Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10183


This item is only available as the following downloads:


Full Text
f
i
AMO XXXIX NUMERO 203.
Por tre nes adiantados 58000
Por tres mezes vencidos 6JO00

SABBADO 5 DE SEMBR DE 1863.
Por anno adan lado..... 19$00O
Porte frtiro para o subscriptor.
DIARIO DE PERNAMBUGO.
ENCAIWEGADOS DA Sl'BSCRIPCO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima
Natal, o Sr\Antono Marques da Silva; Araraty, o
Sr. A. de Lefios Braga; CearS, o Sr. J. Jos de
Oliveira; MAranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Paira, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
nuzonas, o\Sr. Jeronymo da Costa.
BNCARJUGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL'
Alagas; o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
Sr. Jos jflarlins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins 4 Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassn*, Govanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesquera,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.j
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao 1/2 da.
EPHEMERJDES DO MEZ DE SETEMBRO.
4 Quarto ming. as 9 h., 44 m. e 2 s. da t.
13 La nova as 1 h., 16 m. e 38 s. da m.
20 Quarto cresc. as 10 h.. 8 m. e 2 s. da m.
27 La cheia as 2 h., 37 m. c 2 s. da m.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 8 horas e 30 minutos da manhaa.
Segunda as 8 horas e 54 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at AJagas a 5 e 23; para o norte at
a Grama a 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, marc, maio, jul, ser. enov.
PARTIDA DOS MNIBIS.
Para o Recife : do Apipucos s 6'/, 7, 7 >/*, 8 e
8 y da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6'/ dam.; do Caxang e Varzea s 7
da in.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para a Apipucos s 3 /}, 4, 4 V, 4 >/?,
5, 5 'A, o V e 6 da tarde; para Ohnda s 7da
I manhaa e 4 de ; para Cachang e Varzea s 4 '/, da tarde; para
Bemfica as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBIWAES DA CAPITAL.
Tribunal do commereio-: segundas e quintas.
Relac,ao: tercas e sabbados s iO horas.
Fazenda.: quintas s 10 horas.
Juizo do- commereio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: divas e- sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
PARTE 9FFICIAL.
* GOTOO DA PROVINCIA.
2* seceao.Secretaria do governo de Pernam-
buco, 2 de setembro de 1863.Pela secretaria do
governo se chama de novo os senhores abaixo de-
clarados para que no praso improrogavel de 8 dias
contados de hoje, venham 011 mandem satisfazer os
despachos proferidos em 12 do mez passado por S.
Exc. o Sr. presidente da provincia nos requeri-
mentos em que pedem ao governo imperial a ser-
vend vitalicia dos offkios de tabelliao de notas 1 ministrativo
e escrivao dos juizos do termo de Barriros sem o j aprendizes menores do arsenal-de guerra o forne-
0 que deixaro de ter o conveniente destino. necimento dos respectivos armazens, os objectos
mencionados no incluso pedido.Communicou-se
ao inspector da thesouraria de fazenda.
Dito ao delegado de policia do termo de Cim-
bres.Pelo seu offlcio de 19 de agosto prximo
lndo, fiquei inteirado de se terem concluido as elei-
coes de eleitores nessa freguezia e na de Alaga de
Balxo, sem altera^d da ordem c tranquillidade
publica.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana.
Pode Vmc. fazer seguir aos portos de seus desti-
nos os vapores Persinunga e Jaguaribe nos dias e
horas indicados em seu offlcio de hontem.
Portara.Os senhores asentes da companhia
de ser enviados para o presidio de Fernando de
Noronha alim de seguirem no vapor da companhia
Pernambucana que devo largar para all no dia 14
do corrate s 10 horas da manhaa, cumprindo que
Vmc. me remetta com antecedencia as competen-
tes guias.Communicou-sc ao Dr. chefe de po-
licia.
Dito ao conselho administrativo.Recommendo
ao conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra, que na compra de calcados pa-
ra a tropa prefira por prego e igualdade de obra e
material os que forcm fabricados pelos presos da
casa de detencao.
Dito ao mesmo. Recommendo ao conselho ad-
que compre para a companhia de
Manoel Cavalcante Lins Valcacer.
Flix da Cunha Macedo Franca.
Alexandrino Olympio de Hollanda Chacn.
-Carolino dos Prazeres Reg.
Expediente do dia 2 dr setembro de 1863.
Offlcio ao commandanle das armas.Tendo de
seguir para o presidio de Fernando no dia 14 do
corrente as 10 horas da manhaa, um dos vapores
da companhia Pernambucana : assim o communi-
co i V. Exc. afim de que faca embarcar com a
necessana anteced
para all por
faS ^mh-rcar"'""ihict;
oresidio destinados aquello de estado aQ bachare| ^^ ^^ de Ljma
Dito ao mcsmo.-Rcmclto por copia aV.Exc. .?L'1!^ *hc0^s agentes ** cmPan,hia bras/-
para seu conhecimento copia do offlcio que me Jra d e^ ^"J*"^ dar 'SE***
dirigi o Exm. presidente do Maranhao era 26 de Pf ac^- ,S?"P0'fnnecza de Jo,nv,lle em
agosto ultimo, partecipando as occurrcncias que'J*"Jf^ *5J?r- WT de estado'
si tem dado com o llnente do 4 batalhao de ao,^r,Va,0 da a^adaaJoao M.ll,ta0 Henriques.
artilharia a p Alexandre Rodrigues de Souza,! )l,a- P*** da provincia, attendendo ao
que se acha naquella provincia.=Communicou-se
ao Exm. presidente do Maranhao.
Dito ao desembargador prqvedor da Santa Casa
de Misericordia do Recife.A vista do que V. Exc.
expoz em sua informadlo datada do 1 do corren-
te, com referencia ao'requerimento que devolvo,
convenho em que seja dada, em casamento a Joao
Carlos Frederico Kiaiujwal a arphaa educanda do
collegio de Nossa Seniora da Boa Esperanca An-
tonia Candida da Silva, podendo V. S. mandar en-
tregar ao mesmo Joao Carlos a importancia do
que requereu Francisco de Sales da Costa Montei-
ro, tabelliao publico desta cidade, resolve proqgar
por mais seis mezes a licenca de que est gozarlo
para tratar de sua sade.
Despachos do dia 2 de setembro de 1863.
Reguerimenos.
Antonio Gomes Benicio.Nao ha vaga.
Antonio Lopes GuimaraesPasse portara con-
cedendo dous mezes de prorogacao.
Abaixo assignados offlciaes de carapiua no pre-
dote concedido por lei, logo que elle prove ter ef-' sidio* de Fernando.Informe o Sr. commandante
fecluado esse casamento. I do presidio de Fernando.
Dito ao conselheiro presidente da relacao. Benedicta Milicia Pereira Rocha.Informe o Sr.
Coramunico V. S. que, segundo constou-me de director do arsenal de guerra,
participacao da directora geral da secretaria de Francisco de Sales da Costa Monteiro. Passe
estado dos negocios da jnstca de 19 do mez findo, portara concedendo a prorogacao pedida.
Sua Magestades o Imperador por portara de 30 de! Julia Candida de Souza Martins. Remettido ao
julho ultimo,, houve por bem prorogar por seis me- Sr. director geral da instruc?o publica para at-
zes, com meio ordenado, a licenca ltimamente tender supplicante nos termos de sua informacao
concedida ao desembargador desse tribunal Joa
quim Firmino Pereira Jorge para tratar de sua
saude.Communicou-se ao inspector da thesou-
raria de fazenda.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Participando Jos Joaquim Bezcrra de Mello, que
na qualidade de 1 supplente assumio em 22 do
mez passado o exercicio do cargo de juiz munici>
pal c de orphaos do termo do Bonito por ter o ba- i
charel Lonrenco Jos de Figueiredo terminado o \
seu quadrienio no dia anterior : assim o commu-
nico V. S. para seu conhecimento.
Dito ao mesmo.Como pede Flix Pereira Si-
mas no incluso requerimento, mande V. S. pagar-
Ihe a quantia de 615200, porque contratou com o
director do arsenal de guerra segundo consta do
termo junio por copia, a conduecao para o Rio
Grande do Norte na barca Gratidao, de 51 barris
de plvora os quaes foram entregues naquella
de 31 de agosto, sob n. 151.
Manoel Martins Fiuza.Informe o Sr. Dr. chefe
de policia.
Manoel Vicente Gomes.Pode seguir viagem.
Sebastio Baptista Teixeira.Estao preenchidas
as vagas.
Theodora Mana do Espirito Santo.Prove o que
allega.
PERHAMBUCO
REVISTA DIARIA.
Dando publicidade ao artigo que nos remette-
ram, nao podemos dcixar de lembrar que sendo o
dia 7 de setembro, o dia brasileiro por excellencia,
deve por certo nao passar dcsapercebido de nos,
ffiSXKff deKo .imTC,V PreS- -nprindo por .antoque seja elle solemnisado pela
Dito ao mesmo-Nao havendo inconveniente, populacao como conwia
mande V. S. pagar ao pnarmacentico Joaquim de ^ior redactor da Revtsla D/ana.-Rogamos
Almeida Pinto, a quantia de 2215221, sendo-----
V. S. nos permitta que, por intermedio do seu
dicfmcnto's que forneceu para o tratamento dos in- d'd. ^'de, KffMSi ^ '^-
digentes accommettidos do cholera-morbus na po-
voacao do Cachang e na villa de Barreiros, c o
restante de um sacco com arroz que remetteu para
a de S. Bento, como se v do incluso requerimento
documentado.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que solicitou o de-
legado do termo*do Limoeiro, em ofllcio de 17 de
agosto ultimo, recommendo V. S. que mande pa-
gar a Antonio Francisco da Cunha, a quantia de..
IO5OOO diarios, a contar de 27 de junho at 31 de
jullio dcste anno, como remuneracao dos serviros
3ue prestou no tratamento dos desvalidos ataca-
os do *cholera-morbus naquella villa, em virtude
de autorisacao concedida por esta presidencia ao
mencionado delegado. .
Dito ao mesmu.U Dr. Lourenco Jos de Figuei- '
redo partieipou em 22 do mor. lindo, que por ter
merecer o seu apoio e o daquelles que se presam
em ser Brasileiros.
O dia 7 de setembro, glorioso, e cheio de re-
corda^oes pelos feitos heroicos de nossos maiores
para nos legarem um paiz a que podessemos cha-
mar nosso; nao deve, nem pode, ser um dia que
passe como oulro qualquer dcsapercebido : e pois,
briosos pernambucanos, sejamos unnimes em fes-
tejar este grande dia, e para isso, Iluminemos as
nossas casas, fechem-se os estabelecimentos estran-
geiros c nacionaes, nos por dever, aquelles pela
deferencia que um povo que os estima e que os re
cebe como irmaos, lhes merece.
Sejamos lodos, irmaos, neste dia, o maior
aquelle que nos deu a liberdade, a patria!!
l'm Brasileiro.
Somos informados de que diversas senhoras
terminado o seu quadnennio, deixounamiella data desta capital tiveram a generosa lembranea de
o exercicio de juiz municipal e de orphaos do ter- offerecer ao hospital Portuguez de Beneficencia
mo do Bonito: o que communico V. S. para seu nesta cidade, varias prendas, para com ellas se
conhecimento. fazer um leilao na tarde do dia 20 do crrente, dia | posturas.
Dito ao inspector da thesouraria provincial. em que se celebra o 8 anniver'sario da installacao
Mande V. S. entregar a Jos Gongalves de Albu- do mesmo estabelecimento.
querque, como solicilon o Exm. presidente das Ala-1 Sabemos tamben que a respectiva junta admi-
goas, em offlcio de 13 de agosto ultimo, a quantia nistrativa, possuida da mais justa administraca
de 65000, despendida naquella provincia com o por este rasgo de tanta caridade, acceitou penhora-
deserabarque de um criminoso e da escolta que o dissima a grandiosa oflerta e j trata de dispur
onduzia, o qual seguio para all no dia 4 de maio tudo, para que aquelle acto seja tao bnlhante,
ultimo, no vapor Paran, com destino comarca quanto magnnimo o espirito da sua ooncepcao
Manoel Gomes da Cunha.
Aureliano Cavalcanti da Rocha Wanderley.
Padre Antonio Januario da Silva.
Padre Zelirino Dornelias Cmara.
Francisco de Paula Barrete Coutinho.
Antonio Gomes de Moura Coutinho.
Antonio Pereira de Moraes Camera.
Antonio Barbosa de Moura Cordeiro.
Bernardino Jos Serpa.
Belarmino Pereira de Lira.
Francisco Xavier da Silva Coutinho.
Candido Rodrigues Maris.
Henrique Pereira da Cunha Coutinho.
Henrique de Moraes Campello e Castro.
Ignacio de Farias Ribeiro.
Joaquim Francisco Belm.
Joao de Araujo Cesar.
Manoel Joaquim Bandeira de Mello.
Manoel d'Oliveira Silva.
Reinaldo Gomes da Cunta.
Severino Barroso de Moraes.
Seraphim Velho Camello Pessoa de Albuquerque.
Supplentes.
Francisco de Paula Albuquerque.
Antonio de Hollanda Albuquerque Maranhao.
Joao de Andrade Lima.
Francisco de Araujo Cesar.
Antonio Manoel Gaio.
Francisco de Seabra Andrade.
Jos de Barros Barrete Coutinho.
Florencio Rodrigues dos Santos.
Jos Jacintho Coelho da Silva.
Jos Luiz Machado.
Antonio Francisco de Moura.
Antonio Luiz de Araujo Pereira. #
Antonio Manoel da Trindade. wr
Antonio Machado Ribeiro.
Antonio Gomes de Araujo Vasconcellos.
Antonio Jos de Moraes Reis.
Candido Francisco de Moli Cavalcanti.
Francisco Jos Lopes d'Albuquerque.
Elias Jos Mainart.
Francisco Pereira de Moraes.
Francisco Goncalves Carneiro.
Goncalo Jos Lopes de Albuquerque.
Ignacio Pacheco de Albuquerque Maranhao.
Joao Jos Pereira de Lira.
Joao Mauricio Pires.
Joao de Andrade de Albuquerque Maranhao.
Joao Joaquim de Mello.
Joaquim Alves Camello de Araujo Pereira.
Joaquim Jos da Silva Borba.
Jos Gomes da Cunha Pcdrosa.
Jos Pereira Maciel.
Jos Luiz de Andrade Cont.
Jos Eulalio Gomes da Cunha.
Jos Francisco Ribeiro da Costa.
Jos Goncalves de Farias.
Vicente Ferreira Lima.
Antonio Luiz Dias Borba.
Manoel Luiz de Andrade.
Alexandre Ferreira da Costa Jnior.
Patricio Jos Barbosa.
Severino Correa Leal.
Agua Preta.
Eleitores.
Miguel Affonso Ferreira.
Bernardo Jos da Cmara.
Hermillo Peregrino David Madeira.
Pedro Francisco de Albuauentue.
Felippe Benicio Alves Ferreira.
Sebastio Alves da Silva.
Luiz Vicira Fialho.
Dr. Joao Francisco da Silva Braga,
/os Alves da Silva.
Ignacio Americo de Miranda.
Francisco Jos da Costa Guimaraes.
Antonio Evaristo da Rocha.
Joaquim Jos de Azevedo.
Austriclino de Castro S Brrelo.
Antonio Vicira Callado.
Antonio Rogeciano de Gouva Moura.
Alexandrino Olympio de Hollanda Chacn.
Felippe Nery Affonso Ferreira.
Alipio Camerino dos Santos.
Simpliciano Aquilino (aliado.
Jos Felippe de Santiago Ramos.
Trajano Austricliano da Costa.
Jos Fortunato de Miranda.
Antcro Aprigio Ferreira da Costa.
Miguel Jeronymo de Carvalho.
Gabino Austricliano dos Santos.
los Antonio Pereira.
Dr. Pedro Gaudiano de Ratis c Silva Jnior.
Candido Vieira Callado.
Olympio Venancio da.Silveira.
1 Antonio Joaquim de Franca Cmara.
-; Flix de Valois e Oliveira"
Francisco Irinu de Gouva.
KepartiqXo da polica :
Extracto da parte do dia 4 de setembro de I80J.
Foram recolhidos casa de detencao no dia
do corrente :
A' ordem do subdelegado do Recife, Manoel da
Silva Giro, portuguez, por suspeito, Manoel, criou-
lo, escravo. de Amorira & Irmaos, por infraeeao de
Mr-Lepo Dechamps. assegura a efllcacia contra
a mordedura de co dam nado da seguinte med-
cacao :
"i*"36 Primeiro e bem a ferida produzida pela I
mordedura com vinagre quente ou agua moma,
enxugando-se depois perfeitamente ; c em segu- f
da deitom-se-lhe algumas gottas de acido muria-
tico.
K isto bastante
Segundo os dados estatisrtcos offlciaes, ha em
Bespanha iODcidadcs; 4,707 villas: 30,386 lugares;
10-.798 aldeas ; 41,196 casaes,- o que faz 81,556
grupos de pqvoacao.
A populacao de Hespanha, segundo o censo veri-
ficada era 21 de maio de 1857, & de 15,461,340 ha-
bitantes.
para ncutralisar no todo os ef-' Parece que morrera o celebre mulato mexicano
feitos do virus rbico* segundo o referido, que as- Atoares, condecido pelo nome de Pantera do Sul.
severa existirem muitos cxemflos neste sentido. I Era o chefe de urna horda que no Mxico se fez
._ ------ famosa pelos seus roubos, destruicoes e assassi-
OtTerecemos aos leitores a physiologia da timutez. nios.
3ue tao bem soube tracar o Sr. Julio Cesar Macha-' O jornal donde tomamos a noticia da sua morte
o em sua Revista i Semana. \ diz que a Providencia limpou aquelle paiz de um .
Fnmeiro gue tudo, durante estes mezes, ter grande monstro, e que acontocimente de que se se aprwentada, e delia fzeaae taiuijvui remesa m-
cmaaao ul nao ser tmido. A timidez, seja em quera devem felicitar a civilisaeaoe a humanidade. ra a corte.
,r' iJEZrZS : n"um ^"^''sta urna desgra-1 uutro do capit;io.do porto, devolreodo o ree-
o, r ih r (7U"? ^''"'significa em portiiraw : Segundo urna estatistica recente, ha cm Ingla- riment de JoaoCardozo .V.rcs, e parecer w
t us iomeimistas de verao devem ser audaeio- trra 2,489 fabricas de cerveia j vndese o produc- bre o mesmo deu i> tupiiliiii r*deador, e M>
80 a '.!L;j.. i- to dessas fabricas em 93,856 armazens ou taber- bem a planta que Ihc foi rKiiuKiLi. diz Me tmm-
A "mweze. por fun de coutas, sem agente sen-: as; e a exportaoao no anno de 1861 foi de 365,000 do as obras do ni.lliorant.-B** .lo porto acara*
!ir'Jf? t 1 a!"es dlss! mais Perigoso,' barris. inspctor do arsenal de mariolia, e de un eaw-
traicoeiro- e tatat mimigo de cada um. nheiro do governo, c podendo s.r que as okra rf-
Hao ae ter vtsto,ou, melhor ainda, recordando Sao notaveis os progressos que vai fazendo a fectuadas sobre alagados, aproximada* do ri. h-
os tempos de cotlogio, devem lembrar-se por mais photographia.romecando j a operar com indisputa- fluam de algum miodo .iu 1 :e~ m.t
de urna vez terem encontrado dous pequerruxos, vel xito no terreno da utilidad.- pratica. permita a cmara que elle se altstenda .le dar
ambiciosos precoces, mostrando um ao outro o fun-' Lemos n'unia folfea de Madrid que vira um zc- sobre a pretenrao .A. referido Canloto.
do do cabasinlio quando vao para a esoja :D- exemplar de um mappa, i-cduzjjdo por meio da ca- qae solire cllasejam ouridos os mesmos mifmtm
me do que trazes boje, que eu tambera repartirci mar obscura a tres quartas^fertes da diraensao do r-engenheiro. -Que se oftViaesse ao inspector fe-
conitigo do que tenho original, c passado depois podra photographica por dindo o sen parecer, e *>p L o negocio a que se propoe toda a gente, que um processo moderno que permute tirar um nu- Outro do subdelegado do disim u do Peres, Ire-
^uer abrir caminho neste mundo. mero indelinido do copias, pelo condecido e sim- guezia dos Aogados, Alexandrino Martina Gonv..
O moco que urna educa?ao mais esmerada col- pies mechanismo da lytographia. Barros, communacando qne tendo .1
locou no caso de pretender qualquer emprego, Kste processo, a qu se d o nome de photo-li/to- por portara da presidencia de 30 de jnnho n*
fazer um hvro ou ontrar para os caminhos de fer- granhia, e que parece destinado a prestar incaico- entrara en exercicio de* cargo no da 6 do
lavis servico na sua applicaco e desenvolvimen-
to, foi j posto em pratica na commissao geral de
. estatistica d'aquella capital para a reprodcelo c
reduccao dos mappas a todos os lmannos.
Comprehende-se fcilmente aimraensa economa
de t.-iiip.. e de dinheiro, e os vantajosssmos
sudados que isto deve produzir cm trabalhos
' quelle genero.
rente.Qm se res|ioaadt*se licar a cmara iaatet-
rada.
Outro do engenheiroeord.ador inf-irmautio ttm-
tra a pretenco d Manoel de Soiiza Tavares, K
requereu lir.-ncn para fazer era urna das rasas Ier-
re- reas que esta cnslruicdo na na Imperial, trapei
da- ra da mesma forma por que Inrara Manoel Jos-
Dantas e Vicente Alvi-s Machado na ra no* de
ro, diz ao seu editor ou ao seu chefe :
O proletario de mos callosas diz ao patro :
O logista diz aos freguezes :
O medico aos doentes :
O advogado aos clientes :
0 agiota aos enlatados :
O artista multidao :
O amante sua dama :
Toda a gente toda a gente. O jornal a que nos referimos attribue esta im- Sania Rata.IndofiMio-s.-.
Da-me do que ahitens, que eu tedou do que portante applicaco do novo systema s acertadas I Outro do mesmo, informando sobre o riftri
trago anu! ... disposicoes daqella commissao, dignamente se-' menteno qual Prxedes da Silva Gusmio r CT um a diligencia de guardar a sua cundadas pelo Sr. Albiana, um dos que mais tem pagamento da importancia p;la qnal ontrabra ta-
pera pilhando sempre a macaa do outro, emquanto estudado desde a sua origem a arte photographica,' zer o muro do cemiterio da freguezia do Pato, al-
0 outro defende a sua ma^a, e tem d'olho a pera tanto dentro como fra de Hespanha intrduzindo- legando estar essa obra prestando o servir* para
de algum > Ihe todos os aperfeicoamentos de que sirsceptivel; que fura destinada, e nao apresenlar indicio atfB*.
Resulta disto, e fcil de prever, urna confuso e quo encarregado boje dos trabalhos photo-lyto- i de ruina; diz ser verdad.- .-star a obra eau w
geral, em que exislem creaturas predestinadas a graphicos na mencionada commissao do estatistica,' prestando o servico para que fra destinada, ma-
serem embacadas sempre. tem sabido acrescentar novos titules sua antiga c isto nao prova qnc tenha sido f.-ita coflforaiie -
A minha i>ra aqui est, niio me atrevo a merecida renutaeo com tira dos meldoramcntos camento para ella organisado.
offerecer-lh'a, porque nao estou bem seguro se es- que promettem mais vantajosos resultados. Que o muro cora seis palmos de altura, gnarue-
tara bichosa ou nao; mas dou-Ih'a toda por um bo- Igualmente declara a mesma folha ter visto urna ci.lo com pilares de doze cm d..ze palaau, nao p-
cadinho da suamaca. reproduccao photographica feita pelo- dito Sr. Al- de apresentai ja visiv.-is signa-> de mita, emhora
Assim fallam os tmidos. : biana d bellissiuio qnadro de Rajaet. conhocido' o respectivo relioco esteja feito com im misto. *
Mas, moucaro amigo, respondem os outros, pelo nome de Sacra Familia. A copia de que fal- qual predomina qtias exclusivamente o barro.
a minha macaa excellente, o vosse propoe-me la, e cujo tamanho pouco mais ou menos de : Que reeotvcao a cmara |>agar a -.Haatia recla-
ura negocio quo me engasga. Deixe c yr a pera ? quarto grande, diz que apresenta, em todos os seus'mada, julga elle engenheim de ji.suVa ae *eja
Sempre Ih'a aceito. Veja se acha para si outra me- delicados pormenores de desenlioc de claro-escuro descontada que de mais foi concediJa pura >
augmento da compra d* cal. poi- que e^ie aug-
! ment nao teve lugar, sendo ainda o su|.plirauav
' obrigado a mandar acaltar o emboco da -a
1 dito muro, que nao esta ainda 'nnedijdo.
' em discussao, resolv.-n-se mandar pasar contara*
o parecer do en?enlieiro.
. iuforauaadb
i r. 11 *
lhor. Pelo que respeita minha macaa, depois fal
laremos!
Aos tmidos, a deusa Fortuna, que nao cega,
por mais que me dgam, faz-lhes caretas obstina-
dament.t
Emmyjnt't eram meninos c andavam na aula,
i-ceirAa todas as cacnoletas, biscouio* c choiipas,
que se tlisiiilmiain durante a ioi do wmU..
Quando qnizeram tomar lugar na sociedad.} o fazer
como toda a gente as suas devocoesinhas ao bezer-
ro de ouro, foram acotoveladospela turba e atira-
dos para a ultima Tilla.
Foi para elles, que se inventaram os ompregos
de duzontos rail ris eosjantaresa doze vintons da
ra do Arco do Bandeira. Ho de fazer-so velhos
trabalhando como negros sem adiantarem um pas-
so, e a idade madura ir sorprehende-los na pellc
de um escriturario subalterno, que pde mangas
de algodo preto para conservar as do casaco, e
urna palla de papel verde para nao estragar a
vista.
Alguns, que nao abicharam sequer o emprego
de duzontos mil ris e os jamaros de doze vintens
da ra do Arco do Bandeira, dosappareceram da
superficie do globo na flor da idade, depois de te-
rem abusadora portas fechadas, no seu quarto. do
rgimen de pao com queijo, rgimen perigoso que
conduz um hornera rpidamente ad paires: a in-
digestao na fome !
Todas as pequeas miserias da vida derretcm-se
por cima delles como manteiga.
l'm amigo intima til a-lhe a namorada, menina
de alguns teres, cujo dote nao dexava de lhes fa-
zer conta, e com quem estavam para casar; o seu
protector esqueee-sc de os proteger; a criada, logo
noitinda, principia a dormir, e deixa-os estar na
ra chuva, batendo tres vezes porta ; quando
andam de sge os boleeiros esfolam-os
por um sitio em que ha desurdem
a composico d'aquella celebre pintura que
mira no m'useu de Madrid,
se ad--
CAMA MlMCir.iL.
Oulro do fiscal de Sanio Arrtoui.
ooittriA, l.rin.idn na l.-i". i.-m. -i" rl.
posturas de 30 de junho d IM9. o me na f
que d.'volve. pedem Jos'- la-' de Krito c HUVur.
esiabel.i'id.w .-..in armazens de carne secca. uu ra
da l*raia. Indeferid..
Outro do administrador 4o cemiferio da f-rgw
zia do l'oi;.) da l'anella. rMin-tf.-ndo mpfm do-
enlerraraenlos feitos na.pu #1.- esiahehviraeuc* r>-
dcodia la II iocorren!. -Ao .roturad .
Oulro do administrailer do eenaterti da fregue-
zia de S. I-onrenco. r-.nK-ttendo lam n riucr>
mappas dos aMerraiuenlos feitos no in.-n-o uMta-
l.eleeiinenlo as M-iiiar.is de '"'. l M e > 2J* .'
junho ltimos. Igual '>siino.
Foi approvado um i aiccer da comm'.*sao de edi-
li.acoes (Mello e (..ii'tfioi bo seniidn ie |!
M Kxm. presidente da provincia a jIm-i
planta do bairro do Recife m> lugar Mattos.
Foi appresentaa |>elo engenli. in corVasr
provincia e com despacho de S. Exc'. mandando a planta do paco que a cmara p.etende fazei
cmara informar, diz uesse offlcio o mesmo Sr. i campo das Princzas. a qual. .bpxs .! exaumi-
Cambconne, que sempre se persuadi que as |>os- : da. mandou-se remetler ao Exm. pr.-snleuta a
turas municpacs, sondo a consequencia do art. 14 provincia, e pejir a S. Exc. qiv lial.ililasse aea
de seu contrato, nao tinham oulro ol.jectoseno re- mar levar i effeilo una obra tao |.r.rj gularisa-lo; a nao altera-lo. visto que, do que se porcionando-'.x o mais fcil i-i.-io.leoMer ularfr-
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 20 DE Jl LUX)
Pn'siilencia do Sr. Barros Reg.
Presentes os Srs. Rege- e Albuquerque, Gustavo
do Reg, Mello, Barata, Seve e Gaineiro, abrio-se a
sessao, e foi lida e approvada a acta da antece-
dente, a qual antes de- ser approvada o Sr. Seve,
pede a palavra e requer que, nao tendo sido nesta
acta que se vai approvar, transcripto in totum o
parecer dado pela commissao romeada para dfaar
sobre a conveniencia de se estabelecer o ^passiso
publico no lugar indicado pelo dito Sr. Seve, fosse-
o mesmo parecer na prsenle transcripto, o que
sendo approvada- seraelhante reclamaco, assim se
deliberou, approvando-sc tamliem a acta da ante-
cedente
Leu-sc o seguinte :
EXPEDIENTE:
l'm offlcio de Carlos Luiz ('.aiiibronne, empresa-
rio da limneza e cscoansenlo das agiKis servidas
das casas desta cidade feito ao ex-piesidente da
tralava era de tornar elTectivo e pratico o dever
que o governo s impoz; mas j que foi transpos-
too limite natural de uin legulan^nlo, permita o
Exm. presidente da provincia que elle Cambronne.
lil'eitOS, |
sposico.
Registrando esta resolu^o das diversas senhoras,
nao podemos deixar de glorarmo-nos, observando
que nossas patricias em nada permittem, que se
avantagem quaesquer senhoras do mundo, quando
so trata de actos de bencficicencia e caridade.
A' administrado do hospital damos os emboras
A ordem do de Sao Jos, Manoel Izidoro do Sa-
cramento, pardo, para correccao, #ntonia Maria
da Conceico, India, por briga. ?
chefe da 2J soccao.
/. G. de Mesqfta.
Movimento da casa de detencao no dia 3 de
setembro de 1863.
de Tacaratu.Communicou-se aoExm. presidenta.; _
das Alagoas.
Dito ao mesmo.Recommendo V. S. que seno
houver inconveniente mande pagar a Francisco
Mendes dos Santos, ou a pessoa por elle autorisada,
a quantia de 5:15801), despondida com o sustento
dos presos pobres da cadea do Brejo, durante o de tao elegante festa; por isso que nos assegurara,
mez de julho ultimo, como se v da inclusa conta, que e urna commissao de senhoras, que se encarre-
que para esse lim me foi remettida pelo Dr. chefe ga de presidir o projectado leilao.
de policia, com offlcio de hontem, sob n. 1,300. No da 20 do corrente, lera comeeo, pelas
Dito ao Dr. chee de policia.-Remctto o incluso 4 e mea horas da tarde, na capella dos Milagros da
requerimento do major Hercularto Sancho da Silva cidade de Ohnda, e por autorisacao de S. Exc.
Pedra, que pede pagamento da quantia de 1245, ex- Rvma., o Sacramento da conflrmacao, administrado
cesso de despeza que fez a autorisada pelos regula- pelo Rvm. conego Joao Chrisostomo de Paiva
mentes em vigor na volta de Tacaratu para esta Torres.
capital com o corpo de guranieo que coramanda- i O Aoco Banco de Pernambuco paga o seu deci-
va, afim de que V. S. me habilite com sua infor- mo primeiro dividendo na razad de lOJflOO por
macao de modo poder satisfazer o disposto no apolice. ,...,.
aviso da nmarticao da guerra de 21 de agosto pro-: Encerrou-se hontem a 4. sessao judiciaria
ximo findo deque Ihe remetto copia. do jury d^esta comarca do Recife, que funccionou
Dito ao inspector do arsenal de marrada.Orde- 'sob a presidencia do Sr Dr. miz de direito da 2.*
neV S Jacintho Martvr de Oliveira Jnior vara Manoel Jos da Si va Neivas.
me solicite na secretaria da presidencia o sen ti-1 Damos em seguida o resultado da eleicao pa-
tulo pelo qual foi promovido a fiel de 1' classe do I rocinal das freguezias abaixo.
corpo de offlciaes de fazenda da armada. v\lZl^
Dito ao director do arsenal de guerra.tornoca -teitores.
V S ao cwpode guarnico da Parahyba como se Dr. Victor.no do Reg Toscano Barreto
determinou em aviso da repartico da guerra de \ igano Jeronymo Jos Pacheco de Albuquerque
19 de agosto prximo findo o armamento, equipa- Maranhao knJlnAa mn
retlt^g0S ,nenCOnadS Craa ^ ^ i 5: KSK fSsoo Cavalcanti.
Dito ao dKr das obras militares.-Fica ap- Dr. Jos Ignacio de Andrade Lima,
nrovado oTrcamento aue V S me apresentou Herculano Cavalcanti de S Alburiuerque.
ASSCid^itaHe Dr Jos Jeronymo Pacheco de Albuquerque Ma-
cora as enneertos doscaixilhos da varanda do hos- ra";. rt-n,ivpr Anrtradt,
orno cora alguns i^aejojjj*. Dr. Ja^rt^*XA *^
Dr. Joao Dias Coutinho de Araujo Pereira.
A saber
Existiam......
Entraram____
Sal i i rara.....
Existem.......
401
4
6
399
presos

Nacionaes..... . 277
Estrangeiros.... Mulheres...... . 26 15
Escravos...... . 71
7 >
no onde pretende ira.' lija r&n-iruid-i dito
OSr. llanta pede a palava. r
mullas dadas petos fiseaes das fregnezias > mn-
nicipio. e arn'cadadas no exercicio de IW.r.i l">;
a-os; se passam paVasaivagiiardar seuV direitos, proteste perante e no de 802 at maio di e m :.: torurjta i-'
, elles e que vao s ^^ cntra uma ul j^.^jpj^ (|tie naja u.nos procurador a a-queriinenm do mesmo m Tetv*toi
presos; os alfaiatos impingem-lhes o fato regeita- m.,0rta do que uraa notavel modificacao era seu en uma das sesadas ultimas, lamenta pmfrmria-
dopor outros freguezes; as casas de pasto fazem- conlrato e (.ue prejodiea profundamente os inte- mente que alguns desle Baraes aae trakaai saii-
is esperar pelo jantar ate estarem daranados He ,.,3^^ j,; una eiupii-za. que demandando capitaes lo cMiiprehender e dever que mes isapit M.
importantes que se devem abrigar na protecciio do por quanto duranli aquelle lempo e 10 achara
governo e na f que inspirara os contratos, 1110 p- una s infrarc.. u> posturas e.nnm.-iiila en
do estar exposta a incertezas o riscos de alteracoes freguezias, e couulue requeremlo qm -. Ihesetl
parciaes. sem accordo previo. ci, recommendando-lhes que sejara mai> aetiv.
verdado, diz anda o emprezario, que alguns no cumprimenl- de seus dever^.Assim r
membros da assembla provincial declarara.e ainda solveu.
est disposto a fazer, que por amor da classe po- Dcspacharam-se as peticoes de Rallar A ij|i>ei
bre, cujos intereses mcrecem o cuidado da cnv.ra, Francisco Jost'-Regallo lirada. lUpi-Jito
preza, nao teria duvida de offerecer um certo nu- nio de Oliv.ira. Jos.- Dias de Unto i.mma
mero de apparellios gratuitamente, como doaro outros. Jos- Maria Wig.-'. Manoel Jos.- l/>p'-
espontanea, mas que sendo informado por pessoas maraes, e levantou-se a aanfA
competentes que as casas comprehendidas na iscn- Segu o parecer de mmissao. d.- que I
fomo ; nao encontrara seno muflieres honostissi-
mas; e, se esorevem, os leitores trazem-os sempre
|lntro dentes, aecusando-os de chochos, inspidos,
uceantes o semsaboroes t
A cousa esta : qualquer que o seja o fim a que
se propoe o sujeito, nunca o alcanca: a sua timi-
midez que serve de obstculo, e nao capaz de o
derrubar. Cm homem tem, por exemplo, que es-
crever um folhetim. e onde est este hornera ? 1
Este homem est em Lisboa, em pleno julho, sem
ter chegado de fra e sem estar para partir. Es-
palhaem redor de si um olhar vido, e vista o
theatro normal em ferias, S. Carlos fechado, e um
cartaz do Gy
fronze. Que
da iledalha
dar-se os ares de apenas pensar nisso em ultimo E Analmente assevera o mesmo emprezario, que
lu."ar'-e_l.r-,_lva=and0 me,ade d0 ro.lhe,!.m.a_P.I!Ql)?;! nao duvida collorar, como concessao livre, um cer-
sito de qualquer
principia por se
o Mi I
proposta
ojcoe
querqoe, Gamciro, Simplicio e Iral Seve.jara
passeio publico, qiu> se projecla lera a effcie u
cousa. Se vem desculpar-se, se J0"nmc'ro d7appar'cos' a "saber algumas cenle-1 ta capital, tendo examinado o local aponlaV
queixar da semana e pedir ao nas ffratj. nas casas lias ramilia recdnhecidamen- mesma proposta, entende ser o Mil ap
ros que sao iudispnnsaveis aquelle
meato.
,r^x^cV^ SE;6 Laccrda-
dooffleioque hontem me derigip o promotor publ- ; Jeron^mo^SX^SumSmMlfaMM*
n^ia a.fianca P^J^ t f^Z^o^o d^XTue^eTaraho.
Joaquim Jos de Albuquerque Maranhao.
399
Alimentados a custa dos cofres pblicos. 175
Passageiros do palhabote nacional Sergipano
saludo para a Ilha de Fernando : Jos da Silva
Capella, Manoel Cardozo Ribeiro, Antonia Ferreira
da Conceico e Theodora Maria da Conceico.
Obituario do da 4 de setembro no cemiterio
tbllico :
Manool, Pernambuco, 6 dias, escravo, Boa-Vista,
espasmo.
Brasilina Maria da Conceico, Pernambuco, 40 an-
nos, solteira, Boa-Vista, cholera.
Maria Joaquina da Conceico, Pernambuco, 33 an-
nos, solteira, Boa-Vista, tubrculos pulmonares.
Catharina, Pernambuco, 32 annos. solteira, escra-
va, Becife, cholera.
Manoel, Pernambuco, 1 dia, Boa-Vista, espasmo.
Sahna Maria de Oliveira. Pernambuco, 20 annos,
solteira, Recife, cholera.
Maria, Pernambuco, l hora, Santo Antonio, fra-
queza congenta.
Antonio da Motta Monteiro, frica, 60 annos, sol-
teiro, Boa-VUta, cerebrite.
. 'nasBratis, oab i ......----------------- 1
eitor que seja indulgente, e quando justamente des- t(J pSDrcs na0 duvidando tambera em entrar em! para aquelle fliu, nao so por *-r bannad
perla as severidades, e poe logo o publico em dis- unf^ccor'jo Com o governo ou com a cmara.! faces |wr um canal, domimuido nelle coa-
em causa crime por Jos Martins Velloso da Silvei-
ra.Gommunnicou-se ao promotor publico.
Dito ao juiz municipal da varaMande Vmc
por disposico do Dr. chefe de policia os senten-
ciados de Josticaque estiveren nas circumstancias
Joio de Moraes Pinheiro.
Joao Baptista de Mello,
joao da Costa Pereira,
UM POUCO DE TUDO.
Publicam-se de presente em Pars 609 peridicos
polticos, litterarios, artsticos e satyricos.
De 1829 1852 produziram as minas de ouro e
tirata do Mxico um valor de 18,460 railhoes de
rancos ; e do ultimo anno ao flm do passado um
equivalente de 800 a 900 miihoes.
podia a cam'aia accrescntar sobre o que expoz o proporrcs um pMMia de'mellier gosto e euamr-
emprezario, devendo-sc neste sentido resiionder a niencia. ^^
presidencia. Esto nosso parecer corroborado com a uroa
(i Sr. Mello, pede a palavra. a qual Iho sendo feit pela commissao de eiifsutatjrm. conapga
concedida, diz que muito.se maravilhava ver Mr. dos Srs. Drs. Jos Main.de Um t.-rreira e u
Cambronne reclamar presdeneia pela alteracao: liam Martineau. que fram dmvtores da
das posturas na parte que mooiflcavam o seu con-1 publicas desta provincia, e dos
dTao D. kSm, soneto'chtotoataalmo e "d"e 'uma \ ^\at obrigando a dar gratis os apparclhos c cana-, noel de Barros Barrlo,
agradecerao como eu propria
Era um anjo de graca e forroosura,
Tk joven que ha seis mezes me prenda ;
A Laura de Petrarca, ai nao teria
Mais enlevos de amor nem mais candura.
0 aguadeiro bocal da virgem pura
As perfumadas cartas me trazia !
Massahe a sorte grande ao moco, um da.
E eis-nos sem Mercurio, oh sorte dura I
Nunca mais recebi noticias della,
Nem mais a vi, cruel desassocego.
Na missa, no Passeio, ou na janella,
A tremenda verdade emfim eu clicgo .
Abandonou-me a candida donzella,
E deu a mao de noiva ao seu gallofo.
una pessoa em milito I
Tres vezes felizes os homemsarres !..
De um timido, que de certo cahio na peta de de-
clarar a donzella de seus pensamentos que nao ti-
nha ondo cahir morto, e que andava passeando no
mundo a pobreza da sua inutilidade, resa um re-
cento soneto de Manoel Roussado, autor da paro-1 v
dia ao 7). Jaime, soneto chistosissimo e de uma tratc^ obrigando a dar gratis os apparelhos c cana-, noel de Barros Brrelo, sendo esh jremuw_,
verdade heroUeomira. quo olle teve a amabilidade lisacao as casas que pagassem ate IWaOO, oii me-aquelle engcnheiro .testa a u ... iimim *
de deslinar ao meu folhetim. e quo os leitores Ihc nos decima, entretanto, que semelhante medida da meada pelo ex-presidente .IcMjprmwr latrao
assembla nao podia ser senJlo om consequencia de Itom-Jardim, qiiamlo aqni *e acliatnis Jm
dos offerecimentos feitos por Mr. Cambronne, j \ H, para ostudar c indicar o mais propon ponto.!..
quando so limitava as casas alugadas por 85000 e ekiado para un passeio publico, e levantar a^ptai
j pelo offerecimento de dous mil apparolhos para ta, o quo
as casas de pessoas pobres.
O que vemos, contina o Sr. Mello, que a lei
quo concedeu o. previlegio, obriga smente ao
D;amento aos quo se qiuzerem ulillsar do seu fra-
ilo, que o Exm. Sr. Ambrozio Leilao da Cunha.
no seu relatorio assembla provincial declarou
tAo ser o"contrato obrigatoi-lo, o que a quorer-so
assim considerar, seria um acto inconstitucional :
que o Exm. Sr. Antonio Marcelino anda foi mais j que fica entre a estrada que confronta
explcito; por tendo que acamara confeccionado as! nho do Pombal, e o canal ao norte,
primeiras posturas no sentido obrigatoro,por julgar i dendo 12,730 bracas qnadraas aa en
que o contrato o era, elle as devolveu para serem aproveitando-se ah a parte j atierras
reformadas, viste que o referido contrato tanto tio de arvores de sombra; para
n5o obrigava, e apezar disso o emprezario naquelle quos se deve aproveita resto
lempo nao protestetv __......, __ \*^!2*JjggS^^ de
DIAS DA SEMANA.
30. Domingo. S. Gnadeuoia v. m.; S. Fanta m.
31. Segunda. S. Ra inundo Xoimai car*.
1. Terca. S. Egydo ab.; 8*. l>4aia e Josu.
2. Quarra. s. Estevao r.-i de llumjria.
3. Quinta, Eufemia v ; S. ArbttM-o b. ul
4. Sexta. S. Rosa de Yiterbo v. f. -. 5?. Ronua v.
5. Sabbado. S. Herculano m. ; S. Asrtuse
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da prnca da ludepemleuc' t
ns. 6 e 8-, dos proprielarios Manoel FigueifM **
Faria & Filho.
tendeu acamara que fbsse Otivida a eiiuiiMet
polica.
Outro da- cmara miiiiicipa] da vite del
i communicando ter reeebido d commissao
regada de erigir na curte do imp.rio a
Jos Bonifacio P.-r. iia de Andrada e Silva,uuaef-
, ficio datada de 22 de agosto do anno pa**e4ei eu-
carregando-a de agenciar urna subecriiico. pura o
dito llm, em conscpjcncia do .pie renvlia wm iu-
termedio de sen pniciirador Joa'- Honorato Qes
a quantia de 1144000, importancia ja arrees**
a .pial devia ser rcuiettiibi a mesma comiuMila par
intermedio da casa braearia Mana Mac Gregor .V
CPesio em discussru) or.Iennii-^e ao procurador
que recebesse a quantia rem.-t;ida quando me fu-


fez a mesma commissao, depeia de um
minucioso o interessante trabalho. desiamast este
mesmo sitio como o mais proprio, e
uma planta que apresenton ao referido i
dente.
O mellioramento que se emprehembpra nu
desta capit il deve contr tres parte, jualass. wm-
ques e lagos, para est-s deve ser afpisprtada a
parte do terreno que mais alagados
A fiaeo publica os. seguimos fados ;
Nao havendo quem mais pedsse a palavra. e* I canal do sul. con
''~~'


IIW III
Diarlo de Prrnambnco Siabbado & de *etembro de I SOS.




\
de 21,016 bracas luadradas,cuja largura i a q*e Vr He, como dissc, na-eram
bem se eouhece entre a ra da saudade e o Hospi- "^^^^T^^,;
inorados meu si
ci, e ninguem dir queum passeio publica nestas
cundieres insuQlciente para a populJB.l>res?,>'
te e futura, que alias nelle cncontrar4JBPce uis-
tracao con'i variados gozos.
Finalmente a commissso reconhecc 5er exigua
para esso grande mellwramento a <^nMde.. ] *
Fela esta declaracao, que deveri ser aceita m Dr. Saldanha Marinho tera inuitos outros ttulos e
lodo o seuposUivisin, resta-nos inquerira causa por TOrecimeotosjajpje patriota desinteressado,
Eatni&xito-.\em6repemtl turptssinuu : e esso que oSr. Dr. Lucen acaba de ter baila de MsroL Mberal comtttll K, carcter respeifavef pela n-
bomem aatan, ajaj^^s malfico (Deus me per- Infundid, e malignamente o apiepoUm -cerno ajdet de teaspriseiplos, e dotado de urnaprotada-
sassmos e perversos contra
e el
os quacs
s ~appropria6eB> so faca em neceados, porque sou homni, mas bem pd.
pm^longorapplicando-se a quantia_votada a ser mesme qoo estes em menos ^^jpeas,
atierros, opina pela
escolha do sitio proposto, e
ni
se dar comeco
um'melboramento de enja necessidao
impossibilidade
lesde ja um melboramento
unto se resente este capital, alreveudo-se por iste
aaconselluir que esta Ilima. cmara o faca. '
' Recife, 13 e Julbo de 18C3,Francisco de Mi-
randa Leal SrtcDi\ FelipieSerg Collaro.
Eu Francisco Canuto da Roa-Viagein, secretario,
a escrevi./ci/ri/iic da Sika p. p.Gameiro.
Leul Seve.=RnjO.Mello.-Ruruta d'Almeida.
delle mesmo ; s a niini que em vez de arrasar o
CHR0MC4 JIDICIARIA.
TRIBU VIL HO .11 V.
QUAKTASESSAO.
DA 2 DE SKTEMHRO DE 1863.
Presidencia dv Sr. Dr. Manuel Jos da Sika Nena,
juiz -Ir tiiita da rara rrime.
Promotor publico o Sr. Dr. Francisco Leopoldina
de Gusmao Lobo.
Escrivao Joaquim Francisco de Paula Estevcs
Clomeute.
irado o Sr. Dr. Antonio Jos da Costa Ribeiro
Rr*aoTbeni conhec'idos'de- tendo*i<5o ereatara "dos conservadores, quenada de nunca desmentida e nao commum nesta^HP
lapidadres de convento", deixando de anathema-' signifleam. ao mesmo tempo que querem moaopo- Aaposttmsmo e de corrupcao dosenfreada.
tisarou antes resucitando o'elogiando as- "Usar todo o liberalismo nos tres candidatos do di- A eleicao deste recoramendavel, alustrado e dis-
nes nao ce<*a rectorio, que ainda nao est remote a poca em tinelo brasileiro um dever de honra para os pa-
bles creaturas de conservadores, que trioticos eleitores Fluminense.
e ainda teem Ou o Dr. Saldanha Marinho ser eleito pelo ma-
ta nao arrependido. tucipto neutro, o que importa una approvaciio de
seos actos moralisados para a nacao, e um freio i
rorrupcao e depravacao geraes, ou a sua candida-
tura ser repellida, o que- significarnegra in-
0 estrate Flavis Catas (*) gratidoos Fluminenses, a^loriflcacao da iranw-
t j. .....s An cr inisn *__'-- n,~. rahdade, dos prevaricadores, e complete indiffe-
A declaracao do Sr. Jo5o Bapt.siyiomes renca nom peta causa pnMiea, a falta emflm do
, t^^^^^T^^^t^^^O^ municipal com O Sr, defmenlo da patria a que felizm^Tperten-
Ouada, dos quaea se achavam nniitos iilegatoente Ftavio Ferreira CalSo, me faz sabir a ter- cemos.
ap|iropriados s miin, digo.tcm o Jornal do Re- rero vst0 qUe o Sr. Penna fallando em'____
cife procurado ligar ao poste de tulwrai-1 camara termelha, arrepentidos, e motivos
SSeCezaTtar'U,e""* ^itsaro adrede creados contra S. Eic.
Sendo qie nao contente em rasgar o habito do' o Sr. presidente da provincia, deixa entre-
pobre mongo, procura picar-llie as carnes, cravar- < Ter qUe a cmara foi unnime ness neg-;
convento, tenio lidado e forcejado para ajunter-lhe
os estill50S ; s mim que mediante soccorros
christaos, no ineio das maiores fadigas e privaoes,
lutande at
E. A. do R.
PUBLICACOES A PEDIDO.
.. que a camara 101 unnime nesse neg ,
ihe o espirito, com urna anciedado demonstro nao, c desde Q principio al Q fim de|, '^q
Sc^cl'lofftf ffin^!S^^ cujos nomes nao sedignou I
diccionario das invectivas. mesmo declarar.
Entretanto que nao ha cTeito sem causa : e a
causa eu a descubro, eu a prevejo, c cu passo
AO PUBLICO E AO SR. JOS DOS SANTOS
NEVES.
O Sr. Santos Noves em seu primeiro coinmuni-
cado quiz imputar-me a desistencia do Sr. Diogo
Soares de Albuquerque de ser o medianeiro no
Nem eu tO pOQCO O fare, visto que sendo ajusle para pagar-lhe o Sr. Dr. Lourenco Bezerra
meu fim explicar mitilia conducta como Carneiro da Cunhao que Ibe deve ; deu a entender
Brigue nacional D. Affonso, vindo do Rio Grande deira d 12 inclusive 3 sabbatinas dit na
do Sul, consignado a llamar & Oliveira, manifes- segunda.
tUlC^trTbasdecarnedecbar,u.,30iditede AjtoBio Rodrigues deSooa *rt_ J
sebo emrama, 10 ditas de dito coado, 53 couros justificadas na pnmeira cadeira e 2 iM
vaceuns e 20 lages; a ordem. segunda.
Reeebedorla de rendas internas Amonio Sabow de
geraes de Pernal
Rendi ment do dia 1 a 3 .
dem do dia 4........
ibmeo.
3:089*982
SLstfo
cadeira e I
Consalad* provlnelal.
Rendimento do dia 1 a J ... 5:571*948
dem do dia 4......... 94*4J>4
M6VIMENT0 DO PORTO.
%pmm^mtSa^^m*>\ J occurrencia n3o lenno pre. qaeeu total eresse" em substituir. ao.Sr. Diogo
t^Ta^SSiSP'' cisHo de 0 fazer. nesta '.ncambenc*; que por conveniencia propria
que nein
ca o houve
o quera lograr incarecendo o estado de mancas do
nomo amor pela ordem publica, c publica mo- ^m (ns do mez de marco, (creioeu) O Sr. Dr. Carneiro daCunha; o quemo locupletei
, I ralidade, nein o zelo pela religiao e pela igrea, o Sr F|av0 Ferreira Callo, arrematante do com a compra quo lz dos escravos deste senhor,
f\''ta\?amdaaCha'^a^.;^X rfericBes no correte anno_, ^^^^g^^^'Sa^
,.,,,-sc presentes .,S sibo,e, jurado, ^ ^ ^ JJ^^^^ ^^^gjj. | &^Zff* J^J d ^SKJ^^SXft^fSS
...as bases e as
nica I que eslava de flosse.
i iinim-i m.> enm vianr n <> nrolpncn *"* f*1" <-oiiiranar-imj e sustentar oque mrunsi-
| Oppu-me_ com vigor a es^t preiencao, dera(]amente to soccorre-se da repetico
; dando as razoes pdas quaeslme pareca que a de aigumas perguntas j por mim respondidas
5S SlSS iSr2 C*U* '...... c?mo ,prova a "atUI'uza de f*S cen.suCas "ir!:! 66U conirai( oado no Diario n. 200
l'nir^emiul-ti.ie oo K'O Ismael, esclavo de po deste anuo, acerca das .P''^'^*^0!! mesmas bases e as mesmas garantas com de 2 do crreme mez, nulUflquei-a completa esatis-
' de feto esse liomt -------- ^n factoriamente, desasadamenteT e em falta de rectir-
1 sos para contrariar-me e sustentar o que inconsi
urna
Hibci
servir de curador do reo. cPiwrcs varsimj ou culto reildid com humillaco
O jury de seutenca foi composto do. senheres ^^ h>mC.as (|lie .lllH.dron,ados nao cessam de
segiiintes : mnbmr :i Moa amim immortees nara que estes
Josi' Elias deOnveira.
Antonio Rufino de"Andrade Luna.
fii\ Silvio Tarquinio Villas-Roas.
Teodoro Machado Freir IVreira da bitva.
tcmlniano Joaijuim de Miranda.
Francisco .los Alves de Albuquerque.
Candido Tbomaz l'crvira Dutra.
implorar seus deuses immortees para que
me impossiliililem do continuar na obra da rever-
sao dos beus de Nossa Senhora do convento do
Cario de Ulinda.
Mas o Jornal do Recife nao se lendo limitado so-
ft^ffiiwh cmara nao devia annuir a ella. Nao obs- nesse meu cmmunicad, e "dirigi-me outras, enjo
5 tante, porm, por raaioria de 4 ou o contra I alcance para firmar a sua aecnsacao ninguem cer-
iim fr> cnnrPilida a nrnro?arn a npdin-Sft tamente descobrir, a nao see o Sr. Santos Neves,
um toi conceaiaa a piorogavuo, e peaiOi sel desorientado,por se ver contrariado om seus
presidencia approvacao do acto, fazendo- clculos tudo Ihe parece um valioso meio de conse-
Naiios entrados no dia 4.
Rio Grande do Sul11 das, patacho nacional Ade-
lina, de 220 toneladas, capito Joao Manoel de
Fontes, cquipagem 9, carga 9616 arrobas de car-
ne ; a Maia & Espirito Santo.
Havre 40 dias, barca franceza Coligny, de 284 to-
neladas, capito Nicols, equipagem 14, carga
differentes mercaduras : Tissel Frerc & C.
New-York38 dias, patacho brasileiro Jaboatao,
de 190 toneladas, capito Jos Adolino Carneiro,
equipagem 8, carga 1438 barricas com farinba
de trigo, madeira e outros gneros ; a llcnry
Foster & C.
S'aritis saltillos no iHe*mo dia.
Una de Fernandopalhabotc nacional Sergipano.
capito H. J. V. da Silva, carga diJTerenles g-
neros.
Babiavapor de guerra inglez Stmmboli, com-
mandante Pbillips.
EDITAES.
se-lhe vr as vantagens
nhama municipalida le.
Alguns roezes
que delle provi-
guir o meu discrodito.
Nao responderei, pois, ao Sr. Santos Neves, nem
corporacao.
.. uuiin.iav'- Delicio unto maior quanto mais iu-
JoTinoEp.pl.an.odat.unha. umnue.-nU sensato Bem certo, qne se Voltaire vivera da-
Hyppol.louiss.ano NasconcellOs de Albuque.qui, ij( ^ OS(.a|o nos8e d,ipulo famos0) maislpela
Maranhai. audacia, do que pela ignorancia que o qualilica.
.lose Pedro das Neves. Hm ^ ^j UIH p,,,^ niong(Ji cujo rflrp0
Miguel Alfonso l-ermra. ^i,,.,^ ^ uin bem pobre habjo.este porcintouaz
Manoel Antonio da b ha Mor. ira. I uma tl.^le ,.0|.r(-.a cll7devo respeite e W
SBSsas^i Af& Ra ^fe <*,,adu ^cr,,z
processo
dpnois nn tpndr vindn a farci em ou,ra occasiao ; e dttxando-o no insa
uepois, nao tendo vinO a, cavc| desejo de vi Mnao-lhe que sobera-
mente a ferir ao homeni tem sobre-modo procura- approvacao do governo, e sendo tempO de namoote desprezo o juizo (me faz de minha honra
do vilipndalo habito do monge, e^ a 'oaa^sua annunciar.se a praca dos diversos contra- e probidade, pois somente do publico quero o con-
de Jess Cbristo, elle taintem em todos os tempes,
^D, promo.or pedio a condemn^ do ro ^ ..^contra J^f^jngf fi
^f^^'X^o'ded'iu^deS pedio a impos e perdWosna graca de^Deus. .....
O Sr. Dr. advog:ulo deduziudo
absolvilo do4o.
Assim como deveis erar, j que a muita igno-
....,,nohiiiis i< niiiiila- rancia vos atroiiella a consciencia, que a torca
ndos os debates, eenetudas ^* des,e habi[ ali;kS coni tanl0 alrevimente pro-
*^?*J^^J52$Z P cund rasgar-ine ao lempo .,ue o deende o povo,
est toda em si niesma, sem carecer que venha-lhc
iiiiin, poique o SENHOR o abencoou ; do que
resulte, quo o peccado do hoinem que o veste nao
Bwlnolomeu Francisco de Soiiza.
Recife, 4 de setembro de 1863.
de sentenca os respectivos quesitos. ":
Reeolhido o jurv de sentenca a sala secreta da> ea
.onferencias as 3 horas da tarde voltou as 3 jttm oe
'das ih.'|o 3r. Tnco-1 rtsL .., ,_. .
da S Iva presidente o avilla nem |>de por forma alguna avilte-io ;
/' \ d'onde resulta ainda, ol. triste satn, que bem
licou sua sentenca, miseravel o impo que dizque s respeita o
suas resposlas. que lorain lidas nejo br.
tloro Machado reir I'ereira da
do oouselho.
%S^^SS^n\\\3SSSk\ v^bilodonion; guando vemasereste honrado
aMuivLimu u> j)or a,jUe|ie que u veste !
LeSi asesso, addiaudo-a para o dia se-! J bein ,i o.Jornal do Recife, <\**SJO*
' amou a .. 0 mcus aliaje cnuies e escndalos nao consis-
Hurnte as 10 horas da nunlua. fmm m Juus ^^ ^^ m ((ous a,armas j
M*ARTA 'ESSO bein sabidos, nos quaes s tive parte como victima,
-* 'taR.x sendo que no primeiro toda a culpa em mim tont-
dia 3 un n>mw de ww. Uo en| de|wjs de ,or s(l0 agredido, fendo, ensan-
Presid nria do Sr..Manuel Jos da Sitra ?\r de direilo da 2' rara xr une. guudo me lia ver opposto uma exigencia Ilegal,
Piomotor publico o Sr. Dr. Francisco Leopoldino ue ama esiuna auloridade, ainda mesmo quando
de (iusmo Lobo. cu fosse um sacerdote craniloso, como aprouve
Esciivo Joaquim Franeisco de Paula Estevcs i ,.|.amar-me elle, nao seria indigno da caridade de
Clemente. meas irmaos em Cliristo, ucni do povo e nem de
Advogado o Sr, Dr. Diodoro l'lpiano Coelho Ca- nenhum oulro ehriatao.
tanho. Ao contrario, por isto mesmo que este hsMo me
s 10 horas dananliaa, feita a chamada acia- 10V(.<|a j que umpria ao Jornal iaiu-se nreacntes 42 senhores jurados. tir-me jwr amor delle, em vez da louca prctenco
Foram multados em 20000 cada um dos senho- de esperar serafre que fosse elle s |wr mim hon-
res ululados nos dias anteriores. aj0 e garantido.
0 Sr. Dr. juiz de diroito declara aberta a sessao. i>r conseguinte. quando os dous Belgas, em a
Entra em julgamcnto o reo Jos Joaquim urao,' rL.|Viida noite do dia 14 de marco, me sorpren-
aecusado por crlme de esteHionato. deram, as roas d'este capitel, me agarraram |m;1o
O Sr. r. juiz de direilo deferio ao Sr. Dr. Dco- |i;i|,ito. como me agarra boje o Jornal o Hecife, a
doro l'lpiano Coelho Calanho o juramento dos San- pedirem esmolas, palmeadas as maos de pedras, ao
tos Evangellios para servir de curador do reo, vis- ()on|0 j,. yer-me en obligado a repelli-loe, rcsullaii-
lo ser esk' menor. do no d'iaau .. noctuia uo craiicn. ndaiiiuiinnn
tos, foi este tambem mencionado no edilal. ceito e nao de^quem nao o pode dar.
Antes, porm de irem praca ditos im-
postas, veio a approvaijo solicitada com
empenho pela camara, que alias mais do que
ninguem^eve conhecer o que mais con- ^ asthma on espasmos do pello
veniente aos inleresses do cofre da munici- livre de seus terrores.
palidado. Para esta afflictiva e angustiosa molestia,
Apresentada em scsso a dita approva-(|i qUa| converte e transforma a vida n'oma
Cao, dous senores vereadores, e dos que carga pesada um s remedio seguro existe a
mais pugnaram em favor da pretenro, op- composi^io anacahuita peitoral de Kemp. O
pozeram-se a que se disse cumprimento ao I consolador somno desterrado, volve a apre-
que ; eslava definitivamente feito, sb' sentar-se de novo ao doente que d'elle se
pretexto de que a presidencia se havia de- aproveia ; a respiraco anhelante acompa-
morado muito em approvar o aelo 11 nhada de uma suffocacSo aficta em breve
Entend dever oppor-me a semelhante tempo se allivia, a respirado adquire a sua
idea, por que estando o acto feito, e por acostumada regularidade e plenitude, eden-
quem devia, e approvado por quera poda, tro de muito pouco tempo os orgSos res-
oulra cousa nao restava a fazer seno dar- piralorios recobram o seu autigo tom e vi-
Ihe cumprimento, sb pena de passar ac- g0rt Seus effei tos sao sompre saudave3 nos
mar por inconsiderada e leviana em suas casos (]e tosse, resfriamento, bronchites, es-
deliberages. pasmos do peito, assim como todas as mais
Deste vez tive a maioria do meu lado, e j enfermidades e affecces pulmonares, A i-
mandou-se dar cumprimento ao que se ha- sca pde-se evitarse os que notam os seus
via feito. | primeiros symptomas usarcm para desde
A' vista do que venho de expr, e que e
a pura verdade, ver o respeitavel publico
e o Sr. Penna, que nao posso passar por
logo deste grande eadmiravel antidoto. E'
um balsamo puro e simplesmente vegetal,
inoffensivo at mesmo para as crianzas de
foi composto uos senliores
tes.
ser
O jury de sentenca
seguales
Jovino Epipbanio da Cuuha.
.los-'' Marques da Fonseca Bor_
Jos Pedio das Neves.
BauQsta da Fonseca Jnior.
Alexanore Augusto de Frias Villar.
Thcodoro Machado freir Pereira da Silva.
Cluisiov.io Santiago de Oliveira
Candido Thomaz I'ereira Dutra.
de meu sangue com peda de sentidos, como por
Iodos fra presenciado ao momento de cahir eu
|K>r lenaumgrande crin.e haviam ellespor certo
coi.iinttido. Sendo que em todo caso cm face da
lei, o ggressor sempre o culpado.
E foi esse o osinie, que em vez de excitar as iras
da noticia contra os estrangeiros aggriissQres, para
i-uinulo de torpeza foi couvt.-rlid/ em culpabilidade
contra o pobre frade Haitiano \ Sendo i crio que pa-
ra naior ser o escndalo, nem ao menos at boje
creador de motivos de aecusaco contra a I peto.
presidencia, nem de ser vermelbo, azul, ouj Achar-se-ha venda as pi incipaes dro
amarello, o ainda menos ile arrependido. gueiras.
Nao porque me julgue liumilhar confessan-
do-me arrependido de actos menos justos e
refleclidos que baja praticado, mas sim por-
que nao tenlio do que me arrepender, no
presente caso.
O vercador,
Recife, 3 de setembrn
Ijmtaru Jos do Rt l/o.
uibrn de 18 COMMERCIO.
CORRESPONDENCIAS.
Srs. rerfutoivs.Apreciando devidamente o ca-
rcter do nosso distiiirto comprovinciano Dr. Joa-
quim Saldanha Marinho, e as nobres qualidades
que o rccoinmendam consideracao e estima de
lodos os Brasilciros, venho rogar-Ibes que se dig-
i nem de transcrever as columnas de seu concei-
procedeu-se um corpa de deudo; e que para ad-1 tuailo jornal o trecho infra de um artigopublica-
miraeo dos que pensam, e em cujos coraeoes em iJo no jori,i ,0 commerclo de 20 do passado, u.
Jos Goncalvcs Torres.
'lanoel Jos de4ievedo Santos.
Tencnte-coronel Jos Antonio Tinto. vez de bypocrisia on perversidade remam
Vntonio Carduzo de tjueiro/. Fonseca. go u a earidade, depois qo
E Bresteram o juramento dos Santos Evangelnos. nambucano havia lomado s
Foi o reo interrogado e procedeu-ue a leitura do 0ppondo-sc a minha ida para
processo. um medico para traUr-ine da ferida, em vez de
O Sr. Dr. promotor publico pedio a condnate- lim rmioem Cluisto que meenxugasse o sangue
cao do reo no grao mximo do art. lii 5 "i do ce- c 0 SU0|. ^ por \^ Um caletre em que me
digo crimina! prendern.
i. Sr. Dr. advogado deduzindo a defeza, peii.o Entie passaria eu por ceno nelle toda aquella
ijue selizesseju.-tica. noite, tendo porleito o assoalbo, se depois de ter
Findos os debates e pr.enibidas as solemnidades PuiJraj |,a.-u- dos sentidos, que a forte pancada me
Ja lei o Sr. Dr. juiz de direilo propoz ao jury os -
Eespectivos quesitos.
Recomido o jurv le sentenca a sala secrete das
MBerencias ao linio dia. voltou mcia hora depois
com suas resposlas que foram lidas pelo Sr. Ale- _
landre Augusto de Fras Villar, presidente-do con- uaJc......
sellio. Mas a desliuniaiiidade nao ficou s nisso.
O Sr. Dr. juiz de direilo publicou sua sentenca, 0 puhco deste cidade que s foi depois de
mi-ando pe en.pte a aivii.-aeao e condeinnando a jt viute e quao horas, a contar da oflensa
.. ||U I1U jy ">U n .unmoniu v.^ -.. ..v pn.^-....,----
rsidade reman a ret- j 0i ondc Se le um esbozo ver.ladeiro dos relevan-
te o genero^ povo|ier- tesservteos prestadosaopaii por aquelle illustre
sua a causa do fraile, ci(|aja0 *(.uc na verdade uma das glorias de sua
a ascadas. ein vez de nrr,.,n^!o
havia lirado, se depois de algiim alent que nalu-
ralmente cobroi, vendo-me as Irevas do inferno,
me iiii delib>f>sse a arrombar o carcere e a sahir
como
I .111! I< :.!' lMl*i. .liiuv un *.^.i^...- ..- ......
me nao para ma u pedir soccorro aos liis, despido oo
me acbava, e aleado e ultrajado com lauta impie-
MOTO B AXCO
DE
PF.RMUKIT.A
O uovo baen paga o 11 dividendo
le dez mil ris (10$000)poraccao.
Prara do Itcrifc i de selembro de 1863.
AS I l|2 HORAS DA TARDE.
COTACOES 0FFICI VF.S.
Cambio-Sobre Londres 60d/27/
Frete Assuear para o Canal 96/6 por tonelada
."i 0/0
i.uimaraesPresidente.
Patchett-Secretario.
Alfandeg.i
Rendimento do dia I a t .
dem do da 4.......
jal.
mcuucipalidadc as costas.
Levantuu se: io, addiando-a para o dia s^guin-
le is 10 horas da mauliaa.
Saina
mais
que
minha ferida foi penaada, e que alguns soccorros
mdicos foiain ministrados I......
V. senao quando um ou dous dias depois desse
triste acontecimcuio. aqu exposto com a mais pura
verdade. e como o podeiei provar, Icio iw dito Jor-
nal ilu Recife a celebro pi iuicira Historia de Fraile
e com a qual houve por bem honrar-m o seu
muito alto apoda oso rudaclor !!....
Historia essa. oncena irreligian, injnstica clamorosa, inunorali-
ladc, falla de paliiolismo'e o mais complelo cjnis-
E liawra um Bi-asileiro sensato e brioso, que.es-
tando cm frente de un jornal seu, em urna poca
em que na maior ctTervescencia se achavam os Mies
iae.iuna.s. e em que a Cra-Urelanha soberba em
suas barbarias insultavaa naeao ink'ira c saqueiava-
a mesmo com forcea armada, porque tres inglezes,
iiue se dizian. insultados por urna guarda brasilei-
ra quem foram offender em seu posto de honra,
ilando-se em l'ernambuco <*se Jacto do dous Belgas
ferirem nm sacerdote Orno do paiz, de caso pen-
|n emedite^ao ao cahir da noiie em vez de
dos o/Tensores. Iratasse de
eato encarreg-
o iiabito reli-
gioso '.'
Beatas unte/ qui ti fiortatit I
Exposto assim do melhor modo ue me foi pos-
si vel o meu primeiro escndalo em Pernainbuco o o
meu primeiro delicio, passarei ao segundo relativo
ao mulatinho e ao subdelegado .ou delegado. Sen-
i desenvolvido. Por exeuiplo : eu que nim- do que desde j declaro, em alto e bom som, que
ca eneorH-i minhas maos cm sangue humano, eu esses documentos de que ltimamente tratou esse
que sempre me indiunei contra o furto elatroci- redactor, nao me podem aterrar por isto que nao
nio que em toda minha ja adiantada vida apesar passarao dedepoimenlos calculados com o proposito
0 peccado, pelo grande neceado, e do qual alias de me lancarem para lora deste provincia, ou de
ninguem 1.a. ue osleja iseiito,leuliosempre respei- calumnias dos mtiitos plianseus, que mais do que
iadS a honra alheia e as raas da liberdade dos nunca boje me perseguem, porque propugno pelos
mens semelhantes, porque rasan com raiva hydro- bens eitraviados do meu
pbobica, sou atirado ao esrarneo publico por esse ;
redactor do Jornal decoroso, tao irreligioso e. mesmo repugnante t
Porque motivo, sen. que eu nunca o tivesse A ..i <.|f<>
ofendfcMe leve que fo^e, havia o redactor do Jornal lo Recife.
Jornal do Recife, injnriar-me com palavrJs s del- E' de muito mo gostoa intriga de que o Sr. Dr.
le dignas.jmi essa virulencia infernal, e nunca Lopes Xetto candidato dos conservadores.
visto nem B,v'do atrevimento, desrespeitando tan- Aquellos que nao ve<3m com bons olbos a candi-
to meu poliSbabito de monge ? datura desse sonhor, e contra ella empennam es-
At com isof de lonco em seu maior excesso toreos, lieariam melhor collocados se recorressem
de furor, estando alias no -ilencio do escriptor e a memores e mais deceates meios.
por ninguem incilailo r!.... i O partido constitucional reconhece-se comprimi-
0 certo i: que autos do dia 14 de marco do cor- do, e aceita a sua proscripciio como tacto consuma-
rente anno. dia cm que dons Belgas, nao sd por do : nao tem, pois, o que ver com a questo qne
COMMNICABOS.
0 padre Ir. -loau du Amor Divino.
A" lh'U> c ao pitl/liro.
I
Deus peco perdi par nao oontr-ae de modo mo_
a nao dcixar de dar una cabal reposta quem do
alto da imprensa, tao selvticamente, por tres
-. me tem iuvectivado, ja ferindo a minha
honra, j ciupindo en. minha dignidade sacerdo-
tal, j procurando assassiuar, cun o instincto do
ma'l que cao o deixa nunca, oque de mais sensivel
tem o homem em seo cora^ie e em seu espirito ;
caos homensde Iwm,quecoiistrliiemloda a luz do
dia social, este pox-o veneravel, a todo este pu-
blico pe numhucano. tolizmentej tao alto em I-
lustracao, liio grande no valor quanlo o na reli- sado
giao, que tao conviciamenle prolessa. cu peen at- urna repula enrgica dos oflenso
lenco. ju.-liea e smente justica : porque s apoia-las o larMt 00 Urrife, que euui
Deus npplie perdao das minhas culpas, sendo se de ultrajara victima, e rasgar-ine
que aos houiens .s pedir!, quando em luiuha con-
sciencia lizer por onde o peca.
Em verdade na ordem das offensas ha pheno-
menos. que posto nio cansen) espanto, levam
que sobre elles se pense mui seriamente, quando
se procura a causa Fr. Joo do Amor Dirino Mascarenhas.
(Coultnuar-se-lia.j
-
nma ferrivel pedrada, esse redactor pharisu nunca ra de deputedo pelo distncto, e o directorio que
ia oceupou de mim : como seria usto que o lista- o excluio da chapa e o guerreo. 9e um ou mitro
m com a devida decencia, tewaia do Tensor mo- conservador anhela o triumpho do Sr. Dr, >Mo, e
ra'lado q;c por fim tem moralisar, uma voque faci isota^ouc nao tem alcance poltico.
provincia
Sou seu assignante obrigado,
Caetano Pinto di Vera*'
Recife. I de setembro de I8(:i.
O sn. DI!. Jovol IM SALBAJOIA MACIMIo,
Pernambucano disncto, nomeado promotor pn-
hlico na provincia do Cear, foi extenu vingador
ila lei ultrajada; nao cedendo jamis a empenhos,
igualou sempre o criminoso oobre e desvallido ao
potentado favorecido que delinquir.
A lei foi sempre objecto do seu culto, porque
desde tenra idade se compenetrou de que nao ha
soctedade sem leis, nem leis uteis sem ministros
que as appliquem com igualdadcc justica. Liberal
sincero e de boas intences, nao hesitou cm ferir
com a apjilicacao da lei seus proprios correligiona-
rios polticos quando estes haviam infringido a lei,
cujo cultor foi sempre. e ainda a despeito de in-
teresses perdidos ou de sedueces nobremente
desprezadas.
A sua conducta iusticeira tornou-o tao notave
bemqnisto na provincia do C
ser por elja eleito deputado
em 1848, durante cujas sesses adquiri nonie
importante c toros de um do nossos melhores ora-
dores parlamentares.
Dotado de principios rgidos, e patriota sincero c
desinteressado, proferto o dever di; seu posto e o
amor da patria amisade, quo Ihe pedia, em mo-
mento critico de seu partido (sessao de 1848) um
servieo, ou antes uma defeccao repugnante ao
seu carcter e indignado sua natural sinceridade.
Advogado abalisado pela sua illuslracio e pro-
bidade, soube de tal sortc captar a estima c consi-
deracao de ambos os partidos pronunciados na ci-
4ade de Valenra, onde se estabeleceii, que .muitas
veres foi eleito" deputado provincial, at que as
oecessidades do partido lilteral o forcaram a mu-
dar sua residencia para a corte/afmi de dirigir a
redac^ao do orgao genuino do seu partido.
Niugucm ignora quantos dissabores tem custado
ao prestente c eximio escriptnr Dr. Saldanha Mari-
nho a suslcntacao do Diario lo lio de Janeiro, ver-
dadV'iro sorveduro de suas economas c de toda a
sua fortuna ganha pela advocacia, a que se tem
dedicado com nvejavel probdade e brlho desde
*W9- ~ .
E' anda eausa do sen partido que o Dr. sal-
dante Marinhorouba ao seu socego as momen-
"tos i|uc liie sobram de sua ardua prosso de ad-
vogado. .
Quem ha ahi que desconheca o assigiialado ser-
vico prestado patria pelo conspicuo Dr. Salda-
nha Marinho, estigmatisando toda a casta de pe-
eulato, de corriipco e de provaricaces ?
A quem mais que ao Dr. Saldanha Manribo se
deve a brilhante posico quo oceupa hoje o partido
libera, e a geral censura ao dcoertfiNO das rendas
publicas, convertidas em proveito de certos stra-
pas e furtes cs/eius da monarchia ?
Qncm nao se lembta ainda eom enthusiasmo do
denodo empregado pelo Dr. Saldanha Marinho so-
bre a questilo anglo-brasileira f
Ahi mostrou elle qnanto estremeca a nossa pa-
tria, o quito robusta a sua intelligencia para
abordar com vantagem e dignidade as questoes de
maior vulto ..
Briosos Fluminenset. nem um de vos sem dnvirta
olvidou ja o comportamento digno e corajoso do
Dr. Joaquim Saldanha Marinho nos negocios da
alfandega : elle por sis seria mais que inicenle
para vos recommondar a sua candidatura; mas o
Movlmento danlfandega.
Volumes entrados com fazendas
com gneros
Volumes sabidos
com fazendas
com gneros
(*) Em consequencia de alguns erros, pu-
blicamos de novo o presente communicado.
I tcscarregam no dia o de setembro
Barca francezaColigu;/ mercaduras.
Importacao.
Escuna nacional Camponesa, viuda do Rio Gran-
de do Sul. consignada a.Marques (iarros & C. ma
nileslou o seguinle :
7:049 arrobas de charque, 320 ditas de graxa
em bexigas, 20 barricas sebo coado. e 40 couros
seceos; a ordem.
Patacho nacional Irasiliensc, viudo ilo Rio Ona-
gaunle'^rec'e^g ^F**0 a Amorim ,rni5os' nHBte"
^HXSS de graxa em bexigas, 200 saccas de familia de
mandioca e 50 couros seceos; a ordem.
Patacho nacional Bo/n Jetas, vindo do Rio Gran-
de do Sul, consignado a Bartholomcu Lourenco,
manifestou o seguinte:
8,186 arrobas de carne de charque, 87 ditas de
sebo em rama, e 36 couros de refugo a ordem.
Brigue nacional Guilhermina, vindo do Rio de Ja-
neiro, consignado a Palmeira & Bell rao; manifes,
tou o seguinte:
Gneros estrangeiros.
4 barrs alcatrao, 20 ditos e 12." meos manteiga-
130 ditos banha de porco, lo caixas canella, JO di-
tas maesas, 1 caixao cha. 20 barricas amendoas,
57 caixas salsa parriiha, 2 ditas vidros o pilulas,:)
ditas papel almaco, 3 caixas saias e baldes, I cai-
xote chapeos, 1 caixao fechaduras, 50 pipas e 1000
barriquinhas vazias, 100 barricas aduellas, 1 dita
cnchadas, 7460 arrobas de carne secca e 23 couros
salgados; a ordem de diversos.
Gneros nacionaes.
104 saceos caf, 40 ditos fcijao, 50 ditos cevada,
1 caixa pillas, t caixao charutos, 300 caixas sa-
bio. 1 caixinba agurdente, 35 latas c 339 rollos
fumo, 300 nietos barris abatidos, 100 ditos aduel-
las, 2200 alqneires de farinha de mandioca, 36 bar-
ricas sebo derretido, 23 ditos carne em salmoura:
a ordem de diversos.
Hiato nacional Santa Anna, vindo do Araran.
consignado a Bemvindo Gurgel do Amaral. mani-
festou o seguinte: ....
!40 saceos farinha de mandioca, 12 saceos mi-
lho 7 ditos gorama, 27 nietos de sola, 410 coutos
salgados, 10? caixas velas, 7 barricas e 1 pacote
carne, 271 molhos com 6460 pe les de cabra, I ba-
h roopa; a ordem.
Vapor nacional Priiweza de Jotnvtlte, precedente
dos portos do norte, manifestou o seguinte :
Do Maranhao.
1 caixa casemiras; a A. C. de Anreu.
Do Para.
2 fardos panno de lia, 92 rollos com 12 arrobas
e 16 libras de salsa; a ordem.
Encommendas.
1 pacotinho; a C. de Siqueira M. Couto.
i caixote; ao Dr. Jos Sergio F.
1 caixao; a Jos Gomes Villar.
1 encapado; ao desembargador A. B. R. e S.
1 caixote; a Augusto C. da Rocha.
1 barrica; ao Dr. A. dos Santos Siqueira Ca-
valcanti.
1 erabrulho; a Martinho de Oliveira Borgos.
FAULDADE DE DIMITO.
De urde ni do Evm. Sr. direilor sefaz-
pulilir.a a li>ta das fallas dos esti-
llantes desta Facnldade, relativas
ao mez de julho prximo passado,
e juina da em congregado de \ 9 do
corrate.
SEGUNDO AINNO.
Caetano Mara de Faria Neves, 4 jus-
tificadas na primeira cadeira e 1 dita na
segunda.
Elseo de Sana Martin, 2 justificadas
na primeira cadeira.
Francisco Cornelio da Fonceca Lima, I
justificada na primeira cadeira.
Francisco Jos Alves de Albuquerque Fi-
Iho, i justificada na primeira cadeira e 1
dita na segunda.
Ernesto Adolpho de Vasconceos Chaves,
1 justificada na primeira cadeira.
Raymundo Honorio da Silva, i ju.sti-
cadae na primeira cadeira e 5 ditas na se-
gunda.
Alfredo da Cunha Martins, i justificadas
na primeira cadeira e 2 ditas na segunda.
Antonio Ayres Lacerda de Chermont. i.
justificadas na primeira cadeira e 2 ditas na
segunda.
Jos Peregrino do Araujo, l justificada na
primeira cadeira.
Antonio de Almeida Oliveira, 2 justifi-
das na primeira cadeira, e I dita na se-
gunda.
Antonio Francisco Correia de Aranjo, 1
sabbatina justificada na primeira cadeira e
falta dita na segunda.
Ignacio Fernandes de Almeida Guimares,
1 justificada na primeira cadeira e I dita na
segunda.
Antonio Carneiro Antuns Guimares, 2
jusficadas na primeira cadeira.
Jos Gomes da Fila, c
segunda cadeira.
IrinouCiciliano Pcreira da Costa, 1 jus-
tificada na primeira cadeira.
Joao fai deCarvallio Sodr, 5 inclusi-
ve 1 sabbatina justificadas na primeira ca-
deira c ; ditas na segunda.
Pedro Ferreira Coelho, 3 justificadas na
primeira cadeira, e 16 inclusive 2 sabbatinas
nn justificadas na segunda.
Licino Alfredo da Silva, i inclusive I sab-
batina justificadas na segunda cadeira,
AuIonio Ribeiro Pacheco do Avila, i jus-
tificadas na primeira cadeira e -i ditas M
segunda.
Joaquim Marta Carneiro Vilella, 'justi-
ficada na primeira cadeira, e 7 inclusive 2
66:7070563 sabbatinas na segunda.
Manoel Jos de Mene/.es Prado, 1 justi-
ficadas na primeira cadeira.
Agostinho de Carvalho Dias Lima, 2 in-
clusive 1 sabbatina justificada na primeira
cadeira e 1 dita na segunda.
Joao Joaquim Ramos e Silva, t
> da na primeira cadeira.
Antonio Goncalves. 1 juslili-
da na primeira
girada.
Euclides Deocleniaao dn
4:678#M7 inclusive 1 sabbatina josti
cadeira e 6 inclusive 1
segunda. m^
Ignacio Jos de Oliveira Ai ra,
tincadas na primeira cadeira e 5
i sabtalina dita na segunda.
Miguel Peixolo de VasoaoH-, 3
tificadas na primeira cadeira e S
sabbatina ditas na segunda.
Joo de Hollanda Cacha, I
primeira cadeira e i ditas na i
Alfredo Montezuma de Oliveira,
batina justificada na primeira
Ernesto de Paiva Leite, 8 ju*l
primeira cadeira e 10 inclusive I
nao justificada na segunda.
Demetrio Jos Teiieira, ." inefafft I
sabbatina justificada na primeira cadeira e^
inclusive 1 sabbatina ditas na pgnmte.
'Co*trmmr-*e km
0 Dr. Tristao de Ah*near .\r
perial ordem da Rosa e i
do commercio nesla ritlade do Kt-rife.
Droviacia d.- Pernamlmr <* m mibmi par Sas
Macestade lnqrial e j>n*uiu Pedro II. a ijaem Dos fuard* te.
Paco salter ao oe o prsele rwat lirmn
delle noticia tiverem. qne m dia W 4e wMar
do crreme anno se ha de arrematar por v#aA a
quem mais der em praca puMica daleJ
sala das audiencias, o *fnin.'
no lugar de Agoa-Fria, diioinii
1 poriao na frente, prandr evlrmi ?
voredos de Inicios, divide o Ando raa i
no, avallado por i 5006, mis a parte lo .
de 3 andares, da rna do Imperador 79, mm m
fundos para o caes W de Xovemfero. en ranada
de ferro para ambas as frentes, irado rada m
andares duas salas e seis noam e o
dar tem um sotao com
i -.80151 Vi rs., t>ndo sido a avataej i
mo predio de 16:0006. os qsats tran paat
dos por execucao de David William Rostmaa, i
tra Francisco de Paula iju.iroi Ptanra.
E nao lanudo Uncador i|ne tutea l
avaharan a arreuiaiarao sera Ka pele |
adjudicaro na forma' da lei
E |.ara qiie rhejroe ao n- mandei passar ctliLies ipw serio [
mprensa e afiliados nos logares d<
Hecife. i9 de agosto de IH63.
Eu Adolpho Liberato Pereira de i
v5o interino o sul>screvi.
M:t306SM
17:3676:117
43
108
W7
i:i
pdMcali ^.i
Tri.*tft ir Mmeirr .Ira
O Dr. Tristao de Alenear Aranpt niai
|teri.l ord'm da Rosa c juiz de dire*> i
do commerrki nesti r idade do RernV
namhneo |r S. M Imperial rlr.
PUn Matar pata presente qne o dia de i
hro deste anno se ha de arrematar per n
quem mais der, em prara publica drsM
pois da audiencia respertira, o Irtariro
Concordia, tendo W palmos de terfn c de
com duas camariuhas, orna sal e om
qtiarto, servindo de coz i ota. Mi ama pora jn-
nella na frente, alm de nm pernean u atataa saeta)
pilares na frenle, com 13 palmos da Ide ftd
largo, avahado em W06, o qnal r MrtnacMta aa
herdeinw de Joan Manoel de Staneira. e vai a pra-
ca por exerncao que contra os Besases earassasim
ll-'inardino F*rancisro de AaevrdoCampo. ahi-
ta de licitantes ser arrematado peto preee da ad-
judicaro com o ahatimeni resjMstao dak
E para qne chegne ao romVrinvol
mandei passar o prsenle edilal
nos lugares do roslume,
prensa.
Dado .-passado n.sta ri.knle do ReriiV d r>r-
nambiirn. aos mm >\ nNTdeselemfcTode I
Kn Mnn.xl d.- Carralho Paes .Ir .U
erfvfo o sataarvil
Tri Pela inspectora da alfaa
que no dia 19 do corrente. depata da asta al
porta da mesma, seri rendido em liJfii 7#i
2 justificadas na jr ,-amhraia. sendo B-1 cortes
braia le algndo. a i-5* i
e i:t cortes de dita com meseta
o corte, total .'2mH ruidos ds
ca ingleza Serafina. i>m 0 de
abandona las ao pagamento dos
den Wild dt 1'..
Alfandega deIVrn.iinbrn. 3de
o v
/ .1. M S4et termo.
O )r. Tristao de Atancar Araripe. oasrul da assv-
rial urd'-m da l!o-.i >uz di; direilo espasMdo
commereio desta ciilade do Recita, sajassl provincia de Pemamlmro esen rassv par S. JL
imperial e constitucional o Sr. D. tala a
quem DsM guarde, etc.
l-'acn -;iIhi- aos q:: ote >-a*jk vanan (
' u.-dia IV de sestaatand
correan anno. n ha de arrematar por veada em
praca puhlica a quem mai Ato seniair I
na na da Gloria n. 57. freguena da rka-Vkaa
do luas janefln I porta ran ronda. I ala
gahinete ao lado, ala afra?, qnaaro
nha fra e I ontro
com I portan que da .-.ilmli BM i 3.
caciinlia ineieira. p-i i l**>-> l
RniwWrile. na Capunga. <>m niiunr*.:
da llita-Visia lendo porta e janelU. roas r
justifica- ^r,'n"'- "' 'I1'-11"'"- afca fira. o
* i reno ao lado, cercado rnn madeira, divs
5 I
inr-
Sigismundo
cadeira e i ditas na so-
cada na primeira
gunda.
Manoel Joaquim Ferreira Esleves, I sab-
batina justificada na primeira cadeira.
Antonio Marlins da Cunha Sulo-maior,
I
ir...
lado romo siliode Malheu- Antonio de
lo ouim com Liaran" h-v de I tarros e s
con Jos Bernardo ds s-na, romalgiu-
de frorto, ior 1:1004, aa qnaes te
I. i lAi-euijiiodo ruiador lisral Ciiilh'Tnie r.irvallio A ('... contra Joao
vinario.
E nao havendo lancador qne ubra
sabbatina justificada na primeira cadeira. '.|j(;.i;.-0
avaliarao narn^malorao srr iVta peto
FSS
Joaipiim Pontes de Miranda, 2 justifica-
da na primeira cadeira, e 7 ditas na segunda
Leonardo Francisco de Almeida, I jus-
tificada na segunda cadeira.
Joaquim Guedes Correa Gondm, 2 justi-
ficadas na segunda cadeira.
Jos Ignacio de Albuquerque Xavier, 1
sabbatina justificada na primeira cadeira.
Joaquim Joas Bezerra de Mene/.cs. -'
justificadas na primeira cadeira e i ditas na
segunda.
Antonio Venancio Cavalcanle de Albuquer-
que, 3 inclusive I sabbatina na primeira
cadeira c 2 ditas na segunda.
Francisco Rodrigues Soares, \ justificadas
na primeira cadeira e 6 inclusive 1 sabbati-
na ditas na segunda.
FraYicisco da Cunha Pedreira Machado
Jnior. 1 justificada ha primeira cadeira e
1 dita na segunda.
Cicero Anatolio Vieira do Brasil, 2 jus-
tificadas na primeira cadeira e 1 dita na
segunda.
Joo Manoel de Barros Wanderley, I jus-
tificadas na primeira cadeira e 1 dita na
segunda.
Antonio Manoel de Siqueira Cavalcanle,
2 justificadas na primeira cadeira e 1 dita
na segunda-
Manoel do Nascimento Teixeira, 2 justi-
cadas na primeira cadeira e 3 ditas na se-
gunda.
Cicero de Souza Marques, 21 inclusive 1
sabbatina nao justificada na primeira ca-
deira, e 22 inclusive 2 sabbatinas ditas na
segunda. ^,
Jos da Motla Nunes, 3 justificadas na
primeira cadeira e 2 ditas na segunda
Jos Fernandes de Araujo Jorge, 2 jus-
tificadas na primeira cadeira e I dita na
segunda.
Samoel Felippe de Souta Ucha, 2 justi-
ficada na segunda cadeira.
Manoel Pedro Cardase Vieira, i inclu-
sive 1 sabbatina justificad** i primeira ca-
ara que rhegne ,> <
mandei passar -ditaes que
docosiuiue epubKradoa pala
Dado e passado nesta rnlade
namhuro aos 18 de ag)sto de
Eu Adolpho Liberato I'viraW Ofiveira. esrri-
v.io interino o subserevi.
Tinta de Alentar
DECLRCOES.
l'i-la administracao dt> otrreio
Setal puhlcoqii.' I- -onformidade Bal o
to n. 187 I.' l'i .! maio de 1861 e reapeearus Uuagoaa leve lugar boje a aJiertora da>
atrasadas pertetarealrs ao mez le agosto dV*
condemnadas a consumo pelo art 130 di
ment dos corre* de il de di1 msabr
asslstindo a ess- pnn-esso o comnaan
Penaasta Lapas. Drsia aberlara reasta
n ana carta com documento iescrasto em i
para este fim destinado, sendo ella as tal
Francisco de Lima idi- Portugal) para
Jo-.'' Kibeiro ronfc'ndo urna certilao de
l'or ultimo proredeu-se o qoeima de asi
las de iue se lavrou o respectivo lean, fas
que s- segu.
C/Hreio de Pernamb ico \ de
Ten-de na un.
Aos \ -'ias do mez de srteo # ds
horas da manhaa na sab da
eorreio achando-se presente
thesureiro Domingos dos
empregados abaixo decUra>ls
vrtude do art. 138 do regata
1 ,li',l.'zembrodel8W..nia
sendo 131 selladas a ISO sia
tancia de #80 r-. cosas cesaI
importancia vai d.-scarre|aaBj
rulo Sr. idministrador e
tsr se lavrou esto tema t
mesmos empregadoa, e en
Silva ajudanle ">" DonaaaaB
Ismael Anuvsl
LuizdeFrnea
Vicente Perrerra da
O
. Agneak) Haracnods
as II
y
t MUTILADO
i
,i


Diarln de Pernatnbnco Siihbade de toeiembro de I8S3.
r-77
1
:/.
conseno atninlstrntlvo.
conselho admiuistrativo, para fornecimento do
arsenal de guerra, tem de comprar os objectos se-
guales :
Para o arsenal de guerra.
Maugueiras para bomba de apagar incendio "me-
tros 64: taboas de cedro com 16 a S* palmos de
comprimento e 9 a 16 pollegadas de largura e i
Km eguida o mesmo senhor tocar una
UA/IRC i
phantasiada com variacdes fortes sobren opera
UHBKT.
dita de grossura 10 diuias, ditas de parabiba com
16 a 24 palmos de comprimento e 9 a 16 pollejj
casa
amos.
Os pretendentes devem comparecer acompanha-
dos de seus fiadores ou munidos de cartas destes.
Estabeleeimentas de caridad?.
Ra Direita.
N. i particular e 33 publico um andar.
N. 89 particular e 5 publico tres an-
dares .... .........
N. 83*particu*r e 7 publico tres an-
dares........ ......
Ra do Padre Florlano.
I?. 6 particular e 47 publico casa terrea.
N. 7 particular e 43 publico casa terrea.
N.W particular e 63 publico casa ter-
rea .......
N. 90 particular e 13 publico casa ter-
rea. ..............
Becco da Carvalha.
N. 10 particular e 5 publico casa terrea.
Ra dos Pescadores.
If. 16 particular e 11 publico casa ter-
rea. ............ :
Ra da Cal cada.
N. 19 particular e 34 publico casa ter-
rea....... ........
N. SI particular e 38 publico casa ter-
rea.................
Ra de Hortas.
N. 29 particular e 41 publico dous anda-
res......... ........ 4005000
Ra da Roda.
N. 33 particular e 3 publico casa terrea.
N. 36 particular e 3 publico casa terrea.
N. 37 particular e 7 publico casa terrea.
N. 9- particular e 1 publico casa terrea.
Ra da Iinpcratriz.
N. 47 particular e 68 publico casa ter-
rea................
Ra da Gloria.
N. 51 particular e 63 publico casa ter-
rea. ........ ......
Ra do Encantamento.
N.32 particular e 3 publico 3 andares.
Rita do Azeite de I'eixo.
N. 53 iwrticular o 1 publico 2 andares.
lina da Lapa.
N. 56particulares publico um andar.
N. 73 particular e 3 publico um andar.
Ra do Pilar.
K. 59 particular e 73 publico casa ter-
rea.
5635000
9005000
9OO5OOO
1865000
1265000
1405800
UBfon
1495000
2005000
1495000
Moje de setembro ha de ter lugar
a arremataco auauiciada por este
Diario 4s engenhs e escravo* perten-
entes a httMi'a do finado Jos Fer-
nando -da Cruz.
Santa Casa da Misericordia do
Reelfe.
JlarJsi aTA^'Xt ^SSJS? !i1s^.;saEKs:
Sft.ar.d por o de m a S ^Kbjwj, J^-. o^u, ^ CT ^ ,
mana 30. Resumos da doutrina christaa 30, cartas
de A B C 100, taboadas 100, traslados de bastardi-
nho 23, ditos de bastardo 23, ditos de A B C 50,
creides era forma de Iapis 80, lapis 6, pennaa cali-
graphicas o 1" qualidade 12 caixas, obreias 50
massos, lapis 12 duzias, gomma arbica 5 libras,
ferro inglez em barra de 11/2 pollegada de largu-
ra e 3/8 de grossura 50 quintos, carvao de pedra
20 toneladas. -
Para a capella do presidio de Fernando.
Um ornamento branco completo, 2 caadas de
vinho branco, 1 arroba de cera branca em velas de
libra.
Para o hospital militar.
Tijellas de louea azul medindo 12 oncas d'agua
100, chicaras c pires 24, calix de vidro 12, garfos
e facas 6 duzias, colheres de metal principe 6 du-
zias, laa de flecha 30 arrobas.
Para o 7o uatalho de infamara.
Casemira amarella 44 e meio covados.
Quem quizer vender taes objectos aprsente as
suas propostas em carta fechada na secretaria do
conselho, as 10 horas da manhaa do da 9 do
corrente niez.
Sala das sessoes do conselho administrativo, para
fornecimento do arsenal de guerra, 3 de setembro
1565000 de 1863.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastiao Antonio do Reg Barros,
Vogal secretario.
Sabbado, 5 do corrente, depois da audiencia
89^000 <0 ni,,,. z de paz do 1." districto da freguezia
1125000 a Boa-Vista irao praca os segwntes trastes : 6
1205OOO cadeiras de assento de palbinha avahadas por 185,
2 bancas por 85,1 cama de vento com armacao 75,
1 mesa de jantar 85, 1 cadeira 45: cujos bens fo-
ram penhorados a Jos Antonio Nunes por execu-
co de Jos Goncalves Ferreira Costa.
= Pela subdelegacia de polica da Boa-Vista
foram apprehendidos 2 rclogios, 3 taxos de cobre,
1 selbn, r-par de botas de montara, 1 mesa, 1
dita pequea, 1 cadeira de balaneo, 4 de palhinha,
1 toucador, 3 papagaos, muitas pecas de roupa
0005000' sera marca, e outras com differentes firmas, e 5
n'gahobas : quem se julgar com dircito a estes ob-
1 \fnnn Jcclos se aprsente, que provando serem seus, lhe
""500j sei-jo entregues.O subdelegado,
Joao Pacheco de Queiroga.
= Pela secretaria da cmara municipal desta
cidade so faz publico, para nlier monto de quem
inleressar, que tendo o Exm. presidente da pro-
vincia autorisado a mesma cmara a aceitar a
proposta feita pelo actual afllridor dos pesos e me-
didas do municipio, de continuar por espafo de
mais 2 annos na arrematado j feita, tem a refe-
/ 005000 rda cmara anuuido em sessao desta data, a se-
I melhante deliberacao.
, .mn' Secretara da cmara municipal do Recife 31 de
915000 agOSto de 1863.
I Conselho de compras navaes.
Tendo o conselho de contratar o forneeimente
1085000
3065000
1445000
4805000
Seguir-se-ha a representacao da nova scena co-
das mica em um acto, composta pelo actor Penante, e
de largura e 3 quartos de dita de grossura 10 du- representada pelo mesrao senhor,
zias; pregos ripaes da trra, 100,000, pregos ca- ___________
' NESTE CASO EU NAO ME CASO.
Ainda o Sr. Clementini far oavir o seu abmo-
icando a cavatina da opera
Dar flm ao espectculo com
A GRANDE MARCHA
da espantosa retirada dos Austracos em Solferino
em 1859.
Principiar as 8 horas.
A empreza previne ao respeitavel publi-
co de que est preparando para o da Mete
de Setembro, anniversario da indepen-
dencia do Brasil, um espectculo todo pro-
prio do dia; vindo ser, urna bella alle-
goria do Sr. acadmico Franklin Tavora, in-
titulada
0 BRADO DO YPIRANGA
e o lindo drama em um prologo e tres actos,
do Sr. Constantino do Amaral Tasares, inti-
tulado
OSTEMPOS
INDEPENDENCIA.
Todo apropriado para o grande dia da
emanciparlo poltica do Imperio do Brasil,
esse espectculo pelo que fica dito deve agra-
dar ao respeitavel publico.
Previne igualmente aos senhores assignan-
tes de que tero a preferencia at ao meio-
dia de (i do corrente (domingo), e que assim
desde j se recebem encommendas de cama-
rotes e cadeiras.
?
Ra de Sao Rom Jess das Crioulas.
i
1835000
1005000
3OO5OOO
J. 61 particular e 8 publico casa terrea
Ra da Cruz.
K. 68 particular e 15 publico 3 andares. 1:0005000
Ra da Cadeia do Recife.
K. 72 particular e 30 publico 3 andares.
Reccoda Lama.
K. 73 particular e 30 publico casa ter-
rea......... .. ..
Travessa do Carcereiro.
N. 83 particular e 11 publico casa ter-
rea.............
Patrimonio de orphaos.
lii'ccodas Roias.
N. 39 particular e 18publico dous an-
dares ..... ........
Ra da Moeda.
N. 44 particular c 21 publico rasa ter-.
rea................
Ra do Amorim.
N. 51 particular e 21 publico 3 andares.
N. 56 particular e 26 publico casa ter-
rea...............
Ruado Rurgos.
K. 69 particular e21 publico casa ter-
rea............. 725000
Secretaria da Santa Can da Misericordia do Re-
rife 21 do agosto de 1863.
O secretario,
>'. A. (acalcanti Cousstiro.
Crrelo geral
Pela admnistracio do correio desta cidade se
Reposta ao anuiincio da 9*ra. 1.
Henrlqueta.
O administrador da massa do fallido Jos Anto-
nio Alves de Miranda Guimaraes vendo atoblicado
ueste Diario no dia 18 e 19 de agosto passado, um
annuncio da Sr.* D. Henriquet sia fianks de
Miranda, nmlher do mesmo fallido, aqual protesta
contra a validad* da venda que se tem de effectuar
do sitio denominado Mangabeira no termo de Olin-,
da.pertencente a referida massa e que a mesma
senrnra. pretende nao estar sugeito ao pagamento
das dividas de seu marido, em virtude da escrip-
tura que denomina de arrbas e oue precedeu ao!
seu casamento, tem a responder-lhe que quando a !
mesma senhora eason-se com o fallido j este era ;
commerciantecomo constada mesma escriptura.
e e publico e qae a classiflracao dos crditos no
caso de fallencia regulam-se exclusivamente pelas j
disposiQoes do cdigo commercial e que este em ;
relayao a mulher do fallido, a graduacao que lhe
da e de credora de dominio pelos bens dotaos, se
os respectivos ttulos foram registrados no meritis-
simo tribunal do commercio dentro -de 15 das de-
pois do casamento art. 874 6 do cod., pelo que
nao liavendo satisfeito as condicoes que tao ter-
unnadamente exige a lei, o titula que dita senhora
apresenta nenhum direito lhe assiste para op-
por-w a venda daquella propriedade, tanto assim
que tendo a mesma senlwra interposto aggra- \
vq para o Exm. presidente do mcrctissimo
tribunal do commercio da decisao contra ella pro- i
ferida pelo juizo especial do commercio, nao obte-
ve provimento.
Se o flm da Sr." D. Heuriqueta que nao sabe-
mos porque hoje declara-se coacta jiara nao puder
defender os seas direitos afugentar os concor-
reutes a compra do mesmo sitio, pe continuar;
com os seus annuncios porque avista do expend-1
do e que consta dos autos que podem ser examina-
dos no cartorio do Sr. escrivao Manoel Maria, de-'
sapparece todo o fundamento/do seu celebre pro ;
testo. Em poder do Sr. agente de lei loes Pinto
acharao os concurrentes a copia da tal escriptura
para a exammarcm.___________________________
LEI Al
HOJE.
Na ra da Cadeia o. 33.
-KM LIMITE.
De urna mobilia de Jacaranda, consolos e mesa
com lampo de pedra de superior marmore.
Urna dita de oleo e outros objectos de marcineiria.
Pelo agente Euzebio se far leilao de diversas
obras de ouro, prata p obras de marcineiria.

COMPTABILIDADE COMMERCIAL
PELO
DB. WITRirVIO PINTO BAlfDEIHA
Professor da segunda cadeira do Cursa ConaRrcial PrraiaiticaM
DOVS BELLOS VOLEMES RM 8." PRANCEZ
COMPRKHBNMKOO
O prlmelroPrelec^es theorleo-pratleau ilr enrrkmtm-
raeo mercantil.
O segundoJoces de arlthmetlea roiaa-
merclal, adaptadas pratlea das operares roa-
Bterelaes e elementos do sxsirma
Metrleo con suas applleacdes
ao commercio.
PREQO DE CADA VOLUME ;>*.
2515O00
3005000
725000
no trimestre de outubro a dezembro do corrento
anno, sob as condicoes do estvlo, dos objectos
abaixo declarados para os navios da armada e es-
tabelecimeiitos de inarinlia, convida aos pretenden-
tes a apresentarem suas propostas em cartas fe-
chadas no dia 5 de setembro prximo at as 11
horas da manhaa, em que sso ter lugar.
Vveres, dietas c outros objectos de
consumo.
Arroz do Maranbao, agurdente de 20 graos,
BAILE PARTICULAR
NOS
SiUps do Caes de Apollo.
DIA 7 DE SETEMBRO.
O director do mesmo baile. Antonio Teixeira dos
Santos, tendo deliberado dar ueste dia um sump-
tuoso baile debaixo de sua direccao, participa aos
assignantcs que procurem os carloes na ra do
Imperador n. 18. loja de marcineiro. Declara mais
a todos que devem ir decentemente vestidos, assim
como as damas s poderao entrar as que tiverera
cartoes e vestidos blancos.
branco refinado, holachinha, bacalho,_ bolacha,
carne secea do Rio Grande, caf em grao, carne
verde, carnauba em velas, cangica ou milho pila-
do, cevadinh, cha, cal preta e branca, farinha de
mandioca do paiz, feijo, galinhas, lenba, mantei-
ga (raneene ingleza, malte, pao, pedia de alve-
aria e de cantara bruta, sanio, loucinho de Lis-
boa, tapioca, tijolo de alvenara grossa, vinho de
Lisbea, vetas stearinas, e vinagre (le Lisboa.
Tainbem o conselho promove no referido dia,
M&9 ^/ OXS '^5>^JS^S^ D
Quarta-feira 9 dn rnrrenlo.
O agente Pestaa far leilao por ordem do Illm.
Sr cnsul de S. M. Fidelissima e por cont e ris-
co de quem pertencer do expolio do finado Do-
mingos da Costa Meira. consisiindo em diversos
objectos de mobilia nova a Lata XVIII quo se acha-
rao patentes na travessa do Carioca n. o (ra da
Praia) : quarta-feira 9 do corrente pelas 10 horas
da manhaa.
Esta obra, apezar de elementar, vem preeneber urna lacinia, que era switiJa .un-r 1
onde fallecem escriptos de certas especialidades com accesso a todas as int"l!gfum> ; 9at> 1
sim o editor pensa fazer um servico dando-lhe publicidade, tanto mais quanio boje que a* 1
transaecdes commerciaes e industriaes vao entre nos lomando notvel diM'iivi.ivini.nto. m
entrar na educacao daquelles que se qneren appbcar a taes ramos da vi.la o conhM-ni
dos principios da comptbilidaue administrativa e comm>rcial.
Com este intuito, sob urna forma esencialmente classica. reuni Sr. Dr. Wiarau
principios da complabilidade commercial no que tem elles de mais el.-nn-nUr. e 1
os de modo a facilitar o mais possivel o seu estado s pesaou que ae dotinam j-
commerciaes, seudo taes a concisao e a clareza postas no desenvoivimenlo raipuiliais qoe |
de-se aprender a materia, chegando-se a esc ipturar os livros pir partidas ilobr.ulas e ay|
car o calculo s opera^oes do commercio, sem carecer da intervenran df um ni^-ire.
O primeiro volume, formulado sobre a obra de Bertrand. ocepa-se mais r>prruhante
da escripturacao mercantil por partidas dobradas, cujos principio> sao de^-nvi^vi.li rm har-
mona com a legislacao brasileira, contendo alni disto um ini|xirtanti- as sociedades commerciaes em todos os ses movimentos, quer pelo lado da eH-ripaarafiav
quer pelo da fonuaco, existencia e extinecao dellas em face da lei. Ni*.ie app.-ndife, ~
cadamente recoinineiidavel por sua origina'lidade e pelo cunbo de i-j- :.!,m.. ;-m o 1
mercianle urna guia para sua direccao, qnalqper qne seja a furnia da soci-ilade qm- rnntraat.
Completa este volume o specnienoresumo de ama eseriptnrario, Hrliria \.-nl.iuV. mas
tudo semelbantc de urna casa de coinincrcio ordinario. ofTere'-.-ndo urna -.11. 1!. ..(-racea i
successivamente mais diQlceis, qae assim inicia gradualmente a mam-ira <\>- -m ipiura-l
nos differentes livros de una casa de coiiuiieicic
O segundo, cgiialmeiite formulado sobre a obra de Kottinger, nrcu| da arithmetiea commercial com nereidos e problemas pelo meio mais -in,|il.-- faril arv
da regra ronjuncta, acerca de todas as operaejoas platicas usnaes no rrrninwnm T.i^vaai
clculos de cambios de pra^a praca e por pracas intermedia,beaa toan n t-aae
com arbltragens de cambios, ajm do desenvornmealp do sytema met i.....m mi... n4a(lea
com o commercio, Ilustrado por meio de tabellas de enverno.
O editor nada mais accrescentar otas breves palanas, que a-a- d.nKin>irr.aa a irn-
portancia real desta ajara, devida a intelligencia e a applicacao aci urada do ..-u autor. que ella de uUUdadegoral, c que a ncuhum commerciante e mesino a h..mem alj!;un tfc- tal- \
tras licito deixar de possui-la em sua estante ; pois o commercio en ana ndadi- eron-
?oos, entende actualmente com tudo que 58 liga a vida.
A assignatura toma-se as livrarias dos Srs. Ciiimares \ Oliveir.i. Niijrneira de!
za, Juliao & Pereira e Genldo II. de Mira, sendo realisada sua importancia |la qn->t.t de (
volmne ao sabir do pelo, para o qual ora entra o primeiro.
O Barra


k.
lilIilA*
ni:
faz publico que as malas que tem de conduzr o sol) as condieoes do estvlo, e vista igualmente de
vapor le guerra Amazoni para o Rio de Janeiro, 1 pr0p0stas em carias fechadas, que receba, a com-
nrao tediadas hoje as 3 horas da tarde ; os segu-: pra de 12 barris de breu, 100 baldes forrados, 20
ros at 1 hora, e os jornaes ao meio dia.
Hoje depois da audiencia do Illm. Sr. Dr. jiz
municipal da 2." vara ter lugar a arrematarlo de
seis eacravos penhorados heranea do fallecido
Jos Fernando da Cruz.
Santa Casa da Misericordia do
Fecife.
A Illm.* junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico que
no dia 10 do corrente. pelas 4 horas da tarde, na
sala de soas sessoes, tem de ir praca os forneci-
mentos de gneros abaixo declarados, que botlver
de consumir os diversos estbelccimentos pios
cargo da mesma Santa Casa no trimestre de outu-
bro dezembro prximo futuro. Os pagamentos
serao feitos mensalmeute. Os pretendentes devem
arrobas de cairo vclho, 20 caibros de louro de 30
palmos para cima, 14,000 espoletas de espingardas
a Meni, oO flmulas de escaler, 2 foles de 4 1(2
pos de comprimento e 2 1|2 de largura, 6 duzias
de limas triangulares de 10 polegadas, 50 Inter-
nas de vistas, 50 duzias de lapis, 120 pecas de lo-
na ingleza, estreita, 12 pedras de amolar, 30 res-
mas de papel almaco pautado, 1,000 pedras de
espingardas, e 400 saceos de condueo : todos es-
tes objectos pertencenles ao material da armada.
Sala do conselho de compras navaes de Pernam-
buco. 20 de agosto de 1863.
O secretario.
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
dulzo dos feitos da fazenda na-
cional.
No dia 10 do corrente, na sala das audiencias,
comparecer com suas propostas em carias fecha- Iia presenta do lilm. Dr.juiz dos feitos da fazenda,
das, as quaes devem ser distinclas nao s paraos pe|as iy noras da manhaa, se vender em praca
cumpriinento dos contratos.
Estabelecimentos de caridade.
Cha preto, libra.
Mantsiga franci-za ideni.
Caf em grao, arroba.
Tapioca, libra.
Assucar em torro, arroba.
Dito refinado, 1.* sorte dem.
Dito dito 2.* sorte idem.
Farinha de mandioca da trra, alqneire.
Arroz pilado, arroba.
Racalhao dem.
Toucinho de Lisboa idem.
Agurdente, caada.
Vinho de Lisboa idem.
Dito branco idem.
Vinagre de Lisboa idem.
.Sabao, arroba.
Velas de carnauba idem.
Azeite doce, caada.
Dito de carrapato idem.
Farelo, sacca.
Dollegios de orphaos.
Assucar retinado, libra.
Cha preto, idem.
Caf*eui grao, idem.
Manleiga franceza. idem.
Arroz pilado, idem.
Racalhao, idem.
Batatas, idem.
Carne verde, idem.
Peixe fresco, idem.
Toucinho de Lisboa, idem.
Farinha de mandioca da trra, alqueuv.
Feijo, idem.
Azeite doce, garrafa.
Vinagre de Lisboa, idem.
Sal, euia.
Lenha em achas, cento
Aletria, libra. .. ^
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
/te, 4 de setembro de 1863.
D A. Cavalcanti Cousseiro.
F.
Escrivao.
O fiscal, abaixo assignado, faz publico, qne
amanha 5>0 corrente pelas 10 horas do da, na
port do respectivo subdelegado desta freguezia,
na ruadoCamaro. se bao de arrematar em hasta
publica 7 poreos, sendo 1 porca com 3 leitoes, e 3
peqomos poreos, apprehendidos em correecao no
Fiscalisacio da freguezia da Boa A isla 4 de se-
tembro de I63.Thomaz Augusto de \ asconcel-
Jos Albuquer>|ue Maranho.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
Xavegaco costelra a vapor.
azlo'^doce de LsAoa^'neite inferior, assucarParabiba, Natal, Maco, Araralj, Ccar, Araran
P biaiija.
O va|>or Jastial ibe, commandanle
Lobato, geone para OS portea re-
feridos no dia 7 de setembro pr-
ximo. A carga somente ser re-
cebida al o dia 4, enconiuien-
das passageTrosedinheiro a fete at o dia da sa-
bida as i huas : esenutori no Forte do Mattos
n. 1.
CMPAiNHIA PEKNAMUL'(LVNA
DE
^avegaco costelra vapor.
lacen' e escalas
U vapor l'ersinunga, comman-;
danto Ralis, segu para os por-
tos cima indicados no dia 5 do
corrente s 5 horas da tarde.
Recebe carga at o dia 4 ao
meio dia, encommendas, passageiros e dinheiro a
frote at 0 dia da sabida s 3 horas da tarde: es-
criptorio no Forte do Mattos n. 1.____________
UOMPAMHA PEKNAMHCANA
DE
Xavegaco costelra a vapor.
II.IIV I)K PEBNANDO DK NOKOXIIA.
No dia 14 do corrente mez s II
horas da manhaa. segu para a
liba de Fernando um dos vapo-
ro da couipanliia qne reeebera
carga at o dia 12. Encoiiimen-
dinbeiro a fete at o da da
da manhaa : esenptorio no
PSBDIOS
Quarla-feira ) do correute, s 10 ho-
ras daraanli.i
O agente Sim5es. legalmente autorisado, vende-
r em leilao um sobrado de um andar cin solo pro-
prio, situado praca de Pedro II n. 4 ; una casa
terreata&bem era "solo proprio, situada ra das \
Trincheiras n. 9. Os prcteudentes queiram exami-.
na-las ou informarem-se do referido agente, na
ruado Vicario'n. 17. primeiro andar, aonde ser
effectuailo o leilao.
para pagamento do que o mesan deve fazenda
nacional. Recife 2 de setembro de 1863.
O solicitador.
Francisco Xavier Pereira de Rrilo.
Por ordem do Illm. Sr. Dr. juiz de direito es-
pecial do commercio coinmunica-se pelo presente
a quem inleressar iwssa que no dia 4 de setembro
corrente ter lugar a reunio dos credores da fal-
lencia de Seve Filbos & C. as 12 horas da manhaa
na sala dos auditorios.
O escrivao do commercio,
Manoel de Carvalho Paes de Andrade.
0 corpo de polica compra 120 bonets redon
l'ara Lisboa
vai sabir no dia 20 do corrente o brigue portngtm
Bcll'i Fiqueirense. rapito Jos Correa de Carva-
lho Sobrinho, ainda pode receber urna pequea
quautidade de carga e passageiros, para os quaes
tem excellentes commodos : a tratar com o con-
signatario E. R. Rabello. ra da Cadeia n. 55.
Para a itahia vai sabir com umita brevidade
o veleiro patacho D. Lviz, capitao Jos Teixeira de
Azevedo, por ter a maior parte do carregamento
prompto : para o resto trata-se com os consignata
LEILOES.
dos, de panno azul, com pala e galao estrello, para riosPahneira A Heltro largo do Corpo Santo n.
a scelo urbana : quem quizer fornecer, apresen- *> Pr"
te-se na secretara do mesmo corpo, s 11 horas
do dia 5 do corrente, para contratar, vista da
amostra que lhe ser apresentada.
O tenentc-secrctaro,
Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos.
O inspector da thesouraria de fazenda de Per- j
nambuco, para que o Diario /ficial tenba a dev-
da eirculafo, mande fazer publico, em virtude do
offlcio do respectivo administrador, datado de 19 :
do corrente. mez, o proco e as condicoes da assig-
tura do dito peridico, a saber :
Subscrevc-se para a crte e cidade de Nicthe-
IjKIIO
Ivscuna
DA
americana
Yliuic.
William Mac Donald. capitao da escuna ameri-
ro] na typograpiia nacional ra da Guarda Ve-1 cana Mtnnie, far leilao por intervencao do agente
Ih, e para as provincias as thesourarias de fa- Pinto, do casco, forrado e pregado de cobre, mas-
zenda :i4000 por trimestre pagos adiantados e li- tros, ferros, correntes, vetlames, sobrecelentes e
vres de porte ; as assignaturas podem ser recebi- mais pertences da referida escuna, tal qual se acha
das no principio de qualquer mez, terminando sem-. ancorada nesle porto e prompt para seguir para
Ere no tini de mareo, jmilio. setembro ou dezem- > qualquer porto : isto s 11 horas do dia cima di-
ro, e nunca por menos d.e tres mezes. to port da associaco commercial.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco 31 de agosto de 1863.Ser vindo de offlcial
maior, Manoel Jos Pinto.
THEATRO
DE
KM PREZ 1
DE
A. J. DIARTE C0IMBR4.
Sabbado, S de setembro de 4863.
Recita livre da assignatura.
Desejando dar ao publico desta cidade o prazer
de ouvirao distincto professor o Sr. Pietro Clemen-
intn 'akrlbini pni Olinda. l'ni> em o seu Armnico, nao duvidou a empreza
nant y C nrisma eni ""* chegir a ura accordo roni ^^ ^hor, afira c to-
Autortsailo por S. Kxc. Kvm. lenli ae mar",iartpemalgnnsespecncnloa,andooprime-
/ administrar por alguns (lias o Sacramento r0 0 prosente.
da Gosfirraicao na capella dos Milagres da Representar-se-ha a magnifica comedia em tres
cidade de Olinda, principiando a 20 do,actos.
corrente, pi; as 4 horas e meia da larde. Os
/Chrismandos adultos devem confessar-separa
receberem o Sacramento em estado de gra-
ca. E se rao as offertas beneficio da mes
DB
Urna loja de ferraqens.
0 agente Almeida levar novamente leilao por
despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio a loja de ferragens da ra do Qneimado
pertencente a massa fallida de Antonio Francisco
de Souza Magalhes Jnior.
HOJE.
O leilao ser effectuado na mesma loja s 11 ho-
ras dodi.
ma capella.
O conego
Joao Chrimtonio de Paiva Ton*.
PORTA FALSA.
'.fiada a comedia, o'Sr. Clementini executra no
seu ARjto.Nico o quarteto da opera
c mmnL
LKILVO
Do grande sitio denominado Mangabeira, grande
sobrado com 3 salas, 7 quartos, cozinha Tora, 3
lujas com repartimentos em frente do jardim
botannico, ra do Rom Suewsso em Olinda, com
cacimba, grande baixa para capim.
HOJE
Sabbad, o de setembro, ao meio dia em ponto,
O agente Pinto levar leilao, horaacima men-
cionada, todo o sobrado e sitio cima dito, sendo
tres liarles requurimento do depositara da massa
fallida de Jos Antonio Alves de Miranda, por
despacbo-do Ulm. Sr. Dr. juiz especial do commer-
cio, o una parte com autorisaco da pessoa a quem
de direito pertence.
O leilSo ser effectuado porta da Assoelacio
Commercial.
DE
$R EDIOS
\*'H Imku do di.i ajita-feira 10 to
corrcule.
' porta da associaco Com-
mercial.
O agente Pinto far leilao a requerimento dos
curadores liscaes o depositarios da massa fallida
de viuva Ainorim 4 Fllho, e por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz especial do commercio, no dia, hora e
logar cima mencionados, dos predios abaixo dcs-
criptos, pertencentes a mesma massa, a saber :
Una casa do sobrado na ra de S. Rento em Olin-
da n.
Urna dita de dous andares e soto assobradada na
ra da Cruz do Recife n. 38.
lu grande armazem na ra do Apollo n. 20, na
qual tem urna stima parlo urna lilha de D. Se-
bastiana de Amorim.
I'uia casa terrea na ra da Gloria n. 70.
L'm sitio na Ponte de 1,'cha com grande casa de
sobrado.
l'm dito no mesmo lugar, com casa terrea c soto.
L'm sitio na Passagem da Magdalena com casa di-
vidida para dous aquilinos.
Os pretendentes poderao desde j examinarem
os referidos predios, podendo obter dos curadores
lisiaos ou depositario da mesma massa ou do agente
cncarregado da venda qualquer informacao a res-
peito dos niesmos predios.
NOVO ESTABELECIMENIO DE MEDICINA HOMEGPATIICA
RA NOTA 1%. 4.
O Dr. Sabino O. L. Pinhn mintou o se'u CONSULTORIO para ataja
ra Nova n.^3, onde continua a dar consultas lodos M lias Mi Mto
2 horas.
Os.cnfcrmos, que o proouraivm logo na invaso da molestia, sem que hym tn-
mado qualquer remedio, nem allopathico, nem homeopathko, pagarin rorta* knnrnjpt
estipulados. EsUt concessao tem por flm facilitar a cura de molestas, qne p.-Van Viroar-
se complicadas pelos emprego intempestivo da tberapeuti.a e ao mesmo t>-m|>o ad para a homeopatliia maior numero de adeptos pek bate/a da cura.
Em attenro as pessoas pobres, que Dio podan saliir de dia. o Dr. Sabino reeftV
vea dar dss consultas por semanas nas tetras e aeitas-feiras das seis as >-te nona da
noite.
Os chamados para visitos e conferencias devem ser dirjgidos por rtjt.> ao con-
sultorio desde 8 horas do dia al 8 da noite. na certeza de que serao atVndi' M onlra
de sua precedencia, salva a ciirumstancia de endnenMi perifo.
ADYEKTKXCIA.
O novo consultorio est prvido dos inelhoresv medkamenlDS, desde a prnanra
E como os mdicos nespanbes e aSemleS nao cessaan de reraakrar a nannr cacia das ultissimas dynammisaces do tratamento das molestias rhroniras. n Dr. Safcino se
oceupa agora de elevar os seus medicamentos s potencias m.iis altas por ora at -' >.
alim de verificar por si mesmo a forc dynamica. que so Ibo attriboe.
Os mdicos, que qoizarem experimentar taes dynaminisiK'^ [Kulero Uirigar ao
consultorio suas receitas, que serao aviadas gratuitamente para os pobres.
No mesrao consultorio se vende a novissima ediro do Tkemmn km->
ou Vademcum do homeopatha, obra indispensavel a dos aw ojnenaa oaat la
patliia.
Tudo o que diz respeito non medicina se ada abundaiitomento nnaj i***
aecimento.
AVISOS DIVERSOS.
.Issociaro Ttpusraiihica Per-
naubncana.
Domingo, 6 do corrente. ha ver, sessao ordinaria
do couselho, no lugar e hora do costume.
Si'cretariada Associacao Typographica Peruain-
bucana 3 de setembro de 18G3.
O Io secretario, Guilhcrme Caneju.

INTERNATO
DE
LOTERA.
ESTABELECIDO NA CIDADE DO RECIFE
Dirrrior0 hachare! em malhrmaticas
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O director do internato de S. Bernardo, arredondo aos pedidos respectivos eollegiaes. e de outras pessoas desta capital, remoren o sen eslabelecim"n>
da Capunga para esta cidade. .
Nao tendo evitado esforcos nem sacrificios para proporcionar aos -.-11-
11 ma perfeita educacao phvsica* moral, intollectual o religiosa. ua>iw*v*r* ann >-
l.itaco com bastantes condieSosde salubridade. habis profossoros quo em
. .._.. ...- __ ... /. .............1;.... nnauo3
(Juarta-feira 1G do corrente se extrahir
a segunda parte da segunda lotera da Santa
Casa da Misericordia.
Os bilhetes e meios bilhetes acham-se :
venda na respectiva thesouraria, ra do
Crespo n. 15, e nas casas commissionadas
ra da Imperatriz n. 44, loja do Sr. Pimen- \
tel, ra Direita n. 3. botica do Sr. Chagas,
e ruada Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 5:000/ at 100 ser5o pa-
gos urna hora depois da extraeco at as 4
horas da tarde, e os outros no dia seguate,
depois da destribuiejo das listas.
|0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
lias o auxilio e contianca com (pie j alguns o tem honrado; a lhe- rafa, hern n^a
todas as pessoas interessadas, que se dignem de visitar o mesmo s.-u e.i.ibfiM-iinnnk
onde sempre encontrarao franco ingresso. -
O collegio tem a sua sede no espaeoso edificio n. 32 a na da Aurora, cooitaw m
do collegio dos orphaos. ,.:,, u *. #a^
No- estatutos do collegio, que estto i disposifio de qoen n nn r m, m 1
consignadas as condicoes de entrada e matricula nas diversas aulas no -
ment.
;o2 "SSK 9HK9Pjnfi HB
liOTfiRIA.
O thesoureiro das loteras desta provinl
cia, desejando extrahi-las em maior capta-
e com menores intervallos, offerece a vanta-
gem de dous por cento quem comprar
para negocio, na quantia de 10f para cima;
assim como se prop5e a estabelecer corres-
ponSencias para qualquer localidade da pro-
vincia, remettendo bilhetes, meios e listas,
sob flanea idnea; devendo o pagamento
delles ser feito logo que sejam recebidas as
listas e novos bilhetes remettidos. O the-
soureiro certo da conveniencia desse negocio,
convida aos Srs. eommerciantes da Victoria,
Goianna, Rio Formoso. Nazareth, Serinhem
e mais localidades populosas da provincia, e
mesmo os desta capital, que o quizerem, a
entenderem-se com elle, na thesouraria das
loteras, ra do Crespo n. 15: advertindo
que reeebera em pagamento e sem descont,
os bilhetes premiados de todas as loteras
da provincia recolhidos thesouraria da fa-
zenda provincial.
Thesouraria d^s loteras. 20 de unho de
1863.
0 thesoureiro,
Antonia Joa Rodrigues de Boma.
H2S
PROTECCO
Msicas para piano e cauto, _.
de tedas as forras e
\ende-so baratsima para
acabar.
O MOVO ESTABELEC11IEMTO
DE
Jas Gomes Villar na ra do Crispa n. 17, oUido o mais aarli-
de possivel espera nerecer a pruleecau de publica tu feral.
Cortes de Ida muo belfos
delicadissimos corles de lia rom barras o mellar uae ten linda a esta
Sorgandis de padres delicados t rnnit fiaos a 400, ai e a V n.
l.aas de quailroa mulo chiques a 320 rs, e catada.
Para nonas, teos. 4
0 rico vestido de blonde rom sua manta benita r saa jrinaW de bm
mes a cambraia de linho para camisas, temas as salas bordadas, teaaaa a
raos o balo muiln redondo e muit chique, temos os ricas cartea de ranftanw
bordados, temos o bramante belga para lenfaes, tenas a bretanha para tai
a selecia ou o esguiio para os labjrinthos, temos as cafas arela a Lait M.
pelina a Maria Pia com o seu veo muilo chique, teaaaameifreatriee hwnr
dados como ninguem tem, proprios para enMtesde raaaaa braacaa. *~
hiendas cima meueienadas e muitas outraa, que na eaaiki i
.\o ae eamuccaau fregmezes, al lngn.

M


-*
Ufarlo de Peruasabneo sabbado 3 de flcieiubra 4c I83.
LOTERA
C4S4 D4
0 abaixo assignado vcndeu em seus felzes b-
Ihotes garantidos a sortc de 5004 e nutras de
1004, 404 e 204 da lotera que se aeabou de ex-
trahir a beneficio doGymnasio e convida aos pos- j
suidoresdje ditos bilhetes a virera reeeber seusj
respectivos premio-; inteuralniente sein descont .
algum em sen estabelecimento 'lasa da Fortuna <
ra do Crespo n. 23.
O uiesmo tem exposto a venda em sua dita casa I
e as ootras do costumeos novos e felizes bilhetes '
da segunda parte da segunda lotera a beneficio
da Santa ("isa da Misericordia que se extrahir a
16 do corrente mez e as sortes que elles obtiverem
serao pela mosma forma pagas urna hora depois
da extraccao.
Preeos.
Slhetes inteiros...... 6*000
eios bilhetes...... 34000
Para as pessoas que comprarem
de 1004 para cima.
Bilhetes......... 34300
Meios......... 27oO
Manoel Martins Fiuza._____
Aluga-so urna sala cora dous quartos muito
frescos proprios para os senhores advogados ou
cartorio, no primeiro andar do sobrado da ra do
Qucimado n. il: a tratar na loja
DE
Aluga-se a casa da estrada do Luiz do Reg
n. 12, cora bastante commodo e quintal murado,
tambem se aluga a casa da ra Augusta n. 54 : a
tratar na ra do Vigario taberna de Joao Simio de
Almeida n. 14.
Aluga-se urna escrava (|ue lava, cosinlp e
engmala perfeitamente -: na ra da Roda n. 17,
pnmeiro andar.
.V "
i-
DE
J. VIGNES.
RUA IMPERADOR N. &5.
Os pianos desta amiga-fabrica sao hoje assaz conhecidos, para que seja nocessario insistir sobre a
sua superioridade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
veis qu e jeitos-tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparerido nesta praca ; pos-
sundo um teclado e niadiinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca 'alhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos impo'rtan-
tissimoe para o clima deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores,
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
Xo mesmo estabelecimento se acha sempre um explcndido e variado sortnento de msicas dos
melhores compositores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido
por preeos muito razoaveis.
FUMBICAO
ni?
vueueao
Madanw Middendorp, modista franceza, recente-
mente chegada de Paris, participa aos seus fre-
guezese a todas as pessoas que se quizerem ulili-
sar de seu prestimo, que transferio a sua residen-
cia da ra do Crespo n. 15 para a ra do Rangcl,
casa n,tO, primeiro andar.
DE
DE
FRANCISCO ANTONIO CORREIA CARDOSO,
Ra do Kruui. V 8.
Aclia-se novamente aberto este antigo e proveitoso estabeJeciracnto, prompto para
executar quaesquer encommendas de fefro fundido, batido ou de bronze, moendas para
engenhos, com vapores ou sem elles, tudo cora a maior promptido, perfeicao e com-
modo preco ; tem varias obras promptas da melhor e mais solida constroeco que p-
dem ser vendidas por metade de seu valor, como sejam :
Moendas inteiras e meias ditas de varios tamanhos, para engenhos.
Portas d'aguas guarnecidas de bronze com parafuzo de rosca quadrada.
Rodas de espora, carretas e rodetas angulares.
Parafusos e cavillioes de ferro ou de bronze, rosca quadrada ou singela.
Agullioes fundidos de azas e batidos para rodas d'agua e chumaceiras cora bronze,
Bronzes e torneiras de todos os tamanhos e qualidades.
Taxase fundos de alambique, de ferro fundido-, de varios tamanhos.
Crivos e portas de fornalha de varios tamaitos e qualidades. ,
Urna machina de destillaco continua do autorCollares.
Foges americanos econmicos para casa de pequea familia.
E urna grande rJbrcao de pecas de obras tanto de ferro fundido como batido ou de
bronze que seria enfadonho descrever.
Espera, pois, o proprietario deste estabelecimento que o publico
lhe prestar toda sua conflanca e attenco.
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
Cartoes de visita
CartSes de visita
Cartoes de visita
CartSes de visita
Cartoes de visita
Candes de visita
CartSes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
8*000 a duzia
8*000 a duzia
8*000 a duzia
8*000 a duzia
8*000 a duzia
8*000 a duzia
8*000 a duzia
8*000 a duzia
8*000 a duzia
8*000 a duzia
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
IIA \C O L YI O
ESTABELECIDO NAC1DADE DO PORTO
Agentes em Pcrnambueo
Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
Sacara por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agencias em Fi-
gneira, Coimbra, Aveiro, Vizeu, Villa-
Real, Regoa, Vianna de Castello, Guima-
res, Barcellos, Lamego, Covilha, Braga,
Penafiel, Braganca, Amarante, Angra,
Una da Terceira, Ilha de Faias, Ilha da
Madeira, Villa do Conde, Valenca, Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves *e Fafe, a
oito das vista ou ao prazo que se conven-
cionar.no seu esenptorio ra da Cruz
n. 1.
Aluga-se a casa terrea da ra Imperial
66 : os pretendenles diram-se a Caixa Filial.
n.
Para passar a festa.
Aluga-se um sitio com boa casa de morada
margem do rio Capibanbe, situado na Capunga,
pertcncente out'rora ao finado Joao Leite de Azc-
vedo : quem o pretender, dirija-se ao armazcm de
assucar de Jos da Silva LoyoA C.
No principio da estrada de Joao de Barros
aluga-se um grande sitio com sobrado, e muilos
aryoredos de fructo, com jaqueiras, manguciras,
cajueiros, coqueiros, saputizeiros, larangeiras, ca-
pim, e muitas oulras vantagens alem de agua para
beber ; o sobrado est perfeitamente limpo c for-
radas as salas c quartos de papel, com banheiro
dentro de casa e canos que conduzeni agua para o
banheiro, estribara- e cozinha, tendo commodos
para carro, cavallos e criados, emflm urna perfeita
morada para quem quer tirar proveito, c tem tra-
tamento : a tratar com Guimares <& Alcoforado,
na ra do Aiuorim n. 34, das 8 s 3 horas da
tarde.
ZAI
QUsL RIO INTERVEN fE i ',
v FEBERIM mWmmB
Na ra Nova n.-|| veade-sta
exemplar.___________
Vndese um lindo
bastante robusto c sem defe*
qualquer servico : a tratar do
Imperador n. 16.
Vende-se inanieiga ingles I
ris, franceza a 560 rs., tondas
arroz a 100 rs., rhoari^as novas a
mcete a 600 rs. a libra,'vinno de
ra a 40 c 500 rs. a garrafa : sa ra
o. 24, equina da travesea do Onviilor.
II
IWi
Chegou da Baha ama porrao de
que se vende mais em cora do
qualquer parte
Livramento.
a tratar no trapiche
Molhados
* a prreo tahmhmem^
UmmnmmHmde. ^
Na travessa das Cruzes n. S, labena,
os seguintesg.neros : nun(.-i?a franaal
que h.i no mercado a 560 rs. a Ulira idu
a 720 e 640 rs., agurdente de canna
ha 3 annos a 240 rs. a garrafa, m
franca, dita de pipa a 20l> rs. a garrafa.
a 1*120, espirito de vinho a 2)
' '-'rraik. e ra-
AOVl HOSPEDARA
A I KA VIA IA
Ra larga do Rosario.esquina para a do Qucimado
numero 37.
O proprietario do conhecido hotel Trovador, ac-
cedendo ao pedido de alguns seus amigos c fre-
guezes, que, por suas posifoes e senedade nao
queriam tomar parte na geral concurrencia de seu
hotel, resolveu aproveitar o excellente sobrado em
que funecionou a sociedade Corybanlina- e nelle
estabelecer urna hospedara, eom aceiado servico,
buhares para distracrao e lunch
Pas>aoiento de festa por pouco
(nheii'o.
Aluga-se o excellente sobrado da entrada do
Monteiro, eom grandes commodos para duas fami-
lias,
sar
---------r---------.s. ,..^.. a preeos razoa-
sempre benigno,,veis. A condao da escolha de fregezes para
dita hospedara, a variedade de artigos de comida
_______________________________________ \ e bebida sempre nelle encomiados, a reserva em
" que estarao os concurrentes da freguezia de ou-
O abaixo assignado, respondendo o annuncio tros de condico, por ventura inferior,c a frescura
, do Sr. Jos Jaeiutho Pavo, no Diario de Prniam- que em dita hospedara sempre se experimenta,
buco do corrente mez, declara que em verdade sao sao seguras garantas que animam e fazem espe-
insufficientes os bens que lhe foram penhorados rar as honrosas visitas da classe mais aceiada da
para solucao de seu debito na importancia de rs. nossa sociedade jovem c alecre. Sob estes aus-
. Aluga-se o segundo andar do sobrado na ra
da Senzala Nova n. 42, com bstanles commodos
para familia : a tratar na mesma.
MUDABA.
O hachare! Amaro Joaquim Fonseca de
Albuquerquc reside na freguezia da Boa-
Vista travessa do Veras n. lo, onde pode
ser procurado para os misteres de sua
profisso das 9 s 10 horas da manha e
4 da tarde em diante.
uada a 1*600, vinho o mHhor q
Figuera a 480 a garrafa, e ranada a 3*1
inaisbaixoa \m rs. agarrafa, dii ri.Jt.
320 a garrafa, vinagre branro pronr m.
serva a 320 rs. a garrafa, ueiw nre t i
600 rs. a garrafa, dito de carrapalo a 3 n.
V*U Ulbre*.
Superior junga, em barris de d*rin
de Lisljoa, vcude-se jwr baravs.nw pr.r
uquiUar : no armazcm n. 7, ra Jo Vigarw.
Viibt i* porto.
Eatt afamada pinga ti superiur <
caixas de urna e duas duzias de g" n dm.
se no escriptor; doCorpo Santo n. 6, segundo amlar.
Materiaes
Precisa-se de um rapaz t'orluguez que tenha
. pratica de taberna : na ra do Socego n. ">i\.
Jorge Clemente do Sorba Cavalcanti vendo
iio Diario He Pe nambuco de 3 do corrente, no roi
dos baptisados havidos na matriz de Sanio Anlo-
ojio mez de agosto proxime passado, o seu no-
roe como pai de Ernesto, vete em lempo preve-
nir que nunca z-ive tal lillio. baptisou. sim, no
mesmo mez a sin lillia de nom-j Olimpia.
Aluga-se o segundo andar da ra do Crespo
n. lo, por cima da thesoiuaria das loteras, decen-
te para morada de^equena familir, ou para i|ual-
quer advogado : a Halar com o thesoureiro das
I oterias.
Qutin annuncicu querer UtQa juros sobre
f\xpnth%- i *x (iu un .,. vi. um. ii -i (fadeia do Recife n. !!. sobrado.
Bota-se rea a 1*280, sendo em todas as mareta
c sendo s em mareis grandes, e para entrar em
cambijas a 1*600, canoas de milheiro para cima, e
vende-se tijoo de alvenaria grossa a 18* o milhei-
ro, posto no porto, e carrega-se lijlo dos Remedios
ra
Callado.
DENTISTA DE PARS
19ll Nova-19
Fredoih'o (antier, cirurgiao deuMsIa.
faz todas ; operagOe de sua arle, e coi"
kca dentes artificiaes, ludo com sui>fcrio-
ridade e pe leieo. ipie i> pessoas enten-
didas lhe. i-i- onhecein.
Teuigua e pos entifico.
m
CASA DE SALDE
Em Sanio Amaro
Do Dr. Mil va Ramos.
nico estabelecimento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo
que pode com todo o commodo e zelo tra-
tar qualquer doente, que nella seja reco-
Ihdo.
O edificio magestoso e conserva-se
em perfeito estado de linipeza e conve-
nientemente mobiliado.
Os doentes sao separados, segundo os
exos, natureza das molestias e condicoes
sociaes.
Ha quartos.fortfieados para os aliena-
dos, c una enfermara para as partu-
rientes.
(I proprietario. enrarrega-se de qual-
quer operacao.
O AualMlAftinwitoiA Iwimihiii -wjiiqI.
quer pessoa que o queira visitar.
I'rimcira classe 3*000diarios.
Segunda dita.... 25300
Terceira dita.... 2*000
Para que qualquer doente sejaali recc-
bido, basta que se mande o noinc do doen-
te e da pessoa (pie o remelle, com a de-
daraco da morada.
O proprietario aceita contratos annuaes
com qualquer que queira ter um ou mais
leitos BBS dis|Misiao.
de seus amigos generosos para
liante preco mdico, chara-
escravo tambem penhorado, alem de muito bebado tos de Havana, licores ingleze's e francezes, eerve-
ladro, sendo que por isso o depositario o reco- ja branca e preta, queijos de prato, londrino e suis-
lheu cadeia ; alciu disso as mencionadas casas so, doces cstrangeiros c naconaes, e, em urna pa-
poresseseu mo estado, e depreciamento actual j lavra a todos os gneros de que est sonido, pro-
dos predios em Olnda pouco valor linal terao. i prios a um lunch variado, apetitosa e barato.
Enilim o ser exacto o que se diz, se o Sr. Jos Ja
cintho Pavo tem procurado iuvolver-sc em dbitos
simulados para absorpeo de todos os seus bens i
se torna evidente que' aquelles bens que lhe fo- i
ram penhorados nao chegaro afinal para soluco
da execufo que lhe promove o abaixo assigna'do.' i
alem do que ainda tem por ella de liquidar-se. I j
Assim, pois, o abaixo assignado torna .a prevenir !
a quem convier, que o Sr. Jos Jacinlho Pavo nao i
pode obrigar ou alienar os poucos bens que lhe. I
restam, por estarem todos sujeito* ao vicio litigioso! i
procedente da referida execueo, jiu"os e custas j
! que forem accrescendo, c desde j contina o abai- '
xo assignado a protestar .contra quem quer que i,
a respeito de seus tao repetidos avisos se arriscar a I j
qualquer contrato sobre taes bons, que pelo ex-
pendido sao inalicnaveis antes do integral paga-
mento do mesmo abaixo assignado. Recife 4 de
setembro de 1863. Manoel Tavares de A? lino.
da hospedara Traviata es- at a ponte provisoria a 3* o milheiro, c do Giqui
mmmm-m
Precisa-sede urna ama para amamentar urna
crianca: na ruadasTrincheiras, sobrado de mu
andar por cima da loja de barbeiro.
Alnga-se um primeiro andar com commodos
para grande familia, no caes do Ramos : a tratar
com Jos ll\giu de Miranda. ___________
O-Sr. ijuc annunciau querer wmprar una
taberna coiu poueos fundos, dirija-se Capunga,
padaria n. 31, que adiar eom quem tratar. Faz-se
lodo o negocio.
Alnga-se o segundo andar da casa da ra da
Queiraado n. i : ,: tratar na ioja do mesmo.
Ao n. 29.
-Nova Ioja dos barateiros, ra do Qveimado.
Las de ultimo gosto, covadp a 440 rs.; organ-
dis de padroes lindissimos, varas a 800 rs.; ca-
les de arcos o melhor possivcl, a 3*500, 4* c 5 :
alpaca de linho para vestidos, covado a 240 rs.
0 DR. ROdl
Pode ser procurado das 7 s 10 horas da
maulia c das I da tarde em diantc no
X. II) Ruado Queimado N. 10
Das 10 da manha z i da (arde
vis lina da Cruz .VIS
Cura radical e em poucos dias as mo-
lestias syphililicas e as do apparelho ge-
nilo urinario.
a 3* at a ponte da Boa-Vista, ficando o dono su-
jeito ao descarrego : quem precisar, dirija-se *"
ra Direila dos Afogados n. 13. Na mesma casa
vende-se urna canoa propria para carregar de 300
a 350 feixcs de capim. ____________________
Precisa-se fallar ao Sr. Jos Flix Ri-
beiro de Carvalho, que mora no pateo do
Paraizo, nesta typographia.
Col lares depedra.
A loja da Aurora da na larga *> Rosar %. M,
recebeu collares de iterlas coro rrnan i
de pedras de dinVrenles modelos, obra a _
que tem chegado, para pialquer sentara i
na, assim como lanilx-m receben alfijk-r.-< tara-
dos com pcdras,olira muilii fiai, brincos tantas
com esmalte de pedras de itrnmn s tmttm, m
mais linos que tem chegado em obra Inanmv
L1A.\\KI)FLF)!BB\^:\S
I.uso-nra>ilfi
PARA 1864
Por C aftillb*.
Acabam de chegar estes interanMMn llmij-|,
na livraria eeononiea a* n taaaa
e vendcnvse
-r
I'ede-se ao Sr. Bernardino de Sena Barros, que
tere cochatra, que digne-so declarar por esle jor-
nal, se verdade ter propalado haver passado a
bollos ococheiro de Becker & Mulson, bem como
se se dra esse fado.
Yenda de hija de ouru.
Francisco Gomes de Mallos Jnior vende muito
; em conta a sua loja de ouro na ra larga do Rosa-
i rio n. 24, fazendo militas vantagens alem das que
| ella j por si tem, como bem seja, muila freguezia
de qne dispoc das provincias do norte. Cear. lo
Grande, Parahiba ePiauhy, excellente localidade
Precisa-se de 400* a juros sobre hypotheca em urna das ras mais proprias, e poneos fundas
de una casa terrea nesta cidade
annuncic.
quem quizer dar
os pretendenles dirijam-se mencionada casa.
Angelo Custodio dos Santos faz sciente aos
senhores inquilinos das casas da ra da Paz ns. 10
e 18, ra do Forte n. 35 e sitio denominado do L-
ea no lugjir da Varzea, cujas propriedades pcrien-
cem a Joao Jos Heuriques da Silveira, residente
em Lisboa, que nao paguem os alugucis que se
vencerem d'oracm diantc se nao ao annunciante,
visto que se acha constituido procurador bastante
do dito Silveira, tendo cessado os poderes de que
se achava constituido o Sr. Manoel Alves Guerra,
cambraias de cores para vestido, covado a 280 rs.; SnSSnta ^^ ** *** ** "*"*" d di'
cambraiela muito (na, peca de 12 jardas a 7* '_____________________________
eassa lisa pelle de ovo, peca de 12 jardas a 7*500.' ~ Qi'em |>or engao levou nodia 1. deste mez
\ a n 2Q i as 2 1/2 horas da tarde, de cima da mesa grande
v/n-zi tif- j. ---' 7 j n i | da sala das audiencias, o chapeo de palha do Chi-
Noia Ioja dos barataros, ra do Quemado. Ie em muito bom estado, pertcncente ao escrivao
Paletols de merino stftm, fazenda de custo de Silva Beo esuecial favor ir nu m n,b il r
20* por 10* ; ditos de alpaca preto a 3*200; brim ^j^^^^i^^^^T^Si
branco lona, vara a 640; brim de cores para cal- fhc convem a troca, visto o que lhe dexaram esa?
AVISO.
De ordem da mesa regedora da irmanda-
de do Senhor Rom Jeras dos Passos, erecta
najgreja do Corpo Santo da freguezia de
mi <&k&
g[tt3|:ai} gltgijig} ig[{a8 flM| a
Maques sohre l*or(ugal.
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta cidade, saca ef-
ectivamente por todos os paquetes sobra
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, |>or
qualquer somma, vista e a prazo, po-
dendo logo os saques a prazo seren des-
contados no mesmo banco, na razo de 4
poreentoaoanno aos portadores qne as-
sim lhe convier: as mas do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
l'ieeisa-se alugar animalmente ou por fesla
um sitio desde a Ponte de tfeba at o Meo da
| I'anclla, com algumas acCommoila(;oes, o que seja
perto de rio corrente : a tratar com Antonio Jos
Rodrigues de Souza, na ra do Crespo n. I'.
0 advogado Joao GMCalrs]
{$ da Silva .Vonlarrovos Iciu o seu jjg
IH p>criploi'io na ra eslreita don
^ Rosario n. 17, oii-ie fi'lc ser^{
I procurado das !) horas da ma- $j
M n lia a s 3 da larde.
Alugam-se a loja do sobrado n. 193, e arma-
Queijos de Ih.
Ha para vender, na na .\ova n .
Vende-se um sitio na Capunga. i
ra numerosa familia, mi tambem s
do valor do dito a dinlieiro, e outra
alguuia cana terrea sendo na mesma i
no Itecife : quem pretender tasar '<* afforin. i_
rija-se ao Manguinho, rasa (pie faz estpiina para a
ra da Amizade. aac .e liara com qona fcraasr.
Tambem aluga-se.
\Aw Ra do Qiifinad* n. 11.
Chegaram loja de Augusto Pnrto riras
prctas de silla Ix-nladas rafciliili | u i
saate-embataam tai IborrigManii. ea
de seda prelos. ptimamente atttafe*. qoe
se vende por preco que agrada.
Potassa
Vende-se superior potassa do Ri) ile J.u
mais nova que lia m. mercailn
uoilo ; no largo do >>rp \ttm e
Manoel Ignacio de imveira tt FIIm. n. I'..
Ca de Lisboa
Cal virgem chegada honiem em saaaaaaj mai-
lo bem acondicioiada. e por preeo ',.1 o
antigo depo.-ito da ra do Trapi. I.e n. I i ari
zem ile Mano.1 T.iveira Itaslo.
ao
% inho puro.
Xo eseriptorio de Enxsbfi Pipaiil taaata. as
ra da Cadeia n. 55, \ noVm-st :iw*rim n*<
cellenle e puro Tinta tinto de l.i>la. -.^aenieOes-
linado para pala ds eaai aattaatans por nn-
inettiilo pdo propri.rfazendeiro mi larratar.
i ua da Aurora n. 36.
S. Fr. Pedro Gon^alves do Recife, faco cer-, z,em.171 da rua l'nperial o armazcm n. 4 da ra
to aos respeitaveis irmaos que se acha de- c l7 da rua do B
signado o dia 6 do corrente mez, s 11 horas
da manha, para proceder-se a eleico da
nova mesa que tem de funecionar no anno
vindouro de 1861. no consistorio da mesma da Suva Kanios, medici
versidade de Corabra, d consultas em
sua casa, na rua Nova n. 50, das 8 s 10
horas da manla, e das 4 s 6da tarde, e
recebe egualmcBte convites para dentro
ou fra da cidade, com ofim de se encar-
i regar de /jualquer servico de sua profis-
so.
Os chamados dererSo vir por escripto.
l>abora \ova u. 43.
O Dr. -stkino Olegario Ludgaro Pinho ttn cn-
carregado da sub-gerenca do seu estabelecimento
ao Sr. Jos^Alves Tenorio, proessurem homeopa-
thia, e competentemente habilitado jiara substRui-
lo em qualguor ausi.-nca.______^^^
Os administradores da massa fallida de Fran-
cisco Moratra las convidara aos eredores da mes-
.na firma a aprosentarem seus ttulos, afim dc^e
proceder a dev,id.>i,eriricacao; na rua da Cruz nu-
mero 84.
i 2E2T aK rS.; Ca?1',sas ,eom Poi1^ d^ust50' !^ra es^ 'ncaI>az de se andar com elle e mesm
15000; chapeos de sol de alpaca, a 3500. ^rque lhe fica muito grande.
ca, covado a 480 rs.
a 15600; chapeos
Ao ii. 29.
Nova loja dos barateiros, rua do Queimado.
Para acabar.
Bcos pr*to de linho, vara a 120, 160, 240 e 320
O
Barao do Luramento, curador fiscal da
massa fallida do teiiente-coronel Joaquim Lucio
Monteiro da Franca, convida aos eredores da re-
ferida, massa para cOuiparecerem no dia 7 do*or-
rente, as 12 horas da aha, na rua de Apollo n.
2, casa ta depositario da mesma massa Jos Bap-
tista da Feaseca Jnior, .afim de eseolherem liqui-
datano que c encarregueda liquidaeaoda mesma
massa, visto *erem concedido os senhores credo-
ies concordata ao fallido.
P*ecisa-e de urna escrava para cozinhar e
oniprar : na rua do Queimado n. 35, loja.
AMA
Precisa-ae de urna ama forra ou cativa
para o servico interno de urna casa de pou-
ca familia : tratare no Forte do Mallos,
rua do Corduniz, n. 9.
Fiancnao Mara Rodrigues, subdito
portugus, fatira-se para Portugal.
Aluga-se urna preta muito fiel e ba
vendedeira, por 20,000 rs.: a fallar na roa
Augusta, n. 13. ______
Alugam-se as casas terreas as ras
seguintes : Augusta, n. 47; e as Cinco
pontas, n. 57 ; trata-se na rua de Santo,
Amaro, n. 28.
froco fino e grosso, peca a 160 rs.; vestidinhos de
cambraia bordados, pa'ra baptismo, a 25.
ALVI9ABAS A NOVTDADE.
Sao chegados loja das columnas
na rua do Crespo n. 13 de Antonio
Cerra de Vasconsellos & C. riquis-
siraos cortes de la muito fina com
barras estampadas e matisadas Im-
perat-iz Eugenia, coces as mais deli-
cadas eomo sejam: cor de ganga, de
Iyrio, ckjza etc., fazenda fnteiramen-
te nova e nunca vista em Pernam-
buco.
Aluga-se por 235 raensaes o sobradinho de
um audar da rua da Penha n. 13 : trata-se na rua
do Coto vello n. 12.______________
Claudio Dubeux proprietario da empreza de
ommbus faz sciente ao publico que a linha de Ja-
boati) principia de boje em yante a sua carreira
regular, partindo do Recife todos os dias s 4 ho-
ras da tarde e voltando de Jaboatao s 6 da ma-
nha.
Para o amanhecer de hontem furtaram do
abaiio assignado dous cavallos com os signaes se-
guintes : um castanho, com 2 ps brancos, tem
umaestrella, castrado, j velho, que principia a
" e bas-
principia a
_ de pedrez
pela caneca e algumas pelos lados do corpo,
e muito brando de redea, ardigo, e est bem prin-
cipiado que j anda mais que baixo, ambos sao
bem fetos do corpo, e esto ferrados : quem del-
les me der noticia ser recompensado, ou quem
aqui mandar com esse fim pagar-se-ha com fran-
queza ao portador, na rua da Praia, armazcm de
I carne secca n. 55, ou no engenho Unio da fregue-
zia de Santo Christo de Ipojuca ao Sr. Luiz Urbano
I da Cunha e Andrade.
O abaixo assignado declara ao Sr. Jos Soa-
res Pinto Corroa Jnior, sera a mnima intenclo
de offende-lo, e somente por forca de seus annun-
cos publicados no Liberal e Diario de Pe-nambuco
que S. S. nao deve iporar qual o negocio de in-
teresse, para o qual o abaixo assignado Ihe'deseja-
va fallar, pois que nao desejando este ver augmen-
tado o debito era que se acha S. 8. para com o
mesmo abaixo assignado, desejava fallar-lhe afim
de saber se prefera vir terminar a transaeco que
havia ou proseguisse contra S. S. Recife 3 de se-
temhro de 1863.Joaquim Luiz Viraes.
irraandade. Convidando os respeitaves ir-'
mSos para este fim, tambem lhes scientifico,
que. no dia 8 deste mesmo mez, s H ho-
ras do dia, na referida igreja ter lugar com
a devda pompa e solemnidade da benco
da imagem do Senhor Bom Jess dos Pas-
sos, convidando-os igualmente a abrillianla-
la com seus comparecimentos.
Ainda para o fim de ser devidamentc a-
brilhanlado o acto da benco, em nome da;
jigljjlgij 3i;ja:;S{;iQi
Conipauhia fldeiidadc d
seguros martimos c ter-
restres estabelecida no
Rio de lanclro.
AOE.NTES EM I'EI'NAMIII 1:0
Antonio Luiz de Oliveira lacrois i 0.,
competentemente aulorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercade-
ras e predios no seu eseriptorio rua da
Cal de Lisboa e potana* m
Raassla.
Vende-e na rua da Cadeia da IsrsV n.
na onde se mudou o antigo .1. rnlit.wso ,*
mesma rua n. 12. ail-- o. geaeim sao svv.
legtimos, se vendem a pr.f.. uuis barato as 1
outra qualquer jiarle.
Ainda est para alugar-se o sobrado na rua
mesa regedora rogo s irmandades e eon- dosCoelhos n. 10, ondemoraram os padres lasa- Hajwsa^fis
frarias desta cidade se dignem mandar dar ritas.
OSSignaes do estylo, a hora da realisafo do ," Precisa-se de l:4O05 a premio com hypothe-
I
HM..J.,
para
Xa rua do Queimado a.
rao A Maia. vendem
Chapeos de castor branco
a :.
Dlos de palha de M*da para seabora a 5$.
Learos brancos de ra--a diuia I460R.
Ditos de eassa pintadla a 25.
I'.hales de La e >eda um 25.
I.fi;is escuras o covado jU r>.
dito acto.
Consistorio da irmandade do Senhor Dom
Jess dos Passos do Recife, i de setembro
de 1863.
0 escrivao, Antonio Gomes Miranda Leal
Na rua do Queimado n, l deseja-se fallar
com os senhores Gabriel Germano de Aguiar Mon-
tarroyos, Fernando Francisco de Aguiar Montar-
royos o Joaquim Francisco de Aguiar Montarroyos.
Precisa-se de urna ana que saiba engommar
e coser, para casa de urna s pessoa, exige-se de
boa conducta: a tratar na rua do Imperador, ar-
mazcm de louea n. 41.______ .________
Precisa-se de um hornera para irabalhar com
carroca: a tratar na rua da Senzala Nova n. 9, ta-
baa. 1
ca de escravos : (juera tiver annuncic nesse mes-
mo jornal.
Aluga-se um dos maiores armazens da rua
de Apollo n. 10: a tratar na rua da Senzala Ve- ?os ^'PU'nU's objectaaj 6
llia n. 96, padaria.
ATTENCiO.
Vende-se una uiobilia d
jar arauLi
cdi'iraa at
a
ala.
COMPRAS.
I bracos, 1 de balanco. 2 consolos de perira.
1 cama, 2 pares d.- serpentinas. I r-srla ss
1 commoda de morno
de jamar e 1 liaiiheiro
n. ."i 7.
te
lampa desaira,
na rua da Sei
, ,..,...' Vende-se um negro de rmia hLhU;
- Compra-se um moleque de idade de 10 a 11 busto, proprio liara qualquer serriro. sisa i
! o diario duma casa, e mbein sabe I
-Vinguein contrate negocio algum com a pe-
quea parte no engenho do Collegio situado perto
da matriz da Luz, pertencente ao fallecido Jos de
Espindola Bitancourt, pois que ella se aeha legal-
raente penhorada pelo juizo do cora merejo desta
capital.
Precisa-se de urna ama para rasa de pouca
familia; na rua da Roda n. 36.
ATTENCIO.
..? ^ba,xo. ^'nado tendo-se rehabilitado e
aehando-se de posse de sua massa faz disto sciente
a seus devedores tanto desta praca como do matto
a m de qne quanto antes ihe mandem pairar o
que lie deyem a Ora de evitar despezas judicTaes.
Recife, 10 de agosto de 1863.
____________uis Antonio de Souza Ribeiro.
Os hachareis Joao [Diaiz Ribeiro
da Cunta c Francisca de Paila Peana
niiidaraiii seo eseriptorio de advogacia
para o primeiro andar do sobrado n.
26 da rua do Queima'fo onde pndem
ser procurados para os misteres de sua
protissaodas 8 da manha s 3 luyas
da tarde e fra dessas horas as casas
de suas residencias.
Precisa-se de um rapaz para caixeiro de ta-
berna : na rua de Santa Cecilia n. 27, on na rua
do Queimado, loja de miudezas n. 6o.
annos : quem tiver para vender dirija-se Solcda-
de n. 8. taberna.
Comprase urna taberna que tenha poucos
fundos, e que seja em boa localidade : quem ti-
ver annuncic____________________________
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas : na [iraca da Independencia n. 22 lo
ja de bilhetes.
na travesea do Porinho n. 26 "titinas
CAL DE LISBOA
\ende-se cal nova de Lisboa : as taraseCar-
po Santo, eseriptorio de Mano-I Inarin i
ra & Filho n. 19.
TWTURARJA.
Tnge-8fl com perfeicSo para qualquer
cor, e o mais barato possive!; na rua do
BangeJ p, B8, segundo andar.
CRIADO.
Precisa-se de \ul criado, que tambem
entenda de servigo de to, dando-se i20(
por anno : na roa Nota n. P, i" andar, ^ pt^:
J das O s 12 hora da manha.
^Hanoel Perelra Lopes Ri-
beiro.
Ba do Rangel numero 18.
Pulle e amla todo o ferro de cirurgia e outros
quaesquer, tem rebolos de nova invenco para
trabalhr urna s pessoa sem precisar de ajudante,
declara que a invenco sua, na mesma officina
tem urna porcao de passaros para vender, curies
de Goianna, bicudos, sabia da mata, checheos, ga-
lo de campia, canarios da trra cantadores.
Osjadminstradores da massa fallida de Joa-
quim Jos da Costa Fajozes Jnior e Fajozes, J-
nior & Azevedo, ainda convidara os senhores ere-
dores referida massa a apresentarcm-lhes os seus
ttulos afim de poderem curaprir o disposto no ar-
tigo 859 do cdigo comraercial : na rua da Cruz
n. 56.
AMA DE LEITE.
Precisa-se de urna ama de leite : a tratar na rua
da Unio n. 39.
VENDAS.
Vende-se ou arrenda-se o engenho S. Elias
sito na freguezia de Serinhaem, a tratar na rua da
Cadeia do Recife n. 39, eseriptorio da viuva de
Manoel Goncalves da Silva.__________________
Vende-se um piano francez muito bonito, e
de excedentes vozes: quem o pretender, dirija-se
agencia de leudes na rua do Imperador.
Cola la Baha
Tem pira vender Antonio Lnb de Otrora
vedo, no seu eseriptorio. rua Ja Cruz n. I
Espirito de viabo.
Na rua do Cotovelln n I Tenri*-*
vinho de 38 graos a 2W rs. a muris.
da a 14600.
Precisa-se
fructa, dando-se 204
Para o da J de _
Queijos frescos do vapor a 24. el
rs., estearinas a 600 rs.. maatrin
800 rs., franceza a 360, vinho F
, boa a 100 rs., genehra de Urania I
Vende-se urna parte do sitio da Piedade jun- 500 rs. o frasco, cha perob a U
alugar urna pretapara vender to do engenho Socorro, com casa, arvoredos de to a 14760 caf a 280 rs. Itasl
fructo, capel la, trras para plantacao : quem o aA_. SU .
no pateo do Terco n. 12.
Aluga-se un sitio com casa terrea na cidade
de Olinda. na rua de Baixo, com frente para a rua
do Cabra!, e fundo para a estrada do norte, o qual
alem da casa de morada, tem estribara, casa para
pretos, capim para 2 cavallos, c arvores de fructo,
muito fresco, sem casa na frente : na livraria ns
b e 8 da praca da Independencia.
CAIXEIRO.
Offerece-se para caixeiro de loja de fazendas ou
miudezas, ummeninode 13 annos, muito activo e
de boa ndole, o qual por nao ter pratica suieita-se
a nao reeeber ordenado at flear habilitado, nao
tem parentes nesta cidade : a tratar na rna do Im-
perador n. 50, primeiro andar._____________
Aluga-se a casa n. 75 defronte do viveirodo
Muniz propria para negocio e com commodos para
familia : a tratar na mesma rua n. 33 padaria.
Achando-se o club commercal rehabilitado a
dar as suas partidas mensaes, a do corrente mez
ter lugar na noite do dia 6.
forneiro
..se de urna ama para casa de pouca
j familiar n rua da Senzala Veman. 104. ^
Precisa-se de bom
rua Imperial n. 51.
na padaria da
A pessoa que annunciou querer com-
prar urna taberna, dirija-se ao pateo do Ter-
fo, n. 12,
pretender, dirija-se ao eseriptorio do Illm. Sr. Dr.
Alcoforado, que achara com quem tratar.
Ligas finas.
A loja da Aurora, na rua larga do Rosario n. 38.
recebeu ligas de seda para senhora, tambem rece-
beu ricas flvelas esmaltadas para sintos de senho-
ra ou de menina, ricos pentes de raarrafa e de atar
cabello com laco, os mais modernos qne tem che-
gado, assim esmo tambem recebeu guarniocs de
pentes pretos muito modernos, que tanto serve pa-
ra luto como para galla, colares pretos a balad
tudo isto se vende barato, quem duvidar man
de ver.
100 rs., sabo mas>a a 200 rs.,
520. azeitedore a 600rs. de rarrapaSa
garrafa: noannazemdaestreUa, aaasdal
numero 14._______
ATTBWCAOo m
Vende-se nma taberna com poneos fon-
dos ou s a armado f a aliar no pateo do
Terco, n, 11.
RELOGIOS*
Vende-se em casa de
C, roa do Vigario, n. %
ment de relogios da
glez, de um dos mais
de Liverpool, e Untan oau
bonitos tranajjjins para os
INJECCAO BROW.
, Remedio infanrd
antigs e recentes,
tica franceza, roa da
co3f
*. sW





talarlo de Pernaiubuco tfabbado 5 de Seiemuro de sea.
I
NOVA EXPOSIS&O CASEMIRASINGLEZAS
na laja do Pavo, de fazendas bara-
tifeinas.
a f,70O rs, o corte.
Vcndem-se cortes de casemiras escuras para
caiga, pelo barato preco de i$700, tambem se ven-
dem das mesnias a 480 rs. o covado, proprias para
Nerte estabelecimonto acha-se constante; ffIS^I W^ft>^f J^ ^^ rua
mente ura grande sortimento de fazendas
de gosto e do primeira necessidade, sendo
tanto proprias para, a praca, como para o
mato; de todas as fazendas dao-se livros de
amostras, deixando ficar penhor, ou man-
dam-se levar om casa das familias pelos ca-
xeiros da loja do Pavo.
Laas rom 8 palmos de largura,
na loja do Pavo.
Vendem-se lazinha enfestada propria para
vestidos, com 8 palmos de largura, sendo
fazenda mais moderna que tem vindd ao
mercado pelo baratissimo preco de 1#600 o
covado: s na rua da Imperatriz n. CO, loja
do Pavao.
Cassas a OO rs. o covado.
Vendem-se cassas franeczas de padres
miudinhos e cores lixas pelo barato preco de I
200 rs. o covado; ditas finas a 340 e 320
a c mi.,jn c-,\ \ r- i, inM..;, rn *ende-sc laazinhas de cordaozmlio de urna so
JTS 0 CO\ado_: so na rua da Imperatriz n. 60, Ur> sendo azul claro, azul escuro, ferrete, cor de
loja do Pavao. | caf claro e escuro, alvadio, roxinhas proprias pa-
ra luto, sendo fazenda que val muito mais dinhei-
ro vende-se pelo diminuto proco de 200 rs. : s na
loja do Pavao rua da Imperatriz n. 60 de Gama &
"I
GRANDE PECHINCHA
Vende o pavo, organdys a 360 r$.
Vendo-se flnissimo organdys matizado com os
mais delicados padroes miudinhos com assentos
braucos, sendo neste artigo o mais moderno que
existe no mercado, sendo fazenda que semprc se
vendeu a 1#200 a vara, e presentemente vende-se
a 360 rs. o covado: s na rua da Imperatriz n. 60,
loja do pavao, de Gama & Silva.
CUITAN ESCURAS
r a 2,200 e 2,640 rs., s o pavao.
Vendem-se cortes de chitas com padroes escu-
ro?, tendo 10 1/2 covados a 25200, e com 12 1/2
covados a 256i0, e pechincha e vende-sc por este
prego era razao dos cortes screm em mais de um
pedaco : s na loja do pavao, rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & -ilva.
Laazinhas a 900 rs. o covado.
Xa loja do Pa\ao.
Organdy. a 'i IO rs. o covado,
- na loja do Pavo.
Vendem-se organdy de cores matisado, fa-
zenda que val muito mais dinheiro, pelo ba-
rato preco de 210 rs. o covado ou 400 rs. a
. vara: s na rua da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
O Pavo vende os modernos ves-
tidos balo,
com barras a Mara Pa, sendo os mais
modernos que que tem vindo ao mercado,
com a saia de um s panno, tendo bastante
fazenda para o corpo, e vende-se pelo barato
preco de 3>500 cada um: esta pechincha
s existe na rua da Imperatriz n. 60, loja e
armazem do Pavo.
Nova pechincha de las enfesta-
das a l OO rs. o covado.
S o Pavo.
Vendem-se laazinhas enfestadas transparentes
com dchdados padres sendo de urna s cor cora
listras e quadrinhos e vendem-se a 400 rs. o cova-
do : na loja do Pavao rua da Imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
Cortes de cambrala, a 9$500.
na loja do Pavo.
Silva.
Os
manguitos e golinhas do
Pavo.
E pechincha, a 320 e a 400 rs.
Vendem-se golinhas de fil, bordadas, a g Se Iml^comoSSa
400 rs.; ditas de cambraia, a 320 rs.: cal-' JC-!?J l tw jardas a
cinhas para meninas, a BQOn,; manguitos, ^l^ZtfC!
Tarlatana da Arara a 1 OO rs.
Vendem-se tarlatana de cores para vesti-
dos a 400 rs. a vara, fil de linho de cores
para mosqueteiro a 160 rs. o covado, enfei-
1es para cabera de senhora a 10, 3# e 40,
os mais modernos que tem chegado, tapetes
para salas por 50 cada um, toalhas de linho
para rosto a 640 rs., ditas pelucia a 10, o
melhor que ha em toalhas; na loja da Ara-
ra, rua da Imperatriz n. 56, de Mendes Gui-
mares.
SEJfl SEGI \ IIO.
QUINQUILHARIAS.
Rua do Queimado, ns. 49 e 55, lojas de
Jos Bigodinho,|queiram ver ver as fazendas
que abaixo annuncio, pois todas eu garanto
que sao muito novas e baratsimas.
Pecas de trancas de algodo de to-
das as cores a....... 80
Duzias de linhas com 200 jardas, A-
lexandre, a..... 10100
Carritel de qualquer numero 100
Varas de aspas para balo 80
Caixas com superior obreias a 40
Ditas de colla ....... 40
Pares de botes de punho a 120
Pares de sapatos de tranca 10280
Ditos muito superiores, a l^GOO
Caixas e pacotes de papel amisade de
cores a. ....... 600
Duzia de meias muilo finas para se-
nhora a........30500
Duzia de ditas cruas para homem a 2*400
300
30
$^d&&
&kfa&&.
BAL
Attenco!
Posto que domine no cora-
Co do BALIZA a mais bem en-
tendida ambicao de tirar de
seu negocio as melhores van-
tagens, com tudo elle nao pro-
cura fazer fortuna vendendo
gato por lebre;
Quando nao se negocia aca-
nhadamente, est bem ao alcan-
ce de todos a facilidade de fa-
zer-se boas compras, para ven-
der-se barato.

I.eiam todos.
Ao armasen do BAUZA pi>-
(k-m ser devolvidos quaesquer
gneros qno por man ala
sejam do contento dos senho-
res compradores. Nao la
resentimento alftn en M li'<>-
car por entro, ou reslituir-se
o dinheiro recebido,
Manter a todo ipioeM
crdito, c agrada* aos m a-
migos e (regaron, nao
desojo do proprielario desle
eslabeleneote,
Y*.
a 500 rs.; manguitos com golirSa?^800JSf*'*',ianlcom jg**'
res; manguitos de cambraia, a 320 rs.: s I Dl ?' mu -8 8 Jar"
na rua da Imperatriz n. 60, loja do Pavo. I Carl0es de ,nha om ^ ^
se acabando |a......
Vara de fita prela com colxetes para
vestido, e tem um resto parda a
20
60
120
NA ARARA
Grande exposicao de fazendas de lodas
as qualidades; sendo por baratis-
simo preco, na loja c armazem da
Arara na da Imperatriz n. 56 de
Lourenco Pereira Mendes Guima-
res.
60
100
Objeetos de tintura c miisica.
Na rua do Queimado, ns. 49 e 55, est
queimando tudo pelos precos abaixo decla-
rados, e prestem toda a attenco para ver
Vcndem-se chitas cores fixas, com peque- oque bom e barato,
no toque de mofo a 200 rs. o covado, len- Duzia de facas e garfos muito finos a 20500
cosbrancos e combaras 200 rs., meias:Dita dita dita de cabo preto muito
Vendem-se cortes de cambraia brancos com para homem 120 rs. o par, ditas para me- finas a........ 30200
babados, a 2 500; ditos, a 40; ditos comlnios, 100 rs. o par; na rua da Imperatriz Dita dita dita de balando,'melhor, a *
LEDE! LEDE! LEDE!
Siempre a frente do progresso,
Constante marcha o BALIZA,
Tem por norte o bem commnm,
A verdade por dirisa.
u n \ \ ii fc
31
barras e babados de seda, a 30, 30500 c 40; n. 56, Arara.
s na rua da Imperatriz n. 60, loja e arma-
zem do Pavo.
Cortes de cambraia chineza, a
l S- na loja do Pavo.
Vendem-se ricos cortes de cambraia chine-
za, os mais modernos que tem chegado, sen-
do brancas com 1 i ndissimos padres, pcloba-
Arara vende as cassas a 200 rs. o covado.
Vendem-se cassas finas para vestidos a
1200 rs. o covado, organdys finos para ves-
tidos a 240, 280 e 320 rs* o covado; s no! Ditas ditos de lalo muito finos a 40
armazem da Arara, rua da Imperad iz n. 56.! Ditas de dito grandes.....120
50500
Tesouras para costura, muito fi-
nas a .........400
Ditas ditas para nabas, muito finas a 400
Cartas de alinetes de ferro a 80
Cortes de chita da Arara a 2:000 rs.
Vendem-se cortes de chita com pequeo
Calas de phophoros de pao
Grosa de ditos do gaz a
atonde"W^tol^i^'>aAe t0flu,c de m/ a *&. ^ fon* i 20, se|iasdde/^^ d 1
fazenda para um vestido: isto s na rua *\&IZ~*W*^tt SlSnSn:
Imperatriz n. 60, lo a e armazem do Pavo. lllas ,,aPce7-^ a 20OO o corte: na rua da
; Imperatriz, loja da Arara n. 56.
Balos a 3500, s o Pavo.
Vendem-se bales americanos que sio os
melhores, tendo 20 arcQS, a 30500 ;
de 30, a 40500; ditos de 40, a 50
Arara vende grosdenaples preto a 1:000 rs.
Vendem-se grosdenaples preto a 10,10600
ditos!3 20o covado, dito de 4 palmos de largura
ditos Ia 20000 o covado, cortes de casemira preta
de bramante, a 30500e 40; ditos parame-
ninas, a 2# e a 30: s na rua da Impera-
triz n. 60, loja e nrmawm da Pavo
Cortes de chita, a 9500,
na
loja do Pavo.
de cores a
para calca a 20600 e 40, ditas
3500e 40; na loja da Arara, rua da Im-
peratriz n. 56 do Mendos Guimares.
Corles de lia da Arara a 3:C00 rs.
Vendem-se cortes de laazinhas para ves-
tidos a 30600. oh! que pechincha. laazinhas
Vendem-se cortes de chita com 12 l|2 co-1 para vestidos, linas a 400 o 500 rs. o cova-
vados cada um, a20500; ditos com 10 cova-
dos, a 20 : cortes de cassa miudinha de co-
res fixas com 10 covados, a 20; ditos de
organdy nathisado com 10 covados, a
20400: s na rua da Imperatriz n. 60, loja
Livros para meninos todos cheios de
calungas a.......
Abotoaduras para colotes a .
Escovas para roupa.muito finas a 400,
500 e.........
10
20200
200
160
320
160
800
& 'ik.*
do Pavo.
As casemiras do Pavo pechin-
cha a .#.
calca, hienda muito lina, padroes claros e
escuros. a 50 o corte: s na loja do Pavo,
na da Imperatriz n. 60.
.s na rua dq Imperatriz n. GO, loja do Pavo.
fusto do Pavo.
Col xas da
Ospaletots do Pavo, assobreeataodo a 12:000 rs.
Vendem-se pak'tots de panno, sobrecasacas
de panno preto muito bom e muito
feitas, a 120: sobrecasacos de dito, a
bem
trara avellndadas a
S000.
Vendem-se ricas colxas aveludadas para
cama a 80, ditas de fusto de cores a 50,
ditas de chita a 20; na rua da Imperatriz
n. 56, Arara.
Arara vende os cortes de case-
mira a 2#ooo.
Vendem-se cortes de casemira
Ditos de banha transparente a
Ditos de oleo filoconne a .
RIVAL
SEM SEGUNDO.
500
100
200
500
320
500
200
900
800
720
800
SI3M HGOUMDO*
PECHINCHA.
Perfumara de superior qualidade.
O rival sem sejjundo rua do Queimado,
ns. 49 e 55, est disposto a vender mais ha-'
do, ditas de quadrinhos a 320 rs. o covado; rato que nunca vendeu, para o que queiram
na rua da Imperatriz, loja da Arara n. 56, de v'r :
Mendos Guimares. ; Duzia de sabonetes finos a 720
Oh! que pechincha a 8-fiO rs., Jabonete ingles, o melhor, a 160
chitas larcas. rseos com agua de Colonia muito
Vendem-se chitas francezas com pequeo *,naa :.'' ??
toque de mofo a 240 rs. o covado, dilas Jilos de dita grande a 500
linpas, finas a 320, 360 e 400 rs. o covado, jDlt0S de Lavan riscado franco/, a 280 rs. o covado: na rua! ,' a .' '.." '
Vendem-se cortes de casimira franceza para fia imnealiiz n 56 Vrara de Mendes Gui- Ditos de macaga oleo muito bom a .
" maraes. Ditosperola muife superior a .
i Ditos de oleo de babosa a 240, 320.
Arara vende o madapolao a i:000 rs. 400 e.........
Vcndem-se pecas de madapolao francez fi- Ditos de banha branca a .
no, enfestado a 4/ e 40500, ditas inglezasDito decheiromuito bonitos a .
com 24 jardas, finos a 70, 70500, 80, 90 e: Ditos de banha, pequeo, muilo fina
Vendem-se fusto com lavr miudinho 100 a peca, freguezes a elles antes que se] ..........
para roupa de meninos, a 320 rs. o covado; aDe ; na loja e armazem da Arara, rua da; Ditos de opiata a 200 rs., e boa a
brira de linho de quadrinhos para roupa de Imperatriz n. 56 de Mendes Guimares. ; Ditos de banha japoneza a .
meninos, a 560 rs. o covado; ganguelim
de urna s ciir, a 320 rs. o covado; popelina
de la, de quadrinhos encarnados e pretos,
para vestidos de senhoras e roupa de meni-
nos, a 10 o covado : s na rua da Impera-
triz n. 60, ioja e armazem do Pavo.
DE
Largo do Llvramento ns. 38 e 38 1
Defronte da grade da igreja
AO RESPEITAVEL PUBLICO
Senhores c senhoras
O incansavel propietario do grande armazem do Baliza toma a liberdade de nadn
declarar do alto da imprensa pernambucana, que elle perfeitamente liberal em offerecer mm ra
*" benvolos freguezes as meRhores qualidades dos mais bem escomidos gneros, Dio s do pan c m i do
estrangeiro a precos de contentar c satisfazer a todos.
Fazendo to publico e espontaneo manifest, o referido BALIZA jolga de sen rigoroso dem
declarar mui seria e pusitivamente nesta oportunidade, que tambem o mais firme e dedicad
vador de sua numerosa freguezia.
Da boa qualidade e batateza dos gneros offerecidos aos seus fregoezes, (unta ao peque p>
nho que tira para si, tem sabido fazer o BALIZA a maisperleita liga de interesses recprocos, qoe i to-
das as consciencias dove por forca e necessariamc-nte agradar.
Tendo por conveniente tambem a publicaco do seguinte aviso, o BALIZA faz saber imam m
aquellas peesoas que s-?mpre esto promptas a comprarem tudo, com tanto que se Ihes permita |
rem logo, que elle
NAO VENDE FIADO.
Os amigos da economa, aquellos queso compram os objectosde que carecen) e irostam fi-
naimente de ompregar bem o seu dinheiro vcdIuuu a este eslabelecimenlo.
IiEIAJM TOIIOS.
Do preco de qualquer genero annunciado a venda em outros estabel.'rimenhs. poden os -vnhn-
res freguezes dmiinuir cinco por cento,.e vir compra-lo ao Baliza, que sendo, como todos sab ra
um do movimento prefere ganhar muilo pouco, Yh
wmmM
VENDEM-SE
mWSffl
canoas de amarello de um s pao, propri&s para
pescara e para abrir : a tratar na rua da Cadeia
do Recife, armazem de lou^a n. S9.
lira Deseobriraciilo Espantoso!
0 lundo Srifntififo uHanimai.'.nl' > approra.
Objeetos diversos.
Rua do Queimado, ns 49 e 55, vende os
objeetos abaixo declarados, pois para aca-
enfestada
., de cores para calca a i, tambem se vende' bar; estes pr?nl0 lio' para "continuar,
paletots sacos de dito, a 7,1; calcas de cache! 1^^ ^fesSa ^m^Tizzi T* V?essida,des1ass-m Permitte-
mira da Escossia a 3^ ; ditas de casemira I J ^J^m^UJfk SnSetTanrVr'^ t^io
preta,io-S; ditas de casemira de cor, mnto A rua da Imperatriz n. 56 de Alendes Ca!1,,vetes de aParar Penas, de 1 fe-
lina, a 70 e a 5500; coletes de casemira de Guimares
cor e preta; paletot de casemira de cor, |
a 7d; tudo isto para apurar dinheiro: so: Arara vende as cambralas.
na rua da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.! Vendem-se cortes de cambraias de barras
2:000, na a im0f v 3^500 e 4/ a peca, finas, ven- ^ a, ;
Duzia de dedaes de metal
Iba a
Ditos de 2 ditas a .
Caixas de colxetes francezes a.
Duzia de dito francez a .,
80
80
160
40
3(501 tsica pulmonar,
Corle le cachemira da Escocia,
loja do Pavo. g.gg ,^,^5 e cambraia bancas com palmas
Vendem-se esta nova fazenda muito encor- solas, com i vara de largura por 2)5500 o
pada mitacao de casemira, tendo padres corte; na rua da Imperatriz loja da Arara
escaros e alegres, afiancando-se que nao des- n. 56 de Mendes Guimares.
40
bota, a 2# o corte para calca, ou 580 rs. o co-
vado para paletot, coleto etc.: s na loja do
Pav5o, rua da Imperatriz n. 60.
Fazendas brancas,
Pavo.
na loja do
Vendem-se pecas de madapolao enfestado,
francez, com 20 varas, a 8#; ditas com 12
jardas, a 4rfr; dito inglcz muito fino, a 1&,
7fJ500 e8|; ditos muito superior, a 10;
ditos de 40 jardas muito fino, a 4|)800 e a
5fW00; algodozinho muito encorpado, a
40800, 5,5500 e 6$; bretanba com 4 pal-
Oh! que grande pechincha.
Vendem-se pecas de ricos riscados fran-
cezes com 14 covados para vestido a 200 rs.
o covado, organdys para vestidos a 300 rs.
o covado, chalm para vestidos a 44o rs. o
covado, la para vestidos a 200 rs. o covado,
cobertas de damasco para cama a 4(5; na
rua da Imperatriz n. 56 Arara de Mendes
Guimares.
Arara vende os baldes.
Vendem-se os mais bem feitos e moder-
nos bales americanos de 20, 25, 35 e 40
arcos a 3)5500, 4)5, 4)5500 e 5)5, ninguem
mos de largura, muito fina, a 1;5 a vara; | deixar de andar sem balo que o preco j
pecas de cassa de cordo para babados, com convida; na rua da Imperatriz loja da Arara
em caixi-
nha de vidro.......
Tinteiro de vidro com tinta superior
a..........
Ditos de barro que serve para tin-
teiro a ........
Grosas de boloes'de louca prateado a
Pecas de tranca lisa encarnada a ,
Varas de bicos e rendas, para aca-
bar a .......*.' .
Varas de labyrinlo de 3 dedos de
largura a........
Caixas de folha com phosphorosa .
Dilas de pos para dentesa .
Pentes de tartaruga a 3)5000 e .
320
160
100
160
20
60
100
40
100
3)5*00
A Coiuposicto Anacahiiita
PeHoral de Rcmp.
Por egpac/) de muito tcsnpo je lia tizado ex-
tensamente cm Tampico para a cura de
PAPEL
6 varas, a 3)5500; ditas com 12 varas, a 7,5:
Pechincha, a 500 rs. o covado.
d o PavSo.
Vendem-se
n. 56 de Mendes Guimares.
Ronpa felta e chapeos.
Vendem-se. uniformes completos de case-
mira inglezas de boas cores a 10)5, vende-se
as mais modernas laazinhas palitots de brim a 2#500, ditos finos a 3)5,
enfestadas, transparente, tendo 4 palmos de de meia casemira a 3)5500, calcas de meia
largura, e sendo lizas e de quadrinhos, de casemira escura a 2)5, ditas mais finas a 3)5,
urna s cor, propria para vestidos e capas,. seroulas de linho-de bramante a 1)5600 e
a 500 rs. o covado: s na loja "do Pavo,! 1,5800, camisas francezas a 1)5600 e 1/800,
rua da Imperatriz n. 6e. de Gama 4 SilvaJdia&^nas a U e 2j5500, ditas de linho com
O Pavin vende t8|e MMftVL?* Np multo modernas a 3^ chapeos
v **-- TeWsssas de cores e pretos a idOOO, 1 <5800,
cortes de 13a, a 34 e 3^500; ditos com 22 25 e 2*5540, isto mais que pechincha; na
covados, a 50: s na rua da Imperatriz o. loja e armazem da Arara, rui da Imperatriz
60, loja e armazem do Pavo. j n. 56 de Mendes Guimares.
de cores para listas de eleitores
A aguia branca suppoe que nao faz mal em offe-
recer aos athletas uns pacotes com 254 folbas de
papel de cores, que pode servir ptimamente para
listas de eleitores, e tanto melhor por custar cada
pacote o diminuto prego de llOO, e ser cada un
de urna s cor, o que difllcil de encontrar a nao
ser na rua do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Na mesma loja tambem ha de eutras qualidades,
branco e azul, assim como anvelopes.
CATABRHO, ASTHMA,
BRONCHTFE, TOSSE CONVULSA,
CRUPO O GARROTILHO, e
Inflammac;es da Garganta e do Pelto,
c isto cora um resultado to feliz e verdadei-
ramente assombroso o pao ou mndeira d'uma
arvore que charaao Anacahuita, e que s
so encontra no Mxico.
A Oomposi9ao Anacahuita Peito-
ral de Kemp um Xarope delicioso, intei-
ramente differente na sua composicao de
todos os mais Pcitoracs c Expectorantes raa-
nufacnirados de fructos astringentes, cascas
aizc?, te, o nesino nao contera aepliiim
* Acido Prussico ou outros quaesquer ingre-
dientes venenosos.
Todas as molestias e affecc,5es da garganta
e dos pulmoos dcsapparecem como por um
mgico encanto, mediante a acc,o deste in
romparavel e irresistivcl remedio.
venda as boticas de Caors A Barboza,
rua da Cruz, e Joo da C. Bravo A C., rua
da Madre de Dos.
FAZENDAS BARATAS
27Rua Ao Queimado2"
NA
Xova loja de Custodio, C'arvalho
fi: Companliia.
FukIid francez
para vestidos de senhora e meninas, fazenda mili-
to fina e pelo barato proco de 2ti0 rs. o covado.
Finas canbraias organdys a ;J40 rs. o covado.
Baldes
de reos, de iodos os tamanbo, pelo prego de
3J400.
Calcinhas
bordadas para meninas, pelo barato preco de 2200
cada um par.
Uiazlnhas
matizadas finas para vestido a O r o aovada
Colierlas
de chita a 2,5000.
Unces
de panno de linho a 2.
Toalkas
de ustiio, pelo barato pre^o de 400 rs. cada urna,
cmh
de cambraia para senhora a 25.
Golinhas
de linho para senhora e menina a CiP; 800 e i.
Sortimento
de meias para meninos e meninas.
Lazina
preta para vestido a 300 rs.
Guardanapos
adamascados a 2.3 a duzia.
45--RTJA DIRITA~45
73-33 Eii2S
Ei.i, rapasiada, roragom? p.irere rp;.
i
l.a para bordar.
A loja da aurora na rua larga do Rosario n. 38
recebeu um grande sortimento de laa fina para
bordar qualquer obra a qnal vende-se barato,
tambem recebeu enfeites a Maria Pia cousa muito
Rua da Senzalla n 42.
Vende-se, em casa de S. P. JohnstonC.,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela, I moderna, rap rolo francei em frasco oiuito res-
cbicotes para carros e montara, arreios para f.0,' a,ss,m cmo tambem tem de umitas outras qaa-
carros de um e dous cavailos, enWMde|S^^
ouro patente inglez. cso.
ESSENCIAS DEPURATIVAS.
.tnli-sypbilitica e anti-rbeomatira
Approvada pela Imperial
academia de medieina.
COMPOSI?AO E PRBPARAgAO DO
l)r. Ernesto Frederico dos Sanios,
Pharmaceutico pela escola de medicina
do Rio de Janeiro.
Estas essencias cuja formula j foi ap-
provada pela academia imperial de medi-
cina do Rio de Janeiro, e pelas quaes seu
autor foi premiado na exposicao nacional
de 1861 e com duas medalhas na expo-
sicao de Londres, sao sem conteslacao o
mais cfllcaz de todos os medicamentos at
hoje conhecidos para o curativo de todas
as molestias syphilicas ou que dependam
de urna altcraeao do sangue.
Distinguem-'se estas essencias pelos ns.
i e 2, cujas formulas variam considera-
velmente, a de u. 1 empregada com o
mais feliz resultado as molestias vene-
reas ou que dependam de alterago do
sangue, como, cancros venreos, rbagas
sjphiliticas, boubas, aflecc/Tes herpeticas
c dartrozas, as blennorrh^as, leucor-
rheas, vegetaces syphihticas, escrophn-
las, escorbuto, erypelas etc. A de n. 2
tem sidoemprcgadi exclusivamente pa-
ra debellar os rhenmatismos sy-philiticos
e gotosos e as exostoses ou tumores
osseos.
Acha-se a venda este precioso medica-
mento na rua do Rangel n. 62, pharma-
cia de Medronho & Martins.
entregastes os vossos oanptes aoa daros
sos do pessimo calcara^ntfi da nnssa i
S se observa em -v- ..-; r. -< r,.
abadas e gastas at i tiHana sola;
rasgad-is eqoasi sem salios___nen
a quebradeira nao ikw clu^r m; esta par-
to .' Vinde rua iivita mtmir-vos m emt-
lente calcado com 40 e at (50 por cea
monos do sen valor.... all ni. i:
Borzegnins, Nantes, beaerra i
quela 2 e meia solas ....
Borzegnins, Naatei, l../.ri\. va-
queta e itisiii' i sni.iv. .
Borzegnins, francez a hHbfH^
bezerro, lustre e coaro I. pv
(o 75 e........
SapatOes, Plantes, bezerro vaque-
ta 2 c mi-ia sola.....
Sapatoes, Nantes, vaqueta, lusti
btMrrolarini......
Sapatoes, Nantes, sola e vira. .
Ditos para menina, com laco. .
Ditos de ditas, de cores. .
Sapatos para senhora e hornea,
tapete.........
Sapalos de borracha para senhora.
dem idem para meninas. .
| Sapatos de lustre para senhora. .
dem de lustre as avessas .


mu
AOS SRS. (0>Si'H1HD0KSMCA
Nos armazens do Caes do Ramos n. 19 e
na rua do Trapiche Novo (no lerifc) n. 8, se
vende gaz liquido americano prinvira qaab-
dade a retalh a 105 a lata de :i pales as-
sim como latas de 10 e de 5 garrafas e S
em porco mais barato que em ootra
quer parte.
cal de
a mais nova do mercado
19, primeiro andar.
Lisboa
na na do Tifarw a.
Koa da Senzalla Xava i. 41.
Neste estabelecimento vendem-M:l
ferro coado libra a HO rs., idapeLow
Moor libra a 120 rs. ________^Bl_^
Vende-se a armaro da luja n. 40 4 rua 3f-
va, envidracada e em muito bom estad : a
na mesma luja.
Macaas. J
Baratissimas caixas com macaas de superior
qualidade : vende-se no armazem da rua do Vina-
rra n. 7.
i
Vendeni-sc superiores charutos suspiras a i
cada meia caixa, ditos de diversas marra*, i
de 100 chiratoM 1#IOO, ditos de ditas, meias cas-
ias, a 600 rs. : na roa .Nota n. 58.
-
Qnem aula comprara.
Ricas ch-ipelinhas de seda muito besa ffcisa
das o bellos gostos para senhora, pela ierra parte
do seu valor : na rua do Queimado, loja k. II
UTILADOi


'

Diario de PeraanabiH ... Mafefoado de eteanbro de 1863.
E COMPLETO SORTIMENTO DE MOLHADOS

3 O
i

a.
<3?3>
<**e> a
(tul \
@3 o
m
5 SaV
(=5
fSU, S5
o
?*
f3
flAjl
tsssl I
tp
o
a,
jp
i. o
O
* *-

tJ
S

O
. V
v*
as
c
I
i-
c
t
o
3
g ^
t
I*.
t
"t
ec
O


O
O
^.
O
S
t

O
fe
-
H
O
-
u
t
.*S

t
i
eo
>
t
eo
O
*
o
o
e*
O
"t
s
i.
o
t
t
s-
t
tr
t
O

t
O
t
o
"t
o
O
te
O
o
o
o
o
t te
3 1
te
t
o
te
Vinhos em pipa: Porto Figueira e Lisboa, a
4oo, 44o, 5oo e 56o rs. a garrafa, e em
caada a 2,56o, 2,8oo, 3,ooo, 3,5oo e
4,000 rs. do melbor.
dem lagrimas do Douro, especial vinho do
Porto mandado vir de conta propria a
lo.ooo rs. a duzia e l.ooo rs. a garrafa.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado, das seguintes marcas: Duque do
Porto, Feitoria, Nctar, Velho Secco, Cha-
misso, Madeira superior a 9,oo rs. a ca-
xa e l.ooo a garrafa.
dem Bordeaux das melhores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Esteph e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
dem muscatel de Setubal verdadeiro a 2,ooo
rs. a garrafa e 22,ooo rs. a caixa.
Garrafes com 5 garrafas de vinho do Por-
to do Alto douro a 2,2oo rs. com o gar-
rafo.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira
muito proprio para a nossa estaco, por
ser mais fresco a 2,4oo rs.
Vinhos velho chamisso em barril muito pro-
prio para sobremesa por ser muito claro
e macw a 6oo rs. a garrafa e 4,5oo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 5oo rs. a garrafa e 3,8oo
rs. a caada.
Garrafes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa al,2oors.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e l,4oo rs. a caada.
Velas de spermacet a 6oo, 64o e 68o rs. o
masso.
Manteiga ingleza perfectamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
54o rs. e em barril a 5oo rs.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado.
Banha de porco a 54o rs. a libra, e em bar-
ril se far abatimento.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, l,8oo, 2,ooo e 2,5oo rs. cada
um
dem londrinos os mais frescos que se po-
dem desejar a 8oo rs. a libra.
Caf do Rio de Ia e 2* qualidade de 8,ooo a
8,5oo rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz caroliuo e do Maranho a 3,ooo rs. a
arroba e loo rs. libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
em porco ter abatimento.
Caixinhas de ameixas francezas de 1 1/2, 2
e 3 libras* elegantemente enfeltadas com
i diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,5oo, 2,ooo, e 3,ooo rs.
Fructas em caldas das seguintes qualidades:
ameixa, rainha Claudia, cerejas, pero,
ginja, pecego e alpech a 5oo rs. a lata.
Marmelada imperialdos melhores conservei-
ros de Lisboa a 6oo rs. a libra, e em la-
tas de I V e 2 libras.
Ameixas francezas em frascos de 1 1/2 e 3
libras de l,4oo a 3,ooo rs.; tambem ha em
latas de l.ooo e 3,ooo cada urna,
Cha huxim miudinho mandado vir de en-
commenda especial, a 2,8oo rs. a libra,
garante-se a boa qifSidade.
dem hysson o mais superior a 2,6oo rs. a
libra, afianca-se ser iguafao que regular-
mente se vende a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem preto muito flno a l,9oors. a libra.
dem mais baixo, e miudo proprio para ne-
gocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Genebra de laranja a 9op*s., a frasco.
Chouricas e paios, os mais frescos que so
pode desejar, a 5oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e lo,5oo a caixa.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8oo rs. o frasco.
Licores francezes das seguintes. marcas: A-
nizete de Bordeaux, Plaisir des dames, e
outros a l,ooo rs. a garrafa e lo,ooo a
caixa.
Passas muito novas a 6,ooo rs. a caixa c
- 36o rs. a libra, ha caixas, meias e quartos.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs.
a libra.
Azeite francez clarificado a 76o rs. a garrafa
e 9,ooo a duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. o pote.
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
rafinha.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de 1 ,ooo a 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oo rs.
a grosa.
Milho alpista a 160 rs. a libra.
Milho painco a 140 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra a 2,300 rs. a arroba.
Sag muito novo a 2iO rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol que raras veces
vem ao nosso mercado a 300 rs. a libra,
e em caixa ter abatemento.
Sabo massa de 180, 200, 220 240, rs. a
libra do melhor.
Graixas em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
curvin, salmao c outras qualidades prepa-
rados de escabexe, segundo a arte de cozi-
nha de 1,400 a2,ooo rs. a lata.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
440 rs. cada urna.
Papel greve pautado e liso a 3,500 rs. a res-
ma.
Azeite doce de Lisboa muito fino em barril a
640 rs. a garafa, e em porco ter abati-
mento.
Cliampagne das mais acreditadas marras a
l.ooors. agarrafa e lo.ooo rs. o gigo
com urna duzia.
Doce da casca da goiaba a 4oo, 5oo, 6oo,
7oo, 8oo, e l.ooo rs., o caixo grande.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez, a
suisso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a libra.
Velas de carnauba e composico a 32o, 36o,
e 4oors., a libra, e de lo.ooo a 1 l.ooo rs.
a arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa a 1 ,ooo
rs. aancoreta, e l,5oo a de Lisboa, estas
ultimas raras vezes vem ao nosso mercado
pela sua boa qualidade.
Massas para sopa macarro talharim i taM
muita nova a 48o rs. a libra.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Baha a 4,ooo, 9,900, 3,ooo e2,5oors. a
caixa.
Serveja das melhores marcas a 5,ooo rs. a
7,ooo rs. a duzia.
Biscoitos inglezes das aaajata marran:
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies
Lunch, Cobin, eoutras a l,2oo rs. a lata.
Bolachinha de soda especial encommenda a
l,8oo rs. a lata.
Iem Craknel em latas de 5, 7 p 11 libras a
4,ooo, 5.5oo, e ll.ooo rs. a lata.
Massa de tomate em latas de 6oo a 7o. rs.
cada urna.
Sardinha de Nautas a 36o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa a 320.rs. a libra.
Tijolo de limpar facas a 16o rs. cada am.
Ceblas a 9oo rs., o molho.
Farinha de Maranho muito alva e l*iroza
a 14o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cominho, cravo, erva doce, enxofre, palitos
de denles em caixinhas que ludo aaa>
mos por baratissimo proco.
Ricas caixinhas com concites e fructas >iv-
cas muito proprios para mimos pelo bara-
tissimo preco de l.oo rs. cada una.
Baratissiinas bandeijas. Novas cintas elsticas pura senhoras
A agui.i branca por muitas vezes tem da- casadas,
do a Donhecer que quandoacha alguma pe- A reconhecida nOBdadedeas necessarias cin-
ehincha, nao quer somente com ella encher ,as Masticas fez rom que em breve se acabassem
o papo, a i ..rario desoja c,ue toda sua boa ZSSSSi&O^ 'n^dS
freguezia e o pubh.o em geral provem da prove' deltas, a vista do que a aguia branca man-
esma, o que agora mesmo aoon'cce com don buscar mais aigumas, que acaiam de chegar,
essas; baratissimas bandeijas, cuja limitatEo ainda inais t>erft;iias que as primaras, uso por se-
de nreros admira om ivIicmo aoslimanhosp r'''!1 moont\ agora, pois, podem as senhoras a-
ce pres<>&J.imiia, m uiduio aosumanuose sadas preveurein-se, mandando-as comprar ua
qualidades: avista do que convem a todos a- lojadaguia branca, ra do Queimado n. 8. Se a
provetaivm-se dessa opportuna occasio e aguia branca precisasse de sementante obra de
proverem-se d'um Iraste semprc necessario, rortoBests vez nao liraria sem ella.
qe Ibes custar qu:in^r!. dojust0|va- tucouiincudas d'asuia branca rec-eW-
101. ASS1T1, pOlSj
ROUPA IKITl

e dirigirem-se com dinhei-
ro a alegro o espafosa toja d'aguia branca
mado (Heimado n. 8.
Os afamados copos com baulia. e
boles com insccipces. .
Chegaram novamente para a aguia branca'
las pelo ullimo vapoc.
lticos pentes de tartaruga com etiapa de madre-
pella.
Bonitos loques de madreperola.
Delicadas caetas de dita.
Lindo* cliapeoz.inlios de selim para baptisados.
Micos de seda brancos e pretos.
esses alamados e estimados copos'com banha .^r" 5*UnhaS C'U n'usicas e xm "",,ara
fina; ass'm como os bonitos boioes de por- TnncelinsdelipafteaMtes.
cellana dourada tambem com banha, e novas! F'tas de seda estreitas para ditos.
inscripcr.es maviosas e jocoserias, mu ade- yj8 d''v,:llud C01"liilras *** ***** w
quado para presentes resta porem que os apre-.'
i((i'F -i .* > i ii< i i .. niMmMo.i ,1,, ,|;i,i. .;... .',
alegre o espafosa loja d'aguia branca ra do I
Queimado n. 8.
NO
Aitn.txi:n
RA DO QUEIMADO N. 46
OE
% ^W*
mm
I
OE
>&b
3LETF.EIBO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feila de
li/l-\lAN E ROIPAS FEITA9.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a
muito bem feitas a 251, 28$, 30; e 355, paletots ac
125^, ditos de casemira de cor a 15)5, 18| e 20$.
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim
grande e variado sortimento de foze&das de todas as qual
horaens e meninos.
.i 255. 28-5, '5"-s v :t:,.>. a
asacados de panno preto d IS#aV
paletots saceos de panno e car
'paca e
Aspas de balea para vestidoa.
mlha uo .t<;o p;iia e>|PanitriOS.
andesde dina.
Ricas siiarniccs flvcllas para cutios.
A amiia branca
ri'ceiKMi novas e ricas
l'ulseiras de contas para meninas.
Paos para abrir lavas e port-charutos.
Essencia te ail para engommados.
Pos hygtenicos de Lubiu para denles.
l.i'ite virginal para tirar sardas.
Dito d*ires para extinguir as caspas.
Vinagre aromtico para verligeus. dores de ca-
guarmeoes de pentes dourados, eeom pe- be^etc.
dras; assim como outras bordadas froco e1 Cosmetque surlincpara cabellos.
com bolas pendentes, novidade essa que s' j!%niiula P;1. ,))Kde-
se acha m dita loja. e que naverdadese! nda^.'1|0-llsa;
tornam mu alegres e bonitas; e bem assim A",u,,s cw perluiiianas.
receben lindas fivellas com podras, e ditas' J'SJS^'STS^JR ')1UL'uran1do uma
a, i i i bella galantana para se ollertar a uma scuhora ou
com novos e engranados moldes, cintos .....nina em seos anniversarios, oa mesmo na
dourados e de marroquim; e muitos outros amarrayodas mestras desase nao aiava coas*
obj
Irados
branca
ftMV, nnnmi-, I perfumaras, cujo goslo e novidade Ibes da a pri-
,,iau econmica. maiht A aguia branca folgar de contntese
A aguia branca acaba de receber essa acredito- es8"f1fei1 reraliiivm sempre em suas predilec-l
da graxa oronoinici. cuja suierioridde est ge- las'reSU(,za>. e quaudo assnn nao Beja, nao faz,
taimente reconbecida ; essa boa graxa se torna Ina|, porque a mimoseada reparando na singulari-1
recommendada. tanto iH.rquc o calcado lustrado dadt> do "bJect0> querera desde logo alistar-se no,
comella deixa iierfeitamente lustroso ao menos "un.lero1'M'luellas-. Eni todo cas0 havendo di-1
tres das sr a necessidade de novo unto, como nne,ro' mesmo porque sua preparacao anpropriada para branca,n- 8. que ludo se arranjara.
Waciar e conservar o couro": ella vem eiu caixi- ^jhe8*rMa "ivas de pellica para a loja d'a-
ttOS e barrzinlios, e acha-se a venda na na do '"a branca, ra do Queimado 11. 8.
Queimado n 8 loja d'aguia branca, aos rczumidos DclioidaiB tcnurihi ____
precos de ion, 500 e c,w r. icsoiirianas u ac paca
bordado c lahjrinthos.
A pedido de algumas senhoras suas predicletas
tregelas, a aguia branca mandou vir dessas de-
lii-adas ti'sournlias.d'aeo (tontas agudas, proprias
para bordados e labyritlios, e uma vez chegadas
como de busto chegaram. a aguia branca convida
as de mais senhoras suas boas freguezas para
aproveitarem-se da oeeasiao e bem empregarem
seus2i emeada uma dessas flnissmas tesouri-
nli.is. na certeza de que perder por chegar tarde ;
quem se demorar em as mandar comprar no ale-
gre e espacoso ninho d'aguia branca, ra do Quei-
mado n. 8, onde tambem ha outras curvas e direi-
ias para unhas.
Casacas de panno preto, 35$ e
Sobrecasacas idem, 305 e .
Paletos idem e de cores, 25fr,
2, I5 c......
n;i,,.- .i~ ......mi] ,i. zvff, i ").>.
m, 10 e......
Ditos de alpaca, 5# e. .
Ditos ditos pretos, 90, 7#,
50 e........
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. .
Ditos branco de lmho, 0,50 e
Ditos de merino preto de cor-
dao, 100, 70 e..... 50000
Calcas de casemira preta, 120,
300000 Golletes de fustao e brim bran-
250000 co, 30500, 30 e .
Semillas de brim de linho,
&MM 2M00 e ..... 20000 M
>mo sejamcalcas, paletots e colletes, sortimento de cohetes pretos de ni
velludo de 40 a 90, ditos para casamento a 50 e G0, paleto lu am de
^ c 50, calcas brancas muito linas a 50, e um grande sortimento
20500 ^ as, completo sortimento de casemiras inglezas para bomeni, i
\ Lilias oe aigouao, i#ouue. fittuu
li^m Camisas de peitos de linho,
30500 50, 40, 30 e.....20500
Ditas de madapolo, 30,
3*500. 20500,20 c.....10600
Chapos de massa, pretos fran-
30000 cezes, 100, 90 e. 80500
40000 Ditos de feltro, 50, 40,30500 c 20000
I Ditos de sol, de seda, 120.
110, 70 e......40500
Collarinhos de linho fino, ulti-
100, 80 e......70000 ma moda
Ditas de cores, 90, 80 e. 70000 Sortimento completo de grava-
Ditas de meia casemira de co-
res, 50500 e.....
|s Ditas de prineexa c merino pre-
to de cordo, 50, 40500 e
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga do cores,
30500, 30 e.....
Colletes de velludo preto c de
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 50 c
Ditos de ditas de cores 5j
e........
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
tas.
40000, Toalhas para rosto, duzia, 114,
90 e........
40000 Atoalhado adamascado de li-
nho vara......
205001 Chapeos de sol, de alpaca, pre-
tos e de cores.....
20500 Lences de linho.....
| Cobertas de chita chiiieza.. .
70000 Pennasd'aco, as mais superio-
40000 res, a grosa......
Relogios de ouro orizontaes,
30500 900,800 e......
50000 Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisonlaes, 400 e
Rafoadinhos est rcMoh c l>ordades
Vendem-se na ra do Queimadon.8,loja d'aguia
branca.
Capachos cosuprid.* c redondov
Venden! na na d > Queimado, 'Joja d'aguia
branca u. 8.
TERCOS
e coras de cornalina.
em
A aguja branca pensando constantemente .
bem servir a toda a sua freguezia, notou que ainda
nohavia feito algiun agrado a aquellos que pru-
dente e acertadamente rosando, cumprom dever de
bom chrisi.'m. < quando reparn essa sna falta,
mandou vir e acaba de receber delicados trros e
coras de cornalina com cruz de prata, os quaes
deixa disposieao dos fiis que estiverem dispostos
a gastar l^oO.Sfip :)-5 para possuirom um Inmito
ti-rgo ou cora, com os quaes podem mesmo pedir a
Reus pela prosperidade d'aguia branca, em seu ale-
gre e espacoso niuho da ra do Queimado n. 8.
Bahuzinhos com perfiimarlns e
sem ellas.
A aguia branca vende bonitos hahuzinhos com 6
frasquinhos decheiros por tfioOO e vasios por 800
rs., serviodo estes para meninas, c mesmo para
joias. ele., etc. : na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
_ Lenfee de seda
I.inhas maclas C lustrosas para para algibeira pelo barato preco de 1-').
bordar Iticas saias de fustao
d'aguia branca ra do ^ bara, 11^0 ,de '^)-
lautos de cassa
finissimos proprios pra algibeira pelo baratissimo
bonitos enfCites precodetfeWOOadiuia.
caberas. L .^"f **
7. de ganga amarclla de lista c quadros pelo bara-
Quanno o.bello sexo senta a falta de bous tissimo prego de l200 o corto.
enfeites para cahuca, eis que a aguia branca; IVcasde inadapolo
recebe urna sua encommenda de bonitos e fino largo pelo baratissimo proco de 8.
delicados enfeites, e de modernissima moda,
No aniiazemde fazendas bara-
tas de Santos C >clho
lina do 4|iieiinado numero 19.
Vende-se o segninte
tlohortss de chita
da India pelo barato proco de 25.
Lences .
de panno de liuhoa 2fi.
Lences do bramante
de linho fino de um s panno pelo baratissimo
Tualhas alcoenoadas
liara mitos pelo barato prego de 5* a duzia.
Veslidinhos de seda
para menina pelo baratissimo proco de 4.
Lengee
60 e.......50000 Obras de ouro, adercos, meios
iO
0
60000
10280
40000
30000
20000
600
700000
300000
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 60, 50 e 40000
mmw.
adercos, pulceiras, rozelas,
aneis e cruzes.
nn-trm.
le bramaolea
de fazentlas finas e
niciiiiiH e S4*i^HH~a C4
de linho algodao, chapeos de sol de seda, lavas de seda e de lew pan hornea >-
nhora. Temos uma grande fabrica de alfaiate, onde recebemos encommemlas de fti i i
obrac, quo par ueo oat soado administrada por um hbil mestic de ^.^k.lllallt. arte e au
pessoal de mais de cincoenta obreiros escomidos, por Unto ejecutamos .ualquer obra can
promptido e mais barata do que em outra qualquer casa.
^^mm ^\^%^%
TOBAS AS QUAI.1BABES
i DE
ANTONIO MAIA DE BRITO
CONHECIDA POR FABRICADA VIL VA
N. 21 Antiga ra dos Quarleis de poicaR. I.
Constando ao annunciante, que dpmaaaaaam di m f vendo o
que gosam os meas cigarros, e para poderem dar consumo aos seus anual aaJafl
na praca como pelo mato, illudindo os meus freguezes. dizemh, ,,oe >:, meus e
dos os meus cigarros sao vendidos na minha fabrica, e nao mando |wsoa algma w
por minha conla fra della, faco o presente annuncio para evitar qu,- emprem ga
ebre ; e para seguranca dos senhores consumidores .leste genero es|>ecialm>-nte os s
freguezes, aviso que todos os massos de cigarros que fbrem vendidos na minlw f^biiea
marcados com um distinctivo que declara o nieu nome. o nome da na e o
mesma casa.
Aproveitoa occasio para scientificar aos mesmos senhores. que coast
encontrarao um completo sortimento de cigarros de diversas qualida.hv a da n>-lhir
escolhido, por sua boa qualidade j bem conheeida.
POR MENOS DEZ POR CENTO
NOS
40
caKaKi
O gallo canta quando recebe. IfOVl DI \T m 1
0 gallo canta, principalmente quando re- Loja de adatan
cebe as suas novas encommendas para sa- 10 lina do Queimado 16
tisfazer aos seus bons freguezes. Tesauros diversas a 20, 40, 80 e 120 rs.
Hj/avatinhas. Massinhos-com87 gram|K>s sonidos a 30 rs.
E' chegado^im bonito sortimento destas ^ e,001*6* Para enOar espartiihe a 60 rs.
gravatinhas, tanto para homem como para/ cSSrJfs.,ran.? pre,a lisa e de caraco1 a *
senhora que se vende pelo baratissimo pr- Ditas de i
co de 500, 800 e 1,000 rs.; s no Vigilante. Ditas de tr
ra do Crespo, n. 7.
Pirotteiz,
Tambem chegOU um graae sortimento Ditas com 20 varas de bico adamascado a 25400.
de pirotteiz on conservadores para cabelles. Ditas cora to varas de Lieos e rendas a 800 o
tanto pretos como de lindas cores pelo ba- '5200.
ratissimo prego de*l,000 rs. cada um.
yondem-se na ioj.i
Queimado n. 8.
IVovIssIanos e
para
muito servmilo isso para sanar aquella falta,
e fazer com que as Exmas. apreciadoras da
bella empreza Coimbra possam melhor real-
sar o mostrarem o apurado gosto que as
Pffas de brflanha
de rolo com 10 varas pelo barato preco de 3,5200.
Peras de cambraia
de salpicos fina cora 8 1(2 varas pelo barato preco
det
Atoallialhe de linho
guia. Esses enfeites sao dom tecido bas-1 cora 8 palmos de largura propio para toalha de
ante lino com continhas o?aeo, e mui bem "
enfeitados com flores, fitas, bicos, p!
etc., entretanto que sendo obra de muilo
gosto custam 50, 60 e 70 dlnheiro vista;,
na espacosa c alegre loja d'aguia branca ra
do Queimado n. 8.
musa pelo barato preco de 22300 a vara.
tarace
de fiados posto? pelo barato preco de 440 rs. o co-
vado.
Mteira da lidia
propria para forro de sala de 4. 6 e 6 palmos
largura.
Capella para noiva.
Tambem <%goti um rico sortimento de Ditas de "tita dei Veda de cSres a 400 rs.
capellas brancas, cousa muito chique para Luvas de seda tardadas a 600 e 10.
noivas, pelo baratissimo preco de 5,000 rs., J?la,t e nonairla a 600 e 10
G 000 rs 7 000 rs e ROmr A n ('arloesdc cohetes a 40. 60, 80 e 100 rs.
v-^Zl' a r ', CS' ^ Caixinhas de dito a 20, 40, 60 e 80 rs.
Vigilante ra do Crespo, n, 7. Pentes de atar cabello a 40,160 e 240 rs.
roas de velludo e de seda. j Atacadores de cornalina para palotot a 240 rs.
Tambem cnegou um completo sorlfr
de tas^ velludo de n. Can. 200; al
um rico sortimento de-fitas Ap I CONSERVADOR
DE
lti&DTm fio ID(D3 fit(D3,
*S. ?i E 23LARGOfDO TERCO -\S. 21 23.
Hecebem por conta propria a maior parte dos gneros existente n
zens e por isso deliberou-se seu proprietario a vende-los por menos 10 do
branca e de caracol a 80 e tOO rs. 0tn ^^ ParlC' garantdtl a *? ^f1'
i-n mesclada de caracol a 60 e 100 rs. u,:. __,____ ,_ ,, "! *"?*
s. a hl.ra.
m barril a Me rs. a
ooo rs. a arroba ou
Cafe do Rio c do Cear o melhor neste genero a 28o a 32o rs. a libra
Batatas novas a 5o rs. a libra, em arroba a I,4oo rs. e em caixas de quatro
Ditas com 10 varas de bicos pretos a 14he 1,8200. 4,5oo rs,
W?Sol1 VaraS dIUa dC Ve"Ud0 *rosa .Bojafh'nhasameriranas, as mais novas neste genero, a 2oors. a lil>ra e3.ooor.
Ditas com 15 varas de fita de retroz a 240 rs.
! OKavas de retroz preto e decores a 160 rs.
I'apcis de. agulha de fundo dourado e Victoria de
ns. 6, 7, 8,9,10,11, 12,13,14 e *S a 100 rs.
como um rico sortimento de-fitas de sedT^Grozas,le,*01,'stle Porcel*ni*PBlados a 12 rs-
lavradas e lisas de todas as larguras e qua- Gr07-as'''' lj0l'"'s''' o^^u' preto a too rs.
lidades por pre{os que admirara- s no finturoes elsticos para"hom era a 400 rs
---" ~ ^ su m Susjwnsorios com e sem elstico a ia0e480rs.
Caladeiras de clfre a 120 rs.
Caixinhas de lamparinas para 6 mezes a 80 rs.
Duzias de caixinhas de phosphoros a 160 rs.
Dnzias de facas e garfos a 3.
Resmas de papel almaco a 2,8500 c 33.
de
Vigilante, ra do Crespo, n. 7.
Bico de seda e linho.
Tambera chegou um bonito sortimeiUo
de bicos, tanto de seda como de linho, as-
ein\ n.<,mn ...,,. i, c.___ i i iicsiiia^ ue panel animen i *tww "v-
! m. ,S- ? de labynnto, que Caixmhas com lOO envelopes a 800 e \&.
Caixinhas cora ponnas superiores a 800 c
Caixinhas de obreias de colla a 80 e 120 rs.
"~......------------mmmt.
Franjas pretas e de cores.
Tambem ha as riquissimas franjas pre-
t.s largas, proprias para as lindas rapas ou
manteletes: assim como brancase de cores,
que seus precos tambem os pretendenles
se admirarlo, por que sempre nesta loja se
vendar por precos muito rasoajeis ; s no
Vigilante, ra do Crespo, o. 7.
Palitos do gaz, vindos por conta particular, a 2,3oo rs. a groza.
i Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor, a l,8oo e 2,ooo rs.
; Vinho do Porto em garrafa de superior qualidade a 9oo rs. a garrafa,
dem em pipa Figueira e Lisboa a 4oo rs. a garaa, e a 3,ooo a caada
Milho alpista o mais limpo que ha no mercado a 16o rs. a libra, e a arrroba
! Velas de spermacet, composico e Aracaty, a 4oo, 36o e 64o rs. a libra
Toucinho de Lisboa novo e grosso de primeira qualidade a 32o rs a libra
arroba.
Alm destes gneros ha outros muito baratissimos, assim como da 4
azeite doce, vmagie, cebollas, alhos, pimenta, cominhos, erva-doce, chanaai
qualidades. chouricas, sabo verdadeiro de 16o a 24o rs. a libra, genebra de
qualidades, que todo se vende barato e quem duvidar venha v*r.
n.
n.9
Frasquinhos com tinta azul e encarnada a 240 rs.
I.apis azul e encarnado a 120 rs.
Duzias de lapis de pao a 80 e 120 rs.
Duzias de canudos de pomada do reino a 280 rs.
Haiga com 20 papis de palitos lixados a 280 rs.
Estovas para denles a 160 e 100 rs.
Potaana da lluvia.
Acaba de chegar no navio Quem of the Flett, a
mais suporior potassa da Russia, e vende-se a
preeo eommodo : no tarfto do Corpo Santo, escri
torio de Manoel Ignacio de Oliveira a Pilho, a.
FUMDI^AO DA AURORA.
Nesta grande e bem montada fabrica de machinismo, a mais antiga no _
tinua-se a execatar com a maior presteza e perfeicao encommendas de toda
15200. (de machinas usadas no paiz, tendo sempre prompto o segninte :
Grande sortimento de moendas de canna de todos os systeaas e
Machinas de vapor de diversas qualidades.
Taixas fundidas e batidas.
Ci'ivos e boceas para fornalhas. \ ^_
Bronzes e.aguilhes. f*
Rodas, rodeas e rodas d'agua. ____
Guindastes fixos e portateis.
Machinas de cylindros para padaria.
Ser ras de aeo'para serrara.
Fatecbas para nuxqs, etc., etc., tudo por preco que bea
HUTILADQL


I.
i
-
I
i
i
Diarlo de Peruanibuco *:it>foalo & de Heitmhro de 1
nm
GRANDE ARMAZEM
AK
EE
*m&mmMmmmm^mmmmte.
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
IB
II film,
DE
Eduardo Marques de Oliveira C.
N. 36, RI'A DAS CU17.ES N. 36
00
bairro de Santo Antonio.

0 proprietario do muito acreditado armazem denominado Progressista tendo
*mpre era visla fazer tudo o que for possivel para bem servir aos seus freguezes, tem
Miberado vender os seus ja bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaixo mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
eseravos, serem 13o bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
eocommenda, anda mesmo contendo objectos n5o proprios deste estabelecmento. O
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favof de mandarem
tlwolver qualquer objecto que n5o agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
cJo cora os seus portadores, fazendo-!hes ver que so no armazem Progressista da ra das
Cntzes n. 36, que se vendem os melhores gneros por mais barato preco, porque estes
murtas vezes"olvidam-se e vio a outra parte onde os servem de manera a desagradar este
estabelecimento.
1
o
TODOS
os
V AIMIKII
se recebem gneros de conta
propria edos melhores esta-
belecimentos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer ge-
nero comprado neste t
ESTABELECMENTO.
COMPLETO
9
S0RT11BNT0 DE MOLBADOS.
vende-se em porcao e a rcta-
Iho, aprtmpta-se com toda a
presteza e exactido qualquer
encommenda dirigida a este
ESTABELECMENTO.
>
en
se
e-a
i
as
m
o
._
3
8
x
c
de superior qualidade a cada
xinha.
Manteigai ngleza de 1.a qualidade, a 800 rs. I
a libra.
rs. a libra.
Batatas em gigo de arroba a 1,5oo rs.
MacSes chocadas no vapor Ingls,
Ervilhas mnito novas a 2io rs. a libra,
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor,
fle2- 2J500.
dem prato, chegado neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 700 rs.
a libra.
400 rs. cada um.
Milho-alpista a 480 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina c alva a
80 rs. a libra e 20300 a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
SabSo verdadeiro hespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libra e
em caixa ter abatimento.
dem londrino, mandados vir de encommen-1 lllom .
da especial, a 900 rs. a libra. *?- s,,Penor ^alidade de 160,
dem suisso, muito fresco, a 800 rs. a libra.
Cafe do Rio de 1.a e 2.a qualidade a 85500
e 8,5800 a arroba, e 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India e Maranho a 120 rs. a libra
e 30200 a arroba.
Avelas as mais novas
rs. a libra.
neste genero a 240
Presuntos do Porto muito novos a 560 rs. a
libra.
Legumes francezes para sopa, como seja,
Julienne, mlange d'quipage, Choux e
outras qualidades, a 400 e 500 o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, c
em porcao ter abatimento.
arrafoes m B garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 20400 com o garrafao ;
afianca-se que nesse genero o melhor
que veto ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinhe Figueira muito
superior e mais proprio para a nossa esta-
co por ser mais fresco a 20400.
'.113 1|J>X'I1 U llia'.t, eup^.lv.. 1)M00 11V,.,
afianca-sc ser egual ao que regularmente
vendemos a 30200.
dem huxim miudinho, o mais superior que
vem ao nosso mercado a 20700 a libra.
dem preto muito fino, a 20000 a libra.
r.tioeolate para 9oo, l,ooo e l,2oo rs. a li-
bra.
i.arrafes com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 20100 cada Jim.
dem com 5 garrafas de i,n;igre de Lisboa
a 10100 com o garrafao/
dem com 3 garrafas de vinagre hambur-
guez a 800 rs. cada um.
Vinhos generosos viudos do Porto engarra-
fados das seguimos marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Velb secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a KM) rs. a garrafa e 90
a duzia.
Vinho Bordeaux das melhores marcas: St
Julien. Medoc e S. Estephc c outros a
040 rs. a garrafa e 7>500 a caixa com
urna duzia.
Chouricas e paies, o mais novo que se pode
desejar, a 250 e 600 rs. a libra.
Cognac verdailoiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa e 100500 a
caixa com urna duzia.
180, 200, 220 e 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a tata
e 10300 a duzia.
Peixc em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salmao e outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
cozioha a 10400.
Papel grve pautado e liso a 30800 a resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
460 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 30200 e 40000 a caqada do
melhor e 500 rs. a garrafa, em porcao ter
abatimento.
Vinho velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
50000 a caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 560 rs. a gan-afa e a 40000
a caada.'
Yinasce. ju"*"" i i_eh/v > cwvi ..c ,....
e 19400 a caada."
Azeite doce de Lsflba muito fino, em barril
a 640 rs. a garrafa, e em porcj5o ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
I >000 a garrafa, e 100000 o gigo com
urna duzia..
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 30500 a caixa, tambem temos
para 20000, 20500, 30000 e 30200 a
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 600, ti 40,
e 080 rs. o masso.
dem do carnauba e composico a 320, 360,
e 400 rs. a libra e de 100 a 110300 a
arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 10000
a ancoreta do Porto e 10500 a de Lisboa.
Massas para sopa: estrellinba, rodlnha e pe-
vide a 500 rs. a libra e 40500 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carrao e alelria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso das melhores qualidades a 900 rs.
a libra.

Doce da casca da guiaba a 800 rs. o caixao.
Marrasquino de Zara em frascos grandes
800 rs. rada um.
Amendoas a 320 rs. a libra.
Avefes a 2oo rs. a libra.
Ameixas a 10 a libra.
Ditas em frasco por 20800.
Arroz pilado da India loo rs. a libra c 30ooo
Os proprictarios do muito acreditado armazem Progresso fazem sciente ao respeita-! a^rroba.
vel publico e com especialidade aos seus amigos e freguezes que tem resoivido resumir os D' arroba Maranhn i2 rs-a bbra e 30300
precos dos seus acreditados gneros, como abaixo verao nao obstante os precos menciona- Azeite doce francez 800 rs. a gan-afa.
dos a vista da qualidade dos gneros que se p*va quanto se deseja servir satisfatoria- Agurdente ce c^n^Sca' 240 e 320
mente aos nossos freguezes, advertindo-lhef. que mandem seus portadores, que sero to1 rs- a garrafa.
. ., .. Azeitonas a 320 rs. a garrafa el, 3oo a an-
bem servidos como se viessem pessoalmente, isto so no Progresso. coicta.
Batatas inglejaaaa 6o rs. a libra e l,8oo a
arroba, ^r
Banha de porco a 55o rs. a libra.
> Bolachinha de soda a 10400 a lata.
Joucmho de Lisboa a 32o rs. a libra e a9,ooo Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
rica a 30000.
Cha hysson a 20200 a libra.
gestes novos e grandes estabelccimentos de molhados, encontrar o
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do .entro, cxnoslij
i todas a qualidades de gneros por menos preco que em quaesqu-r >nti 'r jtos desta ordem, pois para bem servir os seus freguezes exist-- na Eoro| i mi 4
,ciqs paia serem vindos de conta propria diversos gneros, e dde j riiV..|,tra<
peitavel publico sempre os melhores gneros do nosso mercado, e i i i>r< rfl
mos como abaixo verlo, a saber :
Manteiga ingleza perfeitamente flor
no ultimo vapor a 8oo rs. a libra,
dem de 2.a qualidade a 76o rs. a libra,
dem de 3,a dita a 64o rs. a libra,
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
chegada Farinha de Maranho muito alva e cheiroza
a 16o rs. a libra.
11 rs. arroba.
Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
Manteiga franceza a mais nova que ha no mer-
cado a58o rs. a libra, e em barril ter aba-
timento.
Banha de porco refinada a 520 rs. a libra.
Vinho em pipa Porto Figueira e Lisboa a 4oo,
48o, 5oo, 56o rs. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,ooo rs.
dem em barril o mais superior que tem vin-
ao mercado a 6oo rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
I,ooo agarrafa e a lo.ooo a caixa, o preco
nao indica a qualidade d'esto precioso vi-
nho, porm venhamao Progresso que a vis-
ta faz f, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
demos vender por menos que outro qual-
quer annunciante.
Dito dito fino a 20600 a libra.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. agarrafa e a Dito miudinho a 20800 a libra.
4,8oo rs. a caada. I Dito do Rio a 10800 a libra.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e a Dito preto a 10900 a libra.
l,2oo rs. a caada. Charutos de diversas qualidades a 10200,
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis-1 10500 e 30 a caixa.
boa a i.loo rs. Champagne a 10 e 10500 a garrafa.
Champanhe das marcas mais acreditadas a Chouricas a 560 e 600 rs. a libra.
8 e a 1 o,ooo rs, o gigo
l,eoo rs. a garrafa.
Serveja preta marca T e XXX
e a 8oo rs. e a Conservas inglezas a 800 rs. o frasco-
Caf em grao a 300 e 320 rs. a libra, e 90
eXXX a 6,5oo e J^"3*8- ft
7,000 rs. a duzia, e a 6oo rs. a garrafa, 0 oldo .a .m *Ilbra-
,,n~, Doce de goiaba a 360
tambem temos das mesmas marcas"para 4, "oce "10,a"a ^7 ^
e 4,5oo rs. a duzia, e a4oo rs. a garrafa., "^fa V'n gra0S' a 28 rS< a
dem branca Te eobrinha a5,5oo e 6,ooo rs, Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tambem ha Dita flor de laranja a 10 o frasco,
para 4,ooo rs. a duzia. Feijo branco muito novo a 440 rs. a cuia.
G1lari,CS U0 rS'" d"Za. Sraa3,fe0.Slaa', botijas a boo n.
Dita Hamburgueza a 44o rs. a botija.
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre- Vassouras do Porto arqueadas de ferro obra' Gomma d'araruta a 100 rs. a libra, e 20600
ditadas e especialmente escolhido por um! d(! muita duraco a 4oo rs. cada urna. a arroba.
de nossos socios, como sejam: Camoes, Du-1 Palitos de dentes massos qii, do Porto, D.Luiz, Carcavellos, Cha-i e 28o rs Genebra em garrafoes de 14 garrafas por
misso & Filho, Madeira secco, e Feitoria a ] i 40600.
9oo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com Paltos do gaz a 20 rs. a caixinha e 2,3oo rs. (Licor fino a 800 rs. a garrafa.
12 garrafas. a groza. ^ | Dito em garrafas grandes de superior quali-
Garrafes com especial vinho do Porto con- r0i/^iiA i wM,*wi u- dado a 10500.
tendo 5 garrafas a 2,3oo rs. rKhttKSS^1* nlZZT*. Ma^8a A Aor a 800, 900e 10a libra.
r^- .. iJ!S-dl*.^lLr8-epecllinr,ia- -WanteiSa franceza a Gao e 64o rs. a libra.
gueira a
\~ioo
rs.
L'Hrrm/wi.. ___
dem com 5 garrafas de vinho Lia^^^fc^ a6,3oors.e6.5oors.M
56o rs. o frosco aflianca-se ser verdadeira.
2,loo rs.
Vinho branco de Lisboa proprio para missa
viudo j engarrafado de Lisboa a 64o rs.
a garrafa.
dem em barril muito superior a 5oo rs. a
garrafa e a 4,ooo e 3,8oo a caada.
Uneixas francezas em caiihas de 1 '/, 2
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinba |Hra s.">pa a 560 rs. a In.
Massa estrelliuha para si-pa a3oo rs. a Uva.
Macarro. ali-tria talharim a 'tfton. a k-
bra.
Marrasquino de Zara a 800 rs. ofratto.
Passas a 4oo rs. a libra.
Palitos para dentes a 180 r<. r. masso.
Phosphoros do gaz a 20500 a grosa,
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor if
20500.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Cervejas de marras siipi-rinri-s a 500, Mfc
600 e 640 rs. a garrafa. 5A300, $%
60500 a duzia.
Dita ein barril por 40, c 240 rs. a ga
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 i
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a I
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolo para limpar htM I Mt rs.
Vellas de spermaceb- il< gaz a 1,2nr> r.
libra.
Ditas do gaz muito tafc
Ditas dito em caixas ile 6 libras por
Ditas de carnauba a 400 rs. a libra.
Ditas de composiro a 360 r 3o r<. a
Vinho do Poilo. caada a 50500, glnB% a
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 40 e a garrafa a Mi
rs.
Dito Figueira, caada a 3JM0 a a
480 re.
Dito dita superior, ranada a l#i a
a 500 rs.
Dito Eatreito, ranada a 30200 e a
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 e 800 rs. a carral.
Vinagre de Lisboa garrafBn te 5 jaro-
tas por 10400.
Dito em caada a iS, t a 260 rs. a jrarrali.
Vinho do Porto em garraf. s le 5
por 20500.
Dito dito engarrafado a < i l -200.
Dito lagrimas do Douro a I -s too a garr;
Vinho branco de Lisboa a 720 n. a
o 35 a ranada.
a caada.
dem de botija em barricas com quatro du-
ziasa 44o rs. cada botija.
dem de laranja em irascos grandes verda-
ga
.Wtsidrrf a 640 rs. o frasco.
Previne-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima .-.. de boa
dade. e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annim-iailes.
FMDIClO O liOlVKA^-RUA M>
BRUTO M 38
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo toril
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
deira italiana a l,ooors. o frasco.
Marrasquino de zara a 72o rs.
e 3 libras elegantemene enfeitadas com ri- Licor francez de todas as qualidades em I ffTTJ!' TS^JTJT* "T^88 B'
o ti,mni< m ,-.vi artarinr i 3nn m-iihi/. ik lonas as qudii-idiKs tm Rodas d agua de ferro com seus pertences.
I 6o??oS e 2 5eo rs ga l'S e 8 Moendas e meias moendas de todos os Calibos.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades Bodas dentadas, angulares e de espora,
dem em latas de, I '/ c 3 libras a l,4oo e que tem vindo ao mercado a 72o c 8oo!Ta'xas de ferro batido e coado.
2,0oo rs, cada urna.
rs., e em caixa a 7,3oo, 8, e 8,2oo rs.
Figos de comadre em bauzinhos de folha Azeite doce retinado do fabricante Pelanol e
muito proprios para mimo a l,6oo.
Idem'Cmcaixinhas a l,4oo rs.
dem em cahinhas ermeticamente lacradas
e muito bem enfeitadas a 1,8oo rs.
dem a 2oo rs. a libra.
outros a 8oors. a garrafa.
Conservas inglezas surtidas e de urna s qua-
'idade a 8oo rs. o frasco.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
Passas de carnadas as mais novas que lia no
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,ooo rs. a
caixa.
Gomma do engommar muito alva a 8o rs.
a libra e 2,2oo rs. a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 16o rs. a libra.
Ccrveja das melhores marcas de 50500 a
60000 a duzia e 540 rs. a garrafa
l'Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
Licores Irancezes, muito finos, das seguintes 1030% a lata,
marcas: Ai-izotta (!'Bordeaux, Plaiser des .. ., I ., ,
damos, Cniede Noyau, Eau Dantzie, i Bolachinha de soda, spec.al encommenda,
Crme de Menthc, Ilude de Venus etc. etc.
muito nova em latas grandes a 20000 cada
urna.
Passas muito novas e de carnada a 400 rs. a
libra e 60500 a caixa com urna arroba, ha
caixas, meias e quartos.
Ameixas francezas em frascos de 11|2 e 3 li-
bras de 10400 a 20800, tambem ha latas
de 6 libras.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes, do fabricante Basset, a
360 rs. a lata.
Toucinho do Lisboa novo a 320 rs. a libra.
Tijolo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Cebollas o mlho a 900 rs.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
vemos de Lisboa, a 600rs. a libra, em la- tt ,__
tas lacradas hermticamente. i Erva-doce muito nova a 400 rs. a libra.
Fructasem caldas de todas as qualidades emCominOS idem idem a 64 rs- a libra-
latas muiro bem enfeitadas, a 300 r#ca- Garrafoes vasios a 500 rs. cada um.
da urna. '
,. Ditos com 5 garrafas de genebra a 20400,
Bolachinha ingleza, a mais nova que se pode, garante-se ser verdadeira de Hollanda.
desejar, a 30000 a barneae 240 rs. al e
libra. j Cebollas a granel a 640 rs.o cento.
Farinha do Maranlio muito alva e cheirosa Canella a mais nova do nosso mercado a
a 160 rs. a bra. 10000 a libra.
Aaeite francez clarificado a 800 rs. a garrafa Alfazema o que pode haver de melhor neste
e 90000 a caixa com urna duzia. artigo a 280 rs. a libra.
Comervas inglezas dos melhores fabricantes phosphoros de seguranca individual a 20 rs.
Moed Piekles, ceblas simples, e outros, a caixinha.
a 760 rs. o frasco. .-. ... M(B_
Papel de embrulho muito superior a 10190
Farinha verdadeira de araruta a 500 rs. a
libra, garante-sea superior qualidade.
.Palitos para dentes em- caixinbas douradas
Breo, a 320 a bra e 80 a arroba. f
a resma.
Vinho da Figueira, o que ha de ftelhor a
40000 a caada.
s finos para agua a 60000 a duzia.
Salmao em latas ermeticamente lacradas a i
8oo rs.
Lagostim em latas grandes a l.ioo. * S iv.'I, corvina, cherne, vezugo, peixe espadar j"acarrSo a 32ors.
preparados pela primeira arte de cozinha a I ,dem e Wh|rta 0 mais novo que |)a no mer.
Sevada muito nova a !2ors. a libra e 3,2oo
s. a arroba.
a libra.
Queijos flamengos chegados njj
por a ^oo rs.
dem do wpor passado a
1,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a <3tors; alibra.
Doce da casca da goiaba caixes grandes
6oo e9oo rs.
cadoa 48o rs. a libra,
[o va- Aletria a 5oo rs. a libra.
Arro&carolino a loo rs. a libra c a 2,8oo rs.
a arroba.
do Maranho a 12^s.
a arroba.
Chouricas as mais novas que ha no mercad'
a 48o ate*libra.
Chouriffcunouras encommenda especial nos-
sa a Mp rs. alibra.
Prezunto verdadeiro de lamego em calda
de azeite 5oo rs. a libra !^
Bolaxinha ingleza a mais noWs que ha no
mercado a 2,ooo rs. a barriquinha com
1 arroba, e a 24o rs. a libra.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
reis.
dem em latas grandes^oroprias para lunche,
com 5 a 6 libras pofl|,4oo rs.
Marmelada imperial do fabricante Abren e
outros conserveiros de Lisboa a 6oo rs. a
libra.
Frutas em calda de todas as qualidades a
5oo rs.
Ervilha6 franczas a 5oo rs. a lata,
dem portuguezas a 64o rs. a lata.'
Massa de tomate a 64o rs. a bra.
Amendoas confeitadas a 7oo rs. a libra,
dem de casca mole a 28o rs. a bra,
Avelans a 2oo rs. a bra.
a libra, e a
AGENCIA
DA
FNDICAO DE LOW-MOOfi.
I!iia da Srii/alla nova n. 12.
Neste estabelecimento contina a s!W
ii completo sortimento de moendas c meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido c coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C,
na da Scnzalla Nova n. 42.
IK03:N2
Chapeos ili'.-ul Ganl>n!din.'~
ras o menina^, polo iliminolo -14 rxfc
uno, ricas chapulinas .!. soila para'*'-iiliUMf iM,
chapeos de pello a Fineta .kiii, mit
iiliiuio jo?(o, por BJ rada am. m ,i h
10arcos \mv j<>. ditos ti.- 13 aXukc
IJUIOO : na roa de Qaein ifi 4
bccioda Congreftacio.
V.-n.lcia-so cliaiutos a WwOO canto a 900 rs.; rndele por tsM i my tar M
|H>rrao. fardo a 34S00 a sacra : n arnaM 4a
estrella, largo do Pano a. I i.
ROUPA
Na ra do Queimado n. 43, esquina que
volta para a Congregaco ; pechincha.
Palclots de casemira a o, 6, 7, 8, 12 c 140,
ditos de panno preto e aznl a 9, 10, 12, 16 c 185,
0 Q ditos sobre-casacos de panno muito fino por 24 e
o afoo rs. a libra e a 8,2oo, 8,4oo ^ ditos dc alpaca prPta c dc rordao a 4) Sj 6 e
rs.
do Rio o mais superior que se pode de-
a 32o rs. a libra,
ma
e8,
Velas dWarnauba refinada a 32o rs. a libra,
e a lo.ooo rs. a arroba^
dem de spermacete a 64o rs, a libra.
Chocolate hespanhol e francez a 9oo e l,ooo
rs. a libra. %
Estreltinha e pevide muito nova a 4oo rs. a
libra, i^f 2,ooo rs. a caixinha com oito
libras, j #
Cha perolTmuito especial c^e^do neste ul-
timo vapor de cncommemW particular
nossa a 2,8oo r^a libra.
r#flp> huxim muito superior a 2,#>o rs. a
Ident-hysson a 2,56o rs. a bra.
IdMnJiysson a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
dem preto homeoptico e muito superior a
2,ooo rs. a libra.
Wem nacional a 1,6oo rs. a libra.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra.
Charulij dos melhores fabricantes da Bahia
e de todas as marca, como sejam: sus-
piros, havaneiros, messecipes, regaba im-
perial, flor das mattas, primores a 4,ooo,
3,5oo, 3,2oo, 3,ooo, e 2,8oo, 2,5oo,
2,ooo e l,6oo rs. a caixa.
7$, calcas de casemiras do cores a 3, 6, 7 e 8&
ditas pr'etas a 6500, 8,9 c 10J, palelots de fustao
e ganga a 23, 25800, 3 e 43, calcas e colletes de
todas as qualidades epor preco muito barato, len-
ces de puro linho a preco de' 23800 e :t3, cober-
tas dc chita a 25240. rollarinhos de linho puro a
600 rs. cada um, o outros nmitos objectos que s
vista ; e para isso se pede a ltenlo dos fre-
guezes.
Muita attenco
Aos senhores martimos e agricultores. Muita
ves passam por nossa idea desapercibidos, reme-
dios excellentes e de modicissinw preco, com o
emprego dos quaos se evitara grandes prejuizos
e nao pequeos damnos; neste caso est o alca-
trao ou verniz do gaz, o qual alm das multplices
applicaoesque tem na marinha, elBcascissimo
para matar as formigas, esse terrivel agello da
agricultura, destruir radicalmente o eupim e con-
servar as madeiras isentas daquelle terrivel ver-
me, c dar urna duracao infinito s ferragens em
que fr convenientemente applicado: em latas de
mais de tres caadas a 15300 cada urna, e em bar-
rs com cerca dc sois caadas a 2#S0O cada um :
no armazem da hola amarella, no oito da secre-
toria de polica.__________________________
Assucar do Monteiro
Ra do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
a 5#600 aarroba.
Fai'iulia de mandioca
em saceos grande?, c dc superior qua.'ui*"
de ; no armazem de Xmd Iiinls. ra i
Amorim. n. 33._________________
Polassa da Kos>ia.
Vemle-se em casa de N. 0. Bieber A I.
successores. ra da Cruz n. 4.
Vinho do Porto Miprrl
Vende-se cm caitas de urna dnzia : no
rio de Antonio Luiz Oliveira Azcvedo & U.

m&
ESCR4Y0S ruanos.
SMT.1TO fgMfl
Fugio do engenho Atolaia. fregueaj
nhaem, no dia 10 do ci>rrente, o <. r
rio. idade 40 annos. crionln. r.'.r fula,
corpulento, com falta de dentes pa freliH
co desbotado da fr, pe* e nemas vmT
chados, descontia-se (pie tenha toma.'. ai
do Recife por estar vendida nesta praca a
Ignez, a qual era sua compamVira. ^^
mora para as partes da Magrialcn: 1 w
autoridades policiaes e capites ik> raaa* qm m
apprchendam e levem ao dito riigrnho, n raa
da Praia ao Sr. Genuino Jos da Rom, qnr -r
recompenrado.
l(),0OUdegraliicaftw.
Rigi no dia 19 de agosto aa oeratffo t m le-
var ao seu senhor a mulata Luiza. 1
idade, rosto redondo, cabellos ral
prelos, nariz meio chalo, borra regatar.
des, levou quatro vestidos de rMh iaa wmm
dous usados, 4 camisas de anaaaB, ana cfeala
de chito azul e duas saias brancas; esas aarraw
natural de inhamun provincia do Caar; rofa-M
pois as autoridades polieiaes e a
do aero de aiiwwfcaailii ht e leva-l raa
ber a gradikafao de 1003.






"
iMimoroGL


8
Diarto de Pernamhnc Hhhtto 5 de Metembro d 4lt.


v^
LITTERATURA.
O que vae pelo Hundo.
O seguinles despachos so extrahidos dos docu-
110 oglez cmmiiuicou ao par-
lamw .Ii^ostao polaca.
De lord Naj I lUas-s.-n.S. lY-tersbur-
go,18 dojullio.Mylord.0 embaixador de Tranca
foi chamad hontem a Tsarkoc-Sclo, para saber da
Mpcsiad principe Gortschakoffas proposlas das
tres i i favor da l'olonia.
So de me encontrar com S. Exc.
a tarde, e informou-me que o vico chancellcr
mo desejava ver para o niesmo ihn.
propostos pelas tres potencias, urna vez que nao < Nao julganios que estas informacoes sejam
contenham cousa alguma que contrari as ideas exactas. O govew do imperador nao tinha que
do imperador, c quaesquer outros pontos que possa aprgjentar a queafl Mas ella pela forca e
julgar ser do sea dever propor. ] pela razao das eofna^HPRt o sen caminho no
." Em resposla" a minha segunda pergun.a, o ^po 1ue ,Qha "Kf^o e in-
principe Gortschakoff declarou que as resolucoes d
tomadas na conferencia das tres potencias visinlias
que cram as mais directamente interessadas nos
negocios da Polonia, seriam coraniunicadas offlal-
mente aos governos de Franca e de Inglaterra, que
poderiam apreciar a conformidade dessas resolu-
fCes (que nao seriam mais do que urna applicaco
pralica dos seis pontos) com o texto do tratado de
Vienna.
Instei com o vice-chanceller porque deelarasse
cao a guerra que assola a America, e se faz cruel-
mente sentir na propria Franga. E contina a fa-
*r o$ mmMvotos pelo retlabelecimento da paz.
Felicita-se dos novos partidarios que os excessos
da guerra trouxeram adopcao das suas ideas.
Acolher sempre com boas disposic&es os que qui-
zcrem unir os seus exforcos ao delle, aproveitando
as circunstancias favoraveis para por termo s
atrocidades c aos funestos effeitos deste genero.
Carta do arcebispo de Varsovla, Mr. Fellins-
. Odnqwde Mon.ebello eslava evidentemente sem ambiguidade se a suaresoluCao exclua ou nao
impresionado com o n.au efeito que cm Paria pro- resul,ado lo?'co- ao 1ual uma s,nc,a adherencia
diuiria a resposta do governo russo. O duque fez- no metl,odo dojratado de Vienna o conduzna;
onhecimehto.
O armisticio regeitado. Ja opreviamos.
Recnsa-se a conferencia. Tinhamosd'isso apro-
bares.
me um extracto rpido do despacho, de que tivera isl '' a iasersio des resultauos da conferencia
restricta cm urna convengo geral em que tomas-
sem parte as potencias ligadas pelos tratados de
1*15.
t O vice-chanceller nao se pronunciou talvez ab-
solulamentc contra urna tal ronelusao, mas recu-
Os seis puiiUJ nao foram distiuctameute adop- sou admitti-la, eafllrmou i>or todos os mcios que
tados, mas o que se nao esperava, e muito para nada concedera que podesse dar s potericias oc-
jL que a iutcneiieo da Franca e da ln- cidentaes um dircito qualquer de intervir nos ne-
posta de parte, e se fazem novas propos-' 8orios internos do imperio da Russia, no qual me
tas para uma discussao separada sobre os negocios parecen coniprchender o reino da Polonia, ran-
da l'olonia, com a Austria c Prussia, como poten- quanto cu nao cessasse de suslenlar que tinhamos
cas lmilrophes que teem intemsse limito particu-'um direito limitado de ntervencao em virtude do
lar na queslao, sem se dizer que tomaram ulterior- tratado d'' vcnna.
Diente parte nessa discussao as potencias signata- Dcpois de uma longa discussao nraitas- vezes
rras do atado de Vienna. evasiva, na quai o embaixador de Franca tomou
l'ma tal proposta, na opiniao do meu collega uma nirlc activa>foi hoJc exPedido ;i v- Exc-,ifl"
fiancez, seria con,iderada pelo seu governo nao s \clus0 desPacho telegraphico, com a approvacao do
como nao satisfactoria, mas quasi como um insul-! principe Gortschakoff, que o envin ao baro de
to, tendente a um rompimento positivo e imme- Uudbers: e ao oarao do Brunnow.
Desde 18 de outubro de 1862, que Mr. Drouyn
de Lhuys, n'um-despacho, que ninguem esqueceu
aiiidu, offereceu aos gabinetes de Londres e de S.
Petersburgo intervir amigavelmente em commum,
para procurar por termo na America a eflasao de
sangue. Sabe-se que, prestando homenagem aos' kij ao'imperador AlexandreII (foi em conseque-
seutimentos generosos e as ideas .elevadas que ti- cia da sua demissa0 de mcmbro do conselho de es-
nham inspirado aquella proposta, as duas potencias' Mo que 0 arcebispo mandou aquella caria para
a que ella fra dirigida tinham julgado dever decli-' s. Petersburgo)
na-la, por motivos de opportunidade.
c Mais tarde, Mr. Drouyn de Lhuys fez ao pro-
prio governo de \Vashington uma proposta sobre o
meio honroso e pratico de chegar ao rcstabclcci-
mnfl da paz. O governo dos Estados-Unidos nao
julgou dever prestar-se a isso. Invocou, par jus-
diato.
Ti ve esta noticia com sorpresa e sentiment o,
porque partilho completamente da impressao do
duque no que diz respeito a Franca, e nao posso
deixar Ue conveucer-me de que a proposta do ga-
binete russo inteiiament inacceitavel pelo gover-
no de S. M.
t Espero que a parte que tomei para illucidar as
ideas do ministro russo nao merecer a desappro-
vaco de V. Exc. Proced assim com a esperanza
de temperar o effeito de urna communicaeo infeliz
na minha opiniao, e de fornecer ao governo fle S.
M. os meios de dar ao parlam*-^ explicaces,
para as quaes o texto do despacnW do principa
c Dirigimo-nos esta maiihaa
t
chai
: Gortschakoff nao podesse dar sufflcientes mate-
a casa do inincipe riacs
Gortschakofl, que nos commuuicou os tres despa-
11,j.. Naodei ao vice-cltanceller o menor motivopara
n suppor que o despacito ao barao de Brunnow, as-
. ^'**oshaverLUoattenlanientecadaumrfmcoIMascxp|lcac3eg ,wr c||e dadas-podessem
ue pe si, vollamo a casa do principe, c aerade- i *.-.. i __. i
. t ,. "fa,uut ser considerados satisfactorios pelo gaverno de
i eauo-a comumuicacao, disse-lhe que me absteria
de qualquer observado a este respeito. e que es-
puava ifanplesmenie aresoioeao do governo de
< Pedi-lne que compreliendesse bem que as ob-
sorvaoiks que eu fazia me cram dictadas nica-
ment pela esperanza de que uma explicacao am-
pia dos seus senlimontos sobre um ou dous pontos,
l"'dia diminuir o descontenlanicnto com que pro-
v.^velmcnte seriam recebidas as suas resolucoes
pelos governos alliados.
D issc-lhe que recciava muito que aquella eom-
nMlnicacao fosse considerada em Inglaterra como
urna tentativa feita para ganhar lempo c para af-
fastar a Austi a da nossa allian^a, que uma pro-
posti que, has actuaos circmnsthcias, tenda a ex- trar-se com e
S. M.
Sou, etc.Napier.
De lord Napier ao conde Russell. Telegramma
S. Petersburgo, 18 de jullio.O duque de Monte-
bello e eu perguntamos ao principe Gortschakoff
em que forma c com que bases teriam lugar as
diseussoes propostas por elle, entre a Alisto, Rus-
sia" e-Prussia sobre os negocios da Polonia, e se as
outras potencias signatarias do tratado de Vienna,
seriam no seu modo de entender excluidas de tomar
parte ulteriormente naaceeilacao ou na ralifleacSo
dos resultados da conferencia restricta.
i O vice-chanceller respondeu que os plenipo-
tenciarios d'Auslria e da Prussia poderiam. encon-
e em S. Petersburgo, c consignar as
clur duas grandes potencias da discussao de urna resolucoes eommuns adoptadas, n'um protocolo,
qu istao, pela qual tinham manifestado o mais pro- \ n'um tratado, ou de qualquer oira frmrvque se
fundo interesse, sena olhada como lonye de ser possa desojar. A Jjase da- discussao proposta seria
conciliadora, e mesmo como olfensiva; que nao os seis pontos, que nada conteem em principio, que
podte inspirar conlianca um ajuste em que os in- seja contrario poltica do imperador.
I : tes da Polonia fossem entregues exclusiva-, A Franca e a Inglaterra depois de urna oommu-
inente as potencias que outr'orn opprimiram a Po-
ma jus
Hfcar:
t Senhor.A misso c o privilegio da egreja foi
sempre fazer ouvir a sua voz pelos poderosos des*
te mundo no momento das grandes desgra5as e
das calamidades publicas.
c Depois de tet esperado at s dez horas da ma- Os policas, en columna serrada,
nhaa sem receber soccorro algum, o capitao orde-. carga vigorosa contra os
nou que se procedesse ao sorteio, acontecesse o que ram mpelli-los. Uma cata oad
acontecesse. A roda foi por consequencia colloca- giado os principaos amores, fei
da na sala e a operaclo principiou. Estavam pre- de presos nns Tinte,
sentes entao mas tresentas pessoas. Apenas a sor-
te tinha indicado vinte nomes, ouviram-se fortes' ma 14 o motm
gritos e as ameacas v.cram interromper a tiragem. g mJ* n
Ao mesmo lempo um ebuveiro de pedras lancadas cuarcs dasjmmedarocs rmnai
da ra contra o editicio, quebrou todas as janellas. ._.___,:,M a
...... que e ponto muitos contingentes i
A desorden tinha comecado. H KzT. MM-
ronel O Brien commandava es
. Dadooprimeiropassoapopalacaonaosccon-'r,,?3rimm,,di3,am,>n'e amo,iM*^
teve mais. Fina quantidade considcravel de novo, l,,,os f'uc ^"Persassem.
impellido peas massas que enchiam as mas, violou
I sala, e comecou a destruir tudo quanto encontra-'
va : os livros, os impressos, a roda, listas de no-
mes de recenseados, tudo foi destruido, c (aneado
em pedacos pela janellas /ora.
s-
t Pouco tempo depois de se consumar esta obra
de destrui^o, percebeu-sc que a casa estava a ar-
der. Quando se deu por isso, todos os amotinado-
res que enchiam a sala do sorfeio eomecaram a
fugr. Pareceuque o fogo tinha sido lancado com
o nico fim de alcancar os empregados do recruta-
mento que se dizia terem-se oceultado nos andares
superiores. Seja isto ou nao verdad*, as vctimas
tiflcaro direito e a razao que tcm para eontr
guerra, a sua propria dignidade e a cmeea'que I em nomc desso privilegio e desse dever,
tem, cada vez ma.s fundada, do bom xito das suas que n* minha qualidade de primeiro pastor do rci-
armas, que restablecera a autoridade da consti- no da Poloniaj ouso dirigil,me v. M. para Ihc
tmcao e fana entrar o sul na omao. # | expr m necessidades urgcntes d(> Meu rebanha
Mas, desde entao, quanta* JlusSes tei sido O sangue corre em grande jorros, e a repressao,
destruidas! Quanto tem realmente mudado as-cou-1 em vez de intimidar os espiritos, nao faz mais do dos amotinadores foram as mulheres e as creaneas
sas. A guerra foi assignalada pelas notaveis vic-! que augmentar a exaspera^ao.
torias alcancadas pelo sul. Tornou-sc mais terrl-'
vel, mais encarnizada, mais mortfera Fez correr
maiores rios de sangue de ambos oslados. Por' Emnomedacaridadecnristaa e emnome dos
cada vez mais em evidencia, com or%or dos meios- mteresses dos douspaizes, supplico V. M. queira
de defeza do sul, qual a inabalavel resolucao enr por termo a esa- guerra de extreminio.
que est de nao voliar ao jugo do norte.
As institui?oes outhorgadas por V. M. sao n-
sufficientes para assegurar a felicidade do paiz
a Polonia nao se comentar com uma autonoma
administrativa ; tem necessidade de uma vida po-
ltica;
i Rcpcllidos at 3* avenida, a fnpalira
1 logo depois carga, mais numiian i
outr'ora. G<.llocaram-sc em posirio am
de artillu-i ia apontadas contra a ntnMUJ
I fogo, mas a peca eslava apenas ra
I vota! Os amotinados qne se tinham
, cipitadamenle para a avenida, e caro*
, cenes, tranquillisaram-se vendo a benif
, tropas; c voltaram rarjta atrivos. e
vez mais na sua forca.
* Vamos procurar arma* di/iam elses. 9 i
veremos!!!
t Um dos jornaes importantes de Londres, mos-
trava nos seguinles termos a stuacao' unnime-
mente reconhecida:
r Nao ha hoje um nico homem em Inglaterra,
que realmente julgueque o norte possa eonqnft-
tar o sul, ou que seja possivei a reunio. Ha bem
poucos que o desejam. ? Senhor.Tomae com mao forte a iniciativa
O norte sabe-o, eoaheee a-sua impotencia pa- "a queslao polaca, formae uma reaosao indepen-
.... I dente unida Russia nicamente pelo laco da vos-
raalcantar este im ; todava continua apella ^ augusta diaas,ia ; esta a nica solucao capaz
horrivel guerra.
Nos proprios estados do norte, isto be*> co-
nhecido. Reconheceu-seaimpossibilidade do tthun-
pho, e cncara-se com horror a prolongaco de urna |
guerra fatalmente desastrosa para as duas parres
SeHigerantcs.
Immensas manife3ta?5cs acibaro de proc!*-
maT os novos sentimenroe do ive em muitas ei-
iliul'js. 0 particularmente na mais xmsideravcl da
Uaiao, em Nova-York.
t Ein Inglaterra, o regiment da leacco ain-^
da muito mais scnsivel. Um duplo sentimento do
Inai'anidade e de legitima- solicitud de uma parte I
da populado ingleza, fcn dolestar uma guerra que
nao pode ter outro res jUado senao- cubrir a Ame- \ 0uso es'rar 9ue Q ,ibert011 da
rica>de ruinase de saUS9, e prolongar a miseria erividio, apesar de tantos obstculos, vinte mi-
de obstar etfuso de sangue e de laucar uma ba-
se solida para a paciQcacao definitiva.
c O tempo insta, cada da que se perde torca
mais fundo o abysmo entre o throno e a naca*
Nao esperae, senhor, > resultado defflnitivo do
combate ; ha mais verdadeira grandeza na cle-
mencia que> recua diante da carnagem, do que
n'uma victoria que despovoa um reino. S uma
palavra digna da magnanimidade de um grande
soberano basta para nos salvar. E esperamo-k)
fle V. M.
que escaparam com grande difflcurdade a uma o coronel O'Brien atacado per i
morte horrivel. A fuga destes infelizes foi seguida ros, fez usodosen revotwr e laar>j-n
por uma novem de pedras, que por fortuna nao al-
cangon ninguem. A autoridade parec ter
gia; o maire Opdyke puWieon
chamando ;is armas os eidadiiw par
as propriedades publicas e partratans, ?
disso, saliendo que imu prorlama^ai fnmm
cava, se nao fosse apoiada por nv-dta--
sollieiiou reforew de iropa-? le toda a
A. alfandega o os prineipa
foram oecupailos miliiarmeni*' e muiu
I particulares eslo guardados iHa pniria.
t Todava, de arde, os baaclw V
appareceram de novo na l* e-i
atacaran) e maltntaram nmilc*
Fizcrain uma .Wmonsirara roatra a>5
dos operarios inglezes.
Ines dos seos subditos para fazer delles cidados
bvres, n3o hade recitar diante da tarefa egual-
* Soi debaixo da maapracao deste sentimento. ^^ gIon06Jl ^ fa2er ae|icidade do uma ^
que-Mr. Roebuck se reselveu a prepr cmara lio cruelmente experiraoatada.
dos-oommnns a sua moflo para o rscwihecimento-l
dos oslados confederadas, qual Mr. Maguirc aprc-! Senhor, foi a Providencia que vos confiou.cste
lonia, e pelas quaes est anda hoje dividida em
niracd official dos act6 resultantes da delmeraeao
sirnma.que na minha humilde miinfto, nenhuma da conferencia, restricta apphracan pralica dos
resposta podia conter menos elementos de um ac., seis pontos, ficariam as circamstancias-d apre-
cordo amigavel ou pacifico. :f ,ar 1ual a conformidade dossns actos com o es-
pirito e texto do tratada de Vienna.
t Todava, na opiniao da Inglaterra, ha uma
c< a que se contesta a favor dos argumentos da L-sc no Pays :
tros potencias, < apoiar-se no tratado de Vienna. tam boa poltica, e quanto san sabias as ideas do.
que V. Exc. tomou como base para toda a negocia-: governo do imperador. A queslao polaca ja um.1
fHO. Pedi S. Exc. que respondesse desde logo a prora sufBciente disso. luiremos comtudo de par-
duas perguntas. para que eu podesse informar im- te as nossas observacocs sobre este assumpto, para
D3 dialamente V. K.ve.
1.a Que forma e que base cntende elle dever
dar a discussao que propSc entre a Austria. Rus-
sia e Prussia .'
2.a Propoe ella tambem excluir a Franca e
a Inglaterra de tomar parte na retifteacio dos com-
promissos que as tres potencias possam tomar, ou! deiro, altr.bucm multas vezesao ministro dos nego-
propoeatoui-lasdamesma inaneira, c as mes-';os cslrangeiros, actos, despachos, instruccoesc
mas circamstancias com ijue foram admittidas no
tratado de Vienna ?
nos oceuparmos dos negocios da America, que hoje
sao objecto da ordem do dia em consequencia do
debate que Uouve na cmara dos eommuns om In-
glaterra.
Alguns jornaes, desejosos de aiinunciar todos
os dias algum facto novo, qur seja ou nao verda-
O vice-chanceller respondeu-me que os pleni-
potenciarios da Austria c da Prussia seriam re-
cibios por elle em S. Petersburgo. e que os resul-
tados di'S.-a conferencia restricta, podero ser,
como no tralado de Vienna, consignados em forma
de protocln. ou em forma de tralado, ou de qual-
quer outra maneira que se possa desejar ; que o
ponto de partida da discussao ser os seis pontos
conferencias que s existem na sua imaginaco. Se
os acreditassem ltimamente. Mr. Gros. embaixador
de Franca em Londres tera entregado a lord John
Russell. uma nota do ministro para propor a Ingla-
terra o reconliccimcnto conjuncta e inmediata-
mente dos oslados confederados do sul; depois,
tendo a noticia parecido pouco verosmil, emenda-
ram'-na : disseram que Mr. Groas fra encarregado
de propor ao gabinete inglcz, primeiro uma media-
gao em commum, depois no caso da mediacao nao
ser acceita, o reconhecimento do sul.
senrou a seguinte emenda :
t- A cmara, vendo eom o mais pretendo senti-
mento a deploravel eltosao de sangn* qae tem ca-
raetorisadoa luta engajada ha dous annos entre
os estados do norte o os do sul da America, c de-
sejando evitar maior. derrmame! de sangue.
conxida a rainha, em nomc da huuunidadc c nc
intoresse da concilaco, a pedir a cosperacao do-]
imperador dos Fransezes para recommendar um
armisticio immediato, de maneira que os iiellige-
rantes possam ter oaeasio-de t^siderar com tran-
quilhdadc o estado.a que ais cansas reduzimm a<
sua patria, pelo sacrificio dos mai- caros i^'cres-
ad>uazJL%>?.irS:zr."-.""^,~w.o 'onjna s^icpa
adaptada situa'HO actual dos-negocio-;, te
do assim n'uma luta cuja centiniiarC (in'
dentemente dos prejuitos que tem causaao as
grandes masss da populacaoidustrial, subditos
das potencias amigas), vista com dr e appne-
henso por 'jodas as nacies civilizadas do globo.
Como se vi, foi o nome> do imperador Napaleao
que se invocou cm Inglaterra ; foi a sua poltica
que est ligada a elle ; foi a primeira proposta do
seu governo que se rcaovpu foram as mesmas
considerace6 que estavam desenvolvidas ao des-
pacho de Mr. Drouyn de Lhuys, que se fizeram
prevalecer.
Km presenea desta homenagem prestada tito
dslinctameule as suas ideas elevadas eao seude-
snteresse, o governo do imperador s. tinha pela
sua parte tentar uma nova accao. Era suficien-
te nao abandonar cousa alguma a poltica, cuja
iniciativa tomou outr'ora. Mantinha-se na situa-
ciio. em que se achava quando pediu Inglaterra
para se ligar a elle.
Nao tem cessado de ver coro profunda afflic-
povo, ella vos sustentar.-, c reserva para vv-uma
cora de gloria eterna, se de uma vez para sem-
pre pozerdes termo ao rio de sangue e de lagri
mas que corre ha tanto tempo na Polonia.
Emquanto o fogo conrinuava na sua obra de
devastacao, alguns dos amotinados, mais intrpidos,
ou mais cubreosos do que os seus eompanheiros. d-
ligcnciaram arrombar a porta'que conduz aos an-
dares, para, como passatempo, saquearem um pou-
co. Interveiu porm a polcis, e conseguu- fazer
persuadir aos amotinados que renuncassem aos
seus intentos. Contra toda a expectativa, o sangue
nao se verificou.
O incendio contnuava. Ao meio dia teda a
parte do edificio situado do lade do sul da ra 46
era presa completa'das chamm?.
t Neste meio tempo foi Mr. Edvardo S. Vander-
poel, empregado adjunto aos tnrbalhos do recen-
seamemo, encontrado pelos desordeiros que se ti- do jornal a Tifa/u. Felizmenie. arhegashk
alian, introduzido no interior da casa ; vista do companhia de infanuria fez (agir o*
seu uniforme,solfaram vociferaces eameaess-hor-' rrtS Ejic* pon'-m, pouco
riveis. Debalde o infeliz empregado tentou ron- r;illH, t. partiram para City-llaM. aoade
vencer os que o tinham preso ; dirigia-sc a um es. acnava 0 governador de Nek Tor. *.
peci de tigres. Arrastaram-no violentamente para a avar.ooo para elles. e dirtfin-nV* a palavra
ra dtmdo-lhe com paus, e dirigmdo-lhc injurias I canuo que no sabbado tinha maulado o ir*
afinaklancaram-no j coberto d sahgue, no meio ajudanies de camp^) para pedir aftgoTCrwva
da murtidiio excitada. imncssivel descrover a pendesse a Mtaaj coocloiu *vnlan*, *
scenarwc entao so passou. a resieitar o^ lms c a ^garan? dos
1 prometiendo que indo se amnjaria a
t empregado arrastado para a ra, foi pisado faeao.
aos jes, arraneando-lhe os cabellos e massacrando-o
com uma crueldad* digna dos selvagens da Ocea-
niai Gracas dfedicaco de alguns policas, pode
anda salvar-se, efoiconduzid& casa apiBas com
signaes de vida. Foi dando-opor morto i|ne os po-
licas conseguiram tra-lo das mos >.]'- bandidos
qne o martyrisavam.
:'.--*
FOLHETIM.
AIIIRHO:
ron
MAlllICIOSAND.
______
Tercelra parte.
(Contiituacao do i>.n 189 J
Um vellio escravo celta, que al entao tinha ser-
vido de interprete entre niiiii, Kilnias e sua filha,
fallou tambeiii jior sua vez :
Chamo-me Karnach (do paiz das pedras) ;
sou escravo de Kilmias ha quarenta annos por di-
reito de guerra Juro pelo divino Helenos que hei
fletan sale iraduzdo as ualavras dos mens senhores
e as las. Uuve agora o que por mim digo, e de-
pois faras aquillo quo. quizeres. Os Arrecanos
sao perlidos e astutos, acautela-te I Os volos desta
luida Etrusea sao perigosos para um chefe ainda
joven, como s : e quem sabe se nao sua inten-
sad desfazer-se de ti durante o somno? Torna
a envia-la, mas guarda os escravos e os presentes
para as teus guerreiros.
Pode ser que Karnach ivese razao : a minha
lealdade porm nao me permltia crr na perfidia
dos outros. Voltei-me para Kilnias, c disse :
Tua filha livre; pode voltar so quizer : en-
tretanto se prefere licar em minha companhia, sc-
j.i bomvlnd. Juro por minha alma immortal que
ser laspeitaila em quanto eu viver. Quanto aos
escott-, animaos, e presentes dos teus compatrio-
aceeito-os para o> meus guerreiros em signal
de allianca reciproca.
Kilnias pegou-me na mo, e Icvou-a aos labios
cm testemunho de agradecimento. Nao podendo
conseguir que sua lilha o acompanhasse, despediu-
&e della duendo:
Nao te esquenas de que este mancebo teu
senior: mas lembra-te tambem...
Y. pronunciou o resto da phrase lio baixo que s
ella ouviu. Depois retirou-se acompanhado das
cutas jovens e dos seus msicos. Os presentes
i;ae trouxera, foram divididos entre os meus guer-
i iros, licaado livres o velho Karnach e os nossos
i orapatriotas. Calrho s conservou a sua escra-
va negra que a nao quiz deixar.
Longe tica va o sumptuoso palacio que essa bella
joven abandonara pela minha triste choupana de
verdes ramos, cujos nicos movis consistiam n'u-
ma masa, um escabelo, e pollos de animaes fero-
zes. Apenas acbei-me s com ella, tornou-se diffl-
cillima a conversacao, e senti-me realmente emba-
raado. Fi-la sentar-se mesa, e collot|iiei a sua
frente um jarro transbordando de caca fra n'um
pralo de madeira. Convide-a a tomar algum ali-
mento, e |iara dar-lhe o exemplo comecci cu
Ul'l-
que
r.ieiro a comer, e conii com lao bom apettite
ella poz-se a rir, e animou-sc a fazer outro tanto,
se bem que com muita reserva. Depois estendeu-
se sobre uma pello de urso dando-mo a entender
que se nao podia accommodar no meu banco de
madeira. ,
Era mais que linda, era divina, assim envolvida
as suas alvas roupagens, graciosamente recostada
sobre um cotovelo! O pesar de haver deixado seu
pao, a sua familia e os seus amigos, desafiou-lhe
as lagrimas, que corran) como perolas pelas faces
de setim. Fazia-me d ; proeure consola-la diri-
gindo-lbe algumas palavras da sua lingua que con-
servei na memoria; mas pronunciei-as com tal ac-
cento estrangeiro que ella sorriu-se ainda. Isto
animou-mc a pedr-lhe que fosse nomeando os ob-
jectos que me visse as maos : foi a primeira licao
de osquio que recebi.
A minha tonda, ou antes a minha choupana era di-
vidida cm duas partes: eedi umadellas para Calli-
rho e sua escrava, e noute fui deitar-me todo ar-
mado diante da porta que cntrava para esse apo-
sento. Nao tinha a menor suspeita de que a joven
estrangeira me quizesse assassinar, conforme me
prevenira Karnach; vi nos seus lindos olhos a
franqueza quejhe ia n'alma: porm eslava j apai-
xonado por ella, e tinha zelos.
No seguintc dia chegou em procssao frente do
nosso acampamento uma deputacao enviada pelos
. habitantes de Arretium. Trinta msicos c doze
sacerdotes vestidos de azul e corondos de espigas
do trigo conduzem quatro bonitos novilhos ornados
de mil enfeites. Cincoenta virgens do vestes roza-
gantes, cinturas delicadas, cantado hymnos, prc-
nedem a duas estatuas de madeira pintada repre-
sentando os seus deuses, e conduzidas por outros
sacerdotes cobortos de alvas mitras. Um delles,
que parece revestido do poder supremo, camnha
sustentado por dous mancebos. Os principaos ma-
gistrados da cidade, grande numero de cidados c
mulheres, anompanham o cortejo, que defendido
por duas alas de soldados. Estes Jrazem couracas
de escamas de metal, que Ihes do uma apparen-
! cia de peixes, tnicas de couro, gres-es de bronze
I e capacetes dourados de viseira mobil, ornados de
I dous pennachos vermelhos: suas armas sao uma
lanca curta, uma espada e um escudo redondo. O
povo dos campos e da cidade fecha a marcha.
A procissao parou diante das altas muralhas de
trra da nossa Biturigia. As virgens, dando-se as
mos, executam uma dansa extravagante em torno
' das duas estatuas postas no chao. Os -sacerdotes
1 immolam os quatrd novilhos, abrem-Ihes as entra-
I nhas palpitantes para consulta-las. O grande sa-
! cerdote adianta-se sosinho para o nosso lado, e
. A residenc* de Mr. Abram Wake
M dos correiosde N'om-York simada i
em Yorkville, k>i saqueada e destrtate
noute. Mr. Wak-man nao eslava.
, casa, e calculase o seu prejaim
i Urs. (Uns quinie cunlo.
Perdoae, senhor, a franqueza de minha lin-
gnagem, mas o momento- solemne. Perdoae a
um pastor, que testemunha de immensas desgra-
nas, ousa interceder pelo-seu rehanho.
Depositando aos pa do throno a. minha hu-
milde, mas fervorosa supplica, julp>rac feliz de
nodftr tlizer-mc.
\ C^V. M- o mais urt e obediente s-ibdito.
."iSWovia, 15 de marco de 1863.
Segismundo FYtix-Felintkt.
Arcebispo de Varsovia.
O Skssayer Franco-Americano publica os se-
guintcs promenores,arespeito das desordens que
rebentaram em Nova*ork por occasiao do sorteio
para o recenseamento:
A tiragem a sorto no nodo districto eletora]
tendo comecado no sabbado, com a mais c&mpleta
tranquillidade, devia continuar hontem as respec-
tivas repartieses. Logo pela manhaa, foi o capitao
Ji-nkins. que era o encarregado do recrutamento,
prevenido de que- se prepara vam du vidas para em-
baracaro andamento da operaco, o por isso requi-
sitou autoridade algumas tropas para conter em
respeito a populaoao.
t Pelas tres-horas, a popolana que se havia j
espalhado em- todas as direcedes, lancen fogo c sa-'
queou duas casas ricamente mobiladas em Le
vington.
t De larde, um pequen. grupo i
dirigiu-sc para a parte de llarlera, ara a
diar; mas a chova linla allagado aaaaain
maneira, ijue nao poderam \awru-*ej*
darem pasto ao seu espiru>> le desttairi'.
ram muitos edifficio* simados aa peale
convidamos a ir ter com os seus : mas Karnach
recoia um ardil de guerra, e nos previne.
Callirho, que at entao fra como nos simples
espectadora daquellas ceremonias vendo sou pae
no meio da multido, segura-me pela mi, e me
fas sgnal de scgui-la. Tal imperio tmba j essa
virgem sobre mim quo, morte quo ella me qui-
zesse conduzir, eu a tera seguido. Os meus*.
gosj Kad-Ancith c Dnn-Glan nao me quizo,
abandonar : atravessam o fosso comigo, e eis-nos ft I
merc dos inimigos.
Nao comprehondi o discurso que nessa occasiao
Callirho dirigiu aos seus compatriotas. As suas
antigs companheiras se curvavam peante ella,
beijavam-lhe os joclhos, encarando-a com ar sor-
prezo. O grande sacerdote crava uma lauca no
chao entre mim a elle, e exclama :
Quo Mamexs, sob o emblema desta lanca, stF
ja teslenmnha F que vou dizer! \'alent, guer-
reiro, vemos a clemencia e o perdo dos deage:
tua jenerosidade para com a virgem sagr
dias dar-lhe a morte, c nao o fizes-te : p
honra-la, c a respeitaste! Viemos pois offi
te a paz e a nossa amizade. Vem para o me
nos com os teus guerreiros: as raptas da-cid
vo ser abertas. m
Quiz consular os meus guerreiros, pirho nao
mo deu tempo.
Aceita, disseaala impellindo-mocombrandu-
ra para o velho.
Este, dando-me um sculo em signal de allian-
ca, o que achci bem repugnante, fez-me sentar en-
tre as estatraJT dos seus deuses. O choro das
virgens enla um hymno em meu louvor, cobrin-
do-me de flores, e queimando-mc incensos, como
se eu tambem fosse um Deus.
Os meus soldados sahiram armasal do acampa-
mento para defender-nos no ca dajfraic5o ; mas,
vendo queakhareriam somonte nom um punhado
de homens^speraram tranquillos o resultado das
ceremonias.
lmraap-am-se mais dw ovelhas, cujas
foram asadas para serem comidas por"
assistentes : e logo que os Gaulezes w
convite do grand sacerdote, part Ihand
nes das vctimas, hrados de alegra, cal
prazer resoaram entre os Etruscos.
Kilnias abraoou-me e tirando do cinto orna pe-
quena taboa, partiu-Ppelo meio, e ofTerecaagd-me
um dos pdanos, disse :
S meu hospede, generoso Celta ; vem para 1
minha casa, e'olha como teu tudo o que me per-
tence.
Aceite -, c senti Callirho apertar-naaa mao om
testemunho de agradecimento.
Fomos convidados a entrar na cidade, e a tomar
Cirte nos festins, a que chamavam os Etruscos
ectisternios. As fortas da cidade ficam abertas
durante oilo dias, todos os estrangeiros sao ahi ad-
Dcsembarcou uma forca consideravel de ma-
n u a reserva da guarda nacional.
t Todavia^as autoridades miltares,.1eaccordocom
o general eommandante, tomaram medidas enejgi-
car para reprimir o morim.
Os aitcntados coslra a
lares feram muito mais n
rinha assim como muitas companhias de in faltara g'mda-feira. Alem do q
-- .......-: ,..,,. mosnuc a populan:
do s armas bem como todbs ps amigos voluntarios vmmm *" w|,t~*' "- '-
do excrcito ltimamente llcaaaeados. TanJm reu- deD0ks de ter s*Veado "'"- '^ irmazea,*.
seto. As perdas calrulam .-. .-m XM)aa<
itr;uta contos)
ra deslnu om ^arwirio
Ainda isio nao- lud: os negros fci
Hontem (3) de manhaa, notaram-sc novos
symptomas inquietadores. Bandos de insurgentes
se dirigiram para as fabricas com o Sm de obriga- **> nas ras como animaes ferozes; i:
rem os operarios a largar o trabalho : outros op- as pedras e os paas aleanraram
punham-se aocarregamentodos navios, se csse tra- envolvidos em sangue. foram leni
balbo nao estava j iuterrompido. A pilhagem tinha jianlada ou enfornalo>. CheTaraai aaaa
comecado ao romper da aurora muitas casas ha- acender fogueiras em v.Mia da* vktiaa para
viam sido saqueadas, e a multido, altiva pela im- sentirn m.-llK>r a mort.-.
punidade de que tinha gosado no dia antecedente.
annnnciava cm altas vozes a intengao em que es-
tava de nao parar na sua oJxa de destruirito.
f .-s seis horas, um eorpo de policias.de 350 lio-
mes, s ordens do inspector Carpenter, que passava
n'uma das ras adjaceutes, chamou a attenno dos
amolinadores, e entao emprehendeu->e um ataqtn-
geral. lijlos, podras, projectis de toda a qualida-
de foram (aneados contra os agentes da autoridade-
aqri -
*t>
a
Anda ha mais do que i>i.
bitacoes da populaeao negra
acola, em diversas partes da cidade. t
presa das ehaiamas. Nao foi mesiau resi
hospinio dos orphios de cr. por*|oe la
invadido c saqueado: um bando de aaaaam t ?*
creaneas lamaram roo das roupa< e ,\* ae; -
quo por milagro salvaram. e honh-m pela
s existiam as minas desse exeellent.-
ment de beneliceatia.
mittidos, os processos suspensos, as querellas apa-
siguadas, e os prsioneiros restituidos liberdade.
Nos templos abertos ao povo erguem-se mesas car-
regadas de premicias perante as estatuas dos deu-
ses, que, deitados nos seus leitos snmptuosos, rece-
ben as ofTrendas e libacoes dos habitantes da ci-
ado o do campo. As casas achavam-sc tambem
5 para quem nollas quizor entrar : c cada
capricha em ter maior numero de Celias
a mesa.
As ras da cidade sao largas o dircitas. Pracas
quadradas ornadas de fontes de marmore ou do
columnas de bronze, templos magnficos de fron-
tespicjps pintados de cores refulgentes, columna-
""icos, palacios de teotos dourados,
pde estofo estendidosnor cima das
lira aos mercador^Pme accom-
generos nas calcadasde podra ou
de mosaico : em sumraa uma bolla cidade que era
como um saatao para nos.
Os mausaRurigios de cabelleiras fluctuantes se
envolvem com os trgueiros Arrecanos coroados
flros. Aqui, alguns dos nossos'gucrrciros dan-
m ao som das flautas com jovens etruscas de
stos diaphanas. Acola, os Arrecanos procuram
imitar a nossa danna nacional bahmdQ com os ps
no chao ao compasso de grandes gHal. Soldados
etruscos e gaulezes, de braco dado, com as cabe-
as escaldadas pelas lbacSes, pernorMra cidade,
cantando suas arias favoritas. ^
O principal magistrado de Arrotium^/i(cumon,
a frente de brilhanto cortejo, com uma cora de
folhas de ouro mi^bena, uma tnica recamada de
estrellas e iaxaj| seu largo mamle purpura branca, soguo ao meu
encontr no seu carro de ouro puchado por oito
cavallos de cor branca com jaezea de couro encar-
nado. Deseemos ao mesmo tempo, elle do seu car-
ro, eu do meu cavallo; c saudando-me com o eor-
po inclinado e a mo sobre o coraco, quiz levar-
me para o seu palacio. Mas, tendo eu promottldo
a Kilnias ser seu hospade durante os dias de fes-
tim, agradec ao lueumon com toda a polidez qne
um selvagem pcaAitnda. Entretanto nao po-
de esquivar-me de o Icampanhar at o theatro, on-
de havla represemaeao.
Immensa multido se comprime, se abalrda, e
escala os gradis como se se tratasse de um assalto:
tal era o tumulto, taes eram os clamores, que en-
surdeciam a gente. Um grande vu azul semeado
de estrellas de ouro, e estendido sobre cabos, ser-
ve de tecto ao recintho para preserva-lo dos raios
do sol: mas nem por isso impede que o calor all
seja abrazador. Muitos espectadores despem as
suas napas, e dcscalcam-se. Homens e mulheres,
sentados indistintamente ao lado uns dos outros,
agitam seus leques, e bebem vinhos gregos nevados,
que os vendedores de bolos e pastis mercam com
todas as torcas.
Rcslabcleco-se o silencio vista do prcgoeiru
encarregado de annunciar o. titulo da peca, quo se
vae representar, e o nomo do seu autor.' Vinte c
quatro velhos vestidos de tranco deseen da palco,
e vio cantando queimar perfumes sobre um altar
collocado no centro do espano vaso cm somicircu-
h> i>or baixo das gradaras." .
(loncluida a ceremonia, appareceno proscenio
nm bobo pintado do preto, coberto do uma tnica !
curta feita de pedanos de pannodc diversas cores : ,
accolhido com applausos e gritos que o impedem
logo de comecax a ra arenga. Restabelecido de
doto o silencio, o homem de vestimentas d'arlea>l
quim narra com gestos cmicos uma iMga histo- |
ria que nao comprehendi; mas que devora ser cn-
gracada, pois transpoim do jubilo aos Arrecanos,
que riem-sc a nao poder mais. O Gaulez gMta. tam-
bem do divertir-so : desejava comprehender tudo
aquillo; receei, porm, tornar-me indiscreto, fa-
zendo perguntas aos meus vizinhos.
Suppuz tudo acabado, c dispunha-me ja para
sahr, quando vejo o panno da fronte abaixar-se e
sumir-so no tablado ao som do invisiveis instru-
mentos. Apresenta-se aos olhos dos espectadores
o peristylo de um palacio de mil columnas ornadas
de pinturas douradas. O fondo se abre para o cam-
po ; muitos personagens, do diversas modas tra-
jades, com mascaras no rosto e nos ps calcados
desmedidamente altos, entram acompanhados de
tocadores de flauta : dizem e fazem ali perante
todos cousas, em que eu nao ousaria pensar, mas
que nao obstante muito dvertem os homens, c fa-
zem subir o rubor s faces s mulheres.
Dun-Glan adormeceu no melhor da pena, e Kad-
Aneith quo bocejava de vez em quando levnten-
se e foi dar um passcio pela cidade. Qnantn a
mim, nunca vira cousa semelhante ; arregalava os
olhos o mais que podia na duvida entre se seria
aquillo ficcao ou realidade.
Terminada a representacao, fui jantar casa do
lueumon, onde havia numerosa companhia. Vi ao
redor da mesa macios estrados cobertos de flores
que constituan! os nicos assentos ; fui pois obri-
gado a deitar-me com os outros, posicao que. achei
muito ncomrooda para comer, e mais indoecn-
te do que incommoda, pois que tinha senta-
da a meus ps como os outros convivas uma jo-
ven escrava tao ligeramente vestida que mais va-
lera estivesse logo despida. Essa escrava ali esta-
va para despejar o vinho na minha taca, tanger as
moscas c satisfazer todas as minhas phantasias;
porm o seu leque enorme de penas de pavao, que
agitava em {rente do meu rosto, e os beijos que
quera dar*me a cada passo impediam-me
de comer vontade. Dun-Gian despodio a
sua com um pontap np momento em que ella des-
envolva as suas meiguicos i e eu sem tanta gros-
seria flz com que se retirasse a que me r
at>" mesaa
o fez entar-ar a
nma coronaran
senlando-me depois sem eerimonia aa broaaav
trado. .
O banquete era esplendido : os t-frara Iraanan
sem cessar novas tacas, mais preciosas hm aae
as outras, etransbordando dos vinar os mate a-
mados da Etruria e ila Grecia. Nos iaainMuu
reereavam-nos os olhos e nuvidos um baaaaae
cantoras e dannarinas, rom os seus na
cas lascivas. Quando adunia della-* por sua graca e talentos, o lueumon fintas'^
sent de um prato do ouro, uma tara de arate, e
lecia-lhe um elogio. Honre
que dannou iao lie* que nlle
lado, e pond >-lhe aa cabera
disse :
Restituo-te a liberdade.
No fim do banquete os vinhos e os paraaaas aV
nham por tal modo esqnentado o cerebro aa raa-
vivas que lodos elles, mais ou meaos
cidade, llvcram necessda escravos e lictores para rcgressnrem aos saaa pa-
lacios : foi assim que passoii desapereaMiaa aa>
briaguez de Kad-Aneilh. que beben a Taaaa>, e
comen de Indo. Dun-Glan voltou ao i
to. e eu dirig -me para a residencia aai
precedido de escravos com arrhutes inmi,
companhado por varios guerreiros da aaaaa Wm.
Ao chegar encontr! o meu esnoaaaa Ead-Wir
cabido de bebado nas oseadas do
Tinha passado o dia a beber
n'uma taberna no meio de bufes a|
despojaram-no da bolsa e das proas
Callirhot!, apesar da hora *__
eslava ainda a minha espera i'otaaaaa
e subnussa. Tomou da maos da i
alampada, cujo oleo perfumado esaaaaj
de myrrha, e convidou-roe a acoaaaa
aposento que me era destinado-
se aposento uma correte de aiaaaaoa
ella levava, e ci-la que procura aaaari
trevas. ..
Dirigi-me as apalnad-la> pan
ouvia o roar das >uas vesjesvj iiimi aaaa
ennontrara s suas, e lornandoj Mrano a ater-
c da obscuridade. abraco o Iflwi earpa aa Tir-
gem. que solu um grito de (orprasa, e aaaaaa
animo de fugir dos meus bracos. SMooam co-
raco pulsar de encontr ao meu; os boho> I
se encoptram : era o primeiro beijo.
Deixa-me, deixa-me, disse ella rendo a |
vir com a luz.
E forcejando por despreoder-ae,
aae
ala las
^kJj (Ccmtimmruhmf
WNAMBUCO.- TTP. DE M. Y. r. i HDB


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EL2W43VM1_CHOZRY INGEST_TIME 2013-08-27T22:20:52Z PACKAGE AA00011611_10183
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES