Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10178


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/
AMO XXXIX HDMEBO i98.
Por (res mezes adiantados 5S000
Ptr tres mezes vencidos 6JO00

SEGOHDA FEIRA 31 DE AGOSTO DE 863.
Por anno adlantedo..... f9$f)0O / .
Poete franco para* o subscriptor.

\
DIARIO DE PERNAMBUCO.
GADOS DA^SUBSCRIPgO NO NORTE
hyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima i
" o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
a. te Lemas .Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
a; MaiSnhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Pa^ os Srs. Manoel Pinheiro di C; A-
mazonas, o S/t. Jeronymo da Costa.
BNCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL
.Alag6: o Sr. Claudino Falcao Dias; Bahia, o
-Sr. Jos Mu:-tins Alves; Rio.de Janeiro, os Srs. Pe-
yeira Martins & Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu", Goyanna e Parahvba as segundas e
sextas-feiras.
EPHEMERIDES DO HEZ DE JULHO.
6 Quarto ming. as 6 h., 40 m. e 14 s. da
m.
Santo Anteo, Grvate, Bezerros. Bonito, Caruaru'J '* Lua nova as 10 h> 37 m- e ** s. da m.
3 Qnarto cresc. as h., 84 m. e 3* s. da m.
28 Lua cheia as 5 h., 19 m. e 56 s. da t.
Altinho e Garanhuns as Ierras feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro', Brejo, Pesqueira.
Ingazeira, Flores, Villa Bella,Taearatu", Cabrob;
Boa \ ista, Ourirui y e Exu' as quartas feiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrci-
ros, Agua Preta e Pimcnteiras as quintas feiras.
llha de Fernando todas Tis veles que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao V- dia.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 3 horai e 42 inmotos da tarde.
Segunda as 4 horas e 6 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEMOS.
Para o sul at Alagas a 5 e 23; para o norte at
a urania a 7 e 22 de cada me?; para Fernando nos
atas 14 des mezes dejan, maro., maio. jul, set. enov.
PARTIDA DOS .MNimg.
Para e-ftecife : do Apipuros as 6 /i, 7, 7 >/,, 8 e
8 V, da in ; de Olinda s 8 da m. e 6 da larde: de
Jaboatao is 6 '/., da m.; do Casanga e Vanea s 7
da m.i de Bombea as 8 da m.
I Rerlfe : para o Apipuros s 3 '/,, 4, 4 '/i. 4 >/?
.<
I
PARTE QFF1CIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
5, 5A, 5 V* e 6 da tarde; para Olinda im 7da
nianhaa e 4 >/2 da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Caeliang e Varzea as 4 '/2 da tarde; para
Bemt)caas4dtarde. .
Expediente do dia 27 de afosto de 1863.
^.OJBcio ao brigadeiro commandante das armas.
r PV v- Etc. as suas ordens para que sejam
.presentadas ao Dr. chefe de polica, no da em que
f seguir para o norte o vapor que se espera do sul 3
pracas de 1* linha, atim de escoltarem a 2 crimi-
nosos at a capital da Parahv ba.
Dito ao mesmo. Attendedo ao que me roque-
reu o delegado de polica do termo de S. Bento al-
feres Francisco Genuino Simoes, resolv por des-
pacho desta data conceder-lhe um mez de licenca
para vir a esta capial tratar de negocios de sua fa-
milia. Oque communico V. Exc. para seu co-
nhecimento.
Dito ao mesmo. Nao sendo mais necessaria a
presenca do medico Dr. Levino de Bastos Varella,
na povoacao da Varzea, sirva-se V. Exc. de expe-
.r suas ordens para que inmediatamente se reco-
lhaa esta cidade.
.Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Jarona y. S. para seu conhecimento e fim con-
veniente, que attendedo ao que requereu Francis-
co Lucio/le Casiro, resolv por despacho desta da-
ta prorogSr por seis mezes o prazo que Ihe foi
marcado por edtal dessa thesouraria para aterrar
um terreno alagado que possue no lugar denomi-
nado Coelhos no bairro da Boa-Vista.
Dito ao mesmo. Com copias dos offlcios do di-
modo a cstaoao mora, quasi nada teriamos de re, levantamento, nem o governo russo fazera progres-
ferir hoje. sos notaveis.
To grande o repeiwo, actualmente, da polili-1 Segundo a emigraran polonesa em Pars alirma,
ca europea e especialmente da allcma debaixo da os (tolonezes ao resto"podertem continuar a lula d
influencia da cancula. mesmo modo como ate agora, anda por muito tem-
J relatamos em nossa ultima, que havian sido' po, e sobretudo tambeni durante o invern,
expedidas as respostas russas, s notas da Franca, I No dia 2 do corrente leve lugar finalmente, a
AUDIENCIA DOS TRIBINAES DA CAPITAL
Tribunal docommereio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados 10 horas.
Fazenda : quinta as 10 bofas.
Juizo do comraeifio: segundars 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas- e sextas ao me
di.
Segunda vara do civel: quartas^ e sabbados a 1 hoi
da tarde. y
Inglaterra e Austria de 18 de junbo.
As primeiras noticias receidas de Pars a rs-
peito do oontedo dessas respostas mostraram-sc
todava errneas. Bem longe de denotar dis[si-
fes eonciliantjjs, a Russia pelo contrario replicou
d"uma maneirapxcessivamente grave.
As primeiras rommunicaces de Paris tratavam
de eneobrir isso ao principi, para poder preparar
os nimos pouco gouco a verdade, e assim irnpe-' conjecturas na imprensa.
dir urna demasiada rritacao dos mesmos e urna' Ante-bortem comeeou em Leipzig a segunda
nova pnica das bolsas. Desde ento ebegou ao festa geral dos gymnasticos allemes. Keuniram-
conhecimento publico o pleno texto das "respostas fe para a mesma nao menos de cerca 15 mil g\m-
da Russia, e de novo flcou de cima a corrente bel- nasticos de todas as partes da Allemanha.
A dieta allemaa, em considoracao da posicao da
visita desde muito tempo esperada, do imperador
da Austria a el-rei da Prussia. o qual se aohaTn-esen-
temente fazendo urna cura em Gastain. 0 impe-
rador s era acompanhado por dous;ajudantes. e
nenhumministro assist a entreviste. "
A visita so tem pws a importancia de um ne-
gocio de etiqueta, e nada a fazer com a poltica.
Isso naturalmente nao impedia toda a sorte de
do
lulii.'11111
Commercio
.lo
SO
aMd^^Sf(h"Smp,-82?1 F&i e K nao menos dign.1 da menca un.
f;.t.".d^|n":,n{!rgj|u|ga 4P excitaros pas de farn!- Sr. Sabino Coelho no Jornal
coraiqu* a^SSS ,?'?".?J 'Mr,,oao8 m b volume >-' faelafr do Si-. Zaluar.
-%dh7^^3M& ,, *'. ~ Foi Pecada a quartacardeneta do VI vo
tarde S^ScSfLteS ^ 7 IWrf da ^^^-^"P'toresco belloe muito instructiv,
miui, nuu\t rctepi jo em cratide irala nn nal naen . DIAS DA SEMANA
30. Domingo. S: nadenria v. m.: S. Fant:nm
31. Segunda. S. Ro.)mundo .N.jnnato card.
1. Terca. S. E^ydio ab.: Ss. C^eio e Jwor.
2. Quarta. S. Estevao re de Hungra.
3. (Juinla. S. Eufamia v.; S. Aristhen k .
4. Sexta. S. Rosa de Viteil v. f.: S. RwaKa v.
5. Sabbado. S. Horculano m. : S. AsctwM*
.ASSIGNA-SE
j no Recife^ em a liroria da praca da Intepeade
| ns. 6 e 8, dos; proprietarios M'amH FiL-ueiroa e
Pana A Filho..
O reembolso dos titulos e o iiaiiaiiH-nio du> ui
ros, HnMb em Bordeus, Pars, RrnxeN .
t rntfor h. Main. Estes titulos sao eniittid.r. c..i.
os juros a vencer desde de noveml*.. I
O contedo das- notas russas. de differente re-
dac^ao a cada urna das tres potencias, em resu-
mo o seguinte:
Relativamente aos seis pontos formulados confor-
me na parte principal, pela Inglaterra, Franca c
Russia, acerca das concessoes a fazer a Polonia, o
principe Gortschakoff reconhece que nao se exige
em geral nada de iniquo e impossivel, sendo at
mesmo de arcrdo com as proprias" inteneoes do
imperador Alexandre.
questao dano-allemaa nao ter ferias esle anno. O
termo para a resposta dinamarqeza ultima re-
solueao da dieta nao decorreu ainda.
De urna resposta provisoria do gabinete dma-
marquez notfteacao-dodita rcsolucao pode-se dc-
duzir entretanto, que por ora oio se deve pensar
em qualquer condescendencia em Copenhague.
Os membros magyares da dieta da Transvlvania
retiraram-se da mesma mi corpore, debaixo "de pro-
testo contra a legalidade da dieta convocada pelo
governo austraco e reservando-se o anligodreito
' i\i\ iilit Tiln <>*.Jn mnM>.:j^___- ...V 1
Se todava os mesmos eram propostos pelas tres
potencias como meio para restabelecer a paz gra- [ do paiz, nao tendo apparecido em nenhuma das
rector do hospital militar de 2o do corrente e do i vemente abalada na Polonia, a Russia, vira todo o primeiras sessesda mesma dieta,
brigadeiro commandante das armas datado de n*&OCI0.c celara nao poder conyir na sua execu- j
hontem, transmiti a V. S. para os convenientes cao' an,es.de afnaf-se restabelecida a paz. Primei- -------------
exames as cortas legalisadas de reeeita e despeza ramente "W achar-se segurada a autflWdade
daquelle eslabelecimento, relativas ao mez de iulho russa n.a f,01""1'!- c pnla0 podena-sc esperar da
ultimo.
julho
Dito ao mesmo.Mande V. S. ajusfar conlas al
o lim do mez corrente e passar guia ao alferes
Francisco Antonio Machado, que tem de seguir
jara a Bahia no vapor que se espera do norte afim
de reunir-se ao 10 batalhao de infartara a que
pertence.
Dito ao mesmo. Tendo approvado provisoria-
mente a deliberacao que tomou o visconde de 1^;-
mont cnsul de "
magnanimidade do imperador as concessoes neces
sarias; mas antes nao.
Naturalmente ninguem deixa de comprehender,
que assim tica recusada a proposta das tres poten-
cias.
Ainda mais posit jva a recusa do armisticio, a
nica possibilidade de por um termo ao derrama- j
ment de sangue na Polonia, declara o principe de
Gortschakoff mui seccamente, a que os insurgen-
I.ISIIO.
t Franca nesta provincia, como me Ponnam^as armas. I ma outra suspensao das
participou em officio de 23 do crreme, de incum- l,oslllll,aes na pode ser aceita pela Russia.
liir o chanceller Imbert des Chenen da gerencia do As tres potencias tinlram proposto finalmente,
consulado durante a viagem que vai fazer a aquel- Pa""a/egular o modo de governo futuro na Polonia
le paiz; flcandopormobrigado opredito chancel- .base. seis Pn,os '"dicados, urna conferen-
ler aaprestmtar o imperial beneplcito no prazo m das P1ie1(;.ias *! assignaram a acta final
de3 mezes cortados desta dala : assim o coinmu- no_con?resS" "e \ienna.
nico V. S. para seu conhecimento e aflm de que T^? Pssa ProPsto.f"' rejeitada pelo gabine-
te de S. Petersburgo. Lma semelhante conferen-
o faca constar ao inspector da alfandega. Com-
municou-se ao Dr. chefe de polica e ao capitao do
!>orto.
ra argnmentam as notas de resposta s seria em
seu lugar, se se tratasse de convenecionar os prin-
Ditoao inspector da thesouraria provincial. i C,P0S $eraes Paraa constituigao da Polonia.
Attendedo ao que soliritou o director geral da Mas .esse conveni(l ao mais preciso, aceitando
iustruccaopublica-em offlcio de 24 do corrente sob ? Russ,a eni pnneipio os seis pontos da Franca,
a 149, recommendo V. 5. que nao ha vendo'in- ln8'aterrae Austria, c existindo jkit isso j umac-
conveniemte, mande indemnisaroregedor do Gym- c a fsse ^P0''0-
nasio provincial da quantia de 142060 rs. des- conlerencia proposta das oito potencias, por
pendida com a acquis?o de objectos requisi'tados essa ""H"0'.80 ,eria ft^ecupar-se com o detalhe da
pelo professor Luiz Jacques Brunet, para o museu e^uCao dos seis i*/^, o que seria una ingeren
daquelle estabelecimento, segundo consta da rea- ca a Europa nos negocios internos da Russia.o
rao e recibos juntos.Communicou-se ao director ?uc denenura mo' se pode solTrer em S. Peters-
gend da instruccao publica. i ba^o.
Dito ao mesmo.Inteirado de quando V S ex- *or .coulra- a Russ|a est prompta para urna con-
poz em seu officio de hontem, sob n. 423, tenho a rilrc,)cia 9oni a Prussia e a Austria acerca da lixa-
ivrcm resposta, que pode mandar entregar por -ao circumstanciasda Polonia, tendo essas po-
cortajda verba consignada no 2 art 13 da le tencias, como participantes na divisao da Polonia,
do ornamento vigente ao Dr.Jrtanoel Buarquede c l*ssu,do igualmente antigs provincias do rei-
Macedo, na qualidade de procurador do iuiz de di- no I>lon,>z. m irteresse idntico com a Russia
Uii de 1077 "a (iues,a0 poloncza. Na nota dirigida ao gabine-
13 de agosto de 1863.
Na follia ofBcial de 4 do corrente sabio o decreto
que manda proceder eleicao de tres deputados,
por estarem oulras tartas cdeiras'Vagas na cma-
ra popular.
A eleicao dos circuios de Eiras e Loul verifica-
se no dia 30 desle mez. A da iljia do Principe, se-
r determinada pelo respectivo governador militar
da provincia.
A sessao prxima a ultima da actual legisla-
tura.
Tem-se es|alhado que o conde de Lavradio re-
presntente de Portugal em Londres pedir a sua
andana e afllrma-se que o duque de Saldanha
ir substitui-lo naquelle posto diplomtico, indo pa-
ra Roma o conde de Castro.
nossos |M)liticos pretendem explicar estas
A escolha foi muito lomada, e nao menos a ini-
ciativa do pensamento de tal instituicao.
Sua sfcgestade el-rei, em demonstraeo do
sontiiiientopola morte de S. A. R. o jjriiicipe Frc-
derico (.uitterme da Prussia, pnmo-co-irmao de o Jogo do ^
^ M. el-rei da Prussia, tomou luto por tempo de 4! dia a Sociedade
mas, a comocar du da 8 do corrente, c ordenou deiro Jnior.
que os seus-fflSdo.
luto.
para espaldar gratuitamente pelas
aulas primarles deste reino, como para destribuir
nesse imperio asclasses poputares.
O conselbo dramtico, reunido ha poucos
dtas concedeu"
ondi(oes, ou de arrisrantn msa
MtssMstt, (Matsai
salvando o rapiSBl. rmn
islo no raso do mh
de atlingir a
.....sso social.
listas tres combinai.-o.-s devem produair os m>-
Uiores resultados,e tent mais vantojuso, qiiw..
uiaior Cor o risco a que os socio* se abAteorreni
e a corte tomem o referido
Foi definitivamente noateado director da easa
da moeda o Sr. Sebastu
OacaiHtaos que entrarem na caix>.*ro loe-
dos em inscripcoes de juro de tres por ven
Ih|Q-
da moeda o Sr. Sebastian Betamio do Amieida 11 i .^,,strMsoe jnrooe tres
- No da 8 deste mez, pelas 6 horas da manida, Ilustre professor do insHtino, indust al d v ^ ,ll'aau0 ",al,t'naveis al ao lempo das
comeeou a bordo da crvete Infarte D. Mo a fai- boa, c ehimico distincto. Aquello estabclorimenb TO r ,
nedemetter.mastros. aqual foi coadjuvada por carece da reformas notanris Zo IT Kto ha ,^ d"e,">\'lc adimms.rarr... ?,r, ,,,
mais de cem prafas de diversos navios do oslado, deporcerfo pVopor aos poderes publfcoZ AlgE tZZZT"*' l???DeJ0 Um **>*&** **
ZSSSJu.TE? dcvc SKr I,rom|,,a ';rcvc- mas das ,a!abamdAer artorisadns '
rntntc para | a Inglaterra receber as machinas, pelo governo.
Parece que a ira commandando o Sr. Carlos Testa. Sabio de Li
digno e zeloso 1- tenente da armada, a
Lisltoa o duque de Pentliievre, filho do
Ji.'nniiri:~ 'v"""'u -u,,.'1',',,,.,uu- a quem ja |>rmcipe de Joinville, bordo da fragata america-
loi i.oniiada urna comnussao idntica, por occasiao na Macedona, onde serve como guarda marinha
fu^Sr n^tLaJ?u7e,l M da tmdeira a ,n" ~ .F? no,nt'a,l I-'10 overno una commissao
g 4 ir^iT- Vm' a n 0S|)ec'al Pa,a "'Presentar em brevissimo prazo de
-vi i n5 Vascoda Gttm"< fundeada no tempo um projecto de regulamcnto que melhor sa-
1*f2^^LUml^C0lapra,Ca' ondeas _isfaca i ao con de mannheiros, com os seus ros- harmona com as disposieoVs do contrato feito com
i.,,:. p. .-tai,.!" -j.......------i-------.->". ,.u .. ...,.u un. pii.j, i,, un l.yu.lllU'iJIO (Ule IllelllOI
..rio; h i .'dau,nae^ola|,ra,lca' ondeas fsfaca os interesses do municipio d Lisboa,
placas do corpo de mannheiros, com os seus ros- harmona com as dspor-:
peenvos ofBflaes, e por destacamentos, recebam as a compnnhia das aguan.
de^miteria^slSiffSn1!? ----0-- "ian^0S --- Cmmis^0 .60?!** engenheiro da com-
navios do estado. Esi
rao pelas esquadras
s recolhero ao quartel .
^S de ,roinP' as provas dadas no exame [rnue deve passar ca- gerente da casa commercial de Perreira & limaos
da limadas respectivas pravas. A nstrnecao de que chefe o Sr. Visconde de Santa Isabel ac-
conste de seis pontos, a saber : 1", nomenclatura tualmente cm Par-
s | das lioccas d.fogo c seus accessorios nos diffe
transferencias "e exonercao uz dos nterssei I u^^m-.T'f'^J, ^'U? accessoCio-" nos differen- Contnuam em grande escala as snbscrp(*oes
Hura e nomeaeaodos serventes, e donativos para acudir aos operarios das fabricas
partidarios, o que nao
activa est tomando ares
e as beldades provine
rcito da comarca da Boa-Vista, a quan
rs., em que foram oreadas as)bras da respectiva
cadeia, afim de que possa aquello magistrado oc-
correraos pagamentos das despezas proveniente
de taes obras.
Dito ao mesmo. Em vista de sua informarao
de i% do 4"w tyrtej sob n- 41o, recommendo V.'S.
qn".. kmd"por em hasta publica os reparos de
te de Vienna o princi|ie Gortschakoff convida o
mesmo formal e expressamentc para urna confe-
rencia em Petersburgo.
Ainda at o ultimo momento tinha-se esperado
geralmente tanto em Paris como em Londres e
Vienna, urna rosposta condescendento. Tanto o
ministro inglez como o frftncez em S. Petersburgo,
es nos XL de GlSf ando1Pr ni s. depois os dous bordos de algodao do Porto, que pela Vr
fanas "nrv,L S ? formaturaa postos ; guarnecer a um e aos dous acham a bracos, com a miseria.
estacao, em que as amenidades L^STSS I ^5SP??,D^ ; ^^ -* desalraca'""a^ En,rc'a"' esperam-sede In,.;
o lugar dasdistraccoes mais ott menos ruidosas dos! dous bordos
crisc deste genero se
liaterias;
certames em que as facfoes
constantemente as outras quadras do anno.
_speram-sede Inglaterra procedentes
uarnecda amatoria u um ou da India e China 138 navios que vem carregados
o',. ? ^ ^U,ll,'.cm serc"'s O" reruF06, >iparaabordagern. quer para incendio, jur para abiram dos porros asiatfcos a 13 de fevereiro ul-
I mosquetera : ('. exercicto de
m7^!.^W "jiWtodo"odeTreto que ZXTc^-,i Z r SS i
aiiresenta no bispado de Macao o Sr. Jos Luiz Al- competente-%dar u i. ,n .," K
ve.Fe.jo, chantre da s de Braganca, e ^^^^IS^VSc,;^
' de batera detalbadn jior tempos e a vontade ; pon-
tanas alcances, como se medem cargas, projects, do hi
seu elfeilo ; conhecimento das alcas de portara c prios
artilliaria n'uni s
do que a
lincees
exercicio
(\k.u precisa o impedramento da estrada da Victo- "P sobremodo sorprehendidos, quando o prin
cipe de Gortschakoff artes da expedicao das suas
notas Ibes dra conhecimento do contedo das
mesmas. e ambos os enviados fizerain immediata-
mente observar ao ministro russo a desfavoravel
impressao, que as suas notas deviam fazer, e como
sobretudo a proposla d'uma conferencia separada,
da Russia com a Prussia e a Austria, deixando de
lado a Franca e a Inglaterra, causara o maior
desprazer em Paris e em Londres. Ao mesmo
tempo elles exigiraui urna declaraeiio, se, e em
como evenlualinente as convences' d'uma confe-
rencia das potencias orienfaes deviam tambem ser
apresentadas s outras potencias para sanelo;
mas nao receberam senao respostas evasivas.
Os dous ministros occidentaes tinham ajuizado
mu acertadamente. A impressao das notas rus-
sas em Pars e Londres foi a mais desfavoravel pos-
si vel. Sobretudo em Paris se sentio como urna
grave desfela, a proposta de urna conferencia se-
parada da Russia com a Prussia c Austria, nao
vendo n'isso outra cousa do que o plano aberto e
fj^ffrtsfiasi3s ^?^srfi:
de largura, como exige a cmara municipal desta
ria, servando do base a %;s3a arremataco as clau-
sulas e or$amentos^udtos por copia na importan-
cia de 6:1608 rs., os quaes nesta data approvei e
para esse fim me foram reAnetiidos pelo director
da reparticao das obras publicas coin oflicio de 27
de julho ultimo, n. 149.
Dito ao director das obras militares. Pode V.
S. comprar as 17 folhas de zinco que, segundo o
seu oflicio desta data, sob n. 137, o a que respondo.
sao nocoaoarias para compor a coberlado labora-
torio pyrotechnico do arsenal de guerra. Commu-
nicou-se ao inspector da thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo. Logo que eslejain concluidas
as .liras que se estao execulando no quartel das
Cinco Portas, mande V. S. fazer as pinturas do
que necessita o mesmo quartel. como solicitouo
brigadeiro commandante das armas em oflicio de
2*i do corrente, sob n. 1381.
Dito ao mesmo. Ao oflicio que X. S. me dirigi,
sob n. 8 e date de 13 do correte, respondo di-
zendo-lhe que pode contratar com Frederico Ski-
ncr, arrematante da calcada a fazer-se em frente
cidade : cumprindo que a despeza coin o predito
accrescimo nao exceda da quantia de 1005000 por
V. S. indicada em sem dito oflicio.Coramuncou-
se thesouraria de fazenda.
Dito ao iuiz de direito do Rio Formoso. Ao seu
officio de 14 de julho ultimo, em cumprimento do
aviso do ministerio da juslica de 17 de maio de
is.i.i, com referencia 1* sessao ordinaria do jury
do termo do Rio Formoso. respondo dizendo-lhe
ella relativa?
do desagrado, c o conde de Rechberg apressou-se
de expedir notas para Paris e Londres, ja no se-
gundo dia depois da recepeo da resposta russa,
liara manifestar a sua rejeicao da conferencia se-
parada da Russia, e declarar que a Austria na
questao poloncza nunca se separara das potencias
occidentaes.
Ao mesmo tempo o enviado austraco em Peters-
burgo recebeu ordem |*>r telegrapho de dar urna
declaraeiio no mesmo sentido ao principo Gorls-
chakoff. O plano da renovacao da santa allianca'
S
queremetta-meos maj.pas a ella relativas, acom- fa|,,ou d-essa nianeira e em lugar d7se, arar a
pandados dasohservacoes deque (ratao aviso or- Austria da Franca e ilg|aterra o principe' Gorts
'SSJSSSSSL"c 3ant,ro mes"chakolTsfizer|UCSSBSSJfit
mo anno, junto por copia. timamente a ellas.
Expediente do secretaria do geverno. Desde cntao tem lugar mui vivas negociacoes
Oflicio ao inspector da thesouraria de fazenda. entre Vienna, Paris e Londres acerca da linda de
it Dr. Bartholomeu Torquto de Souza c Sirva, par- conducta para com a Russia.
tcipou que tendo terminajo no dia 9 do corrente Por este anno. acbando-se s portas o outono
a licenca de quo< goza va; deiiou por doente de que separa os portos russos do Bltico por meio do
reassumr logo o exercii-.o do cargo de promotor gelo, nao de pensar debaixo de todas ascircums-
da comarca do Limoeiro, o que lez em 12 deste tandas, n'uma immediata accao bellicosa. Tam-
mez. ES. Exc o Sr presidente da provincia as- bem nao ainda de modo algum familiar em Lon-
sim o manda romm aicar V. S. para seu conlie- dres e Paris a idea de urna guerra.
oimert Em primeiro, lugar por isso, s ser, e poder
Deaparhos do ." l> df agosto de 18W. ser, questao de passos diplomticos. Se a Russia
Req tinentos. i porm nao ceder para o futuro, c nao reparar a
Anjoni ihpp- Gr naraes. Informe o Sr. ns- impressao das suas ultimas notes sobre o gabine-
ptoLa id >!>" ia de fazenda. te de Paris, os aspectos para a primavera prxima
Jo.aff D ,. Mello Paixao.Informe o Sr. ins- nao sao de modo algum de natureza pacifica.
Ihesoararia de fazenda. Naojpde Haver.duvda que o imperador Napoleao
zar Cavalcanti de Albuqaerque. Infor- se acha cxressivamente irritado pelas respostas
nspector da thesouraria provincial. j russas, talvez que nunca esqueca ao gabinete de Pe-
Francisco Genuino Simoes. Como re-' tersbonrgo o plano da evocacao da santa allianca.
I Se a situacao actual, viste a repugnancia da Aus-
! tria e da Inglaterra contra urna guerra, nao ain-
] da asss madura para nutrir esse plano, pode-se
todava tomar por corto, que a poltica franceza
i far todos os esforcos possiveis para translormar a
! situacao em seu sentido.
As gazetas francezas j se oceupam com a pon-
dera^ao das eventualidades de urna guerra contra
a Russia, sem a Austria e a Inglaterra, e de urna
allianca franco-tlaliana sueca-turca nesse caso.
EXTERIOR.
t'OBBKSPO DKKCIA DO DIA-
RIO DE PIRMnitKO.
HtMIll B.O.
S de agosto.
Se a quesio poloncza nao aninasse em algum
ga posicao. Os combates continuam, e formam-se
s?mpre novos bandos de insurgentes, mas nem o
as cortes.
O hispo daquella diocese, o Sr. D. Jeronvmo da !
Matla, tnha resignado a mitra.
Anda se nao abri publica cxploraco a
scelo do caminho de ferro de leste Ironteir.
No dia 6 deste mez subi considoracao do
chefe do estado a consulte do procurador geral da
corda, sobre a legalidade que assste ao governo' 0 exercicio e
para coagir os prelados do reino, como o tem feito,! cada voz do ,
para cunipnrem o decreto de 2 de Janeiro ultimo, tiro ao alvo fixo e
parecendo portento mu preximo o desenlace desle
conflicto.
Diz-se que o parto de Sua Mageslade a i ainha
esta para muito breve.
A real familia regressou ha dias de Mafra para
o paco da Ajuda, e afflrma-sc que |r este motivo.
Escuso dizer-lhe que todo o paiz tez sinceros votos
pelo feliz successo da bondosa filha de Vctor Em-
manuel, a Sra. D. Maria Pa.
Esperam-se maltas gracas e raercs por esle
fausto motivo.
Toma corpo o boato de um prximo cuipros-
tuno de dous milhoes esterlinos, que deve ser ne-1 est
gociado no estrangero para fazer face aos encar- do
gos extraordinarios, autorisados, e de cujas autor-' sS de ano ( arimt
saces ojictua. minis.ro da fazenda, o ir. Lobo de MSiSSS dirS"0''0 **"**
tuno. Vao pois sendo animadoras as esporancas
ue voltarem ao trabaldo os individuos que, pela
falla da materia-prima de sua industria, houveram
de soccorror-se caridade publica.
Por decreto de 13 do mez passado, ( publica-
a pouco,) foi nomeado director geral dos pro-
.._J nacionaes o distincto jornalisla c deputedo s
sua graduar.: exercicio na batera de postes cortes o Sr. Jos Luciano de Castro. Foi redactor
f.om^ p5as.a,raca(la! p as Pr,a? fechadas; mon-, do Jornal do Porto.
Continua patento a exposicio industrial nos
tar e desmontar una peca : substituir una carre-
; cada una das pracas coinmandar, por turho salos do tdeatro de D. Mara H"( agora em ferias, i
explicara as obrigaces inlierontes a A exposicio foi promovida pela Associacao Proino-
mniando: 6. exercicio de rogo; tora da Industria Fabril. A mpren'sa tem-Ibc
flucluante ; graduacao dos di- consagrado importantes artigos.
versos instrumentos de pontaria e uso delles; ava- Aexposcao foi aberta no dia 30 do iulho cons-
liacao de distancias. m de teeidos de algodao, linha lia e seda. Este
A instruccao de artilliaria sera na parte appli-, solemne acto foi honrado coin a augusta presenca
cavetco nlorme as regras proscriptas no guiado de sua magostado el-rei D. Luiz i. queden e-
marinhricnartrihruo, approvado por portarla do Irada na sala da exposicio pouco depois das I ho-
ministeno da marinha de :tO de agosto de 1862. i ras da tarde.
Consta que foi exonerado do lugar de relor Sua magostado foi receido pelos ministros de
da umversidadc "
nomeado
to
de
Iguns dos vogaes do jury.
examinador dos productos e diversos cidadaos de
interino da es- todas asijerarchins sociaos. Sua magestede exa-
os productos exposios, percor-
e as galeras, ficando muito
numero, ptima qualidade c con-
ter nremins Fnn '-"7*" "'""""- "J" '.' """" uuecior in- dicees de barateza com que pela maior parte sao
.-ff r "S. ssfin? se* 5 5 i g-**. a.- wm.
tos & Vianna, Duarle Carvalbo a C. e Ricardo J.'
Knowles.
\nionio .loa-!
Alguns amigos destes cavalleiros pediram-lhe pa-1 nnaes as discinHrw
ra elles os contemptarem no numer de acedes com U*
quim Aleixo Paes, major de estado-maor, chefe da pr
secgao dos estudos : e incumbido de consultar en
Mnitos artefactos rivalisam em belleza com os
oduclos de igual especie fabricados nos paizes
m que a industria de leeelageno mais se tem de-
que desenvolvimento senvolvdo. Os productos exhibidos pelos nossos
. ."ehdas figura
com subido primor a eolleceao do Peniche.
Em teeidos de algodaoe-teeidos mixto, vem-se
all algumas pecas denunciando j o apuro da
nossa fabricacao n'este genero. As provincias do
norte exhibem bellos productos de lint, colchas
... ... Tambem ha muito que admirar
Joao Jos dosReis Frederick Ynfe Fre(le"r."k u".i",,r,a- presidente o general Baldes, par do as produeces insulanas que figuram na expo-
Rodwade ^SS'wStoJSSnS^i' 5SftAI5R!LSJ*&*? as 9>"tcs, brigadeiro sicao.
que tomou parte mais
o Sr. Frederick Youle.
tinha ido Londres tratar
peenvos estatutos.
- Na minha anterior fallava-lhe da odificativa
Os pedidos tem sido cada vez em maior numero,
nao obstante o premio subir todos os dias couside-
ravelmenlc.
Segundo os estatutos, os fundadores deste esta-
belecimento de crdito, sao os Srs. Wiliam Bevan,
George Rrooking. Jamos Grouther, commendador
cola, tendo em vista dar maior desenvolvimento
a engenharia civil, concillando ludo com a econo-1
mia possivel.
Outra commissao foi encarregada de propor
um plano de montepio para acudir ao futu-
ro das familias dos militares fallecidos no servieo magnificas etc.
da patria.
res- j municipal de Lisboa Custodio Manoel Gomos. Plqoem sabendo, os que folgam sinceramente
proco medio da substitu rao dos recru-1 com os prooressos d*este camin do occidente que
festa escolar nos pacos de Mafra,era talh o foTSolmm\ prescn,e"anuo "'oeom[- a.nossaindusttia fabril ganha terreno de da para
gestados el-rei e a rainha, e Sua Alteza o Sr. in- i Rrovem
dia.
tente I) AiiVstn "ii'n"hm''fr/"^,r "c.".r "-'"'" Brevemente partir, para Alter do Chao, o No dia.
2IM& ffl8^ M.i?! fi?T s^ Sr- duque de Loul, com seu filho o conde de Lou- examos liuaes do primeiro grao "na escola "normal
do mez passado comecaram i
primeiro grao na escola or.
de Lisboa dirigida por Luiz Feb'ppe
a que assisti-
ma escola Dla Soriedade Madir'nnm U ~"":31" ".'""'' ""zeiu-me que prepara rain alguns vogaes no couteino geral de ipstruc-
niro. 'HiiHiii maicpora do Rio de Ja- umnovo drama em cinco actos intitulado Fortuna cao poWica, o reitor do lyceu nacional tvK^-
^J&S&JBJEJg. re\r flm *** as **
D. Pedro V, tendo tido lugar tambem a inaugura-1 O presidente doconselho estribeiro-mr.
t!S^^2J,^L^rS^An^ I O Sr. Ernesto Biester dizem-me que prepara ram alguns vogaes do cwelho gral de H
un mana
Leite.
Os actos dos alumnosmestres,
Eis o discurso de el-rei na dis.ribuicao oe pre-1 mTjStffiSeXvefcSt Sna"0- ^ "
r i_a i- .'Pro,0?onis,a do novo drama um typ
O e j evidenciam triumphartemente que a. institu-
um typographo, c a ( cao se acha implantada no paiz.
Entre os alumnos, foram approvs^os agora 8,
como digna' sendo 6 coradistineco. Alguns sao.africanps, de
Aos inais adartados para que progridam sem- Sello taSivf f no T^At^tT^' vendo desdC Ja- *?cr-m rTetl^> con proles
PAm,nniv.n. X?...a". J._.r:. 1",N-1" Ml\a ( no Jornal do Commercio de Lisboa, sores, para as provincias ultramarinas, a quo per
Alumnos da escola de Mafra !=Ao
vos os premios de vossos Irabalhos,
ros algumas patarras.
Aos mais adiantedos para que protir
SmenenSmncl S ""^ ^T&*. H?E> 'OXVOjFt SSn'
TSSi."^fSr-- c _, .I..,._.' Par df ,ros lo mesmo Ilustre escriptor e im- Em 01
distribuir
mem, por nao os terem podido atlingir ;
contrario que os cstimulem
pheaco e estudo se
'n.r\4n mo o,MK.i ,\a o*- u>n>.., .- |uauro romP!e, e. acabado dos pri-1 Abrio-sc em Lista i n emprestimo para a ci-
nrimeZiTumS com que a invasao hollandeza pro- dado de Rordeus, dividido em 200.000 .titulos ao
primemo ae um dos (leyeres mais sagradoso de vou os bros en amor da nairia ans mnm/inpoc a ~~,~a. a-------1____. ......__! .:...i
ilma,^a^.ad0iUA??iren'i(K-.(u vem pressosna mesma folha.
desam- Neste o consciencioso
mas a Mcndes Leal, e especialmente do irr de ques;
s companheiros os nio desani- Neste o o oceupa-se do Sr.
outobro devem fazer exame os dez alum-
nos -mestres que se matricularan! em ultimo lu-
gar.
Annunciou-se concurso de 30 dias para o pro
nlem nar.i mo iwia si a. ^. _."'> y'j ... ,"UUD N"1 a- Awutnciou-se concurso ue .u mas para o pro-
"rnem Heno" d^Sinl dT P tZ Pft2 d" Hl? de,Jane,J'0' os Volumes vimcnt0 dos luares delnsiomslas e porecionistas
lornemaignos ae igual dis- l, o Calabar, histrico brasileo dosecvlo XVII, vagos naquella escola,
I a obra um quadro completo e acabado dos pri-
epeooagar o espirito do ------=--= ,lrtt| ,
bo;is doutrmas no que diz rospeito m amn- da
familias pedra angular do ediflcio swl, e tm
correr para que este paiz tenda mais. urna instilo.
cao vantajosa, econmica e civili>adom.
Os socios que com-orrereni a inscwwr- -. >..
paoo de quatro mezes de|Kis dos estelnti^ aw.r.
vados pelo governo. pagario apena dous por ni
to, com rela<\io a somma total das snas Mihsrrip-
coes ; e os que se libaran depois dariu nnatr.
Ir cont, mas com a faculdade de ... pagaren!
em prestaces cada trimestre.
O Jornal do Coman; io, e^revntn ha Doma-
dlas a respeito desta recente fu ufen*, acivs^rn
lava : t Folpamos d.- saber que esta nova s.
dase tem sido saudada com enthusia*i> prt-
pubhce, e que ja se achara depoMiada algnwi-
sommas destinadas para a caiva de soaaro* me
tuos.
de esperar que os vossos compatriota- r*--.
denles no imperio do Brasil nao deivm ik ie-
crever com sommas im|iortents, n'uma swiedad.-
toda portugueza, o da qual (Midwn uxafrnir arar-
des lucros.
O governo para de algum. modo provi4e'ter
ao mao cxcmplo de so anniintiar nos perio*.
venda de g.-ncios pekn paaoa SMifM. f. queainH^
mais dilliciilla a aiiojicae do novo svstema I
resolveu que os ins|K.-ctoiv. 4pt |msJ t medida-
chegassem a mu accordo com os prswliHMiwi da-
reas publicas para acabarem comerte tHtomx-
mente.
H> delegados de inspcrcait ds peso* e mednla-
leem prestado ptimos se'nk-os tanto n.t ms|.
de que esto enca regados, cmo isMrarre ihi
blica pelas informaces e cslatiSticas qne In r.
inetlido, los diversos puntos do paiz. sobre o es-
tado actual o frequonrias das aulas.
Estes trabadlos publicados pela uaprensa.
bretudo na hedn-anio. cxecllenie s<>itan.irio m
lisias e operarios, da moita luz i udmrtilrasia m
perior.
Tambem tem aquellos funcoion.-wi.* f.-it,, !-.. .
servieo enr promover a expe.lic.io dos pro.ln. i,,- da
industria nacional para a expWao artiialment.-
aborta em Lisboa, por inciativa >li tumintn l'i
motora da IndustCta Fabril.
Acaba de ser decretado iov no dia I !.-
dL7.einl.ro d'esle anno >. pr.x-eda em lodo ..
ao re.-eii>eainenlo g-ial da h pulaeo. E" um.i
medida importalJasima, e de fss4Mese
llmr grandes resultados para ..- irabalhos >l.-
talistica que a reparticao cuupWente prelendr
lisar. ea quem sao ja de vida* ertas inHidas. <
individuos que so acham testa d>s!a repirt
leem dado documentos de iju'- desvjam ser ut.
sua patria.
A repailieao da estetktia i no*ministerio da-
obras piiblicasi lem um |s>oal intellig.-nte i.
livo.
Afllrma-se que o Sr. uiiiibiro das obras p+
blkas encarregra os Sea, marqu.-z .le Mjbsssi
Jo.-.' Mara Bogeaio d'AlnieiiLi e Joao de Amlr td-
Cano, para em commissao o aconselhareni ....
a conveni.'iiiia de oi,iar pelo iiiowtpolio. iki
libeidadc, no svstema que se deve segHir. eu: i>.
da lei para a fundaeio dos e-tal!- imctsssi *
endito bvpoibeearm.
O Diario de sbea do U du corrente. pul uroe >
caria de lei que autorisa o governo a reonitiu^r >
bibliotheca nacionaJ do Lisboa.
S. M. el-rei resJv.-u asistir no .i II.(..
coi unte polas 11 bocas, em S. Vicenl. ;, mi--a
trasladacao dos restos uiortaes do dib|ue 1.1 !
ceira, para o lugar quo por tapasM k^rminarao
regia Ihe foi doterminadu e assim se adiada salti-
car, para que os guneraes residentes na aafsal
commandanles dos cornos de guarnida* de IJ>I\.
o dos balalhoes nacionaes, os resjwetovos .ir.
o os mais offJciaes e empregados da repartmV^
dependentes do ministerio da guerna. possa ni ttm-
correr a ceremonia fnebre.
O.Diaria de IJsboa, folha cttriaJ do
faz nedia tu a seguinte rectilii-;.,so.
lina tolda portncnse pebbcou ultimar,
una correspondencia do Mo. de Janeiro, laia...
de 13 de julho prximo fiado, em qne se diz trr
i sido, aggredido por um individuo o oiMr>lro d-
S. M. Fidelissimanaqui** corte. Knmot mlt.
risadas a declarar ' htuiiln de fundamenta.
Noticias destas nio se devem dar sem rompb*.
fundamento, o muito bem fez o governo em mN
car immediatamcnte o boato.
Foi ultimainente agraciado pov S. M.. ees
grao de cavalleiro.da erdem de Cbristo o Sr. Th
maz Jos de Araujo. Matheiros, residente noMiueV
Janeiro.
O regiment de intentara, n. 10 leve ba pou-
co um dissahor |>elo conflicto iveorndo ae saeu >
Mafra entre os ofRciaes do destcamete ase ai
estava fazendo a guarda de honra a SS. IM. do
que resuUou um ligeiro mptim da trepa.
A oucialidado do caqpo que lodavia, e um .lo-
que wuoros crditos goaam de bem dwiphnado-
foiam ba dias ao paco da Ajuda :if cara a rl-r.-i
o de vou os bros e o amor da patria aos moradores
favorecerem a instruccao a seus fllhos. -| Pernambnco.
era m?ellef m'aonrsS*!'!.1!.8 U,i,MaAde ^ "M-,yse rapida mas viorosa des,a M>'"
^^Zr&^he^MJ^J^0 T8 VS" Prodnc:i0 m"> tampo que preste aoseu au- lisavois em trinta e seis annos por mel- de
,bmf "ocncao, saibam os tor a merecida homenagom, revela no critico os sorteios annuaes, sendo estes emade ianeir
vossos professores, que seus irabalhos merecem dotes litterarios que de ha muito Ihe assegurao'. en
rninhaapprovaco, ese HJmm dedicam todos em treas illustracdes contemiraneas um lugar nao
de portador de cem francos cada um. Estes ttulos
! tem de juro tres pof cento por anno, pagaveis m
tegralmento sem deduc^aodc mistos ; sioamox-
dous
janeiro a 1
A insurreccio da Polonia acha-se ainda na ant\ instruir-vos, dedicai-vos vos por fazer-lhes honra. inferior ao seu nome.
V-se desta primeira soJemnidade da instruccao Qnantos escriptores se nao dariam
primaria, a que o Sr, D. Luiz preside, qne S. M. em seren Julgados por tal raestre I ^
de julho com premios de cem francos, 200:300.
500, 1:000, 10:000, 23:000, 500:000 e 100:000, em
conformidade do prospecto mais minucioso, que se-
aeda as agencias. Ter lugar o primeiro sorteia
a 2 de Janeiro de 1864.
g.'\. ...
o qijauto a inagoava aquella triste ercMTraria. O
St. I). Luiz I agraiVceu e lonvoBaeKpamiseMVsee
ofllciaes do regiment 10 o seu pruredimeM.
\eio para Lisboa, da cidade do Porto, itfiata
urna digressio que fez pelo Minbo, o desliarlo >
nista brasileiro, o Sr. llardo Ferraira de Casca-
lbo, (jue tao applaudido fura ao theatro V S. W.
No da 16 parte para Paris o estimavH artista.
Este reciproca aeeViimeato dos artistas sjaa da*.
paizo eo-irmios, confirma e estrei casta nt *.
os viuculos de fraternal affecto eo|rc os **-.
povos.
-- Por um acto soleme, destaran o re i
no Oradlo, de Orango iBissaa i retcanecer.


MUTILADO I
ILEGVEL



IHario de Pernambuco Sogiiuda ffcira 31 de \gosto de 1883.
sompri* rcconheecii, o gofenw p^rtuguez directo
scnhur e pnssuidor da iht de Bujago c do todos os
llie.sps pertenrcales rnesma ilha que el-rei de f"tcmpos, seria abolido,
Portugal poda nesse territorio estal)elecer fei-
torias, fortalezas e o que bem !he pareecs-
se. Declarou mais o mesmo rei que nao con-
sentir, sem licenca do governo portuguez que os
questao do monopolio do
se tem dito ncstes ultimo?
eslrangeiros ostabelecam (citorias no referido ter-1 passar
ritorio. Foram teslemuahas do acto Endaeu-
Hiu Lopes, grando do reino 4a rango e enviado
Sobre a debatida
tabaco, que, segundo
e declarada livrc a fabrica-
cao venda, circula ltimamente que ser ainda
por esta vez dado o contrito de arremaiacao, co-
mo actualmente se encontr.
= O ministro do reino, Anselmo Brancamp vai
quinze ou vinte dias em 'Franca. O Sr.
Koi exonerado a seu pedido o bacnarel Jos Au- ramio a respectiva corr,i>spondenrin, sendo creado
Ionio Pimenta Bueno Jnior do cargo d> secretario um para osne lim, quando nao seja possivel fazcr o
do govcrno do Sao de Janeiro, c nomeado para o servico eoin o numero actual, o que, porm, abas
mesmo cargo o Dr. Joo Antonio de Souza Ribeiro. muito lite recommendo.
Foi nomeado Felicissimo Franco Ferraz para o In- t Que os carteiros, quer do trcm suburbano
gar de agente do correio da villa de Santa Isabel, quer da linha geral, sigain nos trcns da manha.
Os navios de guerra nacionaes e eslrangeiros m-
tiveram embanderados em arce.
A cmara municipal, eomo orgao dos sentiinen-
tos gcraes de seus municipes fui, segundo noticia- j
mos, felicitar a S. 3t. o Imperador por ter sido prc-
i rei Amburcu. Ambrosio Uvaningui Lopes, &i-
giicm Inopes, juiz dono"0 de Orango Untumb;
Wliequitiani ; el-rei l'ijuebe e o Sr. Bonifacio Ro-
drigties. Todos estes res c grandes do reino assig-
naram de cruz.
l'm-grande proprietnrk de Castello de Vide,
o Sr. Joao Diogo Juzarle de Siijueira
Foi concedida
a gratilioaco de 1205 ao agente! correio central,
a do Guarycuhv, antiga freguezia esse m poderac
e Nineiiv ac
ba de fundar naquella localidade ui-i .sy/o para' ira a empieza, a qual, .-egundo elle-, se dispunha
sem o seu consentimenlo a derivar para os enea-
Gaspar Pereira da Silva, ministro da Justina, flear
interinamente com a pasta do reino.
Oiz-se que vai ser rescindido o contrato com
a empreza para o fornecimento das aguas da ca- ses Momeiro de Messias.
pital. A companhia atorreu asede. Nao tem a | 13
agua que pronietteu, nem a pede licitamente obter O processo eleitoral tem proseguido tranquilla-
sem enormes ex|tropriaofies. O eerto que tem mcaie as diversas freguezias da edite,
subido de ponto os clamor-es do diversos enunie-! No Sacramento eem S. Jos comecou-se a apu-
rosos proprietanosdosarrebldes de Lisboa, con- rapo.
Em Sant'Anna conclulo-se a terceira
No conflicto ltimamente wantei
pela legacao de Sua Magestade
tastes um titulo iniuiuiudeni
e gratido dos Brasileros.
A cmara municipal da
nhangaba, no imperio do Brasil,
em S. Paulo, por demissao concedida a Fabiano An-1 3. Que tanta no trem sub-urbano como no ge- senada a sua augusta pessoa no desastre occorrido honra de ser orgaeo, vos dirfe a
tonio da Silva. ral siga nao so a correspondencia expedida pelo, recentemente na fortaleza de S. Joao. \ seurespeito e gratido pela
. e os jornaes da manha, que para
do correio da villa do Guarycuhv, amiga freguezia! esse um poderao ser levados ntesna estcSo, in-
da barra do Rio das Velhas, em Minas, (irlos Ulys- | do logo separados das typograpnias, os que tive-
i em de seguir pelo trem sub-urbano, c os que M-
vereme seguir pelo trem geni, sem 3 que nao
Nessa occasiao Sr. presidente, commendador
Jos Joo da Cunha Tecles, dirigi a Sua Magostado
a allocucao segumte :
_ Scnlioi'.Ocoraoo de todos 06 habitantes des-
ta cidade eslremeceu de horror vista da noticia
chamada
de votantes, tendo-se recebido 1,022 cdulas. 6o-
namentos e depsitos da empreza. aguas que nao meca boje a apuracao.
foram expropriadas e pagas devidamente. | San S. Antonio terminou tambera a lereeira cha-
Urna grande nova para o funceionalismo e a inada, tendo-se recebido 843 listas. Na chamada
mais recente que se aprega, com bous fundainen- do oitavo quarteirao appareccu um individuo que
tos, que no futuro orcamento da receita c des- votou, sem opposicao da mesa, com o nome de Joa-
peza geral do estado, ser a receita igual despe-
za, desappareeendo portaulo-v dficit. Acabar-se-
ha, pois.com as dcimas e deduccoes aosemprega-
dos. aclmente absurdo que os vencimentos
sejam nominacs. A administracao passada tinha
eliminado todas as deduccoes nos ordenados at
300,5 aniiuaes ; e cinco por cento nos mensaes
elevados ; quando a medida a que me redro se
Alm dos ftmecionarios belgas, cujos nomes pu-
blicamos lioulem, foram agraciados por S. M. o Im-
levar efeitb (o que se espera para julho de 1864) perador com o habito da ordem da Posaos seguin-
baver-se-ba inelhorado, quanto possivcl^ a situacao tes senliores
de lodos os servidores do paiz, que, daquella cifra
para cima anda pagam lo por cenlo.
Algumas folhas peridicas de signilicacao polili-, dojardim botnico e do gabinete de historia uatu-
ca asss consideravel, como a taztta de Portugal, ral de Her
tem recentemente apoiado o ministerio.
O emprestimo projeclado, a que n'outro lugar
desta (ja bem longa carta me reflro) foi applaudido
ctgos, a exi>ensas suas, sote a invocacao de naesa
Senhora da Esperanca. O Sr. Joao Diogii,'tendo-
Ihe inorrido a esposa"e fithos, deixa parte da sua
lortun aos mais infelizes individuos da sociedade.
o primeiro asylo deste genero qne se funda
em Portugal.
No Algarve as figneiras novas leein sido ac-
e.onunettidas de mu insei-to encarnado e redondo
que as tem prejudicado muito, assini eomo ao
fructo. As folhas entram a resequir e cahem. Pa-
reoe que o resulta havido.
No dia l_ saliiu para o Mediterrneo para
instruccao e exercicio urna divisao naval comman-
dada pelo digno almirante Joao da Costa Car-
valho.
O SHiulelh acompanhara os ouUtis navios nos
exercicios, tendo ord<'iu de se retirar pouco antes
para ir buscar el-rei Sr. D. Fernando e conduzir
S. M. Portugal. Na divisao vai um grande nu-
mero de aspirantes de marinha.
A actividado que vai agora no nesso arsenal da
marinha tem despertado justos encoaiios de tyrios
e troyanos.
Nao ba memoria de se lee alh observado jamis
taiuanha taina de trabalho. 0#r. Mendos l-eal,
ministro da marinha e ultramar, |ior esta activi-
dade, pela energa e prudencia com que se oceupa
dos negocios comucttidos ao seu zelo e res|wnsa-
bilidade, tem recebido inequvocos testi'muiihos
Segundo as ultimas noticias ua Una do S. Miguel
que lenho vista, foi all de verdadeiro rigosijo o
dia i de junho ultimo. Foi grande docka o pri-
meiro navio, o descarregon com toda a folicidade
prancha a escuna Wtte ; o navio a que tica vin-
culada a gloria de ser o primeiro dentro daquella
magnifica muralha, arvorou cm.signal de festa o
pavilhao inglez, ficando emliandeirado em quanto
durou o trabalho da descarga. Na extremidade da
plataforma ireiiudavam tarabem as banderas por-
tuguezas, italiana e ingleza, e em toda a sua ex-
tensao muitas outras enibellezavam mais aquella
inabalavel muralha. como que saudaudo o genio
do trabalho, por esta j importante conquista, feita
nos dominios do Oceanoi
Para o lim do mea correnlc deve inaugurar-
se junto ao paco de Mafra, o u*>ft(i das filhas dos
soldados. Di/.-st! que el-rei o Sr. U. Luz promet-
lea qjne os alumnos que niostrasseiu intellgeneia
e talento uao vulga seguiriam, expensas do
real bolsinho, cursos superiores. A direccao do
a>> lo o>ia cunliaila ao lienemerito e intelhgente oslo IS1W
capitao Salgado. ^'
Atala de se por um termo aos estragos e des-, A respeito do que se passou as diversas matri-
huuianidades que o sanguinario regulo Manuva zes temos as seguintes mformaedes.
pretiera diariamente no distreto de Lonreneo Encerraram-se plcidamente os trabamos do
Marques, provincia de Moramhique. | processo eleitoral as freguezias do Sacramento,
Da proclaniaco que e govorno Onofre Lourenco S. Jos, Santa Rita, Engcnho-Velho, Candelaria e
de Andrade fez aos |wvos do distrito, merece: Gloria. Na freguezia de Santo Antonio, s 3 ho-
muitocopiar-.se o curioso excerpto que noticia o ras da tarde, suscita ndo-se questao ntreos men-
t -iumpho : hros da mesa, na qual tomaram parte alguns cida-'
A justa guerra que se emprehendeu contra daos, houve um tumulto ao (pial soguiram-sc vias
o t\ raimo e sanguinario regulo Manuva, que se de facto. Reslabeleceu-sc pouco depois a ordem,
eoiisiderava iliini..... do tao clebre e fallado no- sendo pela mesa suspensos os trabalhos do dia as
tentadoManicosse, triumpliou gloriosa nos campos V horas da tarde, antes de se lindar a primeira
de Moamba, alm do rio leommate. A mortanda- chamada dos votantes.
de inimiga foi grande, e da nossa parte u|ienas te- i Na freguezia de Santa Anna, as 3 horas da
mos a lamentar a sentida perda de quarentae sete tarde, movendo-se duvidas sobre a identidade do
ralales candores morios e cincuenta fVidos. votante Joao Jos da Costa, emquanto a mesa tra-
A constante perseveranea o os assiduos e des- tava de fazer averiguaeoes respeta), Malaquias
qmm Manoel da Silva, nao sendo o proprio, se-
gundo informou o respectivo inspector de quartei-
rao. A apuracao principia hoje.
Na Candelaria concluio-se a apuracao, tendo-se
rocebide 471 cdulas.
Carlos Frederico Meissner, botnico;
Eduardo Feasl, professor de botnica e director
seguirao.
I* Que alm do carteiro actual, siga mais tam-
bein diariamente no trem geral outro carteiro com procura animar
as habiiat^ks necessarias para fazerem a separa- cionaes.
cao da correspondencia, alim de poderem deixar Desvanecida a primeira impressao, seahar
gica com une, ao mm da
dcstes os direMns do
EstetesteaaBBhofraacoasawMaif
te dirigido todas os digaos BHatbr- d.,
alta e baixa, que, tusado jusca
do perigo que no dia 7 deste mez correu V. M. un ()S Urasikiros, aaHocaraaa a
periat no incansavel zelo com que pessoalaante ma jas .nluabdade* da foan.
os trabalhos das fortificacoes na-
> Coasignando PH
teridade. a musa severa <
hoaroso testemunho de
em cada urna das esta^oes a que dolas tem de succedeu o jubilo pel modo miraculoso com que um pQV0 |vre j0 ^ ecliasoa_.
partir para seus destinos. a Providencia mostrou que vella sobre este impe-'
que al lumia os apostlos dayvifisarli*
< Kio de Janeiro. IH de apiole d II
cisco lanicio Mmrcimdi-s Ihmi-m r
\ titilo llmnticto fthmi.i'mkrM AaW
Assis Silra.
O patiucte fra:ices aamaanjr. emr- >
O carteiro empregado aeste servico, alm d;i dia- rio, salvando seu augusto defensor perpetuo
sia do t, perceber mais 1<3 tambem diarios. Se Assim a cmara municipal cumpre o seu de-
uo for possivel com o numero actual dos cartel- ver viudo em nomo dos seus cominilentes manifes-
ros acudir este servico, ser nomeado mais tar a V. M. Imperial taes sentimentos que devem
um. ser os de todos os Brasilciros.
5." A mala de Macacos seguir at Belni en- Senhor A cmara municipal admira a be-
tregue aos carteiros do trem geral : em Belm roicidade e abnegacao com que V. M Imperial sa- |,(| ()a i>rata> trouxe dalas de tan .ras aa 1%
sera por elles entregue ao chefe do trem dos Ma- crifica-se todos os das pelo bem publico e pela sor- 0 Montevideo at>f 18 do
cacos, que a conduzir. trazendo a da agencia se- te dos seus subditos ; porm, se lhe fosse agora | '(^r,.ccni de nter -sse as
melhantemente at Belm, onde a entregar aos permittido fazer urna supplica, ella pedira com to- argentina Derrotado aa*
carteiros. da a reverencia V. M. Imperial .jue no exercicio penis \,in a Botu, perseguid aetn r
6." A mala de Vassouras seguir diariamente, da grande coragem, \. M. Imperial atienda uue l)itn,e Arredondo,
e as mais como al agora, a guarda c a salvacao de sua augusta pessoa, tara- pm 'cordova fot aceita a
..n.in
bem a guarda e a salvacao do estado.
Da ordem do dia n. 361, publicada a 12 do cor- Sua Magestade responden que agradeca os sen-
rente pela reparti^o do ajudante-gencral consta tmenlos da cmara municipal.
o seguinte : -----
Porta) ia.~Declarando ao eonseJuo supremo mi- Temos folhas da provincia de S. Pardo, at
mo,
de Pindamouhangaba
*^" -'- ----- w*-.i >.IUV 1U x-Vll.jIMV OnilIOUlD lili- W...WW --*.
Vaisse, censor e chefe do ensifo no instituto dos, litar que no caso de achar-se um dos coritos do 14 do crrente,
sordos mudos de Paris. ejercito destacado em lugar tao distante da capi- L-se no Xorte de S. Pai
------------ | tal da provincia em que estiver o mesmo corpo de 7 do crreme
Reunido hontem o conselho supremo militar de que nao pessa, sem grave inconveniente, para o HoiMem s i horas da madrugada falleceu o
justica para julgar o processo do inmediato e dous servico publico, o auditor de guerra irjl funecio-, Sr. bario de Findamonhangaba, veador de S. M. e
oniciaes da corveta Pnraense, conGrmou a senten- nar nos conselhos de crimes eaj)itaes, deve esse Imperatriz, commendador das ordens de Chrislo a
ca do conselho de guerra, absolvendo o capitao te- facto considerar-se um dos empednientos previs- Rosa, offlcial da do Cruzeiro e coronel da exlincta
ente Basilio Antonio de Si(|ueira Barbedo e o pri-1 tos pelo decreto n. 418 de 21 de junho de 184o, pa- guarda de honra ; contava K7 annos de dau>, c
por aquello jornal, bem como outras medidas de
bastante alcance govematvo.
Est-sc imprimindo um fo(helo ministerial pu-
blicado pelo Sr. Ricardo Guimaraes, oude se com-
param os actos desta administraco.
__Aflnal, o "overno depois de ter nomeado ar-, meiro tenente Helvecio de Souza Pimnotel, c re-. ra ser nomeado algum outro ministro ou advoga- era geralmente estimado e respeitado.
bitros para decidirom se doria a empreza cons- formou-a absolvendo tambem o pruneiro teuente do as circumstancias estabetecidas no mesmo de-
trniira dos caminaos de ferro de norte e de leste, Jos Marques Guimaraes. creto.
coagida a mandar construir o segundo tabolero i ~T~
as pontos, ainda mesmo antes da collocacao da Lcjse no Lommercw ao Paran, de Paranagua,
segunda va nos caminbos do ferro, resolveu que, de 23 do passado:
doviam ser desde j collocados os duplos tabolei- O capitao D. Carlos Baltazarda SiWeira, com
ros as pontes.
Foram nomeados arbitros por parte da empren
Posse. dando-s'-lbe por
nigno (h'ainpu.
E nada mais s> refere das proriaria.^.
tal tao pouco oceorrra soess.> aaaweL
O estado oriental conlianava a ser asMtaa;
guerra civil, parerendo Flores
iba ao norte do Rio Nrro. l
video, porem, airaaaw qae ai
neral em ebefe dos exerco de
verno de Montevideo, D. Aeadrla
o rio a 7 do corrate, re ferrado
coronel (Juiulero*.
O general Lama- BaopooVnto

os offlciaes do vapor de guerra Maracan, fizeram
um exercicio de alvo na fortaleza da Barra desta
cidade. O ponto de alvo era em um estrado de
madeira collocado na distancia de 1 o meia mlha
da fortaleza, as podras chamadas Baleas.
' O exercicio correu bem, e appareceram pon-
os Srs. Antonio de Serpae Areolas;por parte
do govcrno os Srs. Braneo e .Margiochi, e do des-
empate o Sr. Res c Vasconcellos, conselbeiro de
estado.
Este procedimento enrgico do governo coma 'arias muito exactas. fc
empreza Salamanca, e com a compannia das L-se na mesma folba de 1 do con
aguas, lem-lhe grangeado as mais positivas adhe-
soes.
No dia 12 feslejou a associaco acatlemicti
Scieneia, em um dos saldes da faeuldade
to, o auniversario da creaco dos cursos jurdicos
e conjunctameute o da undaeao da as-
INTERIOR.
kio di; 4m;iiki.
Nomeacoes.Do Sr. marecbal de campo viscon-
de de Camam, para inspeccionar e4. hatalhao do imperio
de iuianlaria.Em 3 do corrale mee. soeiano.
Dos Srs. maior do corpo de artilhaiia de Mato- O acto foi presidido pelo Sr. Joaquun Jos Alva-
Grosso, Franciseo da Costa Reg Monteiro, para resdos Sahtos Silva na falta do presidente honora-
commandar interinamente a fortaleza da I-age. rio o Sr. conselbeiro Jos Bonifacio de Andrade e
Em 4 do corrente mez. Silva.
Capities do 1. lutaHiao de artilhariaa p, Luiz Varias sociedades Iliterarias fizeram-se represea-
Henrique de Oiiveira Ewbank, e Bazilio de Amo- tar nessa liella festa toda consagrada s fecundas
rim Bezorra, o primeiro para servir s ordens do conquistas da intellgeneia e do estudo.
com mando da escola militar e o segundo para ins-
tructor de 1* classe da dita escola, e commandan-
As bexigas tem recrudescido ltimamente. te da 2.* com|>aubia do batalno de engenneiros.
Desde o principio da epidemia ate hoje tem. Em 4 docorrente mez.
sido tratados pelos mdicos cerca de 250 pessoas, [ Capitao do jnesmo b:Oalho, Luiz Fernandes de
fallecendo destas 41. Sampaio, e segundos teneutes do coepo de enge-
. t^onsttuico de|wis do balido pw Flwre. mi
2 i'u ,- nhar por torra o Salto, ^.-rou a n arada pnr
de o,i ei- ^lu.jj^mjy a emrar em lorriluno aramiBa*. t
A barca nortc-.americana llazard. que saldr do
nosso porto para Batana, no dia 12 do corrale,
arribou hontem com o mastso grande rendido.
18 -
gando
gar os prisioneiros.
Ao sul do Rio-Negro foi Maaaai anuda,
do todas as apparoncias. a divisao do Ssrv
pelocbefe de sublevados Mineara ('.
rei'i'iido o commandanie iMonv-Hi Loronrl
do iuimgo ou de um ataque apupixiri
rem as folhas di' Montevideo.
Eia Mouievider. nada havia de
alm da couipresso triste situacao.
Do Paraguay e >Us reaaaaras !>
ha noticias de impoi tanria.
Sua Magestade o Imperador, acomiianhado dos yj
Scbschhi;ao sv.H'i i. Tran.
porte.
l>orto seguio carregado de telha com destino a Ti-
juoas, perdeu-se na entrada da barra,, indo escan-
galhar-se em cima do banco, sem que nada se po-
desse aproveitar.
A triiiolaco foi salva milagrosamente.
14
Por portaras de 12 do corrente foram nomeados:
Procopio do Carino Ribas, para agente do cor-
reio de Chapeco, na provincia do Paran, por de-
missao concedida a Manael Carlos Taborda.
Josas Eustaquio da Silva, para ajudante do
agente do correio de Santa Luzia, na provincia de
Sergipe.
Eustaquio Tobas da Costa Magalbaes, para aju
dante do agente do correio da villa Mara, na pro-
vincia de Mato-Grosso.
A cmara municipal resolveu ir hoje s 5 horas
da tarde felicitar a 3. M. o lin|>erador por ter sido
Jos Francisco Cbelho, e aMeres do 4." batalhao, onde assistio ao exercicio de artlhara com talas
de infamara Francisco Antonio Reiner, este para rasas. Dalli foi Sua Magostado fortaleza da La-
ajudante de ordens c aqnelle para secretario da ge, onde tambem assistio ao exercicio de artilbara
inspeccao do mencionado 4. batalhao de infanta-
tana. Em 7 do corrente mez.
1." tenente do corpo de engenneiros, Francisco
Carlos LassaneeCunlia, para tiear dispesicao do
muisteria da agricultura, commercio e obras pu-
blicas.Aviso de 28 de julho lindo.
1." tenente do dito corpo, Manoel Gomes Borges,
para coadjuvar os trabalhos da commissao de me-
Ihoramentos do material doexerrito.
Do Sr. Joao Augusto Estoves da Silveira para o
lugar de escrivo do hospital militar da provincia
da Baha.Decreto de 30 de julho findo.
Por aviso de 23 do dito raer, foi approvada a
nomcaco feita pela presidedeia da provincia
volados esforcos que se emprearan), coadjuvados' Cordeiro de (istro fazendo opposicao ao votante preservada a sua augusta pessoa, no desastre occor-
polo- valiosos auxilios subministrados porS. Exc.! arremessou urna cadeira sobre Salustiano Felsber- rido ltimamente na fortaleza de S. Joao.
o Sr. goveinailor geral da provincia, den em re-1 to do Amaral, dahi resultando motim e perturba | ------------
multado i olMidienca deste vaslssimo sertao han- j cao da ordem, qae cessou independeute do em- Refere urna ])essoa chegada hontem da Victoria,
deira portugneza, e hoje, grecas Providencia, o prego de forca, suspensos pela mesa os trabalhos capital da provincia do Esperito Santo, que,
acatamento todos os portuguezes profundo! do dia, logo depois estando conchuda a primeira por occasiao de all proceder-se na matriz elei- oiiveira.
como o terror que as nossas armas ufan- chamada dos votantes de 18 quarteiroes. cao primaria, foi roubada a urna, que ja cunt-; Exoiuracoes.Dos Srs. capitao do
di rain naquelles barbaros. Manuva pode ou-| Na freguezia da Lagoa concluio-se a segunda ha noventa e tantos cdulas, depois de grande -- i
ta voz refugiar-se as tenas do regulo Mussnate. chamada dos votantes, tendo-se dado apenas um h- j tumulto e de alguns ferimentos, e que aps isto |
porm com muito ponea geute, porque greada jgelro barulho, aeeasionado pelo facto de pretender | dividiro-sc os dous partidos, indo o conservador
parle dama fra apresentar-se Masilla, cansada um individuo trocar a lista de um votante, baru- continuar a eleioao na casa da camar^ e ficaudoj
j de tanto soffrer. Iho que se applacou com a simples admoestaco' o liberal na matriz, para onde foi neva urna
Esle extraordinarissiino e inaravilboso acontec-; da autoridade. ------------
meato, a primein vista parece diflicl pala jmaoa] Na freguezia de _S. Christovo s 3'Choras da! Na capella do imperial Instituto dos Meninos
com balas rasas, e em pecas de calibre 80 com
bombas, e segurado depois*para ailha das Cobras,
all visitn o hospital de marinha eas orlilicacoes.
Pouco depois das 3 horas da tarde regressou Sua
Magestade ao arsenal, e retirou-se logo.
Em portara datada de hontem foi prohibida ao
Sr. Francisco da Silveira Villas Lobos a entrada
nos armazens, depsitos o trapiches alfandegados,
por diversas dillereneas encontradas nos seus des-
pachos.
Nos mato da chcara do Sr. raajor Pacca em
S. Christovo encontrou-se aute-houtem urna os-
do Para, do Sr. alteres'do corpo de esla'do-maior sada humana, e juulo delta urna espingarda gran-
de 2, classe. Carlos Agostinho dos Santos, para de carreg.ula, um faco, urna faca, urna garrata
excrcer interinameute o lugar de sub-dntor da' com agurdenle a outra com plvora grossa, um
colonia militar de Obidos. chapeo de couro, um talim com chapas amarellas.
Demissao do sorteo militar.Foi concedida, por ; algum chumbo de munico e balas, e resi's de
decreto de o do corrente mez, ao Sr. 2." tenente do j urna catea de ganga azul, e de urna camisa de ns-
I." batalhao de artilharia a p, Jos Geoeahes de cado da mesma cor.
A' vista destes objectos suppoe-se que esses
1." bafalho
de artilharia a p, Luiz Fernandes de Sampaio, do
(ominando interino da fortaleza da Lago.Em 4
do corrente mea.
Priineiros tenentes do corpo de engenneiros,
Francisco (lirios Lassance Cunha e Antonio da
(Mi Barros Veloso, do cmnrego em que se acha-
vam na commissao de melloramentos do material
Jorca europea de que dispunhains paradesthroni-' tarde havendo questao entre alguns cidadaos cer- Cegos ser celebrado amanla, as 9 horas da m.y do exercito, seudo louvado o segundo pelos bons
sai tao ambicioso sel vagein. mas com esea mesma; ca da aceitacao da cdula de um votante, onginou- nina, nm Tt-Dnm em accao de gracas por ter a-1 gervicos que prestou na referida commissao.
pouca loica mostramos aos olhos do mundo que
nao dcsiureciainos das glorias dos apeaos ante-
passados. Os serios sehani-se aliertos por toda a
parte; deste ponto ao Zanibeza, po sitar livre de exlorsoes de lodos os catres.
Os parabens que vos dou agora, por ferinos
colhido tao feliz resultado, sao aconipanliados
dos meus mais ajueeroe e cordeaos agradecunentos -
pelo patritico ateresse que sempre vos observei Na freguezia de Sania Hita, logo dejiois de a-
nesU prove tosa bita, da qual so o futuro peder berta a urna, declarou O mesarlo Joao Mauricio
demonstrar a grande prolicudade, avahando com; Belm achar-se olla violada, c sendo isto impugna-
justarezaoa posteridade a nossa longamiuidade. O', do pelos demais membros da mesa ime assevera-
rgulo Musilla que boje esta festa ilaquclle rico J'aui estar a urna intacta, bouve um molim em
e extoaso pntantadb, deve o seu triueaplio as ar- coosequencia do qual retirou-se o dito mesario,
mas portuguesas, por isso tornou-se subdito e tri- sendo rodeado por um grupo de povo at fra da
butarioda coi oa de Portugal, coudieo que |ior groja,
iiiiin lhe fui imposta, quando em 1 de de/.embro de Regressando depois o mesmo mesarlo, e reas-
se por tal motivo um tumulto entre elles, do qual
resultou ficar um levemente ferido na cabeca, e o
outro na face; proseguindo entretanto os trabalhos
eleitoraes, que foriio suspensos s 5 '/a horas, lin-
da a L* clamada. >
11
A respeto do que occorreu as diversas matri- perial Sociedad' Auxiliadora das Artes Mecnicas
zes temos as iuformacoes seguintes : \ e Libcraes e Benetlcento mandar celebrar um
ri-
do preservada a augusta pessoa de S. M. o Impera- so Je g de julho Qndo.
dor no desastre occorrido ltimamente na fortaleza j Hemordes.Dos Srs. 2." cirurgio do corpo de
de S. Joao. saude do exercito, Dr. Luz Carlos Augusto da
Cantarao nesse acto os alumnos do Instituto. j Silva, da provincia de Pernanlmco para a de Santa
------------ Catbarina.
Pelo mesmo motivo resolveu o conselho da Ira- Capellao alferes da repartico ccclesiastica do
Te-fenm na igreja da venoravel ordem terceira de
Nossa Senhora do Monte do Carino, no dia que
Sua Magestade designar.
13
Por decretos de 7 e 8 do corrente foram nomea-
dos :
O bacharel Francisco Xavier da Silva, juiz mu-
nicipal e de orphaos do termo de Guarapuava, na
os-
sos sao do preto Gemido, que" em 21 de Janeiro
prximo passadoassassinou, segundo noticiamos.a
parda Mana, osera va do Sr. Piros Vilella. e depois
ev;idio-se.
20
Uecobetuos follus do Itio-Gnde. que alcancain
a 4 do corrente.
O chefe de polica tinha regressado a capital, vin-
U-tlUv
Vpmnu-
Liquido do heneth-Mi tlV-roi-ih> per
Arthur faaalaia.....
Manoel da Fonseca Molhi ivigario
de Re/onde)......
Podro Antonio Telles hurreto de
Mono/.-. ........
Conselbeiro .Mar.i Anioaa da
AraiijnilJerlinu .....
Dr. Jos Wrrncck Ribeiro de Agod-
iar (Austria) ......
Jos Antonio Ferreira Basto* tdw-
rentezas) ... ....
D. Francisca Rosa de J^sus .
Francisco Aiilunio de lama .
Francisco Jos do Almoida ltra
Quantias rocolhiilas ao tao Mana
ala esta data :
Aagaataraa.......
Men.-aliilades. produelo rt- hvor-
sas coiiimissr>.'s jaro* .
Sonaaa .
MeaBW
l.wtt 417CM
,1..-
- 22 -
Sua Magostado o Imperador.
-cus s.;uiaiiari<>s y. it.is Srs. ministro* la
o da guerra, inspector do arsenal da
chefe do quartel-general e capitao do _a*fta, eav
barcou hontem s 9 l|4 Doras da maahaa niaasii
arsen.il na sua ralela vapor, e ibrigio-sea K-
iSbl pedio e obtew auxilio deste governo.
P. S.Qtiiube de Londres, diz que lord liussell
nao prometieu que Mr. Cbrisiie, amigo reprosen-
lanie da Inglaterra na corto do Ro do Janeiro, dei-
xaria de volar uara aquella cidade.
Ksta noticia, aiinuiu iada aqu por um despacho
telobraphco. preduzio m ropressaO.
provincia do Paran,
sumindo na mesa o seu lugar, prosegurain com; O alteres reformado Jos Estanislao de Oiiveira.
calma os trabalhos, que foram suspensos s 4 ho-'' coronel commandante superior da guarda nacional
ras da larde. dos municipios de S. Joao do Rio Claro, Brotas e
Na freguezia da Gloria suseitoii-se um ligei- Araraqmira, da provincia de S. Paulo,
ro lumullo, que foi de proinpto apazijuado. Joao Ferreira da Fonseca, major commandante
quz
Ma-
llo esquadrao de cavallara n. 17 da guarda nacio-
nal da provincia de Minas Geraes.
Os capiles Joao.Jacintho de Aguiar Pinto Coe-
lbo e Rodrigo Alvos de Souza Coutinho, majores
Na freguezia de Sanio Antonio, quando se fa-
za a chamada do 11." quarteirao. nm cigano
Entretanto o discurso de eeerramonto do par- votar pelo desembargador Diogo Teixeira de 5
lamento inglez li.lo pidos commissarios da rainha,' cedo; nao consegnndo-o. retrou-se, tomando en
eiieonlrava-sc o seguiifo a respeito da questao in-! freanlo a autoridade as convenientes notas para ajudantcs de ordens do rommando superior da
glo-brasleira ; i ulterior procedimento, visto o dito cigano ser co- guarda nacional dos municipios da Santa Barbara
a O in11m:radar do Brasil julgou a proposito rom- nhecido. Xa 2." chamada appareceu um indivi-' e Caeth, da mesma provincia.
peras retardes atfJomaticas com a rainha, porque; duo de nome senielbanto. mas veriticou-se que la-; Concedeu-se passagem para o servico da reser-
lia nao satislizna a urna reclamaeao, qual jul-i borava em engao, enao se prevalecer da occasiao va a Joao Baptista Freir, capitao eirhrgo mor
{fara (|ue nao era possivel acceder. para votar com o nome supposto. i do commando superior da guarda nacional dos
A rainha nao desoja a contiiuiaeo desta rup-j Nesta freguezia e as do Sacramento, S. Jos,' municipios da Franca, Bafatacs c Casa Branca, da
Engenho Velbo, Laga e Candelaria, suspenderam- provincia de S. Paulo, Picando aggregado ao tercei-
se os trabalhos do dia sem ter havido novidade. ro batalhao do mesmo servico.
Terminando na 1.", 2.", 3." e 4." Iregnogias a se- Foi suspenso do exercicio do respectivo posto,
gunda chamada de votantes, na 5.a, G." c ".' a ul-. por tempo indeterminado, o tenente-coronel com-
tima chamada e o eomeeo da apuracao de vo- mandante do terceiro cor|io de cavallaria da guar-
ios, da nacional da provincia do Paran, Antonio Jves
as lieguezias do Campo Grande, Jacarpa- de Oiiveira
gu, Iraja, Guaraliba e Curato de Santa Cruz, rei-
nou hontem a ordem durante os trabalhos eleito-
raes.
das
L
suas
tura, e desejaria ver o restabelecitaecto
relaccs com o Brasil.
.1" ultima hora.
\- uolicias que pade obter-lhe puncas horas an-
te- i|e se fechar a mida tem nao pouca impor-
tancia :
Corra como eerto que o governo retira o nos-
<. ministro na curte do Brasil, substituiudo-o pelo
Sr. conde de Thomar.
Esperaiea n'uin do priineiros paquetes que
d'ahichegar oSr. Nazareth, o qual segundo se af-
firma havia prficijado ao governo que astim o
(aria por motivos ponderosos. Dza-se esbiioute
que o actual e antigo cnsul porliiiaiezein Pet-nam-
buco, o Sr. Jos HenriqoM Ferreira est uonieado
para o lugar de cnsul geral, sendo definitiva a
exoDeraeSe do Sr. hamo de Mareira. Indigihi-se
para o consulado porluguez em Pernanaihuco o Sr.
Antonio de Almeida Campos, antigo cnsul de Por-
tugal em Liverpool, ravalhero repeitavel e bem
euuhecido nesse maerio, segundo aUhmam.
Dz-se que a divisao naval que lioiiteiu sabio
para fazcr exercicio no alto uur, sobo commando
ilo almirante graduado, o Sr Joao da 4x>sta Carva-
Iho, levara instruccoespara se approxuuir da foz do
Douro. Pretendeni alguns rumores de leulalivas
uue se manejam pata ser alterada na provincia do
Minho a ordem publica. Dando-lbe viia noticia
coiu reserva, aao me respons-ibiliso pelo *eu com-
pleto fundamento.
Dase como eerto que a crvela Ettrphata,
que faz parte da esquadra de instruccao, ira logo
que recolher, de estaeopara o Brasil.
Antes de liontem parece que S. M. a raialia
apresentra symptomas que tizeram suppor estar
muito prxima a hora de ler o seu liom site-
cessa
\o se realisou comtudo, esperando-S': porm
que ja se nao demore rautos dias.
A importante sade de SS. Ml. e alteza real
boa.
Aflirnarain-ino que o Sr. Antonio Jos de
Avila, ministro de estado honorario e conselbeiro
de estado eAectivo, vai partir para Turra, fl tam-
bera o Sr. Dr. Mathias de Carvalho, para represen-
tarem Portugal no cougresso de statistca. Asse-
vera-se tambem que,o Sr, Fontes Pereira de Mello
vai ser incumbido de urna missiio, nao menos im-
portante para fra do paiz.
O Sr. D. Francisco Gumar. (iraao do conde
d'este titulo.) e tenente-coronel do exercito, foi
hoje chamado ao paco, onde el-rei o Sr. D. Luiz
se dignou eonvMa-lo pars sen sjudanfe de campo.
hamada dos do batalhao de deposito Gamillo Hennque MarUns, ue 1836 ein que xrsio anteriormente no exercito,
lona Santa por soffrer molestia mcuravel que o lornava inca-1 na forma da prVs5o de 7 de dezembro de 1833.
i.eS.Chris- paz de todo o servico. Refonm.-Voi concedida, por decreto de 30 de
Por decretos de lie 12 do corrente:
Concedeu-se aos segundos cirurgies do corpo
de saude do exercito Drs. Francisco de Souza e
Conslajque por ordem do diado ministerio dama- Oiiveira, c Joao Maria Lopes da Costa a demissao
rinlia foi suspenso do commando do vapor l'araense que pediram do servico militar,
o Sr. capitao-tenente Delpbm Carlos de Carvalho.' Foi reformado, na conformdade do 8 1. do ai t.
12 9. da le n. 648 de 18 de agosto de 1832, o alferes
Terminou boutem em paz a terceira hamada dos
votantes as parecidas do Sacramento, Gloria
Rita, Guaratiba, S. Jos, Engenho-Velbo
tovo, proseguindo-se em algumas dellas na apura-1" 17
cjio das cdulas recebidas. Hontem, s 9 horas da manliaa, embarea-
Nas matrizes de Santo Antonio e Sao!' Anna l'm- ram SS. MM. e AA II. no arsenal de marinha, e
dou sem novidade a segunda chamada, devendo-se acorananhados dos seus semanarios e dos Srs. ins-
boje cffectuar a terceira. pector do arsenal, capitao do porto e ajudante e da
las freguezias da Laga, Santa Cruz e Paquet Sra. eondessa de Barra!, foram a bordo da curve-
eon Juio-se em boa ordem a apuracao. j ta Nheroy, onde, sendo receidos pelos Srs. che-
------------ fe do quartel-general da marinha, commandante e
Consta que forao agraciados por S. M. o Impera- offlciaes do navio, assistram uiissa e ao exerci-
dor com differentes graos da ordem da Rosa os se-' ci de artilluuia, e vislaram todas as reparticoes
giiintes lunccionarios belga*: desse vaso de guerra.
Carlos Rger (ministro de eslrangeiros), gra-! As 12 Vi hora da tarde regressaram SS. MM. e
cruz; bario de Lambermont, dignitario; Jues van i AA. II. ao arsenal, donde logo se retiraram.
Praet, dem; conde P. Borchgrevc, commendador-,; ------------
Alfredo de Brouckere, dem; Jia/o Osear de Mes-1 Por decreto de 12 do correnlc mez foi concedi-
ml offlcial; Jales Dovanx. idem. da ao professor da primeira escola publica de ins-
------------ truceao primaria para o 6exo masculino, da fre-
Por decrelos du 5 do corrente mez; guezia de S. Christovo, Joaquim Jos Cardoso de
Foram nomeados: o Dr. Guilherme Henrique SiqueaAmazonas, a gratilicaeao annual de 2405,
TbeodoroScbiefler |iarao lugar de professor da ca- por contar mais de 15 anuos d effectivo exercicio
deira de allemaodo instituto commercial do Rio de no magisterio.
Janeiro, e o bacharel Felipne da Motla de Azevedo i Por cartas" imperiacs da mesma data foram ua
Correa para o de profesar da cadeira de inglez do turalisados cidadaos brasilciros os subditos portu
mesmo instituto.
repar
exercito, padre Benfo Pereira do Reg, do 12. ba-
talhao de infamara para o 2. da mesma arma,
como requeren, Aviso de i do corrente mez.
Transferencias.Dos Srs. major do corpo de
guarnico do Pauhy, Jos Martini, para o corpo
do guarnico de Mraas-Geraos.Decreto de o do
corrente mez.
Alteres do 9." batalhao de infantaria, Joao de
Souza Feitosa, para o 10." da mesma arma, e Jes-
te batalhao Francisco de Paula Barros para aquel-
lo como requereram.
1 cadete 1" sargento do '- batalhao de infantaria.
Candido Alfonso Monteiro de Lima, para o 1. bala-
Iho da mesma arma, com baixa do posto, como
requerou.
I. cadete do 1." regiment de cavallaria ligeira.
Joaquim Francisco Gdilhon, para o corpo de guar-
nico da l'arahyba, como requereu.Em 1 do cor-
rete mez.
1." cadete 2- sargento do mesmo regiment Jos
Nicolao Pimenta, para o ror|>o de cavallaria de Ma-
to-Grosso.Aviso de o do correute.
Conestido de antiijuidnde do semeo militar.
Aos Srs. capellao alferes da reparlioao ecclesiasli-
ca do exercito padre Joao Manoel de Menezes, o
tempo decoi rido de 4 de julho a 10 de dezembro
de 18o, de 10 de marco a 7 de dezembro de 1856,
e de 23 do fevereiro d 1860 a 12 de junho de
18(51, era que por determiuaco da presidencia da
provincia de Goyaz servio de capellao da guarni-
co da mesma provincia.
Pharinaccutico alferes do corqo de saude do
exercito, Pedro Alexandrino Nucator, o tempo de-
corrido de 4 de outubro de 1850 a 9 de Janeiro de
1859, em que exerceo successivamente no hospi-
tal militar da corte os lugares de praticante de
pharmaeia e de 2." e 1." boticario, sem interrup-
cao, na forma da consulta do conselho supremo
militar de 22 de junho do corrente anuo.
Ao Io sargento do batalhao de regadores da Ba-
bia, Martniano Jos do Nascimento, o tempo de-
corrido de 7 de fevereiro de 1849 ao Io de marco
do da Caclioetra, onde deixra um forte desfamen- nijttba. onde desembarcan, inamnu para a Prau
to de linha de Fra a examinar os tralolbus das tetit*.
Dando noticias desta ultima localidade, diz o Subindo depois a nioiiunha visitn Saa
Mcantilde Porto Alegre: de o forte do Pico e desceu para a tonaira _
t Pelo interrogatorio leto ura dos assassinos ganta Cruz, onde ass&tiu ao exercicio de artMaana
que leularam contra a existencia do Sr. coronel toa halas lama e bombas, ngii laaai a- I
Hilario, verao os aassos leitores que razao tinhamos,
em qualiiii'ar de graves as revelaees feias pelo
mesmo, iieraute o Sr. Dr. Sobastio Jos Pereira,
*.
horas da tarde .10 arsenal, de 1
12 e li do corrale beata
Por d. i'letosde S.
nomeados :
O alferes Fdeiis Joso Raaos, le
eomraanilanle de corpo de cavallatia n. Vi da
da nacional da pnanajI ,de S. rVdr*
lirande do Sul. 1 *
Antonio Jos de Souza,
naja.
id Tristo da Cunha Soluiuho. grave-1 supremo tribunal de ju
oinettido cora as revelaees do ludio Foi reformado Manoel tfajrelliao de Suca, aw'
jor ajiiilanie i|e offaaa do cuaaaaadv >ufk-rwr guarda nacional dos municin da
muito diguo delegado daquelle termo. A importan
cia desse documenfo, est na coincidencia da con-
tissfio do reo com as circumstancias do crime e
COffl as declaracocs anteriormente feitas pelas tes.
teuiiiubas do processo.
Urna carta de 24 do corrente nos diz que o
tmale corean
mente comprme
Jos, evadira-se da cidade.
Publicra-se a seguinle circular do Bul hispo
diocesano:
Palacio episcopal em Porto-Alegv. IH de ju-
lho de 1868.Approximando-se o dia 9 de agosto,
em qne devem ter lugar as emicoes primaria! Bas-
ta piMviucia, em virtude do decreto de 12 de maio
do corrente auno, o cuinprindo remover quanto de
nossa parte fr possivel, ou ao menos minorar os
desacatos que em taes occasioes sao perpetrados
dentro dos templos do Senhor, na presenca da ma-
geslade divina, ordeno a Vine que com anteceden-
cia, translira o SS. Sacramento, assim como as sa-
gradas iraagens, de sua matriz ou para algum lu-
gar da mesma que offereca a indispensavel decen-
cia e soguranea, ou para" alguina capella filial, se
houver ; o quando por qualquer motivo Vine, nao
possa por era pralica esle expediente, determino
que consama as formas oueharistieas, cjbra de
veo as sagradas hnagens e cuspa os santos aliares,
fazendo retirar dedos os objectos inie servem ao
culto, at que pass.-ni esses taeMOSOS dias de lam
prol'anaijao.
Nao entretanto sem grande pesar e tristeza,
que lanco mo deste expediente no maio de um
povo catholico e ivilisado. e |ior corto bem distinc- Manoel tliouuz Marroadc*
+ Wm
'<
Foi permitido aos padre* Macario Cesar da Ale- j Manoel de Faria Falcad.
.xandria e Souza c Manoel Correa do Figiieredo, pa-1 =------
ruchos collados, este na igreja do Espirito-Santo do Pelo ministerio da agricultura commercio e 0-
municipio da Barra-Mansa, e aquclle do Nossa Se- hras publicas, otBciou-se ao director da 4.' directo-
nborada Piedade do Inhomirim da villa da Estrella, .lia em II do pascado para, vista da alteracao
ambas da diocese e provincia do Rio de Janeiro, o do servico da estrada de ferro de D. Pedro II, or-
permutarem entro s as respectivas freguezias. 1 denar o seguinte :
Foi concedida & poosao de 205 mensaes ao sol-1 i." Qie alm do carteiro, que hoje segu dia-
dailo da guarda nacional da provincia do Cear,Thi- riamente no trem que vai at Macacos, e que con-
motheo Francisco de Sorna, que ticou aleijado de tinuar ambas an paos oppondo-se a fuga de um preo. trem das est'coes sub-arnanas at Sanopemba, le-
Eifcctuou-se ante-hontera na igreja de Nossa Se-
nhora da A jiula, a missa que a legacao franceza
guezes Manoel de Souza Silva Serodio e Severina cosluma mandar celebrar nesse dia por ser o da
11______1 J. D___I. IS-l-r,. /... 1 L- H i........J.... .1.. D_______
muBtHNos oa apMai. S.
e S. Miguel, da provincia de SaaU 1 ..lu in.
masaai pan
Kez-se mered a Nirat-io .Vugu>i Ir
servenlia vitaba do nffieto ile ecrn.M> !
nicipal da I' vara : da 2 ile direili
orle.
I'or decrelos de 19 di coi rente;
Foi Bornea > 2 cu arajBa do corpo de
exercito o Dr. em medicina Francisco de
Soares.
Foram transfenJo. para a >
corpo de guarnico de lia ti. t capna
rana Joaquim \ az da Silva ; para a I
deste eonm. o capitao daquelle Jom
Andrade Wanderlev e para a I* o
9' liaUlbao de infaiitaria. ocaaHay da
Manoel de Azevedo d> Naso
i:l

rnaaoii...
julho lindo, na conformidade do 1 doart. 9 da le
n. 648 do 18 de agosto de 1852. ao Sr. capitao do
2 batalhao de infantaria Francisco de Almeida Fur-
tado, visto soffrer molestia incuravel que o torna
incapaz do servico.
Por decreto de 5 do mesmo mez, ttom o sold por
infeiro, na forma do 3 do plano que baixou com
o decreto de 11 de dezembro de 1813, ao soldado
do corpo de guarnico de Minas-Geraes, Theodoro
Jos da Cruz, visto contar mais de 25 annos de
servico, c nao poder por sua avancada idade con-
tinuar no mesmo servico.
Drsignacao de reforma.A do Sr. tenente do 2*
regiment de cavallaria ligeira Pedro do Reg Bar- n*M",e:
O cabo da Iraha de Petropohs continua a Halla-
ros, no mesmo posto de tenente, vencendo vinte
e nma vigsimas quintas partes do respectivo sol-
do pela tabella do 1 de dezembro de 1841 elei de
14 de julho de 1845.Patente de 11 de julho ftndo.
festa de S. M. o imperador da Franca.
Estivcram presentes os Srs. conde de Brda, en-
earregado de negocios e baro de Vichis, secreta-
rio da legacao franceza, T. Taunay cnsul francez,
inarquez de branles, nuncio apostlico, ministros
da Prussia, da Austria e da Hespanua, enearregados
de negocios da Italia e da Russia, diversos empre-
gados dessas legacoes, e alguns offlciaes da arma-
da brasileira, ingleza e portuguexa.
Fez a guarda de honra um contiageute de 120
pracas da fragata franceza Asirte.
to; porm o que fazer vista dos laineutaveis tac-
tos j por vezes acontecidos, chogando al a cor-
rer o sangue de raaos dentro do proprio recinto
sagrado?! portanto l'orcoso, Sr. vigario, que
Vine, d execucao medida radicada, alim de por
salvo de qualquer profan.ioo esses penhores da
nossa f e dos uossos cultos.
Deus guarde a Vm*.Seba$ti3k hispo do Rio-
Grande.Sr. Revd. vigario da freguia de...
0 brigue inglez Resutt, sahido deste porto e che-
gado ao Rio"Grande com 10 dias de viagem, havia
sido posto de qnarentena por ter adoocido de bexi-
gas um passageiro.
Hontem de manbaa assenlou-se entre a fortaleza
de Villegaignon e a torra firme um cabo elctrico
submarino, que toca no arsenal de guerra, l/jgo
depois se principiou a conversar elctricamente da-
quella fortaleza para o arsenal de marinha. repar-
tico da polica e paco de S. Christovo.
Espere-se brevemente um fio grosso para ligar
Sania Cruz com as estaedes da cidade. Sera o
primeiro passo 110camiuho da Babia, o dalli para
lliar satisfactoriamente.
Ao Sr. J. Bramlcy Moore. membro da casa dos
conimuns na Inglaterra, dirigi a cmara munici-
pal de Pindaiuonhaugaba o seguinte ottirio:
< Ha na vida das naedes momentos solemnes, em
que graves emergencias, surgindo imprevistas,
poem em dura prava os grandes principios que
devem regular as relacoes dos estados civilisados.
Nessa situacao suprema um dever de lodos
aquellos que zelaui a religio santa da idea e da
justica, concorrer para que a razio e o direilo reas-
suraam o seu imperio sobre os assomos da colera
c 06 impetos da forca material.
As grandes naeOes, sohretuilo, que represen-
tara a civilisacao da humanidade. teem aos olltos
da historia uuia grande respousabiJidade. O res-
peitoaos principios e justica constitue a sua glo-
ria. A violencia as deshonra parante a couscen-
ca universal.
L-se BO Xm-te tU S. Paulo
ba de 13 ilo aamnaj .
Acha-sc em perigo di vida a Sr.'
'andida, ha tres inezes resaila roaa o
Souza
em uso de remedios por fatalidad?
para outro dia certa poroo de 1
choculateira de robre ; ao dia
remedio e declarou-se cave
ja foi mais desaniaaador.
O piquete a vapor BrntH,
I "irlos do sul. trouxr dalas del
Rio-Grande 15. e S.uiU-1-uhariaa 19 do
As elevos primarias aa provincia da S.:
faziam-se pacilicaraenle. aTaaa na L*
ili-tiicto erara favoraveis*as 1
as votacoes conbocidas.
Tinha chegado de S. Ganriel a 1
cia o ultimo contiugen
laria. Fra por isso dboaemala
nal do servico da guarnico.
Fallecer dos >'(Tumonte aaee Jiidred <-m da
de junho prximo paseadero majar Jone Perreira
Jardim.
S. M. o Imperador visito hanWi
-nT^i
surdos-mudos. percurriadi 1
o modo de administrar aii
zes, por eerto bem digno* 1
pela desgraca que os aflama
Por decrelos de 7. K, 13 e
nomeados :
O tcnente-coroaei Jos.
para o lugar de chefe da 1
do supi-rior da gaida
Cachoeira da proviacia da
O capitao Joviana Jos da Silva
nente-coronel cjnunaadante da
faria n. 12 da guarda nacional
vincia.
O tenente-coronel Joan
tro para o lunar de ehens da 1
mando superior da guarda narioanldea t
de Icatu e Rosario, di provincia*! 1
O tenente Jeao de Almeida GaV
gio-mor do laawHBiie laparier da _
nal dos muuiepios do Inga e Caamcaa Graade a
provincia da Parahiba.
Foram reformados:
luaocencio Vieira Tarta,
do estado-maior do corea
AJawMn, ir-
do ONU

MUTILADQJ
y
s
v.
J


;
I
Mario de rermsumhm' Srgwnda felra lUe AgmU de IS*^
t

nacional do municipio Ja (laehortra da provincia I P^lTi^Fkni^i multe frouxos havendo
M R-ihia no mesmo nosto navios ni carpa. Para a taina coustau
*SSJS r>Eri& canut dbanla*.-, do-nos ler-se effectuado um fretainen.o a 300 rs. a
ciouul a provincia da Bahi, no opsto do "sJpr-
Aumenta** a J*. cofre*M^T106 ^jr.^^JTt^^TJ^^lS
Mauoel ^anuario Bozerra. capitao 4a guarda na- isla primeira nuin^n ^^I^^S',
da nacional da provincia de Maranhao, licando ag- ul una revista, aliado nlfluns carregamentos
gr-vrajjo ao 1. batalhao do mesmo servico. "
.o designado o capitao do IwOalho de infamara
._ 23, da larda nacional da provincia da Bajiia.
Jlo (Ja Malla dos Santas Muawc, para servir o
%apur de major 4o mesuro batalha, ua conormi-
.* #l do decreto de .'i deabril de J85
W mare a Francisco Camillo de Paula Pa-
7 os serventa vitalicia do offlcio de d>.paslU
\rio gi _* -rmo do Cabo, na provincia de Per-
ainbi
Sarape.
A^realfl'ir.o Francisco de Paula Madureira, na
." .o do &.*} do-decreto u. 1491 de 16 de de-
zemia% ov.4853, a terca parte do rendimento dos
. mesn icios, segando a respectiva lolacao.
k Por ca\is imperiaes de 19 do corrente mez fo-
4 rrain iioniaVios : cemmendador daordeinda Rosa,
ft cArde Pecher. cnsul peral do reino da Blgica
<
Movimento da onermaria no uta 89 V agosto de
1863.
Tivoram baixa :
Jos Ignacio de liveira ; ceplnOalagia.
Goncaio Jos dos Santos; rhenmaTismo.
Tiveram alta :
Jos da Silva Anatalio.
Firmino Jos de HoManda.
Obitiaiuu do da 28 de agosto no cemitbsjo
prBLico: ,
Antonio, escravo, frica, 45 annos, solietro, Boa-
Vista ; pericarditc chronica.
Barbosa escravo, Pernambuco, 50 annos, solteiro,
Boa-Vista ; scrophulas.
Thereza, Pernambnco, 2 annos, Boa-Vista ; diar-
Germano, osera, frica, 25 annos, solteiro, Reci-
fe ; cholera.
Isabel Maria da Conceicao, Pernambuco, 18 annos,
sotteira, Rccife ; pneumona.
Fernands, frica, 50 annos, solteiro, Boa-
tuberculos pulmonares,
escravo, frica, 54 annos, solteiro, Boa-
., cholera.
riel^arqueadorescada vez sao mais elevadas, Maria, Pernambuco, 2 annos, Boa-\ isla ; convul-
pedindo lioje 2*400 e 2*500 a arroba. C0"*- ft _
Cawca.-Samaltorncao,s ultimas vendas; exis- Goacalvcs io Piando, Scrgipe. 20 annos,
intactos.
Bacailiao.Eotraiawde Montevideo 74 canas
que ftcara em despacho, e em trato 30 tinas
viadas no Brasil; que sendo bora obletn prompta
VealisacSo.
CaXi^-Pai'a dispr existem urnas pequeas par-
tidas entradas ltimamente ; cota-se de 9*200 a
*600 a arroba.
Carne secca. Neste artigo effectuaram-se algu-
azas transaoeoes, veudendo-se cerca de 50,000 ar
os rajos conjgaos, priucipalmcnte pelo excessi-
vo lixo das uubers.
M
O luxo desregrado precipitabas familias na mi-
\i IUAO uraiejiimu |inupa ---------
cria, e c causa da immorigerariio do sexo ama vel. Tflem na
Cafbom
A economia domestica ama virtud*? que deve
ser observada pelos clicfes de familia.
dem dn-mamona.....
Btala.-- alimenticia;-.....
Bolacha ominara, propr para
embarifuv-.......
arroba 156IIO.-
45000*
Mtiiilciga.
213 a ,H0 rs., pezados de 24 libras para cima
i
\
I
l
*'...
X
I*. sArda Pecher, cnsul peral do reino >>- --- >-
oo^M : cavaHeiro da inesma orem, o cavalei- de 225 a 230 rs., e para o Porto osooltados a 125
re >nL ni de Salihtnennu c 230 rs. a libra.
Por decreto da mesua daia fo apresentado o pa- Di.los salgados.- conclaidas todas as ex.s-
^re Luir de Souza MeHo ISage, na igreja parochial tenciaa, pelas quaes se deram de 1U0 a Bri
4e Sania Pliilomena, da diocese do Maranhao e. libra pelos de vacca, o 130 rs. no>aho rovinrla do Piauhv pequeos lotes 133 e 135 rs. a libra. Gomtudo as
.flrov ini la do mun>. _^_ IJJ^^ nn gerJll forain a m rs. os de vacca
Tfccreveni-nos da villa do Piranga. ein Minas | e 130os denovilho. '*._____ '
V,erairein 13 do corrente Farinha de tngo.-^touve pooco nwvunento no
, O esp,tadov hiuuanitark que lanca un golpe deposito e sem aitraco as lUtinias cotacoes
do vista pela superficie desta provincialenle a mais Fumo. Mercado abundante e com &tjwa-
.nir.nie dor lisacao. cotando-se o bomde 9*a 103 a arroba.
' Karo odia cm que urna victima nao desee ^^^^^^TM'm^r^9
ao tmulo nedindo justica contra seu algoz. caneara as vendas a cerca de ['^ros/M00
Ha poneos das era o infeliz co.iego Honorio, Para o imperio vendeu-se a 45 a grava c l,
ten Manool Pereira, c ja boje se nos veindi- a 5 o sebo, c para a Europa 45, 45200
dem esrnltia on re-tolbo-...
1 dem torrado....... libra
A economia consiste em regular cada familia Caibros.......... ni
mas despezas, de modo que nao anserva o total ^,1............ arroba
de toas rendas. ^ |,jaem HraBca.......
Oaceioealimpeaa devem ser rigidftmente ob-1 Carne secca (xa.qu.") ...
serN-adas por una senhora que se presa, de bera Carneiros........ ata
educada. Carvio vegetal...... arroba
O ,eio nao consiste 7a* ri.ineza dos vesiios e 'yernas *" ^ienpira .. urna
dos movis, por que estes podem sor de moteo Cera de carnauba e- bruto-. libra
preco. porm limpos. dem idem em vela ....
" Gol..........
As mesmas creadas no ocio e na disspacw> nao ^ ,.cnt0
pdem ser lioas-mais de familias. ~ '
1 ~^ m Cevados (porcos)...... un
O trabalho e a frugalidade, conservndolos bons qx^09, (seceos)....... eento
Colla.......... libra
Couros de bol, salgados .'
dem dem seceos espieliadon.
dem idem verdes.....
dem idem cabra corridos. un
dem idem de onca..... rento
arana.
a rs.
costuines, nao procuran, urna vida eommoda.
CORRESPONDENCIiS.
A franreza'
por Mira, e a
680 r>.; ficurio
1.700 barris.
Mli^sas......... Venderain-sa a
8*000! iJw de lintiaca.. Vendeu-se a 2*20 i
855001 Passas.......... Uan aft*arai
7W5o i lrvsniiin>....... Idem a 14J4NW fue
*Z^........sfir^
S^tlio .......O aniarellii rrguloa V 124 a
130 rs. a libra, e o do li*m
eoaSiOr*.
Twucinho....... O de Lisboa vt-inlen-si! a IPP
per arrota.
O de IVirlugal vrtaeu-se de 1>*
a H5*00( a pipa.
() branca- de I JU veedru-m *
j00*000 a 240W a p.>. ta-
lo de lOUJOOOa 2K) Ota).kran
co de nutros uata* a WHBWK
e o boto de 1604000 a IM30"
O relate de letra* regmta 9
;i l por rento ao aaao.
Para o (anal a 30, e para Live
pool a 12-6 i*ta taar e '/, .
por libra de algod*.
360
280
500
2*500
3*000
1*600
8*000
200
300
1*400
2*500
15*000
45000
300
liouteni
ser que urna desgracada familia escapou miracu-
losa mente de ser victima de um attentado horro-
roso, -gm .
Antonio Jos de Magalhaes, o uai de numero-
sa familia, o infeliz operario, acordou na madru-
gada de 1 de julho sobresaltado pelo fragor e chis-
pas de um niedonho incendio.
. As janellas, e as portas estavain praueditada-
nteate fechadas pelo lado de fra.
e 45300*
graxa s.
Sal.Cota-se de 650 a 700 rs.o alqaeire e com
muito frouxa procura.
Rio de Janeir*,' 23 Cambio.Pari*. 331 rs. a 90 cL'v. (hontem c
llflt'l *
Apolices.De 6 por cento, 87 3/4 por cento.
Accoes. Banco Rural e Hyiiotliecario, a 390 e
va, Boa-Vi*U; bydropericardia.
Ignacia Francisca dos Passos. Pernambuco, 51 an-
nos, soltera, Afogados ; ulcera cancerosa.
Jos, Pernmbrro, 5 raozes. S. Jos ; gastro m-
tGritc
Francisco Antonio de Paula, Pernambuco, 30 an-
nos, casado. S. Jos ; cholera.
Anna Urculina de Jess, Parahyba, 24 annos, Re-
eife;cnolera. .
Maria da Conceicao Fonseca e SHva, Pernambuco
58 annos, casada, S. Jos ; cholera. i
- Passageiros vindos de Southampton e partos
intermedios no vapor Paran : |
G. B. le Lievre, William Reay, Antonio Pereira (
de Faria, Flix Parcor, Winiam Jennines, Antonio .
Jos Pereira Monteiro, Antonio Furtado Quieto, Jos do partido liberal, que bem
Bapiista Braga, Joio Maria do Reg, Jos Lmz Ma-1 dando-Ihc um asseulo na represeruac.ao na-
chado e 1 fitho. Thomaz Mac Donald. William Long c0a|
Doces seceos.....
ldom em gela ou mmm
Srs. redactores. O olvido dos servicos
prestados por atgucm negra ingralidSo e
esla sobe de poni ijuando esses servidos
sao prestados nao a iim homem, mas a um ^ ^ cMda .
perfeilo poltico. _... Espanadorcs grandes. .
Sera conleslago, o Sr. conselheiro An-,
ionio PintoCI.icl.orro da Gara* e o homenv;'*,' ^^
que maiores e mais relevantes servicos pres- **** *
lou ao partido liberal desta provincia, e' np
sempre se lera conservado firme em seuslKst^nac.onal
principios, e por isso credor da gratidao
a manifestar.
libra
um
forro ou estiva*
155
230
090
400
105000
1*000
320
500
4*000
25000
Vinagre.....
Vinhos......
Descont*
Fwte> '
ccnlo
arroba
alqueire
arroba
Eu pois como eleitor do primeiro circu-
lo o lembro ao corpo eleitoral desle circulo,
e repelindo da minha chapa os fransfugas,
a comporei da maneira seguintc :
Para depuiados
Dos doeol se nao fura nina fouce com que 40*000 de premio ; estrada de ferro de D. Pedro
flzera HigilmVn urna brecha, elle, sua mujlier e
filhos teriain soffrido o snpplicio da inqnisicao.
Dinheiro |300*., roupa. vveres, tudo sequei-
uiou. ., .
> doloroso vr-sc urna familia, hontem sobria,
pedir' j n bulo para seu sustento.
. ^ entretanto o perseverante perseguidor de
Magalhaes. o mesmo que ha liem pouco r.ecbra"
he o transito de urna estrada publica, foi vto,
inda passeia impune e todos crm que zombara
da victima a dat Wa.
DIARIO DE PERNAMBUCO
Temos vista jornaes doJtio. Babia e Alagas.
dos quaes foiain portadore-s vapores francez
EttremtxhueQ bnaileiroCrKsetrodo N'i', entrados
hontem, alcanzando os priineiros a 25, os .segundos
27, e os ii-i-iviros a 29 do corrente.
Sobas lubrica Interior vai que ha de mais im-
portante.
Bi.Forain nouieados :
Segundo ronferente da alandega de Pernambu-
co o guarda-mr da de Scrgipe Aristide.^ Cordei-
ro leitosa; eguarda-mr da de Sergpe, Ignacio
Jos A Ivs de Souza.
8 do corrale entren a curveta d.; guerra
ngleza Esk.
,,/,;,!._pelo banco do Brasil foram nomeados.
Pam, AdeWdc Meara Haynes c 2 filhos, Thomaz
Handrew e Conrad Grisberger.
Segu para o sul : Thomaz Jones Tennent.
Passageiros vindos do sul no vapor nacional
Cruzeiro do Sul: _
Bento Pereira do Reg, Eduard Brcvm, Bernar-
S$S SMaS" i ConsetWro
Bobinson, Joaquim Luiz Coelho,_Jos Pinto Dama- Gama.
sio.
Nev
Vespaziao Brandao, Rosa Candida de Olivera.
Eugenio Jos Neves de Andrade, Jos Antonio de
Almcida Guimarcs. Joao Ramos, Josephina de Bo-
Ihoes, Jos.- Ribeiro de Campos, Joaquim Francisco
da Silva. Dr. Lonren<;o Afano, Giuseppe Ferraro.
da
binson, Joaquim Luiz Coelho, Jos finio uam. t;ama.
. Francisco Jos dos Santos, Francisco de Paula D|. Urbano Sabino Pessoa de Mello.
oro' SlR$^*S& Dr. Antonio Vicenle do Nascimento Feitoza.
mlcIpETlPEDIO.
As enfermidados externas
presVAjust "M^rcerqueiro e 2 prac Produzem muitas yezes resultados terri-
chard Harvis e sua senhora, Aristides BarbosaFe- ve3> e sc a missa viciosa do sangue. o quai
tosa padre Jos Bernardes de Bulhoes. Constidiana g causa ,ja3 mesmas, nao SO purifica do
jdeBulh5es e4 escravos a^enlregar. ^ yenen0 medjanlc llS0 da salsa parri-
KlnTAndS'dooper'e 1 ciado, Dr. An- ll,a d Bristol (o abstersivo mais poderoso
87 3/4
para a Caixa Filial desta provincia
^residente. Dr. Vctor de Oliveira.
gue
i're
Vice-dito. Theodoro Teixeira Gomes.
Directores. Amonio Jos da Costa.
Manoel J.de Figueredo I,cile.
Francisco Xavier Machado.
C. W'illians.
Francisco de Sampaio Vianna.
Acbavain-se inscriplos. para o concurso (los
dona lugares de oppositores da aaecio de sciencias
cirurgic'as. os Drs. Horacio Cesar e taarte Manoel 0 brigue (uiliininnin.
da Silva. ,. .
De volla <1a corte, eslava irabalhando na ca-
pital, a companhia do Circo Grande Ocano.
- As agua- do rio Jaguaripe '
tante, sem naier damno.
Fallecer de urna congestao cerebral, ao nn-
dardoespeetacule dramtico do llieatro de S- Joao,
o Dr. Agrario de Souza Menezes.
L-se no Diario :
No domingo 1( as 8 bpras mais on menos da noi-
te voltava a esquina que de Santo Antonio vai aos
perddes,oSr. Francisco de lAmoriin Falcan em
cresceram. bas-
II, a 20* de descont.
Fn.tes._Mediterraneo, 500 (hontem).
Gneros.Caf lavado a 3*300 por arroba (hon-
tem) ; dito superior e primeira boa, a /*300 iwr
arroba (hontem i farinha de trigo interior, a
lfiSSOO por barrica ; dita dita de Baltunore. secca
a 9* p por 400 linas (em saceos) assacar somenos de ^toio'moglia, criminoso Joaquim Lino Pere-
Pernambuco, em saceos, a 3*300 por arroba (lion-, ra e 2 p|jcaSj africanos livres Sadoc e Manoel,
tem>- _a^
l ttima hora.
Cambio.-Londres, 27 1/8 d. firme, a 90 das.
Pars, 350 353 rs.. idem.
Hamburgo, 660 r>.. idem.
Lisboa a fono :
105 por cento vista.
104 30 da-.
103 60 >
102 -90
Divida publica.Apolices de* por cento,
por cento.
Ditas provinciaes. 84 por ccnlo
Descontos.Nos bancos. 9 por cento.
Na praca, 8 9 1/2 por cento.
Metaes.-Oneas da patria, 29*400 29*000.
Soberanos, 8*890.
Fieles.Canal, ordens, 35 a 40 sli.
Antuerpia e Hamburgo, 35 sh.
Liverpool e Londres, norainaes.
Havre, 40 50 frs.
Mediten aneo, 37 sh. e 6 d. a 47 sh. ebd.
Marselha, nominaos.
New-York iem navio estrang.i. 37 sh. e t
d. a 40 sh. 0 segumie Iraduzido do alleiii.io. de lleidei.
Achava-se caiga para Pernambuco,' o bn-' ^ a ,]eiioiniiiacao do Ira amigos :
gue Almirante. ,m Nao confiis ein nenhum amigo naquillo em que
Chegou, procedenle deesa porto, a 17. o bri- Q n50|Verdesex|ierimentado: aiuesaapresentam-
io Belizario. com 9 dias de viagem. se maor numero delle> do qm as portas do car-
Alm da galera in^leza Dolann, ch.-gada ccrc
sabbado. apenas sabio ma> (tara ernambuco. a II, > l|U |10.n,.,n tinha tres amigos : dOUS dos quaes
uiliifiinita. eram por elle muito estimados, mas o lerceiro lhe
Baha, 2; de agosto de 1863. era (mas ndilTerente. comquanto fosse o mais leal.
Cambio.Regnlou : sobre Londres a 2 //;, acontecen no enlanlo sur csse homem etamado
sobre Parta a 355 rs. : sobre Hamburgo a 6. rs. ; a jZOp0r grave aecusacao. que |>e-ava sobre Ble.
e sobre Lisboa de 97 a 100 por ceulo. _t | a[Hsar de achar-se innocent'-.
Cual dentro vos. disse elle, quer acompa-
! nhar-me a depor em meu favor pois fui grave-
imente aecusado. co reiest muito untado contra
mim ? ___ _.
primeiro amigo descul|Ku-se dizenuo qne nao
Passageiros viudos do "sul no vapor francez soas ue ambos os sexos, acharao em todos
Extremdurtf. ,. ... os periodos da vida, qne este admiravel e
Cnsul francez C. Izari e sua senhbra, CamOlo i ,.emedio vegetal Clira d'uma
de Andrade, smsentara, Altas menores el ama. incorrij)ara\ci leineuii b
Vicencia Maria de Jeras e 2 filhos. Bernardo \ tbu- maneira rpida e ?^^JJ
mague Etchegoven c Pietro Clemenlim. erupces, ulceras, inllania^es glandulares,
Seguem para a Europa: rheumalismo e quasi todas as mais moles-
Domingos Alve, ejs^*f*!iS la< anlogas incluindo as affeccoes mercu-
SotoSniXsa^ri^^ laes que" desfigurara ou contrabera a, fe.-
ces.
Ul POCOOETUDO.
Acba-se venda era lodos os eslabeleci-
uv.'iitos pbarmaceulicos do Brasil.
COMIflERCIO.
\li":imles;;i
Rendimento do da 1 a 28. -
Idem do da 29......
411:491*493
7:770*109
Farinha de mandioca.
dem de aramta.....
Feijao de qualipier qudlidade.
Prnetaes.......
Fumo em folha, Ikmii
Idem ordinario ou reslolho .
dem em rolo bom.....
lilrin ordinario ou reslolho .
Gallinhas.......
Goi.ima.........3rro|,a
Ipecacuanha (raiz)......
iA-nlia em a-has......
Toros..........
Linbas e esteios.......
Mel ou melaeo.......
Milito..........
Papagaios.........
Pao Brasil........
dem de jangada......
Podras de amolar.....
dem de filtrar......
dem de rebole.......
Pias-ava.........
Puntas, ou chilles de vaccas ou
novilhos........
PranehSes de amarello de dous
costados........
dem de louro.......
Rap. .....
Sabao...........
Sal ..........
Bata prrilna.......
Sebo em rama.......
dem em velas.......
Sola em vaqueta......
TabMS de amarello. .
dem diversas......
Tapiocas........
Tatajuba........
Travs ..
rjnhas de boi......
Vassouras de piassava. .
Idem de timb......
]di-m de carnauba
Vinagre.
1264000 |34i*<
38 439
4MH *4V
um
arroba
nina
ccnlo

um
caada
arroba
um
quintal
um
unta
molho
16*000
1*600
3*000
5*000
1*800
5*000
16*000
10*000
7*000
5*000
600
*000
25*000
2*000
11*000
8*000
200
1*000
2*50
5*000
5*000
810
4*000
1*200
120
Pra^a lo Pmrf*.
PrroM rf"*' gneros de amnurcto com Bra*Hem- W
de agosto mmmanZai
Aguldenle de cana do
Hrasil.....|H|
Algodao da Baha (falta). V
de Pernambuc
(falta) .....
do Manaba
> do Para (falta) >
dos Estados-l'ni-
di* falta). .
Arroz do Maranhao (faltai (puntal
. do Para (falta l
> da ludia. ...
Assucar do Rio de Janeiro $
da Babia blanco.
> masca vo
de Pernambuco
branco.....
> mascavo
Cali1 do lio de Janeiro I"
2*
9
(faitai.
I falto).
i falla i.
(falta i.
4-VaTO
l*4.-i
l*6u
l*2U
i*OIMI
1*390
4*800
447WI
W40O
.%*4
1MB
i*2:
i ya**
5*000
44WI0
4MU
ocolba
cento 5*000
Cacu da Babia
do Para
Cliiivs grandes. railh.
|>equenos ...
Couros genios da Babia e
Miuas....."S
do Rio Grande
de 17 a 22 tf -
- de 10 a 16 tf.
salgado. dr Per-
iianiburo c Mara-
nhao......
. do Para e Baha
Farinha de pu do Brasil quintal 3*40
liorna do Brasil euipa-
neiros.....5l
Hetece.......atande
F.XI'OltTMjXo.
Albos. rento '!< maiMi- i
.>i*OO
18*000
ALTO
170
411.-.
411o
1*01
2*350
20*000
10*000
1*000
120
alqueire 400
arroba 26*000
um
libra
una
duzia

arroba
quintal
urna
Cento
ranada
5*000
7*000
3*000
110*000
73*000
3*000
2*000
6*000
2*000
10*000
8*000
6*000
800
Aleta.....
Chumbo de inunicao
Fio porreta
| Fio de vela fino. .
. ordinario
Keijao branco. .
vwmelbo.
amarello .
. rajado.
> frade .
Presuntos .
Retrw preto
alinudi-
ipiiulal
9
i*S30
7*000
3*600
1 .
t .
. de cotea l*
2" .
Vinho velbo do Dooro.
> > branco. .
de consumo. .
atajaba
>
1
pipa
>

*I5
*I7.
121)
*l?)
3*5U))
l*4.'x)
i*40
AHHO
4*Wt
7*2iJ
:uj*m
M*MI
UtM
4800
*?*
57H
4700
4660
44000
44600
3*000
5*600
3*500
69
5770
47 70
|690
650
4*411
2*500
5*100
:i*uo
150*000 :woo0
1 Vtt-VNN) 16(141100
30*000 405000
M9YIMENT0 DO POBTO.
419:261*602
Melaes.Venderam-se as oneas hespanholase
mexicanas de 29 a 30*000.
Movimento la alftintlejs;;
Votamos entrados com faz.uda-
, i com gneros
167
234
------ 401
PERNAMBUCO
Volumcs sabidos
direcao a sua casa, quando inesperadamente foi as-
saltado por tres individuo- aunados de cacetes, que
d'yois de o laaren] do cavallo abaixo o espanca-
ram atroamentn, c o deixaram por morto.
i ds ageressores do Sr. Amorim, qne se diz se
r-'- -bra Honorato, magarefe no matadouro
it .ue /o*- ''dio iiuplacavcl. acompanbado de dou
tnspt-ctor de
pedia acompaan lo por ansa de outros afazeres.
O segundo acompanbou-oat-1 a porta do tribunal.
e voltou.
Otcrceiro, porm. entrn e depoz taonemem
sen favoi-. que o juiz o absolveu.
De-ejando satisfazer a anciedade de uossos ici-, Tf>. al|lios ,t.,n 0 homtiii nesle mundo : como
tores. preparamos e lizemos destribuir, sabbado a | se partarao os meamos na hora de son niorte.qnan-
""'oderoso chama-lo anle o tribunal su-
com fazendas
com leeros
40
K
REVISTA DIARIA.
Descarregam no dia 31 de agosto
Patacho dinamarqus Jokanni meicadorias.
Barca nortocaeza -Bella fta'iwa idem.
93
- tarde, um suppleinenlo contendo a carta de nosso do'Q ^ ,,oc
e correspondente de Londres, e o resumo das,noti- w f
is cas da Europa, de qne foi portador O vapor ingle/. 0 (jnhciro,
e Parata- ,. ..ni nriineirol
* "**% as &s^ssstt:tttt rftas^JssB
seu primeiro amigo, abandonou-0
em primeiro lugar, e nao o acompanha.
Seus parentes e amigos acompanhain-no ate 9
obstante penca distancia estaro_
da hwndnra e a oajl que guardava o roto tara giosa do saca *oton*x
na igreja, emquautd que o Sr. Falcao barban
t,. espancado eat com o crneo
por trra tentado em sen propno sangue
d
E' a primeira vez que uest provincia, o mesmo
fracturado jazia' em lodo o imperio, se celebra assa devocao, sendo
sendo portanlo mais um servico prestado por aquello ti-
nossa sania religiao:
- Salustane Ferreira Souio.
* diio Drs. Francisco Xavier Pinto Luna.
Jos Angosto CtaWS e Pedro Muniz Barrote de
\ragao.
3 diio.-CiiiM-lheiro /adiaras de Goes Vas-
concelos, e Drs. Cassimiro de Sena Madureira e
Jnstiuiane Baatata Madureira.
do, acha-se complelamente extincto, conforme no-
lo informara.
vapor, portador da mala de Brdeos no cr-
reme mez o tuunde, que devia partir 25.
Do Havre sabirain para os portos do norte do
Brasil: 20 de julho, a barca franceza S. /.'(,
tocando em Lisboa, para o Para; e a 2ti o bngue
Con'-ellieiro Jos Antonio Saraiva. e brasileiro Henrime, com igual escala e destino, e a
, -.,..s,,,.....*c m. *^ ^-5sbS5TSS^.
1 g. di,o Antonio de Souza Espinla, c Drs.: escuna ingleza Fhmg-Foam. procedente de Pcrnain-
loao .los de Oliveira lunqueira Jnior e Fredeti- buco e Parahyba.
co \ugu>tode Aimeida. u ,. Achavam-se carga no mesmo porto para o
Alemas. Achavam-se concluidos os Irabaihos ] Maranhao e Para a barca franceza Havre \ e para
eleitoraes em bula a provincia, sem desgraca al- pernambuco a barca francea RaouL
na, non incidentes graves, mais que os de San-
la Luzia do norte ; vencendo em ambos os dislric-
tos da provincia o partido progresista.
Noticias de Sergipe abi recebidas, dizem ter
havido duas nortes e um ferimento grave, na rro-
gueza de Carral de Peoras a margem do Rio S.
Francisco.
NOTICIAS GOMMKKCIAES E MARTIMAS.
Muntevid 14 de agosto Bepahtic.ao ia polica :
Extracto da "parte do dia 29 do corrente.
Foram recolhidos casa de detencao no da 28
do corrente : .,.,,...
A" ordem do Illm. Sr. Dr. ebefe de polica, Jos.'
Vicente Ferreira, branco. vindo de Nazareth, como
Srenunciado em erime de roubo ; Raymunda, par-
a, escrava do mnjor Joao do Reg Barros Falcao,
sem dedaraeao do motivo.
A' ordem do Dr. delegado da capital. Jos Luu
mais esajueceu
sao as suas boas obras.
Ellas sos acompaiihain-iio at o tbrono do juiz ;
precedem-no. fallam por elle, e lhe alcaii'-am per-
dao e misericordia.
Offerecendo as segointes mximas de conducta
para as meninas brasileiras, cuja eontinuaco da-
remos no prximo numero, convidamos a sua lei-
tura as nossas patricias.
A religiao o primeiro novar da creatina para
com o Creador, esta porm deve ser Ilustrada,
iscnla do plianatismo e das supersliei-
0 amor do prximo, que a religiao chama ea-
ridade e os philosophos philantropia. deve ser a
virtude de todo o enlc racional.

Suppor todos os borneas ineapases de engaar,
ser victima de gresseiros engaos.

Desconliar de todos como capazes de nos illudi-
rem, errar grosseiramente.

Convra conhecer Iiem as aeasoaa, e l-las tra-
tado |ior algum lempo, para dellas conariiK^.
I10SacaramasePasobro Inglalena 60,000 e sobre Fracisc'"do Nascimento, parda, por disturbios ;
Eraoca 2S0.0IM francos. I jos Francisco Bnto da Costa branco, os atncanos
... iwmuoiil M ia em- AlUonio Moreira da Costa e Flonano, escravo de
Anlonio Gomes Machado da Silva, todos por briga.
Descontse-Os 'bancos Commercial e Man em-
prestara a 12 e recebem a 8 0/0 ao anno.
Na praca r'
ulam a 1 1/4 0 o ao mez.
A" ordem do de Santo Antonio, Ravraundo, efiou-
\
^
i P' mca<- Fundada 70 O/o do valor : in- lo> escrav0 de Chrystovao Xavier Lopes, a reque-
.rba 41 ; *'0/n dem: anglo-franceza nominal; rmenlo deste ___.
con^o'lidad 2 7( i 2,80. flrt' A" ordem do de S. Jos, os pardos Fu-mino Jos
Frotes; '"' ierra30sh. coaros salgados; 60 dcHollanda e Joaquim Borges Soarcs, ambos por
sh "i.is'secc 45 sh. os fardos com 5 0 o de ca- bra
5 frs. couros salgados ; 90 frs. ditos ^ ordem do da Boa-Vista, Jos,
francos os fardos com 10 0/0 rteca_Pa Vo de WiUon, para averigua^oes
Barca portugui
Patacho nacional D. Lmzdem.
Hinioi'taco.
tajncho nacional I). Luiz, viudo da Ba-
hta, consignado a Palmeira & Bcluo, ma-
nifesla, a saber :
Meicadorias estrangeira,
lo fardosalgodoliso: a H. Gibson.
0 di los saceos de lecido de linho ; A-
damsuti Howie A C, ,
1 caixa meias para liomeiu ; a Seluilliei-
llin A C
I pipa lyiio florentino ; Meuion A L.
1 caixas meicadorias : Wilson Hell.
lcaixase I vehUBeJfazendas j Sou-
thall Mellors & C. \
4 barricas gesso ; J.Marques Barros
A- C .
100 barricas cerveja, e 13 caixas machi-
nas para algodao; ordem.
Meicadorias nacionaes.
2 fardos tabaco ; Joaquim 1$. dosTleis.
ditos dito, 1 sacco fio de algodao;
Antonio Jos Soares.
1 caixo charutos; a Schafheithn & C.
3 fardos fumo em folba ; Elpidto de
A.raojo F. J.
I barrica quarlinhas e 6 mormgues; a
Belmira Baptislo deSou/a.
6 caixes cliaruios ; Talmeira A Bel-
ili0 J T-
8 fardos fumo em folha ; a Pedro Fer-
reira Coelho. ,
40 saceos caf, 77 i(i duzas de loros de
Jacaranda, 1 dito fio de algodao, 5caixoes
oleo de ricino, 17 ditos, 1 pacote o 1 gigo
charutos, 8-i fardos algodao, 14 ditos fumo,
Bem serve patria a mulberzelosa pela boa edu- .. CQS farjn|ia e mandioca
ca?ao de seus liluos, dando-lhes cidadao dignos de
seus servicos.
Alfandega de Pernambuco. 21 de agosto de 1863.
(Assignados):
O l. conferenie, Joaqum Areliiw n amaerleu.
O 2." ronferente. Jos Thomaz de Campos Qua-
Apptovo. Alandega de Pernambuco. 29 de
agosto de I8K8.Carnatta Reis.
Conforme. -O 4. escripturarin. Joo do* Santal
Porlo.
Recebedorla de rendas internas
fferaes de Pernambuco.
hB5*r*i. fifi
llendiment
Idem do dia 21.
WtyB3B
34:OoO83i
jonswadu provincia .
Rendimento do dia la*. *lj^$t
dem do dia 29......... JL---
31:7335389
PEAQA DO RECIFE
\s 3 horas da tarde.
Revista semanal.
Saccou-se sobre Londres a 27.
27 V e alf5uin a 27 Vi d. por 15.
A virtude adquire-se
bem.
pelo habito de pralicar o
Bem tudo aquillo que conserva, melhora e
aperfeicoa o nosso corpo e o nosso espirito.
Servir patria e serta) til por lodos os meios
ao nosso alcance, o dever de todo o cidadao.
Cambios.'.
ffitai entrados M dia 29.
Soumampton e portos intermediosW dia-. vaam
ingles fmrema, de 1720 toneladas, commandanlf
1. H. Jellicoe, ei|uipagem 130.
Bio Grande do Sul 3ii dias; e-euna nacional /./
lio, de 1G1 toneladas, cauilao Joao Penetra te
>oua. cqnijiigem 10, carga 9.100 arroba- O
carne: a Maia t Espirito Santo,
llio Grande do Sul 24 das, patacho nacional Kr-
lainpago.de 241 toneladas, capitao Luiz Antonio
Rodrigues, equipagem 12, carga 13.:M) arrobas
de carne; a Amorim Irmos.
Navios saltillos na tnesmo dia.
Babia-palliabole nacional Ganbaldi. capitao'ai--
todio Jos Vianna. carga vinho e ootros sjeneros.
Rio da Pratalugre argentino Miza Mana, capitao
Wendt. carga assucar.
Rio de Janeiro e itahiavapor MgRI 'arana, <-niu-
niandante Jellicoe.
(tati'aafio.
Entrn arribada e com agua aborta a gatera na-
cional Mindello, que tuilia salud- no da 2/ pan
Lisboa. .. .,..
Navios entrado no ata -io.
Portos do Sul0 dias e 20 tana, vapor nacional
Cruzeiro do Sul. de 1.100 toneladas, commaudan
te Mancebo, equipagem 04.
Portos do Sul6 das, vapor francez MMrtmaau-
re. de 1.279 toneladas, commandante deSoin-i.
equipagem 114. .
Rio Grande do Sul-18 das, barca nacional Mai -
no, de 245 toneladas, capitao (Emilio Joa*i
Canto. eqni|iacvm 13. carga 9,007 arroba- de
carne ; a Manoel Ignacio de Oliveira timo.
Nariosahido nn mesmo dia.
Bordeaux e portos intermedios -vapor francez F.<-
trmadure, commandante de Somcr.
afrieano,
iioliciaes.
escra-
4
u...,ueira francea. Marina 45 f couros
irados; 90 francos ditos SOMOS; 40 fi s. os far-
i ,s rom 10 O'o de nata em navio IWwer. Esta
i Unidos. 1 rt. couros seceos e fardos J*. sob
jhodeira estrangeira. Brasil, carne secca; 3, 4
CamMo. Poucas operaftes para a huropa, at-
tendendo-se' a baixa tagM^do-se saccado ao-
hro Londres cerca de S a 24 ,; sobre Pa-
ri*- 55 mil tancos a 39 rs.; sobre o Rio de Janei-
ro cerca C fiO.OOO* a 6 O/o *> **} s5hre a Ba"
hia e Peri .mbuco 48:0OOA a 3 e lO/o de premio
90 dias
Moeda nacional papel. Tem regulado entre 9
1/2 e 10 O/o de premio.
Fretcs. --Paravouros nada se fez : para cima
fretou-se um navio a 45 sh, para o Canal.
O chele da frseecae,
/. G. de desquita.
Movimento da casa de detencao no dia 28 de
agosto de 1863.
Existiam ...
Entraram.-..
Sahiram.....
F.vistem......
402
13
13
400
preso-
A saber
281
Nacionaes ...
Estrangeiros.
Mulheres. ..
Esti-angeiras------ A
Escravos......... "
Escravas........
A maor glora de urna mae sera o ter dado ao
seu paz filhos que o iUustrem com suas accoes.
Nao sao as excessivas riquezas, mas siin a ho-
nesta mediana a que faz a Mndate da vida.

A mulher dissoluta e immoi al faz a sua vida des-
gracada e acaba na miseria, entregue ao desprezo
e aos remorsos.
Lonijas e immuudas enlermidades sao o fructo
da mocidade O melhor modo de cooaenar por longo tempo a
formosura e a mocidade.^ a moderacao nos pra-
zeres da vida.
A mulher, para ser aniavel. deve ter como pri-
meira qualidade um enio brando e dcil.
Nao ha defeito maior no bello sexo do que a lo-
quacidde e a parrnlice. qne sao de ordinario -
Ibas da imprudencia.
ALFANDEGA DE PERNA.MBI Cft
1 ALTA DOS PRECO DOS GNEROS SDEITOS A 1IIEIT0 DK
EX)RTACAO. SEMA.M IE 31 BE ACteTO A 5 DO
MEZ DE SETEJHRO DE 1863.
Mercadoiia-. Unidades. Valores.
Abanos.........nX" ,M0
Agurdente de cana.....caada
dem restilada ou do reino .
Idem caxaca......
dem genebra......
dem al coolou espirito de agua
ardenle.....>
Ahjodao em carco ....
dem em rama on em laa. .
Arroi com casca.....
dem descascado on pitad .
Assucar mascavada .
dem braaoa.......
Assucar
Agurdente.....
Couros.........
Arroz..........
Aieite doce.....
Bacalho......
Batatas........
Bolachinha.....
Caf..........
320
500
arroba
400
560
5000
21*000
1*2<
2*800
1*800
3*000.
5*060
sobre Pana de 352 a
e sobre Lisboa de 96 a 98 por
cenlo de premio; regulando os
saques da semana por 40,000
pelo vapor francez.
AteHiao ...... O desta provincia vendeu-se de
K 21*000 a 21*400 por arroba, o
de Macci, |sto a tordo, a rete
20*500, e o da Parahyba, do mes-
mo modo, a 22*500.
O branco rcgulou de 3*000 a
3*700 i>or arroba, o somenos de
2*li00 a 2*700, o mascavado
purgado de 2*000 a 2*100, e o
bruto dc 1&7O0 a 1*800 porar-
Vendeu-se de 60*000 a 62*000
a pipa.
O.- seceos salgados venderam-se
a 150 rs. a libra.
O pilado da India vendeu-se ue
2*200 a 2*230 jwr arroba, e do
Maranhao de 3*000 a 3*200. ^
O Lisboa vendeu-se de 2*5Q0
a 2*550 o galao e o do Estrello
a 2*200,
Retalhou-se de 12*500 a t4S000
por bariaa, tirando en deposito
2,000 quintaes.
Venderam-se de 1*400 a l*o00
por arroba.
dem a 1*700 a barhquinha.
Ri-gulou de 8*000 a 8*500 por
arroba.
O............ dem de 1*800 a 2*200 por li-
bra
Vaiiou de 4*300 a 5*600 a du-
zia de garrafas.
A do Rio-Grande do Sul veu-
dftu-ee de 2*400 a 3*600 por
arroba, tirando em deposito 92
mil arrobas. Nao ha da do Rio
da Prata.
Retalhou-se de 16*000 a 18*
a barrica, da dc Pbiladel|liia e
New-York, de 14*000^13*009
a de Genova,
Trieste
EDITAES.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, oflicial da im-
perial ordem da Rosne juiz de direilo especial
d commercio, nesla cidade do Recite de Per-
nambuco. por S. M. Imperial, ele.
Faco saber aos que o presente natal virem e
deHe noticia tiverem. que no da M M agosio du
corrente seba de arrematar por venda, a qm-tn
mais der em praca publica deste juizo na sala nos
audilorics o seguinte:
1 armacao de taboas com todos os seus petlen
21 "arralas de licor da trra, a 100 rs. 25100. Ift
ca'rrafes. a 500 rs. 8*. 19 cocos com cato a *>
rs. 380, 1800 abanos, a 10 rs. 18*, l-iti panetas e
tiiollos de torro, a 30 rs. 4*680, 9 rnpembas, a
100 rs. 900. 86 vassouras de palha e timbo, a 2t)
rs. 1*720. 120 inassos do rordas, a 20 rs, 2S40D
2 carcas de estopa, por 5*, 1 poi-can de tenha.pot
3*. 3 feicbes de canudos para caximbo, |ior 1*. 4
resmas de papel de embrulho, a 500 rs. 2*. 80 ra
ximbos a 10 rs. 800, 1 meia pipa com quatro rana
das de azeitede carrapato, |Kr 8A, 16 collieres d>.
pao a 20 rs. 320, meia arroba de velli
Orveja.........
(ame erra.....
y'
Farinha de trigo.
dem refmado. ....-
Urna senhora de honesto e sisado comportamen- j^ete amendoim oumendo-
to attrahe o resperto e a consid-raro do homem Wm .....caada 2*0O0(
mais licencio. rdm de*coco....... ***>

Genebra.....
naba, a :t00 rs. 4*800, 12 tijollos fraucezes. |>or
240 rs. 2 meias garrafas de campanhe, a 500 r.
1* 2 meias duzias de caixas de papeUao |ora to-
baco. a 40 ris cada moa 1*200, 40 mantos de po-
mada, a 100 rs. 4*. 25 massos de eipwros ate pa-
nel de milho, a 100 rs. 2*500, 2 arrobas de algo-
dao cni carowv a 2* 4*, 1 e meia arroba de carne
do Cear, por 3& meio barril e. aiantcta) com 30
libras, a 200 rs. 6*. meio barril de peixr salpre-o
teicliado, por 2*. 3 nioios de sotaans, a ;0O r.
l*,'it)0, meia arroba de bacalho por 640 rs. 2 pi-
pas vanas, a 4*8*, 2 pipas com resto de agur-
dente anuas com t caadas, a 800 rs. e coni
o valu- das pipas, a 45 cada urna a*. 1 barril de
quinto com tres caadas de vinho tinte, por 7*, l
barril de quinte com ama caada de vinho branco.
^ r^iVloTrte or 3L l barril de quinto com oito caadas de vi-
=?" ifiSgSiSRSXi ^SSS.?*.'*^
factura.
Idos oiobjectos em 85440 rs.


LMUTILADQ
r
^*


Mi
EsSi^sisS^rir^
Diario de P*cnambnc Segunda *ftra 814te Agoste Ae 188.
v* Pere-a, e nao ha vendo ancador que cubra o
proco da-avaiiayfo, a arrematlo ser feita peto '
prcjo da adjudieaco. I
E para que ehegue ao conheciracnto de lodos1}
. manda passar o prseme, que sera publicado
pela njprensa e afiliados nos lugares do costume.
Reeife, 11 de agosto de 1888.
Ku Adolpho Liberato Pereira de Oliveira, eseri-
vao interino o subscrevi.
Tnstaa de Aleucar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, oOicial da impe-
rial ordein da Hosa e juiz de direito especial do
coMinercio desta cidade do Recife capital da pix>-
vincia de Pernambucoe sen tormo, por S. M. im-
perial e constitucional o Sr. D. Pedro II, quem
Deus guarde, etc. |
Fago saber que no dia $f dc agosto do corrente
auno, se ha de arrematar por venda a quem raais.
der, m praca publica leste juizo, na sala dos au-!
dtonos, 11 Repunte :
12 cadeiras de madeira i 58, 2 cadeiras de braco da mesma madoira,.a
ta 123, 2 cadeiras de balanro da mesma madeira,
a 12.2'i. 1 sof da mesma madeira, por lti*, d
par de eonsollos com lampo de podra por 405,1
mesa redonda com (ampo de podra por JOS, 2
comwodas, a H 16& i mesa de abas para juntar
por AJ, 1 par de jarros com flores e com suas com-
petentes mangas, por 85,1 dito mais pequeo ,por
1-3. 1 par de lanternas de-ridros por 85, semina
lodos os i.bjectos 1975066.
Osquacs foram pcnhoradc; por execucaode An-
tonio Pereira Praca, contra Joao Casemiio da.-SiI-
va Pereira.
E nao havendo lancador que cubra o preco da
avahaco, a arrematteo ser feita pelo prev da
adjudieaco na forma da lei.
Enanque ehegue ao eonhecimeulo donados,
mande) passar o presente que ser publicado pela
imprensa e affixado nos lugares do costume.
Hocife, 13 do agosto de 1863.
Eu Adolpho Liberato Pereira de Oliveira, eseri-
vao,-interino o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe. ,
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, ofllcial da impe-
rial ordem da Rosa, e juiz de direito especial do
cummercio desta cidade do Recife e seu termo,
ca|Mlal da provincia de Perjminhuco, pur Sua Ma-
gesiade Imperial e constitucional o Sr. D. Pedro
11, que Dos guarde, etc.
Faeojsaber pelo presente que no dia 31 do mez
de agosto do corrente auno, se na de arrematar por
venda a quem mais der, eoi praca publica deste
juizo, depois la audiencia respectiva, a casa terrea
sita nana da Aurorada freguezia da Boa-Vista n.
7, leudo 3 janellas na frente, portao ao lado, 2 sa-
las. 5 quartos. sotao com janella ao oitao, cozinha
lora, mais un quarto ao lado da cacimba, quintal
mande rom cacimba, estribaraeeocheJra em man
estado, coui alguns arvoredos, avallada em 6:0005,
cuja casa pertencente a Antonio Gomes Pereira, e
vai a praca por execucao (|ue contra o mesino mo-
v' Antonio Duarte Carneiro Vianna.
E nao bateado licitantes ser a arremataeo lej-
a pelo preco da adjudieaco com o batimento da
le.
E para que ehegue a noticia a quem convier inan-
dei passar editaes que serio allixados nos lugares do
costume e publicados pela imprensa.
Dado e passado nesla cidade do Recife do Per-
nainliiicip. aos 1 d> agosio de 1863.
Eu Manuel de Camino Paes de Andrade, eseri-
vao osubscrevi.
Tristao de Menear Amripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, ofiicial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commcrcio nesta cidade do Recife de Per-
nambuco por S. M. I. etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem que no dia 31 de acost do
corrente anno, se ha de arrematar por venda a
quem mais der em praca publica deste juizo. na
-ala dos auditorios o seguinte l sobrado de n. 1
DO beeeo do Xoronha freguezia de S. Frei Pedro
< incalves, tendo 2 andares, meia-agua, sendo as
k)jas dividas em dous quartos, urna com porta e
anellae outra com urna porta, tendo cada urna
una pequea salinha e mn quartinho e o primeiro
andar com quatro janellas na frente, urna sala,
dous quartos e 11111 pequeo quarto que serve de
cosinha, eo segando andar tem 3 janellas, urna
tala na frente. ,| quartos e cosinha na sala de dc-
Itaa, a vista de sen estado avahado em 2:0005, e
uiajs duas ternas parles de um sobrado de 2 anda-
re na rtia da Moeda n. 5 na mesma freguezia,
IuuJo 3 portas ua frente, sendo duas que serve da
entrada da loja, urna (pie serve aos andares, tendo
O primeiro andar 3 janellas na frente, veranda de
lera, duas salase 8 .piarlos e cosinha fora, e o
segundo andar lein duas salas. :,' .piarlos, cosinha
i'i a \aranda de Ierro na janella do meio, e una
jaoeUaemeada lado.e um soto com 3janellas pa-
ja os cues, dividido o sotao em 6 pequeos ipiar-
niih.i. urna pequea sala no meio. avista do sen
estado-em i:0005.. tendo sida avaliaco total do
mesmo predio de 6:0005. os quaes oram penho-
rados por execucao de Antonio da Silva Ferrara,
contra larimho de Abren Itibeiro. '
B naonavendo lancador que cobra o preco da
avaliaefio.a arremataijao ser feita pelo preco da
adjudicacao na (orina da lei ; o para que rhegc ao
eonheeiniento de todos mandei passar o presente
que ser publicado pela imprensa e alfixado nos
Higares do. costume.
RecifeS de agosto de 1863. Eu Adolpho Liberato
Pereira de Oliveira, eserivao interino o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
A cmara municipal desta cidade faz pubh
co para enhecimento de seus municipes. eespe-
cialmente docorpe eleiloral, haver o Exm. presi-
''iil.' ila |.roriich Ihe coumiunicado por olli. lo
e 18 do. crreme que em rirtnde do 1." art. 24
da lei de 12 de aftaste de 18.11. convocara porpor-
taria de igual dala a nova assembla legislativa
provincial para a prxima legislatura que tem de
lunccionar nos .atinos de 1864 c 1865', designando
o da 10 de no\>mbro vindouro para nelle se pro-
ceder a eieico dos roembros da mesma assem-
bla; devendo o i. districto dar nove niembros
la assembli'-a legulativa provincial, conforme dis-
(i*e o art. 2. do decreto n. 2633 do 1." de setem-
WO le 180.
IVo da cmara municipal do Recife en teseao
-d* 24 de agosto de 1863.Rodolplio Joo Barata
dcAfnieida, pro-presidente. Francisco Cnido
la Ooaviagcm, secretorio.
iVrante a cmara municipal desta cidade es-
ir;w .i. praca nos das 31 do corrente. 3 e 5 de
mino prximo vindoaro, alini de serem arre-
matadas s segamtes rendas municipaes :
ln.po.sl. <)e aflinVoes................ l.*>:2315
dem de-80-s. por carga de larinua... 2:0015
Alu-ue-l da-casa da ra da Florentina. 30:15
Os pretndeme a laes arrmata?oes nao pode-
i.io iitJlas,lcitar sem que apresontem fiadores ha-
bilitados na /.urna da lei.
" Paco da cantara municipal do Recife .em sessao
.le 24 de agosto de 1863. Rodcjpho Joo Barata
leAlmeida, prorpresidente.-Francisco Caeuto da
BoaviagcHi, secretario.
Por ordem. do Dr. juiz especial do eommercio
e requerimento dos curadores fiscaeslicou trans-
ferida para o dia Io de setembro prximo futuro,
a reuniao dos cre mi Fragoso Santos & (1, alim de se proceder a
verfleacao de crditos, contrato de unio e uo-
njew;o de administradores a dita massa, portanto
-ao pelo presente convocados ditos credores para
comparecerem no indicado dia as 11 horas da ma-
nhaa.,aa sala dos auditorios como j foi declarado
aos crsdores presentes na reuniao de liojc.
Becife 2! de agoste de 1863.-0 eserivao inte-
rino do conmercio, Adolpho Liberato Pereira de
Oliveira. N
ttodolphe Jemo Barata 4e Almida,
Pr-presietente.
Fraiicrn. Canuto Secretario,
BECIARACOES.
Malla casa de Mlserlcerdia do
Reeife.
A illustrissiwa junta administrativa da Santa
Casa de Miferieordia do Recife manda 'Jazer pu-
blico que no.i.desetembro prximo-futuro en-
traui de mez os senhores raordomos : arao do
Livramento no collegio de orphas e hespilal dos
lasaros, e tenente-coronel Antonio Garlos dePinho
I Jorges no collegio dos orphos casa dos expos-
tos, continuando no hospital Pedro II o Sr. mordo-
mo Dr. Manool Fcrreira da Silva.
Secretaria.da Sania Casa de Misericordia do Re-
cife 29 de agosto de 1863.
O eserivao,
A. F. Olfateante Cousseiro.
Arremataeo.
Xo da 2 de setembro Qnda a audiencia do Sr
- Perantc-o Sr. r. juiz do orphos desta cidu-
de se hao de arrematar por venda, no dia 4 de se-
tembro, per er a oitima praca, a requerimento do
respective ventarante, urna casa terrea e o do-
minio directo de diversos terrenos Itos na ra
Imperial desta cidade. .
No dia 1 de setembro, prximo tuturo Anda
a audiencia do Wm. Sr. Df. juiz de orphaos desta
cidade tem de ser arrematado por :renda o sitio
denominado Areia Branca, as Carcuranas perto
da povoacjjo da Venda Grande, com boa casa do
vivenda, estribara de pedra e cal, portad de co-
queiros, dandofructoe grande terreno de planta-
cao principalmente para melancias, os pretenden-
tes wmparecaH no referido dia para dito fim.
Correio.
Per admiaistraco do correio desta provincia
se faz publico que as malas que lem de conduzir
o vapor Gmzriro do Sul para -os portos do norte
sero fechadas boje as 3 horas da tarde, os segu-
ros sero eitos at urna hora, e os jornaesao
meio dia.
Pela subdelegada do Peres se fez publico
que foram apprehendidos dous cavados, sendo um
eastanho e sitados : quem for seu dono, comparega, que pro-
vando me serao entregues. Subdeleg'acia do Pe-
res, 3.- districto dos Afogados, 28 de agosto de
1863.Osnbdelegado,
Alexandrino Martins Correia Barros.
Urna casaterrecLem chaos pro -
prios $a na ra -us La-
rangeiras n 9
Uarla-reir 2 le setembro vindeire ao meio dia.
O agente Olympio acha-se antorisado a vender
em leilao a casa terrea era chaos proprios sita na
ra das Larangeiras n. 9, tendo.a raesma 2 salas,
3 quartos e quintal e rende moasalmente 165,
AURORA
I.M
LARGO DA
BRILHANTE.
U
SAMA CRUZ.
I El AO
um sobrado.de um andar e soto na ra DireiLv' 'b,,lc0 fi-eguezia de Santo Antonio n. i com 2 janellas "J^',iJ^n"1" vallo de cor ruco pedrez,
de frente, 17 112 palmos de vo e S2 d<- compn- ? Vlro-.cmo rmdP'.d.e Cf ruco sujo, ambos ap-
prehendidos pelo subdelegado da freguezia do toco
da Panella, eujos cavados tem de erem arrema-
tados como bens de evento.flndos os tres dias, caso
nao appareca quem justilique screm os cavallos
seus.O solicitador do juizo,
Domingos Jos Marques.
Pela subdelegada do Peres se faz publico
O conselho administrativo, paraljonetonio do '|"- ,0pr?s? ?.r fu?id? pardo escravo Joaquim,
arsenal de guerra, tem de U os & SltsSSiSSJrJSB^
ment, sendo o souo lavado, cozinha dentro, com
quintal, emcho proprio, avahado era io005, e
vai praca. requerimento de Guilherme Augusto
Rodrigues Sette, como administrador dos bens do
seu casal.
< onw-lho administrativo.
guintes:
Para o quarto batalho de artilharia.
413 bonets para inferiores e soldados.
27 ditos para msicos.
313 enchergoes.
430 mantas.
31 pares de palatinas para msicos.
2 pares da ditas para sargentos ajudante e mar-
tel-mestre.
374 pares de ditas para inferiores e soldados.
16 pares de ditas para tambores.
30 bandas de laa.
1,285 pares de sapatos.
1,830 covados de panno azul.
150 ditos de dito fino.
1,500 covados de hollanda de forro.
4,613 varas de brim branco.
3,910 ditas algodozmho.
200 varas de aniagem.
40 1/2 varas de galo d.j prata de meia pollega-
da de largura.
.',2:iii boioes grandes de metal com bomba.
2,618 ditos pequeos de metal cora bomba.
378 ditos grandes de metal pratiados.
162 ditos pequeos de metal pratiados.
101 pares de colxetes.
Para a companhia de artfices.
IOS bonets para inferiores e soldados.
105 palatinas para ditos.
105 mantas de la.
7(J enchergoes.
525 covados de panno azul.
21 ditos de casimira encarnada
393 covados de hollanda de forro.
52 1/2 varas de aniagem.
662 1/2 varas de brim branco.
377 ditas de algodozinho.
1,170 botos grandes de metal com bomba.
735 ditos pequeos com dita.
105 pares de colxetes pretos.
Companhia de cavallaria.
48 pares de bolins.
202 enchergoes.
128 pares de luvas.
60 mantas de laa.
122 covados de panno azul.
15 covados de hollanda de forro.
"!5 1/2 varas de brim branco.
9(5 ditas de algodozinho.
Presidio de Fernando.
100 pares de formas chapiadas.
2 arrobas de laxas de eucoslar.
I dita de ditas compridas de levantar.
1 dita de preguinhos francezes para levantar
salto.
20 colchoes e travesseiros de linho com 4 pal-
mos de largo e 20 de comprido cheios de laa.
10 camisollasdc brim de linho.
20 cobertores de la.
60 lences de linho com 2 pannos de largo e 10
de rompimiento.
25 pares de chimilas razas de couro.
40 guardanapos de liuho.
21 talheres de facas, garfos e colheres.
20 canecos de l'ollia de 8 a 12 on<;as de liquido e
com azas do lado.
20 pratos de folha dobrada.
21 ditos razos e 21 ditos fundos. .
20 lijellas de louea azul de 8 12 meas.
10 escarrad.'iras de metal.
12 loalbas de linho para rosto com vara e meia
de comprimento.
Para o arsenal de guerra.
20 livros de talao impressos segundo o modello
que existe em poder do eserivao das oflicinas do
mesmo arsenal, tendo cada um 100 folhas.
Quem quizer vender taes objectos aprsente as
suas propostas em carta fechada na secretariado
conseibo, s 10 horas da mmilia do dia 2 do
corrente mez.
Sala das sessoes do conselho administrativo, para
fornecimento do arsenal de guerra, 27 de agosto de
1803.
Antonio Pedro de S Barreta,
Coronel presidente.
Sebastiiio Antonio do Reg -Burros,
Yogal secretario.
No dia 31 de agosto do corrente mez, penan-
te o juiz do eommercio, ser vendido um sobrado
deum andar sotao na ra Direita n. 131, avaha
do em 3:6005. peuhorado a Manoel Bomao de Car-
illo esua muiher por execuijo de Mello & Irma o.
de setembro as
O agente Simoes far Ieilo no armazem ra
do Vigario n. 11, requerimento do curador fiscal
da massa fallida de Diogo Fitno & C, e mandado
Illra. Sr. Dr. juiz do direito especial do eommercio,
das dividas da mesma mansa, na importancia de
17:8335677 i*s., cuja relacae e ttulos acha-se em
poder do mesmo agente para o examc de quem as
pretender.
DE
E&rcavos, mveis e joias de
ouro.
Quarta-feira 2 de setembro s 10 horas
da maiiliaa.
O agente Simoes vender em Ieilo no arma-
cadeiras de amarel-
No grande armazem denominado AURORA BRILHANTE o respeitovel publico eocon
trara sempre variacao de gneros por precos e sempre das mclhores e mais novas qualida-
des que venham ao mercado epor preco ojnais barato que em outra parte :
Carne do sol verdadeira do Serido a.' 380 Dita franceza em barns a 540 e.
foucinho de Lisboa arroba 95 e libra. 320 Marmclada nova a libra.
Lmguicas e presuntos novos libra. 5001 Latas com peixe de escabeche .
Presuntos inglezes para fiambre a. 8001 Ditas com savel, salmao. salmonete
Queijos do sertao libra a .600
Ditos do Reino a 1*800, 25 e coberfos 25400
Cha hysson a 25400 c / 25600
Dito miudinho muito superior a/ 25800
Ditopreto a / 3|000
Dito preto em macos a. ,,- 15800
Dito do Rio em latas a 15600,15800 e 25000
Aucoretas com azeitonafs novas a 15200
agarrafa e libra.
Gomraa do Aracatymuito alva a libra
Tapioca oufarinha do Maranhao a libra
Gomma mais baixa arroba 15800 e
libra. V 60
Saceos cora farinhalgual^da- trra. 65000
Ditos com milho 24 cuias a 55300
Ditos cora farelloa .... 45300
Ditos com arroz de casca. 45OO
Amendoas novas de casca mole a libra 280
Copos lapidados para agua duzia a
65500 e para vinho. 358OO
Ditos lisos duzia 15800 e 15200
Manteiga inglcza flor a 800 o 900
Dita mais abaixo a 720 e
320
100
140
60
outros.
Ditas de urna e meia de ameix-. .. _.
cezas........
Ditas com massa de tomates *ra .
Ditas cora figos de coma"drc 4 "libras a 15
Ditas cora ostras para frigidriras 8(
Ditas cora fruetas portuguezas en calda 50
Duzia de latas de graxa 15*"'
Fiascos com mustarda franceza. a**.
Ditas cora genebra aromtica. 150OO
Ditas com genebra verdadeira de Hol
landa a 640 e 880
Charutos ainda ha pecbmcha a cai&a
de 500 a.....15
Ditos tinos sem furo de 35500, 25500 c
Vinhos do Porto caada 35 e 65 e gar-
rafa 640 e ...
Dito da Figueira fino caada 15800 e
garrafa.....
Dito mais abaixo a 15 e .
Dito de Lisboa a 35800 c
Dito branco de Lisboa carcavetos
e outros
P
1 agosto
O subdelegado,
Alexandrino Martins Correia Barros.
TIIEATRO
DE
tros inultos objectos que seria enfadonho 1:
cona-los; assim como os escravos seguintes :
1 de nome Honorato, crioulot 8 annos.
1 ditocrioulode 12 annos.
1 mulatinho de 10 annos.
1 escrava criouia de 30 annos.
i dita criouia de 13 annos.
Todos sadios e emitas figuras.
a 720 e .640
lalidad dosgeneros annuncados ha muitosque deixamde se annunciar ludo
da
A. J. DUARTE COIHBRA.
Recita lf vre da asignatura.
Primeirarepresentacao da magnifica comedia em
tres actos,
PORTA FALSA.
Seguir-se-ha a representac.o da applaudida co-
media em dous actos,
0B0UT0IGIAI1I.
Dar fim ao espectculo cora a muito espirituo-
sa scena cmica,
UM BARBEIRO POLTICO.
Original do Sr. Antonio de Souza Pinto.
Representada pelo actor Guimares.
Urna loja de ferragens.
O agente Almeida levar novamente leilao por
despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do eom-
mercio a loja de ferragens da ra do Queimado
pertencente a massa fallida de Antonio Francisco
de Souza Magalhes Jnior.
Sabbado 5 de setembro.
O Ieilo ser effectuado na mesma loja s H ho-
ras do dia.
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA.
Principiar s 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCJtNA
DE
Viv'ju-fio costeira a vapor.
Parahiba, Natal, Mario, Aracalv, Oar, tarac
e (iranja.
< npotJafuaribe, eonunandante
Lobato, segu para os portos re-
feridos no dia 7 de setembro pr-
ximo. A carga smente ser re-
cebida at o dia 4, encommen-
das paesageiros e dinbeiro a (rete at o dia da sa-
luda as 2 horas : escriptorio no Forte do Mattos
n. 1.
Quinta-feira 3 do setembro prximo se
extrahir a sexta parte da terceira lotera do
j Gymnasio Pernambufvano (3.a concesao).
Os bilhetes emeios bilhetes acham-se
venda na respectiva thesouraria, ra do
Crespo n. 15, e as rasas commissionadas
ra da Imperatriz n. 44, loja do Sr. Pimen-
tel, ra Direita n. 3, botica do Sr. Chagas,
e ruada Cadei n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 5:000/at 10l serao pa-
gos urna hora depois da extraeco at as 4
horas da tarde, e os outros no dia seguinte,
depois da destribuiQo das listas.
O thesourciro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul e esperado at
o dia 30 do corrente o vapor To-
cantins, eonunandante o primeiro
lente Pedro Hypolito Duarte, o
pial depois da demora do costu-
me seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o va|r poder conduzir. a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dinbeiro frete at o dia da sahida s 2
Em reeposta ao annuncio do Sr. Manoel Tavares
de Aquino declaro que ainda pende de quidacao,
e de appeilacao que interpuz causa pie comigo
litiga : que para pagamento desta execucao, que
nao cliey."'
nhorados _.
lia demandada, cmo sejam os constantes do do-
cumento abaixo.
E como esteja sufficienteniente garantida a exe-
cueao (quando mesmo seja vencedor dito Tavares
de Aquino) evidente que nao posso ser inhibido
de dispor de outros bens,que esto livres e desem-
bargados, e acerca dos quaes nada tem execu-
cao, assim como que o annuncio alera de assentar
em base falsa, tem por lim privar-me do direito
que inconlestavelmente tenho e de molestar-me,
embora por modo que s merece despreso.
Illm. Sr. Dr. juiz municipal la 2.a vara. Diz
Jos Jacintho Pavo que por bem de seu direito
precisa que o eserivao Athavde Ihe
lotera
CAS 4 IM FORTUNA.
O abaixo assignado vendeu em seus felizes bi-
lhetes garantidos as duas sortes de o:0005 e de
1:0005 era meios bilhetes, e outras -umitas de 100,
405 e 205 da lotera qne se acabou de extrahir a
beneficio da igreja de xNossa Senhora das Ncves'
de Olinda, e convida aos possuidores de ditos bi-
lhetes a virem receber seus respectivos premios
por inteiro sem descont algum em s.;u estabele-
cunento Casa da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Assim como tem exposto a venda os novos e fe
tizes bilhetes da sexta parte da terceira lotera do
Gymnasio Pernambucano que se extrahir a 3 de
setembro prximo em sua dita Casa da Fortuna
ra do Crespo n. 23, c as outras do costume, cu-
jas sortes que elles ohtiverem sero pela forma pa-
gos urna hora depois da extraeco.
Rilhetes nteiros ..... 64000
Meios bilhetes...... 3W00
Para as pessoas que compra rem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ &5o00
Meios......... 2^730
________________Manoel Martins Fiuza.
Aluga-seo primeiro andar do sobrado na ra
estreitado Rosario n. 22 : a fallar na ruada Pe-
nha n. '>.________
Casas vasias.
Alugam-se quatro moradas de casas, agora aca-
badas, promptas, pintadas, no raelhor lugar da Ca-
punga, na priraeira entrada antes de negar a S.
Jos do Manguinho, proprias para passar a festa,
com varios commodos, jjaintaes murados, poco de
agua de beber : a tratar no mesmo lugar *com
Rernardino Jos Leito n. 19. Rem como um so-
brado de um andar e soto na travessa dos Quar-
teis n. 38, e um outro na travessa da lloraba, e urna
casa terrea na ra Direita dos Afogados 11. 33,
propria para padaria por j ter servido disso e
ainda se adiar cora o forno, quintal murado, ca-
cimba so. portao para a estaco, e urna mei-agua
na ra dos Afogados n. 22 : "a tratar com o mesmo
640
melhor
GAZ.
Na Boa-V isla ra da Imperatriz n. 03, loja de
urna porta, vende-so gaz liquido de primeira qua-
lidade a 160 rs. a garrafa, levando o comprador a
garran.
Aluga-se a casa terrea da ra Imperial n.
66 : os pretendentes dirijam-se Caixa Filial.
Jftao da Silva llamos, medico fela l'ni-
versitlade de Coimbra, d consultas em
su casa, na ra Nova n. 30, das 8 as 10
horas da manhaa, e das l s 6da tarde, e
recebe egualmente convites para dentro
ou fra da cidade, com o lim de se encar-
regar de qualquer servico de sua pi,fi.-
sao.
Os chamados devero vir por eecii, o.

cima.
Precisa-se de boas pretas ou pretos escravos,
que os seus senhores seresponsabilisem para ven-
der IjoIqs, ollerecen.lo-se vanlagem : na ra do
Arago n. 21.
Aluga-se a loja do sobrado n. 19 da ra No-
va, propria para qualquer estabelecimento : a tra-
tar na ra da Cadeia n. 62, segundo andar.
Alugam-se 3 quartos e urna saleta no bairro
da Boa-Vista, com commodos para pessoas soltei-
ras, tem agua e quintal, tudo por muito commode
preco : a tratar na ra dos Pires n. 34.
Offercce-se urna ama para o servico interno
de casa de hornera solteiro ou pouca familia : na
111a de Aguas-Verdes n. 14.__________
ULULAS
Vegeto-depiirativas-paulistauas.
Plantas e raizes medicinaes
brasileiras
no DESCOHRIDOn
Carlos Pedio Elchecoin.
Estas pilulas paulislanas, J to conheci-
das e to afamadas em lodosos lugares deste
imperio pelas maravillosas curas oblidas
com seu uso, sao as provas evidentes e in-
conlestaveis de sua aeco e influencia que
operam em todos os casos de enfermidades.
As ditas pilulas sHo as mclhores que at a-
gora se descobriram, pelo motivo que ellas
sao unicamenie compostas de pona vege-
taes, recolhidos nos campos e matas da
de S. Paulo, e ellas sao sem du-

ra Imperial : a fallar Vom Jos Dias da Silva na
ra do Imperador, sobrado n. 2, entrada pela na
de S. Francisco, tendo a casa muitos comino, los.
~n,....w uvo vAtA.u>a.au, juc i Os abaixo assigmidos dissolverara amigavel-
chegara a 2:0005, feita liquidaco esto pe- i mente a sociedad.,- que gj rava nesta praca com a
rados bens, cujo valor muito excedem a ipian- j firma de Leandro & Miranda, licando a cargo do
socio Augusto Hygino de Miranda todo o activo e
passivo de dita 'firma. Reeife 29 de agosto de
1863.-Leandro Lopes Dias.Augusto Hygino de
Miranda.
Precisa-se de, um hornera pie enfeuda per-
(sitamente de traban de reflnaeae : na ra da
Concordia n. 8.
o valor da execiu'o movida por Manoel Tavares I so, e as circumstancias aggravantes que deram" lu-
de Aquino contra o supplieante, quaes os bens pe-! gar a tul debito, e a conducta ivprovada do dito
hnris- i"pnci-i 1111 ,\t Prm n 1 n7A 1 UVI mno contra o supplieante, quaes os bens pe- gar a t,
Antonio'Lniz aetSvS^dn'k. rfnp,0n0 de ^^ > f -"andada, li.mid'ar parte da Jes- senlmr.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
at o dia 4 de setembro o vapor
l'iiuceza ile JoinvUle, eonunan-
dante o capito tenente Santa
Barbara, o qual depois da demo-
ra do costume seguir paraos portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
Pela iaspectori? da alfandega se faz publico
|ue no dia 84 do corrente, depois do meio dia
porta da mesaia,serao vendidas era Ieilo 10 caixas
da marca JAC, com ceblas vindasde Lisboa pelo
bngue portoguez Bella Figtiamise, avahada era
800 rs. cada caixa. abandonadas ao pagamento dos
Iiratos por Esteiio da Cunlia Medeiros.
AHandega de Paraiambuco 29 de agosto de 1863.
O 4" ucriptnrario, Joo Antonio da Silva Pe-
reira
A cmara municipal desta cidade, faz pu,
bheo para conhecimenio do corpo eleitoral
dete municipio, que o gxm. presidente da
provincia, por officio de /8 do corrente,
me cummunjeara haver designado a igreja
matriz da fregiMzia de Santo Antonio, para
nella se reaniran no dia 8 de etembro
prximo vindouro, o collegio eleiloral, a fim
Arrematado.
\'o dia 5 do prximo mez de setembro iro 'csuu J" ^--oviii-ms imaaaniros e engaja-se a
ramente praca, depois de linda a audiencia do earSa T110 ,vaPr Pdcr conduzir, a qual dever
11. Sr. Dr. juiz municipal da 2.- vara, o engenho ser embarcada no da de sua chegada: encora-
i'inios, com todas as suas tenas e bemfeitorias,! mendas e dinheiro a fete at o dia da sahida as i
avahado por 32:000,5, o engenho Quiaombo, conti- 'r*s. agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
guo queile, avahado p.r 22:0003 e os escravos que I Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
ja foram levados a praca, indo agora com o abat-1 Para a Baha vai sabir cora muita hrcvkiade
ment da 5." paite no,preco da respectiva avala-; o veleiro patacho I). iutz, capito Jos Teixeirade
cao, existindoewue os meamos escravos o crionlo Azevedo, |ior ter a niaior parte do carregainento
de nomeTrajano, bom mostr de assucar, avahado! prompto : para o resto trata-se com os consienta-
por 400*: os refetdos bens pertencem heranea I riosPalmcira 4 Beltro largo do Corpo Santo n
do tinado Jos Fernando da Cruz, e sao vendidos 4, primeiro andar,
requerimento da herdeira e iuventariante, para '
pagamento dos respeelivos credores.
Pela secretaria da cmara municipal
desta cidade se faz publico que a terceira
sessao ordinaria da mesma cmara no pre-
sente anno principia no dia 31 do corrente,
e nos que se geguem.
Secretaria da cmara municipal do Reci-
fe, 24 de agosto de 1863.
0 secretario
Francim Canuto da Boa-v-iagew.
ma pela ultima senteiica. E pelo depoimento rc-
ceber inerc.
Como requer. Recife 29 de agosto de 1863.
Araiijo Barros.
Guilherme Augusto de Athavde. eserivao vitalicio
do juizo municipal do civel e crime da 2.a vara
nesia cidade do Reeife de Pernambuco por S. H.
Precisa-se de una ama de leite que pi tenha
lllhos : na roa Mova n. 17. loja.
imbu ciuauu uo neciie ue 'ernanirnico por s. M. __ ai.,,,.. ... ,: ,,,, ------:--------------, ,.
I. e C. o Senhor D. Pedro R a quem Dos guar- ,..,,,, ,'">'' ,a. Sifi! P^ Ua r"a do La"
,4). te 1 ''""'l n- 2 a os pretendentes podem procurar as
Certifico vista dos autos de pie trata a pe- ianom'tntar1"'"3 "^ 'ja '*' m Mtar3 com
tico retro ; primeiro :Ter-se peuhorado ao sup-! '-----^-------,______________
plicante Jos Jacintho Pavo, e a requerimento de' O abaixo assignado declara que
um
provincia de s. Paulo, e m m
misssp. :s% ffimL^ aj ist; r e^c\ m?-A Trata-
meatos completos de morfea, hydropesia,
ervsjpella branca, etc ele, ra do Parlo
n. '119, no Rio de Janeiro,, e em Pernam-
buco na pharmacia do Sr. Jos Alexandro
Riliciro, ruado Queimado n. 15.
Appareceu hoje SSado corrente, na roa do
Imperador n. 4-*;, lerceiro andar, um escravo que
diz chamar-se Praneised* pedindo para o comprar,
pertencente boje a Manoel Jacintho Pereira. e on-
tr ora perlenceu a Joao Jos da Penha, morador
no engenho Burralho, eomo declararse estarte-
gido, c que nao ia mais para 0 poder de seu dito
senhor Jacintho Pereira, nao se deban mais sabir,
0 qual est a disposi.;o do mesmo senhor. nao Re
licando responsavel por inurte fju fuga, outra
qualquer colisa que Ihe possa aeonw.,. '
A abaixo assiguada, vi uva dels.' Ap.-llfiTl'
nodaCunha, vendo publicajld^no Uiai io i!f h-
naintmco um edital do juizo especiar do roonner-
cio desta cidade para ser arrematada no dia II de
setembro futuro a casa na run da Olofia n. 90, pe-
nhorada |>or execucao do curtdor fiscal da massa
lallida de Guilherme, Carvamo & C. contra Joio
Duarte Maginano, eserivao Xascinieni... apressa-
se em declarar ao publico que dita casa de sua
propriedade ha muitos annos, .oniprada por >en
finado marido, e por elle reedificada, onde sempre
morn, e ainda boje mora a abaixo assiguada, 1
nunca perteneen a Joao Duarte Maginario, e n'cm
esta sujeiuiao pagamento de suas dividas, ltecifc
26 de agosto de 1863.
Joaquina Mara dos Prazeres.
C'oiveiu lr.
O abaixo assignado, morador no Aracaty, pede
ao Sr. I. B. do 11., residente nesta cidade, que v
pagar na ra do Vigario a quantia que Ihe est
. devendo, e que Beou de pagar at o meiado de
certifique qual abril, ao contrario publicar seu nome por exten-
loiM~>l.l TiH'UPil.i I *rt "W i" 1 l'i'l 1 11 I M .. 1 .l.ni-i.ii-iinl,!, >. .1____... I
AMA
.
1
1
Alugam-se o segundo e
casa sita la ra Nova n. 21 :
andar da casa 11.19,de junto.
lerceiro andares da
a tratar no segundo
CorreJo geral
Pela administraco do correio desta cidade se
faz publico para fins convenientes, que em virtude
do disposto do artigo 138 do regulamento geral
dos correos de 21 de dezembro de 1814 e artigo
9 do decreto n. 783 de 15 de maio de 1851, se pro-
cederao consumo das cartas existentes nesta ad-
ministraco, pertencentes ao mez de agosto de
1862, n dia .'i de setembro, as II horas da ma-
nhaa, na porta do mesmo correio, e a respectiva
lista se acha desde j exposta aos interessados.
Admnistra?ao do correio de Pernambuco 21 de
agosto de 1863.O administrador, .
Domingos dos Passos Miranda.
Correio.
Pela administraco do correio desta cidade se
tez publico que em virtude da convenco postal,
celebrada pelos" goveraos brasileiro e frantez se-
r5o expedidas malas para a Europa no dia 30 do
corrente mez, de conformidade com os annuncios
deste correio. As cartas sero recebidas at duas
horas antes da ipie for marcada para a sabida do
Para o Porto
Aj o fim do mez pretende seguir o veleiro e
bem conhecido brigue portuguez Meti I; tem
parte de seu carregamento prompto : para o resto
que Ihe (alta, trata-se com os seus consignatarios
Antonio Luiz de (tiveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz n. 1.
, 'ara Lisboa
vai sahir brevemente o brigue portuguez Bella Fi-
gueireme por ter a raaior parte da carga engajada:
para o resto que Ihe falta e passageiros, para os
quaes tem excellentes commodos, trata-se com o
consignatario E. R. Rabello, ra da Cadeia n. 5o
Tara a Baha.
O palhabote Garibaldi tem parte da carga, para o
resto trata-se com Tasso Irmaos.
O abaixo assignado declara que deixou de
Manoel Tavares de Aquino os bens-seguintes : um !*?'' 'lxeiro d( Custodio, Carvalho & C. desde o
escravo de nome Delphino, em Hiraa casa T pedia u,a -' do corrente mez.
c cal na cidade de Olinda, sita na ra do Jogoda I________Henrique Cecilio Rarreto de Almeida.
Bola : em urna outra dita tambera de pedra e cal,! Aluga-se urna casa na ra da Esneranca fCa-
sita na ra do Cabral; em um sobrado sito naquel- minho Xovo) n. 2, com 4 quartos, 2 sala* corredor "
le mesmo lugar, de um andar, de pedra e cal, da separado. Cozinha fra, quintal murado com ca- anell?>coin algumas accommodatoes, e que' seja
ra dos Quatro Cantos ;em nina casa terrea sita cimba, pintada ecaiada : a tratar na ra do Ca- '
na ra do (irmo daquelle mesmo lugar, tambera bug n. 11.
de pedra e cal, tendo um grande quintal em aber-1------d-.. ,.^i-----:-------:rs--------------
to. Certifico mais, que a ultima sentenca profer- mT" ffiS?*!"*^* ll,n P,ret0 aind:i 'ie sJa ^
da peloDr. ni! municipal da vara desta cidade Z.a "a uPu,1Sa' ^' *> pe da pa-
do Recife, nao manda proceder a liquidaco, e sim '__________________________________
manda que vo os autos ao contador para este i Carne fie sol
desereminar as quantias correspondentes ao preco o dono do emule irm-17 >m .1. ,*nii,,,w nnn
do escravo, as visitas de mdicos pie o trataram. B^^^^^,^^tVXTl^L^:
medicamentos que Ihe deram e enterro que Ihe ^SfToftSto wff: JZ K
tizeram, e bem assim das custs. O referido c ver- Orno "a8u"^as do **"* e vende mu"
dade e aos proprios autos rae reporto. Cidade do: -----------------------------_______________1
Recifede Pernambuco 29 de agosto do 1863. ~ Aluga-se urna preta escrava sera vicios, co-'
Subscrevo e assigno. Em f de verdade.
Precisa-se alugar anmalmeate ou por festa
um sitio desde a Ponte de Icha al o Neo da
Panella, eom algumas accommodacoes, e que seja
perto de no corrente : a tratar com Antonio Jos
Rodrigues de Souza, na ra do Crespo n. 15.
i:*crip(ui-a<*o mercaalll
Precisa-se de nina pessoa pratica de correspon-
dencia mercantil e escripturaco de partidas de-
liradas para ser empregado n'm escriptorio eom-
mercial. E tambem se necessita de pessoa haM-
htada para compra e venda de mercadorias. prin-
cipalmente de estiva. A quera convier, dandoabo-
nacao idnea c as explieacoes precisas, queira di-
ngir-se a loja n. t da prae da Independencia em
carta fechada com as iniciaos F. & M

O escrivb,
Guilherme Augusto de Atkayde.
De ordem de Paulo Jos (ornes previno que 1
desta data em diante tica sem efleito as cartas de
zinheira e vendedeira de po-de-l, a quem den Cirros linn-ln
4005 emprestados pelo teni|H) que se convencionar, i Ouinteiro & Acra "-^
licando o aluguel pelos juros da referida qutmt^MSXTiXtS,^^ T ^^ ta'
emprestada 1 a tratar na ra de Aguas-Verdes nu- d^ por esta roSan^SStiK annuin-
mero o. '. 5 jorma ao pedido de (imitas |iessoas que
-------_---------__----------------------__ gostain da decencia, cujo carro Vivir com o nan-
Precis-se de um caixeiro que tenha bastante I no que mandamos vir da Euro*, c jugamos me

flanea passadas pelo mesmo, mandando nesta data!' T re if:se dc m caixe.ro que tenha bastante I ... .,.., v JulKlM11IJB Ull
receberem os alugueisque estejam devendo os seus frra!'ca ? tf!ierPA dt fl*dor de sua conduta : na f*,1 expectativa publica, ^or ser de velludo
aascados, e oara oue ninmiem se cl.3mn .-. i*.! '^^^ do Queimado n. 1. de exceilentc quahdade e todo lardado em ate
afiancados, e para que ningucm se chame a igno- '
rancia, mandn fazer o presente. Recife 31 de'
agosto de 1863.Francisco Jos da Silva Maver. escrav
LEILOES.
liElliAtl
DE
UM P HEDI.
Quarta-feira 2 'le seiembro s 11 horas
^Oagentc Simoes' legalmente autorisado far Iei-
lo no dia cima ina/cado, no armazem ra do
----------- ...uu,, y, wiic^iu oiUHOlill, a HU uuicts anurs ua ijuc ij iihuliui para d saiiiua UO
de pr,oceder a eleico do& depulados cerae vaPr'e os jornaes at 4 horas antes.
'J.ue teu!e dar o districtft a mo olio n.. 'i Administraco do correio de Pernambuco 21 de
teie astricto, a que elle per-[ag0$(o ,lc 1865^o administrador,
/ Domingos do* Passos Miranda.
Vigario n. I i, de um obrado de 2 andares e so-
tad, em solo proprio situado ra dos Burgos n.
11, tendo o primeiro andar 2 salas, 4 quartos e
cosinha, o soto 2 salas, 5 quartos e cosinha.
- Offerece-se urna ama de leite e sem tilho : na '' ^ n^n^S?/ a ***** aeS d Apo1
ra do Mondego, casa n. 9, das 6 horas da ma-'
nha s 3 da tarde.
O abaixo assignado, lendo em o Diario dc
25 do enfrente um edital do Dr. juiz do eommer-
cio para a arrematacao da casa' n. 27 da ra da
Gloria e do sitio no fugar Raixa-Verde da Capun-
ga. como pertencentes Joao Duarte Maginario.
vem declarar ao publico quenestes bens ha partes
que pertencem Antonio Rorges Ucha, como her-
doiro de seu finado pai, e que se acham livres e
desembarazados de qualquer oous, como os ttulos
que exfstem era seu poder, e que foram passados
pelo Sr. Dr. juiz de orphos. Recife 29 de agosto
de 1863.Antonio Pedro Martins.
I)-se a quantia de 205 pelo aluguel de urna Assim como, esta se eoiVluimlo un outro
crava que cozinhc e faca as compras para urna arro de "< apparato para ainda. melhor satis-
sa cora pouca familia : a tratar no caes do Anol- ,rmos as bngac.ies que contra? .mos com o
publico e os nossos amigos, dc buen, -ios confes-
------._ i samos eternamente gratos, pelas uro a^lc ,ViZ\
orado dfrifad^ o,i"Sv"Prme,r andar d so !thia.1e "es temos me.veido u" '2l2o)
biado da ra das Agua-Verdes, e o pequeo so- continuar a merecer -perainos f
brado da ra Direita n. 85, e a loja do mesmo com ------Vn .. a -----------
armacao para taberna ou deposito : quem preten-1 ~ dia 2t' do C"ente
der falle na ra das Cruzes,
direito quem vai da ra do
Francisco.
Aluga-se urna casa terrea na ra da Soleda-
de n. 32, com 2 salas, 4 quartos, cosinha fora e
^ wo.uiia. quarto para escravos e estribara, com grande
Us pretendentes queirara exarJiraa-lo ou infor- quintal todo murado, boa cacimba e com differen-
marem-se do referido agente, ra do Vigario n. tes arvoredos : quem a pretender entenda-se com
17, primeiro andar, cujo prodio vend.o-se para pa- j Jos Antunes Guimares a procurar as cliaves na
< amento nesta praca. >. J ra -- Campos A Lima pedem aos senhores seus
credores que ainda nao apresentaram suas letras
para receberem a importancia devida, que se dig-
nen! de o fazer at o da 3 de setembro, sendo que
no da segrate recolhero ao deposito o que dei-
xaremde satisfazer por falta daquella apresen-
tacao.
re o abai \ a.--
i, sobrado n. 9, lado K, r ? rcr1,b lo Queimado para S. "a f|rmado '?'0 sf- Vicen,e Jos do Brit.., .
roa larga do Rosario at o Un da roa da Conco
da, e nao obstante ter sido pago na accao de s
avisar ao mesmo Sr. Brito, comludo avisa-sc
quera o tiver achado o dito recibo o mande entre
gar na padaria da ra larga do Rosario n. 18, que
se gratificara com generosidade a quem o Mre-
senlar. **
Manoel Antonio de Jess.
Aluga-se um escravo mogo, fiel e muito dil-
gente para todo servico : na ra dos Pires n. 54.
Aluga-se urna preta fiel, perfeita coxinheira
e engommadeira.etambem um negro : quemqui-
zep dirija-se ao torread da alfandega, jas 3 s 6 da
I tarde, que adiar eom quem tratar.
. Aluga-se a casa terrea n. 161 da ra Impe-
rial, com commodos para familia, coinha fra
Qtal e cacimba: a tratar na na estr&a do Ro-
sario n. 16.
Ha para alugar-se dous escravos mocos para
todo servico no Arraial passando a casa ama-
relia segundo sino que foi do Falcad
fMLTILAQffl
\
i
x



*
-

V
\
S0W HOMPEDAKI.4T
A TllVl'll
Ra larga do Rosario esauiHa para a da tyeiwada
Muera :t7,
O proprietario do centn
cedendo ao pedido i
fosas". qu*> Por su
qoertam ornar parle na geral concurrencia de seu
i, resolveu aproveitar o excellente sobrado cm
T fuaccionou a sociedade Cor>bantina c nelle
labelecer urna hospedara, com acciado servieo,
"" "para distraocao e lanch precos razoa-
Icondieao da escolha de freguezes para
ia, a variedade de arligos de comida
bebida sempre nclle encontrados, a reserva era
Que esiaro os concurrentes da freguezia de o-!
tros de condicao, por ventura inferior.e a frescura
ndita hos|M!>iia sempre so experimenta,
tiras garantas que amnwni e fazem espe-
honrosas visitas da classe inais aceiada da
ciedade jovem e alegre. Sob estes aus-
jroprictarto da hospedara Traviata es-
mivacHo de seus amigos generosos para
darem sahid.i. mediante i'ivtoj mdico, charu-
tos *e Havan.i, licores inglezes e francezes, eerve-
a branca e preta, quijos de prato, londrino c suis-
doces esjcangciros e nacionaes, c, era urna pa-
IrSlodos os gneros de que est sortklo, pro-
anm lunch variado, apetitos.! e barato.
carvalho & Xogera
Sacum sobre Lisboa e Porto : Ha ra
filio n 20.
Diario de rernanalnico Signada letra ai de Ataslo de tStta.
b pret-
casa n. 10 gr
fJIV essa mesma
.ara com quera traes*.
Um bomem portuguez, casado com pouca fa-
milia, offerece-se para ser caixeiro ou administra-
dor de algum engenho, sendo perto da praca : a
pessxia que annuncia sabe bem lr e escrever, e
milito conhecido nesta cidade, onde reside ha 25
annos : quem precisar annuncie.
08 WK ACGR WWTf
E
KtVuuta jKiiijia/ uraeao
Malertaes
Bota-se rea a 4*280, sendo em todas as mareis
lendo so era mareis grandes, e para entrar em
eambdas a 15600. canoas de railheiro para cima, e
vende-sc tijolo de alvenaria grossa a 18* o milhei-
ro, posto no porto, e carrega-se tijolo dos Remedios
at a pente provisoria a 3 o milheiro, e do Giqui
a i Ale a ponte da Boa-Vista, licande o dono su-
leito ao descarrego : quem precisar, dirija-se
ra Direita das Afogados n. 13. Na mesma casa
?Mdc-se nina canoa propria para carregar de 300
ajSO'feixes de capim.
Precisa-se de um pequeo que tenha pratica
de taberna : na ra daSenzala .Vova n. 2.
i: nsino primario.
"Urna pessoa habilitada no ensino primario, ecen-
tando mais de 2o annos de exorcicio, tenciona-es-
tabelecer-se de novo na freguezia do Reclfc, eipor
isso scienlilica aos senhores pais de familias desejam o augmento de seus ftlhos, advertindo que
encontrarao os seus alumnos aquelles desvellos
merecidos, que a pratica e a theoria )he tem felto
adquirir. Scicntifica mais, que por bondade do
Ilim. Sr. delegado litterario da dita freguezia, po-
niera os interessados dirigir-sc a casa de sua resi-
dencia, j-ua da Cadeia n. 68, a tratar cora o mesmo
senhor delegado littarario.
-'Piecisa-se fallar ao Sr. Jos Flix Ri-
beiro de Carvallio, que mora no. pateo do
Panizo, nesta tvpographJa.
JMmmwBEXP
! -AXViqARAS A NOVIDADE.
Sao chegados loja das columnas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio
Correa de Vasconsellos & C. riquis-
simos cortes de i?a muito flna com
barras estampadas- e matisadas- Im-
peratriz Eugenia, cores as mais deli-
cadas como sejam: cor de ganga, de
ferio, cinza etc., tazenda fnteiramen-
te nova e nunca '.isla em Pernara-
buco.
Alugam-se a loja do cobrado n. 193, e arma-
zem 171 da ra Imperial ,o armazem n. 4 da ra
do Apollo, e a casa n. 27da ra do Burgos: na
iiia da Auroran. 36.
Hoga-sc a pessoa qu leve a bon-
dade anouiiclar no Diario de 7 ilcjulho
pr<>\imo passad" o leite da mere de
Mirar contra as molestias de pelles,
tenlia a bondade de declarar o lugar
de sua morada e onde se pede cncon-
trardita arvorc.
Pas>anieiito de testa per pouco
dinheiro.
Aluga-se e cxccllente sobrado da entrada do
Montero, com grandes comineos para duas fami-
lias, aluga-se por pouco dinheiro : quem preci-
sar, approveite em quanto lempo : a tratar na
ra do Vigario n. 8 com Cosme Jos dos Santos
Callado.
Maques sobre Portugal.
Gabaixn assignado, agente do tonco
mercantil Portuense Tiesta cidade, saca ef-
fectivainente |Ktr toos os paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer somma, vista e a prazo, po-
dendo logo os saqnes a prazo seren des-
contados no mesrao banco, na razao de 4
por cerno ao anno aos portadores que as-
sim Ihe convier : as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
Qneijos noros.
Chegou ao grande armazem da aurora brilhan-
te grande quantidase de queijos de manteiga ver-
dadeiros do Serid muito proprio para mimo a
libra 600 rs.
A higa-se
orna casa terrea sita na ra da Palma
o. 50, om 2 salas, 2 quartos, c o sin lia
fra e quintal grande : tratar no lar-
go do Carino n 18, segundo andar.
m:
Advocacia.
O bacharel JosLadislo Pereira da Silva conti-
na aadvogar nos auditorios Uesta cidade, e pode
ser procurado na ra do Queimado n. 10, primei-
ro andar, das 9 horas da maliaa s 3 da tarde; e
desla hora em diante em casa de sua residencia na
ra do Imperador.!. 46.
Aluga-se a casa da ra de S. Miguel da fre-
gueziados Afogados n. 28 : a tratar na ra Impe-
rial n. 98.
Preeisa-se de um feitor que seja perito horte-
lao : no pateo do Terco n. 12, taberna ; na mesma
precisa-se de urna preta para vender fructa.

< AflUOSI I Al-
l ti N
Jos Pinto de Magalhacs faz sciente ao respeita-
el publico que era sen estabeiecimenlo fnebre,
to no pateo do Paraizo ns. 10 e l, encontrain-se
ledos os preparas precisos para qualquer enterro
'<;> actos fnebres, a contento dos interessados.
desnecescario mencionar as qualidades de seus
carros, pannos, etc. etc., porque diariamente estao
patentes, pudendo asseverar que outros estabele-
cimentos de igual natureza nesta cidade os nao
tem tuelhon's e neni serveni.....n mais prmnptidao
e predas commodos. A falla de eoncorrencia que
st^solfrendo. i; iim'camente devida a posicocs.
emiwnos, barretadas e falsidadcs. e nao porque
merecidamente deva str rejeitado.
TINTURARA.
Tnge-se com perfei(o para qualquer
cor, e o mais barato possivel: na ra do
Rangel n. 38, segundo andar.
COMPRAS.
Compra-ge para urna encommend uma casa
terrea nos bairros de Santo Antonio ou S. los :
quem Uverdir1Ja-se ra do Queimado n. 13, pri-
meirOandar, que achara cora quera tratar.
Compra-se cflectivameiite orno e prata em
obras velhas : na praca da Independencia i. 22 lo-
ja de bilhetes.
VENDAS.
C'onipanhla fldelidade d
seguros martimos e ter-
restres estahelecida no
Rio de Janeiro.
taams em khambuco
Auliuiio l.ui/ o> Olivrra Azrvrdo k C,
lampetentemeute autorisados pela diree-
toria da companhia de seguros Fidelida-
de, tomara sentires de navios, mercade-
e predios no seu eseri|)torio ra da
n. 1.
Hi^ i8!lf ^Ie
Aiada est para alugar-sc o sobrado na ra
doCoelhes n. 10, onde moraram os padres lasa-
rita*
.Na ra do Sebo n. 52 ha para vender brea
escravos para servido de campo cu engenho; a
pessoa gao guizer pode apparecer em dito casa.
-^-Veude-sc ou perrauta-se [Kir predio aqu no
Recife, um grande sitio de ierras era Beberibe, no
lugar do Curabeou Conin lodo feriado de mato
com milita porcSo dt^ lenha para padarias, e cai-
bros, e .varias sicupiras, um grande cacado para
vareas cora ba'rada de rio, tendo propoivoes para
edificar, vista do boni banbe : quera pVetender.
dirija-se a ruado Hospicio n. p>.
ESCRFULAS,
OU ERPCOES ESCROFULOSAS,
rirct'iis de toda a csjircic.
SYPHILIS, 0lT MAL VENREO,
TI MORES,
Ebnllicdes,
BHRTOUAS,
OPHTHALMIA,
Hj'uropisia,
Empige-ns,
HERPES,
ERYSIPELSS
KSrORRU'W,
THhA,
CKA&AS ANTIGS,
B.fe&umafsrTi-j Chrait^j,
DEBLMDE (iMAL
Ncraosidado, Nevralgis,
fut de no, Ftaio,
SUPPRESSO DAS REGRAS, ou
AMEKOBS.KEA,
Wffli, 1 MES IUIK
Rencao ds llinas.
EMACIAgA,
"- w,.,,,.,, dmenttygaraldo eorpo^f rove-
itc'clo eM ificioso do fungue
flrTtMBTACOES CEE0NICA8,
Affeecoes Chronitas do Figado,
ASSIM C'"MI) TODAS \S UAIS MMTUIANTKS MO-
LBMKA8, mNCIPALVBXTR QCANDO S/.O
CBBADJLts, ni i'k.jui boas pulo tan
UVKS !l - Quimbo,
AmIib wim lonii'iii prlo Aa^MMl M da jtC-
nmwm e na mpHB/a miinram
Todas catas Enfeamidades ptomptn e eflftaz-
meatecedem. benfica, poderoza e
purificantes qualidades da mui
jxvtijumeabe afamada
mlMium Be mimi.
A venda ras boticas de Caors & Barboza,
ra da Cruz, e Joao-da C. Bravo & C, ra
da Madre de -Dos.
FZEDAS^ BARATAS
27Una do QHeimado2f
XA
\ov;i loja de Custodio, C ar ralbo
A. CompaQhla.
NOVA EXPOSICAO
a loja do Pavo, de fazends bara-
f^^^r tissimas.
N ^ ste estabelecimento aclia-se constante-
mente um grande sortimento de fazendas
de gosto e de primeira necessidade, Sendo
tanto proprias para a praca, como para o
mato ; de todas as fazendas d5o-se livros de
amostras, deixando ficar penhor, ou man-
dam-se levar em casa das familias pelos ca-
xeiros da loja do Pavo.
Las com 8 palmos de largura,
na loja do Pavo.
Vendem-se lazinha cufestada propria para
vestidos, com 8 palmos de largura, sendo
fazenda mais moderna que tem vindo ao
mercado pelo baratissimo preco de 15600 o
covado: so na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pav3o.
Cassas a OO rs. o ovado.
Vendem-se cassas francezas de padrocs
miudinhos e cores fixaspelo barato preco de
200 rs. o covado; ditas finas a 340 e 320
rs. o covado : s na ra da Imperatriz n. 60,
loja do Pav5o.
Orgaady, a t40 rs. o covado,
a loja do Pavo.
Vendera-se organdy de cores matisado, fa-
zenda que val mutto mais dinheiro, pelo ba-
rato preco de 240 rs. o covado oa 400 rs. a
vara: so na na da Imperatriz n. 60, loja
do Pavao. '
O Pavo vende os modernos ves*
tldos balo,
com barras Mara Pa, sendo os mais
modernos que que tem vindo ao mercado,
com a saia de um so panno, tendo bastante
fazenda para o corpo, e vende-se pelo barato
preco de 30500 cada um: esta pechincha
s -existe na ra da Imperatriz n. 60, loja e
armazem do Pavo.
Me a peebincha de las entesta-
das a 400 rs. o covado.
S o Pavo.
Vndem-sc laa-inhas enfestadas transparentes
rom delidados padroes sendo de uma s er com
listras e quadrinhos e vendem-ee a 100 rs. o cova-
do : na loja do Pavao ra da imperatriz n. 60 de
Gama & Silva.
Corte de eambrala, a 9ga90,
na loja do Pavo.
Vendem-se cortes de cambraia brancoscom
babados, a 20800; ditos, a 40; ditos com
barras e babados de seda, a: 30, 30500 e 40;
s na ra da Imperatriz n. zem do Pavo.
Cortes de eambrala chineza, a
l#. na foja do Pavo.
Vendem-se rteos cortes de cambraia chine-
za, os mais modernos que tem chegado, sen-
do brancas com lintissimos padrocs, pelo ba-
rato preco de 40 cada corte, tend bastante
fazenda para um vestido: isto s na ra da!
Imperatriz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Bales a :#.00. sO o Pavo.
Vendem-se bales americanos que sao os
melhores, tendo 20 aiGOs, a 30500; ditos
de 30, a 4fl500; ditos de 40, a 50 ; ditos
de bramani.*, a 30500 e 40; ditos para me-
ninas, a 20 e a 30: s na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavo.
CASEMIRASINGLEZAS
a 1,700 rs, o corte.
Vcadera-se cortes de caseniiras escona M
piiHtelo batato preco de 10
dem k inesmas 480 rs
pajetots e colletey, etc
da Imperatriz n. 00, de Gama &Sva.
GRANDE PECHINCHA
SHJHEC^ODO.
'QUINQUJUIAHIAS.
Oueimado, ns. 'i'J e 55, lojas o>.
Jos BigodiflW/.queira razedlas
ijue abaixo anhun j^s eu garanto
que sao muito novas e barassioas.
Pe fas de trancas de'a'goao de lo-
das as cores a ...... W>
Duzias de lindas com 200 jardas. A-
Vende o pavo, organdys a 360 rs.
Vende-se finissimo organdys matizado com os
mais delicados padres miudinhos com assentos
brancos, sendo neste artiRO o mais moderno que lexandre, a .
existe no mercado, sendo fazenda que sempre se Carrito! de minluuer rumier
vendeu a 1^200 a vara, e presentemente vende-se -
a 360 rs. o covado: s na ra da Imperatriz n. 60,
loja do pavao, de Gama & Silva.

CHITAN ESCUIIAS
a 2,200 e 2,640 rs., s o pavao.
Vendem-so cortes de chitas com padroes oscu-
ros, tendo 10 i/2 covados a 2#200, e cora 12 1/2
covados a 25640, pechincha e vende-se por este
preco em razao dos cortes serem em mais fle um
pedaijo : s na loja do pavao, ra da Imperatriz
n. UO, de Gama & ilva.
Varas de aspas para balo W
Caixas oom superior obreias a 40
Ditas de colla......" 40
Pares de boles de punho a ^ 120
Pares de sapalos de tranca iso
Ditos muito superiores, a 1J600
Caixas e pceles de papel amisade Je
cores a. .......... 96
Duzia de meias muito ioas ; .fa ?e-
nhorara *....... oOO
Duzia de ditas cruas para homej a 2*4410
rs. o covado. Uarallios muito Onos para voitarete a 300
t.azlnhas a 55oo
Na luja do Pavo. Carriteis de linha com UK) jarda?
Vende-se laazinhas de cordaozinho de uma so Cartoes de linha branca e de cre$ a,
cor, sendo azul claro, azul escuro, ferrete, cor de Novellos de linha com 100 jardas a
cafe claroe escuro, alvadio, roxinhas propriaspa-i),K muito'Viamlps rom KOO lar-
ra luto, sendo fazenda que val muito maisdinhei- "< miogianues com wij jar
ro vende-se pelo diminuto preco de 200 rs. : s na (las ......
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Cartcs de linha com 200 jardas (wU
Silva- se acabando |a.....
Os mangnkos e gollnhas do iVara de,fi,a Prela com aleles paf
PavoT vestido, e tem um resto parda a
pechincha, a 320 e a 400 rs.
Vendem-se golinhas de fil, bordadas, a
400 rs.; ditas de cambraia, a 320 rs.; cal- (E'JYfl' Vl^tf 1 g" ^aTMlit
cinhas para meninas, a 500 rs.; manguitos, &**]3M. ^Mm 1^ Jl IPlf*
a500 rs.; manguitos com golinha, a800 Objectos de tintura e mantea,
res; manguitos de cambraia, a 320 rs.: s Na ra do Queimado, ns. 49 e 55, est
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
30
20
O
feo
w
100
40
VIO
if.
I
M
t$ i
1450
;m
na
Ca le lisboa a \$.
ltua do Trapiclie n. 9.
Precisa-se de ma ama forra ou captiva que faca
loto servieo interno o externo de uma casa : a
nestioa que quizer, dirija-se a ra do Vigario n. 27,
seguido andar.
Vlnlio puro.
Xo cscriptorio de Euzehio Raih.ie( Rabelto, na
ra da Cadeia n. ;>.', vendem-se aneoretas com ex-
cellenle e puro vinho tinto de Lisboa, smente dcs-
tinado para gasto de ttisas particulares por ser re-
meitido pelo proprio fazendeiro ou lavrador.
Ceblas superiores em resteas, a cinco
i mil res o milheiro no Caes da alfandega n.
' I. armazem de Tasso Irmaos.
Fusta* francri
para vestidos de senhora e meninas, fazenda mili-
to lina e ptlo barato prwx de 2(0js. o covado.
Finas eawl.raias orgaiidys a 340 r^. o eovato.
aliej
de arcos, de lodos os tamanhos, pelo preco de
if&GOO.
Calcndw
bordabas paranaeninas,pelo barato preeo de 2^JO0
cada um jiar.
JLazinhas
matizadas linas para vestido a 440 rs. o aovado.
Golleras
de chita a 2,5000.
Lenees
de panno de linho a ti.
Taalhas
de fustao, pelo barato preco de 400 rs. cada uma
Caniisinhas
de cambraia para senhora a 2$.
Golinhas
de linho para senhora e meninas a OiO, 800 e i>
Sortimento
Cortes de chita, a 8&00,
loja do Pavo.
endem-se cortes de chita vnm 12 lia co-
rvados cada um, a 2*51500; ditos com ioV,ova-
dos, a 2?5; cortes de cassa miudinha de co-
res fixas com 10,covados, a 20; ditos de
organdy mathisado com 10 ovados, a
25400 : s na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavao.
4s casemiras do Pavao pechin-
cha a &$.
Vendem-se cortes de casimira franceza para
calca, fazenda muito lina, padroes claros' e
escuros, a 5;$ o corte: s aa toja do Pavo.
ra da Imperatriz n. 60.
s aa ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavao.
Fuslo do Pavo.
O Pavo vende a :$# 3#SOO
cortes de la, a 3$ e 3#500; ditos com 22
covados, a 5#: s na ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavo.
XO ARMAZEM DE FAZEiSUAS BARATAS
DE
SANTO Ol !IO
Una do Queimado n. 19.
Vende-se o segninte :
Doberdas
de chita da India, a 2:ooo rs.
Lenees de panno
de linho, a 2:ooo rs.
Lenees de bramante
de linho, de um panno s, a 2:8oo rs.
Toalhas alcoelmailas
para mo, pelo baratissimo preco de 5:ooo
rs. a duzia.
Ricos vcalidiiiuos
de seda para meninas, pelo baratissinfo pre-
?o de 4:ooo rs.
Lencos de seda
pelo barato preco de I :ooo rs.
Saias de l'ustrm
pelo baratissimo preco de 5:5oo rs.
Lencos de raiuhraia
brancos finos, proprios para algibeira, duzia
a 1:8oo e 2:ooo rs.
~^m Lencos de cassa rato que nunca vendeu, para o ana f
tiMSSimos. ppoprios para algibeira, pelo ba- ver q
ranttimo preco, de 2: loo rs a duzia. j Duzia de saboneles ^ a
Corles de ealfa Sabor.ete ingle/, o melhor a
de ganga amarella, delistas e de quadros, Frascos com agua de ,i.a
fazenda superior, pelo baratissimo preco de tin* a V
1:2oorso corte. ^ D,tos de dita"^ ; a' .' '
Pecas de madapoBo 'DMte de Lav
largo superior, pelo baratissimo preco de !i7or, a
{Jilos de marac oleo muito' hora ."Tfik
- zm
ijueimando ludo pelos precos abaixo decla-
rados, e prestem toda a atterw;o para fdt
o que bom e barato.
Duzia de facas e garfos minio tinosa .'MK)
Dita dita dila de cabo pelo muito
finas a........'. 320r
Dita dita dita de balam;o. molhor, a H<*f-
Tesouras para costura, muil sV
nasa.........
Ditas ditas para onhas, muito finas a
Cartas de allineles de fero a .
Ditas ditosde labio muito linos a .
Ditas de dito grandes.....
Caixas de phophoros de pao .
Grasa de ditos do gaz a .
Duzia de dito dito a .
Massos de palitos para denles a .
Livros para meninos todos cheios de
calungas a........
Abotoaduras para coletes a ,
Escovaspara roupa.muilo tinr.s a 400,
500 e.........
SEJH ^EClL\JDOo
PECHINCHA.
Perfumara de superior '/uaiitiade.
0 rival sem se;undo, ra do Queimado
ns. 49 e 55, est disposto a vender maii f>-
muito
8:ooo rs.
Pecas de brciauha Di tos pe ola i
de^mlo com lo vara,, pelo barato preco te( Di((/de oleo d bKS"*
Ditosde banha. pequeo, muito fina
72)
16'
11
inda preeisa-se de um criado, na ra estreila
do .Rosario n. :)5, casado tabellio S.
Alaga-se o segundo andar c sotao n. 37 da
ra o Imperador, e o primeiro e segundo andares
do sobrado n. :19 na mesma ra ; qualquer delles i a 5600 aarroba
lew commodos para familia : a tratar na ra do '
Imperador, armazem n. 11.
Aluga-se a loja n. 4 da nui Nova, muito pro-
pria para qualquer .'siabeleeimento, tamhem ren-
da-s a arnjacno a moderna, com vidraeas. um es-
l I lio, etc.: a* tratar no Mondego, na casa do lina-
do commendador Luiz Gomes Ferreira, ou ra
do Imperador, armazem de louea n. 41.
Alura-ae
paa casa de pouca familia urna escrava, sabendo
co?inhar. ensaboar bem e engommar : quem qui-
zer dirija-se na da Gloria, casa n. 26.
Aluga-se o segundo andar do sobrado na ra
da Senzata Nova n. 42, eom bastantes commodos
para familia : a tratar na mesma.
Alnga-ee uma boa casa terrea com bons eom-
modos para grand.' familia, sita na ra do Poco da
Panella, perto do bando : a tratar com Fredrico
Ghaves, na ra da Imperatriz n. 19.
H 29.
Nova loja do barateos, tita do Queimado.
Las de ultimo gusio, covado a 440 rs.; organ-
d de padroes lindsimos, varas a 800 rs.; ba-
los de arcos o melbor possivel, a 3,5500, 43 e o ;
alpaca de lindo para vestidos, covado a 240 rs.;
-ambraias de cores para vestido, covado a 280 re.;
eambraieta muito lina, pea de 12 jardas a 7 ;
cassa lUa pelle de ovo, pera de 12 jardas a 75300.
o n. 29.
Nova loja ios barateiros, ra do Queimado.
Paletots de merino setim, fazenda de eusto de
5 por 10-5 ; ditos de alpaca preto a 35200; brim
branco lona, vara a 640: brni de cores para cal-
ca, covado a 480 rs.; camisas com peitos de fustao,
a 1*600; chapeos de sol de alpaca, a 35500.
Ae n. 29.
Noca loja dos barateiros, ra do Queimado.
Para acabar.
Bieos preto de linbo, vara a 120, 160, 240 e 320
rs'iaA^a.Afraas e tran5s pretas e de cores, vara
a 120,160 e 200 rs.; trancas e galoes de la e de
algodao, Secas de 10 e 18 varas, a 200 c 400 rs.;
SSSUr f "W' P6^ '0 rs.; vostldindos de
cambraia bordados, para bautismo, a IJL
Cal de Lisboa e poassa da
Ilassia.
Vindc-C na ra da Cadeia do Recife n. 26, para
oode se mudou o antigo e acreditado deposito da de meiis nara mcniZ oi,
mesma ra n. 12, ambos os gneros sao novos e para meniT- T
legtimos, e se vendem a pceo mais barato do riue ., 'a''"i>
mitra qualquer parte. Pre,a Para vestido a 500 rs.
" ------------- Guardanapos
.4 ssucar do Mon tetro adanias<':ulosa^a,Ulzia-
Ra do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
Vendem-se
eom
Aliialluiiliis de liulio
com 8 palmos de largura proprio para toa-
Iha de meza, a 2:5oo rs. a vara.
Toalhas
de linho para meza, a 3:ooo rs.
Ha rege
de lindos gostos, pelo barato prego de 48o
rs. o covado.
Esleir da India
propria para forro de sala] de 4, 3 e 6 pal-
mos de largura.
Ditosde opiata aSOf n.,aai
Ditos de banha japonesa a
Ditos de banha iraasparcnts a
Ditos de oleo liloconne a .
no
WD
8414)
de uma s cor, a 320 rs. o covado; popelina
de la, de quadrinhos encarnados e preos,
para vestidos de senhoras c roupa de meni-
nos, alio covado: s na ra ila Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavao.
Potassa nacional.
Vende-se superior potassa do Rio de Janeiro, da
mais nova oue ba no mercado, a preco muito cora-
modo ; no largo do Corno Santo, cscriptorio de
Manoel Ignacio de Oliveira & Fildo, n. 19.
Pechincha.
Na loja de Arantes vendem-se borzeguins de
couro de lustre para bomem a 5
fflaOTUf
\ endem-se superiores edarutos suspiros a 15200
c.a .JJ1*"11 caixa' di,os de diversas marcas, caixas
de 100 edarutos, a 15200, ditos de ditas, meias eai-
xas, a 600 rs. : na ra Nova n. 58.
Vende-se uma casa terrea na ra do Jasmim
n. 9 : a tratar na ra do Crespo n 3, loja de miu
dezas, se dir quem vende.
Vinho do Porto superior.
Vende-se em caixas de uma duzia : no escripto-
no de Antonio Luiz Oliveira Azevedo & C.
Cal de < isboa
cliegada ba pouco. c de boa qualidade : vende-se
nos armazens da ra de Apollo ns. 28 e 36 junto ao
tdeatro.
- Vende-se um escravo crioulo, de 28 a 30
annos de idade, bom offlciai de serrador, sem vi-
cios : a ver tratar, na ra da Matriz da Boa-Vis-
ta n. 7.
Na loja de funileiro da esquina da ra da
Aurora n. 2, vendem-se eandieiros de gaz de to-
das as qualidades, os mais lindos que tem vindo
ao mercado, por preco comraodo : tambera se ven-
dem latas com gaz, e as garrafas a 160 rs.
LAGEDO
\ende-sc uma porcao de lagedo de Lisboa, clie-
gado hontem no brigue Bella Fiyueireuse : a tratar
no cscriptorio de E. K. Rabello, ra da Cadeia nu-
mero 55.
- Vende-se um negro de meia idade, bem ro-
busto, proprio para qualquer servieo, sabe cozinbar
o diario d'uma casa, e tambem sabe botar canoa :
na travessa do Pocindo n. 26 sobrado.
Cal de Lisboa
a mais nova do mercado : na ra do Vigario n.
19, primeiro andar.
Potassa da Itussia.
Vende-se em casa de N. 0. Bieber A C,
successores, ra da Cruz n. 4.
Shiila attenvo
Aos sendores martimos e agricultores. Muita
vez passam por nossa idea desapercebidos, reme-
dios excedentes e de niodicissimo pre?o, com o
empregodos quaes se evitara grandes prejuizos
e nao pequeos damnos; neste caso est o alea-
Irao ou veiniz do gaz, o qual alm das multplices
applica^oesquc tem na marraba, efficascssimo
para matar as formgas, esse tcrrivel flagello da
agricultura, destruir radicalmente o cupim e con-
servar as madeiras isentas daquelle terrivel ver-
me, e dar urna duracao infinita s ferragens em
que fr convenientemente applcado : em latas de
mais de tres caadas a 15500 cada uma, e em bar-
ris com cerca de seis caadas a 25500 cada nm :
no armazem da bola amarella, no oitao da secre-
tara de polica.
Tende-se
no armazem de Manoel Marques de Oliveira na
ra da Moeda n. 9, agurdente de canna em bar-
ris e meias pipas e pipas, cal de Lisboa a 25 em
p, azeite de carrapato em barris ou caadas, mel
etn barris cm pequeas ou grandes porfes.
FARINHA SUPERIOR.
Vende-sc a bordo do pataedo Social e do date
Cursor, ancorados no Irapicde do Barao do Livra-
menlo, farinda de mandioca, tanto de Santa Catda-
rina como de Porto Alegre, a melnor do mercado,
por preco commodo
Cola da Baha
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo, no seu escriptorio, ra da Cruz n. i
Ospalefots de Pavo, assobreosacado a 12:000 rs-
Vendem-se paletots de panno, sobrecasacas
de panno preto muito bom e muito bem
feitas, a 12??: sobrecasacos de dito, a 14|;
paletots sacos de dito, a 7?5; calcas de cache-
mira da Escossia, a 3$ ; ditas de casemira
preta, a 5$; ditas de casemira de er, muito
lina, a 7(? e a o/JCOO; coletes de casemira de
cor e preta; paletot de casemira de cor,
a 14; tudo isto para apurar dinheiro: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Caries de cachemira da Escocia, a 2:000, na
loja do Pavo.
Vendem-se esta nova fazenda muito encor-1
payla imitaco de casemira, tendo padroes
escaros e alegres, afiancando-se que nao des-
bota, a 2# o corte para calca, ou 580 rs. o co-
vado para^paietot, colete etc.: s na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
Fazendas brancas, na loja do
Pavio.
Vendem-se pecas de madapolo enfestado,
francez, com 20 varas, a 85; ditas com 12
jardas, a 45 ; dito inglez muito fino, a 75,
75500 e85; ditos muito superior, a {05;
ditos de 40 jardas muito fino, a 45800 a
55600; algodozinho muito encorpado, ,a
45800, 55500 e 65; bretanha com 4 pal-
mos de largura, muito fina, a 15 avara;
pecas de cassa de cordo para babados, com
6 varas, a 35500 ; ditas com 12 varas, a 75:
Pechincha, a 500 rs. o covado.
s o Pavo. )
Vendem-se as mais modernas laazinhas
enfestadas, transparente, tendo 4 palmos de
largura, e sqjdo lizas e de quadrinhos, de
urna s
RIVAL
SEM SErXDO.
Objectos diversos.
Ra do Queimado. ns 49 e 55, ver.
par ar--
eoaUnusf,
Gratxtiinhat. l,arei ,Je ,uvas de >lgodso linas a
E' chegado um bonito sortimento destas ,Teles deaPaw penas, de I fo-
gravatinhas, lano para bomem como para f niJ da 9 rl.......
senhora que se vende pelo baratissimo ore- -!- ?!.......
i Caixas de colxeles francezes a.
em caixi-
co de 500, 800 e 1,000 rs.; s no Vigilante.' 7? f ,-}es ,V3ace* -
ra do Crespo, n. 7. I Duzia de diio francez a .1
Pirotteiz, "f505 com "ampos lisos e de cara-
Tambem chegou um grande sortimentoL,';!^ ii 'i '
de pirolteiz on conservadores para cabellos,
tanto pretoscomo de lindas cores pelo ba-
ratissimo preco de 4,000 rs. cada um.
Capella para iioica.
Tambem chegou um rico sorlimenlo de
capellas brancas, cousa muito chique para
noivas, pelo baratissimo preco de 5,000 rs.
6,000 rs., 7,000 rs. e 8,000 rs. ; s no
Vigilante, ra do Crespo, n. 7.
Filas de velludo e de seda.
Tambem coegoa um completo sorlimenlo
i de filas de velludo de n. 6 a n. 200: assim
como um rico sortimento de filas de seda
lavradas e lisas de todas as larguras e qua-; plnL^iJT f8 aenf??
lidades por precos que admiram : s no PenleS de tai ,aru8a a *^00
Vigilante, ra do Crespo, n. 7.
Bico de seda e linho.
Tambem chegou um bonito sortimento
de bicos, tanlo de seda como de linho, as-
sim como rendas finas e de labyrinto, que
seus presos farao admirar aos" meus fre-
guezes ; s no Vigilante, ra do Crespo,
n. 7.
Franjas pretas e de cores.
Tambem ha as riqusimas franjas pre-
los largas, proprias para as lindas capas ou
manteletes; assim como brancase de cores,
que seus precos tambem os pretendenles
se admiraro, por que sempre nesta loja se
vender por precos mudo rasoaveis; s no
Vigilante, ra do Crespo, n. 7
8f>
m
i i
w
m
nha de vidro
Tinleiro de vidro com tinto superior
a........
Di los de barro que serve para lin-
teiro a ........
Grosas de boles de lonca prateado a
Pecas de tranca lisa encarnada- a ,
Varas de bicos e rendas, para aca-
bar a ........
Varas de labyrinto de 3 dedos de
largura a........
Caixas de folha com phosphorosa .'
Ditas de pos para dentesa
"e
,<
ffci
KM)
t0
m
m
loo
too
AOS SRS. COliSUMMIDORES DE GAZ.
Nos armazens do Caes do Ramos n. 18 e
na roa do Trapiche Novo (no Recife) n. 8, se
vende gaz liquido americano primeira quali-
dade a retalho a 105 a lata de 6 galoes, as-
PAPBL
de cores para listas de eleli
A aguia hranra suppoo que nao faz mal m o#r-
reci r nos atnletas uns paroles rom 2.V i.nhas 4e
papel desores, que pode servir opinaroease sara
listas de eleitores, e tanto melhor por rnsiar ea
parte o diminuto preco de 1J300, e aar raaa
de una s cor, o que' ilifn.il de .n<-ont raras*
ser na ra do Queimado. loja .tapia branca a
>a mesma loja tambera lia de onfni in iliix branco e azul, assim como SSVVSSj


J'ar' o Oom t iw
Chegaram loja das columnas da roa
i r' ?pa ^f-ra v?t!d0,- e^ps' feif^como latas de 10 e de 5 garrafas e sendo
a 500 rs. o covado^w na loja do Pavio, \\ porco mais barato que em outra qual-
rua da Imperatnz n. 60, de Gama d Silva, 'qa^r parte. q
po n. 1.1, de Antonio Correa ele \ asronreaaaaa!
novos cortes de vestidos de la a |>l.iea aa
r estampada de matiz. ^-tos int.-iraineir^
dernos- cores as mais linda- |0f <* aSSal
bem como: cor de laranja. f;an no. cinza. magenta etc.. etc.: para dlo do vestido a cada corte acompanla sea-S
nno. Na mesma loja acaba de chegar pcl.. i
patinete francez riqnissinxK c irtrs nV
seda de cores com ramas mausadas
tros de moreanlique adamascado,
encorpadas o do ultimo gosto para
raemos etc.
,


.*-* Z. """.

E COMPLETO SOHIMENO DE
\
ftrtJJ I
<*=,
fe
(InJj
o
4
C5
3
8* *rt
"O "t a.
-o o o se
Vi-
V S *
1 a.
"O e
s o
o e s
H t O
5 9 - s - a g t
o" o g
O el i
O *9 < 3
-5 c- Cr*
Wh O Q -
- O
V ai 9
s> O ce *?
0 t O 03 3 o
i C S 9
O rt o Cr
o a eo C
o "9
3 v. a
S t*3 O "i se 8 6
1 8 s i
Vi e --.
O b o
t 8 c i* c a. a 69
k. 0 O
O 1
o -a -
v *- ff* ts

O o *
.C o V
"^ o e
Vlnhos em pipa: Porto Figoeira' e Lisboa, a
4oo, 44o, 5oo e S6o rs. a garrafa, e em
casada a 2,56o, 2,8oo, 3,ooe, 3,5oo e
4,ooo ra. do meibor.
dem lagrimas do Douro, especia viuho do
Porto mandado vir de conta propria a
1 o,oeo rs. a duzia e l.ooo rs. a garrafa.
dem do Alto Douro vindo de Porto engar-
rafado, das seguintes marca: Duque do
Porto, Feitoria, Nctar, Velho Secco, Cha-
misso, Madeira superior a9ooo rs. a cai-
xa e I ,ooo a garrafa.
dem Bordeaux das memores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Esteph e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
dem muscatel de Setubal verdadeiro a 2,ooo
rs. a garrafa e 22,ooo rs. a caixa.
Garrames com 5 garrafas de vinho do Por-
to do Alto douro a 2,2oo rs. com o gar-
ramo.
dem com 5 garrafas de vinho Figoeira
muito proprio para a nossa estacSo, por
ser mais fresco a 2,4oo rs.
Vinhos velho chamisso em barril muito pro-
prio para sobremesa por ser muito claro
e macio a 6oo rs. a garrafa e 4,5oo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 5o0 rs. a garrafa e 3*,8oo
rs. a caada.
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa al,2oors.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
c l,4oo rs. a caada.
Velas de spermacet a 6oo, 64oe68ors. o
masso.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
54o rs. e em barril a 5oo rs.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado.
Banha de porco a 54o rs. a libra, e em bar-
ril se far abatimento.
Queijos do reino chegadds pelo ultimo vapor
de f,6bo, l,8oo, 2,ooo e 2,5oo rs. cada
um
dem londrinos os mais frescos que se po-
dem desejar a 86o rs. a libra.
Caf do Rio de Ia e 2a qualidade de 8,ooo a
8,5do rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz caroliuo e do Maranhao a 3,ooo rs. a
arroba e loo rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
em porcao ter abatimento.
Caixinhas de ameixas francezas de 1 1/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,5oo, 2,ooo, e 3,ooo rs.
Fructas em caldas das seguintes qualidades:
ameixa, rainha Claudia, cerejas, pero,
ginja, pecego e alpech a 5oo rs. a lata.
Marmelada imperial dos melhores eonservei-
ros de Lisboa a 6oo rs. a libra, e era la-
tas de 1 V* e 2 libras.
Ameixas francezas era frascos de 1 1/2 e 3
libras de l,4oo a 3,ooo rs.; tambera ha em
latas de l,ooo e 3,ooo cada urna,
Cha huxim miudinho mandado vir de en-
commenda especial a 2,8oo rs. a libra,
garante-se a boa qualidade.
dem hysson o mais superior a 2,6oo rs. a
libra, aflanca-se ser igual ao que regular-
mente se vende a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem preto muito fino a l,9oo rs. a libra.
dem mais baixo, e miudo proprio para ne-
gocio a 1,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs., a frasco.
Chouricas e paios, os mais frescos que se
pode desejar, a 5oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e lo,5oo a caixa.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8oo rs. o frasco.
Licores francezes da seguintes marcas: A-
nizete de Bordeaux, Plaisir des dames, e
outros a l.ooo rs. a garrafa e 10,000 a
caixa.
Passas muito novas a 6,ooo rs. a caixa e
36o rs. a libra, ha caixas, meias e quartos.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs.
a libra.
Azeite francez clarificado a 76o rs. a garrafa
e 9,ooo a duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. o pote.'
Mullios inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
lafinha.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de 1 ,ooo a 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oo rs.
a grosa.
Milho alpista a 160 rs. a libra.
Milho painco a 140 rs. a libra.
Gomma para engoramar muito fina e alva a
80 rs. a libra a 2,300 rs. a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespnhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 300 rs. a libra,
e era caixa ter abatemento.
Sabo raassa de 180, 200, 220 240, rs. a
libra do melhor.
Graixas era latas muito nova a 120 rs. a lata
e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
curvin, salmo e outras qualidades prepa-
rados de escabexe, segundo a arte de cozi-
nha de 1,400 a 2,ooo rs. a lata.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
440 rs. cada uraa.
Papel greve pautado e liso a 3,500 rs. a res-
ma.
Azeite doce de Lisboa muito fino em berril a
640 rs. a garata, e em poreao tert abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas
l.ooo rs. a garrafa e lo.ooo rs. o gig
com urna duzia.
Doce da casca da goiaba a 4oo, 5oo, 6oo.
"oo, 8oo, e l,ooo rs., o caixio grande.
Chocolate portuguez, hespnhol, francez, e
suisso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a libra.
Velas de carnauba o composicao a 32o, 36o,
e 4oo rs., a libra, e de lo.ooo aj 1 ,ooo rs.
a arroba. _
Azeitonas novas do Porto c Listjoa a l,ooo
rs. a ancorla, e l,5oo a de Lisboa, Stas
ultimas ranas veres vem ao nosso mercado
pela sua b6a qualidade.
Massas para sopa macarro talharim e aliria
nniita nova a 48o rs. a libra.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Baha a 4,ooo, 3,5oo, 3,ooo e 2,5oo rs. a
caixa.
Serveja das melhores marcas a 5,ooo rs. a
7,ooo rs. a duzia.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Traveilies
Lunch, Cobin, eoutras a l,2oo rs. a lata.
Bolachinha do soda especial encommenda a
l,8oo rs. a lata.
Iem Craknel em latas de 5, 7 e 15 libras a
4,ooo, 5.5oo, e ll.ooo rs. a lata.
Massa de tomate em latas de 6oo a "oo rs.
cada urna.
Sardinha de Nantes a 36o rs. a lata
Toucinho de Lisboa a"320 rs. a libra.
Tijollo de limpar facas a 16o rs. cada um
Ceblas a 9oo rs., o mollio.
Farinha de Maranho muito alva e cheiroza
a 14o rs. a libra.
Pimenta i 36o rs. a libra.
Cominho, cravo, ena doce, enxofre. paliti
de denles em caixinhas que ludo vende-
mos por baratissimo prego.
Ricas caixinhas com confeites e fructas sev-
cas muito proprios para mimos pelo bara-
tissimo prero de l.ooo rs. cada orna.
y
I
A Ai- II i BRAMCA
necebfti pelo ultimo vapor o
seguate:
Bonitas pulseiras de cabello, coral, e cora-
lina.
Fortes e bonitas ligas de seda para senhoras.
Outras estreitas para meninas, ou manguitos.
Carteiras com agulhas.
Agulhctas para enfiar, e agulhas cantfas.
Trancelins e fitas de borracha.
Carriteis com torca! de todas as cores.
Massos e fios de coral.
Esponjas finas para rosto.
Pentes de tartaruga virados, com lapo .e
bati.
Enfeites de rede para conservar os cabellos
bem atados.
Aspas e coz para balo.
Fitas cora col.xetes para vestidos.
Trancelins chatos de lia para enfeitar vestidos.
Papel e folhas (tara rosas.
Lamparinas francezas.
Trancelins grossos para relogios.
Bscovas cabo d'osso, m^r i e madreperola
para dentes, unb" r pentes ejotes.
Outras finas para roup . Outras de velludo para chapeos.
Pastas para papis.
Raspadeiras e lacas de marra para ditas.
Visporas e dminos.
Baratissimas bandeijas.
A aguia branca por muitas vezes tem da-
do a conhecer que quando acha alguma pe-
chincha, nao quer somente com ella encher
o papo, ao contrario desoja que toda sua boa
freguezia e o publico em geial prvem da
mesma, o que agora mesmo acontece com
s; baratissimas bandeijas, cuja limitaco
le precos admira, em relacaoaostamanhose
qualidades: avista do que convm todos a-
proveitarem-se dessa opportuna occasiSo e
proverem-se d'um traste sempre necessario,
e que llies custar quasi melado do justo va-
lor. Assiin, pois, dirigirera-se com dinhei-
ro alegre e espacosa loja d'aguia branca
ra do Queimado n. 8.
Os afamados eopos com banha. e
boies eom inseripcoes.
Chegaram novamente para a aguia branca
esses afamados e estimados copos com banha
tina; assim como os bonitos boiSes de por-
xHIana dourada tambem cim banha, e novas
inscripoes maviosas e jocoserias, mui ade-
piado para presentes resta purera qooo's apre-
i.idoresconcorram. munidos de dinbeiro,
ilegre e espacosa loja d'aguia branca ra do
) imado n. 8.
ticas giiaralces de pentes e
li vi*I las para cilos.
A aguia branca recebeu novas e ricas
guarnices de pentes dourados, e com pe-
dras; assim como outras bordadas froco e
com bolas pendentes, novidade essa que s
s acha em dita loja, e que na verdade se
tornam mui alegres e bonitas; e bem assim
recebeu lindas fivellas com pedras, e ditas
d'aco com novos e engrapados moldes, cintos
dourados e de marroquira; e rauitos outros
ubjectos de gosto para senhoras sero encon-
trados na alegre e espacosa loja d'aguia
branca ra do Queimado n. 8.
Ciraxa econmica.
A agnia branca acaba de receber cssa acredita-
da ;rr."rta econmica, cuja snperioridade est ge-
ralinenti! reconlucida ; essa boa grasa se torna
rcoomuiend.-ida, tanto [wrijue o calcado lustrado
cometa dcixa |ierfeitainente lustroso ao menos
tres das sem necessidade de novo utjto. como
niesmo porque sua preparaciio appropriada para
araactere conservar o coni-o ; ella vem el caixi-
nhaa e barrizinlios, e acha-se venda na ra do
Quaimado n. 8. loja i!'agnia branca, aos rezuimdos
precog de 400, oOU e biO rs.
TERCOS
e cordas de eornalina.
A aguia branca pensando constantemente em
bem servir a toda a sua freguezia, noton que anda
nao havia feito algum agrado a aquelles que pru-
dente e acertadamente resando, cumprem dever de
bom christao, e quando reparou essa sua falta,
mandou vir e acaba de receber delicado tercos e
cordas de cornalina com cruz de peala, os quaes
deixa disposicao dos fiis que estiverem dispostos
a gastar 1o00",2 :) para possuirem um bonito
terco ou coroa, com os quaes podem mesmo pedir a
Deus pela prosperidade d'aguia branca, em seu ale-
gre o espac\)so ninho da ra do Queimado n. 8.
Xovos e bonitos
pentinbos travessos dourados e com pedras para
meninas : vendem-se na ra' do Queimado, loja
d'aguia branca n. 8.
Halnizinhos eom perfumarlas e
sem ellas.
A aguia branca vende bonitos bahuzinlios eom 6
frasquinhos de cheiros por 1,5500 e vasios por 800
rs., sirvindo estes para meninas, e mesmo para
joias. etc., etc. : na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Unhas maclas e_ lustrosas para
bordar
vendem-se na loja d'aguia branca ra do
Queimado n. 8.
Xovissigiio* e bonitos enfeites
para cabreas.
Quando o bello sexo senta a falta de bons
enfeites para cabera, eis que a aguia branca
recebe urna sua encommenda de bonitos e
delicados enfeites, c de modernissima moda,
multo servitdo isso para sanar aquella falta,
e fazer com que as Exmas. apreciadoras da
bella empieza Coimbra possara melhor rcal-
sar e mostrarem o apurado gosto que as
guia. Esses enfeites sao d'um tecido bas-
tante fino com continhas d'aco, e mui bem
enfeitados com flores, filas, bicos, plumas
etc., entretanto que sendo obra de muito
gosto custam 5$, 6 e 7$ dinbeiro vista;
na espacosa e alegre loja d'aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Babadinhos estreitos e bordados
Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja d'aguia
branca.
Capachos eomprldos e redondos
Vendem-se na ra do Queimado, Joja d'aguia
branca n. 8. ,
l.n vas de camurca.
Vendem-se mui finas I uvas de carmuca
branca e amarella; na ra do Queimado n. 8
loja d'aguia branca.
Delicadas tesn riuhas d'aco para
bordados e labyrintlios.
A pedido de algumas senhoras suas predicletas
freguezas, a aguia branca mandou vir dessas de-
licadas tesourinhas d'aco pontas agudas, proprias
para bordados e labyrintbos, e urna vez chegadas
como de facto chegaram, a aguia branca convida
as de mais senhoras suas boas freguezas para
aproveitarem-se da occasio e bem empregarem
seus -S em cada urna dessas finissimas tesouri-
libas, na certeza de que perder por chegar tarde ;
quem se demorar em as mandar comprar no ale-1
giv c espacoso ninho d'aguia branca, ra do Quei-
mado n. 8, onde tambem ha outras curvas e direi-
tas para unhas.
norp.i FEITA
NO
RHAzrm
X.ETKEIRO VED.
Neste estebelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentcs, para o que tera ura dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sorlimento de fazendas de todas- as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
I
3^00
3r500C?
45000
Casacas de panno preto, 35;> e
Sobrecasacas idem, 30^ e .
Paletos idem e de cores. 2ofi.
m, i*& e......
Ditos de casemira, 20. t.">:>.
I2, m e......
Ditos de alpaca, f e. .
Ditos ditos pretos. O, 7A.
He.......-
Ditos de brim o ganga de co-
res, 4^500, 4& 3^500 e. .
Ditos branco de lmlio, 60,50 e
Ditos de merino preto de cor-
dao, 100, 70 e..... 50000
Calcas de casemira preta. 12-i.
100, 80 e......70000
Ditas de cores, 90, 80 e. 70000
Ditas de meia casemira de co-
res, 50500 e. 40000
Ditas de princezae merino pre-
to de cordo, 50, 40500 e
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores.
30500, 30 e.....
Cohetes de velludo preto e de
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 5> e
Ditos de ditas de cores BI
40 e........
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco.
00 e.......
Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 00, 5| e
300000 Cohetes de fustao c brim bran-
250000 co, 30500. 30 e 20500
Seroulas de brim de linho.
IfHSOOO 20400 fr......20000
i Ditas de algodo, 10000 c. 10400
70000 -Camisas de peitos de linho.
3$00 50, 40, 30 c. .
Ditas de madapolo, 30.
20500, 2#e .
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 10$, 90 e. .
Ditos de Mitro, 50, 40,30500 e
Ditos de sol, de seda. 120.
110, 70 e......40500
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda.......
Sorlimento completo de grava-
tas.
Toalhas parroslo, duzia. 110,
90 e........
Atoalhado adamascado de li-
nho vara......
Chapeos deso, dealpaca, pre-
tos e de cores.....
Lences de linho. t .
Cobertas de chita chineza.. .
70000 'Pennasdapo, as mais superio-
40000' res, a grosa......
Relogios de ouro orizonlaes.
30500 900, 800 e......700000
50000 Ditos de prata, galvanizado.
patentes e orisontaes, 400 e
50000 Obras de ouro, adercos, meios
adereces, pnleetras. rozetas,
40000 aneis e cruzes.
40000
20500
20500
10600
80500
20000
040
6S000 |g
4)9000
30000-0
20000 jg
600 M
300000
A
RA DO QUEIMADO N. 46
uanrafiQjjT
FAZENDAS E KOI PiS FE1TAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 250, 28-5, 300 e 350. cMcae
muito bem feitas a 250, 280, 300 e 350, paletots acasacados de panno preto de li
250, ditos de casemira de cor a 155, 180 e 200, paletots saceos de panno e caar-
mira de 80 at 140, ditos saceos de alpaca, merino e la de 40 at 6>. sobre de alpaca t
merino de 70 at 100, calcas pretas de casemira de 80 at 140. ditas de cor de 7* a*
150, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de roupas de twm
como sejamcalcas, paletots e colletes. sortimento de cohetes pretas de metim. caseam
e velludo de 40 a 90, ditos para casamento a 50 e 60, paletots braneos de bramante a 4*
e 50, calcas brancas muito finas a 50, e um grande sortimento de faz>*nda> linas e:
as, completo sortimento de casemiras inglezas para homem. menino e senhora. e
de linho e algodao, chapeos de sol de seda, tovas de seda e de Jouvin para hoaarai e
nhora. Temos urna grande fabrica de alfaiate, onde recebemos enennunendas de gm
obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de semethante arte i
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qualquer obra i
promptidao e mais barate do que em outra qualquer casa.
^
\mmmw
t!X >A f-XA fg\
POR MENOS DEZ POR CENTO
NOS
AICN.tXE.V*
CONSERVATIVO I GONSlRV/AQQR
r>F.
m. 21 E 2JLARGOfDO TERIJO-NS. 21 i .
Recebem por conta propria a maior parte dos gneros existentes nos seus arraa-
zens e por isso deliberou-se seu proprietario a vende-los por menos 10 % do que em
outra qualquer parte, garantiddo a superior qualidade.
Lelam tocto*.
de ac iuglezas calygra-
pMeas. a balo e outras.
A a^^Hauca recetan um tallo sortimento de
tipenores pennas de aeo inglezas, calygrapbicas,
a hatio e oulra.s diversa^ |uali(Jtdes, cujos precos
^AU^f, .1.1 I |..l> j I A iln AC I.PiiIiMiiIjMI
lentes. Na mesma loja acha-se tambem um varia
do swtigiCDtodc caetas, sobresahindo entre ellas
a mas de nova invencao, que por si mesmo deitam
a p--ana fra quando assim s>> queira.
CHLtlMlMB
loa do Queimado o. 23, loja de Anto-
nio Ferreir- da Silva Maia
Yeudem-se cambraias de cores a 200 rs. o co-
rado para acabar, e azinhas tinas a 500 rs. o! Manteiga ingleza especialmente escolhida a 72o e 8oo rs. a libra.
"j---------------------. !Idem franceza de primeira qualidade a 56o rs. a libra, e em barril a 846 rs. a libra.
v. .- aF.u *,c1Tln1ho- i Aitoz pilado o melhor do mercado a loo rs. a libra e 3,ooo rs. a arroba ou sacco,
vinto d?3Btegrtoa10 rs! Sft6SSn,CafIo Rio e do Cear ^lhor "^ tero a 28o e 32o rs. a libra,
da a 1*600. Batatas novas a 5o rs. a libra, em arroba a l,4oo rs. e em caixas de qnatro arrobas por
4,5oo rs.
C'olva.s da Arara tHImiJ
hooo.
Vendem-se ricas colxas a\ cama a 80. ditas de fustao -le cores a S-
I 9\ na ra da Im-M'rateR
Arar.
(irande exposio de fazendas de lodas
as qualidades; sendo por baratis- ditas" deiiiita
simo preio, na loja e armazem da n. M, Arara.
Arara roadalmperalnz ii. 56 de \nr%emem
Lourcnro Pereira endes Coima- Vendem-se corles de cambraias t
..a a 20. vende-se cambraias lisas para v
%m& wa eoiM iAW A SS^'dSJi T
s^m'J MHm, com I vara de larpon por %
Vendem-se chitas cores fixas. com peque- corte: na ma da liuperatrii l>>ja ib
no toque de mofo a200rs. o covado, len- n. '(' ileMeinh-s liiiimani.-.
eos braneos e com barras 200 rs.. meias Oh! qnr zramdr prrb
(ara homem 120 rs. o par. ditas para me-i Vendem-se |ni;a> de ricos mamthm-
nios. 100 rs. upar: na ra da Imperatriz cexes com 14 nt\ad -n.l ;i A'
n. 50, Arara. o covado, organdvs para vestUw a 3001-
Arara vende as cassas a 200 rs. o rotado. covado, elialim para \->MioV .i tto r.
Vendem-se cassas linas para vestidos a I covado. la para vesti-bis a 200 r-. > oIft.
200 rs. o covado. orgamlys linos para ves- cobertas de damasco para ..mwal
tidosa2l0, 280e 320 rs* o covado: s no rua (,a Imperatriz n. 56 Aran de
armazem da Arara, rua da Imperatriz n. 50.1 Corles de tbita da Arara a 2:000 rs. -%rara vende o* halr*
Vendem-se cortes de chita com pequeo! ^"dem-se os marsliem f.*u.*se
lociue de mofo a 20. dilas lirapas a 20, se nos baloesjmiriiijiii M. >. e ...
vende por este preco por ter grande porcaV.,' ^.^ a ^^'i ** **"' e >> **'"
dilas francezas a 20500 o rrtp na rua da (1,'ixara de amlar sem bal, .pie oprepjj.i
Imperatriz, loja da Arara n 56 convida: na rua da Imperatriz Injo db Arara
.trara vende grosdenaph-s preto a 1:000 rs. \ "' 'i(i nn^"l!?^WM/
Jwm a)tl olL lfmS t SSN* ingle/as de I*asnWlM.
a 2;>000 o covado, cortes de casemira preta I nait(1u .i., i,rim -j, 1.,,^
para calca a 20000 o 40, ditas de cores a Sfl JS^ *>"*
a3A.
30500 e 40; na loja da Arara, rua da Im-
peratriz n. 56 de Mendes Guimaraes.
de meia casemira a 305Ot. .*afc* i_
casemira escura a 20. ditas mais Nmo a W.
seroulas de linlto de brauaule a l|H9 *
10800. camisas fran.ezas a l0tOf I#800.
ditas linas a 20 e 23500. otas de Imfcp rom
pregas largas muito nuMlernas a 3*. i
de raassaa de i rese puma a 10000. H
Scllins iuqle-es
chegados casa de Izidoro, Nelto
Cruz n. .
4C,
Farinha de mandioca
rua da Bo'acb'nhas americanas, asmis novas neste genero, a 2oors. a libra e 3.000 rs. a barrica.
Palitos do gaz, vindes por conta particular, a 2,3oo rs. a groza.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor, a l,8oo e 2,ooo rs.
'inho do Porto em garrafa de superior qualidade a 9oo rs. a garrafa.
em saceos grandes, e de superior quahda-, Wem em pipa Figueira e Lisboa a 4oo rs. a garrafa, e a 3,ooo a caada
> Milho alpista o mais limpo que ha no mercado a 16o rs. a libra, e a arrroba a 5,ooo rs.
de; no armazem
Amorim. n. 35.
Velas de spermacet, composicao e Aracaty, a 4oo*, 36o e 64o rs. a libra.
Toucinho de Lisboa novo e grosso de primeira qualidade a 32o rs. a libra, e 9,ooo rs. a
arroba.
--Vendem-se superiores cadc'ras
to S'^tata? oo lmnn\ ,Alm destes T? harros muit0 baratissimos' aesim coeh;) rt0 me,hor'
encost de paUHjna no ai ma*m ^azeite doce, vinagre, cebollas, amos, pimenta, cominhos, erva-doce, charuos de todas as
Malneus Aoslin A t., roa oa en/aHrf^uaidades. chouricas. sahaY verdadeiro de 16o 24o rs. a libra, enebra de todas as
Yelha n!. 106. I^nalidad-s. que tudo se vende barato o quem duvidar venha ver.
f
Corles de la da Arara a 3:600 rs.
Vendem-se cortes de lazinhas para ves-
tidos a 30600, oh' que pechincha, lazinhas
para vestidos, linas a 400 e 500 rs. o cova-
do, ditas de quadrinhos a 320 rs. o covado: -0 e 20500. istn mais qtie perttinHva
na rua da Imperatriz. loja da Aran. n. 56, de '"i-'1 > armazem da Atara, rua .la
Mendes tluimaites. n. 56 de Mendes fiiraarca
Oh? qnr peehincha a 940 m.>
cliias largas.
Vendem-se chitas francezas com pequeo
toque de mofo a 240 rs. o covado, ditas
linpas, finas a 320, 360 e 100 rs. o covado,
ciscado francez a 280 rs. o covado: na rua
da Imperatriz n. 56 Arara de Mendes tui-
mar5es.
Arara vende o madapolo a 1:000 rs.
Vendem-se pecas de madapolo francez fi-
no, entestado a 4/ e i 0500, ditas inglezas
com 21 jardas, finos a 70, 70500, 80, 9* e
100 a peca, freguezes a elles antes que se
acabe ; na loja e armazem da Arara, rua da
Imperatriz n. 56 de Mendes Guimaraes.
Arara vende o corteo de eaoe-
mira a *4HMM>.
Vendem-se cortes de casemira entestada
de cores para calca a 24. tambem se vende
' em covaltos para calca, paletot e collete a
110 o covado e entestada, com 1 >/ fo*-*
urna calcli e sae muito barato: na loja da
I Arara, rila da Imperatriz n. ?0 de Mendes
Guimaraes.
Tarlatana da Irara a
Vendem-se tarlatana de rores
dos a 400 rs. a vara, tik de linho A tino
para mosqueteiro a 160 rs. o comen, cdov
tes para (a beca de senhora a 10. 9 t M.
os mais nodernos que leni rhipih. Upe
para salas por 50 cada um. tooltai r inho
para rosto a 610 rs.. ditas petara a ll> o
melhor que ha em toalhas : na luja d Ava-
ra, rua da Imperatriz n. 56. do]
maraes.
m
Espiritas na rua IHreila 17.
Neste estabderiifm, .rtfi 4 anhs at-
ritos que a ella direm iwowl. fea tanorar anv
que
seus numerosos fregnon
los |K>r menas prero J
como sejam. licore dlot
dinarioi a Anos pMtbn\
da como em botija,
do caana, alcool de gntn :
eheiro, proprio para roapon^o. *> n
prometi aflaa(a o bM aronoVhaoaoM pora
o que tor exportado.


V-


IPJltOiSliSSIl
GRANDE ARMAZEM
paH4eJP#rtt>
twi ieir SI ge ***<
**
/
EK
j N. 36. Rl* DAS CRIKS N. 36,
DO
DE
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
./
Eduardo Marques de Oliveira C.
5
o
z
o*
es
se recebem generos^o.'onta
propria e dos melhores esta-
belecimentos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer ge-
nero comprado neste
ESTIBFLECIMEMO.
balrro de *anto lutonlo.
0 proprietario do muito acreditado armazra denominado Progressista tendo
sempre em vista fazer tuda o que for possivel para bem servir aos seus freguezes, tem
deliberado M&der os seus j bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaixo mencionados, e affianca as pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
escravos, seremtSo bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, ainda mesmo contendo objectos n5o proprios deste estabelecimento. 0
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que n3o agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
c5o com os seus portadores, fazendo-lhes ver que so no armazem Progressista da ra das vei publico e com especialidade aos seus amigos e freguezes que tem resohido resumir os Ditas em frasee por 2
Gr6 n. 36, que se vendem os melhores gneros por mais barato preco, porque estes: precos dos seus acreditados gneros, como abaixo verlo nao obstante os presos menciona-' **^to da India loo rs. a libra e 30OOO,

0Q
vende-se em porcao e a reta-
lhl^, aprompta-se com toda a
presteza e exactidao qualquer
encommenda dirigida a este
ESTIBELECIMEMO.
' Amendoas a 320 rs. a libra.
Os proprietarios do muito acreditado armazem Progresse fazem sciente ao respeita- J^Jg*^ "J^
N'estes novos e grandes estabelecimentos de molhados, encontrar o respert
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro, exposti* nV
todas as qualidades de gneros por menos preco que em quaesquer outro estaatafl
tos d'esta ordem, pois para bem servir os seus freguezes existe na Europa u es
cios para serem vindos de conta propria diversos gneros, e desde j ixontraca rev
% P3 peitavel publico sempre os melhores gneros do nosso mercado, e por precos taatet-
5> mos como abaixo vero, a saber :
Massa de tomates a C40 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a SCO rs. a fihr*.
estabelecimento.
muitas vezes olvidam-se e v5o outra parle onde os servem de maneira a desagradar este dos a vista da qualidade dos gneros que se prava quanto se deseja servir satisfatoiia- Dik) dit0 doMaranho 120 rs. a libra e3*500
mente aos nossos freguezes, advertindo-lhes que mandem seus portadores, que sero ^\Mggkmm m rs. a garrafa.
Dito de Lisboa C80 rs. a garrafa.
,a,;.,n Agurdente de canna de cabera a 240 e 320
choro r8. a garrafa.
no ultimo vapor a 8oo rs. a libra. a oo rs. a nora. jetanas a 320 rs. a garrafa e 1,3oo a an-
Idem de 2.1 qualidade a 70o rs. a libra.
Massa estrellinha para sopa aioo n. a fibra.
Macarro, aletria e talharim a 48o rs. a fr-
bra.
I Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasr.
Manteigai ngleza de 1.a qualidade, a 800 rs.
a libra.
dem de 2.1 qualidade, a 700 rs. a libra.
Mera franceza, chegada ltimamente, a 6oo
rs. a libra.
Batatas em gigo de arroba a l,5oo rs.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor,
de 2 20500.
dem prato, chegado neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 700 rs.
a libra.
dem londrino, mandados vir de encommen-
da especial, a 900 rs. a libra.
dem suisso, muito fresco, a 800 rs. a libra.
Caf do Rio de 1.a e 2. qualidade a 85500
e 80800 a arroba, e 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India e MaranhSo a 120 rs. a libra
e 30200 a arroba.
de superior qualidade a cada
xinha-
Mostarda preparada em potes muito nova a
400 rs. cada um.
Avelaas asmis novas
rs. a libra.
neste genero a 240
bem servidos como se viessem pessoalmente, isto so no Progresso.
Manteiga ingleza perfectamente flor chegada Farinha de MaranhSo muito alva e
a lo rs. a libra.
Presuntos do Porto muito novos a 500 rs. a
libra.
Legumes francezes para sopa, como seja,
Julienne, mlange d'quipage, Choux e
' outras qualidades, a 400 e 500 o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, e
em poreo ter abatimento.
Garraffies com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 20400 com o garrafao ;
afianca-se que nesse genero o melbor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira muito
superior e mais proprio para a nossa esta-
cJto por ser mais fresco a 20400.
< :h hysson o mais superior a 20GOO a libra,
afianca-se ser egual ao que regularmente
vendemos a 30200.
dem huxim miudinho, o mais superior que
vem ao nosso mercado a 20700 a libra.
dem preto muito fino, a 20000 a libra.
Chocolate para 9oo, l.ooo e l,2oo rs. a li-
bra.
(iarrafes com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 20100 cada um.
dem com 5 garrafas de onagre de Lisboa
a 10100 com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinagre hambur-
guez a 800 rs. cada um.

Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
tora, Velho seceo, Chamico, Madeira su-
perior outros a 000 rs. a garrafa e 90
a duzia.
Vinho Bordeaux das melhores marcas: St
Julien, Medoc e S. Estephe e outros a
O 40 rs. a garrafa c 70500 a caixa com
urna duzia.
< Ihouricas c paios, o mais novo que se pode
desejar, a 250 e 600 rs. a libra.
lognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa e 100500 a
caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
Cierne de Menthe, Hude de Venus etc. etc.
Milho-alpista a 180 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra e 20300 a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libra e
em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade de 160,
180, 200, 220 e 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 10300 a duzia.
Peixe em latas muito novo: savel, pescada,
curvina, salmo e outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
cozinha a 10400.
Papel grve pautado e liso a 30800 a resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
460 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 30200 e 40000 a caada do
melhoc e 500 rs. a garrafa, em porco ter
abatimento.
Vinho velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
50000 a canadr- -__________-.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 560 rs. a garrafa e a 40000
a caada.
Vinagre, puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
e 10400 a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril
a 640 rs. a garrafa, e em porcao ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
10000 a garrafa, e 100000 o gigo com
urna duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Babia a 30500 a caixa, tambem temos
para 20000, 20500, 3,0000 e 30200 a
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 600, 640,
e 680 rs. o masso.
dem de carnauba e composieo a 320, 360,
e 400 rs. a libra e de 100 a U05OO a
arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 10000
a ancoreta do Porto e 10500 a de Lisboa
Massas para sopa: estrellinha, rodlnha e pe-
vide a 400 rs. a libra e 20000 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carro e aletria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso das melhores qualidades a 900 rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixo.
Cerveja. das melhores marcas de 50500 a
60000 a duzia e 540 rs. a garrafa
i Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
Licores francezes, mudo finos, das seguintes {$:m a )ata
marcas: Anizetta de Bordeaux, Plaiser des i
dames Crme de Nnyau, Eau Dantzic, Bolachinha de soda, especial encommenda,
muito nova em latas grandes a 20000 cada
urna.
dem de 3.a dita a 64o rs. a libra.
dem para tempero a 32o e 4oo rs, a libra.
Manteiga franceza a mais nova que ha no mer-
cado a 58o rs. a libra, e em barril ter aba-
timento.
Banha de porco refinada a 520 rs. a libra.
Vinho em pipa Porto Figueira e Lisboa a 4oo,
48o, 5oo, 56o rs. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,ooo rs.
dem em barril o mais superior que tem vin-
ao mercado a 6oo rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
l,ooo a garrafa e a lo.ooo a caixa, o preco
nao indica a qualidade d'este precioso vi-
nho, porm venhamao Progresso que a vis-
ta faz f, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
demos vender por menos que outro qual-
quer annunciante.
Sardinlias de Nantes a 36o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa a 32o rs. a libra e a 9,ooo coreta.
rs. arroba. Batatas inglezas a 6o rs. a libra e l,8oo a
arroba.
Banha de porco a 55o rs. a libra.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. agarrafa e a Jtolachinha de soda a 10400 a lata.
4,8oo rs. a caada. i Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e a j rica a 30000.
l,2oo rs. a caada. Cha hysson a 20200 a libra.
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis- Dito dito fino a 20600 a libra.
boa a I,loo rs. Dito miudinho a 20800 a libra.
Champanhe das marcas mais acreditadas a Dito do Rio a 10800 a libra.
8 e a lo,ooo rs, o gigo. c a 8oo rs. e- a Dito preto a 10900 a libra.
Charutos de diversas qualidades a 10200,
10500 e 30 a caixa.
2%
l.ooo rs. a garrafa.
Serveja preta marca T e XXX a
6,5oo d'
7,ooo rs. a duzia, e a 6oo rs. a garrafa,
tambem temos das mesmas marcas para 4,
c 4,5oo rs. a duzia, e a 4oo rs. a garrafa.
Champagne a 10 e 10500 a garrafa.
Chouricas a 560 e 600 rs. a libra.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Caf em grao a 300 e 320 rs. a libra, e 90 e
dem branca Te cobrinhaa5,5oo e 6,ooo rs, | 90200 a arroba. '
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tambem ha Ditomoidoa 360 rs. a libra,
para 4,ooo rs. a duzia. Doce de goiaba a 560 rs. o caixSo.
Graxa em latas grandes l,3oo rs. a duzia E^J6 vinbo de 38groS' a 280rS' a
p ln rs a lita gairaid.
e izo rs. a lata. fatita do Maranho a 160 rs. a libra,
flnho do Alto Douro das marcas mais acre- Vassoura. do Porto arqueadas de ferro obra Dita flor de laranja a 10 o frasco,
ditartas e especialmente escomido por um de muita **>a rs- uma- 1?'!*> branco muito novo a 440 rs. a cuia.
de nossos socios, comosejam:Camoes, Du-1 palitos de denles massos grandes a 2oo rs. rSl HainiL.'ianm hnta a ton rs
que, do Porto, D. Luiz, Carcavellos, Cha- e 28o rs. i n^'l* l^ Z rs a boina
misso & Filho, Madeira secco, c Fetona a mm ,ta Hanraiguwa a to rs. a noina.
o nn* Paltos dogaz a 20 rs. a caixinha e 2^ rs Gomna $irul u ,0 rs* a ,,a' e 2^
rroza. _
a arroba.
Graixa em latas a 120, e 10300 a duzia.
em garrafoes de 14 garrafas por
HSTAfil guura a 2, too rs. | / rafas por 6.5oo rs.
'^loTrs3 8arrafaS deVnh Sba a Wememfras,,ueirasa6,3oors.e65oors.ea,
2*,0 rS- m rs. o frosco atfianca-se ser verdadeira.: ^T** '^ ""V m>^ H"'
Vinho branco de Lisboa proprio para missa .. K ,.. t a a ; Mante.p, franceza a 6oo e 64o rs a libra.
viudo j engarrafado de Lisboa a 64o rs.,Idem de ^ cm ftS8 cm 1ua,ro du" I D-,ta ''oHandeza a /2o 8oo rs. a libra,
a carrafa. /ias a ** Km ca"a botija.
dem de laranja em frascos grandes verda-
deira italiana a l,ooo rs. o frasco.
9oo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com
* iTgmafcst-------* _* -
Garrafoes com especial vinho do Porto con-
tendo 5 garrafas a 2,5oo rs.
ja s
?
leAiperche chegada no ultimo vapor ra,xa er
do. libras a Awi rs A nwhinrha OeneDra
de 2 libras a 8oo rs. pechincha.
Passas a 4oo rs. a libra.
Palitos para dentes a 180 rs. o ma$$*-
Phosphoros do gaz a 20500 a grosa.
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a
20500.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Cervejas de marcas superiores a 500, 5oC.
600 e 640 rs. a garrafa, e 50500, <# t
60500 a duzia.
Dita em barril por 40, e 240 rs. a garrafa
Cevada a 240 rs. a bra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 rs. a b*-
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 160 rs.
Vellas de spermacete do gaz a 1.2oo n. *
libra.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 libras por 4006.
Ditas de carnauba a 400 rs. a libra.
Ditas de composieo a 360 e 380 rs. a k*rv
Vinho do Porto, caada a 50500, garrafa
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 40 e a garrafa a 5i>
rs.
Dito Figueira, caada a 30840 e a garrafa
480 rs.
Dito dita superior, caada a 40 e a garn*
aSOOrs.
Dito Estreito, caada a 30200 e a garrafa
400 rs.
Dito Bordeaux a ^20 800 rs. a carrafa
Vinagre de Lisbo "nrrafoes d 5 garr
- 3||r 104C
fas po
Dito em caada a 20, e a 260 1
Passas muito novas e de carnada a 400 rs. a.
libra e 60500 a caixa com urna arroba, ha I **** dti ^x em latas de 600 a 700 rs.
caixas, meias c quartos. ^^ """
Ameixas francezas em frascos de 11,2 e 3 1- ^to** Je; Nantes, do fabricante Basset, a
bras de 10400 a 20800, tambem ha latas W rs' a ***
de 6 libras. Toucinho de Lisboa, novo a 320 rs. a libra.
... ... .. Tijolo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Marmelada imperial, dos melhores conser-1 g^ 0 niolho a 900 rs.
veiros 4e Lisboa, a 600 rs. a libra, em la-
tas lacradas hermticamente. Erva-doce muito nova a 400 rs. a libra.
Eructas era cablas de todas as qualidades em Cominhos idem idem a 640 rs. a libra.
latas muito bem enfeitadas,
da orna.
a 500 rs ca- Garrafoes vasios a 500 rs. cada um.
Bolachinha ingleza, a mais nova que se pode
desejar, a WOOO a barric a e 240 rs. a
libra.
Farinha do Macanbao muito alva e eheirosa
a IfiO rs. a libra.
Azeite francez clarificado a 800 rs. a garrafa
e 9000 a caixa com urna duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed Pices, ceblas simples, e outros
a 760 rs. o frasco.
Farinha verdadeira de araruta a 500 rs. a
libra, garante-se a superior qualidade.
Palito! para dentes era caixinhas domadas
, a 320 a libra e 80 a arroba.
Ditos com 5 garrafas de genebra a 20400,
garante-se ser verdadeira de Hollanda.
Cebollas a granel a 640 rs. o cento.
Canella a mais nova do nosso mercado a
10000 a libra.
Alfazema o que pode haver de melhor neste
artigo a 280 rs. a libra.
Phosphoros de seguranca individual a 20 rs.
a caixinha.
Papel de embrulho muito superior a 10120
a resma.
Vinbo da Figueira, o que ha de melhor a
40000 a caada.
Inos pira agua a #000 a duzia.
dem em barril muito superior a 5oo rs. a
garrafa e a 4,000 e 3,8oo a caada.
Araeixas francezas em caixinhas de 1 '/* 2
e 3 libras elegantemente enfeitadas com ri-
cas estampas na caixa exterior a l,3oo
l,6oo 2,ooo e 2,5oors.
dem em latas de, 1 r/j e 3 libras a I,4oo e
2,(too rs, cada urna.
Figos de comadre em bauzinhos de folha
muito proprios para mimo a I,too.
dem em caixinhas a I,4oo rs.
dem em caixinhas ermeticamentc lacradas
e muito bem enfeitadas a 1,80o rs.
Idem a 2oo rs. a libra.
Passas de carnadas as mais novas que ha no j
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,000 rs. a
caixa.
Sbulo em latas ermeticamente lacradas a
800 rs.
Lagostim em latas grandes a l,4oo.
Savel, corvina, cherne, vezugb, peixe espada,
prer 'os pela primeira arte de cozinha a
a !,3oc >. *-
Queijos flamengos chegados no ultimo va-
por a 2, loo rs.
dem do vapor passado a 2,2oo 2,ooo e
1,800, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
Doce da casca da goiaba caixes grandes a
600 e9oo rs.
Chouricas as mais novas que ha no mercado
a 48o rs. a libra.
Chouricas mouras encommenda especial nos-
sa a 5oo rs. a libra.
Prezunto verdadeiro de lamego em calda
de azeite 5oo rs. a libra
Marrasquino de zara a 72o rs.
Licor francez de todas as qualidades em
garrafas de vidro brancos a 72o e 800 rs.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que tem viada ao mercado a 72o e 800
rs., eem caixa a 7,5oo, 8, e 8,2oo rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol e
outros a 800 rs. a garrafa.
Conservas inglezas sortidas e de urna so qua-
lidade a 800 rs. o frasco.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
Gomma de engommar muito alva a 80 rs.
a libra e 2,2oo rs. a arroba.

Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 16o rs. a libra.
Sevada muito nova a 12o rs. a Hbra e 3,2oo
ss. a arroba.
Macarro a 32o rs. a libra.
dem e talharim o mais novo que ha no mer-
cado a 48o rs. a libra.
Aletria a 000 rs. a libra.
Arroz carolino a loo rs. a libra e a 2,8oo rs.
a arroba.
dem do Maranho a 12o rs. a hbra, e a
3,000 a arroba.
Caf do Rio o mais superior que se pode de-
sejar a 32o rs. alibra.
dem a 28o e 3oors. alibra e a 8,2oo, 8,4oo
e 8,7oo rs.
Velas de carnauba refinada a 32o rs. a libra,
e a lo.ooo rs. a arroba.
dem de spermacete a 64o rs, a libra.
Chocolate hespanhol e francez a 9oo e 1,000
rs. a libra.
Dito em garrafas grandes de superior quali-
dade a 10500.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
'*. a gnala.
Vinho do Porto em garrafoes de 5 garrafa*
por 20500.
Dito dito engarrafado a 10 e 10200.
Dito lagrimas do Douro a 10400 a garrafa.
Vinho branco de Lisboa a 720 rs. agarrafa.
e 50 a caada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, e a 450f>
a caada.
Previnc-se ao rcspeitavel publico que todos os gneros cima sao de boa quafc-
dade, e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annunriados.
AGENCIA
DA
FUNDIClO DE LOW-MOOB.
Ra da Senzalla nova 11. i2.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
I All LO
fiua do morim r?. 43.
Vende-se farelo de Lisboa cm sarro
rom 'JO libras, |h-Io barato pre^o ilf t.
Bolaxinha ingleza a mais novas que ha no
mercado a 2,ooo rs. a barriquinha com
I arroba, e a 24o rs. a libra.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
res.
dem em latas grandes, proprias para lunche,
com5 a 6 libras por 2,4oo rs.
Marmelada imperial do fabricante Abreu e
outros conserveiros de Lisboa a 8oo rs. a
libra.
Estrellinha e pevide muito nova a 4oo rs. a
libra, e a 2,ooo rs. a caixinha com oito
libras.
Cha perola muito especial chegado neste ul-
timo vapor de encommenda particular
nossa a 2,8oo rs. a libra.
dem huxim muito superior a 2,7oo rs. a
libra.
dem hysson a 2,36o rs. a libra.
dem hysson a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
dem preto homeopathico e muito superior a
2,ooo rs. a libra,
rrutas_em calda de todas.as quahdades a Idemnacional a ,,6o0rs. alibra.
oors.
Ervilbas francezas a 5oo rs. a lata,
dem portuguezas a 64o rs. a lata.
Massa de tomate a 64o rs. a libra.
Amendoas confeitadas a 7oo rs. a libra.
Mtat de caSca mole a 28o rs. a libra,
Ajelas a 2oo rs. a libra.
Batatas muito novas a 8o rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e de todas as marcas, como sejam: sus-
piros, havanros, messecipes, regala im-
perial, flor das mattas, primores a 4,ooo,
Moo, 3,Soo, %ooo, e 2,8oo, 2,5oo,
2,000 e J,6oo rs. a caixa.
4i, ee 11 sito t
Vende-se ral nova de Lisboa : no largo lo Cm-
raoendas para engenho, machinas de vapor po Santo, cscriptorio de Manuel Ignacio de Oto
e tachas de ferro batido e coado, de todos os. ra & Filho n. 19.
tamaitos para ditos.
Alados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C,
roa da Senzalla Nova n. 42.
IIua da Senzalla n 42.
Vendc-se, em casa de S. P. Johnston sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
ROUPA
Na rm do Queimado n. 43, esquina que
mita para a Congregacao ; pechincha.
Paletots de casemira a 5, 6, 7, 8, 12 e 1*5000,
ditos de panno preto e azul a 9, 10, 12, 16 e 18#,
ditos sobre-casacos de panno muito fino por 24 c
28^, ditos de alpaca preta e de cordao a 4, 5, 6 e
Si, calcas de casemiras de cores a 6, 7 e 8t,
tas pretas a 65O0, 8,9 e lOJJ, paletots de fustao
e gamja a i&, 25800, 3 e 45, calcas e colletes de
todas as qualidades e por preco muitq barato, len-
coes de puro linho a preco de 25800 e 35, cober-
tas de chita a 25240, collarinhos de linho puro a
600 rs. cada um, e outros muitos objectos que s
vista ; e para isso se pede a attenco dos fre-
guezes.
Cal de Lisboa
Cal virgem chegada non tem em am-oretas mm-
to bem acondicionadas e por preco comiMio ao
amigo deposito da ra do Trapiche n. 13, xrmm
zem de Manoel Teivira Basto._______________
Poassa da Kassia.
Acaba de chegar pelo brigue hamburgivz
Olto, muito nova e superior; ven>
mente no antigo e acreditado tV|M>sito na ra*
da Cadeia do Recife, n. 12; onde tamben se
vende cal de Lisboa muito nova e prep
commodos. _________
Potassa da ltn>fa.
Acaba de chegar no navio (/w mais superior potassa da Russia. vend
prego commodo : no largo do t!orpo Sanio, apeno-
torio de Manoel Ignacio de Oliveira & FiB. fe I*
Kua da Senzalla tia i. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tarta *
ferro coado libra a 110 rs., idem de law
Moor hbra a 120 rs.
tom negocio.
Vende-se urna taberna com poucos fundos e bem
areguezada na freguezia de S. Jos, o motivo da
vena se dir ao comprador, tambem se d meta-
de a praso: quem a pretender dirija-se ao pateo
do Terco n. 12 que se dir.__________________
UARDAIA-
Na ra Direita n. 53, ha um uniforme completo
para guarda nacional de cavallaria, composto de
fardo rico, caiga, barritina, ele, e pequeo uni-
forme com espada, etc., sellkn inglez, etc., tudo
novo, que se cede por commodo preco. Tam-
bem na mesnia casa existe urna armacto de loja,
propria para qualquer estabelecimento.
tara engenho*
Vende-se urna nwia monada de ferro nova com
rodetes do ferro, parafusos, bromes e todos os
perteaces para nioagein de canna, assim como 4
taitas de ferro coado de 5, 6 e 7 palmos de becca
por meaos praco que em primeira mao : a tratar
com. Antonio Gapaes da Caoba e Silva na ra da
adefado Recife n. SO. ^
ESCRAVOS rHDOS.
Sodia 7 de agosto torrente f.igio
de minie Lino, ci ionio, de idade nuc re
aunos. |K)ucn mais ou menos, barbaii.
e feio, puxa um punco pelo quarto direito (__
anda, levou camisa de algodao liso, purea
i'oiii |>unho imitando o de jaqueta, calca ile atpt-
do de lista, chapt;o de palba preta. lem ofl >
serrador : quem o pegar ou tiver noticia Mr.
leve ra da Praia de Santa Kita Nova a. 49, tam
onde mora o Sr. Joau Caetano Je Abren, qae sera
gratificada______________________________
~ESCRAVO Fr.IIM
1009 de *ratifr>.
Contintia fgido desde Janeiro o mualo
Rayraundo, natural do Ico, estaiora
de 18 anuos, caneca chata, cabellos
testa grande, rosto oval, com urna tisaA
esquerda, macaas salientes, denles lii
dos, bocea regular e principio de boro, ps e
pequeos, costumava andar calcad
se livre : quem o apprchender dirija-se :
Cadeia do Recife n. SI, a Luiz Aliona
que entregar a referida gntflcaeao.
Fugio na noite de 27 do
lata de nome Ray monda, alta, cara
la com o cabello cortado rente, ~
de cuna com urna cicatriz um
com falta de dentes na frente, levando
no pe e ama gai
tem o costme de
ajMttr leve-a a sea
Barren Falcao que sari
V
^^
mm j *



->
Diario de 1
imbuco
-i
meiro golpe. Roigiasorriu-se de compaixo; o
que se nao fez pela manhaa, far-se-ha noate : e i
noute com efTeito elle estrangula na cama o bastar-
do do rei de aples.
V
Cesar quera conquistar um reino para fundar
urna dynastia. Recruta os tres principaes condot-
urna tinta de rapariga
gia mesmo dos pais
era urna vacca, urna caria, dous porcos e tres du-
cados. Mandava para asVias colonias militares de
Brandeburgo as polacas deVias familias, e as casa-
va por ordem regia com vetanos reformados. Fa-
it^iida Mr 81 e 4goio e lti.
Beningsen, dando cial em pro d.
casadciras. Frederico exi- perdidos; o homem safoa-se
t, cujo mnimo fixado com e imperador acocorado na chamin, respon
deu : < Est al. >
E ludo foi dito.
zia descaradamente o traficoVJe carno humana, o
. tieri do sea tempo, e, frente de suas tropa?, ataca trafico de inullicres brancas, \ luz do sol do XVIII
LITTERiflBtA:
O erlme.
Vital Polonia '.
(Goutuuacao.)
IV
O sen perneado era urna ceremonia religiosa :
orabellerciro era o sacerdote, e elle o idolo. A nia-
gcslade do idolo depende sobretudo de sua impe-
netrabUidade ou tacituruidade : Kaunitz na sua
poltrona conservara urna mascara impassirel. e' fazer a partillia promettda com os seus tenentes.' cao A Prus
Kf ^^J?7' ,faZa" !7- mn0Syl' .. TSSf dCSe;'am C *S" coa^ls-. M e unta Parte da Grande Aph a Aus- se aple*, quizesse resta belccer a Polonia, queit.
labos. Cada pala\ ra cabida de seus labios era um; lador da Romn/ aguado no meio de sua conquis- ,ria apanbou toda a niargcm csquerdaW Vstala e
'' |IU0 I,a- Ce,arv nnforia com elles promette-lhes parte urna porcito da Volhynia ; a Russia rou a sua
- 4iepQda liturgia do perneado, elle pasma por, da presg-; jurase de parte olvido do passado.' fronteira desde a nascenca do Wilia at% -Niemen,
a Cesar Ifcs marca urna entrevista em Slnigaglia, re- e desde o bolbo do Roreziua at o DaiaWr- S-
celos nessoalmente as portas da cidade, abraca-: queava-se um povo e o partilhavam como Apta de
ds e Ibes faz muita festa... I gado. E que fazia o rei de Franca no entanftV? Fa-
0 czar cessra de reinar.
VDI
Napoleao entra em scena: a Europa est debai-
xo da sua espada; sem davida elle vae resuscitar
, a Polonia e colloca-la como atalaia da Franca no
(.omerano, Faenza, etc. De cada vez que tomava sceulo. Esperava assim ronstraWger a Polonia a llie; Vstula. Tinba dito : Se em vez de Luiz XV
urna cidade por assalto ou capitulaoo, degollava dizer um da : Toma-me debido de tua protec- fra eu o soberano a Polonia no liouvera sido de- independencia dos povos e conlra qualquer ex-
rogujarmente o senhor ou o chafe da cidade. Dis- cao. \ cepada Cuinprfi ^^ ^ ^ -
| o que lbe nao lembrava era E como a Polonia, hesitasse, elle\noz em licita- bargar aquella partilha, Luiz XV teria de entrar
por-se que um
raga negra, quiz
eseravidao ?
A philantropia
sempre um pensante
urna linha abaixo da
dor Alcxandre insoria
! poz em licita-
amou a Prus-
em guerra com um exercito desmoralisado. Mas,
passo que dar os lacaos cjacu+avaaiem caden-
<'h, por tima de sua cabera, urna nuvcm de pode
lyrioque recahia sobre os cachos de sua rabelleira. | Apenas puzeram o p no eu palacio, elle os'' zia o caf'da Dubarry.
hste Geronte da diplomacia dizia urna vez sacu- j manda amarrar e na seguinte noute o carrasco os
dindo a renda dos bofes da camisa : A natureza enforca.
leva um secuto a produzir um homem como eu, e Cesar matou, mas reina. Subiu, cadver or
Porm o
A Polonia insurgiu-se, Camarina soltou sabr
o impeda ? A Austria fura destrocada em Un, a
Prussia anniquillada em lena, a Russia desarmada
em Friedland.
Um fat da sua Vontadc bastava ; disse"
t Faca-se a Polonia e a Polonia se'
Nao o disse. Porque ? A bfaorin
sobre este ponto. ^
& elle :
.ria.
anda cogita
o/ia escravaria. Como sup-, seU povo. Era assim qoe \\
no, ralado de ternnra pela ,jia a santidade do contrato. V\
condemnar a raca branca | A Polonia entretanto fazia \,\
pela constituo: reiviadicat
ca do despotismo esconde ,ie. Nicolao respoadeu a recta*
o de oppressao. E, pols, ,.|0 ao mando de PasWiert**. \
do tomo de Soowarow. Apa na*
roica. a Polonia suecumbiu : Pa?
Varsovia de assalto. Qw ***" *
depois ? Ninguem o pode saber : o
do : a ordem reina em Varsovia.
Quando Nicolao varreo a tas
urna obra nao ronhecida ale ab
um povo inteiro.
O camponio ruwo. entre Mr
na sua cltora, otivia > miudo
li^ao do trafico, o mpera-
m contrato de seguro mu-
tuo entre os soberanos conra qualquer tentativa de
com a natureza;
d6r.
haver assegtt-
o sempre. E
gencia do constituirao. Dizia n[|e a0 tempo : Nao
has de marchar, e aoJtomenV: iNao has de pen-
sar. Entra va cm rebellao fran
estendia a Europa em um leilo d
O congresso de Vienna acredt
rado o repouso do mundo por, t
t) Cao tinha tf gado a penna, j slbva por toda
a parte guerra sur 09 paz inquieta ^logocfi se-
guida revoluoao, con(ra-revolii^% mediaran, in-
tervencao, luta do direito com o faci, o fado ven-
cido pelo direito, o direito supplantado pelo facto,
hostilidade dos povos entre si, ou dos povos com os
Em vez de paur ella um chacal, chamado Dreuwitz, que mai^lava' precisa op{#*rtRussia, elle a trolou com toda a KoveTn08 5 c,iaos em summa. a anarebia em estado
orgnico sob a vigilancia da Rnssia!
O imperador Alcxandre, diplmala da escola de
Frederico, qsizera, no congresso de Vienna, festim
de reis, onde se devoravam povos: quizera, digo,
de caso pensado e com urna vclhacwia revestida
de illurainismo. organizar a discordia, a miseria, a
; que era" ultima vasca da agona : atrou-se um su- sia vae entao a Petersburgo. O Om de^ta viaeem
SllLae!TT^ r^Bor!i?. Ti"ha.31 **T0 sobre esse ca,taver e a EurPa isca^ gra- (*z Coulaincourt em estylo li?re de soldado) nao
na seculo seguinte descansa.
Ora, decdiu elle um da, na sabedoria daquella
cauoca orapoada e perfumada, que a Polonia devia del, convida-o a ceiar, contando com um rinho
dosapparecer da carta da Europa. No assedio de; delicado que guardav para estas cirenmstanrias.
Vienna a Polonia tinha salvado a Austria ; porm A' sobremesa o papa engana-se da garrafa e enre- ve^ ^ sangriaSjdobrou a cabeca. Aereditou-se I poder humilha-la impunemente." A rainha da K
mas roina. Subiu, cadver por cortar o panho dos vencidos, lam depois assim mu- brutalidade do Va victis. Quando a raiuha da
cadver, os degrus do sua grandeza. Pernt o tilados derramar o terror. s vezes elle os esfola-! Prussia apresentoa-lhe urna rosa em TilsMt e lite
^A^S^a"do.?!],?,^JteJm^fl^.^-,van vida, para que a pelle lhes servase de tra- disse: Em troca de Magdeburgo! Napoleao
jo polaco. I roltou o rosto para outro lado. Mas, depois de ter
Era de mais. A Polonia, j mo tendo sangue que engrandecido a Russia, elle julga deveT, elle julga
a melhor raaneira de pagar um beneficio tirar a nena-se com o seu proprio veneno,
camisa ao bemfeitor.
MariaTl.erezaagradou-sedeste raciocinio, e noz' mhabildade de estar doente t Que feito do seu ,
a sua assignatura em baixo da de Catherina, a genio, que o deixa estar doente em moaentos desta sinj.
quem tratara com soberano desprezo. ordem Qual o genio I eu o desprzo r Cesar nao yg
Compre aer justo : foi Frederico quem tere a; sabc *a o^io. A Polonia, no entantot viva anda. Koscusko
iniciava do attentado contra a Polonia. Quando ^^'^ nomear outro papa. Como gonfaloneiro ihe opra um intimo sopro de energa patritica
troco tinha elle profundamente es tildado o systema! da egreJa-Gesar ,cm a Prda do conclave, pode e ena ^ ievaota e arroja.^ SOore a Rugsia Ma]
de Machiavcl. ; pesar na eleico com todo o peso da forca armada, Catherina Ihe poe em frente Souwaruw. Era
Ora, Machiavcl escrevra que um crime, desde e minga para eleger... a quem ? ao nico papa joudo furioso
que 6 feliz, est justificado ; que fazer bem s Perigoso para elle, o bilioso Juliano de
rere.
Julio II manda encarcerar a Cesar Borgia na^ci-
Machiarel lsongeara o papa ou o calumnia va1
pelo bem babozeira ; que, desde que o fim patro-
ciaa os meios, lodos os meios trazem com sigo a
sua defeza ; que governar mentir, e por conse-
guate a f jurada s compromette o poder at a
medida Jo seu interesse ; que todo o segredo em
summa, da sabedoria do estadista est uesta pala- Se^?.f!ZTam_an(,a' hSo de faze"'0-'
vra ousar, contanto que se sustente a audacia
por meio da violencia.
Em apoio de sua Iheor.i, Machiavel citara, com
delicias, o exemplo de Cesar Borgia.
Este Cesar era em verdade o mais refinado tra-
tante que reinou em um canto da Italia. Sua vida
urna colleceo completa de sceleradez : nenhu-
ma abominacao falta a esse cdice. Merece o pri-
ir.eiro lugar no Pantheon do crime.
Quem rtiio viu o seu retrato na galera Borghse ?
D>; quem qur que fosse o pintor, esse retrato
unt? obra prima : mais do que um retrato,
um mysterio : a rainha rein passar a noute com o
ezar.
Ei-la ah, essa rainha, sabindo, orno urna Venus
angustiada, d seio de um ocano de aflliccao. S*
freo tanto desde o drama de lena me anda con-
serva a pallidez as faces. Passa militas vetee a
um [ mao pela testa, cerno para repellir urna visao. Ei-
" ganhar nma' victeria. Jantava hora do almoeo. ahi vae com o desalinho terrivel da belleza que co-
c o seu jaotar eranm feixe derabaos e unta garra, nhece a sua forca. Eevana cintura a rosa despre-
fa de agurdente. O seu trajo- era a Keyserlick, zada de Trlsitt :'sorrium sorriso rairo; masaauel
dadella de Ostia. Algn, lempo depors Machiavel com um atqMB + couro na c^ Xs TCMs ,a rosa clama v
escrenaa Senhor.a de Horenca : Dizem que o desp.a acamisadiante do exercitbe catara o-cor-
duque fot atirado ao T.brc creio firmemente que, ^ com toda a, pin**, no meio do seu estado-
maior.
aquel le sorriso ?ncerra
urna tempestade.
A cada passo que d, a cada ondulaeao di seu
I vestido, a trra treme como se perder o ermili-
scentificamente. Julio II leve a indulgencia de en-' /T "S T"! '""* ^"f^l 5 Cm ?T 11*-5 C ^a," dCSfila umexerei, ""b *
.regar Cesar Borgia a Goncalo de Cordova, que o SZVi!^ 7 'r^*'' ^ cxerci,0*m
' e. Diziadepws* sens soldados cora ares de son: rae em sentido- inverso. O-requebr dos ollios
Lembrem-sc que este anno os vveres esto azues de urna mulher tinha ord^iado
remetteu ao re de Hespanha. Mais tarde urna ba-
la anonyma desembaragou a ltumamdade de seme-
Ihanle monstro Tal foi o remate do aune feliz.
Quando trumphante, dissera Cesar em seu covil
de Simgagla : iS os mortos nao incommodam
mais. Com effeito, o covero aprofundara escon-
drijos para os assassinatos de Borgia. S a reir
que se arripiara, ao vento da noute, no esquecido
combro tudo pareca lindo ; mas l vem um dia
como luto da consciencia.
vae enrequecend"> : o exerc russo e:tt senhor
.ffl typo. O homem ten, nao sei que belleza sata- em que 0S espec,ros sahem da "^ escfa'" seu d* arrabalde, B e o que far e*o ?
nica, o olhar sombro, o nariz de gancho. Sua mao'assass,n0 passo a P880' e em ^ ,,,v' lhe sus-
flna, aada como urna lamina, respira toda a gracaf surram nome de Silu8Klta.
do assassinato. Traja como um fidalgo da poca Ncnhiuna compaixo para qnem jamis se apic-
do renasemenlo, gbao preto, fechado no pcito, dou dos outros Cesar desaparece, levado pelos
fantasmas de seus crimes, e o seu nome hoje nao
passa de un grito de horror.
VI
Para que evocar esta sombra e o systema de
Machiavel ? Tudo isso, dizcm, do dominio do
passado. Nao. Tudo isso do" dominio do pre-
sente,
t Nao vos lembra (dizia Luiz XVI ao duque de
Esto homem o crime desde o berro; o crime
antes de nascer. E' o filho de um papa e de una
b.irrega; seu pac o noma arcebispo ao dcixar as
faxas da infancia, e pouco depois o eleva a car-
dea I.
Mas, como nao se pode collocar a purpura sobre'
os hombros de um bastardo, fabrica-sc-lbe um pae j
o azues de urna mnlher tinha ordenado : um mlKSo
de bomens iam morrer. Eutretanfoo exercito rus-
so marchava sempre cm retirada; Alcxandre que-
ra altnbir o exercito francez para a emboscada
d Moseow : o acampamento de inrerno se cea*
vertira em grclha ardente.
Da execucao deste plano do desespero encarre-j
gnu-elle a flor do typo nacional, o celebre KutusoH.
Er." um homemzarre- de 70 anaosr com urna bala
na eabeca, torto de um- otho e ceg do outro Quau-
Quando a aragem de manha dissipou a fnmaca,
jaziim ali, entre- homens e mid&eres, 20,00 cada"
veres.
por alto proco, o que, traduzido barneta, signi-
fica va : Nao dm quarlel: vao matando, para di-
minuir o ntunt m dos cons-tunidores.
Souwarow marcha contra Varsovia, assalta o ar-
rabalde Praga ; eombate-se com furor de parte
parte, o campo 6 batalha fta envolva em urna
aovem de polvoaa, deiois o estrondo da animara
do Kutusoff foi despedir-se de suaTmiflier, disse-
Ihe: Ou roltarei vietorioso ou no nos tornare-
motra rer. Depois-beijou com voqo o assoalho
falsificaciio dos assento
paro-1 Vendme, mostrando o palacio de Versailles) que! Souwarow. para fazer a ceremonia da suaf ep
i harta acola um moinho ? Sim, magestad^-^res;' eao. pz as cadeiras de sua salaem fileira : Pas-
Souwarow mslnoa os labios-cora a lingo* catoar um Te-Detan. na cathcoral de Varsovia. enanca.
Catherina o nomeou feld-merechal e mandou-Hte Ae-cabe de um mez, Kutusoff M> a batalha de
nwa cora de kmros, cntrelaeadoscom peoras pre- Borodno: Napoleao-entra cm Moseow.
quando a sua vea chegada. Nao sei preterir a ninguem: nao sairea, pos, quem ros nom-a-; sois de gelo; marcha cbi desordem e alimenta-se da
vos mesmo qne ros nomeastcs-feW-marechak' eon- carne de seus cavaltoe.
quistando a Pta>. E ^^ cs|e [Im|, de extreit0 dvaga ao
acaso, ao paludo luardo que se chama sol da Rus-
sia ; quando esta sombra de exereito morre ao fri

ao sei
irtdo.
Que era necessario a Cesar para reinar tamben, ?
Transferir para a sua cabera o direito de primo-
vira.
Rem. Fina noute que o duque de Ganda c Ce-
sar Borgta liaviam ceiado na casa de suaniae, a
celebre Vanozzia, montaram cavallo para volta-
rem juntos para o Vaticano. Cesar chegou ali so-
rullo, l'm barqueiro que velara vira ao clarao da
i ni eayaJIeiro descer at margem doTibre
com um cadver, que foi arremessado para o nieo
Ja torrente por
corla.
-O papa chorou secretamente a morte do seu pri-
mognito i nao procorou saber o nome do culpa-
do ; sabia-o de antmao. No dia seguinte Cesar
Borgia, desembarazado da solaina, tomara o titulo
de duque de Valentinois e de porta-estandarte da
egreja
Sua irmaa Lucrecia (nha-sc casado com un, bas-
tardo do rei de aplos, chamado Alfonso. Este
t eiro marido da.'iuellabcldadeperigosa hesitara
en, tomar posse da sna felicidade. Entretanto rem
a Roma, e um dia, luz d sol, cae apunhalado no
lmiar do Vaticano. Anda nao morre deste pri-
legitimo com a
ciiiaes.
O novo cardeal acliou o s^- lio humilhado ua | pondeu o duque); mas, se.qmoifltelsappareceu,' > por cm^falano (disse elle, citando o nome_ c a ftme, c, fechado era vua circulo de ferro pelo
aotaina. Tinha um elho, o Lriuc.'.e 'fint0 ain"^" ""- s''- j de um marcebal f&l*a4o per cima de uiaacadei- exerc-to inimigo, obrigado cada dfct'a romper ca-
de Ganda, nirhnjfitii ..... ^ J; aa0 st-i Pode-se dizer o mesmo de Machiavel : seu so- ra,); passo pircima de sicrano (cpbu-dtra minho for?a de armas, a rainha da Prussia
pro reina sempre. oadeira I e a&um de cadeira om-x-adeira, at -ge- contempla com o pensamento a grande- hecatombe
O grande Frederico dgnou-jC cm verdade refu- tar a lista do-- raarechaes inscriptos no ahmnatla franreza. Depois, affastndo do peito a Ma pellica
tar o livro do Prnxcipe, mas segua a nspiracao que Russia. ^ di" invern, e poado-a assin ora. communicacae
Machiavel Ihe dera ; porque do fundo da alma peo- Tcndo aeaJdo destas cafftiolas. o sanguinario coro o ar livre, exclama : Alflre respiro'. Estou
sara em imitar o Principe c combatia-o para dissi- palhaco revesttu-se com o lilao de Santo. Andr ringada
mular o plagio. Ajuntava o nico capitulo que-diante do ,u espelho, fazendo .regatos e mo-' 1X
faltava obra. -Elle cospe no prato smente para mices. A Ross.a pagMMem Pars a visita que lhe fba-
que os outros nao lhe toquem, dizia Vollaire. Kis o homem que con.iuistra a Polonia, o bo- ^ cm MoscOT4. Napoleao, abandonado do seu
Frederico nio assignou a refutacao de Maehia- mera a quum a Rnssra cbanaa de here 'cortejo, abdica cm Fontaineblta.: O imperador
re: contara com a indiscrico do editor. OH- Quando Kosciusko cahiu traspassado, no campo Alexandre contina surdina a tradicao de Ma-
rro de Fredirico fez rpidamente fortuna : aEuro. da bataJiui, ouviu-se urna, voz que djaia.: Fins Po- ebiarel. Mas, quando este liberal de romance quiz
! hombros-largos de sua es- pa applaudin o regio escriptor, proclamaramro pbi- /0)ll>. p0r a Europa.eui |cila0 c cargar a liberdde,
losopho coroado, e elle repella aos seus ntimos : sim;: a Polonia pareja terchegado-a senderra- cliamou ero apoto desta obra,tenebrosa, nao j a
Eu e a philosophia d'ora avante reinaremos a deiro lance. \ phfloaophta, como Frederico. mas a religiao, todas
meta. Atgum lempo depoi* Paulo I sueoedia a Catheri- as religioes em barda : a religiao grega, a rehgiao
Depois'de haver adquirido a fama de principe na; mas o crime di nascimento-ao crime ;xt as.' catholica, a religiao lutherana, fundidas para a
amigo da juslica, Frederico apossou-se da Silesia, sassinato contagioso. Tinliara, assassinado um emergencia en, coinmunhu, universal, fahrieada
Escreria como Marco Aurelio c pwtava-se coaio povo; assassinaraw.orci por sua. vez. Umdos.fa- por u"1 celebre areulureira.
Cesar Rorgia. cinoras, Reningsen, dizia tempes depois a urna.da- Fezosigual da cruz no eabecalbo do tratado de
Cubicou ao envelhecer urna paste da Polonia. O ma do seu conheeimento : t Faze-lo abdicar e.in- Vienna o invocou solemnemente o Verbo feito car-
ducado de Posen arredondava agradavetaieute o dispensavel; porm.mata-lo mi urna porqudade. ne. bem como a Santissima Trindade. A dploma-
seu reino. Ordenou de lempos a tempos excursoes E, no entanto, (observa de Maistre, referino este: ca em tempo algum havia assistido sessao egual
na Polonia : suas tropas roarulavam a popularao dito), fra elfe um dos setc porcos que catraram de eatechsmo. Em seguida elle fez c-m voz alta
oppressao, a anarebia da Europa, excitando, por
urna partilha de territorios |terfldamente calculada,
a nvalidadc da Prussia contra a Austria, da Aus-
tria, contra a Italia, da Dinamarca contra a Alle-
manha, da Relgca contra a Hollanda, e de todas
os nafdcs contra a Franca, a pestiada-mr da
rerolueiio.
Constituir a Europa em um p de sobresalto
perpetuo nao era asss;' a Russia declara air.da
titsus bell a mais simples mudanra de regiment
ca, qualquer estado.
Com-a mao sobre o Evangplho jurou Alcxandre
que, se alguma nacao. fosse qual fosse. remola ou
risraha, onsasse instituir un, governo constitucio-
nal, havia de trata-la como a una provincia rebel-
lada doscu imperio.
Qtiatro annos depois do congresso de Vienna, a
rerolu^ao rebenta am aples e'proclama em se-
guida unta constituidlo. Alexandro reuue imme-
diatamente em Laybach as potenciarsignatarias do
congresso, e. em nome do Verbo feito carne, intima
Austria que \, cerno primelro csTf'policial da
santa alljanea, resfaBefecer o desp^remona baixa
Italia. A Austria obedece, e a dynastia- de Bour-
lionpde, de hora arante, matar, encarcerar, pros-
erever e reinar em paz-: nao ha maK> que temer
das quadri litas esfarrapadas de S. Januario.
Outra revohreao IrberCt a Hespanha do regiment
da inquisico: o imperador Alexandre faz um ac-
eeno Frana. como ao-seo segundo eorpo de po-
cia. e a Fraoca rae cent suas maos al-afur a sua
propria consrftiicao na Hespanha.
Cada victoria nossa'nas margens doEbror-
ama derrota- para a nossv-potria,. disetra- Ro>vr-
Oollard. Tendo reintegrado o absoluti --n m-h> Ma-
drid, a Franca ^enxugou a espada ea em?>ainh9u de
aovo.
Mas. de imparten, o 'Mstico pontfice da- santa
itfcinca cae en insteza negra, definhit e morre.
sem que se po*a saber aocerto de quo moles-
Sa. Que tere elle? A Ifxloo instante rolla, o rosto
para o lado, como se ftaa*M continuamente um
ftmtasma a importuna-la Mas o i.mf orador Alc-
xandre podi: -responder oomoAlacbelh- sombra
e Banquo : Ao menos-nao jides dier que fni
eu quem o praticou. Giti effeito. efle-nao tinha
assistido pessealmentc a assassinato-de sen pae.
ao tinha preparado non* aperlado o laeo: em
quanto durou a exerurio conservo! s< atraz do
bastidor. Mas na manhaa sguinto err rol v- av>
istiou o assassinato.
X
Sobe aoillrono Ncoiio-; sobe por entre sangue
Con, que direito ? O primognito era seu irtnao
Constantino; Nicolao era Qlho segundo ; a legitimi-
dade admitte esses echuses, quandojnao- sao arran-
ados pelo povos.
O novo- soberano contina a polifila de- Alcxan-
dre com o seu temperamento de eapitao de coura-
ceiros.
A Fiinca tcm de aovo a sua ipiraiao de 89 :
expelle a dynastia de direito diviuo. O primeiro
impeto da Russia combaler a rcvoluoji de ju-
lho; mas, emqoaatoas duas nanees semedem com
os olios, descansando o cotovello no cano da espin-
garda, a revolucao de julho repercute em Varsovia. I s\m|>aihia de nouic qucao maadar C
i ra o Rosphon,. aiim de >nb-4inir o gri
inlii-l rircumstso. quatiiU uhiio diaao it
m
valida para encorpora-la violentamente no exercito no quarto d imperador. Quando Nicolu Zuboff s-us protestos de amor do prximo, e no preara-
prussiano, e derramavam pelas ctdades e aldeas abriu as cortinas da cama e exclamou: Estamos' bulo da santa alliana inrroduziu um artigo espe-
FOLHETIM.
lAiiiiiRiio:
roa
UAIRICIOSAND.
rerceira parte.
(Continuado don.0 197.)
A historia que se vae lr. posto que contada con,
a rapidez do improviso, e logo depois cscripta ao
correr da penna no iornal de Marcos, pareceu-me
principio bastante longa para ser collocada no
ncio da narracaa dos acontecimentos da sua vida,
epor isto guardara-a para o fim: mas o.meu ami-
go foi o proprio a observar-me que a continuado
desses acontecimentos tinha urna relaco to direc-
ta com a fatal historia de Callirho, que era im-
possivel desloca-la sem deixar obscuros e inexpli-
caveis os terriveis resultados, que ellaproduziu uo
sen espirito e na sua conducta.
Foi por conseguinte a 25 de setembro de 1852
no castello de S. Joao, que Marcos Valery contou
sna familia e s Sra?. d'Astafort a seguinte histo-
ria, tal qual a encontr! consignada no seu jornal
debaixo daquella data. *
Ihador, nome esse cltico que talvez se pronun-
ciasse Kadow. Vestido de pelles, coberto do forro,
conduzia elle o pesado escudo de seu am, escudo
triangular, cujo emblema era um cavallo preto so-
bre un, fundo encarnado, assim como tamben, a
sua lanca ornada de pequeas citmpainhas, cujo'
som servia para annunciar ao inimigo a approxi-
m-gava limidamenfe trapeira. e
das fras estrellas do polo entrevia
fiada de sombras, que marrhavaa pe-
lado do norte, escoltadas de rotaros
milhares de Pulaeos que Nirobo tran-portavjr pr,
a Siberia.
Este homem nao s quiz arraj ~p.j a
do slo, mas tambera ijueri des*. .*ar a
da alma. Granadeiros furam valos, par i
imi qnando menos, com approvaeo ma
pobre* religiosas a renegaren! do Heur de ua m
fancia a forca de pontaps ao rosto: r dept alu-
da foram vistos arraslando-as pelos >auIM
os lagedos e arremessando-a.' uas treva* le
casamata.
Nicolao g<*ava da sua crueza rom Dictfcuuai
Mac Aniava a sua imperairiz. Ireqururava a efe-
ra. atorara a dansa. applaudia A* Ixamen*- a Ta-
glionetquaiiiloalgum viajanteanaiiiado pajmn par
Petersfcurgo elle o aroihia coriez, e a? mam >
enfeitavaeomuma tinha.
QuanO- Poion, no *e tratara mais mm :
mais lranr|itillo remiterio nao havia
anno em anno l se savia as ca
una voz ir/mofona repetir A Pofci
ia porerer. i Coila*.-' desta vez jazia i
vi-lin.-nte no Tundo do innata e na mu tefe \
* esen-ver :
O mundo I do ctii.
SI
De ento em-diante Nieolai/ so mprefo
poiHicao terr?r S conneren a lt a
nacao o exercito. O resto pie
cM'Uantoque o resto pagas o mmmmm k>n
ma de seu cavallo'fita va o albos a Europa, e da-
r i cormwdava o rumor d aifeum estado vi ato,
mandara um ajudanl^ de easupo restabeWfr >**
lene:. Tinha a Iv'drcpnob e um dspota ^u
tra a-Hberdade.
prrmeira itotiria da rebotara > tWrrr
desembamlioii o sabir e disse > .*eo geuerae.
caraF.O. meas sentare-.
Qtuniio viu, porfJc expinoao de tVrereiro aba
lar todrit Europa, krooo a tt>itumnar abe*
esperH...
En pnmtu es|ierava, rcprrsenUMa opuuei e ni-
dos reis, de Agamcnnrwn do il-rertin.-roi. Esfuura-
lou a tciweao na AHeaunba. t^nmuabn a Nuu-
gria pt-.rii* rostas. Cada vez nvw general e>
iranpero-boailiardeava- a I? nma- ridadt ou
Ih.iva siguma n.nionaWide. wl
Nirolc mawtiva-lhi- |#'o rr-rrev lumi du r-
lenla condtxoranN-s a> -seu imperio, rriaufivri.
Hcyna'i. niosei quem mais tom ukwm mr-
cidade;-abrasadas e da> muMwr* aroujadaa i
lavara magestosamentL- peiti tar- 'antas i
ferit i?.perial da Riissq,
E cemtudo no meio da rirlora. sculia etb >
sei que mvstcriosa rm-Uircotia irbava a ',
estreita na imnM-nsidadedt ara frrit ter oojninho do mar olrada do Imperta di
mundo.-graeas ao var*r s a lielie: p. a umr--i^
fechara a Kussia no Jfc'.r Negro. |tiz elle erjn-
gir este erro de geognpuia.
l'owo agora (dizia. entar iortuna; dei rato *
nacao potara ; leniai.niiw a taro e^et^rer. h. mea.
a hotrwu, para urna trra de aide se ua* !.-
a dot! a guardar a um carrentro euns-iearhau.
clima da Siberia. leiiiu em ama uarao bramuu
de cuta s lage inlirii;a, ouifc ua oeo rra di-
que o rucar de iiiinl.-as espora e >>ude muer ubi k
vania a eabeca sen-io eu.
- A Polonia est marta : tenrt o brae N ve pur
este-lado para des.nrregar utro golpe, \uraa-
siTo boa ; devo :proveila-la um homem de ms-
nlia raea paira nuiito cima as miserias la aui
r';i'i |>ul>lir;i : c. ibtmais. a vi.-lhii
UM insolencia democratK'a e ku> zn-ro
I -ii.jiii u i la i! h '!> de iluta ju*+i-.b.
* Trnlio um illio segnnib de tmmr Cu
, tira, como entre Coostanriao o C

O imperador Alexandrc dtira, no congresso de
Vienna, una eonstituicao Polonia : letra morta.
Elle a dra, elle a podia rutina Itnirou-a com e-
feito na applicaeao. O poro (dizia elle ingenua-
mente) tem obrigacoes cctitrahidas para com o seu
czar ; mas 9-.czar nao tcm. obrigaeoes para ce* o
mos, por correias de couro cingidas ao redor das muita astuciosos! O bonito r-tas quando aos merendonas, e atordoavam-nos com os seus falla-
pernas. Do areno do sellim de [telle de urso pen-' pagan, em moda : a dar-se attencao ao que dizem, zes discursos.
diam urna outra machadinha de cobre com o cabo s toes vendemos pelles de todos os caes tinbososl O primeiro, que sahiu do grupo, dirigiu-se pa-
incrustado de estanho e um alfange. O seu caval- do paiz; e quando pesam as nossas barras de co- ra o nosso lado. Era um homem pequeo de pel-
lo preto sacuda os ornamentos sonoros das suasca- bre e de chumbo, roubam-nos sempre em metade. le vermelha, nariz proemillente, olhnhos prctos
becadas, e calcava com pes impacientes o solo ari- Se queris o meu cunselho encarecamoa tambera e muito vivos; os cabellos annelados escanavam-
do das charnecas que circundam as grandes fio- as nossas mercadorias. se por baixo de um bonet redondo que cppiava
restas d'Ar-Denan (Ardentes). | Isto l te perlence. Quanto a rajra, s vou a exactamente a forma da eabeca. Os hombros lar-
Atraz de Markek trotava, montado n'uma egua Uasel-Dun (a alta montanha : Issoudun) para as- gos e os bracos grossos nao tinham proporcao al-
iranca. o seu escudeiro Kad-Wir, isto o bata- sistir festa do deus sol, o radioso Helnos, o do- guma com o busto e as pernas finas. Trajava
minador dos nevoeiros e do fri do invern, e pa- urna tutuca curta de ccV amarella, que lhe descia
ra proceder eleico de um novo brenu. apenas a baixo da cintura, e caicoes 'mmesma
Tambera eu : entretanto so os mercadores cor. O mercador fez brilhar aoa_; ios col-
phenicios ahi estiverem, nao quero voltar Ar- laros e sedas luzentes como metalTe macas como
enan sem fazer um mercado rantajoso. as faces de urna virgem.
Assim conversando, eu e o meu escudeiro avis-' Homens poderosas t disse elle com roz leota
tamos a cidade, j cntulhada desde a respera. o fanhosa, estropiando todas as palanas da nossa
maco do gerreiro que despreza as emboscadas e Tendas, airas como cysncs aosl, sao levantadas lingua, e curvando a eabeca como um cscraro :
sornrezas. 'nas raias da sombra floresta; a planicie acha-se nada trouxestes de rossos matos de caca que quei-
cincoenta passos disUanle de ambos seguiam < colarla de gente : cavalleiros, homens uvros, raes trocar com estas cousas bonitas t
envolvidas n'uma nuvem de poeira as bagagens e mercadores, mulheres, meninos, carallos, bostas E o homnculo, piscando o olho com ar malicio-
as carretas puchadas por bois, acompanhadas dos de carga, rebanhos, carretas -vio e vem crusan-, so, e abrindo a enorme bocea para arremedar um
necs c cavalleiros da mmha tribu... do-se em todos os sentidos. Os sons penetrantes sorriso, fez rosoar aos nossos ouridos os seus col-
_Hein obserrou o Sr Desormes me inter"- das cornetas de guerra se misturara com o ntugjdo lares de alambre, e de coral.
tribu* Entao vinhas ah tam- dos bois, o balido dos carneiros, o latido dos caes,' Quantas pelles queres por teu collar de po-
e e rincho dos carallos. Tribus inteiras se apro- dras amarellas ? perguntou Kad-Aneitb.
ximam com msicas frente, c bandeiras 'desen-1 Mil [ respondeu o mercador.
roladas.
Os meus cavalleiros e o meu conboi reuniram-
se a mim n'um bosque de carvalhos : cravei no a arma sobre a eabeca do homnculo,
chao o meu estandarte para designar o nosso Mas este, continuando com o seu piscar de olhos,
acampamento; c em quanto a minha gente se oc- e sorrindo sempre, replicou :
cupa em construir cabanas de pelles e ramagens Eu disse mil pelos dous collares,
em torno das carretas e gado amontoados no cen- O Gaulez aceitou, o conduziu o mercador para
do. Na sala de honra, todaoruada de armase des-
pojos do cacadas, aahava-se um grande najunnlti
preparado e disposto, sobre urna mesa raleada.
Dun-Glan fez-mt-sentar no lugar de houa- desig-
nado por urna grande taca de cobre, eo|re elle e
sua esposa Hencua, joven bella e triguetra-, utas do
foruias um poueo viris, a (pial eslava, racamento
tratada. Presuntos de javali, um cabrito montez
assado, trutas da Titeis (a abundante, pao de fru-
mento, trigo cosido no leite. e anglicas prepara-
das no mol, compunham as iguarias do ban-
quete.
Saciando o primeiro apetlite da.fome a grande
tac;a comecou a circular de mao era mao, e os es-
cudeiros toman, lugar na mesa,
Quando as caberas se esimc-ntaram Dun-llan
abriu um cofro de carvalho gimrnecido de estanho.
tirou de dentro muitas caveiras humanas, c disso
dirigindo-se aos mercadores.:
Ser tambera costuroe no paiz dos meus hos-
pedes conservar-se as cabecas dos inimigos^
rompendo i tua
bem?
Que duvda! responden Margarida. Markek
era elle : nao era, Marcos ? ..
Disse por ventura que era eu ? Nao cri-
vel I Nao obstante admitamos que fosse eu mesmo.
melhor assim, acudiu Fanny em tora mo-
fador.
Mil ? Mais vale arrebentar-te o crneo com
a minha clava I exclamou o meu amigo erguendo
\
Ha dous mil dozentos e quarenta e quatro annos
no primeiro dia do mez de maio Markek acliava-se
cavallo no meio das vastas charnecas que nos ro-
deiam. Os raios do sol em pino cahiara prumo
sobre os tojos e giestas em flor. Dous doguesenor-
mes do pello ampiado, olhos inflammados, e gua-
las arquejautes pela sede de carnificina, corriam
adiante de Markek. As longas ponas de ferro das
suus colheiras de cobre brilhava ao sol como scen-
telhas.
l'm rhamava'se Dhu (o negro) e o outro Tan
(o fogo.)
Markek trajava um saiote rerraelho com hatras
pretas, sem cinto .e semelhante urna cota d'ar-
aaas ; sobre ellelevava um forte saiote de pelle de
amo : nnt iargo boldri de couro curtido, cober-
turas de ouro em relevo, sustinha a sua
da de ac ibrico com o punho de ouro
^WD como unta machadinha. O sen
capacetti le cobre, baixo e sem viseira, rematara
em dui izas enormes do mesmo metal adornado
de Pt^H
Um. collar de ouro denota va a insignia e sua qua-
Se o interrompes, tornou Margarida com im-
"ll^iSt^^S^tS^St SSdSS aidaTraprorisaaTfui procurar os meus as suas carretas afim c.uir o negocio
nisc. nefas do"nu espir m, que operou era rainf amigos. Outro mercador mats edoso, que o primeiro, c
nma mndanca comnleta cedi urna esnecie de Interpellado por uns, abracado por outros, en- mais rico na apparencta, encaminhou-se para nnm.
cnZTiaW^ eontrei finalmente por entre essa nultidao turaul- Vesta urna tnica comprda cor de laranja com
a nS d m o do circtUom uemc ttcnava. tuosa Kad-Aneith (o filho do combate.) listas verdes aperlada na cintura por um c.n-
Os faZs se m ^anresentavam memoria medi- 0 nosso breen Stor-Can (o abutre branco) to preto e largo; calcava cothurnos de couro
t^JMlSVTmSS^iSZ, foi mono por IU>l**gh (o chefe valente).Assira amarcllo; e cobria-lhe a eabeca um bonet verme-
osiar narrando pousanne via Sonho nhantasia pois todo o collegio dos druidas se rene afim de Iho. Dous escravos o seguiam, um dos quaes con-
Tl^^^^P^JSS:-S^& eleger um novo chefe para as nossas tribus do duzia a sua capa e o outro o seu guarda-sol
tos tornaram-se mn mim certeza e realidades canto. Se alguem d entre vos, o guerreiros, disse
Pwtii reauaaats. ^ ^ djssc Kad. Anp-|h a que| pergamei. e|,e> trouxe ^^ ^tanho ou chumbo para permu-
- Markek, me disse o meu escudeiro, so en-! Rolg-Righ Nao era a elle qne quenamos tar ou vender, pode dirigir-se a Mulkarde Cartha-
contrassemos os mercadores estrangeiros, eu tra- eleger ? Haddaja nova cidade, Carlhago): e.:lo, sou eu.
tainenti) de seTiiioria.poiipje nao passo i
irtaaoaum bomem que guarda Irinti maBV*e
leudas e inaaledas no seu st-rralho A Eanapa
dorme. a sombra desveu sobre a Ierra. tanta a
hora -. sobrademos atspada emarrheaBoa. >
exigira do ti.urna somma tal que*
nao |x)e.-sc piiiduzir. pris de
nnm oi-ii'hoolfcndidii! E cihik nao
pagar, melhor foi que l.- tirasse i vida.
E lialeu com a mao nessa face raen !
A caber:, do EIm.I Itedia-Righ riv-tUM m
de Dan-Glan. disse Kad- \neith >o vitn.
reros *
Tai estas k-l.adi.' rse>otideu Um-tUau.
xad-AniHlli. puxando peto sen sal-re. lev
se. e atirou-se sobre o seu nospede. qne o
lajlioin com a arma na caao.
Os dous contendores atacante roru fnrw
Kad-Aneith recete urna ferida uo rosto antt->
livesemos lempo de os .-.-parar
tleiiora agarrou no. sen uando com mm d
raaos, com a outra balen-o fortemenle,
dendo-lheasua grosserae violeneia para
hospede.
las eio minha easa.nodeverai
raomen^;^^S'^S,pr^^^ a8SfSr^^aJeiai Mini
aao
laria de fazer urna permuta mais vatajosa do que Justamente : porem como matou involunta- Trago tudo isto, e ntuito responden un-Glan, o magistrado. Se este vos achasse razae, o vosso
a doannonassado Peza-me realmente quando riamente o seu companheiro d armas, o seu a/rfu- (a alma da montanha). Se queres acompanhar-mc, adversario sena obrigado a pagar-vos, a ttulo de
pens que hes cedi cincoenta pelles de castor por ne, que jurou nunca deixar na vida e na morte, negociemos, c depois jamaras com.go.
Dun-Ulan, cujas tnmaeas se ili paraan cam a
. vista do sangue. sercnou'de lodo e dirtauBua-w ar.
aroaro^teTmme t'^^0 dS *"* '' e adversario, lhe e*.endoa a man dize,
oaioaro este costume. Asproesas dos nossos gucr-' __o
"i^nSTSf^St"^,6 eProsoa|,a> l'!'r desculpa-me, n.io lvorazo.
^ntos, nao preoisam destas proras palpavn-,
Pois estes sao os meus lvros e os meus titu-
de gloria! replicou Dun-Glau mostrando urna Feri>ite-ranorosi
eabeca secca e embalsamada com roidado. Todos nii 0 *n0TO!4a- "**" l*m
ros conhecestes Ebol-Redia-Righ (chele domador I f \%>fcutdcrse nan os ^.
de potros), um valente guerreira do paiz dos Cam- t0, vwana***> P" ebtranueiraa,
bions. T vemos urna disputa era certa cacada, que, o ftnie okii ^ ,..
fizemos, sobre a bondade dos nossos caes. Elle' Mh raZXmEmmmmmtmTd
atreveu-se a desmen.ir-me, ba.emo-nos, e eu 0.^^17^
pi^dS^^''brada,aw^^wnvivas HlB-Tsatsnada,wi,m **
Eeraumgosto ver cada qual exaltar as anas 125? C!!9^J W este
proesas. Mas o pequeo mereador pedu a patarra
o mais cobcosos por ouvir os estrangeiros, da que
pelos louvores quo nos darara, calamornos to-
dos.
Eu sou de origem phenicia, disse elle, e an-
tes que o meu paiz fosse saqueado-e incendiado po-
los Assyrios, ja as nossas leis prohibiammie cada
qual se llzosse justica por suas proprias raaos. Se
alguem vos dasmertiiu, e vos offendeu dovorieis to-
mar testemunlias e lovar a vossa queixa oerante
A mncriwll-lllA Qft r-c- .^ -U.- __ *
I Inderanisacao, uiwt somma de dinheiro nrannrcitv
nada a injuria.
lt* UC lt*4Wi uiiiti pxirsiiuso nimio *mjvj v ^j..*- -------- j-- r uon
do anno passado. Peza-me realmente quando mente o seu companheiro d armas, o son
aso nnp hes cedi cincoenta nelles de castor por mc, que jurou nunca deixar na viaa e na
anMhas defvtaho S BeW o vinho e llquei nao Jur sobreviver-lhe. Ohu-Lug (o corvo preto) O estrangero aceitou o convRe. Rad-Aneilh,
sem ooroducto da minha caca. j se apresontou como candidato : porm nos nao ornado dos seus ricos e novos collares, retujjeu-
Era elle pelo menos de boa qualidade, meu o desejamos; escolhemos a ti; queres acceitar ?
beberrao ? | Se me julgaes digno de commandar-ros
Nanea o beb melhor, e se os mercadores zei rus outros o que quizerdes : estou prompto
trouxessem mais...porm sao muito espertes, e me sustentar a minha eleicao com as armas na mao. minhamos para a sua casa no centro da ctaade seguiu-se a esta dito de Kad-Aneith Dun-tian, que
eneanariam outra vez. Trago ali as carretas Esteramos nsto, quando unta tropa de-merca- Essa casa de tecto alto e elegante era cercada, ttnba o cerebro perturbado notas fumaras darinho.
ha muito que de- dores estrangeiros reiu distrahlr-nos com seus gri- bem como os curraes, estribaras, celleiros, e apo- dirlgiu^ ao crneo do mimm a'aueui
n* Isvroilnrae n ic acnrs. ntOrtC "."O" '*
Ebol.Redta-Wgh, se eslivewew ne %' PE
Eis un, paiz singular! exclamou Kad-Aneith.
rT nir-se a nos com o pequeo traficante da Phemrta. Eu por mim preferira decidir a auesiocoma mi-
s, fa- Dun-Glan, chefe da tribu, no meio da qual estar- nha chave ou o meu sabr
ptoa mos conridou-os egitalraente, e todos nos enea- Unta explosao de vivas e estrondosos applansos
m"lh"os!)raroi"e os'pu-1 vite e cinco pelles de lontra, e ha maito que de- dores estrangeiros vera distrahlr-nos cora seus gri- bem como os curraes, es
rhot tS churnos prendiam-1 sejo possnir nma faca com a folha de ac. Os tan tos e onWmentas. Uns tocararaflauta par at- sentos para accommodar os lavradores e as escra-
To, S JtodS^mTon^* ria- ho^ de cor esenra, e cabellos ericados, sao trah.r os compradores, outros apwsejitavam as vas, de urna forte tarada, e de um fosso profU.
dar, (.redes |tor ventura que
vos assemelham ? O' t.aulezes. n
o muito me admira de que os <
que leraram as suas armas
os cantos da ierra, nao irouvessem a si
com as nacdoscirilisadas oginuf de i
nos ferozft!
Meu bisavo Betb-Righ (o
nunca voltou de alero dos
bem por rainha vez. Meu av Aa-uVa- ^B^
fe do alta paiz) combaten osTvimris, 4 Mas
suas cabelleiras. Meu pae Tawr-Drn f bar r-
pido) desposou a filia de *e carta Cker-Our m
grande homemt, e fez a paz rom rea, puraatos
nossos sacerdotes haviamdito: Sata bbbm uCM-
lach romo vos, e sois lodos amas ia anaama puta
uniros. > Eu, Markek. aiotat ainda ama s pruna
de nomeada.

fCa(riwr-*e-aa>

* MUTILADCTl
ILEGfVL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EE37ZSQ7J_EWWJO0 INGEST_TIME 2013-08-28T00:38:41Z PACKAGE AA00011611_10178
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES