Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10170


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I

AMO XXXIX REBEBO 190.
Por tres mezes ndiantados 5J000
Por tres mezes vencidos ..
SEXTA FEIRA 21 DE AGOSTO DE 1863.
Por anno adiantado..... 19$0OO
Porte franco para o subscriptor.
DIARIO DE PERNAMDUCO.
ENCARREGADOS DA SIBSCRIPCO NO NORTE
Parahyba, a Sr. Antonio Alexandrno de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Suva: Aracatv. o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, Sr. J. Jos de
Oiiveira; Matanhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Sis. Manoel Pinheiro <& C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Cesta.
ENCAR REGADOS DA SITOCRIPCAO NO SCL
Alagas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Al ves; Rio de Janeiro, os Sis. Pe-
reira Martins .V Gasparino._______
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros. Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanliuns as tercas reirs.
Pao d'AIho, Nazareth, Limoeiro", Brrjo, Pcsqueira,
Ingazeira, Plores, Villa Bella.Tacaratu", tobrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sermhem, Rio Form'oso Tamandar, l:na, Barrci-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vates que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao'/? dia.____________
EPHEMEIUDES DO MEZ DE JULHO.
6 Quarto ming. as 6 h., 10 ni. e lis. da ni.
14 La nova as 10 h., 37 ni. e 44 s. da ni.
22 Quarto rese, as 2 h., 54 m. e 32. s. da m.
28 La cheia as 5 h., 19 m. e 56 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as-9 horas e 18 minutos da. man ha a.
Segunda as 9 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sui at Alagas a.5 c 25; para o norte at
a Granja 7e22 de cada mez; para Fernando nos
das 14 dos mezes dejan, mam, inaio, jul, set cuov.
PARTIDA DOS OM.MJH'S.
Para o Recife: do Apiparos s 6'/-- 7, 7 /*. 8 e
8 V- da m.; de Olinda s da in.et*da tarti*-. de
Jaboatao as 6 V2 dam.; b Casanga e Varna s 7
da m.; de Bemfiea s 8 da-m.
Do Recire : para o Apipnross 3/ 4, 4 '/,. 4"/,.
5. >'/!, 5 "A e 6 da tanto', |m Olinda s-7'i
manlua e 4 '/- da tarde; p:tra Jaboatao s 4 da. tar-
de; para Cachang e Vnovas*./ da tarde; para
Bemhca as 4 da tarde.
PARTE OFFICIAL.
nt\ IMIIIIII DO IMPERIO.
6.* seceao.Rio de Janeiro.Ministerio dos ne-
gocios do imperio, em 2! de jullio de 1863.
Declara que, salva a excepeao indicada, nao pode
um sacerdote reunir dous beneficios.
Exm. e Revm. Sr.Foi presente a S. M. o Impe-
rador o rcquerimpnto em que o cura rollado da
freguesa da S cathedral dessa diocese. hachare!
Marcellino Ferreira Bueno, o qual fora apresenta-
do em urna conesia da s desse bis|iado, expOe
nao ter solicitado a iustituicao cannica neste se-
gundo benefirio, pela razao" de pretender aecumu-
lar um e outro, e pede ser collado na conesia, com
percepeo de ambas as congruas.
E o ui.siiiu augusto senhor manda declarar
de da Victoria, declarando-nie o dia em que foreiu
ellas retiradas do servido.
Dito ao commandante superior de Palmares.
Logo que esteja concluida a cleiyo de eleitores
nessa freguezia, mande V. S. dispedir do servico do
destacamento as dez praeas da guarda nacional
rom que foi augmentado o da villa de Barreiros
por ofllcio de 30 dojulho ultimo, communicando-
me V. S. o dia em que forem ellas dispensadas.
Dito ao commandante superior do Rio Rormoso.
Expeca V. S. suas ordens para que sejam dis-
pensadas do servico em qac se acham as dez pra-
eas da guarda nacional que ao commandante do
batalhao n. 43 foram requisitadas pelo delegado de
polica da villa de Serinhem, liem comoas 30 pra-
vas e o offlcial que eni 18 de jullio prximo lindo
all mandei destacar, logo que volteni do Rio For-
moso, para onde foram requisiladas pelo respecti-
vo delegado, e eommunique-nie o da em que esta
ordem fr eflertvamente cumprida.
Dito ao promotor publico do Cabo. Pelo seu
V. Exc. Revm., para o fazer constar ao referido! ofllcio de 13 do crrente fiquei inteirado de acliar-
cura, que, nao podendo um sacerdote possuir se concluida a eleieao de eleitores da freguezia de
dous beneficios, como expresso no concilio tri- Ipojnca e ter Vmc/voltado para a villa do ("abo.
dentina, sendo exceptuado a|>enas o caso de dous Dito cmara mnnicipal do Recife. Recom-
lieneficios simples que reunam as seguintes condi- \ mendo cmara municipal do Recife que consinta
roes : 1*, de que nenbum delles tenlia congrua o arrematante da obra da ponte do Recife, baro do
sufflciente para sustentaco do beneficio; 2*. de' Livramento, levantar entre o cbafariz do caes Vin-
que nenhum delles exija residencia pessoal; evi- te c dous de novembro e a rampa por traz do paco
dente que o supplicante nao pode acrumular ao da rclaciio, sem que prive o transito publico, s
curato da s o canonicato em que foi apresentado.' armazens que forem necessarios para deposito dos
Pelo que, estando vaga ha quasi tres annos, por materiaes destinados mesma obra,
causa das pretenees do supplicante, a conesia em ; Dito ao conselho de compras navaes. Ficam
3ue foi apresentado, deve ser intimado para que,[ approvados os contratos que o conselho de compras
entro do prazo que V. Exc. Revm. lhc marcara, navaes. romo me communicou em seu ofllcio de
exhiba a carta de apresentarao; Picando certo de, 10 do corrente, a que respondo, cetebrou com di-
que, urna vez collado no canonicato, tirar vago o versas pessoas em sessao de 5 deste mez, para ob-
curato, o qual por isso dever ser posto em con-: tenco dos objectos mencionados em dito ofllcio. os
curso. ; quaes sao necessarios para abasteeimento do alnio-
E se a nao apresentar dentro d'aquelle praso xarifado do arsenal de marinha.Communicou-se
entender-se-ha que desiste da apresen taran, e nes- ao inspector da thesouraria de fazenda.
te caso ser posto em concurso o canonicato. Dilo ao juiz de paz presidente da mesa parochial
Deus guarde V. Exc. Revm.Marque de Olin- da freguezia de Trarunhaem. Rcs|>ondendo ao
REPART!M .V l'Ol.li 1 A.
Resumo do kxi>kdif.nte feito vi i a secretas
/ polica, diiiante o mez de ILIHO PRXIMO
Ofpcios dirigidos. Humeros de 1
Ao presidente......
Ao da relaeao. .
Ao commandante das armas.
Ao chele de polica da Parahyba.
ffi.Sr. bisjio da diocese de S. Paulo.
G0VEIM0 DA PROYOCIA.
Expediente do dia 18 de agosto de 1863.
ofllcio de 16 do corrente, em que Vmc. me consul-
ta se devem ser inutlisadas ou apuradas em se-
parado as cdulas que conteem Domes que se sup-
poe ser de dous cidados conhecidos mas que.se
acham augmentadas em um ou dous sobrenomes,
1 eabe-me dizer-lhe que taes cdulas devem ser apu-
radas, toniando-se, porm, em separado os votos
recahidos em pessoas cujos nomes se acluin assim
alterados como preceita o aviso de 18 de setem-
bro do 1819. o qual nao se oppoe, mas anles expli-
ca o artigo 50 da lei regulamenlar da eleieao, cuja
disposicao se deve entender prohibitiva da aecumu-
laeao de taes votos as pessoas a quem se suppocm
pertencer, inlelligencia esta que anda maisse evi-
dencia em face do 19 das instruccoes de 28 de
Ao c do Rio Grande do Norte. .
Ao < do Cear. .
rtO f de Maranhao. .
Ao < t do Amazonas .
Ao f das Ategas. .
Ao c de Scrgjpe .
Ao. da Baha. .
A < t da corte. .
Ao 1 de Minas Geraes.
Ao juiz de direilc da 1* vara .
Ao da 2" dita.. .
Ao c de Olinda. .
Ao c do Cabo. .
Ao I de Nazareth. .
Ao de Limoeiro. .
Ao c de Goianna.* .
Ao < t de Santo Antao. .
Ao de Palmares. .
Ao de Brejo. .
Ao < 1 do Rio Foruioso.
Ao Boa-Vista.
Ao presidente do jury..... da primeira vara .
Ao juiz municipal
Ao de Olinda. .
Ao * do Cabo. .
Ao a de Nazareth. .
Ao c da Escada .
Ao c de Serinhaem. .
Ao * c de Limoeiro. .
Ao * do Buiquc .
Ao c de Santo Antao. .
Ao de Bonito. .
Ao 1 c do Rio Formoso .
Ao C de Irtgazeira. .
Ao c de Mossor. .

AUDIENCIA DOS TRIBl'NAES DA CAPITAL.
Tribunal doeommercio: segunda e quintas.
Relaeao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda : quiuta s 10 horas.
Juizo do connuercio: segundas s M> horas.
Dito-do orphos: -reas e sextas s 10 horas.
Primeira van. do civel : tercas e sextas ao
dia.
Segnnda varado civel: quartas c safetados a 1 hora
da tarde.
Guimaraes SiKires d'Azevedo, Gervazio Campello, As nossas cousas sao assim Gasta-se tanto di-
Srf^'l,leir4 Rtgoeiroa Cicero 1-ere- nheiro.por ahi-a toa com objectos sem utilidade, e
landeira t- major Salvador Henri- j que logo esqueeem ; entretanto o edificio do Gvo-
naswesla tor acabar, e se nao fora o> tolhado que
se chamuscoo. la leriam ido pela agoa abaixo uns
cemeontos de ris. que tanta falta laaom ao vosso
compadre.
Pdem-nos a puMieacao do segainte :
Srs. redactores da Rnista tarut.Pedimos
\ v. Ss. que na sus Rrrista. chame a attencao da
lllma. enmara, para mandar fazer os eonceftos da
que.
O Sr. secretario perpetuo d couta do seguinte
expediente:
m ofllcio do Exm. Se. arcobispo da Babia, D.
Manoel da Silveira, acensando a recepe/10 de ou-
tro, em que se I be communicra a sua eleieao de
socio honorario; a quakaoeitava com agradecimen-
to.Inteirado.
Outro do Exm. Sr. hispo do Para, D. Antonio ', pontezinha da entrada do Luca ou Remedios
Ofllcio ao Exm. hispo diocesano. Tendo desig-
nado a igreja matriz da freguezia de Sauto Antonio
para a reuniao do collegio eleitoral, desta cidade,
gue dever ter lugar 30 dias depois do dia 9 do
corrente, na forma do art. 68 da lei de 19 de agos-
to de 1846, assim o conimunieo V. Exc. aflu de
que se sirva de satisfazer na parte que llie diz res-
peito o disposto no art. 72 da citada lei. Offieiou- .
se ao mesmo sentido cmara municipal do Be- junho de 1849 que expressamente declara que por
cife, e ao juiz de paz da freguezia de Santo An- nenhum motivo ou pretexto deixar a mesa paro-
tomo, clial de receber e apurar a cdula docidadiio qua-
Ditn ao Exm. presdeme da provincia do Para li^td0 votante, l'm romo os votos Na primeira opportunidade transmittiiei ao Exm. dni qualquer individuo, ficando-lhe salvo o dfteito
Sr. ministro do Brasil na IMgica. o ofncio que pava *" Mer .inser'r n? ac,a a declaraeoes que julgar
ter esse deslino, V. Exc. me enviou cun o seu de ecessanas, atimde ser apreciados pelo poder com-
8 do corrente 1 ptente, a quem pertence resolver a semelhante
Dito ao presidente do Rio Grande do Norle. respeito : o que lhe tenho por muito recommen-
Accuso recebidos com o ofllcio de V. Exc, datado nado.
de 12 do corrente, dous exemplaies do velatorio D''( a JU de paz presidente da mesa parochial
com que no dia 11 deste mez, o Exm. Dr. Pedro da freguezia de Santo Antonio desta cidade.Pelo
Leao Velloso, passou a administraran dessa pro- seu ofllcio de 17 do crreme, fiquei inteirado de se
vincia ao 4. vice-presidentc, Exm.' tenente coro ,orcni concluido os tiabalhos da elei(;ao desta fre-
r.cl Traiano Leocadio de Medeiros Mura. 1 guezia, remando durante todo o processo eleitoral
Dito ao Exm. tenente coronel Trajano LeocadITT*'rfpl,a P e soreg. ,..,,.
de Medeiros Murta. Picando inteirado |h>Io seu Dito ao delegado de polica do Bonito.Pelo seu
ofllcio dc,30 de julho prximo lindo, de ha ver V. omcip de 11 do corrente, fiquei seiente de tr-sc
Exc. nessa data prestado juramento, e tomado pos- concluido a eleieao da freguezia do Bonito, sem a
se da administracao dessa provincia, para o qual,: menor alteracao da ordem publica.
tai nnmoadn un- rHa inuwrial .le <** He hril ni- Dilo aos agentes da conipaiihia Brasileira de pa-
quetes a vapor.Podem Vmrs. fazer seguir para
foi nonieado por carta imperial de 22 de abril ul
timo, cbeme assegurar V. Exc., que me en-
contrar sempre disposto a cumplir suas ordens,
qur sejam relativas ao servico publico, qur ao
particular de V. Exc.
Dito ao procurador da cora soberana e fazenda
nacional.Srvase V S. de informar sobre o que
tandera Antonio Jos Pinto no incluso requeri-
inento.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Para os convenientes exames transmiti V. S. a
inclusa copia da acta do conselho administrativo
do arsenal de guerra, datada de 31 de julho ul-
timo.
Dilo ao inpector da thesouraria provincial
Autoriso V. S. em vista de sua inforinaeao de hon-
tein, sob n. 399, a mandar pagar a Antonio Au-
gusto Maciel. ou a pessoa por elle autorisada, con-
forme sohcitou o cnefe de polica em offlcio n. lili,
de 21 de julho ultimo, a quantia de 66,5666 ris,
proveniente do aluguel de quat.ro mezes vencidos
em 30 de junho prximo findo, da casa que serve
de cadeia, no termo de Barreiros. como se v da
conta que devolvo em duplicada.
Dito ao mesmo.Restituo V. S. o requeriniento
de Antonio de Mello MagaMes, porteiro d gym-
nasio provincial, afim de que nos termos de sua
informacao de hontem sob'n. 101, mande pagar ao
supplicante os vencmentos a que tiver dreito, por
ha ver accumulado o excrcicio do emprego de nor-
doino do mesmo gymnasio, segundo consta do ci-
tado requerimento.
Dilo ao mesmo.Com o ofllcio que V. S. me di-
rigi hontem. sob n. 398, recebi nina copia do
imposto de 25500 re. por cabeca de gado vaceum.
consumido na comarca de Nazareth.
Dito ao cnefe de polica. Com o ofllcio de V. S.
de 13 do corrente. recebi copia de outro em que
o subdelegado da freguezia do Poco da Pancha,
declara que a eleieao de eleitores s; acha conclui-
da, e fe.z-se com a inaior liberdade e franqueza pos-
s\-el, sendo que durante ella nenhum espancamen-
to, nenhum insulto ou mesmo alteiarao ali se
deu.
Dito ao mesmo. Determinando nesta dala ao
inspector da thesouraria provincial, nao s que
remeta V. S. urna copia autentica do formulario
dos 'medicamentos quetsao fornecidos aos presos
labres da casa de delencao, com declaraeao dos
seus respectivos preens, como tambem que d'ora
em diante lhe d siencia das alteracSes que se
zerem nos contratos, para forneeiniuritos de me-
dicamentos e alimentos dos mesihos presos pobres:
assim o cominunico V. S. em resposta ao seu of-
flcio de 13 do corrente.Communicou-se neste sen-
tido ao inspector da thesouraria provincial.
Dito ao capitao do porto.Expeca V. S. as suas
ordens para que sejam removidos para outra
parte do ancoradouro, com urgencia a I." e 2."
carreiras de navios que esto ancorados junto a
ponte do Recife, visto que se vai dar principio a
obra, segundo me declarou o respectivo emprei-
Dito ao inspector do arsenal de marinha.De
conformidade com o aviso da repartirlo da mari-
nha, datado de 1 do corrente, recommendo a >. S.
que mande dar baixa por terem sido julgados m-
capazes do servico em inspeccao de saude, como
consten de seu offlcio n. 102 de 23 de julho ultimo,
aos menores Antonio da Silva Ricardo, Joo Divino
de Helio Paixao, Antonio Manoel da Silva e Jttvino
Joao Francisco, os 2 primeiros, praeas da com-
pantaia de aprendizes artfices e os ltimos da com-
panhia de aprendizes marinheiros.
Dito ao commandante superior de Santo Antao.-
Mande V. S. dispensar do serviQo as praeas da
Suarda nacional que se acham desudada? na clda-
portos do sul o vapor Apa, amanlraa, a hora indica-
da em sen offlcio de hoje.
Portarla.Os Srs. agentes da companhia Brasi-
lea de paquetes a vapor, consideren) sem effeito
a passagem que por portara de 4 do corrente
mandei dar para o Cear, por conta da mesma pro-
vincia ao tachigrapho Carlos Ernesto Mesqiiita
Falcao.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambura-
na mande transportar para o Cear no primeiro
vapor que para all seguir e por conta daquella
provincia ao tachigrapho Carlos Ernesto Mosquita
Falcao.
Dita.Os senhores agentes da companhia Brasi-
lea de paquetes a vapor mandeni dar una passa-
gem de reat as Alagas no vapor Apa, em lugar
destinado a passageiro de estado, ao bacharel An-
tonio de Padua de Hollanda Cavalranti. juiz muni-
cipal nomeado para o termo de S. Miguel, naquella
provincia.
Dita.O presidente da provincia tendo em vista
a propona do director geral da instruccao publica
datada de 17 do corrente sob 11. 116, resol ve Ho-
rnear o bacharel Julio Barbosa de Vasconcelios, de-
legado Iliterario do distrelo do Bonito, Picando ex-
onerado desse cargo o bacharel Lourenco Jos de
Figueiredo.Communicou-se ao director da ius-
iruccao publica.
Dita.O presidente da provincia usando da au-
lorisacao que lhe confere o 1 artigo 21 da lei de
12 de agosto de 1831, resol ve convocar a nova as-
scmbla legislativa provincial para a prxima le-
gislatura que tem d funecionar nos anuos de 1861
e 1865 e designa o dia 15 de novembro prximo
vindouro para a eleieao dos membros da mesma
assembla.OIBcou-s neste sentido a todas as c-
maras nmnicipaes da provincia.
Dita.O presidente da provincia leudo em vista
o que requereu Francisco Antonio de Altneida, ar-
rematante dos rejiaros do 2- lanca da estrada do
norle e bem assim a informacao "que a este res-
peito ministrou o director da repartirn das obras
publicas em 10 de junho ultimo e sob n. 110 resol-
ve prorogar por 60 dias o prazo concedido ao pre-
dito arremalantc para a conclusa das obras do
seu contrato, a contar da data em que se findou
esse prazo.Communicou-se thesouraria pro-
vincial e ao director das obras publica.
Ao cnsul Portuguez.......
Ao superintendenle da via frrea. .
Ao engenheiro fiscal da illuminacao a
gaz ?.....,.."..
Ao director do arsenal de guerra. .
Ao oflleial do registro do porto.. .
Ao tenente Manoel Fernaudes de Al-
buquerque Mello......
Ao tenente Jos Antonio de Araujo. .
Ao thesoureiro das loteras.....
Ao vigaro da freguezia de Una. .
Ao commandante do corpo de poli*
ca............
Ao commandante do presidio de Fer-
nando ..,...,...
Ao eoinmandautc. do brlgRe INrmw-
rac...........
Ao esenvao do crime d'Olinda. .
Ao inspector d'alfandega.....
Ao inspector do arsenal de marinha .
i Ao inspector da thesouraria provin-
cial...........
Ao inspector da thesouraria de fa-
senda...........
Ao cscrivao do subdelegado de S. Jos.
Ao oflicial de estado no quartcl de po-
lica..........
Ao agente da companhia brasileira de
vapores.........
Ao gerente da companhia Pernam-
bucana de vapores......
Ao capitao do porto.......
Ao coronel Miguel Affonso Ferreira. .
Ao administrador do correio. .
Ao administrador da casa de deten-
cap...........
Ao fornecedor da mesma.....
Aos delegados da provincia.....
Aos subdelegados da provincia. .
Partes diarias.........
Portara de nomeaco de guarda da
casa de detenco......
Portara de nomeaco de carecreiro.
Aviso lelegraphico.".......
Registro de ttulos de delegados. .
Registro de ttulos de subdelegado?. .
Termos de juramentos......
Registros de nomearoes......
Despachos registrados......
Lancainentos de contas......
Pastos da va frrea.......
Lancamentos no hvro de entrada? de
estrangeiros........
Laucamentos no livro das sabidas dos
I estrangeiros C
Lancamentos nafl
i ridades polif
Partes do regist
Assentamenlos
lavis .
Assentamenlos de
rados. .
Lancamentos no livro dos culpados. .
Extracto das liarles diarias para jor-
naes...........
Assentamenlos de desertores. .
Oflirios registrados.......
Notas de emolumento.......
I'assaportes..........
I Vistos nos meamos.......
Portaras para viagem.......
Leglimacoes..........
Termos de llanca........
Portaras em favor de partes. .
Certidoes...........
Buscas............
Copias de diversas pecas okiaes .
Minutas de oficios........
I
1
l
4
de Macdo Costa, en* sentido, idntico. Intei-
rado.
Declarou o mesmo- Sr. secretario perpetuo ter
communicado ao consocio baro do Livramento
haver o Instituto com. pesar aceito a sua demisso
de cargo de thesoureiro. em attencao s suas pon-
deraces, contando no.entretanto cm a sua coad-
juvacao na qualidade de membro prestimoso do
mesmo.
O Sr. presidente observa ao Institu que de pre-
sente se acha a comaiissao de admissao de socios
com um membro apenas, visto estar um em servico
fra da cidade, e outro ausente; e por isso pr-
p5e para substituir a este interinamente o Sr. Dr.
Witruvio Pinto Bandeira; o que approvado.
Procede-se eleieao do thesoureiro e eleito o
Sr. Dr. Gervazio CampeUo.
Entra em discussao o parecer da commissao de
revista sobre medidas relativas a revista trimen-
sal.
OSr. Witruvio Pinto Bandeira faz algumas con-
sideraeoes no sentido de ser o mesmo que o cobra-
dor do Instituto o individuo encarregado do traba-
balho material da Revista; e n'esse parecer acom-
panhado pelo Sr. major Salvador Henrlque, enjo
additivo approvado.
Salva esta restriecao, o parecer approvado sem
alteracao.
Segue-se outro parecer da mesma commissao so-
bre as joias dos socios correspondentes e ontras
providencias.
O Sr. major Salvador Henrique abunda na idea
de ser a joia de 155000, mas o Sr. Dr. Aprgio Gui-
inares sustenta a idea de 10A000 consagrada no
parecer; .e assim se vota.
Em seguimento da discussao, sao offerecidas pelo
Sr. Dr. Joaquim Portella duas emendas, urna sup-
pressiva e outra additva, das quaes resulla rece-
berein os socios honorarios gratuitamente a Becit-
ta; o que approvado a vista de consideracoes do
mesmo Sr. Dr. Joaquim Portella.
Este senhor ainda oflerere um substitutivo, ele-
vando de 3 a 6 mezes o prazo dentro do qual deve
o eleito socio correspondente ou honorario partici-
par a sua aquiescencia, reputando-se a falla dessa
parlicipacao o nao querer aceitar a eleieao. E ap-
provado. e os demais arligos do parecer.
Na quarta-feira tarde fui recolhidoao quar-
tcl de polica o reverendo carmelita bahiano frei
.lo'io do Amor Divino, por ordem do Sr. snlwlelejr.-x-
dy desta freguezia. a quem o carmelita desautor-
>.ira por modo indigno do carcter sacerdotal c do
homem honesto, que se respeita.
, que
que causa medopassar-se nella, isto com urgencia.
e antes que acontcea algum desastre. Recife.
uV agosto de 1863.O contrilminte das-rendas mu-
Hi'ifMies.
Damos o resultado a eleieao procedida em
Ipojuca soba presidencia do Sr. juiz de paz mais
votado. v
Manoel .losi1 da Costa.
Lourenco Rezerra de Siqueira Cavalcantk
Rento Jos Ramos de Oiiveira.
Joo Carlos Bezerra Cavalranti.
Isidoro Camello Pessoa de Siqueira Cavaleanti.
Antonio Juvcncio Pires Falcao.
Joao Manoel Perera de Abreu.
Joaquim Manoel da Costa.
Felipiie de Santiago Vieira da Cunha,
Antonio Jos Pires Jnior.
Lourenro Bezerra de Siqueira Cavaleanti Jnior.
I'enninio Francisco de Paula Mesquit.
Joao de Souza Leo.
Feliciano do Bego Barros Araujo.
Gervasio Jos da (.osla.
Manoel Leonardo de Siqueira CavaJcanti
Paulo Felippe de Salles Abreu.
Miguel Tolentno Pires Falcao.
Joaquim Francisco de Paula Leo.
Franscisco Jos da Cosa e Silva.
Francisco Lins Paes Brrelo.
Justiniano de Mendonca Lins.
Leonardo Bezerra de S.pieira Cavalcanli Jnior:
Jos Francisco Accioli Lins.
Jos Valenlim Vieira de Mellu
Antonio Emilio de Salles Abreu.
Jos aslanseno da Costa Albuquerque.
Joaquim da Silva (losta.
Vicente d*vMoraes Mello Jnior.
Miguel Joaquim do Espirito Santo Morac?.
Antonio Domingues da Costa Albuqucrque.
Hermno Laurentino de Andrade.
Antonio Alves da Silva Araujo.
Francisco de Paula e Silva.
Francisco Jos de Salles Abreu.
Joaquim Theodoro do Reg Barros.
Francisco Alves de Souza.
Jos Joaquim dos Sanios.
Supplenle.
Benlo Martins da Costa.
Manoel Matheus Cavalranti.
Joaquim Soriauo da Costa Albuqucrque
Joao de Barros Araujo. ,
Joao Emiliano da'Costa Aibuquerqne.
Manoel Ray mundo'de Souza.
Manoel Joaquim da Silva.
DIAS DA SEMANA.
17. Segunda. Ss. Mamede e Eulicl.iano non
18. Tena. S. Inatento; Ss. Unroe Fko mi..
19. Qnarta. S. I.uiz f. b.; S. Terlan.
20. Quinta. S. Bernardo ab. dont.; S. SanwtH
21. Sexta. Ss. Ceridio. (jiiurinoe Patprnoawi
22. Sabbado. Ss. Fabririano a Anthoza mm
23. Domingo. O Sagra* Vjonrio > Mara.
ASSIGNA-SE
no Recife, em. a livraria da'praca da inaVpewtrav .
ns. 6 e 8, dos proprietarioo jianort FigiM-ireo aV
Fana & Filho.___________
* ------
Occasionou to desconimuiiavel proredimento o I Manoel iarbosa de Mello,
r o referido subdelegado verificar um faeto, de I Jos Frs
que fra encarregado pelo Sr. Dr. delegado.
ianciseo da Costa Feij.
j Joo Eleuterio de Mesquita.
4
1
2
1
2
I
1
1
53
1
190
66
27
i
1
i
10
1-1
II
311
29
63
23
II
Francisco Antonio Chalara.
Joao Nepomoceno Xavier.
Jos de Souza Goncalves.
Joao Sabino da Rocha Vanderley.
Antonio Francisco Xavier Xinniio.
Joo Martiniano Ximenes.
Joao Carlns Pimentel.
Vicente Ferreira dos Sanios.
Antonio Gomes de Oiiveira.
Deram-se |or occasiao da prisao fados dignos de
censurada parte de alguna individuos do povo. que
pretendan) op[Mr-se a conduccao do carmelita pa-
ra o quartel. rhegando o arrojo a investirem com
a forra publica, que no entretanto soube manter-se
em seu posto.
nianlia se extrahir a primeira parle da
primeira foteria da igreja de Nossa Senhora das
Neves do convento de S. Francisco de Olinda.
O nosso collalorador remette-nos a seguinte Joaquim Ignacio Pessoa de Siqueira.
carta: Salvador Santino de I^arerda.
Compadre. Entre as rousas que valem apena Antonio Carneiro Falcao.
vr-se nesta capital, tres mereccm especial nien- j Jos Bernardino Gomes de Souza
cao: l>idro DimpanoValtntdes
l'O MMfM. Proflro Alves da Silva.
E o resultado de penosas viagens pelo interior' Agstinho Correa de Castro.
das provincias, e de improbo trabalho de nm es-1 Bento da Costa Martins.
trangeiro illuslre, verdadeiro amigo dos brasileiros i Joao de Dos Alves de Souza.
o Sr. L. J. Brunet. i Joao Francisco Caetano.
Est provisoriamente enllocado nos baixos do so-'. Francisco Manoel Flix da 9ilveii 1
brado onde funeciona o.gvmnasioprovincial, em ; Joo Ignacio Ribeiro Roma,
dous nodestos saloes. | Manoel Martins da Rosa.
O visitante nao sabe para onde propenda em pro- Pedro l'go Gemiuiano.
ferencia no quanto all existe pertencente as dffe- Francisco Manoel de Siqueira.
rentes prodceles da nal meza.
Todas ellas se acham bellamente classificadas, e
as que deviam ser aeondicionaflas em mostradores
envidracados, tendo aps s o nonie srientiAco, o
vulgar e o lugar da sua acquisico, mostrando a-
quelle dislinclo naturalista ainda nesso impert-
Francisco Alberto de Miranda.
Pedro Mariano de Aibuquerqne
Paulino Jos Celestino.
Alexandre Pereira de Preitas.
Manoel Cantoso de Nalgas.
Antonio Alves de Araujo.
no-
ciim.no-o- raptu-
Somma.
81
17
637
21
34
136
17
27
1
6
2
1
170
670
3650
Expediente do secretario do govtrno.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda de-
clarar mesa parochial da freguezia de Gravat
que recebeu com o seu offlcio de i i do corrente,
as copias das acta da eleieao de eleitores a que se
proeedeu nessa parochia no dia 9 deste mez.
Despachos do dia 18 de agoste de 1863.
Requeriinentos.
Bacharel Antonio de Padua Hollanda Cavaleanti.
-D-se.
Barao do Livramento. Expedio-se ordem no
santido que requer.
Felippe Benicio Cavalranti de Albuqucrque.
Informe o Sr. director das obras publicas.
Francisco Ignacio Accioli.Nao ha razao para
que possa ser dada a passagem que pede o suppli-
cante.
Titerera Maria de Jess Costa.-Gomo requer.
Emol mf.ntos arrecadvdos .no mesmo mf.z
De passaiwrles. *. .
Portaras para viajar....
De legitimacocs......
Portaras em favor das partes.
Termos de flanea......
De cei lides.......
De bu- ......
Somma.
68000
363000
214810
65000
13000
13000
800
1433610
nente trabalho o gosto que tem por aquello impor- Estevao los Martins.
tanto estabelecimento. que tanto ennoblece esta Oreo Antonio da Cuuha Olivdra, honlem jul-
capital. gado perante o jury, fui condemnado a um anno de
Alguns gneros diversos do reino orgnico col- J prisao e multa correspondente metade do lempo.
leccionados eom suas variadas especies dcixam en-' como incurso no grao mximo do art. 201 do codi-
'"vr nos extremos una que |rece servir de'go criminal.
ansie, tro genero inicuamente difieren-1 Foi advosado o Dr. Aniei ico Nello de Mendonca.
: eludo isio compadre, falla tao alto na cons- Pelo delegado de Buiquc foi preso Lzaro
i do homem me illi vai, naoporeonvHvcnj.'ia, Fcancico RezeYra. pronunciado por crime de re-
e elle nao po> deixar de se sentir alelado, e de t swtaucia.
curvar ante o Ihrono excelso do autor de isntns' Da cade te Goyanna fugiram. no dia t do
..w.*avilhas predas )ior los. que as torn.110 c-m ie-j crrente, 16 criminojos, no*a>io en car-
sultado um so immenso rurpo, ebem dizer o seu c-i-ik bria a porta para passar \ '. cos-
tante nome. turne.
A zoologa all se acha representada com oO.. ri-' RepauticXo da polica :
Extracto das partes do dlvdD ote
Foram recotniuesi -asa de detenca, no da i9 do
corrente :
A' ordem do Dr. delegado do Io districto, Jos
Bernardo Peres, crioulo, Ignacio Francisco de Sou-
que por ahi creaes.e dous magnficos tals, que s'za, semi-branco, ambos como sentenciados, o 1
v-tos causa espanto. Avaliae da sua grandeza pe-1 vindo do presidio de Fernando. |>or ter flnalisado o
las unhas, t|ue sao iguaes as do vosso carneiro, pai' tempo de sua sentenca e o 2o vindo de Olinda, co-
de chiqueiro! j mo fugitivo do mesmo presidio.
Na dos ovparos desde a elegante ema at o pe-' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Vi-
qnenissimo beija flor; observando-se as especies cente Ferreira Gomes, crioulo, por embriaguez,
riberinha e de rapia una variedade sorpren-' .v ordem do da Boa-Vista, Francisco Joso de Bar-
dente. ', ros, semi-branco, Benedicto Antonio da Costa,
Na dos reptis um medonho jacar de t6 palmos crioulo, Jos Gomes da Silva, pardo, todos para
de comprimento. e tartarugas de notavel grande- averiguacoes policiaes ; Manoel Francisco, tambem
za. Na dos amphibios um deforme peixe-hoi, e urna pardo, por espancamento.
linda capivara. j A ordem do da Capunga, Salvador, crioulo, es-
Na numerosa classe dos insectos, desde a giqui- cravo, o qual nao declarou a quem pertencia e
zanaboia pequea merissoca. A familia dos bi- igualmente por espancamento.
queza e variedade.
Na classe dos mamferos nota-so com parlicula-
de : um lindissiuio tamandu-bandeira, de boa cor-
pulencia, urna corea enorme de telas tao desenvol-
vidas, que fariam "inveja a mnilas das vaquinhas
Secretaria de polica de Pernanibueo, 1 de acos-
t de 1863.
O secretario,
Eduai-do de Barros Falcao de Lticerda.
PERIAMBUCO
mm\ diaria.
Reunio-se hontem em sessao ordinaria o Insti-
tuto Archeologico c Geoyaphico Pftmambttcano,
com a assistencia do Etm. monsenMor Muniz Ta-
vare? e dos Srs. Drs. Joaquim Ponerla, Aprigio
zouros e borboletas, avulta entre todas, e desafia a
attencao pela lindeza de suas cores.
Nao tao grande a ordem dos peixes; no entre-
tanto para ver 11 m furmidavel piraruc, um sur-
rubim e alguns outros de menor grandeza, mas de ai-o-io ue icw.
particular strnetnra do rio S. Francisco.
Os molluscus sao em grande quantdade em
mariscos e carangueijos, ha urna variedade im-
mensa. *
Nao me lembro de ler visto nenhum aooobyto
isto a cadoia que prende o animal ao vegetal.
i>o reino inorgnico avultam os marmoros, quar
trsos branco c verde dos nossos sertts^ e sobre
tudo a ricacolleceaooffertada pelo Exm. Jhselhel-
ro Jos Bento. fundador do gymnasio.
Em um pequeo quadro envidracado existem al-
gumas moedas nacionae? e estrangeiras, dadas de
presente pelo Sr. Dr. Figueir, no que infelizmen-;
te at hoje nao foi imitado !
O chefe da 2*.seccao,
/. de Mvsquitu.
Movinieuto da casa de detenco. no dia 19 de
A saber
Existiam........ 397
Entraran)....... t<>
Sahiram........ 8
F:xistem......... 3W
Nacionaes...... 286
Estrangeiros..... 27
Muflieres....... 8
Estrangeiras..... 3
Escravos....... 71
Escravas........ \
presos
9M
Aumentado. a rusta dos cofre.; publico. 164
Movma'Dto da enfermara ncdja.20 de agosto de
E' pena, compadre, qis um s, meiuante estabe- 4863.
lecimento nao tenha, como me tfc'jetujn. subven- Teve baixa
co dr.s cofres pblicos. ^M Lv' aerranc:'; pleura^
-Teve alta :
Herculano Theaorio da Fonoera
OBTI \RIOBO DIAO I* AGOSTO. Ct-flTX?.
nauoa.
Francisco de I>aula Lvra I-lores, Pernaabaro, X
annos, solter, S. Jos'; hvdropesia.
Manoel. escravov 8 das. Boa-Visla ; eapnsana.
Mana Magdalena da Silva Castro, fVnnanboro
annos, viuva, S. Jaa diarra.
Joaquim Manoel de Barros, Portugal. 5 aaao-
vuvo, Santo Antonio; paralvsia.
Jos, liberto, frica, 70 annos, soiteiro. Jamo An
tonio ; b\dropesia
Jos Mara Ferreira, Portugal anuos. snNeir
Recife; cholera
Anna Firmo da Silva. Pcrnamboco. 30 aaaoe. viu
va, Itoa-Vista ; hepate interite.
Francisco Jos.- de Oiiveira Maciel, Pernambar..
60 annos, viuvo, Boa-Vista hepatiu- rhromtcj
Maria. Pernambuco. 9 mezes. Boa-Vista; (sutsav-
Jos, escravo. frica. 40annos. soiteiro ltoa-Vi-4..
cholera.
Ul POUCO DE TUBO.
O Jornal rf Conimririo, le Lisboa pubfera m--
guinle, sol a denomina, u de(*-w*-i# mm,-
nal :
Um jornal francez noticia unta espenuVo .l>-
novo gusto.
Refere que em landres um especulador esta a*..
ra ganhando rtoa de (linl*irov por Ha nwiip-
nalissimo.
Lembrou->e .le fundar um li riiitu. a
qual recebe, medanle 111H.1 qiuiitia em propon;'
com os M-ccados que BaoJasi anpar, os pinim
ile ambos os sexos qne. abrasados pela e aspi-
rando a remir os sen peeeado. k-sejam lunnirai
a eanw, patai asatoi aaii.ngenho-ose 1
rantes da anliga iiii|uiieo.
Todava, o estabvkriniento tem mu
cut, ao qual coiii|iete fazer ressar o sapphrir-
logo que comprometa seriamente a vida do peni-
tente.
O publico paga para assistir a esk- e>peeiaru ..
e, o que repugna em tudo isto, ajne o atrevi
lieculador aufero lucros, que vat mailo alrtn Ar-
que lira o circo da laaptiaUil > o ll\|podroino, do
cottoquios de Crucketi e de Hermn coas os seo
leoes, hjrenas e oterrivel urso branco.
Nao admira que baja quem especule rom a o-
tentaco da penitencia, o que admira qoe naja
quem, abrasado pasa f. portal modo se d rm in-
Ussinao ei^ttaculo.
Mas a ftaal de conta. all nao b.t verdadeiros pe
nilentes, sero lioinetis e mulheres escriptnrad..-
para representarem de |.eniteiile>. K urna rrpr
seutaio lomo qualquer outra. absurda
morai.
A eguinte poMM) i do Sr. ito N. Robu-,
de S. i'aui" :
a mi
Qiiando a vida .- o 1 neo de nm fnlgncY
Na entrada da avenida da esMencfa.
Ou'emblema atae sorriso .l.-einJ.....
So labio espregucando->e !
inntxenr
Depois quando o baixel de nossos dia
No seu caminlio nafa e n-ai> avanca.
Quem gera os MNmos de dontadM ana,
Qn'em bosm leito aiejan '
A e~franc
E que inio doseortina entSo aos
t'm F'.l-Dourad.. mxslicode llore
Ouc sentmento ese to-nav
A estremecer o coraci- *
Amor-'-.
E quando O Spro do inloilunio eloll.a
A grinaldade ananas abu."",
Quem manda aos labio a bla|4iciiua ateal .
E evocamos o tur mi '
illu->
Porque ento s reas urna hnjakni
Temperada de dr e suavid;.de
Sincera como a prece da virt I
Vem nos cilio? se pendular f
Sau.i-.d-
E depois quando o lem* vem sulcar-ut
A curva fronte dos votigio -.11.
Que pensaanantodoce eeana am balsa'.
Vem de consolaroes eucuer-noi
-i-**.-
Delgada tea nos enteca argilla.
Onde ledosa a podriono se etamp..
lu lio tenue a desfazet-se n-sta....
Onde, onde o leito dt-rradeiro *
A caifw.
Da Sarao ex(jahiiuo> o M-guinte
Dispulou-se ha pouco em Inglaterra qu-<
duas cidades capitaes da El
nlia dircitoji\^ij
} 0 fenda-ta.
culi.- u.'o, decid
da Jarreteira Ipil
de-fcnTm15rgo,
v ...mo que >uia NVirk'burgo. la um Teg-
mento de lowa com o n. 24. Como neste rcftene)
to ha rauitus ineiubr> do clero. |zeram-hV o ap
peludo |^co Mucoso de regiment dos prega
dores.
Quando o general Grant chegou a W nrksbnrg
esperando poder tomar a cidade por un gatee ar
rotado, encontrou o primeiro e Ihrniidavel ot4aru
lo n"uma balera de 14 pecas de grosso calibr
bre urna altura ingreme.
Entao o general americano nao tinha a ano >.
nao o regiment dos plegadores, com o imat n
centava muto. Comttnto den-lhe ordem a> aaanar
batera. ,. ,
O coronel, voltando-se para os soldados, e nn>-
trando-lhe. a latera, disse framente.
Acola est um magnitico nMaato -, nanos I
pregar.
Amen '. respondeu o regunenio.
Em 20 minutos a collina estar trepada, o r
migo derrotado e a artillara tomada, e o resto ?
exercito applatnlia com todas as -as torras o rifo
roso serniao dos prestadores do mnrato tolo*..
que eonservam anda, como titulo irtortov r,
jiellido com que os tinham clasMhVado.
as rnaw sanw do J<- <' b Paananvv. *
Rio, achamos o seguinte soneto :
Nao posso, caro amigo, dam me-
Pintar-te as amarguras de rna r.> '
Sao tristes e tem tristes aujounTi
Os tormento que passo si perrers '
Mas nao sei, caro aatejft '" quoifahe
A tornar o castigo pw P**'[ '
Nao posso mais passar es jmrsia
Que este inundo p'ra mmi em m ei*r
D-me pois um allivk d ce* jranit mmr
Que cortam de um dias "omptitode
Que 00 mundo me IVem soflrer trop'



U_
^ill MI 'l 1 I I til I >
I
"


Dlarl tlr lf-rnamhw>o ... atesta fclrai ti <*> Agosto de I8s.
I>e meus mates na Immens imtlktiiie
Nao sojas, caro amigo, mi
Qw em meu peito acharas so gratante.
CHROMCV JtDKIARIA.
Jos Maximiaiio Arves Cavaleanti.
Manuel Antonio da Silva Moreira.
Theodoro Machado Freir Pereira da Silva.
Manuel Jos de Azevedo Santos.
Jos Baptista da Fonscca Jnior.
Dr. Joao Francisco Teixeira.
Autouio Machado Gomos da Silva.
Dr. Galdino Ferreira Gomes.
I latnslu Jos Ferreira.
TRI Bl A I. IKI lOMflll!
SESSYO ADMINISTRATIVA EM JO DE AGOSTO cisco de Lesna Duarle.
oc,w f>E jgfcj I Teneiite-coronel Jos Antonio Pinto.
I Dr. Joao Honorio Bezerra de. Meneres.
presidencia do r.xu. sn. DESEMBABOADOR Horacio de Gusmao Coelho.
slzA- i Dr. Antonio Penetra Marus Ribeiro.
As 10 horas da manhiia, reunidos os Srs, depon* Stiro Seraphiiii da Silva.
dos Rogo, xinos, e Rosa, o senhor presiden- Dr. Pedro Doradlas Pessoa.
te declarou berta a ses-o, sendo lida e appmvada Manoel Luiz Vine*,
a acia da ultima. Goncalo Jos Alfonso.
kxi'kdifmi:. I Cactano Gomes de Sa.
l'm otScwdo secretario do mertissimo tribunal Jos Goncalvcs Torrea
iianhao, de 10 do agosto, cor* Jos da Fonscca c Silva.
Concluido o sortoio oSr. juiz de ireilo mandou
proceder as necessarias notilicaces.
Levantou a sessaO, addiando-a para odiase
da provincia do Maranh
nina lista dos commerciantes all matriculados de
abril jiinho. Aecuse-se a roe. ,icao o arCh-
Ve--.-.
Otftro de Autonio Jos de Castro, deputado sup- guinle. as 10 horas da maiiliaa.
penle, participando niio poder lomar paite nos'
trabalhos do tribunal por continuarcm os seus in-
eemmodos.
Foi presente a enlacao official dos precios cor-
rate* da praca da semana linda.Archive-se.
DESPACHOS.
l'm requerimento de Felisbcrto Ignacio de Oli-
\eira. Hrasleiru. de :tl annos de dado, com casa
de commoreio de mcrcadorias nacioitacs e estran-
COMMNICADOS.
geiras de coala propria e coiamssoes, pediudo ma-
irieular-se. ^Vista ao 9r. desenihargador fiscal.'
SKSSAO Jl 1I1C1ARIAEM 20DE AGOSTO DE 1863
PRESIDKSCIA M F.XH. SU. DESEMBARGADOR
SOOIA.
Secretaria, Julio Guimares.
A lucia hora ila larde, a Sr. presidente abri a
sessao, eslando reunidos os Srs. desemhar;:adores
ElnrAo de Ipojuca.
Estranho aos interesan, que se debalcm, e afas-
tando-nos do terreno abrasado pelas paixoes poli-
tiras, tomamos o pesado encargo de oppor a esse
tecido informe de violencias e falsidades, a que
denominou o Proijressista de eleicao de Ipojuca,
a simples eiqiosicao da verdade, como se conten
na acta, que i'oi publicada.
Fazcndo algunas observacoes pan que niais
clarameiite apearen a verdade, nao porque am-
bicionemos a gloria do trhimpho Somos indilTe-
rentes. Cumplimos un devor, e nada mais.
A base, em que se assenta a legalidade da elei-
\ illares, Guerra I/.urencoSantiago e Silva Guma- ^ fei|;l |(, UU(U) t dt. |)az 6 to Wa que
raes, e os Srs. deputados Reg, Lemos, o Rosa. ^^ sj s |H.a se ^.^ o iuvc.
Lida, loi approvada a acta da sessao antoce- ^ |L.it(,uu,0 U|na eleil.rl0 deixassc de
dente.
Foram asignados os aceordaos proferidos na
ultima sessao, entre partes :
Amellante, Rento Jos da Coala ; appellados, os
admiiiisd adore da massa fallida de Andrade &
Leal.
njensonea,
Appellanles. Ahneida & Cai ; apellado, Joa-
ipiiffl Antonio da Silva.
Itereberam-se os embargos.
comparecer hora designada pela lei, o primeiro
juiz de paz ; un dos mais intoressados, que n|n-
guem peder crer em urna semelhante assercao.
O primeiro juiz do paz, para evitar qualquor
sorpreza, recollieu-sc de vespera povoacao d Ipojuca ; iernoitou no convento, c achou-se com
a maioria de oleitores fc supiilentes desde que
rompen o dia, em trente da igreja matriz.
A forea publica armada contra o direito, a lei,
n.-ccu.a...-^s.Hiuu1H,,B. e a justiea, protcgeu essa farca ridicula a que se
Appe Mantos. Joa-iuim Juvencio da tm Ros a Jl;ml{n '0\^no juiz de |')a2 e 0 Sr. bario dos
Mana ile Luna eontros, como testamenteiroe her- ,,, '
deiros de Antonio Francisco Pereira e.oDr. procu- v
rador fiscal da fazemla .jirovincial; appollado, Fre-
derico Lopus Guimares.
Ir que assim se procedeu em I|x>juea
ieci A razo
beiu conheclda. E pre
real do Sr. coaimendador Manoel Costa, por outra
pr;;;;tr as jrt* esiX v. ss*sas>* m
lana.
Adiado pedido do Sr. Reg.
aamacAO de ul\.
Apindlantc-s Guimares & Oliveira: apellado,
n vis.oade de Suassuna.
Desjpiado o primeiro dia til.
f.VSSAGKXS.
, truir e fortalecer.
Esu, coreada por todos os lados por inimigos
i poderosos, nao deixa de sentir-se haca no terreno
1 em que se tem enllocado ; carecendo de populari-
dade como claramente se v pela manifestacao
; franca de 10 proprietarios, o que publicamos,
' contra 20, sendo os engenhos dos iO, os que dis-
s a t asarrAtraflsr
de Castro ; a|i|-ll*(tos. Rarroca jt Castro, ca liqui-
,U,M Laucando
a [louta de baionetas os eleitores e
nSS&filSS^ supplen.es, em sua grande mmoria, rcvelou nesse
HE *.....* ya*--*
abarga
IIISTHIBIICOKS.
Ap|)ellante, Antonio Jos1 de Siqueira appella-
dos, osadmiaistradon's da massa fallida de Joao
Jos de Figuiredo.
Ao Sr. desembargado! Villares.
Nada mais liouvi- 8 .aeerroil-se a se>sao a 3 lio-
ras da tarde.
Tltlltl\tf. BU JIIIV.
UCARTA SESSAO.
DU 17 l)K AGOSTO DE 18(111.
Prmitnein o Sr. Mhmd Jotii oVi Silcu Ndv,juiz
ili fhrtito ilii i~ rinn riiuii'.
I'roaiotor poblieo o Sr. Ilr. Francisco Leepoldiao
de loiMiiao Lobo.
INciivao Joaquim Francisco de Paula Estoves
Clemente.
As 10 lioras iaai-s.' jiri ule-, i M'ahores jurados.
Foram dispensados por motivos de molestia os
Srs. Domingos los da Costa, loao da Cuaba Ma-
galbSes, Jos Francisco Sonza Leao.
Sendo iasiillicieate o iiiiniero de i jurados para
haver sessao, oSr. jniz de diwko proeedn ao sor-
leio dos il jurados, e salaran) sorteados os sciiho-
i -'uintes :
Geininiano Joaquim de Miranda.
Fclippe Antonio de Albuipacrquc.
Jos Antonio Vieira de Souza.
llanocl Antonio Megas Jnior.
Dr. llnBO Angusto dv Ahneida.
Antonio Joaquim Seve.
diguel Aflonso Frreira.
Raunundo da Silva jfaia.
Firuuno Herculano Baptista Ribeiro.
Jovino r.piphauioda Cuuha.
Antonio Bernardo (juinteiro.
i bandidoThoinaz Pereira Dutra.
J.....Honriques da Silva.
Antonio Ruiiao de Andrade Lima.
Dr. Manoel Jos Dotniogncs Codiceira.
Francisca Augusto de Oliveira Barios.
Manoel Tnoinaz de Souza Magallics.
Mooia Goncalves rVnna.
i ;n i-'n\."iii Santiago de Oliveira.
Alexandre Augusto ile l'ii.i- Villar.
! Antonio de Jess Jnior,
rhomaz de Aqnino Fonseca.
i andido Emilio Pereira Lobo.
Dr. Jos dos Anjos Vieira deAmoii i.
tiubo Eduardo Pina.
Dr. Luiz Salazar Mosc iso da V"< iga Pessoa.
.1->n.iliui Lope& Mach
Itoiloluho Joao Barata de Ahneida.
Juaquira Ferreira da Penba.
Dr. Silvio Tarquinio VUlas-Bas.
Uves Q
Jos Elias de Oliveira.
Autonio Cardos* de (Jueiroz Fons ca.
Dr. Joao da Silva Ramos.
Pedro dos Xov< -.
Ihppolito Cassiano de AlbiKiuen}te Maranhao.
Jos Ji'rooj bio de Souza Limoeiro.
Dr. Francisco Gomes Velloso de AlbuquerqueGns.
MauoeJ Vieira Pen gao.
Francisco Jos Alve.- i \ b Njuen/ue.
Antonio Jos U* I Res.
I'h'.-ses Pernambucano di Mello. %._
S veriano Bandeira do Mello.
Dr. Vicente Pereira do Rogo.
Concluido i sortoio, o Sr. juiz ii: dtoreRomandou
proceder as notncaedcs necessarias, e levantou
addjando-a para o dia seguinte s 10 ho-
ras la muuhaa.
QUART A SESSAO.
ma 18 1:1. AOOSTO DE 1863.
i',s''.,. a '" Si*. Di Manoel Jote da Suca Neira.
ni z -li-ilii i ilo iln J* niiiiiiime.
Promotor publico o Sr. Di. Francisco Leopoldino
de tiasinao Lobo.
Escrivao Joaquim Francisco !! Paula Ksteves
dmente.
\- 10 horas da aianliaa feita a cliainada acba-
lam-se preseales 27 seabores jurados.
Foi dispensado da sessiio por motivo de molestia
Sr. Manoel de Souza Lean.
Foi dispensado do compaivciaicuto da SCSSaO, poi
- ac de tres dixs o Si. Ur. Joao da Silva Raaos.
Fonun multados em IftJiOO cada UDI 4w senho-
ib seguinles:
Vlanoel Antonio de Jess Jnior..
Agosniui Eduardo Pina.
loao Alves Quintal.
Jos Elias deOlivoira.
Scveriano Itaadeirade Mello.
Antonio Joupiini Sera,
Raimundo da Silva Maia.
Christoyao Santiago do Oliveira.
Dr. Jos dos Anjos Vieira de Amorim.
Dr. Luiz Salazai Moscoso da'Vciga Pessoa.
Dr. Silvio Tarquinio Villas Boa*.
Antonio .Carduzo de Queiroz Fonseca.
Candido'Thomaz Pereira Dutra.
Alexandre Augusto de Frias Villar.
Manoel Viera Perdigad.
Francisco Jos. Alves de Albuquoique.
Autouio Rufino de Andrade Luna.
Sendo insufficiente o numero do 27 jurados para
haver sessq, o Sr. juiz de dlretta procedeu 90 sor-
toio de ii e sahiram ortcados os cnhoreR ^eguin-
les:
tentou tao imponente ein Ipojuca. Nunca scus ad-
versarios pessoaes se mostraran tao fracos e im-
potentes.
O que se praticou cm Ipojuca tao novo, c ou-
| sado, que s pode ser concebido e execulado por
um espirito desvairado pela pei^peetiva de um
brilhante futuro...
Ae consequencias dos factos all cumplidos sao
tanto mais para lamentar, que nelles nada se tem
que vrcoin principios |Kililicos.
urna guerra toda pessoal, em que se ferio
sem consideracao iienliuuia o melindre, e a digni-
dade de honiens sisudos e inipoi lanto*.
Nao se diga, que se pozeraia em jogo conve-
niencias |ioliticas; nao : all foi tudo particular
nao se disputOU interesse uenhum commuui e
geni.
Disputou-se a submissao do comnieiidador Ma-
noel Costa, a Influencia, que como dissemosrcare-
ccni de elementos,conjuntivos.
o Sr. Manoel Costa *ewpre foi, e adepto liel
aos verdadeiros principios libera-.
Desde que principiou a figurar na poltica de
seu paiz, que se tem inantido nessas ideas ; e
tioneslos ilu victoria, os sct\s ageiiies poli-; .% ir. Merlo de Aqnino Fon-
ciaea empregam toilo ines pata inctilir teiror a populacao, e como i me oceuparia do que disse o Sr. Decio no
ainda assim nao fdra bastante,, nutorio JJv***a de hoje sobre a eleicao da Boa-Vista,
ni n<; cliefn* liaiiPirrw i-ictivam-' p snrA- ^ T **lembrass que os eneres ngneiros jacia\ am se e apre- ( Bem depressa esqueceu-se o Sr. Decio do que se
sentavam cartas publicamente a qtialquer, passau nahueila eleic-io i
em que (la capital se Ibes offerecia forca e Perqu diz, e como affirma S. S. que eu confund
tudo quanto fosse necessario e misler, note ^^*8 os SC,1S al,iado* com as u0S "leus
fMm mister nara sn olitftr os desnnir* ,J* lembra '11,e somente nPt*y* eu como cedu-
Dem, e misttr pata se ooier os uespojos |asdos mms as mm como taeg conhecidas
elettoraes da grande e honrada campanha, pelo involucro, nao obstante ailirmar-me S. S. que
e neste sentido protestam empregar todos muitas consideradas dos seus, eram imitadas, as
osmeios de prisoes, descomposturas, ata- 'i'1** no.t?,i."mgre como dos seus ?
nuoa o rtiiPhrinwntn i!* urna oarinlidna dl9t0' Sr Derl Vl 1ae nas diuentas pri-
ques, e queDiamento ue-urnas garantidos menas cdulas apuradas, apenas urna com invohi-
pela mesma forca, a vista do que vendo a ero proprio das dos meus alliados, aonttaba lista
opposico composla de gente honesta, pru- dilTerente, ao passoque seto com involucro deimi-
dente, e de nomens proprietarios, e impor- la,.';i0,las os cus aiiuios, conUnham listas dos
tantea, que causa alguma poderiam Wnse^in5Soi do apuradas essas duzentas cdulas lio
guir em presenca de tim tao desgranado es- assisti mais aos trabalhos da eleie.ao, dcixando em
tado de colisas,foram forrados a abandonar 0 meu lugar o Sr. Hypolito Cassiano de Vasconcellos
campo eleitoral. indo para a urna apenas ^''menme Marauhaci>Por aecrdo com os mais
IIA sfMlulas de 1800 votantes me den i me,n,bros da.,nesa 5 nada Posso afllrmar, iwrtauto,
llSSCUUias ue ouu volantes, que au a sobre as mais cdulas, relativamente a essa-//"-(.y.
freguezia," tal e agrande maioria delles, a que se refere o Sr. Decio.
concluindo em dous dias todos os actos elt'i- Tambem vio o Sr. Decio que nas cen cdulas i[ue
toraes, e as tres cliamadas de tao grande s0 ai"iraram "o primeiro da, uma s nao appare-
nume.o de votantes, que vieram finalisar as no^fi"S "^ s"PPlentes 4
nove horas da notite do dia seguinte ao da E'ctu-o, portento, que o argumento que S. S. ti-
eleicao, e viva 0 voto livre rou da Humo produ/.idapelos involucros das cedu-
Ora, a vista disto, que pura'verdade, e lasn5 Procede; eexactissimo foi semduvidao
mo ilii Pili n niiblirn p n comarca Pin nesn r.esuino 'l"e s s-lez. concluida a terceira chama-
que am esto o puuuto, t acomarea em peso da> 0 qU( fornecou ao P,.()(//.es/).,,7(( dt! ,:, ,, c,,
para altestar, iemos eleicoes livres I e se- rente.
rao os ligueiros progre&sistas. quecslaoem Jjda direi ao Sr. Deciocam a mawna sioceri-
maioria, e do expansao as inlelligencias !!. d^"" (lll,: sul"i,rj.: ihc,failei, que S. s. esta es-
IVunn r,.niii ivam lantn n nusniln p Pin ,'oic,du "'oque me disse logo depois de-concluida
Lomo censui avara tanto o passauo, cem aMPcera Hia.nada, e foi o seguinte: ivV.
t;io pouco lempo renegam e esquecem-se de (|ue se quizessemos tinhamos dado oasuupfontes-,
ludo! mas Olhem O futuro e niio faliem perguntei-lhe entilo e porque niio derain ? por-
Talvez queiram negar verdades tio pu- ('uc ""'!'l'l'":' na0 querendo que se faca aos outros
tilicas e conhecidas, porm O grande e 0 ^c^'serena que se me lizessc respondeu-
peqtieno, o rico e o pobre, o branco e o Nesse mesmo dia tarde, em Biaba casa, e pc-
negl'O, nao deixarao de conlirmar, porque ranteoSr. capitao Amaro de Barros Concia, e se
na verdade foi escndalo, e entretanto viva *** ",t l'!:'',1)r('0' Um}*m leran.'fi %* J*- Ma"
n nmann p n sola livrp Oiip hplln ?. ""I daLosla Alves t Jos,! t-'Ciho Carnciro
0 piogrtsso e 0 vol livie .! gue Deilo Monteir0j usse 0 Sr. fmo c^ companheiro de
So gargalhadas. cabala do Se. Decio, o mesmo que este me havia
Villa do Limoeiro, 15 de agosto de 1863. dito-antes na igreja.
0 finirk r o Sr. Rr. Prtfflfe. ta a faltencia dos como
yuando uo anno passado a maldita epidemia do los- C',a -''"'enoa do theor sefninte :
cholera-morbus invadi a provincia do Cear, dei- .vendle dos presentes autos que os
xndo em todas as partes os indeleveis trgeos de c13.""'' Ma-nado 4 Santos se arbatn m
sua marcha desastrosa, arrancando los bracos da no1 Pr aliena a sna fallenria a datar do
esposa, da mJi, do pai e do filho um ente querido frrente mez, e mando que em todas os
i a seu coracCes. Quan'do, faltos de recursos, os ""E_e_JWfw ponham os
Cearenses soltavam unsonos um grito de dr, ira-
*^>-
If 4
-
W.
Se pois e exacto queo Sr. Decio por Jim e em vis-
ta de certas rzoes, cedeu e tambern concordan em
dte o sea utido us suuiieiUe*, foi sem duvida de-
pois da terceira chamada; o neste caso, tal facto nao
se poda dar, seuo volando-sc a urna.
Assim, o proprio Sr. Decio forneceu o mais forte
argumento da violencia da urna, uma vez que nao
' ha de querer que a sua palavra soffra a menor du-
vida, salvo se eu milito.
Reconsidere o Sr. Decio o que disse na sua pu-
blicacao de hoje, o ver que nao me fez justiea.
Melhr seria que S. S. esquecido das occiirrcncias
Durum Sed levius fit patientia. da eleicao da Roa-Vista, tivesse tambem esqueci-
(Jualipiid corrigen est nefas. do o meu nomo.
PUBLICARES A PEDIDO.
lua lagrima de saudade vertida
sobre > tmulo do padre Joa-
quim \unrs de Olivetra.
plorando do governo um remedid, uma provden-
' ca capaz de modificar a influencia do terrivcl via-
jante aeoiapanhado do s6u nseparavel cortejo de
! calamidades c miserias, e o governo surdo a tantas
agonas abaava a voz de sua consciencia, para
nicamente attender a outras consideracrics de
pouca importancia. Quando, entregues ao deses-
pero, e desamparados mais horrivcl sorte. luta-
vam braco a braco com o desalent, a pobreza e
t a miseria; e os jomaos, esquecendo a sua sublime
i missao, jaziam adormecidos na indifferenca. dei-
j xando de defender os mais sagrados e impresrripti-
i veis diretos dos pobres Cearenses; um generoso
cavalleiro, desprezando os seus interesses peaaoaea,
': apparece em campo fazendo despertar o Pairo I,
6 pedindo proteccao, providencias e recursos para
' os desvalidos patricios tao deshumanamente trata-
; dos |wr queih tinha o mais restricto dever de pro
tog-los.
Censurou o governo sustentando os direilos do
povo.
O presidente sabio entilo da apathia em que vi-
va, nao para melhorar a sorte de seus governados,
Mirni para propor em troca do silencio do jornal
interesses pessoaes a sea redactor, que, presando
cima de tudo a ua dignidade, e os sentmentos
de laiinanidade de que ahandava sen rorarao, re-
pello nobi-emente tao indigno pacto sujeitaudo-se a
solTrcr antes defendendo seus patricios, do que go-
zar vendo-os infelizes.
Com a mais admiravel abnegaeao afrontou as
iras do governo, econtnuoii flema no seu posto de
honra pugnando pelos direitos dos seus concda-
daose exigado para ellos promptos recur.-os.
.N'obre, bello e sublime loi clao o papel que re-
prescnlou oSr. Dr. Manoel FrancoFornandcs Viei-
ra. redactor o Pedro II!
O governo despeitado, em vez de cumplir o seu
dever, recoiapensoii ao nobre cavalleiro, enviando-
llie no inesmo da em que chorava o pas-aniento
de sea prendo Sflgro, e de seus queridos prenles
e amigos victimas do terrivcl caminheiro, o qliando
via em seu lelo de dor a sua carinhosa esposa ; a
acintosa demssao do cargo de inspector da ibesou-
raria provincial, lugar que exerca com tola a
honra e desinteresse.
Tirado assim aoSr. Dr. Franco e sua numero-
sa familia omeio de sua subsistencia; PORHH, co-
mo todos os empregados honrados, o Sr. Dr.
Franco pobre, este nao desanimou e uom desisti costume.
Hor, iM. 20, Lie. 1.
Recife, 10 de agosto de 1863.
Joaquim de Souza %til.
Mas uma vida preciosa acaba agora de
ser ceifada pela mvrrada mio da inexoravel
parca Mais um amigo fiel e sincero, mais | bnete Portuguez de Leltura.
um cidado prestante, e honesto, mais um
sacerdote virtuoso e exemplar acaba de ser
riscado do livro da vida !
O padre Joaquim Nunes de Oliveira ja nao
existe Que contraste de dr que decep-
<;oes tristes ; que saudades sentidas ; que
recordaces amargas ; que dr acerba 1
Aqui clioram os amigos por uma mo que
jamis Ibes ser concedido apertar Ali
pranteia a igreja a peda rreparavel de um
ministro exemplar c caricioso, de um ver-
dadeiro lilho de Arao !
Acola carpe a mi, os rmaos, os parentes
uma nmavel companhia que milhes de
lagrimas nao podem restituir Que quadro
mais doloroso, que cena mais pungente,
que espectculo mais aterrador! Mas o que
representa tudo isso O que qur di/.er esse
psala que ala tem lim ; essa dr que nao
sana : essa tristeza que conde ; esse deses-
pero que*io encentra consolado E' 'jSfo
a iinprovisla mo da norte roubou a cara
sobre a fria lousa que esconde o sen corpo,
e ile dirigirmos uma supplica .ao Todo Po-
deroso pelo eterno descanso de st'a alma.
A trra Ihe seja leve.
C. V.
%sna
florida de Hurray
l^anman.
e pu-
prestava a todos os soccorros de que carectam os
seus auligos alliados.
Nao se coiita um acto de sua vida, que possa
desmentir sua nobreza. c elevacao de carcter,
sua lealdade.
Elle declarou a todos os seus amigos, que os
se i- candidatos eram os masmos da governo, por-
lanto celara,o que se quiz foi exigir a submissao
do Sr. Manoel Com !!:
K nos que assim fallamos, contemplando nessi -
actos oespaco luminoso tracado pelos augures da
liga com sea'lituo-magico do progrojso; nem nos
deivaiaos dcslumbrar pelos fulgores do iris, ipie
ostenta faustamente essas multiplicadas cores
irimnphacs, em que brilham os magnillcos reflexos
.las promessas do futuro..
sent o sombro, 6 magcStOSO apparelhos.de ruinas
e destruic3cs.
No ineio dos acoatecimentos. que segueio gen
corso irresislivel. ousamos enunciar ideas que eiu breve e dei xa pos de si um cheiro,
alada podem servir de conforto. iiur certo mui pouco agradavol, porm a-
l'a.a abalar mudar urna anliga ordem de obtido mediante a destiHaco
consas. sustentada pida Iraude, e maniida pela !.',-, ,,.
violencia, preciso muias v-7.es.o emprego de de frescas c odorferas hores, se apon e
meios igualmente violentos; preciso usar de ele- aperfeica pelo contado do ar, c por con-
mentos, de djssolococdiscordia. seguinlea sua diiracao de maior espaco de
E preciso que se empregnam ideas novas e tao no. ^ .. .... iior;(ja a0
;.msadas, que possjim inflamar os coracoes, eexat J^mpo. w* poi i. soque ,i a ii.i norma uc
lar as imagina,-^: ,. pois, bem bge do aoom- Murray & Lanman, rormando urna con-
' panhannosas vosea descordesdesses bomens, que centrada pr.oducc.io das mais raras flores do
svsteniaticaiaentc alar ua a adiniulstracao doExm. su|, apauliadas durante 0 ZCnilll da Sua llo-
lExlrahido do Daity Times.)
\ verdadeira prova da genuidade
reza de qualquer um perfume exlraiiido das
nem vemos no prt;- j lloros, consiste na sua duradoura existencia
i quando exposto a influencia do ar. O aro-
ma derivado de leos cliifflicos desvanece
Sr. Nlwira ile Souza, nos somos os pruaeiros a
deciara-los injustos e inexactos, mas nem por isso,
ornamos negar que, Exe. asanmio* a rasponnbi- >,!,; a_ '
material das violencias pralicadas cm Ipo-
rescencia, e maior fragrancia, no s pos-
lidado material das violencias pralicadas em
juca.... x
N ....
Comarca do iJraociro.
(ih! que bella victoria eleitoral na* tres
irijH.yn* llalla /.e/os laurot I al
aJmiii tissiin *i<> progfraafutm, < vk 8
coto Une 1!
de um fresco ramalhete,
tqas lainliein indeslructivol e ineslimavel,
a nao ser a axcepcao da lavagem do lenco
anteriormente humedecido na mesan.
A' venda em todas as boticas e tojas de
pe fumarias.
Eleicao ta Varna
liiiu. o Bxm. seuhor.Acaba de vT-iue entre-
Na fregue/.ia desla villa consta, C pu- pe agora s 11 horas da manhaa) o officio de
bliCO, que estando dispoetOS OS agentes po- ;^.-ll-"*1 J5 do correute, o qual me foi
liciaes inclusive amoSl investido do po- ^J^%$\?^%
der de subdelegado com destacamento e for- modo par que $e fez.
ca a commelter todas as infamias para o al- No estado em que se acham as cousas, conve-
meiado triiimplio de accordo com o Sr. de- "i,"!'' slTia """ sll:'"d" rcneito deUas; mas
legado, tivera a opposico de desampararas ^^Xv" <|M
eleicdes; formando-se a mesa apenas de 8 Diz v. Exc. no mesmo odelo, que de sentir
a 10 eleitores prsenles dos la, que di a que fosse exactamente quando v. Exc. acaban
fregue/ia. e o mesmo acontecer com os J! lar as mais eiiicazes e completas providencias,
supplentes e tal foi o abandono, que nem ^^Z^^^-^Z^l^
ao menos obliveram os supplenles, entre- trabalhos.
tanto, que apresentam a acia com rail votos. Entretanto que, permitta-mc V. Exc. dize-io,
quando lo-la esla villa foi testemunha, que essas provhk-ncias foram as mais completas a cfll-
ooaprcnm m k mTVL rsssxig&xsszxrg.
metade desse numero, e que a quahlicacao Dr.cliefe de polica pareca estar de accordo.
pouco excede, e viva 0 voto livre para admirar o desembaraco doSr. Dr. chele
Em Taquarilinga, a pobre e miseravei de polk-a, quando assevx;ra que ato o momento cm
que olhciou daqui da \ arzea a V. Exc naquelle
da 14, nenhum tumulto havia occorrido, e que
renava na povoacao a maior cahnac silencio 1
De certo, o Sr". Dr. cliefe de polica nao obteve
aqui um.ti'iiimphu completo ; faltou-lhe o brbaro
prazer de fazer vestoria em meu corpo.
.NSo sendo eu desde o dia I i presidente da mesa
Taquarilinga um oficial com forca, inves-
tido tao bem da subdelegada, consta, que
ao chegar ali tratou de promelter a toda
populacao, procesis, prises e recrutamen-
to : caso com elle nao volaste, e ainda as-
sim muda-sc as eleicoes da propria matriz, parobi3r^aco-me \u7toda""correspondencia
onde sempre se (/.eram, e por calculse a respeito da eleicao entwadmeV. Exc, deveria
procedem era uma capella distante, afim de tor censado, iui^iklo-no assim u dissabor de t5o
se conseguir a grande e desojada vletory, \wf'SS3STt. Exc
de sorte que nem supplenles quizeram ptei-; Engenho S. Cosme na regimta da Vanea, 18
tear, tal era o terror, a coagao e ameacas, Ide agosto de 1863.illm. c Exm. Sr. Joan Silvcra
e viv o voto livre I! ** S'ia> presidente da provincia.Baru ile -
' Em Uom Ja dTm ond# a opposi^o tnn?,raVn.jaa>iwoaanindanma.
mesa compacta, e lodos os meios justos, e' -----------
lin voto imparrial.
Socio de recente data, do Gabinete Portuguez de
Leitura, e, pouco conhecedor dos cavalleiros de
que elle se compoi), nao podemos de plena convic-
aao apontar nomes para os dillerentes cargos do
conselho deliberativo, mas ao menos pedimos aos
senhores que forem eleitos, que se lembrem de no-
mear para a directora pessoas que estejam no caso
de fazer progredir o estabelecimeuto, desenvulven-
do-lhe as fontes de receita, e collocando-o ua altu-
ra a que tem jus de chegar.
Se nao nos fosse levado a mal indicaramos ao
futuro conselho para director do Gabinete um nos-
so prestimoso e preclarissimo compatriota, perfeir
lamento conliecido de todos nos, e a cujos incansa-
veis desvellos e amor da patria devem as nossas
colonias d'Africa o impulso cvilsador que tem re-
cebido uestes ltimos anuos, sendo at consultado
sobre dillerentes projectos teudeutes ao desenvol-
vimento industrial ecommercial das inesmas, pelo
actual mimstro da marinha, que no Diario ilu Go-
cerno (folha ollicial) ns. 77 de 0 de Janeiro, o de
i'i fle maio. e 77 de itide julho ltimos, falla des-
m rtosso amigo no termos mais ItsoBffeiPOS, o ina-
nifestando, apezar de que elle nao se digne aniuur
ao convite que recelieu para ser secretario parti-
cular de S. Exc, allivando-c assim em grande
parte da trela que Ihe foi comineltida.
K o Illm. Sr. coamiendador Matlaas de A/evedo
Villaroaco, pessoa respeitavel pela sua posieao so-
cial, respeitavol pelos seus respeitavois e honrosos
precedentes, antigo e honrado commerciante da
uossa [iraca, camptao denodado dos patrios inte-
resses, honesto, sizudo, cavalleiro, modesto, insig-
ne ex-secretario do eonteUut dos Dez, cargo este
em que se iiamorlaiisou, elevando as nuvens os
nossos compariotas residentes em l'ernambuco, ho-
laein. emtini, do mais acrisolado patriotismo, do
que c prova recente a ncontraslavel commenda
com que acaba de ser agraciado pelo governo de
Sua Magostada Fidelissima, como pequea de-
monstraeao e liomeuagem da patria agraecia
etc. etc. etc.-
Os trabalhos importamissimos, as fadigas que
acabrunham o nosso honrado e benemrito i-uui-
Mtmdador no mm cogitar constante em boneflo das
nossas colonias d'Africa, sao nnumeraveis, releva
canfessa-lo : mas tambem aquella grande alma nao
se meile alii por qualquer bitolla.
Nao vm elle, infelizmente, 100 cem bracos romo
agigante Uriarcu, de fabulosa memoria, porm u
seu cerebro vale por 1,000; as ideas geratn-se.
combatein-se, fervilliam, reproduzem-se demanei-
rajaao rpida e instantnea, que aipiella fronte au-
magestusa, onde em i-slraubos traeos se
ij 'senham iodos estes actos de intellgcncia, sime-
Iha muitas vezes a crtera de um vulcao, ou uin
campo ele ha'alha onde se pisam, acconnnetteiii i?
ilaspedacam milhares e muharosde bellicososgi-
u-'tes, ao so'ii deguaneiras iiombetas.
Elle irabalhara. senhores, tende a corten dsso;
elle fura prosperar o estabelecimeuto. elle \W> n-
volver urna en.-rgia rara, um patriotismo a to-la
a nrova, um eutlmsiasaio sincero. tVanco. ardciUe.
'intaiii'o : elle se recordara com nobre org libo
.'\i'on;o- -.11.11 amanas quo tem feito cm
ossas possi.' "es ii'AtVic3jtJ% que tao mesq;ii-
Oiento Ihe foram retribuidos pelo nosso avaro
gojrorno, nao tendo o nosso commemlador resea-
anJKjfucoiiiiiii-nda honorfica, por nao gostar de of-
IViKlar niiigueni ; elle se abracar em corpo o al-
ma com o estabelecimeuto, feliz'por poder eleva-lo
ao maior grao de esplendor extenuado, delirante,
colierto de gloria, conteutar-se-lia, depois, eabindo
le-aiailo de prazer e einocao nos bracos do c>-
uismo, em murmurar com anglico e candido sor-
riso : Kuo sum quijam; se nunca liz cousa ne-
uli'inia, foi porque outros se encanegaraiu de fa-
zer indo... ab)!*. desraticemos da ociosidade... e,
jior alma das siws obrijaives, facam-mc a esmola
de um baronato. e eu serei o salvador da patria ai-
nieta,
L'm auiija.
n commandante do vapor de guerra mgkv.
StcmboU, estacionado neste porto, deu em um dos
dasa semana passada, a bordo do mesmo um . r<, para o qual foram convidadas varias familias
lirasileiras ; das quaes duas aceitaram o convite, e
all comparecern!.
0 vaso eslava bellamente enfeitado, sobresa-
atado a escada que da va .subida para o con vs,
6|elada com duas bandeiras, a ngleza em eiina e
fraaceza por baixo, forrmdo-a pelo la 11 Stroiiioli perlence, como ja dissemos, a ma-
rraba de fuerra inglcza (com cujo governo nao te-
mo- hoje relaeoes diplomaticasj, e representa, se-
gundee direito das gentes, uma parte do lerrilo-
rio iagfcz, e o seu commandante um agento officiai
do senvgoverno.
O Slrumlwli em principio de Janeiro do cor-
rente anuo foi um dos vasos da marinha ngleza
que mais se drstiagHJram aa barra do Rio de Ja-
neiro, apresiooando nossos navios uicrcantis. fa-
zendo fogo de baila em um dos nossos vapores que
nao acudi ao sen piuuiVu signal.
Este mesaio vaaar epi i83d arrasou a nos-1
fortaleza de l'aranagua, per ter ella feito fogo, quan-
do elle lava caea a um navio brasileiro baixo
das suas bateras.
lufonnam-nos pie em agradecmicnto, c obse-
({ttio ao coiiimandanto do dito rapor, os Srs. Wil-
liaai Marlinian e Scott Wilson, subditos britnico-,
do unja partida boje (UL e para ella foram con-
vidadas aunas das urinoBaes familias desta capi-
tal, oinnoriRii.is sposas daquellescavalheiro-.
A'oineio curadores fisean am rrrdores
Wild & ('-., que prestarao Jwunino. .toread tt-
rem convocados os credons pera o da ti n ror-
rente mez se proceder a nomnarao J.. ih iimim iii
que receba a massa fallida.
l'ublique-se a fallenria |ior cdHaes e sigan-se m
demais termos legaes.
Kecire, 17 de agosto de IKfrl.Tntlo Arnripe.
K mais se nao continha em dita scnlenra, per
forca da qual o esrivao respectivo Manuel de tCar-
valho Paes d.; Andrade. que .-sle snbsrrcTeu e tm
passar o presento edital, conrorawlo w rrrmwr-
dos indicados fallidos. |ra que no dia m>rvr-
reate mez coiuparecam na -ala das aiiilii mil i/e-
las laboras da mahaa. ain de qne nmmm m-
dos Iralem da aoiaeacao de di-^xitario m paiii
torios da predita massa fallida.
E |iara que rhegiH- ao conli..tiiiM-idh .fe itirfix
laandei pasear editaes que sena afftviri* n, banf
do coslimic e publicad pela impr.-n-a
Mado e passado insta cidade do R-ito de r.T-
nambuco aos Ode agosto de IMIVI.
Eu Manoel de Carvalho I'.t-s .h Amlrade, csrri-
vao o sabscrevi,
Triiliiu de .Menear \rnript.
O Dr. Tristn de Atomar Arari|N\ oMend ila nap>--
rial ordem da Hos e juiz de ilin-ihi ep<*rial
do cinaniereii. desla cid;ule do Kerito capital
provincia de |N ruaml.ucu e -en li-rm |m > .
Magostado Imperial enmmmrmm > Si
Pedro lia queai Dos guarde, a.
Faeo saher pelo procato que n dia ztik anal-
to depois da audiencia mpartin H ha de armaa-
lar por venda a quem mais der em prara aatira
(leste juizo. a casa de sol.rado de dona andares sita
no pal.....lo l'araizo da fn-gnezia !
aio con o n.:. cuja i a-a la/, quina para a roa 4a
Roda e com a entrada nda .....-mana, araana
em IIInni-jinki rs.. ditaea-sae |K>rtoncen* amn
roe! Jos Pedro Vetleco da Siman, e a esle pi-
ahorada por exerurin dn Dr. Aagjrlo llennVpM- da
Silva como tutor do- oi-plo- tilhos do raReriii
PTOacisco C-irneiro da Silva e mai- Innlein4
mesmo. e nao haveinlo licii.inle- ana a uriwali
i;ao feita pelo preeo da adjinlii acao, e c.kb o ala-
tmenlo respectivo da lei.
B para que o presente cbagae M eonh.-eMilel.>
de lodos, iiiandei passar edliam, ana --rao pMi-
ailos pela unprensa nflixados no* lugares di
Dado e passado m^ta eiihwle dn K.-.-if- .le JVr-
nambiieo. aos 11 dias do me* de agirlo iloaaaiiiti
iiasciiaeniode .\..-so Seabor Jesas CarMadJi Dan.
V." da iidep.-n.lencia e do punida Brasil.
En Manoel de Carvalho l^a.-s .le Andrad.
erivao o safcacani
Trufao ili- Usurar Irttrimr
Hlll lilil HE lilil lio
he iinlciii do V.\m. seiibnr direrlar se faz
lista das fallas em renfll a mez dr jasto alla*.
cm roiii|ic.|ariii #j I passad*. Braa |
tu a sequnda radeira do qiurt aaao pri
dn quinto. nij.is lenirs n< maiparerf
eimaran as rrs|ierlias mu*.
I'i iiheiro anno.
Antonio Este vao de oliveira. duas rallas ju ilifli i
das na piimeira cadeia e ana AJm na -guada.
Francisco (lome- Prente Filho. urna ja-liii
na piimeira cadeira e urna dita na vgnnda.
Alfredo Alfonso Ferreira, uau justinratta i
segunda cadeira.
Jos l.ustosa de Souza. ama jiisiili.a meira cadeira.
.Ur Joao Ctinaeodo K-pinlo-Sant. nma jii-ldi-
cada na piimeira cadeira duas inclusive una
sabbaliaa dita na sapaada.
loao Paulo Gomes de Mallo-, duas ju-tHiradb aa
de seu nobre empenlio.
Ogol|ie fui tremando e a ferida profunda, mas o
nobre doulor nao siiccumbio. BUSCOU Unitivo a
seus males, sorvendo em longos tragos o balsamo
vivificador que se enconlra nas sagradas paginas
do livro, que ensina a doiitriua sellada com o pre-
cioso sanguc do Crucificado do Golgollia.
Tevc f e resigiiou-se.
A tempestade passou sem Ihe curvar a fronte !
Com a teconbecida calma, intellgencia e vii lude
de que dotado, leve a felicidade de provar a evi-
dencia da necessdade extrema que tinha a provin-
cia de enrgicas e promptas providencias, assim
como da indillerenea do governo no cumprimento
de seu dever em relacao fatal epidemia que em
sua marcha lutuosa coiitinuava a dizimar a popu-
lacao.
Finalmente a forca de trabalhos e sacrificios in-
sanos conscguio que, emboca tardo, alguns recur-
sos Otasen administrados, nao esquecendo jamis o
bem geral dos Cearenses, ainda que niio se lein-
brasse do seu.
.Nesta occasiao as princpacs [icssoas de todas a?
cores polticas e de quasi todos os pontos da pro-
vincia deram inequvocas proras de sua gratfdao
para com o nobre e generoso Cearense, esugmati-
sando a violencia e arbitrariedade do presidente.
O Cear contrabio urna divida sagrada para com
o Sr. Dr. Franco; divida cuja satisfacao agora o
momento de reabsar-se.
Cearenses, o honiein que com tanta abnegaeao
defienden os VOSSOS direitos, lainheia aquello que piimeira cadeira e duas ditas na --gniMla
mais apio se acha para representar-vos na cmaraj los da Costa Cmi.-.i Guanara--s, uma jusUaYada
dos deputados. Inlelligeiieia. inde|M-iidencia de ca- na segunda cadeira.
meter, virtude, serviros, em lim todos os requesites
que deven ter um verdadeiro Reputado rene o
Sr. Dr. Manuel Franco Femandes Vieira.
Aliracai a candidatura do Sr. Ur. Franco, abra-
cai-aVde coracSo, empregal tiKlos osvossos esfbreoi
a lila de que se realise tao nohre empenho e lereis
assim de alguma sorte satisfoito a Immensa divida
que cootrahistcis.
i Lcmbrai-vos de que quando 0 Sr. Dr. Franco.
i defienden us vossos direitos, elle nao vos pergun-
tou a que credo poltico pertencies tende em
Sunsideracao que elle tudo perdeu, que elle sacii-
cou-se dfiendeiido-vos, eque vos nada perderis
lecompensaado os seu- serviros. Fica certos de
que no momento de perigo quando procurardes
aquellos quehoje se mostram vo-so- deffensores
nao os encontrareis porque j nao precisaran de
vos. Vede que quando soflricis apenas advogou a
vossa justa causa oSr. Dr. Franco, ningnem mais
se leiubrou de vos. Assim pois, pagai a vossa di-
'vida, e o que vos lcar repart entao por quem
melhr merecer.
Cearenses. nao consintis que vos chainem de
ingratos : a candidatura do Sr. Dr. Franco nao uma candidatura propriameate poltica, 6 peltt
1 contraro natural e necessaria: abracemo-la e
I taremos aa cunara um verdadeiro advogado dos
nossos direitos.
Recite, 19-d agosto de IW3.
l'm ('.incens.
COMMERCIO.
Hendknente do oa I a 1 .
dem do da 20.......
27I:.T87*64I
29:311*710
.iKKIi'.l'.l-iool
vlovimcuto dn ulfautie^a.
Vohiin--- entrados om fazendas
com ganaros
- -aludos
c-.ni fazendas
rom 'omeros
I8i!
isa
------- :ilt
llescarregiii no .lia i\ de agosto
Polaca hespanholaIVh/w'ucharque.
Barca hamburguezaPalmaidem.
Barca inglezaimperador gneros de estiva.
Lugre iaglezEdith earvao.
Escuna inglezaQue** of tm* Wwinereadorias.
(tarca lupet*fmogene dem.
Reecleiloi*i gei'ae.s le Pernainhiico.
Bendimento do dia 1 a 10.
dem do dia ......
22:686*JH
!Mi7!HI
23:631M
Consulado provincial.
Itendimento do dia 1 a 19. 29:310J6t5
dem do dia 20......... 604Jil
2i:67258tw
MOYIMENTO DO PORTO.
Nacas entrados no dia 20.
RamburgO66 dias escuna dinamarquesa Spica,
de 91 toneladas, eapito I. I. II. I'ier-dorll'. equi-
pagem 8, carga dilferenles gneros: Theodoro
Ch'ristiansen.
Maranhiio 30 dias palhabote nacional Luido Pa-
quete, de 2t)*i toneladas, capitao Antonio Maria
da Costa c Silva, equipagom 11. carga arroz,
farmha de mandioca e outros gneros; Anto-
nio de Ahneida Gomes.
Obsercaco.
Nao houveram sabidas.
EDITAES.
O Dr. Tristiio de Aleucar Arari|>e, ollicial da im-
perial ordem da Bosa e juiz e.-pecial da com-
Ilierm-i desta cidade do llecil'e de iVruaiilbUca C
MU tormo, por S. M. Imperial e (lonstitucioual,
o Sr. II. Pedro II, a quem Deus guarde, i
Paco saber pelo prsenle, que a requerimento le
Linden Wild i* C. e Schafleittiu A C. se acha aber-
Virgilio Augusto de Mor;
piimeira cadeira e duas ditas na -.-gumia.
Podra leen Panfn da Arasaa Mio, tre-.
justificadas na piimeira cadeira e am dnw m
egunda.
.loao Cope- Pessoa da Ci -la. Um ju-titieadaH na
primeira cadeira etres ditas na -viinaa.
Antonio Alvo Carvall.al. uma jiistinNla aa pri-
meira cadeira duas ditas na --egiinin,
Joaqnin Regerfo de nhvejra. ana jusiaVada-
na segunda cadeira.
Francisco Antunio .! iiliv.-ira SohrmBSb Uas
jnstifleadas na primeira cadeira e urna iHu,
segunda. .
Jos EKsiiMleCa valhoG-oto, dua-inclusive ama
salil-alina justificada n:> piiir.-ira cadeira e dKf
inclusive ama sabbalina ditas na egimdl
Augusto Ernesto de Gervusaai duas jitalflradns
na liaieira cadeira.
loao Fraucs-M de ||i-llan juslineadad na primeira raitin ir--s dMaa aa
segunda.
Joao Maria l.oureiro lavare dua- ja-tin-.i.:
na primeira cadeira e du ditas na segunda.
Jos Domingues da Silva, ama jnsMrada na
segunda cadeira.
Tiluircio Ra y mundo da Sil\;i Tavares. tres jasri-
Hcadas na primeira. cadeira e duas ditas ir
gnnila.
Jos Antonio Gome., ama ju-'iiiV.ida na primein
cadeira e nma dita na nyaada
Manuel Prxedes ltoiH>vid.> Piui. na. di /
cinsive urna sahbatina j i-iiiie.da- na mmnmt
cadeira e quatorze mclo-i-,. ,|i\-- -ah
segunda, semlo seis fallas nao j i-tili.-a.la-.
Candido Alves Macha I... tres ju-tni-
priim-ira cadeira e Ires dita- inclusive uma sabaa-
tina na segunda.
Joan Barba I lio IVIiiia Cavalcnie. trvs
da~ na pian- ira cadeira e iiin.t dita na
Julio Cesar de Mendonca 1'ch.Va. dnasj
das na primeira cadeira una -abbatina nu
segunda.
Goncalo Vieira de Mello Pradq, quatro jusiaV>-
das na primeira cadeira e ea nranvn ana
sabliatina nao justificadas na -efunda.
Antonio Joaquim Ribas Jnior, duas iiielu
cid-ira ama sabbalina ju-lilicadas na primen
tres illi'la-ive Urna -ahliatiaa dita* M SCfUIMla.
Aillo! io Jos Pereira de Albuqiierqiie. nina
sahbatina juslillcada na primeira cadeira e urna
falta dita na segunda
Eduardo Augu-lo da Suva, nma ju-i;
segunda oadetn.
Antro I' reir -!- Arauj... quatn> inclusive uno
nbbatina ju-tiiicala- aa primeva cadena a enea
inclusive nina sahbatina ditas na -- guma.
Jos Francisco l'clia i'.avallante, duas ju-lilira
das na primeira cadeira e urna dita aa
Augusto Cib'IIio de M.n.ie-. ,|n.i- ja-l
primeira cadeira.
Vicente do Reg Toscan i' >. duas u-iit:- i
das na primeira cadeirae una dita ni .-uua.
Samuel Wallace Mac Dmrrl. urna ju aada aa
primeira cadeira e tres ditas na ^-gnmla.
Antonio Goncalves Ferreira, tres ju-tiaradn aa
segunda cadeira.
Francisco Jos>; de S.mz.1, loa- jn-tiJicadw aa
primeira cadeira e dtu- dris na seguaia
Francisco Jos do Medeirm. Swe ncbaaVe ana
sahbatina justificadas na pflmeira a-l.-ira e nc,
ililaaa segunda.
Eruesto Vieira de M> lio. nma ju-liliea* na f-
meira cadeira.
Joaquim Pereira da Silva l..^>. duas jn
na primeira cadeira duas ditas na sr
riysses Correa de r.ra-to. nma
primeira cadeira urna sabbaliaa dMa aa
ganda.
Austerliano 11 i de Cristo, urna
na primeira cadeira duas ditas na
Antonio dos l'a- Miranda, qnatr j
na primeira cadeira qaalr i ditas
Eduardo Angusto de Agnar BeMo,
cada na prim.*ira cadeira e dnas M sn se-
gunda.
Jos Joaquim de Alnv-ida .,Wwa,i
na primeira cadeira e orna dita as
Liuo Cassiano Lima.
tina justificadas na sftBHn raileira e t
na segunda.
Oetaviano Xa
primeira cadjnjnjMMtro ditas i
Joaquim Anean M
cada na primeira cadeira
Marcelino do Monra AAnf
i i'rmcia cadeira e ana'
SfUIK
>

^
nmcioi ca
N
____L
\
\ ILEGVEL



I
Piarlo Ae Peraandwico Hexia folra ti de Agoa.o de t S8.

Candido Pinto LuImo, tres jasflcadas-uu priinei-
ideira e quatro ditas na segunda.
Sezostris Silvio de Motaos Sarment, quatro jus-
tificadas na primoira cadeira e qoatro ditas na
segunda.
Jos ("-ludido Ifcanh,. de Sa, luna iislilicada na
primcira eadoira.
Adnlplm l'..'!iHrii(o Kmliiguea dos Aojos, uma
justificada na primeira cadeira e m
guuda,
Blysio da Ctinha Moraes Pinheiro. duas justifica-
das na primeira cadeira e una dita na segunda.
Firmino Gomes da Silvcira, duas justificadas na
primcira cadeira e urna dita na segunda.
Joao Adolplio Ribeiro da Silva, nina justificada
na primcira cadeira e una dita na segunda,
Joaquim Cajuoiro de Campos, duas justificadas
IU primeira cadeira o duas ditas na segunda, i
Benedicto Raymundo Silva, quatro justificadas
na primeira cadeira e tres ditas na segunda.
Sanniel dus Santos Pontnal, tres inrlusive tuna
saliljaliiia justificadas na primeira cadeira e tres
ditas na segunda.
Duarte Estevao de Oliveira, urna justificada na
primeira cadeira e duas ditas na segunda.
Adolpho Lamenha Lins, duas justificadas na pri-
tm-ira eadeira e duas ditas na segunda.
Joao Pedro Belfort Vieira, quatro inclusive urna
sabbatina justificadas na primeira cadeira e quatro:
inclusive urna sabbatina ditas na segunda.
MISOS MARTIMOS.
.----------,---------------------------------------------------------------------------------------------------------. .-..
COMPANHIA BRASHJBIEUt
PAQUETES A VAPOR.
j__4 "0 porto* fto-Slll espi-radivalo'
o dia 30 do crtente o vapor IVI
cantos, roinmaodante o prinieiro !
tertente Pedro Hypolito Duarte, o '
qual depois da demora do costu-!
me seguir para os Dorios do norte.
Desde j roeebcni-so passageiros e engaja-se a
carga que o vapor |ioder cdndiuir. a qual dever
ser embarcada no da de sua chegada, eneom-
mendas e dinlu'iro i froto at o dia da sahida as i
horas: agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio fitiiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
at o dia 4 de setembro o vapor
'Prmceza de Jomrille, romman-
dante o capillo tenente Santa
Barbara, o qual depois da demo-
Bernardino Gurgel do Ainaral. duas justificadas !ra do costme seguir para os portas dosul.
a primeira cadeira e duas ditas na segunda. Desde j receliem-se passageiros e engaja-se a
Antonio Pedro Ferreira Lima, duas justificadas carga que o vapor |>oder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua el togada: encoin-
de 11 anuo
Tbomar, erinK..''
un de nome Mann
tamboin seni oftt *..
ras, cojos osera voj ve,
"de tontas tiesta oraos.
tambem cigarroiro: un de nome
idade de o" annos, sem ofiicio;
I. idade de 10 annos. Ululato.
otlo? s;iiio- e limlas lig'i-
lein-so para llq*!

\aa\M
DE
JLOTERIA
C\S\ I)\ rOKTUN.4
I O ahaixo asaignado faz sciente ao respi-itavel
publico que se acha eslaholeeido pon sua loja de
billietes das Interias da profHKia, na ra do Cres-
po u. ti. onde tem expostos venda os seus mui
1 felizes bilhetes e meios bilbetes garantidos da 1.'
! ,., '-'"ria em beneficio da igreia ile c.
iMiicaa i.'iutv.. j?.~ ,,;\
, las Xeves do convento ', ""ISro de Obnda,
cuja evtraccao ser a 5? do corrente niez, obn-
* gando-so ao pagamento de todas as sortes, que nel-
* es saliirem, sem os desi'ontos dos 12 por cento
'lo imposto geral e dos i j.:or cen, do [irovincial,
da asscK-iaeao eommorcial. de uin sobrado de'dous o i,1ual Sl'ra promptamente ehVc,,ia|l0 uma ,,ora (,".
andares esotaoem solo proprio, situado ruado pois Jaexlrarr.o e por diante.
Burgos n. 11 : os pretendemos queiram examina- Os bi'.'botes e meios bilheles dOvn,!aixo signado
lo ou informarcm-sc do referido agente ruado gao por ciZ* assignados de rhanre,'' '' ;M'ham-se
Vigario n. 17. primeiro rodar, cujo predio vende- tambem vcida as seguimos rasas : '>raCa da In-
dependencia oj.?s n. 22 e 39; rna Din..'a D0,M'?>
n. 3, ra da Cadea toja n. 4o, na da lnV"'ra,riz
n. 44 e ra estreita do Rosario n. 12.
Ujfl
lutirta-ffelra til do corren.
O agente Simos legalmente aulorisado fai.
leilo no dia cima indicado s 11 horas, na porta
*e
COIWPTABILIDADE COMMERCIAL
PELO
DR. WITRWIO PINTO BANDEIBA
fofos* ta segunda tadfira d Csrsa Comamial tmamkmm
IMHS ELLOS YOLfMES EH 8." FRVM17
OO.MI-KKHKMiKXlX'
na primeira cadeira c tres ditas na segunda.
Clemente de Oliveira Mondes, una justificada na
primeira cadeira.
Joaquim Loiies Lobao, urna justificada na primei-
ra cadeira e duas ditas na segunda.
Reinaldo .Comes de Oliveira, duas justificadas
na primeira cadeira.
Jos Bernardo Gomes Seria Belfort. quatro in-
clusive unta sabbatina justificada* na primeira
cadeira e duas inclusive urna salilintina ditas na
segunda.
Arvstides Augusto Cecilio deSouza, cinco inclu-
sive urna sabbatina na primeira eadoira o seis
inclusive duas sabbalinas ditas na segunda.
Barlholomeu Teixeira Falla, duas justificadas na-j
primeira cadeira e una dita na segunda.
Antonio Jos de Carvallio. duas justificadas na
primeira cadeira o duas ditas na segunda.
Antonio Pedro de Miranda, quatro inclusive una
sabbatina justificadas na segunda cadeira.
[Continuarse-la.)
at o dia da sabida as 2
n. 1, escriplorio de
DECLARAC&ES.
Olinda faz constar pelo presente que tem desit -1ros C> LarS ',0 f-orpoSanto n. 6.
Na audiencia do juiz municipal da I." vara,
boje 21 do corrento, vai praca .i parte do escravo
Luiz, pertencentea .Manoel Jos de Oliveira, por
execuao de Florentino Velloso Cavalcanti de Al-
buquerqoe.
CoIlei*ioi*ia provincial de
Oliuda.
0 colleclor das roudas proviuciaes da cidade de
lesigna-
do os dias de segunda, quarta, soxta-feira das
M'inauas para proceder o laiicainento da dcima
iirliana. e mais inapwicSes para o exercicio de
1Si:j a lSi. designando os outros dias da semana
para cobraneados im|Kistosa sea cargo.
Penle o Juta de paz da rraguezia de S. Jos
vai a praca amanlia sexla-feira 4 bois : quem
quizer laucar no mesnio coiiipareca.
llojo*21 de afssto, na casa pubMca, linda a
audiencia do juizo de paz do 1." distrelo da fro-
guezia de Santo Antonio, por (juem mais olTere-
cor, tem de ser arrematados os bens seguinles pe-
nnoradosa Antonia Iva Machado, por execueao do
Finnino Jos de Oliveira :
1 mesa redonda de madeira aniarella.
1 sof ideni.
1 par de consolos dem.
i eadeirasde balanco dem.
i ditas de braco dem.
:i cadetrasooni assento de pajha dem.
1 toucador pequeo como vidre quebrado dem.
O corno de polica compra 400 covados do
panno azul para faldamento, quem tiver c quizer
forne.vr aprsente sua proposta acompanhada da
.amostra na secretaria do mesnio corjK) ao meio
dia de 24 do frrente.
o lente secretarlo,
Laiz Jernimo Ignacio dos Santos.
No dia ti do correnle, depois da
audiencia do juiz muuicipal da 2" vara tem
de ser arremiUda a casa terrea n. 3b' da
ruado Arago, a qual foi penhorada ao pa-
dre Francisco Alves de Abraates, por exe-
cupSo que eonlra o mesmo encaminliaa ir-
mandade de S. Pedro.
C'onselho aduiini. O ninsellio aduiiuistrativo. para (orasfmenlo do
arsenal Be guerra, ton de comprar osobjeelos se-
guinles :
Carao i1 liaiailio de artilharia.
SO bonels erecruias. "io mantas de laa. ."io pa-
ros de sapatos. 250 varas de brim brauco, 128 va-
ras de slgodiBinho.
- Para a companlua de artiflces.
12 Umris para rocrutas. 12 inanias. 12 pares de
sapatos, *'r vara- do brim blanco. :0 varas de al-
godozinho. .
Parj a companlua de (-avallara.
10 liorfeH sem palla. 10 mantas de l.a, 10 es-
ti-iras, lo pares de luvas. 10 pares de sapatos. 8o
varas de brim branco. 2" varas de algodozinbo.
Quem quizer vender tacs objoftos aprsenle as
snas proposlss em carta fechada na secretaria do
conselho, > M horas da inanliaa do dia MdO
crrante me/..
Sala das sessBes >l" conseflio administrativo, para
forneehnento do arsenal de guerra, 19 de agosto de
1863.
Antonio Pedro Coronel presidente.
8ebiisliio Antonio do Uego Unios,
Vocal secretario.
mondas e dinheiro a freb
horas, agtincia ra da Cruz cm
Antonio I.uiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
.Vivegaco costeira vapor.
Jlaci'iii e escalas
O vapor Persinnnga, coinman-
dante Ralis, segu para os por-
tos cima indicados no dia 25 do
corrente s 5 horas da tarde.
Recebe carga at o dia 24 ao
meio dia, encommendas, passageiros e dinheiro a
frete at o dia da sahida s 3 horas da tarde: es-
criplorio no Forte do Matto? n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Vivctuo eostelra a vapor.
Parabjba, Natal, Mario, Aracah.Ceari t Aearac.
O va|H>r Mamananape comman-
dante Moura, seguir para os
portes cima indicados no dia 22
do corrente as 5 horas da tarde. A
carga ser rocebida at o dia 21
ao meio dia. encommendas, passageiros e dinheiro
a frote at o dia da sahida as 3 horas : escriplorio
no Forte do Mattos n. 1.
Rio de Janeiro.
O patacho Capmm capitao Rosa, ainda pode re-
ceber algunia carga : trata-se com Marques Bar-
Para o Rio de Janeiro vai carregar. sen
grande demora, o brgue brasileiro fm/vior, ca-
pitao Jos Rodrigues Pratis. recebe carga a frete,
para o que trata-se no escriplorio de Amorim Ir-
maos. ra da Cruz n. ."I.
Para o Porto
At o liui do niez pretende seguir o veloiroe
bem conhecido brigiu- portugus Mello I; tem
parte de son carregamento promplo : para o resto
que Me falta, trata-se com os seus consignatarios
Antonio I.uiz de Oliveira Azevedo & C. no sen es-
criplorio ra da Cruz n. I.
Para Lisboa sahe em poneos das com a car-
ga que livor, a galera brasileira Mindello. de mi#
to boa construccao, e acabada de fabricar, tem
bons comniodos para passageiros : quem na mes-
illa quizer carregar a commodo frote, ou ir de pas-
sagein. trata-se com os consignatarios Palnieira k
Beltro, largo do Corpo u. 4. primeiro andar.
Para a Itahia vai sabir con milita brevidade
oveleiro hiato Tono, tem liarle da carga prompta :
pan o resto que llie falta, trata-se com os consig-
natarios Palmeira & Beltro. largo do Corpo San-
to n. 4, primeiro andar.
Para o Slaranho e Para
pretendo seguir nestes oito dias o veleiro o lem
conhecido brigue escuna Joren Arthnr. tem a
son bordo parte deseu carregamento ; para o res-
to que Ihe falta, trata-se com os seus consipnata-
tarios Antonio Luiz do Oliveira Azevedo t u, no
sen escriplorio ra da Cruz n. 1.
Tara a llalli*.
OpalhaboteG rc>to trata-se com Tasso Irniaos.
THEATRO
DE

EUlPRGZt
DK
A. J. IHaRTEIIMBIU.
Recita livre da assiguattira.
Saliliadn, 22 Primeira papresentaco do sublime drama em 5
actos, original poitugiiez
nior.
! Sr. Mondos Leal Ju-
OS IIOMENS
PERSOXAGENS.
I). Luiz Coutinho......... O Si. Flavio.
Ii. Beatriz............... A Sra. D. Camilla.
D. Ignez................. I*. Philomona.
Estevao de Moura........ O Sr. Penante.
Diogo Travassos.......... Porto.
Simplicio Lobo........... Thomaz
Fernando de Lima........ Lessa.
I. Leonor Martins........ A Sra. D. Leopoldina
Manoel Mara............ Sr. Cil-Braz.
Doutor.................. Cuimaraes.
<'.rlado.................. Aranjo.
Aetualidade.
Terminar o es|>ectaoulo eom a represennpMj
da ongraeada comeilia em um acto,
OIRGLEZ MACHINISTA.
Principiara a 8 horas.

GRANDE
e extraordinario baile. sahloiH
magnilices salos do caes de-B
poiapsebrlhantisnio. Ser
.mente dolllm. Sr. Dr. chefe a
"para cavfllieiro 5 o para damas
LEILOES.
IIOJE
Sexta-fe ira 21 do cor-
rente s \1 horas
\n rtia da C'adeia numero 53.
DE 14 ESCRAVOS.
se para liipiidaco do contas nesta praca.
i.i;ir\o
DE
Movis e dividas
O agento Simos faro leilao no armazrm ra
do Vigario n, 11, a requerimento do curador da
massa fallida de Manoel Jos de Faria, e mandado
do lllni. Sr. Dr. juiz especial do commercio, de
urna mobiiia do Jacaranda completa em perfeito
estado constando do 16 cadeiras com assentos de
palhinha, 2 ditas do braco, 2 ditas de l.alancn, 1
par do consolos com tinpo do inarmore, ama
mesa de meio do sala tambem com lampo de mar-
more, 1 sof, 1 scraphina, lanlernas, candelabros,
liratos. chicaras, copos, clices para vinho e cham-
jianhe e diversas pecas de lonca que sena enfado
nho enumerar; quinta-foira 2o do corrento s "10
horas da manha. O mesmo agente nesso mesmo
dia e hora far leilao das dividas da referida mas-
sa, montando ellas a cifra do 26:138$70O, cuja re-
larao j se acha em poder ,do dito agento, para
examc de quem pretonde-la.
PR JDIOS
Loja de cera e objeetos de
prata e o uro.
Quinta-feira 27 do corrente.
0 agente Pestaa far leilo a requerimento do
lostamenteiro e inventarianto do fallecido Fortna-
te Cardoso de Gouveia e por despacho do Illm. Sr.
juiz municipal da segunda vara, da armacao da
loja de cera c a cera em velas e grume, fio de al-
godao o mais pertences da fabrica o perlences da
loja do mesmo finado da ra da Cruz do bairro do
Recife n. 60, assim como castieacs do prata. sal-
vas, palhitoiro, colheres para spa echa, rckgios
de ouro eom corrento, oratorio, brincos, abotua-
doras, tivelasc mais
1 sobrado mei-agua de :t andaros na ra da Cruz
n. 59;
1 dito mei-agua de 3 andares contigo a aqueHe
DO boceo de Abreu n. 6;
4a parto do sobrado de 3 andares na ra da
Senzala Velha n. 70;
Motado do valor do sobrado de 2 andares na
ra da Cruz n. 60;
1 casa terrea na ra Xova de Santa Rita n. 50
1 casa terrea em Olinda na ladeira da bica de
S. Pedro a primeira em cima da bica n. 1.
1 casa junto aquella n. 2;
1 osa terrea na ra de Henifica em Olinda nu-
mero 24;
2 tercas parles na casa torrea na ladeira do Va-
radouro n. 30.
Todos em chaos proprio.
S em duvidaado n. 50. todos OS mais esolare-
eimeiitos poderao encontrar em mo do agento ; os
predios nodem desde j seren examinados a qual-
quer horac o loil'i ser l'eito quinta-foira 27 do
corrente pelas 10 horas da inauhaa na mesma loja
de cora ra da Cruz n. 60.
Preeo.
Billietes ntoiros..... #100
Meios bilbetes...... 350U0
Para as pessoas que comprareiii
do 1004 para cima.
Bilbetes........ 55500
Meios......... 25750
_____________Manoel Martins Fiaza.
Precisa-se de urna escrava para comprar e
cozinhar : na ra do Queimado n. 42, loja.______
Na ra do Vigario n. 21, primeiro andar,
deseja-so fallar ao Sr. Andr Alves da Fonsoca J-
nior a negocio que nao ignora.
O priuieiro
Arrenda-se un sitio com muitos arvoredos
do fructo c lugar para pastarn do vaccas, sem
casa, porto do Becife, ou se d para tratar median-
te alguin interesse que so ajustar ; para ver e fal-
lar em S. Jos do Manguinlio junto a capella do
mesmo nome.
Aluga-se una casa torrea no Porto da Ma-
deira. em Beberibo, com 2 qnartos grandes, cozi-
nha fra, quintal, na boira do rio, ptima para
quem precisar de ir tomar banhos, aluga-se tam-
bem um pequeo sitio no mesmo lugar na estrada
que segu para Olinda adiante do riacho Lava-tri-
pas : a tratar na ra Diroita n. 09, padaria,
Furtaram do primeiro rancho da Estrada
Xova. na noite do 20 do corrento, urna goa casia-
nha escura : quem a encontrar levo ra de S.
GoncaloT casa do Sr. Joao Feitosa. que se recom-
pensar
Xa Ponte Velha n. 10 cose-so mais barato
que om oulra qualquer parte.
Alugam-se 3 quartos o urna saleta no bairro
da Boa-Vista, com eomrnodos para pessoas solti-i-
ras. tem agua e quintal, tudo por milito commodo
proco : a tratar na ra dos Pires n. 54.
Preeisa-sc do 2:2005 a premio sobro h\po-
theea em urna casa na na Direita : a quem eon-
vier esto negocio annuncie |>or esta folha.
Aluga-se una mulata escrava que cozinha,
lava e engomla : os pretendemos dirijam-so a
ra da Madre de Dos n. 5. primeiro andar.
Aluga-se a loja do sobrado n. 19 da ra Xo-
va. propria para qualquer estabeleciment : a tra-
tar na ra da Cadoia n. 62, segundo andar.
Preleccoe tlieorieo-pratira de ct-
raco mercantil.
O m-^hiuIo \orrs de arilhmirlira eovi-
mercial. adaptadas pratica da prraroc*
nicrciac* e cicmciitou do jsirm
mtrico com snas appllcacew
ao commercio.
PREGO DE CADA VOLIME I*
K>Ia obra, apezar de elementar, v.-ni preenrlier urna larnna. que ora -nifa
onle i.".,'<,,,m osenptos de corlas espacJaHdain i.....i acecaao i todas a> inHIigeii.-^,
siniMfdi.'"i'I''iisa fazer um sorvico dando-lhe puhlicidade. lano mais iiiuol.. hw m
transaccoo!. onmmorciaes o industriaos vio entre nos lomando MtfarH iniiiInrMia
entrar na e ramo- .h. pUa ruabmiHM
dos i>rinripioi< i.'11 compfabilidadr administrativa i- eommorcial.
Com este intuito, sol. urna forma pssoncialmoiilo rlas.ica. roiiniu o Sr. Dr. Wnrmmm
principios da <- os do modo a facilitar o mais nowivel o sen ntado as pessoas qm> s<- nVstinam i- r,
11'in 11 terciaos, sondo lae> a concisa o a clareza jxistas m dosenvolviinmio n-sprrrmai
de-so aprender a materia. CUOgando-se a c-cripliinr os livros pr />arril.i- titihrvkp r
car o calculo s operacoos do eommeRfn; si ni carecer da iirtiTv.w.i.nl.- um m.--m-
- O primeiro volme, formulado stftrp a ohra de BtTtramd. orrin-*- nv.i- enatrrai
da osoripturaoao mercantil por partidas dobradas. rajes principi* > *VvTiTlvi<|nt rm kar-
monia com a legislaco brasileira. contend alm disto um importanfi> as sociedades eommereiaae em iodos os tan rarnteentos, ojnef' per bdn rfa
quer pelo da formaeo. e^stencia e exlinceao'dellas em me da le. y,~~u-
cadamente reconiniondavel |or sua originalidad' e |ielo eanlM> de i-^rialf-W.
mereianle una guia para sua direccao. qualqnvr qti.- soja a tm-ma da *rnb Completa este votme o specimen ou resumo de oras pscriporariv-. IrOrfB f MriMr rm
ludo somelhanle de nina casa do commercio ordinario. i>flVreri>nd successivamente mais ditlieei. que assim inicia gradualmente ., mniv-rra > i i ttptmj tm
nos difforenles livros de nina casa de commercio.
O segundo, egiiahiiente formulado ttn I Obn de bHtapJiV, ercapfrw pnrtinitajmu U-
da arithinetica coinniercial com e\ercii-io> e proMenws |h-I<......ki mu* rpJK laoi ^ knr
fe rejgra eonjnncla, acerca de todas as operaciM-s pral.ras usna.-. v> >;>uunrrtm> <-nr>4\e
ealiulos de cambios de praca praca e par placas inu-rmi-dias. Inonmm i-pri* A-1
com arbitragons de cambios, alm do d'-senvolviin.-ntn do >\steins niKriro era as ulufa,
^ com o commercio, Ilustrado por meio de tabellas .lo convi-i >o.
O editor nada mais aceroscentar estas breves p.>lavi,i- que ..---i- demonstra
;%- portanci real desta obra, devida a intelligencia o a applicaoo aecnraili da -. o aakr. ai
&g que ella do ntilidade gi-ral. o que a nciilittiu eommeri-ianr e i nonio .i honi.ui .ifmri >VM-
P tras licito deixar de |ossui-la em sua estante ; poi- o comineri-io i-m *na \anula-
^ eoes. entondo actualmente com tudo que se liga a vida.
jjj A assignatiua toma-si- as linarias dos Sis. Gateara \ iHiveir.i. Xo^iirin r!
^ za. Julin & Peroira o Geraldo H. fe Mira, sendo roalisada sua importaarii p.'* q""a ? <
9K volume ao sahir do preto, pan qual ora ealra <> primeiro.
1^
Aluga-so por proco commodo a casa terrea
n. 6 do primeiro heeco.da camboa do Carino : a
tratar na roa da Cadoia n. 62, segundo andar.
OITerece-se um rapaz para cozinhar em casa
estrangeira: quem precisar, dirija-so a na do
Trapichen. 14. armazem do doce.
Precisa-so de um menino do 12 a 14 annos
para caixeiro no deposito da ra da Cruz n. 27 :
a tratar no mesnio.
\
V
O kwti*
NOVO ESTABELECIMENT DE MEDICINA HGMEOPATHICA
Rll MOL Ka 43.
L. Pinitonradouo sen CONSULTORIO pa aloja
continua a dar consultas todos os dias uteis ile*dr#
l
ra >lia
Vienan
o-
M t>rafM
Por conla o ordem de quem perteneer c por in-.
tervencao do agente Knzebio so vender em leilo i
diversos eseravos e sexos proprios do servicodo'
> AVISOS DIVERSOS.
LOTERA.
AHAKHAl
Sbbado 22 do co:rcnle se oxtrahir
primoira parle da primeira lotera
de N. S. das Noves do convento dt
CISCO de Olinda.
Os bilhetes c meios bhetes aeliam-s(
venda na respectiva tliesoutatia, ra do
Crespo n. 13, e as casas comniissinnadas
ra da Imperatriz n. i i, loja do Sr. Pimen-
tel, praca da Indepeodencia n. 22, loja do Sr.
Soatres Pinheiio.i'uaDireitan.3,botica doSr.
Chagas, e ra da Cadeia n. 15, lujado Sr.
Porto.
Os premios de 5:000/ at 10(5- sero pa-
gos una hora depois da extraero al as 4
horas da tarde, e os outros no dia seguinte,
j depois da destribnieo das listas.
O thesoureiro.
Antonio Jos Rodrigues de Smtza.
Os admhlistndDre da massa fallida delaslo &
Lomos convidam aos respectivos eredores a apre-
seiitareui seus titules at 2.*i do corrente niez, uo
cae> da ra fe Trapiche n. 34, para se proceder a
i devida vcrificacao.
^OIRE.
Iloje nottle tem lugar no primeiro an-
dar da casa do Sr. Dr. Sarment, o prlmet*
vosoir, que tima renniao de mocos nacio-
naes e eslratigeiros pretendem dar aTi com
regularidnrle, nina vez em cada mez, at at a trigsima dynaminjsac.iu.
ODr. Sabino O.
ra Nova n. 43, otub
2 huras.
Os enfermos, que o prucurarem logo na invasaii da ntib-slia. MH (ju-
mallo qualquer remedio, nema allopathico, nem homeopathko. |agari nM-tade
estipulado?. Esta coucessSo tem por Om facilitar a cuta de molestias, qu- |mh|.-ih t>
se complicadas pelos emprego ioteiniieslivo da therapoutica o a> nii-iiM> b-iiqi' a:
para a liomenpathia maior numero de adeptos pela baten da cura.
Em attencao as pessoas pobres, que nio podm sahir de dia. o Dr. Salum r
veu dar duss consultas por semanas Bastereas, e aortas-fi'iras ilas s'is ass-!- Inrj>
noite.
Os chamados para visilus o cimb'iotii-ias deven ser dirjgidos por ewripi *>
sultorio desde 8 horas do dia at 8 da noite, na cartela de que seriki attenriMtns na rdo
i]f sita precedencia, salva a citcumstaiicia de eminente perigo.
ai>i:iiti:\< i%.
0 novo consultorio est prvido dos 'm-Htores mt'dH'ameni.s. i|.->.b- a |>riHw^ra
da igreklque se passe para a mesma casa o Club Com-
S. l-ran-
E como os mdicos hespanh
campo c outros mystcres; a saber
Juliana, idade 2:2 anuos.
bznacia. idade 20 annos.
Mara, idade I" annos.
Feliciana, eosinheira, ."14 aunos.,
Rufina.engomma ocosinha. 40 annos
Sebastiao. 18 annos.
Havinundo. 22 annos.
Francisco. 2K anuo-.
Bernardo, 30 annos.
Pedro. 38 anuos.
Quintino o Boberto, 7 annos.
Ildefonso, G annos.
Manoel. mulato. 3Cami"-.
\
DO
Grande sitio denominado Manyabeira, grande so-
hrodo com tres salas, 7 quartos, cooiiiha fora. tres
lojas com ropartiniontos,om frente ao jardlin liotan-
nico. na ra do lloni Suecesso ein Olinda. com ca-
cimba, eocheira estribarla, grande sitio eom muitos
arvoredos. o grande baixa para captan.
iio.ii:.
O agento Pinto levar a leilao s 10 horas do dia
cima dito todo sobrado o sitio supra mencionado,
sendo tres partes a requerimento do depositario da
massa fallida de Jos Antonio Alves de Miranda e
lor despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do eom-
mercio o una parle com autorisacao da pessoa a
quem do direito perlenoe.
Os pretendemos poderao desdo j examinnr o
mesmo sobrado c sitio, o obterao do agente jual-
3uer iiilormaco. om sou escriptorio na i na da Ca-
oia n. 24 ande se oBecluar o leilao.
IjOTHKB t.
O thesoureiro das loteras desta provml
ca, desejamlo extrahi-las em maior eapitn-
e com menores intervallos, ofl'erece a \ania-
gem de (hus por cento quem comprar
para negocio, na quantiade i()0,-5 para cima:
assim como se pixjpoe a estabelecor correa-
pondencias para qualquer localidade da pro-
vincia, remetiendo bilhetes, meios e listas,
sob flanea idnea; devendo o pagamento
delles ser feito logo que sejam recebidas as
listas e novos bilhetes remettidos. 0 tlte-
soureirocerto da conveniencia desse negocio,
convida aos Srs. eommerciantes da Victoria,
Goianna. Rio Formoso, Nazareth. Serinliaem
emais localidades populosas da provincia, e
mesmo os desta capital, que o quizerem.
entenderem-se com elle, na thesouraria das
loteras, ra do Crespo n. 15: advertindo
que receber em pagamento e sem descont,
os bilhetes premiados de todas as loteras
da provincia recomidos thesouraija da fa-
zenda provincial.
Thesouraria das loteras. 20 dejiinho de'
1803.
0 thesoureiro.
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
IKIIAO
iu continuacSo de luimlez.*.
liOJfi
i '.ais irmos continan* lioje o seu leilo do fa-
zendas frannvas o acabar com todas as mradezas
existentes om seu armazem por isso convidadnos
Sis. iniudezeiros para eomparocerem, cerlos de
quofarao compras que milito vantajosas Ihe se-
rio : em seo armazem ra da Cruz s 11 horas
da manha. onde conla com sua asistencia.
LEILAO
DE
JHM IttVO.
'erea-feira 95 do orreole.
Simoi-s le^almonto aulorisado (ara
rima-indicado as 11 horas, a nurdo
n. 11. do cinco esrravos a sa-
_H^Bbme Domingos, naeao, idade de 'i
^B^Bfcio de preparador'do fumo para
com toda i
i. Ara ORA.
DRAMA HISTRICO PELO DR. THEBERGE. NO
QUAL NAO INTERVEN PERSONAGEM
FEMENINA.
Na ra Nova_ n. 11 vende-sera l exemplar.
_ '-^u- iMuat
Precaa-sc de
praca da Boa-\
andar, das ffs 10 I
um hometn para feitor
em pretender; dirija-se
ida garro ; nm"de atae Ouirino, erioulo, idado de 13 Ido Jos Antonio dos
f arfos, cigarreiro: mu de 'ion"- retestino, erioulo Ippnsado.
de cngenio; _
abbrado n. 5. segundo
lloras da maoha, e das
3 s da tarde, preferente cstlfengeiru, ca-
sado, de pouca I oomv alguma pra-
tica.
-------------------------------------------------------k--------1---------1---------------------
Desappareceu hontein noite, um inolemie.
cor parda, secco do oonto. -esJaUra Kidiaaa. de
nomo Athanasio, de 12 i: annos de idade, viudo
ha ponen de Baixa-Verde, seraode l'ajeh, lovou
vestido camisa de chita com Ustas de cor e ealra
do riscado de quadros; c de presumir que e
acoutado om algiima parle, pois no tenv|mheci
nicnto algnm da cidad> ^Wc soullwou li-
vor noticia, love-o rna ajf^Rmadi'> n. T. toja
" s SantoHelho. que ser teVeni-
iuaj..i HaV
e allemrios nao ceasati de eertcar a
mercial, como desejo da maioria dos setts cacia das ultissimas ilvtamnisacoes do tratamento das molestias chronira, a lh-. Salrw
associados, e portento esta festa nao tem oceupaagofde elevar os seus medicamentos s potencias mais alias i [HH-itraarr- n
caracler alguai poltico como os desafecoa- alim de verificar por si mesmo a forca dynamica, que se Ihe all une.
dos o qacrem fazer cre:________________, Oemadkos, trae qmawem experimentar taea ftKKM/ki* p-Mk-rfio iImi-.m.
coiisulliui'i suas recetas. que aerSo aviailas gratuitamente pan M polni
No mesmo consultorio se vetnle a novssima edico do Tlusumn hom^n-nLo
ou Vademcum do homeopatha, obra ndispemavcl a dos qm- qni-n-m usar ib Ih
i
ATTEM^AO.
No da l.'i do crtenle, fugo a escrava de pafhia.
4
nome Jacintha, idade 3d annos, potteo mais
ou menos, estatura regular, tem una mar-
ca na testa sobre oolho direito, quando anda
pacha por urna perna ; esta escrava fot do
Sr. Jos Pedro Oatneiro da Cunlia, mora-
dor no engenho I'aulisla. aonde existem
a'guns filhos da mesma escrava, assim como
em Goianna, l'onta de Pedia e Maeajandu-
ba. a onde mora a primeira senliora que
fui da dita escrava ; quem a pegar leve-a
ra Nova, n. 4',, lerceiro andar que ser
generosamente gratificado, assim como pro-
lesla-se contra a pessoa que a tiver em seu
poder.
Alerta eapNcs de eampo.
Kugio em 18 de dezembro do 1860, da cidade
de Olinda, mu preto por nome Severino, erioulo,"
representa K 'iO a "iO anuos, magro, barbado e
j pintando o quando anda o olhando para o chao,
milito rcgrisla c cantador, tem sido di- diversos pe- 5
losul assim como do engenho S. Caetano. tem um v>4
gignal ahaixo do olho esquordo, um talho no di- c 3
roito procedido do tiririca. tem um lobinho abaivo 1
do cotovello do hraeo direito, toni um outro ahaixo
da p i'squerda.os homliros relados de derrabar ma-
deira. este preto tem ou consta que tem andado nos i
arrahaldes de Limoeiro em eompanhia de um mo- f
co vendenilo niudezas i- como o mora licasse pro-
so em Limoeiro por noter liecnoa b piolo dizent
que seguir para Ipuarassii ou Pedias de Pofo,
os luatilica-se com a motado do mesmo docusto
do escravo aqui-m o levar rna da Senzala Nova
n.2._____________________
Alugam-se a loja do sobrado n. 193, c arma-' 1
zem 171 da ra imperial : o armazem n. 4 da ra
do Apollo, o a casa u. 7 da ra do Burgos: na'
ra da Aurora n. 36.
jjIJilil HJ^'^ii; WM WM^WM
C'oinpaaliia fldel idade d JU
eguro<4 martimos e ter-
restre* estabeleelda no
IIlo de Janeiro.
AGESTES EM PKI'XAMBl CO
m* AhIiihm Luiz de Oliveira Azeve.ln k 0.,
g competentemente autorisados pola direc-
B loria da eompanhia de seguros Fidelida-
do, tomaiu seguros do navios, mcrcado-
Ss rias o predios no seu escriptorio ra da
jn Cruz n. 1.
mmmmmwmmm
Desejo ter a felicidade de ser
eleitu mi'mbru da assembla legislati-
va provincial, pe'o primeiro eirenle;
grac que peco aos Srs. eleitores do
inesHiu circal.
Aiilimn.lsiqiiiiu de Helio.
* '---------------------------*----------------------------------------------
n
A o publico
Joaquim A. Bcssqq de Almoida declara que
deixou de perteneer a eompanhia de putiosoB na-
efonaos de gymnastiea o aerohatloa. do qne era
director dos trahalh".
Tudn o que diz rospeito ;'i nova medicina >.-acha aWndaitten-nlo n*sto ih>\" .>t.dV-
aecimento.
INTERNATO
DE

ESTABELECIDO NA CIDADE DO RECIFE
DirerlorI liarliarcl em matlirnialira-
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O diroolor do intrnalo de S. lfornardo. aecedend" ao- peMes de *mim |io.- *r.
respectivos collegiaes, o de outras pessoas desta capital, innoven s.-u i-sialn'b-r-iif
ila Capunga para esta ciiladi-.
Nio tado evitado esforras nem sacriflrios para proporcionar *- seq alui.
lima porfi-ita ednoaoao physica, moral, iatelloetual o religiosa. ulknrrMlii Ra uma Ka
hitai-ao com bastantes eondifdesde salulnidade, lab/1; pro ore. qm- <>> -^>tiriiH m
preparadlos convenientemente ao m qm- se desaman, medico praiiin ipn< BrsfefO
comprehender os preceitos da nygiene e Ibes eme das doencas. efliulawMi mo -jmw-
dote illustrado o honesto que Ibes explique os principios da rHigin rhrisia. 'pera tf
assim constituido nao deixar o seu estam-li-i-iniento de nieree.-i di Si-. |- !? bmi-
lias o auxilio o confianoa coni que j alguns o tem nonrado; e mes ron- I""1" "
todas as pessoas interessadas, qne se dignom de visitar o mesnio -n i-siabeb-t-inarna,
onde semprc cncontrarao franco Ingrato.
O collogio tem a sua sedo no espafoso edificio n. M a ra la Aurora, riMigai m
do collogio dos orphaos.
Nos estatutos do eollegio, qne esli a diiposieio diMniem os qnizrr ler. s-aHiaii
consignadas as eondieoes Oe entrada o matricula as diversas aula- il. .-i.iI.Wt-
mento.
, .
^\^%\^k
DE
DE
J. VIGNES.
.v .-.. ra do iuri-:it %ioh
- K. ft.
iis pianos tiesta antiga fabriea ao boje aasasfaoBiieeidos, para ane ser n<-i.-.-.fi ini-in
sua suporioridade, vantagons c garantas que offerecem aos compradores. qiulidaA eta uwi
vi i- i/u ejelles tem dermitivaniente eonqoiiitaio sobro lodos os qne tem apparifido nc|a piara ;b*>
suindo. um teclado o ukohinisnio que ohodocem todas as Tontades c fapricfcoda> ptaJan,era
nanea 'alhar. por seiem falnicailo.- de proposito, o ter-se fcito ultimamouic mHhprajneana hnpnrt-iu
Usamos para o clima dote paiz : qiianto s votes sao melodiosas o flaiitadav e por i-4e mno ;
aos ouvidos dos apreciadore-,
Kazein-se conforme as encommendas. tanto nesta fabrica cono na d>> Sr. Itk.reW. dr 1
correspondont de J. Vignes, em cuja capital foram sempro premiado- em todas as e%pngfli
o mesmo estabriecimenlo so acha sempro um oxplondtdo e variado sortimenio dr i
melhores ranmositores da Enrona, asim como harm"imifo< piano* hannonlrm. **&,*%*<
por procos raito raroavels.
.

i II CflMCl Y



Diarlo de Paruamhn ce) atesta feira ti He Agesto dl< isas.
SE<
PROTEGCiO
Musirs para piano e canto,
de (odas as (breas e
fende-se baratissima para
acabar.
o \ovo
PROTEGCiO
p
Msicas para piano e cauto,
de todas as toreas e
\ onde sr baralissiiua para
acabar.
ESTABELECIMEMTO
DE
Jos Gomes Villar na ra do Crespo u. 17, <>>l nulo o mais beui soni-
do possivel espera merecer a proteccao do publico em geral.
Cortes de Ida muito bellos
delicadissimos cortes de la com barras o mclhor uue tem viudo a esta provincia
Jonjaiulis de padrees delicados e muito liuos a WO, a 210 e a 280 rs. o corado.
lias de quadros muito chiques a 320 rs, o cavado.
Paranoivas, temos.
O rico vestido de bloudc com sua manta bonita e sua grinalda de muito yosto, te-
mos a eambraia delinho para camisas, temosas saias bordadas, temos o esparlilho, te-
mos o balao muito redondo e muito chique, temos os ricos cortes de eambraia ricamente
bordados, temos o bramante belga para leneoes, temos a bretanha para camisas, temos
a selecia ou o esguiao para os labyrinlhos, temos as capas pretas a Luii XIV, temos a cha-
pelina a Maria Pia com o seu \o muito chique, teios os ntremelos largos ricamente bor-
dados como ninguem tem, proprios para enfeites de roupas brancas. Assim como temos as
faiendas cima mencionadas c militas outras, que seria enfadnuho mencionar.
Vu se esquecam fregueses, at logo.
MHfrMN
BRILHANTE.
H. 84
SANTA CRUZ.
No grande c abastado armazem denominado AURORA BRILHANTE ha sempre um
grande sonimento de gneros sempre notos 8 por precos os mais commodos possiveis, como
abaixo expomos:
AURORA
LARGO DA
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
Carloes de visita
Carloes de visita
Cartdes de visita
Cartees de visita
Cartdes de visita
(barloes de visita
(armes de visita
Cartoes de visita
Cartdes de visita
Cartdes de visita
8000 a duzia
85000 a duzia
83000 a duzia
85000 a duzia
8,5000 a duzia x
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
o n. 29.
Nova loja do&barateirot, rtia do Queimado.
Laas do ultimo-gosto, covado a 440 rs.; organ-
dis de padrdes lindissimos, varas a 800 rs.; ba-
ldes de arcos o mclhor possivel, a 35500, 45 e 5 ;
alpaca de linha para vestidos, covado a 240 rs.;
eambraias de cres para vestido, covado a 280 rs.;
cambraieta multo Una, peca.de 12 jardas a 74 ;
cassa lisa pello de ovo, peca do 12 jardas a 75500.
Ao n. M.
JVora loja dos barate/ros, rita do Qiteinuidoi
Paletots de. merino setim, fazenda de eusto de
205 >or 105 ; ditos de alpaca preto a 35200; brim
branco lona, vara a 640; brim de cores para cal-
ca, covado a 480 rs.; camisas com peitos de fustao,
a 15600; chapeos de sol de alpaca, a 35S00.
Ao n. 29.
Nova loja dos barateiros, ra do Queimado.
Para acabar.
Bicos preto.de linho, vara a 120, 160, 240 e 320
rs.; ricas franjas c trancas pretas e de cores, vara
a 120,160 e 200 rs.; nangas e galoes de la e de
algodao, pecas-de 10 e lo varas, a 200 e 400 rs.;
froco fino c grosso, peca a 160 rs.; vestidinhos de
eambraia bordados, parabaptismo, a 25.
ALVICARAS A NOVIDADE.
Sao chegados loja das columnas
na ra do .Crespo n. 13 de Antonio
Correa de Vasmnsellos & C. riquis-
simos cortes de la muito fina com
barras estampadas ematisadas Im-
peratriz Eugenia, cores as mais deli-
cadas como sejam: cor de ganga, de
lyrio, cinza etc., fazenda fnteiramen-
te nova c nunca vista em Pernam-
buco.
('.altado france./., na loja do vapor, ra
Xova n. 7.
Queijos de manteiga muito freseaes a
libra...........................'. 640
Dito do Reino novos a 25 e cobertos a 25500
Dito de pialo a libia............... 720
Saceos grandes com farinha com 24
cuias igual a de mandioca........ 5000
Ditas mais grossa a................ 55500
Ditas com 100 libras de farello de Lis-
boa a 45500 c.................. 55000
Ditos com 25 cuias de arroz de casca
muito grado a.................
Ditos com milho a 55500 e..........
Caixas com charutos linos com algum
furo a oOOe.............
Ditas com dito fino s*;m furo a
Manteiga ingleza verdadeira
720c..........................
Dita mais abaixo a................
Dita francesa nova em barris se far
altatimento a...................
Dita hollandeza (o melkor neste gene-
ro a..........................
Cha perola o melhor que vem ao mer-
cado a libra....................
Dito hysson miudinho me raras vezes
vem ao mercado a..............
Dito iixiiu muito superior a
25 e..
flor a
45000
65000
15000
35500
800
640
580
640
35200*
35200
25880
Dito hysson verde a................ 25800 ;r>
Dito grado mais muito bom a 25400 e 90508 >J"
Dito preto em magos a.............. 15600 s|
Dito do Rio em latas a 15550,15600 e 15800 a
Maman para sopa, alelria, talharim,
raacarro, estrelinha e pevide a
Passas novas em quartos de caixas a
libra a.........................
Sag e sevadinha a libra............
Caf do Rio muito bom amiba 85800
65500 e libra 280 e.............. 300 M
Dito do Caaes saceos pequeos arroba
95500 c libra....................
Din -es em caldas, seco, fructas em cal-
da e secas para diversos precos-----
Alpista arroba 45800 e libra........
Caixas eom 2 arrobas de batatas novas
a 25 c libra a...................
Sabio massa a 120,160. 200 e.......
Farinha de tapioca a libra 140 e.....
ilumina muito alva c nova arroba
25500 e libra.................... 100
Dita propria para grades e bolos arro-
ba 15800 e libra................. 60
(. Arroz da India muito graudo arroba a 35200
Mullios de sebalas novas a........... 800
digno de attencao os novos
mentos de calcado raocez, chegado
dita loja, c raui esitccialmentc as mo-
dernas xilinas com diuerentcs e novos
enfeites para senhoras e meninas.
Cieographla e geometra.
Heraclio Vespasiano Fiock Romano competen-
temente autorisado pela directora da instruccao
publica, tem aberlo uin curso particular de geo-
graphia e geometra: os Srs. estudantes que se
quizerem matricular as referidas materias pode-
. SI rao dirigir-se ra do Cabug n. 3, primeiro an-
s*rl'.' 5 2 dar, das 9 as 11 horas da manhaa c das 3 as 6 da
Urde.
Precisa-sede urna ama deleite que nao
tenlia filho : no Forte do Mallo, bec o s
Boias, n. I i.
COBRANCA.
Offerece-se para caixeiro nesla praca ou
no tnatto, urn rapaz brasileiro com habili-
taces necessarias para e*sa profissao ; na
ra do Queimado, n. 47, se dir quem .
Precisa-se de ura pequeo para cai-
xeiro de venda; na raa da Sanzalla-Velha,
n. 104._____________________________
Joo Caetano de Abreu, solicitador dos au-
ditorios dcsta cidade, faz sciente ao publico, com
especialidade aos seus clientes e amigos que mu-
dou sua residencia para a ra da Praft de Santa
Rita Nova n. 49, onde morou o Sr. Dr. Buarquc,
engenheiro da estrada de ferro, onde sempre acha-
rao, das 6 as 9 da manhaa, c das 4 da tarde em
diante,
BAXCO ITXllO
ESTABELECIDO NA CIDADE DO PORTO
Agentes em Pcriiainbitro
Antonio Lulz de Oliveira
Azevedo & C.
Sacam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agencias em Fi-
gueira, Coimbra, Aveiro, Vizeu, Villa-
Real, Hegoa, Vianna de Castcllo, Guima-
raes, Bareellos, Lamego, Covilhaa, Braga,
Pcnatiel, Braganca, Amarante, Angra,
liba da Tercena, liba de Faias, liba da
Madeira, Villa do Conde, Valonea, Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves o Fafe, a
oitodias vista ou ao prazo que se convon-
conar, no seu escriplorio ra da Cruz
n. 1.
Ana de leite
Em ra da Aurora casa n. 10. accraum *-
urna ama de l.:ite.
Precisase aliigaTum nolciiie .le
annos. tpuui o tiver dirjase a roa do
n. 13, loja ile ferragens.
12 a h
.-iluga-se nina casa na nu ib. t nrg. mi-
oeitada, rom tres piartos, no de ~mmjtmn*
camoda das Barreiras, aaneaa a uin pwii
entrada para a dita camina, que km
independeiite, todava |*ermiu-4e
fazer despejos : a tratar na mesan m a. I
COMPRAS
3
Aluga-se muito

O
a
480
320
320
320
160
60
240
160
Ainda est para alugar-se o sobrado na ra Prccsa-sc de urna ama para todo o servieo in-
! dos Coelhos n. 10, onde moraram os padres lasa- temo de pouca familia: na ra da Conceicao nu-
mero 42.
Precisa-se de urna ama de leite,
mas que tenba, quando muito at 6
mezes decorridos na criaco le que
se acbe encarregada: na ra estreita
do Rosario n. 31,3o andar, por cima
do armazem de trastes do Sr. Mo-
rcira.
....... *wwv/ Carne do sol verdadeira do Serid a. 320 ^f|
Os Srs. donos de taberna de fora aeharao no armazem da Aurora Brilhantc um sorti- fj|
ment pioprio para seus estabeleeimentos por precos commodos.
= Aluga-se o segundo andar da casa n. 51 da
. ra da Cadeia do Recfe. contendo 5 portas de
i frente, 2 salas, 2 gabinetes, 6 quartos c cozinha
i fra : a fallar com Jos Maria Seve, na ilha dos
Ratos, ra do Seve, casa n. 16._______
Offerece-se urna ama para coznhar em casa
de pouca familia ou de homem solteiro, pois ja
de mcia idade : a tratar na padaria do Chora-me-
ninos.
emeonta ou tambem
se vende um bom sitio emTigipi com boa
casa beira da estrada, proprto para nego-
cio ; assim como se alugam mais o casas
independentes do dito silio : aluga-se ludo
junio ou cada predio em separado, confor-
me convier aos prebndenles. Para tratar,
; em Tigipi com a viuva do fallecido Feitoza,
i ou no Recife, escriplorio de ClaudioDuheiiv
Joo Rabello, Porluguez, relira-se para
o Rio de Janeiro.
Aluga-se urna casa terrea que tenba quin-
tal, cacimba e 2 quartos. e cojo alague! nao exce-
da de 12 a 145 : a tratar na ra de Santa Cecilia
numero 2.
IPPROTAfAO E AUTORISAAO
DA
Academia imperial de medicina
;wm
S-Q3CS
521
Junta central de hygienc publica
ELECraO-MAGNETICAS EPISPASTU AS
RICARDO KIRK
Para seren applicadas s partes affectadas, sem resguardo
nem incoiiiiuudo
Muito COObeeidas nesta corte e em todas as pro-
\neias deste imperio, pelos seus infalliveis resul-
tados em lodosos casos de inflainiua^ao, sejam ex-
ornas ou infernas (com aiiwuy e 'falta de respi-
iiinloj como do estomago, ligado, baeo, bofes, rins,
ulero, peto, palpitacao de eoraca, gargantas,
olbos. ei\>i|M-llas. ilieuina(isnin>, parahsia. e lodas
a- aieeeoes-nervosas, ele., etc.
Igualmente para qnaecquer ineliacoes, feridas,
tumores intestinaes i venreos. eit<|ihulas, lobi-
nhos, papos, ele., etc.. sebun qnal for o sen lania-
nlio e profiintleza. por i ew da supuracio serio ra-
dicalmente extirpados.
(Estas chapas nao |>odein fazer nial de forma al-
guna, ellas tem sido applicadas aos olbos com o
melhor successo, vejam-se os attesiados de curas
completas que j (bram publicados petos jomaos.)
OiiM>dellas aeonselliailo e receilado por lialteis e
''i-uctos facultativos, sua etfieacia incontestavel, e
as innmeras curas completamente obtidas as di-
versas molestias em que foram applicadas, e fazem
merecer e conservar a coiifianca do Ilustrado pu-
blico, que j Uve a honra de merecer delle 2o an-
nos de existencia e de pratica.
N. B. Nesta corte e de todos os pontos tiesta
imperio recebem-se parlicipaeoes satisfactorias e
resucito tas ditas chapas medicinaos.
As encommendas das provincias devem ser di-
rigidas por escripto, eom todo o cuidado de fazer
as necessarias explicacoes, se as chapas sao para
homem, senbora, menino ou crianca, declarando a
molestia e em que parte do corpoxMe.
Para inchacoes, feridas, lobinhos, pa)ios, etc.; o
molde justo de seu tamanho em um jiedaco de pa-
pel, a doclaracao onde existe, afim de que'a chapa
Aluga-se a casa terrea da ra Imperial n.
M : os pretendentes dirijam-sc Caixa Filial.
I||@i}lp! jfjfp! Ijjij ^}-^|
Joao da Silva Ramos, medico pola Cm-
versidade de Coimbra, d consultas em
ua casa, na ra Nova n. 50, das 8 s 10
oras da manhaa, c das 4 as 6 da tarde, e
recebe ogualinente convites para dentro 8
ou fra da cidado, com o flm de se encar- fgB,
regar de qualquer servieo de sua prolis- i^
sao. t
Os chamados deverao vr por escripto. ^
ATE\\0.
A abaixo assignada, casada com o Sr. Manoel
Romao de Carvalho, tendo feito publicar nos flns i
de marco, e principios de abril, deste anno um
Inmtelo em que prevena o publico a respeito do
modo porque o dito seu marido pretenda espolia-la
ele lodos os bens do casal, para reduzi-la a mendi-
gar, fillgintlo tlividas, c provocando exocueOrs/ijara
chegar ao fin a que se propoe, acaba de ver no
Jornal do Becife, de 8 do corrente um edital do juizo
do commercio, pondo em praca a casa de sobrado
de um andar n. 131, sita na ra Uireita (nico
bem que'resta ao mesmo seu casal) por execucao
de Mello c limaos, e |K>rquc tem justos motivos
para contestar a divida, que serve de motivo cssa
execucao, apprcssa-se a protestar, como protesta,
contra' ella e contra a niesma execucao, para re-
salvar o seu direito contra os exequntcs, e qual
quer licitante, que por ventura baja de arrematar
aquello sobrado.
E faz publicar o presente, para que em nenhum
lempo alleguem ignorancia.
Recife, 11 de agosto de 1863.
Ih'rnnril'iKi llosa de Oliieira Lima.
CASA DE SAUDE
Em Santo Amaro
Do Dr. sil y a Hamos.
nico estabelecimento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo
que pode com todo o commodo e zelo tra-
tar qualquer doenle, que nella soja reco-
lhido.
O edificio magestoso e conserva-se
em perfeito estado de limpeza e conve-
nientemente mobiliado.
Os docntes sao separados, segundo os
sexos, natureza das molestias e condicoes
sociacs.
Ha quartos fortificados para os aliona-
dos, c urna enfermarla para as partu-
rientes.
O proprietario encarrega-se de qual-
quer operacao.
O estabeeeimento franqueado qual-
s qoor pessoa que o queira visitar.
Primeira classe 33000diarios.
Segunda dita.... USQO >
Terceira dita.... 25000
Para que qualquer doente sejaali rocc-
bido, basta que se mande o nomo do doen-
te e da possoa que o remette, com a de-
claracao da morada.
O proprietario aceita contratos annuaos
eom qualquer que quoira ter um ou mais
leilos sua disposig.o.
Alutja-se um escravo moco para todo o
servieo
a tratar na ra dos Pires, n. o.
\0 COIIMEIICO.
ser bem applicada em seu lugar.
PODK-SE MA.VDAR MR DE QUALQUER PONTO D IMPERIO
DO HRASIL
he chapas serio acompanhadas das suas com- Consulta s pessoas que se dignarem honra-lo
odiantes explicaeSes, e tamk'm de lodos os aeces- com a sua conlianca. todos os das, sem excepcao,
tlerios neeessarios para suas spplicaedes. tas 9 horas da manhaa s 2 da larde.
ESCR1PTOR10
\. ftO Rl'l IIO PARTO \. 119
E EM ERNAMBCO
Tara as eiicomuiend;is ou informaeoes dirijam-se pharmacia de Jos Alexandre Ribeiro,
ra do Queimado n. l'i.
Os abaixo asignados fazem sciente ao publico
que desde odia 31 de julho prximo passado, se
aclia dissolvida amigavelmente a sociedade que gi-
rava sob a razao de Villca Irmao & Andrade;
ticando a cargo dos socios. Manoel dos Santos Vil-
laca c Jos dos Santos Villaca, que continuam no
mismo genero de negocio, sobre a firma social de
Vi I laca Irmao & C, o activo e passivo da mesma
tejada frma da parte alfectada, e para que |>ossa so,.jedade, e completamente exonerado o socio Joa-'
1 quim Jos dos Santos Andrade, de qualquer res-
ponsabilidade pelas transaccoes al aquella data ]
\ effectuadas.
Recife 7 de agosto de 1863.
Manoel dos Santos Villar a.
Jos dos Santos Villaca.'
Joaquim Jos dos Santos Andrad i
Maques sobre Portugal. &
O abaixo assignado, agente do banco ag,
mercantil Portuense nesta cidade, saca ef- g
fectivamento por todos os paquetes sobre I
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer somma, vista e a prazo, po-
dendo logo os saques a prazo serem des-
contados no mesmo banco, na razao de 4
por cento ao anno aos portadores que as-
sim lhe convier: as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. al.
Joaquim da Silva Castro.
Precisa-se fallar ao Sr. Jos Flix Ri-
beiro de Carvalho, que mora no pateo do
Parai/.o, nesla lypograpliia.
Aluga-se no Monteiro a margem do rio Ca-
pibaribe. easas com bastantes commodos qual-
quer del las, proprias para se passar a Cesta, as
quaes pertenceram a Xisto Vieira Coelho : os
pretendentes se ontenderao com Andrade & Rogo,
ra do Crespo n. 8, loja de fazendas.
Precisa-se de urna ama de leite, que nao te-
nba liiht"i : na ra Direiia n. 4, segundo andar'
RA DO IMPERADOR
N. 22.
Graude armazem de tintas.
Este armazem conten linio quanto e
preciso para que a industria de pintura, de
qual uer genero que soja, desempenbe
seu tim, isto embellezar, conservar e
reproduzir.
Montado em grande escala e supprido
directamente por grandes fabricas de Pa-
rs, Londres e Hamburgo, pode oflerecer
productos de conlianca, e satislazer ijtial-
ipier eneoinmenda grosso trato e re-
bino.
Os Srs. artistas pintores, o os donos de
obras podero escolber volitado, pois
que tudo estar vista, as differentos co-
res de' quejii'ereni necessidade.
Ha tintas em massa e em p impalpa-
vel, e como as obras a envemizar s se
deve empregar tintas muidas, e nao mc-
recendo conlianca as que vem de fra para
conunoreio, por vollias. e talvez falsilit a-
tlas, seste trataran se m maer vis-
la do consumidor, eme > assim lera tin-
tas frescas e veroaneiras.
Ha tambem ouro verdadeiro, verde em
)) eenifolha, prata em folln, p dehron-
zear de varias cores, diamantes para cor-
tar vidros, burnidores, ncar superfina en-
carnada, amarella o verde, untas vegt-
taes. azul, roxa, verde e amarella. inolTen-
sivas, nicas que se devem empresar uta
confeitaras, collecc5es de pinceis para
fingir madeira, compropriedade, e outroe
de varias qualidades, vernizes, eopal,
graixa, branco ou escuro para o interior
e exterior, para etiquetas e quadros. tin-
tas linas em tubos, em crayoes ou pastel,
tollas para quadros, caixas de tintas finas
e papel para desenlio.
Bssencias aromticas verdadeiras. fras-
cos e vidros para vtdraca de lodos os ta-
manhos, e muitos outros objeetos, cuja
utilitlade e emprego so com vista pode-
rlo ser mostrados.
Joo Pedro das Reres,
Gerente.
Comprase urna lipoia nova oa asada :
livor, rlirija-se o nu do Qoeiatadn. I"ja a. I
achara com quem tratar.
sjm
Coira-sf
Cobro, lalo
bola amarella,
rador.
e ehiimlm v.-lh.>. mo an
no oilo da gaz da no
Compra-se euectivamenie hito r rala --m
obras volhas : na praca da Indopwirneia B la-
ja de bilheles.
YEIBiS.
Vende-se nina casa terrea com i -olas i
quartos, cozinha fra e quintal, SM A(nca*m, raa
do Morotolombi'i n. 69 : a tratar na na Pirata
n. 4, segundo andar.
Vende-se farinha % mandwra em smn,
rinda do Penedo, a \ynn a sacra, nmiio boa
escravos por ser de minio rresciovnio i
Direiia. padaria n. 69.
Vemlese una pamjie d.- furquitu *fcrr.
elmmbailas em jijira para laudas para v.
tratar, no sitio junio a capilla ilo S. Jo-* .1 Jlaa-
gninho.
Cal de Usboa
(bogada lia pouco. o de boa pialiiladV -mil n
nos arniazons da ra de Apcrik ns. *< :n ; >.
ibi'atro.
Potassa maeioaal.
Vende-se superior indassa ih> Rhi il* Janeiro, da
mais nova ene ha no inenailo, a proco mnitorae-
iihmIo ; no largo do Corpo Sanio. srriptDr 4e
Man.K-1 Ignacio to Oliveira & Filh.. n. 19

Potassa la Kuia.
Acaba la chegar no navio mmf tkr FUrt. x
rnais superior potaan i Iwaln, e * prei'o comipodo : no largo d>)IVirpn SaMn. iiuip
torio tle Mam! Ignacio M Oliveira Fitk. a. 19.
GUARU1 MA-
CIOMAli
Na ra Direiia n. B, ha um nniforme cumple?
pare guarda nacional de cavallara, tula unta *
lailn rico, t-alea. b.n rilina. etc.. r aaaKao aw-
forine com espada, itc llim inglez. aii. tul*>
novo, o que se ceilo |>or ctHnmodo prero. Tam-
bem na mesma ca>a i \i-le urna armaiju de laja.
propria pal a ipialquor estab-jk-cimenJo.'
* ,>N?r=^^35v
Carne e linsuicas de %rrl:
Vende se carne a lnguicas vortla llo | .tO rs. a libra no (ateo do Carino. ^piin.'
da ra de Hortas n. 1
l M C.AVAI.I.O.
Vende-se um cavallo bonito, gonV e b
tratar na rua da lni|>cratrz n. i7. mprnadji
das 7 s 9 da inanha e das 3 a- ti la tarde.
Vende-se urna casa tenca com <-jtaoan Iren-
tededetraz. sita no Vannm l cnl.nl.' !-
I da, chaos proprios, quintal minado .- canaaaa.
i urna dita nos (Jnilro trullo-, em clt'wr- ,
: quem as pretender. -Iirij.i ~. a r 11 larga do IJb-
1 rio n. 44, taberna, que aeharao rom aaji
Boma mrsttri:
Vende-se una tabcria com poneos fumino eaa
um bom locad da frefamda da s. aaaf, a 'tiv.da
venda se ilira ao roinprador : quem a pr tender
dirija-se ao largo da P tilia, loja d Utur drlrout ;
da Penba.uannunck.
Talioasdeamarrllt.
Vendt in-so na rua Direita n. 91.

O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rita da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua prolis-
so medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias
2o a
3o
DENTISTA DE PARS
19Roa Nova-19
Frederieo Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaos, tudo com superio-
ridade e perfejcao, que as pessoas enten-
didas lhe recoBhecem.
Teru agua e pos denuncio.
O abaixo assignado tendo-se rchaliilitado,
achando-se de posse de sua massa faz disto sciente
a seus devedores, tanto desta praca como do mato,
afim de que quanto antes lhe mandem pagar o que
lhe devem afim de evitar despezas judiciaes. Re-
cife 10 de agosto de 1863.
Luiz Antonio de Souza Ribeiro.
Aluga-se um moleque
das Aguas Verde n. 92.
de 16 annos: na rua
Aos seahores mais de familia
O padre Flix Brrelo de Vasconcellos achan-
do-se autorisado pelo poder eompetente, propoe-se
abrir um curso partieular das lingnas latina e
ranceza, no bairro de Santo Antonio desta capital.
O ensmo do latim comprehende a alta latiniaade,
e o de fraocez gratuito gmente iaos alumnos, que
com *ununeiante estudarem o latim.
Tambem d Iices Dor easaa d famili
aquellas dua
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rua
estreita do Rosario n. 22 : a fallar na rua da Pe-
nda n. 5.
eoes por casas de familias, assim
linguas como de grammatica por-
O abaixo assignado faz vt-r s pessoas que
teem penhores em 6eu poder, ae os vrem tirar no
prazo de 30 das, a contar da presente data, do
contrario serao vendidos para seu pagamento, II-
cando sem responsabildade alguma. Recife 18
de agosto de 1863.
_____________Manoel Jos Lopes Guimaraes.
0 abaixo assignado julga conveniente fazer
publico quenada deve a pessoa alguma, tanto nes-
Aluga-se o armazem do sobrado n. 47 na rua
de Apollo, aluga-se mais a casa terrea da rua da
Senzala Velha n. 74, com 3 quartos, cozinha fra e
pequeo quintal: quem quizer alugar, entenda-se
com Jos Antunes Guimaraes, ou falle no deposito
doSr. Cascao, na rua da Senzala Velha n. 48, que
a 11 i estao as ehaves.
de olhos;
de peito:
dos orgaos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o traballio pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
c3o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
GABINETE PORTUGUEZ
DI
LEITUIUA
De ordem do Ilhn. Sr. presidente do eonselho
deliberativo convocada a renniio da segunda ses-
so ordinaria da assembla geral do corrente anno,
para domingo 23 do corrente, as 10 horas da ma-
nhaa, na sala das respectivas sossoos: e nella dar-
se execucao ao disposlo no nico do artigo 44
dos nossos estatutos, procedendo-so a eleico do
novo eonselho deliberativo, c da commssao de
examc de cuntas.
Secretaria do eonselho deliberativo do Gabinete
Portuguez de Leilura em Pernambuco 19 de agos-
to de 1863.
A. A. dos Santos Porto.
1. secretario.
Aluga-se una casa terrea na rua dos Guara-
rapes n. 66, que tem commodos para urna grande
familia : a tratar na rua da Cruz n. 42, segundo
andar.
Vendo-so urna baca de rame bastante groa
de : na rua Nova, mf mo andar, n. al
Lina paitula de 4. sacras de milito, cheje!.
honicm tle Fernando no hiato Srrfifmm. vende-*.
por proco comniodo na rua to t j-e>po. estpim
do Impeador n. 8.
Vende-se una can terrea as Vim
n. 8o, e una mei-agua no fundo n. i. t|ue bou
para o Forte, com proporeo para faxrr nana ato.
em chaos proprios : quem precisar dirija-e a roa
do Hospicio n. -V<.
Pregos
para caixa de charutos a 640 rs. a lihra
do Oueimado n. 47, loja de Pedro Tinoco.
Joaquim Jos de Aguiar vai a Kunipa.
A ttengo.
D-se bolos sovados de vendagem, e paga-se 120
rs. em pataca: a tratar na padaria das Cinco Pon-
tas 146, defronte da estacio.
iii"ueza o arilhmoiira mt-LZ e-"""-- i~ pnuiico que aua eve a pessoa alguma, tanto nes-
uiputzat ariinmetica ; e igualmente se contrat f, nrovincia como fri dola niiefsoh nnr lotra nu
par enstnar somente a limrua latina em alean Pov."^.ia como I0V-J ue"a- auer beJa Por lelra u
/ollgio particular g conla a llvro' vencida ou Pr vencer, ou por ti-
jO ahhunciante em rim, a, 1 lulo de quai,'!'cr natureza, e se por vr-
-erias, espera corresponder cabalmente aos
das bu.. "WO com o respciiavel publico :
seus compiv. ", Prestimos quizer utilisar-se,
quem pois dos seu. Francisco, pndp tem
procure-o no convento u.
sua residencia actual.______________ ^ ^m
Precisa-se fallar ao Sr. Jos Rica^ *j.
de Canalno, na livraria ns. 6 e 8 da praca in-
dependencia.
ventura al-
se i1 ni seu
armazem na travessa ao p31"100 2, que ser
immediatamente pago : outro nu dec'ara oes(le
* uue por
j ser falso todo e qualquer titulo ou leu
ventura appareca com sua firma, visto
Aluga-se na entrada da Casa Forte tres casas,
sendo duas de morada e urna com annaco de ta-
berna, propria para um principiante, na melhor
looalidade para negocio, anude esteve Manoel Ca-
bocolo, por nretjo commodo, e aluga-se urna boa
casa com muitos commodos, no principio da estra-
da dos Atbelos por proco commodo : a tratar na
padaria do Chora-menio.
Aluga-se urna escrava perita engommadeira,
cozinhefra, ensaboadeira, e outros servicos de ves-
tir e pregar urna senhora ; na rua do Hospicio n.
40, das 7 s 10 horas da manhaa. ,
TINTURARA.
Tinge-se com perfeico para qualquer
cor, e o mais barato possivel: na rua do
Rangel n. 38, segundo andar.
Nitlo para alagar.
Aluga-se um grande sitio em Pernameirim junto
ao do Sr. cirurgiao Leal, em frente da estrada que
vai da Ponte do Uchda para o Poco; cujo sitio
tem casa para grande familia, um sobradinho ao
lado com cocheira por baixo, e quartos para feitor
e escravos, estribara para 4 cavallos, cacimba
com boa agua, e bastantes arvoredos fructferos :
a tratar na Boa-Vista, rua do Sebo n. 47.
fu rua da Matriz n. 33, primeiro andar,
compram-se duas cscravas, sendo urna de idade de
16 a 20 annos, tendo boa figura, c outra mais ve-
lha, tendo boa figura, c sabendo alguma cousa do
servieo de casa.
AMA
Prccisa-sc de urna ama para casa de pouca fa-
milia : na rua da Cruz n. 21, primeiro andar, so-
brado amarello.

Maca
Venteare na rua da Cadeia do Rerife a. i".,
caixas de 180 a 200 a l, e meias caiaa de K i
100 a 74300, c lamlicm tem' a retamo.
que
acha quites, tanto nesta praca como fra della. Re-
cife 12 de agosto de 1863.
Jos Augusto de Araujo.
Permuta-se por casas nesta praca e tambem Precisa-se alugar annualmente um sitio per-
se vende um sitio no Caldeireiro em chaos pro-1 to da praca, com boas accommodaces, e que te-
prios, com grande balsa com capim a margem nha bastantes arvores de fructo, e baixa de capim
se i do rio, olaria, barro, com boa casa de vivencia e para 3 ou 4 cavallos, preferindo-se eom banho de
Antonio de Carvalho. subdito portuguez, vai
Dar o Rio de Janeiro.
aii^Fraphintasoes
ratriz n. 20-
a tratar na rua da Irapc
ase p teretjro andar da rua da Impe-
ratrizn 4- Wf commodos para numerosa fami-
lia : a tratar na O*** Ao mesm0.
agua corrente : tratse em Cruz de Almas, silio
de portao de ferro encarnado.__________________
O socilador Joaqui Innocencio Gomes mu-
douasuaresidonciaparaa ra do Imperador n.
46, segunio andar.
3-RDA ESTREITA DO R0SARI0--3
Francisco Pinto Ozorio continua a col-
locar dentes artillciaes tanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
flqucm a vontade de seus donas, tem pos
e outras prcparacSes as mais acreditadas
para conservafo da bocea.
O II \ HO DO POVt.
Segunda edico mais correcta, ornada rom
27 estampas, e augmentada com 4H patnn;is
de texto, contendo: a vida de Nosso Sfahnr
Jesus ClirisU), fabulas,*o vigario. o boa ho-
mem Ricardo, quadrupedes utds, o profe-
sor primario, moral pratica, Simo le Fba-
tua, mximas e senteiras, bygiene, iveeitaet
necessarias, o Brasil: vende-se na livraria o>
Manoel Figueira de Faria Filho, praca da
Independencia ns. 6 e 8, a 600 rs. o ejem-
plar em brochura, e a ldcartonado.
RELOGIOS,
Vende-se em casa de Johnstoo Pader
C, rua do Vigario, n. 3. tu
ment de relogios de ouro
gtez, de um dos mais aftaudos
de Liverpool, e tambem urna* rariedade de
bonitos Irancellirts para os

iiedaiedt
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gaonheaa
antigs recentes, nico deposito m h-
tica franco, nu da Cruz n. pre-
CO U. #
u
i ii cn\/m !


Piarlo de pernauaimco Sexta elra ti de Agosto de SO.

%N
NOVA EXPSITO
na loja d Pavo, de fazendas bara-
tissimas.
Neste estabelecimento acha-se constante-
mente um grande" sortimento de fazendas
de gosto e de primeira necessidade, sendo
tanto proprias para a praca, como para o
mato ; de todas as fazendas dab-se livros de
amostras, deixando ficar penhor, ou man-
dam-se levar em casa das familias pelos ca-
xeiros da loja do Pavao.
Las con 8 palmos de largura,
na loja do Pari.
Vendem-se laazinha enfestada propria para
vestidos, com 8 palmos de largura, sendo
fazenda mais moderna que tem vindo ao
mercado peo baratissimo preco do 4 #600 o
covado: s na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavao.
Cassas a *0 rs. o corado.
Vendem-se cassas francezas de padres
rmudtnhos e cores flxaspelo barato preco de
200 rs. o covado; ditas finas a 3i0 e 320
rs. o covado: s na ra da Imperatriz n. GO,
loja do Pavao.
Organdy, a 940 rs. o corado,
na loja do Pavo.
Vendem-se organdy de cores matisado, fa-
zenda que val muito mais dinheiro, pelo ba-
rato preco de 240 rs. o covado ou 400 rs. a
vara : s a ra da Imperatriz n. GO, loja
do Pavao,
O Pavao vende os modernos ves-
tidos a balo,
com barras Mara Pa, sendo os mais
modernos que que tem vindo ao mercado,
com a saia de um s panno, tendo bastante
fazenda para o corpo, e vende-se pelo barato
proco de 33300 cada um: esta pocbincba
s existe na ra da imperatriz n. 60, loja e
armaxem do Pavo.
\o*i\ pechincba de ISas entesta-
das a too rs. o covado.
S Pavao.
Vendem-se laazinhas enfadadas transparentes
cora (leudados padroes sendo de una s cor con
Jistras e quadrinhos e vendem-se a 400 rs. o cova-
do : na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 00 de
Cortes de eambrala, a *#.>oo.
na loja do Pavo.
Vendem-se cortes de cambraia brancos com
babados, a 2#500; ditos, a '40; ditos com
barras e babados de seda, a 30, 30500 e 40;
*s na ra da Imperatriz n. 60, loja e arma-
zem do Pavo.
Cortes de cambraia chineza, a
4$, na loja do Pavo.
Vendem-se ricos cortes de cambraia chine-
za, os mais modernos que tem chegado, -sen-
do brancas com liodissimos padroes, pelo ba-
rato preco de 40. cada corte, tendo bastante
fazenda para um vestido: isto s na ra da
Imperatriz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Baldes a 33O. so o Pavo.
Vendem-se baloes americanos que sao os
memores, tendo .20 arcos, a'50500; ditos
de 30, a 4*500; drtos de 40, a 50 ; ditos
e bramante, a 30500 c 40; ditos para me-fl
ninas, a 20 e -a 3$: s na na da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Curtes de chita, a 2#oo. na
loja do Pavo.
ntremelos da arara.
Yendenvse pecas de entremetas transparen-
tes a 10, tiras bordadas de largura de 3 a 4
cortes de 13a
CASEMIRASINGLEZAS
01,700 rs, o corte.
Vendem-se corles de casemiras escuras para dedosa!028O e I0GOO a peca,
calci, pelo barato preco de 1700, tamban se ven- p. u ... 4 i, cnneza com
dem das mesmas a 480 rs. o covado, proprias para W '
palctots e colletes, etc.: s na loja do pavao, rv"
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
GRANDE PECHIWCHA
Vende o pavo, organdys a 360 rs.
Vende-sc finissiiuo organdys matizado com
mais delicados padrOes mindinhos com asscntos
brancos, sendo neste artigo o mais moderno que
existe no mercado, sendo fazenda que seinpre se
vendeu a l^OO a vara, e presentemente vende-se
a 360 rs. o covado: s na ra da Imperatriz n. 60,
loja do pavo, do Gama & Silva.
45--RUA DIREITA--45
SAI*$A
us
GUITASESCURAS
a 2,200 e 2,640 rs., s o pavo.
Vendem-se cortes de chitas com padroes escu-
res, tendo 10 1/2 covados a 25200, c com 12 1/2
covados a 2$640, pe-hincha e vende-se por este
prc^o em razio dos cortes serem em mais de um
podaco : s na loja do pavao, na da Imperatriz
n. 60* do Gama & lva.
Laazinhas a SOO rs. o covado.
Na loja do Pavo.
a; 22 covados a 80, ditos de organdys com 4 o
varas a 80, ditos com 9 varas a 60500; na ra
da Imperatriz n. 56, arara de Mendes Gui-
maraes.
Baldes da arara de 40
arcos.
Vendem-se os melhores baloes que tem
vindo americanos de 20, 25, 30, 35, e
40 arcos, a 40, 40500 e 50, ditos de ma-
dapolo bem feitos a 30500 e 40, ditos de
brilhantina a 40500, baloes satas de cordo
que faz a vez de balo a 20; na ra da Impera-
triz arara n. 56.
FAZENDAS BARATAS
27Ra do Queimado27
NA
\ova loja de Custodio, carvalho
& Coinpanhta.
Feslao francez
Vende-sc laazinhas de cordaozinho de urna s
cor, sendo azul claro, azul escuro, ferrete, cor de
caf claro e escuro, alvadio, roxinhas proprias pa-
ra luto, sendo fazenda que val muito mais dinhei-
ro vende-sc pelo diminuto preco de 200 rs. : s na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Os manguitos e golinhas do
Pavo.
prrliiiulia, a 320 e a 100 rs.
Vendem-se golinhas de fil, bordadas, a
400 rs.; ditas de cambraia, a 320 rs.; cal-
cinhas para meninas, a 500 rs.; manguitos,
a 500 rs.; manguitos com golinha, a 800
res ; manguitos de cambraia, a 320 rs.: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
O Pavo vende a :$,< c 3$500
cortes de la, a 30 e 30500; ditos com 22
covados, a 50: s na ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavo.
,. para vestidos de senhora e meninas, fazenda mu-
GRANDE LIQUIDAQAO
de fazendas para apurar dinheiro, por
baratissimo preco na loja c arma-
zem Ji6 de Lourenco Pcrcira Hiendes
Guimaraes.
lMTA R0HQB8, 200 REIS.
Vendem-se laazinhas com pequeo toque de
mofo para vestido a 200 rs. o covado, meias
para meninos a 100 rs. o par, ditas para ho-
mens a 120 rs., lencos brancos finos a 200
rs. cada um ; na loja da arar ra da Impe-
ratriz n. 56.
Arara vende vestido de chita a
3#ooo.
Vendem-se cortes de chitas escuras convo-
que de mofo a 20000, ditas limpas sem
mofo a 20500 e 30000, cortes de cassa de
cores'de barras a 20000, ditas de cassa pin-
tadas a 20000; na ra da Imperatriz n. 56 de
Mendes Guimaraes.
Organdys da Arara a '10.
Vendcm-se organdys finos para vestidos a
240 rs. o covado, cassas finas a 240 rs. o
covado, popelina de quadrinhos para vesti-
dos a 280 rs. o covado; na ra da Imperatriz
arara n. 56 de Mendes Guimaraes.
to fina e pelo barato preco d 260 rs. o covado.
Finas cambraias organdys a 340 rs. o covado.
Balos
de arcos, de todos os tamaitos, pelo prego de
3600.
Calcinitas
bordadas para meninas, pelo barato prego de 25200
cada ni 11 par.
Laazinhas
matizadas linas para vestido a 440 rs. o covado.
Cohertas
de chita a 2*000.
Lenres
de panno de linho a 2.
Toallias
de fustao, pelo barato preco de 400 rs. cada urna.
Caniisiulias
de cambraia para senhora a 2*.
Goliuhas
de linho para senhora e meninas a 640, 800 e 15-
Sortimento
de meias para meninos e meninas.
Launha
preta para vestido a 300 rs.
Guardanapos
adamascados a 25 a duzia.
NO AIUIAZE1 DE FAZEXDAS BARATAS
D8
Eia, rapasiada, torageml parece queja
entregastes os vossos joanetes aos duros sei-
xos do pessimo calamento da nossa cidade I
S se observa em vossos ps botinas acalca-
nhadas e gastas at ultima sola; sapates
rasgados e quasi sem saltos nem tanto !
a guebradeira nSo deve cl^gar at este pon-
to Vinde ra Direita munir-vos de excel-
ente calcado com 40 e al 60 por cento
menos do seu valor___attendei :
Borzeguins, Nantes, bezerro e va-
queta 2 e meia solas .... 80500
Borzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta e lustre 2 solas. 80000
Borzeguins, francez c hamburguez,
bezerro, lustre e couro de por-
co 70 e........' 60000
Sapates, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas. .... 50500
Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas...... 50000
Sapates, Nantes, sola e vira. 40000
Ditos para menina, comlaco. 30300
Ditos de ditas, de cores. 20800
Sapatos para senhora e homem,
tapete........\ 800
Sapatos de borracha para senhora. 10 400
dem idem para meninas. 10000
Sapatos de lustre para senhora. 10000
dem de lustre as avessas 300
0 Perfume da Moda.
HOVO I! IY AL
LOJA DE MIUDEZAS
fiua do Queimado n 16
20
Vendem-se cortes de chita com 12 1|2 co-
vados cada um, a 20500; ditos com 10 cova-
dos, a 20; cortes de cassa miudinha de co-
res fkas com 10 covados, a 20; ditos de -ra da Imperatriz
organdy mathisado com 10 cavados, a Cuimaraes.
20iOO : s na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
As casimiras do Pavo pfcehln-
cha a .#'.
Venderse cortes de casimira francezs para
calca, fazeda mujto lina, padres claros e
escaros, a<0 o corte: s na ioja do Paulo.
ruada Imperatriz n. 60.
,s na ra da imperatriz n. 60, Jeja do Pavao.
'uslo do I'aio.
Ven para roupa de meninos, a 320 rs. e covado ;
brim de Jinho de quadrinhos para rompa de
meninos, a 360 rs. o covado; gaaguelim
de urna s cor, a 320 rs. o covado; popelina
de 13a, de quadrinhos encarnado* e pretos,
para vestidos de senheras e roupa de meni-
nos, a 10 o covado: s na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavao.
,0s palctots de Pava, assobreeasacado a 12:000 rs.
Vendem-se palctots de panno, sobrecasacas
de panno preto muito bom e muito bem
feitas, a 120: sobrepasaros de dito, a 140;
paletots sacos de dito, a 70; calcas de cache-
mira da Escossia, a 30 ; ditas de casemira
preta, a 50; ditas de casemira de cor, muito
fina, a 70 e a 50500 ; coletes de casemira de
cor e preta; paletot de easemira de cor,
a 70; tudo isto para apurar dinheiro: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavao.
Tortea de cachemira da Escocia, a 2:000, na
laja da Pae.
Vendem-se esta nova fazenda muito encor-
pada imitaco de casemira, tendo padres
escuros e alegres, afiancando-se que n3o des-
bota, a 20 o corte para calca, ou 580 rs. o co-
vado para paletot, coleto etc.: s na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
Fazendas brancas, na loja do
Pari.
Vendem-se pecas de madapolo enfiestado,
francez, com 20 varas, a 80; ditas com 12
jardas, a 40; dito inglez muito fino, a 70,
70500 e0; ditos muito superior, a 100;
ditos de 40 jardas muito fino, a 40800 e a
50600; algodozinho muito encorpado, a
10800, 50500 e 60; bretanha com 4 pal-
mos de largura, muito fina, a 10 avara;
pecas de cassa de cordo para babados, com
6 varas, a 30500 ; ditas com 12 varas, a 70:
Pechlacha, a & rs. o corado,
s o Pari.
Vendem-se as mais modernas laazinhas
enfiestadas, transparente, tendo 4 palmos de
largura, e sendo lizas e de quadrinhos, de
urna s cor, propria para vestidos e capas,
a 500rs. o covado: s na loja do Pavo,
roa da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
*%.vro* couluo
Ra do Queimado n. 19.
Vende-s o segnintc :
Cobertas
de chita da India, a 2:ooo rs. .
Lcnees de panno
de linho, a 2:ooo rs.
Lcnees de bramante
de linho, de um panno s, a 2:8oo rs.
Toalhas alcorboadas
para mo, pelo baratissimo preco de 5:ooo
rs. a duzia.
Ricos vestidinlios
de seda para meninas, pelo baratissimo pre-
go de 4:ooo rs.
Lencos de seda
pelo barato preco de I -.ooots.
Saias de fusto
pelo baratissimo preco de 5:5oo rs.
Lencos de eamliraia
brancos finos, proprios para algibeira, duzia
a 1:8oo e 2:ooo rs.
Lenros de cassa
finissimos, proprios para algibeira, pelo ba-
ratissimo preco de 2:4oo rs. a duzia.
Cortes de calca
de ganga amarefta, de listas e de quadros,
fazenda superior, pelo baratissimo preco de
I:2oo rs. o corte.
Pecas de madapolo
largo superior, pelo baratissimo preco de
8:ooo rs.
Pecas de bretanha
de rolo com lo varas, pelo barato preco de
3:2oo.f8.
Pefas de ramoraia
de salpicos, fina, com 8 12 varas, pelo ba-
Vende-secostumescompletosd'umafazenda rato preco de 4:ooo rs.
Qtftteza por 120 ocosttnae, paletms de brim Atoalhados de linho
a 20500 e 30000, ditos de meia casemira ,Com 8 palmos de largura proprio para toa-
escura a 40 e 40300, paleots finos a (50500 a,a de meza, a 2:3oo rs. a vara.
e 80000, calcas de meia casemira a 30000, Toalhas
ditas finas 50500 e 60000, ditas de brim a ,i linho para meza, a 3:ooo rs.
2)9500 e 30000, ditas de brim branco a 40, Hare*e
casemiras france/asa 10600 e 20000, ditas!de lindos gustos, pelo barato preco de 48o
finas a 20500, ditas de linho a 30000, ce-' rs. covado.
roulas fraueezas a J 0600, camisas de meia a Esleir da India
800 e 10000; na toja da arara ra da Impe- propria para forro de sala, de 4, 5 e 6 pal-
Arara rende as laazinhas dos
vestidos.
Vendem-se laazinhas muito finas e lindos
dezenlios a iOO, 410, 300 e 640 rs. o cova-
do, chaly muito fino a 500 rs. o covado;na
n. 56 arara de Mendes
Roupa feita da arara.
ratriz n. 56 de Mendes GuimarSes.
Oh! que pecbfncha a 3-AOrs.
Vendem-se chitas francezas escuras com pe-
queo toque de mofo a 240 rs. o covado,
ditas inglezas com pequeo toque de mofo
a 200 rs. o covado, pecas de ditas francezas
com' pequeo toque de mofo a 80000, pe-
cas de ditas inglezas escuras cores fixas com
pequeo toque de mofo com 38 covados a
70800, ellas freguezes antes que se a ca-
bem; na loja da arara ra da Imperatriz n.
56 de Mendes Guimaraes.
.Madapoln francez enfestado a
40OOO.
Vendem-se pecas de madapolo francez fi-
no enfestado com 12 jardas a 40 e 40500,
dito inglezes fino de 24 jardas a 70, 80, 90,
e 100000, pecas de algodo encorpado a 40
40500, 50 e 60; na ra da Imperatriz n. 56.
Chitas da arara.
Vendem-se chitas francezas finas a 320,300
mos de largura.
MDANCA.
A
0 rival sem segundo mudou o seu estabe-
lecimento do n. 55 para o n. 49 da mesma
roa e contina a vender em Unas duas lejas
as miudezas abaixo declaradas e queiram
prestar todS attencao:
Sahonetes inglezes muito finos a
160 e......... 400
Frasco d'agua de colonia peque-
no muito fino...... 400
Dito dito grande muito superior. 500
Frascos de macassar perola a. 200
Ditos de macaca oleo a. 100
Frascos de oleo Barbosa a 240,
320 e......... 420
Dito dito muito superior a 500 e-. 640
Dito de banha muito fino a 400 e 500
Frascos de Lavande muito superior. 500
Garrafas d'agua celeste muito
AGUA FLORIDA
De Murray tfc Lanman.
Este raro qno delicado perfume
Qiiasi que incxtinguivol c to ebeio de
mimosa fragrancia e frescura como o
delicado chebo das proprias verdecen-
tes flores. Durante os niezes caloren-
tos do vero o seu uzo torna-sc minen-
teniente apraeivcl c desejavel em con-
seqnencia da influencia refrigirantc e
suave que ella produz sobre a pello:
em q-.ianto que tizada no banlio ella
imparte o corpo lnguido e caneado
una certa lasticidade de vigor e forea.
Ella imparte transparencia as feigoes,
e remoce pannos, sardas e he-rtoeJQS di
sobre a pclle.
Massinhos com 17 gratnpas sortidas a 30 rs.
Fitas e conloes para espartilho a 60 rs.
Pecas de tranca lisa encarnada e preta a
e 40 rs.
Ditas de trancada branca lisa para debrnm a-
80, 120 e ICO rs!
Ditas de tranca branca de caracol a 80 c 100 rs.
Ditas de tranca de caracol preta' e de cores a
60 rs.
Ditas de tranca de caracol meseladas a 60 e
100 rs.
Ditas com 10 varas de tranca de laa para de-
brnm a 15400 rs.
Pecas com 13 varas de franja de borlota para
cortinado a *860.
Pecas com 20 varas de labvrinllio lino a S#H.
Pecas de l o 20 varas de'bico branco e preto
a 1200 e 25400.
Pecas de 10 e 20 varas de rendas tinas a 15200
e 25400.
Pecas do 10 varas de franja Jde ha de coree
a 15000.
Pecas de 10 varas de franja de seda de cores
a254oo;
Pecas de 20 varas de galiio branco larvado a
15600.
Pecas de 10 varas de flta'de velludo preto la-
vrad a 600 rs.
Pegas de 13 varas de fita de retroz preta e de
cores a 200 rs.
Pecas de lita de seda de cores a 320 e 400 rs.
Camnhas com 18 liares de colcbetes a 20 e
40 rs.
Cartoes com 14 pares de ditos a 40 r?.
Ditos com 23 pares de ditos a 60, 80 e 100 rs.
Peines de atar cabello a 40, 160 e 240 rs.
Ditos linos em caixinhas a 640 c 800 rs.
Ditos dourados a Maria Pia a 35.
Atacadores pretos e de cornalina para palelot
a30 rs- ,^
Grozas de botoes de porcelana pintados a lo rs.
Crozas de botoes pretos de duraque a 320 rs.
Duzias de botoes prateados e dourados para col-
letea320rs.
Grvalas de seda modernas a 240 e -jOO rs.
Smturoes elsticos para homem a 320 rs.
Suspensorios sem e com elstico a 120 e 480 rs.
Joguinhos de porcelana para alnioco de crianza
a 15800.
Trcns de cosmlia para enanca a l^.
Calcadeiras de chifre a 120 rs.
Caixinhas de lamparillas para seis mezes a 80 rs.
Duzia de caixas de pbospboros a ICO rs.
Pares de luvas de montara a 600 e 15000.
Ditos de ditas de seda para senhora a 600 e 15-
Ditos de ditas de Escocia para senhora l 200 e
400 rs.
Oitava de retroz preto e de cores a 160 rs.
Duzias de facas e garfos brancos e pretos a 35-
Resma de papel almaco liso a 25300 e 35-
Dita de papel de peso pautado a 35400.
Caixinhacom 10 anvelopes a 800 rs. e 15-
Ditade pennas de lanca c calygraphieas a 800 e
Dita de brelas de massa e de cola a 80 e
"lioioes com tinta inglcza a 120 rs.
Frasquinhoscont tinta azul eencarnada a Ora.
Lapis zoes e encarnados a 120 rs.
Duzia de lapis de pao a 80 e 120 rs.
Lapis c caetas finas a 20,40 60, 80 c 120 rs.
Fscovas para dentes a 160 c 400 rs.
Ditas para cabello a 700 rs. I
Duzia de canudinhos de pomada do Remo a
280 rs.
Massosde palitos lixados superiores a 280.
Frasco de macassar perola a 160 e 210.
Dito de superior Patcholy a 300 e 800 re.
Dito com lecitimo oleo de Rabosa a 6i0 r*.
Ditos com superior banha franceza a 300 c t<.
nitos com superior agua de colonia a ow e
Ditos com superiores extractos a 300 e 800 re.
E multissimos outros objectos tudo baratissimo
na rea do Queimado n. 16.
AOS SUS. lomjiiMtES DE 642.
Nos armazens do Caes do Ramos n. f t
na ra do Trapiche Novo (no ltecife) n. ,'
vende gaz liquido americano primeira quafc-
dade a retalho a 10* a lata de > iloes, av
sim como latas de 10 e de 5 garrafas e seod
em poiro mais barato que em outra qrcrt-
quer parte.
PAPEL
de cores para Usas ele elettcre
A aguia branca suppoe recer aos athletas uns paeotes chi 234 fodias *
papel de cores, qne pode servir ptimamente per
listas de eleitores, e tanto melhor por Mirca
pacote o diminnto preco de 15500, r cafe sea
de mita s rr. o i|ue fficil 'I.....< .u!rar asa*
ser na na doQneiinado, loja iTagnia breara a. &
Xa mesma luja tambem ha de nutras quaMare,
branco e azul, assiin como anvelop-w.
Cal de Msboa
a mais nova do mercado : na ra le YipUTO >.
10, primeiro andar.
Scllins iwfleirs
chegados casa de Izidoro, ReM i ', n s
Cruz n. 2.
Vendem-KO ou ai reiidain-.-e |wr pasot- -
to mdicas os engenh.-s Braro e (ornar, pertoals
cidade da Victoria, ambos de gran-te produccJi,,
a-iuelle quasi prompto a niih-r coin :um-
tem-se moradores para o engeitho tate
a mesma cidade, dando-se-lliis toda a garanta e>.
estabilidade. Trata-se no engcnh<> >>
se precisa de um homem (pie se in.-uml
brancas dos foros do Coaeefcia, ek dando-s*
casa para morar e trras para jralalhar de bfa^aw
Vende-sc urna escrava nilmsta e sadia, sea
defeito algum, com idade de quarenta c tanto* sa-
nos, or preco de 40IVJ, porai ti serta para sala
ou engenho : quem a pretender dirija-v: a na 4a
Cruz n. 47, terceiro anilar. ______________^
i As;.;ro
liua do morim n. 19.
Vende-se farelo de Lisboa em >.i> r > gi t
com 90 libras, pelo barato pnco iK- 45__________
mala utlemao
Aos senhores martimos e agrien!! *tr aa
\-/. passam por nossa idra dcVipereeliido reme-
dios exccllentes e de modieissiroo i m r
einuiegodos quaes se evilaria grandes ncjuisa
e nao jieqnenos damiios; neste ca-
trio ou venliz do gaz, o qual alm das mu!::pliers
applicacoes que tem na uiarhiha. ?" -. ?ieo
para natar as formigas, e-s.- terrivi-l r_-ig.rto a
agrienltara, deetrnir raiBcsaarate o rupia cwv
servar as ntadeira; i--na- da.|U'-l! *-r- I er-
me. e dar una duraran infinita f-rn;"r-.'; in
que fr eonvonioalcBtente apabeaio en latas e>
mais detres (Suiadssn l->ioO c:nla urna. em l?r
ris con carca de seis caadas a 2|5M f*ada as
no armazem da bola amarella, im eeie-
tariade |Hilicia. _________^_________________
J)
> ?M m CABELLOS,
E una preparacao admiravel para lim-
par. afortnosear, conservar e restabele-
cer os cabellos.
venda as boticas de Caors & Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo & C, ra
da Madre de Dos.
e 400
ftU- ,.v*~ ,., su-
perior a........1 ^OOT)
rs. o covado, riscado francez a 280! Frascos de cheiro muito finos
500 e.
Ditos de banhapequenos muito fina.
Vendem-se cortes de casemira enfestada
escura a 20, cortes de brim para calcas a
10 e 10220; na ra da Imperatriz loja da arara
n. 56 de Mendes Guimaraes.
Arara
rs. o covado, aberturas para camisas a 240
rs., ditas de linho brancas a 800 rs. o cova-
do, tarlatana de cores a 400 rs. avara; na ra Hito de opiata pequeos.
da Imperatriz n. 56. Thesouras muito finas para unhas.
r.^,.. j. ..,.... j- -__ Grvalas de seda de cores. .
* Luvas brancas de algod5o .
Caivetes de 2 folhas muito finos .
Caixas de cohetes francezes e car-
tees.........
I Grampos de caracol e lisos. .
.Caixas de vidro com 12 dedaesde
vende as col xas. meta|.........
Vendem-se ricas colxas aveludadas para -Massodepalitos lixadospara dentes.
cama a8,5000, ditas de fusto a 50000, ditas Grosas de botues de aC Para caira,
de chita a 20000, brim de linho c algodo Caixas Mm 6 frascos de cheiro. .
branco a 800 rs. a vara, dito de linho puro Escovas para cabello moito finas .
a 10,10120, 10280 e 10600 a vara; na loja Carteirasdemarroquunmuitofinas.
da arara ra da Imperatriz n. 56 de Mendes ;ec^ de tranca lisa encarnada.
Guimaraes.
Arara vende manguito a
9^000.
Vendem-se manguitos e golinhas de linlio a
20 o par, golinhas para meninas a 400 rs.,
ditas para senhorasa 400rs.; na ra da Impe-
ratriz n. 56.
Tinteiros coin tinta muito superior.
Ditos de vidro com tinta mais in-
ferior.........
Caitas dealfinetes francezes .
Cornetas de chifre para meninos .
800
200
200
400
500
100
320
40
40
320
160
320
l-VOOO
640
640
20
160
MFEITES PARA SEMGRAS
CHEGADOS PELO VAPOft
S para o Vigilante roa do Crespa a. 7.
Sao chegados os novissimos e riquissimos en-
feites para cabera, pois com a vista nao lla-
ves senhora que deixe de comprar um bo-
nito enfeite: s no Vigilante ra do Crespo
n. 7.
Luvas de plica.
Tambem chegaram neste mesmo vapor um
completo sortimento de luvas dejouvin
brancas e de todas as cores; tanto para bo-
mens como para senhoras: s no Vigilante
ra do Crespo n. 7.
Perfumes.
Tambem chegou um completo sortimento de
perfumaras dos fabricantes mais afamados
sendo de Luvin, Cudr e Piver; sendo
exlraeos essencios de todas as qualidades,
pomadas, banhas, sabonetes, agua de Co-
< lonia, vinagre virginal da sociedade hygieni-
ca, agua florida, agua balsmica para den-
'tes, frasquinhos com superiores pos para
dentes, caixinhas com um frasco d'agua,
pos e todos os preparos pata limpar den-
tes, olos de todas as qualidades para ca-
bellos, e outras muitas cousas mais: s no
Vigilante ra do Crespo n. 7.
Te.soaras e caivetes.
Tambem chegaram um completo sortimento
de tesouras dos mais afamados fabricantes,
tanto para unhas como para costuras, ras-
padeiras para papel, caivetes de maqui-
na, facas de um e dous botos, tudo do
mais superior que se pode encontrar: s
no Vigilante ra do Crespo n. 7.
Papel de fantasa.
Tambem chegou um grande sortimento de
papel de fantasa branco, bordado e los
douradinho, de lindas cores, assim como
de peso e almaco, assim como muitos ou-
tros objectos de muito gosto que se torna-
riam enfadonho annunciar, que seus pre-
cos sero por menos do que em outra
qualquer parte: s no Vigilante ra do
Crespo n. 7.
Vticcas de Inte
Vendem-se vaccas de leite, 1.
tras em vesperas disto : quem pretender e*'.m-
da-se na ra do LivramenU-11. :t, s.-yun.o andar
LciU purissim.
Todos os dias das 6 lloras e meia da m
s 8, acharao os Iregnezes b.>it.- intuirn
no largo do Carino, na calcada junto a i> '.i.
Para o hont h 7f.
Chegaram loja das columnas da roa do i ._*
ta Ae Antonio Correa de Vasconcelos A U.
Vende-se manteiga ingleza lina a 900 e 00O
rs., franceza a 560, toueinho a 300 rs.. arroz a 100
rs., chouricas novas a ."00 rs., qneijos novos a
15800, velas de spermacete a 600 rs., ditas de
carnauba a *t00 rs., vinho da Figttcira c Lisboa a
400 c .">00 rs.. azeite doce a 640. bolachinha de so-
da a 1308 : na ra das Cruzes n. ii, esquina da
iravessa 4o Ottvidor:
C,lLDKLISBO.%
Vende-sc cal nova de Lisboa : no largo do Cor-
no Santo, escriptorio de Manoel Ignacio de livei-
ra & FHho n. 19.______________________________
Vende-se podra propria para soleiras, Itom-
breiras e cachorros de portas por comniodo preco,
bem cerno chumbo em barra a 80 rs. a libra : no
armasen da bola amarella. no oitao do armazem
do gaz da ra do Imperador.
po n. 13, de Antonio Correa d
novos cortes de vestidos de laa a pola
ra estampada de matiz, g-stos int.-ii:urii..
demos e cores as mais linda- que se pod.- t
bem como : cr de laranja. nanga, violeta.
no, einza, magenta etc.. etc.; pai
dlo do vestido a cada corte acompain.
rio. Na mesma loja araba <1.- di. gar eh
paiiuetc francez ri<|uissimos cortes rtt rrs
seda de cores com ramas mali<;el.t-
iros de moieanliqne adama
encorpadas e do ultimo eana para antee,
mentos etc. __-_i________
m I ;r
Cal de Lisboa
Cal virgem chegada hontem em aneoretas mui-
to bem acondicionadas e por proco comraod" : no
amigo deposito da ra do Trapiche o. l't, arma-
iem de Manoel Teixeira Ifasto.
CEBLAS
Ra do Aniorfiii n. 43.
Vciideiii-se ceblas novas c grande-..desenil)arca-
das hontem, pelo barato preco de 500 re. o cen-
to; a ellas, que esto se queim'ando, mesino a tro-
co de cobre.
nu r
Mfl
M\
Vende-se urna tal;rna das ,,
zia de S. iose, com iwneos tun^. "-
para familia, (pie vende de o a i>->' '
de-se a dinheiro ou com udeinm
trata i na ra de Santa Hita ni
outra nos arrabaldes da cidade, e -e !i. .
fSnxo inelhor.__________________________________
FARINHA SUPEUIOR.
Wnde-sc a bordo do pataclx. S-":
Omor. ancorados no trapicho do II
f,-inha de mandioca, lante
SnJo ';,:,,> Porto Alegre, a m** do r.te
(Mr proco eajajiT**8
rara engenho
Vende-se urna meia inoenda de ferro nova com
rodetes de ferro, para fusos, bronzes e todos os
pertences para moagem de canna, assim como i
taixas de ferro coado de 5, 6 c 7 palmos de bocea
por menos preco que em primeira mao : a tratar
com Antonio Gomes da Cunha c Silva na ra da
Cadeia do Recife n. JO.
Vendse una
l pan -' anuos de |.
bilidades: para rr e i x
87, sobrado.
niulatinba 5 Umita iij{"tra,'
vide. a qijal tem aMtea **
aiar, na raa liaaerial w
PINTURA.
Tinta branca de massa muito nova, em la-
tas de 8 libras para casas, para navios, para
a companhia do gaz, a 2oo rs. a libra: na
larga do Rosario n. 34.
Cal d Lisboa a 1000
numero 9.
na ra do Trapiche
Farinha de mandioca
em saceos grandes a preco muito em
trapiche do Cunha no Forte do Mallos.
Ra da Senzalla Nova h. 42.
v "'* "iv u.s. na taberaa paelv
.Vi travessa dama dasCn. otea com
amarellon. 6. nada
americana a lioii. ot^i!*^-
aj levan mt tmsm* te
ede praca %tj
> vende a-------------
da da
bolaxinha
ipiinha o comprador;
lando em bom eetado;
metade do proco que
ROUPA
.Va ra do Queimado n. i:t. ev/uinu
....
rolla para a Conyreyaro : pt<
Paletots de casemira a o, 6, 7, t, l
ditos de panno preto e azul a 9, 10, li,
ditos sobre-casacos do panno mun timo jor \ r
28t>, ditos de alpaca preta e de eordao ,i 4,,5e
7$, calcas de casemiras de r r> 7f'?
conta: no di,as Preto*:a "Sk V e.J* f3''*** *
i e ganga a 5. 5800, 3cW, calcas todas as qualidades e por proco minio Imhub, b*-
ces de puro linho a proco do' 800 e -1&, caber-
las de chita a 2VO, collarinhos de linho para a
600 rs. cada mu. e outros muitos obj-rt'W aac >o
vista ; e para isso se pede a aMenrao dos >-
guezes.
#
100
40
80
Taboaa de wnarello.
Vendem-sc na ra Direita u. 91.

Volantes e terinas.
Recebeu grande sortimento de volantes, teri-
nas, rendas douradas e prateadas bicos es-
peguelha e galSes de todas as larguras,
vendendo-se tudo por grecos baratissimos
principalmente sendo em pecas: s no Vi-
gilante ra do Crespo n. 7,
Retroz e liuha.
Tambem chegou um grande sortimento de
retroz do Porto do melhor fabricante; sen-
do, preto, azul ferrete e cores sortidas, a
14,ooo rs. a libra, linha de miada de Roriz
e cabefa"encarnada, que seus precos serSo
baratissimos: s no Vigilante ra do Cres-
po n. 7.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLow
Moor libra a 120 rs.
Potassa da Itussia.
Acaba de chegar pelo brigue hamburguez
Otto, muito nova e superior; vende-se so-
mente no antigo e acreditado deposito na ra
da Cadeia do Recife, n. 12; onde tambem se i RoadfQuflia(,# M |.j. 4, til*
vende cal de Lisboa muito nova e precos
commodos.
POTASSA.
Vende-se potassa de mui superior qnalidade e a
preco commodo : no largo do Corpo Santo, escrip-
torio de Manoel Ignacio de Oliveira A Filho u. 19.
ai* Ferrrira 4a Silva Jiaia
Veudem-sc cambraias de cores a OO i
vado para acabar, e laazinhas fln.t< a 500 r,
covado.
l-spirilo de vlath*.
Na ra do Cotovello n. 1 Tcnde-sc spira (
vinho de : graos a 240 rs. a garrafa, o. en
da a 15600.
wsmmA
DE
de UkIo^ i
ATTENCAO.
Vende-sc um bom sitio no lugar da Capunga,
com boa casa de pedra e cal para familia, tendo 3
salas e8quartos, cozinha fra, casa para escravos, i r,.,n;,.;/ne M .._ *^
dita para feitor, tanquopara banho, dito para lavar J^^pti Uub lia TUa Jtreilil IU 1 .
roupa, terreno proprio, viveiro e rio, e muitas < >'este estabelecimento, sortido
frueteiras, com 200 ps de larangeiras de diversas j ritos que a ella dizem respaila,
qualidades, sapotis, goiabeiras, abacate, manguei- seus numerosos freguezes qae
ras, narreira, emfim que se aclta livre e desemba- los por menos preco qne em outra
racado, convida-se aos pretendentes queiram diri-: como sejam, licores de todas as ejr
gir-se quclle lugar examinar o mesmo, que s dinarios a finos, geuebra superior,
com a vista serit satisfeitos, o (jual divide com o da como em liotija. agurdente do
do Sr. Antonio Roberto Jacobino: a tratar com a de canna, alcool de grao o mais
vluva do Sr. Joao Evangelista da Costa e Silva, no cheiro, proprio para composico.
Manguinho,
.imizade.
casa qne faz esquina para
a ra da prometle e afianca o bom ser-adiri
1 o qne for exportado.


t II FfiVFI i


^

Piarlo e rciaiMlingp Sexta letra ti te A
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS
P
TODOS
TAPORD I
se recebem ^cueros de conta ^^
propria e dos mclhores esta- "
belecimentos da Europa, ga- q
rante-se todo e qiialquer ge- ^
ero comprado ueste 2
ESTABEIICIMEMO.
COMPLETO
S0l!tWF.\T0 OEMOMABOS.
vende-se em porco e a reta-
lho, aprompta-se com toda a
presteza e exactido qualquer
encommenda dirigida a este
ESTABELECIHEOTO.
*
Os proprietarios do milito acreditado armazem Progresso fazem scientc ao respeita-
?i! publico e cora especialidade aos seus amigos e freguezes que tem resolvido resumir os
procos dos seus acreditados gneros, como abaixo verao nao obstante os procos menciona-
dos a vista da qualidade dos gneros que se prova quanto se deseja servir satisfatoria-
tteut'i aos nossos freguezes, advertiudo-lhes que mandem seus portadores, que serao to
. bem servidos como se riesen) pessoalmente, islo so no Progresso. "
Wmleiga ingleza perfectamente flor chegada | Farinha de Maranbo muito alva e cheiroza
do ultimo vapor a 9oo rs. a
libra.
dem de 2.a qualidade a 800 rs. a libra.
dem de 3/ dita a 6k> rs. a libra.
Mam para tempero a 32o e loo rs, a libra.
Manl'ga franceza a mais nova que ha no mer-
ca :1o a 800 rs. a libra, p em barril ter aba-
timento.
Baaha do porco refioada a 540 rs. a libra.
Vinho em pipa Porto Figneira e Lisboa a ioo,
48o, 5oo, 56o rs. a garrafa, em caada
2*,8oo 3,ooo 3,500 e i,00o rs.
He .1 em barrito mais superior que tem vin-
.10 mercado a 600 rs. a garrafa.
Lagrimas do Douro especial vinho do Porto a
5 ,oo:> a garrafa e a 10,000 a caixa, o preco
nao iiiflii a qualidade deste precioso vi-
nh, porm venhamao Pr<-gresso que a vis-
ta fin IV'.. a este genero constantemente man-
damos vir de conta propria e por isso po-
dnos vender por menos que nutro qual-
quer annonciante.
Vinho do Alto Douro das marcas mais acre-
ditadas e especialmente escomido por um
de nossos socios, comosejam:Gamoes, Du-
goe, do Puto. D.Luiz, Gareafrilos, Gha-
inisso & Filho, Madeira seceo, e Feitora a
a 160 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 32o rs. a libra e a9,ooo
rs. arroba.
Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
Azeite doce de Lisboa a 6lo rs. agarrafe e a
4.800 rs. a caada.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e a
1,2oo rs. a caada.'
Garrafoes com 5 garrafas de vinagre de Lis-
boa a 1.100 rs.
Cliampaulie das mareas mais acreditadas a
8 e a 10,000 rs, o gigo, e a 800 rs. e a
Looo rs. agarrafa.
POR MENOS DEZ POR CENTO
NOS (
mmwmm i mmmmm
DE
iia&WI 8 IDD8 8a)a
KS. 21 E 23-URG0fl)d TERCO-10. l\ E 23.
Recebem por conta propria a maior parte dos gneros existentes nos seus arma-
zens e por isso deliberou-se seu proprietario a vende-los por menos 10 % do que em
outra qualquer parte, garantiddo a superior qualidade
I.elam todos.
Manteiga ingleza especialmente escolhida a 72o e 800 rs. a libra.
dem franceza de primeira qualidade a 56o rs. a libra, e em barril a 51o rs. a libia.
Arroz puado o melhor do mercado a loo rs. a libra e 3,ooo rs. a arrolla ou sacco,
Caf do Rio e do Cear o melhor neste genero a 28o e 32o rs. a libra.
Batatas novas a 5o rs. a libra, em arroba a i,ioo rs. e em caixas de quatro arrobas por
4,5oo rs,
Bolachinhas americanas, as mais novas neste genero, a 2oo rs. a libra e 3,000 rs. a barrica.
Palitos do gaz, vindos por conta particular, a 2,3oo rs. a groza.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor, a l,8oo e 2,ooo rs.
Vinho do Porto em garrafa de superior qualidade a 9oo rs. agarrafa,
dem em pipa Figueira e Lisboa a 4oo rs. a ga/rafa, e a 3,ooo a caada.
Milho alpista o mais limpo que ha no mercado a 10o rs. a libra, e a ar'rroba a 5,ooo rs.
Velas de 6permacet, composicao e Aracaty, a 4oo, 36o e 64o rs. a libra.
Toucinho de Lisboa novo e grosso de primeira qualidade a 32o rs. a libra, e 9,ooors. a
arroba.
Alm destes gneros ha oulros muito baratsimos, ^assim como cha do melhor,
azeite doce, vinagre, cebollas, allios, pimenta, cominhos, erva-doce, cliarulos de todas as
qualidades. chouricas, sabiio verdadeiro de 16o a 24o rs. a libra, genebra de todas as
qualidades, que ludo se vende barato e quem duvidar venha ver.
Potassa da Rossia.
Vende-se em casa de N. 0. Bieber & C,
successores, ra da Cruz n. 4.
TERCOS
e eoras de cornalina.
-------.... ------1------------------------: A aguia branca pensando constanlemenle
Ceblas Superiores *m resteas, a Cinco bem servir a toda a sua freguezia. notou que ainda
mil ris o milheiro no Caes da alfandega n. "5o liavia feiio algum agrado a a'quoiis que pru-
armazem de Tasso A Irmaos.
1 AGUIA IIIIA VC 1
Reecbeu pelo ultimo vapor o
segiiinte:
Bonitas pulseiras de cabello, coral, e cora-
lina.
dente e arertadamente resando, cumprem dever de
Ikiiti christao, e quando reparou essa sua falla,
mandou vir e acaba de receber delicados tercos e
coras de cornalina com cruz de prata, os quaes
, deixa disposicao dos liis que cstiverem dispostos
a gastar l$i00,i&t' ',i& para possuirem um bonito
terco ou corta, com os quaes podem mesmo pedir a
Deus pela prosperidade d'aguia branca, em sen alo-
1 gre e espacoso ninlio da ra do Queimado n. 8.
Serveja puta marca T e XXX a 6.5oo e
7.000 rs. a duzia, e a 600 rs. a garrafa,
tambem temos das mesmas marcas para \, Massos e fios de coral.
e l,5oe rs. a duzia, e a 4oo rs. a garrafa. Esponjas finas para rosto.
dem branca Te cobrinha a5,5oo e 6,000 rs,
a duzia e Son rs. a garrafa, tambem ha
liara 4,ooo rs. a duzia.
Kovos e bonitos
Fortes e tontas ligas de seda para senhoras.! peniinhos travessos dourados
Outras cstreitas para meninas, ou manguitos.
Carteiras com agulhas.
Agulhetas para enfiar, e agulhas cantfas.
Trancelins e fitas de borracha.
Garriteis com torcal de todas as cores.
Pentes de tartaruga virados, com laco e
balo.
Enfeites de rede para conservar os cabellos
bem atados,
(iraxa em latas grandes a l,3oo rs. a duzia Aspas e coz para balo.
e 12o rs. a lata. i Fitas com cohetes para vestidos.
Vassouras do Porto arqueadas de 1m*f^%*^ \ 8"
de .muta duraco a loo rs. cada urna. j ^^^T' Mmlmm
Palitos de denles massos grandes a 2oo rs.: Trancelins grossos para relogios.
e 2Sfi re. i Escovas cabo d'osso, marfim e madreperola
e com pedras para
meninas : vendem-se na ra do Queimado, loja
1 d'aguia branca n. 8.
Bahnzinlios eom ikerfiiinarias e
m'ih ellas.
A aguia branca ronde bonito! balnuinlms com 6
fiasqumhos derheiros por lfioOO e vasios por 800
rs., servindo estes para meninas, e meuno para
joias, ele, etc. : na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Julias maclas o lustrosas para
bordar
vendem-se na loja d'aguia branca ra do
enfeites
9,ooo re. a caixa com
wore. agarrafa
12 garra
Garr a especia! vinlm do Porto con-
i 1 Kgarrafes .1 2,5oo rs.
dem com;; garrafas de
guea n *, too rs.
Paltos do yaz a rs. a caixinha e 2,3oo rs.
a groza.
Idjm co:.j ".
2,1 o) re.
Gela de Atoerclie chegada 110 ultimo vapor
latas de 2 libras a 8oo rs. pecliincha.
- Genebra de tutanda garnrfSes com l gar-
rafas por 6.800 rs.
jrrala? de vinho Lisboa a
dem em frasqueiras a6,3oo rs. e 6,000 rs. ea
. ... 880 re. o frusco aifiarifa-se ser verdadeira.
VuihD braaco de Lisboa proprio para missa ,, ,
lo a engarrafado de Lisboa a 64o rs, ,aem ae bt,llJa em ban'c:|s com quatro du-
3 garrafa. zias;' ',,' rs- esda botija.
dem de laranja em frascos grandes venia
Moni em barril muito supe'ior a 5oo rs. a
e bonitos
para eabeeas.
Quando o bello sexo senta a falta de bous
enfeites para eabeca. eis que a aguia branca
recebe urna sua encommenda de bonitos e
para dentes, unhas, limpar pentes e joias.
Outras finas para roupa, chapeo, cabello etc. delicados enfeites, c de modernsima moda,
muito servindo isso para sanar aquella falta,
cfazer com que as Exmas. apreciadoras da
bella empreza Gotmbra possam melhor real-
sar e mastrarem o aparado posto que as
guia. Esses enfeites saad'um tecido bs-
tanle fino com coiiiinhas d'aco, e mui bem
enfeitados com^ flores, litas, bicos. plumas
etc., entretanto que sendo obra de muito
gosto costara .'S. Os e "> dinheiro vista:
alegre loja d'aguia branca ra
Outras de velludo para chapeos.
Pastas para papis.
Raspaileiras e lacas de marlim para dit;'\
Visporas e doiitins.
Baratisslnias bandeijas.
A aguia branca por motas venes tem da-
do a conhecer que quando ada ajffmiu pe-
nao quer somente com ella encher
RA DO QUEIMADO N. 46
DE
FAZEMDAS E KOI PAN FEITA8.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 25)J, 18&, 300 e 35*. canacas
muito bem fritas a 25, 8f>. 30;> e 35, paletots acasacados de panno prete de Mial
25, ditos de casemira de cor a 450, 18-s e 200, paletots saceos e anmoo e ense-
mira de 8-s at 110, ditos saceos de alpaca, merino e la de 40 at 60, sobre de atpara
merino de 70 at H >. calcas pretas de casemira de 80 at 140, ditas de cor de 70 at>-
150, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de roopas e Irn,
como sejamcalcas, paletots e rolletes, sortimento de colletes pretos de meflm, caseanri
e velludo de 40 a 90, ditos para casamento a 50 e 60, paletots brancos de bramante a 4A
e 50, calcas brancas muito finas a 50, e um grande sortimento de fazendas finas e :
as, completo sortimento de casemiras inglezas para hornera, menino e senbora,
de linho e algodao, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin pva bu
ahora. Temos urna grande fabrica de alfaiate, onde recebemos encommendas de t.
obias, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de semetttante arte e
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto ecutamos qualquer obra
promptid5o e mais barata de que em outra qualquer casa.
1 1 \lll AO DO KOUU l\-KI I IMI
BIU'M M 38.
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sortHnenlo machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de fero com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
^%^m m mviflM
DE
TODAS AS QUALIDADE*
ANTONIO MAI DE BRITO
CONIILCIUA POR FABRICADA YUYA.
N. 21Antiga ra dos Quarteis de polMiaN. I.
Constando ao annuneiante, que alguns especuladores de m f. \endo a mdn
que gosam os meus cigarros, e para poderem dar consumo aos seus aiMlam veadenk> 1
na praca como pelo mato, illudindo os meus freguezes, dizendo que sio meus ;e _
dos os meus cigarros sao vendidos na minha fabrica, e nao mando pnjnnj atgam
por minha conta fra dola, faco o presente annuncio para evitar qu. eomprem e*> fm
lebre ; e para seguranca dos senhores consumidores deste genero 1 especialmnle os ana
freguezes, aviso que todos os massos de cigarros que forem vendido, na minha (abrir s*
marcados com um distinclivo que declara o meu nome. o nome da noto wrm
mesma casa.
Aproveito a occasio para scienlificar aos mesmos senhores. que ffinutartraaral
encontrarn um completo sortimento de cigarros de diversas qualidaies, e do memr fea
escolhido, por sua boa qualidade j bem conhecida.

chincha.
o papo, ao contrario deseja que toda sua boa n,a 4,',,'l,s' (' al|<
freguezia e o publico em geral prvem da d0 y"'!1"11*0 n. 8.
afa e a t.ooo e :i.H.io a caada.
Amenas francezas em caixrahaa de I i
e l bras elegantemente enfetadas eom ri-
cas estampas na caisa exterior a l,3oo
*>Goo 2,000 e 2,8oors.
deira italiana a l,ooors. o frasco.
2 Marrasquino de zara a 72o rs.
Licor francez de tenias as qualidades em
- garrafas de vidro brancos a 72o e 800 rs.
mesma, o que agora mesmo acontece com
essas; baratissimas bandeijas. cuja limilaeao
de oreos admira, em relaco aos tamanhos c
qnaudedesravista do que convm todos a-
proveitarem-se dessa opportuna occasio c
proverem-se d'uin traste serapre necessario,
libras a l.ioo e
Mein em latas 0;'. 1 \t 6
4,6oo rs, cada nina.
Figos de comadre em banzinbosde l'ollia
ito-j oj is p ira nimo a l,6oo.
dem emeaixinhas a I,loo rs.
dem em catxrhas ermoticamente lacradas
e multo bem enfeitadas a l,8oa rs.
Mema Soors. a libra.
Kssaa i! mais novas que ha no
raertadoa 4oo rs. a libra e a 6,000 rs. a
sa.
Delicadas tesonriulia d'aco para
liordados e labyiiutlios.
A pedido de alguinas senhoras suas predicletas
treguezas, a aguia branca mandn vir dessas do-
eadas lesourinh.-is d'aco ponas agudas, propras
para bordados e lativTinlbos, e una vez cnegadas
ida
IMHSM FK1T I
NO
ARHAKEIH
DR
I I
6 10 re.
il is eran ticamente lacradas a
Lagostim em latas grande- ,1 |,4oo.
Savel, DOmna, cherne, vezugo, peixe espada,
|ii.:paiailosK!la primeira arte de codnib a
L3oo rs.
O.wjo 1 las no ultimo va-
1 2. i 1 < rs.
twi do vapor passado a 2,ioo .000 e
t ,80o, rs.
f I un jrato d) ultimo vapor a 64o rs. alibra. I
V/.eiie doce retinado do fabricante Pelanol e
ontros a 800 rs. a garrafa.
Conservas inglesas surtidas e de urna s qua-
lidade a Sor. rs. o frasco.
\1a1uia rerdSdetra a 32o rs. a libra.
' Gomma de encommar muito alva a 800 re.
a libra e.2.2oo rs. a arroba.
I
Saga muito novo a 2o rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 16o es. a libra.
Sevada nmito nova a 12o rs. a libra e 3,4oo
S, a arroba.
Ksiieliinlia e pe\ide mu i lo nova a .">o rs. a
libra.
Ma.anlo a 32ors. a lilira.
dem lalliariin o mais novo que ha no mor-
cado a i8o rs. a libra.
Metria a 5oo rs. a libra.
Arroz caroliuo a loo rs. a libra e a 2.8ox rs.
a arrolla.
Doce da casca da goiaba caixes pandea a dem
600 e9oo rs.
do Maranbo
3,000 a arroba.
a 12o rs. a libra, e a
ra do Queimado n. 8.
; Os afamados copos coui bauha. e
boie.% com iuscripces.
Chegaram novamenle para a aguia branca
esses afamados e estimados copos com bauha
fina; assim como os bonitos ooioes de por-
cellana dourada tambem com banha. e novas
inseripcoes maviosas e jocoserias, mui ade- loja d'aguia branca,
quado para presentes resta porem que os apre-
ciadores concorram. munidos de dinheiro,
alegre e espacosa loja d'aguia branca ra do %9-^ %\
Queimado 11. 8.
. Ricas guarnices de pentes e
flrellas para cintos.
A aguia branca
nhas. na certeza de que perder;! por ehegar larde;
quem se demorar em as mandar comprar no ale-
gre e espacoso ninlio d'aguia branca, ra do Quei-
mado n. 8. onde tambem lia outras curvas e direi-
las para unhas. ,
Lnvas de caniurca.
Vendem-se mui finas luvas de'carranca..
branca e amarella: na ra do Queimado n. 88
<1DIll/A JJl ijliAi) U--J8
JLETREIRO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de nsipa fciu tW-
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vonlade dos coo>h-
renles, para o que tem um dos mclhores professores, assim como tambera tem nm
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades. para senhoras.
homens e meninos.
SEGUNDO.
Ruado Queimado n. 55. loja de miiwV/.a> de
Jos de Azevedo Maia e Silva, esta vendendo todas
as suas miudezas por procos riuo todos admiram
guaruicoes de pentes dourados. e com pe- como sejam : '
dras; assim como outras bordadas froco e Varas de aspaa pan bnr balees. 120
recebeu novas e ricas
': iiiiricas as mais novas que lia no mercado Caf do Kio o mais superior que se ode de-
.-ejaraWors. alibra.
C. .ricas mourasencramanoa especial nos- ,(l''1"a.28" '' alibra ea8,2oo,8,ioo
*; a Ojo rs. a libra.
rVe/mto venladeiro de
t.''zeite 56o rs. a libra
Rphxinha ingleza a
marcado a 2,Soo rs.
mais novia que ha no
a barfi.piinha com
arrobare a 2o rs. a |&m
dem de soda de diversas qtialdades i 1. iOO
i lis.
dem em latas grandes, propias pai'a hinche.
E> a 6 bjras por 2,oq rs.
flKinnelada imperial do fabricante Ahreu e
(n'.-os cdnserveiros da Lisboa a 6oo re. a
I
Frutas em calda de lodan m q-ndidadcq i
too re.
:r.i:has francezas a 5oo i.-, a .:,.
I*]^n porlugtie./.as a (o rs. a hl .
njas, i 64o rs. a libr
Amen ifciladas a ', ra.
e 8f7(^> re.
Velas de carnauba refinada a 32o rs. a libra,
em calda e a lo.ooo rs. a arroba.
dem de-epermacete a (io re, a libra.
.Chocolate hespanbol e francez a 9oo e l,ooo
re, a libra.
Cha penda muito especial chegado neste ul-
timo vapor de encoinmeiida propria muito
novo a 3,ooo e 2,8oo ni. a libra.
dem hiixiin muito superior a 2,Too rs. a
libra,
dem hyssoaat,88o rs. a libra.
Mein l\sson a 2,00o e 2.2'to rs. a bina.
Mein preto bomepathico e muito saperior a
2,000 rs. a libra.
. dem nacional a l,6oo rs. a libra.
com bolas pendentes, novidade essa que s
se acba em dita loja. e que na verdade se
tornam mui alegres e bonitas: e bem assim
receben lindas livellas com pedras, e ditas
d'aco com novos e engracados moldes, cintos
dourados e de marroquim: e muitos ontros
objectos de gosto para senhoras ser3o encon- Massos com superiores -nmlpos a!
trados na alegre e espacosa loja d'aguia Canrretes de aparar penas a.
branca ra do Queimado n. 8.
Babadlahos es tr el tose bordados
Carxas com superiores obreias .
Paros de botes de punhos a .
Pares de sapatos de tranca muito finos
a iSHOe.....*..... 1800'
Pecas de lilas de velludo recortadas com
(5 varas a ..........
Ca*U com muito superior papel amiza-
de c oulri
40
160
i-'oo;
(-asacas de panno preto, 38| e
Sobrecasacas dem. 30/> e .
Paletos idem e de cores. 2-'s.
20, 15-$ e......
Hilos de casemira. 20S. \:,\.
m, me......
Ditos de alpaca. 5-) e. .
Ditos ditos pretos, 9?), TA.
He........
Ditos de briin e ganga de c6-
res, 4#>00. -s. :i v'iOO e. .
Ditos branco de linho, oVJ, 5$ e
Ditos de merino preto de cor-
do, 181, T^e.....
Calcas de casemira prcta. li$,
105, m e......
Dilas de cores, 9#, 85 e. .
Dilas de meia casemira de c<>-

34090
44000
5)5000
TAOOO
T3000
res.
71X1
40
80
80
Ajnilheiros com apillias a
Duzia de meias moca para bomem,
muito finas a......... l^tiOO
Duzia de meias para senliora, fazenda
, lin< a..............356OO
(.rnelas de cliihv para meninos a 80
,, ., ICscovas |iara limpar dentes muito linas. 00
t apadlOM comprldos e redondos Baralhos de carias para voilarete muito
Vendem-se na ra do Queimado.'Joja d'agnia Ditas portuguzas a 160 e '. 500
branca n. B. frascos de agua de Colonia imiHo boa a
<-ra\a econmica. Ditos de oleo babosa a'i4 o! 500
A aguia branca acaba de recelar e>.-a acredita- Pj!os com suPeror 0,e0 ** ""H* a 100
da graxa econmica, cuja suiierioridade est ec- ^tos com ^l'fnor inacaca perola a 200
ralmyrte reonhecida ; essa l*a graxa se torna ^ com snlM'n.or lj;ml.';i "ansparenU! a 800
recommendada. tanto porque o raleado lustrado !** com sl,Prior cIie,r" "..... 500
com ella deixa porfoitamento lustroso ao menos D,tos.eom *<>penor agua celeste para
tresdias sem necessidade de novo unto, como J?._* ._ i- '._ ; -__ 15rtl)
Vendem-se a ra do Queimado n. 8. loja d'aguia
branca.
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, ), $300 e.
Ditas de biim braueo e de c-
reii U, 4500, W e .
Ditas de ganga de cores.
3|380, :is e.....
Colletes ile velludo preto e de
cores, 9;> e......
Ditos de casemira preta, io e
Ditos de ditas de cores 5,->
_ 40 e........
M Ditos de seliin preto. .
8 Ditos de ditos e seda branco.
O,-) e.......
Ditos de gorgnrSo de seda
pretos e de cores, 0&, 5$ e
300808 Colletes de fnslaoe I.rinibran-
881880 co. 8|S00, 3-> e vcmi
Semillas de brini de lin|H..
101888 2-sitHi e.....^aini
Ditas de aigodiu. 18800 e. 18108
T->000 Camisas de peitos de linho.
3*500 TA. 4A. 34 e.....-v*n>
Ditas de madapolo. 3$\
34500 24?iOO. 24 e.....1**0
Chapeos de massa. pretos ran-
cezes. I('\. ||e s-.-no
Ditos de feltro, 54. 44.34300 e 28080
Hilos de sol. de seda. li.
114, T4 e '. 14580!
Collarinhos de linlio lino, ulli-
ma moda....... -,',-
Sortimento completo de grava-
tas. |
44000 Toabas [tarroslo, duzia. I lv
94 e........ imooo
14000 Aloalliado adamascado de li-
nho vara......I -v&to :
24300 Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores. 44000
24:0O Lenees de Mofan.....34080
i Cobertas de chita chineza. 240to
T,-MK)0 Peonas d'aco, as mais snjierM-
44000 res, a grosa...... nao
Relogios de ouro orizmitaes.
34300 !H)\804e......TO-S080
.'>40(X) Ditos de prata. al\;uiftmlo.
patentes e orisontaes, W4 304#oo
54OO0 Obrasdc aderecos. |iulceiras. nttUm,
i4O00 aneis e cruzes.

mesmo porque sua preparacao appronriada nara J'?n?as (,c algoda brancas e de cores a
amaciar o conservar o.couro ; ella vem em caixi- ^!x.as, com su|>eriores ohrcias de colla .
nbas e barrizinhos, e acha-se venda na ra do ,3ol*,n?,ai ,"""0 "nius para guardar di-
Queimado n. 8, loja ffagnJB branca. ao> rozuniidos ,. .!;!ro ? '*'**:......
procos de 400. IO e 640 Grvalas de soda de diversos gostos a .
1 unciros de vidro com superior tinta a .
Pcnnas de ac Ingleza calvara- !>arPS do 1,lvas 1,rancas lo algodao a. .
phicas. a balo c outras. C^SU de linha com i00Ja,'das' bra"-
A aguia branca recelan un bello sortimento de Filas e cordoos para enli.u espartilhosa
H^nde casca mole a 2*
Avelans a 2oo rs. a luir.

faavaneiros, mossecipes, regala ira-
flor das maltas, primores a 4,ooo,
3,aoo. 3,ooo, e 2,8oo. ,5o,
<.8oo rs. a caixa.
branca, na do Queimado n. 8, nao ficarao dcscon- Ditas de cabo branco eravado a.
tantee. Ka mesma loja acha-se tambem um warla- Ditas de balaneo mudo finas a .
do sortimento de caeta-.- sobrosabindo entre ellas Tesouras para corlar, pequeas e fina-
unas de nova invencSo, que por si mo a penna fura quando assim se rmeira Tesouras para cortar as mn'it.. 'flnai a
80.
80
ooo;
500
1601
6 100
30
400
80
.'15200,
siseo
oaooo;
.">00
INJECCAO E CAPSULAS
GRIMAULT E C'.A PHARMACEUCOS LM P.
Novo tralamenlo preparado com as falkaa *r Umttr:r*9r* *mPtm,f*ia a r*n rafM c MMOrei
da Gonorrtiea sem rpeein algum da contraer*o do canal ou da namniacao 4m WmOm*. O elcbrr
doutor ii i cor ii, de Par?, ter renonclodo, desde un apparlcJo, ao emprgo te quahpMr ootra TraUmctiU.
r.niprega-fe a Injcccin no comeen do uxo. a* cnpsulas em todos os casoa ttwiiem t iaTders4aa,qm
rrsislirao s pre|>araces do copa lu, cutieba e .> injercoe* com base nwtalllri.
Depsito geral: em f*rit, em casa de MM. Griiuaui* o, phafW4.*Uww.", n c la NaklsOa*
em Lisboa, Jos-Asoatlnha da Coma-C.artalho Jualar; no rorto, Sflaarl Jr -*-------- n
reir; em o Jlio-de-Ainero( Cota, 102, ra S. Pedro; em Baha. #a*-Ccaaa r
aelra; em Rio-Croad*, Jaaajarta ale Oar*y; em Mmmnko, Ferr ira e 0>-
shottm e c., ra da Croa. ; sama, e na* principa pbannaclu o Bracll.


Deposito geral em Pernambuco ma da Craz n. 22 em rasa de Carm 4 Barbn.
i


W"l-4 '
." '*' 1'
I4i'l"l"
.WM1
W 4f y
a_M
d>*g#>
i
\
-
GRANDE ARMAZEM
AE
I
ARMAZEM DE MOLHADOS
EE
Ni M, HA DAS CR17ES N. 36
DO
bairro de auto Antonio.
0 pfoprietario do muilo acreditado armazem denominado Progresista lendo
fempreem vista fazer tudo o que for possivel para bem servir aos seus freguezes, tem
Uiibecado vender os seus j bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaixo mencionados, e affianca as pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
esclavos, seremtao bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de ivv qualquer
oucommenda, ainda mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento. 0
mesmo pedTTis senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que nao agradar, devendo os mesmos senhores tcr toda atten-
c9o com os seus portadores, fazendo-lhes ver que so no armazem Progresista da ra das
Cruzes n. 36, que se vendem os melhors gneros por mais barato preco, porque estes
muitas vezes olvidam-se e vio outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.
r4toe\
&
8= <
m 2
___ m 4 0 w
-3 fi
m M
H 9
ce
5=3 T 0
a 89 1
a H
a F e
(di
az
--a
etto.
m>


99
* F8
m
ai s
* ^
> j
CU)
=&.
=H
e
DE
Eduardo Marques' de Oliveira C.
a*
73
O

M -e
a

O '3
.'. 2 ] 1
3 91
O
a.
SP
*
31
C
-C
N'estes novos e grandes estabelecimenlos de motilados, encontrai
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos fregoezea do centro, ex| ost< i >
todas as emalidades de gneros por menos preco que em quaesquer nutro mm-
tos d'esta ordem, pois para bem servir os seus freguezes existe na Eunfi >-
cios para serem vindos de conta propria diversos gneros, edetdejae *
peitavel publico sempre os melhors gneros do nosso mercado. e por precos bai.ii
mos como abaixo verao, a saber :
Amendoas a 320 rs. a libra.
4| I El Al EUR.
Tendo o BALIZA dadooseu balanc/) no ultimo dejunhopassado, e desejando re-
Manteigaingleza de 1.'qualidade, a 800 rs.! de superior qualidade a 320 rs.cadi cnovaro magnifico sortimento de seu GRANDE ARMAZEM, chama pelo presente a
rs. a libra.
Ilatatas em gigo de arroba a 1,3oo rs.
Uucijos do reino, chegados pelo ultimo vapor,
de U a 2*500.
Idem prato, chegado neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejai\ a 700 rs.
a libra.
dem londrino, mandados vir de encommen-
da especial, a 1)00 rs. a libra.
dem suisso, muito fresco, a 800 rs. a libra.
Caf do Rio de 1.a e 2/ qualidade a 8*500
e 8*800 a arroba, e 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India e Maranho a 120 rs. a libra
e 3*200 a arroba.
Avelaas as mais novas neste genero a 240
rs. a libra.
Presuntos do Porto muito novos a 500 rs. a
libra.
I.egumes francezes para sopa, como seja,
Julietas, mlange d'quipage, Choux e
outras qualidades, a 400 e 500 o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, e
en porcao ter abatimonto.
1 iarrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Donro a 2*400 com o garrafao ;
alianea-se que nesse genero 60 nabo/
que veio ao mercado.
Iden com 5 garrafas de vinho Figueira muito
superior e mais proprio para a nossa esta-
can por ser mais i'reseo*a ,-> 100.
lia hysson o mais superior a 2*C00 a libra,
aaaea-se ser pgtMtl ao que regularmente
vendemos a 3->2tK).
Iden lluvial miudinlto, o mais superior quo
N.iii ao nosso mercado a 2(>700 a libra.
dem preto muito fino, a 2;>000 a libra.
Cltorolnti' tora too, I.000 .' l,2oo rs. a ti*
ln.i.
i'liwffifi eom fariafas de superior vinho
de Lisboa a 2$100cada um.
Iden com 5 gtftafas ae >.nare de Lisboa
a |;)l(X)como garrafao. /*
tm o garrafas de vinagre liambur-
guez a 800j-s. cada um.
Vinbos generosos viudos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: Genuino,
Prto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
tovia, Volho secco, Chamico, Madeira su-
perior c outros a )(X) rs. a garrafa e 9
\ diizia.
Vinho Bordeaux das melhors marcas: St
hiii.-u. atedoc e S. Estephe e outros a
i*iO rs. a garrafa e 70800 a caixa rom
iinia tln/.ia.
nq-icas e paios, o mais novo que se pode
ejar, a 250 e (iOO rs. a libra.
Cognac verdadeiromglea dos melhors fa-
M-icaiit.'s a KX) rs. a arrafa e KCviOO a
cjBsa con urna duzia.
M;urasquino de Zara em frascos grandes a
Km rs. cada um.
licores franceses, muito finos, das seguintes
marcas: Amz.'tfa de Roideaux. Plaiserdes
doea, Cme de Noyau, Eau Danuic,
Crme de Menthe, Hude de Venus etc. etc.
400 rs. cada um.
Milho-alpista a 180 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra e 20300 a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol, que raras vezes
. vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libra e
em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade de 160,
180, 200, 220 0 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 1,>300 a duzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salm3o c outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
cozinha a ljj400.
Papel grvc pautado o liso' a 3,$800 a resina.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
4G0 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
rs marras a 3,$200 e 4;>000 a caada do
melhor e 500 rs. a garrafa, em poroSo ter
abatimento.
Vinho velho Chamico en barril, muito proprio
para sobremesa, a 040 rs. a garrafa e
iJOOO a caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 5G0 rs. a garrafa e a 4#000
a caada.
Vinagre puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
e 10400 a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril
a 040 rs. a garrafa, e en poiro tona
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
li$000 a garYafa, e l$000 o gigo com
urna duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Babia a 30300 a caixa, tambem temos
para 2?>000, 20500, 30000 e 30O8 a
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 000, 640.
e 680 rs. masso.
dem de carnauba e composicio a 320, 360,
e 400 rs. a libra e de 10^ a 111509 a
anoba,
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 10080
a aucoreta do Porto c 1;>j00 a de Lisbot.
Massas [jara sopa: estrellinha, rodinha e pe*
vide a 400 rs. a libra e 20000 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carrao e aletria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate portugiiez, hespanhol, franccz e
suisso das memores qualidades a 900 rs.
a lihra.
attenco do respeitavel publico para os procos dos gneros abaixo mencionados, qne em
verdade sao os mais razoaveis que se pdem adiar, atienta a sua boa qualidade.
Soldado voluntario do batalho progresista, o BALIZA o homem do mov-
uto. Elle pede, pois, aos seus bous camaradas, que sao todos os inimigos do fiado, o
favor de nao lhe darem um minuto de descanco obrigando-o a vender todo o dja.
Desta sorte o BALIZA vivir contente e contntala tambem aos seus freguezes, venden-
do-lhes sempre generosamente, e talvez que ainda por precos mais razoaveis.
Ameixas em frascos de vidro, a 10500.
Ditas em caixinhas com lindas figuras,
1/200 c 20400.
Ditas em latinhas, a 10400.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra.
OO, 800 e 10 o frasco.
Marmclada excedente a 640 rs. a libia.
Ostras americanas (excedente petisco), a 800
rs. a lata.
Passas a 400 rs. a libra, e em caixas a 80.
Arroz (Carolina), primeira qualidade, a 120 Presuntos de Lamego, a 560 rs. a libra
rs. a libra.
Dito do Maranho, a 120 rs. a libra.
Azeitonas novas de Lisboa e Porto, a 10 e
l/200aancoreta.
Azeite doce refinado, a 800 rs. a garrafa.
Dito em barril, a 640 rs. a garrafa.
Dito de carrapato, a 360 rs. a garrafa.
Arroz com casca, a 30 a saca, com 20 cuias
e a 240 rs. a cuia.
dem inglez para fiambre vindo de encommen-
da, a 800 rs. a libra.
dem americano, a 500 rs. a libra.
Peixe de Lisboa Inglaterra e Ameriea, pre-
parado conforme a arte de cosinha, em la-
tas de 2 a 3 libras, de 10300 10400.
Phosphoros do gaz, a 20300 a grosa.
Queijos londrinos chegados no ultimo vapor
a 800 rs. a libra.
Ancoretas americanas de 6 c 12 garrafas, dem dem chegados no penltimo vapor, a
640 rs. a libra,
dem flamengos chegados no ultimo vapora
2$400.
dem idem chegados no penltimo vapor, a
20000.
Sal refinado em vazos de vidro, a 600 rs.
dem idem em vazos de louca, a 500 rs.
Ceneja das melhors marcas que vem ao
mercado, a M, 40500, 50, 50500, 60 e
6/500 a duzia.
Sardinhas de Lisboa preparadas de escabexe,
a 640 rs. a lata le grande tamanho.
Idem de Nantes, a 380 rs. a latinha.
Sabo massa de 120, O, 160, 180, 200 e
240, rs. a libra.
Tinta pirta nacional e ingleza, a OiO rs. a
garrafa, e 240 rs. o boio.
Toucinho d Lisboa, de mais de meio palmo
por 320 rs. a libia,
dem de Santos, a 280 rs. a libra.
Idem americano, a 200 rs. a libra,
dem inglez secco no fumen o, melhor do que
todos os presuntos, a 640 rs. a libra.
Vassouras americanas muito lindas e fortes.
a 640 i s. cada urna.
Vellas de Buenos-Ayres em caixas com 16
libras, por /.
dem de carnauba e composico, a 360 e 400
rs. a lihra.
muito bem fabricadas, a 10 cada urna.
Araruta muito liua, a 480 rs. a lihra.
Batatas em gigos a 10380 e de 30 a 40 rs. a
lihra.
Bolachinhas americanas, a 30 a barrica e
240 rs. a libra.
Biscoutinhos inglezes, em latinhas. a I $300.
Biscouto lunch e soda, em latas de 4 a 5 li-
bras, a 20 a lata.
Banba de poico, a 560 rs. a libra.
Balaios hamhurguezes muito lindos, de di-
versos tannos e por preco razoavel.
Caf do Rio, a 280 e 300 rs. a libra, em
' arroba, a 80200, 80.100 c 9/.
Ceblas, a 800 rs. o rento e 1$ o mlho.
Cha perola, a 30 a lihra.
dem hisso), superior, a 2$800 a lihra.
dem chumbo, a 20600 a libra*.
Idem hysson, solfrivel, a 20400 a lihra.
dem hysson, menos solfrivel, a 20 a lihra.
dem preto, magnifico, a 2$ a libra.
dem preto, menos superior, a l;j,XOOrs. a
libra,
dem preto, solfrivel, a 10600 rs. a libra,
dem nacional, a 1/800 a libra (en latas).
Idem nacional, a 10600, a libra,
dem nacional, ordinario, a 1$ a libra.
Champagne, marca aguia, de superior qua-i,|,.m doAracaly,a 400 rs. a libra.
lidade, a 640 rs. a garrafa c 70 o gjgo.'idem stearinas, a 600 e 640 rs. o masso.
com 12 garrafas. ber champagne por tal proco? 'Vinho Lagrimas do Douro, neste genero a
Charutos de muitas marcas e a procos bara- melhor qualidade que boje vem ao nosso
tosimos, sendo que ha le 800 rs. at. mercado em garrafas brancas com o nomo
40 o "cont, vindos do Rio, Babia c de
Hespanba.
Chocolate suisso de Lisboa e francez, a 800
rs. e 1$.
Aveles a 2oo rs. a libra. .
Ameixas a 10 a libra.
Ditas em frasco por 20800.
Aitoz pilado da India loo rs. a libra e 30ooo
a arroba.
Dito dito do Maranho 120 rs. a libra e 30500
a arroba.
Azeite doce francez 800 rs. a garrafa.
Dito de Lisboa 680 rs. a garrafa.
Agurdente de. canna de cabera a 240 e 320
rs. a garrafa.
Azeitonas a 320 rs. a garrafa e l,3oo a au-
coreta.
Batatas inglezas a 6o rs. a libra e 1,8uo a
arroba.
Banba de porro a 55o rs. a libra.
Bolachinha de soda a 10400 a lata.
Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, c a bar-
rica a 30000.
Cha hysson a 20200 a libra.
Dito dito fino a 20600 a libra.
Dito miudinho a 20800 a libra.
Dito do Rio a 10800 a libra.
^Dito preto a 10900 a libra.
Charutos de diversas qualidades a 10200,
10500 e 30 a caixa.
Champagne a 10 e 10500 a garrafa.
Chouricas a 560 e 600 rs. a libra.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Caf em grao a 300 e 320 rs. a libra, e90e
90200 a arroba.
Ditomoidoa 360 rs. a libra.
Doce de goiaba a 560 rs. o eaixo.
Espirito de vinho de 38 graos, a 280 rs. a
garrafa.
Paran do Maranho a 160 rs. a libra.
Dita flor de laranja a 10 o frasco.
Feijo branco muito novo a 440 rs. a cuia.
Figos a 32o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em botijas a Seo rs.
Dita llamburgueza a 44o rs. a botija.
Gomma d'araruta a 100 rs. a libra, e 20600
a arroba.
Graixa em latas a 120, e 10300 a duzia.
Genebra em garraoes de I 4 garrafas por
40600.
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito cm garrafas grandes do superior quali-
dade a 10500.
Mantciga ingleza flor a 800,900 o 10 a libra.
Manteiga franceza a 6oo e 64o rs. a lihra.
Dita Imllandeza a 72o 8oo rs. a libra...
Mostarda a 640 rs. o frasco.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a M6 m. i Ui*-
Massa estrellinha para sopa a So i m. >. MB.
Macan ao. aletria e talharim a 48o is. .i k-
bra.
Marrasquino'de Zara a 800 r?. OW
Passas a 4oo rs. a libra.
Palitos para denles a 180 rs. o mass
Phosphoros do gaz a 24500 a en
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a 20
20500.
Dito de pralo a 720 i s. a lili i,
Cenejas de marcas raperiom i :'oo, 50U.
600 e 640 rs. a garrafa, o 50500, t-0 c
6)|S00 a duzia.
Dita em barril por 40, e 240 rs. i g4n.1L.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 o MI i i !a*-
nha.
Sag a 240 re. a 13ra.
Sabo massa a 200, 240 c 2801 <. i ufen.
Sovadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 re. i tifo.
Tijolo para limpai Aras a l'M) rs.
Vellas de spermacete da gaz i i Jaa r*. a
libra.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito om caixas de 6 libras por 4*000.
Ditas de carnauba a H0 rs. a M
Ditas de composico a 300 e 380 re. 11 fea.
Vinho do Porto, ranada a 50500, garrafa a
720 rs.
Dito Lisboa, cariada a 40 c a g rraft a 50f>
rs.
Dito Figueira, ranada a 31840 i g vre
480 rs.
Dito dita superior, caada a lia i fpannl
a 500 rs.
Dito Kstreito, caada a 34*01
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 e 800 re. a garran.
Vinagre de Lisboa em gsrraflV ie :*> garra-
fas por IWOO.
Dito -em caada a 20, e ;' *<-<* re. a .
Vinho do Pwta en garraoes de 3 m
por 2>>00.
Dito dito engarrafado a 10 e 10200.
Dito lagrimas do Douro a 10100 agamia
Vinho branco de Li>boa a 720 rs.
e 5-S a caada.
Mtodoestreitoaf.OOis. aj..aiiafa,-' i
a caada.
f
r
-
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixao.
Ceneja das melhors marcas de 5>500 a
6*000 a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscoutos.inglezes de diversas qualidades a
10300 a lata.
Bolachinha de soda, espacia] eneommenda,
muito nova em latas grandes a 20000 cada
urna.
rs.
! asacM muito novas e de carnada a 400 rs a ... (im -m
!:l e 60300 a caixa com urna arroba, na ^^Jj1 m ^ k ,0 a <0
caixas, rucias o quartos.
.__... v,,,^,,! Sardinhas de Nantes, do fabricante Basset, a
\ineixas france/as em frascos de I 1)2 e 3 h-, 3() .
oras de 10*00 a 20800, tamben ha latas I a ld";
,e (} libras. Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a lil*a.
Tijolo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Marmelada imperial, dos melhors conser- cebollas o mlho a 900 rs.
veiros de Lisboa, a 000 rs. a libra, em la-
tas lacradas hermticamente. Erea-loce muito nova a 400 rs. a libra.
Frudas em caldas de todas as qualidades em Cominhos idem idem a 640 rs. a libra,
latas muito bem enfeitadas. a 500 rs ca- Carrales vasios a 500 rs. cada um.
.la urna.
Botadnh. ingleza, a mais nova que se pode ^nZ ^MrfdXLf06'
tejar, a 30000 a barrio a e 240 rs. a
libra.
Cebollas a granel a 640 rs. o rento.
Karinha do Maranho muito alva e cheirosa Canella a mais nova do nosso mercado a
a 160 rs. a libra." 10000 a libra.
Azeite francez clarificado a 800 rs. a garfafa Alfazema o que pode haver de melhor neste
e 90000 a caixa com urna duzia. artigo a 280 rs. a libra.
Conservas inglezas dos.melhors fabricantes phosphoros deseguranca individual a 20 rs.
Mixed PfcWes, ceblas,simples, e outros a caixnba.
a 760 rs. o frasco.
Papel de embrulho muito superior a 10120
Farinh verdadeira de araruta a 50Q rs. a a resma,
libra, garante-se a superior qualidade. Vmho da -Figueira> Q que ^ de a
Palitos para denles em caixinhas douradas' 40000 a caada.
Breu, a 320 a libra e 80 a arroba. Copos finos para agua a 60000 a duzia.
Chouricas c saipkoa, a 640 rs. a libra.
Conservas inglezas. a 800 rs. o frasco.
Ditas fracezas, a 500 rs. o frasco.
Cognac ingle/., a 600, rs. a garrafa c em
caada, a 4>.
dem engarrafados, a 800 rs.a garrafa.
Doces, ein liados vazos de vidro, das fruo-
tas mais exquisitas da Europa, a 10 o
frasco.
Dito de Lisboa, om latas, a 300 rs. a lata.
Dito de goiaba, a 640 o 800 rs. o caixao.
Dito cm latas muito proprio para presente,
garante-se sua duraoao iunalteravel por!,
mais de nnno.
Facililla de Maranho, a 100 rs. a lihra.
Dita de trigo, a 140 o 160 re. a libra.
Fructas francezas de diversas qualidades, em
frascos de vidro, preparadas om alcool,
proprio para podim etc., a 10. o frasco.
Gomma do Aracaty, a 100 rs. a libra.
Dita do Aracaty, a* 40 rs. a libra.
Graixa em latas, a 120 rs. e a duzia, 1/300.
Genebra laranja, em grandes frascos, a 10.
Genebra ingleza, marca gato a 10200 o
frasco ou garrafa coin rollia de vidro.
Garrafoes vazios, de 640 a 10200 cada um.
Kirsck-wasser, bebida esta de um valor inex-
timavel, om vasos esquisitos, a 10500.
Licores inglezes e francezes dos melhors
fabricantes, a 500 e 800 rs. a garrafa.
Linguas americanas de grande tamanho (em
calda), a I/.
Massas para sopa, em < aixiuhas com 8 libras,
contendo 5 qualidades, por 30500 a caixa.
Ditas para sopa, estrelinha e pevide, a 560
rs. a libra.
Dita de tomate, a 640 rs. a libra.
do autor om alto revelo no proprio vidro,
previnc-se aos apreciadores que neste ge-
nern ha boje granle falsilicaoo.
dem engarrafados, vindo parte dellesde pro-
pria conta de diversas marcas e das mo-
Ihoros adosas do Porto o Lisboa, das mar-
cas : Madeira, Camoes,- Chamisso, Malva-
sia, Carcavellus, Duque do Porto e ou-
tros, o espora-so todos os diasnovas qua-
lidades, a 800, 10 e 10280 a garrafa.
dem do Porto Bausa, a 640 rs. a garrafa.
dem de Lisboa e Figueira vindo om ancoras.
a 26/ de 8 a 9 caadas.
dem do Porto om garrafoes de 4 1,2 a 5
garrafas, por 20500.
dem da Figueira em garrafoes de 4 12 a 5
garrafas, por 20400.
dem de Lisboa e Figueira de 320, 400, 500
e 500 rs. a garrafa, e em caada se far
abatimonto.
dem Bordeaux engarrafado, a 640 rs. a
garrafa, em duzia a 70500.
Vinho do Porto muito fino em caixas com 12
garrafas, a 80, 100, 120 e 150 das me-
lliores marcas que vem ao nosso mercado.
Vinagre de Lisboa om garrafoes de 4 1 2 a
5 garrafa;, .a 10200 com o garralao.
Avelaas a 200 rs. a libra.
Arroz da India a 100 rs. a libra.
Biscoutos de Lisboa en latas, proprios para
doentes, a 10500 e 30 a lata.
Batatas a 80 rs. a libra. -
Copos lapidados para agua a 60 a duzia.
Chumbo de todas *as grossuras a 60 a arro-
ba.
Caf muido do superior qualidade a 400 rs.
a lihra.
Fio de linho muito proprio para amarrar, a
480 rs. a libra.
Farinha de trigo em barricas e meias, de to-
das as man as e qualidades.
Previne-seao respeitavel publico que lodos os gneros cima sao de boa quafc-
dade, e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser ar nm
FUWIM^AOWA ilRORA.
Nesta grande e bem montada fabrica de machinismo, a mais antiga no imperio, tinua-sea executar coma maior prestezae perl'eieao encommendas de toda a qtialtd
de machinas usadas no paiz, tendo sempre prompto o segante :
Grande sortimento de moendas de canna de lodoi mas e tamanli
Machinas de vapor de diversas qualidades.
Taixas fundidas e batidas.
Crivos e boceas para fornalhas.
Broozes e agilhoes.
Bodas, rodetas e rodas (ragua.
(uindastes fixos e portatois.
Machinas de cylindros parapadaria!
Sorras de'afo para senaria.
Fatechas para barcos, etc., etc., ludo por preco que bem convida.
ESCRAVOS PGIBOS.
AGENCIA
FUNDICAO DE L0W-M00R.
Itiu da Srnzalla nova I. 12.
Neste estabelecimento contina .
um completo sortimento de noendas o meias *. "3; =
moendas para angenho, machinas de vapor ajo d^Urta, chap*, de lalhaprc; 1
e tachas/de ferro batido e coado. de todos os serrador : yuem o |niar oolivpi
tamanllOS para ditOS. lew rua.da Prai.i d.> Sania Hila N.va 11. V
___________________________---------- onde mora o Sr. J"So Caeiam Arados americanos e machinas para gratificado.
Xo dia 7 de ago.u> correa!.' 1
de mime.I.ino. criuiilo, amos, pbueo inatoa menos, ari
1 haver IWo, puna um puor
lavar roupa: cm casa de S. P. Johnston A- C, Fugio no dia : ..- 7 ua a
ra da Senzalla Nova n. M. notte, de casa de sita genhora l>. J-
__________________________________ da Cunta, as barraras do Ca i. n
Mu di mtiIIi n A9 Rosara. dade:iiiiiin..>..--.r 1 r.
lu stn/.(iiii 11 braoos grossos ium grande, falla ama
Vcnde-se, em casa de S. P. Johnston A C, Cenes na frente, cabellos prcte *
collinc > illips innlpp cnmlieiros e casti- um vestido novo deriscadiulio.ini rtoks, un
seums > sitiioes tngu zes, tanu eiros 1 asu noda Costa ,. um v,.,ulo lW ,Um j_ ,i..a__i
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela, _0>e aigu,_ roupa de uso da mes
chicotes para carros e montara, arreios para rosetas encarnadas; esta mulata 1 i
carros de um e dous cavallos. erelogiosde Sr. Antonio c.onaives da Sitya, i
n.,rn natonto inctW An,a. C por elle vendida ao Sr. Jw l
om'o patente inglez.
Manteiga ingleza em potes de 10 a 16 libras Genebra de Hollanda cm ganaos com 2
a 800 rs a libra caadas, por O^oOO com o garralao.
klem dita flor al*' a libra. ldt>m 'l^Jm frasqueirs com 12 frascos,
Idem de y qualidade a 800 rs. a libra. Pr 8/5J: ,__,_, 1n ^ ,:
dem de 3J qualidade a 640 rs. a libra. i Mante,f. fln,,ss,ma ^J^ V***0 i lh
Idem para tempeiro a 400 rs. a libra. I _, D".as 1'1uu,' Pr $Z a ,ata-
dem franceza a 640 rs. a libra, e em bar- Oueyos flamengos a11*600.
ril por menos. '* RaP" prmceza do Rio: grosso, meio grosso
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco. e mo*
Mortasda ingleza em frascos grandes a 800Tainhas das Alagas a 12* o cento, e 146
rs. rs. cada urna.
dem franceza em frascos grandes a 500 rs.,' Vinho branco de Bordeaux (Sauterns) a 8*
Mlhos inglezes dos melhors fabricantes a' e 16* a duzia, e 800 a I* garrafa
Cola da Baha
Tem para vender Antonio Luir, de Oliveira Aze-
vedo, no seu escrintorio, ra da Cruz n. i.
Vinho do Porto superior.
Vende-se em caixas de urna duzia : no escripto-
rio de Antonio Luiz Oliveira Azevedo St C.
Cal de Lisboa e potassa da
Russia.
Vende-sc na ra da Cadeia do Recite n. 26, para
onde se mudou o amigo e acreditado deposito da
mesma ra n. 12, ambos os gneros sao novos e
legtimos, e se vendem a preco mais barato do que
outra qualquer parte.____________________
Vende-se um grande terreno com cercado, e
ptimo para fazer-se'um excellentc sitio em Jaboa-
tao a margem da estrada da Vicioria e contiguo a
povoacao de Santo Amaro, contendo igualmente
terreno nara plantacao : quem a pretender para
tratar, dirija-sc nesta cidade ao terceiro andar da
casa n. 46 da ra do Imperador.
Assucar do Monteiro
Ra do Imperador n. 28 c caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
a 5*600 aarroba.
ja
1 -V
uva d
da Cost Reis, Je.-da cidade, e por v>\
signada : |iede-se, liois, aa auteridaJas t*"f'"{,_
capities de campo a sua apiirel '- jp
em sita casa, nns i>anvir.w ilol".
do Queimado n.34, lojadeLavra v lrim">. .
Joai|Uina Marques da Cu ni
EGR0F61D0
Fugio no dia 16 do crreme o csrravo por i-.mrr
Basilio, de dado 23 annos, poueo 11
altura regular, cor fula, um pouro amaren,
ter sonrido de frialdade. os p-sapaH
assenta bem no cliao por causa k- ralos <\v.e pai
nos calcanliares. falta d nt. s n ___ F
barba,camisa de algodao.de listras, (..Iradoal-
mo de quadros claros..hap.'-o preto de iras.-a,a>
ram noticia delle ter passado cm Tvripi, ^-*
suppor que fosse com destino ao ripeo! *_**
tena ou engefftio de CanfW, que d"0__?___?
foi cscravo: roga-sc ? antoiidades -na r"a*fn*
pessoa, de o pegar e traze-lo mriireii\ n-J^
que ser generosamente rcronnynsada.
m
, cabra. He dade de 18 annos, ct*a *
corpo, oUws grandes, cabello caraaidioe fcat
Socale as autoridades a apnrebea-an estas ea-
hras e gratica-' a quem as pegar, cntrenana ra
ra' do Imperador n 73. pnmeiro andar, m m
I referido en un 1 iMii 1 11 "
II I
II
>
-*- --
.....ai



^^ear*^****-

LITTERATRA.
O qne vae pela mundo.
gitida damos urna carta do ex-infante D.
que iz respeiioao juramento e a sulimissao a S.' .-------- ~~ .....
... o* se jnlgando risado* ad.ni.Ur ou a de- %^XS^
hber acerca de qualquer reclamacao rainha. d lel) d(. dire(0 a vou ^
i* A minha jer-arehia de infante de Hcspa-
nha.
a.* O regresso minha patria.
Nao sollicitei a derogara* da lei de i8&, jor-
que nao a restituirn dos bens, nem o titulo de
infante, que me preoccupam.
Lik) de Bourhon, que ainda una tentativa que Ped smente que se lovantasse a pena de
olio i'ai afimdo voltarao reino de Hespanha : | desterro, porque anhelo sobretudo voltar ao meu
Ao excc!lentis.si.no marques de Miradores, I,ah como s,m')les cUaa hespanhol; c porque
presiden., do conselho dt> ministros. des^ recuperar mcus nos para educa-los se-
gundo os meus principios liheraes. Isto convm
A legaeao de S. M. C em Londres deu-ine co- a dynastia e ao paiz. V. Exc. comprehender que
nbecimonto da determina**) rerebida de V. Exc.' se as cortes resolvessem derogar a lei d% 1834,
constar, qne cm virtude da lei de nao seria preciso implorar a clemencia da rainha
1834, aat que essa lei seja derogada na confor- ((KM Deas guarde), nem de .mporlunar V. Exr. a
mdndc das disposicoes e prat.cas constitucionaes, semelhante respeito.
me (unsidera fora do direito commum, no' .. ,
que diz respeito ao juramento e submisso a S. I L T "" ,n8llda d3S '""n,,adas Pre"
i rogativas de commutocao e perdao das penas, .sem
em virtude
i especial ou de sentenca dos tri-
t So o experimentado talento e patriotismo de bunaes. E' para ella qne appellei, neto de espe-
Y. Exc, durante una longa carreira, nao me des-' ranea na magnanimidade de S. M., baseando-me
sem a intima conviccao de que labora involunta- em idnticos precedentes, que intil recordar,
rnmente em erro, que foi arrastado por impres- bem como na differenca de posieao de alguns dos
sofls inconsideradas, e que, qualitieando de solem- agraciados. Se me dirig V. Exc. porque me
n i essa li:i, o sen animo nao quiz de proposito de- disseram, que o nico obstculo, que. se oppe a
I banda exagerar as dilBculdades, nao acharia que S. M., seguindo os dicta mes do seu cora cao,
digna de replica a sua resposta minha exposicao faca uso da prerogativa real,
de 7 do corrale. Tendo |x>rm trazido a discos- j Attendendo longa carreira de V. Exc, dedi-
ca.) pan un terreno, c urna ordem de ideas, de cada defesa de S. M., entend que nao deixaria
que sempre proearei afastar-me, niio posso deixar. de aproveitar o ensejo de fazer desapparecer os
de suhmetter ao apreco de V. Exc. as considera-' derradeiros vestigios de pretencoes rora, e de
Coes naturaes, que a sua resposta me suggere. j tirar toda a esperanca aos inimigos do throno de
Nao deixaria de qualiflear como solemne a lei \D- ka,*el ll e (,as mstitnieoos constitucionaes. Sin-
de 1834, nao porque seja mais justa do que outras t0 tis, o que V. Exc. per.nittiu se dissesse em ses- j vence-lo e conllrmar todo o que acabo deexpr
sao de de mao da cmara electiva; sm, porque summariamente, enderezo i V. Exc. copia das ex-
considero todas as les solemnes, quando emanam Posices das altos corpos legislativos; e quando saneciona-1 V. Exc. proceder como mclhor entender. Pe-' mado pelos desejos e sufragios do povo hellenico
dos pela cora. V. Exc. reconhecer todava, que lo que me diz respeito, tenlio a satisfacao de haver Convencido de que a annexacao das ilhas Jonias
essa 1; i foi medida poltica de circunstancias; e \eit0 nuanlo de mim dependa para obter este feliz!seria de grande importancia para a forran e pros-
ita, se se qur, conveniente no meio dos horrores resultado. As minhas conviccoes liberaes, as con-' peridade do povo grego, S. M. julgou dever apre-
da guerra civil. Depois de extinctos esses males,' >***acoes polticas, a affeicao que professo mi- sentar a cessao d'aquellas ilhas, como condico in
e ajanada me submetto magnaniuiidadc da minha nna augusta familia e o anhelo de ver consolidar
soberana, essa lei deixa de ter o' jecto, e razao de w Hespanha o throno constitucional de D. Isabel
icr. foram o nico impulso do meu proceder.
Lma le promulgada contra mim, quando ape- Acwdlw v Exc- 1ue > >m a maior consi-
nas eontava 11 annos de edade, sem ser ouvdo deraC3 c estima, o seu afTeicoadoJoao de Bour-
irl.ado. e contra meus filhos, entao ainda por
Hurto te PertMMMtwieo Hext* elra ti e Amonio li.
mistico ; porfIllc jamis* se Hevia contratar urna
obrgae.ao qualquer para com as potencias estran'
gelras, nSo poda ser senao no p de egualdade
na posieao do governo de uta nacjfo Hvre e inde-
pendente.
necessaro esperar que esta declaracao po-
nha termo a todas as duvidas dos funcionarios do
povo, e por conseguinte o governo nacional convi-
da-os a ronsagrar-lhc a sua confianra e a cumprir
fielmente os seus deveres eomo no.tempos pas-
sados.
O governo que obrigado a fazer ludo, deve
ambem concentrar em si todas as forca* da na-
fo, c ao mesmo tempo o direito dt pedir a todos
os cidados, todos os sacrificios possiveis, de dispor
das suas pessoas e bens. O dever do governo
tambem velar para que nao escape elemento al-
gum poltico sua direcrao, e para que tudo quan-
to se piatica pela patria seja cumprido por ella.
Este dever, ha de o governo cumpri-lo com o
auxilio dos seus funecionarios, que, aim da obe.
diencia necessaria para a conservarao de toda aau-
toridade poltica, deverao mostrar o zeto e a ener-
ga que de venteara tensar o combate de vida e mor'
te contra o usurpador.
Para complemento das anteriores publica$es,
reproduzimos boje algans documentos de que os
leitores nao tcem ainda conhecimento, sobre os ne-
gocios da Grecia :
1*.Carta do ministro dos negocios estrangeiros
da Dinamarca deputacao grega.Senheres^-
com a mais sincera satisfaco, que me julgo habili-
tado a annunciar-lhe precisamente, que 8. M., meu
augusto soberano, tendo-se entendido comS- A. R.
o principe Christiano de Dinamarca, resorveu ac-
ceitar, em nome de S. A. R., o principe Guilherme
Jorge, a cora a que este ultimo principe foi cha-
uasrer, poderla ser medida conveniente c necessa-
fia; porta, Justa nao posso admitlir que fosse.
Os prlcipto de Justina so eternos e immutaveis;
e qnando a justica so relativa, a lei egualmen-
ce relatha ou de circumstancia. Para sustentar o
contrario, (Ora mister negar a liberdade do pensa-
di i:l.', e a independencia individual, desconhecer
bon.-Londres, .10 de maio de 1803.
Kscrevem de Varsovia Gasette nationale de
Berln:
O governo nacional dirigiu a seguinte circular
s autoridades da cdade de Varsovia :
Os silencio que o governo tem at agora con-
servado a respeito da insiirrcicao, quetao vivamen-
te preocrupa a opiniao publica, tem feto acreditar
a influencia da civilisarSo, e por em duvida a ver- aosespiritos fracos que o governo nao tnha cora.
dade Sos grandes principios constitucionaes. Sem
deK.ir de submetter-me lei de 1834, nao me pa-
*. i deeeatfl fazer ao meo paiz a injuria de quali-
ficar .-> nelhante lei como justa.
''m dia scrao julgados sem paixao os aconte
geni de fazer nacao a sua profissao de f poltica,
que esperava em segredo, um auxilio externo, e
que tinha dado in-struccoes concebidas n'esse sen-
tido aos seus agentes no estrangeiro.
l'ma semelhantc opiniao que perturba a ordem
amentos da guerra civil; e dir-se-ha dessa lei o pmiai tant0 mais prejudcial a caUsa b povo,
.- m pansa e se diz do systema de represa-: (Jaando muitos funecionarios nacionaes, em vez de
Has, que fiar arripiar os cabellos; c cuja respon- paralysarem essas influencias assustadoras, teem
tabihdade nenhum hornera poltico deseja aeccitar. | succumbtdo aellas, e enfraquecendo assim a sua
Coa -juc V. Ese., liberal como cu, porestudo dependencia para com a autoridade suprema, tem
' 7 'vierao. qualificaria a exigencia de faze-lo! abalado as relaedes moraes que existen entre a na-
. ponsarel dos actos, erros ou eraneas potieas gao c o governo revolucionario.
mm conformes com as deas da poca actual ? Re-!. Hojt' an,es dciPnM,car. um acl 1ue ha de fa"
p -emelhantepreteneaomuito injusta, muito ^r conhecer a toda a_ nacao a taselo da poli.ica
contraria recta razao, ao senso commum. i ,nffna 8 ftorm ,da h>8Brrei^ o governo naco-
1 nal faz salier, pela presente circular, a totlos os
ie me bei abstido de entrar nesta questao. seus funecionarios de Varsovia, que, pela sua po-
f. irevoga^ao da lei de 1834 implicara a sieo estao cm estado de exercer inlluencia sobre
r titaie^O dos bens da minha familia, confiscados os espiritos e de os tranquilizar, que o governo
; irados no estado. Julga V. Exc. que se tem at boje seguido, e que se conten no manifest
p~* -bale se suscitasse as cmaras, niio liaveria' de 22 de Janeiro ultimo, nao soffreu a menor mo.
'sonado es ou deputados que se clevassem altura dificacao.
- erdade.ra independencia, pondo o senli- Conhecendo as immensas, forcas da nacao o
4 do ajusticaaoma de consideracoes transito- gove,.no cst convencido de que lhe bastara essas
o DsMIerando anti-lberal o confisco dos meus (^ para.sacudir o jugo da escravidao. Tendo
reprovado pelo espirito da poca, contraro 0 govcnio Iiaciona| acceitado, deante de Deus, da
so pri tipio negativo do sequestro, introduzido em
lo3 s as constuicues da Europa ?
Nao haveria um orador no parlamento, que
i se notar que. sou eu o nico bespanhoi cujos
fr jam confiscados; e que a nica razao dos
nacao e da posteridade, o dever sagrado de couiba-
ter ultima gota de sangue, e at ao ultimo homem>
nao depor as armas cm quauto um nico p russo
pisar o territorio polaco.
dspensavel para a acceitacao da corda. As tres
potencias protetoras, reunidas em conferencia cm
Londres, reconhoceram o valor destas considera.
G&cs, e a Graa-Bretanha mostrou-se Jdisposta a ds--
ligar-se, a favor da Grecia do protectorado que at
agora tem exercido sobre as ditas illias, subordi-
nando a cessao a condico, que, como de espe-
rar, se devem realisar dentro em pouco. 0 mi-
nistro de S. M. em Londros, foi por consequencia,
autorisado a declarar conferencia, que el-rei ae-
ceita a cora, em nome de S-. A. R., prevendo toda-
va que a cessao das ilhas Jimias se verificar ef-
fectivamente n'um praso prximo, por isso que
deve preceder a partida de prncipe para a Grecia.
Apresso-me a levar desde ja esta resolucao *>
seu conhecimento, senhores, accrescentando qne
hao de receber urna communcacao posterior e for-
mal, que marcar o dia em que, para desempenho.
da sua missao, devem apresentar-se oficialmente
a S. M., e receber de el-rei a resposta ofBcial.
Rccebei, etc. Copenlague, 1 dejartho de 1863:
Hall.
2.Para assembla nacional.Senhores.--Obe-
decendo ao enthusiasmo do meu corafao, quera
acmpanhar do testemunho pessoal dos meus [sen-
amentos, a mensagem pela qual S. 51. el-rei de Di-
namarca acceita para raim a cora que o pov&hel-
lenico me offereceu. lie de tlkigir-me rainha
nova patria cheio de naresse, para vos provar des-
de j que nao conheco outro .lerer aim do viver &
morrer como bom grego, par a feticidade inde-
pendencia da nacao -, tenho a convieeao, senhores.
que, com o vosso auxilio, e e.priineiro lugar oo
o auxilio de Deus, os interesses da patria, j qae
d'aqpi por diante serao sempre e por toda a parte
os meus, nao deixwo de prosperar.
nal da Grecia, datado de 1830 de marco deste
anuo, pelo qual S. A. R. o principe Christiano Adol-
pho Jorge, fllho mais novo de S. A. R. o principe
Christiano de Dinamarca, foi eleito e proclamado
rei constitucional dos hellenos, decreto que nos foi
entregue por urna deputacao mandada a Copenha-
gue pela dita assembla;
deste negocio, de tao excepcional importancia, com
homens, que nesta occasiao representaran! a sua
ptria, com urna dlstincco e merecimento geral-
mente apreciado.
t ambem em cada urna de suas partes:
tft in eo enjnt f act**. l'me
in tolo eorpore. et tnqHatet
q.8).
Mas a alma, como j feon dito,
Peco V. Exc. que me permita aceroscentar a amo
tambem quanto me lisongeoe quanto me felicito de A _,. om M. t~~n '
ter tido a fortuna de crear relaces com V. Exc., ^JJ T 7%^!T P^" *"
E considerando que as cortes de Franca, da n'uma occasiao tao importante para os dous paizes, I m .. ^*T*?l.t** trw "P*""
Graa-Bretanha e da Russia, na sua qualidade de relaces, que se deve esperar nao dexarao de se l'r,,ncira' ',no P0*10 d,v|dida -m pam-i m
potencias protectoras da Grecia, adherram a esta desenvolver e de so fortalecer no futuro, nao s em'u,t,ra*' eomo "dade da linha nfcw
eleijao por meio dos seus representantes reunidos consequencia Ja fraternal uniiio das duas cortes,
em conferencia em Londres. I mas egualmenle pelas sympathias que se Itao de
Temos acceitado e aeccitamos pelas presentes, estabelecer entre as duas naees.
em nome de S. A. R. o prncipe Christiano Guilher- j Aproveilo, etc.-(Assignado) C. Hall. >
me Fernando Adolpho Jorge, a soberana hereditaria
do reino da Grecia, com a condico de que as ilhas'
Jonias se annexaro ao reino.
Dada no nosso palacio de Christiansborg em
10 de juilio do anno da graja de 1863, c decimo-
sexto do nosso reinado.
(Assignado) Frederico
0 vitalismo jnlyado pela philusA|ima rrisiiia. ou
refutaco da doulrioa medica dr Vontpellirr,
pelo P. J. Ventura de RauHca. Tradazid* toui
urna Rlroilm'fo e olas pelo lr. Jos Sariaas
de Soiiza.
Do punho e sello real.
H.(Refereudado) C. Hall.
4." Nota do ministro dos negocios e-trangeiros da!
Dinamarca ao ministro dos negocios estrangeiros
da Grecia.Copenhague, 11 de junho de 1863.
9r. ministro. Qu;mdo chegou a esla capital a
deputacao qual a assembla nacional da Gre-
cia eonfiou a honrosa larefa de offerecer a S. A. R.
o principe Christiano Jorge a cora da Grecia, cir-
cumstonfis que nao dependiam da accao directa
de S. M., fizeram com qne el-rei, meu augusto
amo, desejasse deferir a resolucao definitiva que
S. M. deria tomar em nome* d seu joven prente.
As potencias que outr'era contribniram tao
enrgicamente para a crcase do vino da Grecia,
eque depois nao deixaram de dar provado inte-
resse que tinham pela sua prosperidade, reuniram-
se em conferencia em Londres para deliberar a
respeito dos meios mais convenieates de fazer afra-
vessar a Grecia a penosa phase em que os- seus
destinos tinham entrado. Entre outro pontos que ]
foram assumpto das-detiberacoes da conferencia,!
havia um que devia-partieularmeDl fixar a attee-
eio dos gabinetes a que est confiado o fim a que a
Grecia se propde.
A generosa intencao qpe a Gra-Sfetanlia ma>-
nifesu de querer de^stir, em ****** *> Eis ag,. ainda outras- bollas- e profundas consi-
protectwadoqueateagoratemexercido- sobre apreSentadas por S. Tbomaz acerca da
ilhas Jonias com tao felia resultado, aiiresentou a
perspectiva de junceaoproKiatt daquella ilhas ao-:
paiz a que pertenciara. pela narionalidado' dos seus
Corpus Hostrum viril per aiiiinam,
(S. Tliomaz.)
CAPITULO X.
Continuacao da mesma materia.Ex-
posiqao da aoutrna da theologia e pfti/oso-
pliin rathotica mea dos diversos modos
porque Deus, o anjo e a alma humana estao
no lugar.=Detis tendo creado o hotnem
sua semelhanra conferiu alma humana o
prerilegio de estar toda no carpo e em cada
tima das partes do mesmo corno, assim
como Elle est todo m> universo e em cada
um dos seres do mesmo unirerso.=Con-
sequei\cias pcremplorras desta magniftea
doutrina contra a objerrao capital dos
dualistas. = A deplorare!' ignorancia dos
sai>postos sal/ios respeito dessa grande
philosopliia a cansa do erro delles.
I V*:,'.
Itabitantes; assim como
phica.
pela sua posieao- geogra-
mysUeriosa-maneira porque a alma est no corpo.
A forma substancial, diz csse santo doutor, a
perfecao o s do tod,' sanie d cada urna das
suas partes Com effeito, um todo composto de
partes, tendoada urna didlas o seu ser, vem a ser
El-rei, raen augustoamoTjcdgou dever esperar, uma aggregad(>dc difTercnt06 seres ^fr,,,,,,,
mJlAYcI" ,
o xito dasiM delibera^os. Apreciando
no; segunda, a que se pode dividir em pane pa-
ramente racionan, ou as partes A ewnr ,
cousa. como a consa definida pte ser resefcMa
as partes de sua definicao, e o torio staHaasM nu
forma e materia ; lerreira, finalmente ha
dade potencial que se divide segada
grus da virtude que desenvofve.
A totah'dade da primen-;, esperte' aae-pte raa-
vir de modo algum alma humana, jae jraan .i
substancia simples e espiritual imriivisivel, e p*r
tanto nao se p e dcsle modo nao por uma parle de si -par a aaaa
cst em um lugar do corno, estando era entre pa-
liarte de si mesma. Tambem nao pela
da ultima especie, ou potencial, islo ,
todas as suas facilidades, qne ella est mea
po, e em cada uma de suas partes, pniaas
no olho senao pea -intcnria visual, no
da auscultaran, % paJi sensvtiva a
corpo.
Posto que Deus se arlie torio era todas as aart^
por sua entidade infinita, todava araa-se aV ara
modo mais especial em rertos rogares, e era re*.
seres, como no cu, as egrejas, e n alma m saa
tos, por causa dosesperiaes e suMime-i ea>ia rav
Elle exerce nos mencionados lugares e seres, der
ramando nelles em maior copia as rqncsM de saa
hondade. Assim pois. pela tctaHdade da upaaili
aspada, ou por essencia. que a alma et lada ra
corpo. e em cada uma de suas partes, d.rrrtifr
do os effeitns de suas facilidades seginafo as parles
do mesmo corpo; assim como, de al por sua assencia que Tten est em tedo o mver
so. e em cada uma de sitas parte* direrufr***
os effeitos dos seus attrbalos segnndo os tarare,
s os seres.
Eis aqu o que sciencia. o que safcer' Ei-
a verdadeira philosopbia d'alma. da yuf oiaa"e
suppostos sabios nem se qnr sal..-m as i
palvras f E niio olistante aeharem-se
lhante pobreza, e despidos de i.fc> i.ratiiSa pra-
losophico nnsam aprsenla r-v romo pIMesapaa*.
e pedagopj* da humanidnde. Cansan* encape
rao!
cessao das iiitas Jonias
unidos, isto um todo accidental como uma casa,
mente a importancia que a .-. .... .^.-----. teem % coaswvam 0 seu ^ aill(la
teria para a Grecia, S. M. quiz fazer subordinar a ^^ ^ undas ^ ^^ a fonBa ^ ^ da
I um ser commum. s partes do todo, semelhante
sua resolucao a este fato, e contribuir lauto quan-
todelledependesse pana que elle se reSlis*sse o |
ais breve- poss.vel. Movido por esta oond>ra- j ^ ma ^ ^^ uma .^
rao,S.M.ins^ujuntoua correncia para que uma fFma ^rt,^, e pur3roente acJduulaL
este engraedecimento da Greeia fosse premettido
de nmamaneira formal,e obligativa, afia*defac- Smo ^ a ata|a {.yma ubstnr4ll deve ser
litar nova realeza a ardua, aos gloricsa, tarefa fnna e acU) Qao sdo t(K|o ^^ UuU que era clamada a cumpi-.r. I uffla das partes> sendo eHa quem da. 0 ^r a
V. Exc. j tem de certo eooaeciinentfi das re- >| estas. Por-isso que quando a alma se separa
sultados das deliberatus da conferencia; Sabe ^ corpo s em sentido vago- c equivoco ctaama-se
tencias, guiadas pelo seu aobre inte- \ otiimal, ou hotnem ao corpo- que lica: assioi como
resse pela-felkidade a nacogrega, assentaram j |tambera no mesmo sentido que chamase animal
em principio este ponte essencia), e S. 1* pode sen- j & um animal nintwio ou feto de pedia,
lir desde logo a esperanca de que os c&furcos com. J
muns da tres polescias ceoscguiraw dentro em ; A niesma G0usa SUCcede a respeito da mi,
pouco a rcalisacao d magnnima intencao da Graa- ^^ carnej e ossob do cadaver. Calnua-se a dar
s mencionadas partes o oMemo nome qiK- tinham.
QsufiscosappiBrao potiea professada por meu podepr termo luta actual.
i .1 Se tal motivo deve prevalecer contra mim, jcomo governo, a autoridade ins
qne sempre" fui e sou liberal, a loajea exigira com
Considero-me feliz e lisougeado, senhores, de-vos
poder dirigir as minhas felteitacoes pola bocea des
tes bons e nobres patriotas, (jue nomeados pela vos.
sa conOanca, so-dirigiran a esta capital, longe da
patria, para seren os primeiros a saudar-mr- como
rei. Elles vos dirao que me virara cheio de sym-
pathia pela minha nova patria, c que ardentemente
desojo potter dentro era pouco achar-mc entre vos.
Repetimos s a independencia da Polonia I Acroitac-mo, senhores, com a mesma confianca de
Na sua posiyo i o.ue o niHi coraeaoest animado para com vosee,
insurgente nao pode \ e ensicne-mc a trabalhar comconjunctamente lodos
romjK'r as suas relaces com a diplomacia, que
. s 'en.lamento que se sequestrassem as proprie-. a, a,&ra ,em ,do un an^ passiv> a q^ Me
8&dea do metade dos hospanhoes. cujos paes, e obIer os meios para 0 combate.
io alguns d entre elles. sustentaran] idaSsIao
sbsok -:.is cornu as d-; meo pa
o re; Fernando VIL
e de seu irmo
> Eu podra fundamentar tres reeiainages :
!.'' restiti.ie.'io dos bens de minha mullier.
t 0 governo nacional jamis se illudr scJjre o
valor real da diplomacia estrangeira. qae no s fa,
voravel, e por conscqucueia, nao entrn em ne-
ratepa especie de negoctaeoos rdatlvas. um ar-
vs para a felieidade da talaba l>ella patria, qpo
Der* proteja.
Jorge I.
* Copenbague, 11 de junho de 1863.
3\ Decreto de aceitago.Nos Frederico VII,
pela graea de Deus, rei de Dinamarca, etc. Faze-
mos saber:Visto odecroto da assembla naci-
FOLHETIM.
t Ohegoe, pois, o-momento- de el-rei, raeu au-'
gusto arao-, acceitar para S. A. K. o- principe Gui-
lherme Jorge, a cora, gleciosa que a Grecia lhe
oflereesu. A 6 deste mes foi a deputacao helleniM
apresentada a S. M. cm audiencia solemne, e, de-
pois de ter recelado de suas maos e- decreto da as-
sembla nacional da. Grecia, el-rei declarou que
accoitava para S. A. R o principe Guilherme Jorge
a cora que se Uie oQcrecia. Ao mesmo tempos S
>L julgou dever formular mais Daa> vez o desejo
(k- tem de ver. execatar n'uma poca* prxima
edareza relativa s sata ilhas.
t Esta attceiuujao, quiz S. M. d-rei, meu augus-
to amo, consignar no acto formal que tenho a hon-
ra de transmittir incluso em origual ^. Exc
acompanhada. de uma traduseao inmceza.
t Segundo a ordem expressa de el-re>, resla-me
cumprir o agvadavel deve de. manifestar V. Exc-
a alta satisfago que tenho. pela nianeira digna e
perfeita por que a deputacao soube desempenhar a
sua elevada missao. Pslo que me diz respeito pas-
soalmente, devo lisong.ear-me de ter tido que tratar
mas em sentido improprio, c antes paca indicar o
que ellas lram, do que oque sao, visto como em
verdade j nao sao nem olhos, nem ossos, nem
maos. nem carnes, porque perderam a aptidao de
exercer as firacces proprias de taes oreaos.
Oh! se a escola ritalista |#mj-*' ao raraav *
ibage asara sublime e masuiira itooaJaa da ver
iladeira pbilbsoplira. doutrina
jiiWle dar o ronlieeiment.. pt.ri08ophieo i ranarir
por Deus, e de Dvm peh> hnniam. nasa ai *
i nvergonhra de haver attriluid> um? aaaa pa
rararata orgnica de *ua rrraeio os phwraata
da vida aanraraJl qae nao sao. nem poden mu sea.
> efleilo de uma s alma. aaaa Iraaraaraal a>
crearo divina : manto se nao nnnindaa de ha
ver sondado, que o homem !em doas ate
k> desse sonho o f^inripio fundamental
pokigia medica-!'
E' |K>r ce modo que muNa* Teses 11
Jos verdadeiros principios- e orna tena te nr
irtiito mais cop*>. do <\\ : espirito teorcnaV
ama f. (2
pon
JUnUCWSANB.
-iesunila parte.
gubre. e itnia das saas extreraidada' t Crgueu-se na
minha frente por nao sci que ar )Vin.ento de ba-
lanco, fazendo-me rular na pow ra (.U1. atulhava
um'pequeno buraco o pouco pi/' lUnd
Ao levantar-me dei com as. vis(as -ull)a forma
branca, e immovel, qiw Se > ejiava na mn|ia prc.
senea. Nao sei definir a s*y ,sa,.ao ,|UC de mm ^
1 apoderou: foi assim cow ( quj, U|n tcr,.or ulud0j
? irreflectido, insensato! t orr)a para a entrada SCm
poder acha-lo c voltava ^1 cessar para essa ap-
paricao, que pareca r.nover-se ao clarao vacillante
das fuzes.
A fada! oxcranrei eu como allucinado. E a
fada: ei-la!
Fecbei os oIIk^s para nao vr, chamei em meu
soccorro a ra'",io, que me ia abandonando, e resol-
vi affrontar a apparico e^ieaminhaudo-me corajo-
samente para ella.
Tudo que permanece ero sua especie ainda depois
da dissolueao do todo, como as pedras, c as madi'i-
ras de uma easa que se desmaana, conserva as
propriedades. e operaees proprias da especie Mas
as diversas paites do corito coeva separacao d'al-
ma perdeiu a operacao de sua.especie, nao sendo
mais orgos- das diflerentes funeces da vida ani
mal; logo o evidente que essas parles neo teem
ser proprio, visto que nao podem mais executar
uenliuuiacto protrio quand-i a alma sesepaia.
Ora, todo o acto primeiic, ou toda a forma e
deve estar na cousa de que forma, ou acto; mas
a alma forma c acto nao s de todo o oacpa, senao
tambera de cida uma das partes do mesmo cor-
po : logo tila est nao SO em todo corpo, v ao
dispor de tudo minha von-
fCnttnuai:o.o don.c 189.)
O' pucrilidade da minna maginacao O objecto
provavelmente oce ult0 na pocra, c que 110 movi
ment impress^ labua i^pra apparecer no mo-
Quii voltar logo para eiraa onauua ~ j meto da nv ^ era urna estatua de tama-
"* u,UrV?!'a MarSa p nUo Mtur'.al envolvida dos ps cabeSa n'uma lon-
^'^M^f^^y nSma alegra f- \wm '"armore. Sem mais e^me tra-
H& i; ^T^^dT^m^L-\Xei -Vde conduzi-la corao peifcDr a minhacon-
.rsonhava-mc | v e como 0 ol)jecto Tiiais curioso das minhas
descobertas : porTi todos os exforcos, k|uc fiz para
rcYolveudo esse thesouro, nenhuma alegra fe. ,
vergonhava-me at raesmo de somelhau-
rcao parecia-meaquilloual roubo que faaia a
jcr,;a:e envergo
Quando meu to viu-se no meio de tonta-- rique-
zas exclamou visivelmente desapontado :
Com effeito! Ha talvez com quo arranjar-se
uma boa somma!
Lembre-se de que Vmc. me fez presente de
tudo isto antecipadamente........
E nao me desdigo, aindi que tivesse feto um
peastao negocio.
Ento posso
tade?
One duvida!
Nesta caso, minha prima, permitta-mo otTere-
cer-lhe para o seu museu estes objectos d'arte, que
lhe ficam pertenceado desde j.
Margarida formara a principio a resolucao de
deixar todas essas preciosidades no mesmo estado
e lugar em quo se achavam: mas havia ali tanta
cousa capaz de excitar a cobica de muita gente t
Chamou por conseguinte alguns camponezes que
animados pela sua presenca se prestaram a auxi-
liar-nos. Passou-so peneira todo o p do hypo-
geu. afirn de nao escapar a mais pequea cousa, e
Cimecou-se logo a translacao dos objectos de maior
dimensao, como trpode, cofre, alampada, vasos 9
estatua. ....
Sabem de uma cousa ? diziaFraudy aos seus
camaradas. Tudo o que nos conta o velho Carn
grossos, mas a lx>cea. de um perfeito acabado. Os
olhos sao grandes, bem rasgados e d'um esmalte
que imita a naturezav a ponto de engaar. O.arco
superciliario alongado, e parece, assim. como
tambem a expessura das palabras, ter conserva-
do um pequeo toque de tinta, o que pode indicar
que essa obra foi feita imita;o das oiulheres da
antiguidade, que costnmavam tingir as sobrance-
lhas, e a eircumvoluco dos olhos. Os eabellos
bastos e ondulados, a moda grega, mostrara anda
vestigios de terem sido dourados. O pesclo, o
eolio, os hombros e os bracos, que se acham des-
cohertos, sao de uma forma exquisita e agradavel.
Essa estatua ser?, o retrato da i>retendida fada,
ou antes a imagen* do uma deusa ?
A cabera um pouco inclinada para o lado, di-
reito : a mo desse lado segura as dobras da t-
nica, que cobre o hombro esquerdo, e vem reunir-
se em pregas, moda grega, no braco direito,
(2i Ana* e*t lata qalib t'lCHt D?H <*f totns iu HKi.ihm el .**tf*ln I
que a grande philnsoplua rhrista catara arereu -k
'de d'airua. Mas os mediros a as faraarajaral i
boje que niio poflVrr. eonreber n*da graute
de universa), e que a tudo queren dar a saa
trachim material, teem dito mi neredaaVs-aor
ca ita M-.Ve d'alma. i-a ha vendo I lvet parar 1
do eorpo que nao tenha sido nada caaw a
d alma. Assim pie Van lleianal a 1
orifieiiv do otomr^o. Desearle 1
outros no corpo :alb.s. na praM- de Varte. e e~
saajaa aaaaara llalb-r Bnrdaeh rosos o diio t-Hio o rerel^. pur sede d*aaaa
vlbo ppaaata tinha iwat.- razan ^ae toda erae-
quando diza^ue toda asnossas parte,
das: Anima tt"' 'inimnijtH -.titet mm-
zombaria e curioswlade os visitadores que a! \en\
admira-la.
Nao sei de que-modo explicar o encontr.desse
tmulo etrusco ou panden em terreno da Gallia
centra).
Verdade que a legenda ou antes a tiadico d
por fundador da cidade de Avarik (Bourgcsj "o Her-
cules tyro, personilicacao do.genio aventureiro e
commerciaJ. dos pheniclos. Estes, appcllidados suc-
cessivamente Sidonios, (ihananeos e Philistinos, es-
tabcleceram colonias na Grecia, Thcssaa, Ilespa
nha c Etruria. Navegantes infatigaveis, vinham
vender na Europa os productos da. sua rica indus-
tria, taes como: sedas, mosaicos, estatuas, objectos
de vidro, de ouro c metaos preeio&os. Ensinavaiu
tambem aos povos da antiguidade as suas dout.-
nas religiosas, e o seu systema cosmognico.
No tempo de Homero a industria phenieia tinha
atlingido j a um alto gru de perfeicao mas a
arte entre elles nao havia comtudo isto avaacado
cujotrabalhotaoperfeitoeacha-se em tao bom de modo que se podesse produzir uma obra, lio
estado de eonservacao que se nota, como era certas 1)0,|a comQ a cslatua eneontrada no nosso fcypoVa
estatuas de Canova, as rugas e poros da pelle. A
tnica desee at os ps, oecultando-os cm parte :
de longe dir-se-hia uma verdadeira tnica de seda
eobrindo formas delicadas, cuja belleza se ade-
vinba.
O artisia-mostro, autor dessa obra prima, soube
atguem. ,____, ^.^ 0 faci0 de ter ,! isto, foram Iv/tcis; apenas pude levanta-la.
Demais tomaya^porum a?^f^,^ ,d | feioei por Kadour, que na sua qualidade de A-
o prime.ro a v^^ffS^SP^' ne?" rabe devera ter tontos prejuizos e ideas supersli-
se ^^^^^ffS^ M*^^comm)itmH lo Berry; mas que nao
is vinte s.'Culos por Miw*? 1l Obieccao alguma, c ajudou-mc a tirar do hy-
I'ouco pouco apoderou-w de |m|U uma trisleza, JPJ^0^^Danlig'uidade.
, Miunmla, > O"*"?? .voruientavam-mc o es- 5uando aparecemos assim carregados, os ope-
pirito. \ miar esst. as>i j da mm^ psar ,alvez os 1 ra*osrecuaram; mulheres emeninosattralndospe-
c-sos daqnelies que Jimam na cternidade.... tudo ,a cur-,0sidade largaram-se a fugir; e o pae Carnat,
i-t.o parecM-mc -r ta) f(jnua mu ^0^ que uve 1 auerendo conservar aos olhos dos camponezes o
tsntrajea de P lgir | JJ prestigio de feitceiro, que se nao deve assus-
Aprcsen,ou.se.me, imaginaeao com todas as (ar nra prcseuca dos entes sobrenaturaes, aproxi-
S l,;,'.ticularidades o sonho que tive ha dousan- mm.s(> da estatua, posto que hesitando : ao ve-Ja
de perto o seu rosto revcst.u-sc de uma expressao
singular de admiracao e temor.
Ento, pae Carnat, lhe disse eu sorrindo, nao
a conhece ? a grande fada, como voce a cha-
Pode ser, He s,>r- responden elle um pouco
ansiado: mas sempre lhe digo, Sr. Marcos,que
nao bom desenterrar aquillo que esta enter-
rado I
nao passa de asneiras : a grande fai\a existe por! p0rfetaiUcnte alliar a poesa do sentimento rea-
aqui assim como dentro do meu chapeo. Fmos uns rjj^ dos detaines. O effeito desses tecidos ligei-
*^. e que tanto me havia impressionado pela coin-
'-' !>-ia notavel com outro sonho semelhante con-
dado pelo velho pastor. Era ali o lugar em que eu
2 iia ao lado de um cadaver, com a differenca
nica deque no meu sonho a entrada era mais
larga, e dava para um bosque : foi por ah que
sjirga/ida e o pae Carnat vieram salvar-mc. E
Cdmigd mesmo faziaas seguintes reflexes :
Qual seria o pensamento do velho feitceiro
prhibindo-me pouco de aqu penetrar ? Ter
t" r'mherimenlodestacmara mortuaria? Alada
e worz* sao uma e a mesma cousa, e esto tumu-
I xptica a denomi nacao de campo da morte.; a
alavra campo talvez seja corrupeao da palavracel-
a cen, cmara abibadada.
'. nestas -> outras reflexes fiquei tao embeve-
> que comecei a fallar alto sem o presentir.
Mas onde est, onde es essa linda defuncto
kgrande fada?
Mal acabava de pronunciar astas palvras o ter-
pino abateu-se debaixo dos meus ps.
E chamando o sen cao, que andava ao redor da da tetra t^jg
statua fareiando-a com desconflanca, affastou-se | minha.resofceao
animaos em nao querermos penetrar na abertura :
parcharamos dos thesouros cora o Sr. Desormes!
Eu por mim nlo tenho pezar disto, explicava
um outro. Estes objectos de nada valem : estao ar-
ruinados. .
Quiz cu mesmo vigiar o transporte da preciosa
estatua, que foi conduzida n'uma liteira, e deitada
sobre um coxim, como convm a uma dama da an-
tiguidade.
Havia uma hora pouco mais ou menos que aniea-
cava o tempo, e no meio do camnho fomos assal-
tados por espantosa borrascatrovoes, relmpa-
gos, vento e chuva. Dolin custava a conter os seus
animae's que queriam partir, e ameacavam virar
o carro. Homens, animaes, estatua, anliguidades,
tudo refugiou-se nos bosques at que cessasse a
tempestado. Chegamos casa noute, e bem mo-
lbados. .
Margarida depositou na bibliotbcca os objectos
Querida Margarida Com que docura
lia a minha expedicao as profnndezas
m ao mesmo tempo elogiara a
adiados,
censurouella
seguido de algunas crdulas mulheres, que lhe
perguntavam sem duvida-se deviam adorar ou
temer o ente sobrenatural.
Deposemos entrada do tmulo essa obra d ar-
te da mais bella poca grega, e perfeitomente con-
servada. Receiando alguma malvada da parte
dos poltres supersticiosos, deixei-a ficar sob a ut-
gilencia e guarda de Kadour, e decid o Sr. Desor-
mes c Margarida, que viera tambem attrahida pe-
ccr.prraa pwtira-'se d"!xando ouvir um estalido lu-' la noticia, a penetrarem comgo no hypogeu,
c coragem.... Coragem! Se sou-
besseo grande medoquo tive na presen^r, dessa es-
tatua!... ,,
A' proposito, porque nao tem pedestal
9 de setembro.
A estatua representava um typo notavel. A fren-
te cstreita e aprumada corao as caberas gregas;
mas o ngulo facial tem o seu quer que seja do
ierfil egvpcio. O nariz pequeo e afilado ; as
ventas uin pouco dilatadas. E curto a distancia
entre o nariz e a bocea. Os labios ;,5o iim tanto
ros que os podas antigos chamavam rento enuvem
inimtavel. Tem a gente vontade de suspender
as dobras dc=sa tnica, para cerlificar-se de que
essa joven de marmore esvelta e graciosa nao e a
propria natureza.
Femncum lucet sic per bombyeina corpus.
A tnica consena ainda vestigios de pintura, e
as partes que se representan) uuas sao de uma
cor baca que se assemelha muilo s das mulheres
rabes.
Suppuz a principio que fosse o simulacro de
alguma das musas : mas a falta de qualquer at-
tributo. que isto indicasse, destruiu esta minha
supposicao. A scmelhanca dessa pec;a de esculp-
tura com a estotua de uma das quatro Ralba adia-
da as eseavaces do thoatro de Herculanum, po-
deria faze-la remontar poca grego-romana ; mas
os objectos e os vasos de eslylos bem anteriores,
as joias c ornatos de ouro trabalhados em filigrana,
os quaes provavelmente pertenciam ao cadaver,
cujos ossos, com grande sorpreza. nao foram en-
contrados, me fazem presumir que essa estotua
deve ser de origem etrusca ; mas entre os Osques
j era tao perfeita a arte de eseulptura ? Eis uma
duvida.
O caso que essa estatua produz um bellissimo
effeito no meio da bibliotheca. cm p sobre um pe-
destal improvisado, coberto de velludo vcrmelho
o guarnecido de pregos de cabeca prateada ; o qual
iwdestal a deixa elevada dous ps cima do chao.
A luz lhe d mais do um lado: e com o rosto vol-
tado para a porta do snlao. parece olhar c>m ar de
ypogeu
Em facto de supposicao seria ir um pouco longe.
talvez, attriUuir a eonslruccao desse tmulo po-
ca ein que os Pelagios vicrm da Asia oceupar a
aproveitar os lagos da Europa, tros ou quatro mil
annos antes da nossa era.
Essa raca industriosa c emprcliendedora, que
como a raca moderna dos Jadeos, pareca votada
aiatalidad, sempre perseguida, aeuada e escra-
visada por seus novos conquistadores, Hellenos ou
Latinos, nao deixou outros trabalhos mais do que
oxpessas muralhas chamadas eyclopeas. Esses ho-
mens ante-diluvianos conservaram-sc na memoria
dos povos como demonios c genios raalfazejos, en
tretanto foram elles qu ergueram os primnos
altares deuses roysleriosos ou terriveis (Caluros
e Dioscures), e editicaram as priraeiras cidados.
Os novos povos da raca branca, de origem arya-
na, pareciam tomar a peto anniquillar as antigs
raras vcrmelhas fllhas de Cus. Este odise perpe-
tuo- at nos nossos dias, e vemos ainda na Ame-
rica o branco e louro Anglo-Saxonio guerrear por
todos os modos o Indio pelle-vermelha. mu prxi-
mo prenle do Pelagio primitivo.
Algumas tribus da nacao pelgica, designadas
na Italia sob o nome de Sicules, de Opiques (de
ops, a trra) se fundirara no elemento tvrrbeneo,
viudo da Phenieia, e formaram deste modo o povo
etrusco, cuja lingua e escripta proceden! dos Pla-
idos, a mylhologia dos Assyrios, a arte c archi-

gMtal entre os objectos nab ptaraut e
ros que a dama ataas fez enterrar con i
nossa li.-lo.ia tan oLcara qoe reaaartei
indagaoi'-fS-
Porque razao os nossos barda nao escre*ei.
antes cm vez de cantar !
10 de setent!:
Murga r da obteve de seu pae peraraaia di Ja
alguns passeios no meu cavara, que i
se, e comecei a dar-lhe a priaraara
cqularp. As Hroes e os pa>siM
ora a pequtua dislaneia a .isla da easa : au
pero que muilo breve poJereaws estada-a* ate >
caini>o. onde tereuK oteasio de conversar
mente. Nao lu quem saiba inventar
as iiuilluii- Eu |>i nmu aanr
oaararane araan.
I i ir .vfrMtYe.
A Sra. d'Aslafort e sua lilha rnnvrsrMa a 1
prr a promessa. que fizeram a nea ha. 4r j
aqu alguns dias : c acham--*' ja
castello. [ara onde tiouxeram tantas mala el
xas, como si- dcsembarcassem das traaas. 2km 1
da baga^em vieraia una c.iioto
e um caozinho to pelliub.. e di-fornM'. qae rau
va d M'-lo.
MadeiiMiisellc Faaan fez a suat-atrade
uao a iulgava tao cavalteira. e itesejari 1
o nao toas*-. E' un testenmaaa neoaaaarai smj
< meus projeelados lasseka eom atasjaraa?
12 de sftcmme.
O Sr. de Mauvesiu c veio huje ; e aa a rara k. -
sioaomia me desagradBu ha doa aran*, arara.'
nenhuma pretenco liona elle ana a* aasfarra-
cora mais razao me deJagrada afn ara se ten
na conta de seu futuro esposo.
Nao ajuizei bem do raarijues vinas 1 pru yi
meira vez em casa da Sra. d'Asiafart
me ento e fie minado. E um naarebo de
cinco trinta anuos, louro, ron
antes esYcrdiutiados. Nao sra se 1
don mais. porm acnci-o desta ves ans tem -
outro homem que nao aasjaaarate ; se ha* a*-
conserva ainda a tez fresca e rosada, o rara aV aa
uma apparencia poc-ril bem proaanrnaa. tre'
que finge de proposilo ter a vista earte, saa de
poder usar de nna anafta ron ant ana pan a
gente de um moda iroaultaate
Como gosta man de cacar, faan a vraa at-
mattos. l'm negocia
se viu mettido,
tectura dos Egypcics. Foi delles que os Romanos saro. f-lo adquirir a
berdaram uma grande parte da sua religiao, ros-
turnes e linguagera : mas, embora filha da Etruria,
Roma toia sobre si a missao de destruir na Euro-
!ia essa civilisaco, que bem se pode comparar
lo Egyplo no Oriente.
0 Etrusco destruir o Pelagio ; o Romano des-
truio o Etrusco.
Tudo isto, porm, nao explica a presenca desse
monumento osquio no meio das charnetas de Berry.
Nao menos me sorprendeu encontrar uma espada PEH> *M
vel, uue se
ardedores. .
Tanto melaor f IVranetti aao
nao deixa-lo pbar-ne aos pes.
tilhe da me-ma antipaVna qaa l


rn.fr*
rana
I _-.-. i 1 1 -.ni
ailH til
-411 cmtMcri >
aa*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5OTX2B9S_JAO895 INGEST_TIME 2013-08-27T20:48:00Z PACKAGE AA00011611_10170
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES