Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10187


This item is only available as the following downloads:


Full Text
$

*
ANWO XHiX HUMERO 207.
Por Por tres mezes vencidos 6O00

SEXTA FEIRA 11 DE SETEWBRO DE 1863.
Por anuo adiantado..... 19$00O
Porte francaJara o sob^riptor.
i
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO .NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima!
Natal, o Sr. AntonioMarques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lenios Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO 8L"
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Bahin. o
Sr. Jos Marlins Alves; Ro de Janeiro, os Srs. Pe-
rcira Marlins & Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altnho e Garanhuns as trras feiras.
Pao d'AlIio, Nazaretli, Limoeiro", Biejo, Pesqueira.
Ingazeira, Flores, Villa Bella,Tacaratu", Cabrob,
Boa Vista, Ourirurv e Exu' as quartas feiras.
Sennhaeni, Rio Fonuoso, Tainandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimcnteirrs as quintas feiras.
Illia de Fernando todas as vezes que para all sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao il- dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE SETEMBRO.
4 Quarto raing. as 9 h., 14 m. e s. da t.
13 La nova as-1 h-, 16 m. e 38 s. da m.
20 Quarto crese. as 10 h., 8 m. e 2 s. da m.
27 La cheia as 2 b., 37 m. e 2 s. da ni.
FREAMAR DE HOJE.
Primeira as t horas e 18 minutos da tarde.
Segunda as 1 horas e 42 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
"o sul at Alagas a S e 25 j par o norte at
|a a. 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dos mezes dejan, marc., maio, jul, set enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
rm o nWift.: do Apipucos s 6 A, 7; 7 /& 8-e
./.i- m';-de 0ljnda s 8 da m. e 6 da tardo; de-
f?T?A an 6 V da m> d0 Caxang e Yutea s 7
daIdVtemcas8dam.
m*Jt ', '.? I6 da Iarde P;,ra O''"* s-rda
mannaa e4'/, da larde; para Jaboatao s4 da tai*
SIEr Lf ang e Vanea s 4 /i da larde para
Bemficaas4dfttarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commereio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda : qunta s 10 horas.
Juizo do coinmcre: segundas s U- horas-.
Dito de orphaos: tercas e sextas s tO horas.
Primeira vara do civcl : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do cwel: quartas e sabbados a Inora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
7. Segunda. S. R-igina v. m. s. Pamphilio I.
8. Terfa. ctf: A Nalividade de N Senhora.
. Qiiarta. S. Sergio b.; S. Kuiino m.
10. Quiala. S.-Nicolao Toluniino r S. Salviom.
11. Sexta. S. Theodora penitente: S. Proto m.
12. Sabbado. S. Macrobio m.; S. Liborio m.
13. Domingo. S. Auta v.; S. Ili-ronidrs m.
ASSIGNA-SE
no Recite, em a livraria d?.praca da Independen* i.
ns. 6 e 8; dos proprietario Manoel Figueiroa 4-
Faria & Filho.
PARTE GFFIGIAL.
G0N5RP0 DA PROVINCIA.
Expediente do dia 3 de setembro de 1386.
Offlcio ao Exm. Sr. presidente do Cear.Em
additamento ao meu oflicio de 20 de julho ultimo,
rogo V. Exc. a expedicao de suas ordens para
que seja promptamente satisfeita a importancia dos
dous portoes de ferro que por essa presidencia fo-
ram aqu cncommendados para a cmara munici-
pal da capital dessa provincia, visto ter-mc sido re-
querido o seu pagamento pelo fabricante Antonio
Pereira de Oliveira Maia.
Dito ao commandante das armas.Pode V. Exc.
mandar passar escusa do servico ao cabo de es-
Suadra do 7 batalho de infantaria Augusto Cesar
e Mattos, aceitando o paisano Francisco Jos
Dias, que se oflereceu para finalisar o tempo de
servico que Ihe falla va, visto estar elle as condi-
(6es legaes como V. Exc. declarou em seu offlcio
de 4 do corrente, sob n. 1633.
Dito ao mesmo.Pode V. Exc. mandar passar
escusa do servico ao anspecada do 2o batalho de
infantaria Eugenio Manoel Joaquim da Silva, acei-
tando o paisano Joao Jos dos Santos, que elle ofle-
receu para finalisar o tempo de servico que Ihe fal-
ta visto estar elle nos termos do regnlamenlo de
28 de setembro de 1839, segundo V. Exc. declarou
em seu oflicio n. 1631, ite 3 do corrente.
Dito ao mesmo.Expeca V. Exc. suas ordens
para que urna guarda de honra de um dos corpos
de primeira linna esteja postada em frente da gre-
ja matriz da freguezia de Santo Antonio desta ci-
dade a 1 hora da tarde do dia 7 do corrente, afim
de assistr ao Te-Deum que all tem de celebrar-
se em accao de graca por Sua Magestade o Impe-
rador.
Dito ao commandante superior do Recife.Ex-
peca V. E ve. suas ordens para que urna guarda de
honra da torca destacada esteja postada em tiente
do convento de Santo Antonio desta cidade as 10
horas da manhaa do dia 8 do corrente, alim de as-
sisr a festa de N'ossa Senhora do Bora Conselho
que all tem de ser celebrada.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.A
Simplicio Jos de Mello, mande V. S. pagar os ven-
cimentos, relativos aos mezes de abril junho des-
te Mino, do corneta do 2> batalho n. 33 da guarda
nacional do municipio do Brejo Simplicio Gomes
Pereira, conforme solicitou o respectivo comman-
dante superior em offlcio de 22 de agosto ultimo, e
eonstam do pret junto em duplcala.
Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar ao procura-
dor de Gualter Martiniano de Alencar Aran pe, urna
vez que nao baja inconveniente, a quantia de 65000
em que importou o aluguel, relativo aos mezes de
Janeiro marco deste anno, da casa que servio de
quartel ao destacamento do termo do Ex ti, como se
v do incluso requerimento documentado.
Dito ao mesmo.Respondendo ao offlcio que V. I
S. me dirigi em 29 de agosto ultimo, sob n. 659,:
tenho a dizer que da quantia de 305000, de que
trata o meu offlcio de 20 daquellc mez, mande V.
S. pagar a Olympio Theodoro da Silva, ou ao seu
procurador, somente a de 135000, proveniente do
tornecimento de luz para o quartel do destacamen-
to da villa de Barreros, nos mezes de abril a junho
deste anno, sendo o restante satisfeito pela thesou-
raria provincial, conforme V. S. ndicou em seu ci-
tado offlcio.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Recommendo V. S., que alm da qnanlia de.....
635800, de que trata o meu offlcio de 20 de agosto
ultimo, mande pagar a Olympio Theodoro da Silva,
ou an seu procurador, mais a de 135000, prove-
niente do fornecimento de luz para a guarda da ea-
tlea da villa de Barreiros, nos mezes de abril ju-
nho deste anno, visto nao dever essa despeza cor-
rer pelos cofres geraes, segundo consta de oflicio
do inspector da thesouraria de fazenda, datado de
29 daqucUc mez, sob n. 639.
Ditoao mesmo.Em vista do que no incluso re-
3uerimento documentado, pede Gualter Martiniano
o Alencar Araripe, mande V. 8. pagar, nao haven-i
do inconveniente, a qnanlia de 125000, despendida i
com o aluguel da casa que servio de cadeia no |
termo do E\. a contar de Janeiro a junho deste
anno.
Dito ao director do arsenal de guerra.Recom-,
mendo V. S., que nao ha vendo inconveniente, i
mande entregar por emprestimo commissao en-'
carregada dos festejos patriticos da freguc:ia de '
S. Jos desta cidade. nos dias 6 c 7 do crrante
mez, o retrato de S. M. o Imperador, existente
nesse arsenal, afim de ornar a illuminacao que se ,
tem de fazer por occasiao daquelles festejos.
Dito ao inspector da sade do porto.Com a in-''
formacao junta por copia, ministrada [>elo inspec-
tor da thesouraria de fazenda no 1" do corrente.
sob 663, respondo ao oflicio que Vmc. me dirigi
cm 27 de julho ultimo, relativamente a necessida-
vros e papis pertencentcs ao archiro da repart-
co a seu cargo.
Dito mesa parochial do Ro Formoso.Acen-
sando recebida com o oflicio que me dirigi mesa
parochial do Rio Formoso a copia authentica das
actas da eleicao de eleilores, a que se procedeu
nessa freguezia, no dia 9 de agosto ultimo, recom-
mendo mesma mesa que me remeta com argn-
da urna segunda via da copia das referidas
actas.
Portara.O Sr. gerente da companha Pernam-
bueana, mande dar passagem de re, em lugar vago
destinado para passageiros de estado, no vapor
l'.rsnuinga, at Macei, a Antonio Aveino Pereira
da Cunha.
Dita.O presidente da provincia recommenda a
toilas as autoridades, a quem esta fr apresentada,
queauxiliem a Jos Jacome Tasso, para que, com-
as pessoas que o acompanliam c vao abaixo decla-
radas, nao soja embaracado as exploracoes a que
vai proceder as minas de ouro ou d qualquer
outro mineral, que descobrir em todos os terrenos
dos Mides desta provincia, lmtrophes com os da
Parahyba, em virlude do privilegio que para isto
Ihe foi concedido pelo decreto n. 2.444 de 27 de iu-
lho de 1839.
Dila.O Sr. gerente da companha Pernambu-
cana, mande dar transporte para as provincias da
Parahyba e Rio-Grande do Norte, por con
nisterio da guerra, na vapor Jaguaribe, no dia 7 do crrenle para os portos do
artigos constantes da relacao junta por c,
Dita.O Sr. gerenle da companha Pern
na, mande dar transporte para a Parahyha\no va-
por Jaguaribe por conta do ministerio da sierra,
ao cato de esquadra do corpo de guarni?!
quella provincia Manoel Leitc Pinto Ribeiro J
que vcio escollando um desertor do 7o baialli
infantaria.
Dita.O presidente da provincia, attendendfo ao
que requeren o professor publico de instnit-cao
elementar da freguezia da Varzea Manoel Fortu-
nato de Oliveira Mello, resol ve prorogar pon tres
mezes, com venclmentos, na forma da lei, a liccn-
ca que Ihe foi concedida por portara defe2 de
abril ultimo.
Dita.O presidente da provincia, attende
que requereu Francisco Pereira da Costa, p
e destribuidor do termo do Bonito, resolve
der-lhe 30 dias de licenca para tratar
sade. A
Dila.O presidente da provincia, attendendn,
que requereu o Africano livre de nome Diol5
e bem assim o que a este respeito nformou o j
dos feitos da fazenda em offlcio do 1 do corre;
resolve nomear interinamente o hachare! Henrio
do Reg Barros para funecionar como procurador
fiscal da thesouraria de fazenda no processo de
justiOcaeoque perante aquello juizo pretende dar
o mencionado Africano, visto ter averbado de sus-
peito nesse processo o bacharel Fernando AtTonso
de Mello.
Despachos do dia 5 de selrmtiro de 1863.
Remterimentos.
Amaro Januario Francisco de Paula.Informe
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda, ouvindo
o da alfandega.
Jos Vicente Godinho Ser attendido como or
justo.
Luiz Ferreira Bandeira do Mello.Dirija-se ao
commandante superior da guarda nacional dos
municipios de Olinda e Iguarassu, a quem se ex-
pede ordem no sentido que requer.
Manoel Dias da Silva Santos. Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Manoel Gomes de Mello. Informe a cmara
municipal da cidade de Olinda.
Norberlo Muniz Teixeira Gnimaraes.Satisfaga
a exigencia constante do parecer fiscal.
INTERIOR.
RIO DE JtVIllllO.
Ilelalorio que devia ser presente assemblca geral
legislativa na tereeira sesso da deeima-primeira
legislatura, pelo ministro e secretario de estado
dos negocios da agricultura, commerrio e obras
publicas, Pedro de Alcntara Bellegarde.
(Continuacao.)
rniviLEr.ios.
A concessao de privilegios por invencao, e de
premios [icla introdcelo de industrias uteis ao
paiz, encontra serias difflculdades na le de 28 de
agosto de 18:t0, que, promulgada cm pocas em
que esta parte do direito administrativo eslava em
euibryao, nao satisfaz presentemente s indicafoes
das conveniencias sociaes.
Para que reconhecais comigo quao absoletas e
atrazadas eslo as suas disposieoes, basta recordar
que o cxemplar, onde se foram buscar as suas prin-
cipaes disposicoes, ha muilo foi abolido ou modifi-
cado esseneialmente.
O governo imperial nao pode oecorrer s neces-
sdades deste servico publico senao medante urna
autorisacSo plena para alterar ou reformar a
mencionada lei no sentido das legislacoes mais
livres.
Tenho para mim que, em materia desta ordem,
convm muilo que o governo se limite a assegurar
a propriedade ao inventor, sen) garantir entretanto
a invencao de modo a prejulgar tanto a sua utilida-
de ou vantagens pralicas, como principalmente a
prioridade, e, portanto, o direito de invencao.
Estas questoes da privativa aleada dos direitos
individuaos, perlencem exclusivamente ao direito;
commum e nao entendem com os principios do di-
reito administrativo.
Dar a maior expansao possivel concessao de
privilegios, estendendo estes ainda s industrias co-
nhecidas em oulros paizes que, forem mtroduzidas
e acclimadas entre nos, desde que o eoncessiona-
riq provar que est autorisado para o fazer, tal o
principio geral que deve reger os actos do gover-
no nesta solugao, e que entretanto nao pode
ser adniittdo em quanto subsistir aquella legis-
la cao. *.
A gratuidade das concessOes que a lei estabele-
ce, nao me parece tambem conveniente conservar,
com quante as contribuicocs devam ser tao mdicas
que animem os trahalhos para o descobrimento e
invencao de industria ou de processo? uteis in-
dustria.
ILLUMINACAO DA tlDADK.
Com quanto nenhuma difllculdadc technica se
opponha substiluicao do systema da illuminacao
dos bairros de S. Chrisrovao, Andarahy-Grande e
ngenlio-.Novo pelo da illuminacao a gaz, como se
evidenciados estudos c nivclamentos a que est
procedendo a respectiva empreza, comtudo nao
eslou deliberado a annuir por ora completa subs-
tiluicao.
Segundo os clculos feitos na directora, por onde
actualmente corre o servico da illunimacao publi-
ca, a substiluicao importa um augmento de despeza
de cerca de 4:0(K)5, que podem ser economisados
ou applicados com mais vantagem, por certo, na il-
luminacao de outras localidades que ainda nao go-
zam deste beneficio.
Aquelles bairros, muilo extensos e pouco povoa-
dos, nao teem, as horas da illuminacao, um tran-
sito tal que justifique o augmento da despeza publi-
ca que acairelara a substiluicao.
Poder-so-ha, portanto, adiar esta medida, que mais
larde ser, pelo augmento que vai tendo a popula-
cao, de indeclnavel realisago.
O presidente da companha da illuminacao a gaz
representen contra o systema de se diminuir a tor-
ca Iluminante dos combustores de certa hora da
iioite em diante, o que telo contrato do anno pas-
sado fura iniciado por certo com grande vantagem
dos cofres pblicos, que assim economisavam cerca
de 82:0005 animalmente, sem que o servico soffres-
se o menor inconveniente.
Allegando ser este systema nraito prejudicial aos
interesses da companha, se por outro lado nao for
o prejuizo que resulta delle, conqicnsado conve-
nientemente, pedio, ou que de novo fosse cxeculado
o systema seguido at o tim de 1861. ou que o go-
verno imperial garantisse a appruvaco do contrato
do anno pateado.
Nao podendo acceilar o segundo arbitrio, por nao
depender do governo imperial seinelliante facto ;
depois de ouvida a seccao dos negocios do imperio
do conselho de estado, "e de conformidad com o
seu parecer, foi resolvido que do 1" de Janeiro ul-
timo vigorarla o systema seguido ate o citado anno
de 1861.
Convencido, porm, de que o contrato do auno
passadn. embora nelle se possa notar iivia nu-
ruiou
, do mi-
Ue segu
prte, os
[lia.
pibuca
da-
nior,
de
tra falla, vantajoso para o thesoiuPnaei
3ucm poupa desde j a importante somma animal
c 81:3095324, economa effectivamente realisada
no anno passado, que tende constantemente a ele-
var-sc, o que, dentro do prazo em que o contrato
tem do vigorar, produzir a somma de...........
4:074:6325000, neluindo-se os juros capitalisados
semestralmente, pego-vos que, attendendo a estas
consideraews, e a quaesquerque vossa illustraco
, vos aprcsnlar, resolvis, sobre sua approvacao,
allm de que possa quanto antes ser cxeculado.
Represento anda o mesmo presidente que, or
engao da escripturaco da companhia, havia dei-
' xado de reclamar a difierenca do valor da moeda
em que foram feitos os pagamentos mensaos do
| consumo do gaz na illuminacao publica, durante o
ultimo quinquenio.
Esta rcclamacjio na importancia de 131:2975470
estriba-se no contrato de 1881, que inunda fazer
taes pagamentos em moeda metlica na razao de 45
?nr oitava de ouro de 22 quilates, ou ao cambio de
7 dinheiros por 15000.
Sobre ella foi j ouvida a mesm seccao do con-
selho de estado.
SF.UVTCO DA EXT1NCQAO DOS INCENDIOS.
Abundando as ideas que vos foram apresenta-
das no relatorio do anno passado, acerca da neoes-
' sidade de urna reforma radical na organisacao des-
te corpo, e nao rae julgando autorisado para em-
prehende-la sem expressa aulorisaco do poder le-
gislativo, peco-vos que, attendendo s convenien-
1 -as deste servico, cuja importancia avulta todos os
s, j pelo augmento sempre crescente ca popu-
lacao da corte, j pelo emprego de madeiras menos
solidas as construc^oes modernas, providenciis
afim de que seja o governo imperial autorisado para
proceder s alteracoes que entender convenientes
ao maior desenvolvimento deste servico.
No decurso do anno passado e ate hoje, houve
46 incendios, dos quaes 13 foram importantes.
O corpo de bombeiros, nao obstante o seu peque-
no pessoal e reduzido material, contina a prestar
bons servicos, portando-se, segundo sou informado,
com a conveniente disciplina o denodo, do modo a
merecer elogios.
Depois de liaver rpidamente exposto o que me
pareceu mais conveniente sobre os servicos que
correm pela primeira directora deste ministerio ;
passo a informar-vos dos negocios cujo expediente
est a cargo da segunda directora, e que compre-
hendem as obras publicas geraes, que neste lti-
mos annos tem t3o justamente attraludo a attencao
dos poderes do estado.
Contina a sentir-se a falta de urna carta geral
do imperio com o sufllciente grao de aproximaco
e em escala apropriada para se conhecer bem a re-
lacao entre os trabalhos existentes, e determinar
as novas obras.
Com os antigos e noves elementos, tenho orde-
nado, sob minha immediata inspeccao, a organisa-
cao de um estoco geral, que mesmo com todas as
imperfeicoes que possa ter, ainda assim auxiliar
a discussao das vias de communicacao, o servico
postal, e outros a cargo deste rainsterio.
ESTRADAS DE FERRO.
Minuciosas informacoes sobre esta tao Importan-
te parte da administra'cao das obras publicas do
imperio, acham-se colligidas no relatorio da di-
rectora competente, que acharis entre os anne-
xos.
Com quanto anda pendam de solucao muitas
Suestoes momentosas acerca das ostradas de ferro
o paiz, posso informar-vos que as respectivas em-
prezas continuam a erapregar os meios de alcancar
urna posieao solida e prospera.
A diminuicao sensivel das safras do caf tem re-
tardado o augmento da renda que no anno passado
se nolava, em relacao aos annos anteriores, na es-
trada de ferro de Pedro II.
Para se abreviarem as demoras no pagamento
do mnimo de juro garantido s emprezas das*es-
tradas de ferro da Baha e de Pernambuco, prove-
nientes das difflculdades da verificacao e liquidaco
das contas apresentadas, o governo imperial orde-
nou que os dividendos fossem pagos nos prazos
marcados, independentemente da mesma verifica-
cao, salvo porm o direito da futura compensacao
no caso de inexactidao, ou erro.
Esta medida produzo resultados favoraveis ao cr-
dito dascompanhias, cujas acedes obtm vantajosas
cotacSes na praca de Londres."
O governo imperial, lem continuado a adiantar a
quota relativa aos 2 %, que as provincias da Ba-
bia e de Pernambuco se obrigaram a pagar, e que
entretanto por suas criticas circunstancias tinan-
ceiras, e por falta de crdito votado as respecti-
vas leis de orcamenlo nao tem podido satisfazer at
hoje.
Comprehendeis fcilmente qual o crdito que '
estas emprezas teriam presentemente, se o governo
geral deixasse de vir em autftlio daquellas provin-
cias ; e quaes os inconvenientes que resultariam
da falla de pagamento integral do dominio garant-'
do s ditas emprezas.
Tendo de rever os regulamentos para a fiscalisa-
cao da seguranza, conservaco e |K>licia das estra-
das de ferro, con Ira os quaes tem representado as
directoras das respectivas emprezas, procurarei
attender s suas reclamaces. tanto quanto julgar
consentanep com os interesses pblicos.
D. Pedro II.O astado flnanceiro desta estrada
no Io de Janeiro ultimo, o seguntc :
Capital realisado............20,466:6665666
Sendo do emprestimo de 1838... 12,666:6665666
Sendo das entradas de 60,000 ac-
e;s....................... 7,800:0005000
sta quantia acham-se j empenhados na 1", 2*
e 3* 8eccdes, e em exploracoes, esludos, proprieda-
des, clc:, 18,826:7425314.
Exista portanto, (alm de 227:6845667 ris
de fundo de reserva, dos quaes 123:1745050 esto
empregados em 1,010 de suas accoes), a somma
disponivel de 1,640:0245132, por certo insuficien-
te para a concluso, nao direi de toda a estrada,
mas somenle das obras j contratadas, c que esto
cm execugiio.
Orgia, pois, que a companhia tomasse qualquer
deliberadlo no sentido de se preparar com o capital
necessario para seus compromissos, c futuras ne-
cessidades.
ponderando a difficuldade de, as actuaos cir-
cumslancias, levantar no paiz os fundos de que ca-
rece, eniillindo novas accoes, ou exigindo de seus
accionistas o sacrificio d resto das entradas das
60.000 accoes emiltidas; e reconhecendo a difll-
culdadc de conlrahir novo emprestimo; a compa-
nhia propoz que o governo imperial, das accoes que
restam por emiltir, tomasse 66,666 cujas entradas
seriam suffletentes para fazer face s despezas com
as obras mais urgentes.
Em compensacao aceitava a reforma de seus es-
tatutos no sentido de se conceder ao estado o grao
de influencia, c de intervenco na sua economa
interna, e as suas delibera(;oes, a que Ihe dariam
direito os avultados capitaes que licariam assim em-
penhados nesta empreza.
Anles, porm, que estudada com toda attencao
tao importante materia, o governo Hcasse habilita-
do para deliberar sobro a proposta, os accionistas
desta companhia reunidos no dia 10 do mez passa-
do em assembla geral, discutirain a questao sob
diflerenlcs hypotheses, e na sesso do dia 25 adop-
taran! as seguinles resolucoes :
Que a assembla geral dos accionistas autorisa
a directora para tratar do assumpto que nos oceu-
pa com o governo imperial.
Sala das sessoes, 9 de abril de 1863. De
Bem.'
Proponho que a directora da estrada de ferro
de D. Pedro II, seja autorisada a apresentar ao go-
verno imperial, para que este leve ao conhecimen-
to do poder legislativo, que a assembla geral dos
accionistas de parecer :
1." Que as circumstancias actuaes do Brasil ''
summamente difllcl, se nao itopossivel, obterem-
se capitaes necessarios para a realisacao. do gran-
dioso pensamento que presidio ao plano adoptado
para a referida estrada ;
. 2. Que, ainda que seja possivel levantarem-se
dentro do paiz os capitaes necessarios para tal fim
muito mais vantajoso aos seus interesses econ-
micos, industriaes e commereiaes que a estrada se
faca com capitaes importadas do eslrangeiro;
3." Que dos tres meios propostos prefer vel
todos os respeitos o de entrogar-se a empreza a
urna companhia estrangeira, que tome a si o en-
cargo de prolongar a estrada para o interior.
Rio de Janeiro, 25 de abril de 1863.C. Fuiquun
de Almeidu.
< A assembla geral dos accionistas da estrada
de ferro de D. Pedro II, devidamente constituida o
autorisada pelo art. 49 dos estatutos, ortorga a di-
rectora plena faculdade para representar aos po-
deres do estado e tratar com o governo sobre qual-
quer reforma que seja necessana para o fim de nao
continuar a levantar capitaes dentro do paiz, e sim
attrahi-los do estrangoiro, ou soja somente para a
concluso das linhas que constituem a concessao
da companhia, ou para as ampliacSes e desenvol-
vmenlog quo o poder legislativo naja de decre-
tar,
Este contrata e reforma poder assentar-se so-
bre as bases que acompanharam o offlcio da di-
rectora >o governo de 26 de novembro de 18fj2.
diriwac8esc,n quc Poverno cortlar fiando tnel s poder estar concluido para os
flns de 1864. wm.ni -.-. -a. .... .^1:
tao importante
ou ron
coma
-VJ&SS6^?'1? na venda da empreza, seogover-
no imperial o julgar necessario ou til.
estraMe"3 eoncessao da estrada a urna oompanhia
* Ou finalmente era qualquer outro pensamento
1ue ma>* ^rade ao governo imperial, e quepreen-
cna o tim cima especifleado, attrahir-se e empre-
gar eapitaes eslrangeiros.
Oatweim, e no caso de quo por falta de auto-
risacao legislativa especial, exigida pela lei de 22
de agosto de 1860, art. 2-, 4", nao. seja possivel,
No d!a8o corrente
fins de 1864. Emquanto, porm, mo se termina A- ordem do subdelegado do Rwife Franrisco
obra, o transito sera feto pelo ra-' Goncal-.vs da Iaixao, branco, por embriairuez
mal provisorio que contorna o mesnw tnel, e que Paulo, africano, escravo. de Manoel Vax hattMo'
se calcula estar prompto em agosto prximo fu- de Olivara, a requerimento desie.
A' ordem do de Santo -Antonio, Dorotha, criouta
E como as qualro inilhas da 1.
pois daquelle ramal, devem estar concluidas no
sub-seecao, de- escrava de Joaquim Antonio Carneiro7Maoe' afri-
cano, escravo de Virisaimo Gomes Coimbra. ambo-
corrente mez, e- as restantes desla, seccao em se- a requerimento dcstes.
Coimbra, aml>o-
. iijvi., *j ivoiauu ucbi 5t'i*w cm m;- a Mijt.rt Milenio UCSltS,
lembro, de esperar que ainda. naste'anno a lo-; A" ordem do de S. Jos, Joao Francisco frica-
comotiva cheguc ao valle do Parahyba. no, Policiano Jos daSilva, croulo ambos por i
Ponderando, a conveniencia de um ramal que li- fraeco de posturas.
, gue esta estrada cidade de Yalenra, sob proposta A ordem do da Capunga, os erioulos Bertto. m
duda7Z3LLornem.inc,lsPensar-s DOvas chama- da directora e representacao dos moradores do cravo.de Jos.- Morgado, imr turbulento, Cusiodia
Piir^r T '^- r.efo.a que se aeaba de espe- respectivo municipio, ordenou-sc quo se procedesse cscrava de Fredemo Chaves por brica
< m SLif?PS a"'0!15^ rra negociar pelos engenueiros da companhia aos estudos ne- No dia 9 do corrente :
visorio7^nii,"lpen? (Iu1a|q"".exFdJ,en,e Pro" cessarios para este fim,correndo.a despeza, oreada A' ordem do subdelegado do Rec:V, Dam.,
e a n hionrT r^K "? dePreciacao.das &** em 6:0005; por conta deste ministerio. Goncalvcs Pacheco, ordo, por embriaguez,
van amento dn K? .S lnconvcni.cn|es do le- 3.' c Para ik ne m osno'n1,er,ordoPa,z. de abr do anno passado, os trabalhos desta scc- de Souza, Belarmino Francisco Barlmsa. Hermino
siderarinviwiMTFT a 0S a d'Fec,or,a con- P- Q"e romprehende 50 railhas, os quaes foram Cornelio de Sonza, Trajano Pereira de Souzi, bran
esiatuioV.Jr. de.'odos os poderes que pelos divididos em 3 sub-seccoes, sendo a primeira'
estatutos pertencem
nistas.
assembla geral dos aceto- extensao de 8 milhas
tereeira de 33 milhas.
Sala das sessoes, 25 de abril de 1863.-C. 6.
Oltom.
Em eonsequencia disto a respectiva directora
dirigi ao poder lcgislati\-p, por intermedio do mi-
nisterio a meu cargo, a representacao que em 4 do
corrente Uve a honra de trazer a vossa conside-
racao :
O governo imperial tinha meio, na faculdade
que Ihe outorgou o art. a. da lei n. 1083 de 22 de
agosto de 1860, pelo qual foi autorisado a permu-
tar as accoes das companhas das estradas de fer-
ro, por apolices da divida publica coladas ao par,
de auxiliar esta empreza em lo grave situacao ;
e Ihe parece que comprehendendo em sua maior
laiiiude a autorisacao dada pelo referido artigo,
poderia o mesmo chegar a encampar o contrato
celebrado g>m a companhia.
Nao obstante, dependendo este arbitrio de sacri-
ficios consideraveis do thesouro, c aproxmando-se
a poca da reuniao da assembla geral legislativa,
a quem competem mais ampias attribuiocs para
decretar qualquer das solucoes quo esta questao
pode receber ; julgou o gove'rno, visto nao haver
urgencia cm a resolver inmediatamente, que a de-
via submclter vossa deliberacao, esperando que
o habilitareis para, na escolha'do mais convenien-
te arbitrio, e da opportunidade de o levar_a_effci-
to, proceder com a precisa liberdade.
Em occasiao competente manfestarci o que pen-
s sobre esta questao, que tao estreitamente se
prende aos interesses da primeira empreza na-
cional.
Pendcm de parecer da sec?o do conselho de
estado dos negocios do imperio varias duvidas sus-
citadas pela commissao nomeada para verificacao
e exame das contas da companhia, que desde o
segundo semestre de 1858 nao haviam sido toma-
das. Estas duvidas nao' podero ser deflniti valen-
le resolvidas, em quanto perdurarem as circums-
tancias que actualmente poc em duvida a existen-
cia da mesma companhia.
Nao^bstante receiar fazer as reduccoes que
propozJBa commissao nomeada pelo governo iin-
!'rh!JPT.i ever as tarifas ilos precos dos irans-
yrtejra directora resolveu apresentar urna tarifa
mata commoda para os objectos de consumo geral,'
que, depois de ligeiras alteracoes, foi approvada
pelo decreto n. 3048 de 3 de fewreiro ulmo.
O governo im^rial resolveu definitivamente
que se nao emprehendesse o ramal da Prainha,
que devia ligar a eslacao central com o littoral, c
Beata conformidade foi a companhia autorisada
para dispar dos predios que havia comprado, visto
que nao produziam renda < piues nelle eiiqienhados ; sendo-lto restituida a
somma de 30:0005, que como eauco fra deposi-
tada no thesouro nacional pela demolico da igreja
de S. Joaquim, por onde tinha de passr o dito ra-
mal.
E como urga providenciar acerca dos meios de
facilitar o transporte dos gneros da mencionada
eslacao para o centro commcrcial da cidade. foi
ainda autorisada para, de aecrdo com a illuslris-
sima cmara municipal, tratar da demolico dos
predios da ra da Valla ns. 133 e 187, e da aber-
tura de una pequea praca que deve ligar a ra
de S. Joaquim da Prainha.
O numero de passageiros transportados na parte
da estrada (1." seccao) c ramal dos Macacos aber-
tas ao transito, orcou no anno passado por 300,235,
cabendo ao prmiro semestre 150.731, e ao se-
gundo 149.504.
O transporte de mercaduras, tanto de importa-
cao como de exportaeao, foi no mesmo periodo de
2.959,594 arrobas, 228.598 palmos cbicos, c....
180,313 palmos correntes, |>crtencendo s merca-
dorias para o interior 1,507,080 arrobas, 142,697
palmos cbicos e 157,107 palmos correntes, e s
viudas para* corte 1,432,514 arrobas, 83,904- pal-
mos cbicos, e 23,406 palmos correntes.
Estes algarismos comparados com os do anno
de 1861, apresenlm urna diminuicao sensivel no
trafico da estrada de ferro, havendo urna differen-
ca para menos na importaco de 35.829 arrobas, e
na exportacoo de 700.740 arrobas, o que incon-
testavelmente foi devido diminuicao da colheila
do caf, artigo que mais contri bulo para a renda
da estrada.
(Continuar uiuk)
PERHAMRDCO
REVISTA DIARIA.
Temos as segrales noticias eleiloraes :
SEGVNDO DtSTBICTO.
Collegio da Limoeiro.
(Votacao reunida.)
Dr. Souza Carvalho...........
Dr. Silvino Cavalcanle.........
Conselheiro S c Albuquerque.
Dr. Lopes Netto..............
(Voto em separado.)
Dr. Souja Carvalho ...........
Dr. Silvino Cavalcante........
Conselheiro S c Abuquerque.
Collegio de Nazareth.
Dr. Souza Carvalho............
Conselheiro S e Albuquerque.
Dr. Silvino Cavalcante.........
Dr. Lopes Netto..............
Collegio do fguarasii.
Conselheiro S e Aibuquerqnc.
Dr. Souza Carvalho............
Dr. Silvino Cavalcante----------
Dr. Lopes Netto.............
Dr. Farias..................
Collegio de Olinda.
Dr. Souza Carvalho..........
Dr. Silvino Cavalcante. .......
Conselheiro S e Albuquerque.
Dr. Lopes Netto.............
Recapitulaco desses collegios.
Dr. Souza Carvalho..........
Conselheiro S e Albuquerque.
Dr. Silvino Cavalcante........
Dr. Lopes Netlto.............
Dr. Farias..................
TEnCEinO DISTRICTO.
Collegio do Cabo.
Dr. Ignacio de Barros........
Dr. Luiz Felippe.............
Dr. Souza Bandeira..........
Dr. Jos Benlo...............
Collegio de IK)j*ica.
Eleciio da matriz.
Dr. Souza Bandeira..........
Dr. Luiz Felippe.............
Dr. Ignacio de Barros........
l'm voto em branca.
Eleicao' do convento.
Dr. Souza Bandeira..........
Dr. Luiz Felippe..............
Dr. Ignacio de Barros........
QI'AltTO DISTKILTO.
Collegio do- Bonito.
Dr. Jos Leandro de Godoy e
Vasconccllos...........
Dr. A. Epaminonuas do Mello..
Dr. Francisco de Paula Baplista
Dr. Jeronymo Villela de Castro
Tavares..................
da o, Domingos Pereira de Sou2a, semi-branco, lodo-
a segunda de 9 milhas, e a inra averiguaroes em crime de roubo s Francisco
africano, por ebrio.
A' ordem do da Boa-Vista, Damo, africano, es-
cravo de um Fuao Barbosa, por insultos.
A' ordem do da Capunga. os pardos Manoel Lui
da Silva, Mantel Antonio Alves Barbosa, e Manoel
Francisco do Nsciincnto, todos por crime de
furlo.
O chefe da 2* seccao.
J. G. deMesquita.
= Casa de drhnrao.Consumiraiotsc com o
sustento dos presos pobres recolhidos casa de
detengo durante o mez de agosto prximo passade
5,079 racoes e gastaram-se com as mesuaa o-> se
guintes gneros, a saber :
Pes de 3 oneas5079.
Assucar-63 libras e 14 on^as.
Caf em p-317 libras e 7 oneas.
Farinha =84 alqueires e 39 dnetass.
103
105
103
2
1
1
1
74
73
65
10
76
74
74
2
2
58
57
57
1
311
KM
*5
2
57
56
US
3
35
38
34
30
30
30
Feijao17 alqueires c 46 '/., decimos.
Toucinho=223 libras.
Azeite doce= 23 garrafas e 14 oitava.-.
Vinagre61 garrafas e 15 oneas.
Carne verde==2,946 libras.
Dita scca=327 libras.
Bacalho 739 'A libras.
Consumkam-se com as lucias na eneumaru
desta casa os seguinles gneros aab"i :
Paesde trigo (3 oneas)1.041'.
Cha9 libras e 2 itavas.
Assucar79 libras e 7 nanaj.
Arroz57 libras e 2 oneas.
Galinhas60 nteiras e 2 martes.
Farinha7 alqueires e 40 decimos.
Carne verde636 libras.
Movimento da casa de d-tenco M dia 9 d
setembro de 1863.
Existiam...... 395 pnaSM
Entraram..... 11 >
Sahiram...... 5
Exstem...... 401
A saber
Nacionaes--------
Eslrangeiros...
Muflieres......
Estrangaira-...
Kscrav*......
Escravas......
286
27
O
3
7*
5
401
Alimentados cusa dos cofres publicas.. 171
Movimento da enfermara no dia 10 de setemb
de 1863.
Teve baixa :
Manoel Thonnz de OUveJca, iillipIllMIM
Tiveram alta :
Jos Joaquiui Dorio.
Jos Ferreira da Silva Pinto.
Oarrc.*Bio uo da t) de srrunm mmbmb
TRl'LICO :
Dorotha Wuchi, .Vlliiuanlia. 56 annos, tara
Boa-Vista, aneurisma.
Mara, Pernambuco, 48 mezes. S. los, chol .a
Manoel Francisco da Silva. Baha, 33 annos, ca.^-.
do, Boa-Vista, cholera.
Antonio Correa Onca, Pernambuco. 44 asnas- ca-
sado,. Boa-Vista, [tonda.
906
A renda bruta da primeira seccao foi de.......
6:5175462, e a despoza do trafico subi a .
UM POUCO DE TUDO.
Do lovrml'du Havre Iradnzimos que-segu ,
84 Temos vista o ultimo recenseamenioquinquen-
io nal do imperio francez, do qual resuita, que a po-
27 i pulacao dos 89 departamentos se eleva 37,382.22-'.
habitantes, em cujo numero nao oslao incluido^
12 porm, cerca do 90,000 soldados, que se acham
- Domingo solemnisa a confraria de Nossa.Se-1 fra do Franca actualmente,
nhora do Livramento a festa de sua augusta pa- O recenseamento anterior, procedido em 18.*>*;
droera com aquclle esmero e religiosidade, de que apresentara para a popularao dos 86 depaflaaaen-
soe usar, tendo por pregador das Vetpera o Itvd. tos o algansmo de 36,039.364 rabilantes,
dicono Manoel Cavalcanli Bezerra de Menezes. D'alii resulta, que no pe iodo quinquennal de
estudaute do quarto anno theologico. Ora ao Eran-1 1857 IOS1, houve um accrescmo de 1,342,861
gelho, o Rvd. Fr. Joaquim do Espirito Sanio, ou de 3,72 % Mas como mem parle do imperi-
pregador da capella imperial; e ao Te-Deum o Rvd., os novos territorios annexados. e que comprehen-
Sr. Jos Estoves Vianna. : dem 663.059 habitantes, feita a competente sui^
E! tambem domingo que a confraria semina-! traeco. o augmento re-o.lii.ado de 673,80a. o'i
risla das Dores d principio ao setenario da mesma 1,86 0/o-
Senhora Este resultado mnissimo saiisfaetorio, princ
Durante os sote dias, tarde, naver praticas, plmente sendo comparado eom os apresenjadi -
para as quaes foram designados pelo respectivo re- pelos dous precedentes periodos quinquennaes.
no
_o
de 67,7 % elevou-se no anno passado a 84,7 /
isto mais 17 % o que se explica pelas razdes
j expendidas da diminuicao dos productos trans-
portados, o pelo augmento de despezas provenien-
tes de causas de torca maior.
Entretanto salisfatorio reflectir quo sem em-
bargo do todas essas causas, a receita lera ttdo em
geral urna progressao ascendente rauko pronun-
ciada, como se v do seguinte quadro :
Anno de 1858-1839..... 487:9885102
, 1859-1860...... 792:5925752
i 1860-1861 ..... 1,060:1675247
1861-1862..... 1,158:8775247 .
Se da receita passarioos. ao trafego, notaremos
a mesma progressao, como se v da estatislica dos
passageiros :
Anno de 1838-1839...... 164,479
1859-1860...... 219,688
1860-1861...... 249,363
1861-1862 ..... 300,235
verdade que a esta constante progressao, aeom-
panha tambera a clevacao animal das despezas,
porquanto
no ejercicio de 1858-1859 foi de ... 354:1125207
1859-1860 ...... 642:4935297
1860-1861 .......681:2135987
1861-1862 .......764:3465308
L* secro.Ainda no anno a que alludo se sen-
tirara nesta seccao as consequencias dos ^defeitos
de construeco, que por vezes vos tem sido pa-
tenteados; nao obstante haver a actual administra-
cao, desdo que tomou conta della, feito importantes
i obras no intuito de os corrigir.
, 2.* seccao.Calcula a directora, fundando-so no
parecer do seu engenneiro em chefe, que esta
parte da estrada deveri ser aborta no. corronto
mez ; no que nao concorda o engmhciro fiscal do
governo, e qual pensa que somente cm junho se po-
oeri realisar esse facto.
I Em qualquer das hypotheses ter havideuma
demora de 6 a 7 mezes, bem prejudicial aos inte-
resses complexos que o trafico d estrada de ferro
, representa.
tor os seguintcs seminaristas
Miguel Americo Pereira de Soma Lisboa.
Joao Manoel de Carvalho Jnior.
Anixio de Torres Bandeira.
Diocono Sesostres Abdon Freir de Carvalho.
Dicono Sebastio Fabiao de. Oliveira Lima.
Dicono Manoel Cavalcanli Bezerra de Menezes.
Dicono Luiz Ferreira Nobre Pelinca.
Foi prvido na classe de opositor da cadei-
ras do Curso Commcrcial Pernambucano, nos
termos do art. 17 do reg. de 29 de fevereiro de
1860, os Srs. Viriato, Sergio de Moura Mallos, por
portara de hontem.
Dirigem-nos queixas contra o estado de porca-
ra cm que se acha um quintal da ra das Cruzes,
com|incommodo de quem inora prximo. E pois, im-
porta que seia removido esse foco de infeceao, mes-
mo porque ha posturas municipaes, que cominam
penas taes abusos, do-vendo o respectivo fiscal
fazo-las efectivas, como de sua obrigacao.
Temos vista um despacho de um papagajo
para a Europa, no qual ha onze rubricas c em-'
pregados !
E' preciso nolar ainda, que a avaliacao do mes-
mo. papagaio era de 35500, pagando de direitos
apenas 12o rs.!
Esse luso de rubricas nao ser um verdadeiro
atropello, sem que Ihe corresponda urna nocessida-
de pralica real?
Na quarta-feira pela manhaa seguio para
Montevideo a canhoneira frica, da marinha de
guerra. do S: M. C., que chegra este porto no
dia 7.
Amanlia estiva o Circe Crawh Ocano dos
Srs. Spalding & Rogcrs.
Hontem abateu o telhado de uma casa ra
do Pilar, som d'abj resultar dany.io pessoa aten-
ma, por achar-se a mesma vas'ia.
Hkparticao da, polica :
Extracto das partes d/vs dias 8 o 9 de setembro
de 1863.
Foram recolhidos casa de detencao no dia 7
do corrente :
A' ordem do subdelegado do Recife, John Robert,
inglez, por embriaguez e briga.
A' ordem do da Boa-Vista, Hyppolito Antonio da
Silva, pardo, por crime de defloramento.
A' ordem do da Muribeca, Jos Soares da Fonse-
Dc 1846 1851 fra o augmento de 381/184 ou
1.08 y, : de 1851 i 18.36 nem attingio a essa pro-
porcao. 0 ultimo recenseamento, port-m, acensa
I um augmento quasi. duplo.
Este melhoramento se explica fcilmente se con
j siderar-se, quecuperiodo precedente fra marcado
! por circumstancias desfavoraveis, taes comocolhei
] tas insuflicieatas e epidemias. Sob o influxo da
prosperidad geral e do bem eslar, a populavln
tende a reassumir uma progressao normal.
O augmento aviiliou mais nos departamenlos do
1 Sena, do Norte, do Rheno, das embocaduras deste
|do Senti,eOise, daGronda, do Loire interior.de
i Finistcrra, do Sena inferior, do Alio Rheno. do
Marne e da Co'. sega.
Secundo informa o e^enheiro do governo, o I ca, crioulo, para averguagoes policiaes.
Remette-Tios o Sr. 9. Jnior a segrate poesia
FAZE ESTA CARIDADE.
Donzella, d-me um olhar
Desses que revelam amor,
ex.pressao mil segredos,
Coloridos com o pudor !
Ah! de mim lem piedade.
Protege um peregrino.
Faze esta caridade!
Quero lr a minha sina
N'ura olhar que dizsogredo____
No oscillar dos leus labios
Um sorriso solt mdo.
Ah de mim tem piedade,
Nao mudes o meu destino.
Faze esta caridade!
Se o teu pai o leu arrimo,
Emquanto fores soltcira,
Com mais veras eu o sere,
Te livrando do ser freir.
Ah! de mim tom piedade.
Se nao queros ser novica.
Faze esta caridade!
Consulla ao teu dcil peito,
Attende-lhe as pnlsacoes,
Que elle reflecto amores
No espclho das paixes.
Ah! de mim tem piedade,
D-me um aipor compaixo,
. Faze esta caridade !

IMaXADQJ



Diario de Pernambneo -- sexta felra ti de Setembro de I88.
Se um cravo, minha bella,
Te offertei n'umcarnaval,
Foi Armado que um*ii
Me darassera igual.
Ah de mim tem piedade,
D-mc a luz de teu auxilio,
Faze esta earidade I
l'insignal a divisa
Que coroigo existir
E' um minio do futuro
Que jamis se apagar.
Ah! de mira tem piedade,
Da-nie de esmola um suspiro,
Faze esta earidade!
Quando eu por ti passar,
Como sempre respeitoso,
Ah I nao cores, nem descores,
l)-me um olhar esperanzoso.
Ah de mim tem piedade,
Nao te retires, bella,
Faze esta earidade!
S simples, nos teus olhares,
Que nao corapr'endam as amigas
P'ra privar que do ciume
Nasca a fon te das intrigas.
Ah I de mim tem piedade,
A natureza t'o ordena,
Faze esta earidade !
Ah nao sabes, minha bella,
Quanto feliz me jolguei,
Quando n'uma reuniao
Comtigo, amor, eu dansei.
Ah de mim tem piedade,
Manda Deus amar o prximo,
Faze esta earidade!
Na Manilha deu-sc um grande terramoto, do
f[iial resultou a destruigid de tres poyon*5es, cm
njas ruinas foram sepultados dez mil'indgenas,
O Sr. Kent, segundo noticias de Londres, com-
prou o jornal The Sun.
Ora, sendo c Sr. Kent catholico romano, de
-aiippor que e ou jornal tenha de prestar os seus
-servicos nossa santa religiiio, por meio da pro-
mocao dosiifccresses dos catholicos'Inglezcs.
Falla-se que o re dos belgas foracscolhido para
arbitro da pendencia internacional dos Estados-
Lnidos1 com o Per.
Essa questao tem por causa o aprisionamento de
alguns Barios federaes as aguas de Calho.
Regressaro as suas dioceses os aispos mexicanos,
;i quem Jurez forrara a expatriagao.
Ja devem esta hora ter embarcado no porto de
Saint Nazaiiv com aquel Ir destino.
Tem correspondido ptimamente as experiencias
da cultora do algodao no meio dia de pennsula
'laliana.
Na Sicilia deu-se resultado-idntico.
mais urna foute importante de riqueza para a
agricultura.
Na Revoluro de Setembro \ o titulo de sem mulher t sem detiles:
J. d'A. um elegante de poucos fundos que des-
coteio o segredo de viver scni emprego, sem me-
sada, sem rend memos. Esta posigito ambigua tem
seus contras pois das ha em que a bota anda muito
luzida, o chapeo lustrosa o'fato escovado, o bigode
retorcido, mas o estomago em baixa-mar, e a bocea
esiancarada continuamente.
Ora J. d'A, tinhauma namorada, a interesante I..,
por ijuem inorria d'aniores.gostando L. muito delle,
sobretudo jielus seus alvisslmos dentcs que pare-
ciam perolas.
Yum dos dias do mez lindo a joven L. fazia an-
un-. Biinda-la com urna dadiva era o dever eo
desejo do elegante, mas como ? se ello nao pos-
suia de seu mais que o vestuario que trazia.
Empentando as botas fleava descalco ; se pre-
ferisse as calcas lieavan em ceroulas ; se appel-
lasse para o Irak licavaem mangas de camisa. Seis-
mando tiestas dilliculdades J. d'A. maldizia o seu
destino. Eslava cesta collisao quando n'um forte
abrimento de bocea se llie desprenderam da maxil-
la superior os quatro denles incisivos. Erara arti-
lieiaes encasloados cm ouio t haviam custado ris
14*400.
Falal tentacao You empenhar os denles.
Hito e feito. lu dentista couhecido emprestou-
llie sobre elles 4*oOO ris.
J. d'A. correu a comprar urnas pulseiras para a
sua bella, e. falla de mcusageiro, foi elle levar-
Ibas.
Exulta a joven L, e ao contemplar os domados
do brinde redobra-lne de intensidade o amor. J
nao era fogueira era nceudio. Nao era incendio
era vuko.
Naniorados mysterios que elles se revelaran] da-
liam bein para um romance mais bello que o de
OHROMCA JUDIGIARU.
TRIBIWI, IM COHni:K(l().
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 10 DE SETEM-
de \m:
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADO!!
SOUZA.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. deputa-
dos Lemos, Malveira, Rosae C. Alcoforado, oSr.
presidente declaro abena a sessao, sendo lida e
approvada a acta da ultima.
DESPACHOS.
Um requerimento de Joao Bernardino Botelho.
pedlndo o registro de sua nomeacao de recebedor
da caixa filial de London and Brasilia Bank.Re-
tristrch$6.
Ourro de Saunders Brothers & C, pedindo re-
gistro do sphstabeleciinento feito as proeuraedes
juntas.Registre-se.
Outro de Fonseca & Silva, pedindo certidao do
registro da escriptura de dote de Antonio Francis-
co Aras e sua mulher.Passe.
Outro de Gabriel Antonio, pedindo oertido da
sentenga de concessao de sua moratoria.O mes-
mo despacho.
Outro de Antonio Joaquim de Mello, pedindo o
registro da procurarlo que apresenta. Regis-
tre-se.
Outro de Manoel Marques de Amorim e Maria
15. de Amorim, pedindo o registro da escriptura
ante-nupcial que apresentem.Hegistre-se.
Outro de Antonio KoV-lho Pinte de Mesquita J-
nior, corrector geral, pedindo para ser averbado o
imposto que pagou Como requer.
Outro de Sacavem, Barbosa C, officiado pelo
Sr. desembargador fiscal, negociantes estabeleci-
dos na cdade de Macei, pedindo o registro do
distrato de sua sociedade. Satisfaga o parecer
fiscal.
Sendo presentes os autos de rehabilitacao de Jo-
s Antonio Basto O tribunal concedeu.
SESSAO JUDICIAHIA EM 10 DE SETEMBRO DE
MB.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
SOOZA.
Secretario, Julio Guimaraes.
A meia liora da tarde, o Sr. presidente abri a
sessao, estando rennidos os Srs. desembargadores
Villares, Silva Guimaraes e Costa Motta, e os Srs.
deputados Lomos, Malveira. Rosa, Casemiro Alco-
forado c Fonseca Jnior.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente. '
Foram assignados 09 accordos proferidos na
ultima sessao, entFe partes :
Appellante, Francisco Pedro da Cruz N'cves;
appcllado, Antonio Jos Conrado.
Appellantes, Guimaraes & Olivcira ; appellados,
o visconde de Soassuna.
JVLGAMENTOS.
Appellantes, os licrdciros de D. Antonia Maria
de Castro ; appellados, Barroca & Castro, cm liqui
daeao
Juizes cerlos os Srs. Casemiro Alcoforodo c Fon-
seca Jnior.
Relatado o feito pelo Sr. desembargador Silva
Guimaraes.
Dcsprezaram-sc os embargos.
Recrreme, Ignacio Ribeiro Chaves ; recorridos,
os administradores dajmassa fallida de A. S. Lcvy.
Designado o-dia de boje.
Sorteados os Srs. deputados Lomos, Rosa c Case-
miro Alcoforado.
Relatado oTeito pelo Sr. desemliargador Vil-
lares.
Vencida a preliminar de nullidade em favor do
recorrido com o voto do Exm. Sr. presidente, e en-
trando-se no merecimento da causa
Foi adiado o julgamento a podido do Sr. Rosa.
DKS1GNACAO DE DA.
Appellanles, o Dr. Joao da Silva Ramos e Iuren-
go Pereira da Silvn Pimentel ; appellado, Jos Man-
ques dos Santos Aguiar.
Designado o primeiro dia til.
PASSAGEN-.
Appellante. Louienco Puggi ; appellados. Scha-
flieillin c C.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes aoSr.
desembargado!" Villares.
DlSTRIBnCOES.
Appellantos, Francisco Xavier de Oliveira. como
administrador de sua mullier c Luiz Pedro das No-
ves appellado, Jos Cordeiro do Reg Ponte?.
Ao Sr. desembargada! Silva Guimaraes.
Nada mais houve e enceirou-se a sessao 3 ho-
ras da tarde.
tctisao da ara, que OCCUpa e perfei?5o da oraece-la sob a minha responsabilidade, asslm
obra, e j por sua colloac.5o, cotjfroDte i
edificio da fabrica, beira da grande, ala-
ga, quedeu o nome provincia.
O dispendio com os trabalhos actualmen-
te realisados, por suas porporcSes conside-
raveis, pode ser, sem exageracio calculado
no duplo do fundo capital comoqualfra
constituida a sociedade !
Tal tem sido a paicirnooia e economa,
como o vigilante telados directores no em-
prego severo daqoelle capital 1
A fabrica, como temos dito, est promp-
ta e acabada para iniciar o trabaltm indus-
trial entretanto o estado critico de (man-
cas da provincia por tal forma desalenta-
dor, que os accionistas se acham impossibi-
litados, por si mesmos.de prestarem o auxi-
lio, de que necessita a empreza, para o flm
de comprar-se o algodSo necessario para
alimentar a fabrica, e fazer face ao grande
cosleioda mesma.
Esta poderosa razio tem feito esmorecer
consideravelmenle os accionistas, cujas ac-
coes podero ser hoje compradas por menos
do seu valor.
Um capital, nunca menos de GO a 70
contos de ris, ser indispensavel para fazer
proseguir a fabrica com xito feliz Dado
esse primeiro impulso ; e suppondo, rasoa-
velmente, que o capital empregado no fa-
brico venlia a reverter ao cabo de 5 ou 6
mezes, com os lucros resultantes, a fabri-
ca nlo encontrar mais serios obstculos a
transpor pela renovado constante e succes-
siva do mesmo capital.
Sendo chegada a poca da safra do algo-
dSo, lora para deplorar, que a falta de au-
xilio viesse a procrastinar os fructos que
esta empreza pode offorecer.
Certamente as circumstancias peculiares
da provincia das Alagas sugere e aconselha
companhia o expediente de recorrer ao
governo, sollicilando um emprestimo, o
menos oneroso possivel cm favor desta. En-
tretanto nao ser com facilidade epromp-
Udo que ho de ser attendidos os seus re-
clamos, quando a embriaguez de urna poli-
tica estril tem, desgraciadamente, desviado
o espirito dos nossos legisladores, do cuida-
do e interesse pela agricultura e industria
do paiz, donde exclusivamente depende a
sua prosperidade. O governo, alias, que
melhores resultados vem a aoferir pela mul-
tiplicac3o da riqueza social e acrescimo das
rendas publicas.
O vasto consumo do algodo fabricado,
que nos importado exclusivamente dos
mercados estrangeiros, o penhor mais se-
guro da ulilidade e vantagens de urna em-
preza desta ordema nica, que, nessa espe-
cialidade, possuimos no paiz.
Se alguns negociantes e capitalistas desta
provincia, animados por nobres estmulos,
quizessem concorrer com o seu auxilio para
reanimarem aquella empreza eminente-
mente nacional, muila gloria lhes resulta-
ra por essas demonstrarles espontaneas de
generoso patriotismo.
como as ferias semaiaes para os que trabalham.
A cada um oficial de sapateiro se paga 600 res, i
de feitio por cada mn par de sapatSes, e 300 reis,
divididos pelo mestre, contra-mestre e cortador. |
Como auxiliar eslou ensaiando urna officina de
surrador, queja vai fornecendo algumas vaquetas,
da qoadade da que se v na amostras ns. 1 e t!
um offleio de que tem carencia esta capital, e |
que habilita a ganhar bom salario.
Apenas havia um surrador nesta casa, o hoje j
trabalham solfrivelmente seis, e estao outros habi-
litando-se. O estado lisongeiro da oIBcina de sa-!
pataria desto estabelecimento lea assustado aos!
que, apnov^itando-s gavam do fornecimento de calcado para o exercito!
por alto preso ; e reconhecendo que ella marcha'
para collocar-se em ponto de fornecer bom, e ba-,
ralo, empregam todos os mcios para oppor emba-1
ragos ao sou progresso.
Cont porem que V. Exc. se dignar soccorre-'
la, ordenando, que o calcado para a tropa soja fa-
bricado nesta casa, a vista das amostras que a este
acompanham, e que sao de qualidade, como ainda
nao foi melhor fornecido, at esta data.
Dos guarde V. Exc. IHm. e Exm. Sr. Dr. Joao
Silvera de Souza, presidente desta provincia.O
administrador Rufino Augusto de Abneida.
COMMNICADOS.
I inquira!'!.' fabrica de teridos 'do Ferae-Velli
cm Macei
Esta fabrica foi instituida em 23 de fe-
A florida e odorfera fragrancia.
Que se exhala e diTunde da balsmica e
deliciosa agua de florida de Murray A Lan-
man, de todos os perfumes o mais delicado
e mimoso.
No proprio paiz florido aonde ellas nas-
cem e floi ecem, o d'onde o seu mate-
rial derivado, as proprias flores ellas
mesmas, n5o derramam urna fragrancia mais
delicada e doce. Alm disso as suas quali-
dadessao 15o saudaveis, to vivificantes, t5o
refrigerantes e apreciaveis, servindo como
por um mgico encanto, allivar as dores
de cabega e fadiga, servindo do mais suave e
agradavel refrigerio ao espirito.
Derramai urnas poucas de gotas no vosso
banho, e lavar-vos-heis n'uma pura e liqui-
da fragrancia de flores do mais delicado e
fino perfume.
Nenliuma outra essencia odorfera ou ex-
tracto, cliega a reter a metade de s"ua fra-
grant forca ou de sua superior suavidade.
Assenhoras usam n'um estado diluido
para a purificacio e conservarlo dos dentes,
e os homens da mesma forma a usam como
agradavel refrigerante para depois de fazer
a barba. Ella tem-se tornado umnecessario e
verdadeiro Urxo primario do toucador, para
o que, a moda e o grande tom llie oulorgou
e afixou o seu imperial sello; eporisso
poder-se-ha encontrar em todas as princi-
paes lojas de perfunurias e estabelecimentos
de drogas.
Ao publico.
A sociedade impoc ao hotnem o dever de con-
servarse moralmente, como a natureza o de con-
servarse phsicamente. Serva le psum conipre-
hende o phisco e o moral.
Em 1859 o Sr. Bernardino de Sena Barros, por
anthonomasiaBigode de rame, chainou-nie
em sua casa, quando cu'conduzia obras de meu
patro para a casa da eosturera, e em presenca de
testemuuhas maltratou-me de palavras, sob pre-
texto de eu o ter offendido, nao soi a que respoito.
Consta-nos que o baro do Livramento, ] Depois de llie baver cu dito alguma cousa que na
que est sempre prompto a concorrer cora i occasiao me occorreu, retire-me ; entretanto que
n ton vnWnin annin nra 1 roalisacln das esle sen,l0r lcm con"nuado a maltratar-me em an-
o SCU vaioso apoiO para a reaiisagao ua j ^ rccorrcndo at a meios ignolieis : de entre
grandes obras, se interessa pela prospenda- outros o meu cabrion espaliwu (los molequcs
de (('aquella empreza. (oque feliz lembranca I), que me tinliam daao bolos,
E' certamente ao seu incansavel zlo e orgo somante prop'rio de -Bigode de rame, e
incessante actividade que elle deve o justo
apreco e bein merecido nome,->. de que gosa ;
muito se deveria confiar pois d* sua presti-
mosa intcrvencSo.
A fabrica com a capacidade,. e que dis-
poe, peder em breve tempo, tOKieAr ao
consumo d'aquclla e desta cidado toi o al-
Paulo c Virginia, que o de Werther, que o de nmi- SC denoulinou l'liiao Mercantil.
vercirode 1857, quando se confeccionaran! duccao to consideravel, que nao poder,
os seus eslaiutos.por urna companhia, que certamente, competir no prego j calculado
procurou dar corpo a esse boato.
Chegando isso ao meu conlieciinenlo, pe guntei
llie pelo Diario de 4, o e 7 do andante, mas nada
leudo obtido em respeita at o presente, pelo que
supponho que o Bigode de rame acbou o
meio a que recorr incapaz delle, poisijue o de
que usa e mais barato e mais proprio de indivi
dos de seu calibre.
Nao tendo sido possivel encontranno-nos por
jue pisarmos- terrenos oppostos, declaro solemnemente
JriP '
porlacoeslrangeira deste genero de pro-
godo fabricado d'nquella especie, oA-i
liajam misler, afugentando dest'ai te aMR ^n^^^^^S^^^.itll!f^Z.l
_'....________r. ,_. ______ .,____Nqueeile c mais proprio para ser paciente do que
tos outros de que nao nos lembrains agora. J.
d'A, a quem a foine augmeulava a lebre do amor.
gosa va os mais doces xtasis de ternura ; mas un
traidor abrimento de bocea, o precipitOU d'aquel-
le eo.
\ bella L encara-o pasmada e d um grito :
Ah que vejo ? Tu sem os teus esmaltados
dentes,
Filha, tornou triste o amante ; o dedo da l'a-
taUdada pousou na minha bocea !
De houteni para hoje... Cairam te,; quebra-
ram t'os; arrancates-los T Falla, se franco : amor
e sinceridade.
Pois tem. A ti devo o eatar sem denles.
Bateste-te com um rival ?
Sim
E quem foi o oosado T
- O destino !
Nao te entendo. Tira-me desta aticiedade,
Nao me mates.
Filha, anjo, quero-te muito puz os denles
na prego para te compraras pulsurag porque nao
recebi a mesada este mez.
No prego Enlao aquelles hados jaspes cjue
oiam o teu principal encanlu eram *.... tremo de
p-iisa-lo....
Erara dentes poslieOR !
Horror exclanioii L. Pos.tcos l'ra aman-
te postico. I'iis denles posliejif. E < ngaiiou-ine
enea mezes. Retire-se senhor. Nunca mais!
E a bella L. incendida em cboJera l'echava a por-
.; da oseada em que esta scena se passava tendo
smagado aos psas pulseiras.
J. d'A. desmaiou e volvido a si saiu para a ra
encontrando um amigo com quem desabafou refe-
iindo-be oacocfciiineuto,e concluindo :
Agora, ucm mulher nem dentes !
Lastima os quatro denles meu pobre J. d A.,
da jiarabens. -sorie por le veres livre de quem !e
halda de anda arrancar o resto.
da producro nacional.
CORRESPONDENCIAS.
Sendo urna sociedade anonyma, a sua
instituicao defenda, segundo dispe ocod.L
com. no art O, da autorisaco do gover-
no, a qual foi efiectivamente concedida pe-
lo decreto n. 1900 de 2 de agosto do
mesmo annode.57. A sociedade se aeha, ira rnrfYintoriii fjihwilo pnli dorliwtio do flr
pois, legalmente constituida Guar4a>m6r, publicada no seu conceitudo jornal
E' o seu lint a fundaco de lima fabrica de l>ontem,que os Srs.negociant.s consiOnetarios de
do iir p Ipcpi- alwuia adminioirada nnr ; navios ,eem Pr *tamc acreditar as contas que
ue iuie ecet aigoaao, aumitnstiaa pot lo clles aprcsentadas a0 nvniC6eeria qHmta
lima directora de tres membros, e um ge- como gratificaran dada ao guarda mor, e como por
rente. Aletn da directora e gerencia creou-|vezes tenha exercido esse cargo, julgodo meu dever
se um conselhc de DscatsacSO, composlo de! d(-'rlarar a corpo do coramercio, capitaes de navios
lrp>? mpmlirn, ftnrarrpoailn' ti es metiiij os, encat i cgauos ua conitct. ao e ncm receberci gratifi,acae alguma; e desde j pro-
exposicao de um relalono annuo, minucioso; testo contra a reproducrao de semelhante abuso,
e restricto respeito do estado da compa-! que so tem por lim desacreditar aos acluaes em-
nbia e sua administradlo. pregados destaguarda-moria, e reverter a dita.
Todos esses agentes de directo, gwen- !'S0^^iSS,Ma*ell,aMI,WB
ca e (iscahsago devem ser eleitos cada anno Fazendo, senliorcs redactores, imprimir esta mi-
em assemhla geral dos socios, que repre- \ nha declaraeao, muito obligado flear o seu cons-
sentam a companhia; sendo que cada um i ,an''ei,tor- ,
destes nao tem direito mais de um voto! lJSf*m do Pernambuco, lOdosetembro de
as reunies da mesma, qualquer que seja i Affoiuo do Mem Barros, ajudante interino do
o numero das suas accoes ou parles. Por guarda-nir
esse lado ofterece tam bera a companhia as -^^
agente era tal raeanba, c que elle contando tal vez
com o meu silencio, e quereudo fazer-sc celebre
no meio de seus convivas, que os cncarregou de
propalar tal gentileza, pois que apenas o chamo ao
campo da publicidade, mette-se no lodacal em que
vive, como de todos sabido, e nada responden-
do ; pelo que, entrego-o ao desprezo que elle me-
rece : certo, Sr. Bernardino, que os seus ivos sao
incapazes de me desconceituar, a mira que vivo de
um offleio que nao me envergonha, que gozo da
conlianca de nieus patioes, que sou couhecido dos
meus vzinhos, e que nao causo reccio a alguem ;
c que esse beato propalado pelo Bigode de Ara-
rae, nao acreditado seno pelos molequcs, e por
mais alguem, em cuja sociedade vive o Bigode
de rame, o que publico, e at a "juslica de
Pernambuco bem o conhece para dar-lhe o devido
apreco.
Nao me teudo respondido, co aqui.
Recite 10 de setembro 1863.
Manoel hiato da Cosa Chite.
COMMERCIO.
A Naci publica o seguinte :
Cartas de Nova-} nrk contara um ia^nlto teito
por um nario federal dos Estados-t'nidos oMra a
ri'Mitfatdadw das aguas inslezas.
O rapor confederado Murgaret and Jesnie indo
de Charieston para aguaita porto, foi perseguido
por um ruzro federal: mas tendo vista a ilha
Eleuthcra. urna das Bahamas, tomou i rumo
MOTO BANCO
DE
desejaveisgaranlias acerca da administrarlo
econmico industrial da mesma, e seguro
emprego dos seus capitaes.
A fabrica comporta actualmente setenta
leares para o tecido de panno de escravos
PBLICACOES A PEDIDO.
Casa de Dclenco 9 d<> setembro de 1863.
Illm. e Exm. Sr.Cumprindo o- que por V. Exc.
0 novo banco paga o 11 dhidentio
de dez mil ris (10$000) por aeco.
Alfaudega
Reudimento do dia 1 a ) .
dem do da 10.......
108:4585210
:l:270lfl>
131:7285 4i l!t
ensacar assucar, para cobertores de e para me foi ordenado, remato dous pares de sapatoos
velas de navios e barcacas ; sendo que o so) n- l e i fabricados nesta casa; e que nodem ,,. J10,'|en*0 aa aiianaega.
numero dos teares noder ser fcilmente ser fur,liecidS a irP*> os primeiros a 25906. e 05 >oluines entrados cora fazendas
com gneros
03
893
----- 958
com gneros
teares poder ^
SLTLi im?0r'* d COnSUmi ^"l^So de n. 1 igual a amostra, que,.
desses gneros. acompanhouo offleio de V. Exc. que ora de- Volumes sabidos com fazendas
Alm desta fabrica existe mais uma full- volvo, notando-se apenas que a sola um pouco
dioo para occorrer snecessidadesdaauella, a's'i'\ lor ter sido passada cm colindros de
p ocriinar-sp das ohras iiip Ihp fnrpm Pncnm. I f"rro' na0 batlda a nrteUo. ^ndo [rm mais
e octupar se aas ooras que tne torem encom-1 rija e monos ssceptive| de ser passada pela agua.
mendadas. A vaqueta de que feito o rosto e ilhargas fa-
Q capital da companhia de 150 contos.bric&dapelos proprios presos,
de trra, julgaodo. e.aao radb, o 9~mm- de ris, divididos em 50 parles ou accoes l. A amo?lra 2 qur rae parecer mais convenien-
. o federai Ih, nao devia dar. mais caca lo* que de 3 COntOS de ris cada uma. JJ-f} &"*% f R So^gur
t orinada sobro taes bases seguras, esta por pequeos pregos francezes,-como se pode ob-
magnilica empreza offereee justa espeeu-, servar,eommais particularidade naque V. Exc.
Jaco uta lucro esperancoso. i ?e reraeeu, o a de que trato, presa por dupla,
As accoes oue a rpnipipnnm fnram fu fila de taxfci d^ ferr,) fundid<>' 1m Pe'a forma de porea de gesso, 2000 pedras de calcamento, 8 ca-
rilmnnt' *.tr!h- i P l^"13"?' 01 am ,a/". sua construccao, o qualidade, mais forte e de xas xarope, pasta de nafe, de jujuba, llr de laran-
wuiiiiie iMsinouuias, e nao taruou a realt-mais durano, do que o rame, de que feito o ja, raizdemalvaisco, drogas, medicamentos, gom-
sai-se 0 derramameoto integral do capital: prego francez. ma, esponja o objectos de pharmacia, 2o barris oca
subscripto. Gracas ao caprichoso zelo e de- i Devo dec'^r que a offleina de sapataria desta! amarella e encarnada, 9 ditos tintas, 3 caixas bran-
O visse as aguas neiilraes de Inglaterra. Mas o
capitao Wto da Marymet deitou nial a; sua
contas, poique o cruzeiit. o seguio ao loi>e
da costa, c, apezar do confederado se aehai^a
400 jardas distante da trra, o federal coiitinnou
disparando-lbe lianda sobre banda, atravessado a
uma niillia escassa da trra, at que conseguio met-
te-lo a pique. Muitas da* granadas do federal re-
bentarain pela u-ira a dentro, e al uma deltas
(lestruio o telhado de uma casa.
O capitao e os proprietarios do Margare! protes-
laram em forma contra tamaito alicatado, e o go-
veroador das Bananas, ao receber o protest,
mandou instruir o processo competente que remet-
teu por um navio de guerra para Santomas, afim de
ser d'alti dirigido para Inglaterra.
a
Em 30 de selembro de 1785, no Gran-durado de
Mecklembourg Sehwerin, que nao wa eniio seno
um ducado, os sapateiros de muitas cidades nten-
taram um processo contra as autoridades de Ros-
tock que lhes tinham prohibido vender as suas
obras as feiras daquella cidade.
Este processo acaba de ser julgado em ultima
instancia no dia 2 de junho de 1883, isto no lim
de 78 anno, nao estando j vivo nenhnm dos au-
tores.
O julgamento do supremo tribunal foi a favor
dos queixosos, e condemnou o magistrado munici-
pal de Rostock, debaixo da pena de uma multa de
500 thalers que vem a ser 1,759 francos por cada
'.jntraveiigao, a nao so oppor venda do botas nem
de sapats feitos petos sapateiros das outras cida-
des do Mecklembourg.
154
120
----- 274
Descarregam no dial!de setembro
Barca francezaCo/iV/nj/diversos gneros.
Barca portuguezaDespique //=idem.
Patacho nacionalJaboataoidem.
Escuna ingieza Sea Berd=hno e atcatrao.
importado.
Barca francesa Colljny, vi oda do Havre, consig-
nada a Tisset freres, manifestou o seguinte:
600 gigos batatas, 100 barris e 100 mcios man-
iii.' remetteu, o a do que trato, presa por dupla teiga 450 barricas cimento, 2 caixas marmore, uma
dicaco patritica de
dadores, essa importa
simplesmente em projeeto, como se ac-! madeem coasideracio.
contecer respeito de outras tentativas des-' A preferencia que V. Exc. qur dar ao calcado
te genero, sempre mallogradas neste paiz. | n|)c"cf0nreafaeas*'' desrande a^nce aeono-
A fabrica se acha prompt e acabada para Alem de outras vantagens, tres se eonseguem
dar cometo ao fabrico industrial.
Um excellente e soberbo edificio forma.
principalmente
t* a diminuicao sensivel no proco do calcado
lar terreo o avtoile todo o mamii- forJ,w,do ao c.xe ^'o. e'"hora no seu fabrico:
no diiiidi teireo, o dsjwue touo o maqut-, 3. eeonnmiados dinheiro pblicos, dcixando a
nismo, destinado ao IraballlO da harSo e provinri de alimentar a sua custa grande numero
tecido ; e O andar superior, que um vas- | de presos, que trabalham pelo offleio de sapateiro;
to salo, est destinado para o recotiniento VMSfS ironorantea moralsacao do detento
dos Drodnetos da fabrica fl rltatpriips P^ta Pe "^*> traalho, e acmiisieio de um offleio,
uuspiuuucios aa iaonca e matcriaes a esta pelo qual possa licitamente ganliar meios de sub-
adherentes sistencia, arredando-o da carreira do crime.
Dons extensos e bem fortificados acudes' Hoje ex i stem nesta casa, o fora della, grande nn-
constituem o deposito das aguas de fntes mero de ofll,'iaes de saPaeiros, que tendo entrado
rnniosas p fecundas a n.iaps mm n ,,; I sem ofkio alKam sahiram habis offlciaes.
copiosas e tectinaas, as quaes, com o auxt-1 Esles re9U|,ados tonho conseguido, como j disse
lio de uma grande e vigorosa roda, commu-, cm meu rotatorio passado, pelo trabalho, montando
nicam O movimentO e a vida a lodo O maqui- as oflleinas a custa dos mesmos presos, sem qne
nismo da fabrica. Para ,!.l,as despendam os cofres pblicos a menor
0 edilicio, que asta destinado para a fon- quS,Io os detentos com faIta dfl ^^
dic^o, n5o e awnos importante, ja pela ex- adqurirem a materia prima, tomei a meu cargo
co de zinco; aos consignatarios.
100 barris e 100 meios manteiga; a J. M. da
Rosa.
50 barrise 50 meios manteiga: a Jos Baptsta
da Fonseca Jnior.
25 barris e o meios manteiga; a Ferreira &
Martins.
50 barris e 50 meios manteiga; a Ferreira & Ma-
theus.
50 barris e50meios manteiga; a Miguel Jos
Alves.
15 barris e 20 meios manteiga; a Antonio de
Almelda Gomes.
25 barris e 25 meios manteiga; a C. A. Sodrc
da_Motta.
78 barris e 50 meios manteiga; a Tasso lr-
maos.
190 barris e 160 meios manteiga, 1 caixa calca-
do ; a Johnston Pater & C. ^
WO barris e 100 mcios manteiga, 3 caixas cou-
ros ; a N. O. Bieber <& C.
10 barris e 20 meios manteiga, 7 caixas e 1 vo-
lme arcos, vidros, porcelana, papel pintado, per-
fumaria, courcw cristaes, 6 giges batatas; a A. Ro-
ben Filhos.
f barris e 125 meios manteiga, 90 caixas ve-
Jas; a V. F. da CmtL
WO barris e MW meios manteiga, 2 caixas con-
ros, 5 ditas e 1 fardo fazendas de laa e algodao; a
Rabe Scbmettau & C.
25 barris e 25 meios manteiga, 60 caixas vinho;
a R. B. Lasserre.
9 caixas e i volume porcelana, cristaes, vidros,
candieiros, calcado, mudezas, rame de ferro, ca-
mas de dito e productos chimicos, 1 embrulho a-
mostras; a T. T. Bastos.
i caixa velas, 1 dita perfumara, 1 dita papel en-
cerado e pintado, 1 dita cartas de iogar, 1 dita tin-
ta de escrever, 2 ditas vldros ditas miudezas, 2
ditas obras de ferro, (landres e pentes e 1 dita fa-
zendas de algodao; a ordem.
15 caixas drogas, louca, vidros, mercearia, licor,
cidos e verniz; a P. Maurcr & C
9 caixas chapeos de feltro, de cooro, de palmeira,
envernisados e de seda para homem; a Christiani
1 raos.
2 caixas chapeos c caximbos; a Manoel A G.
100 barris e 100 mcios manteiga, 1 caixa cou-
ros ; a M. J. R. e Silva & Genro.
11 caixas couros, cartOes, pentes, marroquins,
xarope medicinal; a Vaz & Leal.
8 caixas porcelana, trastes e espelhos; a Amo-
rim Coelho.
1 caixa objectos de pharmacia; a J. de Almeida
Pinto.
i dita vermouth; a Margot.
31 caixas fazendas de laa, elgodao e do linho,
mixtas, de seda, artigos dephvsica, roupa, chapeos,
etc., i embrulho amostras; a J. Keller & C.
40 barris e 60 meios manteiga, 14 caixas fazen-
das de linho, extrato do cheiro, chpeos, mercearia,
tinta, couros, cartoes; a Henrique & Azcvedo.
25 caixas chumbo em folha, 3 ditas papel ama-
relio, 1 dita tecido de latao; a Meuron & C.
43 eaixas e 6 barricas fazendas de algodao, de
linho, de laa, mixta, sedas, chapos de sol de algo-
dad, calcado, cristaes, porcellana, vidros, roupa,
couros de poico, chapeos de seda para hornera,
marroquins, objectos do sclleiro, camisas, pannos,
couros, etc., 2 embrulhos amostras; a F. Sauvage.
5 caixas fazendas de laa, de seda, chapeos e cal-
gado; a Th. A. ammayer & G.
4 barris cognac, i ditos vinho, 9 caixas fazendas
do algodao, chales de seda e laa, roupa feita, 1 em-
brulho amostras; a Schafhcitlin.
1 caixa fazendas; a Isaac Esnatv.
20 caixas fazendas de algodao, 3 ditas obras de
ferro, 5 ditas couros, 2 ditas perfumaras e quadros,
2 ditas um buhar, 4 ditas phosphoros, 2 ditas col-
leirinhos e calcados, 1 barril queijos; a Lindera
Wild&C.
2 caixas de ferro de estanho; a Prente Vianna
& C.
29 volumes fazendas, chapeos, couros, chales,
pannos, vestidos, fio de sapateiro, cristaes; a Fer-
reira & Araujo.
10 caixas e 2 volumes calcados, chapeos, baloes,
chales de laa, fazendas c chitas; a A. C. de A-
breu.
1 caixa fumo, 1 dita porcelana, 1 dita modas, 1
dita amostras a E. da Gunba Mcdeiros.
3 caixas chapeos, longos e fazendas; a L. A. Si-
queira.
10 caixas e 1 fardo fazendas- de algodao e cha-
peos, 2 embrulhos amostras: a Monhard & C
1 caixa fitas de seda; a Th. C.hristiansen.
1 caixa trastes; asirmaes de earidade.
2 caixas drogas amoniaco; a Caors & Bar-
boza. >y
1 caixa cartSes varios, 1 barril rame de latao
a A. J. da Costa e Sirva.
4 eaixas chapeos da seda, ceroulas, eamisas. pan-
nos e baloes ; a Guilhcrme da Silva Guimaraes.
2 caixas chales e fazendas de algodo; a Dam-
mayer 4 G.
1 caixa vidros; a J. M. da Cruz Correia.
60 barris o 60 meios manteiga. 4 caixas vidro s
2 ditas chapos ; a Izidoro Nctto't G.
3 caixas couros, prensa e sintes; a T. Bastos
Irmaos.
3 caixas calgado; a J. P. Arantes.
4 ditas quinguilharia; a E. Bourgcois.
1 dito couros, papel, lapis; aH. Domont.
3 ditas miudezas, marroquins, litas de seda, etc.;
al. G. Duarte.
1 caixa colotes de seda, pannos e modas; a R.
B. Lasserre.
30 barra e 30 meios manteiga, 13 eaixas lampa-
tinas de pao, papel, escovas, boneclas, colheres de
ferro, liotoes de ossos encerados, calcado, chitas,
miudezas, camisas, con ros o carlocs; a Mello Lobo
& C.
12 banis pr?gos, 50 caixas vinho, 34 volumes
perfumaras, pentes, espoletas, grarapos, luvas de
lio do Escocia, vestidos, roupa, raeias de algodao,
pannos, chapeos, bonete, chales de cassemira, car-
toes, chapeos de laa. calcado: a Mouleiro Lopes
&C.
38 volumes mercearia, perfumara, calcado, agua
de Colonia, chapeos de feltro, de pallia, de soda,
roupa, papel, flores, alneles do tatito, grampos,
extractos de chaina, fazendas, linha de algodao,
etc.; a Alves llamlmrger & G.
Patacho nacional Espadarte, vindo de Santa Ca-
ntarilla, |iela Babia, consignado a Manoel Ignacio
de Oliveira & Filho, marafostou o seguinte :
4200 alqueires de arinlia de mandioca. 40 ditos
de feijao ; a ordem.
Patacho nacional Jaboatao, vindo de New-York,
consignado a Henry Forster & C, manifestou o se-
guinte :
1358 barricas farinlia de trigo, It4 caixas dro-
gas, 240 volumes aduellas, 320 barricas tampos, 1
caixa rolellas, 13 volumes candieiros. 10 cai\as
palitos, 200 barris banha, 100 ditos pregos, 14 paos
para mastreacao; aos consignatarios.
87 pegas de'raadeiras; aos coutratadores da pon-
te do Recifo.
2 caixas e 1 barrica; a \V. Osliorne.
1 dita baloes; a Lindem Wild & C.
1 caixa fumo, 1 dita um carro, 1 dita baloes, 1
dita uma machina, C volumes cadeiras, 2 ditos va-
nes, 2 ditos presuntos, 15 caixas banha de porco ;
a Johnston Pater & C
i caixa quadros; a Eduardo Gadautt.
1 dita mercaduras: a Vilella.
i volume mercaduras; a llaniburger & C.
Rcccliedorla de i-endas internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia la9 6.9275081
dem do dia 10......... 1:610*376
8:537*457
Consulado provincial.
Rendimento do dia I a 9 12:036*100
dem do dia 10........i 1:406*658
13:442*758
i ii iii laa.
MOVIMENTO DO PORTO.
Dia 10.
Nao houveram entradas era sabidas.
Obsemnao.
Suspendeu do lamarao para Babia o brigue in-
glez Xeva, capitao John Jenkins, com a mesinar
carga, que trouxe do Terra-N'ova.
EDITAES.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fazen-
da desta provincia manda fazer publico que tem
marcado India 12 de outubro prximo vindouro
para o concurso que, vista da ordem do tribunal
do thi'stya>> n. 113 de 6 do corrente mez, se tem de
Antonio de Hollanda Cavalcanli de Albuquerqne.
Antonio Jos Leal Reis.
Antonio Rufino de Andrade Luna.
Caetano Gomes de S.
Candido Emigdio Pereira Lobo.
Candido Thomaz Pereira Dutra.
Christovao Santiago de Oliveira.
Felippe Antonio Teixeira de Arboquerque-
Firmino Herculano Baptista Ribeiro.
Francisco Jos Alves de Albuquerque.
Francisco Marrano de Albuquerque Melk>
Dr. Galdino Ferreira Gomes.
Geminiano Joaquim de Miranda.
Goncallo Jos Alfonso.
Hyppolito Cassiano de Vasconcellos Albuquerque
Maranhao.
Horacio de Gusmo Coelho.
Jeronymo de Hollanda Cavalcanti de Albuquer-
que.
.Invino Epiphanio da Cunha.
Dr. Joao Francisco Teixeira.
Joaquim Jos Alves de Albuquerque.
Joaquim Jos Ferreira da Penha.
Tenente-coronel Jos Antonio Pinto.
Jos Antonio Vieira de Souza.
Jos Baptista da Fonseca Jnior.
Jos Elias de Oliveira.
Jos Goncalves Torres.
Jos Hcnriques da Silva.
Jos Jeronymo de Souza Liraoeira.
Jos Marques da Fonseca Borgcs.
Jos Pedro das Neves.
Ladislao Jos Ferreira.
Manoel Antonio da Silva Moreira.
Tenentc Manoel Antonio Viegas Jnior.
Manoel Jos de Azevedo Santos.
Dr. Manoel Jos Domingues Codeceira.
Miguel Alfonso Ferreira.
Rodolpho Joao Barata de Almeida.
Scvenano Bandeira de Mello.
Dr. Silvio Tarquino Villas-Boas.
Thomaz d'Aquino Fonseca.
Theodoro Machado Freir Pereira da Slva:
t'llysses Pernambucano de MeMe.
Dr. Vicente Pereira do Reg.
Foram relevados das multas impostas durante a
sessao, os Srs. jurados que deixaram de compare-
cer mesma, visto terera apresentado eseusas le-
gitimas.
E para que chegue ao conhecimento dos inte-
ressados, mandei passar o presente que ser pu-
blica pela imprensa.
Recife 5 de setembro de 1863. Eu, Joaquim
Francisco de Paula Esteves Clemente, escrivao do
jury o subscrevi.
Manoel Jos da Silva Metra.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, oflicial da impe-
rial ordem da Rosa c juiz de direito espwial
do commercio desta cidade do Recife capital da
provincia de Pernambuco e seu termo por Sua
Magestade Imperial e Constitucional o Sr. D.
Pedro II a quem Dos guarde, etc.
Fago saber que no dia 28 de setembro do corren-
te anno se hade arrematar em arrendamento, a
quem mais dr, em praea publica deste jtiizo, na
sala dos auditorios, os seguintes escravos: Cosme,
preto, que representa ter 38 aunos pouco mais ou
menos, sem oflicio, avahado por 600*000, Simio,
preto que representa ler a mesma idade, sem offl-
eio, avahado por 600*000, os quaes foram penbo-
rados por execugao de Patn Nash & C., contra o
viseme de Snassuna.
E nao havendo langadr a arremalagao ser fei-
ta pelo prego da adjuicagao, na forma' da le.
E para que chegue ao'conhecimento de todos
ser publicado na forma do estylo.
Recife, 10 de setembro de 1863.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimcnto, es-
crivao o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
DECLARARES.
Amanhaa sexta-fi ira 11 do corrente, na sala
publica das audiencias, depois da audiencia do juiz
de paz do 1." districto de Santo Antonio, vao ser
arrematados os bens seguintes : 1 piano de ma-
deira demogno, 1 guarda-louga, 1 guarda-vestido,
penhorados a D. Rosa de Oliveira Miranda por exe-
eiieao que contra a mesma move Domingos Alvaro-
Machado.Escrivao, Silva Reg.
Perantc o Sr. Dr. juiz de orphaos pesia cida-
de se nao de arrematar por venda hoje 11 de se-
tembro por ser a ultima praga, e requerimento
do respectivo inventariante, uma casa terrea e o-
dominio directo de diversos trrenos sitos na ra
Imperial desta cidade.
Hoje depois da audiencia do Dr. juiz munici-
pal da 1." vara tem de ir praga por venda a pai-
te do escravo Luiz, pertencente a Manoel fos de
Oliveira por execugao de Florentino Velloso Ca canli de Albuquerque. j
Hoje 11 do corrente depois da audiencia do
Illm. Sr. Dr. juiz municipal da primeira vara tem
de ir em praa para ser arrematado, um terreno
for liro com alicorees, o qual faz frente para a tra-
vosa do Montciro na fregueziade S. Jos com 120
palmos do largura e 150 de fundo, avahado dito
terreno em 1:000j, e val praga porexecucao de
Manoel Antonio de Jess contra Manoel Luiz Coe-
lho de AHmeida. Escrivao Cunha.
Pela subdelegada do Parea se faz publico que
foi recolhido deposito ura cavado castanho, pe
queno, frente aborta, e ainda novo, tendo em uma
mi uma solnecana : quem for seu dono, compa-
reca, que provando lhe ser entregue. Subdelega-
da do Peres 9 de setembro de 1863.
O subdelegado,
Alexandrino Martins Correia Barros.
Xo dia sexta-feira 11 do corrente, na sata pu-
blica das audiencias, depois da audiencia do juiz
de paz do l. districto de Santo Antonio, vao ser
arrematados os bens seguintes : 1 piano de ma-
deira mogno, 1 guarda-louga, 1 guarda-vestido, pe-
nhorados a D. Rosa de Oliveira Miranda por exc-
cocSo que contra a mesma move Domingos Arraro
Machado.Escrivao, Silva Reg.
CIRCO
GiDE OCANO
DE
al
imak
vacase.
sma thesouraria, para preenchimen-
to nWvagasTlc pralicanles existentes na alfande-'
ga desta cidade. Os exames versarao as mate-
rias de que trata o 1.' do arl. 1." do decreto n.
3114 de 27 de junho do corrento anno, a saber :
leitura, analyse grammatical e orthographa, ari-
thmetica e sas applicagocs ao coramercio, com es-
pecial idade a reduegao de moedas, pesos c medi-
das, calculo de descont, juros simples e compos-
tos, theoria de cambios e suas applicagoes. Os
concorrentes deverd previamente apresitar seus
requerimentos instruidos de documentos que pro-
vem idade completa de 18 anuos, isengao de pena
e culpa, c bom coraportamento. S c
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco 9 de setembro de 1863.Manoel Jos Pinto,
serrimJo de ohlcial-maior.
O Dr. Manoel Jos da Silva N'eiva, commendador
da imperial ordem da Rosa, ravalleiro da de
Chrislo, juiz de direito da 2 vara criminal da co-
marca do Becife, por S. M. o Imperador, que
Deus guarde, etc.
Fago saber era virtudc do art. 286 do codfgo do
processo criminal, que tendo sido convocada para
odia 17 de agosto ullimo a 4* sessao do jury desta
capital, installou-se no dia 19 do mesmo mez, c en-
cerrou-se no da 4 do corrente, sendo nclla julga-
dos 13 processos contendo 14 reo presos.
Comparecern! referida sessao os Srs. jurados
seguintes :
Alexandre Augusto de Fras Villar.
Antonio Bernardo Quinteiro.
Antonio Gardoso de Queiroz Fonseca.
Dr. Antonio Ferreira Martins Ribeiro.
SPALDIM & ROGERS
Director geralCorto /. Rogis.
A representagao inicial ter lugar
Mahbado 19 de setembro
PREgOS GERAES.
i 'amarles com 6 entradas... 18*000
Cadeira com uma entrada... 3*000
Platea geral............... 1*500
13- O escriptorio estar aberto no dia da re-
presoniaco, para a venda dos bilbetestonicamente
para aduelle dia, das 10 horas da manbaa at as 9
da un!.;.
Aviso explicativo
representagdes interrompidas por motivo de*
ou outra cousa, serao transferidas para
seguinte ; e os bilhetes vendidos para a noite
ircsentagao serviro da mesma maneira para
3 assim transferida, alias o dinheiro sera d-
lo s pessoas que assim quizerem, toda vez
3ue fe dingirem ao escriptorio,jorm isto, antes
o mfeio dia do dia seguinte.Nao obstante, dado o
casolde uma representagao de um Domu de too-
de fr suspensa, nao poder haver transferencias,
c no ser trocados por outros, para a represenla-
i da noite, ou apresentados para remir odinnei-
respectlvo, isto antes das 7 horas da mesma no-
o que tica ao arbitrio dos possuidores de taes
chu
noiti
dan
anoi
volvi
MUTILADO i

-




K
.
r

*


JMaHo de Pernambuco
... exa felr.i II de etrmbro d lfltf.
-----t---------------_,______ _.
V
Financas.
A directora paga todas as suas contas as segun-
das-feiras; por todas as contas por ella contrahi-
das, devero ser aprcscntadas no cscriptorio para
seren pacas j s ifguodas-feiras das 10 horas at
ao meio da.
_\
:m$
Sitpplica
Presome-se que os vendedores de bilhetes, por-
teiros, continuos e mais empregados do circo, sao
delicados e attcnciosos, mas se houver qualquer
reclamarlo a fazer-se, proveniente qur de falta de
cortesa ou negligencia da parte dclles, sero im-
mediatamente corregidos, sendo o director ou se-
cretario disto prevenidos.
Outra.
Os cavalheiros terao a bondade de nao ineoni-
modar as senhoras, fumando ou fazendo alarido
dentro do amphi-theatro, nem conservar na cabeca
os seus chapos nos camarotes ou eadeiras, em-
quanlose estiver representando.
As representaces tero lugar todos os
Sal/hados'
Domingos
Tercas &
Quintas
'Comecando s 7 '/j horas precisas.^Portas abor-
tas s 7 em ponto.
Post scriptum.
O Sr. Amlr de Abren Porto, pede que se publi-
que que elle arreudou o
no i cq ii I m do el reo Grande
Ocano
no qual elle lera constantemente um bom sortiracn-
tode
Whiskeg de grito Id Florida.
IVhiskey de ceuteto l Mohican.
Ceneja de barril e engarrafada.
Champagne & cognac francez.
Viilhos de Lisboa e Bordeaiu:
Charutos ile Huraa & Baha.
Tabur Virginia.
Refrescos narionaes.
Canoa clarificada &
Agua fresca do encanamento
do Piala,
que a sua reputacao conhecida para o bom gosto
e boaf ser sufflciente para garantir que todos os
**us gneros sero da mclhor qualidade e precos
razuaveis.
Aroanha se publicarao alguns promenores mais.
W. T. B. Van-Orden Jnior,
Secretario.
DE
Ferragens c -Igunias mlndeza.
immi:.
O agente Pestaa legalmeute autorisado far
leio por conta e risco de quem pertencer de di- !
versos olijectos de forragens como tesouras, cae-!
tas de metal, planas, dobradicas, troqueles, col he-
res para cha, rosetas para cortinados, bracos de
balauca, machados onvernisados, fechaduras goi-
vas, forados, limas para ourives, Cacas para sapa-
teiro.
Na mesma occasiao Tender tambem para liqui-
dar e ludo pelos maiores precos offerecidos diver-,
sas miudezas e fazeudas, em lotes a vontade : sex-
ta-feira 11 do corrate pelas 11 horas da inadha
na ra da Cadeia n. 51, armazem.
LEILAO
DA
Armara ne urna taberna
Rua do Imperador n. 2.
IIOJI.
AS 11 HORAS.
Antonio Jos Teixoira por intervencao do agente
Simoes, far leilao da armaeao cima, em bom es-
estado, e pintada de novo, em localidade vantajoza,
garante-se a chave, e alugnel commodo, com taes
utilidades deve haver e espera urna boaconcur-
rencia.
LE ,40
o
S?bbado 12 do corren c s 41 horas.
O agente Simoes levar de novo leilao as divi-
das da massa fallida de Diogo Filho C, na im-
portancia de 17:8335077, requerimento do cu-
rador fiscal e mandado do lllm. Sr. Dr. juiz es-
pecial do commercio. A relacao c ttulos acha-se
exposto ao exame dos pretndentes no escrip-
torio do mesmo agente rua do Vigarion. 17, pri-
meiro andar, aonde ser effectuado o leilao.
trilito
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
%'avegaco costelra a vapor.
Mame e escalas
O vapor Mamanguupe comman-
dante Moura, seguir para os
portos cima indicados no da lo
docorrenteas a horas da tarde. A
carga ser recebida al o dia 14
ao meio dia, enrommendas, passageiros e dinheiro
afreto at o dia da sabida as 3 horas: cscriptorio
Bo Pone, do Mallos n. 1.__________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
tiavegaco eosielra a vapor.
-II.HA BE FERNANDO DE NOROXHA.
No dia 11 do corrcnle mez s 11
horas da manhaa segu para a
Ilha de Fernando um dqs vapo-
res da companhia que recebar
cusa at 0 lia 12. Encommen-
das, passafeiros e dinheiro a fete al odia da
sabida s 10 horas da manhaa : cscriptorio no
fiarte Jo Manos n. 1.
COMPANHIA BRASILEIRA
Paquetes a vapor,
Espera-se dos partM do norte at
o da 16 do crrente o vapor Om-
zeiro do Sul, commandant o ca-
pitao de mar e guerra Gervasio
_.' Mancebo, o qual depols da demo-
ra do costurae, seguir para os portos do sul.
Desde jj recebem-so. passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser emhareada no dia de sua chegada. encom-
inemlas e diniciro fele at o dia da sabida s 2
horas: agencia rua da Cruz n. 1, cscriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C.
DA
Dons bois mancos.
Sabbado 12 do corrente.
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem pertencer de dous bois mancos bem gor-
dos e proprios para todo ser vico : sabbado 12 do
corrente pelas 10 horas da mahhaa no largo da al-
fandega armazem do Sr. Annes.
;(-l:.l ESTREITA DO ROSARIO-;!
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artificiaes tanto por "icio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a vontade de seus dono?, tem pos
e outras prepararocs as mas acreditadas
para conservacao da bocea.
A commandita.
Nao pudendo os administradores da massa falli-
da da commandita funecionarem sem que antes
recebam o competente titulo, que a copia da acta
da reunio em que foratn nomcados ; dignem-se os
credores que por si ou seus procuradores estive-
ram presentes e votaram, de ir ao cartorio do cs-
crivao da dita fallencia, Manoel Maria, assignar a
mesma acta, aflm de poder-sc extrahir e remetter
as respectivas copias.
- Adriano Augusto de Almeida, pelo presente
scientifica, que da data deste em diante se assigna-
r Adriano Augusto de Almeida Jordo.________
Aluga-se urna negra que engomma e toznha
soffrivelmente, e tambem aluga-se um mulatinho
de 12aunos, bastante^ntellgente: os pretndentes
dirijam-se rua da Imperatriz n. 51. primeiro
andar._______________________________
l)-se a quantia de 205 pelo alugnel de urna
escrava que coziuhe e faga as compras para urna
casa com pouca familia : a tratar no caes de A-
pollo n. 17, segundo andar.________________
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rua
de Aguas-Verdes n. 100, com bastantes commodos
para familia : a tratar na rua Direita n. 10. ^^
Mri:_ti t
CASA DA FORTUNA
O abaixo assignado vendeu em seus felizes bi-
Ivlr ?"an,i,los a *>rte de 500J1 e outras de
1005, -*05 e 205 da lotera que se acabou de ex-
trahir a beneficio do Gvmoaso o convida aos pos-
sutdores de ditos bilhefss a virem receber seus
respectivos premios integralmente sem descont
nlgum em seu estabelcciirrento (asa da Fortuna
roa do Crespo n. 23. H
O mesmo tem exposto a venda em sua dita casa
e as outras do costumeos novos e felizes bilhetes
da segunda parto da segunda lotera a beneficio
d* |anta Casa da Misericordia que se extrahir a
Ib do corrente mez e as sor.es que cues obtiverem
serao pela mesma forma pagas una hora depois-
da extraeco.
Presos.
Billietu-s inteiros..... 000
eios billiotes...... 35000
Para as pessoas que comprarem
n.it de 1005 para cima.
Bilhetes........ 55560
Meios......... 2730
.... Manoel MartinsFiuza.
COMPTABILIDADE COMMERCIAL
PELO
DR. WITRUVIO PINTO BANDEIRA
Profrsser d segunda eadeira do Curse Cooimerrial Periiaiiibiicano.
Aluga-se urna sala com dous quartos nrnito
frescos proprios para os senhores advogados ou
cartorio, no primeiro andar do sobrado da rua do
Queimado n. 41: a tratar na toja._____________
Precisa-se de um caixeiro para padaria que1
alione sua capacidade : na rua do Rosario da Boa-
Vista n. 55.
-J-3S8
Companhia fldelidade segaros niarKimos e ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEl'NAMBl'CO
Antonio Lniz de Oliveira Alfredo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companliia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio rua da
Cruz n. 1.
bOLS BELLOS veLtHES EU 8. FRAXCIE
IXlill'IIEHENDENDO
-Frelec^de tlieorieo-prallcas de eseriptn-
ra<^o niereantil.
O segundoSotfe de arithmetica eon-
mereial, adaptadas pratlea das operares eoni-
merciaes e elementos do systcma
nactrieo com snas appllca?es
- ao commercio.
PRECO DE CADA VOLUME S*.

Alugam-se duas escravas. sendo urna que
lava e engomma: a tratar na rua do Hospicio nu-
mero 24.
Anda est para alugar-se o sobrado na rua
dos Coelhos n. 10, onde inora rain os padres lasa-
ritas.
Aluga-se um dos maiores annazens da rua
de Apollo n. 10 : a tratar na rua da Senzala Ve-
lha n. flC, padaria. j
"attecao"
PR EBIOS
de
COMOSEJAM :
sobrado na rua
de S. Bento em
Cruz
de
COMPA1HIA
DAS
MESSAGERIESIMPERIALES.
At o dia l do corrente espe-
ra-se da Europa o va|ior francez
Guienne. commandanle Enout, o
arul depois da demora do eostu-
me seguir para o Rio de Janei-
ro tocando na Babia, para passagens etc., traase
na agencia rua do Trapiche n. 9.
COMPANHIA BRASILEIRA
UE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado at
o dia 14 do corrente o vapor To-
eantint, commandanle o primeiro
tenente Pedro Hypolito Duarte, o
qual depois da demora do cosa
me seguir para os portos do norte.
Desde j recehom-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir. a anal dever
*OT mi l IT vi i no dia de sua ehegada : encom-
mendas e dinheiro a fete at o dia da sabida as 2
fioras, agencia rua da Cruz n. 1, escriplorio de
Antonio Lail de Oliveira Azevedo & C.
AO FA5 1.
Vai seguir com brevidade o biale Lindo
te, eanitao Antonio Maria da Cotia e Silva, eso Ihe-
resta logar para um terco do seu rarregamento;
tratar com o consignatario Amonio de Almeida Go-
ales, roa da Cruz n. 23, i. andar. ,
Rio de Janeiro.
O veleiro hiate Cursor, capito Jos Ignacio da
ilva, segu sera demora; tem parte da carga
prompta, para o resto trata-se com Miguel Jos
Alves, rua da Cruz n. !t).
Para Usboa
vai sahir no dia 20 do corrente o brigue portuguez
Bella Figneirettse, capito Jos Correa de Carva-
llio Sobrinhu, anda pode receber urna pe<|uena
luantidade de carga e passageiros, para os quaes
tem excellentes commodos : a tratar com o con-
sgnatario E. K. Raliello, rua da Cadeia n. 55.
Para a Baha vai sahir com muita brevidade
Tdro patacho /J. Lmz, capito Jos Teixeirade
Aievedo, por ter a laaior parle do carregamento
jtt'ouipto : para o resto trata-se com os consignata-
rios Palraeira & Beltro largo do Corpo Santo n.
. primeiro andar._________________________
lio de Janeiro.
O patacho Social, 1" elasse e 1" ordem, segu
hreve, ainda recebe alguma carga frete e escra-
~h: trata-se com Marques, Barros 4 C, largo do
ijrpo Samo n. 6.
LEILOES.
LEILlO
DE
Cma casa
Olinda.
Urna dita de dous andares e sotao na rua da
do Recife n. 38.
Um grande armazem na rua do Apollo n. 20.
L'm sitio na ponte de Ucha com graude casa
sobrado.
Cm dito no mesmo lugar com casa terrea e sotao.
l'm dito na Passagem da Magdalena com casa di-
vidida para dousinquilinos.
Sabbado 12 do corrate as II horas em poni.
A' porta da associaco Com-
mercial.
O agente Pinto levar novamente a leilao no dia
c hora cima dito os predios supra-meneionados,
pertencentes a massa fallida de viuva Amorm &
Filho, servindo de base as maiores offertas obtidas
em leil-io do dia 10 do correle.
ipas
DE
p Ihuts de viudo d Lisboa.
Segunda-feira 1 i do lorreule.
Enzebio Raphael Rabejlo far leilao por inter-
vencao do agente Pestaa para fechar factura de
porcaodc barris e pipas de vinhiq de Lisboa mar-
cas JB e CV em lotes vontade dos compradores:
segunda-feira 14 do corrente pelas 10 horas da
manhaa no armazem do Annes onde pode desde
j ser examinado e o agente espera a concurren-
cia de seus freguezes e amigos amantes da' boa
pinga para imdercm pechlQchar.
CASA DE SALDE
Em Santo Amaro
Do Dr. Silva Ramos.
l'nico estabelecimento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo"
que pode com todo o commodo e zelo tra-
tar qualquer doeute, que nella seja reco-
lhido.
O edificio niagestoso e conserva-se
em perfeito estado de limpeza e conve-
nientemente mobiliado.
Os doentes sao separados, segundo os
sexos, natureza das molestias e condieoes
sociaes.
Ha quartos fortificados para os aliena-
dos, c urna enfermara para as partu-
rientes.
O proprietario encarrega-se de qual-
quer operacao.
O ostabefecimenlo franqueado qual-
quer pessoa que o queira visitar.
Primeira elasse 3|000djariflS.
Segunda dita... 2-3500
Terceira dita.... 2^000 ?
Para que qualquer doente sejaali reci-
bido, basta que se mande onomedo doen-
te e da pessoa que 0 remelle, com a de-
clarado da morada.
O proprietario aceita contratos animaos
com qualquer que queira ter um ou mais
leitos sua disposico.
:!
t O abaixo assignado, residente cm Campia
Grande, da provincia da Paralaba, ha dous aimos,
- fiOuis Cahors, subdito francez, vai a Europa, se acha nesta praea para liquidaeo do seus nego-
| cios: quem tver de com elle tratar ptle-o procu- i
rar em Santo Amaro casa de seu filho. o terceiro '
11 annista Bento llorges da Fonseca.______
TLMLUAUIA. ,
Tinge-se com peifeico para qualquer
cor, e o mais barato possivel: na rua do
Rangel n. 38, segundo andar.
Precisa-se de urna ama que tonha boa con- i
ducta, para casa de um homem soHcro, que cozi-
nhebem, lave e engomme : a tratar na rua do VI-
garion. 17. primeiro andar.________ ________
Massa fallida de Joaquim Lu-
cio Monteiro da I-ranea
Aos credores.
Nao se verificou a reunio dos credoivs da dila
Esta obra, apezar de elementar, vem preencher una lacun, que en? sentida entre nfe
onde fallecen! escriptos de certas especialidades com arcesso a todas as inteligencias ; e av
oeditorpensafazer nm servico dando-lhe publieidade, tanto mais qnanlo boje, que as
sareDes commerciaes e indHstriaes vao entre nos tomando notare! desenroivimento, deve
entrar na educaco daquelles que se qqemn appucar a laes ramos da vida o eonhecimento
dos prnripios da comptabilidade administrativa c eommerrial;
Com este intuito, sol) urna forma essencialinente elascica, rennin o Sr. Dr. Witruvio as
principios da comptabilidade commercUl no que tem alies de mais elementar, c roordenou-
os de modo a facilitar o mais possivel o seu estudo s pessoas que se rtestinam s profissoes
commerciaes, sendo taes a concisao e a clareza postas no desnevolvimento resitectiro. que |,o-
de-se a|irender a materia, chegando-se a eseriplnrar os livros por partidas dobratfas e appli-
car o calculo s operacoes do commercio. mi carecer da int8rren O primeiro volume, formulado sobre-a obra de Bertrand, oeeopa-se mais especialmente
da oscripturaro mercantil por partidas dobladas, cujos principios sao desenvolvidos ero har-
mona com a legislacao brasilera, contendo-aini disto ana impertantiseimo appendie* sobre
as sociedades commerciaes em lodos os sen- movinienios. quer |irlo lado da eseripturaoao,
quer pelo da formacao, existencia e extinceo'dellas em face da m Noste ppendiee. apli-
cadamente recommcndavcl por sua origina I id.-ide e pelo cunho eepecialismo^ tem o com-
merciante urna guia para sua direccao. malantr que seja a forma da socieda.le que contraa.
Completa este volume o specimeno resumo de una pseriptnracao, lclicia verdade, ma^em
tudo setnelhante de una casa de commercio ordinario, offerecVnro ama soriu de oiieraroes
successivamentc mais difliceis, que assim inicia-gradualmente a maneira de eseriptura-tes
nos difTerentes livros de urna casa de commercio.
O segundo, egualmcnte formulado sobre a obra de Kottinger, ocoupa-se particularmente
da arithmetica commerci.il com ejercicios e proWemas pelo meio mais simples, fcil e breve
da regra conjtincti, acerca de todas as operacoes praticas usuaes ni, commercio, envi.lvendo
clculos de cambios de praca praca e por pracas intermedias, bem como negocios de bancos
com arbitragens de cambios, alm do desenvolvimonto do systcma meirico em suas relacoe
com o commercio, Ilustrado por meio de tabellas de convenio.
O editar nada mais accrescentar estas breves palavras, que asss demonsiram a im-
portancia real desta obra, devida a inlelligencia e a applieacao acenrada do seu autor, senao
que clladeulilidadegeral, c que a nenhiim coinmerciant e mesmo a homem nlgnm de let-
tras li.-ito deixar de possui-la em sua estante ; pois o commercio em suas variadas evolu-
^oes, entende aclualmente com tudo que se liga a vida.
A aselgnatnra toma-se as livianas dos Sis. Cuimares X Oliveira. Nbgneira de Sou-
za, Juliao A Pereira e Geraldo II. de Mira, sendo reaffsada sua importancia pela quuta de cada
volume ao sahir do prelo, jiara o qual ora entra o primeiro.
O EDrron.
sj
\. 5.
J. V
ra do
DE
IGNES.
IMB>i:ilAOR
X. A..
Os pianos desta amiga fabrica sao boje issax eonbecidos, pan que seja neressario insis':-ftbfe *
massa, no dia "do correnle, para nomeacao do li- sua superioridade, vantagens e garantas que offerecem aos comprailores, qualidades estas inconfesta-
quidatario, de novo eonvid-se para que compare- veis querelles Um delinilivaiin-nle conquistado sobre todos os que tem appareeido nesla praca ; pos-
cam na casa do depositario, rua do AJx>llo n. 2, no suindo um teclado e macbinisino que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
dia l do corrente s 10 horas da manhaa. nunca 'alhar, por seren fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melboraraentos niportan-
quanto s voaes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
d
- Quem precisar de urna ama para cozinhar. ,issi,"os l,ar; ,*' ('limn ll,'sl': lfj/- 'i
irija-se s Cinco Antas n. 84. ,veis ?.os HVI,los *" preeiadores.
razem-se conforme as encommendas, lano nesta fabrica como nado Sr. Blondel, de Pars, som
I correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expostcOea.
No mesmo estabelecimento se arlia sempre um explendido e variado sorUmento de msicas o
cuino harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido
Offerece-isc urna mulher para todo servico
| quem precisar, dirija-se, rua iio Puro n. 64.
Os administradoras da massa fallida de loa- melhores compositores da Enropa, assim
[; quim da Cosa Maia, tendu entrado no exercicio de por precos muito razoaveis.
s"ii eargq, convidam aos credores do mesmo fal-
lido jAa que dentro do praso do oito (lias do pre-
se_l__iiniincio Ihe apreseiitem seus ttulos aflm ile
"tarificados e classilicados, no pateo da ma-
triz /fle Santo Antonio n. 2, e no boceo Largo nu-
mefo 1 A. Becife 9 do selembro de 18C;i.
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA.
Uuarta-feira 16 do corrate se extrahir
a segunda parte da segunda lotera da Santa
Casa da Misericordia.
Os bilhetes e meios bilhetes acham-se
venda na respectiva thesouraria, rua do
Crespo n. K, e as casas commissionadas
rua da Imperatriz n. i i, loja do Sr. Piraen-
tel, rua Direita n. 3, botica do Sr. Chagas,
e rua da Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 5:000/at 105 serao pa-
gos urna hora depois da extraeco at as 4
horas da tarde, e os outros no dia seguinte,
depois da destribuico das listas.
JO thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
IColaxiulia le leitc
O autor da dita bolaxinba, por ter o distribuidor
Aviso ao rcsficilavt'l puhlic.
Antonio Mximo de Barros Leitc, professor jubi-
lado da insiruccao primaria, contina na sua pro-
lissao de ensino em sua casa de residencia na rua
do Queimado n. 32, 2. e :i. andares, e promette
empregar todos os esforcos e recursos de sua lon-
ga pratica de 38 annos Je magisterio, alim de con-
seguir no mais curio espaeo de temiio o bom adian-
tamento de seus alumnos. Pelo que o annunoan-
le convida a todos os pais de familias quer desta
cidade, quer de outra qualquer parte pana lhe con-
fiaran seus pupilos ; asseverando aos pais dos
inesmos que aceita pensionistas por proco muito
commodo em relacao ao estado do paiz, e em qnan-
lo ao seu estabelecimento i elle o mais arejado
possivel : adverte mais que em dito seu estabeleci-
mento se ensnam todos os preparatorios, e o ensi-
uo primario pela untura repentina de Castilho, o
que as crianciuhas abracam com muita alacridade.
Jos Severino Lopes, nao podendo pesaoal-
mente despedr-se das pessoas de sua amizade re-
sidentes nesta cidade de alinda, no momento da
sua mudanca para o Becife, por causa dos seus
ncommodos de saude, roga-lhes o favor de o des-
culparcm, offerecendo-lhes seu diminuto prest mo
na rua da Aurora para onde vai residir.
Fazem-se capas, batioas, barretes, chamarras
e capas riatorras : no becco Largo n, 2.
Ileleodorio de Aquino Fonsoca segu viagem
para Lisboa.
Maria Adelaide da Conceicao. subdita por-
tu.'iieza, retira-se para Lisboa.
Quem annuncioii urna taberna em bom lu-
gar, dirija-se rua Direita n. 47.
Aluga-se a casa terrea n. 9. no principio da
rua Imperial, com 2 quartos, f\salas, cozinha fra,
quintal e cacimba : a tratar un rua do Queimado
n. 71._________________
Offerece-sc urna ama
sol teiro ou de pouca familia
numero S.
INTERNATO
DE
U
ESTABELECIDO NA CIDADE DO RECIFE
Director0 barliarel em mathematkas
BERNARDO PEREIRA DO CARIWO JNIOR.
para casa de homem
: na rua do Nogueira
Quem precisar de urna ama para o servico
interno de ponca familia, dirija-se ao pateo do Pa- i
raizo n. 3o.
Vicente Pereira,
para o Bio de Janeiro.
subdito portuguez. segu
Jos dos Sanios
vai a Borona.
Villaca, subdito brasileiro,
|
Alguma pessoa que costume cobrar dividas
na villa do Paco de Camaragibe, querendo se en-!
carregar de mais urna, pode procurar na padaria
da rua Direita n. 84.
Miguel Angelo Lacorte, Italiano, vai para a
Europa, levando em sua companhia o seu primo
Joscpho Ferrare.__________________________
Na rua do Vigario n. 8 se dir quem d
- .i i *_ ~~ >a i iiii uo iik**iio ii. o o; una uuuiu ua
doente, nao a leni mandado a casa de seus fregu- 2:0005 sobre hvpotbeca em um predio que csteja
zes : por isso pede aos mesmos queiram mandar ,i, ,T..,.-9i"iiin
seus pedidos padaria da rua da SenzaUa-velha 3I-"UM' -',,., J _-------------------------------
n. 8i. Linden, V\ ild & C. mudaran o seu arniazeni
Joaquim Duarte dos Santos convida pelo
Srsente a todos os amigos e companheiros
o fallecido Bibiano Pereira d'Aquino, m-
sico do 7o batalho de infamara, alim de
assistirem urna missa que se tem de cele-
brar pelo dcscanco eterno do meu mu pre-
sado amigo, na igreja de Nana Senhora do
Terco, domingo 13 do corrente pelas 8 horas
da manhaa.
O abaixo assignado avisa pelo presente, que
pessoa algiuna faca negocio com Marcelino de Car-
va I hq, morador na comarca do Bio Formoso com
relacao aos seus bens seguintes :O sitio denomi-
nado Beducto, sito na mesma comarca, c as escra-
vas Felippa, crioula, de idade de 2o annos, flose-
Kha, mulata de idade 14 annos, porque lh_esto
ypothecados por escriptura passada a 2 de outu-
bro de 1862. E como agora conste ao abaixo as-
signado que urna dessas escravas fra remettida
para a cidade do Becife afim de ser vendida e ap-
plicado seu producto ao pagamento dos Srs. Jos
Joaquim Gomes de Abreu e Frincisco da Costa
Maia, elle apressa-se ora fazer o presente aviso,
protestando contra semelhante vonda, ufando do
direito que a lei Ihe confero para garantir a quan-
tia que lhe deve Marcelino de Car va I ho.
Rio-Formoso, 30 de agosto de 18G3.
Antonio Francisco Cesar de Vusconcellos Campos.
O padre Flix Brrelo le Vascancellos mu-
dou a sua aula para a roa do Imperador n. 37, se-
gundo andar, sendo a entrada pelo n. 35. Becebc
alumnos de latim e francez, e assim tambem de
primeiras leltras, cujo ensino comoear no dia 15
do correnle mez.
Linden, Wild & C. mudaran o seu armazem
de fazendasda travessa do Corjw Santo para o lar-
go do mesmo n. 13.________________________
Aluga-se una casa em Fra de Portas, rua
do Pilar : quem a pretender, dirija-se Fra de
Portas a fallar com Manoel da Silva Nevos.
Kscrava fgida.
No da 2 do correnle sabio a escrava Francisca,
de naco Cassange, para vender, com um taboleiro
de roltes com urna toalha. e al hoje nao apiiare-
ceu mais; esta preta reprsenla ter 40 annos, e
os sgnaos sao : bexiguenta, olhos grandes, e um
ramo bordado as costas, levou vestido de chita
rxa cora lstras encarnadas e panno da Gesta com
froco branco : quem pegar a dita escrava tenlia a
bondade de leva-la rua das Trincheras n. 13,
que ser bem gratificado.
PEKNAMBU^NO.
ENSAIO LITTERARIO
Domingo as 10 horas da raanha, nos As da
academia, ter lugar a sesso ordinaria para a dis-
cussao da questao : se o direito e a moral se har-
monisam completamente.
Secretariado Ensaio Litterario i'ernambucano
cm 10 de selembro de 1863.
J. N. Tolentino de Camino.
1. secretario._________
Um moto que escreve bem desoja entrar
con adjunto'em algum escriptorio commercial
para praticar : quem precisar amarado para ser
procurado.________________._________
Alugam-se escravos : a tratar na saneara
dos Afolados, rua de S. Miguel, ou na rua da Sen-
zala Velha, deposito de sabo n. 136.______
Caivciro.
Offerece-se para caixeiro um rapaz Portuguez,
. tanto para taberna ou deposito, ou padaria, e d
i fiador a sua conducta, e de todos os tres negocios
tem pratica : quem precisar annuncie para ser
procurada ______________^^____
l'or .# inea.Hiies.
Aluga-se o 4. andar e sotao do sobrado da rua
da Cruz n. 40 : a tratar no armazem do mesmo
sobrado.
Continua-se a cozinhar para fra com per-
| feico, e por proco mais commodo do que cm outra
qualquer parle :' na rua do Bangel n. 30._______
Precisa-se de urna ama para comprar e fazer
todo o servico de urna casa de duas pessoas, : no
becco Largo n. 1 primeiro andar.
Ama.
Precisa-se de urna ama para eoziahar e engom-
mar para duas pessoa* : no Becife, rua da Cruz
n. 43 primeiro andar.______________________
Quem precisar de urna ama de leitc dirija-^
rua do Calabouco-Velho, casa n. 2.
O director do intrnalo de S. Bernardo, accedendo aos pedidos do varios pana dos
respectivos collegiaes, e de outras pessoas desta capital, removeu o sen estabelecimento
da Cajonga para esta cidade.
.Nao tendo evitado esforcos nem sacrificios para proporcionar aos seus alumnos
una perfita educaco physica, moral, intellectnal e religiosa, ofibrecendo-lhos urna ha-
bitlicao com bstanles condieoes de salubridade. habis professores (|ii-. sao solcitos em
prepara-los convenientemente ao fim que se destinam, medico pralico que Ibes faca
eomprehendor os preceitos da hygiene e ibes cure das doen^as, e tnalmente um sacer-
dote Ilustrado e honesto que Ibes explique os principios da religiao cluisla, espera que
assim constituido nao deixar o seu eslabek-chiieuto de merecer dos Srs. paes de fami-
lias o auxilio c confianza com que j alguns o tem honrado; e Ibes roga, bem como
todas as pessoas iuteressadas, que se dgneui de visitar o memo seu estabelecimento,
onde sempre encontrarao franco ingresso.
0 collegio tem a sua sede no espaoeeo edificio n. 32 na da Aurora, contiguo ao
do collegio dos orplios.
Nos estatutos do collegio, que eslfui disposJcio de quem os quizer ler. se acharo
consignadas as condieoes de entrada e matricula as diversas aulas do estabeleci-
. monto.
I
D-!>5&8 .^^m^^MMi
EEztVwS6Qvl BU -v. '-'' "-'. t_A_)c_A_ .. y *.! _/ > "^ siA. ^ >, >. im -
APPROYA^AO B AUTlISA^AO,
DA
mmmm wmta m mmm
JUNTA CENTRAL DE HYGIENE PUBLICA
vu pebd:o
HOJE
Sesta-feJra H do corrate ae meio dia em poalo.
O agente Simoes far leilao no dia'e hora cima
i-Meada om seu escriptorio rua do Yigarijr" '
17, primeiro andar, de um sobrado de mu M
-iudo praca de Pedro II n. 4, em slo proprio,
eam boas commodos e localidade reconbecda-i
neate boa, o que sem duvida garantir urna luzi-1
la concurrencia.
ROGA-SE
acert ex-tutor, pouco escrtqmbso. o ob-
sequio de largar das mos os autos de pres-
lamento do contas, que lhe foram com vista
para responder mpugnasao por parte de
um dosex-tuleladofl, lemraudo-se que a
lei apenas ihe d 24 horas, e que se tem
tido um mez por mera condescendencia;
* menos que queira ver desliado o seu pro-
di i nenio.
amado Trapwhe n. li, precisa-se de urna
ama com leite.
C. L. P. Roeok val ao Rio de Jauetro.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva que
faca todo o servico interno e externo de urna casa
de*pouca familia": quem quizer. dirija-se rua do
Brum n. 61, offlcina dr lerreiro, que ah achara
com quem tratar._______________________
Aluga-se a casa terrea da rua do Jasmim n.
4, para pequea familia : a tratar na rua do Baa-
gel n. 24, primeiro andar. _______
Precisa-se do urna ama para corinhar cm ca-
sa de pouca familia, prefere-se viuva : na rua da
Boda, sobrado da esquina de um andar, com vene-
zianas. tk
Aluga-.se%ma casa terrea sita na rua Velha
n. 90 : quem a pretender, dirjase na Direita
n. 91, primeiro andar. ___________________
Acha-se fgido desde o dia 4 do corrente o
escravo por noroe Adn, pertencente ao abaixo as-
signado, e muito conhecido por ter trabalhado
muito tempo na alfandega, e presentemente andar
entregando pao, o qual tem os signaes seguales:
crioulo c lom a barba muito fechada.
* Domingos C. Pires Ferrora.
Para a lugar.
Aluga-se nm sitio no Mondego u. 38 : quem
pretender dirija-se ao mesmo sitio que achara com
quem tratar.___________________
ELECTRO-MAGNTICA S EPISPASTKAS
DF.
RICARDO KIRK
Para seren appflcadas s parles afferiadas, sea resguardo
nem Inromniodo
Aluga-se urna casa terrea graude com 3 Ja-
nellas e 1 porta, na'rua da Alegra : a tratar na
rua do Imperador n. 67, segundo andar.________
Aluea-se um sitio bom para passar a fea,
na rua do Joo Fornandcs Vieira. com casa do mo- j
rada, cocheira, eslribaria, quartos para prets, bas-
tantes arvoredos. baixa para capim, a com um bom
viveiro: quem pretender, para ver dirija-se mes-
ma rua, casa do Sr. Bernardo da CnBha Teixeira,
e para tratar na taberna da rua <"to Imperador nu-
mero 83.
Excellent morada.
Aluga-se urna boa casa de pedra e cal com quin-
tal todo murado, tendo 2 salas, 4 quartos, cosinba
fra, estribara, casa para escravos, muito fresca
por olhar para o uascente, sita na Estrada Nora
defronto da entrada para o ongenho Cordeiro : os
pretendemos podera procurar na rua da Cadeia cs-
criptorio n. 41.
INJECClO BROW.
Remedio infallivol Contra as gnorrheas
iBtigas e receotes, ubco deposito Ba bo-
tica franco, roa da Crn7. n. 22, pre-
o 3*.
as innmeras, curas e< *,iplr-tumente obtidas as.di-
HWM moletas emipve foram applicadas, e fcaem
niereeere conservar a ctMillanra do i Ilustrada pu-
blico. OM jalive a BfiM de merecer delle IE> an-
uos de existencia o dep4titca.
N. B. Nesta curie e de todos os pontee tkst
imperio recebenvso particinpdes satisfactorias e
respeilo das ditas etapas modicinaes.
As encommendas das provincias de vem ser di-
rigidas por escripia com todo o cuidado de fazer
as neeessarias explieacoes, se as chopas sao para
loracm. senhora, meniio ou rrianea, declarando a
nuJesha e em que parte do corpo existe.
Para inchacoes, feridas, lobinlios, papos, etc.; o
molde justo de seu tamanho eni um podaco de pa
pet, a deelaracao onde existe, afn do que a chapa
soja da forma da parte affectada, e |>ara que possa
sor l>em applicada em seu lugar.
Muito condecidas nesta corte e ero todas as pro-
vincias deste imperio, petos seus infallivcis resul-
tados em lodos os casos de nfkii_uxico> sejain ex-
ternas ou internas (com. cansara e falta de retpi*
racao) como do estomago, ligado, bato, lx)fes, rir.s,
tero, peito, palpitarse de cora^, gargantas,
olhos. crysipellas, rhcumatisiaos, paralysia, e tedas
asaffecces nervosas, etc., etc.
Igualmente par* quaesquor inchacoes, fepidas,
tumores intestiuacs e venreos, scrophulas, lobi-
nhos, papos, etc., etc., sejam qual for o sea tama-
nho e profunde*, por meio da supuraco sro ra-
dicalmente extirpados.
(Estas chapas nao podem fazer mal de forma al-
guma, ellas boa sido applicadas aos uthos cora o
mclhor siiceeSo, vejam-se os altestados de curas
completas que j foram publicados pelos tomaos.)
O nso deltas aconselhado e receitado por mmois e
distinck* factiltalivos, sua efflcacia ineontestavel, e
PODE-SE MANDAR VIR OE Ql'ALQUER PONTft DO IMPERIO
DO BRASIL
As chapas sero acompanhadas das suas com- Consulta s' pessoas t|ue se dignarem hnralo
odlentes explieaeo>s, c tambem de todos os arces- com a sua confianea. todos os das, sem excepcJo,
derios necossarios para suas applicacfas. das 9 horas da manhaa s 2 da tarde.
ESCRIPTORIO
\. 119 RUA DO PARTO \. 119
E EM PERNAMRUCO
Para as encommendas ou informacd dlryam-se pharmacta de Jos Alexandre Ribeiro,
rua do Queimado n 16.


I










.X.
MUTILADO r-


Diario c l*einamJmco*e\ta lelra II Je feecmbre 4e 18G3.
/
LOTERA*
0 thesoureiro das loteras desta prminl
Cia, desojando extrahi-las em maio* canita-
e com menores intervallos, offereceavanta- i
cera de dous por cento quera -comprar I
para negocio, na quantia de 1005 paca cima; I
assira como se propc a estabelecer corres- fy
pondencias para qualquer localidad da pro-
vincia, remettendo bilhetcs, meros-e listas, ?
sob flanea idnea; devendo o pagamento j
.U'iles ser feito logo que sejam recebidas as <
listas e novos bilhetes remeltidos. O the-
soureiro certo da coRveiiienciadesse negocio,
convida aos Srs. eommereiantes da Victoria,
Goianna, RioFormoso, Nazaretb, Berinhaem .
emais localidades populosas da provincia, e;'
mesmo os desta capital, que o qoizerem, a
o-ntenderein-M'emu elle, na thesouraria dr.s
loteras, ra do Crespo n. 15: advertini lo
uereceber cm pagamento e sera descont,
os bilhetes premiados de todas as loter jas
zenda provincial.
Thesouraria das loteras. 20 de junho de
1863.
G thosonrerr,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
" Be hoje at sabbade lora para-se vender com
pouco dioheiro 4 nulas do serlao o i caval o : a'
tratar oom o propriotao cm rasa do br. l caro,
Pueclre, ra do Trapicho, hotel da barra._______,
Precisa-se de um caixeiro queiciiha bastante
pratica de taberna e d Siador sna conducta: no'
pateo do Terco n. 141.______________________
Edward Hughee, Mary Hughes, c o menor
Thoaisz Iluglies retirara-so para-tora do imperio.
s*7 ^*; ^.?;
:*. *. : ? >.-?.
A U Rv@ R A
le
LARGO
DA
BRILHANTE.
SANTA CRIZ.
O dono do grande estabelecimento denominado AURQRA RRILIFANTE, ao
largo da Santa? Cruz n. 81, avisa o respeitavel publico, e com especJaUdade aos
seus freguezes -e amigos, que recebeu um-completo sortimento dc 'melhores e
mais novos.-gneros que vem ao mercado, e que vender sempre ;por precos
muito rasoaveis.
Queij os novos vindos neste vapor
jGenebra em"fraseos verdadeiras
(eobertos), o melhor que ha, a 2050 | de Hollanda, a 640 e
Ditos no vapor passado, a 25 e 24200 Frascos com dita de larauja, a
Ditos de raanteiga do Serid in-
teiros-libFa 600 rs., e a retallio
Ditos de quallia, inteiros libra
440rs., e a retalho a .
Manteiga ingleza flor, libra. .
Dita mais abaixo, (ha grande
quanlidade de barris para es-
comer,, a, 720 e .....
Dilahamburgueza, barris peque-
nos, e rauito nova, libra .
Dita franceza em barris, libra
520,-540 e......
Cha uxi muito fino, libra. .
Dito dito muito fino, libra. .
Dito nao miudinho, igual em
quakdade ao perola, libra. .
Dito nao grvido muito superior
libra..........
Dito nao grado muito superior
1*000
960
*640 e.......
640 Ditos com conservas inglesas e
francezas, a720e...... 800
480 Ditas com mustarda, a. 480
800 Caixas com charutos finos, suspi-
ros, de Sima, em Tabocas,tra-
bucos, varetas, aurora e outras
muitas qualidades finas para
diversos precos, sendo de 500
rs. a caixa a......4>50O
I-Cartas finas para voltarete, o
baralho 400 e a duzia 35400 e 35600
2Asgo Tapioca nova, libra 140 e 160
ojitoa Gomma muito alva, arroba 1)5800
9 I 20 c 25500, e a libra 60,80 e 100
i haa Saceos grandes com farinha igual
6m**\ adaterra.......50800
Bitas com rnilho muito bum, a 50000
640
640
5001
2;>8O0
Ditas com arroz de casca, a. 40000
libra.........^720 Dits cora farello(sac^sgrandes) 40500
* *";"^,"^*m1 S Dit0 nr,rad0 mili, s"Peri0''.
!
O Lachare. .
_ Romano advoga dos auditorios desia ci-
8R Hade e pode ser procurado para os mis- *rj
' l teres de sua protissao, das H horas da gfe
.manhaa as 3 da larde, no osenptono do i
rSr. Or. Moraes e Silva, na ra do Lrcspo m
n. 13, entrada pe* ra do toperador, e ,*,
tra dessas Itoraeem casa-de sua residen- *,
ra do -/Jibuy n. 3, primeiro
ana .
ndar. W >
Precisa-se de um rapaz i'ortnguez que tenha
de taberna : na ruado Sooego n. 86.

prattea
loteras.
m
Aluga-se o secundo andar da ra do Crespo
n. 13, por tima da tliesouraria das loteras, decen-
te para morada de pequea familia, ou para qual- i,
ueradvogado : a tratar com o thesoureiro das $_
\mm
OEfnfftllfSfs^
)Ra Sova 19
lenci/Caulier. cirurglao dentista, {gil
la.-is o|M'ra(;oe de sua arte, o col- <|
i'iitPs aitilkiaos. tildo com .perio- ps
e perfejoao, que as pessoas unten- I
Ihe reconhecem. f^
Tem asna e pa dentiP.cio. ~~
m libra 20600 e......20400
^ Dito preto o melhor possivel, libra 20000
.5." Dito do Rio em latas de urna e
mais libras, a 10600, 10800 e 20000
Rolaxinhas de sodas c outras em
latinhas,a 10400, 10500 e. 10600
Barricas combolaxinhas inglezas,
a 20, 20500 e.....30500
Chocolate francez, hespanhol e
portuguez, a 10, 10120 e. 10200
Cafe do Cear muito novo, arro-
Alpista, arroba 40800, e a libra
Sabao massa, libra 420, 160,
200 e........
Macaas novas para varios precos.
Ancoretas com azeitonas novas,
a 10200 e garrafas. .
Caixas com 2 arrobas de batatas,
a 20500 e a libra.....
Vinhos da Figueira muito supe-
or, caada 40500 e a garrafa
Ditos da Figueira mais abaixo,
caada 40 e.
Dito de Lisboa, a 400, 480 e
160
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
Candes de visita
Candes de visita
Candes de visita
Cartees de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
IIA \ O IMiO
ESTABLECIDO XACIDADE DO PORTO
Agentes em Pernambseo
Antonio Lulz de Oliveira
Azevedo *, c.
Sacam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco nrazo ou vista, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agencias em Fi-
gueira, Coimbra, Aveiro, Vizeu, Villa-
Real, Regoa, Vianna-de Castello, Guima-
res, Rarcellos, Laraego, Covilbaa, Braga,
Penafiel, Bragan^a, Amarante, Angra,
IIlia da Terceira, Nha de Paias, Ilha da
Madeira, Villa do Conde, Valenca, Bastos,
Oliveira de Azerneis, Chaves e Fafe, a
oito das vista eu ao prazo que se conven-
cionar,no seu esenptorio ra da Cruz
n. 1.
Aluga-sc a casa terrea da ra Imperial
66 : os pretendentcs diram-se Caixa Filial.
n.
Aluga-se o segundo andar do sobrado na ra
da Senzala Nova n. 42, com bastantes commodos
para familia : a tratar na mesma.
tfOVO HE % i I,
Loja de miadezas
\ 6 Roa do Queiiuad f6
Luvas de pellica para senhora e homem a 15000
Thesouras diversas, a 40, 80,120 e 160 rs. w^"
Ditas grandes para alfaiate, a 600 rs.
Pecas de tranca preta lisa, a 40 rs.
Ditas de tranca branca de caracol, a 80 e 120 rs.
Massinhos com 27 grampas, a 30 rs.
t Fitas e cordoes para enfiar espartilho, a 60 rs.
Escovas para denles, a 160,400 c 500 rs.
Massos com 20 papis de palitos lixados, a 280 rs.
uzias de botdes de duraque preto, a 120 rs.
Grosas de botoes de porcellana pintados, a 120 rs.
Pentes de alar cabellos, a 40, 60 e 240 rs.
Ditos de massa em caixinhas, a 640 rs.
Ditos dourados com raarrafas, a 35200.
I O lavas de retrz preto e de cores, a 120 e 160 rs.
Libras de retrz preto e de cores, a 65000.
Papis de agulhas fundo dourado n. 6 at lo, a
100 rs.
Cartoes de colchetes francezes, a 40, 60, 80, e
100 rs.
Caxinhas de ditos, a 20, 40, 60 e 80 rs.
Luvas de Escocia bordadas, a 240 rs.
Ditas de seda bordadas, a 640 rs.
Ditas para montara, 300 rs.
Pecas de fita de velludo de cores, a 15000.'
Ditas de bico preto, a I5O0 e 15200.
Resmas de papel almajo pautado, a 4500O e 55(100'
Precisa-sc alugar annualmente ou por festa; Ditas de dito, dito liso, a 25500, 35000 e 45000.
um sitio desde a Poute de fe-cha at o Poco da I Caxinhas Aa ~>nno *
Panella, com algumas accommodagoes, e que seja
porto de rio corrente : a tratar com Antonio Jos
Rodrigues de Souza, na ra do Crespo n. 15.
Oad>ogHdo .loao (ionralves 1
da Silva Vontarroyos tem o sea
e>criplorio Da ra eslreita do
Rosario 11. 17, onde pode ser
procurado das 9 horas da ma-
iilu'ia s 3 da tarde.
depennas de ac, a 600, rs. 15200. e
15600.
Ditas com envelopes, a 800 e 15000;
Duzias de lapis de pao, a 60, 120, c 200 rs.
Espelhos de gaveta, 160, 240 e 320 rs.
\ Pecas de franja branca, a 800 rs. e 15000.
. Thesouras finissimas para costura a 800 rs. c
1500.
I Pecas de franjas com borlla, a 35500.
Sabonctes finos, a 120.
! Frascos, legitimo oleo de babosa, a 500 e 600 rs.
I Ditos de banha franceza, a 300, 500, 700 e 15000,
Ditos de sndalo a 15000.
240
280
60
560
>OV\ hospedara
AIR1VIATA
Ra larga do Rosario esquina para a do Queinudo '
ATTE\(iO.
., Carteirinhas de madreperla para baile e para
A ugam-se a loja do sobrado n. 193, e arma-: notas : vendem-se muito em conta, era casa de J.
zem 171 da ra Imperial ; o armazcm n. 4 da ra Falque, ra do Crespo n 4
, do Apollo, e a casa n. 27 da ra do Burgos: _
na
numero 37.
ATTENCiO
ba 9#00 e do Rio 850O e 90000 Dt0 branco deUsba, Carcave-'
Desencaminbou-se do poder do abaixo as-
, signado urna letra aceita pelo Sr. Dr. Lniz Carlos
guezes, que, por suas posicoes e senedade nao do que j me acho pago da dita letra de 2505 que
queriam tomar parte na geral concurrencia de seu 0 mesmo Sr. Dr. deu-me por conta. Faco o pre-
. 45500 SR,hote,f' resolveuaproveitar o excellente sobrado era sent annuncio para que conste ao publico afim
500 (^!qu.e.fu,ncclonouaLsocieJ,dadc Cor>bantma e. nellc de que ninguem faca negocio cora a dita letra que
^To5o da Silva Ramos, medico pela l'-ai-
Rersiade di'Coimbra, d consultas-em
*s"ua casa, na ra Nova 11. 50, das 8 as,10
hnr;i- da manhaa, e das i s 6da tarde, e
recebe egualmente convitoB para dentro
ou fr' da cidade, com o lira de se encar-
de qualquer servico de sua protis-
sao.
Os eliminados deverao
nr eseripto.
iait:
B^aboratoi-io hosnoopatiiico. ra -'*.
\ova n. 43. *!<
O Dr. Sabinc Olegario Ludgero Pinho tem en- .;.*
1'arregado da sub-gereucia do seu estabelecimento .j
ao Sr. ws Airas Tenorio, professor esa lioint'opa- .f
(hia, c eompeteatemente habilitado para substitu- H
lo cm qualquer ausencia.___________________ f
- Os administradores da massa fallida de Fran- #;
iseo Moreira Di convidara aos credores da mes- r\
1.1a Irma a apresentarem scus ttulos, afim de se M
proceder a devida -xerilicacao; na ra da Cruz nu- 5
mero 54. '__________________1118
Aluga-sn 1:111a casa na ra da Ponte- s
Yelha, n. 35, por 104(000; e outra dita no segundo becco da Cainlioa do Csrmo, n 2, .j.
por 12-jOiO : a irtlar na ra eslreita do I\o- ...
sario, n. 12. :;,*;
.Prccisa-^e de ua ama para casa de anlia: *g
que saiba cozinhar e engommar : na ra do caes J^
22 de Novembro n. 30, segando andar, entrada a jj<
esqneada.
liq-Oes
partidas Cobradas
JkRITAlISfJHCA
TRES VEZES POR SEMANA
TEhf.'S. (JUMAS t S.-IRBADOS
DAS 7 S ) HORAS W XOITE
Proco -lO.OtO rs. nieiisaes jiaijos adianlailos.
iiamii'i Fouseca de Medeiros.
-..'h linda adtr-iicSes das referid a materias no
primeiro andar -. e sobrado da ra Xova, que faz
esquina para ad.mlioa do Carmo, nde trabalba'o
Sr.rE. Gadault. As pessoas a quem ,c prestimo do
annunciantc pudor aproveitar diguem-seprocnra-lo
ahi Smente nos dias c horas cima designadas.
' ERDEl-SE
iima^alceira eonpttsta rfe eoas del
cornaiina ciicn-nia c conlas deomo,
tcliado c qiiizer eitlt'ga-la dirija-^c
loja de ourives na rti d Cabula n. 3,
rasa doSr. .11; noel U.niio Goncalvc^
jiic ser-recfliupens?a. ,
Alngau-sc tres niei-aguat t.a ra da Atrai-'
<>c ns. 1, 3 e 6 a tratar 11a ra do Kangel, taber-
na 1. 7.
i'assuiieitt de fcsla por pouco
i!iheiro.
Aluga-se o c\c.'ll..uti'. sobrado da entrada do
Monteirq, com grandes commodos para .duas fami-
lias, e aluga-se por pouco dnheiro : quem preci-
sar, approveite em quapto tempo : a Uatar na
ra do Vigario n. 8 com Cosme Jos dos pantos
Callado.
Espermacete, libra a G40, 720 e
Vellas do Aracati em caixa, arro-
ba 10#e a libra.....
1 Ditas de composieo, 9^500 e
1 10$ a arroba, 30e, .
; Carne verdadeira do Serid, a
! 280 e........
' Lin,aiicas do sertiio, a meihor
que ha neste genero, a. .
I Ditas do Reino e presunto de La-
mego, libra......
Presuntos inglezespara Hambre
libra.........
Macarrao, lalharim ealetria, libra
Sevadinlia e sagt muito novo,
libra ,......
Eslielinhas, rodinhas c pivide
para sopa, libra.....
Caixa com 8 libras de dita nova
Ervilhas novas, libra. : .
Latas com peixes vindos dos me-
lhores conservetros de Lisboa
muito preparados, a lata. .
Ditas com outros, americanos, a
Ditas com marmelada superior,
libra 040 e.......
Ditas com frogas em calda. .
Ditas com massa de -tomate, ti 40 e
Ditas com ameixas francezas, a
Ditas com figos de comadre, a
Ditas com sanlinhas de Nautas,
a 320 o.......
Caixas com doce de goiaba mui-
to fino, a 560 e .
Vinhos em garrafas, cliampanhe
cognac. Bordeaos, licores finos
para diversos precos.
800
400
300
320
400
los e outros, a 640, 560 e.
Dito do Porto muito fino, caada
U e 55500, e a garrafa 720,
800 e........I4OOO
Carrafas com capils para refresco 500
Massos com 20 massinhos de pa-
litos para dentes, a. 180
Crozas de caixinhas de palitos
do gaz, a.......2#400
Ser/vejas de boas marcas para
que estarao os concurrentes da freguezia de ou-1
tros de condicao, por ventura inferior,e a frescura',
Duarte Borges da Silva.
COMPRAS.
500 diversos precos.
Batatos do Porto muito bonitos
de diversos tamanhos.
Azeite doce de Lisboa, a garrafa 640
Vinagre muito forte, caada
1-5000 e a garrafa 240 e 280
Pimenta do reino, cominho, er-
va-doce e folha de lout o a libra 480
Tijolos de limpar facas. 160
Cordas para pastar, a 200,-320 e 400
Ditas para andames, cento 35,
35500 e......*
Duzias de copos lapidados pa
agua e vinho, a 65500 e
Espirito de vinho de 38 graos
garrafa
Passas de carnada, novas a iw.
15280 Papel almaro, de pezo e greve,
15400 de boa qualidade,
Caixas com o verdadeiro vinho
chainisso, (I duzia). I450OO
Toucinho de Lisboa, libra 320
arroba........05000
Frasqueiras com a verdadeira
genebra de Hollanda, a v. 65000 ^
Sevada nova, libra.....100 B
750
480
320
480
35000
240
I5OOO
800
720
500
720
400
640;
que em dita hospedada sempre se experimenta,! F.Lembcke, subdito de Bremen, va i ao Kio
sao seguras garantas que animam e fazem espe- de Janeiro,
rar as honrosas visitas da classe mais acciada da
nossa sociedade jovem e alegre. Sob estes aus-
picios o proprietario da hospedara Travista es-
pera a coadiuva^ao de seus amigos generosos para
darem sahida, mediante preco mdico, charu-
tos de Havana, licores inglezes e francezes, eerve- = Compram-se duas negras que sejam peritas
ja branca cpreta, queijos de prato, londrino e suis- cosinheiras c engommadeiras para urna encom-
so, doces cstrangeiros e nacionacs, e, em urna pa- menda : na ra do Apollo n. 36, segnudo andar.
>' Pro"i Compras de escravos.
-----;s:--------r-i-------- 1 Xa ra da Cruz do Bocife n. 43 compram-se es-
a do Queimado n. 1 deseja-se fallar cmos para eservico de engenho.
DO MATTO E
DA PR\QV.
Na Arara
pros a um lunch variado, apetitosa e barato.
n. 1 deseja-se fallar
com os senhores Gabriel Germano de Aguiar Mon-
tarroyos, Fernando Francisco de Aguiar Montar
OS.X^
45000 m
35500 ^
.1
Compra-se effectivamente ouro e prata em
royoVe'joaquTm Francisco de AgdaV^Mntarrovos. \ obras velhas : na prar-a da Independencia n. 22 lo-
-77, .-------------------T-TT-rri ja de bilhetes.
Os administradores da massa fallida de Joa-1------=--------------E-------r-^-----------------------
quim Jos da Costa Fajozes Jnior e Fajozes, Ju-1 ~ Conipra-se cobre e lalao velho : na ra da
nior& Azevedo, anda convidara os senhores ere- Cade,a do Rec,ft n- 36 pnmeiro andar,
dores referida massa a aprescntarem-Ihes os seus ; ^a.
ir ttulos afim de poderem cumprir o disposto no ar-
tigo 859 do cdigo commercal : na ra da Cruz
n. 56.
E amitos outros gneros que e tornara enfadonho menciona-los, c que se
pi-omette vender barato.
Esperase
ZAMORA.
N
DRAMA HISTRICO PELO OR. THEBERGE.
QUAL NAO INTERVEN PERSONAGEM
FEMENINA.
Na ra Nova n. 11 vende-se a 15ooo o
exemplar.
YENDAS.
Grande liquidaco de fazendas sen re-
7crva de prco, na roa da 'mpera-
liiz, loja c aVmazem da arara, n.
06, de Loorenco Pereira Hiendes
Gnimares.
Vende-se baratissimo para ver cortes de
cambraia com babados bordados com pe-
queo toque de cupim a 15000, 19600 e
250OO; pecas de cambraia com salpicos
brancos e de cores com 8 varas a 25500 ;
camisas de meias de 15a para servico a 500-
rs. ; ricas capas de cor, de fantazia por
105000, fazenda de 20/ : s na loja da
Arara, ra da Imperatriz, 56.

A Arara vende os enfeites
a l^OOO ,
Vende-se ricos enfeites para cabeca de
senliora a 15000; meias cruas muito lar-
gas para senhoras 320 o par ; lencos de
retrz e vidrillios para pescoco de senliora
e meninas a 500 rs.; ditos de seda, finos a
1/000; ditos com franja a 15500; ditos de
seda de urna s cor para homens e meninos
a 800 rs.: na ra da Imperatriz, loja da
Arara, n. 56, de Mendes Guimar5es.
Gollinlias da Arara a 320 e a 1,000.
Vende-se Rollinhas com punhos e b/ao-
M ater aes
j um traje c mpleto 1 ara noiva,
composto de vestido de fil d* .
,',,, ,. sinbos, muito ricas ebordadas a 15000; dt-
seda [mona), capella, ramo do tas s com boiaosinho a 320; chapeos de
peito, veo eboneauins por 8''$. s?1 Je sedacom franja para senhora e me-
Bota-se rea a 15280, sendo era todas as raareis\(llm do Vestido h aind U7Ua "l \ltT n "vFfitfxtlSfi*
e sendo semmareis grandes, e para entrar em L orran de fazenda nnvn fnyov SI! '
camboas a 1*600, canoas dcmilheiro para cima, e P0' Va0 ae fdZenaa paia jaZC) Ouimaraes.
vende-se tijolo de alvenaria grossa a 18* o milhei- se nov0 corinko l ta TUtt d Arara vende OH balos. SSOiUt
ro, posto 110 porto,ecarrega-se tijolodos Remedios i r \-i >^ "i". 4 a^vuw.
at a ponte provisoria a 35 o milbeiro, c do Giqui (JllCimadO )l 1<'? l ja de Fci'-l Vende-se baloes de 20, 25, 30 35 e 40
$ 2 oeSego n"^ peS '^T.' TOO A Maia *P*1 g*- Pre^o de 35000, 35500,
ra Direita dos Afogados n. 13. Na mesma casa 1------Vm. t(.; hlM,M -----j-r.------r. 45"00 e 45oOO, so na Arara vende-se ba-
Tendwenmacaw^^ 'oes de madapolo por 35500; ditos de
a 3o0 fexes de capnn.
Precisa-se fallar ao Sr. Jos Flix Ri-
beiro de Carvalho, que mora no pateo do
I Paraizo, nesta lypographia.
4, livre e desembarazada, com poneos
bem afregnezada para a trra.
a
concurrencia do respeitavel
publico.
3* Aa loja da rua do Crespo n. I, de .los Gomes Villar.
TROCA-SE FAZENDAS POR DNHEIRO.
\ ellas antes que se arahem.
Pe;as de madapolo de 12 jardas a 45, 45500 c 5& ditas de algodaozinho de 10
de blond com capella e manta proprios para noivas, manteletes, capas pretas de muito
gosto a Luis XIV, solferinos pretos bordados, chapelinas de muito gosto, veos para cha-
mm pretos e brancos, vestidos brancos bordados, cassas de eores lindissimas a 240 e
280 rs. o covado, organdys de muito gosto a 400 rs. o covado, chapeos de sol de nanno
para meninos a 15600 cada um.
Msicas importantissimas para piano e canto de todas as toreas e se vendem
baratissimo preco para acabar.
Admiraveis Jaas escossezas de muito apurado gosto proprias para vestidos no verao
fazenda ptima de 3 c 4 palmos de largura a 400 e 500 rs. o covado.
MMU II
I0YO ESTABELECIMENTO DE MEDICINA H0ME0PATHIG1
11 r a \ov\ \. ja*
Portugal.
Maques sobre
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta cidade, saca ef-
fectivamente por todos os. paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer somma, vista e a prazo, pu-
dendo logo os saques a prazo screm des-
contados no mesmo banco, na razao de 4
porcenloaoanno aos portadores que as-
sim lhe convicr : as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
fundos, e Dr|hanlirias rjnas com"|stas a 4/000 e45500:
- Vende-se um cscravo mulato de ligura ele- 'JaAIda "" d? Imperaliz. da Arara, n. 56.
gante, do boa conducta, proprio para pagem. e o e Menes buimaraes,
motivo por que se vende se dir ao comprador : .._. V ____
I na rua da Imperatriz n. 77. Rl,as roberas de vellido a 8,000 rs.
: -^-------------------------------____ i Vende-se ricas coberlas para cama eran-
Hadapolaoeoin atarla na loja de de aveludadas, a 8'000 ; ditas de fust5o
^"*todlo. Carvalho 4C. para cama a 55000: ditas de damasco de
Madapolo.fino com toque de avar.a, a preco de |ndos gostos moo ditas a ^m rua
______da Imperatriz, loja da Arara, n. 56.
Arara vende chales a 500.
Vende-se diales brancos com pequeo to-
& a arroba e que de avaria a 500 rs.; ditos de tarlalan a
na uoa-\ ista 500> ditos de merino |mpos a 3)jq q dilQS
de lazinhas finas a lfiOO ; ditos de 15a e
seda a 25000 : na rua da Imperatriz, n. 56,
, de Mendes Guimares.
I 45500 a peca.
PECHIMA.
Vende-se queijos de qualha a K
400 rs. a libra : defronto da matriz
n. 88.
No principio da estrada de Joao de Barros
aluga-se um grande sitio com sobrado, e muitos | porta da alfandega.
arvoredos de fructo, com jaqueiras, mangueiras,
Vende-se a verdadeira graxa n. 97 em barricas
de 15 duzias de potes: no armazein defronte da
J admira Arara romo vende haralo.
Vende-se ricos riscados com 14 covados
200 o covado ; cortes de chitas com pe-
TTJS^g^SS^S&' Icom i^^S^ZJ!!SS^S i queno toque d
beber-o sotador^wSSnflSS HS\,ft2 sinha alguma cousa, Im figura, sem achaques e pos a 25000 .
SasV^^^iar^S com pamas solas
dentro de casa e canos que conduzem agua para o .... (, >,_., Thor;,7. riba otpi e 8
banheiro, estribara e cozinha, tendo commodos rna dc 5anta ltu-n za ao *ao ua 'EreJa 8-
Aloga-st um sitio com -osa terrea na cidade
Olinda, na rua de Haixo, com frente para a rua
do Cabral, e fundo para a estrada do norte, o qual
alen da casa de corada, tem estribara, casa para
pi.ios, capim para2cavallos, ervoresde fructo,
muito fresco, sem casa na frente ; .na livraria ns.
0 e 8 da praca da Independencia.
ALVICARAS A NOVIDADE.
Sao chegados loja das columnas
na rua do Crespo n. 13 de Antonio
Correa de Vasconsellos C. riquis-
simos cortes barras estampadas e matisada* Im-
peratriz Eugenia, cores as mais deli-
cadas como sejam: cor de ganga, de
lyro, cinza etc., fazenda fnteiraraen-
te nova e nunca vista em Pernam-
buco.
lloga-se
pessoa que pedio urna capa do unlior Bou) letas
4I0S Pobres Afilictos emprestada para um doente,
baja de leva-la quanlo antes para rj3o vf sen no-
mo por extenso.
O fir. Salino 0. L. Pinho mudou o seu CONSULTORIO para a loja de marmore
rua Nova.a. 43, onde continua a dar consultas todos os dias uieis desde o meiodia at
2 horas.
Os enfermos, que o procuraran logo a invaso da molestia, sem que hajam to-
mado qualquer remedio, nem allopathico, nem bomeopathico, pagar2o metade dos precot
estipulados. sa concessao tem por fim facilitar a cura de molestias, que podem tornar-
se complicadas pelos emprego intempestivo da teraputica e ao mesmo tempo adquirir
#ara a homeopathia maior numero de adeptos pela bateza da cura. %
Em attenco as pessoas pobres, que nao podem sahir de dia, o Dr. Sabino resol-
vea dar duss consulta* por semjpas as tercas e sextas-feiras das seis as sete horas da
norte.
Os chamados para sitos e conferencias devem ser dirjgidos por escripto ao con-
sultorio desde 8 hoias do dia at 8 da noite, na certeza de que serSo attendidos na ordem
de sua precedencia, salva a ircumstancia de eminente perigo.
ADVERTENCIA.
O novo consultorio est prvido dos melhores medicamentos, desde a pi-imeira
at a trigsima dynaminjsacSo.
E. como os mdicos hespanhes e allemes nSo cessam de certificar a major effi-
cacia das ultissimas dynaminisafoes do tratamento das molestias chronicas, o Dr. Sabino se
oceupa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais altas (por ora at 200.a),
a/im de verificar por si mesmo a forca dynamica, que se lhe attrjbue.
Os mdicos, que quizerem experimentar taes dynaminisacoes poderlo dirigir ao
consultorio suas recertas, que ser5o'ariadas gratuitamente para os pobres.
No mesmo consultorio se vende a novissma edicio do Thesouro homeopathico
ou Vademcum do homeopatha, obra ind5pensavel a dos que querem usar da homeo-
pathia.
Tudo o que diz respeto Bova medicina se acha ai)undantemente neste novo estabe-
aecimento.
para carro, cavallos e criados, emfim urna perfeita Vende-se urna taberna bastante afreguezada
morada para quem quer tirar proveito, e tem tra- e com poucos fundos, propria para um principian-
tamento : a tratar cora Guimares na rua do Amorim n. Si, das 8 s
(arde.
Ao n. 29.
Soca loja dos barateiros, rua do Queimado.
horas da : Vende-se um bonito molcque com 18 annos,
bastante robusto, proprio para qualquer servico :
---------- a tratar no arrnazem da rua do Imperador n. 16.
dilos lim-
e 25500; ditos de cambraia
com urna vara
de largura a 25000, pecas de cambraia
branca a 2/500, 35000 e 35500 : rua da
Imperatriz, n. 56.
Arava vende as lazinbas a 320 rs.
Vende-se I5azinhas finas com quadrinhos
de cores a 320 rs. o covado ; ditas a 400,
ditas infestadas linas a 5f)0, ditas de duas
Laa de ultimo gosto, covado a 440 rs.; organ- ga muito novos a
dis de padroes lindissimos, varas a 800 rs.; ba- Dircita n. 14.
loes de arcos o melhor possivel, a 35500, 45 e 5
alpaca de linho para vestidos, covado a 240 rs.; |
se ^eJdSS*?oalba emantei-1 S*?* mll Cr Pr.Prias f**f*
iu sciutu uc ruuiiiu e mainel- j -___i____ ~r,r\ r-------1"
e 560 rs. a libra : na rua de ^nliora a 500 0 covado : na da Impe-
Oleo de ricino
I ratriz, loja da Arara, n. 56 de Mendes Gui-
i maraes.
cambraias de cores para vestido, covado a 280 rs.; ^|nde-se oleo de ricino a 480 rs. a libra, queijos Ol, que pecliinrlia a 210
ibraietnmuito fina, pecare__H jardas a_7*j, JS^njvos a 23300_e 2ff,_ditos_do .Ttaoa^eiO,. Vende-se chitas francezas com pequeo
rs.,
cas
saJiea pelle de ovo, peca de 12 jardas a 75500.
Ao 11. 29.
ditos londrino* a 800 rs.,
900 e 800 rs., dita franceza a
manteiga ingleza flor a tft_ ,
twcowi., uuAiiautcu a 600 rs., banha de ,. porco refinada a 560, chourieas e paios a 600 rs., limpas multo finas a 320, 360, 400 e 500 o
chitas largas.
>m i
a 240 rs. o covado : ditas
Noca loja dot barateiros, rua do Queimado. g0mma a 60 e 80 rs., farinh'a de "araruta a 240,' covado. na loja da rua d Imneralriz" >fi
Paletts de merino setim, fazenda de custo de Imendoas a 200 rs. a libra : no largo do Carmo! J "' d0'
205 por 105 i ditos de alpaca preto a 35200 brim esquina da rua de Hortar, n. 2.
branco lona, vara a 6M); brim de cores para cal-
ca, covado a 480 rs.; camisas com peitos de fustao,
15600; chapeos de sol de alpaca, a 35500.
Ao d. 29.
Noca loja dos barateiros, rua do Queimado.
Para acabar.
Bieos preto de linho, vara a 120, 160, 240 e 320
rs.; ricas franjas e trancas pretas c de cores, vara
a 120,160 e 200 rs.; trancas c galoes de laa e de |
algodSo, pecas de 10 e 15 varas, a 200 e 400 rs.
Botica.
Pilulas inglezas de pobre-homem.
Pilulas do Dr. Alian.
Salsa parrilha de Brstol.
Remedios do Dr. Chable.
Pilulas americanas.
Remedios do Dr. Kemp.
Rob l'Aflecteur.
Sortimento de papel para forro de salas e guar-
. nicoes : vende-se na botica e drogara de B. F. de
troco fino e grosso, pe?a a 160 rs.; vestidinhos de Souza c C, rua larga do Rosario n. 34.
cambraia bordados, para baptismo, a 25- | VenJe^ ou arrenda.M 0 Rjtn Amn_
Ophthalmia aguda em um olho minaao Caviana, na freguezia da Vanea, de muito
csauerdo. ; l^as ter.ra5 Pr._8em d,t ?.railde Produccao, com
Arara vende ronpa feito para
homem.
Vende-se palitos de casimiras inglezas a
35500, 45000 e 55OO0 ; calcas de ditas in-
glezas 25000 e 35000, coletes da mesma
fazenda a 25000, carnizas francezas finas a
15600, 25000 e 25O0, ditas inglezas com
abertura de linho e prega larga a 30000,
seroulas francezas de linho a 15600 e fj|80O,
chapeos de massa pretos e de cores a ? |fB00,
25'00 e 25500, ditos de palba muito no-
vo a 25500, grvalas de seda de cores a
320 e5O0 rs., Iencs brancos flnes a 25,
[MUTILADO
iuraa ca de uina i cotemTteK ton' has" meias cruas a 120, oh que pechncha; na
Achando-me bastantemente accommettido deUntes ps de iarngeiras, coqueiros/'cafezeiros, >'qa da Imperatriz, loja e armazem da Ara-
urna ophthalmia agudajem um olho esquerdo depois etc ; tambera aluga-se a casa dopateo daPe- ra, n. 56. de Mendes Guimares.
de ter.procurado por todos os me.os medicamen- nhl'n.. a traur na ra do Hospicio n 22. it ,
tos os mais enrgicos, resolvi-me applicar tima das ----------------------------------------------------- Madapolo da Arara a 4,000 rs.
chapas medicinaes do Sr. Ricardo Kirk com escrp- Para retratos, Veode-se pecas de madapolo francez in-
torlo na rua do Parto n. 119; e posso-lhe asseve- Vende-se por metade de seu valor urna machi- fpeadn 3 kAQO e, 45.100 dito inolo*mn
rarquefiquei perfeitamente bom no pequeo es- china para tirar retratos por qualquer systema, '^"^JK ,J, g?Qi in8 W
paco de 15 dias. Aproveitoaooccasio para agr-, prompta a trabalhar com todos os seus pertences "lio aiww, ,'KUPF' J.-JL J
decer ao dito senhor por mcio desta folha para fa-' de caixinhas, quadrinhos, molduras, chirracas, etc, algodaozinho a 45500, 55000 6 55500 mui-
zer conhecer publicamente o grande beneficio quo etc., ensinando-se" gratuitamente a pessoa aue a) tworpado, tamhem se vende muito bara-
recebi. Rio de Janeiro (S. Christovao). comprar : a tratar na loja franceza da roa Nov "nanha rlp linhn hrim Ha linho fin o
._____Jacintho Severino de Medeze. n. 11. ou na rna da Guia n. 9 primeiro andar. -aoA i 22i
inanhinistSttpaEainiaW dirija-'sej. oadi'om : rua da impeatm, loja da
geiras n. 5. agencia de ladees na rua do imperador. | Arara, D, 06.
ILEGrVEL
-*


uiario de Peruaubuco Se vi a felfa 11 de fceleiubi'O d 184*3.
NOVA EXPOSItfO CASEW1IRASINGLEZAS
na toja do Pava*, de fazendas. bara-
tssimas.
GRANDE PECHINCHA
Vende o pavo, organdys a 360 rs.
\s Vende-se finissimo organdys matizado cgtn os
mais delicados padroes niiudinhos com assenios
branoos, sendo neste rtico o mais moderno que
existe no mercado, sendo fazenda que sempre se Carntel de qualquer numero
verideu a i200 a vara, c presentemente venderse Yaras de aspas para bal5o .
a 360 rs. o covado: so na ra da Imperatriz n. w>, Qaxa3 com superior obreias a
ioja do pavo, de Gama & Silva. Ditas decolla '.....
ai,700 rs, o corte.
Vendem-se cortes de casemiras escuras para
calca, [icio barato proco de 1*700, tambem se ven-
dem das mesmas a 480 .rs. o covado, proprias para
...... v, .. n<.|9nt|1_' paletots e colletes, etc.: s na loja do pavao, ra
Neste eslabelecimento acha-se constante-. ^ ,mperalriI n & deGama & Silva.
mente um grande sortimento de razendas
de gosto e de primeira necessidade, sendo
tanto proprias para a praca, como para o
mato; de todas as fazendas dao-se livros de
amostras, deixando flear penhor, ou manA
dam-se levar em casa das familias pelos ca-
xeiros da loja do Pavao.
LSas com 8 palmos de largura,
na loja do PavSo.
Vendem-se laazinha entestada propria para
vestidos, com 8 palmos de largura, sendo
fazenda mais moderna que tem vindo ao
mercado pelo baratissimo proco de 10600 o
covado: s na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
Cassas a f OO rs. o covado.
Vndenle cassas francezas de padroes
miudinhose cores flxaspelo barato precode
200 rs. o covado; litas finas a 340 c 320
rs. o covado : s na ra da Imperatriz n. 60,
ioja do Pav50.
Organdy, a lO rs. o covado,
na leja do PavSo.
Vendem-se organdy de cores matisado, fa-
zenda que val muito mais dinheiro, pelo ba-
rato prego de 2i0 rs. o covado ou 400 rs. a
vara: s narua da Imperatrizn. 60, loja
do Pavao.
O Pavo vende os modernos ves-
tidos a balo,
ne.u seg i'..i> no.
QUINQUILHARIAS.
Ra do Queimado, ns. 49 e 55, tojas de
Jos Bigodinho.Jqueiram ver ver as fazeudas
que abaixo annuncio, pois todas eu garanto
que s3o muito novas e baratissimas.
Pecas de trancas de algodSo de to-
das as cores a.' Y
Duzias de linbas com 200 jardas, A-
lexandre, a.....* .
^narv A ti 17fiinTIl % & Pares de botesde punho a
lilll 1 A JiaV^"^ Pares de sapatosde tranca
a 2,200 c 2,640 rs., s o P*- Ditos mu.lo superiores, a
Vendem-se cortes do chitas rom padroes e.seii- na-nt/_ d- 'p\ amisade d
ros tendo 10 1/2 covados a 23*00, e com 12 1/2 Ut.\as> e pacotes e papel amisaue ue
corados a 25640, pechincha e vende-se por este
preco em razao dos cortes screm em mais de um
pedaco : s na loja do pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & ilva.
Laazinhas a OO rs. o covado.
Na loja do Parao.
Vende-se laazinhas de cordaozinho
I#I00
100
80
40
40
120
142*0
I 600
cores a. ....... 600
Duzia de meias muito finas para se-
nhora a........3->00
Duzia de ditas cruas para bomem a 2*400
mmmmm '
Baralhos muito finos para voltarete a
Carriteis de linha com 100 jardas a
de urna s Cartes de linha branca e de cores a
cr^sendrazuT'ciaro, "azufescuforferrete, cor de Novellos de linha com 400 jardas a
caf claro e escuro, alvadio, roxinhas propriaspa- rjtos muito grandes com 800 jar-
com barras Mara Pa, sendo os mais
modernos que que tem vindo ao mercado,
com a saia de um s panno, tendo bastante
fazenda para o corpo, e vende-se pelo barato
preco de 3-3500 cada um: esta pechincha
s existe na ra da Imperatriz n, 60, loja e
armazem do Pavao.
\oi a pechincha de ias entesta-
das a I OO rs. o covado.
S o Pavao.
Vendem-se laazinhas entestadas transparentes
com delidados padroes sendo de urna s cor com
listras e quadrinhos c vendem-se a 400 rs. o cova-
do : na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
Cortes de cambraia, a 9$500,
na loja do Pavo.
Vendem-se cortes de cambraia brancos com
babados, a 25500; ditos, a 45; ditos com
barras e babados de soda, a 3, 30500 e 45;
s na ra da Imperatriz n. 60, loja e arma-
zem do Pavo.
Cortes de cambraia chlncza, a
4, na loja do Pavo.
Vendem-se ricos cortes de cambraia chine-
la, os mais modernos que tem chegado, sen-
do brancas com lindsimos padroes, pelo ba-
rato proco de 45 cada corte, tendo bastante
Euenda para um vestido: isto s na ra da
Imperatriz n. 00, loja e armazem do Pavo.
Balcs a 3#.00. s o Pavo.
Vendem-se balos americanos que sao os
raelhofes, tendo 20 arcos, a3500; ditos
de 30, a 45500; ditos de 40, a 55 ; ditos
de bramante, a 35500 c 45; ditos para me-
ninas, a 25 e a 35: s na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Cortes de chita, a 500, na
loja do Pavo.
Vendem-se cortes de chita com 12 1|2 co-
vados cada um, a 25500; ditos com 10 cova-
dos, a 25; cortes de (assa miodinha de co-
res fixaseem 10 covados, a 24; ditos de
organdy mathisado com 10 covados, a
9400: snarua da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
As casemiras do Pavo peclaiu-
cha a ..
Vendem-se cortes de casimira franceza para
calca, fazenda muito fina, padroes claros *
-( uros, a 5-> o corte: s na loja do Pavo.
ra da Imperatriz n. 60.
na ra da Imperatriz n. 60. toja do Pavo.
Fuslo do Pa>o.
ra luto, sendo fazenda que ral muito mais dinhei-
ro vende-se pelo diminuto preco de 200 rs. : s na
laja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Os manguitos e golinhas do
Pavo.
pechincha, a 320 e a 100 rs.
Vendem-se golinhas de fil, bordadas, a
400 rs.; ditas de cambraia, a 320 rs.; cal-
cinhas para meninas, a 500 rs.; manguitos,
a iOO rs.; manguitos com golinha, a 800 s
reis ; manguitos de cambraia, a 320 rs.: s,
na ra da Imperatriz n, 60, loja do Pavo
300
30
20
60
120
0 Perfume da Moda.
AG-UA FLORIDA
Ik Miivniv & Lanman.
das a .......
Carloes de linha com 200 jardas (est
se acabando |a...... 60
Vara de fila prela com colxetes para
vestido, e tem um resto parda a 100
SEM SEGUMDO.
Ohjectos de tintura e msica.
Na ra do Queimado, ns 49 e 55, est
qneimando ludo pelos precos abaixo decla-
rados, e prestem toda a attengo para ver
o que bom e barato.
Duzia de facas e garfos muito finos a 25500
Dita dita dita de cabo prelo muito
finasa......... 3,51200
Dita dita dita de balanco, melhor,a 5150O
Tesouras para costura, muito fi-
nasa .........400
Ditas ditas para unhas, muito finas a 400
Cartas de allineles de ferro a 80
Ditas ditos de lalo muito finesa 40
Ditas de dito grandes.....120
Caixas de phophoros de pao 10
Grosa de ditos do gaz a 25200
Duzia de dito dito a 200
Massos de palitos para dentes a 160
Livros para meninos todos cheios de
calungas a.......320
lttenco!
Posto que domine no cora-
cao do BALIZA a mais bem en-
tendida ambieo de tirar de
seu negocio as melhores van-
tagens, com tudo elle nao pro-
cura fazer fortuna vendendo
gato por lebre;
Quando nao se negocia aca-
nhadamente, est bem ao alcan-
ce de todos a facilidade de fa-
zer-se boas compras, para ven-
der-se barato.
^
I.ciam torios.
Ao armazem do BAUZA po-
den ser devolvidos qoaesqaer
gneros que por ventura nao
sejam do contento dossenho-
res compradores. Nao fien
i ntimoiiio alquil em se tro-
car por oirtro, ou restituir-*1
o dinheiro recebido,
Manter a todo o costo o sen
crdito, e agradar aos seos ;i-
niigos o freguezes, todo s
tlesejo do propriclario deste
estabelecimento,
LEDE LEDE* LEDE!
Este raro qno delicado perfume
qnasi que inextiagnivel e to ebeo dt
mimosa fragrancia e frescura como o
delicado cheiro das proprias verdecen-
tea flores. Durante os mezes caloren-
tas do verfio o seu us.o torna-se iminen-
temente aprazivel e deBejavel em con-
aequencia da afluencia refrigirante e
Boavo que ella produz sobre a pelle:
em (pianto que uzada no banho ella
imparte o corpo lnguido e caneado
urna certa elasr'icidade do vigor e feroa.
Ella imparte iwtspomneia as feiges,
$ remowpanmee, sarda-te laroeja-i Jt
sobre apelle.
Abotoaduras para coletes a .
Escovaspara roupa.muito finas a 400,
500e.........
Sempre a frente do progresso,
Constante marcha o B\tA'I.A.
Tem por norte o bem commnm.
A vertlade por divisa.


DK
*$8k.
<&
0 ICO OREEXTAL DE KE1P
PAEi M CABELLOS,
ma preparaco admiravel para lim-
afi>rmosear, oaDBorvar e restabele-
ccr os cabellos.
E
par,
160
800
PECHINCHA.
Perfumara de superior 0 rival sem segundo, ra do Queimado,
ns. 49 e 55, est disposto a vender mais ba-
rato que nunca vendeu, para o que queiraia
ver :
; Duzia de saboncles finos a 720
Sabonete inglez, o melbor, a r60
Frascos com agaa de Colonia muito
fina a......., 400
Ditos de dita grande a 200
Ditos- de Lavande ambreado. o me-
llior, a........r'JOO
Ditos de macaca oleo muito boma iOO
Ditos perola muito superior a 200
Ditos de oleo de babosa a 240, 320.
400 e.........500
Ditos de banha branca a 320
Dito de cheiro muito bonitos a 500
Ditos de banha, pequeo, muito fina
........
Ditos de opiata a 200 rs., e boa a .
Ditos de banha japoneza a .
Ditos de banha transparente a .
Largo do Uvrameto ns. 3H o 89 A
Defroiilc da gffcfc U ireja
AO FU58PETTAVEL PUBLICO
Senhores e senhras
miar
(florecer aoa u*i
Oinc^nsavel proprietario do grande armazem do Baliza toma a
, declarar do alto da imprensa pernamburana, que elle perfeitamcnte liberal em
q ^enevo'ios freguezes as melhores qualidades dos mais bem escollndos gneros, nao s do pan i
" estraii'geiro a precos de contentare satisfezer a todos.
Fa?endo tao publico e espontaneo manifest, o
decb'.rar mui seria e pusitivamente nesta opoitunidade, que e
vado-r de sua numerosa freguezia. .. -----
offerecidos aos seos fregoezes, junta ao peque
referido BALIZA julga de seu rigoroso Acset
tambem o mais firme e i
Da boa qualidade e barateza dos gneros o
te lira para si, tem sabido fazer o BALIZA a
A venda as boticas de Caors & Barboza, rjlos ^ 0|CO (loconne a
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo A C, ra i
da Madre de Dos. R I V i I
200
900
800
720
800
SEM SEGUNDO.
VenJem-se fusto com lav* miudinho
toara roupa de meninos, a 320 rs. o covado;
brimdi unhode quadrinhos para roupa de
meninos, a 500 rs. o covado: ganguelim
ima g< cor, a 320 ra. e covado; popelina
de 12a, de quadrinhos encarnados e pretos,
para veslid de senhras e roupa de meni-
nos, t 14 o ovado: s na rus da Impera-
briza. 60, leja e armazem do Pavo.
Os paletts do Pavo' assobreeasttad* 12:000 rn.
Vendem-se paletots de panno, sobrecasaca
de panno preto muito bom c muito bem
feitas, a 120: sobrecasacos de dito, a 140;
paletots sacos de dito, a 70; calcas decache-
mii-a da Escossia, a 3<3 ; ditas de casemira
preta, a 55; ditas de casemira de cor, muito
fina, a 70 e a 50500; oletes de casemira de
r e preta ; paletot de casemira de cor,
a 70; tudo isto para apurar dinheiro: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Cortes 4e .aehfmira da Escoda, a 2:000, na
loja do PavSt.
Vendem-se esta nova fazenda muito encor-
pada imitacSo de casemira, tendo padroes
escuros e alegres, afiancando-se que nao des-
bota, a 20 o corte para calca, ou 580 rs. o co-
vado para paletot, eolete etc.: s na toja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
Fazenda brancas, na loja do
PavSo.
Vendem-se pecas de madapolo enfestado,
francez, com 20 varas, a 80; ditas com 12
jardas, a 40; dito inglez muito fino, a 70,
70500 e80; ditos muito superior, a 100;
ditos de 40 jardas muito fino, a 40800 e a
50600; algodozinho muito encorpado, a
4800, 50500 e 60; bretanha com 4 pal-
mos de largura, muito fina, a 10 a vara
pecas de eassa de cordo para baba 6 varas, a 30500; ditas com 12 varas, a 70:
Pechincha. a 500 rs. o covado.
s o PavSo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas
enfestadas, transparente, tendo 4 palmos de
largura, e sendo lizas e de quadrinhos, de
urna s cor, propria para vestidos e capas,
a 500 rs. o covado: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
O PavSo vende i3|c 300
cortes de 13a, a 30 e 30500; htosT, 22
covados, a 50: s na ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavao.
enho-
80
O gallo canta quando recebe.
O gallo canta, principalmente quando re-
cebe as suas novas encommendas para sa- bjeetos diversos.
tisfazer aos scus bons freguezes. Ra do Queimado, ns 49 e 55, vende os
GravatiJias. ; objectos abaixo declarados, pois para aca-
E' chegado um bonito sortimento destas bar; estes precos nao sao para continuar, |
gravatinhas, tanto para homem como para mas as nesessidades assim o permitte.
senbora que se vende pelo baralissimo pre- Pares de luvas de algodo finas a .
co de 500, 800 e 1,000 rs.; s no Vigilante. Caivetes de aparar penas, de l fo-
rua do Crespo, n. 7. Iba a ,........ 80
Pirotleiz, Ditos de 2 ditaea......160
Tambem chegou um grande sortimento. Caixas de colxetes francezes a. 40
de pirotleiz on conservadores para cabellos, Duzia de dito francez a 360
tanto pretos como de lindas cores pelo ba-1 Massos com grampos lisos e de cara-
ratissimo preco de 1,000 rs. cada um. cola......... M
Capellapara noiva. \ Duzia dededaes de metal em caixi-
Tambem eliegou um rico sortimento de i nha de vidro.......320
apellas brancas, cousa muito chique para, Tinteiro de vidro cora tinta superior
noivas, pelo baralissimo preco de 5,000 rs.,! a .........
6,000 rs., 7,000 rs. e 8.0r5lrs. ; s no Ditos de barro que serve para lie-
Vigilante, ra do Crespo, n. 7. teiro a........
Fitas de velludo e de seda. | Grosas de botes de louca prateado a
Tambem cnegou um completo sortimento Pecas de tranca lisa encarnada a ,
de filas de velludo de n. 6 a n. 200; assim Varas de bicos e rendas, para aca-
como um rico sortimento de fitas de seda,! bar a.........
lavradas e lisas de todas as larguras e qua- Varas de labyrinto de 3 dedos de
nbo que lira para si, tem sabido fazer o BALIZA a mais peileita liga de inb resi es reciproco!
das as conscicncias deve por torga e necessariamente agradar.
Tendo por conveniente tambem a publicado do segunde aviso, o BALIZ \ I;/. >.!..
-.1Ueilas pessoas qj e sempre estao promptas a comprarem ludo, con tanto i|ne se Ins p
r!in tog% que elle
NAO VENDE FIADO.
Os amigos da economa, aquelies que s comprara os ohjectos de que carecem, e qae pM >
n:dm>me de empregar bem o seu dinheiro venham i este estabelecimento.
TUEKAM TODON.
Do preco-^de qualquer genero annunciado a venda cm outros estabelecimentos, u
res freguezes diminair cinco por cento, e vir compra-lo ao Baliza, que sendo, como tod
man t movinunfa prefere ganhar muito pomo, com tanto que seja por tutu fOU repefi w.
45--11TJA :iIBEITA~
Eia, ra|
entregastes ns vos? -1-
xos do pi'ssimu .-;ili;.iiii."il'- .i tv** ,. >. '
S se observa ''in \< --'- .
nhadas c gastas at ultima i.
i .. t\n.:<-\ snn -
.a quebradeira nao leve
to Vindc a roa Direita m
lento calcado rom '0 .? ar.
menos do sen valor "''
\i< rzeguins, Ranles ba mv i va-
queto 2 emria solus ....
Boegnins. Nanm, Imnvo, va-
qui'ta e lustre -1 st las. .
INJECCAO CAPSULAS
VEGETAES ao MATICO^
GRIMALT E C' PHARWACEUT1C0S EM PARS
Nsvo tratamenlo preparado com as tolhan le Matiro, rirore do Prm.para a cura rpida c nf.illu el
da Gooorrhca sem reccio algum da cootracco do canal ou da nflainmacfio dos nUstmos. O Clebre
doutor.Blsord, de Pars, ter renonciado. desde sua app.irico, ao nprgo de qualquer outro iratnmenlo.
Emprega-se a injerri* no cometo do fluxo. as capsulas em todos os casos chronicos c nvelerdos, que
resistirlo s prcparaoes do eopahu, cubeba e. sinjeccoe? Ota tase metallica. .._..
Depsito geral: em Parit, m casa de UM. Ciimaui e c, phaimaceuticos, 7, ra de la remllade;
em Liboa. Jor-Ago.llnfcjc da C-C*rvtio Juntar; O PorO, Mlaucl in de Soma Frr-
rcira; coi o lio-de-Janeiro, Ceaan, 102, ra S. Pedro: em Babia, Joar-cacteno BRrrelra-KitpIn-
hclra; em Jio-Grande, Mmaln e Gol>'; cm IfaraiUio, Feraelra e C; em J'ernamtaTU, 1
shaum e C, ra da Croi, 22; Sauaa, e as principaes pharmacias do Brazil. ^/



Deposito geral em Pernambuco ra da-Cruz n. 22 em casa de Carosa Barboza.
et[ ml&i
MlgMWi
160
100!
160'
20;i
I
60
lidades por precos que admirara; sno1 largura a........ 100
Vigilante, ra do Crespo, n. 7. i Caixas de folba com phospborosa 40
Bieo de seda e Unlio. Ditas de pos para denlesa 100
Tamban eliegou um bonito sortimento: Penles de tartaruga a SflOOOe WW
de bicos, tanto de seda como de linlw, as-1 ZTT~^Z^ZZT7~Z----mirric I
sim como rendas finas e de labyrinto, qua.FAZENDAS BAKAlAfc;
seus precos faro admirar aos meus re- j 27Baa i Qncimai27
guezes; s no Vigilante, ra do Crespo, na *
n. 7. \uvi ioja de Custodio, f arvalho.
Franjas pretas e de cores.
Tambem ha as riquissimas franjas pre-
& Companhla.
Fustio fraacrz
tbS largas, proprias para as lindas capas 00 para vestido de senhora e meninas, fazenda mui
manteletes; assim como brancas e de cores, to fina e pelo barato preco de 260 rs. o covado.
que seus precos tambem os pretendentes
[se admirar5o, por que sempre nesta loja se
vender por precos muito rasoaveis ; s no; <{oa
Vigilante, ra do Crespo, n. 7.
Finas eambraias organdys a 340 rs. o covado.
Mita
de arcos, de lodos os tamaitos, pelo preco de
Mgas Unas.
A loja da Aurora, na ra larga do Rosario n. 38,
recebeu ligas de seda para senhora, tambem rece-
Ih'u ricas (velas esmaltadas para sintos de senbo-
ra ou de menina, ricos penles de marrafa e de atar
cabello com laco, os mais modernos que tem che-
gado, assim como tambem recebeu guarnicoes de
pentes pretos muito modernos, que tanto serve pa-
ra luto como para galla, colares pretos a balao :
tudo isto se vende barato, quem duvidar man-
de ver.
Farinha de mandioca
em saceos grandes, e de superior qualida*
de ; no armazem de Tasso IrmJos, ra do
Amorim, n. 3o.
ClLDELISBO*
Vende-se cal nova de Lisboa : no largo do Cor-
po Santo, esertoiorio do Manoel Ignacio de Olivei-
ra & Ribo n. 9.
ESSENCIAS DEPURATIVAS.
Irli-stpliililia.e anli-rlieuaifttii-a
A 1>pro varia pela Imperial
academia d medicina.
CuiU'iKHJAO E WalWllACAO DO
h. .Ernesto FrcdeKca ds Sanios,
Pharmaeevtico pela est-oi* de medicina
"do Rio de JaHea.
Estas essencias cuja formula ja foi ap-
firovada pela a-ademia ini|teriai de medi-
j cia do llio de Janeiro, e petas.quaes seu
: autor bi premiado na exposico nacional
; de 1861 e com duas medalbas na e\po-
: siejo de Londres, io sem contesUu.'ao o
mis eficaz de todos: os medicamentos at
hoje conhecidos paca o curativo de todas
as molestias syDhilicas ou que dependam
de urna alteraeao do singue.
Iistinguem-e estas essencias pelos n?.
1 e 2, cujas formulas vac-ian considera-
velntente, a de n. 1 entpr/igada com o
nviis feliz resultado as molestias ven-
reas ou que dependam de .ajteraeiio do
sangue, como, cancros venreas, chagas
s\|iliiji(iras. iKnibas, alfoceoes berpeticas
c'^darttozas, as blennorrhas, Jeucor-
riiea. vegetcoes syphilittcas, cscropliu-
las, escorbuto, eryaipelas etc. A de n. 2
tem sido empregadi exclusivamente pa-
ra dcbellar os jheumatismos syphiliticos
e gotosos e oat exostoses ou tumores
osseos.
Acha-se a venda este precioso medica-
mento na ra do Bangcl n. 62, pharnia-
cia de Medronbo & Mantos.
Holhados a preco fabuloso e p-
tima qnalidade.
Na travesa das Orases n. 6, taberna, vendem-se
os segantes gneros: manteiga bnnaeca i melbor Borzegnins, Granrez i haBtaMKav
que lu no mercado a 560rs. a libra, diUjQgJeta emm-
a720e,6Wrs.,agiiarlentedecanna eogaiTaiada J)U'.n"' l">'" "HI "' 'HH
|ha3antosa 240 rs. a -garrafa, que parece de, ft> /#........
Franca, dita de pipa aoo rs. a garrafa, e rasada Sapaioes, Nantes, bewrro t ^a|UC-
:-

a J-5O,.?puit de vinho iM) a garrafa, e ca-
llada a 1:3800, vinlio o* melbor que poasivel da
Figeira a 480 a garrafa, e caada a 35O0. dito
maisfeaixo a 00 rs. a garrafa. dit<> do F>treit
320 a garrafa, vinagre branco pvoprio para con-
serva a 320 rs. a garrafa, aceite doe de Lisboa a
600 rs. a garraftt, dito de carrapato a 320 rs.
AOS 8RS. C01SIMHIDORES DE GAZ.
Nos armazens o Caes do Ramos n. 19 e
na ra do Trapiche Novo (no Recife) n. 8, se
vende gaz liquido americano primeira quali-
dade a rctalho a 105 a ata de 5 gales, as-
] sim como latas de 10 e de o garrafas e sendo
i em porco mais barato que em nutra qual-
quer parte._____________________________
Potassa da llnssia.
Acaba de ehegar no navio Qutenof the Fleet, a
mais superior potassa da Ruste, e vende-se a
preco eommodo ; no largo do Corpo Santo, escrip
ta i e nv>ia nlfal
f^nawes. Nantes, vaqueta. Ut?t:
majeiTO S aetai......
Sapab*'.-. Nantes, sola e tara. -
Dito*p*a menini. roai lato.
Ditos de Has, tfc i-or>.
Sapato.s tm nM P **>"
tapete.......,
Sapatns Att IjCM.i.b.i pon .,..''
Itkmidem pHMMBMft, *
Sapatos de ,'usfr <,nra st^nliora.
dem /le lustre .'is
.- ,.
n^^a-v
*
rW>
1
I**
3M<
CIlisrMtW
Vendem-se perioTes ritarUH
cada meia raix.t. ditos Je riivrr
de 100 rtannos a 134)0. dif, *.
torio de Manoel Ignacio de Oliveira & Fillio. n. 19 xas, a 600 rs. : oadeposilo da na^ra
a->.
Calcinhas j
bordadas para meninas, pelo baiao preco de 2200
cada um par.
Lazlnhas
matizadas finas para vestido a 440 rs. o covado.
Coberlas
de chita a 25000.
Lences -
de panno de linho a 2.
Toalbas
de fustao, pelo barato pre?o de 400 rs. cada urna.
'a misionas
de cambraia para senhora a l>.
Golinhas
de linho para senhora e meninas a 640, 800 e l
Sortimento
de meias para meninos e meninas.
liaiioka
preta para vestido a 500 rs.
Goardanapi -
adamascados a 24 a duzia.
ti a^ C^-rt
ti ua daSenzallan 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C.
sellins e silhCes inglezcs, candieiros e casti-
cacs bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montera, arreios para
carrof de um e dous cavallos. e relogios de
! ouro patente inglez.
Vende-sc orna earrt$4 para ca-
uili i'i'lic tila de novo com i .^^^'^"wZft ferragei novas por preco couimodo: a
papel de cores, que pode servir ptimamente para 'fallar C0U1 0 Sr\ Joafluilll Fernandos
islas de eleilores, e tanto melhor por custar cada A.a c.,|a i..i.A.,,! -* T.n. i
pacote o diminuto proco de HOO, e ser cadaum dOS SSAMS COm labftPna na Tl'enipO ICBl
de urna s cor, o que difflcil de encontrar a nao OPdClll nai'8 VClldC-la.
6er na ra do Queimado, loja d'agula branca n. 8. ,_______f_________
PAPEL
de cores para listas de elcitores
% inlio to Porto *N|
Vi'iit.'i'-se tmabuaa atoa dnm
rio de Antonio az Oliv't-ira Azev.tJ,, 4 t.
recer
Cal de Uslroa r potassa da
Rtjftsla.
Vende-se na roa da Cadete do flerfr m. na
onde se nndou n amigo e acretlifado **!>, mesma na n. 12, ambos ik gmene o ...
legitima, e se vcntl<-m preco naj* tevat -tu .
outra qual.|uer parle.
Na mesma loja tambem ha de nutras qualidades,
branco e azul, assim como anvelopes.
Vlnho puro.
No escriptorio de Euzobio Baphael Rabello, na
ra da Cadeia n. 55, vendem-se ancoretas com ex-
cellente e puro vinho tinto de Lisboa, rnente des-
tinado para gasto de casas particulares por' serre-
nwttfctopeloproprlQ fazendeiro ou lavrador.
-
Vende-se ou arrenda-sc o engenho S. Elias
sito na freguezia de Serinhem, a tratar na ruada
Cadeia do Reeifc n. 39, escriptorio da viuva de
Manoel Goncalves da Silva.
Quem nao comprar.
Ricas chaplinbas de seda muito bem nal
das e bellos gostos para senhora, pela terca
do seu valor : oa roa do Queimado, loja n.
- \ende-se 11 tn negro de meia iadr, ]+* ra-
busto. proprio para quak|orr aerriro, nhc 1
o diario d una casa, e umbem sabe bo
na travesea lo Pocinho n. 26 sottra^a,
Na esirada do Manguinho antes
ebegar a ponle, sitio n. 21, se dir
vende nma bonita negra de" II arnoc. ose
cose perfeilamenle costura cba. e lea* leas
principios de engoramado.
Palassa da Ha.via
c em casa de N. 0. R: C,
s, ra da Cruz n. 4.
S. Venden.



Piar! PeruMabuco s*x i-
5


1
fiMEOiCOMPLETO SORTlEPToTioilDOS
.. S _V 4.000 rs. do melbor. Quijos do reino chebos nAin.,m Licores francezes das seeuintes marras- A- nZ.~ a garaia' e eM P01*10 ,erd
v> 09
s i-
se g
o ftj
"*S
J~ *5
fc.
^^ u O
w
*JS o
^
e

o
o
jfSty

-<
f%3

*5
O
t


3-.
c
i
"t
a.
o
A.
-
-
H
o
15
A o
s
te
t
a-
v:
O
t
aa
te
w
te
t
te
5<5
|
t
t
A,
O
t
t
5C
O
o
O
te
t
te-
se
O
te
o
so
O
"t
c

t
t
t
t
t
te
t
te-
te"

t
a
t
te-
c
"t
e
o
s
Vinhos em pipa: Porto Figueira e Lisboa, a
4oo, 44o, 5oo e 56o rs. a garrafa, e em
caada a 2,86o, 2,8oo, 3,ooo, 3,5oo e
4,ooo rs. do melbor.
dem lagrimas do Douro, especial vinho do
Porto mandado vir de conta propria a
lo.oeo rs. a duzia e l,ooo rs. a garrafa.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado, das seguintes marcas: Duque do
Porto, Feitoria, Nctar, Velho Secco, Cha-
misso, Madeira superior a 9,ooo rs. a ca-
xa e I.ooo a garrafa.
dem Bordeaux das melhores marcas: St.
Julieo, Medoc, S. Esteph e outros a 7oo
rs. agarrafa, c 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
dem muscatel de Setubal verdadeiro a 2,ooo
rs. a garrafa e 22,ooo rs. a caixa.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Por-
te do Alto douro a 2,2oo rs. com o gar-
rafao.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira
muito proprio para a nossa estacao, por
ser mais fresco a 2,4oo rs.
Vinhos velho chamisso em barril muito pro-
prio para sobremesa por ser muito claro
e macio a 6oo rs. a garrafa e 4,5oo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 5oo rs: a garrafa e 3,8oo
rs. a caada.
Garrafes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa al, 2oors.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e l,4oo rs. a caada.
Velas de spermacet a Goo,
masso.
64o e 68o rs. o
c
O
"t
O
te
a.
o
O
"t
t
t
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
54o rs. e em barril a 5oo rs.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado.
Banha deporcoa54o rs. a libra, e em bar-
ril se far abatimento.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, l,8oo, 2,ooo e 2,5oo rs. cada
dem londrinos os mais frescos que se po-
dem desejar a 8oo rs. a libra.
Cafe do Rio de l1 e 2a quaKdade de 8,ooo a
S,5oo re. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz careliuo e do MaranhSo a 3,ooo rs. a
arroba e loors. a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra c
em porcao ter abatimento.
Caixinhas de ameixas francezas de 1 1/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,5oo, 2,ooo, e 3,ooo rs.
Fructas em caldas das seguintes qualidades:
ameixa, rainha Claudia, cerejas, pero,
ginja, peoego e alpech a 5oo rs. a lata.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 6oo rs. a libra, e em la-
tas de 1 /i e 2 libras.
Ameixas francezas em frascos de 1 1/2 e 3
hbras de l,4oo a 3,ooo rs.: tambem ha em
de l.ooo e 3,ooo rada urna,
Cha huxim raiudinho mandado vir de en-
commenda especial a 2,8oo rs. a libra
garante-se a boa qualidade.
dem hysson o mais superior a 2,6oo rs. a
libra, afianca-se ser igual ao que regular-
mente se vende a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem preto muito fino a l,9oo rs. a libra.
dem mais baixo, e miudo proprio para ne-
gocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs., a frasco.
Chouricas e paios, os mais frescos que se
pode desejar, a 5oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e lo,5ooa caixa.
Ricas caixinhas com confeites e frutas seccas
muito proprias para mimos pelo baratissi-
mo preso de l.ooo rs. cada urna,
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8oo rs. o frasco.
Licores francezes das seguintes marcas: A-
nizete de Bordeaux, Plaisir des dames, e
outros a l.ooo rs. a garrafa e lo.ooo a
caixa.
Passas muito novas a 6,ooo rs. a caixa e
36o rs. a libra, ha caixas, meias e quartos.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 2io rs.
a libra.
Azeite francez clarificado a 8oo rs. a garrafa
e 9,ooo a duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. o pote.
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna ar-
rafinha. 8
Vasos inglezes vastos de 4 a 16 libras, muito
propnos para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de 1 ,ooo a 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oo rs
a grosa.
Milho alpista a 160 rs. a libra.
Mimo painco a 140 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra a 2,300 rs. a arroba
Sag.muito novo a 240 rs. a libra.
Sabao verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 300 rs. a libra
e em caixa ter abatnenlo.
Sabao massa de 180, 200, 220 240, rs. a
libra do melhor.
Uraixas cm latas muito nova a 120 rs. a lata
e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
confn, salmao e outras qualidades prepa-
rados de escabexe, segundo a arte de cozi-
nhade 1,400 a2,ooors. a lata.
Genebra dellollanda em botijas de conta a
440 rs. cada urna.
Papel greve pautado cliso a 3,500 rs. a res-
lilu.
Barailsglmas handefjas. IVovas cintas clsticas pura sentos
A agina branca por militas vezes tem da- casaihs
*> a eanhecer que quando acha alguma pe- a reconhecida uiidado doisas necessarias cin-
ahnc&a, nao quer somente com ella cncher ,a-s elasncasfez com que em breve se acabassem
papo, ao contrario deseja q\m toda sua boa 5 quc vicram da Primt-'ira vez, deixando assim
freguezia o o publico em geral prvem da Sr^MSl8*^ >**
ffisas, bdi.ilissuins bandeijas, cuja limitarao nm* mis perfeias que as primeiras, issopor se-
? precos admira, em rclaco aostamanhose r'"m IBenore* i agora, pois, podem as senhoras ca-
faaRdades: avista do niic COnvm todos a- i-% Prevenirem-se, mandando-as comprar na
proverem-s' i mu traste sempre necessario, cerco des vez nao Qcaria sem ella.
'que Ihes distar quasi motade do justo va-
lar. Assim. pois, dirigirem-sc com dinhei-
-F> alegiv e espacosa luja d'agnia branca
rea aotjemadr, n. 8.
Azeite doce de Lisboa muito fino em barril a
640 rs. a garafa, e em porc lera abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas mareas a
i.ooors. agarrafa e lo.ooo rs. o gigo
com urna duzia.
Doce da casca da goiaba a 4oo, 5oo, too,
7oo, 8oo, e l.ooo rs., o caix5o grande.
Chocolate portuguez, liespanbol, francez, e
suisso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a libra.
Velas de carnauba e composicSo a 32o, 36o
a arroba"' 3 ^ de lo-00 a l ,'000 m
Azeitonas novas do Porto c Lisboa a l,ooo
rs. aancoreta, e l,5oo a de Lisboa estas
ultimas raras vezes vem ao nosso mercado
pela sua boa qualidade.
Massas para sopa macarro talharim e aletria
muita nova a 48o rs. a lib/a.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Babia a 4,ooo, 3,5oo, 3,ooo e 2,5oo rs. a
caixa.
Serveja das melhores marcas a 5,ooo rs. a
7,ooo rs. a duzia.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas
Craknel, Soda, Ceedc, Captain, TraveHies
Lunch, Cobm, coutras a l,2oo rs. a lata.
Boachinha de soda especial encommenda a
l,8oors. a lata.
Iem Craknel em latas de 5, 7 e 15 libras a
4,ooo, 5.5oo, e H.ooo rs. a lata
Massa de tomate em latas de 6oo a 7oo r*
cada urna.
Sardiuha de Nantes a 36o rs. a lata
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra
Tijollo de limpar facas a 16o rs. cada um
Ceblas a 9oo rs., o mollio.
Farinha de Maranhao muito alva e cheiroza
a 14o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cominho, cravo, crva doce, enxofre, palito*
de denles em caixinhas que- tudo v.nd.-
mos por baratissimo preco.
Bicas caixinhas com confeites efrucias s..-
cas muito proprios para mimos pelo bara-
tissimo preco de i,oo rs. cada urna.

ROIJPA FEITA
NO.
ARUAZEII
DE
RA DO QUEMADO N. 46
boS-jps com Esci'ij'fies.
Chegaram novamente para a agnia branca
afamados e estimados copos com banha1
ffna; assim como os bonitos boioes de por-j
rellana dourada tambem com banha, e novas'
scripcoes mavi as ej icoserias, mui ade-
ara presentes resta porem que os apre-'
mdra teaaeomm munidos de dinheiro
Te e espacosa toja d'aguia branca ra do
tut'imado n. 8.
Eiicoiumeodas d'aguia branca recebi-
das pelo ultimo vapor.
JUcos pentes de lartaruga com cbapa de madre-
Bonitos loques de madreperola.
Delicadas caetas de dila.
Lindos cliapeozinhos de sclim para baptisados.
NCOS de seda brancos e pretos.
Bonilas caixinhas com msicas c sem ellas para
costura.
Traneclinsde laa para enfeiles.
Filas de seda eslreitas para ditos.
pitas de velludo com liseras para barias de ves
* ^^%
I
imosBr
M
X.ETREXRO VE ROE
AI)
Ciraxa econoMla.
oca acaba do rereberessa acredita-
grasa econmica, cuja superioridade est ge-
rwonhccida essa boa graxa so torna
porque o cal I i I islrado
ta deua perfeitamente lustroso ao monos
l- das sem necessi la le de novo
nlu
unto, como
P irque sua proparaoao appropriada para
e conservar o couro ; olla vem em raixi-
mzinho eacha-so venda na ruado
n. 8, Inja d'agnia branca. ao~ rozumidos
pregwde 100, 500 c 6W rs.
ti'ln
Aspas de balea para vestidos.
Ditas do acn para esparlilhos.
liaiulos de dina.
Pulseiras de contas para meninas.
Paos para abrir luvas e porl-charulos.
Esseneia de ail para engommados.
Pos bygienicos de Lubin para denles.
Lene virginal para tirar sardas.
Dito d'ires para extinguir as caspas.
\ nagre aromtico para vertigens. dores de ca-
beca, oto.
Cosmetique surine para cabellos.
Pomada para bigode.
Ronda do tilo, lisa.
fl>elicadas tesoui'iahas daco para
bordados e labyrintbos.
A pedido de algumas senhoras suas prediclotas
rogiiozas, a aguia branca mandou vir dessas de-
i :badnhos es-cHos ebordados
idem^ena na do Qaeimadon.8,loja d'aguia !S'zf' 5 a"'!'a br?,]
Iranea. J u''b'"a edas teaoonnhas d'aoo pontas agndas, proprias
i" bordados e labyrinthos, e urna vez chegadas
* apacbos COBUpridos c redondos (,"n1 do rar, cl'^aram, a aguia branca convida
VMem-sena ra do Qneimado,'loa d'asuia L l.11'"s senlloras Sllls oas freguezas para
&rmcan. Ul,t aproveitarem-so. da oecasiao e bem emprcarem
TwnriAc SK** e,n ca j 11 LiU3 "lias> na "rl(,za de Que l)erdor por chogar tarde ;
, 'llie,n se demorar em as mandar comprar no ale-
<* cordas de cornalina. espaeoso ninho d'aguia branca, ra do Quei-
. truia branca
Bem servir
constantemente om SS J,we tmbm ha oul,as cu,vas e **
a toda a ?aa fremeaa, notou que anda P '
nna feto algum agrado a aqnelles que pro-: Pentes de cn,,,i,,
aeenadamenteresando, cumprom dever de rnm concnl-
bristao, e quando reparn essa ?na falta m as novas e diversas guarnicoes de
r e acaba de receber delicados tercosTe l)e"les que a Aguia Branca acaba de
n cruz de prata, os a
a uisno ;ica i dos li.'i
^V lai liSOO.Ue 35
- pela prospcrii
-T i pasoso nin
istiverem dispostos
pan possuireni um bonito
i mesmo pedir a
: branca, ort sen ale-
do uuoimado n. 8.
SSiKhnzinlio;
eoin s>prfuniarlas c
sem cISas.
A aguia branca vende bonitos baluuinhos com 6
fr.squ.nho- decheirospor l900e vastos por 800
rvimft estes para veniMs, cmesmopara
etc. : iiarna do Queimado, loja d'aguia
UahM maeias e lustrosas para
bordar
v .lom-se na loja daguia branca ra do
Vueimado n. 8.
Wovissimos c bonitos enfeites
para cabreas.
Quando o bello sexo senta a falta de boas
Vites para cabeca, eis que a aguia branca
BCfUe urna sua encommenda de bonitos e
*:icados cnfntes. c de modernissima moda
muito sen-indo isso para sanar aquella falta,'
* ..Mr com que as Kxmas. apreciadoras da
fc'lla empreza Coimbra possam melhor real-
r p mostraran o apurado goslo que as
jaia. Esses ftfeites sao d'um tecido bas-
tante fino com continhas d'aco, e mui bem
nfettados com flores, fitas, bicos, plumas
tc.r entretanto que sendo obra de muito
tost eustam B& 6,^ c 7;? dinheiro vista;
v rece-
oer, veto tambem urna peijuena qualidade
ta.lamenle servem para o moderno atado dos
cabellos. Kllesso de bonitos e agradareis
moldes, edetamanlio pequenino como con-
vem para o fim que sao. E' esta a primei-
ta vez que d'elles aqui chegam, por isso
que a moda e novissima, pelo que ganha-
nio a palma aquellas senhoras que primei-
ro se apresentarem com elles, para o que
os mandaro comprar na lo;a d'Aguia Bran-
ca, ra do Queimado. n. 8.
espacosa e alegre loja d'aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Albiins cm perfuiiiai-ias.
ni "i:HfZ-S aconlccia 3e se procurando urna
wiuna em sena anniversar os, ou mosmo ni
^n,,:;.:,,las ,n,Mrasd....a-. ,o aelu^usa
satisMaesse, agora, porm, j., nao deve succe-
* assim porqne na loja d'aguia branca eoeont.
loopretcndente bellos objactos para esse r.m, so-
re-sablndo entt-e elles esses bonitos albuns com
perfumaras, cujo gostoe novidade Ibes d a pri-
masa. A agina branca ..folgar de contente.,'
ssas oflertas rocahirom sempre em suas prodtlec-
fc? freguezas, e quando assim nao soja, nao -.n
nl. porque a mimoseada reparando na singulari-
ede do objecto, querer desde logo aljstar-se no
Vo a mazemde fazendas bara-
tas de Santos Coclho
Riia do Queimado numero le.
Vende-se o segunte
I "luirlas de (hila
da India pelo barato preco de 2$.
Lencoes
de panno do linbo a 25.
Lrnrees du bramante
prcoo de S. de Un' S panno t*l ^atissimo1
Toalhas alcoehoadas
para maos pela barato preco de S a duzia
lestidiiihosde seda
para menina pelo baratissimo preco de 4.
Lencos de seda'
para algibeira pelo barato preco de 1,5.
Ricas saias df fustn
pelo barato preco de WOO.
Loncos de eassa
finissimosnroj.rios para algibeira pelo baratissimo
preco de 2e2500 a duzia. I
Corles (le caifa
de ganga amarella de lista c quadros pelo bara-
tissimo preco de 1,5200 o corto.
Pecas de madapolo
fino largo pelo baratissimo preco de 85.
Pecas de brelanba
de rolo com 10 varas pelo barato proco de 3*300.
Pecas deeambraia
de S a COni8 1|2 VaraS 1,eI barat0 Preco
Alnallialo de linlio
mo^J'f'10'" e L'lrgur? WWio para toala de
mesa polo baratopreSode25500 a vara.
Barege
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feila de
odas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos conor-
rentes, para o que tem um dos melhores profesares, assim como tambem 21
homts e mSsSOrt,mCnt ^^ de "^ 3S ^alidadcs> P^en~
Casacas de panno preto. 35$ e
Sobrecasacas idem, 30^ c .
Paletos idem e de cores. 2urS,
m, w c.....:
Ditos de case-mira, 20, VA,
iM. 10* fi.....
Ditos de alpaca, r.i$ e. .
Ditos ditos pretos, 9A, 7d,
5,J C........
Ditos de brim c ganga de co-
res, 41500, 45, 3^00 e. .
Ditos branco de linbo, G1,5# e
Ditos de merino preto de cor-
do, 10a, 75 c..... 55000
Calcas de casemira prcta, 45,
105, 85e. .
Ditas de cores, 95, 85 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, SdoOOe. ....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 55, 45500 e
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 45500, 45 c .
Ditas de ganga de cores,
35500, 35 e.....
Cohetes de velludo preto e de
cores, 95 e......
Ditos de casemira prcta, 55 e
Ditos de.ditas de cores 55
45 e........
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos c seda branco,
05 e.......
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 65, 55 e
muito bem feitas a 255,
[ 255, ditos de casemira de
por medida, vontade dos concor- P de 85
305000 Colletes de fustao e brim bran-
255000 co, 35500, 35 e .
...^ Seroulas de brim de linbo,
I0AO0O, 25100 e .' ,
! Ditas de algodao, 15600 e.' .'
Z2fcicC^aa ''" pitos o liih-o.
35500, \55, 45, 35 e. .
Ditas de madapolo, 35,
25500, 25 e .
Chapos de massa, pretos fran-
cezes, i05, 95 e. .
Ditosdefeltro, 55, 45,35500 c
Ditos de sol, de seda, 125,
M5, 75 e.....
Collarinhos de linho Dno, ulti-
ma moda.......
Sortimento completo de grava-
tas.
Toalhas para rosto, duzia, H5,
95 e........
Atoalhado adamascado de li-
nho vara......
Chapeos deso, dealpaca, pre-
tos e de cores. ....
Lences de linho. .
! Cobertas de chita chineza.! .
75000 Pennas d'aco, as mais superio-
45000 res, a grosa. ;
Relogios deouro orizontaes,
905.805 e.....
Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes, 405 e
55000 Obras deouro, adercos, meios
aderecos, pulceiras, rozetas,
45000 aneis e cruzes.
35500
35000
45000
75000
75000
45000
45000
2-viOO
25500
35500
55000
25500
25000
I5i00
25500
15600
85500
25000
45500
010
65000
i528o m
m
45000 m
35000 $r
SUMO 1
600
FAZEMDAS E KOI IMS FEITAS.
Sortimento completo de sobrecaros de panno a 255, 285, Mi i J
merino de 75 at Mc^^T^ZT^^ tESU
WnnntaBSMfl
d?n,rPple,to TtiTto-de ^^ Mw^^^js e2E
DE
TODAS AS QUALIDADES
DE
ANTONIO MAIA DE BRITO
Constando ao
CONHECIDA POR FABRICADA VIUVA
N. 21Antiga ra dos Quarteis de polica -N. 2
annunciante, que alguns especuladores de
m f. vendo o arta*,
nato, lludmdo os meus freguezes, diz
sao vendidos na minha fabrica, e nr
tora dellarfaco o presente annuncio Jam e
na praca como pelo mato, illudindo os meus fe8u^TZm\oZ Z n
dos os meus cigarros sao vendidos na minha *."- ? '
705000
305000
. ecomoio-
c nao mando pessoa alguma vender
o meu nome, o nome da rua e o numero da
lebre.
6U!zes, aviso que todos os massos de cigarros q
marcados com um distinctivo que declara
raesma casa.
recomido, por sua boa qualidade i bem conhecida.
f
POR MENOS DEZ POR CENTO
NOS

CONSERVADOR
tfflWam 8, (D8 CAEffDS,
23-URCOfD0 TERgO-XS. 2i E 23.

US. 21 E
FRANCISCO ANTONIO CORREIA CARDOSO,"<-"i A. mSUT.'
. L ua do Brum, X. 8. ? '
Aclia-se novamente aberlo
\ende-los por menos 10 0 do qw na
outra qualquer parte, garantiddo a superior qualidade
J anligo e proveiloso eslahelecimcnlo, promplo para,! _... Lelam lodos.
Portas d'aguas guarnecidas de bronzeeom parafuzo de rosca qaadrada.
Rodas de espora, carretas e rodelas angulares. M
Parafusos e cavilhoes de ferro ou de bronze, rosca qurada om singela.
S?8 U,nd'd-S de zasJe ball'do para rodas d'agua e chumaceiras com bronze.
Bromes e torneiras de todos os lmannos e qualidades.
Tasase fundos de alambique, de ferro fundido, de varios Mmanho*
tnvos e portas de fornalha de varios taraanhos e qualidades.
Urna machina de destillacao continuado autor-Collares.-
FSlSna!!IelCan0S !con?micos para casa d pequea familia.
^^$3^Slobras tant0 de ferro fundid0 ^ d
gSrS^S^^ q o P^lico sempre benigno
Potaota Qncloaal.
Vende-sc superior polassado Rio de Janeiro 'da ,
mais nova nue ha no mercado, a preco muito rom-
modo; no largo do Corpo Santo, escriptorio de
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, n. 49.
a libra.
em barril a 54o rs. a libra.
ooo rs. a arroba ou sarro
32o rs. a libra.
4,5oo rs, ------------" v em caixa8 de auatr arrobas por
Bolachinhas americanas, as mais novas neste genero, a 2oors. a libra
Palitos do gaz, vmdos por conta particular, a 2,3oo rs. a groza
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor, a l,8oo e 2,000 rs
Vinho do Porto em garrafa de superior qualidade a 9oo rs. a carrafa
mZ Sffl F'gUe,ra e sb0a a a 1"* e a 3ooo a caada
M. ho alpista o mais hmpo que ha no mercado a 16o rs. a libra e a arni
Velas de spermacet, composico e Aracaty, a 4oo, 36o e 64o rs. a libra
toucinho de Lisboa novo e rosso de nrimeira mialidaHp 94 ~ -'..1
arroba.

' 3,000 rs. a barrica.
e a arrroba a 5,ooo n
u rs. i
grosso de primeira qualidade a 32o rs. a libra, e 9,ooon
Alm destes gneros ha outros muito baratissimos, assim romo ehh n
azeite dore, vinagre, cebollas, albos, pimenta. cominhos, erva-d Ztol
qualidades. chouncas, sabio verdadeiro de!6oa24or. ato 'SSfii
qualidades, que tudo se vende barato e quem duvidar veol.a ver
todas aa
mwtK'i > Jaquellas. Em todo ocaso Imendo di- de''idos gotos pelo barato preco de 440 r< t, c/u
*heir ranea n. 8, que tudo se arranjar. Esttra da ludia
fiS^'roiJ^r '^HC^1* **<***** 06 pafops de
Cal de Lisboa
Cal virgem cuegada hontem em ancorctas mui-
to bn acondicionadas e por preco conimodo : no
antigo deposito da rua do Trapiche n. 13, arma-
lem de Manoel Teixcira Basto.
Rua da Senzalla !Vova u. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Low
Moorhbraa '
t%ru\t' uSiraad0 n- 10IJ de Fer-
rao & Maia, vendem-sc :
Cha,^s de castor branco para he4em
S Palha de soda para senhora a S&
Lencos brancos de cassa duzia 1A600
Olios de cassa pinuda a 2*. ^^'
Chales de la c seda um if>
Laas escuras o covado 200 rs.
Cal de
a mais nova do maq^
AO, prirneiro andar.
na rua
I I M>Ir \0 a AURORA.
Nesta grande e bem montada fabrica de machimsmo, a mais antiga no imoern etm.
ttnua-sea executar com a maior presteza e perfeico cncommendas de toda a
de machinas usadas no paiz, tendo sempre prompto o seguinte :
Grande sortimento de moendas de canna de todos os svstemas e tamanhos
Machinas de vapor de diversas qualidades.
Taixas fundidas e batidas.
Crivos e boceas para fornaas.
Bronzes e aguilhoes. /
Rodas, rodetas e rodas d'agua. ^
Guindastes fixos e portateis. \
Machinas de cylindros para padaria. r -r
Serras de ac para serrara.
Fatochas para barcos, etc., ate., tado por preco que bem convida.
ILE6VEL


Diario de Pemaiubiieo -- sexta felra 11 de ?<<-mf>ro de 188.
,N
i
mm
GRANDE ARMAZEM
AB
EE
N. 36, REA DAS CRZKS N. 36
DO
balrro de Saoto Antonio.
0 propietario do muito acreditado armazem denominado Progressista tendo
sempre em vista fazer tudo o que for possivel para bcm servir aos seus freguczes, tem
deliberado vender os seus j bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaixo mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
escravos, serem to bem servidas como vindopessoalmcnte; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, ainda mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento. 0
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que nao agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
;3o com os seus portadores, fazendo-lhes ver que s no armazem Progressista da ra das
Cruaes n. 36, que se vendem os melhores gneros por mais barato preco, porque estes
muitas vezes olvidam-se e vSo outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
de superior qualidade a cada
xinha.
Manteigai ngleza de I.1 qualidade, a 800 rs.
a libra.
dem de 2.1 qualidade, a 700 rs. a libra. ,
dem franceza, chegada ltimamente, a 6oo MofTda Piarada em potes ramio nova a
rs. a libra. 400 rs. cada um.
Batatas em gigo de arroba a l,5oo rs. Milho-alpista a 180 rs. a libra.
Mages chegadas no vapor lnglez,
Ervilhas muito novas a 24o rs. a libra,
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor,
de 20 20500.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra e 20300 a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
dem prato, chegado neste ultimo vapor, o Sabao verdadeiro hespanhol, que raras vezes
mais fresco que se pode desejar a 700 rs. vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libra e
a libra. em caixa ter abatimento.
dem londrino, mandados vir de encommen-1 i,in_, ,. ,-, > ,
da especial, a 900 rs. a libra. '^VS wXT ^^ ** 16'
leo, 200, 220 e 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 10300 a duzia.
Poixe em latas muito novo: svel, pescada,
dem suisso, muito fresco, aJJOO rs. a libra.
Caf do Rio de 1.a e 2.a qualidade a 80500
e 80800 a arroba, e 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India e Maranho a 120 rs. a libra
e 30200 a arroba.
Avelaas as mais novas neste genero a 240
rs. a libra.
Presuntos do Porto muito novos a 560 rs. a
libra.
Legumes francezes para sopa, como seja,
Julienne, mlange d'quipage, Choux e
outras quididades, a 400 o 500 o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, e
em porgao ter abatimento.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 20400 com o gairafo ;
afianca-se que nesse genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinhe Figueira muilo
si^perior e mais proprio para a nossa esta-
co por ser mais fresco a 20400.
Cha hysson o mais superior a 23600 a libra,
afianca-se sor ogual ao que regularmente
vendemos a 30200.
dem huxim miudinho, o mais superior que
vem ao nosso mercado a 20700 a libra.
dem preto muito lino, a 20000 a libra.
Chocolate para 9oo, l,ooo e I,2oo rs. a li-
bra.
CarrafOes com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 20100 cada um.
dem com 5 garrafas ce nagre de Lisboa
a 10100 com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre hambur-
guez a 800 rs. cada um.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das spguintes marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Velho secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a 900 rs. a garrafa eD0
a duzia.
Vinho Bordeaux das melhores marcas: St
Julien, Mcdoc e S. Estephe e outios a
640 rs. a garrafa e 70500 a caixa com
urna duzia.
f.hourigas e paios, o mais novo que se pode
desejar, a 250 e 600 rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa e 103500 a
caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
Licores francezes, muito finos, das seguintcs
marcas: Anizetta de Bordeaux, Plaiser des
dames, Crme de Noyau, Eau Dantzic,
Crme de Menthe, Hude de Venus etc. etc.
curvina, salmo e outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
cozinha a 10400.
Papel grve pautado e liso a 30800 a resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
460 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 30200 e 40000 a caada do
melhor e 500 rs. a garrafa, em porcaotera
abatimento.
Vinho velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
50000 a caada. .
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 560 rs. a garrafa e a 40000
a caada.
Vinagre puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
e 10400 a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril
a 640 rs. a garrafa, e em porro ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
10000 a garrafa, e 100000 o gigo com
urna duzia..
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 30500 a caixa, tambem temos
para 20000, 20500, 30000 e 30200 a
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 600, 640,
e 680 rs. o masso.
dem de carnauba e composico a 320, 360,
e 400 rs. a libra e de 100 a 110500 a
arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 10000
a ancoreta do Port e 10500 a de Lisboa.
Massas para sopa: estrellinha, rodlnha e pc-
vide a 500 rs. a libra e 40500 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas; talharim, ma-
carro e aletria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso das melhores qualidades a 900 rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixo.
Ceneja das melhores marcas de 50800 a
60000 a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
10300 a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda,
muito nova em latas grandes a 20000 cada
urna.
TODOS
os
VirORDS
se recebem gneros de conta
propria e dos melhores esta-
belecimentos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer ge-
nero comprado neste
ESTABELECIMENTO,
COMPLETO
S0R1 IMENTO RE MOUUBdS.
vende-se em porcae e a reta-
lho, aprompta-se com toda a
presteza e exactidao qualquer
encommenda dirigida a este
ESTABELECIMENTO.
101 fllllll.
J
DE
Eduardo Margues de Oliveira & C
m
2
2
o
i
^> se
II m **
< -1
Sfc g %l
3
2.
* Q>
. i W
C9
Vestes novos e grandes estabelecimentos de molhados, encontrar o respeta*
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro, exposlos *
todas as qualidades de gneros por menos preco que em qoaetqaer outro estabeteri
tos a esta ordem, pois para bem servir os seus freguezes existe na Europa um dos
cos para serem vindos de conta propria diversos gneros, e desde j encontrad 9\
peitavel publico sempre os melhores gneros do nosso mercado, e por precos '
mos como abaixo verti, a saber
Os proprietarios do muito acreditado armazem Progresso fazem sciente ao respeita-
vel publico e com especialidade aos seus amigos e freguezes qae tem resolvido resumir os
presos dos seus acreditados gneros, como abaixo verao nao obstante- os precos menciona-
dos a vista da qualidade dos gneros que se prova quanto se deseja servir satisfatoria-
mente aos nossos freguezes, advertindo-lhes que mandem seus portadores, que serao tao
bem servidos como se viessera pessoalmente, isto s no Progresso.
Mantciga ingleza perfeitamente flor chegada
no ultimo vapor a 8oo rs. a libra.
dem de 2.a qualidade a 76o rs. a libra.
dem de 3.a dita a 64o rs. a libra.
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
Mantciga franceza a mais nova que ha no mer-
cado a 58o rs. a libra, e em barril ter aba-
timento.
Banha de porco refinada a 520 rs. a libra.
Vinho em pipa Porto Figueira e Lisboa a 4oo,
48o, 5eo, 56o rs. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,ooo rs.
dem em barril o mais superior que tem vin-
ao mercado a 6oo rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
l,ooo a garrafa e a lo.ooo a caixa, o preco
nao indica a qualidade d'este precioso vi-
nho, porm venhamao Progresso que a vis-
ta faz f, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
demos vender por menos que outro qual-
quer annunciante.
Farinha de Maranho muito alva e cheiroza
a 16o rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 32o rs. a libra e a9,ooo
rs. arroba.
Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. agarrafa e a
4,8oo rs. a caada.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e a
l,2oo rs. a caada.
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa a l,loo rs.
Champanhe das marcas mais acreditadas a
8 e a lo.ooo rs, o gigo, e a8oo rs. e a
1,000 rs. agarrafa.
Serveja preta marca T e XXX a 6,5oo e
7,ooo rs. a duzia, e a 6oo rs. a garrafa,
tambem temos das mesmas marcas para 4,
e 4,5oo rs. a duzia, e a 4oo rs. a garrafa.
dem branca Te cobrinha a5,5oo c 6,ooo rs,
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tambem ha
para 4,ooo rs. a duzia.
Graxa em latas grandes a 1,3oo rs. a duzia
e 12o rs. a lata.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro obra
de muita duracao a 4oo rs. cada urna.
Palitos de dentes massos grandes a 2oo rs.
e 28o rs. i
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre-
ditadas e especialmente escolhido por um
de nossos socios, comosejam:Cames, Du-
que, do Porto, D.Luiz, Carcavellos, Cha-
misso A Filho, Madeira secco, e Feitoria ai
9oo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com Paltos do gaz a 20 rs. a caixinha e 2,3oo rs.
12 garrafas. a groza.
Garrafoes com especial vinho do Porto con- r, \; m
afro
tendo 5 garrafas a 2,5oo re.
latas
Uperchc chegada no ultimo vapor
; 2 libras a 8oo rs. pochincha.
'^l?^,? dc SUpCrOr vinh0 Fi" nebra de Hollanda garrafoes com 16 gar
rafas por 6.5oo rs.
de vinho Lisboa a i(iememfrasfp.eirasa6,3oors.e6.5oors.ea
56o rs. o frosco affianca-se ser verdadeira.
gueira a2,4oo rs.
em com 5
2,loo rs.
dem com 5 garrafas
Vinlio brnco dc Lisboa proprio para missa',An ,..- ."
viudo j engarrafado de Lisboa a 64o rs. Idom ',e ^tlja em ,b's com (luatr0 Ju"
a iTamii zias a *4o rs. cada botija.
a garrafa.
dem em barril muito superior a 5oo
garrafa e a i.ooo c 3,8oo a caada.
es. a
botij
dem de laranja em frascos grandes verda-
deira italiana a I ,ooo rs. o frasco.
, Lagostim em latas grandes a l,4oo.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada urna.
Passas muito novas e de carnada a 400 rs. a
libra e 60500 a caixa cora urna arroba, ha
caixas, ineias e quartos.
. *. f j i i < o i- Sardinhas de Nantes, do fabricante Basset, a
Amerxas francezas em frascos del 1(2 e 3 h>! ora-, if =>oci, i
bras de 10400 a 20800, tambem ha latas | u ri" d 'dU-
de 6 libras. i Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a libra,
ii -m i a iu Tijolo de limpar facas a 180 rs. cadaum.
Marmelada imperial, dos melhores conser- Cebollas o mlho a 900 rs.
varos de Lisboa, a 600rs. a libra, em la-
ta! lacradas hermticamente. Erva-doce muito nova a 400 rs. a libra.
Frodasem caldas de todas as qualidades em!001"'111108 i(,em i,lem a 64 rs- a ,ibra-
latas muito bem enfeitadas-, a 500 rs ca- Garrafoes vasios a 500 rs. cada um.
da urna. !
.. i mn. .,r,n ,i, Ditos com 5 garrafas de genebra a 20400,
^tr&srAT^r:! -.a*,*iwi-*.
libra. Cebollas a granel a 640 rs. o cento.
Farinha do Maranho moito alva e cheirosa Canella a mais nova do nosso mercado a
a 160 rs. a libra. 10000 a libra.
Azeite fraocez clarificado a 800 rs. a garrafa Alfazema o que pode haver de melhor neste
e 90000 a caixa com urna duzia.
Coacervas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed Pickles, ceblas simples, c outros
a 760 rs. o frasco.
Farinha verdadeira de araruta a 500 rs. a
libra, garante-se a superior qualidade.
Palitos para dentes em caixinhas douradas
Breu, a 320 a libra e 80 a arroba.
artigo a 280 rs. a libra.
Phosphoros de seguranca individual a 20 rs.
a caixinha.
Papel de ernbrulho muito superior a 10120
a resma.
Vinho da Figueira, o que ha de melhor a
ij/40000 a caada.
[ >sfinos para agua a 60000 a duzia.
Amendoas a 320 rs. a libra.
Avelies a 2oo rs. a libra.
Ameixas a 10 a libra.
Ditas em frasco por 20800.
Arroz pilado da India loo rs. a libra e 30ooo
a arroba.
Dito dito do Maranho 120 rs. a libra e 30500
a arroba.
Azeite doce francez 800 rs. a garrafa.
Dito de Lisboa 680 rs. a garrafa.
Agurdente de canna de cabeca a 240 e 320
rs. a garrafa..
Azeitonas a 320 rs. a garrafa e I ,.3oo a an-
coreta.
Batatas inglezas a 6o rs. a libra e 1,8oo a
arroba.
Banha de porco a 55o rs. a libra.
Bolachinha de soda a 10400 a lata.
Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
rica a 30000.
Cha hysson a 20200 a libra.
Dito dito fino a 20600 a libra.
Dito miudinho a 20800 a libra.
Dito do Rio a 10800 a libra.
Dito preto a 10900 a libra.
Charutos de diversas qualidades a 10200,
10500 e 30 a caixa.
Champagne a 10 e 10500 a garrafa.
Chouriras a 560 c 600 rs. a libra.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Caf em grao a 300 e 320 rs. a libra, e 90 e
90200 a arroba.
Dito moido a 360 rs. a libra.
Doce de goiaba a 560 rs. o caixo.
Espirito de vinho de 38 graos, a 280 rs. a
garrafa.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Dita flor de laranja a 10 o frasco.
Feijo branco muito novo a 440 rs. a cuia.
Figos a 32o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em botijas a 5oo rs.
Dita Hamburgueza a 44o rs. a botija.
Gomma d'araruta a 100 rs. a libra, e 20600
a arroba.
Graixa em latas a 120, c 10300 a duzia.
Genebra em garrafoes de 14 garrafas por
40600.
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito em garrafas grandes dc superior quali-
dade a 15500.
Mantciga ingleza flor a 800, 900 e 10 a libra.
Manteiga franceza a 6oo e 6 lo rs. a libra.
Dita hollandeza a 72o 8oo rs. a libra.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a 560 rs. a An.
Massa estrellinha para sopa a5oo rs. aun.
Macarrao, aletria e talharim a 48o re. a -
bra.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frase*.
Passas a 4oo rs. a libra.
Palitos para dentes a 180 rs. o masso.
Phosphoros do gaz a 20500 a grosau
Paios novos a 640 rs. a lil>ra.
Queijos do reino do ultimo vapor a J$ *
20500.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Cer\ ejas de marcas superiores a 50, 1M.
600 c 640 rs. a garrafa, le 50500, if
6:')500 a duzia.
Dita em barril por 40, e 240 rs. a garrafc.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nautes a 360 c 400 rs. a Mfc-
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabao massa a 200, 240 c 280 rs. a ubre.
Sevadinha a 280 rs. a liln;i.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 100 rs.
Vellas de spermacete do gaz a I,**,
libra.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 libras por
Ditas de carnauba a 400 rs. a libra.
Ditas de composico a 360 e 380 r<. a Uml
Vinho do Porto, caada a 50500, garrab a
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 40 e a garrafa a Mi
rs.
Dito Figueira, caada a 30840 e a gareali
480 rs.
Dito dita superior, caada a 40 c a
a 500 rs.
Dito Estreito, ranada a 30200 e a
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 o 800 rs. a garrafi.
Vinagre de Lisboa em garrafoes de 5 *arr*
fas por 10400.
Dito era caada a 20, e a 260 rs. a
/*> 9
Vinho do Porto em garrafiVs da 5
por 2->>00.
Dito dito engarrafado a 10 e 10200.
Dito lagrimas do Docto a iVtuOasa__
Vinho liranco de Lisboa a 720 rs. a garraft
e 50 a caada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, e a \$JX
a caada.
Prcvine-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima sao de boa pal
dade, e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annunciad**.
Ameixas francezas em caixinhas de 1 "*. 2 Mai'rasquno de zara a 72o rs.
e 3 libras elegantemente enfeitadas com ri- Licor francez de todas as qualidades eni
cas estampas na caixa exterior a I,3oo garrafas de vidro brancos a 72o c 8oo rs.
1 ,boo 2,000 e 2,ooo rs. \
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
dem em latas de, 1 '/i e 3 libras a l,4oo e
2,6oo rs, cada urna.
que tem vindo ao mercado a 72o e 800
re., e em caixa a 7,5oo, 8, c 8,2oo rs.
Figos de comadre em bauzinhos de folha! Azeite doce refinado do fabricante Pelanol e
outros a 800 rs. a garrafa.
Conservas inglezas sortdas e de urna s qua-
lidade a 800 rs. o frasco.
muito proprios para mimo a l,6oo.
dem em caixinhas a l,4oo rs.
dem em caixinhas ermticamente lacradas'
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
_ Gomma de engommar muito alva a 80 rs.
Passas de carnadas as mais novas que lia no i a nbra e 2>2o ,s- a arroba.
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,000 rs. a Sag muit0 novo a 24o rs. a ,ibra.
cdixd. *
r, r. Sevadinha de Franca a 16o rs. a libra.
Salmao em latas ermeticamente lacradas a!
800 rs.
e muito bem enfeitadas a l,8oo rs.
dem a 2oo re. a libra. *
Savel, corvina, chernc, vezugo, peixe espada,
preparados pela primeira arte de cozinha a
a -1,300 rs.
Sevada muito nova a iiors. a libra e 3,2oo
s. a arroba.
Fiy]DIiO DO BOWHIAMHLrUTA DO
BR17UI Y, 38.
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortimento to
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
.Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Bodas d'agua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
Bodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
AGENCIA
DA
Macarra^ 32o re. a libra.
dem e nRharim o mais novo que ha iMLmer-
cadoa 48o rs. a libra.
Queijos flamengos chegados no ultimo va- Aletria a 5oo rs. a libra.
por a 2,4oo rs.
dem do vapor passado a 2,2oo 2,ooo e
l,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
Doce da casca da goiaba caixoes grandes a
600 e9oo rs. >
Chouricas^s mais novas que ha.Bo mercado
a 48osW. a libra.
Chouricas mouras encommenda especial nos-
sa a 5oo rs. a libra,
Prezunto verdadeiro de lamego em tilda
de azeite 5oo rs. a libra
Bolaxinba ingleza a mais novas que ha no
mercado a 2,000 rs. a barriquinha com
1 arroba, e a 24o rs. a libra.
dem de soda de diversas qualidades a i ,400
. res.
dem em latas grandes, propinas para lunche,
com 5 a 6 libras por 2,4oo rs.
Marmclada imperial do fabricante Abreu e
outros conserveiros de Lisboa a 600 rs. a
libra. ^ *
Frutas em calda de todas as qualidades a
5oo rs.
Ervilhas francezas a 5oo rs. a lata,
dem portuguezas a 64o rs. a lata.
Massa de tomate a 64o rs. a libra.
Amendoas coofeitadas a 7oo rs. alibra.
dem de casca mole a 28o rs. a libra,
Avelaos a 2oo rs. a libra. i
FUNDICAO DE LOW-MOOfi.
Ra da Senzalla nova 11. 12.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Arados americanos e mathinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
Arroz carolino a loo rs. a libra e a 2,8oo rs.
a arroba.
dem do Maranho a 12o re. alibra,ea
3,ooo a arroba.
Caf do Bio o mais superior que se pode de-
sejar a 32o rs. a libra.
dem a 28o e 3oo rs. a libra c a 8,2oo, 8,4oo!
e 8,7oo rs.
Velas de carnauba refinada a 32o rs. a libra,
t a 10,000 rs. a arroba.
dem de spermacete a 64o rs, a libra.
Chocolate hespanhol e francesa 9oo e l,ooo
rs. a libra. .
Estrellinha eS^evide muito nova a ioo rs, a
libra, e a^poo rs. a caixinha com oito
libras.
Cha pe ola muito especial chegado neste ul-
timo vapor de encommenda particular
nossa a 2,8oo re. a libra.
dem huxim muito superior a 2,7oo rs. a
libra. A
dem hjson a 2,56o rs. a libra.
dem hysson a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
dem preto homeopathico e muito superior a
2,ooo rs. a libra.
dem naeional a l,6oo rs. a libra.
Batatas muito novas a 80 re. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia 1
e de todas as marcas, como sejam: sus-'
piros, havaneiros, messecipes, regala im-
perial, flor das maltas, primores a 4,ooo,
3,5oo, 3,2oo, 3,ooo, e 2,8oo, 2,5oo,
2,000 a i,600 rt. a caixa.
ROUPA
Na rita do Queimado n. 43, esquina que
volta para a Congregaco ; pechincha.
Paletots dc casemira a 5, 6, 7, 8,12 o 140000,
ditos de panno preto e azul a 9, 10, 13, 16 e 18,
ditos sobre-casacos de panno muilo Uno por 21 e
280, ditos de alpaca prcla e de cordao a i, 3,6 e
70, caigas de casemiras de cores a 5, 6, 7 e 80,
ditas pretas a 60300, 8,9 e 100, paletots de fusto
e eanga a 20, 20800, 3 e 40, calcas e colletes de
todas as qualidades epor prego muito barato, len-
ces de puro linho a prego de 25800 e 3J, cober-
tas de chita a 20240, collarinbos de linho puro a
600 rs. cada um, e outros muitos objectos que s
vista e para isso se pede a attengo dos fre-
guezes.
Assucar do Monteiro
Ba do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8'libras para cima
a 55600 aarroba.
Cola da Baha
Tato para vender Antonio Luiz de Oliveira Azc-
vedo, no seu escriptorio, ra da Cruz n. 1
ESCRAVOS F6IDQS.
Andam fgidos 2 escravos, Jeao, de Angola,
estatura regular, secco, dentes alvos, pernas unas,
barbado, cora marcas de relho, de 4o anuos de ida-
de ; Antonio, mulato, cabellos ruivos, boa estatu-
ra, cheio do corpo, pernas tortas, um ponco calvo,
com um dedo da mao duro, de lo annos d idade:
o abaixo assignado gratifica com 1500 a quem
lh'os entregar em seu sitio Lobo, junt a cidade do
Crato da provincia do Cear.
Antonio Telles de Mondonga.
Xa n >ilo do dia 2:t do agosto do corren*; ^fe-
no fugio do engenho Jundi de cima, comarcar
Rio Formoso, um esCravo do abaixo assifMdo,*
nome Francisco, reeentemenio comprad* a *.
Paulino Augusto da Silva Froiro, represcauaac
ler 28 a 26 annos de idtde, e con m .-igna* >-
guintcs : alto, secco, bem espigado, eabefkH
linhos o grandes, peBM barba, tem falta t : r-
na frente, cor preta. Ceifdea regatona, inaos \r>%
e pos apalliotados. anda sempre com um chapyi 4t
massa de cor preta ii todo esburacado. oaeea obs
outro de panno com boiras do couro de lnstr>-
danovo. E provavel que tenha seguido pcraaB
dos engenhos seguintes : Dromedario. I.
gos ou I/jbo, por ter ah prenlos. ReeeaaMaa-
se,_uorlanl'), i logas a aoloridadei paBctost < s*
pitaes de cami a sua aponheasio, e pronv i
generosa sratifleacao a qnem o trooxer ^aa A>
seu senbor Joaquim Jos de Aguiai.
Xa noitude 23 de agosto do torrente .aa
desapparooou do onucuho Juudu do rima, cenan
ca do llio Formoso, da casa de seo senhoi, u <*.t-
vo Paulo, em rompanhia do Jims oscrava*dSt
Paulino Augusto da Silva Freir Jnior, representa
ter 18 a 20 annos de idado, fulo, altura ranadne.
grossura proporcionada, cabellos carapiilwa, j-
bega pequea, testa e olhos grandes, tom takaat
dentes na frente, bem foito dc ps e mios, tm
urna das pernas quasi encostada ao p tem im*
marcas dc frulas, levou caiga de casemira cor t
terraja usada, camisa de chita pintada de enea
nado, paleto! de brim, e um rhain'-o de massa em-
zenla, ha certeza de andar escondido em un Me*
engeuhos : Fogos, Dromedario, Lobo n Tagri.s
com mais probabilidade neste ultimo por l i
os pais: quem o apprehender. dirija-so .wenganft
Jundi de cima, freguezia de l'na, que ser gene-
rosamente recompensado.
100,000 de gratificar*.
Contina fgido desde janoiro o mulato de uumm
Raymnndo, natural do Ico, estatura regalar,
dc 18 annos, cabega chata, cabellos cara
testa grande, rosto oval com unta fstula
esquerda, maraes salientes, dentes iii
dos, bocea regular c principio de buco, pos e aa
pequeos ; coslumava andar raleado, e intitaU-
va-se livre : quem o apprehender dirja-se rss
da Cadeia do Recife n. 21, Luiz Antonio SeonV
ra que entregar a referida gratitkacao.
1008 df rarificarao.
Fugio no dia 19 de agosto do corrente anna, na
occasio de se levar ao seu senbor a mulata Lua,
representa ter de idade 20 annos, enia do coran,
rosto regondo, cabellos carapinhos, olhos orean
nariz chato, bocea regular, pos grandes, tema
direito urna marca do qneimadura, levou erans
Vestidos de chita, e m chalo : roga-se, poa, ja
aiitoridaa> nalicMes e a qualquer pessoa do aran.
de apprnaade-la e leva-la ra da Gadeia a a\
que recebera a graticagao dc 1005.
MUTILADOI
-e

I ILEGVELf



I
*


/

Diarlo de Pern.mbnco ~ Htxt felra lf de **< c-n.hr a de ftftft.

a-
.
LITTERATRA.
0 padre-mestre Fr. Fides mandou vir da Kal a' se artigo transcripto o acto da exhumacao, a que
para a egreja de S. Sebastiao duas imagens de san- so proceder no dia lo de novembro de 18M. Sen-
tas, a de Santa Vernica Juliani, capnchinha, e do assim, e adiando en trabalho feito, aproveit-
Santa Philomena, virgem e martyr; e, vendo que' me do labor alhdo e san mais ceremonia copio
rnnitos fiis tomavam por ellas grande devoclo, ipsi verbis tudo qoanto a respeito escreveu o Jor-
lembrou-se de instituir duas irmandades qae se' nal do Commeicio. V-
occupassem do culto destas santas: bcm depressa,' Ahi vae a historia :
Estado de S. Publicamos em seguida a no-
acharam-se em desaccordo. e de modo positivo.e ticia circumstanciada do que se passou no dia 20
L'm passeio a s do Ria de Janeiro.
(Conclusao.)
No meu ultimo pasmo dcscrevi a egreja de S.
Sebaatfl como ella era em 1812 e fc- eonservou
,., r i o,-1 ., -_____ i, Prtm> a irmandades e os religiosos barbadinhos
ato o fim do anno de 13G1: agora vou desrrev-Ia ,x ___,......3 t
de prata. Fr, Gaetano de Messina offereceu urna guidade merecern! ser recolhidos separadamente
sobre o dogma da Immaculada' dos outros. E, lendo-se concluido a exhumacao, e
K e outra de prata com as imagens de Nossa Se- do S. Sebastiao estabelecida na sacrista da mesma
nhora da Conceicao e S. Francisco de Assis, as egreja, entrou Fr. Caetano de Messina com os de-
quaes tiveram o mesmo destino, e foram postas! mais saccerdotes de sua
sobre o auto.
. hojoseacl^ e como deve mostrarle em 5H*^5B IZ=arT^ ^ZZZZttlZ^
breve prazo, quando se terminaren, todas as suas Fr Fabjan0 de ^^ ^ ,ermo .& ^^ m0I ^ste horaem filustre" ^
Cas dcspcdindo
corporales
e mandando com Deus aquellas Efkctvoa^ com toda a so,emnida(le a j
! mafSo dos restos de Estacio de S, primeiro go-
Tenhopor vezes repetido o titulo de commissario vernador e fundador desta cidade, que ba 296 an-
nos desbaratara os Tamoyos, que.se haviam allia-
do aos Francezes e achavam-se entrincheirados as
aldeas de l'racumirim e Pananapuca.
Comprou Estacio de S a victoria cusa de
obr^s.
O teitjpto uao mudou-em rolacao ordcm arch-
teotenica; .aoftreu, porm, raodiflcaeao cm algumas
de suas dispov'C s- gera| que ,eve 0 padre-mestrc Fr. Fabiano, e tem
A egreja amiga t.7a "lui, baixa e escura, e, en- o actual prefeito o padre mestre Fr. Caetano de
coutrando-se nella part.'des racnadas e desapruma- Messina ; parece-me, pois, conveniente explicar a
das, que Bveraui de IevamJrse de novo> houve oc- origem delle e as obrigacoes que Ihe pertencem.
cutio mb corngir esses dei^; I o titulo de commissario-gera. um carcter de sua propria vida, e, marlyr, regou m
As paredes la eraos tinham trinw" ^"JJ e superioridade que a sacra congregar*, e os supe- a,iCerces da cidade que fundara, e 2 m"l abi
agora qaaren.a de altura ; as do me.o -~ notados barbadinhos em Roma deram ao prefei-' 0lle tinha de ser a capital de um grandeTmntrio
nula, e se elevara Jioje a mais de cincoenu..' d* u<\ to destes religiosos no Rio de Janeiro, afim de que m^m impcnu.
capclla-mr eram de trinta palmos, e pasaara."11 a todos os prefeitos e vice-prefeitos do imperio do ns,ilito Histrico Brasileiro associou-se a
ter quarenta e oito ; a da frente da egreja nao ei- Brasil dependessem delle, e a elle recorressem as cste ac,0 de non,eigeni de S. M. o Imperador,
que para Ihe dar maior realce, ordenou que a fes-
tadeS. Sebastiao, o santo martyr padroelro da
nossa cidade, que at aqui se celebrava na capel-
la imperial, se ftzesse este anno na primitiva S
do Rio de Janeiro, na egreja do Castello.
As 11 3/4 horas chegouS. M. o Imperador,
acompanhado de seos semanarios.
i Os Srs. ministros dos negocios estrangeiros c
das obras publicas, o presidente da cmara muni-
cipal, o cabido e mais empregados da S eafhc-
dral da imperial capella, o prefeito dos oapuebi-
cedia a quarenta e cinco, c excede agora a
seoia.
ses-
uldades
i^tfr. muaqpB e duvidas em que por ventura se
' achaSK em suas admiuistracoes, e para que tam-
0 templo era, ioniodisse,escuro: o curo recebia j^,,, essa. a0v.'oridade Iratasse os nogocios das mis-
luz por urna janella e um oulo, e as naves dos alta scs com o govtt.?0 ""l*1"'3' e dsse de tudo Parto
res lateraes por cinco clara-boias collocadas no te- aos chefes em BoHKS, A Princ'Piol> quando se tra-
illado urna sobre cada arco. A maior altura que tava de quesloes ratf colnsidcraves os prefeitos
as novas obras deram s paredes permittiu que se rccorriam a Roma on a nun aPostolieo ; mas
iasgassem quati janellas de cada lado do corpo (par(.ceu mell)or a0goTeriK> impC' tratar com
a,duas de cada lado da capclla-mr, e \m commiSsario'geral,e exigiu que nma tal auto-
i jais duas aos lados do camarim; ao todo quator-
w janellas, e toda de cantara.
A torre do lado direiio estava radiada desde ci-
ma at os alicerces ; foi concertada, cando sem
obolisco para uao aggravar mais os alicerces, e
ajuntando-se-lhe um gigante do lado do mar, para
dar-lhe mais seguranza, e sobre o gigante cons-
ridade fosse creada no Brasil, para qaC por nrno
delle negociasseas cousas da wisso cora & supe-
riores dos barbadinhos na capilal do mondo atho-1 Bhos e seus mfesionarios e os membros do'lnsfr
lico. I tuto Histrico sahiram ao encontr- de Sua Mages*
Os novos religiosos barbadinfjfs que enfraram tade, que foi reeebido ao som do Dymno nacional,
no Brasil e que administraran! a egreja de S. Se- | tocado pela banda de msica da guarda de honra
ba?tiao acham-se entre nos ha vinte e uro annos ; ] postada ao lado da egreja.
triu-se urna eseaua, por onde se sobe ao coro ejtcui-se ditocescripto-tongamente a favor e contra'
mesma torre. A outra do lado esquerdo tambem elles; mas etij proteste* que nao entrara em ques-1 u templo, erguido- do meio deseas ruinas,
concertada e caiada, perdeu um gallo que pousava ,5eJ desl ordeni; e raito-me a declarar que esti-!na0 estaamda completo. Viam-se ainda algumas
sobro ella, e que teve de ceder o poleiro a um S. | maTa v..los semprc miI(> ocupados eom a ea-eonstrucco mcomplet acmez de snaj-singelas
Miguel de cobre : ignoro se o gallo, por ter descido
do poleiro, declarou-se em opposicao a S. Miguel ;
este um problema que deve ser resolvido pelos
nossos polticos.
Ta frente da egreja corre urna rimalha, e i>ara
cima do telliadf>: entre as duas torres, levantou-se
una cruz de cantara que tem nove palmos de al-
tura; por baixo dessa mesma cimalla ha um ocuto
de dezeseis palmos de circunferencia; e conservou-
so metade da janella do coro.
No Interior da egreja levantou-se o ero altural
tedese do nosso gentiee-um ponco menos coma
direr^ao das almas dos habitantes das nossascida-
des e povoacoes.
Entretanto certo que algtms desses religiosos
iem prestado bons servifo; e ainda mesmo aqui
na capital mostram-se dedicados no cumprimento
de seuir deveres religiososy especialmente quando
nos vimos flagellados pela fcbrc amarella e polo
cholenwnorbus.
Devt lembrar o nome do nm desses capuchi-
galas.
No tecto alobadado do presbyterio e per cima
da campa do grande capito sobresali um painel
anaogo a reconslrucgo da egreja. um raonge
amparando um templo que se desmorona. Decu,
como do seio de urna aurora boreal; sanen? estas
palavrae :
de trinta palmos, poz-se-lhe urna grade de balaus-1 nhos ilaiianos que deixon. suaves recorda:oes, e
: o, deu-se-lhe urna forma mais graciosa' e alguns! desoeu sepultura, morrendo de morte sbita e
ornamentos de olra de talha. J inesperada nessa me ma egreja de S.- Ssoastio o
t egreja tem, como d'antes, tres naves-; mas os Castello.
f> lares, que em duas ordens se erguiam eque eram Era e- rdigioso a <|ue rosrefiro de familia abas-1
octangulares, sao acora redondos, fingindo colum- tada. e'no secuto fio rescea-eorao sacerdatee viga-
nas de marmore. | rio collado na Italiti \ desprezou, porn, todos os
Os altares elevaram-se ao numero de nove, tres bens do mundo pele > amor de Deus e peto desejo de
de cada lado, mais ;:bus em duas candas aos lados ; se aggrepar cong regacao dos barbadinios, pre-
doaltar-mr e este : cada um dos pruneiros tem essanctoa regra pespectiwi com o nome de padre
um arco singelo, as capcllas os seus zimborios. Fr. Paulino de Lirnone ; sendo destinad s mis-
Ka altura de trinta palmos corre urna cimalha soe- mandado para o Brasil, desemoarcou na
de madeira do ambos os lados da capdla-mr, e
chega at o fundo da egreja : por baixo da ciina-
Iha daquella a parede forrada at o chao com ta-
fcoas de cedro, leudo columnas que descem at o
soalho e correspondem ao risco do ferro : entre es-
tas flevem mostrarse quatro paineis cercados de-
obra de talha; os paineis serao de Nossa Scnliora
de Bclm, de S. Joao Baptista, de S. Januarlo o de
SirntCAndr Avelino, tpie conservarao a memoria
dos antigosque estavamnos altares.
0 arco cruzeiro recebeu omamenios de obra de
talha, e por cima delle v-se a arca santa, na par-
to superior da qual se mostra Nossa Sanhora, sen-
do ostf rrnpo cerrado de nuvens, no meio das
qiiacs apparccem canecas de cherubins, e os dous
mijos daantip-a egreja ajoclhados aos lados da arca.
As portas lateraes e os dous portoes da principal
silo novos e aquellas mais altas que as antigs.
A egreja ser dividida por grades com balaus-
tres, que fecharao os altares, a capclla-mr e as
capdlas lateraes.
Opportunamente a egreja ter um pateo corra,
do de grades de ferro c com dous portoes tambem
de ferro.
Terminando aqui as informarijesqneposso dar a
respeto das obras fetos epor fazer na anliga egre-
ja de S. Sebastiao, dejusticadizer que o adianta-
- ment que ellas tecm tido abonam muito o zelo e
dediraeao que nesse empenlio ha mostrado o reve-
rendsimo prefeito dos barbadinhos, o padre-mes-
tre frei Caetano de Messina, alias j recommenda-
vel por ontros trabalhos da mesma natureza reali-
sadOfl em Pernambuco, e sobretudo peto importan-
te collegio de Papacara, por elle fundado nessa
provincia, c onde se edueam militas dezcms.de
meninas.
Antes de considerar o assumpto princip?! deste
jinsseio, que 6 aquelle com que o rem;>Kiivi, quero
deittr ainda alguns apontanx'ulos relativos aos
barbadinhos italiano?.
Balda, e nes.>a pn >vincia, se oceupou
dos Indios em Ror lelas durante cinco annos ; cha-
mado- depois pda oledenda a esta erte, drstm-
guiu-e na pregaicao da.palavra de Deus^ era de
todos estimado.
Tir.ha Fr. Paulino por costume ir odas as tar-
des f;izer oracao em un quarto qne havia no n-
gulo do hospicio do lado do mar.
No dia 9 de outubro de 1834. pdas- duas horas
da tarde, ronqicu uau furiosa tenpstad; ribom-
bavam os trovos Moa violencia, quando Fr. Pau-
lino, chegada a hora, coslumada de suas oraches,
dirgiu-se ao quarto mencionado 4 apenas, porm,
acata va de entran, nelle, cahu umtk> fulminado
por um raio.
Agora, meus. companbeiros de j*W4c), choga-
mosao ultimo.ponto com queme eumpre occa-
Vae, Francisco,
Repara a minha casa.
Que estcahind cm ruinas.
A egreja continha nm numeroso concurso-de
pessoas de todas as classes e sexos. Comocou pa-
ra logo a ceremonia religiosa, e a musir suave e
melanclica, com toda a pompa- da natureza bra-
sileira, e digna por certo de Jos Mauricio Nunes-
arria, echooa as restauradas- naves do tempkv
Fez o panegyrieo de S. Sebastiao, e reeordou as
tradicri>s histricas de Estado do Si, o Rev. co-
nego Jos Lnir-Gomesde Menezes. f'nda a festi-
vidade, sogura-se a ceremonia fund>re. Brguen-
senocorpodegreja urna- eca,oBd Foi deposita-
da,^ sobre un padiola, a urna que cootm os res-
. ^T toe-do grande capitao. um cofre kbricado de
pu<4rasil, fechado a torne*; encerrando outro de
! chambo com 16 fiollcgads de comprido, 10 de
I largo e 10 de altura, no qual foram postas as rin-
zas em 30 de novembro do anno passado, e depoit]
soldado. Desse acto se lavraram dous termos da
nms theor, ssignados pelo presdeme do Inst?
tuto, o Sr. viseonde de Sapucahy, e seus secreta-
rios, os Srs. Dre. Jos Ril:*iro de Soeza Fontes e
Carlos Honorio de Figuerodo, c o Rev. prefeito
Ff; Caetano di Messina.
Entoou-so, ao som mdancolico e religioso do
orgao, um menlo.
t Ento &. M. o Iroorador, rtrixando ..aool
veiu em possoa prestar augusta liomenagem a tao
venerandos restos.
< Pegaram as argalas da padiola S. M. o Im-
perador e oSr. consdheiro Sinimb direita, e os
Srs. marquez de branles e viseonde de- Sapuca-
par a vosea atiendo. Nao vos cctarei novid.-^ Sfs ma (](, ^^^ visconde de
alguma. porque lenho apenas de referir factosqoe es4iuerda c conduzraui a urna para junt0 n
sepassaram recentemer.te aos olhos de todo i-na
cidade do Rio de Janeino, o quedevem ficar regis-
trados neste rpido estudo que vou fazendo.
Adanando-se as aovas obras da egrej.v de S.
Sebastiao o Castelto, o chegada a occasifrb de se
tocar no ravimentci que devia ser melharado e al-
teado, recebcu disso communicacao a Instituto
llst>Tico e Gcographico do Brasil, qae remiendo
campa. Afim de receber a urna, entrou o Rr. Dr.
Souza Fontes no carneiro, construido de pedra de
al venara o dividida em duas partes. Na parte de
cima estava um eaixao de cedro contendo os essos
duvidosos encontrados na campa; na parte da bai-
xo havia um vo, forrado de cantara lavraite, dos-
tinado urna do pu-brasil.
S. M. u Imperador nrdenou-que se lsse o, au-
as devidas honras ao primeiro fundador da cida^l to da exluunaco, de cuja redaegao fra incurabi-
de do Rio de Janeiro, resolved ir testemunhar e do o Sr. J. Noberto de Souza e Silva. O Sr. cone-
ainda presidir exhumacao dos restos de Estacio g0 Dr. C. Fernandos Pinheiro proeedeu a sua
de S, que consecuentemente foram recolhidos e leitura, que foi ouvda com religiosa attencao, co-
de.pois solemnemente encerrados em urna urna,' mo Io secretario do Instituto.
em signal do respdto e gratldao que se devem
memoria do Ilustre varao.
As duas ceremonias de que acaba de fallar
adiam-se perfeitamente descriptas cm um artigo da
redaeco do Jornal ro de 1863, porque alm da descrip^ao da solem-
nidade do dia 20 do mesmo me* e anno, vem nes-
Mettida a urna no vao de cantara, foi este
hermticamente fechado com urna lapide de mar-
more, tomada com cimento, contendo em lettras
iueleveis e douradas a seguinte incripcao :
RESTOS M011TAKS
DE
ESTACIO DE S,
EXIILMADOS DESTA SEPIXTIRA
EM 16 DE NOVEMBRO DE 1862,
ELLA RESTITUIDOS
EM 20 DE JANEIRO DE 1863.
A pesada lapide da amiga campa rolou ento
sobre o pavimento e ajustou-se sobre o carnei-
ro. Eram 2 '/i horas da tarde.
S. M. o Imperador deu a ceremonia por con-
cluida, e retirou-se descendo a ladeira da Ajuda,
acompanhado de quasi todas as pessoas que assisti-
ram a este acto de tao grande acatamento e respeito
pago ao fundador da capital do Imperio.
Aqni transcrevemos o auto da exhumacao dos
ossos, de que cima fa/lmos:
t Aos 16 das do mez de novembro do anno de
1862, nesta cidade do Ro de Janeiro, e na egreja
de S. Sebastiao do morro do Castello, anliga S da
cidade velha, achaudo-sc presentes S. M. o Impera
dor o Sr. Pedro U acompanhado de seus semana-
rios gentit-homcm da imperial cmara Augusto
Duque-Etrada Meyere guarda-roupa Dr. Antonio
Das Colbo Netto do? Res, o prefeito dos misio-
narios capuchinhos qae ao prseme oceupam a
mesma egreja-Fr. Caetano de Messina, c mais mis'
sionarios, e es membros do Instituto-Histrico e
Geographico Brasileiro, visconde de Sapucahy,
presidente; Dr. Joaqum Manoel de Macdo, 2o
viee-presidente; Joaquim Norberto de Seaza o Sil-
va, 3odito; Dr. Ribeiro de Souza Fontes, 2
secretario; bachard Carlos Honorio de Pgueire-
do, secretario adjunt; Antonio Alves Pereira Co-
ruja, thesoureiro; eos socios eonsclheiro Antonio
Manoeh de Mello, commendador Manoel Ferreira
Lagos, bacharel Felfeardo Piuhenro de Campos e
A. D. de Pascual, e grande numero de pessoas
gradas, sedirigiram ao meio dia 3 prosbyterio da
capellannr da mesmav egreja onde junto aos-de-
grus do-altar se acltavam sepultados os ossos de
Estacio de S, primeiro goveruador e povoado
no Rio de Janeiro, para proceder saa exhumacao
visto ter entrado a egreja em concert e ser ne-
eessario derar o pavimento da mesma, afim de que
a todo o lempo conste o respeito c veneracao que
mereceu a conservarao do restos do'fundador da
capital do imperio, que na sua conquista adquira
a gloria do martyrio pela coragem e afoutesa
com que barateou a vida as batalhas- de Urucu-
luini e Paraaapuca, que-fovam ganhas aos Ta-
moyos e aos Francezes seus- alliados.
E, sendo ordenada a exbumara por S. M. o
Imperador, s procedeu remocao do urna lapide
de granito do paiz, la viada mas nao polida, de no-
ve palmos de comprido, quatro de largo e um de
espessura, que se achavarente com o solo e tinha
gravado naJacc exterior o seguinte cplapho, em
lettras eapiiaes de carcter latino, sendo o algans-
mo em e&raeteres arbicos-:
AVVl 1AZ ESTACIO DE
SAA P CAPJTAO E 00
QVIST.tOOR DESTA TERRA,E
CIDADE E A CAMPA MA
DOV AZKR SALVADOR.
CORE.VDE SAA SEV t
trMO SJBGD? CAPITAO
E GCR GOM (feas ARUAt
ESTA CAPELLA AAA..
BOV O ANO DE 1383.
Por baixo desta inscripro viam-sc as armas
de sua casa.
a E, removida a lapide, com facilidade conhe-
ceu-sc entao que tao havia deposito.algum, como
era de presumir, por isso que, sendo o corpo de
Estacio de S sepultado em Villa-Velha, povoaco
e fortaleza por elle fundadas nas mmedia^oes do
Pao d'Assucar, so desasis- annos depois quc
seus ossos foram removidos para a nova povoacao
do morro do Castello, tracada. por Salvador Carrea
do S,que affirmou com o marco da conquista, que
ainda existe porta principal do templo, c que
d'ahi a um secuto se ficou chamando Cidade Velha,
para distiaceao da novissima povoacao que se es-
tendeu pelos valles de S. Bento, da Misericordia e
Ajuda, c ainda da primitiva, conhecida por Villa
Velha. Assim, pois era urna sepultura rasa sobre
o soto artificial da egreja, o qual fot cavado cuida-
dosamente na exlensao do dez pannos sobre cinco
de largo o cinco de profundidade.
t E, i neeadas as excavacoes, appareecram nas
primeir carnadas de argila alguns ossos de cri-
Depositou-sc depois o auto, no vao fbrmado
pelas pedras de cantara. O Sr. A. A. Pereira Co-
ruja apresentou as gazetas publicadas no dia e as
seguintes moedas, que foram collocadas no mesmo
lugar: 1 de 205 c i de 104. do anno de 1861, e i anja, e depois ossos de adulto, e finalmenH onde
de 55 de 1855, todas de ouro; i de 2$ de 185?,
1 do 13, 1 de 300 rs. o 1 de 200 rs. de 1862, todas
F0LHET1M.
CAIililRHO
POR
M.UIUCIOS.INI).
Tercclra parte.
grados. Pronunciei os votos de virgindade n'uma Calhrlw com os olhos desvairaios, as maos tintas
edade em que mal podoria suppr que o amor vi- de sangue, e os bracos lerantados para seus cu-
ria contrariar os meus deveres, e abalar-me a i ses do bronzo, estre'buxa no mesmo lugar, pro-
vontade. Hojc o meu eoracao se acha preso aos nunria palavras...que nunca repetirei, e marca-me
gtilhdes desse deus tyranno Mas se eu vier a ser na fronte rom signaes cabalistcos, e'^no peito com
culpada e perjura, e os nossos sacerdotes o soube- o sangue da victima.
rem, mandar-me-hao enterrar viva. Cr-mc, Mar-1 Arranca depois o largo bracelete, ^te trazia vo-
kek, abrasam-me as mesmas chammas que a ti; luntariamente como indicio do sua condieeao de
porm nao ha torca humana que desligar-me possa i osera va, traca signaes no metal com
dos meus juramentos. S vejo um meio de amar-1 nm pqnbal ensopado no sangue o
iflia c
mo-nos apesar de tudo e de todos : te dedicares derranra certo liquido claro
que u.i/i,i
condicca
m^pont
corueiriii
terminava o aterroi* comecava o soloprimitiro da
montanJia encontraram-se ossos que por sua anli-
missao um memento, a
que assistiram S. M. o Imperador, as pessoas aqui
declaradas e grande numero de individuos de to-
das as classes, e linda a -ceremonia religiosa re-
commendou S. M. Imperial que se lavrasse o pre-
sente auto, sendo o's ossos previamente sujeitos a
exame scientifieo, de que foram enearregados pelo
mesmo augusto senhor os Drs. Jos Ribeiro de
Souza Fontes e Francisco Ferreira de Abreu, para
screm quanto antes encerrados convenientemente
em urna duradoura e depositados no mesmo lugar'
sob a lapide que os cobre ha 279 annos.
K, feito o exame ordenado por S. M. o Impera,
dor, apresentaram os mencionados doutores as 12
seguintes conclusoes :
L* Que foram evidentemente reconhecidos e
com preciso determinados durante a exhumacao
(pelo i. perito) epelos exames ulteriores feitos
em commum, apreciada a disposicao e natu-
reza do solo, os limites da sepultara indica-
da como devendo conter os ossos de Estacio
de S.
2.' Que nessa sepultara nao fra inhumado
cadver algum, mas sim depositadas as pecas
pertenecntes a tres-esqueletos; este fado se de-
dnz naturalmente da falta .de relajos anatmicas
em que foram eneontrauos as differentes ossos,
cumulados sem orden, confundidos entre si,
como assim do respectivo exame anatmico dos
meamos.
&1 Que os ossos encontrados no-primeiro ja>
zigo ou carnada superficial, a urna profundidade
apenas de dous palmos inais-ou menos, procedem
de dous individuos distinctos, o primeiro dos
quaes teria no mximo i-S annos de edade, e
cujo sexo nao- pode ser determinado, e o segundo
era um adulto.
t 4.a Que as pecas osseas do primeiro jazigo, se-
paradas das do segundo por urna espesjura e
terreno de tres palmos pouces mais ou menos,
e visivclmcnte distinctas destas- ultimas por sua
maior consistencia e peso especifico, pela mc-
lhor conservadlo dos seus elementos,- e pon ou-
tros caracteres mais, procedem indubitavdmen-
te de individuos que suecubiram posterior-
mente, e em urna- poca muito mais approxi-
mada do nos. Procedem ellas dos restos e ou-
tros membros da mesma familia ou tronco, e que
mais tarde foram tambem trasladados para o mes-
mo jazigo.
o.*- Que as pecas- osseas encontradas no se-
gundo jazigo, e era- grande parte carcomidas
ou destruidas pela vorocidade do tempo, pare-
cem pertencer toda* a um nico e mesmo es-
queleto.
t 6." Que este esqneteio pertenseo a um indivi-
duo do sexo masculino.
As proporcoes e grossuras gtramente obser-
vadas nas pecas osseas que meior se conserva-
ran^ o nula ve 1 desenvolvimento-das desigualda>
des e asperezas destinadas s inserroes mus-mla-
ros, con; assim das espinhas osseas e dos siteos
diversos; o volume das extremidades articulares
dos osso6 longos, dos membros-; o comprinwnto,
a grossura c a notavcl ncun-ac/o da clavicula en-
contrada; a grande espessura do frontal como dos
fragmentos de outros ossos largos do crneo, que
foram egualmente enoontrados; os earacter&s ana-
tomice* das vertebras achadas, e sobretudo a dis-
posiro das duas corroes iliacas dos respectivos
ossos coxaes, nos induzem com effeito a acreditar
que o esqueleto ds que se trata pertenoeu a um
individuo do sexo masculino-; nao podendo todava
deixar de lastimar a impossibilidade em que nos
achamos de apreciar a disposicao geral da exca-
vafo da baoia, o gru.de concavidadeda face an-
terior do sacrum, as dimeosoes e conCguracao dos
buracos nfrapubianos. o. gru de afastamento das^
cavidades cotyloides, como assim as dimensoes
dos principacs dimetros do pelvis, elementos
cuja apreciadlo imprimira a esta nossa conclusao
o desejavel carcter de certeza anatmica.
7.* Que esse esqueleto procede de um indivi-
duo cuja edade podo com grande rerosimilhanca
ser calculada entre 33 e 50 annos.
Na defcencia dos elementos anatmicos que
principalmente caracterisamNsemcIhantes edades
sobre o,esqueletouniao coai|iletada pfimeirapo-
^a da sacrum com as outras; soldadura do apn-
dice xyphoide com o corso do sternum. como as-
sim do sacrum com o coceyxbaseamos esta nos-
sa conclusao sobrea completa soldadura dos
discos epiphysarios das vertebras encontradas, e
sobre o estado das suturas dos ossos do crneo;
as amelados do frontal eram perfeitamente reuni-
das ou soldadas; a sutura fronto-parielal e as por-
coes encontradas das suturas sagital e lambdoid
sao ainda muito. apparentes, com quanto a unio
das pecas osseas e o encravamento das suas
dentilaQuos seja assai completo. O segundo
molar encontrado alvo c pouco gasto na sua
cora.
8. Que este osquelcto devia pertencer a um
individuo cuja estatura approximada o provavd
Vede a manera porque nos receberam os
amigos dos vossos amigos..V"inganca!
s o que havia passado: muits colonos gau-
(Conlinuarao do n. 203 J
Picando s, e reflectndo a sangue fro, arre-
pendi-nio do meu proced ment, qoe olTendera
sem duvida a Callirho, pois que a vi fugir inme-
diatamente da minha presenca. Desgostoso de
mim mesmo revolvia-me no perfumado leito, que
me havii rila proitarado, sem poder achar descan-
te ; at quo a final resolv abandonar esse leito
idieioso. ( estender-me sobre o pavimento de mo-
saico, onde consegu dormir um pouco.
Nos oilo das, em que duraram as festas, os Ar-
recanos nos trataram magnficamente, e como
amigos verdaderos. De nossa parte tvemos egual-
mente ocrasiao do mostrar-lhes a nossa gratido,
derrotando um bando d salteadores e escravos
l'elagios que, organisados nas montadlas, assola-
ram os campos, e roubavam os viandantes.
A mor parte dos nossos Ganlezes voltaram ao
acampamento, que se tornou urna verdadeira colo-
nia. Os Arrecanos concederam-nos algumas tr-
ras, e mais de urna joven Etrusca cscolheu um es-
poso entre os nossos.
J eu fallava soffrivelmente a lnguagem da mi-
nha querida escrava; j eu comecava a compre-
tnder os encantos e beneficios da eivilisaeao.
Offereci muitas vezes a liberdade Callirho;
mas ella recusou sempre. De urna dessas vezes
me disse :
Nao quero ser lvre, porque a escravidao
a minha salvacao. Os nossos sacerdotes barbaros
c supersticiosos me dedicaram ao deus Mamers, c
a ti, que devias matarme. Em quanto te perten-
cer, nada poderao sobre mim segundo a sua pro-
pria decso : porm lvretornarei a cahir no seu
poder; e entao, Markek, ai de mim!
De entao por diante o meu amor para com ella
tornou-se paixao violenta : e instando urna vez pa-
ra que consentisse em ser minha esposa, respn-
deu-me:
Ouve-me, e depois julga. Contava apenas
doze annos quando o grande sacerdote, tocndo-
me com a sua variaba, me dcsignou para manter
acceso o fogo no santuario de Vesta. Contra a
vontade dos meus fui iniciada nos mysterios y-
pela
de uses de bronze, me ordena
a formula seguinte :
Pelos deuses Cabres,
Markek e Callirho,
Vivos ou morios,
.Mutuamente juraram,
Um amor eterno.
geira ?
O deus, a quem adoro, tem o poder de des-
ligar-te do juramento que pronunciaste sem cons-
ciencia. Todava, se para obter-te, forepso de-
dicar-me aos teus deuses Cabires, ostou prompto
a faze-lo, rom tanto que jures por tua alma im-
mortal amar-me semprc.
Jurarei esta noute. A's cinco horas vae ao
jardm de meu pae; l me encontrars dcbaixo do
caramanchel de folhas.
Quanto me pareceu custosa de vir essa hora de-
signada I Achci-me no jardm muito antes de Cal-
lirho. A la refiecta-se em listas pratcadas na ardentes : tira depois o seu bracelete, e me mos-
bella superficie do lago lirondamente agitada. O tra profundamente gravado no metal o juramento
vento trazia-me aos ouvidos lgeiros ruidos e mys- que araba vmosle pronunciar.
leosos da noute, entre os quaes eu distingua os Os deusSTids sao propicios, disse ella come-
longmquos latidos dos nossos caes de combate pre- cando a dancar ea cantar, e batendo compassada-
sos no acampamento. A' cada momento pareca- mente n'um tamboril,
me ouvir estalar a areia sob
Pronunciado o juramento, a minha linda escra-
va corta um punhado de cabellos de sua cabera, e
da minha tambem; mistura-os o alira nos carvues
lezes, desejando possuir trras para lavrarem as
pediram aos Arrecanos. O lucumon, reunindo os
principacs d'entre elles, lhes dssera:
Tenho tomado em consideracao o pedido dos
meus amigos os Gaulozes. Nao "est porm no
-ponta de meu poder ceder-vos trras, que nao possuo, nos
leirinho : arredores de Arretium : mas, poucas leguas dis-
e transparente como | tante d'aqui, existe a gente de Camars (Clusium),
o podem
grande porrao
procura-Ios, e os deu-
ses vos sejam favoraveis I
Os colonos confiados nestas palarras partiram
para Camars, com as suas familias e o seu gado :
mas ali chegando foram repelldos brutalmente, e
reconheceram ento que o lucumon zombra delles.
Com effeito a gente do Camars era rival dos Arre-
canos, posto quera mesma confederadlo, c o lu-
cumon premeditM desviar a torrente gauleza im-
pellindo-a para os seus inimigos.
deve ser avahada em !.- 741, por isso qae o osso
tibia tinha 0,36 c.
9." Que esse individuo serta de mn corpo re-
galar, pois a clavicula encontrada fhTna 0, 14 c,
o que inculca que o peito na sua porte superior,
de um extremo clavicular a "outro, oflereceria
mais ou menos 0, 32 c.; por ontra, que era
um individuo de fypo portoguez e de estatura re-
gular.
< 10.' Que os ossos perlenccntes a este es
lelo, despidos tanto quanto foi possivel da trra
argilosa que Ibes era adherente, pesaram 7 libras
e ." oncas ou 117 oncas; a saber : os ossos que por
inuilu quebrados nao foram classificados, e os de-
trictus pulverulento, 56 oncas; ossos classificados
61 oncas.
11.a Que os ossos reunidos pertencentes aos
dous esqueletos encontrados no primeiro jazigo
pesam 128 oncas.
12.' Que, finalmente, as p^as osseas encon-
tradas no segundo jazigo, e quefbwram o mab par-
ticular assumpto dos nossos estados e anahse,
estiveram indubitavelmente inhumadas por nm
immenso perodo, durante secnlos, pelo menos
dous, pois que seeulos sao necessarios para re-
duzr os ossos humanos s condicfcs em que
foram encontrados os restos que, rom todo o
fundamento, se jnlga pertenecrem a Estacio
de S.
E para que conste a todo o tempo se larron
o presente auto, que assignado por S. M. o Impe-
rador e por todas as pessoas cima designadas.
D. Pedro lf, Imperador oonstitccional e dcte.v-
sor perpetbo do HiiAsi..,\iit/iist,-, Duque Esfndn
Mfiin:Dr. Antonio Das Coelho Netto dos Rett.
Fre Caetano de MessinaViseonde de Sajntcakf.
Dr. Joaquim Manoel de Macdo.Joaquim Sorberte
d Souza e Sirra.fr. Jos Rilieiro d Souza Fon-
tes-.Callos Honorio de Fioneiredo.Monto Ahes
Peretra Coruja. Antonio Manoel de Meti.
Manoel Ferreira Lagos. Felizardo Pinheiro de
Caixpos.A. D. d Pascoal. i
No fim desta ir.mscripco win-mo a Kmr>ranca
que tmrhomem serio, um desses altivos e carran-
cudos senhores que-torcem o nariz a tudo quanto
Ihe chdra a poesa, aeh'ou poesa, id rst, eslrnra-
ganrif- e falta de juizo na cxbamarao dos res-
tos de Estacio do S, e nas subsequentes hoans
que foram prestadas memoria do asr-ignaU-
do varo, c olhandc^ne nm ponco de rerez, te-
ve a complacencia dt dfrigtr-me a palavra. pergan-
tando;
Para que serve- ton ?
i
Isso um adjectivo- que pronunciado com cer-
la contraerao dos labios, exprimeo profundo des-
preso que sent, que-o prommc3i
Confesso a minha vergonha : nao pudo respon-
der ao-hbmem serio ; ponjue reccei perder o resn-
nho de <-tMifianca quo Ihemereria ; mas, pensando
comipo mesmo nos tributos do gratido que ^e-aV-
vem pagar aos varoes prestantes qne floresoram
no passado, pensando que as honras prestadas aos
benemritos que j r.no vi vem, sao incentivos qne
BUriMMB a pratca de virtudes ; pensando que a
historia do passado um thesouro que sos-bratos
desprezam ; piiz-me ^ avivar na memoria os fetos
de Estacio de Sa, e, idea dcsperta.ida, lembranca
chama lembranca. r-xordei-me drjum factototem'
po desse dslinrto capito, fado qae be podera
ser apruveitado p^ra a institmcao de urna festa
iiYiipopular c muito til, o que. sem a menor dn
vida, teria o seu encanto pelas- recotd&roes que
despertara.
k regatas do Vcncza, sera.duvida muito hfm>'
sa* pelo numero, riqueza o velocidad das gondo
las que tomavam nella parto, c pola pompa com
que se cclebra-ra essa festa nacional, nao o eritn
menos pela sua origem romanesca. Ninguem igpo-
ra que os Venczianos commemoravam com as- re
gatas a libertaco das rsoivas veuo2ianas. ipie atre-
vidos piratas haviam raptado.
Pois bern : nos temos egatlmento umr, origeL,
histrica s romanesca para a instituico di-r*|_
no Rio dfl Janeiro e nesse ponto nao nos levar
tagem a anliga rainha do Adritico. Mais aiu ;
nos teinpos primitivos da cidade de S. Sebastian- no
Rio do Janeiro celebrava-se annual o regularmen-
te ama solcnndade que ento toba o nwae de
feta das cania*
Para que algum incrdulo nao penc e diga que
estou improvisando, declaro alto e bom som qne
tenho por mim os valiosos testcmunlios de doos ve
neravois escrptores, um que o bom Santa Mara
no seu .Iiiho Histrico, tomo U, S 3". pag. 397. e
outro que o massantissrao Simao de Vasconcel
los na sua Ckronica da ComjHiuhin de Jess, livrc
IR. S 96, pags. 332 e seguimos :
para
qie repita com ella
artra-:
A vista donossos compatriotas asA| maltrata-
dos, accedeu-ns a colera : todos enrreram s
armas.
Sus aos Etrnscos! exclamou Luern.
Tenha bebido tanto do seu vinho. acudiu
KadAneith, que agora s tenho sede do seu
sanano I
Dirigi-me immediatamente residencia do lucu-
' mon na cidade : tinha j partido para urna das
" Callirho," trajando urna loga vestimenta preta
c compiida, tira as sandalias, desata o cinto de
purpura, e desprende os bastos cabellos que caem
ondeando at os ps. Depois, passando-me os bra-
cos ao redor do pescoco, assim se explica :
.os ps da minha mui- Bem depressa a sua danca torlR-se frentica, o suas villas no Apennino. Adid para a sua volta a
Lf&^wmMOeramais do que o sussurrar canto degenera em gritos dosj^hpassados. em I explicacao, que Ihe devia exigir, edd o signal da
nSen,eappareceu a joven vestal. CamX"^*SST ^^ pod" '% ^ra^imnem mm^tlenco antes de comecar
ruuoVcdosnl?memC,,a eni TOZ bai-nao fa^s g"o P vem E sao numerosos 1 Grande a SiSt^SilT^^ ^^
i unto, toos aormem. exercito atravessa as nossas planicies, c atravessa I semnre '
Segui-a com precaucao a um oratorio, cujo tan- para tudo destruir I Fogo, sangue por toda a Dar- A^ noute sahi do acamoamento e como u nor-
do era illuminado por urna alampada que laneava tc.aqui e depois l I...A vnganca est pronuncia-' tas da"ttod^ estivossom Khidw Zoi'rci^m
um Carao azu.ado.sobre sote estatuas .de jjronze, J-^^^Swir a fren^ ""rato ^de h!TlSSJfi%&*%.
mn sangue" Oh? ^ w.V!l4pai*"r tod* a lha fortificad* n'um lugar cm qon fieava o leito de
Krm tnm ^.l^onf 7** em meu um P^ueno re8aI e ". Nala, a escrava da
*B!^r^yT!^^& X amada, conduxiu-me ao aposento desta til-
de separar-nos nesta, nem na outra vida I Callirhoeftfaiando urna vestimenta do
bronco cora
algumas iguarias em pratos dourados, como caca
fria, peixe, fructos, etc. o vinho branco resplan-
deca em amphoras de vidro da Phenicia. o os co-
pos de crystal talhados em facetas sctntilllavam
como estrellas luz dos candelabros em que arda
um deo perfumado. O pavimento, a mesa, e at
mesmo o leito se achavam eobertos de folhas de
rosa, e flores de laranja.
Callirho estava triste ; quera por forra acom-
panhar-me na minha oxpedicao. Choro, e para
exprimir a sua dr tornou alade o poz-se a
cantar :
t Markek meu esposo, os deuses receberam
nossos juramentos. Seus olhos sao meigos o azues,
seus labios parecom coral. Os seus cabellos deram
a cor aza do corvo, suas sobrancclhas sao como
dous arcos. Markek um guerreiro cheio de
energa e do torca, entorto de glorias. No comba-
te nao tem outro egual. Faz o ar gemer com o
aroule da sua espada. As aguias nao ousam es-
voacar cima do seu capacete. Treme o eoracao
daqudles que o combaten), ao relinchar smente
do seu ginete.
E depois de breve pausa, proseguiu :
Qual o rude ceifador quo com aliada foure
corta egualmente as tenras berras e as espigas
maduras, sem se embaracar com os queixumes que
Ihe dingem, assim a morte nao destingue o esposo
e o amante, o pae c o Qlho, nao attende edade
nem ventura de cada um : a todos abate como
o ceifador as hervas. Quem nasceu ha de morrer
tal a lei da natureza ; as respirad-oes do ho-
rnera estao contadas pelo destino!
As palavras dolorosas e poticas de Callirho
operavam em mim urna especie de transformacao.
que eu senta, mas nao sabia explicar. At ento,
como verdadeiro filho da natureza primitiva,
amei-a com os sentidos, e tanto mais apaixonada-
menle quanto mais a tinha ambicionado e respec-
tado. Pouco pouco esse amor, que era tambem
amizade forte e sincera, como a teria por um ir-
mo d'armas, se modificou, e parecia-me quo ama-
va esse ente fraco e gracioso como um pae ama a
seu filho.
Na sua tristeza vinha Callirho ainda revelar-mo
linho alguma cousa de novo : abra o meu espirito a
(Continum-^e-ha,
tuosidades e mysterios que ella me revelara. Mas
nessa poca a minha vida nao era urna vida de es-
tudos c rclloxes ; formado para a curiosidade e
avidez da conquista, o meu papel no mundo estava
tricado, e devena suecumbir depois de ter preen-
chido a misso de ceg instrumento do progresso
civilisador.
Ouvi as palavras de Callirho com o sorriso da
resisnaco nos labios.
Tenho o presentimento de que nao nos rere
mus mais, me disse ella banhada em lagrimas. O'
meu muito amado, toma oste collar de denles de
loto, tra-lo sempre com ligo, alim de que te pre-
servo da morte.
Tudo o que vinha do Callirho rae era preciosu
tracei o collar no meu pescoco mais |ieladesejo de
agrada-la, do quo por crenc nesse talismn.
De que sciencia oceulta, de quo philtros snb-
tis lancaste mo para que te eu amasse to apaixo-
nadamonte ? Ihe perguntei.
Nao foram philtros, nem magia, me respon-
deu ella, foi um meio mais podorosoe irresistivel
amei para ser amada.
O da comecava a raiar ; forcoso foi arrancar
me s caricias da minha amante.
odNamdo urna vestimenta
- Se queres conservar"ara "sempre aquella a Pasaram-ie" 'dous"dla* 'jamara eu na" minha Kr ^JS^JL. ^JJJ-S^ W' Ptamcn,?s' fa sombrios- ?ra risonhos. A su
quem amas, guarda sogredo do ou anui vires, tenda em comuanhia dos meus amims K"?*niSi i ?!^rl!l?..^0J^.ou.rovTO.m os cabellos Pcntea" a,ma era tambem um receptculo de luz e
e de
que aqui vires, tenda era companhia dos meus amigos Kad-Aneith I guarda-o mesmo alm ao tmulo f Dun-Glan, Kadmar, e alguns outros cl.efes qZ-; oralhu JlH^l Sl ^! ""W as ,wJas- ,
Prometti. Entio ella, fazendo-mc despr a mi- do ouvimos grande rumor no acampamento' qCor- mli^f &?"K ,VT Pre,c,.0Sls!sl" ^nca hav,a estudado a sciencia dos nossos
nha armadura, mandou-me deltar nosdegrusdo remos ao lugar do tumulto; era ubi bando de co- S5w2ta 2 rL ar^,iiti^fde Tdeira io" dru,da?> arrepend.a-me disto : talvez soubesse
altar, onde ardiara perfumes, cujo cheiro forte rae tonos Gaulezes cora as vestes despedacadas, i e^hSSdS I v lr,i 1T!S'de Purpara gor,.minl,a vo escitar Callirho a ter confianca no
perturbava o cerebro. cadas de sangue, e seguidos de seusftlhos e mi I a^ puro. Lsperava-me para ceiar. destino.
nu-1 Apenas mo viu, veio ao meu encontr, tirou-me Pareoa-me que, se tivesse pod'd? entreter-rae
sagradas com a pura e risonha Marga-
adquirido sciencia bastante para tr--
mraha bella Etrusca no meio das /, PERNAMBUCQ.- TYP. DE U. F. F. *
Aqui suspend a minha narraeo. A lembranca
dos factos tornava-so confusa.
Entao acabou ? porguntou Fanny. M nao
tornou a ver Caljirho ?
Lcmbro-me- muito bom de tudo o que Ihe diz
respeito : mas a campanha. que nos separon por
algum tempo apresonia-se ao meu espirito com
monos clareza, nem mesmo soi porque razio ; tal-
vez porquo a tenham descripto de ditfereotes raa-
neiras, e eu necessto appellar para as mintas re-
cordacoes. Espere um jwuco..... Agora vou pro-
seguir.
Assallamos os Etrnscos de Camars, e fomos re-
pelldos : establecemos entao o Moqueta. Tre-
mancebos se apresentam nos nossos postas ayan-
cados : chamam-se Fabio todos tres, e se dlxem
enviados como conciliadores pela cidade de Roma.
Tive a lealdade de deixa-los entrar em Camars.
de onde sahiram ao depois fronte do mimigo
para combater-nos. Dun-Glan indignado avancou
para um dos tres brandindo a sua macnadinha :
urna frecha lacada pelo Romano penetra-lhe no
eoracao !
Honra c gloria ao bravo Dun-Glan. que gueenm-
biu no combate !
Vergonha e opprobrio aos traidores I
(ConttmHtr-trM.)
FLUI

nMIlLAEJ
i LEGVEL
'
--
s
*-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EI1LFS0MD_D5O84C INGEST_TIME 2013-08-27T20:20:12Z PACKAGE AA00011611_10187
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES