a 000 rs. a
garrafa e a 4,ooo e 3,800 a caada.
Ameixas francezas em caixinhas de 1 4/a, 2
e 3 libras elegantemente enfeitadas com ri-
cas estampas na caixa exterior a l,3oo
l,6oo 2,ooo e 2,5oors.
dem em latas de, 1 /* e 3 libras a 1,4o e
2,6oo rs, cada urna.
de comadre em bauzinhos de folha
muito proprios para mimo a l,6oo.
dem em caixinhas a l,4oo rs.
dem em caixinhas emticamente lacradas
e muito bem enfeitadas a l,8oo rs.
dem a 2oo rs. a libra.
Farinha de MaranhSo muito alva e cheiroza
a 16o rs. a libra.
crela.
Batatas inglezas a 60 rs; a libra e !,8oo a
arroba.
Banha.de porco a 55o rs. a libra.
, Bolachinba de soda a 10400 a lata.
Toueinho de Lisboa a 32o rs. a libra e a 9,ooo Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
ra, arroba. rica a 30000.
Sardinhas M NantM a Wo rs a lata Cn hysson a ^10 a Ubra-
tatanam ae Nantes a 36o rs. tala. | DikJm Rm a um a ^
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. agarrafa ea Dito miudinho a 20800 a libra.
4,800 rs. a caada. ; Dito do Rio a 10800 a libra.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e a .Dito preto a 10900 a libra.
l,2oo rs. a caada. Charutos de diversas qualidades a 10200,
Garrafoes com 5 garraas de vinagre de Us- 10500 e 30 a caixa.
boa a l,loo rs. Champagne a 10 e 10500 a garrafa.
Champanhe das marcas mais acreditadas a Chouficas a 560 e 600 rs. a libra.
8 e a lo.ooo rs, o gigo, e a 800 rs. e a' Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
l.ooo rs. a garrafa. : Cafem grao a 300 e 320rs. a libra, e 90 e
Serveja preta marca T e XXX a 6,5oo e'9*20?.8 aTI^- ,.K
7,ooo rs. a duzia, e a 600 rs. a garrafa, ,t0 n\0,t, a k360 a llbM- ._
tambera temos das mesmas marcas-para 4, g0^ e ?0Taba a 56? rs- caix5- aCft
e 4,5oo rs. a duzia, e a4oo rs. a garrafa., Espirito de v.nho de 38 graos, a 280 rs. a
0 garrafa.
dem branca Te cobrinhaa5,5oo e 6,000 rs, Farinha do MaranhSo a 160 rs. a libra,
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tarabem ha Dita flor de laranja a 10 o frasco,
para 4,000 rs. a duzia. | Feijo branco muito novo a 440 rs. a cuia.
Graxa em latas grandes l,3oo rs. a duziaip'gn/Ka 3?^aJ^ra- ... m _
a in r 1 lata Genebra de Hollanda em botijas a 5oo rs.
izo rs. .! laia. ; j^,Hambrjrg-jeza a 44o a Dotija
Vassouras do Porto arqueadas de ferro obra' Gomma d'araruta a 100 rs. a libra, e 20600
demuita duracoa 4oo rs. cada urna. a arroba.
Graixa em latas a 120, e 15300 a duzia.
20 ?
Figos
Passas de carnadas as mais novas que ha no
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,000 rs. a
caixa.
Salmo em latas
800 rs.
emticamente lacradas a
Capa para sehoras.
Xa rna do Quriraado n. 11 leja de Augusto Porto.
E chegado no ultimo paquete francez a este
L"nnil nld 11 terreno juit ao Oazoiueiro conienflo ge rapas de seda dos uuimosgo^ d9 PariS) bor.
taillliClU 140 pallUOS C fl'Cnle e 400 ue. dadas e enfeitadas ; um grande sortimento de ca-
niwti ni 1 k 1111 menos deilamU mizas in8|ezas de ,inD0 mnito finas a 405000 a du-
OlH.lls OU llienos, !; lia ura granae SOrtimento de camizinhas borda-
tambeni pai*a dlias mas. das para senhora a; las para vestidos a 400 e 500
-^^^^--------------------- rs. o covado ; chitas matizadas escuras, Anas e
l *9AO o sacco I cambraias flnissimas a 320 rs, o covado; colleri-
abordo do patacho Regulo,
: trata-se com o capito a
o Luiz de OHveira Azevedo
roa da Cruz n. 1.
geravcis.
de obra da Vctor Hugo em
10 voluntes, trad Bi em iiortugucz, com excel-
lente encadcrnaeS Hfcilo bom papel; na ra da
Imperatriz n. 60, e na ra da Cruz n. 52, loja de
Jo-.- Barbosa do Mello-
PotaMa nacional.
Vende-se superior potassa do Rio de Janeiro, da
mais nova ne ha no mercado, a^reeo mnito eom-
modo t no Ia>o do Carpo tonto, escriptorio de
Jtfanoel Ignacio de Oliveiri dt Filho, n. 19.
sol inglczes de 80,90,100, 120 e 130000 cada
um ; casimiras finas de cores para paletots c cal-
gas etc.; chapeos pretos e de seda para homem -,
toalhas para mesa, guardanapos grandes e pe-
Suenos ; naletots de casimira e de panno preto fino
e 150,160 e 225000; mais urna pechineha ca-
simiras de cores enfestadas a 10800 o covado :
isto s na loja da ruado Queiraado n. 11.______
A praaw en n dlnhelro.
- Vende- urna excellente bareaca de 28 a 30
caixas, mnito bem construida e aparelhada : a
tratar na rna do Apollo n. 4, primeiro andar.
Vende-se
um sanctuario de Jacaranda : na ra da Impera-
triz loja de marcineiro n. 25.
Lagostim em latas grandes a l,4oo.
Savel, corvina, cherne, vezugo, peixe espada^
preparados pela primeira arte de cozinha a
a l,3oors.
Queijos flamengos chegados no ultimo va-
por a 2,4oo rs.
dem do vapor passado a 2,2oo 2,ooo e
l,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
Doce da casca da goiaba caixes grandes a
600 e9oo rs.
Chouricas as mais novas que ha no mercado
a 48o rs. a libra.
Chouricas mouras eneommenda especial nos-
sa a Soo rs. alibra.
Prezunto verdadeiro de lanaego em calda
de azeite 5oo rs. a libra
Bolaxinha ingleza a mais novas que ha no
mercado a 2,000 rs. a barriqumha com
1 arroba, e a 24o rs. a libra.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
res.
dem em latas grandes, proprias para lunche,
com 5 a 6 libras por 2,4oo rs.
Marmelada imperial do fabricante Abreu e
outros conserveiros de Lisboa a 6eo rs. a
libra.
Frutas em calda de todas as qualidades a
Soo rs.
Ervilhas francezas a Soo rs. a lata.
dem portuguesas a 64o rs. a lata.
Massa de tomate a 64o rs. a libra.
Amendoas confeitadas a 7oo rs. a libra,
dem de casca, mole a 28o rs. a libra,
Avelans a 2oo rs. a libra.
Palitos de dentcs massos grandes a 2oo rs.
e 28o rs.
Paltos do gaz 20 rs. a caixinha e 2,3oo rs.
a groza.
de Al porche chegada no ultimo vapor
s de 2 libras a 800 rs. pechineha.
bra de Hollanda garrafoes com 16 gar"
rafas por 6. Soo rs.
dem em frasqueiras a 6,3oo rs. e 6,Soo rs. ea
56o rs. o frosco afianca-se ser verdadeira.
dem de botija em barricas com quatro du-
zias a 44o rs. cada botija.
d em de laranja em frascos grandes verda-
deira italiana a 1,00o rs. o frasco.
Marrasquino de zara a 72o rs.
Licor francez de todas as qualidades em
garrafas de vidro brancos a 72o e 800 rs.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que tem vindo ao mercado a 72o e 800
rs., e em caixa a 7,Soo, 8, e 8,2oo rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol e
outros a 800 rs. a garrafa.
Conservas inglezas sortidas e de urna s qua-
lidade a 800 rs. o frasco.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
Gomma de engommar muito alva a 80 rs.
a libra e 2,2oo rs. a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 16o rs. a libra.
Sevada muito nova a 12o rs. a libra e 3,2oo
ss. a arroba.
Macarro a 32o rs. a libra.
dem e talharim o mais novo que ha no mer-
cado a 4fco rs. a libra.
Aletria a Soo rs. a libra.
Arroz carolino a loo rs. a libra e a 2,8oo rs.
a arroba.
dem do Maranho a 12o rs. a libra, e a
3,ooo a arroba.
Caf do Rio o mais superior que se pode de-
sejar a 32o rs. a libra. .
dem a 28o e 3oo rs. a libra e a 8,2oo, 8,4oo
e 8,7oo rs.
Velas de carnauba refinada a 32o rs. a libra,
e a lo.ooo rs. a arroba.
dem de spetmcete a 64o rs, a libra.
Chocolate hespanhol e francez a 9oo e l.ooo
rs. a libra.
Estrellinha e pe\ide muito nova a too rs. a
libra, e a 2,ooo rs. a caixinha com oito
libras.
Chi perola muito especial chegado neste ul-
timo vapor de eneommenda particular
nossa a 2,8oo rs. a libra.
dem huxim muito superior a 2,7oo rs. a
libra.
dem hyssun a 2.56o rs. a libra.
dem hysson a 2,000 e 2,2oo rs. a libra.
dem preto homeopathico e muito superior a
2,000 rs. a libra.
dem nacional a l,6oo rs. a libra.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e de todas as marcas, como sejam: sus-
piros, havaneiros, messecipes,. regala im-
perial, flor das mattas, primores a 4,ooo,
3,5oo, 3,2oo, 3,000, e 2,8oo, 2,3oo,
2,oooe l,6oo rs. a caixa.
Genebra em garrafoes de 11 garrafas por
40600.
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito em garrafas grandes de superior quali-
dade a 10500.
Manteiga ingleza flor a 800, 900 e 10 a libra.
Manteiga franceza a 600 e 64o rs. a libra.
Dita hollandeza a 72o 800 rs. a libra.
Mstarda a 640 rs. o frasco.
Previne-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima sao de boa quali-
dade, e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annunciados.
Palitos para dentes a 180 rs. o masso.
Phosphoros do gaz a 20500 a grosa.
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a
20500.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Cenejas de marcas superiores a SOO, 560
600 e 640 rs. a garrafa, e 50500, 60
6500 a duzia.
Dita em barril por 40, e 210 rs. a garrafa.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantcs a 360 e 400 rs. a h-
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toueinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 160 rs.
Vellas de spennaecte do gaz a 1,2oo rs. a
libra.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 libras por 40OCO.
Ditas de carnauba a 400 rs. a libra.
Ditas de composicao a 360 e 380 rs. a libra.
Vinho do Porto, caada a 50500, garrafa a
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 40 e a garrafa a it
rs.
Dito Figueira, caada a 30810 e a garrafa
480 rs.
Dito dita superior, caada a 10 e a garra*
a 500 rs.
Dito Estreito, caada a 30200 e a garrafa a
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 e 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa em garrafoes de 5 garra-
fas por 10400.
Dito em caada a 20, e a 260 rs. a garrafa.
Vinho do Porto era garrafoes de 5 garraai
por 25500.
Dito dito engarrafado a 10 c 15200.
Dito lagrimas do Douro a 1/iUO a garrafa.
Vinho branco de Lisboa a 720 rs. a garrafa,
e 50 a caada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, c a 105OT
a caada.
INJECCO E CAPSULAS
VEGETAES ao MATICO.
GRIMAULT E G'.A PHARMACETICOS EM PARS
Novo tratamento preparado rom a? felhna de MhIIco, rvore da Pera,para a cura rpida c i.iaili'.'el
da Gonorrhea sem receto algum da contracto do canal ou da iuflaumiac,o do intestino.-. O lUliv
doutor nirard, de Pars, ter renonciado, desde sua apparicao, ao emprego de qualquer outro tratamento.
Emprega-se injecr* no conieeo do fluxo. as capsulas rm todos ns casos ebronicos e inveterados, que
resistirlo s preparaQoes do copahu, cubeba e s injecedes com base metallica.
Oofitto geral: em Tari, em casa de MM. Grimaail e c, pharmareutiros, 7, ra de la Feuillade;
em Lisboa, J*s-Acotlnk* da Coata-Carvalho Jnnlor; no Porto, Mlgael Jaae de Soaaa-Fe*-
reir; un o lio-de-Janeiro, Oeataa, 102, ra S. Pedro; cm Baha, JOHr-Caetaae Ferrelra-8aaaa>
helra; em lio- Grande, Joaqun de Goilay; em Maranho, Fcrrelra C"; em 'ernambuco,
snoum e c., roa da Cruz, 22 Sonsa, e as principaes pharmacias do ltrazil.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros A Barboza.
LIQUIDAN!!!!
ARMAZEM CONSERVADOR
DE
JDAD'JIIIII 3 1DD3 SASnttDS,
N. 21LARGO DO TBRQO-N. 21
Avisa-se ao respeitavel publico que mudou-se do seu estabelecimento ilc i
denominado conservativo em consequencia de percisar concert, que obrigou-se
os gneros e por ser grande quantidade, est resolvido a vender por menos de
/o do que em outra qualquer parte garantindo-se a superior qualidade de qualquer ge-
nero comprado neste armasen.
Garrafoes com vinho Figueira mandado vir por conta propria por 2^000.
Vinho Batatas novas a 40 rs. a libra e a l,2oo rs. a arroba ou caixa.
Cha do melhor que ha nj) mercado a 2,800, 2,Sooo e 2,ooo rs. a libra.
Manteiga frinceza de muito boa qualidade a Soo rs. em barril e 560 rs. a libra,
dem ingleza perfeitamente superior a 72o e 8oo rs. a libra.
Tijollo francez de grande tamanbo a 14o rs. cada um.
Bolacbinhas inglezas a 2,ooo rs. a barrica e 2oo rs. a libra.
Velas de espermacete, Aracaty e composicao a 36o, 4lo e 63o rs. a libra.
Palitos do gaz sem avaria a 2oo rs. o maco e 2,3oo rs. a groza.
Milito alpista muito limpo a 160 rs. a libra, e arroba 5,ooo rs.
Alem destes gneros ha outros muitos que enadonho seria menciona-los, vnde-
se a dinheiro.
AGENCIA
DA
FNDICAO DE L0W-M00R.
Rna da Srnzalla ora n. 12.
a
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.___________
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston d C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
Contina a estar fgido desde abril do cor-
note anno o escravo comprado ao Sr. Manuel da
Gama Romeiro, morador era Santo Amaro da S*n-
nhaem, d de idade, pouco mais ou menos, bonita figura, a*-
to, espadando, pouca barba, olhos esbrao^H^V
dentes alvos o perfeitos, pos grandes, dedos
separados o desunidos, nnhas achatadas, eqoando
atemorisado gagueija ; consta que tem sido vate
no sitio do Arraial ou Casa Porte, inoradla .do Sr.
Manoel Romeiro de Gouveia : quem o opprebendrr
e entrega-lo a seu senhor, Francisco Manoel de Sou-
za Oliveira, no engenho Jassir ou Cachoein, em
Serinbaem, ou nesta praca, na ra Direita n. 'X
ser generosamente recompensado.
ESCRAVOS FGIDOS.
Fugio em das do mez de abril do corrente
anno, u eacrauo Manoel, de naci, idade de SO an-
nos, pouco mais ou menos, com os signaes seguin-
tes: tem a perna direita torta, bocea grande,
beicudo, sem barba e anda qnasi sempre embria-
Sdo, foi escravo do fallecido Joaquim de Paula .- .,..-....
pes : quem olapprehender leve-o rna da Ca- ou ra da Imperatrix casa n.
defa n. 33, segundo andar, que ser recompensado. I mente se gratificar.
Acha-se ausente a um mez a mulata AoasU-
cia, altura regular, cheia do corpo, andar
sado, tem ambas as maos foveiras de qneimadora,
tem marcas de custicos no pescoco e so seiio,
cuja mulata bem conhecida por andar vendiendo
tocas, sapalinhos de lia e outras vendas nao s
nesta praca como em Iguarass, 8. Looreaco di-
versas partea tem sido encontrada veadendo <*
mesmos objectos nesta praca, Apipncos, Casa For-
te e na Estrada Nova : a pssoa que a pe****:
ve-a ao Monteiro a Francisco Rodrigues do Pa*"

~_


ttlWlo de Pernantnucd t Htxin Mr 9 de OiKhI.io de i HAS.
LITTERATRA.
flcar a algans kilmetros deste ultimo ponto,
operarlos trabamtm com toda a eoniten<\
fiQtaM esli bemguardadas quaiquer Maque
tra elles quasi impessivel, e seria prevenido
de so executar.
O qne ae pelo ninudo.
0 commandante superior de Vera-Cruz 'dlrigiu
.10 ministro da guerra un acto de adhesao ao novo
imperio do Mxico, assignados pelos notarios da
cidade. O perfeito de polica do districto, delega-
do pelos seus eoncidadaos. fui junto ao comman-
dante superior seguido de um grande concurso, I
para lhe entregar essa adhesio, e pedir-lhc que a O estado sanitario de Vera-Cruz deixa algu-
transmitta a S. M. o imperador dosFranrczcs, como ma cusa a desojar, mas as cliuvas comegam ; es-
a oxpresso do reconhecimento do paiz. A mensa-1 Pera-so que ellas modifiquem a situado.
gem acompanhada da seguinte carta :
. Mxico, 10 de julho de 186.1.
Os guardas iscaes das Trras qnentes com-
mandados por chefes mexicanos, escoltara os com-
boyos, fazem a polica das' estrada?, e protegem
principalmente o caminho de ferro, por meio de
continuos reconhecimentos.
' Senhor commandante superior :
Apresso-uic a rcmetter copia legal do acto
assignado palas autoridades e por um grande nu-
mero de |>essoas consideraveis da cidade de Vera
Cruz, que auuerem inteiramente a proclamacao da
assembla dos nobres do Mxico, a qual declarou
o tmperio mexicano constituido sob o governo do
principe Maximiliano d'Austria.
Tenho a mais completa satisfagao em ser o
orgao que serve para transmittir os sentimentos de
que a cidade de Vua-Cruz est animada. Ella v
Na contormWade das ordens que e tem da-
do, as tropas que chegam de Franca, nao fazem
s do que atravessar Vera-Cruz.
< Vae meu fliho vlnga teus irmao e a tna pa-
tria, e volta depressa com as nossas legies victo-
riosas
O gabinete^inglcz pablicou ha pouco a corres-
pondencia offlctal relativa etoiga do principe Jor-
ge de Dinamarca para o throno da Grecia, e ao es-
tado interno do reino hellcnico.
lista correspondencia compreliende um periodo
Apenas des-
embarcara, tomara o caminho de ferro, e rio a-
caropar em Purga, aonde as febres sao menos
intensas. Apenas desembarca o material, organi'
sam-seos comboyos para o Mxico e poslos inter-
medios.
O Sfonitenr L'nnersal
noticias do Mxico :
publica as seguintes
N'um despaclio datado de 13 de julho, orna-
rechal commandante em rhcfe do corpo expedi-
| conario do Mxico parteeipa ao marcena! minis-
na declaracao da assembla dos nota veis do Mexi- tro da guerra os- acontecimentos occorridos desde
co, urna garanta feliz de paz, de ordem, e de pros- o seu relatorio de 25- de lunho-.
peridade; tem f n'um governo que, respeitavel e
respeitado tanto no paiz eorno no estrangeiro, ha
de por termo aos infortunios e anniquilamento pro-
duzidos por tantos anuos de narchia.
Este acto foi-me entregue para ser enviado
S M. o imperador dos Francezes, como um teste-
munlio de gratidao pela magnanimidade com que
se dignou eslender a mao protectora e generosa ao
povo mexicano, alim giio e do sea abatimento. Segundo o caminho da
ordem e da civilisaeao, o nosso paiz ha de ver rea-
lisar o destino que parece estar-lhe reservado pelos gnintes mstruegoes : --Vigiafr que as tropas fran
ricos elementos de que a Providencia o dolou. eczas c afiladas observem una exacta disciplina *
Espero, senhor commandante, que vos digneis' P30'00*1* 'P*T. promover a seguranga as estra-
encarregar-vos de depr aos ps do throno de S.; das' recons,roir as autoridades, restabeleeer a co-
M. os votos da populado de Vera-Cruz, represen- agem cm Pessoas bea> intencionaos, e
4ada ntea'jAkaM m.i* .linos m, .i,., Ifazer compreheoder aos povos one devem defn-
veis.
t Muitas columnas sabidas do Mxico oceu-
param Tlascola, Toiaca, Buenavfeta e Tezcoco.
t Estabeleceu-se na estrada de- Pnebla para o
Mxico, postos em certas distancias que permu-
ten) formar pequeas columnas volantes destina-
das a perseguiros guerrilheiros-; em toda a par-
te os povos pedem o nossa appoio.
t Deram-se oflens para- a occupaeao de Mina^-
litlan e de Tampico.
Os commandantes militirts receberan as se
pelos cidadaos mais dignos e mais respeito-
Aproveito esta oceasiao. senhor commandante,
fie. O perfeito do districto7/. Bineau.
O presidente Jurez publicou o seguinte ma-
nifest ao povo mexicano:
S. Luiz Potos, 10 de junbo.
* "Mexicanos:
Movido.por graves eonsideraroes necessarias
der-se contra os guerrilhas, qs s'cessarSb de
os perseguir quando Ihes viren mostrar rtgnma
energa.
O estado sanitario de drizaba e de Cordbra
bom ; no Mxico nao tnha variado- sensivetaiente
nos ltimos quinze das.
Durante a primeira semana de junbo, asearas
do caminho de ferro tomaram maior- actividade-
comquanto fossem contrariadas pelas cliuvas;..o
da nossa nacao, ordenei que onosso exer- engenhero francez encarregad -dos trabalhc*es-
co evacuaste a cidade do Mxico, retirando os !* numerosos materiaes de guerra que al haviamos 16^ a Soledad.
aglomerado; e qniz qne. a cidade de S. Luiz Potosi I A siluagao poltica do paiz cHiora sensivelC
fosse provisoriamente a capital da repblica. A-mente depois do governo haver do proclamado-'
primeira (Testas resolugoes executou-se; a segn-! o niarechal Foroy conGrma a noticia db assassoa-
da comeca a vcri(icar-se com a instalaeao do go- j io do general juarista I.a Llave, morto pela sua
\crno supremo nesta cidade, que offerecc tanta! escolto, com o flm de se apoderante dinheiro qae
^cuidado para sustentar a guerra contra o inimigo tnha consigo ;o general Ortega devou a sua satr
d.i nossa importante e amada patria.
e No Mxico, assim como em Puebla de
en, podrmos repel ir os Francezes, c nao
vacao ligereiza do seu cavallo r este facto peo
Saraso- duziu' seBundo se dz> uma grande sensa^ao en-
tre os chefes juaristas, que j nio- ousam fia-se
nos scus soldados. O coronel Valdez, do execci-
lo juarista, hooiem influente, fez, a 9 de julho, esa
Toiaca, a sua subraissao ao general Bcrtier, eoai
as tropas do seu commando compostas de uns 800
horaens.
O niarechal Forey dirigiu um novo manifes-
t aos dissidentes ; o prmeiro tinha sido bera.re-
cebido em toda parte aonde chegara. O proprio
general Doblado deixou que elle fosse afftxado.em
Queretaro com alguns commentaros favoraveis,
A presenca do coronel Aymard, em Pachu-
ca, permiltiu que podesse continuar em. nosso
proveito a explora^ao das minas do Real del-Mon-
tc : comboyos com prata em barra se dirigem to-
das as semanas para o Mxico, como anterior-
ceder
senao invencivel necessidade Mas nao convm
aceitar estos situaeOes desgracadas, com quanto
gloriosas, ncm pensar senao na nossa honra, como
se tivessemos perdido a esperanea da nossa fortuna.
t O inimigo concentrado n'um ponto como est,
deve achar-se braco nos outros; dissiminado, hade
estar fraco: e vr-se-ha obrigado a reconhecer (jue
a repblica se nao cncontra s as cidades do M-
xico e de Sarago?a que o movimento e a vida, a
conscieneia do direito e da forra, o amor da inde-
pendencia e da democracia, o nobre orgulho susci-
tado contra a inqua invaso do nosso territorio,
sao sentimentos que existem entre todo o povo me-
xicano, e que essa maioria suhmettida c silenciosa,
com o concurso da qual Xapolcao III conseguu c J menle se praticara.
jusficou o maior attentado que o seculo XIX viu, 0 g(.nera, ,,orev d nformacrK>s sobrc a maneira.
Bao mais do que uma chimera inventada por um
Lando de traidores.
t Na realidade, ojaMnio dos .Estados-Unid, da Polonia nacidadea de Vilna estao milito-
nao fez a menor relMMt|o ao goterno do impe- propietarios do reino. Um delles, Mr. Bogus-
rador contra o M i ebendido ltimamente com um trans-
eza afio mexicana intoiraroente conorme, porte de armas, no districto de Marympol (reino
com o seu direito de estado' independente. Um da Polonia) pelos esbirros de Mourawieff, foi mor-
protesto do governo dos Estados-Unidos nao tea to com uma punhalada.
pois a menor razao de ser, e nada ha que deixe Escrevcm de Vilna que as victimas da barba-
pensar que aquelle proprio governo pense de r'dade de Mourawieff se tornam cada vez mais nu-
outramaneira. merosa. ltimamente foram fuzlados napraca..
; .i i u fra da cidade, Estanslau Kozakowski e Miguel de 1atro mezes. O nico documento de alguma
A commisgao nacional polaca pnb heon uma stan7ew8ki -.. ... j.
^ 1- ^.ii w i..*- o unportancia que ali se encontra e urna carta de
nova proclamacao, em que appella para os povo da A r"
Europa. meroso
A commissao faz um convite para se ligarem
contra a Hussia : desse documento extrahimos o
facto que a commissao invoca para solicitar as
syropathias a seu favor:
Nao c o levantamento geral da nacao, nem
que triplique o numero dos eombatentes. em rea-
cao a aquelles que boje possuimos; nao isso que
invocamos, mas siin o restabeiecimento do nosso
organiamo nacional que desejamos ver funotloDar
apezar de todas as peais- externas, e a necessWade
em que a Russia est de dirigir os seus .ataques
contra a natureza humana! e" contra a efdem divina
das c ousas.
Xascombinacoes humanas nao exisite meio al-
gum capar de manter o que contrario natureza
das coueas.
O facto em que nos fundadlos, o poder abs-
hito dogwei-no nacional sobre tildo que tircr um
nmne poltico, baseando-se essepodh unkamentevo
refonhecintntb voluntario.
c Este facto falla bem alto para irnem sabe qne
um exercito de-300,000 velhos soldados defendeo
poder da usurparlo, para quem sab>, e todos sao
obrigados-a saber, mesmo que nao queiram, que v
Russia pune com amorte a menor obediencia ao go-
verno nacional, todas as vezes que pode.
em presenca'dste facto que a Polonia so di-
rgela vi, povos e gorrnoe, pelo orgab'do sen ge-
verno nacional.
interesante repfodnzfr o que a commissao diz
dos seis pontos:
Sabemos tambera qne esta luto nacha deaca-
bsr senao quando esti ver rowpletamente-sfttisfeita a
ne9?a sede d independencia^
* O occidente julgoo, emvao, que n.-satisfa-
ria:* reformas- parciaes.
c Para ne-nao ha sa*Va{ae> senao tiveemos ga-
ranta para a existencia independente de- todo o
nosse- organismo nacional
c O occidente julgou em-to-que esta terrivel
Iota nos enfraqoeceria e-nos aflstarnda nossa
nica* taref.
d*occiden eerto da> saa propria existencia,
ffnaV?,rpn.SJK,h0miW *l)," iaQsn e da alto
So, o anjo
de julho, no qual se derramou muito sangue em
Alhenas.
Em seguida fraduzimos esse- documento:
Do conde Russell Mr. Elloi.
Ministerio dos negocios estrangviros. em 16 de
>ailio de i86.
Senhor.O governo de sua mageswde lea com
vivo sentimento os seos despachos de i e S do eor-
rente, contenda narraeao dos acontecimento? de-
ploraveis que se passaraw em Athenas nbs pr-
meiros dias de joiho.
bem diffitil ceuhecer juaes foram os aggrcs-
sores n'este molim ^mas evidentemente o parti-
do Caarte; Grivas e Corneos- lotandn para-alean-
car o pode? contra Bolgaris e os seus partidarios.
egualmente claro que se nao atacoabertomente
"aimtoo_comlvseeTeto~quen*^ e a-autoridade da assemfela
gar, servindo de escudo a toda a narfio, e de ele- nacional nao perece tomfeem ter sido posta em du-
entre ce differehfes-partidos que- Ihe esto sujeitos.: vida.
e que sabe reunir por los invit ves-, porm se-i tj .. j
gy'ros. ^ v"m sc Tendo-se as coosas passado assim, esperan
Duas circumstaoelas admiram- quando se exa- ^ a3 sabias medidas tomadas pelos- representare-
rificaroes legaes muito mais vigorosamente exl
das, e onde reinara demais a- despeilo do que se
diga da leviandade franceza hbitos de precaa-
ciio e previdencia dcsconheeldos, segundo parece,
daoutra banda da Mancha.
Temos assim, por um
e o demonio da bigamia,
a bigamia representa um ii pume m
manees inglezes, o que sem dnvlda wwnTaib
intperfe.rao das lels que na Inglate^ranfif.
seguranca daslransaccoes majinoniaesJTda
cuidada boa f das partes interessadas da |L3
dado com que, nosse paiz, homens e mulheres^fc>
o.h/.^ wfflfl-r,,, |-i>viK.ui;iaiiui;uii ac culuuii a o urna ii w reCCm 0 CIO ao jugo Solemne do hymencu *f>dtk
Ji^^^m^r?e^^mx\l0T>i Ru**" Mr- Kmt- representante brlfannico, d'sso succede em Franca, onde os aciosdo esta!
S vismha itoS^JZ^^^***^ Jos negocios estrangeiros da f-J-o infinitomentomais L.m regulada,
LitIMianiae stanizewskida Ruthenia branca : erar Graa-firetanhamanifesta a sua opinio sobre as
officiaes demissonanos daguarda russa,ti;ndo o pri- causas e carcter do motioi dos primeros dias
meiro servido em artilheria. Quando faziam par-
te do corno de Segismundo Sierakwski foram am-
bos ferios e feitos prisioneiros, assim como Sie-
rakowski, no combate de Bozy, no districto do Po-
niwicz ; conduzidos ambos para Vilna foram en-
cerrados na cidadella.
c O conselho de guerra cono>mnou-os a vnte
annos de trabalhos toreados na Siberia. Mas Mou-
rawieff cassou esta sentcnca e mandou-os fuzilar.
Ambos os companheiros d armas conservaram at
ao ultimo momento grande serendade. e um aspec-
to motto tranquillo'. Kozakowski, ferdocom uma
bala na testa, cahu logo' morto ; Stanize'Wski, atra-
vessadb por muitas bafes, anda vivia quando foi
arremedado cova e so mo lan^ou a cal bo rosto.
- A Preste de Vienna d os seguintes porme-
nores a respeito da organisacao do governo nacio-
nal na" Polonia ; limitar-nes-emos a dar aqu o
se extracto':
t No centro da lucia emprebendtda pela nacopo*
laca^ com o fin de conquistar a sa independencia,
esqueoeuoque-Hmcomlteiepela vida, um com-
bate provocado-pelo dsete* de viver, pelo- proprio
sentimento da existencia, ataconbate aprehendi-
do desarmado.
.'-se no Lza :
As>pris6e continuare!, ere toda a parte-da Gal-
lilzia.- S em Cracovia, no espaco de qaatro dias.
prend3cam-se cem manceftcs sospeitos de-ter que-
rido prestar o sea auxilie- a insurreieae- do reino.
Estes mancebos- foram nuadados, uns-para a for-
taleza de-Olmdr, e outros- oxpulsos de-territori
austraco.
Basta ser polaco de nascimento para se ser|
preso pela potttianas roae-de Lambert oo de Cra-
covia.
quer dboumenfos de segaranca, nao -serven de ga>
rantiaeontraa prisao dos polacos. Os actos da di-
plomacia, austraca ccatrastora do-nasa maneira
notavel com os rigores eincessaates vexames das
minam oyacontecimentos.
t A primeira qaeo comit nacional estende e
sea poder e a sua actividade a todo-o-paiz, apesar
das tropas inimigas que o infestara, em todos os sen-
tidos ; o segundo que a adminbstraeao russa
existente en Varsova encontra por tt*da a parte no
seo caminh esses misteriosos acorytos pe quem
es decretos sao execufdos com muite mais rigor e
axactido^ que os seus. o que eonseguem seraear a
rlurbacao, o terror e^a'deeconfianca as nleiras
propria ailministracao'russa.
c O governo nacional, postoque spcreto-, modifi-
ca-tedos os decretos d governo inimigo1 e eoose-
gue-muitas vezes anniquila-los e faze-le impoten-
tes. Existen presenteinente na Polom doos go-
varnos, um apiando-se-n'am poder puramente
physieo e material, que alera disto lhe t>inuitave-
zts-disputado.'oatro s -greendo um ppdetTnw-
ral e baseando-se nos direitos legitimes- de ama
nacionalidad*' opprimida.
i governo nacional, nao etetante, aab'so-con-
tenta smenJe- tn operar pop todos os roeies- meraes
de-taie pode dispor; forras materiaes, verdadiiTa-
roenle notaveis-fieia sua tatnortancta, e.stam. a mdo
o momento a-sua disposi-Tio-: as rodas- da-admi-
nistraro estao en movimnto, e esta poderosa ma-
caina i|ue tem por nico motor a forca e a uoda-
de>da aeco deuaaa nacac civdisada, caaikiha ewn
carteza e rpidos para o progresso e pana a inde-
pendencia.
O governo- nacional tem os seus representan-
tes em todos-os ramos da administracao. Tene-se
reeebido imaostos, os tribunaes operara em! sen no-
iue i- iis derrotes russos s sao executados eem as
tus das tres potencias protectoras lio-de facilitap
os-metos de restabelecer a erdem. para desejarf torio publico.
qne-se evite uma oceupacao militar. Os navios
das tres potencias protectoras poden fcilmente
joriecer nma sufflefente guarda para o banco ; ou-
tres pontee ameafade pelas Ierras doe- partidos
qno se guerreiam, ou> que passam ser satpaeados
IK* uma populacao desenfreadw
CDtmuae pois a rntendcr-ves-com os vossos col-
legas-de Franca c da Russia. e adoptaren- < quer medidas que as exagencias do momento-pos"
sam tornar uecessariaa-eMiteis.
nocessario apoiar a autoridad* da assemWa
nacional; e impedir a ftdp o custo que se renov
uma -hita armada.
a Anal, lataez devasioi admirsr rnai- o -jpirit.
que,-desde mei de ootubro at lioje tem impedido
que a paz se auerasse seriamente, do que devemos
maravilhar-nos- das desordens que uJlimamonto se
produzram.
Se a guarda nacional est animada de um .boa
espirito, e est- bem desoiplnada, poder auxiliar
poderosamente a repressao dos exeessos da. selda-
desea.
(. Aasignad Rusten.
O Pays-la as seguales observacocs sebee- a
De tudo isso resolta que o caso de forca da
muito que lazer aos tribunaes da Graa-Bretanha, e
que os romancistas licam autorisados a usar mais
frecuentemente do que se usa entre nos, desse re-
curso mais ou menos dramtico.
E na verdade nao o desprcz&m elles- e desde
Jane-Eyre, em que Rochester bigamo iotencio-
nalmente, se nao de facto al NoNume eoitimir
tnumpho do Sr. Milkie Collins, a mesma rombi-
najao lem sido rcproduzida em viole obraj- cujos
ttulos poderiamos aqu enlileirar.
Una circunstancia, porm, a remora um penco
aae duas novellas de miss|Braddoo. Antes delh,
romance conformava-se em caso de bigamia, com
a indicaces da estatlstlca criminal, e apresenta\T
o Itomem como a principal culpa.
Por amor da novidade, apresenta-nos- elle lioje
em juito dous procesaos de uma especie bem pouco
com mam.
No'priaanro, ja o dissemos, a romancista cons-
tituc-se aeeosador e representa o papel do tate-
attitude do re. da Prussia e do congresso dosdepot-
modifleacoes-introduzidas pelo governo-nfleional. tados allemes para como congreso dos principe
6 comit tema saa adani^acao cirii -emieitar, I aaMUM _,*,,,.
seas agentes,- ahancelleri; gendarmes ; uma poli-
ca das mais aetivas das melhores cgani3adas' a recusa perseveraatementi sostentaua. pete
esta a sua disposjco, c pon tfa instruid dte ca-
:in-ranos em Francfort, tinha una verdad-! ra iiik-
porlancia. Bava assim nm cheqo no projecto.de
reforma aanesentodo aos confedbr-aios peto impe-
rador da Austria. Aiadopcao do uma reforma fe-
deral se.concrsente Prussia-.no parece muito
No segundo, pelo contrarib, reveste lega de ad-
vogado e invoca em favor d acensada todas a*
cfrcumstanetas attenuantes.
Vamos sega-la n'um e n'ouTro terreno, ? como
tratase de ama authoress que a primeira- a pro-
clamar-se mmto experiente i embora joven ) que
parece s-lo, e em quem as liebes da rida pratira
enrootraram r.ma intelhgeneia Tva c discreta, fa-
culdades de ofcservaco no vulgar, a nosa miso
de retator ofTerrrera talvw aiguMa ntilida* e al-
gum deleite;
ISaqnelle navioi-?ue,chega8do-da Australia) vem
desembarcar em Londres seus meaterosos passa-
geiros, vencedores ou vencidos na grande lula era-
penhada as trra de alero mar contra fortuna
rebelde;, entre os praneiros fgura Jorge Talbov*.
Cabecaleve e coraijao nobreT uma rictima deesas
generosas imprudencias multiplicadas na Ingla-
terra pelo habito des casamentes precoces. Per-
tcncenle a uma familia nobee e Fira. empando
um poBt no exerci, o ocio da paz rendeu-o sem
defeza s irresistiveis seducf de uma menina
encantadora, filha de-um pobre otftctel, orphia df
mae e mais interessenle ainda pele- estado de po-
breza e dependencia em que viva na companhla
de um popa* dado aembriageozo carregado de di-
vidas. Vb, adora-la, despoea-la, foi para ^im-
petuoso offieial obra-de algussas-seatanas.
'S^J^tl'SS^SS e>f ^^^^"L^^^roidaPrusaiaem tomar parte no- congreso doe
da nova icedida tomadannes inimigo,. e dfe-cada JT f .
passo de qualqoer Polaso- tasto no runo eooao no
estrangeire-
O comit snpremoitomi tambera ce seus agentes
as administiaces oes-peetas, dos caminaos de
t Cfe-passaportes, asReenfas oa- outros quaes- ferro e dos telegraphts : poderiamos- citar -noratos
exemplos em appoio ta. nossa asserfio ; porm li-
nTitar-nus-nemos a dar. snente uo; eertissimo possivel.
que o grao-duipie Cnstantino recebo ppr cada cor-
rcio exwnptares das folias revolucionarias que se
porque foi proclamada a monarchia no Mxico,
sobre a formacao da regencia ; estas informacoes
. Os Francezes enganaram-se quando julgaram' sao a confirmaao dos acontecimentos j conheoi
dominar a nacao nicamente com o ruido das suas1 dos telegraphicamente.
armas, e coroar a sua imprudente empreza, vio-' 0 Pays consagra o seguinte artigo attenc3o
lando as leis da honra, e quando julgaram estar do governo do Washington, na questa mex-
Snhores de Saragoca por terem oceupado o forte! cana :
de S. Januano. Enganaram-se tombem miseravel- j Alguns jornaes fazem grande ruido de um pro-
menle. lisongeando-se de possuir o paiz, quando i testo do governo dos Estados-Unidos eoutra os vo-
apenascomecam a comprehender as enormes dif- tos da junta dos nobres do Mxico que proclama-
autoridades gallicianas contra ospolaeos.
Li>se na Patrie:
as cartas de S. PetersbuFg, qne nos sao di-
rigidas, .ncontram-s^ sobre a, estado dos espi ritos
naojuolla cidade, e aaais parlioulamente emJltos-
ro
Mas, que nos parece ter mais gravidade do
sello da admiiiistrainu. do correic: se comit na>
tivesse- os seus contljeMes as admi nistraeoes. s a
risco de vida se conseguira ntroduziressas folhas
nos mseos subserietodos para sua altesa impcriii
Uma verdadeira sede de sacrificios, desde que
se trata da grande causa da liberdade, uma imae-
fmAS '"f^nwcoes, que-na permutem dei- ^etrabilidade a toda a prova quando se trata de Ea
xarr ae esperar eoncessoes da parte do goteme gredo de estado uma concepeso fcil e univessal
russo. | wandes ideas, patritica, sem difirenos-, de
i A polticadetemporisaeao-adoptada neteDrin-! --i^5? em H^? camPs c em todas as classes,
cipe Gor^hakoin seria muilo. violentamente atoca-13ttSSB^'S%i
dao mundo poltico, sob. a influencia do velho riosos telegramcnas.de que-todos possuem o segr-
partido moscoaita : representacoes muito enthusi-! *>! sen se" tnahir, sem uma palavra imprudente,
asticas teriamsido levadas presenca do impera-1 t?ansmiUem u*a b03 ou m noticia ; os corpos es-
dor Alexandre contra o. vice-ehanceller do ImoertoJ SSMllS!!^ f,.^6m.asal.nsarl.
publicara,,cjuer seja em Varsovia ou n estrangei- .:ejne a reousa do rol da Prussia. em se dirigir a
todos-esles exemplares trazera tistores ouaiFrancfotisao as consideracoes. que, segundo as
proprias-declaracoes de el-re, motivarara essa re-
cusa. El-rei quera uma reforma muito difieren-
te da que foi apresentada peto imperador, da Aus-
tria.
ficuldades da sua expedieao ; porc|ue, se consum
ram tanto lempo, empregarara tantos passos, c sa-
crifiearam tantas vidas para alcanear alguma van-
tagem, deisando-nos a honra o a gloria dos enor-
mes combates de Puebla, que podem elles esperar,
quando lhe oppozermos por exercito todo o nosso
povo, e por campo de batalha o nosso paiz em toda
a sua extensao. Ficou por ventura Xapolcao se-
nhor da Hespanha, depois de ter tomado Madrid, e
muilas outras cidades daquelle reino ? Ficou se-
nhor da Russia, quando oceupou Moscow 1 Nao
foram rcpellidos os seus exercitos conquistado-
res ? Nao estivemos nos mesmos sujeitos ao jugo
I -..lilil! 1
t Acrcditoe-mc compatriotaso vosso valor, a
vossa perseverancia, os roseo sentimentos republi-
canos,.a vossa firme uniiio a favor do governo que
Lavis escolhido como depositario da vossa confian-
za, do vosso poder, e da vossa gloriosa bandeira,
Lao de ser sulllcientes para fazer comer trra aos
vossos Injustos e prfidos adversarios! Esquecei
as vossas dcsintclligencas. Poude de parte as
vossas aspracoes, rasoaveis ou nao, se em con-
sequencia deltas vos sents menos resolvidos, ou
menos dispostos defeza da patria. Unamo-nos, e
nao poupemos sacrificios algum para salvar a nossa
independencia e a nossa liberdade, esses grandes
toens, sem os quaes todos os outros sao tristes e
vergonhosos. I namo-nos, e faremos com quo todas
as nacoes abencoem c exalteni o nome do Mxi-
co.Benito Jurez.
O commandante superior de Vera-Cruz, d
cunta de um novo despacho de 16 de julho, dirigi-
do ao ministro da guerra, da situacao de Vera-Cruz
c das trras quemes, debaixo do ponto de vista po-
ltico, c a respeito da sade das tropas.
A cidade de Vera-Cruz c muito animada ; a
nova eleico do principe Maximiliano, produziu
grande sensagao; v-sc nella uma garanta a favor
das ideas de ordem e de estabilidade. A popula-
cho est caneada deste estado de anarchia que, ha
cincoento annos, pesa sobre o Mxico. Um gover-
no que se apresento com a intencao de praticar o
Lem, e de reprimir a violencia nao pode deixar do
ser reeebido com favor pela grande maioria.. Ha
de anda por muito lempo haver opposicao, mas o
seu numero ha de se ver diminuir todos os dias.
As guerrilhas, os que cortam as estradas, ha
de vr-so s; a opniao publica faz juslica, e os
poros, certos de serem dicazmente sustentados,
j nao receiam agora resistr-lhe. A oceupacao
dos pontos mais importantes da costo permittir
extinguir esses bandos nos seus ltimos retiros.
A cidade de Flaliscapac e as suas immediagoes
j fizeram a sua submisso. Outros centros da
populacao vo tombem fazer a sua submisso.
Os trabalhos do caminho de ferro, marcham
rpidamente; as obras do aterro entre Purga e
Soledad estao concluidas. No flm deste mez, s
rara o restabeiecimento do imperio e chamaram
ao tbrono o archiduque Maximiliano, assim como
contra a posicao que a Franca tomou no Mxico.
Alguns pretendem que aquello protesto, formula-
do pelo ministro dos negocios estrangeiros dos
Estados-Unidos, lora entregue a Mr. Drouyn de
Lhouys pelo ministro que represento em Pars o
governo de Washington. Outros fallam de ob-
servacoes verbaes que foram dirigidas por este
ministro a Mr. Drouy. Outros finalmente, mu-
dando o lugar da scena, annunciam que foram
trocadas explicaces muilo vivas entre Mr. Se-
ward, ministro dos negocios estrangeiros no Was-
hington, e Mr. Mercicr, ministro de Franca n'a"
quella cidade.
t Todos estes boatos sao egualmente falsos ;.
nenhum dellcs tem o menor fundamento. Nao hou-
ve protesto cscripto, nem observacoes verbaes tro"
cadas, quer seja era Pars, quer no Washington
entre o governo do imperador e o governo dos
Estados-Unidos por oceasiao do que se tem pra-
ticado no Mxico. Accresccntarcmos, que fcil-
mente se poder reconhecer que 08 boatos postos
em circulacao a esto respeito, nao podiam ter um
carcter serio.
0 governo de Washington est fcilmente oc-
eupado com a sua lula contra os estados confede-
rados, para que se deve acreditar que nao procu-
rara voluntariamente crear-se novas embaracos
envolyendo-se jvouco a proposito nos negocios do
Mxico. Alcm disso, com que direito faria elle en-
trar em Pars o seu protesto, c em que assentara
elle 1 Sobre uma mudanca de goveruo no Mxico 1
Mas isso sao negocios proprios d'aquelle es-
jado.
t De mais, um governo fundado, constituido e
regulado, pela vontode popular, d completa satis-
fazlo ao mais fundamental de todos os principios
e o segundo, despacho em. resposta nota franceza;
foi censurado quasi unnimemente.
us jornaes miteeteriaes engajaram uma pol-
mica rara defender o procedimento do principe
Gortscbakoff.
Os ltimos acontecimentos militares da Polo-
nia farneceram tambera occas&o aos adversarios
das negocacfies diplomticas para combater as vis-
tos polticas do gabinete de S. Petersburgo. As per-
das que o exercito russo tem soffrid as frequen-
tes escaramuzas, o desenvclvimentoque toma a in-
surreiijo n'algumas provincias, onde notoria a
insutlicieneia das tropas, a resistencia passlva op-
posto pelos camponezes nos palatinados s ordeas
das autoridades russas, sao principalmente argn-
mentos empregados contra a maneira porque se
procede nos negocios da Polonia. O here do dia
em S. Petersburgo e Moscow, e nos circuios civis,
assim como nos militares, nao tem deixad de ser
o general Mourawieff, e os altos feitos do governo
de Vilna oppoem-se diplomacia do principe Gor-
tschakoff, como para o animar na adopcao de me-
didas mais violentos.
Em resumo, a opinio publica pronuncia-se
por uma enrgica resistencia a qualquer especie
de concesso, e o governo est a ponto de ceder
influencia das massas, excitadas pelo velho partido
moscovita.
Escrevcm de Kowno ao Czar:
A cidadella de Vilna est completamente cheia
apezar das expedicoes continuas para a Siberia ou
para as provincias atastadas da Russia. Agora
tem ella mais de 400 proprietarios, ecclesasticos
ou camponezes; ha al mais de 30 mulheres. As
execueoes capitaes rontinuam.
Os funecionarios polacos de nascimento sao
presos ou demttidos em massa. O quinto gover-
nador de Kowno, o general Engelhardt, deu a sua
demisso para nao desempenhar as funecoes de
Biestico o nico confidente dos pezares e das ale-
gras destes. mysteriosos carojieoes da liberdade-,
desses subjimes martjresda f.
A'prodigiosa actividade eo poder completo uJ
comit nao podero.scr revelados Europa senao
em cert dia, o perigo ter passado, mas at entso
o segredo nao s necessario mas indispcnsavel.
N'nraa conspiragao to vasto, espalhada emito-
do o paiz, nem tudp se pode fazer da viva xoz;
escriptos, registros e archivos se fazem precisos;
enta homens sublimes dodcdicaeao seencarregam
cora orgulho de seren os depositarios desses pre-
ciosos documentos, posto que sainara que uma vez
descobertos a morto os espera.
^ Sabe-se com que facilidade c com que promp-
tido se obtem um passaporte do governo nacio-
nal ; basta deitar n'um sitio designado um bilhete
com seu nome e morada e o passaporte vos ser
entregue no vosso proprio. domicilio. Sabe-se fir
nalmente que os gencraes. russos, para maior segiv
ranga nao. deixam de se muir com um destes siL
vo conductos quando pertendem deixar a ca-
pital.
* A prodigiosa actividade e o poder do comit
apparecem sobretudo na cobranca de imposto. O
imposto nacional pago por cada um com a maior
exactidao, e a sonuna sempre conscienciosamente
tongada no grande livro do estado
As reclamaooes que sao muito raras, sao sem-
pre seguidas de unja informacao em resultado da
qual o governo nacional modifica as suas primei-
ras disposices. *
c As reelamageos baseadas em motivos justos
sao sempre ouvdas, com benevolencia, e o comit
esforga-se para azer toda a justga ; porm o en-
gao perseguido e punido com rigor. Um ban-
queiro de Varsova tinha escondido uma parle dos
seus rendimentos para pagar menos imposto ; qual
foi a sua admragao quando recebeu um decreto
do governo nacional em quo o condemnava a pagar
o triplo do primeiro imposto ?
Quando um individuo por cxemplo, deve ir
ter com um destacamento de insurgidos, um guia
desconhecido se oncarrega d'elle e o faz passar
atravez das fileiras inimigas, dando-Ihe a palavra
de passe. A participaoo activa de toda uma po-
A este respeito, encontean-se algunas reve-
lagoos na carta do re Gullierme e no despacho do
barilfr de Itismork ao barao de Werther, embaixa-
dor. da Prussia em Vienna.
- O facto capital que- principal monte s deve
tratar no projecto do rei da Prussia, da cmara
dos delegados das cmaras dos differentes estados,
retag.ao populagao, pelo suffragio directo, e com
faeuldade deliberativa as questoes sobre interes-
ses da conederagao germnica, i
qpasi o mesisoque pela sua parte reclaraa-
va o congresso do deputados que representa o
Nationatcerein, qpando pediu um,parlamento al-
lemao.
t sto tem um alcance diverso do. da reforma
pceposta pela Austria. Tem.por fun modificar a
organisago actual para lhe dar mais forga e acti-
vidade, sem derrubar as suas bases, que sao. o
principio da. confederagao. Pelo contrario, o esta-
belecimento. de um parlamento aUemao, tenda vo-
to deliberativo, mudara profundamente com a
constituigao da Allemasha a natureza do podar, dos
diversos soberanos.
O rei da Prussia, insistmdo na creagao desse
parlamento, tendo a base que elle indica, Hapresen-
ta mais offlcialmente, e com mais autoridade do
que o podia fazer, .iYnfiotw/wrcin, uma importan-
te qitestao, da qreal nos occaparemos com. a atten-
go que merece.
O ronuiaoe iaglez cantenpo-
rueo.
MISS. M. E. MtAODON E O ROMANCE DE SENSACOES
De bahle, para impedir esse-mu casamente que
o indigneva, o pae d Jorge amearou-o de tirar-
Ihe tod a recurso pemnario desde o da di nup-
cias.
O apaixenado mancebo nae ira fosseduradoura, contavaooroa rendad.- seu
posto, obter os meios neeessane para espiar a
poca dareeonciliacaey sem aubjeitar a sua amada
e joven esposa os clculos mesquinhos, a pennria
de que ella com o casamento espera va Ihmr-se.
Enganou-se, |orm ; ressentimento iobitio sub-
sistia aindaeom toda .a larca, quando as duas mil
libras esterlinas que o ex-oflfctel alcannara. dei
xando servigo militar, acharan-se quasi de lodo
devoradas, depois de. una viagem Itatiav realisa-
da com. todas as commodidades e com serleito ele-
gancia aristocrtica.
O se abo desvanecido detxava os j. <.> esposo^
em i .-ule- de uma realidad cruel.
Nenhum dos doas-era capaz de suaporta-la e .
amor ingia veloz, nao do aeiio de Jorre, mas do de
Rellena Maldon.
Vendo-se de novo nesse lar paterno que pensar.
haver deixado para sempre. condeuwuda s angus-
tias da maternidade, que ella senta tentar-0i> de
maldizer, essa mulher nao poupava a seu 'mande-
recriminagocs equeixas.
Um dia transbordon a taca -i amargura. Jorge
sentiu-se cansadodessas torturasqnotidiana. o n*a-
queou-lhe a paciencia ante as obstinadas rcru*a*
que por toda a parte oppunl^m-se Loa vcntaV
com que desejava subjeitarse a um teebalhcqnal-
quer.
Quando j nao via anta si mais que o supremo
recurso do suicidio, uma circumstanc. fortuita
veiu abrir-lhe novos I ion son tos. suggerindo-lhe a
dea de partir para a Australia.
Uma noute, pois, de improviso sem prevenii
ninguem, depois de haver dado um beijo na fronte
de sua mulher adormecida e toncado um ultimo
olhar a seu filho, entranhon-se elle as trovas di-
ngindo-se ao navio em que de via embarcar. P6ra
tal vez prudente nao desappareccr to furtivameatr
c deixar apoa si alguma deseulpa e algumas espe-
rangas.
Niio f-lo Jorge Talboys, decidido a tudo aven-
turar, e bem convencido, tolvez levianameme. qu-
a joven esposa por elle abandonada ni usarte at
os ltimos limites dos direitos que efte assim pa-
reca conccder-lhe.
pulagao pode s explicar como a insurreigao ven-
uemissao para nao nesemponnar as mam o cidae suje,a n'um ponto, rebento com muito mais
carrasco e de incendiario que Mourawieff lhe que-,. .
na impor.
Apezar do seu terrorismo, ainda nao conse-
puiu destruir a insurreigao.
t Formam-se de novo corpos de insurgentes.
Um delles bateu-se ltimamente com uma columna
moscovita, quatro vezes superior em numero, en-
tre Dubitch e a fronteira da Prossia, e tomaram-
politicos praticados e proclamados em todas as lhe duas pequeas pegas de animara, mandadas
occasiocs peos Estados-Unidos. Nao se compre-
hendaria que o governo do Washington emprchen-
desse oontrariar um semelhante acto da soberana
nacional; menos se comprehenderia ainda qne di'
rigisse as suas queixas Franga, que deixou
consumar-se aquello acto com toda a liber-
dade.
* Quererla o governo dos Estados-Unidos recla-
mar contra a actual oceupagao do Mxico pelo
exercito francez ? Mas, isso uma consequencia
natural, necessaria do governo, d que aceitamos
os encargos, c da victoria que coroou os nossos
esforgos. n'uma obra emprehendida de accordo
com o direito estricto, e alm. disso, em proveto
da juslica e da civilisaeao. Se alguma cousa ha
a observar, que esta situagao que a guerra nos
creou, longe de tomar um carcter excessivo, foi
limitado e contina com a moderagao que faz a
regra de poltica do governo do imperador em to-
dos o seus actos.
de S. Petersburgo," e" especialmente destinadas a
manobra de florestas.
Outro corpo bateu duas companhias moscovi-
tas no districlojde Poniewej. A gendarmera pola-
ca cumpriu o seu dever com dedicagao, e na Li-
thuania augmenta a insurreigao com incrivel tena-
cidade.
Nenhum proprietario qur assignar a mensa-
gem de fidelidade ao czar. Todos declarara que
preferem o saque, confisco a propria morte a uma
comedia too monstruosa. Centenas de familias,
hoje despojadas de tudo por Mourawieff, residem
em Vilna, e acham-sc litteralmcnte sem pao e sem
abrigo.
> Os distrietos de Sueentziany. Lida e Troki
que mais teem soffrido. S ha oito proprietarios
notareis que ainda estao em liberdade. Todos os
outros tem sido presos, Imorrcndo um grande nu-
mero, e sendo outros mandados para a Siberia. A
autoridad* de Mourawieff es'ende-se a todo o reins
forga em um outro.
t Se ha algum caso em que o governo nacional
se v obrigado a obrar com rigor e severidade, nao
se pode duvidar que prefere sempre proceder com
brandura e clemencia, e vencer pelo poder a sua
forga moral.
Termino relatondo-vos um facto de que vos
posso assegurar a veracidade. Uma pobre mulher
tinha perdido dous filhos as fileiras dos insurg
dos; era viuva, e restava-lhe um filho apenas sa-
l'ido da infancia que devia ser o appoio da sua ve-
lhice.
O adolescente deixa clandestinamente a casa
materna e corre as bandeiras; seu irmao mais ve-
lho tinha morrido combatendo, o outro, ferdo e
feitoprsioneiro, tinha sido toncado vivo pelos Rus-
sos na sepultura geral. O commissario do gover-
no polaco, depois de ter perguntado ao mogo re-
cruta o seu nome e origem, o mandou reconduzir
por uma boa escolto a saa mae, dizendo-lhe que a
nagao nao quera privar uma pobre mulher de
quem dous filhos tinham j morrdo como hroes,
do sea ultimo arrimo, do seu nico filho. Que fez
entao esto heroica me f Tendo sabido a resolu-
gao de seu filho, cingiu-lhe ella mesma a espada,
dizendo com a voz entrecortada pelos wlugos;
Citar-se si proprio c quasi sempre mal cabido,
e fcilmente parece presumpedo. O bom xito que,
entre os nossos visinhos, tcr obtdo as obras de
raiss Braddon obriga-ns, todava,- a lembrar as
conclusdes de um estudo que consagramos dege-
neragao do romance britonnico. Assignalamos
como um dos ramos d&(ree-trade internacional que
mais pareciam prosperar a mportogao as plagas
d'alm Mancha dessas impudentes phantasias,
dessas temeridades de pincel outr'ora tito amarga-
mente exprobradas nossa litteratura contempor-
nea pelos coripheus da critica ingleza. Quasi no
mesmo momento em que soltovamos esse grito de
alarma apparecia um dos livros mais proprios para
justifica-lo O segredo de lady Audtey livro que
j se acha na quinta ou sexta edigo. Pouco de-
pois era elle seguido de um segundo romance da
mesma autora Aurora Floydque teve as mes-
mas censuras a mesma ventura. Essas duas lic-
STes eram, com tudo, reprodueco ama da outra.
a ausencia de adulterio, assumpto prohibido que
ainda esto reclamando o direito de burguezla nos
reddings-rooms, a autora escolheu para suas duas
heronas para ambas, singularuma situacao
que offerece monte os mesmos quadros, despena
a mesma curiosidade, produz combinagoes anlo-
gas, envolve-se nos mesmos raystcrios, leva a en
ses semelhanles: a bigamia. Cada uma deltas ca-
so u-se duas vezes. Uma, a perversa lady Audley
(parece-se em muios pontos com ama personasen!
de Balzac, a condessa Chabert) sabe perfeitamente
que seu primeiro marido vive ainda, ou pelo menos
nenhum motivo tem para julga-lo morto. A outra,
a impetuosa e generosa urora Floyd, deposilou
f n'um jornal mal informado, que d-lhe o direito
de suppor-se viuva, quando o nao A primeira
quiz satistazer a egosta sensualidade, a sede de
luxo e de elegancia que nella desenvolvoram as mi-
serias de sua mocidade.
A segunda, arrastada pelo caloroso impulso do
sua affectuosa natureza, v-se condemnada por
uma especie de fatolidade a cahir de erro em erro,
de fraudo em fraude, falsa luz dessa grande
moral que mata os pequeos escrpulos, anni-
quilla as virtudes mesquinhas, e d ao bom senso
os mais soberbos desmontidos essa moral que
actualmente impera as alcovas equivocas, nos sa-
Chegado Australia, por que ao menos nao es.
creveo Jorge Por que esse estranbo silencio que
guardou durante toda a sua provacao ? Qaasfoe*
embaragosas que o romance suscita, mas nao re-
torra.
Enriquecido por um desses trabalhos faboteeos
que enchem de prestigio a mythologia austrara.
Jorge volta, no fim de pouoos annos, com ana for-
tuna de vnte mil libras esterlinas, o con ebrio
de ventura ; ao pensar na mulher querida que
vae abracar, no fllhinho, apenas entreviste, de co-
jos labios vae onvir pela vez primeira o dore non*
de pae...
Mas apenas em trra, um dos prianeiros jornaes
que lhe cahera as maos faz desabar todo esse cas-
tello do chimeras esperancas; a Infeliz l aa lista
dos bitos o nome de sua mulher
Helena Maldon fallecen com vnte a dea asaos
assistida por seu pae, n'um estalDelecinatnto de aa*
nhos salgados, onde viera combater os ultime ae-
cessos de nma molestia proveniente da tote tetra-
tos montes.
i
Est mona : seu pae o afflrma. risinao o al.
testam, os registros da parochia o eertMcasa, e so-
bre a lousa sepulcral o proprio Jorge Taftoy man-
da gravar a inscripg50 destinada a perpetuar a
memoria de seu amor e do suas Infrian*.
(Conthuusr-tf-k*J
PERNAMBUCO- TTP. DB U F. P. 4 PIUIO-
'

If
J


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ8H30BS7_Z6BMS0 INGEST_TIME 2013-08-27T20:43:35Z PACKAGE AA00011611_10205
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES