Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10156


This item is only available as the following downloads:


Full Text


i

ANUO XXXIX HUERO 176.
Por tres mezes adiantados 3$000
Por lies mezes vencidos 6$U00
TERCA TOA 4 DE AGOSTO DE 1863
'. Pop auno adiantado..... 49$0(M>
Porte franco para.o subscriptor.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRD?gO NO NORTE
Parahyha. o Sr. Antonio Alejandrino do Lima:
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Araratv o
Sr.A. de tonas Braga; Gear, o Sr. J. Jos do
Oliveira: Maranhao. o Sr. Joaquim Marque.- Ro-
drigues; Para, es Srs. Mannel Pinheiro A C; A-
mazonas, o Sr. Jernimo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SIL
Alagas, o Sr. Claudino Falciio Dias: Baha, o
Sr. Jos Martios Alvos; Rio do Janeiro, os Sis. Pe-
reir Marlins PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo o Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna o Parahyba as segundas e
sexlas-foiras.
Santo Anto, Grvala, Bczerros, Bonito, Caruaru'.
Altinho e Garanliiins as toreas foiras.
Pao d'Alho. Najaren, Liniooiro" Brejo, Pesqucira.
Ingazeira. Flores, Villa Bella,Tacante', Cabrob,
Boa Vista. Ourirury e E\u' as quartas feiras.
Sorinhem, Ri Formoso, Tainandar. Una, Barrei
ros, Agua Preta e Pimcntciras nas quintas feiras.
Illia de Fernando todas as veies que para ali*sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao l/2 (lia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JULHO.
6 Quarto ming. as 6 h., 40 m. e 14 s. da m.
14 La nova as 10 h., 37 m. e 44 s. da m.
ti Quarto rese, as 2 h., 54 m. e 32 s. da m.
28 La cheia as 5 h., 19 m. e 56 s. da t.
PREAMAR DE HOJE. *
Prmeira as 7 horas e 42 minutos da manha.
Segunda as 8 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o ral at Alagas a 5 e 25; para o norte at
i i% a 7 e w de cada mez: l>ara Fernando nos
das li dos mozos dejan, maro., maio, jul. sot. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Rocn- do Apipueos s 6 % 7, 7 % 8 e
8 V* da m.; do Olinda s 8 da m. o 6 da tarde; do
Jal>oatao as 6 >/, da m.-, do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Reeife : para o Apipuoos s 3'/?. 4, 4 V*. 4'/,.
_; S'/j, 5 i/j < C da tardo; para Olinda s 7da
rnanhaa e 4 /, da tarde; para Jahoato s 4 da tar-
Al DIENCIA DOS TBIBl'NAES DA CAPITAL '
Tribunal do eommereio: segundas e quintas.
Relacao: toreas e sabbados s 10 tara*
Fazenda : quinta> s 10 horas.
Juizo do eommereio : segundas .< 11 honti
Dito do orpliaos-: toreas e sextas s 10 horas.
Priinoia vara d*o rivel : tareas e sextas ao meio
da.
de j para Cachang e Varzea s 4 '/2 da tardo; para Segunda vara do rivel: murrias o sabbados a 1 hora
Bem boa as 4 da tarde. da tarde
PARTE OFFICIAL.
zes, vendendo-se os penbores, ou polos procos das
avaliacSes, ou por outros anda supriores."
Aeha-se esliocado un proiecto de regulamento
j interno para os dous cstabeleeimontos. Ensaia-se
a sua execueao, e s depois de modifieadas as dis-
MIX1KTERIO A I V/IM \.
Relatorio do ministerio da fazenda, que de va ser posices qu a pratica encontrarem obstculos,
apresenlail assembla jrral legislativa pelo
ser mandado cumprir por este ministerio.
respectivo
branles.
ministro o E\m. Sr. marquez de
(Cotitintiaro).
CAIXA ECONMICA, E MONTE DE SOCCORRO.
A experiencia tem j mostrado que o regula-
monto expedido coni o decreto de 12 de Janeiro de
1861 precisa de alteraeoes em muitos de seus ar-
tigos, pan que melhor satisfaga os flns de sua
creaeao. Esta materia est em estudo, e oppor-
tunamente ser resol vida d modo conveniente.
Minislorws.
DIAS DA SEMANA
.1 Segunda. S-. Gaoialiel o Wodi-mn m
4. Torea. S. Domingo- do ilu-mo ftmatajg
.i. Quarta. S. Euihiquio; s. Cantidiuni.
i. Quinta. Ss. Felicsimo Agapilo tnV
*7. Sexta. 8. CaetanoThoat.....itin.la.lor
8 Sabbado. S. C\riaeo diae. m. 8. KmiUmo I
9. Domingo. S. Romo sold. S. S>Tiirnliano u.
ASSIGXA-SE
no Reoifo. em a I i vrasia da pra.a da Inl>-|-n>l .
ns. 6 e 8. dos propiietarios Manuel Figneiro.> i
Paria & Filbo.
Responsaveis.
Valor da responsa-
bilidade.
THESOURONACIONAL ETHESOURARIAS
DE FAZENDA.
Depois do rclatorio deste ministerio pertenecido
ao anno de 1862 deram-se no cstabelecimento, de
que vou tratar, as vagas de presidente, e de dous
(nombras do conselho inspector e fiscal. Aquella
foi occasionada por ser chamado ao lugar de mi-
nistro e secretario de estado dos negocios da fa- 12 da lei n. 1114 de 27 de sctcinbro de 1860 a re-
zenda o finado Sr. visconde de Albuquerque, as forma que pela de numero 563 de 4 de julho de
outras por mortc do Sr. commendador Jos de 1860 foi o governo autorisado a fazer, e effeetira-
raujo Colho, e passagem de um dos membros mente fez, nos regulamentos do thesouro e thesou-
presidente. O conselho boje comooc-se dos segun- rarias de fazenda, torna-se desnecessaro repetir a
TIIESOIRO.
'Estando j approvada pelo paragrapho 10 do art.
Imperio............i.
Justica.............
Marinba
tes prestantes cavalheiros
Presidente o Sr. conselheiro Alexandre Mara de
Mariz Sarment.
Vice-presidente o Sr. visconde do Bomfim.
Membros do conselho os Srs.:
Jos Joaquim de Lima e Silva Sobrinho, que serve
de secretario.
Bario do Itamaraty.
Visconde de Souto.
Candido Jos Rodrigues Torres.
Dr. Jos Machado Colho e Castro.
Luiz Antonio da Silva Guimarcs.
Hermenegildo Duarte Monteiro.
Jos Carlos Mayrink.
To distinctos membros nao podiam deixar de
cumprir os deveres a que estao obrigados pela
aoeitaco destes lugares.
demonstraoao das vantagens, que dessa forma se
tem colindo.
incontestavel que a administraeao, assentada
sobre as bases estabelecidas pelos novos regula-
mentos, vai satisfazendo aos lins com que foi eom-
prohendida a mesma reforma ; nao obstante, a ex-
periencia ter j indicado a necessidade de diversas
modificacoes parciaes que, seni alaearem o seu
principio fundamental, lbe deera anda o melliora-
mento de que carece.
Entre ellas sobresahe a de se alterarem as attri-
buieftes das directorias do thesouro. fazendo desap-
parecer as desiguldades que actualmente se obser-
vam, e a de urna nova divisao na organisaeo inter-
na das mesmas directorias.
Algumas das medidas convenientes para mellio-
rar-so esta parte d servco do Estado s podem ser
adoptadas pelo poder legislativo; outras, porm, ha
Thcsoureiro do collegio de Pedro II.........
Thesoureiros e agentes do correio..........<
Thesoureiro da irmandade do Santissimo Sa-
cramento da freguezia da Gloria desta corte
Encarregados de despezas da eommisso seien-
. tilica de exploraco......?.!............
Director da casasade correccao............
Thesoureiros de polica da corte e provincia
do Rio de Janeiro......................
Prefeito dos missionarios Capuehinhos.......
{Commissarios da armada..................
Encarregados de boticas...................
Director do pharol da Ilha Rasa.............
tiuerra................Commissoes de vveres...................
Administradores de mesas................
Collectores..............................
Reeebedor do sello, cobradores de recebedo-
rias, agentes do imposto do/ gado, e vendo-
Fazenda......... ( dores "e P'P0' ^"'do .................
Thesoureiro geral e pagadores do thesouro___
Thesoureiros da caixa de Amortizaeao.......
Ministro brasileiro em Londres.............
Administrador da typographia nacional.....
Thesoureiro das loteras da corte...........
Agricultura, eommereiow_ ...
e obras publicas.....j Inspector das obras publicas...............
B
17
2
1
3
2
57
44
1
4
8
21
66
3
7
1
246
29
8
1
100
466:8345444
400:4835672
22:2005000
98:3755402
StaVlmTSte F3 e J,,li3 "" ps,e *> taulhSo E
Na mesma relacao se declara (iuo por ralla de v^'V :',|,K'!!! f ''' d.,nes* ?rrna- I*"**
tas tontas, aiuda nada se liavia pago de gratifica- sctrnnlo consti do oii-ido aviso
C^aos euipregados encarregados do.tos ^^^k^u^Iu pn. -frr..
otaoatneA niiw. ,i ,:. .i. .:._. .,__ i-.X: utiio.
194:9025086 exame tarto da receita da siza *e dos dreitos de
37:0135591 5 e 15 %, na compra e vdhda das embarcaeoes.
1.485:5855841 como da arrecadacao dos dnheiros de orpbios,
5 | de bens de defuntos e alisantes e dos do evento, exa-
1:4695120 me alias indispensavel para que a tomada de cons-
838:7945883 tas possa considerar-se ultimada. Raros. pomiK
291:5435137 sao os exactores, morraente dos annos anti-nores a
933:5545833 1854, cujas conlas estejam nos termos de ser defi-
nitivamente julgadas.
2.504:2795499
49.090:1285227
19.175:4515162
1,341:3575612
193:5495210
8,160:0005000
12:8125535
Dito ao dosombarfdor provodor da Suma i..
sa.Quein V. S. innrpor oseo paren-r jrrrr .t-.
3ue jitile no incluso wqiu-i-mrito Kd*ard Finnm
;i Silva.
Dito ao inspector da tbesouraria de fazemia.
Restituindo a V. S. afearlo com o offio docomw-l
commandanle do presidio de Fernando laiadtA-d-
26 o 27 do maio ultimo e sob ns. 27 e 28. n dmi-
85,357:3715907
Extremadas, porm,'as que foram objecto dos trabalhos da directora durante as horas do expe-
diente, tabella 68, das mencionadas, na tabella n. 69, tomadas fra do thesouro, teni-se o seeuinte re-
sultado.
Por fallecimento do thesoureiro Pedro Candido *"que cabem na aleada do govern, das qaes agu-
de Souza Gonzaga. foi nomeado para o substituir i mas foram j adoptadas por meus antecessores e
Joaquim Alvarenga da Rocha, e commetteu-se aos outras serao publicailas ojiportunamente.
Srs. Jos Joaquim de Lima e Silva Sobrinho e I A .
Hermenegildo Duarte Monteiro a tomada das con-' Assim' reconhecendo-se a necessidade de fixar
tas d'aquellc finado. O thesoureiro actual come-1 regra sobre ** Pagamentos das dividas reclamadas
eou a funecionar depois de prestar a divida lianca P0! successor<,s ou cossionarios de credores do Es-
j tado, c como ensaio de execuco ao disposto no pa-
Dos quadros das operacoes deste eslabelocmen-! ragrapho terceiro do art. 46 do decreto n. 2343 do
to, existentes no thesouro, v-se que progressivo, 29 de Janeiro de 1859, expedio-se a circular de 12
constante augmento^tm elles tido desde que I d selcmbro do anno passado que, alm de harmo-
3=HH
a o o
5.3 2
'y.' s u
H
i "i?
: i
i ?': I
... 3
a
abriram suas portas ao publico.
No fim de 1861 contava a caixa
econmica 186 depositantes com
o capital e juros vencidos de 11:4385986
No fim de 1862 tinha 592 deposi-
tantes com. ...;... 49:9115087
Augmento que se deu no ultimo
anno. 406 depositantes com. 38:4725101
O monte de soccorro no fim de
1861 tinha empregado sobre 354
penhores........ 31:2005000
E no fim de 1862. 1.806 ditos no
valor de. ....... 155:4635220
Augmento : 1.452 penbores impor-
tando em ........ 124:2635220
Com tudo, os lucros dos mesmos estabelecimen-1 *'"'f ,consee.idt tos ainda nao fazem face s. despezas doiS, I ?P* ? d,.c,ou os mencionados decretos,-pre-
msar a pratica as thesourarias com a do thesouro
nessa parte, teve em vista smiplifjcar o expediente,
o por conseguirte poupar dis|iendio aos interessa-
dos, sem prejuizo da fiscalisacao.
No ultimo rolatorio foram ex|ostas as vantagens '
que se esperaran) do decreto numero 2884 do pri-
meiro de fevoroiro de 1862. ampliado pelas dispo-:
sieoes do de numero 2897 de 26 do mesino mez; e, I
com effeito, essas vantagens sao ncoulestaveis. Al-
gumas thesourarias, porm, no comeco de sda exe- j
cqoo deixaram de observar parte das disposiedes'
dos referidos decretos, segundo a verdadeira in .
telligeneia que deviam ter; e. sendo neseessario
evitar que se estabelecessem praticas errneas,
pela ciroular de 13 de setembro esclareceu-se esta
materia.
Alm de que, pela constante analyse e censura
feita pela directora geral de comptabilidade nos
respectivos trabalhos das thesourarias de fazenda.
Com o. Ilmde sabir deste embaraco, que prejud- S^SSrSSS l ttirat' Et
ca tanto os nteresses dos responsaveis, co.no os do a 2. g o fUlS
proprio fisco, rcquisicoes reiteradas tem sido teta* 9:54do i o 2- di *. 120500 prov.S" dT-br.
nha d> mandioca que venderam ao almovirifeh-
daquolle presidio para .sustento dos ropeetiv...
sentenciados, o autoris) em vista >- sira inPriit:i
cao de 28 do corrente n. 560. a marolar fffi>>rtiia i
esses pagamentos as pessoa que pan isso n*r-
trarem autorisadas.
Ditp ao mesmo.Autorixi V. S. em vista li
informaeao de 2* do corrente sob a 503, dada acer-
ca do ivipiorimmio quo devolvo. a mandar Mrr
gar a Huraco Green & C. emproMr* da ponte <*
forro entre o thealro de Santa IsabH p a ra >k>
pelo thesouro, j por intermedio dos juizes de di-
rento e da presidencia do Rio de Janeiro, j do mi-
nisterio da justioa. Algum resultado se tem colin-
do das brovideneias tomadas ; mas resta ainda
mu to a fazer para conseguir-se o fim pretendido.
licito duvidar da eftieaeia de medidas, quaes-
quer quo sejam, com referencia a um passado mais
remolo, considrando-se nao s as mudancas ou
alteraeoes porque deve ter passado muitos "dos of-
ncios j referidos e sens serventuarios, como tam-
bem o j)ouco que pode esperar-se. do estado de .
grande parte dos archivos das cmaras municipaes, Aurora
3
a
sr
s
B
>
V.
3!

*> ^ >
a * uuH H
. . .
I
. 5 i V.


I
>
Addcionando-se. porm. aos lucros os juros
vencidos pelo fundo depositado no thesouro no va-
lor de 82:0005000, c o vencido pelos empreslimos
.-obre penhores, que o mui digno presidente dos
dilos estabolccimentos diz se bao do escripturar,
um e outro, no corrente anno, quando forem ar-
recadados, o dficit se converter em considerare!
sobra.
Diz. porm, aquelle Ilustrado funecionario que,
nao se devendo, em rigor, contar como lucro pro-
< prio do mate todo o juro d capital empregado
o nos referidos emprestimos sobre penhores, mas
to somonte a dificrenra de 2 'i a 4 por cento,
que tem regulado entro esso juro, c o que. por
falta desse emprego. tem rendido o sen fundo, e
la caixa econmica, posto a juros no thesou-
ro; e no banco rural, ainda a despeza- excede
> os verdadeiros lucros. S quando o monte ti-
* ver fundo seu. proveniente de seus proprios lu-
cros. e nao precisar mais "fla dotaeao que llie
est consignada, que se |iodr considerar eo
a
'i
-i
-
De urna medida que tenho por iudis|)ensavel oc-
cupo-me actualmente, por caber na aleada do go-
verno-desenvolver a doutrina do art". 18 da lei
n. 1,177 de 9 de setembro do anno passado.
Ett disposicao legislativa reduziu a dous os tres
concursos establecidos telo decreto n. 2,549 de! Sj
14 de mareo de 1860 para a admissao aos ampre-
gos de fazenda, nada determinando a respeito das'
materias que faziam lijecto do terceiro.
Sendo outido o tribunal do thesouro sobre a con-'
sulla que a este respeito fez a direcloria geral de
i i
23 S
S
1
s ****
"2

~:
s
H
fe
r
Foram presentes ao tribunal do thesouro no de-
curso do anno 77 processos de tomada de cortas,
comprehenduiido 320 cortas liquidadas no mesmo
anno e nos anteriores, das quaes 113 mensaes o 207
ananaes, no valor de 209,229:1985193 rs perten-
cendo as ditas contas aos seguintes ministros :
onde alias a.guns elementos poderla* ser ob.idos: %* wZTteZZrZZJEr+
nanlo, porom, a pocas mais ou monos rwen- que se Ibes dosronlou nos pagamentos da> n-
l^ZS^TLZZZ**1'*** P088"" "* vas ,.res,aeo.,. _pan rantia d. nbn. Vr.
Imperio. : . 21
Justica .... 3
Marinba. . 41
Guerra .... . 2
Fazenda . 252
Agricultura, eom-
mereio e obras
publicas. . 1
320
tomadas com exilo mais seguro.
E comquanto o art. 11 da lei n. 329 de 26 de se-
tembro de 1857 commine multas, que ao tribunal
do thesouro compete impor aos tabclliaes e oscri-
a quantia de 12:500500" que se acha etn
lo.
spo'-li
garanta da obn. (fc-confoi
inidade com a 6' condicao de swi contrato, fazeti
do-se n descont do que'os supplieantes osiiv
adever dosdiri'itos de consuum dos ntijHtos rpi>-
restaram da predita ponto ,- f.,ram vonriid"
vao> remissos, a experiencia tem ja demonstrado a leilio.
inefflcacia dessa sanceao penal, pelas difiiculdades u|0 K mmm,- Autori-.. \ I i bft ti
inherentes ao processo da cobranca das mesmas nformac&dehonl.-m. sol n. V72. a mandar paga.
mimas. ...... conform s.lioitou o gerente da rompanhia Pe
I\o mesmo caso, porom, nao esta a disposicao do nambucaiu no olticio que devolvo a inianiia d
art. 16 da le n./9 de 6 de setembro de 1854, que 7:0005000 proveniente da .-nbvonrao mental mm
autorisa a pena de sospensao imposta pelos juizes qU(. 0 governo imperial au\i!..,a m.-sina rompanhia
de direito : e esta disposicao, se frexceulada cora e que diz respeilo a este me/;
vigor eperserveranca pode servir de remedio ao l>to a. mesmo.Ao cirui-gio Simpli.i.. I.m- d
mal que se trata de combater. Souza.Pontos ou a pessoa por elle autorisada man
A pena da perda dos emolumentos, consequen- de V. S. pagar a quantia mm livor direifc. provr
i julgado* pelo tribunal do n,.ia direcloria a relacao dos Brazos em que os res-
JMeourqL passando^e quitacao aos respetivos |111|lsaVeis dos diversos ministerios deven apresen-
rejponsave^ 48 processos relativos a 212 contas, ,ar no thesourn os ^ e documeo^^, su'as con.
i Illoadi.-. c r.'rolliiili..-. ao Ihpsnnrn anlos iln b D,._fif j, j- n ^vummnm
por taita do indi>pensaveis elementos, se acha batalbao de artittu
do incluso reqiieriinenlo.
Dito ao mesmo.Tiaiisinilio a V. S-. o pret jun
lo em duplieata, alim de que, csrand*- em lerm*-
mande pagar ao tenerte Luiz Jeronsmo lynai i..!.-
Santos, conformo srdi-itmi o rortlmanilanto !. i
mo lucro todo o juro resultante dos empresti-
mos sobre penliores.
E acresecnta : Os lucios produzidos por esta
(lilTerenca no anno de 1862 nao se podem por
ora calcular com exactido. mas. [lodem orear-
se aproximadamente em 7:0005000. que dedzi-
dos da respectiva despeza, resalta ainda o dfi-
cit de pouco menos de 6:0005000, o qual, com
tudo, em vista do progresso em que vio estes
o-i.ibelocimentos, de esperar que em breve
desappareca
delles colfie o Mincin
utilid:ule
A importancta dos alcances roconhecidoz n.is
contabilidade.se a referida lei s tinha supprimi- 346 contas, como se r nas dtias citadas tabellas 68
do o acto material desse concurso ou se importava e 69, monta a rs. 54:8595322, inclusive 3:6855956
tambem a dispensa das materias que faziam o ob- j contemplados nos quadros ns. 69 e 70 annexos
jecto dclle. pronunciou-se unnimemente pela ao rolatorio do anno passado ; sendo nas 244 con-
primeica intelligencia, e de conformidad com es- tas tomadas na directora de rs. 29:8965278.
sa opiniao resolveu o moii finado antwessor; do e nas 102 fra do expediente js. 24:9635044 ;
que resulta ser indispensavel modificar, segundo cabendo aqui mencionar a despeza realisada du-
essa intelligencia o que foi establecido pelo sobro rante o anno com este ultimo servico, em gratifi-
dito decreto de 14 de marco. caces abonadas aos empregados, a qual importou
Agora cumpre-me dar-vos conta do estado das em rs. 10:0375089, e foi inferior do anuo ante-
. diversas repartices do thesouro. cederte en) rs. 4:07:15861.
Secretara de fazonda.Contima a maicliar re- Por eoat!l. nos alcances verificados no dito anno.
gularmente, trazendo em da os trabalhos de promp- ** ('S??a *n,?r'?res; arrecadou-se a quantia
I ta expedieao, sem embargo do nao ser numeroso o ,e 8:1W,*22J, inclusive .1845367 de juros debita-
seu pessoa! proprio. porque, como j seros tem d0\.^. ^Ppnsaveis, na forma do art. 48 da lei
dito nos anteriores relatorios, os empregados das .?" ae. de o'iibro de 1848.
directoras do thesouro a auxilian), quando pela'. pesumindPor ministerios as cortas cima refe-
urgencia. ouaccumulacao dos serricos se torna isso nas' I^Hmcem :
necessario. i Ao do imperio... 26 No valor do
econmica, accrescera a
Directora geral de rontabilidado.Divide-se esta;
e erto, utilidade moral que directora, como sabis, em tres eontadorias, eujos
o estado, principalmente da caixa ""abalbos sao submettidos ao seu exame, alm dos ,
que propriamenle lhe competem, ou algumas rezes i
pecuniaria.
cuja sobra a lei tem destinada ao auxilio dos Ine sa0 incumbidos, como seja a sua corresponden^ \
estabeleeimentos do caridade.
ca com as thesourarias de fazenda, colleclorias o
mesas de rendas exames de proras de concursos efloetuados nas
sobre o pes-
O juro de 12 % que os mutuarios pagaran)
apartadamente pelos emprestimos. que recebiam mesmas thesourarias e informaodes
do monte de soccorro, foi rcduzido no 1." de no-! soal destas.
rembro passado a 10 % pago depois de vencido. ,-.,,.
No relatorio do Sr. conselheiro presidente da caixa J^ directora tem satofactonamente desempe-
cconomica e monte de soccorro, diz-se que esta nhad? as onrig;iet-s a sen cargo, havendo ficado
da justica___ 6
da marinha.. 102
da guerra ... 4
da fazenda...207
da agricultu-
ra,eommereio
cobras publi-
cas......... i
346
987:8935518
340:9545330
1,487:0545961
838:7945883
81.689:8635680
12:8105535
medida produzio os melhOres resultados, porque,
augmoniando-se a concurrencia dos mutuarios, fi-
cou patente que, sendo arulTerenca entre a somma
dos emprcsliimir.
nos dous mezes
;ilm do triplo (24:1775360) nos dous seguintes,
novemhro e dezembro, subindo nos ltimos tres
mezes, Janeiro a marco do corrente anno. a
42:61150*.
Nao foi s mente esta a rantagem que se colheu
da medida supracitada : a escripturaco simplfi-
cou-se alguma cousa. e o trabalho. que daram as
freqnentes reformas dos prazos. diminuio eonsldo-
ravelmente.
A escripturaco acha--se um pouco atrazada, ao
po deu causa a substituico do finado thesoureiro
pele guarda lirros durarte o lempo da molestia
d'aquele, substituico permittida pelo conselho,
tienta a impossibilidade que encontrara o mesmo
thesoureiro de achar pessoa idnea jiarn seu-liel.
Algumas modificaijoes pretende fazer o conselho
inspector no systema de escripturaco, afim de
simplifica-lo, de modo que sem faltar clareza ne-
cessaria, se poupe a nomeacao de mais emprega-
dos, que alias seria indispensavel fazer. Uma das
modilicaces consiste em separar d escripturaco
do monte de soccorro a que pertence caixa eco-
nmica, como j foi lembrado pelo ministerio hoje
a meu cargo.
Nomeou-se um leiloeiro para em hasta publica
vender a guetn melhor lanco offerecer os objectos,
cajos prazos se tenhaiu atrasado; e deram-se ins-
irucc5es para regular o processo dos leudes.
O primeiro leilao tere lugar em norembro pr-
ximo passado, e d'ahi por diantc em todos os me-
etii dias os trabalhos que exigem prompto expe-
diente.
A thesouraria geral e pagadorias fizeram regu-
dos emprestimos. e a dos r^gatesde' 7:78j3p0 lannente os pagamentos de que estao incumbidas,
s de setembro c outubro, ella foi 3Si como a respectiva escripturaco.
No eartorio effectuoii-se a obra ce que tratou o
ultimo relatorio deste ministerio para melhor acou-
dicionamento dos papis.
Directora de rendas.Esta repartieao funceiona
regularmente, e tendo a seu cargo a inspeccao de
todas as alfandegas. mesas de'rendas, e repartices
llscaes arrecadadoras do imperio : seu expediente
se acha erli dia.
A ostatistica commercial 'o nico servico a car-
go dessa directora que nao tem sido possivel con-
cluir opportunamenfe, deixando ir isso de acom-
panhar os balancos e oroamento do thesouro apre-
sentados annualmente ao corpo legislativo. A de-
pendencia em qae, para a regularidade c perfe'ieao
desse sen-ico, est a directora de rendas de re-
messa nontnal dos quadros das alfandegas e mesas
de rendas do imperio, ha motivado o atrazo da es-
tatistica commercial.
Procurarei remediaresse inconveniente, deque
se nao descuidaram os meus dignos antecessores,
alim de que tan importarte trabalho seja convenien-
temente elaborado e concluido.
Directora da tomada de cortas.No .anno civil
de 1862 o numero das cortas tomadas ou revistas
ou perfeitamente liquidadas eleveu-se a 346, sendo
mensaes 100 e annuaes %6, montando a. .
85,357:3715907 a importancia dos ralores quo el-
las representan).
Recapitulando-as segundo anatureza dosrespon-
sareis e ministerios a que pertenoem. do o scguin
te resultado:
85,357:3715907
Comparados os resultados do anno de 1862 com
os dos tres precedentes, desde a creaeao da direc-
tora geral da tomada de contas, verifica-se o se-
guirte :
Alcanrc*
recoiiheeidos.
Anuos.
Conl'is
lomada*.
Valor ta
respomabilidade.
859 188 70,256:9905147 9:1845720
2? I S ^281:0155770 56:4335*40
\%l 52 183.1462035697 48:3095:iUM
1862 348 85,357:3715907 54:8595322
A differenca notavel de 102 cortos-, que se d em
desfaror das responsabilidades do anno ultimo
comparadas cora as de 1861, procedo principal-
mente de ter cessado a maior aflluencia da tomada
de contas aos administradores de mesas de rendas
c collectores da provincia do JAio de Janeiro, eon-
cernentes a exercicios anteriores ao de 1856 a 1857,
as quaes foram quasi todas liquidadas fra das Imv
ras do expediente nos dous annos anteriores;
achando-se, porm, osen definitivo julgamonto ain-
da dependendo ou de esclarecimentos exigidos
dos responsaveis. ou de ulteriores exames pela
controntaeao dos mappas das transaccocs sujeitas
siza e outros impostos, bem como dos das arreca-
daees de orphos, de ausentes e do evento, que
nao tem sido regularmente remedidas ao thesouro
como manda a lei, e to repetidas vezes so tem exi-
gido dos tabelliaese escrivaesdos diflerertes carto-
rios por onde corrern) taes transaecoes; contad
biiindo tambom, nlo pouco, para aquella diminui-
cao terera sido distrahidos do servico da tomada
de contas dous empregados da primira contado-
; um delles por tres mezes para a eommisso
foi svndicar dos abusos praticados na alfan-
da corte, e o outro para a hquidaco das di-
vidas passiras da provincia de Matto-Grosso, em
cujo' servico se acha desde 13 de agosto do anuo
passado.
li .Tuteados, e recoliiidos ao thesouro antes do
definitivo julgamento. foi de 6:1205234, compre-
hendida esta somma na de 8:1895223 j referida.
Foram tambem julgados pelo tribunal, fixando
os respectivos debitas, seis processos, que compre-
hendem 33 contas annuaes de diversos responsa-
veis, no valor de 909:8485357. sendo a importancia
dos alcances lixados em 6:6185853. Desta somma
j foi paga em letras, a de 1:3095498, na forma
do despacho do tribunal do thesouro de 28 do abril
do 1862. que permittio aos herdeiros do Francisco
de Paula Brito satisfazerem em prestaeoes nieBsaes
de 1005 o alcance verificado na cont'a deste res-
ponsarel como vendedor do papel sellado.
Nao tendo o rapilo Antonio Joaquim de Olirei-
ra, na qualidade de adjunto commisse scien-
tilica de etploraeao. solrido o debito de M6487
ris encontrado na tomada de suas cortas, nom
constituido procurar na sede do tribunal para di-
zer a bem de seu direilo, nos prasos para issomar-
cados; foram as mesmas contas por despacho
de 29 de dezembro prximo passado. julgadas de-
fiuitiramente rerelia, nos termos do art. 22 do
decreto n. 2 648 de 10 de marco de 1860, fixamlosc ,
seu alcancOb pena de, nao" a faz'SS'sf,0 ^ 'fig*..S.3T oiJnS %*'* '^ '" *" '' ^.....'
tJTcS&fe^%taMnMda ^SS^gu^SS etir'n',^0;wdiIWIOrdoar^.V,,I,, M
tiros, sera o governo solicito em promover boa primelo do aviso do ministerio da L'ii.-rra do I'
ordem e marcha dessas repartfeoes. visto nao do correrte, informo V. S. ,<.bre o que n,. nt.lo-
convir. jio estado Dresente do thesouro, aug-
raentar o pessoal j tao numeroso, e em algumas
superabundante, da* diversas estantes Aseaos.
....aria oigamsado o assentamerto geral dos responsaveis de do Rio-Formoso em cilicio de 12 do erren.-. ,
que ai directora incumbe o art. 10 % 1 do decreto qnantla de 138-5400 em que im|mrtarain >-
de 2 de janeiro de 185, visto como as disposi- montos relativos ultima quinzena d..
coes dos arls. 31 e 34 do de 10 marco de 1860 lio prximo lindo das praea- do ,,n-siiio utUNi-
que crearam esses elementos, nao poderam amdi destacadas naquella. eidaie.Comniuni^m i
ser observadas pelos diversos ministerios. supracitado cominandante.
Por ultimo observara que a escr(tura;o desta do ao inspector da lliesouraria pmvwrwl !?
directora acha-se em da. j oonformidade coma sua informaeao d. fli m
Directora geral docontoncios...-Lsta icpaineao. rent sob n. 3S0, da.la com referencia a A. r.t..
dirigida pelo procurador fiscal do thesouro, desem- doria dossa thesouraria. antorix. V. >, a maa*b.
penhou satisfactoriamente as obrigacoes a seu car- adiantar ao delegado .1.. termo de .XauMli i--- in
go no decurso do anno passado. lennedio do thesoureiro da reuartiri,, da peM i
US quadros ns. 71, /2 e 73 mostram o.estado e quantia de 200*. alim de que o mosu. del
andamento das causas exeutivas o de natiireza di- p,(Ssaoccorrer enana trimestre aasafaanaf-Mi
versa, durante o anno passado os diversos jmzos sustento dos pa>os polires da cadHa daqn. II. <->d
dos fonos ila lazonda. 4e, remetiendo, deiioi as cortas dj>vi.lam.iiir .i
tmalmerteoquadi-0 /4 da approximadamenle o ganisadas.Commimieou -. ao Dr dn* ir i-
nuniero e oslado dos testamentos ;J>ertos no res- ic a.
pectiro juizo, nosta corte. i Dito ao wumandantc swwriar APnj .1 AH.
TiiEsounARi.v de F.vzuMnA. Kes|iondo aottieio que V. S. in. trtgio em 27 .1..
t> gorerno trata de empregar os meios precisos correrte, declarando-lhe qi......Ula.lo J.-ub.. I>
para que estas repartices comprara satisfactoria mingues Carneiro dore aozar la- bma- I
nbencias asen cargo. Algumas tem posto de al foros secretario ilo batall n. 16 i
Nosse sentido otBeiou-se aquella thesouraria em
5 de Janeiro ultimo.
A tabella 70 especifica a natnreza. numero e
tempo que sao relatiras as contas por tomar exis-
tentes nesta directora at o ultimo de dezembro de
1862, chegando o seu numero a 1.565 perlencentcs
aos seguintes ministerios:
Imperio 86
Justica . 25
Mariulia. . 192
Guerra. . . 529
Fazenda . . 733
1.565
O grande accrescimo no numero de cortas por
tomar, que apresenta esta tabella, procede de se te-
rem agora discriminado 565 contas pertcnecntes a
dirersos cobradores da recebedora. as quaes ha-
riam sido anteriormente, i>or engao, consideradas
como fazendo parte da responsabilidade dos the-
soureiros daquclla repartieao e tambem do acha-
tado numero de contas que as repartices de con-
tabilidade dos ministerios da marinha e- guerra
tm ltimamente enviado para o thesouro.
Alera das cortas referidas, existen) no eartorio,
tambem por tomar, todas as d'alfandega da corte,
dependendo porm ainda de soluco a representa-
cao que subi ao conhecimento do thesouro a res-
peilo do melhor meio de liquida-las.
Com olim de dar conhecimento ao tribunal do
thesouro do estado do servico da-tomada das cortas
nas provincias, expedio a directora em 14 de se-
tembro de 1859 circular s thosonrarias de fazenda
para que annualmente lhe enviassem, at 15 de
janeiro, uma relacao circumstanciada das cortas
tomadas no anno civil anterior ; e informassem na
mesma occaso a respeito das contas que ficaram
por ajusfar, e desdo quando ; e bem assim outros
esclarecimentos.
Esta pro videncia, apesar de reiterada, ainda nao
produzio todo o effeito desojado porque, poucas sao
as thesourarias que tem cumprido a dita circular ;
e presentemente, com referencia ao anno de 1862,
s as da Bahia, S. Pedro, e Santa Catharina satisll-
zeraraas informaedes exigidas.
Pelo que respeita tomada de cortas nas mes-
mas thesourarias fra das horas do expediente,
lem sido autorisadas gratillcaces para retribuir
este servico. de couformidade com o decreto n.
"2,529 de 13 de fovereirode 1860, nas da Bahia, S.
Pedro, Santa Catharina, Piauhy, Paran, Miuas
Geraes. e Goyaa; mas at o presente, apenas as
duas primeiras enviaran) rolaces das contas que
por esse meio liquidaran i no nno Ando.
Da rolaeao enviada pela thesouraria da Bahia
consta quo se liquidaran) no dito anno 103 contas.
sendo annuaes 49 |e mensaes 54, montando o seu
valor a 21.437:5005632, e o dos alcances nellas re-
conhecidos a 4195967, sera comtudo declarar-se se
esta ultima importancia foi em parte, ou no todo
arrecadada; nent o quantum da despeza feita cora
a liquidacao,
A thesouraria de S. Pedro mostra quo se toma-
ram no mesmo anno em primeiro exame 29 contas
no valor de 208:8245978, das quaes 14saoannuaes
e IB mensaes; e que os alcances nellas reconheci-
ldos importara em i:18o|364.
/C'HiHiiuar-se-ha.j
GOYERW M PROYOCIA.
Circular.Ministerio dos negocios da Duenda.
Rio de Janeiro 16 de julho de 1863.Illm. c Exm.
Sr. Em.ciimprimerto da imperial resolueao-de
consulta de 26 de junbo prximo lindo, tomada sob freguezia de Florea
parecer da seeeiio de fazenda do conselho de-esta- do de 22 le abril do corrente anno acerca dos ac-
tos legislativos da assembla provincial da Pnrahi-
ba. promulgada no anuo* passado ; renov V.
Exe. as roeominendaces da circular deste- minis-
terio de 15 de julho de 1861, e chamo sua atten-
requerimento pede I andido I-auriano oV Pmmx
Uilo ao Dr. juiz de diroito de IMiwla.Dwlai .
do-ie o E.vni. Sr. mmtstw da jii-ri<-. em ariso i
20-ih'stc mez, que em taco da lei .l 2 di jnnl
do 1850 e do aviso circular de 23 de oninl-
l-">6. deixou de ser approyda a ajuda >
to de 4005 que lhe foi arbitrada por oc*. >!
sua remoco da comarca do Acaraj en
para essa' haja Vmc. de restituir aquella ipi
a thesouraria de fazenda. corno detonui..ii :m|u<-'
le aviso.
Hito ao juiz dr pi^mais \otado do 1 distikrl
Tenho presente son oflk-i.- >f
in que cbnimunica ler ri^nhi.'
noolistante seiisincmnmodosde saml<'.a|K-i vniai
se para presidir aeleico parochia4 dessa r".i
no dia 9 de agosto prximo vindouro. b>uv.x. |.
essa prova de inleresse a tem do serviro |miI-I>
Com referencia ao que Ymr. ahi iw parti
cao para a ex|x>sicao feita sob o ti ulo Leis pro- quanto ao es,ado dos nimos e reeeio .le .me m-
ymciaes a pag. 88 do rolatorio do ministerio da que||a occasio seja alterada ordem piiUira. n
fazenda aprosentado a assembla legislativa na commendo a Vmc. muito instantemente que ewpi
sessan do anno passado. gue toda a sua prudencia o prestigi.. n.^>a local.
O governo imperial confia que->. Exe., e os dadeparaque taina., acorteca. e se taca aMa
membros da assembla provincial dessa provincia
pronioram com o patriotismo quo os distingue a
iiel execucao das disposiees conslitucionaes sobre
as atlribuices legislativas das assemblas provin-
ciaes, |)or quant da exacta e constarte observan-
cia das mesraas disposiedes, que devora resultar as
maiores vantagens para* o bem* geral do imperio
nos seus interesses economieos c polticos.
olei^ na mais perfoita calma I libenlade.
Es|ieco que Vmc. nao se recusar a pr.-Mar i.'.-
relevante sen ico causa publica e a miiu -In.
nistracao, mostrando assim o- s<-nenloe deamr
a ordem que o animara > que deveui animar a ?*
o I"iin eiaado.
Nessa misso de harmona paz. pela.- <|Im-
i faeo os mais ardertes votos, sw Vim*. poifciwu
mente auxiliado pelo Dr. juiz de JwMa que ja atw
estar, e que um magistrado experienle. modera-
do e dotado das mais bellas qualidadrs.
Ouca-o Vmc.. dirija-so petos seus ronsHbus. eec
transmita todos os cidadaus dessa villa, pie m
tou convencido que mediante Me-J nao appagere-
rao ahi oceurrencia.- ei conflictos desagradare**
^i
Deus guarde a V. Exe. Marquez de branles.
Sr. presidente da provincia de Pernambuco.
Cumpra-se. Palacio du governo de Pernambuco,
10 de agosto de 18631. I S. de Soma!
Expediente fe da 31 de jnlho de 18G3.
Ofllcio ao brigadoiro commandanle das ariua>s.
Transmuto V. Exe, para dar-lhe a conveniente u,l,ran,e Hrocesso S*S ,
dreccao, o incluso exemplar das instnvcces de Ja em oujra occasiau tenho felo ver a \ me.. a-
Panol*, sollicitad em seo oftldo de 14 de-maio ul-1 m "o',. *m*'sl au*>ndaA-s e timmoMvy-
timo sol) n. 890, com destino companh xa de dessa local.dade e de todas as mais da proriwm,
cavallaria desta provincia, e o qual m foi remelli- 'I03' e presentemente o desejo smeero des ai-
llo petoExm. Sr. ministro da guerra oom aviso d.- verno, fa "***> a P^xima eleieao.
11 deste mez. completa para todos os cidadaos. oritem e I
Dito ao mesmo. Em cumplimento do aviso da'' & aml,,la eleieiio e triumpho pan I""
repartieao da guerra em 13 do corrente. sirva-se mews lgaos e pacficos^o possa ou den aMsr. i
V. Exe. deemittir a sua opinjosobre o quo no in- 1ua;or a suac,tr P""ca- .... mm^
cluso requeriraento pode o 1' cadete t' sargenta do Todo o servico que \ me. neste
10 batalho de infamara Manoel Accioli Santiago. f Por e peh governo do f
Ramos. I dorado.
Dito ao mesmo.Transmuto V. Exe os wclu- Dito ao superintendente da ettpto jefcrr
sos processos de conselho de guerra do alferes do Attendendo ao que me represeajw^ e^bs JS>*
2* batalho de ii.fantaria Joao Barbosa Cordeiro commandantedas armas em oaVio deala daix
Feitosa, e dos soldados Carlos Manoel Francisco o n. 1387, recommendo ao Sr. snpermteerfn tmt
Manoel Antonio dos Santos, este tambem do 2- do trada de ferro a expedieao de smw ? *'
infanlaria. c* e aquelle do 4" de arlilharia a p. que se d transporte na. vi fcrren as
aflm de serem cumpridas as sentencas proferidas nos o bagagens das praga ** fcrem
pelo conselho supremo militar de justioa nos mes-! das nos pasaos dados pelo tpvtm M1'"**''"*
mos processos. assignali^r do respectivo ajnda^e de (.-
Dito ao mesmo. Transraitto V. Exe, para o ("ommunicoa-se ao brlgadetro timmvm***;


flm conveniente, a inclusa copia, que me foi envia- armas.
da com aviso do ministerio da guerra de 9 do cor- i Portarla.O presidente da fovinria resulst *v
renle. das sentencas absolutorias proferidas, pelo mear para o lugar de offleaai rnefe 4a 4"seee.
conselho de guerra e conselho. supremo miliar de da respectiva secretaria a aciipt,.rario Fnaewo


9
nimio de Pernambneo Terca felra 4 de Agosto de I3.

do Lomos Duarte c para'o d oseTiptorario da mes-
ma scelo o amanuense da 2 Theodoro Jos Ta-
Di't.O presidente da provincia conformndo-
se com a proposta do director geral da rastruccao
publica datada de hontem sob n. 1 resolve, no-
mear para delegados lilterarios os cidadaos, Dr.
Jos Ignacio de Andrade Lima, Dr. (.uilhcrme t.nr-
deiroGoelho Cintra e o major Joao Ferreira Nepo-
mureno : o 1" para o districto da cidade de Naza-
reih que se considera vago em consecuencia de
residir fra da freguezia o Dr. Jos Mana Moscoso
da Veiga Pessoa; o 2 para o districto de seri-
nhempor acharase impossibilitado por sua avan-
ada idadeo respectivo proprietario Pedro Alexan-
(liino Ortiz Camargo ; e o 3" finalmente paraTa-
.luaretinga por ter Miguel Thomaz de Aquino pe-
lido exoneradlo.Cominunicou-se ao director ge-
ral da mslruceao publica.
Expediente do secretario do governo.
Oflicig ao inspector da thesouraria de l'azenda.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda trans-
mita- V. S. para o lini conveniente o incluso of-
lico da secretaria de estado dos negocios da bien-
da datado de 22 do corrente mez.
Dito ao mesmo.- O Illm. Sr. presidente da pro-
vincia manda remetter V. S. a inclusa ordern
do thesouro datada de 14 do corrente sob n. 118.
Dito ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda transniittir V. S. as cinco inclusas
ordens do thesouro nacional sob ns. 120 a 125,
menos a de n. 124 e um officio da directora ge-
ral das rendas publicas datado de 16 de julbo ul-
timo.
Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda remetter a V. S. as tres inclusas or-
dens do thesouro nacional sob ns. 114 a 117.
Despachos do dia 31 de julho de 1863.
Bequeralientos:
, Antonio Egidio da Silva.Informe o Sr. director
geral da iiistrucoao publica.
Antouia Prudencia da Silva Dutra.Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Padre Florencio Xavier Dias de Albuquerqiie.
Informa e Sr. thesoureiro das loteras.
Jos Ignacio BuarquePasse-se.
Miguel Archaujo de Mendonca.Informe o Sr
director geral da instrucoo publica.
Manuel Joaqnim Teixeira.Remet ido aobr.di-
reelor da colonia militar de Pinienteiras para at-
leiider ao suplicante nos termos de sua iufor-
maco.
PERNAMBUCO
Movimento da casa de deteiH'o no dia
agosto de 1864.
Existiam........ 396 presos
Entraram...... 10
Saliirara.... .... 1 ,
Existen.......... 399 %
A saber:
Nacionaes....... 277
Estrangeiros..... 3o
Mulheres......... 10
. Estrangeiros. ... 3
Escrayos--------... W
Escravas ....... 3
To
399
Alimentados custa dos cofres pblicos ... 163
Movimento da enfermara no dia 3 de agosto de
1863.
Tiveram baixa:
Manocl Thomaz de Oliveira, gnorrhea.
Joao Gregorio de Jess Bello, intermitente.
Vicente de Siqueira, febro catarral.
Tiveram alta :
Joao Alves Pereira.
Manoel Muniz Faleo.
Joao Francisco Vieira da Silva.
i
t* m
3 y-

T m
M
-J ~
1
2
>
>
te
i i Ul
Masculino.
i c
OS
14
Feminino.
as
>
as
>
i
Masculino.
Feminino.
v. S
m
Masrul
REVISTA DIARIA.
lloje ha sessao do conselbo de revisan da guarda
nacional (leste municipio, pelas 10 horas d'anianhaa
no paco da municipaltdadc.
Sobre promoeodo Sr. Dr. promotor publico
(iusnio Lobo, em sentido declinatorio de compe-
tencia, foi julgada porempta a acensadlo intentada
ex-officio contra o menor de 14 annos Antonio Ju-
venil de Souza, como autor na pessoa de oulro me-
nor de ferimeato que cm exame de sanidade foi
verificado ser leve.
Essa diligencia medico-Iegal foi requerida pelo
respectivo curador, Dr. Americo Netto de Mendon-
i a, no cumprimeuto de seus de veres de solicito pa-
trono.
Escrevem-nos do Ouricurv em d;iU de 9 do
passado o seguinte.
Foi presa a Flora, autora da pancada de que
rcsultou a inorte da paciente, segundo Ihe disse na
anterior. Acha-se [irosa em um quarto da ca-
dcia desta villa; e no interrogatorio nao negou o
faeto.
O av dessa herona est muito conspirado
contra ella, mas os seus amigos a protegem ; e as-
sim talvez seja ella inuocentada como se diz por
aqu.
Apezar daprohbicao legal, nao cessa o reeru-
tamenlo nesu trra,
t Aqu acUa-se ha dias o juz municipal e dele-
gado de Cabrob, que veio chamado, como corre.
dojuk de direto para tratarem d;is elecoes com o
reverendissiuio vigario.
Entrou em exercicio da subdelegada desta vil-
la o Sr. Jos Fifmo Pereira do Lago, que ja bal-
deou na cadeia com o official de justiea do juizo
municipal, de nomo Torquato dos Anjee, como cri-
minoso de morte em Souza e no Hinque. nota-
vel isto, porime reside aqui ha perto de 20 annos o
tal Torquato sem que nunca fosse preso, e ncm
BOUVesse requisico contra elle das autoridades da-
i|uelles ternws.
O povo do Ex esta em guerra aberta recipro-
ca, e por isso conta-se que por all teremos novida-
des.
Conforme o bataneo a que se procedeu no ulti-
mo do mez findo, na thesouraria provincial, verili-
eoii-se existirem os seguintes saldos:
i laiva do exercicio de 1862 a 63.
1.1.L1
no. j
Feminino.
se
I
o
Masculino.
Feminino.
s

Masculino-

Feminino
1
o
3
B
Flores d'adega.
Garrafas cheias da gentil fpreira
N'uma flleira guarnecendo as mesas,
Tem mais encantos que as doidas fibras
Que as pobres libras as gavetas presas.
Cobrem-lhesmeigos, virginaes recatos-
Modestos factos retratando a prata.
Beijar-lhes doce a seductora bocea
Nossa alma louca de prazer dilata.
Que anieiiidade se pos labios quentes
Caem frequentes do licor as cnuvas,
Se ha co na trra, se ventura ha nella,
N'agna singela se achara das uvas.
Filias das pipas como as pipas fulas
De mil bebidas conductoras bellas,
Se o co desta onra me flzer que saia
Dos !da que cu caia n'um fun com ellas.
as tristes lutas da amorosa lida
Se tens perdida da existencia a calma,
Toma agurdente, se te falta o Porto,
Ters conforto para as flores d"alma.
Moca bonita que em paixao fogosa,
Sonha ditosa n'um porvir de flores,
1 Quando engaada pelo amor se pensa
; \'ai despensa refrescar as dores.
O caloteiro que com passo impuro
Do vicio escuro os penetraes percorre,
Quando Ihe quebram do fiado a taca,
Todo cachaca se encommenda c morre.
4* SESSAO OHDl.NAKIA A 1863.
PrtsideucM do Sr. Btala de Almcida.
Presentes os Srs. Seve, Gustavo do Reg, Mello e
Gameiro, abrio-se a sessao e foi lida e approvada a
acta da antecedente.
Len-se o seguinte
EXPEDIENTE
COMMUNICADOS.
actoS pelo dever ; e, si entre mim e V. Ese. U
um largo espaco que nos separa na jerareWa ad-
ministrativa, tenho consciencia de que por mtm-
lo i: Mil. Sr. presidente da pr algn elle existe no desejo e na sinceridade de
vinel. ^T a causa PuWica, a que V. Exc. cnesenos
Naoccasao em que se levantara os candidatos ^"^^Sl^vSR^ ^ ^ pw,??, a
para agencia do {Jymnasio Provincial, seja-nos Jf "JJJJ "f ^ a( d a* ^-!?"'
.rmi.iMf afim de.nue sa consiiza urna nomeacao que_(?uanuo.,_eilM).1,Uo cm """ha* deliberar.^
l'm officio do engenheirocordeador, remettcndo.pcrmtlido, alim de que c onsiga un nomeasao ^^ razoaveis e paros,-*
oorcamenlo.docurral.que deve wAstuirno-1gnre^paraiojovnry ^^^X^SL antes de ouvido e conveSTetJ^TS
tadouro poblico da Cabanga, ao que actualmente tido, lembrarum nomo recommendavel por ttulos
existe, por se achar este bstanla arruinado, na legtimos c merecidos, e digno de ser apresentado
importancia dito orcamento de 110,5000 Posto aoExm. Sr. presidente para tal cargo,
em discussio, resolveu-sc expedir ordem ao admi- Este nome d do film, e Rvm.' Tranquilino Labral
. nistrador respectivo para tratar de executar a obra Tavares de \ asconcellos.
conforme o orcamento; devendo antes de comoca- Intelligonte, probo, religioso modesto, i>empio
la entenderse'com o Sr. vereador encarregado dos at hqie de odio de partidos, chefe de ftmilia, em-
negocos do dito estabelecimento, o qual ter toda pregado publico cumpridor de suas obrigacoe, reu-
a insi>eccio na mesma obra, offldando-se neste ne todas as qualidades necessanas para o cargo que
sentido ao procurador e contador.
Outro do mesmo, informando o requerimento,
no qual Francisco Botelho de Andrade, arrematan-
te dos concertos da bomba da estrada do cemiterio
publico desta capital, pede o pagamento da ultima
prestaco; diz ser verdade o que o supplieante al-
lega, porquanto a obra que elle se refere, arla-
se concluida regularmente.Mandou-se pagar.
E nao havendo mais expediente, despacharam-se
as peticoes de Francisco Botelho de Andrade, Ma-
noel Jos Lopes Guimaraes, e levantou-se a sessao.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario
a escrevi.Barros Reg presidente.Henriques
da Silva.Barata de Almeida.Reg--Mello.
i*
--i
Aos 19 de junho de 1863, comparecendo os Srs.
Barata, Gustavo do Reg, Seve e Mello, nao houve
sessao por falta.de numero.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario
a escrevi.Barata de Almeida, pro-presidente.
Mello.Leal Seve e Bego.
3 SESSAO ORDINARIA AOS 20 DE JUNHO DE
1863.
Presidencia do Sr. Barros Bego.
Presentes os Srs. Henriques da Silva, Gustavo do
Reg, Mello e Barata, abrio-se a sessao, e i lida e
approvada a acta da antscedente.
Leu-se o seguinte
EXPEDiENTE:
Um officio do Exm. presidente da provincia, re-
. I OBSRBVAC;OKS.
i
s
No Commercio do Paran acha-se o seguinte :
O chlorofornio, at hoje empregado, depos de
ter succedrdo ao ether, como anesrtiesico as ope-
ra(joes cirurgicas, anda de alto preco, e muitas
vezes nao o ha em muitas Jocalidades da pro-
vincia.
Lembrei-mc ltimamente do kerosene purifi-
cado, como substitutivo do chloroformio, e depois
de numerosas experiencias, posso assevera a
meus collegas (|ue o kerosene que nos serve de
coinbustivel na illuminaeao moderna de nossas
salas, muito mais agradavel na exhalacao (jue o
ether e e chloroformio, leudo assim sobre estas
duas substancias urna vaiagem sensivel. Bastam
alomas exhategdss de kerosene puro para de-
monstrar a sua effincf^S~L J2? commendando a cmara municipal desse as preci-
uso nao causa neta dures decabeca^nem \erti-. d no cemiterio pnblico sejam
gens, pem outros syniptoaias neonunodos >upc-, reeebidos ^ hon do ia noite. os ca.
rior msso ao chloroformio, totalmente hvre de ^^ ^ ^^ ^ etenm que hoUverem de '
Per'8- ,. v -' fallecer do cholera morbus, conforme solicita o bri-
^. Tendo fcito (entre outras experiencias) aspirar, r?imtiMll7 das armas.-Que se expe-
vapores desse novo agente por urna senhora joven 9sem conTcncnIeS 01dens.
doenle e muilo dbil, sobrevcio em breve tempo," (hltmA
Advertencia.
Na totalidade dos doentes existem 162, sendo mra
doenje v -------- -------, -
urna completa insensibiltdade com dumnuicao do
volume do pulso : acordada, deelarou-me essa
doente ter adiado esse estado muito agradavel e
nao Ihe ter ficado nem tonturas ncm cephalalgia.
i As exhalacoes do kerosene jiuro devem, como
as do chloroformio, ser misturadas de ar livre.
"A enorme differenca de preeos entre o kero-
sene
Outro do Dr. cnee de polica, remetiendo por
copia nma representacao do subdelegado da fre-
guezia de S. Jos sobre" o atravessamento de fari-
nha que diz existir na ribeira do mercado da mes-
ma fregnezia, recommendo a cmara d as provi-
dencias que forera convenientes. Posto em drs-
cusso foi remettido ao fiscal para informar, con-
. "A enorme differenca de preeos entre o Kcro- forme requcreu 0 Sr. Mclla
ne, que custa aqu l& a garrafa, e ochlorofor- 0utro Q m^QT Anaclet0 Anlonio
io que, atem de raro, ch*m atmi / **** uz jc paz ,j0 3.. anno doprmeiro dis
alienados 7 homens e 23 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
As 2, 2 1/4, 11 1/2, I, 12, 12, peto Dr. Dor-
nellas, as 7 1/2, 7 1/2, 7 20, 7 35,7 1/2,7 1/2, 7 2o
da manhaa ni'lo Dr. Sarment, e as 5 1/2, 5 1/2,
, 5 1/2,5 1/2 da tarde pelo Dr. Villas Boas.
Fallecern! :
Isaias Gom.alves do Sacramento, tubrculos pul-
monares!
Mara da Penha da Conceicao, bronchite ehroniea.
Angelina Mara da Conceicao, febre typhoide.
Francisco d'Araujo, alienado.
OmTVARIO do da 2 de acost no cemiterio
publico :
Francisco d'Araujo, Pernambuco. 43 annos, soltei-
ro. Boa-Vista alienado.
Manocl, Pernambuco, 4 meses, Boa-Vista; clamp-
sia.
Um portuguez, encontrado a margem do rio da
Capunga, asphixa (e mais Bao continlia a guia.)
Joaqnim, Pernambuco, I mezes, S. Jos; convul-
soes.
Constantino Gomes da Silva, Pernambuco, 60 an-
nos, casado, S. Jos 5 cholera.
3
Maria. Pernambuco. 10 dias, Boa-Vista-, escrava.
Antonia Maria do Espirito Santo, Pernambuco, tw
annos, vi uva Reeife; aniolecimento cerebral.
Antonio Pinto, Portugal, 40 annos. solteiro, Santo
Antonio; cholera.
Maria, Pernambuco, 10 mezes, Afogados ; convul-
soes.
Joaqnim, Pernambuco, 7 annos. Santo Antonio;
gastro hepatife.
de 1863 a 1864.
20-.7878K4
:i-.Ho47l.)
4:073*833
2:13346001
348.7324997 }
1732 j
332.7194807
Dita do
ilaleamento.
Depsitos.
Em acroes .
Em letras. .
Em dinheiro. 1:8234
Pela primeira caxa, a arrecadaeao do mez reu-
nida ao saldo anterior subi a 163:8024622, sendo
a despeza rcalisada 143:0144203.
Pela si'gumla arrecadou-se 81:462-5920, sendo a
despena 77:6054203.
Pela terceira a arrecadaeao e o saldo anterior
montaran) a 3:3134833, sendo a despeza.
1 4404000.
Pela quarta produziram ambos esses ramos. .
363:4474428, sendo a despena 12:7274097.
A caixa da ainortisacao das apolices eincttidas
conforme a lei 11. 488, no mez findo, arrecadou
rom o saldo do mez anterior 63.4384000, fazendo
igual despea
r Ajanbanse exahira a ultima parte da pr-
meira e primeira da segunda lotera da Santa Can
da Miseiieoolia.
Ante-hontem teye lugar na matriz de Santo
Antonio a festa da Senhora Sant'Anna, da irman-
djide dos meninos, sendo pregador della o reveren-
dissimo |>adre Juvencio Virissiino e do Te-Ueum o
reverendissinao padre Grego: estove pomposa e
rom umita regularidadc e ordem.
' Pela presidencia foram nomeados delegados
lieiarios:
De Nazaieth, Dr. Jos Ignacio de Andrade la-
ma :
De Siiiiihaem. Dr. Guilherme Cordeiro Goelho
Cintra;
De Taquaretinga, Joao Ferreira Nepomuceno.
Movimento da casa de deteneao no dia 31 de
julho de 1863.
Existiam........ 394 presos
Entraram....... 3
Sahiram........ 4
Exstea........ 393
para cliamar sobre essa subs- mi
ancia a attencao e as experiendas de meus '
onca, basta, creio,
de Moraes,
primeiro districto da fre-
SJ" 'guezia dos Afogados, communicando que tendo si-
do convidado para prestar juramento, hara j de-
bis e-intelligetes collegas do Paran. clarado que fazia op^o, preferindo o exercicio de
. Paraxiagiia,iBdcjUimodel861-Dr.A/^fln-:oflh^^gTr^:i "j^ m de
ere Bonsiptet.'
CUROMCA JlDHIARIi
TIII Bl W DO COSHIERCIO.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 3 DE AGOSTO
DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. S. DESEMBARGADO!!
soma.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. deputa-
dos Reg, Leos, Malveza e Rosa, o Sr. presiden-
Jnix de paz, c
que sendo iovamente convidado, declara pela se-
gunda vez que continua a preferir o exercicio de
offlciaLQue se chamasse o supplente.
Outro do fiscal supplente da freguezia do Reeife,
Manoel Antonio Ferreira Gomes, communicando
aehar-sc em exorcieio da fiscafisacae desde o dia
, 16 do conente em censequencia de ter-adoecido
o respectivo proprietario.Que se expedisse as
partedpacCes neeessarias.
Outro do mesmo, informando a peticao na- qual
Antonio Fernandos Velloso, pede licenca'para fa-
zer um cano de esgoto na casa n. 12 da ra do
te declarou aberta a sessao, sendo lida e approvada ^^ djz m jusU pre|Cncr(0 do ^ppcanie.
A saber
Nacionaes...... 274
Estrangeiros..... 32
Mulheres....... 10
Eslrangeiras..... 3
K>eravos....... 68
Escravas........ 6
983
Alimentados a custa dos cofres publico.. 169
Movimento da enfermara no dia Io de agosto de
1863.
Tiveram baixa :
Antonio Francisco de Souza, febre catarral.
I'elix Antonio de Lima, febre catarral.
Teveram alta :
Seyerino Urbano.
Jos Jonjaina de Sant'Anna.
Joao (mus Damascno.
Miguel Gomes da Cuuba.
Jos escamo, (de Domingos de Camino.)
Virolo escravo, (le Campos Pamplona.)
Theophilo eseravo, (dos herleiros de Jos Bitan-
nan.
Movimento da casa de deteneao no dia i" de
agosto de 1863.
.\ saber :
Existiam. .
Entraram .
Sahiram ..
Existem ..
393 presos
8 >
3
396
Nacionaes..... 276
Estrangeiros... 34
Mulheres...... 10
Estrangeiras... 3
Escravos...... 68
Escravas......
396
Alimentados a custa dos cofresjwblieos.. 162
MoviinenlQ da enfermara no da t de agosto de
1863.
Tiveram baixa :
Joaquim Bringel de Souza, febre catarral.
Miguel Joao, idem.
Goncalo Jos Baracho, idem.
UM POCO DE TUOO.
. Do Brota traduzimos o que segu :
Calino servia-se de um pot de barro como tra
vesseiro ; mas achando-o um pouco duro, conta
torna-lo mais macio enchend*-o de algodao!
Urna actriz ia a fallar com\Q_scu emprezario.
Nada fars, diz-lhe urna de suas compa-
nheiras. Elle est agora em contas com o bilhe-
teiro.
A porta, accresccnta outra, acha-sj arithme-
ticamente fechada.
Athalia Manvoy dizia outro dia a urna de suas
amigas :
As mulheres Iwllas nao sabem se utilisar, ao
passo que se dcstroera reciprocamente.
Nos deveriamos associar os nossos corai-oes e
formar urna grande companhia, ennttindo porcoes
de rail francos paga veis ao portador.
Do Jornal do Commercio, da corte, exlrahiinos o
seguinte :
Orcamento do scrralho turco.Por occasiao da
ultima discussao que houve na cmara dos com-
muns en Inglaterra acerca da Turqua, o Sr. (>>-
chrane apresentou alguns esclarccimentos muilo
curiosos sobre varias despezas mensaes do serralho
do grao-turco. Eis urna amostra : despezas culi-
narias 5f 24,000 para 36 nuilhcres de primeira
1 -las-e, e & 70,000 para o resto do pessoal; cus-
ido de 1,780 mulheres serventes S 18,000 ; dilo
de 2,000 criados e [torteiros 13,000 ; aos indivi-
duos encarregados de acompanhar ao passcio as
36 .mulheres principan 7,000 : pensoes meiisacs
s mulheijes retiradas do serralho, 80,000. Estas
verbas sommadas dio urna despeza total de
214,000 oJ 1,900:2224220 ao cambio par da nossa
moeda.
Um inventor modesto.Corra o auno de 1780,
quando um pobre operario constructor de moinhos,
um dos mais complicados trabalhos mecanieos
dessa|ioca, viajando descalco e cora um misera-
ravel alforge as costas, parou na villa de Soh<),
onde eslava situada a fabrica de machinas de
Boulton e Wats, e pedio tiabalho. A sua triste ap-
parencia, que mais era a de um mendigo do que
a de um operario, no o recouimcndava ao Sr.
Boulton, a quem elle se dirigir, e que o inandou
procurar pao outra parte. O desgranado resig-
nou-se afflicto e decidio-se a proseguir na vagem ;
quando, porm, voltava as costas o Sr. Boulton
chamou-o e disse-lhe :
Oh homem, que diabo de chapeo traz voc ?
um chapeo de aiadeira, senhor.
Um chapeo de madeira ? Moslre-me isso. E
onde o comprou ?
Eu mesmo o fiz.
Como o fez ?
No torno, senhor.
No torno ? Porm elle oval, e o torno tra-
balha circularmente.
certo, senhor, porm nao usei de outro
meio ; desloqne o ponto central c dirigi-o von-
tade. Tinha muito que andar, e careeia de um
chapeo que me servisse de guarda-clmva, e, como
nao tnha dinheiro para compra-lo, fabriquei este.
O pobre operario, guiado pelo instincto, inven-
tara o tomo excntrico, que devia promover as ap-
plieacoes mais nteis da mechanica moderna. Boul-
ton iierccbeu logo a importancia da descocerla, re-
teve o homem do chapeo de pao, e achon nelte nao
s um hbil operario como urna intelligencia eleva-
da; que apenas precisava de um ensejo c de alguma
cultura para expandir-se. O operario foi em pomo
lempo associado fabrica e alli fez fortuna.
Em um jornal francez acha-se o seguinte :
Um cirurgio americano,que tambera elimino
distlncto, acaba de provar em numerosas expe-
riencias que o petrolcum applicado sobre as feri-
das estanca quasi instantneamente ahemorrhagia.
e pede, portanto, prestar grands servidos ci-
mrgia.
Eis, pois, rehabilitado o petroleum I O incen-
diario da peior especie torna-se bemfeitor da huraa-
rnidade.
Do Corrsw Paulistano transurevemos, a poesa
que. sssjae, e de que autor o acadmico Francis-
co Quinao dos Santos :
a acta da ultima.
EXPEDIENTE.
uta officio do secretario do tribunal do commer-
cio da Baha, aecusando a roeepeio do officio que
acompanhon a lista dos negociantes matriculados
neste tribunal.Archive-se. l
Outro do mesmo, enviando a lista dos negocian-
tes alli matriculados de setembro dsiembro de
1862 e fevereiro jimho deste amn>Accuse-sc a
recepcao e archive-se.
Foi* presente a cntaeao official dos preeos cor-
rentes da praca da semana finda.Archive-se.
despacho*. .
Um requerimento de Domingos Ferreira das Xe-
ves Guimaraes c Francisco Augusto de Oliveira,
pedindo o registro da renovacao de seu contrato
social sob a firma de Guimaraes 4 Oliveira.V isla
ao Sr. desembargador fiscal. ___ .
Dous outros de Manoel Ignacio de Oliveira & ri-
lho, pedindo o registro da nomeacao le seus cai-
xeiros Joao Baptista de Oliveira e Jos da Assump-
cao Oliveira.Registrem-se.
Outro de Antonio Jos Arantes a Antonio Joa-
quim da Silva Vilella. pedindo o registro ito seu
contrato de soriedade.Vista aoSr. desembargador
fiscal. .,1
Sendo presentes os autos de rehabihtaeao de A.
J. de Azevedo O tribunal conceden.
Sendo tambera presentesw>s autos de moratoria
de Gabriel Antonio Foranrrom vista M Sr. des-
embargador fiscal.
SESSAO JUDICIARIA EM 3 DE AGOSTO DE 1863
'presidencia do exm. sr. desembargador
SOUZA.
Secretario, Julio Guimaraes.
A 1 ) hora da tarde, o Sr. presidente abri a
sessao, estando reunidos o Sr. desembargador
Villares e os Srs. deputados Reg, temos, Malvei-
ra e Rosa.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
eI1,e- r. L i 01
Nao estando presente o Sr. desembargador Silva
Guimaraes, que faltou cora causa, nao pode haver
julgamento.
AGGRAVOS.
Aggravante, o coronel Jos Pedro Velloso da Sil-
veira ; aggravados, os herdeiros de Francisco Car-
neiro da Silva. >
O Sr. presidente negou provimeuto.
Nada mais houve o encerrou-se a nenio a 1 .'i ho-
ras'da tarde.
Concedeu-se.
A eommissao nomeada era sessao de 27 de abril
ultimo, para dar seu parecer a respeito do requeri-
mento em |ue Luiz Bclli pede licencapara conser-
var a fabrica de sabio que tem na casa n. 34 da
ra do Rangcl, aprsenla o resultado de seu tra-
lialho, cujo parecer foi approvado, e o seguinte
A eommissao incumbida de dar seu parecer so
bre a prete.ncao de Luiz KelTi. que requer a con
servaeao de lima pequea caldeira onde fabrica al-
gum sabao para vender, dirigindo-se a eommissao
a ra do llangel, loja da casa n. 34, achou que o
peticionario tem no fundo da dita loja urna peque-
a caWdra com o dimetro de 4 ){ patmos ponro
mais ou menos, e altura de 3 a 6, e nella cosinha
o sabao com lenha, cujo fogo em pequea escala,
parece a commisso que nao pode produzir effeito
algum pernicioso a visinhanca porquanto o calor
est na razao do que ha no de urna cosinha ordi-
naria, sendo que por isso nao traz inconveniente a
salubridade publica, ccommodidade da visinhanca.
Reeife, 20 de juuho de 1863Barata.Mello.
A requerimento do Sr. Henriques da Silva, orde-
nou-se ao secretario que toda a correspondencia
que houvesse com os empregados fosse pelo mes-
mo assignado.
Despacharam-se as peticoes de Jos Jacome Tas-
so, Rufino Manoel da Cruz'Cousseiro, e levantou-se
a sessao.
Eu Francisc o Canuto da Boaviagem, secretario
a escrevi.Barros Reg, presidente.Henrique da
Silva.Mello.Gameiro.Reg e Albiiquerque
Reg.Leal Seve.
CMARA MIMCIPAL.
3 SESSAO ORDINARIA AOS 16 DE JUNHO DE
1863.
Presidenriu do Sr. Henriques da Silca.
Presentes os Srs. Mello, Gustavo do Reg, Barata
e Seve abrio-se a sessao, e foi lida e approvada a
acta da antecedente.
Len-se o seguinte
EXPEDIENTE:
Um officio do procurador, communicando pie
em consequencia da portara que em 8 do corrente
Ihe foi dirigida para tratar da desapropracao por
utilidade publica da casa existente na ra do liceo
do Quiabo, entendeu-se com o proprietario dessa
casa, que o tenent-coronel Manoel Joaquim do
Reg e Albuqucrque, o qual exigi a niantia de
4004, e adiando elle procurador razoavel o preco,
nao firmou o eontrato 9ein que trouxesse ao co-
nheciinento ia cmara para esta resolver, e aguar-
dava a deeiso a respeito.
Posto em discussao aulorisou-se ao procurador
que tratasse da desapropracao.
O Sr. Seve apresentou a seguinte proposta a pial
tendo entrado em discussao, ficou adiada a reque-
rimento do Sr. Barata:
Proponho para que por urna portara seja pro-
hibido andar pessoas carretadas pelos passeios
das ras desta eidade.Leal Seve.
O Sr. Barata requeren, se estava em execucao o
que dispoe o art. 48 ia lei lo i" de outubro de
1828 fazendo a respeito algumas ponderacoes, que
foram logo satsfcitas pelo procurador, o qual pe-
dio rae neste acto fosse tudo verificado, mas o
mesmo Sr. vereador declarou que fiearia para ou-
tra sessao a verifleacao que elle exigi.
Despacharam-se as peticoes de Antonio Bitan-
court, Antonio Pinto Cardozo Gama, Caetano Lou-
renco de Barros, D. Anna Francelina da Cunha,
Domingos Caldas Pires Ferreira, Jos Jacome Tas-
so, Joaquim Mascronlas Souza, Joao Paulo de
Souza, Jos Antonio Alves Neiva, Maurino Fran-
cisco de Paula Mendos, Miguel Jos Rodrigues, Ma-
noel Barbosa Ribeiro, Dr. Manoel Gentil da Costa
Alves, Polycarpo Jos Layno, e levantou-se a ses-
sao.
Eu Francisco Caouto da Boaviagem, secretario a
escrevi.Barata de Almeida, propresidente.Mel-
lo. Gameiro.Leal Seve. Reg.
NOVO BANCO DE PERNAMBUCO.
Balance te do \< v<> Banco de Per-
11a iiiltm-o
em 31 de julho de 1963.
AtTIVO
Apolices da divida poblcs........ 573:8004000
Estrada de ferro de Pedro II...... I0*:0004000
Estrada de torro da Babia........ 131:074470
Depsitos......... 80:0004000
Joias depositadas...... 3:733S28<>
Acroes depositadas..... 6:4004000
Let'iras caucionadas..... 9:3304000
LeKras descontadas..... 889:32843o"
Letras protestadas..... 313.0044997
Banco da Babia N/C..... 18:4104470
Remeasas........ 800:0004000
Jos Antonio de Figueredo J-
nior do Ro de Jaoetro. 22:7764996
Aluguel de casa...... 2:6234000
Fornecimemo........ff:0Q8OfJO.
Juros...............'.............. 1:5634163
Premios de saques e remessa. 4030
Despez'is geraes ................. 6:306-5691
Caixa.......................... 1,304:6434222
Ihe aponamos.
Como censor daquelle estabelecimento, loni-se
tornado digno da estima dos seus sdbordinados, e
dos professores e superiores.
Como lente do Seminario lera merecido a alien-
cao dos seus superiores, e eslima, e respeito dos
seus alumnos, de quantos o conhecee com elle cn-
tretni relacoes de amisade.
Gomo sacerdote nao oflendendo a sua escrupulo-
sa modestia, um dos primeiros do clero brasi-
lciro, j pelas suas acrisoladas virtudes, j pela sua
caridado para com os pobres, j pela sua docilida-
de para com os seus subordinados, e j pelo seu
resiieho c acatamento para com os seus superiores
e iguaes.
Gusta a crr mesmo que baja um sacerdote tao
moco e dotado de tantas virtudes!
Anula no Seminario, o nosso candidato, era as
esperanzas dos seus superiores.
Tendo receido ordens sacras, retirou-sc para o
centro la provincia onde se achava a sua familia.
Em menos de um auno foi chamado pelo Rvm. Sr.
hispo diocesano para o lugar de vice-reitor, vago
entao. Vagando o lugar de lente de canto gregoria-
no, no mesmo Seminario, foi pelo Sr. hispo apre-
sentado ao governo imperial para substituto, con-
forme a lei, e cumprindo fielmente as suas obrtgsv
gdes no espaco de tres annos, foi pelo mesmo go*
verno confirmado hnite calhedratico.
Retirando-so o censor do Gymnasio, e lieando
este lugar vago, foi pelo Sr. Dr. Portella, sane di
rector geral da instruceo publica, apresentado ao
presidente o Sr. Fiuza o qual attendendoas quali-
dades do candidato proposto nao exitou em no-
niea-lo.
As demonstradles publicas que leamos semi-
naristas pela perda de tao Iiohi mestre bem mds-
traram que aajuisicao havia feito o Gyananstot
Hoje que o lugar' de regedor daquelle mtihnls
cimento se acha vago e o nosso candidato se asta
no caso de ser mineado j pelas razos e vendidas,
j por ter exercido por nn o dito lugar interina-
mente, nos o apresentamos ao Exm. Sr. presidente
certo S. Exc. de que ser esta una nomeacao que
na crise actual muito o honrar por ser totalmente
feta fra do pretexto de partido. Assim o espera um
Ex-Gmnnasiense.
Reeife, 30 de julho de 1863.
Theatro de Manta Isabel.
Beneficio da Sra. D. Camilla.A Abnegarlo.A
Vollado Marinheiro. 0 Dr. (raoinia.
E por todos bem conbecida acxcellente compa-
nhia dramtica contratada neto digno emprezario
do Santa Isabel, o Sr. Dnarfc Cohnbra, que nao se
tem poupado a esforcos nem a despezas para sa-
tisfazer espectativa" publica,. tornando-so dessa
maneira merecedor dos maiores encomios.
Entre os artistas de que a companhia se com-
pile, alguns dos quaes, de rapnasio j bem firma--
da, todos os dias eolhem novos louros, e outros a
forca de estndo e de boa rontade proenram acom-
pailiar-lhes os passos, tera conseguido captar a be-
nevolencia do publico, a sympathca actriz, Srx D.
Camilla.
Dedicada ha poucos annos a tao bella quanto es-
pinhosa carreira (jue abracou, nao pode a Sra. D.
Camilla considerar-se um artista perfeita no seu
genero, mas cortamente indubitavel que tem sa-
bido exhibir inequvocas provas- de talento e de-
cidida vocacao para a alta, A Sra. D. Camilla cs-
tuda, tem a'ptido bastante para a secna, e cora
toda ajristica que o publico Ilustrado Ihe tem dado
por vene testemunhos de que sabe apreciar o sen
talento. Que o digam a excellente impressao que
geralmente tem produzdo em todos os espirites, e
* jialmas com (jue teem sido saudada em dillerwn-
tes dramas e comcdiai*, em papi'is serios, sentimen-
tacs, graciosos e caricatos, que tem desempenhado
com grande applauso na JoanfaciSL Mystmo ue
familia, Casamento si wjular. Esmeralda, Mulheres
dr martnore, etc., etc.
Apresenta-se agora um excellente ensejo para o
publico manifestar pie sabe estender o manto da
sua valiosa proleecao a quem della se torna ora-
dor : quarla-fera 3 do corrente, (leve ter lugar o
beneficio da Sra. D. Camilla, e esperamos pie a
s\ nipathica actriz ver realisar-se a propheca que
Ihe fazem os nossos bons desejtisconcorrencia
animadora, e urna noite de flores e galas.
O espectculo escolhido pela beneficiada alm
disso. prnprio para despertar a attencao dos ama-
dores da arte dramtica :a Abnegaro, magnifico
drama em 4 actos do distincto escriptor portuguez.
Ernesto Bester, que tera sido tao bem acolbido
todas as vezes que tem ido scena, e em que tra-
balham primorosamente os principaes artistas da
companhia, cabendo tambem Sra. D. Camilla o
desempenho de um bonito papel, em que nada dei-
xa a desojara Voltu do Marinheiro, lindo duto
cantado pela mesma Sra. e pelo Sr. Penantee fi-
nalmente 0 Dr. Gramma, chistosa comedia em 2
actos, que tem merecido geraes applausos em dif-
ferentes theatros, em Lisboa o no sul do imperio.
Nutrimos, portanto. firme convicoSo de que o
nosso publico obstruir litteralmente o Santa Isabel
na noite de marta-feira prxima, demonstrando as-
sim a consideradlo que sempre Ihe merece quem
digno da sua leiievolenca.
Res. 4,274:3984974
Aos 17 de junho de 1863 corapareceram os Srs.
Gustavo do Bego e Mello, nao houve senao por fal-
ta de numero.
Eu Frandsco Canuto da Boaviagem, secretario
o escrevi.Reg.Mello.
passivo.
Capital..........
Emisso.........
Depsitos da direccao ....
Contas correntes cm juros .
Conlaa crrenles si diales.........
Fundo de reserva......
Ttulos em caucho.....
Banco da Baha S/C .
Knowles & Foster, da Loodret. .
Dividendos........
Juros da garintia do emisso .
Dteoslos.........................
Res.
2,000:0004000
l,44I:400400<>
80:0004000
340:4774688
101:4734464
89:6004763
12:1354280
24:9714821
154270
Escolhido pelos votos unnimes de urna grande
reuniao liberal no palacete da roa da Praia, para
ser um dos membros do directorio do partido li-
gueiro-progressista, peni mnha deniissao ao mes-
mo directorio na reuniao de satinado Io do cor-
rente.
Nao me foi, porm, concedida essa demissao pe-
la razao de que o novo, que me havia conferido
um tal poder, s elle mesmo pedera retralo de
mim.
E, conformando-mc com isso, acabo de pedir por
officio ao presidente do mesmo directorio, o Exm.
Sr. conselieiro Paes Brrelo, a convocad urgente
de urna outra reuniao popular, qual en exponha
os motivos que tenho |ua obter a minha dita de-
missao.
Recito 3 de agosto.
Dr. Francisco de Paula Baptista.
PBLICACOES i PEDIDO.
Officio do primeiro jniz do paz da romarca de Pi
d'Alho ao presidente da provincia.
Illm. c Exm. Sr.Da publicado do expediente
dessa presidencia de 23 do corrente, vim ao conhe-
cimento de dous offlcios que nessa data V. Exc. di
tencao interpretacoes maliciosas.
verdade que eonvoqnei os sftiterrs de que fal-
la a representacao para erganisaro da mesa paro-
chial, porque sel e afflrmo a V. xc. que ellos o
domiciliarios nosta freguezia, e della anda nao se
mudaram ; sor-me-hia fcil prora-lo, si ha lanas
das feita a respectiva convocara, nao se desse 4
caso de apparocer tao tarde a mesma roproseMa,
ou haver talvez demora involuntaria em V. t\r.
aprecia-la.
E, si esto minha asseveraco contrasto a chama-
da prova de mudanea de residencia petos represen-
tantes produzida, nao seno porque sao versas
as ^Incoes que se |>ode dar a urna qoestaa, cana
a do domicilio, segund. o nimios de encara-ta. e
os meios de resolver, tanto que V. Exc. asesase,
fez-sc cargo de dar um exempto disso, quando din
acerca do padre Jos /ar ha ras MiU-iro, (ano h-
xc de convocar; que a sua mmlanoa para a capi-
tal, sendo de poucos dias, ora ipso facto aooro
certa I Para mim esta eircumslanda fura de k-
iiIiiiiu valor, traduzdo alias, por arlos asan signi-
ficativos o animo de nao permanecer : no entender
de V. K\e.. por.m. ella Brma nma itotNrina o enn^-
titue o solido relevo em que V. Exc. qiiiz pir a mn>-
herencia do uieu procedimenio em rotu-a. a .ln .
padre eaos supramenconados eloia)res.'Xi i
tanto, extraordinario que eu persiga em Mfteni..r
que, nao oblante os attestados junl. i 11 |ii iiaSi
cao, indubitavelmente tilhos de falsa cijmpr^rieaaao
do que seja domiciliodesviado de sua verdadeira
accepoo, os oleitores contra enja conrjrariio &
iw la ilion estovara, e estoano raso de seren' con
foram, convocados, por senao torera mu.la.lD I ,
nebia; esto .' a verdade.embarotodaa qoosti. de
residencia que respectivamente se queira sosrirar.
E, nem esses dneaaanaos i>r V. Baa. onrartTi-
diis. (attestados cortid;i.i de qiwlilioaoo nmovo-
lonte ou juiz de f;uio an outra freguezia ou term>>>
sao toes que nao admittam prova em contrai>>
sos de 11 de fevereiro e 13 de abril de 1847 Sjf 2'
e 6* conseguintemente. somonte, em are d'oaV*. e
por effeito de um desligamento da guarda aaciMul
desta freguezia, raanlo ao capito Manuel Tlioinjz
de Albuqucrque .Vfaranho. sobre que me onusta
existir urna reetaanslo do mesmo i-apito a V.
Exc. : e, bem assim da droumstanda do liar, r o>
bacharel Francisco Tdxeira de Sa requerido a V,
Exc. o pagamento de seus vencmento, eocno.un-
cial maior interino da secretaria da asseubtea. nao
se pode deduzir d'ahi, como certa e iuoon vel a mudanea destes e do outro eleitor. a desaeit
de haverem sempre demonstrado animo de a.fia-
necer na freguezia, de cujo prooesso eleitoral an-
da emendo que nao devem, como se preteadV, sor
afastados : tanto mais iiuanto com rela^o aoanon-
ejonado bacharel evidente, que o exercicio iateri-
no e temporario do lugar que ocupa e .pie aau
llic exige diaria assiduidado, nao o inhibe oV .-i-
dir fora da capital, sendo que islo *e tem Ja.;
d actualmente, segundo sou informado, cosa em-
pregados le sua rcuarti^o ; e, ou depende da na-
tureza dos trabalhos de que elfos sa nMarrtgarfu*,
ou de lieenea de seus superiores^ quem si imi
be a viga no euniprimento das brgaiues que I
sao proprias. Demais, de primeira e'ntuioan, 1
nao se pode concluir do exercicio de um
para a residencia do empregado, fra do
que as respectivas funceoes do vio fsnr om 1
hala o inseparavol roiaoao com nmaqoalqner pur-
eao de territorio, o que se verHira exaetmant ount
o bacharel Manoel lnnocencio Piros de FiajsKirHu
Garaargo. promotor publico da comarca lio S. Asv
tito, que V. Exc. notou que eu nao tivesso convo-
cado.
Agora, qual seja a moralidade da represeataoo
de que se trata, a seguinte cirrnmstanca precia-
monte o determina.
l'm dos representantes, o alteres Prandsm Xa-
vier de Souza Ramos, afirma e passaa dcelarar
pela imprensa, que nunca teve intendio te reto-
mar contra a convocacao do bacharel Frawiso.>
Teixeira de S, pois que de sua nao interronnmla
residencia nesta villa, diz que est prometo e f"*'i-
dido a dar solemne testemungo e toda o qual-
Hier occasiao, c que, tendo por Mo recusado na
assignatura a urna rejiresentacao ajas Ihe fora pri-
meramente apresentada, foi encanado em outra
que as boa fe subaenien, por artoiramente so n>
dizef que estava nos termos de seu pensante!..
sem conter mais aquella falsidade com que Imita
repugnado.
Avalio, d'alliJV. Exc, que vate, oonsoiennosa-
mente unta repres.'nlacao ISSJSB falseada tu in-
tenoo de um dos seus signatarios, o, permita .pie
eu raanlonha a convocacao dos eteskaraMnas se diz
estarera mudados, mas por falsa allogaoao. ate >n\n
V. Exc. se digne resolver esta quostao. sob as
consideradles m lenho a honra, de, com oderido
respeito, subministrar V. E\c. em que ..ntmto,
corto de que V. E\e. nao as reesfeH como urna <^
obedienoia as suas ordens.
Entondo que o direto que a Idj-onforo ao nfeaV
tor de concorrer para o organsaoo das mesas pa-
rocliiaes, est por tal modo idenlifioado com a pro-
cesso eleitoral, (pie as eondicoos de que faz a_me*-
ma le depender o exercicio" dess! dirdto, ni>po-
dem ser apreciadas pelo governo annansaMnln-
mente.
Assim em regra, e o aviso de i de jnnbo d;
1860 claramente, sobre a quostao do domicilio
eloitoraes o supplentes, preceita pie ogornmt
nao COmptftnt para deridi-la da junta pertence fazer a eoucocaro dos i mi ni /.><
t\ne. tem de organisa-la. e a este* decidir fuaes *.>
os gue tem mwMo o sen domieUio para ontra fn-
rorhia, em lista das proras ifne se. aprenemtaiem.
oh do conherintento tessoal mi tenkam com c*Ut
decidiilo no i 3 do aviso n. 63 de 29 de mm-o Je
1847.
E anda o aviso de 20 de junl do I8SX) conltr-
niouessa mesma doutrina. estabeleeemtoqne <. atteniatoria da liberdmle do tuto a inferencia !>
t/nrermem decidir dita guestao.
Entretanto V. Exc. da como eviik-iitemenio pri-
vada a mudanea dos eletores Mainel Thomaz ito
Albuqucrque Maranhao, liaoharol Francisco T.-i-
xeira de S e Jeronymo I jtvaloanti do Albaqaor-
que Mello e assim interpoe iteoisadem materia qn*,
segundo os citados avisos, da exclusiva compe-
tencia do corno eleitoral. porimanm seria attentu-
Imio da libcrdade do roto que kwc da competencia
do governo (aviso citado).
Aguardo, pois, de V. Exc. se digne dar a e>n
ponto a lueidaeao de que carece por virtudo M
offlcios de V. Exc. a que respondo : se devo cum-
pri-los. ou seguir doutrina tnajnasnl avisos oont
que se acham os ananos rdfcfcn en palmar anti-
nomia; se proceder a docisb que den V. Exc. so-
bre a queslao vertente, ou a que tem de dar o cor-
no eldtoral por amor da liberdade ito voto, qne os
citados avisos acantellam ; e espero qno V. Fxc..
faca ooni a presteza que reclama a proximidade da
elieao.
(ncluindo, peco V. Exc. permsso para |-
blicar o presente" officio, era justifieacio do mou
procediraento que julgo no tor sido Ilegal.
Dcus guarde V. E\c- Villa de Pao d'Allto. :!l
de julho de 1863.Illm. e Exm. Sr. Dr. Joo Sihroi-
ra de Souza, presidenta da provincia.
O 1" juiz He paz.
Luiz e^Albuquergne Maramkth.
Estado ala caixa
Em ouro amoeada-
sa.....383:3384780
Em notas do the-
souro maiores de
104000. 11:6304000
Em dilas menores
de 104 .' 34:2174000
Em notas da caixa
filial do Banco do
Brasil .... 232:4904000
Km notas do Novo
Banco de Per-
nambuco. sendo :
Do 2004 337:4004
Ds 1004 196:9004
De 504 43:2504
Ramos, Manoel Garca de Souza Ramos, no senti-
4 274 3984974 do de haver eu procedido illegalmente, convocando
para a organisaeo da mesa parochial na referida
eleieao, os eleitores Manoel Thomaz de Albuquer-
quo'Maranbo, Jeronymo Cavalcanti d'Albuquer-
que Mello e bacharel Francisco Teixeira de S, por
se chareni mudados desta freguezia, c assim priva-
dos de concorrer para aquelle acto, por forca de
prohibicSo legal.
Alm destes offlcios, li anda outro de V. Exc. ao
ELEIQIO
Em prata e cobre.
597:3504000
23:4174422
1,304:6434222
Demonstracao da emlssao.
4262 notas do valor de 2004000 852:4004000
4651 IOO4OOO
2478
504OOO
Mis
465:1004000
123:9004000
1.411:1004000
O guarda livros
Francisco Joaquim Pereira Pinto.
uiz de direto desta comarca, dizendo que, por seu
intermedio, c com sello volent, me remettia o cm
3ue se oceupara V, Exc, mais especialmente la pre-
ita representoco, e recoramendando-lhc se empe-
nbasse a fazer cora que eu cumpra a lei na orga-
' Disacio da referida mesa ; e, porm, permita V.
! Exc' que neste assedo em que sou collocado de
tantas e tao multiplicadas recommendacocs e ad-
vertencias, cu nao abafe consideradles que a mi-
nha digmdade reclama que sejam feias a V. Exc.,
j em reciproco effeito do justfirarem o raeuprocedi-
ment, que anda considero legitimo, quando con-
voqud aquellos eleitores. o de dissiparem no ani-
mo de V. Exc. os recekis de que a meu respeito
parece estar possuklo, ao ponto do j de antemo
mdcar-mc como sujeito a ser aecusado de inten-
cionaimente pos. de parte o cumprimento da lei, e
attender somente s convenienciasjioliofcas da par-
cialidade a que sgundo a declaracao de V. Exc. se
diz, que pertenco.
No exercicio do cargo de juiz de paz que me foi
confiado pelo suffragio de meus coniparochianos,
e com o qual muito me honro, sei pautar os mens

dos devoto em arre fiado* da di-
reeeo da festividad da ssiav
riosa Kenhora Manta Anna, ajne
se venera nesta icreja matriz,
no futuro anuo de i**s4.
Juiz.
0 Sr. Joao Tburcio Valeriano Lobato.
Escrivo.
O Sr. Francisco Casemiro de Moraes.
Thesoureiro.
O Sr. Gaudino Endacio de Brito.
Procurador geral.
O Sr. Francisco Aleuaulrmo da Silva Reg.
Procuradores.
Os Srs. :
Paulino Juvencio da Silva.
Jenquim Jos de Moura.
Msanos.
Os Sis. :
Nilo Rodrigues de Miranda.
Joaquim lnnocencio (ontes Jnior.
Flix Figueiroa de Faria.
Francisco Figueiea de Faria.
Matriz do Santssimo Sacramento de Sana An-
lonio do Reeife, 2 de agosto de 186X
O vigario, Venancio Benriqtn ie mtndi.


t -i .*..i.i .. .,


^:
Diario > ffcrmanintico Terca fcira 4 4e Agosto le f 8A3.
ELEglO

dos julzes e ais pessoas que ho
de cnncorrcr para a festivlda-
4r da Gloriosa Serihnra anta
Auna, que se enera nesta Igrc-
ja matriz, no futuro auno de
rae*.
Juizes por oleicao.
Os lUms. Srs..
Belmiro da SiKcira Lius.
Padre Joae Jote da Costa Bibeiro.
Juiras por elcieao.
As Eximas. Sras.:
D. Ilennina Corra do Rogo Barros, mulher do
Um. Sr. Joaqakn Martinhoda Crai Correa.
D. Francolina Anftdia da Costa Ribeiro, iluiIIkm do
lllm. Sr. Dr. Antonio Jos da Costa Ribeiro.
Juizes por devoro.
Os Illms. Srs. :
Jos Alves da Silva.
Commendador Manoel Figueirda de Faria.
Juizas por devoro.
As Exilias. Sras. :
D. Maria Gertrues Quintal, mulher do lllm. Sr.
Jos Dias Alvaros de Quintal.
D. Porcia, filha do lllm. Sr. Commendador Antonio
Joaquim de Mello.
Escrivaes por eleicao.
Os Rms. Srs. :
Dr. Antonio Hogerio Freir d Carvalho.
Francisco do Paula Undoso.
Escrivitas por eleieo.
As Exmas. Sras. :
O. AmeliaCadnll de Lucia
D. Maria Alejandrina de Brilo, filha do lllm. Sr.
Francisco Antonio de Brito.
Escrivaes por devooSo.
Os Illms. Srs. :
Manoel Amonio do LEW.
Joaquim Antonio Pero ira.
Escrivaas pordevocao.
As Exmas. Sras.:
I). Anna Maria de Jess Leal, ttlha do lllm. Sr. Dr.
Francisco Jos C.\ rillo Leal.
D. Maria do Uvramenlo Castro e Soiua, mulher
do Ulm. Sr. Dr. Jos Soriano de Souza.
Mordomos.
Os Illms. Srs.:
Francisco Xavier Pereira de Brito.
Manool Jos Lopes.
JoSo Vctor Francisco da Cruz.
Antonio Florentino Mindello.
Joao Carlos Luinaolii.
Pedro Simiao da Silva Braga.
Joaquim Francisco do Reg.
Joao lt.iplista do Reg. *
Mordomas.
As Exmas. Sras.:
D. Idalina Tertuliana de S.
D. Maria Forrira da Annuncia^ao.
D. Maria Egvpciaca de Locio Lumachi.
D. Clara Joaquina de Oliveira Mottra.
I). Francisca Rosa de Andrade.
D. Maria Valeria Maciel da Silva.
D. Maria Leopoldina Gomes, filha do lllm. Sr. Joa-
quim Innoceneio Gomes.'
D. Maria da ApresentacSo Figueiroa de Faria, filha
do Ilm. Sr. commendador Manoel Figueiroa de
Faria.
Protectores.
A veneravcV irmandade do Santissimo Sacramento
dosia matriz.
O lllm. e Rvm. Sr. eonego vigario Venancio Henri-
ques de Rosendo.
Matriz de Santo Antonio do Recife. 2 de agosto
de 1863.
O vigario, Venancio Hmiqnes t Resende.
A natureza deve ser auxiliada
ein sens combates com a en-
fermldade.
l'm laxante admiravol e suave como sejam as
puntas vegstaes astutwradat de Kemp, o um alliado
forte que a faz vencer em innumeraveis molestias.
Restabeleccm o ligado entorpecido, regulam o ven-
tro o alliviam a constipaeo habitual. Sua opera-
cao tiio suave o branda', que a mulher ou crian-
za a mail delicada e tenra nao podem receber pre-
j uizo algum de sua acoao calhartica*. Piirgam seni
causar a niais leve irritaeao, funecionam sem en-
commodo eonservam o estomago, o figado e o
v.ntie no melhor estado posevel. afim de podercm
resistir aos mitos effeitos profliidos por uma al-
mosphera impura, Orna agua insalubre, ou prove-
nientes d'uma orcupacSo sedentaria.
venda em todas as boticas e lojas do drogas na
America do Sul.
COMMERCIO.
Alfandega
Rendimento do da 1
dem do da 3.......
5:909*3(12
11:5714108
17:4805470
oriniento da alfandega.
Volnmes entrados com fazondas
com gneros
Votante* sahidos com fazondas
com gneros
148
134
------- 282
39
16
o.)
Desearregam no dia 4 do agosto
Barca portugiieza//iw Polaca hespanhola Ventnrita -nnefcadorlas.
Barca itlglezaCrilerione -carvo.
Barca franeeza Ailrlemercaduras.
importar*.
Iliatc nacional Sobralense, vindo do Acarac,
consignado a Caotano Cyriaco da Costa Moreira,
manifestou o seguinte :
1,064 meios de sola e I allanados grandes; a
ordoiii.
13 altanados e 1.304 meios de sola ; Joao Jos
de Carvalho Moraos.
216 meios de sola; viuva de Manoel Goncal-
ves da Silva.
38 meios de sola Jos de S Leilo Jnior.
8sacos farinha* de mandioca; Jos Rodrigues
Ferreira de Moura.
200 esteiras de palha do carnauba o 340 alquei-
res do sal; ordem.
Vapor nacional Jaguaiibe. vindo do norte, mani-
festou o seguinte :
100 couros salgados com 65 arrobas c 8 libras
ordem.
Vapor nacional Pi-rsinnnga. vindo dos portosdo
norte, maaifestou o seguinte:
De Macu:
8 saccas com 36 arrobas e 18 libras de algodao
ni pluma; Jos de S Leilo Jnior.
110 couros com 86 arrobas, 23 arrobas de carne
secca e 11 ditas de queijos; Costa Irmaos & C.
324 niolhos de palha do carnauba, 44 ditos com
440 courinhos cnrlidos e 250 saccas do farinha de
mandioca; Francisco Alvo? Monteiro.
18 molhos com 350 esleirs de carnauba, 8 cou-
ros salgados, 11 meios de sola, 1 saceooom 5 arro-
bas de cora de carnauba; Manoel Rodrigues da
Costa MagalhSes.
3 garajos com 22 arrobas do carne secca, 1
caixo com uma arroba de queijos; Cosme Jos
dos Santos Callado.
4 volumes com 22 arrobas de carne secca;
Manoel de Souza Carocho Pimpao.
Do Xatl:
59 couros salgados o. 3 saccas com 16 arrobas e
4 libras de algodao; Joaquim da Silva Castro.
23 volnmes com diversos artigos para navio;
Marques & Silva.
Do Cer :
17 vohimes briin de algodao e 39 saceos com
caf; a orden i.
De Acarac:
203 meios de sola; Antonio Alves Moraes.
153 meios de sola; ordem.
30 ditos de dita; Jos Rodrigues Pimentel.
6 barricas sebo, e 82 meios de sola; Fernn-
des & Irmios.
430 meios de sola e 5 altanados: a Silva & Al-
ves.
168 meios de sola^ jUiigel Francisca do Mon-
83 meios de istk; Jos Joaquim da Silva Go-
mes.
21 meios de sola; iF.D. da Silva.
68 meios de sola : Valle Porto & C.
3,421 meios de sola e 4 couros; Joo Jos de
C. Moraes.
1,086 meios de sola; Jos de Leitao Jnior.
Da Granja :
25 couros salgados; ordem.
Hiate nacional Exhlame, vindo do Aracaty,
consignado a Grgol Irin&os.
19 volnmes dilterontes mereadorias eslrangoi-
ras, 72 caixas velas dr carnauba, 1 eaaao pennas
de ema 1 dito pregos de cobre, 1 torneira de bfdn-
le.
zo, i caixo com lvros em lu-anco; Parate
Viaona C.
72 caixas velas de carnauba. 56 couros salgados
e 68 molbos com 1690 couros; B. Gurgel do
Amoral
10 barricas farinha do mandioca. 50 caixas velas
de carnauba, e 42 saccas farinha
ordem.
120 saceos (triulia de mandioca; Jos Gon-
calves Malveira.
Recebedoria de rendas Internas
geraes de Pernambnco.
Rendimento do dia 1...... 1:567*3113
dem do dia 3........ l:8*38
Consulado provincial
Rendimento do
dem do dia 3
dia 1
1:013*246
1:879*745
2:892*089
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 3.
Baha 5 dias brigue nacional Imperador, de 149
toneladas, capilo Jos Rodrigues Prates. equi-
pageni 9, carga 5.000 alqueires de farinha de
mandioca; Amorim Irmo.
Rio de Janeiro12 dias hiere portuguez htKo, de
i77 toneladas, capitao Francisco Antonio Mei-
relles, equipagem 13, carga milho, feijao, car e
outros gneros; Thomaz de Aquino Fonsc-
ca.
Rio de Janeiro -7 dias barca ingleza Energy, de
208 toneladas, capitao William Edgard, equipa-
geni 10, em lastro; Johnston Pater & C.
Observacao.
Nao houveram sabidas.
7i M15000
m*(Ko
IDITAES.
Perante o ron-ollio de revista da guarda na-
cional doste municipio, sao chamados comparecer
na casa das sessdes do canvara monieipal, atlm de
serem inspeccionados no dia 4 de agosto s 10 o-
ras da manhaa, os cidadaos abaixo mencionados.
Sala das sessoes do eonselho de revista, 31 de
juiho de 1863.O secretario, Firmino Jos ie Ofi-
veira.
1 batalho de artilharia.
Lenidas Tilo Loureiro.
Joaquim Nicolao Teixeira.
Antonio Ignacio Barbosa.
Bruno Alvaro Barbosa da Silva.
Estevo Jos da Motta.
1 batalho de infautaria.
Marcolino Cleto Ribeiro.
Raymundo Scipiaode Andrade Pereira.
Francisco Jos da Piedade.
Germano Pinto de Magalhaes.
Manool Rodrigues Monte Lima.
Virissimo Mximo Julio Torres.
Felippe Santiago Jorge.
2 batalho de infantaria.
Guilhcrme Patricio Bezerra Cavalcanti.
Malinas Carlos de Oliveira.
Jos Patricio Bezerra Cavalcanti.
Valdevino Ribeiro da Silva.
Jos Juvenal Dias Brrelo.
O Dr. Firmino Antonio de Souza, oftlcial da impe-
rial ordem da Rosa, commendador de Christo.
desembargador e presidente do tribunal do com-
mercio de Pernambuco, por S. M. o Imperador a
quem Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente vironi, que em
virlude do decreto n. 3.102 de 28 de maio ultimo,
autorisando a companhia Indon c Brasilian Bank
a eslabelecer urna caixa filial ou gerencia nesta
praca, e de se acharem competentemente registra-
dos os estatutos que foram apresentados na secre-
taria deste tribunaj, dos quaes se v que em com-
panhia gyra comj) capital de 1,000:000 de libras
esterlinas, dividido em 10,000 accoes de 100 libras
cada urna, fura pelo Exm. presidente da provincia,
em dala de 25 do andante declarado haver por
constituida nesla capital a sobredita caixa filial ou
gerencia, attentos os documentos com que instrui-
r sua petico Thomaz J. Tenhcntc, agenle procu-
rador da referida companhia, o qnal declarou que
o capital da suppradita caixa nesta provincia era
de 100,000 libras sterlinas ou de 888:888*888 ao
cambio de 27.
Espera conhecimento dos interessados e em cum-
primonto do quo n>p incumbido no nrt. 13 00 de-
creto n. 2,711 de 19 de dezembro de 1860, se pas-
sou o presente que vai por mim assignado e sella-
do com o sello ao tribunal.
Dado e passado na secretaria do tribunal do com-
mercio de Pernambuco, aos 27 de jnlho de 1863.
Firmino Antonio de Souza.
Ra da Gloria.
N. 51 particular e 65 publico casa ter-
rea............. .. 1445000
Ra do Encantamento.
N. 52 particular e 3 publico 3 andares. 410*000
Ra do Az.'itede l'eixe.
de mandioca: X. 53 particulare 1 publico 2 andan-.. 600*000
Ra do Amorim.
N. 54 particular e 31 publico um andar.
Ruada Lapa.
N. 56 particulare8 publico um andar.
N. 73 particular e 5 publico um andar.
Ra do Pilar.
N. 59 particular e 73 publico casa ter-
rea.................
Ra de Sao Bom Jess das Crioulas.
1 N. 61 particular e 8 pnblico casa terrea. 131*000
Ra da Cruz.
N. 68 particular c!5 publico 3 andaros. 1:200*000
Ra da Cadeia do Recite.
N. 72 particular c 30 publico 3 andares.
BeQfoda Lama.
N. 75 particular e 30 publico casa ter-
rea......... ......
Travessa do Carcereiro.
N. 85 particular e 11 publico casa ter-
rea.................
N. 87 particular e 17 publico casa ter-
rea..............*.
Palrimonio dr trphas.
Ba da Madre de Dos.
N. 24 particular e 26 publico doas an-
. dars........ ........ 901*000
Beeeodas Boias.
N. 39 particular*e 18 publico dons an-
dares ............... 300*009
Ra da Moeda..
N. 44 particular e 21 publico casa ter-
rea................ 251*000
Ra do Amorim.
N. 54 particular e 21 publico 3 andares. 300*000
N. 56 particular e 26 publico casa ter.-
rea................ 72*000
Ra do Burgos.
N. 69 particular c 21 publico casa ter-
rea...............' 72*000
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife 3 de agosto de 1863.
* O escrivo,
F. A. Cavalcanti CoHSSeiro
Na audiencia do Dr. juiz municipal da 1."
vara do da 4 do correnle mez, tem de ir praca
Pira serem arrematados uns movis penhprados a
rancisco das Chagas Moura. por execncao contra
o mesmo o seu fiador, encaminhado pelo cartorio
do escrivo Saraiva.
Tem de ser arf ematado por despacho do Dr.
Terminar o espectculo com a primeira repre-
entaclo da engracada coinedi em dous a
DOUTORGRISWi.
PEHSONAGENS.
Gramma, ervanario. O Sr. Ravio.
150*000 Ri'* das Dores, moco
^ I de ?aauo........
144*000 Serapiao Bexiga, seu
420*000 .I"".........,
I Timotheo Januario^dem
I Vicente Macedo, idem..
183*000 Jacinlho, estudaiite. .
Cypriano. porteiro.. .
Antonio, msico.....
Um criado da hospeda-
ra........: .
Amelia, mulher de Ma-
cedo..........
Carolina, filha de Bexi-
Musicos, etc. etc.
A scena passa-se em Usboa.
Os bilhetes podem ser procurados em casa da
100*000 beneficiada, na travessa da Florentina, e no Ihea-
tro.
125*000 Principiar s 8 horas.
cenes a mesma massa as quaes serio vendidas
| da mesma maneira que a* nossun at hofe : os
interessados podem dirigir-so ao agente Pmnni
para qualquer esclarecimonto o o leilo lera lugar
quinta-feira6 do corrente pelas 10 hora- saper-
ia da asociaro comnjoicial.
Guimaraes.

Santa Rosa.
Joaquim Cmara.
> Penante.
> Lessa.
i Porta
> Gil Braz.
> Manoel.
A Beneficiada.
A Sra. D. Josepha.
Um piano de W. Sassenkoff, 1 mobilia de l'aia com
tamnos de marmore, 1 rico espelho. 1 marque-
ta, 1 mesa e 12 cadeiras de palha, 1 secreta-
ria de Jacaranda, 1 costurera, 1 jogo de schavh.
3 relogios americanos, 2 commodas, 1 cania de
menino, 1 carro para brinquedo de menino de
palha com rodas, 2 cadeiras de mola, 2 ditas
de balanco, 2 mesas para jogo, 2 lavatorios,
mesas, marquezas, cadeiras, 1 apparclho d>4
ASSfK3A^\0
TVPOfiRAPHHH PERXA1WT.WV
Quarta-foira 9as 7 l(i bom da m tov^ri
icxlraordinaci do eonseU. para tratar-'
ile nefucio ile nioinontosu iativesse.
Secretaria, 3 do agesto 01* secretario, SHra Uns.
LOTERA.
ajwamhAa
Trtra-
Quarte-feira 5 do fo.Tenle se
liir iillmu parle da primeira e pr
da segtimla loter da Santa Casa da Sfaert-
cotilia.
Os billietes e meios bilhetes acham-se
louca para ja'ntar, 2 ditos para alraoco, 1 di de i venda na resi>ectiva thesouraria, roa A
metal principe, garrafas para vinho, copos para Crespo n. 15, e as casas rommissionafcB
agua e vinho, garios, facas e cdheres, 1 ogaelma da Impcratriz n. 44, bija do Sr. Tinien-
amencano, trem de cosmha e muitos outros ob-. 'A \.Ju,t0.Mitmemn 44 y3 ,L,Sr
jectos de casa de ramilla. ltl' P*^*^. a,a Mepet n. W, Hja tu> r.
*e\l a-ir Ira 7 de agosto. SoaresPmlieiro. na l>inilan.-3, bntirail.
Kiia da Cadeia n. 12. Chagas, ruada Cadeia n. 45, bija do Sr. Por*
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERMANBUCANA
DE
\avcgar.o costelra vapor.
Maceh'i e escalas
0 vapor Mamanguape comman-
dante Moura, seguir para os
portos de Macei e escalas no dia
5 de agosto as 5 horas da tarde. A
carga ser recebida al o dia 4
3cio dia, encommendas. passageiros e dinheiro
ele at o dia da sabida as 2 horas: escriptoro
no Forte do Mattos n. 1.
O agente Pinto far leilo por conta de urna fa-
, milia estrangeira que retirou-se para Europa, de
todos os objectos supra-mencionados e existentes
no armazem da ra da Cadeia n. 12, de vendo ter
romero o leilo s 10 horas em ponto, visto serem
muitos os objectos que tem de serem expostos a
venda.
IJIIIO
COMPANHIA PE1VNAMBUCANA
DR
\a*r^aeo costelra a vapor.
Paralha, Natal, Haca, Ararat}, Cear r Acarara.
Para os portos cima Indica- tarde do dia cima dito na ra da Cadeia
dos seguir no dia 7 de agosto
DE
lima mobilia dicercge,ira,2 caslic^es,
1 candelabro, 1 marquea, 12 ca-
deiras, 1 commoila, 1 banqu nha, *
lavatorio 1 tucaiinr e 1 cabide.
- Sexta-feira 7 de agosto 1 hora da tarde.
O agente Pinto far leilo requorimento dos
curadores liscees da massa fallida de Francisco
I Moreira Das e por despacho do lllm. Sr. Dr. juiz
especial do commercio dos objectos supra mencio-
nados pertenecntes a mesma massa, 1 hora da
n. 12.
prximo um dos vapores da com-
panhia, que recetor* carga at o
dia 6 ao meio dia.
Encommendas, passageiros edinlieiro a frote at
IiEIlAO
jaiz'dc orptiSos desta cidade o" armazem do cabos o dia da saliida s 3 horas da Urde: escrptorio do
da ra do Vigario n. S, e diversas madeiras de .si- Forte do Mattos n. 1.
eupira e amarello. a qual arrematado ter lugar
no dia 7 de agosto ao meio dia em ponto, denois
da audiencia do juiz de orphos que tem de assis-
tir : os prctendentes podero examinar o escri|)to
de praca que se aclia em mao do porteiro do juzo,
Amaro Antonio de Parias.
Jui.o dos feitos da fazenda
nacional.
N dia 6 do carreiMe m san das tu
GOMPANHIA PKRNAMBUCANA
DE
liavegar.lo costelra a vapor.
Parahiba, Natal, Maeao, Ararat), Gear e Arara*.
O Ufar Jagnm-ihe, commandante
Lobato, seguir para os portos
indicados o dia 7 do corrente as
5 horas da tarde. Reebe carga
at o dia 6, encommendas, pas-
sageiros e dinlieiro a froto at o dia da sahida as 2
Hiriremos obras de prata do Porto o otilras obras
de metal principe.
ttexta-felra 9 de.agosto.
O agente Pinto far leilo por conta do quoni
licrtcncer de um apparelho para eh.c comeres
de prata, assiin como de garios, facas e coiheres
de metal principe, s 11 horas do dia cima dito
na ra da Cadeia n. 12, onde ha ver leilo de mo-
vis.
i
AVISOS DIVERSOS.
Para o Maranho e Para
pretende seguir Uestes oito dias o veleiro e bem
conhecdo brigue escuna Joren Ailliur, tem a
seu bordo parte de seu carregamento ; para o res-
to quelliefalta, tratase com os seus consgnata-
tarios Antonio Luiz de Oliveira Azevcdo & C., no
seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
LEILOES.
DECLARACOES.
*anta Casa de Misericordia do
Recite.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Keeife manda fazer publico, que
no 1." de agosto prximo futuro entram de mez os
senbores mordomos major Jos Joaquim Antuncs.
e no seu impedimento o Dr. Manoel Fe-roira da
Silva no hospital Pedro ll,e Joaquim da Silva Cas-
tro no collegio de orphas e casa dos expostos:
continuando o reverendo Dr. Antonio da Cunha
Figueiredo no hospital dos basaros e collegio dos
orphaos.
' Secretaria da Sania Casa de Misericordia doRe-
cife 31 de juiho de 1863.
O escrivo.
A. F. Caralcanlc Oinsseiro.
Secretaria de polica de Pernambuco
I de agosto de 1863.
Por esla secretaria se faz publico para
constar, a quem interessar possa, que pela
delegada do termo do Cabo, foi preso como
fgido e remettido para a casa de detenro,
onde se acha desde 16 de Janeiro ultimo,
um preto fulo, de nome Francisco*, que diz
ser escravo de Marcolino de tal, residente
n'esla cidade.
0 secretario,
Eduardo do fanos Falcw de Lacerda.
Manta Casa da Misericordia do
Reclfe.
A lllm." junta administrativa da Santa Casa da i
diencias pelas 10 horas da manhaa cru horas^cscriptoriojio Forte a* Mattos a. i.
presenca do lllm. Sr. Dr. juiz dos fc-
t<>sd.i fa/endi se vender em praca
publica ama cusa do um andar e so-
to sita na lili* dos Hato-, penhoratla
aos herdeiros de Joo Maria Se ve,
a^aliada por 7,0008, cuj csa se
vende para pagamento da l'azeiida na-
cional. Recite I de agot de 1863.
0 sulicitador,
F. X. P. de Brito.
i si -/o dos feitos da fazenda na-
cional.
No dia 6 do corrente na sala Has audiencias pe-
las 10 horas da manhaa em presenca do lllm. Sr.
Dr. iuizdos feitos da fazenda se vender em praca '
publica uma casa terrea em caixo n. 36, sita a '
ra da Concordia, peuhoiada a Norberto Miiniz
Teixeira Guimaraos para pagamento da fazenda
nacional. Recife Io de agosto de 1863
O solicitador.
F. X. P. de Brito.
Coftselho le eempraa navacs.
Twldo ac de promov. r a eMUpt dos obfc-ctos
abaixo declarados, pertencentes ao material da ar- i grande casa terrea assobradada na ra do Mon-
mada, convida o eonselho aos que pretenderen! dogo n. 16.
vcndc-los a apresentarem suas pi-oposlas em cartas casa terrea na ra do Mondego n. 75.
fecliadas no qia "> de agosto prximo, at s II lio- i;:a cllos foreires.
rasada manhaa, em que isso ter lugar soh as con- sol)nulo (1(. dmis an,la,,ls na |raves.a do Livra.
LEILO
PR DIOS
Instituto .trcheologleo e Geo-
grantico Peruambiicano.
Haver sesso ordinaria quinta-feira, 6 do cor-
rente, s 11 horas da manhaa.
Secretaria do Instituto, 3 de agosto do 1863.
1. Soares de Azevedo,
____________________Secretario perpetuo.
- Deseja-se saber onde existe Adriao Jos da
Rocha que pelos annosde 1831 1833 foi caixeiro
i da casa de Faria k Lopes, na ra do Queimado
desta ciliado, do qual sua familia desde o anuo de
1S."8 nao lem noticia : quem souber dar noticia
delle na ra do Crespo n. 21 para se lhe entregar
i uma carta, amito obrgado se licar.
e em Apipueos estabelecimento do Sr. Fran-
cisco M. S. Mondes.
Os premios de 5:000/ al 104 serio pa-
i ros uma hora depois da extracco at as 4
horas da tarde, e os outros no dia segaia*-.
! depois da destribnifio das lista*.
O tliesooreiro.
Antonio Jos Rodrignes de Smn.
LOTERA.
0 lliosoureiro das loteras desta prwifil
ca, ilesejando extrahi-las om maior capifci-
e com menores intervallos. offrece a vanla-
gem de dous por cont quem comprar
para negocio, na quantia do I(X)j5 para cinv:
assim romo se pro|>oe a establecer rorre>-
pondonciaspara qualquer liMalMl*te da pr>-
vincia. remottendo bilhetes, meios e folas.
soh nanea idnea; devendo o pagamento
dolles ser feito logo ihip sejam re'"biilas a>
listas o novel bilhetes remrttidos. O tlie-
soureirocoito da convenienciadi'sseaegoti.
convida aos Srs. eommorcianles da Victoria.
Goianna, Rio Formoso, Nazareth, Serinhaem
e inais localidades populosas da provincia, e
mesmo os dosla capital, que o qnizerem. a
inii'iiderom-socom elle, na lliesonraria da
loteras, ra do Crespn. 15: adtertindo
quo recebera om pagamento e sem dewonlo,
os billietos premiados de Unas as loteras
da provincia recolhiilos thesouraria da fa-
zenda provincial.
Thesouraria das loteras, 20 de jonho d--
1803.
O thesonreiro.
Antonio Jos Rodrigues de Soca.
O abaixo assignado declara ao respertavel
eorpo do commerrte drsta praca o ao puWieoe
feral, que desde o dia 1." do renlo dmoo per
iiotlvos justos de ser seu caixoiro o 9r. Iptarii.
Silva, e previne que desde aquella data naos* rea-
pon-abilisa por cuusa alguma ou lran*acee! leia>
pelo mesmo. Manoel Alves Fonvira.
Precisase. |>elo tem|m que se ronvi-nrieBjr
da quantia de 'JOO-l a 3 11(0 ao mez. paifilo-ae
juros no l'un de linios os mezes : qnom esle aegv
cio ipiizer annuncie.
. Com) spj*m
Km chdios proprlos.
1 sobrado de 2 andares da ra streita do Rosa-
rio n. 24.
1 casa terrea na ra do Amorim n. 30.
1 dita dita no pateo do Paraizo n. 31.
1 dita dita na roa da Alegra n. 14.
1 dita dita na ra do Mondego n. 69.
1 dita dita na mesma ra n. 71.
1 dita dita na mesma ra n. 73.
COMPTABILIDADE COMMERCIAL
TELO'
DR. WITRUVIO PINTO BANDEIRA
h'nfpssor da segunda cadeira do Curso Gomnercial PrnumberMM.
DOIS BELLOS VOLIMES OI 8. FR.MCEZ
COJII'UEHE.NDKNDo
O primelro-
di^oes do estylo.
Objectos.
4 arrobas de aguaraz.
800 agulhas de lona e brim.
20 amotohas de folha sortidas, de 4 a 8 medidas.
6 duzias de brochas grandes para caiar.
30 baldeadeiras de folha.
150 camisolas de brim.
1 corroa de sola ingleza singella, com 1,000 ps
de comprmento e 3 pollegadas de largura.
1 dita de dita de 1000 ps de comprmento e 2
Vi pollegadas de largura.
1 dita de dita dobrada^le 300 ps de comprmen-
to e 6 |K)1 legadas de largura.
1 dita de dita dita, de 200 ps do comprnionlo
c .8 pollegadas de largura.
mentn. 18.
1 dito de dous andares na ra das Aguas-Verdes
n. 70.
1 sobrado de um andar na ra de Santa Rita
n. 7o.
1 casa terrea na ra de Santa Cecilia n. 9.
ioji:.
(A ra da Cadeia numero 24.)
O agente Pinto legalmente autorisado pelos 1-
quldatarios da massa fallida de .lose" Antonio Bas-1
tos, levar a leilo no da 4 de agosto, os predios
supra mencionados pertencentes a mesma massa.
em seu escrptorio ra da Cadeia n. 24, entrada
pelo Becco-Largo.
Os pretendemos podero examinar as referidas
-Prclecces tfhcorlro-pralicaa
raeo mercantil.
O segundoXoces de arlfhmetica com-
naerclal, adaptadas pratlca das operaees coi
merciaes e elementos do njstei
mtrico com suas appllraecs
ao commercio.
PREGO DE CADA YOLUME
1 dita de dita dita, de 100 pos do compritnenlo e casas, as quaes acham-se abertal o sugeitas a exa-
7 jiollegadas de largura.
100 dedaes de repudio.
20 escarradeiras de metal.
30 espumadeiras de folha.
50 fronhas de brim.
500 folhas de cobre de 28/o-
200 lences de brim.
300 libras de pregos de cobre para forro.
10 duzias de taboas de louro para .Indaimes.
10 temos de medidas de folha.
24 toalhas de brim.
260 travs de qualidade com 41 palmos de eom-
prmonto e 8 pollegadas de grossura.
Sala do consollio de compras navaes de Pernam-
buco, 29 de juiho de 18C3.
O secritario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Crrelo era!.
Pela administraco do correio desta cidade se
faz publico para flus convenientes que em virtude
do disposto no artigo 138 do regutamento geral
dos crrelos de 21 de dezembro de 18H, e artigo
9 do decreto n. 783 de 15 de maio de 1851, se pro-
ceder o consumo das cartas existentes nesta ad-
Jl lilil. JUIIIl UUIIIIIIK'IIIIU M ^l"l V*** UHI I I.
Misericordia do Recife manda fazer publico que no mimstracao pertencentes ao mez de juiho do anuo
me, a excepcao da do Mondego n. 16 que est fe-
chada, cujas chaves serao encontradas em poder
do mesmo agente.
Principiara s 11 horas em ponto.
LEILO
DE
I ma ex rava com cria.
O agente Almeida vender em leilo, autorisado
lelos administradores da massa fallida de Bastos
4 Leums, uma escrava perleita engommadeira e
cosinheira. com urna cria de 6 annos.
non:.
Em seu escriptorio ra da Cadeia do Recife n.
48, as II horas do dia.
LE AO
dia 4 do corrente pelas I horas da tarde na sala
de suas sessoes contina a praca das rondas das
casas abaixo declaradas por lempo de um a tres
annos.
Os pretendemos devem comparecer aeompanha-
dos de seus fiadores ou munidos de cartas destes.
EstaheleciiiuMitos de raridade.
Ra Direita.
N. 4 particular o 33 publico um andar. 3634000
N. 82 particular e 3 publico tros an-
dares..............1:010000
N. 83 particular e 7 publico. tres an-
dares.............. 920*000
Ra do Padre Floriano.
N\ 6 particular e 47 pnblico casa terrea. 186*000
N. 7 particular o 45 publico casa terrea. 126|00
X. 66 particular e 63 publico casa ter-
rea............... 140*000
N. 90 particular o 13 publico casa ter-
rea................ 181*000
Becco da Carvalha.
N. 10 particular e 5publico casa terrea. 149*000
lina dos Peleadores.
N. 16 particular e 11 publico casa ter-
rea.......*.......... 233*000
Ra da Calcada.
N 17 particular e 30 publico casa ter-
rea................ 174*000
N. 19 particular e 34 publico casa ter-
rea, w .............. 149*000
N. 21 particular o 38 publico casa ter-
rea................. 156*000
Ra da Viracao.
N. 27 particular c 19 publico Casa tor-
rea.................
Ra de Santa Thcreza.
N. 31 particular e 7 publico casa terrea.
N. 32 particular e .'publico casa terrea,
Ra de Hortas.
N. 29 particular e 41 publico dous anda-
res. ...............
Ra da Roda.
N. 33 particular e 3 publico casa terrea.
X. 36 particular e 5 publico casa terrea.
X. 37 particular e 1 publico casa torrea.
X. particular P1 publico casa terrea.
Rtta da Imperalriz.
N. 47 particular e 68 pitfeKco casa ter-
rea................. 306*0(10
passado, no dia 4 de agosto prximo, as H hora
da manhaa, na porta do mesmo correio, e a res-
pectiva lista se acha desde j exposta aos interes-
sados.
IIO.II .
Terca-feira 4 do correnle, s 10 horas
\a na da Cadeia n. 53,
Bas dividas da massa fallida de llraz Marcelino do
" Sarraraenlo na importancia de 796;1I0 rs.
Por intervenefto do agente Euzehio se render
as dividas daquella massa como cima requer-
Administracao do correio de Pernambuco 28 de ment do depositario e despacho do lllm. 8r.. Dr.
ii i I..HH r\ _x__*. '.-t^^J... _;_ >.U^.I>1 Jn AAmniAHon n inmi I, >. -i.. QC
juiho de 1863.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
juiz especial do commercio. os documentos sao as
remitas que esto em poder do referido agente,
onde podero os prctendentes apreciar.
Esta obra, apezar de elementar, veni preenoher uma lactina, que era sentida entre nos
' onde fallecen escriptos de certas especialidades com accesso a todas as inlclligenrias ; e a<-
L< sim o editor pensa fazer um servico daudti-lbe publicidade. tanto mais qnanlo Iwije. que a*
transaccoes coinmerciaos e iuduslriaes vao entre nos tomando nolavcl desenvolvimento. deve
entrar a eilueaeao daquelles me se querem ap|ihear a tae< raiiws da vida o cunherinvni
dos principios d coniptabilidado administrativa o eommercial.
Com este intuito, sob uma forma essencialmonto classica. reuniu o Sr. I>r. Witrnvions
principios da comiitabilitlade commercial no que tem ellos de mais i'lementai1. e cnordeaoa-
os de modo a facilitar o mais possivel o seu estudo s pessoas tpie se ibstinam as proAsni
K conmierciaes. sendo taes a concisao e a clareza postas nodesenvolviminto n--|itivo. qoe \>-
K do-so aprender a materia, chegando-se a escripturar os untos por partidas iaMliH t\Ai
g car o calculo s operaees do commercio* sem carecer da intervencao de um mesti e.
O primeiro voluiie, formulado sobre a obra de Bertrand. occiq>a-so mais tamtUkmtti
da i'm ripturacao mercantil |Kir partidas dobradas, cujos principio> sao dosonvolviil.....ni har-
monia com a legislacao brasileira, contendo alm disto um imiK>rtantissino appendRv silire
as sociedades eommrciaes em todos os seus movimonlos. quer pelo lado da earrfplararift
qtter pelo da formaeao, existencia e extinccSo dellas em face da le. Xe*te appendice ilu'pli-
cadamenle recommendavel por sua originaiidade e pelo cunho de espeeialsiiM. leh o cum-
inercaiile una guia para sua direccao, qualquer que soja a forma da sociedad fM i oniraia.
Completa esto volunie o sjiecimenou resumo de urna oscripliirao.in. ficticia verdad', ma- em
ludo M'inolhanle de urna casa de commercio ordinario, oflerecjendo nina -! i>- de i>|M-rafe>
suceessivaniente mais difflceis, que assim inicia gradualmente a maneira de -i riptura-las
nos dfforentes livros de uma casa de commercio.
O segando, egualmente formulado sobre a obra de Kottinger. oc.upa-s' particularmenif
da arthnietca commercial com exercicios e problemas polo meio mais simples farl a breTe
da regn conjuncta, acerca de todas as operaees praticas usuaes m> commercio. rnvolveado
imIi tilos de cambias de praca praca e por pracas intermedias,bem como negocios de ham-n*
com arbitragons de camliios, alm oo desenvolvmionto do s\sii'ina imbrico em suas rolacoes
.;. com o commercio, Ilustrado i>or meio de tabellas de convergi.
* O editor nada mais accrescentar estas breves palavras. que as demonstram a irn-
iy portaneia real desta obra,"devida a inlelligenciae a applicacao acnuaila do s>-u autor, -nao
>jx que ella do utildade geral, c que a nenhum commerciant e mesmo ;i homem algum de let-
fv* tras licito deixar de possui-la em sua estante ; pos o commercio em sua- variadas voki-
(W cues, entende actualmente com tudo que se liga a vida.
A assignatura toma-so as livrarias dos Sis. Ciiiinaios ft Oliveira. Xgnera dr Sna-
za, Juliao 4 Pereira e Geraldo H. de Mira, sendo roalisada sua mi|iortaiicia pola qtiota de cada
volume ao sabir do prelo, para o qual ora entra o primeira.
O EDITOR.
Tiiuvrico
DE
a,
LEIL.10
i:npiti:zt
4. J. DCARTCeilBRi
Recita livre da assignatura.
BENEFICIO DA ACTRIZ
Camilla Moreira Guimardes..
Quarta-feira o de agoste de 1863.
Depois que a orchestra, dirigida pelo maestro
Pedro Nolasco Baptista, tiver executado a grande
ouverlura
7.
DO
Deposito da ma de HorUa .
Quarta-frira a do corrente.
A requerimento de Francisco Alves Monteiro J-
nior por despacho do lllm. Sr. Dr. juiz especial do
commercio iro a leilo todos os gneros e mais
utencilios existentes no deposito da ra de Hortas
pertencente a Rento Aires da Cruz : quarta-feira
5 do corrente pelas 15 horas da manhaa no mes-
mo deposito ra de Hortas n. 7.
196*000
204*000
553*000
subir scena o sempre applaudido drama em qua-
tro actos,
ABNEG4CM
DE
.Hovrl*. crystaes. planos, cabrio-
lis, -avallo*, burros e es-
cravos.
Quinta-Wr 0 do eertente as H horas.
SKH II i i:
O agente Olyrapio far loilao em seu armaiem
ra do Imperador ri. 16^
Original portuguez do distncto dramaturgo Er-
nesto Bister, premiado no concurso dramtico de
Lisboa, o dedicado a S. M. El-Rei D. Fernando.
Tdmam parte os artistas Purtado Coelho, Com- 2 lercaS partes (10 adUfadO de Mi-
W^mai,/'!6Ka.' P^f10'/ &Sras-D- Eugc' res" e sato da ra da.Crez n. 33.
na (.amara. JosBpha e a beneficiada. _^_ _i^.,. j_T.._..4
Xo Jim do drama o Sr. Peante e a beneficiada Mlnta-lelra 0 o eorrcnic.
cantarao o dueto chistoso Por despacho do lllm. Sr. Dr. Juiz especial do
commercio com nformacao dos nrninistradores da
massa de Manoel de Azevedo Pontes, irao de novo
a leilo as duas tercas partes do sobrado de dous
andares e soTao sito ra- da Cruz n. 33, pectn-
AVOLTADOMARINHEIRO,
o qual terminar com o fado dansado.
INTERNATO
DE
ESTABELECIDO NA CIDADE DO RECITE
Director0 liarltarcl em malhemaliraa
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O director do intermito de S. Bernardo, aocodendo aos pedidos de varios pac das
respectivos collcgiaes, e de outras pessoas desta capital, renioveu o seu estabetraal
da Capunga para esta cidade.
Xao tendo evitado esforcos flem sacrificios |ra proporcionar aos s<"iis atiumwe
urna perfeita edueaco physica, moral, intellectual e religiosa, offpreceado-lhes tima ha-
bllaco com bastantes condi^desdo salubridado. habis professores que sao socilos em
pro|ara-los convenientemente ao fim que se destinam. medico pratico qoe ftes bta
i
_.am-
Has o auxilio e confianza com que j alguns o tem honrado; e Ihes rnga, bem romo
todas as pessoas tnteressadas, que se dignem de visitar o mesmo seu esaneterancB*.
onde sempre enContrarao franco ingresso. Ax
O collegio tem a sua sede no .-pan .-o edificio ft. 3zrrada Auiora, cmiigno a*
do collegio dos orphaos. %
Xos estatutos do collegio, que estio .i disposigao de quem os quer le. se athmi
consignadas as condicoes de entrada c matricula mts diversas aulas d estaMeri-
menlo.


Diarla de Pernambueo Terea felra A de Agosto de 18*13.
PROTEJAM FREGUEZES
AO .\YO ESTABELECIMENTO DE IV/IMHS
NA RA DO CRESPO N. 17.
DE
JOS GOHfcS TIIIAR.
Veade-se baratissimu
ESTRADA DE FERRO
DO
RECIFE A SAO FRANCISCO
* AVISO.
Pelo presento se faz publico que at outro aviso
1 o trem de morcadorias que parte da Escada para
! Cinco Pontas e vice-versa as tercas e sestas-feiras
i de cada semana, tambem receber passageiros de
segunda c terceira classc pelo mesnio preco da ta-
1 bella ordinaria, e a partida ser'regulada do modo
uorquc o indica o quadro seguinte :______
Para o LVMrUW
Fazenda de phantasla.
Vestidla de blonde coui calila e manto,
para casamento.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Manteletes pretos liordados compridos.
('.assas pretas a Luiz XlVr.
iapelinas de palha a Maria Pa.
Saias bordadas de 4 pannos.
Caiubraias lisas de todas as qualidades.
Saias a balao de arcos e de panno.
Chitas francezas fmssimas.
Laas de todas as qualidades para vestidos
de senhoras.
Meias para senhora. viudas de Inglaterra.
Cassas de cores lindos padrSes a 280 rs. o
covado.
a diaheiro avista.
Fazendas brancas.
Madapoloes francezes finos.
Madapoloes de jarda finos c enfestados pro-
prios para camisas e saias de senhoras.
Madapoloes de 7<&. 8, 93, 10*, 11$ e 12*
a poca.
Bramantes de linho lielga e de outras mili-
tas qualidades, sendo de 10 palmos de
largura e outros de i palmos.
Esguioes, selocias, bretanhas.
Toalhas de linho para mesas do 28 palmos
de comprimento.
Toalhas para rosto, algodoes de todas as
qualidades.
I...IM.T.
MAKHAA
(par-
Escada
tida).
; Timboass...
Olinda.......
Ipojuca......
Cabo........
Illia.........
Prazeres.
Cinco Pontas
(chocada)..
BOBA
10
10
10
11
11
11
12
Ml\
0
20
i.-;
3
M.VNH.VA
Cinco Pontas
(partida)...
Prazores.....
Una.........
Cabo........
.'tO'lpojuca......
io Olinda......
lo Tiinboassd...
Escada (ehe-
0 cada)......
HORA
i
3
\
\
\
SIIN.
I."i
30
2o
5
2o
43
$
E outras muitas fazeudas baratas
i m grande sortiinent
i msicas para piano e canto-seudo de todas as torcas, vendem-se baratissnna
FUMM^A DA AURORA.
Nesta grande e bem montada fabrica de machinismo, a mais antiga no imperio, con-
tinua-sea exeeutar coma maior presteza e perfeico encommendas de toda a qualidade.
de machinas usadas no paiz, tendo sempre proinpto o seguinte : .
Grande sortimeuto de moendas de canoa de todos os systemas e tamaitos.
Machinas de vapor de diversas qualidades.
Taixas fundidas e batidas.
Crivos e boceas para fornalhas.
Bronzes e aguilhes.
Roilas, rodetas e rodas dagua.
Guindastes fixos e portabas.
Machinas de cylindros para padaria.
Senas de-ac para serrara.
" Fatechas para barcos, etc.., etc., tildo por preco que bem convida.___________
Escriptorio da superintendencia villa do Cabo
:tl de julhodc 186:.
(Assignado) -Ricardo Austin,
Superintendente interino.
J3SS-1SS-SSB
DENTISTA DE PARS g
19Kua Nova-19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, c col-
loca denles artificiaos, todo com superio-
ridade e |erfoeao, que as pessoas enten-
didas Ihe reconheeem.
Tein agua e pos deutificio.
!
COMPRAS.
Preservan va coitra o chtlera.
O xarope alcohlico de veame por saB quilida-
_ Compra-se um metljodo de msica de Ro- ^*,u;*i)ti?_yr,'vint> a pnmfacra naaaaobatas.
dolphoconValgumuso: .lom ti ver para vender, ^'t (? i "an3 >"'*. ^"
dirija-se a rua do Aragaon. 8, se dir quem com- S"f&l ca.,ttras' e TO"?IW *<"**'
" J nliauusu.'dmes*M\as de venire. aucias e fuxm,
_________----------------------------------------------principalmente i aquelies que u-an de mintinrn
Compra-se effeehvamente ouro e prata om tos, que fcilmente se fazem rancoso* on se aae-
bras velhas : na praca da Independencia n. 22 lo- dam no estomago. Ora, sendo a' sade dtpundea*
te do estado dos solidos e dos Huidos, rinn, m&
o medicamento como o xaropc akulwli. de vekv
me, que tein a qualidade de impedir a ptitrefarao
do sangne, purilicando-o c conservando o >-*iua-
oo em sen estado regular, oondo-o lvre do %rt-
i bimentoda mfeecao, pro vina o appareriuieMo do
I cholera. As pessoas, pois, que se qnizen-m librar
desse mal. devem usar do xaropt- atruhotiro de
ja de bilhetes.
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
CartSes de visita
Cartoes de visita
CartSes de visita
Cartoes de visita
Cartn de visita
Cartoes de visita
85000 a
85000 a
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a
85000 a
.85000 a
85000 a
85000 a
85000 a
Casa americana
i '..-i -;i americana
Casa americana
Casa americana
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Inqierador
Ra do Imperador
a casa terrea
VENDAS.
S1110II V.
iTORICO pelo dr.
duzia
duzia
duzia
duzia
duzia
duzia
duzia
duzia
DRMU HISTRICO PELO DR. THEBERGE, NO
QUAL NAO INTERVERI PERSONAGEM
FEMENINA.
Na ra Nova n. 11 vende-se a li&ooo o
exemplar.
BARATO.
Saias a balo com 16 arcos, chegados pelo Flo-
rida, pelo baratissimo proco do 25800 cada una,
liiazinhas de gosto moderno a 380 e 400 rs. o co-
vado : s na ra do Queimado n. 43, esquina que
volta para a CongrcgacSo.
Helas de linho e algodo
Vende-se na ra da Cadeia do Recite, loja de
ferragens n. 44, recentemente chegadas do Porto.
Aluga-se a casa terrea da ra Imperial n
; 66 : os pretendemos dirijam-se Caixa Filial.
Roga-se a un senhor ajudante de um dos
lga-se oTf andar do sobrado n. 36 da ra | corpos de linha da guarnicao dcsta praca, tenha a
1 larga do Rosario (lado da sombra) somente a fami-. bondade de ir-ou mandar pagar os alugueis da
lia : a tratar defronte venda da esquina do Peixe casa que oceupou
Frito. ________
ALUGA-SE
Na ra da Gloria n. 89, aluga-sc um moleque ex-
rellente coziifheiro.

L i IV
Henriqtieta Amalia de Brito BuiHamaque,
Mauoel do Nascimento Cesar Burlamaque,
Frederico Cesar Hurlamaque, Henriqueta Ce-
sar Burlamaque. Carlota Cesar Burlamaque.
Umbelina Cesar Burlamaque, Manoel Rodri-
gues da Costa Mygalhaes, Jos Ptieira Tei-
\eiia, esposa, filhos c genros, do fallecido
coronel Trajano Cesar Burlamaque, surmua-
mento agradecem a todas as >cssoas que se
dignaram assistir ao funeral na igreja da
Conceioao dos Militares e acompanuar a se-
pultura os restos mortaes do dito coronel. E
tendo de mandar .dizer no dia 6 do corrente
mes, na referida igreja da Conceicao dos Mi-
litares pelas oito horas da manhaa, urna mis-
sa pelo repouso eterno do finado, rogara a to-
dos os sena amigos e aos do mesnio tinado o
particular obsequie de a ella comparecerom,
coitos de que com o cumplimento desse ulti-
mo dever religioso mais anda se tornarSo
rrcdorn de suas cierna gratidae.
r.M'i-mis fgidos.
Fugiram no dia 2 de julho do crreme anno as
escravas Candida e Lucinda, md e filha : a pri-
nieira representa ter 34 annos, jxiuco mais ou me-
nos, estatura e feicoes regulares, denles alvos,
olhos aportados e bem fallante ; a segunda repre-
senta ter lo annos, poneo mais ou menos, mulata
clara, bom cabello, estatura regular, bons denles,
olhos aperlados que parece ser inyope, tem tros
Vende-se na ra dos Guaran pos n. 28, um
Itom eiferavo proprio para o sorvieo de armazem
on de sitio, 4 carros de carregar gneros, om bom
uso, um terreno com 102 palmos de frente e 300
de fundo, com porto de embarque, situado na ra
do Briun._____________
ATTENCiO.
Vendcm-se ttulos de divida de 3,537,307 rs.,
-mo o [iriiicipal dn debito de Manoel Josr Lfilc.
logisla, que leve estaliclerimento na ra do Que-
mado rom a rasa de Jautos Crablroe k (',., em li-
que afiancou a outra pessoa c mesmo entregar quidarao, sendo para fechar ronlas c logo se au-
e juntameute tambem pagar os
veame da maneira indicada no receituario. Mu-
tas pessoas desta cidade c de fra, teem man.
tado as vantagens. que teem obtido deste- metliea-
mento, que, na verdade, tem aproveitado W*
guintes molestias : earmfulas ou .TU|ir('ir9. esero-
phulosas, ulceras de toda especie, svpnles on nal
venreo, tumores, bratoeja, q>htalmia. impipms,
hespes, dartros, erisipelas, eseorbuio. linha. clia-
gas antigs, rheumatismo cincni.-... d.-|,|dadc
ral, fastio, llores brancas, e todas ;, enfeniiidad- -
dependentes da puriliracao do saico. \ cura
de todas estas molestias lenh rerebiiWi >V \*hms,
cartas de agradecimento, |n-lo ix>m rebultado. <|ue
teem obtido; o entre estas fajo traaTever a do
Sr. Dr. Femando Affonsode Mello Jnior, pesr-a
iK'in couhecida nesta cidade. 0 verlaHro xar<>-
|m' de veame vende-se nicamente na Mica da rna
Direita n. 88 de Jos': da Boclw ParaulMw. H.-. i r-
17 de julho de 1863. lllm. Sr. Jos da KiK-ha Pa-
ranhos.Accusando a recepcao de na e^nmad,
carta tiesta data, devo diwr-lie. qpe .ITreivlo )
rheumatismo, algumas pessoas de minha amizad^.
indicarain-ine o sen xarope de veame como um
poderoso remetlio para este mal. en mi cnViio. pa>-
sando eu a usar tiesto medicamento com permi<-
siodonieu medico assistenle, oblive unu mt-lliori
consideravel: pelo que antm maMii a continuar
no uso dotldoseu xarope. at tpit* me veja rom-
pletaniente nstalH-Iecitlo. I'de fazer o uso qoe
quizer desta minha resposta. Stm con estima e
consideracao de V. S. atiento e muilo otnifado
servoFernaiulo Affimso dr Mrllo Jkhot.
MLDANCA.
Precisa-sc de um menino para caixeiro de 14
18 annos : na ra Nova n. 38, deposito.
JaV da Silva Ramos, iriedice jiela l'm-
versidade de Coimbra, da consultas era
sua casa, na na Nova n. 30, das 8 s 10
horas da manhaa, e das 4 s 6 da tarde, e
recebe ogualmente convites para dentro
ou fra da cidade, com o fim de se encar-
rogar de qualqner servico de sua profis-
sao.
Os chamados deverao vir por escripto.
tambem a chava da mesma casa conforme a carta
que escreveu, e isto o mis breve possivel, afim
de se nao cobrar do outra forma, e nem declarar
o'seunome.Jos Dias da Silva.
0 bacharol Franeiseo Augusto -Ja Costa tem
! estabelecido o scu escriptorio de advogado na ra
I do Imperador n. 69, onde pode ser procurado das
9 horas da manhaa s 3 da tarde. Encarrega-se
de questao nos termos do Cabo, Escada, Ipojuca,
Agua-Preta c Olinda.
Quera perdeu um vestido novo, dirija-so a
ra do Aragao n. 23, que dando os signaos e pa-
gando o importo do annuneio, lhe ser entregue.
miiuiai mais outras dividas
n. i9.
na ra do Trapiche
0 rival st'tn secundo mudou o seu eslabe-
leiimeiitn do ti. 53 para o n. 49 da mesma
ra e contina a vender em tudas duas bijas
Aiuda est por alugar-se a casa terrea na ra
da Gloria, o segundo andar do sobrado da ra Di-
reita, e a loja deste sobrado com armacao para ta-
berna ou deposito, o una pequea casa terrea em
cicatiizes frescas deferida de fogo a n direita c olinda, ra lo Cabial : quera pretender, fallona
nos dous bracos : roga-se as autoridades policiaes | rua uas Cruzes, iicnultimo sobrado n. 9, quem vai
c mais pessoas a captura deltas e entrega-las a seu
senhor Domingos dos Passos Miranda, na rua do
Hospicio n. 31, que gratificar generosamente, pro-
tostando-se guarniente contra quem as tiveroc-
cullado.
<
o
o '
- u
n

Calfado francoz, na loja do va|ior, rua
.Nova n. 7.
digno de attoncao os novos sorti-
mentos de calcado francoz, chegado
dita loja, o mui especialmente as mo-
dernas liotinas com differentes e novos
enfeitcs para senhoras e meninas.
V
7!
a
c
>
h >
> M
9
C
C
rOE**? ^ ^SX
Aluga-se una preti para servico de casa., e
nina ama de leitc forra : na rua da Guia n. 26.
O abaixo assignado, morador na villa do Pa-
co de Camaragibe, vende, as suas tres barcaca> B
saber : Mii/smo do Paco,de lote do 330 saceos cun
asnear; Flor do Paro, de.430 ditas: tPntete do
Pajo, ile :80 ditas ; promptasa navegar. Ellas sao
que condniMn toda a safra desta Ribeira e inulto
acreditadas. Assn como vende o seu trapwhft
o mais bem montado desta .provincia, e ine*mo de
Pernambuco; de pedia, cal e tijolo, tem eapa-1
cidade para mais de 10,000 saccas, guindaste de,
ferro colocado no prhneiro Jugar desta villa, que
recebe todo o anuear que ^^ transporta desta Ri-
beira ; tem casa de vivenda na frente da rua do
Commerme, com o fumlo para, o trapiche, e outras
obras priucipaes de tijolo, e tudc. murado, dentro
umitas frueieiras e bastante terreno para planta-
edes e hertajica. abaixo assignado est resolv-1
ta a fazer todo o negocio a praso ou a dinheiro, |
ou como convierao prctondente, propria para
qoem esta aborrecido de morar na praca : a tra-
tar no mesmo trapiche com o proprietano.
Joaquina de Soma Silva Cunlia.
Preeisa-se alugar uina prel para andar na
rua cun um tabedeiro de fazendas, com a propria
dona do taboleiro : na rua do Hospicio n. 62. /
Precis-se de una ama de meta idade para
eozinliaipara pones familia : na ruada Roda, so-
brado de um andar, esquina, por cima da taberna,
rom veiiozauas.
Para padaria em Marojo.
I'recisa-se di.1 uin bom mostr de masswra, pa-
ga-se bem : quem estiver nestas urcumstancias.
itirija-se ao caes de Apollo n. 35, armacem de Jos
Muartc das Nevos.
A padaria do lean do norte, rua do totovelto,
precisado um bom lorneiro.
Aluga-se o tereeiro andar e sotlo do sobrado
da travessa das Cruzes n. 12; a tratar na loja de
m 'sino.
Precisase de una ana de leite. sadia e de
lom leite : a Halar na rua Imperial n. 87, so-
lirado.
Offerece-se
um rapaz quo ontende porfeitamente do trafico do
padaria, para caixeiro ou para outro qualquer ne-
goeio -: quem precisar annuncie._______________
Os Sis. credores da massa fallida de
Camargo & Silva, sao convidados pelo pre-
sente para apreseniarem seus ttulos de
dividas aos administradores da predita mas-
sa, na conformidade do disposto no artigo yegimdo andar.
859 do cdigo comraercial, para em seguida
as proceder a rateio.
da rua do Qucimado para S. Francisco, lado di-
rcito.
ALVK?ARAS A NOVIDADE. W<
Sao chegados loja das columnas I
na rua do Crespo n. 13 de Antonio
Correa de Vasconsellos d- C. riquis-
simos cortes de la raudo fina com
barras estampadas e matisadas Im-
peralriz Eugenia, cores as mais deli-
cadas como sejam: cor de ganga, de
lyrio, cinza etc., fazenda fnteiramen-
te nova e nunca vista em Pernam-
buco.
.-. -Ta'
liis barato nao ple ser.
Lindas cassas francezas de cores miudinhas, de
superior qualidade a 200 rs. o covado : na loja
das columnas, rua (lo Crespo n. 13, de Antonio
Correia de Vasconcellos & C.
Vende-se um grande terreno com cercado, e
ptimo para fazer-se-unioxccllentc sitio em Jaboa-
tao a margem da estrada da Victoria e contiguo a
povoaco de Santo Amaro, contendo igualmente
terreno para plantaco : quem a pretender para
' tratar, dirija-se nesta cidade ao tereeiro andar da
1 casa 11. 46 da rua do Imperador.
Assucar do Monteiro
Rua do imperador n. 28 e caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
a 5)9600 aarroba. ____
Ao 11. 29.
Afora loja dos bartenos, rua do Qneimado.
Laas de ultimo gosto, covado a 440 rs.; organ-
dis de padroes lindissimos. varas a 800 rs.; ba-
loes de arcos o melhor possivel, a 3,5300, 45 o 5 ;
alpaca de linho para vestidos, covado a 240 rs.;
cambralas de cores para vestido, covado a 280 rs.;
cambraicta muito fina, peca de 12 jardas a 75 ;
cassa lisa pello de ovo, pega de 12 jardas a 730.
Ao n. 29.
Afora loja dos barateos, rua do Quemado. rerfeitamento, e d-se para esperimentar, a figura
Paletots de merino setim, fazenda de custo de nao boa, porm urna boa escrava para o sorvi-
205 por 105 ; ditos de alpaca preto a 35200 5 brim co do qualquer casa : na rua ^ do Queimado, '
branco lona, vara a 640; brim de cores para cal- de miudezas da boa fama n. 33.
ca, covado a 480 rs.; camisas com peitos de fusto,
15600; chapeos de sol de alpaca, a 35300.
Ao n. 29.
Afora loja dos barateiros, rua do Queimado.
Para acabar.
Vende-se una boa preta com
annos, pouco mais ou menos, cozinha
idade de 30
e engomma
loja
na
- Vende-se-a taber-
sita na travessa dos
".II .1 .I".Ilt.il j-, Q 1
Bicos preto de linho, vara a 120, 160, 240 e 320 EXftOStOS H 1 O ,' WU"
.: ricas franjas c trancas pretas c de cores, vara ,
lar ame mi.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 19
da rua Nova, com bastantes Mmmudua pura fa-
milia; a tratar rua da Cadeia do Recite n. 62,
AMA DE LEITE.
Quem [irerisar de urna ama com bastante leile,
f
andar.
A luga-se na rua da Cruz.
Esta para alugar-se o grande armazem o pri-
meiro andar da casa da rua da Cruz n. 33, o qual
tem frente e sabida para defronte da Lingoeta, mui-
_,gocian-
dirija-se a rua da Cadeia do Recife n. 64, priman to proprio para escriptorio de algum Sr. ne
te ; tratar na rua da Senzala \ elha n. 100.
S:ii|iics sobre Portugal.
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta cidade. saca ef-
fecavamentepor lodosos paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer sorama, vista e a prazo, ix>-
dondo logo os saques a prazo serem des-
contados no mesmo banco, na razao de 4
por cont ao anno aos portadores que as-
sira lhe convier : as mas do Crespo n.
8 ou do imperador n. 31. .
. Joaquini da Silva Castro.
rs
a 120,160 e 200 rs.; trancas e galocs de la e de
algodo, pecas de 10 o 13 varas, a 200 e 400 rs.;
froco fino c grosso, peca a 160 rs.; vestidinhos de
cambraia bordados, para baptismo, a 25-
Cola da Baha
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
nJfcSS&Sftt KTS "T vedo, naen escriptorio, rua da Cruz n. I
Queimado n. 40, primeiro andar, 011 na rua do
Hospicio n. 20.
igi|ji5i!pjS'i MUSilll iSTjSillsi
Aluga-se una escrava quo lava, engomma o
cosinhabem : a tratar na rua de S. Jos n. 27. en-
costado a igreja.
I'recisa-se de urna ama de leitc.
mas que tenha, quando muito at 6
mezes decorridos na criaco de que
se ache encarregada: na rua estreita
do Rosario n. 31,3 andar, por cima
do armazem de trastes do Sr. Mo-
reira.
Aluga-se a casa terrea n. 19 da rua do Co-
tovello, tem 2 salas c 2 quartos, cozinha fra, com
um bom quintal, no fundo do qual tem mais 2
quartos : a tratar na casa junto n. 17, ou na rua
larga do Rosario n. 36, deposito.
Vlnho do Porto Miperior.
Vende-se om caixas de urna duzia : no oseriplo
rio de Antonio Luiz Oliveira Azevedo & V,.
Admirem 18 laas baratas.
Superiores ias de cores de quadrinhos e
lisas, fingindo sedinhas de duas larguras,
pelo baratissimo preco de 500 rs. o cova-
ido: na loj das columnas rua do Crespo n.
13, de Antonio Correa Vasconcellos & C.
as miudezas abaixo declaradas
prestar toda attenco:
Salmonetes inglezes muito finos a
160 e........ .
Frasco dagua de colonia jn-que-
00 muito lino......
Dito dito grande muito suprior. .
Frascos de macassar perola a. .
Ditos de macar oleo a. ...
Frascos de oleo Barbosa a 240.
320 e..........
Dito dito muito superior a 500 e .
Dito de banlia muito fino a 400 I .
Frascos de Lavande muito superior.
Garrafas dagua celeste muito su-
perior a........
Frascos de cheiro muito finos i
500 e.........
Ditos de btnln pequeos muito fina.
Dito de opiata pequeos. .
Thesouras mudo finas para unlias.
GnrvaUts le seda de cores .
Luvas brancas do algodo .
Caivetes de 2 folbas muito finos .
Caixas de cohetes francezes e car-
tries .........
Grampos de caracol e lisos. .
Caixas de vidro com I2dedaesde
metal.........
Massode palitos lixadospara denles.
Grosas de boies de aro para calca.
Caixas com 6 frascos de cheiro. .
Escovas para cabello muito finas# .
Carteiras de marroquimmuitt > linas.
Pecas de tranca lisa encamada. .
Tintt'iros com tinta muilo superior.
Ditos de vidro com tinta mais in-
ferior.........
Cartas de allinelts franfczt's .
Cornetas de chuta para meninos .
e qurirain
VIH
2*0
1*0
420
ti'j
Vende-se um carro de 4 rodas e com arreios.
forrado de novo, muito forte, e sem dofeito, pro-
prio para passeo : na rua do Queimado, loja nu-
mero 14.
Francisco Pinto Ozono contina a col-
locar dentes artifieiaes tanto por meio de
molas como pola prsalo do ar, nao re-
cebe paga alguma sem quo as obras nao
fiquem & vontade de seus denos, tem pos
c outras oreparacoos as mais acreditadas
para oonservacao da bocea.
Joao Caetano de Abreu, solicitador dos au-
ditorias desta cidade, faz sciente ao publico, com
ospcciaJidade aos seus clientes e amigos que mu-
dou sua residencia para a rua da Praia de Santa
Rita Nova n. 49, onde morou o Sr. Dr. Ruarque,
engenhe'uo da estrada de forro, onde sempre acha-
rao, das 6 s 9 da manhaa, e das 4 da tarde em
diante.
Alugam-se a loja do sobrado n. 193 o armazem
n. 171 da rua Imperial, o armazem n. 4 da rua do
Apollo, e a casa 11. 27 da rua do Burgo*: na rua
da Aurora n. 3fi.
Aluga-se a loja do sobrado, sito no pateo do
I Terco n. 12, tendo armacao para taberna : a tra-
tar a rua da Praia h. 3o. __________
Cava,
o Rio
Antonio la Cava, e Vicenco la
subditos Italianos, retiram-se para
Precisa-sc de ura feitor para um riti perto : Gt'aide do Norte.
70 'Sl-aTandu"7'''' ^""^ "** d *""* "'' Preofea-se de pretas para vendorom IkiIos de
veu49gem : na botica do pate do Carmo se dir
primeiro;
Precisa-sc alugar um moleque para vender em
laboleiro na rua : a tratar na rua das Cinco Pon-
las n. Wi.
Precisase de pretas para vender bolinhos do
vendagem, Picando seus senbores responsaveis j
iamhem.se precisa alugar urna prot : na- rua da
Palma n. Sj.________________________
A pessoa que annunciou or esto jornal pre-
ci sar de 400{,4ando urna escrava por .garanta :
pode procurar na rua Nova, estabeleciipenlo de
carros tic Qinteiro & Agr, das 10 horas do dia
s 11.
Est para aluar-se inende de um segunda
andar de um sobrado, preferc-se a pessoa de pou-
ta familia ou algunja senhora honesta : quem
t|tuzer, dirija-se a rua da Penha n. 23, primeiro
andar, que achara com quera tratar.
Joode Paira MaJlas, subdito portuguez, w
tira-se para Macei.
a casa.
Aluga-sc urna escrava para o servico interno
le urna casa : quem a pretender dirija-se' rua do
llangel n. 60, segundo andar.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 36
da rua larga do Rosario (lado da sombra somente
a familia: a tratar defronte, liberna da esquina do
I'eixe Frito.
Alexandre Jos da Silva, morador na rua da
Palma n. 14, por haver outros de igual uoine, mu-
dou o seu para Alexandre Jos da Silva I,ei5o.
INJECgAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito na bo-
iie.a Iranoeza, rua da Cruz n. 22,
n 3.
pre-
II % \O IM lo
ESTABELECIDO XA CIDADE DO PORTO
Agentes em Pernambuco
Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & c .
Sacam pof ldos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa filial em Lisboa, c agencias em Ki-
gueira, Coimlira, Aveiro, Vizou, Villa.
Real, Regoa, Viaona de Castalio, Guima.
raes, Rarcellos, Lamego, Covilhaa, Rraga,
Penafiel, Rraganca, Amarante, Angra,
liba da Terceira, Ilha de Faias, Ilha da
Madeira, Villa do Conde, Valenca, Rastos,
Oliveira de Azemeis, Civavcs e Fafe, a
,'jiio dias vista ou ao prazo t|u<- se conven-
cmnar, no seu escriptorio rua da Cruz
n. 1.
CASA DE SAUDE
Ew Sanio Amaro
Do Dr. MI*a Ramos.
nico estaboleciniento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo
que pode com todo o commodo e zolo tra-
tar qualquer doente, que nella soja reco-
lhido.
O edificio magestoso e conserva-se
em perfeito estado de liiiqieza e conve-
nientemente mobiliado.
Os doentes sao separados, segundo os
sexos, natureza das molestias a condicoes
sociaes.
Ha quartos fortificados para os aliena-
dos, e urna enfermara para as partu-
rientes.
O propriotario encarrega-se de qual-
qner operacao.
O cstabefeeimento franqueado qual-
quer pessoa que o quejra visitar.
Primeira classc 34000diarios.
Segunda dita.... 2J500 >
Terceira dita.... 2000
Para que qualquer doente seja ali rece-
bido, harta que se mande onomedo doen-
te e da pessoa que o remelle, com a de-
claracao da morada.
O proprietario aceita contratos annuaes
com qualquer que queira ter um ou mais
leltos sua disposicao.
Vondom-so globos de louca lindamente vi-
drados, proprios para collocar por enfeite om cima
dos parapeitos das frentes de propriedades, a-sim
oomo ricos vasos para llores, e pinnas para aibr-
moseamento de jardins : na rua da Praia n. 30.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
la rua da Senzalla-Nova, n. 42, com bas-
tantes commodos para familia ; a tratar no
mesmo.
ASSOCI G*0 COMMEMIAL DEI-
FCENTE
A dirceco dcsta Assoeiaco, emvir-
tode do disposto nn arl. 20 dos cstata-
tos, convida aos Srs. socios effectivos a
se re unir ni em assembla gcral, no
dia do corrente a o meio dia, na sala
de suas fess'cs, nim de proceder-se a
leitura do rea torio annuo eelegerse
a direccao que deve funecionar no an-
no de 1863a 1861.
Sala das sessocs da Assoeiaco Com-
nercil Beneficenle, 3 de agosto de
1863.
0 secretario,
Domingos A i ves Matbens.
MOFINA.
O Sr. ManoeJ Ilomcm de Carvalho caixeiro que
foi dos Srs. Amorim Irmos, queira vir concluir o
negocio que tem com o abaixo assignado, pois
alera de ser o terapo mais que sufllciente nao est
o aluio assignado disposto a esperar mais.
J. i:. de AI incida.
Vendom-se cavallos: na rua do Im-
perador eoxeira n. 13.
PINTURA.
Tinta brama de massa muito nova, em la-
tas de 28 libras para casas, para navios,, para
a companbia do gaz, a 2oo rs. a libra: rua
larga do Rosario n. 31.
O Sr. Antonio Martins da Silva Campos quei-
ra ter a bondade de vir fallar com o abaixo as-
signado a negocio que lhe nao.estranho.
J. C. do Almcida. -
Veiiilom--c caixes vazios pro-
prios para bahuleirosa 1$280, na rna
das Cruzes n 44.
Cal de Lisboa e potassa da
Rnssta. .
Vende-se na rua da Cadeia do Recife n. 26, para
onde so mudou o antigo c acreditado deposito da
mesma rua n. 12, amibos os gneros sao novos e
legtimos, o se vendem a preco mais barato do que
outra qualquer parto.
D. Mara Cordeiro, pelo presente declara que
os seus negocios particulares e judciarios serao
fornal das Familias.
Chegou do Rio de Janeiro o n. 8, do
mez de agosto; roga-se aos Illms. Srs. as-
signantes o favor de mandarem receber na
livraria ao p do arco de Santo Antonio,
onde se continua a receber assignaturas
para o dito jo nal.
Aluga-se um sitio na Cpunga-Velha
tratados nesta cidade aonde se aciia residindo des- Iconj bda casa de vi venda, e quartos para Dre-
de 4 de Janeiro do corrente anno, e n3o no Rio: ,rta O0,rha,.;a nhl ,*a~ U, PI
Formoso, aonde ouir'ora era a sua residencia; fai 08, estribana e COCheira, e todo murado :
- Nova, n. 3, ou na rua da
esta declaracao para que ninguem se chame a Ig-
norancia, nao obstante seren sabedores.
A pessoa que annunciou querer comprar urna
taberna com poucos fundos, ou s a armacao : diri-
ja-se arua da Lingoeta, talierna n. 5.
Aiuga-sc um mulato
Crespo n. 20, R, loja.
eozinhoiro : na rua do
O Dr. Joao Jos Ferreira de Aginar mudou o
seu escriptorio do advogacia para a rua do Impe-
rador n. 78, primeiro andar,
a tratar na rua
Palma, n. 41.
Ao publico.
Previne-se a quem nteressar possa que a parte
que o Sr. Joo de Carvalho Paes de Andrade pos-
suo no engenuo Ucha freguezia dos Afogados, est
sugeita a pagament de urna divida privilegiada,
nao podando por isso ser alienada pelo mesmo se-
nhor em qnanto DSo for paga aquella divida,
Precisa-sc alugar urna preta que cozinhe, e
um moleque : na rua do Crespo n. lo.
Sao novamente rogados
os Srs credores massa falli-
da de Martinho de O'iveira
Borqesy a virem receber o divi-
dendo de 8 por cento qui Ihes
toca no rateio da mesma massa
em casa dos administradores
J. Keller A C.
Vende-se urna preta de 22 annos de idade,
salte engommar, cosinhar, lavar e cozer ; quera a
protonder, v a rua do Amorm, n. 30, que achara
com quem tratar.
AOS SRS. COMMHmORES DE GAZ.
Nos armazens do Caes do Ramos n. i 8 e
na rita do Trapiche Novo (no Recife) n. 8, se
vende gaz liquido americano primeira quali-
dade a retalho a 12-5 a lata de 5 galoes, as-
sim como latas de 10 e de a garrafas e sendo
em porfo mais Barato que em outra qual-
quer parte. ________
Vende-so a taberna n. 32, sita na rua do Fo-
go, quina da travessa da Bomba, a qual serve para
principiante por ter pouco fundo c com alguma
freguezia, tanto para a trra como para o mato
quem a pretender, dirija-se a mesma. a qualquer
hora, que adiar com quem tratar.___________
M
I jOOO
8tO
200-
*JO
l<*>
7**
100
320
iO

320
\m
MI
ISOM
610
MI
20
160
8
so
Potassa da Russia.
Acaba de chegar pelo brigue hamburguez
Otto, muito nova e superior; vende-se so-
mente no antigo e acreditado deposito na rua
da Cadeia do Recife, n. 12; onde tambem se
vende cal de Lisboa muito nova e precos
commodos.__________________________
O LITRO DO POYO.
Segunda edicao mais correcta, ornada com
27 estampas, e augmentada com 48 paginas
de texto, contendo: a vida de Nosso Senhor
Jess Christo, fbulas, o vigario, o bom ho-
rnera. Ricardo, quadrupedes uteis, o profes-
sor primario, moral pratica, Siman de Nan-
tua, mximas e sentencas, hygiene, receitas
necessarias, o Brasil: vende-se na livraria de
Manoel Figueira de Earia Filho, praca da
Independencia ns. 6 e 8, a 600 rs. o exem-
plar em brochura, e a 19 cartonado.
FARlKHA sWgftar,
Vende-se a retalho abordo .do brigu*> Mel-
lo 1", 0 qual se ada atracado a> trapid*- do
Barao do Livraiiiiiilii. a em porfi irai
com AntODW Lili/, de Oliveira AJBV0 C,
no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
XO AKM.UEM Dt FUEXDAS B.IR.II VS
DE
\\TO% OII.IIO
Kua do Ojifimailii ii. 19.
Yende-se o seiiin(e :
i oIhm .is
de chita da bnlia. a fcoofl rs.
Lcnrirs de |iann
de linho, a 2:ooo rs.
I.envoes de bramanlc
de linho, de um panno s. a :8.i r.
Ifiallias alrnrbMiias
para mo, pelo baratissimo preco oV5:ooo
rs. a duzia.
Itiros M^iiilinho-
de seda para meninas, pelo baralissimo pj -
co de :ixmi rs.
I.ciinis de seda
pelo barato proco tb- Iseoo rs.
Saias de fasta*
pelo baratissimo prefO da *:3oo rs.
I.cnros de cambraia *
brancos finos, proprioe para algibeira, dnzia
1:8oo e 2:000 rs.
Lcacas a> rassa
finissimos. proprios para algibeira. [><{ 1-
atissimo preco de :ioo rs. a du/ia.
Caries it calca
de ganga mesdada, de lisias e de iniadt
hienda superior, pelo baratissimo puvo de
l:2ixt rs. o corte.
Peras de naadapolia
largo superior, pelo baratissimo priv) de
8:ooo rs.
Petas de brotan ha
de rolo com lo varas, pelo barato preco de
3:2oo rs.
Pefas de cambraia
de salpicos, fina, com 8 12 varas, pelo ba-
rato pre^o de 4:ooo rs.
Ilnalhadiis it liaba
com 8 palmos de largura proprio para toa-
Iba de meza, a 2:5oo rs. a vara.
Toalha
de linho para meza, a 3:ooo rs.
lUrrec
de lindos gostos, pelo barato preco de Mo
rs. o covado. #
Esleir da India
propria para forro de sala, de 4, 5 e 6 pal-
mos de largura. ^^__^_^__
Rna da Se zalla i 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston dr C.,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e eas-
Caes bronzeados, lonas inglezas, fio de veta,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Farinha de mandioca
em saccas grandes, e de superior
de: no armazem de Tasso Iranios,
Amorim n. 33.
I


I
\
NOVA EXPOSICI
na loja do Pavo, de fazendas bara-
tissimas.
Neste estabelecimento acha-se constante-
mente um grande sortimento de fazendas
de gosto e de primeira necessidade, sendo
tanto proprias para a praea, como para o
mato ; de todas as fazendas do-se livros de_
amostras, deixando ficar penlior, ou man-'
dam-se levar em casa das familias pelos ca-
xeiros da loja do Pavao.
Lias com H palmos de largura,
a loja do Pavo.
Vcndem-se laazinha enfestada propria para
vestidos, com 8 palmos de largura, sendo
fazenda mais moderna que tem vindo ao
mercado pelo baratissimo prectf de 14600 o
ovado: s na ra da Imperatriz n. 00, loja
do Pavao.
Cassa* a OO r*. o covado.
Vendn-se cassas francesas de padroes
miudinhos e cores lisas pelo barato proco de
200 rs. o covado; ditas linas a 340 e 320
rs. o covado: s na rua-da knperairii n. 60,
loja do Pavao.
Organdy. a *40 rs. o covado.
na Ittja do Pavo.
Vendem-se orgaiury de cores matisado, f*-
Senda que val muito mais dhiluVo, pelo ba-
rato preco de 240 re. o covado x>u 400 rs. a
'vara: s' uairua da emperatriz n. 60, loja
do PavSo.
*> Pavo ti ende o* modernos ves-
tidos halo.
com barres Mara Pia, -sendo os mois
llpaklni on gorguro de linho,
a t.A rs.. s no Pavo.
lHario de Pernaimhueo Terya letra 4 de Agosto de 1S<3.
ntremelos da arara.
Vendem-se pecas.de entremeiostransparen-1
Yendcm-se alpakim ou gorguro de hubo '!fi,' proprio para vestidos oroupas de crianca, oedosaWWOe 14000 a peca, cuites de km
pelo barato preco de240rs. o covado: s a Mana Pa a 44, ditas de 15a cbmeza com
na ra da Imperatriz n. 60, toja do Pavao.
Os manguitos e. golinhas do
Pavo.
pecliintka, a 320 e a 400 re.
Vendem-se golinhas de Tilo, bordadas, a
100 rs.; ditas de cambraia. a 320 rs.; cal-
cinhas para meninas, a 500 rs.; manguitos,
a 500 rs.; manguitos com golinba, a 800
reis ; manguitos de cambraia, a 320 rs.: s
na ruada Imperatriz n. 60; loja do Pavao.
Lazinhas a OO rs. o covado.
Na loja Patio.
Vende-sc llaiinhas de cordaoziaho de urna s
fcor sendo aiul claro, azul escuro, ferrete, cor de
cafe claro c rteuro, avadio, roxinhas proprias pa-
ra lulo, sendo fniemla que val muito mais flinlKji-
ro vndese pelo diminuto preco de 200 rs. :
loja do Pavo loa da Imperatriz n. 60 de G
Silva.
22 covados a 8$, ditos varas a 80, ditos com 9 varaba 64500; na ra
da Imperatriz n. 56, arara de Mendes Gui-
mares.
ENFEITES PARA SENHORAS -
CHEGADOS PELO VAPOR
S parado Vigilante ra do Crespo 7.
Sao cliegados os novissimos e riquissimos en-
feites para cabeca, pois com a vista nao lia-
DHUEITA
A
7nll31 & Eia, rapasiada, coragem! parece quoj
entregastes os vosSos joaneto* aos duros sei-
xos do pesshno calcamento da nossa cidade!
S se observa em vossos ps botinas acalca-
nliadas e gastas at ultima sola; sapates
rasgados e quasi sem saltos nem tanto !
a quebradeira nao deve ebegar at este pon-
to Vinde ra Direita munit-vos de excel-
lente calcado com 40 e at 60 por cento
menos do seu valor.... attendei:
Borzeguins, Nantes, bezerro e va-
queta 2 e meia solas.
SO 111
Gama ft
Ca 8 i/i -varas, a 2:300 rs. vende e Pavio.
Pecas de cambraia transparente com pab
ninhas "Bordadas de coi-, tendo8 1|2 varas
rada prca, a 20500; ditas mais finas, a
^4500; pecas de cambraia de salpico bran*-
cocot 8 1|2 varas, a 40: s na ruada
Imporatriz n. 60, hija e armazem do PaVo.
Notas casemiras a 2fl600 o corte na
toja do Pavo,
Acaba de chegar um grande sortimento de ca-
simira entestada, sendo prepria para patetot, cal-
nis e collctes, capas para senhora e mipa para
meninos sendo de todas as cores claras, escuras,
lisas e mesetadas : vende-sc a 2600 o corte para
calca on a 14300 o covado por haver grande por-
modernos que que tem vindo ao mercado, | CiK>> sto s na ra da Impcrajriz n. 60 loja e arraa-
com a saiatie um-s panno, tendo bastante z
fazenda para o corpo, e vendg-se pelo barato i
preco de 30500 cada ,uuv: esta pichincha |
s exiAte na ra-da Imperatriz n. 60,'loja e
armazem do Pavio.
Cortes le fantasa, a tt#. na
loja do Pavo.
Ventfcm-se ricas cortes de cambraia fanla-
siadas aseda, pk) baratissimo preco de 60;
ditas, 40 ; ditas, 'a 30300: s na ra da
Imperatriz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Cortes de cambraia, a 9M00.
na foja do "Pavo.
Vertdein-se cortes de cambraia braocescom
babados, a 20300; ditos,. 40.; ditos com
barras babadjs de seda, a 30, 34308 e 40;
s na rt da Imperatriz n. 430, loja-e arma-
zem d.l?avao.
tVN
Cortes de cambraia oliinesa. a
##. na loja lo r:iv:lo.
Vendem-se ricos cortes de cambraia cb i ne-
za, os mais moderaos que tem chegaito, sen-
do brancas oomlindissimospalr5es,.pelo ba-
rato prectde 40 cada corte, tendo bastante
fazenda para um vestido: isto s na roa da
Imperatrir 60, loja e armazem do Pavao.
JBalesa 3j|500, so Pavo.
Vendem-se bales americanos que sao os
imitares,-temi 20 arcos, a 30300; utos
de 30, a 40500; ditos de 40, a 50; dos
le bramante, a 30500 e 40; ditos para me-
ninas, a 20 e a 30: sjia ra da Imnec-
iriz n.<%o, loja e armazem do Pav5o.
(Cortes de chita, a #50O. na
loja do Pavo.
Vendem-se cortes de cinta com 12 l|2 co-
vados cada um, a 20500; ditos com 40 cova-
dos, a 20; cortes de cassa miudiulia de co-
res fixas com 10 covados, a 20; ditos de
orgaidf mathisado com W covadot, a
20400: saarua da mpeatrz n. 60, loja
do PaiTin.
%s casemiras do Pavo pechNi-
cha a ~*H-
Vendem-se ertes de casimira fra&*eza para
, n;;i. fazenda raudo fina, padries claros e
fisouros, a 50 o corte: s na loja do Pavao,
ruadla Imperatriz o. 60.
GRANDE L1QUIDAQ&0
de fazendas para apurar dinheiro, por
baratsimo preco na loja c arma-
zem da Araia ra da Imperatriz n.
06 de Lourcnco Perctra Slendes
Guimares.
ALERTA HlEGl'EZES, i 200 REB.
Vemlem-se laazinlias compequenoloque de
mfr) [tara vestido a 200 rs. o covado, meias
para menino*.a 100 rs. -o par, ditas para ho-
mens a 120 rs., lencos brancos finos a 200
rs. cada um ;-Ba loja da arara roa da Impe-
ratriz n. 56.
Arara vende vestido de -chita a
3#OQ4.
Wendem-se ortes de cltitas escuras com to-
que de mofo a 20000, ditas limpas sem
mofo a 20508 e 30000, .cortes de.cassa de
toros de barres a 20000,.ditas de ca>?sa pin-
tadas a 20000; na ra da mperatrizn. 56 de
Mendes Guimares.
Organdys da Arara a *40.
Vendem-se organdys finos para vestidos a
240 rs. o covado, cascas finas a 240 rs. o
covado, popelina de quadrinhos para vesti-
dos a 280 rs. o covado: na ra da Imperatriz
arara n. 56 de Mendes Guimares.
Ara i-a vende as lazlnhas dos
-.MKlo.t.
Vendem-se ISazinhas muito finas e lindos
dezenbes a 400, 440, 500 e 6i0 rs. o flota-
do, chaly muito fino a 500 rs. o covado; na
ra da Imperatriz n. 56 arara de Menes
Guimares.
Botina iHa da arara.
Vende-secostumes completos d urna fazenda
clioeza por 120 o costme, paletots de luim
a 2*500 e 30000, ditos de meia casemira
escura a 40 e 40500, paletots finos a 60500
e 3,5000., calcas de me/a casemira a 30000,
ditas fiaas 50500 e 60000, ditas debrim a
20500 e 30000, ditas de brim braneo a 40,
casemiras francesas a 10600 e 2ri000, ditas
finas a 20500, ditas de linho a 30000, ee-
nito enfeite: so no Vigilante ra do Crespo
n. 7.
Luvas de ptlica.
Tambem ebegaram neste mesmo vapor um
completo sortimento de luvas dejouvin
brancas e de todas as cores; tanto para bo-
mens como para senhoras: s no Vigilante
ra do Crespo n. 7.
Perfumes.
Tambem ebegou um completo sortimento de
perfumaras dos fabricantes mais afamados
sendo de Luvin, Cudr e Piver; sendo
extractos essencios de todas as qualidades,
pomadas, btmbas, saboneles, agua de Co-
lonia, vinagre virginal dasociedadehygieni-
a, agua -florida, agua balsmica para den-
tes, frasquinbos com superiores pos para
dentes, caixinhas com um frasco Tagua,
pos e todos os prepares para limpar den-
tes, los de todas as qualidades para ca-
bellos, e outras muitas cousas mais: s no
Vigftmte ra do Crespo n. 7.
Tesims e fanivele^.
Tambem ebegaram -um completo sortimento
de tesouras dos mais afamados fabricantes,
tanto para unhas como para wsturas, ras-
pndeiras para papel, caivetes de maqui-
na, facas de um e dous botoes, tudo do
mais superior qae se pjde encontrar: s
iio Vigilante ra do Crespo n. 7.
Papelee fanlasia.
Tambem chegou um grande sortimento le
papel de fantasa braneo, bordado e los
douradiuho, de lindas cores, assim como
de pese e almaco, assim como muitos ou-
tros ebjectos de-muito gosto que se torna-
riam enfadonhoannunciar, cos sero por menos do que emoutra
qualquer parte: s no Vigilante ra do
Crespo i. 1.
Infantes e terinas.
i&ecebeu agrande sortimento de volantes, teri-
nas, rendas .douradas e prateadas, bicos es-
peguelha e .galoes de todas as larguras,
vendenda-se tudo por precos barateamos
principalmente sendo em pecas: s no Vi-
gilante rea do Crespo n. 7,
Retroz liuha.
lambem chegou um grande soa-limento de
retroz do Porto do raelbr fabricante; sen-
do, preto, azul ferrete e cores sortidas, a
14,ooo rs. a libra, finlia de imada de Roriz
e.cabeca entnrnada, que seus presos sero
baratissimos.: s no Vigilante ra do Cres-
po n. T.
80500
80000
queta e lustre 2 solas.
Borzeguins, francez c hamburgus,
bezerro, lustre e couro de por-
co 30 e......, 60000
Sapates, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas..... 50500
Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas...... 50000
Sapates, Nantes, sola e vira. 40000
Borzeguins para senhora, inglezes. 40000
Ditos para menina^omlaco. 30500
Ditos de ditas, le cores. .... 20800
Sapatos para senhora c homem,
tapete......... 800
Sapatos de borracha para senhora. 10400
dem idem pa-aTneninas. 10000
Sapatos de lustre para senhora. U5000
dem de lustre as avessas 500
ARMAZEM DE MOLDADOS
DE

rnee>>
*e cgetdta c/e K^we/to^
A GRANDE GURA
PARA TODAS AS MOLESTIAS DO
iswi. ii ii e w muiui
<&
r~ 4 H
X
4
** r e
te 99 H
> H l
-I vt I
& 9S <
rea H
<@ i.
C3 o
ce -ex fe H P
5^

98
r
^
F5

reulas francezas a 10600, camisas de meia a
SEM' SEGUNDO.
Roa do Queimalo j\. 85, loja de mindeau de
Josc de Azt'vivlo Maia e Silva, est vendendo todas
as siias noiudeau irpiwos que lodos adiuiram,
como sojain :
Varas de asps para fazer baldes. .
Caixasrooi supriores obrejas .. .
Pares de bot5e8 c punhos a .
Pares de sapatos de tranca muito finos
a I ,$440 c ......".....
Pircas de lilas de filudo recorridas rom
/"i varas a ,........
Caitas com muito superior papel amia-
de e oulros a .... ".....
Hasses com superiores grampos a, .
AS
Pilnlas VcoptacvVsMicaratlih
De Kcmp
Compostas dos dois novos resinoides chama-
dos roDOPniLisx c Lbptandrina, e inteira-
mctitc livres de Mercurio ou outros veneno,
mineracs ou metallicos, sao de grande utili-
dade nos paizes salidos em cazos de
DYSPEPSIA, EHCHAQUECA.
Constipadlo ou Prao do Ventre,
PADECIMEITOS DO FIG1D0,
es Biliosas,
HEMORROIDAS, CLICA,
Ictericia,
FEBRE GASTRO-HEPAHCA,
E OBlrasenfermidadrsaiilogai
Elias vio rpidamente substiiindo os aotigoe
' venda as boticas de Caors A Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C.-Bravo A C, ra
da Madre de Dos.
i
OIE1RAM LBH
Tedo o BALIZA ditJuoseu badaneo tmniUmo de juimo pastado, e m+mi <
novar o magnifico sortmvnto de set CHANDE ARMAZEM, chama pote u.>en:e a
attenrao do resp^itavel publico para os pretqa dos gneros tAtixo mc*rioMdos, ?
verdadesSo os mais razcaveis (pie se pudemachttr, atienta a sua luja Soldado volomrrio do batalha.i progressista, o BALIZA o limera di mv.
ment. Elle pede, pois, aos seus l>ons amaradas,. fevor de io Ihe darem um minuto de dfigcaaeo obripttdo-o a vender I
Desta sorte o BAL1ZV vivir contente e contentar MntaB aos seos ftvgnezi **-
-do-lhes staupre generosamente, e fcilvez que airnla pi*r pmptM mais razoa\.>.
120
4o;
60
1^800.
|
O Pavo vende a :ift o 3#OO
- orles ..'e la, a 3$ e 3.^500: ditof cora 22
covados, a: s na inia da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavao.
s na ra da Imperatriz n. 60, -loja do Pavo.
Fuslo do Pa\iHi-
Vendem-se Aisto com lavw' mudinho
pan roupa de meninos, a 320 rs. o covado ;
luim de linho de quadrinhos para roupa de
meninos, a 560 rs. o covado: ganguelim
de urna s cor, a 320 rs. o covado; popelina
de la, de quadrinhos encarnados e pretos,
ara vesii.los de senhoras e roupa de dmqj-
nos, alio ('ovado : s na ra da Impera-
triz o. 60, loja e armazem do Pavo.
Os paktots do Pavo, asseltrwasacado a 12:000 rs.
Vendem-se paletots de panno, sobrecasacas
de panno preto muito bom e muito bem
li'itas^a 12$: sobrecasacos de dito, a 14$;
paletoU sacos de lito, a 74; calcas de cache-
mira da Escoesia, a '.> ; ditas de casemira
preta, a 5(; ditas de casemira de cor, muito
fina, a7ea 5#500 ; coletes de casemira de
cor e preta; palelot de casemira de cor,
a 7#; tudo isto para apurar dinheiro: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Cortes de rarbrrain -da Escoria, a 2:000, na
loja do Pavao.
Vendem-se esta nova fzenda muito encor-
pada imitado de casemira, tendo padroes
escuros e alegres, afiancando-seque nao des-
bota, a 2# o corte para calca, ou 580 rs. o co-
vado para paletot, colete etc.: s na loja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60.
m
800
rab
p e I 000: na JJja da arara ra da Impe-
riz n. 56 de Mendes Guimares.
Ca n i vetes de aparar penas a.
i'azendas branca, na loja
Pavo.
Vendem-se pecas de madapolo enfestado,
l'rancez, com 20 varas, a 8$; ditas com 12
ardas, a i#; dito inglez muito fino, a 7&,
7i)500 e8i; ditos muito superior, a 10$;
ditos de 40 jardas muito fino, a 48O0 e a
54600; algijdozinlio mito encorpado, a
4r$8O0, 5#500 c 64; bretanha com 4 pal-
moa de largura^ muito fina, a 14 a vara;
pe?as de cassa de cordo para babados, com
6 varas, a 34500; ditas com 12 varas, a 74:
'rehincha, a ftOO rs. o covado.
so Pavio.
Vendem-se as mais modernas lazinhas
enfestadas, transparente, tendo 4 palnws de
largura, e sendo lizas e de quadrinhos, de
urna s cor, propria para vestidos e capas,
a*500rs. o covado: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama Silva. J
Oh? que pechincha a 14 rs.
Vedcm-se chitas fianeezas escuras com pe-
queo toque de mofla 240 rs. o covado,
lilas iiij/lezas com pequW toque de mofo
a 200 rs. o covado, peca- de ditas francezas
com pequeo loque de mofo a 8-)000, pe-
cas de ditas inglezas escuras cores lixas com
pequeo toque de mofo com 38 covados a
74500, ellas freguezes antes que se a ca-
bem; na loja dj arara ra da hnperafriz n.
56 de Mendes Guimares.
Madapolo francez enfestada a
40OOO.
Vendem-se pecas le madapoln francez fi-
no enfestado com 12 jardas a 44 e 4,4500,
dito inglezes fino de 24 jardas a 74, 84, 94,
e 104000, pecas de algodo encorpado a 44
44500, 54 e 64; na ra da Imperatriz n. 56.
Chitas da arara.
Vendem-se chitas francezas finas a 320,300
e 400 rs. o covado, riscado francez a 280
rs. o covado, aberturas para camisas a 240
rs., ditas de linho brancas a 800 rs. o cova-
do, tarlatana de cores aiOOrs.avara; na ra
da Imperatriz n. 56.
Cortes de casemira da arara.
Vendem-se cortes de casemira enfestada
escura a 24, cortes de brim para caifas a
14 e 14220; na ra da Imperatriz loja da arara
n. 56 de Mendes Guimares.
Agulbejfs rom apnllias a
Duzia &> meias bnneas para homem,
muito linas a.........
Duzia de meias para senhora, (atend
lina a............
Cornetas de ehifre para meninos a .
fisco vas para limpar denles muilo finas .
Baralfios de carias para voltarete muito
lui.'isa..........
Mtas poringneas a 160 e .
Fraseos de agua de Bolonia muito hoa a
400 e............
Hilos de oleo babosa a 240 e.....
Ditos com superior oleo de macar a .
Ditos com superior macaca perola a .
Ditos com superior banha'transparente a
Ditos eom superior cheiro a.....
Ditos com superior agua eeleste para
cheiro...........
Trancas de algodio brancas e de cores a
Cairas com superiores obreias de colla .
Bolsinha* muito bonitos para guardar di-
nheiro a. .........
Gravatas de seda de diversos gostos a .
Tinteiros de vidro com superior tinta a .
Pares de luvas brancas de|godo a .
Carriteis de linha com 100 jardas, hran-
ca a............
Fitas e cordoes para enfiar esparlilhos a
Calas com colchetes francezes superio
res a............
Cartocs de colchetes francezes a 40. <50
Facas e garfs cabo braneo cravado a .
Ditas de calw braneo cravado a. .
Ditas de balanco muito finas a. .
Tesouras para corlar, pequeas e finas
a 200 e ...........
Tesouras para cortar unlia? muito final a
700
40
80
80
FAZENDAS BARATAS
NA
Xova loja de Custodio, Carvalho
A Companhia.
27Roa do Qnemudo27
Para vestida a 260 rs.
Fustao filio francez para resudo de senhora c
meninas a 260 rs. cada covado.
Cambraia.
Ameixas'em frascos le vidro, a 14500.
IHtas cm caixinfcas com lindas figuras, a
1/20 e 24400.
Ditas mi latinhas, a 1^400.
Amendoas'de.oTiSca mole a 120 rs. a libra.
Arroz (Carolint.), pimeira qualidade, a 120
r*, a libra.
DltO'iio Maraimao, a 120 rs. a libra.
Azeitonas novas de Lisboa e Porto, a 14 +
l/200aaucoreta.
Azeite doce refinado, a 800 rs. a garrafa.
Dito em'barl, a 640 rs. a garrafa.
Dito de carrapato, a 360 rs. a garrafa. *
Arroz com rasca, a 34 a saca, com 20 cuias
.e -a.240 rs. acuia.
Ancoretas americanas de*6 o 12 garrafas,
rniito bem fabricadas, a 14 cada urna.
Ararata muito fiua, a 480 rs. a libra.
Batatas em gigos a 14380 e de 30 a 40 rs. a
Jthra.
BolacJiinlias .americanas, a 34 a barrica e
240 rs. a libra.
Bscontinhos,inglezes, em latinhas, a 14300.
Bitscoulo lunch e soda, em latas de 4 a 5 li-
bras, a 24 a lata.
I II.iiiI.'.i Je porro, a 560 rs. a libra.
Balaktf lumburguezes muito lindos, le di
verbos amauhos e por prego razoavel.
(Caf do Bio, a 280 e 300 rs. a Jibra, em
arroba, 84200, 84500 e 9/.
Ceblas, a #00 rs, o cento e 14 o mllio.
Cha perola, a 34 a libra,
dem hisson, >superior, a 24800 a libra,
dem chumbo, a 24600 a libra.
dem hysson, .offrivel, a 24400 a libra.
dem bysson, menos solTrivel, a 2.4 a libra.
HtH
le mvi> |, n,
Cambraia organdys muito lina a 240 rs. o co-
vado.
Calcinitas
meninas, pelo
barato protjq de
i 600
35600
80'
200
500'
300
500
100
200
800
500
1*500
80
80
500
500
160
100
30
80
para senhora
25200*
Coberas
de chita chineza a 25000.
Golinhas
de linho para senhora a 600, 800 e 15.
| Inicies
Lenees de panno dejinlio finos a 25.
Camisiuhas
para senhora, sendo de cambraia a 25.
Pannos
Pannos adamascados para mesa a 15500.
La. *
I.aazmhas matizadas muito finas un vestido a
440 rs. o covado.
Vestuarios,
. Vestuarios para meninas, multo lindos, a .35500.
Cambraia'
de iuiho fina a 55 a vara.
Para luto.
La preta fina, propria para lulo, a 500 rs. o co-
vado.
Madapolo
Madapolo fino entestado, ieca a 85, tendo 20
varas. .
400
80
35200
35500
6000
PAPEL
-Arara vende as col xas.
Vendem-se ricas colxas aveludadas para
cama a 84000, ditas de fusto a 54000, ditas
de chita a 24000, brim de linho e algodo
braneo a 800 rs. a vara, dito de linho puro
a 14, 14120, 14280 e 14600 a vara; na loja
da arara ra da Imperatriz n. 56 de Mendes
Guimares.
Bales da arara de 90 40
reos.
Vendem-se os melhores bales que tem
vindo americanos de 20, 25, 30, 35 e
40 arcos, a 44, 44500 e 54, ditos de ma-
dapolo bem feitos a 34500 e 44, ditos de
brilhantina a 44500, bales saias de cordo
que faz a vez de balo a 24; na ra da Impera-
triz arara n. 56.
Arara vende manguitos a
#000.
Vendem-se manguitos e golinhas de linho a
24 o par, gQlinhas para meninas a 400 rs.,
ditas para senhoras a 400 rs.; na ra da Impe-
ratriz n..56.
LIQUIDACAO
de fazendas baratissinus, na Boa-Vista, rna da
Imperatriz n. 20. j
tambraias adamascadas com 20 varas a 85.
Ditas com 8 ditas a 25.
Ditas lisas com 8 ditas a 25.
Fil liso muito fino a 800 rs. a vara.
(Chales de merino estampados a 45.
Madapolo entre-fino com 20 varas a 85.
Casemiras linas de urna s cor a 156O0 o co-
vado.
Algodo monstro, superior fazenda para toalhas
e lenees a 800 rs. a vara.
Bramante de 10 palmos de largura a 15600.
Gravatas de seda a 320 rs.
Oleados de diversas larguras e de ricos desenhos
para mesas de jantar a 25 o covado.
Flanella branca muito lina a 640 rs. o covado.
Riscadinhos de linho muito finos para vestuarios
de criancas a 400 rs. o covado.
, Chitas escuras e elaras, padroes inteiramente
novos e muito finas a 400 rs. o covado.
I Laazinlias chinezas muito superiores a 500 rs. o
covado, e outras muitas qualidades de fazendas
, precos miito commodos, afim de apurar dinheiro,
, dando-se de tudo as competentes amostras.
de eores para listas de eleltores
A aguia branca suppoe que nao faz mal em olTe-
recer aos athletas uns pacoles com 234 folhas de
papel de cores, que pode servir ptimamente para
listas de eleitores, etanto melhor por custar cada
oOO pacote o diminuto preco de 15500, e ser cada um
de urna s cor, o que difficil de encontrar a nao
ser na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
-\a mesma loir '
braneo e aznf.
320
dem pivto, mag.m'Iico, a 24 a libra.
dem prel libra,
blern prito, soffrivel, a 14600 rs. a libra.
Mi'iji nacional, a 1/800 a libra (em latas).
dem nacional, a 14600, a libra..
dem nacional, .ordinario, a 14 a libra.
Champagne, marca aguia, de superior qua-
lidade, a 640 n, a garrafa o 74 o gigo,
com 12 garrafas. Quera doixar de be-
ber champagne por tal preco?
Charutos de muitas marras e a precos bara-
tksimos, sendo que ha de 800 rs. at
44 o cento, vindos do Rio, Babia e de
Hespanha.
Chocolate suisso de Lisboa e francez, a 800
rs. e 14,
Chouricas e salpice, a 640 rs, a libra.
Conservas inglezas, a 800 rs. o fraseo.
Ditas fracezas, a 500 rs. o frasco.
Cognac inglez, a 600, rs. a garrafa e em
caada, a 44.
dem engarrafados, a 800 rs.a garrafa.
Doces, em lindos vazos de vidro, das fine-
tas mais esquiadas da Europa, a 14 o
frasco.
Dito de Lisboa, em latas, a 500 rs, a lata.
Dito de goiaba, a 640 e 800 rs. o caixo.
Dito ein latas muito proprio para presente,
garante-se sua duiaco innalteravel por
mais de anno.
Farinha de Maranho, a rGO rs. a lilira.
DiUi de trgo,-a 140 e 160 rs. a libra.
Xa mesma loja tambem lia de outras qualidades,
assim como anvelopes.
3
m.
No armazem de louca da porta larga, ra larga
do Rosario n. 26, vpndem-se latas com 5 gales de
gaz a 135, assim como latas de 3 garrafas, e em
garrafas muito em cont; garante-se a qualidade.
RETRATOS
DO ARTISTA
Ntidamente btographados em Pars viudos pelo
paquete \avarrc >
Preco de eada retrato i#.oo.
Vende-se na loja de livros ao p do arco de
Santo Antonio.
Para os senhores agricultores.
Est venda um pequeo e excellente tratado
em oitavo, sob o cultivo e preparaao do fumo em
folha, cujo desenvolvimento est o alcance de
qualquer mtelligencia ; extrahido de diversos au-
tores, coordenado e annotado pelo Sr. Sergio An-
tonio Vieira da provincia do Maranho : na ra
da (iadeia, tojas n. 31, livraria do Sr. Jos Cardoso
Ayres, e 15 centro commercial, do Sr. Jos Leo-
poldo Bourgard, pelo diminuto proco de 600 rs.
cada volunte.
Vende-se um mulato de 22 annos, cozinhei-
ro de massas e doces, perito boleeiro e copeiro, e
urna cscrava quitandeira e de todo o servieo do-
mestico : no becco do Marisco n. 7, primefro an-
dar ; ahi tambem vendem-se rolos de loyro de 20
palmos, e recebem-w escravos para seren ven-
didos. ,
500, 800 e 14 o featOO.
Marnela* la exiellente a 640 rs. a lili
Ostras americanas (excellente petiscu
rs. a latr.
Paaaas a MKa rs. a libra, e em nnu i Ni
Presuntos de Lamego, a 560 rs. a hnra.
dem ingle/, para Hambre viiu.b > i
da, a 800 ra. a libra,
dem americano, a 500 rs. a libra.
Peixe de Lisboa Inglaterra a \ui Tea. pre-
parado conforme a arte !? citsinha.f ^-
tas le i a 3 Jibias, de 1*300 J^'iOO.
Pbosphoros 3o gaz. a 24300 a pana,
Qaefoe londrinos cliegados ae yb-jno i
a 800 rs. a libra. ^
Wm tama eh.egados no p?nultim, ..>,,
640 rs. a lilira.
Mera flamengos chegados n. ultim; -aora
4400.
dem dem chegados no penltimo vai i a
24000. '
Sal refinado em vazos de \idro, a GtO
Idna i Garvaja das melhores man... ,iUl
meiwdo a 4/. IMOO, W, 50,
b/500 a iltizia.
Sardinhas Je Lisboa pn>paradas ,h} tata
i- a GiO rs. a lata de grande tamanli,
Mera de Nantes, a 380 rs. a laona
Sabio massa le 120, lio, ICO. 180
210 rs. a libra.
Tinta preta nacional e ingleza. a OSO s a
garrafa, e 210 rs. o boio.
Toucinho de Lisboa, de Mfc di
por 320 rs. a lil.1,1.
dem de Santos, a 80 rs, a anra
Meraamerieano, a 200rs. a lii-ri.
dem inglez secco no fumeiro. mpilior ik-..,,
todos os presuntos, a 840 rs. a l
Vassoara americanas muito niu
^ a 610 rs. cada una.
Vedas de Buenos-Aviv.
libras, por 6/.
dem de carnauba e eeasfttnffco, a m
rs. a libra,
dem do Aracatv, a 400 rs. a libra.
Moni Harinas, a 600 e (O rs. o mar-
iden sperraaeeta, a i<$ a anra.
Vinlio Lagrimas ,|o |hiio. ma mmm a
melhor i|ualiila mercado em gnalas brancas tamo
do autor em alto revelo do propr
prevme-se aos apreciadorea quei
ero ha boje grande falsifica.-a...
Mein engarrafados. vin,| parle dalles
pria cunta de diversas manas t -i; -
mores adagas do Pinn e Lisl^.a. ,ia?
cas: naden-a, CamSes, C&anbso, \i, .
sia, Carcavellos, Duque .1.. Port
Iros, e espera-se todos os lia- .
lidades; a 00. 14 e 14280 a .
dem .lo Porto Brisa, a 840rs. a
dem de Lisboa e Figurira vindo era ai
i a 20/ de 8 a 9 cann.las.
dem do Pmlo em "airalocs de i I -
[ garrafas, por 2.J500.
Iden da Figueira em gartaea da n
garrafas, por. 8.4100.
Iden le Lisboa e Figimira de 320. io#.
e 160 rs. a garrafa, .? em caada se .,.-
abalinienlo.
dem Bordeaux engarrafado, a 640 -. ;,
garrafa, m dttlia i 7.*00.
Vinho do Porto muilo Tino em caixas cni) la
garrafas, a 84, 104, 124 e 141 m
Inores marcas que vera ao aosso
Vinagre de Lisboa em garraoes de i I ^




em caixas .... |(

Fruclas francezas de diversas qualidades, era
frascos de vidro, preparadas em alcool,
proprio para podim etc., a 14. o fraseo.
Gomma do Aracatv, a 100 rs.a libra.
Dita do Aracaty, a 40 rs. a libra,
(raixa em latas, a 120 rs. e a duzia, 1/300
Genebra laranja, em grandes frascos, a 14. AvejSa'aSM reTaTbra!
Genebra ingiera, marca gato a 14200 o Arroz da India a 100 rs.a libra.
frasco ou garrafa com rolha de vidro.
Garrafbes vanos, de 640 a 14200 cada um.
Kirsck-wasser, bebida esta de um valor inex-
timavel, em vasos esquisitos, a 14300.
Licores inglezes e francezes dos melhores
fabricantes, a 500 e 800 rs. a garrafa.
Lingas americanas de grande tamanho (em
calda), a 1/.
Ha
gairafas, a 14200 com o gnala..
Biscoutos de Lisboa em latas, pmprios .ara
lenles, a 14500 e 34 a lata.
Batatas a 80 rs. a libra.
Gpos lapidados para agua a 6,-> a duzia.
Chumbo de todas as groaran a G4 a .
ha.
Caf muido de superior qualidade a loo (<
a libra.
lassas para sopa, era caixinhas com 8 h>-as, Fio de linho muito proprio para
contendo o qualidades, por 34500 a raixa. | 480 rs. a libra P
Ditas para sopa, estrelinha e pevide,
amarrar, a
. a 560
rs. a libra.
Dita de tomate, a640rs. a libra.
Manteiga ingleza em potes de 10 a 16 libras
a 800 rs. a libra.
dem dita flor a 14 a libra,
dem de 2a qualidade a 8Q0 rs. a libra,
dem de 3a qualidade a 640 rs. a libra.
dem para tempeiro a 400 rs. a libra,
dem franceza a 640 rs. a libra, e em bar-
. ril por menos.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
Mortasda ingleza em frascos grandes a 800
rs.
dein franceza em frascos grandes a 500 rs.,
Mlhos inglezes dos melhores fabricantes a
Farinha de trigo em barricas e meias, I- u-
das as marcas e qualidal.<.
Genebra de Hollanda em garralcs cm 2
caadas, por 64300 com o garralao.
dem idem em frasarartras com 12 Iras
por 6/500.
-Manteiga finissmu em latas contendo 2 li-
bras liquido, por 14800 a lata.
Queijos flamengos a 14600.
Rap princeza do Rio: grosso. mei
e fino.
Tambas das Alagas a 12$ o cento, a 140
rs. cada urna.
Vinho braneo de Bordeaux (Sauterns) a 8|
e 104 a duzia, e 800 a 14 a garraa,


Blart de lTttMl>iie T 4 de Agosi ie 1**9.
S

SORTIMENTO DE MOLHADOS.
-
3

w
o
o

g *
w
PS
i
p
p
!l
3 S
A I
m 1
a B
a S
S e
C M8
V -
s 2 *
i

cu


SI
5 t
Ss 1
w
e B
1 3
? t
2 B
9"
a *
i!
es v
e
E
SL
a l
5 >
2 t

es
i 6
I a
Vinho empipa: Porto, Figueira e Lisboa, a 400,, Lagostinhas em latas grandes, a 1*400.
uefaL^1?^' 0qUerar "" H SKdeSraiWffi ^ '"
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto, a 15 Quijos Aamengos do ultimo vapor, a #400.
a garrafa e 10* a caixa, o prego nao indica a Wcm d r ^^^ a 252OO.
qualidade deste precioso vmho, porem tambem
nao com imposicoes de preco que se prava ao
respeitavel publico a superior qualidade, este
genero de commum se manda vir de conta pro-
pria, e por isso podemos vender por menos do
. que outro qualquer annunciante.
dem prato. o mais superiar que tem vindo ao mer-
cado, a 740 rs. a Jibra.
Amendoas de casca mole omito novas a 280 rs. a
libra.
Toucinho do reino a 360 rs. e 16*800 rs. a ar-
roba.
Sardinnas de Nantes, a 360 rs. a lata.
Azee doce de Lisboa, a 640 rs. a garrafa e 4*800
a caada.
Doce da casca da goiaba, caiao grande, a 640 e
800 rs. cada um.
Vinho do Alto Douro, das marcas mais acreditadas' Chouricas do reino a mais nova do mercado a 640
o especialmente escolhidas porpessoas entend- j rs. a libra. >v
Port,fi %^^&Ti&.; ^Ttt*" d ^ dC ** ParUCU,ar'-
Madeira secca, Feitoria, a 900 rs. a garrafa e 9* a euu ts. a inra.
a caixa com 12 garrafas. Bojachinlias inglezas a mais nova do mercado a
Garrafoes com vinho do Porto, eontendo 5 garrafas *40 S a 1* e 3*000 a barrtca em urna ar-
por 2*500. roba.
dem de soda de diversas qualidades, a 1*400, di-
tas grandes proprias para lancli com 5 a 6 li-
bras por 2*460.
Marmelada imperial do fabricante Abiwu on de ou-
tres muitos conserveiros de Lisboa, em latas de
i e meia e 2 libras, a 600 rs. a libra.
Ervilhas francezas, a 500 rs. a lata.
idem portuguezas, a 640 rs. a dita.
Maca de tomates, a 600 rs. a libra.
Mantejga inglesa perfeitamente flor, a 800 e 15 a
libra, neste genero existe sempre aberto dispo-
sicaodos freguezes dous a tres barris de man-
teiga fler, salvo quando por infclicidade contaca
a factura vir composta de segunda e terceira
qualidade, que para melhor satisfazer aos fre
guezes torna-se necessario ter mais do que esta
SorcSo de barris abortos, jporm antes nos lhe
amos a devida applieacao para tempero, que
venderemos a 320 rs. a fibra. ,
dem franceza a mais nova do mercado, a 680 rs. e
em barril se fas abatimento.
Amendoas confritadas, a 800 rs. a libra.
Chouricos, moaros vindo de casa particular, a 640
rs. a libra.
Fariiiha do Maranhao muito alva e rtieirosa, a 160
rs. a libra.
Avelaas muito novas, a 220 rs. a libra.
Vinagre de Lisboa, a 200 rs. a garrafa e 15200 a
caada.
Campagne das marcas mais acreditadas a 8JO0O1
e 10*000 o gigo, e 800 rs. e 1*000 a garrafa.
Vinho branco de Lisboa, propriopara missa, vindo
j engarrafado de Lisboa, ao40rs. a garrafa,
dito de barril muito superior, a 500 rs. a garrafa
e 3*200 a caada.
Ameixas francezas em caixinhas de 1 e meia, 2 e 3
libras, elegantemente enfeitadas com diversas es-
tampas na caixa exterior, a 1*400,1*800, 2*500
Figos de comadre em bauzinhos de folha, multo
proprios para mimo, a 1*600.
dem em caixinhas forradas de papel de differentes
molduras, a 1*400.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia e 3 libras
por 1*400 e 2*600.
Passas de carnadas as mais novas que ha no merca-
do, caitas de 1 arroba a 6*, e a retalho a 400 rs.
a libra.
Massas para sopa muito novas: pevideeestrellinha,
a 560 rs. a libra.
dem a mais nova que ha no mercado; talharim c
aletria. a 560 rs. a libra.
Macarrao, a 320 rs. a libra.
dem o mais novo que ha no mercado: talharim o
aletria, a 560 rs. a libra.
Figos de comadre em caixa de 8 libras muito novos
a 1*800 e a retalho a 180 rs. a libra.
Salmao em latas eem postas hermticamente lacra-
das, a 800 rs.
Orveia preta da marca Tenent ou XXX, a 45
4*500 a duzia, e a 400 rs. a garrafa.
dem branca da marca cobrinha ou Tenent, a 4*
e 4*300 rs. a duzia, e em porcao se faz abati-
nento.
Genebra de Hellanda em garrafcs com 16 garra-
fas, por 6*500 rs., aflanca-se ser verdaderra.
dem em frasqueira, a 6*800 e a 560 rs. o frasco,
dem de botija em barricas com 4 duzias a 430 rs.
cada orna.
dem de laranja em frascos grandes, a 15200, ga-
rntese ser verdadeira da Italia.
Marrasquinlio de Zara, a 720 rs. o frasco.
Licor francez de todas as quahdades de fabricantes,
em garrafas brancas de vidro, a 720 e 800 rs. a
garrafa.
Vinho Bordeaux as mclhores qualidades que tem
vindo ao mercado, a 720 e 800 rs. a garrafa,
em caixa a 7*500,8*000 e 8*200 rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol. a 800 rs.
a garrafa.
Conservas inglezas sortidas ou de urna s qualida-
de e da verdadeira, a 800 rs. o frasco.
Araruta verdadeinf, a 320 rs. a libra.
Gomma de engommar muito alva, a 800 rs. a li-
bra.
Palitos do gaz, a 2*300 rs. a groza e 20 ris a
caixa.
Toucinho de Lisboa, a 320 rs. a libra e 9*500 rs.
a arroba.
Sag muito novo, a 200 rs. a libra.
Cevadinha de Franca, a 160 rs. a libra.
Cevada nova a 120 rs. a libra, e 3*500 rs. a ar-
roba.
Macarrao e talharim, a 320 rs. a libra.
Aletria muilo fina, a 400 rs. a Kbra.
Arroz Carolino/muito alve e grado, a 120 rs. a
libra e a 3*200 rs. a arroba.
Cale do Rio o mais superior me se pode desejar
neste genero, a 320 rs. a libra.
dem idem de segunda c tereeira qualidade, a 280
e 380 rs. a libra, e em arroba ou sacco a 8*200
e 8*400.
Velas de carnauba refinada, a 320 rs. a libra c
10*000 a arrolla.
dem de spermacet, a 640 rs. a libra.
Chocolate hespanhol a 1*, a kbra.
dem francez, a 900 e 1* rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado por ser
vindo de encommenda prepria a 25880 rs.
Cha byson, mehor que se pode desejar neste ge-
ner, a 2*800 rs. a libra.
dem nacional em latas de 1, 2 e 3 libras a 1*400
ris.
Idem.huxim, a 2*200 rs. a libra.
Cha preto homoepathico o mais excel lente que tem
vindo ao mercado, a 2* a libra.
Graixa em latas grandes, a 3/300 a duzia, e 120
rs. cada urna.
Presunto verdadeiro.de Lamego em calda de azei-
te, a 560 rs. a libra.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro, obra de
muita duracSo e utilidad.', a 400 rs.
Charutos de S. FqIx do fabricante Ftirtado de Li-
ma ou de outros muitos fabricantes da Baha, a
2*000, 2*500. 3*000, 3*200, 3*500 e 45000 rs.
a caixa, ou em meias por metade do proco.
dem Mississipes mperiaes, a 35000 rs. .
Mem Tpiranga ou Flor do Rio, a 35200 rs.
dem Guanabaras ou Havaneiros, a 25800 rs.
dem Flor da Matta ou Regaba imperial, a 25500
ris.
dem Flor do Norte ou Londres imperiaes, a 45000
ris.
dem superiores em quantidade e de todos os fa-
bricantes, a 3*000, 35500 e 45000 rs. a caixa.
'
Polassa da Rossia.
Voiidc-sc em casa de N. 0. Bieber & C,
guccessores, ra da Cruz n. 4.
Kua da Seuzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se": tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLow
Moor libra a 120 rs.
Cbelas superiores em resleas, a cinco
mi! ris o milheiro no Caes da alfandega n.
!, armazem de Tasso Irmaos.
A ACHIA BRAMCA
Receben pelo ultimo vapor o
segninte:
Bonitas pulseiras de cabello, coral, e cora-
liua.
Fortes e bonitas ligas do seda para senboras.
Outras estratos para meninas, ou manguitos.
C irteiras com agulhas.
Agulhetas para eniar, e agulhas cantfas.
Trancelins e fitas de borracha.
Carrilcis com torcal de todas as cores.
Massos e fios de coral.
Esponjas linas para rosto.
Puntes de tartaruga virados, com laeo e
balito.
Knfeites de rede para conservar os cabellos
briii atados.
Aspas e coz para balo.
Fitas com colxetes para vestidos.
Trancelins chatos de la para enfeitar vestidos.
T*apel e folhas para rosas.
Lunparinas francezas.
Trancelins grossos para relogios.
Es ovas cabo d'osso, marfim e madreperola
para lenles, unhas, limpar pentes ejoias.
Outras linas para roupa, chapeo, cabello etc.
Outras de velludo para chapeos.
Pastas para papis.
Rispadeiras e facas de marfim para ditas.
Vaporas e dminos.
Luvas Yindem-se mui finas luvas de carmnea
branca e amarella; na ra do Queimado n. 8
loj i d'agoia branca.
Baratfsslmas bandeljas.*
A aguia branca por muitas vezes tem da-
do a conhecer (pie quando acha alguma pe-
ehiueha, nao quer smente com ella encher
o papo, ao contrario deseja que toda sua boa
freguezia e o publico em geral prvem da
mesma, o que agora mesmo acontece com
-.- baralissnas bandejas, cuja limitaco
d preeos admira, cnt relacao aos lmannos c
qualidades: avista do que conven todos a-
i. iveitarem-se dessa opportuna occasiao e
proverem-se d'um traste sempre necessario, |
e que Ibes costara quasi metade do justo va-
lor. Assiin, pois, dirigirem-se com dinhei-
ro alegre e espacosa loja d'aguia branca
ra do Queimado n. 8.
.euros hrancos com barras de
cores para'meninos.
A loja d'aguia branca recebeu um novo
sortimento de lencos brancos com barras de
. para meninos, e com quanto esses
v --.ni melhores, maiores e perfeitamente
aladrados, com todo continam a ser ven-
didos pelo antigo preco de l a duzia; n.
ru i do Queimado na alegre e espacosa loja
d'aguia branca n. 8.
La Una para bordar.
A aguia branca acaba de receber um com-
pleto sortimento de la fina para bordar, cu-
ja variedade de agrmlavois cores foram es-
coihidas d'um grande livro d'amostras que o
faliiieanle offereceu a aguia branca, vindo
entre ellas alguma mesclada; assim pois onde
os pretendentes melhor se podm sortir des-
se genero, na alegre espacosa loja d'a-
goia branca ra do Queimado n. 8.
Os afamados copos com banha. e
botes com Inscrlpces.
Chegaram novamente para a aguia branca
5 afamados e estimados copos com banha
lina: assim como os bonitos boies de por-
celana dourada tambem com banha, e novas
iii.m i iprors maviosas e jocoserias, mui ade-
quado para presentes resta porem que os apre-
ciadores concorram, munidos de dinheiro,
alegro e espacosa loja d'apuia branca ra do
Queimado n. 8.
TERCOS
e coras de cornalua.
A aguia branca pensando constantemente em
bem servir a toda a sua freguezia, notou que ainda
nao havia fcito algum agrado a aquellos que pru-
dente e acertadamente resando, cumprem dever de
bom christao, e quando reparou essa 9ua falta,
mandou vir c acaba de receber delicados tercos e
I coras de corrfaiina com cruz de prata, os qnacs
! deixa disposicao dos fiei que estiverem dispostos
a gastar 15O0*,25e 35 para possuirem um bonito
terco ou coi a, com os quacs podem mesmo pedir a
i Deus pela prosperidade d'aguia branca, em seuale-
(gre e espacoso ninho da ra do Queimado n. 8.
Xoyos e bonitos
pentinbos travessos dourados e com pedras para
meninas : vendem-se na ra do Queimado, loja
d'aguia branca n. 8.
Bahuzlnhos com perfumarlas e
sem ellas.
A aguia branca vende bonitos bahuzinhos com 6
l'r;i>'|iinli..> dochoiros por 15500 e vasios por 800
rs.. servindo estes para meninas, e mesmo para
joias, etc., etc. : na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Delicadas Aesourlnhas d'aeo para
bordados e fabyrlnthos.
A pedido de algumas senhoras suas predieletas
freguezas, a aguia branca mandou vir dessas de-
licadas tesourinhas d'aeo pontas agudas, proprias
para bordados o labyrinthos, e urna vez cnegadas
como de facto chegaram, a aguia branca convida
as de mais senhoras suas boas freguezas para
aproveitarem-sc da occasiao e bem empfegarem
seas 25 em cada urna dessas nissimas tesouri-
nhas. na certeza de que perder por chegar tarde;
queni se demorar em as mandar comprar no ale-
gre c espacoso ninho d'aguia branca, ra do Quei-
mado n. 8, onde tambem ha outras curvas e direi-
tas para unhas.
isabadfnlios estreios ebordados
Vendem-se na ra do Queimado n. 8. loja d'aguia
branca.
Capachos comprldos c redondos
V.ndem-se na ra do Queimado.{loja d'aguia
branca n. 8.
Unhas maclas e Insirosas para
bordar
vendem-se na loja d'aguia branca ra do
Queimado n. 8.
Xovlssimos e bonito enfeltes
para cabecas.
Quando o bello sexo sentia a falta de bons
enfeites para cabeca, eis que a aguia branca
recebe urna sua encommenda de bonitos e
delicados enfeites, e de modernsima moda,
muito servindo isso para sanar aquella falta,
e bter com que as Exmas. apreciadoras da
bella empreza Coimbra possam mellior real-
sar e mostrarem o apurado gosto que as
guia. Esses enfeites s3o d'um tecido bas-
tante fino com continhas d'aco, e mui bem
enfeitados com flores, fitas, bicos, plumas
etc., entretanto que sendo obra de muito
gosto custam H, 6$ e 7(5 dinheiro vista;
na espacosa e alegre loja d aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Ricas guarn cor* de pentes e
Avellas para cintos.
A aguia branca recebeu novas e ricas
guarni.oes de pentes dourados, e com pe-
dras ; assim como outras bordadas froco e
com bolas pendentes, novidade essa que s
se acha em dita loja, e que na verdade se
tornara mui alegres e bonitas; e bem assim
recebeu lindas fuellas com pedras, e ditas
d'aco com hovos e engrapados moldes, cintos
dourados e de marroquim; muitos outros
objectos de gosto para senboras ser3o encon-
trados na alegre e espacosa loja d'aguia
branca ra do Queimado n. 8.
tmei^t *m*m: taims a; y&g\a*.)Sifx**,
&,?-.&& ,*-*.*-t*. T .-v. rr. *
ROUPA FEITA
NO
A II SI A ZE VI
DE
JLETREXRO VEROE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dos melhores prbfessores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
hmens e meninos.
**ur4S & MABTm
RA DO QUEIMADO N. 46
DBirniQTe
ROUPA
Na ra do Queimado n. 43, esquina que
rolla para a Congregacao ; pechincha.
Paletots de caseniira a $, 6, 7, 8, II c l\&,
ditos de panno preto e azul a 9 altos sobre-casacos de panno muito fino por ii& o
28, ditos de alpaca preta e de cordao a 45, 5, 6 e
75, calcas de casemiras de core* SA, 6, 7 e 8,
ditas pretas a 65300, 8, 9 e 100, paletots de fnstao
e ganga a 25, 25800, 3 e 45, calcas e colletes de
Lulas as qualidades e por proco muito barato, len-
ces de puro linho a preco de 25800 e 35, cbor-
fas de chita a 2*240, collarfnhos V linho puro a
600 rs. cada um, e outros muitos olijectos, que s
i vi-la ; e para isso se pede a atlcne-o "dos fre-
gtiez.
Casacas de nanno nreto. 3IUI o
Sobreeasaea idem, 30,-J e .
Paletos idem e de cores, 1H,
20r>, m e......
Ditos de casemira, 20^1, i,
12. iOj) e......
Ditos de alpaca, o-> c. .
Ditos ditos pretos, 9$, 7^,
fi^ e........
Ditos de brim e ganga de co-
ros, 45300. 4*. 35800 e. .
Ditos branco de linho, 6$, 5$ c
Ditos de merino preto de cor-
dao, w, n e..... 5.5000
Calcas de casemira preta, i2#,
IU, 8e......
Ditas de cores, 9, 8# e. *.
Ditas de meia casemira de co-
res, S300 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 5(4, 4#5O0 e
Ditas de brim branco c de co-
res, 54. 46500, 4d e .
Ditas de ganga de cores,
3;>50O. 3 e .
Colletes de velludo preto e d*e
cores. 95 e......
Ditos de casemira rTreta, 5# e
Ditos de ditas de cores 5#
45 e........ 36500!
Ditos de setim preto. 5*000
Ditos de ditos e seda branco,
:{U->OftO Collotes do fustSo o brim hrn-
255000 co, 36500, 36 e .
! Seroulas de brim de linho.
I06000 26400 e ......
Ditas de algodo, 16600 e>
76000 Camisas de peitos de linho,
36500
25568
26000
16400
36500
35000
46000
76000
76000
,46000
4S000
25500
26500
75000
45000
16600
86500
25OOO
Mfeti
640
:>b. 45, :i-)P.....25500
Ditas de madapolao. 95.
25500, 25 c < .
Chapos de massa, pretos fran-
cezes, 105, 95 e. .
Ditos defltro, 55, 45,35500 e
Ditos de sol, de seda, 126,
115, 76 e.....
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda. ..*....
Sortimento completo de grava-
tas. 6
Toalhas para rosto, duzia. 11>.
96 e........6.6000
Atoalhado adamascado de li-
nho vara......15280
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos c de cores.....
Lences de linho.....
Cobertas de chita chineza.. .
Pennasd'aco, as mais superio-
res, a grosa......
Relogios de ouro orizontaes,
905,805 e......
Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes. 100 6
65 e.......56000 Obras de ouro, adercos, meios
Ditos de gorguro de seda adercos, pulceiras, rozetas,
pretos e de cores, 65, 55 e. 45000 aneis e eruzes.
45000
35OOO
26000
705000
306000
,^a^^/

Sr v
:* -: -:- -:-";*> *
AUROIA
I u
LARGO D A
No grande armazem da aurora brillante brespeitavel publico encontrara sempre um
grande sortimento dos melhores e mais novos gneros que tem vindo ao mercado c por pre-
eos sempre commodos, tanto em grandes porpes como a retalho.
Latas com peise em postas savel, sal-
BRILHANTE.
N. U
SAMACRIZ.
40
15280
15240
mao, selmonete. congro, goraz, por-
go e outras muitas .jualidades mui-
to bem preparado a 15000
Ditas com ameixas francezas a libra a 15000
Ditas com biscoutos inglezes de va-
rios ttulos muito novos a 15300
Ditas con 1 lisios, peras, pecegos, gin-
gfeg, ajperxti e outras a .
Ditas com ervilhas novas a
Ditas bom marmelada a 640, 960 e .
Ditas com massa de tomate a 640 e
Cha uvini o melhor neste genero a
B5000 c.....352O0
Pito hvsson muito superior a 25800 e 35000
- Dito dito a 25, 25400 e 25*00
Dito preto de aza branca a 15000
pito do Hio em latas a 15JO0,15600 e 15800
Doce de goiaBa Caixaoa 300,640,800e 15000
LingUica? ch> sofito e carne a libra 320
Ghouricas e palos de LiStAM e presun-
to de Lamego a libra a 500
Presuntos inglezes para fiambre a li-
bra a......800
Qneilos do reino muito novos (cober--
tos) a 2*300
Massas para sopa, talharim, macar-
rSo, aletria, pevlde e estrelinlia, ar-
roz de mssa, rodinha a libra 860
Arroz da India a arroba 35200 e do
Maranhao 35300 e a libra 120
DE .
FAZEMDAS E ROITPAS FFITAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 255, 285, 305 e 355,
muito bem feitas a 255, 285, 35 e 355. paletots acasatados de panno preto de 155 a*'-
255, ditos de casemira de cor a 155, 18$ e 206, paletots saceos de panno e tme-
mira de 86 at 145, ditos saceos de alpaca, merino e la de 45 at 65, sobre de alp*-a 1
merino de 75 at 105, calcas pretas de casemira de 85 at 145, ditas de cor (fr 74 *-
155, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de roupa* de brim.
como sejamcalcas, paletots e colletes, sortimento de colletes pretos de melim. cajewin
e velludo de 45 a 95, ditos para casamento a 55 e 66. paletots brancos de braman*? a 45
e 55, calcas brancas muito finas a 56, e um grande sortimento de fazendas finas e iao!rT-
nns, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senhora. porMlk*
(le linlio C iilgfitKto, t^Rqioa de sol do seda, lu nhora. Temos urna grande fabrica de alfaiate, onde recebemos encommendas d gratvlrs
obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de semelhanle arfp t na
pessoal de mais de cincoenta obreims escolhidos, por tanto executamos qnalqi^r obra am
promptidao e mais barata do que em outra qualquer casa.
I I \ 1114 AO OO IIOil fl 1 ^l-lt 1 1 INI
KKITI \. :tH.
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de nm completo sortioaeot *
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber: .
Machinas de vapores as mars modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro com seus pertences.
Moendas meias moendas de todos os tamanhos. $
I Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Roccas de fornalha pelo novo syslema Wetson.
Alambiques de ferro fundido. .
Fornos para cozer farinha.
. Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, ele. et.-.________^_^ ^^^^
DE
TODAS AS QUALIDADES
DE
ANTONIO MAIA DE BRITO
COMIECIDA POR FABRICADA VIUVA.
N. 21Antiga ra dos Quarteis de polica N..21.
Constando ao annunciante, que alguns especuladores de roa f, entlu o
que gosam os meus cigarros, e para poderem dar consumo aos seus andam veinkiHlo 1
na praca como pelo mato, illudindo os meus freguezes, dizendo .pie sao meus : e co* fcv
dos os meus cigarros sao vendidos na minha fabrica, e nao mando possoa alguma* vlei
por minha conta fra della. faco o prsenle annuncio pira evitar qne comprem galo por
lebre ; e para seguranza dos senhores consumidores deste genero e especialmente i**?
freguezes, aviso que todos os massos de cigarros que forem vendidos na minha fatirira 5o
marcados com um "distinctivo que declara omeu nome, o nome da na e o nmnero i!:i
mesma casa.
Aproveito a occasiao para scientificar aos mesmos senhores. que rfMistantiinwlr
enenntrarao um completo sortimento de cigarros de diversas qualidades. o do melhor rhmo
escolhido, por sua boa qualidade j liem conhecida.
Gaf doCeara libra .120 e do Rio- a
280 e......320
Dito dito a arroba a 95300,95400 6 8.5500
Vinhos ha novo supprimento.
Vinho da Figueira da propna uva a 560
Dito dito a 400 e .300
Dito de Lisboa de boas marcas a 400 e 480
Dito branco proprio para mssa a 480.
560 e......640
Dito tinto do Porto, mene7.es; chamico
duque o outros em pina a 640, 720 e 800
Ditos genuthos engarrafados com os
nomes gravados dos autores as
garrafas a 15200,15500 e 25<00
Servcjas, champanhc, licores, cognac e
Bordeau?. e outros liquido? que se
vendem baratissimos 5 .
olacHInha inglesa a 25 a barriquinha
e libra......200
Dita de araruta doce o agoada WsCott-
tosete. a.....MO
Caixas com 2 arrobas de batata* novas
a arroba a.....15280
Gehebra de Hollanda frascos grandes e
Wli \m OLEO di I li. -\ I >(),.. \. \I
XAROPE DE RABAIVO IODADO
Segundo os attestados dos mdicos do* hocpltae? de Pari, coml(M4M no frniwM, e #
de varios Academia, este Xarope emprega-se com o malor suteesoo, en h*pr4* 0U0 K FMAM K
BACALHAO. ao qual elle realmente superior. Cura as molestias de peito, M t%
psllidei e mollesa das omw, as perdas d' (ppetite, e regenera a consUtDKao .
summa o mais poderoso depurativo conhecido. Elle nunca can^a o estmago 01
loduro de potassium e o ioduro de ferro e admlnlstra-se cora maior eflcsdMMs* a*t
aos humores ou ao entupimento das glndulas. 0 n*at*r casca**, do hospital t Sm' Lte *t
o reeommenda d'um modo Intelramente particular as motestia* da peUa, eonj
que teem sen nome.
Depsito geral em Pan'*, en casa de MM. Or _.
em Lisboa, en casa de Rodrigo da Costa-Carvalho;
rerrelra; em o Rio-de-Jantiro, vitrea relala a Dlalm,
Jon-Cartaaa Ferrelra-EsBlaacira; em Uio-Granit, en casa de Jaaata a* f
Mo, en casa de Ferrelra e C*; em Fernambueo, Shaaa* e C, ra da Cas, S;
pharniacias do Brazil.
aanlt e C, pharmacentKat, 1. raa ae la FeaMa
laa; no Porlo, en ana de laaal Ma aaai
a Dala, roa do Sabia, II; tai MMa, ta tata
Deposito geral ero Pemambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caors A
pequeos a 640 e
Dita de urania aromalicn a
Manteiga ingiera flor a 720 e .
Sla mais abaiso a 600 e
Dita franceza nova em barris e meios
a 600 rs. a libra e .
Dita em barris de 22 libra a
900
15000
800
640
m DA NPERATRIZ 5S
O 3 11
5este"es'tabeccimi'W ha sempre saceos com'farinha, milho, feijao, fuello
casca, tudo da melhor qualidade e por menos do que em outra qualquer [aile.
640 ,.
. 640 %
arroz de
participa ao publico que acaba fl> addicionar a sua fabrica de carros e de venoriatus
neiro de meUcs, chamado Jorez, j conhecido nesta provincia peta pw-Mci tte
pessoas que oquizerem honrar com a sua contianca o encontrari ..iaaaii poaaainpan *"
quer especie de trabalhos concernentes ao seu officio e por preeos razoams. ^^
As pessoas cojas encommendas se acliam prompus. sirvam-sc ir rccchr-la* na oamiaa
indicada ,que lhe serao entregues, pago o prew ajustado.
frBrntVir-
"MflP^



I
r


M
ft
GRANDE ARMAZEM
AE
PROGRESSIVO.
EE
N. M, Rl'l DAS CR7ES N. 36
DO
ealrro de auto Astalo.
0 proprietario do muito acreditado armazem denominado Progressisia tendo
sempre em vista fazer tudo o que for possivel para bem servir aos seus freguezes, lem
deliberado vender os seus ja bem conhecidos gneros de primeira qualidUe pelos precos
abaixo mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
escravos, serem Uto bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, anda mesmo conlendo objeclos nao proprios deste estabelecimento. O
me9mo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que nao agradar, devendo os mesmos senhores ler toda atten-
c3o com os seus portadores, fazendo-lhes ver que s no armazem Progressista da ra das
t^uzes n. 36, que se vendem os memores gneros por mais barato preco, porque estes
ranetas vezes olvidam-se e vio outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
stabelecimento.
S NO
9-LARGO 00 CARMO-9.
DE
DE
Eduardo Marques de Oliveira C.

* 2


I
K
s s-
I I 2
^ s -
f
El 5
m
*%\&m fc ^
Os proprietarios deste espacoso e bem sortido armazem de molhados partici-
para aos seus freguezes que acabam de receber de diversos portos da Europa o mais bel-
lo sortimento de molhados, todos primorosamente escolhidos, os quaes vendem-se por
multo menos do que outro qualquer annunciante, obrigando-se os proprietarios a garantir
todos os gneros sahidos do seu muito acreditado armazem.
de superior qualidade a 3 O re, da c
xinha.
Manteigai ngleza de 1.a qualidade, a 900 rs.
a libra.
dem de 2.a qualidade, a 800 rs. a libra. I ,
dem franceza, chegada ltimamente, a 640 Mof wa preparada em potes muito nova a
rs. a libra. 400 rs- ca Batatas muito novas, a U o gigo de arroba Mifho-alpista a 180 rs. a libra,
e 80 rs. a libra.
Quedos do remo, chegados pelo ultimo vapor,
de n 2,$I500.
dem prato, chegado neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 700 rs.
a libra.
Gomma para engommar muito fina c alva a
80 rs. a libra e 20300 a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabio verdadero hespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libra e
em caixa ter abatmento.
demlondrino, mandados vir de encommen-!|,ipm m,fia ,\a ,-, ,nn
di e^norial a non r a ihri iuem mas&a de superior qualidade de 160,
da especial, a s>uu rs. a Hora. ion 9 a9n 4U) __ \ ...
dem suisso, muito fresco, a 800 rs. a libra.
Caf do Rio de 1.* e 2.a qualidade a 80SOO
e 80800 a arroba, e 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India e Maranho a 120 rs. a libra
e 3^200 a arroba.
Avelias as mais novas neste genero a 240
rs. a fibra.
Presuntos do Porto muito novos a 560 rs. a
libra.
Legantes francezes para sopa, como seja,
Julienne, mlange d'quipage, Choux e
outras qualidades, a 400 e ?>00 o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, e
em porcao ter abatimento.
Carrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
da Alt Douro a 20400 com o garrafo ;
afianca-se que nesse genero o melhnr
que velo ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira muito
superior e mais proprio para a nossa esta-
co por ser mais fresco a 20400.
Cha hysson o mais superior a 20600 a libra,
afianca-se ser egual ao que regularmente
vendemos a 30200.
dem huxim miudinho, o mais superior que
vem ao nosso mercado a 20700 a libra.
dem preto muito fino, a 20000 a libra.
Garrales com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 20100 cada um.
dem com o garrafas de vinagre de Lisboa
a 10100 com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre hambur-
guez a 800 rs. rada um.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Vellw secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a 900 rs. a garrafa e 90
a duzia.
Yihho Bordeaux das melhores marcas: St
lidien, Medoc e S..Estephe e outros a
640 rs. a garrafa e 70500 a caixa com
urna duzia.
Chouricas c paios, o mais novo que se pode
desejar, a 250 e 600 rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa e 100500 a
caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara cm frascos grandes a
800 rs. cada um.
Licores francezes, muito finos, das seguintes
marcas: Anizetta de Bordeaux, Plaiserdes
lames, Crme de Noyau, Eau Dantzic,
Crme de Menthe, Hude de Venus etc. etc.
Passas muito novas e de carnada a 400 rs. a
libra e 60500 a caixa com urna arroba, ha
i aixas, meias e quartos.
Ameixas francezas em frascos de 1112 e 3 li-
bras de i 0400 a 20800, tambem ha latas
de 6 libras.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
varos de Lisboa, a 600rs. a libra, em la-
tas lacradas hermticamente.
Fructas em caldas de todas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas, a 500 rs ca-
da urna.
Bolachinha ingleza, a mais nova que se pode
desejar, a 30000 a barric a e 240 rs. a
libra.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 160 rs. a libra.
Azeite francez clarificado a 800 rs. a garrafa
e 90000 a caixa com urna duzia.
Conservas inglezas dos melhores fobrieante
Mixed Piefcles, ceblas srmpes, c otrtros
a 760 rs. 9 frasco.
Farinha verdadeira de araruta a 500 rs. a
libra, garante-se a superior qualidade.
Palitos para dentes em caixinlias douradas
Brea, a 320 a fibra e 80 a arroba.
180, 200, 220 e 240 rs. a fibra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 10300 a duzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salmao e outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
cozinha a 10400.
Papel grve pautado e liso a 30800 a resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
460 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 30200 e 40000 a caada do
melhor e 500 rs. a garrafa, em porcao ter
abatimento.
Vinho velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
50000 a caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 560 rs. a garrafa e a 40000
a caada.
Vinagre puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
e 10400 a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril
a 640 rs. a garrafa, c em porco ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
10000 a garrafa, e 100000 o gigo com
urna duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Baha a 30500 a caixa, tambem temos
para 20000, 20500, 30000 e 30200 a
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 600, 640,
e 680 rs. o masso.
dem de carnauba e composicao a 320, 300,
e 400 rs. a libra c de 100 a 110500 a
arroba.

Azeitonas novas do. Porto e Lisboa, a 10000
a ancoreta do Porto e 10500 a de Lisboa.
Massas para sopa: estrellinha, rodinha e pc-
vide a 400 rs. a libra e 20000 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carrao e aletria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso das melhores qualidades a 900 rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixo.
Cerveja das melhores marcas de 50500 a
60000 a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
10300 a lata.
Bolachmha de soda, especial encommenda,
muito nova era latas grandes a 20000 cada
urna.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes, do fabricante Basset, a
360 rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a libra.
Tijolo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Cebollas o mlho a 900 rs.
Erva- Cominhos idem dem a 640 rs. a libra.
Garrales vastos a 500 rs. cada um.
Ditos com 5 garrafas .de genebra a 20400,
garante-se ser verdadeira de Hollanda.
Cebollas a granel a 640 rs. o cento.
Canella a mais nova do nosso mercado a
10000 a libra.
AJfazema o que pode haver de melhor neste
artigo a 280 rs. a libra.
Phosphoros de seguranca individual a 20 rs.
a caixmha.
Papel de embrulho muito superior a 10120
resma.
Vinho da Figueira, o que ka de melhor a
40000 a caada.
Copos Unos para agt a/60000 a thrzia.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
62o rs. a libra.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado,
dem de porco, refinada e rauito alva a 3oo
rs. a libra, em barril ter abatimento.
dem ingleza enflatas de 2 1/2 libras a 2,ooo
cada urna, garante-se a boa qualidade.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, l,8oo, 2,ooo e 2,5oo rs.
dem prato chegados neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 66o rs.
a libra.
dem londrino mandados vir de encommen-
da especial a 56o rs. a libra.
Caf do Bio de Ia e 2a qualidade de 8,5oo e
8,8oo rs.. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz da ludia e Maranho a loo rs. a libra
e 3,ooo rs. arroba.
Caixinhas de ameixas francezas de i i/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,6oo, 2,ooo, 2,5oo e 3,ooo rs.
Banha de porco a 64o[rs. a libra.
Amendoas confeitadas a 5oo rs. a libra.
Vidros de diversos tamanhos de confeitos,
muito proprios para mimos, de l,ooo a
2,5oo rs. cada um.
Batatas a 206oo a caixi com 2 arrobas e a
6o rs. a libra.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra'e
em porcao ter abatimento.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2,24o rs. com o garramo,
afianca-se que neste genero o melhor
que veto ao mercado,
dem com 5 garrafas do vinho Figo . to superior e mais proprio para a nossa
estaco por ser mais fresco a 2,4oo rs.
Cha hysson o mais superior a 2,6oo rs. a
libra, afianca-se ser egual ao que regular-
mente vendemos a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem huxim miudinho o mais superior que
vem ao nosso mercado a 2,7oo rs. a libra.
dem preto muito fino a 2,ooo rs. a libra.
dem muito mais baixo, muito proprio para
negocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto. inglez para fiambre o mais fresco
que-se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Garrales com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 2,2oo rs. cada um.
dem com 5 garrafas de vinagre de Lisboa
a l,2oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre hamburguez
a 9oo rs. cada um.
Genebra de laranja a 9oo rs., a melhor que
se pode desejar.
Cha perola o melhor neste genero a 3,2oo
rs. a libra.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: .Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Velho secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a l,ooo rs. a garrafa, e
9,ooo rs. a duzia.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto
a 4,2oo rs. a garrafa, e lo.ooo rs. a caixa.
Vinho Bordeaux das melhores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Estephe e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
Chouricas e paios, o mais novo que se pode
desejar, a 56o rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 9oo rs. a garrafa, e Io,5oo rs.
a caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8oo rs. cada um.
Licores francezes muito finos das seguintes
marcas: Anizete de Bordeaux, Plaisirdes
Dames, Crme de Noyau, Eau de veede
dant- c, Creme de menthe, Huile de Ve-
nus, Parfait amour, Eau d'ora l,ooo rs.
a garrafa e lo.ooo a caixa com 1 duzia"
Passas muito novas e de carnada a 3oo rs.
a libra e 6,ooo rs. a caixa com 1 arroba,
ha caixas, meias e quartos.
Ameixas francezas em frascos de 1 1/2 e 3
libras de l,4oo a 2,8oo rs.; tambem ha em
latas de differentes presos.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 6oo rs. a libra, em latas
de differentes tamanhos e lacradas herm-
ticamente.
Fructas em caldas de todas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas a 5oo rs. cada
urna.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,ttoo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Azeite francez clarificado a 76o rs. a garrafa
e 9,5oo rs. a caixa com 1 duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. cada um.
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
rafinha.
Sal refinado em frascos de vidro de diversos
modellos a 4oo rs. cadnum, s o irasco
vale o dinheiro, tambem Ira solt para 8o
rs. a libra.
Vasos inglezes vastos" de 4 a 16 fibras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido cada um.
Paincoa 14o rs. a libra.
Milho alpista a 16o rs. a fibra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
8o rs. a libra, e 2,3oo rs. a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sabao verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a Soots. a libra e
[ em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade dd 2oo,
22o c 24o rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 12o rs. a lata
e l,3oors. a duzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
corvina, salmao e outras qnalklades, pre-
parados de escabexe, segundo a arte de
cosinha de l,4oo e 2,ooo rs. a lata.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
(too rs. a libra.
Papel grve pautado e liso a 3,8oo rs. a
resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
46o rs. cada urna.
Vinhnj un pipa- I ivl..o. Porto o Figueira das
melhores marcas a 2,5oo, 2,8oo, 3,ooo e
4,ooo rs. a caada do mais superior e de
32o e 36o rs. a garrafa.
dem velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, por ser muito claro e
macio a 64o rs. a garrafa, e 5,ooo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero, a 56o rs. a garrafa e a
3,8oo rs. a caada.
Vinagre puro de Lisboa, a 2oo rs. a garrafa
c l,4oo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa muifb fino, em barril,
a 64ors. agarrafa, em porcao ter abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
l,2oo rs. a garrafa, e 12,ooors. o gigo.
com 1 duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a"3,5oo rs. a caixa, tambem temos
para 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 3,2oo rs. a
caixa.
Velas de spermacet superiores, a 6oo 64o,
68o e 7oo rs. o masso.
dem de carnauba e composicao, a 32o, 36o
e 4oo rs. a libra, e de lo,coo a ll,5oors.
a arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lislwa, a l.ooo
rs. a ancoreta db Porto, e 1,5oo rs. a de
Lisboa, estas ultimas raras vezes vem ao
nosso mercado, pela sua boa qualidade.
Masas para sopa: estrellinha, rodinha e pe-
vide a 32o rs. a libra, e l,6oo rs. a caixa
com 8 libras liquino; s no Progressivo.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carrao e aletria, a 4oo e 48o rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 64o rs. o caixao.
Cerveja das melhores marcas, a 5,5oo e
7,4oo rs. a duzia e 54o rs. a garrafa.
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
1,2oo rs. a lata.
Bolaclnha de soda especial, encommenda
muito nova, em latas grandes a 2,ooo rs.
cada urna.
dem craknel em latas de 5, 7 e 15 libras a
4,ooo, 5,5oo e 14,ooo rs. a lata.
Palitos do-gaz, a 2o rs. a caixinha t 2,3oo rs.
a grosa.
Massa de tomates em latas de 6oo a 7o rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes do fabricante Basset, a
38o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo, a 32o rs. a libra.
Tijolto de limpar facas, a 18o rs. cada um.
Cebollas, o mlho a 9qp rs.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa,
a 14o rs. a libra.
AvelJes a 2oo rs. a libra.
Ameixas a 10 a libra.
Ditas em frasco pdr 20800.
Arroz pilado da India loo rs. a libra e 30ooo
a arroba.
Dito dito do Maranho 120 rs. a libra e 30500
a arroba.
Azeite doce francez 800 rs. a garrafa.
Dito'd Lisboa 680 rs. a garrafa.
Agurdente de canna de cabeca a 240 e 320
rs. a garrafa.
Azeitonas a 400 rs. a garrafa, e 10300 a an-
coreta.
Bolachinha de soda a 10400 a lata.
Banha de porco a 6oo rs. a libra.
Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
rica a 30000.
Cha hysson a 20200 a libra.
Dito dito fino a 20600 a libra.
Dito miudinho a 20800 a libra.
Dito do Bio a 10800 a libra.
Dito preto a 10900 a libra.
Carne do serto a 36o rs., e em porcao se
vende por menos.
Charutos de diversas qualidades a 10200,
10500 e 30 a caixa.
Champagne a 10 e 10500 a garrafa.
Chouricas a 560 e 600 rs. a libra.
Conservas inglezas'a 800 rs. o frasco.
Caf em grao a 300 e 320 rs. a libra, e 90 e
90200 a arroba.
Dito moido a 360 rs. a libra.
Doce de goiaba a 560 rs. o caixao.
Espirito de vinho de 38 graos, a 280 rs. a
garrafa.
Figos a 400 rs. a fibra, e em latas de 4 libras
por 10500.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 640 e 720 rs. o frasco,
e 70 a frasqueira com 12 frascos.
Dita hamburgueza a 560 rs. o frasco, e 60500
a frasqueira com 12 frascos.
Dita flor de laranja a 10 o frasco.
Gomma d'araruta a 100 rs. a libra, e 20600
a arroba.
Graixa cm latas a 120, e 10300 a duzia-.
Genebra em garrafoes de 14 carrafas por
40600.
Batatas inglezas libra a 80 rs., e a 20500 em
arroba.
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito em garrafas grandes de superior quali-
dade a105Op.
Previne-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima sao de boa peft-
dade, c para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annumia.1. .
Alera dos gcner fazemas, cominhos, pimenta, erva-doce, palitos de denfe em macos e caixinhas,* enxo*
fre a outros amito generes, os qwws vendemos pelos precos mais baratos posiivts.
J r- m

"N'este novo e grande estabelecimento de molhados, encontrar o respnta^el
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro. \-\yu>v
todas as qualidades de gneros por menos precos que em quaesquer outros eslabe) tm-
tos d'esta ordem, pois para isso segu em umdos primeiros paquetes para a Kun>[>.. .un
dos socios para serem vindos todos os gneros de conta propria, para melhor servir aos
seus freguezes, e desde j encontrar o respeitavel publico sempre nsnu
novos gneros do nosso mercado, e por precos baratissimos, como se ver alaixo.
Amendoas a 320 rs. a libra.
Manteiga ingleza flor a 800,900 e IJ a lien.
Manteiga franceza a 680 e 720 rs. i lera.
Dita hollandeza a 72o 8oo rs. a libra.
Mostarda a 640 rs. o frasco. ^
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a 560 rs. l l.u.
Marrasquino.dc Zara a 800 rs. o frasco.
Passas a 4oo c 560 rs. a libra, e 8-5 ; < a.
Palitos para dentes a 180 rs. o masso.
Phosphoros do gaz a 24500 a grosa.
Pajos novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a .0 e
20500.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Dito do serto a 560 rs. a libra.
Cervejas de marcas superiores a 500. iflv,
600 e 640 rs. a garrafa, e 50500.
60500 a duzia.
Dita em barril por 40, e 240 rs. a garrafa.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 rs. i **-
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libia.
Sevadinha a 280 re. a libra.
Toucinho de Lisboa a 520 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 160 rs.
Vellas de spermacete a 640 e MI n I ira.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 libras por 4MW.
Ditas de carnauba a 400 rs. a libra.
Ditas de composicao a 360 e 380 rs. a lit*ra.
Vinho do Porto, caada a 50500, garufa a
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 40 e a garrafa a :*
rs.
Dito Figueira, caada a 30840 e a garrota a
480 rs.
Dito dita superior, caada a 40 e a garran
a500rs.
Dito Estreito, caada a 30200 e a garrete a
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 e 800 rs. a arrafo.
Vinagre de Lislioa em garrafoes de 5 garra-
le por 10400.
Dito em caada a 20, e a 260 rs. i patee.
Vinho do Porto em garrafoes le 5 mi.tas
por 20300.
Dito dito engarrafado a 10 e 10200.
Dito lagrimas do Douro a 10400 a gante.
Vinho branco de Lisboa a 720 rs. a g.inata.
e 50 i canaila.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, e i feffel
a caada.
TODA ATTENQKO
NOS
mmmmm i wmmmm
DE
KS. 21 E 23LARGO DO TERC-O-XS. 21 E 23.
O proprietario destes dous estabelecimentos de molhados, vende os seus fe-
eros por menos do que em outra qualquer parte, por isso garante a superior hiw-
lidade de qualquer genero sahido dos seus armazens ; pode vender por menos por m-
prar dinheiro, e por isso faz vantagem a os compradores.
Batatas as mais novas do mercado, a 60 rs. a libra e l,6oo rs. aarroab ou caixa.
Toucinho de Lisboa da 1.a qualdade, a 3oo rs. a libra e 9,ooo rs. a arroba.
Caf do Rio da 1.a e 2.a sorte, a 28o e 32o rs. a libra.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor, a l,8oo e 2,ooo rs.
Velas de spermacet, carnauba do Aracaty, as melhores deste genero, i He e |n rs. a
Vinho verdadeiro Figueira das melliores marcas, a 5oo c 4oo rs., em ranada se le ee-
timento, ha porco para escolher.
dem franceza, especialmente escolhida, a 64o e 6oo rs. a libra.
Cha, o melhor neste genero, a 2,88o rs., tambem ha para mais barato.
Milho alpista, limpo, muito superior, a 16o rs. a libra, a arrroba 5,ooo rs.
Alm destes gneros ha outros muito baratissimos, assim como cerveja das me-
lhores marcas, genebra de Hollanda e de laranja, passas, doce de goiaba, azeit.- een .>-
nagre, canella, pimenta, cominhos, erva-doce, cebollas, alhos, chouricas, banha d.- *
outros rauitos gneros que enfadonho mencionar; dinheiro contado.
ACHINAS HERMANAS-
Em casa de N. 0. Bieber C, successo-
res, ra da Cruz n. 4, vendem-se: .
Machinas para regar hortas e capim.
Ditas para descarocar milho.
Ditas para cortar capim.
Sellins com pertences a 100 e 200.
Obras de metal principe plateadas.
Alcatro da Suecia.
Verniz de alcatro para navios.
Salsa parrilha de primeira qualidade do Para.
Vinho Xerez de 1830 em caixa de I duzia.
Cognac em eaixa de 1 duzia.
Arados e grades.
BrHhantes.
Carrocas pequeas.
AGENCIA
FUMCO DE LOW-MOOR.
Rua da Srnzalla nova n. 43.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em cas de 8. P, Johnston C.<
rua cht Seezaila Nova n. 42. *
O arniazem da esirdla
Ao publico vera offerecer
Os seus gneros mais baratos
Do que se poder vender.
Manteiga inglea Oor a 800,640 e WO r~..
ceza a 360 rs., cha perola a 38UO, li>sson a IJHi
rs caf a 280 rs., queijos do vapor a 15890 c
1$600 rs., arroz a 100 rs., toucinho a .100 r-
nho Figueira a 480 e 360 rs., dito branco a' i80
rs., azeite doce a 640 rs.. vinagre a BIO r?. a gar-
rafa, velas stenrinas a 600 rs., do Ararat) a 3M
rs., azeite de (-arrpalo a 25240 a caada .100 rs.
a garrafa, sabao massa a 240 rs.. bolft-hinha #-
gleza 120 rs. a libra, milho a MO r?. a rola t sat-
co a 55. farello a .15*0 : no largo do Par
n. 14.
Sellins m|leies
chegados casa de izidoro, Xetto &L ru 6
Cruz n. 2.
Vende-se um terreno na roa da
com 28 palmos de frente e pertodc M
quem quizer comprar, dinja-se a na
numero al.
OHeee*
id* eje*!
da OMrt
mum ramos.
Bsnnre faglda.
No dia 28 de jnlho frigio de casa a
va Mara, emula, idade 30 alma, bttixa,
de dentes na frente, levou vesUdo de ful
roga-se as autoridades potieiaes e eaattaes le-
po a captura della, e leva-la roa aova de
Rtta n. 28, ort rea da Pnria n. 78. fw *e
agradecido e se gratificar.
Antonio da Silva
m
t*'*imAm.
--



8

S
TITTERATDRA.
.Venturas de Basilio Fernandes Eaiertado.
(Concluso.j
XXII
1,11 i: i im !
hospedara do Lopes, que
redor e viu cerrada a porta do quarto imme-
diato.
Susteve-se ainda instantes no Miniar, at
ue urna nova exclamacao do moribundo Ihe
eu valor.
Itelvina passou a dous passos do leito,
sera ver o rosto do homem que estrebucha-
Dlarlft At Peraawbnco Ter? Mra 4 de Agosto Je lfc3.
Chegarram
olha ubre o decantado rio, cujoWrmu-iFal!l,,T'l"i'M.
rar di infinita e sua\ ss;ma tristeza.
Itelvina sahiu ao terraro, que sobranceia
0 r es, e exclaniou
e os bracos Ja como mottos a tocarem no
pavimento.
-- murraurou ella,
rasando-a da garrafa no copo.
Agua! regougou o moribundo,
sacudindo-se cm vascas horrendas, com os
cabellos empastados sobre a testa e faces.
Itelvina nao sabia como chegar-lhe aos la-
bios o copo, sem que alguera levantasse o
corpo do enfermo, debrucado na borda da
cama. Relanceou em de redor os olbos. viu
urna campanhia, sahiu ao corredor a tange-
la com forca, e espern que um criado es-
tremuc bando assomasse no corredor :
Venlia erguer o doente para Ihe dar-
mosagua,disse ella.
O criado, esfregando os olhos e camba-
leando, murraurou:
Ento elle chamou a senhora ?
Nao, fui eu que vim sem ser chama-
da E' urna crueldade deixar assim morrer
sozinho este homem Nao haver quera Ihe
chegue urna gota d'agua !. .
Isto aqui nao hospital, hospeda-
ra my,rmurou o criado, entrando de
m vontade ao quarto do doente Vamo9
l continuou elle, puxndo pela cintura
do agonisante, at conseguir encosta-lo ao
espaldar do leito de ferro, e levantar-lhe o
rosto, que descahido sobre o peito, se nao
deixava ver.
No instante em que o criado Ihe ergueu a
face, a garrafa e o copo cahiram das mos
Jde Itelvina, que expedir um estridente gri-
do-lheo copo. A face do agonisante procu- Ihe, se qur espancar o enojo da vida,
rou inertemente outro apoio, resvalando at ja negociante como' seu pae
cintura de Itelvina.
Estava morto Henrique Pestaa. Neste
momento entrou Bazilio espavorido. O cria-
do, aturdido pelo medo, tinha ido chma-
lo e conlar-lhe o successo. Bazilio, sem
va t;C.ra meio corpo descahido paja o chao,1 poder conjectnrar o que movesse Itelvina a
Ai! como isto lindo que desafogo !
quera me dra aqui viver!
Bazilio, pouco dado de seu natural a
enlerosfl poesas de rios e arvores, obede-
cen ao condo da maga, que, ao invez da
Circe fabulosa, converte os brutos em re-
quintados sentimentalistas. Oeste arrou-'
bo. foram ambos despertados por alguns
gritos, coados por urna das janellas late-
raes ao terraco-
Que gemidos sero estes ? I per-
guntou Itelvina estar alguem doente
ali ?
Foi Bazilio informar-se com o criado dos
qortos, e soube que estava a morrer o ho-
mem que gema Era um sujeito que, a
fugir peste que abrasara Lisboa, fra dar
a Coimbra e, logo que chegou cahiu de
cama, atacado dafebre amarella, que trou-
xera da capital. Quiz Bazilio raudarde hos-
pedaria; mas assegurou-lhe o medico as-
sisente do moribundo que nao havia ex'era-
pk: de contagio, dadas as circunstancias da-
quelle caso.
Nao obstante, o timorato moco sahiu em
Semanda de outro hotel, e achou todos oc-
cupados por familias fugitivas de Lisboa.
Besignou-so a ficar no Lopes; e Itelvina,
mftis resignada ainda, oceupou com sua maV Tecoo at ao'taMqueTo seu quarto"
o quarto nico devoluto, separado do ago- 0 moribundo abru os olbos pandos e es-
nisante por una lona forrada de papel. jtremeceu, como abalado pelo estrondo dos
A s 11 horas da noute, D. Custodia, fa-1 vil|ros e pe,0 grt0
ligada da jornada dorma serenamente, e: 0 criado, tranzdo de horror supers-
Uelvma, com os olbos latos na lamparma e ,icioso |aigou 0 quasi cadver ; c.com os
a face oiu-oslada a mao direila, esculava os cabellos hirtos e os olbos esgaziados, con-
an ancos estortosos do febricitante, e dizia ,emi)|ou a hospeda, que estava de joelhos e
mos erguidas, sem proferir um som.
aquelle homem Agua agua, excIamou de novo o
entre si
Eest
sem ouvir urna patarra de conforto Morre, j ag0nisa*nte"
sozinho, sem esposa, ou irma, que Ihe en-; 0 criado> S5D pretexto de ir buscar agua,
xugue na face o suor da agona Nem se- samu j0 qUarto
querum sacerdote que Ihe fallei em Deus ,[elvina esforcou-se para arrancar-so
Quv pavorosa morle aquella. nanlo me- iel|iarga) deu alguns passos at ao leto,
Ihor Ihe ton espera-la no seto da sua fa- vasou emumcopo agua do jarro do lavato-
uiia ,. E ninguem o soccorre .. .
lera pedido tantas ve/es agua t Se eu sou-
besse onde o quarto de Bazilio, ia pedir-
Jhe que dsse um copo d'agua a este des-
graciado.
Augmentavam as ancias do moribundo,
que, a espacos, rouquejava um som que
dizia : agua, agua 1
Que infeliz! disse Itelvina, saltan-
do do leito.Nao posso ouvi-lo ..., Faz-me
febre aquelle horrvel soffrimento... Se elle
beber agua, morrer mais consolado... Vou
ver se consigo que alguem Ihe
eu adiarse urna canipainha.' .
E assim dizendo mentalmente vestiu-se
j presea, e procurou debalde urna campa*
n'ra : encontrn, porm, urna garrafa de
crystana agua e um copo.
Agua, agua exclamava, revolren-
do-se no leito, que rangia, o agonisante.
Itelvina superou com impeto de piedade
o pavor de entrar naqnelle quarto. Abriu
de manso a porta do seu para nao acordar
Henrique ouves-me
copo
rio e murmurou :
Henrique!
aqui teus agua...
O conselheiro Henrique Pestaa deu um
forte saco, descerrou as palpebras, alongou
os bracos pegados com a camisa molhada
de glacial suor, rocou as maos na face de
sua mulher, e rugiu uns sons desarticula-
dos
Sou eu, Henrique tornou ella
Itelvina, que te perda. ,. Conheces-me.
acuda... Se' Henrique? ..
Itelvina I murmurou elle, cortan-
do a palavra as qualro syllabas, que Ihe
sahiam em ancias do peito, como se os pu l-
moes arfassem as ultimas aspiraees do a-
lenlo.
Vs-me Hen-
sim, sim, sou eu...
rique ?
Iiclinou um pouco ao lado a cabera n mo-
ribundo. Itelvina suppoz que elle procura-
va o copo com os beicos requemados, e
acie, deu dous passos vacilantes no cor- amparou-lhe a face no hombro, aproximan-
entrar no quarto do duentc, correo, sem
bem discernir se ia sonhando.
Que isto '? exclamou elle, venqp-
a do joelhos ao lado do cadver.
E' meu marido Irespondeu ella, sem
destapar o rosto, que cobria com as mos.
conclusAo.
Um anno depois deste*successo estando eu
em Lisboa, recebi a seguinte carta de Bazi-
lio Fernandes Enxertado:
Meu amigo.Se Ihe nao custa, renha
ao Porto. De boje a quinze dias Itelvina
minha mulher. No dia immedalo vou mos-
trar-lhe Paris, e nao sei quando voltarei
para poder dar ora abraco ao meu ami-
go. Faca este sacrificio velha araizade do
seuBazilio. < .
Fui ao Porto, e Uve a liora de ser teste-
munha do casamento.'
Itelvina, de Imda que estava, pareca urna
noiva de 15 annos. Bazilio, cora quanto
principiasse a engrossar de cintura, e des-
dissesse algum tanto das formas nervosas e
franzinas de sua mulher, o jubilo baslava a
dar-lhe afjuella mysteriosa aureola, a inve-
javel poesa do noivo que vae recaber das
mos do ministro sagrado um thesouro de
inexhaurivel felicidade.
Ao lado dos noivos estava Jos Fernandes
Pasmei t E o bom velhoqjue dira es-
lava alegre, e dizia ora, assim com uns
ares de idiota.
O' afilhada Olha se me engordas
este rapaz! Nao trates s de te engordar !
At o abbade de Santo Ildefonso se riu
com este dizer do velha, e piscou o olho ao
sachristo.
Botou malicia no dito o bom do padre!
Nao sei que a tivesse.
Depois de jantar, Bazilio sahiit comigo.a
urna varanda, e disse-me :
Estou feiw!
Bemvejo. Est foss completamente
feliz.
Completamente.
E sua mulher ?
Que pergunta! Voss duvida que
minha mulher esteja feliz?!
Nao.
Eutot..
Qual de vosss qur ir amanhfia para
Paris ?
Sou eu, e ella condescende.
Que vae voss procurar em Paris t
a felicidade?
Nao.
Pois, se nao, deixe-se estar no Porto-
Concentre- se e mais sua mulher na embria-
guez das delicias que esto a transbordar-
me da taca da fortuna amiga. Mais tarde,
quando os olhos de ambos eslverem cansa-
dos de mutuamente se contemplaren), entlo
abalem para Paris, na certeza de que o te-
dio os espera em toda a parle. Meu amigo,
o seu dever agora mais que nunca, ale-
grar a decrepitude de seu pae. Ali o tem
a fazer caricias sua mulher ; reparta com
elle do coraco de Itelvina, e nao queira
privar lambem a me da Giba. Eu nao Ihe
dou quinze dias de bem-estar em Paris.
N5o irei.
Faz bem: nao va. Oulra cousa Ihe
lembro e peco: trabalhe, Sr. Bazilio, Iraba-
Se-
ou lavrador
como seus avs, mas trabalhe. De cada
doze horas do dia d duas sua mulher e
dez aos cuidados de distrahir as suas facul-
dades do espirito para recobrar e vigorisar
as do corado.
Trabalharei.
Bazilio Fernandes Enxertado cumpriii.
Eu fui sempre ptimo cgpselheiro da felici-
dad-.' alheia
E le ah est no gozo de grandes haveres,
de grandes crditos, de grandes armazens
de \inho e da consorte mais extremosa en-
tre as mars sensiveis esposas de que tenho
noticia.
Escrevi as aventuras deste meu amigo,
segundo as diversas impresses que me elle
causou as successivas pitases de sua vida.
Elle, quando me lr e se vir ridiculo, ha de
consolar-se, olhando em torno de si, vendo
homens serios, que envelhecram ridiculos,
e, peior ainda, miseraveis e infames, su-
capa da sua astuciosa seriedade.
De D. Itelvina Borges Enxertado diroi o
mesmo, defendendo-me da censura, alias
sizuda, de a nao ter desculpado de suas ju-
vens leviandades. Desculpada est ella dian-
te do jury consciencioso que conhece os cos-
lumes do seu tempo. Foi creanca, onviu a
sereia das falsa-alegras, nao leve pae me-
nos derrancado que o. maior numero dos
paes pobres, corrompido naquella atmos-
phera do Porto. Que havia do fazer ella ?
Se peccou, .rehabitou-se pelas lagrimas e
pelo coraco. De cada cento de mulheres
adeudadas baver urna que- possa dar a seu
marido o coraco imiaaculado Itelvina ?
Haver, Dei o permita f
Ora, quando aculpa da inconsiderado do
animo nao arrasta s mH e urna vergonhas
que a sociedade absolve, a mulher, que to
leve descont offerece em suas viriudes,
mereae veneracao de santa.
\ssim mesmo", receio muito que so ria
dola ama grande dama que mora ent um
palacete aqu perto de rainoi
Esta grande dama viva, ha seis annos,
com o conselheiro He.nriq.ue Pestaa, e des-
fructa boje 50.0005 do amonte, os qiiaes
ninguem' Ihe dispata.
Camillo Castf.llc Branco.
(Do Cmmcrcio db Porto.)-
vivo, e neste sentido se diz boa vida e m
vida; vida calma e vida agitada ; vida oc-
ciosa e vida de trabalho ; vida activa e vida
contemplativa ; vida loriga e vida curta;
vida feliz e vida do dores.
Outras vezes significa a mesma palavra
o principio e a regra das operacSes vitaes
de algum ser vivo em particular, como
uteis vida, parles estas que se
orgaos.
Todo coruposio vivo tem partas, e
as funeces corporaes da rida malliptee
variadas nao podem ser exercidaa por dw
s parte do mesmo corpo ; porque vm s
parte do corpo nao tem senSo um tuto, ama
operaco. Isto posto, a muliipiicidae e ra-
quando se diz, a alma e j vida do corpo; rie(|ad0 das funeces da vida <
Deus ea vida d alma; a palavra de Deus mltiplos e variados, com formas
espirito e vida; tu es a minha vida; isto reSj virtudes e capacidades partan
d, conserva a vida; mendingara vida.
Finalmente, chama-se vida ao primero
dos constitutivos cssenciaes, e aos signaes
caractersticos de ser vivo; e neste sentido
que S. Thomazdiz, que a vida apos-
sesso do principio de movimenlo em rir-
lude do qual o ser vivo move-se por si mes-
mo. Uta proprie sunt lirontia, quw sp-
ciiu'lam aHqiiam speciem motas viovent
scipsa ; visto que a vida manifesta-sc pelo
movimenlo, e cessa quando elle desappa-
rece: Hor est enim inqta primo mane f>-s-
fiilar vita, el inquo ultimo remanet.
Isto posto, accrescenta o mesmo doutor,
to se considera o animal como vivo se nao
quando elle comeca a ter o morimmto pro-
prio, e em qu'anto o conserva. Quando
exterio-
hres; e
por isso todo composto vivo (em urna orga-
nisaro e orgos que Ihe sao proprioi. O
composto natural que nao tem orgos nao"
lera, nem pode ter vida, e quando os ie-
nhain, se ellos j; nao funccionam. to ka
mais vida. Por conseguinte nio exbte ria
se nao no composto organisado, que eaoce
as funeces que Ihe compefem.
Ora, essas duas condires esseneiaes db
vida, condices que constitnem e rerHaaa 9
mesma vida, sendo urna interior, a wMi
de de mover-se por si, e a oulra ealerior
o organismo, s existem no hornera, no bru-
to e na planta ; sao estes pois- o aicos
eomposlos na tu raes vivos da creaeSo- 4 ftn-
pria planta, diz S. Dionysio o Aveopafa.
citado por S. Thornaz, posto qoe altrarb l
porm deixa de fazer o menor movimenlo na nfima classe dos Trenles, conserva rv>
por si, e para mudar de lugar precisa que
outro o mora, di/.-se que elle perdeu- a vida,
obstante o principio da vegetarn, e por-
lanto rigorosamente fallando goza da ida 5
que esta morto: Primo dicimu ammal piar..-, secundum ultima resonamhmm -
vtvetv, quando inctpit ptr se motumkai>e-'lw naoen, rinre ri p#, q.. f8, art. f., ,.
re; el tamhu judicatw animal vivere .^.perdendo a .forma, eUase lorna>iee-
q'iandm talis motus m eoapparet. Qaan-\ca diz-se que est mora, cor*a mesmamr-
do vero non ksbet ex se afianem motum, dade cora- que se diz morto o-corpo do- no-
sed murriur tantum ab alio tune dievhir
mnrtuum,. per defectum vifu>: (Ip., q. f&
ant. 1,)
Deste modo, conllba S. Tbomaz, em>-
prega-se smente a palavra para indicar a1
substancia que por sua natureza' pode mo*-
ver-se pors/', e* dar-se algum operaco;
mas a mesma palavra rida nao seno a
abstraeco da condi?ro' de viver, do mesmo
modoquea palavra curso a abstraeco do
movimenlo de correr; e com elleito, diz o
mesmo S. Thomnr, s se chama vivo ao
composto que mostea exteeioemente movee-
se poe si : Vite) nommi sumitur e.cquodam
exferm apparente, quod est mecer seip
sum (Loe. cit.; art %.)
O >iratiMini julyado pela- pliilusopltia. rlirisla, oh
reriitaro *la duuU-ina iirnlira dt> Hontpellwr,
prlo P. J. Ventura de Kanliea. Tradiuidi) cm
urna iiilvoducrao e nulas pelo Dr, Jos Soriano
de Souz.
Corpm nostrtun viril per
anmam
(S. Thomaz.)
CAPITULO I
O principio intrnseco do movi-
mento eo organismo sao os dous
constitutivos esse-nciaes da vida.
Os compostos vivos c o nao
vivos. O hoiwm, o bruto e a
planta sao os nicos cmnpostos
vivos.Prova-se qite o bruto t
plaiiin rirom.
Os compostos naturaes devidera-so em
duas grandes calhegorias a dos vivos e
a dos nao vivos; aquelles teera o ser e a vida,
esteso ser sem a vida. A palavra vida tem
na llngnagom luimana tros dilTereulos sen-
tidos. Ordinariamente significa o estado,
os actas e as camtcoes da duraco do ser
FOLHETIM.
%IiMRHO2
ron
MUKir.lOSANI.
B't'iiiieii'a parle.
(ConiinMoeo do ." \~\.i
Jtraal fc Marcea Valen.
8 de janlto.
Se eu me lembrasse do diluvio 1 E quem
diz que me nao lembro ? Porque duvidar
sem motivo dessas reminiscencias que sao a
consciencia d'alma, e trata-las da vas hypo-
theses creadas pela imaginaco ?
9 de junho.
Eis-me sozinho na casa : procuremos
trabalhar seriamente.
Notas.
As primeiras noroes sobre a nossa raga
nSo remonlam a mais de uns quarenta secu-
los antes da era chrisla. Os (iregos derara
o nome de Celtas (homens das florestas) in-
. distinctamente a todas as tribus gaulezas,
| que diziam descender de Gaidhel, filho de
; Semedlt.
llontcniMargarida estere triste e preoc-'. Quem era esse Nemedh, personificaco da
curada Fechou-se no seu aposento: vi-a raeal Seria o .\omades dos Gregos ?
r ui poucas vezes. Meu tio levou-me para A palana rapa d-me tratos ao juizo.
i isiir aos seusirabalhos de roca. Singular! Porque razo os sabios nao admiltiram a
distraccao Hoje partiu elle mulo cedo para palavra familia como na historia natural?
' A familia se dividira em gneros, especies,
variedades, tubrvariedades, jidiviauos, e
sexo.
Mas o orgulho do homem nao supporta a
contempornea da ereaco. Antes do meu
eu terei sido serpente na montanha ou
vbora no lago ? Terei estado na barca com
Dvlan, filho do mar, quando as aguas pre-
mem de *|uem se separou a alma.
Todos es outros eomposlos naiaraes
tituem a ealtiegoria dos nao titos : e
os corpos graves e os leves, os minerae*>e
os fluidos tem o ser, pois que ten orna
forma, e al mesmo- do um oolro ser i
aquelles seres que ettes transfonaam eat
sua propria substancia, mas Do obelante
elles nao tem: vida: por qrnnto, assim coaar
notara Aristteles e demonslrou S. Tbotur/.
urna lei de todos os- er>rpos graves oa le-
ves lerem em s o principio pawrro, ma-
nao o principio acti.odo mor i raslo naln-
* i ral: Ingraeibus el I tribus est prmtipim*
' I passivum et non artifum motus mHmrntis.
As sessenla e duas substancias que a seien
Quanto porm aquellas cousas que porcia chama os elementos dos corpas*, e
sua natureza nao leem a faculdad de mo-,que por seremenles em acto sao- verdad* t-
ver-se por si, nem de dar-se. operaco al-1 ros compost>* naturaes de materia e forma.
guma, nao se as pode chamar r-iva seno^esses mesmns, que nao-sao elementos, anas
por comparacao e- em sentido figurado : \ verdadeiros corpos, oxtUem mas nao r-
Ea vero inquorum'natura non estatu se\vem. (f).
agant ad'aliqnem motum vel oj>erationcm,\ ---------------------------------------------------
riventia dici non possunt, nisi peraUquam (1) Aniigaawnii'os chmakw ^mmm **nn-
similitudinem. (Ip., q. 19, art- Z-) Pelo i tos'ao rogo. :w ar. a agu.ea terr*. Uf .U -
que, COnclue O doutor anglico, Uo se1 niesnio nome a aquelles aoi|ieE> que > roBsiier.
chamara, obras vitaes ou da ria seno i *'0i eomo *
aquellascujos principios existera. uos pro-
prios agentes, de modo que elles nao ope-
rara seno por eHes proprios: Opera vilce-
dicuntur quorum principia simtin operis
tibus, ut grip$eis ijtducan in talem opera*
tionetHi (Loe. cit, art. 2)
Corpo algum pode nutrir-se, crescer c
reproduzir-se por si se n dolado do
principio de movimenlo ; por conseguite
os compostos que se nulrem,.crescem u.de-
crescem e reproduzem-se por si possuem o
principio do movimenlo, e sao por tanto
corposvivos.
O segundo constitutivo, essencial e 3arac-
teistico do composto vivo o organismo,
ou a possessao de urna reonio de pantos di-
versamente organisadas, por meiodasquaes
elle executa as funeces necessarias ou
' ^
As suas maneiras sao arrebatadas, devido
isto ao contacto em que vive com os rsti-
cos : nao obstante sao cheias de bonhosaia.
De humor descuidado resigna-se a suppor-
cepitaram-se do cu no abysmo, qual chu- lar os mus serviros dos seus domsticos.
so
idea de que seja o seu involucro confundido
com os outros animaes. Diga-se, pois
raras, ramos, Ujpos, snb-typos, e carcter.
Margarida com os seus cabellos louros na-
turalmente ondeados, seus olhos negros
abysmados forca de serein grandes, sua
re eber os arrendamientos de Lignieres
araanbaa deve voltar.
Deixando-me ficar a sos com sua filha du-
rante dous dias, mostra ter em mim urna
confianca sem limites, ou... Mas para que
nutrir vas esperancas 1 Me tio nao pen-
ui casar-mc com Margarida, sabendo
alm disto que ella nao se acha disposta a
fazer-lhe a vontade.
Minha prima nao compareceu ao almoco,
e nao a vi toda a manha ; esperara ao rae- cutis alva, suas extremidades delicadas, seu
nos fallar-lhe tarde : mas na occasio do talhe gracioso, e sua estatura media, per-
janlor vek) DoRn dizer-me que a senhora tencer por ventura familia indo-polyne-
partira para Dressais a visitar sua amiga siana, genero caocasiano, especie cltica, va-
l iiuv, e queso voltariaua larde do seguin- riedade galio-kimrica, mb-variedade berri-
te di. chona ; individuo : loura com os olhos c so-
Est claro que ella foge de mim ; e que brancelhas pretas ?
Ihe causo tedio. Pobre moca t Como dse- Agora reparo que vou perdendo de vista
jara v-la feliz e tranquilla! E entretanto' as minhas notas elhnogenicas para fallar de
sou eu a causa do seu desgosto o primei- Margarida, que s oceupa o meu pensa-
ro desgoslo talvez da sua vida! I ment !
Nao posso demorar-me aqui : soffrer A palavra Edem urna palavra cellica
muito i Partirei apenas volte o Sr. Desor- que significa o pois do homem.
mes. Ella nao me ama : convenci-me por Nao me lembro agora em que lvro li que
algum tempo de que no seu coraco guar- o primero homem foi feito na Cltica, e
dusse ainda a lembranca da nossa antiga ami- que sahiu j formado das mos de Deus.
zode ; mas ha decorrido j tanto tempo que I Que importa que o lugar, onde o Eterno
na realidade s me conhece ha oilo dias. plantou um jardm, fosse na Galia ou nos
E quem sabe se nao ama a outrem com arredores de Erzeroum ?
quern^e vae encontrar em Dressais ? Oh l' Para mim nao menos positivo que o Cel-
' E;ta supposico me faz desesperar Sinto-, ta, o Germano, o Slavo, o Grego, o Hebreu.
me to cioso como s*e ella tivesse de ser mi- o Arahe, o Egypicio e o Hindoa sao filhos
nha. Se eu fosse Dressais ?... Sira, devo da mesma familia a familia ariana. Nos
ir, quero saber tud... Mas que dreito te- vocabularios desses dfferentes povos se en-
nho de inlromeltcr-me na vida de minha contra urna mullido de orgens communs
prima | provenientes de urna linguagem primitiva.
A cabeca arde-me ; sofro muito O'mesmo acontece quanto .as tradiccoes e
Quiz ver se trabalhava um pouco no re- ideas espiritualistas,
sumo ethnogenio sobre as racas clticas, o A religo drutca talvez superior de
qual me foi exigido pelo Sr. de Weisberg : Moiss e ao paganismo grego. A Judea re-
mas o que vem a ser essas ridas indaga- presenta no mundn a idea de um Deus ab-
roes com que os sabios procurara desvairar- soluto, a Grecia e Roma a dea do hornera e
nos talvez ? Que luminoso fio conductor nos' da sociedade, a Gala a idea da immorlali-
proporcionaria a memoria nesse Iabyrintho dade.
veiro de tancas nimigas ?
E quem e*a essa Dylan seno o proprio
No do Gnesis hebraico, e o Xixouthas Chal-
du ? Os Celtas transmittiriam ou recebe-
riam do Oriente, a noco e a recordaco
desse cataclisma destruidor de urna grande
civilisaco ?
As ideas de Pythagoras sobre a metemp-
sycose, ideas sistemticamente desenvolvi-
das entre os Indios, porm desconhecdas
dos Gregos, erara attribuidas aos Egypcios.
Os nossos druidas te-las-hiam bebido na
mesma fonte antes que a grande familia aria-
na se dividase ? Um trio myslerioso dos
bardos, precioso monumento dasnossascren-
Cas clticas, me faz crer^que a minha alma
se acha ainda no Abred, o circulo das trans-
mgraces, e que por isso me nao posso re-
cordar.
Ha tres calamidades primitivas no Abred:
a necessidade, a perda da memoria e a mor-
te. Devo pois trabalhar por lembrar-me de
todas as cousas para merecer a ventura pro-
metida no Groynfyd. a regio dos bemaven-
turados... Oh nloaminha pobre alma
atormentada pelo desejo' derecordar-se po-
der pensar smente em Margarida!... Teria
eu j amado a Margarida n'uma existencia
anterior ?... Assim o creo...
Ora ah est..u oulra voz a desviar-me do
curso do meu trabalho.
ixmiveis no- estado acluai da sriencia. Essesrtoma
dos hoje tmM*M se diwdem em tkws ora> Ir
Utioiilt'* e *irtcs -' e t- quaes elle* n :
Mi-ulwiuV-.
Arsnico Cai-lH.riD lodo Mp
A7.0I0 {'Moto ()\\ eaio. EBXUre
Hor" Fluor lliosjiltfiu Msas
Bromo Hvdrogvaio Selenium Melar-.
Aluminium DiA mrii Mercurio fcurliefii-
ArilimoDM- Erbium MoUudeuo. Estanhu Nicktl SmIuu.
Prala Stronliui.
liarvuut Ferro Niobium T.tn(ak>
BismuKi l.lnriiiiiim Ouro. TerMam
Cadnmc Hemoiiium Osmium Tlioriniii
lialciiuii Iri.liiim I'aUadiiua Titano
Cerimn l^uilhaiK' 1'. Jn/iiiiiii Tungsteno
Clirumo l.rilliiun l'Uilin.t t ranium
ColUito Magnesiiuu iJhumlio \anailinr
Cobre M>pn.-ia PnlassiOM Yltriurii
Bdxnuia Zinm tktnam S. 5.

de fados primttivos, se nos soubessemos
exercer as suas faculdades tanto quanto sa-
bemos exercer as da indueco
A morle o termo medio de unra longa
Ella voltou hoje tarde. Estes dous dias
pareceram-me longos de mais. Apenas ou-
vi o rodar do voiiiculo sobre a areia, corr ao
seu encontr, abr a poriinhola, dizendo-
lhe como se nao a vsse seis mezes :
m Oh Finalmente ei-la de volta!
" Margarida corou e sorriu-se graciosamen-
te : collocou depois no meu hombro a sua
mozinha cor de rosa afim de apear-se 4o
carrnho.
Ento aborfeceu-se muito durante a
minha ausencia ?
Aborrecer-me Ainda mais: deses-
perei-me.
Pois eu confesso-lhe que lambem na-
da me divert___ Pap j voltou ? Ab I E'
verdade : receba isto que Ihe manda a Sra.
d'Astafort.
E passou-rae urna caixinha contendo al-
gurnas raoedas romanas; depois do que su*
biu a escada ligeiramente.
Durante o jantar meu tio. que chegra
tambem logo, fallou de colheilase agricul-
tura, e dirigia-se ma'.s a Doln, que o alten-
da, do que a nos dous.
A' que raca pertencer o typo de meu
tio ? E' de pequea estatura e alguma cou-
sa grosso : tem a fronte larga, o crneo cal
mais pelo receio de mudado do que por af-
feicao a elles. E' mais fcil despresar a sua
horta, e deixar as ortigas penetrarem no
paleo, do que nao rotear as suas trras, e
consentir no trigo a mais pequea herva pa-
rsita.
Obriyar a trra a sitar, como o diz elle
quando est de bom humor, a sua nica
paixo, o seu -nico assumpto do conver-
saco.
Embalado pelo movimenlo e polo ar dor-
me epenas-se deita.
Lcvanta-se s qualro horas, leva a manha
vigiando os seus trabajadores, outra para
almocar s dez Ijoras, passa.ao salo, accen-
de um charuto, abro o jornal, o adorme-
ce regularmente no meio da primoira co-
lumna.
L por volta de meio dia accende ou-
tro charuto, d duas ou tres voltas no seu
quarto, consulta o barmetro, e se para
voltar desta vez s seis horas.
Juliano Desormes filho de um campo*
nez, que enriquecer pela revolucc com a
compra do castello de S. Joo e dos seus
vastos dominios, vendidos como bens nacio-
naes.
Seu pae, que conheci outr'pra, era um
homem muito sagaz, desconfiado em mate-
ria de negocios; no mais o melhor homem
do mundo.
S teve urna idea ; economisar para
comprar trras e faze-las valer. Meu tio
foi criado nos mesmos principios, apesar
de que recebesse urna-boa educaco, o que
tornou-o um tanto civilsado. Tem muito
orgulho em ser um rico proprietaro, e diz
a quem lh'o qur ouvir, que gloria-se por
ter sido filho de um ^homem laborioso, o
que nao impede o ser sua filha condessa ou
marqueza no dia em que quizer, pois o
dinhero ludo neste mundo, e a nobreza
muito pouco.
E' capaz de adiar por oito dias urna visi-
ta que deve fazer, ou urna carta que tem a
escrever.
Se nao fosse a filha, nao ira a parte al-
guma.
E' avaro e generoso ao mesmo tempo;
nao se atrevera a comprar um fado para
si, regateara um da inteiro no mercado s
fosse do seu marido. Eu de certa- ni
consentira tantas Irepaderas na frente d
castello t Faz mal ao coraco rr a gante se-,
me I han tes cousas.... Depois que fti o"
Sr. Desormes passar por ama vergnaba
censurandoo, o negocio vae n aaetbnr;
porm.......
Neste interim Doln veio tirar-ane d
aperto, chegando-se para junto da Sr *d V
tafort cora o seu barrete na nodo, t olhan-
do com um riso estpida para a jorer.
Fanny.
Oh t Tenho muito prazer em v-la*
em nossa casa, Ihes dse familiarmente.
Pelo que vejo minhas. senhoras passaai
bem.
Entramos lodos no grife Doln trame-
dos lindos cabellos, Ihe sussurram aos ou-'nos refrescos,
vidos: Bom dia, Margarida Deixa-i Tiraste b*a lembranca, roen rapa/
nos beijar o ten pescoco dourado- pelo Ihe disse a grossa matrona abanando-se eom
sol!
enormes tronces cobertos de urna especie
de musgo se erguemeomo pilaaes para sus-
tentar essa abobada de verduras e ramos
entroiacados.
Margarida dirigiu-se para o lado era que
mo achara sem presentir a minha pieseoca
por achar-rae occulto pela estacada ao longo
da alea.
Que gracas, que encantos em todo o seu
ser!
Forma plocet. nivetuaue eatoi', fiaeiqtt
capifi.
Felzes as flores por onde vao rocando as
suas aivissimas sajas! Ellas se inclnam
sua passagem; e Ihe rendem homenagem
como sua soberana, e todos esses insec-
tos cor de ouro, que Ihe volteiam em torno1
Os dous caes da herdade a viram, corre-
rara ao seu encontr, e cora agrados e ca-
rinhos procuram attrahir a sua attenco:
mas ella caminha sempre som fazer caso
delles.
Nao este o seu costume.... Parcceu-me
at que chorara!...
Um carro que appareceu no fim da ave-
nida a fez voltar para traz;.ei-la que
apparece na extremidade da estacada.
o seu leque. Faz hoje om calor insnppor-
tavel! ento o Sr. Desormes est saiweil"
comtigo ?
Pois nao pois nao, senhora! P-
tamos tati$fritm commigo, responden Do-
lin.
Finalmenle appareceu Margarida risonha
alegre, e graciosa. Enganei-me : eHa n>
chorou, ou ento sabe dominar as suas corn-
il os- moces com.extrema coragem.
No| O Sr. Desormes entrou depois com pa-
rn foi possivel resistir ao violento desejo I lit branco chapeo na cabera, e hoiins
de ir ao seu alcance, obter o perdo, pois'cheiosdepoeiras.
fui causa dos seus pezares ; e no caso I Oh! Oh l exclamou elle. As senho-
contrario consola-la como o fazia na nossa ras vieram a proposilo : vou dar-Ibes a co-
infancia, quando ella me confiara os seus mer o fructo prohibido: um lindo eoe-
innocentes cuidados. | Ihinho e cordonizes verdes Entretanto von
Mas, ah! ao levantar-mo do lugar em que mudar a camisa, que ensopeide suor r*.
estava vi-me face a face com a Sr.* d'Asta-1 campo da marte ajudando os lerrapten.v
fort e sua filha l Decididamente essas se-! dores.
nhoras me-so bem importunas 1 Nao tire E vollando-se para Margariito conti-
geito seno ajuda-las a descer da sua caleca1 nuou :
de grandes rodas, e supportar o chuveiro { Manda buscar urnas bugiarias, qms
de palavras da gorda matrona, que me trata I Ui deixei, para o teu musen de antigm-
como se fosseraos conhecidos antigos. dades. Minhas senioras, tenham a bonda-
Ohl Sr. Marcos I disse ella iravando-' de de dar urna volta pelo jardm emquant<<
me do braco; como tem passado nestes esperara o jantar. sto abrir-lhes-na o ap-
quatro dias em que nos nao vimos? Marga-' pelite.
rdnha Ihe deu urnas raoedas antigs que Ihe! E' muito bonito o seu jardm para se
mandei? Nao deve agradecer-me to pe-! passeiar nelle. observon a Sr.' d'Astafort
quena cousa. Ento, Fanny, nada dizes ao em ar de censura. Ora, diga-me, anda as
Sr. Valery ? E' urna pateta! Na verdade! vaccas paslam por l 1
nao comprehendoa educaco que se d hoje Nada, nada, j nao vio ali. ____
s mocas nos collegosl Tornam-se mesmo Eojardinero? Contraloo com alfana
ridiculas ... Nao sei se nos romances que: que servisse para este mister ?
ser to selvagens___ Olha Estou espera que ebe^oe aigom a S
aprendem a ser to selvagens.... Olha
para ganhar mais trinta sidos; entretanto' que v arrastando um ramc secco com as Joo.
que no dia seguinte nao hesitara em des-linas saias... O Sr. Marcos sabe entre nos | Que homem, meu DeusJ o <
pender as suas economas de seis mozos para o que isto -ignitica ? Dizem que arrastar ha do ver, proseguiu a Sr.* d Asan
dar um jantar a seus amigos! Lembro-me umapaixonadoapssi.... Se nao se enfada, I gindo-se a mim, que ainda ser
vida, diziam os druidas; e as almas daquel- vo, os olhos azues*muito vivos, ornados de
les que raorrem passam a urna existencia espessas sobranceras grisalhas, o nariz um
chamar-lhe-hei Marcos sraplesmente. Oh
Eu c sou sem ceremonia para com as pes
de o ter visto recusar minha ta um vesti-
do de vinte e cinco francos, e voltar no se-
guinte dia de Issondun com um rico man-'soasque me agradam.
to de rendas do custo de quinhentos francos. Desormes dorminhco estar em casa ?
Era conforme a occasio dizia elle. Sou capaz de apostar que nao. Margarida
10 de junho. nao pode estar satisfeila com o pae que tem:
Costumo ir deitar-me na fresca relva que ama-o muito nao ha duvida; mas o velho
reverdece sombra continuados velhos olmos pouco se importa com ella I No seu lugar eu
Cada um de nos viveu as Drimeras eras mais feliz, ou ab aliis post mortem transir tanto curvo na extremidade e coberto de da avenida: uns estendem os seus grandes a teria deixado ficar no collegio at que fos:
____j. *___ ____jJ_ _____-. L..J au j:_ o___ ... mmiinin Ho imIiaIIvs 0ah Hapos ramos pmmiirrhftndns or cima de urna se tpmnn d casar. F. rip. mais a menina e
Ihe ha de mandar um jardineiro t
Deseemos para a margem do
A' proposito, esse Grande vontade tinha eu de ir a
da morle para ver o terreno ea
trabajadores baviam feito suas
las: mas a polidez me conlere: e t
mais a Sr.a d'Astafoit comecaTa a
me com os sens ditos e rplicas
sanies.
do mnndo, e deve ter soffrido a impresso ad lios, diz Cesar,
de aconteeimentos prodigiosos, cuja reper-
,umpunhado de cabellos. Os seus beicos'ramos emmurchecidos por cima de urna se tempo de casar. E de mais a menina
O dogma da preexistencia necessario finos indicam, segundo Lavaler, um espiri-' massa de folhagens; outros com o cimo que- muito nova anda para tomar conta de urna
cusso o transforma "de edade em edade n'om entre elles. Eu por mim creo com o bar- to mordaz misturado com certa dse de brado pelo raio fazem desabrochar as suas casa como a deS. Joo; para isto neces-
homem sempre novo, e sempre o mesmo no do Faliesifl que nos existimos em toda a, egosmo. Os favoritas contrastara pela sua ramagens a maneira de um leque, repelhn- sano aqu urna mulber de peso e medida,
eu eterno I lantiguidade nos ocanos e que a alma alvuracoma cor da pelle tisnada pelo sol.' do assim as que Ihe fleam visinhas. Os e nunca a defunta teve outra vontade que nao
(LO***t*W->**-*.)

PKRNAMBUCO.- PYP. DE M F. W. F.
.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUJ0CZYK5_XI57CI INGEST_TIME 2013-08-28T02:20:24Z PACKAGE AA00011611_10156
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES