Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10197


This item is only available as the following downloads:


Full Text
n-~.


I

AMO XXXIX NUMERO 217.
---------------- f11 ---------------------
Pw tres Befes adianlades SS000
Por tres mezes vencidos 6JO00
DIARIO
QARTA FEIRA 23 DE SETEMBRO DE 1863.
Por amo adiaotado. .... 19&00O
Porte para o subscriptor. 3$OO0
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba. o Sr. Antonio Alexandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Araran, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos' do
Olivoira; Maranhao. e Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C.; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SL
AJagas, o Sr. Claudino Falco Das; Bahia, o
r. Jos Marlms Al ves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins & Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Espada todos os das.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anlao, Gravat. Bezerros, Bonito, Garuara',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth. Limceiro* Brcjo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Relia, Tacartn', Cabrob,
Boa Vista. Ourieury e Exu' as qnartas feiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Un, Barrei-
rosv Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Uha de-Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio/
Todo^os estafetas partem ao 'A da.
EPHEMERIDES DO MEZ DE SETEMBRO
4 Quarto ming. as 9 h., 44 m. e 2 s. da t.
13 La nova as I h., 16 m. e 38 s. da m.
20 Quarto cresc. as W h., 8 m. e 2 s. da m.
27 La cheia as 2 h., 37 m. e 2 s. da m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e 54 minutos da manhaa.
Segunda as II horas e 18 minutos da Urde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Hf o sal M Alagdas a 5 e 23; para o norte at
i i%} 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
das i aos mezes dejan, marc., maio, jl, seL enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
IrL m, ^e.do/p>f0,s s 6 *1p 7-7 %8 e
*2L1' de 0linda as 8 da m. e 6 da tarde; de
v^TL n & da m-; d0 Cabanga e Varzea s 7
da m.; de Bemtica s 8 da m.
e V?/ fl',,: para AP'Pncos s 3 A, 4, 4 A, 4/,,
' k' .i e 6 da larde; Par Olinda s 7 da
5?SL r k da ,arde; P3" boatao s 4 da tar-
!^CT ic]langaJe Vanea 4 Va da tarde i Para
Bemflca as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quimas.
Relacao: tersas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta s 10 horas.
Juizo do commercio: segn/.s s 11 horas.
Di de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DAS DA SEMANA.
21. Segunda. S. Matheus ap. c evang
22. Terca. S. Mauricio m. S. Santino b.
23. Quarla. S. Lino p. tn.; S. Tecla v. m-
24. Quinta. N. Senhora das Mercs.
23. Sexta. S. Justina v. m.; S. Calisfrato m.
26. Sabbado. S. Cleophasi S, Firmine-b,
27. Domingo. Ss. Cosme c Damiao irs. min.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a linaria da prara da independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa da
Fana & Filho.
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 19 de selembrode 1863.
I 3 Manoel Dionizio Gomes do Reg.
; 4. Manoel Nones de Mello.
3.- Joaquim da Matta e Silva.
. Manoel Zacaras da Silva Braga.
Communicou-se ao chefe de polica.
Despachos do dia 19 de 'selembro de 1863.
Requerimentos.
Anna Maria do Carmo.Aprsente o menor ao
Sr. director do arsenal de guerra,
Jos Vicente Godinho.Informe o consclho ad-
iare os esclarecimentos ministrado do arsenal de guerra,
uhesourana de fazenda,' joaqaim Gonealves de Ibuqi
feenca a informacao da Dinja-se a thesoraria provincial
Joaquim Ferreira
uerque Silva.
provincia
de Aranjo Guimaraes.Ex-
se estende desde o mar Vermelho ao Mediterr-
neo. Dizia-se mais : Questocs damais seria gra-
yidade poderia originar-se entre os governos, a cu-
ja submissao estivesse os emprezarios estrangeiros,
e a Sublime Porta, sob o influxo de circunstancias
mui facis do prever.
O pacha Mohammed-Said, cujo espirito Ilustra-
do percebera fcilmente a utilidade da empreza pa- 2
ra o Egypto, e que tivera a gloria de assegurar pe-1
la sua cooperacao o bom xito da obra projectada,' 1
recebia imperiosas intimaces, s quaes se conser-
vou sempre superior o seu desejo sincero de ver i
um dia as aguas dos dous mares misturarem-se';
as trras do seu vice-reinado. O pacha egypcio' :-
SES*.*^a custa dos tns Pblicos.. 173
de 18W enfermaria no dia 22 de selembro
Tfveram alta :
Goncajo Jos Baracho.
I rsulino Francisco de Castro.
M
OfOcio ao brigadeiro commandante das armas.
Oueira V. Exc ordenar ao delegado do cirurgio
mor do exercito, que ministre os
exigidos pelo inspector da
no offlcio incluso, com refi
respectiva contadoria.
Dito ao conselheiro presidente da relacao.
Srtete^SrLTL'TlfalS^V a con,a junta, relativamente aotempoemque^^^e na vantagem do canal, e o'seu sccessorls-
ra ao incluso Ollicio, que em 11 do corrente din- tpvp declinada a rasa imail.Papha hordnn un iw,mtmmt.. a----.-------: .
as itclusas actas do ronselko administrativo do Pmerenc,a pstaDciecida pela le.
arsenal de guerra, datadas de 2 e 3 do corrente. i ________
Dito ao mesmo.Visto que, segundo consta de ,...... _.
sua informacao de hontem, sob n. 718, dada com C0MMA\D0 DAS AMIAS.
referencia a da contadoria dessa thesoraria, nao'
ha inconveniente no pagamento que no requer- Qnartel general do eoramando das armas de Per-
ment, que devolvo, pede Jacintho Jos de Mello, nanihueo, 21 de selembro de 1863
da quantia de 2i proveniente do alugucl venc- Ordem. ln din ,,9
do nos mezes de abril a iunho deste anno, da casa -
f
g
Tendo observado que alguns
mto de guardas tacads no inleror fo ,^"3,
pital, sem que tenham obtid previa licenca do
Srs. offlciaes des-
vcem a esta ca-
maii-facha herdou cora as insignias de vice-rei a'
dedlcacao e o enthusiasmo, que durante a sua cur-'
ta adiuraistracao mostrara pelo grandioso plano de '
Lesseps o seu benemrito antecessor.
Para fundamentar com razoes apparentemonte'
imparciaes a conhecida reluctancia do governobri- j
tannico, e a sua m vontade contra nma obra hon-;
rosa para a Franca, sob cujos auspicios se inicia-
ra, havia-se apregoado a impossibilidade de levan-!
tar os enormes capitaes, quo a empreza reclamava.'
Tinha-se asseverado, que a differenca de nivel!
entre o mar mediterrneo e o golpho arbico, os
phenomenos geolgicos, que se passam quotidiana-
5?
>
Masculino.
X
g
Femittina.
i
y.
en
Que sao metade das lagrimas que se derramam
nos cemitcrios no da de tinados?... muC
Que e o panno de bowa do theatro Gymaa-
sio ?... pu/f. '
Que sao as notabilidades eom almanaks ?... puff.
Que sito os annuncios
I Masculino.
o I
Feminino.
ta
V.
H
| I
a. 2
a
n
Masmiino.
mente no littoral do mediterrneo, entre o porto
de Damietta e a |"'>! ni~! .------1 : i
_ bahia de Pelusium, tornaran, im- '
possivel o canal e que anda mesmo suppondo-o re-
alisado, a sua dispendiosa construccao seria intei-'
ramente improductiva, por que as areiar do deser-
10, bem depressa o tornariam impratcavel, como
; o fazera por virem tratar com o Sr. Dr. chefe de | raniente improductiva, por que as areiar do deser-!
| polica, negocios que lhe sao relativos; e con-
nacionaes da villa do Bonito, autoriso V. S. a man-
^DiaTinSorTaTliteuraria nrovincial -; ft? S6aeh>> onde sc "So apresentara; preie"^
sob n. 436, recommendo a V. S. que mande entre-1
f^lSo^d? rehSouc aUwTS. Vind Te m ^clhantc abuso o'"passe *Z g havia, ha milhares de annos, mHo m canal w
de uaS* em ZTS^iJSAli^: > aPerc,eK por afeclar dealum modo a disciPlina., do.PsM'e,,c0J de cujas obras monumentaes, anda 5
^iS^^^Jm^^^^t^^ 'inc ahas,deve ?er fio"^'-va''a em toda a sua pie-' hoJf. descobrem vestigios, sob a area. |
S^K^SiLTl n"U,k'' ^"''"".a o general commandante das ai- "-se que os Lagos Amargos, por onde o ca-
^^SXii^Sm^lii^dTTi "iaS- nmi,0.Ps,,iva e terminantemente que qual- al deve passar, senara obstruidos pelas massas
caratd, para azerem a nrdi da resnep iva A que.r qc "* m.otivo 1 obn'gue a tes o^iaes 'de commum. Accrescentava-se todas esUs dif-
deia.-mm,n pou se aoSctor da thesouarfa T" a c,apital' se aPresen,n' im.nediatamento ficuldades que a navegacono mar Vermelho era
de fazenda. ^ ne.te quartel general para que tiquem scicute, e por tal modo sujeita ja perigos, que tiravam toda
a ., ; mesmo pratiqucra antes que sc retirem, atim ? e/Peranga, de fazer por este modo a carreira das
rnpp2 e que nada se ignore a rcsPeio do raovmenlo : Ind-,as Onentaes.
e'; quer collectivo, qur individual da tropa existente As obJec?oes formuladas pela sciencia, respon
Femino.
8
<
Masculino.
Feminino.
t
a
i
Masculino
Dito ao mesmoDevolvo a V.
veio annxa a sua informaeao de
S.
17 do
^{^Sr'c^S^^ySh ft berto df ^aq^ele7qu7i= deu,oSr. ^seps.n'um livro^e hTa^s^^s
a
mino, i
Feminino
a
i
ti
O
OBSF.nvAgoRs.
a
2.
w
s
S
00
apparece. Entao volve um triste oltiar para o seu,
e pendura-opor cima da cama, na propria alcov.i
e liornvel !
Escandalisado por osle desegana, e por outros
procedunentos de igual natureza, parece que lhe
I clicgou urna occasiao a mostarda ao nariz, e pro-
de mcdicaincntos que cu- rompeu no excesso do pedir urna cxpleacao... 5au
nm nfallmlmente todas as molestias ?... puff. sc sabe ao eerto o que lile responden D Josehina
Que e um juramento de amor eterno que sane da (esposa do Sr. Pancracio, ) n.Vs foi vis o S
^ao,L7?a^a/|Ue mrrC ^r casar **' ,,Uarl se,u sol,ar Palavia. e ^Par m^esanente
cQh i?. dlias ou tr!s commendas e outros tan- para o seu. A la de mel trra nra. Desde esse
tos hbitos nos peitos de certas casacas ?... puf. da, o Sr. Pancracio conserva-se no seuMugar
yue e a nomeacao de um escrivao, ou cousaque nao sc lhe pedem ordens, nao se lhe d nartc de
ti ? armaS U braz0es da uobreza do Bra- cousa alguma, e ramea tem convite seja para que
nZJP: ... 'for- Todava tratain-lhe do quarto todos os das.
m ? actual.dade um grito de alerta contra Jauta a mesa, e nao sc passa semana em que sua
iwT ?~Je.vo,u5es 'ue s? Preparara ?,.. puff. mulher nao lhe dirija aigumu palavras mais ou
Uue e a noticia que sc manda aos amigos das menos seccas.
iPp?r"nfa rcsPe,!.dos estadistas que haodc en- Nao ir pensar-se, apenas por isto, que o Sr
nP0 t nn0V min'sleT'. M> 863 ?... puff. Pancracio tcnl.a que receiar alguraa lvandadeL
nnVndn "JH .*' reUcmful ,ou um et catera Os principios e eomportaraento do D. Josephina es-
!Ste7iJS2?LS!? escreyendo nao se lembra de tao ao abrigo mesmo da calumnia. Accrescc que
este pobre hornera anda sempre contrariado nos
seus gostos e liabitos,e aecusado tanto a miudo,
que era urna toJice dar-Ihe o raas leve motivo de
mais alguma cousa para dzer ?... puff.
Et coelera.
Todava o puff una cousa til, e quasi que se
tem tornado indispensavel na sociedade moderna.
O puff um excitante
censura
Quando entra na sala, onde de ordinario sc en-
comia um circulo numeroso de homens da mais
-- J'"l ** mi i' i lilil i m --------------------------" n 11 ^m *>.
Do mesmo modo que certos estmagos precisam aa posicao, as pessoas que nao estao ao facto le
ar, excitados com algum estimulante para mais fa- ,vanlam me' corP da cadeira, mas a senhora con-
dimente digerirem os alimentos que receben) as- 'os po um g?s'0-' (,ufi s,'ni*i(,a : NSo se
sim tambem o respcitavel nuhlico tem necessida- etncom,ndera, nao 6 nada, o dono da casa..
MraaSiSTU ^re^ ^ K,eretsabPiS
Lobo, visto assun o haver solicitado o chefe de i T<
polica em offlcio n. 1,174 de 27 de julho prximo /v,n
ordem, serio iuimedia-
punidos.
publicou, sob titulo de Percement deTlstkme de
Suez, cujas conclusoes foram plenamente confir-
EXTERIOR.
mente de luz e agua para o quartel do mesmo des-
tacamento, a contar de 17 de marco ao ultimo de
juuho, tudo deste anno, c o restante correspon-
dente a dous mochos de amarello e um pote, for-
necidos quelle quartel, como se v da predita
conta. r
Dito ao mesmo.Restituo a V. S. para o fim in-
dicado em seu offlcio de hontem, as 3 inclusas
contas que na importancia de 4015W0 vieram an-
nexas a sua infunnarao de 18 do corrente, sob n.
468 relativas ao paz consumido nos mezes de De todos os trabalhos industriaes emprehendidos
abril a junno deste anno, com a illuminacao da modernamente, nao ha de certo nenlium nem mais
casa de deteneao. grandioso, era mais til do que o rompimento do
Dito ao Dr. chefe de polica.Em vista do esta- ishmo de Suez.
do de ru$na da cadeia da villa de Flores, constan- Empreza gigante, havida por multo tempo
AssignadoSolidonio Jos Antonio Pereira do "das, pelo volumoso e erudito relatorio, que sobre
o canal martirr~
Sr. Montesinos
lindo, acuantia de20^;sendo~72^ ,.., ,............ .. 2.ca5ai^1!moi.diriSio ao governo hespanhol, o
(ConformeJos Ignacio de Metleiros Reg Mon-
teiro, capito ajudante de ordens encarregado do
detalhe.
Advertencia.
Na totalidade dos doentes existem 168, sendo,
alienados 10 homens e 24 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias:
.que por parte da Hespanha, izera DrDornes8;' L%So,f33^%V7 3/4* 'VfiO
parte da commissao internacional. 7 33, 7 1/2 pe o Dr. Sarmenm ; e de Urde.pelo S
O relatorio publicado n-este anno, e dirigido ao Pereira do Carmo, quandola ucencia
governo do pacha, pelo celebre engenheiro inglez, Falleceram
o Sr. J. Hawkshaw, assim como a conta apresen-
tada
cionistas
I'liSr a.1!^.^ ,COm. uCOn,a ?P,resen' Jos S01 dos San,0S- tubrculos pulmonares,
ifac?.m $}e?aT a asse,"blea 8eraI ds ac-' Andr Pedro Celestino, idro pericardite.
instas em lo de julho ultimo, demonstram a evi- ^
l
-----------------------------------------------------.----------- dencia, que o canal de Suez, una realidade, e
A ilMilni.i do iMhmo de Nuez. 9fas.Preven9oes polticas, eos funestos augurios, 01 P0I1C0 DE TUDO
da malevolencia, foram vencidos, pela perseveran- -. ruut ut IUUU.
ca de um francez Ilustre, e pela cooperacao da .P a rubrica A Religio escreve a Cruz:
Franca, prompta sempre a tomar o lugar de honra "* vos desanime o numero dos hypocritas,
em todas as cruzadas da Pivilisacao. nem ** Ptuco os ditos daquellcs que vos chamam
Dos dous documentos, a que nos referimos, ex- DyPc'aipk>r ps verem pracar a religio.
ihiremosquanto importe nara dar noticia do ac- Sem t^i dalma nao s adi|uire virtndo al-
te de omeoo respectivo delegado, junto por co- conta de utopia, bastn a perseveraba, a activida-
pia ao de V. S. de 13 do corrente, autorise V. S. de e a intelligencia de um humem enthusiasta para
para
devida capacidade e seguranca para onde sejam pri refutado contra as objec?3es da incredulidade,
removidos os presos emquanto se providenciar so- contra os reparos da malevolencia, e contra as iro-;
bre o concert proposto, e remetta-me o orcamenlo nas dos espiritos raesminhos, que vivera a adorar
a ijue elle se refere. tudo o que existe, e a desconfiar perpetualmente
Dito ao director do arsenal de guerra.De con- dos milagros operados pelo enlendimento illumina-
formidade com a sua informacao n. 100, de 18 do
corrente, autoriso V. S. a mandar alistar na coni-
panhia de aprendices desse arsenal o menor Ma-
noel Jos Daraasceno, lilho de Anua Maria do
Carmo, tuna vez que esta satisfaca o disposto no
art. 4 do regulamcnlo n. 113 de'3 de Janeiro de
1845. J
do, e pela vontade resoluta.
trahiremos quanto importe para dar noticia do ac
tual estado dos trabalhos, no isthmo de Suez.
(Jornal do Commercio, de Lisboa)
PERKAMROCO.
REVISTA DIARIA.
Fizeram acto hontem os dous estudantes do Cur-
A obra collossal do isthmo de Suez tende nada: so Commeicial Pernambucanode que tratamos.
guma
I vado ^Tpiedade jamis
mt iraca.
jNo vos atemorise, em vosso carcter de chris-
1 fao, o vr-vos em companhia de homens vulgares,
incapazes de comprehenderem todo o sublime da
religio.
O estudo e a razao vos demonstra que nao ha re-
- ligiao mais pura que o catholcisrao, raas iscmpt.
de erros, mais cheia de santdade, e que mais claro
traga o cunho da divndade. Nao ha nenhuma que
respeitavel publico tem necessida
de do puff para engolir as pillas que o charlata-
nismo ou o interesso mais ou menos compassivel
de todos os vivatoes vai formulando e arranjando
para elle.
Se fosse possivel extinguir o puff, nao havera
mais cousa velha que parecesse nova, e desappare-
ceriam as tablelas das lojas e dos hoteis, a terca
parte dos annuncios das gazetas diarias, a qua'si
Algumas vezes, apezar disso, algum diplmala es-
trangeiro, um ministro de Hollanda bem intencio-
nado, agarra-lhe na mao. c diz-lhe em voz alta.
Como tem passado, Sr.....Pancracio ? de.
forma que faz esperar pelo nomo duranto dous
minutos, destacando-o depois com um barulho que
lhe faz sabresahir a pobreza !
Pois, por que nao hoi de dizer a verdade ?a
totalidade dos exordios dos discursos de denotados va,dade do homem flea satisfeila, e d parabens a
novos, a ultima edicaodas posturas da illustrissi- t^"- en casamo,nto- Se ha baile em casa,
ma cmara, metade do nosso corpo diplomtico e ?.' ar a"' "n,a voIla- nforma-se de quom sao os
alera, de muitas outras cousas, o cartaz ambulante !,LP?~ ?'FnS que a St encon,ram. e recolhe
do Alcacar Ljrico. muito mchado para o seu quarto, ondeo espera
O puff prtanto, de incontestavel utilidade...
lelo menos para aquelles que empregam o puff.
um amigo velho para jogarem urna bisca. Traiem-
Ihe os gelados e mais refrescos que sobejam,
t quando as salas csto j servidas, c ah, tirando a
Na sociedade actual o puff i- com effeito o recur-' casaca eagravata, entrama recordar-se do seu
so mais seguro para se fazer dinheiro; mas nao se lempo de rapazes, urnas merendas na horta do Fiel
lense que essa a mais sublime das descobertas Amigo, perto de Chellas, um namoro com urna
moca que mora va no predio contiguo casa dos
Bicos, um entrudo em que elles quebraran a ca-
neca com um vaso ao tutor dessa bella, e outras
reminiscencias que os divertem, recordando casos,
citando ditos, e at entoando seu pedaco de alguraa
cantiga d'aquelle terapo. Talvez que em toda a
festa nao se achasse tanta alegra !
Quando chega o seu anniversario natalicio, o
Sr. Pancracio que com os annos se vai tornando
que se admirara.
Ha invengo dobradamente ulil... aquellos que
se aproveitam della : a nvenco de um dreito
novo e excepcional, o direito d abusar de todos e !
de tudo, c de ollender todas as consideracoes sem
responsabilidade.
E' o direito da veiade doudooa da originalida-
de, como se diz mais cortezmente.
Da homem que est em boa posiga* na socieda-
de ou pela sua fortuna, ou pelo emprego que exer- \ gulotao, vai a Nova Cintra sosinho, e all se regala
ce c misler de que be oceupa, desde que tem a feli- com ni jantar, que mandou encominendar com
cidade de adquirir fama de original ou de, con- antecedencia, e em que nao falte nada. Sabe Ca-
forme se diz, ter vea de doudo, pode fazer o que *er as cousas, e trata-se como quem Depois,
'he viera cabera, opraticar quanta extravagancia quisila-se de que os creados em Carrohc aejam
ao seprecnche dever algum de grao ele- < quizer, porquo est livre de culpa c pena, e nao creadas, faz barulho e quebra os pratos como ho-
foi conquista de urna al- perde nada com o mal que faz. mem que em sua casa nao sc atreve a pedir um.
D bengaladas ou atire pedras na ra : cscreva Que se lhe ha de fazer ? Elle tambera, sejamos
tnnta mil parvoices nos peridicos ; perturbe a! justos, nao se permiti esta orgiasila sc nao una
paz dos vizmhos; more em urn primeiro andar, e vez por anno !
tenha por costume estudar depois da meia noi-! L'm destes dias, disse-lhe com expansao um crea-
te rabeca, clarineta ou mesmo tambor, sem lhe, do anligo, que o cncontrou na escada: Oh !
s do que inutilisar por obsoleta, a archivar Foram approvados simplesmen'te, sahindo ura taaifo baja emtriJMdo pan. oprom^eMra'e^
cora una esphera preta e outro com duas. palhar a civilisacao, para destruir a escravido,
como una pura archcologia martima, a estrada
aberta por Vasco da Gama em demanda das Indias
oiientaes.
individuo desconliecido, outro desertor e crlmi-
1 como a passagera do cabo da Boa-Espe- noso e outro finalmente tambem criminoso fgido
Dito ao director das obras militares.Para que ranga, e a navegacao que para o Oriente se inu- da cadeia da Victoria, pelos Srs. capitao Borros
de fazenda a im- I gurou com este feito memoravel, signilicou urna re- Leal e subdelegados
possa ser paga pela thesoraria
portancia das tres inclusas contas em duplcala, j volnoo as rela?6es de huma'nidlde, nasconffl- sendo apprehendido
faz-se necessario que os emprciteiros das obras e
Teixcira, Rufino Manoel da Cruz Cousseiro e An-
tonio Pereira (iuiraaraes, a|>resentem attestados
da junta militar de sande. declarando terem sido
executados taes concerlos e obras de modo satisfa-
torio aos preccitos hygienicos, o que V. S. Ibes far
constar.
Dito ao consclho de compras navaes.Approvo
os contratos que o eonselho de compras navaes
celebroucom diversas pessoas, como me coiumu-
nicou em seu offlcio de 16 do corrente, para ac-
quisico de dilTcrentes objectosdo material da ar-
mada, necessanos ao almoxarifarlo do arsenal de
marraba, cuniprindo que o mesmo eonselho
mella copia de taes contratos a thesoraria
oes do commercio moderno, c abriu um capitulo julga furtado.
de S. Jos e desta freguezia,
tambem um cavallo, que se
novo e original na historia das nacoes, a abertura
do isthmo nao est destinada a representar urna
fnnecao menos brilhanle, e a exercer um intluxo
menos civilisador nos destinos das nacoes.
E a 'Tri'ir:! IkhMtt no klatAvia s dous primeros individuos foram presos na
nbeira de S. Jos, onde se achavam homisiados, c
o ultimo as ruinas de urna casa na ra de Santo
l Amaro,
terceira phase na historia das relaeoes dos Sabbado ultimo di
povos occidentaes com as trras do Oriente. Na-1 legaca da freguezia do Recife, o Sr. A. Gomes
yegacao pelo Mediterrneo, e navegacao pelo Mar-! de Miranda Leal, allm de repousar algum tempo
\ermelho, interrompidas pelo isthmo. Primeirope- das lides poliches; passando a vara ao primeiro
nodo, nos fastos das comraunicacoes cora as trras supplente o Sr. Jos Pedro das Nevos,
orientaos. Navegacao directa, torneando as costas Durante o lempo em que esteve em exercicio
africanas ate ir entrar no ocano indico. Segundo j mostrou sempre o Sr. Leal actividade, e prompti'-
penodo, que leva de vantagem ao primeiro toda a do, fruindo serem seus actos approvados por seus
distancia que vai entre as longas expedicoesde superiores, na ierarchia policial.
re- Alexandrc, as peregrinaces de Marco Polo, de Ro- Araanha fazera, no Circo, beneficio os irmos
de ; bruquis e de Fernao Mendes at carreira das naus Rollandes, duplos artistas, porquanto foram typo-
fazenda.Conimunieou-.se a thesoraria de fazenda. .da India, desde os lempos ureos del-rei D. Ma- graphos em seu paiz natal, e sao boje gvmnasicos
JJito ao director das obras publicas.Mande; noel. Suppressao do isthmo e communicacao di- entre nos, por urna dessas eventualidades da
Vmc. examinare reraetter-me o orcamento da recta entre o Mediterrneo e o golpho arbico, guerra. c
despeza a fazer-se com os concerlos de que pre- Terceiro periodo que ha de cooperar efflcazmen- Esses artistas tem mrito real ii "- *n r
. golpho
Terceiro periodo que ha de cooperar effleazmen-
despeza a fazer-se com os concerlos
cisa o edificio da asserabla provincial, 'segundo le para alargar a esphera de accao da poderosa ci-' nosso poblico, e
consta do ofiieio junto por copia, do secretario vilisaeao eufopt-a, e preparar* o mundo para a novos exercicios,
da referida assembla. ; quarta e niaravilhosa transformaco, a commu- dores.
Dito ao delegado de polica de Cimbres.Aceu-1 nicaco terrestre da EunKja com "as regioes oren-1 csse beneficio, pos, estamos certos concorre
so a rceep^ao do offlcio de 10 do corrente. em que 1 taes pela conlinuacao das linhas frreas europeas.; rao os opreciadores do bom, e os amantes reaes ds
\nic. communicou-ine o resultado da cleico do A gloria desta arrojada tentativa que tendo por "
- Foram presos a noite de 19 do corrente um para fazer comp'rehender a todos os mortaes su
fraternidade i>erante Deus, sua fraternidade com o
proprio Deus.
Attendei a tudo isto, e era particular solidez
das provas histricas que em seu favor tem a reli-
giao.
Todas as Barita vos offerecem nomes Ilustres,
que os proprios incrdulos nao se atreveriam a des-
preza-los.
O mundo vos offerece urna infinidade de homens,
verdadeiros prodigios as sciencias e as virtudes,
Sabbado ultimo deixou o exercicio da subde- Santo Ambrosio, S. Leiio, S. Thomaz, S. Jeronvrao
S. Cypriano, S. Bernardo, forara catholicos. '
Eu te sado, exclamava o maior poeta inglez, eu
te sado, Igreja, urna e verdadeira, tu s o nico
caminho da vida e a nica, cujos tabernculos nao
conhecera aconfusao das linguasl Que minh'alma
repousc sombra de leus santos mysterios !
O grande Byron, esse genio prodigioso que se
deixou tao desgracadamente amatar, divinisando
um dia o vicio e outro a virtudc, um dia a verdade
e outro o erro, testemunhou veneracao que mo
grado seu lhe inspirava a doutrina catholica.
E foi levado da grandeza desta filha do Eterno
guerra. que o autor do Emilio, exclamara com tanta subli-
Esses artistas tem mrito real, j conhecido do midade :
preparam grande variedade de Hde os litros dos philosophos com toda a sua
que sorprenderao os especia- pompa quanto sao pequeos vista dos Ecawje-
mporlar o socego dos moradores do segundo an-1 ""eu senhor, sempre quera que podesse ver a al-
dar ; levante atorres ao prximo ; tenha a mania; cova da senhora! Esta um beijinho! Elle j o
de crear |Krcos na cidade tire desordem com sab I'uco mais ou menos, pela conta do Gaspar
quem passa na ra ; invista furioso contra quera armador.
fuma charutos, ou use de suissas ingleza, ou de' u .Sr- Pancracio costuma dar os seus passeios
chapeo Garibaldi; queira engolir quera nao pen- a p ; elle, que o leitor por ahi encontra as
sacomo elle em materia de religiao, de poltica, .tardes, de calca cor de flor de alecrim, colle-
de litteratura, de artes: faca quanto lhe parecer.te bordado, e sobrecasaca cor de pinhao. Mas,
enifini; porque se as suas' victimas se queixa-1 quando chove, raandam-o buscar no trem. Ao
rem, verao os conhecidos sorrir-se, e ouvi-los-hao apear-se agradece duas vezes ao lacaio c da
collcgio dessa villa. I objecto communicar'os dous mares q'ue banham o
Dito a Antonio Gomes de Miran la Leal.Accu-'[ Egypto, vai sendo j coroada de bom xito, cabe
so a recepcao do offlcio de 18 do corrente. em que quasi indivisa a ura hornera fantico pela sua dea,
Vmc. me communica que por inconimodos passou que durante muitos annos lutou com os preconcei-
naquclla data o exercicio da subdelegada ao Io tos arrogados ior muitos seculos, arcou braco a
supplente. braco com as prevencoes polticas, e teve mesmo
Portara.O presidente da provincia tomando de aeccitar o repto daquclles, que em nome da sci-
oni consideracao o que expoz o inspector da the- enca sentcnceavam a empreza por impossivel, e o
souraria provincial em sua informacao de hontem, empenho por indiscreto.
sob n. 469, dada pop referencia a d contadoria da Este hornera Ilustre, que deixa o seu nome as-
mesma thesoraria, acerca do requerimento de sodado a urna das mais ousadas construccoes do
Joa pjim Gonealves de Albuquerque Silva, arre- seculo XIX, esle homem que vencer nos seculos
matante dos reparos da ponte da cidade de Goian-' futuros a fama de Psametico, que na antiguidade
na, resol ve abrir un crdito supplementar na im- intentou ligar os dous mares por um canal, o
portancia de BW0646 pg. (,ara que, pela consigna- Sr. Fernando de Lesseps, cuja indefessa propagan-
cao votada no artigo 13 S l da le do orcamenlo da em favor da sua idea predilecta boje conheci-
do exercicio prximo lindo, em liquidae-io, possa da em todo o mundo.
ser pago aosupphcantcoque ainda sclnes resta Ninguem ignora as difflculdades polticas eos
proveniente daquella obra.-Commumcou-sc ao enredos dplomaticos,que teem buscado contrariar
inspector da thesoraria provincial, remettendo-sc a rcalisaco do canal de Suez. lastima que an-
cpia dcst portara. ; da nesl0 seculo as rivalidades inlcrnacionaes e as
Dita. presidente da provincia tendo em vista abusOes polticas possam levantar-se com apparen-
o que requereu Joao Usar Cavalcanti de Albu- \ cas de razao contra as grandes ideas, que por nao
querque, amanuense da thesoraria provincial, c terem patria, e por serem de utilidade commum a
bem assim o que a este respeito informou o res- \ toda a familia humana, deviain ser acolhidas gene-
pectivo inspector, em offlcio de 12 do corrente, sob rosamente pelas nacoes que sao os chefes naturaes
n. 430, resolve conceder ao referido amanuense 3 da civilisacao universal.
A lnglaterra,que.porum singular paradoxo, rene
tudo quanto ha de mais inventos c de mais andaz na
intelligencia com tudo o que existe de mais estaciona-
rio nos hbitos populares,ergneu umbrado hostil con-
tra a abertura do isthmo de Suez, e aterra onde se
tem operadoas maisprotentosas revolucoes na indus-
tria humana, a trra onde o vapor foi coreado so-
lemnemente como o re da civilisacao, oppoz a sua
arte que tao bem exercem.
Hepartiqo da polica :
Extracto da parte do dia
1863.
Foram recolhidos casa de deteneao no da
do corrente :
da
mez ss de licenca com venciraentos. nos termos do
art. 49 do regulamento daquella reparticao, para
tratar de sua saude fura desta cidade, c onde lhe
conver.
Dita.O presidente da provincia, conformndo-
se ora a proposta do Dr. chefe de polica, 11. 1,333
bis, de 1 deste mez, resolve exonerar o tenente
coronel Manoel Antonio dos Passos e Silva, do
cargo de Io supplente do delegado do termo de
Olinda, e considerando vagos os lugares de 2e
Solitica e os seus interesses coloriiaes 'realsaco
" 'ucrar|iguaes van-
5" supplentes do mesmo delegado, bem como os; tagens todos os povos cultos, navegadores e mer-
de 3', 4 S e G supplentes do subdelegado do; cantis.
districto de Olinda nomeia para esses cargos e Hoje qne as borrascas diplomticas parece have-
para os de 3* e 4 supplentes do referido delega-' rem serenado, que o commercio das notas e o cru-
do, e para o 2o daquelle subdelegado que se zar das intrigas polticas se tem aquietado, deixan-
achau vagos, oscidados seguintcs :
Supplentes do delegado.
1.' Bacharel Jos Cardoso de Queiroz Fonssea.
2," Domingos Soriano Fernandos Soares.
3. Francisco Lins Caldas.
4." Vicente Cyrillo Marinho.
5." Felippe Manoel de Christo Leal.
Supplentes do subdelegado.
2." Joio Francisco da Lapa.
do em paz os promotores daquella obra monumen-
tal, sena intil referir histricamente tudo quanto
se planeou c se poz era pratica para a perturbar e
empecer.
Em urna nota dictada pela influencia britannica
na corte do sullao'dizia-se que o resultado do pro-
do canal seria inlerpor entre o Egypto e a
a urna barreira poltica formada por ostran-
ros, que viriam oceupar a lingua de trra que
Reuno-sc ltimamente (maio) a agrada congre-
gado dos Ritos para tratar da canonisacao da
Bemaventurada Maria Francisca das Chagas de Je-
! de selembro de sus, morta em aples no anno de 1794 e beatifi-
cada por Gregorio XVI em 12 de novembro de
21 1843.
Sua vida offerece o mais maravilhoso exemplo
A ordem do subdelegado do Recife, Antonio, de santdade e de autoridades, juntas a una ner-
cnoulo escravo de Silvmo de Mello, por fgido, feita innocencia e a urna paciencia admiravel as
A ordem do de Santo Antonio, Honorio Jos da contradicoes e soffrimentos.
Rocha, pardo, por embriaguez. 1 Ella falleceu no dia 6 de outubro de 1794
A ordem do de S. Jos, os pardos Luiz de Freitas' Desde esta poca os mlagres operados por sua
Victono, Fortunato Larneire da Silva, ambos para ntercessao a tornaram celebre,
correccao ; Gertrudes, crioola, escrava de Jos Po VII permitlo a introduccao da causa por um
Ribeiro da Cunlia Guimaraes, por suspeita de estar decreto de 18 de maio de 1803, porm s era 1824
fgido. foram terminados os actos preparatorios. A 12 de
A ordem do da Boa-vista, Jos Jorge Ferreira, feverero de 1832 Gregorio XVI promulgou o de-
portuguez, para correccao ; Seraphim, africano; creto relativo ao herosmo de suas virtudes.
escravo de Manoel Pacheco do Couto, por fgida. ------
O chefe da 2" seccao. Da Revista-Popular transcrevemos o que se-
J. G. de Mesquita. gue :
Passageiros do hiate nacional Sobralense, sa- Tem-se repetido cem mil vezes que o americano
hido para o Acarac :Francisco Ferreira Pimen- da grande conlederaco do norte, ou por outra, que
tel o 2 criados, Joaquim da Frota Vasconcellos c o filho do irmao Jonathas, ou, ainda por outra,
2 criados, Fernando Gonealves Freir, Jos Cesa- que o sobrinho df Joao Bull e o rei do puff.
rio Ferreira da Costa, Raimundo Pinto Cavalcanti, Ora, o puff um grande reina do fono o vento,
Manoel Pereira de Carvalho, Joaquim Aristides da boinas do sabo e petas-monstro.
Franca e Silva, Domingos Jos Pereira Guimaraes, O circo Grande Ocano veio dar anda mais fun-
Luiz de Pinho Tavares, Antonio Alves de (larva- daraento aquella crenca; porque desde o carta?.-
Iho, Francisco Antonio do Souza Mello, Jos Ayres monstro, representando em vivos qdadros todas as
de Souza Pinto. diabruras acrobata-mosca-serpente-cavallares
Passageiros do vapor nacional Mamanguape, at mai Ganca pondo ovos do ouro, e o balao bri-
sahido para o Cear c portos intermedios :Dr. Ihando ufanse sobre o barracao do circo, mos-
Adelino Antonio de Souza Freir, Dr. Antonio Fer- Irou-se o rei do puff em seu sublimissimo throuo
nandes Trigo de Loureiro, Antonio Ferreira da de armadilhas ao publica
dizer
Realmente um original!
Devras elle tem sua vea de doudo !
E a cousa tica nisso.
Mas desta muto verdadeira observaeo o que se
pode concluir que a sociedade actual aborrece
decididamente os extremos, c, tendo adoptado a
divisa tn medio posita virtm, manda os doudos
urna prata miuda ao cocheiro para beber sua
sade.
l'nia occasiao, do fundo da sua carrnagem.
avistou na ra um companheiro amigo, que ain-
da conserva a tenda na ra do Alraargem, dando
o braco a sua mulher, e levando um pequini-
to pela mao. Eslava ura tempo pessrao, e.
elles tinham nicamente um pobre chapeo de
Rocha, Francisca, escrava do Dr. C. F. G. Alcofo-
rado.
Movimento da casa de deteneao no dia 21 de
setembro de 1863.


Sahiram....... 27
Existem......... 395
A saber :

Estrangeiros..... 29
Mulheres...... 10 t 0
1


ca D"ma occasiao, teve um oontentamenlo erando!
Nao hesito, pois era conv.r que seja o filho do Foram dizer-lhe era grande segredo que a senhora
irraao Jonathas o legitimo representante do mais 1 tinha ido tirar o seu retrato.
completos para a Praia Vermelha, trata com indif- i chuva. mas erara dous para o levarem
ferenca, e manda s vezes jiara a cadeia, homens | volveu entao a vista para a solidao da sua car-
de juizo so,c applaude ebate palmas aos homens ruagem, e revclou-sc-lhe o segredo da sua molan-
que tem sua vea de doudo. cholia.
Ergo, estamos na poca do meiojuizo. &*> anda assim, elle nao tao pouca eous."
Mas infelizmente nem todos teem o direito de pa- em casa como poderia julgar-sc: se ha contas.
receroriginaes. para pagar, se ha que perseguir inqiiilinos, ou
------ fallar a procuradores, tudo isto sao cousas.que
Do Iliterato portuguez Cesar Machado copiamos lne compotera exclusivamente. N'uma pajavra,
o seiwfolhetim sobre o estudo de burguez, que elle tem casa, cama, mesa, luz, e roupa lavada. Que
publicou no Monitor Portuguez com a denomina- mais Pde querer um homem, que deu oito contos
9o de de ris de renda a sua mulher e que lhe -cjiaiuu
o sr. pAxcii.\ci.i : minha esposa?
Nao se trata de D. Quixote, de Falstaff, nem de'
Manoel Mendes; o typo de que vamos oceupar-hos
nao sabio do entremez, nao reside na farca de hoje,
e nao yem aponlado nos folhetins, vive no mun-
do. Nao conhecera o Sr. Pancracio ? Entao hao.
de dar-mc licenca de que eiiiprehenda a historia e
a descriiicao desse personagem.
O Sr. Pancracio pode ter de cincoenla e seis a!
cincoenta e oito annos ; est anda verde mas secco.
E pessoa agradavel, parva e econmica. Depois
de haver passado os melhores annos em emprezas
de maconaria, que distrahiam docemente as suas
preoecupayoes de manteigueiro, retirou-se do com-
mercio em 1832 com grandes baveres. Casou logo
cora urna menina de alta familia, que nao tnha
teal, como ho de ajuisar. A proporcao que eram
expedidos os bilhctes a dar parte, o pai da noi va
corra inmediatamente a desculpar-se : nao pro-
curava illudir-se sobre o ridiculo daquelle casa-
mento, ainda que por outro lado, o Sr. Pancra-
cio era um bom hornera. E. depois, as circumstan-
cias sao imperiosas, tem urna familia de conservar
o nome, e est a bem de ver que se nao fossem os
cem contos... Em fim, opai nobre, do que fazia
ponto de honra, era em convencer bem a todos de
3ue s o interesse o dirigir, e ficava todo ancho
e haver podida desculpar-se de um ridiculo por
um vicio.
O Sr. Pancracio, a pedido do sua esposa, com-
prou urna excellente casa ao passeio. Publico. A
madama apoderou-se dos quarlos de baixo c
do primeiro andar, e mandou. arranjar para elle
uns quartos em cima. De l va o nosso homem
chegarem a toda a hora carruagens e carrinhos
elegantes, que paravam sua porta, mas nao ouvia
nunca fallar das pessoas que se apeavam. Durou
esto modo de viver por mais de um mez, e cons-1
tou-lhe depois que eram as visitas de casamento que j
vinham pagar-lhe a alinelo devida.
Do Paulista copiamos o que segu :
o peueohino.
Ei-lo l vera arqueado.
Trmulos passos guiando,
Ao seu bastan arrimad..-.
Respcitavel vai passando;
Sobre a sua nobre fronte,
L-se bem longe o horsohfe,
Que a perscrutar Bao nos cabe
Dos seus dias de prazer....
S Dees sabe l..
S Dos sabe o seu soffrec
A desgraca o branqueou,
Por sobre a sua cabeca,
O vendavel j passou;
Seu triste aspecto coafessa!
E-lo ah vai sem abrigo,
Sem palz, sem um amigo,
Suspirando que se acabe,
Nesta vida o seu tormento!..,
S Dos sabeL..
S Dos! ... o sou soffrimento!
\

393
legitimo puff.
Mas tambem ho de convir comigo que o puff
tem excellente.- e excellentssimos representantes
em todas as nacoes do mundo.
Neste ponto fallarei exclusivamente da cidade
do Ro de Janeiro como da trra que mais conhe-
co, e os meus leitores vo reconhecer que vivemos
mergulhados em puffs de todos os lmannos.
Vamos do maior para o menor.
Que um programma de ministerio novo f...puff.
Que em regra geral, um relatorio que o minis-
tro aprsenla ao corpo legislativo ?... puff.
Que a prmssa do voto livreas eleices
do interior do paiz ?... puff.
Que um prospecto de gazeta que publica o seu
primeiro numero ?... puff.
.. Eslava prximo o
da dos seus aunes, o adevinhou logo que ora urna
lembranja destinada a esse dia. Isto lne servio de
explicacao de a ver tao raramente, t Ter tido
urna niassada cora a breca dos retratos de ir l
duas e tres vezes por semana, ia apostar I K
elle ahi vai correndo a casa de um pintor que o
represente a oleo, por nao lhe parecer regular quo
ura homem dos seus teres fosse retratar-so n'um
hotographo a meia libra por seis oxemplares.
eve duas sessoes por dia, al que se poz em ter-
mos de oppor sorpreza a sorpreza. Fizera-se re-
presentar de p, locando flauta ( o Sr. Pancracio
loca alguma cousa esse instrumento.) Na ves-
pera de S. Pancracio e S. Ricardo, espera de mi-
nuto para minuto o retrato de sua mulher......
Nada. Pj*<$e o da 3 de abril, e o retrato nao
Quando o vires meditando,
Junto esquina recostado,
Os ollios no chao litando,
Com semblante magoado:
Pede p'ra elle bonanza
E que a nica esperanca.
Era seu pe i lo nao desabe;
Pois na sua dor intensa,
S Dees sabe !...
S Dos sabe em que elle peusa
8nandn no adro da igreja,
Ihos ao co implorando,
Como que se j preveja.
Do throno ura anjo o chamando...
Respeitai a sua dx,
Do intimo coracfw,
Gompassivo e cora, amr....
Chorai a sua desgrapa,
Porque catn.
S Dos. be o que elle passa!
Suas, ean* nao profanis,
Porque elle todo bondade;
Araanha j o nao veris,
E tereis entao saudade
Do ancio, sem abrigo,
Sem paiz, sem um amigo,
Que no seu pezar profundo,
A vida o tem em degredo;
a no mundo,
86 Dos sabe o sea segredo!
/
t .
1

/-
**+m




>


;}
Amanhaa j aqui nao s'la :
Com seu austero destino,
Qucm sabe aonde estar
O estranho peregrino.^y
Bem longe, talvez errando,
Ou na campa descansando.
De tanto que tem soffrido!
Deixando o mundo de horrores,
E esquecido
Mas um mysteno de dores!
Sobre a agua l-se na JMo j
r- haja interveneo directa dos credore f que tain-
r-1 iwui determinara os arts. 67 e 68 do decreto de i*
caracote as ras que se tem de calcar, c este ser
vico so tem de ser executado na parte mais impor-
tante e concentrada da cidade e nao em toda ella, de maio de 1835.
Aquellas ra, cortamente, nao sao das que se tem E finalmente, seu parecer que at a quaUnea-
em vista calcar, e quaudo o fossem nao perdem cao da quebra, as custas devem ser pagas pela
por isso o earacter que tem em quanto se nao ef- massa fallida, na conformidade do art, 344 db co-
fectuar all o mencionado calmamente. S entao digo do commercio ; que havendo pronuncia, e
que esta reparticao cuidar della e d'aqui at l, \ sendo o procero reaietudo ao juiz criminal, para
me parece que nao pde.a cmara municipal aban- \ ahi promover-se aaccusaoo, e se o reo for absoJ-
donar a inspeccao, polica e administracao econo-'. vido, deve a municipalidade pagar as custas, por
mica do que Hie diz respeito. que o processo paramente criminal, e promorido
O governo da provincia nao tem quott na lei pa-' pela justica publica, e por isso est na regra esta-
belecida no art. 307 do cdigo do processo.Intei-
rado.
aazeuda; appellado, Joaquim Lo-
i""aneraboard of heat (conselho geral de sa- r !*** servicos, tudo o que nao fr calcamento?
de) de Inglaterra, oreou em 1852 a quanlidade e canos de esgoto, ligados a este, elle nao pode
Pagua indispensavel para as n dres da seguintc forma
Para a provisao domestica, na rawo de 7 para
cada urna das 288:000 cusas na occasio exis-
tentes 1,600:000 galldes (o galtao equivali a
quatro litros e meio ou 3 caadas e meia prxi-
mamente.)
Para banhos pblicos 1,000:000 galloes.
Para rega das ras, limpeza de pateos, sagues,
etc. 40,000:000 galles.
Para acudir aos incendios e outros usos acciden-
taes 3,000:000 gallos.
Total 40 milhes de galloes diarios.
executar.
Se a mencionada cmara, porm para execuoao
daquelle traballio precisar do auxilio do pessoal.
dcsta reparticao, para ajudar o seu engenheiro,
nao me recusara a presta-Io, se Y. Exc. assim or-
denar.
E quanto me cabe informar V. Exc. quera
Dos guarde.
Directora das obras publicas, 4 de agosto de
1863.Illm. e Exm. Sr. Joao Silveira de Souza,
presidente da provincia.
O director, Francisco Raphael de Mello Reg.
Conforme.Antonio Leitede Pinho. *
(Muro ellieio do Exm. presidente da provincia,
dizendo que leudo annuido ao que solicitou o Sr.
visconde de /emonte, cnsul de Franca, em offieio
de 10 do corrente, convida cmara para assistir
ao Te-eum, que o mesmo cnsul costuma mandar
celebrar na igreja de N'ossa Senhora da Penha a
urna hora da tarde no dia 15 deste mez.Intei-
rada.
Ostro do mesrno, remetiendo um exemplar do
Outro do engenheiro cordeador, informando so-
bre o requerlmentn, no qual Joaquim Antonio da
Silveira, pede para que Ihe seia concedido concer-, embargador Lourenco Santiago
9*
PASSAGE.1S.
O Sr. desembargador Caetano Santiago passou
ao Sr. desenibargador Gitirana
m appellaces citis.
Appellante, Antonio Simao de Faria Mattos ;
appeUado, Bernardo Jos Goiealves Lyra.
Appellantes. o juizo e Antonio da Silva Gusmao;
appeUados, as mesmos.
A appellaces crimn.
Amellaste, Jos Coelho Lopes ; appellado, Ber-
nardo Alesaadrino Braga.
Apianante, o juizo ; appellado, Ignacio Rodri-
gues Riito.
O Sr. desembargador Gitirana passou ao S. des-
0 consummo d agua em Pars hoje pouco
TOais ou menos o seguiste :
Para cada peana 20 litros diarios.
Para cada cavallo 75 litros.
Para cada trom de duas rodas 40 litros.
Para um de quatro rodas 75 litros.
Para cada maquina de vapor de alta pressao 200
'''Kracada maquina de pressao media 400 litros' quadro dos trabalhos da assembla geral legislati-
nor hora I va> durante a scssa0 do anno passado, o qual lhc
Para a rega de cada ni metro quadrado de jar- ro transmittido come, aviso da repartic) do m-
dim 800 litros. P0"0.' datado de 13 do JU,lho ultira0-andou-se
Para cada banho 300 litros diarios. archivar.
Para a re-a de cada metro quadrado de calca- Outro do mesmo, recommendando cmara,
da ou ra publica 110 litros diarios. I que cons.nta o arrematante da obra da ponte do

A pelle do hornera chocada ao seu estado de
crescimento tem setc milnocs de buracos que
chamam poros e o comprimunto toUl dos va-
sos espalfiados por todo o corpo, se csvessem
costos em linba, olTureccria urna extensao de
kilmetros.
tar o sobrado de sua propriedade sito na ra do
Amorim; diz que indo examinar o mesmo sobra-
do, achou-o bastantemente damnificado, tendo
ambos os oitoes radiados, o que prova que a fren-
te l se acha inclinada para diante.
Que em sua opiniao ambos os oitoes devem ser
demolidos na largura de seis a dez palmos, e cons-
truidos de novo, fazendo-se a indenticao com sufi-
ciente cuidado, sendo Ambos amarrados com afren-
te por meio de abraoadeiras de ferro, e que deste
modojulga que Acara a obra segura.Deferio-se
de conformidade com a informagao.
Outro do administrador do cemiterio publico,
communicaudo ter suecumbido no hospital Pedro
II urna peneumonia, o africano livre de nome
Braz, o qual se achava ao servteo daquelle estabe-
lecimento.Que se levasse ao conhecimento
Exm. presidente da provincia.
Outro do contador, remetiendo a retacad dos im-
posto*, e rendas municipaes que devem ser arre-
Ai appellaces citis.
Appellante, Antonio Sorberlo de Souza Lealda-
de ; appellada, a cmara municipal.
Appellante, Jos Ignacio de Mello; appellado,
Alexandre de Albuquerque Barros.
Appellante, a cmara muuicipal; appellada, a
irmandade de S. Pedro.
A appellaaio crime.
Appellante, o promotor; appellado, Jos do Car-
po Jnior.
O Sr. desembargador Lourenco Santiago passou
ao Sr. desembargador Motta
As appellaces crimes.
Appellante, o juizo ; ppel ado, Manoel Felippe
Pereira.
Appellante, Jos Correa de Mello -. appellada,
do i a justica.
Appellante, o juizo; appellado, David Pereira
de Sa e Silva.
equipagem 12, carga 3,000 alqneires de farinha
de mandioca e outros caeros; a Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo* C.
Havre35 das,lugre francez Rio Granee, de *)i
toneladas, oapitao Michel, equipagem 10, carga
fazendas e outros gneros ; a E. A. Burle c C.
Navios fallidos no mesmo dia.
AcaracHlate nacional Sobralente, capillo Anto-
nio Gomes Pereira, carga difTerenles gneros.
Cear e portes intermedios Vapor nacional Mu-
mangvape, coramaudante Manoel Rodrigues dos
. Santos Moura.
EDITAES.
As appellaces civeis.
Joo Francisco l'ontes
45
CAIiBi M \I< ll'AL
| lugar trinta dias depois do dia 9 do corrente, de
Aos 10 de agosto de 1863, eomparecendo smen- conformidade com o art. 68 da lei de 19 de agos-
te o Sr. Mello, nao houve sessao. o de 1846, houvesse cmara de expedir as con-
Eu, Francisco Canuto da Boaviagem, secretario venientes ordens.Assim se resolveu.
a eserevi.Mello. Outro do mesmo, dizendo ter por portara de 18
_____ do corrente, e de conformidade com o 5 1* art. 24,
Aos 17 de agosto de 1863, compareceram os Srs. da lei de At de agosto de 1834, convocado a nova
vereadores Barata de Almeida, Gustavo do Reg, assembla legislativa provincial para a prxima
Mello e Gameiro, e por falta de numero nao houve legislatura, que tem de funecionar nos annos de
SCSSao. 1864 e 186o, designando o dia 15 de uovembro
Eu Francisco'Canuto da Boaviagem, secretario prximo vindouro para a eleicao dos membros da
Almeida.Mello.Rege mesma assembla, expedissea cmara as eonve-
da
Recife, barodo l^vramcnto, levantar entre ocha-
fariz do caes Vinte eDous de Novembro.e a ram
pa por traz do Paco da Relaeao, sem que prive o
transito publico, s armazens que forem necessa- lo, salas, etc. ote. Que se ordenasso ao procura-
1 rios para deposito dos materiacs destinados a mes- dor para dar andamento ao termo de fnraccao
ma obra.Que se expedissem neste sentido as pelos metes judiciaes.
convenientes ordens, e se communicasse a S. Exc. Outro do fiscal de S. Jos, informando a petico,
Outro do mesmo, communicando ter designado j na qual Joaquina Mauricio Goncalvcs Rosa, e Fran-
a igreja matriz de Santo Antonio para a reurnad cisco Antonio da Rosa, pedem para ediear em um
docollegio eleitoral desta cidade, que dever ter
municipaes que _
inalados.Que se pozesse em praga para os dias Appellante, Joao Francisco l'ontes ; appellada,
31 de agosto, 3 e 3 de setembro prximo vin- a fazenda.
douro. Appellante, Manoel Paulino da Cunha Gouva ;
Outro do fiscal da freguezia de Santo Antonio, appellado, Dr. Joaquim Jos Nunes da Cunha Ma-
coramunicando ha ver mandado lavrar termo de in- diado.
fraegao as posturas municipaes contra Joo Do- O conflicto de jurisdiccao entre o juz munici-
nely, por achar-sc construindo clandestinamente pal e o subdelegado-de Mossor.
oitoes singellos dentro de um telheiro que possue O Sr. desembargador Peretti passou ao Sr. des-
na ra da Praia, c dividindo dito telheiro emquar-1 embargador Accioli
A appeUacao civel.
D. Joaima Mara das Dores
; appel-
da Silva
a eserevi.Barata de
Hameiro.
nientes ordens, tendo em atiencao o disposto no
art. 2 do decreto n. 2,633 do Io de setembro de
1860.Que assim se cumprisse.
terreno que possuem na ra da Palma, e fazer um
telheiro no mesmo terreno para guardar mate-
riaes; declara nao baver inconveniente em seme-
lhante ooncesso.Mandou-se dar cordeacao.
Outros (2) doadministrador do cemiterio publico
da freguezia do Poco, remetiendo dous mappas
dos enterramentos fetos no dito estal>elecimento
desde 28 de julho 22 do
rador.
Foi approvado um parecor da commisso de po-1
licia, dandopor conferidas e no caso de serem P- j
prova das as contas tomadas pela mesma commisso
ao procurador -no trimestre decorrido do 1 de
abril ao ultimo de junho do presente anno.
reriuerimento do Sr. Barata, mandou-se ofll- i
ciar ao advogado para de accordo com o decreto n.
Appellante,
lado, Dr. Augusto Carneiro Monteiro
Santos.
0 Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
bargador Doria
As appellaces crimes.
Appellante, Jos Avies Brama ; appellado, Joao
Antonio de Oliveira.
Appellante, Jos Mariins Gomes; appellado, Ro-
zendo Jos Murcira e outros.
A apoellaro crime.
Appellante, Joao ilypoiito de Meira Urna; ap-
corrente.Ao procu- pellado, Manoel Joatiuim Ferreira Esleves.
A 2 horas da larde encerrou-se a sessao.
PUBLICARES A PEDIDO.
O abaixo assignado declara mu alto e solemne-
mente, que nao directa nem indirectamente o
autor do communkado que debaixo da assiguaiu-
ra Despeitado pretuneioso publicou o jornal
Progressista Constitucional de 18 do corrente mez,
referindo-se a sua possoa : por isso nada tem com
o anonymo do Jornal do Recife de Graca sem
O Dr. Tristao de Alencar Araripo, oficial da impe-
rial ordem da Itosa e juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recie e seu termo,
capital da provincia de Pernambuco, por S. M,
Imperial e Constitucional o Sr. D. Pedro II, que
Dos guarde, etc.
Fago saber aos que o presento edital virem, e
drlle noticia tiverem que por este juizo pendem
uns autos de execucio de sentenca entre partes
como exequente Jos Goncalvcs Malveira, e como
executado Jos Pinto da Costa.
E tendo proseguido seus devidos termos se fez
pouhora em dinlieiro pertencenle ao dito execu-
tado.
E sendo em publica audiencia deste juizo pelo
procurador do exequente me fura feilo o requeri-
menlo constante do seguintc auloamento :
Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jess
Christodc 1863, aos 31 dias do mez de agosto,
nesta cidade do Recife, em publica audiencia que
aos feitos e partes dava o Dr. juiz especial do com-
mercio Trislao de Alencar Araripe, pelo solicitador
Joao Caetano de Abreu, procurador do exequente,
foi aecusada a penhora feita em dinheiro perten-
cenle ao executado Jos Pinto da Costa, e reque-
rido que ficassem assiguados os seis dias da lei c
dez aos credores iucertos, passando-sc os respec-
tivos editaos, o que ouvido pelo indicado juiz as-
sim lho deferlo ; do que fiz o presente do protoco-
lo das audiencias a que juntei o mandado e termo
de penhora e procuracao bastante que segucm :
Eu Manoel Silvno de Barros Falcao, escre-
vente juramentado o escrivi.
Eu Adolpho Liberato Pereira do Oliveira, escri-
vao interino o subscrevi.
L mais se nao contiuba nem algumaoutra cousa
se declarava em dito auloamento.
Em virlude do meu defenmenlo, o referido es-
crivao fez passar o presente com o praso de 10
dias, pelo qual chamo, intimo e hei por intimado
os credores incertos dos ditos executados para que
comparecam neste juizo dentro do indicado praso,
afim de allegar o que fr de direito e justica.
E para que ehegue ao conhecimento de todos
mandei passar editaos que serao publicados pela
imprensa e afixados nos lugares do costume.
Recife, Io de setembro de 1803.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento,
escrivao o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 24 DE AGOSTO, ~ ,tio'do i^soio, dindo que julgando conve- j 1177 de 9 de" setembro do anno passado, conceden
Presidencia do Sr Barata Je Almeida niente declarar acamara, para expedicaodas con- do os foros dos terrenos de marinha as cmaras
Presentes os Bra Mello Gustavo do Retro, Se ve, venientes ordens, que a reuniao do coUcgio eleito- mumcipaea, requeror o que fosse necessario.
. Gameiro; faltando sem causa participada os mais! ral deste municipio, afim de proceder-se a eleicao, Marcou-se sessdes ordinarias para os dias 31 do
senhores abrio-se a sessao, e foi lida e app.ovada! los deputados geraes, que tem de dar o dlstr.cto,, corrente, c os que se segu.rem ..,
a acia da antecedente a 'I"0 pertence, deve ter lugar trinta das depois | Uespacharam-.se as peticoes de Anna Benedicta graga porque o abaixo assignado, lirme no seu
I eu-sc o sotuinte da eleicao de eleitores, e por couseguinte no dia Gomes, Bailar 4 Oliveira, bard do Livramento, proposito de nao responder a calumniadores infa-
EXPEDIENTE- 8 do setembro vindouro, viste ter o presente mez (2) Chnstovao Guilherme Brenchanfeld, (2) bacba- raes, que cobardemente se swvem do anonymo,
Um oficio do Exm presidente da provincia, di- Ir'nia e um dias.-Inteirada, mande-se expedir re Ernesto de Aquino Fonceca, Hyppolito Antonio para injuriar arepulacao, por mais illibada que
zendo une tendo-lhe requerido Joao Joaquim de, nesl sentido ordem ao procurador. j daSilva, irmandade de N'ossa genhora do Terco, seja : no entanlo couijiete ao Sr. Despeitado pre-
Ficueiredo e Francisco Antonio das Chagas provi-1 Outro do mesmo, declarando que tendo-se de Joao Carlos Frederico Glangualde, Jos Jernimo tencioso apresentar-se e convencer a esses auony-
leneias para que seiam juramentados como sup- proceder por esla provincia a eleicao para um se- Goncalvcs da Fonto, Joaquim Soaresda Rocha, Joa- mos de rfidos e miseraveis calumniadores. E o
plentes do juz de paz da frcniezia de S. Jos des- nador, afim de ser preencluda a vaga, que se deu juim Lopes de Almeida, padre Jos Antonio dos abaixo assignado far outro tanto, arrastrando pe-
ta cidade, afn de nue possam ua eleicao a que no senado com o fallecimento do visconde de Al- Santos Lessa, Jos de Paiva Ferreira Jnior, Jos, ranto os tribunaes competentes a todo aquelie que
vai-se proceder no dia 9 do crrante substituir em buquerque ; rocommeuda a cmara em cumpri- Augusto de Araujo, Dr. Joo Ferreira da Silva, Joa- se apresentar com sua assignatura injuriando-o c
iiualquer impedimento ao nico juiz de paz que ment do que Ihe foi determinado por aviso expe- quim Goncalves Barros e outro, Manoel Flix da deprimindo-o ; aos mascarados entrega-os ao com-
.xiste aaquella fremezia e se aclia em exerci- dido pela reparticao do imperio, que expeca as or- Silva, Manoel Alves Santiago, Manoel Martins Gar- pelo despreao, como tem feilo; e o publico que
ci, estando os oulros, um fallecido e os demais dens *; providencias precisas para que n dia Io cia c outro, Miguel da Silva Noves, Victorino Jos -
mudados recommenda cmara que sem perda de. novembro prximo vindouro. se proceda em (o- de SouzaTravasso, Jos Beruardino Alves, e levan-
de lempo' convide un dos sapoteles daquelle juiz das as freguezias deste municipio a eleicao de elei-. tou-se a sessao. -
de paz para prestar juramento, afim de licar habi- t,)res; cumprmdo que os juizes de paz, (pie teem j tu V rancisco Canute da Boa-v agem, secreiario,
tadoa servir no caso em que'se faca necessario. de presidir as mesas |iarochiaes convoquem com a eserevi. -Regoe Albuauerque, pro presidente.
Inteirada, porquanlo Ja havia sido cumprida se- antecedencia de um mez, prescripla no art. 41 da Uem-tque da Silva.Gameiro.Leal Seve.Rego.
lelhante recomniendacao. ilei de 19 de agosto de 1846, e nos termos dos arts.
mediante recommendac..-.
Outro do mesmo, autorisando a cmara a des- *, J c 0 da mesma le, as pessoas que devem con-
pender ate o im do prsenle exercieio a quantia cpnw para a organisaoao das mesas, isto e, os
indispensavel com a limpeza das ras dcsta cida- eleitores que elegeram os deputados da cmara ul-
de.Que se communicasse ao procurador e con- tintamente dissolviila, c ua sua falta osoito cida-
tador, daos t|ue forem inmediatos em votos aos referidos
Outro do mesmo, dizendo que com a inclusa c- jidzos de paz, d<; conformidad.; coin o aviso de 11
pia da indrmaeao ministrada pelo director da re- de agosto de 1848, o outros muitos.
particao das obras publicas, em 4 do corrente, sob
n. 152, responda ao offieio que llie foi diiiyido pe-
la cmara em 13 de julho ultimo, relativamente a
nina npresentacao que mesma cmara fizeram
diversos moradores e proprietarios das ras da So-
ledade. Corredor do Rispo, Pires e Sel.Posto
em dscussao o Sr. Gustavo do Reg, pedndo a pa-
lavra, i.quereu que dita inlormacao fosse copiada
E fazendo S. Exe. muitas outras consideracSes,
relativamente ao processo de tal eleicao, de confor-
midade com as disposicoes das leis c dH.,soes do
mverno, j.i recommamtedM acamara na circular
de 30 de maio ultimo, expedida para a eleicao de
9 do corrente ; conclue indicando a maneira de
proceder .i apuracao geral de votos, nos termos do
art. 85 da lei: e reitera cmara as recommen-
Barata d"Almeida.
CHROMCA .limcURU.
TIt IIII \ \ i, DA KELAClO.
SESSAO EM 22 DE SETEMBRO DE 863.
ajuize de que parte esta a moralidade.
Recife de Pernambuco, 2 de setembro de 1863.
Malillas de Azenedo Villarouco.
ipsis verbis, na acta, o que sendo approvado, assim &#* fl'ie Ihe fez naquella circular de 30 de majo
no sentido de ser garantida a mais plena liberdade
se faz, e a iafdrmacao a que se segu
N. 152. Illm. e Exm. Sr.Informado, como
ordena V. Exc. sobre a materia do incluso oficio
da cmara municipal, que cobre urna representa-
oao dos moradores c proprietarios das ras do S
do voto, sem alteraoao da ordem publica, e sem
violencias, a seguanla individual dos cidados, o
que s se poder conseguir por meio da fiel ob-
servancia das leis, cuja necessidade i cmara fi-
DCMi,
O*.
PRESIOKNCIA DO EXM. SR. CO^SELHElRO
As 10 horas da manhaa, arhamlo presen-
tes os Srs. desombargadores Caetano Santiago,
Gitirana, Lourenco Santiago, Motta, Peretti, abek '
Assis, c Doria, faltando com participaco
desembargador Ucha Caralcanti, abrio-se a ses-
sao.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
ra, nao compareceu.
Pastados os feitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
Jl'LCAMESTOS.
Appellaces crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Joanna Maria da
Conceicao.
A' novo jury.
Questao de Luiz Jos Marques.
Perfira e SonzaProc. civ.
C.US.VS FISCAES 513.
ola 1051.Contra o devedor do devedor nao
se procede excculivamentc.-Ord. liv. 2 tt?i2 % 6.
, Regiment das contas cap. 93. Provisao de 1 de
abril de 18/51, excepto se elle judicialmente con-
fessa a divida, Pegas ad Ord. liv. 2 tit. 32 S 6. n. 4.
Tambcm nao se procede contra o terceiro possui-
dor dos bens; que foram do devedor fiscal, excep-
to se ao lempo da alienacao j se arhavam abriga-
dos. Lei de 22 de dezemhro de 1761, lit. 3 % 12.
Aos renderos das rendas reaes se communicam os
privilegios do fisco. Smente, porm, lhes com-
pete o meio executivo dentro do tempo do seu
contrato, nao sendo lem'timamente impedidos. Pe-
gas ad Ord. liv. 2 lit 52 6 n. 21.
DECLARARES.
tendo esgoto naqucllas ras, alagara os quintacs
niara informar sobre o que no citado oficio rea-
la o dito director a respeito de baver o fiscal da deiro.
Confirmada a sentenca.
Outro dotenente-coronel director das obras milita-
das casa"s, e prej'udicam a salubridad^ pubfica^ te-' rc^ f*"*5?,*5 da presidencia, mandando ca-
nho a dizer que exacto existir essa aeounuilaoao
de aguas : (iue, porm, caiba a esla reparticao
remediar o mal alli aponlado, e que ao governo se- Ireguezia da lloa-\ ista. obstar a continuarlo da
a fcil faz-lo, o que me parece duvidoso. bra da calcada que se eslava construindo em
Em primeiro lugar devo ponderar V. Exc. que frente do quartel da Soledade em consequcncia de
as providencias que a cmara pede exgein urna ; er seis palmos de; largura, devendo lerdez.Que
sene de trabalhos de um exercieio combinado, que res|iondosse a S Exc. que o art. 18 do tit. 7
alear dedemandarcra tempo, nio s.io propriamentc das posturas de .10 de junho de 1849, determina
de carcter publico, por isso que redundara, quasi que os passeos. ou calcadas as ras devem ter
iue inteiramente em proveilo particular, sao aguas dez palmos e as Iravessas ses, em vista do que,
stagnadas nos quintacs e sitios particulares, por tendo o fiscal sustado a execiicao da obra da ealea-
cansadanatureza do terreno que baivo, o para da,.cuinpno com a disposicao do citado artigo.
.) que nao concorre nenhuma obra ou trabalho pu-1 Outro do inspector do arsenal de marinha. res-
C haiitnios a atten^o de todas
as mes.
para o remedio mais agradavel e til que se conhe-
ce para fazer expellir as lombrigas. As paslilhas
vermfugas de Kenip. Em vez de lodos esses im-
mundos e perigosos remedios vermfugos conqios- jj; ;]7 iar,cuiar c 7 plu,ico casa terrea:
tos de toda a casia de raraeraes, apresentamos un | N 9i particular e I publico casa terrea.
Ra da Gloria.
UE
buco.
Para esgotar c boneliciar esses terrenos, nao
0 cofre que deve ooncorrer.
Ao governo, ou ao poder publico, cabe certamen-
lc auxilku a aqueites particulares na parte era que
os seus interesses se ligara com os do publico, isto
e. facilitar e preparar os escoamenlos as ras,
placas ou estradas, depois de serem as aguas para
bl encaminhadas dos qulataes e sitios pelos res-
1 'divos proprietarios.
E neste ponto consinta V. Exc. (pie chamo a sua
alinelo para urna piildicacao feila na Umita Dia '
pondralo ao que cmara Ihe dirigi em 20 de
julho ultimo ; declara nenluim inconveniente cau-
sar ao melboramento do portoadireccao que pre-
tende dar .loao Carduzo Ayres a eamba que atra-
vessa o seu sitio na estrada do Manguinho.-aQue
se ouvisse ainda ao engenheiro encarregado das
obras do porto.
Outro do juiz municipal da segunda vara Dr.
Francisco de Araujo Barros, communicando para
os devidos etfeitos que no dia 9 deixou o exercieio
de seu cargo em virlude de nao pode-lo exercer
com o de menibio da mesa parochial da freguezia
ria de hoiiteni, em que, pessoa que parece inters- \ de Santo Antonio, e o reassumira no dia 17 do cor-
sada, pede a factura de um canonaquolles lugares rente.Inteirada.
appcl-
para torna-Ios menos insalubres, e animar gran-
le numero de edilica?os, que por dependern uc-
Outro do juiz de paz presidente da mesa paro-
chial da freguezia de S. Jos, remetiendo o livro
vilmente '/ dispeiulwset ferro, nao tem x//oi das acias da eleicao de eleitores, procedida ames
ma lieguezia.Mandou-se archivar,
(Hitro do secretario da mesa parochial da fre-
guezia da Roa-Vista, remettendo o livro das actas
da eleicao de eleitores havida na dita freguezia.
Igual destino.
(Mitro do secrelarioda mesa parochial da Te-
lado, me parece que o gover--1 puezia da Vanea, remettendo o livro das actas da
facilitar o escoamenlo das eleicao, procedida ltimamente naquella freguezia.
encaladas.
Ora. nao o governo qnem dever ir fazer dis-
pendiosos atierros de particulares para que os seus
proprietarios conslruam edtteMOes.
Esse krabalho s pode ser effeciuado por qucm
delles tem d(^ tirar proveilo.
Portante, por esse
no o que pode fazer
aguas pelos pontos convenientes, quando os pro-! Ao archivo.
pi ietarios as encaininharcm para as ras. Sao el- Outro do secretario da mesa parochial da fre-
les os nteresfiados. sao ellos os que lucrara com o guezia dos Afogados, remettendo igualmente o li-
desalargamenlo de seus terrenos, sao elles pos os vro das acias da eleicao de eleitores que se proce-
<|uc devem fazer o necessario borrico para esse deu na mesma freguezia.Ao archivo.
lim. .Outro do advogado, dizendo que estao no easo de
A planta junta, cuja confcccao deu causa a que ser pagas pela cmara, as custas constantesda cer-
co nao podesse com presteza dar a presente infor- lida que Ihe foi rcmettida cora oficio de 3 do cor-
maeao, por V. Ese. ordenada, moslra Lera o esta- rente.Que so ordenasse ao contador pasaasse
do dos terrenos de jue se trata e indica os pontos mandado,
alagados. Outro do mesmo, respondendo sobre a consulta
Por ella niclhor ajuizar V. Exc. do que acabo que era oficio de 5 de agosto corrente Ihe fez a
de expr. cantara, diz que pelo art. 307 do cdigo do pro-
Quanlo ao alagaiueato das ras, nao diffieil cesso, a municipalidade deve pagar as custas em
vita-Ib, elevando-se o kilo destas por meio de que decalr a justica publica, preceito que foi re-
aterp e ncaminhaudo-sc as aguas para a ra da pelido no art. 467 do regulamento n. 120, e expli-
Altracfao por raeio de una valla em seguimento cadonoaviso de 4 de Janeiro de 1840, declarando
ao traco azul, afim de faz-Jas sabir em urna anti- o aviso de 3 de outubrode 1855, que o novo regi-
ga bomba que existe no cauu'nho do Pombal. ment de custas nao isenta a municipalidade do
Essa me parece ser a direceao mais natural que pagamento das custas nos processos em que deca-
se deve dar a aquellas aguas. lr a justica publica.
Outr'ora existi urna valla no ponto indicado pe- Que o art. 841 do cdigo do commercio dispoe
la linba azul pontuada, pela qual corriam ellas. Mas que as despezas e custas que se fizerem na6 dili-
as edilica oes particulares que se tem ali execula- gencias que se proceder relativas quebra com a
do inutilisaram-na, de modo que boje necessario i devida aulorisaco. devem ser pagas pela massa
abrir :ssa nova valla que indico. Para isso, porm, \ dos bens do fallido, o que repelido no g 2.8 do
preciso ser abrir o muro pertencente a viuva Cu- art 676 do mesmo cdigo
COMMERCIO.
nha que tica em frente a dita ra da Attraccao.
Dizem-me que essa propnclaria construir aquelie
muro, assignando termo na cmara municipal, pa-
ra deila-lo abaixo (oda a vez que esta corporacao
resol vesse prolongar o armamento, a sahir no Cam-
po de Santo Amaro na estrada mencionada do
Pombai
DulmsJI fcpara, no oficio, que, com quan-
que as
Que o processo de fallencia tera duas partes: a
civil ou commercial, que diz respeito a verificacSo
dos crditos, concordata ou contrato de uniao, ar-
rcoadaco e administracao da massa fallida, e a
parte criminal, que se regula pelas causas que de-
ram Ingar a altencia :
Que se a qnebra jnlgada casual, nao ha procc-
dimenlo criminal, remettendo-se o procedimenlo ao
que Ihe assiste,' nao "pode juiz de direito, que o competente para o taiga-
de que se trata, por j ment, nos termos do decreto de 2 de jnlho de
caleadas e o nivellamento e 1850, e regulamento de 9 de.outubro do mesmo
das
calcamento destas est a cargo da reparticao
obras publicas.
Devo aqqi notar que esta reparliVSo nrfella un-1
anno
Que dada esta circumstancla, o processo se ins-
Irue com assisimca do promotor publico, sem que
Ap|M>llanle, o juizo: appellado, Pedro Jos dos
Santos.
A novo jury. delicioso confeito vegetal, prompto e iufallivel na
_Appellantc,ojmzo; appellado, Candido Jos Cor- sua operacao, nao causando nauseas nem incom-
modos de qualidade alguina, produzindo seropre o
seu effeito d'uma maneira suave e completa, nao
Appellante, o raizo ; appellada, bebilina Mana carecendo depois a assistencia de qualquer um ou-
da l.onceicao. |ro purgante, til como um excellenle meio de fa-
A novo jury. zer remover as obstruccoes do ventre, mesmo no
Appellante, Luiz Jos de Moura appellada, a caso c na0 exjstrem vermes alguns, e finalmente
justica. tornam-se ellas dignas por todos os respeitos da
A novo jury. confianca e approvaco de todos os paes de fami-
Appellanle Francisco Joaquim Rncio dos San- )aj os miaes c|,arao eslas pasli|,a5 elegantemente
tos appellado, Francisco Elias Fontanellcs. | acondicionadas dentro de fraquinhos de cryslal, e
(.onfimiada a sentenca. I venda em todas as lojas de drogas e boticas do
Appellanle, o juizo ; appellado, Manoel Hennquc impr0 jo Rrasil.
de Sandes e outros.
Confirmada a sentenca em parte.
Appellantes, Pedro los (darlos c outro
lada, a justica.
Confirmada a sentenca.
Appellantes, Manoel flenriquos dos Santos e ou-
tro : appellada, a justica.
Foram absolvidos os" reos.
Appellanle, o juizo; appellado, ('.hrisliano Fran-
cisco Pereira.
Improcedente.
Appellante, o juizo ; appelladi, Joaquim Jos de
Santa Anna.
A' novo jury.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Correa
dos Sanios.
A' novo jury.
Appellante. o promotor : appellado, Joo Alves
da Silva.
Improcedente.
Amellante, o juizo ; appellado, Jos Vicente
das Neves.
Improcedente.
AppeUacao civel.
Appellante, D. forma Simplicia das Neves; ap-
pellado, Victorino Pereira Maia.
Confirmada a sentenca.
Aggravo depetiaio.
Aggravantes, Norat & Irmaos; aggravado, o
juizo.
Relator o Sr. desembargador Doria.
Sorteados os senhores desombargadores Accioli,
c Lourenco Santiago.
Deu-seprovimento.
JJatMu-cerpMS
Negaram a soltura pedida em habeas-corpus por
Severino Marques de Oliveira, sendo elle mandado
rcmettor para a comarca de CaruaKi, onde se pre- ,
same ser criminoso.
Negou-sc a soltura que pedio Estevo Jos-Bar- Volumes
bosa tambera em ordem de habeas-corpus.
DILIGENCIAS.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica
As appellaces crimes.
Appellante, Anna Francisca de Brito ;
dos, Francisco Elias Fonlanelles eoulro.
Appellante, Jos Rrilhante de Alencar;
da, a justica.
Appellante, Constantino Jos Barbalbo;
da, a justica.
Appellante, Targino Guedes Gomes Linhares;
appellado, Antonio Teixeira Bastos.
DES K; NAC O DE DIA.
Assignou-se da para julgamento dos seguintes
feitos :
AppellarSes crimes.
AimeHante, o juizo -, appellado, Manoel Joaquim
de Santa Amia.
Appellante. o juizo ; appellado, Joaquim Jos de
Santa Anna.
AppeUacao civel.
Appellante, a fazenda ; appcllados, Luiza Maria
da Conceicao e outros.
Appellante, o inizo de ausentes ; appellado, Hay-
mundo de Araujo Lima.
Sania Casa da Misericordia do
Reelfe.
Alllm.1 junta administrativa da Santa Casada
Misericordia do Recife.manda fazer publico que no
dia 24 do correnle polas 4 horas da tarde na sala
de suas sessoes, contina a praca das rendas das
casas abaixo declaradas por lempo de um a tres
annos, e que nao convindo que ditas casas conti-
nuera a estar fechadas, os pretendentes compare-
cam com seus fiadores ou com cartas destes no
mencionado dia o hora e faeam as suas propostas,
nao obstante a ronda designada nesta publicacao.
EstalielWimrntos de raridadr.
Ra Direita.
N.. 4 particular e 33 publico um andar. 365-5000
N. 82 particular e 5 publico tres an-
dares............... 9005000
N. 83 particular e 7 publico tarea an-
dares.............. 9005000
Rna do Padre Floriano.
N. 6 particular o 47 publico casa terrea. 1865000
N. 7 particular e-45 publico casa terrea. 1265000
N. 66 particular e 63 publico casa ter-
rea......... 1405800
X. 90 particular e 13 publico casa ter-
rea. .. ............ 1685000
BeecodaCarvalha.
N. 10 particular o o publico casa terrea. 1495000
Hua dos Volcadores.
N. 16 particular e 11 publico casa ter-
rea............... 2005000
Ra da Calcada.
N. 21 particular e 38 publico'casa ter
rea................ 1565000
Ra de Horlas.
N. 29 particular o 41 publico dous anda-
res................. 4005000
Ra da Impcratriz.
ft 47 particular o 68 publico casa ter-
rea................ 3065000
Ra da Roda.
N. 35 particular e 3 publico casa terrea.
N. 36 particular e o publico casa terrea.
\ O V O BAXCO
DE
KMAINCO
0 novo banco paga o 11 dhidcndu
de dez mil ris (1j}000) pw aeco.
\ovo Banco de Peruauil>uco.
O Banco toma saques sobre as pracas do Rio do
Janeiro e Babia.
notoIbanco
DE
BKK\IHBLiO
KM 22 DE SBTEMBRO DE 1863.
O Banco descoma na presente semana a otto por
cento ao anno at o praso de quatro mezes,
onze por cento at o de seis mezes.
e a
1085000
895000
112,5000
1205000
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 21. 236:7485978
dem do da 22........ 9:752597o
266:50159o3
.Hovimcnlo da alfandega.
Volumes
entrados com fazendas
com gneros
sabidos
com fazendas
com gneros
83
121
----- 206
N
436
-----530
Descarregam no dia 23 de setembro
Brigue inglezJoshua & Marymercadorias.
Barca francezaRio Grande- dem,
appelia-' Recebedoria de rendas internas
geraes de Pernamfoneo.
Rendimento do dia 1 a 21. 23:9785379
Idm do dia 22......... 6715930
appella-
appella-
24:6505309
N. 51 particular e 6'i publico casa ter-
rea............... 1445000
Ra do Encantamento.
N. 52 particular e 3 publico 3 andares. 4805000
Ra do Azoite de Peixe.
N. 53 particular c i publico 2 andares. 6005000
Ruada Lapa.
X. M particular e8 publico um andar. 1445000
Hita do Pilar.
N. 59 particular e 73 publico casa ter-
rea................. 1835000
Ra de Sao Boni Jess das Crionlas.
N. 61 particular o 8 publico casa torrea. 1205000
Ra da Cruz.
N. 68 particular e lo publico 3 andares. 1:000-5OO0
Boceo da Lama.
N. 75 particular o 30 publico casa ter-
rea............... 915000
Travcssa do Carcereiro.
N. 85 particular e 11 publico casa ter-
rea............... 1005000
Patrimonio de arpliaos.
Boceo das Bofas.
X. 39 particular c 18publico dous an-
dares ............. 3005000
Ra da Moeda.
X. H particular c 21 publico casa ter-
rea............... 2515000
Ra do Amorim.
X. 54 particular e 21 publico 3 andares. 3005000
N. 56particular e26 publico casa ter-
rea ....... ........ 725000
Ra do Burgos.
N. 69 particular e 21 publico casa ter-
rea 7. .. .. ........ 725000
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cite 19 de setembro de 1863.
O secretario,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Juizo dos feilos da fazenda na
clonal.
Xa quinta-feira 24 de setembro corrente, na sala
das audiencias, lelas 10 horas da manhaa. em pre-
senca do Illm. Sr. Dr. juiz dos feitos da fazenda
se vender em praca publica urna casa de um an-
dar e sotao n. 56. sita na ra da Caixa d'Agua.
pertencente Andr de Abreu Porto, avahada por
10:0005000. e penhorada pela fazenda nacional
para pagamento do que o mesmo deve.
Recife 18 de setembro de 1863.
O solicitador,
Francisco Xavier Pereira de Brito.
Pela subdelegaoia de S. Jos, se faz publico que
foi apprehendido ora mao de Antonio (arios, por
alcunbaQuitcoque se suppoe ser criminoso
de morte na comarca de Santo Antao, um cavallo
ruco, castrado, com unas pintas no espinhaco,
cunas compridas, e com diversos ferros.
Quem se jnlgar rom direito ao referido cavallo,
prove o dominio, que Ihe ser entregue.
Subdelegada de S. Jos, 21 de setembro de 1863.
O subdelegado,
Braz Antonio da Cunha Albui/uerqne.
Orreio.
Pela administracao do correio desta cidade se
Consulado provincia!.
O administrador do consulado provincial faz
publico aos credores dos impostes perteacentes ao
exercieio findo de r862 a 1863, que de conformi-
dade portara do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria abaixo declarada encerrado o respectivo pa-
gamento a 1 hora da tarde do dia 30 do corrente,
sujeitando-se os que nao pajarera at aquella hora
a serem executados.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco 22
de setembro de 1863.
Antonio Carneiro Machado Rios.
O inspector da thesouraria provincial recom-
menda aoSr. administrador do consulado provin-
cial que admitta o pagamento dos impostes perten-
centes ao exercieio prximo findo em liquidaco
somente at 1 hora da tarde do dia 30 do corrente,
afim de que recolhcndo-sc as 2 horas o que entao
se houver cobrado, se possa concluir nesse da
o balance e encerrar a escripturacSo do dito exer-
cieio.
Thesouraria provincial de Pernambuco 21 de se-
tembro de 1863.Jos Pedro da Silva.
Conforme. O chefe da 2.* seceb,
Francisco Ferreira Martins Ribeiro.
A cmara municipal desta cidade, tendo de
proceder no dia 8 deoulubro prximo vindouro a
apnraeao geral dos votos para deputados assem-
bla geral dos dous collegios eleitoracs do 1." dis-
triclo desta provincia, convida aos eleitores dos
mesmos collegios assistirem a este acto, confor-
me dispoe o art. 25 do decreto n. 2621 de 22 de
agosto de 1860. E para cumprimento do artigo
citado se mandou publicou o presente.
Paco da cmara municipal do Recife em sessao
de 21 de setembro de 1863.Angelo Menriques da
Silva, pro-presidente.Francisco Canuto da Boa-
viagem, secretario.
Perante a cmara municipal desta cidade es-
taro em hasta publica nos dias 24 do corrente
mez, e 1 e 8 do mez de outubro prximo vindouro,
para sorem arrematados por quem mais der, por
tempo de um auno, os impostes pertencentes ao
patrimonio e rendas da mesraa cmara, que deixa-
ram de ser arrematados na ultima praca de 3 do-
corrente inez, por falla de licitantes: coqeiros por
6005000 ; 500 rs. sobre cabeca de gado vaceum
4765500 ; casiuhas da ribeira 1665300; gado vac-
eum recolhido no curra! 605300; repeso do acou-
guo 125500 ; carga de fariubae legumes 185432;
gado ovelhum 25360 : os pretendentes podem com-
parecer no pago das sessdes da cmara nos refe-
ridos das,.munidos de fiadores habilitados na for-
ma da lei para poderem laucar, sem o que nao po-
dero ser adraittidosa laze-l.
Paco da cmara municipal da cidade- de Olinda
17 de setembro de 1863.Antonio Joaquim de Al-
meida Cuimares Aicoforado, presidente.Mareo-
lino Dias de Araujo, secretario.
No dia 23 do correnle, depois de linda a au-
diencia do Illm. Sr. Dr. juiz de orpbaos, tem de se-
ren arrematadas por venda duas partes da casa
terrea n. 2 da ra da Concordia, avahada per 4005.
sendo ditas partes no valor de 1:5435628, pertea-
centes aos menores Izidoro e Joaquim, Albos dos
finados seus pais Joo Manoel de Siqueira e sua
mulher, e vo praca por despacho do juizo,
requerimento do tutor Jos Ignacio de Avilla.
Pela mesma subdelegada se faz publico que
na noute do dia 19 do corrente, em a ra Impe-
rial desta freguezia foi apprehendido Justino Al-
ves de Souza, por se suppor furtado, ura cavallo
castanho, com os ps calcados, cauda comprida,
tendo una cicatriz do lado"direto,e cora ferros nos-
lados.
Se alguem se julgar com direito ao referido ca-
vallo prove o dominio que Ihe ser entregue.
Subdelegada de S. Jos, 21 de setembro de 1863.
O subdelegado,
Braz Antonio da Cunha Albuquerque.
Pela subdelegacia da freguezia de S. Jos se
faz publico que nesta data foram remettidos ao
Illm Sr. Dr. provedor dos residuos como bens de
evento, 4 cavados, 1 escravo, 2 correntes de praia
galvanisadas, e 1 rabeca cm mo estado.
Subdelegara da freguezia de S. Jos, 21 de se-
tembro de 1863.
O subdelegado,
Braz Antonio da Cunta Albuquerque.
Pela subdelegada do Peres foi apprehendido-
do poder do ladrao, que furtava, um cavallo rozi-
lho, velho, que se acha recolhido a deposito : quem
for seu dono, compareca, que provaudo o dominio
Ihe ser entregue. Subdelegaoia do Peres 19 de
setembro de 1863.O subdelegado,
Alexandre Martins Concia Barres.
Correio.
Pela administracao do correio dosta cidade >e
faz publico que ora virtudc da convenco poslal,
celebrada pelos governos brasileiro o francez, se-
rio expedidas malas para a Europa ne dia 30 do-
corrente. As cartas serao recebidas at 2 horas
antes da que for marcada para a sabida do vapor,
e os jomaos at 4 horas antes,
Administracao do correio de Pernambuco 21 de
setembro de 1863.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Conselho administrativo.
O conseibo administrativo, para fornecimento do
arsenal de guerra, tem de comprar os objectos se-
guintes :
Para o 2" batalho de infamara.
Porte para bombo 1, portes para caixa de guerra
10, portes para pifaro 2.
Para o 9 batalho de infantaria.
Botos grandes de metal bronzeado com o n. 9
812, rordiio de relroz 116 varas, dilo de 15a 72
varas.
Para a companhia de menores.
Candieiros para gaz 7, gaz 12 saldes.
Para o hospital militar,
("adeiras com assenlo de palha 12.
Para o arsenal de guerra e casa da guarda de
palacio.
Azeile de rarrapato 300 caadas, fio de algodo-
3 arrobas, eslanbo em verga 2 arrobas, velas es-
tearinas 150 libras.
Para o 7" batalho de infantaria.
Papel almaeo 6 resmas, penas de ac,o 6 caixas,
ditas de ave )0, caivetes 2, tinta preta 6 garra-
fas, lapis de pao 6 duzias, areia preta 6 libras, col-
lereoes de carias para principiantes 36, tabeadas
36,'grainmaticas portuguezas por Monte-Verde 12,
compendios de arilbmetica por Avila 12, pautas 12,
escripia ou bastardo 36, carlilbas de doutrinas
rhristaa 12, caixas de instrumentos para desenho
linear 3, metro 1.
Quem quzer vender taos objectos aprsente as
suas propostas em earta fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manhaa do dia 23 do
corrente mez.
Sala das sessdes do conselho administrativo, para
fornecimento do arsenal de guerra, 18 de setembro
de 1863.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastio Antonio do Reg Barros,
Vogal secretario.
Pela thesouraria provincial se faz publico que
as arrematacoes das obras dos reparos do impe.
dramento d estrada da Victoria, foram transferi-
das para o da 24 do correte.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 17 de setembro de 1863.O secretario,
A. F. d'Annunnarao.
Consulado provincial.
Rendimento do dia I a 21. 33:4915856 faz publico para fiiis convenientes, que em virlude
dem do dia 22....... 6315746 do oisposto no art. 138 do regulamento geral dos
-------------correios de 21 de dezembro de 1844, c art. 9 do
34:1235602 decreto n. 785 de 15 de maio de 1851, se proeede-
--------------------------------------r o consumo das cartas existentes nesta adminis-
tracao, pertencentes ao mez de dezembro de 1862,
no dia 3 de outubro prximo," as 11 horas da ma-
nhaa, na porta do mesmo correio, e a respectiva
lista se acha desde j exposta aos interessados.
Administracao do correio de Pernambuco 21 &r
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 22.
Rio de Janeiro21 das, brigue nacional Afmtran- setembro de 1863.O administrador,
te, de 318 toneladas, capitao Jos Moreira Maia, I Domingos dos Passos Miranda.
THEATRO
DE
EHPREZA
DE
A. J. DUARTECOIMRA.
Reelta livre da assignatura.
Sabbade, 2t de setenta de 1863.
Prepara-se para subir scena no dia indicado,
o magnifico drama em cinco actos, do Sr. Frascjs-
co Luz Machado,
0 AMOR FILIAL
ou
OS SALTEADORES M1WNTAMi
POBRE.
Os bilhestes desde j estao ronda no esoriptorio
do theatro.
IMDT1LADO,




Diario d> Pernambuco liarla felra 93 d ttefembro de I 83.
'-.
tt&ivmos Ql) ITI ESPECTICliOS
DO
CIRCO
GRANIU] OCANO
DE
Escravos. movis e Jola.
COMO SEJAM .
Jos, mulato, com 26 airnos.
Pedro Gongo com 50 anuos.
Antonio, Algico com 45 anuos.
Ventura, Africano com 4o annos.
Antonio, crioulo com 26 aunos.
Albina, crioula com 38 annos.
Thereza, Africana com 40 annos.
Mara, crkmla com 50 annos.
Claudina, Africana eom 58 anuos.
Feliciana, idem com 40 annos.
Silvana, crioulacom 23 annos.
Mara, mulata com 24 annos.
Delfina, crionla com 32 annos.
I Luiz (cria mulato) com 11 annos.
; Luiza (cria mulata) com 5 annos.
i Manoel, Africano 60 annos.
Francisco, idem 46 annos.
Marn, crionla 4' annos.
; Romana, idem 16 annos.
1 Felicidade cabra caai una Alba de 9 mezes.
Luiza muala 6 annos.
Alejandrina idem 40 annos.
Lubiuaidem 15 annos.
Januario crioulo 30 annos.
! Juvencio idem 28 anuos.
Silvestre idem 12 anuos.
l'ma mobilia de Jacaranda, 1 candelabro, 2 ser-
pentinas, 3 pares de jarros, 1 piano de mogno, ca-
deira e caixa para msica, 2 espedios, 1 commo-
| da, 1 glfarda vestido, 2 toucadores, 3 marquezas,
[ 4 mesas, 1 mobilia de amarello, camas de arraa-
1 cao, 2 banheiros, 4 laidas, 24 cadeiras, 2 camas do
i ferro, 2 camas para menino, meio apparelho para
janlar, meio dito para al moco, copos, clices, gar-
rafas para vinho, 1 grande fugao de ferro, 1 guar-
I da louea de amarello, o outros objeetos.
1 pulceira, 1 meio adereco de orno, constando
no
ATTEXClO.
SPAUIWI & ROGEKS
Director geralCharles J. Rogers.
Quinta-feira,
21 de setembrn de 1863
BENEFICIO
DOS
IRHiON KOLLAXDEN
Guia inlinidadc de.navidades!
----- i i puiceira, i meio aaereco ae ouro, consianao; v"> ivum ommouic i uiua qu.....,t .. igreja
Primeira noite da excitante o bella pantomima de uma pulseira e un par de rosetas com 14 bri- de sua Exeelsa Padroeira, resolveu prompta reedi-
D-se 50"00.
Na entrada do hospital Portuguez,
a domingo 20 do corente, as H horas
da tarde, perdeu-se desee a eaa do 8r.
Francisco Jos da Costa Aranj* tao
espiii hospital, nm altinete de ouro
com esmalte preto com 8 peclas em
voltaenn m-io 9 brilhnntes: roga-se
a ifue o tiver ochado o obsequio lva-
lo roa Nova n. 67, segunde andar,
cas* de residencia de JoaolVrnra ITou-
tinbo, de quem receber a otferta ci-
ma de 50$. Pede-se aos Srs. aun ves e
mais pessoas a appreheuso deste ob-
jecto no caso de Ibes ser offerecido.
DE
DE
J. TI6NES.
R. AS. HIA ICO IMPERADOR %. ..,.
Das 4005 sobre hypoibeca em umbom es-
cravo que saha trabalhar em sitio : na taberna do
pateo do Terco n. 12.______________________
D-se dinheiro a juros sobre penhores
pateo do Terco n. 12, taberaa.
-- O Sr. Leiz Correa de Gusma que
mudou-se da eidade de ol nda,queira di-
rigirle esta typographia, concluir
oitfgocjoquesafce. _____________
AIiisur! de casa.
Aluga-se uma das melhores casas para quem
quizer passar a festa, na povoaeao de Jaboatio, do ,
lado do rio, e a nica qne se acha desoccunada, e
aluga-se por mdico proco : a pessoa que preten-
der, declare por ust jornal a sua residencia.
^ Antonio Jos Peren-a de Miranda vai a Us- | & p d u antiga fabrca sa? ,,ojo conhcridoS) ^ ^ nec4Ksario ^^ ^ a
-------_---------------------------- ^^ sua suporioridadc, vantagens c garantas que offereeem aos comprad.*es, qualidadcs estas incontesta-
. us administradores damassa fallida de Ga- veis querelles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem parecido nesta praca pos-
margo A Silva conridam aos credores da referida suindo um teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas sem
massa a vlrem receber o primeiro dividendo de 14 nunca falhar, por sorem fabricados de proposito, e ter-se feito nltimamente melhoranontos importan-
por cento, em scu escrptorio no largo do Corpo tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto milito agrada-
Santo n. 13._____________________ veis aos ouvidos dos apreciadores.
tliisriifll Fazem-se conforme as cnearamefidas. tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondol, de Pars socio
iiH | 2t j i i correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
ANlga-Se 0 primeiro andar dOSOOra-! No mesmo estabelecmento se acha sempre um explendido e variado sortiniento de nwsieas dos
do da ra Veliln n ^0 a tratar n l rU'd mCmores compositores da Europa, assm como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido
do Sebo n. 24 ipor pre?os nmit0 razoaveis-
TS
Precisa-se fallar ao Sr. Francisco Jos de
Albnquerque nesta typographia.______________
. 0 Sr. Luiz Jos Marques queira
ntparecer nesta tvpograpliia. j
Aluga-se o sitio da Canelu na estrada de
Joao de Barros, com boa casa de morada, estriba-
na, casa para escravos, boa cacimba com bomba, i
Aluga-se a loja na roa da Imperatriz n. lo, com un grande viveiro, grande baixa com capira para
grandes commodidades e por prego commodo. vero e invern, muitos arvoredos de fructo :
PrOIDO ('uem Pre,en^eI*. dirja-se ao mesmo, que la
Aos irmaos da irmandade de N* S. do Terco, e a'ich: ra com luem traar-
todos os devotos da mesma senhora.
A mesa regedora da irmandade de N. S. do Ter- j
co, vendo a eminente ruina que ameacara a igreja
H BB)
SM T
Ao -importante estabdecimento de fnzend
ruado Grespon 17, de JosGoma billar
Z3* Protejam Kimas. seuhor.i a este bello estalelee|-
menlo de faxend vs.
et]uestre do Oriule, intitulada
ALTO NO DESERTO
retratando os hbitos c costnmes das tribus erran-
tes dos rabes, o estylo de viverem, a retirada das
enancas dos campos, e intimidado oxistenle entre
as familias lie/tuinas e seus cavados.
litante*, 4 pares de brincos, 1 par de rosetas com
diamantes, 2 salvas de prata, 17 colheres de sopa
echa, relogio e outros objeetosmiudos.
Quiuta-feira 24 de sctenibro.
O agente Pinto fara leiiiio com autorisacao do
i novo banco de Pcrnambuco como liquidatarios da
PRINCIPAES INCIDENTES.
I massa fallida de Mesquiia& Dutr e Francisco An-
. tonio Correia Cardozo, de todos os objeetos cima
Primeiro.O rancho durante a noite.Mulheres descriptos pertencentes a mesma massa e existen-
e enancas da tribu nutrindo e acariciando os ca- tCl n primeiro andar do sobrado da ruado Brum
Tallos que estao tomando repouso sobro a plair. n si, onde so cffectuar o leilao s 10 horas do
Elles inesmos retirndose para descancarem a ja Snpra mencionado.
fadga da noite. I----------------,-- ^>.---------------
Segunda.-0 alarma! Cltcgada de outra tribu. il\lli\0
Sellar os cavallos. Preparos para fgida ou, m-M m~''
combate, ou reccbe-los com bom acolhimento. L, ... .
TfirnVo.Chegada de uma tribu amiga.Kecep- Mohllias completas, Crystaes, CSCra-
cao.-Exercicios as festas dos Beduinos. vo^ 0|||tJ|s f|e 0ro e n|.a(., Q ou|ros
Primeira noite da irrisoria pantomima intitulada
VOL AU VENT
OL-
AS AVENTURAS DE l'MA X0ITF.
Euvolvida em paai(3tii criticas, singulares, contra- ] tigos que se tornam etifadonho mencionar.
tempos. resultados desnaturaos provenientes del
Incidentes nattuaes, c iuexplicaveis combinagocs
conticas.
ouro e prata
muitos objeetos etc.
Qitinla-frira 2 i do corrate s II horas.
O agente Olyntpio Jem seu armazem ra do
imperador n. 16, (ara leilao do diversos trastes,
crvstaes, obras do ouro o prata e outros muitos ar-
fn mnasticos e acrobticos
Acanto exhaustos de seus chef t Ouvres, por estes
eminenics artistas, ernquanto que
Equitac't c aerosiaiicos
eontribuirao com sua completa quota para os fol-
gueilosem geral.
Espectculos
(Jittiila-feira i de sefeiriy.
Sribbailo 2(i de srtembro.
tnminrio 27 de xetembro.
Terra-fe ira 29 de selembru.
I)esarmar-se-ha o aniphi-tlieatro porlati.
Quarta-feira '0 de selembro.
a apartidada companhia para as Antillutx ser na
Quinta-feira l. de outuhro.
\V. T. B. Van-Orden Jnior,
Secretario.
AVISOS MARTIMOS.
I D><
DE
COVANHU
Htffi costelra a vapor.
WalnTia, .\aial. Vari. ,-..... c^'4-
vapor Miimtinuwtpe comman-
dante Moura, seguir no dia 22
do corrate as 3 horas da tarde
para os portos cima indicados.
rpivac carga at o dia 21 ao
eTtdia, encomjnclas, passageiros e dinheiro a
fr-.i at o d da sabida as 3 horas: escrptorio
00 Forte d" Manos n. 1.
IEIIAO
tuluta-feira 94 lo correte.
DE
Passas e manteiya Tranrcza.
O agente Pestaa vender por conta c risco de
quem perteneer caisas o meias caixas com passas
e 20 barra com manteiga franeeza fina igual a in-
gleza, tudo ser vendido em lotes a vontade dos
compradores: quinta-reir 2i do crreme pelas 10
horas da manha no armazem do Annes defronte
da alfandega.
LE 10
COTPANHIA BRASHEIRA
DE
PAQUETES! VAPOR.
Dos portos do norte esperado
at o dia 2 de outubro o vapor To-
Cttntku, commandante o primeiro
tenente Pedro Hypolito Duarte, o
qual depois da demora do costu-
me seguir para os portos do sul.
I> carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
MrWlbamsdfl no diado sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escrptorio de
Antonio Luiz de Olivera Azevedo C.
RIO DE JANEIRO
O novo e veleiro hiato Cursor, capitao Jos Igna-
cio da Silva segu inipretciivelinente no dia 23 do
corrcnle, e apenas recebe algunias cargas miudas
e Miaros a (rete : a tratar com Miguel Jo.- Al-
ma da Gnu n. 19.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do snl | esperado
at o dia 30 do corrate o vapor
Apa, commandante Alcanforado
0 ijal depois da demora do cos-
tuuie seguir para os portos do
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
eargl qw o vapor jtoder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, eneom-
inendas c dinheiro frete at o dia da sabida s 2
horas: agencia ra da Cruz n. 1, escrptorio de
Antonio Luiz de Olivera Azevedo A C.
Para o Hio Grande do Sul segu com milita
brevidade o brigue escuna Cijsne, capitao Jos Mon-
teiro de Almeida : recebe alguma carga a frete : j
* para tratar na ra da Cruz n. 3, escrptorio de
Ainorim Irmaos.
DE
Ima casa terrea em chaos foreiros
sita ra rte 8. IImiel nosAogatlos.
(lem limites)
Seita-Mra 2fi doeorrenle s 11 horas.
O agente Olympio vender em leilao uma casa
terrea de pedia e cal, sita na ra de S. Miguel n.
22. a qual tent 17 palmos de largura, 2 salas, 2
quartos, cosinha tora e quintal grande murado com
por lo, pagando de foro mensalmente 25020. O
leilao ser efectuado nodia c hora cima no ar-
mazem do referido agente, ra dt> Imoer''"' ""-
Sai
DE
Fazvudas. ronpa fcia. arma^o
e Htencilios existentes u\ loja
la rua \ova u. 40.
leUa-feira 8 do torrente s 12 horas.
Kem limite.
O agente Olympio acha-se autorisado a vender
em leilao uma poreo de roupa feita, armaco e
mais objeetos existentes na loja da rua Nova n. 40
defroule da igreja da Coneeicao.
fleaciio, e como seja obra muito superior s suas
forcas, vem [telo presente implorar de todos os
seus irmaos e do respeitavel publico, sna coadju-!
vaeo concorrendo cada um com aquella esmela
que seu pi coraco lite dictar. A mesa certa da
ngiosidade de seus irmaos e do rcspeitavel pu-!
Mico habitante nesta bella provincia, nao vacillou
de carregar sob seus debis hombros, com as'con-.
sequencias de uma obra tao dispendiosa, por estar
convencida qne ser coadjuvada em seu nobre em-
pcnlio afim de qne, o muito antigo templo de sua
Excelsa Padroeira i. Virgem Senhora do Terco, se-
ja reedificado e convenientemente ornado, fleando
muito mais sumptuoso do que d'antes.
Est nomeada uma commiisao composta dos
charos irmaos juiz Lourenco Ribeiro da Cunha
Olivera, secretario Domingos Ribeiro da Cunha
Oliveira, e definidor Manoel da Fonseca Medeiros,
Eara dirigir-se a cada nm de seus Irmaos e ao pu-
lico em geral, paraobter a respectiva esmola. Es-
t tambem nomeado thesoureiro da obra o charo
irino ex-juz Dionizio Hilario Inopes, morador na
rua Direita com loja de cera junto igreja, onde
iiAXto i:\iio
ESTABELEODO NAJDADE DO PORTO
Agentes em Pcrnambuco
\nlunio I.iiiz de Oliveira
Azevedo k C.
Sacam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agencias em F-
gueira, Coimbra, Aveiro, \1zeu, Villa-
Real, Regoa, Vianna de Castello, Guima-
raes, Barcellos, Lamegp, Covilhaa, Rraga,
Penafiel, Rraganca, Anuirante, Angra,
liba da Terceira, Hita de Faias, filia da
Madeira, Villa do Conde, Valonea, Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves *e Fafe, a
oito das vista ou ao prazo que se conven-
conar, no seu escrptorio rua da Cruz
n. 1.
as mais modernas vindas
elles
Ahi Vv. Excellencias cncontraro as melhores fazendas
em direitura de Pars e Inglaterra.
Chegaram de Pars os mais bellos cortes de la eom barras delicadsimas, a
antes que se acabem.
Pecas de madapolao de 12 jardas a 4-3, V5300 e 53, ditas de algodozinho de 10
jardas a 43 e i3*>00, ditas de brelanha de o a 33, bramante de linbo do 10 palmos de
largura a 23.a vara, eambraia lisa lina dciO jardas a 43 a peca, chita franeeza fina es-
cura a 320 rs. o covado, laas de cores muito delicadas a 320 c 3G0 rs. o covado, vestido
de blond com capella c manta proprios para novas, manteletes, capas prctas de muito
gosto a Luiz XIV, solferinos pretos bordados, chapelinas de muito gosto, veos para cha-
peos prctos c brancos, vestidos brancos bordados, cassas de cores lindssinias a 240 t
280 rs. o covado. organdys de muito gosto a 400 rs. o covado, chapos de sol de pao*
para meninos a 1361K) cada um.
MQsieas iiiiiiorlautissiriias para piano e canto de todas as forcas e se vendent por
baratissimo preco para acabar.
Adiniraveis laas eseOsseas de muito apurado gosto proprias para vestidos no veri
fazenda ptima de 3 e 4 palmos do largura a 400 e 300 rs. o covado.
Mansa fallida
Os administradores da casa de Bastos &. Lentos
possam ser procurados) poderao'dirigir-se a en- pedem a todos os credores para que aprescntem
ireuar suas esmohs seus tl,ulus alc ina %> (, ooTile seiemh ro, na
A mesa rcgedora'no se vangloria de ser a mo- g} do Trapiche n. 34, allm dse proceder a veri-
tora de tao importante obra. Se gloria ha, recahi- 5a0 e ordenar-se o dividendo,
r ella, sobre aquellas que de bom grado concor-
rer com seu bolo. Ella apenas tem conscienca
qne est eumprindo sen dever. e dar-se-ha por sa- j
tisfeita se vir a rcalisacao de tao importante reedi- ]
ficaco o mais breve possivel.
', 9
DA
mu CENTBAL DE HYGIENE PUBLICA
K trim>so.
Lembra-se ao Sr. aprendiz de clarineta que ate j
alta noite incommoda os visinhos da rua da Cadeia '
e Encantamento, que so cohiba de continuar com
suas imprudencias, pois os vsmltos estao pouco
dispostos a passar as noites em vigilia por causa,
dos guinchos desse instrumento, que tem tanto de
agradavel quando bein tocado, quanto se torna
imsuportavel quando disnolo por um ignorante i
que nao sahe do d. r, mi, f, sol, l ; pois, por ,
mais que estudc nao tass do l. o l fica para
sempre.
CASA DE SADE
Em Santo Amaro
Do Dr. sva Ramos.
m
ELECTRO -MAGNTICAS EPlSPASTICAS
w*

DE
Precisa-se alugar um boleeiro escravo qse
tenha boa conduela,e sem vicios : na rua do Quei-
mado n. 44, primeiro andar. ____________
I'recisa-se failar ao Sr. Francisco Cordeiro i
Coelho Cintra, na rua da Madre de Dos, a negocio j
Precisa-se alugar uma escrava que saiba Co-!
zinliar o diario de ama east e engoinniar : a tra-
tar na rna Impertal n. 162. ______i r
- Acha-se ausente de casaba seis mezes o par-
lar, secco, cor caboelada,' rosto redolido, 'brclts
grandes, denles chcios de lodo, cabellos grandes h
eai'apinhados, sabe lr, escrever c con'ar. alfaia-
te, traballtou em casa do Sr. Jorge Rodrigues Ma-
chado, intitula-se de forro e assigna-se por Fran-
cisco Xavier Nones Qunteiro, sabio de calca de
caxemira verde escura, paleto! preto de alpaca.*;
chapeo de palhinha branca e calcado de ltotinas de
lustro : roga-ses autoridades eaqualquer pessoa
que soober onde se acha occulto, a apprebensio
do mesmo, e <|ualquer notiea, fazerem o obseipiio nitores em sua
nico estabelecimento desla natureza
que existe entre nos, montado do modo
que pode com todo o commodo e zelo tra-
tar qualquer doente, que nella seja reco-
lhido.
O edificio magestoso c conserva-se
em perfeito estado de limpi-za e conve-
nientemente mobiliadft.
Os doenles sao separados, segando os
sexos, natureza das molestias e condieoes
sociaes.
Ha quartos fortificados para os aliena-
dos, e urna enfermara para as partu-
rientes.
O propriejario eneanega-se de qual-
quer operara 0>
O estabelecimento franqnendo qnal-
r pessoa que o queira visitar.
Piimeir.t claie 3aO(K)diarios.
Segunda dita.... -J-.-.ihi ..
Terceira dita.... 2000
. ,iiajne <|....i,a ,_ .. ..ijaaii rece-
bdo, basta que se mande onome do doen-
le e da pesson que o remelle, com a de-
claraeao da morada.
O proprietario aceita contratos annuaes
com qualquer que queira ter um ou mais
leitos sua disposieao.
RICARDO KIRK
Para serem applcadas s partes affectadas. sem resguardo
nem Incoiiiiodo
Muito conltecidas nesta corte e em todas as pro-
vincias deste imperio, pelos seas infalliveis resul-
tailos em todos os casos de inllaminaco, sejain ex-
i ternas ou internas (com cansaro e falta de respi-
' ramo) cmodo estomago, ligado, baco, bofes, rins,
' otero, peito, palpitar-o de coracao, gargantas,
: olhos. erysi|tcllas. rbenmatismos, pralysia, e todas
i as affeeeoes nervosas, etc., etc.
I'jiialmente para tpiaesquer nehacoes, lridas,
! tumores intestnaes e venreos, scropluilas. lohi-
i nhos, papos, etc., etc., sejant qual for o sen tama-
! nlto e profundiza. |ior meio da-supuracao sero ra-
[ dicalmente extirpados.
(Estas dkopat nao podent facer mal de forma al-
guma, ellas tem sido applicadas aos olhos com o
melhor successo. yei-" arrstanos ue curas
.opiatas qne ja foiaiii publicados pelos jornaeS.)
O uso dellas aconselhado e receilado por habis e
distinctos facultativos, sua efficacia ncontestavel, e
LEILAO
DE
'oas, movis e dividas.
Sahhailo 26 do correute I hora da tar-
de d|iui.s da audieiifia do lllm. Sr. Dr. juiz mu-
niri|ial da segunda vara.
O agente Olympio reqnerimento dos adminis-
tradores da massa fallida de Manoel Buarque de
lEtcdo e mandado do lllm. Sr. Dr. juiz municipal
da segunda vara, em presenra do mesmo, vender
em leilao publico as joias, movis e dividas perlen-
cente a mesma massa. 0 leilao ser elleetuado no
da e hora cima no armazem do referido agente
rua do Imperador n. 1G.
DE
lktstos & Reg padem s pessoas que tem pe-
lores em sua loja.de os virara tirar no praso de
de lvalo rua das Crines n. 39, primeiro andar, oito dias, do contrario sero vendidos em leilao,
ou na rua Nova, casa dos Srs. Qunteiro & Agr, por quanto derem para pagamento
que se gratificar a quem der noticia do mesmo. _. |.,0vme-SC a-S dcvcdo.^ da Cv-
Pede-se ao Sr. tenente-coronel Luiz Francis- r f n
co de Barros rTgTo favor de vir rua do Quei- l,H('lil I ia He Aiail to) A; BrjU (JUC SC
mado n. 9, toja. _______________________ no prozo de 21) d M OJIO C!Hlipape<',er'm
- O abaixo assignado pelo presente declara ao m iKCfiilneio di u-i il Ti-oiii.l.a Va,,
Sr. Francisco Xavier Mendos da Cunha.qne raima n ?CI 'I'10 ,0 U'1 *A U0 !" **
liazer-ine a utiuha letra que em seu poder existe, O, a SaUMn i SdlS 'eiDltlS, SCI'O a
as innmeras curas completamente obtidas as di
versas molestias emque foram applicadas, e fazeru
merecer e conservar a coafianea do illnstrado jki-
jlico, que j tive a honra de merecer delle 2o an-
nos de existencia e de pratira.
N. B. Xesia corte e de lodos os pontos dest
imperio recebem-se participacoes satisfactorias e
respeito das ditas chapas medicinaes.
As enconimcndas das provincias devem ser di-
rigidas por escripto. com todo o cuidado de fazor
as neeessarias explicacdes, se as chapas sao para
homem, senhora, menino ou erianca, declarando a
molestia e em que parte do corpo existe.
Para inchacoes, feridas, loliinhos, papos, etc.; o
inoiue Jomo de sen feuiuinlio em um pedaco de pa-
pel, a declaracao onde existe, afim deque a chapa
seja da forma da parto affeeda, e para que possa
ser bem applicada em seu lugar.
PODE-SE MANDAR VIR DE QUALQUER PONTO DO IMPERIO
DO BRASIL
serio acompanfaadas das suas com- Consulta s pessoas
As clwpas r,.,..u aeomi-aimaas uas suas com- Consulta s pessoas que se" dignaran honra-Io
Odenles .'xplicacoes. e tambem de lodos os acces- com a sua confianca. todos os dias. sem excepeo
denos necessanos para suas apphcacoes. das 9 horas da manliaa as i ,1a tarde '
vendo-sp seus hohips pelos jomaes.
Rccife 1S de selembro de 1803.
va vencer) visto cu nao ter adiado no lugar Cari- s>0. ffililtOS ili(!ici:i ni:'lile ti iscip-
ris Velhosogadoqueellemevendeu, do qual pro- ". Wrt^^,,, .!"" '." "|f"
cede dita letra, pois nao tendo elle seu formal de '
parlilhas c j sabendo que nao existia o gado que
Ihe havia pertomwr, vo da improviso fazer nego-
cio eoinigo, pelo que protesto nada Ihe dever sem \ Mnea-se urna prata ptima engommadeira e
que se entenda eomigo, o mesmo serve para se nao coznheira, e faz todo o mais servico interno do
poder fazer transaccao com a miaba letra, pois te-1 urna casa de familia : na praca da Boa-Vista lui-
mos que litigar em juizo. nao o querendo Sr. Cu- mero 9.
nha fazer por bem. Eugenho Salgadinho 10 de |
setembro de 1863.
ESCRPTORIO
Ho 119 BCA DO PARTO 119
E EM PERNAMBUCO
Para as eucominendas ou inforntacoes dirijam-se pharmaeia de Jos Alexandre Ribeiro,
rua d Qneimado n. 15.
Miguel Mendes da Silva.
Antonio di Lconard Poluchl, subdito italiano,
retirase para fra da provincia.
Precisa-se fallar nesta praca com o procura-
dor ou prente do Sr. Luiz Antonio Ferreira Santos:
rua nova de Santa Hita n. 19. ____________
Quem precisar de unta ama de loite, dirjase
n. 25, que achara com
Im sitio denominado .Uuipiuyo freguezia dos Ah-
ijados cslrada que vai para Molocolomb.
O agente Almeida competentemente autorisado
fara leilao de um grande sitio com casa de viven-
da, com excellentes coinmodos, a qual nao est de
todo acabada por fra, o chao proprio. tem cerca
de 800 na decoqueiros dos quaes j20 do fru- Precisa-se alugar urna pessoa que compre e
to, bastantes mangaiieiras, cajueiros, larangeiras, cozinlte, e faca o servico de uma casa de homem
Manirs, muito mangue em estado do se cortar le-' solteiro : na rua do Qneimado n. 33 A, loja.
nha, nina baixa famosa para capim, pasto para 10
rua do Nogueira, casa
quem tratar.
I'ieviue->e aos devedores irmissos
da firma social dcAian.iga, Hijo & (!.,
que se no praso de 20 das nao coiu<
uarcicmn no escripl'rio da rua do
Trapiche n. 0, a saldaren! seus dbitos,
sirao a i-lo coagid's judicialmenlc,
traiiscreveiMiosesel orne*.
18 desplemliro de 1863.
Ao n. 29.
Nova loja dos baraleiros na rua do Queimado.
Velludo de cores fazenda muito boa o covado
AMA
Precisa-se de unta preta forra ou escrava que
saiba bem cosinhar e tratar do mesmo servico de
3000. balos de panno 3A200, ilitos de arcos M casa : para tratar na rna da Cruz n. 8, segun-
a 3.5000, 43000 a 35000, laas de duas larguras
para vestido o covado ."iOO rs., chitas francezas o
covado. 360 rs., inetim braneo para forro de
vestido o covado 120 rs., tarlalanas de todas as
cores a vara 720 rs.
Ao n. 29.
.Nova loja dos baraleiros na rua do Queimado.
Cassa lisa pello de ovo a peca 73o'00, eambraia
lisa muito lina a peca de 17' varas 10, eam-
ReClfe, "raicta poca de 12 jardas 75000, eambraia adamas-
; cada pira cortinado a peca de 22 varas 103000,
do andar.
Precisa-se tomar a premio 3:0003 dando-se
! hypotheca em terrenos de superior valor: a pessoa
a quem convier dirija seu nomo em carta fechada
livrariado Sr. Figueiroa com as iinciaes A. M.
Antonio Ferreira
seguo para o Aracaty.
-rdoso, subdito portuguez.
mecas annualmente, um formidavel viveiro e ou-
tros em principio, embarque ao pe da casa, uma
ilhacom capacidade para se dividir em 3 grandes
propriedades, onde ha bastantes plantacoes de ro-
ca, meloes, melancias e batatas.
Sabbado 9H do corrate.
O leilao ser effectuado defronte da associacao
commcrcial porta dos Srs. Palmeira & Beltrao,
as 11 horas.
Para Montevideo vai seguir com multa bm-
vidade o brigue hrasileiro Sorpresa, capitao Jos
Rodrigues de Almeida, recebe alguma carga a fre-
te, par o que trata-se no eseripiorio de Amorim
Irmaos. na rna da Cruz n. 3.
Para a Baha vai sahir eom mnita brevidade
o veleiro patacho D. Luiz, capitao Jos Teixeira de
Azevedo, por ter a maior parte do carregamonto
prompto : para o resto trata-se com os consignata-
rios Palmeira & Beltrao largo do Corpo Santo n.
4, primeiro andar.
LEILOES.
LEILAO
DE
HOJJE.
Augusto Cesar de Abren concluir o scu leilao
Aq falcadas inglezas e francezas por intervencao
to agente Pinto : lioje 23 do corrate no seu ar-
inatra rua da Cadeia.
l^M* hje na rua da C'adeta
m. ..
Pein agente Ensebio se vender em leilao -di-
versa obras de mareineiria. obras de prata e
ostro, e dirarsos objeetos que serio presentes no
acto.
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA.
Sabbado 26 do correute mez se extrahir
a segunda parte da primeira lotera a bene-
ficio da igreja de Nossa Senhora das Neves
de Olinda.
Os bilhetes emeios bilhetes acham-se
venda na respectiva thesouraria, rua do
Crespo n. 15, e as casas commissionadas
roa da Imperatriz n. 44, loja do Sr. Pimen-
ter, rua Direita n. 3, botica do Sr. Ghagas,
e ra da Cadeia n. 43, loja do Sr. Porto.
Os premios de 5:000/ at I0# sero pa-
gos uma hora depois da extraccao at as 4
horas da tarde, e os outros no dia seguinte,
depois da destribuiejo das listas.
O thesoureiro,
________Antonio Jos Rodrigues de Souza.
~ Que'" precisarjde uma eriada portugueza,
duija-se a rua do Apollo 11. 4, primeiro andar. .
lraMiidade de Nossa Senhora do
Rosarlo.
A mesa regedora desta irmandade, erecta na
matriz do Coreo Santo, convida a todos os irmaos
para reuniao 110 dia 23 do corrente, as 4- horas da
tarde, afim de se proceder a eleicao da nova mesa.
Jos Fernandes Ferreira.
Escnvao.
Jos Augusto Galvo Pires e Tiberio An-
tonio Galvao Pires, profundamento MMM"
vides agradeeein peohoradissiraos a todas
aquellas pessoas que se dignaram compare-
cer a missa i|iit- mandaram bontora celebrar
pela alma de seu presadsimo pai 0 sempre
chorado amigo Tiberio Gomes Lapemberg
Pires.
Arrendam-se os dons grandes
rua de Apollo ns. 38 e 40, communicados por den-
tro por meio de arcadas, e proprios para um esta-
belecimento em poni grande, e trata-se com Anto-
nio A Ivs Barbosa nos meemos armazens
Aluga-se una casa na rua das Flores : quem
quizer falle na alfandega com Joo Duarte Carnei-
re Monteiro.
^^^^^ I meias Uuas para senhoras a duzia a i-5000. chales
armazens da 'de ir,a |M)n,a redonda a 32*300.

Alugam-se o 1." e 2. andares da casa da
r*a de Apollo n. i, por preeo commodo, bem co-
mo a casa terrea da rua do Fogo u. 30 : a tratar
na rua da Mocda 11. 20._____________________
fereee-se uin homem de meia idade para
.criado, o qual compra e cozinha ^ na rua da Flo-
Fugio no dia 20 de agosto do corrente anno rentina n. 20.
da eidade do Hio Formoso, a eserava Monica, arre!---------------------------------------------
tem os signaes seguintes: esfatnra rrgtrlar, preta. FefieB-se
nariz alllado, olhos graades, ns ntchados por ter, nontera em transito do Hospital Portuguez para o
soundo de ery.pela : quem apreltende-la poderu ruje-ife una oulseira de ouro : icuera a achou e
Ao d. 29.
Nova loja dos baraleiros na rua do Queimado.
Bicos pretos de linho a rara 120, 160, 240, 320
rs., franjas de seda a vara 80 e 160 rs., galoes | do Crespo loja 23.
de seda de algodo e de la para enfeites de vesti-
do a peca do 10 e la varas a 400, botoes de seda
de velludo e de fuslao duzias 120.
Aluga-se o sobrado da senhora viuva l.as-
serre assim como 2 casas pequeas e uma meia
agua na Capunga Velha : a tratar em casa de H.
B. Lasserre & C, rua da Cruz n. 5.
Antonio Monteiro Itehello Jnior subdito por-
tuguez retira-se para o Rio de Janeiro.
Aluga-se a casa terrea da rua do Socego n.
H, com 2 salas, 2 (piarlos, cosinha fra, com ca-
cimba meeira, quintal murado : a tratar na rua
T^mL'rwL^ T C-f ..de *" sen^or Jo" i quzer restituir, oTevar" rua larga do Rosario n.
se Gomes tmmbraou nesta eidade no eseripiorio. 46 ,ojad i0Una, onde s" --"'-
da viuva do fallecido commendador Manoel Gon-1 ^ '
calves da Silva, que ser gratificado.
pulseira de ouro : quem
r rua"
sera gratificado.
Alugam-sc escravos, tratar na saboaria do
Afogado raa de S. Miguel ou no Recife no deposito
de sabaoda rua da Scnsala Velha n. 135.^-
Precisa-se de ama ama do kke : na rua das
Trineheiras, sobrado n. 17.
Precisarse de vendedeiras de bolos de venda-
gom, c paga-sc bem: na botica do .pateo do Carina
Aluga-se mu preto para o servico de campo
ou de coxeira. quem anises dirija-.se ao Curso
Commcrcial, da* 3 s S horas da tarde, iiue acha-
ra com quem tratar.
Maques sobre l'oriiiga
O abaixo assignado, agonte do lauco
mercantil Portuense nesta eidade, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer MMM rista e a prazo, po-
dendo logo os saques a prazo serem des-
contado.- no mesmo banco, na razo de 4
por cento ao anno aos portadores que as-
sim Ihe convier: as ras do Crespo n.
8 oa do imperador n 51.
Joaquim da Silva Castro.
Atteneo e multa attenco.
Quem tiser penhores na travessa dos Ezpostos
n. 18, queiram vir resgatar no praso do tres dias.
sob a eoRdieo de serem vendidos para pagamen-
to do principal, e juros, lindos os quaes nao haver
reclaniaeo alguma.
Recito, 25 de setembre de 1863.
Atleu^o.
Na rua estreita do Rosario n. 41, se-
gundo andar, se offerece uma pessoa pa-
^ ra engommar com alguma perfctcao c
g commodainentc nos procos.
UE PARS
Cra-2!
Na rua da Senzalla nova n. 39 taberna da es-
quina que vira para o beeco Largo, precisa-se de
uma ama secca, forra ou escrava : a tratar na
mesma taberna.
diteros
Para dentro e fra da eidade se manda conduzir
objeetos por barato preco : a tratar no armazem
na bolaamarella da rua do Imperador no oitao da
secretarla da polica.
Precisa-se atufar um primei-
ro ailar de nm sobrado as segnin-
los ras: Imperatriz, 4mora, boya,
Crespo elmperavtr para residencia de
um cstrauj^iroque se vei testabelecer
nesta eitlade; quem tiver auniincie on
_ dirija-se roa da Imperatriz n. 40, a
_ Alunm-M tres meiraguas na rua da Atrai fallar rOl LeOROld) FrrraPi lia t no
cao ns. 1, 3 e 6 : a tratar na rua do Rangel, taber-1L.. tw LC,,Pun" rrrrcira Sia lIDS
nan.7. Ribeiro.
Aluga-se a casa terrea da rua dos Guarara-
Ses n. 67 : a tratar na rua da Cadeia do Recife n.
7,loja.
Procisa-se de l:000 a premb com hypothe-
ca em uma boa casa terrea nesta eidade : quem
esto negocio quizer fazer annuncio por esta rolha
l*ra ser procurado.
Precisa-se alagar uma escrava que seja per-
feita engonuuadeira e que entenda alguma cousa
de costura : na rua do Brum n 34.
Alngam-so os andares e loja do sobrado da
rua da Penna n. 20 : a tallar na mesma rua a 5.
Perdeu-se de Jahoato at ao Recife cinco
chavinhas : quem as achou queira leva-las rua
estrena do Rosario n. 1, que ser recompensado.
- Tintur ingleza instantnea para
tingir a barba e cabellos -em manchar
%0 HOTFIi
2 i-Hna da
Precisa-se alugar um moleque para levar comi-
das fra.
Domen ico Ger base, e Fihrestro tierbase, sub-
ditos Italianos, rcttramse para a Earopa.
Aloga-se o primeiro andar do so-
brado da rua da Cruz n. 40, muito pro-
prio para qualquer eseripiorio: Ira-
tr no armazem do mesmo sobrado.
Ainda esl para alugar-se o sobrado na rua
ros Coelhos n. 10, onde moraram os padres lasa-
ditas.
Aluga-se o primeiro andar da casa d* rua
da Cruz n. 13 : a tratar no armazem da mesma
casa.___________________________________
LigOES
BB
PARTIDAS DOBRADAS
ARITMTICA
TRES VEZES POR SEMANA.
TERCAS, Qlims E S.VBBADOS
DAS 7 S 9 HORAS DA NOITE
Preta 10,00 rs. intnsMaMMiaaiMtados.
rlanuel Fonsoirf j*ros'
contina a dar licoes dM t ,n<>
^JK&n; qne faz
onde trahalha o
a pelle, preparada por Desnons: acha-se Luina para a Gamboa d> ca
Venda ni na do Imnerador n 44. Sr. E. Gadault. As pessoas a quem o presumo do
uud u\ rud UOimperaOOl O. ^|ani-^antepudera^^ardi?nem^procura-lo
ntllCa, I ahj smente nos dias o horas acuna designadas.




>


f
i
ILEGVEQ
..... **"^mm***"*m


-1

Diario dr lVTnamlmcoQnai-ta felra tS de Setentl de ISAS.

NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
Cartees de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartees de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Ca'toes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
SEGUR0S DE VIDA EM MUTUALIDADE.
A direceao do BANCO UNlAO tendo obtido do governo de S. M. F. a autorisaeao para estabele-
I cer o seguro de vidas-era mutualidades, faz publiso que desde j-tama subscripces annuaes por urna
! s vez, debaixo das seguiates condicoes :
Com perda de capital e lueres-,
Dito capital smente;
Dito Inoros smene;
devendo a primeira liqsidacSo ter lugar no Io de Janeiro de!18S9.
As vantagens do emprego de capitaes em mutualidade, sao obvias, porque nao rnente se co-
in o juro de quaotias diminutas, de que avulsas se nao podea tirar nenhum resultado; mas alm
disso, este rendimento augmentado pelo capital ou lucros, ou ambas as cousas, conforme as condicoes
da subsenpeo, dos que fallecem. Tambem partido pelos socios sobreviventes tudo aguillo que dS so-
cios morosos nos seus pagamentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que
occorrerem pela falta de cumprimento do compromisso social.
As liquidacoes sao pelo systema das companhias hespanholas, Tutelar e outras ;c parase poder
fazer urna idea do que pode produzir urna entrada annual de 105, publica-se a seguintc tabella basca-
da sobre a experiencia de muitos annos de companhias desta natureza :
Em .'i annos m 40 annos Em lo annos En 20 annos Em 23 annos
Por um
Por urna
menino de 1 da a 1 anno 1105 4005 9005
de i anno a 2 . 905 3005 7505
> de 2 a 3 8(15 2905 7205
de 3 > a 4 865 2805 7105
de 4 > a 15 i 805 2705 7005
pessoa de 15 > 20 865 2705 7005
de 20 > a 30 . 86-3 705 7105
de 30 > a 40 865 2705 7205
de 40 a 50 > 905 3005 7305
2:6005 4:7005
4:7005 3:7005
1>6005 3:5005
1:5605 3:4005
4:5505 3:3505
1:5405 3:3305
1.5605 3:4005
1:6000 .3:7005
1:8005 5:0005
iln
..vm-mm
Joao da Silva Ramos, mdicopela l'm-
versidade de Coimbra, da consultas em
uacasa, na ra Nova n. 50, das 8 s 10
horas da manha, e das 4 s 6 da tarde, e
recebe igualmente convites para dentro
j u (Ora da esdade, com oflm de se encar-
; regar de qualquer servico de sua profis-
sao.
Os chamadas deverao vir por eseripto.
Laboratorio homeopathico. rna
\v;i n. i:i.
O Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho tem en-
carregado da -sub-Korcncia do seu estabelecimento
aoSr. Jos Alvos Tenorio, professor em homeopa-
liia. c compi>tt'nteii):Bte habilitado para substitui-
() em auaiquer ausencia
AL VIRARAS A NOVIDADE.
Sao chegados i loja das columnas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio
Correa de Vascoasellos A C. riquis-
simos curtes de la muito fina com
barras estampadas e matisadas Im-
peratriz Eugenia, cores as mais deli-
cadas como sejam: cor de ganga, de
lyrio, cinza etc., fanenda fnteiramen-
te nova e nunca vista em Pernam-
buco.
As entradas por urna s vez dao resultados muito superiores s annuaes.
Porto, 10 de agesto de 1863.Os directores do Banco Cniao, Jos da Silva Machado.F M van
Nupoort.
Agentes em.Pernambuco : Antonio Luiz de Oliveira Azevcdo & C, ra da Cruz n. L
A l R 0 R A J& BRUJANTE.
LAR0 DA ^g?ar SANTA CRUZ.
O dono do grande estabelecimento denominado AURORA BRILHANTE,
l'o ila Santa J"ni7 n ti', oto n n.___i ..v.i:- .____________ '
Na roa do Queimado n. :i deseja-se fallar
com os senhores Gabriel Germano de Aguiar Mon-
tarroyos, Fernando Francisco de Aguiar Montar-
royos e Joaquim Francisco de Aguiar Montarroyos.
. x:::
Oadvogatro Jao Calves
da Silva Montan-ovos tem"o sea
e Rosara n. \7, onde p procurado das 9 horas da ma-
nha s 3 da tarde.
Aluga-se o segundo andar do sobrado na ra
da Senzala Novan. 42, com bastantes commodos
para familia : a tratar na mesma.
Aluga-se a casa terrea da ra Imperial n.
06 : os pretendentes dirijam-se Caia Filial.
Js a Silva Loyo & C,
sobre Lisboa e Porto.
tinturara.
Tinge-se cora perfeicao para qualquer
cor, e o mais barato possivet: na ra do
Rangel n. 38, segundo andar.
Ajugain-se a loja do sobrado n. 193, e arma-
zem 171 da ra Imperial; o armazem n. 4 da ra
do Apollo, o a casa n. 27 da rna do Burgos: na
ra da Aurora n. 36.
Vende-se um carrinho d'alfandega, por preco
commode; nos Q ta tro-Cantos da ra da Gloria d.
95, taberna.
ATTTEXf,".!.
Vende-se urna armacao em ponto pequeo feita
a moderna por barato preco : na ra Direila n.
19, a tratar na mesma.
Vende-se urna casa na ra da Barra na villa
da Escada, perto do rio, propria para se passar a
festa, e sene tambem para negocio, pois tem um
quarto separado : a tratar na ra Direita n. 8, ou,
na mesma villa com sua proprietaria Joaquina Ma-
ra do Monte.
DRAMA
NO
ao
largo da Santa Cruz n. 8 i, avisa o respeitavel publico, e com especialidade aos
seus freguezes c amigos, que recebeu um completo sortimento dos melhores e
mais novos gneros que vem ao mercado, e que vender sempre por precos
muito rasoaveis. r i ^v
Queijos novos viudos neste vapor Genebra em frascos verdadeiras
(cobertos), o raelhor que ha, a 20500 de Holkmda, a 640 e yoOO
Ditos no vapor passado, a 20 e 20200, Frascos com dita de Iaranja, a
960
640
640
-Contina a haverpode senteio
novo nos das > 2S
quartas e sabbados de cada semana, na padaria
era Santo Amaro ao p da fundidlo, na roa da Im-
peratriz n. 22, e ra do Brum, confronte o chafa-
riz n. 47, ra das Cruzes, deposito n. 39, na Pas-
sageo, taberna da esquina do Sr. Bento, que vira
para o Remedio, e no armazem progresso, largo
da Penlia n. 10.
Ditos de manteiga do Serid in-
teiros libra 600 rs., e a retalho
Ditos de qualha, inteiros libra
440 rs., e a retalho a .
.Manteiga ingleza flor, libra. .
Dita mais abaixo, (ha grande
quanlidade de barris para es-
colher, a 720 e .
i Ditahamburgueza, barris peque-
nos, e muito nova, libra .
Dita franceza em barris, libra
20, 540 e ......
Cha uxin muito fino, libra. .
Dito dito muito fino, libra. .
Dito nao miudinho, igual em
qualidade ao perola, libra. .
Dito nao grado muito superior
libra........
Dito n5o grado muito superior
libra........
Dito nao grado muito superior,
libra 20600 e......20400
Ditopretoomelhorpossivel, libra 20000
Dito do Rio em latas de urna o
mais libras, a 10600, 10800 e 20000
Bolaxrahas de sodas e outras em
640 e. .
640 Ditos com conservas inglezas
francezas, a 720 e.....800
480 Ditas com mustarda, a. 480
800 j Caixas com charutos finos, suspi-
ros, de Sima, em Tabocas.tra-
bucos,varetas, aurora e outras
muitas qualidades finas para
diversos precos, sendo de 500
rs. a caixa a......40500
Cartas finas para voltarete, o
baralho 400 e a duzia 30400 e 30600
560
20880
20720
30000
20800
20720
ZAMORA.
HISTRICO PELO DR. THEBERGE,
gUAL NlO INTERVEN PERSOfMGEM
FEMENINA.
Na ra Nova n. 11 vende-se a 10ooo
exemplar.
Mnptpg
Companhla firieli
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
SSIfSi lili!!
Prelto rer Pelo presente attesto e juro, se preciso for, que,
soffrendo longo tempo de una inllammacao de li-
gado, nao pude obter melhoras em quant nao re-
corr as chapas medie inaes do Sr. Ricardo Kirk,
com escriptorio na ra do Parto n. 119, com o uso
das quaes liquei completamente restablecido em
28 das.
Vende-se a armacao e gaz da taberna da ra
da Lingoeta n. o : a tratar na ra da Cruz n. 36.
Vende-se tinta superior para ailar roupa a
2J000 cada garrafa, e <5 as meias garrafas: na
ra Ve|ba n. 93. Com urna garrafa urna familia
aila roupa um anno inteiro._______________
Nal de Lisboa.
Vende-se a bordo da barca portugueza Despique
II, superior sal de Lisboa : a tratar na ra da rT,
Senzala Xova n. 4.
A 405OO o sacco
de superior farinha de Santa Catharina ou de Por-
to-Alegre : vende-se a bordo do patacho Regulo,
em porcao ou a retalho : trata-se com o capitao a
bordo, ou com Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C, no seu escriptorio, ra da Cruz n. 1.
Sitio para vender.
Vende-se um exccllcnte sitio muito perto da i
praca na estrada de Santo Amaro n. 2 difronte do #^yu :
O GALLO CANTA.
J e sabido que quando chega o vapor d
Europa, o gallo canta annunciando aos seus
numerosos freguezes as galanteras de mais
gosto e da ultima moda que por elle re-
cebe, como sejam:
Camisinhas para senhoras.
Requicimas camisinhas com manguitos e
gravatinhas para senhoras: s no Vigilante,
ra de Crespo, n. 7.
CirigolinJkts.
Riquissimas cirigolinhas ou graratinhas,
sendo cousa de muito gosto, e a primeira
vez que apparece para js senhoras de bom
gosto: s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Pentes de concha.
Tara bem chegaram riquissimas gtiarni-
ces de pentes de lindo gosto, lano para
atar, como para marrafas, por precos ra-
soaveis: s no Vigilante, ra do Crespo,
n.7.
Redes com lacinlios de fita.
Lindas redes pretas e de cores com uin-
undo lacinho de lila par3 conservar o cabel-
lo, pelo barato preco de 1050o ; assim como-
os novos enfeites para cabeca a 30000, 40 e
s no Vigilante, ra do Crespo,
n. 7.
Ligas.
Riquissimas ligas de seda de bonitas cores
a 10500; assim como fita propria para o
mesmo efTeito a 500 a vara: s no Vigilante,
ra do Crespo, n. 7.
Lucas de Jovin.
Tambem chegou e chegam por todos os
vapores grande sortimento de luvas de Jovin,
laonde os freguezes podem escolher : s-uo
sitio do Maduro, em chaos propros, com casa de
vivenda de pedra e cal, com solao, cosinha fra,
carimba com boa agua de beber, boa borla e boa
baixa para capim, tendo muitas e boas arvores de
fructo : trata-se na ra dos Guararapes n. 28.
A PREFERENCIA
Va rna Velha numero i 9
Tem exposla venda mobilia de Luiz XV, de
amarello assim como falrica-se de diversos gostos
a Luiz XV, de Jacaranda, e outras quaesquer obras'
por menos preco do que em outra qualquer parte,;.
assim como concerta-sc e envernisa-se por barato! Vigilante, ra do Crespo, n. 7.
Preco-___________________________________ ntremelos e babadinhos.
Em casa de R. B. Lasserre eV C, ra daj Tambem chegaram grande sortimento de
Cruz n. 5, vende-se por precos muito commodos, cntremeios e babadinhos, que se vendem
S2iid,adSU,trnes* COg"aC e ra0S'rSC primeira>r baratissimo preco de 10200 a pecinha:
s no Vigilante, ra do Crespo, n. 7.
Fiedlas para cinto.
\ inho do Porto superior.
Vende-se em caixas de urna duzia : no escripto-
deiro Antonio Luiz Oliveira Azevedo & C.
NOVOS
No grande armazem da aurora brilhantc ha quei-
S,^i!rg!? !^...?'4.'s? 2k*H ^JzP- "
nquissimos pentes que acaba de receber por este
Tambem chegaram grande sortimento de
lindas fuellas de a^o e de metal com pe-
drinhas e sem ellas, pelo barato preco de
20 e 20500, dando-se a fita para as mes-
mas : s no Vigilante, ra do Crespo, n. 7.
i LIO
o gallo
0 i.
Ja sabido que
i.
nao
Tapioca nova, libra 140e
Gomma muito alva, arroba 10800
20 e 20500, e a libra 60,80 e
Saceos grandes com farinha igual
a da trra.......
Ditas com milho muito bom, a
Ditas com arroz de casca, a.
ICO
100
50800
50000
40000
Rendendo este prei.o verdade, e annuindo ao deUmego noTosJn eir^, TmTSiSrS
^J?JS^**?& ^%nabU^rtTseridoa S '^^
no largo'da Santa Cruz n.Vi.
poda deixar de
^ZTJ^l0^^:^ aventura solfrerem l^rsVa ib^f^'dTse'rid SBo ffS* U'm ***
da molestia que eu soffria.
Pedro Bernardino de Moura
Redactor do jornal Echo do Sul.
Rio Grande do Sul 12 de agosto de 1863.
Reconheco verdadeira a assignatura supra. Rio
Grande do Sul em 17 de agosto de 1863.Em tes-
temunho da verdade, o tabelliao Manoel dos Santos
Nascimento.
(Extrahido dos jornaes do Commercio, Mercantil
e Diarto. Rio de Janeiro em 30 de agosto de 1863).
Pentes
|r
Ditas com farello (saccas grandes) 40500
160
240
\lpista, arroba 40800, e a libra
Sabao massa, libra 120, 160,
200 e......
.Macaas novas para varios presos.
Ancoretas com azeitonas novas,
a 10200 e garrafas. .
COMPRAS.
v LOJA DE MtUOEZAS
N. 16 Ra ilii Queimado X. 1G
Macinhos de grampas 30 e
Tesouras diversas 40, 80, 120 c 160
Ditas finissimas para costuras 600 e 1,8000
Caivete "
aniveles inissmos do 2, 3 e i folhas 800 e 15000 pc at para dar de
r itas c cordoes para enhar espartilho 80 >1 7
---------- Enfladores pretos para borzeguins
cozinhei 1Pe?as d>' lran?ade Ba,te> e ue caracol prc-
de tartaruga.
At que chegaram os riquissimos pentes de tar-
taruga a Marte Pia para as senhoras apreciarem o
: que gosto e delicado trabalho fingindo urna cas-
i camina guarnecida por butaozinhos, poderao man-
-4 dar comprar antes que se acabem, pois foi urna
; pequea amostra que o fabricante mandou : 30
i para o vigilante ra do Crespo n. 7.
Caixas de tartaruga
1 Tambem os amantes da ba pitada acharao gran-
de sortimento de lindas caixinhas de tartaruga
branca e de cores de todos os taannos para ra-
mimo: s no vigilante ra do
, Crespo
120
ta e de cures
LOTERA
CASA DA FORTUNA.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
publico que venden em seus muilo felizes bilhetes
garantidos as sortesde 1:000,5, de 500,5 8 outras
de 1005, 405 e 205 Ja lotera que se acabou de
extrahir a beneficio da Santa Casa da Misericordia
o convida aos possuidores de ditos bilhetes a Ti-
ren) receber seus respectivos premios integral-
menie sem descoolb algum em seu estabelecimen-
* > Casa da Fortuna ra do Crespo n. 23.
0 inesmo tem exposto venda em sua dita casa
e uas outras do costume os novos e felizes bilhetes
da seguida parte da primeira lotera a beneficio
da igreja das Neves de Onda, que se extrahira
2(ido corrente mez e as sor;es que elles obtverem
serao pela mesma rma pagas urna hora depois
da extraccao.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 65000
Meios bilhetes...... 35000
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 55300
Meios......... 25750
_^____________Maiioel Martins Fiuza._______
Aluja se o quarto litar e soto
do sobrado da ra da Cruzn* 40, com
bastantes coituuodos para familia a
tratarno armazem do mesmo sobrado.
latinhas, a 10100, 10500 e. 10600 Caix^sB"m 2 ar,roDas (,e batatas,
Barricas com bolaxinlias inglezas
a 20, 20OO e .' 305OO
Chocolate francez, hespanhol e
portuguez, a 10,10120 e. 10200
Cafo do Ceart muito novo, arro-
ba *,ti00 *> Bio 80500 e 90000
8UU
Espermacete, libra a (540, 720 e
Vellas do Aracati em caixa, arro-
ba 100 e a libra.....
Ditas de composico, 90500 e
100 a arroba, 320 e, .
Carne verdadeira do Serid, a
280 e........
Linguicas do sertao, a melhor
que ha neste genero, a. .
Ditas do Reino e presunto de La-
mego, libra ......
Presuntos inglezes para fiambre
libra.........
Macarrao, talharim oaletria, libra
Sevadinba e sag muito noVo,
libra .,....,.
Estrelinhas, rodinhas e pivide
para sopa, libra.....
Caixa com 8 libras de dita nova
Ervilhas novas, libra. .
Latas com peixes vindos dos me-
lhores consrvenos de Lisboa
muito preparados, a lata. .
Ditas com
a 20500 e a libra.
Vinhos da Figueira muito supe-
or, caada 40500 e a garrafa
Ditos da Figueira mais abaixo,
caada 40 e. ,
Dito de Lisboa, a 400, 480 e '.
Dito branco de Lisboa, Carcave-
Dito do Porto muito fino, caada
00 e 50500, e a garrafa 720,
800e........
Garrafas com capils para refresco
Massos com 20 massinhos de pa-
litos para dentes, a. .
Crozas de caixinhas de palitos
do gaz, a.......
, Servejas de boas marcas para
diversos precos.
Balaios do Porto muito bonitos
de diversos tamanhos.
Azeite doce de Lisboa, a garrafa
Vinagre muito forte, caada
10000 e a garrafa 240 e .
Pimenta do reino, cominho, er-
va-doce e follia delouro a libra
^Vn Tijolos de limpar facas. ..
Z4U Cordas para pastar, a 200,320 e
i Ditas para andantes, cento 30,
30500 e....., .
10000
400
300'
320
400
500'
750
480
320
480
280
60
560
40500
5c.
10000
500
180
20400
640
280
480
160
400
40000
Compram-se duas negras perfeitas
'SuVdSar116^51 "" "" ^ Ap0"0 "^' ^ de dito de caracol mcsclada 60 c
I---------------------.-------__________________Ditas de dita branca de caracol
Compra-se cobre e lato velho |Ditia4,definl%dita para debrura dc coleltiS
na ra da Cadeia do Hccifen. 36, pri- WsdcVcos^ rendas brancas soo, 15e
meiro andar. j D'tas de ditos pretos tinos 15,15200 e
: ------------------------------------------------------. ; Ditas de tranca branca para cortinados
LOIlipra-se \ Ditas de dita dita estreita
cobre, chumbo c latao velho : no oitao da sccrc- ^.^ de aita de seda l)reta e cor
taria da polica no armazem da bola amarella da {?!las de uf* ae veludo lavrado 15 e
ra do Imperador. "!,as 4e djla <]e rctroz pretas e de cores
i Compra-se effectivamente ouro e
obras velhas : na praca da Independencia"n.
ja de bilhetes.
Ditas de dita de seda n. 1,1 /j e 2
M r inl i}? SS '',!:a!!c?.eara cs 320,400 500 e
os.rotos e largos 120 e
YENDAS.
Varas de bicoSiHetosa=^^^-
Ditas de labyrintho estreito e largo 120 c
Ditas de dito com um palmo de lar^o
Ditas de bico e renda branca 80, 120 e
S NA ARARA.
100 Esla-sc liquidando diversas qualidades de fazen-
gQ das por precos baratsimos, na loja cima da
j Arara, ra da Imperatrz n. 36, de Lourenco P.
320 ^'''uues Gumaraes.
15200 A Arara vende cassasa SOO rs.
15'i001 Ven-se cassas para vestidos a 200 rs. o covado,
35OOO <'a*sa-organds fina a 240, 280 e 320 o covado, al-
800 pakim de lnho para vestido de senhora a 240 o
35000 covado, cassas suissas de quadrinhos, a 280 e 320
1,3400. ovado ; na loja da Arara n. 06, de Mendos Gui-
240 maraes.
400 1..1I< i< s la Arara a I^OOO.
600 Vende-se enfeites para cabeea de senhora a 15.
So Sr:^^^^'^.^cnte"320r^ f0m
*
Ditas de dito adamascado
Vende-se urna taberna com pouros fundos e Ditas de franja de seda preta e de cor
bem afreguezada, ou s a armafao, a praso ou a Ditas de lita para cs 40,60, 80 e
dinheiro : no pateo do Terco n. 12, taberna. Ditas de dita de borracha preta e de cor
_______________________________________________ Ditas dc dita trancada de laa e de seda
Ditas de dita de veludo lavrado 120 e
Ditas de galao branco lavrado
! Ditas de tramoya e babadoJargo 80 e
Ditas de fita achamalotada nara cinteiro
Ricas livelas dc cornalinas c-pedras para cin-
teiro
Vende-se um rico vestido de blonde de seda, Riguissimos cintos para senhora
propriopara noiva, com capclla, palma de peito, Gravatinhas modernas para senhoras a
veo e botinas dc setim branco. por commodo pre- Nicas -"tacas de cornalina para senhoras a
co : na ra do Queimado n. 10, loja de Ferrao & Gimwtta de seda para homem a 160 e
Maia.
200
500
200
160
rs-, meias
cruas para senhora, muito largaT^o r-
meias para homem a 12o rsTeffli L^ Par'
V- 1 *;""*,------**--'as a 1*000
\ endo-se cortes de casemira iliIa,, .
JO 1,5000 ditas escura, n^J^t^*
00 ^ vende e.n covados 15, |)is tem^Sj
}" e um covodo e tres quariM m um corte ,1. ^
}W cortes de casenur-a pela a .l^no rua d "-a:
N>0 ratriz n. 06, loja de Mendes Guima^cs. UI,|)C

Assucar do Monteiro
800
Duzias de copos lapidados para
30500
v
AVISO DE 1STEBESSE PARA 0
Vlaiteiga ingleta flor a 800 rs. e 720 rs., fran-
ceza a 360, chanerola 25700 e 25200 rs., caf
laxado 300 e 280 rs., queijos frescos de vapor
25100 rs., arroz 100 rs., a libra, toucinho 300,
sicarinas 600 rs., carnauba 360 rs., sabio massa
20 rs., vjnho Figueira e Lisboa 400 rs., azeite
doce 600 rs., vinagre 200 rs., azeite dc carrapato
a 300 r. a garrafa e 202 o a caada, no armazem
da estrella, largo do Paraizo n. 14.
outros, americanos, a
Ditas com marmlada superior, *?u? e, *6 a ft e .
libra 640 e. ..... 720' Espirito de vtnho de 38 graos,
Ditas com (roetes em calda. 500 8arrafa.......28
Ditas com massa de tomate, 640 e 720 Passas de carnada, novas a 480
Ditas com ameixas francezas, a 10280 Papel almaco, de pezo e greve,
Ditas com figos de comadre, a 104001 de boa qualidade,
Ditas de setim preto para homem a
i Luvas brancas de i>ellica a
', Ditas de cor com toque de mofo
i Ditas de seda para homens e senhoras a
Rua do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.' Ditas de montara e Escocia a
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima "entes de atar cabellos a 40 rs., 200 rs. e
a K.fiOO anrrnhi Dltos dc 'arlaruga, modernos a 45 e
a aaouu aarropa.________________________i Dilos doura(lo. e marrafas a Maria Pia a
Vende-se a armacao da taberna da rua do: Cartoes com clcheles a 40 rs., 60 rs. e
Mondego n. 97 : a tratar na rua do Sebo n. .Vi. Caixinhas com ditos a 40 rs., 60 rs. e
Vendem-se forquilhas de ferro j chumbadas Agulhas de fundo dourado ns 6 al lo a
, u,lra nirn loln.1l nnr IX ,lo= nrnn.loc o .IMW DltaS da VlCtOHanS. O aU 15 a
100
160
300 :
I
15600
45000
15000
600
300;
15000
15300
640
15000
300
640
160
320:
120
O solicitador Redro Alejandrino da Costa
Machado eecarrega-se as villas do Cabo e Ipoju-
ca de cobrancas e tudo mais que for tendente
sua proso": pode ser procurado as segundas-
feiras na rua do Imperador n. til. primeiro andar,
o nos mais dias acharao pessoa eompetentemente
habiltate com qiicra se poderao entender a seme-
,1 liante despaeho..
Joao Jo Rodrigues, professor publico pri-
nrario do collegio dos orphaos, faz ver aos senho-
i-ft; pas de familia que, podendo actualmente dis-
pr de mais algura tempo em consequencia de se
ter mudado para esta cidade aquelle collegio, ten-
ciona abrir na freguczja do Recife um cursp par-
ticular da lingua latina e outro a noite da france-
za. para o que se acha devjdamente titulado. O
mesmo contina a lecejonar por casas particulares
primeiras letras, grammatica nacional e francez,
se compromette a encinar a fallar c escrever es-
ta lingua. Pode ser procurado na rua dos Guara-
rapes n. 34, onde por ora reside, das 3 horas da
tarde em diante.
Ditas com sardinhas de Nantes,
a 320 e.......
Caixas com doce de goiaba mui-
to fino, a 560 e .
Vinhos em garrafas, champanhe
cognac, Bordeaux, licores finos
para diversos precos.
Caixas com o verdadeiro vinho
4001 chamisso, (1 duzia). ..140000
.Toucinho de Lisboa, libra 320
640! arroba........90000
Frasqueiras com a verdadeira
genebra de Hollanda, a 60000
,Sevadanova, libra.....160
Oitava de retroz preto e de cores a
Duzias dc botes linos para coletes a
Grosas de botes de porcelana pintada a
Massos com 20 papis de palitos lixados finos a 280
Resmas de papel almaco liso a 25300, 35 e 35600
Ditas de papel almaco "pautado a 35600 e
Ditas de-papel de peso pautado a
Pacotes de papel pequeo de cores a
Ditos de papel branco amisade a
E muitos outros gneros que se tornara enfadonho menciona-los, e que se
promette vender barato.
Pira os senliopes de engeulios.
Olferece-se um moco hbil, tendo j alguma pra-
tica, para caxciro de algn? engenho, que d fiador
sua conduca, quem perfender annuneia por este
Diario, oq trate na rua da Toncordia n. 4.
AtteufiO e multa altruei.
(luem tiver penhores na rua do Bangel n. 34,
queiram vir resgatar, ob a conaV^o de serem
verdidos para pagamento do principal e juros, no
praso de tres das, flndos os quaes nao" baver ro-
clamacao lguma. Recife 19 de selembrct 1803.
A mesa regedora da irmandade de No.'** Se-
nhora do Bom Parto, faz sciente ao regpeitave'l pu-
blico, que justos inouvos occorrem pelo quaes foi
ransferida ajajl l mesma Senhora, para a ter-
o-ira doming&da oatubro prximo futuro.
Consistorio da jnnMdaae, 18 de setembro .de
1863. j
O escrivao,
Joaguim Mililao Upes Lima Jnior. \
NOTO ESTABELECIMENTO DE MEDICINA HOMEOPATHICA
1U1 MOTA \. 43.
O Dr. Sabino 0. L. Pinho mudou o seu CONSULTORIO para a loja de marmore
rua Nova n. 43, onde continua a dar consultas todos os dias uteis desde o meio dia ate
2 horas.
Os enfermos, que o procurarem logo na invaso da molestia, sem que hajam to-
mado qualquer remedio, nem allopathico, nem homeopathico, pagarao metade dos precos
estipulados. Esla concesso tem por fim facilitar a cura de molestias, que podem tornar-
se complicadas pelos emprego intempestivo da therapeutica e ao mesmo tempo adquirir
para a homeopathia maior numero de adeptos pela bateza da cura.
Em attenco as pessoas pobres, que nao podem sahir de dia, o Dr. Sabino resol-
veu dar duss consultas por semanas as tercas e sextas-feiras das seis as sete horas da
noite.
Os chamados para visites e conferencias devem ser dirjgidos por eseripto ao con-
sultorio desde 8 horas do dia at 8 da noite, na certeza de que serlo attendidos na orden
de sua precedencia, salva a circumstancia de eminente perigo.
ADVERTENCIA.
O novo consultorio esta prvido dos melhores medicamentos, desde a primeira
at a trigsima dynaminjsaco.
E como os mdicos hespanhes e allemes nao cessam de certificar a major effi-
cacia das ultissimas djnaminisaces do tratamente das molestias chronicas, o Dr. Sabino se
oceupa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais altas (por ora at 200.a),
afina de verificar por si mesmo a forca dynamica, que se le attribue.
Os mdicos, que quizerem experimentar tees dynaminisacoes poderlo dirigir ao
consultorio suas receitas, que ser3o aviadas gratuitamente para os pobres.
No mesmo coMitoro se vende a novissima edicSo do Thesouro homeopathico
ou Vademcum do homeopata, obra indispensavel a dos que querem usar da homeo-
pathia,
Tudo o que diz respeito nova medicina se acha abundantemente nete novo estabe-
aedroento.
em pedra para latada por 35 das grandes, e 25300
das pequeas : em S. Jos do Manguinho, sitio do
leao junto a capella._____________________________
Os cortinado do Pavo.
Vendem-se os mais bonitos cortinados dc cam-
braas adamascadas, lapadas e transparentes, pro-
pros para adornar janellas e para camas, tendo de
i varios gostos e porcao de pares iguaes, conforme
possam precisar, e vendem-se nicamente na loja
do Pavao, na rua da Imperatriz n. 60, de Gama A Caixinhas de papel pequeo azul a
gjlva Ditas com 100 emvelopes a 800 e
Sedas de quadriuhos aSOOrs.so ^SJStfr1
Pavo. Escovas finas para dentes a 160 rs., 320 rs.
Vendem-se as mais delicadas sedinhas de qua- Ditas para cabellos com espelho a
drinhos, muilo miudinhos, sendo propros para Ditas finissimas para facto a
I vestidos de senhora e roupinhas para meninos e Toucadorescom p a 800, JJOOOe
meninas, sendo fazenda que sempre se vendeu a Ronitas caixinhas vasias para guardar joias
: 15500 e torra-se a 640 e 800 rs. o covado, e sedas e outros objectos a 240,360 e
; brancas lavradas, proprias para vestidos de nolvas Brincos e rozetas pretas a 160 e
a 800 rs. o covado : s na loja do Pavo, rua da D|{s pretos e de cores, a balao a 400
Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Ricos vestidos de Southambac, vende
o Pavo.
Vendem-se os mais modernos vestidos a Sou-
thambac, com barras de seda pelo diminuto preco
de 105000 cada um : s na loja do Pavo, rua da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Oh que pecliincha a 2,00 rs.
Vende-se pecas de cambraias de carocinhos
brancas c de cores a 25300, ditas de salpico* a
25300, ditos de palmas solas de 1 vara de largu-
ra a 25, pecas de cambraia braucas finas & 35 o
35360, pecas de cassas para cortinados com 20
varas a 95, ditas de 10 varas a 5300, 11a rua da
Imperatriz 11. 36, loja e armazem da Arara, de
Mendes Gumaraes.
Lencos de seda da Arara a 800 rs.
Vende-se lencos de seda de urna s cor muito
finos a 800 rs. ditos estampados a 15 e 15500 com
franjas, chapeos de sol ou marequezinhos para se-
nhora, com franjas e o cabo preto de 25300 a 35,
55OO ditos para hornera a 35; na ruada Imperatriz n.
3520O '*'; -^rara de Mendes Guimaraes.
80 A Arara vende ricas colchas a 8,000 rs.
80 Vende-se ricas colchas de velludos para cama a
100 85000, ditas de fustao a 35, ditas de damasco a
100 45, coberlas de chita a 23, cobertores de algodo
de pello a 15600, lencos brancos finos a 200 rs.^
tapetes para sala a 35.
brande pechincha, o corle de cambraia por 1,000.
Vende se cortes de cambraia com pequeuo to-
quedecopim a 15e 25 cada um, cortes de cam-
35000 ; paia de babados finas a 35 e 45, camisas de meia
35800; para senhora a 500 rs., lencos de retroz para se-
JOO nhora a 300 rs. : na rua da Imperatriz, loja da
20 Arara n. 56, de Mendes Guimaraes.
15000 Madapolio infestado a 4,000 rs,
no Vende-se pecas de madapolo francez infestad
iaIoo fmo de 12jardas a W. 45500, dilo inglez fino,
. *8ft marca Morin, 75500 dito marca Rainha a 75,dit
c KJ; marca HH a 85, dito n. 6,85500. dito n. 7,95300,
5J; dito elephantc fino a 105, algodao muilo incorpad
/J 4& 4'*500' ^ e 3^50 pechincha, brim d
linho a 15280 a vara, dito a 640 rs., dito fino de
dc algodo a 280 e 320 : no rua da Imperatriz n.
56, loja da Arara de Mendes Guimaraes.
A Arara vende balees a 3,000 rs.
45000
J^ John Broad wood A Sons^rj
1111 piano com ponco uso deste au-
tor tem para vender Andrade & Reg,
rua do Crespo n. 8, esquina da do Im-
perador.
\Polassa da Hussia
Vende-se em casa de \. 0. Bie-
ber & C, successores, rua da
Cruz n. i.
480
240
800
15200
Ditos dourados e de podras, a balao a 15200 N ende-se baloes de arcosjamericanos, os melho-
Bonitos grampos a balao a 300 que,tem vindo- de,,3> H 30, 3o e 40 ar-
Duzias deeolheresde metal do Principe para eos, pelos precos de 3*3*500, 45 e o5, ditos de
cha a 25OOO bnlhantina a 45 e 45o00 : so na Arara, rua da
Ditas de ditas mais ordinarias a 500 emperatriz n. 56, de Mendes Guimaraes.
riooo
15000
30
A prazo on a dinheiro.
Vende-se urna excellente barcaca de 28 a
caixas, muilo bem construida e aparelhada
tratar na rua do Apollo n. 4, primeiro andar.
Vendem-se barris com bren : na rua da Sen-
zala Velha deposito de sabao n. 136.______________
.Vida mais barato.
Vende-se por 605 um piano de mesa em bom
estado apezar de um diminuto concert e afinaeo
que precisa : na rua dos Pires n. 34 ou na taber-
na da roa do Principe se dir quem tem.
Bonitas bonecas de cera a 15300 e
Ditas ne massa a 200, 400, 600 e
Sapatos de tranca para homem a
Duzias de palitos de fogo a
Chicotes e bengalas a 15 e
Caixas de lamparinas para azeite e
100 e
Cartas portuguezas e francezas a 200 e
Cinturoes de borracha para homem a 320
Suspensorios sem e com elsticos a 160 e 480
Lapis azues o encarnados a 120
Caixas de obrcias de massa e colla a 80 o 120
Frascos com tinta azul e encarnada a 320
Boies com tinta preta ingleza a 120
Duzias de canudos de pomada branco a 240
Cosmelique chato e redondo a 100 e 600
I Sabonetes chatos o de bola a 200 e 800
I Caixas de pos para dentes a 240 c 720
Frascos |dc pos hygenicos idm a 15000
Frasqulnhos de patcholy a 500 c 800
Frascos de banha franceza a 300, 500, 700 e 15000
Ditos de banha finas transparente a 900
Ditos com banha o extracto a 15200
w Dilos de porcelana com banha a 800
a Garrafas d'agua florida a 15500
Frascos de oleo philocomc a 900
Dilos d'agua de Colonia a 500 e 800
Ditos de oleo de babosa do Rio a 480 500
Ditos do sndalo (extracto) a 15000
Cestinhas com vidros de extractos a 700
Caixinhas com 6 vidros de dito a 15*80
Bahuzinhos com perfumaras a 15800
Pecas de fita de veluno de seda ns. 4, 8-, 12, 16,
24, 30, 50 e 60, preta, cor de rosa, encarnada,
verde, azul e muitissimos outros objectos que se-
ria enfadonho mencionar, os quaes se vendem
Chitas a 200 e 210 rs. o covado.
Vende-se chitas de cores fixas a 200 rs. o cova-
15800 do, ditas francezas com pequeo toque de mofo a
160: 240, ditos limpos a 320, 340 e 400 rs. o covado,
25000 chitas em corte, finos a 25000, ditas francezas a
gaz a \ 25500, cortes de riscados francezes com 14 cova-
160 dos, fazenda nova a 35 : s na Arara, rua da Ira-
300 peratriz n. 36, loja de Mendes Guimaraes.
bug loja de miudew d'agma de ouro.
vendem-se
cem moedas de 165 de ouro velho : na rna do Ca- muito mais barato'que em otra'qualquer parte :
, na rua do Queimado, n. 16.
Laziohas da Arara a 320 rs.
Vende-se laazinhas finas de quadriuno para ves-
tidos a 320 e 400 rs. o covado, ditas com 3 palmos
de largura, de urna scr, a 500 rs.; ditas de qua-
drinhos a 300 rs., capas para senhora a 105 e 5 ;
roupa feita para homem, calsas de casemira da
Escossia a 25, palitots de meia casemira a 25300,
35300 e 45, cemisas francezas a 25, ditas de lis-
tas a 255OO e 35, ceroulas de linho a 15600 o 25 :
na ruada Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Atlenfio para tedas,
Eu abaixo assignado declaro aos devedores da
firma de Magalhaes & Mendes, o favor de virem
pagar seus dbitos, e juntamente aquellas pessoas
que tem negado dividas, o favor dc pagarem. do
contrario se declara os seus nomes por este jornal,
c scrao cobradas judicialmente, conforme a lei.
Rua da Imperatriz, loja da Arara, n. 56.O liqui-
datario da firma Magalliaes & Mendes, Lourenco
Pereira Mendes Guimaraes.
Vaccas deleite
Vendem-se tres excellentes vaccas de leite e um
garrote de raca tounna : quem qnizer dirija-se ao
Rosarinho, quasi confronte o sitio do Sr. desembar-
gador Villares, sitio do finado Fructuoso Jos Pe-
reir Dutra, onde ellas estao, e a tratar na rua do
Mondego n. 2i, com Antonio Philadelpho Pereira
Dutra.
i
ILEGVEL
!>


Diarlo de Pernainbuco litara feira 23 de fceicuibro de 1*4*3.

o covado; fustao para vestidos e roupinhas
de meninos, a 320 rs. o covado; alpakin ou
gurguriSo de linho, a 260 rs. ; ganguelin,1
urna s cor, a 320 rs. o covado ; toalhas de
linho adamascadas parroste, a 15; vestua-
rios para meninos e meninas, a 15000 e 25;
tiras bordadas e entremeios, mais barato que
em outra qualquer parte: tudo isto pe-
chincha e veodc-se para liquidar: na ra da
Imperatriz n. 60, luja e armazem do Pavao
de Gama & Silva.
Grosdenaples a 1:300 rs., n toja do Pavao.
,atc..uao uav-o* u.-v., .---- Vendem-se grosilenaples preto muito boa
penhor, ou mandam-se levar em casa das fazenda> a j^goo, 15600, 15800 e 25: s
familias para escolherem, pelos caixeiros da na i0ja do pav2o> rua imperatriz n. 60.
loja do Pavo. Para luto vende-se na loja do
"^.CMaSd.P wZ*. %SSS"' I Vendem-se uSSrta da China, fe.
Ve m'elSazinbs transparentes de urna ndasem lustro, proprio P vestidos de
scr, de quadrinhos proprias para capas sentaras, para caas e roupa parhomem.
GRANDE EXPOSIQaO
de fazendas baratlssimas que se ven"
dem para liquidar; na loja do Pa-
vao, rua da Imperatriz, a. 60.
Neste estabelecimento acha-se um grande
e variado sortimento de fazendas, tanto de
luxo, como de primeira necessidade, pro-
prias para a praca e para o mallo, que se
vendem por precos muito resumidos, de lo- (
das as fazendas do-se amostras, deixando
baratissirao preco de 15400 o covado; s
na rua da Imperatriz n. 60, lojado Pavo.
O Pavo vende 13as de -4 palmos
de largura a 500 rs.
Vendem-se lazinhas infestadas, sendo das
mais modernas, de urna s cor e de qua
sendo muito leve, vende-se pelo baratissimo
preco de 25200 o covado, garantindo-se que
nao se torna ruca, e vendem-se nicamente na
loja do Pavo, rua da Imperatriz n. 60:
Cortes de dulas a 2:000 e 2:300 rs.
Na loja do Pavo veude-se cortes de chitas
inglezas, tendo 10 covados, a 25, e com
drinhos, proprias para vestidos e capas, pelo \^/o covados, a 25300, sendo todas de pa-
baratissimo preco de 500 rs, o covado; di- tiiaes escuros: na rua da Imperatriz n. 60,
tas matisadas, fazenda muito fina a 500; di- (ie Gama A Silva.
tas garibaldinas a 440 rs.; ditas de qua- Carnauba.
dros a 360 e 280 rs.: s na loja do Pavo, Vende-se cera de carnauba em saccas, por
rua da Imperatriz, n. 60. de Guimaraes -
Silva,
Lazinhas a OO rs. o covado.
S o Pavio.
Vendem-se las de cordozinho proprias
pan vestido, sendo muito boa fazenda, com t
as coresseguintes: alvadia.cr de caf.rxo
escuro, claro e prelas, proprias para luto ;
ditas transparentes com palminhas, pelo ba-
rato prego de 280 rs.; ditas infestadas de
quadros a 280 rs.: s na rua da Imperatriz,
n. 60, loja do Pavo.
GRANDE PEGHfflCHA
a O rs. na loja do Pavo.
Cassas a 210 rs.organdy a 210 rs.
Vendem-se muito bonitas cassas francezas
a 240 rs. o covado ; organdy ma Usado, pa-
dres muito bonitos a 240 rs. o covado;
ditos, fazenda finissima que sempre se ven-
de u a 141000 a vara, liquida-se a 600 rs. a
dida.ou 360 rs. o covado, por liaver grande
porco : na rua da Imperatriz, n. 60, loja
do Pavo, de Gama & Silva,
!Vova pechineha de cortes de
cantbraia na loja do Pavo.
Vendem-se corles de cambraia brancos
com babadosa 25500; ditosa 35000; ditos
a 45000 ; ditos chinezasa 4500o ; pecas de
cambraia transparentes, adamascadas, pro-
prias para vestidos, tendo 8 varas e meia a
35000; dilas lisas brancas e decores a 25500,
33000, 35300, 45O00 e 55000 ; pecas de
cambraia de carocinhos tendo 8 varas e meia
cada urna, sendo brancas c de cores, a 35500;
ditos a 25300; pecas de cambraia para cor-
tinados, sendo tapadas e transparentes com
20 varas cada pera a 95000, isto tudo para
apurar dinheiro: na loja do Pavo, rua da
Imperatriz, n. 60, de Gama A Silva.
O Pavo vende chales
A 2-5000, 25300, 35000, 55000, 65000.
75000, 8,000 e 105000.
Vendem-se diales de merino estampados,
claros e escuros a 25, 25300 c 35000; ditos
preco muito em conta, ou mais barato do
que em outra qualquer parte : a tratar na
rua da Imperatriz n. 60, loja de Gama &
Silva,
Um confeito e especifico para
expellir os Vermes.
SEJI NEC; 1 VIIO.
QUINQUILHARIAS.
Rua do Queimado, ns. 49 e 55, lojas de
Jos Bigodinho, queiram ver ver as fazendas
que abaixo annoncio, pois todas eu garanto'
que sao muito novas e baratissimas.
Pegas de trancas de algodo de to-
das as cores a.......
Duzias de linhas com 200 jardas, A-
lexandre, a.....
Carritel de qualquer numero ,
Varas de aspas para balo ... *
Caixas com superior obreias a .
Dilas de colla '.......
Pares de botoes de punho a .
Pares, de sapatos de tranca .
Ditos muito superiores, a .
Caixas e pacotes de papel amisade de
cores a. .......
Duzia de me i as muito finas para se-
nhora a '.......35500
Duzia de ditas cruas para homem a 2*400
80
i5ioo
100
80
40
40
120
15280
15600
600
300
30
20
60
120
60
100
murro fnn Ift todo* ?.nrecos e q
tanto de pona .eaortu-d couw
uali
MSSi
Pastilhas Veniiifiigas
DE KEMP.
Os meninos s pcdeni i gritos, porque
ellas *iio de clieiro, sabor e cor agrada-
veis. A elegancia, a seguridad de ac-
co, o inoft'ensivo das
Pastilhas Vermfugas de Kemp
A PAK DA SVA
Composirao exclusivamente Vegetal,
sao estas pois as suas melhorcs e mais
completas de tudas as rccomniendaces
que se posea fazer e com justa razao as
colloco na categora d'um favorito uni-
versal.
A snpenoruhi.de das
Pastilhas de Kemp
sobre todas as preparacoes destinadas
para o mesino fin devido sua sim-
ples composico o sen aroma agrada-
vel e rapidez e inf'allibilidad com
que alcanca a destruicuo total das
Baralhos muito finos para voltarete a
Carriteis de linha com 100 jardas a
Cartes de linha branca e de cores a
Novel los de nha com 400 jardas a
Ditos muito grandes com 800 jar-
das a .......
Cartes de linha com 200 jardas (est
se acabando a......
Vara de fita preta com colxetes para
vestido, e tem um resto parda a
SEM SEGUIDO.
Objeetos de tintura e msica.
Na rua do Queimado, ns. 49 e 55, est
queimando tudo pelos precos abaixo decla-
rados, e prestem toda a attenco para ver
o que bom e barato.
Duzia de facas e garfosmuilo finos a 25oO
Dila dita dita de cabo preto muito
finasa.........35200
Dila dila dita de balanco, melhor.a 55500
Tesouras para costura, muito fi-
nasa .........
Ditas ditas para unhas, muito finas a
Carlas de alfinetes de ferro a .
Ditas ditos de lat3o muito finos a .
Ditas de dito grandes.....120
Caixasde phophoros de pao ... 10
Grosa de ditos do gaz a 25200
Duzia de dito dito a 200
Massosde palitos para denles a 160
Abotoaduras para coletes a ... 160
Escovas para roupa.muito finas a 400,
500e ....;.... 800
400
400
80
40
i\ -
NE vi KEttOTUO.
PECHINCHA.
Perfumara de superior qualidade.
O rival sem segundo, rua do Queimado,
ns. 49 e 55, est disposto a vender mais ba-
rato que nunca vendeu, para o que queiram
ver :
Duzia de sabonetes finos a .
Sabonele inglez, o melhor, a
Frascos com agua de Colonia muilo
fina a.......,
Ditos de dita grande a .
Ditos de Lavando ambreado, o me-
lhor, a .../....
Ditos perola muito superior a .
720
160
as^im como finissimos chales de crepon com ^ venda nas bolicas de Caors & Barita, Ditos de oleo de babosa a 240, 320.
cores inteiramente novas e /lCam.en ,. r" rua da Cruz, e Joo da C .Bravo A C, rua| 400 e.....
dados a matiz, sendo cheado| neto umrao daMadre de Deos.
uera-
vapor a .I05UW do Pava0 rua da imp
o *4 .so -
triz -
\seasemlras do Pavo infesta-
das a lGOO.
Vendem-se casemiras francezas enfesta-
das, proprias para calcas, coletes, palitos,
e capa para senhoras, por ter de urna s
cor. sendo fazenda que sempre se vendeu
a 35000. liquida-se a 15600 o covado : s
na loja do Pavo.
Dito de cheiro muito bonitos a
No a>mazemd6 fazendas bara-y****** banha- pequeo, muito fina
tas de Santos Cuelho
Rua do Queimado numero 19.
Vende-se o seguirte
Coburtas de cuita
da India pelo barato preco de 2$.
Lences
de panno de linho .1 25-
Lences do bramante
de linho fino de um s panno pelo baratissimo
preco de .1,5.
initllins alcoclioadas
Cirande peehineha em chapeos
de sol na loja do Pavao. 1 para mjos ^jq |jarat0 prec0 e 35 a duzia.
Vendem-se chapeos de so. a ingleza sen-! peJtSSta,^ de i*
do cobertos de linho e forrado de verde, pro-1' r Len0S frum
prios para senhoras que forem passar a fes- para aigibera pei0 barato preco de i$.
ta. ou para meninas levarem para a escola, ( Ricas saias de fustao
pelo barato preco de 1560 ; ditos marque- peio barato preco de 3#m
zinhas, de seda com franjas e cabo de do- Loncos de eassa
brara35000; ditos de seda para homens, finissimos propriospara algibeira pelo baratissimo
sendo com armaco de balea a 65 e 75, isto prero de 25 e 25100 a dum.
para apurar dinheiro : s na loja do Pavo,
rua da Imperatriz, n. 60.
C :ivemias da Escocia a '000
o corte.
Vendem-se cortes de caxemira da Esco-
cia, para calcas, pelo barato preco de 25,
Cortes de calca
I Ditos de opiata a 200 rs., e boa a
Dilos de banha japoneza a .
Ditos de banha transparente a
Ditos de oleo filoconne a .
RIVAL
SEM SEGUNDO.
Objeetos diversos.
Rua do Queimado, ns 49 e 55, vende os
objeetos abaixo declarados, pois para aca-
bar; estes precos nao sao para continuar,
' mas as nesessidades assim o permitte-
i Pares de luvas de algodo finas a 80
Caivetes de aparar penas, de 1 fo-
Ikaa ,........ 80
Dilos de2 ditasa......160
Caixas de colxetes francezes a. 40
Duzia de dito francez a 360
"v- uuiid ue uiiu uwna de ganga amarellade hsta c quadros pelo bara- \iassos com grampos lisos e de cara-
tissimo preco de luO o corte.
Pecas de madapolo
fino largo pelo baratissimo prego de 85-
Pecas de bretanha
de rolo com 10 varas pelo barato preco de
Pecas de cambraia
35200.
Od, pal a l/aiyao, |viu u..v f -, -_^., rfM (IB CaiUlirai
tendo da mesma fazenda para vender em[ de salpicos fina com81|2 varas pelo barato preco
covados a 580 rs., sendo esta fazenda mui-de4,&.
lo encorpada a imitaco de caxemira, e ga-1 Atoalhalho de linho
ranle-se que nao desbota. Tambera se ven- com 8 palmos de largura proprio para toalha de
dem cortes de caxemira ingleza, decores mesa pelo barato precie 2o00 a vara.
de lindos gostos pelo barato preco de 4i0 rs. o co-
vado.
Esleir da India
propriapara forro de sala de 4, 5 e 6 palmos de
largura
40
escuras para calca pelo barato preco de
1J800 cada corte, ou a 500 rs. o covado :
s na loja do Pavo, rua da Imperatriz,
n. 60.
Hadapolo infestado a 4000
S o Pavao.
Vendem-se pecas de madapolo infesta-
do com 12 jardas a 45000, ditas a 45500,
dilas com 24 jardas a 75500 e 85000 : s
na loja do Pavo, na rua da Imperatriz.
n. 60.
Ricos vestidos brancos.
Vendem-se os mais ricos vestidos de cam-
braia brancos, bordados a croch, sendo os
mais modernos que tem vindo ao mercado,
tendo as saias 4 pannos, e vendem-se pelos
baratos precos de 105, 125 e 16 : s na
loja do Pavo, rua da Imperatriz, n. 60, de
Gama & Silva,
ADMIREN AS PECHINCHAS,
na loja do Pavao.
Ricos cortes de cambraia brancos com ba-
bados e duas saias bordadas crox, tendo
bastante fazenda para vestido, pelo baratis-
simo preco de 35 cada um; ditos de cam-
braia de seda com barras e babados, a
25500, para acabar; cortes de vestidos a
Mara Pia, sendo fazenda de bonito gosto, a
35500; cortes de cambraia brancos com ba-
badinhos, a 25 ; enfeites para cabeca, sendo
Garibaldi e a turca, a 5; ditos com fitas
e flores, a 25; camizinhas bordadas para
senhoras, a 15; manguitos de varios model-
los, a 400, 500 e 640 rs; calcinfcas para
meninas, a 500 e 640 rs: gollinhas bor-
dadas, a 320 e a 500 rs.; seoas de qua-
drinhos, a 640 rs.; ditas de listas, a 400 rs.
CAL DE LISBOA
Vende-se cal nova de Lisboa : ao largo do Cor-
no Santo, escriptorio de Manoel Ignacio de Olivci-
ra & Filho n. 19.
Cera de carnauba.
Na rua da Cadeia do Recite n 37 vende-se mui-
to superior cera de carnauba.
col a
Duzia de dedaes de metal em caixi-
nha de vidro.......320
Tinteiro de vidro com tinta superior
a..........
Ditos de barro que serve para tin-
teiro a........
Grosasde botoes de louca prateado a
Pecas de tranca lisa encarnada a ,
Varas de bicos e rendas, para aca-
bar a .........
Varas de labyrinto de 3 dedos de
largura a........100
Ditas de pos para den tesa ... 100
Penles de tartaruga a 35000 e 35500
160
100
160
20
60
Cal de Lisboa a l# o barril.
Vendem-se barris de cal de Lisboa de superior
qualidade : no deposito da rua do Brum n. 66.
Vende-se na praca da Independencia ns. 37 e
39, capel las de aljfar para se botar no cemiterio
' | publico no dia de finados com as inscripcoes se-
guintes
Mu
linha mai.
Meu pai.
Mcu esposo.
Minha esposa.
Aos Srs de enqenho
t ui u%> j. Mcu filho.
No caes d Apollo armazem n. 55, de Minha oiha.
Jos Duarle das Neves, acha-se vea-1 ^m*^ira^
da a mais superior farioha Fontana
sendo muito recommendada as casas de
familia, as barriqainhas de 3 arrobas
e de 48 libras cada urna.
FO\TA\A.
Vende-se a muito superior farinha
de trigo marca Fontana, chegada lti-
mamente a este mercado, em barricas,
meias e quartos: no armazem de Joo
Quirino d'Aguilar & C-, no caes d'Apol-
lon. 53.
Potassa da Russla.
Acaba de chegar no navio Queen of the Fleet, a
mais superior potassa da Russia, e vende-se a
preco commodo : no largo do Corpo Santo, escrip-
torio de Manoel Ignacio 4e. Oliveira Filho, n, 19
Saudades, sempre vivas do apurado gosto desta
ainda nao vieram igual a este- mercado.
Botica.
Pilulas inglezas de pobre-homem.
Pilulas do Dr. Alian.
Salsa parrilla de Bristol.
Remedios do Dr. Chable.
Pilulas americanas.
Remedios do Dr. Kemp.
Rob l'Affectcur.
Sortimento de papel para forro de salas e guar-
nicoes ; vende-se na botica e drogara de B. F. de
Souza & C, rua larga do Rosario n. 34._______
Farioha tic mandioca
em saceos grandes, e de superior qualida'
de ; no armazem de Tasso Irraaos, rua do
Amorim, n. 35.
Vendo-se um negro de meia idade, bem ro
busto, proprio para qualquer servico, sabe cozinhar
o diario d'uma casa, e tambem sabe botar canoa:
na travessa do Pocinho n. 26 sobrado.
O BAJLIZ
Attenco!
Posto que domine no cora-
Co do BALIZA a mais bem en-
tendida ambicio de tirar de
seu negocio as melhores van-
tagens, com tudo elle nao pro-
cura fazer fortuna vendendo
galo por lebre;
Quando nao se negocia aca-
nhadamente, est bem ao alcan-
ce de todos a facilidade de fa-
zer-se boas compras, para ven-
der-se barato.
E.ciam todos.
Ao armazem do BALIZA po-
dan ser devolvidos quaesquer
gneros qne por ventura nao
sejam do contento dos saibo-
res compradores. Nao Oca
resentimento algum em se tro-
car por outro, ou reslituir-se
o dinheiro recebido,
Manter a todo o custo o seu
crdito, e agradar aos seus a-
migos e fre-guezes, todo o'
desojo do propietario deste
estabelecimento,
LEDE! LEDEi LEDE!
Sempre a frente do progresso,
Constante marcha o BALIZA,
Tem por norte o bem conimum.
A verdade por divisa.
GRANDE
ARMAZEM
Largo do Uvraniento ns. 38 e 38 A
Defrontc da grade da igreja
AO RESPEITAVEL PUBLICO
Senhores e senhoras
0 incansavel proprietario do grande armazem do Baliza turna a liberdade de mandar
declarar do alto da imprensa pernambucana, que elle perfectamente liberal cm offereeer aos seus
benvolos freguezes as melhores qualidades dos mais bem cscolhidos gneros, nao so do paz como o
estrangeiro a precos de contentar e satisfazer a todos. .
Fazendo tao publico e espontaneo manifest, o referido BALIZA julga de seu rigoroso d,\ci
declarar mui seria e pusitivamente nesta oportunidade, que tambem o mais firme e dedicado conser-
vador de sua numerosa freguezia. *
Da boa qualidade e barateza dos gneros offerecidos aos seus freguezes, junta ao pequeo ga-
rio que tira para si, tem sabido fazer o BALIZA a mais perfeita liga de interesses recprocos, que a to-
das as consciencias deve por forca e necessariamente agradar. _.,,_.- ______
Tendo por conveniente tambem a publicaco do seguintc aviso, o BALIZA faz saber tintamente
aquellas pessoas que sempre estao promptas a compraran tudo, com tanto que se llics permuta paga-
ran logo, que elle
NnO VENDE FIADO.
Os amigos da economa, aquclles que s comprara os objeetos de que carecem, e que oslara fi-
nalmente de empregar bem o seu dinheiro venham a este estabelecimento.
im;i % ts Miar-----------=
Do preco de qualquer genero annunciado a venda em outros estabelecimenlos, podem os senbo-
res freguezes diminuir cinco por cento, e vir compra-lo ao Baliza, que sendo, cuino todos sabem, o ho-
mem do movimento prefere ganhar muito pouco, com tanto que seja por militas vezes repetido.
ZB&MM

ESTABELECIMENTO COJVIMERCIAL
DE
CALDERABIA E FiJMIIJAO DE METALS,
8ito na rua do Brum n. 40 junto
a fundlcSo do %v. Bowmam. pertencente a
villaca irmSo v c.
Neste estabelecimento encontrarao os freguezes um completo sortimento
de tudo que diz respeito as artes de caldereiro, funileiro, latoeiro, ferreiro e
fundicao, e os abaixo asssignados que o dirigem, promettem servir a todas as
pessas que se dignarem de os procurar, com promptido. sinceridade e pre-
cos muito rasoaveis. O dito estabelecimento estando montado em ponto
grande, tanto no que diz respeito a pessoal, como em materia prima, c tendo
habis officiaes, pode executar com toda a perfeico e seguranca qualquer
obra tendente as artes cima mencionadas e affoitamente pdem os abaixo as-
signados assegurar ao publico que nenhum outro estabelecimento Ihe pode
fornecer mais barato e mais perfeito do que elles, visto que recebem de sua
propria encommenda todas as materias empregadas em ditas obras.
Sinos de 16 libras 8 arrobas.
Parafuzos de bronze e ferro para ro-
das d'agua.
Torneiras de bronze c bronzes para
engento.
Encanamcntos de cobre c chumbo de
todas
Alambiques simples e continuos de to-
dos os tamanhos e dimences.
Machinas de cobre para destilar e res-
tilar espirito at 40 graos pelos sys-
temas de Logier e Derosne.
Carapucas e serpenfinas de cobre, e
estanho, avulsas.
Taixas e tachos de cobre para engenho (Bombas para cacimbas, aspirantes e
e refinaco. de repucho.
Paroes de cobre e todos os cobres ne- Bombas para destilacoes.
cessarios para o fabrico do assucar. i Ditas para regar jardins, borlas e
Cobres para rodas de moer mandioca. | capim.
Machinas econmicas para lavar roupa Ditas para navios e barcacas de varias
o melhor possivel. I qualidades e dimencSes.
Cobre em lencol e arrodellas, estanho em barrinha, chumbo em barra,
lencol e canos de todas as grossuras.
\ laca Irmao
45--RUA DLHEITA--45
Aos sculioics coosuiumidom de gaz.
Nos armazens do caes do Ramos n. 18 e na rua
do Trapiche-Novo (no Recife) n. 8, se vende gaz
liquido americano primeira qualidade mais barato
do que em outra qualquer parle.
as com 8 palmos de lar-
gura.
Cheguem a loja de Marcelino A C, rua
do Crespo n. 5, para verem laas muito
linas, lisas e de quadros, gostos inteira-
mente novos, proprias para vestidos e ca-
pas e precos muito commodos. Alm
disto existe um variavel sortimento de
fazendas linas e grossas precos razoa-
ti__jraimiHmi
Vende-se urna negra de meia idade, que co-
zinha com perfeico: na rua larga do Rosario n.
46.
CE KA DE IIWUIA.
Vende-se cera de carnauba do Aracaly de supe-
rior qualidade, em porco e a rctalho; na rua
do Queimado, loja de cera n. 77.
Rua da Scnzalla n 42.
Vende-se, em casa de S. P.Johnstond-C,
sellins e silhes inglezcs, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Kua da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Low
Moor libra a 120 rs.
Pentcs Mara Pia.
A loja da Aurora, na rua larga do Rosario n. 38,
recelieu riquissimas guarnicoes de pentcs Maria
Pia, os de melhores gostos que tem chegado a este
mercado, assim como tambem tem de mui tas nu-
tras qualidades, tanto de atar cabello como de
marrafa.
Redes com laco de Ota.
A loja da Aurora na rua larga do Rosario n. 38,
recebeu redes com lacinho de fita para conservar
o cabello, tanto pretas como de cores, ditas de
trancinha e sem laco, tudo isto vende-sc barato ;
avista faz f.
Eia, rapasiada, coragem! parece queja
entregastes os vossos jometes aos duros sei-
xos do pessimo cairamente da nossa ddade 1
S se observa em vossos ps botinas acalca-
nhadas e gastas at h ultima sola; sapalos
rasgados e quasi sem saltos___osan tanto I
a quebradeira nao deve chegar at este pon-
to I Vinde rua Direita munir-vos de encl-
lente calcado com 40 e at 60 por cento
menos do seu valor.... attcndei:
Borzeguins, Nantes, bezerro e va-
queta 2 e meia solas....
Borzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta e lustre 2 solas. .
Borzeguins, francez e hamburguez,
bezerro, lustre e couro de por-
co 7$ e........
Sapates, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas.....
Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas......
Sapates, Nantes, sola e vira. .
Ditos para menina, com laco. .
Ditos de ditas, de cores. .
Sapatos para senhora e homem,
tapete. ........
Sapatos de borracha para senhora.
dem idem para meninas. .
Sapatos de lustre para senhora. .
dem de lustre s avessas .
8500
8000
6*000
5500
55000 4,->000 35500 25800 1
800 15400 15000 15000 500
FAZENDAS
NA
\ovn loja de Custodio^ Carvalho
*.V Companhla.
27-RUA DOQi EIMAUO 27
Cambraia
organdis para vestidos a 2W) rs. o covado.
Madapolo
fino proprio para camisas a preco de 85 a peca.
Cobertas
de panno de linho chandes a 25000.
* l.l'Ilfl'n'S
de panno de linho grandes a 2$.
Para mesa
pannos adamascados para mesa a 15500.
Gnardanapos
adamascados a 25 a duzia.
Toalhas
para mos pelo preco de 400 rs. cada urna.
Insiri branro
proprio para roupa de meninos pelo barato preco
de 320 rs. cada covado.
EDtrtmms
finos bordados pelo barato prego de 15300 a peca.
Babados
bordados de todas as larguras peca 25500.
Golialus
bordadas a 640, 800 e 15.
Camisilus
de cambraia para senhora a 25.
i' Balees
de arcos para senhoraa 35000.
Italoesmadade fttttt
dar meninas a 25300. "^..

(MUTILADO.




'
Mario de Peniambueo QKm-(n feira 13 4c eeutbro de f-SBS.
GRANEO E COMPLETO SORTIMENTO 0
c*
[ku]
<2St
ip
s i
1 v>
%> e* 5
s %>
*9 s
O "t
I *5
O O s
w Wi es
%> -~
*> O k
o o
%: tt a-
" a
g -*
Q O t o ai tai
ca o a. Si
3 & i-
o i es 4J 8 e
** S. s-
^* O w -
o *9 -ci 3
s$ o r>.
A Q e
*-* e
^^ <^
%> =- w e^
s> -O C C-
* O c
*ea *^ **
e Cr- s
o . eo c
o es o -
l o so
Ka si f*3 S<9 O
o ~ %9
v ~ s s
S ec J^
u O t> o
** =2 * o c 54. 0 O "5* sato o
? i
E o
_*w O *5
Vinhos era pipa: Porto Figueira e Lisboa, a
4oo, 44o, 5oo e 56a rs. a garrafa, e em
caada a 2,56o, 2,800, 3,ooo, 3,5oo e
4,ooo rs. do melbor.
dem lagrimas do Douro, especial vinho do
Porto mandado vir de conta propria a
1 o,ooo rs. a duzia e i,ooo rs. a garrafa.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
ralado,, das seguintes marcas: Duque do
Porte, Feitoria, Nctar, Velho Secco, Cba-
misso, Madeira superior a 9,ooo rs. a cai-
xa e l.ooo a garrafa.
dem Bordeaux das memores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Esteph e outros a 7oo
rs. a garrafa, 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
dem muscatel de Setubal verdadeiro a 2,ooo
rs. a garrafa e 22,ooo rs. a caixa.
Garrafes com 5 garrafas de vinho do Por-
te do Alto douro a 2,2oo rs. com o gar-
rafio.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira
muito proprio para a nossa eslacao, por
ser mais fresco a 2,4oo rs.
Vinhos velho chamisso em barril muito pro-
prio para sobremesa por ser muito claro
e macio a oo rs. a garrafa e 4,5oo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 5oo rs. a garrafa o 3,8oo
rs. a caada.
Garrafes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa, a l,2oo rs.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
c l.ioo rs. a caada.
Velas de spermacet a 6oo, 64o e 68o rs. o
masso.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
54o rs. e em barril a 5oo rs.
dem em potes de 4 16 libras muito Gna e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado.
Btnha de perco a 54o rs. a libra, e em bar-
ril se fap atetiaento.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, f,8oo, 2,000 e 2,5oo rs. cada
um
dem Iondrinos os mais frescos que se po-
dem desejar a 800 rs. a libra.
Caf do Rio de i*- e 21 qualidade de 8,000 a
8,500 rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz carouo e do Maranho a 3,ooo rs. a
arroba e loo rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
emporcao ter abatimento.
Caixinbas da ameixas francezas de 1 1/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,5oo, 2,000, e 3,ooo rs.
Fructas em caldas das seguintes qualidades:
ameixa, rainha Claudia, cerejas, pero,
ginja, pecego e alpech a 5oo rs. a lata.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 600 rs. a libra, e em la-
tas de I Vt e 2 libras.
Ameixas francezas em frascos de i 1/2 e 3
libras de l,4oo a 3,000 rs.; tambem ha em
latas de l,ooo e 3,ooo cada urna,
Cha huxim miodinho mandado vir de en-
commenda especial a 2,8oo rs. a libra,
garante-se a boa qualidade.
dem hysson o mais superior a 2,600 rs. a
libra, afianca-se ser igual ao que regular-
mente se vende a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem preto.muito fino a l.Doo rs. a libra.
dem mais baixo, e miudo proprio para ne-
gocio a L,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 800 rs. a libra.
Genebra de lamnja a 9oo rs., a frasco.
Chouricas e patos, os mais frescos que se
pode desejar, a 5oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e lo,5ooa caixa.
Ricas caixinhas com confeiles e frutas soccas
muito proprias para mimos pelo baratissi-
mo preco de l.ooo rs. cada urna,
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. o frasco.
Licores francezes das seguintes marcas: A-
nizete de Bordeaux, Plaisir des dames, e
outros a l,ooo rs. a garrafa e lo.ooo a
caixa.
Passas muito novas a 6,000 rs. a caixa e
36o rs. a libra, ha caixas, meias e quartos.
Itolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs.
a libra.
Azeite francez clarificado a 800 rs. a garrafa
e 9,ooo a^uzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a 800 rs. o frasco.
Mpstarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. o pote.
Mitas inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
rafinha.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de 1,00o a 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oors.
a grosa.
Milho alpista a 160 rs. a libra.
Milho painco a 140 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra a 2,300 rs. a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 300 rs. a libra,
e em caixa ter abatemento.
Sabao massa de 180, 200, 220 240, rs. a
libra do melhor.
Graixas em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savcl, pescada,
curvin, salmao e outras qualidades prepa-
rados de escabexe, segundo a arte de cozi-
nha de 1,400 a 2,000 rs. a lata.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
440 rs. cada urna.
Papel greve pautado e liso a 3,500 rs. a res-
ma. *
Azeite doce de Lisboa multo fino em barril a
640 rs. agarafa, e em porche ter abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas a
4,ooors. a garrafa e f 0,000 rs. o gigo
com urna duzia.
Doce da casca da goiaba a 4oo, 5oo, 600,
7oo, 800^ e l,ooo rs., o caixao grande.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez, e
suisso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a libra.
Velas de carnauba e composicSo a 32o, 36o,
e 4oe rs., a libra, e de lo.ooo a U,ooo rs.
a arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa a 1,00o
rs. a ancoreta, e l,5oo a de Lisboa, estas
ultimas raras vezes vem ao nosso mercado
pela sua ba qualidade.
Massas para sopa macarro talharim e atetria
muita nova a 48o rs. a libra.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 4,ooo, 3,5oo, 3,ooo e 2,5oo rs. a
caixa.
Serveja das melhores marcas a 5,ooo rs. a
7,ooo rs. a duzia.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies
Lunch, Cobin, eoutras a l,2oo rs. a lata.
Bolachinha de soda especial encommenda a
l,8oo rs. a lata.
Iem Craknel em latas de 5, 7 e 15 libras a
4,000, 5.5oo, e 11,000 rs. a lata.
Massa de tomate em latas de 600 a "00 rs.
cada urna.
Sardinha de Nantes a 36o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijollo de limpar facas a 16o rs. cada um.
Ceblas a 9oo rs., o molho.
Farinha de Maranho muito alva c cheiroza
a 14o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cominho, cravo, erva doce, enxofre, palitos
de dentes em caixinhas que tudo vende-
mos por baratissimo preco.
Ricas caixinhas com confeites e fructas sec-
cas muito proprios para mimos pelo bara-
. tissimo preco de l,oo rs. cada urna.
.
^
A
Baraiissiinas handeljas. Encoiumeodas d'aguia branca iccebi-
agnia branca por muitas vezes tem da- das pelo ultimo va per.
do a conecer que quando acha alguma pe- lucos pontos de tariaruga com chapa de madre-
chincha, nao qner somonte com ella encher Ve^-
o papo, ao contrario desoja que toda sua boa S^'Ss ISmSmh'
freguezia e o publico em gcral prvem da uatas ciuModnbos de setim para baptisados
mesma. o que agora mesmo acontece com Bicos de seda brancos e pretos.
essas; baratissimas bandeijas, cuja limitacao Bonitas caixinhas com msicas e sem ellas para
de precos admira, em relaro aosiamanhosc
qualidades: avista do que convm todos a-
provoilarem-s.' dessa opportuna occasiSo o
proverem-se d'uin traste sempre necessario,
e que Ihes costar quasi motado do justo va-
lor. Assim, pois, dirigirem-se com dinhei-
ro ?legro o ospicosa loja daguia branca
ra do Queimado n. 8.
Ox aamado eopos c*n banhn. c
boles cosa iQsce'ip'es.
Chegarain novamente para a agina branca
esses afamados e estimados copos com banha
fina; assim como os bonitos boioes de por-
cellana dourada irabem c im banha, e novas
inscripeoes maviosas e jocoserias, mui ade-
quado para presentes resl ip >rem que os apre-
ciadores concorram, manidos do dinhoiro,
costara.
Traucelins de La para enfeites.
Fitas do seda eslreitas para ditos.
Hitas de velludo com lislras para barras de ves
tidos.
Aspas de balea para vestidos.
Ditas de ac para espartilhos.
Bandees de clina.
Palseiras de contas para meninas.
1'ios para abrir lavas e port-charulos.
Essencia de ail para en^uinmados.
Pshygienieoade Labia para dentes.
Leite virginal para tirar sardas.
Dito d'ires para extinguir as caspas.
Vinagre aromtico pan wrtigens, dores de ca-
bera, etc.
CosaMApe surfine para cabellos.
Pomada para bigode.
enda de fil, lisa.
Pcuies de concha.
Com as novas e diversas guarnices de

RftPA FEITA
NO
vinuztn
DE
RA DO QUEIMADO N. 46
P2)a
*
U-
XJETEXRO VEROE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
[ rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
is ae iiiniieiro. ;Ucniesque aAguia Branca acaba d'e rece-
alegre b gpacosj Ioja iTagui a branca ra do i.r, vo,,, 1,1ini,P,n uma pefiueiwauajidaxifi
Queimado n. H. de pentes de concha que com g:-agai e acer-
tSraxa icconomica. ladamenle servem para o moderno atado dos
a aguia branca acaV,a. de n *? M^t- cabellos. lilles sao de bonitos e agradaveis
SK-SSISSa^^ SUS moW^ edetamanbo peqnenino como con-
recoiiiinendada. lano'Pori|iie o calcado lustrado vem para 0 im que S'JO. E'esta a primei-
iella deixa uori^" :l':'!i' lustroso ao mmos ra vez que d'elles 'aqui chegam, por isso
dJasMairneiv idade de aovo unto como que a moda nnvss,na> pelo que ganba-
nii-snia-Ti'iriiue >ua |i.viar.ii,,i,i i-appropnada para *-, ._____M _*. ^ .
a-ebre conserva, ueo.no-. ella vem em caixi- ra0 a Palma aclliell,s senhoras que pnmei-
nhas e barririnbos, e acha-sc venda na ra do ro se apresenlarem com elles, para o que
3yOU..
Qu- imado n. 8, loja d/aguia branca, aos rezum.dos os inandaio conipiar na lo;a d'Aguia Bran-
V' ''Kl <"'"' '- ca, ra do Queimado, n. 8.
TERCOS
Kolsas paca viagens.
Vondem-se na ra do Queimado, loja d'Aguia
ranca n. 8.
%'oltas prctas
MARA PA.
bem servir a toda a sua freguezia. nuiou cpie aimla A Agoia Branca receben as desojadas vollas
nao havia feito algum agrado a aquellas trae pru- pretas, mui compndas u gradas.
dente e acertadamente resando, compren) dever de &*hosIioros layafaslcws
bom Cbristao, e quando reparou essa son falta, \ E DE SEGBRANCA
e coroas le cornalina.
A aguia branca pensando constantemente em
mandn vir e acaba de receber delicados tercos e
corda; de cornalina com cruz de prata, os qiiaes
deixa disposicao dos liis que estirerem dispostos
a gastar 15500,25c 3& para possuirem nm bonito
terco ou corda, com os qoaes podem mesmo pedir a
Des pela prosperidade d'agnu branca, em sea ale-
gre e espacoso ninho da ra do Queimado u. 8.
Ilaliuzinhos com perfumarlas c
sem ellas.
\ .auia branca vendo bonitos liahuzinhos com 6
frasquinlios decheiro< |M>r IJ500 e vasios por 800
rs., s-rvindo estes |ara nicninM, emesnfopara
joias, etc., ele. : na ra dn Queimado, luja d'aguia
brinca n. 8.
*v >\ SssimoK e bonitos enfeites
para occas.
Quando o bello sexo senta a falta de bons
enfeites para cabera, eis que a aguia branca
recebe uma sua encommenda de bonitos e
delicados enfeites, e de modernissima moda,
muito servindo isso para sanar aquella falta,
e fazer com que as Exmas. apreciadoras da
bella empreza Coimbra possam melbor real-
sar e mostrarem o apurado gosto que as
guia. Esses enfeites sao d'um tecido bas-
tante fino com continhas d'aco, c mui bem
enfeitados com flores, fitas, bicos, plumas
etc., entretanto que sendo obra de muito
gosto custam 5fj, (# e 7>dinheiro vista;
na ospacosa e alegre loja d aguh branca ra
do Queimado n. 8.
Albuns com perfumaras.
Muitas vezes aconteca que se procurando uma
bella galantaria para se ofiertar a uma senhora ou
menina em seus annjversarios, ou mesmo na
amarracao das mestras destas, se nao aebava eonsa
que satisfizesse, agora, porm, j nSo deve succe-
1er assim porque na loja daguia branca encontra-
r o pretndeme bellos objectos para esse fira, so-
bre-sahindo entre elles esses bonitos albuns com
perfumaras, cujo gosto e novidade Ihes d a prt-
oazia A aguia branca folgar de contente se
essas offertas recahirem sempre em suas predilec-
tas frejiuezas, e qnaado assim nao seja, nao faz
nal porque a mimoseada reparando na singulari-
ad do objecto, querer desde logo alistar-se no
~nunie.ro daquellas. En todo ocaso havendo di-
nheiro dirijara-se rua do Queimado, loja daguia
brama n. 8, que tudo se arranjara.
Cliegaram luvas de pellica para a loja da-
Suia branca, ra do Queimado n. 8.
[tYas rinUs elsticas pura senhoras
rasadas.
A reconhecida utilidade dessas necessarias cin-
tas elsticas fez com que em breve se acabassem
as que veram da pnmeira vez. deixando assim
descontentos muitas senhoras que se nao poderam
proverdcllas, vista do que a aguia branca jnan
Casacas de panno preto, 3f& e
Sobrecasacas idem, 30^ e .
Paletos idem e de cores, 25,
200, 155 e......
Ditos de casemira. 20^. 150,
n.m. io*-
Ditos de alpaca, o<5 e. .
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50 e........
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. .
Ditos branco de linho, 60, S0 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 100, 70 e.....
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80 e......70000
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50500 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 50, 40500 e
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores,
300000 Golletes de fustao e brim bran-
250000 co, 30500, 30 e .
Seroulas de brim de linho.
100000, 20400 e ......
S \9 Cjtas de algodo. 1vS0 p. .
I -misa%.rt^Jietn -7 loito'
20500 p
20ooo m
JA ion %*
DE
..:a53,3#e:
Ditas de madapolo, 30,
30500: 2fc00, 20e ..... 10GOO
Chapeos de massa, pretosfrah-
30000; cezes, 100, 90 e. .
40fX)O Ditos de fltro, 50, 40,30500 e
Ditos do sol, de seda, 120,
M0, 70 e......
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda.......
70000 Sortimento completo de grava-
tas. 0
40000 Toalhas para rosto, duzia, 110,
90 e ....... 00000
40000 Atoalhado adamascado de li-
nho vara......10280
50000
20500
80500
20000
405OO*|
G10
m FAZEMDAS E ROCPAS FEITAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 250, 280, 300 e 350> casacas
muito bem feitas a 250, 280, 300 e 350, paletots acasacados de panno preto de 100 at
250 ditos de casemira de cor a 150, 180 e 200, paletots saceos de panno e case-
mira d 80 at 140, ditos saceos de alpaca, merino e la de 40 at (50, sobre de alpaca e
merm de 70 at 100, calcas pretas de casemira de 80 at 140, ditas de cor de 70 at
1.J0, roupas para menino de todos os lmannos, grande sortimento de roupas de brim,
como sejamcalcas, paletots e colletes, sortimento de colletes pretos de metra, casemira
e velludo de 40 a 90, ditos para casamento a 50 e G0, paletots brancos de bramante a 40
e 50, caigas brancas muito finas a 50, e um grande sortimento de fazendas finas e moder-
nas, completo sortimento de casemiras inglezas para bomem, menino e senhora, ceroulas
de linho e algodo, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin para homem e se-
nhora. Temos uma grande fabrica de alfaiatc, onde recebemos cncommendas de grandes
obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de semclhante arte e um
mSSSmuuft'tiiP C'^cnUK/i*^ ":r,"'''i''"f "or tintn nvn ni mi -1 r"'^-fW
iiumpuudu t in i"
fWTOfe m M^IM
DE
TODAS AS ^CALIDADES
DE
ANTONIO MAA DE BBITO
CONHECIDA POR FABRICADA VIUVA.
v
dou buscar mais algumas, que acabam de c
anda mais perfeitas que as pnmeiras, isso p
rom menores; ?.gora, pois, podem as senhora.
sadas prevenirem-sc, mandando-as comprar na
toja dafnia branca, ra do Qncimado n. 8. Se a
aguia-tjranca precisasse de sememante obra de
erto desta vez nao flearia sem ella.
a chegar,
opmse-
ioras ca-
Esses phosphoros hygienicos c de seguranca, sao
indubitavclmcntc os melhores que-ate agora tem
apparecido. por cuja su[)crioridade tanto se tem |
feito conhecidos e recotnmendadaa. Elles merec-
dente ganharam a preferencia a todos os outros
pelas vantajosas razSes de que nao detam aquello '
prejudicial e mo cheiro que costumam deixar j
quasi todos os outros, e mesmo pela seguranca de
que eslam isemptos de incendiar *pois que em
nenhuma outra parte fazem fogo a nao ser no cs-
peeial papet, qne vem pregado na caixa, onde tam-
bem nenhnn falla em qualquer que seja a esta-
eao: e alm de todas essas boas qualidades occor-
re mai-ada lwuale/a porone as caixas cwn 400
pbnspboros custam apenas iW, o que nao ha com-
paraco para com qualquer das outras qualida-
des. Assim pois, convm o uso delles, todos os
ebUbeleciaientos, eseripiorios, cartorios, reparti-
coes, casas particulares, etc., etc. Acham-se
venda na ra do Queimado loja d'Aguia Uranca
n. 8. Quem comprar porcao ter um abatimento
rasoavel.
Amostras de agiiihas inglezas.
A aguia branca acaba de receber por amostra
urna pequea qnanlidade, de caiieiras de molde nao
commum com agolhas ingieras de urna admiravel
siqierioridade. As carteiras trazem accommoda-
damente quatro papis de agulhas sortidas em
grossuras, e estas na verdade sao de qualidade an-
da nao vista aqui, o que fcil deconhecer-se pelo
seu bom arabamento. pois que sao perfeitamente
pulidas, punas mui agudas e bem tiradas, e fundos
ovaes. Gusta cada carteira 15, o que de certa pa-
rece caro, mas que apreciada a boa qualidade ael-
las, so terao a lamentar o nao vir mais dellas.
Tambem veio igualmente caixinhas com aUinetes
donrados. e outros brancos, os quaes se vendem a
'k rs., 320, 300, CiO ct a caixinha, tudo isso
na ra do Queimado. Joja d'agnia branca n. 8.
Maravllha das bellas, no vos e
delicados enfeites para ves-
tidos.
aprasivel a aguia branca o ter de avisar a
sua boa freguezia, que acaba de receber pelo pa-
quete francez um bello sortimento de enfeites de
se.da denominado maravilba das bellas, os quaes
servem tanto para vestido de senhora como para
roupinhas de enancas. Seus novissimos e delica-
dos desenhos, suas cscolhidas c bem acertadas co-
res fazem um todo agrada ve! aos olhos de qualquer
vvente qne saibaapreciar o bom. Assim, pois, a
duvida est em baver dinheiro. havendo-o, diri-
jam-se sem susto ao espacoso S alegro ninho de
40000
30000
20000
600
20500 Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cures.....
30500, 30 e".....20500 Lences de linho.....
Colletes de velludo preto e de Cobortas de chita chineza.. .
cores, 90 e......70000 Pennas d'aco, as mais superio-
Ditos de casemira preta, 50 e 40000 res, a grosa......
Ditos de ditas de cores 50 Relogios de ouro orizontaes,
40 e........30500; 900,800 e......700000
Ditos de setim preto. 50000 Ditos de prata, galvanizado,
Ditos de ditos e seda branco, patentes e orisontaes, 400 e 300000
60 e....... 50000 .Obras de ouro, adercos, meios
Ditos de gorguro de seda adercos, pulceiras, rozetas,
pretos c de cores, 60, 50 e 40000 { aneis e cruzes. 0
FUMDICO
DE '
N. 21Antiga ra dos Quarteis de polica N. 21.
Constando ao annunciante, que alguns especuladores de m f, vendo o crdito
jR que gosam os meus cigarros, e para poderem dar consumo aos seos andam veudendd tanto
f na praca como pelo mato, illudindo os meus fregueses, dizendo qup sao meus ;;e como to-
.;- dos os meus cigarros sao vendidos na minha fabrica, e nao mando,-pessoa alguma vender
M por minha conta fra della, fafo o presente annuncio para evitar ,que comprem gato por
lebre ; e para seguranca dos senhores consumidores deste generc\e especialmente os seus
freguezes, aviso que todos os massos de cigarros que forem vendidosnaminba fabrica s3o
marcados com um distinctivo que declara o meu nome, o nomo da ra e o numero da
mesma casa.
Aproveito a occasio para scienticar aos mesm senhores, que constantemente
encontraro um completo sortimento de cigarros de diversas qualidades, e do melhor fumo
escolhido, por sua boa qualidade j bem conhecida.
POR MENOS DEZ POR CENTO
NOS
ARUAZjEXS
- wmmnw i mm\
ii;
Ra do Rnim, \. S8.
DE
ij. 0)0)8
NS. 2t E 23UftflOfM TERCO-NS. 21 E 23.
Kecebem por conta propria a maior parte dos gneros existentes nos seus arma-
zens e por isso deliberou-se seu proprielario a vende-los por menos 10 ,'0 do aue em
FRANCISCO ANTONIO CORREIA CARDOSO,outra ^^ p^ ^"tidJo*p q^c. oaoqueem
kLelaui todos.
Manteiga ingleza especialmente escolhida a 72o e 8oo rs. a libra.
Acha-se novamente aberto este antigo e proveiloso estabelecimento, prompto para ,
esecutar quaesquer encommendas de ferro fundido, batido ou de bronze, moendaspara Wem franceza de pnmeira qualidade a 56o rs. a libra, e era barril a:>4o rs. a libra.
promptidao, perfeico e com- S^gj* Jnie'lllir 'lo meLrcail a lo rs- a ,bra
solida
iuiM-m; Mili ,'UM( atr wihuk/^u j iiu iiiisiiv vk- i # i
aguia branca, ra do Qneimado n. 8, que aoharo bronze que sena enfadonho descrever.
engenhos, com vapores ou sem elles, ludo com a maior
modo preco ; tem varias obras promptas da melhor e mais
demser vendidas por metade de seu valor, como sejam :
Moendas inteiras e meias ditas de varios tamaitos, para engenhos.
Portas d'aguas guarnecidas de bronze com parafuzo de rosca quadrada.
Hadas de espora, carretas e rodetas angulares.
Parafusos e cayilhes de ferro ou de bronze, rosca quadrada ou singela.
Agulhoes fundidos de azase batidos para rodas d'agua e chumaceiras com bronze,
Bronzes e torneiras de todos os lmannos e qualidades.
Tasase fundos de alambique, de ferro fundido, de varios tamaitos.
Cnvese portas de fornalha de varios tamanhos e qualidades.
Uma maehina de deslillaco continua do autorCollares.
Fogfes americanos econmicos para casa de pequea familia.
Fornos de fazer farinha.
Tubos de chumbo de todas as grossuras.
Cobre em arrobas e folhas. dito, dito.
Folha de Flandres em caixas, bom sortimento.
Chumbo em lencol e em rolos de diversas grossuras.
E uma grande porefo de pecas de obras tanto de ferro fundido como balido ou de
a e 3,ooo rs. a arroba ou sacco,
itruccao queTo- Ca^ ^ Rio e do Cear o melhor neste genero a 28o e 32o rs. a libra.
Batatas novas a 5o rs. a libra, em arroba a t,4oo rs. e em caixas de quatro arrobas por
4,5oo rs,
Bolachinhas americanas, as mais novas neste genero, a 2oors. a libra e3,ooors. a barrica.
Palitos do gaz, vindos por conta particular, a 2,3oo rs. a groza.
Queijos do reino, chegados pelo ultim vapor, a l,8oo e 2,ooo rs.
; Vinha do Porto em garrafa de superior qualidade a9oo rs. a garrafa,
dem em pipa Figueira e Lisboa a 4oo rs. a garrafa, e a 3,ooo a caada.
Milho alpista o mais limpo que ha no mercado a 16o rs. a libra, e a arrroba a 5,ooo rs.
Velas de spermacet, composigao e Aracaty, a 4oo, 36o.e 64o rs. a libra.
Toucinho de Lisboa novo grosso de primeira qualidade a 32o rs. a libra, e 9,ooo rs>. a
arroba.
Alm deoles gneros ha outros muito baratissimos, assim como cha do melbor,
azeite doce, vinagre, cebollas, alhos, pimenta, cominhos, erva-doce, charutos de toda as
qualidades. chouricas, sabao verdadeiro de!6oa24ors. a libra, genebra de toda as
qualidades, que tudo se vende barato e quem duvidar venb ver.
as verdades cima ditas.
Moldados a preco fabuloso e p-
tima qualidade.
Na travessa das Cruzes n. (^ taberna, vendem-se
os seguintes gneros : manteiga franceza a melhor
me lii no mercado a 560 rs. a libra, dita inpleza
a 720 e 640 rs., apnardente de canna engarrafada
ha 3 annos a 240 rs. a garrafa, que parece de
Franca, dita de pina a 200 rs. a garrafa, e caada
a 15120, espirito de vinho a 280 a garrafa, e ca-
ada a 15600, vinho o melhor que possivel da
Figueira a 480 a garrafa, e caada a :#50O, dito
mais baixo a 400 rs. a garrafa, dito do Estreito a
320 a garrafa, vinagre branco proprio para con-
serva a 320 rs. a garrafa, azeite doce de Lisboa a
600 rs. a garrafa, dito de carrapato a 320 rs.
Espera, pois, o proprietario deste eslabelecimento que o publico sempre benigno
e prestar toda sua corrfianga o attencao.
aixas de ferro.
Vondem-se tainas de ferro do mais acreditado
fabricante e por preco mais raioavel: no arma-
ren de assucar de Jos da Silva Loyo C.
Vinho puro.
No escriptorio de Eaiebio Raphael Rafcello, na
ra da Cadeia n. SS, vendem-se ancoretas com ex-
eeHente e puro vinho tinto de Lisboa, somente des-
tinado para gasto de casas particulares por ser re-
mettdo pelo proprio fazendeiro ou lavrador.
Potassa nacional.
Vende-se superior potassa do Rio do Janeiro, da
mais nova oue ha no mercado, a preco muito com-
modo; no largo do Corpo Santo, escriptorio de
Manoel Ignacio de CHiveira & Filho, n. tfl.
Ca de Lisboa
Cal vrgem chegada hontem em ancoretas mui-
to bem acondicionadas e por preco commodo: no
antigo deposito da ra do Trapiche n. 13, arma-
zem de Manoel Teixeira Basto.
IHI^AOVVU.OIM.
Nesta grande e bem montada fabrica de machinismo, a'mais antiga no imperio,,cm-
tinua-sea executar com a maior presteza e perfeic3o encommendas de toda a qualiaado
de machinas usadas no paiz, tendo sempre prompto o seguinte :
Grande sortimento de moendas de earma de todos os systemas e taannos.
Machinas de vapor de diversas qualidades.
Taixas fundidas e batidas.
Crivos e boceas para fornalhas.
Bronzes e aguilhes.
Bodas, rodetas e rodas d'agua.
Guindastes txos e portateis.
Machinas de cyrhidros para padaria.
Serras de ac para serrara.
fatechaspara barcos, etc., etc., tudo por preco que bem convida.
VfflinLADO)



Diario de PeramlMieo Qnarta tetra s de ftetembro de t.


i
:
GRANDE ARMAZEM
AE
lWtftmii*mi UMiii ni JlM-UUn
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
Eduardo Marques de Oliveira C.
N. 36, REA DAS CRCTES N. 36
BO
balrro de Santo Antonio.
O propietario do muito acreditado armazem denominado Progressista tendo
sempre em vista fazer tudo o que for possivel para bem servir aos seos freguezes, lem
deliberado vender os seus j bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos presos
abaixo mencionados, e amanea s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
escravos, serem Ufo bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, ainda mesmo conlendo objectos nao proprios deste estabelecimento. O
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que nao agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
cio com os seus portadores, fazendo-lhes ver que s no armazem Progressista da ra das
Onzes n. 36, que se vendem os melbores gneros por mais barato preco, porque estes
muitas vezes olvidam-se e vp outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.
TODOS
08
VAPORDS
se recebem gneros de conta
propria e dos melbores esta-
belecimentos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer gG-
nero comprado neste
ESTABELECMENTO.
COMPLETO
S0RTI1BNT0 BE M01HAI0S.
vende-se cm porco e a reta-
lho, aprompta-se com toda a
presteza e exactido qualquer
encommenda dirigida a este
LSTABELECIMENTO.
x/i
O
>
O
s
as

n -S
s t
M -5
&
3 |
35

5 5 T
8*1 n O 8. 3 1 c c
s ac
1 s ET"
" * o
2. w> 3
ib m
N'estes novos e grandes estabelecimcntos de molhados, encontrar o respeitavei
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro, expostos yenda
todas as qualidades de gneros por menos prego que em quaesquer outro estabelecimer^
tos d'esta ordem, pois para bem servir os seus freguezes existe na Europa um los so.
cios para serem vindos de conta propria diversos gneros, e desde j encontrar o res-
peitavel publico sempre os melbores gneros do nosso mercado, e por precos baratiss-
mos como abaixo vero, a saber
Manteigai ngleza de !.' qualidade, a 990 rs.]
a libra,
dem de 2.* qualidade, a 700 rs. a libra,
dem franceza, chegada ltimamente, a 6oo |
rs. a libra.
Batatas em gigo de arroba a l,5oo rs.
Maeaes chegadas no vapor lnglez,
Ervilhas murto novas a 2io rs. a libra,
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor,
de U 25500.
dem prato, chegado neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 700 rs.
a libra.
dem londrino, mandados vir de encommen-
da especial, a 900 rs. a libra.
Mera suisso, muito fresco, a 800 rs. a libra.
Caf do Rio de 1.a e 2.a qualidade a 8d500
e 80809 a arroba, e 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India e Maranho a 120 rs. a libra
c 30200 a arroba.
neste genero a 240
de superior qualidade a cada
xrnha,
Mostarda preparada em potes muito nova a
400 rs. cada um.
Avelaas as mais novas
rs. a libra.
Presuntos do Porto muito novos a 560 rs. a
libra.
Legumes francezes para sopa, como seja,
Julienne, mlange d'quipage, Choux e
outras qualidades, a 400 e 500 o masso.
Araendoas de casca mole a 320 rs. a libra, e
em porco ter abatimento.
Carrafdes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 25400 com o garrafao ;
afianca-se que nesse genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Fi?1^."!^
'Vupe-Tf ornisTprpn para a nossa esta-
co por ser mais fresco a 25400.
Cha bysson o mais superior a 2#600 a libra,
afianca-se ser egual ao quo regularmente
veademos a 35200.
dem huxim miudinho. o mais superior que
vem ao nosso mercado a 25700 a libra.
dem preto muito fino, a 25000 a libra.
Chocolate para 9oo, l,ooo e l,2oo rs. a li-
bra.
Garrafoes com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 25100 cada um.
dem com 5 garrafas de \.na/re de Lisboa
a 45100 com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinagre hambur-
guez a 800 rs. cada um.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: Genuino,
Port fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Velho secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a 900 rs. a garrafa e 95
a duzia.
Vinho Bordeara das melbores marcas:
Julien, Medoc e S. Estephe e outros a
640 rs. a garrafa e 79800 a caixa com
urna duzia.
Chouricas e paios, o mais novo que se pode
desojar, a 2;0 c 000 rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglcz dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa e 105500 a
caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
I icores francezes, muito finos, das seguintes
marcas: Anizetta de Bordeara, Plaiserdes
dames, Cerme de Noyau, Eau Dantzic,
Treme de Menthe, Hude de Venus etc. etc.
l'assas muito novas e de .-amada a 400 rs. a
libra e 05500 a caixa com urna arroba, ha
cakas, meias e quartos.
\meixas francezas em frascos de 1 1]2 e 3 li-
bras de 15400 a 25800, tambem ha latas
de 6 libras.
dem em caixinhas de 1 7*
elegantemente enfeitadas com
tampas na caixa exterior a 1,3oo,
1,8oo e 2,4oo.
Milho-alpista a 180 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra e 25300 a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sab3o verdadeiro hespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libra e
em caixa ter abatimento.
dem m'assa de superior qualidade de 160,
180, 200, 220 e 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 15300 a duzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salmo e outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
cozinha a 15400.
Papel grve pautado e liso a 35800 a resma.
Genebra de Hollanda era botijas de conta a
460 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 35200 e 45000 a caada do
melhor e 500 rs. a garrafa, em porco ter
abatimento.
Vinho velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
55000 a caada.
Vinho branco ornis suneriorjjne possivel
a caada.
Vinagre puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
e 15400 a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril
a 640 rs. a garrafa, e em porco ter
abatimento.
Os proprietarios do muito acreditado armazem Progresso fazem sciente ao reapeita-
vel publico c com especialidade aos seus amigos e freguezes que tem resevido resumir os
precos dos seus acreditados gneros, como abaixo vero nao obstante os precos menciona-
dos a vista da qualidade dos gneros que se prova quanto se deseja servir sajisfotoria-
mente aos nossos freguezes, advertindo-lhes que mandem seus portadores, que serio to
bem servidos como se viessem pessoalmente, Kto s no Progresso.
Manteiga inglcza perfeitamente flor chegada I Farinha de Maranho muito alva e cheiroza
a 16o rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 32o rs. a libra ea9,ooo
rs. airaba.
Sardinhw de Nantes a 30o M a lata.
a 64o rs. agarrafa e a
Amendoas a 320 rs. a libra.
Aveles a 2oo rs. a libra.
Ameixas a 15 a libra.
Ditas em Irasco por 25800.
Arroz pilado da India loo rs. a libra e 35oo i
a arroba.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a 560 rs. a libra.
Massa estrellinha para sopa a 000 rs. a libra.
Macarrao, aletria e talharim a 18o rs. a li-
bra.
I Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
n t
no ultimo vapor a 800 rs. a libra.
dem de 2.a qualidade a 76o rs. a libra.
dem de 3.a dita a 64o rs. a libra.
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
Manteiga franceza a mais nova que ba do mer-
cado a 58o rs. a libra, e em barril tera aba-
timento.
Banha de porco refinada a 520 rs. a libra.
Vinho em pipa Porto Figueira e Lisboa a 4oo,
48o, 5oo, 56o rs. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,000 rs.
dem embarrilo mais superior que tem vin-
ao mercado a 600 rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho de Porte a
l,ooo a garrafa e a lo.ooo a caixa, o preco
nao indica a qualidade (Teste precioso vi-
nho, porm venhamaoProgresso que a vis-
ta faz f, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
demos vender por menos que outro qual-
quer annunciante.
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre-
ditadas e especialmente escolhido por um
de nossos socios, comosejamrCames, Du-
que, do Porto, D.Luiz, Carcavellos, Cha-
misso & Filho, Madeira secco, e Feitoria a
Azeite doce de Lisboa
4,8oo rs. a caada.
Vinagre de Lisboa a*2oo rs. a garrafa e a
l,2oo rs. a caada.
Garrafoes com 5 garrafas de .vinagre de Lis-
boa a'l.loo rs.
Champanhe das marcas mais acreditadas a
Sea 10,000 rs, o gigo, e a 800 rs. e a
l,ooo rs. a garrafa.
Serveja preto marca T XXX a 6,5oo e
7,ooo rs. a duna, e a6oo r. a garrafa,
tambem temos das mosmas marcas para 4,
e 4,5oo rs. a duzia, e a 4oo rs. a garrafa.
dem branca Te cobrinha a5,5oo e 6,000 rs,
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tambem ha
para 4,ooors. a duzia.
Graxa.em latas grandes a lT3oo rs. a duzia
e 12o rs. a lata.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro obra
demuita duracSoa too rs. cada urna.
Palitos de dentes massos grandes a 2oo rs.
e28ors.
9oo rs. a garrafa e 9,ooo
12 garrafa?-
ni iniin 3
rs. a caixa com
Champagne
15000 a
urna duzia.
das mais acreditadas marcas, a
garrafa, e 105000 o gigo com
Paltos do gaz a 20 rs. a caixinha e 2,3oo rs.
ajaeza. -----
^m esperiaf Trmro ott rnrm crm-J^i.-^, Alpercbe chegada no ultimo vapor
garrafas a 2,000 rs. ,t8 de 2 y^^ a 800 rs. pecbincha.
dem com 5 garrafas de superior vinho Fi/ Genebra de Hollanda garrafoes com 16 gar-
gueira a 2,4oo rsr rafas por 6.5oo rs.
dem com 5 garrafas de vinho Lisboa a!ideniemfrasqi)crasa6,3oors.e6Ilioors.ea
*'100 re' 56o rs. o (rosco affianca-se ser verdadeira.
Vinho branco de Lisboa proprio.para missa Wfim de mi- pm barricas ^ d
vindo j engarrafado de Lisboa a 64o rs. zas a 4ioJrs cada ^^ 4
Dito dito do Maranho 120rs. a libra e 35500
a arroba.
Azeite doce francez800 rs. a garrafa.
Dito de Lisboa 680 rs. a garrafal
Agurdente de canna de cabeca a 240 e 320
rs. a garrafa.
Azeitenas a 320 rs. a garrafa e 1,3oo a an-
coreta.
Batatas inglezas a 60 rs. a libra t l',8fioa
arroba.
Banha de porco a 5oors. a libra.
Bolachinlw.de soda a 15400a-tato:
Bolachinha ngleza a 200 rs: a libra, e a bar-
rica a 35006.
Chvbvssoa a 25200 a libra.
Dito dito fino a 25600 a libra.
Dito miudinho a 25800 a libra.
Dito do Rio a 45800 a libro.
Dito preto a 15900a libra.
Charutos de- diversas qualidades a-15200,
15500 e 35 a caixa.
Champagne a 15 e 15500 a garrafa.
GbMrigas-aittO e 600rs. a libra.
Conservas inglezas a 800 rs. 'frasco.'
Cafem grao a 300 e 320 rs. a fibra, e 95 e
95200 a arroba.
Ditemoido a 360 rs. a libra.
Doce de goiaba a 560 rs. o caixao.
Espirito de vinho de 38 graos, a 280 rs. a
garrafa.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Dita flor de laranja a 15 o frasco.
Fijo branco muito novo a 440 rs. a cuia.
Figos a 32o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em botijas a 5oo rs.
Dita Hamburgueza a 44o rs. a botijar
Gomma d'araruta a 100 rs. a libra, e 25600
a arroba.
Graixa em latas a 120, e 15300 a duzia.
Genebra em garrafoes de 14 garrafas por
45600. ..
Lic& fino a 800 r< f^rrata^ ~T>
0>.TC<.Vw*iu. -- "*~~ lir,l,'flM^'yUiias do Douro a 16400 a gnala.
Manteiga ingleza flor a 800, 900 e 15 a libra. Vinho branco de Lisboa a 7*0 rs. a garrafa.
Passas a 4oo rs. a libra.
Palitos para dentes a 180 rs. o masso.
Phosphoros do gaz a 25500 a grosa.
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a
25500.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Cenejas de marcas superiores a 500, 560.
600 e 640 rs. a garrafa, e 55500, 65 e
65500 a duzia.
Dita em barril por 45, e 240 rs. a garrafa.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 rs. a lati-
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a ICO rs.
Vellas de spermacete do gaz a I,2oo rs. a
libra.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 libras por 45000.
Ditas de carnauba a 400 rs. a libra.
Ditas de composico a 3G0 e 380 rs. a libra.
Vinho do Porto, caada a 55500, garrafa s
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 45 e a garrafa a 500
rs.
Dito Figueira, caada a 35840 e a garrafa
480 rs.
Dito dita superior, caada a 45 e a garrafa
a 500 rs.
Dito Estreito, caada a 35200 e a garrafa
400 rs.
Dito Bordeara a 720 e 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa em garraloes de 5 garra-
fas por 1540O.
Dito em caada a 25, e a 260 rs. a garrafa.
Vinho do Porto em garrafoes de 5 garrafa*
c15200.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Babia a 35500 a caixa, tambem temos
para 25000, 25500, 35000 e 35200 a
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 600, 640,
e 680 rs. o masso.
dem de carnauba e composico a 320, 360,
e 400 rs. a libra e de 105 a 115500 a
arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 15000
a ancoreta do Porto e 15500 a de Lisboa.
m Massas para sopa: estrellinha, rodinha e pc-
vide a 500 rs. a libra c 45500 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carro c aletria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso das melhores qualidades a 900 rs.
a libra.
a garrafa.
dem em barril muito superior a 5oo rs.
garrafa e a 4,ooo e 3,8oo a caada.
Ameixas francezas em caixinhas de 1 '/ 2
e 3 libras elegantemente enfeitadas com ri-
cas estampas na caixa exterior a l,3oo
l,6oo 2,ooo e 2,5oors.
dem cm latas de, 1 '/* e 3 libras a 1,4oo e
2,6oo rs, cada urna.
Figos de comadre em bauzinhos de folha
muito proprios para mimo a l,6oo.
dem em caixinhas a l,4oo rs.
dem em caixinhas ermeticamente lacradas
e muito bem enfeitadas a l,8oo rs.
dem a 2oo rs. a libra. ; Gomma de engommar muito alva
Passas de carnadas as mais novas que lia no | a ,lbra e 2'2o w'a arroDa-
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,000 rs. a j sag muito novo a 24o rs. a libra,
caixa.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixo.
Cerveja das melhores marcas de 55500 a
65000 a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
15300 a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda,
muito nova em latas grandes a 25000 cada
urna.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada urna.
2 e 3 libras! Sardinhas de Nantes, do fabricante Basset, a
ricas es-: 360rs. a lata.
l,5oo, Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a libra.
i Tijolo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Marmelada imperial, dos melhores conser- Cebollas o mlho a 900 rs.
^t^S^ """ Cm *>->-.*no- O* br,
\a at Finetas em caldas de todas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas, a 500 rs ca- Garrafoes vasios a 500 rs. cada um.
da uraa' Ditos com 5 garrafas de genebra a 25400,
Bolachinha ingleza, a mais nova que se pode garante-se ser verdadeira de Hollanda. -
deseiar, a 35000 a barric a e 240 re. a!
libra. Cebollas a granel a 640 rs. o cento.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa Canella a mais nova do nosso mercado a
a 160 rs."a libra.
Azate francez clarificado a 800 rs. a garrafa
o 95000 a caixa com urna duzia.
dem de laranja em frascos grandes verda-
deira italiana a 1,00o rs. o frasco.
Marrasquino de zara a 72o rs.
Licor francez de todas as qualidades cm
garrafas de vidro brancos a 72o e 800 rs.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que tem vindo ao mercado a 72o e 800
rs., e em caixa a 7,5oo, 8, e 8,2oo rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol e
outros a 800 rs. a garrafa.
Conservas inglezas sortidas e de urna s qua-
lidade a 800 rs. o frasco.
Manteiga franceza a 600 e 64o rs. a libra.
Dita hollandeza a 72o 800 rs. a libra.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
Previne-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima so de boa quali-
dade, e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annunciados.
c 55 a caada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, e a 45500
a caada.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
a 80 rs.
FCMDICAO DO BOWMASr-MUA DO
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortimento de
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Bodas d'agua de ferro com seus perlences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
Bodas dentadas, angulares e deepra.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
Salmo em latas
800 rs.
ermeticamente lacradas a
Sevadinha de Franca a 16o rs. a libra.
Lagostim em latas grandes a l,4oo.
Savel, corvina, cherne, vezugo, peixe espada.
Sevada muito nova a
ss. a arroba.
12ors. a libra e 3,2oo
Macarro a 32o rs. a libra.
preparados pela primeira arte de cozinha a ,dem e taiharira 0 mais novo ^e ha no mer-
Alfazema o que pode haver de melhor neste
artigo a 280 rs. a libra.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes phosphoros de seguranca individual a 20 rs.
Mixed Pickles, ceblas simples, e outros; a caixinha.

a 760 rs. o frasco.
Farinha verdadeira de araruta a 500 rs. a
libra, garanto-se a superior qualidade.
Pautes para dentes em caixinhas douradas
Breu, a 320 a libra e 85 a arroba.
Papel de embrulho muito superior a 15120
a resma.
Vinho da Figueira, o que ha de melhor a
45000 a caada.
Coposfinos para agua a 65000 a duzia.
a l,3oo rs.
Queijos flamengos chegados no ultimo va-
por a 2,4oo rs.
dem do vapor passado a 2,2oo 2,ooo e
l,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
Doce da casca da goiaba caixes grandes a
600 e9oo rs.
Chouricas as mais novas que ha no mercado
a 48o rs. a libra.
Chouricas mouras encommenda especial nos-
sa a 5oo rs. a libra.
Prezunto verdadeiro de lamego em calda
de azeite 5oo rs. a libra
Bolaxinha ingleza a* mais novas que ha no
mercado a 2,ooo rs. a barriquinha com
1 arroba, e a 24o rs. a libra.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
reis.
dem em latas grandes, proprias para lonche,
com 5 a 6 libras por 2,4oo rs.
Marmelada imperial do fabricante Abreu e
outros conservaros de Lisboa a 600 rs. a
libra.
Frutas em
5oo re.
calda de todas as qualidades a
Ervilhas francezas a 000 rs. a lata,
dem portuguesas a 64o re. a lata.
Massa de tomate a 64o re. a libra.
Amendoas confeitadas a 7oo rs. a libra,
dem de casca mole a 28o rs. a libra,
Avelans a 2oo rs. a libra.
cadoa 48o rs. a libra.
Aletria a 5oo rs. a libra.
Arroz carolino a loo rs. a libra e a 2,8oo rs.
a arroba.
dem do Maranho a 12o rs. alibra, ea
3,ooo a arroba.
Caf do Bio o mais superior que se pode de-
sejar a 32o rs. a libra.
dem a 28o e 3oo rs. a libra e a 8,2oo, 8,4oo
e 8,7oo rs.
Velas de carnauba refinada a 32o rs. a libra,
e a lo,ooo rs. a arroba.
dem de spermacete a 64o rs, a fibra.
Chocolate hespanhol e francez a 9oo e l.ooo
rs. a libra.
Estrellinha e pevide muito nova a 4oo rs. a
libra, e a 2,ooo rs. a caixinha com oito
libras.
Cha perola muito especial chegado neste ul-
timo vapor de encommenda particular
nossna2,800re. alibra.
dem huxim muito superior a 2,7oo re.
libra.
dem hysson a 2,56o rs. a libra.
dem hysson a 2,ooo e 2,2oo re. a libra.
dem preto horaeopathico e muito superior a
2,ooo rs. a libra.
dem nacional a i,600 re. a libra.
Batatas muito novas a 80 rs. alibra.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e de todas as marcas, como sejam: sus-
piros, havaneiros, messecipes, regala im-
perial, flor das mattas, primores
3,5oo, 3,2oo, 3,000, e 2
2,000 e i,600 rs. a caixa.
PHOSPHATO de FERRO
]

DE LERAS, DOTOR EM SCIENCIAS, INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARIZ, etc., etc.
Este novo ferruginoso, appiwado por toda* as Academias da Medicina do mundo inleiro, rene a
composiQSo dos ossos e do sangue, e contem o ferro em e.Mado liquido. Segundo uotamtfea fetas nos
hoppitaes deParli e consignadas no Prospecto 1 elle superior s Plalas (fn-Hiiinm., <-(
aa cllralo dr ferro, a Pilulaa r. Xarope dr
*rro rcauna* pnv oyrwn^Mrw, .... -,..,------------ -- -w -
: elle cura rpidamente a ictericia branca, cor paluda, dores d estomago, dieestoes peno-
rvosas. escrophulas, mingoa de sangue, perda de Torca e appctile, irregularidades,
de ferro, ao ferro redualde pelo hdroa;enro
loanro de ferro elle cura rpidamente a ictericia Um..
sas, affeccoes nervosas, escrophulas, mingoa de pangue, per
faltas menstruaes, e flores brancas. E o melhor adjuvante do Oleo de asado de oucaihao.
Depsito geral 1 em Pars, en casa do MM. Crinan e O, pharmaceulicos, 7, ra de la Feuiltade
em Lisboa, en casa de Rodrigo da coata-Carvalaoi no Porto, en casa de Miguel Jo*e de a"a-
Parrelra em o Rio-dtJantiro, lava relalo e Dinas, ru do Sabo, 11; em Baha, en ca. de
Joo-Caetaao Ferrefra-E.nlnbelra; era Rio Grande, en casa de Majal, de Godoy; em Joran-
ho, en casa de Ferrelrae C; era Ptrnambuco, Shonm e O, ra daCrui, 22; soaaa, e as prlnclpaes
pharmacias do Braiil.___________________________________________
I
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barboza.
AGENCIA
DA
FNDICO DE LOW-MOOR.
Ra da Smalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas c meias
moendas para engento, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Cal de Lisboa c potassa da
Rnssla.
Vende-se na ra daCadeia do Recife n. 26, ji.ua
onde se mudou o antigo e acreditado deposito da
mesma ra n. 12, ambos os gneros sao novo? e
legtimos, e se vendem a preco mais barato do que
outra qualnaer parle.______________________
Lisboa
na rna do Vigario .
Cal de
a mais nova do mercado
19, priraciro andar.___________
al de Lisboa
nova: na ra do Vigario n. 19, primeiro
andar.
i..!.
ESCRAYOS FGIDOS.
No dia 3 do corrente fugio a oscrava do BMMe
bastante baixa, magra, nariz chato, bocea
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. ohnston & C,
ra da Senzalla Nova n. 42. ________
Farinha de mandtoea.
Vende-se farinha de mandioca a melhor que exis-
te no mercado por ser de Santa *^a?j "SL Anna, bastante baixa, magra, nariz cnato, i
do do patacho Vii'O, entrado nest r* n i mii 0 com uma grande cicatrii as costas, r
11 do corrente, por menos do que emi onnw q* esenU Jrinta 0 tantos anuS) desconfia-se andar
,. harro : a tratar a bordo ou ^ Sanl0 Amaro Ue jaboatao, por ter pcrtencido a
fabrica do engeoho Contra Acude e ter sido com-
prada no dia 2o de agosto do corrente: roga-se a
: quem a pegar leva-la ra da matri. da Boa-\ s-
ta sobrado n. 33, que ser recompensado-_______
Fugio em dias do mez de abril do /brente
anno, o escrauo Manoel, de nac>, idade de 50 an-
nos, rwuco atis ou menos, com os signaes seguin-
tes : tem aTperna direita toita, lwca gramle,
beicudo, sem barba e anda quasi sempre cinti
(Ulecido Joaquim de
quer barco
rim n. 43.
Cola da Baha
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
ido, no seu esaiptrio, riu da Cruz n-1
vedo
Vcode-se ou aluga-se
Vende-so um sitio na Capunga, com u
boa
casa'uafa familia, com viveiro c tanque para ba-
l a. com muiws fructeiras com frudo
Pan la
tes^25^&&*S^^' ft-
a viuva do sTJoao Evangelista da
ndo andar, quesera recompensad-


-a.


9
DiarU de Peraambuco Qnarta felra 93 de fteteukr d t *AS.
AGRICULTURA



Carla do Sr. I. A. de Varuhagcn aoExni. Sr. ministre
dos nigofins da agricultura, conimcrcio e obras
publicas, sobre o cultivo da raima t do fumo.
Illm. eJ/jjmi. Sr.Teuli a honra de informar
lif.rticularnrate V. Exc. de que em quanto por
conveniencias do servico publico, de que foi eom-
petentem me informado o Exm. choto da repartico
a que prtese, eudevia ler rerla demora as An-
tillas (per ocrasiao da minha transferencia do
Equador para Venezuela) procurei emprega-la
OedkMHiM ao esludo e examc pratieo de varias
QOeelOai e industrias de magno inleressc para o
novo paiz.
E comerando pelas que tem relacao com a co-
lomsacao elum, a respeilo da qual fui por V. Exc.
ofllcialmento incumbido de um trabalho, queapre-
seotei em principios de 1861, devo dizer que pos-
suo hoje st-bre este assumpto ideas mais precisas
do que entao, quando nao (inlia visitado esles pai-
zos, nem ouvido as opinies de lautos interessa-
dos.
- Com animo desprevenido tenho procurado es-
tudar a questo,encarando-a por todas as fa-
ces. Vi-lhe os seus lados bons e os seus lados
pessimos. Quando as rezes coutemplava aquelles
i'stos feios, macilentos, enervados pelo uso do opio
dijo habito raramente perdem os que vem adul-
tos), quando me (embrava dos que nos couberam
em sorlc, e dos quaes nos dao tanto que fazer
polica correccional da corte, e outros apenas se
entogan] a mascatear e a ventaran peixe pelas
ras, quando tina! mente me contavam casos de sua
Ilimitada de.smoralisaeao e da facilidade
se entornara por duzias,
muitos da Baliia
ment da divida em que lhcs fiquei pelo benvolo' a trra s cannas com outro arado, proprio a fa-
acolhimento e instruccoes praticas que ahi me de-' zer os camallies. Crcio que cora nm tal uso de
ram, em geral em virtude das recommendaces' plantar largo, e a ntroduce,o dos dous menciona-
officaes e particulares de V. Exc. j dos arados na Baha, a praga do mata m embora
Nao conheco paiz em que o fabrico do assucar, I nao ser mais de lemer-se.
pelo que respeita maior quantidade e roelhor Pensam alguns agrnomos entendidos de Cu-
qualidade, tenlia alcanzado a perfelco que se v ba, que simples-mente com o entorrar lodos os an-
eni muitos engenhos na ilha de Cuba, embora seja nos a herva capinada e a cinza do bagaco, os cau-
3 que a malor parte delles anda taes me- naviaes terao sempre o sufllciente adubo, e que
com que
s para se vingarem dos
amos e az-los por esse mcio perder a paga, que
aliantaram da |iassagem, confesso que me pareca
ver resolvidu negativamente o problema, e que
desde logo deva dar conta do resultado, para o
pan nao cahir mais no que ja caro llie custra, e
uns caro eslava costando a outros.Pouco a pou-
co porm me abalava a lombranra de que em Li-
ma escas.st-ari.im demasiado os criados e principal-
mente os cosinheros a nao haver tantos Orina, e,
ao entrar na ilha de Cuba, em varios engenhos c
ao ver tantos (os que havam sabido bons) traba-
lliando activamente nao s no campo, como anda
melhor na casa das caldeiras, etc., tinha momen-
tos de chegar a desejar, custa de quaesquer sa-
enflcios, ver as cidades e os engenhos do Brasil
povoados de taes cutes de rafa malaio-mogoli-
ca. Felizmente porm em todas as cousas huma-
nas a hesitacao tem um termo para o espirito si-
sado e perseverante. Concentrando-me com todas
!f.S U0SlC ,ssuu,l"0' entregando-me ao estu-
'. -C "(uco que Sobre elle se lem cscripto, e bus-
cando depois discutir francamente com os lavra-
vadores, amos de chins mais respeitaveis a Ilus-
trados, ebegoei a dilucidar todas as mnhas duvi-
convindo expr detidamente os pros c os contras
dola, comparada com a rolonsaciio europea, c, a
mesma livre africana, proposta por alguns, reser-
vo este assumpto para urna correspondencia sub-
sequente, em que emitlrei francamente o meu
voto, sobre se, a troco de algumas vaniagens e
augmento das rendas dos mais ricos, poder con-
vir ao Hrasil trazer de fra por altos procos taes
trabajadores a fazer competencia com os que,
devidamente estimulados, se poderlo talvez dos
nossos certe attrahir ao litoral.
Ihoras nao chegaram.
Nolei, porm, que em geral as cannas, taire*
em virtude do clima que bastante ventoso, e por
conseguiute menos hmido (pos que o vento nao
seca menos que o sol) nao engrossam nem cresccm
tanto como no Brasil, e como segundo me assegu-
ram aqu em Venezuela; facto este que no estado
de sitio em que ora nos adiamos, em Caracas, cora
troteios quasi diariamente por todos lados as
immediacSes, me impossivel verificar fazendo
um passeio pelos arredores.A respeito da cnltu-
ra em Cuba acaba de publicar cm hbil chiraico
e agrnomo cubano duas importantes obras, a
saber :
t i." Estudios progressh-os sobre varita materias
cientficas, agrenlas i industriales, coleccin de
escritos sobre el cultivo de la cana, etc. Tomo .
Habanami367XIV pag. &
t Ensayo sobre el cultivo de a cana de
azcar.-Habana, 1862; 310-XIH pag. de
De cada urna destas obras me offereceo o
autor, com a carta inclusa, cinco ejemplares para
distribuir no imperio, o que flz (por intermedio db
digno secretario da nossa legacao em Londres) e
pela forma segrate:
l'm para V. Exc, ofTertado pelo proprio autor?
outro para o seu ministerio (da agricoftura); um
terceto para o Exm. Sr. marquez de Abrantes
eujo livro, sobre o fabrico do assucar publica-
do em 1834, de tanta utildade foi ao Brasil, e
finalmente um dedicado provincia da Ifchia, na
pessoa do Exm. barao de Matoim ; e outro de
Pernambuco na do meu aflectuoso amigo o alustra-
do la vi ador de Carana, Domingos de- Souza
Leao.
Se, annuindo aos desejos do autor, V. Exc.
quizesse mandar examinar as duas obras, nao tan-
to para que se traduzam na ntegra (como *i*> pa-
rece indicar) mas para colligr-se um extraeto do
que nellas se encontr de applicavel ao Brasil, ad-i
quirria mais um titulo de gratido da parte dos
nossos lavradores que j devem V. Exc. a edicd
brasileira da obra de Leonardo Wray.
Almdas mencionadas duas obras tem oSr.
Keynoso preparado para a imprensa um aratado
completo da agricultura tropical, em que, sofcretu-.
do os phenomenos da germinacao da cann-, serao
tratados detida e scientificamente.
Cullivam-se na ilha de Cuba varias especies
de canna ; c a qualidade das trras c a eaporien-
cia do lavrador a respeito dellas, Ihc indeaaia que
deve preferir.
Alm da fina ou crioula, tem a chamada liran-
dicar-me, at onde chegasse a minha limitada ca- os mais entendidos vo preferindo distancias maio- mando at que a calda adquira o gru em que de-
pac iade, a examinar os processos empregados na res, v. g. de sete a oito palmos, para que por ellas ve passar caJdeira de vacua
imurtantT m>Tnf Ad aSSUcar' e mais enlre ar a Implementos "ssenclaes para se Tambera sao concordes todos os fabricantes
nponame qne me tem sido possivel recolher, assucarar bem a eanna; e preferem livrar-sedo de assucar, em que, para ultima concentrarlo e
nr nc n i? ^ ^^ Ami)i' {i o!,jecto capim' Paisando ****> & necessario pelas ras tempera, necessita ter cada engenho urna caldeira
Ltif correspondencia.-Oxal que as assim alargadas (pocuado portma besta) o arado de vacuo, para acabar a condensaco em mais bai-
lo cas que por meio della passo a transraittir aos cuffirorfor (semeihante ao que se chama arado I xa temperatura pols 6 principalmente nesses ul-
te engenho do Brasil, fosse recebida por tnxada na tradcelo-bahiana de. Wray) proprio timos momentos que a mais alta temperatura pro-
Pernambuco, como reconheci-' para arranca-lo, enterrando-o depos, o chegando [duz mais melado; e certoque quanto mais este
augmenta, menos assucar resulla; sendo que se se
inventasse apurar o caldo da canna sera fogo, nao
havera residuo algum de mrlado.
t Egualmento cstao os fabricantes concordes em
que, principalmente agora que, gracas minas do
Cliih, o cobre est mais barato convin rejeitar as
caldeiras de ferro, c preferir as de cobre, que se
limpam com facilidade, quando naquellas os saca-
ratos se pegam, e s se extrahem, rascando com
for?a o ferro, etc.Creio entretanto que. para a de-
fecado com a cal, se empregariara com vantagem
multas caldeiras pequeas, v. g. de 4 palmos de
alto e dimetro idntico, vidradas de louca por
dentro como hoje se osa as cosinhas, visto que
nellas o calor nunca passar do da agua fervenle.
E estou certo que o fabricante Mott (de New-
York) as fornecera por menos 50,5000 cada
urna.
Ein geral o raachinismo de P. C. Cail o que
tem Odo a fortuna de ter maior extrarco na ilha
de Luba, onde essa casa tem armazens de deposito
mu bem prvidos de todas as pecas do raachinis-
mo. Os treas do engenhoso HiHieux de triple ef-
feto, bem que preferidos por muitos, tem tido me-
aos saluda.
t Nao faltara sensores de engenho prudentes
que me confessaram que de uns e ootros, a terem
de montar novos engenhos, rejeitariam os tubos de
r quente condensadores, sobre os quaes vae ca--
liiado a calda de alto barao-, e tambero a caldei-
ra' de vacuo applkada a condensa-la um pouco mais
elinalmente todes os grandes apparelhos- dos fil-
tradores de carva animal; peis, embora uteis, nao
recompensara o trabalho que dao, e o capital .que
nelles ha de emprejar.
Alm dos apparelhos de Uillitrax e de Cail, ha
tambem alguns mixtbs de Giman e Wetzell, an-
logos aos que prefere Malavois, era vista dos effei-
tos que produzemna iiha de Bourbon, boje chama-
da Heumo; e pela minha parte, confesso que sao
estes os que eu desejra fossero principalmente
preferidos por todo o Brasil por demandarem me-
nos gastos.
Pelos sy3femas que mais ou menes se filam
o Wetzell, o caldo, apenw defecado, passa aosrfe-
r-mtudores; c depois de bem assente uestes, se
transvasa com cuidado para nina grande caldeira
semi-cylindricfi'e pouco funda, que (era-virthde de
servir a evaporar) se diz ec&poradora. Desta pas-
sa o caldo com 15 a 16a \condensadx,ta, muto
mais pequea que a precedente c ahi se vae espes-
sand at 20 ot 30", ajudaa4o-so a operaeao por
meo de certos pyiidrons q>je revolvem o caWo e
facilitam a evajtoraeo.
Aasim, por meto dos dermfadores, s obtem a
fro urna parte daroperaeoes da clarificacao e eon-
densagaa
Taes decantadores, cujo numero conwir.n3o
seja escasso, iioderae- ser graades potes de figura
comea,.cora tampafr de madeira: Seriara aiagnifi-
cos, se se encommemlassem naHollanda dmes-
mo barro- de que afci.- fazem as- botijas de aenebra,
que bem snpportam a agua fervendo. Sendo dc-ta-
manhos diferentes e pcrfeilamente cnicos pod-
riam ir erajogos, MH^entro dee-oWros (como-sue-
cede copos tanqu*de ferro,3guudo direi) para
economa- nos transportes. A vasSo do caMo lin-
pido se oflfectoara por urna abertura inferior, a
dus ou tres palmos-aeima do vertir do fundo c-
nico, onde'tirara o p ; o qual subira todo- desta-
pando-so o> mesmo Tcrriee, que swia abert, ;lma-
neira da3-frmas dos poes podendo todo o p pas-
sar ]>or eoehinas o rennr-se para nnia nova deft>-
cacao, na- qual em vc de cal, convira empregar
alguma substancia eiarifiraiorai das que se usam
na refinct
Estes-potes pod*riam raesma fazer-se ootre ns
moenda e das caldeiras e tanques, converter otfl
canavial em caias de assucar, promptas para se-
guir para o mercado; por quanto medida que se
vae moendo, defecando, evaporando e dando cal-
da o necessarie cosimeto e tempera, se vae, com
a differenca de horas, seguindo a operaco de ex-
tremar o assucar crystalisado do competente mel.
Com effeito, urnas cinco horas depois de passar a
meladura de tempera aos tanques, quando ahi tem
arrefecido um tanto, (nunca abaixo de 30" a 35"
centgrados) j convm comecar a passa-lo s cen
urna quantidade deste muito maior pode at preju
dicar trra. Se verdade, segundo a analyse
de Payen, que a canna madura conlm em geral,
de *0 partes, 7,1 de agua, 1,8 de substancias saca-
rinas e apenas 1,1 de fibra lenhosa, albmina, etc.
segue-sc que c mui pouco o que a planta chupa
annualmeate da trra, e que cumpre restituir a es-
ta que no se exhaura e cesse de produzir.__A
maior parte das substancias sacarinas, que se re-
duzera a carbono, hydrogenio e oxigenio (segundo
se deduz da formla atomiea de assucar.
C" H" O" oa C H 0'IP O.)
sahem da athmospkera e da aegao do sof e da luz
sobreella. Para alimenfer a 7,1 de agaa v-se
quao casenciaes devem ser as cfiuvas a tesipo, ou
para spprir as suas faltas, os bem entendidas tan-
ques de regra, assumpto tao deseoidado pelo nos-
sos lavradores de canra, apezar de terem bnta
agna perfo-.
Porm nao tanto n* cultura da canna qae
temos-que aprender muito- da ilha de Cuba, sica1
no que respeifa ao fabrico assucar f pela solc
5S0 que ahi tem tido varias duvidas quetinhamos^
Engenhos-ha em Cuba montados com anta mag-
nificencia como1 qnalqner grande fbrica d Mn-
chester. Por dentro nao se v nelles seno trilhos
de ferro, e ests- se prolongam d quando em qnan-
db pelos caunaviaes, e s vezes, custa dosenhor
de engenho-, por Urna ou duas iegraas at mais
vlzinha via rerrea. De noute todo est Iluminado
a gaz, tendo cada engeaho o seu gazometro, maior
oo' menor, segando soa capacidad. Estes vem
geralmentej'proraptos dos Estados-Unidos, eas-
segnraram-moque algua nportani em menos* de
dozentos pesos?
As moenda sao en aigims engenhos enormes,
proporcionadas a poder moer por di-a planta cor-
respondente a cem mil fieras de asuntar. A ea-
na.conduzda* elevad at altrselos cylindros
por ama especi de soalbo- movedicprf como se v
no- engenho do S." Lourenco na lt.nhia, e notei que
sempre que, como ali, oe-cylindros trabara mui
lngara, cedan (em virtude- da elastiidde do few-
ro>no centro; c as cannas dos extremos sahian
menos bem moidas, e reqneriam nrn- sagro d ca*
da> lado a deita-Ja ontrave para trazr
O'uso do-fogo directo est completamente re*J
provodo, pela enormes rantagens qnc-resnlfam d>>
emprego do indirecto^ transmitido- pelo vapor
qoente, condazido em tobos, que por moto de tor-
neiras se faz ressar ao momento qo se deseja pa-
rara aeco do calor. As caldeiras nao se ostra-
iiac ,0,raanao> wbigraila um copo de caldo ou
sammodaMnnae salando qoantos cantos de c-
MS? .3 ,Ca,.deira de dfecar- *cha^ o Peso
de cal dflef sature bem o dito copo chelo, sem mu-
dar a cor do papel tornasol, se tera o de toda a
caldera, tomando tantas porpes de cal, quanto*
copos fossem os necessanos para enche-l
E nesta theoria que se funda o novo c'almetro
que infelizmente tem contra si o grande inconve-
niente de imiiortar. s o instrumento, cm mais de
duzenlos mil ris da nossa moeda ; tendo anda
trifugas ; pos demorando mais, attorroa-sc o assu- maior inconveniente, para a sna introduccao entre
car e s poderia ser purgado (pela centrfuga), nos, na segrate advertencia do inventor : Mo
precedendo a operaeao de o triturar antes. Cada, se responde pela exactidao das indicacoes do cali-
tambor das de Dcresne c Cail admitte uns oO kilo- metro, se o inventor ou encarregado nao forcm
grammas dessa meladura ou tempera j meio gra- medir a? caldeiras c ensinar o nso delle ; o que
nulada, e deita-se-lhe |>or junto toda essa medida, faino, sem mais paga que a dos qaslos de vianem.
levando-a um baldes, os quaes se podem cncher de. >
com eolheres de rame grosso, aflm de que v s
o mais coalhado, ficando a parte liquida, para so ir' Em lugar da cal pora, empregam algn* ain-
ainda successivamente crystalisando. da o bisufio de Meisens ; mas o arcano de Stolle
t Posta a centrifuga en movimento, segu a ve- acha-se de todo reprorado. Tao pouco se usa
locidade augmentando at urnas 1,200 voltas por de juntar, na cal, decoada de cinza, nem ae
minutos. qur em pequea porcSo; por se haver recoobe-
t Toda a substancia solida se vae adherindo s cido que com ella o assucar sahe delinques*ente
paredes exteriores do tambor, em que ha um crivo ou fcil de melar-se, como sneceda quando se
ou retcula de rame, por onde, em virtude da ac- empregavaa decoada s*.
cao da forca centrifuga, se escapa a niel cftie vae j
fcilmente ter s coxias, ficando dentro o assucar A' vis,a *E tontos melhoramentos nos apparc-
que se vae branqueando pelo simples meio de se' 'no!> e de 'amnnha bondade no asswcar, como se
ihe deitar devagarinho, no flm dos primeiros e se-1 ml!i em muitos dos engenlios de Coi/a, poder-se-
gundos quatro minutos, um pouro de calda de as-' D,a crr 1uc e9a bdstria era ah immensamente
sucar, que leva melado, e tem 30. Beaumt- de es- 'endosa aos lavradores.>ada disso. Estao estes
pessura. i fao sobrecarregados de ImpoMce; as propinas ter-
Querendo-se assucar mais clarificado, d>-se-'ra e deP's n0 assucar fabricado, qne* nao falta
Ihe por fim uina injecc3o de vapor o qual faz ex-1 fstm Pine Que wpodero proseguir da forma
pellir pelo crivo as ultimas partculas de mel, e actual, em quanto osul do Brasil nao vote a esta
deixa o assucar tao braneo c ein pedra, comeo' industria parte do rmdado, agora todo dtelrahido
melhor oblido na cara das formas, isto aparte Para o-caf. E com effeito : s aas planicies tai-
mis visinha ao barro. To duro tica as vezes,
que d trabalho a arranca-lo das paredes da cen-
trifuga ; pelo que convem que cada urna dstas te-
nha dous tambores que se substituam, para nao
haver interrupeo no trabalho. O'mel quesees-
capa soffre logo urna nova cosedura, da qual resul-
ta mais assucar do que da do mel'das formas-,-por
isso mesmo (roe nestas o assucar tevtenipo decoa-
Ihar melhor.
ca de Otahiti, semeihante nossa carava rxa ^T^t^Z **** "*"*' T- ,arg0*
i,,.,, .1 "">,',,u** annos : nao ha pengode requeimar-g o assucar;
A sociedade Auxiliadora da Industria naci-
ntl. e Academia Imperial de Medicina dessa cor-
te, remelti entretanto da parte do autor o Sr. Dr.
Dopierris um folheto acerca dessa colouisaQo. O
autor socio de urna casa commercial, que se oceu-
,...n trufe 1 iHins -i
.j|iou no tralieo cameiro, '-t-' 1, ujJ)
iltia de Cuba, delles defensor, ... vaginas ao
raosmo folheto ipie rcmetto V. Exc. adjunctas,
se occopa nao s de mostrar, que as catrtgafit
modernas veram Chins melhores que as de
1847, que tao mal haviam provado na Havana,
mas tambem de explicar o modo de haver-sc com
laes colonos, de es curar em suas enfermidades,
de procurar emcndar-lhes os vicios, etc.Acaso
poda insistir mais na necessidade de nutri-los
1 niiuniiriiilnaafnti ; recommendaco esta que tam-
bem se poderia fazer aos senhores de engenho por
toda a ilha, onde dando assim aos negros nao s
banana, legamos e at carne secca em quantidade,
nao lhcs administram durante o da um rancho
quente, como por todo o Brasil.
Por esta oecasSo creio poder noticiar V. Exc.
que desta vez parece que se vae levar francamente
a cabo na Havana a cessacao do trafico. Para con-
segui-lo, o actual capito-general j vae lancando
mi das prevencoes de maior rigor, expulsando,
como succedeu entre nos, convencidos traficantes
de grossos eapitai t. As vezes que me avistei com
j general Dulce nao deixei de felicta-lo pela ar-
dua empreza que accommette, signilicando-lhe
sempre como de?de a cessacao do trafico, o meu
pak tinha ganho muito nao s no trato mais hu-
mano dos escravos, e suas crias, como principal-
mente em moralidade, com o nao se verem os em-
pregados superiores desprestigiados como cmplices
em protegerem contrabandistas criminosos.
Por estes paizes tenho procurado tambem de-
lisa de Bourbon (que dizera morada), a rxa d*
cintas de Otahiti, e finalmente a crystalina, que
alguns crem ser a que Wray chama dcSalangorc
Esta preferida por muilos, apezar da, resistencia
que aprsenla extraccao do sumo a sua conten-
tura excessivamente lenhosa.Da ckttadade var-
He p..
e.-5fe,
roo
ommendada por nm conhecido
eoi, -. n.i, P^.t^^{ros eonvoee; ~-"f"ft ji-
talina tem sobre efla e sobre todas a grando van-
tagem de resistir melhor, assim s grandes seccas,
como aos excessos de humidade.
Urna observacao fiz na mencionada ilha de
Cuba, e confesso que com oMa me entristec, lem-
brando-me do que se pass?4 na maior parte dos en-
genhos do Brasil, cujas tetras trabalhadas ha mais.
de duzentos annos j nao contm ora seu seo mais
razesde troncos que se opponhant livre passa-
gem do arado.
Em toda a parte nos taboloiros de canna est
este tao geueralisado como ua Europa para as tr-
ras de pao.
A maior parte das torras dos engenhos dos
districtos centraos da ilha de Cuba sao em plani-
cies de salad vermelho, mais ou menos calcreas,
c em geral um tanto escassas de agua, pelo que
um grande numero do engenhos sao a vapor ; e es-
te pela falta de agua muitas vezes so obtem da eva-
poracao do proprio caldo, com os apparelhos de Ri-
lieux, nos quaes se prepara o assucar, empregan-
do por nico rombustivel s parle do bagaco ; ha-
venda apparelhos cm que o proprio vapor que se
escapa da moenda, vae fazer fervor as caldeiras
sera outra fornalha separada.
Antes plantavam gcralmento a canna em ras
de cinco a seis palmos, principalmente as trras
mais caneadas para impedir nellas o crescimento
do capim. Porm, da mesma forma que entre nos,
por nao poder-se parar de repente- o fogo, e ha
grande economa d* ceraoostivel, pos as tomainas
podem fiear redimidas a nma uniea> Todos cstao
pois, concordes, c que essenciar esta grande re-
forma, smbora tealia de fazer-se a costa de fundas
adiantados. Os lustres senhores dos engenhos da
Victoria e de S. fcourenc da Baha poderao. be.m
innovaeao.
As melhooas. qno a tal respeito podem eati
tanto arada desejar-se consistera !
Io Em dispr as fornalhas da caldeira fwne-
cdra do vapor quente em un tclhero separado ;
vindoo.vapor d'ahi casa das- caldeiras, (sem aug-
mentar o calor quo j ha nellas) por um grosso tu-
bo subterrneo bem enlutado, como devem. estar
todos os que servem para, vapor ou ea Ido quente
no engenho.
c 2o Em usar de caldeiras de defecado peque-
as c cm maior numero, para que o caldo se- v
defecando, medida que se vae produzindo, sem
perigo do azedar-se, como nos antigos pares. Es-
tas caldeiras tem o- fundo liso e delire, e a inda, que
com este systema so transmute menos calor que
coma serpentina, ha sempre o sufllciente para dar
a fervura, e rnais fcil lava-las das borras ou ca-
chacas, tendo para isso sempre em cima de cada
caldeira unja torneira de agua fra. Janto ao fun-
do ha dous orificios: um coro, crivo para o caldo, o
outro aborto parasahirom as. cachacas.
3o Em fazer que a clarificacao e primeira eon-
densagao, nao dependente anda de alta temperatu-
onde nao-faitam otarias que pociamnisso maior es-
mero que punham as formas.
t Pela experiencia dos mais illostrados labrado-
res da.ilba est resolrido o paobiema acerca-das
casas de ptirgar.
Era lodos os rovos engenXw vo seado aboli-
das, cota vantagem. e economa da fabrica toda. As
centrifugas (tnrbinesj triumphaiu complatamente,
havendo-engenho qne tem em continuo movimento
vinte e trinta; as vezes, mese depois da. moenda,
comprando algunv os met-r---i-"-~3ndo-os-s cal-
'"^as a mascavados. Que difjerenca para alguns
genhos nossos, que contavam em 1860-s urna ou
as.!
^ Para apurar mais assucar dos rois comeca-se
a aoroduzr o u.so da amwonia liquida, e para bran-
quea-los um tanto njectam-os com o aaz sulfuroso^
injeccao deque tambem se faz uso sobre o caldo
da, canna nao s para que se nao axedo facilmene,
como para reeeber j cr^n isso um impulso para a
subsecuente clarificacao.
i O gaz sulfuroso se-administra com uns apare-
llioa-construidos a proposito, alguns pelo Sr. Eduar-
do Beanes, Inglez, que se propoe ir ao Brasil sacar
para ellos privilegia
O processo, conhecidodos ehimicos : sa trata
de libertar ou isotor atravef1 da agua o gaz sulfu-
roso, dooutras substancias pcejudiciaes qv& sahem
do enxofre.
Provavelmente a dea, da applcacao, do gaz
sulfuroso nasceu da velba pratca seguida as ads-
gas da Europa, onde autos de envasilhar-se o vi-
nho novo, se queima dentro dos cascos ou toaeis
urna mecha, afim do impedir a fertaentarao ac-
tica.
* Para o caso dos nossos decantsdores, se pode-
ra adoptar esta pratca, queimando-se em cada um
delles urna mecha, antes de os fazer receber o cal-
do, e dispensando-se nenhum outro apparellio de gaz
sulfuroso.
- Voltando porm as centrifugas, corto que
ra, seja feta cm caldeiras longitudraaes, de pouca I por meo da sua adopto c consegue nao s a grande
altura, onde applicaudorse nao s por baixo, como economa das casas de purgar (tal havia para 23.000
FOLHETIM.
de dous lados (que se facam mais refoxcados do
metal) maior quantidade de vapor, se vao todas as
impurezas agglomerar no canto opposto, onde um
s homem, sem grande trabalho, as estar escu-

CAIJL.IMIOE
POR
MAIKICIOSAND.
<|nartfa parte.
(Continmruo do n." 21GJ
28 desetembro.
Tantas commocoes profundas me engolpharam
por tal modo as preocciipaQoes da vida real, que
me julguei curado das hallucina?oes, que me ator-
inentavam, isto das sombras e mysteriosas rc-
cordaces das minhas antigs existencias L.crcnra
que rada vez mais domina o meu espirito t
A noute accordei ouvindo urna voz chamar pelo
meu nome : esfreguei os olhos. Sent a respira-
rlo comprimida de alguem junto a mim.
Quera est ahi ? pergunte.
Quera qur que era passou de leve a mao sobre,
a minha Ironte : essa mao era fra e muito fra.
- Son eu que aqu estou, responderam. Escu-
ta-me!
Os bracos delicados de urna mulher cnlacarara-
me o pesclo. la gritar.
Cala-te I me disse a mysteriosa personagem
collocando seus mimosos dedos sobre os meus la-
bios.
E fallou-me ao ouvido sem que eu conhecesse o
som da sua voz.
Nao sou toa mulher, que te ama, e a quem
amas ainda t Tn me juraste um amor eterno; esse
juramento foi inscripto no bronze. Julgas-me mor-
ta, mas eu reviv, conhecendo que me amas sem-
pre,_apesar do tempq, do espaco e da morte. Poe
a mao no meu corac,o, v como bate por ti I Bem
lembrado ests de tudo, pois contaste fielmente a
nossa historia. E' possivel que te queiras mostrar
ainda esquocido ? Acreditas por ventura qne te
fui infiel r Pois ouve a maneira porque te vnguei.
Depois da tua morte Dhu-Lug appareccu de-
s.'sperado, dizendo que tt baa perdido na flores-
ta, o attrahido por teus gritos correr om teu soc-
corro, porm chegara tarde para salvar-te. Nin-
guem desconfiou delle, pois a sua dr pareca pro-
funda, as suas lagrimas sinceras.
c Eu mesma acreditei na possibilidade de um
accidente : affligia-me s e cm silencio. Mandei
construir o hypogu e monumento, em que me en-
contraste : ali foi depositado o teu corpo n'ura ri-
quissimo tmulo. Todos os dias te ia prantear na
cmara mortuaria, segundo os nossos ritos fne-
bres : o teu cao me acompanhava, esperava-me
entrada, o voltava outra vez commigo. Bem reco-
nheci esse pobre Dhu no da em que, tomando-me
por urna estatua, rae fizeste apparocer luz do
da.
Dhu-Lug nao me deixava nunca, e pareca
partilhar da minha dr. Me soube tao bem Iludir
fallando da amsade e dedicaco que te tinha, que
adquiriu pouco a pouco a miha confianca, e chc-
gou afinal a ponto de declarar que me amava, e
que eu devia casar-me outra vez. Dhu-Lug era
um bello e valente guerreiro : meu pae, cuja am-
sade soubera elle eguaimente angariar, me insti-
ga va para que deixassc o estado de vluva. Porm
cu nao poda amar a mais ninguem seno a ti; e
se o meu espirito procurava adaptar-se vontade
de meu pae, o meu juramento erguia-se logo em
caracteres de fogo.
9 O teu cao manifestara grande aversao a Dhu-
Lug, o que me fez conceber suspeitas sobre o que
havia passado na floresta. Conjure os deuses Ca-
bires para que me esclarecessem, e na seguinte
noute me deram a conhecer a verdade, como lhes
apraz algumas vezes revela-la, permttrado a falla
aos animdes. O teu cao approximou-se do meu so-
litario leito, c disse: Lembra-te dos teus jura-
mentos : deves nao s ser fiel memoria de meu
sonhor, mas tambem vinga-lo. Dhu-Lug o seu
assassino.
< Empreguei a astucia contra o teu persegui-
dor. Sendo um dia instada por elle para consen-
tir na sua feliridade, Ihe declarei :
t Sabe que sou mgica; posso evocar os mor-
tos e arrancar-I be os segredos do tmulo. Sei
tambem torear os vivos aquillo que nao querem
pratcar.
Dhu-Lug cmpalldeccu, estremecen.
t Descanca. Fui eu quem dirig teu braco
quando assassinaste Wald-Righ; fui en quem fez
com que repudiasses tua esposa. S dei preferen-
cia a Wald-Righ por ser elle o brenn do paiz :
quero ser ainda rainha depois da soa morte. Do-
mis nao vs que sempre te amei ?
t Dhu-Lug flcou fra de si. eonfessou tudo.
formas I) como a vantagem de obter-se o assucar
sem sabor de barro, e a maior brevidade na expe-
dicodo fabrico.
Em menos de dous das se pode, por meio
dellas, em numero proporcionado s torcas da
Oapparato de que se usa para infiltrar o va-
por, acompanha, quando se pede, as centrifugas
do Derosne e Ca, e consiste em um tubo, em loe*
ma de sifo, que penetra na parte- superior do*
tambor, injectando contra a parede delle de alto a>
baixo, urna fila vertScal'do vapor. Conv o uso des-
ta injeccao de vapor sabe o assucar nao s melhor
como tambem mais quente, do que resulta-que com
mais facHWade se acaba- de seccar.Koo maito
me engao, ou rae parece que seria mellior subs-
tituir as taes duas dses- de calda de qaatro era
(patro minlos |ior duay->titras fojecebes- de va-
por, menosquente, ou antes por dous simples hr-
ridos de agna distribuida com algiim regador de
bomba tao vaporosa como (se me licita a compa-
rado) a que rom a bocea, sabem as engommadei-
ra* humedecer roupa.
iLsabido que o barro qno se pc cm erma das
formas obra s mechanjeamente pela agaa (pro
delle transuda. pelo que atguns o tem querido subs-
tituir por sua sarapilherra moihada.
Os tanques-propros para- resfriar, podem-ser
de madeira ou de ferro; cvtet* vem j da Europa
feitos em jogos geralmente de seis, uns deutro dos
outrrs. maneira das catantes dos boticarios ;
visto que deste arado nao eccupam-nos navio tan-
to espaco e pagan menor frete : de modo que nun-
ca sao-eguacs, nas vo suoeessivamentc da maior
a menor, o quo alias olTerc3 suas vaniagens. De
taes tanques devem os engenhos possuir antes
mais que meneo.
tara fazer soecar o a -sacar, lia como entre
nos enxugadores de estufa e de sol e ar.
< Oa primeiros sao casas-com assoalhce de fo-
, lha de ferro, c an quente pop baixo, sobre es quaes
se esteade o assucar, que na .homem, calcado cora
lamamos a proposito, anda continuamente corren-
do com urna esptula de tai comprido no mao,
para revolver inressantemtnte o assucar, tlim de
que soque mais-promptamonfv.
aos d balcde.% usados entro ns. Varias- ordens
de tabolcros nns por baixodos outros, a-qo quan-
do est bom tempo se correm a fra sobre trilhos
de ferro, ficando os superiores mais perto da ca-
sa, e. indo os interiores suceessivamontn mais Ion-
ge della. Qnaato preferencia do paiz. donde se
devem mandar vir os machinismos fia usos diffe-
reatcs, cada um segundo o gru do ooafianca em
seos correspondentes.
Os de Cail vera de Franca ; os de Rellieux
da Inglaterra e Estados-Unidos : a Blgica torne-
pool, e s cmeT1afKalisa*"Trc^rSftafti^uvi,t'i"-
rade machinas Glaseow.
Para encaixotar emprecam na ilha de Cuba
caixasde 16 a 20 arrobas (de 95'libras) cujas la-
boas vem ja preparadas dos Estados-Unidos por
mui pouco proco, o nos engenhos s lia que por
as pecas, cm seu lugar c prega-las.
O masca vado e o melado se exporta geralmen-
te em barricas de maior capacidad (1,400 libras
de mascavado) qae se denominam bocoyes, que
tem a vantagem de se traasportarem em peque-
as distancias rodando, sobre si mesmos. o,.Ja
que-os nossos senhores deongenho acabcmde urna
vez com o systema de encaixotar em grandes eai-
xoos pesados de aparenta a cncoenta arrobas, tao
diftlceis de manejar, e contra o que tanto se cons-
piran) os commerciaates da Europa, principal-
mente francezes.
Para designar precisamente a qnalidad (quan-
to cor) dos assucares que mandara ao mercado,
tem varios engenhos urnas caxas em que ha co-
mo duzia e meia de videos com amostras, desde
os mais brancos at os mais mascavados, marea-
das successivamente por ns. 1, 2, 3, etc. Tal uso
provek) da Hollanda, cojos typos, com os corres-
l>onitentes nmeros so adoptaran).
A amostra que mais se aproxima do assucar
quo se remelle- a quo Jhe d o numero, c estan-
do, entre duas toma o numero da inferior.
Resta-me dizer s duas palavras acera do
calimetro do Sr. Belot. visto que o folheto ite pro-
prio autor, que adjuncto remello, rae dispensa maior
explicae-o. A idea anloga do calctowtro do
Maigrot,
Para evitar que a detoeacao seja itapcrfeila,
ha que saber ao justo a coala de cal que nede o
caldo, segundo a canna do que procede roxa ou
cayenna, de vanea, ou de encosta, etc.Claro es-
Esse mseravol, julgando-me capaz de todas as
baixezas, e por isso delle digna, instou para que
cedesse sua paixao.
Nao, nao, repliquei, pederemos ser desco-
bertos; c nao tendo anda acabado o tempo do meu
luto, todos me hodc amaldicoar Vem hoje nou-
te, quando os meus criados estiverem dormindo;
e er que espero esse momento cora mais impa-
ciencia do que tu I
a Proparci urna ceia delicada. Dhu-Lug foi
exacto entrevista, o proporcao que me narra-
va as menores circumstancias da tua morte, por j
acceder a meu pedido, despejei oceultamente no
seu copo urna bebida que tira os sentidos; de
srte que tive em meu poder o assassino da minha'
felicidade.
i Hesitei entre o desojo de arrancar-lhe a vida
e o de deixar-lhe urna existencia peior do que a'
propria morte. A' final escolhi este ultimo expc-1
diente. Tirei des meas cabellos um alfinete com-!
prido afilado como um punhal, e cravei-lh'o nos
olhos...(Hha...ainda aqu est o alfinete I...A dr,
que elle soffreu, o fez voltar a si do seu lethargo,'
porm despertou para nSo ver mais...e viver em
continuas trevas.
f Assassino de Wald-Righ, Ihe disse, sabo
que se te attrahi a mim foi smente para vingar-
mc. Agora vae-tc!
Dhu-Lug jurou a minha morte. Espalhou que
eu era feticeira, e que por meus maleficios evo-
cara um espirito malfazejo que, na forma de java-
li, te matara na floresta. Disse mais que eu Ihe
havia furado os olhos porqu elle recusara casar
commigo. Achon para confirmar as suas calum-
nias a esposa que repudiara, e que chamara de-
pois a si, c Karnach, meu antigo es&ravo, cm
'quem mandei applicar alguns acoutes na Etroria,
por ter tido a ousadia de declarar que se achara
enamorado de mim. Desde entao me flcou odian-
do, e o seu testemunho calumnioso, junto aecu-
safao de Dhu-Lug, obrigou-me a pedir, segundo o
costume gaulez, o mou julgamento, e condemna-
530 se a raerecesse.
t Os vergobreiths c os druidas se reuniram em
conselho, e comparec na presenca delles. Con-
tei-lhes a nossa historia, e confessei avinganra
que exerci contra Dhu-Lug; mas este nao compa-
receu. Karnach apresentou-se dizendo que elle
tinha sido estrangulado por Dhu bem em cima do
teu tmulo; e que de sua parte retirara a aecusa-
cao contra mim. Pediu at que o admittisse outra
vez ao meu servico para tratar do cao, que Ihe
deixara no poscoco vestigios dos seus dentes. E
accresccntou:
t Esse animal fez-me comprehender o meu
dever, e a minha semrazao. Pego perdao aos
meus amigos senhores.
Os meusEtruscos virara na trgica mortode
Dhu-Lug a justa punicao dos deuses e a proteccao
que estes me concediam. Os Vergobreiths me ab-
solveram : mas desde entao inspirei aos habitan-
tes do paiz tao grande horror, que me vi quasi
abandonada de todos.
t luconsolavel pela tua morte, s viva para
meu pae : este morreu tambem. Nada mais me
prenda no mundo ; formei a resolucao de segui-
io ao tmulo. J mo tardava ir a ti runir-me : os
meus juramentos m'o ordenaran). Fui-me encer-
rar com as imagens dos meus deuses Cabires, e
com os objectos que me eram mais caros, na tua
cmara sepulchral, cuja entrada mandei entulhar
por Karnach, depois de recommendar-lhc que cui
dasse de Dhu, que vaga va constantemente ao redor
da sepultura.
f Quando mo vi s nessa cmara subterrnea,
tomei urna bebida mysteriosa, que deva causar-
me a morte, as preservar o meu corpo da des
truigao : c essa estatua que tanto admiras sou
eut >
Margarida exclaraei, pois persuada-me que
era ella, que mudara a voz e a pronuncia. Acaba
com este gracejo que me tornar lonco I Bem
sabes que te amo : nao procures expermentar-rae
continuando essa historia que te contei !...
Sou Callirho, e nao Margareth, a loura vir-
gen) das florestas. A druidissa rouba-me toda a
felicidade. Nao tens o dreito de ama-la, nem po-
des desposa-la... Es casado commigo... e nosso
vinculo eterno!... Lembra-te ?... J duas ve-
zes vim aqu, e repelliste-me. Sentido! Os sete
Cabires, testeraunhas dos nossos juramentos pode-
rao punir-nos por t-Ios violado. Markek! Nao
me negues o teu amor... S t me podes resti-
tuir vida! Salva-mc do olvido, do nada que me
horrorisa !..,. Ama-rae! Tem piedade de mim I...
Nao me foi possivel resistir aos seus apaixona-
dos abracos. Attrahi a mira esse corpo delicado
que senti^estreraecer. Mas de repente lembrei-me
de que np era Margarida.
Quem qur que t sejas, mulher ou estatua,
sonho ou tentacao, dcixa-me e vae-te !
Ah! continas a tomar-me por ostatua I tor-
nou ella elevando a voz.
Era urna voz desconhecida. Depois soltando
urna gargalhada estridente, proseguiu :
Amas a loura druidissa ? Agora me recor-
d : ella te disse que seria tua mulher n'uraa ou-
tra existencia. Esta existencia ehegou... e o seu
puro amor venceu a minha paixo Oh Maldi-
co Maldicao !
A voz extinguio-se. Frios suores nnundavam-
me o corpo : eu trema como urna crianca, e quan-
do ella deixou-me, respirei como se me houvessem
arrancado do peito um peso euorme.
Ouv distinctamente geraer o assoalho sob os
passos de urna mulher, agitaren) as pesadas'corti-
nas do meu leito, e tudo voltou a um silencio tao
profundo, que ouvia as palptameos do racu cora-
gao.
Lovantei-me, corri porta da bibliotheca, achei-a
cerrada. Lembro-me muito bem de have-la fecha-
do antes de mo deitar.
O crepsculo matutino fazia penetrar na sala
urna claridado duvidosa : flqiiei pasmado nao ven-
do a estatua no seu lugar. Seria fraqueza ou des-
ordem no orgao visual ? Assim pensci a princi-
pio ; fechei os olhos, procurei dar direceao s mi-
nhas ideas confusas.
Ora adeus, disse eu, impossivel que nao
estoja ah. Estou sonhando naturalmente!
Tomei a abrir os olhos bem certo de me ter en-
gaado : mas, ah! a espantosa verdado appareccu~
me em toda a sua nudez!
Cora effeito Callirho tinha desapparecido!
Abr as cortinas das janellas: um raio de luz
estendeu-se por sobre os livros, sobre as mil cu-
riosidades da bbliotheca, e o pedestal de vellido
vermelho que continha ainda vestigios dos lindos
ps da minha nympha. Tinha conservado no pen-
samento as palavras que me acabava ella do dizer,
e me arrependia dasfduras exprossoes com que Ihe
respond.
Depois pensando em quo nao mais a vera, dei-
xei-me apoderar de tao grande desespero que me
puz a chorar cahindo sobre o pedestal com os la-
bios no lugar em que haviam pisado os sous mi-
mosos ])s I
Nesse interim ouv oassos de alguem no corre-
dor : tornei a mim. Urna idea violenta accomet-
teu-me o cerebro: talvez tivessem roubado Calli-
rho, o eu ia apanhar o ladro em flagrante de-
licio. Corri a abrir a porta da bbliotheca, e avis-
tei Dolin que varra a escada com toda a sua pa-
chorra.
Perguntei-lhe colrico onde eslava a estatua.
O pobre rapaz flcou petrificado.
Vmc. qur zombar de mim, Sr. Marcos! Est
na bbliotheca.
Nao est. O que fez voc della, onde a poz?
Vamos, diga.
, E porque razo havia eu de t-la tirado do
xas da provincia do Rio de Janeiro, desde1 Cabo
Fri at a fazenda de Santa Cruz, c depois de se
fazereth algumas obras de esgotoe descerarlo
(drainage); se lovantassem, pelos sistemas aper-
feicoados; alguns novos- engenhos com os trans-
pones tao_ facis para o embarque... guanta reni
da nao dei%ariam E varaea do Recite, se fosse
tratada como os Hollandezes praticamna Guiana
que naorenderia! Segundos clculos do Sr. Jttan'
Poey,-sonhor de engenho e* agrnomo cubano dos
mais Ilustrados, que tve a- fortuna dconhecer,
os engenhos da Ilha produzam pouco mr.is de qua-
tro por cent do capital que rtpresentam; cn tr-
ras, eseravaria, gado e fabrica ; e isto nao met-
tendo era'conta oque deveriam pagar por seguro
contra os incendios, que sao atri frcquent&s e-de-
sastrosos, e contra os furaces-dos quaes se podem
rontar quatro grandes em cada seculo.
Segundo o Sr. Carlos Rebelio, no livro que
eamo titule-de HMaos relaten la produccin
cacarera de la isla de Cuba puMimu cm oulubro
do 1860, contara Coba, de 1829* 1860, 1,395 en-
genhos, dos quaes ja 75 cmpregvam apparelhos
de-vacuo ; 'qurde* HiHieux, qur de Cail; sendo
a maior part- dos restantes dos chamados imnai-
qnime, que sacros-amigos con as fornalhas aper-
fekoodas mitaco dos amigos- na Jamaica; Os
ltimos haviam- producido mais- do sete mndes
de qjiintaes de assucar por aano e os de vacuo
poseo mais de um-mAiao c quireeentos mil quin-
tae> (do nosso peso:)
O Sr. Poey ehega a cmittr a opim'ao de que a
aarvafjb da indastra assiicareira- ein Cuba nof-
turo3w poder rindo abandone-do fabrico em pe-
quena escala, e dftintroducco dt>grandes fabricas.
1' i-l minlia parte nao vejo motivos para que as
suas ideas dvant- applirar-se ao'Brasil, ao menos
era qaanto nao eeguem (como {trovavelmeRte vi-
ra a- sueceder so acabasse o roabaHko com ascra-
vos) aser duas profissoes inteieaiui-nie indepeden-
tcs odo-larrador d canna e a. Ha-fabricante id as-
suca?, como cm algumas partes- so pratca e-como
geraftnonte succede r. g. com oalgodao e com o tri-
go, f-nde-os lavradores nao sao< os que fazem os
pancosy nem preparam a l'arinba. Alm de j*ii s
conesbo- a conveniencia de enfabolar engenhos cen-
traex. como os qno se ensaiam na Guadelupe era
terrenos onde os transportes eseesa facis,-como
serian* v. g. em Campos ou naomargens de 3Fran-
cises as do '.<\:u\ e Itapicur ; eujas planicies
de saio se poderia, com peucos gastos, cortar
com redes de trilitos de ferro, petos quaes so. trans-
portase? a canna em carros puchados por animaes.
Sempre que os transportes nao sojam mai facis,
quer em tenqio. secco, queme-de chuva, oque-se
poupasse na economa do fabrico do assucar se
perdera nos pesados transpoctes inuteis de agua c
bagaco que existo na canna.
A nao ser assim, c cm quanto o tratelho todo
s-ja feito porcada um. pecios seus proprtos escra-
b^rfsWmfc
% com machioismo proprio a sacar da caina'
uaior quantidade possivel de assucar c no mais
breve tempo, embora com algum prejnizo na.qua-
lidade.
A America nao pode metter-sc a querer compe-
tir com a Europa em letalhes de refino. Bstawi
em erro; mas por ora sou de opiraao que 3e o Bra-
sil proceder nesta industria como fez com, a do ca-
f, procurando produzir antes mnitissimo inferior,
que um pouco menos, nm tanto melhor. os seus as-
sucares, embora menos alvos, matarn rom o. tem-
po (em virtude da grande differenfa nos procos)
todos os. outros, por mais refinados que saiam'dos
engenhos.
Os uracos oeoupados neste refino estar sempre
mais productivamente aprovsitados necampo, plan-
tando mais cauoa.
c Pde-so ter una ideada grandeza dos melho-.
res engenhos de Cuba, taas como Atura, S. Martin.
Fiar de Cuba. Ponina, A/nnonia, Santa Rosa, Santa
Suzana, Assmcion (systema Rijlieux) c outros qne
cada auno se esto considcravelmente melhorando,
olhando para as grandes estampa& coloridas da obra
em torio, publicada na Havana ora 1857 coir. o,ti-
tulo : Los ixoems, colecion de vistas de los prin-
cipis ingenjos de exucar de la isla de Cuba, edi-
cin de lujo, etc.
Tambem se oblar urna idea da actu> riqueza
da ilha consultando a nova obra que o Sr. Ramn
de La Sagra acaba de dar luz em Para**'
Hachettej em ura tomo em grande formato, com
o titulo de Cuba en 1860, o sea Cuatro de- sus
adelantos, etc.
A,
(ContiuHso'-se-lu)
seu lugar ? l'ma estatua a que ninguem se pode
aproximar- sem perigo, e que de mais a mais pesa
para cima de cem kilos! Ora, Sr. Marcos, bem
se v que Vmc. est gracejando!
Nao gracejo. O negocio mais serio do quo
pensa !
Entao, se como Vmc. diz, a estatua to dar
um passeio.
Isto dizia Dolin rinde-se com ar apa (otado, e-lan-
Cando-me um olhar mu tanto malicioso, o que me
fez comprehender quo eu eslava fazendo urna figu-
ra ridicula, e que olle zombava de mm. Feche-
IIio a porta na cara.
Vol re a deitar-mo no meu leito : no ousava
mais ficar na bbliotheca para averiguar o facto.
Tinha vergonha de mim mesmo. A entrar no
leito senti picar-me no hombro urna cousa, como
que a poma de um punhal: apalpei com a mao, e
encontre um alfinete comprido do ouro semeihan-
te a aquelles que as damas da antiguldade usavaiu
nos seus cabellos. Era o alfinete que Callirho-
me iinha mostrado, c com que exerceu a sua \ia-
ganca!
Nao foi por ventura um sonho tudo sso Eis
urna prora palpavel da realidade I Oh I Nesto
caso sou o ludibrio de nlo sei que fatalidad ?
Pois hei do crer nos deuses Cabires, no poder
dos juramentos alem do tmulo, na existencia de
Callirho?
Nao !E' impossivel! Tudo isto nao paasa de um
gracejo de Margarida, urna experiencia talvez....
porm Margarida nao ira assim de noute ao meu
quarto, e nem se divertira com os meus soffri--
mentos. Ser Fanny ? Pode ser... A sua con-
ducta tilo mysteriosa! Qucrer toraar-me infiel
a Margarida, ou vingar-se de Mauvesin ?
Nao I Tambem nao possivel tanta perversida-
de! E demais onde aprendera esse cont ? No
Apule talvez: Sun, lembro-me ter lulo Isto. E.'
urna reminiscencia (iterara ejtada mais I Foi
um sonho que tlve Fannv nao urna creatura
pervertida; e se a estatua nao se acha na bblio-
theca, porque d'ali a tiraram : eis todo o se-
gredo!
Nao fui certificar-me de novo: muito Interes-
sante ter a gente medo de si mesmo I
Deso ao jardim para refrescar, e ali encontre
Margarida.
(Contitmr-te-ka)
PERNAMBUCO.- TYP. DK M. F. F. 4 FILHO

f MUTILADO I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIF6BNZ2K_9NM5S2 INGEST_TIME 2013-08-28T02:32:42Z PACKAGE AA00011611_10197
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES