Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10199


This item is only available as the following downloads:


Full Text
MI
AMO XXXK HOMERO 219.
Por tres mezes abantados JJJOOO
Por tres mezes vencidos 68O00
>ys
DIARIO

SEXTA FEIRA 25 DE SEMBR DE m.
Por aun adiantad*. .... i$000
Porte papa, o subscriptor.- .
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Araratv. o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
'Ohveira; Maranhao. o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para. osSrs. Manoel Pinheiro & C; A-
mozonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO SUL
Alagas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins 4 Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Ohnda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas
sextas-feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altmho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth. Limoeiro, Brejo, Pesqueira.
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob.
Boa Vista, Ouricury o Exu' as quartrs feiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrci-
ros, Agua Preta c Pimenteiras as quintas feiras.
Una de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/ da.
EPHEMERIDES DO ME DE SETEMBRO.
4 Quarto ming. as 9 h., 44 m. e 2 s. da t.
13 La nova as I h., 16 m. e 38 s. da m.
20 Quarto cresc. as 10 h., Sm. e 2 s. da m.
2? La eheia as 2 h., 37 m. e 2 s. da m.
PREAMAR DE HOJE.
I Primeira as 0 horas e 30 minutos da Urde.
I Segunda as 0 horas e SI minutos da manhaa.
Po~ARTDA D0S VAPORES COSTEIROS.
a Gr-uTia ftaA^L* 5 e 25; para norte *
*m%: e n de.cada mez Ira amando nos
aras i* dos mezes dejan, marc.. maio, jal, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
i/ h. Kecifei. Jo Apipucos s 6 A, 7, 7 y, 8 e
Jhoaf,mi' ?,'nda 8 da m- e 6 da tarde do
dan VL6^ dam; do Ca^g eVarzeak 7
mti Bemfiea s 8- da m.
TOKwre : para o Apipucos s 3 '/ 4, 4 /,, 4-"/2,
manhi* i? *L datarde ; Para 0linda fe a
?w r J *,ard* Para boatao 4 d.-v tar-
je > para Cachaad e ~"
Bambea as 4 da tarde.
R?*, Changa e Vanea s 4 % da tarde; para
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s-10 horas.
Fazenda : quinta s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s H horas.
Dito de orphos: tercas e seslas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao mei
dia.
Segunda varado civel: quap'as e sabbados a h horaj
da tardo.
PARTE OFFICIAL.
HIMISTERIO DA FAZEKDA.
Circular s thesourarias.Ministerio dos nego-
cios da fazenda.Rio de Janeiro, 25 de julho de
1863.O marquez de Abrantes, presidente interi-
no do tribunal do thesouro nacional, declara, em
conformidade do aviso do ministerio da guerra de
23 de marco ultimo, aos Srs. inspectores das the-
sourarias de fazenda, para a devida intelligencia
e execueao, que os emolumentos a que estao sujei-
tas as patentes dos offlciaes reformados do exerci-
to, devem cobrar-se na razo de ] % sobre o ven-
cimento annual que passarem a ter os referidos of-
flciaes, e nao sobre o vencimento correspondente
ao posto em que forem reformados porquanto,
podendo elles ter menos de 25 annos de servico,
viriam neste caso a satisfazer deduccao de vanta-
gens que nao percebem.Mrquez de Am-antes.
Circular s thesourarias.Ministerio dos nego-
cies da fazenda.Rio de Janeiro, 27 de julho de
1863.O marquez de Abrantes, presidente interi-
no do tribunal do thesouro nacional, transmute aos
Srs. inspectores das thesourarias de fazenda, para a
devida intelligencia e execueao as* instruccoes de
24 do crreme, constantes do exemplar incluso, rc-
gulansando o pagamento das ajudasde custo a em-
pregados de fazendas.Mrquez de branles.
Ministerio dos negocios da fazenda.Rio de Ja-
neiro, 24 de julho de 1863.O marquez de Abran-
tes, presidente interino do tribunal do thesouro na-
cional, para regularisar o pagamento das ajudas de
custo a empregades de fazenda, ordena que as ins-
truccoes de 16 da Janeiro de 1860 e 1" de marco de
1861 sejam observadas com as seguintes altera-
yOCS \
Art. I.. As ajudas de custo de transporto nao
serao de ora em diante abonadas em dinheiro aos
empregados as viagens por agua.
O governo na corte e os presidentes as provin-
cias; requisitarao das companhias de navegaofio
subvencionadas passagem de estado para os empre-
gados e membros de sua familia que ella tiverem
direito, nos termos do art. 2. das instruccoes do
1. de marco de 1861, e 9. da presente ordem, paga
as comedorias pelo ministerio da fazenda.
Se as passagens de estado estiverempreenchidas,
os transportes serao dados pelo dito ministerio, a
vista das contas que forem apresentadas pelas
companhias, encontrando-sc, porm, as respecti-
vas importancias os preces das passagens de proa
nao oceupadas em cada viagem.
Art. 2. Smente as viagens por trra ser per-
mi ttido aos empregados receberem em dinheiro as
ojudas de custo para despezas de transporte.
Os inspectores das thesourarias nao poderao rea-
lizar pagamento algom desta natureza sem verifi-
carea o numero das pessoas de familia transporta-
tas pelos empregados custa do estado, sob pena
ele indevidamente houverem mandado pagar.
Art. 3. As quantias que constituem as ajudas
do custo de preparos de viagem e primeiro esta-
Lelecimento s sero devidas integralmente aos em-
pregados de fazenda nomeados ou removidos da cor-
to para as provincias c vice-versa, ou de urnas pa-
ra outras provincias do imperio.
Art. 4.- Os empregados, que acabarem de exer-
tirles a que pertencem, s ferio direito passa-
gem ou transporte custa do estado para si e suas
f imilias,se as conduzirem.ea de preparos de viagem
nicamente para estas at o mximo de 20O&000.
como se acha estabelerido as citadas instruccoes
do Iode mano ; nao llie cabendo o abono de pri-
meiro estabelccimrnto.
t Art. i." As disposicoes dos artigos anteceden
tes sao applicaveis aos empregados nomeados para
eomniissScs temerarias c extraordinarias. Nao
serao, porm, devidas ajudas de custo s familias;
por accasiao de taes commises.
Art 6. O empregado despachado de urna pa-
ra ontra reparticao dever apresentar na de que sa-
bir urna relacao nominal de todas as pessoas da fa-
milia com declarado das idades, para sorem auto-
r.sadas as passagens, ou abonados os transportes
em dinheiro na forma dos arts. Io e 2o, e proceder-
aa ao calculo do pagamento de preparos de viagem.
Dessa relacao e clculos se enviar copia au-
tbentica ao thesouro ou thesourarias, segundo fo-
rotn os despachos para a corte, ou para as pro-
vincias.
Art. 7. as repartieses em que forem servir os
empregados. nao poderao receber as quantias mar-
cadas para despezas de primeiro estabelecimento
sem que moslrem por urna prova qualqucr, a jui-
zo e sob a responsabilidade dos chefes das mesmas
iv|iarli;oes, que efectivamente foram transporta-
das para o lugar da nova residencia dos mesmos
empregados todas as pessoas de familia contem-
pladas na relacao exigida no artigo antecedente.
Se da confronlacao dessa relacao com a prova
exhibida resultar dilTcrenca contra a fazenda ser
o excesso indemisado por encontr no abono do
primeiro estabelecimente ; e no caso de deficiencia
oeste, por descont mensal da terca parte dos ven-
cimentos ; ficando comprehendidos nesta disposi-
eio os que era se acliam responsaveis por dividas
desta origem.
Art. 8. Os empregados, de que trata o ar-
tigo tereciro que no periodo de dous annos fo-
rem despachados para mais de um lugar (que nao
se a o de inspector, ou chefe de reparticao de fa-
zenda, ou para commissao extraordinaria), perec-
berao do segundo despacho em diante, metade das
ajudas de custa de preparos de viagem c primeiro
estabelecimento.
Art, 9. Aos empregados nomeados para com-
missao extraordinaria e aos removidos que viaja-
rem com familia, se dar transporte para um cria-
do, que cffcetivamcnte conduzircmem seu servico.
c fr contemplado na relacao mencionada no
art. 6.
No pagamento desta despeza se observar o dis-
posto nos arts. 1. c 2. abonando-se na viagem por
ierra a 4" parle da quantia mnima marcada por
legua aos empregados.
Art. 10. Aos nomeados ou removidos de reparti-
eses das capitaes das provincias para outras do in-
terior das mesmas pvovincias, vice-versa, qur pa-
ra lugares de effectividade, qur para commisses
temporarias e extraordinarias, serao concedidas as
ajudas de custo de transporte, na forma da presen-
te ordem, e as de preparos de viagem e primei-
ro estabelecimento na razo de metade das que
competem aos removidos de urnas para outras
provincias do imperio.
Art. 11. No calculo das despezas de primeiro
estabelecimento dos empregados das alfandegas,
mo^as de rendas c recebedorias nao sao compre-
hen lidas as poreentagens, como ja q, declarou a
circular n. 21 de 15 de maio deste anno.
Art. 12. Conforme se acha disposto na lei n. 1177
de 0 de setembro de 1862, art. 7o | 10, nao tm
direito ajuda de custo os individuos que forem
pela primeira vez nomeados para empregos de fa-
zenda. Mrquez de Abrantes.
intantaria Ludgero Jos Teixoira, aceitando om seu
lugar o paisano Manoel Gadciha de Amorim Mari-
nho, que foi julgado apto para isso, segundo V.
Exc. informou em seu offlcio numero 1743 de 21
do corrente.
Dito ao cnsul de Portugal. Respondendo aos
oticios que em 4 de julho ultimo e 3 do corrente,
me dirigi o Sr. Dr. Jos Henrique Ferreira, cn-
sul de Portugal, remetto por copia ao mesmo Sr.
cnsul as mformacoes ministradas pela reparticao
da polica em 10 e 12 deste mez, acerca do proces-
so instaurado contra Manoel Serapiao de Almcida
Fortes, pelo crime de tentativa de homicidio per-
petrado na pessda do portuguez Balthazar Pinto de
Gouvela, no termo de SerinhSem.Benovo ao mes-
mo Sr. cnsul a segurauca de minha perfeita esti-
ma e distincta consideracao.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Ao esenvao da terceira classe do corpo de offlciaes
de fazenda da armada Augusto Jos Goncalves Les-
sa, mande V. S. adiantar tres mezes do respectivo
sold, de conformidade com. o aviso da reparticao
da marinha de 31 de agosto ultimo, junto por co-
pia.Communicou-se ao inspector do arsenal de
marinha.
Di lo ao mesmo. Deferindo o requerimento do
capitao T'iemoleao Peres de Albuquerquc Mara-
nhao, sobre que versa a sua informacao n. 729 des-
ta data, autoriso V. S. a mandar abonar a familia
desse offlcial, a contar do primeiro de outubro vin-
douro em diante, a importancia do sold, qualiOca-
cao addicional e etapc a que elle tiver direito.
Dito ao mesmo.Declarando o commandante su-
perior da guarda nacional da-comarca do Limoei-
ro em offlcio de 11 do corrente, que nessa data foi
dissolvido o destacamento de dez pracas da mesma
guarda nacional que all existia: assim o commu-
nico a v. S. para seu conhecimento.
Dito ao mesmo.Declarando o commandante su-
perior da guarda nacional da comarca do Rio For-
moso em offlcio de 17, que no dia 15 do corrente
foram dissolvidos os destacamentos da mesma guar-
da nacional que existiam no Rio Formoso e na po-
voacao de l nd, e que o do districto de Duas Bar-
ras tambem o foi no dia 14 do mesmo mez, assim
o conimunico V. S. para seu conhecimento.
Dito ao desembargador provedor da Santa Casa
de Misericordia do Recife.Expeca
DIAS DA SEMANA.
21. Segunda. S. Matheus ap. e erase.
22. Terca. S. Mauricio m.; S. Sanlino b.
23. Quarta. S. Lino p. ni.; S. Tecla.v. ni.
24. Quintn. N. Senhora das Mpete
25. Sexta. S. Justina v. m.; S. Calistrato m.
26. Sabbado. S. Cleophas; S. Firmino I.
27. Domingo. Ss. Cosme c Damic irs. mu.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da prnoa da Independencia
ns. 6 o 8, dos proprietarios Manoel Fgoeiroa de
Fana it Filho.
PERNAMBUGO.
MMSTA DIARIA.
reito, e communicande- -las enviado aos da pro-
vincia.Guarde-se.
Requerhnenlos.
Dos Srs. juizes de direito Dr. Julio Barbosa de
Vasconcellos, pedindo averbamento das certdoes
de seu exercicio na comarca do Bonito desde It
dTKSo p1Xkala.,tJ pSndo'Tr ros^^ost ^ ^,U^ fu,uro celebram es canoei-
tacaonasuamatriciilada aposlil feiti na ca^ droeira T%?JC ,in1a-a festivida^ sua pa-
impenalparaocargodechee de polica a lo- r^*LS*ft? V,r*em do Ro8ario- ndo
vincia de Minas, de sua pomeaco para o de oo- ffra VTS* re I8'053 na 8reJade s- Sebastiao.
vincia do Espirto-Santo.-Deferiram-se. "
Exposimo das revistas.
no vangellio o dicono Sesostris Abdon
nc^ l dLCa,rvalh0' e no T"-0" -dicono Ma-
! noel d Assis Bezerra de Menezes.
ro '
Jos AninS 2 ca?ualmente por am irmao o Sr.
naf a ,~,de Caldas Brand3cv o qual veio all-
succumb.r por ter-se declarado o ttano na
N. 6406, pelo Sr. Almeida.
N. 6407, pelo Sr. Siqueira.
JIXGAMKNTOS.
v Revistas citis. l^fafTit^'T\^r ,er"se dec|atado o
N. 6391 Recrreme Vctor Meslier, recurridos Parec bfla em US das cxas-
Joaqmm Jos Affonso Alves e outros.-Negou-se a querTem occl.if? resul,adoI fa!a' procedeu de
revista. J*" occuitar o occorndo as vistas da peli-
p,L.6327-frRecorreB Victorino Pinto de S qfe Tf.Dadf nVUa,S?^ancia' de. maMra
Passos & C, recorrida a companhia de seguros guando Hv5aLl2 ratado por medico, senao
martimos e terrestres Fidelidado -Concedeu-se a S a,)* tetmsada No entretanto sendo
revista, e designou-sc o tribunal\AoSSSio $?to^ fial'aiwrajulgarnovamcnte a causa. S SS? ao m.0?,bnndo. dando em se-
N. 6380. -Recurrentes Thomaz Reeves e outros S: ,, L pa? ".P"850 do Matricida involun-
recenidaD.DeolindaRosadeVascoSel-ffi S. ? sem.." deve maldizer a hora ir
Escravos....... 62
Escravas.N....... 3
387
Alimentados a custa dos corres publicas.. 172
Jft MM*8"*0 da enfermaria no dia 2i *> setembro
I^vc baixa :
Antonio Jos da Silva; vermes.
leve alta :
Manoel Joaquim de- Garvalho.
drmmisadi,! e quem maiideemoralisado di
que esses modernos polticos ? I- !

Todos se lembram da misericordia de Deus, mas
se esquecem da sua justica.
Nada mais serio do que a ednoacao da mocida-
de : e della que depende a feiicidade de una na-
Cao. Ai, e quantos desconhecondo esta to imnor-
taule verdade mercadejam com-el la f

Ningucm mais protegeu as artes e as sciencias
do. que os papas da moderna Roma ; Polrarcha foi
UM POUCO DE TUDO. coreado no capitolio, Raphaol protegido por un-
Nao haposigo. mais critica do que a dedever papa aul'" Protec,or dos sabios,
agradar a todos. -----
E se cssa pessoa um redactor de jornal vaX''0'' Porlx"J"ez "ramos o que segu :
\ eja-se o que j se disse respeito ,- lurnar ou|ia branca incombustivel.
.lm pobre redactor nao pode dar um passo sem JO. c,>mi,.('0 rra,,ccz descobrio um meo de tornar
pisar os calos de outreni. mcomimstiveis as cassas, rondas, filos e todas as
Se exprime a sua opuiiao com franuucza e n- ^as ,azendas *W 'l"3 aeilmenlc
a sua opuiiao com franqueza c m- -liai
a polica desse erento lamentnve), ainda' ,rccpidof>l' arrogante e presumpeoso.
i>e cita factos sem os comentar, nao se atreve a
se nccn-
fauata
cedeu-se a rertsta. e owlgBoa^TrbS da^Ba- ihoTulS 0Q irnf *&** arma -mor-,ifera> <\ae
hia para julgar novamente a causa.
v om- J*"**"^ das revistas.
Ns 640. o 6406, ao Sr. Siqueira.
N. 6407, ao Sr. Veiga.
vSc^ c 6o4085.ao Sr barao de Pirapama.
N. 6397, ao Sr. Silva Tavares.
N. 6398, ao Sr. raoslo Franca.
mcL.i cncluso das revistas.
nrb4i4, aoSr. Ernesto Franca.
15. ao Sr. Chiehorro. "
ao Sr. Mariani.
ao Sr. Machado Nunes.
ao Sr. Nabuco.
ao Sr. Almeida. '
ao Sr. Siqueira.
DISTMBCIC.VO.
R evi
. V. S. as suas
ordens afim de que seja recolhida ao hospital da
Ninta Lasa, a desvalida enferma Carolina Maria da I
SSrJQiK *iuem seJefer,c Juiz municipal do! N. eMl-Rcieiidel-Riaao d
termo de Ohnda, no offlcio de 19 do corrente Junto A. Araujo.-Recorrente Americo, dn, r^rmn Kr w
por cop.a.-Communicou-se ao juiz municipal de. recorrido Antonio S Boges di1 5K2
n7r". n tornelio Franca.
uno ao Dr. chefe de polica. Acenso a reccp- N. 6124.Barra-Mansa RehcSo rio Rin v
W0,0"-1341 el-9 dcorrente, em que'crivao lJotelha-RSrrnleV j'ff
\. S trouxe a mea conhecimento a communicaCao Silva Jnior e outros neeSuSFIninffi
SM! ,delega(l0 de Plfca d0 ,cnno dl i Costa Franca eoutrot-AoSbaro de Pirana
rnaru, de se haverem terminado all os trabalhos ma. arao de Pirapa'
a eleicao sem alteracao da ordem publica. N. 6425
Dito ao director das obras publicas.Respondo Esenvao
r mediante a quantia de 3755, como ajustoucom i
-----destruicao.
m"f,1 erca-feira ultima |>cla noite, em conse-
2SJr 5nsao de um sargoo da guarda na-
S2S*JT um inspector de quarteirao
SSfit** S. Jos, deu-sc umconficto entre
soldados de lmha, urbanos e guardas nacio-
na^imPOIS argento preso oppunha-se a ser
record na casa de detencao, comoqueria-o a au-
nnll,^1'1'. uma vez mi nao reconhecia
como guarda nacional.
iin'LSOT0' q,ie duran' conflicto fora tirado
fi Wi urbanos, e torga de linha, em seguida
rn!er;SC M 1uar,el de Plicia a ordem do
2E5S? eommandante. nao tendo do conflicto
dar-se ores eonsequcncias, como pedera
N 6422-Santo Antonio Tpatrulha.-Relacao A ~Borea'u 52?' t^SS 5sPsa.d, Photographo
do Rio-Esenvao Assis AraujoRecorrentes Ca- anto> mliZJe^oludo- dar ''^ do piano e
rimundo Antonio dos Santos e Luir Flix da Silva c familias Sort J0?nic?tten>' Pra Jsto, as
suas mulheres, recorridos Antonio Ferreira Ma- conrandoS ^n-,aprove.lter de sen pres,in10-
ciel e sua mulher.Ao Sr. Veka contanuo com aproveitamento para seos filhos.
t *. d...^. ., O tenente-cirurgiao de guarda nacional Jus-
declavar os scus sentimeutos.
Se consciencosamente combate as opinioes c
. f.r-los de um alto funecionario, aecusam-o de hosti-
---ao, doixando-llie a dOr de ter sido I,d,a-dc pe,ss1
o instrumento da sua destruicao lm estul,-
N. 6416
N. 6418
N. 6419,
N. 6420,
N. 6421,
.7 ?,r 0 "espanha.Relacao do Rio.
ttotellio.Recorrentes Manoel Jos de
e sua mulher, recorridos Joaquim Jos
iutros.-AoSr.Pantoja.
N. 6426.Iguassu.Belacao do Rio.Escrvao
Manoel Firminoierreira, oasphaltamento dos dous A. Araujo.-Recorrentes'l mz"o.iPrinv'riT'H^hI'
conipart.meutosflo estado raaior doquartel do Hos- outros, nam^i^tnB^&Ji^!^
mcio, bem como o do xadrez das-prcas sentencia- i tros.-Ao Sr. Brito ^mardes Miguel
e ou-
das.
Dito ao mesmo.Pode V. S. mandar executar a
obra nova e concertos de que necessita a fortalezaj jurado suspeicao.
do Brum pela quantia de 2755000, como ajustou
com Rufino Manoel da Cruz Cousseiro, segundo
consta do sen offlcio n. 179 de 16 do corrente, a
que respondo.
Dito ao mesmo.Remello incluso por copia o of-,
ficio que em 19 do corrente me dirigi o brigadei-
ro commandante das armas, afim de que V. S.
quanto antes se entonela com os gerentes da com-
panhia de illuminacao gaz sobre o concert de
i ? t ^Uza Campos' a requerimento seu,
ZZJSL da PrKi,dencia de 21 do corrente
mandado aggregar ao terceiro batall.o de infan-
tana (commando superior desta capital) visto
M ar-se res.dindo no bairro da Boa-vista, e ter
WS ?E*#? d0 arf- 45 do deereto n.
1,130 de 12 de marco de 1833.
Amanhaa faz beneficio, no Circo Grande Oc-
rano, o sempre applaudido Homem Borracha, Wil-
liam uvernacomgrande variedade de novos exer-
cicios por todos os artistas da Companhia, como
\erao os leitoresdo programma, no Diario do dia.
A inminencia do perigo que corre este artista,
m cada_um dos exercicios que execnta, e mais
l.ihdade e o mrito que assistem em
me devem grangear a proteceo
adaui
-'wt
Kal
q'le t
scus tWollios.
V^J^^^lStsr. Almeida lSrlmelrfeSl* ^ dcSabaram
iraa^aaPSardae,CdSeav,5oS S ^i^enTsS
Saif hZT' da a,l,a dcprumonosnesmosl
aSada. levantados com cal mal
Felizmente nao houve sinislro algum a lastimar-
se nesse evento. Mas jKKlera ter subvertido em
Din.
que necessita o bico de gazcollocado 110 quarto dos
facultativos em servico no hospital militar.
Ficaram com d aparajulgamento :
.. Al revistas tiris.
N. 6362, relator o Sr. Almeida.
N. 6372, relator o Sr. Siqueira.
' HX' re!ator Sr-,,arao de Pirapama.
S- 6389, relator o Sr. Machado Nunes.
N. 6404. relator o Sr. Machado Nunes
I.evantou-se a sesso s 2 horas da tarde.
se
SKSSAO EM 29 DK AGOSTO DE 1863.
/ residencia do Sr. conselheiro barao de Mont-
serrote.
(Secretario o Sr. Dr. Pedreira.)
A s 9 horas e meia ahriu-se a sessao, achando-
preseutes os Srs. eonsellieiros barao de Moni-
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Nazareth. Envie-meV. S. com urgencia
urna relacao de todos os offlciaes da guarda nacio-
nal sob seu commando superior, organisada de con-
formidade com o modelo junto.
Dito ao conselho de compras navaes.Autorizo
o conselho de compras navaes a promover nos ter-
mos do regulamento de 20 de fevereiro de 1858 a
compra dos objectos de material da armada men-
cionados em seu offlcio de 19 do corrente, visto se-
ren necessanos para provimento do almoxarifado
do arsenal de marinha.
Portara.O presidente da provincia, tendo em
vista o que ponderou o commandante do batalhao
n. 19 de infamara da guarda nacional do munici-,
po deNazarelh, resol ve privar dos postos os alfe-!, ^a 'tahia, de 17 do correnle, enviando a respos-
res da primeira companhia Jos Gomes da Silva a d:ida, Pe'o Sr. juiz de direito Dr. Herculano An-
Loulinho, e da segunda Joaquim Dias Barboza, es- tonto Peraira da Cunha reclamacao do Sr Dr
nm,LrUl.?S yariasc.r'ancas, que all brincando, ha
pouco se haviam retirado.
.riIn/')rinam"nos 1ue "* l,ni estabelecimento na
r a do Calabouco, no qual ha constantes adjuntos
que incommodam a visnhanfa. preci'o riue
seja este abuso coarctado, ou pelo propno dono
S 'f^'a l!pl;;i"">''to.evi,ando.o, ou Jela ,o
niencia. fazCnd-",e sen,,r respectiva ineonve-
i.^7= Hrii>ng0 ferta?r a festadoSenhorBom
Jess dos Passos, na igreja do Corno Santo, com a
que mede as palavras em verso,
como um caixeiro mede cadarso s varas, d-lho
um sacco de necedades, quo tinem como ferros ve-
mos ; e se o redactor, porque tem sonso conimuin,
nao Ibes d publicidade, recebe logo ordem para
suspender a remessa do jornal, porque o asignan-
te iio quer proteger um homem lao falto de gosio
e lao mao juiz.
Upa murmura, porque o jornal demasiado Ili-
terario ; outro, porque nao tem bastante erudic-
fao.
Este ralba, porque os annuncios tomam muto
lugar _; aquello queixa-se que o jornal tao grande,
que nao tem tempo para 1er.
Um qur que o typo seja tilo pequeo, que nao
seria possirel 1er o jornal sem um microscopio;
outro ameaca largar a assignatura, se a lettra nao
tiver pelo menos meia pollegada de comprido.
I ma senhora chegou mesmo a offerecer paga
dobrada ao redactor de um jornal, para que assig-
nou, se este lhc mandasse o seu exemplar em typo
igual aquello em que se imprimem os cartazes.
Em urna palavra, nao ha assignante que nao d
conselhos, que nao queira que se adopte o seu pla-
node redactor; e o trabalho de Sysipho era um
mero recreio, comparado com o de um redactor,
que quer contentar a todos.
E nos que temos pretenco a agradar a todos
os leitores I
Ao menos levem-nos em conta a boa intengo.
Damos a seguinte estatistica da marinha mer-
cante a vapor de Inglaterra, a qual traduzimos do
Peta Journal :
Tin documento parlamentar nglez eleva 2190
o numero dos navios vapor actualmente immatri-!
culados no Reino Unido, pertencendo 1660 a In-
glaterra, 350 a Escossia e 180 a Irlanda.
Londres e Liverpool, de todos os centros com-
merciaes da Graa Bretanha, sao aquellos que pos-
suem a esquadra vapor mais consideravel : 591
steamers pertencem ao primeiro desses
222 ao segundo.
T.laskow segue-sc a elles. c conta 180;
insiste em misturar um pouco de carbonato de-
ca como anudo vulgarmonlc ehamado p de qom-
mi, moihar o objecto que se quer tornar incom-
ljuslivel na gonima assim preparada, e deiKHS pra-
licar oque geralmente se chama cwjommar. Asse-
gura o jornal donde tiramos em receita a infalli-
bihdade della. Ser na vendado infallvel?
Extenmente quem quizer.

Methodo de limpar lavas de pellica.Esfrega-
se um pouco de sabiio nao molhado n'um pedaco
de Hanella com lodo & cuidado para que fique bein
distribuido pela superficie da flanella. Calca-se a
luva que se quer limpar, esfrega-se repelidas vezes
com a hanella ensabeada, e passados segundos ob-
,tem-so o resultado que se deseja.

Licor
mas de
1 kilo de
sucar por carnadas em q'ualquer vaso quese deixa
exposto ao ar. Quaudo o assucar estiver dissolvido
dcite-so no vaso 2 litros de agurdeme, 2 grammas
de cochemlha c 1 giamma de acido trtrico. Mis-
turc-se e filtre-se. E assim ti cara magnifico licor
de folhas de rosas.
Na Revista Popular l-se o seguinte :
Um sujeito recebe de presente uma penia muito
magra, que manda por no gallinheiro a espera que
engorde.
Ouando s*ino quando, entra uma amilia que
vean da roca pela porta a dentro, recebida pelo
dono da casa c sua familia.
A hora do janlar a familia da roe_a poe na mesa
o resto da sua matalotagem, na qual se acha uma
pera assada de forno.
O dono da casa, que de nada sabia, rogado pela
sua senhora que trinche a pera; mas elle recusa-
se a faze-lo, dizendo que a pera nao presta por
eslar magrissima.
Oh minbas senhoras, exclama elle, comam
ames esta gallinha, que est gorda c saborosa.
A mulher olha para o marido, d-lhe signaes
para que nao desfaca na pera.
O pobre homem, cada ves mais.corto de que a
Leu-sc c approvou-se a acta da antecedente.
EXPEDIENTE,
n OffitiOS.
jas presidencias das provincias
actuaes provedor e escrivo da ir-
' "l.o Mostoso tocar um slo'
festa.
nemeitem-nos as seguintes liuhas, cuja lcitu-
. ra recommendamos :
Vendo em sua apreciavel Revista Diaria urna
noticia sobre ter o Exm. Sr. barao do Livramento
dado a podra necessaria para a calcada da igreja
de .\ossa Senhora da Coneeieao dos Militares, e i.v
como ella nao esteja em todo conforme, vamos re
vem Shields o Newcastle, que figuram respectiva-
mente um'com 166 e outro com 116 navios
vapor.
Do Courrier des Alpes extractamos o que segu
com relacao a abbadia deTami :
A ordem de S. Bernardo reformada de Tranna.
loi urna das mais iliustres da igreja.
Foi fundada em 1137, com o auxilio de pessoas
eminentemente virtuosas, por S. Pedro, arcebispo
de Tarenlaise, que foi o sen primeiro abbade.
Em 1739, os piedoso.s cenobitas foram obrigados
a abandonar a sua solidan e irem procurar uma
Ierra hospitalera no eslrangeiro.
O convento, unidos mais bellos monumentos da
Saboia, foi vendido, nicamente pelo valor dos
matemos, e seria demolido se urna mao angosta
nao viesse obstar a isso. S. M. o rei Carlos Flix
comprou-o em nome do arcebispo de Chambrv,
Mr. .Martmet, que oceupava cnto a eadeira arcli-
cinscopal fez restaurar o convento, e ahi cstabele-
ceu os missionarios diocesanos, que nelle habita-
ram doze annos
Em 1856 o veneravcl arcebis|w actual de Cham-
ry, Mr. Itilbet, constitu
portos c p^rua e-Sa' Pegunta a mulher o que quer que
diga, pois que na verdade a ave nao valia que com
js' i sc,gastasse o tempero c a lenha.
da mesa o dono da casa sabe do en-
c apos
No lint
gano.
Ri-se da mystilicaco, e, apresentando tambea a
sua pera, que manda vir do gallinheiro. faz que a
familia tambem se ria delle. pois igualmente pos-
sue peras magras !
COMMNIGADOS.
te por nao ter solicitado patente no prazo da li, c! Js.Caetano de Andrade Pinto.junte-se ao'ros-
ado do districto do batalhao I Pechvo processo.
aquello por ter-se mudado _
sem licenca ha mais de 2 annos.Commu'nTc'-sc
ao respectivo commandante superior.
Do Maranhao, de
corrente, enviando
27 de julho findo c do i. do
i resposta dada pelo Sr. juiz
io proprietarios do con-
tifiea-la. I vento de Tami e de suas dependencias os irmaos
O Exm. Sr. barao do Livramento nao den a Sacra fam'lia, que ahi cstabeleceram um colle-
pedra necessaria para a calcada da igreja como : e- ?r,a,u"0. para externos, e um outro para pen-
tambem para as duas casas contiguas pertcncentes Sl0.l.'!1s,as- ,
a mesma igreja, pelo que se torna digno de lou- ,i, n"mamen'.'! os religiosos trappistas da graca
pelo seu desinteresse, e scntimentos ortho- ?L s'na docesede^B.isaneon, manifestaram ao
. superior geral dos irmaos da sacra familia o mais
Tambem nos consta que trabalba eomiflooo rBtoS^J?T5^Mi?X.de D0SSC .dose-"
3 que infor- "ndo.-Ajunte-se o primeiro ao respectivo proces- a,im de ^"0 o caes em frente ra do Sol se ache ?i" ?? mos,e'ro de raime. O digno superior nao
mot o respectivo commandante superior, resol ve s esubmetta-se e segundo commVsao das anti- Promptoate ofimdenovembro, tendo por esta fr- UMdoulK)r Ul" sentimcnto de piedade. e deleren-
promover a alferes o guarda Eduardo Antonio de gu,'dades. ma a tropa que marchar para a festividade da na- m 5 accedtr. a ,al pedido, feliz por poder outra
io paiz estes santos religiosos, que nao o
xado senao para servir a Deus, e que
dias com suas oraroes acarretam sobre a
heneaos do Omnipotente.
Os trappistas sabem tornar fecunda a trra pelos
Cllnlea nieilico-clrurgica i?o Dr.
Cosme de Sii Pereira na capi-
tal da provincia de Pernam-
biico.
as de garganta.Larinijite falsa membra-
Cronp.Tiaeheotomia pmtaada pelo Dr.
'erara ; feliz resultado.Mal meza desta ter-
Dita.O presidente da provincia conformando-se! de direito Dr. Joao de Carvalho Fernndes Vieir vuros
com a proposta do tenenle coronel esmmandante a reclamacao mencionada, e o mappa do exercicio do!s-
Jo baialbao numero 19 de infamara da guarda na- dos juizes de direito da provincia no mez de julho Ja"
i'lU.II II lili IIIH'HU.V lli Voinnntl. -K_^ ____ _* 11 fllU i .1 i II X IA PA n----* J t lllll i
cional do municipio de Nazareth, sobre
Dila.-O presidente da provincia, conformando-se
com a proposta do Dr. chefe de polica, n. 1345 de
M do corrente, resolve conceder a Jos Antonio de
Brito Bastos a exoneracao que pedio do cargo de
segundo supplente do subdelegado de polcia da
rreguezia da Varzea, c para o substituir nomeia a.
Jos Jacques da Cosa Guimarcs.Communicou-
! se ao Dr- chefe de polica.
suc-
maos do seu ope-
r. Jos Luiz da Silv
GOVERNO DA PROVINCIA.
Eipedifnte de dia 22 de setembro de 1863.
Offlcio ao brigadeiro commandante das armas.
Que-ra V. Exc. informar sobre o que pede no in-
cluso requerimento o chefe de secao aposentado
Francisco Jos Martins Penna.
Dito ao mesmo.Pode V. Exc. mandar passar
Despachos do dia 22 de setembro de 1863.
Requerimentos.
Coronel Francisco Alves Cavaleanti Camboim.
Indefendo.
Jos Manoel Joaquim.Em vista da informacao
do hxm. brigadeiro commandante das armas nada
ha que deferir.
INTERIOR.
si ruino tkiki \ vi, DE
JUSTINA.
SESSAO EM 26 DE AOOSTO DE 1863.
Presidencia do Exm. Sr. conselheiro bardo de
Montserrate.
(Secretario o Sr. Dr. Pedreira.)
A's 9 horas c meia abriu-se a sesso, achando-
sc presentes os Srs. conselheiros barao do Mont-
serrate, presidente, Nabuco, Almeida, Siqueira-
N eiga. Urneho Franca, barao de Pirapama, Pan,
toja, Brito, Silva Tavares, Ernesto Franca, Chi-
ehorro, Mariani, SirnSes, c Machado Nunes, fal-
tando com causa os Srs. Azevedo, e Messias de
Leao.
Lcu-se e approvou-se a acta da antecedente.
EXPEDIENTE.
Oflicios.
Da secretaria de estado dos negocios da justica
de 2o do corrente, communicando que S. M. o Im-
perador houve per bem nomear (decreto de 12 do
corrente) o Sr. Antonio Jos de Souza para o lu-
gar de continuo deste tribunal.Guarde-se.
Da presidencia da provincia de Goyaz, de 11 de
junho ultimo, acensando o recebimeto das listas
- Jlva Moura, de 9 de julho fin- mecm} do 'raductor latino,
do, communicando ter n'aquelle dia entrado em ~ ^niantiaa se extrahir a segunda parle da
exercicio na comarca de Pastos Bons.-Guardc-se, Pr'nieira olera em beneficio da igreja de Nossa I a"~s ai
por nao ter certidao sellada. Senhora das Neves de Olinda.
Dr. Severino Alves de Carvalho, de 31 de julho ~ "Cao da polica :
lindo, enviando certidao de seu exercicio de chefe .^tract0 da Par,e do d,a 2i de setembro de
a sociedade.
A pedosa Saboia, de cerlo, se deve regosij&r
com a volla dos virtuosos cenobitas, que todas, as
de polica da provincia do Rio-Grande do Norte. ,,
Averbe-se depois de sellada. | For
oram recolhidos casa de detencao no dia 23
do corrente :
A ordem do Illm. Sr. Dr- chefe de polica, Joao
Francisco de Paula, pardo.-sem declaracao do mo-
tivo.
Sob o titulo de Reflexes dr um solitario, publi-
ca a Cruz o seguinte :
A vinude tao bella que ainda ninguera se ar-
rependeu de have-la pratcado.-

Osmcrcdulos propalam que o cathocismo ini-
migo da philosopha. Loncos, que se na lembram
Exfmsirao da revista.
N. 6H2.-PeloSr. Brito.
Redaccoes.
n,0ra,rnc,appr0va5d,a,o as, redacc5cs das sentencas
roTatorTS PanSij^9 "'^ ^. Veiga, e 6|82
jui.game.nto. A ordem do de S. Jos, Maria Alves d'Annun-
Revista civel. caS?> Adel'na Maria da Rocha Lira, Guilhermina
H. 6378.Recurrentes Domingos Gomes Ribeiro da Sllva H!g0' Dr*ncas, Jovina Maria da Coneeieao, ,
'-Belmiro Jos da Sa-C I)arda' ?das Pr 0,Tensas a moralidade publica ,0 e os Ph,losoP"os a abracaran.
Manoel Sjlvestrc Caravana, tambem branco, sem ,1tAC .,. "" ,
ordem do subdelegado de Santo Antonio Ma-' ?m e essa mcsma philosophia quem Uio subminis-
ria da Coneeieao, crioula, por embriaguez. ,ra suas nia escusa do servico ao msico do nono batalhao de I da nWma revisao de antiguidade dos juizes de di-
e outros, recorrido
gou-se a revista.
... pcssagem das revistas.
N. 6112. ao Sr. Silva Tavares.
Ns. 1773 e 6402, ao Sr. Snies.
xr taJ Concluido das revistas.
N. 6122, ao Sr. Veiga
N. 6123, ao Sr. Cornelio Franca
#!' acSr- .barao de '"'rapama.
N. 612,), ao Sr. Pantoja.
N. 6426, ao Sr. Brito.
Conclusao do processo de responsabilidade.
N. 137, ao Sr. Siqueira.
Suspeicao.
O Sr. Pantoja iurou suspeicao na revista n 642
que, por tanto, deve ser novamente distribuida
Dia.
Ficaram com dia para julgamonto.
As revistas civeis.
N. 6362, relator o Sr. Almeida.
N. 6381, relator o Sr. barao de Piranama
N. 6387, relator o Sr. Almeida. f
N. 6389, relator o Sr. Machado Nune
N. 6390, relator o Sr. Mariam
N. 6404, relator o Sr. Maceado Nunes.
Levantou-se a sessSo ap. meio-dia.
Os philosophos da Grecia po>-oavam o areopago v
o apostlo nelle entrou, pregou a roligiode Chri-
.. branco,
declaracao do motivo.
A ordem do da Boa-vista, Joao Ncrv de Sant'An-
na, pardo ; Joanna Maria da Coneeieao, crioula
por ferimentos. *
O chefe da 2* seccao.
J. G. deMesquita.
Passageiro do palhabote nacional Viennn
vindo de Maceio :Franoisco Domingos Soriano
da Silva.
Passageiros do palhaboto nacional Cursor,
sabidos para o Rio de Janeiro :Sebastiao do
Nascimento e 13 escravos a entregar.
Movimento da casa de detencao no dia 23 de
setembro de 1863. ^ U,J
Existiam........ 384 presos
Entraram....... 11 .
Sahiram....... 8 .
A sabor
Existem......... 387
Nacionaes...... 280
Estrangeiros..... 25
Mulheres...... 14
Estrangeiras..... 3
Muitos aecusam o cleroe o cobrem de baltWes ,
o caso da mulher aduhera : poderao clWs ali-
rar-lhe a primeira pedr 11

Um paiz ha no mundo onde para se depreciar a
classe sacerdotal, se escolhem de proposito sacer-
dotes ignorantos para os altos cargos, da igreja.
Instru a mooidado da purea dos cosHimos,
que della sahiro ptimos cidados.

Uma naoSo nao se torna grande smente pelo
incremento material, mais que ludo Iho mister o
progrosso moral.

Ensinai a vossos filhos a respeltar os sacerdotes,
bous ou huios, osles sao os representantes de Deas
sobre a tetra, O Eterno os chama a menina de
sens olhos,

Como queris quo vossos filhos vos rospeltem se
sois os pnmeiros a desrespeitar o vosso Deus, re-
presentado em seus ministros ?
Os homens do podjsr bramara 0 clero est
Molestias
nota.-
Sii Pen
rivel doenra..\i,vas experiencias sol-e o senta-
lamento tpico pelo mesmo doutor.
Observarse n. 153 do anno de 1862.
(Continuacao doDi\mo n. 183.)
Deixemos por em quanto os trabalhos sobre a
molestias de olhos, esperando que elles amadure-
eam para d-las entao ao publico; passemoa agora
a interessaro.leitor, conlando-lhe as historias ti.
dous doentes de molestia de garganta, dadas en-
nossa clnica, escolhidas pela sua imiiorlancia c:
gravidade.
A gravidade c a importancia, do que vou expor
irovem tanto da molestia era si. e de sua natureia
como do calamento empregado; em quanto a tw>
lest'a e ella ternvel; mata muitas vezes em poneos
instantes, e por mais de um* vez tem arremessado
ao tmulo o doente, e o seu medico ferido d& me-
mo mal -, em quanto ao traiamenlo, a Iracbeotomia
tem sido fatal a muitos doentes, deixando-lhesum;i<
vezes defeitos indeleveis, e outras fazendo.0
cumbir afogado em sangue as
rador.
Dous foram os casos que em minha clnica exi-
gram a operacao da Iracbeotomia ; um fra em
uma creanca de nove annos de idade. aeeommetti-
da do croup, do fHtal croup; e outro- em um ho-
mem, pai de familia, accommetlido de um tumor
na origem direita.dos bronchios.
Vamos referi-los miudamente.
Adelayde, branca, de nove annos de idade, filha
legitima doSr. Francisco Antonio torra (kudoso^
morador na ra do Brum, foi accommettida no dia
8 de margo do.anno prximo passado de um ligei-
ro inconimodo que mal simulara um defluxo ; nes-
te mesmo dia foi examinada pe cirurgio da eaea.
o br. Silva, quo nada encontrn, e nem pedia en-
conlrar ainda que I he merceesse serio cuidado,
prescreveu-lhe comtudo algiais remedios.
Continuando e augmentaado-se esses lgeiros c
taicoeiros incommodos, fui eu chamado, na ausen-
cia do cirurgio Silva, no,da ti, e entao oLservei
o seguime:Adelayde est palhda, sentada em seu
leilo, e muito desinquieta; a inspiracao.mul pro-
longada e sonora; do vez em quando orna tosse
rouca o, grave lhc ap^arece sem nada expectorar,
ou expectora um mucus claro c mui viscoso : falla
com a voz fina e roaca; de lempos em tempos aps
u.ma pequea tosse, torna-so lvida, le va na-se do
teilo rpidamente, e atira-se com toda a forca
pessoa que Ihe est, mais prxima, esforca-se elo
muito para tossw e paraexpeUir alguma cousaque
oxiste em sua garganta; (teste accesso acaba suada
e prostradisskna; seu pulso 6 frequente, sua pello
fresca, so calor natural; nao tem sede, a ln-
gua est hmida, nada indica que soffra febre. Na
bocea nada se encostra; as amvdalas e seos pila-
res nada, apenas ligeira verraelhido outro tanto
nao acontece na pharinge (fundo da bocea) onde so
nota em baixo, em frente o dos lados, pontos, e es-
paoos do tamanho da extremidade de um dedo. <:,.
bertas de uma fina pellicula, lgeiramp-;e esbran
rada.' que fazco1tras,e con;Verraelhido rosea
a P/"6! q?e- alnao -""'. e que Ihcs sao visinhas.
oessoaT um0' b-/vada. ^ndo segura por duas
nmf or- untada e outra em p, em frente de
"nia ?V..ude porta de varan la, e era tempo bem
aro, tendo a lingua abaixada por uma colher de
prata; o pescoco acosa dor nos lados, e varios gan-
glios cervicaes estSo entumescidos e dolorosos em
consequencia destaoUenacaodeclarei Exma. Sra.
ILEGfVEL


Diario le Piniubuco fctit* fera t4 de Setembro de 18S.

*\
de levo, como fo nesta parte ap- cpjor-gi'-hia mu contra-senso, porquanto reacgo
pareeeram poutos heiuorrtal} forle Uvera nossa douuio us das 14 e f5, quando
das domis regiSes perraaneceram dlWBWeTO ella j esta va mal* fraca; logo nao fura a Traqueza
grossas. a causa de sua falta.
Era, pois, bem cl^ro a favorftvel aceito do sulfa- Dadas que fossem estas razUes pelos dous illas-
to de alumina, comparada e confrontada com a ac- trados pathologistas, ellos mesmos os julgaram im-
procedentes, sem o pensar, porquanto foram obrl-
gados a reconhecer que ha nocroup aiguma cousa
que nao inllammagao, ou que urna imflamma-
go quasi especifica, o que para nos inleramen-
te desconliecido.
Eu pois, partilho a opinio de Bretonneau,o
croup urna raelestia especifica; passemos ao tra-
tamento.
E' de toda a evidencia que se o croup devido a
pobreta do sangue nao deve elle ser tratado como
una molestia, cuja causa seja a riqueza do mesmo
liquido, se este mal de natureza especifica, nao
pode receber um (ratamente propriauo, tirado s-
mente dos principios geraes.
O tratamento de urna molestia deduzido de
conformidade a sua natureza : o tralamento acon-
- m miajaseitescnnavaairavwuw- sclhado para o crpup grande c variado, cada
r"aonlicade"ubi recno steraal 'a 24 horas depois (estovamos no dia 19) a mem- qual aprsenla, e elogia o seu, e o praco que nao
Na 82?que fiz as nove Horas da noite parecen- brana diph.herica esteva mole, despregada c rola ; j f* r 4* .,>nc,, na her* .mil *,
me que tudo se aoalmava; porm durante o resto parte sahio no panno que a cobna e parte na es-: i
da noite passou-sc em attribulagoes ; a doenle nao poma com que a enxugava era geral a hypere-;
D. Fli',-;r. 'e Mezquita Cardoso que sua filha cs-
tava gravemente doente, o sondo obligado a rocei-
ta-la, prescrevi to dia 11, o seginte :
1." Uro lanchante d'agua vienence clarificada;
2." Calomelano em dses fraccionarias, reponas
di' hora em titira um miarlo de grao por uosej,
vAimpnmliMtes sobre o pescoco, repetidas cao dos outros chico agentes tidos e havidos como
ih> i,,-' em tres oras os atoros, e os mais poderosos no tralamento lo-
4 -Proced a cXisaco dos pontos doentes e cal do diphtheris.uo.
susoeitos do fundo da garganta. Mas, perguutei eu a mim mesmo, nao havena
Termine! minha prescripgo pedindo que fosse ah algunas circumstaneias, que tanto favorecesse
ouvido o professor da casa, e que a doente alcm da ao armela, e desfavorecesse aos deraais agentes 1
dieta fosse collocada em um lugar abrigado. e para responder a esta pergunta, tentei urna con-
j)a if _o mesmo estado, seno peior; o laxan- tra prova decisiva, antes que me fugisse a occa-
ic produ/io seu effeito; nova cautensacao do fundo siao; ei-la :Lavei loda a superficie causticada,
da argauta, e contiuuagao do mais prescripto no enxuguei-a com um panno de hnho velho c cobria
daanteccdente. coro p de aluinem, e para que o atrito da roupa
Ncstc mesmo dia a tarde, sendo terriveis os ac- nao perturhesse minha observago, cobri tudo com
eessos de soJfoeagao, prescrevi maistrtaro cmeli- um panno de linho untado coro pomada alvissi-
co iin dse vomitiva, de espago cm espago; c a ma.e seguroi-o bem.
instancias da familia consent que quatro bixas As 7 horas da noite cxaminei um ponto superior
fossem postas sobre o pescoco, logo abaixo do an- do caustico, e j achei amolecida a membrana dmij-
M de cada vez; um caustico therca, e a h\ pereinia j se desenhava atravez del-
tiver anda experiencia nao sabera muitas vezes
mal dever ser o escollado.
a doenle nao ponja com que a enxugava era gerai a nypere-1 Vallox, trata da roaior parte delles, e com bu-
iia'n (as loro os ollios brilhantcs; est muito paluda a ins- mem humidece e desprende as membranas diph-, sera o mais prefenvel.
oiraco nrolon" ida e sonora, os ps estao frios, thencas, provoca nestes lugares nao shyperemia, Ero minha observacao a molestia mostrou-se
sua'nello sensivei ao piro-amento digital, eo como hemorrhagias capillares, resultado bem dif- rebelde as cauterisagoes com nithalo de prata, ap
fundo da careante esl todo coberto de falsas mem- ferenle dos outros agentes conjuntamente emprc-: purgativos, ao colomelanos, as bixas, ao caustico,
branas ass.ni, pois, nao tendo obtido allivio com' gados. I ao chlorato de potassa etc., por quanto no meio
os remedios prscriptos, e o mal pro? red indo tanto,' Peste dia em (liante o caustico se cobria de mole destes remedios zomhando delles o diphtlwnsroo
roouz a operacao da tracheotomia; a familia c tina membrana, neste ou naquclle ponto, entre-, se a manifestoiido caii loda galliaruw. A iratneo- ..... .....-.,.
recm"u ao ouvir este recurso extremo, e procurou tanto que a ferida travhial neste mesmo dia appa- tomia suspendeu o braco da morte e deu tasar a | Jaeroe BalSf Tr' ?P C' hJC rel)resentados Por Daniel
Appellantes Manoel Alves Guerra, Francisco An-
\ tonio de Brito c outros ; appellado, Galdino Temis-
Dia 20 a dooite vai bem dos medicamentos, direi em quanto a esta que o; nendimento do dia 1 a 23. 281:866^409 teles Cabral de Vasroncellos.
Dia 2 l'c 22 o mesmo estado melhoras progres-calomelanos, por sua aeco sobre a plasticidado do dem do da 24........ 9:806^7411 Appellanle Felippe da Silva Pimentel; appella-
--------------- dos os curadores liscaes da musa fallida de Furico
291:673*150 & C.
atmospbera vos rodeia, embalsamando os proprios Distrato social de Francelino Xavier
ares com seus doces perfumes.
Molbai qualquer lenco, ou qualquer um outro
artigo do vosso uso nesta agua, e o seu delicioso
e odorfero cheiro, reter-se-ha e conservar.se-ha
petaispaco de muitos dias.
Ella tem-se lomado o perfume favorito do dia
altamente apreciada por toda a parte, e sua procu-
ra e consumo tem-se tornado universal.
da Fonceca e Joo Martina do Rio 1500
Julio Guimares
official-maior.
Pela mesma secretaria faz-se Igualmente publi-
co, que existem parados, por falta do respectivo
preparo, os segurles fcitos :
Appellantes os administradores da massa fallida
de Martinho d'Oliveira Borges e Bento Jos llamos
Em virtude, pois, da sua grande e extensa popu- d'Oliveira; apppellado Francisco Ferreira Bor-
laridade ter dado lugar que^ tenham apparecido ges (2).
varias falsificagoes. em imitacao este artigo, ten
de, pois, bem senlido e boa cautela em exigires
simplesmente a nica e genuina Agua de Florida
de MurravdtLanman.
Em todas as principaes lojas de perfumaras e
drogas encoalrar-se-ha sempre venda.
COMMERCIO.
MOVO BANCO
DE
propuz a operacao da tracheotomia; a familia c tina membrana, neste ou Uquclle ponto, entre-, se 1a marofestondo coro toda gallarda. A.tra-""^| o Banco toma s
recuou ao ouvir este recurso extremo, e [nocurou tanto que a ferida Iracbal neste mesmo dia appa-1 tomia susi>endeu o braco da morte e aeo m
novos defoutres mdicos ; e estes, com quanto pres- recen coberta de grossa membrana diphterica, e que a natureza veneesse e destruste o1
crevessem ainda novos remedios, com tudo julga- nao appliqtici cousa alguina sobre ella, por causa' se havia gerado no organismo.
rain Adelayde em perigo iinromentc de vida; acn- da cnula larngea. Mas fazendo um appello a experiencia, c
0 novo banco pasa q \\ dividendo
de dez mil ris (10(000) Pp accao.
NOVOBANCO
DE
Appellante Joaquim Jos Ferreira; appellado
Joaqum Elvlro Alves da Silva.
Appellantes Rabe Sehainettau & C. ; appellado
Manoel Buarque de Macedo.
Appellante Manoel Luiz Goncalves; appellado
Joao Francisco da Silva Novaes.
Appellante JoaoHypolito de Meira Lima; appel-
lado Chrisantho Dario-Xobre d'Almeida.
Appellante Jos Martins Alves da Cruz ; appella-
do Jos Antonio Goncalves Pires.
Appellante Francisco Antonio de Brito; appella-
dos o presidente e directores da Caixa filial do
banco do Brasil nesta provincia.
Appellante D. Maria Rita da Cruz Xevcs ; ap-
pellados os curadores fiscaes da massa fallida de
C. Jos Astley 4 C.
Appellantes Manoel Alves Guerra, Francisco An-
tonio de Brito c outros ; appellado David William
Bowroan.
Appellante Miguel Jos d'Abreu ; appellado Ho-
racio Tihurcio da Cruz Muniz.
Appellantes Brito, Queiroz & C.; appcllados Ma-
theus Austin & C.
Appellantes os curadores fiscaes da massa fallida
do Amorim Fragoso, Santos & C. ; appellados Ra-
Adelayde ero pe
sclharam tambero a tracheotomia.
meia noite fui despertado para ser consultado
maT que
a accao
A landega
3 Dia"ltTas s.'te lloras da maiiba).-Convidou-me roTitaVhra7comVrlwTirngiano artificial obla-1 Ero quanto a experiencia, direi mui francamente
o pal de Adelas de para nina conferencia com os' rado, respirando pela laringe, preparo-mc para ti-; que os custicos as bixas, as sangras, devera ser
Srs Drs Maduro Pereira de Brito e Tavares, es-' rar a cnula no da segurte. completamente banidas da therapeutica do croup,
eoihidos voluntariamente pela familia, marcada! Dia 29. A cnula tirada, os beigos da ferida, servein smente para empobrecer o organismo
para as nove horas, do dia; aceitei o convite, e sao confrontados e manlidos por meio de pontos do doenle, causa disponente para este mal, e aug-
.iiiando compareci, se bem que a hora indicada, j falsos, e curada de dous em dous dias. A 5 de mentar as superficies para extengao do mesmo,
l encontrc os Srs. doutores, e mais o padrinho de abril estava completamente fechada, e a doente como bem vimos cm nossa observacao.
\delayde o Sr. Antonio Alves Barlmsa. restabelerida sem defeito algum, sentindo smente Pelo que temos lido c observado, cobrir as fal-
\ doenle eslava sentada em nina cama de vento, muita flaqueza as pernas. sas membranas com p de alumen, e abrir a gar-
tendo junto si nina senhora que a pensava cari- A muita sensibilidade da parte causticada, exa- ganla em lempoopportuno, se o mal nao cede, serao
nlwsameute, quei ia mais urna outra pessoa para gerada, talvez, pela impertinencia pueril da doen- os mclhorcs meios de qne se possa langar mao, a
.-.arrar-se a ella, .piando Ihe apparecesse a sufloca- te, fez com que eu nao podesse apreciar as diffe- pratica antiga, como breve mostrare, c a moderna
gaoagua
iante, e n"
accessos de
liovhiiciito da alfandega.
Voluroes entrados com fazendas
com gneros
Voluntes sabidos
com fazendas
com gneros
144
216
------360
3*
265
apellante Antonio Jos Conrado; appellados
Antonio Francisco das N'eves e outros.
Appellante Manoel Joaquim Dias de Castro ; ap-
pellado Joaquim Ferreira da Costa.
Appellantes Kalkman Irroaos & C.; appellados
JoSo Praeger & C.
Appellante Joaquim Rodrigues Tavarcs de Mel-
299" lo; appellado Manoel Ferreira Garrido.
Descarregamnodiaade setembro L Appellantes Miguel Ferreira de Mello c rsula
Brigue ingIez-/osAa&3toi,-mercadorias. Mar'a,das ^"*eons aPP-'ado Francisco Fereir
Barca francezaflw Granrfcidem. | de Mello.
Lugre francez RkhGrane, vindo de Havre, con- i Appellante Antonio Aunes Jacomc Pires; ap-
signado a E. A. Burle & C, raanifestou o seguin- Pe!la,' tencntc-coronel Joao de Sa Cavalcante
te d Abuquerque.
145 barricas cimento, 500 ditas farinha de tri-1 Appellante Domingos Jos da Cunha Lages ; ap-
go, 20 ditas dita de ararula, 72 saceos gomma de pcllados Mana Francisca da Conceicao e Sa e
mandioca, 1200 gigos batatas, 200 sacos farello, I outros.
! 100 Larris, 100 meios e o caixas manteiga de vac- j Appellante Bernardo Antonio de Miranda; ap
eos, suava bastante*; a pello eslava fi ia principal- que mais dores causaram. Trousseau tem sWo realisadas. ca, .
mente as roaos e nos ps; pingada foi temente com A massa caustica estendida c applicada sobre a | Tendo conhectdo que o alumem pode ser empre-1 pral0;
os dedos, apenas piovocava a* doente a recuar a regiiio external
perna ou o braco; sen pulso mal se contava ; sua das e meia
i espiracio era ao sibilante i|ue se a ouvia a dis- rm descendo
rancia de duas salas do-sc para os
Adela>de eslava, pois, prestes a suecumbir, e os; gao em que se achava a doente, viscou urna|a analysc crmica da membrana do
collegas que a viam neste estado, a observavam, e grande superficie, tomando grande parte da regiao qual concluir que ella era de natureza
me ouviaro, sondo-Ibes pedido seu parecer, respon- j anterior do peito, chegando at o epigastrio. miosa, insoluvel n'agua fria, ou quenu*. .
deram nao lia tempo a perder, votamos pela Acabada a operagaoonosso amigo Dr. Maduro nao ^'nduFececom osacidos sulfurico,nitrico cheoridrico,' r(.na) 4 dj^g r0xo-terra 10 ditas gesso, 1 dita colla 1 Appellante Francisco Antonio do Brito; appel
operagao, e j ; em eonsequencia do que seus s recommendou-nos a analysc das ourinas, como (enflaquecido 5 que se amolcce e dissolve no am- j0 Flandres, 1 caixa vidros, 2 ditas esseneia de 'ado Antonio Jos de Castro,
pais e seu padrinho resignararo-se a aceitar este thermometro do progresso ou regresso do mal, o moniaco, na solucao concentrada de nitrato de therebentina em botiioes: a Cosme de S Pereira. Agpraros.
conselho extremo, e ine pediram que a praticasse
40 caixas queijos flamencos, 100 dilas ditos pdado o padre .loseTdos Santos Fragoso
os, 400 caixas vinbo tinto, 100 cestos cerveja, | Appe laute Joao Augusto de N asconcellos Leitao;
s chapeos, appellado Manuel Antonio Supardo.
tecidosde] Appellante Manoel Jos Leite; appellado Jos
algodao 1 i Francisco do Reg Barros Jnior,
.v dito de la e' Appellante Manoel Jos Martins da Corredura
croup, c dai aigodo," 3"~daV7oupa"para senhora, 3 ditas dita! appellado Antonio Pacilico Simoes do Amaral.
M fibro-albu- para hornero, 1 dita roiudezas aos consignatarios. | Appellante Lui7 Antonio Gongalvcs Ferreira ;
lente, que se; 22 barris alvaiade de zinco, 10 ditos oca a*a- appellado Fraga & Cabral.
e arranjando-se pressa urna mesa, fui logo execu-
lada promptamente, c sem accidente algum. As
nove horas e tres quartos Adelayde j eslava sen-
tada, rindo-se, e dizondo asuamai que j eslava boa.
Passarei em silencio o niethodo que segui para
executar o importante traballio quemo foi confiado,
e para o qual eu eslava preparado moral e physi-
eaiuenle, direi sonienle que segu em tudo os con-
seibos dos bons ortico*.
Al a operacao nao havia cu anda observado o
oslado das ourinas, e a pedido do meu cullega e
amigo Dr. Maduro, deslo dia em diante coniccei a
analysa-las.
A doente Tardo eslava tranquilla, e brincava
com seus jogos pueris: pedagos do falsas membra-
nas Ine sabiam por sua nova' garganta de prata ;
-uas ourinas tratadas polo acido ntrico e pelo calo)'
nao deram signal algum de conler albmina. A
noite a doenle rdea era febre, porni dormio, o
que d'anlos nao podia fazer.
Dia 15.Contina a febre : o caustico tratado
como d'antes, isto coberto com um panno velho
do linho untado do pomada alvissima ; o pulso
furto, as bees coradas, os beicos vorinolhos: nada
de albmina as ourinas, estas sao vermellias, o f-
cilmente entram em fermentacao ammoniaoal. A
soperficie da pollo causticada 6 observada cuida-
dosamente, c at este da nao lem o menor signa)
de diphlheria (falsa membrana). A doenle foi
neste dia visitada tambero polo Dr. Pereira de tiri-
to, que examinando a garganta pela bocea rccoiibe-
cia son fabas membranas i entao era fcil este
exame, doente a ello se prestava.
Dia 16.A doenle passou bem a noite, dormio
socegadamente, brincou durante odia : as ourinas
nao cnntm signal de albmina a febre diminu-
tissiraa, ou nelhor, nao existeniais febre; nada no
cansbet, que purga bem.
Dia 17.A doente nao tem mais febre, dormio
bem. esl socegada. O caustico amanbeceu cober-
lo do una falsa membrana. Xoste mesmo dia o
hora em que eu tratava da doenle. foi esta tambem
visitada pelo Sr. cirnrgiao Silva, que comigu vori-
licou a presenea da falsa membrana cutnea ; ois
como olla so apresentava: cobria a soperficie des-
mudada iiclo caustico: ora toda igual, lisa e intima-
mente adherente a pello : i>uiido-se a polpa do dedo
sobre olla, nao ceda, nao se despregava. nao so
rompa : pareca ler toda olla a mesma espessora,
porm ao enconlrai'o limite do caustico alinava-se
paia coattnnarcom a pello, como -e fosse um co-
rnei'o de cicatriz ; se em sua cirrimiferencia se for-
cejava para desprega-la em algum ponto, senlia-se
sua furto adherencia, c vencida esta o caustico ver-
ta sangue. Em quanto a cor que apresentava este
pro duelo mrbido era opalino, ou semi-tr-ansparen-
le, eu o comparo aquella ma-.-a membranosa que
toiii Meneos verdes proprios para beber-se-lhes a
agua.
Teudoeu dcbaxo ile meus oihos urna grande su-
perficie coberla por urna vasta membrana dipbthe-
rica, deseje i ver como sobre olla obrariam varios
remedios, innitoeni voga, appbcados pelo lado in-
terno, o ne te sentido proced do segurle modo.
E' no dia 17 cm que comoco ininhas experiencias.
Divid a Miperlioie euboi la'pela membrana diphlbo-
rica ero seis regios; na primoiraappliquei nitrato
de prata emereao ; na segunda sulpbalode coin
er\?talisado em creao, como se faz as cauterisa-
cOes da bocea, ou dos olhos: na terceira appliquei
>Liipliato d( alumina em p : na quarta calomela-
nos oro po irituradocom assucar; na quinta passei
um pincel de (ios embebido em percnlorureto de
ferro (solucao normal/: na sexta passei um oulro
pincel embebido em acido hydroehlorico puro.
O que resullara desla ooiifrontaco :' Qual ser
0 resultado que dar cada urna destas regios tra-
tadas com estes dill'eronles remedios t (Jual a ac-
cao destes remedios emprogados polos mdicos
quando applicados no interior da bocea nodiphlhe-
i isino ? nao se sabe nada ;i esse respoito ; a ob-
servagao, por.ni. moslrou-me aiguma cousa de
mui ini| orlante.
Quatr.i lunas ilepois destasapplicagues notava-se
o guinto :
Na regiao tratada pelo nitrato de prata a ne-
uliuma dipblheriea eslava enrugada e despregada,
potm por baixodellla outra membrana ja se havia
formado ; 24 horas dopois esta segunda roouibrana
era lao dura c adherente como a pnmeira, e pa-
reca estar mais elevada ou mais espessaas re-
.uios tocadas coro o sulfato do cubro, calumelanos,
percnlorureto de forro, e acido hydroclilorieo, nao
aprsenla varo dilferonca aiguma, menos na cor que
>onlia-so da do agente'ompregado, oslavam segu-
as : noiava-sc mais que nos lugares tocados coro
o sulfato do cobre e u acido Indrochlorico a mi-
sa membrana pareca se haver engrosaade c cs-
pessado: i horas depuis anida eslava adhe-
rente. Xa regiao tocada com o p de sulfato de
alumina, a membrana diphthenca nao angmentou
de espessura, antes diminuir: esle agente provo-
cara urna liyneremia geral nesta regiao e em mui-
to pontos e hemorrhagias, cm eonsequencia do que
a falsa membrana tornra-se role, oscilante, e cm
algnns pontos desprendida: 24 horas depois esla-
va mole, fin c desprendida da pello, porm conti-
nua a das outras regidos, cu alirei com urna espon-
ja, tocando-a levemente ; a das outras regios Aca-
ra adherente.
*iti\jama:i no dia 18 fiquei maravilbado coro
: .,i"*^' esperioiicia me punta no eami-
uho de uroa raw" a,it" l ,lseoiU,i de um
""SaSf* novo tedas ^^-gj.
,..: t,__.. ^i,.! nnim inini.. caiieceira
progresso ou regresso do mal, o moniaco, na solucao concentrada de nitrato de therebentina em botijOes: a Cosme de S Pereira.
que foi feito, como ja o disseroos. como tambem potassa, dos lcalis e do acido actico. Iliate nacional Artisla' vindo do Rio-Grande do Aggravante Manoel Antonio Bezorra ; aggravado
indicou o uso do chlorato de potassa interna-1 Esta analyse aparle em qiie traa do acido gu| COnsffnado a Bartho'loroeu I^ourengo, manifes- Antonio Fernandes d'Oliveira Ramo:
mente, que foi dado por algunsdias, mas sem van- chloridrico ainda confirmada em nossa observa-
jcnpio. guarni comegamos a tratar nos, o que o uso uu pn ao aiuHiem seja aesue u
te, seu estado diphther'ico j era roa- comeen du nial, al u seu lim empn-gado.
claro c definido, e datava de 3 a 4 Como se levar este p ao fundo da bocea, ao la-
i apresentar cortejo algum febril (nem ringe, e aos bronebios ? E' urna questao que ser
lagem aiguma, porquanto durante o seu uso fura: gao. E'una analysc puramente chimica a que
que se eohrira o caustico o os labios da ferida tra-, flzera o Sr. Schwilgue; entretanto que a que cu fiz
Mal de membranas dphthericas. | atacando a membrana diphtherka, no proprio lu-
Pondo agora de parte a pratica, terminada como. gar de sua origom, com os agentes usados no seu
estava a parte mecharea, recolhi-me ao meu gabi- tratamento, foi urna esperiencia fisiolgica,
note, para consultar dilferentcs autores a respeto Em quanto a pratica seguida pelos autores encon-
do croup, ou da molestia de que fura atacada a tre que o surfato de alumem empregado desde o
nossa doente, sua natureza e tratamento; e neste lempo de Areteo, Qrnevale, e mui preconisado no
sentido li varias obras importantes: Grisollo, seculoXVI,fra pelos seus resultados fclizes que este
Vallex, Woillez, Xyston, Frank, Tardieu, Hardy e agente oblvera o ttulo de p anti-croupal, Breton-
Behier, etc. Sobre" a symptonialhologa nao ha a neau fura quem segurara dilinitivamente seu lu-
menor difierenca, todos'os elementos diagnsticos gar na therapeutica, me parecendo porm, que hoje
sao encontrados a i-ada passo cm nossa observago. j se o vai osqueeendo, elle obtvera em sua pratica
Em quanto natureza deste mal. todos os auto- mui bons resultados; assim pois, que til e aro-
res o descrevem no grupo das inflainmatorias, e | veitoso o emprego do p de alumem no croup 6
Ihe assignam um processo febril constante, parecen-1 quanto a historia nos ensina; mas se os fados
do que entre una laringile franca c una laringle'continuarero a confirmar minhas experiencias,'
membranosa, nao ha outra difierenca que a da saber-se-ha mais que o p de alumem. aplicado!
membrana desta, devida a excesso da indamina- ] sobre a membrana do croup ainda adherente, a
gao. Eu, porm, me aebei embancado oro acceilar humedece, tira-lhe a consistencia, enfraqnecc sua i
esta opiiiao, tanto mais quanto. segundo a nature- cohesao provoca hyperoinia, apoplexias por baixo
l do mal, o qne se deve escolher o remedio que o della, a desprende e empede, seu repoareci-
deve combater. [ ment.
Passemos ainda em revista o que observamos, c' Permita Deus que estes factos sejam coi..j-ma-
quoj fica descriplo. Ouando comegamos a tratar dos, o que o uso do p de alumem soja desde o
da nossa doenle.
infestamente el
dias: mas sem
sede, nem calor na pollo, nem"dr~dccabega,'nem esludada logo que houver opportua occasiao.
modorra ou somnolencia nem prostraoo). Aggra- Os Miopes, e os meus collegas, perdoarao todas
vando-so os solTrimontos da garganta, olirgararo-me estas consideragos, ellas sao devidas a mportan-
a pratcar a Irachreotoroia no dia 14 s nove horas ca de uroa molestia que faz o temor do pai de fa-
emeia da inanha; e nao obstante ter o mal che- milia extremoso que tem ilhos pequeos, c do me-
gado a osle extremo, com tudo at esto dia o cor- dico que os tem de tratar, o. de mais, ellas detinem
fojo mllammalorio geral ou local nao se havia roa- boro a posicao do medico, cuja recompensa, todos
mfostado : porm neste dia lardo que elle co- os das amesquinhada. julgada somonte pela visi-
meea e lorie : na noite do dia 14 para 15 a doente ta de um quarto de hora que se faz no doente. sem
arden em febredeclinou a febre no dia 15 e j contar-se, ou sem levar-so em liana de conta as
nao existia no da 16. Outra circunstancia anda combinaces de sua arte, os das, as noutes empre-
ad importante: o caustico fui applicadu no dia 12 gadas n modilacao, e no estudo.
o tez grandissimo elfeito ; e at o da 16 nao dava Dr. S Pereira.
indicio algum do estar invadido pelo dphthersmo; j (Continuar-se-ha.)
apresentou, porm, este oslado no da 17. quandu j
a febre havia desapparecidu desde o dia 15; as-; P. S. Siio passados j 18 mozos; Adelaide gosa
sim, pois, qur na garganta, qur na pelle, o dihp- de perfeita sade, sem o menor defeio; resta-Ihe
Iberismo manifeston-se sem febre. apenas na parte inferior do poscoco urna cicatriz
Diro talvez que i como se encentra dito em va- redonda que ella repugna obstinadamente tirar,
ros autores) o corteju febril existia, roas fracu, e espero, porm, que quando moga a esta pequea
uue por isso pode passar dosapercobido. Eu nao o operagao voluntariamente se submetter.
duvido, mas quero qne se reconbega que urna dia-' mmmm^mmmmmmmtmn,^1miM^m^mmm
Ihese diphllierica exista por muitos dias. e muito ^
'desenvolvida, cm desproporcao com o cortejo in- PITTlT.lf'ArnP^ A PPl^TTin
llammalorio ; do que concilio que esto, fugaz e des-, rUfllllbAyUJiO A f LI1UU.
apercebido, como elle foi, nao o symptoma daqnella, -------------
porque na inllammagao o grao da febre Iho pro- Itrlarao
porcional. Assim, pois, para miro o croup nao
molestia de natureza inflan)materia, ao monos no
caso observado.
Eu bem sei que se pude encontrar casos de
croup com febre, e com ongorglamentos dos gan-!
glios cervicacs de que a nossa doente teve comego,!
e de que ou mesmo tenho exemplos ; mas esses \
engorgitaroontos e essa febre sao complieacdes i
desaliadas pelo mal; podem existir ou deixar de
existir sem em nada alterar o mal geral ou local ;
omitan, em ama infiamraagao aguda qualquer, ce-
dondo a febre, cede a inllammaro, e vicc-versa.
Se ajuntarmus a tudo isso a observacao de que
o croup inoculavel e contagioso, dar-se-ha a este
mal o carcter proprio de urna molestia especifica;
(al ello no meu fraco entender.
tou o seguinte : Aggravantes Campos Lima ; aggravado o juiz
11:616 arrobas de carne de charque, 100 ditas municipal do Limoeiro.
de sebo em rama, 100 ditas de graxa em bexigas, I Aggravantes os curadores fiscaes da massa fa h-
130 saceos farinha de mandioca, e 60 couros sec-, da de Amorim, Fragoso, Santos & C; aggrayados
eos : ordem. os administradores da massa fallida de Siqueira &
Reeehedorla de rendas internas PcAearavante f jm pint0 dc Barros aggrava.
geraes e I ernamniieo. i ,jos os herdeiros do coronel Henrique Pereira de
Rendmento do da la 23. 25:6475384 Lucena.
ldm do dia 24.
981J302
2ti:628A.ri8f)
Consulado provlnelal.
Rendmento do dia la 23. 34:8375700
dem do dia 24......... 1:3105514
36:1465064
'MOYIMENTO DO POBTO.
Navios entrados no dia 24.
Barcelona por Alicante -48 dias do pritneiro porto
e 35 do segundoPatacho hespanhol Tltemolhm,
'. dc 113 toneladas, capilao Francisco (lasis, cqui-
I pagcni 10, carga vinhos c outros gneros; a
Tasso & Irinao. Soguio para o Rio Grande do
Sul pela Babia.
Macelo9 dias, palhabote nacional Pietlade, de 241
toneladas, cpitao Jos Marques Vianna, equ-
pagero 11. em lastro; aCaelanoCyriaco da Cos-
ta Moreira.
Liverpool39 dias, barca ingleza Seraphim, de
22il toneladas, capitao 1). J. lames, equiprgeni
14, carga fazendas e outros gneros : a Johns-
ton Pater & C.
Naci sal ido no moato dia.
Rio de JaneiroPalhabote nacional Cursor, capitao
Joaquim Ignacio'da Silva, carga assucar e ou-
EDITAES.
o Dr. Tristo dc Alencar Araripe, oflicial da impe-
rial ordem da Rosa c juiz. especial do commer-
co d'esla cdade do Rccifc dc Pcrnamhuco, e
seu tormo, por Sua Magostado Imperial, o Sr.
D. Pedro II, quero Dos guardo etc.
Fago saber aos que o presente edital virem, que I pnrn a estes serviros, a apresontarcm s'uas pro-
acha-se aborta a fallencia do Joaquim Vieira postas na dita directora us das 24, 25 e 26, das
Coelbo & C, pela sentonga do Ibeor seguinte: jo horas ao meio dia, onde poderao obtor os es-
Aggravante o Dr. Augusto Carneiro Monloiro da
Silva Santos ; aggravados os administradores da
massa fallida de Joao Jos de Figueiredo.
Aggravante Manoel Antonio Supardo ; aggrava-
do o juiz municipal de Macei.
Aggravante Custodio Ferreira Moutinho; aggra-
vado Manoel Antonio de Sonza Pontea..
Aggravante Francisco da Silva Cardoso aggra-
vado Joo Agostinho de S Pereira.
Aggravante Guiroaracs & Oliveira ; aggravado
o visconde de Snassuna.
Aggravantes Jos Moreira Pontos; aggravados
Mello Lobo A C.
Aggravante Jos de Moura Cavalcante ; aggra-
vado Luiz Antonio d'.^raujo Vianna.
Aggravante Joo Rufino Ferreira ; aggravados
Almeida Burgos.
Aggravante D. Paulina Caetana Soarcs Carneiro
Monteiro; aggravado Manoel Pereira Magalbaes.
Aggravantes Kalkmamt Irroaos e Miguel Jos B.
Guiniaraes: aggravados Monloiro Lopes & C.
Aggravante D. Alexandrina Duperron; aggra-
vado Osear Deslibaux.
O secretario
Julio Giiimaraes.
Xo dia 25, depois da audiencia do Illm Sr.
Dr. juiz de orphaos, vai praga por venda una
casa terrea de pedia e cal na ra da Esperanca,
nocaniinhonovoda Solodade, (regnezia da Boa-
Vista, com o n. 53, eoni urna porta e uroa janella,
con 15 palmos de vao e 54 de fundos, sero repar-
mentos, avahada em 6005 ; vai praga roque-
rimento de Justino Manoel da Conceco e Anto-
nio Manoel da Concoigao.
Directora das obras militares.
A directora das obras militaros, tendo de man-
dar accrescentar o muro du quarlel do Hospicio, e
em parte recdilica-lo; assim como de mandar caiar
todo o quarlel do 9." balalhao, c pintar as respec-
tivas porlas e portaos, e bem assim fazer urna bar-
ra de cor as paredes ; e tambem de mandar pin-
tar o quarlel do 7." balalhao de infanlaria as Cin-
co Ponas ; convida s pessoas que se quizerem
Consulado provincia).
O administrador do consulado provincial faz
publico aos devedoree dos imposiosperlencentes ao
exereicio flndo de 1862 a 1863, que de conformi-
dade portara do lllm. Sr. inspector da thesoura-
ria abaixo declarada encerrado o respectivo pa-
gamento a 1 hora da tarde do dia *) do corrente
sujeitando-se os que nao pagarem at aquella hora
a serem executauos.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco 22
de setembro dc W63.
Antonio Carneiro Machado Rios.
Caita Filial do London Brasilian Bank.
A dita caixa .descoma a razo de 8 por cento ao
anno at o prazo de 4 mezes. Recebe drheiro a
deposito fixo de 3 mezes para mais a razio dc 6
por cento c de 6 mezes para mais a 7 por ccnlo ao
auno ; e em conta corrente a razao da melado do
descont da caixa filial do banco do Brasil. Tam-
bem saca sobre Londres, Pars, Hamburgo, Portu-
gal etc.
O inspector da thesourara provincial recom-
menda ao Sr. administrador do consulado provin-
cial que admita o pagamento dos impostes perten-
centes ao exereicio prximo lindo em liquidacao
somente at 1 hora da tarde do da 30 do corrente,
afim de que recolhendo-sc as 2 horas o que ento
se houver cobrado, se possa concluir nesse dia
o balango e encerrar a escripturago do dito exer-
eicio.
Thesourara provincial de Pernambuco 21 dc se-
tembro de 1863.-Jos Pedro da Silva.
Conforme. O chefe da 2." sec-:,0)
Francisco Ferreira Martins Ribero.
Peranle a cmara municipal desta cidade es-
tara) cm hasta publica nos dias 24 do correut
mez, e 1 e8 do mez dc outnbro prximovindouro,
para serem arrematados por quem mais der, por
tempo de um anno, os impostes portencentes ao
patrimonio e rendas da mesma cmara, que deixa-
ram dc ser arrematados na ultima praga de 3 do
corrente mez, por falta de licitantes: coqueiros por
0005000 ; 500 rs. sobre cabega de gado vaceum
4765500; casinhas da ribeira 1665500; gado vac-
eum rcqolhido no curral 605500; repeso do acou-
guc 125500 ; carga de farrbae legumes, 185&32i
gado ovelhum 25560 : os pretndenos podem com-
parecer no paco das sessbes d cmara nos refe-
ridos das, munidos de hailores habilitados na [ar-
ma da le para poderom langar, sero o que nao po-
derao ser admiuidos a faze-lo.
Pago da cmara municipal da cdade de Olnda
17 dc selembro de 1863.Antonio Joaquim de Al-
meida Guimaraes Alcoforado, presidente.Marco-
lino Dias de Arauio, secretario.
3ui/o dos fcitos da fazenda na
clonal.
Na quinla-foira 24 de setembro corrente, na sala
das audiencias, pelas 10 horas da manhaa, em pre-
senea do Illm. Sr. Dr. juiz dos feitos da fazonda
se vender em praga inrlica urna casa de um an-
dar c sotao n. 56T sta na ra da Catxa d'Agua,
pertencente Andr de Abren Porto, avahada por
10:0005000. e penhorada pela fazenda nacional
para pagamento do que o mesmo deve.
Recite 18 de setembro de 1863.
O solicitador,
Francisco Xavier Pereira de Brito.
Pela subdelegada do S.Jos, se faz publico que
fui apprehendido em mao dc Antonio Carlos, por
alcunhaQuitcoque se snppoc ser criminoso
de morte na comarca de Santo Anto, um cavallo
ruco, castrado, com urnas pintas no espinhaco,
dinas compridas, c com diversos ferros.
Quem se julgar com direito ao referido cavallo,
prove o dominio, que Ihe ser entregue.
Subdelegada de S. Jos, 21 de setembro de 1863.
O subdelegado,
ira: Antonio da Cunha Albumterque.
Pela mesma subdelegada se faz publico que
na noute do dia 19 do corrente, em a ra Impe-
rial desla freguezia foi apprehendido Justino Al-
ves de Souza, por se stippr furtado, um cavallo
eastanho, com os ps calgados, cauda comprida,
lendo urna cicatriz dolado direito,ecom ferros nos
lados.
Se algnem se julgar com direito ao referido ca-
vallo prove o dominio que Ihe ser entregue.
Subdelegada de S. Jos, 21 do setembro de 1863.
O subdelegado,
Br8 Antonio da Cunha Albuqnertjue.
CoiTPio.
Pela administracao do correiu desla cdade se
faz publico que em virtude da cunvengu postal,
celebrada pelos governos brasiloiro o francez, se-
rao expedidas malas para a Europa ne dia 30 do
corrente. As cartas sero recebidas at 2 horas
antes da que for marcada para a saluda do vapor,
o os jornaes at 4 horas antes,
Administracao do eorreio de Pernambuco 21 de
setembro de 1*863.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo, para fornocimento do
arsenal do guerra, tem de comprar os objectos se-
gurles :
Para o 2o bntalhao de infamara.
Porte para bombo 1, portes para caixa de guerra
10, portes para pifare 2.
Para o 9" batalliHo de infantaria.
Botos grandes de metal bronzeado com o n. 9
812, cordao dc retroz 116 varas, dito de laa 72
varas.
Para a oompanhia de menores.
Oliveira lleijio, enrarregad do ftslfjar Nossa lindo.
Senhora da f.onceiro da Escada, na birria de Noneio curadores fiscaes os credores lama
Nossa Senhora da C***, dos litare. nesUSnom^depSrmS'nS^TdTS l^ffi
I mez s 12 horas da manhaa, sendo convocados os
55OOO credores. Despensada a apposcao por esterero ar-
cillado.
Antonio Ferreira da Cunha.........
Joao Martins do Andrade...........
Joo Ferreira dos Santos Jnnior.....
Jos Rodrigues Ferreira............
Jos Joaquim da Silva Gomes.......
Juo Jos da Silveira..............
Martinho Lopes dos Reis...........
Jos Antonio dos Santos Moreira.....
rnambuco
ranciscode Paula
ijuerqne "
\rreniataeao.
Xo dia 29 de setembro vao praga os bons per-
tencentes ao finado Luiz Rorgos de Cerquoira, por
sor a ultima praea, as dividas perlencentcs ao mes
mo, os terrenos da ra Imperial e cinco acedes
55000 restados os bens dos fallidos; pblique-se a fallen-: (,:i oompanhia de Beberine, e urna grandequanli-
55000 ca por edtaos, c sigam-se os tormos da arrecada- dade de madoira de sienpira ao p da roar pe-
As.-im pensava ou antes de compulsar algumas J,oa'l"ni Manoel Ferreira de Souza..
iras, e julgava que tal dova ser terobem a opini;lo {?j *>"m,m, t?2*J* iS..Soaa.....
toiios os observadores ; o contrario, iiurm, foi \t,; d,e Bved? -Ma,a c 5llva........
.._ por ..
15000 cao, e mais providencias legis.
550001" Rccife, 19 de setembro de 1863Tristao de Alen-
35000' car Araripe.
25000 j e mais se nao continha ero dita sentenga aqu
25000 transcripta, c pelo prsenle sao convocados os ere-
lodos os autores lem'o croup 00- J.oS? -:Vn"io Goncalves............
1 .1 Anilnn Irlonnn
. Andr Blanco.....................
ol
de
0 que eneontrei
roo urna molestia inllammatoria, e por isso as'san
grias o as bixas I'azeni a primeira parte do trata- i' da Costa Hibeiro.............
monto aeonselhado por ellos, quando ero nossa bu- Jns'' J"ni"'[> Goncalves Bastos......
inildo opinio este tratamento desnecessario, e s Francisco Antonio de Assis Ges....
empregavel para evitar eompieacSes roanfcsias. Joaquim terreira de Araujo Gmma-
Kstando, pois, cm opposicao a est idea, Iratei de r:,es.- v '";' A,'.".'";;'......
procurar as razos em que se baseavam os patho- Antonio Pereira de Oliveira Maia
iogstas.para assim nonsarero ; e devo logo derla- JJ*"001 de Nuiza lavares...........
rar que nada eneontrei que os justificarse Meta Vicente de Aquino Albuquerque....
classilicago, donde roe pareee que esta idea uroa
voz adniiitida, tem-se manldo al boje por falta de
um judicioso exame.
Hardy o Bcicr sao os nicos autores (dos quanto'
pude alcanrar e ler) que se enearregaram de pro-!
var a natureza inllammatoria do croup, refutando '
a opinio de Bretonneau, nico que eneontrei para d0 ,8,':t-
apadrinhar a minha idea; dizem elles que o
croup nao reconhece urna causa nica para o seu
desonvolvmcnlo ; logo nao pode ser tomado como
molestia especifica.
Etta razo nao me parece sustenlavel, porquan-
to que concurso de causas foi preciso para que ap-
parecesse a syphihs, a bexiga, o sarampao, a febre
25000
25000
5000
2-5000
1.5000
150(10
150OO
15000
15000
15000
Rs. 485000
r
Red fe, 31 dc agosto de 1863.
Joaquim Pinto de llarros.
Rocebi a quantia cima. Recife, 19 de setembro
los Fh-vuno de Oliceira Reaio.
Procurador geral.
dores dos preditos fallidos para eoropareecrcn na
sala dos auditorios 110 dia e hora supra declarados
para o que ser o presente publicado pela iinpren-
sa, e aflixado na (orina do eslvlo.
Recife, 22 de setembro de 1863.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento.
escrivlo o subscrevi.
Tristao de Alentar Araripe.
Aos senhores cleitores do segundo
districto.
Convindo que a escor a para roembro da assem-
aroarella, etc. Creada que soja esta ou aquella es- bla legislativa provincial recaa em homens que
pooe, pode ella manifestar-sed ah p>>r diante direc- sinceramente eompenctrem-se dos interesses vitaes
lamente ; da mesma maneira se deve pensar do de nossa chara provincia, lembramos aos senhores
croup ; muitas causas podem provocar esta 1110- delores do segundo districto um nome que julga-
leslia. roas creada ella nada se oppc, como na fe- mus naquellas condgues.
bre aniareJ(a, a qual manifesla seu carador espe- O Dr. Juao Honorio Bezerra de Menezes, cuja
cilico ; neeta o vomito preto, naquella a falsa aceitagao pelo directorio progressista nao se pode-
nionibrana, -ja syphilis c a corrosao : de mais qual r pr em duvida, alientos os precedentes do mes-
a causa productora do croup ?
E' certo, dizem os sesmos aulores, que no croup
as reaegoes lcaos e geraes sao frequentemonte
pouoo pronunciadas, roa* deve-se achar a razan
distona fraqueza dodoentes, j esgolados antes
da producivio do nial; razeu a meu ver capoio-1
mo doutor e de todos de sua familia.
Um amigo.
Agua flor da de Murav&Laiiiiian.
Pela secretaria do tribunal do commerclo de
Pernambuco se faz publico, para scienria dc quem
competir, que existem promptos para serem entre-
gues os papis abaixo mencionados :
Parte da acta da assembla geral dos
accionistas da coropauhia de seguros
!ndemnisadoraj> .......
Copia da procurago de Francisco Jos
Pereira Borges........
Contrato social de Manoel Jos Gongal-
ves, Joo Joaquim da Costa Leite, e
Jos Joaquim da Costa Leite .
Escriptura de transferencia de Jos
Caetano de Camino a Joaquim An-
tonio Pereira........
Nomeagao de Carlos Carneiro Monteiro
da Silva Santos, caixoiro de Patn
Nash & C..........
Certidao a pedido de Joanna Mara da
Conceigao..........
Certidao a pedido do Antonio Jos de
Sequeira ...........
Distrato social de Joaquim Pereira de
Araujo e Manoel Francisco d'Aze-
vedo...........
Contrato social de Epiphanio de bouza
Leo e Agostinho Ferreira Jnior
quena em Fora dc Portas, e os escravos portencen-
tes ao.mesmo, que ser effeetuada na sala das au-
diencias, cm presenea do Illm. Sr. Dr.Juiz de or-
phaos : os pretendernos poderao examinar o es-
eseripto de praga em mao do porteiro dojuizo
Amaro Antonio e Parias.
Aireniafaeo.
Sabbado, 26 do corrente mez, depois da audien-
cia do Illm. Sr. Dr. juiz municipal da segunda va-
ra, continuar a arrematadlo de diversos escravos
pertcncentos heranga do finado Jos Fernando
da Cruz, os qnaes vio praga roquerimento da
herdeira e nventariante para pagamente dos cre-
dores da mesma heranga, sendo que entre os mes-
mos escravos ha um ium hortelao e jardineiro,
um oficiai de ferroiro e urna ptima lavadeira.
Orreio.
Pola administrante do eorreio desta cidade se
faz publico para fis convenientes, que era virtude
do disposto no art. 138 do regulamenio geral dos
j correios de 21 de dozembro de 1844, e art. 9 do
1 decreto n. 785 do 15 do maio ie 1851, so procede-
ItOOnl ra ronsnino das eartas existentes nesla adniinis-
t^uix) 1 trap:l0 pertencentes ao mez de dezomhro de 1862,
iVKift nda do outnbro prximo, as 11 horas da ma-
-w nhaa, na porta do mesmo eorreio, e a respectiva
j lisia se acha desdo j exjiosta aos interossados.
Administracao do eorreio de Pernambuco 21 de
setembro de 1863.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
No dia 23 do corrente, depois de (inda a au-
diencia do Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos, tem de sc-
j rem arrematadas por venda duas partes da casa
.,. i terrea n. 2 da ra da Concordia, avahada por 4005,
i^xiu senAo di(a# panes no valor de 1:3*35628, perten-
TAsno cenU!S aos 'emires Izidoro c Joaquim, filhos dos
finados seus pais JoSu Manoel de Siqueira e sua
mulher, e rao a praga por despacho do juizo,
roquerimento do tutor Jos Ignacio de Avilla.
455OO
uno
ii5ti00
Nem Paris nem Colonia jamis produziram urna Certidao a pedido de Samuel Power
,-......._...,.., ^ sas, porquanto a individuos fracoi e fortes invade 'agua perfumada para o uso do toucador, quede Johnston & C......_'
c.crov loco om minhai notas to.nau> a cal'ece,r* ,',oui)' n,ao ,se P"5*"011 ainda I0 s^ leve se possa comparar com esta. A sua deliciosa Escriptura de venda feila pela firma so-
I. domiP Dos sen aeontes' eniprezados ^ 0 "'* ,os J*a/iwtes h** os me trveBnem grandes fragrancia iguala sproprfas Adres dos paizes tro-! cial Viuva Dias Pereira & C. a An-
iralu^e prate o sultato de alumina lizeram des- rom^ lcaos o geraes : c a nossa doente que pieos, as quaes exhatam o mais
prender a membrana diphterica; na regiao tratada
.15000
45500
65600
delicado e aroma-
65000
polo primeiro, nova membrana se formn, igual a
primeira : hi regiao (ralada pelo segundo, nao so
nio roappareoeu a membrana ou appareceu muito
dr Jos Das Pereira.....
naja linlia de fraca. se nao o seu sexo, que nada tico de todos os perfumes. [ Certidao a pedido de Antonio Cecilio
a extenuara antes do mal, nio manifestava reaegao Pestampai qualquer urna destas earraflni,,as, c' Ferreira Vera-Cruz...... 65200
local ou gora. u aind.T mesmo que se concedesse i'um mumonto um delicioso o refrigwmle aromi Escriptura de venda feila por M
esta fraqueza como ca'isa de falta de reaccao, con- se derrama e diffunde por toda a parte em que a' Alves Guerra da barcaja Qlan
venda feila por Manoel
H 65000
A cmara municipal desta cidade, tendo de
proceder no dia 8 de oulubro prximo vindouro a
apnrago geral dos votos para desatados assem-
bla geral dos dous collegios eletoraes do i. dis-
tricto desta provincia, convida aos eleitores dos
mesmos collegios assislirem a este acto, confor-
me dispSco art. 25 do decreten. 2621 de 22de
agosto de 1860. E para cumplimento do artigo
citado se mandou pndicon o presente.
Paco da cmara municipal do Recife em sesso
de 21 de setembro do 1M3.Angelo Henriqncs da
Sili0, pro-presidente.-Franelcq Canuto da Boa-
viagem, secretario.
Candeiros para gaz 7, gaz 12 saldes.
Para o hospital militar.
Caderas eom assenlo de palha 12.
Para o arsenal de guerra c oasa da guarda de
palacio.
Azeile do oarrapalo 500 caadas, fio de algodao
3 arrobas, estanho em verga 2 arrobas, velas es-
tearinas 150 libras.
Para o 7" batalbo de infantaria.
Papel ariago 6 resmas; ponas de ago 6 caixas.
ditas de ave 200, caivetes 2, tinla preta 0 garra-
fas, lapis de pao 6 duzias, areia preta 6 libras, col-
lorcoes de earlas para principiantes 36, taimadas
36,'grammalicas portuguezas por Monte-Verde I i,
compendios de arithmetica por Avila 12, pautas 12,
escripia ou bastardo :i(i, carlilbas de doulrnas
ehrisla 12. caixas de instrumentos para desenho
linear 3, metro I.
Quem quizer vender tacs objectos aprsente as
suas propostas ero caria fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manhaa do dia 25 do
corrente mez.
Sala das sossoos do conselho administrativo, para
fornecimento do arsenal do guerra, 18 do setembro
de 1863.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastiao Antonio do Reyo Barros,
Vogal secretario.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo, para fornecimeniu
do arsenal do guerra, tem de comprar os objectos
segurles :
Para o arsenal de guerra.
Taboas de pinho da Suecia dc 3/4 dc polegada,
duzias 10 ; ditos dc pinho da Suecia para forro,
duzias 5: costadinhos de amarello coro 16 pologa-
das de largura e 26 28 palmos de comprimento,
6; gomma laca, arroba 1; espirito dc vinho, caa-
das 10; cabo dc linho branco, arrobas 10 ; botos
grandes branco de osso, grozas 500; ditos peque-
nos branco de osso, grozas 500 ; ditos prctos dc
osso, grozas 200 ; fechaduras de gravatas 50.
Para o presidio de Fernando.
Couros de viado capoeiro (curtidos) ou na falla
dosses do bode, e que sejam bem preparados c de-
maor tamanho, que sao para chapeos, guarda-pei-
tos, gho e pernoiras para vaqueiros, 40.
Quem quizer vender iaes objectos" aprsenle as
suas propostas em carta fechada na secretaria do-
eonsolho. s 10 horas da manhaa do dia 30 do cr-
lente mez.
Sala das sossoes do conselho administrativo para
lorncemento do arsenal de guerra, 23 de setembro-
de 1863.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastian Antonio do Reg Barros,
Vogal secretario.
Airematarao.
No da 26 do corrente mez, linda a audiencia do-
Sr. Dr. juiz municipal da segunda vara, escrivao
Cunha, serao vendidos em hasta publica a quem
mais d'r, as movis segurles : um piano orisontal
francez, com caixa dc Jacaranda, por 1505000, um
sof dc Jacaranda, cm bom uso, por 605000, 11
cadeirasda mesma madoira, com assenlo de palli-
nha, por 965000,4 dilas de bracos, da mesma ma-
deira, por 645000. urna mesa redonda, da mesma
roadeira, com pedra, por 605000, 2 consolos da.
mesma madeira, cm boro estado, por 805000. um
par de lanternas, sem defeilo, por 35000, 3 jarros
de porcelana, com defeito, por 35000, 2 esearra-
deiras de vidro, com defeito, or 15000, urna ea-
deira para piano, usada, por 25000, urna eommo-
da de amarello, muito usada, com defeitov por
85000. os qnaes movis Ibram penhorados a Caeta-
no Aureliano de Camino Cooto na execucao que
Ihe raove Jos Caetano de Albuquerque.
ILEGVEL
-


WMHni
Diario de Prrnambiico Se*** fe ira 53 de Heiemhra de 1803.
No da 2o do corrente taei de setembro, se
liao de arrematar em Braca publica do Sr. Dr. juiz
de orphos desta cidade, as li horas do dia, os es-
cravos seguintes : Joaquina, crioula. do idade de
37 annos, avallada por 3005000-, Feliciana, dita,
de 12 anuos, avallada por 5005000; Alexandnna,
dita, de 10 annos, por 3005000 ; Thornaz, dito, de
8 aouos, por 2005000 ; e Patricio, de 2 annos, por
1005000. Em virtude de urna precatoria vinda do
juizo de orpuaos da comarca do Limoeiro.
Xa audiencia do Dr. juiz de orphos do dia
25 do corrente tem de ir praca |ior venda a casa
terrea de podra e cal sita na raa de S. Miguel, po-
voacao dos Afogados n. 62, pertencentc ao casal do
finado Manoel das Virgens llamos
No dia 29, depois da audiencia do lllm. Sr.
Dr. jui* de orphos, vai praca por venda urna
casa terrea de tijolo e cal, sita na estrada que se-
gu para a Venda Grande na Boaviagem, freguezia
dos Afogados. com una porta c duas jancllas de
frente, 23 palmos de va > e 85 de fundos, com 2
salas, 3 quartos c 1 gabinete, cozinha fra, quin-
tal em aberro, cacimba s, chao foreiro, avahada
em 1:0005, perlencente aos herdeiros do finado
Jos Marcelino da Costa, a requerimenlo do inven-
tarame Angelo Henriques da Silva.
Pela thesouraria provincial se faz publico que
as arrematacoes da obra do empedramenfo da es-
trada da Victoria, e fornecimento da alimcntaco
dos presos pobres da casa de detencao, foram
transferidas para o dia 26 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de setembro de 1863.
O secretario.
A. F. d'Anminciarao.
QT.VRTO
Pvr Este trabalho loi pela primeira vez ejecutado pe-
rante a princeza fllha do sol Ma-tcha e por elle
niuitissimo applaudida.
on.NTo .
O BALAX^O \ V \IVIiW
Tsen-i-hong, o primeiro gymnastico do imperio
celeste, desempenhar esta espantosa scena.
SEXTO
Scenas oWmpicas variadas
Toda a escolhida tropa gyranaslica, acrobtica,
equilibrista e aerosttica apparecer nesta scena,
que elles denominam Pio-tcha-mi-sen.
STIMO AK1NAL
O RE DO FOCO
Espectculo que moHo diverte e agradaos Chins
pela sua predilecoao pelos fogos artiuciaes.
W. T. B. Van-Orden Jnior,
Secretario.
LEILAO
THEATRO
DE
KHI'KKZA
DE
A. J.D114RTE COIMERA.
lleelta Hvre da asslgnatura.
Sabliailu, 26 de selembro de 1863.
BENEFICIO DA ACTRIZ
Pitilomena Augnsla de Billaucourl
Wtatek.
Subir scena o magnifico drama de grande es-
pectculo, em cinco actos, do.Sr. Francisco Luz
Machado,
0 4M0H FILIAL
or
OS SALTEADORES 1)1 MiOTANIU
)rt IMBHE.
PERSOXACEXS.
Ricardo............. O Sr. Coimbra.
Francisco............ Lessa.
Joao, o pobre......... Fia vio.
Mauricio............. Thomaz.
Miguel.............. Santa-Rosa.
Roberto, 10 anuos..... Alves.
Lotea............... A Sr." D. Camilla.
Emilia.............. D. Philomena.
Juliana............. D. Jesuiua.
I. salteador......... O Sr. Penante.
2. dito.............. Porto.
3. dito.............. Oil-Hraz.
'i. dito.............. (uimares.
Povo, tambores, soldados, salteadores, ele.
DEKOMITACU DOS ACTOS.
1. A miseria.
A louca.
3. O ebefe dos salteadores.
4. O reeonlteelmento.
."i." o perdi.
A scena passa-seem Portugal
Dar flu ao eapeetacnle a mnito linda srona-co-
inica, prodneeao do nosso milito sympalliico actor
o colleja Frakcisco Corshj Vasqdbs,
VIVA 0 CIRCO
GRANDE OCANO...
Representada pelo actor Antonio Jos PaxoTO.
As enormes vezes que o drama Amor kii.iai. fui
.i scena na curte, o a geral aceitaco que recebeu,
decktiram a beneficiada lancar mao delle para
seu beneficio, conscia do feliz xito, e tanto mais
qiianto est o principal papel a cargo do Sr. Com
BRA.
A beneficiada tem encontrado da parte da em-
preza todo o interesse para que o drama tenha ura
mpenho limito regular, e nao era de esperar
outra cousado Sr. Coimbra. pordemais conhecido
do publico Pernambucano. a quena a beneficiada
pede sua valiosa coadjuvaoao.
Os bilhetes desde ja esto a disposicao do publi-
co em mao (la beneficiada no tbeatro a qua/quer
hora.
Comerar as 8 horas.
OS ILTIMS TRES KSPECTACl LOS
no
CIRCO
GRANDK OCFANO
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETERA VAPOR.
DE
Eseravos e diversas miudezas
fumaria-.
Segnnda-feira 28 da corrente.
0 agente Pestana vender
qnem pertencer diversas m
para liquidar, assim carao 5
saber:
1 mulato de 22 annos, bonita figura, perito offl-
cial de marcinciro e trabalhador.
1 dito da Cost de 30 annos, proprio para arma-
zem de assucar.
i negra de 39 annos boa qnitandeira..
1 dita de 22 minos, bonita ngora, engomma, co-
se c cosinha.
1 dito de 50 annos proprio para despejos c ser'
vicos externos do casa.
Tndo ser vendido em lotes e sera limites : sc-
gunda-feira 28 do corrente pelas H horas da ma-
nhaa no armazcm da ra da Cadeia n. 50.
essoas retirsin-sc desfa pro-
vincia para as Antilhas. quinta-ftrra prxima, no
patacho americano Haunah. a saber : Charles 1.
BCP- 5?ge,rs e um menino, Sra. Ormond e fllha, Jerrv
i u > 9Ua raull,er c Hlha, H. W. Rugrles. W.
T. \ an Orden Jnior, Henry Rollande, William
Rollande, Julien Wyette, William Wyette c Geor-
."f*^ J^\ ^^7 rV^*
Na eutrada do hospital Poitu^uez,
Perdeu-se
lionlcm em transito do Hospital Portaguez para o
Recite nina pulseira de ouro : quera a achou e
quizer restituir, o levar ra larga do Rosario n.
>C), loja de lonra, onde ser gratificado.
raaes e William Duvenia, subdito ingloz.
A esuco naval da Cidade de Olinda, tendo
de soiemnisar no dia 4 de outubro do mez prximo
por ^

lo k **
Araujo
niesiun hospital, um alfinete o> ouro
com esmalte prcto com 8 petlas em
futuro fasta de sua pdroeira a Seniora do So-1 volla e 110 HI-O 9 lirilhantes |-0a-SC
sano, Taz publico e convida aos liis, aiiualserai ,_____ .:i'..
celebrada na igreja de S. Selasao da mesma ci- qem 0 llier aclimlo 0 OMSCqUtO leva-
dade. pagar no Evangelho o diacoiw Sesos- |n j', |-ua \0Va n. U7, SCglind andar,
- -iris Atidoii 1-reno de Carvalho, dopois da festa, i j i ...
bella msica militar do fc- balhio de artilliaria CS de resldCflC!a dC Joaof iTCira llOU-
a p, tocar difTerents variacOes o cavatinas. As UnllO, de IIPIII receber a offei'la HC-
J horas da larde havera danja do corda, e a liel a nnJj OITerece-sc um homom de meia Idade para
msica ah postada sobro um labiado, tocara toda ma OC 1UU. rCflt-SC dOS srs OUn>ts l criado, o qual comiira e cozinba; na ra da Fio-
LEILAO
DE
eNeniTOS:
Sennnda-feira 28 do torrente.
^ ^"fal^S rtESf agen,e Peslana legalmente autorisado vende-
aie o da 2 de outubro o vapor fo-, r ^ maiil de quera pertencer 8 eseravos
cantos, commandante o primeiro {dive7sos a saber
teuente Pedro Hypolilo Duarte o Maria; arda de M anno c ha principio
qual depois da demora do costu- de eng0fmnado.
me seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de" sua chegada: cncom-
mendas e dinheiro a fretc at o dia da sahida as 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos pertos do sul |e esjierado
at o dia 30 do corrente o vapor
Apa, commandante Alcanforado
o ipial de|wis da demora do eos-
turne seguir para os portos do
Desde j rcccbcm-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encora-
mendas e dinheiro frete at o dia da sabida s 2
horas: agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Maqnes obre Portugal.
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Porloenae nesta cidade, saca ef-
fectivaracnte por todos os paquetes sobre
o inesmo banco para o Porto c Lisboa, por
qualquer sonuna, vista e a prazo,
dendo logo os saques a prazo seren
contados no inesrao banco, na razao de 4
por cerno ao anno aos portadores que as-
sim Ibe convier : as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. fl.
Joaquim da Silva Castro.
tarde.
la msica um balo : s 6 non
arde subir aosom da bel-;jnaspesSOas a a]i|M'e,ll(Mls;O desle ob- rentina n. 20.
S-fiioTKT&ttJpeto n caso de lhes ser offerecido L~J!t^J0^^^J:*^^^r
-_.--------------_------. ~- .----------------------------------------------------------------- com os senhores Gabriel Germano de Aguiar Mon-
Uoiim pregara o dicono Manoel Cavalcante As-1 nl.M 4005 sobre hypotheca em urabom es- tarroyos. Fernando Francisco de .4guiar Montar.
sis Bezerra de Menezcs. Depois do Te-Deurn su- ; eravo ue saii,a uabalhar em sitio : na taberna do rovos joaaai
bir ao som da bella msica o ultimo balao.
paleo do Terco n. 12.
m Francisco de Aguiar Montarroyos-
Vende-so urna taberna com poucos fundos e
bem afreguezada, ou s a armacao, a praso ou a
Kngommadelra.
Lav-se c engomnia-se com a maior perfeico
possivel por cora modo proco, garantindo-se aspe- dinheiro : no pateo do Terco n. 12.
cas confiadas layagem e'engommado : qnem qul- d-so dinheiro a uros sobre penhores
zerdirija-se ao principio da ra do Hospicio, so- palt.0 do Terco n. M, taberna,
orado novo de um andar com portao de ferro ao
lado.
no
Para o Rio Grande do Sul segu com inuita
brevidade obrigue escuna C.'/-n#,capito Jos Mon-
teiro de Almeida : recebe alguma carga a frete :
e para tratar na ra da Cruz n. 3, escriptorio de
Ainorim Irmos.
Para Montevideo vai seguir cora rauija bre-
vidade o brigne brasileiro Sorprtat, capito Jos
Rodrigues de Almeida, recebe alguma carga a fe-
te, para o que trata-se no escriptorio de Amorim, r_i__ j ."*___^ -.: ^.>j.
Irmos. na ruada Cruz n. 3. Vlnhos de dlferentes qualidil-
ilcse cognac.
Terra-feira 2* do corrente.
O agente Pestana vender em leilo para liqui-
dago o por conta e risco de quera pertencer vi-
nho de Bordeaux de diversas quididades em bar-
ris c caixas, algum especial, dito de Madeira em
caixas, dito museatel em caixas, cognac em barra
c em caixas superior qualidade j conbecida oeste
Para a Baha vai sabir com muita brevidade
o velciro patacho I). Lwz, capito Jos Teixcira de
Azevedo, por ter a maior parle do carregamentq
prompto : para o resto trata-fie com os consignata-
rios Palmcira & Beltrao largo do Corpo Santn
4, primeiro andar.
LEILOES.
LE 10
DE
Lina casa terrea em chaos foreiros
sita rna de S. Miguel nos Afogados.
(Sen limites)
BIO.Ii:
Sc\ta-feira 2fi do concille s II horas.
O agente Olympio vender em leilo urna casa
terrea de pedia e cal. sita na ra de S. Miguel n.
22. a qual tem 17 palmos de largura, 2 safas, 2
(piarlos, cosinha fra e quinlal grande murado com
portao, pagando de foro nunsalmente 2020. O
leilo ser clTectiiadii nodia c hora cima no ar-
mazem do referid)agente, ra do Imperador nu-
mero 1G.
SPALIH^l k itOGEIIS
Director geralCluirles J. Rogcrs.
Wabbado
26 de setembro de 18G3
BENEFICIO
DE
WILLI.IM | Vi:RVt.
A maiorde todas asnovidades!
Circo iiiteiranicute novo!
Circo americano!
1: circo chlnez!
na mesma noite.
Depois de mu escolhido programma de preeiosi-
^lades em
i; f^ymnastica,
Acrobtica.
equilibrio e
Aerosttica.
repiesentar-se-haa
FBTA CIII^IIZA.
de ciaravilhosoeffeito, sendo as vestimentas mag-
nili( as e a carcter, imiraco da que tizeram os
celestes perantc os minis'tros estrangeiros em
Pekn.
rniMEino
Cabalgadas e evoluccs ecuestres
Jesempcnhada pela tropa de"S. M. Celestial rica-
mente caracterisaila.
PAMMO \ VWLKH A < III M/ 1
nido o estylo do que se costuma fazer |icrantc
sidioriana.
TKRCFIIIO ^-__
ILtUMA di: KIVI. \| \
jk>I principacs mandarins da corte dos Cel
jnando sua magestade se digna honra-Ios com a
presenca no pagode Tcha-mi-sen.
Fazcudas. roupa feita. armaco
entencilios existentes na loja
da na \va n. 40.
iioji;
Tevla-feira 28 do cantata s i 2 horas.
Hem limite.
O agente Olympio acha-se autorisado a vender
em leilo una porcao de roupa feita, armacao e
mais objectos existentes na loja da ra .Nova n. 40
defronte da igreja da Cooceicao.
Mana, parda de 28 annos, cosinha pouco.
Anselinna. 12 annos.
Bertoleza, 40 aunos, lava bem roupa.
Paula, 10 annos.
Jos, 45 annos, para servido.
Estevao, 40 annos, idem.
Vicente, 3o annos, idem.
Todos bonitas figuras e serao patentes segunda-
feira 28 do corrente na ra da Cadeia n. 30, as 12
horas da manhaa.
Leilo de 2 India
Seaunda-eira 28 do corrente.
Saundei s Brothers & C. faro leilo por conta e
risco de quem |>ertencer de 200 saceos com excel-
lente arroz da India vindo pelo navio inglez JosUint
& Mary, cliegado prximamente de Liverpool, em
lotes vontade dos compradores : segunda-feira
28 do corrente pelas 10 horas da manhaa.
Leilo de 100 caixas de batatas.
Segunda-feira 28 do corrente.
O agente Pestana vender em leilo 100 caixas
com batatas de 2 arrobas de superior qualidade,
desembarcadas ltimamente, em lotes a vontade :
segunda-feira 28 do corrente pelas 10 horas da
manhaa 110 armazem do Annes defronte da alfan-
dega._______________________________________
DE
Antonio di Leonanl Poluchi, subdito italiano,
retira-se para fra da provincia.
Precisa-se fallar nesta praca com o procura-
dor ou prente do Sr. Luiz Antonio Ferreira Santos:
ra nova de Santa Rita u. 19.__________________
Quem precisar de urna ama de leite, dirija-se
ra do Xogucira. casa n. 23, que achara com
quem tratar.________________^__________
Alugam-se eseravos, tratar na saboara do
bastante gordo, cinzento; coin a barriga faueajlAfofadoraa de S Miguel 011 no. Reeife no deposito
castrado : quemo ti ver pegado, tendo consciencia. !de sabaoda ra da Senzala Vclhan. 13b.________
pode-o levar casa cima, que alm de se Ihe '
agradecer se recompensar generosamente.______
OITerece-se urna inulher para casa de pouca
Xa ra Direita n. 83, segundo andar, ha para
alugar-se urna mulher forra para lavar o engom-
mar.
Quem anuunciou querer 1:000,5 cora hypo-
theca, entenda-se na loja da ra estreita do Rosario
numero 10.__________________________________
Desappareceu da ra Augusta n. 60, na noi-
te do dia 19 do corrente, um gato maltez, grande,
0 advofdo Jot tionealVes
da Silva Honlarmvos teB f seu
e criplorio na ra-i cslrcia do
llosa io n. 17, onle p-tc ser
prot urailo tas \) horas da ma
nhaa s :> i i tarde.
IiOTRIAo
0 thesoureiro das loteras desta pioyinl
familia ou homem solteiro para engommado:'atra-'cia, desejando extralii-las em maior capita-
tarno pateo de S. Pedro n. 2 | e com mCnores intervallos, offerece a vanta-
Alnga-se o segundo andar do sobrado na ra
da Senzala Nova n. 42. com baslantes commodos
para familia : a tratar na mesma.
Aiuga-se a casa terrea da ra Imperial n.
66 : os [ireleudentes dirijara-sc Caixa Filial.
Jos da Silva Lovo k (., saiam
sobre Lisboa c l'orto.
Precisa-se de urna ama para todo servieo: gCm de (ms p0r cento quem comprar
ruaAugustan.no._______________________!para negoci0; na quantiade 1000 para cima;
assim como se prope a estabelecer corres-
pondencias para quakpter localidade da pro-
Quem precisar de urna ama para cozinhar een- > remetiendo liillietes meios o listos,
gommar.c fazer todo o servieo de urna casa, di- sol) flanea idnea; devendo o pagamento
nja-se na do Amorim n. 31, segundo andar., delles ser feito logo que sejam recebidas as
Preeisa-se alugar um cscrvo para o servieo listas e novos bilhetes rcmcttidos. O the-
de casa e ra, ou de um criado para o mesmo fmi: soureirocerto da conveniencia desse negocio,
na ra do Qucimado n. 29.____________________! mw\a aos Srs. eommerciantes da Victoria,
Aluga-se urna casa terrea na ra Velha 11. Qianna, Rio Formoso, Nazaieth, Serinhem
90 : quem a pretender, dirija-se a ra Direita n.
91. primeiro andar, ou na taberna do sobrado que
tica junto. ______________^___
Aluga-se a loja do saturado n. 19 da rna Ao-
va, propria para qualquer estabelecimcnto : a Ira-
tar na ra da Cadeia n. 02, segundo andar.
. A
n. 6, no .
tratar na" ra da Cadeia n. C2, segundo andar.
emais localidades populosas da provincia, e
mesmo os desta capital, que o quizerem, a
enlcndereni-se com elle, na thesouraria das
loteras, ra do Crespo n. 15: advertindo
Ainda est por alugar-se o segundo an-
dar do sobrado n. i, em a ra da Aura
ra : quem o quizer dirija-se esta cs-
ma rna casa 11. 10.
Precisa-se de um ca veiro, que tenha pralica
de taberna ; a no Campo Verde n. o.
Precisa-se de 11111 niiuuo para caixeiro de
taberna, e que fiador'a sua conducta ; na roa do
Imperador n. 81.
Aluga-se una casa com muitos commodos na
ra de S. Miguel dos Afogados ; na ra de liarlas
n. 48.
.Hudaiica.
Theodozio .Maduro daFonceca faz sciente aore;-
peitavel publico e a scus freguezc-que mudou a
sua loja de cabos, da praca do Corpo Santo a. ti
para a ra do Viga rio 11. li.
Pohcarpo .lose La\mc despedid o seu caieiro
que'rceljer em pagamento e sem descont, ^'5^5 A,ves''" ,i"il":'1 Recte*4alaiein-
iuga-se por Braco commodo a casa terrea os bilhetes premiados de todas as loteras
. primeiro boce da camba do Carmo : a Ja provincia recolhidos thesouraria da fa- ~ .
zenda provincial.
= loga-sea pessoa (|lie levou desta Thesouraria das loteras. 20 dejunho de
Precisa-se de urna preta que sirva para labo-
leiro ;| na ra do Brnra em cas
Ferreira.
do Sr. Domingo>
mercado, bter em duzas, sendo tudo vendido em |vo^i*anIii 1 or cainr >iilil acolleccao 18(53.
lotes vontade dos compradores: terca-feira 30 lJ W f"'' lM/ J',nl" ,",,lrt ",',
do corrente pelas 10 horas da manhaa'no arma- de DlM'IOS li JIllllO (le 18o7 a JllllllOtle
zemda ra da Guia n. 33, onde o agente espera jquq ,w in-niil.. ohIi-imo
vender tudo c proraette ser sem limites. 10J, os hmwub emnyrt______________
ALMANAK
O thesooreiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
LEILAO
Urna casa terrea sita na ra do Motocolomb n.
26, nos Afogados. rom frente para o rscente,
tendo 400 palmos de fundo, 3 jancllas e urna
porta de frente, corredor separado, cosinha f-
ra, grande quintal com tanque, estribara e ar-
voredos fructferos.
Terra-feira 29 do frrenle s 10 horas.
O agente Simos, legal maule autorisado vende;
ni em leilo o predio cima apontado em seo es-
criptorio ra do Vigario n. 17, primeiro andar; |
aonde tambera dar as informaecs necessarias a
quera pretender.____________________
iTcilo terca-feira do eorcen-
tc. s II horas, na rna da
Cadeia n. 53.
Pelo agente Euzebiu se vender em leilo pelo
maior proco que se adiar urna casa terrea na ra
do Areial n. 18 no bairro do Reeife, com (rente
para o nascente olhando para o pharol, pelo que
goza de excellente vista a entradas e sabidas de
navios, tendo 2 salas, 3quartos. cosinha fra, quin-
tal, sendo a sala de delraz assoalhada por serasso-
bradada e ter por baleo ura armazem, foreiro :
os pretendentes queiram anteeipar o e\aine afim
de api'oveilara pichiuclia.
AVISOS DIVERSOS.
DE
'oias, movis e dividas.
Saliliado 20 do renle 1 hora da tar-
de depois da aiiciicia do lllm. Sr. Dr. juiz mu-
nicipal da seynmla vara.
0 agente Olympio reqaeriinento dos adminis-
tradores da massa fallecida de Manoel Buarque de
Macodo e mandado do lllm. Sr. Dr. juiz municipal
da segunda vara, em presenca flo mesmo, vender
em leilo publico as joias, movis c dividas perlen-
cente a mesma massa. O leilo ser cffectuado no
dia e hora cima no armazem do referido agente
ra do Imperador n. 16.
?)
l'ru sitio denominarlo Mujongo freguezia dos Afo-
gados estrada que vai para Motocolomb.
O agente Almeida competentemente autorisado
far leilo de um grande sitio com casa de viren-
do, com excellentes commodos, a qual nao est de
todo acabada por fra, o chao proprio, tem cerca
de 800 ps decoqueiros dos quaes j200 do fru-
to, bastantes mangabeiras, cajueiros, larangeiras,
limeiras, muito mangue em estado de se cortar Ic-
nha, urna baixa famosa para capim, pasto para 10
vareas annnalmenle, um formidavel viveiro e ou-
tros em principio, embarque ao p da casa, urna
ilha cora capacidade para se dividir em 3 grandes
propriedads, onde ha bastantes plantaces de ro-
ja, meles, melancias e batatas.
Mabbado MI do corrente.
O leilo ser efTecttiado defronie da assoeiaco
commercial porta dos Srs. Palmcira & Beltrao,
s 11 horas.
1.1:11. LO
Sabbado 2fi do corrente s 11 horas, na ra da
Cadeia n. B3,
Pelo agente Entebio se vender em leilo di-
versos objectos de ouro, prata, obras de marcinei-
ria c outrosartfgos que enri patentes.
BETIAO
DE
Eseravos. movis, obras de onro
e prata.
Segunda-feira 28 de setembro s 10 horas em
ponto, ruado Apollo n. 31.
O agente Pinto legalmente autorisado pelos li-
quidatarios da massa fallida de Mosquita & Dutra
e Francisco A. Correia Qardoso far leilo no dia
e hora cima ditos de todos os objectos abaixo de-
clarados pertencentcs a mesma massa e existentes
no segundo andar do obrado da ra do Apollo n.
34, a saber : .
Manoel, Africano 60 annos ; Francisco, idem 46
annos; Mara, crioula 40 annos; Romana, idem 16
annos Pelicidade cabra com urna filha de 9 mo-
zos ; Luiza mulata 6 annos Alexandrina idem 40
annos: Lubina idem 15 annos ; Januario crioulo
13 annos Juvencio idem 8 annos Silvestre idera
12 annos e Ventura, Africana, 43 annos.
Urna mobilia de Jacaranda, 1 piano forte, 1 guar-
da roupa, 48 caduiras, 2 commodas, 4 bancas, 1
espelho, 3 marquezas, 1 guarda louca e outros ob-
jectos.
V a qnem toar.
lisiando 1 confeccionar-sc oa'manak
ioftla provincia, que contina serim-
presso nesla Ivpr^raplii, coaTidisea
todas as pessoaspue iclle f.izein pa te,
para que remrliam aliviana ns. ft e 8
l prara da Independencia, seis nom s
ililade de esl'he'eiiiuenlo, c aos
uores uc engentas que se dignem
reinetter alm dos ioraes de scus en-
genhos, o da freguezia e c .marca a que
uei'lencercm.
Precisa-so de ama mulher idosa c de bons
eostuines para servir de eompanhia a urna familia :
na praca do Corpo Santo 11. 2.
Aluga-se o armazem do sobrado n. 16 da ra
da Crui do Reeife : a fallar na ra da Prata, so-
brado 11. 43, primeiro andar.__________________
A pessoa que anuunciou vender cera m oe
de 165, qnerendo a i.j^'iOO dirija-se ra da
rata n. 9.
I'recisa-se tomar a juros a quantia de 3005,
hypotheeando-se para seguranza dous eseravos que
armazem conten ludo ipianto vlcra mais de 1:500-5 : quem quizer anuncie.
preciso para que a industria de pintura, de W, _________________,_______________________
qualner genero que.seja, desempenhc U 0 Sr. Luiz t'orra de (itismao qu"

=1 s
Admiramos que o jovi'n sonlior, morador
n'uma das extremidades da freguezia de S
Antonio, que foi to prompto em exigir pela
Revista Diaria, do Sr. subdelegado d? fre-
guezia de S Jos a punico s indecencias
da Camelia da ra de Hurlas, nao tenha an-
da sido avisado de que se ada incurso as
penas dos arte. 3e 5dolil, 1 das postu-
ras de 1837, e credor de tuna visita do res-
pectivo fiscal, por isso que da cisa de so-
brado de sua residencia lanzada quotidia-
namente, qur de dia, qur de noite, gran-
de pon;ao de aguas ptridas, bem conlra
vontaue dos passeianles e das vistas do Sr.
fiscal. Ainda mais para admirar, que o
joven senhor conduzindo urna tranca aos
ollios podesse enchergar o argueiro nos da
risiiiha,que tendo encontrado -felizmen- i 111/2
teno cdigo do processo arligos para se- '
rem applicados Camelia, talvez por esta
nao se querer deixar cheirar, nao tivesso
ainda bemlido as posturas municipaes.
Quem tem tclhado de vidro, nao deita pe-
dras ao alheio.
OS INVIZIVEIS.
ESTRADA DE FERRO
DO
RECIFE ft S. FRANCISCO.
A coinpanhia desejando facilitar os meios de
transporte em rasos ingentes, resol vengue os trens '|
especiaos com um wagn, de ora em (liante sejam
remlados pelos procos seguimos :
De Cinco Pontas ao Cabe c vice-versa. 505
1 a Escada > 9f
> a (iamclleira > 1505
a l'na c 1945
Oulro sini declara que do 1" de outubro era
diante as partidas dos trens nos domingos e dias
santilicados, sero reguladas pela tabella segrate:
TUE.XS PARA O INTERIOR.
ESTAQUES
1/2
1 1/2
>
4
5 I/i
61/4
6 1/2
81/4
9 1/2
141/4
15 m
17
18 3/4
20 12
Cinco Pontas (part-
da)............
Afogados... .......
l!oa-Viagcni. -------
Prazeres ...........
ilha ...............
Villa do Cabo ......
Ipojuca .........
Ulinda ............
Timn-Ass ........
Escada.............
Krexeiras..........
Aripib.........
Ribciro............
(aniel loira .........
Cuyambuca......
Agua Preta .........
t'na (chegada)..... .
PASSACEIIIOS DR 1*
E I* CLASSB.
-).,
Mniiliid.
Hor.
7
7
8
9
9
!i
9
10
10
10
11
II
11
12
Min,
45
33
3
10
32
IS
1
15
28
40
6
2:1
41
1
18
38
Tarde.
Hor. | Min.
5 30
B 38
o 48
M I WM
5 ao
el 17
8 30
san Ora, lato embeltezar, conservar e
reproducir.
Montado em grande escala e supprido
directamente por grandes fabricas de Pa-
rs. Londres e Hantbnrgo, podo olferecer
productos de connanca, e satislazer qual-
quer encommenda grosso trato e re-
talho.
Os Srs. artistas pintores, e O donoa de
obras poili-io escolher volitado, pois
que tudo estar vista, as diflorentes co-
res de que tiverem necessidade.
Ha tintas em massa e em po impalpa-
vel, e como lias Obras a envonii/ar SO M
devo empregar timas muidas, e nao me-
recendo connanca as que vera de fra para
commereio, por volitas, e talvez falsifica-
das, neste aVmazem so as moer i na-
ta do consumidor, que s assim lera un-
tas frescas e vordadoiras.
lia tamlii'iii miro vordadoiro. verde era
p eonifollia. prata em folba. im", debron-
zear de varias coros, diamantes para cor-
y lar vidros, burnidores, ncar supernan-
carnada, amacolla o verde, tintas vir-
taos, azul.rovi. verde e amarella, inollen-
givas, nicas que se devem empregar as
confeitarias. colleceos do. pincela para
Ungir madeira, compropredade, e outros
de varias qnalidados. vernizes, copal.
o exterior, para etiquetas e qnadros, tin-
tas linas em tubos, em orayos ou pastel,
tollas para qaadMB, caixas de tintas linas
o papel para desenlio.
Essoncias aromticas verdadeiras. fras-
cos o vidros para vidraca de todos os l-
mannos, e muitos outros objectos. cuja
utilidad'' e emprego s com vista pod*
rio ser mostrados.
Joo Pedro das Nevos.
Gerente.
S5 AOS 5:000,000.'
Si HV F0T11\A
llillietes
Crespo u. **:$ <>
i: mudoii-sf ila cidade to o'hifla,qocipa di-
llp8ir->e o-la U iiojtraphia, concluir
Jo negocio qnc sabe.
-- O Sr. Luiz Jos .Morques qiHra
apparecer ncs'a Ivpograpliia.
\
TE\(J.lO,
Aluga-se a loja na ra da Imperalriz n. 15, com
grandes cominodidades e por preeo commodo.
garantidos
Prcrisa-se de um distribuidor
para o dislricto de : na livraria ns. 6 e 8 da praca da
Independencia.
lotera!
uii^iiAi
Sabhado 2(5 do corrente mez se extrahira
111
a segunda parte da primeira lotera a benc- 12
firio da igreja de Nossa Senbora das Noves
de Olinda.
Os bilhetes e meios bilhetes acbam-se
venda na respectiva thesouraria, ra do
Crespo n. i 5, e as casas commissionadas
ra da Imperatriz n. 44, loja do Sr. Pimen-
tel, ra Direita n. 3. botica do Sr. Chagas,
e ruada Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 5:000/ at 10/J sero pa-
gos urna hora depois da extraeco at as 4
horas da tarde, e os outros no dia seguinte,
depois da destribuico das listas.
0 thesoureiro,
13/4
31/2
4 3/4
6 1/4
71/2
9
11
13
14 1/4
15 1/4
16 1/2
18 1/2
19
20
20 1/2
THEXS DO INTEIUOK.
PASSCEIROS DS i"
ESTAf/iES.
Una (partida)......
Agua Preta........
Cuyambuca......,.
Gameleira.........
Ribeiro..........
Aripib...........
Frexeiras.........
Escada...;........
Timb-Ass.......
Olinda............
Ipojuca............
Cabo..............
Ilha...............
Irazcres..........
Boa-Viagem........
Afogados..........
Cinco Pontas (chega-
da)..............
3" CLASSK
Manliu'i.
Hor.
Min.
30
43
5
12
22
30
Tarde.
Hor. Min.
rna lo
casas do cos-
turar.
_l A manhaa se extrahira a segunda parte da pri-
__ meira lotera aj beneficio da igreja de X. S. das
_ Xeves de Olinda.
O abaixo .issijtnado reeommenda ao respeitavel
"j publico a compra dos mui felizes bilhetes gara
I idos,os quaes sem duvida offenjcem muita vanta-
' gem ao jogador pois que receber qualquer pre-
mio por ipteiro sem os descontos das lts.
Precos.
Bilhetes inteiros ....'. 65000
Meios bilhetes...... 35000
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 5*500
Meios......... 25730
Manoel Martins Fiaza.
2-e
24
4o
3
23
41
39
23
36
48
13
28
50
57
7
15
(Assignadi^-/tcnivie Auslin,
Superintendente interino.
Alnga-se una preta que seja boa quitandeira,
para vender : quoin tiver dirija-se ra da ma-
triz da Boa-Vista n. 34, onde se declara quera
quer._____________________________
Antonio Jos Rodrigues de Souza. O Dr. Viliela Tararas contina a advogar no
1 73=----------------------------- crime e civel: na ra do Crespo 11. I.
A festa de Igunrassu
BAXCO I \ I O
ESTABELECIDO NA CIDADE DO POBTO
Aijenlcs em Pernarobuco
Antonio i.nlz dr Ollrelra
Azevedo & C.
Saeam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo mi vista, sobre a
caixa filial em Lisboa o agencias em Fi-
gueira, Coimbra, Aveiro, Vizeu. Viila-
Heal, Regon, Vianna de Castelio, Guima-
1 os. Ra cellos, Lamego, Covilha, Braga,
l'enaliel, Braganca, Amarante, Angra,
liba da Terceira, Ilha do Faias, liba da
Madeira, Villa do Conde, Valenca, Bastos,
Oliveira de Azemois. Chavos e l-'afe. a
oito dias vista ou ao prazo que se conven-
cional-, no seu escriptorio ra da Cruz
n. 1.
- Arrendam-se os dous grandes armatcns da
ma de Apollo ns. 38 e 40, eommamrados |or den-
'-1 um e-ta-
cora Anto-
pi:b>io.
Aos irmos da innandade de X. S. do Terco, e a
todos os devotos da mesma senbora.
A mesa regadora da innandade de N. S. do Tor-
co, vendo a eminente ruina que ameacava a igreja
re sua Excelsa Padrocira, resolveu prorapta reedi-
lioaco, e como seja obra muito superior s suas
forc'as, vera pelo presente implorar de todos os
seus irmos c do respeitavel publico, sua coadju-
vaco eoncorrendo cada um com aquella esmola
qu seu pi coracao Hie dictar. A mesa certa da
religiosidade de scus irmos e do respeitavel pu-
blico habitante nesta bella provincia, nao vacillou
de carregar sob scus debis hombros, com as con-
sequencias de una obra tao dispendiosa, por estar
convencida que ser coadjuvada em sen nobreem-
penbo afim de que, o muito antigo templo de sua
Excelsa Pdroeira a Virgem Senhbra do Terco, se-
ja reedificado e oonvenientementc ornado, fieando
muito mais sumptuoso do que (Tantos.
Bat nomeada una commisso composta ds
charos irmos juiz Lourenco Ribeiro da Cunha
Oliveira, secretario Domingos Ribeiro da Cunha
Oliveira, c definidor Manoel da l-'onseca Medeiros.
para dirigir-se a cada um de seus irmos e ao pu-
blico em geral. paraobter a respectiva esmola. Es-
t tambemnomeado thesoureiro da obra o eh.tio
irmo cx-juiz Dionizio Hilario Lopes. m(IBdor na
ra Direita com loja de cora junto igreja. orna-
os dignos irmos e devotos (que por napas nao
possara sor procurado.-' poderlo ilirigJF-se a m-
tregar suas esmolas.
A mesa regedora nao se vangloria de ser a mo-
tora de to importante obra. Se gloria ha. recibi-
r ella, sobre aquellos que de bom gr*o conoor-
rer com seu bolo. Ella apenas tem onsciencia
que est cumprindo seu dever, e dar-se-ha por sa-
li.-loita se vir a realisaoo de to imporunte reedi-
ficaeo o mais breve [Hissivcl.___________
Precisa-se alugar um boleciro cscravo que
tenha boa conducta, e sem vicios : na ra do Quei
mado n. 44, primeiro andar._____________
Precisa-se failar ao Sr. Francisco Cordeiro
Cocino Cintra, na ra da Madre de Dos, a negocio
Precisa-se alugar urna eserava que saiba co-
zinhar o diario de urna casa c ongonmar : a tra-
tar na rna Imperial n. 16'2.____________________
Pede-se ao Sr. tenente-eoroncl Lute Francis-
co de Barros Hego o favor de vir ra do Quci-
mado n. 9, loja.___________________
O abaixo assignado pelo presea* declan ao
Sr. Francisco Xavier Mendes da CunhMue venba
trazer-me a minha letra que em seu |>oo>r existo.
(a vencer) visto eu nao ter achado no lugar lan-
| ris Velhos o gado que elle me venden, do qual pro-
' cede dita letra, pois nao tendo elle seu formal de
nartilhas e j saliendo que nao exislia o gado que
Ihe havia pertencer, veio de improviso fazer nego-
cio comigo, pelo que protesto nada Ihe dever sem
nue se enlenda comigo, o mesmo serve para se nao
poder fazer transaccao com a minha letra, pois te-
mos que litigar era juizo nao o querende.SrCu-
nha fazer por bem. Engenho Salgadinho 10 de
setembro de Itm. ..... -.,
Miguel Mendes da Silva.
ras, 1 salva, colheres e casticaes de _
gios e outros objectos de uro e Drat.
\m:m
Para dentro e fra da cidade se manda conduzir
objectos por barato preeo : a tratar no armazem
na Itola amarella da ruado Imperador no oito da
secretaria da polica._________________________
Quem precsr|de. urna riada portuguesa,
dirija-se a ra de Apollo n. 4. primeiro andar.
1 rico adereco de ouro com 14 podras de bri-; inteiramente novas previne-se arapazeada do Re- Chrisliano Pacheco.sendo o fallecido pai Portugus.
Ihantes (valor 60O5),7 pares 4o brinen, 3 puicei- cife qucnopoicaui to boa occasio, e tenham | natural da ilba de S. Miguel, e jue ahi tem urna

2 relo-. muito em vistas os frseos Uabos do rio Tape, o inna de nome Aona Joaquina Pacheco, para ne
terapo o convida, e a estrada nao pode ser melhor. I gocio de seu interesse ; na ra Nova n. 8.
MUTILADO L,
im-se o 1." e 2." andares d
ra dt Apollo i. 37, por precocoramodo, bem co-
mo a casa terrea da ra do Fogo n. 30 : a tratar
na ra da Moedan. 29.
Irmandadr dr Xossa ttenhora do
Hosario.
A mesa regedora desda i rraamhjk* erecta na
_ matriz do Corpo Santo, ronvia todos os unaos
pararounio no dia 2.") do ces^^Blp horas da
tarde, afim de se proceder a (Mjjlada nova mesa.
Jos Fernandos Ferreira.
Escrivlo.

10




--

-^

Diario de Pcraatubuc* Hrvta felra 3 4e Setemfcro de



*.
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
(Cartoes de visita
Cartdcs de visita
Cartoes de visita
Cartees de visita
Carices de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
8*000 a duzia
84000 a duzia
85000 a duzia
8*000 a duzia
8*000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Kua do Imperador
Ra do Imperador
Roa do Imperador
Rna do Imperador
Joao da Silo Ramos, nediue pela l'ni-
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa, na ra Nova n. 50, das 8 s 10
horas da manhla, e das 4 s 6da tarde, e
recebe egualmente couvites para dentro
ou ra da ciade, com o Jim de se encar-
regar de qualquer servido de *ua )rofls-
so.
Os chamados deverao vir por escripto.
!KS-
SEGUROS DE VIDA EM MUTUALIDABIL
A direccao do BANCO CNIiO tomto oblido do goveme de S. M. F. a autorisacao para stabele-
owe -seguro de vidas em mutualidades* faz publico que desde ja toma sttbscripc,oes annuae6 por urna
s wez, debaixo-das seguintes condicoes :
Cero porda de capital .lacros;
-Dito capital sement,;
Dito lucros sement;
de-vendo a primeira liquidaeio lar.ligar o i de Janeiro de 1859.
As vantagens do emprego de oapitaes em mutualidade, sao obvias, porque nao emente se co- i
heo juro de qontias diminutas, de que avulsas se nao poderia'tirar nenhum resultado.; mas alm
disso, este rendimento augmestadopala capital ou lucros, ou ambas as cousas, conforme as condicoes
da subscnpcao, dos que fallece. Tambem partido peles- socios sobreviventes tudo aqulUoqueos so-
oos morosos u*s seus pagamentos, sao por este motivo obrigades a pagar, bem como caducidades que
ecorrerem pela falta de cumplimento do comproraisso social.
As liau4acoes sao pelo svstama -das companhias bespanholas, Tutelar e outras ? e>para se poder
fazer urna ideado que pode produzir urna entrada annual de 105, publica-se a seguirte-tabella basca-
da sobre a experiencia de muitos .anuos de companhias desta natureza :
Im ;i anuos Em 10 aun os Eui lo annos Em 20 annos Em 25 annos
Laboratorio honieopathieo, na
\ov n. 43.
O Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho tem cn-
carregadoda sub-gerencia do seu estabelecimento
-ao-Sr. Jos Al ves Tenorio, professor era homeop-
tica, e competentemente habilitado para substitui-
to em oualquer ausencia
Por um menino de 1
de 1
> de 2
de 3
de 4
or urna pessea de 15
de 20
de 30
de 40
dia
anno
a 1 anno
a 2 .
a 2 >
a .4 .
a 15 >
-20
a 30
a 40
a. 50
H05
905
865
865
865
865
865
865
905
4005
3005
2805
2705
2705
270J
270*
3005
9005
7505
7205
7105
7005
7005
7105
7105
7505
2:flO0*
1:7005
1:6005
1:5605
1:5505
1:5405
1.5605
1:6000
1:8005
4:7005
3:7005
3:5005
3:4005
3:3505
3:3305
3:4005
3:7005
5:0005
TINTURARA.
Tinge-se com perfeicio para qualquer
cor, e o ruis barato possivel: na ra do
Range a. 38, segundo andar.
ZAMORA.
ORINA HISTRICO PELO DR. THEBEREE, NO
QL NAO INTERVEN PERSONGEI
PEKNINI.
Na ra Nova n. 11 vende-se a igooo o
exemplar.
Companhia fldelldde
segaros uiaritiuios e ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBLCO
Antonio Luiz de Oliveira Aievedo 4 C,
competestemente autorisados pela direc-
tora aa companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, morcado-
; predio* no seu escriptorio ra da
n. 1.
No armazn de fazendas baru
tas 'de Santos Coelho
Rna do Queimado numero
Vende-se o seguinte
Cobertas de chita
da India pelo barato preco de 25.
Lences
de panno de liulio a 2*.
Lenres do bramante
As entradas por urna s vezdo resultados muito superiores s annuaes.
Porto,. 10-de agosto de 1863.Os directores do Raneo Unio, Jos da Sika Machado.F. M van
der Niepoort.
Agentes em Pernambuco : Antonio Luiz de Oliveira Azevcdo & C, ra da Cruz n.l.
O GALLO CANTA.
| J sabido que quando chega o vapor da-
to. Europa, o gallo cania annunciando aos seus
numerosos freguezes as galanteras de mate
goslo e da ultima moda que por elle re-
cebe, como sejam:
Camisinhas para senhoras.
Requicimas camisinhas com manguitos e
delinhoflno de um s panno pelo baratsimo gravalinhas para senhoras: s no Vigilante,
preso de 35. ra de Crespo, n. 7.
Ricos vestidinhos Ci'rigolinhas.
de seda enfeitados para menino pelo baratissimo Riquissimas cirigolinbas ou gravatinhas
preco de 45- sendo cousa de muito gosto, e a primeira*
'Pe.o barato pri^ fia S"V^? ^ ^T de bm
Len^sdeeassa ;80s'0: so no Vigilante, ra do Crespo,
brancos linos pelo baratissimo prego de 25 e 25400 n' '
a duzia. Pentes de concha.
I Cortes de calca Tam bem ebegaram riquissimas guarni-
^!_?.a**.?nai^.l!?d.eliStac QJ^rosjazendasu-cesde pentes'de lindo goslo, lantopara
atar, como para marrafs, por precos ra-
penor pelo baratissimo preco de 15200 o corte.
Pecas de madapolo
fino largo pelo baratissimo preco de 85.
Pecas de bretanba
de rolo com 10 varas propria para saias pelo ba-
rato preco de 35200 a peca.
Pecas de eanbraia
Dcsappareceuna noite de 19 de agosto prximo de salpicos fina com 8 1|2 varas pelo baratissimo lo, pelo barato preco de lofJO assim como
passado omoleque Athanaziode 12 a 14 annos de PreS d* ** 0S novos enfeiles nara rabera i 'WO00 ie
idade, estatura mediana, e de pouco crescimento I Aloalhalo de linlio ^A eme"es P?" caoega a fjuw, 40 e
^WHIPlD
soaveis: s no Vigilante, ra do Crespo,
0.7.
Redes com lacHhode fita.
Liodas redes prelas e de cores com ur
lindo lacinho de fila para conservar o cabel-
\
HOYO ESTABELECIMENTO BE MEDICINA E0ME0PATHK1
RIJA \ O V A \. 48.
O Dr. Sabino O. L. Pinho msdou o seu CONSULTORIO para a loja de
roa Nova n. 43, onde continua a dar consultas todos os das uteis desde o meio dia
2 .-horas. to com copa baixa e abas largas que subtrahibde
Os enfermos, que o procuraren! logo na invasao da molestia,' sem que hajam to- casa-_ Este>moieque_ vejo de Pajeh de Flores aon-
era relacao a idade, cor parda escura, a qual pare- com 8 palmos de largura proprio para toalla de
ce mais fula do que parda, tez macilenta, cabellos, mesa pelo barato preco de 25300 a vara,
carapinhados, e que levou cortados a escovinha, Laiinhas de qnadro
(pois improvisa de saber ler) principia solotrando f Paunos de largura fazenda superior pelo
pela seguinte forma: ta-ga-atha-na-zio Athanario baratlssimo Pre?o de 25300 rs. a vara.
i seu nome proprio, o que faz comprimindo o riso' Pefas Je cambraia
que mal se lhe percebe, quando falla franze o so- adamascada fina com 20 varas para cortinado pelo
marmrra r .'pes e maos em relacao as suas porporcoes, barat0 PreC Je 105 a peca.
VtA I u?' Levand0 ,c"?isa de cnila com ,istras de cores, I Fil liso
La ?J?LI!I!cr?.?e.^r!! .*. chaP0 de.seda pre- fino pelo baratissimo preco de 680 rs. a vara.
Esleir da India
so no Vigilante, ra do Crespo,
us ntennos, que o procurareui iogo na invasao ua molestia,- sem que najara io-.y?- >*j< mado qualquer remedio, nem altopathico, nem homeopatbico, pagar5ometade dosprecot!paio'oSS mS gtoni rG9Ts de Campos i rodsaia. g p p
estipulados Esta COncessO tem por Bm facilitar a cura de molestias, que podem tornar-' Ciante' em Baixa Verde! o5l remetTeu^nTseu I -Vende-seuma vacca cora cria, anual d
se complicadas pelos emprego intempestivo da tberapeutica e ao mesmo tempo adquirir, mano Christovo, para pr elle ser vendido nesta iduas garrafas de. Icile' Pr Prc?o commodo : na
para a bomeopatbia maior numero de adeptos pela bateza da cura.
cidade, ao qual tinha (fado procurac,o e ordens irua da Imperatriz n. 19.
da
Contina a luverpao de enteio novo nos dias
<|iiarlas e sabbados de cada semana, na padaria
em Santo Amaro ao pe da fuudi<-ao, na rua da Im-
jk ratriz n. 22, rua do Brum, confronte o chafa-
riz n. 47, rua das Cruzes, deposito n. 39, na Pas-
sagem, taberna da esquina do 6r. Bento, que vira
para o Remedio, e no armazem nrogresso, largo
d?. Penha n. 10.
Alnga-se urna casa na rua" das Flores : quem
'|iii7.cr falle na alfandega com Joao Duarte Carnei-
ro Monteiro.
Era attencao as nessoas pobres, que nao podem sabir de dia, o Dr. Sabino resol-; j ^iltl^i"?^' tem seundot a. /os Antonio
dos Santos Coclbo, a quem o referido Christovao
pedio ^ara ficar com elle at virem novas ordens
do dono para ser vendido, visto nao adiar o preco
por elle marcado. O referido moleque veio era
companhia de diversas pessoas, e d'entre ellas po-
der, quando interrogado, mencionar o nome de
Jeronymo e Christovao, a quem o referido moleque
chama senhores mocos : roga-se, portanto, s au-
primeira tondades pohciaes, aos senhores capites de campo
e a quaesquer pessoas a apprehensao do referido
veu dar duss consultas por semanas as tercas e sextas-feiras das seis as sete horas
noite.
Os ehamados para visitos e conferencias devem ser dirjgidos por escripto ao con-
sultorio desde 8 horas do dia at 8 da noite, na certeza de que ser5o attendidos na ordem
de sua precedencia, salva a circums.tancia de eminente perigo.
ADVERTENCIA.
O novo consultorio est prvido dos melhores medicamentos, desde a
at a trigsima dynaminjsaco.
E como os mdicos hespanhes e allemaes nao cessam de certificar a major effi-
mu
UfJlOOO:
n. 7.
Ligas.
Riquissimas ligas de seda de bonitas cores-
a 1)8500; assim como fita propria para o
mesmo effeito a 500 a vara: s no Vigilante,,
rua do Crespo, n. 7.
Luvas de Joviu.
Tambem chegou e chegam por todos os-
vapores grande sortimento de luvas de Jovin,.
aonde os freguezes podem escolher; s no
Vigilante, rua do Crespo, n. 7.
Entrerneios e babadinhos.
Tambem ebegaram grande sortimento de
entrerneios e babadinhos, que se vendern
por baratissimo preco de 15500 a pecinha:.
s no Vigilante, rua do Crespo, n. 7.
Fivellas para cinto.
Tambem ebegaram grande sortimenlo do
4escravosde30aWaTno7pi;ratodooser^ 6, df m,elal COm Pf
nito robustos: na travessa do Carmo n. 1. S r,nIlH.LSem, el,as' Pe!o barato Pre de
2^ e 25500, dando-se a fila para as mes-
mas : s no Vigilante, rua do Crespo, n. 7.
0 G LLO GMU
Ja e sabido que o gallo nao poda deixar de
VEJAM
A prazo ou a dinhelro.
Vende-se urna excel lente barcaca de 28 a 30
caixas, muito bem construida e' aparelhada : a
tratar na rua do Apollo n. 4, primeiro andar.
Em casa de
R. B. Lasserre cv C, rua da
lo, podendo o apprehensor entender-se com Santos
Coelho na rua do Queimado n. 19. ou com Ferreira
Pinto 4 C. na ruesma rua n. 5.
cacia das uttissimas dynaminsaces do tratamento das molestias chroncas, o Dr. Sabino se i que o tiver detido, urna vez provado o mo inten- ouali|i'adc-
oceupa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais altas ( por ora at 200.a), '
aim de verificar por si mesmo a forca dynamiea, que se lhe attpibue.
Os mdicos, que quizerem experimentar taes dynaminisacoes podero dirigir ao
consultorio suas receitas, que sero aviadas gratuitamente para os pobres.
No mesmo consultorio se vende a novissima edico do Thesouro homeopathico
ou Vademcum do homeopatha, obra indispensavel a dos que querem usar da homec-
patbia.
raolequca"[auemse retribuir com W g^;", Cruf o, vende-se por pr-ecoV'nmim C^od^-^^S^^SSS^^S^l^
?ao merecida, enrotesta-se conlra qualquer pessoa meoc' santernes, cognac e mostrse *
Joao Das da Silva retira-se para o Rio de Janei-
ro a tratar de seus
- negocios.
Tudo o que diz respeilo nova medicina se acha abundantemente neste novo estabe- Precisa-se de uma
aecimento.
zondas, paga-se bem
escrava para vender fa-
na rua do Hospicio n. 62.
pnmcira ultimo vapor.
-------------1 Pentes de tartaruga.
,.v ik ^ ns C2m bri'.u^ na rua da Sen' At 1ue "cearam os riquissinios pentes de tar-
zala Velhadeposito de sanao n. 136._____________'taruga a MariaPiapara as senhoras anreciarem o
que gosto e delicado trahalho fingindo uma cas-
I
v LOJA DEMIUOEZAS
N. 16 Rua do Queimado N. 16
Macinhos de grampas 30 e G0
Tesouras diversas 40, 80, 120 e 160
Ditas tinissimas para costuras 600 e 1(5000
carrilha guarnecida por botaozinhos, podero man-
dar comprar antes que se acaben), pois foi una
pequea amostra que o fabricante mandou : so-
para o vigilante rua do Crespo n. 7.
ai vas de tartaruga
Tambem os amantes da boa pitada acharao gran-
de sortimento de lindas caixinhas de tartaruga
branca e de cores do todos os tamanhos para ra-
L-T ^fajlc.sitio-<1u scnhora viuva Carvalho, Caivetes inissimos~de 13 iTi folias 800e iSOOo' 1"'" at para dar de mim: s no vlgate r'a du
em S. Jos do Manguinho. com boa casa de sobra- Fitas e cordoes para enlir cspartiiho 80 ^resP 7-
GOSTO.
PAEii 7BSTIDCS-
r\T-ri01!'enC6rlet-,le BJ'Bwo de seda com flores matisadas os mais modernos que lera vindo a Pernambuco.
llilos de morcanli.|uc de cores, de listas, de flores, c achamalotados, cores mui lindas.
Dito de moreantique pretos de palmas com barra.
Lindos cortes de grenadine de seda com barra e chale igual.
Ditos de l;a com barra malisada e damesma cor, a imperatriz pelo barato preco de IOS, 12,5, 183 e 20 cada corle,
tucos vestidos de blondo para noiva com lindas mantas de fil de seda, de blond c com canella
Ditos de cambraia brancos bordados a 125, io&, VSS e 355 cada corte.
Lindas laas lisas linas a 300 rs. o covado.
Ditas de quadrinhos c de flores a 400, 500 e 600 rs. o covado.
bupenores organdys com listas de seda, os mais modernos que tem vindo a Pernambuco.
Lindas cassas de cores de superior qualidade a 400,500 e 640 rs. a vara: assim
seria enfaouho" 'ent SOr"rnenl0 de Percales> cnilas francezas a 280, 320, 400, 500 e 640 rs. o covado, e outras muitas fazendas que
PARA HOMBROS DE SEMHORAS.
Manteletes de seda pretos a 18.
Capas pretas de grs a 255, 305 e 355.
Ditas muito superiores a 405, 455 e 505.
Superiores santiembarques de casemira.
Ditos ditos de lindas laazinhas lisas e de quadros.
Ditos de seda pretos e de cores.
Ditos de musselina de seda chineza.
Superiores manteletes de torcal pretos.
Lindos chales de musselina e de chally matisados com listas de seda.
.Novos chales de tonal e outros muits artigos modernos.
PARA CABERA RE SEMHORA E ME YI \ON,
Superiores enfeites de flores, gostos os mais modernos em Paris, chegados pelo ultimo vapor francez
i.inos chapeos de palha da Italia enfeitados com muito gosto, a Imperatriz e a Valerov.
Ditos de palha para meninos e meninas.
Ditos de seda bordados.
bordadi^rr^Sfar&fiff'!"6'105',iras borda,,as larga,s e S""*1* ,iras de fustSo bordadas P" ^9^ ^ mcmtas, saias
teit^Wioffil^fc^^^ qUa"1UCr Parle:narua Crespo n. 13, loja
t^i
SdCIEADE
i-\i.lo i:\ i.i ni: vti: nos co-
CHEIROS EM I'IIIV tu-
ll (O
COM 0 CARCTER DE MONTEPO.
Tendo-sc feito a eleicao no dia 23 do crreme
mez, como foi annunciado, .c tendo corrido plena-
mente, obtiveram maioria de votos os seguintes
socios :
Venceslao de Castro Madeira ifi
Antonio Jos Feraeira Refinador
Antonio Ferreira Lima
Ignacio Francisco Gomes
Raymundo da Silva Gomes
j Manoel Pcreira Vianna
Joaquim Fernandes Rosa
Clirispim Rodrigues Rarbosa
Herculano Florencio do Corpo Santo. 8
Thomaz Lins de Souza 6
, Tiburtino Correia de Amorim 5
Para thesoureiro Ralbino Jos dos Santos 15
Para constar ao publico faz-se o presente an-
nuncio.
Sala de nossas sessoes 24 de setembro de 1863.
Ralbino Jos dos Santos,
2." secretario interino.
acol pre-
coletes
Ditas de dita de caracol mesclada
Ditas de dita branca de caracol
i Ditas de dita dita para debrum de
i 120, 160, 240 c
I Ditas de bicos e rendas brancas 8
Ditas de ditos pretos finos 15, 15*
Ditas de franjas branca para corli
Ditas de dita dita estreita
Ditas de aita de seda preta e de cor
Ditas de fita de veludo lavrado 15 e1
i Ditas de dita do retroz pretas e de ebres
16 Ditas de dita do seda n. 1,1 >/ c 2 J
13 Ditas de dita branca para cs 320, 400 500 e
13 Ditas de dita para presidia de borzeguins
I i Varas de bicos pretos estreitos e largte 120 e
II Ditas de dito preto largura de um palmo
11 Ditas de labyrintho estreito e largo 180 e
9 Ditas de dito com um palmo de largo!
8 Ditas de bico c renda branca 80, 120.C
8 Ditas de dito adamascado
6 Ditas de franja de seda preta e de co
5 Ditas de fita para cs 40, 60, 80 c
Ditas de dila de borracha preta e de dor
Ditas de dita trancada de la c de seci
Ditas de dita de veludo lavrado 120 e
Ditas de galao branco lavrado
Ditas de tramoya e babado largo 80 o
Ditas de fita achamalotada para cintei o
Ricas (velas de cornalinas e pedras pan cin-
tei ro
S NA ARARA.
80
120
60 Esta-se liquidando diversas qualidades de fazen-
100 das por presos baratissimos, na loja cima da
80, Arara, rua da Imperatriz n. 56, de Lourenco P.
| Mendes Guimaracs.
i ufllA lrlPl vende cassas a 5OO rs.
iinri' ^en"sc cassas Para vestidos a 200rs. o covado,.
Aim cassa-rganw's fina a 240, 280 e 320 o covado, al-
sJy pakim de linho para vestido de senbora a 240 c-
covado, cassas suissas de quadrinhos, a 280 c 320
o covado; na loja da Arara n. 56, de Mendes Gui-
maraes.
Hufeites da
800
3,5000
15400
240
400
600
400
200
500
200
300
200
160
n
U-js*
Aliga-se O qiiarlo andar e solo Aluga-se o sobrado da senbora
Aluga-se o primeiro andar da rua do Crespo
n. 24; a tratar na loja.__________________________ Riguissimos cintos para senhora
Precisa-se de uma pessoa para cozinheira de Gravatinhas modernas para senhoras a
casa de familia, preferindo-se do sexo femenino, Ricas atacas de cornalina para senhor;.s a
e que tenha bom comportamento : a tratar na rua Grvalas de seda para homem a 160 e I
do Trapiche n. 17, ou na Magdalena, sitio do Sr. Ditas de setim preto para homem a
Brito. j Luvas brancas de pellica a
___------ : Ditas de cor com toque de mofo
i Ditas de seda para homens e senhoras
Ditas de montara e Escocia a
_______ Pentes, de atar cabellos .a 40 rs., 200 rs.
Ditos de tartaruga, modernos a 45 e
Compra-se um casal de escravos de meia Ditos dourados e marrafs a Maria Pia
idade : na rua de Apollo n. 25, segundo andar. Cartoes com clcheles a 40 rs., 60 rs. e
Compram-seduasnegFas perfeitas cozinnei- i (aY'nnas. co,m dil0 a i(> rs-> 60 rs. e
raseengommadeiras: na ruaPde Apollo S& *&!*
COMPRAS.
lrara a l^OOO.
Vende-se enfeiles para cabeca de senhora a 15.
ditos garibaldinos a 25, gollinhas bordadas com
botaozinhos a 15, gollinhas smente 320 rs., meias
cruas i>ara senhora, muito largas, a 320 rs. o par,
meias para homem a 120 rs. e ditas para meninos
a 100 ; na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A .irara veudceasemirasa l#00
Vende-se cortes de casemira inglezas escuras a
',00 15600. ditas escuras infestadas a 15800 : lambein
100 se vende em covados a 15, pois tem duas larguras,
1601 e um covodo e tres quartas d um corte de calca
140 cortes de casemira preta a 35500 : rua da Imne-
160 rairiz n. 56, loja de Mendes Guimaracs.
1001 Oh que pechincha a 2.S00 rs.
601 Vende-se pecas de cambraias de carocinhs
oOO j brancas e de cores a 25500, ditas de salpicos a
; 25500, ditos de palmas solas de 1 vara de largu-
I-jOOO ra a 25, pecas de cambraia brancas finas a 35 e
45000 35500, pegas de cassas para cortinados com 20^
15000 varas a 95, ditas de 10 varas a 45500, na rua da
oOO Imperatriz n. 56, loja e armazem da Arara de
500 i Mendes Guimaracs.
IJjjJJH j Lencos de seda da Arara a 800 rs.
640! Ven(I"~e lenS0S tlc scda de uma s cor milito-
segundo andar.
! Oitava de retroz preto e de cores a
Compra-Se CObre e lalao VClllO ^uziasdc botoesfinos para coletes a
na rna il-t ('11I1 ii Ja K ,.,r., Qll ul i(,rosas de botoes de porcelana pintada a
na ru aa taacia ao neuren. db, pn- Massos com 20papeisdepalitoslxadosfir
meiro andar.
55000
35200
80
80
Resmas de papel almacoliso a 25500, 35
_ Ditas de papel almaco'pautado a 35600 o
Ditas de papel de peso pautado a
fu os a
160
320
120
280
do sobrado da rua da Cruz n* 40, com
bastantes eommodos para familia a
tratarlo armazem do mesmo sobrado,
O solicitador Pedro Alejandrino da Costa
Machado encarrega-se as villas do Caboe Ipoju- i
ca de oobrancas e tudo mais que for tendente '
sua profissao : pode ser procurado as segundas-
feras uarua do Imperador n. 61, primeiro andar,;
e nos mais dias acharo pessoa competentemente ,
habilitada com quem je podero entender seme-
Ihante dpacho.
serr assim cerno 2 casas pequeas e
agua na Capunga Velha : a tratar em casa de R. ditas.
I. Lasserre & C, rua da Cruz n. 5.
viuva Las- Ainda est para alugar-se o sobrado na rua
1 meia I ros Coelhos n. 10, onde moraram os padres lasa-
Massa fallida
(k administradores da easa de Rastos A Lemos
pcde) a todos as credores yira que aprsente
seiis.ufcjlos at o dia 25 do eorrente setombro, na
rua do Trapiche o. 34, afim deje proceder a veri-
yao e oidenar-se o dividendo.
Piaeisarse alujar uma pessoa que compre c
ozinne, erfaca o servjco de uma asa de homem
j.olteiro : na rua do Qseimado n. 33 4, loja.
. Ama.
yrccisa-se de uma ama para o servico interno e
externo de casa de uma s pessoa : na rua da
u-uzn. 16, pricacjro andar. ___________^^^
A!aga-se o primeiro andar do so-
brado da na da Cruz n. 40, muito pro-
prio para qualquer escriptorio: tra-
tar no armazem do mesmo sobrado.
Atteneo e multa attrnco.
Quera ver.penhores na rua do Rangel n 54
iueira vir resgaUr, sol a eondicao de seren
vendidos para pagamento do principal e juros, no
prazo de .1 dias, lindos os quaes aSo haver reeja-
macao alguma. t?ecifc 19 de setembro de 1863.
O alatxo assign.^ scien'te ao respeita-
vel publico e especialmente ao corpo do commcr-
eio que por toda esta sema.'** ^w ^e sabir para o
mato afim de tratar de sua arranca, faz o presen-
te para que nao se charaem a hTaorancia.
Jos Jtfaaio '-rlm 4owir<^
Vrmu-
B99f
CASA DE SADE
Em Sanio Amaro
Do Dr. silva Ramos.
nico estabelecimento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo
que pode com todo o commodo e zelo tra-
tar qualquer doente, que nella seja reco-
lhido.
O edificio magestoso e conserva-se
em perfeito estado de limpeza e conve-
nientemente mobiliado.
Os doentes sao separados, segundo os
.sexos, natureza das molestias e condicoes
sociaes.
Ha quartos fortificados para os aliena-
das, e uma enfermara para as partu-
rientes.
O proprietario encarrega-sc de qual-
quer peracao.
O estabelecimento franqueado qsal-
quer pessoa que o queira visitar.
Primei/a clas.se 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500 >
Terceira dita.... 25000
Para que qualquer doente sejaali rece-
bido, basta que e mande o nome do doen-
te e da pessoa que o remette, com a de-
elaracao da morada.
O proprietario tfceitacontratos annuaes
cora qualquer que queira ter un ou mais
leitog sua disposicao.
Atteneo.
Na rua estreita do Rosario n. 41, se-
gundo andar, se offerece uma pessoa pa-
ra engommar com alguma perfei^ao e
commodamente nos presos.
- Aluga-se a casa terrea da rua dos Guarara-
67 : a tratar na rua da Cadeia do Recife n.
Compra-se
cobre, chumbo elatao velho : no oitao da secre- Pacotes de Papel pequeo de cores a
taria da.policia no armazem da bola amarella da Ritos dc Dal)cl l""anco amisade a
rua do Imperador. Caixinhas de papel pequeo azul a
i ~ Compn-se effectivamente ouro e prata em gj ^^0^ a^ "
pes n.
47, loja.
WO "(Mil, de PABW
21Rua da Cruz-2I
Precisase alugar um moleque para le"ar com,
das ra.
Pr
clseo Jos
tvpograpia,
aquerqne.-
Ao n. 29.
Nova loja dos barateiros na rua do Queimado.
Velludo de cores fazenda muito boa o covado
3*000, balocs de panno 3*200, ditos de arcos
3*000, 4*000 e 5*000, laas de duas larguras
para vestido o covado 500 rs., chitas francezas o
covado 360 rs., melim branco para forro de
vestido o covado 120 rs., tarlatanas de todas as
cores a vara 720 rs.
Aon. 29.
i\ova loja dos barateiros na rua do Queimado.
Cassa lisa pelle de 6vo a peca 7*500, cambraia
lisa muito fina a peca de 17 varas 10*, cam-
braieta peca de 12 jardas 7*000, cambraia adamas-
cada para cortinado a peca de 22 varas 10*000
meias finas para senhoras a duzia 4*000, chales'
de La ponta redonda 32*500.
Ao n. 29.
Jlova loja dos barateiros na rna do Queimado.
Reos pretos de linho a vara 120, 160,240, 320
rs., franjas de seda a vara 80 e 160 rs., galoes
de seda de algodo e de La para enfeites de vesti-
do a peca de 10 e 15 varas a 400, botoes de seda
de velludo e de fustao duzias a 120.
VENDAS.
PARA
\\
3*600
5*000
3*800
700
700
800
15000
800
caligraphicas 1*200
Escovas finas para dentes a 160 rs., 320 rs. e 480
Dilas para cabellos com cspelho a 720
Ditas linissimas para facto a 720
Toucadorcscom p a 800, 1*000 e -4*000
Ronitas caixinhas vasias para guardar joias
; o outros objectos a 240,360 c 480
Rrincos e rozetas pretas a 160 e 240
' Ditos pretos e de cores, a balo a 400 e 800
Ditos dourados e de pedras, a balao a 1*200
Ronitos grampos a balao a 500
Duzias de colberes de metal do Principe para
Vende-se ura rico vestido de blonde de seda,
proprio para noiva, com capella, palma de peito,
veo e botinas de setim branco, por commodo pre-
co : na rua do Queimado n. 10, loja de Ferrao &
Maia.
Vende-se um cabriolet patente inglez, com
assentos para 4 pessoas, e puxado a 1 e 2 caval-
los : a tratar na ra Imperial n. 62.
Vende-se a casa terrea n. 47 da rua do Pi-
res, no bairro da Roa-Vista: a tratar no armazem
da bola amarella no oitao da secretaria da polica.
de bom
cha a *000
Ditas de ditas mais ordinarias a 500
Ronitas nonecas de cera a 1*500 c 2*000
Ditas ne massa a 200, 400, 600 e 1*000
Sapatos de tranca para homem a 1*800
Duzias de palitos de fogo a 160
Chicotes e bengalas a 1* e 2*000
Caixas de lamparinas para azeitc e gaz a
100 e b
Cartas portuguezas c francezas a 200 e
Cinturoes de borracha para hornera a
Suspensorios sem e com elsticos a 160 e
Lapis azues c encarnados a
Caixas de obreas de massa e colla a 80 e
, Frascos Com tinta azul e encarnada a
Vende-se uma cama de Jacaranda .
gosto : na loja da rua da Senzala Nova n. 37.
Vende-se a taberna sita no pateo do Terco Ri0es <0"1 ,inta preta ingicza a
n. 25, com poucos fundos, propria para um crin- ri?U2ias .de canudos de pomada branco
cipiante. p Cosmetique chato e redondo a 100 e
------v. -------------;->--------------- Sabonetes chatos o de bola a 200 e
mnTtn h? 1 T^ da ^fande8a e.um ^ Caixas de pos para dentes a 240 e
Wn u- FUa da Coa(iulsto' no Caminho Frascos |de pos hvgenicos idm a
n- Frasqulnhos de patcholy a 500 e
160
300
320
480
120
120
320
120
240
600
800
720
1*000
800
Frascos de banha fraaceza a 300, 500, 700 c 1*000
900
1*200
Precisa-se de uma ama de leite
Trinelieiras, sobrado n. 17.
na rua das
- Os administradores da massa fallida de T-a-
majgo & Silva convldam aos credores da-referida"
massa a virem receber o primeiro dividendo do 14
por cento, em *eu escriptorio oo largo do Corpo I uVua ania secca.r7orra
Santn. 13. r Imes^na taberna.
Precisa-se de vendedeiras de bolos de venda-
geni, e paga-se bem: na botica do pateo do Carmo.
.,!7Na rua !** Senzalla nova n. 39 taberna da es.
quina que vira para o becco Largo, precisa-se de
mesVlaWraWl'rOrra0UeSC^iatralari
11 ti *
Vende-se esta m-artn !>, a* vu. Dilos de uanna finas transparente a
lOvoluraS tfi^JlSrSurLS^ }!f d. bantae .xtrtc a
lente encadlrnacao e mXCW^ri^Gm^
saaairrua da Crui n-5% ioja de SSSrim.
----------z=rz-.---------__________________i Ditos d agua de Colonia a 500 e
Por 550,000 rs, -tos dc oleo de babosa d0 Ri0 a m
1 escrava crioula de ida'de 30 anno* cxcellente I r't(? kC sandalo.(extra:t) a
cozinheira, 4 ditas de idade 35 a 40annos mn ; e?t,.nas mm Vro& d,i ett
todo o servico : na travessa do armo ni P ^
\ada mais barato.
Vende-se por 60* um piano de mesa em bom
estado apezar de um diminuto concert e afinado
qua precisa : na rua dos Pires a. 34 qu na taber
na da rua do Principe se dir quem tem,
extractos a
Caixinhas com 6 vidros de dito a
Oahuzinhos com perfumaras a
Pecas de fita de vel uno de seda ns. 4,
24, 30, 50 e 60, preta, cor de rosa,
verde, azul e niuitissimos outros objectos que se-
ria epfadonho mencionar, o Quaes ** vendem
mui mais barato que em mitra qualquer parte :
.naruado^uejoado, n. !.
800
1*300
900
800
500
1*000
700
1*280
1*800
8, 12, 16,
encarnada,
Arara de Mendes Guimares.
A Arara vende ricas colchas a 8,000 rs.
o .XS*^ ri,casf col-'l'as velludos para cama a
Iqq 8^)000, ditas dc fustao a 5*, ditas dc damasco a
100 4*,cobcrtasde chita a 2*, cobertores de algodao
de iiello a 1*600, lencos brancos finos a 200 rs.
tapetes para sala a 5*.
Grande pechincha, o corle de eamhraia por 1,000.
Vende se cortes de cambraia com pequeuo to-
que de copim a 1* c 2* cada um, cortes de cam-
braia de babados linas a 3* e 4*, camisas de meia
para senbora a 500 rs., lencos dc retroz para se-
nhora a 500 rs. : na rua da Imperatriz, loja da
Arara n. 56, de Mendes Guimaracs.
Madapolo infestado a 1,000 rs,
Vende-se pecas de madapolo francez infestado
fino de 12 jardas a 4*, 4*500, dito inglez fino,
marca Morin, 7*500 ; dilo marca Rainha a 7*,dilo-
marca HII a 8*, dito n. 6,8*500, ditoji. 7,9*500,
dilo elephante lino a 105, algodao muito incorpado
a 4*, 4*500, 5* e 5*500 pechincha, brim d&
linho a 1*280 a vara, dito a 040 rs., dito lino do
de algodao a 280 e 320 : no rua da Imperatriz n.
56, loja da Arara do Mendes Guimares.
A Arara \ ende baldes a 3,000 rs.
Vende-se baloes dc arcos americanos, os melho-
res que tem vindo, de 15, 20, 25, 30, 3a e 40 ar-
cos, pelos precos de 3*, 3*500, 4* e 5*, dilos de
brilhantina a 4* e 4*500 : s na Arara, rua da
Imperatriz n. 56, de Mendes Guimares.
Chitas a 200 e 210 rs. o covado.
Vende-se chitas de cores fixas a 200 rs. o cova-
do, ditas francezas com pequeo toque de mofo a
240, ditos limpos a 320, 340 e 400 rs. o covado,
chitas era corte, finos a 2*000, ditas francezas a
2*500, cortes de riscados francezes com 14 cova-
dos, fazenda nova a 3* : s na Arara, rua da Im-
peratriz n. 56, loja de Mendes Guimaracs.
Laazinhas da Arara a 320 rs.
Vende-se laazinhas finas de quadriuho para ves-
tidos a 320 e 400 rs. o covado, ditas com o palmos
de largura, de uma scr, a 500 rs.; ditas dc qua-
drinhos a 500 rs., capas para senbora a 10* c 8* ;
roupa feta para homem, calsas dc casemira da
Escossia a 2*, palitotsde meia casemira a 2*500,
3*500 e 4*, cemisas francezas a 25, dilas de lis-
tas a 2*500 e 3*, ceroulas de linho a 1*600 e 2* :
na rua da Imperatriz n. 36, loja da Arara.
Attencao para lodos,
Eu abaixo assignado declaro aos devedores da
firma de Magalhaes & Mendes, o favor de virem
pagar seus dbitos, e juntamente aquellas pessoas
que tem negado dividas, o favor de pagarera, do
contrario se declara os seus nomes por este jornal,
e sero cobradas judicialmente, conforme a lei.
Itua da Imperatriz, loja da Arara, n. 56.O liqui-
datario da firma Magalhaes & Mendes, Lourenco
Pereira Mendes Guimares.
A PREFERENCIA
X* rua Velha numero i 9
Tem exposta venda mobilia do Luiz XV, de
amarello assim como fabrica-se de diversos gostos
a Luiz XV, de Jacaranda, e oujras quaesquer obras
por menos preco do que em outra qualquer parte,
assim enmo coqoKta-se e envernisa-se por barato
preco.
ilLEGVELi


-I
Diarlo de Pernanibuco Sexta eira 2* de Setcmbio de 1S3.
GRANDE EXPOSIQiO
de fazendas baratissimas que s ven"
dem para liquidar ; na loja do Pa-
vo, roa da Imperatriz, a. 60.
Neste estabelecimento acha-se um grande
e variado sormento de fazendas, tanto de
luxo, como de primeira necessidade, pro-
prias para a praca e para o matto, que se
vendem por precos muito resumidos, de to-
das as fazendas do-se amostras, deixando
penhor, ou mandam-se levar em casa das
familias para escolherem, pelos caixeiros da
loja do Pavio.
Lias com 9 palmos de largura
na loja do iavo. ijS loo
o covado; fustao para vestidos e roupinhas
de meninos, a 320 rs. o covadO; alpaki^H
gurgurao de linho, a 260 rs. ; ganguelin,
urna so cor, a 320 rs. o covado; toalhas de
linho adamascadas para rosto, a 10; vestua-
rios para meninos e meninas, a 10600 e 20;
tiras bordadas e entremeios, mais barato que
cm outra qualquer parte: tudo isto pe-
chincha e vende-se para liquidar: na ra da
Imperatriz n. UO, loja e armazem do Pavao
de Gama & Silva.
(irosdenaples a 1:300 rs., na loja do Patio.
Vendem-se grosdenaples preto muito boa
fazenda, a 10500, 10600, 10800 e 20: so
na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60.
Para luto vende-se na loja do
Pavo.
Vendem-se finissimo selim da China, fa-
Vendem-se laazitihas transparentes de urna zenda sem lustro, proprio para vestidos de
scr, de quadrinhos proprias para capas senho;as, para capas e roupa para homem,
e vestidos, tendo 9 palmos de largura, pelo tendo esta fazenda 6 palmos de largura e
baralissirao preco de 10400 o covado; s sendo muito leve, vende-se pelo baratissimo
na ra da Imperatriz n. 60, lojado Pavao.
O Pavo vende las de 4 palmos
de largara a 500 rs.
Vendem-se ISazinhas infestadas, sendo das
m:is modernas, de urna s cor e de qua
preco de 20200 o covado, garantindo-se que
nao se torna ruga, e vendem-se nicamente na
loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60:
Cortes de chitas a 2:000 e 2:500 rs.
Na loja do Pavo veude-se cortes de chitas
inglezas, tendo 10 covados, a 20, e com
drinhos, proprias para vestidos e capas, pelo iV/o covadoS) a 2 baratissimo preco de 500 rs o covado; di- drocs escuros: na ra da Imperatriz n. 60,
tas matisadas, fazenda muito fina a 500; di- de Qama gilva.
SEM SEGUNDO.
QUINQUILHARIAS.
Ra do Queimado, ns. 49 e 55, lojas de
Jos Bigodinho, queiram ver ver as fazendas
que abaixo annuncio, pois todas eu garanto
que sao muito novas e baratissimas.
Pegas de trancas de algodSo de to-
das as cores a....... 80
Duzias de linhas com 200 jardas, A-
lexandre, a..... 10100
Carritel de qualquer numero 100
Varas de aspas para bailo 80
Caixas com superior obreias a 40
Ditas de colla '....... 40
Pares de botoes de punho a 120
Pares de sapatos de tranca .10280
Ditos muito superiores, a 10600
Caixas e pacotes de papel amisade de
cores a. ....... 600
Duzia de meias muito finas para se-
nhora a ........
30500
Duzia de ditas cruas para homem a 2*400
300
30
20
60
tas garibaldinas a 440 rs.; ditas dequa-
dros a 360 e 280 rs.: s na loja do Pavao,
ra da Imperatriz, n. 60. de GuimarSes &
Silva,
Os cortinados do Pavo.
cortinados de eam-
n. 60, lojado Pavo.
GRANDE PEGHIRGHA
a
i Carnauba.
Vende-se cera de carnauba em saccas, por
prego muito em conta, ou mais barato do
que em outra qualquer parte : a tratar na
Lazluhas a 8 OO rs. o covado. rua lla Imperatriz n. 60, loja de Gama d-
S o Pavio. iSilva,
Vendem-se las de cordozinho proprias
JfXI?liSi0Jar0 ^ fa?endar C-m> ?*" os mais bonito, c
ascoressegumtes:alvadia,cor de cafe,ro.\o braias adamascadas, upadas c transparentes, pro-
escuro, claro e pretas, proprias para luto; prios para adornar janellase para camas, tendo de
ditas transparentes com palminlias, pelo ba- varios eostos e porcao de pares guacs, conforme
rato nrpro de 280 rs ditas nfaa&las re Pssam precisar, e vendem-se nicamente na loja
Y,. i? quadros a 280 rs.: so na rua da Imperatriz, silva.
Sedas de qnadriuhos a 800 rs. so o
Pavao.
Vendcm-se as mais delicadas sedinhas de qua-
drinhos, muito miudiuhos, sendo proprios para
vwv r. u.i oja o a ao. vestidos de senhora e roupinhas para meninos e
Cassas a 2i0 rs.organdy a 210 rs. meninas, sendo fazenda (|ue sempre se vendeu a
Vendem-se muito bonitas cassas francezas '5500 e torrarse a 640e 800 rs. o covado, c sedas
a 240 rs. o covado
droes muito bon
ditos, fazenda finissima que sempre se ven- Ri*cos Yeslds"uVSoutunbac" vende
deua 10000 avara, liquida-se a 600 rs.a] r P-ivao
dida.ou 360 rs. o covado, por liaver grande j. ? .i o
_?!%. __ ___ ,, '\ Aa i Vendem-se os mais modernos vestidos a Sou-
porcao na rua da Imperatriz, n. 60, loja thambac, com barras de seda pelo diminuto preco
do Pavo, de Gama & Silva, de 10,5000 cada um : s na loja do Pavao, rua da
\ova pechlncha de cortes de Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
canibrala na loja do Pavo. _____________________________,
Vendem-se cortes de cambraia brancos
com babadosa 20300; ditosa 30000; ditos
a 40000 ; ditos chinezasa 50000 pecas de
cambraia transparentes, adamascadas, pro-'
prias para vestidos, tendo 8 varas e meia a !
30000; ditas lisas brancas e decores a 20500,'
30000, 3:5500, 40000 e 50000 ; pecas de!
cambraia de carocinhos tendo 8 varas e meia
cada urna, sendo brancas e de cores, a 30500;
ditos a 205O(); pecas de cambraia para cor-!
tinados, sendo tapadas e transparentes com i
Baralhos muito finos para vollarete a
Carriteis de nha com 100 jardas a
Carloes de nha branca e de cores a
Novel los de linha com 400 jardas a
Ditos muito grandes com 800 jar-
das a .......
Cartoes de linha com 200 jardas (est
"se acabando a......
Vara de fita prela com colxetes para
vestido, e tem um resto parda a
120
60
100
lito bonitas cassas francezas 1*wou e orra-se a t>*ue 800 rs. o covado, csedas
rln nrffandv rmi ?'. go$ mal'^d0'Pa a 800 rs. o covado: s na loja do Pavao, ruada
nitos a 240 rs. o covado; imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
0 Perfume da Moda.
MSJI SEGUNDO.
Objeetos de tintura e miislca.
Na rua do Queimado, ns. 49 e 55, est
queimando tudo pelos precos abaixo decla-
rados, e prestem toda a attenco para ver
o que bom e barato.
Duzia de facas e garfos muito finos a 20500
Dita dita dita de cabo preto muito
finas a.........30200
Dita dita dita de balanco, melhor,a 50500
Tesouras para costura, muito fi-
nas a .........
Ditas ditas para unhas, muito finas a
Cartas de alfinetes de ferro a .
Ditas ditos de latan muito finos a .
BAL
Attenco!
Posto que domine no cora-
Co do BALIZA a mais bem en-
tendida ambirao de tirar de
seu negocio as melhores van-
tagens, com tudo elle nao pro-
cura fazer fortuna vendendo
gato por lebre;
Quando nao se negocia aca-
madamente, est bem ao alcan-
ce de todos a facilidade de fa-
zer-se boas compras, para ven-
der-se barato.
* ;
Lelam lodos.
Ao armazem do BALIZA po-
dem ser devolvidos quaesquer
gneros qne por ventura nao
sejam do contento dos saibo-
res compradores. Nao fica
resentimento algum em se tro-
car por outro, ou rcslituir-se
o dinheiro recebido,
Manter a todo o custo o seu
crdito, e agradar aos seus a-
migos e freguezes, todo o
desojo do proprictario deste
estabelecimento,
LEDE! LEDE* LEDE!
20 varas cada peca a 90000, isto tudo para
apurar dinheiro: na loja do Pavo, rua da
Imperatriz, d. 60, de Gara Silva.
O Pavo vende chales
A 20000, 20500, 3500O, 50000, 60000.
70000, 8,000 e 100000.
Vendem-se chales de merino estampados,
claros e escuros a 20, 20500 e 30000; ditos
muito finos de todos os precos o qualidades,
tanto de pona redonda como quadrados; |
assim como finissimos diales de crepon com
cores inteiramente novas e ricamente bor-
dados a matiz, sendo chegados pelo ultimo
vapor a 100000 ; ditos de pello, bordados,
a 24 80 na loja do Pavo, rua da Impera-
triz, D. 60.
As cascmlras do Pavo infesta-
das a i*too.
Vendem-se casemiras francezas enfesta-'
das, proprias para calcas, coletes, palitos,
e capa para senlioras, por ter de urna s
cor, sendo fazenda que sempre se vendeu j
a 30000. liquida-se a 10600 o covado : s!
na loja do Pavo.
de sol na loja do Pavo.
400
400
80
40
Ditas de dito grandes.....120
Caixasde phophoros de pao 10
Grosa de ditos do gaz a 20200
Duzia de dito dito a 200
Massos de palitos para dentes a 160
Abotoaduras para coletes a ... 160
Escovaspara roupa.muilo finas a 400,
500 e.........800
HEM NEUl \IIO.
PECHINCIIA.
Sempre a frente do progresso,
Constante marcha o IIA LIZA,
Tem por norte o bem commnm.
A verdade por divisa.
V It A V I i:
AGUA FLORIDA
De Murrav tt Lnnman.
Este raro qnSo delicado perfume (
qnasi que inextingoivel o tSo eheio do
mimosa flagrancia e frescura como o
delicado cheiro das proprias verdecen-
tea flores. Durante os mezes caloren-
tos do verao o sen nzo torna-se iminen-
temente aprazivel o desejavel cm con-
sequencia da influencia refrigirante e
Buave que ella produz sobre a pelle:
cm quanto que asada no banlio ella
imparte o corpo lnguido e caneado
urna certa elasicidade de vigor c torea.
Ella imjxnie transparencia asfeioes,
t retnove pannos, sarda e leHoejas di
sobre apelle.
Perfumara de superior qualidade.
0 rival sem segundo, rua do Queimado,
ns. 49 e 55, est disposto a vender mais ba-
rato que nunca vendeu, para o que queiram
ver :
: Duzia de abneles finos a 720
Sabonete inglez, o melhor, a 160
Frascos com agua de Colonia muito
fina a......., 400
Ditos de dita grande a 500
Ditos de Lavande ambreado, o me-
lhor, a........ 500
Ditos de macaca oleo muito boma 100
Ditos perola muito superior a 200
Dilos de oleo de babosa a 240, 320.
400 e......... 500
Ditos de banha branca a 320
Dito de cheiro muito bonitos a 500
Ditos de banha, pequeo, muito fina
.......... 200
Ditos de opiata a 200 rs., e boa a 900
I Ditos de banha japoneza a 800
Ditos de banha transparente a 720
Ditos de oleo filoconne a 800
RIVAL
SEM SEGUNDO.
Objeetos diversos.
DE
SlE
iEnldlIdVT-
Vendem-se chapeos de sol, a ingle/a, sen- i
do cobertos de linho e forrado de verde, pro-
prios para senlioras que forem passar a fes-.
ta, ou para meninas levarem para a escola,
pelo barato preco de 1060 ; ditos marque-
zinhas, de seda com franjas e cabo de do-
brara30OOO; ditos de seda para homens, I
sendo com annago de balea a 60 e 70, isto
para apurar diulieiro : s na loja do Pavo,
roa da Imperatriz, n. 60.
'avemicas da Escocia a 9000
o corte. i________________________________
Vendem-se cortes de caxemira da Esco- a| je ughoa
Ca, para calcas, pelo barato preco de 20,'nova: na rua doVigario n. 19, primeiro andar,
tendo da mesma fazenda para vender em Vende.sc a a 5o da taberna daruado
covados a u8 rs., sendo esta fazenda mu-' Mondego n. 97 : a tratar na rua do Sebo n. oi.
0 T6M0 (IRIEiWlL DE REMP
PARA OS CABELLOS,
E nina preparaeao admiravel para lim-
par, aformosear, conservar e restabele-
ccr os cabellos.
venda as boticas de Caors
rua da Cruz, e Joo da C. Bravo t C, rua
da Madre de Dos.
Rua do Queimado, ns 49 e 55, vende os
objeetos abaixo declarados, pois para aca-
bar; estes precos nao sao para continuar,
mas as nesessidades assim o permitte.
Pares de luvas de algodo Gnas a 80
Caivetes de aparar penas, de 1 fo-
llia a ,........ 80
Ditos de2 ditasa......160
Caixas de colxetes francezes a. 40
I Duzia de dito francez a 360
Barboza, Massos com grampos lisos e de cara-
Largo do Uvramento ns. 88 e 38 A
Defroulc da grade da igreja
AO RESPEITAVEL PUBLICO
Senhores e senlioras
0 incansavel proprietario do grande armazem do Baliza toma a liberdade de mandar
declarar do alto da imprensa pernambucana, que elle perfeitamente liberal em offerecer aos seus
benvolos freguezes as melhores qualidades dos mais bem escomidos gneros, nao s do paiz como do
estrangeiro a precos de contentar e satisfazer a todos.
Fazendo to publico e espontaneo manifest, o referido BALIZA julga de sen rigoroso dever
declarar mui seria e pusitivamente nesta oportunidade, que tambem o mais firme e dedicado conser-
vador de sua numerosa freguezia.
Da boa qualidade e barateza dos gneros offerecidos aos seus freguezes, junta ao pequeo ga-
nho que tira para si, tem sabido fazer o BALIZA a mais perfeita liga de interesses recprocos, que a to-
das as consciencias deve por forca e necessariamente agradar.
Tendo por conveniente tambem a publicacao do seguinte aviso, o BALIZA faz saber nicamente
aquellas pessoas que sempre esto promptas a compraran tudo, com tanto que se Ibes permita paga-
ren! logo, que elle
NAO VENDE FIADO.
Os amigos da economa, aquelles que s comprara os objeetos de que careeem, e que gnstam fi-
nalmente de empregar bem o seu dinheiro venham a este estabelecimento.
IETA Jl TODOS.
Do preco de qualquer genero annunciado a venda em outros estabelecimenlr.s, podem os senho-
res reguezes diminuir cinco por cento, e vir compra-lo ao Baliza, que sendo, romo todos sabem, o ho-
mem do movimento prefere ganhar muito pouco, cora tanto que seja por muitas vezes repetido.
col a......... 40
Duzia de dedaes de metal em caixi-
nha de vidro.......320
Tinteiro de vidro com tinta superior
a..........160
Ditos de barro que serve para tin-
teiro a
to encorpada a imitacao de caxemira, e ga-j' Vandemse forquilhas de ferro j chumbadas Grosasde botes de louca prateado a
rante-se que nao desbota. Tambem se ven- em pedrapara latada por 3 das grandes, e2,5500 Pecas de tranca lisa encarnada a
dem cortes de caxemira ingleza, d cores ^^fl^J-Jos do ^nguinho, sitio do. Varas de bicos e rend ;
- rfoiin'iiroadwoodik 8ons^9 Varas de* labyrinlo* de 3 dedos de
escuras para calca pelo barato preco de
U800 eada corte, ou a 500 rs. o covado :
s na loja do Pavo, rua da Imperatriz,
n. 60.
Madapolo Infestado a 4#000
o Pavo.
Vendem-se peca* de madapolo infesta-
do com 12 jardas a 4fll000, ditas a 45500,
ditas com 24 jardas a 7|J500 e 8$000 : s
lia loja do Pavo, na rua da Imperatriz.
n. 60.
Ricos vestidos brancos.
Vendem-se os mais ricos vestidos de cam-
braia brancos, bordados a croeli, sendo os
mais modernos que tem vindo ao mercado,
tendo as saias 4 pannos, e vendem-se pelos
baratos precos de 10,7, 125 e 16 : s na
Um piano com pouco uso deste au-
tor tem para vender Andrade & Reg,
rua do Crespo n. 8, esquina da do Im- Pentes de" tartaruga a 35QQQ e
perador.
argn a
Ditas de pos para den tesa
Potassa da Hussia
Vende-se em casadeN.O. Bic-
he r & C, successores, rua da
r.ruz n. 4.
Potassa da Rnssla.
Acaba de chegar nc javio Queen of the Fleet, a
mais superior potassa da Russia, e vende-se a
100
160
20
60
100
100
35500
ESTABELECIMENTO COMMERCIAL
DE
CALDERABU E FUNDIDO DE METAES,
Mo na rua do Brum n. 40 junto W
a fundico do Sv. Bowmam. pertencente a d^
Vil laca IrmSo A C, JJ
Neste estabelecimento encontraro os freguezes um completo sortiraento f&
de tudo que diz respeito as artes de caldereiro, funileiro, latoeiro, ferretro e %P
fundico, e os abaixo asssignados (pie o dirigem, promettem servir a todas as .A.
pessas que se dignarem de os procurar, com promptidao, sinceridade e pre- S
eos muito rasoaveis. O dito estabelecimento estando montado em ponto Jl
grande, tanto no que diz respeito a pessoal, como em materia prima, e tendo m
habis officiaes, pode executar com toda a perfeico e seguranca qualquer %r
obra tendente as artes cima mencionadas e alToitamente pdem os abaixo as- ^k
signados assegurar ao publico que nenhum outro estabelecimento lhe pode $S
fornecer mais barato e mais perfeito do que elles, visto que recebem de sua
propria encommenda todas as materias empregadas em ditas obras.
Alambiques simples e continuos de to- Sinos de 16 libras 8 arrobas.
dos os tamanhos e dimences.
Machinas de cobre para destilar e res-
tilar espirito at 40 graos pelos sys-
temas de Logier e Derosne.
Carapucas e serpenfinas de cobre, e
estando, avulsas.
Parafuzos de bronze e ferro para ro-
das d'agua.
Torneiras de bronze e bronzes para
engenho.
Encanamentos de cobre e chumbo de
todas as grossuras.
Taixas e tachos de cobre para engenho Bombas para cacimbas, aspirantes e
loja do Pav3o, rua da Imperatriz, n. 60, de pre$o commodo : no largo do Corpo Santo, escrip- Lma lagnr
Cama A- Silva torio de Manoel 'gnacio de Oliveira 4 Filho, n. 19 I au.daaes,j
Gama d- Silva,
ADMIREN AS PECHIHCHAS.
na loja do Pavao.
Bicos cortes de cambraia brancos com ba-
bados e duas saias bordadas crox, tendo
bastante fazenda para vestido, pelo baratis-
simo preco de 35 cada um; ditos de cam-
braia de seda com barras e babados, a
25500, para acabar; cortes de vestidos a
Mara Pia, sendo fazenda de bonito gosto, a
35500; cortes de cambraia brancos com ba-
badnhos, a 24; enfeites para cabeca, sendo
Garibaldi e a tuna, a 45; ditos com fitas
e flores, a 25; camizinhas bordadas para
senlioras, a 15; manguitos de varios model-
los, a 400, 500 e 640 rs; calcinhas para
meninas, a 500 e 640 rs: gollinhas bor-
dadas, a 320 e a 500 rs.; sedas de qua-
drinhos, a 640 rs,; (litas de listas, a 400 .
240 RS.
o covado
Novo sortiraento de cambraia franceza de lindos
padroes por 240 rs. o covado ; grande pechin-
cha, inandein antes que se acabe : na rua do Quei-
mado n. 43, esquina que volta para a Congregacao.
Vendem-se duas balancas decimaes, duas
ditas romanas, e ama dito portugueza, grande, do
autor Romio, com conchas e correntes : na rua
da Gadeia do Recife n. 43, loja de fazendas.
Vende-se na praea da Independencia ns. 37 e
39, capellas de aljfar para se botar no ceraiterio
publico no dia de finados com as inscripcoes se-
Siintes : x
inha raai.
Meu pai.
Meu esposo.
Minha esposa.
Meu filho.
Minha lilha.
Urna lagrima.
sempre vivas do apurado gosto de6ta
ainda nao vieram igual a este mercado.
Botica.
Pitillas inglezas de pobre-nomem.
Pihilas do Dr. Altan.
Salsa parrilba de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Pilotas americanas.
Remedios do Dr. Kemp.
Rob l'Affectcur.
Sormento de papel para forro de satas e guar-
nieses : vende-sc na botica e drogara deR. F. de
Souza & C, rua larga do Rosario n. 34.
Farinha de mandioca
em saceos grandes, e de superior qualida'
de; no armazem de Tasso Irmos, rua do
1 Araorim, p. 35.
e refinaco.
Paroes de cobre e todos os cobres ne-
cessarios para o fabrico do assucar.
Cobres para rodas de moer mandioca.
Machinas econmicas para lavar roupa
o melhor possivel.
de repucho.
Bombas para destilaces.
Ditas para regar jardins, hortas e
capim.
Ditas para navios e barcacas de varas
qualidades e dimencoes.
Cobre em lencol e arrodellas, estanho em barrinha, chumbo em barra,
lencol e canos de todas as grossuras.
Aos scnhoi'cs cousuiiimidoi'fs de gaz.
Nos armazens do caes do Ramos n. 18 e na rua
do Trapiche-Novo (no Recife) n. 8, se vende gaz
liquido americano primeira qualidade mais barato
do que em outra qualquer parte.
E.Sas
lar-
a 4#.o<> o sacco
de superior fcrinna de Santo Catharina ou de Por- i
to-Alegre : vende-se a bordo do patacho Regulo, I Vcnde-se um negro de mciaidade, bem ro
emporoaoou a retolho : trato-se com ocapitio a. busto, proprio para qualquer servico, abe cozinhar
bordo, ou com Antonio Luiz de Oliveira Azevedo. o diario d'uma casa, e tambera sabe botar canoa:
(t C, ng seu escriptorio, rua da Cruz n. 1. P* travessa do Pcinho n. n sobrado.
com 8 palmos
gura.
Cheguem a loja de Marcelino & C, rua
do Crespo n. S, para verem laas muito
finas, lisas o de quadros, gostos inteira-
mente novos, proprias para vestidos e ca-
Sas e precos muito commodos. Alm
isto existe um variavel sortimento de
fazendas finas e grossas precos razoa-
veis.
Vende-se tinto superior para ailar roupa a
25000 cada garrafa, e 1,5 as meias garrafas: na
rua Vclha n. 93. Com urna garrafa urna familia
aila roupa um auno nteiro.
Villaea Irmo d- C.
Rua da Sen zalla ti 2.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston A C,
sellins e siies inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Nal de Lisboa.
Vende-se a bordo da larca portugueza Despique
II, superior sal de Lisboa : a tratar na rua da
Sepzaa Nov> n. 4,
lina da Scnzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Low
Moor libra a 120 rs.
CAL DE LISBOA
Vende-sc cal nova de Lisboa : no largo do Cr-
po Santo, escriptorio de Manoel Ignacio de Olivei-
ra & Filho n. 19.
Cal de Lisboa a 4 o barril.
Vendem-se barris de cal de Lisboa de superior
qualidade : no deposito da rua do Rrum n. 66.
Cola da Baha
Tem para vendtr Antonio Luiz de Oliveira Aze-
Yedo, no seo escriptorio, rua da Cruz n. 1
VA3*33 ttAHUB
Eia, rapasiada, corageml parece queja
entregastesosvossosjoanetesans duros sei-
xos do pessimo calcamento da nossa cidade !
S se observa em vossos ps botinas acalca-
nhadas c gastas al i ultima sola; sapatoes
rasgados e quasi sem saltos.... nem tanto!
a truebradera nao deve chegar at este pon-
to Vinde rua Direita munir-vos de excel-
lente calcado com 40 e at 00 por cento
menos do seu valor___attendei:
Borzeguins, Nantes, bezerro e va-
queta 2 c meia solas .... 8#50
Borzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta c lustre 2 solas. 8000
Borzeguins, francez e hamburguez,
bezerro, lustre e couro de por-
co 7e........G>0CO
Sapatoes, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas.....5#BM
Sapatoes, Nantes, vaqueta'lustre e
bezerro 2 solas......5)3000
Sapatoes, Nantes, sola e vira. 4000
Ditos para menina, com laco. 3500
Ditos de ditas, de cores. 2800
Sapatos para senhora e homem,
tapete......... 800
Sapatos de borracha para senhora. Ii00
dem idem para meninas. ... 1 #000
Sapatos de lustre para senhora. IdOOO
dem de lustre s avessas SOO
"FAZENDAS
NA
\ova loja de Custodio, Carvalho
& Compauhla.
27-RUA !) Q!i-IMAUO 27
Camliraia
organdis para vestidos a 2i0 rs. o covado.
Madapolo
Ono proprio para camisas a preco de 8 a peca.
Cobfrtas
de panno de linho grandes a 25000.
Lenres
de panno de linho grandes a 2
Para mesa
pannos adamascados para mesa a i500.
(iiiardaiiapos
adamascados a -S a duzia.
Toalhas
para mos pelo preco de 400 rs. cada urna
I iistm branco
proprio para roupa de meninos pelo barato preco
de 320 rs. cada covado.
Kntrcmrios
finos bordados pelo barato pre^o de 1J300 a peca.
Babados
bordados de todas as larguras peca 2500.
olinhas
bordadas a 640, 800 e 1J.
de cambraia para senbUhi nP
Daifas
de arcos para senhoraa .1*600.
Italoesmadade polo
' dar meninas a i$>oo.


-
Mari* de Pernanabnco sexta tetra 95 de Setembro de 19413.


GRANEO E COMPLETO SO
o>
o
s
a
fr:

Ct
1 2 40 O
* s 03 "t
O v>
i A.
-Si 00 O S2
&< t
^) **
- 0 ^
O O
03 "t S4-
w t
l-O -c: -
<- o ^
t a t-> o 03 t P H i-. S t
"t O s es o -03 03 t t t
-~~ o t 03
o oo -Cf t
rS O Cr
fe O t
^ -
O 03 00 -* t-
t 5 3 t O
C o t-oo O t O 03 t
rt o t"
t o 00 00 O t
S t o 00 O
2 kj. w 5
t "t t 03
~ 60 S-
5i O i. o
>r t o & 0 O 00 O
o "t 03
03 O --* "t t
^ O 03
u t
Viahos em pipa: Porto Figaeira e Lisboa, a
4oo, 44o, 5oo e 56o rs. a garrafa, e em
caada a 2,56o, 2,8oo, 3,ooo, 3,5oo e
4,ooo rs. do melbor.
dem lagrimas do Douro, especial vinho do
Porto mandado vir de conta propria a
1o,oqo rs. a duzia e l.ooo rs. a garrafa.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado, das seguintes marcas: Duque do
Porto, Feitoria, Nctar, Velho Secco, Cha-
misso, Madeira superior a 9,ooo rs. a cai-
xa e l.ooo a garrafa.
dem Bordeaux das melhores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Esteph e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
dem muscatel de Setubal verdadeiro a 2,ooo
rs. a garrafa e 22,ooo rs. a caixa.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Por-
te do Alto douro a 2,2oo rs. com o gar-
ramo.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira
muito proprio para a nossa estar, o, por
ser mais fresco a 2,4oo rs.
Vinhos velho chamisso em barril muito pro-
prio para sobremesa por ser muito claro
e macio a 6oo rs. a garrafa e 4,5oo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 5oo rs. a garrafa e 3,8oo
rs. a caada.
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa al,2oo rs.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e l,4oo rs. a caada.
Velas de spermacet a 6oo, 64o e 68o rs. o
masso.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
54o rs. e em barril a 5oo rs.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado.
Banha de porco a 54o rs. a libra, e em bar-
ril se fara abatnenlo.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, l,8oo, 2,ooo e 2,5oo rs. cada
um
dem londrinos os mais frescos que se po-
dem desejar a 8oo rs. a libra.
Caf do Rio de 1* e 2a qnalidade de 8,ooo a
8,5oo rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz caroliuo e do Maranho a 3,ooo rs. a
arroba e loo rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
em porcao ter abatimento.
Caixinhas de ameixas francezas de 1 1/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,5oo, 2,ooo, e 3,ooo rs.
Fructas em caldas das seguintes qualidades:
ameixa, rainha Claudia, cerejas, pero,
ginja, pecego e alpech a 5oo rs. a lata.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 6oo rs. a libra, e em la-
tas de 1 Y e 2 libras.
Ameixas francezas em frascos de 1 1/2 e 3
libras de l,4oo a 3,ooo rs.; tambem ha em
latas de l.ooo e 3,ooo cada urna,
Cha huxim miudinho mandado vir de en-
commenda especial a 2,8oo rs. a libra,
garante-se a boa qualidade.
dem hysson o mais superior a 2,6oo rs. a
libra, afianca-se ser igual ao que regular-
mente se vende a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem pretomuito fino a l,9oo rs. a libra.
dem mais baixo, e miudo proprio para ne-
gocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs., a frasco.
Chouricas e paios, os mais frescos que se
pode desejar, a 5oo rs. a bra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e lo,5ooa caixa.
Ricas caixinhas com confeitcs e frutas seccas
muito proprias para mimos pelo baratissi-
mo preco de l,ooo rs. cada urna,
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8oo rs. o frasco.
Licores francezes das seguintes marcas: A-
nizete de Bordeaux, Plaisir des dames, e
outros a l.ooo rs. a garrafa e 10,000 a
caixa.
Passas muito novas a 6,000 rs. a caixa e
36o rs. a libra, ha caixas, meias e quartos.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs.
a libra.
Azeite francez clarificado a 8oo rs. a garrafa
e 9,ooo a duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a 800 rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. o pote.
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
rafinha.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de l,oooa 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz, a 2o rs. acaixinha e 2,3oors.
a grosa.
Milho alpista a 160 rs. a libra.
Milho painco a 140 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra a 2,300 rs. a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol que raras vezes
' vem ao nosso mercado a 300 rs. a libra,
e em caixa ter abatemento.
Sabo massa de 180, 200, 220 240, rs. a
libra do melhor.
Graixas em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
curvin, salmo e outras qualidades prepa-
rados de escabexe, segundo a arte de cozi-
nha de 1,400 a 2,ooo rs. a lata.
Genebra deHollanda em botijas de conta a
440 rs. cada urna.
Papel greve pautado eliso a 3,500 rs. a res-
ma.
MOLHADOS
Azeite doce de Lisboa muito fino em barril a
640 rs. a garafe, e era porcao ter abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas a
l,ooors. agarrafe e 10,000 rs. o gigo
cora urna duzia.
Doce da casca da goiaba a 4oo, 5oo, 600,
7oo, 800, e l,ooo rs., o caixo grande.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez, e
suisso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a libra.
Velas de carnauba e composicao a 32o, 36o,
e 4oo rs., a libra, e de 10.000 a 11,00o rs.
a arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa a 1,00o
rs. a ancoreta, e l,5oo a de Lisboa, estas
ultimas raras vezes vem ao nosso mercado
pela sua boa qualidade.
Massas para sopa macarro talliarim e aletria
muita nova a 48o rs. a libra.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 4,ooo, 3,5oo, 3,ooo e 2,5oo rs. a
caixa.
Serveja das melhores marcas a 5,ooo rs. a
7,000 rs. a duzia.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Traveltes
Lunch, Cobra, eoutras a l,2oo rs. a lata.
Bolachinha de soda especial encommenda a
l,8oo rs. a lata.
Iem Craknel em latas de 5, 7 e 15 libras a
4,000, 5.5oo, e H,ooo rs. a lata.
Massa de tomate cm latas de 600 a 7oo rs.
cada urna.
Sardinha de Nantes a 36o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijollo de limpar facas a 16o rs. cada um.
Ceblas a 9oo rs., o molho.
Farinlia de Maranho muito alva e cheiroza
a 14o rs. a libra.
Piraenta a 36o rs. a libra.
Cominho, cravo, erva doce, enxofre, palitos
de dentes em caixinhas que rudo vende-
mos por baratissimo preco.
Ricas caixinhas com confeitos c fructas sec-
cas muito proprios para mimos pelo bara-
tissimo preco de l,oo rs. cada urna.
Euconimcndas
d'aguia
branca recebi-
Rarassinias bandeijas.
A aguia branca por muitas vezes. tera da- das pelo ulimo vapor.
do a conhecer que quando acha alguma pe- Ricos entes de tartaruga com chapa de madre-
chincha, nao quer somente com ella cnclier peroa.
o papo, ao contrario desoja que toda sua boa
freguezia e o publico em geral prvem da
mesma, o que agora mesmo acontece com
essas; baralissimas bandeijas, cuja limitacSo
de precos admira, cm relacjSo aostamanhose
qualidades: avista do que convm todos a-
proveitarem-se dessa opporluna occasio e
proverem-so d'om traste sempre necessario,
e que Ihes costar quasi metade do justo va-
lor. Assim, pois, dirigirem-se com dinhei-
ro alegre e espacosa loja d'aguia branca
roa do Queimado n. 8.
Os afamados copos com banha, e
bolocs com isscripccs.
Chegaram novamente para a aguia branca
essee afamados e estimados copas com banha
fina; assim como os bonitos boioes de por-
cellana dourada tambem com banha, e novas
inscripmes raaviosas e jocoserias, muiade-
quado para presentes resta porem qoe os apre-
ciadores concorram, munidos de dinheiro, ; penlcsque a A?ua
2le?re c espacosa loja d'aguia branca ra do ,eVi ve0 tambem
Oueimado n. 8.
Ciraxa econmica.
A aguia branca acaba de recebar essa acredita-
da graxa econmica, coja superioridad* est go-
ralmenio reconhecida ; essa boa graxa so torna
rocomnH'ii'l;ul;i. tanto porque o cateado lustrado
comella delxa piifeilamente lustroso ao menos
ir das sem hecessidade de novo unto, como
mesm-i porijue sua prepaneao appropriftdapara
unaciar e conservar o couro; ella vem cm caixi-
alias e barrizinhos, e acha-se venda na ra do
Bonitos lcqucs de madrepcrola.
Delicadas caetas de dita.
Lindos cliapeozinhos de setim para baptisados.
1 ti eos de seda brancos c pretos.
Bonitas caixinhas com msicas e sem ellas para
costura.
Trancelins de laa para enfeites.
Fitas de seda estreitas para ditos.
Ditas de velludo com listras para barras de ves
tidos.
Aspas de balea para vestidos.
Ditas de aro para espartilhos.
Bandes de clina.
Pulseiras de contas para meninas.
Paos para abrir luvas e port-charutos.
Esscncia de ail para engommados.
Pos liygienicos de Labia para dentes.
Leite virginal para tirar sardas.
Dito d'ires para extinguir as caspas.
Vinagre aromtico para vertigens, dores de ea-
beca, etc.
t'.osmetiqtie surfine para cabellos.
Pomada para liigode.
Tienda de filo, lisa.
Ientes de concha.
Com as novas e diversas guarnicoes de
Branca acaba de rece-
urna pequea qualidade
ROITPA FEITA
NO
ARMAZEM
DE
Mn 0>1> (pimHIlA\ID'D'Hl
TERCOS
cornalina com cruz de prata, os
deixa ;i dis|tosic5o dos liis que esliverem dispostos
a gastar 'ioojijn 3$ |iara possuirem um bonito
Ifahiizinhos com pcrfumaritis c
de pentesde concha que com graca e acer-
ladamenle servem para o moderno atado dos
cabellos. Elles sao de bonitos e agradaveis
moldes, e de tamaito peqnenino como con-
vm para o fim que sio. E' esta a primei-
ra vez que d'elles aqu cliegam, por isso
que a moda novissima, pelo que ganha-
ro a palma aquellas senhoras que primei-,
ro se apresentarem com elles, para o que'
Q ..ido n. 8, oa d'aguia branca, aos rezumidos os mandarao comprar na loa d'Aguia Bran-
proflps.de M, 800 e 6W rs. ca> riia d0 Qlieimado, n. 8.
ltolsas Vendem-se na ra do Quciinado, loja d'Aguia
.. Branca n. 8.
e coroas A aguia branca pensando constantemente em' MABIA PA.
bem servir a toda a sua freguezia, notoo que ainda A Aguia Branca recebcu as desejadas voltas
nao havia feito algum agrado a aquelles qoe pro- pretas, mui compndas e gradas.
dente e ar rtadamente rasando, cumprem dever de Phosplioros lsv,vicui*os
bom christao, e qnando raparon essa sua falta,' E DE SBGURNCA
aandou vir e acaba de receber delirados tercos e Esscs pi,OSpi,oros hvgienicos c'de seguranca, sao
le cornalina com cruz de prata, os quaes ndubitavelmente os melhores que at ago-a tem
apparecido. por cuja superioridade tanto se tem
feito cunliucidos c recommendados. Ellos mereci-
terco ou corda, cornos guaes podem mesmo pedir a jmeme Kaharam a preferencia a todos os outros
pela prospendade d aguia branca, em seale- p^ vani,Msas ratSes de que nao deitam aquello
*re e espaeoso nmlio da na do gueunado n. 8 prejudicial e mo ebeiro que costumam deixar
quasi todos os outros, c mesmo pela seguranca de
que estam isemptos de incendiar pois que em
sem ellas. nenbuma outra parte fazcm fogo a nao ser no es-
A :i! branca vende botuto bahnzinnos com 6, pecial papel, que vem pregado na caixa, onde tam-
losdoctienos IJSOO e vasms por 800 Im-iii iifiiliun falla cm qualquer que seja a esta-
meninas, e mesmo para cao: e alen d todas essas lias qualidades occor-
';;'' ; :' .....Jm'Hiiado. loja d aguia re mais a da barateza porque as caixas cen 400
phosphoros custam apenas 240, o que nao ba com-
paracao para com qoalqner das outras qualida-
des. Assim pois, convm o uso delles, todos os
i Malieleriiiientos, escupinos, cartorios, reparti-
eres, casas particulares, etc., etc. Acham-se
venda na ra do Quciinado loja d'Aguia Branca
n. 8. Queni comprar porcao ter um abatimento
rasoavel.
Amostras de agiilhas inglezas.
A aguia branca acaba de receber por amostra
una pequea quantidade de carteirasde molde nao
commum com agulbas inglezas de urna admiravel
superioridade. As carteiras trazcm accommoda-
dainente quatro papis de agulbas surtidas em
grossuras, e estas na verdade sao de qualidade an-
da nao vista aqui, o'que fcil de conhecer-sc pelo
seu bom acabamento, pois que sao perfeitamente
polidas, ponas mui agudas e bem tiradas, e fundos
ovaes. (aisla cada carteira lo. o que de certo pa-
rece caro, mas que apreciada a boa qualidade dol-
as, so tcrao a lamentar o nao vir mais deltas.
Tambem veio igualmente caixinhas com alflnetes
dnurados, e outros brancos, os quaes se vendem a
240 rs., 320, 00, 040 c 1 a caixinha, tudo isso
na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Maravillia das bellas, noves e
delicados enfeites para ves-
tidos.
aprasivel a aguia branca o ter de avisar a
sua boa freguezia, que acaba de receber pelo pa-
; qncte francez um bello sortimento de enfeites de
' seda denominado maravilla das bellas, os quaes
servem tanto para vestido de senhora como para
roupinhas de enancas. Seus novissimos c delica-
dos desenhos, suas cscolhidas e bem acertadas co-
*
I.ETREXBO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
Casacas de panno preto, 50 e 30(5000 Cohetes de fustao e brim bran-
Sobrecasacas idem, 30#e'. 255000 co, 35300, 341 e 2&>00
Paletos idem e de coros, 2.-;^. ^ Seroulas de brim de linho.
205, 155 e \ 105000 25400 c r 25000
4m
RA DO QUEIMADO N. 46
Ditos de casemira, 205, 155,
125, 10,5 e.....
Ditos de alpaca, 55 e. .
Ditos ditos pretos, 95,
55 c........
Ditos de brim e ganga de co-
res, 455O0, 45, 35500 c. .
Ditos branco de linho, G5, *5 e
Ditos de merino preto de cor-
dao, 105, 75 e. 55000
Calcas de casemira preta, 125,
105, 85 e...... 75000
15100
ente i le
bruici i'. 8.
Xovix-iiinos e Juna los
paM etihecas.
(unido o belb sexo sentia a falta de bous
enfeites para cabeca, eis que a aguia branca
recel-e urna sua encommenda de bonitos e
delicados enfeites, e de modernsima moda,
muito servindo isso para sanar aquella falta,
e fazer com que as Exmas. apreciadoras da
bella empreza Coimbra possam melhor. real-
sar e mostrarem o apurado gosto que as
guia. Esses enfeites sao d'um tecido bs-
tanle fino com continhas d'aco, e mui bem
enfeitados com flores, fitas, bicos, plumas
etc., entretanto que sendo obra de muito
go.^-to custam 55, 05 e 75 dinheiro vista;
na espacosa c alegre loja d'aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Albnns com perfumaras.
Muitas vezes aconteca que se procurando una
bella galantaria para se olrertar a una senhora ou
menina em seus aniversarios, ou mesmo na
amarracao das mestras destas, se nao achava cousa
qo> satislizesse, agora, porem, j nao deve suecc-
der assim iiorque na loja d'aguia branca encontra-
r o prctendente bellos objectos para esse fim, so-
bre-sahindo entre elles esses bonitos albnns com
perfumaras, cujo gosto c novidade Ihes d a pri-
maria. A aguia branca folgar de conten.' se
essas offertas recahirem sempre em suas predi le-
las freguezas, e quando assim nao seja. nao f;
Ditas de cores, 95, 85 e. .' .
Ditas de meia casemira de co-
res, 55500 e. .; .
Ditas de princesa e merino pre-
to de cordo, 55, 45500 e
Ditas de brim branco e de ci-
res, 55, 45500, 45 ei .
Ditas de ganga de ers,
35500, 35 e i .
Cohetes de velludo preto e de
cores, 95 e.....j .
Ditos de casemira preta, 55! e
Ditos de ditas de cores 55
.45e.......! .
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
75000
GiO
Ditas de algodao, 15600 e.
75000. Camisas de peitos de linho,
35500: 55, 45, 35 e.....25500
Ditas de madapolo, 35,
35500 j 25500, 25 e.....15600
Chapeos de massa, pretos fran-
35000 j cezes, 105, 95 e. 85500
45000 Ditos de fltro, 55, 45,35500 c 25000
Ditos de sol, de seda, 125,
H5, 75 e......45500
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda.......
Sortimento completo de grava-
tas.
45000 Toalhas para rosto, duzia, 115-
95 e........
45000 Atoalhado adamascado de li-
nho vara......
25500 Chapeos deso, de alpaca, pre-
| tos e de cores.....
25500 Lences de linho.....35000
Cobertas de chita chineza.. 2,-soOO
75000 Pennas d'aco, as mais superio-
45000 res, a grosa...... 600
i Relogios de ouro orizontacs,
905,805 e......705000
Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes, 405 e
DE
FAZEXDAS E ROITPAS FEITAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 255, 285, 305 e 355, casacas
muito bem feitas a 255, 285, 305 e 355, paletots acasacados de panno preto de 160 at
255, ditos de casemira de cor a 155, 185 e 205, paletots saceos de panno e case-
mira de 85 at 145, ditos saceos de alpaca, merino e laa de 45 at 65, sobre de alpaca e
merino de 75 at 105, caigas pretas de casemira de 85 at 145, ditas de cor de 75 at
155, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de roupas de brim.
como sejamcalcas, paletots e colletes, sortimento de cohetes pretos de metim, casemira
e velludo de 45 a 95, ditos para casamento a 55 e 65, paletots brancos de bramante a 45
e 55, caigas brancas muito finas a 55, e um grande sortimento de fazendas finas e moder-
nas, completo sortimento de casemiras inglezas para homcm, menino e senhora, ceroubs
de linho e algodao, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin para homem e se-
nhora. Temos urna grande fabrica de alfaiate, onde recebemos encommendas de grandes
obras, que parauso est sendo administrada por um hbil mestre de semelhante arte e um
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qualquer obra com
promptido e mais barata do que em outra qualquer casa.
DE
TODAS AS QUALIDADES
DE
ANTONIO Mili DE BRITO
m
HIOOOS
15280 m
45000 m
35500
55000
65 e......I 55000 Obras de ouro, aderemos, mcios
Ditos de gorguro de s.,la aderecos, pulceiras, rozetas,
pretos e de cores, 65, 55 e 45000; aneis c cruzes.
305000
FITMDI^O
UE
DE
FRANCISCO ANTONIO CORREIA CARDOSO,
lina do IIruin. X. *,
Acha-se novamente aberto este antigo e proveitoso estabelecimento, prompto para
CONHECIDA POR FABRICADA V1UVA.
N. 21Antiga ra dos Quarteis de policaN. 21.
Constando ao annunciantc, que alguns especuladores de m f, vendo o crdito
que gosam os meus cigarros, e para poderetn dar consumo aos seus andam vendendo tanb
na praca como pelo mato, illudndo os meus freguezes, dizendo que sao meus ; e como in-
dos os meas cigarros sao vendidos na minha fabrica, e nao mando pessoa alguma vender
por minha conta fura della, fago o presente annuncio para evitar que comprem gato por
lebre ; e para seguranca dos senhores consumidores deste genero c especialmente os seus
freguezes, aviso que todos os massos de cigarros que forcm vendidos na minha fabrica sio
marcados com um distinctivo que declara o meu nome, o nome da ra e o numero da
mesma casa.
Aproveito a occasio para scientificar aos mesmos senhores, que constantemente
encontrarao um completo sortimento de cigarros de diversas qualidades, e do melhor fumo
escollado, por sua boa qualidade j bem conhecida.
POR MENOS DEZ POR CENTO
NOS
AROTAZEXS
mmwmnw i mmusm
DE
1T U A l> fik 8 J)b'J 3\'if D3.
NS. 21 E 23LARGO'DO TERCO -NS. 21 E 23.
^ Recebem por conta propria a maior parte dos gneros existentes nos seus arma-
zens e por isso deliberou-se seu proprietario a vendelos por menos 10 /0 do que em
outra qualquer parte, garantiddo-a superior qualidade.
Lelam todos.
Manteiga ingleza especialmente escolhida a 72o c 800 rs. a libra.
executar quaesquer encommendas de ferro .fundido, balido ou de bronze, moenda 5 para : dem franc,eza de J}?}miV (*ualidade a f rs- a Jf* c0em barril a ** a ''b^-
Aiuranime rom vinni> n>. com Aii<>a i,in mm a mninr nrr.mnii.i3n Mrfo!.* L Arroz pilado o melhor do mercado a loo rs. a libra c 3,000 rs. a arroba ou
mal, norijue a mimoseada reparando na singulari- res fazcm um todo agradavel aosolhos de qnalqucr
*wle do objncto, querer desde logo alistar-se no; vvente que saiba apreciar o bom. Assim, pois, a
uero daquellas. Em todo o caso havendo di- duvida est em haver dinheiro. bavendo-o. diri-
'ii'ini.dirijam-se rua do Queimado, loja d'aguia jam-sc sem suslo ao espaeoso e alegre ninho de
fcrani-a n. 8. que tudo se arranjar. aguia branca, ra do Queimado n. 8, que ach'arao
Chegaram luvas de pellica para a loja d'a-' as verdades cima ditas,
guia branca, ra do Queimado n. 8.
Ntvas cintas elsticas pura senhoras
casadas.
A reconhecida utilidade dessas necessarias cin-
tas clsticas fez com que em breve se aeabassem
as quo vieram da primeira vez, dejando assim
dejcn|t>nt< umitas senliuns que se nao poileram
Cal de Usboa e potassa da
llsissi.i.
\end-se na ra da Cadeia do Recife n. 26, para
oude se mudou o antigo e acreditado deposito da
mesma ra n. 12, ambos os gneros sao novse
|i .'limos, e se vendem a preco mais barato do que
proV SMafuU;K nlan- ^O"^ ^
ilou bosca1 MBWTlguiiTas, que acal.mndechegar,; Cal de l.lslioa
.linda Ufc jwrfeitas que as primeiras, isso por se- \ a mas nova do mercado : na ra do Vigario n
rera menores; agora, pois, podem as senhoras ca- {jo prraeiro andar.
sadas prevenircm-so, mandando-as comprar na
toja d'aguia branca, ra do Queimado n. 8. Se a I
guia branca precisasse de semelhante obra de '
certo de^ta vez nao ticaria sem ella. I
\ nho do Porto superior.
Vende-se em caixas de nma dnfi': nowcripto-
deiro Antonio Lniz Oliveira Azevedo & C.
engenhos, com vapores ou sem elles, tudo com a maior promptido, perfeicao e cora-
modo prei;o ; tem varas obras promptas da melhor e mais solida construccao que po-
dem ser vendidas por melade de seu valor, como sejam :
Moendas interas e meias ditas de varios tamanhos, para engenhos.
" Portas d'aguas guarnecidas de bronze com parafuzo de rosca quadrada.
Rodas de espora, carretas e rodelas angulares.
Parafusos e cavilhes de ferro ou, de bronze, rosca quadrada ou singla.
Agulhes fundidos de azase batidos para rodas d'agua e chumaceiras. com bronze,
Bronzes e torneiras de todos os tamanhos e qualidades.
laxase fundos de alambique, de ferro fundido, de varios tamanhos.
Cnvos e portas de fornalha de varios tamanhos e qualidades.
Urna machina de destillacSo continua do autorCol lares.
Foges americanos econmicos para casa de pequea familia.
Fornos de fazer farinha.
Tubos de chumbo de todas as grossuras.
Cobre em arrobas c folhas. dito, dito.
Folha de Flandres em caixas, bom sortimento.
Chumbo ent lencol e em rolos de diversas grossuras.
E urna grande porco de pecas de obras tanto de ferro fundido como balido ou de
bronze quesera enfadonho descrever.
Espera, pois, o proprietario deste estabelecimento que o publico sempre benigno
e prestar toda sua conflanca e allenco.
Taixas de ferro. -
Vendem-se taixas de ferro do mais acreditado
fabricante e por preco mais razoavel: no arma-
zn de assacar d Jos da Silva Loyo & C.
linho puro.
No escriptorio de Euzebio Rapbael Rabello, na
ra da Cadeia n. 5S, vendem-se ancoretas com ex-
celente e poro vinho tinto de Lisboa, somante des-
tinado para gasto de casas particulares por ser rt antigo deposito da
mettido pelo proprio fazendeiro ou lavrador.
zem de Manoel Teii
Potassa nacional.
Vende-se snpttrior potassa do Rio de Janeiro, da
mais nova que ha no mercado, a preco muito com-
niodo; no largo do Corpo Santo, escriptorio de
Manoel Ignacio de Oliveira & Flho, n. 19.
Col de Lisboa
Cal virgcni chegada hontem em ancoretas mui-
H AMMaiiMiidl n por preco commodo: no
rapicne
Ira Basto.
n. 13, arma-
sacco.
Caf do Rio e do Cear o melhor neste genero a 28o e 32o rs. a libra.
Batatas novas a 5o rs. a libra, em arroba a l,4oo rs. e em caixas de quatro arrobas por
4,5oo rs,
Bolachinhas americanas, as mais novas neste genero, a 2oors. a libra e3,ooors. a barrica.
Palitos do gaz, vindos por conta particular, a 2,3oo rs. a groza.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor, a l,8oo e 2,ooo rs.
Vinho do Porto em garrafa de superior qualidade a 9oo rs. a garrafa,
dem em pipa Figueira e Lisboa a 4oo rs. a garrafa, e a 3,ooo a caada.
Milho alpista o mais limpo que ha no mercado a 16o rs. a libra, e a arrroba a 5,ooo rs.
Velas de spermacet, composicao e Aracaty, a 4oo, 36o e 64o rs. a libra.
Toucinho de Lisboa novo e grosso de primeira qualidade a 32o rs. a libra, e 9,ooo rs. a
arroba.
Alm destes gneros ha outros muito baratsimos, assim como cha do melhor.
aaeite doce, vinagre, cebollas, alhos, pimenta, cominhos, erva-doce, charutos de todas as
qualidades. chouricas, sabao verdadeiro de 16o a 24o rs. a libra, genebra de todas as
qualidades, que tudo so vende barato e quem duvidar venba ver.
-------------------.----------------------------------jL--------------------------------------------------i--------------------1----------------i-----------
FCffDIflO DA AURORA.
Nesta grande e bem montada fabrica de machinismo, a mais antiga no imperio, con-
tinua-sea executar com a maior presteza e perfeicao encommendas de toda a qualidade
de machinas usadas no paiz, tendo sempre prompto o seguinte :
Grande sortimento de moendas de canna de todos os systemas e lmannos.
Machinas de vapor de diversas qualidades.
Taixas fundidas e batidas.
Crivos e boceas para fornalbas.
Bronzes e aguilhes.
Rodas, rodetas e rodas d'agua.
Guindastes fixos e portateis.
Madrinas de cylindros para padaria.
Serras de ac para serrara.
f Fateehas para barcos, etc., etc., tudo por prego que bem convida.
JILEGVEL



Diario de Pernambuco hc\t* Icira de getembro de **.

mm
GRANDE ARMAZEM
AE
EE
^mmwMMmmmmnmxsmmjK
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
DE
Eduardo Marques de Oliveira C.
N. 36, RA DAS CRBES N. 36
DO
TODOS
os
VAPORDS
se receban gneros de conla
propria e dos melbores esta-
belecimentos da Europa, ga-
raite-se todo e qualquer ge-
nero comprado neste
ESTABELECIMKlTrO.
COMPLETO
SORTIMENTO DE MOUUfiOS.
vende-se em porco e a reta-
Iho, aprompta-se com toda a
presteza e actidao qualquer
encommenda dirigida a este
Si

ESTABELECIMINTO.
batrro de ***** Ato*lo.
0 proprietario do muito acreditado armazem denominado Progresista tendo
sempreem vista azer tudo o que for possivel para bem servir aos seus freguezes, tem
leliberado vender os seus i bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaho mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
escravos, serem 15o bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, ainda mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento. O
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que n3o agradar, devendo os mesraos senhores ter toda atten-
r5o com os seus portadores, fazendo-lhes ver que s no armazem Progrmista da ra das
crunes n. 36, que se vendem os melhores gneros por mais barato preco, porque estes | ^^ dos sm acreciitados gneros, como abaixo verao nao obstante os precos menciona-
rnuitas vezes olvidam-se e v5o outra parte onde os servem de maneira a desagradar este j dos a vigU da ^wfate dos gneros que se prova qnanto se deseja servir satisfatoria-
mente aos nossos freguezes, advertindo-lhes que mandem seus portadores, que sero to
bem servidos como se viessem pessoalmente, isto s no Progresso.
3
a

o
3
a
o
3
2
O
I
os
m
3

\
N'estes novos e grandes estabeleciments de molhados, encontrara o respeitavel
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro, expostos vend
todas as qualidades de gneros por menos preco que em quaesquer outro estabelecimen-
l tos d'esta ordem, pois para bem servir os seus freguezes existe na Europa um dos so-
to* cios para serem viudos de conta propria diversos gneros, c desde ja encontrara o r<

H
>
peitavel publico sempre os melhores gneros do nosso mercado, e por precos baratsi-
mos como abaixo vero, a saber
Os proprietarios do muito acreditado armazem Progresso fazem sciente ao respeita-
vel publico e com especiabdade aos seus amigos e freguezes que tem ranlvido resumir os
estabelecimento.
Manteigai ngleza do
a libra.
de superior qualidade a cada
xjnha.
I. qualidade, a 800rs.
dem de 2.1 qualidade, a 700 rs. a libra. j Moslarda preparada Cm potes muito nova a
dem franceza, chegada ltimamente, a 6oo 40Q rg ^jj um
! Milho-alpista a 180 rs. a libra.
! Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra e 2#300 a arroba.
I Sag muito novo a 240 rs. a libra.
rs. a libra.
Batatas ern gigo de arroba a t,5oo rs.
Mages chegadas no vapor lnglez,
Krvilh.is muito novas a 2io rs. a libra,
Jucijos do reino, chegados pelo ultimo vapor
de 25 2^500.
dem prato, chegado neste ultimo vapor, o Sarao verdadeiro hespanhol, que raras vezes
mais fresco que se pode desejar a 700 rs. i vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libra e
a nhra. em caixa Ier*1 abatimento.
Idnlondhno, mandados vir de encommen-i ,(lem massa de $uperkH-qualidade de 160,
da especial, a 900 rs. a libra. 480, 200, 220 e 240 rs. a libra,
tdem suisso, muito fresco, a 800 rs. a libra.
laf do Rio de I.' e 2.* qualidade a 8r00' Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
toanteiga ngleza perfeitamente flor chegada
no ultimo vapor a 8oo rs. a libra.
dem de 2.a qualidade a 76o rs. a libra.
dem de 3," dita a 64o rs. a libra.
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
Manteiga franceza a mais nova que ha no mer-
cado a 58o rs. a libra, e em barril ter aba-
timento.
Banha de porco refinada a 520 rs. a libra.
Vinho em pipa Porto Figueira e Lisboa a ioo,
48o, 5oo, 56o rs. a garrafa, m caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,ooo rs.
e 83808 a arroba, e 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India e Maranhao a 120 rs. a libra
e 35200 a arroba.
Avelaas as mais novas neste genero a 240
rs. a libra.
Presuntos do Porto muito novos a 560 rs. a
libra.
Legumes francezes para sopa, como seja,
Julicnne, mlange d'quipage, Choux e
nutras qualidades, a 400 e 500 o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, e
e 1*300 a duzia.
Peixe em latas muito novo: savel, pescada,
corvina, salmo c outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
eozinha a 1*400.
Papel grve pautado e liso a 3*800 a resma.
Gcnebra de Hollanda em botijas de conta a
460 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 3*200 e 4*000 a caada do
melhor c 500 rs. a garrafa, em porcoter
abatimento.
Amendoas a 320 rs. a libra.
Avenes a 2oo rs. a libra.
Ame i xas a 1* a libra.
Ditas em frasco por 2*800.
Arroz pilado da India loo rs. a libra e 3*ooo
a arroba.
Dito dito do Maranhao 120 rs. a libra e 3*500
a arroba.
Azeite doce francez 800 rs. a garrafa.
Dito de Lisboa 680 rs. a garrafa.
Agurdente de canna de cabeca a 240 e 320
rs. a garrafa.
Azeitenas a 320 rs. a garrafa c 1,3oo a an-
coreta.
Batatas inglezas a 6o rs. a libra e 1,8oo a
nrr*fthi
Farmta de Maranlwo muito arva e chetroza Bmha de- porco a 53o r. a ,bra
a lo rs. a libra. Bolachinha de soda a 1*400 a lata.
Toucinho de Lisboa a 32o rs. a libra ea9,ooo Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
re, arroba, rica a 3*000.
, Cha hysson a 2*200 a libra.
Sardinhas de Nantes a 86o rs. a lata. Dit0 dit0 fino a ^g^ a ,ibra
Azeite doce de Lisboa a 64o re. agarrafa e a Dito miudinho a 2*800 a libra.
4 8oo rs. a caada. Dito do Rio a 1*800 a libra.
Vinagre de Lisboa a*2oo rs. a garrafa e a Dito prcto a 1*900 a libra.
l,2oo rs. a caada. Charutos de diversas qualidades a 1*200,
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis- 1*500 e 3* a caixa.
boa a l.loo rs. Champagne a 1* e 1*500 a garrafa.
Champanhe das marcas mais acreditadas a Ghouricas a 560 e 600 rs. a libra.
8 e a lo.ooo rs, o gigo, e a8oo rs. e a! Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
l,ooo rs. a garrafa. I Caf em grao a 300 e 320 rs. a libra, e 9* e
Serveja preta marca T e XXX a 6,5oo #eDt0 ^^'Vrs. a libra.
XXX a 6,5oo
7,ooo rs. a duzia, e a 6oo rs. a garrala, Doce dg aba a 5G0 r Q caix3o
tambem temos das mesmas marcas para 4, ^ y. fa de 38gl.aos a
* -" a duzia, e a 4oo re. a garrafa.
e 4,5oors.
dem branca Te cobrinhaa5,5oo e 6,ooo rs,
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tambem
para 4,ooo re. a duzia.
a l,3oo
e 12o re. a lata.
em porcao ter abatimento.
iarraroes com 5 garrafascle vinho do Porto ^^^S^^JA^JlX
do Alte Douro a 2*400 com o garrafao
a 640 rs. a garrafa e
aanca-se que nesse genero o melhor
que vew ao mercado.
I km cm 5 garrafas de vinho Figueira mute
'suprior e mais proprio para a nossa esta-
c5o pw ser mais fresco a 2*400.
Cha hysson o mais superior a 2*600 a libra,
afianca-se ser egual ao que regularmente
vendemos a 3*200.
(don huxim miudinho, o mais superior que
vem ao nosso mercado a 2*700 a libra.
Un preto muito fino, a 2*000 a libra.
chocolate para 9oo, l,ooo e l,2oors. ;6-
bra. ,
CanarSes com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 2*100 cada um.
dem com 5 garrafas de v,nare de Lisboa
a 1*100 com o garrafao.
dem oom 5 garrafas de vinagre hambur-
giez a 800 rs. cada um.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
para sobremesa,
5*000 a caada.
Vinho brame o mais superior que possivel
neste genero a 560 rs. a garrafa c a 1*000
a caada.
Vinagre puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
e 1*400 a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril
a 040 re. a garrafa, e em porcSo ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas mareas, a
1*000 a garrafa, e 10*000 o gigo com
urna duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 3*500 a caixa, tambem temos
para 2*000, 2*500, 3*000 e 3*200
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 600, 640,
e 680 rs. o masso.
dem de carnauba c composigo a 320, 360,
e 400 rs. a libra e de 10* a 11*500 a
arroba.
dem cm barril o mais superior que lem vin-
ao mercado a 6oo rs. a garrafa.
I
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
l,ooo a garrafa e a lo.ooo a caixa, o fireco
nao indica a qualidade d'este precio vi-
nho, porm venhamaoProgresso que alis-
ta faz f, a este genero constantemente mol-
damos vir de conta propria e por isso pV
demos vender por menos que outro qua% <*raxa^enuausjjrancles
quer annunciante. ,
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre- ^"SS^^Xff OtoSZ!***
ditadas e especialmente escolhido por um \ de muita *"*>a 4o re- "** uma'
de nossos socios, como sejam:Camoes, Du- pilitos de dentes massos grandes a 2oo rs.
que, doPorto, D.Luiz, Carcavellos, Cha- >e28ors.
misso Filho, Madcira secco, e Fettoria a I \ : aft a
9oo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com, P^tos do gaz a 20 rs. a caixmha e 2,3oo re.
12 garrafas. airosa.
Garrafoes com especial vinho do Porto con- r.ei.-M. Alperche chegada no ultimo vapor
tendo 5 garrafas a 2,5oo re. ;, i^eadc 2 libras a 8oo rs! 6 pechincha.
dem com 5 garrafas de superior vinho Fi-fcenebra de Hollanda garrafoes com 16 gar"
gueir-a a 2,4oo rs. rafas por 6.5oo re.
dem com 5 garrafas de vinho Lisboa aUleraemfrasqueirasa6,3oors.e6,5oore.ea
2,loo rs. \ 6o rs. o frosco affianca-se ser verdadeira.
Vinho branco de Lisboa proprio para missa Lm de ^^ em \mtfm && quatr0 du.
vinb j engarrafado de Lisboa a 64o re. ,\ iSdi 4to rs ra(|a ^p
a garrafa. | \ .
_ aera de laranja em frascos grandes verda-
Idem em barril muito superior a m rs. a T ^iri taUana a {j(m rs. 0 frasco.
garrafa c a 4,ooo e 3,8oo a caada.
u j i/ a Marrasquino de tara a 72o rs.
Amcrcas francezas em caixinhas de 1 '/a. 2 f ^
e 3 libras elegantemente enfeitadas com ri- tf,ioor francez de todas as qualidades em
cas estampas na caixa exterior a l,3oo \ garrafas de vidro brancos a 72o e 8oo rs.
l,6oo 2,ooo e 2,5oors. Ijnho Bordeaos das melhores qualidades
l,4oo e j que tem viudo ao mercado a 72o e 8oo
l rs., e em caixa a 7,5oo, 8, e 8,2oo rs.
. a 280 rs. a
"garrafa.
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra,
ha i Dita flor de laranja a 1* o frasco.
' Feijo branco muito novo a 440 rs. a cuia.
. | Figos a 32o rs. a libra.
1 Genebra de Hollanda em botijas a 5oo rs.
Dita Hamburgucza a 44o rs. a botija.
Gomma dararuta a 100 rs. a libra, e 2*600
a arroba.
Graixa em latas a 120, e 1*300 a duzia.
Gcnebra em garrafoes de 14 garrafas por
4*600.
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito em garrafas grandes de superior quali-
dade a 1*500.
Manteiga ngleza flor a 800,900 e 1* a libra.
Manteiga franceza a 6oo e 64o rs. a libra.
Dita hollandeza a 72o 8oo rs. a libra.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinba para sopa a 560 rs. a libr?..
Massa estrellinha para sopa a 5oo rs. a libra.
Macarro, aletria e talharim a 48o rs. a fi-
bra.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
Passas a 4oo rs. a libra.
Palitos para dentes a 180 rs. o masso.
Phosphoros do gaz a 2*500 a grosa.
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a 2* t
2*500.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Cervejas de marcas superiores a 500, 560.
600 e 640 rs. a garrafa, e 5*500, 6* e
| 6*500 a duzia.
Dita em barril por 45, e 240 rs. a garrafa.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 rs. a lato-
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 160 rs.
Vellas de spermaecte do gaz a l,2oo rs. i
libra.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 libras por 4*000.
Ditas de carnauba a 400 rs. a libra.
Ditas de composico a 360 e 380 rs. a libra.
Vinho do Porto, caada a 5*500," garrafa :
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 4* e a garrafa a 50(
rs.
Dito Figueira, caada a 3*840 e a garrafa
480 rs!
Dito dita superior, caada a 4* e a garra!
a 500 rs.
Dito Estreito, caada a 3*200 e a garrafa i
400 rs.
Dito Bordeairx a 720 e 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa em garrafoes de 5 garra
fas por 1*400.
Dito em caada a 2*, e a 260 rs. a garral.
Vinho do Porto em garrafoes de 5 garrafas
por 2*500.
Dito dito engarrafado a I* c 1*200.
Dito lagrimas do Douro a 1*400 a garrafa.
Vinho branco de Lisboa a 720 rs. a garrafa,
e 5* a caada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, e a 4*500
a caada.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
Previne-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima sao de boa quali-
dade, e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annunciados.
fodWdas seguintes marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria Velho secco, Chamico, Madeira su- Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 16000
perior o outros a 900 rs. a garrafa e 9* i a ancorla do Porto e 1*500 a de Lisboa.
a Ama. Massas para copa: estrellinha, rodmha o pe-
Ymlio Rordeaux das melhores arcas: st ..:., i mJ i;km a iakm q mWs mm
Vi e 3 libras
lulieiu Mednc e S. Estephe e outros a
C.40 rs. a garrafa e 7*500 a caixa com
urna duzia.
Chouricas e paios, o mais novo que se pode
desejar, a 250 e 600 rs. a libra.
Cognac verdadeiro ingtez dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa e 10*500 a
.ai xa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
I mm francezes, muito finos, das seguintes
' marcas: Anizetta deBordeaux, Pla.serdes
dames, Crme de Noyau, Eau Dantz.c,
Crme de Menthe, Hudede Venus etc. etc.
Paseas muito novas e de carnada a 400 rs. a
libra e 6*500 a caixa com urna arroba, fia
, aixas, meias e quartos.
Ameixas francezas em frascos de 1 \\z e li-
bras de 1*400 a 2*800, tambem ha latas
de 6 libras,
dem em caixinbas de 1 % 2 e 3 libras
elegantemente enfeitadas com ricas es-
tampis na caixa exterior a l,3oo, l,5oo,
1,8oo e 2,4oo.
dem em latas de, 1
2,6oo re, cada urna.
Figos de comadre em bauzinhos de l'olha
muito proprios para mimo a 1,6oo.
Idom-em caixinhas a l,4oo rs.
em-caixinhas emticamente lacradas
vide a 500 rs. a libra e 4*500 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, raa-
rarr3o e aletria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso das melhores quandades a 900 rs.
a fibra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixao.
Cerveja das melhores marcas 'de 5*500 a
6*000 a duzia e 540 rs. a garrafa
Bismutos inglezes de diversas qualidades a
1*300 a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda,
muito nova cm latas grandes a 2*000 cada
urna.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes, do fabricante Bassct, a
360 rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a libra.
dem
e muito bem enfeitadas a l,8oo re.
dem a 2oo rs. a libra.
Aceite doce refinado do fabricante Pelanol e
i outros a 8oo rs. a garrafa.
t&nservas inglezas sortidas e de urna s qua-
Hidadc a 8oo rs. o frasco.
FUIOIICAO DO BOWMAar-RIJA. no
IBRUJI H 33.
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortimento de-
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc. __________^______________________
' Araruta, verdadeira a 32o rs. a libra.
I
Gomma de engommar muito alva a 8o rs.
Passas de carnadas as mais novas que ha no e ** a am,ba-
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,ooo rs. a >,-, muito novo a 24o rs. a libra.
caixa.
Salmo em latas
8oo rs.
emticamente lacradas a
Sevadinha de Franca a 16o rs. a libra.
Sevada muito nova a 12o rs. a libra e 3,2oo
s. a arfaba.
Tijolo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Mermelada imperial, dos melhores eooser- Cebolla? o mlho a 900 re.
veiros de Lisboa, a 600re. a libra, em la-,
U* lacradas hermticamente.
Knirtasem calilas de todas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas ~
Erva-doce muito nova a 400 rs. a libra.
Cominhos idem idem a 640 re. a libra,
a 500 rs ca- Garrafoes vasios a 500 rs. cada um.
de ma- Ditos com o garrafas de genebra a .2*400,
Kntachinha ingleza, a mais nova que se pode garante-se ser verdadeira de Hollanda.
d2S?, aff3000aiwrieae4O m. a!
Lagost'im em latas grandes a l,4oo.
Savel, corvina, cherne, vezugo, peixe espada, Macan-So a 32o rs. a libra,
preparados pela primeira arte de eozinha a |dem e taiharm 0 mais novo que ha no mer-
a i,3oo rs. ^q a 480 rs. a libra.
Queijos flamengos chegados no ultimo va- Aletria a 5oo rs. a libra,
por a 2,4oo rs.
dem do vapor passado a 2,2oo 2,ooo e
l,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
Doce da casca da goiaba caixoes grandes a
600 e9oo rs.
Chouricas as mais novas que ha no mercado
a 48o rs. a libra.
Chouricas mouras encommenda especial nos-
sa a 5oo re. alibra.
em calda
libra.
Cebollas a granel a 640 rs. o cento.
CanelU a mais nova
1*000 a libra.
do nosso mercado a
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
i 160 rs. a libra.
A/.cite francez clarificado a 800 rs. a garrafa
e 9*000 a caixa mm urna duzia.
Conserva* inglezas dos melhores fabricantes phosphoros de seguranca individual a 20 rs.
Alfazema o que pode haver de melhor neste
artigo a 280 rs. a fibra.
Mxed Pickles, ceblas simples, e out
j TBO re. o frasco.
a caixinha.
Papel de embrulho muito superior a 1*120
a resma.
farinha verdadeira de araruta a 500 rs. a
libra, g.irante-sea superior qualidade. yinho da Figueira, o que ha de emer a
Palitos para dentes em caixinhas douradas | 4*000 a caada.
Breo, a 320 a libnf e 8* a arroba. I Coposfinos para agua a 6*000 a duzia.
Prezunto verdadeiro de lamego
de azeite 5oo rs. a libra
Bolaxinha ingleza a mais novas que ha no
mercado a 2,ooo rs. a barriquinha cora
1 arroba, e a 24o rs. a libra.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
res.
dem em latas grandes, proprias para lunche,
com 5 a 6 libras por 2,4oo rs.
Marmelada imperial do fabricante Abreu e
outros conserveros de Lisboa a 6oo re. a
libra.
Frutas em calda de todas as qualidades a
5oors.
Ervhas francezas a 5oo rs. a lato,
dem portuguezas a 64o rs. a lata.
Massa de tomate a 64o rs. a libra.
Amendoas confitadas a 7oo re. alibra.
dem de casca mole a 28o rs. a libra,
Avelans a 2oo rs. a libra.
AGENCIA
DA
FNDICAO DE LOW-MOOR.
lina da vn/alla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um mmpleto sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos._________________
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston ra da Senzalla Nova n. 42.

&
Arroz carolino a loo re. a libra e a 2,8oo rs.
a arroba.
dem do Maranhao a 12o rs. a libra, e a
3,ooo a arroba.
Caf do Rio o mais superior que se pode de-
'sejara32o re. a libra,
dem a 28o e 3oo rs. a libra e a 8,2oo, 8,4oo
e 8,7oo re.
Velas de carnauba refinada a 32o rs. a libra,
e a lo.ooo re. a arroba.
dem de spermacete a 64o rs, a libra.
Chocolate hespanhol e francez a 9oo e l,ooo
rs. a libra.
Estrellinha e pevide muito nova a 4oo rs. a
libra, c a 2,ooo rs. a caixinha com oito
libras.
Cha perofa muito especial chegado neste ul-
timo vapor de encommenda particular
nossa a 2,8oo re. a libra.
dem huxim muito superior a 2,7oo rs. a
libra,
dem hysson a 2,56o rs. a libra.
dem hysson a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
dem preto homeopathico e muito superior a
2,ooo re. a libra.
dem nacional a 1,6oo re. a libra.
Batatas muito novas a 8o re. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e de todas as marcas, como sejam: sus-
piros, havaneiros, messeeipes, regala im-i
perial, flor das maltas, primores a 4,ooo,
3,5oo, 3,2oo, 3,000, e 2,8oo, 2,5oo,
2,ooo e i,6oo rs. a caixa.
Farfulla de mandioca.
Vende-se farinha de mandioca a melhor que exis-
ta no mercado por ser de Santa Catharina, a bor-
do do patacho Fris>a, entrado neste porto no da
11 do corrente, por menos do que em outro qual-
quer barco^. a tratar a lordo ou na ra do Amo-
rim n. 43. ... .:. ... ^_________
Assucar do Monteiro
Ra do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
a 5)5600 aarroba. ^___^_
Vende-se ou aluga-se
Vende-se um sitio na Capunga, com urna boa
casa para familia, com viveiro e tanque para ba-
nho e rio, com militas fructeiras com fructo :
quem pretender, dirija-se ao Manpuinho, casa que
faz esquina para a ru* da mizade : a tratar com
a viuva do Sr. Joao Evangelista da Costa e Silva.
NOVOS
No gratule armazem da aurora brilhante lia pi-i
jos do reino a 14400 1*600 -25 e 3*400. pre.M
de Lamego novos, inteiros, a 310 ;i libra, ipieijc
prato novo a 72U, di' manteiga a 010. e e qaaiiui
400 rs. a libra, carne do Serid al40 rs. en num-
las : no largo da.Santa Cruz n. 84.___________
Leques finos.
A toja da aurora na ra larga do Rosario v.. 38,
recebeu ricos leques de madrcpcrola, c tambem
ligas de seda, que tanto serve para senhora como
para menina*.
Capachos para sof.
Tambem recebeu bons capachos grandes para
sof, ditos de meio tamanho para porta, ditos re-
dondos para meio do sala.
Retroz da primeira sor te
Tambem recebeu rotroz azul ferrete, preto e todas as cores, da melhor qualidade que tein chc-
gado ao mercado.
Capellas para noiva.
Recebeu ricas capellas brancas finas para noiva,
e tambem boquets de differentes cores, ricos npa-
tinhos de merino bordados a seda para meninos,
e muito proprios para baptisado, assim comotanv
bem toncas de seda para o mesmo flm.________
Vende-se um carrinho d'alfandega, por preco
commodo; nos Quatro-Cantos da ra da Gloria n.
93, taberna. _________._______

Aos Srs de engenho
No caes d'Apollo armaem a. 55, de
Jos uarte das Neves, acha-se ven-
da a mais superior farinha Fontana
sendo muito recominendada as casas de
familia, as barriquinhas de 3 arrobas
e de 48 libras cada urna.
FOMTAMA* ~
Vende-se a niuit< superier farinha
de trigo marca Fontana, chegada uU-
mam ule a eseiuei'ca meias e quartos: no armazem de Joao
Quirino d'Agoilar & C-, caes d'Apol-
lo n. 53.
A o bem gosto.
Na rna Nova n. 53 se dir quem vende a melhor,
mais rica e acetada eadeirinha, propria para con-
duzir urna senhora para qualquer parte, e quem
river bom gosto nao deixar de comprar um boni
traste.
ESCRAVOS FGIDOS.
Fugio no dia 20 de agosto do corrente anuo
da cidade do Rio Formoso, a escrava Monica, que
tem os signaos seguintes: estatura regular, pr< la,
nariz afilado, olhos grandes, pOs incitados por ter
soffrido de erysipela : quera aprehndc-la podera
leva-la mesma cidade em casa de seu senhor Jo-
s Gomes Coimbra ou nesta cidade no escriptorio
da viuva do fallecido commendador Manoel Con-
nives da Silva, que ser gratificado.___________
Fugio em dias do mez de aoril do corren
anno, o escrauo Manoel, de nacao, idade de 30 an-
nos. pouco mais ou menos, com os signaos seguin-
tes: tem a perna direita torta, Irocca grando,
beicudo, sem barba e anda quasi sempre embria-
gado, foi cscravo do fallecido Joaqmm de Paula
Lopes quera o|appreleier leve-e ra da La-
deia n. W, segundo andar, quesera recompensado.
k

1 ILEGtVEL





8
Diarlo do Perra***... H*xi ||r ** de *e

LITTERATRA.
I zembro, adiaataram mais a sua peregrinacd, che-
gando a grande praia denominadaCramari-
existente abaixo da fin do igarape-Panammuc.
que desagua no grande fpor excellencia) rio Xin-
llcsiiprao das tribus seivagens que baliilan o ser- ?Mquem de suas cacboetras, e em urna distancia
15o f nmrgens do ]>aiz banliado pelo rio Xinjfl, M,n, ^?* de, "ma Wena povoacao, a que
h m ngt"a"apuaa-nde na aos preten-
den aldear os Tucunhaiwuas Domingos Antonio
re ro, existindo anda as barracas por elle man-
dadas edificar, porin em completo estado de rui-
Saoonze as frjl'us de indios Felvages que ha- "a: ena proximidadede diversas barracas de fa-
dislienom br,lcanU!sIdc borracha, dos quaes alguns tlveram
t"u a temendade de se relacionar com elles, dando-
pela maneiri segrate : lhes farinha, sal. Iouca e ferramenta, que segundo
!.' JureimasKsta tnlmconsta de 230 indios, parece muito apreciara, e recebendo delles jabu-
pouco inaisou nicmos, de ambos os sexos e eda- ,ls. rosarios fritos de denles de macaco e outros
. >eudot> maior-rarmero do sexo feminino. Sao ^'{^iac <* .
i.-i nr-mipn-n- n i**.. .a n 1861> eshwam na praia referida so dez
bacante prrguroso e ladrees, emprogando-se as, porm, do anno passado, ostivcram vintc e
monas em fazerem algumas canoas, que cha- dous : um delles (19de dezembro) fui pcssoal-
mam ubs, obligados pcia necessldade. porque ha- mcn,e ve"' couservando-nie comtudo a necessa-
SSss,"" 23-r'a-as ril0,naI cons- "^^^^0r^rz&
ti urnas as primaras lhas situadas entre as duas que nao se entenda senao por acenos. por isso qne
iiiargens.do rio. tendo as rocas na trra firme, on- fallam urna gyria de que nao liavia ali inter
retina de suas rachociras.
(Conclusad.)
is' de indios
i.ilam Dorio Xing, que senomeiam e
um estado no sentido vefdftdeiro da palavra.
Asslm, contina elle, os Estados-Unidos u5o for.
mam so paz; por que ali as fuacooes polticas to
exercidas pelos differentes estados, independentes
uns dos outros, os quaes muito justamente sao
c amados Estados-Unido*.
Eis, pois, que este grande genio prophetisou a
mortal fermentarao da discordia que hoje vemos
brotar as entranhas d'aquelle colosso, onde urna
proverbial vertigem de liberdade,nao consentindo o
constantemente affluir a vida do centro at as ex-
tremidades. E este lnsnspeito escriptor o pri-
meiro I reeonhecer a necesiidade imperiosa da
unidade poltica: portante, se quero a divisad das
funccSes, nem por isso licito que se me argua de
fraccionar o poder, que, querendo om, nao no que.
ro omnipotente.
Basta a demora inevitavel que tem o poder cen-
tral com a multiplicidade dos negocios locaes, pa-
ra incorrer a rigorosa obrigarao de abster-se de
jiuigi-wMiu no. renaoas rocas na trra firme, on- iaaui urna gyria deque nao liavia ali nterpre-
d faze snffirientcs plantaresdc mandioca e de ,e,; ?uc erani mu" exigentes e propensos ferc-
algum algodno.de que as mu.heres fiara um ex- "&nggfrwggZZgSr***"
mollente fio de que fazem redes e tangas...
Habitara as ilhaspara ovitarem as cif^taaded
outros seivagens scus inimigos, e obedecem a um
tiiehuade nome Janr.i, que foi baptisado com o
nome de Jos, pelo ex-missionario Torquato Anto-
nio de Souza. Seus costnmes e crenras sao geral-
ineute os de todas as tribus de indios pacficos,
usando o ano de flechas, e atirando muito sufli-
cientemente com espingarda. Seu physico o da
mea tupy genuina.
2. Tucunhapeuas.Esta Irib constava. ainda
ha bem poucos annos. de um grande numero de
individuos de ambos os sexos, sendo egualmente
maior o eminino, c habitavam em nm pittoresco
valle, situado as cabeceiras do rio Igarap Srry,
que desagua no grande no; porm constanteme-
te perseguidos em seu pacifico domicilio pelas hor-
da- de Mlros seivagens, que lhes faziam guerra
para os roubar c exterminar, e aconselhados a
procuraren! um asylo mais seguro, cniigraram em
numero de quatrocentos e tantos, nao querendo
mu i tos delles, abandonarem seus lares, c vieram
aroiiipanhados do seus chefes ou tuebaua de nome
Macando, e que tambera fura baptisado cora o no-
me de nntonio, cs!abelecer-sc em urna das gran-
des ilhasdo rio, fazendo as suas rocas na trra fir-
me, que com os jurunnas, planiam de mandioca c
algotlo, porm, eom mais prove to, porque sendo
de natureza riis laboriosa, sao mais industriaes e
probos.
.'este lugar, existe urna mal construida ermida
m quasl latal abandono, que foi edificada no tem-
p i em que serviu de director dos indios o finado
i Jalo (andido de Gusmiio Borralho. Os que ali
residen pcrttnceutcs a esta tribu, acham-se re-
ducidos a pouco mais de cen individuos, por te-
rem sido dizimados por diversas enfermidades.
como febres intermitentes e cholera sporadico etc.
S 'lis usos, eostunies e crencas sao os raesmos que
o dos jurunnas. sendo em seu pbysico mais agra-
dareis, poi< que niufos delles sao altos, de cor
.-lara e olhos azues.
i* Yuaieepoias.Esta tribu, rompost pouco
Otis de qnarenta individuos, habita separada em
quatro barracas, situadas as lhas que existem
entre as margenado j citado rio ou garape
Sriry. Tem os mesmos costumes e vozes dos ju-
runnas. sendo inda mais indolentcs'e feios. cten-
do muito terror as armas de fugo. Obedecem ao
tuchoa Denme, baptisado tambem com o nome
de Andr.
'..' l'rupaias.Esta tribu numerosa, e ainda
que parifica, comtudo desconfiada dos individuos
de qualquer otitra rara ou tribu.
Tem em geral os mesmos usos e costnmes dos
Tucunhapeuas, com a diffcrenr,a de lerem tambem
grande tenor as armas de fogo : fazem permuta
com estes, nica tribu com quem vivera em rela-
ile amizade o allianra, de suas canoas, fio, al-
godao, rdesc galfinhas por a velorios e ferramen-
ta.-. que os incunbapenas adquiremeom os mes-
ii' is cffeitos, pon'-m. mais bem reputados. Habi
tam as ultimas Ibas, de que ha noticia, e obede-
cem a tira luchua de nome Yuacu, nao baptisa-
do. c sao tambem de l i presenca e lionila cor.
3." C.uriaias.Esla tubu. tambem numerosa,
sujeita a um tuchoa, Ib, nao baptisado,' bas-
tante indonavcl. c s com molla prreaucao os tu-
ciinhapenas. a mais parifica e afilada das tribus,
n.antm com elles relacoes, nao milito seguras.
tendo comtudo os mesmos uso? e eosfumes, que
os arnpaias. rom a dilerenca de nao terem ca-
noas, porque habitara em malocas situadas no in-
terior do paz. a urna grande distancia damargem-
rio, a que n cciam aproximar-se, oquearonte-
por urna outra qnah|uer
Sao de formoso aspecto, de cor (juasi branca, e
muilus de olhos azues, tanto homens como mulhe-
res, e quasi todos lem o cabello rastanho claro, as
mullieres em grandes penteados trancas, e os ho-
mens cortado rente, tendo muitos delles um finis-
simo e espesso bigode. Contei 2.) individuos de
arabos os sexos, entre adultos e cranlas, haven-
do ainda muitos mais que naoccasiao seaetiavam
internados na floresta.
Ambos os sexos estavam em completo estalo de
nudez... Ornam-se tao somenfo a alguns de maior
edade com una especie de grinalda multicolorfei-
la de pennas, e todos em geral, com rollas e bra-
celetes de denles de animaes.
Durante ambas as vezes em que estireram na
j referida praia at o dia 22 de dezembro, ne>
nhuraa demonstrado deram de ms ihtencoes-
contra os que os risitaram, antes, pelo contrario,
buscarara attrahi-los ; porm nesse dia provaram
as bem fundadas suspeitas, que se tinha de sua
maldade, descarregando de improviso urna nu-
veni de flechas sobre os tripolantes de urna monta-
ra c de urna igarit que lendo de passar por ali,
portaram por curiosidade, fiados em anteriores
exemplos, resultando a mortc instantnea de um
dos tripolantes da igarit, que era um indgena da
tribu jurunna, cuja presenca, e de mais um ou-
Iro da mesma tribuquerera muitos attribuir o mo-
tivo da sua inesperada aggressao, noque eu de al-
guma forma tambem creio, porque os jurunnas
sao scus inimigos capilacs : alm do que parecen,
foram gravemente foridos mais cinco dos tripo-
lantes, que eram tambem ladinos e que felizmente
se restabeleceram tendo-se milagrosamente salva-
do e os mais nao feridos, acobertados com a iga-
rit e montara, em que s puderam reembarcar,
levando-as a nado a distancia da praia, onde nao
chegayam os tiros de flecha, cujo numero de as-
teas, juntas depois, fra as que se extraviaram,
foi de quatrocentos e noventa c urna ; no enlamo
elles conlinuaram a permanecer ali at o dia 28
do mesmo mez, em que se ausentaram pelo mesmo
trilho que os liavia conduzido, havendo noticias
em dias de Janeiro seguinte, que tinham feilo pa-
rada em urna pona de trra cima das cachoei-
ras, donde se retiraram poucos dias depois, igno-
rndole o raminho que levaram.Joo Torquato
GahSo Vinhas.
(Do Diario do Rio.)
prumo salvador de um s architecto, cortou ipso | tratar delles. Mas infelizmente o mal da centrah-
factoa possibilidade de conter as pedras solas do {sagao administrativa nao para aqui, vae multo mais
edificio que vae-se desmoronando! E quando o longo ; e, como observa o sabio Sr. Coque! in, o
mondo inteiro j se espantara de lo rpido eres-! que ha talvez de peior o estado de torpor que a
cimento, els que a trra tmmensa vae confessando centralisacao administrativa reduz o espirito das
pouco poucoque nao pode reprimir scusinimigos provincias e de muitos homens dedicados quencf-
internos, e que, mais larde ou mais cedo, a decen- las se encontrar/!; porque estes, conscios de sua
tralisacao absoluta far dos Estados-Unidos urna' inutildade, vendo que o poder central nada lhes
rerdadeira antiphrase desempenhada nos mappas' permute fazer de melhoramentos, nem pensara nes-
geograpliicos. E' a eentralisacao pofrica o nico' les melhoramentos : e, omito, eis ah, no pensar de
meio capaz de conter a fntegridade do estado ; e, Blacstone, nm dos malores crmes d lesa-socieda-
nesla parte, M. de CorMenin tem razao fmando diz \ geo indifrerentismo.
que os imperios se dissolvem pela decentralsa^o:
pelas circumstancias da forra; mas afinal a forra
bruta e oppressora ceder necessariamente forca
das justas contas pedida pela nacao inteira 1 e,
entao, ai do poder t porque um dia os opprimidos
todos, que sSo a maioria do pal, ser3o impeldos
pela necessidade e recobraraopor bem ou por
mal recobrarao a soberana Nao t a forca que
conserra o soberano sobre o throno; por que o fa-
tal proverbio diz muito judiciosamente tudo se
pode fazer com as bayoneta menos assentar-so so-
bre ellas. A moderacao produz a solida, e a arma
da violencia estraga a propria mo que dea se
serve.
Para melhor fixar meu pensamento sera conve-
niente raira-Io no prisma de alguns exemplos.
A historia moderna nos diz eloquentemente que
a Franga o paiz onde o poder supremo1 est mais
arriscado; c porque? porque Pars a cabera e as
provincias nao sao senao os ps da Franca ; por-
que, vista da centralisacao que Pars exerce so-
bre as provincias, a revoloeao, senhora de-Pars,
estara senhora da Franca : e, entao, na espectfetiva
do grande lucro, emprega contra' Pars muito mais
esforco di> que empregaria contra qualquer ontra
corte, onde sen triumpho seria milh'ieado pela
reaccao das provincias. Analysand-o proprio ge-
vernode Paris nos vemos que o imperador exerce"
ali urna aulordde verdadeiramente omnipotente, e-
que o resto do pessoal de governo curva-se docil-
JuZ' C d Patriotismo- 0u> f* em duas pa- mente scus caprichos Pois bem : sabis o que
caoCluic^ ^Z elenco me 2l T ^ e0m Hnrioa de """J- ,0rMr 0S cidadSos iesU,,a d'ahi 7 ^"Ia 1 i"ipcrador francez o
cao-polilicu csse flo eleetnco, que. nns cnses aper- estranhos todos os melhoramentos
tadas, tem reit bater n'nm
palnvras estas que parecer predestinadas ***-1 Jj?^*!*"? Cce**t ",afOT ^a'"daded6
L americana. A centralismo da Franca L M.' TZ S ^ ado(rrsivo- ali-^
, .. .... ^*' uu de fado o convida a ser um me ador activo Ac
Lefeirre, e osystema politieo o mais eficaz-e o plaua-0
Ap>
Sis-
. sincerameate justa aecusacao i
raais poderoso para-fazer a forca do pa,z,comtato. .dl. quando dizque a centrallsaclo moderna
que este systema pare nos seas Iranes naturaes- e' tem feit0, desapparecn- das proviacias tudo o que
legitime* Na verdade, se a Franca o prodigio linha 0 cmho da menigencia, dp vigor, da grande-
do mundo, se sua historia um verdadeiro poc^ An n.-,frf,iSmo n *Z .L JL- -
so momento o coraco jiirito publico,
de todos os Francezes. E esta obra eomerada em Benjamn Constan! disse muito jndfclosamen-
Fehppe Augneto e terramada pela ronvencao foi te_0 patriotismo que nasce- das localidades hoje
que dea a Franca o verdadero carcter de unida- sobretodo, o nico patriotismo verdadeiro:
de e forca.
N'ama palada, cen.ral*cio poltica para o' Sf1'!^ 0-EdWT?L ^ZO?*
esudo.oqueoestcmagoparlocorpodo^em, Tn^ fg m *fc,.,rt*0 a ^^m
cerno disse o grande Lafontai, na sua Z^ I ^ P : a,ndaa6S,m' a -H?"^ "S *"*"
sa aUegona com unto que, por bem doSrpo e jQUC' !T penSa 'B** <**>*, basta el a ex-
mesrao do proprio estomago, zo se prol3as B'r .nS hmCm aSTahdade *ST **'^
indigestos Sira-. para harranidado ZZ fBn.,0'l*rm scrP8nosa : "*" ^
, u"iuub pot.ita o tinua e)le c pj,,. ensegUmle as ]eis e as ,6t mi-
preciso que todos es elementos, de um estado Ihe, 5cs ^ pdem cont com as aptidoes regalares e
prestem sea cont.ngente de for, e de obedie*ia: n3o ^ os prodigios. Querer* fortificar pader?
o aortem-un/wr!- do estadoao-rive peta r- mas efciae e v08.pergunte co Lefebvre : per-
me adhesao do que -verso- no une -or-, ventura fortificar o poder o-tornar sua ssao
como explica o grande Donoso Cartez, esse pM(o-
- monarcha, do mundo, cuja vida c cuja pessoa est
mar arriscada aos golpes o socialismo- poltico i
porque este comprehende ben (sem ter tecessida-
dc d mnita perspicacia) que estara senher de Pa-
ris, desd que estiver senhor da vida do imperador,
c estar senhor da Franca desdo jue estivo* senhor
de Paris. Entretanto que, no outros paiaes, a
raorte pessoal doreirjoasi nada intaindo, neritum
revolucionario tem mCeressc nellay c por iss nem
della se lembra.
sopho de iininortal rome. Longe, portanto.de
haver inconvenientes nesta centralisacao, en jol-
go-a tao vantajosa, que a considero a condicab
sine na non da verdadeira forca' e grandesa-tle
qualquer paiz.
A centralisacao administrativa i, porm, urna
quotidianamente mais complicada mais onerosa'*'
porventura fortificar o poder o arma-lo cora urna
mnltidode attrilxiicoes e de direitos tanto> ma
arbitrarios quantoaiads minucroooa ?f
A mesaaa distancia do poder central, qne est
sempre longe da circomferencia do paz, a faltade
Este argumento universal e applieavcl todas
as qucstSe: porque on todas as questoes o ir.atr
adversari sempre o-alvo dos nttaoai c mar re-
petidos golpes : -Oj. pedindo venia pelfc digressao, eo
pergaatarei: porque t-qqe S. Thomaz, na soere-j grado.
dade d egreja, tao guerreado pjles impos?' Este U30existe" aiada na Italia, onde v-se
por ser o mais solido baluarte na grande legiao de! as madonas, junto a& juaes uma-mao piedosa- e-
seus oeutores! e porqo' S. Thoma? mereceu d
interesses oppostos que se{)aram os dous extremos
E mais: um fado constante que o respeito pa
ra com as localidades e a abstinencia de usurpar]
seus recursos o germen da grandeza deltas ; na
do
rendo por qualquer rircurastancia involuntaria, os
deixa aterrados.
i i.' Peopaias.Esta tribu pouco numerosa e
de horrendo aspecto. Habita tambem muito in-
teriormente, porm, em direccao opposta aos cu-
riaias, ainda que na mesma lea que a que fi-
ca na putto occidental doria Xjp mantm rela-
coes pacificas com nenliuma das Iribus, e s bos-
nio se encontrara. Sao antropophagos.
7. Tau-Tapuiar.Esta tribu de pequea es-
tatura c de cor ainarello escuro, como o tau de
que llie provm o nome, composla de um pe-
queo numero de seivagens, enjos verdaderos eos-
ignora, sabendo-se so que habita a mes-
ma trra que es peopaias, e que como estes sao
tambem antropophagos.
8.* Tapuiu-erel.Esta tribu, tambem pouco
numerosa, habita o paiz da parte oriental; de
estatura muito alta c de cor trgueira, e lem o
roslo a meio pintado de prclo.
Sao autropophagos, e em lugar do redes ou pel-
los de animaes de que. usam a maior parte de tri-
bus, reponsa dentro de urna especie de balaio.
9.* Carajas-miris.Esta tribu, em muito peque-
no numero, habita a mesma tena que os tapuiu-
erct; de estatura muito baixae ventre volumo-
so, descansa sobre ramos c folhas reunidas, sem
industria alguma, e alimenta-sc somentc de frur-
tas agrestes, mandioca cra e barro creo. Sao
indolentes e estupidos no maior gru possivel.
10. Garajas-puscus.Esta tribu de seivagens no-
li, ades e anlropopbagos, comquanto tenham sem-
pre apparecdo, quando raramente sao vistos, na
torra j de la da parte,oriental, julga-se nao seren
habitantes naturaes, quero dizer oriundos daquel-
le continente, porque apenas apparecem em um
grupo de quatro a seis, isto de dous e tres ca-
saes. Sao de agigantada estatura, de cor negra,
como a do carafuz, cabera c nariz chatos, usando
por nico ornamento grandes pennas atravessadas
as orelhas, e em lugar de arco e flechas, com as
mais tribus, nsam de pesadas macas. Sao ferozes
o mais que possivel, c sua apparirao causa gran-
de terror, porque s o estampido d armas de fo-
go os amedrenta e afugenla, sendo invulneraveis
aos tiros de Hecha, das quaes se defendem mara-
villosamente por um jogo da maca dextramente
executado, tendo a pericia de atacarem s quando
observam os inimigos em confusao.
i!fi<5im craneo de um destes seivagens, morto
em 1846 por alguns tiros de espingardas, guar-
(laaonahabnacaodo chefe dos jurunnas, como
r, !a"nf mcmona de "m grande feito, o qual
realmente de urna superior dimenso regular.
i,mLm!Ias'T sta numerosa tribu de seivagens,
n^hino^ndes' aP",1are',cupelaprmeira vez, do
que ha noticias naquelles lugares haver do/e an-
a^raKm'/ T08' ^3e Sl^uasi
todos por ali tem feito suas excursoes d-indo-v a
singular circumstancia de terem sS'semSe ini
raigos dos jurunnas edasmas tribus, eTataves
com tucunhapeuas, ainda que da parte destes
empregada a prudente cautela de s7 prevn ?em
contra qualquer aggressao, afflrmando as primea
ras que sao antropophagos, e muito tracoeiras em
quanto que os Tucunhapeuas negara esu paSiSE
landade, fundados, talvez, as amigavels relacSes
que entre elles tem havido. rria^oes
Nestes dous ltimos annos, pelos mezes de de-
Uirelto admlaistratfTO.
ACENTRALISAgXO ESEUS EFFErFOS.
O facto, pelo qual se concreta no soberane de
qualquer paiz todas as funecoes tendentes con-
servaciio o progresso geral deste paiz, chama-se
centralisacao poltica. Pelo substantivo centrali-
sarao bem se comprehende que fica sendo o sobe-
rano o centro, que se faz sentir c obedecer por
meio de agentes inteiramentc subordinados seus
decretos. E pelo adjeclvo poltica bem se devia
entrever qual a natureza das attrihuieocs, que esta
centralisacao abrange; por que s pode entrar
nesta qualificaojio aquellas medidas de um inte-
resse universal para o estado.
Consiste, pois, a centralisacao poltica em poder
o soberano manter a unidade do estado, em fazer,
promulgar, e execular leis geraes, cobrar impos-
to?, que sirvam de segurar o estado no seu todo,
em conservar a forca publica, e finalmente em
dirigir tudo o que geral, universal c collectivo
era todo o estado. Tal por exemplo, a somma
das attribuicoes que na Inglaterra, tere amigamen-
te a cmara dos lords, e tem hoje a cmara dos
coinmuns.
Se a esta "concentracao de forcas geraes, se a
esta reunio de atlribuicocs de iuteresse maior se
accrcsccnta a reuniao, de todas as outras fuuccocs
da soberana, as mos do poder geral; a esta
segunda reuniao, a esta excrescencia de' poder
que se chama centralisarao administrativa. A
centralisacao administrativa qtir dizer, pois, a
concentracao de toda arcao social, sobre a reli-
giao, o cnsino, a justicia, a guerra, as financas, o
commercio, o governo das provincias e dos mu-
nicipios, as mos do poder central, cuja accao se
derrama por lodos os ngulos do estado por meio
de scus delegados sempre doces ao spro de seus
acenos: delegados estes que nao tem, do modo
nenlium, urna personalidade poltica ; taes erara,
por exemplo : os procnsules entre os Romanos, e
taes sao hoje : os mandarras na China, os pachas
na Turqua, e os governadores na Russia.
centralisarao administrativa pode mesmo ser
tao furiosa, que, alm das provincias e dos muni-
cipios, ella passe tambera ao governo domestico e
propriedade particular tal na Franca a inter-
venco do governo sobre alguns negocios ntimos
do poder paterno, sobre as fabricas de productos
chimicos; a inspeceo das sociedades anonymas,
a concessao do exequtur para as proflssoes de
advogado, corrector.e muitos outros empregos, que
o poder central conserva debaixo de urna rigorosa
tutela.
As duas especies de centralisacao tem de com-
mum esta propriedade'. que ambas fazem conver-
gir liara um centro a somma geral de todas as fune-
coes.
Divirgem, porm, quanto a natureza destas func-
roes ; porque na centralisarao poltica s se jun-1 deza de um homem, mas nunca a felcidade de um
t am as maos do poder central as funegocs de; Pv0
um carcter todo poltico, geral, universal, e col- Senhores centralisadores, figurae-me um navio
erdadera usura era augmento da centralisarao exac,as "6^0^' afal,a "eproea dos peqm-
poltica, da qual aquella nao senao o excesse, nos "f^109'a h]u "eresse pelo bem das-le-
sempre desvantajoso- e sempre nocivo, como de- "< tudo, tudo e um accordo unanime-pora
raonstrarei pelos sueeessiros argumentos qne te a
firmado meu juizo contrario respeito della.
A bondade de Deas, dizia S. Thomaz de Aqaiao,
e expansiva c diffusiva por si mesmo; e por isso
que elle tem queridoque todas as suas crcaturas,
trama
Mas atrai surgir, talvez, alguma censura, qne
os ultra-monarchistas me possam dirigir pertjae-
rer eu limitar as atrribnicoes do-poder central: J
sb differentes gras, se parecessem.com elle, nao i,erao *** me-taoa de ante-raonarchisla ;*, por
s na maoeira de ser, mas tamben na, maneira de ,anl0' V0B mudar d"J"io, e mostrar que c-mesmo
obrar : pois bem, diz-o. grande Vcrtura, por isso Pr que Dcus tem derramado pelo universo innmeras a ceutraliacao adaiinistratva.
causas secundarias, que, sendo obras de Deus,, v- /.___ ... .
nao fossem por sso, menos os verdadeiros artistas i >a0 su'screvo a these dos soetalistas pollto^s
de suas proprias obras. Assim, contina elle, O re reina e no. aorerna, these absurda c Iouca
Dcus, causa infinita e primeira, e as creaturas, que o sabio Valdegamas cbamou beUa-atentc o
causas secundarias; Deus. espargindo sua bonda- desmo poltico. Pelo contrario, para mim o re
de, e as causas secundarias, aprovcitando-se deste _. .
privilegio de ser causas de outros effoitos, que sao reina e govornaj mas nao administra, isto nao
para ellas, o que ellas sao para Deus -, eis-aqnbo deve administrar: primeiramente por amor das
todo dos seres existentes, eis-aqui suas relacoes existencias locaes e dos direitos inviolaveis de seus
esscncaes eis-aqui sua variedade na unidade, e subditos, e, depois, raesrao por amor de soa nrooria
sua unidade na vanedade, que constituem a or- ...,...___'. 1.. ^. propria
existencia, como irei desenvolvendo.
Ja vimos que a privacV. da vida local
e urna
dem, a bellesa, e as harmonas do universo. Ora:,
a sociedade, prosegue ainda a immortal pennay
que escreveu opoder poltico-- a sociedade V
um universo pequeo, e, entao, para ser conorf grdnde At^n^ Para os Ps : pojs-bem: eu ra-
me ao pensamento divino, deve encerrar : o, so/ pregarei aqui o insigne pensamento. do Sr. cons-
berano, cwno causa primeira obrando na ordejm lheiro. Bastos:nao ha governo feliz presidnda
geral, as provincias eos municipios, como cajrfsas povos dosgracados. A desgraca d* hoje odcna
segundas obrando no interesse secundan, 'tual- ,.j0 1rn,ar n j^.A__\__. -
mineos elTeitos destas duas especies d ^sas. ^^ade-trazer o desespero de amanliaa, eatre-
Sim l Ventura tem razao, e milit razao nera.A *ai<> Que nao lia desespero possivel no paiz hrte e
sociedade poltica, nema domestica, nem a re- fcem governado : e Rousseau, que, apezar de impo
ligiosa, devem abolir as causas secundarias; por- ttjnha muita cousa aproveitavel dizia no sea-ron'
que estaabolirao contraria ao pensamento da 7 ftmnavu, amano seaCon-
sociedade universal. S o pensamento de Deus Tat0 Socialpovoae com egualdade o territorio, es-
gra a liberdade, vbi spiritus Dommi, >bi Mo> Ifendei nellc por toda a parte os raesme direitos,
ti, dizia,S. Paulo. /derramae nelle por toda a parte a abundancia o
A rastituico de causas seimdarias e anda(vid .,. ^u"UUB,lua
era todas as sociedades-um penhor de umaoentre P~* cft1^ t0rap ma,s
o poder supremo e o subdita: o dissipador natu- /Ior,c e mais bemgovernado.-Est raesmo no ra-
ral das collises c dos choques perigosos entre os J teresse dos res o abster-se de inlervir, por meio
da administraco inquisitorial, na economa das
localidades, e o re que tiver a prudencia desra abs-
tencao, estar mais seguro no throno ; pois na
Franca,o modelo do mundo,as grandes cidades \ phrase anda de Ventura, a segu-anea a liberda-
de Lyo, Marscllia, Montpellier, por exemplo nao de dos KiS cmo Iiberdadc d ;egurnPa dos
attingiran a tanta grandeza senao por causa do I Qs ^6,ii.uu5
grandeza
laisser faireque lhes deixavam as velhas ins-/
tituicoes que tenham tanto de livres quanto tem dc>
opprcssras as instituicSes coevas da revoluro, ,'
que fez dizer "
, pois, para nao ser athu poltico que eu nao
a madama de Staela liberdade o, quero este pantheismo poltico; porque, se a ultima
antiga c o despotismo moderno. De feito o dc> ,,... t .
sejo excessivo de querer melhorar tudo, traz sen}- la|avia uo pantheismo e o atheismo, a coroa da
pre o seu correctivo lgico, a oppressao de tudo. centralisacao administrativa a fusao do poder nos
Declame embora Mr. de Cormenin que nao con- subd.i,os> e> Pr conseguinte, a negaco do poder
1 poltico,
vm dividir para reinar, que nao convm desligar, Prosigamos do observac5o em obscrw3dt
e espalhar as haOfSes do poder, nem orgajwsar Um facto rrecusavel da historia contempornea a
centros fra do centro, estados no estado, njrtn von-' multidao de sociedades serretas deste secuto, e ao
tades locaes contra a rontade nacional : [ se com, mesmo tempo nos paizes mais centralisados : e
estas derlamagoes elle quer impedir a ruptura do porque ? porque s os poderes locaes, em contacto
poder poltico, eu lhe bato palmas porm se seu! com os pequeos thealros de administraco. e ten-
monarchismo se lembra de sugar toda a substan- (do um interesse directo na existencia da ordem
cia das localidades, se seu fervor tao zeloso que parcial, pdem atlingir estes clubs tenebrosos, in-
ventados para substituir as reunioes publicas, que
rae ceutralisar tudo ; cnto, nao, mil vezes nao
O poder supremo deve proteger sempre Os interes-
ses dos diversos elementos do estado ymas nao de-
genera nunca esta proteceao n'uma Qsurpaejio da
o poder centralisador n3o pode supportar.
Anda mais : o poder supremo, ainda mesmo
suppondo-o impeecavel, tendo a immensa tarefa
lectivo ; e na centralisacao administrativa se ag-
glomeram em torno do soberano todas as funcroes
forra vital das localidades -.divide1 et impera, j de vigiar seus innmeros delegados, de preencher
eis-aqui a rerdadeira norma do poder que vem de as vagas destes, de activar milhares de negocios
Deus. j nao peder nunca evitar e desviar desta complca-
A concentracao de todas as forjas no poder, diz da machina a fraude, o arbitrio c a intriga de seus
o Sr. Tocqueville, pode ter muila energa cm tal aBentes I e> enla. ei-Io todos os dias o artista in-
occasiao; mas esta energa demasiada impede a nte de milhares de njnsticas, do cujo odio
reproduccao destas forjas: ella pode servir gran- cll alv0 directo; porque a revolujao ter por si
esta capciosa interpellacaovos podis tudo ; por
tanto responde-me por tudo :e a revolujao ter
razao ; porque o poder Ilimitado e responsabilida-
de absoluta sao ideas correlativas, ferrosamente
correlativas.
soprado fortemente por ventos de todos os lados, e
a mesma forca impetuosa dos ventos ser a ruina
governativas, ainda mesmo aquellas TunccAes, que ou, pelo menos, a confusao dos nautas | figurae-mc Uepois a impotencia pessoal do soberano cres-
tendem a se afastar do governo, e que s indirecta um vento s, dirigido fortemente, eis o navio do- cendo sempre diante da multidao dos negocios
e remotamente devem depender deste, sb pena minando as ondas! Queris a unidade nacional ? vae nullificando sua autoridade real e augmentan'
de pesar muito vexamc sobro^as diversas partes, tambera eu : masipermitti que vos interrogue com do sua autoridade apparente ; o soberano, nao po-
componeates do grande todo chamado -Nacao.-' Bcchard ; o que ha de com mura entre a unidade deudo fazer tudo vae delegando personaos de
Diffcrem, por conseguinte, estas duas maneiras I poltica e a omnipotencia ministerial?! Ao pen- sua creajo todas a funecoes que excedercm o
da centralisacao, como a hierarqua, da oppressao; smente de Bechard cu acrescentarei : a unidade seu alcance ; e crescendo naturalmente o numero
como a graduacao regular, do salto que produz a poltica o vento uraco dingindo a nu do eslado; destas personagens na razao directa do numero
queda ; e como a abundancia do excesso. Urna [ a omnipotencia ministerial a tempestado poltica das attribuicoes, vem o poder central a ficar-em
no corpo social, o coracao que recolhe metade do que, quando nao tenha um lm trgico produz ne- ultima analvsesem fazer nada : isto nada
sangue para melhor fazer circular a outra metade! cessariamentc o impecilho do progresso I | excepco do immenso mal que os outros fazem em
pelas arteras vivificantes; outra a molestia cor- Sim : o poder central deve abster-se de tocar na' nomc dfce; e, ainda urna vez, segundo a bella cor-
rosiva que oppnme o coracao com todo o sangue, qu||0 que n5o precisa antes repelle sua inter- ParacSo de Ventura, bera como o avarento cerca-
e mata o corpo duas vezes; porque mata pelas Vengio para existir c progredir. Em vio se objec-! do de immensas riquezas, que nao goza' morre
emflm estrangulado de privaras ; assim o sobera-
no, cercado de immensa autoridade, que alias nao
convulsoes do coraco, e mata com a paralysia do tara, diz Dunoyer, em vao se objectara com o elas-
resto do organismo, todo exange. | terio da palavrainteresse geral; por que um
Devo, porm, decompr o sentido figurado, para dos maiores elementos do interesse publico o exerce, suecumbe falta de autoridade
melhor me fazer comprehender mostrando que na respeito dos direitos de todos. E, como disse o ba- o poder centralisador pode alirumas vezes retar-
centrallsacao poltica esta a vida da sociedade ena rao Degerando, se se teme o espirito das localida- dar sua queda por alguns temos romo n fezannel-
centralisacao administrativa est a raorte desta : des, mais temores deve causar aquilloque vago e je despota que dizia _0 estadVsoTen -esselu-
e desta argumentacao que farei o nneleo do pre- indefinido torca de ser geral.
sent trabalho. Nao se me acense de contradictorio : quando rc-
0 sapientissimo Sr. padre Ventura, no seu ira- clamo a autonoma das localidades sempre na-
mortal poder publico, disse muito bellamente no quillo que nao fere a unidade nacional. Bem uni-
estado, onde as funecoes geraes nao dependem do tario-politico o liberal ardente Julio Simn : que
VaSicano01, ^^ M ?a,eriai do Pa,acio Pilti e do'
nSj^t>S^m os cur,09OS Dianuscriptos. O ar-
,il^ aexnava *M ruinM..... Porera, quando
traale de Pompea, sao precisos alguns estudos
preliminares; se quer-se "colber iodos os frucio
da Tinta qne se deve fazer a esta especie de cidade
romana do tempo dos Cesares.
A cidade dos morios, orno a denomina um noe-
tamgle, esteve sepultada em bailodcinzTs^-
berta e nao arromada. '
Ella conservoo-se como embahanrada em um
sarcophago para servir de estado em futuros tem-
Ao visitar-se Pompea pela primeira vez sente-se
urna einojao, que nao pode ser comparada eno
a que sente-se ao visitar-se urna casa, que acaba
de ser abandonada porsens habitante.
Essa romas que nao deveriam ter o nome de
ruinas, pois ludo acha-se afc conservado e brilhan-
te, esses restos inspiram um interesse, qne cresee
a cada urna das numerosas- descobertas que ah
se faz.
Sem trabaRio pde-se seguir vida particutardos
Romanos. Procuremos pois. estudar seus eosumes
e us9s.
Estamos no rcinndo de Tita, quando eslava ento
o poder romano em seu apogeu, e oluxocoratodeo
explendor.
As roas de Pompea achavam-sr embellezada?
com calradas, que nos jalgamos ter inventado. A
largura das mesmas1 dfeixa dous carros- irem a par;
0 vestigio das rodas gravado sobre a dura pedra
mostram inao frequente era a passagem de car-
ros.
Em certa logares das ras encontranMe altas
pedras, quedeviara servir para montarse cotnmo-
ctamenfe owallo.
Tambem existem pelo meto das ras, calcadas
Trwis altas deque as outra; convenientemente dis-
tantes, sem cin tudo inpedrem o transito dos
carros.
fosas calcada serviara em-occasio de borras-
cas-para atraveasar-se de um- lado a outro da ra
sem molhar-se.
Nada do que eommodo e agrada ve I era ahres-
queeid, e nos podoriamos vialudo Pompea tomar
1 i Ces de civilisarjo.
Emcada ngulo de ra acha-se uno elegante-ona-
fanz ornado este de urna Minerva, aquello demn
touro, aqncll'ouirc de um Jpiter.
I'rovs^velmente a>< figura repwseolada sobre-
chafariz/dava seu nerae, a ra en qae eslava col-
locada.
Distante nns dos outros v-se altares esculpidos
em pedra-aformoscados de insignias e baixos rele-
vos, ind^aaido aquelidade dos saeriflrios que de
va-se oBerecer ap Deus ao qual c- altar era conea>
Luthere esta palavras memora veis 'tile Thomam/
et ecchsim imipabo!
Porlanto, raonarchistasj qjaereis ter un rei sen>
pre saoe salvo? segu eoonselho de Frrier c Dan-
jon desinteressae a revolurao
desconhecida depoe toda* as manhaas Sores, fruo-
tas e mesmolegumes.
Pereorra9e com adrairacao o magaiSco cemiiE'
rio, e de admirar sobre ludo entre- esses bellos
monumento funreos- o- tmulo drSaarus, nota-
rel pelos baixos rcleve*de que ornad, e que re-
presntam combates de gladiadores-, e o mausolu
! da sacerdot Mamia, collocado um pouco atraz da
i Bnha em que acham-se os-outros e asompanhado de
Assimv poe, longe de serew os centrasaisadores Un ,,anco setm-orbicultu', exedra, (21/ que perten-
os monarchls^ sao cites : oa os hypxeritas que i ^^^U^^*i tZ
amontoam o poder para melhor derriba-lo; on entao pole.
os cegos qnc-iMO vem ograade mal, que- a centra- Segundo c sabios qpe- escreverara a rrspeito da
Pompea, essa cidade oiferecia a vista am quad
quadro
30 minia tur-i Era urna oidade de lecreio, onde vrabam lodo
repousar-se dos trabamos e prazere ruidosos da
capital do mando.
Pompea rounia ao ebeito ambite de seus mu>
poanm fragmento de tedooos objecleade luxo, qus
a.fortuna e o poder podiaa alcancar.
Via-e um modelo de todo o imperio-em scus pa-
iaaios, era saa praca publica, em sens templos,
om seu thca.m. cm m- circo, em seos banhosote.
Comquanto os banhos pblicos fossem institoi-
Pars as revokicoes de 1789 e 1830 teriaia degene- dos mais para os pobres do que para os ricos, que
rodo em guerra civil. Nada disto exacto, prose- 'mham banhes em suas-proprias casas, elles toru-
gae o imrajnente publicia,a verdade esta : sem "m1f um luar1-do coBversajao para airameasi-
n- a '____..; '. dade de pessoas de todas as classes, oode esse povo
Pars, desptico e centralisador, as revokicoes de [ liviano podia entregar** nteiraraaie a seufi-cos-
1789,1830 e 1848, nao teriam rompido. Se os 30' tomes indolentes.
millioes de Francezes das provincias tivessem goza-1 0s banhos de Pompea variavara- dos thcraias-de
do da pleuitude de seus- direitos civis, polticos e l^rKoer iTdff^noTr^ Kra
administrativos, elles teriara muito bem .sabido for- roda dos poaticos haviam banco>oude vinhorse dis-
lisaclo administrativa ten feito aos res e- o grande
numero de vezes, que ella wn comproneettdo a
causa delles.
Os falsos monarchista, engaados oitenganado-
res, dzem muito loquazesque necessario dar for-
ja vagoveracentral paroste poder centw as re-
volages! Al I seja-me lioto apresentar-agora um
argumento irrespondvet, isto, copiar algumas li-
nhas do insigne Lefebvre : insistem, diz elle: sem
Car a mo do poder, sem violencia e sem revolu-
Cao. As reformas, que estavam as. necessidades
dos costumes e da ctvilisaeao, elles as-teriam obtido
todas por esta for^a invencivel da opiniao publica.
E esta proposicao -sobretudo incoatestavel he je,
depois da grande oonquista do suffagio eleitoral!
cutir sobre os negocios publiccs-c particuiEtres.
Era ali que iiam-se os innmeros annaueos de
espectculos, jagos e vendas que estavam. pintados
ou inscriptos pelos muros.
I'ai a tomar niu banho penatrava-se grimeiro no
apoditerium, que servia de sali de renouso antA
(lo l.:inlii.
do banhov
O tocto, branca era cercado de urna aorniia orna-
Sim! Lefebvre-tem toda a razia a centrahsa-, da de pinturas grotescas proprias a aiugrat^ espi-
cao furiosa foi o. germen destas revoluroes : 1789 rito,
foi obra de Luiz XIV 1813 o fructo dos delirios (' (hri01 era hcrU> de mosaicos.
velrsmo de Carlos X; e 1848 o castigo di ambi-' nbo quentc.
cao de Guizct, essa cabera imraensa vergada ao ju
go da ceguetra l Foram estes ambiciosos as verda-
deras causas destes escndalos naconaes. foram
O tepidarium tinha um tocto magnifico, paredes
pintados de encarnado^ e urna calgada de mosaicos
de differentes cores.
D'ahi passava-se ao sudalorium ou caldarium fas
elles; porque, como dizia S. Bernardo, a eausa do; paredes desta sala erara pintadas de amarello com
escndalo nao quera o sepclle, quem o pro- pilastras encarnadas); depois ao hanho d'agua te-
| pida, e enifim ao frigidarium, oanho -tirio, que te-
voca
va-sc em um banheiro redondo de marraore
E' sempre da centralisarao que as revoluces fa-' branoo; o frigidarum era ornado elegantemente
zem ocorix) de delicio para endeosaros furores das
recriminacoes contra o poder publico E' sempre
ella o motivo, ou, peto monos, o pretexto para os
rompimentos ; e o grande Mr. Morny, amigo fer-
voroso de Napoleo III, dizia em seus discursos
que era preciso decentralsar ainda muito ; porque
era pela decentralisard que se desviavam o eviia-
vam os repetidos alternados que vravam o regi-
cidio.
Finalmente urna m reeommendaco vem ainda
coroar a obra, c fazer a synthese do enorme corte-
jo de males, que encerra o maldito pensamento cen-
tralisador : esta reeommendaco a sympathia que
tem tido pela centralisacao (dispensem-me a repe-
lCao do adjeclvo administrativa). Danton e todos
os infernaos revolucionarios do triste celebridade.
E elles assim pensando defendem seus inte-
resses mais importantes; ellos nesta parte sao
coherentes com sigo mesmo; um tyranno da anti-
guidade, que desejava acabar com seus subditos,
desejava que todos elles se reunissem n'uma s ca-
e sobre suas"paredes estavam pintadas Blanta*
verdes desprendendo-se de um slo amarelp,
O pedestal e o friso erai de cor encarnada o o.
friso era embellesado com baixos relevos' em
estuques blancos, que representavam os Amores
conduzrado carros o precedidos por outsos Amores
cavalla
Os escravos ungam os banhadores som ungen-
tos preciosos e numerosos, a nica nomenclatura
dos mesmos encheria um volume.
O prazer dos banhos tinha-se tornado uua pai-
xao seria para os Romanos.
Poder-se-hia dizer que gaslavam a vida n'isso
pois que d'ontre elles haviam lumens etfcminado*
que a isso consagravam a existencia.
O banho era o centro dos alazeres e delicias.
Uepresentacoes theatraes, vendas de- movis de
objectos preciosos, licoes e cursos de diversas
aulas, exorcicos gyinnastcos, livros, tudo ahi
acliava-se.
Os amadores do banhs.tomavan sete por dia os.
mais moderados, s tomavam tres.
Emfim, tudo o que pode agradar, disirahir e de-
leitar a existencia encontrava-se nesta habiraco
encantadora. *
As casas as quaes nao se devia j mais entrar
se nao com o p direilo adianto. ( ora agonfa eu-
revoluco, ^r^^^^TS^t^l
que quer arruinar a sociedade, deseja concretar a
soberana inteira n'um s homem, e, ontao, procu-
ra e espera fulminar este ; porque, desde que se
consummar este crime, estar destruida a sobera-
na, e, destruida esta, eis a sociodade, em corpo e
alma, as maos da revoluco !
N'uma palavra : a centralisacao administrativa
a maior alavanca du despotismo ; e, quando se
mas compunham-se : do vestbulo, vestibulum
junto ao qual eslava a morada do porteiro com a
seguinte rascripcaa sobre a porta a qual tinha um
cao pintado em mosaico: acautelae-vos do cao
Do vestbulo ontrava-se no atriiua, sala de fami-
lia, denominada muitas vezes pelos poetas o lar do-
mestico, e consagrado aos deuses Lares.
Foi um braseiro porttil quo deu a esta sala o
nome de lar domestico.
Esta sala, algumas vezes ornada com columnas.
volve para o pensamento anarchista, vae nroduzir linl,a pe!os ,res la^os Prtas, que coinmunicavaui
ruin tnnifac (inirtrie .1 4ai*.;..j. _i__
tambem as mos deste os seus effetos favoritos.
Risque-se, pois, das instituicoes livres esta plvora
surda, esta bala asphyxiante, sempre morlifera e
sempre funesta -, hontem as m3os do poder contra
o paz, hoje talvez suspensa, o amanhaa as mos
do paz contra o poder!
Tcnho concluido.
Recife, julho, 1863.
Clao Guenetro de Castro.
VARIEDADES
----_ ? _
xunoso que despendeu duzentos milhes na pesada
construeco de Versailles, e que, segundo pensa To-
rombert, senlo possusse Colbert, teria apressado a
bancarrota; essaambicao furiosa que, sem Bossuet,
teria engolido a Franca I Podo retardar a queda, e
poder poltico, e preciso dizer que este poder um um mesmo pensamento, diz elle, que um mesmo a nacao pode ser mergulhada no martvrio anda
nao existe ; e, por conseguinte, uro tal estado nao pensamento agite o grande corpo nacional, e faca' por alguns annos pela forca das circumstancias o
CMA VISITA POMPEA. (I)
Tentando a classica viagera de Italia todo qual
quer pensa em seu sonho predilecto.Ao msico
neressarlo um theatro da Scala, da Fenice e de
San-Carlos.
(1) Pompea, cidade da Campania na embocadura
do Sarnus. Um tremor de trra destrulu metade
da cidade no anno de 63 antes de Jess Christo; e
cm 19 o resto da cidade foi consumida pelo des-
vio. Pompea foi encontrada em 1775, 42 annos an-
tes de Herculanum. Procederam-se excavacScs, e
desrobriu-se a quinta parte da cidado.
Torre dell'Annunziata (cidade situada ao p do
Vesnvio) edificada junto ao terreno de Pompea :
As vinhetas que acompanham este artigo sio ex-
trahidas de Pompea por Ernest Bretn, da socieda-
de imperial dos Anticuarios, etc.
cora muitos quartos de dominada, dos quaes o
melhor era destinado aos estalajadeiros ( danos da
casa. ) Pelo quarto lado haviam portas commu-
nicando com dous gabinetes reservados as mulhc-
res empregadas na casa.
No meio da sala, coberta de mosaico, via-se um
roservatorio de pouca profundidade (impluvinm )
para consorvar a agua de chuva, que cahia por
urna fenda coberta no tecto.
Junio ao impluvium, venerado como um lugar
santo, viam-se muitas vezes as Imagensdosdeusc-
Penates.
Em um dos ngulos eslava collocado um grando
cofre de madeira com chapas de brome ou ferro,
e ligado por corroas fortes a um pedesial de
pedra.
Esse devia servir de burra ou cofre de dinbero.
No atrium recebiam-se os clientes e visitadores
de classe inferior. .
as casas importantes havia um escravo (atnen-
sis ) oceupado particularmente no sorvico d'essa
su Id.
Por urna porta collocada em frente quo dava
sabida do vestbulo ao atrium, entrava-se no ta-
blium, especie desala de recober ornada com ricos
mosaicos e pinturas esplendidas.
Ordinariamente ah guardavam-se os archivos
de familia.
(Contimar-te-ha.)
{%) Lugar onde outr'ora os sabios faziam suas
conferencias lltterarias.
PERNAMBUCO.- TYP. DE M- F- F. FILMO
(MUTILADQJ
eso


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EX9PZH06D_K9JX5P INGEST_TIME 2013-08-28T00:59:49Z PACKAGE AA00011611_10199
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES