Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10173


This item is only available as the following downloads:


Full Text
"
XXXIX
Por tres mezes adiantados |000
Por Ires mezes vencidos 6$O00
TERCA FEIRA 25 DE AGOSTO DE 1863
Por anno adiantado.....10$0QO
Porte franco para o subscriptor.
DIARIO DE PERNAMBUCO
EN'CARREGADOS DA Sl'BSCRIPCO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Amonio Alejandrino de Lima'
Natal, o'Sr. Antonio Marques da Silva; Araeatv.
Sr. A. do Lomos Braga; Ceai o Sr. J. Jos de
Oliveira; Mararihlo, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
tnazonas, o Sr. Jerommo da Costa.
ENCARREGADOS DA Sl'BSCRIPCO NO Sl'L
Alag&as, o Sr. ClaudiiiO'Falolo Dias; Rabia, o
Sr. Jos Marlins Alvos; Rio do Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins & Gasparino.___________
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda. Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas
so\tas-feiras.
Santo Aullo. Grvala. Becerros. Bonito. Caruaru',
Altinho e Garanluui.- as toreas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth. Limoeim". Brejo. Pesqueira.
Ingazeira. ores,Villa Bella,Tatarata', Canton,
Boa Vista, Oiiriciu y e Exu" as quartas feiras.
Serinhiem. Hio Formo-so. Tainandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimontoins as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as raes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/; dia.____________
EPHEMERIDES DO MEZ DE JILHO.
6 Quarto ming. as 6 li., 40 m. e 14 s. da m.
14 I.un nova as 10 h., 37 ni. e 44 s. da m.
22 Quarto rese, as 2 h., 54 m. e 32 s. da ni
28 La cheia as S h., 19 m. c 56 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 0 horas e 30 minutos da tarde.
Segunda as 0 horas e 54 minutos da manbaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o snl at Alagdas a o e 2o; para o norte at
a Granja 7e22 decadamez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes de jan. ruare., maio. jul, set. enov.
PARTIDA DOS .MMIil S.
Pan o Recite : do Apipncos s '/*, 7. 7 '/2. 8 e
8 '/ da m.; de Olinda s 8 da ni. e 6 da tardo; de
Jaboalao s 6 '/* da m.; do Caxang o Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da ni.
Do Recite: para o Apipncos s 3 '/, 4, 4 Vt. V.
S. 5 "A, 5 V e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manilla e 4 '/2 d,a tarde; para Jaboalao s 4 da lar-
de ; para Caehang e Varzea s 4 >/* da larde; para
Bonifica s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBI'NAES DA CAPITAL
Tribunal doeommercio: segundas e quintas.
Rebajan: tercas e sabbodos s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizu do coinniercio: segundas s 11 horas.
Dito de orpliaos: tercas e-sextas s 10 hora-.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao natal
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabl>ados a 1 horal
da tardo.
DIAS DA SEMANA.
24. Segunda. _s. Barrhoi..me.,.ip.-. s. hrufafni
2". ""
20.
Torca. S. I.n.z ni do Fraiu-a :' S. Patrir \
Quarto. S. Zeterino p. ni.: S. r>>taarxi
Quinta, s. J(.>.- aVCataBM i. fo< ..* 2H. Sexto. S. Afosiinrv- b. e Dr. d:s .-gn-ja.
2*.i. Sabbailt. a. Adataba |,.: s. Salvia v i-i
Domingo. S. Rosa ilc Lima v. ainTn N
ASSIGNASE
no Recite, ein a livr.via da ana d.. hfari
ns. 6 8. dos proorietartai Manoel Figurina *
Paria 4 Filhn.
zi.
::ii
PARTE OFFICIAL.
(.OVEREO DA PROVINCIA.
Eipediente do dia 21 de agosto de 1863.
Oflioioao brigadeiro comiuandante das armas.
Os dous alvos em ponto maior do que os que exis-
ten eui frente da fortaleza do Bruin e do forte do
Buraco por V. Exc. requ'sitados para os exerci-
cios dessas fortificacoes em ollicio n. 1483 do 13
correntc a que respondo, serio fornecidos oppor-
tunamcnle em vista da informarlo do inspector do
arsenal de marinha constante da copia inclusa.
Dito ao iiiosino.Avista do que V. Exc. expoz
era seu ofllcio n. 1345 de 20 do correntc, com refe-
rencia informaco do delegado do cirurgio-mr
do exercilo de 19 deste mez e do aviso da reparti-
rlo da guerra de 24 de jullio ultimo, o autoriso a
contratar um boticario civil para servir na phar-
niacia do hospital militar at que ebegue algum
pharmceutico do corpo do sade do exercilo, de-
signado pelo governo imperial para substituir o de
nome Lucio Flosculo da Silva, que deve seguir
para oPiauhy na primeira opportunidade em cum-
primento do citado aviso.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. -
Para os cenvenientes exames, transmiti V. S.
as inclusas copias das actas do conseibo adminis-
trativo do arsenal de guerra datadas do 3, 5 e 10
do mez corrento.
Dito ao mesmo.Mande V. S. comprar e remet-
ta-me com urgencia una i>eca de bata e urna
saeca com arroz para soccorro dos indigentes ac-
< ommettidos do cholera-morbus no termo de Ra -
reros.
Dito ao inosmo. Em vista da conta junta em
duplicata, mande V. S. pagar ao Dr. Pedro de
Athayde Lobo Moseoso a quantia de 305. prove-
niente de urna carteira liomeopathica que fornecou
para o tratamento dos indigentes atacados do cho-
lera-morbus na villa de Barreiros.
Dito ao mesmo.Nao havendo inconveniente,
mande V. S. pagar a Henriquc Jos Vieira da
Silva a quantia de 314,5120 rs. proveniente da
frotes e passagens dadas por conta do governo para
o presidio de Fernando, e d'alli para esta capital
no hiato Sergipano, como se v do incluso roque-
rimento documentado.
Dito ao mesmo.Pode V. S., de conformidade
com o parecer do procurador liscal dessa thesou-
raria lancado no verso do roquerimento que de-
volvo, e a que se refere a sua informaco do 13
do corrente sob n. 618, mandar pagar 'a quantia
de 5005 que compele ao juiz de direito Joaquim
Goncalves Lima, como ajuda de custo por liaver
sido removido da comarca do Villa Bella nosia
provincia para a do Brejo na do Maranhao.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Ao
cilicio que V. S. me dirigi honlem sob n. 414,
VOIO annexo una copia do mrrno la anvinataeo
do imposto de 25500 por cabec. de gado vacciun
consumido no municipio de Olinda no triennio de
1863 1866.
Dito ao mesmo. Annuindo ao que solicitou a
repartilo da polica em ofticio de honicm sob
n. 1205, rocommendo V. S. que mande pagar
nao havendo inconveniente, ao pharmceutico Ma-
noel Joaquim das Trovas Marinho ou a pessoa por
ello autorisada a quantia de 625, despendida com
o tratamento dos presos pobres da eadeia do tor-
mo de Santo Antao no mez do julho ultimo, segun-
do consta da conta junta em duplcala.
Ditoao mesmo.-Inteirado de quanlo V. S. ex-
poz em sua inforinaeao de IX de julho ultimo sob
ti. 340, dada acerca do roquerimento em que o
professor jubilado na eadeira de instrueco pri-
maria da villa de Santa Maria da Boa-Vista", padre
Jobo Jos de Araiijo pede a continuacao do paga-
mento da gratificarlo |K>r mais de 12 annos do
magisterio, tenho a (tizar que a este respeto) d
etiiiipriinonto ao que fui resolvido por portara da
prestdeneia de 2'.t de, outubro do anno prximo
passado, visto ser de IB expressa e nao rerogada o
que nella se determina, devendo por isso V. S.
mandar nao SO liquidar a quantia pertoncento
exercicios lindos o solicitar opporliinanieiile da
assembla legislaliva provincial o competente cr-
dito, mas tambera pagar ao supplicante pela verba
volada no art. 34 da lei do orcamento vigente a
mencionada gratilicacao correspondente ao ejer-
cicio corrente.
Dito ao mosmn.Mando V. S. pagar a Joaquim
Francisco dos Santos Maia. procurador do Manoel
Dias Fernandos, urna voz qne nao baja Inconve-
niente, a quantia de 4LV.i'.t8 rs. proveniente do
aluguel de 2 mezes c 3 dias vencidos no ultimo
de junho prximo lindo, das duas casas que no
termo de Agua-Preta servem urna de quartel ao
dcstaiparaento de polica alli existente, o oulra de
eadeia, como se vi dos inclusos documentos que
me foram remedidos pelo chefe de polica cora
officio de honlem, sob n. 12tt.
Dito ao mesmo.Rocommendo V. S. que de
conformidade com a informaco junta por copia,
ministrada boje pelo engenheiro fiscal do governo
na illuminaoo [publica desta cdade, e em vista
do que V. S. oxpoz na sua de 18 do corrento sob
n. 207, dada com referencia da contadoria des-
sa thesouraria, mande creditar o gerente daquella
empreza smente pela quantia de 10:4595167 rs.
correspondente ao gaz consumido com essa Ilumi-
narlo durante os mezes de fevereiro a marco deste
anno, c nao pela de 10:8125240 rs. constantes das
cenias e certificados que devolvo.
Dito ao director do arsenal de guerra.Avista
da sua informaco n. 63 desla data, o autoriso a
mandar admittir na companlua do apivudzos des-
.so arsenal depois de salisfeilas as disposicoes do
regulamento de 3 de Janeiro de 1842 os menores
Manoel Rufino dos Santos e Jos Rufino dos Santos,
Albos da viuva Joaquina Norbertada Conceicao.
Dito ao director das obras militares. Approyo
o ajuste que V. S. foz com Manoel Antonio Teiiei-
ra, como me particijio em seu officio do 18 do
corrente para executar pela quantia de 2505 os.
concertos de que necesita o quartel do nono bata-
lhao de infamara.Coinmunicou-se ao inspector
da thesouraria de fazenda.
Dito ao gerente da companhia Pomambueana. -
Pode Vmc. fazer seguir aos portos de seus desti-
nos os vapores Mamawjuapr o Pnsinitnga nos dias
e horas indicados no seu ofllcio de 20 do corrente
Portara.O Sr. gerente da companhia Pernam-
Inicana mande dar transporte para o Cear. por
conta do minsterio da guerra, >no vapor que segu
amanilla para os portos do norte, os artigos cons-
tantes da rclaeao junta por copia.
. Djia.O Sr. gerente da companhia Pernamlmca-
na mande dar transporte at Tamandar, em lugar
de r destinado a passageiro de estado, no vapor
Pcrjinunaa, ao professor publico merino Angelo
Francisco da Costa.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pomambuea-
na mande transportar at Macei, no primeiro va-
por que seguir para os portos do sul, em lugar de
proa destinado a passageiros de estado, a Raphael
Archanjo Vaz e Silva qno consta ser desvalido.
Dita.O presidente da provincia resolve, em vis-
ta do que solicitou o inspector da thesooraria pro-
vincial em officio de 19 do corrente sob n. 411,
abrir um crdito supplementar na importancia de
1:197*900, afim de que pelo do art 13 da lei
do orcamento do exorcicio prximo lindo em hqui-
dacao, se possa effocluar o pagamento da primeira
prstaoao da reeonstrucoo da ponte provisoria so-
bre o rio Pirapama. em consequencia de achar-se
esgotada a consignacao votada n'aquelle para-
grapho.
Despachos do dia 21 de agosto de 1863.
feqiwrimentos.
Diogo Baptista Fernandos. Junto falla corrida.
Francisco Antonio de Almeida. Passe portaria,
concedendo a prorogacao pedida.
Flavio Ferreira Catao. vista- do officio junto
nao pode ser deferido.
Joaquina Norberta da Coneeicao. Dirija-se ao
Sr. director do arsenal de guerra.
Jos Muniz Texora Guimaraes. Informe oSr.
inspeelor da thesouraria de fazenda.
Padre Joao Jos de Araujo. Dirija-sc thesou-
raria provincial.
Luiz Ignacio de Oliveira Jardim. Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Manoel Valeiitim dos Santos.Vai-se solicitar ao
governo Imperial a providencia precisa para serem
as torras da aldea da Escada demarcadas e distri-
buidas entre os respectivos Indios, de conformida-
de com o aviso expedido pelo ministerio da agri-
REVISTAS CIVEIS ENTRADAS E PARADAS POR FALTA DE
PREPARO.
Corte.Tribunal do commercio do Rio.Escn-
vao Brando.Recorremos Roslron Dutton & C,
recorridos Loutbian Fairlie & C.
Corte.Tribunal do commercio do Rio.Escn-
vao Bittancourt.Recrreme Amonio Moreira de
Souza Meirelles, recorrido Joaquim Jos de Souza
linones.
Corte.Tribunal do commercio do Rio.Escri-
vao Bittancourt.Recrreme Jos Pereita Branco,
recorridos Nuno Goncalves & Lopes, em liquida-
cao, successores de Ignacio Jos de Souza Soares &
t^omp.
Corte.Tribunal do commercio do Rio.-Escri-
vao Bittancourt.Recrreme, Vicente Ferreira da
Silva Couto, recorrido Antonio Leite de Castro.
S. Paulo.Tribunal do commercio do Rio.Es-
crivao Bittancourt.Recrreme Cactano Ferreira
Baltar, recorrido Joaquim Sertorio.
Capital do Rio Grande do Norte.Tribunal do
coinniercio de Pernambuco.Escrivlo Martins Pe-
reira.Recorremos Filgueiras, Sands 4 C, agentes
do seguro em New-York, recorrido Domingos Hen-
riques de Oliveira.
Corte.Rclaclo do Rio.Escrivlo Botelho.
cultura con mercin o obras n ilicas em I de'ia-' Recorren,e Antonio Joaquim Peixoto de Brito, por
Ie Ja cabera de sua mulher, recorrida Guilhermina
neiro do 1862.
Quinteiro & Agr. Informe o Sr. inspector da
thesouraria de fazenda.
Raphael Archanjo Vaz e Silva.Dirija-se com-
panhia Pomambueana do navegacao costeira.
Vicente Alvos Moreira. Informe o Sr. director
do arsenal de guerra.
INTERIOR
m i>hi:fio niiiii % il i>i:
JIMTI^A.
SESS.VO EM 25 DE J( I.HO DE 186.!.
Presitkiuid ilii K.iia. Si: conselheiro bariio de
Montserrat?.
A"s 9 1/2 horas da manha abriu-se a sesslo,
achando-se presentes os Srs. conselhoiros bario do
Montserrate (presidente). Nabuco. Almeida, si-
queira, Cornelio Franca, bario de Pirapama, Pan-
toja, Brito, Silva Tarares, Ernesto F'ranca, Chi-
chorro. Mariani, Simos. Machado Nunes. faltan-
do com causa os Sis. Azevedo. Veiga e Messias de
Lelo.
I.eu-se e ap|novou-se a acta da sesslo antece-
dente.
KXPKDIENTK.
Oficios.
Da secretara de estado dos negocios da justiea,
de 17. 18 e 22 do corrente, commumeando que'S.
M. o Imperador houve por bem nomear (decreto
de 8 do corrente) o Sr. Dr. Evaristo de Araujo
Cintra para juiz de direilo da comarca da I'arna-
lisba, na provincia de Goyaz.
Conceder (portaria de 16 do corrente) licenca
por 3 mezes, com ordenado, ao Sr. conselheiro
Manoel Messias de Lelo, ministro deste tribunal;
para ir Babia buscar sua familia.
Prorogar (portaria de 11 do corrente) por dous
mezes com ordenado, a lioonca concedida ao Sr.
juiz de direito Dr. Antonio Augusto da Silva llano-
do, da comarca de Mtiriah. para tratar de sua
sade.Averbeni-se e registrem-se.
Da presidencia da provincia do Rio de Janeiro
de 20 o 22 do crlenle, communieandi que o Sr.
juiz de direito Dr. Jos Noberto dos Santos anda
nao pode, por doenie. reassumir o seu exorcicio
na comarca de Cantagallo, o enviando a resposla
dada pelo mesmo na reclaniaeo do Sr. juiz de di-
reito Dr. Jos Caetano "do Andrade Pinto.Avor-
be-se o primeiro a ajuute-s'e o segundo ao proces-
so da reclaniaeo.
Do Sr. juiz de direito conselheiro JoaoLustosa
da Cuiiha l'aranagu, de 20 do correntc. enviando
a corlidao de seu exorcicio na comarca de Pelro-
pols desde 2t de junho lindo. Averbe-se.
Requerimettto.
Do Sr. juiz de direito Dr. Prederieo Augusto Al-
vares da Silva, pedindo averbamento da ceidlo
de seu exorcicio na comarca de Indai desde 30
de marco ultimo.Doforu-so.
Ucenca.
0 Sr. conselheiro Manoel Messias de Lelo, man-!
dou-se apresentar a portara do ministerio da jus-
tiea conoedendo-lhe licenca por Iros mezes.l'.inii-
pra-se e registre-se.
Expo$icao dii revista.
N. 6.384. pelo Sr. Silva Tavaivs.
JCI.OA.ME.VTOS.
fe e is t a s erim i ii a ts.
N. 1,774.Recurrente Manoel de Souzll Rastos.
recorrido Albino Jos Ferreira Lima.Concedeu-
se a revista e designou-sc a elaco da Rabia para
julgar novamenie a cansa.
N. 1,771Recrrante Lino Antonio Soares, re-
corrida a justiea.Negou-se a revista.
Reristas cireis.
N. 6.357.Recorrentes Justino Mendos Vieira o
ontros. recorridos Arnaldo Ji>s de Queiroz e sua'
uiiilber.Negou-se a revista.
N. 6.335.Recrreme o banco Rural o Ilypotbe-
cario, recorrido o Dr. Joo Alfonso Lima Noguei-
ra.Negou-se a revista.
DISTRIBI'igAO.
Reristas civeis.
N. 6,388.Capital do Maranhao.Rolado da
inesiiia provincia.Escrivlo Martins.Recorren-
les a parda Maria Suzana e seus filhos. recorrido
Francisco Jos Dias raga.Ao Sr. Simoes.
N. 6,389.Ilbiis.Relacao da Baha.Escri-!
vio Ernesto Ribeiro.Recorrenle o crioulo Da-1
niel, recorrido o capillo Ernesto do S Bittcncourt
o Cmara.Ao Sr. Machado Nunes
N. 6,390.Corte.Relacao do Rio.Escrivlo
A. Araujo.Recrreme o Dr. Jlo Nepomuceno
Machado, recorridos los Antonio de Souza e sua
mulher.
cisco de Almeida Catando entrado ein exorcicio a
comarca do Brejo no I- daquelle mez.
Do Rio-Grande do Norte, de 3 de junho Ando,
communicando ter o Sr. juiz de direito Dr. Severi-
no Alves de Carvalbo reassuiuido o exercicio de
chefe de polica da mesma provincia naquella data.
Averbem-se.
Da presidencia da relacao da Bahia, de 21 de ju-
lho de 1861. enviando copia do accordlo proferido
na revista em que foram partes os filhos do finado
Antonio do Carmo Magalbes Franca e Domingos
Alves Branco.Regislre-se a margem da sentenca.
Dos Srs.juizes de direito :
Dr. Viriato Bandeira Duarto, de 10 e 13 de ju-
lho lindo, enviando curtidlo de ter reassuinido o
exorcicio da 1> vara criminal do Maranhao a 6 de
junho ultimo.Averbem-se.
Dr. Aprigio Ferreira Gomes, de 15 de julho fin-
do. enviando certidoes de ter gozado licenca por 3
mezes o de ter reassumido o seu exercicio na co-
marca do Paranagu no 1 daquelle mez.Aver-
boin-se.
Dr. Jos de Almeida Martins Costa, de 28 do
julho ultimo, ipieixando-se de nao tor-se contado
toda a sua antiguidade.A' coininissao respectiva.
Reiptrrimeuto.
Do Sr. juiz de direito Dr. Manoel Maria do Ama-
ral, pedindo averbamento do ollicio da presiden-
cia do Maranhao uiarcando-lhc prazo para ir eli-
da ('.apella.Defe-
Moreira de Carvalbo.
Rezende.Relaclo do Rio.Escrivlo Botelho. j trar em exercicio na comarca
Recorrenle Americo do Carmo Fres, recorrido riu-se.
Antonio Jos Borges da Silva.
Marianna.Relacao do Rio.Escrivlo Araujo.
Recorrentes Antonio Moutinho Estovan e sua
mulher, recorridos Jos Pereira dos Sanios, sua
mulher c outros.
Santo Antonio da Patrulha.Relaclo do Rio.
Escrivlo A. Araujo.Recrreme Carlos da Costa
Torres, recorrido Manoel da Silveira Nunes.
Arax.Relaclo do Rio.Escrivlo A. Araujo.
Recrreme Fortunato Jos da Silva Botelho, recor-' Olinda. recorrido Antonio Jo
rida I). Anna Jacintha de S. Jos. nlieceu-se da revista por caber
Pelotas.Relaclo do Rio.Escrivlo A. Araujo.
Recorrentes Luiz Vinholo e sua mulher. recor-
ridos Manoel Jos Mascarenhas e sua mulher.
Jaguarao.Relaclo do Rio.Escrivlo A. Arau-
jo.Recorremos Valentim, Seralim e Justina Mara
da Conceicao, recorrido Heliodoro Machado Mar-
y.jposicuo das reristas.
N. 6,387 pelo Sr. Almeida.
N. 6,377 pelo Sr. Manani.
nnnammin
Revistas riris.
N. 6,367.Recorrenle Jos Ferreira Ribeiro
Guimaraes, recorrido Jos Dias Machado.Negou-
se a revista.
N. 6,368.Recorrenle a cmara municipal de
i Pi res.Nao co-
a causa na aleada
da relaclo.
Copia da sentenea do processo n. 1,774.
Vistos, ex|)ostos e relatados estos autos de re-
vista crime entre partos, recrrante Manoel de
Souza Bastos, e recorrido Albino Jos Fernandos
Lima, conceden revista pela injuslica notoria com
Passagem Aos revistas.
Ns. 1778, 1776 e 6389 ao Nabuco.
N. 6391 ao Sr. Almeida.
N. 6.(80 ao Sr. Pintoja.
Canrliisao das reristas.
N. 6379. ao Sr. Siquoira.
N. 6394, ao Si-. Veiga.
N. 6395 ao Sr. Cornelio Franca.
N. 6396, ao Sr. luirlo de Pirapama
N. 6397, ao Sr. Panioja.
N. 6396, ao Sr. Brito.
Conehuao ios redamarse*.
N. 151 ao Sr. Nabuco.
N. 152 ao Sr. Almeida.
MSTBIBIICAO.
\Ret\istas citis.
N. 6399.Recite. Relacao de IVrnarabuco.
Escrivlo Ferreira de Carvalho.Recorrenle ocout-
mendador Manoel da Vera-Cruz Lins o Mello, re-
corrida a administracloda Santa Casa da Misericor-
dia de Pernambuco.Ao Sr. Silva lavares.
N. 6400.Corte.Relaciio do Rio.Escrivlo Bo-
telho.Recrrante Jos dos Santos Ferreira. recor-
d Joaquim Malheiro Marcial.Ao Sr. Ernesto
F'ranca.
N. 6401.Corto.Tribunal do commercio do
Rio.Escrivlo Bittancourt. Recrreme Vicente
Ferreira da Silva (/Mito, recorrido Antonio Leite de
(lastro. Ao Sr. Chchorro.
N. 6402.Corte.Relacao do Ro.Escrivlo Bo-
telho.Recrrante Antonio Joaquim Peixoto de
Brito o sua mulher. recorrida D. Guilhermina Mo-
reira de Carvalbo.AoSr. Mariani.
Dia.
Fica com dia para julgamenlo
A revista civel.
N. 6.I7U. relator o Sr. Ernesto Franca.
I.evaiitoii-se a sessao ao meio-dia.
REVISTAS ESTRADAS E PARADAS POH FALTA Ui:
PREPARO.
Corlo.Relacao do Rio.Escrivlo A. Araujo.
RecurrenteBernardino Jos da Cosa Jnior, recor-
rido Gregorio Gomes dos Sanios.
Corto.Relaoao do Rio.Escrivlo liotelho. Re-
currente Francisco Augusto Mondos Monloiro, re-
corrida I). Henrqueta Mara da Cruz Franco.
(O preparo para cada revista 651*0.) ,
quos. j que na sentenca fl. 98 v., continuado |m-Io accor- j
Mansaratiba. Relaclo do Rio. Escrivlo A. dao II. 138 v., foi impost ao recrreme tima pena
Araujo.Recorrentes Jlo Alvares Correa e ou-, superior a que esta decretada pelo art. 167 com-
tros, recorrido Jlo da Silveira Sampaio por cabe-;binado com Tt 168 do cdigo criminal, por
ca de sua mulher j (juan, crime de falsidade nunca devia ser puni-
' Nithorohv.Relaclo do Rio.Escrivlo Botelho. docom f penas que propriamente Iho sao applica-
Recorronle" Francisco Eugenio Teixeira, recorr- V,,|S' ainda (lue de,lp resulte qnalquer oulro. quo
ilos Antonio Pedro Teixeira e sua mulher. '' jautamente punido se Ihe esta imposta pena
Recite.Relacao de Pernambuco. Escrivlo .maior, para haver estol liona lo seria preciso que a
Campcllo.Recrrante o desembargador Joronvmo falsidade accrescesse /nitro artificio fraudulento,
Martiniano Figueirn de Mello e outros, recorridos ,"l|a s" |x)r s,>ndo Ia punida pelo art. 167. doi-
D. Rita Francisca de Carvalbo Paes de Andrade e xa do ** elemento do oulro crime que se Ihe se-
seus filhos. Kuio- 1lie' Pr nau ser estellionato, sendo, porem,
Recite.Relacao de Pernambuco.Recrreme "O"'^ propriedado. est eomprehendido na pena
Bonto Jos da Costa, recorrido Manoel Jos Leite. do art. 257 do mesmo cdigo, a qual, nao sendo
(O preparo para cada revista sao 6510.) niaioi que a do art. 167, nao pode sor accumula
REVISTA DIARIA.
I da. Kt'MH'tlam-x* atits
sessao em 29 np JCI.H0 de 1863. designara para a revislo
Presidencia interina do Sr. conselheiro Almeida, de Janeiro, 23 de julho de 1863.
s 9 horas e meia da manhaa abrio-se a sesslo, I.. Segue-sc as assignaturas dos Exms.
a relacao da Babia, que
e novo julgamenlo. Rio
achando-se prsenles os Sr. conselheiros Almeida,
Siquoira. Veiga, Cornelio Franca, bario de Pirapa-
ma, Pantoja, Brito, Silva Tavares, Ernesto Franca,
Chichorro, Mariani, Simoes, Machado Nunes. fal-
tando com causa os Srs. Azevedo. bario do Mon-
tserrate. Nabuco e Messias de Lelo.
Leu-so e approvou-se a acta da antecedente.
expediente.
Oficios.
Da presidencia da relaclo do Rio, de"2 do cor-
rerte, enviando copia do aecrdau proferido na re-
vista em que foram partes Antonio Magalhies de
Figueiredo, |ior cabeca do seu escravo Bernardo,
a justiea e Joaquim Baplista IVdreira.Bogislre-se
a margem da sentenca.
Do Sr. juiz de direito Dr. Virginio llenriques da
Costa, de 30 de junhe lindo, enviando certidoes do
decreto removendo-o para a comarca da Franca e
do exercicio nesta a datar do 14 do junho lindo.
Averbem-se.
Exposiiao das revistas.
N. 6371. peloSr. Chichorro.
N. 177", pelo Sr. Simos.
N. 1776, pelo Sr. Machado Nunes.
Reaceao.
Foi approvada a rodacca da sentenea na revis-
ta n. 1774. relator o Sr. Mariani.
JCI.UAMENTO.
Revistas cireis.
lheiros presidente e mais senhores.
Secretaria do supremo tribunal de justiea. ein
de agosto de 1863.
Fecha-se a sessao ao meio dia.
Joo Pedreir do Cont Ferra:.
Passagem da revista.
N. 6,387 ao Sr. Siqueira.
DiSTRini ii;vi.
Revistas r i i e i .<.
N. 6.393.S. Paulo.Tribunal do commercio
Por determinadlo do ministerio do imperio, adia-
se marcado o dia i do novembro prximo futuro
para a eleicao ilos eleitores que devem eleger
o senador |or esta provincia, devendo a eloieao
ter lugar no dio 6 de dezembro tainbcm prximo
futuro.
Boje, polas lOhoram da manbia, far lelao
O aRonto Siinofs. em sein aruiazem. na ra do \ -
gario n. 11, de variados objoclos do (rosto o do uso
ordinario da vida, alera de diferentes escravos de
ambos os sexos.
A companhia do seguros Fidelidade do Bio
de Janeiro de que nesta slo agentes Antonio l.uiz
de Oliveira Azevedo &' C, llzeram no decurso de
um anno de 1862 a 1863- 15o seguros no valor
de rs. 1.173:6385400 dos quaes obtiveram de pre-
0 secretario- ",io #.
Ja tivcram comeeo os trabalhos para o calca-
ihoiiIo da ra da Aurora, entre a ponte da Ba-
Visla e a do Santa Isabel, achando-se j exocuta-
do um dos respectivos canos do esgoto. era fronte
a casa do Sr. Jos Jacintlio da Silveira. e era e\e-
cuclo o que se deve prolongar por parto da ra
Srs. conse-
do Rio.Escrivlo Biitanconrt. -Recorrenle Caeto-, Fonnosa, al a esquina da da niao.
no Ferreira Bailar, recorrido Joaquim Sertorio.
Ao Sr. Siquoira.
N. 6,304.Nithorohv. Relacao do Rio.- Eseri-
vao Botelho.Recorrento Francisco Eugenio Tei-
xeira, recorridos Antonio Pedro Teixeira e sua
mulher.Ao Sr. Veiga.
N. 6,39.').Rio-Grande do Sul.Tribunal do
commercio do Bio.Escrivlo Bittancourt.Re-1
; corrente Salvador Moitinbo, agento da companhia :
brasileira de paquetes a vapor, i ('corrido Reinar-
dio Jos Marques Canarnu.Ao Sr. conselheiro |
Franca.
N. 6,396.Corle.Tribunal do coinniercio do
Rio.Escrivlo Bittancourt.Recorrento Jos Pe-
reira Branco. recorridos Nuno Goncalves & Lopes,
em liquidarlo, successores de Ignacio Jos de
Souza Soares & CAo Sr. bario de Pirapama.
N. 6,397.Mangaratiba.--Relaclo do Rio.Es- ahi ha.
Ocspaooda ma que tora de sor calcada, afii a
opasseo margem do caes, que ser da lagedo,
abrange una arca do 842 bracas qaadradas. para
a qual. calcula-se quo serlo necessaras 100.000
ped as laceadas cora as diinensoes esliouladas no
conlrato.
A despeza necossaria para todo o servico deve
regular |>or 4o cantos de res. A quota do< parti-
culares, proveniente dos 16 .. sobre 0 valor das d-
cimas, de 6:1)875 ," donde se v que nao ha razio
para dizor-sequeo calcamento da cidade feito a
custa dos proprietarios. Se na ra da Aurora, em
que se achan talvez os nielhores c mais elegan-
tes predios, de subido valor, a contribuioao parti-
cular de menos do um seliino da despeza. fcil
ser imaginar o que se dar com as ras de casas
terreas, de pequeo valor, como multas quo por
N. 6074.Recrranles 1). Maria' Delina da En- envi A. Araujo.Recorrentes Jo.o Alvares Cor-i Aprveitando o ensejo de fallarmos no calca-
Antonio Joaquim Rodrigues e sua mulher.Ne
gou-ss a revista.
N. 6364.Recrreme Jos Dias \ aliadlo, recor-
ridos D. Anna Maria da Conceicao e Otilios.Ne-
gou-se a revista.
Passagem das reristas.
Ns. 6386, 6362 e 6378 ao Sr. Veiga.
N. 6382, ao Sr. Silva Tavares.
N. 6384, ao Sr. Chichorro.
N. 6371, ao Sr. Mariani.
N. 1775. ao Sr. Machado Nunes.
Dia.
Ficaram cora dia para julgamenlo :
As revistas oteis.
N. 6367. relator o Sr. Pantoja.
N. 6168, relator o Sr. Brito.
N. 6376, relator o Sr. Nabuco.
N. 6383, relator o Sr. Brito.
IiCvantou-se a sesslo 1 '/> hora da larde.
Manoel Ferreira Pires, recorrido o administrador
da mesa de rendas da cidade de CalKi-Frio.Ao
Sr. Brito.
-Dia.
Ficarara cora dia para julgamenlo.
At revistas cireis.
N. 6.376. relator o Sr. Nabuco.
N. 6,383. relator o Sr. Brilo.
SESSAO EM Io DE ACOST DE 1863.
Presidencia do Sr. conselheiro barao de Mont-
serrate.
s 9 '/i horas da manhaa abrio-se a sessao.
desce peta ra da Emperatrb e outros daquelle
lado buscar a ponte de Santa Isabel, para paiba-
rom para o bairro de Santo Antonio, soja franquea-
da como dantos, a entrada e sabida dos mesmos
carros o outros vehculos pela ponte da Boa-Vista,
emquanto duraren os respectivos trabalhos.
A agencia da Companhia ie Seguros Fidetida-
de, nesta cidade, fez. durante o ano social lindo
Levantou-se a sessao"s" II'. i/t horas da manhaa.! em 22 de agosto. 22 seguros no valor do.................
____ 1262:012501o.
sessao em o dk agosto de 1863. Da comarca de Garanhuns conimuncan
Presidencia do Sr. conselheiro barao de Montserrate. i nos seguinte : ...
s 9 /i horas da manilla abrio-se a sesslo, i Nesta comarca fez-se em paz a eloieao. nao
achando-s presentes os Srs. conselheiros bario de i hrado comparecido os conservadores.
Montserrate (presidente, Nabuco, Almeida, Siquei-! Em S. Denlo, onde se dizia que sena ella dis-
ra, Veiga, Cornelio Franca, bario de Pirapama, putada, nada houve, achando-se so em campo o te-
Pantoja, Brito, Silva Tavares, Ernesto F'ranca, Chi-1 nenie coronel Luiz Paulino cora os seus amigos, o
chorro, Mariani, Sinides, Machado Nunes, fallando qual, por um acto de cavalleirismo. cedeu o seu
com causa os Srs. Azevedo c Messias de Lelo. mgar na chapa aoutro; nao sahindo porlanto elei-
Leu-sc e approvou-se a sesslo da acta anlece- lor, conio vera da lista junta, que o re
dente:
IVnente Cliristovao de Hollanda Vatem-i
Izidro Tei&eira de Mac.-.lo.
Domingos Kiberode ladnaV.
EisOs nom.s dos eleitoi.- il
Flores :
\ i-ario Pedro Manoel Ja sua Imbr
Luiz Ignacio de Oliveira Jardim.
Izidro Jos da Silva Misoarenhav
lo.ii> Marlins Vieira.
Padre Manoel Ferreira Rahello Araa
daldiiio Pereira da Nones.
Jeronymo Thootonio das. Loare
Manoel Jos Diniz.
Manuel Rodrigue Mari/.
Manoil Barbosa da Sil>a.
Francisco Jw Diniz.
Leandro Insto deSouca Bar i
Manoel Jos.- de Sona.
| Izidro Alexandrino da Silva Bni
, Antonio Rodrigues Florencio
I Zolirino Pereira de Borae?.
Joao Gomes dos Rea,
Vasco Pereira de Mofan
, BazilioQuidiife (! Sonta Peti
; Luiz Alves Barreta
Manuel Jase de Modi-iros.
| Antonio Pinto de (Mi^
s Renedicto di-Souza Cabial.
Vicente Josd-- Carvalhu
Joaquim Antonio L-itp.
Luiz Rollrao Lite.
los Antonio dos Sanio.
Jos de Souza Diniz.
Antonio Ij^oiiardo Pereira
Porfirio Alevindro l'erein
Manoel dos Res Pereira.
Luiz Comea dos Res.
Jos de (jiieiroz Vianna
Jos de Queiroz Lima.
Anlomo (ioraldo Ferreira I
Antonio Gomes dos R>->.
Marcolino de Queiroz Lima.
1 francisco Xavier dm Sntoi
Joaquim Alves Feitosa
Joao los Vieira.
Jos Pcr.ira l.iin.i.
Joao Alvos dos Santo-.
Bazilio do Souza Santiago
loao Andr.- do Xasrimento
Joao Kvangelsla NVanderl.j.
Damos osegataM ttmsHfta
loral das [Kirocliias abara MpMta*
barrenos.
Capillo loan Garlos da Naadonre
CajiitloJos Francisco B-.-llo.
Francisco Fcnao Castillo BffMci
Padre Joao i'.e Franca Camaia
Dr. Jos Bonifacio do SalVreira
Ignacio Ferreira Tmida.
Francisco Antonio Pereira loa lauta
Manoel Cavalcauti Um VabanOT.
Antonio Alves Teixeira.
Tenante Jos1 Carlos de Mendoora V,,-,..
Joaquim Jos.' Tavares da Cete.
Dr. St'basliao Antonio Acciolv Lin-
Dr. Felisbino de Mendonea Vascooretor
laante Antonio Secund Acci.h
Manoel Moreira Borges l'clioa.
Tranquilino da Cruz Rlnaim
Estanislao Ptortano de llollan.l..
I.ourenco Jualintoon de Hollanda r ^k1 i
Majiool Vicente i tai de Boma
Jlo Flix Neponiiiceno.
Laurenliuo do Barros Lius.
OlympM da Poncoca GouMuho.
Joan Agostinho do Haacbnenl
JoSo Mauricio \Vanderlo\.
Carlos Roberto Tote
Diniz Jo3 llerculano.
Antonio Claudio vieira de Murae-
Jos de Ranos Santiago RanMM
Rolizario Adolpho Pereira .1.- >
Alfredo Alves da Silva Freir
Antonio Cocho da Silva.
Caroliuodos Prazeres Rogo.
TejmcwsHtpe
Eleitores :'
Vigario Antonio Pinto do Al.i. u
Toneiile-coronol Jos de 9 A. VI. '.
Antonio dos Santos de Med.iro- kaji
Eustaquio Jos.' da Fon.vea.
Jeronymo Carnobada AJnutfnsrane Mm
Manoel Tertuliano de Son.
Victorino Francisco deuliveiri
loSo Antonio Pinheiro.
Faustino Nicolao da Silva
Jos Martiniano de Son/.i
Francisco los Machad"
Aquilino Per. ira Simas.
Flix Pereira Simas.
Tlieodoro Jos.- do Aguiai.
.lose Antonio de Souza Goal i
Manoel Rodrigues Ventura.
Manuel Antonio Pinheiro.
expediente.
0/ficios.
Da presidencia da provincia do Rio de Janeiro,
de 5 do corrente. communicando ter o Sr. juiz de
sou curador, reeorrida D. Maria Rosa do Espirito-
Santo.Ao Sr. Almeida.
Passagem das revistas.
Ns. 6383 e 6384, ao Sr. Ernesto Franca.
Conclnsiio das revistas.
Ns. 1775 e 6388. ao Sr. Sanees.
N. 6389, ao Sr. Machado Nuno-.
N. 6390. ao Sr. Mariani.
N. 6391, aoSr. Nabuco.
T 6392. ao Sr. Almeida.
tNo.
Ficaram com dia para julgamenlo
As revistas civeis.
N. 6074, relator o Sr. Brilo.
N. 6363, relator o Sr. Siqueira
N. 6364, relator Sr. Veiga.
N. 6367. relator o Sr. Panioja.
K. 8368, relator o Sr. Brito.
N. 6376, relator o Sr. Nabuco.
Levantou-S'' a sessao a meia hora da tarde.
lier, recorridos Joaquim JosTAffoso vs eou- rini, Simoes, Machado Nunes, faltando com causa [ Castro, de"20 de julho lindo, communicando ter na-
tros.Ao Sr. Nabuco. os Srs. Azevedo, Messias de liCo, e Nabuco. > quelle dia reassumido o seu exercicio na comarca
N. 6392.Iguass.Relaclo do Rio.Escrivlo i Leu-se e approvou-se a acta da sessao antece- de Cabo-Frio.Averbe-se.
A. Araujo.Recorrentes Carolina o. Antonio, por dente. Requermentos.^
expediente. Do Sr. juiz
Ofhcios.
Das presidencias das provincias : i mcando-o par
Do Amazonas, de 9 de junho ultimo, communi-' rio-se.
cando ter mandado distribuir as listas da ultima I O Sr. juiz de direito Dr. Antonio de Cerqueira
revislo de antiguidade de juizes de direito aos da Lima apresentou a resposla na reelamaclo do Sr.
mesma provincia.Gurdese I Dr. Jos Caetano de Andrade. PintoAjunte-se ao
Do Maranhao, de 2 e 9 de julho findo. communi-! respectivo processo.
cando ter enviado a portaria deste tribunal ao Sr.
juiz de direito Dr. Joao de Carvalbo Fernandes Viei-
ra, e enviando o mappa do exercicio dos juizes de
direito da provincia durante o mez de julho ultimo.
Ajunte-se o primeiro! reelamaclo corresponden-
te e averbe-se o segundo.
Da Parahyba. de 20 de julho ultimo, enviando a
resposla dada pelo Sr. juiz de direito Dr. Manoel
Correia Lima, na reelamaclo do Sr. Dr. Jos Cae-
apuracao :
Vigario Antonio Alves de Carvalho.
Major Rento Jos Alves de Oliveira.
Capitao Francisco Ignacio do Paiva
Dito Francisco Alves Maciel.
lenlo Vieira Pinto.
Jos Francisco Callado.
Pedro Francisco do Azevedo.
Jos No da Silva Rurgos.
Manoel Antonio do Andrade.
Jlo rtlves da Silva Valenca.
Joaquim Jos Pacheco do Amaral Rogo.
Jos Lelo Vctor de Oliveira Ledo.
,.. de direito Dr. Joao Francisco Paes Antonio Bezorra da Silva.
Barrete, pedinde o registro da carta imperial, no-1 Luciuo Camello Pessoa de Siqueira Cavalcanle.
moando-o para a comarca da Mala-Grande.Defe- Antonio Vctor de Barros Teixeira.
Jos Antones de Oliveira.
Pedro Florentino de Andrade.
Julio Alves da Silva Valenca.
Luiz Ribeiro de Andrade.
Luiz Antonio de Andrade Cosa.
Sevcnno Cordeiro'Rego.
Thomaz Antonio de Andrade.
Thomaz Ferreira de Faria.
Jos Thonide Oliveira.
Galdino Rodrigues da S.:,'iva Valenca.
Jos Vicente de Alnada Valenca.
Manoel Fernandas do Moraes.
Domingos Fc-rroira de Moraes.
Fehppe Juaneo de Santiago, c Silva.
Jol.Cj Pereira de touvcii Torres Galiudo.
Exposica das revistas.
N. 6391, pelo Sr. Nabuco.
N. 6389, pelo Sr, Machado Nunes.
JVl.GMIK.NTaS.
Revistas cireis.
N. 6376.Recrrante a fazenda nacional, recor-
rida Feliciana Maria do Carmo.-Negou-se are-
vista, .
,N. 6383 Recrranles Jlo Lourenco Senas e
suas irmiaL recorridos os mesarios do eoRegio do
tao de Andrade PintoAjunte-se a reelamaclo.
Do Pernambuco, de 17 de julho lindo, communi. SS. Covicau de Jess e Joaquim Porfirio \ ianna.., Jos de Hollanda. \ atenea,
cando ter o Sr. juiz de direito Dr. Lourenco Fran- NogO.se a revista. Atieres Francisco de Hollanda Valonea.
Jos Antonio Pinheiro.
Manoel Ferreira fe Alternan C>neiro
ji.se i'iiiiino Goethe Cotenho
Justino Jos.' Ferreira.
Manoel Mniileiro de Oliveo.i
llenriquo Olwupio Tavare- l RoH
Olvinpi.. S\mphroiiio Pnrein
Ignacio Jos Martins.
Relarmino Francisco Dini/
Supplentes .
Julo Rodrigues da Silva.
Ildefonso lote da Silva.
Bernab Corroa do Mello
Estovan Joa de Souza Costa.
ltraz Denlo da CflOte.
Jlo Amistado H> potito.
Adol|iho Randoira Loba d.- lanaffhn
Alteres Manoel Antonio deAlbuqii !
Gervasio Soares de Medeiros,
Alexandre Pereira dos Santo-
Marcelino de Souza Peales.
Joaquim Jos1 de Sou:t Ponlc5.
Florencio Itezerra de Vasconcelk
Antonio Alves de Souza.
Dionizio Xaviin; Ferreira.
Francisco Xavier do Farias.
Antonio luana de Meneies.
C> rillo Aristides de Souza.
Manoel Antonio Vieira de Carvalli-
jRe^maldo F'inno Filinlo da Siha
[Sergio Pereira Reg.
Jos Coriolano Rodrigue-
Pedro Emilio Rodrigues
l/nironoo Alves Ferreira.
Amonio' de Sorna Azevedo.
Rellarmino Antonio pinheiro.
Vagoa de B""-.
( nm :
'.sidoro Mariano de S.
Vigario Flix Marques Barallu i
Antonio Jos de Ges.
Manoel Ignacio de Azevedo.
Antonio Pedro Avelina
Pedro Jos de S.
Fraucisco Victorio do Koartanta i
Maaoel (ordeiro do Reg.
Virissimo Jos da Costa.
Jos1 Alves de Ges Mello
Luiz Alves de Araujo.
I



Diaria de frerp.amhnc Terca felra & de Agosto de ISttS..
L
Joao Bezena da flost.t.
Joaauim Tlienorio i!o Mello. .
lalaino Jos le Si.|uera.
.los Manoel de Rezende.
Tliomaz Francisco da- Silva.
Manoel Raymundo da Silva.
Supplentes :
Juveucio de Barros Coma.
Agostinbo Severiano dos Saiiluv
Kaymuudo Francisco dos Sanios.
Raymundo Ferreira de Helio Jnior.
Francisco Jos; de S.
Luiz Alexandre de Ges,
Antonio Francisco la Silva.
.los Francisco de Siijuelra.
Manoel de Siimeira Barlosa.
.los Comes do Andrade.
Joao Caclano do Amara I Junior.
Antonio Ferreira da Silva.
Severino Correa de Agujar.
Francisco Jos Freir.
.Nicolao Rispo de Souza.
Francisco Alvos de Oliveira.
Manoel Jos do Aniaral.
tamarac.
Coronel Francisco Honorio Rezerra de Menezes.
Major Regenerado de Rrilo Becerra de Menezes.
Anstides Honorio Rezerra de Menezes.
Francisco Raposo da Cunta Reg.
Jos Alves Pragana Guabiraba.
I'adre Ignacio Rezerra de Menezes.
Vigario Andr Curcino de Araujo Pereira.
Padre Joao Vicente Guedes Pacheco.
Profesor Possidoniu da Rocha Pereira.
Manoel da Cuuha Reg.
Augusto Vieira da Cunha.
Antonio Luiz da Costa.
Manoel Antonio Piras Rarreto.
Alteres Tliomaz Jos da Silva.
Rogelio Victor de Carvalho.
Claudio Jos de Saut'Anua.
Manoel Ferreira do Prado.
Francisco Xavier de Carvalho.
Manoel Cordoiro Ario.
Antonio Luiz da Costa.
Manoel Vieira da Silva.
ReFAUTICVI DA 1'OUCIA :
Extracto das partes do dia 23 e 2 da Torrente.
Foram recollidos casa de delencao ne da 22
corrente:
A' ordora do sulidelcgado do Recife, Jos Rai-
mundo de-Carvalho, hranco, por insulto forca pu-
blica ; e Mana Mii|uelina Leonilia do Mello, parda,
por taiga.
A" ordena do de S. Jos, Jos Bernardo Pires,
ertoulo, por suspeito de ser desertor.
A" ordem do da Magdalena, Rufo Uaiuasceno e
rastro e Gregorio, anua crioulos, sendo este es-
eravo de Manoel Francisco Uarte, por liriga.
2-3
A' ordein do subdelegado do Recife. Joao David
Itaptista, portugus, por insultos.
A* enlein do de Santo Antonio, Domingas, Afri-
cana, escrava de Manoel de Medeiros de Souza,
reqnariinento deste.
A' ordein do da Boa-Vista, Joao dos Santos Lima,
jora, correccao.
A' ordem do da Vanea, Luiz Bapusla, crioulo,
poi 'ferimentos graves.
chele da 21 seccao.
/. G. de Mesqti'a.
-O datar abo submarino de telegrstitio elctrico
que hojoeXiste,o de Malta a Alejandra, que lem
,838 millias, e qnesnbslsto sem concert alguin
( ha mais de un anno.
A maior profundidado do mar que tcm reco-
bido cabos oeste genero c de loOO bracas, no
Atlntico.
0 cabo que hoje est a maior profundidade e o
de Franca, em Argel, que tem sobro si, ha mais
de dous annos, 1,388 bracas d'agua.
Segundo o relato'rio de urna commssao de in-
querito nomeada pelo governo inglez depois que
se quebron o cabo do Atlntico, ve-se que elle
tinba podido resistir a umapressao d'agua de 8
milhas de altura.
As sondagens fcitas pela marinha dos Estados-
Unidos, om 34 potitos dtITerentts, demonstran! que
naoexistem correntes no fundo do ocano. Consi-
dera-sc portanto intil prejudicial dar aos ara-
mes conductores urna resistencia que nenhuma
forca de vento ou de corrente torna necessaria.
Os cabos l>cm fabricados onde houve interrup-
eao de communieacos, foram quebrados por na-
vios que navcgarai em suas aguas, como succe-
Para Europa.....
Estados-Unidos
Rio da Prata. .
Valparaso. .
frica.....
186263 Mi62
tons.
94,411
839
1,450
38
25,212
37
Total.
26,751 27,C3f>
A exportacao de Pernambuco de 1 de outuhro
a 13 de malo foi a seguinte :
186263 186162

n
B
2
>
! s;
8
Masculino.
i
S
Fnuraino.
Masculino.
- ~
-y. y.
Fnninino.
Masculino.
Fhutmfno.
H
<
O

Xanmtino.
Femimiin.
m
yi
gf
J. n
o
>

Masculino.
25
S
Fem ruino.
| OBSERVACOK*.
r I
5
o
9
Para Enrona...... Estados-Unidos Rio da Prata. Valparaso. Brasil....... ou tros paizes . tons. I 16,718 4,166 3,124 2,304 6,063 35,022 4,733 3,347 1,110 5.387 3-.I3 40.992
44,373
Deduz-se dcstes algarismos que nos quatro pri-
meiros mezes de 1863 houve urna diminuicao de
^v-1 25,000 toneladas no consumo do assucar na'Euro-
deu no de Holvbead em Llvrpool. e no do Canal pa em relacao ao mesmo periodo de 1862. Esta
da Mancha diminuicao do consumo deu-se tanto no Continente
' como em Inglaterra, e deve ser attribuida princi-
Foi dia24 do r.-i rente, oSr. Jeronymo de Irlanda Ca- pho Ibes seria impossivel, tanto mais quanto elle
1.778 valcanti de Albaquerque. tinham |>or certo que a torrente da briosa popula-
612 Aberta a sessao compareccu sr. Dr. Francisco cao do Pao d'Alho nao corra para elles, sem em-
de Araujo Barros, juiz munic',pa) ,ja .. var3( e aprc. [,argo do feroz systema de coaccao contra ella em-
sentou preparados para seren julgados, os proces- [ pregado pelos agentes do poder'!
sol seguintcs: Indicio evidentsimo desta conviccao da parte
Autora a Jostic^. I dclles foi a immoral tentativa que fizeram, com o
Reo, preso, Manoel Goixjalref. de Queiroz e Al- juiz municipal e delegado de polica a frente, de
buquerque, pronunciado no art. 807 do cod. crim.. quebrara urna, cujo acto de desespero nao foi
em 4 deHaio de 1863. : acompanhado de sceoas lamentaveis, pela summa
Autora a justica. 'prudencia dos meus amigos, que, senhores do
Reo, preso, Marcolino de Dos Thenorio. pro- campo, nao poda ganhar de modo alguin com a
nunciado no art. 205 do cod. crim., em 30 de mar-
co de. 1863.
Autora a justica.
Reo, preso, Antonio Montero Pereira, pronun-
ciado no art. 183 do cod. crim., em 10 de julho de
1863.
Recebidososproeessos pelo Si. Dr. juiz dedireito
ordenou que Ihc fossem conclusos, e se procedes-
sem nos demais termos.
O jury de sentenca foi comp'jsto dos senhores
seguintes
cobre conserva suas > ir ludes, e luna
mui agradaveis ao paladar.
Acliam-se em todas as boticas, drog*-
rias e lojas de drogas no imperio do Ira-
sil,
Jos Pedro das N'eves.
Manoel Antonio da Silva Moreira.
\ntonio Cardoso de Queiroz Fonseca.
les da Silva,
de Azevedo Santos.
Os grandes proprietarios das provincias do Bal- plmenle as priva^oes que sofTreram as popula^es Jos Henriq
tico liara aiudareni o thesouro imperial as des-1 dos grandes centros manufactureiros e industnaeS Manoel Jos
nezas da guerra da Polonia, llzeram saber ao.go- em consecuencia da guerra dos Estados-Unidos., Lhnstovao Santiago de Oliveira.
verno que cstavam promptos a satisfazer a parte Esta sitoaco nao deixou tambem de excrcer una | Antonio Rufino de Andrade Luna.
dos impostos que devem os camponezes e peque-
nos proprietarios. O imperador Alexandre, viva-
mente commovido com esta nrova de adhesao, faz-
llies testetnunliar o seu recoiihecimento.
Da Rrritt Popular,
guinte
do Rio, copiamos o se-
influcncia desfavoravel sobre os precos, que desee-, Felippc Antonio Teixeira de Albuquerqne.
ram muito. A baixa gradual prodzida por estas Thcodoro Machado Freir Pereira da Silva.
circunstancias tanto sobre o assucar bruto como Francisco Marinho de Albuqueique Mello.
sobre o refinado teria ainda progredido se a Rus- Candido Tliomaz Pereira Dutra.
sia nao admittisse o pilado fino pelos direitos do Jos Goncalves Torres.
bruto. E prest'aram o juramento dos Santos Evangelhos.
Esta medida apenas foi eonhecida promoveu em Foi o reo interrrogado e proeedeu-se a Icitura do
Certo neralvilho sentase ao p de urna senhora,: maio um movimento nao ordinario nos principaes processo. ,
tranca tierna sobre pena e coraeca a deilar bafo- mercados da Europa em favor do pilado tino, para j O Sr. Dr. promotor pedio a condemnacao do reo
radas de fumo pela bocea, Harinas e ouvidos. cx|Kirtacao para aquelle paiz, dando-se consequen- no grao mximo do art. 183 doeod. crim.
Pornue nao fuma minha senhora Pergun- teniente urna reaccao gradual nos precos. A es- O Sr. Dr. advogado deduzmdo a deleza, pedio a
, .. '. peculacao, ante esta reaccao, que infelizmente du- condemnacao do reo no grao mnimo do art. 183
' Para nao incommodar os outros meu senhor, rou poico, reentrou no hiereado e tomou giandc, do cod. crim.
resnonde ella Part"' Bas transaccOes que dahi resultaram, e por [ Findos os debates e preenchidas as solemnidades
^ ... sto alcancaram os precos em pouco tempo urna | da lei o Sr. Dr. juiz de direrto propoz ao Jury os
Srio ata horas da noite. pardade exagerada em relacao s circumstancias. respectivos qucsitos.
Pissa um suieito pela ra Direita rente com as Com elleito, paseados os primeiros movimentos de | Recolhido o jury de sentjmca a sala secreta das
risas nue fican fronteiras Caixa de Amortisai-o, elfervescenca, nao se tardou em conhecer a ver-; conferencias, a urna hora da tarde, voltou a l Vi
que nao mais do que urna casa. I dadeira nosicao do artigo no Continente s e a mi- \ com suas respostas yiefcwm J*fc JoJ?
Oucm vem la pergunta a sentinella ? portancia dos depsitos anda existentes junta as Pedro das INeves, presidente do conselho o br. Di.
Amieo dizoorobe diabo cosendo-se pa- numerosas entradas de carregamentos de assucar juiz dedireito publtcou sua semenca, conemnanao
rodt, b v 'bruto na costa de Inglaterra provocaram urna o nk) a i|uatorze annos de pnsao simples e as cus-
_' passe de largo, bradade novo a sentinella, reaccao que destruio progressivamente a alta que *
Nao tenho mais largo, responde o individuo, se manifestara. As entradas de toda a parte do
pilado lino nos portos russos tornaram-se igual-
Um ilil'taiUi cncontra-se com um capitao de na- mente muito importantes, e a calma, seguida de
vio seu conhocido. \ urna baixa, nao tardou em succeder aos primeiros
Oh Sr. Antonio de Souza, como est ? Enlao momentos de excitacao.
Quanto a marcha ulterior do artigo, cumnre na-
turalmente ter em vista a produccao geraf do as-
sucar colonial e do assucar broto de beterraba,
comparada com o consumo total dos principaes
mercados importadores, e conforme a produccao
fr mais ou menos abundante serao os precos mais
ou menos altos. As noticias recebidas at hoje dos
dilfercntes paizes productores, como Havana, Ma-
tanzas, Rrasil, Porto-Rico, etc., deixam entrever
dficits muito sensiveis as safras destas colonias.
A cultura da beterraba na Russia, Austria e Fran-
voo ca apresentar igualmente urna diminuicao sobre a
' ltima colheita, cujos resultados foram em geral
ja vio o Ptnita ? pergunta elle.
O pirata ? O pirata ?! exclama o capitao
martimo cheio de tenor onde est elle I...
No byrico.
No Lyrico ?... E' porto conbecido ? Onde fica
esse cantinho de trra ?
No theatro.
Ah no theatro !... repele o liomem embar-
eadeo cahindoem si ; l nao tenho eu medo del-
le : pensci <|ue andava c lelo mar.
E' de Rellini.
Pois sim, que v a liolina, que eu ca
com vento em popa.
E fez-sc de vea. negativos ou antes ruinosos para os fabncantes.
Sobre estes ltimos avisos pode-se calcular que
Nao sabe, diz urna senhora a um cavalleiro, ein geral os snpprimentos de assucar serao relati-
sahio luz o Bello Sexo (novo jornal redigido por vamentc menores na prxima estaeao, e se verifi-
uma senhora). car-setal resultado pde-se tambei esperar com
Ab minha senhora, exclama o cavalleiro, razao que os precos melhorem proporcionalmente
elle nunca esteve nas trevas, pois Deus creou pri- ante as necessidades do consumo,
meirameute a luz para depois lzer a mulher.
O Jorant do Commercio do Rio. publica os se-
guintes dailos estatistieos sobre o moviinento com-
CHR0MCA JIDICI4RI4.
tas.
Ijevantou a sessao, addiando-a para o dia 24 do
corrente s 10 '/s '"*as da manhaa.
mercial do assucar nos principaes mercados da
Europa e dos Estados-Unidos, no decurso dos qua-
tro primeiros mezes dos ltimos annos.
QUARTA SESSAO.
DIA 24 DE AGOSTO DK 1863.
Presidencia do Si: Dr. Manoel Jos da Silra Nemt,
juiz de dirrito da 2" vara crime.
Promotor publico o Sr. Dr. Francisco Leopoldino
de Gusmo Lobo.
Escrivao Joaqum Francisco de Paula Esteves
Clemente.
Advogado o Sr. Dr. Angelo Henriques da Silva.
as 10 horas da mamila feria a chamada acha-
ram-se presentes 43 senhores jurados.
Foram dispensados da sessao os seguintes se-
nhores :
Antonio Jos Gomes do Correo.
Jos Maximiano Alves Uavalcanti.
Dr. Jos dos Anjos Vieira de Amorim.
Foram multados em 205000 cada nm dos senho-
res multados nos dias anteriores e os que faltaram
hoje.
Entra em julgamento o reo Manoel Goncalves de
Queiroz Albuquerque, aecusado por crime de amea-
cas. _,
O Sr. Dr. juiz de direito nomeon o Sr. Dr. An-
gelo Henriques curador do reo, visto ser este menor.
O jury de sentenca foi composto dos senhores
seguintes:
Manoel Jos de Azevedo Santos.
i Manoel Antonio da Silva Moreira.

sr
9
l\1|iiimr,\" NOS NOVE PHlNCIl'AF.S limOADOS
DA El HOPA.
,Vo Continenti'.
Anuos.
1860. .
1861. .
1861
1863. .
1860.
1861.
1862.
1863.
Tons.
64,030
71,430
7.V8S0
78,920
Depasito
42,460
44,336
30,030
48.440
a
Tons.
69.020
7(1,400
81,767
73,296
eiit 30 ie
58,6:10
a
f
3
Tons.
128.4110
148,580
l;i8,070
170,390
abril.
97.570
76,370
Advertencia.
Na totalidade dos docntes exislem 163, sendo
ilienados8 hoinens e 22 maJberea.
Foram visitadas as enlermarias estes dias :
As 7 1'2. 7 1/2, 7 ti, 7 50, 7 22, 7 35, 8 I ,
im-Io Dr. Villas-Boas no mi|w,iliniento do Dr. Dor-
bellas s s 7 I 2. 7 38. 7 12, 7 IB, 7 22, 7 :\->. 7 i 1
da nianha |h'1o Dr. Sarment, e as .:>. S 1/2.
; I 2 5 12. 6 I 2 da tarde pelo Dr. Villas-Boas :
Fallecern! :
Francisco Jos de OBvefra Maciel, hepatlte ebro-
nica.
Leonor Mara d Espirito Santo, encephalite.
Praneerma Mara dos Santos, ttano.
Antonio llerciilano de Figaerrddo, alienado,
loan Jos, cbolera-morlius.
Tliomaz de Alpino, anemia.
.nlla Xana Isabel do Espirito Santo, gastro in-
terite.
iaz, africano livre, phtysica pulmonar.
Jos Kelix de Vasco eltos, dyarrha.
Movimentoda casa dedetencio no da 22 de
to de 1863.
Existiam........ 408 presos
Entrarain...... 5
Sahlram....... 13
Existem.......... 400 .'
\ sabei
Nacionaes ...
Estrangeiros
Mulheres. .
Bstrangciras.
Escravos....
Escravas ...
281i
28
11
3
68
4
400
71.802
120,991
99,140
76/100
89,415
71,511
hnentados a eusta dos cofres pnblieos ... 166
Moviinento da i nfermaria no da 2-'t de agosto de I
1863. {
Tfveram alta :
Manoel fhomai de Oliveira.
Manoel Joaquim do Nascmento.
Joaqun Benedicto da Silva.
IjOiza Joaquina de Franca.
Movimento da casa de detencao no dia 23 de
agosto de 1863.
F.Nistiam....... Entrararfi...... Sabiram....... Existen........ . 400 4 1 403 presos > i
A saber : Nacionaes..... Estrangeiros Mulheres...... 288 2R II
Estrangciras... Escravos ...... Escravas....... i 68 .1
Alimentados a cusa dos 403 cofres pblicos.
166
UM POo'f-0 OE TDO.
O Sr- Toussenel em sua obra !'csprit des hete*
i-onta esta anedocta :
Um negociante inglez tinba um magnii.'"0 l"M
de Terra-Nova, que ordinariamente desprezava *
Sozos que Ihe ladravam \ urna vez porm tendo-
le certo gzo mordido nas pernas. agarron-o
pela pello do pescoco, levou-o ao caes e saendio-o
agua.
Fez o pobre gozo os maores esfdreos para se
salvar, roas nao o poda consegnir, e a nnalmonte
afogar-se, quando o cao da Terra Nova mostrou a
sua generosidade, saltando ao rio trazendo para
torra o seu atrevido offensOr.
A HafSo publica o que segu :
63.721
63,46o
Importaron em abril.
1861 22,310' 12,972 36,830
1862..... 30,320 24,671 W,000
1863..... 18,680 27,080 54,010
Entregas em abril
1861..... U*,5*i4 13,476 46,000
1862..... :t0,oo9 13,7:6 45,070
1863..... 16,186 19,823 35,500
F.ittrewi mis mezes.
1861. .... 53,414 62,372 149,300
1H0-* 80,512 65.219 16.3,130
js:..... "M,270 71,011 151,380
i\U'OKTAi:a'i nosvoi atuo cortos PBUOPABS
DOS BsVaDOfr4 NIDOS.
1860. .. \ons. 106,224
1861. .. V I10,'-'l
1862. ... 93,869
1813. ... i 90,35:;
Deposita em 30 .'> abril.
1860. tons. 53,700
1861. ... 65,041
1862_____ 32,182
18C.3. ... 37,680
F.ntregns em abril.
1888. tons. 24.8.->s
1861. .. 10.300
1862. ... 32.721
1863. ... i 22,590
ISittregaiem 4 mezes.
1860. .. lons. 76,664
1861..... 102,294
|8(. ... 89,327
1803. ... 82.930
Importaran mi Hollando.
4 mezes. 5 metes.
|86:i. tons. 51,000 63,000
1862. 44,170 57,200
1861. 41.100 55,000
D'/wwo nos entrepostos.
15 de abril 15 de maio.
1863. .. tons. 35,389 34,238
1862. 32,141 41,400
1861. 32,796 27,113
Deposito em 1.a mao.
30 de abril 30 de maio.
1863... tons. 19,600 11,830
1802. 24,170 14,800
1861. i 19,350 12,lu0
A exportacao das Maurieias desde o comeco da
safra al 30 de abril foi segrate :
r i ni \\ l do vtrn n i ni 10.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 24 DE ACOST! Joaquim Jos.' Ferreira Penha.
DE 1863. Antonio Rufino de Andrade Luna.
P11EMDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARCADOR JO*GOnCalVCS TorTOS.
sorzA. i Raymundo da Silva Maia.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depott- Jos Henriques da Silva,
dos Lemos, Rosa esupplente Alcoforado, o Sr. |iresi- Jos Elias de Oliveira.
1 te declarou aberta a sessao, sendo lida e approvada O lao Gomes de S.
i a acta da ultima. Candido Thomaz Pereira Dudra.
despachos. Dr. Manoel Jos Domingtics Codiceira.
Um requerimento de Henrique Jos Vieira da' Jovino Epiphank) da Cunha.
Silva, pedindo que se mande a junta de corretores' E prestaram o juramento dos Santos Kyangemos.
' attestar sobre, os precos dos gneros mencionados Foi o reo interrogado c procedeu-se o leitura uo
I na relacao qne inostfa.Come requer. | processo. ,
Tons. i outm de Jlo Rib.-iro Lopes, pedindo certidao O Sr. Dr. promotor publico pedio a condemna-
21I.540 do theor do registro da |.rorracao < seu consti- cao do reo no grao mximo do art. 207 do cdigo
290.410 tilinte Jos Rodrigues de Araujo Porto.O mesmo criminal. ...
318,717 despacho. O Sr. advogado dcduzndo a defeza, pedio a pe-
(lutro de Jos Antonio Rastos. replicando do renipcao da aecao, visto nao ser flagrante,
despacho proferido nos autos .le sua rehabilitacao. Findos os debates e precnchidas as solemnida-
-Seja ouvido o Sr. des.-mbargador tema. des da lei, o Sr. Dr. juiz de direito propoz ao jury
(lutro de Jos de Vasconcellos, pedindo que a de sentenca es res|iectivos qiiesitos.
atieste qual o cambio sobre Pa- Recolhido o jury de sentenca a sala secreta das
nferencias 1 hora da tarde, voltou a 1 kcom
Como requer.
i:
3
322,606
198,661
163,261
,',?','[ \lo--l junta de corretores atieste .
{'-'VIX S=2*A= risem27 denovembrodo
I4.,180 2.),,08o _,.
SESSAO JUDICIABIA EM 24 DK AGOSTO DE 186:}
PltESIDENCIA DO F.XM. SU. DKSKMBAKr.ADOR
SOUZA.
Secretario, Julio (humarSe*.
A meia hora da tarde, o Sr. presidente abri a
sesso. atando reunidos os Srs. dcsembargadoivs
Villares e Silva Guimares, e os Srs. Mptitados
Lemos, Rosa e Casemiro Alcoforado.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
265,286; dente.
308,861
294,611
conferencias _
suas respostas que foram ldas polo Sr. Dr. Manoe
Jos Domngues Codiceira, presidente do conselho
o Sr. Dr. juiz de direito puhbcou sua sentenca, jul-
gando |ierempta a aceusacjlo internada contra
reo, condemnando a municipalidade nas cusas.
Lcvantou a sessao, addjando-a para o da s-
guma s 10 horas da manhaa.
desordeno.
Este acdhtecimento motivou a vinda do Sr. Abi-
lio Tavarcs |iara esta rreguezia. A sua presenca,
em vez de estorvo aos desatinos de seus amigos, foi
ao contrario de grande estimulo, e excitacao a toda
a sorte de irregularidades, ou de ataques constan-
tes a liberdade do voto Nao er, quem nao ti-
vesse visto, o estado de compresso, e de violencia
em que nos adiamos do segundo dia por diante" da
chegada do Sr. chefe de polica Desde o com-
mandante do destacamento at o ultimo dos inspec
toies nao houve manejo torpe, nem vexaco brutal
que nao fosse executada contra os hoiucns do povo
do nosso lado !
A porta da matriz era um pequeo forte, ou vas-
to sarilho de armas, onde se vedava a entrada a
todos os nossos votantes, que rcpelliam as listas
dos inspectores Ao Sr. chefe de polica raziamos
constantemente chegar as nossas reclamacies con-
tra tamanbos escarnalos dos seus amigos, mas a
tudo responda com o riso labial que tao frequente
Ihe assoma, quanto mais abunda o fel em seu cora-
cao Tudo promettia remediar, mas sobre colisa
lguma providenciava Em vez de reprovar pu-
blicamente os excessos dos seus, Ihes segredava a
conveniencia de fnzerrm as cousas de modo que
elle nao tiste I
Neste completo desamparo de providencias re-
pressivas de to reiterados desmandos, a nossa pa-
ciencia, o aclividade de espitiH eomecavam a de-
crescer. Recejando que no progresso de tantas
violencias, e atrocidades fosseinos compellidos a
una reaccao desesperada, como pareca inevlavel,
asseutams, apezar de nos achai inos com fHHnde
maioria de listas na urna, e de contarmos na ordem
dosqualitcadoscom superior numero de volantes,
de abandonar lula to desigual, em que o combate
nao era de povo a povo, era entre o povo, e os sol-
dados do governo, nicos a quem com direito per-
tence a victoria, nao so nesta freguezia, como em
quasi todas as ontras de que tenho noticia!
E pois, tomada esta toreada deliberacao, lavra-
mos um protesto em que exbmos, por alto, as ter-
riveis crcuiiistancias em que nos adiamos, c que
nos dictarain como conselho de prudencia a retira-
da em tempo; protesto que sendo lido peanle o Sr.
chele de polica, a quem entreguei a chave da urna.
visto ser elle o depositario geral de todas as urnas
na presente saturnal, deiisaltos de furioso, pelas
tristes verdades que Ihe foram laucadas em face,
das quaes nao ter o poder de destruir a forca;
por que foram factos passados com a mais escan-
dalosa complicidade de S. S., cuja conscencia nao
pode domar de morde-lo acremente pelo papel que
ilesempenhou nesta quadra de delirios de um par-
tido violento, de que o Sr. Abilio um dos princi-
paes directores I
Concluida esta breve exposicao, como vigorosa
contradicla aos alardos vaidosos do chefe da liga,
deixo de enumerar certos factos importantes, nao s
por jase adiaren) de sobejono dominio do pu-
bheo, como porquealguns dclles constam do mes-
mo protesto, e do offlcio que abaixo oflereco con-
sideracao publica.
Pao d'Alho 22 de agosto de 1863.
Luiz de Albuiuerv,ae Maranhao.
llhn. Exm. Sr.Ao oflicio de V. Exc. de 10 do
corrente, em que me pede eselareciinentos sobre
os factos que se deram |tor occasiao da chamada
dos votantes que coiicorreram a eleieao, respondo
acrcsccntando apenas algumas rellexoesa commu-
nica o que de tudo j liz V. Exc.
t Lamento com V. Exc. as occorrencias que se
deram. os tumultos e ferimentos que oceb reram, e
mais lamento o l'acto de ser tudo originado e assu-
lado |Kir aquellos a quem eumpria interpor a au-
lorida.le para que a ordem publica nao fosse par-
turbada, tanto mais quanto bavia V. Exc. recorh-
mendado toda a abstencao no pleito eleitoral por
parte dos seus agentes offieiaes, e era isso da von-
tade de Sua Mag'esladc o Imperador, manifestada
lias circulares dos seus ministros.
Por minha parte e daquelles que compuiiliain a
mesa parochial, foi proclamada e sustentada a
maior imparcialidad.!, e guardado todo o respeito
a lei.
(i delegado de polica e outros individuos de sua
parcialidade, qna deviamempenhar-sc em tartr-
ea c cumplimento as recommendacoes de V. Exc,
foram os que asi toinaram a peito dar o exemplo
de desrespeito a lei, praticando actos altamente re-
provados. Foi o proprio delegado de policia, qne,
depois de liaver concorrido para actos de extrema
violencia e compresso, as vistas de muitos eidados
appareceu no contiieto armado de um punhal.e
com elle ferio 0 eidado Joaquim Francisco de
n
M3
7
.l
819
815
8U8
7H
7l
7*7
7*:
7H|
780
m
KT'.l
67
es
6.>

631
;7
CORRESPONDENCIAS.
Sr. redactore. Po-lendo succeder que nao che-
laqui
MenJonca. que arriscando a vida tanto se esforcou
para garantir a urna. Foi por esse proce.liniento
criminoso, que, autorisado pela lei Ihe dei vez
de priso em flagrante, procedendo-se dep.ii< ao
competente auto de vtstorta, que ja foi remettido to
Sr. chefe d iiolicia.
Apezar dos estotros Messe delegndo e do de sua
parcialidade politica. nao eonseguiram os partor-
Dadores o quebrameoto da urna, a qual liou Ile-
sa, assim como todos os livros e rol de chamada,
devido isto ao zelo dos hmeos amantes da ordem
pe nao olvidaran! arriscaren! suas vidas para Dio
Para Inglaterra.....
Franca.......
Australia......
i'.abo da Roa-Espe-
ranza ......
. Rohaii e outros
portos......
Total. .
ton-
1863
73,203
17,788
18,888
3.590
9.144'
1862
39,339
28,il
28,807
3,173
914
134,689 103,866
A exportacao de Havana, Matanzas o Crdenas
ti. i- quatro primeiros mezes dos dous ltimos annos
foi a seguinte :
naja Franca.......
Estados-Unidos .
Inti"-,aleITa e nor"
te da &>rona .
i Hospanha.....
t outro poi'ios .
total.
tons.
1863
13,339
19,362
51,982
27,233
i,i64
1862
**,0
24,323
42,430
28,832
3,773
118,180 119,978;
A exportacao da Babia d" | i\ ouHlhro a de
|maio foi a seguinte:
Sr. presidente.
Foram assigna.los os accordaos proferidos na
ultima sessao, entre parles :
Appellantcs, Almeida & Cai ; appellado, Joa-
quim Antonio da Silva.
Appellante, Eusiaquio Antonio Gomes ; appella-
do, Manoel de Barros i\ivaleantc.
Sorteados os Srs. deputados Rosa e (Casemiro
Alcoforado.
Relator o Sr. desembargado!- Villares.
Adiado pedido do Sr. Rosa.
DSMimCad DE DIA.
Apiicllanle, Joao Baptista do Reg; appellado,
Francisco Jos Germano.
Aupellantes, os herdeiros de D. Antonia Mana
de (lastro ; appellados, Barroca & Castro, em liqui-
daeao
Designado o primeiro dia til.
PASSAOKNS.
Appellantcs, os curadores tecaes de Amorim,
Fragoso, Sanios & C. ; appellado, Jos Francisco
Barrote.
Appellantcs, o Dr. Joao da Silva Ramos e Lourcn-
co Pereira da Silva Pimentel; appellado, Jos Mar-
ques dos Santos Aguiar.
Do Sr. desembargador Silva Gnhnaries ao Sr
desembargador Villares.
DlSTRlBl'ICKS.-
Appdlantes, os curadores fiscaes da massa falli-
da da viuva Amorim & Filhos e outros : appella-
do, David William Howmann.
\o Sr. desembargador Silva Guimares.
.BRAVOS.
Aggravante, Manoel Jos.1 da Silva Pimentel; ag-
gravado, Victorino de Almeida Rabello.
O Sr. presidente den provrmento.
Aggravante, Jos Martins da Silva ; aggravado.
Fernando Antonio de Menezes.
O Sr. presidente negou provimento.
Aggravante, Manoel do Reg Rarros ; aggrava-
dos, tiurgel & Perdigao.
O Sr. presidente deu provimento.
Nada mais houve c encerrou-se a sesso 3 % ho-
ras da tarde.
Recife, 24 de agosto de 1861.
Dr. Felippc h'pes Setto.
llegado de poli
: Exc. que eu nao eslava armado! Sobre este pon-
to nao me demorare, por que preso muito a mi-
aba iwsico, respeito a lei. e aprecio muito o con-
CIRCULAR. | ceito qu felizmente goso entre os meus cmeida-
lilil. Sr.Tendo annuido aos desejos de al-1 jr,^
guns amigos nossos, que instavam para que me j Estando os nimos em grande irritaeo, resol ven
apresentasse como candidato a una das cadenas ;l mesajiarocliial addiar os seus traballios para o
da cmara dos deputados pelo segundo disU-i.to j;l |g ffj, corronti'. e assim O annunciou por edi-
eleitoral desta provincia, apresso-mc em levar ao; Ul,<
TKIBIAAL IMI JURY.
QUARTA SESSAO.
DIA ft 0E AOOSTO DE 1863.
Presidencia do Sr. Manoel Jos da Suva Neica, juiz
de treito da 2* vara crime.
Promotor publico o Sr. Dr. Francisco I^eopoldino
de Gusmo Lobo.
Escrivao Joaquim Francisco de Paula Esteves
Clemente.
Advogado o Sr. Dr. Heraciio Vespasiana Rock
Romano.
s 10 horas da manhaa. frita a chamada acha-
ram-se presentes 44 senhores jurados.
Foram relevados das multas anteriores, por te-
rcm comparecido, os senhores eguinw? ;
Horacio de Gusmo Coelho. *
Candido Tlmniaz Pereira Dutra.
conlieciniento de V. S. essa resoluco, na esperan-
ca de que ser sanecionada com o seu voto e rc-
commendada por V. S. a seus amigos, eleitores do
referido districto.
Nascido em Pernambuco, onde ha trinta an-
uos, milito no partido liberal, de cujos reveses te-
nho participado semine, jnlgo-me dispensado do.
dever de declarar a V. S. a maneira porque
tenciono exercer o honroso mandato, que as-
piro.
- O meu passado, que alias V. S. conhece, e a
mellior garanta de procedimento futuro, que nesta
occasiao me cumprc dar, a quem, como V. S., pro-
fessa os mesmos principios politices, e da sincera
applicacao dclles espera os melhoramentos, que o
paiz reclama.
Srvase V. S. de aceitar essa garanta, com a
exprsalo do meu profundo recoiihecimento por
to insigne favor.
Tenho a honra de ser.
De V. S., patricio e amigo obrigadissimo.
Recife, 23 de agosto de 1863.
Dr. Felippe Lories Setto.
PUBLICARES i PEDIDO.
Ao pnhlfco.
Constando-lite que o chele da toja espalha na ca-
pital que eu s abandonei a presidencia da mesa
eleitoral desta freguezia depois de haver sido re-
cusada pelos meus adversarios una proposta mi-
nha no sentido de partilharmos a eleieao, apresso-
me em desmentir com toda energa essa falsa as-
sorcao, a lm de que nao adqtra com o meu si-
lencio foros de verdade.
Nunca propuz, nem se qur iusintiei, nenhun
arbitrio ou convenio conciliatorio aos meus adver
sartos, sendo certo smente fue do todo dellcs
que por mais de urna vez surgi esta Wa, idea que
sempre repelli, como publico, e con8la)tc dopro-
prio testemunhe deHes, se capazes sao, coeno devo
crr, de confessar, e attestar a verdade.
Cooscio da forca numrica, e da lealdade dos
meus dignos aliados desta freguezia, nao me pode-
ria nunca passar pelo pensamento a perda da elei-
eao, muito especialmente depois que, a despeito de
todas as perseguicoes, e violencias praticadas con-
tra os meus amigos, a quem a todo o transe se pro-
cu rou intimidar, e allastar da luta, gaabamos a
i mesa. Este fado de mcontestavel significaeio a
bem de nossa caua. esnvenceu desde logo aos nn-
Este alvitre mereceu geral apoio entre os ho-
iien- honestos de ambos os parlidos.
nesta emergencia que redamo ainda de V.
Exc. as mais promptas providencias no sentido di-
seco voto garantido, como lano se lia recommen-
dado, e no que tenho o maior nteres para eor-
responder as vistas de V. Exc. c do governo de S.
M. o Imperador.
Nao vejo nas autoridades eaearregadM de man-
ta* a ordem as garantas necessarias. por que as
oceurrencias do dia 10 do corrente demonstran! a
oda a evidencia o interesse que ellas podem ter na
compresso do voto.
V. Exc, a vista desta e\|wsieo providencala
como entender e o caso urge, aim de que fique
bem conbecido que eu tudo invido e invidarei pa-
ra corresponder a vontade do governo, porque
alm de ser isto do meu dever, proprio do meu
carcter e dignidade.
Digne-se V. Exc. de conceder-me permisso pa-
ra publicar os meus ollicios V. Exc. dirigido-;,
quando sso me fr a bem.
Deus guarde V. ExcPao d'Alho 11 de agos-
to d 1863.Illm. Sr. Dr. Joao Silveira de Souza.
presidente da provincia.Luiz de Albuquerque Ma-
ranho, jniz de paz presidente da mesa parochial.
nimias wgetaes asssicar-Mta de
krmp.
Entre as nnumeraveis clnsses Je pilulas
que continuamente se annunchm, estas s
que se pxlem verdadeirameiite considerar
o prototypo dos aperitivos caseiros, com-
plelamente eflicazes e absolutamente ino-
fensivas. Na sua composieao nao entra um
s nico tomo de nenhuma substancia mi-
neral. GuRStne pois o nico remedio ne-
cessario para os dessarranjos do estomago,
irregularidade do ventre, conslipac3o habi-
tual, alecces biliosas, dyspepsia o todas as
enfermidailes dos mtcstinos predominantes
nos climas calidos.
Tomadas a tempo evilam intalhvemiente
os mortferos llagellos epidmicos e end-
micos das regies intertropicaes. Silo as
nicas pilulas que se vendem em frasqui-
nhos de cryst, e a cipa assucarada que as
Comarca d RU |-,
Frcfncna de Un.
0 coronel Manoel Xacier Pne$ Brrelo
juiz de paz maii vottUo do istnrto m
matriz e presidente dk meta parocktml
da freguezia de Una, termo ectmnwrcm
o Rio Formoso da prorimeia de Ptr-
nambuco em virtnde da lei, etc.
Faz saber a todos os seus hablantes mu
achando-se concluida a elen;5o para eleiio-
ics, ordenada pelo decreto n, 309i Je I i
de maio do crrente anno, obtiveraai utos
para eleitores desta parorliia os chMmk
seguintes :
Ki.i:rroacs. #
Ka.
Coronel Manoel Xavier Paes Brrelo Mi
Tenente-coronel Jos Luiz de Caldas
Lins ,......,..
Major Paulo de Amorim Salgado Ju-
nior ..........
Engenheiro Henrique Augusto Milet
Propritlarm Unmingos .Maitus Pe-
reira Monteiro.......
Capitao Jos Felippe de Barros Ca-
valcante.........
Capitao Manoel Vicente de Hollana
Cavalcante........
Proprietario Leandro Cavalcante da
Silva Guimares......
Tetienle Juo Carlos Cavalcante da
Albuquerqne .
Agricultor Heronlano Francelino tla-
valcante de Albuquerque .
Proprietario loiu Vieira Fiamo .
Agricultor Trajano Francisco Caval-
cante de Albuquerque ....
Agricultor Luiz Bandeira de Mello .
Ignacio Cavalcanla de Mello .
Capitao Manoel Jos da Costa C.uinar
raes..........
Tenentc Jacintho A Honro de Mell .
Alferes Antonio de Hollanda Paes
Wanderlcy........
Agricultor Joaquim do Nascimento
Cavalcante de Albuquerque. .
Negociante Joao de Oliveira cha ,
Proprietario Leocadio Francisco Ca-
valcante de Albuquerque .
Agricultor Francisco Salgado Accin"
Proprietario Raymundo de Freitas l'a-
dilha .".......
Typographo Celestino Diogenes Paes
de Albuquerque ......
Agricultor Manoel de lastro Rocha
Herculano Theotonio da Sirva Guima-
res..........
Antonio Luiz de Oliveira ....
Negociante Bcrnardino Alves Machado
Emigdio Camello Pessoa de Mello .
Negociante Constantino Gomes da Silva
Agricultor Francisco de Paula Caval-
cante .........
Agricultor Manoel Avehno da Silva .
Antonio Pereira BegoJuniot
Manoel Francisco Jorge. .
SI PM.ENTES.
Manoel Balbino da Silva. i .
Hermino Trajano Calla lo ....
Joaquim de Paula Cavalcante .
liernardino Ferreira Bastos .
Chalilo Umhelino Ramos .
Antonio Camello Pessoa de Mello .
Flix Joo Ferreira......
Andr Avelino da Silva.....
Antonio Pereira de Siqoeira .
Jacintho Gomes da Silva ....
Jos Antonio Bandeira.....
Antonio Pereira Rogo.....
Antonio Francisco de Lima .
Eduardo Jos Teixeira.....
Manoel Antonio da Silva ....
Manoel Francisco dos Reis .
Antonio Joaquim de Lima .
Joo Avelino da Silva.....
Antonio Fermndes -la Silva .
Silvestre Antonio de Jess ....
E para constar, de conformidade coa >
disposto no artigo 101) da lei, mandei la-
vi.ir o prsenle cditafque ser lido e affi-
xado nos lugares do cosime, e postado m
capella de Una, e publicado pela imprens-i.
E, 'guaci Cavalcante de Mello, secre-
tario .la mesa parochial, o escrevi.
Mesa parochial 'la freguezia de Una. io
de agosto de 1803. !///-/ \n>ie, P>i
llm reto, jniz de paz presidente da mesa p.'-
rochial.
ELtllAO
dos Ao\ oos que han de festejar torta
so pul i-i a relia S. Fraarixn dr A<*m>.
na kfrc*> lo S. Jts te Hiba-lar.
' pn'siiile anuo de 186.1.
Jniz.
O Illm. Si. Angelo untadla mmar+-
Secretaria
0 Illm. Sr. Ulysses AgBtHo Rantoa i'^mln.
1 i-'^illlell.i
O Illm. Sr. Dejdoi.i Anlaode AllMii|iier.pv> *-n-
IVo. iira.1.-! '-ral.
O Illm. Sr. Leonardo lluliii" .le Fr.-ita*.
I'r.xiira.loivs.
os iiims. ara, :
Jos Luiz de Souza .Maia
Jos de Oliveira a M.-ll-
DafjrifcvM.
OsIllms.Srs. :
Aattfo Jos.- i'iiu,..
Jos MjucI .le l,\ra Jnnior.
Manoel l.e-iiieneo r-r.ii..
Manoel Jos de S. Costa.
Claikhno Jote I.oib- MaNira.
Jiiizes pro(r.|.,i.-
Os llvni. l'adi.- Mermes
Frei Antonio de Santa Hita.
Fre liento de 8aMa Flora.
Padre Manoel Adriano de Albuqnenit* M*M
Padre Albino de i'arvalhol.- --a.
Padre Leonardo Joao Qmmtx
Os Illm-. Si, :
Manoel Coelho Cintra.
Jos.- Kjivdio Ferreira
Jos AnasUuio .! Alliuouerifk-.
Fraiieisco da Silva H.-^o.
Pedro .I.- Alcntara Pinheiro.
mi Jas v. MWIo
Jos.'- Pondngosi Maia.
Jos Miiru.-i de Lyra.
Man.*l Antonio Viejras Jaaiar.
Luiz de Franca Souto.
Juas pn*!etor*
As Exilias. SUS.
O. Isabel E. de Castro Mas . OI\ui|.ia Florida Ferreira dtvHoena.
D. S>iniiiiroiiia 01)'rupia de A. mtm.
D. Felisbella M. de .UMqvraan Maife-
D. Luiza Bernarda C Braaeo Rocha.
D. Ipnez Martins de A. Mel.
D. Luiza Generosa de Oliveira.
D. Mara Francisca das i lianas Ma
D. Solana Leopoldina de A. MeUo.
D. Franeisea Jos>>phina Gnnarie*.
P Catharina de P. r,.taCar.
S
67
3V
na
a
313
50
n-



ii rr:r\/Fil


r-
Dlarlo de Pernarabiifo Tereajelra t& de Agosto de tftO.
------

I). Jesnina Rufina do Frats.
D. Emilia Josephina frego.
Mol'dolllOi.
Os Illms. Sis. :
Joaquini Simio dos Sanios.
Lniz Ferreira do Almeida.
Aguedlo Heraclio de Araujo Pernambueo.
Jos Cardoso Ayres.
Jos Antonio de Carvalho.
Juao Chrysoslonio de Albuquerque.
Erco Ferreira da Luz.
Ludgero A. de Albuquerque Mello.
Elias Augusto de Almeida.
Marcolino Ferreira da Lu.
Joaqnin Antao de Albuquerque >,t""-
Francisco Manoel de Almeida.
Mordomas.
As 1'.vinas. Sras. :
1). Emilia Monteiro Fernanda \ianna
li. (indida Ferreira do Araujo Lima.
1). Anna Candida Ferreira do Lima.
D. Folismina E. de Araujo Pornambuco.
D. Lidia Digna de Araujo Pernambueo. ,
D. Francisca Guilliennina Guimaraes.
I>. Marta Libhia Mendanha.
O. Mara Francisca da Annuneraeao.
D. Anastacia Mara S. Lima.
D. Marta Marcionlla do Paula.
D. Candida Mara de Oliveira.
D. Alexandrina Evangelista, de Almeida.
O vicario interino,
Kr. Antonio de Santa Rita.
"SaMdis no **> Ha.
Ararat v Hiato nacional Sania lUta, capitao Jos*
i|uiui Antonio de Figneirodo, carga dllcrentcs
cenoios.
N.York-Patacho Ingkz WiUum M. l>ilge, ca-
|iito L Anderson, carga assuca algodao.
En s" bella.
O medicamento que com inais influencia e ener-
ga teni combatido essa torrivol enfermidade. tem
sida o xarope ataooco do veame.
Urna escrava da mi do Sr. Francisco Firmino
Monteiro, pessa bem conbocida nesla cidade,
achando-se de cama, e com as pernas bstante ju-
chadas e cheia de tumores, tomando o xarope de
vehlM, acha-se boje boa. prestando serviros.
A mana do Sr. Jos.} Francisco Pinto, morador na
ra Direita n. 51. lendo sido accomntctlidadonics-
nio mal, acha-se tambem boa.
A Sra. D. Senhorinha Umbejiua dos Santos, mo-
radora na ra das Calcadas n. 38, acbando-se ata-
rada de erysipella as' cxas, com quatro tumores
bastante volumosos, no estado indolente, que a pri-
vava de por-se de p lia muito tempo, com o uso
do xarope alcoolieo do rtame o pilulas purgativas
do mosnio, aclia-so reslabolecida. o no uso dos me-
dicamentos os tumores tonninaram pola supura-
oio.
A Sra. D. Hita, moradora na ra Direita u. 6,
seguido andar, solfrondo do mosnio mal ha inuitos
annos, pois que a erysipelb a atacara amudada-
mente. depois que tem tomado osse remedio nunca
mata Ihe deu.
O Sr. Antonio do Espirito Sanio Senna, morador
no pateo do Terco n. 137. sendo froqiiontcmente
atacado de erysipella nos testculos, nao mal Ihe
deu ate esta data : nutras mnitos faetos desta or-
doin iloixo de mencionar aqui para nao me tornar
prolixo e enfadonho.
s.iulo a erysipella una molestia que soin duvi-
da effeito de materia perada no corpo como ex-
poem alguns escriptoros de medicina, o em conse-
cuencia da febro lane.-ula na pello, onde produz
iidlanimacu. o que militas pessoas, por nao so le-
rom conv'oniontemonto Halado, siici-uiiiIm'iii como
pernicioso uso de que, nos tres das nao devem
usar de remedio algum. o que faz se estender o
mal |r nao se ter a principio combatido por is-
80) pois, conveniente que, logo quealguein so
sentir atacado do tal mal, dove provocar a rrans-
piracao lomando ao principio urna eolherinha de
cliailo xarope alcoolieo de veame dissolvdo em
urna chicara de infusan do flor de sahuguoio
(penle, adocando-a cora nata assucar. continuando
nos tres das esse tratameuto, no fin dos aunes
usar do xarope de relame na forma proscripta
no roceituario. leudo todo o cuidado de se abalar.
afini de suar roiivnicutcmcnle, alin lio conservar
o venteecorrenle, que conseguir tomando una uu
diias pillas purgativas do mosmo veame.
Toilos ipiantos siiccuinbem desta molestia so diz :
fallecen ib- erysipella recomida -; ao contrario
algonsexposiloree presumem ser o desenvolvimen-
lo da poiretaccSo no sangue, lano que o lugar in-
llainiiiadoquo," entilo asna cor era encarnada, se
troca era livida on negra e termina om gangrena,
e i por essa rulo que conveniente o tarop al-
cooiico de veame n.i infn-ao de Mr de ananfD,
para se cou-egnir resolver a tamm*e5o, ou polo
menos terminar pela snppnraeiio, impedindo assim
a gangrena.
o< offelosdo xarope alcoolieo de veame appli-
. ado na flor de sabugo ao doente. nao s de van-
lagem por sua qnaiHtada diafortica, como pola
auti-septica, para impedir a putrefaeean as mo-
lestias,
\a orvsipella nao deve o enfermo nos primeiros
tres 'lias' osar de comidase bebidas que posaam es-
qoentare inltammar o sangne.
A comida Amante esse lempo dew ser do reino
i,il. romo sag, farinha do Maranliao, po tor-
i, bolacha, etc.
Anda nao vi expositor de medicina que aeonse-
Ibasse que nos primeiros tros das de accommetu-
ment ao mal, nao se usasse de medicamentos i o
que ellos repelido sao os ungentos, unturas e em-
plastro^ por seren do nalurezas g.-rdurosasqae
obstrueni mais e repeliera do que promovem a
EDITAES.
O Dr. Trlstao de Alencar Araripe. offlcial da impe-
rial ordem da llosa o juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Reeife, capada
provincia do lVrnanihuio escu termo, por M.
Imperial e constitucional o Sr. D. Pedro II, a
?uem Deus guarde, etc.
ajo saber aos que o presento odital virom e
delle noticia liverem, que no da I i de setembro do |
correte anno, se ha do arrematar por venda em
praca publica a quem mais der o seguinte : i casa
na ruada Gloria n. 26, freguezia da Boa-Vista, ten-
do dnas janellas e I porta com rotula, 1 sala e 11
gabinete ao lado, sala atroz, quatro quartos, cozi-!
nha lora e 1 outro quarlo fra, quintal murado
com i portao que d sabida para ra da (Lampina.!
cacimba meielra, por 2:0005 ; I casa terrea na
Baixa-Verde, na Capunga. seffl numero, freguezia
da Boa-Vista, lendo porta e janella, com rotulas na
fronte, 1 sala, 2 quartos, oozinha fra, com 1 ter-
reno ao lado, cercado com madeira, divide de um
lado com o sitio do Matheus Antonio de Miranda e
do outro com Lauriano Jos de Barros c os fundos
com Jos Bernardo do Sena, com alguns arvoredos
de fructo, por 1:200$, as quaes foram |>enhoradas
por exeeucao do curador fiscal da massa fallida de
Guilherme Carvalho & C, contra Joao Duarte Ma-
ginario.
E nao havendo lancador que cubra o preco da
avaliacao aarremataeaoser feita palo piejo da ad-
judieaco.
E para que chogue ao conbeciment de todos
mandei passar editaes que serao afflxados no lugar
do costume e publicados pela imprensa.
Dado e passado nosla cidade do Becife de Por-
nambuco aos 18 de agosto de 1863.
Eu Adolpho Liberato Poreira do (Jjiveira, escri-
viio interino o subscrevi.
IWMlo ('- Alencar Araripe.
0 Dr. Antonio E|>aniinondas de Mello, offlcial da
imperial ordem da Rosa e juiz de paz mais vo-
tado do 1" districto da freguezia do S. Sacramen-
to do bairro de Santo Antonio da cidade do Re-
fe, provincia de Pernambueo, em virtude da lei,
etc., etc.
Faro saber, que na qualidade de presidente in-
terino do collegio eleitoral desta cidade, que pelo
Iaiii. Sr. presidente da provincia me foi remettido
o offlcio seguinte :1* sessao. Palacio do governo
de Pernambueo. em 18 de agosto de 1863.Tendo
designado a igroja matriz da freguezia de Santo
Antonio para a reuniao do collegio eleitoral desta
cidade, que devora ter lugar 30 das depois do dia
il do^orrente, de conformidade com o disposto no
art. 68 da lei de 19 de agosto de 1846: assim o
eommunico Vmc, para seu conhecimento e di-
roccao.
Deus guarde Vmc./. Silveira d Souza.Sr.
juiz de paz da fieguozia de Santo Antonio.
Em ciiiiiprimoiito delle convido aos eleitores das
froguezias de Santo Antonio, de S. Fre Podro Gon-
i;alves, de S. Jos, dos Afogados. de Santo Amaro de
Jaboatiio. da Varzoa, de Muribeca, do Poco da Pa-
nol la o da Boa-Vista, que constituem o" referido
collegio. afnn de ipie comparecam na igreja matriz
de Santo Antonio, no dia 8 de' setembro prximo
vindouro polas 9 horas da inanha, para que pro-
cedan! a offgantaacao da mesa, rerificafo dos di-
plomas o mais actos relativos a elcicao de deputa-
dos geraos, conforme determinan! as tata respec-
tivas.
E para que cheguc ao conhelMmento de lodos,
mandei bsr o presento odital que ser afflxado
nos lugares mais pblicos c publicados pela im-
pronsa.
Itocire. 21 de agosto do I86&
Eu, Joaipiim da Silva Rogo, escrivo que o es-
crevi.
O juiz de paz, presidente uterino da collegio elei-
toral. Aiitmiiii BpamkuiuTtu Pela inspectora da alfandoga se faz publico
que ciu virtude do nao lerem apparerido licitantes
ao leilo dos sois barita com venta de ataatrao an-
nunciado para hojo. lica o mesmo transferido para
o da 27 do correnle, dojiois domeio dia porta da
ini'-ma re|iai'lieao. sendo o peso liquida dos bftrris
1.7:10 titiras no valor do 9H0Ali\..
Alfandoga de Pernambueo 21 de agosto do 1863.
O i" oscripturario,
Joao Antonio da Silva Percira
C'ovreio.
Pela administiaco do corioio de^la cidade se
i. 'beo qu em virtude da convencao postal.
j 'r'.,,--' pelos governos brasileo o iranccz se-
a'oexpodda.- maUs para a Europa no dia 31 do
coii'oiiu, niez, de ^nlonnidade com os auniincm,
desto correio. A* eaj"?s WM *"'ldas ate du;.s
horas antes da que for mT*** {ra a sabios do
vapor, e os jormu-s at i botas Jn,,'!>-
Administraco do correio de Pemmbuco 21 de
agosto de 1863.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
De ordem do Illm. Sr. juiz de paz do L" dis-
tricto da freguezia de Santo Antonio, o capitao Jos
Luiz Pereira, faco saber a quem convicr. que, pe-
rante este juizo s se devora comparecer aos incios
conciliatorios, por outrem, com procuraco bastan-
te passada por tabollio. e quaudo for pela propria
parlo seja recoubecida a sua Orma. nao se admiti
apudactas.0 escrivo. Silva Rogo,
^MB
AVISOS MARTIMOS.
(OHirmiii
DAS
MESSAGEBIES IMPERIALES.
No da 30 do correnle espera-so
dos porlos do sul o vapor francez
Estremtuhire, cemmandante So-
mer, o qual depois da demora do
costume seguir para Bordeaux
tocando em S. Vicente e Lisboa.
Em S. Vicente ha um vapor em correspondencia
com Gore.
A companhia encarrega-se de segurar as mer-
cadorias embarcadas a bordo dos vapores, assim
como tambem recebe dinbeiro e objeetos de valor
com deslino a Londres em transito por Bordeanx
c Boulogne.
Para as condicoes, frotes o passagens trata-so na
agencia rna do Trapiche n. 9.
LEILaO
OE
HOJJB.
O agente SimSee logalmente autorisado far
leilo no dia "cima indicado s 11 horas, ra do
Vigario armazom n. 11, de cinco esc.ravos a sa-
ber : um de nome Domingos, naciio, idade de 38
annos, com offlcio de preparador"de fumo para ci-
garro : um de nome Quirino, crioulo, idade de 13
annos, cigarrelro: um de nome Celestino, crioulo
de 11 annos, tambem cigarreiro; om do nome
Thomaz. crionlo, idade de 6 annos, sem ollicio : i
um de nome Manoel. idade de 10 annos. mulato.!
tambem sem offlcio : todos sadios e bonitas llgn-
ras, ciijos escravos vendem-se para liquida^oj
de tontas nesta iraca.
Assim como una mulata de 22 annos de idade
com dnas crias, sendo una de anno e meio e nu-
tra de oito mezes, cuja mulata serve para ama
por dispor de bastante leite.
LEILAO
DK
Vaccas de leito c-uim cria.
Quarla-feira 2o do rorrcnlc.
O agente Almeida vender om leilao por cont
de quem prtencer cinco vaccas muilo boas lei-
toiras e lidias do pasto, assim como um cavallo
carregador baixo.
O leilao ter lugar na ra da Impera! riz ao vol-
lar para ra da Aurora s 11 horas.
LEIlAO
DE
UM 1M51 IMO.
(|iiari-felra 9B do correle
O agente Siinoes legalmente autorisado far
leilo no dia cima indicado s II horas, na porta
da associaeocommcrcial, de um sobrado de dous
andares e soto em solo proprio, situado ra do
Burgos n. 11: os preteudentes queiram examna-
lo ou informarem-se do referido agente ra do
Vigario n. 17. primoiro rodar, cujo predio vende-
fiOTERIA.
O tlu'sotiroiro das loteras desta provnl
cia, desejjiiidn cxtr.ilii-las em rnaior capita-
e com menores inlervallos, offerecetwoto*
gem de dous pjttr cerdo quem comprar
para negocio, na quantiade l(K)5para cima;
assim como se prope a estabelecer corres-
pondencias para tpialquer locaJidade da pro-
vincia, remettendtt bilnetes, meios e lisias,
ob flanea idnea; devendo o pagamento
delles str feito logo que wjaiu recebidas as
listas e novos bilbetes reraettidos. O the-
soareirocerto da r(ri\fnicticiadesse negocio,
convida aos Sis. eommercianles da Vicloria,
Goiannai, UioFormoso, Naauclh, Serinhem
e mais localidades populosas da provincia, c
mesmo Os desta capital, qae o quizerem, a
en*enderem-se com elle, na fliesouraria das
loterias. ra do Crespo n. 15: advertindo
que recejber em pacamento e sem descont,
os bilbetes premiados de todas as loterias
da provincia recolhidos thesouraria da fa-
zenda provincial.
Thesonraria das loterias, iO dejunlio de i
1883.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues do Souza.
"-Atop-MHH rusa i]uk (eha
ijUitlOM, qinlS1 e orimh, f que a
eiifda df VI i min'u ******:
nesla Ivpo^ruphiasfdir.
Qem precisarHFurna ama parn eimf mm
ca familia, dirija-se a rna diw fWwranpw n B.
Precisa-se de urna
ra da Aurora n. "i.
an de mefc Mmh
Proctoaae da quantia de iOOt p>r lema siis mozos, dando-se por garanta nmn ram
urna escrava : a pe>soa qne quizer faor e-te m-
ocio, dirija-se as (limo l'ontas n. 82, rm carta
fechada com as inteaes A. J. S.
= Aluga-se urna iiHtl.tr.-t t~H-r.iv.-i ipn- lava, tf-
zinha o engomma os prefnwb-nlrs dirijaf-w
ra de Apollo n. 3.">, lorrrtr andar.
Manuel de Souza. autxlito
se para a B-ihia.
foirtiigan.
Preci>a-se de ."^104 a jaros ite 2 01> a *
sobre Inpotlieca om urna escrava rnoal.i t M
annos, a qual engomma l-m < i.irintaoa para mt-
ninos : a tratar com Frederiec Chaves, na ruada
Imperalriz n. 10. omlr est dita e*mrra. e anm-
risadit para fazer dila h\prtlirra.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
J^^ Dos porlos do sul esperado al
o dia 30 do correnle o vapor To- i sopra liquida^ao de contas nosla praca.
cantos, commandanto o primoiro
lente Pedro Hypolito Duarlo. o
qual depois da demora do costu-
me seguir para os portes do norte.
Desdo j recebem-se passageii os e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devora
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro frote at o dia da sabida s 2
horas: agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portes do norte esperado
DK
PR EAIOS
Loja de cera e ob|eeto. de
prata e ouro.
Quinta- feira 27 do cor rente.
O agente Pestaa far leilo a requorimento do
testamentoiro o inveutariante do fallecido Fortuna-
ta Cardoso de (Jouveia epor despacho do Illm. Sr.
, juiz municipal da segunda vara, da armaco da
ato o da 4 de setembro o vapor loja dt-cera o a cora em velas o grumo, lio "de al-
Princeza dv Joinvillc. comman-
dante o capitao tononte Santa
Barbara, o qual depois da demo-
ra do costume seguir paraos portas do sul.
Desdo j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzi. a qual devora juras (volase mais
,1 n n .....I.ilii.iiiiIii til lian l.i .mi nlinl>All> n>nK*
godaoo mais pocloncos da fabrica o perloncea da
loja do mosmo finado da ra da Cruz do bairro do
Kecifen. W). assim como casticaes da piala, sal-
vas, palhiteiro, eolberes para sopa e cha, relogios
do ouro com correte, oratorio, brincos, aliotua-
sor embarcada no dia de sua chegada: encom-
mondas c dinheiro a frele at o dia da sabida as 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A' C.
Rio de tfanelro.
0 patacho Caftutm capitao Bosa, a inda pode r-
ceber alguina carga : trala-so com Marques Bar-
ros &C, Largo do Corpo Santo n. 6.
evaeuaeo da parte; o que
coiivm trazer o lu-
. 1.1, .," -I.. '... v^ .(-.. ---------------------- -
gar atacado o bem agualhado para ajudara trans-
piraco o deflender do ar.
O verdadeiro larope de vtame vndese na no-
bica da rnaDiroitt n. s. de Jos da Silva Pa-
ranhoa.
COMMERCIO.
Alfandega
Rendimento do da i a 22. 333:0954269
[deradodia2l........ 20:4524781
353:5481050
Movlmenio da alftindes.
v"ol Inea entrados com fazendas 12"
, com gneros
Volumes sakidOS com fazendas
> com goneros
139
100
2'.l
Deaearrejpun no dia "i de agosto
Escuna inglezaQme Ihe Hrt-mercadorias.
Bscona dmasnaaqnaaa Spica mercadorias.
Barca inglezamofen* idem.
Lugre inglezEdith -carvao.
Kscuna americanaMaue gneros de estiva.
Polaca hespanbolaVenturacharque.
lniportaco.
Bwona americana Mime, vinda de Philadolphia,
iiiMgnada a Ilonr\ I'orster \ C. manifestou 0 se-
guinte :
" S28 barricas farinha de trigo, 300 (lilas bolacha.
o dta< grata aos mesmos.
Simiaca hespanbola rotatoria, viuda do Monte-
video, consignada a Aranaga Hijo & (',., manifestou
o seguinte:
:.."iOO quintaos de carne secci e 36 couros sec-
eos aord-'m. .
leeenedoria de reudas Infernas
ijoracs de Pernambueo.
Rendimento do dia 1 a 22. 5:t35|073
dem do dia 24......... ^^j^l
27:68l614
Conanlado provincial. 7
Rendimento do dia i a 22. K:M0f45
dem do dia 24......... 5:452*904
K:35910SI
DECLARACOES.
M8VIMENT0 DO PORTO.
Navio sahido no dia 23.
Para^Htata nacional Tino, cdpitto Vf. f?Pereira
Marioho, eanie assucar e carne serca.
Lisboa Brigne portuguez Sotierano. capitao Anto-
nio Agostmho de (Siveira, carga as?ncar e niel.
Rio da Prau-Sumaca hespnhola Amelia, capitao
Pedro Beltran, em lastro e alguns generss.
Navios entrado* no dia 24.
Rio-Grande do Sul -20 das, brigne nacional Ca-
rumh'i, de 17!) toneladas, capitao Manoel Jacio-
tho de Teves, equipagem 12. carga R800 arrobas
de carne ; a Manoel Ignacio de Oliveira & Filho,
I lilil NAL 110 COMMERCIO.
Pola secretaria do tribunal do commercio de Por-
nambuco so faz publico; que nesla dala foi inscrip-
ta no registro competente a galera nacional Min-
tilo de 391 toneladas, propredade de Jos Jao-
qtiim Dias Fernandes Jnior, e da qual mostr
Jo-e Lniz Macedo Costa. Secretaria. 24 de agosto
de vm.
0 ollicial-maior.
Julio Ciuimares.
(mreio.
Pela administraco do correio desta provincia
se faz publico que as malas que deve conduzir o
vapor costeiro ferfinnnija com destino provin-
cia de Macelo e porto- intermedios, foehar-se-ho
boje 23 do correnle, as 3 horas da tarde em ponto.
Conselho administrativo.
O consolho administrativo para lornoounonlo do
arsenal do guerra, tem de contratar o fornecimen-
lo para O rancho da companhia dos menores do
arsenal de guerra nos mozos de setembro e outu-
bro prximos vindouros.
Pao do 4 oncas. bolachas, caf em grao, cha
hysson. assucar refinado de 2.* sorla. manleiga
francoza. carne verde, carne sorca. toucinho de
Lisboa, bacalho. feijo preto ou mulatinho, al-
quoro. farinha do mandioca da torrn. arroz do
Maranhao. azoito doce de Lisboa, garrafa, vinagre
de Lisboa, garrafa.
Quem quizar contratar o dito rancho aprsente
as stias propostas no dia 31 do correnle. as 10 ho-
ras da manhaa. na secretaria do mesmo consolho.
Sala dassemoes do consolho administrativo, para
fornooimeuto do arsenal do guerra. 14 do agosto
de I8C.:
Antonio Padro de Srf Barreo,
(Virnnel prosidonle.
SebattiSo Ammio do Rege Barro*,
Vogal socrelari o.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo, para fornocimonto do
arsenal do guerra, tem do comprar os ohjeoios 80-
gulntes:
Para o 4 batalho de artilharia.
50 bonets de recrutas, 30 mantas de la, 30 pa-
res de sapatos. 250 varas de brim branco, 125 va-
ras de algodozinbo.
Para a companhia de artfice-.
12 bonels para recrutas, 12 mantas, li pares de
sapatos, 60 varas do bnm branco, 30 varas de al-
godozinhe.
Para a companhia decavallaria.
10 bonets sem palla, 10 manas de la, 10 es-
leirs, 10 pares do luvas, 10 pares de sapatos, 85
varas do brim branco, 25 varas de algodaozinho.
Quem quizer vender taes objeems aprsenle as
suas propostas em carta fechada na secretaria do
conselho. s 10 horas da manhaa do dia i\ do
corrento mez.
Sala das sessoos do conseHio administrativo, para
fornocimonto do arsenal de guerra. 19 de agosto de
1863.
Antonio Pedro de S Barreta.
Coronel presidente.
Sebattio Antonio do Reg Barro*.
Vogal secretario.
Correio geral
Pela administraco do correio desta cidade se
faz publico para fins convenientes, que em virtude
do disposto do artigo LIS do regulamento geral
dos correios de 21 de dezembro de 1844 e artigo
9 do decreto n. 783 de 15 de maio de 1851, se pro-
ceder o consumo das cartas existentes nesta ad-
ministraco, pertencentes ao mez de agosto de
1862, no dia 3 de setembro, as 11 horas da ma-
nhaa, na porta do mesmo correio, e a respectiva
lista M aclia desde j exixista aos interessados.
Administraco do correio de Pernambueo 21 de
agosto do 186?,,o administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Para o Rio de Janeiro vai carrogar. sein
grande demora, o brigne brasrleiro Imperador, ca-
pitao Jos Bodrigucs Pratis, recebe carga a frote.
para o que trata-se no escriptorio de Amorim Ir-
ruios, ra da Cruz n. 3.
Para a Rabia
OpalhaboleCiilwWi tem parle da carga, para o
resto trata-so rom Tasso Irmos.
Para a Baha vai sabir com iiiuila brevidade
o voloiro hiato Tuno, tem parto da Barga prompla :
pura o resto que Ihe falla, trata-se com os consig-
natarios Palmoira i\ Holtr3o, largo do Corpo San-
to n. 4, primeiro andar.
Para o aranho e Par
pretende seguir nestes oito dias o voloiro o bem
conhecido briguc escuna Joren Arth.nr. tem a
1 seu bordo parte de seu carregamento ; para o res-
to que Ihe falta, trata-so com os seus consignata-
tarios Antonio Luiz do Oliveira Azevedo A C. no
seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Para o Porto
At o fin do mez pretende seguir o voloiro u
bem conhecido briguc portuguez Mello I.; tem
parte de seu carregamento prnmpto : para o resto
que Ihe falta, trata-so com os seus consignatarios
AntonioliUiz de Oliveira Azevedo \ (",., no son es-
criptorio ra da Cruz n. 1.
i andaros na ra da Cruz
LOTERA
CASA M FOMIM
O abaixo assignado rendeu em seus feltaee bi-
lbetes garantidos as duas sortes de 3:0tn>J e de
1:0005 em meios bilbetes. o oulras minias de H),
403 o 203 da lotera qne se aoalou de oxtrahir a
beneficio da igreja de Nossa Senhora das Neves
de Olnda. e convida aos possiiidore- de ditos bi-
Ihctesavirem receber seu respectivos pranioa
por inteiro sem descont algum em seu estabele-
cimento Casa da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Assim como tem exposto a venda os novos e re-
lices bilbetes da sexta parte da tereeira rotera do
Gymnasio Pernambucano que so exlrahir a 3 de
setembro prximo em sua dita Casa da Fortuna
ra do Crespo n. 23. e as oulras do costme, cu-
jas sortes qu ellos obtiverem serao pela forma pa-
gos urna hora depois da extraceao.
Preco.
Bilbetes inleiros ...*.. 65000
Meios bilbetes...... 35000
Para as pessoas que compraren)
do 1005 pa racima.
Mneles........ SOO
Moios......... 25730
Manuel Mnrliits Fiaza.
I I OHISI %
Harta Janprirn dr laafAam pamvipa a
os sera tregules de lares e Im* on* m
i da ra das Flores para a travessa dr< Kxfmtm
\ primoiro andar do Morad n. 16. m>- fnoai >
i ter grande sortimenlo de tlor- para anfMar r
'. igrejas, o flor.rs linas de toda- as qualiito* Hm*
mai- barato do que em oulra quaLpicr parte : as
siin como aprompia l>.indeij.t" ik- Ih*i> pH ka-
rato proco de 12. 14. 20 c :HhJ. M>mfc, *^tas Ar n
cas arinrw>s e enfeaMaa ram bnuqnH>> ?
vos, rosas > allinin.
l'm homeii'. portagnet, raoao mm \*w* fc-
milia. olTeroco para nr iiiuawi < ailminatra
dordo algum ongeiiho s.-iel> |M*rm da ,
tOBMO ipie anniincia san- l-ni h-r eatrr MI
milito conhecido nesta cnlal id- ha jT.
unios : quem precisar armnrx
i
O aliaixo a asignado i-ni arr.y.i-* e
aguar as roas desta colado pm pi
a- pessoas que qutaereni contratar pWa-
ra Nova n. 15.
Miguel Anltini
varioi
Lenidas Tito I^iureiro, Brasileiro.
para fra da provincia.
FURTO.
LEILOES.
IEIIjAO
nr.
Movis o dividas
e
IIO JE
O agente Simos far leilao no arniazern a ra
do Vigario n. 11. a requei monto do curador da
massa fallida de Manoel los de Faria. o mandado ', ra. engouimadeira etc., 1 molequo do 12 ai
do Illm. Sr. l)r. juiz especial do conimcrcio, de dado, 1 dito de 13 annos bonita ligura, i
urna mobiia de Jacaranda completa em perfeilo.moea sem achaiptos. el
oslado constando do 16 cadoiras com assontos de Ohuda na ra dos Quatro
palliinha, 2 ditas do braco, 2 ditas de bal a neo, 1
par de consoles com tmpo de marmerc, una
mesa de meio de sala tambem com tampo de mar-
moro, 1 sof, 1 seraphina. lanlernas. candelabros,
pratos, chicaras, copos, clices para vinho o chain:
panhe e diversas pecas do lauca que seria enfado-
nho enumerar; lorca-foira 25' do correnle s 10
horas da manhaa. mosmo agente nease mosmo
dia e hora far leilo das dividas da referida mas-
sa. inonlando'ellas a cifra de 26:1385760. cuja re-
laco j so acha em poder do dito agento, para
oxame de quem pretende-la.
1 sobrado mei-agiia de
n. 39:
1 dito mei-agua do 3 andares contigo a aquello
no boceo do Abren n. 6:
4* parto do sobrado de 3 andares na ra da
Senzala Venta n. 70;
Motado do valor do sobrado de 2 andaros na
ra da Crol n. 60;
1 casa torrea na ra Xova de Santa Rita n. 50;
1 casa torrea om olinda na tadeira da Mea de
1S. Pedro a primeira em cima da Mea n. 1.
i casa junto aquella n. 2:
1 casa terrea na rua do llemllca em Olinda nu-
inci.i2l:
2 torcas liarlos na casa terrea na fadeira do \"a-
radouro n. 30.
Todos em chaos prnprio-.
S em duvdaade n. 3o. todos os mai.- esclare-
cimentes poderao encontrar em mi do agento : os
predtas pdem desdeja serem examinados a qual-
Ojuer hora o o leilao ser feito ipiinla-feira 27 do
coirL-iile pcla.s lo horas da manhaa na inesma loja
de cera'rua da Cruz n. 60.
F.m seguida iro a leilo por conta do quem pr-
tencer um sitio na rua da Fuinlico em Sanio Ama-
ro, em chaos proprios, murado por Iros fulos con-
lendodenlro i casas terreas todas com portao para
o largo pmjeclado para a canetta o duas metas
aguas o um alicerce com 32 palmos de fenle e 90
1 de fundo proprio para Bolle se levantar sobrado, o
' referido sitio alin de muilo arvoredo tem um ex-
' relente viveiro o lem sabida com portos para as
roas da Pondicao o estrada do cemiterjo.
lina grande casa terrea com cocheira, estriba-
rla, banhoirodo podra e cal com mais outra casa
a boira da estrada, parte murado o em chaos fo-
roros no lugar Parnameirim, o sitio todo plantado
de arvoredos e grande baixa de cnphn.
l'm grande sobrado no principio da estrada do
Joao de Barros, em terreuo com 400 palmos de
fronte o 2100 no rnaior fundo, em chaos proprios,
com cocheira. estribara, quarto para banho, quar-
tos para criados, agua encanada para a estribarla,
banneiro ecosinna,o sobrado todo fon ado de pa-
pel o pintado a branco o o quintal murado, alin
do sobrado que rica descripte ha mataterreno a po
der sor dividido para differentes edilieacoos poden-
do ser vendido em totes de diflerenles palmos o
que melhorse podera verificar em vista da planta
em mao do referido agento, que est nrompte a
dar as i'Xplicacoes noces-anas bem como amos-
trar os ttulos da legitima posse.
lina escrava mulata bonita figura, boa cosinhei-
nnos do
negra
casa assobradada em
tantos, chaos proprios
com fronte para a ladeira da Misericordia cuja casa
tai do Sr. Jos Nones : para quinta-reir 27 do
rorrente pelas 10 horas da manhaa na loja de cera
j cima indicada.
No dia 21 do corronte. tondo appareeido
Emilio do tal, na toja de ferragens do Sr. Manoel
Bentn de Oliveira Braga, sita na rua Direita n. 33.
donde caixeiroo abaxo assignado, passra a
noile na mohna toja, aliin de offocliiar a compra
que pretenda fazor no dia seguinte. porm ao
amanherer saldr com o pretexto de comprar al-
gnn- charutos e nao voHra. Desconfiando o abai-
xo assignado da boa f do dito Kmilio. fora v.'-r ci
seu reiogio que eslava sobre una mesa e o nao
achou. 0 reiogio do ouro, patente suisso, e eo-
berro, e o correntio com o peso do l3oHavas e3/l
de euro de lei, c o sincte de ouro ralso com duas
podras enearnadas, contando i'm cada podra urna
carranca j sem massa : a quem for offerecid.....i
delle livor noticia, communiquoaoabaxo assigna-
do que ser beinrecompcii-ado.
Lenidas Tito Loureiro.
Iiisiio atril
I na pessoa habilitada n<> n-ino ininwih..
contando mais de 25 anno- ,b nanarai tmrm
na eslalielecer--o de boto na ir- hmh do lte-i
- fe. o por iaeo aeienlilea i.....atmn pnta **
"'-lia- que do-.jam o auxilenlo -.> lHh<-. t-
verlindo ipie encimli nao i- diiminr-
les desvollo- aaomjdaa, que .< itroira *
Ibe lem feili'adquirir. Sol-iiIUm ni.o- iik-B*
bondade do Illm. Sr. delegado bitorridaa'jar-
guezia. lindemos mi--i ib.- -j V
sua lo-idoniia. rua da Cadlii n. li* I tratar r*Oi
o mesmo Sr. detonad i litterari.
luga-so para terifrii tataraa :nn mkm -.
urna boa escrava na na do im[i mVx n. '**.*
Rundo andar.
Knsinn Hr frairr.
lina pessoa rom i pioc-a hal>ili m
dado, piopoe-
senle lngua.
pretendente dirigir caita [e
lete jornal com as ino i.i. (l U
de sua morada. (I ensino -ora (til'
>o con vene tonar, hora de-ia cidade
D. Josepha Francisca Piulo Uiguera Ka-
nas o fimos rogam a lodoso- sera parales
o amigos de seu sempre chorado esposo e
pai Joao Rufino da Silva llamos, pira a----
tirom a misaa qua pelo renonso eterno da
sua alma inandam dizor no (lia 27 do corren-
le na matriz da Boa-Vista 8 horas da roa*
liban.
Jos Ric
a praca i
Kicardo
ac da
A pessoa que desoja fallar a
(mes de rjarvalho, na [ota de livros
Independencia n. 6 o8. pode procura-lo em Santo
Amaro primeira casa depois do Gimnasio, oa se
quizar declare por esto Diario qual o negocio so-
bre que deseta tratar, visto nada ter 0 annuncianlo
com pessoa alguma para dar-so o neommodo de
proeura-lo.
I OU.iiOlIhBlSOS i
H Pode ser procurada das 7 s 10 horas da H
iS maiia r das i da larde em dianlf no |^
VIH Ruado Quehiindo X. 10 |
t;:- 10 da manlia /. i da lardo
^.\.IN llu:i il;i Cruz \. Ih|
jHj r.ura radical e em poueo.- dia- a- mo- c
| lestias syphiliticas e as do apparelho ge- gg
9 oito urinario. H
-o a i ii-in.ii p.olein .iiklil-- ptr
o de lima ni.oc i i i .11 ionio ;
dirixr caita i t\ |--.rjia
o a imte-ac.
OjBr
ni ataaiaa
l'azenda. o annuneiaiiio itbriga jnabmrar a
platicar o ensillo de priliH-ira- Hra-. o gr
tica da lintna nacional._______
Casta 4e ra
Bata para se atasgai cana ite T'mo^i n >>teda
do junto ao palacio do Si hbBO fri-nn* c para a
estrada de Joan de l'ui can gradeaiarolin
iardiiu nfrenlo, o sitio todo murad
arvoredos de fructo a casa tem i ***-
modos, lauto no andat le i r........n cmia. MuiSt
fresca o sadia por ser IihIu eiiiiilnlu d- >Jelia-,
con gallineto ao lado, grande -fc iNaaai-
nada a gas. con casa de banho I
ebeira e estribara, muito ba anjandaw
magnfico o muito nerto da pa-
armazn) da aurora aniante.
Precisa-se de um pr-tpwnn |ra rai\oiro W-
taU-rna : na rua da Senzalla-Voltia n l"'i
lailhKIHI'ORllllE/ m IHIlnV
De ordem do E\m. Sr. pansMaan n taaar^i
deliberativo ~rv. convidado-
Iho lindo, o o< ullimamonio i
sala das respectivas seasans, i>.ir.i a iaa< *>nn\'
conselho | ojanM feira i1' do i i
da lardo.
Secretaria do conselho d. Id i '
Portuguez de l/'itura em IVrnanilKirn t\ ,|.
do 181)3.
A. A dos San** I'
! secretario
- Periniila-so |Mr casas no-i i |
-o vendo um sitio no nalileire pr"
prios, rom grande baiu roai rapim a m
do rio. olara. barro, coin I" rasa
altos para plant.ii'o'- a trJtar na ma la '
ralriz n. 20- ____________________^____
Alicatan.
l'm moco com ortica -irli i
ra lomar por balance alguma lab
bastante platica : a tratar n i
de DoM n. 18.
Na padaria da rua
i caixeiro m nenor idade
' conducta.
II.;.I | I
o que m fiaan
IIOJjE.
Tei'ca-feira 25 ilo corpcnlcs 1(1 btrjii
" Xa rua do Vigario n. II.
0 agente Simoes vender em leilao por oonla
de quem prtencer cadeiras do amacollo, mesas,
cabidos, lavatorios, cama para casal, quadros e
diversas joias de ouro, 1 arroto para cabriole! e
cerca de 500 resmas de pa|iel azul pautado, cujo
ser vendido em um ou mais lotes.
Ii.EIl.AO
OE
i ni,i loja fe ferragens.
O agente Almeida levar novamnte a leilo por
despacho do Illm, Sr. Dr. juiz especial do commer-
cio a loja de ferrageng da rua do Queimado n. 69.
pertencente a massa fallida de Antonio Francisco
| de Souza Magalhos Jnior em um ou mais lotes
i a vontade dos pretendentes.
IIOJE.
0 leilao ter lugar na rnesma loja as 10 horas
do dia.__________________________________________
LEILO
, A 25 do crventem
iio.ii:.
Linden, Wild 4 C tendo de mudar o seu arma-
zom de fazendas para o largo do Corpo 'Santo,
apresentarSo em leilao no dia 25 do correnle por
intervencao do agente Pinto, um completo e varia-
do sortimento de fazendas snlssas, trancezas, al-
; lemaes e inglezas, existentes em seu armazem da
travessa do Corpo Santo n. Vi. onde esperam a
I concurrencia de seus reguezes
[ Principiar s \0 horas.
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA.
Quinla-feira 3 do setembro prximo se
cxli'liir a sexta parte da tereeira lotera do
Gymnasio Pernambucano (3." conoesa5o).
Os bilhetes e meios bilhetes acham-se
vinda na respectiva lliesiuiiaria. rua do
Crespo n. 15, e MM casis commissionadas
rua da Imperatriz n. 4i, loja do Sr. Pimen-
tel. rua Direita n. 3, botica do Sr. Cbagas.
e i ua da Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 5:000/ at 10$ serao pa-
gos urna hora depois da extracf ao at as 4
horas da tarde, e os outros no dia seguinte,
depois da destiibuicao das listas.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
CORA ItMiICAL
lor e lufluuiiuavo no ollio II-
relto.
Sr. redactor. Ku live una dor e inflammacaa
violenta causada de urna pancada receida sobre
o olho direito no ejercicio do minlia oecupacae
linarcini'iroi. e com medo de perder a vista, ao*
pliquei runa chapa medicinal do Sr. Ricardo Krk,
escriptorio na rua do Parto n. 110. e depois desta
applicafo a dr o inflammacao desaopareeeram.
Agora, por vontade de Dos, estou perfeitamente I .^lugn*se um nwiei|ue d.Kia.ie lo a
rostabolecido, e j trakilhando por meu offlcio. na nos. Re e diligente no lai.
fabrica doSr. Lcgor. rua da Ajuda. boceo do Pro-
posito n. 13.Ernest Coranda. _____________
Iloeja-se fallar eom o Si Rrat
de Oliveira a negocia pie aia ifaura
va ii. t".________________________________________
| Alnga-se urna preta para i -I
urna casa i tratar na rua ilo Wiinlcgo i, ;, ,.
sando o berco das Barrearas.
'-
Quem precisar de urna ama livre para cozl-
nhar om casa de homom solleiro. dirija-se a tra-
vessa das Cruzes n. 4, loja de calcado.
.--..... ". ii ~N
TIMIKMtn
Tinge-se com perfei
cor, e o mais haralo possivel:
Kangcl n. 38, segunde andar.
i
INTERXATO
DE
li g Oes
DI
PARTIDAS DOBRADAS
AKITtIFTIC %
TRES VEZES POR SEMANA
TERCAS, QUIMAS E SAIIIUItOS
DAS 7 S 9 HORAS DA NOITE
l'rcr.i 10,000 rs. inoiisaos payos adianladns.
Manuel Fomsec* le Medelros.
contina a dar lefles das referidas materias no
primeiro andar do sobrado da rua nova, que faz
esquina para a CamUo do Carmo, onde trabalha'o
Sr. E. Gftdaiill. As pessoas a ouem o prestimo do
annunciante puder aproveitar dignwn-se procura-lo
ahi smenle nos dias e horas cima designadas.
Alnga-se urna boa casa terrea com hons com-
modos para grande familia, sita na rua do Pooda
Panella, porto do banho : a tratar rom Predoreo
Chaves, na rua da Imperatriz n. i$.
ESTABELECIDO NA CIDADE DO RECITE
l
Director0 bacharcl em matUematkas
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O director do intrnalo de S. Bernardo, aeeedondo aos anties de ranas pasa fc
respectivos rolegiaes, e de oulras pessoa> ik-sla capital, removeu o seu esUUdccimrah>
da Capunga para esta cidade.
Nao tendo evitado esforcos nem sacrificios para proporcionar ao* seus alumm
urna perfeita educaoao physica, moral, intellecuial e religiosa, onerect MtaMo com bastantes condicoes de salubi idade. habis professoros que sao solicrioa en
prepara-los convenientemente ao lun qne so doslinam, medico pratico que Ibes fa^a
comprehender os procoitos da hygiono c Ibes curo das doencas, e finalmente um sacer-
dote Ilustrado e hunoslo que lb.es explique os principios da religiao chrisUia, v^mra qne
assim constituido nao deuai o seu estabelecimento de merecer dos Sr> pues de tosai;
lias o auxilio e couiian?a com que j alguns o tem honrado; e Ibes roga. I<04ii como a
todas as pessoas iv.teressadas, que so dignom do visitar o nwtno seu osial-erermn-nte.
onde senipro enrontrarao franco ingresso.
O co'.'iegio tem a sua sede no espacoso edificio n. 31 rua da Aurora, contiguo ao
do ooltetrio dos orphos.
Nos estatutos do collegio. que estao disposirao de quem c* quizer ter, >f arnam
consignadas as condicSes de entrada e matricula'as drrcTsas antas do Mahcteci-
mentn.



L
II FGVFI
.

-i
r,


385-
PROTECCiO
Msicas far piano e canto,
de todas as torcas e
>n4e-seharalissiai para
acabar.
O NOVO
PROTECCiO
Msicas para piano e canto,
de todas as tortas e
vendc-se baratissima para
acabar.
EiTABBLECIHEMTO
DE
Jos Gomes Villar na ra do Crispo n. 17, c>hQ(lo o mais bem soiti-
do possivel espera merecer a protecco do publico em geral.
Cortes de Ida muito bellos
deliradissimos cortes de lia com barras o melhor uue ten viodo a esta provieia
\\'ipuidis de padrees delicados e milito tiuos a IOO, a 210 e a 280 rs. o covado.
Las de quadros muito chiques a 320 rs, o covado.
Para nonas, temos.
0 rico vestida de blonde com sjia manta bonita e sua grinalda de muito gosto, te-
mos a cambraia de linlio para camisas, temos as saias bordadas, temos o espartilho, te-
mos o balao muito redondo c muito chique, temos os ricos cortes de cambraia ricamente
bordados, temos e bramante belga para lencoes, temos a brelaulia para camisas, temes
a seloria eu o esgnio para os labyrinthos, temos as cavas prelas a Luiz XIV, temos a cha-
pelina a Mara Pa com o seu veo muito chique, temos os ntremelos largos rirameatrftor-
dados come ninguem tem, prnprios para eufeites de roupas brancas. Assim como temos as
fazeudas cima mencionadas e umitas outras, que seria enfadouho mencionar.
Xo se esquecam fregueies, at logo.
Piarlo de Pgruanahwco ~- Tfffca Vira S de lgojato de lftttft.
AURORA
I, u
LARGO DA
BRILHANTE.
s, u
SAMACIUZ.
No grande armazcm denominado AURORA BRILHANTE o respeitavel publico encon-
trar semprejariaf o de gneros por procos e sempre das melhores o milis novas quaiida-
anan
860
ao mercado e por ureco o niais barato que em outra parte :
Carne do sol verdadeira do Scrid a.' 280 Dita francesa embarra a 310 e.
des que va
Marmefada nova a libra. 610
Latas com peixe de escabeche 1000
Ditas com savel, salinao, salmonete <
outros. t |000
fran-
tfttO
640
15500
800
Ditas com fructas portnguezas em calda 300
Duzia de latas de graxa 1200
Frascos com musanla franceza. 180
Ditas com ginebra aromtica. 1000
Ditas com genebra verdadeira de llol-
landa a (ilO c .880
Charutos ainda ha pechincha a caixa
de 300 a.....U'OO
3-5300 Ditos linos som furo de 3300, SJBOOe 2,5000
4.'iOO( Vinhos do Porto caada :c 6$ e gar-
Toucinho de Lisboa arroba 9 e libia. ;tO
Linguicas c presuntos no vos libra. 300
^ Presuntos inglezes para Hambre a. 800
Queijos do serlo libra a 600
Ditos do Reino a 15800. --j e coberlos 25400] Ditas de urna c meia de ameixas
Chhyssona 2,5400 e ->oi;00 cezas.......
Dito niiiidinho muito superior a 28 Dito preto a.....2000| Ditas com figos de comadre i libras a
Dito preto em maros a. 15800] Ditas com ostras para frigideiras
Dito do Rio em latas a 15000,15*00 c 25000 "
Ancoretas com azeitonas novas a 15200
a garrafa e libra. ... 320
Gomma do Aracaty muito alva a libra 100
TajHOca ou farinha do Maranliao a libra 110
Oomma mais baixa arroba 15*00 e
libra......00
Saceos com farinha igual a da Ierra. 60000
Ditos com milito 21 cias a
Ditos com faivllo a .
Ditos com arroz de casca. 15O00J rafa 610 o
Amendoas novas de casca mole a libra 280 j Dito da Figueira lino ranada 15800 e
Copos lapidados para agua duzia a garrafa.....
65300 e para vinlio. 35800 Dito mais abaixo a 15 e
Ditos lisos duzia 15800 e 15200
Maut.'iga ingleza flor a 800 e 900
Dita mais altaixo a 720 e 610
Dito de Lisboa a 35800 e
Dito brauco de Lisboa
e outros ...
careavelos
800
010
300
180
610
Alen dos generes annonciados ha muitos que dcixamdese anuuiiciar ludo da melhor
qnalidade.
'$&:*
DENTISTA DE PARS
19Una \ova-l9
Prederico Gantier, rirurgiao dentista,
faz todas as operaeSes de sua arle, e col-
loca ilentes artificiacs, todo com sqperio-
ridade e perfeiclo, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos denuncia.
I Fugio no dia 27 de julho prximo passado o
escravo Manoel Pinto, motilo, estatura regular,
cheio do corno, cabellos carapinhos c alguns bran-
j eos, un potico calvo, rapa* a barba ; este escravo
1 representa ter 30 annos de idade, pouco mais ou
menos, levou vestido camisa e ceroula de algodiio,
chapeo de couro, e emum saceo levou urna cami-
sa usada, de madapolao, e calca de brim, natu-
ral dos seitOes da Parahiba. e provavel que para
l lenha seguido: |>or isso pede-se as autoridades
policiaes e capites de campo a prisao do dito cs-
1 eravo emandar levar ao engrudo Ifossombd, na
, contarca de Goianhaha, ou no Reeife, a Leal & Ir-
mao. que seo bem recompensados; outro simo
ecisasse le um menino de 10 a 12 annos escravo levou mis rtulos do mu cavallo riue fur-
>. no deposito da padaria da roa do laram, concedido uestes termos:
nao tenha pratica : a
lot iv.'llo n. 31, ainda aue
ir na inesma
A o n. 29.
.W loja ios "araleiros, na do Queimado.
Laas de ultimo gosto, covado a 110 rs.: organ-
s de padrees lindisebnos, varas a 800 rs.; ha-
de arcos 0 melhor possivel, a 35300, 15 e 3 ;
Ipaca de linho para vestidos, covado a 210 rs.;
irabraias de cores para vestido, covado a 280 rs.
unbraieta muito lina, peca de 12 jardas a 75 ;
. ssa lisa peile de ovo, |iee de 12 jardas a 75300.
A o 11. 29.
Voca laja ios btraMrOi, rna do Queimado.
Paletots de merino setim, fazenda de rusto de
205 |, Id o ditos de alpaca preto a 35200; brim
branca lona, vara a 010; brim de cenes para cal-
ea, cavado a 180 rs. camisas com pellos de fustao,
tfiOM: chapeos de sol de alpaca, a 35300.
Ao n. 29. '
X...n 'OJO OS huriili'/Vii.s. rua dn Qiu'imailo.
ara.aeal>ar.
Bh os protO de linho. vara a 120, 100, 210 e 320
1 s.; ricas franjas e trancas pretas e de cores, vara
a lo. 160 e *X) rs. trancas e gatees de lia c de
Igodaa pecas Je 10 e 13 varas, a 200 e loo rs.
troco fina e grosso, peca a ico rs. vestidinhos de
imbrai.i Lordadas. para baptismo, a 25-
JPURTO
.Vi amanheeer da qnarta-feira, 22 de julho fur-
laram entre IgnarasseTabatinga um cavallo cora
os signaes soguintes : quarlo, caslanbo, grande,
novo, e inleiro, tem lamben) urna malba branca na
testa, tres pos calcados de branco, e na perna di-
reita as letras A, J. F. formando um s ferro : por
isso pede-se a qnem for olforecido de o tomar e
mandar levar noengenho hfussumbd eni Goianna,
ou no Reeife a Leal & Irmao, que pagarao todas as
despezas com generosidade; e igual favor pedimos
s autoridades pociaes.
Aloga-se t primeiro andar ear-
iiiHzcm do sobrado de Iros andaros da
ra do Vigario n. .'i, ou loda a casa in-
clusive mu armazom no fundo, que
deila para o caes, apessoa que a quizer
a lugar dirija-so. a ra da Senzala Italia
n. 100,noprimeiro a dar, das {(I ho-
ras da manila a as 3 da larde.
ereira con-
in'ia a residir na na da Cruz n. 53,
i" e andar, nade pode ser procu-
radopara o exerddo de sua profls-
sto iiK'dica. e t"jii aspeeialdade
m.i.iit (i gegafBtfl
Io inoli'sfj.ts .de llios
2o de pealo :
3" dos-OKgiosgeniti
urinarios.
En seu escriptoro os doeutes se
o examinados na orden de suafl
entradas eomeeando o Iraballio .Ins
doeutes de oihos.
Dar consullas lodos os dias das
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
l'raticar Una o ijualquor opera-
C5o que julgar conveniente para o
prompb. ivstalielecimenlo dos seus
doento.
Ainda est para alugar-se o sobrado na ra
-osCoelbos n. 10, onde morara ni os padres lasa-
i i tas.
\ 9RMI9R9B WtmMKK H^H _
Piectsa-se de urna ama de Icito
mas que lenha, quando muito al 6
mezes deconidos na ciiaco de que
se ache eneai regada: na ra cstreita
g do Rosario n. 3!, 3o andar, por cima
armazem de trastes do Sr. Mo-
CASA DE SALDE
Em Santo Amaro
lio Dr. Silva liamos.
nico esiabelecimonto desta natpreza
que existe entre nos, montado do modo
que pode eom lodo o eommodo e zelo tra-
tar qualquor doenle. ijue nella seja reco-
Ihido.
O edificio magestOBO e conserva-se
em porfeito estado de umpeza e conve-
nientemente mobiliado.
Os doontes silo separados, segundo os
sexos, natnreta das molestias e condicoes
ociaos.
ta qoaitos forlicados para as aliena-
dos, e urna enfermara para as partu-
rientes.
O proprietar) encarrega-se de qual-
quer operaei).
O ostabeleeimeiito franqueado qual-
tjuer jiessoa que o queira visitar.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 2$00
Tere-ira dita.... 24000 >
Para que qualqucr doejM sejaa rece-
bido, basta que se mande o nomo do docn-
te e da BOBO* que o remello, com a de-
claracjto da morada.
0 pVoprictario aceita contratos annuaes
coro quaiquer que queira ter um ou mais
leitos sua disposicao.
1
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
i'artdes de visita
(iuioes de visita
Cartoes de visha
l^artes de visita
Hartos de visita
Carles de visita
Cartcs de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
84000 a duzia
84000 a duzia
84000 a duzia
84000 a duzia
84000 a duzia
84000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
84000 a duzia
84)00 a duzia
("asa americana
Casa americana
Ka-a americana
Casa americana
Ra do Imperador
Roa do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
BASCO UMllO
ESTARELEClDO XACIDADEbG PORTO
Af/ales ciii l'ernambuco
Antonio l.niz <<-OJlv( iit
Azeveda>C
Sacara por todos os paquetes sobre o
niesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa Hlial em Lisboa, e agencias em Fi-
gueira, Coimbra, Aveh-o, Vizeu, Villa-
Real, Regoa, Viannade Castello, Guraia-
raes, Rarcellos, Lamego, Covilbaa, Braga,
Penafiel, Braganca, Amarante, Angra,
Ilha da Torcoira, Hha de Faias, Ilha da
Madeira, Villa dt) Conde, Valenca, Bastos,
(Mrvcira de Azemeis, Chaves e Fafe, a
cito dias vista ou ao prazo que se conven-
conar, no seu esenplorio ra da Cruz
n. 1.
NA ARARA
Griindi' e\podran de tazendasde todas
Mut7a altenco
Aos senhores maritimns e agrmHorM. *,ira
o alra-
anae e\potorro e azcnflas tie lonas vez passam por nos ia dcsirrcb*j^ reav
as qaalidffdes; sendo por l.aralis- S^SS^^t,'^^^.n^ *
simo prcGO, naloja t armazem da etuopogoenosdamnos:.^.^ i
Arara ra da Imncratriz n Sfi de troi.ou -erniz d?gaz' ,,M| *" *'
, ,P-"" c appcacoesipie tem na inarinha .:
Lourenco Pereira Sleodes Guima-'pan natar as f..n. -lerrivrift
ri,+a agricultura, destruir radicalmente o nmm at-
..* ___ -.,^. .', .,~i servar as madei ras ise nas danu.-lb' wn i .
A%\ Vffi 9 IM SllA^O \ me, e dar urna daraco infinita Um^L
S"& SSj que fr ronvenicntenH'nte anplicado: na latas*
a. mais de tres caadas a 15300 rada nata -TBk.r
~cndem-se chitas cores fixas, com peque- rs com cerca de seis caadas a 1435%^^?:
no toque de molo a 200 rs. 0 covado, leu-', no armazem da bola amaretta. no oite da
eos brancos e com barras 200 rs., nielas toria de P"licia-
para horaem 120 rs. o par, ditas para me-
nios, 100 rs. o par; na ra da Imperatriz
n. 56, Arara.
Arara vende as eassas a 200 rs. o covado.
Vetidem-se eassas finas para vestidos a
deseja-se fallar ao Sr Andr Alves da Fonse'a'ju- 200 rs. o covado, organdys finos para ves-
nior a negocio que ano ignora.
Na ra do Vigario n. 21, primeiro andar,
Aluga-se una casa terrea no Porto da .Ma-
deira, em Beberibe, com i quartos grandes, cozi-
nha fra, quintal, na betra do rio, ptima para
quom precisar de ir tomar banhos, aluga-se tam-
bem um pequeo sitio no inesmo lugar na estrada
que segu para Olimla adiante do riacho Lava-tri-
pas : a tratar na ra Direita n. 69, padaria.
Na Ponte Vellia n. 10 cosc-sc mais barato
que em outra quaiquer parte.
tidos a 240, 280 e 320 rs. o covado; s no
armazem da Arara, ra da Imperatriz n. 56.
Corles de chita da Arara a 2:000 rs.
FARINHA SUPERIOR.
Vcnde-se a bordo do patacho Soriml e 4 liaa>
Cursor, ancorados no trapiche do ara da> Lmv
mquto. farinha de mamlioea.
ria como de Porto Alegre,
por preco eommodo
anMkjrdo
XOV1 !; 1114 II %.
Na travesea da ra dasCnnes. na takeroa
l.i de amarello n. 6, vendem-se ktrriaamb
Vendem-se cortes de chita com pequeo bohutnba americana a 15*00, a aarr:-
toque de mofo a Ijjl, ditas limpas a 2#, se '("'"''a o comprador: v, levar a bobxiaaa
vende por este preco por ter grande porcf.o, ^"bom estado- d.- grara mam *
.1;.,. K^t, n^lVn n ihh ftft ><** v "'."", melado do preco que so vende a.atma,
ditas ti ancezas a 2.90OO o corte: na ra da -1'--------------- ----
Imneriiri/ Imiili 1 rara n m; \ endiim-se ou arrewlam-se por t miu aawi-
mp 1,1111/.. oja .1, ai a a 11. .>o. [0 n,(Hjiras w eDR)inll()S ltmo t i^m^rrmmk
Arara vende grosdenaples preto a 1:000 rs. cidade da Victoria, aaabos d grande (rodoeei.. e
- Precisa-se de :2005 a premio sobre hvpo- Vendem-SOgrosdenaples preto a I % IrJOO aquelle qnasi prompio a mmw rom agua.
theea em urna casa na ra Direita
vier este negocio annuncie por esta
Aluga-se a loja do sobrado
va, propria para quaiquer estabelecimento
tar na ra da Cadeia n. 62, segundo andar.
remio sobre hypo- veiiueiu-se^nisdenapies prwoaio, 10UUU aqueue quasi prompto a moer rnmagna. Amt-
ete : a quem con- e 25 O covado, dito de i palmos de lam-a ,emsc moradores para o engenta Oarrir-io johi
SS' atra-|3^500e 45; na Iota da Arara, ra da Im- raneas dos foros do Conoe.ro, or.. danaW
\0 C01INEKCI0.
Os abaixo assignados /azem seiente ao publico
que desde odia 31 de julho prximo passado, se
! acha dissolvida amigavelmonte a sociedade que gi-
| rava sob a razao de Villaca Irmao & Audrade;
uando a eargo dos socios, Manoel dos Santos Vil-
laca e Jos dos Santos Villaca, que contiuuain no
mesmo genero de negocio, sobre a firma social de
Villaca Irmao & C, o activo e passivo da inesma
sociedade, e completamente exonerado o socio Joa-
quini Jos dos Santos Andrade, de quaiquer res-
ponsabidade pelas transaecoes ate aquella dala
efeotuadas.
Reeife 7 de agosto de 1863.
Manoel tas Sanios Villaca.
Jos dos Santos Viliaca.
Joaqitim Jos dos Sanios Autlrad
Jos Francisco de Carvalho, subdito portu-
guez, vai a Europa tratar de sua saude.
Precisa-se fallar ao S. "Jos Flix Ri-
beiro de Carvalho, que mora no pateo do
Paraizo, nesta lypograpliia.
m
ALVI(?AKAS A NOVIDADE. M
Slio chegados loja das columnas SK
na ra do Crespo n. 13 de Antonio ffi
Correa de Vasconsellos & C. riquis- 3*;
simos cortes de 15a muito fina com B
barras estampadas e matisadas Im- S
peratriz Eugenia, cores as mais deli- |
cadas como sejam: cor de ganga, de
lyrio, cinza etc., fazenda fnteiramen-
te nova e nunca vista em Pernam-
buco.
Precisa-s(! alugar annuahnente um sitio |>cr-
to da praca, com boas accommodacoes, e que te-
nha bastantes amores de fructo, e baixa de capim
para 3 ou 4 cavados, preferindo-se com banho de
agua correute : trau-se em Cruz de Almas, sitio
de portao de ferro encarnado.
Aluga-se a casa terrea da ra Imperial n.
66 : os pretendentes diriam-se Caixa Filial.
Joao da Silva Ramos, medico pela l'ni-
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa, na ra Nova n. 30, das 8 s 10
horas da manhaa, e das i s 6 da tarde, e
recebe egnahnente convites para dentro
ou fra da cidade, com o litn de se enear-
regar de quaiquer servico de sua prolls-
sao.
Os chamados deverao vir por escripto.
"j 3*500 e U; na loja da Arara, ra da Im-
peratriz n. 06 de Alendes Guimares.
Cortes de lia da Arara a 3:600 rs.
pie so incumba
dos foros do Conoeirao, or.,
casa para morar e torras para tralialhar de grara.
Vendem-se cortes de laazinhas para ves- ^^^^^^m %'.
tidos a .{$GeO, oh! (|iie pecliincha, laazinhas nos, por preeode I4, paadm ai mrn pan >
para vestidos, linas a 400 e .'iOO rs. o COva-: gnho : quem a pretender dirija se a raa a
do, ditas de quadiiuhos a 320 rs. o covado; ('r,u n" l""'iro an,lar
ATTEiNClO.
na ra da Imperatriz, loja da Arara n. 36, de
Mondes Guimares.
Oh! que perfiladla a HtO rs.,
chita* largas.
Vendem-se chitas francesas com pequeo
toque de mofo a 20 rs. o covado, ditas
linpas, linas a 320, MO e 400 rs. o COVado, "os armazens da ra de Apollo ns. > :|0 jua*> a.,
riscado francez a 280 re. o covado: na ra ll"'a"'0-_______________________
da Imperatriz 11. 56 Arara de Alendes Gui-
mares.
Arara wude o madapoln a i.000 rs.
Vende-se farinha de mandioca em sarra,
viuda do Pinedo, a 45300 a sacra, asao boa para
escravos |>or ser de muito ereH'imenio aa raa
Direita. padaria n. 60.
L'al de isboa
chegada ha pnaao, o de u,a v^*v ^>
Potaswa aairioaal.
Vende-se superior |iota>sa do Rio de Janeiro,
mais nova que ha no mercado, a proco ninitu
modo ; no largo '
Vendem-se pecas de madapolao francez fi- Manoel Ignacio (
no, enfestado a 4/ e l|S00, ditas ingtezas
com vardas. finos a 7 j. IjfBtiO, s>, is e
iikhIo ; no largo do Coip., Santo. saripiJri de
doOliveira A Filho. n. II.
A abaixo assignada, casada com o Sr. Manoel
Romao de Carvalho, tendo feito publicar nos tlns
de marco, e principios de abril, deste auno um Imperatriz 11. 30 de .Mendes (iimarie
annuncio em que prevena o publico a respeito do' \rara vende OS ertes de ffjf-
olassa da Kn*ia.
Acaba de chettar 110 navio Qn^m >( ike FUri. a
lOl a peca, Ireguezes a (.'lies antes que se mais mi|htoi potassa da Russia. vende-*- a
acabe ; na loja e armazem da Arara, ra da preco eommodo no largo doijirpo Saa*>, eserin-
torio de -Manoel Ignacio de Oliveira FinVi. a. I.
modo porque o dito seu marido pretenda espolia-la
de todos os bens do casal, para reduzi-la a mendi-
gar, lingindo dividas, e provocando exeeucoes. para
mira a '#000.
Vendem-se cortes de casemira entestada
negar ao fin a que se propoe, acaba de ver no .de cores para calca a 2$, tambem se vende x p,.,',!,
JV-M do commercio, pondo em pra^a a casa de sobrado 1 a ft rnv.,,in ., ..Miv.cti.ln enm I 3/, tv, <&'
de um andar n. 131, sita na ra Direita fuico i ,> C0Nd0 L tn,tSlaua. con
llom nesorin.
Vende-se una talierna coiii pouros uwttx "i
um lK.ni local da fivguozia de S. tm\ <> ntutiv 4a
venda se dir ao comprailor quom a prtmaW
l<>ja le loma froaoe
Vende-se una ptima vaeca parida : na *n-
cruzilhada de Beliem, taberna do Andr.
bem que resta ao mesmo seu casal) por cxccncao:uma ca,C3 e sae multo barato: na loja da
de Mello 4 Irmaos, e porque tem justos motivos Arara, ra da Imperatriz ti. .'ili de Alendes! Vende-se ou permutase algum escrav. *
para contestar a divida, que serve de motivo essa' Guimares. | mea idade para Barrio de campo, rnn .afceM
Alugani-se a loja do sobrado n. 193, e arma-
zem 171 da ra Imperial o armazem n. 4 da ra
do A[K>Ilo, e a casa n. 27 da ra do Burgos: na
ua da Auroran. 36.
U HJHP:
H C'onipauhi fldelidade de
:l;\ seguros inaritimos e ter-
|g| restres estabelecida 110
V-J Itiode Janeiro.
ly ACE.NTES EM RTNA1IBCCO
gg Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k t!.,
S competentemente autorisados pela diree-
]jg|( loria da companhia de seguros Fidelida-
jgi de, loinam seguros de navios, mercado-
35 lias o predios no sen escriptorio ra da
E8 Cruz n. 1.
Alien cao
Os administradores da massa fallida de Basto 4
l.enio.s convidara aos respectivos credores a apre-
sentarein'seus tilulos at ."i do crrante mez, na
casa da ra do Trapiche n. 34, para se proceder a
devida verificaao.i:
execucao, appressa-se a protestar, como protesta,
contra ella e contra a mesma execucao, para re-
salvar o seu direito contra os exequntes, e qual
quer licitante, que por ventura baja de arrematar
aquello sobrado.
E faz publicar o presente, para que em nenhun
lempo allcguein ignorancia.
Reeife, II de agosto de 1863.
Bernardina Bosa de OUoeira Lima.
Col vis da
a
i:s -\'o armazem do sal ra da Coneeieao u. 6. ha l
scravos para alugar, assim como vendem-se al-
guns.
Arrenda-se um sitio com muitos arvoredos
de fructo e lugar para pastagem de vaccas, sem
casa, perto do Reeife, 00 se d para tratar median-
te algum inleresse que se ajusfar; para ver e fal-
lar em S. Jos do Manguiiho junto a capella do
mesmo nomo.
Precisa-se de urna escrava para comprar e
cozinhar : na ra do Queimado n. i, loja.
No fin do seclo passado ou principie deste, pro-
vavelmeute no tempo das guerras da repblica ou
do imperio francez. Antonio I'ereira, filho de Fran-
cisco Pereira, natural da ilha da Madeira, que di-
zem ter sido negociante em Lisboa, de sociedade
com Wanzelex, mandn construir em Bayonnc de
Franca um barco, no qual embarcou na primeira
viagem para os Acores com seus dous irmaos loa-
quii Pereira e Jos Pereira, mas na chegada a
ilha de S. Miguel, querendo salvar o porto pegou-
Ihc fogo no paiol da plvora e voou tudo pelos
ares, morrendo muila gente, e entre elles o dono
do mesmo barco Antonio Pereira, salvando-se po-
rm os dous irmaos Joaquim e Jos : passados an-
uos, Joaquim Pereira foi ilha da Madeira, onde
contava esta catastrophe, e dizia que tanto elle
comoo irmao andava viajando por diversos paizes.
Depojs disto para c nunca mais se soube dos dous.'
e nunca mais escreveram, mas dizia-se ano um ti-
nha casado na ilha de S. Miguel, e que o outro rc-
zidia na provincia de Pernambueo, onde se suppoo
(tue morreu. Ha grande interesse em se saber no-
ticia destes dous irmaos, e qual deltes morreu em
Pernambueo, e onde morreu, e quem, vista das
nformacocs supra que supponho exactas, poder e
quizer communicar, annuncie por esta folna para
ser procurado, e retribuido, no caso de completa
satisfaeo do pedido.
Maniwl du Souza, subdito porlugaez, retira-se
para a Hahia.
20# de graliflcaeo.
I'ertfou-se tuna chave de burra no caminho da
ra da Cruz, pela ra do Trapiche, Corpo Santo,
ra da Cadeia Velba, jiassadco at a cocheira do
Sr. Paulino, e del, passando'a ponte da Boa-Vista
at a ponte de l'choa : qnem a tiver achado e qui-
zer traze-la 1 esta tvpographia, ser recompensado
com 204000.
ZAMORA.
DRAMA. HISTRICO PELO DR. THEBERGE, NO
QUL NAO INTERVEM PERSONAGEM
FEMENINI.
Na ra Nova n. II vende-se a l$ooo o
exemplar.
Aluga-se
o segundo andar da casan. Si da ra da Cadeia
do Reeife, cometido .> portas de frente, i salas, 2
gabinetes, 6 quartos e cosinha fra : a fallar com
Jos.'' Mana Svej na ilha dos Ratos, ra do Seve
casa 11.16.
Alugani-se 3 quartos c una salla no bairro
da Boa-Vista, com commodos para pessoas soltei-
ras, tem agua e quintal, tudo por muito eommodo
preco : a tratar na rua dos Pires 11. 84.
\rara ;i\ el ludadas
Vendem-se ricas colxas aveludadas para
cama a 8$, ditas de fustao de cores a 55,
ditas de chita a 2-5: na rua da Imperatriz
n. 96, Arara.
Arara vende as eambraias.
Vendem-se cortes de eambraias de barras
a 2$, vende-se camliraias lisas para vestidos
a 20500, :i/. 3400 e / a peca, linas, ven-
de-se cortes de cambraia bancas com palmas
solas, com I vara de hurgara por 3.>.*>0O o
corte: na rua da Imperatriz lujada Arara
n. *>(> de Alendes Guimares.
Oh! que grande peelilncha.
Vendem-se pecas de ricos ciscados liau-
cezes enm l covados para vestido a (K) rs.
o covado, organdys para vestidos a 300 rs.
o covado, chalina para vestidos a 4io rs. o
covado. laa para vestidos a 200 rs, o covado.
cnbertas de damasco para cama a MI; na
rua da Imperatriz 11. .*<; Acara de Ifendes
Guimares.
Venham resgatar seus
psnhres.
Quintoiro A- Agr fazem ver a todas as
pessoas que tem penhores em seu poder
que os venham tirar at o lim do corrente
mez, e nao o fazendo, os vender para seu
eiubolc,o ; e para que nao se chamem a
ignorancia, fazem o presente aviso, alm dos
que leem feito particularmente. .
Precisa-se de urna ama para comprar
e cosinbar ; na rua Nova, n. 38, loja.
com cubera o jougo. "de patento, minio 0BJB*>0
macio, arretado, eom ravaflo an tem di pre-
lendonte dirija-se a anea do capim. atra? a raa
Nova, cocheira doThomaz. onde*se acha.
Vinlio) piar*.
No escriptorio de r'uzebio Rapha'l Ral.--I," m
rua da l^adcia n. .Vi. vendem-se ancoretas rosa n-
cellente e puro rinbio limo da Udan, lanaaBl -
tinado para gasto de casas particnlar-'s |> 1
metiido pido proprio fazemloiro o jarrador.
Vendem-se duas casas terreas o um -
silos na rua de Santa Thereza ilefroiile do cutiagw
do mesmo nomo, na cidade de Ofinda : a traXar-9
no Itecife na ni.i il.i r.:nl.i.i n
VjENDE-SE
nina rasa terrea, edificada em rbes
refres, na rua de Jege da Bola i.
2S,nmi 2salas, 2quarlesjesinha fra
tM|iiinlal urand*, niMlendo as frenlfs
de pedra e cal l os oites de laipa : a
tralir na lra\cssa Vlnho do Porto superior.
Vendo-se eni eaivas de una duzia n>>
rio i|e Antonio l,n7. IiIimii a A /vi-dn ,\ '
Cal ile Lisboa e polassa da
Kussla.
Vende-se na rtfirdaOh-ia do 11. -. i /. n. :': pan
onde se inudot o amigo o aiwediado .!:
mesma rua n. l. anauM os gneros lia nove e
legtimos, o s,- vendem a pr......niai- Uira* l |
outra qualipier parle.
Arara vende os bales.
Vendem-se os mais bem feitose moder-
nos baldes americanos de 20. 2.*, :}.'i c 40
arcos a 3300, -5, -5-iOO c :;*, u'mguem
deixar de andar sem baleo que o preco ja"
convida: na rua da Imperatriz loja ta Arara
n. 50 de Mendes Guimares.
Roupa felfa e chapeo*.
Vendem-se uniformes completos de case-i yrmnVi no ni gnindc iurnao rom un adn
mira ingtezas de boas cores a !()>. veude-se ptimo para faier-se nmpxrolleay haoa
palitots de brim a 2S:iOO, ditos linos a ty, l:1 :l margem da estrada da Victoria e r.ni
.1.. ..,.,; ..,., -it'-u 1 1 :. DOVoaeao de santo Amaro. ei>ntoinl>> >_
de meta casemira a 3WM, calcas de mota [..,.,,.;, ,,.,, viMM.;M ,,,., ,, ,,,
casemira escura a 2% ditas mais linas a 3#, mtw, drija-se nesta tmm ao 1, nvimaador da
seroulas de linho de bramante a 1G00 e casan. 4G da rua do inq 1 -.ui >___________
1-5800, camisas l'rancezas a J4000 e I/81M). "~T*~ ._ .
ditas linas a 2-> e 2)9500, ditas de linho com A SS UCCU* (10 MOtl Cl rO
pregas largas muito modernas a 35, chapeos Ra do Imperador n. 2S e cae, de \|,
de maesas de cores e pretos a 1^000 15800. 7,, ot rs. a libra, a de I libras para .-rn
25 c 25300, isto e mais que |iechincha; na a 5/J8OOaarroba.
loja e armazem da Arara, rua da Imperan iz
S
M
m
f ahaixo assignado tendo-se rehabilitado, e
ai nando-se de posse de sua massa faz disto seiente
seus devedores, tanto desta praca como do mato
nini de que quanto antes lhe madem pagar o qu
ihe devem alim de evitar dcsp.?zas iudiciaes. Re-
10 de agosto de 1863.
l.uiz Antonio de Souza Rbeiro.
rt abaixo as-gaado julga conveniente fazer
publico que nada deve a pessoa alguma, tanto nes-
ta provincia como fra Jella, quer soja por letra ou
conta de Jivro, vencida ou por vencer, ou por ti-
tulo de quaiquer natureza, o; se por ventura al-
guem se julgar seueredor, api*esent-se emseu
armazem ua travessa do Carioca n. 2. qon ser
inmediatamente, pago : outro sm declara desde
j ser falso lodo e pialquer titulo 011 letra que por
ventura appareca com sua firma, visto que se
acha nuiles, tanto neJapraca como tora dola- Re-
eife 12 de agosto de 18o.?-
Jote Augusto Je Araujo.
Aiga-se por 20JI a easa da rua do Corredor
do Hispo n. 18 C. com 2 salas, 3 quartos, quintal
murado : a tratar na rua larga do Rosario, talier-
na defronte da botica do Sr. Bartholomeu.
Precisa-se de um moleque para vender na
rua: quem tiver dirija-se a rua de Hortas n. 106,
que se dir quera quer.
Appareceu em i do corrente mez, no sitio
junto aocemiterio publico, um cavallo comcanga-
Iha : quem for o dono, dando os signaes do inesmo
lhe ser entregue, pagando as des|>ezas.
Maques sobre Portugal.
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portucnse nesta cidade, saca cf-
fectivanipiitc por todos os paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
quaiquer somma, vista e a prazo, po-
dendo logo os saques a prazo seren des-
contados no mesmo banco, na razao de i
por cento ao anno aos portadores que as-
sim lhe convier : as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 31.
Joaquim da Silva Castro.
n. "ti de Mendes Guimares.
Tarlaf ana da Arara a IOO rs.
Vendem-se tarlatana de cores para vesti-
dos a 400 rs. a vara, fil de linho de cores
para moSQUetelro a 100 rs. o covado, enl'ei- iaixas de fcfm e.ia.io de:;. ti 7 paim..
tes para cabeca de senhora a lv :!> e \ P01'll,cns i"'|,,:i> queem primeira nwio : a tratar
os mais modernos (pie tem .-begado. tapetes ?K's. ^^ *N* "" *
tara salas por 54 cada um. loailias de linlio
rara engenki
Vende-se uma meia moenda de forro 1
rodetes da forro, parafinoa, bromes todos
pertences para inoa^oni de canna. 3>-un tmm i
Desappareeou da rua do Arago, casa n. 1 i,
uma cachorrinlia branca do reino : quem a pegar
ou der noticia certa se rocompensar com gene-
rosidade
[para rosto a 040 rs., ditas peluda a 15. o
melhor que lia em toalhas : na loja da Ara-
|ra, rua da Imperatriz n. .'iti, de Mendes Gui-
mariies.__________________________
Vende-se um flegro de meia idade, tem ro-
, busto, proprio para quaiquer servico, sabe cozinhar
i o diario d'unia casa, e tambera sabe Iwtar canoa :
na travessa do Pocinho n. 26 sobrado.
Cal de Lisboa
a mais nova do mercado : na rua do Vigario n.
19, primeiro andar.
POTA 8 KA-
\ ende-se potassa do mu *upcriur i|nali>la proco eoniiiHxIo : no largo do Owpn Sani.
torio de Manoel Ignacio de Oliveira & Filio u. 19.
Vaccas de leile
Vendem-se vaccas de leile, unas panda e (Mi-
tras em vesperas disto : quem prelemlrr eMea-
da-se na rua do I.mmenlo n. 31. soguiHlo
COMPRAS.
Cobre, lati
bola amarella,
rador.
Corapra-se
e chumbo velho, no armazem da
no oitao da gaz (da rua do Impe-
chegados
Cnu n. 2.
Sellins inglezes
casa de Izidoro, Nelto & C, rua
da
Kua da Seazalla Aova 0. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., dem de Lowl
Moor libra a 120 rs.
Roga-se ao Sr. Joaquim Luiz dos Santos ouei-
ir a rua do Vigario n. 21 a negocio nuc nao e-
rai
ora.
negocio que nao ig-
Compra-se effectivamente ouro e piala em
obras velhas : na praoa da Independencia n. 22 lo-
ja de bilhetes.
- Joao Caetano de Abreu, s,,',Iici'ado1r1.dos a-
dtorios desu cidade, faz seiente iC V\Mico,^ con
especialidade aos seus clientes e amigu.1* ^^' ,
dou sua residencia para a rua da Praia de ,anla
Rita Nova n. 49, onde morou o Sr. Dr. Buaro>ie>, .
engenheiro da estrada de ferro, onde sempre acha- \C Stia lllOPatla 6 Ondfi sft pode eucOH-
I'ao, das fi s 9 da manhaa a dac .4. Hd lorda
diante.
Koga-se a pessoa pe leve a bon-
dade anouncar no Diario de 7 de julho
rnitno passadi o leile da aore de
nrui contra as moleslias de pelies,
lenia a uondade de declarar o losar
VENDAS.
las 6 s 9 da manhaa, das i da "larde em |. au- H|V0rC
CARRO AMERICANO
.5-Kua da lmperalrlz--5.
Vende-se um carro americano de 4 rodas novo
c para duas pessoas, descoberto, com arreios ou
semei.'s- tambem se vende, um cabriolet forrado
e pintado'de .?vo preco raz3'.'p'f
Cavallo.
Ha para se vender na cocheira do Sr. .\dolpho
Bourgeois um cavallo o mais bonito possivel, mui-
to bem ensinado e muito lindo : a tratar na loja
do Sr. Germano, relojoeiro, n. 21.______________
ATTTK V AO.
Vendem-se na rua das Larangeiras n. o, pri-
raeiro andar, excellentes parellias de cavallos.
AH
aos arttas tornearos
Leitr uurinimmx
Todos os dias da? 6 horas o meia daiuaoka ali-
as 8, acharan os fregnetes b*ao inlciranioiMe atar,
no largo do Carmo, na calcaib junio a noto a.
Potassa da Rassia.
Vende-se em casa tic N. 0. Bieber C,
successores, rua da Cruz n. t.
Cola da Baha
Tem para vender Antonio Luiz de Obrara Jae-
i vedo, no sen escriptorio. na da Cruz n I
~ I ARELO
Rua do morim n. 13.
Vende-se fareln de Li>lma em sarew
com K) libras, pelo barato prero de 4J.
c%lT>klisbo%
Vende-se-cal nova de I jsboa : ao larpo do Cor-
po Santo, escriptorio de Manoel Ignacio de OtiH-
ra & Filho n. 19.
Cal de Lisboa
Vende-se um torno para tornear torcaes, vindo
de Franca, com todos os seus pertcnces: quem
pretender fompjar,
numero SS.
Cal virgeni eliegada hoiitem en ancorotae
to bem acondicionadas e por preco roaaawda
dirija-se n rua da Imperatriz antigo deposito da rua do Traprlie a. 13, a
7m de Manool Texoira Basto.
D->


. ;a i i i -
1II FfX/FI


I lar I o de Pernatnabnco Taflelrn 4c Agonto ale &8.


NOVA EXPSITO i 'CASEilRAS INGLEZAS
a 1,700 /.*, otfr
Vendem-SD >%rte3 di; casemima escuras par
calca, pelo barato preco de 1*700, tanilwin se ven-'
"|80
na loja do Pavo, de faieaas bara-1
Ussiinas.
dem das mesmas a 480 rs. o covado, proprias para
NeslC estabelecimentO acha-SG constante- paletots e coltotes, etc. s na loja do pavao, ra
raenfe um grande sortimento de fuendas >imperatrfn.-60, de Gaiua* silva,
de gosto e de priraeira necessidade, sendo
tanto proprias para a praea, como para o
malo ; de todas as Taemdas dao-se Iivros de
amostras, deixando ficar penhor, ou man-
8KIII ECSUMllO.
QINQUILH ARIAS.
Ra do Queimado, ns. 49 e 55, lojas de
Jos Bigodinho,*queram ver ver as fazendas
45-RUA DIAEITA--45
awsiada, coragem.! parece quej
it
dam-se levar em casa das familias pelos ca-
xeiros da loja do Pavao.
JLifag com h palmos de largura,
na loja do Pavao.
Vendem-se lazinha enfestada propria para
vestidos, com 8 palmos de largura, sendo
fazenda raais moderna que tem vindo ao
mercado pelo baratissimo preco de 1)5(600 o
covado: s na ra da Impcratriz n. 60, loja
do Pavo.
qoeabaixoannuncio, pois todas eu garanto ^"J?** vos3 mf7a0S du")? fK
! que sao muito novas e baratsimas. i do P**? ^fr*Mfo da nossa cidade I
Pe cas de trancas de atgodSo de to- s!sf V 9 em **' P* botn acalca-
dasascresa....... 80 "j.e astate a ultima sola; sapatoes
Vende-se linissimo organdys matizado com os rjn/'ns delinhas COin 200 tardas \- rasgaban Bonas
assentosi ..' ,_ !
GRANDE PECHINCHA
Vende o pavo, organdys a 360 rs.
com
mais delicados padroes miudinhos
brancos, sendo neste artigo o mais moderno que
lexandre, a
1010o (lueWdira nao deve ehegar at este pon-
jqq to ra Direita munir-vos de exeeH
80 ,onleakado com 40 e at 60 por cento
)sl i
i menos wreeu valor.... attendei:
Caaaas a SIOO rs. o covado.
existe no mercado, sendo fazenda que sempre se, Carritel de qualquer numero
vendeu a lfOO a vara, e presentemente vende-se Varas de aspas para balSo .
a 360 rs. o covado: s na ra da bnperatm n. 60, ,^3 CQm suprior obreias a 40 .
ojadopavlo, de Gama & Silva. Ditas de colla ', 40 K0lzegmns, Nantes, bezerro e va-
CHITAS ESGUSft AS
a 2,200 e 2,640 rs., s o pavo.
Vendem-se cortes de chitas com padrSes escu-1 ..
ros, tendo o 1/2 covados a ifMO, e cora 12 1/2 ^im e pacotesde papel amisade de
covados a 2,5640, c pechincha e vende-se por este
preco era razao dos cortes seren em mais de um
' pedaco : s na loja do pavao, ra da Impcratriz
1 n. 60, de Gama & ilva.
Pares do botes de punho a
1 Pares de sapatos de tranca
1 Ditos muito superiores, a
cores a. ....... .
Duzia de meias muito finas para e-
nhora.a........30500
Duzia de ditas cruas para homem a 2400
Vendem-se cassas francezas de padroes Liazlnhaii a OO rs. o covado. Baralhos muito finos para voltrete a
miudinhos e cores fixaspelo barato preco de Xa |0:a do Pavo. Carriteis de linlia com 100 jardas a
200 rs. o covado; ditas unas a 340 e 320 ,. u.... Carines de linha branca e de cores a
rs o cnvjln A na mi ,U imnor*ir7 n KO Vende-se laazmlias de cordaozinho de urna so ~ V Uld"td f/,7, i
Ka if b V Impeatnz n. 60, !cdr) ^^ a2u, c|aro .{m[ e M.me cor dc Novellos de linlia com 400 jardas a
caf claroe escuro, alvadio, roxinhas propriaspa- Ditos muito grandes com 800 jar-
loja do Pavao.
Organdy, a tiors. o covado,
na loja do Pavo.
Vendem-se organdy de cores matisado, fa-
zenda que val muito mais dinheiro, pelo ba-
rato preco de 240 rs. o covado ou 400 rs. a
vara: s na ra da Imperatriz n. 60, loja'
do Pavo.
O Pavao vende os modernos ves-
tidos balo,
i'om barras Alaria Pia, sendo os mais
modernos que que tem vindo ao mercado,
rom a sata de um s panno, temi bastante
fazenda para o corpo, e vende-se pelo barato
preco de 3r$500 cada um: esta pechincha
s existe na ra da Imperatriz n. 60, loja e
armazem do Pavao.
\<>v pechincha dc las entesta-
das a -fOO rs. o covado.
S n Pavo.
Yendem-sc laazinhas entestadas transparentes
com delklados padroes sendo de urna s or com
listras e quadrinhos e vendem-se a 400 rs. o cova-
do : na luja do Pavao ra da Impcratriz n. 60 de
Gama 4 Silva.
120' Rrct* 2 e meia solas .
IJ280 **',Z08uiis, Nanto6j bezerro, \a-
I 600 ('uea e 'usti'e 2 solas. .,
(Borzeguins, francez e lianiburguez,
qqq bnzetTO, lustre c couro de poi-
co 70 e........
Sapatoes, Nanles, bezei'ro e vaque-
ta 2 e meia solas.....
300 Sapatoes, Nantes, vaqueta, lustre e
30; bezerro 2 solas......5 000
20: Sapatoes, Nantes, solve vira.
00 Ditos para menina, com laco.
Ditos de ditas, de cores.
84000
60000
.>>:;oo
ra luto, sendo fazenda que val muito mais dinhei- (|3S a........{0 .Sapatos para senhora e homem,
4-5000
3,5500
20800
Car loes de linha com 200 jardas (est
se acabando la...... 60 Sapatos de borracha para senhora.
Vara de fita prela com colxetes para | dem tdem para moninas. .
vestido, e tem um resto parda a lOO^P3** Je lustre para senhora. .
Idenvde lustre as avessas .
ro vende-so pelo diminuto proco di 200 rs. : s na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Os manguitos e gollnhas do
Pavo.
pechincha, a 320 e a 100 rs.
Vendem-se golinhas de fil, bordadas, a
400 rs.; ditas de cambraia, a 320 rs.; cal- M H f I fWftlTlflM)*
cinhas para meninas, a 300 rs.; manguitos, TT mjrmMW^wtm
a 500 rs.; manguitos com golinha, a 800 J<*<>a tlntnra e msica.
reis; manguitos de cambraia. a 520 rs.:*s Na ra do Queimado, ns. 49 e 55, est
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo. i qoeimando ludo pelos precos abalxo decla-
O Pavo vende .- irados' prestem toda a attencao para ver
^^%\,
-X-
800
10400
10000
10000
500
. A GRANDE CUBA
Ptlfl TOMAS AS MOLESTIAS DO
BflHHl i FIGADO E U ESTRAVHAS.
VRMAZEM DE MOLHADOS
<
3
H
A
w
^

e

w
O
&.
e
H
"3
9
O
4
as
w
6 h
H
>

s
99
=P

cortes de laa a 30 e 30500; ditos com 22; Duzia de facas e fos muit0 finos a um
tovados, a 50j so_na ra da Imperatriz n. | Dila dila dila de6 cabo prel0 muil0
finasa.........30200
- Hila dita dita de balanco, melhor.a 50500
Tesouras para costura, muito fi-
nasa ....... 400
Ditas ditas para unhas, muito finas a 400
Cartas de alfineles de ferro a 80
Ditas ditos de lalao muito finos a 40
Ditas de dito grandes.....120
60, loja e armazem do Pavo.
XO ARMAZEM DE MIMAS DAHATAS
DE
Cortes de cambraia, a *#.00.
na loja do4P*avo.
Vendem-se cortes de cambraia brancos com
SAITOS 1 Oi;i !!<>
Ra do Queimado n. W.
Vende-se o segnlnte :
Cobertas
de chita da Imlia, a 2:ooo rs.
I.i'nrni's de panno
dc-ttiiho, a 2:ooo rs.
LenoOes de bramante
babados, a 20500; ditos, a 40; ditos com de inho, de um panno s, a 2:8oo rs.
barras e babados de seda, a 30, 30500 e 40;
Tonllias alrwhoadas
Caixasde phophoros de po
Grosa de ditos do gaz a .
Duzia de dito dito a .
Massos de palitos para dentes a .
Livrospara meninos todos cheios de
calungas a
s na na da Imperatriz n. 60, loja e arma- para mo, pelo baratissimo preco deSaoo Abotoaduras para coletes a
10
20200
200
ICO
320
160
AS
zem do Pavo.
Cortes de cambraia chineza, a
t#. na loja do Pavo.
Vendem-se ricos cortes de cambraia chine-
U, os mais modernos que tem chegado, sen-
do brancas com lindissimos padroes, pelo ba-
rato preco de 40 cada erte, tendo- bastante
fazenda para um vestido: isto s na ra da
Imperatriz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Baldes a 3500, s o Pavo.
Vendem-se bales americanos que sao os
melhores, tendo 20 arcos, a ,'10500; ditos
de 30, a 40500: ditos d.> i<>. a 5-3 : ditos
Escovas para roupa.muito finas a 400,
500 e.........
800
PECHINCHA.
rs. a duzia.
Ricos M'siiilinims
de seda para meninas, pelo baratissimo pre-
Co4e 4:000 rs.
lencos dc soda
pele barato preco de l:ooo rs.
Saias de fustao
pele baratissimo preco de 5:6oo rs.
Lcnf.s dc ranihraia Perfumara de superior ijuulidade.
brancos finos, proprios para algibeira, duzia 0 rival sera segundo, ra do Queimado,
a l:8oo e 2:ooo rs. ns. 49 e 53, est disposto a vender mais lia-
Lenros de cassa rato que nunca vendeu, para o que queirara
inissimos, proprios para algibt'ira, pelo Ira- ver :
ratissiiao preco de :4oo rs. a duzia. Duzia de sabonetes finos a .
Cortes de calca | Sabonete inglez, o melhor, a .
de bramante, a 30500 e 4ft; \ito ra me-'lc 8^ MttaraU*. de listas e de quadros. Frascos com agua de Colonia muito
ninas, a *S e a 30: s na ra da Impera- t;'*''la ipeiw, pe,-harati-imo preco de fina a .......
t:2oors. o corte. Ditos de dita graude a ....
Pecas de madapolo | Ditos de Lavande ambreado, o me-
largo superior, pelo baratissimo preco de j Ihor, a........
8:ooo rs. Ditos de macaca oleo muito bom a .
Pecas de bretanha Ditosperola muilo superior a .
dc rolo cora lo varas, pelo barato preco de Ditos de oleo de babosa a 240, 320.
3:2oo'rs. j 400 e.........
Pecas de cambraia Ditos de banlia branca a .
pelo ba- Dito de cheiro muito bonitos a .
na
trix l 60, loja e armazem do Pavo.
Corte* de chita, a #500.
loja do Pavo.
Vendem-se cortes de chita cora 12 Ij2 co-
vados cada um, a 20500; ditos cora 10 cova-
los, a 20: cortes de cassa miudinha res fixas com 10 covados, a 20; ditos de'
organdy matbisado cora 10 covados, a: de salptcos, fina, com 8 1/2 v
Piiuias Vegetis Assiiraradas
De Kcmp
Compostas dos dois novos resinoides chama-
dos PODOPHILINA C 1.KPTANI1R1N V, C ntCr.1-
mente livres de Mercurio ou outros venenos
minoraos ou metallicoi:, sao de grande utili-
dade nos paizes clidos cm cazog de
DISPEPSIA, EWCHAQUECA,
Constipacao ou Prizo do Ventre,
PABECIMENTOS DO FIGADO,
AffccCjes Biliosas,
HEMORKHOILS, CLICA,
Ictericia,
FEffiE GASTRO-HEPATICA,
E outras enfermidade anlogav
Ellas viio rpidamente Rubstituindo os ant'gos
. purgantes drrticos.
venda as boticas de Caors & Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo & C, ra
00 da Madre de Dos.
uio GUARDA 3A-
CIOA'Ali
Xa ra iroita n. 88, ha um uniforme completo
4(1 tumi LEH.
l'iidoo BALl/.A dado osen balant.'o no ultimo de jnnlio passado, e dr*yaMi t*
novar o magnifico sorimicnto de sou IJRANDE ARMAZEM, chama p<\ +
attencSo do respeitavel publico para os pircos dos eneros ahaix* meaooitads, qmrm
verdadeso os mais razoaveis que se pdeuiachar, attenta a sua boa quattdade.
Soldado voluntario do batalliao progrcssisla, o' BALIZA o honutu r i
ment." Elle piule pois, aossens bous camarads, que sao lodos os mmijc* c, .**m, c
favor de nao lhc darem tun minuto de descanco obrigando-o a v.-ud. i
Desta sorte o'BALIZA vivir contente e contentar tanibem aos seus freu> \- wk>%-
do-lhes sempre generosamente, etalvezque ainda por precos mais razoatd .
Ameixasem frascos devidro, a 10500.
Ditas era caixinhas com lindas ligura?, a
1/200 e 20400.
Ditas em latinhas, a I0OO.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra..
Arroz (Carolina), primeira qualidade, i
rs. a libra.
Dito do Maranho, a 120rs. a libra.
Azeitonas novas de Lisboa e Porto, a 10
1/200 a ancorla.
Azeite doce refinado, a 800 rs. a garrafa.
300,800 6 10 o frasco.
Marmelada acetenle a ii r.
Ostras americanas (esedla |"t'- Ki
rs. a lata.
PasaM a 400 rs. a libra, mi
120 Presuntos de Lamego, a 300 i
I dem inglez para tiamlire vindo dt
da, a 800 rs. a libra.
dem americano, a 500 rs. a ln
Peixe de Lisboa Inglaterra e Aan
parado conforme a arte dc ci -i ta-
tas de 2 a 3 libras.de I03<;'
Phospboros do gaz, a ifOOt a m
Dito em barril, a 640 rs. a garrafa.
Dito de carrapato, a 3(50 rs. a garrafa.
Arroz cora casca, a 30 a saca, cora 20cuiasjQueijos londrinos ebegadns n>> \> <
e a 240 rs. a cuia. I a 800 rs. a libra.
Ancoretas americanas dc 6 e 12 garrafas, jdem dem chegados no penultim. ht. a
muito bem fabricadas, a 10 cada unta. i 640 rs. a libra.
Araruta muito fiua, a 480 rs. a libra. dem flanengoe ebegados no riOi
! ,JI400.
1 dem dem
i piri
Btalas em gigos a 10380 e de 30 a 40 rs.
libra.
720
160
400
500
2400: snama da Imperatriz n. 00,
ilo Pavao.
loja
.%s easemlra do Pavo peehln- Iha de meza, a 2:8oo rs. a
rato preco de 4:ooo rs. Ditos de banha, pequeo, muito fina
Atoalhados dc litilio ..........
cora 8 palmos de, largar proprio para toa- Ditos de bpiaia a 2"o rs., e boa a .
Bolacbinbas americanas, a 30 a barrica e
240 rs. a libra.
Biscoutinhos inglezes. em latinhas, a IS300.
Biscouto lunch e soda, em latas de a 9 li-
bras, a 20 a lata.
Banha de porco. a 560rs. a libra.
Balaios liamburguezes muito lindos, ile di-
versos tamaitos e por preco razoaveL
Caf do Rio, a 280 e 300 rs. a libra, em
aiToba, a 80200, 80500 e '.)/.
Ceblas, a 800 rs..o cento e 10 o mdlho.
Gba perola, a 30 a libra,
dem bisson, superior, a 20800 a libra.
dem chumbo, a 20000 a libra.
dem ltysson, soffrivel, a 20400 a libra.
dem ltysson, menos soffrivel, a > a libra,
dem preto, magnifico, a 20 a libra.
0800 rs. i
libra.
cha a 5ft.
Vendem-se cortea decasimirafranceza para
alca, faceoda mui*o lina, padroes claros e
escaros, aAJoeorte: sna loja do Pavo.
i ta da Imperatriz n. OX).
- na ra da Imperatriz n. 80, loja do Pavo.
Fustao do Pavo.
Veodem-sfl fustao com lavr miudinhol
para roupa de meninos, a 320 rs. o covado ;
vara.
Toalha
de Imito para meza, a 3:000 rs.
Baregc
ile lindos gostos, pelo bando preco de 48o
rs. o covado.
Ksl.'ira da India
propria para forro de sala, de 'i. 8 e t pal-
mos de largura.
O gallo cania qiiaudo recebe.
Ditos de banha japoneza a .
Ditos de banha transparente a
Ditos de oleo filoconne a .
500
00 tara guarda nacional de cavallaria, composlo de .m PKin' me"' s"Pt'lin .1
faidao rico, calca, Lairitina, etc., c pequeo uni-
c,nr\ forme com ^P^3'et<'-, sellim inglez, etc., tudo dem preto, soffrivel, a 10600 rs. a libra
-ou novo, c que se eede por coramodo proco. Tara-i dem nacional, a 1/800 a libra (em lalasi
000 bem na uesiiia -asa existe urna armavao de loja,ku. nvinn..| .. (am '" lsa '
800 propria para qualquer estabelcpimento. !', nai!onaL a ,^()(K)- lll":l-
dem nacional, ordinario, a 10 a libia
RIVAL
SEM SEGUNDO.
ObjectOM diversos.
Ba do Queimado, ns 49 e 55, vende os
objeclos abaixo declarados, pois para ac-
brim de linho ,l, miadrnhos para roupa del^g'^'^'^J?!!,^; bar; estes precos nao sao para continuar,
_:_.. v,.,w L .........-----!....i: !< s para sa- masas nesessidades assim o permitle.
720 ------------------------------------------------------_
" FAZENDAS BARATAS
27Kaa do Queimado27
NA
meninos, a 60 rs. o covado: gaugueltmjljsftzer a bons freguezc?
de urna so cor, a 320 rs. o covado; popelina GratxinhM
de 13a, de quadrinhos encarnados e pnetos,
para vestidos desenhoras e roupa de meni-
nos, a 10 o covado : s na roa da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Os paletots do Pavao, assolirecasacado a 12:000 rs.
Vndenme paletols de panno, sobrecasacas
80
preta, a 50; ditas de casemira de cor, muito
lina, a 70 e a 50500; coletes de casemira de
cor e preta; paletot de casemira de cor,
a 70; tudo isto para apurar dinheiro: s
ua ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Cartea df cachemira da Escocia, a 2:000, na
loja do Pavo.
Vendem-se esta nova fazenda muito encor-
pada a imitaco de casemira, tendo padroes
escures e alegres, afiancando-seque n3o des-
bota, a 20 o corte para talca, ou580rs. o co-
vado para paletot, colete etc.: s na loja do
Pavo, ra da Imperafliz n. 60.
Fazendas brancas, na loja do
Pavo.
Vendem-se pecas de madapolo enfestado,
francez, com 20 varas, a 80; ditas com 12
jardas, a 40; dito ingle muito fino, a 70,
70500 e80; ditos muito superior, a 100;
ditos de 40 jardas muito fino, a 4.0800 e.a
"i0QOO; algodozinho muito encorpado, a
40800, 50500 e 60; bretanha com i pal-
mos de largura, muito fina, a 10 avara;
pecas de cassa de cordSo para babados, com
6 varas, a 30500; ditas com 12 varas, a 70:
Pechincha, a SOO rs. o corado,
so o Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas
enfiestadas, transparente, tendo 4 palmos de
largura, e sendo lizas e de quadrinhos, de
urna s cor, propria para vestidos e capas,
a 500 rs. o covado: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama Suva.
Pares de I uvas de algodo finas a
Caivetes de aparar penas, de 1 fo-
t chegado um bonito sortimento deslas Iba a .....
gravatinhas, tanto para homem como para Ditos de 2 ditasa .\ .
senhora que se vende pelo baratissimo pre- Caixasde colxetes francezes a. .
co de 500, 800 c 1,000 rs.:s no Vigilante.; Duzia de dito francez a ....
ra do Crespo, n. 7. Massos com grampos lisos e de Cara-
Piroiteiz, col a........
i chegou um grande sortimento Duzia de dedaes de metal em cari-
bellos, J nba de vidro.......320
lo ba-1 Tinteiro de vidro com tinta superior
a........
Capellapara noiva. Ditosde barro que serve para tin-
Tambem chegou um rico sortimento de teiro a
capellas brancas, cousa muito chique para Grosas de botes' de loca praieado
noivas, pelo baratissimo preco de 5,000 rs.. Pegas de tranca lisa encarnada a
6 000 rs., 7,000 rs. e 8,000 rs. ; s no Varas de bicos e rendas, para aca-
Vigilaote, ra do Crespo, n. 7. bar a
Fiua de velludo e de seda. Varas de labyrnlo d 3 dedos d
largura a...... ,
Caixas de folha com phosphorosa
Tambem cnegou um completo sortimento
de fitas de velludo de n. 6 a n. 200; assim
como um rico sortimento de filas de seda, | Ditas de pos para dehlesa
lavradas e lisas de todas as larguras e qua-! Pentes de tartaruga a 30000 e
lidades por precos que adrniram; s no
Vigilante, ra do Crespo, n. 7.
Bico de seda e linho.
Tambem chegou um bonito sortimento
de bicos, tanto de seda como de linho, as-
sim como rendas finas e da laByrinto, que
seus precos faro admirar aos meus fre-
guezes ; s no Vigilante, roa do Crespo,
n. 7.
Franjas prlas e de cores.
Tambem ha as riquissimas franjas pre-
tas largas, proprias para as lindas capas 00
manteletes; assim como brancas e de cores,
que seus precos tambem os pretendentes
se admirar3o, por que sempre nesta loja se
vender por precos muito rasoaveis; s no
Vigilante, ra do Crespo, n. 7.
100
40
100
30500
Xova loja de Custodio, Carvalho
<& < onipauhla.
Fustao franeez
para vestidos de senhora c meninas, fazenda mui-
,to lina e pelo barato preco de MOrs. o covado.
Finas camina-as organdys a 340 rs. o covado.
Bales
de arcos, de todos os tamaitos, pelo preco de
3ti00.
Calcinitas
oq bordadas para ni. ninas, polo barato preco de 23200
ia cad um Par-
"SI Laazinhas
W matizadas finas para vestido a iU) rs. o covado
300 Cuberas
de chita a 2000.
Lences
de panno de linho a 25.
Toaibas
de fustao, pelo barato preco de 400 rs. cada urna.
Caroisfubas
de cambraia para senhora a }&.
Golinhas
de linho para senhora e meninas a 640, 800 e 13.
Sortimento
de meias para menino? e meninas.
La/inha
preta para vestido a-SOO rs.
liiiardananoH
adamascados a 2 a duzia.
40
160
100
160
20
60
PAPEL
de cores para listas de eleltores
A aguia branca suppoe que nao faz mal em offe-
recer aos athletas uns pacotes com 231 folhas de
paiicl de cores, que pode servir ptimamente para
listas de eleitores, e lano melhor por distar cada
pacote o diminuto preco de 15500, e ser cada um
de urna s cor, o que' dHHcil de encontrar a nao
ser na ra do Queimado, loja d'agnia branca n. 8.
Xa mesma loja tambem ha dc outras quabdades,
branco e azul, assim como anvelovee.
ROUPA
Champagne, marca aguia, de sunermr |iia-
lidade, a (iiO rs. a garrafa e 70 o gigo,
com l garrafas. Quem deixar de be-
ber champagne por lal preco.'
Charetos de hviitas marcas e a precos bar*
tissimo.. sendo que ha de 800 rs. at
0 o cont, vindos do Rio, Babia e de
Hespanha.
Chocolate suisso .de Usboa e francez. a soo
rs.e 10.
Chouricas o salpicoe, a 6i0 rs. a libia.
Conservas inglezas, a 800 rs. o frasco.
Ditas fracezas, a 500 rs. o frasco.
Cognac inglez. a 600, rs. a garran
caada, a 10.
dem engarrafados, a 800 rs.a garrafa.
Doces, ora lindos vazos de vidro. da
tas mais esqnisilas da Europa, a 10 o
frasco.
Dito de Lisboa, em latas, a SOO rs. a lata
Dito de goiaba, a 610 e 800 rs. o caixo.
Ditoem latas muito proprio para presente,
garante-se sua durarn innalteravol por
mais de anno.
Farinha de Maranho, a 160 rs. a libra.
Dila de trigo, a 140 e 160 rs. a libra.
Eructas francezas de diversas qoalidade, em
frascos de vidro, preparadas em alcool,
proprio para podim etc., a 0. o frasco.
Gomraa do racaty, a 100 rs. a libra.
Dita do Aracaty, a 40 rs. a libra.
ni
vidro. das fruo-
egados no ponti'i
20000.
Sal refinado em vazos de \idin. ., g ;<.
Iden idom era vazos de loma. 1 M
Cen'eja das melhores man-
mercado, ai/, 40500, '>-. <*>. Je
6/500 a duzia.
Sardinbas de Lisboa preparadas r. -e.
a 640 rs. a lata de grande lama
dem de Nanles. a :(HO rs. a lali
Sabo amada 120. lio. leo. ik>. J*h
240 rs. a libia.
Tinta preta nacional e inafeu* -
garrafa, e 2M rs. o bolo.
Toucinho de Lisboa, de mais \wr :i0 ra. I libra.
dem de Santos, a 80 re. i lib: i
dem americano, a OOrs. a libia.
dem inglez secco do funieiiu. m, -.. nut
todos os presuntos, a > 10 n l
Vasaonras americanas ninitu ntda:
a (iiO rs. cada nu,.i.
Vellas de Buerios-AMes mi M
libras, por 6/.
dem de carnauba e 1 omposirSo,
rs. a libra.
Mera do Aracaty, a 100 ra. a 'il
dem stearinas. a t'.OO e 810 re.
dem spermacete, a 10 a libia.
Vinlio Ligrimas melhor qualidade 1,,,, 1 aje n ., tt.$so
mercado em garrafas brain a-
do autor em alto revelo n
previiie-se aos apreriadores 1
ero ha hoje grande i'alsi'.
dem engarra la 11 os, vindo parte
pria conta de divena -
Ihores adegas do Poeto o l.i>i lar-
cas: Madeira, Camies. Chain -
sia. Careaveflos, Do
Iros, e espera-se todos os -
lidades, a 800, 10 e 10280 a
dem dO Porto Kalisa ,1 610 1-.
dem de Usboa o Pigoeira vndu m
a 6/ de 8 a !) caadas.
dem do Porto em garrafSea lia
garrafas, por 20500.
dem da Eigueira em garra/Tx-s .!. ; .
garrafas, or 01OO.
dem de LisboaRgaeira de :>a. Mt. ;^n
e* 560 rs. a gnala, e ean bra
abatimento.
dem Bordean engan-alada, illi a
garrafa, em duzia a 70500.
Vinho do Porto muito lino em catas
garrafas, a 80, 100, l0e I' roe-
Ibores marcas que vom ao pane rjdn.
s> I i a
^ Vende-se na cidade de Olinda, ra de
S. Bento, um sobrado de um andar e soto,
com grande quintal murado e porl3o ; tam-
bem troca-se por casa no Recife, ou em
outra qualquer parle; quem o pretender,
dirija-se ao convento de S. Francisco na
cidade de Olinda, a tratar com o reverendo
guardiao.
Para o bom Um.
Cliegaram i loja das columnas da ra do r.res-
po n. 13, de Antonio Cocra de Vasconcellos tt C,
novos cortes de vestidos de laa a polaca com bar-
ra estampada de matiz, gostoa inteiramente mi>
dernos e cores as mais lindas que se pode desejar
bem como : cor de laranja, ganga, violeta, solferi-
no, cinz.i, magenta etc., etc.; para designar o mo-
delo do vestido a cada corte acompanha seu figu-
rino. Na mesma loja acaba de chegar pelo ultimo
paquete francez riquissimos cortes de vestido de
seda de cores com ramas malisadas soltas e ou-
tros de moreantique adamascado, fazendas muito
encornadas e do ultimo go-to para
mentos etc.
Na ra do Queimado n. 43, esquina que
volla pwa a Congregacao ; pechincha.
Paletots de casemira a 5, 6, 7, 8,12 e 140U0,
ditos de panno preto e azul a 9, 10, l, 16 e 18*,
ditos sobre-casacos de panno muito fino por 24 e
28i5. ditos de alpaca preta e de cordao a 4, 8, 6 e
7$, calcas de casemiras de cores a .1, 6, 7 e 85,
ditas pretas a 6*800, 8.9 e 10*. paletots de fustao
e ganga a 2, 2*800, 3 e 4*, calcas e cohetes de
todas asqualidades enor preco muito barato, len-
ces de puro Ifnho a preco de 400 e 3*, cober-
tas de chita a 2*240. eollariiihos de linho puro a
600 rs. cada um, e outros miiitos objectos que s
vista ; e para Uso e pede a atteneo dos fre-
guezes.
Graixa em latas, a 120 rs. e a duzia. 1/300. Vinagre de Lisboa em garrafes i
Genebra laranja, em grandes frascos, a 10.
Genebra inglesa, marca gato, a 10200 o
frasco 011 garrafa cora rolha de vidro.
Garrafes vazios, de 640 a 10200 cada um.'
Kirsck-wasger, bebida esta de um valor inox-
timavel, em vasos esquisitos, a 10500.
Licores inglezes e francezes dos melhores
fabricantes, a "jOO e 800 rs. a gnala.
Linguas americanas de grande tamanho (em
5 garrafas, a 1*200 com o g.-i
Avenas a 200 re. a iibra.
Arroz da India a 100 rs. a libra.
Biscoutos de Lisboa em latas, prapnr ara
doentes, a 10500 e :10 a lata.
Batatas a 80 rs. a libia.
Copos lapidados para agua a 60 a da .
Chumbo de todas as grossuras a ?'> a ..rro-
ba.
Caf muido de superior qualidade 1 Mtj n.
a libra.
calda), a 1/.
Massas para sopa, em uixinhascom 8 libras.
contendo 5 qualidades. por 30500 a caita iF, e "nno muit0 pi'^prio para anm
CEBLAS
Itua Vendem-se ceblas novas e grandes,desembarca-
das hontem, pelo barato preco de 800 rs. o cen-
to ; a ellas, que estio se queimando, mearon a tro-
co de cobre.
Ceblas superiores em resteas, a cinco
baile?, casa-1mil ris milheiro no Caes da alfandega n.
armazem.de Tasso & limaos.
Ditas para sopa, estrelinha e pnide, a 560
rs. a libra.
Dita de tomate, a 640 rs. a libra.
Manteiga ingleza era potes de 10 a 16 libras
a 800 rs. a libra.
dem dita flor a 10 a libra.
dem de 2a qualidade a 800 rs. a libra.
dem de 3a qualidade a 640 rs. a libra.
dem para tempeiro a 400 rs. a libra.
dem franceza a 640 rs. a libra, o em bar-
ril por menos.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
Mortosda ingleza em frascos grandes a 800
rs.
dem franceza em frascos grandes a 500 rs.,
Mlhos inglezes dos melhores fabricantes a
Farinha de trigo em barricas e meias, :e to-
das as marcas e qualidades.
Genebra de Hollanda em garraPV- com t
caadas, por 64500 com o garnafi.
dem idem em frasquera rom 12 fr-scan,
por 6/500.
Manteiga tinissima enralas corteado i
bras liquido, por 10800 a lata.
Queijos flamengos a 10600.
Bap princeza do Rio: grosso. men gutt
e lino.
Tambas das Ahfas a l2orrnln. IM
rs. cada tima.
Vinho branco de Bordeam (Saubr*- j H
e 100 a duzia, e 840 a 10 a garrafa





I II UflMUl



MMVMMiM

DtoH je Fgrwilio^o Tgrf jaira ta de 4jf d* 13.
GRANDE E COMPLETO SORTIMENTO DE MOLHADOS
c*
o
o
k3
Ct
1 4) 0 s
3 55 g
c g 5
o 55 55
t i-55 a
1 a -a V. O 5
o W e
j *-
Jf 30
O o
55 -t a
tJ t
g
o -O t o O 55 C5 55 c t
"t as o 55 r*
55 3 # o 55 < s 55 i -55 t t t t
~a o O 55
O a -=- t
s u t"
a, n t J
t
55 - 55 O 55 5 t-
5 55 t O h
55 8* t ! Cr t t
55 o 3 55
o w 55 O t"
t o. o 80 t "t
55 i 6 t O 0 O
55 *J S
55 g 55 t t se | t 55 i
o o
t s o a. a a t
O 1
8 "t 55
** ^*
^. rfT C
"^ ^
i t 55 55 t
Vinhos en pipa: Porto Figueira e Lisboai a
4oo, 44o, 5oo e 56o rs. a garrafa, e em
caada a 2,56o, 2,8oo, 3,ooo, 3,5oo e
4,ooo rs. do melbor.
dem lagrimas do Douro, especial vinho do
Porto mandado vir de conta propria a
lo,ooo rs. a duzia e 4,000 rs. a garrafa.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado, das seguintes marcas: Duque do
Porto, Feitoria, Nctar, Velho Seceo, Cha-
tnisso, Madeira superior a 9,ooo rs. a ca-
xa e l.ooo agarrafa.
dem Bordeaux das melhores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Esteph e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
dem muscatel de Setubal verdadeiro a 2,ooo
rs. a garrafa e 22,ooo rs. a caixa.
Garrafes cora 5 garrafas de vinho do Por-
to do Alto douro a 2,2oo rs. com o gar-
rafo.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira.
muito proprio para a nossa estacao, por
ser mais fresco a 2,4oo rs.
Vinhos velho chamisso em barril muito pro-
prio para sobremesa por ser muito claro
e macio a 6oe rs. a garrafa e 4,5oo rs. a
ranada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 5oo rs. a garrafa e 3,8oo
rs. a caada.
Garrafes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa al,2oors.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e l,4oo rs. a caada.
Velas de spermacet a 6oo, 64o e 68o rs. o
masso.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
54o rs. e em barril a 5oo rs.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado.
Banha de porco a a4o rs. a libra, o em bar-
ril se far abatimento.
Queijos do reino ehegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, l,8oo, 2,ooo e 2,5oo rs. cada
um
dem londrinos os mais frescos que se po-
den desejar a 8oo rs. a libra.
Caf do Rio de Ia e 2a qualidade de 8,ooo a
8,5oo rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz caroliuo e do Maranhao a 3,ooo rs. a
arroba e loo rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
em porc3o ter abatimento.
Caixinhas de ameixas francezas de i 1/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,5oo, 2,ooo, e 3,ooo rs.
Fructas em caldas das seguintes qualidades:
ameixa, rainha Claudia, cerejas, pero,
ginja, pecegq e alpech a 5oo rs. a lata.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 6oo rs. a libra, e em la-
tas de 1 l/t e 2 libras.
Ameixas francezas em frascos de 1 1/2 e 3
libras de l,4oo a 3,ooo rs.; tambem ha em
latas de l.ooo e 3,ooo cada urna,
Cha huxim miudinho mandado vir de en-
commenda especial a 2,8oo rs. a libra,
garante-se a boa qualidade.
dem hysson o mais superior a 2,6oo rs. a
libra, afianca-se ser igual ao que regular-
mente se vende a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem preto muito fino a l,9oo rs. a libra.
dem mais baixe, e miudo proprio para ne-
gocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Genebra de laranja a 9oo rs., a frasco.
Chouricas e paios, os mais frescos que se
pode desejar, a 5oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e lo,5oo a caixa.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8oo rs. o frasco.
Licores franeezes das seguintes marcas: A-
nizetc de Bordeaux, Plaisir des dames, e
outros a t.ooo rs. a garrafa e lo.ooo a
caixa.
Passas muito novas a 6,ooo rs. a caixa e
36o rs. a libia, ha caixas, meias e quartos.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode '
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs.
a libra.
Azeite francez clarificado a 76o, rs. a garrafa
e 9,ooo a duzia.
Conservas inglczas dos melhores fabricantes
Mixed e Plckles, ceblas simples, e outras
a 8oors. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. o pote.
Mullios inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5o rs. cada urna gar-
ra 1 i n ha.
Vasos inglezes .vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de l.oooa 3,ooo
rs. cada um.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oo rs.
a grasa.
Milho alpista a 160 rs. a libra.
Milho paincu a 140 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra a 2,300 rs. a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 300 rs. a libra,
e em caixa ter abatemento.
Sabo massa de 180, 200, 220.240, rs. a
libra do melhor.
Graixas em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 1,300 rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada,
curvin, salmo e outras qualidades prepa-
rados de cscabexe, segundo a arte de cozi-
nha de 1,400 a2,ooo rs. a lata,
Genebra de Hoanda em botijas de conta a
440 rs. cada urna.
Papel greve pautado e liso a 3,500 rs. a res-
ma.
Azeite doce de Lisboa muito fino em barril a
640 rs. a garafa, eera porco tnr abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas a
1 ,ooo rs. a garrafa e lo,ooo rs. o gigo
com urna duzia.
Doce da casca da goiaba a 4oo, 5oo, oo,
7oo, 8oo, e l,ooo rs., o caix5o grande.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez, e
suisso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a librar
Velas de carnaubaecomposicoa32o, 36o,
e 4oors., a libra, e de lo.ooo a H,ooo rs.
a arroba.
Azeitonas novas do Porto c Lisboa a l,ooo
rs. a ancoreta, e l,5oo a de Lisboa, estas
ultimas raras vezes vem ao nosso mercado
pela sua boa qualidade.
Massas para sopa macarro talharim e aletra
muita nova a 48o rs. a libra.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahiaa 4,ooo, 3,5oo, 3,ooo e2,5oo rs. a
caixa.
Serveja das melhores marcas a 5,ooo rs. a
7,ooo rs. a duzia.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas:
Craknel, Soda, Ccede, Captain, Travellies
Lunch, Cobin, eoutras a l,2oo re. a lata.
Bolachinha de soda especial encommenda a
l,8oo rs. a lata.
Iem Craknel cm latas de 5, 7 e 15 libras a
4,ooo, 5.5oo, e H.ooo rs. a lata.
Massa de tomate em latas de 6oo a 7oo rs.
cada urna.
Sardinha de Nauta a 36o rs. a lata.
Toucmho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijollo de limpar facas a 16o rs. cada um.
Ceblas a 9oo rs., o molho.
Farinha de Maranhao muito alva 6 cheiroza
a 14o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cominho, cravo, erva doce, enxofre, palito
de dentes em caixinhas que tudo vende-
mos por baratissimo preco.

TERCOS
A ACIIIA BR A\i V
Receben pelo ultimo vapor o
seguate:
Bonitas pulseiras de cabello, coral, e cora-!l';n\sryirfa.todaa"saafroeuezia' no'?u ie ainda
.. r nao havia feto algum agrado a aquelles que pru-
*"** dente e acertadamente resando, cumpreui dever do
Fortes e bonitas ligas de seda para sennoras. bom christao, e quando reparou essa sna falta,
Outras estreitas para meninas, ou manguitos. mandou vir e acaba de receber delicados tercos e
e eoras de cornalina.
A aguia branca pensando constantemente c
Caiteiras com agulhas.
Agulhetas para enfiar, e agulhas cantfas.
Trancclins c litas de borracha.
Carriteis com torcal de todas as cores.
Wassos e fios de coral.
Esponjas linas para rosto.
l'eutes ile tartaruga virados, com laco e
balao.
Enfeiles de rede para conservar os cabellos
bem atados.
Aspas e coz para balo.
Fitas com colxetes para vestidos.
Trancclins chatos delaparaenfeitar^vestii!"-.
Papel e folhas para rosas. ". \
I-jiTiparinas francezas.
Traficeiins groases para retogios.
Escovas cali (l'usso, marfim e madreperola
paca dantas nabas, limitar pentesejoias.
Ouiras finas para roupa. chapeo, cabello etc. vendem-se na
Outras de velludo para chapeos.
Pastas para papis.
Raspadiras e facas de marfim para ditas.
Visporas e dminos.
;u-atissima* bandeijas.
coras de cornalina com cruz de prata, os quaes
deixa disposfcao dos fiis que estiverem dispostos
a gastar i&'M). i-' '--5 para possuirem um bonito
ter^o ou cora, com os quaes podem mesmo pedir a
Deus pela prosperidade d'aguia branca, em seu ale-
gre e espacoso ninho da ra do Queimado n. 8.
\is e bonitos
pentinhos travessos dourados e com pedras para
meninas : vendem-sc na na do Queimado, toja
d'aguia branca n. 8.
Rahiizinhos com perfumarlas e
sem ellas.
A ajniia branca vende bonitos baliuzinhos com 6
frasqtunhM decheiros por 13500 e vasios por 800
rs., servindo estes para meninas, e mesmo para
tois, etc., etc. : na ra do Queimado, loja d'aguia
Branca n. 8.
Llnhas maclas e lustrosas para
bordar
d'aguia branca ra do
j.
ROUV1 FEIT A
NO
tRlAZKJI
DE
X.ETREXRO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de ruupa feila de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem lem um
grande e variado sortimento de fazenilas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
RA DO QUEIMADO N. 46
TBITO
: Queimado n. 8.
!\'ovi*Hmo*
toja
bonitos e a feites
para caberas.
Quando o bello sexo senta a falta de bons
enfeiles para cabeca, eis que a aguia branca
I recebe urna sua encommenda de bonitos e
i aguia branca por mudas vezes tem da- uei,.auos enfeites, e de modernsima moda,
Jo a conheeer que quando ac-ha alguma pe-
-.!i'icli;i, Olo qner somonte com ella encher
o papo, ao contrario de.^eja que toda sua boa
fragneaa e o publico em geral prvem da
nosma, o (pie agora mesmo acontece com
e>>as; baralissimas bandeijas. cuja limilaco
irecos admira, em relaco aostamaitos c
la I -: vista do que comm todos a-
proveitarem-se dossa opportuna occasio e
muito servindo isso para sanar aquella falta,
8 fnzer com que as Kxmas. apreciadoras da
bella empreza Coimbra possam melhor real-
sar c mostraren! o apurado gosto que as
guia. Esses enfeites sao d'um tecido bas-
tante fino com continhas d'afo, e mui bem
enfeitados com flores, fitas, bicos, plumas
etc., entretanto que sendo obra de muito
gosto custam ?>&, 6^ e 7^ dinheir a vista;
Casacas de panno preto, 3o e :w,'0(M)
Sobrecasacas idem, 305 e 25^000
Paletos idem e de cores, 2-i >.
20& 155 C......l*MM*
Ditos de casemirn. 205, 15)1,
12*, 105 e...... 7*<00
Ditos de alpaca. H e. 35500
Ditos ditos pretos, 95, 1k
55 e........WSOO
Ditos de brim e ganga de co-
res, 45500, 45. 35500 e. 35000
Ditos branco de linho, 65,55 e 45000
Ditos de merino preto de cor-
(150,105, "5 e..... 5#00l
Calcas de casemira prata, lid,
105, 85 e .'.....75000
Cohetes de fusUo e brim bran-
co. 35500, 35 e 25500
Seroulas *le bca <1' iinio.
25400 c......2>000
Ditas de algodo. 15<)00 e. 15400
Camisas de peitos de linho.
55, 45, 35 e.....25800
Ditas de madapol3o, 35.
25500,25 c.....15600
Chapeos de massa, pretos fran-
eezes, 105, 95 e. 85500
Ditos de fltro, 55, 45,35500 e 25O0O
Ditos de sol, de seda-. 125,
115, 75 e......''viOO
Collariiihos de linho fino, ulti-
ma moda....... 6'i0
proverem-se d'um trasto sempre. necessario, I na eSnacosa e alegre oja d'aguia branca ra
> 'pi) IIk;s custar qnasi metade do justo va- (](1 Queimado n. 8.
I.;- Assim, pois, dw'ighvm-se com dinhei-
n> a alegro e espacosa loja d'aguia branca
raa do Queimado n. 8.
Q:> afamados copos com banha. c
boies com Inscripees.
hegaram novamento jiara a aguia branca
?ss!!> afamados e estimados copos com banha
assim como os bonitos boies de por-
ma di turada tambem com banha, e novas
irkscnpcoes maviosas e jocoserias, mui ade-
quado para presentes resta porem que os apre-
' ii es concorram, munidos de dinlieiro,
e espacosa loja d'aguia branca ra do
Queimado n. 8.
Eifcas a !i:imi Ovellas para cintos.
K aguia branca rt^cebeti novas e ricas
gaarnieoea de pentes donrado,.eoio po-
dras; asaba como outras bordadas froco e
un bolas pendentes, novidade essa que s
su acha em dita loja, e que na verdade se
tornam mui alegres e bonitas; e bem assim
recebeu lindas livellas ixm pedras, e ditas
d"ago com novos e engranados moldes, cintos
firjtirados e de marroquim; c muitos outros
objactos de gosto para senhoras serao encon-
trados na alegre e espacosa loja d'aguia
ica ra do Queimado n. 8.
Ciraxa econmica.
A aguia branca acaba de recabet essa acredita-
ba grasa ecouomica, cuja snperioridade est ge-
nie reconhecida ; essa boa grasa se torna
-oiiimemla'la. lanto porque o calcado lastrado
cw ella deisa |ierfeitamente lustroso ao menos
irusdias sem necessidade de novo unto, como
rwsmo ponjnc sua preparadlo appropriada para
naciarreonservar ocouro ; ella vem em caixi-
nhas o barrizinhos, e aeba-so ; venda na ra do
[ueimado n. 8, loja d'aguia branca, aos rezumidos
iwp$ de 400, 500 c 610 rs.
i*ennas de aeo Inglesas ealygra-
phicas. a balo e outras.
* aguia branca recebeu um bello sortimento de
aiperiore pennas de ac ingieras. calyp;rnpliicas,
* fcalao e outras diversas (raalldade, eujos precos
&* que se dirigirem com dinhiro loja d'aguia
tonca, ra do Queimado n. 8, nao ficarao descon-
fcsifng. Na me.-ma loja aoto-se tambem um varia-
(to mrflUMtto de caetas sobresahindo entre ellas
mas de nova inveneao, que por >i m^ino deila"m
pmua fra qMando a~sim =e qoqin.
Kabadiubos estreitosc bordados
Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja d'aguia j
branca.
Capachos comprldos e redondos
Vendem-se na ra do Queimado, ;loja d'aguia
branca n. 8.
Luras de camiirca.
Vendem-se mui finas luvas de carmuca,
branca e amarella: na roa do Queimado n. 8
loja d'aguia oranca.
Delicadas tesou rinlias d'aco para
bordado.* e labyriuthos.
A ludido de algumas senhofs suas predicletas;
fr>'puezas a aguia branca mandou vir dessas de-
licadas leMonnhas d'a^o ponas agudas, propiias
para bordados e labyriptbos, e urna vez chegadas
como de facto ehegaram, a aguia branca convida |
a* de mais senioras suas boas freguezas para i
aproveitarem-se da oecasio e bem empregarem
seus 2 em cada urna dessas inissimas te80tu"i-
nlias. na certeza de que perder por ctaegar tarde ; [
quem se demorar em as mandar comprar no ale-
gro e espacoso ninho d'aguia branca, ra do Qwi-
mado n. 8, onde tambem lia outras curvas e dtrei-
tas para unhas._______________________
GRANDE
Roa do Queimado n. 23, loja de Anto-
nio Perrein da Silva Haia
Vi'udem-fee canibraias de cores a 200 rs. o co-
vado para acabar, c laazinhas Anas a 500 rs. o
covado.
Ditas de cores, 95, 85 e.
Ditas de meia casemira de co-
res, 55300 e.....
3; Ditas de princeza e merinopi e-
to de cordao, 55, 45500 e
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 'o-'iOO, He .
Ditas de ganga de cores.
35300, 35 e.....
Cohetes de velludo preto e de
cores, 95 e......
Ditos de casemira preta, 55 e
Ditos de ditas de cores 55
45 e........
Ditos de setim preto.
Ditos de ditos e seda brame.
05 e......
Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 60, 55 e
44000
4S0OO
25506
25500
75001
15000!
75000, Sortimento completo de grava-
tas. 5
Toalhas parroslo, duzia. H5-
95 e........05000
Atoalhado adamascado de li-
nho vara......
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....
Lences de linho.....
Cobertas de chita chineza.. .
Pennas d'aco, as mais superio-
res, a grosa......
: Relogios de ouro orizontaes,
35300' 900,805 e......
55000 Ditos de prata. galvanizado.
patentes e orisontaes, 405 e
55001 Obras de ouro, adercos, meaos
adereeos, pulceiras, rozetas,
45O0O aneis e cruzes.
15280
45000
35000
25000
GOO
705000 I
305000 1
Mcaa
Vendein-se na ra da Cadeia do Hecife n.
caiaas de !80 a 400 a to. e nnas caixas de
100 a 7$500, e tambem tem a retalho.
23,
o i.
Vende-se manteiga ingleza fina a 900 e 380
rs., francea & 560. tourinho a 300 rs.. arroz a 100
rs.. chouricas novas a 500 rs., quoijos novos a
iJWOO. velas de spermaeete a 600 n., ditas de
carnauba a 400 rs., vinho da Finueira e Lisboa a
400 e 500 rs., azeite doce a 640, bolachinha de so-
da a 15300 : na ra das GrtBes n. 24, esquina da
travesa do Quyidor._____________________
Espirito de Thilio.
Na ra do Cotovello n. 1 vende-se espirito de
vinho de 38 graos a 240 n. a garrafa, e em cana-
da a 14600.
Tabeas de amarelln.
Vendem-se na ruaDireita u. 91.
XAROPE TNICO REGENERADOR
DE QUINA E DE FERRO
Preparado por fcHlM.t ( l/r e Ca, pharmaceuticos de S. A. I. o Principe NapoleSo, laureados
da Escola de pharmacia de Pari, ra de la Feuillade, 7.
\:-l. nova ennil'inarfiu rene debalxo de um pequeo volunte unta forma aaradavel e um gosto delicioso.
Ha ntuit" que os mdicos desejavo anlenhnicnlc a reuniSo dcstes dous medicamentos, e todava, pecar
dos maiores esforcos, nem a setnela medica, nem os qumicos os mais distincios o podero conseguir
at aqni; gracas porm perseveran^ humana ach8o-se hoje associadas estas duas poderosas subsian-
cuu, a qniu, o tnico, restaurador por excelencia, o ft-rra, a bazo de nosso sangue, e conseguinte-
mente o reparador dos forcis e da saude alterada ou perdida.
As molestias contra as quaes o Xarope tnico regenerador le tem. mostrado multo euluaz sao : a arae-
norrbeias, faltas de menstruacao, drea d'estontago, faso, digestes penosas e tardas, llores broncas,
mi nstruuQoes difilceU, o lympttitsmo, o empobrecimento do sangue, as escrfulas, os estragos produzidos
pelas molestias syphiliticas.
Ha apenas um anno que o Xarope de quina e de ferro foi applicado nos hospitaes de Pars, e elle
hoje o medicamento mais em voga, substituindo, por assim dizer, os medicamentos ferruginosos conhecidos.
O pros; reto encerra nnmrrosos certificados de muitos membros da Academia de Medicina e professores
da faculdade que attesto que este precilo niedicamenlo o conservador da saudt por excellencia, e
o reconstltiilnte da economia animal, indispensavel s pessas que habitio oa .pateta qoentcs, como
preservativo das epkiernlas.
Acha-sc venda no deposito geni, em Pan, na pharmacia Oriwaait e C, rui de la Feuillade, 7;
em Lisboa, em caza do Sur nadrigo a Caatav-Carvalha, Barrai e O; no Porto, na pharmacia do
Sr MlgarMaa Me saaaa Ferrrlra; no Rio-de-Janeiro, em casa da vlava pelxato e DlnU, ra do
Sabao, II; na Bahia, em casa do Sr Joa-CataMoFerrlra-BBplaaelra$noRto-Gran,emcasa do
Sflr Joaqun le Cortar; no Maranhao, em casa dos Srs Perrdra e C*; cm Pernambueo, em casa
do Sin nai-lhalanirn-Franclara rte Sonxai em casa do* Srs shoam e C>, e bem assim lias prln-
cipaes pharmacias do Urazil e de Portugal.
FAZEMDAS K KOI I % FEITAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 25*. 28$, 30d e 3M.
muito bem feitas a 25$, 28)9, 309 e 333, paletots acasacados de panno preto *. I6# a#
2541, ditos de casemira de cor a I *>>. |8 e 20$, paletots saceos de panno 9 caitv
mira de 8$ at 14$, ditos saceos de alpaca, merino e la de 44 at W, sobre de alpara -
merino de 7$ at 10$. caifas pretas de casemira de N* at 14\ ditas de cor de 7> av
15$, roupas para menino de todos os tamaitos, grande sortimento de roupas de brn
como sejamcalcas, paletots e cojletes, sortimento de coHetes pretos de metim. easeaira
e velludo de 4$ a 9$, ditos para casamento a .">.> e 0$, paletots brancos de bramanle a \ -
e '> \ calcas brancas muito tinas a 5$, e um grande sortimento de fazendas finas e modtn -
as, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e seniora. eeranb
de linko e algodlo, chapos do sol de seda, luvas de seda e de Jouvin para hontem c !*-
ahora. Temos urna grande fabrica de alfaiate, onde recebemos enrommendas de granee
obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de semeibante arte e un
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto exeetttaraos qnalqner obra c<>m
promptidao e mais barata do que em outra qualquer casa.
POR MENOS DEZ POR CENTO
NOS
AR9IAZEHS
gq mw ir 1 vo 1 eassiR v ad3r
m. 2\ E 23-URG0rDO TERf.0 -M. 21 E 23. "
Kecebem por conta propria a maior parte dos gneros existenl.s ih^ seu arm
zens c por isso deliberou-se seu proprietario a vende-los por menos 10 .. do que -T:
outra qualquer parte, garantiddo a superior qualidade.
Leiam lodos.
Manteiga ingleza especialmente escribida a 72o c 800 rs. a Ufan.
dem franceza de primeira qualidade a 36o rs. a libra, e em barril a Ho rs. a lihi
Arroz pilado o melbor do mercado a loo rs. a libra e 3,ooo rs. a arroba 01 m
Caf do Rio c do Cear o melhor neste genero a 28o e 32o rs. a libra.
Batatas novas a 5o rs. a libra, em arroba a l,4oo rs. e em caixas de qualro MM
4, ioo rs,
Bolacbinhas americanas, as mais novas neste genero, a 2oo rs. a libra e 3,ooo rs. a bai,
Palitos do gaz, vindos por conta particular, a 2.3oo rs. a groza.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor, a 1,800 e 2,ooo rs.
Vinho do Porto em garrafa de superior qualidade a 9oo rs. a garrafa.
Idem em pipa Figueira e Lisboa a 4oo rs. a garrafa, e a 3,ooo a caada.
Millio alpista o mais limpo que ha no mercado a 16o rs. a libra, c a arrroba a 5,ooa r
Velas de spermacet, composico e Aracaty, a too, 36o c 64o rs. 1 libra.
Toucinho de Lisboa novo e grosso de primeira qualidade a 32o rs. a libra, e 9... (-
arroba.
Alm (lestes gneros ha outros muito baratsimos, assim .-nto cha do aat-Ui
azeite doce, vinagre, cebollas, alhos. pimenta, eominhos, erva-doce, charutos le lala .>>
qualidades. chouricas, sabo verdadeiro de 16o a 21o rs. a libra, genebra de todas -
qualidades, que tudo se vende barato e quem duvidar venha ver.
Deposito geral em Pemambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barboza.
I I \ IIH A O OA AURORA.
Nesta grande e bem montada fabrica de machinismo, a mais antiga no imperio, con-
tnua-se a executar com a maior presteza e perfeicao encomm de machinas usadas no paiz, tendo sempre prompto o seguinte :
Grande sortimento de moendas de canna de todos os systemas e tamanhos.
Machinas de vapor de diversas qualidades.
Taixas fundidas e batidas.
Crivos e boceas para fornalhas
Bronzes e aguilhes.
Rodas, rodelas e rodas d'agua.
Guindastes fixos e portateis.
Machinas de cylindros para padam.
Serras de apo para serrara.
Fatechas para barcos, etc. etc.. tudo por preco que bem comida
^%w^% ^^ m%&?&%
DK
TODAS AS Ol %l-lll 1IUS
DE
ANTONIO MAIA DE BBlfjD
CONHEODA POR FABRICA DA VIUVA
N. 21Antiga ra dos Quarteis de policiaN. 21.
Constando ao annunciante, que alguns espoculadores de m f, \endo o
que gosam os meus cigarros, e para poderem dar consumo aos seus andam veodenfo I
na [iraca como pelo mato, illudindo os meus fregueses, dizendo que sao meas ; e coa I
dos os meus cigarros sao vendidos na minha fabrica, e nao mando pessoa alguna
por minha conta fra del la, faco o presente an nuncio para evitar que compre ga
ebre ; e para seguranca dos senhores consumidores dcste genero e especialamlt 1
freguezes, aviso que todos os massos de cigarros que forem vendidos na minha |
marcados com um distinctivo que declara o raeu nome, o nome da roa e 01
mesma casa.
Aproveito a occasio para scientificar aos mesmos senhores, que
encontraro um completo sortimento de cigarros de diversas qualidades, do netmr I
escolhido, por sua boa qualidade j bem conhecida.
- Vendo-se um deposito proprio para qnem il-
ver nouco diuheiro por ler poucos fundo?, muito
afreguezado para a trra, e o motivo da venda
por o douo rctirar-se para a Europa a tratar de sua
saudo : a tratar no mesmo. ra do* Guinrapes
n. 00. em Fra de Portas,
Vende-se ama casa terrea ma aotiaaa tm~
te de delraz, siu ao Yaradooro i naaV de Oka
da. chaosprfri*, qniaal awrad t mila. t
urna dita ooa Qualro Canto, em tkim pupiin
miem as pretender, dirija-se a na larga do atoa.
rio n. tt, taherna, qoe aehario 1

II FfaX/FI I


4
a
JttMwta 4
?
r

i curara
GRANDE ABMAZEM
AG
/
^ M fc^
DE
GRANEE ARMAZEM DE MOLHADOS
DP
de superior qualidade a cada
xinha-
Mostarda preparada em potes muito nova a
400 rs. cada um. -
EE
N. 36, KH m r.RlZES N. 26
DO
balrro de Santo Antonio.
<0 proprielario do muito acreditado armazera denominado Progresista tendo
sempre em vista fazer tudo o que for possivel para bem seryir aos seas freguezes, tem
deliberado vender os seos j bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos preces
abaixo mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
escravos, serem to bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, ainda mesmo contendo objectos n5o proprios deste estabelecimento. 0
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armaeem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que n5o agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
rSo'com os seus portadores, fazendo-ihes ver que s no armazem Progresaste da ra das
Cruzas n. 36, que se vendem os melhores gneros por mais barato preco, porque estes
muitas vezes olvidam-se e v5o outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento. ,
Manteigai ngleza de l.1 qualidade, a 800 rs.
a libra.
dem de 2.a qualidade, a 700 rs. a libra,
dem franceza, chegada ltimamente, a 6oo
rs. a libra.
Batatas em gigo de arroba a l,5oo rs.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor,
de 20 24300.
USB prato, chegado neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 700 rs.
a libra.
dem tondrino, mandados vir de encommen-
da especial, a 900 rs. a libra.
dem suisso, muito fresco, a 800 rs. a libra,
rafe do Rio de 4.a e 2.a qualidade a &*oOO
e 80800 a arroba, e 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India e Maranho a 120 rs. a libra
e 30200 a arroba.
Avelas asmis novas neste genero a 240
rs. a libra.
Presuntos do Porto muito novos a 560 rs. a
libra.
i .-tiiiies francezes para sopa, como seja,
lulienne, mlange dequipage, Ghonx e
outras qualidades, a 400 c. 500 o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, e
em porcao ter abatimento.
Carrafes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 20400 com o garrafao ;
afianca-se que nesse genero co melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinhFigueirauito
- superior e mais proprio para a nossa esta-
c3o por ser mais fresco a 20400.
Cha hysson o mais superior a 20600 a libra,
aliaaca-ae ser egaal ao que regularmente
vendemos a 30200.
Idem huxim miudinho, o mais superior que
vem ao nosso mercado a20700 a libra.
dem preto muito fino, a 20000 a libra.
Chocolate para 9oo, l,ooo e 4,2oo rs. a li-
bra.
Carrafoes com 5 garrafas de superior vinlio
de Lisboa a 20400 cada um.
Idea com 5 gaiTafas ce \ .tingre de Lisboa
a 10100 com o garrafao.
dem com 3 garrafas de vinagre hambnr-
guez a 800 rs. cada um.
Vinhos generosos, vindos do Porto engarra-
fados das seguimos martas: Genuino.
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Yellio secco, Chamico, Madoira su-
perior e ostros a 900 rs. a garrafa e 9#
a duzia.
Vinho Bordeaux lulien, Medoc e S. Estephe e outros a
640 rs. a garrafa e 70500 a caixa com
una duzia.
^M^m^^mw&^mmL^
*4
=
O1
ce;
-
TODOS
os
VAPORDi
se recebem gneros de conta
propria e dos melhores esta-
belecimejitos da Europa, ga-
rante-se todo e qualquer ge-
nero comprado neste
ESTABELECIMENTO.
O
g
B
-
o
i
COMPLETO
SORTIMBiTO HE *0iflAD$.
vende-se em porcao e a reta-
lho, aprompta-se com toda a
>
524
Eduardo Marques de Oliveira C.
o
ao
1
se
I
I M
=> 3
a. -
5 5
y.
9
m
SZ> -
2
=
Amendoas a 320 rs. a libra.
Os proprietarios do muito acreditado armazem Progresso fazein sciente ao respeita- JjJ^SsV alibra'**
vel publico e com especialidade aos seus amigos e freguezes que tem resoivido resumir os Ditas em frasco por 20800.
oreos dos seus acreditados gneros, como abaiso verlo nao obstante os precos nenciona-' Arroz pilado da India loo rs. a libra e 30ooo
v ^^ I a arroba.
dos vista da qualidade dos gneros que se prova quanto se deseja servir satisfatona- Dito dito do xMaranlio 120 rs. a libra e 30500
mente aos nossos freguezes, advertindo-.hes que nndemseus portadores, que rito o1 ^jgjfemja900n a ^
peitavel publico sempre os melhores gneros do nosso mercado, e por precos baratea-
mos como abaixo vero, a saber
bem servidos como se viessem pessoalinente, istoso no Progresso.
, Dito de Lisboa 080 rs. a garrafa.
Manteiga ingleza peritamente flor chegada Farjnha de Maranha muito al va e cheiroza A^e"L& Canna de cabeca a -40 e 3i0
< ;hourieas c paios, o mais novo que se pwle
desejar, a 250 e 600 rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
hrieantes a 900 rs. a garrafa e 400500 a
caiu com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
I cores francezes, muito tinos, das seguintes
marcas: Xrtzetta de Bordeaux, Plaiser des
dames, Crme de Noyau, Kiu antzic,
Ceme de Mentiie, Mude de Venus etc. etc.
Paisas muito novas e de carnada a 400 rs. a
libra e 60500 a caixa com urna arroba, ha
caas, meias e quartos.
\meixas francezas em frascos de 14)2 c 3 li-
bras de 10 400 a 20800, tamben ha latas
de 6 libras.
, ,, Tiiolo de hmpar facas a 180 rs. cada um.
.Mu-melada imperial, dos melhores conser-1 ^^^ 0 nwlho a900 rs.
veiros de Lisboa, a 600rs. a libra, em la-
tas lacradas hernfetiiaraenle. Erva-doce muito nova a 400 rs. a libra.
Fructas em caldas *le todas as qualidades em, Cominhos idem idem a 640 rs. a libra,
latas muito bem enfertadas, a 500 rs ca- GarraRcs vasidg a ^qq ^ cada ma
da urna.
Holachinha ingleza, a mais nova que se pode
tesejar, a 30000 a barric a e 240 rs. a
libra.
Milho-alpista a WO rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina c alva a
80 rs. a Ittjra e 20300 a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Salan venladeirn hespanbol, que raras vezes
vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libia e
em caixa ter abatimento.
Idem massa de superior qualidade de 160,
480, 200, 220 e 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
r l03t'X)aduzia.
Peine em tatas multo novo: savel, pescada,
curvina, satmao e outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
cozinha a 40400.
Papel greve pautado e liso a 30800 a resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
460 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das memo-
re* marcas a 30200 e, 40000 a caada do
mclhofe 500 rs. a garrafa, em porcoter
abatimento.
Vinho velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
3,5000 a caada.
Vinho braMO o mais superior que possivel
neste genero a 560 rs. a garrafa e a 40000
a caada.
Vtnffgtr puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
c 1*5*00 a ranada.
Azeite doce de Lisboa muito lino, em barril
a 640 rs. a garrafa, e em porcao ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
10000 a garrafa, e 100000 o gigo com
urna duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Babia a 30500 a caixa, tambem temos
para 20000, 20500, 30000 e 30200 a
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 600, 640,
e 680 rs. masso.
Idem de carnauba e composicSo a 320, 360,
e 400 rs. a libra e de 100 a 440500 a
arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 10000
a ancoreta do Porto e 10500 a de Lisboa
Massas para sopa: estrellinha, rodinlia e pe-
vide a 400 rs. a libra e 20000 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carro e aletria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate poituguez, hespanhol, l'rancez e
suisso das melliores qualidades a 900 rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixo.
Ceneja das melhores marcas de 50500 a
60000 a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscontos inglezes de diversas qualidades a
10300 a lata.
Bolachinlia de soda, especial encommenda,
muito nova em latas grandes a 20000 cada
urna.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada nina.
no ultimo vapor a 8oo rs. a libra.
Idem de 2.a qualidade a 76o rs. a libra.
dem de 3.a dita a 64o rs. a libra.
Wem para tempero a 32o e4oo rs, a libra.
Manteiga franceza a mais nova que ha no mer-
cado a 58o rs. a libra, e em barril ter aba-
timento.
Banha de porco refinada a 520 rs. a libra.
Vinho em pipa Porto Figueira e Lisboa a 4oo,
- 48o, 5eo, 56o rs. a garrafa, em caada
2,8oo 3,ooo 3,5oo e 4,ooo rs.

dem embarrilo mais superior que tem vin-
ao mercado a 600 rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
1,00o a garrafa e a 10,000 a caixa, o preco
no indica a qualidade d'este precioso vi-
nho, porra venhamao Progresso que a vis-
ta faz f, a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
demos vender por menos que outro qual-
quer annunciante.
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre-
ditadas e especialmente escolhido por um
de nossos socios, como sejamrCames, Du-
que, do Porto, D.Luiz, Carcavellos, Cha-
misso & Filho, Madeira secco, e Feitoria a
Ooo rs. a garrafa e 9,ooo rs. a caixa com
12 garrafas.
Garrames com especial vinho do Porto con-
tendo 5 garrafas a 2,5oo rs.
dem com i garrafas de superior vinho Fi-
gueira a 2,4oo rs.
a 16o rs. a libra.
rs. a garrafa.
Azeitonas a 320 rs. a garrafa e 1,3oo a an-
Toucinho de Lisboa a 32o rs. a libra e a 9,ooo coreta.
'rs. arroba.
Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
Batatas inglezas a 60 rs. a libra e 1,800 a
arroba.
Banha de porco a 55o rs. a libra.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. agarrafa e a Bolaehinha de soda a 10400 a lata.
4,8oo rs. a caada. i Bolaehinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e a i rica a 30000.
l,2oo rs. a caada. Cha hysson a 20200 a libra.
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis- Dito dito fino a 20600 a libra.
boa a 1,400 rs. 1 Dito miudinho a 20800 a libra.
Champanhe das marcas mais acreditadas a Dito do Bio a 10800 a libra.
8 e a lo.ooo rs, o gigo, e a 800 rs. e a Dito preto a 10900 a libra.
1,000 rs. agarrafa.
Serveja preta marca T e XXX a 6,5oo e
7,000 rs. a duzia, e a 600 rs. a garrafa,
tambem temos das mesmas marcas para 4,
e 4,800 rs. a duzia, e a 4oo rs. a garrafa.
dem branca Te cobrinha a5,5oo e 6,000 rs,
a duzia e 5oo rs. a garrafa, tambem ha
para 4,000 rs. a duzia.
Charutos de diversas qualidades a 10200,
10500 e 30 a caixa.
Champagne a 10 e 10500 a garrafa.
Chouricas a 560 e 600 rs. a libra.
Conservas inglezas a 800 rs. o fiasco.
Caf em grao a 300 c 320 rs. a libra, e 90 e
90200 a arroba.
Dito moido a 360 rs. a libra.
Doce de goiaba a 560 rs. o caixo.
Graxa em latas grandes I,3oo rs. a duzia espirito de vinho de 38 graos, a 280rs. a
e linis a lata garraia.
e izo ib. a aia. 1 Fa|.nha do Maranns0 a 160 rs. a libra.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro obra Dita flor de laranja a 10 o frasco,
de muita duracao a 4oo rs. cada urna. FeijSo branco muito novo a 440 rs. a cuia.
Figos a 32o rs. a libra.
Palitos de denles massos grandes a 2oo rs.
e 28o rs.
Genebra de Hollanda em botijas a 5oo rs.
Dita Hamburgueza a 44o rs. a botija.
Paltos do gaz a 20 rs. a caixinha e 2,3oo rs. Gomma d'araruta a 100 rs. a libra, e 20600
a groza. a arroba.
G^lade Alperche chegada no ultimo vapor 'Graba catatasai, c I^a tofa.
latas de2brasa8oors. pechincha ^'^S) g '
Genebra de Hollanda garrafTx;s com 16 gar- Licor fino a 800 rs. a garrafa.
i-if.c tu.i- r. -,(.,, .- ivt ,. ...,..r... __ 1. A^
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a 560 rs. i
Massa estrellinha para sopa a 5oo rs. afetn.
Macarrao, aletria e talharim a 48o r* a *-
bra.
Marrasquino de Zara a 8t0 rs. o fra*. '
Passas a 4oo rs. a libra.
Palitos para denles a 180 rs. o nosso
l'hosphoros do gaz a 2->500a grosa
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a #
2S00.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Cenejas de marcas superares a 500, tf&.
600 c 640 rs. a garrafa, e 50500, #*
81800 a duzia.
Dita em barril por -'v e 240 rs. a garraC
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 r* I &*-
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabio massa a 200, 240 e 280 rs. a
Sevadinba a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra
Tijolo para I impar facas a 160 rs.
Vellas de spenuacele d gaz a i o
libra.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 libras por tjMB.
Ditas de carnauba a 400 rs. a libra
Ditas de composiciio a 360 e 380 rs. a An.
Vinho do Porto, caada a 50500, garra*
720 rs.
Dito Liaboa, caada a 4S t a garrafa 1500
rs.
Dito Figueira, ranada a 3*840 c a gari Jt
480 rs.
Dito dita superior, caada a 40 e a prca*
a 500 rs.
Dito Estreito, caada a 30200 e a garraaa
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 e 800 rs. a garni
Vinagre de Lislnta em garrafoes de 5 &*-
fas por 10400.
Dito em canada a 20, e a 260 rs. a grrati.
rs a
Idem com 5
2.loo rs.
garrafas de vinho Lisboa a
rafas poro..loo rs.
dem m frasqueiras a 6,3oo rs. e 6,5oo rs. fe Mm^ ing,eza'flor a 800, 900 e
-,0o rs. o frosco a.banca-se ser verdade.ra. 1 JgJ5S frfnceza a 600 e 64o rs.
Vinho branco de Lisboa prop io para missa !,A,_ ,, Ki;u m h. 1
*%****> i ^: io,, "2* ja-ttaam quatro du-
Dito em garrafas grandes de superior quali-
dade a 10500.
10 a libra,
a libra.
Dita hollandeza a 72o 800 rs. a libra.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
Vinho do Porto em garrafoes de 5 gar:
por 2.A500.
Dito dito engarrafado a 10 e I 200.
Dito lagrimas do Domo a 10400a ganrik
Vinho branco de Liaboa 1 720 rs. a^arnat
e 50 a ranada.
Dito do estreito a 600 rs. a can ata, e 1 Syt
a canada.
Am de laranja em frascos grandes verda-
dera italiana a 1,00o rs. o frasco.
garrafas de vidro brancos a 72o e 800 rs.
dem em barril muito superior a 5oo rs.
garrafa e a 4,000 e 3,8oo a caada.
Aneisas hai.cezas em Mirabas de I % 2 Marrasquino de zara a 72o rs.
e :i libias elegantemente enfeitadas comri- Licor l'rancez de todas as qualidades em
cas estampas na caixa exterior a l.3oni
1.600 2,ooo e 2,5oo rs.
Idem em latas de, 1 */j e 3 libras a l,4oo e
f/800 rs, cada urna.
Figos de comadre em bauzinbos de folha
milito proprios para mimo a l,6oo.
dem em caixinhas a l,4oo rs.
dem em caixinhas emticamente lacradas
e muito bem enfeitadas a 1,80o rs.
Idem a 2oors. a libra.
Previne-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima sao de boa .u
dade, e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser anminrhoVs
FHDICAO DO BOWM1I-RIA DO
BRIJItt \, HH.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completa que tem viudo ao mercado a 72o e 800 machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber :
rs., e em caixa a 7,5oo, 8, o. 8,2oo rs.
Passas de carnadas as mais novas (pie ha no
mercado a 4oo rs. a libra e a 6,000 rs. a
caixa.
Salmo em latas
800 rs.
emticamente lacradas a
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Bodas d'agua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
Bodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Gomma de engommar muito alva a 80 rs. ******* Para. moer mamhoca.
a libra e 2,2oo rs. a arroba. Arados americanos, etc. etc.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 46o rs. a libra.
Azeite, doce refinado do fabricante Pelanol e
outros a 800 rs. a garrafa.
Conservas inglezas sortidas e de urna s qua-
lidade a 800 rs. o Irasco.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
Sardinhas do Nantes, do fabricante Basset, a
360 rs. a lata.
; Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a libra.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 160 rs. a libra.
\zeite francez clarificado a 800 rs. agarrafa
e 90000 a caixa com urna duzia.
Ditos com 8 garrafas de genebra a 20400,
garante-so ser verdadeira de Hollanda.
Cebollas a granel a 640 rs. o certa.
Canella a mais nova do nosso mercado a
10060 a libra.
Alfazema o que pode haver de melhor neste
artigo a 280 rs. a libra.
Conservas inglezas dos memores fabricantes phoaahorofi de seguranca individual a 20 rs.
Mixftd Pickles, ceblas simples, e outros
a 760 rs. o frasco.
Farinha verdadeira de araruta a AOO rs.
Iibra,/garante-se a superior qualidade.
Palitos para dentes em caixinhas douradas
Brtt, a 30 a libra 80 a arroba.
/
a caixinha.
Papel de embrulho muito superior a 40120
a resma.
Vmho da Figueira, o que ha de melhor a
4,5000 a caada.

tftpos finos para agua a 60000 a duzia.
Lagostim em latas grandes a l,4oo.
Savel, corvina, cherne, vezugo, peixe espada,
preparados pela primeira arte de cozinha a
t l,3oo rs.
Queijos flamengos chegados no ultimo va-
por a 2,4oors.
dem do vapor passado a 2,2oo 2,ooo e
l,8oo, rs.
dem prato do ultimo vapor a 64o rs. alibra.
Doce da casca da goiaba caixes grandes a
600 e 9oo rs.
Chouricas as mais novas que ha 110 mercado
a 48ors. alibra.
Chouricas mouras encommenda especial nos-
sa" a 5oo rs. a libra.
Sevada muito nova a 12o rs. a libra e 3,2oo
rs. a arroba.
Macarrao a 32o rs. a libia.
dem e talharim o mais novo que ha no mer-
cado a 48o rs. a libra.
Aletria a 5oo rs. a libra.
Arroz carolino a loo rs. a libra e a 2,8oo rs.
a arroba.
AGENCIA
DA
FUNDICAO DE LOW-MOOR.
Una da Senzalla nova n. 12.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
: lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C,
a 12o rs. a libra, e a' ra da Senzalla Nova n. 42.
dem do Maranho
3,000 a arroba. R.CONStl lES DE GAZ.
Cafe do Bio o mais superior que se pode de-! ., n iU
sejar a 32o rs. a libra. N armazens do Caes do Ramos n. 18 e
dem a 28o e 3oo rs. a libra e a 8,2oo, 8,4oo m1 :do T^'6.^?^ SSiJ?
e 8,7oo rs.
Velas do carnauba refinada a 32o rs. a libra,
a io,ooo rs. a arroba.
dem de spermacete a 64o rs, a libra.
Prezuuto verdadeiro de lamego em calda Chocolate hespanhol e francez a 9oo e 1,000
vende gaz liquido americano primeira quali
dade a retalbo a 100 a lata de 5 gales, as-
sim como latas de 10 e de 5 garrafas e sendo
em porcao mais barato que em outra qual-
quer parte.
de azeite 5oo rs. a .libra
Bolaxinha ingleza a mais novas que ha no
mercado a 2,ooors. a barriquinha com
1 arroba, e a 24o rs. a libra.
dem de soda de diversas qualidades a 1,400
reis.
dem em latas grandes, proprias para lunche,
com 5 a 6 libras por 2,4oo rs.
Marmelada imperial do fabricante Abren e
outros conserveiros de Lisboa a 600 rs. a
libra.
Frutas em calda 5oo rs.
Ervilhas francezas a ooo rs. a lata,
kki portuguesas a 4o rs. a lata.
Massa de tomate a 64o rs. a libra.
Amendoas confeitadas a 7oo rs. a hbra.
dem de casca mole a 28o rs. a libra,
Avelans a 2oo rs. a libra.
rs. a libra.
Estrellinha e pevide muito nova a 4oo rs. a
libra, e a 2,ooo rs. a caixinha com oito
libras.
Cha perola muito eapecial chegado neste ul-
timo vapor de encommenda particular
nossa a 2,8oo rs. a libra.
dem huxim muito superior a 2,7oo rs. a
libra.
Idem hysson a 2,86o rs. a libra.
dem hysson a 2,ooo e 2,2oo rs. a libra.
dem preto homeopatbico e muito superior a
j 2,000 rs. a libra.
' dem nacional a i ,60o rs. a libra.
Batatas muito novas a 80 rs. a libra.
charutos dos memores fabricantes 4a Balii*
e de todas as mareas, cene ajan: sus-
'ABE
DE
Espiritos na ra DirMtan. 17.
Neste estabeteciuienio, surtido de todos os espi-
ritos que a ella diem respeto, faz lerabrar aos
seus numerosos freguezes que continua a vende-
tos por menos prego que em outra ualouer paite,
oonio sejam, licures de todas as qualidades, de or-
dinarios a tinos, genebra superior, tanto eui caa-
da como en botija, agurdente do reino, aniz, dita
de canoa, akool de grao o mais subido, e sen
ebeiro, proprio para composigo, o que tudo se
promotte e afianza o boui acondicionamento para
o que tor exportado.
Polassa da Rassia.
Acaba decliegar pelo bri^rue luaim^urm
Olto, muito nova e superior: vende-?-
mente no antigo e acreditado deposito na r.
daCadeia do Recite, n. 12: onde tambtm #
vende cal de Lisboa muito nova i >
commodos.
Perkinraa.
Na toja de Arantes vMwfc-m-v nc* '.v
cauro de lusUe para Imnx'in a -
ESCRAVOS FGIDOS
Fnjrio no dia 16 do mrrent.r as 7 fcoc-.t 4
noile, de casa de sua senliora D. JianuirM Manp>*
da Cunha, as lrreira> do Carhai
Rosara, idade 30annos, cr parda, alta, rrfor^i-to
bracos grossos. mos grande-, falta de 4mb a frr^
dentes na frente, cabullos preto** nrafiafcM, l****
um vestido novo de riscadinho, mr fkalw, ...
panno da Costa e um v. stido de chita j dcitaU
do, e alguma ronpa de nso da mesma, mi Par*r
rosetas encarnadas; esta mulata h e
Sr. Antonio (Joncalves da Silra. moralor*
Amito, e por elle vendida ao Sr. Jos Carta I
da Costo Reis, desta cidade, e por este a afcaix -
signada : pede-se, pois. s autoridades
capitues de campo a sua aporetM-nsao, oo
em sua casa, as barraras do Caehaa
do Queimado n. 34. toja de Lavra A
Joaquina Manjar* 4a <
Fugin
4rtn tia Senada ft.
Vendc-se, em casa de S. P. Johnston i C,
sethns e ahes mgleaes, candieirose casti-
piros, havaneiros, messecipes, regaba, im- caes broneao6, lonas ingteas, So de vda,
penal, flor das mattas, primores a 4,ooo, cicetes para carros e montaa, arreios par
3,5oo, 3,2oo, 3,ooe, e 2,8oo, 2,3oo, \ carros & nfa dous cavaHos, irelogiosde
2,ooo e 1,6oo rs. a caixa. | ouro Dtente inglez.
no dia 17 4o eorrente a crava
cana, de idade de 25 aanos,
baixa, coi (uta, tendo o'.cotovdio do
aleijado, tendo por costimie
a pegar leve-a roa nova de S
de Panto Jos Gomes de Medrtrc*. *
w paawaV___________________
Ho dia 7 de agosto corrale lafio
de nome Lino, crionlo.de idade aoej
annos, pmico mais oo Wa*a. Nraadn,
e fek), puxa um pouco peto quarto din
anda, levou camisa de algodao liso. [* g
compunbo imiundo o dojafiHa. raira ^ atj
do de listo, chapeo de palhaprMa. yj*
serrador : quera o pajar oo rtr Boom asa
leve ra da Praia de Santa Rila !t*n a. w, o
ode monto Sr. km Caetaao > Afcrm. ^M *m
gratificado.


^ Trc72wcT7


-N
' J
V
ligenle a K quando oi que pelos turmaspjVfcTj Eis aqu pois como o s>slenia se ada justificado
i almafe entendeu outr cousa, senao a maneira em seus sophismas, c apenas com urna preposicao,
difireme porque as fatuidades de comprehendcr e com 'res lettras, com urna s syllaba bem compre-
Tialismo julgado pela: pbilso|ila clirista, en j & >"**> da mesma alma sao aneciadas, e ope-.heDdida J""!5 **guem desetobaracou com
Piarlo do i-ertaataarHieo Terya Cetra t5 e Agesto de ift.
LITTERATURA.
refutaran ila doutrina medir'de IBlpefHeit] ram 9
pela P. J. Ventara de Raiilica. Tradan'de esa
urna iilrodiicrao e olas pelo Or. Jos Soriano
de soH/a.
C.orpift iiostivni civil per tmimam.
S. liioinaz.;
CAPfTClO XII.
Iwr de eertv medito
querer entinar aos eccli niattieos
a Kscripturu sania e. a Iheotom-
~ca.Comcat-se relatando as au-
toridades rntorada* em favor do
duodtfnau.ismo.-A palacras
espirito e alma noi litios san-
los nao significam duas substan-
rias distinctas, senao duas facut-
dadet da mesma atmamo toatan. natureza. (i)
O yerbo interior do entend-
VI I \irl
Islo posto, dizer que por aquelles dous termos a \anL
augusta me d Deas desiguou dous seres, duas
snb-taneias dislinclas existentes nella, dizer que '
menos custo. e com mais fracos nieios de um ad-
versario ineommodo E' um novo Sanso derri-
com a mandbula de um burro a novos
Philisteus.
i Entretanto estes novos Pbilisteus. posto que ca-
os honu-ns ivconheeem um sol duplo,Morque cha- nidos. u5o flcam morios como os amigos; mas
n.am ao mesmo sol ora luz, ora fogo. ergnemse de sua queda ; e ,-i-los que confiados
Todo ser que tem entendimemo, diz S. Thomaz,'mais do que nunca voltam ao combate animados e
tem tambera vontade, assim como aquello que tem sustentados por seu S. Thomaz, que achando-se
sentido, fem appeti te animal In quolibet habente mui alto nao pode ser ferido na luta.
iHtclleihtM, esl voluntas; sieut i 'nolibet habente Querendo S. Thomaz provar que a consciencia
sensmn. est appetitus anmafis. Todo ser inlelli- at nem urna potencia, diz positivamente o sc-
genle por consecuencia duplo em sua unidade, gninte : segundo a etymologia da palavra, eonttP
sendo entendimento e vontade ; isto porm urna enca significa a ordem da ciencia com urna rousa,
dualidadede potencia, c nao de substancia ou de visto V-,e diz-se consrencia como querendo dj-
Mullieres.
Ah I Entao amas as manieres?
Eu sei! Godo dolas, preciso dellas.
Nao
prazeres que orriem mulber vulgaro baile, os
enfeiles, as carruagens e as galas; mas o que nun-
ca encontraras o que a mulher superior sabe
apreciarum coracao. Na embriaguez desses ma-
gestosos folguedos ouvirs o galanteio sussurar-te
banalidades aos ouvidos! ters urna corte de ado-
- Parece-me que j urna rez te dlsse que todas radores que flngirao adorar-te I reeebers confis-
so mullieres. Lcmbras-te quando estivemos em soes, juramentos ; mas o amor que eu te offerecia.,
Wa^''!iiOm0.-eu era (tueri(l da(iuclla ? Di" dedicado, puro, extremoso, esse amor que era a '
oabrr. t^An^,ft,.SW& Le" inha vida s esse amor que. urna vez mor.o, arras-1
as tenbo a bordotenho pena, mas conformo-me.
poique me lembra queem chegando a trra sobe-
jam-meem ve* de me raltarem.
Mas entio fallas tu em geral Qualouer mu-
lher te serria '
respo-r..
ia rallando. J surta, t, sem
continnou :
Nao ten saudade* dme teman,
dessa ? '
Alguroas. Eran das de feliz "a atilda
que entao passaram Para no*, moflieres ata-
co tempo que ganaos 0 de solteiras. Iteaa*.
pode-se vi ver feliz, us ja nao ha amatiw alrarta
a(|uella placidez com que vemos sortar ota. r
principiar a noute...
Eslou por isso. senhora caode*a
/
Na linguagem da Escriptura santa e dos padres,
assim como na linguagcm ordinaria dos pwWeiiris
ment. Ridicula interpretmCio
'i' patarra -- contriccSo iluda
pelas theoioyos dualistas.-Como'wM 1)a|avras espililo e
elles se achameunfiieira ornes- ,., T"-------" an art Itl
g mente empregadas urna pela outra. e ambas para ""' a
zw-sc. sciencia com otitra cousa: Conscientia,
secundum proprietatem vorabuli, hnportut ordinm
sciente cul(diquid, vam conscientia dicitur scientia
alma sao indistmeta- cumal"iM (aWaivoneutro, cmiaUquare).' (Ip.,q.
iras- lente quando trocara ama vida livr-*
So dada ao amor !^ ara comslgo todas as flores da minha alma, todo>; absoluto uas stus a/fecSes. podrado amar n
Paulo levantou-sc a rir. sentimentos bons que possuia, oh! nunca t o ,'.0 p "'<**
Adeus. Frcderico. Ests liojo peior do que n.
inra encontraras. Os
mica. encontraras, u ar que se respira as cortes fana
Vaes-te deilar ? depressa os corat;oes -e sabes- o que l dcixa? o
Vou. Por hoje dtscri de te converler. glo,o cynismo. acobertado com o Qngnento!Nao
Eu que hei de chamar-te ao bom caminho. jsl0 ver(]a(je ?
Ha de ser diflkil.
Veremos.
T o dirs Luiz, quando come
cares aconlecer esse mundo, em que boje entras
mo lempo com a theologia. com t
artMMatka
mam.
e com o senso com-
signilicar a parle mais nobre do homem, a subs-
tancia simples e espiritual dotada de duas nobres ^ ^ teslemmiho ao homcm :
Ak dualistas da laia de Mr. Pecbolier devenios- P^ncias, o entendimento e a vontade.
ora justica,de liaverem licad no terreno Assim .' que Jess Christo mesmo chamou io-
uio obstante a imprudente excursao que i 'i.-iinctameute alma e espiriloa adnella nobre par-
LMiipreuewhram pelo campo do ensino religioso, h'de.-ua saalahumanidade: ehamou-aalma quan-
eonorme acabamos denotar. Mas Mr. Lordat do ""^ : A minha alma esta triste at amor-
p 11 rpie poda clevar-se mais, e depois de lia- t e (,|l''"'ou-a espirito quando excJamou :. Pae
ver 'Iludo tao legtimos louros no professorado em ,uas "laos encoinmendo o meu espirito! Tam-
B icraditon que eslava no caso de dar liees '"'"1 s- Joao referindoa mortc do Senhor diz : E *
de ologia. Nao exageramos. (abaixando a cabeca rendeu o seu espirito. em vez
c diz'r lendeu a sua alma. S. Paulo folla do
u lamoso livro intitulado : Accoruo dadou- raosmo niodo 0ra dmm alm aQ ri|(> como determina pelo conh.cimeBte : mil volitam, quin
yolaan-a de Montpettier com o ensino quado diz : Eu me devotarei de boa vontade P' ca de raciocinio, ciegan- p,,,. vossas al|nas 0fa chama e rit0 a a4ma| A consciencia nao portanto-senao a razao-do
homem follando a sua vontade, a inteligencia go-
E nao diz S. Paulo, que a consciencia do homem
Tesfimonhcm illis
A eonscicncia nao
lembra ao homem o que elle deve ou nao fe-
aer Nao lhe suggere o bem. e nao- lhe ex prona
o que fez de contrario lei de eus ? E' por isso-
que S. Bazilio chama a mesma conscienciatribu-
nal natural nal uva le judicatorium; e S. Joao
Damaseeno-a lei do nossoentendimento-MT intel-
E ainda, a consciencia nao a n-
telligencia allumiando pela verdade, e allumiando
por sua vez a vontade. potencia cga que s se
.om aquella fona de rac.oc.mo, ciegan- ^ ^ almas. (^ c|iama rjt0 a ^.J
n. sas formas que todos lhe reconhecem como na ^[m passegm ^ .orei!eilda os h
Lordart aos^nelogos quelite faziamop- niovimentos do espirito mortiticardes os imuuisoslv
- e elles nao t.i.uam o senso commum, e da carne_Qllc a ra?a deDeus ^
na palavra, compreliendiapj assuasBi- 0Snirito.
Se as precedentes passagens, e em mil outras
que se pdem tirar da Biblia, dos padres e dos es-
mesina consciencia.
p, que
3 un
.- eus Santo Agoslinho tao bem, quanto
i.rdiende o seu Hip|iocrates e o seu Ga-
iino possivel, diz elle com ares de
irituti'plic. que ignoris, que o dogma do duoduna- n'',or('s, eclesisticos a palavra alma significa o- consciencia testifica, como quando recwihecemos-! geiva e forea:
alente na um. hwtnt^ I T do hom.cm' como!x palavra esPiril0 s'g"-, haver feito urna eousa, segundo, que
ulses ven,ando-o-coracao; e assim ella nm acto, o que
om o vosso' manifesto> diz s- Thomaz, pelas funeoes que se-1l0 soltra dos lal>ios toi sempre osonho da huma-
gundo a maneira ordinaria de fallar se attribue- nidadc- Para o reaflsar conton urna tonga flleira
ido mrtires-era impossivel que dolante sangue
nao surgiese um dia a redempeao. Osanguete-
Com effeito, diz-se, por exempto,- primeiro que a> cundra a trra-a arwre brotou um dia cheia de
Es um profano, indigno de ser iniciado nos itinocente, ainda pura, cheia de illusoes, c de eren-
mvstenos do coracao. ._/-', .
Nisso creio que dizes a verdade. 5a8 n,as onde ,udo Perders!TjOtdiras, quanr
B6a noute. do vires alguns desses mancebos elegantes, c o
Paulo dcsappareccu pela escotilha, c entrou no amares, com o amor santo do coracao: e cuidando
71?ToSJil TZl^ a Car,a ^rCDC"e ^eontrar nelie o mesmo amor, achares enthusias-
e unza estabeleceu-se imia correspondencia. Pau- .
loamiudava assuas cartas, a que ella responda de mos fingidos, transportes estimados, porque j os
quando em quando. j nao eacontra no coracSo(ftw o perderam as lic-
arin!?*"* *Bgr*Va man8atneBfc impemdo *** coes dos companheiros. queoestragou na orgia,
A noiile cootinnava serena ; a la ia em mcio ,rene vinho e < charutos, entre a danearina e a
do seu giro; nem urna nnvem ligeira e transpa- actriz, entre os que lhe teeram efer s nos berjos
rente se levantava dos horisontes que se compram, e apreciar as mullieres s para
tico m *,UeHa nale n eean atlan' 0S prazerPS t0rPes dos smliios T diras'
Luiza, qutnido, tambem transformada, tiveres um e
Oleitor sabetaoben,,onmelliordoqBeeu,qua wtro amaule seill com elles sentires os cuthusias-
foi o resultado da grande hita de cinco annos los; os goso^npremos de quem ama peto coracao,
(18281833), em que dous exercilos dcfcndcndo
duas ideas oppostas combatan) pela sua landeira
com egual valor, com eguaes sacrificios. Um tinha
cunta si as in-tituicoes desele seculos. que-dese-
java demolir; oufro resista humanidade, qtose
revoiucionava, anctosa da sua regeneraeao. Avk-
toria dvia forepsamente ir a quem foi. No pendo
do vencedor estiva escripta urna palavra que Gris-
c
I
i seacha litteralmenlona santa Escrptun e f
uos padres da egreja ? (Loe. cit. p. 17 e seg.)
a consciencia
Vintras, que a palavra espirito significa um anjo
Ei-lo a desenverrer sobre slo urna erudiciio theo- disiineto do espirito que anima o mesmo homem,
a alma, tao ridiculo dizer-se, como qur, prende, como quando eremos poder ou nao fazer
como o dizer-se que a // de.siyna o principio vital, distincto d'alma intel- r
lectiva.
lgica que espanta.
Entrelanto, como observou a Revista medica
|. sito desse theologo improvisado, Lordat nao
p. iK u desle modo porque a medicina moderna
j- pi -aupe muito com a theologia c com a or-
UHxloxia : massim porque como Imm lgico viu,
que lhe era preciso urna podra paraf.ehar a atobada ,raeo-Elle tem alma-Amo-vos de toda a minha
j i u edificio, c que nao devia busca-la em outra a!'"a- estes casos Prm distingue-se o espirito
parte senao no ensino religioso. Faltou-Ihe porm a! d alma' ,,a0 como duas suhstam-ias. duas nature-
l igj< .i pa ver, que precisando estribar-so na au- i zas-dous seres,dous agentes existentes no homem,
toridade da egreja se constituir elle propro auto-1 mai si,n mm d"as facuIdad(^ <>uas |K.tencias, ou
algitma cousa, trceiro, que a consciencia cciwa,
condemna pelos remorsos, ou absolve e tianquilisa
Paulo kmdo feito (re da esquadfa liberal e en-
trando no combate naval do Cabo de S. Vicente,
volta va a lisba com as divisas de capito-tenente,
e o colar da ordem, enlo no\ilissima, da Torre e
como quando sentimos que fizemos o bem ou o! ggmda
a'- Desde dezembro de 1832 que nao recebia noti-
Ora, todas essas func?oes da consciencia sao o i eias de Luiaa. De balde qeria adivinhar a causa
M imgua franceza especialmente, que muito resnltado da applteacao' de um eutro conheeimen-: desta sbita mterrupcao, A nica idea que mais
!!'n.rl^P_^^,^m!!"mf",!,d.,Z.'l!: .E.llfi 6"! mU!!!,0- (lual conhecimento da lei, as cousas-qae faze-; racional lhe pareca, en* que a difflcnldade das
espirito E' um espirito elevado, ou um espirito
i se quizerem, como duas partes da mesma substan-
cia. do mesmo agente, do mesmo ser.
Nao era porm assim. Luiza deixara de escre-
,' ver-lhe porque nao lhe devia escrever mais. D.
;Luiz casra-a com ceno fidalgo r. ainda que
! nada amado por Luiza.
mo: j communicaces obstara a qne Luiza lhe escrevesse
Putei ex his qum, secundum communem loquendi oa conscientia tvmuntur. Dititur eran* cons
cieuta testificari, ligare, acensare vel remorder, et
hace omnia conseqmUur applicatio*em. ni- > gnitionis vel scientia ad ea qum minus.
i A vontade paterna era sagrad.1, e a donzella
Deste modo v-so, que na lingugem commum a ebedeera. Em abono da verdade diga-so, me o
consciencia nao significa criden emente urna dua-, f^ tambem por conhecer que cumpria o dever da
lidade intelhgente de operadora, mas a a*o do: sua c|asse HBndo-se a um homem tao nobre como
um si e mesmo operador, que opera OM eenheci- ella. Refleem, entao sobre a correspondencia que
ment das regras do* actos humanos; e a prepo- sustcntaVa com Paulo, e jnlgou-a urna loucura que
sicao aun unida palavra stmtia significa evi- \ nlc era impessivel com o seu novo estado susten-
dentemente relaco, nao com outra inelhgencia, ,ar. D(,ixau ^ de osWOTeHI sem lhe dizer
mas com outra eousa. j pnmeiro pwque.
Mas, a escola duasta pela singular sigmflcacioJ Naquelle coracao havia anda um sentmento
que deu palavra cousciencia, deve temer pr-se superior ternura e ao amoro.orgulho. Recusar
em guerra assim eom todos es theologos e moralis- a uniao que D. Luiz lhe propunha seria forrar urna
tas, que todos daram referida palavra a signili-'declaracao que a envergonharia. Amar Paulo
cacao que lhe atrribue S. Thomaz. como com todos Paulo, que nao passava entao. de um simples te-
ridade, que se havia posto no lugar da egreja. in
fMdd seugeitoo ensino desta. o que pra
tir-r o prolestantismo sol pretexto e por meio do I yuanto as palavras do Salmo que se nos oppem,
leelsma j perguiitaiemos : Porque razio niio teria o prophe-
A uindade liumanadoprophetade Tillv como'la ci,ado SaIni0' segundo oestylo erninente-
: ,mos observar, muito dillerento da do pro- m'm w[ico dos livros ^^^ 'raduzido por
de bntpellier. Naquella a whumana :,llellas palavras urna dessas ineftaveis conversas
. e a nvsiiia.sendo s novo o espirito humano 'I'"'a ''"elligeucia humana tem comsigo inesmaf E
que lo senao um anjo decabido acamado no | porque motivo se ha de ser obligado a altribuir
MRem : n.-ia pelo coiiirario o espirito humano dlias iulelligencias, duas almas difTerentes aquello
, -no. seinlo -o nova a alma, que urna prophetico dialogo, quando tao simples e natural
hii.i -Imples, estranha todas as obras da ; atlribui-lo s dilTerentes facilidades das mesm alma,
HttelHgttieia e exclusivamente encarregada do or-1* mesma intelligencia ? Por ventura, por esses
ganisnio humano. Nao obstante porm esta dille-' senhores dualistas nao com|>rehenderi-m nem urna
os iheotogos dessas duas trindade.s ajioiam- (s palavra desses maravillosos [ihenoraenos d'alma | os grammaticosdo mundo, enja clera nao me-1 nente, c ainda sobre isso, defensor do novo syste-
ii.i.- pouco mais ou meno- nos mesmos textos dos humana, e i>orque na densidade de seu espirito nos para temer-se que a dos theologos. ma poltico que a revolueao proenrava instituir no
i. ,i tatos o das padres.
Tendo o hiraode ouro. ijue contm as impieda-
!-. de M'un.l Vintras, appareeido alguns annos
"" dn livro em que Lordat depoz as suas excen-
u. lades. pode-se erer que o professor copiou o
(,. hela. |odendo lauto mais fcilmente ter isto
i ontecido, quanto Lordat absorvido em profun-
do- estados dos autores de medicina, parece nao
t ido lempo de ler urna so pagina dos livros ec-
drsiasticos e assim bem poda ter tomado em-
|. Indas as -uas citaeoes a alguein do oflicio, que
u i escripto antes dille, parvee para elle ter es-
rtipto.
nao |iodem resolver-se a adoiiitir conversas possi- Com effeito. tmlos os referidos grammaticos con- l>aiz.
vi i- senao entre dous seres substancialmcntc dif- leordamque oxyn do prego, o < dos frailee-1 oque para nwanso para nos tambemfazia
ferenies. ser islo razio para que assim o seja ? zes, o com dos porttiguezes, o osudos italianos, e um bollo ornamento de carctero amor liber-
Insistem elles em tom zombeteiro: Quaes sao tos hespanh* o rrM dos inglezes e o cum dos la- dade, para Luiza era, se nao culpa, mais um motiT
tinos unidos a um substantivo, ou um verbo si-', vo de separaco!
essas facilidades que. tem cada urna o seu verbo
pelo qual se interrogan!, e se respon-
Pois sim, senhores, ha verdaderamente o
fallado.
dem?.
gnifica nao s a companhia de urna pessoa, mas Oprimeiro cuidado de Paulo qnando chegon a
tambem o meio, o insnumento, emesmo asimples^ LsWa fo plorar a easa de D Lttiz. Eslava
verbo das faeuldades humanas, como ha o Verbo' circumstancia concomitente da operacao; e que es- deshabitada. O velho fidalgo emigrara, e Luiza
das pessoas divinas. Este verbo a palavra inte-
rior, o verbo do homem, paluda imagem da pala-
vra interior, do Verbo de Deus, verbo a que chama
S. Agostinho. o filho da intelligencia prolem
ments.
: o, ouiro lado, tambem o mesmo Viutras, oceu-
pa lo com o fabrico dos seus carloes, que lhe nao
derambem resoltado, no-pde liaverdesi, nem
oo- livros as dontrinas e citaeoes qne se acham no
/. ./ ,/, ouro, sendo que por --o coaJessa modes-
tamente ler aprendido tudo pela revelacao do cu.
Ro so Senhor a Sama Yirgem, S. Jos e S. Miguel
U Coran) os seus meslres. Mas foi principalmen-
te ni corlo archanjo, at boje desconliecido, cha-
i lo Sadraniel, Mptrtto celeste e incarmulo nello
n o lluminou.fallando-llie a todos os instantes.
i ni effeito. eompp'hende-se que a grandeza,
santidade e sobre tudo a pureza de um personagem
eom Vintras exigiam, que o espirito que lhe era
i : i nado nao fosse menos que um archanjo.
...Iva a diSrenea, que o Dr. Montpellier eolheu
o Ierra, e que o evangelista de Tilly receben di-
i lamente do cu as autoridades com que de-
: nslram a ortbodoxia de suas respectivas trinda-
ij no masellas sao idnticas. Por isso, expli-
lo as referidas autoridades em seu verdadeiro
, lo. do sentido da egreja, com urna s pedra
daremos duas pedradas, ficando de urna vez por
todas derruidos dous gtosseros erros, duas here-
sins que de continuo apparecem debaixo de novas
I uas, ou antes um s erro, urna mesma heresia
de duas caras. '
Para os nossos sublimes interpretes da Escriptu-
i a ili-ilnccao real o substancial entre a alma c o
la. on o dualismo anmico, acha-se litteral-
i :ih'as seguintes palavras da santaVirgem: A
clnha alma magnifica engrandece o Senhor, e o
i i espiito se alegrou em Deus meu Salvador:
Miguifical anima mea Dominum; el exultan!
iti meus in Deo, saltttari meo*; assim como
taniliem no Salmo em que o espirito do propheta
ffergNMa a sua alma: Porque ests triste, e por
qje me conturbas, oh I minha alma? Quaretristis
nna mea, et qmre conturbas me?
Que necessidade! Por ventura niio ser rece-
i> i,, na linguagem liumana o attribuir-se algnmas
i o qne o homem faz potencia, e ao orgao por
io da qual elle obra ? Nao se diz muites vezes :
Minha -memoria me falla-Meu entendimento nao
romprehende Minha vontade )nao querMen co-
i 5o nio bate -Meu estomago niio digerc -Meus
j. nao querem andar ? E jamis aJguem concluii
desee modo de fallar, commum a todos os homens,
qiv a memoria, o entendimento, a vontade, o cora-
ro, o estomago e os ps, possuem seres diversos,
substanciad difTerentes, almas distinctas, e que o
i nem tivese pelo menos urna boa duzia de
a mas T
Por ve,ntura nao ser de ufeo universal empregar
o homem a palavra ahna para indicar o que se
i a na sua parte sentimental, e a palavra espiri-
fo'pira dignificar as operacoes de sua parte intel-
As Pessoas divinas nao fallam entre si de um
modo neffaveLnas profundezas da naureza divina,
sem que por isso sejam tres naturezas distinctas.
tres Deuses?
i
Porque razo as tres potencias d'alma que,
segundo os dous maiores dotitores S. Agostinho e
S. Thomaz, de aecordo'com todos os padres da
egreja, representan!, de urna maneira eertamente
muito imperfeita, as pessoas divinas, nao poderao
tambem fallar entre si as profundezas da mesma
intelligencia, sem que por isso sejam tres seres
dislinctos! Porque esta intelligencia, substancial-
nienle urna, nao podei conversar comsigo, e em
si mesma i
Se os theologos de armazein e amphelhiatro
anatmico nada cnlcndem desse grande mysterio
do homem fiel reflexo do maior dos mysterios de
Deus, nao porque a sagrada Escriptura nada
diga acerca delle, ou porque diga o que elles a
fazem dizer; mas antes porque, posto que mui
allumiado pelas luzes do cu o seu espirito lalvez
se arraste anda mui pesadamente pela ierra.
A theologia dualista fez outra descoberta anda
mais maravilhosa. *
A preposicao cum (com), dz-nos ella, mostra
evidentemente una dualidade mtelligente, ou a
aceito de dous operadores. Logo bastam as pala-
das conscientia, composta do cum e scientia. e
contritio, formada de cum o trituratio, palavras
-1,1- da lingua christaa, para provar evidentemen-
te, que no homem ha dous espirites, ou duas almas
distinctas que sabemjtmtas, cum sciente.e que am-
bas culpadas se quebram juntas ao coracao, cont-
ru-nl. ou juntas se arrependeni.
O'f que admiravel racciocinio! O'! quevalente
golpe d o duodynamismo com o dito racciocinio
nos seus ignorantes antagonistas
penalmente a palavra consciencia na* significa estava ^^^ om 0 ronde de vi||a-Veho, arislo-
uma dualidade de pessoas oporantes, mas a opera-; crala que C3m a mudanca da organisacao poltica
cao intelligenlc de um mesmo espirito, operando (w acoiheia bandeira reformadora, nao sei se por
com sciencia, ou segundo s luzes" da rao pra- convicooee, se por ve> qne a engrinaldavam os lou-
uca- ros da victoria. Adtoittemos, porm. que o conde
A mesma coasa se deve dizer da palavra roiir no fosse scduzido pelos cxplendores do novo sol
triro, formada de duas jialavras. latinas cum e te- que surgao que nao podemos negar que obrou
n, pois contet-ei-e significa qnrlnar. esminalhar. pi- como homem de fino tacto. A' torren* das ideas
lar, esmagai. imprimir com clera, cmn raiva com que uercorna a Europa fra impossivel por um
obstinacao. | dique : o melhor meio era pois, deixar-se ir com
Prevalecondo-so desta sigwlicaco formou S. A-' di, para nao ser espedacado na resistencia !
gostinho jiela primeira vez a bella palavra chris-
taa-contricao para exprimir o sentmento do pee-! Luiza eslava Por laD, condessa, e fazendoparle
cador convertido, que por arre|>endinieiiteprofun- da corte da Sra. T>. Mara H.
do de suas faltas quebra co torca, com, clera o. Sc a visseis, leitor, com o seu ar magestoso e al-
seu coracao. tivo. atravessando. as. galeras e pisando com os
, ...'. pequeos sapatos de setim os finos tapetes do paco
A palavra contr.eao nao significa pois senao a 'i____. ... i^uu^
, ., V "*" a real; ricamente vestida, docotada, com as be as
o^ e a colora com que toda alma verdadeiramen- ^^ J canu ao
te penitente se pune em seu propno coracao as foi- ,ado ^ uma ^ fc brilhante cuidanes vor un)a
tas que conunetteu para com Deus: _;u ,!. j ...
irainna-(.atnannada Russia na sua corte de pnn-
Tal o excellenle resumo desto beHo pensamen- cipes; ou Anna d'Austria entre os cortesaos de
to de Tertuliano: Luiz XIU,
O penitonte o homem em clera rom sigo Se Paulo a visse assim, soffreria de amor e ciu-
mesmo: me Mas foreoso v-la porque Ufo pede o
Peeutens est homo iraceus sibi. coralito.
Isto posto, dizer que a palana contricao exprime; Havia baile na emliaixada do solemnisando a
WM substancia dividida entre dous, designando inauguracao Ni tbrono da Sra. D. Maria n. Paulo
dous culpados no homem, e d'ahi concluir que ha foi convidado e a condessa tambem. Depois de tres
em nos um espirito celeste decahido c assocado annos de ausencia iam novamente encontrar-se, nao
nossa alma espiritual ou uma alma sensitiva dis- j como d'antes, coin a appreciavel franqueza que
tincta da ntelleetiva, rebellar-se contra todas as os aproximava, mas respeitosos e reservados,
ideas recebidas; pr-sc em guerra ao mesmo Pai0 pnlrou nas saias. ^a |(,e brilhava no
tempo com o senso commum, com a theologia, com rosi0 a alegra propria dos que se apresentem n'um
a lgica e com a grammatica; mostrar ser um! baile. Notava-se pelo contrario, o contraste que a
tolo, querendo passar por sabio; expr azoraba- j sua physionomia seria o melanclica offerecia com
ra do vulgo a causa que se pretende sustentar; tantos ^s alegrcs ,antos mtsoSt |anfas n-res
perder a mesma causa, se por outras razoes j nao lanl0 f0jar
e disseres-niio era assim. que eu ama va aos vinte
amos!
Cni que profunda amargura murmurara Paulo
estas consideracoes encostado ao umbral de uma
janella! O mancebo soffria immenso, desses soffri-
mentos que se no descrerem.
Frederico, que tambem eslava no baile, aproxi-
mou-se nesse momento, e disse-lhe :
Ole ? j me tardava no te ver !
Ainda no passei Taqui. Estou horrivel-
mente aborrecido.
Ja?! Pois a minha elegante pessoa'acaba
agora de passar revista feral. Olha que ha a
rrl
Est a'oondessa de Villa*Ve Iba ?
Luiza. hein Creio que a vi na ultima sala
de braco com uma exquisita figura de inglez...
Desejra- que ella aqu passasse mterrom-
peu Paulo, sorrindo ligeiramente.
Se veto na minha retaguarda, nao pode tar-
dr_.Repara-creio que ella la vem !
Effectivamente por entre a multidau aglomera-
da, que se abriu para dar passagem, appareceu a
condessa, repomndo a pequen mao, calcada com
luva branca, sobre o brago de um homem alto,
magro, de suissas mivas, vestindo a farda'de ad-
dido legaco de S. M. brtanniea.
O inglez nao dizia palavra a condessa, a* com a
sua caraeteristiea seredado foi atravessando a sa-
la. Luiza pareca pouco satisfetta do espirito do
seu compan!ienx>, irque ia tambem sitoneiosa,
abrindo e fecliando successivamente o toque.
Paulo estrenwfceu ao avista-la; estremecen de
ratva, de amor, e de cumie. Nunca lhe apaarece-
ra tao bella, tao elegantemente preparada !O
vestido de nobreza, bronco, dfceotado, mostrara o
tormoso cllo da Venus de Canova ? E os bra-
cos ?...E os olhos ?...E os cabeltos, os negros e for-
tes cabellos ? aquellas trancas- de bano que, sol-
tas, a cobriam como um mamo roeagante?!...E a
bocea de beijar, surrindo prazer nos lascivos con-
tornos, 1..E o rosto, esse rosto de fad*. onde sc di-
visava a ddee melancola, qne paroeia o ideal
das virgens do Rapbael !
A multidao ifue encliia s salas admirara na-
nagem que ella presta a belleza, essa mulher de
tao explendida formosura, de tao distincta elepin-
cia! Apparecia ali de novo; nada se dizia ainda
da sua vida particular, e as linguas mais morda-
zes, comentavam-se em dizerqual ser o seu
primeiro amante ?
Muites se dispunham j conquistamas Luiza
repellia todos. A sua arma principal era aquelle
orgulho quo nos lhe conhecemos, orgullu que ge-
lava quando com o rosto carregado voltava a ca-
beca- ou as costas com sobranceiro dssdm aos
que se atreviam a galantea-la !
Quando a condessa atravftssou a sala, Pauto
adiantou-se um pouco procurando ser visto; mas
Luiza no voltava os olhos para lado algum, o que
* ; osp*rv^
m *nVritif
j por uke
E
fez exasperar o mancebo.
preciso que ella me vejailisse elle para
Frederico.
Para queJ Pretendes ainda eommove-la?
Quem sabe ? Talvez que me amc.Casou.
verdademas aquelles casamentes...
Sao casamentos!atalhou Federico.
Casamentos em que o coracao nunca con-
sultado Casamentes em que a mulher se entrega
por urna escriptura de venda !Vou procura-la,
von.
E Paulo deu a andar no seguimento da condes-
sa quo ainda ao longe se via jielo braco do inglez.
Frederico ficou onde esteva, at que a orches-
tra rompeu com uma quadrilha. O mancebo diri-
giu-se entao sala onde se dancava, e com espan-
to seu viu que Paulo fazia parte' da quadrilha. e- o
seu par era...Luiza!
Luiza, to real e perfeitamonte. como a viramos
passar, com o seu vestido bronco, os seus bri-
Ihantes, e aquelle rosto de incomparavel formosu-
ra. onde faltara o rseo frescor da rapariga lou-
cjia, mas onde havia a palUdea attractiva do sent-
mente, muito mais bella, muito mais celeste I
Que quera dizer tao rpida umo ? que Paulo
conseguir ser visto c reconhecido, e percebra o
sobresalte com que Luiza o encarara, baxando I
(1) Em outra parteodouter anglico explica do
seguinte modo, a razao porque se chama a alma
humanaatina e espirito : Cumpre considerar,
diz elle, que a alma racional verdaderamente e
ao mesmo tempo alma e espirito. chamada al-
ma por causa da virtude que ella tem em commum
com toda especie de alma, a saber a virtude de
animar o corno, e lhe dar a vida ; sendo que por
isto a Escriptura disse de homem que acabava de
receber a alma, que elle se tornou alma vira, isto
, uma alma vivificando um corpo. Mas tambem
a mesma alma racional se chama espirito, por cau-
sa da virtude que lhe exclusivamente propria de
ser substancia immaterial e intelligente: Conside-
randum est, quod anima rattonalis, et anima est et
spiritns. Dicitur autem esse anima, secundum
fhtd quod est sibi commune cum alus animabas,
quod esl vilam rorpori dar. L'mle dicitur, Gene-
si : > Fuctus est Asmo ia animam vicentem,
id.est, rilam corpori dantem : sed spiritu\dicitur,
secundum illud quod est proprium sibi, et non aliis
animabas, quod scilicet, habeat virtutem intellecti-
ram immaterialem (l p., q. 97. art. 5.) Nao ha na-
da de mais preciso, de mais claro e concludente do
3ue esta expllcacao, contra o abuso que fazem os
"alistas das palavrasespirite e alma.
estivesse perdida.
O luxo, o clarao das luzes, multiplicada nos es-
E de focto, nao ha nada mais ridiculo do que pelhos; as cores vivas dos estofos; os raios que os
querer alguno que se aceitera como demonstracoes brilhantes despediam das cabecas, dos peitos, dos
conccpcdcs e sonaos de espirites enfermos, concep-
{oes e sonhos contra os quaes protestara a cons-
ciencia e a lingna da humanidade.
(Continuar-se-ha.)
PAULO.
ni
(Continuaco.)
Que se podesse, cumpriria em trra, accres-
centa.
Isso sei eu. E todava a eohtrariedade no
te desgosta, nao te atormente ? En. que fazes con- sua discipula.
pulsos, e dos dedos das mullieres; a msica; toda
esta reiuao, toda esta confusao de tao variadas
cousas, que embriaga os sentidos, a ponto de fazer
olvidar o mundo exterior, no operavam em Paulo
o seu tentador effeito. E' que levava na mente
uma idea, gravada como com ferro em brasa a
traicao de Luiza. E* que levara o ceracao rete
piado, e soffria horrivelmente ao ver passar por
aquellas salas tantos homens, tantas mulheres, que
outr'ora conhecra em casa de D. Luiz, e que, por
consegrante lheavivavamrecordacdes piedosasdos
das que passra junto condessa, quando ella era
sistr a felicidade, Frederico ?
Queres que te falle com franqueza ? Nem eu
sei bem o que a felicidade. Se o estar a gen-
Nessa poca considerava-se Pauto desgranado;
e hoje? Hoje inveja aquelles dias tranquillos e
te bem, com boa saiide, alegre, satisfeito de si e serenos, que passra ao lado de Luiza. Era ainda
de todo-, entao, palavra de honra I tenho eu a fe-
licidade.
Mas nenhum capricho rrealisavel que te con-
trari ? !
Nao sou escravo dos caprichos, Pauto. Real-
mente aqu s nos falta urna cousa pare ser-mos
completamente felizes. Mas que se a tivesse-
mos, pens que haveria novos anjos rebeldes, e is-
to se volvera n'outro inferno...
E o que falta ?
muito jovem, e rbvse j capito-tenente e condeco-
rado.As anibicdes de outro tempo principia vam a
realisar-se.
Que valem estes divisas -dizia elle porm
debaixo dellas palpiuun-me as arteras, porque a
ebre me qneima o sangue. Que vale esta cruz ?
Cobre um coracao espedacado.Oh, Luiza! td po-
deros encontrar no fastigio das grandezas esses
visadas de confio, sem al pod.-r.-m d.x.-r
mondoestimoeste homem, meo irmaonatrr
n. porque esse Irmao. na lingiiagmt un 4.
mundo o amante No assim '
Luiza corou leremenle e redarguw :
Em parte... assim -
E espeeialroent.- perteDCC a certa ttmum
da sociedad em qne fon-oso jtettar am astr<
determinado pela familia, e nao esnfad ara>cv
racao... Ol! cu imagino quanto a
soflrer, quando tem de ir entregar o asa
da vidao do noivado, nas mao f
hidifferente O noivado f qoe o i
zetlas, a sua maior ambrru. odia e_
inie poden, ofbrecer inliramenie o enr*.-Zrt f
passa-to ao lado de um homem que a *mwl
que muitas vezes as nao ama E esse dfc> fer.
licidade perdido... j nao rolla Nao r w
dade *
tartamente. Estou p>>rsoadida ana a**
uma grande infelicidade.... qne so se i
pois.
Mas se as mtilhere >. alalbou
drane, tivessem menos asnWria,
nao se prestariam assim a es< negneio.
realmente um negociu.
A condessa percebeu onde Piulo quera i_
Aquellas ultimas palavras fizeram-na rubra.
sou-se em responder.
Mas, Sr. Paulo, todos os sacrificio*,
ac-dever. Se essas mulheres a quem se i
teem primeiro que o corac-to, oderer a respeitar *
S a vontade de seu pae, que deve *ta*ipr
da ? Se para verem nos labio* de oa reata a
quem amam, a quem respeilam, o sorriso m M
cidade, ohVrecem-s ellas, que sao moras r i
se i-stunam. a queimar as palpebra^ eom o fogo i
lagrimas? Fazem o-sacriftcio da propria w
pela ventura daquelle que Ibes deu a esia
Deus tambem toma em eonta este 1111
Oh no as comieran- assim. Sr. Paato'
A qnadrilha comerava aaa mstant.-
moviam-se ; pcrtencia-lhes dancar.
Luiza pensava agora deste modo, b-rm
do de outro tempo. Sc casou nao fai
deoar vontade de D. Luiz : foi pon*De 1
que era um tal casamento que ronvinh.i a
s.cio. Depois que a liro dos soRrin
modilicou as ideas du orgulho. Quaado a arate?
do coracao. a que pedia debald** anVic"* 1 un
sas para sou marido, lhe den a conhecrr qnaata #
escassaa ventura no consorcio, se o amor stav jaa-
tou as duas almas antes que a egreja osarat a
unio dos corpo>. Quando se rio ntaeaanaa
aquelle isotemenlo |>erpetuo da alma, que etb
comnrehendeu que a mulher foi criada para amar
e solTre horrivelmente je a conttomnaai a rirer
solada das impressoes e exiremos du coraeo.
O que cosiuma entao suereder f Wsm a a*>
ellas pode.n as vezes as leis naturaes. Deas rrtan
a mulher para o amor, por isso lhe prc na altana
ternura, a sensihilidade r ameiguice; por issolar
poz no rosto a formosura. no seio a rnirraiitaii
Privae-a de poder amar livremente, 1* aaa amara
em segred; amar sempre porqne toi a no
predestinarn na trra : porqne o amor para eib
o im-siiH que a agua e o sol para as tona, mar
faltando-lh<*s estes dous elementos V rtam. tan*
bau. [allida e resequidas-1
A quadrilha terminou. e Paulo roadazia Lmr.
pelo braco, onercccndo-lhe para .utaar-se ai.
sojih. IViino houvesse logar ao p. sentoo-. elle
tambem.
Oh! Sra. condesan f disse Paato ajana- 1
voz baixa. permitte-.as que lhe falle algia nana
tos com franqueza 1
Porque nao *! cao somos n eoattttadat-
ha tanto-lempo ?
E amigos.. pois nao pmarfleu amiga !
Promelti.
LeralH-a-se da primeira carta aat> ata eerr*
vi Sollria muito entao. Proaua** aa corara-
3..e recebesse as rainnas laitrimas -. letaaraa ae
aiiui'll anjo <|ue leixara em l.ritxa. tao boa. tr>
mogo, e to rar.do&o. Devia ter o da .afea*, ajar
corra petos mares, exposto norte, e eom aaara-
1 o torturado por sotfrimentea, qae canameate adr
vmUva. Deposit, pois. na saa asaa, aV Lata a
ilor que se concontrava na miaba. Naaaaaiaa-aie
Consolava-me, e diiia-me que caarra___ao ."
assim t
E chore; e chorei sempre qne i a___qav
t- mais de uma vex '
Obrgado, D. Luiza, obr igaao A 1
presses cegaram*mc. Disse-lhn... oa I
repetfr-A'o. disse-lhe qne a amara., eera
verdade Adora va-a.... pei*aaaaaeaa' Fai aob
loucura.... mas o co'raco taz muitas 1
curas. No comprebede istof
(iiuprel.endo. murmurou lanza.
uma rosa do ramalhcte que tinha na m.
Aquella carta, prosegniu Panto, t.-v.- resne-
la. En como que exprobantto-iiM- por .brfejar nr
amor, que no poda sustentar -en. ir coafr
a voniatle de seu pae. Dizi.-anw que lalret aaoV-
se corresponder ao men aerto, se elle toas* aa
si vel antre nos ; mas que, sa nao poda ata ai
amor, olferecia-mc a mais dedicada ansale, ane
podesse sentir Sale o que perrebi Qne er..
amado: masque orgulbo r>relendiac.-Mo*riBMi
esse affecto no seu coracao.
A condessa fez-se vefmelha. e no rr pama 1
Pauto eslava-se regosijando em ver imaresa
porque Luiza passuva : o rubor que lhe carava B>
taces ; a abstraoeo com que folha :t folha. desama
chara uma rosa, deixand cahir as ptalas sobre
vestido e o tapete '
Continuei a escrever-lhe. prosearan o nnu
cebo, e respondeu-.ue algumas veaes. tasas car
tas sao o meu mais precioso tbeseoro, no as dara
por cousa alguma ; mas se as quer mera a mi
mensdade do sacrificio que me obrgn a fazar ...
se o exjgo.... restituir Hias-bei. Mire d*-
qur ? ..
No.
Foi um monosyllabo, que pareca rurte.... sna-
no era. Foi pronunciado quasi entre deate,
ex
logo os olhos ; percebra tambera depois, que de I c,?m ,al s,,avJ.(!ad' 1* aa mais do que nm taajr-
- discurso. Nao. O que araella il.-i*ra eaeerra
a! Amor ... poruut: Luiza aiua\ Pauto, aei.i
os
quando em quando a condessa Ihe'lan^ava um'u ,
olbar triste e apaxonado, mas que loeo voltava n|T*J Amor ... porque
rosto, se elle olhava para ella. Js-.P encobri-lo !
Tudo tsto era de grande valor. Quera velo,!, Q" momentos de doce remora tata nansa
olha-lo. contempla-lo, mas sem que elle o pefte-! ff P* "* I Deixara-mo atar a. _
besse! Poderia tambem amalo anda, sem querer : dav?'lh as; ,,es,a!' c">"essoes so se fazem qnaata
que o mancebo o suspeilasse I 1 anda se ama.
Forara tees as consideracoes de Paulo. i ]J,"za.i! e*rlamon Panto com
Formava-se a quadrilha c lembrou a Paulo dan-! : br!/?a*>- ml!.ves.,0?,^a*,' *
assapab
que me fez Deu-me vida ao cancn'.
vra cal.iu-nie no pcito como goltaV I
essas lagrimas essas lagrimas ..
Pelas faces da condessa carrtam hr.maa
jurlas.
Essas lagrima ...conlimon Panto
te, quera eu bebe-las ledas, todas...
E sem lhe dar lempo qne adevinhasse a a
tomou-lbe a mo, e beijou-lh a.
Peto amor de Deusl exetamaa Luiza,
prometle-me!.... .
Mas ninguen. estera j no salo da.
tinham passado para as ontras satas.
Ens aqu sos!... continen,
inquiete. Saiamos. saimos'__
l'in nstenle, um nstame mais I Baaranatan
Paulo supplicante.
Se alguem visse...
Mas n.nguem vem.
Vamos I d-me o braco! Qner qne esta ara
te supe.te de nos ?
Nao; isso nunca f exclamo o msanli. ar
guendo-se re|>enl i mente.
E sahiram ambos da sala.
A primeiro pessoa qne viran, foi o asarais aV
Luiza. Era um hornera qne iiaiusataii a as
Irinta e quatro annos. Yinha bem atartaa de
casaca bordada e chapen armada : a par itanaan
demonstrara pouco a favor da ataeaatajarta e airv
pcacia do conde.
Aproximou-se de Loira, e esta ipn iaataa Mi
Pauto como pessoa de antigo conheeiateata aa 1
de seu pae.
(Ctmimmr sekmj
car com a condessa. Ilesitou alguns segundos,
mas roceiaudo que outro se adiantesse, foi convi-
da-la. Quando lhe falln, cuidou vr-lhe lagrimas
nos olhos. E se assim fosse ? !...mas quem fara
chorar a condessa ? I
Quando Frederico chegou sala da danca esta-
vam ambos mudos e quedos como duas estatuas.
Dir-se-hia que receiavam follar, ou nao sabiam
como romecassem.
Havia quatro annos que se no viam. Este en-
contr n'outras circumstencias era para expansoes
de ailmirae.il) e regosijo. Assim, nao. Paulo ti-
nha queixas amargas a fazerLuiza, reconhecia a
justica dessas queixas. l'm tinha no coracao a
dra outra, o remorso. Elle, quera desprezar.
por uma justa represaliaella, .nao quera follar
em len.brancas que lhe pesavam na consciencia.
Mas era preciso comecar, dizer alguma cousa,
fosse o que fosse. D aquelle modo, silenciosos,
era uma inutilidade, quando no fosse o ridiculo.
Paulo foi o primeiro a follar :
Ha quatro annos que a no va, senhora con-
dessa.
A phrase era banal, muito banalmas que que-
riam ? E Deus sabe com que dffflculdade lhe sahiu
dos labios. ,_y
Luiza sarrio, mecheu nos braceletes, c endirei-
tou o vestido. Visivelmente se conhecia qne esta-
va perturbada.). Nao gostana que lhe fallassc Pau-
lo em recordacoes ? ~~^^
Talvez.
O mancebo contentou-se, pois, com o sorriso e
tornou:
E quem me dira enlo, n'aquelles bellos
aias de feliz tranquillidade, que havia, quatro an-
nos depois, de acha-la casada t
Paulo recuperava sangue fro proporco que PKRNAMBUCO- TV?. DE F. F. rUsV.

r
'
/
i ILEGVEO
^4-------
x *
r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWF5MB191_LP5OZQ INGEST_TIME 2013-08-28T01:31:21Z PACKAGE AA00011611_10173
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES