Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10163


This item is only available as the following downloads:


Full Text
]
AffllO XXXIX HUMERO 183.
Por tres mezes adiantados ,S$000
Por tres mezes vencidos $O00
OUARTA FEIRA 12 DE AGOSTO DE 1863
Por anno adiantado..... 1>$00O
Porte franco para o snbsoriptor.
*9<
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SCBSCRIPQO NO NORTE
Pnrahyba; o Sr. Antonio Alejandrino de Lima'
Natal, Sr. Antonio Marques da Silva; Araratv.
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jc d'
Oliveira; Maranhao. o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SIT&CRIPCAO NO SIX
Alagdas. o Sr. Claudino Falcan Dias; Rahia. o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Sis. l'e-
reira Martins .v Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cali e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahylia as segundas e
sexlas-fcira-.
Santo Antito, Gravat, Bezerros. Bonito, Caruaru',
Altinlio e Garanliuns as tereas feiras.
Pao d'Allio, Nazarcth, Linioeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazcira, Flores. Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ourirurx e Exu' as quartas feiras.
Serinhem, Rio Formoso, Taniandar, Una, Barra-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao V. dia.____________
EPHEMERIDES DO MEZ DE JULHO.
6 Quarto ming. as 6 h., 40 m. e di s. da ni.
14 La nova as iO h., 37 m. e 44 s. da m.
22 Quarto crese. as 2 h., 54 m. e 32 s. da m.
28 La cheia as 5 h., 49 m. e 56 s. da t
PREAMAR DE HOJE.
Primcira as 2 horas e 6 minutos da tarde.
Segunda as 2 horas e 30 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Paj* sul_ at Alagas a 5 e 2o; para o norte at
a Grimja 7 e 22 de rada mez; para Fernando nos
dias I idos mezes dejan, maro., maio,jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recite : do Apipueos s 6 '/i> 7, 7 %, 8 e
8 '/i (l m.: de Olinda s 8 da m. e6 da Urde; de
Jaboatite s (j'/ da m.; do Caxang e-Varzea s 7
da m.: de Bendca s 8 da m.
Do Recie : para o Apipueos s 3 V?. *, 4 Vi, 4 '/&
3, o Vi, 5 '/ e 6 da tarde: para Olinda s 7 da
manhaa e 4 de ; para Caehanp e Varzea s 4 V2 da tarde; para
Bemtiea s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tereas e sabbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commerrio: segundas s 11 horas.
Dito de orpliaos: tereas e sextas s 10 horas.
Primcira vara do civel : tereas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a I hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
10. Segunda. S. Lourenro diac. m.
11. Tena. 8b. Tiburcio Suzana nirn.
12. Quarta. S. Clara y. ., S. Aniceto m.
13. Quinta. Ss. Hypolilo e Cassiaoo umi.
14. Sexta. S. Euzebio presb.; S. Demetrio u>
15 Sabbado. &i Assnni|>eao de X. Senhora.
16. Domingo. Joaquim par de Y Sentar*.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praca da lnd.|n-i
ns. t e 8. dos proprietarios Manoel Figueiroa *
Faria A Filho.
PARTE OFFICIAL
MIMMIItMI VA I V/t:\l> %.
Rrlalsro do ministerio da fazenda, que devia ser
aprescnlad a asscmbla grral legislativa pelo
respectivo ministro o Exra. Sr. marqurz de
branles.
CContinuacaoJ
Taxa de hcraneas e legados.O relator io do an-
no passado deu-vos contas de varias duvidas susci-
tadas sobre a execucao do regulamento n. 2,708
de 15 de dezembro de 1860 expedido em virtude
do, mas s a extincco to inesmo usofrueto e o
eneerramento da corita na recebedoria, sendo por
ontro lado incontestavel que a taxa do usofrueto
nao pasea como onus ou hypotheca propriedade,
ticando por conseguinte herdeiro ou legatario
isento de um tal encargo, nao justo que se prive,
qur o herdeiro, qur o legatario, de entrar no
dominio e posse da heranca ou legado pela razao
de achar-se o usufructuario ainda em debito da
taxa respectiva para com a fazenda nacional. O
remedio, pois, a que em semelhante conjunctura se
deve recorrer, promover-se a cobran?* da taxa
do usofrueto pelos nieios judiciaes, e entregar-se
a propriedade a quem fr de direito, guardando-se
o eneerramento da conta para quando a fazenda
nacional fr embolsada.
Que a regra gcral serem descriptos e avahados
Je iBou expedido em vi
de autorisacao conferida pela lei n. 514 de 28 de 0s bens, principalmente os de raiz, o lugar de sua
outubrode I80O para arrecadacao da taxa de he- situacao, ainda que em outro se esteja fazendo o
raneas e legados. inventario por ter sido o da residencia do fallcc-
Em aviso de 28 de abril prximo passado orde- do ; assim que. se os bens forcm situados no mu-
nei a directora geral do contencioso que em solu- nicipio da corte, seja ou nao ahi o lugar do nven-
0 procurador dos fetos da tario, a taxa deve ser paga na recebedoria, con-
forme o art. 42 do regulamento, sem que no se-
* V Ul ll(t.-
fazenda :
Io A opera lyrica nacional..........
2 imperial Sociedade Auxiliadora
das artes c Beneficcntc........
3o Bibliotheca Fluminense........
4o A matriz da Boa-Vista da cidade do
Recife......................
5 A irmandade do SS. Sacramento da
antiga S....................
6o s matrizes do Piauhy...........
7 A irmandade de S. Francisco de As-
sis do Pitangui...............
8 A casa de candade do Curvello...
9o s matrizes das villas do Oliveira e
Passa-tcmpo..................
10" associacao de S. Vicente de Paulo
11 matriz *da Senhora da Conceieao
do Aracaj...................
12 irmandade do SS. Sacramento da
freguezia da Gloria na corte...
13 s matrizes de Nossa Senhora da
Gloria e Santa Thercza do niuni-
Loterias
22
3
i
cipio de Valenca..............
14 matriz de Ubatuba, na provincia
Que os fllhos espurios legitimados com habili- gundo caso resulte inconveniente algum aos inte- de S. Paulo..
tacao para succederem, mesmo ab intestado, nao' ressados, visto como, tendo elles de assistir na 15
Km S. Jos, poriii, deu-se na segunda-feira al-
gum desaguisado de que resultou sahirem com a
casaca dilacerada os Srs. capito Ferreira Esteves
e Furtado. A mesa suspendeu os respectivos tra-
bamos, em eonsequencia disto, levando o juiz de
paz o occorrido ao conhecimento da presidencia,
quo ponderando-lhe nao haver motivo para seme-
ntante medida, tiveram os mesmos trabalhos de
continuar com calma, sob a presenca do Sr. Dr.
chefe de polica.
Na freguezia dos Afogados, apezar de algnma
agitacao, marcharam os trabalhos com regulari-
dade.
No Pojo concluiram-se os trabalhos de chamada
dos votantes, tendo-se dado substtuicao de varios
merabros da mesa, por molestia desi.'s.
Na Varzea, correndo em principio com placidez
os trabalhos, aconteceu que por occasiao de ser
chamado um votante, quem arguiram de ser es
babel, escrava de Do-
de Manoel de Bar-
de Bar-
Joao. branco, tUlio legitima de Redro Alfonso Ri-
gueira.
Antonio, cnoulo. filho de
mingos de Souza Leito.
Amia, branca, fiiha legitima
ros.
Pedro, branco, filho legitimo de Manoel
ros.
Lauriana, branca, filha legitima de Manoel de Bar-
ros.
Quatro educandos do arsenal de guerra.
Um filho legitimo de Maximino da Silva Gus-
mao.
Casamentes:
Jos Martins do Almeida, com Rila Candida Dias.
Joaquim Jos Bodrignes, com Mara Antonia dos
Santos
Floriano Francisco Alves, com Hennina Ferreira
Colho.
estao iscntos da taxa, em vista das disposices a! corte avaliaco dos bens ah situados,
que se refere 0 art. 3 do regulamento n. 2,708 de taXa pagavel e'm qualquer estado do inve
!o de dezembro de 1860, das quacs evidentemente
se deprehende que a isencao s apreveita aos 11-
lhos, que sao herdeiros necessaros ou forrados, e
nao aos espurios as condicoes de que trata o que-
sito.
Que se a doacao mortis rausa, revogavcl a
arbitrio do doador por toda a vida, ainda que ajus-
tada em contrato ante-nupcial, como c doutrina
de nossos praxistas, pois tal e a natureza de taes
e sendo a
entario, nos
termos do art. 14 do regulamento, nde nessa oc-
ocasao effectuar-sc o pagamento. Se houver bens
situados fra do municipio da corte, de que se deva
taxa, pode esta ser arrecadada pela respectiva
collectoria geral, promovendo os collectorcs, como j
agentes do procurador da fazenda, os termos do'
15 Associacao de Caridadc da Corte
16 irmandade da Misericordia do Sa-
bara........................
17 matriz da parochia das Sete La-
tranho a freguezia, appareceram alguns dislurbios Alfredo Ramos Chaves, com Deolinda Leopoldina
que levaram a mesa a suspender as suas funceoes,' Loureiro Pinto.
trazendo o o;corrido sciencia do governo. I Joao de Carvalho Paes de Andrade, com Firmina
Em Pao d'Alho Toi a mesa organisada em senti-1 Clementina de Souza Ayres :licenca.
do favoravel aos conservadores; e entrando em' Joao Jos da Silveira,eom Mara da Conceieao Pes-
seus trabalhos, tiveram estes de ser descontinua- soa Pinto.
dos por levanlarem se disturbios, que trouxeram Manoel Antonio Beltrao, com Claudina Maria de
fenmentos de alguns individuos, com tentativa do Jess,
quebramento da urna. I Lucio Jos Francisco da Silva, com Benedicta Maria
Na Gloria marchavam com placidez e regulari- do Sacramento:licenca.
dade os trabalhos ; mas na Luz houve um conflie- Reparticao da polica :
Extracto das partes do dia 11 do crreme.
Foram recolhidos casa de deteneao no dia 10 do
goas.
Ha requerimentos que ainda nao foram defer-, to, de que resultou sahir ferido o capito Manoel
dos, por faltarem esclarecmentos que se exigiram Cavalcanti d'Albuquerque emnma das maos.
para completo conhecimento da materia. Ein Olinda, na freguezia de S. Pedro Martyr, ap-
Devo aqu dizer-vos que o governo altern as pareceu algum disturbio, com tentativa do quebra
inventario na conformidade do art. 47 do regula- clausulas das concessoes feitas s sociedades Au- {ment da urna, que foi garantida por um soldado,
ment ; sendo que as disposices dos arts. 42 e 43 xiliadora e de Caridade, estabelecendo que, por A mesa reclamou por providencias S. Exc, aflin
dssoluees das mesmas, reverlesse para o. thesou-' de coutinuar os seus trabalhos. No curato da S,
ro o importe dos beneficios das loteras conced-' porra, corram estes com placidez, sendo a mesa
das, os quaes, desde que forem recelados pelos con-! comjiosta dos Srs. Joo Baptista da Silva Mangui-
cessonarios, dererao ser empregados em apolices nho, presidente, Evaristo Vieira, Miguel Barboza,
da divida publica. i Vicente Anastaeio e Ascindino Franca, mesarios.
Em eonsequencia do pequeo numero de peticio-; Em Iguarassu nao consta alteracao alguma ; o
narios que se apresentou, peJindo a confirmacao que d-se as freguezias de Nazarth, tendo em
~" loteras, o governo assentou de proroga'r o fracunhaem vencido a mesa os conservadores,
lindo no 1 de setembro de 1862, conforme De Serinhem consta que estes abandonaram
.... 3 do decreto n. 2,874 "supracitado; e novo a eleicao, que corre com calma.
41 esta declarado que desde a morte do testado ou vezes que ella fr devida fazenda nacional, e as decreto com data de 9 de setembro de 1862, n. | Em Ipojuca parece haver duplcala, sendo urna
intestado se tirina o dneito do estado ao imposto partes prefiram paga-la na mesma recebedoria. 2,969, es(aeou aquelle prazo at o 1 de maio do presidida pelo primeiro e a outra presidida pelo
nos termos expostosjiesse artigo; 3 porque, sem LOTERAS. crreme anno. Em virtude de ponderaees feitas segundo juiz de paz; que na ausencia daquelle
ao, nao e admissivel em dire- No da 2 de maio de 1862 falleceu o commen- pelo presidente de Minas, anda outro prazo de 8 tendo organisado a mesa, apenas elle apparerra
llie ceder a presidencia, que elle nao aceitou, pe-
dindo em seguida providencias ao governo ; visto
sao inteiramente applicaveis a esta hvpothese, ten-
doai'oes havendo-se por pacto simples o que for do os collectores indubitavel direito s competen-
feto com a condic^ao de nunca se revogar. tes porcentagens, direito que conservam ainda
Que as isencoes do art. 6 do regulamento nao quando as partes, por Ibes ser mais commodo, e
sao extensivas as herancas e legados anteriores ao 1H.|a faculdade do art. 11. prefiram pagar o impos-
dito regulamento : 1 porque esse artigo esta su- l0 na recebedoria, ao que o regulamento nao se op-
Iwrdinado ao cap. 3, que trata somenle da arre- ,(5e. O art. 42 preceitua que a taxa dos bens s-
cadacao e hscalisacao da taxa, e portante nao pode luados no municipio da corte seja paga na recebe- de suas
refenr-se aos outros, embora anteriores, ntreos doria, mas nao prohibe que se pague tambem alli a prazo fi
quaes se acha o mesmo art. 6"; 2 porque no art. dos bens sitos fra do mesmo municipio, todas as o art. 3
Jo
to o effeilo retroativo das leis ou decretos: 4 por- dador Joao Pedro da Veiga, thesoureiro das lote-' mezes foi concedido por decreto n. 3,088 do i
lamento nao prevalecera, visto como a sua dispo- interrompido, foi nomeado pelo Ilustrado ministro' Fcz-se o assentamento das loteras, partindo do
icao se restringe aos actos comprehendidos no de enlao, para thesourejro interino, o filho mais anno de 1837 paraca, afim de aatisfazer as instruc-
cap. 3 que se refere meramente ao processo da Velho do finado thesoureiro, Saturnino Ferreira da ces de 18 de junho do anno passado. Com esto
.irrecadarao e Hscahsaeao da taxa, c nao o direjto Veiga. trabalho o governo tem conhecimento de todos os
elmer a mesma taxa, e aos casos de sua isencao, l>esde esse dia pensou aqulle digno ministro concessionarios, do numero das loteras concedi-
dos captulos ante- em reformar as dsposiees, que diziam respeito ao das e extrahidas daquella data at o presente, e de
estipendio devido ao thesoureiro pela extraceao de' muilas outras especies, coraprehendidas no assen-
cada lotera. I tmonto que frito p E na verdade a reforma era um servico tiio in- Nao so pode ir mais Joge, ponjuo dessa data
portante para o estado, que nao poda dcixar de'para traz tudo confuso nos assentos que se en-
attendida por um ministro zeloso e intelli- contram.
O
riores.
Que, nao obstante parecer primcira vista, pela
generalidade da lei n 460 de .'(0 de agosto de 1847
naspalavrasque no futuro vier a adquerir por
qualquer titulo gratuito ou onerosopoder a San-
ta Casa de Misericordia da corte ser instituida her-
deira; todava, sendo certo que o fin da citada lei
de 1847 foi dispensar as leis da amortisacao so-
mente para aquella Santa Casa poder possnir bens
de raiz por qualquer titulo oneroso pu gratuito,
isto por qualquer dos ttulos permittdos em di-
reito, e nao ampliar as especies desses mesmos
ttulos, cumpreque se considere subsistente a pro-
bibieao de ser a Santa Casa instituida herdeira por neira que sobre seu parecer pudesse o ministerio
julgado o acto do segundo urna sorpreza. Essa
mesa e composta pelos Srs. Antonio Peregrino Ca-
valcanti d"Albuquerque, presidente, c baro de
Guararapes, conego Bochael, commendador Jos
Caddido de Barros, major Jos Flix da Cmara
Pimentel, mesarios.
Em Santo Anto arge-se ao processo eleitoral
o vicio, que attribuido ao de Ipojuca, sendo a
mesa formada pelo quarto juiz de naz O primeiro
absteddo-se d>' qualquer lula, solicilou providen-
ciasd^arte de S. Exe.
liaf ffrguezias de Cruangy de Nossa Senhora
titul universal. Se o fim da U.-i de 30 de agosto
de 1847 fosse extender a permissao ao ttulo de
heranca universal, tratando ella nicamente de
bens de raiz, seguir-se-hia que continuava a res-
triceao aos legados do> movis c semoventes, para
o que nao ha razo plausivel. O art. 6 1 do re-
gulamento de lo de dezembro de 18t0. repetindo
a phrase do art. 7, | 1 do de 4 de junho de 1845,
ser attendida por um ministro zeloso e
gente. Nem poderam para Isso servir de auxilio os na-*
A nomcacao de um fiscal foi o primeiro passo' peis recebidos dos herdeiros do finado Joao Pedro do & Rosario e defossa Senhora do O' de Goyan-
dadopara a reforma. A elle se incumbi : Ida Veiga ; porque nelles apenas se trata das in- na. as respectivas mesas organisaram-se com ven-
1. De fiscalisar o processo das loteras que se numeras alteracoes, feitas as distribuicSes se- cimento dos progressistas.
extracm na corte; j mestraes das loteras, e se encontram as copias de Em Goianna houve ainda algum disturbio ; e
2. De examinar todos os negocios e papis que algumas concessoes que nenhum presumo teem. nao wpdo os constttuconaes concorridb para a
dissessem respeito :ts loteras concedidas, on que Do quadro n. 102 veris quacs sao as loteras formarao da mesa, parece que protestaram contra
se tivessem de conceder na forma da lei, de ma-' que ainda se nao extrahram. Dvdem-se em tres ella.
elasses :__ ____.._____- .. .- I Durante o dia de hontem, nenhuma partieipaco
A icomprehende aquellas que sao apphcadas a offlca| u {rem7:x, do n|'
estabelecimentos, designando-se um certo numero
corrente :
ordem do Ilhn. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-
noel Joaquim de Carvalho, branco, vndo da pro-
vincia das Alagas, como pronunciado no termo
de Serinhem.
ordem do subdelegado do Recife, Manoel Mar-
tins da Silva, portiiguez, por desobediencia ; Maria
Miquelina Leonlia de Mello, parda, por embria-
guez.
A ordem do de S. Jos, Manoel Jos Mara de
Barcellos, branco, por disturbios.
ordem do d Boa-vista, Lourenco, escravo do
barao do Livramento;- c Francisco, escravo de
Adriana Isabel d'Albuquerque Mello, ambos por
fgidos.
ordem do da Magdalena, Manoel Francisco da
Rosa, pardo, por crime de morte.
O chefe da 2* seccao.
/. G. de Mezquita.
Moviniente da casa de deteneao no dia 10 de
julho de 1863.
Existiam........ 405 preso?
Entraram....... 7
Sahiram........ 3 >
Exstem......... 409
A saber :
Xarionaes...... 283
Estrangciros..... 34 >
' Muflieres....... 11
Esti angeiras..... 3
Escravos....... 72
da fazenda resolver com perfeito conhecimento to-
das as qucstes concernentes a esse servico;
3." De interar-se do estado em que se achavam por anno. mas por lempo indefinido.
os negocios, tanto das loteras que correram soh a A 2" comprehende as que teem numero tenni-
responsabilidade do fallecido thesoureiro, como nado para cada anno, e tempo definido,
das que foram destribuidas para correr no anno A 3* comprehende todas as que nao teem temi>o
de 1862. ; marcado, dentro do qual devam ser extrahidas.
De[tois disto um decreto foi lavrado em que se distrbuicao que se fez para o anno corrente,
quando falla em seneao da taxa as heranem de- autorisava o ministerio da fazenda para contratar pelo decreto n. 3,039 de 30 de dezembro de 18G2,
xadas Santa Casa de Misericordia, nao exprime 0 servico da extraceao das loteras com qualquer attendeu aquellas especies, e s nao contemplou
a sua mente com o sentido rigoroso da phrase em- pessoa 'idnea que o executasse na qualidade de algumas loteras da 2a elasse, pela razao de se nao
pregada. Einquanto, pois. nao se resolver o con- thesoureiro das loteras da corle, mediante um es- acharem confirmadas.
trario, nao pode a Santa Casa ser instituida her- pendio rasoavel, e por cuja conta corressem todas A renda de 2 por cento sobre o capital e premios
(I. ira. mas ajtcnas legatara. as respectivas despezas. das loteras da corte c provincia do Rio de Janeiro
Que a isencao da taxa em relacao as alternas,' e sendo a commissao do cx-thesourero de 2 /o foi no exercicio de 18611862 de 1,129:4405.
de que trata o art. 6. g 4 do reculamente, a lber-' s0|,re o capital de 120:0004000 de cada lotera, i Os remanecentes, isto os premios nao pagos
dade se considera perfeita c irrevogavel desde o determnava-se no mesmo decreto que o estipendio pelo thesoureiro das loteras, e recolhidos ao the-
niomento em que conferida, ainda mesmo com contratado sahisse desses 2 %. entrando para o souro no fim de seis mezes contados do dia da ex-
qualqucr onus, o qual (como v. g. a prestacao de tbesouro o reste, que seria considerado como renda traceao da lotera, montaram no referido exercicio
serrfeo* a alguem) nao altera a eondicao c estado do estado.
Escravas........ 6
409
Alimentados a custa dos cofres pblicos.. 163
Movimento da enfermara no dia 11 de agosto de
1863.
Tiveram alta :
Joao Gregorio de Jess Bello.
Joao Francisco Moreno.
Neste ponto se achava o negocio de que vos don
conta, quando Sua Magestade o Imperador se dig-
nou chamar-me para ministro da cora.
Logo que o governo foi informado de tudo o que
fu exposto. aceitaram-se inteiramente as ideas do
a 68:7355.
Rematara este artigo, submettendo ao vosso co-
nhecimento a seguinte questao, sobre a qual peco-
vos deciso. O art. 28 da lei n. 1,177 de 9 de se-
tembro de 1862 que determinou a cessaeao da? in-
demnsaeoes percebidas pelo thesouro por meio da
extraceao de loteras, concedidas ao governo pelo
decreto n. 979 de 16 de setembro de 1858 para o
fim de auxiliar ao emprezario do theatro de S. Pe-
dro de Alcntara, Joao Caetano dos Santos, com a
Deram-se ao mesmo lempo instrueeoes ao fiscal prestacao de 4:0005 mensaes, comprehende a ees-
das loteras, afim de dirigir-sc convenientemente sacao, em beneficio do dito emprezario, del31ote-
1 ras ainda nao extrahidas ?
Este ponto, sobre o qual divergeni alguns func-
ciontrios do estado, carece de disposicao clara e
tipendio que devia perceber pelo trabalho a seu terminante, para que o governo possa deferir o re-
cargo : querimento. que ao ministerio da fazenda dirigi o
mo desde o qua, alguem c a a usufruir, enten- ^g^*^*^ SSteK^' Pedh,d ~5 *"
a beneticte do^.alario ou herdeiro usufructuario, s ^rgotocas as despezas pertencentes a impres-
p or conscuinte ataxt das herancas e Icados sao dos bilhetes, venda, extraceao, pagamento, e
ZZZut* tvTS^Xl comabilidadccom obrigaCao de ler sempre o pes-
do lallecimento do testador, como mesmo se con- soa necessano para o servico, sob pena de ser de-
<%^8?inonvolneUte i^SSSt e "o^souro lucrou con, esta medida 60:0005 an-
outros quaesquer titules recolhidos ao deposito, nuaes na hypothese de correrem oO loteras ;quan.
quando smenle delles constare,.! as dividas acti- e esta sujeita a despeza dere,
1 -i I MA em (lile fui :irluti'ml:i n crralilii'e:in do (lilu
de liberdade, retardando apenas o pleno goso e
exercicio desta.
Que tedas as vezes que, a aprazmento das par-
tes e do procurados da fazenda, na forma do art.
10 do citado regulamento, a nomcacao de lomados
recahir sobre algum dos laneadors da ivcebeclo- digno ex-mtnistro da fazenda e o decreto n. 2.9J6
ria, pde-se dispensar o juramento dos mesmos.; com data de 16 de junho de 1862 foi promulgado
como acontece nos inventarios de bens de ausentes para regular o servico da extraceao das loteras da
nos termos do art. 35 do regulamento de 15 de ja- corte,
junho de 1859; mas, nao se indicando os laneado-
rs naquelle regulamento, como se indica esle.
jiosto que facultativamente, por camella se Ins
deve, na hvpothese figurada no quesilo, deferir o
juramento, mxime se o juiz o determinar e os in- r thesoureiro interino a respeito do es
teressados o requererem, evitando-se assim a ar-
cuieo de niilldades 110 inventario.
Que, nao tendo o testador marcado prazo ou ter-
na execucao do referido decreto.
Feito isto. encarregoif-se ao mencionado fiscal de
BISPADO DE PERYMBICO.
2:4005, em que foi arbitrada a gratilicaeao do dito
noSo^'KS rlS'^a^sS: RJ^o actual thesoureiro de 50:0005: que
nps\aioiwu. iiiuui i""" -, ..' e le depositou no thesouro em apolices da divida
,SSS^^^^^f^ B gf f 6 Pr "* -P* -neme
se refercm ao caso de nao te- u.i pra^a.
C>m a p< ssivel brevi postas concurso ns tgrejas vasa.
Faz-se o prvseule avUo p r ordem
de S. K* Itvimt.
Pnlacto episcopal da SoleAade,
IO de acost de *MH3.padre Jos
A o ton lo dos Sanios Lessa, Secreta-
rio i>articul rde s. Exc Bvma.
do regulamento, so .
rem cotacao os mesmo? ttulos c aeces; por que,
se a tiverem, ser a taxa sempre regulada pela co-
tacao media no dia do fallecimento do testado ou
intestado, como prescreve o regulamento no art. 20,
nico.
Que, se no da do fallecimento do testador nao
tiver cambio a moeda estrangeira, o calculo para
a reduccao della moeda do paiz deve ser feito so-
bre a cotacao ultima anterior ao mesmo fallecimen-
Tendo-se procedido ao exame do estado da conta
dos remanecentes, provenientes das loteras extra-
hidas no tempo do finado thesoureiro, arhou-se
que ainda nao haviam entrado para o thesouro os
pertencentes a seis loteras que cerreram desde 16
de novetnbro at 23 de dezembro de 1861. e s que
se extrahram de 10 de Janeiro at 2 de maio de
1862.
PERWAMBOCO
REVISTA DIARIA.
Havendo nos nesta Revista dado a composcao
A razao disto proceda de se nao terem ainda de diversas mesas parochiacs, passamos hoje" a
Wim nue o valor das apolices (com- completado os seis mezes que ao thesoureiro foram historiar succmtamente o que ha occorrido at
r.radas com dinheiro do espolio para cumprmento concedidos outr'ora pelo ministerio do imperio para hontem, em que se concluio o processo da chama-
le leeados I deve ser regulado para o pagamento apromptar a conta de
di laxa ou pela cotacao media do dia da acquisi- respectivo remanecenti
,:-. mismas anolices. ou computado sobre o Hoje nao ha nenhum
da em algumas parochias.
Nncentretanto nao garantimos no todo a exacti-
do dos* fados que consignamos, visto que de ver-
sees encontradas, se nao pode tirar urna verdade
extreme de toda a parcialdade.
O processo eleitoral as freguezias desta cidade
de cada lotera, e entrar com o
inecente.
Hoje nao ha nenhum daquelles premios nao pa-
preco real da sua compra. j gos s partes que se nao ache recolhido ao thesou-
Que o art 36 do regulamento contm urna dis- ro, e no seu devido tempo.
oosicio eeral extensiva a todos os usufructuarios Quanto as contas do thesoureiro fallecido conti-
a existentese oie nossam existir conforme o esta-' nuam a ser liiuidadas na competente directora e tem corrido sem maior alteracao em sua regulan-
eeeidc iS an^s lK 14 assim como que o m- de muitas j se tem dado1 quitacao. dade e sem conflicjos de que se res.nta a tran-
siste em divida de une falla o citado art. 36 se re- Com grande morosidade, c ate em linntadissimo quihdade publica.
He tanto ao que ^ COns ir dS lancamentos nos numero, foram apresentados ao thesouro, na forma ?-o Recife, havendo aparecido o mesario Dr.
vr^sda repanijao, Sao que ainda nao cstver do art. 3 do decreto n. 2,874 de 31 de dezembro Campos, comecaran. os trabalho de cnamada dos
aneado; por bao que 60 lancamento que d as- de 1861, requerimentos das irmandades, corpora- votantes e de recebimento das sedulas. .
So e origem I divida S KmJnlo, como ces e estabeWimentos, constantes de urna refaci De um pequeo tumulto que ah se levantou,
diz o regulamento. a inserirlo e a divida pode que vem appensa ao mesmo decreto, pedindo a nenhuma Cnscquencu, funesta sobreve.o
existir independente da mesm^riVao i confirmacao das concessoes de loteras hitas pelo Na Boa-vista tem continuado os trabalhos com
Oue. seoao certo que o art 38 do reculamente poder legislativo. placidez.
na faz expresamente depender doVfflu) da ^Iruus decretos se expediram confirmando as Igual resultado tem-se obwvado nesta freguezia
taxa do usofrueto a entrega da heranca ou lega- loteras concedida*, a saber : de >anto Antonio.
cliegou das freguezias do interior, o que
denota que alli contnuam a marchar no mesmo
p oa negocios eleitoraes.
as freguezias da capital correu ainda hontem
calmo o trabalho, c,onelu!ndo-se a segunda chama- j
da as de Santo Antonio, Boa-vista. Recife e S.
Jos.
Na do Ahogado houve um pequeo disturbio,
sem eonsequencias, que levou o juiz de paz a sus-
pender os trabalhos, addiando-os para hoje.
- O brigue brasileiro Imperial Pedro, chegado
lionteni do Rio de Janeiro, com 9 dias de viagem,
nao trouxe jornaes da corte.
Esperani-se os seguintes vapores :
Da Europa o francez Extremadme, at 14 :
Dos nortes do sul o inglez Oneida e o brasileiro
Princesa deJoimille, ate 14 : e
Dos do norte o brasileiro Apa, at 20.
Baptsados havidos na freguezia de Santo An-
tonio do Hecife, no mez de julho de 1863.
Joo. branco, lilho legitimo de Agostinho Tavares
Pires.
Jos, pardo, escravo, filho de Margarda, escrava de
Maria do ("armo Souza Vianna.
Maria. parda, lilha legitima de Braz Antonio deSan-
t'Anna.
Mariana, parda, lilha de Antonia, escrava de Joanna
Baptista de Araujo Bastos.
Joanna. branca, filha legitima de Luiz Gonzaga do
Nascimento.
Manoel, pardo, filho legitimo de Francelino Jos
Monteiro.
Etelvina,' cabocla, filha legitima de Manoel Jos dos
Santos.
Arthur, branco, lilho legitimo de Manoel Gomes
Leal.
Claudina, branca, lilha legitima de Andr Avelino
. Sobreira de Mello.
Josi. branco, filho legitimo de Jos Comes Vil-
lar.
Thereza, branca, filha legitima de Juvino Jos Co-
lho.
Algemira, parda, filha > Paulina, escrava de Anto-
nio Bernardo Quinteiro.
Senhorinha, parda, lilha legitima de Joao Luiz de
Carvalho.
Maria, branca, filha legitima de Alexandrc Jos de
Almeida.
Leopoldina; filha legitima de Joaquim Cyrillo da
Paixo.
Geminiano, branco, filho legtimo de Luiz Rodri-
gues Franca de Mello.
Virginia, branca, lilha legitima de Lino Fran-
cisco Correa.
Jos, pardo, lilho de Felicdade, escrava de Rufina
Dolores Candida Silveira.
Engracia, branca, lilha legima de Augusto Frede-
rico dos Santos Porto.
Thomaz Germano de Oliveira, filho de Maria An-
tonia de Oliveira.
Joao, branco, filho legitimo de Henrique Amante
Chaves.
Maria, branca, filha legitima de Antonio Jos
Pires.
Manoel dos Prazores, filho legitimo de Jos Ra-
mos.
Joanna. parda, filha de Norberta Maria da Con-
ceieao.
Joao, filho legitimo do Dr. Joaquim Pires Machado
Portella.
Joaquim, branco. filho de Maria da Assunipto Ca-
valcanti.
Mariana, branca, filha legitima de Manoel Luiz
Goncalvcs.
Maria,' crioula, filha de Quirina Thereza da
Costa.
Gertnules, branca, filha legtima de Francisco Bap-
tista de Almeida.
Paula, parda, filha de Vicalia, escrava de Lidio Ale-
rano Bandeira de Mello.
Julia, parda, escrava de Arma Emilia Muniz de Al-
meida
^ >* 2 g z- re c

DB V.
1 "1 3 1 >
~ 1 P 3
j ! ! ! i ** Si
j : (O =

9
si 1 I ** ! Ma.trulino. , 9 9
*" * 1 ^1 ti. _ H
( . , c X
j. e
I remtiinw. ' 5 y.
Ci 1 1 1 1 o: 1
1 f 1 - 1* J aa

V-
Mtisnilino. H p
-~ 1 ^
M ce 11 a.
1 i
Feminino. "
a | a * 1 *
1 1 Masculino, j y. I *
J
>* 1 * Nfc O
fvt/iinino; \
| * A ' w
Masculino. 1 en
1^ * _ W
00 M ^i 1 I ~~
n
Feminino. \ C
1* ca
te 1 m A -^ 9

9
Manculino-
8 -
OS * - A -t

r-
^a ^1 Fim i ni no. 9 3C P
t* m * A C-5
OBSERVAgOES
Cs OS
^1 A = .-
Adierteticla.
Na totalidade dos doentes existem 167, sendo
alienados 7 homens e 23 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As 7 20', 7 1/4, 7 1/2, 7 1/4, 7 1)2, 7 1/4, 7 i/2,
pelo Dr. Villas'Bas no impedimento do Dr. Dor-
nellas; s 6 5o 7 i/4 7 20 7 1/2, 7 3/4, 7 2o 7
1/2, da manhaa pelo Dr. Sarniento, e as 5 1/2, 5 1/2,
S 1/2,5 i/2.6 da tarde pelo Dr. Villas Boas.
Falleceu :
Joao Pacheco Vieira, dyarrha chronica.
Passagciros do "patacho nacional Captan,
vindo do Bio de Janeiro : Manoel Vieira Ber-
nardos Jnior e Luiz Monteiro. -
Passagciros da barca ingleza Imogene, rinda
de Liverpool : Joao Secundino Pacheco, e John
R. Chapman.
ObiTUAIUO DO DIA 11 DE AGOSTO NO CEMITERIO
publico :
Antonio Lopes, Pernambuco, 70 annos, solteiro,
Santo \nt!inin ; peritonite.
Claudina, Pernambuco, 21 annos, solteira, escrava,
Boa-vista ; eclampsia puriperal.
Manoclla, Pernambuca, i hora, Boa-vista, escra-
va, contusoes provenientes do parto.
Guilhcrmina, Celestina do Amor Divino, Pernam-
buco, 40 annos, solteira, Boa-vista; phtysii
ulmonar.
enente-coronel Antonio Germano de Albu.
que Cavalcanti, Pernambuco, 83 annos, casado,
Boa-vista; castro interite.
Manoel dos Santos Pinheiro, Pernambuco, 22 an-
nos, solteiro, Santo Antonio; phtysica tubercu-
losa.
Salustiano, Pernambuco, 3 mezes, Boa-vista ; sar-
nas recolhidas.
Maria Joaquina da Conceieao, Pernambuco, o3 an-
nos. casada, Recife; hyoropisia.
itysica
uquer-
UM POUCO DE TVDO.
Na Revista Popular, do Rio, l-se o seguinte
Outr'ora o simul esse et nos esse enlrava na lisi
dos impossiveis, e era considerado um absurdo in
tolera vel; hoje nao s urna rea I dade como pos
se os foros de axioma. Ser e deiiar esrr tiwm
lempo tem sido diariamente a materia discutida r
approvada no parlamento; a fonte mpa osde a
opposicao da cmara dos deputados vai notar a
sede de confundir os seus adversarios polticos, t
ser dentro de poneos annos a expressao genum;>
do voto popular.
Se a praxe, embora abusiva, tiver algum da a
fon;a de lei, asseguro-vos que na prxima tefbla
tura estarei amezendado entre os eieites do povo .
e para isso nao vos incommodarei, nao pedirn
los, e at me comprometi a dar de mo cabala
nina vez que a questao se resuma a apresentar *
iliplina, falso ou verdadeiro, limpoou viciado, cr
apparecer, e os meus amigos, tao legalmente efet-
tos como eu, o sustentarlo para tambem sastra
tarem-se.
Pezar tenho eu de me haver deseaidado por afo-
ra ; a occasiao foi de todas a mais opportuna para.
enfunado c com vento eui pupa, alistarme na> ti
leiras dos augustos edignissimos I Perdi a monean
perili-a em regra, por isso que ainda nao tinhale
to o meu programma, nem sappunlia que para sw
deputado me era- dada a faculdade de presrindi
dos arrasta-jis ao corno eleitoral; boje que veji.
quanto sao fosseis tmm cuniprimentos, MI ~
tornaram ridiculas as bajulacoes, e ate que paut>
despropositado teem os eleitores querido levar 1
sua infundada importancia, rolloco-me na estacada
e o primeiro diploma queapanbar desgarrado ser
o meu e ir dar um passeio ra da Misen-
cordia.
Mais votos e menos votos destroem-se mathemaii
camente, mas eu nada terei com os senhore ma
thematicos, que sao avessos a tudo quanto esta tora
das leis dos seus algarismos : parlamentarmente #
uso fazer-se do tenos mais, e do mais na-nos. coa
forme a necessidade de dar-se um traen horisoMal.
ou forinar-se urna cruz: com os pMMMMM
pois, que pretendo arhar-me, e acredito que me
darei muito bem.
O emprego de chronista da Revista Popular, em
prego de que muito me ufano pelo simple- n
de deixar em paz os cofres publico, nao esta co-
prehendido no numero dos incompativeis para abrir
me as portas do parlamento; e quando estivesse
os arestos para nada prestam ? Se aquelles mesm>-
que fazem as leis nao as applicam a si, porque hei
de ter em considerarlo essa nnharia de iroropa
tibilidades O juiz de direito est ou nao dispensa
do do inrommodo de ser deputado, logo qne ?ot.r-
elle recaan) os sufragios do districto da sua jorfe-
diedw ? Eutendo que sim : mas nao fot i
se fez ltimamente: houve quem acceia*-
mente para fazer favor, o pesado encargo ite fabfi
cante de leis, quando estas o i.-enlavam de t.ii. gran
de sacrificio.
O exemplo agrada-me, e vn servr-me pira
futuro. Embora se negu aos chronista? u >li
de tomai ein assenlo na cmara ao bulo dos juar-
de direito e mais magistrados tidos e havidu pst
incompaliveis, hei de ser deputado ; emln-ra a ot-
posirj). perca a tramontana, e contr.i mim 1 1 ..
as mais pravo aecusa^es. hei derir-me de twloe
de todos, e occupare urna cadeira de MBI r"
cinto do parlamento.
Slmul esse et non esse ser a minha divida: aim
go do povo e do bem-eslar. que tamU-m o nn-ti
nao Ihe tirare a camisa do corpo por proposta mi
nha, e se por arcaso o meu voto eiiver de m
com as medidas adoptadas e vencidas neste M-uim
do. desde ja proteeto contra as rilada- : um mo-
mento de descuido, a falta de altenrao. una con
versa mais prolongada, oua metatl de 11111 havan^
almiseando, devem ter sido a cau>a do %!> op-
posto minha opiniao : logo que nao *-iir|
a ntencao de fazer mal, o que iinpossivel .1 wsi
dos meus precedentes, acredite-se que fui ill
e embrulhado na rede da maioria.
Sempre governista, ainda que lenlia d.- j|.mi
seis ou oito gabinetes de credo dilferenle. imtlili
re as minhas ideas no sentido de auxiliar a qual
quer delles : a causa dessa adheso nao iiihTrom
pida provir antes da garanta que ohVrema ao-
niinisleros nos seus progiainma- MBt m\ A
que da minha versatilidade pouco comnium.
Independente. livre do jugo ministerial tun-
dir que todos os gabinetes merecen) a mi
lianca, porque eu deseje consercar-me : quaii-lo h
se faca juslica as minhas cunvieces, poer-sf-te-
por demasa, suppor que sou capaz de prodiu
qualquer cousa, e ior isso louvo-me 1
e trabalhos alheios. E onde esta o nial S MB
partir do governo, deve ser boa e aproyeitavel. -. ,
o que elle nao a apresentaria s ho>tilidad<-> A'
descontentes: viudo, porni. da opposie. [' excellente. e nada ler de exequiyd : a oppustfH
and.a* mesmo a mais moderada, nao faz s'nao creai
enibaracos a quem se esforea po catwt rey
bliar.
Ouer me parecer que. tracando-me esta linha in-
conducta, nao irei mal; sei que os zoilo na*>
pouparo, e mais de urna vez irao chronica r>-
iher um ou outro ponto vulneravel para elles. e ea
hiro sobre mim com despiedada acrimonia. ti>
ciencia! o que digo hoje. faeo-o aaianbia. e o s-
lenlo depois e sempre porni isso apena aceti
ce quando sou o inventor e logo o execulor da me
acto recebido ou repudiado: fra desse raso excep-
cional, conlento-me com a modesta posiro dr m
tador, e nao devo carregar com a resposai-ilMf!'
do mal que provir do meu genio plagiario.
Hei de ser^iraxisla; pertencerei a esse rseot*
sem igual, a nica que sabe agasaltiar os seas adep
tos e prmia-los convenientemente. Que impon.i
que para galgar o pinculo do templo erigido en.
honra do dolo, faca muitas vezes o sacrificio do-
cabellos, e outras, que nao sopoueas, caminhe rJ
bisbaixo. de rastos, ou lujando o perfumado p da
estrada r Criancice! A penitencia durara poor
para mim, pois nao sou ambicioso: chegamlo a ca
mar limilarei as minhas relacies aos ministril .
conselheiros de estado; collocado oa cadeira vita-
licia, s ouvirei os ministros.
E' este, leitores, o meu progranuna poiitiro
agrada-vos ? Sim e nao Deve merecer a veaaa
approvaco, porque acompanbo a poca -. nao
do vosso gosto, porque ainda nao estaes cajuadL-
de ouvir-me, e presums que o deputado ou seaa
dor Carlos se dignar de vir s paginas da Hr>i*lo
Popular conlar-vos a chronica da quinzena. Ene:*
no manifest; essa tarefa penence ao numero sa-
que sao de lavra propria, e conseguintemenle est<
no caso de ser dita hoje, feita atnanhaa. e sn*ala
da depois e sempre.
Pretendo e conseguir! ser deputado na pritat-t*-
occasiao, senador mais tarde, e chroaista pnr tod>
a vida : audaces fortuna juval, Imnknmne n/mm
Refere a Ga^fa de Portupai a curwea notk ia qu.
segu :
Recelicu-sc hontem depoi, de ma dia. na *r.
ja das Merccz, um par que atlrahioatua. rosa con
currencia de curioso.
Fo a Sra. D... com o Sr ...
A noiva laostrava ter mais de oitenta ennoi *
idade, e sermuito doen'e. Ditem fejeeavir
dr.as vetes.
MWa.





~4>
Diarlo de Peramlnieo guara felra It le Agobio de 18*18.
^noivo t
trintu anuos.
mrTTlTTIi. c deve contar sou< Appellante. Jo* .Soares da Silva ; appellada. a tiesta cidade, e sobre tjtie possue
juanea, eriptos, sumido se diz ?
amor arranja destes pbenoiuenps ?
mu preciosos es- no sen eligen!* Pereirinha (em .Agua-Preta,) veio,
ap-
[ppellucu eicel.
Appellante, a Exilia, marqueta do Recite;
pellados, Jos Carlos Paes Barreto e outros.
PASSAGKNS.
O Sr. desembargador Caelano Santiago passou
ao Sr. dosembarcador Gitirana
i appellacao erime.
Appellante, o'juizo; appellado, Pedro Chrysolo- \ rarissimas, c^que s poderao valerUWez por se-
g Cavalcanti Wanderley.
O Sr. desembargado!- Gitirana passou ao S. des-
0 Imperial Intitulo bahiano de agncultui-ano
.inno findo oceupou-se de varias materias de lm-
iwrtancia para a agricultura, sendo a mais notavcl
-einduvida a proposta do Sr. Teive eArgolono
cutido de crear-se urna escoto de agricultura theo-
lieo-pratica sobre bases vantajosas e econ-
micas. '
Essc senhor offereceu sem restrtcc,ao o seu en- _
genho, para nelle fundar-sc a escola; no que o emliargador Lourenco Santiago
ucompanhou o Sr. baro de S. Lourenco. mediante As appellacoes rimes.
porm certas condicoes. Mas o local s pedera Appellante, o promotor; appellado, Luiz Antonio
ser cscolhido depois dos competentes exames. I Cabug. ,
S o nosso Instituto nao tem revelado a sua Appellante, Francisco Jos Miguel: appellad,-* possa nmpavido. e costando a espessa barba) drzer :
existencia por factos! I justara." cmnpri bem a mmka mtssao. emaguet brego e
----- Appellante. o juizo ; appellado, Raymumlo Jos.'- Trganos, s-fiz etmeessoes aquem me uiiproure, os
Os cedros mate antigos do Lbano, cm numero,' de Santa Anna. I >*a* ahiesulo foram derrotados, tuda vena, fiz
actualmente apenas de oit, completaram comple- .1 ap,wllacao arel. \ a meu talante. M, pois, a miulut comitiva ; t\u-
laram a idade iwueo mais ou menos de oitomil Appellante. 1). Mara I mbelina Cordeirode Car- tuaeuo e mtnha toda oh.-tudo son eu ; tamben
annos, segundo di-lo um jornal europou tratando vallio ; appellado, o bacliarel. Manoel Jos Pereira tmkadkeito detmpor'. \trama patria e adutnln-
rito I...
ein coinpanhia do geu marido, o Sr. Felippe Beni-
Comentaosc peder prescindir de elege-lo ci AJves Permra, a esta cidade eousultar-uie so-
representacao nacional, e renunciar urna candida- bre os seus incommodos de olhos.
tura to natural, tao cheia de esperancae, e garan-! Informou ella que em 1839 sentir que a vista do
tias para o para o futuro do paz inteiro, e por si olho direito Ihe ia faltando, e que em pouco tempo
mesma rccotnmendavel ? E para que preterir-se de todo a perder. Pouco depis entrara a sentir
de outro modo o verdadeiro mrito 7 Para prefe- o mesmo incommodo no olho esquerdo.
rir-te individuos sem tantas quahdades exigidas, e tempo taiiibem ticra sem vista
, e era pouco
e ba'oito mezes
que completamente nada v por ambos os olhos,
rom dolados de" certo servilismo para com o man- a|ienas doscobre alguin objecto |iosto mui porto do
danm da joven olygarchia, ou fabricante de depn- rosto, e piDcurando-o muito com os olhos.
tados realejos. Antes, porm, de perder completamente a vista,
Sim, doce, mas fatal illuso persuadr-sc algnem observara que um objecto posto ao longe ihe pare-
que tudo jiossa levar ao abysmo insondavel de suas ra dous, que a luz de urna vela llie pareca urna
paixes, com tanto que (ao regressar para corte) tocha que iasobindo, e quechera va em cima dcsap-
parecia completamente para reapparecer em baixo.
hil'oniiou mnis que gozara sempre de boa srn'ide,
que au achacada de dores de caliera, que come
e dorniebem ; emflm que todas as domis l'uiicces
se fazem regularmente.
Observarito presencial.
Na i-a i na. Sra. O. Gertrjes predominan i o tem-
peramento sanguneo e nervoso ; tem boa consta-
Muilas vezes a realisaco de una idea malfica tuico, de estatura baixa e de cor morena ; Ion-
valle de Bujiikderod, um pltano oucocom 90 ps I Appellante,
de altura e 30 decircnmfereneia o qual ja contava pellada, a justiea.
'luatro mil annos de existencia.
Una iuilher da villa de Pao d'Assucar, po>' oc- i
easiao da visita iniperial a essc porto, ouvio dizer
que o vapor em que viajavam SS. MM, era de 40
eavallos; ao que ella pergnnton com ingenui-
dade:
Mas aonde a estribara, em que elles es-
lio 1
.Vas Memorias ta Yiagem de SS. MM. II. l-se 0
-eguintc em urna nota :
Prximo do convento ha nina pequea |K>voacao,
habitada por pescadores, na qual existe um lio-
memde 60 annos,que tem W filhos '.'.'.
Aos eumprinieutos que Ihe dirigen! por to 6-
zarro procedimento (Ionios em urna carta) ros-
lionde com um accento de seguranca, que leva a
eonviccao aos seus ouvintes por esta simples
plirase :
E cotuinuar-sc-ha.
E tanto continua, que usa ha vinte annos dessa
xpressao, que nunca desnieutio.
V-se, pois, que os pontos de admiracao que ti-
vemos a consciencia de collocar junto da prole
para
bemo que vai pela Mauitanea.
Do Echo de Vesone traduzimos o que segu so-
bre a nultiplieaeao dos rato?:
Um casal desses an'unaes iwoduzio em tres an-
uos 631,033 ratos vivos ; mas o que parecer an-
da mais admravel que csse numero cresce c
ilestre o alimento sutllciente para sustentar a
t.",000 pessoas.
Para ehegar a esie numero extraordinario, cal-
ciilaiu-sc oito iiartos jioi anuo para cada casal de
ratos; e dando que em cada parto nascam 11,
ter-sc-ha um total de 1,013,048, que destruira e
comera mais grao do que o bastante para sus-
tentar o excrcito britannico, que se compoe de
101,504 soldados.
IIIKOMIA .11 MCIUtlt.
tri ii \ v i no nnnniuio.
SESSAO ADMNISTILAJIVA EM 10 DE AGOSTO
DE 186:.
naOBMU mi kxm. mi. dk>embvrgadob
BOU v.
As 10 horas da inanhaa, reunidos os Srs. deputa-
dos Lomos e Rosa, o Sr. presidente declarou aber-
ta a sessfw para mero expi'denle, designando o Sr.
leputado I.enios para servir de secretario.
DESPACHOS.
Um requerimento de Antonio Jos Arantes e
Joaquim da Silva Villela, satislazeudo o despacho
ilc 6 do corrente, para ser registrado o seu coma-
lo de sociedade.Regstre-se.
' (utro de Bernardino Lopes de Oliveira, pedindo
que se Ihe certillquc se existe registrado algnm
ontrato social da tirina Pinheiro & Oliveira.
' :ei lillque-se.
I Itlltl \ VI I V Itl I M VO.
SESSAO EM II DE AGOSTO DE 1863.
IRESIDRNCIA DO BOL >n. eoNSEI.HEIKO SII.VEIRA.
As 10 horas da manhaa. achando-se presen-
tes 08 Srs. desemhariradores (MetanoSantiago, Gi-
liraua, Lourenco Santiago. Motta, Peretti, Accioli,
\~>s, Doria, e Guerra, procurador dacoroa, fal-
lando sem causa participada o Sr._ desembargado!-
l'cha CavaleantL abrio-se a sessao.
Passados os feitos c entregues os distribuidos,
d-ram-se osseguintc-
Jl LO AMENTOS.
Atgravo de pctiro.
Aggravanle. a ordem terceira de S. Francisco ;
aggravado, o juizo.
Udator o Sr. desembafador Peretti.
Sorteados os senhores desembargadores Doria.
> Accioli.
Deram provinienlo.
Aggravante, I). Joanna Mara das Dores: agra-
vado, o juizo.
Relator, o Sr. desembargador Caelano Santiago.
Sortaados os senhores Hamlurgaiafwi Peretti,
i lioria.
Oerain provimento.
AppeUarfet circis.
Appellante, o juizo; appellado, Eloy, esclavo,
M appellaroes eireis.
AppeHante, Jos Luiz de>Andrade Lima ;
lado, Luiz de Albuquerque Maranlmo.
Appellante, Manoel Jos de Amorim ; appellada.
a parda Margarida.
ApiM-llante. a l'azenda; appellado. Jos.1 Joaquim
da Silva Mala.
Appellante, Antonio Vicente Magalhaes ; appel-
lado, Joao Paulo de Oliveira.
O Sr. desembarpador Motta passou ao Sr. des-
embargador Peretli
. ippfllacan erime.
Appellante.. o juizo appellado, Pedro Jos dos
Santos.
As appellaioes eireis.
Appellante, Antonio lves Vianna ; apf*llado,
Geo. Bewnorth A C.
Appellante, Manoel Ribeiro da Cunha Oliveira ;
appollado; Joao Evangelista Bello.
Appellante, a fazenda
Gomes.
Appellante, Antonio Vicente de Magalhaes; ap-
pellado, Joao Paulo, de Oliveira.
O Sr. desembargador Peretti passou ao Sr. des-
embargador Accioli
As appellaroes eireis.
Appellante, a fazenda ; appellado, Antonio de
Moura Rolin.
Appellante, Sebastio Marques do Nascimento ;
appellado, Julio Cesar Pinto de Oliveira.
O Sr. desembargador Accioli passou ao Sr. des-
embargador l'cha Cavalcanti
As apiH'llaroes erhnes.
Appellante, o juizo; 'appellado, Francisco Bal-
bino de Mello.
Appellante, o juizo: appellado, Theodoro Jos de
Souza.
.t npiirllaii-cieel.
Appellante, a torta : appellada, I). Lamiana
Rosa i '.andida Rigueira.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
bargador Doria
til nppellaeoes rrHM,
Appeliante, Joao Leandro de Barros ; app a justiea.
O Sr. desembargador Doria passou ao Sr. des-
embargador Caelano Santiago
As ap/vllacoes rrimes.
Apnellante, Joao Bezerra (ja Pcnna ; appellada,
a justiea.
Appellante, o promotor; appellado, Francisco
Jos Vieira.
Appellante, o juizo appellado. Dionizio Barba-
llio Lima.
A I hora da tarde encerrou-se a sessao.
sua vontade, e como de facto nao desinentio-a na
occasiao, e levou-a alm do que era de esperar em
una senliora.
Indagarfto objecfva e stjectita nos olhos.
Os olhos tem consistencia normal, palabras bem
movis, e bem ornadas de pestaas, conjunctiva oc-
la longevidade das arvoie>. de Mello.
Os cvprestes do Mxico, que iwrtencian prova-1 O Sr. desembargador Lourenco Santiago passou
velmeiite a mu iardim em 1830, rontavam em ao Sr. desembargador Motfa primeiro sacnlica o seu proprio autor. ye dos atavos usados pelas senhoras das grandes
1832 una circunferencia de 34 a 36 pea, montan- A apunarte erime. Fazemos, por tanto, sinceros votos para que frus- dados activa e laboriosa, ella tem suas feees ja
ilo a respectiva idade de quatro a seis mil annos. Appellante, o juizo-. appellado, Joao Francisco iradas sejam essas ncsquinlias intrigas, aOni de quebradas, c sua pelle_ endurecida pelo clima do
Em Constan! inopia exista tambera em 1*13, no Xavier de Carvalho. quedesassonibradamente so .reatase a eleicjiodo campo; em compensacao, porm, dcste insulto.
Francisco Percha Ferragem ; ap- Sr. Dr. Braz para deputado a assemblea geral por belleza tem boa dentadura, seu putaeo e coracao
qualquer dos crculos da provincia, que orgulia-1 funecionam perfeitamente bem, suas visceras ahil-
se de ler-lhc dado o borro. I niinaes nada sentem pela pressao, supportam a abe-
Os Parahibanos, que sempre se tem mostrado tinencia e trabalham mui regulannente ; seu mo-
appel- to briosos, por certo hao uc saber repellir com ral constante, forte e decidido. Vini a esta cidade,
toda dignidade as aviltantes imposicoes endereca- dizivclla, de proposito para procurar remedio para
das (segundo circula) pelo tal manufartor dos elei- os meus olhos; se una operafao fr preciso, eu
tos do Norte, sob a falsa capa de candidatos do i estou prompta e j para faze-la ; tal era a forca de
govorno, os quaes pela maior parte sao sem eren-'
cas polticas ou ideas proprias, em urna palavra,
nao tem mesmo liase real.
Os honestas c sensatos Parahibanos necesaria-
mente sbano arrostrar as rcaccoes que ora entre
elles coniecam a cxecular-se, e aflroular mesmo a
audacia dos que acabara de levar para o centro as rular e palpebral sem injecc/ioalguina,crnea trans-
algibeiras eheias de demissocs, e quejandas nomea- prente, porm em sna circumsfcrcncia romoeava
Ses jiara consecneo eerteira da eleicao da duali- j a manifestar-so o circulo senil; cmaras perfetas,
ade infernal do peito daquclle mcmoravel manu- iris movel aco da luz, c da atropina, crystali-
factor. I no iuteiramentc opaco, faltam as duas imagens
Em summa. os Parahibanos distinctos^e nao ma-! posteriores dePurkenje, e est mui prximo a iris,
nivellas desses especuladores polticos ho deeom- de modo que a cmara posterior e pequea; a luz
penetrar-se da indeclinavel necessidade de terem de una vella condensada ior urna lente de 2 1[2
appellado, Paulo Jos no parlamento representantes vordadeiramente dig- pollegadas- de foco, c dirigid^ obliquamentc para o
nos e eapazes (como o Sr. Dr. Braz Florentino interior do olho, nao deixa vrr a menor alteracSo
Henriques de Souza) de honrarem a sua provin-1 na cornea e as cmaras, e mostra um crystalmo
cia erguendo-a do olvido, proscripcao e aviltamen-! opaco, com varias cores, grande e estrellado : fei-
to que reduziram csses mesinos polvos politi-1 xando-se os olhos a doente reconhecc a luz, on a
eos, engolphados porm outr'ora em aguas diver-; sombra projectadasobre os olhos por um rorpo opa-
sas ou de outras cores. co posto de intermedio; interrogadas as phosfenas,
O nobre presidente daquclla provincia o Sr. a doente nao respondeu cathcgoricamentc, suas
AraujoLima deve tomprebender bem a sua ele-
vada posicao e buscar honrar os seus antigos pre-
cedentes, nao obedecendo a essas insunuaces pr-
fidas c malignas especulaeoes desses, que se foram
Judas Ascanotes para com outros de quem
mais dependiam. c tudo deviam, com maioria de
razo s-lo-ho para com S. Exc, de quem s bus-
cam aprowitar esse servicos eleitoraes para ao
depois manda-ln para casa, como algum dia Ihe
demonstrar.
O Pernanucano liberal.
COMMNICSOS.
0 juiz de direito da somarra da Bea-Vista.
Um jornal dcsta capital, que se intitula
Guarda Aoaiuxula, publicando urna carta
que se diz dirigida do Ouricury, lanca so-
bre o juiz de direito da Boa-Vista a impu-
taco de procurar vencer a eleicao primaria
de Cabrob mediante a absolvicao do cri-
minoso Alvaro Granja.
. Para os que enlreteem relactes de ami-
sade com o Dr. Buarque de Lima, juiz de
direito d'aquella comarca, e sabera apreciar
a severidade de seus principios e a liones-
' tidade com que ha desempenhado a misso
!de magistrado, eu nada escreverei, con-
tenlando-me com o juizo que formarem do
autor da caria publicada ; para os adversa-
respostas indicavam antes que ellas nao existiani.
Este exame foi feto no da 24, repeti-o nos dias
23 e 27, e fundado nelle ajuizei que a senliora doen-
te solTria de cataratas lenticulares, volumosas, com-
pletas e operavers : em consequencia do que, a se-
nliora doente preparou-sc para a operaco que Ihe
foi proposta e marcada para o dia 29 s 10 horas e
neste mesmo dia ejecutada por mim era presenca
do Dr. Carlos Fredcrco, do Sr. Felippe Bori-
cio, da'|Exma. Sra. D. Augusta Candida Gomes
Coimbra, em cuja casa estava hospedada, e do Sr.
Francisco Rodrigues da Silva, amigo do Sr. Be-
nicll.
A senhora doente sentou-se era urna cadeira pos-
ta em frente de una porta da varanda, cruzou os
bracos c disse : estou prompta. Coinccei entao o
meu trabalho que foi longo, por me ter sido preci
so proceder novas incisoes para alargar a primeira
era consequencia de ter encontrado cataratas bem
volumosas.
A senhora doente beiq senta as dflicUldades de
nina operaciio trabalhosa que nella se praticava,
mas nao dbrou seu animo ; conclnie-se este tra-
balho sem que fizesse o menor movimento ; foi
hora o resultado inmediato : ella vira logo que foi
aperada, nao manifestou tarabem contcntamento
algum ; duron a operaijao meia hora, e era tudo
dito nao se mover, nao fallara, nao gomera, nao cho-
rara, e nao se rira; c no oitavo dia estava completa-
mente boa, gozando de sua vista, c j anciosa para
retirar-se.
O leitor que tver lido as duas precedentes ope-
raeoes, e as comparar com esta, ver a immensa
e deleixo de tal morador duas pessoas, que licaram
iuteiramentc enlatneadas.
Factos semelhantes pralicados. cm urna oidade, i
como a do Recife, pareciam ncrivcis senao se
dessem com o maior escndalo e em presenca de
muitas pessoas; c nem podem ter a menor descul-
3 volumes cobre, 1 dito cslaS, I eaixa areio-,
1 dita latao ; a Wilson llette A
9 quartotos gurdente ; a R. G. Rod.
2 yolumes fazenda mista ; a Joo Keller A C
i dito dita de hnho: a Phipps Brothers A C
1 caixa objecios de armarinho ; a Mello Lobo
pa seus autores, que deveriam antes procurar para 4 (\
moradiacorlicosem fundos de quintaos, onde 9'volumes fazenda de algodu, bu de linho; a
a gosto estariam estes inquilinos.
\TTEN(llO.
Seidwres redarturr.Agora que chegou a oc-
casiao de dar a couhecer ao respeitavel publico des- j Sano k
Adamson Uowio & C.
17 volumes fazendas de algodao, diu de 6a
dita de linho ; a Rabe Schraettao k C
I caixa chapeos de palha, I diu objeetm de ar-
marinho, 1 barrica ferrageas ; a Ramos e Stra ^
Genro.
30 barricas enxadas, Wcaixas tanha ; a bidn
ta cidade, o proceder do Sr. Joo Carpinteiro da 1
Silva, para com seu irmao Bcnto Carpinteiro da
Silva.
Tendo este senhor procurado todos os meios para
que Joo Carpinteiro lhc pague o que Ihe deve-
(lor, e elle sempre tendo-se recusado de testan o
l'azer, porque liento nunca quera ir cora elle
para os tnbunacs; por isso procurou lodos os ami-,
gos do mesmo Joao Carpinteiro para ver se por
essa forma evitara de demandas; mas como elle
tivesse dito que se nao ia embora sera ajustar essas
eonras : porm agora j vejo o contrario, porque
lendo o Diario de Peruambuco nn.... deparei com Rendimento do dia
um annuncio do dito senhor fazendo ver ao res-: dem do dia 11.
peitavel publico desto cidade que se retirava para
a Europa e que por isso faeo scientc ao Sr. Dr. I
chefe de polica que nao Ihe 'd o passaporte, sem!
que o Sr. Carpinteiro nao reatase estes dbitos que !
nie devedor, porque o Sr. Joo Carpinteiro, da
forma que procede cora seu irnio, justamente,
para reduzi-Io miseria e tambera prciudicar aos, ...
senhores trapicheiros, notando que parte estes di-' Xhihi,* entra.,* w,d>a 11.____
nheiros, foram retirados do mesmo estabelee- Ro de Janer^ das br.giie narHiMl <^njt
ment do Sr. Bento, para despezas feitas com ac ., ffiJ"* **- *
una demanda que o Sr. Joo Carpinteiro teve cora Motta. 0 o Sr. Francisco do Prado, gastando o Sr. Bento es- u.ra'.'n'' | ;l Ww Jo*' A'v"s',
ses dinheiros, [Hir elle ter deixado a Bento por seu Kl J Grande do Sul-1 di.is, tana iutiukiJ *-
procurador por urna proeuraeo bastante, o que r^* 7 toneladas capilao *wH)ihnU.
elle tera feito todos os meios para adquiri-la, as- ^ ,-ollt0 wi|Ogeni1 {, carga 13700 arrotas
sui como tambem j tinlia adqueridoos recibos.', de carne; a Baltar & Oliveira.
de mais de um cont de reis, tudo isto na lx f Hl, d Janeiro20 das, hilacho nacional Capmaa,
Ihe entregou, como tambem differenles quautias I dc -li toneladas, capitn Theotonio Jos.: da Silva
33 volumes fazendas de algodao. de lia e da h-
nho ; a R. Lighthouwn A C.
1 volume fazendas de ia ; a J. Ps*er k C
Rcccbedoria de rnaidaa lalerauta
geraea de PernaaalaaM*.
Rendimento do dia I a 10. I i 3731778
dem do dia 11......... l:fM|7W
staaaaaaj
Consulado provlaieial.
I a 10. IIIOilMO
79t*Xt\
II l*Vi
MOVIMENTO DO PORTO.
por diversas vezes, porque nelle deposiuv toda a
conlianca devida; porm elle que sempre andava
cora a maldade guajdada, recu&i agora a este ajus-
te de contas, jugando talvcz elle que nao bajara
algunias provas para justlicar-se o debito. Portan-
to, veja o Sr. Dr. chefe dc |>olcia e mais autorida-
des, e niesnio o respeitavel publico, o procedimen-
to de Joo Carpinteiro para cora seu irmo Bento
Carpinteiro.
Anda mais, senhores, no dia 10 do corrente
niandaiido-o chamar um amigo em sua casa e elle
indo, o amigo Ihe propoz todas as cousas iiuc po-
diam occorrer e por isso era bom acomraodar-se ;
porm foi lempo perdido, |K>is nao foi possivel o
convencer, e por fin brutalmente Ihe disse Joo
Carpinteiro, que recorresse justiea para procu-
rar seu direito : c que tal o animal cntendendo
Rosa, equipagein 13, carga diferentes genero* a
Marques Barros & C
Liverpool37 dias, barca inglez Imneme, de 31!
toneladas, capto Wiliiam Smith, e^ntataon IV,
carga fazendas ;a Saund.-rs Brothers kC.
M'irio sahidit no inctimi din.
Cabo da Boa-Esperaneapatacho inglez Edarmd,
capitn Josepli Grennisb, carga a mesma que
trouxe de Boston.
flharaajjla
Fundcou no laraaro uiha barca inglea ma*
nao teve communicaco com a terra.
EDITAES.
que indo com seu irmao aos tribunaes competen-
tes Ihe ser muito airoso. Dc certo para un qua-1
(Irado de quatro faces, deve ser airoso, c ainda (
mais quando elle com seu irmao procede desta:
forma, o que nao fara cora outro qualquer ? mas
elle se fia uodinheiro que diz ter, e por isso tal vez j
o queira dispor com a justiea. pois j o disse a al-!
gera cora tanto que nao ha/ de da lo a seu irmao. | ^^TZ "dt arremaur por veorta a
Grande e a anibirao daquelle bicho | qucm majs ^ em ^^ pu|)|ilm f j,HIO m
O Dr. Tristo de Alencar Ararip**, ohVial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito esperto!
do cotnmerco nesta cidade do Recife, capital da
provincia de Peruambuco c seu termo por Son
Magestade Imperial e Constitucional o Sr. !>.
Pedro II, a quem Dos guarde etc.
Faco amar aos que o presente edital virem e
delle"noticia tivcrem que no dia 31 de agosto do
I Illa candidatura natural e por TOS desapaixotiados d'aquelle jtliz, e para! difereneanue ha entre estes tres operados; naquel-
I -- ____ _-.____1_______ i:_.-.i .; .!;.... ln i'ilimi.lh... (nrm Ao vnntnnp hnvia mnil.i
si mesina rrcommendavel.
1
os
que
O SH. Dll. RHAZ KI.OBBXTIXO HKMIIOI'KS DE Sol "A. I
\d pelo jury do Ouricury, e que ojitizile
direito a qitem t ffMr deprimir esgoLui.
Ha poneos dias tive_prazer _dc_ ler um artigo pu- em cumplimento do seu derer, o ultimo re-
curso que lite proporciona a lei, appelkmdo
que o nao conliecem, limilo-me di/er,:'-'s faltu-lhes torcas de vontade, torajante
Alvaro Orattja foi recntemete ab,,!- ^^!%Z*S\l^^
blicado 110 estiraavel Diario de Pernamburu cere
da candidatura do Sr. Dr. Braz Florentino Henri-
ques de Souza deputacao geral pela provincia da
Parahiba, sua tena natal.
Desde logo como brasilero que ufano-mc de ser,
e por consegrante concidado daquelleillustreen-
didaio, tencionei mandar para o prlo alguraas pa-
tarras no mesmo sentido, nicamente como um tri-
buto que na qualidade de seu apreciador, presto ao
verdadeiro mrito, e nunca por mera lisonja, por
que felizmente nao sei, nao preciso, nem |iosso tu-
rifeiar pessoa alguma por mais caractersada que
seja.
Entretanto, meu estado valetudinario em grande
parte devido ao adiantado numero de annos que
j tonto, demorn at boje o cuiiiprimento daquclle
meu proprio compromisso.
Com elfeito applaud muito a feliz lembranca da
apresentaco do mesrao Sr. Dr. Braz Florentino
llenrique "de Souza par deputado assemblea ge-
ral por um ilos crculos daquclla provincia da Pa-
rahiha do Xorlc, jionpie entendo que a rtpresen-
lai ao nacional deve ser somonte coniposta dc pes-
soas to reconmiendaveis, como "elle por seus ta-
lentos, illustraco, predicados montes e cvicos, e
V,.....lame \nno Correa Pessoa de Mello "r"' ^ni/ador,'* polticos, ou individuosincapa-
11 .'. ... 1. .____:_. ^ 11___ ; 7i> o iiuliimn-i i!i> tan lla iinssan
apliellados, Htaoel Prnnciseo de Amorim e tilhos.
Iteforinada a sentenca.
Appciianic Jos Francisco deSouza Lima ap-
1 liada. Mara Francisca Olimpia Itaptsta.
Conlinnada a sentenca.
VppetlaMe, Joo Francisco Ferrcira e sua 11111-
Iher : appellados, Joo Franciseo de Moma e sna
niiilher.
It.'foi-mada a sentenca em parle.
Amellarte erime.
Appellante o jnzo \ appellado. Jos Pereira de
Manos.
\' novo jury a
Appellante, o juizo ; appellado, Candido Frene
oiuinho.
A' novo jury.
Vpiiellante. o promotor : apiiellado. Antonio Jos
de Souza.
V novo jui\.
A|ipellante. o juizo : appellado. Manoel Josi-do
Sascmientn
Improcedente.
Appellante o juizo : appellados, Manoel Joaquim
de Aguiar e outro.
[mproeeAmte.
Apellante 0 bacliarcl Mareo TOO dos Reis Li-
ma ; appcliada. a jusiica.
I'.eforinaram a sentenca, absolvendo o appel-
lante.
MU6EKSA8.
r.i >m Tista aoSr. desembargador promotor d
nstiet
As appellaroes eriines.
Ap|H'llante. Francisco'Comelio Baptista Teixei-
ra de Carvalho : appellada. a justiea.
Appellante, Domingos Martins de Oliveira : ap-
|,i liado, o juizo. .
DF.SKWAC^0 DE DI A.
Assignon-se dia para julgamento dos seguintes
feitos :
Amiellacdes mines.
\podante, Laurentio Cavalcanti de Albuqner-
que ; appellado, Antonio Jos da Silva.
Appellante. o juizo; appellado. Pedro Rufino
Hommro.
Appellante. o jiizi 1; appellado. Jos Francisco
de Paula.
Vppcllnnte. o juizo : appellado, Antonio Jos de
\raujo.
Appellante. Joo Felx da Casta ; appellada, a
iiisiica.
Appellante, o juizo: appellado, Jos Lourenco
de Araujo. ,
Appellante, o juizo ; apianado. Jos Gregorio de
Jess Brito. ...
Appdlante. Joaquim Jos.: Rilieiro; appellada. a
UStKt.
Appellante. o juizo; appellndo, Btrnardino Xa-
vier.
ila sentenca.
Quem assim pratica nao favorece crimi-
nosos ; e nem se queira, canlando-se tic-
loria pela desejada absolvicao de Alvaro em
segundo julgamenlo, no qual o Dr. Buarque
nao pode influir, colher mais o fructo da
perda da reputacao do juiz que soube sa-
tisfazer o seu dever.
Recife, 10 de agoslo de 186:]
Buarque /te. Macedo
zes o indignos de tao alta misso.
A nova cmara dos deputados tem de ser inevi-
lavetaaente otbeatro das mais importantes discus-
ses, nos diversos ramos da adniinistraco, e |or
con>eguinJe para nellas tomarem parte activa, o re-
sultaran reaes melliorauienl#s, s devero concor-
rer as supci iores inlellgencias, as illustraces do
paz, ou os mais distinctos caracteres.
Do contrario, os debates scro amesqurahados
pela carencia das garantas precisas para os re-
presentantes da naco; as grandes reformas alta-
mente reclamadas, "so tornaro inrealisavcis, o pro-
grosso da nossa sociedade ser vivamente contra-
riado, e at a soberana nacional ficar desviada
dc sua espectativa, era una palavra. s reinar t
desorden e a anarchia.
E' mister, que alm desses caracteres de elegibi-
lidade dos futuros representantes n'elles concorra
o sincero patriotismo, e o perfelo conhecimento dos
interresses Ineaes.
Montesqueiidizia 1 coiecemos melhor as neces-
tadet da HOtta cidade do que das outras, ejulijn-
moscom mais acato ta cttpacidade do nossos vi-
zinlws*do que dos outros nossos compatriotas; por
tanto concern que em cada cabeca de comarca os
habitantes tSCOUum um representante.'
Nestas circumstancias quera melhor estar do
que o Sr. Dr. Braz Florentino Henriques de Souza
Elle que por innmeros factos tem procurado sem-
pre nao s comprovar o seu decidido e desinteres-
sado amor ao seu paz natal, como Uinbein prestar-
me todos os servicos, c beneficios ao seu alcance,
sem alias a mnima vantagem Respondara cons-
eiencosamente os seus coraprovincianos, que nesta
capital tem recorrido ao seu valioso presumo, a sua
eflicaz intervenco. e importante influencia pessoal,
era prol das prciences delles, quando justas, ou
na defeza dos seus legtimos interesses.
Elles mesmos, por certo, nao poderiam contestar
a" verdade destes factos, que tem occorrdo sob as
vistas de grande numero dc tcsteniunhas fide-
dignas.
O Sr. Bf. Braz, natural daquclla provincia, mutto
conhecedor das suas palpitantes necessidades, e do^
minado do desinteresse, independencia e dedica^o
qne Ihe sao congenitos, necessariamente hade ser
na cmara temporaria o mais zeloso patrono e o
mais fervoroso promotor do bem estar dos seus
conslituintes.
Esse distincto cidado, cheio ainda d to gene-
rosos sentimentos, c possuindo grande copia deco-
nhecimentos em financas, nos mais espinhosos ra-
mos do direito, par da vasta illustraco era outras
materias, como se acha asss comprovado pela sua
constante vida de inteira conccntratjo, e profundo
estudo, e por jiunierosos e brilhantes trabalhosj
publicados, sem duvida se tornar no parlamento
um vulto preeminente c respeitavel, cora palavra
plenamente autorisada, e voto muito attendivel
Theatro de Manta Isabel.
O EMPREZARIO AO PIBLICO.
Xo desejava voltar ainda urna vez imprensa
para scientficar ao publico do que ha poneos dias
passou-se entre alguns artistas da minha compa-
nhia; porm, ixir Ires comtnunieados, que foram
hoje publicados no Diario de Peruambuco, vejo-mc
toreado dar explicaces, que eram mais proprias
de seren passadas ei silencio.
Quanto aos dous do Sr. Furtado Coelho, cabe-mc
dizer alguma cousa. Nao ha duvida que as nossas
contas acham-sc saldadas ; preciso, porm, notar
que tomei sobre mim todas as dividas, quer as dos
particulares, quer o restante da assignatura, (pel-
os ordenados dos artistas, por allegar o Sr. Furta-
do Coelho que, urna vez que eu c tieava, sobre
mini deviam ellas peor. Aceitei de bora grado e
sem a menor observaco.
i: escusado o Sr. Portado Coelho dizer qne, quan-
to as ronpas, que foram feitas e todos os pertenees
de alguns dramas, que subiram scena, prescinde
em proveito do theatro da parte v/w Ihe competa.
Nao disse isso, quando saldamos as nossas contas,
visto como exigi de mim ao menos a quartf par-
te das despezas feitas com o qne o mesmo senhor
allega.
Respondi-lhe enlo, que tudo licava pertencendo
ao theatro, por isso que cu orecebra para memo-
rar e niio para deteriorar. Assim, pois, o Sr. Fur-
tado Coelho nao prescinde e sim v-se toreado
isso, segundo oque concordou cmico.
No segundo eomiiumeado nega o Sr. Fuado
Coelho a allegaeo, que. de sua propria bocea ouvi
quanda dizendo a Sr." D. Eugenia que deixava de
representar, em virtude de serem espalhados uns
papis, que classificavam a Sr." D. Camilla como
priratnra dama ; entao o Sr. Furtado Coelho res-
pondeu e dous, foram suas proprias palavras.
Assim parece-mc que foi em virtude do mo
acolhimento do publico que csses senhores se re-
traram.
Quanto ao que diz o Sr. Furtado Coelho que ain-
da vollar, pode desde ja ficar certo que estimarci
muilo e que me encontrar com os bracos abertos,
como no Rio de Janeiro. Nao se retira por ver
que nao se regenera a arte dramtica, por isso que
montou todo o repertorio a seu bel-prazer, sem que
eu Ihe fizesse a mnima observaco, embora s
vezes contra interesses da empreza.
Quanto ultima parte do communicado do Sr.
Furtado Coelho em que dassifica un trecho de
incu manifest, como um disparate, deixo-o apre-
t'iaco de sua eonsciencia e urna resposta ao cui-
dado de quem teve sempre motivos dc se offen-
der.
Fique porm certo o Sr. Furtado Coelho que ser
a ultima-vez, que usarei da iraprensa.
O publico bem meconhecc e me far a devida
justiea.
.1. /. Duarte Coimbra.
ragem e aprc
e foi felicissima.
Poduria concluir agu usa historia medica; ella
est completa ; masjulgo de raeu dever nao termi-
na-la sem render meus agradecimentos pelo apoio
que encontrei na casa em que a doente se hospe-
dara, tanto na observancia dc minhas prescripces
que foram religiosamente executadas, como na lie-
nevolcncia daExraa. Sra. D. Augusta Candida Go-
mes Coimbra, o do seu esposo o Sr. Antonio Jos
Coimbra (liiiraaies, e de sua Exma. cunhada.
Ecom cfi'eito esta excellente e boa familia, rere-
bendo cm sua casa como hospedes o Sr. Benici, e
a sua Exilia, senliora para ser operada, pozeram
disposco destes seu domicilio, e seus coracoes,
nada pnpando para qne se obtivesse o melhor re-
sultado possivel dcsta delicada empreza : e neste
intuito, abrirain-me as portas de sua casa, e pedi-
rain-ine que escolhesse a vontade o quarto mais
apropriado, c commodo; escotando este por mim,
o vestiram do modo que exig, e como costume
em taes casos; depois tomaram todas as prceamBes
para evitar barulhos, que podessem despertar o si-
lencio exgdo,observai ara restrictamente o regimem
e a hygene proscripto a operada; privaram-sc at
da cantona, edo piano, quefaza parte de seus re-
creios, |Hr espaco de oito dias, alimde evitar tudo,
e de nada poupa'r para restabelecimento da vista da
pessoa que procurara o seu domicilio, e amisade.
E por isso o resultado to feliz desta operaco
nao pode ser atribuido a mira s; era grande parle
fra elle devido tambera a to generosa dedica-
cao;e como por csse motivo eu visse minha respon-
saliilidade medica, meu crdito e meu trabalho, to
acatados e garantidos, devo publicamente conles-
sar-nie agradecido a aquelles qne tao respetosa-
mente me ouviram. e ajudaram : o que bem
raro.
Receba, pois. o Sr. Coimbra. e sua Exma. esposa
o meu sincero agradecimento : tributo de respeito
c estima que Ibes iquci devendo.
. Tal foi o resultado dos tres doentes de cataratas
operados por mira durante o auno passado ; todo
o occorrdo tica fielmente exposto e sujeito inda-
gaco dos interessados.
N'estes tres doentes foram operados cinco olhos
por exlracco por mim, c um por abaixamenlo
por outro "collega ; dos meus cinco olhos opra-
los, um deixou de obter vista, os outros quatro
olhos a obtiverain ptima.
' Por mais estas vezes a pratica demonstran que o
bora resultado de taes operaces depende nao s
das qualidades prolissionaes "do medico, como da
obediencia completa ao rgimen, e preceilos im-
postos i>elo operador.
Para satisfazer a curiosdade de alguns leltoros
desejosos de saber o estado em que se acham os
operados por mira em 1861, e qrfe obtiveram feliz
resultado, direi que todos gozara de suas vistas,
menos dous; um por haver fallecido, foi o coronel
Manoel Bento, e outro por ter sido iraprudente,des-
de que foi operado e restabeleeido.
Alguns teein vindo a raeu escriptono pessoal-
menie, e outros mandado seus nortadores dar-me
noticias da permanencia do bora estado dos seus
olhos. Entre aquellos, devo mencionar o Sr. Mi-
guel Gomes Pereira Lira, meu primero operado, e
Bernardo Ribeiro. ,
, pois, inteiramente destituida de todo o funda-
mento a informaco dada a algumas pessoas, di 1
que os operados de catarata so licam vendo por
quatro a seis mezes; urna tal idea ou nina do
modo, ou da malquerencia, c se acha desmentida
pela scicncia.
Passarei agora a tratar das molestias graves de
garganta que exigiram urna operaco para o res-
tabelecimento do doente, e sem a qual a morte era
imminente, ounecessaria, ellas farao o objecto dr
trabalho seguinte.
Dit. Sa Pereira,
e
(ppellante, o juizo ; appellado. Manoel Antonio acerca das mais graves e difflceis questes, que alta
Appellante. o juizo; appellado, Antonio Ger-. forem agitadas. .
mano E> P cindante, o juizo; appellado Jos Pereira Ave- lar o Sr. Dr. Braz na discussao do cdigo civil, mi-
liio i IHar, Id hypothccaria, e outras materias em que
Appdlante, o juizo; appellada. Joanna Mara) (* prof^naLj> com ^nnite^Ira^laMAiBa
da ConcelcSo.
como lente calhedratico da Faculdade de Direito
Clnica medica-cirnrgica do Dr.
Cosme de S Pereira na capi-
tal da proTlnela de Pernaaa-
bneo.
amllico daqii'
Mandando Bento Caiptnteiro da Silva, fazer urna
compra <\e trras na Europa pelo llho do Sr. Joo
Carpinteiro, e como fosse essa compra feita a tres
pagamentos, o Sr. Bento remetiera o dinheiro para
o primeiro, tacando o outro para o segundo, occa-
siona que Joo Carpinteiro foi d'aqui para a Euro-
pa e logo que l cliegou a primeira cousa de que
se oceupou foi em fazer o-resto dos pagamentos e
passar-se a escriptura em seu nome, iwrque julga-
va que o irmao nao era merecedor de seraelhaiite
compra: assim mesmo se elfeetuou, porque o filho
tendo em seu poder urna proeuraeo bastante cora
poderes sutalcicntes para tudo fazer, e como tives-
se csses poderes, bem v que nao podia faltar ao
pedido de seu pao : to grande a ambicio que
elle possue !
Ainda mais, tendo Bento Carpinteiro da Silva da-
do csse dinheiro, qual o motivo de elle nao o em-
bolsar assim que o Sr. Joo Carpinteiro aqu che-
gou, logo que elle flora cora a compra ? e mesmo
assim elle recusa a fazer cantas com seu irmao e
diz que nada Ihe deve.
Ainda mais, Bento Carpinteiro estava estabeleci-
do na Passagem da Magdalena cora una padaria
e o mesmo Sr. Joo Carpinteiro nao descancou era-
quanto nao Ihe botou um socio para sua com|>a-
nliia. ao passo que o tal souio illudlo lalvez emen-
den que devera supprimir os gostos particula-
res, oque dahi resultou urna esturdia a ponto de
o Sr. Joo Carpinteiro como mais vellio, agarar
cora o irnio e o arrumou em um barco para tr-
ras estrangeras. de cujas linguas elle nao perec-
bia, sem dinheiro e sem pessoa alguma a quem
fosse, recommendado : com pequeo tempo voltou
a esta provincia, onde estava o dito Sr. Joo de
posse de tudo, junto com o tal socio admitido por
elle at o ponto de hoje (digo girando no poder
delles por inais de tres anuos) e desde essa dala
at o presente noprestou conta do cousa alguma,
assim como tambera os bens herdados por parle
dc seu pae que por mais de vinte annos est de
posse delles disfractando e fritando como se doli
fosse. ETdesta maueira que mnttt geiiU enrique-
ce com o que dos outros,
rsenhores, nao posso ser mais extenso, desculpem
a ncnliunia pratica. Son de Vnics. obrigado
Bento Antonio Carpinteiro da Sdva.
Recife, i 1 de agosto dc 1863.
Responsabiliso-ine petat publcaco.
Carpinleiio Silva.
PUBLICARES A PEDIDO.
Chaiiiainos a attenca' de todas as mais para o
remedio mais agradavel e til que se conhece para
fazer expellir as lombrigas. As pastilhas vermi-
fugasde Kemp. Emvez de todos esses imuiundos
e perigosos remedios vermfugos compostos de to-
da a casta de minoraos, apresentamos 11111 delicioso
confeto vegetal, prompto e infallivel na *ua opera-
co, nao causando nauseas nem incommodos de
qualidade alguma, produzindo sempre o seu elfeito
de rana nianeira suave e corrmleta. nao carecendo
depois a assistenca de ([ualqucr um outro purgan-
te ; til como um excellente ineiode fazer remover
as oDstrueoos do ventre mesmo no caso de nao
existirem vermes alguns, e Analmente tornam-se
ellas dignas |ior todos os respeitos da conlianca e
approvaco de todos os pais de familias os quaes
acharo estas pastilhas elegantemente acondicio-
nadas denl 10 de frasquinhos de crystal e venda
em todas as lojas de drogas e beatas do Imperio
do Brasil.
COMMERCIO.
Alfandega
Rendimento do da 1 a ID. 131:66*403
Idemdodiall........ 18:377^007
Io0:0i5<)7
Hm imeiHo da allaudesa.
Volumes entrados cora fazendas
com gneros
Votantes sabidos
com fazendas
com gneros
:i:i
i6
-----MI
67
161
-------317
(Cont intuir-$e-ha.)
Molestias de olhos.
(Connuaqao do Diario n. IB%)
Catarata lenticulares duras e maduras em ambos
o olhos : 12* operaco por e.rtraccao praticada
pelo Dr. S Pereira. Flix resultado. Ootervac&o
n. 732 do atino de 1861
A Exma. Sra. D. Gertrudes Mara da Conceico
Ferrcira, branca, de 48 annos de idade, moradora
J
CORRESPONDENCIAS.
Srs. redactores.E' por demais inconveniente e
censuravCl o procedimento de um morador da ra
Nova, que flea no terceiro andar da casa, onde
existe urna certa fabrica, que em pleno dia faz da
ma lugar dc despejo de aguas servidas sem me-
nor atteneao s posturas da cmara, c aos tran-
sitantes, que teem a infelicidade d por alta pas-
sarem.
Ainda hontem foram victimas da m educacao
Descaireganno dia 12de agosto
Lugre inglezt'rfi//i=carvo.
Barca ingleza/wtgwt^mereadoras.
Patacho inglez Bamhu -mercadorias.
Bngue portugticzSo6era>io=mercadorias.
lniportaco.
Escuna ingleza Seabird, vinda de Liverpool, con-
signada a Patn Nash & C, manifestou o se-
guinte :
60 caixas papel: a N. O. Bieber & C.
63 ditas tajlos ; a Mills Latham.
1 barrica tincal, 20 ditas tintas, 2 rolos zineo. 2
barris breu, 1 caixa cutilaria, 1 dita lati, 283 di-
tas folha de Flandres, 12 barricas estando, 22 ditas
ferragens, 37 amarrados edapas de fogao, 3 barri-
cas canos de chumbo, 1 dita louca, 3 volumes ob-
iectos de sclleiro, 30 ditos pimenta, 30 ditos cravo,
7 volumes cobre, 3 ditos objectos dc sclleiro, 6 to-
nolladas, 9 quintaos o 9 libras ferro em barra; aos
consignatarios.
SO barris ban-iiha, 28 volumes fazendas de al-
godao, 1 caixa dita dc seda e 400 barris plvora; a
ordem.
sala das auditorios o seguinte : urna parte da casa
terrea c sitio no lugar de Bemtara n. 78, sena dan
casa no meio do sitio, rom a frente para o rio Ca-
p baribo, eo fundo para o mesmo logar de friti-
ca tendo na frente urna grade de ferro, sds jand-
las e urna porta no meio, sala na frente coa gabi-
nete do lado, quartos, sala atraz. rozinba lora, piar-
los, senzalla, estribara para seis eavallos. racnaia
com tanque e bomba, casinha pequea para poci-
lios, jardim e imitaos arvondos de fructo e grana*
Ierran ao lado: avahada em 886WS rs., leao
sido a avaliaeo total do mesmo predio 12 OHOfc. a
qual fora penhorad por execnco do Dr. Joaqun
Antonio Carneiro da Cunda Miranda, contra MM>
Pinto de liemos Jnior.
E nao havondo lancador avaliaeo a arrematac^o ser feita pelo prer da
adjudicaco na forma da lei.
E para que *chegue ao conhecimento d t<|o-.
mandei passar editacs qn> tadt paktitatm pda
imprensa a afllxados nos fugares do rostunie.
Recite. :<0dejulho de M.
En Aolpho Liberato Pereira de Oliveira. e^Ti
vo interino o subscrevi.
Tristao de Alem-ar Araript.
0 Dr. Tristo de Alear Araripe, oiaaai
da imperial ordem da Rosa, ejuiz deili-
reiio especial do commercio desta cm
do Recire e seu termo capital da protir
de Pernambuco, por S. M. Imperial e
constitucional, o Senhor I). Pedro II, qne
Deus guarde, etc.
Faro saber pelo prsenle, que D. Joseph-i
Justina de Jess (ioncalves por seu advoga-
dome dirigi a peticao do theur sectate :
lllm. Sr. Dr juiz do commercio. Drz
D. Josepha Justina de Jess Goncalves.
viuva do finado .Manoel Antonio Goncalfes
como cabeca do casal que sendo Joo Pae*
Barreto, e Bento Jos de Souza, actualmen-
te ausentes em lugar nao sabido, seos dete-
riores, o primeiro da quanlia de KOUU,
e o segundo da de I :(to.->58o. coattaMas
de duas letras pelos mesmos aceeilas, e
aproximaudo-se o termo do praso marcade
para a prenripejao de que falla o artigo 143
do cdigo commcreial, vem protestar con-
tra dila prescripeo para que fique inter-
rumpida, dignando-se V. S. mandar tomar
por lermo o seu proteste, sendo os sap-
plicados citados por carta de editos na frnn
do artigo 453 do cdigo commercial n. 3,
segunda hypotliese c artigo .*3, 4 do re-
glamento n, 737. depois de provada a sua
au/encia. Nestes termos a supplicante pede
.1 V. S. se digne deferir-lhe na frma reqoe-
rida. Espera receber merce. Ihmior .1-
qniar.
Nada mais se continha em dita petieSo
na qual dei o despacito do theor seguin-
te:
Sim, e para a justificacao marco o da ir
do corrente mez, depois da audiencia.
Recife, 0 de dezembro de I8G2.Alemmr
Ai ni i pe.
Nada mais se continha em tal despacho
aqui transcripto por forca do mesmo fora
a petico aprescnlada ao destribuidor res-
pectivo Jos Joaquim Pereira de Oveir.i
fora feita a deslribuico ao escrivao Manoel
de Carvalho Paes de Andrade, o qual laa-
ra o protesto seguinte :
ProtestoAos 9 de dezembro de Ifttt.
em meu carlorio veio o solicitador Antonio
Pinto de Barros procurador da supplicante
D. Josepha Justina de Jess Goncalves, vnva
do finado Manoel Antonio Goncalves, a pe-
ranle mim e as testemunhas infra assisna-
das. disse que nos termos de sua petirao
retro que tica sendo parte do presente, pro-
teslava por todo seu contedo, e de cerno
assim o disse e protestou fiz o prente ao
qi mas testemunhas.
Eu, Joo Vicente de Torres
crevente juramentado o escre?i.
Eu, Manoel de Camino Paes de Andraie.
escrivao o subcrev.- Antomo Pialo aV
Horros.J. Fi'natao CordeirotU
Antotuo Alces da Fono** Jtttmr.
do que via-se e mostraa-se que
do a justificante as suas testearannas qne
deposeram o que sabiam acerca da a usan
cia dos justificados Joo Paes Brrala, e
Bento Jos de Soma, depois da qne pre-
parando o escrivao do jaizo especial da
commercio Manoel de Carvalho{Vaai de An-
drade os autos e competentemente



'
.

L


aa-JT-

'-' .'
"


-

r
fizera conclu- piaes del e profer a
senteuga do ttieor scguiulc:
HTpor justificada a aus
Corvetogeital.
Pela aBoiitlS^rio do correio desta cidade se
Joo k* P'il'l'co <|uo em virtude da convenci postal
PaSk 1 rretO. 6 Pen los d s,iii71 ,. celebrada pelos governosbrasileiroe freez, serao
aes narrtw. o nonio jse ae bouza, que pedidas malas para Enrtp no da 13 do cor-
so mostr acuarem-se em lugar* mcerto, rente met de ronformidade como aoninoiodeste
pelo que mando, que sejan citados por edi- oorreio publicado no Uiaria du fl de revcele* de
tos de 30 das para o lint requerido.
llecife, d jumo de 863.Tiisto de
Abocar Araripe,
Binis se nSo conlinha na minha senlen-
ca-aqui copiada em virtude da qual o refe-
rido escrivao fez passar o prezente edital
cota o praso de 30 das pelo tlieor do qual
chamo, cito ehei por citados os supplicados
Joao Paes Brrelo e Bento Jos de Souza
para que dentro do referido praso compa-
recam nesle juizo para aHegar a sua defeza
por todo o conteudo na peticao cima trans-
cripta, sb pena de proseguir a causa seus
termos e sua revelia ; portanto toda e qual-
3 uer pessoa, prente, amigo ou conhecido
os referidos supplicados podero fazer sci-
ente do que cima fica dito.
E para que cliegue a noticia de todos man-
Harto t Pernambueo ... QiiaHatetra tt de agonfo de f 8.
--------------------- --------"---------1-----------------....... H ,
< *in\ini: i*oh 11 11 i:#,
i.i;m ka.
:
meio de casemira amarella, 6 covados e meio de ca-
semira encarnada, 412 covados de hollanda de for-
ro, 35 varas de anagem, 1,20o varas de brra
branco, 912 varas e nicia de algodozjnho, 1,540
botoes grandes de metal amarello lisos. 390 botoes
pequeos do mesmo metal, 110 pares de colclietcs
pretos.
Para o forte de Santo Antonio do Buraco.
- 1 casulla de setim branco lavrado, 1 estolla de
oer passar emes que seuo atlixaaos nos ,setim braneo i;wrado, t manipulo de setim branco
lavrado, 1 veo de setim branco liso para o calix, 4
sanguinhos, ;i amittos, 2 alvas de brim liso, 2 toa-
Ibas (tara o lavatorio, tendo urna vara de compri-
mento cada urna.
Quem quizer vender taes objeetos aprsente as
suas pro|Kstas em carta fecliada na secretaria do
conselho, 10 boras da manhaa do da 14 do
corote niei.
Sala das sessoes do conselbo administrativo, para
fornecimento do arsenal de guerra, 7 de agost de
186:.
Antonio Pedro de S Barreto.
Coronel presidente.
Sebastian Antonio do lego Barros,
Vogal secretario.
lugares do coslume e publicados pela im-
prensa .
Dado c passado nesta cidade do Hecife,
capital da provincia de Pernambuco aos 3
de agosto de 1863, quadragesimo segundo
da independencia e do imperio do Brasil.
Eu, Manoel de Carolho Paes de Andrade,
escrivao o subscrivi.
Tristv de Alencar Araripe.
DECLARARES.
18til. As cartas serio reeebidas at 2 horas antes
da que for marcada para a sabida do vapor, e os
jornaes at 4 horas antes.
Adminstracio do correio de Pernambuco 11 de
agosto de 1803.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo, para fornecimento do
arsenal de guerra, lem de comprar os objeetos se-
guimos :
Para o corpo de uarnico desta provincia.
11711 \ i\
f. ., *"r"v A directora manda fazer publico com l-sikv;iI-
Qaana-ieira 11 un cerredle as i i eras r senhorea aneciados que sabbado i; do
Na rna da Cadeia n i>3 coirnte, 12" aiiniversaro da insi.ilaeo deste ga-
na* iim uUln .kA lkl.mil.,t __ b*?to- s,-r;i inangiiKUii ao mein dia o virato de
wm sitio chao propiio no jbanViUl.ni,.Mariiin,=|taadordol!!aiM!ieciiii.-iii.,.
principio na estrada do Nan- estando guaimenjc ao publico os salees
Xnlnlao. esquina qne fax a en- "3 bibbotheca das 10horas da manhaa as 10 horas
trada da rna da Amizade para **** I
i f'-inmnrn consequcncia des arranjos que se tem de
" ^^ i b*er para esta solemnidado, (lea interrumpido o ex-
Pelo agente Bnzebio:pender urna excedente p^je.,,, (lo dja ,,ao aiaVlf.Incluslve, sendos per-
propriedade que o com casa de vivencia. inj,1do a ilura dc ^^^ no Uia m que chegar
I janellas, 4 qua* As^oshiha tora, cslri- d*Eoropa o vapor Traoccz.

nr rmuMCDrin
COMPTABILIDADE COMMERCIAL
PKLO
DK. WITRUVIO PINTO BANDEIRA
Professor da segunda radeira de Curso Cemaercial Pfmmhor*
baria, cocneira. q s, ajkfMde boa agua, di-1 Secretaria do Vabinete portugue/. de leilura aos
riendo 1/2 palmos h.A versos arvoredos
dc frente para
500 palmos de
B; tendo 172 palmos
Maaguinlio e mais de
i que faz fenle par a;
Europa o vapor
etaria do gabi
agosto de 1863.
ixiis bulos voum m n. yusu.
UMtrHEllk.NUEMN)
i > 1 secretado,
Antonio U***
147 mantas de laa, 119 bonets, 385 pares de sa-,
patos, 2 divisas para sargentos aiudante e qnartel' r,ua (la Amizade, estrada para a Capunga. a vista, zr^~- m^^-----^- r^
mestre, 530 covados de panno azul, 13 covados e l^J:u;^i\r?l")r^^s^c^Per,u'.l,1'1 ,l,1^''l..:.0S__Sl.r G|B||jFl F PORTUGU
pret.....leales queiram f a bondade de ir exami-
nar com atiencao para proveilar a occasiao.
LE 40
DE
DE
LKITUH.%
do
^anta Casa de Misericordia
Heeife.
A lllm.J junta administrativa da Sania Casa da
Misericordia do Hecife. manda pela presente con-
vidar aos irniao- da mesma Sania Gasa para as-
sislirem a festa da (droeira. que deven ter lugar
no dia 15 do crrante pelas 10 horas da manhaa na
igreja do Paraizo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cite 10 de agosto de 1803.
O escrivao,
A. F. CamUdiite Cousseiro.
CONSULAT DE FRUNCE.
Le i'.iiimiI de lame ses roni|ialrieles ri-sidaiil
o f passage Fernambour.
Fernambouc, 11 aot 186H.
Messiettrs et ektrs compntiiutes. Jai l'honneur
de vous prevenir que samedi |)rochain, 15 du
couran, une heme aprs midi. un Te-Deum sera
chant en r*Bgse de .Nolie Dame de la Peana,
l'occasion de la tete de notre Auguste Souverain,
S. M. l'Bmpereur Na|oloii III.
Je connais, des long-temps votre empressemenl
i vous rendre chaqu anne. cette crmonie, el
je suis d'antant plus licureux de me le rappeller
anjouid'liui. que parlan! a la liu de ce mois pour la
France, ce sera sans doule. la derniere fois que
j aurai le lionheur de me Irouver au milieu de
von-. Si la solciinil du jour ne me permet pas
alora, de vous (aire mes adieux tona, et de vous
exprimer commeje lavoudrais. mavive et sincere
gntitode pour tontea les preuves de conliance
frafleettan et de bienveillance i|ue vous n'avez
jamis cess de me donner jiendant le lemps de
niuii sejour en cetle ville. permettez que je vous
adresse ri. mes remerdmenta les pas sincna et
que je vous assure, qu'en quelque lieu que le sort
ni appellc. et quelque soil Taveiiirquil iBOrBOFVO,
je cooserrerai toujours votre soavenir el ne
eesserai de (aire des roeox pour vous.
VeiuiJoz en Mcaroir ici l'asannuiee, Measteors
el chers compalrioles. el agrer avee elle, celle de
mes seiiliinents les plus dvous, lev plus alfectueux
el les plus distingues.
Viromtc E. de tJmont.
\i-liam-se parausados em meu cartorio por
taha de preparos e sellos os seguint#e feitos:
Vppcllaate Jos llodrigues da Silva Rocha ; ap-
pellailo Manoel Rodrigues da Costa Ma^alliaes.
Appellante Gaspar Cavalcanli de Albuquerque
Uehoa i appellado Joao de S c Albuquerque.
Appeflante Beato Jos da Cosa-, appellado 1).
M iiiamia Dorotiiea Joaquina (por embargos).
Appetlantes Rabe Schameltau & C.; appenada
I. Maria Hilada Cruz Neves(porembargos.)
Appellante I>. Mana Amelia Conslancia de Frai-
la.- : appellado o cnsul portuguez.
Hecife 11 de agosto de 18t.
O escrivao,
Giiilhermino de Albuquerque Mailiu- Pereira
Directorio dasoBf 8 mi!'lirps.
A direcioria das obras militares, leudo de man-
dar proceder a concertosemdiversas poetase por-
tadas, 6 fazer oulras nova.-, e portadas laiiiliem no-
va-, convida as pessoas que se quizeram encarro-
ar destas obras e coiicerlo- a apresentarem suas
propostaa nos das 14, 17 e 18 do correte mea.
Directora da- obras militares de Peroambaco
8 de agosto de 1863.Lui/. Franeisoo de Paula de
.Ml'iiqiierque Maianliao. servindo de amanuense.
Conselho administrativo.
ii conselbo administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra, lem de comprar os objeetos -'-
gnintes ;
Para o presidio de Fernando.
K arrollas de asancar reinado em barricas de
:: ambas, 2 saceos de arroz pilado do Maranliao
em saceos de 'i a arrobas, 1 arroba de aleiria
II eaivai. *> liluas de cha Insson em latas de 4
libras. I arroba de doce de goiaba em caixdes ou
laia- de 'i a libras, barrica- de larinlia de Irigo
marca BBS, Sbarrieasde farinba gallega marca
azul. 24 libras da manleiga ingleza em boiOes
de i a 8 libras. 150 ceblas em resleas de 25 a V.
:i garrafoes de vinagre de Lisboa em garralSes de
2 caadas, .'I arrobas de toueinho de Lisboa em
harril. 18 -anatas de vinho de Lisboa, 6 libras de
vela- de espertnaceie, 1 arroba de velas de car-
uaftba 2 resmas de papel alma--., paulado. 20 li-
bia- de marmelada em latas de 1 e 2 libras. 24 li-
bra- de banba de pon em lata de 10 a 12 libias.
2.' motaos de alhos. 2cai\oes de sabao, .1 arrobas
ile bolachas grandes. 2 peca- de madapoln n. 3
para mortalbas.
Para a botica do bospital militar.
AVISOS MARTIMOS.
Movis eoutrosmnAtos objeetos.
AMANUA
Qninta-feira 13 rarrente] s 11 1|2 horas.
O agente Olympio em seu armazem ra do para o referido flm, na sala" aas repectivas sessoes.
Imperador n. 16, far leilao de movis no\ts e domingo 16 do crrante, s 10 horas da manhaa.
Nao se leudo reunido numero legal do senhorea,
socios elfeclivos desie" Gabinete para a primeira '
sessao ordinaria da assembla geral do crrante '
anno, convocada para o dia 2 do crrante mea.
Novamentc convido |x>r ordem do lllm. Si. presi-
dente do conselho delibcrativn para se reiinircm
O primeiro Preleeedes theorleo-pratleas* de e.rriptaa-
raeo naereantll.
O segundoJoces de arithnetiea roan-
aeroial. adaptadas a pratlea das peraeoe eooa-
merciaes e elementos do sf stema
mtrico eom snas applleaees
ao eommerelo.
HREgO DE CADA VOLUME W.
usados, joias de ouro e prata e
objeetos.
de outros muilos
eOUPAIHl %
MESSAGERIES IMPERIALES.
Ale o dia 14 do crrante espe-
ra-se da Europa o vapor francez
Estremadtire. commandante de
S^mer, o qual depois da demora
do cosiuiue seguir para o Rio
de Janeiro tocando na Haba, para passagens etc..
trata-se na agencia na do Trapiche n. 9.
CO.MPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaeo eosteira vapor.
Macis r escalas
O vapor Pe>sint dante Ralis, segu para os por-
til."' MKIIIk.i Hlil l.nvili. A rlli. dV Jn
O
Qninta-feira 13 dr agosta.
O agente Pinto far leilao a requerimento do
doposilario geral e por mandado do lllm. Sr. Dr.
juiz especial do commercio de differentes pecas dc
marcineiria usadas, pertencentes a Mariann San-
che Debuad, e_ existentes no deposito geral, casa
em frente a secretaria.de polica, ra do Impera-
dor, onde se efiecluar o leilao devendo comecar
s 11 horas em ponto.
Secretaria do conselho deliberalivo do Gabinete
Portuguez de Leilura em Pernambuco 11 de agos-
to de 863.
A. A. dos Santos Porto.
1. secrelario.
Esla obra, ajiezar de elementar, ven preencher urna lactina, que era sentida eutrt *->
ond fallecem e-eriptos de certas especialidades com accessoa todas as inlrlIKeMias ; ea-
sim o editor i>ensa fazer un servioo dando-lhe publlridade, tanto mais quanto hojp, ji
Iransaceoes commerciaes e industriaos vao entre nos tomando notaveldesenvolvimnato.
entrar na educaco daquelles que. se uuerem apphcar a taes ramos da vida o ninhrnnieaea
dos principios da comptabildade administrativa e coinmercial.
Com este intuito, sob urna forma esseocialmenle i la-sii a, reuniu oBt. Dr. WHrovioa
i principios da comptabildade commercial no que tcm elle- de mai- ileaientar.
Seita-feira 11 do carreule.
As 11 horas na ra da Cadeia n. 53.
Da metade do sobrado n. 3o da ra das Cruzes
que rondel :000a, idem dem n. 48 da na de Hor-
tas que rende 8005000.
Por inlervencao do agente Euzebio se far leilao
da metade dos sobrados cima |K>r conla e ordem
de quem pertencer, os pretendentes'queiram ir
examina-los con antecedencia.
tos cima indicados no dia 2o do
curenle s .' horas da tarde.
Recebe carga at o dia 24 ao
meio dia, eneommendas. passageiros e dinheiro a
frele al o dia da sabida as ;} huras da larde: es-
criptorio no Forle do Mallos n. 1.
Um terreno em chaos proprios,
Terra-feira 18 da corrale s 11 horas
da manba.
O agente Olsmpio far leilao a mandado do
lllm. Sr. Dr. juiz especial do commercio dc um
terreno na ra Imperial eom 90 palmos de frente
el 160 de fundo cujo terreno pertence a inassa
fallida de Joaquim Lucio Monteiro da Franca.
Ter conieco as horas cima no armazem do re-
1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\avrac;io eosteira a vapor.
Parabyba, Natal, Mario, Ararat). Cear t Ararar. ferido agente" ra do Imperador n.
0 vapor MiiiwnitjtKtpe conunan- ^^^^^^m^^m^^
dante Moura. seguir para os,
jxirtos cima indicados no dia 221
do crrante as 5 horas da tarde. A
carga ser recebida at o dia 21
ao meio dia. eneommendas. passageiros e dinheiro i
a frele al o dia da sabida as :$ boras: escriptoi io
no Forte do Mallos n. I.
Mocledade I nio C'onamereial
HriioHi-onlc.
^direccao deata socifdade Convida aotsenhoios
para asslsfirem no da seganda-feira 17 do
nlc, as 8 horas em ponto a missaque por alma
de nosso ex-socio Domingos de Castro Maia, tem de,
celebrar-se na igreja do Espirito-Santo.
Recife. 12 de agosto dc 1863.
O secrelario,
____________Genuino Jos da Rosa.
AUenc*.
A pessoa que por esquecimenlo deixon liear na ''
loja dos Srs. Vieira & Xetto, urna quantia em di-
nheiro, annuncie por este jornal sua morada, pois \
dndoos signaoscertose pagando a despeza deste
annuncio lhe ser entregue.
Precisa-se de urna ama secca : na ra da
Senzala Velha n. 22.______________________
Precisa-se de um menino de 10 para 12 a li-
nos para caixeiro de um de|>osito : a Iratar no
neceo Largo n. 5, no Recife.
' 1 MLDANGA.
O abaixo assignado mudou-se da ra da Impe-
ralriz n. 42 para a do Apollo n. 34.
Filppe Santiago de Senna.
Aluga-se una negrinba para o servtoo inter-
no dc casa de urna familia : na ra da fiuia nu-
mero 26.
Precisa-se abogar um [neto velho para ser-
vieo dc sitio : na ra larga do Rosario n. 33.
Aluga-se o terceiro andar da ra da Impe
ratriz n. 34, com eommodos para numerosa fami-1
lia : a tratar na taberna do mesmo.
os de modo a facilitar o mais possivel o seu estudo s pessoas que se destinan) s arestsafes
commerciaes, sendo taes a concisao e a clareza imstas no desenvolvimenlo respertroa; qw
de-se aprender a materia, chegando-se a eseripturar os livros por partidas dnhradia i
car o calculo s opera^oes do commercio, sem carecer da intei veneao de i
Ulll llle-llv.
O primeiro voluipe, formulado sobre a obra de Rcrtraud. irrujw-s*! uns i n inniii '
da escripluracao mercantil por partidas dobladas, cujosprincipio- >o il---.'nvolvida can bar- ,
monia com a legslacao braaileira, conteudo alem disto um iniporUmii-niHi ipiiifci safta*
as sociedades coininerciaesem todos os seus movimentos. qm-r pi-lo lado da i uriaaumh.
quer ielo da formacao. existencia e exlinccao deilas em face da le. .V-i.- apfteatt, if-
cadamente recommendavel por soa originaiidade o peto cnnho de especiaban*, Manoaaan-
merciajile urna guia para sua diraccao, qualqner qneseja sTfrinn da socioia*' #w rnnfrm.
Completa este volume o specimeno resumo de urna escripluracao. ficticia vcnlade. nus can
tudo semelhante de urna casa de commercio ordinario, uflererendo urna serie ii.- off-nriet
suecessivamente mais diceis, queassim inicia graduahnenle a maneira de e-rinliira-la*
nos differentes livros de urna casa de commercio.
O segundo, eguahnente formulado sobre a obra de Kottinger, occopa-se puiiculaniienaa !
da arithmetica commercial com exercicios c problemas pelo meio mai- simple-, nuil r br
da regia conjuncta, acerca de todas uoperaroes peaisraa nsaaes no comiiM-ni". env..|ve _
clculos de cambios de praca praca e por proras inleinedias. In-iii ionio mgi-ios il-litan
com arbitragens de ranibios. alm do desenvolvmento do syslema mcirico em snas rator
com o commercio, Ilustrado por meio de tabellas de conversao.
0 editor nada mais accrescentar estas breves palavras. que as tkVmou-iram a i
portaneia real desta obra, devida a inlelligencia e a applicacao aceorada do -mi autor. *>*2
que ella de utilidade geral, e que a nenlium cominercianlc e niesuio a lioniem-aliinni de tos-
tras licito deixar de possui-la em sua estante ; pois o conimcrcio em sua- variadas vean-
coes, entende actualmente com ludo que se liga a vida.
A assignatura tomas*' as livrarias dos Srs. (ininiaraes Si OUveira, ! za. Juliao & Pereira e Geraldo H. de Mira, sendo realisada sua importancia peta ejawta volume ao sabir do pelo, para o qual ora entra o primeiro.
o r.niToR.
AVISOS DIVERSOS. i
LOTERA.
Sabbailo 2 do corrente se exlraliir a
j primeira part' da primeira lotera da igreja
;de N. S. das Noves lo Convento de jS. Fran-
I cisco de linda.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
L A\J,l \\ 1 LN A. IA.rUK.1 0s bilhetas emeioi biUiotes acham-a
Dos nortos do norte e esperado' j ,
o dia 20 do corrente o vapor !Y.enda na respectiva tliesourana. ra do
Para quem quer morar nn campo e na ridade.
Aluga-se a casa do Caminlio Novo da ra da Es-
peraiica n. 2. caiada e pintada, com 4 qnarlos, 2
-ala-, "corredor, separado, eneraba fra. quintal
murado e eaciil.a : a tratar na ra do Cabug n.
11, botica.
Precisa-se de 2:31)05 h\potliecando-sc una
iropriedade livre c desembaracada (|ue val preeo
iaX 8:(KK), a pessoa que quena dirija-se a ser-
rana do Sr. Jos Ignacio Avila, que l se dir o
pretndeme.
ESTABELECIDO XA CIDADE DO RECIFE
Director0 barharel em matbemaliras
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
alo o uia zu ao crreme o vapor,
Apa, commandante Alcanforado Crespo n. 15, e as casas coimmssionailas s
o qual depois da demora do eos- rita da Imperatriz n. 44. loja do Sr. Pimpo- -a.r?
O Sr. Manoel Homemde Carvalho eaiielro que
foi dos Srs. Ainorim Irmaos. queira vir concluir o
ne^ncioque tem como abaixo assignado. pois alem
de ser o lempo mais que sufflciente nao est o
JMisirnado ()sl*t ^ &t4Mitr-ll# vieios.
J. C. de Almeida.
sul.
turne seffuira para os porlos do
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada. eneom-
mendas e dinheiro frele al o dia da sabida as 2
horas: agencia ra da Cruz n. 1. escriplorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA BRASILEIRA
DK
^PAQUETES A VAPOR.
Dos nortos do sul esperado
at o dia 14 do crranle o vapor
l'rinieza de Joinville, conunan-
Jante o capilao lente Sania
Barbara, o (pial depois da demo-
ra do costme seguir para os porlos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no da de sua chegada: eneom-
mendas e dinheiro a frele al o dia da sabida as 2
Imras, agencia ra da Cruz n. 1. escriplorio de
Amonio Luiz de Oliveira Azevedo \ C.
0 hrigtie KelampagA
sabe para Lisboa impreterivelmenle no dia IS de
agosto, ainda recebe algnma carga e-passageiros.
para o que Irala-se eom o consignatario Thomaz
de Aquino Fonseca. na ra do Vigario u. 19. pri-
meiro andar. .
tel, praca da Independencia n. 2% loja doSr.
Soares Pinlieiro,ruaDiiviia n. :i,botica doSr.
Cbagas, e ra da Cadeia n. 45, loja dn Sr.
Porto.
Os premios de 3:000/al 10$ seo pa-
gos urna bora depois da exlracc-iio at as i
horas da tarde, e os outros no dia segaiote,!
depois da destribtiicao das listas.
0 tbesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
- Offeroee-se nina ama de leile no becco d
10. quem precisar dirija-se qu
adiar com quem Iratar.
Para Lisboa sabe em poucos dias com a car-
ga que liver, a galera brasileira Miiulello. de mui-
to boa construecao, e acabada de fabricar, lem
boas eommodos para passageiros : quem na mes-
ma quizer caraegar a com modo frete. ou ir de pas-
sagem. irala-se com os consignatarios Palmeira &
Hellrao, largo do Corpo n. 4. primeiro andar.
rara a Baha.
0 palhabote GanbuUli'tem parle da carga, para o
resto trala-seeom Tasso limaos.
ca do Commercio.
Para a Baha vai sabir com mula brevidade
o veleiio hiato Tyno, tem parte da carga prompta :
para o resto que lhe falla, Irala-se com os consig-
nadnos Palmeira & Bellrao, largo do Corpo San-
to n. 4, primeiro andar.
Para o Rio de Janeiro segu com mui-
40 garrafas deaguardente, 60 garrafas de alc.wl'^jj1'^6 ^lKho naC0"al Cardkl'
de :tG grao*, 8 libra- de amidone. Ifi libras de amo-' (lu,al receDe a'guma Carga mmda 0 escravos
niaeo liquido, w libras de campbora, ib libras de a frete: a tratar com Amorim Irmaos, na
carbonato de magnesia, 24 libras de cevada, 16 l- ra da Cruz, n. 3, ou com o capitlo na nra-
bras de caraba, 16 libras de cera branca, 16 libras ea iln Cnnuner.-in
de cera amarella, 4 libras de cordao de coras |ra
garrafas, 4 oncas de chloralo de potassa. 6 oncas
de extracto de salsa parriiha. 16 libras de essencia
dc tercbenlina, 16 libras*de llores de tilia, 16 li-
bras de llores desabugoJionca.- de hyssulphato de
soda, 8 libras d iodurflo de potassib, 1 libra de
jabarandi, 3 pecas de madapolao d> qualidade.
1 arroba demacella de qualidade, i arroba de
oleo de ricino, 1 arroba de oleo de amendoas, 30
farra fas de mel de abelhas, 2 resmas de papel
rauco pautado, 1 resma de rtulos para crurgia.
16 libras de, resina.de pinho. 3.000 rolhas de cor-
tica de 1* qualidade, 1 libra de tarlaro emtico.
40 garrafas de vinho do Porto de qualidade, 1
libra de subnetrato de bsmujlo, 36 seringas do
horrocha para el yster. 8 duzias de vidros vasios com
rolha de 1, i, 4 e 8 oncas, 2 arrobas de mostarda.
40 garrafas de vinho branco de 1* qualidade.
Quem quizer vender taes objeetos aprsente as
suas propostas, em carta fechada, na secretara do
conselho, s 10 horas da manhaa do da 17 do cor-
rente.
Sala das sesses do conselho administrativo, para
fornecimento do arsenal de guerra, 10 de agosto
Hro de 18b.
Antonio Pedro de Sii Brrelo,
Corowl presidente.
Sebattio Antonio do Reg Barros,
Vogal secretan' o.
Pela subdelegada de noliria da fregueza de
Santo Antonio do Recife se fa pnbheo que se acha
depositado pon oadew da mesma um cavado ruao,
(pie anda va sendo offerecido a venda por on ca-
bocolo, que o abandOnou logo oue dispertou sus-
ppiras de ser fuado. -O subdelegado.
Manoel Antoni) d fesus- Jnior.
LOTERA.
0 tliesoureiro das loteras desta prownl
ca, desejando extrahi-las em maior capila-
e com menores intervallos, offereee a vanla-
gem de dous por cenlo quem comprar
para negocio, na quanlia de i00$ para cima:
assim como se propoe a estabelecer corres-
pondencias para qualqner localidade da pro-
vincia, remeneado bithetes, meios e lisias.
sob flanea idnea; devendo o pagamento
delles ser feito logo que sejam reeebidas as
listas e 09*06 billietes remellidos. O the-
soureiioiiTto da convenienciadessenegocio,
convida aos Srs. eommerciautes da Victoria,
Goianna, Rio Pormoso, Nazarelb, Sernhiem
e mais localidades populosas da provincia,.e
mesmo os desla capital, que o quizerem, a
entenderem-se com elle, na tliesouraria das
loteras, ra do Crespo n. lo: adverlindo
que receber em pagamento e sem descont,
os bilhetes premiados de todas as loteras
da provincia recolbidos thesourara da fa-
zenda provincial.
Thesourara das loteras, 20 de junho de
1863.
O tbesoureiro
Antonio Jos Rodrigues
| ALVipARAS A NOVIDADE.
Sao cliegados loja das columnas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio g|l
Correa de Vasconsellos C. riqus- )
simos cortes de lia mudo lina com tifa
barras estampadas e matisadas Im- *
peralriz Eugenia, cores as mais deli- S|
cadas chiiio sejam: cor deganga.de fr<
lyrio.. cima etc., fazenda fnteiramen- ^
te nova e nunca vista em Peni un- ^
buco. ;;^!
Allfiuo !... aeneao!
-Na villa do Paco.
Na villa do Paco.
De Caniaragib !...
Ue Camaragbe !....
11 abaixo assignado, morador na villa do Paco de
Camaragbe, vende as suas tres barracas a saber :
Abjfsmo do Pavo, de lote de ooO saccos'de assucar,
Flor do Paro, de 450. e Ptnputt do Paip de 380,

l S S*4
wscaa

IMERNATO
DK
O direelor do intrnalo de S. Bernardo, accedendo aos |iedido- de varios pae- rt.r.
respectivoscollegiaes, e deoatras pessoas desta capital innoven .. sen e-iaU-lerinii'iii"
da Capunga para esta cidade.
.Nao leudo evitado es/orcos nein sacrificios para proporcionar aos -ei. almun<>-
iiina perfeila educaco |>li>sica." moral, iiilelleciual e religiosa, offeieceudo-H.'- una b.i
bit.ieo eom basiaiites condicoes de salnbridade. habis professore? fjne sin orifeM eni
prepra-los eonvenienfemente ao fin que se deslinam. medico anata ajBK Itv* faca
coinprebender os preceitos da hygiene e Ibes cure das doencas. linalmenle um sacer-
dote Ilustrado e honesto que Ibes explique os principios da religin chrisla. esprra qmt
assijn constituido nao deixar o seu estabeleciaienlo de merecer do- Srs. paes ile faasi-
lias o auxilio e confianca com que ja alguns o tem honrado; e Ibes roga. bein como .i
lodaa as pessoas interessadas, que se dignen de visitar o mesmo seo estafeHeHBMaas,
onde sempre encontrarlo franco ingresso.
Ocollego lem a sua sede do espacos.....lilicio n. 32 a ra ila Aurora, ronligii ....
do collegio dos Orfmioa.
NOS estatutos do COllegiO, que e-tiio a disposieo de ijliei.....qm/e| |er. v .H-baiil
consignadas as condbjSes de entrada e matricula as diversa- aula- do estabalaet-
ment..
!^\

mmM&s&H

S
k\
>..sH*v>)S!
NOVO ESTA8ELECIMENT0 DE MEDICINA.H0ME0P1THIC1
RA H'Ol A W. 1.
b- iiuraore
u-i" da at>.
ODr. Sabino O. L. Pinho mudou o seu CONSULTORIO |>ara atuja
roa Nova ii. Y\. oiiile conliiiua a dar consultas todos os das uteii desde o
horas.
Os enfermos, qne oprocoraremlogo na iuvasao da moi.->iia. s.m que haj.-un to-
mado qualqner remedio, nem allopalhico, nena bomeopathico, pagarn ni. t.ule dos prffae
estipulados. Esla coneesso tem por fim facilitar a cura de molestia.-, que pod.-m bn-nar
promptas e navegando; sao"as que carragam toda so complicadas pelos euiprego intempestivo da therapeutica e ao inoim. I.tii|.. ;ibptnr
a safra desta ribeira. e niulo acreditadas. Assim para a lionieopalhia maor numero de adeptos pela bateza da cura.
Em allenco as pessoas pobres, que nao podem sahir de dia. o ln. Salnn resol-
veu dar diiss consultas por semanas as tercas e sextas-feiras das s>is as seU- Ii-h. da
noilc.
Os chamados para visites e conferencias devemser dhjgidos por escripto > eaa>
sultorio desde S horas do da at 8 da note. na certeza de que serio atl.ndi.b.- na -.rile
ZAHORA.
DRAMA HISTRICO PELO DR. THEBERGE, NO
QUAL NAO INTERVEN PERSONAGEM
FEMENINA.
Na ra Nova n. M vende-se a looo o
exemplar.
como vende o seu trapiche, o mais bem montado
nesta provincia e na de Pernambaeoj de pedia,
cal e lijlo, tem capacidade para meas de dez mil
saceos, guindaste de ferro, collocado no primeiro
lugar desta villa, qpe recebe todo o assucar que
tian-noia esta ribeira, lem casa de vivenda na
tt*JStt&SiStt de "" P""** ***J' eircumstancia de eminente engo.
lijlo.dentromoitaslrncteiras e terreno para plan- AjD* I-II I I.X IA.
taeo de horialicas. 0 abaixo e.-i resolvdo a fa- O novo consultorio est prvido dos melliores medieameiib*. dixb
rer todo negocio a praso ou a dinheiro. como con- at a trigsima dvnaminjsacao.
o trapiche, queiram diigir-se ao Sr. Antonio Lou- cacia (';,A uHissimas dviiaminisacoes do tralametllo das molestias chroilicas. o IH\ NMHiK. >.'
renco Teixeira arques, ou cornos Srs. Marques oceupa agora de elevar os seus medicamentos Js potencias mais alla> i |mh- ora ab- i*i
in, Silv!b rna da Cadeia n. i. e com o Sr. Manoel alim de verificar por si mesmo a forca dynamica. que se lhe attriboe.
aes de Souza. %T*E$$Z \^& ^jSZSfii ?s mdicos, que quizerem ^xperiniema, Uea dvnanunisicoe, m
----------------- nandes da Cimba, na na d Cadeia n 44 Para coiisullorio suas receitas. que serao aviadas gratuitamente para os imiImvs.

a primara


Para Usboa
segu em poucos dias o lugre portuguez Julio por
ter a maior parte da carga comprada : para o res-
to e passageiros, a quem offereee bons eommodos,
trata-se com o consignatario Thomaz de Aquino
Fonseca, na ra do Vigario n. 19, primeiro andar,
ou com o capitao o Sr. Francisco Antonio Mei-
relles.
Para Maranho e Para
pretende seguir nestes oito dias o veleiro e bem
conhecido brigue escuna Jo"en Arthur, tem a
seu bordo parte de seu carregamento ; para o res-
to que lhe falla, trata-se com os seus consignata-
tanos Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C., no
seu escriptorie ra da Cruz n. i.
MB
LEILES.
HOJE
as 8 har*da matiha em di inte.
Elleeiuar-se-hanaestacSo-da estrada de ferro
era Cinco Pnataa a entrega dbs moren vendidos
em leilao do dia 10 do corrente na villa do Cabe,
conforme foi declarado pelo agente no acto do
leilio.
LOTERA
^4Si U FORTUNA
0 abaixo assignado faz seienle ao respelavel
publico que se acha estabelecido com sua loja dc
bilhetes das loteras da provincia, na ra do Cres-
po n. 3:j, onde tem expostos venda os seus mu
fehzes bilhetes e meios bilhetes garantidos da 1
parle da 1." lotera em beneficio da igreja de X S
das Xeves do convento de S. Francisco de Olinda!
cuja extraceao ser a 22 do corrente mez, obr-
gando-se ao pagamento de todas as sortes, que nel-
les sahirem, sem os descontos dos 12 por cento
do imposto geral e dos 4 por cento do provincial
o qual ser promptamente effectuado urna hora de-
pois da extraceao e por diante.
Oe bilhetes e meios bilhetes do abaixo assignado
sao por elle assignados de chancella e acham-sc
tambera venda as segniotas casas: Praca'da In-
dependencia loja a. 28 e 39; ra Direita" botica,
n, 3, ra da Cadei taja. n. 4$ rna da fmperatriz
n. 44 e ra eslreita do Rosario n. t?
mtrC0^0mt
Bilhetes intei ros..... 6AG0O
Meios bilhetes...... 3,8000
Para as pessoas que compraren
de 1006 para cima.
BihVtes........ 'J'uft
Meios.......... 2673
Manoel Martins Finta.
nandes da Cunha. na ra da Cadeia n. 4i. Para
iratar da eonclnsao da venda com o proprietario
na referida villa.
Joaquim de Souza Silva Cunha
Programina da festa de X. *. do
Cai'iu Ii FronlIspleio.
Xo dia 14 do corrente. s 7 horas da larde, com
acompanhamento da msica do 2." balallo de in-
fantaria de l. linha ser arvorada a bandeira da
excelsa Senhora, feilo o que ser cantada urna la-
dainha. No seguinte dia haver fesla e Te-Ueum.
rao diluir ;
que serao aviadas gratuitamente para os |Mlr's.
No mesmo consultorio se vende a novissiina edico do Tlinoitrn kimipHtlr*
ou Vademcum do homeopalha. ohra indispensavel a dos que qiiereni usar da war>-
pathia.
Tudo tt que diz respeito nova medicina se acha ahundanU-ineiile inste !.%< e>Ui-
a i-cimento. '
Escravos para alugar-se
Na estrada do Manguinho, primeiro sitio defron-
tc do becco das Crioulas, ou entrada da Capunga.
ha seis escravos fortes e robustos para todo servi-
orandoncsteleverendoradrc^^ co para alugar-se, c se conlrai engajamento para
de Sanf Auna, e naquella o reverendo padre mes- '
lie capello do exercito Lourengo de Albuquenme
bovota. A orcheslra ser a carmelitana, a melhor
desla capital. A noite se dueimari nm bello fogo
de artificio, eom o qpe se lindara a fesla, que nes-
te anno a comraissao nomeada, ajudada pelos in-
gentes exorcos do Rvin. padre mesire provincial
Fr. Jorge de Sanf Anua Locio, offerecem a piedade
dos devotos da mesma excelsa Senhora.
Precisa-se de urna ama de meia idade para
cozinharem casa de pouca familia : na ra da Ro-
da, sobrado de um andar na esquina por cima dc
una taberna com venezianas.
os inesmos pelo lempo que se quizer.
Offerece-se urna miilher de meia idade para
ama de homem solteiro : a tratar na ra do Sebo
numero 43.______________________________
Aluga-se um silio na estrada de Belem, com
boa casa e bastantes aorados : quem pretender,
dirija-se ao silio em Sanio Amar junto ao cemi-
terio publico : a tratar com Francisco Antuncs
Ferreira, ou na Caixa Filial._________________
AVISO.
O Rvin. provincial do couvena> do Carutu V
Becife, avisa a todas a.- \k swas tpie esto drvvMfc
toros ao mesmo convenio, queiram vir pafa-U.- a*
Sr. procurador Benjamn do Carino Lopes m rmt
de Santa Bita n. 67, dentro do prazo de 8 da*, e
nao o fazendo no mencionado prazo seo cubra-
dos judicialmente cm as penas da lei do rom
mio.
D-se a quantia de 2Q000 pelo aaafarl "*
urna escrava. que consiobe e faca a rnmpru won
urna casa de pequea familia: a iratar no caes *
Apollo n. 17 segundo andar_______
Eduardo Fales, subdito
Babia.
americasw, ai *
g M^^^rx,s^jssftiii r""-
zinhe. engemime c compre para urna familia, com-
posta de duas pessoas:'
rna do Imperador n. f.
^.* ta! .?; k;t. s -SSM^JWJyssS:
- Aluga-se usnaescrava para lavar.
' liar : quem pret*
primetaaajadar
la-se rffiU a quem livrr alpaas kaasW
ciaes para anneis e penas d'agua a casas e estabe- ou vende-se a taberna nadita larai' do.ltosari*.
- Urna senhora estrangeira que relira-se para leciraentos pariicularas. mediante um ajuste ra- 31. a fallar na meai
sua trra, deseja tomar urna menina branca dc zoavel, pois que j se acham hahHitados. sendo de
1 anno a 2: quem estiver no caso dc dar, dirija gande vantageni o ler agua em casa, principal-
a esta tynographia carta fechada com as Uiiciaes mente as de grande altura.
G. M. r., qne ser proetirado. i ---------^----------i------------
AlsMftrfse
PtimenWferro da ra do 'Impe-
Francisco" Jos GoncaJves Cintra subdito per- para advogar ou cartorio : a tratar na mesma ra
tuguez retira-se para Europa. n. 53, segundo andar.
;r^ Aova do
i nripeari e dnas a**
tem armarao propr p
Arrenda-se
um rancho, com
uma das quaes twtt armario propria
co; arrenda-se tambem com a
trras para qualquer plantarlo e
susantar anmaaes: quem pretender)
Irada Nova em casa de leronvmo de
valeanti de Albuquerque. que vharii
tratar.


Diario de l*ernauabu<-o ajuar ia feira i d Agobio de 183.


A SO\0 ESTABEI^ECIMEJITO DE FAIEWDAS
. NA Rui DO CRESPO N. 17.
JOS GOMES V1 Ll t It.
* Veudc-se baratissimo a dhiheiro avista.
Eazendas de phautasla.
Vestidos de blondo cen capella c manto,
para casamento.
Vestidos de eanibraia branca bordados.
Manteletes pretos bordados compridos.
Cassas pretas a Lhz XIV. ,
Chapclinas de palha a Mana Pa.
Saias bordadas de i pannos.
Cambraias lisas de todas as qualidades.
Saias a balao de arcos e de panno.
Chitas francesas finissimas. .
Las de todas as qualidades para vestidos
de senhoras.
Meias para senhora, vindas de Inglaterra.
Cassas de cores lindos padrees a 280 rs. o
covado.
Fazendas forneas.
Madapoloes francezes linos.
Madapoloes de jarda Anos e entestados pro-
prios para camisas e saias de senhoras.
Madapoloes de 7, 8, 9, 10*, 115 e 12*
a peca.
Bramantes de linho belga e de outras umi-
tas qualidades, sendo de 10 palmos do
largura e outros de 4 palmos.
Esguioes, selocias, bretanhas.
Toalhas de linho para mesas de 28 palmos
de comprimenlo.
Toalhas para rosto, algodocs de todas as
qualidades.
E outras muitas fazendas baratas
t'm grande sorlmenio
de msicas para pjano e canto sendo de todas as torcas, vendem-se baratsimas.
APPROVA^AO 2 AlITORISA^AO.
DA
Academia imperial de medicina
Junta central de hygiene publica
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artiliciaes tanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguina sem que as obras nao
liquem a vontade dc'scus donos, tem pos
e outras preparaces as mais acreditadas
para eonsorvac;o da bocea.
Calfado franeez, na loja do vapor, ra
Nova ii. 7.
digno de attencao os novos sorti- 3
mentos de calgado franeez, chegado h
dita loja, e mu especialmente as nio- '
dornas botinas com differentes e novos
enfeites para senhoras e meninas.
ELECTRO-MAGNTICAS EP1SPASTICAS
DE
RICARDO KIRK
Para seren applieadas s partes affeetfadas, sem resguardo
nem incommodo
Muito conhecidas nesta corte e em todas as pro-
vincias deste imperio, pelos seus infalliveis resul-
tados em todos os casos de inflammae.io, seiam ex-
ternas ou internas (com cansaro e falta de respi-
rarao) como do estomago, ligado, baeo, bofes, ria,
tero, peito, palpitaeao da coraejio, gargantas,
olhos, er>sipella>, rheumatismos, paralysia, e todas
as affecrocs nervosas, etc., etc.
Igualmente para quaesquer inchaeoes, rendas,
tumores iiitestinacs e venreos, scrophulas, lobi-
nhos, papos, etc., etc., sejam qual for o scu tama-
nho e profundeza, por meio da supuracao serio ra-
dicalmente extirpados.
(Estas chapas nao podem fazer mal de forma ai-
gama, ellas tem sido applieadas aos olhos com o
iiiolhor successo, vejam-se os attestados de curas
completas que ja loram publicados pelos jomaos.)
O uso dellas aronselhado e receitado por habis e
distinetos facultativos, sua efllcacia incontcstavel, e
as innmeras curas completamente obtidas as di-
versas molestias em que foram applieadas, e fazem
merecer e conservar a confianca do Ilustrado pu-
blico, qne j tive a honra de merecer delle 23 an-
nos de existencia e de pratica.
N. B. Nesta corte e de todos os pontos dest
imperio recebem-se participacoes satisfactorias e
respeito das ditas chapas medicinaes.
As encommendas das provincias devem ser di-
rigidas por escripto, com todo o cuidado de fazer
as necessarias explicacoes, se as chapas sao para
homem, senhora, menino ou crianca, declarando a
molestia e em que parte do corpo existe.
Para inehac molde justo de seu lamanho em um pedaeo de pa-
pel, a deelaracao onde existe, alm de que a chapa
seja da forma' da parte alTectada, e para que possa
ser bem applicada em seu lugar.
BAXCO UMllO'
ESTABELECIDO NACIDADE DO PORTO
Agentes em Pernautbueo
Antonio Euiz de llvelra
Azevedo & C
Sacam por todos os paquetes sobre o
i "mesmo banco prazo ou visto, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agencias em Fi-
gueira, Coimbra, Aveiro, Vizeu, Villa-
Real, Regoa, Vianna de Castello, Guima-
res, Barcellos, Lamego, Covilhaa, Braga,
Penaiiel, Braganca, Amarante, Angra,
Ilha da Terceira, Ilha de Faias, Ilha da
Madeira, ViUa do Conde, Valenea, Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves e Fafe, a
oito dias vista ou ao prazo que se conven-
cionar,no seu escriptorio ra da Cruz
n. 1.
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
Cartoes de visita
Cartees de visita
Cartees de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartees de visita
Cartoes de visita
Candes de visita
Cartoes de visita
CartOes de visita
84000 a duzia
84000 a duzia
84000 a duzia
84000 a duzia
84000 a duzia
8A000 a duzia
4000 a duzia
84000 a duzia
84000 a duzia
84000 a duzia
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador____________
-. Aluga-se o andar terreo da casa de
dous andares, sita na ra da Assumpco,
n. 44: a tratar na ra da Cadeia, loja,
n. 32.
COMPRAS-
__Precisa-se comprar quatro ou seis vaccas de
teitedeboaqualidade e paridas de prximo: no
Arraial sitio de Elias Baptista
Comprase um mulato de idade de 16 20
annos, proprio para pageui, e urna negra que eosi-
nhe e engomme bem, na ra da Cruz n. 1.
Compra-se
e chumbo velho, no-armaxein da
no oitao da gaz da ra do Impe-
Cobre, latao
bola amarella,
rador.
Compra-se effectivamente ouro e prata. em
obras velhas : na praca da Independencia n. 22 lo-
ja de bilhetes.
Corapra-sc pa|>el de diarios a 1204, no depo
sito da ra da Senzalla-Velha n. 48.
Para nina encommenda.
Comprase orna escrava moca de boa
figura e cnducta, e que saiba bem de
costura e engommado, a tratar no caes
to Apello n. 55.
VENDAS. .
Phosphoros do gaz.
Xo antigo deposito dos phosphoros do gaz, tra-
vessa da Madre de Deus n. 16 armazem de Perreira
& Martins, continuam a vendercm-se em eaixocs e
a retalho por preco barato, por se achar muito sup-
' prido. No mesmo armazem contina a vender-se
a verdadeira preparacao para matar ratos e baratas
chegada recentement de Liverpool, a 500 rs. cada
pote.
GRlUE
Na ra do Crespo n. 8, loja de f portas de Souza
Andrade i C, suceessores de Joaqnim da Sil-
-- Hontem as 7 horas da manhaa apre-1 Vcndem4e easaas'de cores lxas c lindos Pa-
nendeu-se no caes do Ramos, um cavallcque- ,1,-oes a 200 rs. o covado, e ditas maiisadaa hienda
' era conduzido por dous homens suspeitos, de 700 rs. a vana 210 rs. por covado, fie amostra.
1 que o abandonavam logo que se quiz reco-
! nhecer, o cavallo ruco pedrez ; quem fr
seu dono, dirija-se ao canoeiro Silvano Jos I
; Ignacio, morador em Itapissuma, boje no
mesmo caes do Ramos, na canoa Santo An-
tonio Grande.
Anda esta para alugar-sc o sobrado na ra
CHARUTOS
Vendem-se na ra Nova n. "8 su|)eriores charu-
tos, a saber, suspiros a 14200, meias caixas, de di-
versas marcas a 14200 a caixa, e 700 rs. por meia.
Alten cao
----------------i Taboas de auiarello.
Vendem-se na ruaDireita u. 91.______________
Vcndera-sc tres venezianas em bom estado :
Hdame Ferro, Italiana, que particularmente d a tralar na r"ado ""l*radr n.67, segundo andar,
dos Coelhos n. 10, onde moraram os paares lasa- a|m0CnS e jantarcs pessoas decentes, por presos Vende-se urna toalha propria para baptisado
rilas. ____________________________________ commodos, mudou-se da ra da Cruz n. 9 para o e por preco muito barato : na ra de Hortas nu-
'--------------------------" n. 44 da ra do Trapiche, aonde contina a servir mero 34.
TINTURARA. tem c limpamente, como sempre. Em sua casa' ----------------------------------------------------------------
Tinge-se com perfeico para qualquer \ tem ptimos quartos e salas que se alugam, com
o mais barato possivel: na ra do comida ou sclu clIa-
cor, e
Rangel
n. 38, segundo andar.
PODE-SE MANDAR VIR DE QUALQUER PONTO DO IMPERIO
DO BRASIL
\s chapas serio acompanhadas das snas com-1 Consulta s pessoas que se dignaran honra-lo
Ptenles explicacoes, e tambem de lodos os acces- com a sua eonlianea, todos os das, sem exeepeao,
porios neeessarios para suas applicacoes. das 9 horas da manhaa as i da larde.
ESCRIPTORIO
M. II HDA IIO PARTO W. 119
E EM PERNAMBUCO
Para as eBeommeadas on aormacSes dirjam-se pbarmaeia de Jos Aleaodre Ribeiro,
ra do Qucimado n. lo.
i* v v %'
Ao o. 29.
Noca loja dos bacateiros, ra do Queimado.
Laas de ultimo gosto, covado a 440 rs. 5 organ-
dis de |iadroes lindissimos, varas a 800 rs.; ha-
los de arcos o melhor possivel,'a 3o00, 4$ e o ;
alpaca de linho para vestidos, covado a 240 rs.;
cambraias de cores para vestido, covado a 280 rs.;
cambraieta muito lina, peca de 12 jardas a 75
Alugain-se duas me-aguas no Campo Verde,
ra da Atraicao n. 2 : a tratar na ra do Rangel
numero 7,
AO COMERCIO.
CEBLAS
Ra do Amorini 11. 43.
Vendem-se ceblas novas e grandes,desem barca-
das hontem, pelo barato preco de 300 rs. o cen-
to; a ellas, que estio se queimando, mesmo a llo-
co de cobre.
Vende-se urna armacao de taberna no boceo
Largo n. 6 : a tratar no mesmo boceo n. 1, ou na
Os abaixo assignados fazem sciente ao publico ra do Fogo n. 32.________________________
que desde odia 31 de julho prximo passado, se, STT 1. .....
cassa lisa pello de ovo, peca de 12 jardas a 7,5300. acha dissolvida amigavelmente a sociedade que gi- 0t,w amrW8.
------------------------ t)u-------------------------jrava sob a razao de Villaca Irmao & Andrade; Vendem-se uns ornamentos completos qnasi
A n. \), ficando a cargo dos socios, Manoel dos Sanios Vil- novos para o padre celebrar missa : quem prc-
Noca loja dos barataros, ra do Queimado. |a(>a e j0St os Santos Villaca, que continuam no tender, na ra do Livramcnto n. 20 achara com
Paletots de merino setim, fazenda de custo de ,llPsmo genero de negocio, sobre a firma social de, quem tratar.
205 por
da mesma
branco lona, vara a 640; brim de cores para cal-1 sociedade, c complebmentc exonerado o socio Joa-
Oa, covado a 480 rs.; camisas com peitos de fstao, 1 (.uim jose os Santos Andrade, de qualquer res-
a 1^600; chapeos de sol de alpaca, a :i500. j ponsabilidade pelas -transaccoes at aipiella dala
i elTectuadas.
neeife 7 de agosto de 1863.
Manar! 1I0* Sanio* Vtllara.
Jos dos Santos VillaQa.
Joaquim Jos dos Santos Andiade
Ao n. 29.
totNM lujii ha barateirot, ra do Quei+aido.
ara acabar.
Bicos preto de linho, vara a 120, 160, 240 e 320
rs.; ricas franjas e trancas pretas e de cores, vara
a 120,160 e 200 rs.; trancas e galoes de 15a e de
algodao, pecas de 10 e lo varas, a 200 e 400 rs.;
froco fino c'grosso, peca a 160 rs.; vestidinhos de
cambraia bordados, para baptismo, a 2 Vende-se a armacao da taberna da ra do
i Mondego n. 97 : a tratar na ra do Sebo n. 34
taberna.___________________________
- Vendem-se 4 moloques : na ra
6 4, segundo andar.__________
Direila n.
________
- Aluga-se a casa terrea da ra Imperial
os pretendemos dirjam-se Caixa Filial.
A U II ORA
' h; h
LARGO DA
BRILHANTE,
SAMA CUl/.
.V1 grande abastado armazem denominado AURORA BRILHAXTE ha sempre um
grande soniment de gneros sempre novos e por procos os mais commodos possiveis, como
ahaixo expomos:
11.
3 ClSlIi'Sil!^ js|(i'5iijja[ jQijiMt iHi'iSii
Preasa-se de una ama de leiie, Hj
vj& mas que U'iiha, quando muito ate 6 sg
|j mezes decorridos na criago de que g
I se ade eocarregada: na ra estrella n
H do Rosario n. 31,3o andar, por cima Wt
{^ do anna/.em de trastes do Sr. Mo- ^
Alnga-se o segundo andar do sobrado n. 37
da roa 1I0 Imperador ; a tratar na mesma ra, ar-
mazem n. 41.
igiliel i]9lg[{ i[ii!=!J i|3!
Maques sobre Portugal.
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta cidade, saca ef-
ectivamente por todos os paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
ipialquer somma, vista e a prazo, po-
dendo logo os saques a prazo serem des-
contados no mesmo banco, na razao de 4
por cento ao anno aos portadores que as-
sim Ihe convier : as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 81.
Joaquim da Silva Castro.
Qiieljus tic inantelga.
Chegou ao armazem da aurora brilhante. largo
Sania Cruz n. 84, nova rcmessa de queijos do Se-
rid muito frescaes, assim como farinha em sac-
eos grandes muito lina, saceos com inillio e farello
de Lisboa c arroz de easca.
A' 44U rcis a garrafa-
Do melhor gaz liquido americano sem garrafa
440 e com ella 460 rs, em rasa doCoslinha 110 pa-
teo do Carmo, de preasa que por este preco dura
pouco lempo.
Vende-se ou arrenda-sc o grande sitio deno-
minado Caianna, na freguezia da Varzea, de muito
boas trras por serem de grande prod ucean, com
nina casa de taipa ja coberta, bastantes"ps de
laranjeiras, Coipieiros, cafezeiros o ouiras Inicias,
a tralar na ra do Hospicio n. 23, na mesma rasa
ha para alugar no andar terreo quatro grandes
Aluga-se um moleque de^ 16 annos: na ra quartos, sendo dous na fenle e dous da parte de
das Aguas Verde n. 92.
- Arreii lano siin un coinrca il< Cabo, t m
esta proprtedadM excelletes tr-
ras pura i.laia oes deennnas, ro-
---------_ %ns, ele muid por xgna o dHta
Aluga-se a loja do sobrado n. 1 do pateo do ; da estafa. da va frrea apenas
Queijos de manteiga muito frescaes a
libra.............................. 610
Dito do Reino novos a 2-1 ecoberlos a 2-S3O0
Hito ile prato a libra .............. 720
Saceos grandes com farinha com 24
cuias igual a de mandioca........ 65000
Djlas mais grossa a................ 35300
Ditas com 100 libras de farello de Lis-
boa a 45500 c.................. S|000
Ditos com 23 cuias de 'arroz de casia
45000
Dito bysson verde a................ 25800
Ditogrado mais muito bom a 25400 e 25360
muito graiidoa...........
Ditos com inilho a 35-">00 e___
Caixas com charutos finos com algum
(oro a 500 e.............
Dlas com dito lino sem furo a
Manteiga ingleza verdadeira
720 e......................
Di la mais abaixo a............
Dita franceza nova em barris se
ahatimento a...................
DiUi hollandeza (o melhor neste gene-
ro a..........................
Cha perola o melhor que vem ao mer-
cado a libra.................... 3521X1
DfTo hvsson miudinho que raras vezes
vem ao mercado a.............. 35200
Ue..
Ilor a
far
65000
150 35500
800
640
580
640
Dito preto em macos a..............
Dito do Rioem latas a 15330,15600 e
Massas para sopa, alelra, lalharm,
inaearrao, eslrelnha e pevide a-----
Paseas novas em quartos de caixas a
libra a.........................
15600
15800
480
ara e
sevadioha a libra..
Dito uxim muito superior a......... 25880
Os Sis. donos de taberna de fora acliarao no armazem da Aurora
ment proprio tiara seus estabelecimenlos por procos commodos.
Caf do Rio nimio bom arroba 85800
65300 e libra 280 e..............
Dito do Ceari saceos pequeos arroba
95300 e libra....................
Dores em caldas, seco, finetas em cal-
da e secas para diversos procos
Alpisla arroba .45800 e libra........
Caixas com 2 arrobas de btalas novas
a 25 e libra a...................
Sabao massa a 120.160, 200 e.......
Farinha de tapioca a libra 140 e.....
Gomina muito alva e nova arroba
25300 e libra....................
Dita propria para gradea 6 bolos arro-
lla 15800 c libra.................
Arroz da India muito gratido arroba a 35200
Molhos de sebalas novas a........... 800
Carne do sol verdadeira do Serid a. 320
Brilhante um sorti-
300
320
160
60
240
160
100
60
Terco : a fallar na ra Direila, casa n. 6.
1JS2 Joan da Silva Ramos, medico pela I 111- fjj]
,3 versidade de Coimbra, d consultas em 8g
i sua casa, na ra Nova n. 30, das 8 s 10 g
horas da manhaa, e das 4 s 6 da tarde, e
recebe egnalmeote convites para dentro
ou fra da cidade, com o fin de se encar-
regar de qualquer servico de sua profis-
so.
Os chamados derorio vir por escripto.
Fai'iaha
de superior qualidade, a melhor do mercado, a bor-
do do brigue Imperador : a tratar com Manoel
Barbosa Ribeiro, ra da Madre de Dos n. 12.
detrac; e um moleque para lodo servico de una
casa, muito esperto, fiel e sem vicios d qoaudade
al guia.
Boa compra.
Vende-se um carro de dous asenlos, forrado de
novo c em muito bom estado, com urna parelna
de cavallos, por mu preco rasoavel: na ra do
Queimado n. 10 primciro andar, irata-se da
Minia.
ini: l*{ua : quem o pretender nja-se casa d fall cid neo > rae 11-
' des.
Agencia ijcral das provincias no Itio de Janeiro.
Antonio Francisco Bandeira, estabeleeido ha lon-
gos annos no Bio de Janeiro, cncarrega-sc por si
e por pessoas que para isso tffm habilitadas, de
procurar o andamento e realisago de lodos e
quaesquer negocios commcrciaes, vis, ecclesias- G7, a 00 rs. a libra, e de 8 libras para cima
ticos e administrativos. O annnnciante offerecen- a ">->(500 aai'i'oba.
do ao respeilavel publico d^sla provincia os seus -------------------'-----------------------------------------
bous officios, garanle-llie zelo, aetividade e dis-1 Vende-se urna boa preta com idade de 30
cripi-o : qualquer jiessoa que queira utilisar-se anuos, pouco mais ou menos, cozuilia e engonuna
dos serviros do annuncianle, pode dirigir-se-lhe perfeitamente, e da-sc para esperimeiilar, a figura
directamente por carta. Rio de Janeiro 22 de ju- ao boa, porem e una boa escrava para o serv
lhode 1863. JO de qualquer casa : na ra do Queimado, loja
Vende-se
Piche no armazem da bola amarella da ruado
Imperador.
Assucar do Monteiro
Ra do Imperador rr. 28 e caes de Apollo n.
10 .UULUEM DE UBs*H UHtB
DE
MAXTOf COELHt
Rud*Qeisaa4aalt.
UndewW|i|i(f.
CoberU
c hita da India, a 2:ooo rs
Leafea e psane
de liuho, a 2:00o rs.
i.enees ale braataaMe
de liuho, de um panno s, a 2:8oo rs
Tealhas alceefcMdat
paramo, pelo baratissirao prero de 5:ooo
rs. a duzia.
de seda para meninas, plo barat^smao pre-
fo de l:ooo rs.
Lra{M e seda
pelo barato preco de l:ooo rs.
>aias delMlit
pelo baratissimo pgajsa de Mm ,<
Leneae de easabn
branros finos, projtrios para a^iU-ira ta
a 1:80o e 2:ooors.
Lenree de rassa
finissimos, propiios para algilwira. psJi k.
ratissimo pnro de 2: too rs. a ihizia.
Cortes > caifa
de ganga amarella, de listas e de piatli
fazenda superior, pelo baratsimo ptvn. ,1^
1:2oo rs. o corte.
Pecas ale a|j
largo superior, paja) baralissiano prr? l
8:000 rs.
Peras ele brrtassha
do rolo rom lo varas, pelo lanito prero Je
3:2oo rs.
Prcas ir tmkrm
de salpieos, fina, com 8 I 2 varas, nei hav
rato preco de 4:imjo rs.
com 8 palmos de largura proprio pora Isav
Iba de meza, a 2:5oo rs. a vara.
TmIIum
de linho para meza, a 3:ooo rs.
Barrer
de limlos L,'itus, pafaj Intrato pret-o ile WV:
rs. o covado.
Ldrira da lad
propria para fono de sala, k i, 5 eCssd-
mos de largura.
MO VORI VAL
LOJA DE MIUDEZAS
Ruado Quema'to n 16.
Massinhos com 27 granipas -..rudas an.
Caixinhas com >lita- a O SO r.
Pecas de tranca de lia hs eaeamia a *>r-
Ditas de dita de caracul de laa k* rares it>i-.
Ditas de dita de caracol braiira aMn.
Ditas de dita de caracul m<.-srbda a Mr<
Ditas de fila trancada para debrusa a 8 U-:
160 rs. ^
Fitas e conloes para enfiar eupartilb a a, S *.
120 rs.
CafaaadsM esa 18 pares de *-* a -.
Wrs.
Cartoea com li pares de dtas aMn.
Ditos com i-; pares d ditos a it, We MSn.
Pares de luvas de montara pera tuna ata
e IjOOO.
Ditos de dilas de -.da para M-Mbura itHt U.
Dilos de ditas de Escocia para ji.niara a W
iOOrs.
Pecas com I "i varas de franja para rortinadna
UoS.
Vara de franja de seda preta c de cores a V*,
600 e 800 rs.
Dita de tranca grega de seda em caracol a i,
WO e 600 rs. '
Dita de h-os rendas l.rancu* e ftr*** a W
IV c *oo r?.
Dita de galoes luancos lavratbts a l*)e HSr-.
Oitava de relroz pret.....I: crr* a I til) r-.
lacovas fiara d.iitc a 160 e \ttt rs
(Iravatas de seda iivl.'ina- iV ''*
UsMbseaneUas para meninas < nabas i l'*'
c 35000.
Duzia de cai\as ile phos|hon>i a 160 rs.
IVules de alar cabello a 0 ICO
Caixinnaada lasnnnrsnni para -.-i- mrzra><*r-
Resma da p.i|M-| lmaco li-<. a 4->"
Dita de papel de peso'paulail-i a 3->ion
Cahnha rom lo anvetenei a soors. t i-i.
Dita de lacre a Me W>m
Dita de obreias de massa < de rnta a S*e
120 rs.
Din de pennas de lauca uJiicas a -.
15200.
Prasqninhoseora linta aznl
l.apis azueseencarnado .i lii r.
Duzia de lapis de BO a NO I M i -.
Dita de facas irai los branc>M e penan
Massosde palitos livador i*t.
Tesonras diversas a 89, !*>. M *>
Ditas (fraudes de Giiim
e i-v
Atacadores de cornalina para pataui a 3BJ.
Duzia ile canudos de |>mada sn Nata | W.
Frasco de macassar |t Dito de l'at.-lioh a 989rt.
Hitos grandes com agua de '! >i i -"ti
ni-.
Hito- com estrados fem I
Ditos cea nansa 9nanann999c i.
falcadeirai de ehifre a 120 rs.
i: amitos outros objeeto*, indo nnrato.

Joao Caetano de .\breu, solicitador dos an-
Heraclio Vespasianno Fiock Romano.compe"
Rita Nova n. 49, onde moroa o Sr. Dr. Buarque, se quizerem matricular as referidas materias,
engenheiro da estrada de ferroj onde sempre acha- podem dirigirse ra do Cabug n. 3, primeiro
rao, das 6 s 9 da manhaa, e das 4 da tarde em andar, das 9 s 11 horas da manhaa, e das 3 as
diante. 0 da tarde.
Nao me sendo possivel permane-
cer em rasa todo o dia para satisfazer
s consullas medicas daqaellesqae me
procnTm, par quanto ten lio durillos
de jninha clnica, a quem devo hdus
cuidados, sn loteado a declarar nova-
mente queso me e permitlid* dar con-
siiltas da$6s )h lasdaraanlia, e, em
casos urgentes, das3 s 4a tarde.
Dr. Joaqnim d'Aqoino Fonseca.
Alnguel.
.- -^uga'!l0 Pr,mei'-o andar do sobrado da rtta
\ ellia n. 20 : a tratar na ra do Sebo n. 24.
DENTISTA DE PARS
19Ra wn-ll
Frcderico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sua arle, e col-
loca dentes artiliciaes. ludo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
O abaixo assignado, testamenteiro do falleci-
do Fortunato (lardoso de Gouveia,lendo chamado j
por esle jornal as pessoas que lhe cram devedoras,
e lendo muito poucas apprecido, faz o presente,
afim de evitar de serem chamadas por seus nomes,
I o que o abaixo assignado est resolvido : os que
nao quizerem pasear por esse dissabor, dirijam-se
ra da Cruz n. 60.
Joaquim Lopes de Almeida.
Aluga-se toda a casa sita na ra lio
Queimado, n. 7, muito propria para loja
de fazendas ou outro qualquer estabeleci-
mento: a tralar na ra da Cadeia, loja,
n. 32.
O Dr. Veilozo, medico, contina a resi-
dir na ra Bella n. 37, primeiro andar,
aonde poder ser procurado para objeclo
de sua prolissao.
Trata especialmente das molestias dos
orgaos respiratorios e das vas genito ou-
rinarias.
D consultas em sua casa, gratis aos
res.
MUDANCA.
ATTEUpAO.
Pede-se ao Sr. Jos Gomes Pessoa de Al-
buqurque, dono do engenho Tabatinga, o
favor de vir ou mandar ra Nova, n. 32,
tralar de negocio que nao ignora.
de iniudezas da boa fama n. 3".
----------(-
Cal a mais nova do mercado
19, primejro andar.
Lisboa
na rea do Vigario n.
Vende-se urna mulata de idade de Si annos
pouco maisou menos, tendo as habilidades seguin-
tcs : sabe bem engommar c cosinha o diario di
I urna casa, lava muito bem, fiel, nao tem vicios
SO CO'lll'ulBlCtO nem achaques e vende-se por preco commodo pre-
Joaquim Jos dos Santos Andrade faz sciente ao'. frindo-sc vender para fora da provincia ou mes-
publico
sado
cial que
mo & Andrade, ficando ao cargo d'aquelle o so-
bre sua immediata responsabilidade o activo e
passivo da mesma firma social,
to de 186&
perto da ri-
o comprador:
Antonio Ledo
se dir.
- Vende-se um grande terreno cora cercado, e
Recife 7 de agos- ptimo para fazer-sc um excellente sitio em Jaboa-
tao a margem da estrada da Victoria e contiguo a
povoacao de Santo Amaro, contendo igualmente
terreno para plantario : quem a pretender para
tratar, dirija-se nesta cidade ao terceiro andar da
casa n. 46 da ra do Imperador.
mm
Aluga-se para alguma casa eslrangeira urna boa
escrava que cose c engomma perfeitamente, e co-
zinha alguma cousa; podendo confiar-se dellao
governo interno de urna casa, para o que pode dar
- Henrich Casjel. Cliristiane Fridrichs, Eliso
Haas, Marie Huffnagel, vo para o norte.
Quem precisar de urna ama do leiin poder
procurar na casa n. 1 do quartel do Hospicio nara
>Uaote defronte da casa do Sr. desenibargador f
Alugam-sc a loja do sobrado n. 193 e armazem
n. 171 da ra Imperial, o armazem n. 4 da roa do
Apollo, e a casa n. 27 da rita do Burgos: na ajan
da Aurora n. 36.______________________________
QiSas para alugar.
Alugam w tu casas ns. 6 e 18 da ra da Con-
quista /Sojedade): a tratarla ruado Sebo n. 'i,
latrn.
Os abaixo assignados fazem sciente ao res-
peilavel publico, que compraram a taberna de
Luiz de Pinho Tavares, na ra do Cordoniz n. 3,
se alguem se julgar credor da dita casa comparc-
ca na data de tres dias. que sabir este annuncio,
depois nao sero os abaixo assignados responsaveis
por qualquer divida que apareca.
lVrnambuco, 10 de agosto de 186:1.
Joo Luiz dos Santos & C.
Os liquidalarios da massa de Jos Antonio
Basto convidaw os ere dores da mesma a apresen-
M-em seus titiles at 20 do crreme as casas
roa do JTapichc ii. -1 i, para se preceder a respec-
tiva verigeacio. Rrcifc 8 de agosto de I80J.
nillio. arroz e farinha.
Vendem-se saecas com milho, dilas com farinha
de mandioca, ditas de arroz com casca, a bordo da
SacaT a tallar Iw^laT^d VoanoiL 26, barcaca%H loja de louca.
PEDE-SE.
pessoa em cujo poder existir urna letra
deada'flb caes do Ramos : a tratar a bordo, ou na
ra Direita n. 69, padaria de Antonio Alves de Mi
randa Guimaraes.
de I Vende-se superior carne do
duzentos mil ris vencida em 7 de agosto do anno para a boa feijoada e frigideira :
prximo passado, saccada pelo Dr. Borges Carnet- gario n. 13.
ro, descontada por Camargo & Silva, fallidos, diri-
ja-se ra da Iinperatriz n. 67, que ser imme-
diatamente pago, o que j se nao tem feito, ha
mais tonino, por se nao achar a dita letra em po-
der dos curadores daquella massa.
eertno propria
na ra do Vi-
Alugiiel de casa.
Aluga-se o segundo andar e sotao do sobrado
n. 25 da ra estreita do Rosario, com grandes com-
modos para familia; a tratar no caes do Ramos
n. 2.__________________^______________________|
- Precisa-se de urna ama para ajndar a andar
com orlancas: na ra Nova, loja n. 7.
Vcntlem-c caixoes vazios prn-
prios para bahnleiros a I 280, na rna
das Crozes n 44.
Ailmirem as las baratas.
Superiores las de cores de quadrinhos e
lisas, Qngindo sedinhas de duas larguras,
pelo baratissimo preco de 300 rs. o cova-
do : na loja das columnas ra do Crespo n.
13, de Antonio Correa Yasconcellos C.
Un
i|hV
101)
V20
ftt
O rival sem se^undu inudou.....u ftrnV-'
locimeiito do n. H navnn n. \9 da
na e contina n venoerena bnlas
as miudizas ali.iixu
arontnT Mal alternan:
Salionelis injlezi's muitn lin-'s i
100 o.........
Frasco il'agua de ridunia |Min>;-
no muito lino......
Dito dito grande miiilosnpmor. .
Frisos de macassar pernla a. .
Dilos de macai oleo a. .
Frascos de ole. Barbosa a iiO.
St...... .
Dilo dito muito superior a 500 e .
Dito de lianlia muito lino a lOt e .
Frascos de La vande muito superior.
Garrafas dagiui cel'.- muito sl-
portor a. ... ... .
Frascos de cheiro muito lino
500 e.........
Ditos de banha pequeos muito fina.
Dito de opiata pequeos. .
Tnesouras muito linas para untos.
Gravatas de seda de eaaji .
Luvas brancas de ateodo .
Caivetes de 2 folhas muito fino*.
Caixas de colxetes franceies e car-
toes .........
Grampos de caracol e lisos. .
Caixas de vidro rom I i dedacaete
metal.........
Massode palitos lixadospnradealfj.
Grosas de botes de ac para catra.
Caixas com 6 irascos de ebeiro. .
Escovas para cabello muito Anas .
Carteiras de marroquim muito fiaos.
Pecas de tranca lisa encarnada. .
Tinteiros com tinta muito snperior.
Ditos de vidro com tinta
ferior.......
Cartas de alfinetes francezes
Cometas de ehifre para
50O
I 411.
JOO
te
^ m j^
i


-*(
I '"
PUrl de Per^yiifcwco ajuar ia feira 1 de Agoat de 18 *
)
A
I
Alpaklin on gorguro de Uuho,
a940 rs., so no Iavuo.
Vendcm-se alpakim ou gorgorito de lnho
! proprio para vestidos e roupas de crianca,
! pelo barato preco de 240 rs. o covado: s
Neste estabelecimento acha-se constante- J na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavao.
mente un grande sortimento de fazendas
NOVA EXPSITO
na loja do Pavio, de fazendas bara-
ssimas.


**
Os manguitos e golinhas do
Pavao.
pechiucha, a 320 e a 400 rs.
Vendem-se golinhas de tilo, bordadas, a
400 rs.; ditas de cambraia, a 320 rs.; cal-
cinitas para meninas, a 500 rs.; manguitos,
a 500 rs.; manguitos com golinha, a 800
reis; manguitos de cambraia, a 320 rs.: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pav3o.
LSazInhas a OO rs. o covado.
Na loja do Pavo.
Vende-se lazinhas de cordaozlnho de urna s
cor, sendo azul claro, azul escuro, ferrete, cor de
caf claro e escuro, alvadio, roxinhas proprias pa-
ra luto, sendo fazenda que val milito mais dinhei-
ro vende-se poto diminuto preco de 200 rs. : s na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Com 8 1/2 varas, a 2:300 rs. u-ude o Pavio.
Pecas de cambraia transparente com pal-
minhas bordadas de cor, tendo 8 i [2 varas
cada pega, a 20500; ditas mais linas, a
3(51500; pecas de cambraia de salpico bran-
co com 8 1 |2 varas, a 40: s na ra da
Imperatriz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Novas casemiras a 2$600 o corle na
loja do Pavo,
Acaba de chegar um grande sortimento de ca-
semira enfestada sendo propria para paletot, cal-
" "*''0 '"'" os mowerno *c- <.as e collotes, capas para senhera e roupa para
Hilos a balo. meninos sendo de todas as cores claras, escuras,
, lisas e raescladas : vende-se a 25600 o corte para
com barras a Mana Pa, sendo os mais caica ou a ijSOO o covado por haver grande por-
modernos que que tem viudo ao mercado, ciio, ist0 s na ra da Imperatriz n. 60 loja e arma-
com a saia de um s panno, tendo, bastante zem Pavao-
de gosto e de jirjmeira necessidade, sendo
tanto proprias para" a praca, como para o
mato ; de todas as fazendas d5o-se Ivtos de
amostras, deixando flear penhor, ou man-
dam-se levar -om casa das familias pelos ca-
xeiros da loja do Pavio.
LSas com 8 palmos de largura,
na loja do Pavo.
Vendem-se laazinha enfestada propria para
vestidos, com 8 palmos de largura, sendo
fazenda mais moderna que tem vindo ao
mercado pelo baratissimo^ preco de 1)51600 o
covado: s na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
Cassas a 900 rs. o covado.
Vendem-se cassas francezas de padroes
miudinhose cores flxaspelo barato preco de
200 rs. o covado; ditas finas a 340 e 320
rs. o covado: s na ra da Imperatriz n. 60,
loja do Pavao.
Organdy. a t40 rs. o covado.
na loja do Pavao.
Vendem-se organdy de cores raatisado, fa-
zenda que val muito mais dinheiro, pelo ba-
rato preco de 240 rs. o covado ou 400 rs. a
vara : s na ra da Imperatriz n. 60, loja
lio Pavao.
ENFEITES PARA SENHORAS
CHEGADOS PELO YiPOR
S para Vigilante na do Crespo n. 7.
So chegados os novissimos e riquissimos en-
feites para cabeca, pois com a vista nao ha-
ver senhora que deixe de comprar um bo-
nito enfeite: s no Vigilante ra do Crespo
n. 7.
Linas de pelica.
Tambem chegaram neste mesmo vapor um
completo sortimento de luvas dejouvin
brancas c de todas as cores; tanto para ho-
mens como para senhoras: s no Vigilante
ra do Crespo n. 7.
Perfumes.
fazenda para o corpo, e vende-se pelo barato
preco de 30500 cada um: esta pechincha
s existe na ra da Imperatriz n. 60, loja e
armazem do Pavo.
\ova peehlneha de ISas enlosla-
das a 400 rs. o covado.
S 0 Pi9.
Vendem-se lazinhas Cnfestadas transparentes
com delidados padroes sendo de urna s cor com
listras e quadrinhos o vendem-se a 400 rs. o cova-
do : na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de
tiama & Silva.
Cortes d cambraia, a *#50.
na loja do Pavo.
Vendem-se cortes de cambraia brancoscom
babados, a 205OO; ditos, a 4;); ditos com
barras e babados de seda, a 30, 30500 e 40;
s na ra da Imperatriz n. 60, loja e arma-
zem do Pavo.
Cortes de cambraia chineza, a
4, na loja do Pavo.
. Vendem-se ricos cortes de cambraia chine-
za, os mais modernos que tem ehegado, sen-
do brancas com lindissimos padroes, pelo ba-
rato preco de 40 cada corte, tendo bastante
fazenda para um vestido: isto s na ra da
Imperatriz n. <60, loja e armazem do Pavo.
Baloes a 3500, s o Pavo.
Vendem-se -baloes americanos que sao os
-memores, tendo 20 arcos, a 30500; ditos
le 30, a 40500; ditos de 40, a 5,$ ; ditos
de bramante, a 35300 e 4*; (Vitos para me-
ninas, a 25 e a 30: s na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Cortes de chita, a 9#5 loja do Pavo.
Vendem-se cortes de chita esm 12 1|2 co-
vados cada um, a 25500; ditos com 10 cova-
los, a 25; cortes de .cassa miudinha de co-
res :fixas com 10 covados, a 25; ditos de
argandy mathisado eom 10 covados, ^i
>400 : na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
As asentirs do Pavo pechiu-
cha a 5JJ.
Vendem-se cortes de casimira francesa para
calca, fazenda muito fina, padroes claros e
escaros, a 55 o corte: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60.
s na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
FiislSo do PavSo.
Vendem-se fusto com lavr miudinlio
para roupa de meninos, a 320 rs. o covado ;
brim de linlio de quadrinhos para roupa de
iKiiinos, a 560 rs. o covado; ganguclim
le urna s cor, a 320 rs. o covado; popelina
ile la, de quadrinhos encarnados e pretos,
para vestidos de senhoras e roupa de meni-
nos, a 15 o covado: s na na da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Os paletots de Pavo, assobrasacada a 12:000 rs,
Vendem-sepaletots de panno, sobrecasacas
de panno preto muito bom e muito bem
l'eitas, a 125: sobrecasacos de dito, a 145;
paletots sacos de dito, a 75; calcas de cache-
mira da Eseossia, a 35 ; ditas de casemira
preta, a 55; ditas de casemira de cor, muito
lina,'a 75 e a 55500; coletos de casemira de
eflr e preta; paletot de casemira de cor,
a 75; tudo isto para apurar dinheiro:
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Cortes de earhemira da Escocia, a 2:000, na
loja do Pavio.
Vendem-se esta nova fazenda muito encor-
pada imitaco de casemira, tendo padroes
escuros e alegres, affcncando-se que nao des-
bota, a 25 o corte paja calca, ou 580 rs. o co-
vado para paletot, coleto etc.: s na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
Fazendas brancas, na loja do
Pavo.
Vendcm-se pecas de madapolo enfestado,
francez, com 20 varas, a 85; ditas com 12
ardas, a 45; dito inglez muito fino, a 75,
75500 e80; ditos muito superior, a 105;
ditos de 40 jardas muito fino, a 45800 e a
55600; algodozinho muito encorpado, a
4,5800, 55500 e 65; bretanha com 4 pal-
mos de largura, muito fina, a 15 avara;
pecas de cassa de cordo para babados, com
6 varas, a 35500; ditas com 12 varas, a 75:
Peehlneha, *+ rs. o covado.
o Pavio.
Vendem-se as mais modernas lazinhas
enfestadas, transparente, tendo 4 palmos de
largura, e sendo lizas e de quadrinhos, de
urna s cor, propria para vestidos e capa9,
a 500 rs. o covado: s na toja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
O Pavo vende a :* c :i.f r>oo
cortes de la, a 35 e 35500; ditos com 22
covados, a 55: s na ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavo.
GRANDE LIQUIDACAO
de fazendas para apurar dinheiro, por
baratissiiuo preco na loja e arnia-
zem da Arara ra da Imperatriz n.
56 de Lonrcnco Pereira Alendes
Gnimares.
ALERTA FREffl EZES, 200 RES.
Vendem-se lazinhas com pequeo toque de
mofo para vestido a 200 rs. o covado, meias
para meninos a 100 rs. o par, ditas para ho-
mens a 120 rs., lencos brancos finos a 200
rs. cada um; na loja da arara ra da Impe-
ratriz n. 56.
Arara vende vestido de chita a
30OOO.
Vendem-se cortes de chitas escuras com to-
que de mofo a 25000, ditas limpas sem
mofo a 25500 e 35000, cortes de cassa de
cores de barras a 25000, ditas de cassa pin-
tadas a 25000; na ra da Imperatriz n. 56 de
Mendes Guimares.
Organdys da Arara a lo.
Vendem-se organdys finos para vestidos a
*40 rs. o covado, cassas finas a 240 rs. o
covado, popelina de^uadrinhos para vesti-
dos a 280 rs. o covado; na ra da Imperatriz
arara n. 56 de Mendes Guimares.
Arara vende as lazinhas dos
vestidos.
Vendem-se lazinhas muito finas e lindos
dezenhos a 100, 440, 500 e 640 rs. o cova-
do, chaly muito fino a 500 rs. o covado; na
ra da Imperatriz n. 56 arara de .Mendes
Guimares.
Roupa fcita da arara.
Vende-se costumescompletosd'umafazenda
chineza por 125 ocostume, paletots de brim
a 25500 e 35000, ditos de meia casemira
escura a i? e .->500, paletots finos a 64300
e 85000, calcas de meia casemira a 35000,
ditas linas 55500 e 65000, ditas de brim a
25500 e 35000, ditas de brim banco a 5,
casemiras francezas a 15600 e 25000, ditas
finas a 25500, ditas de Iinho a 35000, ce-
rotilas francezas a 15600, camisas de meia a
800 c 15000; na loja da ai ara ra da lmpe-1
ratriz n. 56 de Mendes Guimares.
ntremelos ^a arara.
Vendem.-se pocas deentremeios transparen-
tes a 15, tiras bordadas de largura de 3 a 4
dedos a 15280 e 15000 a peca, cortes de la
Maria Pia a 45, ditas de la chineza com
22 covados a 85, ditos de organdys com 15
varas a85r ditos com 9 varas a 65500; na ra
da Imperatriz n. 56, arara de Mendes Gui-
mariles.
Baloes da arara de O IO
arcos.
Vendem-se os melhores baloes que tem
vindo americanos de .20, 25, 30, 35 -e
40 arcos, a 45, 45500'el15, ditos de ma-
4{^-B\7A DIREITA-45
Eia, rapasiada, coragem! parece queja
entregastes os vossos joanetos aos duros sei-
xos do pessimo calcamento da nossa cidade 1
S se observa em vossos Cf botinas acalca-
nhadas e gastas at ultima sola; sapatoos
rasgados e quasi sem saltos nem tanto 1
a quebradeira nao deve chegar at este pon-
to Vinde ra Direita munir-vos de excel-
lente calcado com 40 e at 60 por cento
menos do seu valor.... attendei:
ARMAZEM DE MOLIIADOS
sanoe\
dapolo bem feitos a 35500 e 45, ditos de
biilhantina a 45500, baloessaias de cordo.Borzegums, Nantos, bezerro e va-
que faz a vez de balo a 25; na ra da Impera-1 qaeta 2 emea_ solas .
triz arara n. 56. Borzegums, Nantes, bezerro, va-
85500
80000
queta e lustre 2 solas.
Borzeguins, francez e hamburguez,
bezerro, lustre e couro de por-
co 75 e........
Sapates, Nantos, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas.....55500
Sapates, Nantos, vaqueta, lustre c
bezerro 2 solas......
Sapates, Nantos, sola e vira. .
Ditos para menina, comlaco. .
Ditos de ditas, de cores. .
Sapatos para senhora e homem,
tapete.........
Sapatos de borracha para senhora.
dem idem para meninas. .
Sapatos de lustre para senhora. .
dem de lustre s avessas .
65000
53000
45000
35500
25800
800
15400
15000
15000
500
Tambem chegou um completo sortimento de
perfumaras dos fabricautes mais afamados
sendo de Luvin, Cudr e Piver; sendo
extractos essencios de todas as qualidades,
pomadas, banhas, sabonetes, agua de Co-
lonia, vinagre virginal da sociedade hygieni-
ca, agua florida, agua balsmica para den-
tes, frasquinhos com superiores pos para
dentes, caixinhas com um frasco dagua,
pos e todos os preparos para limpar den-
tes, olos de todas as qualidades para ca- i
bellos, e outras muitas cousas mais: s no
Vigilante ra do Crespo n. 7.
Tesoaras e caivetes.
Tambem chegaram um completo sortimento
de tesouras "dos mais afamados fabricantes,
tanto para unhas como para costuras, ras-
padeiras para papel, caivetes de maqui-
na, facas de um e dous botoes, tudo do
mais superior que se pode encontrar: s
no Vigilante ra do Crespo n. 7.
Um confeilo e especifico para
expellir os Vermes.
^a |
(* < C6
;ae
m 0
** * fl
ce g
=. * 3
a es
.-3 Vi 0
& 99 < p
(c*
O V. g
Crf
ce Q
^J
UO.
&)
a
%
H
H
&
>
ql MltVU LER.
Tendo o BALIZA dadoo-seu balanco no ultimo dejunhopas>ado, e ilcsejando ro-
novaro magnifico sortimento de seu GRANDE ARMAZEM, chama pelo presante a
attencSo (lo respeitavel publico para os procos dos gneros abaixo mencionad*w, qne e
verdade sao os mais razoaveis que se pdem achar, atienta a sua boa <|ualidade.
Soldado voluntario do batalhao progressista, o BALIZA o homem do nwvn
mento. Elle pede, pois, aos seus bons (amaradas, que sao todos os nimigos do fiado, o
i favor de nao Ihe darem um minuto de descanco obrigando-o a vender 1 !Desta sorte o BALIZA vivir contente e contentar tambem aos seus freguezes, v.po>a-
jdo-lhes sempre generosamente, e talvez qm ainda por pregos mais lazoavei?
Papel de fantasa.
Tambem chegou um grande sortimento de
papel de fantasa brnco, bordado e lios
douradinho, de lindas cores, assim como
de peso e almaco, assim como muitos ou-
tros objeclos de muito gosto que se torna-
riam enfadonho annunciar, que seus pre-
sos sero por menos do que cm outra
qualquer parte: s no Vigilante ra do
Crespo n. 7.
Volantes e terinas.
Recebeu grande sortimento de volantes, teri-
nas, rondas dounadas e pratcadas, bicos es-
peguelha e gales de todas as larguras,
vendenlo-se tudo por presos baratisimani
principalmente sendo em pecas: s no Vi-
gilante ra do Crespo n. 7,
Itetroz e linlia.
Taral)em chegou um grande sortimento de
retroz do Porto do melhor fabricante; scr-
dr, preto, azul ferrete e cores sortidas, a
14,ooo rs. a libra, linha de miada de Roriz
e cabeca encarnada, que seus procos sero
Iwratissimos: s no Vigilante ra do Ces-'
po n. 7.
Pasf illisis Yeriuifips
DE KEMP.
Os meninoss|cdem gritos, porque
lias sao de cheiro, sabor o cor agradae
veis. A elegancia, a seguridade de Mr
cao, o inoffo.nsivo das
Pastilhas Vermfugas de Kemp
A PATl DA Sl'A
CtafNlsM exclusivamente Vegetal,
sao estas pois as suas melliores e mais
completas de todas as recommendaces
que se po6sa fazer o com justa razo as
colloco na categora d'uin favorito uni-
versal.
A superioridade das
Pastilhas de Eemp
sobre todas as preparaces destinadas
para o mesmo fin devido ^sna sim-
ples composije o seu aroma agrada-
>, Irel c rapidez e infallibilidade com
> ana alcanza a LOMBRIGAS.
venda as boticas de Caors .- Barboza,
Amoixasem frascos devidro, a 1^300.
Ditas em caixinhas com lindas figuras, a
1/200 e 20400.
Ditas em latinhas, a t#400.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra.
! Arroz (Carolina), prmeira qualidade, a 120
j rs. a libra.
! Dito do Maranho, a 120 rs. a libra.
Azeitonas novas de Lisboa e Porto, a I I e
l/200aancoreta.
Azeite doce refinado, a 800 rs. a garrafa.
Dito em barril, a 610 rs. a garrafa.
Dito de carrapato, a 300 rs. a garrafa.
Arroz com casa, a 30 a saca, com 20 cuias
e a 240 rs. a cuia.
Ancoretas americanas de 6 e 12 garrafas,
muito bem fabricadas, a 10 cada urna.
Araruta muito fiua, a 480 rs. a libra.
Batatas em gigos a 1#380 e de 30 a 40 rs. a
libra.
Bolachinhas americanas, a 30 a barrica e
2i0 rs. a libra.
Biscoutinhos inglezos, em latinhas, a -10300.
Biscouto lunch e soda, em latas de 4 a B li-
bras, a 20 a lata.
Banha de porco, a 360 rs. a libra.
Balaios hamburguezes muito lindos, de di-
versos tamanhos e por preco razoavel.
Caf do Rio, a 280 e 300 rs. a libra, om
arroba, a 80200, 80300 c 9/.
Ceblas, a 800 rs. o cento e 10 o mlho.
Cha perola, a 30 a libra.
a libra.
FAZENDAS BARATAS
NA
ffiwa loja de Custodio, ( a retino
t i ompanhla.
27Ra do Queimado27
Para vestido a 260 rs.
Fusta fino francez para vestido de senhora e
meninas a O rs. cada covado.
Cambraia.
lina do Queimado n. 58, loja. de miudezas de! Cambraia organdys muito lina a 240 rs o co-
Jos de Azcvedo Maia e Silva, est vendendo todas i vado,
as mus miada por piceos ijue todos admiram, i Calciuhas
ra da Cruz, e Joo^t C. Bravo A C, ra Idcra hisson, superior, a 20800
da Madre de Dos./ ~------ Wem chumbo, a 20600 a libra.
-----------------. | dem hysson, soffrivil, a 20400 a libra.
dem hysson, menos soffrivol, a 2? a libra,
dem preto, magnifico, a 20 a libra.
SEM SEGUNDO.
Oh! que pecliinclia a >? IO i>.
Vendem-se rhitas francezas escuras com pe-
queo toque de mofo a 240 rs. o covado,
ditas inglezas com pequeo toque de mofo
a 200 rs. o covado, pocas de ditas francezas
com pequeo toque de mofo a 80000, pe-
pas de (lilas inglezas escuras cores fixas com
pequeo toque de mofo com 38 covados a
70500, ellas freguezes antes que se a ca-
bem; na loja da arara ra da Imperatriz n.
36 de Mendes Guimares.
.Madapolo francez entestado a
iftooo.
Vendem-se pecas de madapolo francez fi-
no enfestado com 12 jardas a 40 e 40500,
dito inglezes fino de 24 jardas a 70, 80, 90,
e I0f$000, pecas de algodo encorpado a 40
40500, 30 c 60; na ra da Imperatriz n. 36.
Chitas da arara.
Vendem-se chitas francezas finas a 320,300
e 400 rs. o covado, riscado francez a 280
rs. o covado, aberturas para camisas a 240
rs., ditas de linho brancas a 800 rs. o cova-
do, tarlatana de cores a 400 rs. a vara; na ra
da Imperatriz n. 56.
Cortes de casemira da arara.
Vendem-se cortes de casemira enfestada
escura a 20, cortes de brim para calcas a
10 e 10220; na ra da Imperatriz loja da arara
n. 56 de Mendes Guimares.
Arara vende as eolias.
Vendem-se ricas colxas aveludadas para
cama a 80000, ditas de fusto a 50000, ditas
decidla a 20000, brim de linho e algodo
branco a 800 rs. a vara, dito de linho puro
a 10, 10120, 10280 e 10600 a vara; na loja
da arara ra da Imperatriz 56 de Mendes
Guimares.
Arara vende manguitos a
*#0OO.
Vendem-se manguitos egolinbasdelinhoa
20 o par, golinhas para meninas a 400 rs.,
ditas para senhoras a 400 rs.; na ra da Impe-
ratriz n. 36.
como scjain
Varas de aspaa para fazer baldes. .
f jicas com superiores brelas .
Pares de botoes di' punlios a .
Pares de sapatos de tranca muito finos
a 15440 e..........
Pecas de litas de velludo recortadas com
5 varas a ........
Carias com muito superior papel ann'za-
de e outros a.........
Massos com superiores grampos a, .
Caivetes de aparar penas a. y
Agulheiros eom agulhas a.....
Uuzia de meias brancas para ^pmem,
muito finas a.........
Duzia de meias para senhora, fazenda
fina a............
Cornetas de chil'ie para meninos a .
Esrovaspara limpar denles muito fins .
Baralhos de cartas para vollarele muito
Finas a..........
Ditas portuguezas a 160 e .
Frascos de agua de Colonia muito boa a
400 e............
iDltos de oleo babosa a 240 e.....
Ditos com superior oleo de macar a .
Ditos com superior macaca perola a .
Ditos com superior banha'transparente a
Ditos com superior cheiro a. .
Ditos com superior agua celeste para
cheiro...........
Trancas de algodo brancas e de cores a
Caitas com superiores obreias de colla .
Bolsinbas muito bonitas para guardar di-
nheiro a...........
Grvalas de seda de diversos gostos a .
Tinteiros de vidro com superior tinta a.
Pares de luvas brancas de algodao a. .
Carriteis de linha com 100 jardas, bran-
ca a ............
Filas c cordoes para enliar espartilhos a
Caixas com colchetes francezes superio-
res a............
Cartocs de clcheles francezes a 40, 60 e
Facas e garios cabo branco cravado a .
Ditas de cabo branco cravado a. .
Ditas de balanco milito linas a. .
Tesouras para' cortar, pequeas e finas
a200 e...........
Tesouras para cortar unhas muito final a
para senhora
r>OO.
---------- e meninas, pelo barato proco de
i Caberlas
I de chita chineza a 25000.
1->800 Golinhas
de linho para senhora a 600, 800 e 1 $.
15300
700
40
80
80
15600
3|660
80
200
320
500
Leuccs
Lences de panno de linho finos a i^.
Camisinhas
para senhora, sendo de cambraia a 25.
Pannos
Pannos adamascados para mesa a i5300.
La.
Lazinhas matizadas muito finas para vestido a
440 rs. o covado.
Vestuarios.
Vestuarios para meninas, muito lindos, a 35800.
Cambraia
de linho fina a 55 a vara.
Para luto.
La preta fina, propria para luto, a 300 rs. o co-
vado.
Madapolo
Madapolo fino enfestado, peca a 85, tendo 20
varas.
lotiUIoi
dem preto, menos superior, a 10800 rs. a
libra.
dem preto, soflrivcl, a 10000 rs. a libra.
dem nacional, a 1/800 a libra (em latas).
dem nacional, a 10600, a libra.
Mein nacional, ordinario, a 10 a libra.
Champagne, marca aguia, de superior mu-
lidade-, a 640 rs. a garrafa e 70 o gigo,'
com 12 garrafas. Quem (tersara de be-
ber champagne por tal prego?
300, 800 c 10 o frasco.
Marmelada excedente a 40 rs. a Hm.
Ostras americanas (excedente pt-tneo), Htm
rs. a lata.
Passas a 400 rs. a libra, e em caixas a 8$.
Presuntos de Lamego, a 560 rs. a libra,
dem inglez para fiambre vindo de >f-mmtm
da, a 800 rs. a libra.
dem americano, a 500 rs. a libra.
Peixe de Lisboa Inglaterra e Amerna, pre-
parado conforme a arle de >inha, em la-
tas de 2 a 3 libras, de 10300 ;i MMA
Phosphoros do gaz, a 23O0 a grusa.
Queijos londrinos chegados no ultimo vapor
a 800 rs. a libra,
dem dem chegados no penltimo vapor, a
640 rs. a libra,
dem flamengos chegados no ultimo vapora
20400.
dem idem chegados no penltimo vai**. a
20000.
Sal refinado em vn/.os da \dro. a 600 i
Idem idem em va/os de louoa, a :4K>
Ceneja das melhores marcas que vea ac
mercado, a 4/, 40500, 50, 505OH. r.j *
^ 6/500 a duzia.
Sardinbas de Lisboa preparad;'.- .',. a 640 rs. a lata de grande tamaito.
dem de Nantes, a 380 rs. a latinba.
Sabao massa de 120, lie, Itio. IAO. nOe
240 rs. a libra.
Tinta preta nacional e n-deza. a 64 n a
garrafa, e 240 rs. n boaV
Toucinbo de Lisboa, de mais. SJHH i imo
por 320 rs. a libra.
dem de Santos, a 280 rs. | |jf,n.
dem americano, a 200 rs. a libra,
dem inglez seceo no fumeiro, mellar do i>iie
todos os presuntos, i 0M i>. i
Vassouras americanas muito lindas fa-tn.
a 640 rs. cada urna.
V.'llas de Buenos-A}res OslMHI ir, 16
libras, por 6/.
idem de carnauba e rcmpiniLlo, i MI i >oc
rs. a libra.
Idem do Araiaty, a 500 i s. i l|.ra.
: idem Btearma, i SOO e M6 i-, o mamo.
dem speimicele. a 15 a lil.i.i.
Charutos de-muibis marcas e*a preCos bara- Vi"h" LagriB
800 rs. at
Babia e de
a 800
E MUITO BARATO.
Na ma do Queimado n. 10 loja de Fer-
ro & Maia vende-se laa matisada a 200
rs. o covado, chales de touquim a 6, 7 e
85, ditos de laa c seda a 15800.
tissimos, sendo (pie lia de
40^o cento, viudos do Rio,
Hespanha.
Chocolate suisso de Lisboa e francez,
rs. e 10.
Chouricas e salpicoe, a 640 rs. a libra.
Conservas inglezas, a 800 rs. o frasco.
Ditas fi acezas, a 300 rs. o frasco.
Cognac inglez, a 600, rs. a garrafa c
caada, a 40.
dem engarrafados, a 800 rs.a garrafa.
un
meibor qualidade que boje tem i
mercado em garrafas Inane,
do autor em alto revelo no prop
previne-se aos apreciadores <\w- n"*ie ge-
nero lia boje grande lalsifkarao.
i dem engarrafados, vindo part' .l.-,
pria nula de diversas ip.h
lliores adwgasdo Porto e l.i
cas: Madeira, CamSes, Chamissn. m
sia, Carca\ellos. DmjM da h
tros, e espera-se lodos os lidades, a 800,
10 e 10280 -arrala.
Poces, em lindos vazos de vidro, das fruc- '1''"1 (1" Porto Bausa, a W>
mais esquisitas da Europa, a
10 o
iS, a 500 rs. a lata.
400
80
35200
:5300
320
300
Selliiis imjlezes
chegados casa de Izldoro, Xetto
Cruz n. 2.
1^0^
ra da
No armazem de fazen-
das baratas de Santos
Coelho ra do Quei-
mado n. 19
Vende-se peehineha.
CAMBRAIA LISA.
Peca do cambraia lisa fina com 8 12 varas pelo
baratissimo preco de 45-
ATTMCiO.
Vendem-se ttulos de divida de 5,337,307 rs.,
sendo o principal do debito de Manoel Jos Lele,
logisla, que leve estabelecimento na roa do Quei-
mado com a casa de James Crabtree i C, em li-
quidado, sendo para fechar tontas e logo se an-
nunciar mais ontras dividas: na ra do Trapiche
n. 19.
Farinha de mandioca
em saceos grandes apreeo muito em conta
trapiche do Cunba no Forte do Mattos.
no
Espirito de vluho.
Na ra do Gotovello n. 1 vende-se espirito do
vinho de 38 graos a 240 rs. a garrafa, e em cana-
da a 15600.
Para engenho
Vende-se urna meia moenda de ferro nova com
rodetes de ferro, parafusos, bronzes e todos os
pertences para moagem de caima, assim como 4
taixas de ierro coado de 5, 6 e 7 palmos de bocea
por menos preco que em primelra mo : a tratar
com Antonio Gomes da Cuaba e Silva na ra da
Cadeia do Recife n. 30.
tas
frasco.
Dito de Lisboa, em lata
Dito de goiaba, a 640 e 800 rs. o caixo.
Dito em latas muito proprio para presente,
garante-se sua duraco innalteravel por
mais de anno.
Farinha de Maranho, a 160 rs. a libra.
Dita de trigo, a 140 e 160 rs. a libra.
Fructas francezas de diversas qualidades, em
frascos de vidro, preparadas em alcool,
proprio para podim etc.,. a 10. o frasco.
Gomma do Aracaty, a 100 rs. a libra.
Dita do Aracaty, a 40 rs. a libra.
Grata em latas, a 120 rs. e a duzia, 1/300.
Genebra laranja, cm grandes frascos, a 10.
Genebra ingleza, marca gato, a 10200 o
frasco ou garrafa com rolha de vidro.
Garrafoes vazios, de 640 a 10200 cada um.
Kirsck-wasser, bebida esta de um valor inex-
timavel, em vasos esquisitos, a 10500.
Licores inglezes" e francezes dos melhores
fabricantes, a 500 e 800 rs. a garrafa.
Linguas americanas de grande tamanho (em
calda), al/.
Massas para sopa, em caixinhas com 8 libras.
contendo 5 qualidades, por 30500 a caixa.
Ditas para sopa, estrelinha e pevide, a 560
rs. a libra.
Dita de tomate, a 640 rs. a libra.
Manteiga ingleza em potes de 10 a 16 libras
a 800 rs. a libra.
Idem dita flor a 10 a libra.
Idem de 2a qualidade a 800 rs. a libra,
dem de 3a qualidade a 640 rs. a libra.
Wem para tempeiro a 400 rs. a libra.
dem franceza a 640 rs. a libra, e em bar-
ril por menos.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
Mortasda ingleza em frascos grandes a 800
rs.
dan franceza em frascos glandes a 500 rs.,
Mlhos inglezes dos melhores fabricantes a
dem deLislioa e Kigueira viudo i ;>,.,. lis,
a 26/ de 8 a i) canallas.
Idem do Porto em garrames de t 12 a 5
garrafas, por 0500.
dem da Figueira em gai rafas te i I ,j 8
garrafas, por 2S400.
dem de Lisboa e Figueira de :'.20. 406, 50t
e 560 rs. a garrafa, e em caada ?e tara
abatnenlo.
dem Rordeaux engarrafado, a t>40 m. a
garrafa, em duzia a 7-j5O0.
Vinho do Porto muito lino em ca na 12
garrafas, a 80, 100, 120 e 191 te me-
lhores marcas que vem ao nosso merclo.
Vinagre de Lisboa em ijmnmte de 4 12a
5 garrafas, a 10200 com o garrao.
Avefras a 200 rs. a libra.
Arroz da India a 100 rs. .1 libra.
Biscoutos de Lisboa em latas, mmjmmi para
doentes, a 10500 e 30 a lata.
Batatas a 80 rs. a libra.
Copos lapidados para agua a 60 a duzia.
Chumbo de todas as grossuras a 60 a arro-
ba.
Cal muido de superior qualidade a 440 rs,
a libra.
Fio dt linho muito proprio para amarrar a
480 rs. a libra.
Farinha de trigo em barricas e meias, de to-
das as marcas e qualidades.
Genebra de Hollanda em garra&es coso i
caadas, por 60500 com o garrat*.
dem idem em frasqueiras com f fraacon,
por 6/500.
Manteiga finissima em latas ronlendo 4 fe-
ras liquido, por 4(0800 a lata.
Queijos flamengos a 10600.
Rap princesa do Rio: grosso, meto groan
e lino.
Tainhas das Alagas a 120 o cento, e' li
rs. cada urna.
Vinho branco de Bordeaax fSanttrran a 8#
e 100 a duzia, e 800 a Id a garrafa




i




mmm


Dfartn
de t9*S.
SORTIME1WO DE MOLHADOS.
a.
-a
M
B *

I 1
s
- a
a S
!i
k
e
! e
I
S* 1 P
t a
B v
i I t
o fl
o
B
-
?
v e
i --
S *
1
i
M
i 2 t

il e
5
: t
ova*
2 g 2
S 1
s i
Vinlio empipa: Porto, Figueira cLisfia, a400,
480 e 560 rs. a garrafa, em caada a i800, 34 e
34500 rs., afianca-se este genero conservar-se
perfeitoseisoitomczes, o que raro ser outro
qualquer aflancar.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto, a 14
a garrafa e 104 a caixa, o preeo nao indica a
qualidade deste precioso vinho, porm tambera
nao com imposic5es de proco que se prova ao
respeitave! publico a superior qualidade, este
genero de commuin se manda vir de conta pro-
aria, e por issanodemos vender por menos do
que outro qualquer annunciante.
Vinho do Alto Douro, das marcas mais acreditadas
e especialmente escolhidas por pessoas entendi-
das deste genero, como sejam Cam5es, Duque do
Porto, D. Luiz, Carcavellos, Chamisso & Filho,
Madeira secca, Feitoria, a 900 rs. a garrafa e 94
a caixa com 12 garrafas.
Garrafes com vinho do Porto, mtendo 5 garrafas
por 24500.
Vinho branco de Lisboa, propriopara missa, vindo
j engarrafado de Lisboa, a 640 rs. a garrafa,
dito de barril muito superior, a 500 rs. a garrafa
e 34200 a caada.
Ameixas franeczas em caixinltas de 1 e meia, 2 c 3
libras, elegantemente enfeitadas com diversas es-
tampas na caixa exterior, a 14400,14800,24500
Figos de comadre em bauzinhos defolha, muito
proprios para mimo, a 14600.
dem em caixinhas forradas de papel de differentes
molduras, a 14400.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia e 3 libras
por 14400 e 24600.
Passas de carnadas as mais novas que ha no merca-
do, caixas de 1 arroba a 64, e a retalho a 400 rs.
a libra.
Wassaspara sopa muito novas: pevidee estrellinha.
a 560 rs. a libra.
dem a mais nova que ha no mercado; tal liar un e
aletria. a 560 rs. a libra.
Macarrao, a 320 rs. a libra.
dem o mais novo que ha no mercado: talharim e
aletria, a 560 rs. a libra.
Figos de comadre em caixa de 8 libras muito novos
a 14800 e a retalho a 180 rs. a libra.
Sal inai em latas e em postas hermticamente lacra-
i das, a 800 rs.
Lagostinlias em latas grandes, a 14409*
Savel, corvina, therne, congro, linguado, vezngo.
gors, pescada, peixe espada, preparado pela pri-
meara arte de cozinha, a 14300 a Uta.
Queijos flamengos do ultimo vapor, a 24400.
dem do vapor, passado, a 24200.
dem prato, o mais superior que tem viudo ao mer-
cado, a 740rs. a libra..
Doce da casca da goiaba, caixao grande, a 640 e
800 rs. cada um.
Chourh-as do reino a mais nova do mercado a 640
rs. a libra.
Paios de lonibo. vindos do Porto de casa particular,
a 800 rs-. a libra.
Bolachinhas inglezas a mais nova do mercado a
240 rs. a libra e 34000 a barrica cora urna ar-
roba.
dem de soda de diversas qualidades, a 14400, di-
tas grandes proprias para lanch com o a 6 li-
bras por 24400.
Marmelada imperial do fabricante Abreu ou de ou-
tros muitos conserveiros de Lisboa, era latas de
1 e meia e 2 libras, a 600 rs. a libra.
Ervilhas rancezas, a 500 rs. a lata.
dem portuguezas, a 640 rs. a dita.
Maca de tomates, a 600 rs. a lidra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 e 14 a
libra, neste genero existe sempre aberto dispo-
sicao dos freguezes dous a tres barris de man-
teiga flor, salvo quando por infelicidade aconteca
a faetnra vir composta de segunda e terceira
, qualidade, que para melhor satisfazer aos fre-
guezes torna-se necessario ter mais do que esta
percao de barris abertos, porm antes nos lhe
damos a devida applicacao para tempero, que
venderemos a 320 rs. a libra.
dem franceza a mais nova do mercado, a 680 rs. c
em barril se faz a batimento.
Amendoas confeitadas, a 800 rs. a libra.
Chouricos. mouros vindo de casa particular a 640
rs. a libra.
Farinha do Maranhao muito al va e cheirosa, a 160
rs. a libra.
Avelaas muilo novas, a 220 rs. a libra.
Amendoas de casca mole muito novas a 280 rs. a
libra.
Toucmho do reino a 360 rs. e 104500 rs. a ar-
roba.
Sardinhas de Nantes, a 360 rs. a lata.
Azeite doce de Lisboa, a 640 rs. a garrafa c 44800
a caada.
Vinagre de Lisboa, a 200 rs. a garrafa e 14200 a
caada.
Campagne das marcas mais acreditadas a 80000
e 104000 o gigo, e 800 rs. e 14000 a garrafa.
Cerveja preta da marca Tenent ou XXX, a 44 e
44500 a duzia, e a 400 rs. a garrafa.
dem branca da marca cobrinha ou Tenent, a 44
e 44301 rs. a duzia, e em porcao se faz abat-
ment.
Genebra de Hollanda em garrafes cora 16 garra-
fas, por 645OO rs., aanca-se ser verdadeira.
dem em frasqueira, a 64500 e a 560 rs. o frasco,
dem de botija em barricas eom 4 duzias a 430 rs.
cada urna.
Cevada nova a 120 rs. a libra, e 34500 rs. a ar-
roba.
Macarrao e talharim, a 320 rs. a libra.
Aletria muito fina, a 400 rs. a abra.
Arroz Carolino, muito al ve e grado, a 120 rs. a
libra e a 34200 rs. a arroba.
Gaf do Rio o mais superior que se pode desojar
neste genero, a 320 rs. a libra.
dem idem de segunda e terecira qualidade, a 280
e 300 rs. a libra, e em arroba ou sacco a 84200
e 84400.
Velas de carnauba refinada, a 320 rs. a libra e
104000 a arroba.
dem de spermacet, a 640 rs. a libra-
Chocolate hespanhol a 14, a fibra,
dem francez, a 900 e 14 rs. a libra.
Cha iterla o mais superior do mercado por ser
vindo de encoramenda propria a 24880 rs.
Cha hyson, melhor que se pode desejar neste ge-
ner, a 24500 rs. a libra.
dem de laranja em frascos grandes, a 14200, ga- em nacional em latas de 1, 2 e 3 libras a 14400
rante-se ser verdadeira da Italia.
ris.
dem huxim, a 24200 rs. a libra.
Cha preto homcepathico o mais expeliente que tem
Licor francez de todas as qualidades de fabricantes,! vindo ao morcado, a 24 a libra,
em garrafas brancas de vidro, a 720 e 800 rs. a
Marrasquinho de Zara, a 720 rs. o frasco.
garrafa.
Vinho Bordeaux as melhores qualidades que lem
vindo ao mercado, a 720 e 800 rs. a garrafa, e
em caixa a 74500,84000 e 84200 rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol, a 800 rs.
a garrafa.
Conservas inglezas sortidas ou de urna s qualida-
de e da verdadeira, a 800 rs. o frasco.
Araruta verdadeira, a 320 rs. a libra.
Gomma de engommar muito alva, a 800 rs. a li-
bra.
Palitos do gaz, a 24300 rs. a groza e 20 ris a
caixa.
Toucmho de Lisboa, a 320 rs. a libra e 94500 rs.
a arroba.
Sag muito novo, a 200 rs. a libra.
Cevadinha de Franca, a 160 rs. a libra.
Graixa em latas grandes, a 3_300 a duzia, e 120
rs. cada urna.
Presunto verdadeiro de Lamego em calda de azei-
te, a 560 rs. a libra.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro, obra de
umita duraran e utilidade, a 400 rs.
Charutos de S. Flix do fabricante Furtado de Li-
ma ou de outros muitos fabricantes da Baha, a
24000, 24500, 34OOO, 35200. 34500 e 44000 rs.
a caixa, ou em meias por metade do preeo.
dem Mississipes imperiacs, a 34000 rs.
dem Ypiranga ou Flor do Rio, a 34200 rs.
dem Guasbaras ou Havaneiros, a 24800 rs.
dem Flor da Matta ou Regala imperial, a 24500
ris.
dem Flor do Norte ou Londres imperiaes, a 44000
ris.
dem superiores cm quantidade c de todos os fa-1
bricantes, a 34000, 34500 o 40000 rs. a caixa.

Polassa da Russia.
Vende-se em casa de N. O. Bieber & C,
successores, ra da Cruz n. 4.
Ra da sen/alia Nova n. 42.
Neste cstabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Low
Moor libra a i 20 rs.
Ceblas superiores em resteas, cinco
mil ris o milheiro no Caes da alfandega n.
1. armazem de Tasso & Irmaos.
_________________________________________
A AGOTA BRANCA
Receben pelo ultimo vapor o
seguate:
Bonitas pulseiras.de cabello, coral, e cora-
lina.
Fortes e bonitas ligas de seda para senhoras.
Oulras estrellas para meninas, ou manguitos.
Carteiras com agitas.
Agulhelas para enfiar. e agullias cantfas.
Trancelins e tilas de borradm.
Carriteis com torga! de todas as cores.
Mansos ellos de coral.
Esponjas finas para rosto.
Pontos de tartaruga virados, com taco e
balito.
Enfoites de rede para conservar os cabellos
bem atados.
Aspas e coz para balo.
Fitas com coxetes para vestidos.
TERCOS
o
e coreas de cornalina.
A aguia branca pensando constantemente em
bem servir a toda a sua freguezia, notou que ainda
nao havia feito algum agrado a aquelles que pru-
dente e acertadamente rosando, cumprem dever de
bom christao, c quando reparou essa sua falta,
mandou vir e acaba de receber delicados tercos e
eoroas de cornalina com cruz de prata, os quaes
deixa a diKvao dos fiis que estiverem dispostos
a gastar 14500,24e .'14 para possurcm un bonito
terco ou cora, com os quaes podem mesmo pedir a
Deus pela prosperidade d'aguia branca, em seu ale-
gre e espacoso ninho da ra do Quemado n. 8.
\ot os e bonitos
pi'iiiinhos travessos dourados e com pedias para
meninas : vendem-se na ra do Queimado, ldja
d aguia branca n. 8.
Bahuziuhos com perfumarlas e
sera ellas.
A una inanca vende bonitos bahnzfnhos com 6
(rasquinhos decheiros por 14500 e vastos |K>r 800
rs., servindo estes para meninas, e incsino para
Jolas, etc.. etc. : na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Llnlias maclas e lustrosas para
bordar
vendem-se na loj^ d'aguia branca ra do
Queimado n. 8.
.\ovisslmos e bonitos enfeites
para cabecas.
Quando o bello sexo senta a falta de bons
enfeites para cabeea, eis que a aguia branca
ROUPA FEITA
NO
AR9IAZEM
DE
TMiiivIms chatos de 19aparaenfeitar vestidos, rerota urna sua encommenda de bonitos c
Papel c folhas para rosas. delicados enfeites, e de modernissima moda,
Umpannas francezas. milito servindo isso para sanar aquella falta,
Trncenos grassos para relogios. 1P fazer com que as Exmas. apreciadoras da
Escovas cabo dosso, marfim e madreperola bella empreza Coimbra possam melhor real-
para denlos, nnhas. hmpar pentes ejoias.' sar e mostrarem o apurado gosto que as
Oulras linas para raspa, chapeo, cabello etc. guia. Esses enfeites sao d'um tecido bas-
Wlft Il TON*
LETREXRO VERDE.
Neste cstabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dps concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem ura
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades. para senhoras,
homens e meninos.
RA DO QUEIMADO N. 46
> de 164*
panno e ca~
Casacas de panno preto, :!.'>> v jjOAOO
Sobrecasacas idem, 30 > e 2S0OO
Paletos idem e de cores. t#,
20. iU e...... lO.000
Ditos de casemira. 20?), 15^,
m, m e...... 7^000
tanle fiiMt com continhas d'aco, e mui bem
j enfeitados com flores, fitas, bicos, plumas
'etc., entretanto que sendo obra de muilo
gosto custam 50, G?S e 75dinheiro vista;
na espacosa e alegre loja d'aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Delicadas tesourinhas d'aco para
bordados e labyrinthos.
A pedido de aljjumas senhoras suas predicletas
frepuezas. a aguia branca mandou vir dessas de-
licadas tesourinhas d'aco puntas agudas, proprias
para bordados e lalivrinthos, e urna vez chegadas
como de faeto chegaram, a aguia branca convida
Outras do velludo para chapeos.
Pastas para papis.
Raspadeiras e linas de mailim paradilas.
Visporae e dminos.
Baratlsslinas bandeljas.
\ aguia branca por muitas vezes tem da-
do a conhecer que quando acta alguma pe-
chincha, nao quer somente com ella encher
o papo, ao contrario deseja que toda sua boa
freguezia e o publico em geral prvem da
mesma, o que agora mesmo acontece com
essaa; baratissimas bandeijas, cuja limitacao
de presos admira, em relacao aos tamaitos e!a> de nuia-aabone snas"Doas Fregnezas'para'
qualidades: avista do que convm todos a- aproveitarem-se da oecasiao e bem empregarem |
proveitarem-se dessa opportuna occasio e U ** em cada urna dessas finissimas tesouri-
nroverem-se d'um trast? semnre necesario 'nha:"na frteza de que pcrdera Pr chcr ,arde 1
KOMI 111 si u um ir.isn sempre necessario. quem se demorar cm as mandar comprar no ale-
e que loes Costar quaai metade do juslo va- gre e espacoso ninho d'aguia branca, ra do Quei-
lor. Assim, pois, dirigirem-se com dinhei- mado n- 8' ontl,! tambem ha outras curvas e direi-
ro ;i alegre e espacosa loja d'aguia brama ';';naia "nlia> '
ra do Queimado n. k. Kleaa suarnleoes de pentes e
Ovellas para cintos.
,M,?,iSr5S m"nlnors!'aS *' f& recebeu novas e
cores para meninos. :guarnieses de pentes dourados,.e com pe-
A loja d'aguia brauca recebeu um novo das; assim como outras bordadas froco e
sortimento de lencos brancos com barras de com bolas pendentes, novidade essa que s
cores para meninos, e com quanto esses se acta em dita loja, e que na verdade se
viossera melhores," maiores e perfeitamente tornan mui alegres e bonitas; e bem assim
quadradoi, com tudo continam a ser ven- recebeu lindas ivellas com pedras, e ditas
didos pelo autigo preco de 14 a duzia; n. j d'aco com novos e cogracados moldes, cintos
roa do Queimado na alegre e espacosa loja' dourados e de marroquim; e muitos outros
oa branca n. 8. I objectos de gosto para senlioras seio encon-
_._.____, Irados na alegre e esparosa loja d'aguia
Laa fina para bordar. branca rua do Queim^ n. 8.
A aguia branca acaba de receber um com- Babadlnhos estreltos e bordados
pleltj sortimento de laa lina para bordar, cu-;
ja vuriedade de agrada\eis cores foram es-! Vendm-se na rua do Queimado n. 8, loja d'aguia
colladas d'um grande livro d'amostras que o# branca
fabricante otTcrcccu a aguia branca, viudo' Capachos comprldos e redondos
entre ellas alguma mesclada; assim pois onde ., ,. .,
os pretendentes melhor se podem sortir des- '^TT^ *"* Q *[ Ja ***
se genero, na alegre e espacosa loja d'a-
Ditos de alpaca. .'>-S e. .
Ditos ditos pretos, 9?*, 7$>,
50 e........
Ditos de brim e ganga de co-
res, 4u00, U. 3iSO0e. .
Ditos branco de linho, %, 5$ e
Ditos de merino preto de cor-
dao, 10?$, 75 e.....
Calcas de casemira preta. l?>.
10)5. 84e.....,.
Ditas de cores, 9t>, 8> e. .
Ditas de meia casemira de co-
res. 5450te.....
Ditas de priaceza e merinire-
to de cordita, 'l>, 4*500 e
Ditas de brim branco e de co-
res. 54, 44500. 4* e .
Ditas de ganga de cores,
Colletas de bistSo o brim l.ran-
co, 3*500, 3* e 4500
Seroulas de brim de linho.
2*400 e 2*000
Ditas de algodan, 1*600 e. 1*400
Camisas de peitos de linho.
S0QOO
35500 5*, 4*, 3* e.....
; Ditas de madapolao. 3*.
3*500 2*500, 2* e.....1*600
Chapeos de massa, pretos fran-
3*000 cezes, 10*, 9* e. .
4*000 Ditos defltro. 5*, 4*, 3*500 e
Ditos de sol,' de seda, 181,
5*000 II*, 7* e......
Collarinhos de linho fino, ulti-
7*000 ma moda.......
7*000 Sortimento completo de grava-
tas. ,*
4*000 Toalhas parroslo, duzia. II *.
9* e........6*000
1*000 Atoalhado adamascado de li-
nho vara......
2*500 Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....
DE
FAZEXDAS _E KOI'PAN FEITAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 25*. 28*, 30* e 33*,
muito bem feitas a 25*, 28*, 30* e 35*, paletots acasacados de panno preV
25*, ditos de casemira de cor a 15*, 18* e 20*, paletots saceos de pai
mira de 8* at 14*, ditos saceos de alpaca, merino e laa de 4* at 6*, sobre de alpara 1
merino de 7* at 10*, calcas pretas de casemira de 8* at 14*, ditas de cor de 7* a*
15*, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sormento de roupa* de brim
como sejamcalcas, paletots e colletes, sortimento de colletes pretos de metint, easenar:>
e velludo de 4* a 9*, ditos para casamento a 5* e 6*. paletots brancos de bramante a V-
e 8d, calcas brancas muito Unas n 5#, e um grande sortimento de fazendas finas n*.W-'
as, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senhora. ceiari
de linho e algodao, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin para iHimen e _-
nbora. Temos urna grande fabrica de alfaiate. onde recebemos enrommendas de grainlr-
obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de semelhante art> e un-
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto ejecutamos qualquer nlra *
I promptido e mais barata do que em outra qualquer casa.
K*:;oo
2*000
4*500
640 i
1*280
3* e.....2*500 Lences de linho.
Colletes de velludo preto e de
ores. 9*e......
Ditos de casemira preta, 5* e
Ditos de dilas de cores 5*
4* e........
Ditos de. selini preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
(i*
Ditos
4*000
3*000
2*000
FCJJrDI^AO DO KO\l VIA \-llt % |<
I BIM t \. 38.
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo s.*tin*rto *
mathinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas
Rodas d'agua de ferro com seus perteooes.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
Rodas dentadas, angulafes e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
I .Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Foraos para cozer farinha.
Moinbos para moer mandioca.
; Arados americanos, etc. etc.
, Cobertas de chita chineza.. .
7*000 Pennas d'aco, as mais superio-
4*000* res, a grosa......
Relogios de ouro orizontaes,
3*i00 90*.80*e^.....70*000
5*000 Ditos de prata. galvanizado,
patentes e orisontaes, 40* e
e.......5*000 Obrasdeouro,adercos.meios
de gorgurao de seda aderecos, pulceiras. rozetas,
600
30*000
^t%l\%t ^^ ^^V^^,^
di:
TOO AS tSOl AI,IIMI>
DE
pnslos e de cores. 6*, 5* e
TODA ATTENQiO
NOS
iKAZI\S
DE
guia branca rua do Queimado n. 8.
Os afamados copos com banha. e
boldes com Inscripces.
Chegaram novamente para a aguia branca
esses afamados e estimados copos com banha
fina; assim come os bonitos botos de por-
celana dourada tambem com banha, e novas 1
Luvas de camurca.
Vemlem-se mui finas luvas de carmuca
branca e amarella; na rua do Queimado n. 8
loja d'aguia branca.
Polassa dt Kuitia.
Acaba de chegar pelo brigue hamburguez
inscripces auviosas e jocoserias, mui ade- Olio, moito nova e superior; veode-se so-
1. 21 E 23LARGO DO TERQ0 NS. 21 E t3. 4
O proprifctario destes dous estabelecimeutos de moltados, vende os seus g-
neros por menos do que em outra qualquer parte, por isso garante a superior ba- ]
lidade de qualquer genero sabido dos seus armagens; pode vender por menos por com-!
prar dilieiro, e por isso faz yantagema os compradores.
Batatas as mais novas do mercado, a 60 rs. a libra e l,6oo rs. aarroab ou caixa.
Toncinho de Lisboa da 1. qualdade, a 3oo rs. a libra e 9,ooo rs. a arroba.
Caf do Rio da 1.a e 2.a sorte, a 28o e 32o rs. a libra.
Queijos do reino, chegaxlos pelo ultimo vapor, a l,8oo e 2,000 rs.
Velas de spermacet, carnauba doAracaty, as melhores deste genero, a 63o e 4oo rs. a libra.
Vinho verdadeiro Figueira das melhores marcas, a 5oo e 4oors., em caada se faz aba-
timento, ka porofio para escolher.
Bolachinhas americanas, as mais novas neste genero, a 2oo rs. a libra e 3,ooo rs. a barrica, i
Palitos do gaz, vindos por conta particular, a 2o rs. a caixinha e 2,loo rs. a grosa.
Manteiga ingleza da 1.a e 2.a qualidade, a8eo e 76o rs. a libra,
dem franceza, especialmente escomida, a 64o e 600 rs. a libra.
Cha, o melhor neste genero, a 2,88o rs., tambem ha para mais barato.
Miiho alpista, limpo, muito superior, tOo rs. a libra, a arrroba 5,ooo rs.
Alm destes gneros ha- outros muito baratissimos, assim como cerveja das me-
lhores marcas, genebra de Hollanda e de laranja, passas, doce de goiaba, azeite ddee, vi-
ANTONIO MAIA DE BEITO
CONHECIDA POR FABRICA DA VIUVA.
N. 21Antiga rua dos Quarteis d policaN. 21.
Constando ao annuuViante, que alguns especuladores de m f. >eiwh o
que gosam os meus cigarros, e para poderem dar consumo aos seus andam vendrnof nm
na praca como pelo mato, illudindo os meus freguezes. dizendo que sao meus : t como k*
dos os meus cigarros sao vendidos na minha fabiica. e nao mando pessoa alguma
por minha conta fura delia, faro o presente annuncio para evitar que compren, ato
lebre ; e para seguranca dos senhores consumidores deste genero e especialmente m u
freguezes, aviso que todos os massos de cigarros que forem vendidos na miuta fabrica si
marcados rom oa distiuctivo que declara o meo nome. o nomedaroae u mmero
mesma casa..
Aproveito a oecasiao para scientificar aos mesmos senhores. que 1 ntniinfi
; encontraro um completo sortimento de cigarros de diversas qualidades. e o nHhnr anuo
; escolltido. por sua boa qualidade j bem conhecida.

PHOSPHATO de FERRO
DI U8RAS, DOOTOR EM SCIENOIA, INSPECTOR DA ACADEMIA DI ?AM, ate, tU
Este noro ferruginoso, approTado por toda, as Academias da Medicina
eomposlcso dos osaos e do sangue, e contam o ferro em estado liquido. Sotando aa
hospltaes deParii e consignadas no Prospecto : elle superior i7riuu7..._
.Ir ferro, o ierro rc.umldo pcl. hjdr*K-Br, .. dtraU _r ferr. I
"!?*!'terr#: '"* cur* rapidwnonte Ictericia branca, cor pallida. Mmtt
sas affeccoes oerroaa, eacrophula?, mingoa de ancua, parda de torca a appaUu:
faltas menstruaes, e flores brancas. K o melhor adjurante 1
ko, m casa de Ferreira e C- em rernambwo,
pharntaoia do Braail.
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22 em ma e Cato A mitn.
quado para presentes resta porem que os apre-: mente so aotigo e acreditado deposito na rua
ciadores copcorram, munidos de dinbeo, da Cad^i do Recife, a. 12; onde tambera se .
alegre e espacosa loja d'aguia branca rua do vende cal de Lisboa muito nova e precos nagre, canella, pienta, corniohos, erva-doce, cebollas, alhos, chouricas, banha de porco e dT^Z^
Qqeimado o. 8. coomeA^ 'oolros muitos genero que enfadonbo mencionar; lntairo contado. SrreiaTe \
Hala barato nlo pode ser. i PMM
,. Tinta branca de massa
Linda* cseas fjraaoexa* de coros mmntns, d* ta d* 28 libras Dar cxai nara
qualidade a JOB rs. o ovada: m toj teZlZ?J ^?
rua do Crespo n. 13, de Antonio ? COTnnhia do gaz. a loo r?.
asconcellos 4 C. 1 rop 00 BoSaTO n. 3 \.
nab
alr


***
jfrparU *a*- l 4* ahHi^ *tjqj.
s
-:


GRANDE ARMAZEM
AE
J&MMB>M$
EE
N. 36, REA DAS CRDZES N. 36
DO
halrro de Santo Antonio.
0 proprietario do muito acreditado arraazem denominado Progressista tendo
empreem aristafaier tudo o que for possivel para bem servir aos seus freguezes, tem
(liberado vender os seos j bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
baixo mencionados, e amanea s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
i'Scravos, serem tSo bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
'ncommenda, ainda mesmo con tendo objectos nao proprios deste estabelecimento. O
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquerobjecto queno agradar, devendo os mesmos senhores ter toda alten-
3o com os seus portadores, fazendo-lhes ver que su no armazem Progressista da ra das
Cruces n. 36, que se vendem os melhores gneros por mais baratapreco, porque estes
muitas vezes olvidam-se e v3o outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
.stabelecimento.
Manteigai ngleza de I.1 qualidade, a 900 rs.' de superior qualidade a SfO i ?. ttit c
a libra. xinha.
Idem de 2. qualidade, a 800 rs. a libra. .' .
Mera franceza, chegada ltimamente, a 640 Mo?tarda preparada em potes muito nova a
rs. a libra. 40 rs- cada ura-
PROGRESSIVO.
S NO
9-LARGO DO CARMO-9.
181
DE
DE
^mwi % ^
&
Eduardo Margues de Oliveira C.
Os proprietarios deste espacoso e bem sortido armazem de molbados partici-
pam aos seus freguezes que acabam de receber de diversos portos da Europa o mais bel-
lo sortimento de molhados, todos primorosamente escolhidos, os quaes vendem-se por
o
g

2
<
s
N'estes novos e grandes estabelecimentos de molhados, encontrar o resp*itavei
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro, expertos wb
todas as qualidades de gneros por menos preco que em quaesquer outro estabelcciniea-
tos desta ordem, poispara bem servir os seus freguezes existe na Cumpa umrkv'
ctos para serem vindos de conta propria diversos gneros, e desdfl j rurontrara
muito menos do que outro qualquer annunciante, obrigando-se os proprietarios a garantir' peitavel publico sempre os meiores gneros do nosso mercado, e por presos barata
todos os gneros sahidos do seu muito acreditado armazem. mos como abaixo vero, a saber
Ha tatas muito novas, a ift o gigo de arroba ;Milho-alpista a 160 rs. a libra.
e 80 rs. a libra.
Oueijos do reino, chegados pelo ultimo vapor,
de 20 24500.
dem nato, chegadoneste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 700 rs.
a libra.
11 l*i londrino, mandados vir de encommen-
da especial, a 900 rs. a libra.
dem suisso, muito fresco, a 800 rs. a libra.
Gaf do Rio de 1.a e 2.a qualidade a 85500
e 85800 a arroba, e 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India e Maranho a 120 rs. a libra
o 35200 a arroba.
\ vellas as mais novas neste genero a 240
rs. a libra.
Presuntos do Porto muito novos a 560 rs. a
libra.
Legumes francezos para sopa, como seja,
Julienne, mlange dequipage, CJioux e
outras qualidades, a 400 e 500 o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, e
em porco ter abatimento.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
do "Alto Douro a 25400 com o garrafao ;
afianca-se que nesse genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira muito
superior e mais propino para a nossa esta-
.;ao por ser mais fresco a 2$ 400.
<:h hysson o mais superior a 25600 a libra,
afianca-se ser egual ao que regularmente
vendemos a 35200.
dem huxim miudinho, o mais superior que
vem ao nosso mercado a 25700 a libia.
dem preto muito fino, a 25000 a libra.
Garrafoes com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 25100 cada um.
dem com 5 garrafas eV.nagre de Lisboa
a 15100 com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinagre hambur-
guez a 800 rs. cada um.
Viuhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Velho secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a 900 rs. a garrafa e 95
a duzia.
Vinho Bordeaux das mellioros marcas: St
Julien, Medoc e S. Estephe e outros a
040 rs. a garrafa e 7-5500 a caixa com
urna duzia.
Chouricas e paios. o mais novo que se pode
desejar, a 250 c 000 rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa e 105500 a
caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
Licores francezos, muito finos, das seguintes
marcas: Anizetta de Bordeaux, Phiiserdes
lames, Crme de Noyau, Eau Dantzic,
Crme de Mentlie, Hude de Venus etc. etc.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra e 25300 a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libra e
em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade de 160,
180, 200, 220 e 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 15300 a duzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salmao e outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
cozinha a 15400.
Papel grve pautado e liso a 35800 a resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
460 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 3S200 c 45000 a caada do
melhor e 500 rs. a garrafa, em porco ter
abatimento.
Vinho velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
55000 a caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 660 rs. a garrafa e a 45000
-a -caada.
Vinagre puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
e 15400 a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em lwrril
a 640 rs. a garrafa, e em porco ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
15000 a garrafa, e 105000 o gigo com
urna duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 35500 a caixa, tambem temos
para 25000, 25500, 35000 e 35200 a
caixa.
Vellas de spermacetc superiores a 600, 640,
e 680 rs. o masso.
dem de carnauba e composico a 320, 360,
e 400 rs. a libra c de 105 a 115500 a
arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 15000
a ancoreta do Porto e 15500 a de Lisboa.
Massas para sopa: estrellinha, rodinha e pe-
vide a 400 rs. a libra e 25000 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
oarrao e aletria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez c
suisso das melhores qualidades a 900 rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixao.
Cerveja das melhores marcas de 55500 a
65000 a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
45300 a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda,
muito nova em latas grandes a 25000 cada
urna.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada urna.
ivissas muito novas e de carnada a 400 rs. a
libra e 65500 a caixa com urna arroba, ha
i aixas, meias e quartos.
Mneixas francezas em frascos de 11,2 e 3 li- Sa^ f ^J**8' do fabricanl Basset,
bras de 15400 a 25800, tamliem ha latas 0DU ra" ,dW-
de 6 libras. Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a libra.
., 1# .. i Tijolo de limpar facas a 180 rs. cadaum.
Marmelada imperial, do? melhores conser-! cebollas o mlho a 900 rs.
veiros de Lisboa, a 6Q0rs. a libra, em la-
las lacradas hermticamente. Erva-doce muito nova a 400 rs. a libra.
Finetas em caldas de todas as qualidades em j Cominhos idem idem a 640 rs. a libra.
latas muito bem enfeitadas, a 500 rs ca-! Garrtoes vasios a 500 rs. cada um.
da urna. j .
Bolachinha ing.eza, amis nova que se pode ^LTJ ^'LtlT^iLT00'
desejar. a 35000 a barrio a e 240 rs. a
libra.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 160 rs. a libra.
Azeite francez clarificado a 800 rs. a garrafa
e.91000 a calva com urna duzia.
Conservas inglesas dos melhores fabricantes
\lixed Pickles, ceblas simples, e outros
a 760 rs. o frasco.
Farinha verdadara de amula a 500 rs. a
libra, garante-se a superior qualidade.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra.
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
62o rs. a libra,
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado,
dem de porco, refinada e muito alva a 5oo
rs. a libra, em barril ter abatimento.
dem ingleza em latas de 2 1/2 libras a 2,ooo
cada urna, garante-se a boa qualidade.
Ojueijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, lj8oo, 2,ooo e 2,5oo rs.
dem prato chegados neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 66o rs.
a libra.
dem londrino mandados vir de encommen-
da especial a 56o rs. a libra.
Caf do Rio de Ia e 2a qualidade de 8,5oo e
8,8oo rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz da India e Maranho a loo rs. a libra
e 3,ooo rs. a arroba.
Caixinhas de ameixas francezas de 1 1/2,2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,6oo, 2,ooo,2,5oo e 3,ooo rs.
Banha'de porco Gio^rs. a libra.
Amendoas confeitadas a 5oo rs. a libra.
Vidros de diversos taannos de confeitos,
muito proprios para mimos, de l.ooo a
2,5oo rs. cada um.
Batatas a 256oo a caixa com 2 arrobas c a
6o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
em porco ter abatimento.
Garrames com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2,24o rs. com o garrafao,
afianca-se que neste genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira mui-
to superior e mais proprio para a nossa
estaco por ser mais fresco a 2,4oo rs.
Cha hysson o mais superior a2^)oors. a
libra, afianca-se ser egual ao que regular-
mente vendemos a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem huxim miudinho o mais superior que
vem ao nosso mercado a 2,7oo rs. a libia.
dem preto muito fino a 2,ooo rs. a libra.
dem muito mais baixo, muito proprio para
negocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Garrafoes com 5 garrafas de superior vinho '
de Lisboa a 2,2oo rs. cada um.
dem com 5 garrafas de vinagre de Lisboa
a l,2oo rs. com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinagre hamburguez
a 9oo rs. cada um.
Genebra de laranja a 9oo rs., a melhor que
se pode desejar.
Cha perola o melhor neste genero a 3,2oo
rs. a libra.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, -Duque do Porto, Fei-
toria, Velho secco, Chamico, Madeira su-
perior c outros a l.ooo rs. a garrafa, e
9,ooo rs. a duzia.
Lagrimas do Douro, especial vinlty do Porto
a l,2oo rs. a garrafa, e lo.ooo rs. a caixa.
Azeite francez clarificado a 76o rs. a garrafa
e 9,5oo rs. a caixa com 1 duzia.
Amendoas a 320 rs. a libra.
Aveles a 2oo rs. a libra.
s'DTs'emfr^ptW
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras ,
a 8oo rs. o frasco. Al roz pilado da ^d'3 loo rs. a libra e 35oeo
Mostarda ingleza preparada em potes muito n S^'u .. 1Q_
nova a 4oo rs. cada um. iDlt0 ^ do Maranao 20 rs. a libra e 35500
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das'. ,!5!??a' r
melhores marcas a 5oo rs cada urna gar-1 ^,^3"^800 rs- a ^arrafa-
rafinha lD,t0 de Llsb(>a ^0 rs. a garrafa.
I Agurdente de canna de cabeca a 240 e 320
Sal refinado em frascos de vidro1 de diversos' rs. a garrafa.
modellos a 4oo rs. cada um, s o frasco Azeitonas a 320 rs. a garrafa e l,3oo a an-
coreta.
Batatas inglezas a 6o
arroba.
rs. a libra e l,8ooa
vale o dinheiro, tambem ha solt para 8o
rs. a libra.
Vasos inglezes vasios de 4 a 46 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga Banha de porco a 55o rs. a libra
ou outro qualquer liquido do l,oooa 3>oo Bolachinha de soda a 15400 a lata.
cada um.
Painco a 14o rs. a libra.
Milho alpiste a 16o rs. a fibra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
8o rs. a libra, e 2,3oo rs. a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
rica a 35000.
Cha hysson a 25800 a libra.
Dito dito fino a 25600 a libra.
Dito miudinho a 25800 a libra.
Dito do Rio a 15800 a libra.
Sabo verdadeiro lfespanhol que raras vezes d^ pret0 a ^qoq a libra
riLT9 me^oa3oors-a,ibrae Charutos de diversas qualidades a 1
em caixa tera abatimento.
15600 e 35 a caixa.
Champagne a 15 e 15500 a garrafa.
Chouricas a 560 e 600 rs. a libra.
dem massa de superior qualidade dd 2oo,
22o e 24o rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 12o rs. a late Q)n8en.as inglezas a 800 rs. 0 fl.asc0-
nJ L a ? i n^An iGafm g|a a 300 e 320 rs. a libra, e 95 e
Peixe em latas muito novo: savel, pescada, 95200 a arroba
curvina, salmao e outras qualidades pre-; DUo mMf a* ^ a m^
parados de escabexe, segundo a arte de
cosihha de l,4oo e 2,ooo rs. a late.
Amendoas confeitadas de diversas cores
600 rs. a libra.
Doce de goiaba a 560 rs. o caixo.
Espirito de vinho de 38 graos, a 280 rs. a
garrafa.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Dita flor de laranja a 15 o frasco.
Feijo branco muito novo a 440 rs. a cuia.
Figos a 32o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em botijas a 5oo rs.
Dita Hamburgueza a 44o rs. a botija.
Vinhos em pipa: Lisboa, Porto e Figueira das Gomma d'araruta a 100 rs. a libra, e 25600
Papel grve pautado e
resma.
liso a 3,8oo rs. a
Genebra de Hollanda em botijas de conta
46o rs. cada urna.
melhores marcas a 2,5oo, 2,8oo, 3,ooo e
4,000 rs. a caada do mais superior e de
32o e|36o rs. a garrafa.
dem velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, por ser muito claro e
macio a 64o rs. a garrafa, e 5,ooo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero, a 56o rs. a garrafa e a
3,8oo rs. a caada.
Vinagre puro de Lisboa, a 2oo rs. a garrafa
c l,4oo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril,
a 64o rs. a garrafa, em porco ter abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
l,2oo rs. a garrafa, e 12,ooo rs. o
com 1 duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 3,5oo rs. a caixa, tambem temos
para 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 3,2oo rs. a
caixa.
Velas de spermacet superiores, a 600 64o,
680 e 7oo rs. o masso.
Masaa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a .'60 rs. a libra.
Massa estrellinha para sopa a '**> rs. a 'tira. *
Macarro, aletria e talharim a 48o rs. a fi-
bra.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
Passas a 4oo rs. a libra.
Palitos para denles a 180 rs. o masso.
Phosphoros do gaz a 25500 a grosa.
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a i t
25500.

Dito de prato a 720 rs. a libra.
Cenejas de marcas superiores a 500, .'64.
600 e 640 rs. a garrafa, e 55500, 65 a
65500 a duzia.
Dita em barril por 45, e 240 rs. a gnrrafe.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 rs. a >ar--
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 160 rs.
Vellas de spermacete do gaz a 1,2oo rs a
libra.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 libras por 45O0.
Ditas de carnauba a 400 rs. a libra.
Bitas de composico a 360 e 380 rs. a Mira.
Vinho do Porto, caada a 5:5500, garris
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 45 e a garrafa a ttt
rs.
Dito Figueira, caada a 35840 e a garrida a
480 rs.
Dito dita su|ieiior, caada a 45 e a garraia
a500rs.
Dito Estreito, caada a 35200 e a garrafa a
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 e 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa em garrafoos de 3 garra-
fas por 15400.
Dito em caada a 25, e a 260 rs. a garris.
Vinho do Porto om garrafoes de 5 garrafas
por 25500.
Dito dito engarrafado a 15 e 15200.
Dito lagrimas do Douro a 15400 a garrafa.
Vinho branco de Lisboa a 720 rs. a garrafa.
e 55 a caada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, e a i-j.:-Or:
a caada.
dem de carnauba e composico, a 32o, 36o
e 4oo rs. a libra, e de lo.ooo a II,5oors.
a arroba.

Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 1,000
rs. a ancoreta do Porto, e 1,5oo rs. a de
Lisboa, estas ultimas raras vezes vem ao
nosso mercado, pela sua boa qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores marcas: St. h~"c.
Julien, Medoc, S. Estephe e outros a 7oo Massas para sopa: estrellinha, rodinha e'pe-
a arroba.
Graixa em latas a 120, e 15300 a duzia.
Genebra em garrafoes de 14 garrafas por
4jJ00. .
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito em garrafas grandes de superior quali-
dade a 15500.
Manteiga ingleza flor a 800,900 e 15 a libra.
Manteiga franceza a 600 e 64o rs. a libra.
Dita hollandeza a 72o 800 rs. a libra.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
Previne-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima sao de boa quali-
dade, e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annunciadns.
I 1 MH4. t O DA AURORA.
Neste grande e bem montada fabrica de machinismo, a mais antiga no impe-
jtinua-sea executer coma maior presteza e perfeico encommendas de toda a qualidad*
K10' de machinas usadas no paiz, tendo sempre prompto o seguinte :
Grande sortimento de moendas de canna de todos os systemas e tamanh.
Machinas de vapor de diversas qualidades.
Taixas fundidas e batidas.
Ci'ivos e boceas para fornalhas.
Bronzes e aguilhoes.
Rodas, rodetes e rodas d'agua.
Guindastes fixos e porteteis.
Machinas de cylindros para padaria.
Serras de ac para serrara.
Fatechas para barcos, etc., etc., ludo por privo que |>em tau.
garante-se ser verdadeira de Hollanda.
Cebollas a granel a 640 rs. o cento.
Canella a mais nova do nosso mercado a
15000 a libra.
Alfazema o que pode haver de melhor neste
artigo a 280 rs. a libra.
Phosphoros de seguranca individual a 20 rs.
a caixinha.
Papel de embrulho muito superior a 15120
a resma.
, Vinho da Figueira, o que ha de melhor a
Palitos para dentes em caixinhas douradas 45000 a caada.
Breu, a 320 a libra e85 a arroba.
I Copos, finos para agua a 65000 a duzia.
rs. a garrafa, e 8,000 rs. a caixa com urna
duzia.
Chouricas e paios, o mais novo que se pode
desejar, a 56o rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 9oo rs. a garrafa, c lo,5oo rs.
a caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
Licores francezes muito finos das seguintes
marcas: Anizete de Bordeaux, Plaisirdes
Dames, Crme de Noyau, Eau de veede
dant-- c, Creme de menthe, Huile de Ve-
nus, Parfait amour, Eau dora l,ooo.js.
a garrafa e 10,000 a caixa com 1 duzia"
Passas muito novas e de carnada a 3oo rs-
a libra e 6,000 rs. a caixa com 1 arroba,
ha caixas, meias e quartos.
Ameixas francezas em frascos de 1 1/2 e 3
libras de l,4oo a 2,8oo rs.; tambera ha em
lates de differentes precos.
Marmelada imperial dos melhores conservei"
ros de Lisboa a 600 rs. a libra, em latas
de differentes temanhos e lacradas herm-
ticamente.
Fructea em caldas de todas as qualidades em
lates muito bem enfeitadas a 5oo rs. cada
urna.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra. '
vide a 32o rs. a libra, e 1,60o rs. a caixa
com 8 libras liquino; s no Progressivo.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carro e aletria, a 4oo e 48o rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a libra.
1
Doce da casca da goiaba a 64o rs. o caixo.
Cerveja das melhores marcas, a 5,5oo e
7,4oo rs. a duzia e 54o rs. a garrafa.
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
l,2oors. late.
Bolachinha de soda especial, encommenda
muito nova, em lates grandes a 2,ooo rs.
cada urna.
dem craknel em latas de 5, 7 e 15 libras a
4,000, 5,5oo e M,ooo rs. a late.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oors.
a grosa.
Massa de tomates em latas de 600 a 7oo rs.
cada urna.
AGENCIA
DA
FNDICAO BE LOW-MOOR.
Ra da Seuzalla iiova 11. 2.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
temanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston A C.
raa da Senzalla Nova n. 42.____________
lina "da Senzalla n 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston dC,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavados, e relogios de
ouro patente inglez.
GAZ.
No armazem de lonca da porta larga, ra larga
do Rosario n. 26, vendem-sc latas com o galocs de
gaz a 125, assim como latas de 5 garrafas, e em
garrafas muito em conta; garante-se a qualidade.
Vende-se na ra dos Guararapes n. 28, um
boai escravo proprio para o servico de armazem
ou de sitio, 4 carros de carregar gneros, em bom
uso, um terreno com 102 palmos de frente o 300
de fundo, com porto de embarque, situado na ra
do Brum.
Sardinhas de Nantes do fabricante Basset, a --------------cola da Baha-------------
380 rs. a lato. Tem p^ vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
de Lisboa novo, a 32o rs. a libra. vedo'w ^ escriPt0' d* Cruz n. i.
Toucinho
Tijollo de limpar facas, a 18o rs. cada um.
Cebollas, o mlho a 9oo rs.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa,
a 14o rs. a libra.
Alm dos gneros ama mencionados, existe um completo sortimento de al-
fazemas, cominhos, pimenta, erva-doce, palitos de dente em macos e caixinhas, enxo-
fre e outros muito gneros, o quaes vendemos pelos precos mais baratos possiveis.
Vinho do Porto superior.
Yende-se em caixas de urna duzia : no escrito-
rio de Antonio Luiz Oliveira Acevedo C.
-Cal de Lisboa r potassa da
Rnssla.
Veade-ee na ra da Cadeia do Recifc n. 26, para
onde se mudou o antigo e acreditado deposito da
mesma. ra n. 12, araos os gneros sao novos e
legtimos, e se vendem a preco mais barato do quo
outra qualquer parte.
AOS SUS. CONSUMIDORES DE MI.
Nos armazens do Caes do Ramos n. 18 t
na ra do Trapiche Novo (no Recifc) n. I
vende gaz liquido americano prima 1
dade a retalho a 12$ a lata ia: gal.", a
sim como lates de 10 e de 5 garrafa-
em porca"o mais barato que em outra q
quer parte.


PAPEL
de eores para listas de eleltorea
A aguia branca ampia que nao faz mal em ofc-
recer aos tttetM uns pacot.-s com 25i Mha r
pa|iel de cores, que pode servir optiM pM*
listas de eleitores, c tanto melhor por rnstar < .uto
pacote o diminuto prego de l&iOO, o ser cada ua
de urna s cor. o que difflcil de encontrar a na
ser na ra doQucimado. loja d'agnia branca 1.
Na mesma loja tambem ha de outras qoaii*4r*.
branco e a/.ul. assim mmm anvelopes.
Farinha de mandioca
em saccas grandes, e de superior quab^a-
de : no armazem de Tasso limaos, na do
Amorim n. 35.
ESCRAVQS FGIDOS.

Eserara fitglda.
No dia .11 do prximo passado fugio a escr.*<
Leandra, idade de 30 a 60 annos. pu\a por on
perna, esta escrava foi pertencente a Joio 4a GMv
ulia lteis,e arrematada em praga pelo abaixo -
signado : queni a pegar leve ao caes do IUbmh .
6, que ser gratificado.
__ _______ JoaoCordeirodoRegol
Kserava fafrfda.

Da travessa de S. Jos n.. fogio a rmar
Mara, natural do Coago. **' *", a a
tem signaos muito vWvw de bexiaas, ao 1
arrasta bastante os pfc, levou vestido de
chale encarnado muito velho. Suppoe-se ^_
ella acontada em Apipuco-, Oliada m flitatt: f-
ga-se poisas autoridades pifcriaw,
eanpo ou qualquer pesaos levem-na a casa acuna que ser
recompensado. ^
tmu
mm
.


. m i iyn ii


tMftfk de Pernambneo nwaHii feir t> e Agoaio de ilrfri.
LITTERATURA
Thealre de Saeta Isabel.
A A*ncj Cranma.O beneficio da Sra. D. Camilla e os
' timos acontec/lientos theidracs.A empreza.
Conforme estova annunciado, leve lugar na
" Da Lrilliante ovaeao fciu beneficiada surgi o
falso pretexto para o rompimento da Sra. D. Euge-
nia com a empreza. Esta senhora, segundo se diz,
deelarou-se offendida. querendo, ou simulando que-
rer ver naquellas deraonstracoes nma desfeita do
publico pernambucano I Quererla acaso significar
que este bom povo lhe devia exclusivamente ren-
der as suas homenagens ? ... Dicant Paduani. .
Como dissemos, a ovaeao foi simples pretexto ;
somos informados que o plano estava tragado de
nottede.5 do crtenle o beneficio da sympath.ca MtMBS(l, Despodram-se, romperam o contrato que
actriz, Sra. D. Camilla Morara Guimaraes. Esa ,n|iam com 0 emprezario a Sra. Eugenia e os
olte. lio cheia de flores e espiabas, se deve ser Srs# Fur|ado CoiM| Lisb0a c Joaqnim Camara :
se
namoraial para a beneficiada por amitos e oppos
los motivos} nao o ser menos, por certo. para a
ebronica do theatro de Santa Isabel, por marear a
data de urna decepcSo inesperada, que colloca me-
ncntaneaiuentc a empresa ii'uraa posieo melin-
drosa, ferindo-lhe os interesses e compromettendo-
U.i- o crdito adquirido custa de tantos sacrificios.
Mas nao divaguemos ; digamos primeiro alguma
cousa a respeito do espectculo.
Depois de urna symphonia de Marco Spada, to-
cada pela orchestra, subiu o panno.
P apresen ton-se a AbuegarSo, lindo drama de Er-
nesto Biester. ja condecido do nosso publico
C Sr. Furtado Cocllio nao quiz esta noite fazer
fcrilharoseu talento; deixra-se possuir de urna publica, e, quando menos o espera,
f.-leaa marmrea, que ostentou em todo o correr do niettida para com o publico. -
drama, e principalmente no primeiro actor era o Consta-nos que a mais alguns autores vantajosas
indiflorntismo personificado, indiflerentismo que propostas se lizeram para abandonarem o Sr..
os acontecimenlos da noite se encarregaram de jus- Duarte Cohftbra, e seguirem para o Maranho
t'ficar bemdcpressa. Pelo contrario, a Sra. D. Eu-' mas que souberam nobremente recusa-las. Muito
griia primou em desenvolver os seus recursos, e bem Folgamos de poder registrar estes factos, e
conseguiu mesmo arrancar bravos platea, que q> os considerar como regra geral, j que nos ve-
assim lhe mostrou nao ser acintosa, mas justicoira. mos forjados a apontar tao tristes excope&es.
ft Sra. D. Camilla no papel de Cecilia trabalhou ( ^lo obstante a situacao embaraeosa que o ar-
perfeitamente, esmerando-se em merecer os vivos < tt8|araiT1) 0 Sr. Duarte Coimbra contina a dar al-
pela elevada idea que formramos, especialmente
do Sr. Furtado, deploramos em extremo semclhan-
te paco. Mas, fallamos em contrato; expliqumo-
nos.
O Sr. Duarte Coimbra contratara aquellos artis-
tas ; porm, liomem de carcter franco e leal, de
nenhum exigi a assignatura nos respectivos con-
tratos, entendendo que a palavra de um individuo
valia tanto como a sua firma : o desengao que
acaba de soffrer prova-lhe de maneira bem dolo-
rosa, que muito se enganava.
Trabalha-se durante alguns mena, monta-se um
repertorio, a empreza envida todos os estotros, nao
olha a sacrificios para corresponder eJtpaeJativa
v-se com pro-
applausos do publico, que a victoriou com enthu-
gumas
siasrao. Os espinhos que a pungirn) por entre as jmjpn,-
recitas, at que novas acquisicoes venliam
. as lacunas que actualmente existen) na
fj?as dessa noile faziam, se possivel; que com' companhia, o que, segundo nos dizem, elle espera
aior naturalidade ainda demonstrasse na voz e'muito breve conseguir. Fazemos votos para que
as gestos a afflicco e as lagrimas que 'o papel assim acntela, c os espectculos possam succeder-
f prescrevia em algumas scenas. Esta sympathi-, se com a conveniente regularidade.
a actriz tem sobejamente demonstrado, quanto j Nao desanime o Sr. Coimbra ; o publico sensato
caplieha em bem desempenhar os papis que lhe sabe discernir o bom do mo, e estamos bem con-
ato confiados, e eremos nao nos engaar, prophe- vencidos de que lhe nao retirar a sua proteccao.
sanda-lhe um futuro radiante de gloria. Estudo e O Sr. Coimbra felizmente bem conhecido em Per-
I .,,, :, i -os o que basta para o conseguir.' nambuco; os seus precedentes so-lhe em extremo
O Sr. Coimbra ainda mais urna vez nos deu o honrosos, e cont que o publico ha de auxiha-lo
I r de o admiramos. E" incontestavel a mestria' com todas as veras : elle sabe ser indulgente com
com que copiou os differentes sentimentos que agi-' quem o merece ; elle relevar mesino de bom gra-
avara o coracao do honrado velho Bernardo ; do qualquer falta alheia a sua boa vontade.
Quandoocoi.de lhe aceita a offerta do dinheiro,' Alm disso, com a repentina sabida dos Srs. Fur-
t a com tao natural acanhamcnlo e timidez, a tado, Lisboa e D.Eugenia, a companhia nao esta,
alegra que lhe illuminava o semblante era tao Deus louvado, aniquillada. Sao tres artistas de me-
expresriva, que ninguem vislumbrara atravez rito, quem o contesta ? mas ainda restam outros
della os desgoslos que j lhe opprimiam o espirito, dignos de entreter a attencao publica (e temos f
O Sr. Thomaz trabalhou egualmente bem. Pac que o conseguiro ) at que se complete o quadro
amoroso, amigo leal, fidalgo de nobre linhagem, c da companhia, e de maneira a nao se tornar muito
elevados sentimentos, o conde de Saudomil foi sensivel a transiccao; sao os Srs. Coimbra, Fla-
nuilo bem interpretado pelo Sr. Thomaz, que com vio, Thomaz, Penante, Guimares, Gil-Graz, Lessa,
C37O considerado intelligente cultor da sua arte. d Camilla, D. Josepha, D. Jesuina, etc. Dizem-nos
-(fe Srs. Lisboa e Penante desempenharam regular- Irias qUe breve far a sua estra no palco pemam"
* ite os seus papis : o mesmo diremos da Sra. D bucano a Sra. I). Filomena, esposa do Sr. Flavio, e
Paseata. i Uma outra dama.
A rolla do macinheiro um chistoso dueto, que ha, pois, razo para desanimar ; cont.nuem
foi cantado com extrema graca pelos Srs. Penante por um lado as boas diligencias do emprezario, e
e D. Camilla : terminou com" o fado dansado por Pr ou.ro a benevolenc* do magnnimo publico
ambos, que foram vivamente applaudidos.
Seguio-seo Doutor Orammu, espirituosa come-
tlia em dous actos. Gramma, charlato, nao recebe
fla sua clnica meios sufflcientes para subsistir, e
pernambucano, e nao tardar que tenham as hon-
ras de um eterno esquecimento os factos que ac-
bamos de assignalar.
as*ocia-sc a BnOao das Dores, moco de ganho,pa- a vitalismo jnlgarto pela philosophia ehrista, eu
ra desfructarem tres tios deste, perfeitos papalvos,
que nem v-lo querem julgando-o na miseria, mas I
que depois se desfazem em zumbaias, presentes,
Re, tmando-o por bario, como Ibes insina o im-
provisado doulor, que demais Ibes noticia estar c
tea donle as portas da morte. A cobica dos tres,
|vs agoendacom tal nova torna-sc um mananciai |
l.rioso para os dous associados. que aflnal con-|
O) verse lima dos velliotes, fugindo para asi
t 18 de llufino que o Gramma lliefizera rehaver,'
Uludindo nmotbeo Januario.
O Sr. Flavio desempenhou s mil maravilhas o .
j I do Gramma ; |ide-se dizer com juslica, que,
deu alma comedia, que, abundante de bons ditos
e.cafeattoMra*, e em geral bem sustentada, leve:
um excedente acolbimento. O Sr. Flavio um ar-
tista de bastante merecimento que tem agradado (
XoitO as vetes que tem entrado em scena.
O Sr. Guimaies trabalhou com bastante gosto-;
Depois do Gramma, o papel mais importante da
Comedia o de itulino das Dores, que lhe coube. e
c que aatisfec a espeetativa ptbfioa ;
C nossos parabens.
refutacSo da doutrina medica de Montpfllier,
peluP. J. Ventura de Itaulira. Traduzido coiu
nma'introducco e notas pelo Dr. Jos Soriauo
de Souza.
Corpus nostrum viril per ammam.
(S. Thomaz.)
Dcve-se por tanto admittir que o ho-
mem s tem una nica forma substancia!,
a alma intellectiva, que em razSo da perfei-
c3o da sua hatureza possue tambem as vir-
tudes sensitiva e vegetativa contendo deste
modo rirtualmenle em si as formas inferio-
res do bruto e da planta ; pelo que a mesma
alma intellectiva por si s exerce, alem das
funcres da inteligencia, as funeces d'alma
sensitiva do bruto, e os d'alma vegetativa da
planta. >
A mesma causa so deve dizer das ou-
tras almas. A alma das plantas, sendofitais
perfeila que a forma substancial dos ^pm-
postos inorgnicos, exerce por si s os actos
desta forma, assim como os que sao especi-
Gcos da mesma alma vegetativa. A alma
sensitiva sendo ainda mais perfeila que a
vegetativa por si s execula nao s os ac-
tos que lhe s3o especficos, como tambemos
d'aquellas oulras duas formas.*
Nao se sabe o que mais se deve admirar
nesses raciocinios do doulor anglico, se a
simplieidade delles, ou se a profundesa, se
a clareza, ou se o rigor lgico. SI estes
os caractersticos de raciocinio que se basea
na verdade, reflectindo-a de nm modo to
brilbante, que como impossivel orecusar-
Ibe a razo o seu assentiment.
Pelo que fica dito pois claro e- etidente.
que os compostos animados s tenT wna for-
ma substancial, urna nica alma, que por si
s executa todas as funches que se operaos
no corpo'a que ella est unida.
Os neo-platonicos do lempo de S. Tuomaz
ainda objectavam do seguinte modo:
Todo animal move-se, todo ser que mo-
ve-se tem duas partes, urna que o motor,
e outra mobil, a primeira a alma, se-
gunda corpo. Mas para que a alma mova
o corpo precisa ter o ser, assim como o cor-
po para ser movido tambem precisa de aw
por consequencia o mesmo corpo tem um
ser independente d'alma ; era pela forma
que a materia aclualisada, e tenioser:
logo todo animal tem urna forma substancial
alem d'alma, forma pela qual o corpo do
mesmo animal corpo, por tanto todo com-
posto vivo tem pelo menos duas formas,
duas almas.
Estaes confundindo as cousas, respon-
dia-lhes S. Thomaz. Confundir o acto pri-
meiro, que oser, como acto segundo, que
a operafao do ser; confundir o acto da
unio d'alma com o corpo com o do que a
mesma alma exerce sobre o corpo depois de
estar unida este. Unindo-se a alma ao cor-
po como forma, isto por seu ser, ella faz
que o corpo part lhe deste ser que pro-
pro della, fazendo deste modo que elle seja
corpo.
t Isto posto, o corpo nao tem ser proprio,
nao sendo elle corpo se nao pela alma, c n'al-
ma. Desde que essa uniao se opera, comega a
alma a mover o corpo, nao pelo ser della.
mas pela sua virtmle, e assim que ella
motor, e corpo mobil. Por consequencia o
corpo mu porque tenha um ser proprio
distincio d'alma, mas pelo ser d'alma que
o torna apto a ser movido por ella: logo n5o
ha no composto animado dous seres, nem
duas formas, nem duas almas, mas um s
ser, urna s alma, urna s forma.
Mas, replicavam os adversarios da unidade
da forma substancial, se o corpo do homem
tivesse um ser proprio, e independente do
d'alma constituindo-o um corpo em acto,
elle no seria senao em potencia, isto P se-
ria urna porclio da materia prima] puis c
profiri da mesma materia prima ser um
sujeilo puramente em potencia (5), e priva-
do de qualquer acto.
as formas que actualisam a materia
sua origem e tirarn a sua sustentculo do catholi-
cistno, e eorhbina os meios de as proteger, de as
desenvolver e de estender os seus beneficios; c
propoe-sc a animar e a espalhar a cultura das ar-
tes e das lettras as suas relacoes com o chrstia-
nismo. E' um campo de algum modo Ilimitado
alieno s discuss5es e s resoluges as mais serias
e as mais fecundas.
homem, assim como o do bruto, e o da
planta, um corpo misto, e porlanto alem
d'alma ha nee as formas dos differentes
elementos que o compoe, pelo que todo ser
vivo tem diversas formas substancies.
Esla objec?3o, respondia-lhes S. Tho-
maz, provm do erro de Avicenno, que sus-
lentava, que nos corpos mistos as formas
substanciaes dos elementos permaneciam
ainda depois da mistura, e que esta nao se
operava senao pel equilibrio das qualida-
des contrarias dos elementos.
* Mas ludo isso absurdo, porque a fr-.
ma substancial sendo inseparavel do seu ^\^^S^^'t^J^i
assslstir as reunKes as Merfcs e da
deliberante.
. lendeilemea,, *** rennilal
haretmHtes publicas, nao deliberantes
admitlidas todas as pessoaa unidas de
Ibes serao dados pelo comit mediante
lp de urna mdica retrtbok-ao, que do
do que a dos membros, serve pan paor
Fixando pela oflerta benevolente de sua emi- zas ja assemhla.
nencia o cardeal arcebispo, a sede da primeira as- \ jj
sembla em Malinos, julgou o comit de organisa-
cSo satisfazer a todas as exigencias. A ass<
Ero regra ordinaria, as sessoes das Mr??* **
lugar de manba ; as da assemMa eeral de im*-
encontrara na cidade metropolitana um dos mais e as reunioes publicas a nonte.
simpatliicos acolhimentos, locacs espacosose com- ^
modos para as suas sessoes, e alm disto, todas Na primeira reonio feral, o> ntenaWw ele
as facilidades de communicarao com as cidades ^m. sob propofa do comih de organisarao. 0 ft>-
sidente, dous vicc-presidenles quatro smeiafw
. assim como os presidente!*? rinro nw
jeito, SC OS elementos conservassem as suas a approA-arau directa do summo pontfice, ao qual: Estes dignatarios, ao uuaes u comit ajuntara e>
proprias formas nao poderiam misturar-se, Deus confi'ou o goremo da sua egreja, a adheso
* OCCUpariam pontos differentes no espaco, de muito eminentes-prelados de dkersos paizes.
i rsio que corpos ainerentes pot buasiwimas dansw vclt) gj,raiIteBi desde ja o'snccessoda
nao podem oceupar o mesmo lugar; e assim obra impriinindo-lho o-sello religioso e verdadei-
sendo ficariam os mesmos elementos separa- ramente ratiwlico.
dos quanto substancia, e s por justa pe- Tomar-sr-ha as Becanriaa medidas para pro-
sico se uniram. E assim s haveria mi- vcr a ,odas as *>* e atetar, quntte pos-
membros entre si escollados, coostiloirao a
da assembla geral.
XI
. A mesa, segundo asjndirares
ce o comit de organisaeo, detnnisy a i
tralallios, Testa dos uuaes figurara os
sobre a situaran das obras inemiooaibs a arL I
HemefTe para' sercm examinadas pHas vrrn a>
i o 7. I ** ir* sive1' ,odas as lmeuldades. Ellas se acham, em commimicacoes, asqiiesles eproposu itM'asnV
tura apparenie, mas nunca urna ^eroaaetra1 parte mencionadas na advertencia que acompanha | K,m uma soluco praiiea e rmaro, e ?mu as-
mistura, porque esta S pode ter lugar SC- o programma, c de que nocessario que todos os sembla geral ou reunio poblica as que aemu
gondo a substancia, OU segundo O todo : El mteressados tomem conbecimento. objecto dos discursos que ali devem ser pr*
ita vera mirtitt nuir ett lerunilum totum E" Prcc'*0 tambem, para conseguir o fin* da cjados.
ua vea nuxuo, quw esl secmaum toium g?iombIt;,a> reunr os c|Pment0s neeeaaariM ao Determina- o reglamento partk-ubr pan
sedmixtto ad sensum, quw esf seatndum SUS trlba||10S. pj^ra eslc clTt,i(0r 0 comit de or- celebracao das sessoes e sua dorara, e senef-*-
minimajuxta se posita. I gsnisacao solicita a remessa, o mais breve possi-
t Presentio Averroes OS ineonvenienles vel, dos relatoros, noticias e esdarecimentos pe-
rlfl nii> arahamns rT fallar o nnr i?tn di/ia !di,tos acerca das obras catholicas belgas, c estran-
ae que "caramas oe unar e por uto ama, | gera|mcnte sobre a situacao c progresso
que as formas dos elementos, por causa de *do u,thoikismo, particularmente' nos paizes em
'" imperfeico OCCUpavam um lug^tr medio, que a egreja se encontn
e as formas substanciaes e as acciden- commtmhoes christaas;
q
sua
entre
taes: e que ellas se equilibravam'mutua-
mente, ganhando. urnas, o que as outras per-
diam na mislura, e assim modificadas vi-
nham depois de reunidas a compr uma s
forma substancial no corpo misto.
Com a presente hypolliese Averroes em
vez de reraever o absurdo, cae em outro
ainda maior.
Cora effeito, o principio formal de um
composlo natural radivisivet, incapaz de
augmento ou de diminuico, e se elle tem
um gru de perfeico de mais ou de menos,
j no maiS' o mesmo principio formal, a
mesma forma; mas uma forma especfica-
mente differente, porque todo augmento ou
diminuico faz as formas variaran especfi-
camente, assim como acontece com os alga-
rismos, nos quaes qualquer addicro ou
subtraccSo toro' o numero de especie diffe-
rente.
Pode porlanto uma forma substancial
(excepta a alma humana) perecer, mas im-
possi'rel receber mais ou menos, ou que se
ponlia em relac3o com uma forma accidental
mediante outra de terceira especie, visto
que tambem impossivel achar cousa algu-
ma de medio entre a substancia e o acciden-
te.* lmpossibile esl quod fnfta subslantia-
lis qucecumque recipiat magis el mitins.
Nec mitins est impossibile aliquid esse m-
dium inler substantiam el accidens.
Pelo que fica dito devenios pois con-
cluir, que as formas dos elementos nao per-
manecem em acto no corpo misto, ou nao
permanecem como erara, mas s raen te pe-
los effeitos que as raesmas formas haviam
precedentemente produzido no referido
corpo misto,- visto que as propredades que
os elementos tinham de suas formas subs-
tanciaes, cooservam-se ainda depois do de-
sapparecimento desias, posto que muito en-
fraquecidas; e esses effeitos remanecentes
constituem a disposic3o do corpo misto para
receber uma forma substancial de ordem
superior. A mesma cousa ncontece assim
no corpo animado, como na pera.
sario fr,
curso.
o temno que pude oeapnr eafc ds-
XII
Ora,
CAPITULO M. prima sao primeiras na ordem do lempo, e
Uaqnifica argumentacao de S. ultimas na ordem da perfeicSo, da excellen-
Thomaz em favor da these ca e dignidade; e portanto se no composto
geral: Que toda alma fr- humano nao houvesse seno uma forma subs
ma nica do seu corpo. taneia!, a alma intellectiva, e se esta forma
Vigorosa refutacao das dou- se unisse immediatamente, como as formas
trinas de. Plato e dos phi- primeiras se uneni materia prima, seguir-
(Continuar-se-ha.)
losophos arabos contrarias
a aquella doutrina, pelo
mesmo doulor.A hypothcsc
da existencia de seres in-
tormedios entre a alma e o
corpo absurda.
c O contraro do que fica dito succedeo
sympattca artista pela endiente real dessa noite ao nussu cuijiu, *isiu que ociia v..a, ^ ,. u
pelas numerosas pravas de apreco e considera- alma intellectiva que lhe dalia O ser, e por
5o oue receben do publico, e desdarnos sincera- consequencia nao haveria verdadeira geraco
i ___i ._!-. .r.,1.,,,1 "... I illnn I i lo oAm
os-lhe iespeito da forma substancial. Estada, na
I tal ser, mas simplesmenle o ser, n3o um
ser accidental, mas o ser substancial; e
O Sr. Penante houve-se egualmente com muita t|esje modo a cousa que recebe uma nova
grata, e beta assim o Sr. Gil Braz. O Sr. Joaquim forma substancial se transforma, e se diz
Cmara trabalhou bem, e estava caracterisado com simplesmenle gerada, e a COUSa que perde
propriedade. Os Srs. Lessa, Santa Rosa e Porto essa furma, como o corpo quando delle se
ar.darain solTrivelmenle, cada um no seu papel, e separa a alma, se diz uma COUSa simplesmen-
toe na repeticao irao melhor. | te corrompida (4).
As Sras. D. Camilla e D. Josepha desempenha- Sendo assim, e se alm d'alma intel-
i beatas iiuenas partes que Ibes forara dis- lectiva tivesse o corpo humano outra forma
l: ibuidas. \ que o fizesse existir em acto, seria esta fr-
Foi este espectculo o escomido pela Sra. D. Ca- ma, ou alma, e nao a forma ou alma mtel-
tiiiia para o seu beneficio. Congratuiamo-nos com lectiva, que devena ser a forma substancial
a sympathica artista pela enchente real dessa noite do noSSO COrpo, VlStO que Sena ella, e nao a
c
nvmmqnoacomeita pecuniaria tenha correspon- humana, pela uniao d alma intellectiva com
ftdoao enthusiasmo demonstrado. Uma banda de o corpo, assim como nao haveria verdadeira
ansien marcial instada no salao deleitava o espi- morte no homem quando a alma se separa
Atodos diletanti nos intervalos do espectculo, do corpo, o que manifestamente falso.
Apenas o panno subiu, girndolas e girndolas de j A CQ l0j como a cntende a esColastica,
foguetes subiraiu tambem aos ares, c annunciaram ^ y,^ uma mudim^a na forma substancial
cue a benefleiada entrava em scena. Urna chuva ao cor|>o, por isso dizia S. Tliomaz, que nada se
copiosa de llores converteu parte do palco em mi- corrompe senao porque a forma^c separaJa matc-
., .. ...jr nn ria- MU corrummtur nist pe>- hoc quoa forma
moso tapete. Alvos pombinhos foram atirados ao g^ nu,teria ZpnU*. A materia como tal
proscenio. Muitos e lindos ramos de flores naturaes ,/llfompttwJ; o composto natural que se pode
c artificiaes lhe caliiram por differentes vezes aos corromper, isto perder a forma que tinlia passado
mee os aoplausos eram vivos e fervorosos. A pa- a ter outra. Quando um estatuario tomando um
-5S. tm ~~*-. iT -C'attasBfBSnaB*?
quanto aprecia o seu talento, e chamando-a a sce- mesm0 marmore em outra, ora, essa mudanca de
na saudou-a frenticamente : a Sra. D. Camilla forma uma verdadeira alteracao, urna corrup-
frarianM a ovaro de que era objecto. cao; assim como, se o mesmo estatuario quebra
Bgi*M.cui on...iu u i j i pedacos asua estatua, nao faz senao
Foi tambem chamada a Sr. D. Eugenia, que pela dest'r Jr a forma da cstatua; ,,t0 ainda uraa Cor-
^ c primeira se recusou a appareccr, c o panno ruDca0; do mesmo modo que, quando um corpo
deseeu, Sio satisfeita a platea, tornou a chamar a animado, perdendo a forma substancial, Joma a de-
tra. I). Eugenia, que afinal se dignou vr scena,
itias, atravessando-a testamente, sumo-se por en-
tn- os bastidores Se foi uma desfeita ao publico
sagradavel forma de um cadver, corrompe-se.
A palavra geracao para os escolsticos, a ori-
gem de um ser vivo procedendo de outro, na mes-
ma especie e conservado o seu principio: arigo ri-
primei._
se-hia que a alma intellectiva era a mais im-
perfeita, nfima e vil de todas as formas, o
que nem os proprios materialistas poderiam
admittir.
a Confunds ainda cousas muito differen-
tes, respondia-lhes S. Thomaz. Com effei-
to, toda a forma que se unir immediata-
mente materia nao ha de affectar esla do
mesmo modo; mas segundo os differentes
grus de perfeico da forma que se unir a
materia, o composlo que dessa unio resul-
tar simplesmente como todos os compostos
substanciaes, mesmo os inorgnicos; ( e
vegeta como a planta; vegeta e sent como
o bruto ; vegeta, sent, e raciocina como
o homem.
Por consequencia o maior ou menor
gru de perfeico da forma nao depende de
sua unio mais ou menos immediala com a
materia, porm sim do gru de virtude e
poder da nalureza da mesma forma, sendo
que por meio dessa virtude que a
materia elevada a um gru maior de
ser e de vida. Assim que, a forma dos
seres inorgnicos, dando materia o pri-
meiro e vm s gru de perfeico, por isso
muito imperfeita ; a que d dous grus de
perfeico, como a forma das plantas, mais
perfeila, a que d tres, como a dos brutos
ainda mais perfeila, e aquella que como
a alma humana d lodo* os grus de perfei-
Co e de vida, a mais perfeita de todas as
formas. Portanto, por estar a alma unida
immediatamente, e como acto primeiro do
corpo, nada d'ahi resulla, que seja contrario
dignidade, nobreza e perfeico da mesma
alma. t
Finalmente, os neo-platonicos da edade
media diziam: Nenhuma mistura natural
se opera s pela materia, pois nesle caso
nao haveria mislura nalural, mas somenie
corrupeo; e assim sendo, toda mistura na-
lural se opera com differentes elementos,
que tem, e conservam suas respectivas for-
mas, sendo que estas sao substanciaes, pois
do o ser aos elementos. Ora, o corpo do
oue unto a tem applaudido, e nessa mesma noute. ventis a vtente, in eadem specie, cmn principio co-
vjuncto. Para que haja corrupcao preciso que
luobem o fez, nao o diremos nos. i-v.....;-. m c\>ror "r>
. .___..^ I a materia perca a sua forma superior, passanoo a
Consta-nos que, gracas aura violento despeno': te. outra inferior. )>ara dar-se ageragao a mate-
ttz a benefimda tragar amargo fel, ajudapdo-a ra de sua forma inferior elevada a u
peste empenho mais alguem que devia ser supe-
rior a essas pequeas miserias emfim, sua alma,
iua palma. Que a Sra. D. Camilla se apresentou
com indicios salientes ik lagrimas, isso viram to-
008. Como compensacao a esses amargores, a es-
08 espinhos que semprc se encontram em tao tor-
mentosa carreira, um acompanhamento numeroso
superior, logo a geracao supponhe a corrupcao.
d'ahi veio aquelle axioma da philosopbia escolsti-
ca : Que na natureza material, corrupcao de uma
cousa a ~
(5) S. Thomaz define a materia prima, a poten-
ca substancial, substantialis potentia ; isto um
suieito inteiramente indeterminado, que nada se
a forma substancial o nao reduz a acto; o pri-
meiro sujeito, ou elemento material das cousas ma- interiores da rcuniao.
teriacs; servindo-se desse primeiro sujeilo a natu-
.. reza fez o pu, a pedra, os metaes, oto. D'aqui se
O que vae pelo mundo.
De 18 a 22 do correule mez deve reunlr-se na
populosa cidade de Matines, na Blgica, uma as-
sembla geral dos catbolicos desse paiz, qual a-s
sistirao homens importantes no mundo da scien-
cia afun de tratar-se do quanto se acha escripto
no documento seguinte :
Os catbolicos da Alleinanha constituirn em
1848 urna assembla geral das associacoes catho-
licas, pias, caritativas, etc. existentes nos dilferen-
tes estados da Allemanha; desde entao esta as-
sembla se tem reunido todos os annos, estenden-
du o seu circulo de aecao, multiplicando o numero
dos seus membros, e funeciouando successivamon-
te as principaes cidades da confederacjio germ-
nica.
A sua decima quarta sessao se celebrou o an-
no passado em Aix-la-Chapellc, e o brilhantismo
dessa reuniao, a affluencia dos assistentes, a im-
portancia das questoes que nella se agitaran), e
das resolur;oes que se tomaram, testemunham os
progressos continuos, e a vitalidade da inslilucao.
Pela sua parte, os aatholicos da Suissa, fun-
daran) para o mesmo fim, em 1837, a associaro
de Pi IX (Piits-Yerein), que se rene tambem an-
nualmente, e se poz em relaeao intima com a as-
sociacao allemaa.
Este movimento de reuniao deve estender-se
debaixo de formas dilfcrentes, mas com um espi-
rito idntico, a todos paizes em que os catholicos,
com maior ou menor latitude, gosam do direito
de associacao debaixo da egide das leis communs.
c Por este principio a Blgica nao podia deixar
de tomar parte nelle. A situacao em que se aeltam
os catholicos belgas, os deveres que Ihes impocm
os acontecimentos -, as liberdades cujo goso lhes
tem sido conservado pelos seus perseverantes es-
forcos; os votos expressados por toda a parte; ?
adhesao e as animacoes do episcopado, determina-
ran) a constituigao de um comit que, debaixo dos
auspicios de sua eminencia o cardeal arcebispo
primaz, resolveu convocar em Malines, em 18 do
prximo mez de agosto, uma assombla geral a
que sao convocados nao s os catholicos belgas
dispostos a tomar parte em seus trabalhos, mas
tambem um certo numero de catholicos eminentes
dos paizes estrangeiros.
i O objecto desta assembla esta especificado
nos estatutos, que, simultneamente, rogulam til-
do o que se refere sua organisacao, e um pro-
gramma determina as questoes de que ter de se
oceupar na sua primeira sessao.
Estes documentos sao acompanhados de ums
advertencia relativa aos preparativos e arranjoa
outra em presenra de outras
assim comoro annuncio
dos discursos que certo membros se proporiam a
pronunciar as sessoes publicas mencionadas no
art. XIV dos estatutos. '
As revistas e jomacs catholicos belgas c es-
trangeiros sao com empenho convidados a prestar
o apoio da sua publicidad^ a uma empresa que in-
teressa o catholicismo inteiro, e da qual-nicamen-
te a noticia nao pode deixar de despertar a atten-
cao e de atfrahir as simpathias de todos os catbo-
licos sinceramente dedicados grande e sania
causa, que do seu dever defender e fazer trinm-
piar com a-grara de Deus.
Menujros do comit-efe organisarao.
Bario de Gerlache, prkneiro presoenfe da
0feW de cnssation, amigo presidente do congresso
nacional, membro da acadeoHa realpresidente.
Ed Dttcpetiaujc, inspector geral honorario
dos estatoelecimontos de beneficencia e das prisftes,
membro da academia real e correspondente do
instituto de Francasecretario-.'
O cavalheiro.-de Wouters- coronel da guarda cvica deftruxellasthesou-
reiro.
Baro de Aitethm ministro de estadosena-
dor.
A. Beckevsadvogado.
t Conde Conwt de Grez, .-vnfigo membro do
eongresso nacional.
Ad. Deehamft, ministro d'estado membro da
cmara dos repr-esontantes.
A. Delmcr.
Conde Edgar Ihrcal de Beirnimi.
Ch. Fron, advogado.
O eonego de- Hnrrne, membro da camara dos
representantes, antigo membro *j congresso na-
cional.
t P. de Haullei'iite.
t Visconde Kg. de Kerckliorr antigo ministro
plenipotenciario.
Conde A'ma de Meens.
Conde de Mrrode de WtiHrm, momltfcda
camara dos rcpnesentantes.
L. de Moiwt, advogado.
B. du Mr'tier, membro da cmara dos repre-
sentantes e da academia real.
DeNaeger, membro e antfco vice-presidonte
da oamara dos representantes.
t Ptre.
t Conde A. Rikincouit.
Conde Maiirice de Robiano, senador.
Cavalheiro de Stas, antigo director do Cmmer
de la Mease e do Journal de BrnxeUes.
t Conde de Theiu, ministro de estado, membro
da camara dos representantes.
* i Oeorges TKHU de Roondenbeke.
c Cavalheiro Fon Tronca.
O rovorondissimo Af. Verhowttrete, deao de
Bruxellas.
Conde Villnmnnt, membro- do conseJho pro-
vincial de amar.
t Woeste, advogado.
EttattUot
I
Seguindo o exemplo das grandes reunios ca-
Iholcas da AUemanha e da Subsa, instituida na
Blgica uma assembla geral dos delegados e mem-
bros das obras catholicas de caridade, de educagao,
e de soccorros. etc, e egualmente de todas as pes-
soas conhecidas pela sua dedicacao a causa da re-
ligiao e da verdadeira liberdade, aflm de tomar co-
nbecimento da situacao das obrAS;combinaros nitros
de asproteger,desenvolver eastenderseuslienelicio^,
e reunir todos os esforcos para a defeza e para o
triumpbo justo dos interesses e liberdades eatno-
1C3S
A assembla abstcn>se de tomar nenhuma
a aterven-
As seccVsconslitoem-.sf imm>,*ai.imenle e-
is da sessao de abertura, e elegen nm H-e-pr>-
sMente e umou muiles secretans*. Todo #
ntembros podem livremenle lomar [arle nos sco-
liahafcnn, com tanto que assignem a usa dos prc-
entes.
r Cada scc^ao examina questie e prcpealH
que lhe sao tran>mitlidas nos lemos *> art XI;
nomeia um, ou muilos reblores enc^refadw *
submetterem a approvacao da assembi grrai a
propo6tas adoptadas.
XIII
.'.assembla geral disente os relatnos i
sao apresentados pelas secec1, e rejrila,-
ou adopta as suas conclnsoe*.
XIV
as reunioes publicas, m discursos *n pro-
nunciados acerca das grandes questoes qjnleai re-
laeaoDnos intereseetv-catholro*.
. fra oliler a palavra, wressari>> pnli-la. a
menos, oto dias antes da assemMa peral ao cmi
t de crcanisacao, participando o objecto do dfe-
curso.
A mesa fixa a ordVm pela qnal os orsdotc se-
rao ouridos.
t Pode- tambem exc. peionahncnte antonaar nm
orador nao inscripto a pronunciar um di*so.
t Alm disto faz renniao as communV;.
que jufgar convenientes.
t O presidente conserva a ordem as sesswe
d ou rutina a pahvr*, e poe a resolorwe vo-
tacao.
t Os secretarios teem a sen cargo a
das acia*,a inscripcaadas prupsstas. aexpaeiraw
a contaren i dos votos. ^
Todi a proposta (ce appawcw durar.' rw *-
bates, deve ser dirigida |*r escTipto ao pc-sid-nl-
a sua leitnra e discu^ea no pfW'ni ter logar s#w
o consenlimento da mea.
XVI
Anfsts de se fechar cada *ssao. a asaenabtea
sob proposta da mesat designa o lugar da xm pr-
xima rtnniao, e nomeia o comit no lern.*. do art
V dos presentes estatuios.
O tomit c|ue sab entrega ao comit qpr enm-
em exereicio os arenivos. e aesim a con da i
ceitas e despezas, e lhe entrega, se kai
em caixa para servir ao tira geral da obra.
Fica, nao ol>stanle. enearregado de J
com oc-secretarios.da puMicarao das acta* '
soes e de as mandar aos membros da ustahte*
X\TI
A participaco nos traaalhos, coa i tanaWnioj
votos da assembla, nao eompromentia dr mane-
algum a opiniao e a responsabilidad-, iniliinai
dos membros que conservam. tanto ante- romo te
i>ois.*a sua plena e inh-ira lilierda*-.
Di.-ijiosic.-k> transitoria.
O comit enearregado da orp.i*a> da pr^
utoira assembtia. geni, revestid, i* poder
enunciados no art. V dos estatutos. d dirrii aV
deiignar o lugar da i .uniao. r^umih entre
fundadores.
t Ke-solvido as sessTx-s dt- 31 de jancin e Je 1
de fevereiro de t*r>t.
Pelo comit de organisacao
O secretario, Ed. l)nceptii*x. -> pr<*?.v
Barn de tieralwft,:
(Mdem du* M
18 de agosto.
parle em negocios polticos, e de toda a
cao em eleicoes e as lulas de partidos, pro-a se de-
ao objecto preciso cima es-
II
A assembla geral dos catholicos reune-se tun-
as vezes quantas possivel cada anno, alternativa-
cao em cleic
dicar exclusivamente
pecificado.
tura santa, cahindo na trra nao morre, fica so, mas
se morre, produz muito fructo. Joao XII 24.) Es-
sas palavras do Evangelho revelam urna das leis
i mais constantes e universaes da crea^ao; a saber,
oguiu at casa a Sra. D. Camilla, e ahi lhe tes- que na ordem phvsira a dcstruicao o fundamento
lemunhou a sua sympathia, e o sentimento que a' da reparacao; que a morte de um o"1^ av'9.a
tS. ^ p*JL .o .he m. *-, syOSfS^S'A.TS
ram libar. Mnito bem f approvamos de coracao Ul pad,^ ventura sobre o coutedpesta ola, na phi-
firocedinvento, porque a causa dos opprimido 6. losophia christaa tomo 2o pg. #i
aquella qne sempre espedimos. X
ae^aoaU^ s7o graode^r go di acscrip-iria segmh^ que nao outra cousa senao esse mes-
^lSi.n..Ln-iS itraA mas mo t.u. Dcdra, etc. em potencia de receber d arte
Estranha poltica propriamente dita, s lu-
tas de eleicSes e de partidos, s preocoupacSes e
aos interesses ephemeros quo nascem e morrem
cada dia, a assembla geral dos catholicos na Bel-
las vezes quanta.. v v --------
mente as cidades que offereccm para esse effeito
as facilidades necessarias.
t Procura relacionar-se com as assemmeas e as-
sociacoes constituidas para fim anlogo nos oiHro
paizes.
. Fazem parte da assembla geral na qualidade
de membros eflectivos : .
I Os delegados das obras catholicas que nella
se fizerem representar.
n Os membros activos das mesnias obras, mu-
nidos do titulo necessario para se fazerem reco-
HlOsadherentesaos estatutos geraes da as-
sembla.
, IV Os membros do-clero.
V \s pessoas convidadas ou admittidas pelo
T Os tnE'safparticularmente dirigidos a ca-
tholicos eminentes belgas e estrangeiros, a fim de
ontribuirem para estender e fortificar o laco que
deve unir de uma maneira indissoluvel o hlbos
da egreja catholica, sobre toda a superficie do
globo. iy
. Os membros effectivos, levando o, seu bUhele
de entrada, pagam uma rolribuicao de 5 francos,
mediante a qual recebem .a acta da sessao.
. Em cada sessao da assembla peral non)ea-
do omcomilcde 9 membros ^carregado de or-
ganisar a sessao seguinte, e dar seguvroento as rc-
sario aaeretar a si o numero de membros que
ulgue S qe ^olber W^ loca-
idade em que se deve celebrar a ^sfmblea^
. Kixaaooca da convoca?ao, dirige conxuw,
l\%Sm!lS^ conforme o art. X,
as communicacoes e propostas que lhe orecam em
?rarTo circulo dos trabalhos da assembla, e lhe
marca alm disto as questoes ire nteresse prati-
"o wrca das quaes Julga v.y\ chamar a sua at-
tD.CTma finalmente toas as medidas necessa-
rias nara assegurav o deseovolviniente e o suc-
cesso da obra que presenta no inlervallo das ses-
soes. ^
A assentbla geral dvide-se em 5 seccoes :
I Obras religiosas, missoes interiores e exte-
< 10 horasReunio no local da a mika |
se dirigirem corporaco a egreja metropolita
Saint lioud'wii. onde se celebrara de ponrai i
missa do Espirito Sanio as IIMiora* meia
por S. Eminencia o carde:-1, arct-bispo Ok Matta*-*
primaz da Blgica.
Depois da mia regresso ao tocal das mmm*
t Discurso de abertura pelo prestoVate m> re-
mite de organisacao.
Constiluico da .-v-semblca. Xooearaw -
membros da "mesa central e d<
seccoes.
" Mensagem a Sna Santidad? o Papa Pi l\
Reuniao e constituieo das so*sw
3 horasReuniiio das 'cviies.
."i horasAssemMa geral dos n?nbr-
19. 20 e 21 de agosta.
10 horasReuniao das spsrs6e>.
3 horas Reunio d. a^semhtea gerJ v
membros.
5 )i horasSessao pablica.
22 il
t Encerramento da jnjl hora?. Itesijr
naco do lugar da prximaass.mM.-a. >eeata >
do'comit de organisacao ros termos dc-ar?. f 4V
estatutos,
t il o meia boras-Ultima .o (nblica
' 2 IvorasBanquete de despedida-.
Progiumma dos trtiholhtii.
A.seccoc.
S.S
mo pu, pedra,..
formas accidentaes. natureza obrando sobre o gCAi pollocando-se n uma esphera superior, aspira
elemento material, ou materia prima, fez o marmo- ^meiro uc tudo a nnir as torcas e as vontades
caque lhe dr o homem, se tornar uma mesa, urna berdades catholicas. Para este effeito, estuda to-
estatua, etc. Vendo o que se faz na materia sernm- ,jos ^ grandes problemas sociaes e religiosos, e
da, deixada ao servico d'arte podemos comprehen- ^^ ^ matenaes que podem contribuir para a j reypoa
der o que nao vemos, a materia prima de que se toma conheciinonto do estado das yin 1 Mlt^timiTiV1 n
serv-u a mmm. & ft | ^ ^ mtmm, c de educacao, que tem I M os membros effectivos que tem d.reito de PERNAMBUCO.-TTP
ores.
, II Obras de caridade. .
III Inslruccao e educarlo christaas.
IV Arte christaa.
V Liberdade religiosa, publicacoes, correspon-
dencia internacional, negocios diversos.
VII
t Os trabalhos da assembla duram pelo menos
4 dias, e sao inaugurados por urna solemne festa
! seccaoObras reb{;h'-
i I Situacao, rgularisarao e exlensao btt>
do dinheiro de S. Pedro.
2 Obra catholica do MM dos pobre, e
ba morte. Associacoes, usos e pratieas as tur**
sas localidades do piz e do estrangeiro.
3 Santilicaco do domingo
4 Missoes. obra das egrejas Uadas *
Oriente etc.
2* seccaoObras de caridade.
1 Situacao geral das obras livres de
obstculos que encontram; meios de
de desenvolver as in-liluicoes de
licas.
* i 2 Designac.o das obras que corre-
necessidades mais urgentes, e medid.-'' a tomgr po
ra a sna lundaco e extens;'o.
3' secccrlnslrncco christaa.
t 1 Meios de' estender e propagar ensino | a-
escolas catholica-. #
t 2 Propagaco de Dons lirros. creaeao de W
bliotheeas etc.
4" seccaoarte christaa.
1 A arte as sa< relacoes com o cahVri-
mo ; ensino e oropagaco da arle rhriMaa.
t 2 Estvlo. decoracao e restanraco dne monu-
mentos religiosos.
3 Msica religiosa.
5- seccaoLiberdade religiosa, pneBcaecs, eorre^
pondencia internacional etc.
1 Estado da poblicidade no peala de
dos interesses catholicos e meios de a
t 2 Associacoe" e circuios ealhohcos
Correspondencia internacional.
BAsemMa geral
i 1 Relatoros e noticias acerca f
progressos do catholicismo nos i
t 2 Relatoro acerca da obra da
f, sua situacao, seus progresneeei
3 Relatoros e noticias Merca i
ridade e de instrueeio na Blgica e ana ]
trangeiros,
i 4 Relatnos apresentados peta i
cussao e voto das propostas.
C Milu
< i Discursos acerca da
tem relaeao com os
< S fommunieacCes da i


>ca
DE M. F F. *


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXEQ85XNK_S7WYQR INGEST_TIME 2013-08-28T02:55:21Z PACKAGE AA00011611_10163
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES