Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10189


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
AMO XXXIX NUMERO 209.
Per tres nezes adiantados b$000
Par tres mezcs vencidos .

>ot
?
SEGIflOA FEffiA 14 DE SETEMBRO BE 1863.
Por anuo adianliwJo...... f9$00O
Parte franca para o subscriptor.
f
DIARIO DE PERNAMBUGO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima >
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SL
Alagas, o Sr. Claudino Faldo Das; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Bio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins & Gasparino.
PABTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu", Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras".
Santo Antlo, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, 4-imoeiro, -Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacara tu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu" as quartas feiras.
Scrinhaem, Bio Form'oso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
liba de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partcm ao V* dia.
EPHEMERJDES DO MEZ DE SETEMBRO.
4 Quarto ming. as 9 h., 44 m. e 2 s. da t.
13 La nova as i h., 16 m. e 38 s. da m.
20 Quarto cresc. as 10 h., 8 m. e 2 s. da m.
27 La cheia as 2 h., 37 m. e 2 s. da m.
PREAMAB DE HOJE.
Primeira as 3 horas e 42 minutos da tarde.
Segunda as 4 horas e 6 minutos da manhaa.
PABTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alaga* a e 25; para o norte at
a Grama a 7 e de cada mez para Fernando nos
das 14 dos roczesde jan. marc., mato, jul, set enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
o .?*? Recifc : d0 Apipucos as 6 V2, 7, 7 /2, 8 e
8 >/i da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6'/, dam.; do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Bemflca as 8 da m.
*,-
mannaa b -,, ua rarae; para Jaboatao as 4 da tar-
de ; para Lachang e Varzea s 4 A da tarde; para
| Bemflca as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRJBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relelo : tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11- horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel; tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a I hora
da tarde.
DAS DA SEMANA.
14. Segunda. Exaltado da Santa Cruz.
15. Terca. S. Domingos cm Soriano.
16. Quarla. Ss. Cornelio e Cypriano mm.
17. Quinta. As Chagas de S. Francisco.
18. Sexta. S. Jos de Cupertino f.; S. Sopoia.
19. Sabbado. S. Januario b. m.; S. Nilol. m.
20. Domingo. As Dores de N. Senhora.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Firaeiroa de
Faria 4 Filho.
PARTE QFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Etpedienle do dia 10 de sclerabrode 1386.
Antonio Jos Pinto.Informe o Sr. inspector da
sade publica.
Cicero Paes Dias Lima. Nao possivel,-por
ora, o que pede o supplicante.
Padre Florencio Xavier Dias de Albuquerque.
Em vista da informacas o supplicante ser atten-
dido opportunamente.
Offlcio ao Exm. presidente da provincia da Para- JS^fgSSJ ^ *""* ~ *""
hyba^Para satisfocio do que em offlcio de 6 do T^uosTS^? Lehe-Ebi vista do dis-
expedido de suasordensVra que me sejam en-1 J^^^S*. T& se?conceda
pelo governo imperial, a quem o supplicante re-
quereu.
Veriato Sergio de Moura Mallos.Passe portara
viadas as guias dos 39 sentenciados dessa provin-
cia, comprchendidos na relacao a que allude o offl
ci de V. Exc. de 30 de junho ultimo, n. 2,846.
Dito ao comtnandante superior da guarda naci- \ Tg5 S^Efi'
nal do Recife.-Queira V. Exc. expedir suas or- na rorn,a refluenda-
deas, para que urna guarda de honra de um dos
cornos da guarda nacional destc municipio, assista
a festa de Nossa Senhora do Livramento, que no
dia 13 do corrente so tem de celebrar na igreja do
mesmo nome desta cidade, e acompanhc a procisslo
que as 4 horas da tarde daquelle dia tem de per-
correr o adro da referida igreja.
Dito ao mesmo.Pode \. Exc. conceder a baixa
que solicilou o taml>or da 4* companhia do 1 bata-
lnlo de artilharia da guarda nacional deste muni-
cipio, Paulino Jacob do Espirito-Santo, visto ter
concluido o seu engajamento, como consta da in-
formado do V. Exc, n. 99, de 4 desle mez.
A' tnesouraria de fazenda assim o fac'o constar,
e V. Exc. devolvo o requerimento do referido
tambor.Communicou-se ao inspector da thesou-
raria de fazenda.
Dito ao inspector da tnesouraria de fazenda.
Deferindo o incluso requerimento do alteres do 10
batalhao de infantaria, Jlo de Souza Fcitosa, que
pretende consignar de seu sold nesta prorincia
24*000 mensaes, at abril de 1865, adra de ser en-
tregue seu procurador, Joaquim Rodrigues Tava-
res de Mello, autoriso V. S. a mandar pagar cssa
prestacao, em os devidos lempos.Communicou-se
ao brigadeiro commandante das armas.
Dito ao mesmo.Respondendo ao offlcio que V.
S. me dirigi no desle mez, sob n. 661, tenho a
dizer-lhe, que pode mandar pagar, sob minha res-
ponsabihdade, nos termos do 7" do arl. '& do de-
creto n. 2.884, do 1 de fevereiro do anno prximo
Sassado, os vencimentos do mordomo e do guarda
o lazareto da ilha do Pina, relativamente" ao mez
de agosto ultimo, e aos que se forem vencendo no!
corrente exercicio, visto nao se haver marcado
quota para esse iin, segundo consta do seu citado
offlcio.
Dito ao director das obras militares.De con-
formidade cora o que solicilou o brigadeiro com-
mandante das armas, em offlcio de 9 do corrente,
6ob n. 1,646, autoriso V. S. a mandar caiar os com-
partimentos da fortaleza de Itamarac, que foram
ltimamente concertados, e bem assim piular as
novas portas e janellas da mesma fortaleza.
Dito ao mesmo.Em vista do offlcio junto por
copia, do brigadeiro commandante das armas, de 9
do corrente, sob n. 1,617, mande V. S. orear as
despezar* fazer-se com os concertos necessarios
na coberta da capella da fortaleza de Itamarac, as-
sim como as dos tres compartimentos do aquarte-
lamento contiguo referida capella.
Dito ao mesmo.Mande V. S. concertar com
urgencia a guarita da guarda da tliesouraria de
fazenda que se acha em mo estado, conforme so-
licilou o brigadeiro commandante das armas em
Oflicio de 9 do corrente, sob n. 1,649.
Dito ao director das obras publicas.Em vis-
ta do que solicita o Dr. ebefe de polica, recom-
mendo a Vmc. que mande examinar, sabbado vin-
douro a solidez do circo, que a companhia Spalding
& Rogers, est construindo no Campo das Prince-
zas para os espectculos equestres, que se propde
a dar nesta cidade.
Dito ao mesmo.Concedo a autorisado que
Vmc. pedio em seu offlcio de hoje, sob n. 173 para
lavrar o termo de recebimento definitivo da obra
dos reparos do passadico do canal do Hospicio, e
nesta dala recommendo tnesouraria provincial
que a vista do competente certificado, mande pa-
gar ao arrematante daquella obra a quantia a que
tiver dreito, conforme Vmc. solicitou no citado of-
flcio que fica assim respondido.Comnunicou-sc
ao inspector da thesouraria de fazenda.
Dito ao Dr. juiz de direito de Garanhuns.Ac-
euso a recepcao dos offlcios de 20 e 27 de agosto
prximo lind, em que Vmc. communkou-me ter
o Dr. Gustavo Balduino de Moura Cmara, seguido
para a comarca de Paje de Flores por haver ces-
sado o cholera-morbus no termo de S. Rento..
Dito cmara municipal do Recife.Pel offl-
cio que me dirigi cmara municipal do Recife I
em data de 31 de agosto ultimo, seb n. 35, fiquei
inteirado de haver suecumbido a urna pneumona
no hospital Pedro II, o afrieano livre de nome
Braz que se achava ao servico do cemiterio publi-
co desta cidade.Communcou-se ao curador de
africanos livres, ao inspector do arsenal de m'ari-
nha c ao director do arsenal de guerra.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana
Fica addiada para outra ocrasilo a viagem qucum
dos vapores da companhia Pernambucana tinha de
azer ao presidio de Fernando no da 11 do corren-
te, visto a impossibilidade em que est a mesma
companhia como Vmc. declarouemseu offlcio des-
ta data, de poder mandar porjora vapor quelle
presidio.Communicou-se ao brigadeiro comman-
dante das armas, ao director doarsenal de guer-
ra, ao inspector da thesouraria de fazenda e ao
conselho administrativo.
Portara.O Sr. gerente da companhia Pernam-
bucana de navegado costeira, faca transportar pa-
ra o presidio de Fernando no primeiro vapor que
para alli seguir, os dezoito sentenciados de justica
constantes da relacao junta.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
qne requereu Veriato Sergio do Moura Mattos, ins-
cripto oppositor s cadeiras do Curso Commorcial,
e tendo em vista a informacao do inspector geral
da instruedo publica datada de 5 do corrente sob
n. 152, resolve considera-lo na classe de oppositor
das referidas cadeiras aflm de que, nos termos do
artigo 17 do regulamento de 29 de fevereiro de
1860 possa substituir os respectivos professores em
seus impedimentos, percebendo pelo exercicio os
vencimentos marcados no predito artigo 17 do ci-
tado regulamento.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Juveniano Fernandes da Silva Man-
ta, inscripto oppositor s cadeiras do CursD Com-'
mereiat Pernamburano, c tendo em vista a infor-
mado do director geral da mstruccao publica da-
tada de 10 do corrente sob n. 153, resolve consi-
dera-lo na classe de oppositor das referidas cadei-
ras aflm de que nos termos do artigo 17 do regu-
lamento de 29 de fevereiro de 1860, possa substi-
tuir os respectivos professores em seus impedi-
mentos, percebendo pelo exercicio os vencimentos
marcados no predito artigo 17 do citado regula-
mento.
lOHrhMMI DAS ARMAS.
Quarte 1 general do eommando das armas de Per-
nambueo, 12 de selembro de 1863.
Ordetn do dia n. 245.
O general commandante das armas declara para
os iras convenientes, que nesta data contratou para
servir por tres annos, na qualidade de tambor, no
2 batallio de infantaria, nos termos da imperial
provisao de 11 de Janeiro de 1853, precedendo
inspeccao de saude, ao paisano Roberto Ferreira
dos Santos, o qual perceber sobre os vencimentos
que por lei Ihe competirem, o premio de 2005, por
j ter servido no exercito, cujo premio lhe ser
pago de conformidade com o decreto e regula-
mento do 1 de maio de 1858.
AssignadoSolidonio Jos Antonio Pereira do
Lapo.
ConformeJos Ignacio de Medrtros Reg Mon-
teiro, capitao ajudante de ordens encarregado do
detallie.
EXTERIOR
oititi:ioi\i:\< i\ do dia-
rio de ii:h y t mu o.
i UBM m.o.
20 de agosto de 1863.
Os mezes de julho e agosto costumam distin-
guir-se pela sua calma napolitica. Os imperado-
res e os reis, os ministros e os diplomatas, tambem
precisam descansar, e querem recreio durante os
dias calorosos do verao, em viagens e nos banhos,
aflm de reforcarem-se para novos trabalhos e no-
vos esforcos. Apesar da questao poloneza, o mez
de julho passou tao tranquillamente, como se o
lempo das ferias devia concluir-se da mesma ma-
ncira, sem interrupcao. Tanto maior foi a sorpre-
za, quando o principio de agosto trouxe urna
occurrencii. que poz termo a todo o soccego de
ferias, colrocando principes e povos, honicnsjde
estado e publicistas, em estado da maior irrita-
do. Esse acontecimento foi o convite dirigido
pelo imperador Francisco Jos d*Austria aos prin-
cipes da confederado allema, para com elle se
rcunirem no dia 16 de agosto em Francfort sobre
o Meno, para um congresso de principes allemes,
aflm de oeliberar-se a questao da reforma da cons-
tituido federal. Os boatos j desde muito tinham
espantado a tatencSo da Austria de tomar a inicia-
tiva na questao allemaa, de que a Prussia abrir
mao, c disso fazer capital poltico para si. Mas
quasi em ncnlmma parte tomou-se isso por serio,
e onde foi o caso, peusava-sc quando muito na
abertura de negociacoes diplomticas regulares;
ninguem porm esperava um passo tao extraordi-
nario, ncm mesmo os" governos allemes mais rela-
cionados com a corte austraca.
Nao se sabe desde quando a idea desse passo
preoecupou o imperador Francisco Jos, mas o
que se sabe que no dia 31 de julho as cartas de
convite para os diflerentes .prncipes allemes se
achavam promplas e assignadas pelo impera-
dor. As mesmas entretanto nao partiram imme-
diatamente para os seus destinos, e o imperador
fez antes a sua visita el-rei da Prussia em Gas-
tein, tocando na entrevista que com o mesmo Uve-
ra no dia 3 do corrente na questao da reforma
federal, e entregando!he pouco antes da despedi-
da o convite para a assembla dos prncipes e,m
Francfort. El-rei Guilherme tomando a carta,
exprimise cm geral satisfactoriamente acerca
dos fins da Austria; mas nao deu pelo momento
nenhuma resposta obrigatora. No dia immedia-
to foram expedidos de Venna os convites para os
outros principes, juntamente com um despacho
circular do conde do Rechbcrg, desenvolvendo
mais explcitamente os fias da poltica austraca
com esse passo. O texto dessa circular, assim como
o das cartas de convite imperaes nao chegaram
anda ao conhecimento do publico.
Smente alguns dias mais tarde ficou publica a
noticia do convite austraco. A primeira impres-
sao foi urna surpreza geral, e urna certa admira-
cao incrdula. Nao tardando milito a confirmado
da exacHdo da pTimeira noticia, o reconhecimn-
to c o applauso da opiniao publica saudaram viva-
mente o procedimento activo da Austria. Mesmo
no campo do National-veren, o qual at agora,
apesar de Bismark c collegas continuar de sus-
tentar a idea de urna homogeneidade prussiana,
mostrou-se urna volia notavel. Nos primeiros dias
os seus orgaos tinham commentado a iniciativa
austraca com o mais acerbo escarneo, mas nao tar-
dou que mudaram, e deelaraaram um atraz do outro,
a sua prompta disposico de acceitar a mo que a
como o representante do rgimen Bismark.
isso nao se pode decidir el-rei, que se
ramtnte em mos J~
Para
Misas rtjs ^5&t^sts^j;s^x^ afssrs s
L A vin fprrno An Pni-fn iA IV.;,,,).,-. .-_.; AnAgl
A via frrea do Porto at
recusa definitiva do convite austraco. A divisao qestao do futuro da Aemanha"'
da Prussia no concert europu desde muito um
facto consumado ; mas pelo
Francfort, ella demonstrou ao
que naonato mSs "ane'faz^Em i
vernal Sf^SS? toJSi&!% JSSTSSXJT, ?*" T^m ""*? I ?. ^bre ?W <^e seguranCa das respec-
E razdes ha para isso.
_, e mente a necessidadee a ODDortunidade de urna re- ti vas ohras
ScqiCesa;1eEs "Sent tSS* bT SltSSSt SS ^ **? I !T^ <** '* ^ -mpria
Ss'oZfacerca^as vaT'^mfidas # ^S^SS^SStTSi SS^A ***" ""*i?l"*** iatni' S
mente pela Prussia, e por consequencia a queda eutda directamente por umcongresT de princi-
pes allemes, pensando que urna semelhante assem-
do ministerio actual.
fundamentos cm que taes accusacSes se firmavam.
O governo, porm, devidamente informado pelos
Ja durante o dia 15 de agosto *ega W EYdeV's^ reclama"
Francfort os principes allemes, solemnemente ministros tkSSThSt i^SSS^^td^S &*& ?Ue hC" reromme"-
saudados pelo senado da mesma cidade, c os mais pouco de successo que Se?am at \S^icgo '
urna comitiva de nao menos de trezentas pessoas, privada mais lempo dos meios proprios para o'se
entre os quaes tambem gente de cozmha em nn- rt>nvnivmnin ^,i;.:
nu- desenvolvmento politice
mero mais completo possivel ; dos ministros, o Tratemos de unir-nos acerca dos detalhes, vis-
conde Rechbcrg o acompanhava. Do mesmo modo ta a importancia incalculavel do todo I guardemos
todos os outros principes achavam-se acompanha- fielmente o lugar que pertence Prussia e espere-
dos dos seus ministros dos negocios eslrangeiros. mos que o exemplo da nossa unilo exerceruma
fcm primeiro lugar os principes eos burgo-mestres influencia victoriosa sobre lodosos coracoes alle-
tizeram sua visita ao imperador da Austria, o qual mies.
Ihcs fez a sua visita reciproca. No dia 16, domin- _____
go, houve servico solemne as igrejas catholicas! .
e protestantes, ao qual os principes assistiram se-, H>TO.
gundo a sua conflssao, e maU tarde os mesmos oc j, ..,, a. joei
visitaram-se recprocamente. No mesmo daain-' niMBimW. T?
da, os membros do congresso receberam as pro- fcin asseinDl1ta P""' dos accionistas do banco
postas quo a Austria tem de sujeitar ao congresso tmao-no da 13, fm effectvamente apresentada a
como base das suas delberacoes. Nao se tem PrPsla da direeeao, a que alludimos na carta an-
aindaotexto dessas propostas e os dados acerca tt'r1'or' P31"3 .se levar a e"uit0 o seguro mutuo de
do seu contedo variam em diflerentes pontos; vdas' aujorisa'"a -lirecclo a nomear o quadro dos
a nao deixar a nado | fazem justas advertencias, tendentes, a fiel execu-
cao do contrato e s garantas de solidez das vias
frreas.
O procedimento do governo digna de todo o
las tos
louvor. As providencias estatuidas tos dous do-
cumentos citados, sao boas, com quanto alguma
cousa tardas. Una commissao technica deve bre-
vemente vistoriar de novo a via e declarar se
est em estado de ser entregue exploraco.
A ponte de Esgueira e o aterro do Agras, cm
Aveiro, parece que poueas condices de solidez of-
ferecem. A ponte de Esgueira urna obra, real-
mente grandiosa, j pela sua elevada altura, j pela
sua extensao, e esta construida com muita elegan-
cia e asseo. Pena que os enormes tubos de ferro
que a sustentam nao tenham encontrado terreno
bastante solido em que possam apoiar-se devida-
mente. Por este motivo,
. a entrega ao publico do
mas pode-se considerar o seguinte com abruma empregadose agentes as provincias, "marcando ; ra9.da via ferrea cntreEstarrcga e Aveiro nao
certeza, como as bases da nova organisaco Dro- aos pnmeiros os seus vencimentos e aos segundos | era lugar,.cortamente, tao cedo,
posta pela Austria a respectiva porcentagem. Para si pedia a direc-1 A|Kuns jornaes tem-se tambem pronunciad
AT testa da Allemanha achar-se-ha como auto- 1a0 um Pr ccm da commissao que o banco rece- Pon,ra collocarao das estacoesdo caminho de
ridade suprema da confederado, um directorio de v*^fe- SSCSS T de o fundando-se cm que a
cinco membros, composto dos soberanos da Aus-; Depois de alguma discussao foi a proposta dos' mor parte deiras esto construidas em pontos mui-
tra, Prussia e Baviera e de dous eleitos entre os gerentes dividida em duas partes e approvada a a"astados das povoacoes mais importantes, nao
outros principes allemes. Ao lado do directorio 9ue a,l,orisava a direeeao a effectuar desde logo os rapdo estas, por consequencia, as- vantagens que
um conselho federal composto de deputados per- se8u.ro8 mufuos de vida, nomear empregados de r
escriptonos e raarcar-lhes os vencimentos. A se-
gunda parte, respeitante commissao dos agentes
e remunerado da direeeao foi submetlida a urna
commissao que tem de dar sobre ella o seu pa-
recer.
O banco Unilo ja recebe seguros de vida em
mutualidade
manentes, e urna assembla federal," comprelien-
dendo urna cmara dos principes e urna cmara
dos delegados. Essa ultima ser composla de 300
membros, pertencendo dos mesmos 75 Austria,
75 a Prussia, 27 Baviera, 15 Saxonia, Wur-
temberg e ao Hanover, 12 Bade, 9 cada um dos
estados de Hesse, 5 ao Holstein,
podiam e deviam tirar de um melhoramento, que
tantos c tao valiosos sacrificios tem custado ao
paiz.
. O governo approvou os estatutos de urna nova com-
panhia que tem por fim a lavra da mina de carvao
sitaem Peiao, freguezia de S. Pedro do Paraizo, no
conselho de Paiva. A sua sede em Arouca, e de-
, 4 Luxem burgo,
3 Brunswik, 3 cada um dos mecklemburgos, 4 P?r.un'a 80
a Nassau, 3 Oldemburgo, 2 Meiningen, Cobur- Pltal e 'Uf-roscom perda de capital---------
go e Altemburgo, e 1 cada um dos outros esta- co,n Perda de lucros somente, devendo a primeira se nicamente de 10 accionistas, entrando n este
dos. A competencia da assembla federal ser '"li'dacao ter lugar no 1 de Janeiro de 1869. i numero os dous descubridores que sao os Srs.
mais estendida do que a da dieta actual devendo HoJe (*6) devcm reunirse- os subscriptores do Augusto Soa res de Azevedo Barboza de Pinho Leal,
haver unidade do* principios para a 'legislado novo bancP Antuca para Ihes ser apresentadoo c Francisco Saraiva Couraca, aos quaes ficam per-
acerca do direlt de estabelecimento da iinpraasa rela.lorio djjfcecer dacommissao nomeada em ses- tencendo 104 acedes na importancia de 2:6003000
para examinar as alteracocs fcios Ireis. yajor
v. jcoei
E'/ 6>ro *ao" prjctb"ae esiairos ao mesmo
arico.
e das associacSes, e estabelecendo-se um tribunal
federal a renovar lud o in auuos.
No dia 17 o congresso de principes teve a sua
primeira sesslo de manhaa, e urna segunda na tar- A julgar pelas peripecias que occorreram na-
de. Um objecto principal das delberacoes foi a 9,uclla sessao, e por haver, segundo nos consta,
ausencia da Prussia, e resolveu-se de dirigir a el- dous pareceres, o da maioria da commissao assig-
rei Guilherme um convite collcctivo de todos os naf, por cinco membros, e o da minora por tres,
principes do congresso, para vir participar s deli- uebafe deve ser longo e porfiado,
bcracoes. Os-eJementos dadissidencia sao de sobejo para
O re Joao da Saxonia encarregou-se de ir entre-'lsso- Dalam da fuso dos dous bancos que em
gar em pessoa o convite ao soberano prussiano,
que se acha em Baden-Baden. Ao resto, as delbe-
racoes, segundo parece, limitaram-se a colloquios
sobre as propostas austracas.
Na reuniao dos principes nao se achou presente
nenhum dos ministros. s seis horas da noite en-
cerrou-se a sessao, e os principes, seguindo o con-
vite do senado de Francfort, dirigiram-se casa e^oblas_ao..raumc'!,io:
municipal, conhecido debaixo do nome Bomer,
onde na antiga sala dos imperadores, a cidade de
Francfort, Ibes offerecra um banquete.
O burgomestre, presidente de Francfort, o Dr.
Muller, fez o primeiro brinde aos principes d'Alle-
manha e s cidades livres, e em seguimento o im-
perador d'Austria, em nome dos principes convi-
dados, agradeceu cidade, pelo bom acolhimento.
A festa acabou s 9 horas da noite.
tempo se projectaram nesta cidade, fusao que deu
cm resultado a creacao do banco Allianca.
Na seguinte missiva daremos conta do que se
passar na reuniao de hoje.
A cmara municipal do Porto vai contrahir um
emprestimo at quantia de duzentos conlos de
ris que ser nica e exclusivamen/e empregada
da mma^send obngados os outros oilo
que nao permittido ser accionista sem tomroste
numero de acedes.
Vai estabelecer-se no paco da municipalidade
portuenseum Instituto Musical, sob a direcelo do
insigne professor Carlos Dubini, para cuja inaugu-
rarlo est fixado odia 4 do prximo mez de ou-
tubro.
preste instituto sao admittidas todas as classes
laboriosas ou Albos e lilbas menores de qualquer
idade sabendo 1er e contar. Os meninos nao deve-
rao ter menos de 8 annos, e as meninas menos de
10. A aula para os primeiros ser s quartas fei-
ras e sabbados, as 8 horas da noite e para as se-
gundas aos domingos e dias santificados a urna
hora da tarde; com excepdo de certos dias de fes-
ta mais solemnes.
O anno electivo eomeea no dia da abertura do
Instituto e Andar em 30 de junho.
llavera dous cursos, o curso popular e o curso
condi-1 suprior, porm este abrir-se-ha smente depois
.de concluidos os exames daquelles
Nu pnr O dia 18 foi o dia do anniversario natalicio do ^C*0 de tres por cento, com relacao ao saldo que
mperador d'Austria. O imperador parti para fes- s.e estiver devendo, cuja amortisado dever rea-
O emprestimo sera dividido em secedes e levan-
tado por acedes de 2005000 cada urna medida
que fornecessaria, precedendo concurso para ser
contratado com quem offerecer melhores
^dcs.
O juro ser satisfeito em dous semestres iguaes N'o curso superior nao se admitiera mais de 40
annualmente, nos dias 30 de dezembro e 30 de ju-; alumnos de cada sexo, sendo preferidos na admis-
nbo de cada anno. Da mesma maneira ser fei-' s* os Que tiverem dado no curso popular e suas
ta no dia 30 de marco de cada anno urna amorti-! escolas filmes proras de maior aproveitamento c
aptidao.
Quando se nao apresenlem alumnos de curso
teja-lo na corte prente de Darmstadt. Nao houve
sessao do congresso dos principes nesse dia. Se-
gundo se diz o congresso ter de durar oito dias.
st-se espera da volta do re da Saxonia com a
resposta prussiana. Tambem se ella fdr negativa,
o congresso nao se deixar por isso embarazar na
sua actividade.
Pela reuniao dos principes allemes, a questao
poloneza acha-se pelo momento inteiramente som-
bra. A novidade esse respeito que a Franca,
lisar-se gradualmente u por meio'de sorteio, co-' popular em numero de constituirem o curso su-
mo a cmara preferir ou contratado com os mu-' prior, serlo admitlidos individuos estranhos ao
tuantes. Iustituto e suas escolas filiaos at prcazer o nu-
Para seguranza e garanta dos prestamistas, a' mero de 40.
cmara hypotheca os seus rendimentos munici-
paes, e em especial o rendmento dos dreitos do
vinho despachado para consumo da cidade.
Para consignarmos aqu o estado financeiro da
cmara municipal e os meios com que ella tencio-
na fazer face aos novos encargos, copiamos um
A Associado Industrial Portuense j nomeou a
commissao cncarregada dos trabalhos preparato-
rios para a exposicao industrial qae a dita asso-
ciado tenciona fazer nesta cidade no prximo an-
no de 1861.
Compoo-sc esta commissao dos Srs. Jos Fran-
cisco da Costa Guimaraes, Antonio Miguel de
Aguiar Alvaro, Lourenco Jos de Oliveira Basto,
Matheus Alvares, Jos* Pereira Cardoso Jnior,
Custodio Ferreira Pinto Filgueiras, Alfonso Alves
do Carmo.
A divisao naval de instruccao sahida do Tejo no
dta ... commandada pek> almirante Joao da Costa
limpeza publica, remocao de
marinb, que foi a bordo da corveta almirante, A
entulhos, calcetara' e despezase. lerara-se ao,mar todos os vasos da divisao, seriam
eventuaes.................___.. 49 300000, 3 horas da tarde, e seguiram para o norte.
Expediente do secretario do governo.
Offlcio a Jos Balsabino Goncalves Lima.Pela
secretaria do governo se faz constar ao Sr. Jos
Balsabino Goncalves Lima, afim de que solicite em
tempo o seu ttulo, que S. M. o Imperador houve
por bem fazer-lbe merc da serventa vitalicia dos
offlcios de partidor e contador do termo de Villa-
Bella da comarca de Flores, nesta provincia.
Despacios d dia 10 de selembro de 1863.
Requerimento.
Abaixo assigaados moradores na ra da Con1
quista, do bairro da Boa-vista.Em tempo oppor
tuno ser attendida a peticao dos snpplicautes,
Austria estendra Allemanha, logo que ofere-
cesse qualquer cousa acceitavel. -Quanto aos prin-
cipes allemes, assim como os reis da Baviera,
Saxonia, Hanover e Wurtemberg, serapre mais
inteiramente relacionados com a Austria, inme-
diatamente responderam afflrmativamente ao con-
vite imperial, tambem o fizeram os gra-duques
de Bado, Weimar e Oldemburgo at agora consi-
derados sabr tudo como os representantes da
idea de homogeneidade prussiana, e mais o duque
de Co burgo e o duque de Brunswik, e em pouco era
certa a presenca de todos os soberanos em Franc-
fort, com excepdo do el-rei da Dinamarca o qual,
como sabido, na sua qualidade de duque de
Holstein e Luxemburgo tambem um dos princi-
pes da confederado allemaa, eo rei da Prus-
sia. El-rei de Wurtemburg, por causa de moles-
tia e idade avancada, vio-se obrigado a recusar de
apparecer em pessoa, nomeando seu representante
r seu filho, o princip real.
t? re da Dinamarca, porm, recusou toda a
participado no congresso de Francfort, urna reso-
ludo, que vista a posicao da Dinamarca para com
a llemanha, fcilmente se explica, e a mesma
derisao tomou a Prussia, sem iguaes motivos de
desculpa.
Apozar disso todo, parece que de certa manetra
custar bastante a el-rei da Prussia decidir-se de-
finitivamente pela recusa do convite austraco.
Smente assim se explica haver sido de repente
chamado para o seu pai em Gastein, o princippe
real, que se achava em Potsdam. Visto as rela-
edes desatadas entre pai e filho, esse passo causou
a maior sensacao ; mas nao levou a nenhum fim
desejado. Segundo se diz, el-rei offerecra ao prin-
real de ir m seu lugar para Francfort. O
cipe real nao recusou, mas fez por condicao
. jiissao do ministerio Bismark e a adopcao de
novo systema liberal, declarando, que debaixo
de nenhuma circumsianefa. Irla, para Francfort
Inglaterra e Austria, expediram novas notas para trecho do relatorio com que o Sr. visconde de La-
Petersburgo, tambem cst vez nao notas collectivas goaca, presidente da municipalidade, submetteu
ou de forma idntica, mas somente com um para- approvado camararia o referido projecto de em-
grapho final idntico. prestimo.
A Franca tinha proposto um passo collectivo,' Di* assim :
mas, quanto mais serios se mostravam os receios; ^ orcamenlo para o actual anno ecoaomico
de intenedes bellicas da Franca, cm consequencia Ioi calculada a receita do municipio na quantia
das ultimas respostas russas,*tanto mais decidida- de 151:547^000, mas porque4ainda este anno nao Carvalho, e comjiosl das^ corvetas tmmmu, Sa
mente a Inglaterra e a Austria se opporlo a qual-1haver no rendimento dos dreitos de vnho o Bandetra a hlice eGoa, de vela, edo vapor de
quer procedimento que podsse engaja-los, e a augmento que se devia esperar e o imposto da roda Mindello, appareceu pouco depois das 12 lio-
Franca, para nao por em risco a communidade com carne vai rendendo menos do que-se esperava, ras do da 16 vista da barra do. Porto, A Este-
os gabinetes de Londres c de Vienna, cedeu. A *> se pode calcular a referida rceeila,em mais! phama, que traaia o pavilhao do almirante, salvou
situado para isso de novo paeilca 5 mas desappa- de............................... 140:000*000 a trra, e respondcu-lhe o castella da Foz do on-
receu a esperanoa de paz, e se a Russia as suas Importa a despeza obrigatora...... 86:940*970 ro. Depois de. receber a visita do intendente da
respostas nao tratar agora de conciliar a Franca, a dem '
duracao da paz, verdade, nao tem nenhuma ga-
ranta.
Entretanto o levantamento na Polonia acha-se
sempre no mesmo estado como antes, nao fazondo
progresso; mas tambem nao podendo osRussos
supprkni-lo.
A, rospeito das oceurrencias no Mxico, ahi pro-
vavelmente tero noticias de data mais moderna
que nos. Mas quanto parte europea da questao
mexicana, ser de interesse a noticia, que depois
de haver a assembla dos nota veis do Mxico, con-
vocada pelo general Forey, nomeado ao archdu-
\u Fernando Maximiliano d'Austria para impera-
dor, a aceitado dessa eleido de parte do principo
austraco possivel e bastante provavel.
Segundo se diz, o archiduque est prompto para
aceitar, e acham-se smente pendentes negociacoes
entre elle e o imperador Napoleo acerca das con-
dices ; tambem o imperador d'Austria nao faz
mais objeccao.
Se ao resto, apesar disso, o archiduque Maximi-
liano, recusar finalmente, falla-se em que o impa-
rador Napoleo elevar ao throno do Mxico, o ti
Juro e amortisado de 51:0005000
5ue em setembro prximo devein
car em divida do emprestimo roa-
lisado por conta da autorisaao d
decreto de 24 do dezembro. de
1852.......................... 6:060,5000
dem de 36:0005000 que aiada res-
ta m por levantar para complemento
da mesma aatorisaco.......... 2:160500a
dem de amortisaco de 20:0005000
que teem de levantajise para o mo-
numentqueha de erigir-se me-
moria de S. M. L o Senhor D. Pe-
dro JV,...\...................... 2:2005000
107:6405970
32.369*030
Ficam para applcar 32:359*030,
140:000*000
de cuja quan-
tia se poderlo separar 18:000*000 para juro e
ho ds seu tio Jerome, de seu primeiro casamento I amortsacao. de 200:000*000, calculando o juro a
com miss Patterson, o capitao Jeronymo Najioleao. razio de 6 p. c. ao anno e urna amortsacao an-
Pattersson, actualmente no servico da Franca. nual do 3 p. c, e desta maneira flearao anda para
P. S.Acabamos de receber a falla com a qual obras.eventuaes e conservadlo das ras da cioa-
0 imperador Francisco Jos d'Austria abri a pri- do a quantia de 14:359*030, verba na verdade li-
I
meira sessao do congresso dos principes, que fra
em resumo como segu:
t Considorei como nm dever exprimir aberta-
mente a minha convicoao, que a Allemanha espera
com razio um desenvolvimento da sua constituicao,
que responda's exigencias da poca
> Vira para expr aos meus confederados, em tro-
mitada, mas que deve augmentar, j pelo pro-
gressivo acrescimo do rendimento municipal es-
sencialmente quando estiver inteiramente extrac-
ta a molestia das vinhas, ja porque, offerecondo
a cmara solida garanta para o pagamento da
quantia que mutuar, nao ser difflcil obter o di-
nheiro pelo juro de 5 p. c, ao auno, j porque os
ca pessoi de ideas, o quejulgo possivel para que juros calculados nunca virio a p'agar-se na sua
se attinja esse grande fim, e o que estou disposto a
fazer de minha parte. /
1 As rainhas propostas sao sem duvida snscepti-
veis de aperfeicoaraento, mas deixo aos meus au-
gustos confederados o cuidado de ver, se ser de
nosso interesse commum de retardar, mesmo por
pouco lempo, e era vista.de certos raelnoramento,
totaldade, nao s porque o emprestimo levar an-
nos a realisar, mas tambem pela sua consecutiva
amortsacao, de maneira que pode bem calcular-
se que o encargo annual para a amortisado e ju-
ro nunca exceder a 15:000*000..
Os trabalhos do caminho de ferro do norte vio
progredjado com muita actividade. 0 paiz almeja
A directora do banco Mercantil Portuense tem
contratado um novo emprestimo com o governo,
Jpara obras publicas. Os accionistas esto convi-
dados a reunir-se no dia Io de setembro para de-
liberarem sobre a proposta que a gerencia do ban-
co, vae naquclle dia submetter approvacJVo.da
assembla geral.
No dia 13, em. vereaeao extraordinaria, recebeu
a cmara municipal do Porto um estandarte que
pertencera & corveta Amelia, que fazia parte da es-
auadra que em 1832 conduzio s pr?jas do Min-
ello o exercito libertador, e a bordo de cuja cor-
veta vinha o Sr. D. Pedro IV, de saudosissima me-
moria.
Dizemos um estandarte que pertencera corve-
ta Amelia, porque nao existe a estandarte real que
das Unas dos Acores vcio ioado naquelle navio,
como se v na segrate passagem do oflicio da se-
cretaria do arsenal da marinha de Usbea, dirigido
ao. Sr. ministro da marinha.
Diz o offlcio :
1 Esta corveta foi eomprada em Inglaterra em
1832, para o servico da rainha, contra a causa do
usurpador ; porm no anno de 1838, foi mettida a'-
pique no Porto, sendo depois de terminada a luta
vendida e tirada do fundo pelo comprador. O fim
que levou a bandeira que tinha este navio quando
fez parto da esquadra que transportou a expedjcap
s pralas do Mndello, nlo posso asseverar, no e-
tanto o que sel pelo haver presenciado, que o es-
tandarte real de seda que tinha icado no, tope gran-
de no dia em que dosembarcaram as tropas no
Mndello foi despedazado pelo muito vento que ha-
va naquelle dia, e que depois de feito em tiras, fo-
ram estas divididas por diflerentes oficiaos que fa-
ziam parte da expedido. 1
O estandarte que a oaraara recebeu exista na
Intendencia da marinha do Porto e effectivamente
pertenceu a corvla Amelia.
O arraial da Serra do Pilar, no dia 15, foi este
anno muito mais concorrido do que nos dous lti-
mos annos. Catouh-se em mais de 2 > 000: as pes-
soas que alli foram. Sabe-se pela estatistfedo
movimento da ponte pensil sobre o Douro que na-
quelle dia passaram 15,000 pessoas para o lado de
\ illa-Nova. Nao pois, para admirar esta con-
currencia extraordinaria, porque sendo a'roma-
gem da Serrado Pilar urna das mais coaeorridas,
da-sc agora a circomstancia de ir muita gente nos
das santificados passear at estado do caminho
de ferro das Devezas, e quem neste dia se destmas-
se a fazer esta digressao de certo nao aewaria de
ir tambera Sorra do Pilar.
Po da 16, s 10 horas da noite arderam duas
modas de carqueja no caes da Corticeira, onde
costume amontoar grande porcao deste. oombusti-
vel.
_0 sjgnal de incendio as torres, e o graade cla-
rao das chammas, que se observava de maitos si-
tios da cidade incutio grande susto, perqu fazia
suppor a existencia de um terrivel fogoi Feliz-
mente nao acoateceu assim. Os soceorros foram
promptos. A' urna hora da noite estava.o incendio
apagado. A nica pessoa prejudicada foi. o dono da
carqueja, o.Sr. Antonio Nogueira Guadas cabo de
sec^ao da freguezia da S.
Suppde-se que o fogo foi pegado de proposito por
alguns ratoneiros para se vingarem da perseguido
que o Sr. Nogueira Ihes faz.
Em sessao do tribunal do commeroio do Porto,
do dia 20 do corrente, foi declarado em estado de
quebra, por denuncia, desde o da 10 o commer-
ciante Joaquim Ado Soares.
Foi nomeado curador fiscal provisorio, o credor
o Sr. Bento Rodrigues de Faria, e juiz eommissario
o Sr. Manoel Jos da Fonceca A niara!.
Foram julgados no dia 18 pelo jury em Estarrc -
ja e eondemnados a tres annos de- degredo para a
frica, os reos Manoel Joao RabeJlo- e Manoel Jos
Fernandes Rendeiro; aecusados do terem roubado
parte da carga do hiate Lanceira, que em Janeiro
ultimo, naufragou as costas de Aveiro, como em
tempo noticiamos. Eram-lhcs partes o ministerio
publico e as companhis seguradoras das cargas.
Naufragou na costa da Terccira (Aveiro) o bri-
gue inglez Helen & Jane que tinha sahido no da 17
do Porto para Londres com carga de vinho e fructa;
A este respeito diz o jornal astricto de Avei-
ro que os indigentes da localidade portaram-se
desta vez como deviam portar-se sempre, para
nos pouparem muitas vergonhas : nlo exerceram
a rapia, nem maltrataran! os pobres nufragos.
Dos tripolantes morreu um. marinheiro, que nes-
sa tarde foi conduzido em um barco para esta
cidade, e o capitao, que por ora nlo appareceu-
Ambos eram inglezes mas a tripolacao represen,
tava urnas poueas de nacionalidades : contava um
hespanhol, um italiano, um francez. um austraco-
e um hamburguez, al 111 dos inglezes.
Nlo so atina com a verdadeira causa do naufra-
gio ; mas o mais provavel que a distancia, a que
appareciam as raontanhas, fizesse suppor ao cap-
to que eslava muito longe de trra, e que ponao-
se de capa para nao correr com o vento, deu em
secco quando menos o. esperava.
A carga salvou-se quasi toda aexcepcao da fuc-
ta^. Eslava fwonrn .m Inglaterra
Era consignatario, do navio o Sr. Carlos Co-
yerley.
No corrente mezcomecaram a publicar-se mais
dous jornaes polticos. O Figueirense, na viUa da
Figueira, e o Doumn villa do Peso da Regca. E'
redactor e proprielario do ultimo o Sr. Manoel Pin-
to de Araujo deputado da opposido.
Falleceu no Porto no dia 16 o Sr. Manoel de
Castro Pereira de Mesquita, que foi minisnio do
reino em 1837. Contava 98 annos de idade. Fez
parte da legiao portugueza ao servico de N'apolelo.
Na campauha da Russia servio como coronel s
ordens daquelle grande capitao.
No da 13. suicidou-se em Villa-No.,de Fama-
ldo, no adro da igreja parochial d<, Tliequiao,
disparando na cabeca um revolver, o Sr. Jos Joa-
quim Rosas, feitor da companhia Viado Portuense.
Diz o. figueirense, jornal da Figueira, que tem
j affluido alguns banhstas aquella-,villa. Oque
para lamentar o mo estado em que se acha o
Moodego^que o rigoroso estio desle anuo tem tor-
nado quasi innavegavel.
Os estudos graphicos sobre a costrucdo da es-
trada que deve ligar a Figueira com Mnte-mr e
Coimbra, acham-se j bastante adiantados, pois
est.completo o alinhamento e levantada a planta
at ao caneco do Moto.
Rendcu a casa fiscal da Figueira no mez de ju-
lho. ultimo 1:584*114 rs.
Em Portugal, diz o ConinbrJwnse, teve lugar un
facto que nos parece nao ter. precedente na pro
viuda da Beira. Um mancebo na flor da idade,
pois apenas contava 15 annos, c que se achava hos-
pedado em urna casa daquella villa, recolheu-se ao.
seu quarto, lancou mo de una pistola, que havta
preparado, e disparou-a -contra a cabeca, deque
resultou cahir instantneamente mono', com ce
rebro esmigalhadc.! I
O mancebo chamava-se Vlx Henrique Dsrda-
lhon, e era filho do antigo. professor de allerao no
lyceu nacional de Coimbra, Augusto Henrique
Dardalhon
O Campeac. das provincias, jornal de Aveiro,
conta que nc lugarejo de Anxomil, foi ha das en-
contrado poF.um lavrador quando se empregava no
amanho de suas tenras, um pequeo eaixe de
ferro, todo coberto de ferrugem. A cuchada que-
brou-se de encontr ao caixlo, que estava quasi
superficie da trra u'um tracto que andava a pou-
sio desde lempos, immemoriaes. Olayrador abai-
xou-se> cscavott mais, e com a ajuda de dous mocos
levou para acasal o famoso volume, que pesava
mais que a beaerra mais alentada.do seu estabu-
la. Arriaran a caixa depois de inaudito trablho.
eempregaram as possiveis deligencias para obri-
garem a saltar a tampa; tudo le intil. Desisti-
r m da entpreza, e foram clamar um ferreiro do
lugar, imaginando possuirera as riquezas fabulo-
sos dos. Ueroes das mil e unAnoutes. O ferrei-
ro trabalhou e conseguo: a caixa ficou sem lam-
pa, e os olbos vidos daquella gente mergulbaram
rpidamente no interior- etla : appareceram en-
tao em bom estado de- conservaco, algumas am-
pliaras chelas de raedalbas romanas, de ouro, prata
e cobre, algumas de tempo de Julio Cesar, segun-
do a opiniao do nosso. informador, que; curioso
em numismtica.
Os homens apenas viram luzir as pecas arrega-
laram-se-lhes qs olhos: reputara-se elizes. c
ricos, como ababos indianos; e tulos se julgavam
com direitee urna parte do thesouro, uns porque
tinham ajudado a levar a caUa, e outro. por ter
feito saltar a tampa : o lavrador, porm* que era
compadre do juiz.eleito, nn estove per os.autos,
pagou do sen bolsinho o. servico pessoal, que lhe
foi vendido mais caro nanuella occasiao, e ficou de
posse do bolo.
Em Villa Real, segundo diz o eorrespondeate de
um jornal desta cidade, existe em plena goso de
suas faeuldades. urna macrobia, chamada Maria
Josepha, que.- conta j cento e nove annos de
Idade!
O respeito que professanKH por to avancada
existencia, e o deseia que tintamos de conhecer e
avahar o estado de to veneranda creatura, mo-
veu-aos a dirigir-lhe algumas pergnntas, a V16
satisfez sem dizer desacerlos.
E' conhecida pelo nome de tCarretas-; tinha
26 annos quando casou, 53 quando envtuyon por
que um seu fllho contava 27 qnando ficou sem pai;
e actualmente conta. como ihes digo, 109. annos,
apenas com o sentido da audicao um pouco alte-
nnado.
Abriram termo de carga: em <3 o mate
Dornal para o Rio Grande }-em barc* w'


-
MUTILADO l
*
EGrVELL



'

Diarlo de Pernanihuco ... segunda felra 14 de Setembro de l S.
creto para o dito porto, e o patacho Boa Novg para m Bornos una potencia compad, >HH
o Para;em 24 a barca /are Ennemta,faft o'i^BBBHIo, tao importante para a tranquilidade
Rio de Janeiro. da Alemantu e da Europa.
Cora procedencia do Brasil, nao entrou e m- ^y^iii^g
Sati'ram f^em 12 a barca Flor do Fes para d PER [ i 1 R II f. fl
Para;em 13 a, galera Europa, para o Rio de Ja- liiUllllJJUU v.
neiro;em 16 a galera Olinda, para o dito por- DPUCTi nilPU
to ;em 21 a ttarca Flor da Maia, para o Mar- nBTlalA VIAulA.
nno- O patacho hanoveriano Frisa, entrado sabba-
^ do do Rio de Janeiro, trouxe a noticia de haver en-
niinin nr nmiiiiuiniiooilradoalil>26doi)assado'0v****^qesedi-
[Jlflnl Jt rtnNlYlnl] I zia perdido nos Abrolhos, sendo inexacta a noticia
' que tivemos de Alagoas acerca desse vapor.
. Temos as seguintes noticias eleitoraes:
. TERCEIRO DISTRICTO.
**' Collegio do Rio-Formoso.
Dr. Souza Bandeira .... 39
Dr. Luiz Felippe..... 37
Dr. Ignacio de Barros. ... 37
As (J uas eleicoes da paroebia de Una deram urna
o segninte resultado:
Dr. Luiz Felippe.....
Dr. Ignacio de Barros. .
Dr. Souza Bandeira ....
E outra este :
Consclheiro Jos Bento .
Dr. Ignacio de Barros .
Dr. Luiz Felippe.....
Collegio de Barreiros.
Agua-Preta.
Dr. fcuiz Felippe.....
Dr. Souza Bandeira ....
Dr. Ignacio de Barros.
No snpplemento, que sabbado flzemos destri-
buir coro nossos assignantes, demos a carta do cor-
respondente de Londres, e o resumo rpido das
noticias de que foi portador o vapor Guien)*, e no
presente numero damos o seu seguimento, cuntido
as cartas dos correspondentes de Hamburgo c
Porto, s quaes acccescentanios a lista dos sobe-
ranos, principes e representantes das cidades h-
vres, que assistiram conferencia de Francfort, e
0 discurso com que o imperador d'Austria abrio-a:
O imperador da Austria, Francisco Jos;
S. A. 1. o archiduque Guilherme;
S. M. o re i Maximiliano da Ba viera ;
O rei Joao da Saxonia ;
\ t O rei Jorge do Hanover ;
0 principo real de Wurtemberg;
i i\ grao-duque Frederico de Badn ;
O eleitor do Hesse, Frederico Guilherme;
O grao-duque Luiz do Hesse ;
O principe Henrique dos Paizes-Baixos;
O duque Guilherme de Brunswich ;
O grao-duque Frederico ;
Francisco Meckleuibourg Sclvwerin ;
O duque Adolpho de Nassau ;
O grao-duque Carlos Alexandre de Saxonia
Weimar-Eseuach ;
' O duque Bernardo de Saxonia-Meiningen ;
O duque Ernesto de Saxonia-Altenbourg ;
t O duque Ernesto II de Saxonia-Cobourg-Got-
tha;
O grao-duque Frederico Guilherme de Mee-
klcmbuourg-Strlitz;
t O grao-duque Nicolao Frederico Pedro de
Oldembourg ;
t O duque Leopoldo de Anhalt-Dessau-Cothen
O principe hereditario de Anhalt-Dcssau;
< O principe Gunther Frederico Garlos de
Schwarzbourg-Sondershausen;
O principe Frederico Gunther de Sclraarz-
bourff-Budolstadt;
O principe Joao de Liechtenstein :
O principe Jorge Vctor de Waldeck e Pyr-
uont;
<.) principe Adolpho Jorge de Scliamboupg-
Lippe ,
O principe Henrique lxvh de Reuss ;
O burgo-mestre da cidade livre de Hamburgo,'
Haller!
Oburgo-inestre da cidade livre de Lubeck,
Reck ;
O burgo-mestre da cidade livre de Bremen,'
Duckwitz ;
O burgo-mestre de Francfort, Muller;
O rei de Hollanda, membro da confederacao
pelo ducado de Luxeinburgo, era esperado e deve
ter chegado no dia 19.
Milito augustos, presadsimos irmaos e pri-
mos, e honrados confederados.
t Urna assembla de soberanos da nacao allc-
maa deliberando acerca do bem estar da patria, 6
um acontecimento que se nito da ha muitos secu-
les. Facamos votos para que, cora a bencao da
Providencia, a nossa conferencia seja a origem de
un norvir fecundo em beneficios I
t Confiando no carcter elevado dos principes
confederados ; confiando na illustracao do povo
alternad ; inspirando-me nos sentimentos de justica
31
31*
31
26
26
26.
26
26
26
As duas eleicoes de Barreiros deram urna este
resaltado :
Dr. Ignacio de Barros .... 31
Dr. Luiz Felippe..... 31
Dr. Souza Bandeira .... 31
E outra o seguinte :
Consellieiro Jos Bento ... 23
Dr. Francisco Joao .... 18
" Dr. Caldas Lius..... 11
Conselheiro Paula Baplista <>
Dr. Ignacio de Barros. ... &
Alm destes senhores, varios outros obtiveram
de 2 a 1 voto, cuja desiguacao nada importa.
Collegio da Escoda.
Conselheiro Jos Beato ... 21
Dr. Ignacio de Barros.... 21
Dr. Souza Bandeira .... 21
Dr. Luiz Felippe ? 20
Desembargador Alvaro ... 20
Dr. Portelfa....... 20
Desta sorte, portanto, excluidas as duplcalas do
convento de Ipojuca, de Una e de Barreiros, o re-
sultado final da eleicao do 3 districto o se-
guinte :
Dr. Souza Bandeira .... 352
Dr. Luiz Felippe..... 337
Dr. Ignacio de Barros. 337
Quando, porm, sejam as referidas duplcalas
aceitas de preferencia s outras, em nada todava
infiue nesse resultado definitivo, dando-se apenas
diminucao do numero total dos votos obtidos pe-
los tres candidatos cima designados.
De Pao d'Alho, em data de 11 do corrente,
escrevem-nos o seguinte :
Nao ha eousas de vulto.
< Todas as vistas estao voltadas para a poltica,
c esta sabe Vmc. que um tanto egosta, absorve
tudo para ella. Nao se assustc, porque s vou
delta fallar com referencia eleicao que aqui bou-
ve para deputados.
No dia 8 reunio-se o collegio eleitoral na casa
da cmara. Foram eleitos : Presidentecomman-
dante superior Lourenco Cavalcante secretarios-
padre Vicente Ferrer e capitao Franco Brasilero
de Albuquerque ; e escrutadores coronel Luiz
Candido Carneiro da Cimba e Ale-xandrino Bar-
bosa da Silva.
Foram votados, segundo onvi de quem la este-
e esclarecido pela experiencia, tive o desejo de ve, o Dr. Urbano com 81 votos, o Dr. Feitoza com
apressaro momento, em que reunidos em con- 83, e o conselheiro Paos Brrelo com 81. Houve
gresso todos os principes da Allemanha, afini de inais um com 3 votos,
consolidaren! a sua allianca, apertassem fraternal-
mente a inao.
Tenho considerado como um dever expressar
abertamente a minha conviccao, de que a Allema-
nha tem a esperanca rasoavel de que se d sua
eonstituico o devilo desenvolvimenlo, o qual cor-
res|tonda s necessidades da poca.
Vim aqu para expor aos meus confederados o
que julgo possivel para conseguir tal lim, e o que
eslou disposto a fazer para o realisar.
Receliei, monarelias, e vos todos, muito augus-
|PMoviment da
setembro de 1863.
Existam...... 396
Entraram..... 13
Sahiram.......11
casa de detenc.o no dia 11 de-
presos
A saber
de Latran,
tolos.
onde estao as cabecas dos dous apos-
Existem...... 398
Nacionaes..... 288 .
Estrangeiros... 26 >
Mulberes...... 11 ,
Estrangeiras... 3 >
Escravos...... 66 >
Escravas...... 4 >
398
Alimentados cusa dos cofres pblicos.. i 7*
Movimento da enfermara no dia 11 de setembro
de 1863.
Tiveram baixa:
Joao Pereira Dutra, odontalgia.
Jos Ferreira da Silva Pinto, colite.
Tiveram alta:
Damiao Goncalves Pacheco.
Manoel Pereira da Silva.
Passageiros do vapor francez Guienue, vindo
do Bordeaux, e nonos intermedios :=.Padre Lino,
do Monte Carmello Luna, Thomaz Teixcira Bas- dia 2 do corrente o seguinte original aviso que fa-
tos, Rufino de Mello, Manoel Jos de Aguiar, Luiz ria a gloria de ama academia.
Jos Rodrigues de Souza, madama Emilia Rosa,: Domingo 9 do corrente mez de agosto a missa
Jos Pereira Guiuiaraes, Manoel Francisco do as- do meto dia ha de ser s ave martas da manhaa.
ciment, Henry Beermann, Jacques Veill, 1.1 Lop- i Pode sem receio pr-se ao lado aquelles bem cc-
pacher, Abel Raygada, Francisco Ategrecl. nhecidos versos satyricos :
Passageiros do hiate nacional Sant'Anna,
sahido para o Aracaty :Joaquim Jos Pereira
da Costa, Joao Victoriano Pereira, Cypriano Lopes;
Pequeno^Junior, Manoel Teixeira Pequeo e 1
A reconstruccao da igreja de S. Paulo progride
rpidamente em Roma e o papa pode i este anno
celebrar naquella magnifica baslica a esta do
apostlo.
Quem v o exterior do templo nao pode imagi-
nar as maravilhas que encerra no interior.
Os maiores artistas de Roma contri huera oara
esta maravilha.
Teoaranii concluio a estatua de S. Paulo e Jaeo-
meti a de 8. Pedro.
Os masalstas do Vaticano conclnem a colleccao
dos magnficos medalhoes de mosaico represen-
tando a serie dos pontfices.
O alabastro, o Imis-lazuN, o jaspe, a malaehis-
tes, abundara em S. Paulo, para o que concorre-
rara com as suas oflertas desde o czar da Rnssia
ate ao vice-re do Egypto, afora o mundo cattio-
lico.
Pi IX felictou os artistas que contribuem para
esta obra sorprendente.
A Revoluro de Setembro publica o seguinte sob
o titulo de o meio dia de madrugada:
Na igreja de S. Domingos em Setubal eslava no
Era noite e o sol raiava
Por entre as trevas do dia ;
Um moco curvado aos anuos
Mu calado assira dizia :
No Diario Mercantil l-se :
A fabricago do machinas tera adquirido grande
> Fiz submelter aos meus augustos confederados
o p-^j,.,.,,-, A.i nnu i,.Inri. -..-..#..;v.- fuJm n|
a'lema : projecto elaborado sob minha direceo.
J fervern os candidatos para a depulacao
provincial.
O iuverno contina,
Os engcuhos delara larde, porque as caimas
estao ainda verdosas e pequeas.
Os gneros alimenticios eslao por baixos pre-
sos.
Pedcm-nos esta publicacao :
Nao se porque a cmara* municipal d tantos
encommodos aos proprielarios das Ierras, a respei-
to dos seus telheros, etc., e qualquer cousa inul-
tos e presadissimos confederados, os meus agrade- tas ai/ui e mullas acola, principalmente quando
cimentos pela vossa sollicilude digna de fiis allia- nao sao amigos do fiscal.
Era para desejar que o mesmo fiscal fosse mais
moderado com os proprielarios dos terrenos, isto
iii-iihIii ni.. l"-tllilii-:ir-elll ao linntitn |>nl.lon i
sendo o telheiro feto com hceuca da cmara, acho
Bascadas na inlolligenria profunda do tira das que. o fiscal nao tem negocio algum com isto, em-
inslituicoes federaes, as disposicoes d'este projeeto) bora seja de taboas ou de lijlos, urna vez que seja
collocam o poder executivonas raaos de um direc- "
torio, ao qual se ajumar um ronselho federal.
Estas disimilos convocara peridicamente
urna assembla de depulado?. chamados a coopera-
ren! com plenos poderes para a legslacao c lixaeao
do orcamento confederado : ellas estahelecein as-
semhlas peridicas de principes da Allemanha.
Fundando um tribunal federal independente, con-
servamos inviolavel o direilo publico allemao.
Por todos estes molvos as dis|iosicoes deque
se (rata tem mui rigorosamente em co'nla o prin-
cipio daegualdade dos dircilosdos estados inde-
pendentes e unidos entre si pelos lacos da confra-
ti.'iiiidade; porm ao mesmo lempo tonam em con-
sideraeao o poder respectivo e o numero dos habi-
tantes de cada estado, que sao inseparaveis da na-
tureza das instiluinies pioposlas. notavelmenlc de
de um rigoroso poder executivo c de urna repre-
sentaeio junto da dieta germnica.
Cada una das consideracoes que dirigirn) o
meo procediraento provm, na essencia, de um i e
criade. rJlce Ribeiro Gumaresy_Erancisco Anto-
nio fJAnesJb MaUos e 2 criados, Joao Nogueira
RihcirocoTn 1 criado e 1 criada com 1 fimo
menor.
Passageiros do vapor francez Gueme, sahi-
do para o Rio de Janeiro :Antonio de Moraes
Gomes Ferreira e 1 criado Vicente Poreira.
Passageiros do hiate nacional nveneivet, en- ""Poriancia nds Estados-Unidos. O valor-total das
trado do Aracaty : D. Maria Libania de Lemos mactimas bydranlicas, locomotivas, machinas de
Ferreira, sua familia e 3 escravos. i vaPr> "Kas e volantes, assim como todo o macni-
Passageiro do brigue porluguez MeUoI, sahi-, "is,n.0' Uiad<> as minas, serraras, pontes e estra-
do para o Porto : Jos Francisco deCarvalho. ^ de ferro foi em 1830 de 28 milhoes dedollars:
.Passageiros do hiate brasileiro.Vtcoto /, vindo *u annos depois, excepluando ainda a fabricacao
do Aracaty : Jos Goncalves Aura e Ricardo de "<"e machinas de costura, subi a 47 milhoes, o que
Santa Anna. j denpu jim accrescmo de 19 mlioes ueste de-
Obtuario do da 12 drsktkmbro. so cbmite- ceB.,:
nio plbuco. ftm d,'$t* grande quantidade de machinas, o
Jos, Pernambuco, 5 annos, S. Jos, cholera. 'or da fundteao de ferro era em 1860 de 28 mi-
Candida, Pernambueo, 2 mezes, S. Jos, convul- ,lwes-.
soes. A mtrouuccao e uso quasi geral das machinas
Januaria Maria do Carmo, Parahiba, 35 annos, sol- e costuras trouxe aos americanos mais unta in-
teira, Sanio Antonio, tubepaulos pulmonares. 'ju?,r,a lue**a>va, e deu emprego a urna immensi-
dade de pessoas para quera o trabalho de costura
------------ era prejudicial.
' UM POUCO DE TUDO Desde junho de 1859 a junho de 1860, empresta-
Offerecemos aos nossos tenores os segrales ty- ^^^g0^*ggSftA lJ&&tT
pos caractersticos, que transcreveroos da Semana g^J*8 coslura' cu" valor fo ,605>345 dol-
lltustrada, da c'^1j,Rns.F_pIRO I O emnrego destas macWnas promoveu em gran-
se algum espanto o novo titulo que Ihe dou, mas. empre8a rande mulberes.
cirtumstancias e conveniencias sociacs obrigam- r\ vanaMU.. a ._^ j -__ .
me a apresentar o individuo transformado em ma- g Sgj* ^ s|*B,nto : ^^
teria gordurosa de outra especie, Oe tambera d nliSgX^^&j*MB**m hon,e,m
lB ^ i vv penaente da sua lancha um monslro maniio
keromteiro um rapaz, que frequenta bailes! Jg? !ffl d*cjn(, metros comprido sobre
e theatros, holeis e casas duvidosas; olha para J. tiSf* ,a/f>?W* parece ser da familia
muliieres lanmiidamente. conversa nnm Atlas lan-1 2L.-5S f- "SE*?1 K5S?"
cacao; lera cinco ordens de guelras, e
no seu terreno, consentido pela cmara, c de 40
palmos da na para dentro.
Ora, quando essa mesma ra est cheia de
gatos, cachorros morios c toda a qualidade. de in-
mundicias, o que nao esl dentro do terreno onde
est o telheiro fcito, nao para se tolerar as refe-
ridas exigencias liscaes.
Acha-se convocada a o* sesso judiciaria do
jury desta comarca do Recife para o dia 1 do fu-
turo mez, sob a presidencia do Sr. Dr. juiz de di-
reilo da Ia vara, Joao Antonio d'Araujo Frcilas
Hunriques.
Informara-nos que acha-se agora a ribeira de
S. Jos convertida em lugar de despejo, pois all
todas as manhaas laucara aguas ptridas de lava-
gera de fatos.
Sendo isto inconveniente, chamamos a attencao
do respectivo fiscal, o ,qual, por ineio de suas pro-
videncias, far que islo cesse.
No dia 11; por
nico pciisainento : julguci chegado o momento de
renovar, em-sentido conforme como esnirilo da
poca, a allianca que zeram nossos paes^ conso-
lida-la, fazendo partecipar d'ella os nossos povo,
para dar esta allianca a forra de assegurar
Allemanha grandeza, jider, seg'uranea e prosperi-
dade.
As minhas proposlas sao de certo susceptiveis
de aperfeicoamento. Souo priineiro aconhcccllo:
jiorin doixo aos meus augustos confederados o
cuidado de examinarem se ser de nteresse com-
niun retardar, por algum lempo, e em vista de
rertos mclhoramentos, a approvacao do projeeto,
que em lodo o caso, tendu em coma as circunstan-
cias acfnaes, muito util para a Allemanha.
No aelo da reforma projectada sao indicados
os metas eonstitnetonaes para jireeucherem segu-
ramenteas laennasda obra primitiva, e cellocarem
para o futuro a eonstituico em liarmonia com as
justas exigencias da poca. No se trata de insu-
gurar neeocafes para vastos projectos que por-
\ iiiin a nao serrino de base solida para a questao
do futuro da Allemanha; mas antame
lur;ao prompta e unnime dos principes alomaos,
liara os'quas todas as consideracoes secundarias
sao nada perante a grande causa commum.
Muito augustos irmaos e primos, presadissi-
roos confederados.
Assim como participaos comigo das impressoes
editantes do momento, haveis de lastimar, como
60. que a Prussia nao esteja aqui representada.
Falla para o cumpriirtento dos nossos mais sagra-
dos votos urna grande satisfacao.
Nao me foi powivel resolver el-rei da Prussia a
yir cooperar pessoalmentc para a nossa obra de uni-
licacao. Mas conservo a (irme esperanea de que es-
te da lera um feliz resultado. El-rei' da Prussia
aprsciou perfeilamente as razos que invoque rela-
tivamente a necessidade e oportunidade de nma re-
iorma da canstiluicaofederal. Guilherme I s oppoz
urna ofejecco aomeu convite jiara o congresso dos
principes: e l : que esla imporlante e grave ques-
tao nao linha sido sufficieutemente preparada para
ser discutida directamente porum congresso de
principes atenaos.
Era principio, el-rei Guilherme nao se pronun-
ciou contra a assembla de principes, mas quiz
expressar smente que semelhantc assembl'-a devia
ser pwcedida de urna conferencia dos ministros
allemaes.
Ckamei a attencao de S. M. para os resultados
Miowate boje pelas negocia^oes euiprehendidas
por pessoas intermediarias; portanto nos, que
estamos a qui reunidos, que conpele demonstrar por
nossos actos que, para nos, a questao de regenerar
?a^f ? eracao' os* mais 1" Preparada, e que es-
tamosfirmemente decedidos a fazel-o e de modo que
a nacoo alema nao esteja por muito lempo privada
dos meios necessanos para assegurar o seu desen-
volvimento poltico. ^
Tratemos de nos decidrmos proraptamenje
cerca dos pormenores em razo da importancia in-
calculavel do oonjuncto! Guardemos em todo o caso
o logar que pertent'e poderoso Prussia Espere-
mos que, cora a ajuda de Dos, o cxemplo da nossa
uniao exerra victoriosa influenza sobre todos os co-
raees allemes.
Mas eu terei semprea satisfagao pessoal de ba-
ver pensado constautemenle, em tao critica poca,
em apenar cada vez mais os lacos que ligam os ale-
raes, procurando, ao mesrao fempo, elevar tanto
mtanto possivel A confederacao germnica, por cau-
Velha,
_ por obra do meio da, foi, na ra
levemente ferido o Sr. Leandro Jos Carnei-
mulhercs lnguidamente, conversa com ellas lan
guidamente, gaba-lhes a belleza lnguidamente,
atrapalha a todos os que sympathisam com ellas
lnguidamente, e retira-sey por fim, ainda lnguida-
mente.
Que praga !
Todos o conheccm; choca pelas esquinas, pelas
plateas, pelos bastidores e por toda a parte onde
ha mulher bonita.
feliz o kerosetteiro, porque vive em um mun-
do de illusoes, do qual s sabe para comer, beber
e dormir, s'empre sosinho.
Indi vidualidade adherida ao desfructe, desconhe-
ce o papel que representa na grande comedia dos
namorados sem ventura; aborrece aquelles aos
quacs rouba momentos preciosos, e faz de conta s
veces, que namorado, embora ninguem lhe acei-
te a corle.
Inoffensivo, conversa cordialracnle com o apai-
xonado da sua apaixonada; chama de amigo e bebe
com aquelle a quem deseja da dulcina, mas a
quem infelizmente nunca substituir no coraeao
substilue.
D presentes, cincotostouea os moleques, e os
criados, cscreve carimbas amorosas, no fim___
do-lhe todos o nomc da kerosenrir, *. #= com
Nao importa, um innocente typo |
Uiitus in umbrn
Formosam resonare doces Aiuan/llida silvas.

O DILETTANTI DO THEATRO LVRICO.
Ei-lo pelos corredores do theatro, cheirando em
todas as portas, apertandoa rao dos bilheteiros. fa-
zendo cumprmento aos delegados de polica, ap-
plaudiiido as cantoras, maldizendo os insensiveis, e
ajusfando ramalheles para alra-los em scena por
conta dos beneficiados.
Acabado o espectculo, sahe o dlettanli pelas
ras a assovar mal e desgracadamente alguma ca-
vatina que lilou de orelha.
Alguns estropiara o italiano, que ouvem, e, por
cxemplo, canlam o allegro da Casta Diva cora as
seguintes palavras : A bella do rei Torno leve um
pifio do anuir prtmeiro, contra as leis do mtmlo in-
ti'iro e das feses j sarou, etc., etc. ,
E typo bstanle conhecido e de quera todos fa-
zem ocaso de nao se importaren! com elle.
tres grandes barbatanas.
Foi pilhado a duas leguas e mea deste porto,
emraaranhado em tres redes que completamente
estragn.
Est em exposicao no caes de Victoria, e tem
sido urna romaria de curiosos a ver esta raridade.
Dizem-nos que os pescadores obtiveram licenca
das autoridades para o conservaren! em exposicao
mais tres das, afim de, com a exportla dos visi-
tantes, attenuarem o prejuizo que soffreram com a
perda das redes.
ro por um oulro individuo que logrou evadir-se.
0 respectivo subdelegado procedeu ao compe-
tente corpo de delicio.
Varios assignantes nossos dao-nos informa-
es relativas m qualidade do assucar refinado
e do caf moido, que sao expostos venda ; pois
empregam-sc na relmaco do primeiro ingredien-
tes taes, que coramunicam-lhe um pessimo gosto c
nauseabundo cheiro de carne podre, e na torrfiea-
co do segundo a misiura de graos de bico e de ou-
tras qualidades, que desvirtuara e falsificam com-
pletamente o caf.
E essas mesinas uformacocs chegam at ao pon-
to de assegurar-nos.que fraapanhado em flagran-
te um dos estabclecimcutos torrando o caf de mis-
tura com millio; mas que tudo ficra em santa paz
por alguma miraculosa interven^ao I
Por nos nicsmos podemos asseverar, que, quanto
ao assucar, lemos por mais de urna vez senlido' em farraiios.
esse pestilente ebeiro, nao o tendo experimentado Nao se pode fazer idea
ao caf pela razao de nao comprar- [combate perigoso que''
No camuho de ferro de Bletchlev a Caraden-
Town, na Inglaterra, deu-se um acontecimento ler-
nvel.
Nesta seceso ha urna distancia de 18 leguas, que
certos comboios percorrem de noite sem parar.
ltimamente o repartimento de urna carruagem
destes trens eslava oceupado por urna senhora
idosa c mais tres viajantes, um dos quaes, mesire-
escola irlandez, tomado durante a viagem, de um
accesso de alienarao mental, se lancou, armado
com una faca, sobre os seus companheiros de
viagem.
A senhora, felizmente para ella, desmaiou, e
nao vio nada da lula que se travou e que durou
urna hora.
O pavimento da carruagem, quando o comboio
parou no seu destino, eslava innundado de san-
gue, por modo que pareca o chao de um mata-
douro.
Os vestidos dos viajantes cstavam litleralmente
A Sarao conta o seguinte :
Diz urna carta de Roma que no dia de S. Thiago
fra immensa gente felicitar o cardeal Antonelli.
Nunca se linha visto lio grande concurso na ha-
bitarao de sua eminencia, e pdodizer-se com ver-
dade que nao s os seus amigos mas at os que
j mais o haviam visitado lhe quizeram fazer urna
mara'festaco.
Viam-se milhares de fardas na sua antc-camara,
e o rei de aples foi lambem um dos visitantes.
pssando todo o sero com o dislincto cardeal.

O Sr. King, industrial inglez, inventou um sip-
imi para neniar o serviro uos combovos. o que
consiste n'um relogio collcado sobre uina colum-
na ao lado das linhas ferraes, o qual por meio de
urna varinha em confacfo cora os rals marca o
trem, e inslrue o que o precede para regular, o
curso da sua marcha.
COMUNICADOS.
NOVO BANCO
DE
perUihiiko
EM 12 DE AGOSTO DE 1863.
O Banco descoma- na presente semana a dez por
cento ao anno at o praso de quatro mezes, e a
doze por cento at o de seis mezes.
Alfandega
Rendimentdodal a 11. 144:985*135
dem do da i........ 14:2:14*671
159:219*806
Batatas.........Venderam-se a !*450 por arro<-
ba.
Bolachinha......fiem a 2*700 a barriquinha.
JHovImento da alfandega.
Volumes entrados com fazendas
cora gneros
Volumes sahidos
com fazendas
com gneros
61
726
787
Descarregam no dia 14 de setembro
Barca portuguezaDespit/ue //=diversos gneros
Patacho nacionalJaboatao idem.
1*400
500
500
3S0
500
600
45875
19*500
1*000
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAUTA DOS PIUSCO DOS GESEROS SBITOS A DIRE1T0 DE
EXPORTAQAO. SEMANA DE 14 A 19 DO MEZ DB
SETEMBRO DE 1863.
Mercadorias. Unidades. Valores.
Abanos. .;....... cento
Agurdente de cana. .... caada
dem restilada ou do reino
dem caxaca........ ,
dem genebra........
dem alcool ou espirito de agua-
ardenle.....,
Algodao em caroco..... arroba
dem em rama ou em laa. <
Arroz com casca......
dem descascado ou pilado
Assucar mascavado......
dem branca.......
dem refinada......
Azeite de amendoim ou mendo-
bim..........
dem de coco.......
dem de mamona.....
Batatas alimenticias......
Bolacha ordinaria, propria para
embarque.......
dem fina........
Caf bom........
dem escolha ou reslolho ...
dem torrado....... libra
Caibros......... um
Cal........... arroba
dem branca........
Carne secca (xarque) ....
Carneiros........ um
Carvo vegetal...... arroba
("avernas de sicupira .... urna
Cera de carnauba em bruta libra
dem idem era velas .1.
Cha *.........'
Charutos ......... cento
Cevados (jiorcos)...... um
caada
>
arroba
>
>
'
1*800
3*000
4*160
2*000
1*440
800
13200
Cocos (seceos)....... cento
Colla.......... libra
Couros de boi, salgados ...
dem idem seceos espichados. >
dem idem verdes.....
dem idem cabra cortidos. um
dem idem de onra..... cento
Doces seceos....... libra
dem em gela ou massa.
dem em calda......
Espanadores grandes..... um
dem pequeos.......
Esleirs para fono ou estivas
de navio. ^. cento
Estopa nacional...... arroba
comrelacao ao cafe pela razao de nao comprar- combato perigoso que s dous vSsSram
a para a questao mo-lo rao.do. Mas, como quer que seja, laes falsifi- que sustentar dentro da rarruaS em cond
ament da reso-1 ca5oes mereecm ser devulamenle investigadas ; e yes taes que ll.es era inuwssivef Sternenhirai
para isto reclamamos as serias attencoes da auto- soccorro.
ridade competente, urna vez que a alimentaco pu-'
blica nao deve estar tuerce do especuladores
mesquinhos.
Depois d'amanha se extrahir a 2" parte da
2a lotera da Misericordia.
Ao Havre chegaram, procedentes dos porlos
do norte do Brasil: 7 de agosto, a barca france-
za Marie Nicols, do Para; 10, o brigue francez j
| Scmelhantes scenas, diz o citado jornal, nao se-
rao suflcientes para fazer comprebender luialmen-
te a imperiosa necessidade de orgauisar nos com-
? boios um systema de vigilancia que proteja os via-
jantes contra todo o perigo da parte do? furiosos c
dos malfeitores ?
Referindo-se ao estado semestral da marinha de
telem, do Maranhao e Para; e a 19, a barca fran-, guerra dos Estados-Unidos, diz o Naval Rcai^te,
ceza Pakstro, do mesmo destino. que ella consta actualmente de 5.30 embanK
- Sahio para o Maranhao e Para, do mesmo de todas as classes, racluindo neste numero os na-
porto, a harea franceza Havre, 8 de agosto. : vios comprados a particulares e arm-.Ho m
O vapor inglez, portador da mala de Sou- guerra. i^iuiares e armados em
S.:viSr'%Crren,e nieZ' Ma0(lalena> 1uei, Dfdf,r rebentou a insnrreigo tm-se cons-
de\ia sabir a9. truido 140 emparcacoes. e tiestas 46 blindadas
- Achavam-se a carga para Pernambuco : em A marinha de guerra americana, uorm nao'tem
*9&*.*..**!**** .i devia' verdadeiramenle6 seno 204 BB&nK
sahir a 10 do corrente ; e no Havre, a barca fran-. destas 60 vap
ceza Raoul. Para o Maranhao e Para estava car-! res blindados
ga, no Havre, a barca franceza ComteRoger. mais
Rbpabticao da polica :
Extract da parte do dia 12 de setembro de ma
204 embarcacoes, sendo
iice, 44 de rodas, 48 vapo-
i arietes e 27 navios de vela. Os
As vanlagcns das companhias de capitacs em
mufualidade, estatuida pelo banco Uniao na cida-
de do Porto, sao de tal transtendencia e vauta-
gem, para assegurar um futuro, prospero a todas
aquellas pessoas, que nao podendo aggloraerar
quamias grandes, podendo de suas economas an-
nualraente all depositaren! urna pequea somnia
de 10*000, 20*000 ou 50*000 que desejar, que
a maior parle dos chefes de familias olhando ao
futuro bem de suas familias, tratera de entrar com
as quanfias que de suas economas lhe sobrar an-
nualmente. para fazercra um peculio com o qual,
c com pequeo sacrificio possam ter um dote para
o casament de suas Ibas, ou urna quantia para
o cstabelecimento de seus filhos.
Entre as diversas associacocs que o espirito
tem concebido nesta poca de abolcd c progres-
so do genero humano o que tem a priraasa nesle
genero.
E' sera duvida esta concepcao de eventuabdado
mutua das quantias depositadas; os socios sao nella
herdeiros uns dos oulros, e o pai de familia a
troco de urna economa annual de 10*000 com
que entrara consecutivamente em nome de qnal-
quer de um de seus filhos, tem arranjado para
esse seu filho se livor a fortuna de viver os
20 annos urna soturna de 2:000*000 at 1:550*
conforme a idade em que tiver sido admit-
tido na associacao e as condicoes de sua ad-
missao.
Essas entradas no decurso dos 20 annos apenas
montam era 200*000 que teriam sido gastos, sem
valor futuro e o que desta forma all entrados
produzem uraa quantia que pode servir de base
aos arranjos desse iilho.
Concebe-se que no mesmo caso, se a entrada an-
nual em lugar de 10*000 fr de 50*000 tera 5
vezes maior resultado e ser o preludio amontoa-
do no fim dos 20 annos de 10:fXI0*O0O at 7:750*.
A companhia estabelecida pelo banco Uniao da
cidade do Porto offerece as maiores garantas de
estabeldade e crdito que se pdem desejar,
pois occasiao opporluna de se lancar mao desie
meio para preparar com peqneno sacrificio, um
futuro mais ou meuos avultado, conforme a maior
ou menor entrada, e fazer com que pequeas
quantias parcialmente, cconomisadas, produzam
una sommaque possa em futuro servir de arri-
mo.
f'Con/inufl/-s-A(i>
18CJ.
11
--------i j a 1IUIIUJ (J
tambem de primeira classe, e 12 de vela.
A novena de S. Pedro foi este anno soleranisa-
da com grande pompa na capital do mundo calho-
Forara recolhidos casa de detonco no dia
do corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-
noel Tenorio Brasilero de S Cavalcanti, branco,: Jico,
vindo do Limociro, por fuga de preso; os pardos J Cada urna destas festa urna racordacn da ira
Manoel Faustino Alves, vindo de Goianna, como apostlica. .._-
desertor, Isidoro Lourenco do Nasciment, por, No dia 28 e.29 de junho estiveram ihArtns o
disturbios. subterrneos da basifica de S Pedro
A ordem do Dr. delegado da capital, Manoel | No da do apostlo, Pi IX offlciou no' Va.
Ignacio Ferreira de Lima, pardo, sem declara^ao cano.
No segundo dia da oitava na baslica de S. Pau-
A ordeni do subdelegado do Recife, Felippe.
lebrada, ingles a requisigo do respectivo cn-
sul, os pardos Joao de Souza Leiie, por briga, Joa-
quim Jos de Sant Anna, por briga e embriaguez.
lo, onde est o corpo deste apostlo.
No terceiro era Santa Prudencia, templo fonda-
do sobre as ruinas da casa em que S. Pedro rece-
PUBLICARES A PEDIDO.
A ensilla nunca atacara o cerebro
se a salsaparrilha de Bristol se usar como agente
neutralisador. Sua accao atalha promptamente as
escrfulas que minara pouco pouco os orgos
vitaes. Expulsa do sangue vicioso os elementos
de irritaeao e corrupco destruindo por esta for-
ma a causa primaria de todas as enfermidades
eruptiveis, ulcerosas, ou glandulares, hereditarias
eu accidentaes. Os casos de rheumatismo e de
paralysia, todos como desesperados, bao fcil-
mente cedido a sua influencia vivificante ; e sua
salutfera operaco as affeecdes do ligado nao
por certo a menor das suas recommendaces. Nos
casos de debilidade geral torna-se ella inaprecia-
vel como vigoroso restaurativo do todo o svs-
lema. ^Y
Acha-se pofs venda em todos os principaes
cstahelecimentos do imperio.
Farinha de mandioca.....alqueire
dem de ararula......arroba
Fejao de qualquer qudlidade.
Frechaes........um
Fumo em foi lia, bora .... arroba
dem ordinario ou reslolho >
dem em rolo bora......
dem ordinario ou reslolho
Calimbas........urna
Goiiiiua.........arroba
Ipecacuanlia (raiz)......
i.i'iih.i i-iu acnas......cento
Toros.......... >
Linhas e esletos.......ura
Mel ou melaco.......caada
Millio. .".......arroba
Papagaios.........um
Pao Brasil........quintal
dem de jangada......ura
Podras de amolar.....una
Idem de filtrar.......
dem de rebolo.......
Piassaya.........mol lio
Ponas, ou chifles de vaccas ou
novilhos........ cento
Pranehes de araarello de dous
coslados........ura
dem de louro.......
Rap.......... libra
Sanio.......... >
Sal..........alqueire
Salsa parrilha.......arroba
Sebo em rama.......
dem em velas....... >
Sola' em vaqueta......urna
Taboas de amarello.....duzia
dem diversas.......
Tapioca-..........arroba
Tatajuba.........quintal
Travs.........urna
Unhas de boi.......Cento
Vassouras de passava. ...
dem de timb.......
dem de carnauba..... t
Vinagre.........caada
Alfandega de Pernambuco. 5 de setembro de
186.1.
(Assignados):
O 1." conferente, Antonio Carlos de Pinho Bonjrs.
O 2. conferente, Jos Varia Cesar do Amar!.
Approvo. Alfandega de Pernambuco, 12 de
setembro de 1863.Carvaho Reis.
Conforme. O 4." escripturaio, JoiTo dos Santos
Porto.
Rcccbedoria le reodas Internas
geracs de Pernambuco.
Rendimento do da la 11. 12:828* 185
dem do dia 12......... l:09l*64't
13:919*829
Consulado provincial.
Rendimento do dia la II. 14:556*115
dem do dia 12......... 1:051*619
15:607*734
3*500
8*000
8*500
75500
440
360
280
500
2*500
3*000
1*600
8*000
200
360
1*400
1*000
15*000
3*500
300
155
230
090
350
10*000
1*000
320
500
4*000
2*000
15*000
1*600
2*500
5*000
1*800
5*000
16*000
105000
7*000
5*000
600
2*000
255000
iMH)
11*000
- 8*000
200
15280
2*"i00
5*000
5*000
840
15000
15200
120
5*000
20*000
105000
15000
120
400
255000
5*000
7*000
2*000
110*000
735000
3*000
2*000
6*000
2*000
1(1*000
8*000
65000
500
Carne secca.-----Relalhou-se de 2*200 a 2*800
por arroba a do Rio-Grande do
Sitie de 2*000 a 2*200 a do
Io SK?1 flcjm*>em depo-
1 i?A!2?/mbM da Prio-
ra e 17,900 da segunda.
Cal............ Vcudeu-sea 8*000 a barrica
GeVa........... dem a 1*350 por libra.
Cevada.........dem a 2*500 por arroba
Caf...........dem de 8*000a8*500 por ar-
roba.
Cha............dem de 1*901 a 2*200 por li-
bra
Ceblas......... Venderam-se a 7*600 a caixa, e
500 rs o cento.
Ccrveja......... Regulou de 4*300 a 5*000 a
duzia de garrafas.
Farinha de trigo. Retalhou-se de 16*000 a 18*
a barrica, da de Pliadelphia e
.Vew-York, de 14*080 a 15*000
a de Genova, e a 91*009 a de
Trieste ; ficando em ser 5,000
barricas da primeira, 2,200 da
segunda, 200 da tereetra e
1,800 da quarla.
Dita de mandioca Vendeu-se de 3*400 o alqneire
e 5*000 a sacca.
Fcijao.......... dem de 5*000 a 6*000 a sacca.
Farello......... dem a 4*000 por sacca de Lis-
boa c 3*600 de Hamburgo,
Graxa.......... dem a 900 res por duzia do
latas.
Genebra........Regulou a 300 rs. a botija, a ris
4*600 a 4*800 por caixa, 3*800
a 4 000 o garrafo peqneno e
de 4*800 a 6*000 o grande.
Louca..........A iaglcza ordinaria, ohteve 300
por cento de premio, sobre a fac-
tura e a fhia 220 por cento.
Massa de tomates- Vendeu-se a 500 rs. a libra.
}Jassas......... dem de 6*200 a 7*000 a caixa.
Manteiga....... A franceza vendeu-se de 440 a.
450 ris por libra, o a ingteza
de 700 a 730 rs.; ficando em
deposito 2,600 barris.
Pwvora........A ingleza vendeu-se a 246
por libra.
Pomada........Vendeu-se a 170 a duzia.
Pf-^f.......... dem a 6*000 a caixa.
Oleo de linhaca.. dem a 2*200 o gaio.
Presuntos.......Venderam-se a 14*000 por
roba.
Pimenta da India Vendeu-se de 280 a 290 rs. a
libra.
PaPe'.......... Regulou de 2*500 a 3*000 ai
resma do almaco, e 950 rs, o de
embrullio.
Queijos........Os flamengos venderam-se a rsv
1*750.
Sn..........Vendeu-se a 150 rs. a libra o
inglez eo do paiz.
Sal............0 de Lisboa regulou a 1*180.
Toucinho....... O de Lisboa vendeu-se de 8*00f>
a 8*050 por arroba.
* mngre........O de Portugal vendeu-se de 105*
a 115*000 a pipa.
' >nnos......... Os de Lisboa venderam-se de
200*000 a 240*000 apipa, tinto
de 190*000 a 210*000, e os a
outros paizes de 160*000 a ris>
180*000.
' las.......... Venderam-se por 540 rs.
cote.
"* Iros.......... dem a 9*500a caixa.
Descontos....... O relate de letras foram de 8
a 9 por cento fra dos bancos,
e a 10 por cento uestes.
Potassa......... Vendeu-se a 200 rs. a libra.
Fretes......... Sem transaceoes.
rs-.
ar-
opa-
rtinniiin nn "^r-^'""11 "^" u"e?i e endiriagucz, bcu a bospitalidade.
?i?Dill?^^F^ai..Hoora'0 BPiiste Fernn i No quart em Santa Maria, onde S. Pedro e &
Paulo pregaram o Evangelna
No quinto em S. Pedro das Cadeias onde se guar-
aam as que prenderara o apostla
"!fo ultimo dia finalmente
des, ambos paraaveriuaees em crime de roubo
A ordem do de S. Jos, Joanna Maria Nunes'
branca, por ebria. ^
A' ordem do da Boa-Vista, Antonio SebastiSo da
Silva, branco, por briga e espancamento, Francis-
co, crioulo, escravo de Manoel Francisco Duarte
sem declaracao do motivo.
0 chefe da 2* seccSo.
/. G. deMesqiuta.
na baslica W.Joao
COMMEBCIO.
VOVO R4\CO
DE
nJMMUN
0 royo buco paga o 11 dividendo
#e dez mil ris (HffOt) fw acc. i
PRAGA DO RECIFE
19 DE M II tlltilOEM ls<;:{.
As 3 horas da tarde.
Revista semanal.
Gaubkis........As operac6es cambaes effeclua-
das nesta semana para o prxi-
mo vapor de Soulhampton regu-
laran! por & 80,000 sendo : so-
bre Londres de 27 e % a 27 V,
sobre Paris de 350 a 352 rs. por
fr. e sobre Lisboa de % a 98 por
cento de premio.
Algodao........ 0 desta provincia vendeu-se de
20*000 a 20*500 por arroba, e
o dMace, posto a bordo, por
20*600 cerca de 200 saccas ;
nao tendo havido venda do da
Parahyba.
Assucar........ ?.5nco ve"fcu>se de 2*800 a
:S poraa'I!a' somenos de
2*600 a 2*700, o mascavado
purgado de 2*000 a 2*100, e o
bruto de 1*700 a 1*800 por ar-
roba. .
^ardente.....Vendou-se a 60*000 a pipa.
U)uros.........Os seceos salgados venderam-so
de 150 a 155 |rs. a lfira.
Anot.......... Opilado da India venden-sede
2*200 a 2*250 por arroba, e do
Maranhao de 3*000 a 3JSO0.
AlpisUi......... Vendeu-se a 4*000 a arroba.
Azeite doce.....O de Lisboa .venJoB-se de 2*500
a 2*550 o galio e o do B*
Bacalho....... Retalho-se de 13*000 a 14i*>
Hamburgo, 21 de agosto de 1863.
Botetim commerrial.
A posieao do mercado boa, e a maior parte doy
principaes gneros raostra tendencia de subida do
procos.
Caf.A extraccao foi satisfactoria, e a anima-
cao favoravel confirraou-se, sabendo-se que no pr-
ximo leilao d'outono na Hollanda nao senamoflfere-
cidas venda mais de 413 rail saceos; as ultimas
noticias do Rio de Janeiro, tizeram com que o caf
de Santos e as qualidades superiores do Rio mere-
cessem mais attencao, tanto para o consumo, co-
mo para especulago ; os detentores, entretanto,
vao collocar-se na reserva. Venderam-se na qum-
zena passada perto de 40 saceos de caf dp Rio e
de Sanios 7 1/88 schillings. Colamos o caf
real ordinario do Rio : 7 3/87 9/16 sch.
Assucar.O assucar leve maior extracto nos
ltimos dias, e realisaram-se as seguintes trans-
aceoes era assucar brasilero, a precos firmes :
5,000 saceos de assucar de Macci, 800 ditos de
Pernambuco, 50 ditos c 20 caixas da Babia, todo-
da qualidade mascavado, e mais 10 caixas de as-
sucar branco da Bahia.
Tabaco.O tabaco do Brasil parece mais procu-
rado desde alguns das; venderam-se 2,100 bailas
de tabaco da Bahia e 60 ditas de dito do Rio Gran-
ne. As 901 bailas de S. Flix e 303 bailas de taba-
co regular vindas da Bahia pelo navio Hermana
Osear ja se achavam vendidas ha terapos. Em ser
6,400 hallas.
Couros.Contina a prevalecer a boa aceitacao;
venderam-se cerca de 9,000 couros do Rio Grande
do Sul, e 2,002 do Pari
Algodao.Sendo mui viva a procura, realisa-
ram-se vendas satisfactorias precos subidos ; de
algodao do Maranhao venderam-se 150 fardos i
22 1/2 sch.
Cacao.Sem movimento ; houvcram smente
pequeas vendas para o consumo.
Jacaranda.Nada de novo a referir, excepto a
venda em leilao de cerca de 12,000 libras 6 3'4
b o/8 marco banco as 100 libras.
Cambios.
Sobre Londres, 3 mezes data, 13 marcos 3 V*
h. por. '*
prazo curto, 13 marcos 5 sch.
por ff".
Sobre-Paris, 3 mezes data, 191 i/, francos por
100 marcos banco. '
> prazo curto, 189 >/t ,
SobreLisboa, 3 mezes data, 46 '/ schillincs
por mil ris. fc
Descont 2 Vi3 '/a %
Navios entrados do Brasil.
Do Rio de Janeiro Johann Paap, Cari IV Pro-
leus c Uiula com 10,945 saceos de caf.
De Santos : Baldcr e Eleonore com 11,026 sac-
eos de caf.
Da Bahia : Harmonie e Hermana & Osear con
770 saceos de caf, 2,069 bailas de tabaco e 1,000
feixes de passava.
Do Para : Jacobus com 70 volumes borracha
575 saceos cacao, 2,002 couros, 570 alqueires no-'
zes, 430 feixes passava.
Do Rio-Grande do Sul: Scotch Maid e Arche
19,800 chifres, 12,218 couros, 8 bailas tabaco <;.
volumes crina,
Partiram.
Para o Rio e Santos Chrtstiansuiul.
Para Sania Cafharna: Carolme.
Para o Rio Grande do Sul: Maria,
A sahir Konigsberg para o Rio de Janeiro.
Estao carga.
Para Pernambuco: Maria e Ventas
Para a Bahia : Union.
Para o Rio de Janeiro : Johann Paap e Proteus.
Para o Rio Grande do Sul: Maria Nkoline.
sch.
MOVIMENTO DO PORTO.
por barrica, ficando cm deposito
750 quintaos.
iVat'io* entrados no dia 42.
Bordeaux c portes intermedios18 dias, vapor
francez Guien nc, de 1167 toneladas, comman-
danle H. Enout, equipageni 115, carga difieren-
tes mercadorias.
Rio de Janeiro12 dias, patacho hanoveriano /Vi-
so, de 248 toneladas, capitao R. Hillerick, equi-
pagem 9, carca farinha de mandioca ; a Antonio-
de Almeida Gomes. .
Abrios sahidos. no mesmo dia.
AracatyHiate nacional Santa Anna, capitao An-
tonio Joaqnim Alves, carga differentes gneros.
Rio de Janeiro e BahiaVapor francez Guienne
coniniandante II. Enout.
Navios entrados no dia 13.
Aracaty11 dias, hiate naeional Invencel, de 35
toneladas, capitao Jos Joaquim Arves da Suva
eqnipagem 6, carga couros, vellas de carnauba
outros gneros ; ao mesmo capitao.
Londres50 dias, barca ingleza Fiifmmiif de-
283 toneladas, capito I. Me. KmJty, m
13, carga fazendas e outros genero;
veio refrescar e segu para Santa Hekma.
Rio-Bento ( frica Occidental) barca ineleza
Editk Jane, de 298 toneladas, capitio Waam
Hathaway, equipagem 9, em lastro ; Johnston
Pater & C
Navio sahido no memo dia.
PortoBrigue portugus Millo I, capitao Amonio
Goncalves da Silva, carga assncar e coaros.
i
!
'


i-
H
ILEGIVEL


Diarlo de Pcrnantbiieo rgnnda felra 14 de eteinbro de ISGS.
Aracatx12 dias, hi-ite hrasiteiro S'koloL de 4-5
toneladas, capitao Franciso Mi* Jtogueira,
quipagem 7, carga sal; a Prente Tlaana & C
IIIX11S.
Antonio Francisco das Ncves.
Ignacio .\ery Ferrara.
Jos Francisco de Amoriiu.
Freguota dos Alegados.
Jos Pedro Velloso da Silveira Jnior.
Bario do Livramento.
Fregaeilado Poco,
Antonio Jos Gomes do Correio.
Amaro Goncalves dos Santos.
Francisco Jos da Silva.
Francisco Duarte Coelho
Jos de Aquin Fonceca.
Jos Lopes Guimares.
.Manoel Peres Campello de Almeida.
Preguezia da Vanea.
O Dr Tristao de Aleacar Araripe, official
da hnperial ordem da Rosa, e juiz de
direito especial do commercio desta ei-
dade do Recife, capital da provincia de
Pernambuco, e seu termo por S. M. t
oC e Sentar D. Pedro a *^tmdf^'taAndnde.
Ueus guarde, ,etC, Manoel Juvencto de Menczes Jnior.
Faco saber aos que o prsenle edital w-1 Freguezia de Jaboafito.
rem e delle noticia tiverem; que no da i 4 ,os Franpisco Pereira da Silva.
de setembro do correte anno. se ha de ?!Jr,auci8S Soasa Lelo,
arrematar por venda a quem mais dr em fea^cWS^
praca publica ueste juizo na sala dos aud- Jos Gomes dos Santos Pereira Bastos,
torios o seguinle : j Jlo Coelho da Silva.
Urna casa terrea na ra do Jardim, n. 10, ?uvin0 (oelho.da S'iva.
tendo duas janellas e ma porta n>>ntej5^,K,RSa^1,m-
duas salas, tres quartos, cosmha fra e um Joaquim Pereira Vianna.
solo com a frente para O fundo da mesma,' Antonio Pereira da Cmara Lima,
tendo urna sala, quatro quartinhos, cosinha' e,^"zia de Muribeca
fra, quintal munido Unta me'ieira en- KnSSe'a^SS^-"
tuluada, avahada por 2:000$, a qual fra Francisco Mendes da Silva,
peohoiada por exeCuco do presidente o **. Fernando de Sa Albuquerque.,
directores da caixa filial do banco do Brasil, SnSunmim'
contra Jos Joaquim de Souza. Joaquim Pedro Carneiro Campello.
E nao havendo lancador que cubra o pre- .Lniz Francisco Mendes da Silva.
C0 da avaliaco, a arremataco ser feita Freguezia de S. Lourenco.
pelo valor da aujudicacao com o 'bt^^^.^^^^S^.
teje*- Basiliano Correia Pessoa de Mello.
E para que chegue ao COnheciraentO de Dr. Francisco Joao Carneiro da Cunha.
todos, mandei passar editaes que serao pu- Antonio Jos Duarte.
blicadospe/a imprensa, e aflkados nos lu- Jgg t?tHut
gares do costume.
Recife, II de agosto de 1863.
En, Adolpho Liberato Pereira de Ovei-
ra, escrivao interino, o subscrevi.
TrisUio de Alencar Araripe.
O Dr. Trida* de Alencar Araripe, official da imde-
Manoel Joaquim do Reg Barros.
Francisco Correia de Barros.
A todos os quaes e a cada um de per si, bem
como a lodos os interetsados em geral se convida,
para comparecerem no primeiro andar da casa que
foi cadeia, tudo no referido dia e ora, como nos
mais dias seguintes, era quanto durar a sessao, sob
rial ordom da Rosa e juiz de dircito especial do; as ,)0nas da ki se faitarein.
ammercio desta cidadc do Recife, capital da j e para que ehegue a noticia a todos mandei pas-
provmcia de Pernambuco c seu termo, por S..M. sar 0 presente que ser lido e afflxado nos lugares
imperial e constitucional o Sr. D. Pedro II, a mas pblicos, e publicado pela imprensa, e tam-
Faco saber aos que "o presente edital virem c para publica-los e mandarem fazer as notificares
delic noticia tiverem, que no da 14 de setembro do necessarias aos jurados, aos culpados e as teste-
corrente anno, se ha de arrematar por venda em niunhas que se acharem nos sous districtos.
praca publica a quem mais der o seguinte : 1 casa' Hecife, 10 de setembro de 1863.
na ra da Gloria n. 27, freguezia da Boa-Vista, ten- eu Joaquim Francisco de Paula Estoves Clemcn-
22 palmos de frente com porta e janolla, duas, iCj escrivao o escrcvi.
is, dous quartos, cozinha fra, quintal com ca- Francisco de Araujo Barros.
iba e una meia agua no felo, e em chaos o Dr. Hcrmogenes Scrates Tavares de Vascon-
propnos, avahada por 2:0005 ; 1 casa terrea na, cellos, juiz municipal da primeira vara desta ci-
Baixa-\e.rde, na Capunga, sem numero, freguezia dade do Recife de Pernambuco e seu termo por
da Boa-Vista, tendo porta e janella, com rotulas na s. M. I. c C. etc.
frente, 1 sala, 2 quartos, cozinha fra, com 1 ter- p-^o Si\jCr aos qUe a presente carta de editos
reno ao lado, cercado com madeira, divide de um
lado com o sitio de Matheus Antonio de Miranda c
do oulro cun Lauriano Jos de Barros e os fundos
com Jos Bernardo de Sena, com alguns arvoredos
e fructo, por 1:2005, as quaes foram penhoradas
por execucao do curador fiscal da massa fallida de
Gui Inerme Carvalho &C, conlra Joo Duarte Ma-
ginario.
E nao havendo lancador que cubra o preco da
avaliaco a arremataeo ser feita pelo prego da ad-
judicacao.
E para que chegue ao conheciniento de todos
mandei passar editaes que serio atusados no lugar
do costme e publicados pela imprensa.
Dado e passado nesta eidade do Recife de Per-
nambuco aos 18 dp agosto de 1863.
Eu Adolpho Liberato Pereira de Oliveira, escri-
vao interino o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial do
commercio desta eidade do Recife capital da pro-
Titicia de Pernambuco e seu termo, por S. M. im-
perial e constitucional o Sr. D. Pedro II, quem
Deus guarde, etc.
Paco saber aos que o presente odital vircm e
deHe noticia tiverem que no dia 14 de setembro
do eorrente, anno se ha de arrematar por venda a
quem mais dr em praca publica deste juizo, na
sala dos auditorios o seguinte : Jos, crioulo, re-
prsenla ler 90 annos, com urna ferida na perna
por30; Luiza, crioula, representa ter 60 annos,
eoin marcas de feridas pelas mos e ps avahada
por 120* Mara, crioula, representa ter 45 annos,
avahada por 4005; Lucrecia, crioula, representa
ter 28 annos, com o ar de vento de um lado,avalia-
da por 4005. Us quaes foram penhorados por
secano de Antonio Jos de Castro contra Jos
Leao Pereira de Mello. E nao havendo lancador
<|iie cubra o preco da avaliacao a arremataco se-
ra feila pelo preco da adjudicaran na frna da
virem ou della noticia tiverem em como por este
juizo corre uns autos de penhora executiva entre
partes a saber de horanca como autor Jos Fer-
nandos Lima a de.outra como reo Manocl Luiz de
Lima, depois do que seguindo-se os termos dos
autos se v e mostra a pelico do theor seguinte :
Diz Jos Fernandos Lima*que tendo feito penho-
ra por este juizo escrivao Motla, taberna de seu
inquilino Manoel Luiz de Lima, sita ra Impe-
rial n. 87, tem de demorar-se a arremataco em
consequencia de ser necessario fazer-se a citacao
por carta de editos c porque como essa demora se
arruinara os gneros que sao de fcil deterioraco
vera requerer V. S. digne-se autorisar a venda
dos mesmos e mais utencis que ah se acharem, I
em leilo publico sendo o producto remedido ao
deposito, em que actualmente se acham as chaves I
para licar subuegado na penhora. Pede a V. S.
Illm. Sr. Dr. juiz municipal da primeira vara dig-
ne-se assira o mandar.E R. Me. Joaquim de
Albuquerque Mello.
E mais se nao continua cm dita pelico na qual
del o despacho do theor seguinte :
Diga o curador. Recife 2 de julho de 1863.
Tavares de Vasconceilos.
E mais se nao continha em dito despacho depois
do que se v e mostra a resposta do theor se-
guinte :
Requeiro que se junt a presente os autos_ re>
pectivos e que me sejam esles ftrttos corii 'Vi.-la.
afini de dar o meu parecer sobre o que se pede.
Recife lo de junho de 1863.-rO curador Teixei-
ra de S.
E mais se nao continha em dita resposta a qua[
sendo-me apresentada nella dei o despacho do
theor seguinte :
Deferido o parecer. Recife 16 de junho de 1863.
Tavares de Vasconceilos.
E mais se nao continha em dito despacho depois
do que dos mesmos autos se v e mostra ter o au-
! tor produzido suas te.stemunhas e subindo-me
Arremataf3.
Qaarta-feira 16 do frrente, depeia da m-
ria do Illm. Sr. Dr. juii naairipel di segunda vsra
ter lugar a rantiuarii.da arrcnialafo de diver-
sas esrravos perleucenles a heranca do fiaada Jos
Fernando da Croa, es quaca vio i prara para pa-
garariito dos credores da mrsnia heranfa.
No dia 15 do corr#n*e mez se arrematar de
venda linda a audiencia do Dr. juiz de orphaos,
um terreno na ra Imperial eom 30 palmos de
frente e 156 de fundo, com alicerces para so le-
vantar casa, sendo avallado em 2405.
Arremataco.
No dia 13 do eorrente mez fnda a audiencia do
Sr. Dr. juiz municipal da primeira -vara, escrivao
Cunha, sero vendidos em Hasta publica a guem
mais der os segaintesmove : 12 cadeira&ae ja-
caraad eom assento de puntaba a &5 cada urna,
urna mesa redonda da mesma madeira por 305.
um consolo com tampo de pedra da mesma ma-
deira por 85, 2 cadeiras de bracos da mesma ma-
deira a 65 cada urna, ama mesa de jantar com abas
e gavetas de amarello por 165, e vio a praca
requermento Guilnerine A. R. Salte, aa exe-
cucao que movo contra Jos Maria Fernandes
Thomaz.
No dia l do eorrente mez Anda a audiei-
eia do Dr. juiz de orpbaos," se arrematar de ven-
da o dominio directo de um terreno na roa da
Fundico cm Santo Amaro com 70 palmos de fren-
te e 1/5 de fundo avafiado por 3505-
Perante o Sr. Dr. juii de orphlos desta eida-
de se ho de arrematar por venda na audiencia de
15 de setembro par ser a ultima praca e requer-
mento da respectiva inventarame urna casa ter-
rea dominio directo, de diversos terrenos sitos na
ra Imperial desta eidade.
Correio.
Pela administraciio do correio desta eidade se
faz publico que em virtude da convenci postal ce-
lebrada pelos governos brasilero c /rancex, sero
expedidas malas para a Europa no dia 1. do cor-
rente, de conformidade com o aununcio deste cor-
reio, publicado no Diario de 9 de fevereiro de 1861.
As cartas serio recebdas at 2 horas autos da que
for marcada para a saluda do vapor, e os jornaes
at 4 horas antes.
Adrainistracio do correio de Pernambuco 12 de
setembro de 1863.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
mes
De
CIRCO
GUINDE OCEWO
COMPANHIA BRASILERA
PAQUETERA VAPdlP
Esjicra-se dos portes do norte at
o dia 16 do eorrente o vapor Oh-
teiro do 8*1, commandant o ca-
jPitao de mar o guerra Gervasio
-- Mncelo, o qual depois da demo-
ra do costume, seguir para os-portes do sul.
D6de ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga qu* o vapor poder condzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua ehegada, encom-
raendas e dinliejro frete at o dia da saluda s 2
horas: agencia roa da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.________
COMPAHHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portes do sul esperado at
o dia 14 do eorrente o vapor To-
ca*iins, commandant o primeiro
tenente Pedro Hvpolito Duarte, o
-, qual depois da demora do costu-
ira para os portes do norte.
ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder coadozir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua ehegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2
horas, agencia roa da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Lug de Oliveira Azevedo & C._________
Ro de Janeiro.
O veleiro hiate Cursor, capito Jos Ignacio da
Silva, segu sem demora; tem parte da carga
prompta, para o resto trata-se com Miguel Jos i
Alves, ra da Cruz n. 19. *
Para Lisboa*, '"" j
vai sabir no dia 20 do eorrente o brigportuguez
Mki Ftgueirense, capitao Jos Correia de Carva- j
Iho Sqbrinho, ainda pode receber urna pequea
quantidade de carga e passageiros, para os quaes
tem excel lentes commodos : a tratar com o con-'
signatario E. R. Rabcllo, ra da Cadeia n.^3.
Para a Baha vai sabirr com muita brevidade
o veleiro patacho D. Lutz, capitao Jos Teixeira de
Azevedo, por ter a maior parte do carregaraento
prompto : para o resto trata-se com os consignata-
rios Palmeira & Beltro largo do Corpo Santo n.
4, primeiro andar.
Rio de Janeiro.
O patacho Social, 1" classe c 1" ordem, segu
breve, ainda recebe alguma carga frete e escra-
vos: trata-se com Marques, Barros 4 C, largo do
Corpo Santo n. 6.
COM PTAflMMDE CMIMERCIaL
PELO
DE. WITBUVIO PINTO BANDERA
l'iofrssor da srgnnda cadeira do Curso Coinniercial PernambaMM.
DOUS BULOS VOLIMES BU g." FRAACBZ
C0MPRK1IKKDBND0

O primeiroPreleceSes theorleo-nratlcaa de eserlptu-
raeu mercantil.
O segundoXocSes de arlthmetlea com-
merelal, adaptadas pratlca das operaip>s eom-
merelaes e elementos do systema
metrieo eom suas applleacoes
ao commercio.
PREQO DE CADA VOLUME 3i5.
SPALhG k 80GEKS
Director geralCaries J. Rogers.
Notos ai-ttstas !
Novas representarse !
Notos cealfas'
Tevca-feira, i de setembro.
Primeira noite-de feitos equestres os mais pre-
coces de todos (juo se tem visto.
a petittb AWRTTE
n'um espantoso acto de ^___
Equitaco microscpica!
sobre dous cavallinhns de Shetlaxd,
Dooglassi Fannv
LEILOES.
DE
Pipas t biii'i-is de viuho de Lisboa.
Esta obra, apezar de elementar, vem preencher urna lacuna, que. ora sentida entre nos
entrar na educaco daquelles que se querem apphcar a toes ramos da vida o conheciraento
dos principios da comptabilidade administrativa e coramercial.
Com este intuito, sob urna forma esencialmente classica, reuniu o Sr. Dr. Witruvio os
principios da comptabilidade commcrcial no que tem elles de mais elementar, e coordenou-
os de modo a facilitar o mais possivel o seu estado jiessoas que se destinara s prolissoes
commerciaes, sendo taes a concisao e a clareza postas no desenvolvimento respectivo, que po-
de-se aprender a materia, chegando-se a escriptorar os livros por partidas dobradas c appli-
car o calculo s operaces do commercio, sem carecer da interrencao de um mestre.
O primeiro volume, formulado sobre a obra do Bertrand, oceupa-se mais especiaunente
da WCTlpturacao mercantil por partidas dobradas, pujos principios sao desenvolvidos em har-
mona com a legislaco brasileira, contndo alm diste um importantissimo apinradiee sobre
as sociedades commerciaes em todos os seus movimentos, quer pelo lado da cscripturacao
quer pelo da formacao, existencia e extinecao dolas em face da lei. Nest appendice, dupli-
cadamente recoinmeiidavel por sua originalidade e pelo cunho de especialismo. tem o com-
merciant urna guia para sua direcrao, qnalquer que saja a forma da sociedade que contraa.
Completa este volume o spccinienou resumo de una escripturaco, ficticia v.-rdade, masm
tudo semelhante de ama casa de commercio ordinario, offerer'endo urna serie de operaces
successivamente mais difflccis, que assira inicia gradualmente a maneira de escriptura-las
nos differentes livros de una casa de eoinniercio.
clculos de cambios de praca praca e por pracas intermedias, bem como negocios de bancos
com arbitragens de cambios, alera do desenvolvimento do systema mtrico era suas retacos
com o commercio, Ilustrado por meio de tabellas de conversan.
O editor nada mais acrrosmitar astas breves paiavras, sjoe aass demonstram a im-
portancia real desta obra, devida a intelligenca e a applicacao aecurada do seu autor, seno
que ella de utlidade gerl, e que a nenhum commerciante c mesmo a hornera aleum dp let-
tras licito deixar de possui-la em sua estante ; jm>s o commercio em suas variadas evolu-
?oes, entende actualmente com tudo que se liga a vida. .
A assignatura tema-sc as livrarias dos Srs. (taimarles ft.Oliveira, Nogueira deSou--
za, Julin & Pereira c Geraldo H. de Mira, sendo realisada sua importancia pela quota de cada
volume ao sabir do prelo, para o qual ora entra o primeiro.
O EDITOn.

Euzebio Raphael Rabello far leilo por inter-
venco do agente Pestaa para fechar factura de
porcode barris c pipas de vinbo de Lisboa mar-
cas JB e CY em lotes vontade dos compradores:
segunda-feira 11 do eorrente pelas 10 horas da
manhaa no armazera do Annes onde pode desd
j ser examinado e o agente espera a concurren-
cia de seus freguezes e amigos amantes da boa
pinga para poderem pechinchar.
IEIIAO
N
6 barricas e 4 barril com ceneja.
i OJK
O agente Pestaa far leilo, por conta e risco
de quem pertencer, do 6 barricas com garrafas de
excellente serveja c um barril com dita em um ou
mais tetes : hoje 14 do eorrente pelas 10 horas da
manhaa no aruiazeiu do Annes defronte da alfan-
dega.________________
LEILO
Terca-leira lii do correule no arma-
zchiii. o3 ra da Cadeia s
H horas.
DE
J. VIGNES.
\. 55. RI'A RO IHPERAOOK
M. *.
Os panos desta aniga fabrica sao hoje assaz conheeidos, para que soja necessario insistir sofcre a
sua superioridade. vantagens e garantas qon ofTerecein aos compradores, qualidades estas incontesta-
veis qu ejelles tem detmitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ;;pas-
suindo nm teclado e machinismn que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas^sem
nunca 'alhar, por serem fabricados de proposito, e ter-sc feito ltimamente melhoramentos impotlan-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s voces sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as eneommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vigiles, em cuja capital foram sempre premiados em tedas as eipsiedef.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado sortimento d msicas dos
melhores com|iositores da Europa, assira comp harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido
por procos muito razoaveis.
s_\
'
INTERNATO
.'
DE
. e suinndo-me os
lei. E para que chegue ao conbecimento de todos'autos a'conclusao dei a sentenca do theor se-
mandei passar o presente que ser publicado pela gunte :
imprensa e anisado nos lugares do costume. Visto estes autos julgo provada a ausencia de
Hecife 2S de agosto de 1863.Eu Adolpho Li- [ Manoel Luiz de Lima, pelo que se passe carta de
Lcrato Pereira de Oliveira, escrivao interino o edites por 15 dias pagas as cusas pelo autor. Re-
-lll'MTCVl.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. tfiafiasTe AJanaar araripe, ofloal da impe-
rial ordem da Rosa, e juiz de direito especial do
eommercio desta eidade do Recife e sen termo,
capital da provincia de Pernaiulmco, por Sua Ma-
gomade Imperial o constitucional o Sr. D. Pedro
II, que Dos guarde, etc. .
Faco saber aos que o presente edital virem e dcl-
le noticia liveremque por parte de Jos Joaquim
Lopes de Almeida, me fpi dirigida a petico do
theor seguase:
Illm. Sr. Dr. juiz do cqYnmercio.Diz Jos Joa-
quim Lopes de Almeida, me havendo obtido a sen-
tenca jimia contra Jos.' Vferia de Carvalho Jnior,
por sie como tutor dos/menores Maria JovinaBe-
xerra de Mello, Flix *ezerra de Mello Leitao, Can-
lello, herdeiros da mulher
Carvalho Jnior, acontece
le cm lugar incerto e nao
io pode intimar a referida
seguir nos mais termos da
u'a Bosa Bnrra
do dito Jos Maria
que este se acha a
sabido pelo que se 1
sentenea, aflm de si
execucao.
Xestas circumstan
S. digne-se admitti-
supplirado alim de q
para todos os termos.1
velia.
Nestes termos req
receber merc. O.
o supplicante reqner V.
justificar a ausencia do
seja este citado por editaos
xecuco sob pena de re-
pode V. S. deferimento
ogado Joao Francisco Tei-
em dita peticao aqii c-
icho do theor seguinte:
co o dia 11 do eorrente
ia."
olAlencar Araripe.
m tal despacho aqu mu
iroduzido snastestemu-
cT-sc o justificado ausen-
os e preparados os autos,
o, e netles dei a senten-
encia de Jos Maria de
rovon estar em lugar in-
i citado por editos de 30
a II. 23. E pague ojusti-
i863.Tristao de Alencar
nha em dita sentenca aqu
ite da qual o referido escri-j
nte, pelo qual chamo e irrti-
.ficado para que compareca
uretra.
E mata se nao contii!
-piada, na qual dei o d
Para a justifieaco
mez as 12 horas da m
Recife, 9 de julho i
E mais se nao conti
liem e fielmente spi
E tendo o justifica
nhas que declararam
*e em lugar incerto, s
eubiram a miaba
-ca do theor seguinte
Hei por justificada
Carvalho Jnior, que
certo ; e mando que
4iM para o flm requei
datante as cusas.
Reeife. 3 de agosto
Araripe.
E mais se ao ce
copiada, em cumpr
vao fez passar o'
uio ao iv' .do |
den re o dito pra
-fccife. 4 de a j de 18<:t.
Eu Adolpho Literato Pereira de Oliveira, escri-
vae-interiao o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Francisco de Araujo Barros, cavalleiro da
imperial ordem da Rosa, iaiz municipal da se-
gunda vara da comarca do Recife, por S. M. o
Imperador, que Deus guarde, etc.
Faoo saber que pelo Dr. Joo Antonio de Araujo
Tretas Henriques, js7 de direito da primeira vara
criminal da comarca, me foi communicado ter de-
signado o da i- de wdubro vindouro, pelas 10 ho-
ras da manta, para abrir a 5" sessao do jury, que
traballur em dias consecutivos, avend procedi-
do aosorteio dos 48 jurados que tem de servir na
mesma sessSo, em conformidade do art 329 do rc-
gulamento n. 130 de 31 de Janeiro de 1842, foram
sorteados e designados os eidados seguintes :
, Ffegwaia de S, Frei Pedro Gonealves.
Antonio Jos Pesua.
Jos Joaquim dn S Leitao.
Freguezia de Santo Antonio.
Antonio Bezcrra de Menezes Lira
Dr. Manoel de Figueiroa Faria.
Freguezia da Boa-Vista.
Antonio Ricardo do Reg.
cife 3 de setembro de 1863. Hermogenes Scra-
tes Tavares de Vasconceilos.
E mais se nao continha em dita sentenca pela
qual o escrivao pasara carta de editos com o pra-:
zo de I. dias pelo qual .-e chaina, cita e hei por ci-1
lado ao ausent Manoel Luiz de Lima alim de que
compareca para allegar o seu direito na dito aeco'
tj sua execucao alim de que nao que indefezo sob
i>ena de revlia. Pelo que toda e qualquer pessoa !
amigos ou conheeidos do mesmo ausente o pode-1
rao fazer scienle do que cima Qca exposto. E o
porleiro respectivo publicar c afxar a presente
nos lugares do costume e ser publicada pela im-
prensa.
Dada e passada nesta eidade do Recife de Per-
nambuco aos 4 de setembro do anno do nascimen-
to de Nosso Senhor Jess Christo de 1863.Eu
Manoel Jos da Motta. escrivao o subscrevi.
0 Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em cuinprimento da resolucao da junta da fa-
senda manda fazer publico que se contrata por'
lempo de tres mezes, a contar do I. do outubro ao
ultimo de dezerabro prximo futuro, o fornecimen-'
to, alimentaeo e dietas aos presos pobres da casa
de detenco, servindo de base a arremataco os'
preeos seguintes :
Alimentaco-
Domingo. almoco e jantar 380 rs.
Segunda-feira idem dem 380 rs.
Terca-feira idem idem 380 rs.
Quarta-feira idem idem 360 rs.
Quinta-feira idem idem 380 rs.
Sexta-feira idem idem 340 rs.
Sabbado idem idem 340 rs.
Dietas.
Numero 1 380 rs.
2 400 rs.
i f 3 640 rs.
4 400 rs.
5 400 rs.
As pessoa* que quizerem contratar dito forneci-
mento aprescotem suas propostas em cartas fecha-
das no da 24 do eorrente ao meio dia, na mesma
thesouraria, aonde encontraro as tabellas dos for-
necimentos c condc5es com que devem effectuar
dito contrato, sendo habilitados previamente os!
seus Dadores.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
bnco 10 de setembro de 1863.O secretorio,
A. F. d'.-.ununciaco.
DECLRALES.
* (se
Directora das liras militares
A diaectoria das obras militares tendo de man-
dar proceder a diversos concert? na fortaleza do
Brum. assim cmodo mandar asphaltar tres com-
partimentos no quartc! do Hospicio, e fazer neste
mesmo quartel alguns pequeos concertos, convi-
da s pessoas que destes servicos se qnizerem en-
carregar, a apresontarem suas propostas na mes-
ma directora nos dias 14, 15 c 16 do eorrente mez,
das 10 horas ao meio dia ; onde podero obter os
esclarec mantos de que necessitarera para tal flm.
Directora das obras militares de Pernambuco
12 de setembro de 1863,-JLuiz Francisco de Paula
de Albuquerque Maranhao servindo de ama-
nuense.
Continuam em pra^a, no dia 14 do eorrente,
perante a cmara municipal desta eidade, o impos-
to de 80 rs. por carga de farinha, e o aluguel da
da ra da Florentina,
cretaria da cmara municipal do Recife 12 d
tembro de 1883. o secretario,
Francisco Canuto da Boaviagem.
Primeira noite mais activa de todas as gymnas-
ticas
PELO IRMlO* ItOI.I \ \IM S
n'um acto inaccessvel intitulado
Qnadros as nuvens.
Primeira noite, do mais voluvel de todos os ac-
tores
.t\ni:u i.i:iii\\\
Era admiraveis facanhas intituladas
Nova maneira de sabir n'um escala.
Primeira noite do mais cmico que ha era qua-
drupedes
A MILI I! VI \ V H
executando feitos de pelloticas, durante as quaes
ser experimentado
Quem pdc monar mua.
Primeira nout dos cavallinlios comediantes.
ZEPHYROE GRANDE TROVO
em urna multidao de
IIAU1LID MI I |l 1 S I ItIS
Primeira noute de urna pantomima seniimental
intitulada
O MACACO MALIGNO
na qual tomaro parte nos primeiros papis os Srs.
Lehmann e Tourniaire. ajudadospelacompanhia.
Primeira noute de
Miss Kate Ormond e Ira. Leltmann
em urna caracterstica
DANSA ESGOCEZA DOBRADA
Arte de montar a caralk
Acrobatos
Gymnasticos
EquilUn-ios,ele.,ein diversas variedades por
Miss Kale Ormond
La Petite Annetle
Joven Garlos Fish
Antonio Carlos do Carmo
And rer Lehman*
Os irmaos RolUnies
Os irmaos Tourniaires
Gmlherme Duverna
Etc., etc., etc.
excellente mobiTia "de Jacaranda. coRstanUrr
' de 12 cadeiras de guarnicuo, 2 de braco, 2 de
* bataneo, sof, mesa redonda c par de consolos,
tarops de superior pedra branca de marmore ;
outfa de oleo era bom estado, camas de ferro e
amaVello, par de consolos, sof, caricira, mesas,
cahimes e outros artigos que sero presentes.
Pelo agente Euzebio se far leilo dos objectos
cima naquelle dia hora.
~ \ LEILO
\ DE
Folhasde metal, moiloes, velas, cabos,
correntes, ferros, ancoras e muilos
ontros objectos salvados de um na-
vio inglez.
Qsarts-feira 16 do rorrcnlc.
O agente Pinto fi^r leilo por conta e risco de
quera pertencer dos objectos supra mencionados
existentes no armazem do Sr. a villa no Forte do
Matto, onde se eflecluar o leilo a,-, 10 horas do
dia cima dito. \
,---------------------------------------------------------
12?- Represenlacoes todos os sabbados, domingos,
tercas c qnintas-felras.
BT Todas as contas devem ser apresentadas
para pagamento todas as segundas-feiras da mauh
entre s 10 horas emeio dia.
W. T. B. Yan-Orim Juniar,
Secretario.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\uvega^So costelra ft vapor
Mcele e escalas
O vapor Mamanguajm eomman-
dante Moura. seguir para os
nortes cima indicados no dia 15
do eorrente as 5 horas da tarde. A
carga ser recebida at o dia 14
ao meio dia, eneommendas, passageiros r. dinheiro
a frete at o dia da sahida as 3 horas: escriptorio
no Forte do Martes n. 1.
LEILlO
DE
o casas terreas edificadas em chaos
proprios.
Sexta-feira 18 de selembro.
O agente Pinte legalmente aulorisado, far lei-
lo de 5 casas terreas, (em um ou mais tetes a
vontade dos compradores) novas e edificadas em
chaos proprtos na ra dos Prazeres freguezia da
Boa-Vista do lado do nascente com duas salas, 4
quartos, cosinha fra, quintal c cacimba, d'entrc as
quaes duas tem no quintal um quarto para prelos
e tanque.
Os pretendentes podero obtet do mesmo agente
as chaves e qualquer informaco a respeito das
raesmas casas, em seu escriptorio ra u"a Cadeia
n. 24, onde se effectuar o leilo s 11 horas do
da cima dito.
ESTABELECIDO NA CIDADE DO RECITE
Director0 bacharel em matbematicas
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O director do internato de S. Bernardo, accedendo aos pedidos de varios pae dos
respectivos collegacs, e de outras pessoas desta capital, removeu o seu estabelecimento
da Capunga para esta eidade.
Nao tendo evitado esforcos nem sacrificios para proporcionar aos seus alumnos
urna perfeita educaco physica^ moral, intelleetual e religiosa, oflerecendo-lhes urna ba-
bitaco com bastantes condc,oes de salubridade, habis professores que sao solcitos em
prenara-los convenientemente ao flm que se desuara, medico pratico que Ihes faca
comprehender os preceitos da hygiene e lhes cure das doencas, e finalmente um sacer-
dote Ilustrado e honesto que Ihes explique os principios da religio christa, espera que
assim constituido nao deixar o seu estabelecimento de merecer dos Srs. pies de fami-
lias o auxilio e confianca com que j alguns o tem honrado; e Ibes roga, bem como
todas as pessoas interessadas, que se dignem de visitar o mesmo seu cstabelecimente,
onde sempre encontraro franco ingresso.
O collcgio tem a sua sede no espacoso edifico n. 32 ra da Aurora, contiguo ao
do collegio dos orphaos.
Nos estatutos do collegio, que esto disposieo de quem os quizer ler, se acham
consignadas as condados de entrada e matricula as diversas aulas do estabeleci-
mento.
n
APPROVA^AO E AUTORISAR AO.
DA
AYISOS DIVERSOS.
LOTERA.
depois imiiMiU
fjuarta-frra 16 do eorrente se extrahir
a segunda parte da segunda lotera da Santa
Casa da Misericordia.
Os bilhetes e meios bilhetes acham-se
venda aa respectiva thesouraria, ra do
Crespo n. 48, a as casas commissionadas
ra da Itaperatriz n. 44, loja do Sr. Pimen-
tel, raa Direa n. 3, botica doSr. Chagas,
e ruada Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 5:000/ at 10 sero pa-
gos urna hora depois da extraccSo at as 4
horas da tarde, e os outros no dia seguinte,
depois da destribuicSo das listas.
JO taesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Precisa-se alugar um moleque de 12 a 15
annos: na Poesagem da Magdalena n. 1. refinacao.
ACADEMIA IllPRIiL U lQICliJA
JUNTA CENTRAL DE HYGIENE PUBLICA
m
ELECTRO-MAGNTICAS EPISPASTICAS
DE
RICARDO KIRK
Para serem applicaslae s partes affeetadas, sem resguarde
orm liaeommodo
Desappareceu hontem, t do eorrente, pelas
9 horas da mantea, um moleqne de 11 annes de
idade, de nome Joaquim. nariz chato, cabellos ca-
rapinbos e ralos ; levou camisa de nlgodaozinho, e
calcas de meia casimira de cor chumbada, bstan-
le sujas ; costnma, qnando se lee pergunta qual-
qner eonsa, responder : nilir nao, on nihor sira.
' da villa de Ingazeira de Pajed. perteeente
Marcolino Antonio Xavier, e desappareceu da ra
do Litramento n. 8 : aonde iiocm qner que o ap-
prehender o poder levar, qne sor gralificado.
- OSr. padre Francisco Virissimo Bandeia.
visto ter ehegado de sua nova morada de Bonito,
digne-se dar cumprimento ao que prometteu em
sua carta, ra do Mondego olaria n. 13."
as innmeras curas completamente obtidas as di-
versas molestias emque foram applicadas, o fazem
merecer e conservar a confianca do illusado pu-
blico, qne j Uve a honra de merecer delle 23 an-
nos de existencia e de pratica.
X. B. Nesta corte e de todos os pontos desta
imperio recebem-se participacocs satisfactorias e
respeito das ditas chapas medicinaes.
As eneommendas das provincias detesn ser di-
rigidas por escripto, com todo o cuidado de "fezer
as necessarias ex|iiieaooes, se as chapas sio para
hornera, senhora, menino ou enanca, declarando a
molestia e em que parte do corpo existe.
Para inchacOes, feridas, lobinhas, papos, etc.; o
molde juste de seu tamanho em um pedaco de pa-
pel, a decIai-a{5o onde existe, afiin de que a chapa
seja da forma da parte affectada, e para.que possa
ser bem applicada em seu lugar.
Muito conbecidas nesta corte e em todas as pro-
vincias deste imperio, pelos seus iufalliveis resul-
tados em todos os casos de inflammaco, sejam ex-
ternas ou internas (com cansaco e falta de respi-
racao) como do estomago, ligado, bago, bofes, rins,
tero, peito, palpitaca de curasao, gargantas,
olhos, erysipellas, rheumatismos, paralysia, e todas
as affec^oes nervosas, etc., etc.
Igualmente para quaesquer inchacoes, feridas,
tumores intstinacs e venreos, serophulas, lobi-
nhos, papos, etc., etc., sejam qual tor o seu tama-
nho e profundeza, por meio da supuracao serao ra-
dicalmente extirpados.
(Estas chapas naopodem fazer mal de forma al-
guma, ellas tem sido applicadas aos olhos com o
melhor successo, vejam-se os attestados de curas
completas que j foram publicados pelos jornaes.)
O uso dellas aronselhado e receitado por habis e
dlstinctos facultativos, sua efficacia incontestavel, e
PODE-SE MANDAR TIR E QUALQUER PONTO D IM1
DO BRASIL
As chapas sero acompanhadas das suas com- Consulta as pessoas que se dgnarem bonra-Io
odtentes explicacoes, e tambem de todos os acces- com a sua connanea, todos os dias, sem excepcao,
derios necessarios para suas appliea5es. das 9 horas da manhaa as 2 da tarde.
ESCRIPTORIO
SL IfO RVA RO PARTO V I Itt
E EM PERNAMBUCO
Para as eneommendas ou infonnacSes dirijam-.se phanttacia de Jos AJxandre Ribeirsv
ra do ^einuH n. 15.
Jl




Diario de Fernambuco *e gnnda fclra 1J de SeUmhm 4te 1#*3.
LOTERA
CASA DA FOWliM
O abaixo assignad venden em-WIPwHw
Ihetes garantidos a sorte de 8005 c or aras
100,1, 405 e S05 da lotera q*e-ee acabou de
MITE2RIA.
tteoooreirt das loteras doilpHHII
H^S^Boo xtrahi-las m maior capita-
Wj; | ex. {gem de dous por cento quem comprar
trair a befcio do Gymnasio e convida aos pos- par negocio, na quantia de 1000 para cima;
suidores de diios biihetes a vwem rece ber seus assim come se propoe a estbelecer corres-
respectivos premios in^a'^,ecf "> t^J"? pondenciasnara qualquer tocalidadeda pro-
SdnoeGres^aneS23beleC' ^ **""* I vincia,- revendo bheles, leios e listas,
O mesmo lem exposto a venoa em suri dita casa' ob fianza idnea; devende o pagamento
e as outras do cosunneos novos e feii7.es biihetes deltes-ser feito logo que sejam recebidas as
da segunda parte _da segunda lotera a beneficio Utas e novos biihetes remettidos. O the-
OSA
1.04
LARGO i
BRILHANTE.
,*
SANTA CRUZ.
da Santa Casa da Misericordia que se < ixtrahira a
16 do corrente mez e as sortee que elle s obtiverem
serao pela mesnia forma pagas urna hora depots
Presos.
Biihetes inteiros..... 6*000
Meios biihetes....... 3*000
Para as pessoas ante comprarem
de-1005 para cima.
Biihetes........ 5*500
Meios......... 2*750
_______________MrnnoM Martins Fiuza.
Alugam-se scravos a tratar na saboarta
dos Afolados, ra de S. Miguel, ou na ra da Sen-
zal Velha. deposito de sahSo n. 136.__________
Aluga-se urna sala com dous quartos muito
frescos proprios para os enhores advogados on
cartorio, no primeiro andar do sobrado da ra do
Queimado n. 41: a tratar na loja.
C'ompnnliiti fidelit
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de Janeiro.
ACEJTBS BM FEPKAMBITO
Antonio Luz do Olhf ira Azevrdo 4 C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da conipanhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no eu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
Airida est para alugar-se o sobrado na ra
dosCoelhos n. 10, onde moraram os padres lasa-
ritas._____________
Aluga-se un dos juaiores armazens da ra
de Apollo n. 10 : a tratar na ra da Senzala Ve-
Iban. 96, padaria.________________________
TINTURARA.
Tinge-se com perfeico para qualquer
er, e o mais barato possivel: na ra do
Ranget n. 38, segundo andar._________
; Os administradores da massa fallida de Joa-
quim da Costa Maia, tendo entrado no exercicio de
sen eargo, convida m aos redores do mesmo fal-
lido para que dentro do praso de oito dias do pre-
sente annuncio lhe apresentom seus ttulos afim de
seren verificados c classilieados, no pateo da ma-
triz de "Santo Antonio n. 2, e no becco Largo nu-
mero;! A. Recife 9 do setembro de 1863.
.--:.--_^_____.
Aluga-se a casa terrea a. .9, no principio da
ra Imperial, com 2 quartos, 2 salas, cozinha fra,
quntale cacimba : a/tratar na ra do Queimado
n. 71.__________/ _________________
Por m$ mensaes.
Aluga-se o i. andar c sotao do sobrado da ra
da Cruz n. 40 : a tratar no armazem do mesmo
sobrado.________________________________
- Aluga-se urna casa terrea sita na ra Velha
n. 90 : quem a pretender, dirija-se ra Direita
n. ftl, primeiro andar.______________________
Aluga-se a casa terrea da ra do Jasmim n.
I, para pequea familia : a tratar na ra do Ran-
gel n. 3i. primeiro andar.___________________
Aluga-se urna casa terrea
nellas e/1 porta, na ra da Alegra :
luga-se urna casa terrea grande com 3 ja-
.Ji porta, na ra da Alegra : a tratar na
na dfl~mperad9r n. 67, segundo andar.________
ta a suasAula, paja a ra do Imperador u. 37, se-
gundo andar, sendo a entrada pelo n. 33. Recebe
alumnos de latim e francez, e assim tambem de
primeiras leltras, cujo ensino comecar Be dia 18
do corrente mez.________________________
Na ra do. Trapiche n. 11, precisa-se de urna
ama com leilc.
Linden, Wild & C. mudaram o seu armasen)
de fazendas da travessa do Corpo Santo para o lar-
go do mesmo n. 13. _______
< Itl tIDO.
Precisase de uin criado : tratar na ra do
Sol, coeheira n. 27.
Aula particular de iustrueco
primaria.
O abaixo acsoado mudou-se para rua da Con-
cejero sobrado de un andar n. 6.
Francisco Deotato Lins.
novos
sonreir certo da convenienoia desse negocio, \
convida aos Srs. eommerciaptes da Victoria,!
Goianna, Rio Formob, Nazareth, Serinhaem
emais localidades populosas da provincia, e
mesmo os desta capital, que o quizerem, a
entenderem-se com elle, na thesouraria das
tatemas, ra do Crespo n. i 5: advertindo
que receber em pagamente e sem descont,
os biihetes premiados de todas as loteras
da provincia recomidos thesouraria da fa- (
zenda provincial.
Thesouraria das loteras, 20 de junho de
03.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.'
wmm mam imbPNI
O bacharel Heraclio Ves|iaiano Fiock "mm
Romano advoga nos auditorios desta ci-
dade e pode ser procurado para os mis-
teres de sua profissao, das 11 horas da
manhaa s 3 da larde, no escriptorio do
Sr. Dr. Moraes e Silva, na ra do Crespo
n. 13, entrada pela ra do Imperador, e
fra dessas horas em casa de sua residen- t^*
cia na ra do Cabug n. 3, primeiro
andar. *+^
MMj&M. mmwm ^^^^^^
Precisase de um rapaz t'ortuguez que tenha
pratica de taberna : na ruadoSocego n. 36.
Aluga-se o segundo andar da ra do Crespo
n. 13, por cima da thesouraria das loteras, decen-
te para morada de pequea familia, ou para qual-
quer advogado : a tratar com o thesoureiro das
loteras.
tramsTA DE PARS
19Roa Nova-19
Frederico Gautier, cirurgio dentista,
faz todas as operaooes de sua arte, e col-
loca denles artilicies, tudo com superio-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
Aluga-se urna casa em Fra de Portas, ra
do Pilar : -quera a pretender, dirija-se Fra de
Portas a fallar com Manoel da Silva Neves.
0 dono do grande etabelecimento dsaominado AUROM RR1LHANTE, ao
latgo da Santa Cruz n.84, avisa o rspeitavel publico, e com especialidadeaos
seus freguezes e amigos, que recebeu usa completo sortimento dos melhores e
mais novos gneros qne vem ao mercado, e que vender .sempre por puecos
anuito rasoaveis.
Queijos novos vindosiaeste vapor ICenebra em frascos .verdadeiras
(cobertos), o melhor que ha, a 205001 de Hollanda, a 40 e i 0000
2^200
640
480
800
640
640
Ditos no vapor passado, a 20 e
Ditos de manteiga do Serid in-
teiros libra 600 rs.,e a retamo
Ditos de qualha, inteiros libra
440 rs., ea retamo a .
Manteiga ingleza flor, libra. .
Dita mais abaixo, (ha grande
quantidade de bams para es-
colher, a 720 e .
Ditahamburgueza, banris peque-
nos, e muito nova, libra. .
Dita fianceza em barris, libra
520, 540 e.......560
Cha uxin muito fino, libra. 20880
Dito dito muito fino, fibra. 2#720
Dito nao miudinho, igual em
qiiajjdade ao perola, libra. .
Dte nao grado muilo superior
libra.........
Dito nao grado muito superior
l'bra.........20720
Dito n5o grado muito superior
libra 20600 e...... 204OO
Dito preto o melhor possivel, libra 20000
Dito do Rio em latas de uma e
mais libras, a 10600, 10800 e 20000,
Bolaxinhas de sodas e outras em
latinhas, a 10400, 10300 e. 10600
Barricas com bolaxinhas inglesas
a 20, 20500 e. .'305001
Chocolate francez, hespanhol e
portuguez, a 10, 10120 e. 102001
30000
20800
Frascos com dita de laranja, a
640 o........960
Ditos com conservas inglezas e
francezas, a 720 e.....800
Ditas com mustarda, a. 480
Caixas com charutos finos, suspi-
ros, de Sima, em Tabocas,tra-
bucos, varetas, aurora e outras
muitas qualidades finas para
diversos precos, sendo de 500
rs. a caixa a.......40500
Cartas finas para voltarete, o
baralho 400 e a duzia 30400 e 30600
Tapioca nova, libra 140 e 160
Gomma muito al va, arroba 10800
20 e 20500, e a libra 60,80 e 100
Saceos grandes comfarinha igual
a da trra.......50800
SEGUROS DE VIDA EM MUTUALIDADE.
A dreccao do BANCO UNIO tendo obtido do governo de S. M. F. a autorisacao nasa puahd*
cer o seguro de vidas em mutualidades, faz publico que desde j toma subscripces aua* nnr^mT
s vez, debaixo das seguintes condeses.: ^^ ^ ^^
Com perda de capital e lucros;
* Dito capital smente-,
Dito lucros smente;
devendo a prinacira liquidacao ter lugar no Io de Janeiro de 1859.
As vantagens do emprego de capitacs em mutualidade, sao obvias, porque nao smente se co-
in o juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar nenhum resultado; mas alm
disso, este rendimento augmentado pelo capital ou lucros, ou ambas as cousas, conforme as eondie da subsenpeao, dos que faliecem. Tambem partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os so
cios morosos nos seus pagamentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades nu
occorrerem pela falta de cumprimento do compromisso social. 4
As liquidacSes sao pelo systema das companhias bespanholas, Tutelar e outras; e para se DOdpr
fazer uma idea do que pode produzir uraa entrada annual de 10, publica-se a segrate tabella batea-
da sobre a experiencia de muitos anuos de companhias desta natureza :
En o airaos Em 10 anuos Em lo anuos Em 20 airaos Em 25 aonos
Joao da Silva Ramos, me
versidade de Coimbra, d consultas
sua casa, na ra Nova n. 30, das 8 s 10
horas da manhaa, e das 4 s 6 da tarde, e
recebe egualmente convites para dentro
ou fra da cidade, com o lim de se encar-
regar de qualquer servico de sua profls-
so.
Os chamados deverao vir por escripto.
m-mi.
Aluga-se parte de um segundo andar em uma
das melhores ras do bairro 4a Roa-Vista, muito
proprio para os Sis. estudantes por ser perto da
faculdade, aluga-se igualmente uma coeheira no
mesmo predio com commodos para mais de dous
-carros : os pretendentes dirijam-se ra da Au-
jora sobrado n. 12.
Precisa-se alugar ma preta que seja perita
engommadeii a e cosinbeira : na ra Nova n. 39,
primeiro andar.
- Aluga-se o segundo andar do pateo do
raizo o. 29 : tratar na ra da Roda c. 17.
Aiugam-se dtias casas na ra Imperial sendo
uma para morada de familia, est pintada de no-
vo e ontra para botar qualquer negocio, um ca-
cimba, -jgrande quintal e lianho salgado: a fratar
no largo doParaizo n. 14.
- Aluga-se a loja da rua da jiperatriz n. lo :
i trataron mesnia ma n. 10.
JPrpcisa&c alugar um priuei-
ro a ii i '-i de um sobrado as seguin-
tosntas: Jmpcratriz, iuror, Aova,
Crespo e ^aperador para r csuloucia de
um estian^iroque se veioeatabelecer
nesla cidaik; quem tiver annuncie ou
dirija-se rita da Inperalr. n. il!, a
fallar com Leopold* rerren attios
sRiheiro. _________________^__^__
Anda est por se alugar o
segundo andar do secado o.
il em a na da Aurora : quem a
qui/er, dirija-se i essa soesmo
rua, casa^ n. 10.
Laboratorio homeopathleo, rua
Aova n. 43.
O Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho tem en-
carregado da sub-gerencia do seu estabelecimento
ao Sr. Jos Alves Tenorio, professor em homeopa-
thia, e competentemente habilitado para substitui-
lo em qualquer ausencia.___________________
Os administradores da massa fallida de Fran-
cisco Moreira Dias convidara aos credores da mes-
ma firma a apresentarcm seus ttulos, afim de se
proceder a devida verificado; na rua da Cruz nu-
mero 54.
PERMITE !
urna pulceira compasta de con (as do,
cornalina encima 'a c conlas d armando urnas c outras: qnem liver
adiado e quizer entrega-la dirija-se
loja de ourives na rua d Cabug n 3,
casa doSr. M*noel Antonio Goncalves,
que ser recompens do.
Alugam-se tres mei-aguas na rua da Atrai-
co ns. 1, 3 e 6 : a tratar na rua do Rangel, taber-
na n.;7.
C. L. P. Roeck va i ao Rio de Janeiro. i
Aluga-se um sitio com casa terrea na cidade
de Olinda, na rua de Raixo, com frente para a rua
do Cabral, e fundo para a estrada do norte, o qual
alem da-casa de morada, tem estribara, casa para
pretos, capim para 2 cavallos, c arvores de fructo,
muito fresco, sem casa na frente : na livraria ns.
6 e 8 da praea da Independencia.
ALVIQ.A RAS A NOVIDADE.
SSo chegados loja das columnas
na rua do Crespo n. 13 de Antonio
Correa de Vasconsellos & C. riquis-
simos cortes de la muito fina com
barras estampadas e matisadas Im-
peratriz Eugenia, cores as mais deli-
cadas como sejam: cor de ganga, de
lyrio, cinza etc., fazenda fnteiramen-
te nova e nunca vista em Pernam-
buco.
Caf do Cear muito novo, arro-
ba 90500 e do Rio 80500 e
Espermacete, libra a 640, 720 e
Vellas do Aracati em caixa, arro-
ba 100 e a libra.....400
Ditas*de composico, 90500 e
ip0 a arroba, 320 e, .
Carne verdadeira do Serid, a
280 e........
Linguicas do sertao, a melhor
que ha neste genero, a. .
Ditas do Reino e presunto de La-
mego, libra......
Presuntos inglezes para fiambre
libra.........
Macarro, talharim ealetria, libra
Sevadinha e sag muito novo,
libra .,....,.
Estrelinhas, rodinhas e pivide
para sopa, libra......
Caixa com 8 libras de dita nova
Ervilhas novas, libra. .
Latas com peixes vindos dos me-
lhores conservaros de Lisboa
muito preparados, a lata. .
Ditas com outros, americanos, a
Ditas com marmelada superior,
libra 640 e. 720
Ditas com milho muito bom,
Ditas com arroz de casca, a. .
Ditas com farello (saccas grandes)
Alpista, arroba 40800, e a libra
Sabo massa, libra 120, 160,
200 e......, .
Macaas novas para varios precos.
Ancoretas com azeitonas novas,
a 10200 e garrafas. .
1 Caixas com 2 arrobas de batatas,
a 20500 e a libra.....
Vinhos da Figueira muito supe-
or, caada 40500 e a garrafa
Ditos da Figueira mais abaixo,
caada 40 e. .... .
54000
40000
40500
160
240
280
60
560
90000
800 i
360
400
I
1
500
750
480
320
40500
500
480
10000
-500
180
20400
Ditas com fructas em calda. .
Ditas com massa de tomate, 6 40 e
Ditas com ameixas francezas, te
Ditas com figos de comadre .
Diias coiir"sardinFTs- de Santos,*
a 320 e.......
Caixas com doce de goiaba mui-
to fino, a 560 e .
Vinhos em garrafas, champanhe
cognac, Rordeaux, licores finos
para diversos precos.
Dito de Lisboa, a 400, 480 e .
Dito branco de Lisboa, Carme-
los e outros, a 640, 560 e. .
Dito do Porto muito fino, caada
60 e 50500, e a garrafa 720,
800e........
Garrafas com capils para refresco
Massos com 20 massinhos de pa-
litos para denles, a. .
Grozas de caixinhas de palitos
do gaz, a. '. .
Servejas de boas marcas para
diversos precos.
Ralaios do Porto muito bonitos
de diversos tamaitos.
Azeite doce de Lisboa^, a garrafa
Vinagre muito forte, caada
10600 ea garrafa240 e .
4g0 Pimenta do reino, cominho, er-
qaaoa v'a-doce e folha de louro a libra
**J Tijolos de limpar facas. .
240 Cordas para pastar, a 200,320 e
Ditas para andames, cento 30,
30500 e....., .
Duzias de copos lapidados para
agua e' vinho, a 60500 e .
Espirito de vinho de 38 graos,
garrafa.......280
720 Passas de carnada, novas a .
1028O-J>ape! -atavaco," de pezo e greve,
40' de boa qualidade,
Caixas com o verdadeiro vinho
chamisso, (I duzia). 140000
Toucinho de Lisboa, libra 320
arroba........90000
Frasqueiras com a verdadeira
genebra de Hollanda, a 60000
... 160
Por um menino de 1 dia a 1 anno 1105 4005
de 1 anno a 2 > QQ| .3005
de 2 a 3 * 865 2905
de 3 a 4 . 86 2805
de 4 > a 15 > 8f.fi 2705
Por lina pessoa de 15 . 20 1 865 2705
de 20 a 30 > 865 2705
de 30 > a 40 865 2705
de 40 . a 30 . 905 3005
9005
7505
7205
7105
7005
7005
7105
7205
7505
2:8005
1:7005
1:6005
1:5605
1:5505
1:5405
1.5605
1:6000-
1:8005
4:7005
3:7005
3:5005
3:4005
3:3505
3:3305
3:4005
3:7005
5:0005

As entradas por uma s vez dao resultados muito superiores s annuaes.
Porto, 10 de agosto de 1863.Os directores do Banco Uniao, Jos da Silva Machado.F. M van
der Niepoort.
Agentes em Pernambuco : Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, rua da Cruz n, 1.
I O Sr. Luiz Correa de Gusrao, que morou na
; cidade de Olinda, queira dirigir-se livraria n; 6
e8 da praca da Independencia.
Jos Joaquim Gomes de Abreu vai ao Rio de
Janeiro.
10000
800
640
280
480
160
400
40000
30500
2
500
64*0'
Sevada nova, libra.....
E muitos outros gneros que se tornara enfadonho mencina-los, e que se
promette vender barato.
Aliiga-se o armazem. do sobrado da rua de
Apollo b. 47 : quem pretender, entenda-se eoni
Jos Anttyjes Guimaraes ; as haves para ver, es-
tao no pritteiro andar do mesjao.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rua
ios.) Antones Guimaraes, na pra^a do commercio,
oji a rua do Rang.l n. 53; as chavas para ver es-
Uj no armazem do mesmo sobrado.
Aluga-se o segundo andar e soto /lo sobrado
da ruado Amorim n. 28: quem pretender, enten-
dase;eom Jos.1 Antoues Guimaraes, na praca do
commercio, ou na rua.do Rangel n. 53; as chaves
para ver, estao no primeiro andar do mesao so-
brado.
Aviso ao rspeitavel pnblico.
Antonio Mximo de Barros Leite, professor jubi-
lado de instruccao primaria, continua na sua pro-
fissao de ensino em sua casa de residencia na rua
do Queimado n. 32, 2." e 3.' andares, e promette
empregar todos os esforcos e recursos de sua ton-
ga praea de 38 annos Je magisterio, afim de con-
seguir no mais curto espaco de tempo o bom adian-
amento de seus alumnos. Pelo que o aonpaeian-
4e convida a todos os pas de familias quer desta
cidade, quer de oulra qualquer parte para lhe .con-
fiare m seus pupilos; asseverando aos pas dos
inesnios que aceita pensionistas por preco muito
conwodo em retaco ao estado do paiz, e era quan-
to ao seu estabelecimento elle o mais arejado
possivel : adverte mais que em dito seu estabelcci-
ojento se ensinam lodos os prepratenos, e o ensi-
no primario pela leura repentina de Castilho, o
que as criancinhas abracara com muita alacridade.
Esperase a concurrencia do rspeitavel
publico.
^* Xa loja da rua do Crespo o. 19, de los orne villar.
TROCA-SE FAZENDAS POR DINHEIRO.
A ellas antes que se acabe ni.
Pecas de madapolao de 12 jardas a 45, 45500 e 55, ditas de algodaozinho de 10
jardas a 45 e 45500, ditas de bretanha de rolo a 35, bramante de linbo de 10 palmos de
largura a 25 a vara, cambraia lisa lina de 10 jardas a 45 a peca, chita franceza fina es-
cura a 320 rs. o covado, lias de cores muito delicadas a 320 e 360 rs. o covado, vestidos
de blond com capel la e manta proprios para noivas, Ihanfeletes, capas pretas de muito
gosto a Luiz XIV, solferinos pretos bordados, chapelinas de muito gosto, veos para cha-
peos pretos e brancos, vestidos brancos bordados, cassas do cores lindissimas a 240 e
280 rs. o covado, organdys de muito gosto a 400 rs. o covado, chapeos de sol de panno
para meninos a 15600 cada um. *
Msicas importantissimas para piano e canto de todas as torcas e se vendein por
bratissimo preco para acabar.
Admira veis laas escossezasde muilo apurado gosto proprias para vestidos do verlo
Cazenda ptima de 3 e 4 palmos de largura a 400 e 000 rs. o covado.
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
Cartees de visita
Cartdes de visita
Candes de visita
Cartees de visita
CartScs de visita
Cartoes de visita
Candes de visita
Candes de visita
Candes de visita
Candes de visita
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Rua do Imperador
Rua do Imperador
Rua do Imperador
____________Rua do Imperador____________
NOVA HOSPEDARA
A TR1VIATA
Rua larga do Rosario esquina para a do Queimado
numero 37.
O proprietario do conhecido hotel Trovador, ac-
cedendo ao pedido de alguns seus amigos e fre-
guezes, que, por suas posi^Ses e scriedade nao
ueriam tomar parte na geral concurrencia de seu
hotSl, GsTWVeiriproveilar o excellente sobrado em
que funecionou a sciedade Corybantina e nelle
estabelecer uma hospedara, com aceiado servido,
buhares para distraccao o lunch presos razoa-
veis. A condigao da escolha de freguezes para
dita hospedara, a variedade de artigos de comida
e bebida sempre nelle encontrados, a reserva em
que estarlo os concurrentes da freguezia de ou-
tros de condicao, por ventura inferior,e a frescura
que em dita hospedara sempre se experimenta,
sao seguras garantas que animara e fazcm espe-
rar as honrosas visitas da classe mais aceiada da
nossa sciedade jovem e alegre. Sob estes aus-
picios o proprietario da hospedara Traviata es-
pera a coadiuvacio de seus amigos generosos para
darera sahida, mediante prego mdico, charu-
tos de Ha vana, licores inglezes e francezes, cene-
ja branca e preta, queijos de prato, londrino e suis"-
so, doces estrangeiros e nacionaes. e, em uma pa-
lavra a todos os gneros de que est sonido, pro-
prios a um lunch variado, apetitoso e barato.
Na rua do Queimado n. 1 deseja-so fallar
com os senhores Gabriel Germano de Aguiar Mon-
tarroyos, Fernando Francisco de Aguiar Montar-
royos e Joaquim Francisco de Aguiar Montarroyos.
Na rua da Sanzalla Nova n. 39, taberna da
esquina, precisa-se de uma ama secca: para tratar
na mesma taberna.
Aluga-se a casa da rua de S. Miguel dos
Afogados n. 28 : a tratar na rua Imperial n. 98.
Fugio de bordo do palhabote Arroto Malo,
um escravo por nome Amaro, com os seguintes
signaes : bano e grosso, representa ter menos
idade da que tem (15 annos), cor cabra, cabellos
carapraliados, nariz chato; pede-se a qualquer
pessoa que o agarrar levar rua do Trapiche n.
4 que se gratificar generosamente.
Arada se precisa de uma ama para casa de
um hornera solleiro, que cozinlie, lave e engomme:
a tratar na roa do Vigario n. 17, primeiro andar.
Criado.
Quem precisar de um criado que emenda de co-
peiro, bofeciro e cozinheiro, dirija-se rua da Im-
peratnz, loja n. 28. _______
Precisase de uma ama forra ou captiva que
saiba engommar e cozinhar: a tratar na rua Nova
n. 17, segundo andar.
lt A \ i O I \ 110
ESTARELECIDO NA CIDADE DO PORTO
Agentes em Pernambnco
Antonio 1.11 iz de Oliveira
Azevedo & c.
Sacam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agencias em Fi-
gueira, Coimbra, Aveiro, Vizeu, Villa-
Real, Regoa, Vianna de Castello, Guima-
raes, Rarcellos, Lamego, Covilhaa, Braga,
Penaliel, Braganca, Amarante, Angra,
llha da Tcrceira, Ilha de Faias, Ilha da
Madeira, Villa do Conde, Valenca, Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves e Fafe, a
oito dias vista ou ao prazo que se conven-
cionar.no seu escriptorio rua da Cruz
n. 1.
Aluga-se a casa terrea da rua Imperial n.'
66: os pretendentes dirijam-se Caixa Filial.
Aluga-se o segundo andar do sobrado na rua
da Senzala Nova n. 42, com bastantes commodos
para familia : a tratar na mesma.
Ao n. 29.
Noca loja dos baratetros, ma do Queintado.
Laas de ultimo gosto, covado a 440 rs. -, organ-
dis de padrdes lindissimos, varas a 800 rs.; ba-
ldes de arcos o melhor possivel, a 35500, 45 e 5 ;
alpaca de linho para vestidos, covado a 240 rs.;
cambraias de cores para vestido, covado a 280 rs.;
cambraieta muilo lina, peca de 12 jardas a 75 ;
cassa lisa pclle de ovo, peca de 12 jardas a 75500.
A. n. 29.
Afora loja dos barataros, rua do Queimado.
Paletots de merino setim, fazenda de custo de
205 por 105 ; ditos de alpaca preto a 35200; brim
branco lona, vara a 640; brim de cores para cal-
ca, covado a 480 rs.; camisas com peitos de fustao,
a 15600; chapeos de sol de alpaca, a 35500.
Ao 11. 29.
Nova loja dos barataros, rua do Queimado.
Para aeabar.
Bicos preto de linho, vara a 120, 160, 240 e 320
rs.; ricas franjas e trancas pretas e de edres, vara
a 120,160 e 200 rs.; trancas e aloes de la e de
algodo, pegas de 10 e 15 varas, a 200 e 400 rs.;
froco fino e grosso, peca a 160 rs.; vestidinhos de
cambraia bordados, para baptismo, a 25.
Miguel Angelo Lacerto, Italiano, vai para a
Europa, levaido em sua companhia o seu primo
Josepho Ferraro.
A luga-se
o tem1 conhecido sitio na estirada noMonteiro, .0
qual foi oceupado algum terapo pelo Sr. cnsul
nespanhol,,iem xccllentcs commodos para grande
Na rua do Vigario a se dir quem d
2:0005 sobre bypotheca em um predio que esteja
desembaraeado.
Para alugar.
Aluga-se um sitio so Mondego n. 28 : quem
pretender dirija-se ao mesmo sitio que achara com
quem tratar.
lamina, tem seu jardira bem tratado, tem bom pdco
I.r,a!ua*?**;*eira, estrAaria, casa para
n n^'rr.T,ech*> Je muros, ten dous portdes,
SSiSa T:da es,,a,la> outr n todo que tem
cabida para a margem do rio para o bollo banho
TaTtt *5 ^ 'a%a ioKro
n. 21, a fallar com o proprietario Henrinua Jorge.
Terrenos^e marlnha.
Srs. Lq_ Ferreira Maciel Pinheiro Thomi? FPr
reir Maciel Pinheiro e Francisco J_i Mfn a ~~ m mo5 qug. Mcreve .bem, deseJa e"trar
Costa queiram vir assignar os termos de medica com ^m em alsm .escn>U}no ?mmercial
de seus terrenos, queja se aeham DromotoL m 'para pr3ticar : qaem Prec,saf- annunc'e Pra ser
de serem remettidos thesouraria da fazeida J2 Pirado' _
e Ibes passar os respectivos ttulos de aformen-
Excellent morada.
Aluga-se uma boa casado pedra e cal com quin-
tal todo murado, tendo 2 salas, 4 quartos, cosinba
fra, est/ibaria, casa para escravos, muito fresca
por olhar para o naseente, sita na Estrada Nova
defronte da .entrada para o engenho Cordeiro : os
pretendentes podem procurar na rua da Cadeia es-
criptorio n. il.
to$ qne requereram.
Nesta tynographia precisa-se fallar ao Sr
Tranquilino Magalhaes, encade/Dador.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva que
faca todo o servico interno e externo de nma casa
de pouca familia : quem quizer, dirija-se rua do
Brum n. 61, offleiM de ferreiro, que aw achara
com quem tratar.
NOY ESTABELECIMENTO DE MEDICINA HOMEOPATHICA
RIJA \0Vi \. 43*
0 Dr. Sabino 0. L. Pinho mudou o seu CONSULTORIO para a loja de marmor
rua Nova n. 43, onde continua a dar consultas todos os dias uteis desde b meio dia at
2 horas.
Os enfermos, que o procuraren! logo na invaso da molestia, sem que hajam to-
mado qualquer remedio, nem allopathico, nem homeopathico, pagarlo metade dos preco
estipulados. Esta concessao tem por fim facilitar a cura de molestias, que podem tornar-
se complicadas pelos emprego intempestivo da therapeutica- e ao mesmo tempo adquirir
para a bomeopathia maior numero de adeptos pela bateza da cura.
Em attencao as pessoas pobres, que nao podem, sahir de dia, o Dr. Sabino resol-
veu dar duss consultas por semanas as tercas e sextas-feiras das seis as sete horas da
noite.
Os chamados para visitos e conferencias devem ser dirigidos por escripto ao con-
sultorio desde 8 horas do dia at 8 da noite, na certeza de que serao attendidos na orden
de sua precedencia, salva a crcumstancia de eminente perigo.
IDVKRTKXCIA.
O novo consultorio est prvido dos melhores medicamentos, desde a primeirt
at a trigsima dynaminjsacao.
E como os mdicos hespanhes e allemSes n3o cessam do certificar a major efJS-
caea das ultissimas dynaminisacoes do tratamenlo das molestias chromcas, o Dr. Sabino se
oceupa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais altas (por ora at 200.a),
afim de verificar por si mesmo a ferca dynamica, que se lhe attribue.
Os mdicos, que quizerem experimentar taes dynaminisacoes poderao dirigir ao
consultorio suas receitas, que serao aviadas gratuitamente para os pobres.
No mesmo consultorio se vende a novissima dicao do Tkesouro homeopathico
ou Vademcum do homeopatha, obra indispensavel a dos que querem usar da homeo-
pathia.
Tudo o que diz respeito Bova medicina se acha abundantemente neste novo estabe-
aec ment.
O Dr. Gabriel Alcides Raposo da Cmara
convida lodos os seus amigos e de seu tio,
o Dr. Gabriel Soares Raposo da Cmara, pa-
ra assistirem uma missa, que tem de
mandar celebrar pelo repouso eterno de sua
prezada sogra, a Sra. D. Carlota Joaquina de
Albuquerque Cmara, na matriz da Roa-Vista
pelas 8 horas da manhaa do da 13 do cor-
rente.
RECORDACAO DAMIZADE.
O abaixo assignado vem pelo presente
agradecer a todos os amigos e aos briosos
msicos do 2 e 9* batalho d'infantaria, que
comparecern) a assistir missa que pelo des-
canco eterno de meu estimavel amigo Bibia-
no Pereira d'Aquino se eelebrou hoje, pelas
8 horas da manhaa, na igreja de Nossa Se-
nhora do Terco; e com especialidade ao dig-
no mestre da msica do 7 batalho de in-
fantaria, o Sr. Antonio Ignacio Jordo, e aos
briosos msicos do mesmo batalho ; nao s
por se prestareni ao convite, como por mos-
traren! que anda consagram amizade ao
fallecido companheiro c amigo : o que sym-
pathisa o coraco do ineonsolavel amigo.
Joaquim Duarte da Silva.
12 de setembro de 1863.

Bolaxinha de leite
O autor da dita bolaxinha, por ter o distribuidor
doente, nao a tem mandado a casa de seus fregue-
zes ; por isso pede aos fcicsmos queiram mandar
seus pedidos padaria d* rua da Senzalla-velha
n. 81. S-
41

Offercce-se uma ama co
da do mato: na ruado C
MaU
Bota-se ara a 15380,
e sendo s em mareis g
cambas a 15600, canoa.-
vende-se tijolo de alvena
ro, posto no porto, e carr
at a ponte provisoria a
a 35 at a ponte da Boa
jeito ao descarrego : t
rua Direita dos Afogadc
vende-se urna canoa prt
a 350 feixes de -capim.
Precisa-se fallai
beiro de Carvallio, qu
Paraizo, nesta typogra
lactante leite, chega-
reiro n. 28.
aes
y em todas as mareis
des, e para entrar em
j milheiro para cima, e
grossa a 185 o milbei-
-se tijolo dos Remedios
t milheiro, e do Giqui
la, (cando o dono su-
1 precisar, dirija-se
13. Na mesma casa
para carregar de 300
Sr. Jos Fetx Ri-
ora no pateo do
No principio da estrada de Joao de Barros
aluga-se um grande sitio com sobrado, e muitos
arvoredos de fructo, com jaqueiras, mangueiras,
cajueiros, coqueiros, saputizeiros, larangeiras, ca-
Eim, e muitas outras vantagens alem de agua para
eber; o sobrado est perfeitamente limpo e for-
radas as salas e quartos de papel, com banheiro
dentro de casa e canos que conduzem agua para o
banheiro, estribara e cozinha, tendo commodos
para carro, cavallos e criados, emQm uma perfeita
morada para quem quer tirar proveito, e tem tra-
tamento: a tratar com Guimaraes di Alcoforado.
na rua do Amorm n. 84, das 8 s 5 horas da
tarde._______________
John Donnelly quer vender suas ierras na
rua da Praia n. 61, tendo de frente 59 palmos e de
comprimento 380, em frente do caes do Ramos a
largura de 88 palmos, tambem se vender oiten-
ta mil tijolos de alvenaria, e com 38 portas muito
bem fetas de amarello, com portaev caixilbos,
etc., e 58 travs lavradas com 40 palmos cada
uma, tudo de qualidade, e alguma cal; tudo se
vender por baratissimo preco : quem pretender,
dirija-se ao telbeiro n. 61 na rua da Praia, ou em
Fra de Portas n. 70, das 9 horas da manhaa at as
3 da urde.
Portugal.
gente do banco
cidade, saca ef-
paquetes sobre
toe Lisboa, por
a prazo, po-
0 serem des-
rS^e 4
[ores que ^
Crespo n.
^0 s
on
Saques sobr
O abaixo assignad<
mercantil Portuense t
fectivamente por todos
o mesmo banco para o
qualquer somma, vis
dendo logo os saques a
contados no mesmo banc
por cento ao anno aos poi
sim lhe convier : as rua*
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
LlfOES
PARTIDAS DOBRADAS
E
ARITMTICA
TRES VEZES POR SEMANA
TERCAS, QUINTAS K'SAMADOS
DAS 7 S 9 HORAS DA .NOITE
Pre( 10,000 rs. nensaes pagos adiaiutos.
Manuel Fonseea de Medelro*,
contina a dar licoes das referidas materias no
primeiro andar de sobrado da rua Nova, que faz
esquina para a Caraboa do Carino, onde trabalha'o
J^ R Gadault. As pessoas a auem o presumo do
anntMciante puder aproveitar dicnem-se procura-lo
a tu smente nos dias e horas cima designadas.


telarlo de Peruaniilmco fteguuda eira 14 de Metewbro de 183.
Precisa-se alugar annualmeuto ou por esta
um sitio desde a Ponte de Geoda at o Poco da
Panella, com algumas accomroodagdes, 8 que seja
perto de rio corrente: a tratar con Antonio Jos
Rodrigues de Souza, na roa do Crespo n. i3.
0 advocado Joo oncalves
Silva Mal tarro} os temo sea
cseriploro na na estreita do
Hosario o. 17, onde pode ser
procurado das 9 horas da ma-
na a s 3 da tarde.
Atugam-se a loja do sobrado n. 193, e arma
aera 171 da ra Imperial ; o armazein n. 4 da ra
do Apollo, e a casa n. 27 da ra do Burgos: na
ra da Aurora n. 36.
Desencaminhou-se do poder do abaixo as-
signado urna letra aceita pelo Sr. Dr. tuiz Carlos
de Magalbiies Breves, do valor de 3445270 rs.,
vencida em 30 de junh do anno p. passado, sen-
do que j rae acho pago da dita tera de 2505 que
o mesmo Sr. Dr. deu-me por coaita. Fago o pre-
sente annuncio para -que conste ao publico aflm
de que ninguem faca negocio cera a dita letra que
pertence ao abaixo assignado 'como seu legitimo
proprietario. Assim quem achar a respectiva le-
tra queira entrega-la ao abarco assignado na ra
da Imperatriz n. 20, loja de fazendas. Recite 10
de setembro de 1863.
Duarte"Borges da Sirva.
F. Lcmbcke, subdito de Bromen, vai ao Rio
de Jaaelro.
GRANDE EXPOSIQAO
de fazendas baratissimas que se ven-
dem para liquidar; na loja do Pa-
vo, ra da Imperairiz, n. 60.
Neste estabelecimento acha-se um grande
e variado sortimento de fazendas, tanto de
luso, como de primeira necessidade, pro-
prias para 'a praca e para o matto, que se
vendern por pregos muito resumidos, de to-
das as fazendas do-se amostras, deixando
penhor, ou mandam-se levar em casa das
familias para escolherem, pelos caixeiros da
loja do Pavo.
l.as con e palmes de largara,
na loja do PavSo. ig OO
Vendem-se laazinhas transparentes de urna
so cor, de quadrinhos proprias para capas
Madapolo Infestado a 40OOO
S Pavi.
Vendem-se pecas de madapolo kifesta-
do com 12 jardas a 45000, ditas a 455O0,
ditas com 24 jardas a 75500 e 85000 : s
na loja ,do Pav5o, na ra da Imperatriz.
n. 60.
Ricos vestidos brancos.
Vendem-se os mais ricos vestidos de cam-
braia brancos, bordados a croch, sendo os
mais modernos que tem vindo ao mercado,
tendo as saias l pannos, e vendem-se pelos
baratos precos de 105, 125 e 16 : s na
SEU fUft-i VIH.
QUINQUILHARIAS.
Ruado Queimado, ns. 49 e 55, lojas de
Jos Bigodinho, queiram ver ver as fazendas
que abaixo annuncio, pois todas eu garanto
que sao muito novas e baratissimas.
Pecas de trancas de aigodSo de to-
das as cores a.......
Duzias de linhas com 200 jardas, A-
lexandre, a..... .
rite! de qualquer numero ,
ATIENDO
80
loja do Pavao, ra da Imperatriz, n. 60, de Varas de aspas para balao.
Gama & Silva, Caixas com superior obreias a
Orandepechlnchaemfoal6es,na ^asde/olla ;. .
loja do PaT5o. d* J de Punho a
melliores bales de arcos f flatos de tranca
Vendem-se os
americanos, que
sao
i os melhores por se os mu.to supenores, -
"viidos: tendo'9 palmos de largura, peioiuao quebraren.; pelo baratissimo precoUlxase pactes de papel .am.sad^ do
baratissimo preco de 15400 o covado; s de 35 e 35500; sendo de 30 arcos por 40.'n,-iL '. '
na ruaTtmperatriz n. 60, lojado Pavo. | e de 35 e 40 ditos, por W500 isto s na J me.as mu.lo Gnas para *-
- m^mm ^^^.lojadoPavSo, ruada Imperatrie, n. 60, de1 ""UId a..... .
O Pavao vende laas de A palmos Gma s|va *\ usiai de ditas cruas para homem a
de largara a 5O0 rs. | Baralhos muito finos para voltarete a
Venem-se lainlias infestadas, sendo das Lencos de seda a rs. so o Carriteisde linha com 100 jardas a
msis modernas, de urna s cor e de qua-
drinhos, proprias para vestidos e capas, pelo
Jos Joaquim Gomes de Abrcu, cstabelecido
nesta cidade com casa de comrnissoes e negocios
de costa propria, faz sciente ao corno do commer-
cio e a -seos comitentes que ad minio para seu so-
cio o seu^aixeiro Antonio Alves de Ganalho Ve-
ras, toja swiedade teve comeco em -'10 de julho
prximo passado, e que a Urina de sua casa com-
mercial fica sendo Abreu A Veras.
Precisa-se alugar urna escrava que seja lim-
pa e fiel, e que cozmhe alguma censa, agradando
paga-se bem : na nu da Cadeia, armazem n. 30, escuro, cfeTro e pretas,
ou ilhasio Retiro, na primeira casa.
Precisase alugar pretas ou pretos, boas ven-
dedeiras de bolos, e tambem paga-se vendagem
na roa do Aragaon. 24._______________
"Francisco Pautan, subdito hespanhol, retira-
se para Macei.
baratissimo preco"de 500 rs, o covado; di-
tas matisadas, fazenda muito fina a 500; di-
las garibaldinas a 440 rs.; ditas de qua-
dros a 360 e 280 rs-: s na loja do Pav&O,
pfta da Imperatriz, n. 60. de GuimarSes
Silva,
Lazinhas a OO rs. o covado.
S o Pavo.
Vendem-se las de cordaozinho proprias
para vestido, sendo muito ba fazenda, com
as cresseguintes: alvadia, cor de caf, rxo
proprias para luto;
ditas transparentes com palminhas, pelo ba-
rato preco de 280 rs.; ditas infestadas de
rs. s o
Pavo. Cartoes de linha branca e de" cores a
Vendem-se teneos de seda de cores, lisos Novellos de linha com 400 jardas a
e com listas em volta, g*rantndo-se osla- Ditos muito grandes com 800 jar-
rera era porreito estado, pelo barato preco
de 800 rs,: s na ra da Imperatriz, u. 60,
loja do Pavo.
I100
100
80
40
40
uo
U280
1 600
600
3&0O
2ft4O0
300
30
20
60
120
PtBA OS FREGUEZES DO MATT
DA PRQV.
Na Arara
46-RUA DIREITA~45
Eia, rapasiada, corageml parece queja
lentregastes os vossos joanetes aos duros sei-
ranilC Hquiifnio de fazendas sem re-t"xos do pessimo calcamento da nossa cidade I
lerva de prero, na rna da 'mpera-
triz, loja o a>mazem da Arara, n.
36, do Lourenco Pereira Mendes
6uimares.
Js Portelia, subdito hespanhol, retira-se pa-
ra'Macei.
COMPRAS.
Compram-se saceos vaskts que j frem ser-
vidos de farinha, milho e farello estando em bom
estado : na ra do Crespo n. II.
' \ quadros a 280 rs.: s na ra da Imperatriz,
n. 60, oja do Pavo.
Corles de la a 5 0OOO e 8#00 na loja do Pavo.
Vendem-se corles de 13a matizada, tendo
15 corados cada corte, pelo barato preco de
7$50O-e 6#000, senda claras e escuras; di-
tas infestadas tendo 4 2 covadosa3#>00; di-
tas de -cordaozinho a 2#500: na ra da Im-
peratriz, n. 00, loja do Pav5o.
Comprarse cobre e lata velho
na na da ia meitH)aHdar.____________________
Compra-se
cobre, -chumbo e latao velho : no oitao da secre-
taria da polica no .armazein da bola aruarclla" da
ra do imperador.
= Compram-se duas negras que sejam peritas
cosinheiras e cngoaimadeiras para urna encom-
menda: na ra do Apollo n. 36, segundo andar.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas : na praca da Independencia n. 22 lo-
jade btlhctes.__________________
GRANDE PEGHHA
VENDAS.
W
>a:
um traje c. mpleto i ara noiva.
composto de vestido de fil d*
seda (blond), capella, ramo do
peito, veo ebonequins por S,]$.
alm do vestido ha anda urna
porvdo de fazenda para fazer
se novo corpinho : na ra do
Queimado n 10., I ja de Fer
rao 4 Maia
Vndese a Historia do Brasil de Sutthey :
na ra estreita do Rjsario a. 19, segundo andar.
Veudc-se baralo.
Riscados eseocezes para vestido cores lisas a
00 rs. o covado, organdys de-gestos inteiramente
novoe a 560 rs. a vara ou a 340 rs. o covado, cha-
peos de sol de seda para senbora e meninas a
-'OO.: na ra do Queimado n. 42, loja. -
= A loja da aurora na ra larga do Rosario n
38, recebeu voltas pretas a Mara Pa e vende mui-
to emeonta, recebeu rap rolao fraueez e vende a
2800a liln e meia iibra a 1340; na raeema
loja tem grande sortimento de miudezas finas mui-
to enaconta vista dos compradores ge dir o pre-
co de indo.
"~Voias a Hara Pa.
A loja da aurora na ra larga do Rosario n. 38,
recebeu ricas voltas pretas a Mara Pa, assim co-
mo tambem reaebeu rap rolao francez tanto em
libras como e/rneia libras, o^ual se vende tanto
em licra coro/y* retalbo do mais fresco que tem
chegado. \
Vende-sc r
reir: a tratar
andar._______i
A pr:
Veade-se un
caixas, muito b
iratar a ra d
asa na ra da Roda n. 2, To-
teo do Carmo n. 7, segundo
ou a dinhelro.
xcellente barcaca de 28 a 30
construida, e apparelhada : a
\pollon. 4, prineiro andar.
iZENDAS
NA
e Custodio, Carvalho
Companhla.
DO QUEMADO87
i Catnbraa
ios l 240 rs. o covado.
'Madapoln
amiss a prego de 8J a peca.
Cobertu
randes a 23000.
Lencies
grandes a 3-
Para mesa
os para mesa a 13-500.
Gnardanapos
a duzia.
Toaluas
para mos pelolpreco de 400 rs. cada urna.
Fuslo hrani'o
roapa de meninos pelo barato preco
de 320 n. cad covado.
Entremetas
finos bardados pelo barato preco de 13-300 a peca.
^ ~~ k Babados
bordados di todas as larguras peca 23300.
V Golinhas
bordadas a 6), 800 e 13.
\ Camisinhas
de cambraia para\senhora a 23.
f Bales
de arcos para senhora a 33600.
Bailes de madapolo
para meninas a itOO._____________________
A' vend na Lhraria Universal
Xow loja
t
47RU
orgaudis para vi j
fino proprio par \
de panno de linlj
de panno de lin|
pannos adn
adamascados a i
rna do Imperador n. 54
0 Ontono collecco de poesas por An-
tonio Felicia t de astilho.
Os Amores de p. Ovidio Naso. Para-
phrase|por Antonio Feliciano de
Castilho; seguida pelagrinalda ovi-
daua por JosFelician de Castilho.
Ortbographia Portngneza pr Jos Fe-
liciano de Castilho. y*
Alainak de Castilho para 1861.
a soo rs. na loja do Pavo.
Cassas a 210 rs.organdy a 10 rs.
VemlBm-se muito bonitas cassas francezas
a 240 rs. o covado ; organdy raatisado, pa-
droes-muito bonitos a 240 rs. o covado;
ditos, fazenda finissima quesempre se ven-
deu a 14000 a vara, li'quida-se a 600 rs. a
dida,ou 360 rs. o covado, por ha ver grande
porco: na ra da Imperatriz, n. 00, loja
do Pavo, de Gama & Silva,
O Pavo vende/Chitas francezas
a so rs.
Vendem-se chitas francezas a 280 rs.;
ditas escuras cora muito bom panno a 320;
ditasa 366; ditas muito finas e muitoen-
corpadas a 400 e 500 rs. o covado ; s na
loja do Pavo, ra da Imperatriz, n. 60.
.HOva peehineha de cortes de
cambraia na loja do Pavo.
Vendem-se corles de cambraia brancos
com babados a 2S00; dit06a 3000; ditos
a 44000 ; ditos chinezasa 4400o ; pecas de
cambraia transparentes, adamascadas, pro-
prias para vestidos, tendo 8 varas e meia a
35000; ditas lisasbrancas e decores a 2#500,
34000, 3430, 440jO e 54000 ; pecas de
cambraia de carocinhos tendo 8 varas e meia
f cada urna, sendo brancas e de cores, a 3450O;
ditos a 2;'i00; pecas de cambraia para cor-
tinados, sendo tapadas e transparentes com
20 varas cada peca a 94000, isto ludo para
apurar dinheiro: na loja do Pavo, ra da
Imperatriz, n. 60, de Gama A Silva.
Popelina Ciaribaldl.
Vendem-se as mais modernas popelinas
de quadrinhos atados e grandes, sendo fa-
zenda i mi lacio de cassa, propria para ves-
tidos, tendo de todas as cores, a 320 rs o
covado ; na ra da Imperatriz, n. 60, loja do
Pavo.
O Pavo vende chales
A 24000, 24500, 34000, 54000, 64000.
74000, 8,000 e 104000.
Vendem-se chales de merino eslampados,
claros e escuros a 24, 24500 e 34000; ditos
muito finos de lodos os precos e qualidades,
tanto de ponta redonda como quadrados;
assim como finissimos chales de crepon com
cores inteiramente novas e ricamente bor-
dados a matiz, sendo chegados pelo ultimo
vapor a 104000; ditos de pello, bordados,
a 24 i s na loja do Pavo, ra da Impera-
triz, n. 6a
<&s casemlra* do Pavo infesta-
das a I#ttOO.
Vendem-se casemiras franczas enfesta-
das, proprias para'calcas, coletes, palitos,
e capa para senhoras, por ter de urna s
cor, sendo fazenda cue sempre se venden
a 34000. liquida-se gHfOOO o covado : s
na loja do Pavo, *A
O PavP. n vende
A104000 masjfolo Elefante.
Vendem-se pecas de finissimo madapolo
marca Elefante, sendo fazenda muito larga
com 24 jardas cada, peca, pelo baratissimo
preco de 104000; garantindo-se que val
muito maig dinheiro ; dito marca Aguia a
84'HK); dito marca Pavo a 74000: na ra
da Imperatriz, n. 60, loja de Gama A Silva
Grande peehineha em chapeos
de sol na loja do Pavo.
Vendem-se chapos de sol, a ingleza, sen-
do cobertos de Iraho e forrado de verde, pro-
prios para senhoras que forem passar a fes-
ta, ou para meninas levarem para a escola,
pelo barato preco de 1460 ; ditos marque-
zinhas, de seda com franjas e cabo de do-
brara34000; ditos de seda para bomens,
sendo com armaco de balea a 64 e 74, isto
para apurar dinheiro : s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz, n. 60.
PANNO PRETO A 24000 E A 24500 rs.
s o Pavo.
Vende-se panno fino preto muito encor-
pado a 24500 e 24000 ; dito cr do caf a
24000; cortes de caseraira prela infestada
a 44000 e 54000 : s na loja do Pavo, ra I
da Imperatriz, n. 60.
rande peehineha cm roiipa na
das a
Cartoes de linha tem 200 jardas (est
se acabando a...... 60
Vara de fita preta com -colxetes para
vestido, e tem um resto parda a tOO
nasa........... 400
Ditas ditas para unhas, muito finas a 400
Cartas de alfinetes de ferro a 80
Ditas ditos de lato muito finos a 40
Ditas de dito grandes..... 120
8EJI Sfitt U* rJ)On
Objeetos de tintura e msica.
Na ra do Queimado, ns. 49 e 55, est
quemando ludo pelos precos abaixo deca-
Vondon^ltSdo'SSrcto e HSWCStg' *""****'
curas a 64000, ditos todos Obrontedostt Jg J* flMM:o*Mn
ts de dita de 44 e 44500; coletes deca- *^uraas Para eoslura' muit0 lAn
semira preta e de cores, camisas de todas as
qualidades, e ceroulas: tudo istOTende-se
para liquidar na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz, n. 60, de Gama & Silva.
As hareges do Pavo.
Vende-se modernsimas bareges malisa-
dos para vestidos, pelos baratissimos pre-
cos de 480 e 500 rs. o covado : na ra da
Imperatriz, n. 60, loja de Gama ASilva.
Os Casos
os mais imamu
e
D'irzmi pertinaz tmiatao
ESCRFULAS,
OU ERUFC0E8 ESCROFULOSAS,
Ulceni' !c I oda a especio,
SYPHJLJ^ OU MAL VMBM,
Caixas de pbopboros de pao
Grosa de ditos do gaz a .
Duzia de dito dito a .
Massos de palitos para dentes a .
Livros para meninos todos cheios de
calungas ^ ...*... .
Abotoaduras para coletes a .
-Escovas para roupa.rauito finas a 400,
500 e.........
10
24200
200
160
920
160
800
Vende-se baratissimo para ver cortos de
cambraia com babados Dordados com pe-
queo toque de cupim a 14000, IJNiOU e
24000; pegas de cambraia com salpicos
brancos e de cores com 8 varas a 24500 ;
camisas de meias de la para servicp a 500
rs. ; ricas capas de. cor, de fantazia por
104000, fazenda de20/ : s na loja da
Arara, ra da Imperatriz, 56.
A .arara vende os enfeiles
a 19000.
Vende-se ricos enfeites para cabeca Je
senbora a 14000; meias cruas muito lar-
gas para senhoras 320 o par-; lencos de
S se observa em vossos ps botinas acalca-
nhadas e gastas at ultima sola; sapates
rasgados e quasi sem saltos.... nem tanto 1
a quebradeira nao deve chegar at este pon-
to Vinde* ra ireita muir-vos de exce-
lente calcado com 40 e at 60 por cento
monos do seu valor___attendei:
Borzeguins, Nntes, bezerro e va-
queta 2 e meia solas .... 84300
Borzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta e lustre 2 solas. ... 84000
Borzeguins, francez e hamburguez,
bezerro, lustre e couro 3e por-
co 74 e........64.
Sapates, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas..... 5450O,
Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas.....,
Sapates, Nantes, sola e vira, .
Ditos para menina, com '.ac. ,
retroz e vidrilhos para pescoco de senhora i Dtos *dc aitaS) de cores.
5 a 500 rs.; ditos de seda, finos a Sapatos para senhora
tapete.
1/000 ; ditos com franja a 14300 ; ditos de
seda de urna s cor pata homens e meninos
a 800 rs.: na ra da Imperatriz, loja da
Arara,'. 56, de MendesGuimares.
fiollinlias da Arara a 320 e a 1,000.
Vesde-se gollinhas com punhos e boUSo-
sinhos, muito ricas e bordadas a 14000; di-
las s com bolosinho a 320 ; chapeos de
sol de seda cora franja para senhora e
ninas a 2430o e 34000: na ra da Impe-
ratriz, loja da Arara, n. 56, de Alendes
Guimares.
c homem,
54000-
44000
34500
24800
Sapatos de borracha para senhora.
dem idem para meninas. .
i Sapatos de lustre para senhora. .
dem de lustre s avessas .
800
14400
1400O
14000
500
Arara vende os bales. a 3000.
Vende-se bales de 20, 25,^30,35 e 40
arcos pelo diminuto prego de 34000, 34500,
44"00 e 44500, s na Arara vende-se ba-
es de madapolo por 34500 ; ditos de
fbriihantinas finas com listas a 4/000 e 4.4500:
loja da ra da Imperatiz, da Arara, n. 56,
de Mendes Guimares,
Ricas cobertas de vellido a 8,000 rs.
Vende-se ricas cobertas para cama gran-
de, aveludadas, a 8 000 ; dilas de fuslo
para cama a 54000; ditas de damasco de,
ra,
O GALLO CANTA.
J sabido que quando chega o vapor da
me-1 Europa, o gallo cania annunciando aos seus
numerosos freguezes as galanteras de mais
gosio e da uliima moda que por elle re-
cebe, como sejam:
Caais i nhas para senhoras.
RequMmas camisinhas com manguitos o
gravaiinlias para ^senhoras : s no Vigilante,
ra de Crespo, n. 7.
Cu igofnhas.
Riqusimas cirigolinhas ou gravaiinhas,
sendo cousa de muio gosto, cea primeira
vez que apparece para a senhoras de hora
gosto: s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Pentes de concha.
Tam bem chegaram riqusimas guarni-
eses de penles de lindo goslo, lano para
por precos ra-
rua do Crespo,
Cave mi ras
da Escocia a 90OOO
o corte.
TOIORES,
IOIufli<;e,
BERTOEJAS,
OPHTfiALUA,
Hydropsk,
Ernpfgarjs.
HERPES,
Miar tros,
ERYSIPEL.1S
ESrORlITO,
Tin ha,
CHACAS ANTIGS,
Rfteumatismo Chr^aee
DEBILIDADE (ERAL,
NervoKilade, Nevialgias,
P1LT1 DE iPPETITE, FJflH,
SUPPRESSO DAS RE6EAS, ou
AMENORBHEA,
HBffil i US lURtt
Reeiieo das l rias,
EMACIAgO,
Ou iiawgrecimcntogem Jo corpo,prove-
niente do estado vicioso do sangue,
ffiFLMCOES CfiEONICAS,
Aireles Chronicas do Figado,
Asara como todas as mais simii.hantes mo-
lestias, PRIN-CIPAI.UENTK L'AKOO SAO
CAUSADAS, OU PRODUZIDAS PELO MCI
livke uso do Mercurio o
Qvnmto,
lisiiii como lambein pelo freqaente im AR-
SNICO e oulnu preparare lllurrarai
Todas estas Enfermidades prompta e efflcar-
meuta cedem benfica, poderosa e
parificantes qualidades da mni
justamente afamada
SALStPlRRMt DE WUL
venda as boticas de Caors & Barboza,
ra da Cruz, e J0S0 da C. BravrA C, ra
da Madre de Dos.
Vende-se urna excellente escrava (cabra)
com 20 annos de idade, cose chao, engomma e co-
sinha alguma cousa, boa.figura, sem achaques e
mol modesta : quern pretender dirjase ao sobra-
dinho que tpm no principio do primeiro becco da
ra de Santa Tbercza ao lado da igreja n. 8.______
- Vende-se um escravo mulato de figura ele-
A
SEM SWI \ l0.
PECHINCHA.
Perfumara de superior qualidade.
O rival sera segundo, ra do Queimado,
ns. 49 e 55, est disposto a vender mais ba-
rato que nunca vendeu, para o que queirara
ver::
I Duzia de sabonetes linos a 720
Sabonete inglez, o melhor, a 160
Frascos cora agua de Colonia muito
fina a......., 400
Ditos de dita grande a 500
Ditos de Lavande arabreado, o me-
lhor, a........500
tos de macaca oleo muito bom a 100
esperla muito superior a 200
tos de ofeo de babua a UO. d%0.
400 e.........500
Ditos de banha branca a 320,
Dito de cheiro muito bonitos a 500 J
Ditos de banha, pequeo, muito fina
.......... 200^
Ditos de opiata a 200 rs., e boa a 900
Ditos de banha japoneza a 800
Ditos de baoha transparente a 720
Ditos de oleo filoconne a 800
alar, como para mrcalas,
soaveis: s no Vigilante,
B.7.
Redes com lacinhos de fia.
Lindas redes pelas e de cores com 1:i
iodo lacinlio de lila para conservar o cabel-
e 1,-itoO'; assim como
para cabega a 3$000, W o
5$OO: s no Vigilante, ra do Crespo,
n. 7.
Uga8.
Itiquissimas ligas de seda de bonitas cores
a 1$-j0; assim como fita propria para o
ditos lim- mesmo effeito a 500 a vara :s no Vigilante.,
cambraia ra do Crespo, n. 7.
branca com palmas solas cora uma vara Lavas de Jovin.
de largura a 2000, pecas de cambraia Tambem chegou e chegau por !o]cs os"
branca a 2/500, 3$000 e 3$5co : ruada wpores grande auriimento de tovas de ovd,
Imperatriz, n. 56. aonde os freguezes podem escolher : s no'
Arava vende as laazinhas 320 rs. Vigilante, roa do Crespo, n. 7.
Vende-se laazinhas finas com quadrinhos I T ntremelos e babadmhos.
de cores a 320 rs. o covado ; ditas a 400 lamt,cm Chegaram grande sortimento de
ditas infestadas finas a 5< 0, ditas de duas enlr^me,os c babadmhos, que se vendem
larguras de uma s cor proprias para capas p?r ba';al!ss"no P'CC0 de 15300 a peclnba:
de senhora a 500 o covado : rna da Impe- Su no V|g|lan,e' rua do Crespo, n. 7.
ralriz, kyajJa Ararla, n. 56 de Mendes Gui- Ftvlae para cinto.
maraes. 1 JtL-3m hoBVmT1-rurTclo SWfflr.^ ,u-,
chilas largas. ;Sfel,aS e ": de melli c>"
lindos gostos a 4000 ; ditas a 2d000 :
da Imperatriz, loja da Arara, n. 56.
Arara vende chales a 300.
Vende-se chales brancos com pequeo to-
que de avaria a 500 rs.; ditos de larlalana a
500, ditos de merino tirapos a 350 0; ditos ITSSStoliSoS
seda a 25000 : na rua da Imperatriz, n. 56,
de Mendes Guimares.
J admira Arara romo vende baralo.
Vende-se ricos riscados com 14 covados
a 200 o covado ; cortes de chitas com pe-
queo toque de mofo a 2? 000 ;
pos a 2$000 e 25500; ditos de
v
Oh, que peeliinclia a 210 rs.,
d
pe-
?
RIVAL
SEM SEGUNDO.
OJ>jeetos Rua do Queimado, ns 49 e 55, vende os
objeetos abaixo declarados, pois para aca-
bar; estes precos nao sao para continuar,
mas as nesessidade6 assim o permitte.
Pares de luvas de algodo finas a 80
Venderse chitas franca coT^oSm S e ^Yn'&f K pre$D de
toque de mofo a 240 rs. o covado ; ditas mt a n,' v '0;6 a fi a p'?ra M wes'
limpas muito finas a 320, 360, 400 500 o ? "" Yl covado, na loja da rua da Imperatriz, 56.
Arara vende roupa fela para
homem.
Vende-se palitos de casimiras inglezas a
35500, 4$000e 5$000 ; caigas de dilas in-
glezas 25000 e 35000, coletes da mcsina
fazenda a 2$000, carnizas francezas finas a
15600, 2$000 e 2500, dilas inglezas com
abertura de linho e prega larga a 3.5000,
4|3sci3i nao coiupi-ai .
Ricas ebapeiinhas de seda omito bem enfoita-
uas e bellos gostos para senhora, pela terca parte
do seu valor : na rua do Queimado, loja "n. 41.
Ylnlio do Porto snperlor.
\ ende-se em caixas de urna duzia : no escripio-
node Antunio i.uiz Oiiveira Aievedo & C.
Cal de Lisboa e potassa da
Ilnssia.
de algodo finas a 80 320 e 500
Caivetes de aparar penas, de 1 fo- j meias cruas
Iba a ,........ 80 j rua da Imperatriz, loja e'armazem da km-
Ditos de 2 ditas a....., 160 ra, n. 56. de Mendes Guimares.
Caixas de colxetes francezes a. Madapolo da Arara a 4,000 rs,
Vende-se pegas de madapolo francez in-
festado a 45OO e 45500, dito inglez muito
fino a 65500,19, 85,9/ e 105, pegas de
algodaozinhoa 45500, 55000 e 55500 mui-
to encorpado, tambem se vende muito bara-
to brelanha de linho, brim de linho lino a
seroulas francezas de inh' a 15600 o i 4800 I .J^esc 5! "Kl daCa,ll'i:i ',0 ^^^ n. 26, prra
25'O0e 25500, ditos de palha muito no-
vo a 25500, grvalas de seda de cores a
360
40
Duzia de dito francez a .
Massos com grampos lisos e de cara-
col a .........
Duzia de dedaes de metal em caixi-
nha de vidro....... 320
Tinteiro de vidro com tinta superior
a..........160
Ditos de barro que serve para tin-
teiro a........100
Grosas de botes de louga prateado a 160
Pegas de (ranga lisa encarnada a 20
Varas de bicos e rendas, para aca-
bar a ......... 60
Varas de labyrinto de 3 dedos de
-..',.- oau novse
legtimos, e se vendem a preco mais barato do (uo
ouira qolqaer parle.
A*}! branC\"?* %l i~T W'C-SC "'" m"' ^-neia idade, bem ,0-
120, oh 1 que peehineha; na | bnsto, proprio para qualquer servieo, sabefcozBihar
o diario d urna casa, c tambem sabe botar canOa
na iravessa do Pocinho n. 26 sobrado.
Na estrada do Manguind antes do
chegar a porte, sitio n. 21, se dir quem
vende uma bonita negra de II anuos, que
cose perfeilamente costura cha, e tem ons
principios de engommado.
- Vende-se urna morada de casa terrea, nova
com comniodus suQicientes para familia c negocio
15280 a vara, guardanapos para mesa a 200 o^*^ i Rends ou
!Lf!! rua da ,mPe'alriz- Wda fS%C&tUSS^8S
ta, rrejruezia de Agua Preta, que de presente mor*
.....ns da Cruz, por prego commodo : a Ira-
largo do Paraizo n. 10.
violhados a preeo fabulosoep-
tima qiialldade.
Na travessa das Cruzes n. 6, taberna, vendem-se
S sCffllintes trenerns ninnoi fi-i,,.-,.,..o ..ii..._
os seguintes gneros: manteiga franceza a melhor
largura a........|00, aueh no mercado a 560 rs. a libra, dita ingleza
Caixas de fptha com phosphorosa
Dilas de pos para denlesa .
Pentes de tartaruga a 35000 e
40!
100
_ Vendem-se cortes decaxemira da Esco- *f!ir2%
ca, para calcas, pelo barato prego de 25,
tendo da mesma fazenda para vender em
covados a 580 rs., sendo esta fazenda mui-
to encorpada a imitago de caxemira, e ga-
rante-se que n5o desbola. Tambera se ven-
dem cortes de caxemira ingleza, d cores
escoras para caiga pelo barato prego de
1*800 cada corte, ou a 500 rs. o covado :
s na loja do Pavo, rua da Imperatriz,
d, 60.
na rua da Imperatriz n. 77.
Farinha de mandioca
em saceos grandes, e de superior qualida*
de ; no armazem de Tasso Irmos, rua do
Amorim, n. 35.
%L hllISHOi
Vende-se cal nova de Lisboa : no largo do Cor-
po Santo, escriptorio de Manoel Ignacio de Oiivei-
ra & Fho n. 19.

! ESSENCIAS DEPURATIVAS.
Ai ti -sjpbi tilica e a n ti-rh cuma lira
Approvada pela imperial
academia de medieina.
CDMPOSIClo E PREPAR.ICAO DO "
Or. Ernesto Frederico Pharmaceutico pela escola de medicina
do Rio de Janeiro.
Estas essencias cuja formula j foi ap-
provada pela academia imperial de medi-
cina do Rio de Janeiro, e pelas quaes sea
autor foi premiado na exposic,o nacional
de 1861 e com duas medalhas na expo-
sicao de Londres, sao sem conteslaco o
mais efllcaz de todos os medicamentos at
hoje conhecidos para o curativo de todas
as molestias s\philicas ou que dependam
de urna alteracao do sangue.
Distinguem-se estas essencias pelos ns.
1 e 2, cujas formulas variam considera-
velmente, a de n. 1 erapregada com o
mais feliz resultado as molestias vene-
reas ou que dependam de allcraclo do
sangue, como, cancros venreos, cbagas
syphiliticas, boubas, affecces herpeticas
e dartrozas, as blennorrhas, feucor-
rheas, vegetaedes syphiliticas, escrophu-
las, escorbuto, ery sipelas etc. A de n. 2
tem sido empregad 1 exclusivamente pa-
ra debellar os rheumatismos syphiliticos
e gotosos e as exbstoses ou tumores
osseos.
Acha-se a venda ste precioso medica-
mento na ruado Rangel n. 62, pharma-
cia de Medronho & Martins.
a 720 e 640 rs., agurdente de canna engarrafada
ha 3 annos a 240 rs. a garrafa, que parece de
n Fr.a?kd"a d? piSa a.?) rs- a garrafa, e caada
3550Q a ilO, espirito de vinho a 280 a garrafa, e ca-
1 uada a 15600, vinho o melhor que possivel da
Figueira a 480 a garrafa, e caada a 3300, dito
mais baixo a 400 rs. a garrafa, dito do Estrello a
320 a garrafa, vinagre branco proprio para con-
serva a 320 rs. a garrafa, azeite doce de Lisboa a
600 rs. a garrafa, dito de carrapato a 320 rs.
Jos Mait
tar na rna!
Ilarlissliiio.
1 escravo sem deleito, idade 4o annos, prorrio
para sitio, por 1505,3 ditos para todo o servieo, I
excellente escrava por 4505, i escrava de idade
JO annos, cozmheira, poroo5, 1 escravo bom rna-
nnheiro por 5305, 1 dito bom criado, 1 escravo
para engenho de idade 32 annos por 3oOJ; na
travessa do Carmo n. L
^
AOS SRS. CONSUMIDORES DE GAZ.
Nos armazens do Caes do Ramos n. 18 e
na rua do Trapiche Novo (no Recife) n. 8, se
1 vende gaz liquido americano primeira quali-
dade a retalho a 105 a lata de S gales, as-
sim como latas de 10 e de 5 garrafas e sendo
I em porco mais barato que em outra qual-
i, quer parte.
KUM*I
caixas com velas de cera de 2 a 16 em libra assiti
como em grumo viudo de Lisboa, superior hien-
da ; vende-se por prego cunimodo para fechar cen-
ias, e cm porgues de urna barrica ou urna rain
na rua da Cruz n. 23, escriptorio de Alraeida bo-
rnes.
Vende-se uma cadeirinha :
cantamento 11. 13.
na rua do En-
Hua da Senzalla 11 42.
Vende-se, era.casa de S. P.JohnstondC,
; sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglpzas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
(carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente infe.ez.
hiiriit<^
VenJcm-sc supt^riores charutos suspiros a 15200
cada meia caixa, ditos de diversas marcas, caixa
de 100 charutos a 15200, ditos de ditos, meias cai-
xas, a 600 rs. : no deposito da rua Nova n. 88.
Potassa da Kussia.
Vende-se em casa de N. 0. Bieber A C,
suc^essores, rua da Cruz n. 4.
\ ende-se uma bonita negnnha de lo annes,
cosmha o diario de uma casa c tem Drincipio de
costura : a-tralar na rua Nova n. 39, primeiro
andar.
Vende-se a taberna do boceo do Campello d.
4, livre e desembaragada, com poucos fundos c
bem afreguezada para a trra.
Botica.
Plalas inglezas de pobre-hornera.
PilulasdoDr. Alian.
Salsa parrilha de Bristol.
Hemedios do Dr. Cha ble.
Pilulas americanas. ^
Remedios do Dr. Kemp.
Rob 1'Alfecieur. l
Sortimento de papel para forro de salas o imar-
mgoes : vende-se na ltotica e drogara de B. F. de
^izac_C., rua larga do Rosario n. 34.
ATTEff CAO.
Vendem-se queijos do serta' de coaita e man-
teiga, muito novos a 480 e 560 rs. a Hbn, e ca-
xoes de doce de goiaba muito superior com 3 li-
bras a 640 rs. : na rua Direita n. 14.
Grito de blco.
Veude-sc grao do bico a 45 a arroba, e 160 n. a
libra : no armazem progresivo n. 0 oo 'argo do
Carmo.






i
Mario de reraaiubueu ftegtiatda felra I d %eiembro de f &S3.
GRANO I tOMPLHO SWTIMENTO DE MOLHADOS
Vnhos em nina Pnrin !?;; r !k^ ._^ ,. ... ,-t__ __u._ ,. .
JLSJ
O

w
o
i.
-O
%>
v.
"t
e
es
O-
8

3
O
O
3
3
O
e<8
O
43
i
o
5
H

O
-
43
. o
Ct
43
o
43
|
43

o
es
43
O
60

*3
43
^
43
6C
43
t
53'
6.
o
c
s
53
ce
l
54.
e<9

43
53
43
80
43
3
ca-
so
o
*>
o
o
80
80
O
53

3
%.
c
55.
O
"53
O
43
3
3
3
3
3
5-
4v
3
53-
5?-
O
3
o
43
3
55-
O
-3
80
O
1
43
\ lnhos empipa: Porto Figueira e Lisboa, a
Aoo, 44o, 5oo e 56o rs. a garrafa, e em
caada a 2,56o, 2,8oo, 3,ooo, 3,5oo e
4,ooo rs. do meJbor.
dem lagrimas do Douro, especial vinho do
Porto mandado vir de conta propria a
fo.oeo rs. a duzia e l,ooo rs. a garrafa.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado, das seguintes marcas: Duque do
Porto, Feitoria, Nctar, Velho Secco, Cha-
misso, Madejra superior a 9,ooo rs. a cai-
xa el,ooo agarrafa.
dem Bordeaux das melhores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Esteph e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
dem moscatel de Setubal verdadeiro a-2,000
rs. a garrafa e 22,ooo rs. a caixa.
Garrames com 5 garrafas de vinho do Por-
to do Alto douro a 2,2oo rs. com o gar-
rafao.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira
muito proprio para a nossa estacao, por
ser mais fresco a 2,4oo rs.
Vinhos velho chamisso em barril muito pro-
prio para sobremesa por ser muite claro
e macio a 6oo rs. a garrafa e 4,5oo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 5oo rs. a garrafa e 3,8oo
rs. a caada.
(iarrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa a I,2oo rs.
*.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e f,4oo rs. a caada.
Velas de spermacet a 6oo,
masso.
64o e 68o rs. o
o
O
p
1
43
"3
3
43
3
xManteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
54o rs. e em barril a 5oo rs.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8db rs. a libra e o
pote separado. \
Banha de porco a 54o rs. a fcbra, e embar-
' ril se far abatimento.
Qteijos do reino chegados pelonttimo vapor
de f,6oo, i,8oo, 2,oe e 2,5oo rs. cada
um
dem tondrinos os mais frescos que se po-
dem desejar a 8o rs. a libra.
Caf do Rio de Ia e 2a qualidade de 8,ooo a
8,5oo rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz caroliuo e do MaranhSo a 3,ooo rs. a
arroba e loo rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
em porcSo ter abatimento.
Caixinhas de ameixas francezas de 1 1/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,5oo, 2,ooo, e 3,ooo rs.
Fructas em caldas das seguintes qualidades:
ameixa, rainha Claudia, cerejas, pero,
ginja, pecego e alpech a 5oo rs. a lata.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 6oo rs. a libra, e em la-
tas de 1 V e 2 libras.
Ameixas francezas em frascos de i i/2 e 3
libras de l,4oo a 3,ooo rs.; tambem ha em
latas de l.ooo e 3,ooo cada urna,
Cha huxim miudinho mandado vir de en-
commenda especial a 2,8oo rs. a libra.
garante-se a boa qualidade.
dem hysson o mais superior a. 2,6oo rs. a
libra, afianca-se ser igual ao que regular-
mente se vende a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem preto muito fino a l,9oo rs. a libra.
dem mais baixo, e miudo proprio para ne-
gocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresa
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs., a frasco.
Chouricas e paios, os mais frescos que se
pode desejar, a 5oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a Ooo rs. a garrafa
e lo,5oo a caixa.
Ricas caixinhas com confeiles e-frutas seccas
muito proprias para mimos pelo baratissi-
mo preco de l,ooo rs. cada urna,
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8oo rs. o frasco.
Licores francezes das seguintes marcas.: A-
nizete de Bordeaux, Plaisir des dameS, e
outros a f.ooo rs. a garrafa e lo.ooo a
caixa.
Passas muito aovas a 6,ooo rs. a caixa e
36o rs a libra, ha caixas, meias e quartos.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs.
a libra.
Azeite francez clarificado a 8oo rs. a garrafa
e 9,ooo a duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. o pote.
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
rafinha.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, mnteiga
ou outro qualquer liquido de 1 ,ooo a 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oo rs
a grosa.
Milho alpista a 160 rs. a libra.
Milho painco a 140 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra a 2,300 rs. a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabao verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 300 rs. a libra,
e em caixa ter abatemento.
Sabo massa de 180, 200, 220 240, rs. a
fibra do melhor.
Graixas em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
curvin, salmo e outras qualidades prepa-
rados de escabexe, segundo a arte de cozi-
nhade 1,400 a2,ooors. a lata.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
440 rs. cada urna.
Papel greve pautado e liso a 3.500 rs. a res-
ma.
Daratfisslmas !>n miel jas. Novas cintas elsticas pura scnlioras
A aguia branca por militas vezes tem da- casadas.
do a conhecer que quandoacha alguma pe- A reconhecida uti I idade dessas necessarias cin-
cnincha, nao quer somente com ella encher las clsticas fez com que em breve se acabassem
o papo, ao contrario deseja que toda sua boa S8 gue vierauUla primeira vez, deixando assim
kz, o publico en, goralprtvem*. ^SS^t^^&^S
M, o que agora mosmo acontece com dou buscar mais algumas, que Scabam de chegar,
Azeite doce de Lisboa muito fino em barril a
640 rs. a garafa, e em porca ter abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas a
l.ooors. agarrafe e 4o,ooo rs. o gigo
com urna duzia.
Doce da casca da goiaba a 4oo, 5oo, 6oq,
7oo, 8oo, e l.ooo rs o caixo grande.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez, e
suisso,.das melhores quadades a 9oors.
a libra.
Velas de carnauba e composieSo a 32o, 36o,
e 4oo rs., a fibra, e de lo.ooo a 14 ,ooo rs.
a arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa a 4,ooo
rs. a ancoreta, e 4,5oo a de Lisboa, estas
ultimas raras vezes vem ao nosso mercado
pela sua boa qualidade.
Massas para sopa macarrao talharim aletria
muita nova a 48o rs. a libra.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Babia a 4,ooo, 3,5oo, 3,ooo e 2,5o rs. a
caixa.
Serveja das melhores marcas a 5,ooo rs. a
7,000 rs. a duzia.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda. Ceede, Captain, Travelhes
Lunch, Cobin, eoutras a l,2oo rs. a lata.
Bolachinha de soda especial encommenda a
1,8oo rs. a lata.
Iem Craknel em latas de 5, 7 e 45 libras a
4,000, 5.5oo, e 44,ooo rs. a lata.
Massa de tomate em latas de 6oo a 7oo rs.
cada urna.
Sardinha de Nantes a 36o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijollo de lirapar facas a 16o rs. cada um.
Ceblas a Ooo rs., o molho.
Farinha de Maranho muito alva e cheiroza
a lio re. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cominho, cravo, erva doce, enxofre, palitos
de dentes em caixinhas que tudo vende-
mos por baratissimo preco.
Ricas caixinhas com confeites e fructas sec-
cas muito proprios para mimos pelo bara-
tissimo preco de l,oo rs. cada urna.
ROUPA FEITA
proveitarem-se dessa opportuna occasio c
proverem-se d'um trasto sempre necessarin,
eque Ibes custar quasi motado do justo va-
lor. Assim. pois. dirigirera-se com dinhei-
ro alegro o espacosa loja d'aguia branca
ma do Queimadn n. 8.
.* afamados copos com banha. c
boies coiq Insfjij>;*i>cs. .
Chogaram novamtote para a aguia branca;
esses afamados e estimados copos com banha
fina; assim como os bonitos boiocs de por- i
eeflana dnirada tambem com banha, e novas
scripv&es maviosas e jocoserias, muiade-'
ipiado para prescritos resi a porem que os apro-
dadores concorrain, munidos de dinhoiro,
alegre e espacosa loja d'aguia branca ra do'
Quoimado n. 8.
Itl.ll
A aguia branca acaba de racaber esa acr.vlita-
*a gra\a econmica, cuja snperiaridade esi ge-
ralmcnie reeonhecida essa boa graxa se torna
mnraoMDdada, tanto porque o calcado lustrado
un ella deixa perfeitamente lustroso ao menos
Iras \n< s.'in Deeessidade de novo unto, como
wsmo porque sua preparaeao appropriadapara
aciar e fonsi-rvar ocouro : ella Vem em caixi-
i' is e barrhsinhos, e acha-so venda na ruado
Queimado n. 8, loja d'aguia branca, aos rezumiUos
preces de 400, 500 e lO r.s.
Kiahadlulios csi-eios e bordados
Vendem-sena ra do Queimadon.S.loja d'aguia
branca.
Capachas compe-idos c redondos
Wndem-se na ra do Queimado. loja- d'aeuia
branca n. 8.
toja d aguia branca, raa do Queimado n. 8. Se a
agina branca precisare de scmelhante obra de
ceno desta vez nao (icaria seni ella.
Encommendas d'aguia braoca recei-
das pelo ultimo vapor.
icos pentos de tartaruga com cbapa de madre-
]icroa.
Itonilos lc(|ues de madropcrola.
Delicadas caetas de dita.
Lindos cuapeozinbos de setiru para baptisados.
lticos de seda brancos e prctos.
Uonitascaixinbas com msicas c sem ellas para
costura.
Trancelins de laa para enfeitcs.
Fitas de seda estreitas para ditos.
Ditas de velludo com listras para barras de ves
tldoS.
Aspas de balea para vestidos.
Ditas de aeo para espartilhos.
Bandes de clina.
l'ulseira de contas para meninas.
Paos para abrir luvas e port-charutos.
K'SCncia rl---------------"
Pos nypienicos de /,ubin para dentes.
J^ite virginal para tirar sardas.
Dito d'ires para extinguir as caspas.
\ inane aromtico para vertigens. dores de ca-'
beca, etc.
Cosmolique surfine para cabellos.
Pomada para bigode.
lleuda de fil, lisa.
Delicadas tesourinhas d'aco para
bordados e labyrini hos.
. A pedido de algumas senboras suas predicletas
ti eguezas, a agina branca mandou vir dessas de-
licadas tesourinhas d'aco ponas agudas, proprias
para bordados e labyriuthos, e una vez chegadas
como de Cacto chegaram, a aguia branca convida
as de mais senboras suas boas freguezas para
:ipn>veitarem-se a occasio c bem empregarem
seus 2fi em cada urna dessas linissimas tesouri-!
] nlias, na certeza de que perder por chegar tarde:!
quem se demorar em as mandar comprar no ale-
gre c espacoso ninho d'aguia branca, ra do Quei-
mado n. 8, onde tambem ha outras curvas e direi-
ieraBerTir a toda a 'sua freguezia, notouquealnda taSpara unbas'
naohavia feto algum agrado a aquellos que pru-! Pentes de concha
dente e acertadarnent-' i. sando. cumDrem devar c r *,. i- *M,,t',,a .
fcom chriSS; e guando reparot!rSsnafL' CimaS novas diversas guarn.coes de
tntndou vir e acaba de roceber delicados tercos l)eHlesqe a Aguia Branca acaba de rece-'
n cruzdeprata, os qaaes 'ei'> veio tambem urna pequea qualidade'
NO
ARHAZKH
DE
I ^%%^
I
LTBEXRO VERDE
RA DO QUEIMADO N. 46
DE
casacas
Neste estabelecimenlo ha sempre um sortimenlo completo de roupa feita de
ludas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dos melhores profesores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senboras
homens e meninos.
Casacas de panno prcto, 35 e 303000
Sobrecasacas idem, 30$ e 25#000
Paletos idem e de cores, 25$,
20& 15)$; c...... 10O0O
Ditos de casemira, 20^, l&,
12& 10;5 e...... 73000
335'O
33500
33000
43000
TERCOS
e eoroas de cornalina.
aguia branca pensando constantemente
em
i.cxa :< disposieSo dos fiis que estiverem dispbstos
gastar 14500,2,1 ;{J para nossuirem um bonito
hreo ou corda, com os ; ,- iiodem meemouedira
'hu pela prosperidad.' d'aguia branca, em seu ale-
c espacoeo nmlm da ra do Queimado n.a.
S&ahuzinhos com nrrliniili e
scui ellas.
A aguia branca vende bonitos bahuzinhos com 6
frasquinhos decheiros por 13500 c rasios por 800
rs., servtndo estes para meninas, e mesmo liara
toias.ete., etc. : na ra do Queimado, loja d'aguia
rauca n. 8.
a Julia maclas e lustrosas para
bordar
veiidem-se na loja d'aguia branca ra do
Queimado n. 8.
rVovissfmos e bonitos enfeltes
para cabecas.
Quando o bello sexo senta a falla de bons
enfeites para cabera, es que a aguia branca
recebe urna -sua encommenda de bonitos e
dalicados enfeites,-e do modernissima moda,
muit servindo isso pata sanar aquella falla,
e fazer com que as Exmas. apreciadoras da
Ijolla empreza Coimbra possam melhor real-
sar e mostrarem o apurado gosto que as
guia. Esses eafeites sao d'um tecido bas-
tante fino com continbas d'aco, e mui bem
afeitados com flores, fitas, bicos,* plumas
etc.. entretanto.que sendo obra de muito
gosto custam S#, G3 e 73 dinheiro vista;
ua espacnsa e alegre loja d'aguia branca ra
o Queimado n. 8.
de pentes de concha que com grapa e acer-
tadamente servem para o moderno atado dos
cabellos Ellos sao de bonitos e "agradaveis
moldes, edelamanbo pquenino como con-
vem para o fun que sao. E' esta a primei-
ra vez que d'elles aqui chegam, por isso
que a moda novissima, pelo que ganha-
ro a palma aquellas senhoras que primei-
ro se apresentarem com el les, para o que
os mandarlo comprar na loja d'Aguia Bran-
ca, ra do Queimado, n. 8.
Ditos de alpaca, 50 e. .
Julos ditos.-prctos, 93, 73,
53 e........
Ditos de brim e ganga de cu-
res, 43500, 43, 33500 e. .
Ditos branco de linho, 03,53 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 103, 73 e..... 53000
Calpas de casemira preta, 123,
103, 83 e......73000
Ditas de cores. 93, 83 e. 73000
Ditas de meia casemira de c-
res, 53500 e.....43000
Ditas de prinefeza e merino pre-
to de cordao, U, 435O0 e
Ditas de brim branco e de co-
res, 53, 43500, 43 e .
Ditas de ganga de cores,
33500, 33 e.....
Cohetes de velludo preto e de
cores, 93 e......
Ditos de casemira preta, 53 e
Ditos de ditas de cores 53
43 e........
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
.63 e.......
Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 63, 53 e
Cohetes de fustao e brim bran-
co, 33500, 33 e .
Seroulas de brim de linho,
23400 e ......
Ditas de algodo, 13600 e. .
Camisas do- peitos de linho,
53, 43, 3/e.....
Ip"!? de madapolao, 33,
23500 j
23000
13400
23500
13600
43000
23500
23500
9f "" ""
moo, 23 e .
Chaplos de massa, pretos fran-
cezes, 103, 93 e. 83500
Ditos de fltro, 53, 43,33500 e 23000
Ditos do sol, de seda, 123,
i. 73 e......43500
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda....... 640
Sortimento completo de grava-
tas.
Toallas para rosto, duzia. 113,
He........
Atoalhado adamascado de li-
nho vara .
i A/EVOAS E ROITPAS FEITAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 253, 283, 303 e 353
mudo bem fe.tas a 253, 283, 303 e 353, paletots acasacados de panno preto de at
rtk\m 1?aT!?. de c6ra,,3f 18* e *& Paletots saceos de panno e case-
Snl Tr. ?i o *i'nd*'l0S ,SaCC0S de A]p^' mcnn e ,a de ^ at G$> sobre de alpaca e
merm de 73 ato 103, calpas pretas de casemira de 83 at 143, ditas de cor de 73 at
153, roupas para menino de todos os lmannos, grande sortimento de roupas de brim,
?SW7?fnS*' P,alel0tS e C0llet^s' sortimento ^ cohetes pretos de metim, casemira
e elludo de 43 a 93, ditos para casamento a 53 e 63, paletots brancos de bramante a 44
e o3, calcas brancas muito finas a 53, e um grande sortimento de fazendas finas e moder-
nas completo sortimento de casemiras inglezas para hornera, menino e senhora, ceroulas
de linho e algodao, chapeos de sol de seda,- luvas de seda e de Jouvin para hornera e se-
nhora. Temos urna grande fabrica do alfaiate, onde recebemos encommendas de grandes
LaS' .qe pa-a uso.esta send0, administrada por um hbil mostr de semelhante arte e um
pessoal de mais de emeoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qualquer obra com
promptioao e mais barata do que em outra qualquer casa. ?

m ^\%m
DE
63000
13280
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....43000
Lenpes de linho.
| Cobertas de chita chineza.. .
73000 Pennasd'apo, as mais superio-
43000! res, a grosa......
Relogios, de ouro orizontaes,
903,803 e......
Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes, 403 e
Obras de ouro, adercos, meios
aderecos, pulceiras, rozetas,
aneis e cruzes.
TODAS AS Ol \ l 11> \ ni s
DE
ANTONIO MAIA DE BRITO
CONHECIDA POR FABRICADA V1VA.
N. 21Antiga ra dos Quarteis de policaN. 21.
,n^nStandoao annuncianle' que gosam os meus cigarros, e para poderem dar consumo aos seus andam vendendo tato
3nsPn ClT?Pel ma-t' ,lludT10 S meuS fregaezes' dizcnd0 qoe & *? ; e como to-
dos ob meus cigarros sao vendidos na rainha fabrica,/e nao mando pessoa alguna vender
Z^^^^^J^J^^^^ vitar cite cora^gato^
nte os seus
33000 32 '^c e Para seguranca dos senhores consumidores desto genero e espccialr
23000 1 3^' JZqmUeH-c, mS maSSS,d? Cgarros que forem vendk,os na mnia fabrca sao
1 marcados com um distmctivo que declara o meu
i mesma casa.
33500
53000
53000
43000
s 703000
303000 J4J
nome, o nome da ra e o numero da
Onipr-Veit0 a OCCa,siao para scientificar aos mesmos senhores, que c^stantemente
encontrarao um completo sortimento de cigarros de diversas qualidades. e d*\elhorJumo
escolhido, por sua boa qualidade j bem conhecida. w^uior iumo
FUIDICAO
DE *
POR MENOS OEZ POR CENT \
NOS
ARMAZE1TS
,
u^

ya
DE
i

Albnis cm perfumaras.
[;lui acoBtecia que se procurando urna
>'ila talanlana |>ara: se olTertar a una senhora ou
nenlna cm seus anniversarios, ou mesmo na
wmrnica, das mestrasdestas, ge nio aeliav.i eousa
me sansfizosse, agora, poiin, j nao deve snooe-
!fa^'." i''^e, n loii* dauia brancaoncontra-
ra o preteiidoiite lwUo.objcc(o.- para osae lira, so-
,ire-satundo entre (flbs bonitos allmiis com
perfiimaiias. cujo gostoe novidade Ihcs d a pr-
anazia. A aguia branca olgar de contente se
Crias ofTertas recahirem sempre em suas predilec-
ns fn'jfue, do assim nao seja. nao hi
anal, |)orqiie a mimoseada reparando na singulari-
tade do objecto, querer desde logo alistar-se no
Butncro daijucllas. Em todo o caso liavendo d-
Btieiro. clirjani-se ra do Queimado, loja d'aguia
Branca n. 8, que tudo se arranjar.
Chegaram luvas de pellica para a loja d'a-
guia branca, ra do Queimado n. 8.
A'o a mazem de fazendas bara-
tas de Santos Cuelho
iii: do Queimado nnmero 19.
Vende-sc o seguinte
Cobortas de chita
da India pelo barato preco de 25.
Lentes
do panno do linbo a 2.
Leures do bramante
de linho fino de um s panno pelo baratissimo
preco de 3#.
Toalbas aleochoadas
para maos pelo barato preco de 8 a duzia.
Vestidinhos de seda
para menina pelo baratissimo preco de 4.
Leafes de seda
para algibelra pelo barato preco de 15.
fk*s saias de fusila
pelo barato preco de 5^500.
Loncos de eassa
fmissimos proprios para algibeira pelo baraiissimo
preco de 25 e $100 a duzia.
Cortes de caifa
de ganga ama relia de lista c quadros pelo bara-
tissimo preco de 152OO o corte.
Pecas de uiadapoUa
fino largo pelo baratissimo preco de 85.
Peras de brelaoba
de rolo com 10 varas pelo barato preco de 35200.
Pefas de eambraia
do salpieos una com 8 1|2 varas pelo barato preco
CONSERVATIVO g ONSIIfADR
DE
WAWIH 8, D(D8 8Bff89
NS. 21 E 23-LARGOfDO TER-NS. 21 E 23.

FRANCISCO ANTONIO CORREIA CARDOSO, Te S^^X^JSJ^'SSS'i,
Ku dn Kriim -v. 9 ? outra qualauer Darte, carantirldn a nnorinr inniiHoH/, r
Acha-se novamente aberto
Rtaa do Briim. X. 89.
este antigo e proveitoso estabelecimento,
qualquer parte, garantiddo a superior qualidade.
l.el.iin todos.
s seus arma-
do que em
'
dem ser vendidas por metade de seu valor, como sejam :
Moeodas mteiras e meias ditas de varios tamanhos, para engenhos.
Portas d aguas guarnecidas de bron/.e com parafuzo de rosca quadrada.
Rodas de espora, carretas e rodelas angulares.
Parbaos e vilhoes de ferro ou de bronze, rosca quadrada ou singela.
Agulhoes fundidos de azase batidos para rodas d'agua e chumaceras com bronze
Bromes e torneiras de todos os tamanhos e qual idades.
Tasase fundos de alambique, de ferro fundido, de varios tamanhos.
Crivos e portas de fornalha de varios tamanhos e qualidades.
Lma machina de destillacSo continua do autorCollares.__
Foges americanos econmicos para casa de pequea familia*
E urna grande prCao de pecas de obras tanto de ferro fundido como batido ou de
bronze que sena enfadonho descrever.
S'rS0!8'/ proprrelario desle slabelecimento que o publico sempre benigno
e prestar toda sua confianca e allencao. -1 "^^B*
Polassa naeional.
Vende-se superior potassa do Rio de Janeiro, da
mais nova que ha no mercado, a preco muito com-
modo; no largo do Corno Santo, escriptorio
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, n. 19.
de
de 45.
Aloalhalho de hube
I?, P?lmos dl' larura proprio para toalha de
mesa pelo barato preco de 25300 a vara.
Barcgc
de lindos gostos pelo barato prejo de 440 rs. o co-
steira da lidia
ppnapara forro de sala de 4, 5 e 6 palmos de

Cal de Lisboa
Cal virgem chegada hontem em ancoretas mui-
to bem acondicionadas e por preco commodo: no
antigo deposito da ra do Trapiche n. 48, arroa-
zem de Manoel Teixeira Basto.
Roa da Seuzalla Kova o. 42.
Weste9labelecmenovendem-se:Uchasde
ferro coado libra a fio rs., idem de Low
i Moor libra a 120 rs.
PAPEL
de cores para lista* de eleltores
barril a 54o r
Caf do Rio e do Cear o melhor' neste genero V 28o e 32o rs. a libra ^
i nTil^ rS' a lbra' arroba a 4'4o rs- era cM8 de quat
SasaffleTMSnovasn^e^ e3,o"
Palitos do gaz, viados por conta particular, a 2,3o rs. a groza.
Queijos do remo, chegados pelo ulmo vapor,-a 1,800 e 2.000 rs
Vinho do Porto era garrafa de superior qualidade a 9oo rs. a carrafa
dem em pipa Figueira e Lisboa a 4oo rs. a garrafa, e a 3,ooo a caada
Mtho alpista o mais hmpo que ha no mercado a f6o rs. a lbra, e a arrroba a
5 TP"?* "P08^ e Aracaty a 4oo, 36o e 64o rs. a libra
loucmno deLtboanovo egrosso de primeira qualidade a 32o rs. a libra, e 9
a,o-a /lm ^estes gTros ha outros muit0 aratissimos, assim c
azeite doce, vmagre, cebollas, alhos, pimenta, cominhos, erva-doce
quahdades. chouricas, sabao verdadeiro de 16o a 24o rs. a libra '
qualidades, que tudo se vende barato e quem duvidar venha ver '
\ libra,
sacco,
arrobas por
rs. a barrica.
genet
todas as
de toteas
I I M14 \ O nA AURORA,
A_a?nia^.r?I!ca **& qne nao faz mal em o&v! f.^Jl?^^^.^. montada fabrica de machinismo, a mais antiga nc
de Um
reeer aos amlelas uns paeotes com *54 folhas de unua-seLa executar com a maior presteza e perfeicao encommenda
papel de cores, que pode servir ptimamente para de machinas usadas no paiz, tendo sempre prometo a stniinte :
Grande sortimento de moendas demnaTtodos of eterna, e tamanaos.
impene, con-
a a qoakdjKte
por 1
pacote o diminuto preco de 15500, e ser cada um
de urna so cor, o que e difflcil de encontrar a nao
ser na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. &
Na raesma loja Umbem na de outras qualidades
branco e azul, assim como anvelopes.
Potassa da llussli.
Acaba de chegar no navio Quorn of the F\eet, a
mais superior potassa da Rnssia, c vende-se a
preco commodo : ntf largo do Corpo Santo, escrlp-1
torio de Manoel lgi acio de Oliveira & Filho, n. 19 I
tWCLTlLADOI
Machinas de vapor de diversas qualidades
Taixas fundidas e batidas.
Crivose boceas para fbrnalhas.
Bronzes e aguillides.
Rodas, rodetas e rodas d'agua.
Guindastes fixos e portateis.
Machinas de cyHndros para padaria.
Serras de ac para serrara. \.
Fatechas para barcos, etc., etc., tudo por preco que dan eoavida.
J ILEGfVEL

('M|MMIBM'I|*


.......I.......I
75"
rio de PeroaufcHeo Yeguada felra 14 de *eteaariro de 18t.
"
=
I

y
.<
Wi
% $mm
GRANDE ARMAZEM
AK
EE
A 36, RA DAS CRIHS N. 36
BO
balrro de Santo Antonio.

0 proprietario do muito acreditado armazem denominado Progresista tendo
sempre em vista fazer tudo o-que for possivel para bem servir aos seos freguezes, tem
deliberado vender os seos j bem cqnhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaixo mencionados, e affianca s pessoas qne mandarem comprar por seas criados oo
escravos, sercm to bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, anda mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento. O
mesmo pede aos seahores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que nao agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
cSo com os seos portadores, fazendo-Ihes ver que s no armazem Progressista da rua das
Creases n. 36, que se vendem os melhores gneros por mais barato preco, porque estes
mnitas vezes olvidam-se e vio outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.
Manteigai ngleza de 1.a qualidade, a 800 rs.
a libra.
dem de 2.1 qnalidade, a 700 rs. a libra.
I (tena franceza, chegada ltimamente, a 6oo
rs. a libra.
Batatas em gigo de arroba a 1,5oo rs.
Macaes chegadas no vapor lnglez,
Ervilhas muito novas a 24o rs. a libra,
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor,
de U 25500.
dem prato, chegado neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 700 rs.
a libra.
dem londrino, mandados vir de encommen-
da especial, a 900 rs. a libra.
dem suisso, muito fresco, aJJOO rs. a libra.
Caf do Rio de i. e 2.a qoaTdade a 8#5O0
e 8#8O0 a arroba, e 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India c Maranho a 120 rs. a libra
e 3)5200 a arroba.
Avelaas as mais novas neste genero a 240
rs. a libra.
Presuntos do Porto muito novos a 560 rsC^a
libra. )
Lcgumes francezes para sopa, como seja,-
Julienne, mlange d'quipage, Choux e
outras qualidades, a 400 e 500 o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, e
em porcao ter abatimento.
Garrafes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 20400 com o garrafo ;
afianca-se que nesse genero o melhor
ime veio ao mercadn.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira muito
superior e mais proprio para a nossa esta-
co por ser mais fresco a 2,5400.
Cha hysson o mais superior a 25600 a libra,
afianca-se sor egual ao que regularmente
vendemos a 30260.
dem huxim miudinho, o mais superior que
' vem ao nosso mercado a 20700 a libra.
Aem preto muito fino, a 20000 a libra.
neolate para 9oo, 1 ,ooo e 1,2oo rs. a li-
M bra.
irrafes com 5 garrafas de superior vinho
n~. de Lisboa a 20100 cada um.
dem com 5 garrafas ne v.nagre de Lisboa
a 10100 com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre hambur-
guez a 800 rs. cada um.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Velho secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a 900 rs. a garrafa e 90
a duzia.
Vinho Bordeaux das melhores marcas: St
Julien, Medoc e S. Estephe e outros a
640 rs. a garrafa e 70500 a caixa com
urna duzia.
Chouricas e paios, o mais novo que se pode
desejar, a 250 c 600 rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa e 100500 a
caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
Licores francezes, muito finos, das seguintes
marcas: Anizctta de Bordeaux, Plaiser des
damos, Crme de Noyau, Eau Dantzic,
Crme de Menthe, Hude de Venus etc. etc.
Passas muito novas e de carnada a 400 rs. a
libra e 60500 a caixa com urna arroba, ha
caixas, meias e quartos.
de superior qualidade a cada
xinha.
Mostarda preparada em potes muito nova a
400 rs. cada um.
Milho-alpista a 180 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina alva a
80 rs. a libra e 20300 a arroba. .
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libra e
em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade de 160,
180, 200, 220 e 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 10300 a duzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salmao e outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
cozinhaa 10400.
Papel grve pautado e liso a 30800 a resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
460 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 30200 e 40000 a caada do
melhor e 500 rs. a garrafa, em porcao ter
abatimento.
Vinho velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
50000 a caada.
Vinho brando .mais superior que possivel
neste genero a 5G0 rs. a garrafa e a 40000
a caada. *
Vinagre puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
e 10400 a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril
a 640 rs. agarrafa, e em porcao ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
10000 a garrafa, e 100000 o gigo com
urna duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 30500 a caixa, tambera temos
para 20000, 20500, 30000 e 30200 a
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 600, 640,
e 680 rs. o masso.
dem de carnauba e composico a 320, 360,
e 400 rs. a libra e de 100 a H05OO a
arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 10000
a ancoreta do Porto e 10500 a de Lisboa.
Massas para sopa: estrellinba, rodlnha e pe-
vide a'uOO rs. a libra e 40500 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carro e aletria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso das melhores qualidades a 900 rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixo.
Cerveja das melhores marcas de 50500 a
60000 a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
10300 a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda,
muito nova em latas grandes a 20000 cada
urna.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada uraa.
. IM,1I Sardinhas de Nantes, do fabricante Basset, a
Ameixas francezas em frascos de 11 j2 e 3 li-1 ^ a latfl
bras de 10400 a 20800, tambera ha latas"
de 6 libras. I Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a libra.
i TiJ6lo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Marmelada imperial, dos melhores conser- Cebollas o mlho a 900 rs.
veiros de Lisboa, a 600rs. a libra, em la- ,M
tas lacradas hermticamente. Erva-doce muito nova a 400 rs. a libra.
Fructasem caldas de todas asquadades erni00111108 idem i(tem a 64 rs- a br.
latas muito bem enfeitadas, a 500 rs ca- Garrafes vastes a 500 rs. cada um.
da urna.
Bolachinha ingleza, a mais nova que se pode
desejar, a 30000 a barric ae 240 rs. a
libra.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 160 rs. a libra.
Azeite francez clarificado a 800 rs. a garrafa
e 90000 a caixa com urna duzia.
Conservas ingieras dos memores fabricantes
Mixed Pickles, ceblas simples, e ootros
a 760 rs. o frasco.
Farinha verdadeira de aramia a 500 rs. a
libra, garante-se a superior qualidadjnm
Palitos para denles em caixinhas douraan
Brea, a 320 a libra e 80 a arroba.
Ditos com 5 garrafas de genebra a 20400,
garante-se ser verdadeira de Hollanda.
Cebollas a granel a 640 rs. o cento.
Canella a mais nova do nosso mercado a
10000 a libra.
Alfazema o que pode hater de melhor neste
artigo a 280 rs. a libra.
Phospboros de seguranca individual a 20 rs.
a caixinha.
Papel de embrulho muito superior a 10120
a resma.
Vinho da Figueira, o que ha de melhor a
44000 a caada.
Coposfinos para agua a 60000 a duzia.
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
TODOS
os
VAPORDS g
se recebem gneros de conta ^^
propria e dos melhores esta-
belecimentos da Europa, ga- ^
rante-se todo e qualquer ge- t^
ero comprado neste
ESTABELECIMENTO.
COMPLETO
SORTIIEXin BE MOLHADOS.
vende-se em porcao e a reta-
mo, aprompta-se com toda a
presteza e exactido qualquer
encommenda dirigida a este
ESTABELfidMENTO.

DE
Eduardo Marques de Oliveira C.
gestes novos e grandes estabelecimentos de molhados, encontrar o respeiw
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro, expostos vend
todas as qualidades de gneros por menos preco que em quaesquer outro estabeleciiw-.
tos a esta ordem, pois para bem servir os seus freguezes existe na Europa um dos so-
cios para serem vindos de conta propria diversos gneros, e desde j encontrar o ne*-
peitavel publico sompre os melhores gneros do nosso mercado, e por precos baratis*-
mos como abaixo vero, a saber :
Os proprietarios do muito acreditado armazem Progresso fazem sciente ao respeita-!
vel publico e com especialidade aos seos amigos e freguezes qne tem resolvido resumir os i
precos dos seus acreditados gneros, como abaixo vero nao obstante os precos menciona-
dos a vista da qualidade dos gneros que se prova quanto se deseja servir satisfatoria-
mente aos nossos freguezes, advertindo-lhes que mandem seus portadores, que sero to
bem servidos como se vtessem pessoalmente, isto s no Progresso.
Manteiga ingleza perfectamente flor chegada
no ultimo vapor a Bou rs. a libra.
dem de 2.a qualidade a 76o rs. a libra.
dem de 3,a dita a 64o rs. a libra.
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
Manteiga franceza a mais nova que ha no mer-
cado a 58o rs. a libra, e em bail ter aba-
timento.
Banha de porco refinada a 520 rs. a libra.
Vinho em pipa Porto Figueira e Lisboa a 4oo,
48o, 5oo, 56o rs. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,ooo rs.
dem em barril o mais superior que tem vin-
ao mercado a 6oo rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
l,ooo a garrafa e a lo,ooo a caixa, o preco
n3o indica a qualidade d'este precioso vi-
nho, porra venhamao Progresso que a vis-
ta faz f, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
demos vender por menos que outro qual-
Farinha de Maranho muito alva e cheiroza
a 16o rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 32o rs. a libra e a9,ooo
rs. arreba.
Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
Azeite doee de Lisboa a 64o rs! agarrafa e a I
4,8oo rs. a caada.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e a'
l,2oors. a caada.
Garrafes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa a l,loo rs.
Champanhe das marcas mais acreditadas a
8 e a lo,ooo rs, o gigo, e a8oo rs. ea.
l,ooo rs. agarrafa.
Serveja preta marca T e XXX a 6,5oo e'
7,ooo rs. a duzia, e a 6oo rs. a garrafa,
tambem temos das mesmas marcas para 4,
e 4,5oo rs. a duzia, e a 4oo rs. a garrafa, i
dem branca Te cobrinha a5,5oo e 6,ooo rs,
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tambem ha,
para 4,ooo rs. a duzia.
Graxa em latas grandes a l,3oo rs. a duzia
quer annunciante. e 12o rs. a lata.
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre- Vassouras do Porto arqueadas de ferro obra
ditadas e especialmente escolhido por um t,e muita durado a 4oo rs. cada urna.
de nossos socios, como sejam:Camoes,Du-palitoSde dentes massftS granclcs a 2oo rs.
que, do Porto, D. Luiz, Carcavellos, Cha- e gfto rs
misso & Filho, Madeira secco, e Feitoria a i ^
9oo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa cura P#s dogaz a O rs. a caixinha e 2,3oo rs.
12 garrafas. Jlgroza.
Garrames com especial vinho do Porto cflfij-Xla & Alperche chegada no ultimo vapor
tendo 5 garrafas a 2,5oo rs. T] latas de 2 libras a 8oo rs. pechincha!
dem com 5 garrafas de superior vinho Fi-'Genebra dc HoHan(la garrafoes com 16 gar-
gueiraa2,4oors. rafas por 6.5oo rs.
dem com 5 garrafas de vinho Lisboa a'*____*..._:__,___" -.
2 ioo rs Idememfrasqueirasab,3oors.e6,5oors. ea
56o rs. o frosco affianca-se ser verdadeira.
Vinho branco de Lisboa proprio para missa 'M.m K/,,:- _, __.. ,
viudo j engarrafado de Lisboa a 64o rs. Ide"AC tt. T ^T^ Cm quaU' du"
Amendoas a 320 rs. a libra.
Aveles a 2oo rs. a libra.
Araeixas a 10 a libra.
Ditas em frasco por 20800.
Arroz pilado da India loo rs. a libra e30ooo
a arroba.
Dito dito do Maranho 120 rs.a libra e 30500
a arroba.
Azeite doce francez 800 rs. a garrafa.
Dito de Lisboa 680 rs. a garrafa.
Agurdente de canna de cabeca a 240 e 320
rs. a garrafa.
Azeitonas a 320 rs. a garrafa e l,3oo a an-
coreta.
Batatas inglezas a 6o rs. a libra e l,8ooa
arroba.
Banha de porco a 55o rs. a libra.
Bolachinha de soda a 10400-a lata.
Bolachinha ingleza a 200 rs. a fibra, e a bar-
rica a 30000.
Cha hysson a 20200 a libra.
Dito dito fino a 20600 a libra.
Dito miudinho a 20800 a libra.
Dito do Rio a 10800 a libra.
Dito preto a 10900 a libra.
Charutos de diversas qualidades a 10200,
10500 e 30 a caixa.
Champagne a 10 e 10500 a garrafa. %
Chouricas a 560 e 600 rs. a libra.
Conservas inglezas-a 800 rs. o frasco.
Cafe em grao a 300 e 320 rs. a libra, e 90 e
90200 a arroba.
Dito raoido a 360 rs. a libra.
Doce de goiaba a 560 rs. o caixo.
Espirito de vinho de 38 graos, a 280 rs. a
garrafa.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Dita flor de laranja a 10 o frasco.
Feijo branco muito novo a 440 rs. a cuia.
Figos a 32o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em-botijas aooo rs.
Dita Hamburgueza a 44o rs. a botija.
Gomma dararuta a 100 rs. a libra, e 20600
a arroba.
Graixa era latas a 120, e 10300 a duzia.
Genebra em garrafoes de 14 garrafas por
4600.
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito em garrafas grandes de superior quali-
dade n lrfHSOO.
Manteiga ingleza flor a 800, 900 e 10 a libra.
Manteiga franceza a 6oo e 64o rs. a libra.
Dita hollandeza a 72o 8oo rs. a libra.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
a garrafa.
ziasa 44o rs. cada botija.
dera de laranja era frascos grandes verda-
deira italiana a l,ooo rs. o frasco.
dem em barril muito superior a 5oo rs. a
garrafa e a 4,ooo e 3,8oo a caada.
Ameixas francezas em caixinhas de 1 % 2 Marrasquino de zara a 72o rs.
e 3 libras elegantemente enfeitadas com ri- Licor francez de todas as qualidades em
cas estampas na caixa exterior a l,3oo garrafas de vidro breos a 72o e 8oo rs.
1,6oo 2,ooo e 2,5oo rs.
dem em latas de, 1 l/t e 3 libras a l,4oo e
2,6oo rs, cada urna.
Figos de comadre em bauzinhos de folha
mito proprios para mimo a l,6oo.
dem em caixinhas a l,4oo rs.
dem em caixinhas emticamente lacradas
e muito bem enfeitadas a I,8oo rs.
dem a 2oo rs. a libra.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que tem vindo ao mercado a 72o e 8oo
rs., e em caixa a 7,5oo, 8, e 8,2oo rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol e
outros a 8oo rs. a garrafa.
Conservas inglezas sortidas e de urna s qua-
lidade a 8oo rs. o frasco.
Aramia verdadeira a 32o rs. a libra.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a 560 rs. a
Massa estrellinha para sopa a 5oo rs. a Un.
Macarro, aletria e talharim a 48o rs. a aV
bra. w
I Marrasquino de Zara a 800 r6. o frasco,
Passas a 4oo rs. a libra.
Palitos para dentes a 180 rs. o masso.
Phosphoros do gaz a 205OOagrosa.
Paios novos a 640 rs. a libra. t
Queijos do reino do ultimo vapor a 2#
20500.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Cervejas de marcas superiores a 500,5tfft.
600 e 640 rs. a garrafa, e 505OO,:<#
60500 a duzia.
Dita em barril por 40, e 240 rs. a garran.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 rs. a InV
nha.
Sag a 240 rs. a libra. ,
Sabio massa a 200, 240 e 280 .a libra.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 160 rs.
Vellas de spermacete do gaz a l,2oo m a
libra.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 libras por 4066.
Ditas de carnauba a 400 rs. a libra.
Ditas de composico a 360 e 380 rs. a tiam
Vinho do Porto, caada a 50500, garrafa
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 40 e a garrafa a Sb
rs.
Dito Figueira, caada a 30840 e a garran
480 rs.
Dito dita superior, caada a 40 e a garran
a 500 rs.
Dito Estrcito, caada a 30200 e a garrafa*
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 e 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa em garrafoes de 5 (garra-
fas por 10400. \
Dito em caada a 20, e a 260 rs. a garrafa,
Vinho do Porto em garrafes de 5 garrafas
por 20500.
Dito dito engarrafado a 10 e 10200. *
Dito lagrimac do I>ouro o I s (Mi a garr-Ma
Vinho branco de Lisboa a 720 rs. a garraft!&
e 50 a caada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, e a 405*
a caada.
Previne-sc ao rcspeitavel publico que todos os gneros cima sao de boa quan-
dade, c para desengao venham ver; assim como outros que dcixam de ser annunciados.
------------ ----------1-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------,
FITMII^AO DO BOWMA\-RlJA DO
BRITTII \. 38.
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortimento &
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Bodas d'agua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
Bodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
\
c
AGENCIA
Gomma de engommar muito alva a 8o rs.
Passas de carnadas as mais novas que lia no I a 1Dra e 2- rs- a arroba,
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,ooo rs. a. Sagu muit0 novo a 2i0 rs. a libra,
caixa.
I Sevadinha de Franca a 16o rs. a libra.
Salmao em latas ermeticamente lacradas a'
8oo rs.
Lagostim era latas grandes a l,4oo.
Savel, corvina, cherne, vezugo, peixe espada,
preparados pela primeira arte de cozinha a
a l,3oors.
Queijos lamengos chegados no ultimo va-
por a 2,4oo rs.
dem do vapor passado a 2,2oo 2,ooo e
l,8oo, rs. y
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
Doce da casca da goiaba caixes grandes a
6oo e9oo rs.
Chouricas as mais novas que ha no mercado
a 48o rs. a libra.
Chouricas mouras encommenda especial nos-
sa a 5oo rs. a libra.
Prezunto verdadeiro de lamego em calda
de azeite 5oo rs. a libra
Bolaxinha ingleza a mais novas que ha no
mercado a 2,ooo rs. a barriquinha com
1 arroba, e a 24o rs. a libra.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
reis.
dem em latas grandes, proprias para lunche,
com 5 a 6 libras por 2,4oo rs.
Marmelada imperial do fabricante Abreu e
outros conserveiros de Lisboa a 6oo rs. a
libra.
Frutas em calda de todas as qualidades a
5oo rs.
Ervilhas francezas a 5oo rs. a lata,
dem portuguezas a 64o rs. a lata.
Massa de tomate a 64o rs. a libra.
Amendoas confeitadas a 7oo rs. a libra,
dem de casca mote a 28a rs. a libra,
Avelans a 2oo rs. a libra. <
Sevada muito nova a 12o rs. a libra e 3,2oo
s. a arroba.
Macarro a 32o rs. a libra.
dem e talharim o mais novo que ha no mer-
cado a 48o rs. a libra.
Aletria a 5oo rs. a libra.
Arroz carolino a loo rs. a libra e a 2,8oo rs.
a arroba.
dem do Maranho a i 2o rs. a libra, e a
3,ooo a arroba.
Caf do Rio o mais superior que se pode de-
sejar a 32o rs. a libra.
dem a 28o e 3oo rs. a libra e a 8,2oo, 8,4uo
e 8,7oo rs.
Velas de carnauba refinada a 32o rs. a libra,
e a lo,ooo rs. a arroba.
dem de spermacete a 64o rs, a libra.
Chocolate hespanhol e francez a 9oo e l,ooo
rs. a libra.
Estrellinha e pevide muito nova a 4oo rs. a
libra, e a 2,ooo rs. a caixinha com oito
libras.
Cha perola muito especial chegado neste ul-
timo vapor de encommenda particular
nossa a 2,8oo rs. a libra.
dem huxim muito superior a 2,7oo rs. a
libra.
dem hysson a 2,56o rs. a libra.
dem hysson a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
dem preto homeopathico e muito superior a
2,ooo rs. a libra.
dem nacional a l,6oo rs. a libra.
Batatas muito novas a 8o rs. alibra.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e de todas as marcas, como sejam: sus-
piros, bavaneiros, messecipes, regala im-
perial, flor das mattas, primores a 4,ooo,
3,500, 3,2oo, 3,000, 6 2,8oo, 2,5oo,
2,oooe l,6oo rs.a caixa.
DA
FUNDICAO DE LOW-MOOR.
Rna da Seoialla ora n. 12.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos._________________
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C,
rua da Senzalla Nova n. 42.
ROUPA
Na rua do Quemado n. 43, esquina que
volta para a Congregaeo ; pechincha.
Paletots de casemra a 5, 6, 7, 8, 12 e 14J0M,
ditos de panno preto e azul a 9,10, iS, 16 e 18,
ditos sobre-casacos dc panno muito fino por 24 e
285, ditos de alpaca preta e de cordao a 4, 5, 6 e
1}, caigas de casemiras de cores a f, 6, 7 e 84,
ditas prctas a 6#500, 8,9 e 10& paletots de ustao
e canga a 2, 2800, 3 e 44, caifas e colletes de
todas as qualidades e por preco muito barato, len-
ces de puro linho a preg de 24800 34, cober-
tas de cuita a 24240, collarinbos do linho puro a
600 rs. cada um, e outros muitos objectos que s
vista ; e para isso se pede a attencao dos fre-
guezes._________________________________
Assucar do Monteiro
Ba do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
a 50600 aarroba.____________________
Cola da Baha
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo, no seu escriptorio, rua da Cruz n. 1
Cal de Lisboa
a mais nova do mercado : na rna do Vigario n
19, primeiro andar.
PECHINCHA.
Vende-se queijos de qualha a 104 a arroba e
400 rs. a libra: defronte da matri da Boa-Vista
n. 88.
Vende-so a verdadeira graxa n. 97 em barricas
delSduziasdeDotes: mvmuta deMale la
porta da alfandega.
Yeniie-sc urna carroca para t*-
valla i'tiGcada dc novo cm todas as
ferragens novas torprero commodo: a
fallir cora o Sr. Joquim Fernanda
tos Sanios cora taberna na Trcmpe tn
ordera para vende-la.
Vinho puro.
No escriptorio de Euzehio Raphael Rabollo, a
rua da Cadoia n. oo, vendem-se ancoretas com en-
cllente e puro vinho tinto de Lisboa, somonte do-
tinado para gasto dc casas particulares por ser **-
mottido polo proprio fazendoiro ou larrador.
Madapolo coma varia na foja Ir
Custodio. Carvaino fc C.
Madapolo lino com toque de a varia, a prale
44500 a pora.
ESCRAVOS FGIDOS.
No da 3 do corrente fugio a cscrava dc noipe
Anna, bastante baixa, magra, nariz chata, boat
grande e com urna grande cicatriz as costas, *
presenta trinta e tantos annos, deseoula-so aor
em Santo Amaro de Jaboatao, por ter pertencida.
fabrica do ongonli Contra Acudo o ter sido cih
prada no dia 23 de agosto do corrente: rogase a
quom a negar leva-la rua da matriz da Boa-Y-
ta sobrado n. 33, que ser rerorapensado.
100,000 de gralifitafio. ^y
Contina fugidodesdi; Janeiro o mulato do notar
Ray mundo, natural do Ico, estatura regular, idtfe
de 18 annos, cabeca chata, cabellos carapinbes,
testa grande, resto oval com una fstula na (ar*
esquerda. majaes salientes, dentes limados (rabu-
dos, bocea regular e principio de buco, pos e mar*
pequeos ; cestumava andar calcado, e inUila-
va-selivrc : iiuom o appreliender dirija-se rua
da Cadoia do llooifo n. 21, Luiz Antonio Sequ*
ra que entregara a referida gratkacao.
Escrava faglda.
No dia 2 do corrente sahio a escrava Frauciica,
de nacao Cassange, para vender, com nm UboHH
de roletes com urna toalha, e atJBje nao appar*-
ceu mais; esto preta representa Wr 40 anna, *
os signaes sao : bexiguenta, olhos grandes, eam
ramo bordado as costas, ievou veedo> de rxa com listras encarnadas e panno "*'*"*'T
froco branco : qaem pegar a ^** I"?";,
bondade de lew la roa das Tnncheiras .'a,
que sera bem gTaaTflcado.
X
!
L


8
Parlo e Pernbneo ... eglllM!a fer l4 de ge V
/
LITTERAT
nosso divino Salvador continuou a dizer ao povo Deus, assim, di
^KegU,'a ~'l>l*tro-vos que muitos virio do Deus, ser
Hornillas sobresprfoi-lpacN mi
lagres defl s christo. pelo
H. P. VonlHM.
SEGUNDA.
0 fcnlnriao.
Math. XVIII. 13.
Un povo.. qucnoconhcci.me
servia; ao ouvir a minha voz me
fot obediente.
(Ps. XVII.)
(Conlinuago.)
Mas observemos, diz-nos S. Chrysostomo, que o)
centuriio, coja f, segundo o proprio testemunlio
segua
te e doOcidenfeVe assenta'r-se-hao eom Abra-
hao, Izae e Jaeob, no reino dos cus; mas, os fi-
lhos do reino serao lanados as trevas exteriores
alh estarao o choro e o ranger dos denles:
Depois, voliando-se para o centuriao, dissc-Ihe :
Ide, e faca-se como crestes.
E apenas este fiat omnipotente foi pronunciado
pola mesma bocea, que com um s fiat tez o uni-
verso, o servo docenturio foi curado. Jess Chris-
to quiz dizer segundo o interprete Cornelio Lapi-
de :Crestes, que eu podia, mesmode longe, sarar
com urna s palarra o vosso gervo. Pois assim
seja, e afastado de rnJm obtenha elle a sua cura
por urna s das minhas palavras!
Quanto admiravel, meus irmaos, a vida do nos-
so Salvador Vede como nella a revelarlo dos!
user (aneado la mies foro**,
perd-ln, ( o mesnv." p indomaveis, que esses anlmaes.
perder todos os bens, que s em Deus existam -I a
assim, ser privado da luz o mesrao que S7 L a 8 M especies de ios haviam
os bens o mesmo que soffrer todos os males, por
que o mal nao senao a privacao do bem. Como
o homem composto da almae corpo, as lagrimas
e o ranger dos denles indicara a dr exterior e o
horror interior, as penas soberanas, intensas, pro-
fundas e horriveis dos reprovados do inferno
at o ultimo degru da brutalidade e da barba-
ria. Agora essas hordas selvagens, tornando-se
christas, esto mudadasnao sei se devo dizer em
homens celestes ou em anjos terrestres, to pouco<
vestigios restara de seus amigos costuraos, que hao
cedido o lugar ao amor do trabalho, ao pudor, a
decencia, caridade, ao espirito da paz, delica-
JM isto com esta linguagem annunciou i deza de conscieneia, a
b os seos habitadores raais crueWfgios, que a voz do Senhor, devia operar sobre as, Baptista, porque quanto- *ais hnnnihante nara
aguas no terapo da redempeJo. n3o m Mimnriram v/m esbt ceremonia. t*nm ,,; ___.Tr! v
i terapo da redempcSo, nSo se compriram v esfa ceremonia, tanto mais preciosa
lateralmente, diz S. Pedro -Chrysologo, senao no 'n ; e se nao consentirdes ew lavar vosso corpo
mysterio do baptismo recebldo por Jess Christo f virginal Resrs aguas, nossas alma? impuras nao
das mos do seu precursor
Jordo.
Foi entao que- o Senhor deu as aguas, por sua
presenca, urna virtude divina, e instituiu o primei-
dc Jess Christo, era tao superior a de todos os !mysterios se une ao exemplo e pratica das vir-
judeus convertidos, que a destes vista daquella tudes Jesus se havia olTerecido para ir em pes-
uais pareca infidelidadc, foi o primeiro fructo,
que a graca colheu dos gemios. Razo porque S.
Hilario chama o centenarioprincipe de todos os
gentos, que deviam crer em Jess Christo. E S.
l'edroChnsologo exclama: Feliz centuriao, que
de capillo d'uma cohorte romana mereceu subir,
e conductor da santa milicia
f>or sua t, a chele
. christaa !
__ Sim, na verdade, elle o chefe da milicia chris-
taa, porque foi o primeiro, nos na ordem dacon-
versio, mas tambem e muito mais na perfeieao da
f; isto fui nosso chefe, porque nosso mo-
delo.
E, por isto, segundo S. A.gostinho, que Jess
Christo quiz indicar-nos pela admiraeao, que ma-
ifestou, quando ouvio a humilde confissao. De
eito, por nova, sublime e perfeita que fosse a f
do centuriao, nao podia excitar a admiraeao do Sal-
vador ; porque nada de novo e inesperado pode
acontecer, que excite o pasmo da sabedoria infini-
ta, que prev e comprehende tudo; e demais, Jess
Christo nao podia sorprender-se com urna f, que
era inteiramente producto de sua graga e de seu
amor. Depois, todos os movimentos humanos, que
o Senhor manifestou em si, nao foram signaos de
um coracao, que se agita ou se perturba, mas
eram as lindes de um mestre, que instrue. Jess
Christo admira a f do centuriao, para ensinar-nos
que devenios tambem admira-la, isto imita-la.
Com effeito esta admiraeao, plena de mysterio,
do Filho unir- ic Deus para nos, diz Orgenes,
*im magnifico e precioso ensino. O ouro e a prata,
a riqueza e as honras; os reinos e os imperios, que
excitam a invejosa ambigao dos homens, nao sao
aos olhos de Deus senao urna sombra va, urna
flor d'um dia, que nao pode attrahir seus olhares,
era despertar sua complacencia ou sua admi-
raeao ; pelo contrario, admira a f humilde, aeei-
ia-a, e com ella honra-se e compraz-se.
O evangelista, para dar-nos claramente a enten-
der, que o Salvador quiz dispensar-nos esta impor-
tante ligao, diz (pie, Jess Christo, exaltando a f
do centenario, diriga a palavra ao povo, que o se-
gua. Ora, o povo que segu Xosso Senhor, somos
nos, hristos, que seguimos este esposo divino
como a esposados canucos, attrahidos pelo myste-
ioso perfume do suas doutrinas, de suas promes-
sas, de sua misericordia e de sua bondade I
Assim, dizendo o Senhor : Nao achei, mesmo
catre os israelitas, urna f tao robusta c tao perfei-
ta, nao s annunciou* desde entao. como o observa
S. Jerooymo, que a f dos gentos seria mais esti-
navel que a dos judus, mas tambem quiz, segun-
do S. Joo Chrysostomo, apresentar-nos a f do
centuriao como modelo da nossa, para fazer-nos
comprehender, que se deve crr, nao como os ju-
dus, mas como os gentos, pois que ha entre uns
oulros grande differenca.
Conseguintemente, meus irmaos, devenios cui-
dadosamente preservar-nos, no crr, do juzo ind-
cil, da raaao orgulliosa, da curosidade inquieta,
em urna palavra do espirito impaciente do santo
jugo das verdades da f, que faz com que as jul-
guemos com severidade, procuremos presumpro-
saaiente penetra-las, c mais com que as esqueca-
inos com indiflerenca c desminlamo-las de corago,
deshonrando-as com as nossas aceocs.
Esta mancra de crr propria do hertico, do
protestante e do judu. Devemos crr como os
chrlaBn, como os cathol icos, os gentos, a exem-
plo do centuriao : isto meus irmaos, com a doc-
lidade do espirito, simplicidade do entendmento,
a humldade do coracao, a plenitude do assenso, a
vlvacidade e a ternura do sentimento, em duas pa-
lavrascrr amando e amar crendo ; e sobretudo,
diz S. Gregorio, procurar aperfeicoar a nossa f
pslas obras, por que s er bem quclle, que s
conduz e vive bem.
Seyunda parte.
Depois de haver louvado a f do centuriao, o
soa curar o servo do centuriao : que complacen-
cia e que humldade Mas depois, para que se nao
julgasse, que elle ia em pessoa, por nao poder cu-
ra-lo cora una s palavra, curou-o de longe com
um so fiat, operando em um instante o milagre.
Assim mostrou tambera multido dos judus,
quando estava cercado, que este centuriao pag
havia conhecido e confessado a verdade, attribuin-
do ao Salvador o poder de operar prodigios com
urna s palavra.
E conirmando-o na verdadeira f, echamando-o
para esta os judus presentes, o Salvador instruiu
a nos gentos, que estavamos ausentes, com esta
prova brilhante do seu poder divino.
Nos vos agradecemos, Senhor, o bello exemplo
que nos dstes de vossa humildade; mas, rend-
mosos mil aeces de gracas por esta luminosa de-
monstrado que nos dstes, de vossa divindade.
Esta ultima passagem do nosso Evangelho con-
tera anda urna magnifica prophecia, e urna figura
muito fiel dos futuros acontecimentos.
O grande numero de povos, que deviam segundo-
a palavra de Jess Christo, vir do Oriente e do Oci-
dente sao os gemios; (1) e os filhos do reino (2)
sao os judus, como o attestm S. JeronymoeS.
Joo Chrysostomo, por que foi sobre elles, que o
Deus de Israel reinou dous mil annos, e a elles foi
o Messias directamente annunciado e proraettido.
Esta expressao: Assentar-se-hao (3) mesa no
remo dos cus, significa a beatitude eterna, muita
vez comparada na Escriptura a um festim, por cau-
sa do repouso, seguridade, alegra e contentamente
soberano, que ahi se gosa. Porquanto o proprio
Jess Christo, em um outro lugar do Evangelho
disse aos seus eleitos : eu vos preparo o reino
como meu pae fez para mm, afim de que comaes
bebaes a minha mesa em meu reino, e comigo nella
estejaes sentados.
De feito, meus irmaos, a alma estar no cu, se-
gundo a expressao da Escriptura, saciada da nutri-
cio mmortal, da gloria deste Deus que conhece,
v, contempla e ama beber na torrente das de-
licias eterna, ser como que embriagada da abun-
dancia da casa de Deus.
pois a salvaco dos gemios na pessoa do centuriao.
que foi como que as primicias della e reprovaco
dos judus; annunciou a vocacao da egrejae re-
pudio da synagoga; a felicidade eterna dos gen-
tos convertidos, e a reprovaco jeterna dos judus
obstinados.
S. Agostinho diz tambem, que Nosso Senhor com
estas palavras:Muitos viro do Oriente e do Oc-
cidentecomprehendeu todas as najoes, que se
acham debaixo do sol, ou o mundo comprehendido
sob os dous hemispheros do Oriente e do Occi-
dente; claramente annuncfou, que estabeleceria a
sua egreja por todo o universo. De feito, contina
o doutor da graca, o que vemos ? Venios que os
judus estao reprovados emquanto que os christaos
sao chamados como que a um banquete divino.
Vos, meus irmaos, que me ouvis, fazeis parle des-
te povo gento, que foi annunciado, e agora forma-
do. Vos sois do numero dos que foram' chamados
do Oriente e do Occidente, para assentarem-ge na
reine dos cus e na nos templos dos dolos.
Nao sfr o Salvador faz esta prophecia, mas co-
meca desde entao a eumprir em figura tao grande
mysterio. Com efteito; meus irmaos, Jesas nao
entrou pessoa! mente na casa do centuriao; e, pos-
to que affstado do corpo, curou o servo do'ente,
pois que acfmva-se presente pelo poder divino.
assim, que elle estove corporalmento presente jun-
to dos judus. A gentilidade nao o vu nascer d
Virgem Mariar nem sofrer a raorte, aera operar
prodigios; entretanto curou-a; e, posto- que affs-
tado, cumpriu esta prophecra : Um povo, que
um fervor bem digno das
primeiras edades do christianismo.
A f mais viva, a pureza mais severa, a simpli-
cidade mais franca, a humildade raais profunda, a
caridade mais ardente e mais generosa, hao esta-
blecido nestas felizes regies o reino de Jess
Christo. Pelo contrario, o que se tornou entre nos
a/ei christaa? Soffreu a sorte da lci mosaica en-
tre os judus no tempo de Jess Christo. O mate-
rialismo maisobjecto, a indifferenca pratica pelas
cousas de Deus, a solicitude para adquirir os bens
temporaes, o esqueciraento dos bens eternos as
loucuras do luxo, a mana dos empregos e das
honras, o frenes dos gozos carnaes nao delxaram
vestiglos algum do christianismo em am grandissi-
mo numero de christaos.
A religiao para estes um verdadeiro trafico, o
culto deDeus-um oflicio, amissa e ojejum-usos
vaos. Ahr 9 verdadeiro espirito de f, de devoco
e de caridade, acha-se era numero muito peque-
o Nao, meus irmaos, nao; urna religiao toda
aratenal, toda de apparencia, que ten apenas vaas
exterioridades, que-se contenta com as notas ex-
ternas sem o verdadeiro espirito interno da f, da
oragao, da devoco e da caridade, tal religiao nao
o ehristianismo, como Jesos Christo o estabele-
eeu, c nossos paes o-pratcaram.
Quaf a consequencia, meus irmaos? .
que das regioes barbaras, e do se das naces ido-
latras e selvagens, multido dalmas, nao ha omito
nao conheci, me-serviu; ao owlr a voz dos meus' ^ a SUa ^f^0' va para c".
tronero*para o reii de Deus, cixa cada da
*^X***.h*ler P[aticailo o cristianismo em
e vae srn-
Bemais, Abraho, por sua paternidade, a figu-
ra, diz S. Basilio, do Padre Eterno ; Isaac, do Ver-
bo Incarnado, por seu sacrificio Jacob, do Espiri-
to Santo, por sua fecundidade. Assim, estar no cu
com Abraho, Isaac e Jacob, estar no paraizo em
companhia e socedade de amor cora o Padre o
Filho e o Espirito Santo, e feliz com esse amor e
essa socedade. Aecrescentando que os filhos do
reino seriam langados as trevas exteriores, (4)
onde esto as lagrimas e o ranger dos dentes. Je-
ss Christo faz-nos em tres palavras a pintura do
inferno, tomo fora deste mundo o nico bem
(1) Allude prophneia da Ioaiaa, na qual u Pa-
dre Eterno falla assim a seu Filho, Redemptor e
Messias : Nao temas, que estarei sempre comtigo,
e formar-te-he urna descendencia, reunida de pro-
posito para ti do Oriente e do Occidente.
(i) Esta expressao um hebraisma Xa escrip-
tura chama-se muitas vezes filhos da morte, filhos
da yelienna, aquellos que sao ameacados da morte
e estao no caminho da perdcao; e filhos da pompa,
filhos da resurreinio, os que seguem o caminho da
salvagao eterna.
(3) A palavra recumbent, deitam-sc no leto,
empregada para indicar o festim (banquete); para
que os Oricntaes tiiham ocostume de comer sobre
leitos dispostos em tres ordens ao redor da mesa ;
razo por que os gregos chamavam a sala de jan-
tar triclinio, palavra que quer dizertrplice leito.
(4) Os antigos nao tinham costume de jantar de
da e preferiam urna ligeua reeicao, reservndo-
se para copiosa cea. A sala de jantar era para is-
to lluminada dia, em contrario exterior
que ficava quasi escura. Fallando pois das trevas
exteriores, o Senhor contina amethaphora dos ban-
quetes....
FOLHETIffl.
*.i giii ma o;
pon
MAURICIOS VXD.
Terceira parte.
(rntinmcao do n. 208.J
Os outros chefes repetiram o brado de Kad-
Aueith, e os meus valenles soldados se acham
prontos, apesar das fadigas porque acabara de
passar. Nao tendo o lucunion mandado abrir as
portas da cidade dentro da hora designada por
mim, dei ordem para que fosse ella inmediata-
mente atacada apesar de ser noute.
Os Arrecanos confiados na reputadlo de que
gOiain os Gaulezes de nao uzarem de astucias na
guerra e atacarem sempre de frente, se reforca-
ram as niuralhas, as quaes Wr-Dhu-Mar e 'os
cus assaltaram a grandes brados.
Eu e Kad-Wir atravessamos o leito do regato
c gracas ao nosso disfarce e ohscuridade da nou-
te, penetramos na cidade sem sermos cenhecdos.
Os habitantes assatados, e ao mesmo tempo admi-
rados a vista desso ataque nocturno dos seus anti-
os alliados, corriam armados ao lugar do cm-
ate.
Eneontrc Kilnias no lugar aprasado, egualmen-
te disfarcado, e todos tres nos dirigimos ao tmu-
lo de (^Brbo. O lugar, em que elle ficava, era
deserto, pnrm havia a alguns passos de distancia
una porta guardada por dous soldados. Delbe-
ravamos sobre o nieio de desfazer-nos dessas duas
ientiMUas sera rumor, quando os meus caes, que
B).e *'*m seguido, correra rastajando a meus
|es. Xao havia temiio a perder :"a um signal meu,
t)hu se precipitou sobre um dos soldados: Kad-
V ir decepou a cabefa do outro com o seu sabr,
fcm seguida reunindo os nossos exforcos despren-
demos as correntes da ponte elevadica, e Kad-
An.ith que se achava de emboscada com tresentos
" na cidade.
escravos que tinha orcul-
ina, e raandou arredar toda a
tmulo da sua filha : supersti-
' e apesar das ordeus do seu
" deitam a rugir. Eu pro-
servco: era breve tem-
a, e com o auxilio de urna
lade dessa cva, de onde
m s gemido. Seria Urde ?
A .luz expirante de urna alampada diviso a m-
Dha amada estendida no chao sem movmento.
Junto a si esteva anda urna amphora vasa, cuja
ultima gota d'agua havia ella exhaurido. Tomo-a
nos meus bracos, e voito ao ar livre
Kilnias, vendo o cadver de sua filha, desfaz-se
em lagrimas, e pragueja. Quanto a mim. com os
olhos seceos, e abatido ao peso da minha dr, fixo
espantado e duvidoso esse cadver enregelado quo
linha sobre os meus joelhos, sem convencer-me de
que fosse realmente o cadver de Callirho !
Un rumor d'armas e de cavallos a correrem de
gritos e vociferacoes, se aproxima sem arrancar-
me do meu pasmo.
Partamos, me disse Kad-Wr: a nossa
gente que foge.
Kad-Aneith com o rosto ferido, e desesperado
de raiva, corre a mim frente da sua tribu era
desordem, e brada : ,
O que fazes ahi com esse cadver nos bra-
cos !
E a minha escrava que elles assassinaram.
i>eixa-a hcar, e partamos: o iniraigo nos
persegue ; tomos trahidos I Vamos, vamos reunir-
nos outra vez na planicie.
Tomei o corpo de Callirho, c forceja va por
transpor o fosso, no momento em que um troco de
fugitivos rae separa de Kad-Aneith e de Kilnias:
e logo era seguida apparece um esquadrao de ca-
vallana etrusca carregando sobre os vencidos o
qual me obriga a refugiar-me num jardim com o
meu fardo.
Foi de pusilnime a minha conducta, mas tinha
a cumpnr o sagrado dever. de dar minha com-
panheira urna sepultura digna della. Gracas es-
euridao da noute, pode escapar aos vencedores,
cujos gritos de triumpho echoavara-ao longe. C
TZ^ Um-a 88 R?"083 Pr entre os campos.
De repente vejo dous homens sahrem de um es-
condrijo mando os meus caes sobre elles, porm
estes reconheceram Kad-Aneith e o meu eseu-
deiro.
Onde est Kilnias ? lhes perguntei en.
- T.Vi'ufu?r nonicio dos nossos, respondeu
Kad-Aneith. Oh I Que vergonha, que desgracal
Os Gaulezes fugirem I
Continuando o nosso caminho contou-me o meu
companheiro que os Arrecanos tinham sido avisa-
dos das nossas intencoes, c que por isso postaram
grande parte de suas tropas de emboscada junto s
muralhas. Wir-Dhu-Mar, accommettdo de im-
proviso pela recteguard, suecumbira quando su-
ba escalada : os seus soldados foram derrotados,
e a cayallaria do lucumon a ninguem dava quar-
tel: d'ahi a derrota geral...
Silencio! disse elle de repente: ahi vem
urna tropa; se ficarmos aqu seremos descobertos,
e assassinados.
Havia a um lado do caminho alguns molhos de
palha : corremos para elles, e por detraz desse
abrigo esperamos que o inimigo passasse : infe-
izmcnte porm tres soldados, munidos de archo-
tes accesos se dirieem para esse lugar, e ouvi-
mos um delles bradar :
Fogo nesses mlhos I Tal vez consigamos de-
sencovar algum. #
Ainda bem nao acabara estas palavras, e j o
soldado cahia morlo : Kad-Aneith, vendo-se des-
ooberto, Ihe arrojara urna pedra com a sua funda.
O segundo soldado continuara a avancar; che-
euvidos me foi obediente.Admiravel f de nos
eutros gentos! A Juda, que ovlu- com es seus
olhos, o crucifico; as nacSes pagas, que nao ou-
viram senao o echo da sua palavra, crranvnclle
e o adoraram.
S. Hilario vainda> no milagre quenos ocenpa,
que o mysterio da nossa salvaba coraeca a cum-
prir-se: Porquanto, diz elle, o servo do centunao,
a ponto de morrer por urna dissolucao completa do
seu corpo, e depois curado pela graca db Salvador,
figurada perfeitameme as nacoes pagaas, que pro-
fundamente corrompidas por todos os-vicios, jazim
as sombras da morte, e depois foram chamados
pela graca do Salvadbr salvaco e a vida. Ainda
mais: o centuriao que orava por seu servo, fot
tambem, segundo aquelle Ilustre padre, urna figu-
ra da oracao, que os primoiros gentos, que foram
convertidos verdadeira f pela pregacao dos apos-
tlos, rigirara a Deus para a conversao de toda a
gentilklade. Se temos a vantagem de conhecor
Jess Christo e crr neUe^ devemo-la sem duvida -
sua misericordia; mas, toram os apostlos e os pri-
meiros martyres, que no-la obtiveram; nao s por
sua pregacao e seus ardentes votos, mas, sobretu-
do pela voz de seu sangue derramado era, favor da
causa de Jess Christo, o qual sangue^ foi- a. semen-
te escomida, da qual nos outros christaos nasce-
mos. Qual nao devo pois ser a nosso reconheci-
mento, a nossa ternura e o nosso amor por esses
generosos martyres, dos quaes esta lustre cidade
de Roma como que o sanctuario! Qual nao deve
ser a nossa devoco, e quo grande nao deve*"* o
nosso respeto pelas preciosas reliquias destes
vos centurioes que detiveram a salvacSo 0 a v
eterna I
y-
'A
Mas, quanto consolador por orna parte e terri-
vel por outra este orculo do Filho de Deus.Os fi-
lhos do reino serao expellidos! Este orculo rea-
lisa-se ainda todos os dias; porque a palavra de
Deus, eterna como oque a pronuncia, tera urna
eterna efflcacia. Nos, pois, que fazemos profissao
da verdadeira f, somos presentemente os verda-
deros filhos do reino. Os inflis espalhados do
Oriente ao Occidente sao os fllhosdo exterior. Mas
ha assim como tomams o lugar dos judus, gran-
de numero de inflis vem cada dia do Oriente o do
Occidente oceupar o posto, do qual nos filhos do
reino fomos expellidos.
Com effeito, meas irmaos, lancae vossos olhares
para o Oriente e para o Occidente; ali os enviados
da egreja, os misionarios, affrontam cada dia to-
das as sortes de perigos e penas, para levarem a
luz do Evangelho naeoes tao barbaras e tao sel-
vagens, que apenas hao conservado as formas de
homem.
Ha pouco, estes paizes eram o escondrijo de
gando porem perto de nos, Kad-Wir estendeu-o
no chao mmediatamente. O terceiro fugiu para o
grosso da tropa, Dradando :
Os Gaulezes 1 Os Gaulezes *
E ao claro de um dos archotes, que cahira das
maos do ultimo soldado descobn uns trinta archei-
ros, armados ligeiramente.
Agora, disse eu para os meus dous compa-
nheiros, ou morrer ou matar !
Occutei o corpo de Callirho debaixo de algu-
mas palhas, um pouco distante dos mlhos prin-
cipaes. Durante este tempo Kad-Aneith se havia
apoderado dos arcos e frechas dos soldados mortos
com a agilidade de um gato. Kad-Wir, que pre-
tender apagar oarchote cahido junto da palha
toi rendo no hombro com urna frecha, o que o m-
possibihtou de combater.
Vae para junto do cadver, lhe disse eu ; e
tera todo o cuidado para que o inimigo nao nos to-
me a rectaguarda.
O ardite, que ardia no chao, devera ser para
os nossos contrarios urna emboscada fatal. A'
medida que um soldado avancava para levanta-lo
cania morto: e deste modo, oceultos por detraz
da palha, tinhamos j dado cabo de doze antes de
fazer a sortida que meditavamos. Acabadas as
nossas frechas, servimo-nos das fundas.
Os Etruscos, ignorando quantos eramos, recua-
ram a principio: logo depois accommetteram em
massa; dous cahiram mortos, mas-o archote este-
va em poder do inimigo. lamos ser a final desco-
bertos.
Foi entao que bradei Kad-Aneith :
Mostrmonos I
a J? nos.?mbs com a espada em punho, aos bra-
?Mgr s como.se fossemos um exercito, exci-
rpm, ..Smnfsos c.aes (JU.C mor Mn?nnTcA Cc,ra 1"*0' n5 esperdicndo
um golpe s. Se corra o nosso sangueT tambem
nalnOSrtlam0S> ian,0s Pr dante%ntoando as
nossas anas guerreiras.
Os Etruscos j se batiam em retirada; mas per-
cebendo ao clarae dos mlhos, que haviam pecado
fogo, que eramos dous smente, tomam coragem e
voltam a carga. Felizmente restevam apenas oito,
um delles a cavado. '
Tres para cada um de nos! exelamei eu. O
resto pertence aos caes I
Nesse interim cahiu um dos inimigos ferido por
urna frecha do meu escudeiro, que apezar de suas
fendas se arrastra, e viera apoderar-se das ar-
mas dos mortos, incommodaudo o inimigo pelo
flanco. *
Um outro suecumbe. O cavalleiro, que parece
ser o commandante, corre sobre mim, evito-o, e
com um golpe vigoroso corto os jarretes de seu
cavaHp qne cae para um lado.
A' elle, elle, i)hu.
E o me fiel animal precipita-se sobre o caval-
leiro, cuja armadara pesada impede de levanter-se,
e o detem por tersa agarrando-o pelo pescoco.
Restevam anda cinco.
Fasamo-los prisioqeiros, disse Kad-Aneith
tar-se a mesa eterna, em companhia da augusta
Tnndade, grande numero d'entre nos,, legtimos e
verdadeiros filhos, antigos herdeires do reino de
Deus, mas perdidos no luxo>. devorados pela amb~
cao,havidos de delicias, semelhantes aos phariseus
descidos ao ultimo degru da eorrupcao e da indif-
ferenca,ns,depo de haverme* brilhado por alguns
dias sobre a trra por urna gloria iramerita des-
ceraos as trevas exteriores, residencia eterna
das lamentaces e do desespero, ao inferno. Oh
mudanea terrivel- e funeste I Entretanto, meus
irmaos, nao desesperemos: Jess Christo qur
fazer-nos misericordia, quando. faz ehoar aos
nossos euvidos a ameaea da sua justica. Este
assustadra ameaea. de expellir os filhos do reino
e chamar para elle toestrangeire*, elle no-la-repc-
te continuadamente a nos christaos no seu Evan-
gelho, pela mesma- razo porque o fazia aos ju-
dus; nao, como o. explica S. ghrvsostomo que
elle queira expellir-nos do civ mas para que,
assustedos com suas ameacas, nos con vertemos, e'
nao mereeamos raais ser atirados para longe desse
Deus Salvador.
E demais, o verdadeiro centuriao, S. Pedro, cuja
fe humilde e fervente sempre a mesma no cora-
cao de seus successores, ora por nos, que somos
seus diseipulos, para que tantas almas oppressas
pela paralysia dos vicios resuscitsm. para o antigo
fervor da vida espiritual. Unamos pois, nossas
oraedes as suas, certos de que, secrrraos sincera-
mente o eonfessarmos com humildade as nossas
culpas, recolheremos tambem o fructo da nossa, f
e da nossa humildade, e tambem se nos responde-
r Sejfl f/to como credes ; seremos tambera, cu-
rados de nossos vicios e de nossas paixoes, e de
nA tambem se poder dizerE no mesmo instan-
te este servo foi curado. Amem.
TERCEIRA.
0 baptismo de Jesns Curislo. (1)
(Math. M; tare. I; Duc. ni)
Voz do Senhor, sobre as aguas, o Deus
da magestede trovejou; o Senhor sobre
muitas aguas: voz.do Senhor, em poder'
voz do Senhor, era magnificencia.
(Ps. XXVIII, III e IV.)
Estas sublimes e poticas expressocs, pelas quaes
o prophete real anauncia as maravilhas e prodi-
ro sacramento. Nesto dia deu o pae celeste o mag-
nifico espectculo dos cus entreabertos e resplan-
decemos, e vu-se o Espirito Santo descer em for-
ma de poroba a repousar sobre a adoravel cabeea
de Jess Christo. Entao proclamon o Eterno ma-
gestosamenVe o humilde fnllio do homcm era
verdadeiro filho de Deus e Salvador do mundo :
Aqui este o meu filho bem amado, objecto das mi-
nhas eternas delicias e ternissmas complacencias.
Eis a voz de que fallou David; voz que fez-sc
ouvir sobre as aguas, nao de um s rio, mas de
todo o universo ; voz de virtude, de magestede e
de gloria, que tendo-se feito ouvir magestosnmen-
te as bordas do Jordo, retumbar at o flm dos
seculos pelo mundo inteiro.
S. Ambrosio chama este mysteriogrande e
ineflavel, ao mesmo tempo que ebeio de docuras
e proprio para regosijar o coracao ; porquanto no
mesmo dia em que sua Me terrestre; apenando
amorosamente Jess menino sobre seu casto seio,
proclamava-o vero homem, o Pae Eterno trinta an-
nos mais tarde, dando tcstemunho do cu, declara-
va-o tambem ven Deus. No mesrao dia em que
Maria offerecia-o adoracao dos magos; o Pae
Eterno apresentou-o adoracao e ao culto do uni-
verso.
(i) Este grande mysterio teve lugar no i5 anno
do imperio de Tiberio Augusto, tendo Jess Chris-
to 13 das sobre o 30 anno de sua edade, 6 de
janeiro, ou sexta-feira, no mesmo dia em que, an-
nos antes, havia sido adorado pelos reis mago O
lugar foi a parte do rio Jordo, que atravessa a
Judea entre Sastena e Jerich, onde tantos annos
antes os Israehstas, sob a direccao de um outro
Jess ou Josu, passaram este rio a p enchuto, e
marcljaram para a conquiste da trra promet-
Mas as frechas de Kad-Wir derribam dous. O
meu companheiro esmaga o crneo ao terceiro com
o punho da sua espada, e os dous que ficam, lan-
cam-se por trra implorando compaixo.
Escravos, levantac-vos, lhe diz Kad-Aneith, e
arrecadae os nossos tropheus.
E ao claro do incendio vejo-o com o meu escu-
deiro ambos oceupados a corterem as cabelle-
ra dos cahidos.
Rende-te I disse eu ao chefe, queDhu estran-
gulava.
O offlclal estendeu-me a sua espada. Tirei o cao
de cima delle, e amarrando-lhc bem os ps, fui
ter ao lugar em que havia deixado o cadver de
Callirho.
O' terror e felicidade ao mesmo tempo Calli-
rho est de p, paluda como um espectro I Os
seus olhos estao abertos, j nao de gelo a sua
pello, ella respira, vive Nao pode andar ainda,
mas me reconhece, o me diz cora voz sumida :
Markek, tenho fri.
Conduzi-a para junto dos mlhos accesos. Cha-
mo Kad-Aneith, e Kad-Wir, mostro-lhes a minha
amada com vida : mas o despojos e tropheus san-
guinolentos, que arrecadam, os interessam muito
mais. -
Callirho vae pouco pouco tomando alent,
procura recordar-se de tudo, e mal comprehende o
que se passa.
Entretanto aproxima-se outra torga por entre a
escurido da noute, e me faz receiar novo comba-
te, c me faz receiar novo combate. Chegando perto
reconheci felizmente que eram amigos um dos
chefes boicnses, que nos deixra pela manha, ou-
vindo o ruido longinquo da batalha, voltou atraz
com os seus.
Dirigimo-nos todos para o acampamento sem
encontrar mais inimigos. Chegando ali achei os
meus Ganlezes completamente desanimados com a
morte de Wir-Dhu-Mar. Karnach aecusava-nos
por nao lhe ter dado ouvidos : era mal escolhida a
occasiao para recriminagoes I
A nossa volte, os tropheus e prisioneiros que le-
vavamos, e sobre tudo os "nossos alliados os Boien-
ses, lancaram alguraa coragem no acampa-
mento.
Depois de ter convidado o chefe alliado, e os das
nossas tribus para um sumptuoso banquete no dia
Elevemos, pois, boje, meus irmaos, os nossos
pensamentos e os noss6 coracoes contemplafao
deste grande mysterio da nossa f. Considere-
mos os grandes miiagres, que se operam na or-
dem da naturea e na ordem da grar,a. Vejamos o
papel, que ah represente Jess Christo, a gloria
com que se manifeste, as verdades que nos revela,
o sacramento que institue, a* figura que rea I isa. as
linjcs que nos d.
Contemplemos particularmente no mysterio do
Salvador a origem, a instituicao e o espirito do
nosso baptismo, par que aprendmosla respeitor
em nos este grande sacramento; isto o primei-
ro dos beneficios de Deus, e o mais solemne dos
nossos empenhos; e para que correspondamos aos
'prodigios de sua bondade divina pelos transportes
domis terso amor.
Primerea parte.
O baptismo-ou aablucb que S. Jbao adminis-
irava aos povos as margens do Jordo, nao era
um sacramento, era come o ensinam e santos pa-
dres e os interpretes, um- signal, nma confissao
publica feito pelos que reeebiam este baptismo ;
razao porque se diz, que elles confessavam seus
peccados. (Mare. I, 5.) Era urna protestecao da
vontede de corrigir-se, um> desejo de fiazer peni-
tencia, urna solemne oracodirigida a Deus, para
que por sua misericordia purificasse as almas do
peccado, comoa agua do Jordo purificara exter-
namente os corpos. Finalmente, era um signal
visivel da contriccao do coracao, quo qaando per-
feita apaga va os- peccados.
Ora, se assim, porque Jesns Christo vem as
margens do Jordo para ser baptisado por S. Joo ?
Que necessidade tinha elle, diz S. Ambrosio, de
submetter-sea-gsta ceremonia dos peccadores, elle
que nao tem nem mesmo a sombra do neceado ?
Retirae-vos, Senhor, nao convm que o amo desea
at os servosy nem que a santidade seja oonfnn-
dida com o peccado,a rara de vboras com o fruc-
to da beraaventurada Virgem Maria, o filho. nico
e immaculado de Deus com os culpados e immun-
dos filhos dos homens. Nao, esta ablac/ao no
para vos, Senhor, porque tornitf-vos-Wa menos
digno aos olhos dos homens terrestres, sem aug-
mentar vo6sa gloria perante vosso Pac celeste.
Mas nao, exclama o mesmo S. Ambrosio : ouvi
christaos, o grande mysterio. Jess Ctristo apre-
senta-se ao baptismo de Joo, nao para ser santi-
ficado pelas aguas, mas para santifica-las e puri-
ficar por sua abluco orio, em que se banha. De
feito, sendo santo, puro e innocente, ou a propria
santidade, pureza e innocencia, nao s com o filho
de Deus, mas tambem como filho do homem, pois
que tomando a natureza deste nao contrahiu o
peccado, esta abluoao de penitencia de maneira al-
guma era necessaria a Jess Christo. E pois nao
a fez por si, mas por nos peccadores, afim de pu-
rificar nossa carne em sua carne virginal, que ha-
via tomado de nossa condico. S. Agostinho ex-
clama por sua vez :Oh christaos, reconheci que
aquelle que raorreu por amor de nos, foi tambem
baptisado por nos.
Senhor, ficae entro essa multido de peccadores,
como um delles ou como o ultimo de todos. Dig-
nac-vos de recober esse baptismo das mos deJJoo
> margens do poderao ser parificadas pela graca.
Se entretanto queremos, meus irmaos, melhor
comprehender esto mysterio, e melhor conhecer o
papel que Jess Christo nelle represente, recorde-
mo-nos de que, segundo a doutrina de S. Paulo, o
Filho de Deus, fazendo-se homem, revestiu-se do
velho homem todo inteiro, ao qual todos pertenee-
raos; revestiu-se de toda a humanidade, a qual Jbi
toda inteira crucificada com Jess Christo. Poie
que o nosso divino Salvador havia tomado inleira-
uaentc nossa carne, c se havia coltocado em nosso
logar, era raoito justo, conclue o Di. 8. Mximo,
que entrasse em todas as condifoes- do homem,
passando por todos os seus estados, supportando
todas as suas miserias e soffrendo toda* as suas
humilhaeocs.
Ora, a humanidade era culpada; nao podra apre-
senter-sc a Deus sena cora penitente e ernino-
sa. Razo por que Jess- Christo, tendo assumtdo
este humanidade culpada, e tendo se revestido de
urna carne semelhante, quanto eondico exterior,
dos peccadores, devra tambera apresenter-se-
seu Pae na qualidad.e de criminoso e de penitente-;
ejusto o que ello faz nesto da, submettendo-se
com a maior humildade ao baptismo da penitencia
Isto significa, que por esse baptismo o Filho de
Deus-, a santidade por essencia, eonfessa-se publi-
camente e de alguma sorte aecusa-se como pecca-
dor ou como o homem do peccado ; e ao mesmo
tempo'contrahe solemnemente obligarn de fazer
penitencia do peccado, do expia-lo por soa paixo
e pela morte da cruz. Consentindo* que Joo es-
lenda suas innocentes mos sobre elle para derra-
mar a agua sobre seu corpo adoravel, consente
desde entao, que os Judus e os soldados levantem
suas mos sacrilegas sobre sua. divina pessoa, para
crucifica-lo; para diiacera-lo cara os eravos, os
acoules, os espinhos e a langa./] Consentindo em
ser lavado as aguas do Jordo, deu o seu assen-
timento para ser um dia regado jcom o seu proprio
sangue.
Por este baptismo d'agua, que hoje recebe, Je-
ss Christo bypotheca-sc a reeeber tambem o bap-
tismo de sangue, no qual todos os nossos peccados
deviam ser apagados, e de que elle mesma fallou,
dizendo:Desojo ser baptisado com o baptismo, e
quo ardentemente desejo a sua realisaco! Assim,
deste moraentoemdiante, d- Cornelio, geme no
amargor de sen corago por urna contrkgo per-
torta e urna dr infinite sobre todos os nossos pec-
oados; detesta-os-; pede ser lavado e purificado
delles, como se com effeito fosse pessoalmente cul-
pado, emquanto-que a sua caridade, smente lhe
razia expia-los.
Nesta circumstencia solemne gemeu sobre os
aossos peccados eom urna contriccao sincera e per-
feita, que deveriamos ter, mas que nunca teriamos
ido; pede que nos todos, que eslavamos represen-
tados na sua pessoa, sejamos purificados de nossas
altes; e quiz conseguintemento supportar. perante
cu c a terraa.humilhago o a vergonha de pa-
recer peccador e como que o> proprio- peccado.
iransmittindo-nos o mrito infinito dosta eonfisso .
desta dr e deste penitencia jetante quenos gran-
geou o ornamento divino de- suaj\isticav de sua
santidade e dfe sua infinita perfeieao.
Razao porque, por esta abluca de- seu purissi-
mo corpo no-Jordo, Jess Christo, romo canta a
egreja, puritcou nossas almas de suasmanchas. S.
Ambrosio diz tambem que S. Salvador, descendo
s aguas, snbmergiu e apagou desde esse momen-
to as culpas daquelles que- nelle houressem crido
E porque nao teria apagado, os peeeados de todos'
urna vez que de todos se havia carregado ? Ento
realisou-se esta grande palavra de S. Joo, que o
Evangelho refere :Eis o Cordeiro de Deus, que
tira os peccados do mundo.Quanto grande -e
admiraval este mysterio Vm smergulhou n.
aguas, e esse s proveo a salvaco de todos!
pcis emvo que- JooRaptista, sorpreso, estu-
pefacto, confuso e como tora de si vista desta.hu-
milliaflao profunda com a qual o Filho de Deus pe-
de o baptismo ao peccador. exclama: Duendo
ser / o baptisado^ im rindes mim f Jess respon-
de :Faze agora o que digo, porque con vm.-me
nimpranms toda a justica. Quera dizer-iho-:1T>
de feito recebes de mim o baptismo do espirito, i
qual ser para ti o penhor do baptismo da sangu
so mandea-a escoltar, e posto que, muito debili-
tado, estenquei eu mesmo o sangue das ferdas...
Fiei-me mais do que devia as minhas toreas, e
desmaei. Quando abr os ollios, achei-m esten-
dido no meu leito de pelles de urso, cora o corpo
envolvido era pannos, e assistido por Kilnias e
Lallirlio. Kad-Wir curava as suas feridas e as
dos caes com um balsamo, cujo cheiro aromtico
penumava o interior da tonda.
Poucos dias depois achavam-so todos curados,
gragas ao zelo da minha bella Etrusca. As tribus
gaulezas, que se haviam demorado batendo os cara-
pos ao redor de Roma, iam chegando todos os dias.
Perto de dez mil Senonios e Boienses vieram reu-
nir-se aos nossos na Biturigia, afim de ajudar-nos
a conquistar Arretium.
O ataque foi resolvido : o nosso exercito cercou
a cidade. Eu, e Kad-Aneith, seguidos de trinta
guerreiros, que levavam espetadas as pontas de
suas tencas as cabecas e cabelleiras dos Arrecanos
raK
que receberas, como meu precursor, pela santidaf
de da minha le e pela gloria da meu neme. Nf '
te momento, mister que eu receba de ti o bar
mo de penitencia, como sendo o representante i
victima da humanidade culpada. Como, meu, s
vo deves obedecerme at o ponto do bapttsai
teu proprio senhor: e eu, como Redemptor, de\
abaixar-me al este humilhante ce?emonia de r.
ceber o baptismo da mo de meu servo, llevemos
levar ato este ultimo gru, tu a tua dependencia, e
eu a minha complacencia e a minha bondade. Cum-
priremos entre nos dous a missao, que nos incum-
be; pratiearemos toda a justica, e exereeremos to-
da a virtude; porque a virtude perfeita consiste no
cumpri monto do encargo quo cada um recebcu de.
Deus; e a ordem e a justica nascem da obediencia
do que serve e da humildade do que manda.
(Continuar-se-ha.)
\
mortos no nosso combate nocturno, avancaraos ato i "~"~ '""" ou' n,.aci
junto das muralhas; e eu bradei para ofhabitan- *2$2t l^Sl.^^"1)'luPr sa
E apos este triumpho. levantemos o nosscacan-
pamento de Biturigia, e levando em nossa frente
carretes, provisoes, escravos e gado, transpose-
roos as montanhas. com os Senonios. Kilnias e
sua filhn, cujas riquezas o escravos foram ocupa-
das no saque da cidade, quizeram acorapanhar-nos
conduzindo os seus deuses lares, e t\aram a sua
residencia no centro da minha tribunas mareen*
do Ainli i,i.
O boato do nosso segredo cireulou em toda a
Galia. Os povos (orara receber-nos e applaudir a
nossa gloria, de sorte que a nossa marcha foi nm
verdadeiro triumpho I Quantos banquetes e liba-
goes I Quantos sacrificios dos tenses E que de
vezes nos obrigavam a narrar os nossos feitos gner-
reiros f
De todas a ovago mais esplendida nos foi {pita
polas tribus das nossas florestas do Andria. Os
Druidas, o collegib das druidissas, os sacriflpad-
res, e os bardos foram ao nosso encontr em Kraee
tes ali reunidos, mbstrando-lhes "os tropheus sari- e
guinolentos.
Arrecanos I Vede o que fizeram os dous
Gaulezes na sua fuga I Julgae agora do que sao
capazes dez mil correndo pressurosos victoria I
Tomei a sorte dos Romanos ; e se queris que es-
quegamos a vossa trago, e os vossos insultos
mandae-nos entregar mil libras de ouro, mil bois,
mil ovelhas, e outros tantos saceos de trigo.
A resposte que me deram toi enviarem-me urna
toecha que destrmente evitei. Tomei das mos
de meu escudeiro o nosso estandarte tricolor, ver-
melho, branco e azul, o exclamo :
Ao assalto I
Os fossos sao logo ontulhados, as escadas levan-
tadas, as portas arrombadas ; em sumraa, em pou
?*iJ? "i16 da P*iz biiurgio e dopaiz cara-
bom (ChambonX
Dhu-Lug na sua qualidade de bree do pa reu-
nir urna nova geraco de jovens guerreiros que
eram anda meninos na occasio da nossa partida
Quantos de entre nos haviam fieado alm dos mon-
tes As mulheres, os filhos e os paes proeuravam
em nossas filenas um esposo, um pao ou um
tilho. Lagrimas de alegra, e lagrimas de dr cor-
riam de todos os olhos
Os druidas fizeram sacrificios Teutates sobre a
alta pedra do fogo, a nica das pedras de Crevan
que conserva anda o seu norae de ton arW. Os
bardos celebrararn as proezas gloriosas dos vivos,
e cantaram louvores aos hroes mortos na expe-
dicao.
Dun-Glan, Kad-Aneith o Wir-Dhu-Mar ficaram
eos nioraentos estaraos dentro de Arretium. Eu e nos campos de batalha : eu s voltava, e de todos
Kad-Aneith, seguidos do nossas tribu, cahimos amigos que deixara no paiz, apenas oneontrei a
sobre o inimigo que de columnas cerradas defon- sacerdotisa Margareth que me havia dito ao par-
de a larga ra que atravessa a cidade. tr: Volte vencedor ou morro

i
O lucumon, coberto de armas scntillantes, do
seu carro de guerra excita os soldados : urna chu-
va de dardos e de frechas cae sobre nos de tc-tos
o sangue jorra em borbotes.
os lados
vencedor ou morre.
E agora, que eu voltava victorioso, parecia-me
lr nos seus olhos toda a torga da amizade, talvez
amor, que me dedcava, como recompensa das mi-
nhas proezas I Porm depois que vira Callirho,
<
Ocavallo de Kad-Aneith cae, enasm nn*aa nenh,ima imacm de mulner oceupra os
_ arrasta com sitro o cavallpirn vAVT queaa meus sonhos !
TJS,' depois de recommendar os prisionciros. meu amigo, mas o lucumon do oim,^ SOC(wrodo Concluida a ceremonia religiosa, Margareth fez-
a Kad-Wir : conduzi Calliroh at a minha tonda que atravessa nnr^^.n^.T"',Vlcima ** carro,
C*
Ahi chegando sin^me^desfarecer, e foiefao que oSTonfa V6 !adAV6res.
vi que estava ferido : tinha j perdido muito bre o seu corpo.
Vflna langa, e t^^o^rZZ
Era a vei de Callirho salvar-me tambem a vi- A stito" d*1 S?n Ia' KA.^zar da sua fraqnJeza' e,?ae-se sei" deten- que encontr em mTh,m?rdnrra i derribo l0 "P080^ mas ignoro s? viaJas,c e "bateste
?a, chama soccorro, e pede medicamentos : entre lucumon ernmnmtJ "^ crrogao prfido'amor de mim, ou sesomento por amor da gloriT
os, porm, ninguem sabia a arte de curar, e res- b-e deennrfu. a i.Jrmidavel golpe Ao meu sa- e eu nao nosso pertencer senao aqnellA me no
.-K R'.e.aeccP-lhe a cabega Este tropho sanguino- coracao alimenar e tsdousamnreT
me signal para que me approximasse della, e as-
sim fallou :
Partiste cavalleiro, e voltaste breen como te
cu havia ordenado. Sabes muito bem que os meus
votos de druidssa nao me pri vam de escolher um
itepor
pondem-lheque s Karnach conhece abrumas tor' ipntrT, a cabecil
muas e palavras para curar nestes cS rm ^t^%^stro aos Arrecanos.'lanca o terror
rhn tevantene hZh aJz.05: .Ca'"- ?m suas fileiras : hesitara, imnloram 3 waeios.
rho levanta os hombros
Kter ?! ^-"li^ffzsr-srs

Kad-Wir que lave as minhas feridas mminin tlXezesos pers.B... ^.^ ^_,_
ella vae pcssoalmente nrocurar /wLc S n templos: guebram as estatuas dos deuses, matan /
tora doncuinuneS fo md Ji?iaS,p,an,as som p^dade os tora oo acampamento nao quiz que se expozesse as mulheres, derrotam, saquelam- PERNAMBVCO TYP DB M F F
(C i FILHO
>
(MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETVA8XSII_WC2Q2P INGEST_TIME 2013-08-27T21:40:00Z PACKAGE AA00011611_10189
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES