Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10153


This item is only available as the following downloads:


Full Text
BBj
-t-r;.*
VTT
'* -iJ

^~-

'

i
AIWO XXXIX HOMERO 173.
Por tres mezes adiantados >$000
Por tres mezes vencidos .
6|000
SEXTA FEIRA 31 DE JDLHO DE 1863.
Por anno adan tado.....19$00O
Porffe'franco para o sirifecriptor.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA Sl'BSCRIPgO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino do Lima'
Natal, Sr. Antonio Marques da Silva; Araratv. o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao. o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C.: A-
niazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SlTiSCRPCAO NO SIL
Alagas, b Sr. Claudino Falcao Dias; Baha, o
r. Jos Marlins Ai ves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reir Martins S Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS. i EPHEMERIDES DO MEZ DE JULHO.
Olinda, Calta e Escada todos os dias.
1*tSi!F'm Parah>ba DaS sogundas e La cheia as 3 horas, 20 ni. e 21 s. da m.
Santo Anlao. Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru'J 7 Quar, min- as 7 3 m. e 2fts. da t.
Altinho e Garanhuns as trras feiras. | ^ La nwa as 7 h., 28 m. e 20 s. da t.
uarto rese, as 6 h., 7 ni. e 24 s. da t.
Pao d'Alho, Nazareth. Limoeiro. Brejo, Pesqueira, 23 Qi
Ingazeira, Flores. Villa Bella. Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ourirurv e Exu' as quartas feiras.
quarta:
Serinhera, Rio Formoso, Tamandar, Una. Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Una de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/? da.
PREAMAR DE HQIE.
Primeira as 4 horas e 30 minutos da tarde.
Segunda as 4 horas e 54 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para osul ate Alagas a 5 e 25; para o norte al
a urania a 7 e 22 de cada mez; pan Fernando'nos
das 14 dos mezes dejan, maro., niaio.jul, set. enov.
PARTIDA DOS d.M.MBTS.
I ara o Reoife : do Apipucos s 6'/,, 7, 7 y /* am: Je Olinda s 8 da ni. e6 da tarde: de
Jaboatao s 6'/? da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m^ de Henifica s 8 da m.
.. "o Recife : para o Apipucos s 3 %M 'A. 4 %
o, o Vj, 8 /a e 6 da tarde; para Olinda s 7da
mansa e 4 '/, da tarde para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Caohang e Varzea s 4 V, da tarde; para
Bemilca as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIDUNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas-e quintas.
Relaeao : tercas e sabbados s O-horas.
Fazenda-: quinta* s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s U. horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
27. Segunda. 8. Pantaleo medico; S. Sergio m.
28. Terca. S. Innoeeneio p.; S. Nazario m.
29. Quarra. S. Martha v.; Ss. Beatriz Flora mtn
30. Quinta. S. Donatilla v.: S. Rufino ni.
31. Sexta. S. Ignacio de Ln\ola; S. Climerio m.
1 Sabbado. Ss. F. EsporancacCaridade vv. nnu.
2. Domingo. N. Senhora dos' Anjos.
ASSIGNASE
no Recife: m a livraria da praca da lnd*'pcn ns. 6 e 8. dos proprietarios Manoel FianeaTM de
Faria & Filho.
PARTE OFFICIAL.
"IMvrililO DO IMPERIO.
CJRCILAR.
6.' seccao.Rio de Janeiro.Ministerio dos ne-
gocios do imperio, em 10 de julho de 1863.
l)eclara que os professoresque existiam na data da
publicaco do decreto n. 3,073 de 22 de abril
deste anno, regendo cadeiras dos seminarios
episoopacs auxiliadas pelo estado, nao estao su-
jeitos a concurso para continuaren! ern exercicio,
e que os lentos das ditas cadeiras se substituiro
reciprocamente, accumulando o substituto ao
3 venciniento a gratificaeao que perde o
substituido.
Exm. e Rovm. Sr.Tendo-se suscitado duvda
na exeeueao do decreto n. 3,073 de 22 de abril ul-
timo, nao s sobre se o art. 15 do mcsmo decreto
sujeita a concurso os professores qne existiam na
data de sua publicacao, regendo cadeiras auxilia-
das pelo estado, como tambem acerca do modo da
substituco do taes cadeiras e da gratilicaco qne
compete ao professor que substituir a outro, tenho
a declarar a V. Exc. Revm.:
1. Que o art. 15 nao comprehende os professo-
res de que se trata, os quaes eontinuarao no exer-
cicio de suas cadeiras om .virtnde de nomeaeoes
3ue tem, salva a disposieao do art. 7" do referido
eereto;
2. Que a rospeito das substiluiccs das sobredi-
tas cadeiras deve observar-se o que se praticava
antes Jaquel le decreto, isto que slenles se subs-
tituiro reciprocamente segundo a ordem estabelo-
Cida [telos reverendos bispos, accumulando o subs-
tituto ao vencimento da propria cadeira a gratifica-
rlo que perde o substituido.
Dos guarde V. Exc. Revm.Mrquez ie Olin-
da.Sr. hispo da diocesc de...
art. 13 do regulamento provisorio de 30 de setem-
bro de 1857.
Fica derogado o 15, art. 7, do regulamento
que baixou com o decreto n. 2,536 de 25 de feve-
reirode 1860, e mais disposicoes em contrario.
O chefe de diviso Joaquim Raymundo de Lama-
re, do meu conselho, ministro e secretario de esta-
do dos negocios da marinha, assim o tenha enten-
dido e faca executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 16 de julho de
1863,42 da independencia e do imperio. Com a
rubrica de Sua Magestade o Imperador.Joaquim
Raymundo de jamare.
HIMST1HIO DA .ll'MTIV t.
2* secrao.Ministerio dos negocios da juslica.
Rio de Janeiro, 8 de julho de 1863.Illm. o Exm.
Sr.Em resposta ao aviso que V. Exc. servio-se
dirigir-me em 24 de abril do corrente anno, re-
mettendo-me por copia o oflicio do procurador fis-
cal da thosouraria de fazenda da provincia de Mi-
nas-Geraes sobre a falta do livro das distribuiccs
no juizo dos Coitos da fazenda da niesnia provin-
cia, cumpro-ine declarar a V. Exc. que, em vista
do decreto de 13 de setembro de 1827 e aviso
n. 68 do 9 de marco de 1849, havendo um s ta-
belliao ou escrivao nao ha lugar a distribuico ;
jwrtanto, nao necossario o respectivo livro.e seus
juizes dos feitos da fazenda cobram custas como
distribuidores no seu juizo, devem estas ser sup-
pi midas por lhes fallar fundamento legal, e res-
postas is que houverem sido cobradas, pois nao
podiam os juizes ignorar a existencia do decreto de
1827 e aviso de 1849, e bona fule nao se |iodiam
julgar com direito ao gozo de tal propina, mxime
tondo em vista o art. da lei n. 242 de 29 do no-
vembro do 1841,
Reitero os meus protestos de estima o conssde-
raySo V. Exc, aquoni Dos guarde.Joo Un
Vieira CatuemcSo de Sinimbii.Sr. marquez de
branles.
2.a secrao.Ministerio dos negocios da juslica.
Rio de Janeiro. 8 do julho de 1863.Illm. e Exn.
Sr.A Sua Magestade o Imperador foi presente o
Oflicio de V. Exc. de 9 de abril do corrente anno.
submetlendo a eonsiderac3o do governo imperial a
consulta do juiz municipal do termo da Limeira :
. Se o decreto de 15 de outubro de 1837 appli-
cavel h^potbesedo art. SO do cdigo criminal,
c bem assim a soluco que deu o antecessor de V.
Exc. declarando em portara de 27 de agosto do
anno passado. de accordo com o parecer do pro-
curador fiscal da thosouraria de fazenda dessa pro-
vincia, que o decreto do 15 de outubro de 1837
sejleve applicar s h>|(olhescs figuradas nos arls.
257. SSS, 289 o 200 do cdigo criminal. O mes-
nio augusto senhor, tendo ouvido o conselheiro
consultor dos negocios da justica, houve por bem
approvar a decisao do antecessor de V. Exc, visto
que o citado decreto comprehende todas as bypo-
Ineses de furto de eseravos que se possam dar em
virtude das disposicSes dos arts. 257 a 360 do c-
digo ciiiiiinal.
Dos guarde V. EXCAlio Lins Vieira Can-
gantdo de Sinimlm.Sr. presidente da provincia de
& Paulo.
MINISTERIO DI AGRICILTI-
RA IIXI'liuiiii
i: OBRAN PI 1(1 14 is.
Directora central.i" seccao.N. 1. Ro de Ja-
iniiu. Ministerio dos negocios da agricultura,
commercio e obras publicas, em 10 de julho de i
1863.Foram presentes a Sua Magestade o Impe-'
rador nao s o requerimento em que Luiz Antonio
da Silva l'eixoto, 8* supplente da directora da j
companlia de seguros Fideldado desta corte, se
qneixon dadoliberacao tomada pela mesmadrec-
toria, d chamar pan supprr a falta de umdosl
seus membros, com pretericao do queixoso, o 1
snpplente Ricardo Antonio Mondes Goncalves, que
io poda exercer o lugar de director por ter sido I
nullamentc eloiloem consoquencia deja estar fal-'
lido na poca da eleico, e anda sujoito a urna
concordata naoccasio em que entrou no exercicio
daquelle lugar, mas tamliem a petcao em que a I
referida directora procurou justificar seu proce-'
dimento nesta emergencia.
E, sendo ouvidas as seccoes reunidas dos neg-'
dos do imperio e da justica do conselho do estado,
o mesmo augusto senhor-conformando-se, por sua
immediata resolucao de i9 do mez prximo passa-
do, com o parecer da majoria, exarado em consulta
declarar que, no caso de fallcncia casual, seguida
de concordata legalmente homologada, o concorda-!
lario, nao estando comprehendido na exclusao ge-
ral do art. 2 do cdigo commercial do imperio,
laml>em nao incorre no interdicto estabelecido na
disposieao n. 4 do citado artigo ; e que portanto,
a directora da companhia de seguros Fidelidade
nao violou a lei, nem infringi principios, se ad-
mittindo votos dados a Ricardo Antonio Mendes
Goncalves, antes da abertura da fallencia, ou de-
pois de legalmente homologada a concordata, que
nestas circumstancias rehabilita o negociante fal-
lido, ochamou para exercer o cargo de director.
O que tudo communico Vmcs. para seu conhe-
cimento, e para que o facam constar assembla
geral dos accionistas dessa companhia.
Dos guarde Vmcs.Pedro de Alcntara Bel-
iegarde.Sn. directores da companhia de seguros
Fidelidade.
gUXISTERIO DA MRIVH.I.
Decreto n. 3,127 de 16 de julho de 1863,
Deroga o 15 do art. 7 do regulamento e decreto
n. 2,536 de 25 de feverero de 1860, e manda que
asjuntas de sade sejam presididas pelo cirur-
Siao-mr da armada,
ei por bem decretar o seguinte :
As juntas de sade, mensaes e extraordinarias,
para nspeccao dos officiaes, pracas de pret e de
marinhagem e empregados da reparticao da ma-
rinha, serd presididas pelo cirurgiao-mr da ar-
mada, que continuar a observar o disposto no
GIMO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 27 de julho de 18C3.
Oflicio ao Exm. presidente da provincia do Rio
Grande do Norte Para poderem ser fornecidos os
signaos adaptados para a fortaleza dos Santos Res
Magos e para o telegrapho da torre da matriz des-
sa capital, constantes do roteiro que V. Exc. me
remetteu com o seu oflicio de 10 do corrente,
mister que se sirva de ministrar as informal oes
1 que pede o inspector do arsenal de marinha n of-
licio incluso por copia, datado em 26 doste mez,
sob n. 555.
Dito ao Exm. presidente da provincia do Amazo-
nas.Como V. Exc. ver da inclusa copia, em 11
I de junho ultimo j communiquei V. Exc. que o
: caixao com artigos vindos da corte com destino
! essa provincia, e de que trata o seu oflicio de 10
daquelle mez, foi rcmettido para o Maranhao afim
de ser dalli enviado para essa capital.
Dito ao Dr. juiz dos feitos da fazenda.Trans-
muto V. S. para o fin indicado em meu oflicio
do 26 do junho ultimo, os inclusos papis que me
foram romettidos pelo juiz municipal e de orphaos
do termo do Bonito, relativos ao terreno em que se
acha situada a colonia militar de Pimenteiras, c
cuja indemmsacao reclamada polos hordeiros do
finado'barao de Cacapava.
Dito ao director do arsenal de guerra. Trans-
muto por_ copia V. S., para seu conhecimenlo, a
informacao ministrada pelo inspector da thesoura-
ria de fazenda, em 18 do corrente, sob n. 528, acer-
ca do oflicio n. 18, de H deste mez, com que V. S.
me remetteu copia do contrato que celebrou com
os dous pedreiros que tem de ir lser certos ser-
vicos no presidio de Fernando, declara pareeer-lhe
razoavel que o mestre espingardeiro Manoel u-
os Vanna ipio para all tambem segu, Oque su-
goito as condiooes do mesmo contrato, e indica
finalmente ao soldado Vicente Nones que vai em
companhia do mesmo espingardeiro, se alione o
jornal de 1200.
Dito ao inspector da thosouraria de fazenda.
Reoommeodo V. S. que em vista da inclusa con-
ta que me foi remettida pelo commandanto do bri-
guc-barea Itamarac, com oflicio de 25 do corren-
te, sob n. 190, e nao havendo inconveniente mande
ndemnisar o hospital militar da quantia de 9158,
despendida com o tratamento do imperial mari-
nheiro Jos Ferreira de Andrade, que pertencendo
a canhoneira a vapor tajah), foi recolhido e tra-
tado do cholera-morbus, na enfermara militar de
Santo Amaro.(nmmunicou-se ao commandante
do brigiio-liarea tlamitrnc.
Dito ao mesmo.Inteirado do quanto V. S. oxpoz
em sua informacao de 25 do corrente. sob n. 560.
com referencia da contadoria dessa thosouraria.
acerca do pagamento que em oflicio de 8 de junho
ultimo pedio o commandante superior da comarca
do Rio Formoso da quantia de 4665470, provenien-
te dos documentos relativos aos mozos de setembro
o outubro de 1861. do destacamento do Duas Bar-
ras, tenho dizor que mande processar essa divida
', para ser paga quando houver crdito, conforme
- i V. S. indica em sua citada informacao, visto per-
|p tencer a exornaos lindos o j encerrado. Com-
niunicou-so ao commandante superior da guarda
nacional do Rio Formoso.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Nazareth. Nesta data recommendo tho-
souraria de fazenda a expedicao de suas ordena pa-
ra que na collectoria dessa cdade sejam pagos os
voncimentos dos seis guardas nacionaes que foram
chamados a servico para auxiliar o destacamento
de primeira linha ah existente, segundo consta do
oflicio que V. S. me dirigi em 17 deste mez, sob
n. 164, o qual fica assim respondido. Conimuni-
cou-se ao inspector da thosouraria do fazenda.
Dito ao inspector da thesourara provincial.
Nao havendo inconveniente mande V. S. pagar a
Luiz Jos Gonzaga, conformo solictou o chefe de
polica em oflicio de 24 do corrento, sob n. 1163, a
quantia de 125000, despendida pelo juiz municipal
do termo do Cabrob, bacharel Agnello Jos Gon-
zaga, com nina escolta que conduzio para o tormo
do Tacaratu o criminoso Januario Pereira de Le-
ntos, como se v do recibo junto.Commuuicou-se
ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo. De conformidado Com a sua
informacao de 23 do corrente, sob n. 347, autoriso
V. S. a mandar por em hasta publica a obra da re-
construccao da bomba qne desabou na estrada do
Pao d'Alho, prximo ao engenho Mocambique, ser-
vindo de base a essa arrematacao as clausulas e
orcamento juntos por copia, que nesta data appro-
voi e me foram romettidos pelo director das obras
publicas com oflicio de 10 de iunho ultimo, sob n.
111. Communicou-se ao director das obras pu-
blicas.
Dito ao conselho administrativo. Promova o
conselho administrativo pelo menor proco que fr
possivel, a compra de um relogio com destino ao
forte do Buraco. Communicou-se ao brigadeiro
commandante das armas c inspector da thesouraria
de fazenda.
Dito ao Dr. Leocadio de Andrade Pessa. Re-
commendo Vmc. que independente de titulo, que
apresentara no prazo de tres mezes e dentro do que
para isso lhe foi marcado, entre no exercicio do
cargo de juiz de direito da comarca de Cabrob,
para o qual foi nomeado por decreto de H de mao
ultimo.Communicou-so ao inspector da thesoura-
ria de fazenda.
Portara.O presidente da provincia, attendendo
ao_ que renuereu o primeiro cadete do nono ba;a-
Iho de infantaria, Francisco Theophilo Paes Bar-
reto, e tendo em vista o parecer da junta militar
de sade, resolve conceder-lhc dous mezes de li-
cenca na forma do artigo 106 do regulamento de
27 de outubro de 1860 para tratar de sua sade
fra do hospital. Communicou-se ao brigadeiro
commandante das armas.
Dita.O presidente da provincia, conformando-
si; com a proposta do Dr. chefe de polica, n. 1122,
de 18 do corrente, resolve dividir o primeiro dis-
tricto da freguezia de Barreiros, creando nesta
mais um districto de subdelegada com o n. 3 e
denominarlo de Campo-Verde, e os limites se-
guimos : a partir dos engenhos Campo-Verde, No-
va-Aurora, iNamb, Muitas-Cabras e Prudencia, e
os demais para o poente at encontrar os limites
daquella freguezia e termo respectivo.-Communi-
cou-se ao Dr. chefe de polica.
Despachos de dia 27 dr julho de 1863.
Requerimento.
Abaixo assignados empregados da secretaria da
assembla legislativa provincial. Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Antonio Pereira de Oliveira Maia. Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Antonio Francisco de Araujo Alcoforado e ou-
tros. Informe o Sr. inspector da thesouraria de
fazenda.
Desembargador Firmino Antonio de Souza.-In-
terme o Sr. Inspector da thesouraria provincial.
Felippe FeidelInforme o Sr. inspector da the-
souraria de fazenda.
28
Oflicio ao Exm. presidente da provincia do Rio
(Irande do Norte.-Com a inclusa copia do oflicio
do director do arsenal de guerra desta provincia
datado de 25 do corrente, sob n. 33, respondo ao
que V. Exc me inderecou em 11 deste mez, rela-
tivamente aos objectos requisitados por V. Exc. em
27 de Janeiro do corrente anno.
Dito ao Exm. presidente da provincia da Babia.
Tendo sido remettido para esta provincia, por
equivoco da secretaria de estado dos negocios da
guerra como pertencendo a ella as relaces das
alteracoes havidas com os militares da guarnicao
dessa, que deveriam ser enviadas para ahi onde se
acham os corpos a que ellas se referem, julgo con-
veniente transmiltir V. Exc. as referidas rela-
c5os afini de terem o conveniente destino.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Communico V. Exc para seu
conhecimento e fins convenientes, que segundo
constou do participacao da directora geral da se-
cretaria de estado dos negocios da justica de 12 de
junho prximo lindo, Sua Magestade o* Imperador
por decreto de 29 de maio ultimo, houve por bem
transferir para o servico da reserva, (loando ag-
gregado ao 1 batalho do mesmo servico o major
commandante do 1 esquadro avulso de cavalla-
ria da guarda nacional deste municipio Domingos
Alves Matheus, devendo V. Exc. remetter-me a pa-
tente desse official, afim de ser apostillada naquel-
la secretaria de estado.
Dito ao brigadeiro commandante das armas.
Informe V. Exc. sobre o que pede no incluso re-
querimento o religioso Fransciscano Fr. Ludgero
do Santissimo Nome de Mara.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. S. comprar c remetta-me com urgencia
una |>eoa de bata para soccorro dos indigentes
accommetlidos do cholera-morbus no Bonito.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S. para os
convenientes exames as copias das actas do con-
selho administrativo do arsenal de guerra datadas
de 6, 8 13 e 14 do mez corrente.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Se
nao houver inconveniente mande V. S. pagar a
Olwnpio Theodoro da Silva, ou ao seu procurador
a quantia do 935800 rs. sendo 635800 rs.. des-
pendida com sustento dos presos pobres da cadeia
do termo de Garanhuns, e o restante com o for-
necmento do luz para a guarda da mesma cadeia
o quartel do destacamento all existente durante
os mezes de abril a junho deste anno, como se v
dos inclusos documentos, que para esse fim me
foram romettidos pele chefe de polica com oflicio
de 24 do corrente, sob n. 1,177.Communicou-se
ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Transmuto V. S. a inclusa
eonta. afim de que, nao havendo inconveniente
mande pagar a Luiz de Franca de Oliveira Lima,
conformo solictou o chefe do polica em oflicio de
liontom, sob n. 1,176, a quantia do 605 despendi-
da com o sustento dos presos pobres da cadeia do
Ouricury no mez do junlio ultimo.Communicou-
se ao Dr. ebefe de polica.
Dito ao mesmo. Pode V. S. conforme indica em
sua informacao de 25 do corrente, sob n. 352, re-
metter ao delegado do tormo de Cmara por in-
termedio do thesoureiro da reparticao da poiicia
Joaquim Gilseno de Mosquita, a quantia do 2005
afim do occorrer o mesmo em um trimestre as
ilespezas como forneeinienlo dos presos xibresda
respectiva cadeia, visto nao haver all quom qnei-
ra inciinibir-so de tal fornecimento. segundo eons-
tadooflieiodochefede polica do 18 deste mez n.
1,117.Coiiiinuiiicoii-se aoDr. chefe de polica.
Dito ao director das obras militares.Trate V.
S. do mandar remover a causa que d lugar i ser
0 corno da guarda da caixa filial do banco do lira-
sil nnundado pelas aguas pluviaos conforme re-
presenta o brigadeiro comiiiandanto das armas om
oflicio hontem datado, sob n. 1,355, enviando-me
V. S. a coala da despeza que com isso se lizer
afim de sera respectiva importancia paga pela re-
ferida caixa
Dito ao Dr. Carlos de Cerqueira Pinto, juiz do
direito de Garanhuns. Communico Vino,
para seu conhecimento. que Sua Magestade o Im-'
llorador attendendo ao que Vine, lhe representou,
houve por bem determinar que licasse sem effeito
o aviso de 16 de agosto do anno passado, e Vmc.
despensado de restituir eslacao competente o ex-
cesso de ajuda do custo do que tratan o mesmo
aviso.
Dito ao juiz municipal de Caruar.Communico
Vmc para seu conhecimento, o alim do que faca
constar ao agraciado para solicitar o respectivo ti-
tulo no prazo de tres mezes, que segundo constou
de participaco da directora geral da secretara de
estado dos negocios da justica de 16 de junho pro-'
ximo lindo, Sua Magestade "o Imperador por de-
creto de 29 de maio ultimo, houve por liom fazer
merc a Juvencio Taciano Marino da serventa vi-
talicia do oflicio de depositario geral desse termo,
Fizeram-se as necessarias communicacoes.
Dito ao juiz municipal do termo de Villa-Bella.
De conformidade com o que solictou o briga-
deirojcommandante das armas em oflicio de hon-
tem datado sob n. 1364, recommendo Vmc que
rometta ao mesmo brigadeiro com a possivel bre-
vidade o auto de inquirilo de testemunhas a que
se procedeu peante esse juizo pela fuga do crimi-
noso Flix Alexandre de Castro, que era escoltado
pelos soldados da guarnicao Joao Lauriano, Manoel
da Paixao, Francisco de Souza Saraiva c Antonio
Bispo de Sant'Anna, atim de que se possa dar co-
meto ao conselho de investigacao a que devem
responder as referidas pracas, e' que por falla de
semelhante documento ach-se paralysado.Com-
municou-se ao brigadeiro comiuandnte das ar-
mas.
Dito ao juiz municipal de Villa-Bella.Constan-
do de participaco da directora geral da secreta-
ria de estado dos negocios da justica de 16 de ju-
nho prximo lindo que por decreto de 29 de maio
ultimo S. M. o Imperador houve por bem fazer
merc a Antonio Borges de Araujo da serventa dos
oflicios de partidor e destribuidor desse termo: as-
sim o communico Vmc. para seu conhecimento e
afim de que faca constar ao agraciado para solici-
tar o seu titulo no prazo de 3 mezes contados desta
data.Fez-sc o necessario expediente.
Dito ao conselho administrativo. Autoriso o
conselho administrativo a comprar para provimen-
to dos armazens do almoxarifado do arsenal de
guerra os artigos consumes do pedido junto por
copia sob n. 77.Communicou-se a thesouraria de
fazenda.
Dito cmara municipal da villa do Buiquc
Respondendo ao oflicio de 9 do corrente, em que
a cmara municipal do Buique consulta se o juiz
de paz mudado do seu distncio para outro deve
ser convocado afim de, nos termos do artigo 5 da
lei regulamentar das eleicoes e aviso de 11 de
agosto de 1858 % 3 concorrer para a formaco da
mesa parochial dessa freguezia na eieico do dia 9
de agosto prximo vindouro, tenho a dizer-lhe que
em vista do que declara o aviso de 8 de outubro
de 1860, o juiz de paz que mudar de domicilio per-
de o seu cargo, e nao pode por conseguinte ser
considerado como tal para exercer funecoas que
por aquello facto j nao lhe pertencem, do mesmo
modo porque o eletor que se mudar da parochia
fica inhibido de ahi concorrer a organisacao e mais
trabalhos da referida mesa parochial.
Dita.O presidente da provincia conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica n. 1122,
de 18 do corrente, resolve exonerar a Joaquim de
Albuquerquo Cavalcanti e Manoel Cavalcanti Lins
Valcacer, este do cargo o> primeiro suppleute e
aquello do de subdelegado do districto d Barrei-
ros primeiro da freguezia do mesmo nome.Com-
inuiiicou-se ao Dr. chefe do polica.
Dita.O presidente da provincia eonfrmando-
S.e Cio"lia 'rPsta de l do corrento, resolve exonerar a Joo Gui-
IhermedeMellodo cargo de subdelegado do dis-
tricto do Abreu segundo da freguezia de Barreiros'
bem como a Antonio Santiago Paes de Mello e Ma-
noel Carlos Vellozn do Mello do de primeiro e se-
gundo supplentes do mesmo subdelegado, e para os
substituir nomea.
_ Subdelegado.
Capitao Jos Francisco Bello.
. Supplentes.
1." Francisco Antonio Pereira dos Santos.
2." Andr Francolino da Costa.
CoiBuiunicou-se ao Dr. chefe do poiicia.
Dita.O presidente da provincia conformndo-
se com aeroposta do IV. chefe de poiicia n. 1122,
do 18 do corrente, resolve nomear autoridades po-
iiciaes do terceiro districto do subdelegada da fre-
guezia de Barreiros denominadoCampo Verde
os cidadaos seguimos :
Subdelegado.
Manoel Cavalcanti Lins Valcacer.
Supplentes.
1." Laurontino de Barros Lins.
2." Jos Lins de Barros.
3." Francisco Alexandre Dutra.
4. Joao Lins do Barros Vanderlev.
5. Joaquim Symphronio Alfonso "de Moli.
6." Francisco Pereira da Costa.
Communirou-se ao Dr. chore do poiicia.
Expediente do secretario do governo.
Oflicio ao inspector da thesouraria de fazenda.
De ordom de S. Exo. o Sr. presidente da provincia,
communico V. S. que o Dr. Manoel Galdino da
Cruz doixou |ior molestia o exercicio do cargo de
promotor publico da comarca do Brejo no dia 8 do
corrente, conforme communicou em oflicio dessa
data.
Dito ao mesmaDe ordem de S. Exc o Sr. pre-
sidente da provincia communico V. S. para seu
conhecimento que oDr. Miguel Bernardo Vieira de
Amorim juiz municipal o do orphaos do termo de
Caruar entrn, em 13 do corrente, no goso da li-
cenca que obteve.
| Dito ao mesmo. De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia communico V. S. para seu
conhecimento que o Dr. Joaquim do Rogo Rarros
reassumio o exercicio do cargo do promotor pu-
blico da comarca do Bonito no dia 1 deste mez.
conforme participou o respectivo juiz de direito em
i data de 4 do mes......
| Dito ao mesmo.Constando de participacoes of-
ficiaes que o juiz de direito da comarca'do Bo-
|niu>em 7 de junho prximo lindo, nomeara o ci-
dado Justino Eugenio La venere para exercer in-
terinamente alli o cargo de promotor publico, por
ter o eflectivo Dr. Joaquim do Rogo Barros dado
parte de doonto : assim o communico V. S. de
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia.
| Dilo ao mesmo.-Participando o Dr. Virginio
, Carnoiro da Cunha e Aluujuerque ternodia 1 deste
I mez, entrado no exercicio do cargo de promotor pu-
blico d.i comarca de Pao d'Alho, assim o commu-
nico a V. Exc o Sr. presidente .la provincia.
Dito ao mesmo.De ordom de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia communico a V. S. qne o juiz
de (Incitoda comarcado Palmares participou, om
17 deste mez ter nomeado o Dr. Jos Bonifacio do
Sa Pereira pan exercer alli o cargo de promotor
publico interino por ter o eflectivo entrado no dia
antecedente no goso de una Ucenea do iros mozos.
Dito ao Dr. Joao Gonzaga Bacoilar.De ordem
do S. Exc. o Sr. presidente da provincia acenso re-
cetado o oflicio do 15 (leste mez. em que V. S.
coiiiiiiiinieou ter nessa data o na qualidade de ter-
ceiro stipplento assumido o exercicio do cargo de
jnil municipal e de orphaos do tormo do Cabo.
Comniunicou-se thosouraria de fazenda.
Dito ao Dr. Virginio Carnoiro da Cunha Albu-
querquo.De ordom de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia, acenso recebido o oflicio do 1" deste
mez, em que V.-S. communicou ter nessa mesma
data entrado no exercicio do cargo de promotor pu-
blico da comarca de Pao d'Alho.
Dito ao Dr. Hermogenos Scrates Tavares de
\ asconcellos.Do ordem do S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia acenso a recepeo do oflicio em
que V. S. communicou ter entrado em 16 do cor-
rente, no exercicio do cargo de juiz municipal da
primeira vara desta cidado.- Communicou-se
thesouraria de fazenda.
Despachos do dia 28 de julho de 1863.
iineriiiientos.
AssociacaoCoininereial Bencticente Informo o
Sr .administrador do correio.
Fieldon Brothers.Informo o Sr. inspector da
thesouraria de fazenda.
llonriquo Jos Vieira. -Volto aoSr. inspector da
thesouraria de fazenda para oxpor o mais que lhe
occorrer.
Jos Antonio Pereira.Avista da informacao nao
tem lugar.
Juliao Leocadio de Lima e outros.Informe o
Sr. director das obras publicas.
Padre Antonio Argimiro da Silva.Informe o
Sr. inspector da thosouraria de fazenda.
Vicente Machado Freir Pereira da Silva.In-
forme o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Victorino Jos de Souza e outros.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
EXTERIOR.
dova, noria o presidente Borro matares obstculos
ao ajuste que o general Mitre procura com dema-
siada solicitudc.
A imprensa de Montevideo tem-se pronunciado
contra as bases de arranjo levadas pelo Sr. D.
Juan Ramires, que esteve aqui com carcter offi-
cial; mas pessoas que supponho bem. informa-
das asseguram-me que o Sr. Llamas- receben no-
vas insrrucoes que facilitaran urna solucao hon-
rosa.
De\x* haver hoje um grande ineetmg na praca do
Parque, para se fazer urna manifestacao de publi-
ca syrapathia pela causa da revolueao oriental, o
ao mesmo tempo reunir algum dinhciFO com que
auxilia-la eflicazmonte.
Tem-se dito que o general Mitre tenciouava pro-
hibi-lo, mas nao o croio. Nasceu o. boato dos do-
nos dos theatros e outros estabelecimentos apro-
priados ao effeito os nao terem querido franquear,
invocando ordens do governo;
A revolueao oriental progrido, tornando-se cada
da mais sympalhica pela maneira porque a dirige
o general que a capitanea o os cheles que a secun-
dam.
Os estrangeiros que veem da campanlia dizem
que nunca se vio revolueao menos ensangueniada
e devastadora.
Depois de ter tirado os recursos que lite eonvi-
nham ao sul do Rio-Negro, tomou o general Flores
a passar para o norte com o fim do balar D. Mo-
go Llamas, o organisar os differentes grupos que
so teem levantado depois da sua ausencia daquol-
las paragens.
Provavolmonto estabelecer o quartol-general
para centro das suas operaoes no departamento
de Mercedes, facilitando essim a ineorporaeo de
mais de 500 infantes, quo andam dispersos' pelas
diversas jiovoaeoes da inargom do Uruguay c em
Buenos-Ayres. '
j fra de duvda que as Coreas do general Flo-
res nao descem de 3,300 homes, e somonte as-
sim se explica, o desembarazo com que executa to-
dos os seus movimentos, seni que o immigo o n-
commode nem saiba de ntado positivo onde elle se
acha.
Em Montevideo falla-so imuito de urna transac-
cjio, mas em cada um dia que o presidente Berro
lierde em prop-la se torna ella mais dfllcil, pois
fcilmente se comprehende que, medida que a re-
volueao fr ganhando raizos no paz, irao crescen-
do as exigencias.
J no mesmo governo do Montevideo principia a
sentir-se a anarchia, como se v do facto se-
guinte.:
No da 30 expedio-so um decreto nomeando ge-
neral em chefe do oxercito om campauha o coro-
nel Moreno, por doenea do general Medina.
Ao receber a communicaco, recusou este ulti-
mo entregar o commando, c respondeu ao offirio
do governo dizendo quo tinba julgado conveniente
ao melhor servico manifestar ao coronel Moreno a
sua resolucao de continuar no commando que o go-
verno lhe confiara, em qual aquclle benemrito
chefe (Moreno) o secundaria.
Como fcil de ver, ini|K>rta esta resolucao do
general Medina um desacato as ordens do gover-
no ; mas este julgou prudente nao insistir no seu
proposito de arreda-lo do commando do exercito. c
a 4 do corrente revogou o sen decreto, o que pro-
duzo grande descontcntamento as fileiras dos
blancos do raca pura.
excusado dzor quo nenhuma f mereeem os
boletins qne em Montevideo so publican! para alen-
tar os soldados, pois que os |iequonos grupos que
ellos se oceupam de derrotar nenhuma signilicaeo
teem, sendo pela maior parte conqiostos do trahs-
fugas do mesmo governo. como aconteeou com um
tal Tiburcio Egafia, do cuja dofecco soubemos por
um decreto do ministerio da guerra que o deelarou
traidor patria.
Foram presos os cidadaos I). Francisco Lecoc e
Dr. D. Antonio Nolaseo. |ielo nefando crime de nao
porcia no chapeo a divisa que os converte em la-
eaios.
O primeiro allegou que estava enoarrogado do!
consulado da Austria, o foi jiosto inimediatamcnie
em liberdade ; o segundo, que advogado, podio
(pie o pozessem disposieao do juiz competente
para julga-lo.
O chefe poltico submetteu o negocio ao go-
vernador, de cuja solucao nao tenho ainda noti-
cia.
Represontou-sc tambem nos ltimos dias um mo-
lo-drama que acabou por sangue. Um joven Llo-
zano, namorado de urna moca que lhe nao corres-
l>ondia ao affeclo, teve a inspiraoo do espera-la I
sabida da igreja o dsparar-lhc um tiro de pistola, |
quo felizmente nao acortou.
Arremesson-se entao sobre olla de punhal em
punho. o desoarregou-lho pelas espaduas um golpe
(pie nao foi mortal, gracas as barbatanas do col-
lote.
0 villao autor do semelhante attentado osla na
cadeia de Montevideo;' a senhora acha-sc livro do
jierigo.
Ficam as oncas a 470 }{.
6
Reunio-se debaxo da melhor ordem o meeting
de quo fallei. Houve discursos enthusiasticos, mui-
tos vivas a liberdade, revolueao oriental, ao ge-
neral Flores, et ren de plus.
(Jornal do Commercio do Rio.)
' Por portara de 9 do corrente foi nomeado Edu-u
do '
correi
i'or portara de 9 do corrente foi nomeado E
da CUnha Bastos pira o lugar de agen
reio da vifla de Uornmb, na provincia de (
nle (t
_ provincia de iovaz
rw exonerarlo de Joao Fleury de Campos Curad
A attenco publica tem sido preoecupada M
iiltimos dias pola noticia de novos assaltn* a (mu-
s das ola
ticular; en
na particular; emprehendidos rrimiroxamenfe p..!
varios individuos, em quem o jogo e a libertina
gem abafam os severos principios de probidad^ o
de honra, em que se Hrmam a paz da conscienci:
e a felicidade possivel deste mundo.
O (acto, este : i .llegando ao condecin**) da
polica (pac alguns individuos aprcseMavaM-*- eni
certos hoteis ostentando quantias superiores is
suas |k>ss>!s, tratou hbilmente de averiguar d*on-
de provinha tanta fortuna, e descobrio qw o di
nlieiro esbanjado nessas saturnaes e orgias provi-
nha de ttulos commerciaes falsificados, inrlnindo
neste numero urna ordem no valor de IfHIWfx
saccada polo Sr. Joao Antonio de Moraes ** a
casa do Sr. baro do Nova-Friburgo. e dnaa
importancia do 5:000, scenlas peto Sr. bar*. (
Uuarib sobre o Sr. Joao Bajista Leite, d --.
(iraca.
Duas pesquizas que prooetVu )loprehen
ainda a polica que o latrocinio esjemlera mas a
rede, havendo ordens falsas no val* de mai >
30:0105, que felizmente nao foram pagas.
Acham-se presos sete individuos nphrarfo-
nesses crimes, prosegundo-se na proror *..u
tros, indiciados como cmplices.
No acto da priso cncontrou-sc um punhal em
poder de um dos presos, e no de outro > .-unln I
iirma em bronze de um dos saceadore-
Em todas estas diligencias, km ja pmhmran
bom resultado, andou a polica rom aceito rir-
cumspccco ; provenindo mal manir, e expurgan
do a sociedad> de alguns iiiiliislrios-, qne -tarriiV
cam ao vicio todos o> devores do ridadao hwi*jtV
eumprio ella o seu dever severo, a tectora.
Possa tal exemplo pmduzir bom frurt. e se-
quer diminuir o numero dos libertino* ame a ser-
te misera desses desgracadov que n>> frenes lo
vicio enlutaran! o curaca e a honra e so fami
lias, esquecondo om horas de voraginosa loorw i
tantos conselhos. tanto amor, lano futuro '
Vimos hontem algumas amostra-i de aJgolV
herbceo cultivado |>elo Sr. comiii*niL-lr Fu>>
Pereira Barrlo, do Kezendc. IV>ta.> .unostra *
producto, que o Sr. commendador Barren >: <>-
nietteu com bom resultado a experiencias t Ha-
cao. dislinguem-so urna pela alvura cuninrinicni"
do lio, sendo milito BfrocttH a psflBBMdMn-
qualidades por niio seren os IothIos l> enfrvph-
cidos polo processo d bnuDiueanvnl nir
pelos Itellos capuchos (pie apresoMa le ^r-iro
grande o lio abundante I longo. mai- cresi e -
nos claro do pie o outro.
Sabemos mais que, tendo o Sr. coniaionifai"
Brrelo recebido e st-inead seneasn nsfriniiiiii-
pelo governo imperial e pela s-
ra da Industria Nacional, nao col lien Ikih resalla-
dos da planlaco. pelo pie recorreu *w r- ar-t-
do lugar, e descobrindo alguns bunilo* pe* le al-
godo, delles colheu as scnu-nte* fue exhib.' ti-
Dresporo fructo.
t mais una prova de que o no alguns elementos da pr-isperiiLide i.lenbr a
que com tanto afn procuramos em lerriton -
tranho, desoonheconao lanla> veze> a ul- rl 11
riqueza do qne posasHBos.
Uxal que a evidencia Jos htUm e a (mmii
experiencia nos ensinom a lirar ma* pniwini
dessos recursos nalurao <1.- .jn.- .f~;- ;.
aliingirmos o grao de iui|iriaiieia que '
entri as naedes cultas.
INTERIOR
III t:>OS ATRE8.
5 ile julho.
De grande importancia sao os aconlecimentos
que se teem dado na Repblica Argentina depois
que nos deixou o paquete nglez.
Ha oito dias comniuniquei-lhes que as forcas do
governo nacional ficavam perto de Cordova, onde
o general Pealoza, aproveitando urna revolueao
que alli tinha estalado, se acastellra, organisando
um corpo de 2,000 homens no intuito de defen-
derse.
Mas nem o general Pealoza sabe dirigir regu-
larmente a sua defeza, nem as forcas por elle ag-
glomeradas podiam ter a organisacao necessana
para resistir a um exercito de tres mil homens,
exaltados pelas successivas victorias ganhas, como
era esse que debaxo do commando do general
Paunero lhes cahira em cima.
Foi assim que a 28 do passado se Cerio urna ha-
talha, que deu em resultado a completa derrota dos
insurgentes.
Segundo as partes ofliciaes, foi renhida a accao,
deixando o inimigo trezentos mortos no camp, e
sendo-lhc tomados qual rcenlos prisoneiros, e todo
o armamento e bagagem.
Como de costuine, o general Pealoza, que em
taes momentos sempre monta bons ginetes, csca-
pou com um grupo, apezar da tenaz persguicao
que lhe fazia o coronel Sands, que tambem, como
sempre, foi o here da jornada, apezar de nao
completamente restablecido de urna lancada que
recebeu na batalha de Coras Brancas.
Tem-se dado grande importancia a este suecos-
so, porque, se o exercito do governo nacional hou-
vesse sido derrotado, infallivel teria sido a reaccao
das provincias.
Por outro lado, interrompidas as relacues inter-
nacionaes com a Repblica Oriental, onde teem ha-
vido varias manifestaedes populares contra o go-
verno argentino pela represalia do vapor Artigos,
era de suppr que, triumpuame a.revQluofo de Cor'
RIO DE JANEIRO.
10 de julho de 1863.
S. M. o Imperador, acompanhado dos seus se-
manarios, ministros da guerra e da marinha, ge-
neral Cabral e inspector do arsenal de marinha,
visitn hontem s 6 1/2 horas da manhaa a forta-
leza de Santa Cruz, onde examinou as pecas de
calibre 32 que arrebenlaram por occasio de* urna
recente experiencia. Dalli subi Sua Magestade
ao Pico, visilou as bateras que se mandou cons-
truir, e volta dignou-sc almocar com os com-
mandantes da fortaleza e do primeiro batalho de
artilharia a p e respectivos officiaes. Findo o al-
moco, assistio Sua Magestade ao exercicio de tiro
com pecas de 80 com bombas e de 24 com balas
rasas que militas vezes feriram o alvo ; percorreu
depois os alojamentos, provou o rancho da guarni-
cao, c retirou-se a urna hora da tarde.
Por cartas imperiaes de 8 do corronte, foram
naturalisados cidadaos brasileiros os subditos por-
tugui7.es Francisco dos Santos Lomba e Jos da
Cruz Loureiro Sampaio
Por decreto n. 3,120 da mesma data Coi conce-
dida socicdade denominadaCongregacao das
Irmas de Santa Thereza de Jessestabelecida
nesta corte, autorisaco para exercer suas Cunc-
e.5es e approvacao dos respectivos estatutos.
Por decreto de 8 deste mez foi transferido para
a oitava companhia do nono batalho de infantaria,
o capitao do dcimo da mesma arma Pedro Alfon-
so Ferreira.
Consta que por decreto de 7 do corrente foi no-
meado cnsul geral do imperio na Suissa o Sr. Dr.
Luiz Peixoto de Lacerda Werneck.
li
Por decreto de 9 do corrente Coi autorisada a
incorporadlo de urna sociedade anonyma sob a de-
nominacao de Banco de Campos e approvarara-se
os. respectivos estatutos.
Em urna carta dirigida em x ,|., rorreni
Sr. Antonio Lopes Codho de Souza e Ra-i.-
sidonte na villa da Parahiki do Sil. i .- Sr- I
& Fonseea desla praca, lose o seguinle
No dia 5 |ara 6 do crreme, a? 11 k*m da
noile. fui assaltado em minha fazenda por um fWti
podevintea trinla pe-soas. branca- i nal
estando ou dormiiido. iontio-se dan-in igiuies fc-
apilo- de mis para outros. Sonrio pre^-ninVH n.-|.
meus oscravos^no erroir e |'ls aMiWm, o In-
do logo o meu feitor e preio- s-4ire alaramv-
oslos iigiram. e mais adianto. |-rlo da faz^ml-i
resistiram ; porm. ehegand mais gene minha
fugiram, deixando um pros. s.-n>i -! flb-i.tl 1
justica, do qual se osla tratando .lo procese. **'
conhecidos mais oito. Muilos mais foram ciMrrkla-
doso nao aceitaran! ; alguns foram frri**. < ri-
meus eseravos foram ba.-tanto ferido- (re-, >>i
tros mais levemente, nos qua.- pmRMR *
auto de corpo de delicio no da 7 d currenle. F->
rain mal succedidos, |ioripie ou e-4ou prevenitl"
para ipialquer assalto como este un p.->* : pr
Isso bom que o Sr. chefe de polica sai ha mi:
vai isto por aqui, para dar as providencia^ nere
sarias a tal rospeito e isto nao continuar.
12
Por decreto do primeiro do frrenle (h Manan-
do Francisco I/xirenco Tourinho de Pinho para
lugar d(^ segundo pharmacoulico do corpo i> san
de da armada.
Por decreto de 3 do corrente foi dcvlara a reforma que pelo de 13 de dezembr d mu
passado foi concedida ao commissarki de prinvir i
classe do corpo de officiaes da armada R.ini- -n
Enriques deve ser considerada no posto de rapil.
de fragata, com o sold respectivo, na coninwda-
de do alvar de 16 de dezonthr de 179 vi.-i
tor-se reconhecido contar mais de 35 annus m
vico.
Consta-nos que o Sr. Dr. Antonio Alvos de >xi
za Carvalho foi. seu pedido, exenerado Jo i
de presidente da provincia de Sergipo, e pie ra
substituido pelo Sr. Dr, Alexandre Rodriga Ja
Silva Chaves.
Consta-nos quo foi demittid do lugar le nri
ineiro vice-presidente da provincia do Espirito-
Santo o Sr. Dionisio Alvaro Rezende.
= 13
O Sr. "conselheiro C. B. Ottooi obsquiou-n<>-
hontem "com a seguinte noticia :
< A segunda seccao da estrada de ferro de Pedro
II, em sua parte mais difflcil ser amanhaa entre-
gue livre circulacao do publico ; foi ella perror-
rida hoje por S. M. o Imperador em irem especial.
que concluio a viagem com a maior felicidad*'.
t Eu disse a parte mais dilficil, porque conten
13 militas de rampa ascendente venrendo 1.9*1
ps de differenca de nivel, e sendo 1 3'5 mimas V
caminho subterrneo aberto nos espigues da ierra
em formacoos zoolgicas de consistencias diversas.
muitas vezes amelando dcsabamenlos e pernir-
bando o trabalho com grandes inflttracfes ; e as
restantes H 2/5 milhas urna serie de iraadci dic-
tes, ora em arga, ora em rocha, hgitaii pw gi-
gantescos aterros, que em muias das grotas se tor-
nou difncilimo formar e consolidar.
O que falta das obras adjudicadas de IH.1H para
serem construidas em cinco annos nicamente a
tunnel grande, que eotretanto tem galeras Jbnrlii
na extensao de quasi 5,700 ps, Callando sosnaate
1,500. O estado dos trabalhos autorisa aesperan-
ca de que a perturacao ser ultimada dentro as
de 1864, c no seguinte os trens percorreTio Btp-
mente as mil bracas de va subterrnea, sne ha
de communicar as vertentes do ocano com as do
Parahyba.
c O trem imperial parti de S. ChralOTa as >
horas e 40 minutos da manhaa, coodmrad Sana
Magestade e Altezas Imperiaes, os Srs.
da agricultura, justica. e. guerra, o Sr,
I
s
iMUT




rvif
------1-------L.

Mario de Pcrnambneo unta letra Si de Julho de i S3.
s
dacasa cseuajudaiite.os Srs. Sapucahy, Paes Le- d-prosoder para com os mafeMg -sentenciados
me c Coelt de Castro, semanarios, damas e mais prisao cora trabalho
Comparecern! logo no lugar do criine os Srs.
por ouiros oimes que nao o subdelegado Francisco Antonio da Silva e iaspec-
pessoas ao servir da -amilia imperiaL I dedesercae, piando as respectivas sentencas nao tor Joao Lcite Guimares, que deram as provi-
Era outro carro seguian osnrombros da directora declarara se deven elles ser terropeados ; declaro dencias necessarias para a captura d assas-
e empregados superiores dacompanhia, alguns dos ,a V. Exc, para que o faca omstar ao mesnwcom- sino.. nmnla ,nMMWin M ... do
urimeiros com suas familias. Em um terceiro car-. mandante das armas, que emente o deverao ser, No da 10 do corrente appareccu m eidade de
ro a msica do 1 batalho de infamara, ao no de assim se determinar as sentencas, Ouro-Prcto o numero de um jornal poltico, ht-
Nao havia convidados, porque nao sendo pose- por quanto estas devem ser litteralmente execu- terarioe noticioso, que se denomma O PPfressuta
vel transportai- grande numero de passageiros,e en-' taitas. Mimas.
Deus guarde a V. ExcPolyioro da Fonseca, 19 T
Quintmiilka Jordm.-Sr. presidente da provincia! Sua Magestade o Imperador, acompanhado dos
da Baha. seus semanarios, chegnu hontem as 9 V4 horas da
tendendoadirectoria nao poder emittir convites com
xclusd dos accionistas, a ningaem convidou se-
D0 a S. M. o Imperador e sua augusta familia.
At Belm foi o trem rebocado por urna loco-
motiva ingiera das da seccao, dalli em liante
por urna das americanas de estradas ao servieo da
st*rrn
De Belm ao Rodeio (15 mimas) despenderam-
se 40 minutos, velocidade corresiiondente a 22 im-
illas, ou 5 '/i leguas por hora.
A locomotiva nao parou nem retardou nolavel-
monte a marcha, mesmo nos tunneis em curva e
lampa, cojos trilhos a infiltracao da rocha conser-
va sempre molhados.
A estacad terminal eslava rodeada de inmen-
so povo, c se fazia noUvel pela nascente povoacao nomeado, feitt pela presidencia da provincia de
que a cerca, acliando-se aindaem outubro passado Matto Grosso, do Sr. capitao do 2 batalho de ar-
no centro de densa mata virgem. | tilharia a p, Francisco Nunes da Cunha, para
Sua Magestade Imperial almocou na estacao, e substituir, aa direceo da nova fabrica da plvora
seguo s 10 >/z horas para a fazeda do Sr. Cairal- da mesma provincia, ao Sr. tenente do corpo de
le chegou pouco depois de meio dia. Ali engenheiros Hercnlano Carlos Ferreira Penna.
da nacional dos municipios de Piranga l'omba,
da provincia de Minas-Geraes.
0 alteres Liberato Mariano de Soma, capitao se-
cretario-geral do commando superior da guarda
nacional do municipio de Caldas, da mesma pro-
vincia.
O capitao Antonio Ferreira de Araujo, major aju-
danle de ordens do commando superior da guarda
nacional dos municipios da Victoria e Serra, da
provincia do Espirito Santo.
Foi reformado Francisco Xavier de Moura, ca-
pitao do batalho de infantaria n. 24 da guarda na-
Nomeac&s.-Drjs Srs. Io cirurgiao do corpo de manha ao arsenal de marinha, e alli, seguido pe- cional da provincia do Rio de Janeiro, no posto de
saiide do exercito, Dr. Francisco Goncalves de Mo- tos Srs. ministros da marinha e guerra, general major. .... .,
raes, para o lugar do Io medico do hospital militar Cabral, inspector do arsenal e ajudante do uuartel' xmeedeu-se a Manoel Lopes da Sdva, major do
da provincia de Pernambuco. general, erabareou na sua galeota a vapor e dirigi- corno de cavallaria n. 23 da guarda nacional da
2. tenente do corpo de engenheiros. Jlo da se a Jurujuba, onde demorou-se visitando o hospi- provincia do Rio-Grande do Sul, passagem para o
Rocha Fragoso, para o lugar de ajudante dodirec- tal de Santa Isabel, suas dependencias ecemiteno. corpo n. 22 da mesma guarda
tor das obras militares da corte.- Em 3 do corren- Dalli foi Sua Magestade Praia de Fra, alim de Concedeu-se^ a demisso que pedio Jos Teixdra
tP mn ] examinar os trabalhos das fortifieacoes daquella de Campos Leo do posto de alteres da 1* compa-
Pharmaccutico alferes do corpo de sade, Manoel fortalea visitando depois as fortalezas da Boa-Via- nhia do 3 batalho da guarda nacional da corte.
Francisco provincia do Amazonas. I cios de artilharia e infantaria feitos pelos aprend- Joaquim Fernandes Pacheco, aquelle tabellio do
Por aviso de 7 do corrente mez foi approvada a zes marinheiros.
lo Lage, onde
o Sr. Casa Nova apresentou a Sua Magestade seus
apparellios de secar caf, e explicou-lhe demorada- cao ecclesiasca do exercito.
"*-J-~ -----" Goncalves dos Passos Miranda
Rx'mocao.-DosSrs. capeliries-alferes darepar-
As 2 1/2 horas da tarde regressou S. M. ao arse-
nal, de onde logo retirou-se.
publico, judicial c notas do ternio de Santos, da
provincia de S. Paulo, e este escrivao do jury e
execucoes criminaos do mesmo termo e provin-
cia, que permutem entre si os respectivos offleos.
Tveram merc da serventa vitalicia :
Manoel Alexandre Garca, do offlcio de primeiro
partidor do termo do Bananal, na provincia de S,
Paulo.
Jos Ribeiro da Silva, do oficio de depositario I irmi
onde haviam cado S. M. a luiperatriz e augustas tana
prncezas, o Imperador descausou meia hora, e par- Padre Antonio Augusto de Andrade e Silva, da
lindo as 4, desembarcou as 6 >/z na estacao i'mpe- guarnido desta corle para a da provincia de Per-
rial de S. Christovao. Bambuco, como requereu devendo ir exercer
Aos membrosda directora e a seo pedido per- as funecocs do seu ministerio no 7 batalho de
mltira Sua Magestade Imperial que se encarre- infantaria. .
gassem de fazer preparar o a I moco (|ue (oi servido, j Padre Joaquim A enssimo dos Anjos, da guarn-
Antes da partida, declarando Sua Magestade Impe- do da provincia de Pernambuco, para o 10 bala-
ra! que nao jamara, sentarwn-se a mesa com a fhao de infantaria. '
sua permissao as pessoas que o acoiupanharam, e Pharmaceutico alfores do corpo de saude, Ber-1
mais algumas que acaso ali se achavam, terminan- nardo 0I\ rapio Paes de Souza, da provincia do
do a sua lgeira refeicao com os seguintes brin- Amazonas para a do Para,
des : aS.M.o Imperador, a S. M. a Imperatriz e Exoneracao. Do Sr. 1" cirurgiao do corpo de
s Serenissimas Princezas. sade do exercito, Dr. Miguel Joaquim de Castro
Nao tendohavido convidados, as redaccoes das Mascarenhas, do lugar de 1" medico do hospital
folhas diarias naoeram representadas nestaviagem, militar da provincia de Pernambuco.
e pois.que todos me pedem noticias, resolv assumr Transferencias.Dos Srs. capitao do 4 batalho
expressamenle a responsabildade deltas. de infantaria, Constantino Jos da Costa para ai
O corado se me expande desde (juc comeca- companhia do 10 batalho da mesma arma. De-
rain os preparativos para a solemnidade de boje ; e creto de 27 de junho lindo,
a esta ntima salisfacao e consciencia de ter cum-1 Do l" tenente do 3o batalho de infantaria a |>,
prfdo o meu dever ajunta-sc neste momento urna Francisco Antonio de Moura, para o 1 batalho de
sensaco neftavel de gratidao ao lr, j depois da artilharia a p.aoqual se acha addido, e como re-
viagem, as palavras benvolas e animadoras com quereu.
jue me obseijueia o meu amigo prncijial redactor | Do alfores do 4o batalho de infantana, Clemen-
do Diario ; {lermiua elle que eu termine apertan-, tino Jos Fernandes Guimares, para o coqto de
do-lhe a rnao. t j guarnifao do Espirito-Santo, como requereu.
____= Do 2" cadete do 1 batalho de infantaria, Jos
A ollera que o Sr. Camino Moreira fez de Bezerra de Menozes c S, para o corpo de guarni-
4:0005 para ajuda do armamento do paiz, e de que cao do Maranliao, como requeren.
Por cartas imperiaes de 15 do corrente foram
naturalisados cidados brasileiros:
Joao Sturzeneker e Conrado Sturzeneker, sub-
ditos, suissos; Fortunato Luiz Lisboa a Joaquim
Maria l^ranja, subditos porluguezes.
Por decreto tambem de 1S foi concedida a Maria' publico do termo da l'arah> ba do Sul, na provincia I que vieram na tal Nora Fama, visto que sabio dahi
Rosa da Conceido, viuva do soldado da guarda na- do Rio de Janeiro. desprovida dos necessarios niantimentos c aguada
eioiial Marcolino de Araujo Leite, fallecido em con-. Manoel Ferreira Carpes, do offlcio de escrivao para occorrer ao sustento do extraordinario nume-
sequencia de ferimento por explosao de urna peca de orpbaos e ausentes do termo de Passo Fundo,
de artilharia na fortaleza de Santa Cruz, onde esta- na provincia de S. Pedro do Rio-Grande do Sul.
Sara que a bein dahumanidadese evitem ao menos seu auge : Dionisio e os seos nao se fartan en
e futuro outros anatogoe. Para isso pedimos emno- persegui-los.
me da mesma humannade s autoridades que nao Ha quatro dias. o Raptisla Alvos embargou ecn-
deixem sahirdo porto navio algum sem se eertifi- to e tantos cavados de um Brasileiro, qoe rmmm
carem que tem a bordo mantimento de boa quali- do departamento de Minas, sendo a maior parta de
dade e emquantidade sufflcientc para a gente qoe nrn Pedro de Barros ; o Telesphoro os tomoa e te-
leva, alem dos medicamentos indspensaveis, e vou-os para onde eslava o Dionisio.'
mesmo de um medico, quando a numen dos pac- De Santa Victoria esenvea m Cruzeiro o Smi o
sageiros fr tal que posta razoavelmeote eotnr a seguinle :
despoza. Eis a earta a que nos referimos, e que Os Brasileiros continuam a soffrer e a ser e-
datada de timas do Estado Oriental, a pool V que. algUM
Lisboa 21 de junho de 1863.Depois de 48 del les, em mimar de trata, ekem armado, par-
dias de urna milito infeliz viagem, aqu chegaraosno tirara para l aMaerea algum pareaes e suas fa-
lla 8 do corrente ;eteado sido imposto ao navioe milias, cujas casas e praprwdades t:m sido ataca-
das petos matreiros.
Vio resolvidos a tala, asa vei que s', x*Nim
podem conseguir a salvado de seus pan-mes..
O Diario de 14 transcreve a soguinte participa-
do da barra do dia 12 :
Em conforndade do que se dbse ai para
martima de houtem, respeito ao bripue que iran-
|mj7. ao banco, tem a acrescentar-se mais o se-
guinle :
U brigue nacional bo entnxi no dia II no
banco, e escasscando-llie o vento, foi Mingado a -lar
fundo ; cliamou o rebocador. o qual foi sea demo-
ra, e, com quanto j porto do briifu-. nada ae po-
de fazer por terem arrebentado a amarras, seato
indispensavel seguir para (ora da barra roa o pra-
tico a bordo, c nao mi possivol mais o reboradnr
cabo, nao so |m>t ter refrescado o vento
embravecido ruis o mar, como tainbca pur -*t
tarde
passagoiros $ das de[quarentena, desembarquei em
Lisboa no dia 13, porm em estado tal de molestia
e abatimento que a amito custo pude ehegar ao he-
te!, onde ainda me acho em tralamento convenien-
te afim de ver se consigo recuperar a minha muito
arruinada saude.
Tive a infelicidadc no decurso da viagem de
perder meus dous infelizes c <|uoridos irniaos dahi vieram em minha companhia.
A minha pobre irmaa fallecen no dia 19 de
1 na i o. e o meu infeliz irmao do da 2 do corrente !..
Betn pode V. fazer a idea dos amargos desgostos
que soflri com tao falaes acontecimentos; e ainda
mais por Ibes nao poder valer, e nem mesmo po-
der despedir-me delles, pois me achava j grave-
mente doente '
t Grande desgraca foi a minha, de meus pobres dar-I 110 o c,
naos, e em geral de lodos os mais passageiros! embraveck
va destacado, a pensao de MjMOO mensaes, depen-
dente de approvacao da assembla geni legisla-
tiva.
Foram noraeados cavalleiros da ordem de S.
Bento de Aviz o capitao do corpo de engenheiros
Francisco Jos de Freitas, e da ordem de Christo,
na confonuidade do art. Io, parte 2*, do decreto n.
2,853 de 7 de dezembro de 1861, o padre Joao Al-
vares Martins da Costa, vigario collado aa fregue-
zia de S. Jos da Laga, provincia de Minas.
Foram apresentados o padre Jacintho Manoel
Goncalves de Andrade, na igreja parochial da villa
de S. Jos do Parahyba, da diocese e provincia de
S.Paulo-, o vigario collado na freguezia de Nossa
Senbora da Apparecida do Passo-Fundo, padre An
tonto Tavares Dornella, de
Consta-nos que est nomeado official-maior da
secretaria do senado o Sr. Angelo Thomal do Ama-
ral.
j domos noticia, foi acompanhada do olflcio se-
guate :
Pars, 5 de junho de 1863.
Illm. e Exm. Sr.A posicao official
boje oceupava em Londres, impedia-me
iiK'nte de associar-me ao grande movimento nacio-
nal manifestado em todo o imperio em ronsequen-
<-ia das extraordinarias oceurrencias provocadas
que at
natural-
Do cadete 2' sargento, Julio Cesar do Reg
Rarros, e do soldado Laurindo Augusto do Reg
Barros, ambos do 10 batalliao de infantaria, para
o 7o da mesma arma.
Do 2 sargento mandador do batalho de enge-
nheiros, Antonio Joaquim Ferreira, para o asylo de
invlidos da corte, como requereu.
Do furriel da companhia de cavallaria de S.
pela legado britannica no Rio de Janeiro. Haven- Paulo, Francisco de Paula dos Santos, para um dos
do 11 limada mi motivo, devo reunir-me a essa ma-1 corpos estacionados na provincia do Rio-Grande
infestado do meu paiz, contribuiudo tambem para do Sul, com baixa do |x>sto como requereu.Aviso
as urgencias do estado com a quantia de 4:000, de 13 do corrente moz.
deduzida dos meus voucimentos de um anno. Do furriel do corpo de artilharia do Amazonas,
Rogo pois a V. Exc. o especial favor de fazer Nazario Antonio da Silva, para o asylo de invali-
chegw esta minha declarado ao thesouro publico dos da corte.
tuayaqa, da diocese e provincia do Rio-Grande do
>uL
Por decretos de 15 do corrente :
Foi transferido para a 3' companhia do 3o regi-
Acham-se convocados os accionistas do banco
do Brasil para se reunirem em assembla geral no
da 30 do corrente, alim de Ibes ser apresentado o
relatorio de suas operacoes e proceder-se eleicao
dos directores e supplentes que teem de ser subs-
tituidos.
22
So hontem foram entregues algumas folbas, tra-
zadas do Rio da Prata pela corveta portugueza Bar-
tholomeu Dias, para urna pessoa desta eidade, que
Sant"Anua do Uru- obsermiosamente no-las prestou.
As datas chegam at 12 de Buenos-Ayres e 13 de
Montevideo.
No Estado Oriental fcava Flores ao norte do Rio-
Negro e perto da nossa fronteira, sem ijue ningueiu
podesse comprehender-lhe os planos. Na Republi-
mento do cavallria ligeira o capitao do 5 da mes- ca Argentina depois da derrota da Penaloza em
ma arma Isidoro Fernandes de Oliveira. Cordova nao havia em campo partida alguma orga-
(>jncedeu-se reforma ao alferes do batalho de nisada de que devesse arreceiar-se o governo, mas
caradores de Goyaz Francisco de Paula Ruarte, por 1 fallava-se de um formidavel levantamento dos In-
solfrer molestias incuraveis que o tornavam inca- dios do Chaco, desde Oran at ao rio Paraguay, em
paz de todo o servco. numero de 10,000.
------------ A nica noticia de interesse pois, a do ajuste
Por decreto n. 3,124 de 16 do corrente foi con- da desavenca entre os governos de Bueuos-Ayres e
Armada a concessao de duas loteras em beneficio Montevideo, ajuste feito por meio de um protocollo
da Imperial Associado Typographica Fluminense, assignado na primeira deslas eidades a 29 de juuho
! por D. Rufino de Elizalde, ministro de estrangeiros.
O brigue Fluminense, onlrado hontem do Rio- j e D. Andr Lanas, agente confidencial do governo
Grande, trouxe-nos folhas que alcancam a 8 do cor-
rente.
Nao tinha havido oceurrencia alguma de impor-
tancia depois da sahida do vapor Gerente.
O Diario de 5 transcreve urna carta de Santa
Victoria, fronteira do Chuy, em que se l o se-
guirte :
As quadrilhas de salteadores no Estado-Orien-
tal augmentara, e alguns Brasileiros tem sido vic
'do Estado Oriental, esubsequentemente approvado
pelos dous governos.
A XacUm Argentina de 12 do corrente publica
este protocollo, do qual se v que as bases do ajus-
te foram estas:
I.bordado das pessoas e entrega das cousas re-
tidas pelo governo oriental;
Reconhecimento do principio de pagar as com-
petentes indeumisaeoes pelas violencias txercidas
nacional, para os seus devidos efieitos.
Deus guardo a V. Exclllm. c Exm. Sr. mar-
quez de branlos.Francisco Ignacio de Carralho
Moreira.
O Sr. Dr. Alexandre Rodrigues da Silva Chaves
foi nomeado presidente da provincia de Sergipe, por
caata imperial de 9 do oorrente.
Por decreto de 8 do corrente mez foi apresentado
o padre Severino Eusebio de MaUos Cantoso na
igreja parochial do S. Miguel da Cachoeira do rio
Guama da diocese e provincia do Para.
15
Entrn hontem do Rio da Prata, com datas de
Bueuos-Ayres at 7 e Montevideo 8 do corrento,
o paquete" francez Saintonge, que anticipou a sua
viagem para neste porto fazer alguns concerlos.
Da Repblica Argentina a nica noticia de im-
portancia a de haver o general Penaloza sido
derrotado em Cordova pelas torcas do governo na-
cional, que entraram naquella capital de provincia,
onde restabelecerain as autoridades, pondo assijn
termo, ao menos por entretanto, a toda a reaeco
mais ou menos orgauisada.
Espera va-so brevemente urna soludo pacifica da
desaman entre esta repblica e o" estado Orien-
tal. Neste ultimo couiinuava a revoluco, sem ter
havido por ora nenhum feito de armas importan-
Dos soldados do 1" bataltiao de artilharia a p,
Manoel Carneiro da Cruz, Matheus Francisco Bar-
reto, Gervasio Antonio da Silva, Honorio Jos dos
Santos, e Antonio Jos Ferreira da Silva, para a
guarnido da provincia do Rio-Grande Sul.Em
1" do corrente mez.
Do corpo de artfices da corte, Claudio Vctor
Vieira Mximo, para um dos corpos estacionados
11a mesma provincia. Era 4 do corrente moz.
Reformas.Foi concedida aos Srs.: tenente-co-
ronel do corpo de estad o-maor de 2* classe, Jos
Joaquim da Silva Santiago e capitao do 3o batalho
de infantaria Joaquim Rodrigues da Silva, por de-
creto de 27 de junho lindo, nos termos do 5 1 do
art. 9" da lei n. 648 de 18 de agosto de 1852, visto
soflrerem molestia incuraveis, que os tornara inca-
pama do sondeo,
Alferes do cor|H) de cstado-maior de 2" classe,
Joao Antonio Peroira do Lago, por decreto do Io do
corrente mez, nos termos do Io do art. 9* da lei
cima citada, visto soflrer molestias incuraveis,
que o tornara incapaz do servieo.
17 -
timas "dos saqueios dos taes bandidos. Deosqueira contra as cousas e pessoas
que aqui nao se organise tambem alguma pacoti- Obrigacao de restituir, no lugar onde foram to-
Iha dos taes amigos, porque por aqu os temos de madas, as armas enviadas pelo governo argen-
marca maior e j bem conhecidos por seus antigos tino -
ro de passageiros, que pouco menos eram de tre-
zentos, que trazia a seu bordo : a ponto que o ca-
pitao ao l'uu de 30 dias de viagem, avistando qual-
quer navio no mar procurava com todo o esforco
fallar-lhc para Ibe pedir mantimentos e agua!!...
S dous navios Ihe prestaram alguns soccorros,
em pequea quantidade sim, porm assim mesmo
muito nos valorara.
A.Vota Foma nao trazia medicamentos de
qualidade alguma, e meus desgracados raos e
mais outros passageiros que falleceraui, morreraui
no mais completo abandono!.... O capitao um
desgranado homem, pois em quasi toda a viagem
veio com a cabeca perdida de bebidas. A bordo
era una anarchla, sera haver um nico oflicial
que impuzesse respeto, a ponto que os passagoiros
tentaran! fazer um levante para obrigar o capi-
tao a arribar a urna das ilhas, para refazer-
se dos necessarios mantimentos. Emfiro, a via-
gem foi felizmente de 48 dias, porque se fosse mais
demorada tres ou quatro dias morreriamos tome!
Grande responsabildade, na verdad, cabe ao ca-
pitao por vir para o mar despido dos necessarios
e indspensaveis mantimentos para to grande nu-
mero de passageiros ; mas tambem grande respon-
sabildade cabe aos consignatarios do navio nessa
por nao terem attendidido s reclamacoes que o
capitao dizia Ibes fizera em lempo, nessa eidade!
Emfini, dou louvores a Deus por haver eu c che-
gado com vida, anda que quasi morto de fome, e
com a minha saude arruinada.
Em data de 20 corrente foi nouM-ado o rkrf- fe
esquadra Joao Maria Wanderkotk para raauau-
dar a diviso naval do 3* districto.
Escrevem-nos do liranga a 16 do correa* :
Tentio o delegado de noticia da villa d Pir
ga, Dr. Benjamn! Rodrigues Ivp-ira. aman
do que o fac ora Jos de Miranda Costa dormir
em sua casa na fazenda do Retiro, na uile oV 14
para 15 do-te fez seguir com toda prstela e cua o
maior segredo pera o lugar denominado Sallo, o
2" talielliao da referida villa, que rotuno algumas
pessoas de t referido reo, deram-sc coreo, e seufo-lbe intimada
a ordem de prisao, ello declarou-se ea rejalen-
cia, disparando dous tiros, e no momento ca que
lancava mo de una faca eaoruie, foi morto pr
um dos policiaes com um tiro,
t Miranda Costa ora um dos mais eamm< cri-
minosos desta proviucia.
c Condcmndo pelo jurv da dita villa a gales
perpetuas, logrou evadir-se." sendo delegado ifc- pa-
iicia desta villa o Dr. Joao Coimbra.
Tambem eslava pronunciado bu art. 192 4
codigo criminal polo assassinato do infeliz Caata
de Assis.
I le baldo tinbam lotfos m cht-fes de puliria
diligenciado a sua captura. Ha tres ama qa- o
delegado Dr. Benjamim fazia convergir para>>
mesmo fim todos os seus esforcos.
Donnindo na Pousada, no Ketiro. em diversos
ranchos que ludia ora urna mala virgem proaaa
| sua fazenda, arnundo lacos de espetos de Ierro e
L-se na Revista Commercial de Sanios de 16 do | de brauna aos policiaes, ditfarcando-se em mnmr.
feitos; e ben fcil elles fazerem das suas e re-
tirareni-se para a repblica, onde encontrado pro-
teccao era qualquer das torgas que se apresentera ,
Condemnaco, como consequencia de tudo isto,
dos attentados comraettidos;
Suspensao do comraandante de vapor de guerra
e domis, roubando Brasileiros, titulo sufficien-' oriental Villa del Salto, para ser submettido ao jui-
te para nao serem perseguidos naqttelle Es- zo dos tribunaes pelas violencias fetas ao vapor ar-
tado.
A nossa fronteira mal guarnecida por sessen-
la pravas que nao sufliciente para poder cobrir
mais de tres leguas, nao obstante va indo sem no-
vidade ; e esta freguezia, que dista quatro leguas
da fronteira, onde existe aquella pequea torca,
est sem um soldado, para ao menos impor respei-
to Immensa emigracao (uc aqui se aggloiiierou,
e que, como lica dito, existem alguns de marca
maior.
Estamos mesmo merc do comportamento
que elles quizerein ter, e nossas autoridades de-
viara ter isso era vista e dar providencias a mandar
guarnecer este lugar, que j tem jus a ser Ornado
com atiendo pelos immensos capitaes que aqu
1 existem, e'com isso se previnir a retirada dos taes
gentino Salto;
Salva reciproca defronte
de
corrente
Relativamente ao que referimos em nosso nu-
mero passado sobre a corveta a vapor norte-ame-
ricana Mohican, apressamo-nos era dar publicida-
de s informacoes que S. Exc. o Sr. commandanle
militar desta eidade teve a bondade de oflere-
cer-nos.
t Sr. redactor.Nao estando V. bem informado,
creio do meu dever dar-lhe o soguinte esclrareei-
mento.
t Chegou o vapor de guerra Mohican a este
porto no dia 11 pelas 10 horas da manha, ao
meio dia veio o seu commandantc minha se-
cretaria fazer-mc sua visita de apresentaco, e con-
vidou-me para ir a bordo, ver o seu navio, ao que
eu respond que considerava como urna obrigacao
ir visita-lo; fui com effeito pelas 2 '/* horas da
tarde em companhia do capitao do porto, que tam-
bem levou na mesma occasio no seu escalcr o de-
legado de polica, c outras pessoas. Eu tinha re-
sol vdo nao fazer ao commandantc intiinaco algu-
Martin Garca, em ma sobre a sua demora no porto, pois como navio
Sua aaWaie o Imperador, acompanhado dos' umigos, que pode bem ser fuuesla para nossos ra-: neutrahdade na luta que afllige o Estado Oriental
seus semanarios, chegou hontem s 9 horas da ma-1 teresses.. .? elle mesmo deplora. O vapor de guerra onen-
nha ao arsenal de marinha, o, sendo all recebdo =--------- Migas foi posto em hberdade.
signal de que na detenco do Salto e na do vapor (de guerra |>odia ajuelle va|wr vir aqu demorar-se
de guerra oriental Artigas nao bouve animo de j o tempo que lhc parecesse; mas alguns dos visl-
offender urna nem outra bandeira ; tantes disse que em sua opinio a<|uelle navio s
Satisfaco pelo alternado contra o consulado ar-1 poda demorar-se aqui 24 horas, do que resultou a
gentino em Montevideo e promessa formal de pro-! correspondencia que lhc envo, visto nao ser re-
cessar e punir os reos deste attentado -, ^ servada c julgar conveniente que o publico conhe-
I^ar o pavilho oriental no forte de S. Jos no! ca a verdade do que se passou. Son, Sr. redactor,
mesmo dia em que se levantar o argentino no res- j de V., em.Haran Marques ile Oliieira Lisboa.
pectivo consulado em Montevideo, como demonstra-1 < Consulado dos Estados-Unidos era Santos.
cao de que ambos os governos com prazer vem re-
movida urna dcsintelbgencia que poda perturbar a
paz de ambos os paizes.
A este ajuste precederam da parte do governo ar-
gentino protestos de continuar a guardar estricta
te, havendo o general Flores tornado a passar para beleeiinento, doinorando-sc na de machinas.
pelos Srs. ministro da marinlia e da guerra, gene-! por portara de 18 do corrente foram noraea-
ral Cabral, inspector do arsenal e encarregado do aos
quarlel-general, vistou diversas ofllcinas do esta- Manoel de Oliveira Rraga e Ernesto de Oliveira
mina nacional da provincia do Ro de Ja-
o norte do Rio Negro.
Das operacoes militares nada se poda saber ao
coito; loa-s", porm, a carta do nosso correspon-
dente.
Do Pacifico e da America Central havia em
Montevideo algumas noticias.
Km Costa Bica tinha D. Juan Jimnez sido eleito
presidente da repblica por 297 votos dentro
.101.
Entre as torcas das repblicas de S. Salvador e
Guatemala o os*seus respectivos alliados tinha havi-
do alguns recontros, mas anda nenhuraa batalha
decisiva.
A (tosicao do presidente general Martnez de Ni-
caragua dizia-se difiicil, em razo, j da nimisade
los governos de S. Salvador e Gonduras, jde una
forte opposicao interna, provocada pela sua reelei-
eo. que parece ter sido conseguida por uos
violentos.
Ilolaiivamenlo asjazidas do guano em Mejillones,
aprsenla a Voz do Chile, um quadro das cscava-
cih.'s. cujo resultado nao lera sido tao favoravel
como se osperava. |iois que das 91 foi tas, 50 nao
olTerocem carnadas do guanos, e as outras 44
variara estas de 1 at 26 ps de espessura.
Por decreto de 13 do corrente, foi commutada
ni galos |H-rpeiuas a pena de nutrte, a que foi
ondoninado o reo escravo Antonio. jr sentenca
do jury da villa da Estrella, da provincia do Rio
de Janeiro.
Foi nomeado vicc-presidente da provincia do Rio
tirando do Norte o Sr. Vicente Alves de Paula
l'es-oa.
Foi nomeado o Sr. Augusto Teixeira Coimbra,
para coadjuvar o Sr. Carlos Neale as obras hy-
di ulicas da alfandega.
O Sr. conselbero inspector da alfandega, expli-
cando a inteligencia pratica da circular do tltc-
souro i!. 194, de 24 de outubro do 1862, deolarou n,oz de prisao'e muluTcorrospondenio a iiietade do
ni portara de 11 do corrente moz que so devem .p,^ que lhe foi imposta pelo subdelegado da fre-
ser considerlas retalhos as sobras de pecas de | gU,.za da Lga.
diversos padroes, como ne rali nenie se entende, isto i p0r portara da mesma data :
, os residuos das fabricas; e nao as pecas corla-1 poram privados dos resiectivos postos o tenente-
das em pedacos, e estos distribuidos |tor diversos e,irone| Cbristovio Pereira Mascaronlias, comman-
volumos, ou acondicionados era um so, de modo; ,jailte (lo baiaihao de infantaria n. 11 da guarda na-
que, reunidos os de cada um dos padroes, possam (.j()liai da pr(ivincia da Baha, e o capitao cirurgo-
Braga, agente e ajudante ilo correto da villa da
Malta de S. Joao ; Joao Fernandes de Pinho Sal-
s 10 horas embarcou Sua Magostado na galeota
a vapor
tar
rou
laleza
etc., percorreu ininuciosamonto, regressando ao ar- (.a da uaa.
seal s 3 horas e 40 minutos da larde, dopais de ; por portara da mesma data foi nomeado Fran-
ler assistido ao exercicio ao alvo com mosqtiotoos cisc0 Antonio da Silva para agente do correio da
pelas pracas de artilliara aquarteladas n"a(|uella; v|[a da Bananeira, na provincia da Parahvba.
fortaleza." 20
--------- Por decreto do poder moderador, de 10 do cor-
Por decretos de 10 do corrente foram noniea- rcntej f0 pentoada a Jas Ferreira Calo a pena de
dos : um mez de prisao e multa correspondente a que
O baeharel Joaquim Antonio da Silva Barata, jmz fdra condemuado pela subdelegada da Laga, por
municipal e de orpbaos do termo de S. Francisco, crune de injuria. Ferreira foi ante-hontem posto
na provincia de Sania Catharina; disposco dojuizo das execucoes crimes, que o
O capitao Jos Justiniano da Silva Jnior, teen- nava requislado.
te-coronel commandante do corpo do cavallaria n.
10 da
uoiro:
Ao cnsul da Grecia nesta corte foi dirigido pelo
ministerio dos negocios estrangeiros de Alhenas
O capitao Manoel Rodrigues Franco, major com-; em 5 do pasado o officio seguite:
mandante da seccao do batalho de reserva n. 18) Tenho a honra de annunciar-vos que recebi es-
da guarda nacional da provincia de Minas-Geraes; t manha, da parte da deputado da assembla na-
Luiz de Souza Machado, capitao ciruigio-mor
do commando superior da guarda nacional do mu-
nicipio de Paracat da mesma provincia ;
O tenente Candido Ignacio Ferreira Lopes, capi-
tao cirurco-ntor do commando superior dos mu-
nicipios da Cainpanha e llajub da dita provincia.
Foram reformados:
Antonio Jos de Castro, tenento-coronel com-
mandante do 1 batalho da guarda nacional da
provincia de Goyaz, no posto de coronel ;
Celso Eugenio dos Reis, tcnente-coronel chefe do
estado-maior do commando superior da gualda na-
cional dos municipio- do Ro-claro o Bassa-Mansa,
da provincia do Rio de Janeiro, no mesiiio posto ;
Joo Antonio Capote, capitao aggregado ao Io ba-
talho da guarda nacional da corte, no posto de
major.
Foi perdoado a Jos Ferreira Callau o resto do
tempo que lhe falta para cumprir a pena de um
constituir cortes, ou medir a mesma quantidade do
fazenda que commumente
iras.
conteem as
mor do coiniiiando superior da de Paracat, na de
conal que fora a Copenhague para offerecer a co-
rea da Grecia ao re Jorge I, o telegramma se-
guite j
t Copenhague, 3 de junho.
Foi designado o prximo sabbado para a ce-
remonia que ser celebrada por occasio da aceita-
co solemne da cora. Est tudo terminado. Par-
tiremos daqui a 10 do corrente.
Este despacho, cuja leitura apressei-mc em
promover na assembla nacional, foi por ella aco-
lhido cora calorosas acclamacoes ao rei Jorge I.
No meio destas acclamacoes, a assembla de-
cidi unnimemente que haver amanha urna
fesla solemne em todo o reino por occasio da ac-
echado da cora.
Nao duvdo, senhor, de que partilheis a satis-
faco que esta feliz noticia tao justamente nos cau-
sou.
Autoriso-vos c convido-vos a dar-lhe a maior
publicidade no caso de nao terdes conhecimento
della quando recbenles o presente.
t Becebei, senhor, os protestos de minha parti-
cular considerado.Theodoro P. Delyami.*
O commandante C H. Baldwin do vapor de guer-
ra federal Vandtrbilt, entrado hontem de Pernam-
buco, fallou no dia 6 do corrente, a 5 milbas da-
liielle porto, com a galera americana City ofBath,
pecas m- Minas-Geraes, Manoel Ferreira de Almeida, aquel-
lo na forma do s 2" da lei de 19 de setembro de
1850, por se ter ausentado do districto do respec-
tivo corpo por seis raezes sera licenca, a este segn- arteirameute,
do determina o % da mesma lei, por se nao ter | balo.
apresentado fardado, e prompto para o servco no
prazo marcado.
que segua viagem de Bombaim para Boston. Re
ferio o capitao desta quo tora aprisionado pelo
corsario confederado Georgia, na altura da ilha da
Trindade; mas que, tendo resgatado o seu navio
por meio deum titulo de divida, odeixaram seguir
viagem, recebendo a bordo a tripuiaeo da galera
americana Constituto, que fra tomada o incen-
diada segurado de New-York para Shanghai com
um carregameuto de carvao,que foi baldeado para
bordo do corsario.
O Vanderbilt crusoii algum tempo junto ilha
da Trindade, porm nao descobrio os corsario^
16
Por decreto de 6 do corrente, foi nomeado secre-
tario do governo da provincia de Pernambuco, o
Sr. Dr. Francisco de Paula Salles.
Da ordem do da n. 361 publicada ante-hontem
pela repartido do ajudante-general consta o se-
guinle :
1* directora geral.-1" secdo.Rio da Janei-
ro. Ministerio dos negocios da guerra, t de
marco de 1863.
lllm. e Exm. Sr.Em solucao devida proposta
pelo commandante das armas dessa provincia, e
que V. Exc. em seu offlcio n. 161 de 23 de dezem-
bro do anno prximo passado submetteu conside-
rado do governo imperial, relativamente ao modo
O Sr. Jos Florindo Torres de Albuquerque, aju-
dante, servindo de guarda-mr da alfandega no
impedimento do Sr. Cmara Lima, tendo denuncia
de que havia contrabando a bordo do paquete
francez Savarre entrado hontem, na occasio de
o visitar apprehendeu urna grande porco de ren-
das que a passageira Rosinde Dumesml oceultava
trazendo-as cosidas na hojuda saia-
Foram nomeados : Amcrico Nunes Machado, pa-
ra o lugar de agente do correio de Passa-Tres, aa I
provincia do Rio de Janeiro ; e Fortunato Antonio
Soares, para o de agente do correio de Campo-No-
vo, na mesma provincia
A bagagem da respeitatel mulher (pois velha)
foi remettida paia a alfandega, onde se acha, afim
de que o Sr. inspector mande examina-la, visto
constar que tambem traz como aprendices alguns
objectos sonogados tarifa.
Nao ficou ah a apprehensao. Desconfiava o Sr.
Albuquerque que um balo tao rico nao viria se-
guro de qualquer modo, e por nao haver a bordo
ID
nenhuma senhora que se prestasse a auxiliar o fis-
co, utilisou-se da boa vontade da mulher do patro
do sen escaler, que acompanhou madama Dumes-
Foi laucado hontem entre a ponte da Sade e a
ilha do Governador o novo cabo submarino que li-
ga a corte Petropolis. A operado eomecou s % \ i'l at a guarda'mori erno fim de urna conferen-
horas e 20 minutos, e terminou as 10 e 58 minutos, ta ^eta que teve com ella, exhibi urna duzia
eommunioaodo-se para ierra durante todo o tra- de fivellas que vrabam presas em um nico cinto,
jecto. I e ecan, po, erto indispenisaveis para a difiicil sus-
Mao presagio precedeu a este irabalho; devia pensao da saia-contrabandista.
elle ellectuar-se ante-hontem, porem. ipiando o ca-
bo chegou ae ponto de partida, encontrn um navio
fundeado dentro do espaco, marcado por duas li-
ohas de boias, e onde por ordem expressa da capi-
tana do porto prohibido largar ferro.
Se assim forera rurapridas as ordens da autori-
dade, deve-se receiar que o novo cabo tenha cedo
a sorte do antigo, que s compoe de emendas.
18
Escrevem da eidade do Mar de Ilespanha o se-
guite :
t No dia 3 de julho crreme, s 9 horas da ma
nhaa, foi assassinado Antonio Maria de Axevedo,
na estrada do Rio-Pardo, lugar de Cachoeira.
Madama Dumesnil ficou em liberdade por ter-so
respomaJiilisado o Sr. Ruqu por qualquer multa
em que eHa incorresse.
21 -
Por decretos de 8, 10, 17 o |f do corrente fo-
ram nomeados:
O baeharel Evaristo de Araujo Cintra, juiz de di-
reito da comarca da Parnahyba, na provincia de S.
Paulo;
Herculauo Furtado de Mendonca, major comman-
dante da secdo do batalho de reserv a n. 8 da
guarda nadonal da provincia do Ro de Janeiro.
Domingos Jos da Silveira, lenente-coronel che-
fe do estado-maior do commando superior da guar-
Corre que foram nomeados :
Chefe do quartel-gcneral, o vico-almirante gra-
duado conselheiro Antonio Pedro de Carvalho.
Intendente da marinha, o chefe de diviso conse-
lheiro Raphael Mendes de Moraos e Valle.
Chefe do terceiro districto naval, o chefe de es-
quadra graduado Joo Maria Wandenkolk.
Da ordem do da n. 362 do ministerio da guerra,
publicada a 18 do corrente pela repartido do aju-
dante-general consta o segrate:
Komeaco.Do Sr. coronel do corpo de estado-
maior de segunda classe Francisco Xavier Torres.
para inspeccionar o corpo de guarnido da provin-
cia do Maranhao e o deposito de artigos bellicos da
mesma provincia.
Transferencias.Dos Srs. capitao do 10 bata-
lho de infamara Pedro Alfonso Ferreira, para a
8" companhia do 9o batalho da mesma arma.De-
creto de 8 do corrente mez.
Alferes Jdo Ferreira da Silva, do batalho de
cacadores de Mato-Grosso para o 13 batalho de
infantaria; e Espiridio da Silva Bueno, deste para
aquelle, como requereram.
Alferes Jos Clarindo de Queiroz, do 8o batalho
de infantaria para o 4 da mesma arma
Licencas concedidas.Aos Srs. crurgio-mr de
diviso uo corpo de sade do exercito Dr. Jos Ri-
beiro de Souza Fontes, dous mezes com sold e
etape, de prorogacao da que lhe foi concedida pelo
ordem do dia n. 3oS, para tratar de sua sade onde
lhe convier.Em l4 do corrente mez.
Capitao do 4 batalho de artilharia a p Joo
Paes Brrelo de Mello, tres mezes com sold sim-
ples, para tratar de negocios de seu interesse na
provincia da Parahyba.
Alferes do Io batalho de infantaria Joo Manoel
de Lima Mariz Sarniento, um mez de prorogacao
da que lhe foi concedida pela ordem do dia n. 358,
Era tratar de negocios de sua familia na villa de
guahy.Era 11 do corrente mez.
Ao cabo de esquadra do 1 regiment de cavalla-
ria ligeira Firmino Jos Luiz, dous mezes de lavor,
para tratar de negocios de sua familia na eidade
de Cabo-Fra
Desistencia de iicenc.a.Ao Sr. 2o tenente do 2o
batalho de artilharia a p, addido ao 1 batalho
da mesma arma, Jos Chrysostomo Gomes da Sil-
veira, foi permittido desistir da licenca que pela
ordem do dia n. 368 obteve para ir proviucia de
Minas-Geraes tratar de seus interesses.
Menagem.Foi concedida, at final julgaroento
dos respectivos processos de conselho de guerra,
aos Srs.:
Capitao do corpo de artilharia da provincia de
Mato-Grosso Joaquim Jos Ferreira Souto, na eida-
de de Corumb]
Tenente do batalho de cagadores da mesma pro-
vincia, addido ao Io regiment de cavallaria ligei-
ra, Antonia dos Santos Caria, na eidade do Rio de
Janeiro.Em 10 do corrente mez.
Antiguidade do servieo militar.Ao Sr. capitao
do corpo de estado-mair de primdra classe Carlos
Resin, concedeu-se contar o tempo decorrido desde
22 de fevereiro de 1849, era que como paisano se
matriculou na amiga escola militar, at 3 de outu-
bro de 1850, em que assenton praca no exercito,
visto acliar-se comprehendido as disposteSes da
provso de 24 de abril de 1844.
O tempo de servieo que por aviso de 8 de abril
de 1858 se mandou contar ao Sr. tenente do 13
batalho de infantaria Joao Baptista Lopes de Car-
valho, o decorrido de 17 de fevereiro a 3 de ou-
tubro de 1842, em que servio como aspirante a
guarda-marinha.
Muito nos custa fazer aecusacoes directas, mas
Julho do 1863.Senhor.Era conversado que ti
vemos hontem coinvosco, eu e o capitao do vapor
dos Eslados-Unidos Mohican entendemos que ape-
nas se consentira que este vapor se demoraste 24
horas no porto, collocando-se-nos no mesmo penque
o Florida e o Georgia. Se assim peco-vos o fa-
vor de o declarar por escripto.Sou, etc.Char
F. Vivaldi, cnsul dos Eslados-Unidos.A S. Exc.
o Sr. marechal Lisboa, commandante militar de
Santos. >
t Quartel de commando militar da eidade de
Santos, 12 de julho de 1863.Illm. Sr.Acabo de
receber o offlcio de V. S., em que me diz que em
conversado contigo hontem o capitao do vapor dos
Eslados-l didos Mohican e vos entendern! que eu
dissera que o mesmo Mohican apenas seria con-
sentido ficar 24 horas no porto, col locando-vos as-
sim no mesmo p com o Florida e Georgia, c que
se tal o facto, cu declare por escripto.
Ao que rosando que outras pessoas que fo-
ram contigo a bordo avancaram isso, e que eu dis-
se e repet que estava satisfeito com a doclaracao
que fizera o referido capitao do Mohican de que
sahiria hoje ou amanha : esse meu vol foi dictado
pela comiedo era que estou de que S. Esc. o Sr.
presidente desta provincia approvar este meu modo
de proceder, as instrueces que tenho, emanadas do
governo imperial, marcara coiiireconhecidajustica
as regras da neutralidade que o imperio se iinpoz
na I n laJda l'unio Norte-Americana; e casos ha em
que os navios de guerra como o Mohican sajan su-
jeitoss mesmas condices dos corsarios armados
pelos confederados, alim de que se possa mantor
a referida neutralidade.
Deus guarde V. S-.Illm. Sr. Char F. de Vi-
valdi, cnsul dos Estados-Unidos.//. M. de Oli-
veira Lisboa, marechal de campo.
Entrou a 50" embarcafo com malcraos
para a estrada de forro da provincia. >
L-se na mesma folha de 18 :
No dia 16 do corrente deu fundo na barra a
crvela americana federal Omcard, commandante
Niklels.
Consta que est cruzando fra da barra
um grande vapor americano.
A corveta americana federal Omrnrd conser-
va-se ancorada na barra
- 23
O paquete a vapor Brasil, entrado hontem dos
portos do sul, trouxe-nos datas de Porto-Alegre at
15, Bio Grande 17 e Santa Catharina 19 do cor-
rente.
0 Mercantil de Porto Alegre noticia em data de
7 que, segundo o balando tnmonsal, dar o banco
da provincia um dividendo do 105800 por aoco,
ou i'.tul, 1 a o anno.
A mesma folha de 14 diz ainda, em referencia
quelles estabelecimentos:
Reunio-se hontem a assembla geral do ban-
co da provincia, para eleger a mesa que deve func-
rionar no presente anno social, e a commissao de
omitas.
A requer ment de um dos socios, foi adiada a
eleicao para 15 do corrente, visto completar-sc na-
quefle prazo o extremo que marcara os estatutos,
os dous mezes de antecedencia que sao determina-
dos para que possam votar os accionistas que te-
nliam adquirido accoes.i
L-se no Diario do Rio Grande:
O Sr. Dr. juiz de direito da comarca conhrniou
a pronuncia do Sr. juiz municipal, que classficou
fraudulenta a quebra dos Srs. Hugentoblor & C,
desta praca.
Regressou hontem (11} de Jaguario o vapor
Rio Grandense. e por elle tivemos cartas e jornaes
at 8 do corrente.
O collector e escrivao da coUectoria de Arti-
gas tinham emigrado para Jaguaro com todo o
archivo, e dinheiro existente em cofre, por terem
sido ameacados pelas torcas anarchistas do capitao
Martins. o qual j tinha sido batido pelas torcas
do governo no rinco de Taquary.
Con referencia ao estado Oriental, eis o que
encontramos de maior na Atalaia:
Carta particular de pessoa mu digna de cr-
dito, nos diz e garante a respeito do Estado Orien-
tal a gravidade do facto, que nao duvidamos dar tal as noticias que abaixo publicamos, eitrahidas
publicidade seguate carta, sendo, como escripia de seu original. Por ellas vern, nao s nossos
>w> uuiu ma nna Hur dvtn Por nm va- natricios. como tamhem nosso lveTOO. OBI nao SO
por pessoa que nos aersce crdito Por um sor
dido interesse por em rlseo a vida do nosso seme-
Ihante, aggravar com afalta de alimentado sufli-
ciente osincommodos e perigos de urna longuinqua
viagem, conduzir centenas de enamras humanas a
arnt luta eerta com os horror da fome em alto
mar, nm proeedlmeoto qoe lie ha termos para
qalMearie, tal a ndignaeio que inspira
O fado, cuja narraelo se va 1er, ja nio tem re-
raedlopossivel* enapre porm que seja conheddo
patricios, como tambem nosso governo, que
delapidacfies, como at asassmaas, Km
nossos irmos residentes naquelle teiritom
tem, porm, que taes actos s tm sao pratieados
pelas torcas do oven ,
O clamor dos anlitris peral sonara aquel-
las torcas. Efe o que diz a carta a qoe nos rea-
rimos :
. A guerra contra os cavallos e as pessoas que
do aqui da amizade ilo Dr. Palomemoe continua m
correndo romo um veado, Miranda Cosa ;
das leis e das autoridades.
Era o terror deste termo.
21
Por decretos de 10, 14, 15 e 17 do crreme fo-
ram nomeados :
O baeharel Francisco de Carvalho Star-- Bran-
do, juiz municipal o de orpbaus to termo de Porto
Calvo, na provincia de Alagoas.
0 baeharel Pedro Pereira Bezerra de Arauj
Bcltro, tenente coronel commandanle do baulhao
de infantaria n. 23 da guarda nacional da provin-
cia de Pernambuco.
O capitao Manoel Jacome Bezerra de Carvamo,
tcnente-coronel comraandante do batalho in-
fantaria n. 47 da dita guarda e provincia.
Manoel Ferreira de Christo Correa, mame-co-
ronel commandantc do batalho de infantaria n. t
do servieo activo da guarda nacional da provincia
do Para.'
O alferes Sulpicio Cantoso de Oliveira, lenr-ac-
coronel commandante do batalho de infantana n.
34 da mesma iniarda nacionafe provinria
O capitao Joao Manoel de Menezes, lenrnte-coro-
nel commandante do batalho do infantaria a. :M
da dita guarda nacional e provincia.
Foi reformado Joo liuilherme de Abren, lenen-
te-coronel chefe de estado-maior do commando su-
perior da guarda nacional dos municipios do Rosa-
rio o Icaii'i. na provincia do Maranhao, no posto >te
coronel da mesma guarda.
Fez-se merc a Firmino Jos de Souza da serven-
tia vitalicia dos offleos de tabellio do pslira. ju-
dicial e notas, e escrivao do civel, rnw e mais
amiexos do termo do Bom Jess da Gorgueia, na
provincia do Piauhy.
Por portara de" 17 do corrente foi privado respectivo posto o lenente-coronel chcf.- do ei*to-
maior do commando superior da guarda nacional
dos municipios do Principe e Acary, na provincia
do Rio-Grande do Norte, Cipriano Bezerra Galvo,
na forma do S I* da lei de 19 de setembro por se nao ter apresentado lardado prompto para
o servieo no prazo marcado no art. 20 ifo decreto
de 6 de'abril de 1854.
Por decretos de 8 e 28 do corrente.
Foram reconduzidos .
O baeharel Ernesto Goncalves Martins. no tarar
de juiz municipal e de orphaos do termo do Lann-
geiras, na provincia de Srftoe.
O baeharel Francisco Bapti-ia da Cunna^Madu-
re-ira, no lugar de juiz municipal o m rjibaos m
termos reunidos de Cayru'. Taperoa e Santan-m,
na provincia da Babia.
Foram nomeados :
O baeharel Antonio Jacintho de Saapaio. ja*
niunici|ial o do orphos do termo de Barri, k
provincia das Alagoas.
O baeharel Melcades Augusto
dra. juiz municipal do orphos
raras, na provincia da Baha.
('.aciano Rodrigue* orta, major commamlaav
da seccao de batalho da reserva n. 25 da guara
nacional da provincia de Minas-Gerae*.
Foi commutada a Joaquim do Principe Silva, em
504 para o instituto dos meninos rogos, .1 |-iva de
8 dias de prisao e multa que lhc foi imposta mu
grao de appellado petojam do ataa lasepaam
vara criminal da corte.
de Azeveito P>^
do termo ilo Ma-
Por decretos do 22 do corrente foram non ...
Primeiro conferente da alfandega de M>
as Alagoas. o primeiro coneivnie da !> Ki->-
1 i laude do Norte, Thonutz DeM-hantfw e Jlusilnio-
roney.
Solicitador do jiiizo dos feilos da fazenda ib pro-
vincia de Minas-Geraes, Francisco Xavier de Mou-
ra Leto.
rKKi:spo\it:\riA ax %-
BIO lK FKH.% .%.Hail .
Harria, 27 de jala* V 1M.
Por estar sem correspondente aqu, tme r lio
lido o sou jornal, me oncreco para, sem atavio al-
gum, estyto bombstico, e phrases impotadas, av
ticiar-lhe' com toda a imparrialidade o que pur
aqui occorrer na crise rliniaterica por ifte esta
passando e va passar esta provincia.
O que preocupa todas caberas (falto das m*-
ticas) a eleicao a que se vai proceder no da 9
do mes vindouro. *
Os liberaos proparara-se. Mis riribus. para
pleito cleitoral; o os conservadores, que a
po fallavam na poltica de absorata;
param-se tambera, mas eom algaat reserva 1
to tino.
A eleido desta capitel corre quasi ao
paro.
Com a chegaila do Oynpwc*. eavaV a ps>
licia que devia varejar os domicilio de alpaw n-
dados da villa de Sanu lJizia di >"ne.
quaes suspeitou terem armamena ea suas ea*af',
e prepararem-se rom elle para a ata eteiioral
Foram varejadas as propriedades do lemmr-co-
ronel Barnab, do advogado Lucio, e 1
dador ihtanga, director geral dos tai
Sement na casa do nli
armamento velho; o que deswsoa ^t 1
medita crime algum.__________
E* boa que a paMrii proeare prevear o 1
mas deve proceder ea negocios desta asa nm
toda a circumsnecco. arnn de que no seu teto pea
ordem publica nao exorbite de suas anrilia^ies.
Presumo que o chefe de pomria praesda amae
negocio som toda a prudencia, visto coa M ato
por elle a deligencia.
heceu ao da25 veto do Peaede '
de polica que alli estacanava, commaamm por
nm tenente,
O cholera eeaaaa a asmar a
villa do Pitar; nestes amaos das aa
^ad^a^aa-tSta.-
Dms a amercie 'amala tocaaade e




Diario de Peraanbnco Sexta fefra 3f de Jnfho de 1903.
0 Exra. presidente tero concentrado toda a
sua alinelo as estradas estragadas, e reparos
urgentes de algumas obras publicas.
Deste ranio do publico servieo que tira resul-
tados reaes a provincia.
Entretanto o faci, que hoje mais prende a alten-
cao publica e ate a desvair, a eleicao, que, tra-
zendo a lula, detxa os esairitos caucados, se nao
traz petare Cnnjonncncia* ^^
r L*^1* ** rao tor Principio logo depois de
nnao o invento algunos estradas de qae precisa a
provincia para facilitar o transporte de gneros,
'i'ja conduce.*> ti ara.
Acha-se entre nos com destino comarca de
Propria nu Rio de S. Francisco o svmpatkico Dr.
bebastiao do Reg Barros de Lacerda, ex-chefe de
polica da Baha. Ten sido aqu muito visitado e
obsequiado por amigos, e pessoas residentes nesta
capital. Segu boje no Valeria de Sinmbn para o
Penedo, d'onde tem de transportar-se para sua
comarca.
Chegaram hontem no Mamanguape, viudos
da comarca de Porto Calvo, o Dr. juiz de direito
da mesma, e o Dr. Manuel Joaqnim de Mendonca
Castello-Branco; creio, que voltam no mesnio va-
por. _
Nao sei, se descubra nestas viagens precipitadas
motivos eeitoraes.
. Hontem entraram neste porto dous navios
estrangeiros.
E' ha dias esperado o brigue-escuna Fidetidade,
que vem passar aqui alguns dias.
De outra vez serei mais extenso.
JNhhki.
Quintaes por me........800,000 porto 1 liarca portugueza c 1 patacho dito a 440 rs.
-----------' por alqueire.
Consumo total.......a
Dcp. para satisfazer esse consumo a
1,400,000
1,199,000
a 101,000
DIARIO DE PERNAMBUCO
Dficit que resulta .
Buenos-Ayt es, i l de julko.
CambiaLondres 67 i/2 sk ; Par M frs.
Oncas.Ultima venda a dinbeiro 459.
Bio Grande do Sul, 8 de julho.
Cambio.Londres, 25, H l/ e 24 d. ; Pars,
390 rs. ; Hamburgo, nominal ; Rio de Janeiro,
6 6/0 ; Baha, 11/10/0 ; Pe-Bambuco 4 0/0.
Mueda Papel nacional 8 1/2 a 9 0/0 de premio.
Frotes.Inglaterra, cauros salgados, 70 sh. e
5 0/0 ; Rio* Janeiro, 400 rs. ; Babia, 500 rs. ;
Peraaubuco, 600 rs.
Rio de Janeiro, 23 de julho.
Cambios.Londres, 27 '/, d. a 90 d/v. (I ion tem);
Paris, 354 e 335 rs. (hontem e boje); Havre, 354
rs. a 90 d/v. e 355 rs. a 90 d/v. (pagavel em Paris);
Brdeos, 353 rs. a 90 d/v.; Hamburgo, 660 rs. a
90 d/v. (hontem e boje.)
Apoucks.De 6 /o, 88 %.
Accks.Banco Rural e Hypothecario, a 38*W)0
de premio-, Seguros Feliz Lembranca, a 20*000 de
descont; illuminacao a gai, a 170*000 de premio
(dividendo para o comprador.)
Fhetes Honolul (carregando em Pernambu-
co) 55,500 (hontem.)
Gneros.Caf 1* boa e boa regular a 7*150
por arroba (hontem) dito i* boa (novo) a 7*200
por arroba; dito superior com pouco 1' boa a 7*050
por arroba (hontem). Farinba de trigo SSSF a
20*000 por barrica ; carvao mudo a 16*250 por
tonelada.
O tribunal do commcrcio communicou hontem
ao Sr. presidente interino da junta dos correctores
que fra approvada a segurte tabella organsada
pela mesma junta fizando os valores das transac-
?6es de fundos pblicos e de fretes obrigados co-
tacao.
Cambios. 2,000 ; ni. b. 20,000; francos
20,000.
Flxoos pibucos.Apolices geraes de 6 e 5 %
10:000*000, provinciaes 5:000*000.
Acodes.Dos bancos e companhias 20 aceoes.
Metaes.Ouro 10:0005. prata 5:000*.
Dbscontos.20:000*000.
Fuetes.Fretamentos por inteiro ; engajmen-
tos de 100 toneladas inglezas e para cima, etc.
BoletimdeSafi.
Durante a quinzena houve algum movimento em
nosso mercado de importacao, devido, porm, ape-
nas a varios supprimentos que tizeram os compra-
dores de artigos de maor consumo.
O azeile doce de Lisboa alcancou em pequeas
vendas 340* e 350*.
A banha teve sabida fcil, dando a de Boston e
Nova-Y(.rk.:260 a 285 rs.; a de Baltimore 330 rs.,
e a de I.i vj'r pool cerca de 280 rs.
Os precos do carvao de pedra conservam-se
baixos.
As entradas de farinha de trigo foram diminutas,
e compondo-sc o deposito em primeira mito na
maior parte de qualidades seccas, as frescas esto
em poscao firme.
A manteiga ingleza velha foi vendida a preco
vez cni que tenho de di- %**>ea > a cotando-se boje de 620 a
- ** foiiori^ mn r.. 640 rs. A franceza de Insigny deu regularmente a
680 e 700 rs.; conserva os mesmos precos.
Com a diminuicodas entradas tem melhorado a
situacao do sul. Colamos actualmente de 540 a
580 rs., conforme a procedencia.
Venderam-se algumas partidas de vrho, porm
anda tao retalhadas que nao asseguram melhor
collocaco ao artigo, \isto que, na dependencia de
maior numero de pequeos freguezes, sao os im-
tiah'ia.Reinava^na'capita, atacando as cran-' Portadores muitas vezes compellidos, pela necessi-
cas. o sararapao. tem carcter assustador. ?**.* nao aPinen,ar o deposito, a acceitar as
O vapor Navarre conduz
dada* m.!*' maS "*>,1 s a .^ln*ira I"11: ida *> Mr- Lessfl, a qoa We muda
dade Ib,? den os pacos da municipal, de quem navegaciio do mundo.
Para o Canal a ordens : 1 bngue norueguense a tamben procurador. O preso requeren Iwbeas-
20 sh. i dito hanoveriano a 40 sh. 1 dito dinamar- corjmq oque den motivo a duvidas entre o juiz de
quez a 24 sh., 1 patacho dito a 35 sh., 1 barca bre- direito e o delegado.
A Opinione Nacionale, jornal francez. traz o se-
ejd.,elbriguehamburgueza30 cholera pare estar ex.inc.o na villa, appa- "^KSn^em^te^"
sh.; e carrejando no Rio do Sul: 1 escuna bol- recendo um ou outro caso por fra. Os dotes regulara de d mil dous .nilhue* de
bndeza a 55 sb., e i bngue inglez a 52 sh. e A rarinha batxon de preco ; o feijo e milho francos. ous m,fteb
n m, .., j nao figurara iw BKTcado. | A entender-se com Mr Bonwllrtn .hp ..
Para GibraUar a ordens : i lugar dmamarquez Acerca das amidas de que cima me fallo eia lo das familias, na ra' Rivol n 14 daT 2is 6
Teode- sido Jesirino D. t^arneiro pn>so horas. '
a 27 sh. e ti (I., e 1 patacho dito a 35 sh.
o occorrido:
Recebemos hontem pelos vapores francez Na-
turre ebrasileiro Apa. jornaes do Rio at 24, da
Baha at 27 e de Alagoas at 29 do correte.
Sob as rubricas Parte Oficial, Exterior o
Interior encontrarao os leitores o que ha de impor-
tante -, alm do que s achanios nos jornaes do Rio
o que segu:
Ministerio dos negocios estrangeiros.Scelo
centralBio de Janeiro, em 6 de julho de 1863!
Apresso-rae a aecusar recebida a nota que, com
lata de hontem, me dirigi o Sr. William Carnwal-
, encarregado ae negocios interino de Sua;
Jdagestade Britannica, tondo por objeclo communi-
t-ar ao governo imperial as ordens que acabava de
recoser do conde Russcll, alim de pedir passapor-
tes para si e para os dous Sis. secretarios da lega-
cao a seu cargo, e bem assim para dar conheci men-
t ao mesmo governo do despacho do Foreign-Ofll-
ce. em que se acham expostos os motivos que de-
terniinan a retirada do Sr. Elliot desta corte.
Salisfazendo solicitacao com a qual o Sr. El-
liot antecipou a realisar.i.i do pensamento do go-
verno imperial, envi inclusos os passaportes pedi-
dos: e pelo que loca ao alludido despacho que !
aeompanhou por copia a nota a que respondo, s me ;
cabe dizer ao Sr. Elliot que o governo imperial
nao julga opportuno discutir as raides em que fun-
dou o governo de Sua Magestade Britannica a sua
resolueao.
Sendo esta a ultima
rigir-me oftlcalmenle ao Sr. Ellio, faltara ao re-
clamo dos meus proprios sentimentos se deixasse
de manifestar o sincero pozar que experimento por
vr-ine privado da continuar*) das suas relaces
PMMMM, que sempre me foram summamnte
agradaveis.
Reitero ao Sr. Elliot^ as segurancas de minha
mu dstincta consideracao. Mrquez'de branles.
-Ao Sr. William CornVallis Elliot.
que la remettero pn
PI* 48; .... I Par o Recife, segundo as ordens do chefe de po-
para o Havre; 1 barca franceza a 40 fr. e 10 /> licia, ao que repHcou o jniz de direito dizendo-lhe
Para Honulula ; carregando em Pernambuco 1 que aqnella concessao isentava o preso de seguir,
galera ingiera por 5,500. recusando-se isso o delegado pouco cortezmente
Para L-mdres ; 1 escuna mg eza por 280. | para com o juiz de direito, cuja autoridade disse
Para Marselha: 1 bngue italiano a 40 fr. e 5/o> nao reconhecer
e i escuna dito a 32 y, fr. e M% Apesar dessa renitencia jnlgou-se o juiz de di-
Para &a'-York; 1 barca sueca a 30 sh. rwto competente na causa, e n'uma senlenca me
Para o Rio da Prata a carregar mateem Paran- lavrou ceusurou severamente ao delegado, por se
gua : 130 rs. por arroba. I ter querido arvorarem juiz para avahar dos actos
Para Trieste : 1 patacho bremensc a j5 sh., el do de direito
escuna dinaiuarqueza a 35 sh o agente Olympio, faz leilo hoje no seu ar-
Para Valparaso carregando em Paranagua : I mazem ra do Imperador n. 16, de movis, es-
barca ingleza por 650. cravos, carros, cabriolets, cavaltos, vaccas com
U)tamos,- ^ ,,. crias eoutros muitos objectos; nao tendo podido
Antuerpia^....... 30 a 15 hs. fazc-h) hontem por causa do mo lempo.
Canal a ordens.... 25 a 35 sh. RPAnTiCAO da polica :
Gibraltar dem.... 25 a 40 sh. Extracto da parte do dia 30.
Hamburgo........ 30 a 35 sh. Foram recolhidos casa dedetencao no dia 29
Havre (band fr.)... 40 a 50 fr. do corrente :
Liverpool......... Nominaes A' ordem do lllm. Sr. Dr. diefe de polica, Joio,
Uindres.......... .>onunaes. pardo, de 26 annos, escravo de Francisco Marinho
Marselha (band fr.) RattW de Albuquerque Mello, vindo da provincia das Ala-
r... >c York........ 30 a 35 sh. nom gOas, como fgido.
Cambio. -Sommam os saques elfectuados ate hoje A- onl,m do subdelegado de S. Jos, Leonardo
(21) pelo paquete francez Navarre. I silvestre da Silva, pardo, de 39 annos, por distur-
Sobre Londres 300,000, sendo a maior parte a bj, > i- > > i
26 V, d., e pequeas quanas a 26 JA <" 27 d. 0 hef. d ,.
Nao incluimos lfesta somma S 50,000, tomadas u jq T EJ3E^
b0S2SLlSS2 g"Vl7^iTTal a 27 Vt d; a { ~ Passageiros vindos do Rio de Jamuro por-
,r?*?Fran*a 1'00000 francos a0sextremos de ts intermedios no vapor nacional Apa :
js.tajsors. aAAlrtA ..-..___| Dr. Antonio Alves deSouza(^rvalho, JoaoEvan
Sobre Hamburgo 200,000 m. b. de 660 a 66o rs. gdisui de Meneies padre Anlomo Augusl0 ^ An.
Sobre Lisboa e o Porto regulou a '
guinte:
106 % vista
105% 30 dias
COMMUNICADOS.
tabella se- drade e Silva e l escravo, Antonio Joaquim de No
vacs, Jos Firmino da Silva Tavares, f lioraaz Fli
ga, Manoel Concalves de Aguiar, ex-praca da com
panhia de invlidos Jos Moreira, soldado invalido
Jw ../' a a Silvestre de Souza, Firmino Herculano Mena Bai -
iim /, a\w reto, Olympio Jos Pereira da Silva, Petcr Josepli
00A.^n ^7Neg0Ciaram'SC- ** geraJ? JflW' Klcem- Jaciiuho de Souza Jnior o 2 escravos,
88 X e 89 /o, e as provinciaes a 85 c 8o W /. Francisca de Paula Lobo Ferreira e 1 fillio menor,
Descontos.-Lonscrvam-se no banco a 6 /. | Josephina Devulhe. 2 te.n.mte Olvmnio Aurelio da
Vi
ro a b '-. Josephina Deyulhe, 2 tenente Olvmpio Aurelio da
/,, sentinao- silva Cmara, Amelia Felicia Descamps, 1 filho
Na praca regulam de 8 Vi a 9
se falta de boas letras. menor, 2 escravas e 2 criadas, Lourenjo Domin-
Metaes.-jlealisaram-se transacf oes de oncas da gos da Silva, padre Flix Brrelo de Vasconcelos,
Jos Nunes Guimaraes, Jos Joaquim de Oliveira,
para a Europa 52
oitavas e 41 graos de diamantes brutos.
Depois de infructferas tentativas, em urna
das ipiaes perdeu algum panno, resol veu o chefe
do 2" districto naval addiar a rinda da crvela D.
Janttaria Pernambuco, para melhor quadra.
^ Ao divulgar-se na capital a noticia da deci-
sao de S. M. o rei dos Belgas, na questao Anglo-
brasileira, grande numero de casas se Iluminaran),
e batalhoai patriticos passeiaram as ras das ci-
des, ao som de msicas marciaes e de vivas es-
se soberano.
Haviam sabido em commissoes provinciaes
os hiales de guerra Cajni e Rio de Cuntas.
Lemos no Jornal da Bahia:
Em vista dos precedentes que temos e do esta-
do melindroso, em uue se acham nossas relacoes
com a Inglaterra, julgamos de nosso doverchamar
a atteocio dos Srs. S e Albuquerque e chefe de
polieia para alguns factos que se tem dado nestes
ltimos dias entre pracas da guarnicao da fragata
Salllite e alguns naciouaes.
No sabbado :s H daipielles, na ra Direila de palacio esnamaram
;i rara de um nacional por causa um realejo. Era
grande o ajuntamento de novo revoltado com tal
|inH-eilimento. (piando a forca publica intervio e
prendeu e dous dos mesmos ; o terceiro, que pro-
curou evadir-s<', perseguido jielo povo, foi preso na
]iraea de Palacio por piaras da guarnicao do mes-
mo.
> No domingoquatro desses mesmos indivi-
duos, j em adiantado estado de embriaguez, pelas
mas da freguezia de Sant'Auna. diverliam-se em
espiar as casas, dirigir gracas em seu idioma, e
a tallar entrar as casas de familia dos morado-
res.
Hontem (13), anda na mesma freguezia, tres
armados de careles e bastante embriagados desa-
liavamaos caminhautes a |>erseguiam os meninos
e os pretos do canto, aos quaes tomaram os c-
celes.
Anda nao est concluida a celebre questao
dos ofliciaes da Forte, e como procediinento to
imprudente, o menos que nos pode custar sao tai-
vez mais nlyumus libras, se nao mais alguma cou-
sa, julgamos necessario exigir um remedio, antes
que qualquer circumslaneia fortuita nos tragam
naiores oesgostos e complicaeoes.
Escrevem-nos da Villa da Barra do Rio de
('.i mas em 19 do corrente :
as costas do Itacar ao sul desta villa, e na
I 'i ma da Foi lia apparereram fragmentos de navios,
como peinos n vargas mastareos, taimas, pan-
nos e cerdas: sopado oc, que sao de navios espe-
darados pelos corsarios americanos.
Na rosta da hunda 1'nntnl foi achada urna ta-
ima de popa de navio com as letras segurles :
olleras mais diminutas que Ibes fazem esses fre-
guezes de menor forca.
Do Mediterrneo ha em primeira mao nesta dala
2,625 pipas, sendo 1.936 ditas tinto e 689 ditas
branca
No mercado de exportacao houve alguma pro-
cura de caf, principalmente nos dias 16,17 e 18,
em que se venderam 30,000 saceos.
Depois da partida do Magdalena, estando o mer-
cado sem animaran, baixaram os precos do pro-
ducto 100 a 150 rs. em arroba, aproveltando esta
baixa alguns exportadores paraocumprimentode
ordens anteriores. Desde, porm, que se desenvol-
veu a procura, sendo diminuto o deposito, flrma-
ram-so de novo as cotacoes, apresentando actual-
mente as dos lotes'gcraes urna alta de 100 rs. em
arroba, em relacao as que vigoravam no dia 8 do
corrente.
As entradas do interior leem regulado nos lti-
mos dias razao de 3,000 saceos por dia, porm o
deposito est anda reduzido a 16,000 saceos.
O assucar est frouxo.
A posico do mercado de fretes est inteiramenle
sujeita a do caf ; mas como ha boje menor nume-
ro de navios disponiveis no porto, e principabnente
frotados na Europa, pode-se esperar algum melho-
ramento. K eomtudo dQlcil em taes circumstan-
cias cstabelecer cotacoes.
No dia 14 abrio-se o cambio sobre Londres pelo
Navarre a 26 '/s 8 a este algarismo tem-se man-
tido, fecbando-se hoje algumas operaedes a prazo.
Os saques a 26 3/4 e 27 d. foram muco impor-
tantes.
Sobre Franca sacou-se aos extremos de 353 a
356 rs.. e sobra Lisboa e o Porto conforme a tabella
seguinte:
106 por cento vista.
105 30 dias.
104 c 60
103 t a 90
Negociaram-se as apolices geraes de 6 |mr cento
de 88 a 89 por cento, e as provinciaes a 85 e 85
por cento.
A ta\a dos desenlos mantem-so nos bancos a
8 por cento. Na praca regula de 8 }{ a 9 > por
cento.
Agurdente. Entraram no periodo que passa-
mos em revista 153 pipas na maior parte de Cam-
pos. Nao houve vendas, O deposito limita-se a
800 pipas; e por isto e pelos altos precos que sus-
tenta o artigo nos mercados do norte devem fir-
mar-se as anteriores cotacoes de 70* a 80* por
pi|.
Assucar.Durante a quinzena entraram :
Da Colnguiba. 157 eaixas pelo patacho Alfredo.
De Campos, 1,100 saceos e 30 barricas, por dif-
ferentes navios.
De Macei nao ti vemos supprimento algum, es-
patria a 29*200,29*400 e 29*600.
AceSes.Foram negociadas as do banco do Bra-
sil a 40*, 42* e 45* de premio, do banco Rural e
H\pothccaroa 36*, 36*500 e 40* de dito, da
Companbia de Navegacao do Amazonas a 28* de
dito, da Companhia de Illuminacao a Gaz a 170* de
dito e da companhia de seguros Feliz Lembranca
a 20* de descont.
23 -
A' ultima hora.
Cambio.Incluindo pequeas opera^oes effec-
tuadas hoje sobre Londres a 26 Vt o., sommam os
saques pelo paquete francez Navarre.
Sobre Londres : St 320,000, sendo a maior
Manoel Pereira Pontes Grillo, Paulo Joaquim Telles
Jnior, Francisco Jos Guimaraes Bastos, Antonio
Jos dos Santos Porto, Elvira Lins U. de Faria,
Caetano Jos; de Abreu. Antonio Francisco de Pau-
la, 1 furriel, 1 cabo, 5 soldados, 3 recrutas, 2 inu-
Iheres com 2 filhos dos mesmos.
Seguem para o norte :
Capito de fragata Rodrigo Jos Ferreira, cadete
Luiz M. de Oliveira, cadete Jos M. Mello de Oli-
veira, Eduardo Caraleone, Lazare Gotcliaug, com-
mendador Honorato de Barros 1'.. capitao Antonio
| Maria BabHlis.
Passageiros vindos do Rio de Janeiro e Bahia
rr-1
d- no vapor francez Navarre:
Fecharam-se os ltimos saques a 26 Vt d., rea- ; Emile Deschamps, Adolphe Heinrich Hagemam
lizando-se algumas transacc,oes a prazo. (. j c. Buxlon
Nao incluimos naquella somma S 50.000 toma- j _1 Seguem para a Europa
das pelo governo imperial a 26 V d. Manoe| Ignacio de Oliveira; Manrique Bernardo
s.?,re .ranfa i00,000 de francos aos extremos de oiivi'ira, Jean Francois Manuel, Joaqnim Perei-
de 3o3 a .lab rs. ra dos Santos, Leonardo Milllcr, Kamp e sua fami-
Sobre Hamburgo 300,000 ni. b. de 660 a 66o rs. n Francisco Ferreira da Silva, Francisco Gomes
Sobre Lisboa e o Porto tem regulado a tabella A> Araujo, Joao Rodrigues de Oliveira, Francisco
seguinte :
106 %----- vista.
105 7........ 30 dias.
104%..........0
103 %........ 90
Descontos.Conservam-se nos bancos a 9 %.
Na praca regulam de 8 '/, 9 Vi %, havendo pou-
ca procura de dinheiro.
Metaes.Exportaram-se. durante a quinzena, as
segurles quantias:
Destinos. Ouro. Prata.
Brdeos ....... 26:100*000
Lisboa......... 4:195*800 256*000
Ilha dos Acores. 5:532*900 108*000
Rio da Prata 506:700AOOO
de Carvalho Pac* de Andrade, Paulo Tisset, Henri-
que Mantey c Emilio Luiz Joao Juley.
Total 539:528*700 364*000
Sahiram para Pernambui-o: 19 o lugre
portuguez JWfa, e 20 o patacho nacional &i-
pvam.
Achavam-se carga para Pernambuco: o
brigue Guilhermina. e a galera ingleza olihim.
Babia, ti de julho.
Cambios. Effectuaram-se : sobre Londres a
26 3/i e 27 d. mr 1*: sobre Paris 355 rs. ior fr. ;
sobre Hamburgo a 655 rs. por m. b. ; e sobre Lis-
boa 97 100 %.
Oncas.As hespanholas e mexicanas rende*
ram-se de 29* a 30*.
Sahio para Pernambuco. a 20, a barca ingle-
za Saluin.
PERNAMBUCO
UM POUCO DE TUDO.
A provincia de Minas conta 279 parochias, as
quaes sao suscitas s jurisdiccoes das dioceses de
Marianna. Diamantina, Hio d Janeiro, S. Paulo e
Govaz.
bispado de Marianna tem jurisdiccao sobre
177; o de Diamantina sobre 54; o do Rio de Ja-
neiro sobre 402 curatos; o de S. Paulo sobre 29
e o de Goyaz sobre 15.
Nao leudo sido installada ainda a dioeese da Dia-
mantina, as freguezias que foram separadas para
a sua. formaran, eontinuaiii ainda na regencia das
suas primitivas' dioceses. isto as freguezias da
comarca do Serr, excepto Curimatahy e Penha
na do bispado de Marianna as da comarca do Pa-
racatd. das Dores do Indai. de S. Romao e Janua-
ria na do de Pernambuco; c as 30 restantes na do
arcebispado da Bahia.
Alm das 279 igrejas parochiaes, ha na provin-
cia obra de 260 a 280 capel las as canecas dos dis-
trictos e em oulros lugares.
Em correspondencia europea publica o Diario
Oficial o seguinte:
l'm Polaco araba de publicar um eloquentissimo
appello pun a Franca.
Podiam, exclama o Polaco, tirar-nos tudo ex-
eepto a nossa f, excepto a nossa conlianca em
I Deus, excepto a nossa paciencia e as nosss sup-
plicas. Esta f proscreverani-na; esta conlianea
acharam-na sediciosa; estas supplicas qualltlc-
ram-nas como crimes, e no seculo XIX vio-sc este
sublime e ahoininavel es|iectaculo de um povo de-
sarmado, que supplica, e que degollado...
tlencial descMflbnea .ue anda ra sufloraai
crdito em toda a parte.
A aimiquillacao deste aerrolha nos c.rfres *.
banco e esconde as burras dos rapiaKstai o nu-
merario que vivificara o tratalh. Eis |Minin^
juro tem duplicado e triplicado' resulum*. Jih
que nossas propriedades ruraes, nossos escravo <-
nossos gados acham-se depreciados at mam
metade do que vaham, quando nos os compranHe.
nao ha muito lempo, contraMndo dividas, nena
poca de illusdos, que j l foi-se. nessa poca n
juro baixo, no tempo da abundanria do
Hoje cada um de nos mais ou menos compro)
dos v-se arrastrado ou a desfazer-se de seas krn-
por um preco vil, ou a curvar a cenris prepofcn-
cia de juros' desapropriadores, qae apialani-n-
incessantemenlc como paradeiro a roisTa iaeritt
vel de nossas familias Ah que deram-nott a be-
ber um nctar de esperamas. mas no fuan ra-
lix o que sorvemos foi um veneno subtil, toi a H-
esperacao!............
Senhores, em tao solemne occasiao como a pre-
sente estarci phanlasiando alguma causa ? este mea
Sentido profundo nao o gemido pela maior par.-
e cada um de vos? e o que mais i, nao sera Hl-
o precursor infallivel dos solncos de nossos fllln
nhos, dentro em pouco esmolado o pan da imti
gencia?.............
Caro, bem caro nos eustam s experiearias -
nanceiras !!!... bem desastrosos fwii mm-
piudeutes eomttm dados a Administrara* Smfrrwm
do Estado'.... *<>
Que sejam coroados de vrenles e immarcfssiv.i-
louros que descam toilas as heneaos *w tm
sobre as cabecas daquelles que nos'tirarem >*i.-
abamlono cruel em que achamo-nos!...
Sun. que venham as assmriaroes de crdito agr-
cola; que em beneficio desta* rofefnrmem-te de
prompto as leis hypothecarias. estahelwendo--
(note-se bem) que o privilegio das hypothera* *
' taes associaces seja superior aos de todas as mai-
hypothecas at as da fazenda ; que o estado chegne
at a descontar ao par um corto nntnero de Mira-
de |>enhor aceitas on emittidas |ior ellas Sim m*
venha tudo isso!.. mas de que servirn llnennos
tantos e so proprios de lempos normae piando o
nosso estado geralmente .' tal. qnc nem as medidas
que salvaram outr'ora a aiirirultura da Praaria.
devastada |mr urna guerra de sete annos. podes
aproveilar-nos! para que e como medrarao asav
sociacOes de crdito agrcola onde a iiKolvaMIiade
tem invadido ou pelo menos MMnp quasi tanf
Nao desesfremos que venha primeiro m t*
que facilite convenientemente as liquidara?? e
moratorias cireis. S assim depois de abroan ae-
mora poder haver base rme para crdito agrco-
la, e s entao peder o Commerrio marchar V-
em|)edido e florecer. S assim, quaes unan ti
e saluiaros sarjaduras em abeesso moriiMra ae
evitar a gangrena total; s assim. romo par aa
dos para-raios sao pouco a poaro moi a i ten a-
iugentes ex|>losoe$ elctricas, ser coajurada a tai-
mensa catastrophe que j brame sob nossos pe\.
pondo em convulso a conlianca de todas as tran
saeces, alimentando e activando cada vea i
CIRC11AR ,
As liiAnenrias eieitoraes e fataros Ele lores do
terceiro districto.
Amicus Plato, sed magis
rnica veritas.
Desconhecido na grande scena poltica do paz,
sem ttulos que jusiiilquem a minha apresentaco
como candidato pelo teucbiro districto no pr-
ximo pleito eloitoral, em competencia com outros
sem duvida mais prestrnosos e de bem merecida
nomeada eu nao cosaria a tanto se nao fra a isso
animado por amigos que, alm de dedicados e bon-
dadosossao alguns delies at atneslrados na po-
ltica e de civismo a toda prova ; cujo empenbo in-
cessantc, me confundindo todo, a nica garanta
onc eu titubante ( sim titubante s por desconfiar
de meus merec mentes nosso offerecer-vos de que
se com effeito nao tenho serviros patria, ao me-
nos espero presta-Ios.
Sei que de programmas todos nos estamos far-
tos, mas como nestas minhas ciroumstancias es-
quivar-me de indicar-ros o modo com que espero
concorrer para a felicidade publica ? Seria at
dar lugar a que esperasseis de mim serviros su-
priores a meus esforcos, por que em tal caso me
aprecianeis nao pelo que poderei valer, mas exclu-
sivamente peto quilate do empenho daquelles fi-
lustres cidados, uin de cujos nomes ate dos mais
respectados na provincia e bem condecido em todo
imperio. A mudez de minha parte em conjunctura
tal nem seria coinpativel com o proceder de cava-
Iheiro. Dignai-vos pois de ouvir-me.
Senhores, anda que no silencio de minha obs-
curidade. duas graves preocenpacoes dominam-me
ha tempos, e que me nao ahandonaro, seja qual
for a poscao era que me oollorarem os vossos suf-
fragios. Urna destas preoccupaco< tem por ob-
jecto extirpar a esterildadc da administraco pu-
blica, imprimindo-lhe vida fecunda e conveniente
estabilidade ; e o flm da outra libertar a agricul-
tura de seu actual aviltamento e com isto desas-
sombrar o commercio, dando assim a este na pros-
peridaded'aquellaasomis inconcussas bases do
crdito, esse elemento essencial de sua vida. Com
cffeito realcando-se a agricultura que quasi a
nossa nica industria, o commcrcio necesaria-
mente prosperar desempedido por eonlar-se na. sa,:'.wr3. aiimeinauuo e aruvanoo caaa vez aui.> a
solidez e regularidad- d'ella. voracidade da cruel usura ; e por flm mirraad >
J vede por tanto que em mim, desta arte todo dia .a dia a "r'ora crescenlc prosperidade do m
preoecupado, nao tereis um esforcado athleta na P*"0
arena das discussoes que versarem sobre o Insto- _,. --------
rico das admnistra^es passadas c presentes, ou' V.K,S 'ndl,;alas todas as minhas vistas, fltaare...
sobre a moralidade dos gabinetes que se tem suc-, ^ m.e '" v^o nem de leve assegurar-ms qae as
cedido at hoje. Nao! ituc irrissistivetmente fe-!w**8 pieoccupaees tero a venlura de ser
cham-se-me os oihos a tudo isso ; pois inlendo que consideradas, e anda menos inetamorphoieaM
o velho parlamentarismo que tem consumido tanto J?'5-. ,An! r,i
lempo e tanla seiva com a imlitica de patarras e Pendes ou a de
s de palavras nao o que mais aproveila a causa a empregaria toda em obter anhelos tao rdea
publica. t mas novo con son na vida publica, sem
0 que vejo bem claro 6 que o paiz soffre e raui- a'lrni, sem talentos oratorios, o que posso proawt-
que a gravidade de seus iiadcrimentos nao da ,e_r-vs' ludo o que tenho: minhas duas preoreumm-
cies nao me ahandonaro. seja qual Mr a pnafo
em cpie me collocarem os vossos saarafka.
Engenho Buranhem, 30 de julho de 1863.
Ignacio dr Barros Barreta.
ira dotado com a cloqueara de L
B Perclcs ou a de um Demostlienes. arn-ditai-raa, i
Suhme fosas kHras, gravadas na taima, l.nl.am o ( perando-se porni os brigues Almirante e Nonna,
centro pintado de amarello cor de ouro. com os rest07 da salra> que ,
-NOTICIAS COMMERCIAES E MARTIMAS.
Mintevido, 7 de julho.
Cambio.Inglaterra, 66 a 67 1/2 sh. Franca,
sempre inferior e hu
mido.
De Pernambuco nein houve entradas, nem nos
consta que esteja navio algum carregando para es-
te porto. Apezar destas circumstancias favoraveis
83 eH.t i/ frs.; Kio de^Janeiro 29*100 a 29*200; ao assucar branco desta procedencia os compra-
dores conservam-se afastados do mercado, azen-
do oftertas mulobaixas. mesmo por pequeas mar-
cas para as mais urgentes necessidaues do con-
sumo.
Venderam-se cerca de
3,500 saceos de Pernambuco.
600 ditos, 614 barricas e 20 caixas de Maceio.
163 ditos e 40 caixas da Bahia e Coting.
402 ditos e 67 caixas de Campos.
Total 4,665 sacros, 614 barricas e 127 caixas.
Tambero se revenderam algumas caixas de mas-
cavo baixo de Campos.
Colamos:
Montevideo, 1/4 0/0 de descont.
Descontos.Banco da provincia, ouro e papel
15 0/0 ao auno. Ditos particulares, ouro 18 e pa-
pel 16 0/0. Escassea o dinbeiro a premio.
Fretes.Inglaterra, directamente, couros salga-
dos 23 1/2 a 28 sh.. ditos seceos 50 sh ; e fardos
20 sh. com 5 0/0. dem a ordens : couros salga-
dos 30 sh., ditos seceos 60 sh., e fardos 25 sh. com
5 0/0. Estados-Unidos : couros seceos 3/4 a 7/8
ps. e fardos 8 1/2 a 9 com 5 0/0. Havre : couros
salgados 20 frs.. ditos seceos 100 frs., e fardos 60
frs. com 10 0/0. Marselha : couros salgados 20
frs., ditos seceos 90 frs., fardos 60 ps. coro
10 0/0.
Carne secca.Le-se najrevista commercial pu-
blicada na Tribuna de 5 do corrente;
Para eselarecimento dos nossos fazenderos e
xarqueadores que teem carnes por vender, publi-
camos os dados segurles, dos quaes se conclue
que haver falta della este anno nos mercados
consumidores. Avista, pois, do roelhoramento de
precos que obter este artigo, eremos que o dos
novilhos subir em 1864.
O consumo no Bio de Janeiro em 1862 foi de
1,1975,500 arrobas portuguezas, e em 1861 de
1.902,824 ditas, equivalentes a 55,000 quintaes por
mez. Na Baha calcula-se o consumo em 30,000
quintaes, e em Pernambuco a 25,000 ditos mensal-
inente.
Em Havana eonsomem-se por mez 50 a 55,000
quintaes. Calculamos, pois, para nao errarmos.
que o consumo mensa! nos dous mercados de
150.000 quintaes.
t Deposito.
Em 5 de abril havia em Havana qs. 52,000
Era viagem com destino a esse merca-
I0. 1s-. 1...........262.000
REVISTA DIARIA.
Ihos sobre o sangue, e morra sem proferir urna
Morria, mas legava a seus lilhos una pa-
mas sabia que o ferro dos Csares
no peito n dos inarl> rea. Quando se
justica os mais fortes nao sao os que op-
primem e que matara ; os mais fortes sao os que
protestara pacificamente e que morrem.
E dirigndo-se Franca diz o Polaco;
A nossa causa a sua, porque nos somos os
representantes do direito sagrado e involavel das
nafta; o seu espirito, sao as suas inspiracoes.
a sua vida, que se pretende annqiiillarem nos...
I A Franca proclamou os direitos do lioniem, im-
I pondo-se a si, e imnondo a todos o dover de os me-
! recer e de os defender. Foi ella que proclamou o
direito das nacoes. Nao Ihe tiremos esta gloria
que sua.
A Franga pagou-a com o seu sangue, e nos ere-
mos que, para m nter esta gloria ella esta anda
dsposta a dar todo o seu sangue.
A Franca o paiz do direito, que se funda sem-
pre sobre o dever.
E' a grande justiceira do mundo, e mereceu ser
reconhecida como arbitro das nacoes. >
O eloquente interprete dos que soffrem, comba-
tem e morrem pela patria nos bosques da Polonia
recorda Franca tudo o que ella tem feito ha dez
annos em favor* da justica, da liberdade e da na-
cionalidade, o allega os' direitos de seu desventu-
rado paiz a urna manifestacao activa, vigorosa e
efhYaz das sympathias da Franca.
Beceio, prm, que a Polonia ainda desta vez
lenha de dizer, como em 1831: Deus estara
~r a
Em todo o Bio da Prata vendida e Por
vender em 28 de iunho. .
No Bio-Grande (400,000 fl>,
No Bio de Jauoiro, ti ePernam-"
buco, .
501,000
140,000
Total.
. 153,000
1,199,000
Em Havana se consumiram desde 5 de abril
prximo passado at a mesma dala de 1864 (nica
poca em que as carnes novas podero substituir
as velhas) quintaes. ....... 600,000
No Brasil se consumiram de 23 de junho pr-
ximo passado a 23 de fevereiro de 1864
(dem) 8 mezes.........100,000
De Pernambuco, branco, 2* sorte. 4*000 a 45300
De 3 dita. 3*700 a 3*900
De 4" dita. 3*500 a 3*600
De somenos 3*100 a 3*300
De mascavo nao houve vendas.
De Macei, branco 3*100 a 3*300
De > mascavo 1*900 a 2*200
Da Baha e Cotrguiba, branco. 2*900 a 3*300
Da mascavo. 1*700 a 1*809
De Campos, branco. 3*000 a 3*200
De > mascavo. 1*700 a 2*600
Fcam em ser 16,860 saceos, 491 caixas e 80 bar-
ricas, sendo:
De Pernambuco 10,000 saceos.
De Macei 4,800
Da Bahia o Cotrguiba 60 491 cax. 30 bar.
De Campos 2.000
Despacharam-se 18 caixas para Lisboa e 37 di-
tas e 08 barricas para o Porto.
Carne secca.Ha em deposito 259,100 arrobas,
sendo 61,500 ditas do Rio Grande e 197,500 ditas
do Rio da Prata.
Vende-se a primeira de 1*200 a 2*, e a segunda
de 1*300 a 2*.
Couros. Venderam-se 1,700, os limpos da La-
guna de 220 a 240 rs., e os refugos do Rio-Grande
a 200 rs.
Regulam actualmente os mesmos procos.
Ha em deposito. 8,000
Despacharam-se 5,800 salgados para o Canal no
brigue sueco Scamlin.
Fretes.No periodo que passamos em revist ef-
fectuaram-se 28 fretamentos, a saber :
Para Antuerpia: i patacho hanoveriano a 30
sh.
Para o Cabo da Boa-Esperanca : 1 brigue inglez
a preco reservado.
para Cabo-Verde; a carregar sal para o nosso
o Sr. Dr. Pedro Pereira Bezerra de Araujo Beltrao.
Foi igualmente nomeado tenente-coronel com- ,
mandante do batalhao n. 47 da mesma guarda na- '' \, JS
cional o Sr. Manoel Jacome Bezerra de Carvalho. ''',*!!?! '
OSr. capilao Pedro Affonso Ferreira foi trans- ESTtiSi
ferido do 10 batalhao de linha, estacionado na Ita- '
hia, para o 9* existente nesta provincia, sendo-lhe
designada a 8" companhia.
Acha-se nomeado secretario da presidencia
desta provincia o Sr. Dr. Francisco de Paula Sales.
Foi exonerado de i medico do hospital mili-
tar desta provincia o Sr. Dr. Miguel Joaquim de
Castro Mascarenhas, 1 cirurgio do corpo de sa-
de do exercito, sendo substituido pelo Sr. Dr. Fran-;
cisco Goncalves de Moraes.
Foi transferido para o 10 batalhao de nan-
taria o Rvd. padre Joaquim Verissimo dos Anjos,
Jue pertencia a guarnicao desta praca na qualida-
e de capello-alferes ; c prcenchida essa vaga
pelo Bvd. padre Antonio Augusto de Andrade e
Silva, a quem foi designado o 7 batalhao para nel-
le exercer o respectivo ministerio.
Por portara de hontem foram nomeados pela
presidencia alim de tratarem dos indigentes, que
forom accommcllidos do cholera-morbus as fre-
guezias desta cidade, os Srs.:
Dr. Jos Joaquim de Souza, no Becfe ;
Dr. Joao Nepomoceno Dias Fernandes, Sanio An-
tonio ;
Dr. Augusto Carneiro Monteiro Silva Santos, S.
Jos ;
Dr. Joao Maria Seve, Boa-Vista;
Cirurgio Manoel Jos Peixoto Guimaraes, Afo-
' muito alto e a Franea muito longe.'
A galera franceza Adle, entrada do Havre,! -----
com 36 dias de viagem, encontrn os seguintes na-' Paulo Pierret escreve o seguinte, que traduzimos
vios : na lat. N. 29^43' e long. O. de Paris 21o de Tintamarre no seu artigo Ninharias.
42' a escuna hollandeza Bildeidyk, cora 19 dias de 0 bibliothecario de minha cidade natal (consultai
Botherdam para Batavia, e a galera ingleza Vctor Vapcrean) acaba de contratar, na razao de cinco
Kmmanuel. com igual numero de dias de Liver- sidos por hora, um mestro de escola para ana*
pool para Calcutt, 8 do corrente; na lat. N. 24 Ihe a leitura.
15' e long. O. de Paris 2410' o brigue fran- Este digno homem, quo sem duvida poe em pe-
cez Amelie, com 19 dias de Marselha para a ilha da to justificar o famoso verso de Musset, tendo en-
Beunio, 10; e na lat. N. 3o3' e long. O. de Pa- contrado esta phrase : S. M. foi acompanhado at
ris 29o29' a barca ingleza Aquamarino, com 26 ao porto de S. EL, leu : Se elle foi acompanhado
dias da frica para a Inglaterra, 24 do corrente. por Se E. (Methodo Dupont).
Sob proposta do Dr. chefe de polica, foram A observacao que flzcram-lhe de representarem
nomeados para supplentcs do delegado do termo de essas inlciaes as pilas-ras Sua Magestade e Sua
Barreiros os cidados seguintes : {Eminencia, pareceu ferido de espiuito. No entre-
Para 2o o 3o supplenle Joao Carlos de Mendonca tanto assentou com os botdes de tomar a devida
Vascoucellos, em lugar de Ignacio Alves da Silva not da liyo, e proseguio na leitura.
Santos, que se acha mudado para o termo do Rio < O rei embarcou-se em presenca de una inul-
Formoso. | tdao consideravel, e era pouco terapo a nao real
Para 3o Francisco Ferro Castello-Branco, em ganhou o alto-mar, impcllida ir um forte vento
lugar de Joao Carlos de Mondonga Vasconccllos. de Sua Eminencia I >
Para 5 o capitao Jos Francisco Bello, por estar O livro tnha de S. E., isto Sud-Est.
vago. intil mencionar o rir inextinguivel que pro-
Para 6o Joio Lns de Barros Vasconcellos, por vocou ao referido bibliothecario esta variante im-
ester vago. I provisada por um leitor mais que simplorio; c
Foram nomeados subdelegado do districto de elle nao cessou o seu riso seno para fazer sobro o
Barreiros, Io da freguezia do mesmo nome, o te- temperamento de Sua Eminencia uina reflexo que
nonte Jos Carlos Mendonca de Vasconcellos e para qualquer ingleza por certo nao approvaria, mas
Io supplentc do mesmo, o tonento Antonio Secundi-. que nao deixar de fazer, assim como elle, mais de
no Accioli. um leitor do Tintamarre.
De Po-d'lho nos oserevem, em data de 28 do O mais jocoso desta anedocta, segundo pens,
corrente : a sua authenticidade, que vos garanto com toda a
Morreu na Gloria do Goit o juiz de paz Nu- cidade de R.
nes (nao Ihe sei o nome todo.) Sahindo cavallq
acharam-o morto ora caminho, suppoe-se quo tovo Carlas recentes de Alcxandria dzem, que os tra-
algum ataque. balhos do canal de Suez proseguem com actividade,
N'uma das ultimas feiras liouveram na mesma conlando-se nelles ompregados actualmente vinte e
Gloria, uns ferimentos era 3 ou \ pessoas. seis mil trabalhadores; os quaes sao renovados re-
Nesle Pao-d'Alho foi preso Jesuino Domingues gularmente.
Carneiro, que est na casa d,a Cmara, por ser a|-1 Acha-se prxima, pois? a roalisacao da grande
to
lugar a que procuremos saber quaes os autores de
scmelhante situacao, nem desde quando esta co-
mecou-, e que, por tanto, oque noscumpre quanto
ames, sem perda do tempo e do irabalho atalhar-
mos o mal que se padece, esse mo estar em seu
requinte, eloquentemente denunciado pelo instant-
neo e quasi unnime assodamento ( de um canto
a outro do imperio ) era congracarem-se as opi-
nioes em nome do progrksso, e em abandonar-se a
poltica que tem mais ou menas dominado era
nome da immobilidadk !
Se os males, que todos nos sentimos, consists-
st'in na desorganisacao radical da assocac,o dos
Brasileiros, teria entao cabimento aqu o dizer-vos
que como outr'ora o povo escolhido venerava a
arca da allianca, assim venero e entendo que de-
vemos todos venerar como a nossa arca santa da
i.ki. que o a constituco que nos foi offerecida e
jurada pelo fundador do nidrio em nome da vbr-
dade das verdades Felizmente, porm. por mais
graves que sejam, nossos males nao soliera tao de
ponto.
De certo : deixe a le de proteger esse predomi-
nio exclusivo das parcialidades mais favorecidas
da fortuna ou mais astutas, e garanta a renresen-
lacao a todos os interesses de vulto, alim de que
v3o_ desputar ellos o poder no recinto da represen-
laco nacional, e nao extempornea pereinptoria e
ate brbaramente nos comicios eeitoraes ; que to-
dos, tendo a certeza de que nao serio supplantados
por seus adversarios era taes comicios, nao tra va-
rio ahi luta encarnicada como at hoje, essa luta
quasi sempre de um resultado s garantido pelo
requinte da fraude ou da violencia Senhores,
s assim a liberdade do roto to preconisada, tao
suspirada, e to prometlida deixar de ser urna
INol'E.vrioNAVEI. mBJSAO !
S assim as minoras at no coraciio do poder
excrcerao efficazmente sua crtica benfica, alim
de moralsa-lo, tornando-o sempre crcuraspeeto.
S assim nao ser dado ao poder com simples ace-
iio por as conchas da balanca poltica em continua-
das libraces; as quaes quando nao partem ouno
se liarmonisam cora a expontaneidade da Na^ so
servera de plantar o seplicismo, o desanimo, e por
fin 0 sen-ilismo dos Bepresentantes do Povo! PrOs-
i.iikx a-se..... proscreva-se o actual st/stema eleito-
ral que ser cortada pelas razes essa gigantesca e
inedonha arvore das faccoes! S assim o poder go-
vernalivo marchar desassombrado na senda do
i'iior.iiEsso kkci xdo, e, o q^ue mais cora passos
firmes; pois entao se apoiar confiadamente na rs>
prescntario genuina do paiz; e por outro lado to-
dos, sendo obrigados a respirar urna atraosphera
embalsamada pela justica, deixaro de esperanro-
sos nutrir interesses ambiciosos e cuidaro dos
mais reaes.
Sim veris entao. em \n dessas ncessant> ~
esteris lulas polticas de nossos parlamentos, que
j sobrar tempo para zelar-se a instrucco e mo-
ralidade publica ; para retocar-se a legislaco ad-
ministrativa, civil e criminal: e para com afflnco
se curar dos mellioramentos materiaes reclamados
lir nossas numerosas cidades contraes e martimas,
por nossas extensissrios campos e florestas, e por
esses ubrrimos e deslumbrantes vales de nossos
i inmensos Rios.
PUBLICARES A PEDIDO.
A florida r dnrifera fraaanria
que se exhala e diffnmle da balsmica e deliciosa
agua de florida de Morras & Lanman.e de fa-
dos os perfumes o mais delirado e mimoso.
No propro paiz florido aonde ellas nasrem e do-
recem, e donde o seu maierial derivad, a. pm-
prias flores ellas mesmas. nao derramam urna fra-
gancia mais delicada e doce. Alm disso as sia*
qualidades sao tao saudaves. to viviAeante. ras>
refrigerantes uaprazive- ; -ervindo do mais suave
e agrada vel refrigerio ao espirito.
Derramai urnas poucas de gotas no vosso Kinh,
e lavar-vos-heis n'uma pura e liquida fragranru
de flores do mais delicado e lino perfume.
Nenhoma outra essencia odorfera n exfraelr,
chega a reler a metade de sua fragrant forca mi
de sua superior suavidade.
As senlmras a usara n'um estado diluid" pan
a purificaco e conservaco dos denles, e >> -nii-
res da mesma forma a sam como agra-lav.-l r-
frigeranle para depois do fazer da barl. Ella
tem-se tornado um necessario e venladeiro lu\
primario do toucador, para o anta modae a gran-
de tom Ihe outorgou e aftixou o seu imperial ~-ll-.
e por isso poder-se-ha encontrar em todas as pria-
cipaes tojas de perfumaras e eslabcleciinent* I
drogas.
COMMERCIO.
CAIXA FILIAL
DO
BARCO DO BRASIL
EM PERNAMBCCO.
A directora da Caixa Filial do Banco do Brasil
declara aos senhores accionistas que o Ihesonrer
da mesma est autorisado a pagar o dividendo re-
lativo ao semestre lindo era 31 de mao proxhn
passado a razao de 104000 por aceio. Recile 14
de julho de 1863.
Jos Mamede Alves Ferreira
secretario.
Alfaadega
Rend ment do dia I a 29. .
dem do da 30.......
Acabando de tratar da primeira, varaos asegun-
da de minhas preocenpacoes.
Sou agricultor e meus'pas o tem sido, desde se-
I W*4l*i
lio v I monto da alfaaVga.
Volumes entrados com fazendas
com gneros
Volumes sabidos
com fazendas
com gneros
107
------IT
1
2
Descarregam no dia 31 de julho.
culos, i.ranlo por experiencia propria e no mais Barca ingleza>7eio*c^=earvo.
intimo, quo compartilho do estado miseravel de
nossa agricultura.
Como o sabis, um de nossos polticos de mais
renome. enlhusiasta das maravilhas do crdito, fez
com que este se expandisse em umaesphera dila-
tada. Semelhante facto causando a baixa do juro e
de algum modo concorrendo para a elevaco
do preco de nossas produccoes, despertou' o
espirito das emprezas e affagou as mais bem in-
tencionadas ambicoes industraes. Bem raro
foi o agricultor de boa f e de rigorosa sade, que
confiado em si e em semelhantes ciroumstancias
nao se deixasse levar por to fascinadora torrente,
procurando intrpidamente augmentar os instru-
mentos de seu trabalho. Mas ( fatalidade!) toma-
do assim geralmente esse impulso com alacridade
e tanta forca, eis que de sbito, qual are tetrirel-
mente agoureira, levanta-se um outro poltico nao
menos celebre, c, por ventura abusando cavillosa-
niente da verdade econmica de que perennes fon-
tes de emisses nanearas sem um regulador, sem
o manmetro da conversibilidade em moeda metali- Navios entrado* no da :aJt
ea, vria por fim a produzir completa innundaeao Ass -14 dias hiate nacional Sania Rita, .le S
de urna moeda, que mais tarde ou mais codo equ- neladas, capitao Joaquim Antonio ile Fi
valeria a indubitavel moeda falsa : assim o denun- equipagciu 6, carga sal ; a Tasso & Iruau
Barca franceza Adelemercadorias.
Barca portugiiezahuir -charque.
Galeota hollandezaPeterdina Jfirra dorias.
Recebesloria de residan Isitfersasw
gerae de PrrsmsMasira.
Bendimenlo do dia 1 a 29. 51:02*4711
dem do dia 30......... i :477*m
tsaafanl
COBSnllada provincial.
Bendimento do dia 1 a 29. .. 73: dem do dia 30........ 2\7*3M
7S:8laaM!
MOVIMENTO DO PORTO.
to-
tal guisa (sem a devida prudencia, o direi sempre)
e cada vez mais e mais encarecido, aterrou aos nos-
sos politicos de entao a ponto de esquecorem-se do
impulso grandioso que lovavam as industrias do
paiz: quasi de supeto foram refluidas as encan-
tadoras aguas da pretendida inminente innndnrn.
e ouvio-so alto o bom som (a tanto importa o quo
adoptoM-se): salvk-sk quem poder !
deira e outros gneros a ordem. Arrihuu a
este porto com agoa aberta, seu destino era CaU
da Boa-Esperanea.
Rio de Janeiro e portos intermedioso dios e 21
horas e do ultimo 12 horas, vapor nacional .4*.
de 917 toneladas, com mandante o i* lansnss Joa-
quim de Paula Guedes Alcoforado, equipngeni 51.
Ro de Janeiro e Bahia -6 das vapor francez Na-
..............varre, de 1.270 toneladas, commannanls f- Ve-
..............del. eqnipagem 115.
Pondo de parte os commentos, que nao sao ellos New-Zeland-80 dias, galera americana ffuar,
de meu proposito, o que nuc presenciamos hoje:
o que sentimos quasi lodos f
As medidas financeira^ iendo trazido como con-
sequencia rpida; nquidatoes commerciacs; estas
a seu turno produzlram nm cem numero de que-
"ras; 1 tem continuadamente exhalado essa, pes-
ile 433 toneladas, capitao Besje, asjnjpaatni 24
carga azeite de peixe ; ao mesmo capia. Veto
refrescar,
Navio sahido no mesmo da.
Brdeaux e portos intermediosvapor francez Nu-
vane, commandanie Flix Yedej,



[Diarlo de rvraaabmo- **xta Ir Ira 3 J h-Jullio de 183.
DECLABACOES.
COMPANHIA BRASELEIRA
DE
- Tem de ser arrematado por despacho do Dr. QITETj_S \ VAPOR.
juiz de orphaos dosta cidade o armazem. de cabos Jr.fl.VH *^1
maduras de fi-
lia ra do Vig_r1 n. 5, e diversas a
upira e amarello,aqualarremataca* tera Jugar
no dia 7 de agosto ao meio da em ponto, depois
da audiencia do juiz de orphaos que tem de-assis-
lir : os pretendentes poderao examinar o escnpw
de praca que se aeha em mao do portoiro dojuiz,
Amaro Antonio de Farias. #
tormo.
ras da tarde em ponto os jornaes fue tem de se-
guir no mesmo paquete serao recebides at i ltra;
u rartas admettidas ao seguro sero -eoebldas at
2 horas.
' ORREIO GERAL
Kelaco das cartas seguras viadas do-sanelos
vapores brasileiro e francez, para s .atores
abata declarados.
l)r. Alcibiadcs Jos Aievedo Pedra,
Americo Jos dos Santos.
Antonio Alvos Carvalhar.
Antonio de Castro Alves.
Antonio Joaquim de Souza Paraizo.
Antonio Jos Lopes Filho.
Clemente de Oliveira Mendes.
Ensato Ignacio Cardim.
Francisco Lourenco de Araujo.
Francisco de Paula Araujo Almeida.
Dr. Gabriel Antonio Raposo da Cmara.
tiabriel Antonio de Castro.
Goncalo Jos AfTonso, (2)
Canalo Vieira de Mello Prado,
Joaquim Cavalcanti de Albuque-que.
Joo Maria Chaves.
Joao Militad Henrique Soares.
Capitao Jos Joaquim Pereira de Miranda.
Dr. Jos Narciso Camello.
Dr. Manoel do Nascimcnto Teixeira.
C^pitio Luiz Francisco Teixeira.
Miguel Ferreira Dias dos Santos.
Manoel da Silva Mondonga,
Manoel Mximo dos Santos Torres. _______
No sabbado I. de agosto, finda a auffieaoia
do Illm. Sr. Dr. juiz municipal da 2/ vara se lia
de arrematar umapreta crioula de noine Tliereza,
avallada pela quana de 6005, a qual vai a praca
a requerimento do testamenteiro e inventarame
da finada D. Luiza Ferreira Gomes, esenvao
Conselho admlnistratlve.
0 conselho administrativo, para forneennento to
arsenal de guerra, tem de comprar os objectos se-
para o 2* batalhio de infamara de linha.
6 caldeiras de ferro fundido para 100 pracas.
Para o 9 bataHiao de infantaria.
6 resmas de papel almaco, 6 caixas de penna.
de ac, 200 ditas de ave, 2 caivetes, 6 garra'5 f
tinta preta, 6duzias de lapis de pao, b libras de
area preta. :6 cxemplares de colleccoes de cartas
para principiantes, 36 tabeadas, 12 grammaticas
hurtuguezas por Monte-Verde, ultima edieao, 12
compendios de arithmetica por Avila, 12 pautas,
:t6 translados, 6 pedias para escripta, 18 lapis para
as ditas, 2 bonete para os sargentos amelante e
iiuartel-mestre, 27 ditos para msicos, 6o ditos
para inferiores e soldados, 194 mantas de laa, 891
pares de sapatos, 228 covados de panno verde, 1 Jo
.ovados de dito alvadio, 7 /, covados de caseimra
encarnada, 367 covados de hollanda de forro, J04
varas de cordao de lia preto, 34 varas de galao Ue
prata de i pollegada de largura, 40 >/i varas de ga-
lio de prata de / llegada de largo, 51 '/2 varas
de aniageni, 1,643 varas de bnm branco, 1,JJ2
varas de algodozinlio, 378 botoes grandes de me-
tal prateado com o u. 9, 162 ditos pequeos de dito
dito com o mesmo n. 9, 103 pares de colchetes
pretos. _
Para o corpo de guarnicao da provincia da l a-
rahvba.
346 bonets, 346 mantas de laa, 17 bandas de laa,
958 pares de sapatos, 1,730 covados de panno azul,
240 covados de dito dilo para capotes, 21 /i cova-
dos de casemira verde, 140 covados de baeta ver-
de, 1,297 / covados de hollanda de forro, 3,260
varas de brim branco, 2,395 varas de algodaozmho,
173 varas de aniagem, 5,124 botoes grandes de
Mal amarello, 3,114 ditos pequeos, 380 pares de
clcheles pretos.
(Juera quizer vender taes objectos aprsente as
suas propostas em carta fechada, na secretaria do
conselho, as 10 horas da manhaa do dia 31 do cor-
rente mez. .
Sala das sessoes do conselho administrativo, para
foraecimento do arsenal de guerra, 27 de julho
Iho de 1869.
Antonio Pedro de Sa Barreto,
Coronel presidente.
Sebastiao Antonio do Reg Barros,
Yogad secretario.
Arrematar.
No dia Io do prximo mez de agosto se ha de
arrematar depois da audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz
municipal da segunda vara por exocucao de Bal-
itar tOliv.'ira, cinco inoradas de casas terreas si-
tas neatt cidade, pertencentes a heranca do iinado
Jos Fernando da Cruz, sendo 3 na ra Direila n.
41 avahada por 1:7005. n. 67 i>or 1:7005, e n. 111
por 1:2005, urna no largo da ribeira de S. Jos n.
2J por 1:5005, e una na ra de Hortas n. 60 por
2:0005-
Crrelo geral.
INla administracao do correio desla cidade se
faz publico para lilis convenientes que em virtudc
do disposto no artigo 138 do regulamento geral
dos correios de 21 de dezembro de 1844, e artigo
9 do decreto n. 785 de 15 demaio de 1851, se pro-
miera o consumo das cartas existentes nesta ad-
ministracao, pertencentes ao mez de julho do anno
passado,'no dia 4 de agosto prximo, as 11 horas
da manhaa, na porta do mesmo correio, e a res-
1 irctiva lista se acha desde j exposta aos interes-
sados.
Administracao do correio de Pernambuco 28 de
julho de 1863.'O administrador.
Domingos dos Passos Miranda.
THEATKO
DE
Espera-se dos portes .de norte at
o dia 2 de agosto o apor Cra-
tiu-n do Sul, comnaandante o ca-
Ei tai 1 de mar e guerra Gorvasio
lancebo, o qual (lepois da demo-
ra do costume, seguir para os portes do sul.
Desde j recebeai-se passageiros engaja-sea
carga que o vapor poder conduzir, a qnnl dever
ser embarcada o dia de sua chegada: encom-
at o dia da sabida as z
Crur n. 1, escriptorio de
Azevedo A C__________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegacio costelra a vapor.
Parabyfca, NaUV Mario, Aracaty, Ceari e Aearaeu.
Para os portos cima indica-
dos seguir no dia 7 de agosto
prximo um dos vapores da eora-
panhia, que receber carga at o
dia 6 ao meio dia.
Encommendas, passageiros edinheir* a frete at
o dia da sahida s 3 horas da tarde: escriptorio do
Forte do Mallos a. 1.
) sobrado de dous andares na iravessa 'io Li vra-
monton. 18.
a dito de dous andares na ra das Aguas-Verdes
b.70.
1 sobrade de uta andar na ra de Sama Rita
jl 75.
1 casa terrea na ra de Santa Cecilia n..a.
Terra-feira i de afosto.
( A' ra da Cadcia numero 24.)
O agente Pinto legalmente aatorisado .pelos II-
-fuidatarios da massa fallida de Jes Aatoaio Bas-
taos, levar a leilio no da 4 de agosto, 1- predios
supra mencionados pertencentes a mesaia massa,
em seu escriptorio ra da Cadeia n. 24, entrada
_pelo Bccco-lrgo.
Os pretendentes poderao examinar -as feridas
casas, as quaes acham-sc abettas e sugellas a exa-
me, a excepcao da do Mondego n. 16 me est e-
-chaila. cujas chaves serao eacntradas ^tt poder
?do mesmo agente.
Principiara s 11 horas em ponte.
AVISOS DIVERSOS.
ASSOCIACO
TYPOGRtPHICA PEKN'AMBCOItVL
Domingo 2 de agosto prximo haver sessao or-
Para o Maranho c Para
pretende seguir uestes oito dias o veJeiro e bem $
conhecido brigue escuna Jorro Arlktr, tem a
seu bordo parte de seu carregamento; .para o res-
to que lhe falta, trata-se com os seus oansig^nata-
tarios Antonio Luiz de Oliveira Azcvedo Je C, no
seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Rm de Janeir*.
O veleiro e novo palhabote D. Luiz L capitao
65naria da assembla geral, para trabalhos acces-
sorios da elei?ao ltimamente kavida. Todos os
Srs. socios effectivos sao convidados a comparecer
s 11 horas, sendo que s 10 funecionar em ses-
.-s extraordinaria o conselho director.
Secretaria, 30 de julho de 1863.
Io secretario, Silva Xitu.
LOTERA.
recebe carga commodo frete: trata-se
gucl Jos Alves, ra da Cr z n. 19.
com Mi-
L
(Juarta-feira 5 de agosto proximese extra-
Andr'^ Pinto de"campos Br segu seta demora, hiri a ultima parte da primeira e primeira
da segunda lotera da Santa Casa da Miseri-
cordia.
Gs bilhetes emeios bilhetes acham-se
ven na respectiva thesouraria, ra do
Crespo n. 15, e as casas commissionadas
ra da Imperatriz n. 44, loja do Sr. Timen-
tel, praca da Independencia n. 22, loja do Sr
Soares Pinheiro, ra Direita n. 3, botica do
Chagas,ruada Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto
e em Apipucos estabelecimento do Sr. Fran-
cisco M S. Mendes.
Os premios de 5:000/ at 100 sero pa-
gos urna hora depois da extraccao at as 4
horas da tarde, e os outros no dia seguinte,
depois da destribuico das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Para o Porto
segu impreterivelmente no dia 25 do crreme o
brigue portuguez S. Manoel I, recebe nicamente
passageiros, para os quaes tem exccllentes eom-
modos: a tratar na ra do Vigario n. 10, com os
seus consignatarios Manoel Joaquim Ramos e Sil-
va & Genro.
LEILOES.
IIO JE.
Se\la-feira Si de torrente s 10 horas.
No arnuzem de Sr. Aaoes defronle da porta da al-
fandrga de 2o caixas com 23 duzias de garrafas
de cognac, 18 barriseontendo de 90 a 100
medidas de dito.
Por intcrven?o do agente Euzebio se vender
em leilo para ultimar contas de 23 caixas conten-
do 23 duzias de garrafas com cognac c mais 18
barris de 90 a 100 medidas de dito : no armazem
do Sr. Annes, como cima.
iii:iii%o
iio.ii:.
Sexta-feira 31 do rorrete s H horas no aama-
zeni n. 33 da ra da Cadeia.
0 agente Euzebio vender sem limite de preco
diversos objectos de ouro e prata e obras de mar-
cinciria.
ft-eeisa-sede ma ama para cozinhar em
casa de homem slteiro : na ra do Crespo n. 10.
Ka ruada rteda n. 21, lava-se e engomma-se
con presteza tante roupa de homcm slteiro como
de familia, pagase qualquer falta que baja e d-se
fiador._______________
Offerece-se urna ama para cosinhar em urna
casa de pouca Tamilia ou homcm slteiro : no lar-
go da Assembla n. 16, primeiro andar. ______
A o publico
I
Preoisa-se de urna ama de leite, mas qoe te-
nha, quaniki'amito, at seis mezes decorridos na
Previne-se a quem interessar possa que a parte
que-o Sr. Joao de Carvalbo Paes de Andradc |h>-
sue no engenho Ucha freguezia dos Afogados, est
sugeita a pagamento de urna divida privilegiada,
nao podendo por isso ser alienada pelo mesmo se-
nhor em quanto nao fr paga aquella divida.
Attengao
O abaixo assignado convida a pessoa croe quizer
cna^ao de que se ache encarregada : na ra es- meressar em um barco que se tem de empregar
treita do Rosario n. 31, tereciro andar, por cima na pesca em a|to mar eUp ja ^ acha em metade
do armazem de trastes do Sr. Moreira.___________| do trabalho e despeza; c como o abaixo assignado
Offcrcce-se n5 Pode so Pr em andamento esta ernpreza, por
_ ... j i isso convida alguina pessoa para entrar na mea-
um rapaz que emende perfmente do trauco de d d J ^ j 'd M tone|adas e para
So'S:^rXe!^ U pa,loulro gocio quem precisar annuncie._______________| {^^ aslfesata (.uc (juirerem ajudar aem-
11 ligue I de easa. preza do artista, pdc dirigir-se a ra dova de
Prccisa-se alugar um sobrado de um andar e Santa Rita P fT0^TC0^ ^."SL?J16^^
sotao que tertha commodos para nao pequea fa-
milia, e que soja situado no bairro da Boa-Vista,
ou mesmo no de Santo Antonio, e com quintal;
nao se duvidando dar um semestre adiautado de
Alugam-se a loja do sobrado n. 193 e armazem
n. 171 da ra Imperial, o armazem n. i da ra do
aluguel quem o tiver, dirija-se ao principio da Apollo, e a casa n. 27 da ra do Rurgos : na ra
ra do Hospko, sobrado de um andar com porto da Aurora n. 36.
de ferro ao lado.
Quera precisar de urna ama para cozinhar e
engommar para casa de pouca familia, dirija-se a
ra da Concordia n. 15.
0 abaixo assignado tendo perdido o bilhete in-
teiro n. 1227 da ultima parto da !. e 1." da 2.*
lotera da Santa Casa da Misericordia,cuja extracao
deve ter lugar a 5 do mez vindouro : roga ao Illm.
Sr. thesoureiro o especial favor de nao pagar o
mesmo bilhtrte, no caso de eaber-lhe por sorte al-
gum premio, visto ser propriedade do mesmo abai-
xo assignado. Recile 28 de julho de 1863.
Arstides Pompeo Lopes Fernandos.
O bacharel Jos Eustaquio Ferreira Jaco-
bina tem seu escriptorio na ra do Queimado n.
30, primeiro andar, onde pode ser procurado das
10 as 3 horas da tarde._______________________
D-se 8304 a juros : quem pretender dirja-
se a ra do Queimado n. 30, primeiro andar, das
9 s 10 horas do dia.
- Deseja-se muito fallar com o'Srs.:
Manoel de Souza Leo Jnior.
Joao da Silva Santos (empregado na estrada de
ferro.)
Jos Antonio Lopes Jnior (do Rio-Formoso.)
na ra do Crespo n. 17, loja._________________
Aluga-sc a casa terrea da ra Imperial n.
66 : os pretendentes diram-se Caixa Filial.
Est-se procedendo a inventario dos bens de
D. Anglica Mara da Veiga pelo juizo de orphaos,
escrivao Brito : quem se julgar credor da mesmo
finada apresente-se ao abaixo assignado, tutor dos
menores, no praso de oito dias. Recife 29 de ju-
lho de 1863.Marcolino Jos Pupc.____________
Offerece.m-se duas mulheres para amas, sen-
do urna de leite, e outra para todo servido de qual-
quer casa, menos fazer compras na ra: quem
precisar, procure no Recife, boceo da Lama n, 8.
Manoel Maria de Moraes,
retira-se para o Para._______
subdito portuguez,!
4
2,

Calcado francez, na loja do vapor, ra
Nova n. 7.
digno de attencao os novos sorti-
mentos de calcado francez, chegado
dita loja, e mui especialmente as mo-
dernas bolinas com differentes e novos
enfeites para senhoras e meninas.______
si
T.
H >
r* "
O
(.UtIM II
PORTIGIEZ DE LE rtIU EM PER-
NAMBUCO.
LEILO
DE
Urna escrava com cria.
O agente Almeida vender em leilao, autorisado
pelos administradores da massa fallida de Rastos
A Lemos, urna escrava perfeita engommadeira c
cosinheira, com una cria de 6 annos.
Iloje 31 do corren te.
Em seu escriptorio ra da Cadeia do Recife n.
48, as 11 horas do da._________________
Criado.
Prccisa-se de um criado para urna casa de rapaz
slteiro : a tratar na ra estreita do Rosario n. 33,
andar terreo, das 10 horas da manhaa s 2 da
; tarde.______________________________________
Precisa-se de 400J a juros, dando-se por se-
guranca urna escrava : quem quizer annuncie.
Ainda est por alugar-se a casa terrea na ra
da Gloria, o segundo andar do sobrado da ra Di-
reita, e a loja deste sobrado com armacao para ta-
berna ou deposito, e urna pequea casa terrea em
Olinda, ra do Cabral : quem pretender, falle na
ra das Cruzes, penltimo sobrado n. 9, quem vai
da ra do Queimado para S. Francisco, lado di-
rcito.______________________________________
Gratifica-se bem a quem achou um embrulho
contendo um rolo de papel escripto, trazendo por
fra o titulo : a pessoa que achou no bairro de
Santo Antonio, em qualquer ra, ou outro bairro,
dirija-se a ra do Imperador, casa de leilao dos
Srs. Olympio e Americo, que ser recompensado
pela entrega.
Eduardo Hagemaun, subdito dnamarquez,
vai para Europa____________________________
Precisa-se de urna ama para todo servigo
ra Augusta n. 110.
Ao n. 29.
JVoca loja dos barateiros, ra do Queimado.
Las de ultimo gosto, covado a 440 rs. organ
dis de padrSes lindissimos, varas a 800 rs.; ba-
lites de arcos o melhor possivel, a 35500, 45 e o ;
alpaca de linho para vestidos, covado a 240 rs.;
cambraias de cores para vestido, covado a 280 rs. ,
cambraieta muito fina, peca de 12 jardas a 75 ;
cassa lisa pello de ovo, peca de 12 jardas a 75o00.
Ao n. 29.
JVoca loja dos barateiros, ra do Queimado.
Paletots de merino setim, fazenda de custo de
205 ix>r 105 ; ditos de alpaca preto a 35200; brim
branco lona, vara a 640; brim de cores para cal-
ca, covado a 480 rs.; camisas com peitos de fustao,
a 15600; chapeos de sol de alpaca, a 35500.
Ao n. 29.
JVoca loja dos barateiros, ra do Queimado. I
Para acabar.
Ricos preto de linho, vara a 120, 160, 240 e 320
rs.; ricas franjas c trancas prctas e de cores, vara
a 120,160 e 200 rs.; trancas e galoes de laa e de
De ordem do Illm. Sr presidente da assembla
geral deste Gabinete, convido a todos os senhores
socios effectivos reunirem-se em assembla geral
na sala das respectivas sessoes, domingo 2 de agos-
to prximo futuro, para a 1.* sessao ordinaria do
- correntc anno.
Secretaria do conselho deliberativo do Gabinete
Portuguez de Leitura em Pernambuco 28 de julho
.' de 1863.
A. A. dos Santos Porto.
1." secretario.
J
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
Cartocs de visita
(artoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de *Wtt
Cartoes de visita
Cartocs de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
Cartoes de visita
85000 a duzia
85000 a dozia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
85000a duzia
85000 a duzia
85000 a duzia
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Casa americana
Kua do Imperador
Hua do Imperador
Kua do Imperador
Kua do Imperador
Aluga-se na ra da Cruz.
Est para alugar-se o grande armazei,. v,\-
meiro andar da casa da ra da Cruz n. 35. o qiia
tem frente e sabida para defronte .la LingoHa mui-
to proprio para escriptorio de ilfom Sr. negocian-
te ; tratar na ra da Senzala Vefta a. 106.
COMPRAS.
Compra-se effeetivamente miro prata n>
obras velhas : na praca da Independencia a. :
ja de bilhetes.
VEHD1S.
Precisa-se de urna ama de leite,
mas que tenha, quando muito at 6
mezes decorridos na criaco de que
se ache encarregada: na ra estreita
do Rosario n. 31, 3o andar, por cima
do armazem de trastes do Sr. Mo-
reira.
Aluga-sc um pequeo sitio na Capunga, ra
da Amizadc, com boa casa nova de morada, tendo
2 quartos e 2 salas, cozinha fra, cacimba com
excellente agua de beber e diversas arvores de
fructo ; a tratar na ra Nova n. 13.
na
LEILAO
DE
Precisa-se pelo tempo de do us annos da quan-
tia de 9005 com o juros de 2 0| 0 ao mez, pagndo-
se no fim de todos os mezes os juros : quem a este
negocio se quizer prestar annu neic.________
Movis, eavallos. carros, escra-
vos. jolas de ouro e prata.
Hoje U do crrente s 11 horas.
O agente Olvmpio em seu armazem ra do
Imperador n. 16, far leilo dos objectos cima.
LEILAO
Kabbado i de agosto.
Na ra da Cadeia n. 53 de duas casas terreas ns.
-13C e 138 na rua Imperial chaos proprios.
Por intervencao do agente Euzebio se vender
em leilo no da cima as casas terreas que tem
30 palmos de frente e 150 de fundo, sen iviiilimen-
to 165 mensaes. Os pretendentes queiram ir
examina-las. _________
algodo, pecas de 10 e 15 varas, a 200 e 400 rs.;
froco fino e grosso, peca a 160 rs.; vestidinhos de
cambnaia bordados, para baptismo, a 25-
D. Maria Cordeiro, pelo presente declara que
os seus negocios articulares e udiciarios sero
! tratados nesta cidade aonde se acha resid ndo des-
' de 4 de Janeiro do corrente anno, e nao no Rio
Formoso, aonde outr'ora era a sua residencia; faz
esta declaracao para que ninguem se chame a tg-
| norancia, nao obstante seren sabedores.________
i Precisa-se alugar urna preta que cozinhe, e
um moli'oue : na rua do Crespo n. 15.
lili
Aluga-se o 3. andar com graade so-
tao da casa da rua do Imperador n. 75,
1 pintado de novo, tem aparelho e canalisaco numero 30.
- Aluga-se uma loja com armacao a gaz, no para as aguas servidas pelo systema Cara-
melhor local de negocio por ser na rua do Crespo, brone ; a tratar no 2. andar da meama.
tambera se aluga um primeiro andar com commo-'
dos para grande familia: a tratar com Jos Hygi-
no de Miranda.
Quem precisar de alugar uma ama que cozi-
nha o diario de uma casa, e para fazer o serneo
interno da mesma, afiancando a sua conducta, sen-
do para casa de pouca familia, dirija-se a rua do
Ini|H>radnr n. 16, terceiro andar.
ZAMORA.
DRAMA HISTRICO PELO DR. THEIERSE. RO
QUAL RIOIRTERVEI PERS0RR6EI
FEHRHU.
Na rua Nova n. II BMOR l*-> i
cxemplar._________________________
Vcnde-se o dominio de um terreno rom -H*>
mos de frente e 500 de fundo, formando RM fian-
tes para o futuro, em Santo Amaro, na estrada >U:
Luiz do Reg, assim como o foreiro tambem ven-
de a pusse, do mesmo ; o terreno oAVrea vaaa-
gera, tanto para edilieacao como para pla i
quem pretender, dirija-se a rua da Gloria, ea-.i
' MW/WWVi/WWVwlO
EMPREZ.l
DE
A. J. MIARTE COIMBBA.
&f RECITA DA ASSIGNATURA.
Sabbado, 1 de ayslo de 1863.
Primeira representacao do apparatoso drama em
ilous actos c um prologo, martimo,
NUBOBIB
Original portuguez do distincto dramaturgo
Cesar de Lacerda.
Entram em scena os Srs. Furtado Coelho, Tho-
inaz, Lisboa, Flavio, Penante, Guimaraes, Joaquim
(amara, Lessa, Porto, Mizael, Gil Hraz, Manoel, e
:is Sras. I). Eugenia Cmara, D. Joanna, D. Jose-
]>ha e Jesuina.
i) prologo representa a praca d armas da fraga-
ta S'intn llosa, em viageru para a India.
O scenario e vestuarios de marinha sao novos e
feilos com toda a propriedade.
Terminar o espeetacalo com a comedia em um
acto, ornada de musita,
UMA MLHER
QUE SE EMBRIAGA.
Principiar s 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERMANBCANA
DE
.\avcgac5o costelra A vapor.
Macei e escalas
O vapor Mamanguapt comman-
dante Moura, seguir para os
portos de Macei e escalas no dia
5 de agosto as 5 horas da tarde. A
carga ser recebida at o dia 4
ao meio dia, encommendas, passageiros e dinheiro
a frete al o dia da sahida as 2 horas-: escriptorio
uoFortedoMattosn, l.
Sabbado Io de agosto s 11 horas.
Ue una casa defronle do Caldeireiro.
Xa rua da Cadeia numero 53.
For intervencao do agente Euzebio se vender
em leilo um terreno de 100 palmos de frente e
600 ditos de fundo com grande casa de taipa para
morada e quarto para negocio, a casa tem 3H pal-
mos de frente e fundo razoavel, alguns ps de ar-
voredo de Iwns frtelos e rende 0& mensaes, si-
tuada comfrontc a entrada do Caldeireiro, os pre-
tendes sao convidados ao previo exame.
I.II-WO
DE
Segunda-fcira 3 de agosto.
A requerimento dos administradores
de Manoel de Azevedo Pontes por despacho do i
Illm. Sr. r. juiz do commcrcio e por intervencao |
do agente Pestaa irao leilao as dividas perten-
centes a mesma massa no valor de 132:30'5183 rs.
constantes de uma rela^o parte com letras as
quaes se acham em poder do agente para poderem
ser examinadas e est proinpto a dar qualquer es-
plicaco : o leilao ter lugar segunda-feira 3 de
agosto vindouro pelas 10 horas da manhaa na as-
sociaco commercial.
|g{ Den fundo nste porto o vapor Proteo-
-a rao, procedente da cidade Encyclopedioa
8B S. Jos, comma^idante Gomes da Villa,
f$R com carga de disparates e sanias mullic-
as res ; est em descarga e se propoe a novo
}@t carregamento.
COMPRARA
> DE
S-JOS'd agona.
O secretario da confiara de S. Jos d'Agona,
erecta na igreja do convento de N. S. do Carino
desta cidade do Recife, por ordem da mesa rege-
dora. convida a todos os irmaos da mesma contra-
ria eomparecerem domingo 2 de agosto prximo,
pelas 10 horas da manhaa, no consistorio da con-
fraria. para uma reunio de mesa geral.
Consistorio da contraria 29 de julho de 1863.
Joao Filippe da Costa Cordeiro.
______________Secretarlo.____________
Aluga-se um sitio na Capunga Velha, com
boa casa de vivenda, cocheira, estribara c quartos
para pretos : a tratar na rua Nova n. 3, ou na rua
da niassada Palman. 41._____________________________
Precisa-se fallar com o Sr. Antonio Monteiro
de Mello no escriptorio de Palmeira & Deltrao, na
praca do Commercio n. 4.____________________
Guilherme Thelleque, Conradene Grebe,
Conradene Gatzmeir, Chrstian Cassel, subditos
allenies, rctirain-se para o Rio de Janeiro._______
DE
2 tercas partes do sobrado de 2 anda-
res es.tto da rua dai'roz n. 33.
Segunda-feira 3 de agosto.
Por despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do
commercio com nformacao dos administradores da
massa fallida de Manoel de Azevedo Pontos, iro
a leilo as duas tercas partes do sobrado de dous
andares e soto nertenecntes a mesma massa as
quaes sero vendidas com todos os onos que tem
e da maneira que a possuia ha 16 annos o primei-
ro dono j fallecido Joaquim Ribeiro Pontes, e con-
tinuou a possuir o fallido, a amiga escriptura
acba-se em mao do agente Pestaa para ser exa-
minada e o mesmo dar qualquer explicacao a
respeito. O leilo ter lugar segunda-feira 3 de
agosto na associacao commercial pelas 10 horas
da manhaa.
LEILAO
DE
PREDIOS
Como sfjam
Em ehos proprios.
1 sobrado de i andares da rua estreita do Rosa-
rio n. 24.
1 easa terrea na rua do Amorim n. 30.
1 dita dita no pateo do Paraizo n. 31.
1 dita ditana rua da Alegra n. 14.
1 dita dita na rua do Mondego n. 69.
1 dita ditana mesma rua n. 71,
1 dita, dita na mesma rua n. 73,
1 grande casa terrea assobradada na roa do Mon-
dego n. 16.
i casa terrea na rua do Mofldeizo n. 73.
Eri clios foreiro*
Aluga-sc ou vcnde-se uma preta para todo o
servico, excepto engommar e cozinhar : a tratar
na rua de S. Jos n. 22._______________________
Precisa-se de um menino para copeiro de 14
a 18 annos : na rua Nova n. 58, deposito._______
A pessoa que annunciou querer comprar uma
taberna com poucos fundos ou s a armacao diri-
ja-se a rua da Lingoeta taberna n. 5.
Joao da Silva Ranios, medico pela Um-
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa, na rua Nova n. 50, das 8 s 10
limas da manhaa, c das 4 s 6da tarde, e
recebe egualmente convites para dentro
ou fra da cidade, com o fim de se encar-
regar de qualquer servido de sua profis-
sao.
Os chamados deverao vir por escripto.
Joao Caetano de Abreu, solicitador dos au-
ditorios desta cidade. faz sciente ao publico, com
especialidade aos seus clientes e amigos que rau-
dou sua residencia para a rua da Praia de Santa
Rita Nova n. 49, onde morou o Sr. Dr. Ruarquc,
engenheiro da estrada de ferro, onde sempre acha-
rad, das 6 s 9 da manhaa, e das 4 da tarde em
(liante. _______________________________ .
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 19 \
da rua .Nova, com bastantes commodos para fa- nhos agradeccm a todas as pessoas (pie se digna-
milia; a tratar rua da Cadeia do Recite n. 62, ramassistir os ltimos suffragios e de acompanhar
segundo andar. ___________ ,a0 f cmilerio publico os restos mortaes de seu pre-
------;-------------------rT--------ZTZr~T~ zado esposo Jos Joaquim Rotelho, e d
Riaze Improta e Biaze Jetla, subditos Haba- ru,,u,n 0 ohsequio caridoso deassislire
Maques sobre Portugal.
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta cidade, saca ef-
fectivainenle por todos os paquetee sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer souima, ;i vista e a prazo, po-
dendo logo os saques a prazo seren des-
contados no mesmo banco, na razo de 4
por cento ao anno aos portadores que as-
sim lhe convier : as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. ol.
Joaquim da Silva Castro.
:jij|(|(5{ !!Si|[5]|iSi|} JBSiiS! Stf!
Vemle-se uma armacao te aman-Ib
envidracada, propria para ljjai|e miiHtei
tar na r'ua do Queimado n. i, ou na
deia do Recife n. 21. loja.
rua b Ca-
carle
D. Marianna de Farias Bolelho e seus sobri-
nos, retiram-se para o Aracaty.
Precisa-se de uma atn a para lavar e engom-
mar : no rua do Trapiche n. II, hotel.__________
Msicas
Grande e variado sorlimento de
msicas novas para piano, todas
dos melhores compositores nacio-
nes e eslrangeiros, entre ellas as
walsas do Poli uto e a do Reijo pa-
ra piano e piano c canto : na loja
de instrumentos de msica de II
Domonl, na rua Nova n. 9.
i pre
de novo lies
m a missa
do stimo dia, que se tem de celebrar no ceinitc-
rio, s 7 horas do da 3 de agosto.
\o\as case miras a 2 $600
loja dtPavao,
Acaba de cliegar um grande -.ntum ni
MMra entestada sendo propria par i
(;as u rollttes, capas para s-nli meninos sendo ti mai m aM da ura-'.
usase mescladas veinl...... a 2-5H>
calca ou a IJB00 0 Wfati pV ROT l -raade p>*-
eao' islo m'i na na lia Imperatriz n. Olnja ai
zem do Pavao.
atti:\vo
Vcudeni-se 40 eieelleilo koi> de
coice c cambo por barato pm;, a
iratar na roa do Uncinado i. I,
Ferro k Uaia.
Uanco Cnio do Porto.
Pela sua agencia, annuncia a direccao deste ban-
co, que brevemente estabelccer nesta cidade O
Seguro Mutuo de Vidas, pelo mesmo systema das
companhias hespanholas. Mas que dever auferir
raais vantagens |wr os ttulos de divida publica
portuguezes estarem mais baixos. o que d em re-
sultado muito maior rendimento.
Aluga-se a loja do sobrado sito na rua da Im-
peratriz n. 36 : a fallar no mesmo, no primeiro
andar. _________.
O Sr. Manoel Hornera de Camino, caixeiro
3ue foi do Sr. Amorim Irmaos, e Antonio Martins
a Silva Campos, queiram ter a bondade de vir
fallar com o abaixo assignado a negocio que lhes
nao deve ser estranho.
J. C. de Almeida.
Joaquina v ieira de Carvalho, subdito portu-
guez, vai at o Rio de Janeiro.
Contina a haver pao de centio nos dias quar-
tas e sabbados de cada semana, na padaria, em
Santo Amaro, ao p da fundicao, na rua da Impe-
ratriz n. 22, rua do Rrum, confronte ao chafariz
n. 47, rua das Cruzes deposito n. 39, na Passagem j
taberna da esquino do Sr. Rento, que vira para o |
Remedio, cno armazem Progresso, largo daPenha
n. 10.______________________________________.
Aluga-se um sitio na Capunga Velha, com l>oa
casa de vivenda c quartos para pretos, estribara e
coxeira, todo murado : a tratar na rua Nova n. 3
puna rua da Palma n. 41._____________________
No dia 25 do corrente amanheccu furtado do
engenho Darangunsa em Ipojuca, um cavallo pe-
queo, alazao caboclo, inteiro, sem signaes visi-
veis, com ferro no queixo e quarto esquerdo, jiil-
ga-se que quemo furtou foi um pardo de nome An-
tonio Tourado, o qual tem uma orelha cortada, e
coxo e tem cicatrizes de feridas pelo corpo. Este
homem tendo apparecido por aqui em dezembro,
sem saber-se donde, aqui se conservou at o dia
cima dito em que desappareceu o cavallo : quem
tiver noticia certa do mesmo sugeito querendo avi-
sar no mesmo engenho ttr gratificacao,
Aluga-se a loja do sobrado do pateo do Terco
n, 12, tendo armacao para tatema : a tratar na
rua da Praia n. 36._______________________,
0 abaixo assignado faz sciente ao publico 6 a
seus freguezes, que mudou o seu deposito da rua
de Hortas n. 39 para a rua do Alecrim n. 1 ; c na
mesma casa existe uma pequea armacao dispo-
sicao do Sr. Rento Jos de Miranda,
Lourengo Ferreira Cantoso.
No paquete inglez que hontem seguio para o
Rio de Janeiro seguio Rraz Dias Correia, natural
da freguezia de S. Pedro de Riba d'Ave conselho de
villa Nova de, Famelico, o qual deseja ter noticias
de seu irmao de noine Manuel Dias Correia, e pe-
de-lhe escreva para o Rio de Janeiro na praca do
Castcllo n. 7.
lili
ALVI9ARAS A NOV1DADE.
Sao chegados loja das columnas
na rua do Crespo n. 13 de Antonio
Correa de Vasconsellos C. riquis-
siraos cortes de la muito fina com
barras estampadas e matisadas Im-
peratriz Eugenia, cores as mais deli-
cadas como sejam: cor de ganga, de
lyrio, cinza etc., fazenda fnteiramen-
te nova e nunca vista em Pernam-
buco.
Alugam-se
Dous armazens pequeos na travessa da Sanzal-
la Velha por delraz da loja n. 0 da rua da Ca-
deia muito prximos alfandega e ao caes do
Apollo, e por isso proprios para qualquer Jim e
servirem para um s por terem communicaco;
trater na sobredita loja com Cimba c Silva.
Precisa-se de um cozinheiro: no For-
te do Mato, rua do Costa n. 12.
PHOSPHATO de FERRO
DE LERAS, D0UT0R EM SCIENCIAS, INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARIZ. etc., eU.
Este novo ferruginoso, approvado por todas as Academias da Medicina do mundo intm". rene a
composicSo dos ossos e do sangue, e contem o ferro cm estado liquido. Semind asotaeMaces frita o*
hospitaes de Parir e consignadas no Prospecto 1 elle superior as nula* trras!
de ferro, ao ferro reducido pelo hjdroiceneo, a* el 1 ralo de ferro, a Ptlalaa e V
loduro de ferro : elle cura rpidamente a ictericia tranca, cor paluda, dores d'ettomap, a>
gas, afTec;"e8 nervosas, escrophulas, mingoa de sangue, perda de fi'irea e appetite.
faltas menstruaes, e flores brancas. E o melhor adjuvante do Oleo de asada de fcaeaika*.
Depsito geral : em Pai, en casa do MM. Grlmaalt e C", pharmaceutires, :. rua de la Feuilla.le
em Lisboa, en casa de Rodrigo da coota-Carralko* no Porto, en casa de Mlgarl Joae *e
Ferreira; em o flio-de-Janetro, luva relilo e Dala, roa do Sabio, II; em Baha, ea _*_*
Joa-Caetano Ferrelra-Eaolnhelra; em Tito-Grande, en casa de Joaajala de i.odoj em AWrai
ha o, en casa de Ferreira e C*; em Pernambuco, Shoaa* e O, rua da Crui, 23 ; Soaaa, t aat ptlanfae*
pharmacias do Brazil.
irregularidades .
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22 em casa di Can A Barbou.
: '- -:.
PROTECCAO
XOVO EJTABELECIMEHTO
DE
DE r w.i:\n\*

^Todas as q nulidades por atacado e a retalfo
NA RUA DO CRESPO N. 17.
DE
JOS GOMES % 11,1, 4 II.
Aviso as familias econmicas.
Xestc importante estabelecimento de fazendas existe um variado sorlimento V a-
zendas de todas as qualidades para senhoras, meninas, horaens. meninos te., .-i-.. -.it*s.
cassas cambraias, laas. linhos, algodoes, cassasde cora Hadas a 2*0 rs. i. nivado. vesti-
dos para noivas com capella e manta, capas pretas, manteletes, anteltanpies 1. iim* i
com enfeites, chapeos a Maria Pia, bramantes de linho de diversas qualidades. bn-t-aW
selecias, meias para senhoras, saias bordadas, colxas para cama ;
Manda-se as fazendas as casas das familias
Vivam as familias econmicas
j Vivam as familias econmicas
wR, Vivam as familias econmicas.
n Mandem comprar loja da rua do Crespo n. l_
Mandem comprar loja da rua do Crespo n. 17
H Mandem comprar loja da rua do Crespo.n. i/.
55 RIADAIIHPER4TRIZ 5:;

de venezianas ete-, ete.. nm lor-
SeOS aTaa-fciW. As
narticioa ao oublico que acaba de addicionar sua fabrica de carros e de wnezi;
S di*meS chamdo Jorez, j conhecido nesU provincia pela perfeicao *
Sssoas que oq^izerem honrar ora a sua contonea o encontraran sempre prcmH-o para e
qterTsreeie de trabalhos concementes ao seu offlcio e por precos razoaveis.
^ ATpessoas cujas encommendas se acham promptas, sinara-se de ir recebe-las na
indicada, que lhe serJo entregues, pago o preco ajustado.


T
I
s.
-j
Diario de Prrnanifeuco sexta elra i l de luluo de i 8 3.
NOVA EXPOSigO
na leja do Pavo, de fazendas bara-
tissmas.
Neste estabelecimento acha-se constante-
mente um grande sortimento de fazendas
de gosto e de primeira necessidade, sendo
tanto proprias pan a praca, como para
mato ; de todas as fazendas do-se livros de
amostras, deixando car. penhor, ou man-
dam-se levar em casa das familias pelos ca-
xeiros da loja do Pavao.
E.as con 8 palmos de largara
na loja do Pavo.
Vendem-se liiazinha enfestada propria para
vestidos, com 8 palmos de largura, sendo
fazenda mais moderna que tem vindo ao
mercado pelo baratissimo precode 1600 o
covado: s na ra da Imperatriz n. CO, loja
do Pavao.
Cassas a tOO rs. o covado.
Vendem-se cassas francezas de padres
miudnhos e cores fixaspelo barato preco de
200 rs. o covado; ditas finas a 340 e 320
rs. o covado: s na ra da Imperatriz n. 60,
loja do Pavo.
Organdy, a 40 rs. o covado,
na loja do Pavo.
Vendem-se organdy de cores matisado, fa-
aenda qee val muitomais dinheiro, pelo ba-
rato proco de 240 rs. o covado ou 400 rs. a
vara : s na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
Pavo vende os modernos ves-
tidos a nalSo,
modernos que que tem vindo ao mercado,
<-om a saia de um s panno, teado bastante
fazenda para o corpo, e vende-se pelo barato
preco de 3#500 cada um: esta pechincha
s existe na raa da Imperatru n. 60, loja e
armazem do Pavo.
Cortes de fantasa, a e#, na
loja do Pava.
Veadem-se ricos cortes de cambraia fanla-
siadas a seda, pelo baratissimo preco de 5;
ditas, a 4)5; tas, a 3 Imperatriz n. <50, loja e armazem do Pavao.
forte)* de cambraia, a |SOO,
na loja do Pavo.
Vendem-secrtes de cambraia brancas com
bateados, a 2-5500; ditos, a 45 ; ditos com
barras e babados de seda, a 3(5, 3050 e 45;
sean TU da Imperatriz-n. 60, loja-e arma-
zea do Pavo.
f re* de cambraia chineza, ;
4$, na loja do Pavo.
Vendem-se ricos cortee de cambraia chine-
za, os mais modernos que tem chegado, sen-
do brancas com lindissimos padres, pelo ba-
rato preco de 4$ cada corte, tendo bastante
fazenda para um vestido: isto s na ra da
imperatriz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Hale.v-a 350Q. so o Pavo.
Vendem-se baldes americanos gue sao os
lielhores, tendo 20 arcos, a 35300; ditos
de 30, a 45300; ditos de 40, a 35; ditos
de I tramante, a 35300 e 45; ditos para me-
ninas, a 25* a 35: su na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem d Pavo.
f orle* de chita, a X..OU. ua
loja do Pavo.
Ytndem-se cortes de bita com 12 I|2 co-
vaAoc cada um, a25300; ditos cora 10 cova-
dos, a 25; corles de cassa miudinlia de co-
res Ikas com 10 corados, a 25; ditos de
organdy mathisado om 10 covados, a
25*06 : s na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
As caaeniiras do Pavo pechin-
elia a ..**.
Ycndeai-se cortes de casimira francesa para
caica, fazenda muito lina, padrees clares e
escaros, a 55 o corte: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60.
O Pavo vende a :ttf e 3#500
cortes de Jaa, a 35 e 35300; ditos com 22
covados, a.55: sna ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavo.
s na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
fusio iln Pavo.
Vendem-se fuslo com lavr miudinlio
para roupa de meninos, a 320 rs. o covado ;
irim de linlio de quadrinhos para roupa de
meninos, a 360 r^. o covado; ganguelim
de urna s cor, a 320 rs. o covado; popelina
de la, de quadrinhos encarnados e pretos,
para vestidos de senlioras e roupa de meni-
nos, a 15 o covado: s na ra da Impera-
triz sl. 60, loja e armazem do Pavao.
Os paktots do Pavo, assakrecasacado a 12:000 rs.
Vendem-se paletots de panno, sobrecasacas
de panao preto muito bom e muito bem
feitas, a 12-S: sobrecasacos de dito, a 145;
paletots sacos de dito, a 75; calcas de cache-
mira da Escossia, a 35 ; dita* de casemira
preta, a 55; ditas de casemira de cor, muito
fina, a 75 e a 55500; coletes de casemira de
cor e preta; paletot de casemira de cor,
a 75; tudo isto para apurar dinheiro: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Alpaklnt ou gorguro de Un lio
a to rs.. so no Pavo.
Vendcm-se alpakim ou gorguro de linho
proprio para vestidos e roupas de manca,
pelo barato preco de240rs. o covado: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Os manguitos e gollnhas do
Pavo.
prclriuilia, a 320 e a 400 rs.
Vendem-se golinhas de fil, bordadas, a
400 rs.; ditas de cambraia, a 320 rs.; cal-
cinhas para meninas, a 500 rs.; manguitos,
a 500 rs.; manguitos com golinha, a 800
res ; manguitos de cambraia, a 320 rs.: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Lazlnhas a O re. o covado.
Na loja do Pavo.
Vende-se lazinhas de eordaozinho de urna s
cor. sendo azul claro, azul escuro, ferrete, cor de
caf claro e escuro, alvadio, roxinhas proprias pa-
ra luto, sendo fazenda que val muito mais dinhei-
ro vende-se pelo diminuto preco de 200 rs. : s na
loia do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Con 8 1/2 varas, a 1SO0 rs. vende o Pavo.
Pecas de cambraia transparente com pal-
mjnhas bordadas de cor, tendo 8 i\1 varas
cada peca, a 25500; ditas mais finas,
35500; pecas de cambraia de salpico bran-
co com 8 1|2 varas, a 45: s na ra da
Imperatriz n. 60, loja e armazem do Pavo.
GRANDE LIQUIDAQAO
de fazendas para aparar dinheiro, per
taratissimo preto na lojaearma-
ipin da arara roa da Imperatriz ik
56 de Lou rearo Pereira Menes
(miniantes.
ALERTA rREEZES, A 200 RES.
Vendem-se lazinbas com pequeo toque de
mofo para vestido a 200 rs. o covado, meias
para meninos a 100 rs. o par, ditas para bo-
mens a 120 rs., lencos brancos finos a 200
rs. cada um; na loja da arara ra da Impe-
ratriz n. SO,
Arara vende vestido de chita a
34000.
Vendem-se cortes de chitas escuras com to-
que de mofo a 25000, ditas lirapas sem
mf a 25500 e 35000, cortes de cassa de
cores de barras a 25000, ditas de cassa pin-
tadas a 25000; na ra da Imperatriz n. 56 d
Meades Guimares.
Organdys da Arara a 10.
Vendem-se organdys finos para vestidos a
24 rs. o corado, cassas finas a 240 rs. o
covado, popelina de quadrinhos para vesti-
dos a 280 rs. o covado; na ra da Imperatriz
arara n. 50 de Mondes Guimares.
Arara vende as lazlnhas dos
vestidos.
Vendem-se lazinhas muito finas e lindos
dezenhos a 400, 440, 500 e 640 rs. o cova-
do, chaly muito fino a 500 rs. o covado; na
ra da Imperatriz n. 56 arara de Meades
Guimares.
Roupa felta da arara.
Vende-se costumescompletosd'uma fazenda
chineza por 125 0 costume, paletots de brim
25500 e 35000, ditos de meia casemira
escura a 45 e 45500, paletots finos a 65500
85000, calcas de meia casemira a 35000,
ditas finas 55500 e 65000, ditas de brim a
25500 e 35000, ditas de lirim branco a 45,
ENFEITES PARA SEN HORAS
CHEGADOS PELO VAPOR
So para o Vigilante raa do Crespo n. 7.
Sao chegados os novissimos e riquissimos en-
feites para cabeca, pois com a vista nao ha-
ver senhora que deixe de comprar um bo-
nito enfeite: s no Vigilante ra do Crespo
n. 7.
Lavas de ptliea.
Tambem chegaram neste mesmo vapor um
completo sortimento de luvas dejouvin
brancas e de todas as cores; tanto para ho-
mens como para senhoras: s no Vigilante
ra do Crespo n. 7.
Perfumes.
Tambem chegou um completo sortimento de
perfumaras dos fabricantes mais afamados
sendo de Luvin, Cudr e Piver; sendo
extractos essencios de todas as qualidades,
pomadas, banhas, sabonetes, agua de Co-
lonia, vinagre virginal da sociedade hygieni-
ca, agua florida, agua balsmica para den-
tes, frasquinhos com superiores pos para
dentes, caixinhas com um frasco d'agua,
pos e todos os prepares para limpar den-
tes, olos de todas as qualidades para ca-
bellos, e outras muitas cousas mais: s no
Vigilante ra do Crespo n. 7.
Tesonras e caivetes.
Tambem ebegaram um completo sortimento
de tesouras dos mais afamados fabricantes,
tanto para unhas como para costuras, ras-
padeiras para papel, caivetes de maqui-
na, facas de um e dous botoes, ludo do
mais superior que se pode encontrar: s
no Vigilante ra do Crespo n. 7.
Papel de f*tilasa.
Tambem chegou um grande sortimento de
papel de fantasa branco, bordado e os
douradinho, de lindas cores, assim como
de pesoe almajo, assim como muitos ou-
tros objectos de muito gosto que se torna-
riam enfadonho annunciar, que seus pre-
C*s sero por menos do que em outra
qualquer parte: s no Vigilante ra do
Crespo n. 7.
Volates t terinas.
Recebeu "grande sortimento de volantes, teri-
nas, rendas douradas e prateadas, bicoses-
peguelfca e ^afes de todas as larguras,
vendeado-se tudo por preces baratissimos
principalmente sendo em pecas: s no Vi-
gilante ra do Crespo n. 7,
Ritroz e liona.
Tambem chegoe um grande sortimento de
retroz do Porto do melhor fabricante; serr-
lo, preto, ul ferrete e cores sortidas, a
14,000 rs. a libra, linha de miada de Boriz
ecabeca encarnada, que seas precos sero
baratissimos: s no Vigilarte ra do Cres-
po n. 7.
X*?
y
SEM SEGUNDO-
Ra do Queimado n. 55, loja de miudezas de
Jos de Azevedo Maia e Silva, est vendeado todas
as snas miudezas por precos que todos admiram
como sejam :
Varas de aspas para fazer batees. .
Canas com superiores obrejas ... 1
Pares de botoes de punbos a .
Pares de salalos de tranca muito linos
i4M) e
120
40
10
45-RUA DDJEITA~45
Eia, rapasiada, coragem! parece que j
entregastes os vossos joanetes aos duros sei-
xos do pessimo calcamento da nossa cidade I
S se observa em vossos ps botinas acalca-
nhadas e gastas at ultima sola; sapatoes
rasgados e quasi sem saltos___nem tanto I
a quebradeira nao deve chegar at este pon-
to f Vinde ra Direita munir-vos de excel-
lente calcado com 40 e at 60 por cento
menos do seu valor.... attendei:
Borzeguins, Nantes, bezerro e va-
queta 2 e meia solas ....
Borzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta e lustre 2 solas. .
Borzeguins, francez e hamburguez,
bezerro, lustre e couro de por-
^ co 14 e........
Sapatoes, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meta solas.....
Sapatoes, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas......50000
Sapatoes, Nantes, sola e vira. 40000
Borzeguins para senhora, inglezes. 40000
Ditos para menina, com lago. 30500
Ditos de ditas, de cores. 20800
Sapatos para senhora e homem,
tapete......... 800
Sapatos de borracha para senhora. 10400
dem idem para meninas. 10000
Sapatos de lustre para senhora. 10000
dem de lustre s avessas ... 500
0 Pcrftune da Moda.
L&4
80500
80000
60000
50500
de 5:ooo
NO ARMAZEM DE FAZENDAS BARATAS
DE
SA\TO* < Oi:i.HO
Ra do Queimado n. 19.
Vende-se o seg 11 Inte :
Cobertas
de chita da India, a 2:ooo rs.
Lentes de pao
de linho, a 2:ooo rs.
Lenees de bramante
de linho, de um panno s, a 2:8oo rs.
Toallias alcorhoadas
para mo, pelo baratissimo preco
rs. a duzia.
Ricos veslidinlios
de seda para meninas, pelo baratissimo pre-
co de 4:ooo rs.
Lencos de seda
pelo barato preco de 1:00o rs.
Saias de fuslo
pelo baratissimo preco de 5:Soo rs.
Learos de cambraia
brancos finos, proprios para algibeira, duzia
a 1:80o e 2:ooo rs.
Lencos de rassa
finissimos, proprios para algibeira, pelo ba-
ratissimo preco de 2:4oo rs. a duzia.
Corles de calca
de ganga mesclada, de listas e de quadros,
fazenda superior, pelo baratissimo prego de
1:2oo rs. o corte.
Pecas de madapolSo
largo superior, pelo baratissimo prego de
8:000 rs.
Pecas de bretanha
AGUA FLORIDA
. Do lurray Este raro quo delicado perfume
quasi -que inextingaiveJ e to cheio de
mimesa fragrancra e frescura coro o
delicado cheiro das proprias verdecen-
tes (flores. Durante os mezes caloren-
t08 tenaente apraeivel e esejavel em con-
secuencia da iirfluoncia refrigirante e
suave que da produ* sobre a pelle:
em quanto que uzada no banbo ella
imparte o ' urna certa elasticidade de vigor forca.
Ella iinjpatte transparencia as feices,.
e removn paunos, sardas e lertoejas d.
wtbrt apelle.
de rolo com lo varas, pelo barato prego de ci40rs.
3i2oo rs. I
Pecas de cambraia
de salpicos, fina, com 8 1/2 varas, pelo ba-
rato pre$o de 4:ooo rs.
Atoalhados de liuho
com 8 palmos de largura proprio para toa-
Ihde meza, a 2:5oo rs. a vara.
Toalbas
de linho para meza, a 3:ooo rs.
Barcge
!e lindos gostos, pelo barato pi^go de 48o
s. o covado.
Esleir da India
propria para forro de sala de 4 3 e 6 pal-
mos de largura*
HOVO RIVAL
Lj* de iadezas.
Ra do Qneimado w. 16
Pegas de tranca de la lisa enramada a io rs.
Ditas de dita de caracol preta u de cores a
60 rs.
Ditas de caracol brancas c mcsclailas a |ii n
Ditas de dita branca para debrum de cotletrs a
80,120 e 160 rs.
Caixinhas de clcheles francezes a 20 e 4< i
Cartdes de clcheles franrezes a 40. 60 e HOr-
Massinhos de superiores grampas a 30 rs.
Filase cordes para enflar eapavtilbo a 80 rs.
Escovas para dentes muito linas a 160 rs.
Pecas de 10 raras de renda franeeza I:
400 rs.
Caixos de lindas llores a 120 rs.
Tesouras muito finas a 200, 3001 400 R.
Grvalas de seda estreitinlias a 160 e 2V) rs.
Lindas abotoaduras de cornalina a 320 rs.
Pares de luvas brancas a 100 rs.
Ditos de luvas de Escoria a 320 rs.
Ditos de luvas de seda a 800 rs.
Duzia de botoes de seda para rasaveqnes a 80 rs.
Dita de botoes de loor a pintados de diverso*. U-
nianbos a 20 rs.
Dita de botoes pretos para casaca a 60 rs. ___
Dita de facas c garlos brancos <- pretos a i-X*
Pares ae sapatinnos de la para enanca a 240 r.
400 rs.
Frasquinhos com tinta azul c encarnada r40 n
Boioes com superior tinta preta ingkza a 120 rs.
Ti 11 lo iros de vidro de cor com lampa de metal a
160 rs.
Canelas superiores a 20, 40, 60,80, 120 e 200 rs
Lapis azues e encarnados a 120 rs.
I>apis c creioes superiores a 20, 40 e 60 rs.
Duzia de lapis de pao a 80 e 120 rs.
Libra de linha cor de caf a 700 rs.
Dita de retroz de cores a 8#.
Oitava de retroz preto e de cores a 160 ra
Frasquinhos com superior macaca perota a i*>
Ra d* Son/alia n 42.
Vende-so, em casa de S. Johnston &C,
sellins e slioes inglezes, andieiros e casti-
caes bronzeados, lotias inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros dfe um e dous carvallos, e rclogios de
ouro patente inglez._____________________
Farinha de mandioca
em saccas grandes, e de superior qualiAa-
de; no armazem -de Tasso kmaos, ra do
Janana*. 35.
Ditos com superior oleo de araendoa doce a
240 rs.
Ditos com superior pomada franceza a W*<
Ditos com superior uanha franceza a 300 rs. e
15000.
Ditos com superior patcholy a 500 rs.
Ditos com superior agua de colonia a -r>Of;
800 rs.
Ditos'Com superiores extractos finos a l >
Diuia de pomada do Porto a 280 rs.
Massos de palitos lixados, o mais superior. -
360 rs. _
Dutia de pipinhas com phos|ihoros a 200 rs.
Caixinhas com |>ennas de laura pipan i e
grandes a 800 rs.
Ditas com iennas caligraphicas a 1*200.
Ditas com superior lacre a 200 e 400 rs.
Resma de sujierior papel almaco a 24500 < '*.
Diu do siperior papel de peso pautado a 3*VW
Pentes de atar cabello a 40,160 e 240 rs.
CAixinha de superiores obreias de cola a m t
120 rs.
Bsralho de cartas portugoem a 160 e *M) rs.
IVito de ditas franceza a 300 e 360 rs.
Vrancelim de boaracha para relogio a eu rs.
Sintos elsticos para homem a 320 rs.
Pares de suspensorios a 120 rs.
Caixinhas de lamparinas para 6 mezes a 80 rs.
Ditas com 100 anvelopes a 800 c 1 j.
Pecas de lita de seda de diversas cores a 360 rs.
Lindas capellas para meninas a 1520H.
E muitos outros objectos que se vendem n '
em con la. na ra do Queimado n. 16.
Pecas de litas de velludo recortadas com
lo varas a..........
Caixas com muito superior papel amiza-
de c outros a
homem,
fazenda
Corles de cachemira i Escocia, a 2:000, na
loja if> Pari.
Vendem-se esta nova tazenda muito encor-
pada imitacSo de casemira, tendo padres
escuros e alegres, afiancande-seque n8o des-
bota, a 2$ o corte para calca, ou 580 rs. o co-
vado para paletot, colete etc.: m na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 00.
Fazendas forneas, na loja do
Pavo.
Vendem-se pecas de madapolo entestado,
francez, com 20 varas, a 80; ditas com 12
jardas, a 40 ; dito inglez muito fino, a 7&
7^500 e8#; ditos muito superior, a 100;
ditos de 40 jardas muito fino, a 4#800 e a
50600; algodozinho muito encorpado, a
40800, 50500 e60; bretanha .com 4 pal-
mos de largura, muito fina, a 10 avara;
pecas de cassa de cordo para babados, com
6 varas, a 30500; ditas com 12 varas, a 70:
Pechlneha, a ftOO rs. o covado.
s o Pavo.
Vendem-se as mais modernas lazinhas
entestadas, transparente, tendo 4 palmos de
largura, e sendo lizas e de quadrinhos, de
urna s cor, propria para vestidos e capas,
a 500 rs. o covado: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
casemiras francezas a 10600 c 20000, ditas Massos com superiores groamos a.
finas a 20500, ditas de linho a 30000, ce-
rodas francezas a 10600, camisas de meia a
'800 c 10000; na loja da arara ra da Impe-
ratriz n. 56 de Alendes Guimares.
Oh! qne pechlneha a lOrs.
Vendem-se chitas francezas oscuras com pe-
queo toque de mofo a 240 rs. o covado,
(litas inglezas com pequeo toque de mofo:
a 200 rs. o covado. peras de ditas francezas
com pequeo toque de mofo a 80000, pe- Diisde oleo babosa a 240 e.....
cas de ditas inglezas escuras cores lixas com Ditos com superior oleo de macaca a .
pequeo toque de mofo com 38 covados a ,ilc,s com suprior macaca perol a .
70500, ellas freguezes antes que se ^^^^^^M\
bem; na loja da arara ra da Imperatriz n. Ditos com superior agua celeste para
56 de Mendes Guimares. cheiro...........
Caivetes de aparar penas a.
Agulheiros com agulhas a .
Duzia de meias brancas para
muito finas a.
Duzia de meias para senhora,
lina a...........
Cornetas de chita para meninos a .
Escovas para limpar denles muito tinas.
Baralhos de cartas para voltarete muito
finas a..........
Ditas portuguezas a 160 e.....
Fiascos de agua de Colonia muito boa a
400 e...........
15800:
15600
700
40
80
80
I
15600
.35600
80
200
I
320
300,
PARA m CABELLOS,
'E una preparado admiravel para lim-
par, aformosear, conservar e restabele-
cer os cabellos.
Adinimn as las baratas.
Superiores laas de cores de quadrinhos e
Usas, Jingindo sedinhas e duas larguras,
pelo baratissimo preco de 500 rs. o ova-
do-: -na leja das columnas ra do Crespo n.
J3, de Antonio Correa Vasconoellos & C.
Vende-se urna preta de 22 anuos de idade,
sabcongoinmar- cosinhar, lavar e cozer ; quem a.
protcider, v a ra do Amonin, n. 30, que achara
comquem tratar.
FaRlMHA SUPERIOR-
~\*ende-se -a retalho-abordo do briffue Mel-
lo :,o qnal se acha atracado ao trapiche do
Duo do Livramento, e em porco : trata-se
com Antonio Lutz de Oliveira Azevedo & C,
no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
seo
soo;
100,
200
800
.300 i
Agenda as boticas dcCaors A Barboza,'
roa da Cruz, eioo da C. Bravo &'C, ra:
da Madre de Dos.
LIQUIDACAO
de 'aTonda liaralissimas, na Bea-Visla, -raa da
Imperad u n. 20.
Cambraia* adamascadas com 20 varas a 82.
Eslampas finas.
.5b loja da Aurora, na ra larga do Rosa-
rio n. -38, recebeu-se vario sortimento de
estampas de differentes santos.
Madapolo franeez enfestado a
lMM.
Trancas de algodao brancas e de cores a
Caixas eom superiores obreias de colla .
Bolsinhas muito bonitas para guardar di-
Vendem-se pecas de madapolo francez fi- ] Grarotas ^da'de' diversos gostos a '.
no enfestado com 12 jardas a 40 e 45500,, Tinteiros de vidro com superior tinta a .
dito inglezes fino de 24 jardas a 70, 80, 90, j 1>ar('s dc 'ovas brancas de algodao a .
e 100000, pecas de algodao encorpado a 40 Caniteis ue linha com too jardas, bran-
4>.*)00, 50 e 60; na ra da Imperatriz n. 56.
Chitas da arara.
Vendem-se chitas francezas finas a 320,300
e 400 rs. o covado, riscado francez a 280
rs. o covado, aberturas para camisas a 240
rs., ditas de linho brancas a 800 rs. o cova-
do, tarlatana de cores a 400 rs. a vara; na ra
hius eom9 ditas n.
tis lisas mi 8 ditas a .25.
Fil liso muito lino a 800 rs. a van.
Chales de merino estampados a i5.
Madapolo entre-lino com 20 varas a 85.
Casemiras finas de ama s cor
153M vado.
801 Algvdao monstro, superior fazenda para toalbas
80 e leiujes a 800 rs. a vara.
Bramante de JO palmos-de largiuxa 15600.
500 Grtalas de e>oda a 320 t L
300 Oleados de diversas larguras e de ricos desenlies
160 para mesas de jantar a 25 o covado.
Vende-se urna taberna na ra do lar;-
Rosario n. 31, ou troca-se por outra que v. ;
retalho, em ra mais esquesila : a fallara ae-i,u>
ac^s
Vendem-se na ra da Cadeia
viudas pelo vapor inglez.
do Recie a. i5.
MUDANCA.
O rival sem segundo mudou o seu -k|;. .
lecimento do n. 55 para o n. '!) da n
ra e contina a vender em Unas duas
as miudezas abaixo declaradas e qu
prestar toda attenco:
Sabonetes inglezes muito finos a
160 e.........
Frasco d'agna de colonia peque-
o muito lino......
Dito dito grande muito superior. .
Frascos de macassar perola a. .
Ditos de macaca oleo a. .
Fiascos de oleo Barbosa a 2iO,
320 e.........
Dito dito muito superior a 500 e .
Dito de banlia muito fino a 400 e .
i(W
MM
Mil
I
Vendem-se eradlos : na ra do Im-, Frascos de l.avande muito superior,
perador coxeira n. 13. t Carrafas d'agua celeste muilo su-
perior a........
Frascos de cheiro muit.. gpja
500 e.........
Ditos de banha pequeos muilo Ima.
ijfl
:.(H
..f,<.
Jlllbo superior em saecos
grandes.
Vendem Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
par Menos preco que em outra qualquer parte, no
*en esexiptorie ra da Iruz n. 1.
Vende-se um grande terreno com cercad", e
ptimo para azer-se um excellenle sitio em Jaba-
tao a margem da estrada da Victoria e contiguo a '
iwvoacao de Santo Amaro, eontendo igual.....Me I
c eiv )t('rreno J'ara idantaeao : quem a pretender para
"^ tratar, dirija-se nesta cidade ao terceiro andar da
f asa n. 46 da ra do Imperador.
da Imperatriz n. 56.
Cortes de casemira da arara.
Vendem-se cortes de casemira enfestada
escura a 20, cortes de brim para calcas a
10 e 10220; na ra da Imperatriz loja da arara
n. 56 de Mendes Guimares.
Arara vende as col xas.
Vendem-se ricas colxas aveludadas para
cama _a 80000, ditas de fusto a 50000, ditas
ca a
Fitas e cordoes para enfiar espartilhos a
Caixas com colchetes francezes superio-
res a ...........
Cartes de colchetes francezes a 40, 60 o
Facas e garfos cabo branco cravado a .
Ditas de cabo branco cravado a. .
Ditas de bataneo muito linas a. .
Tesouras para" cortar, pequeas e finas
a 200 e ...........
Tesouras para cortar anhas muito final a
100
30
80
400
SO
35300
65000
320
SOO
de chita a 20000, brim de linho e algodao
branco a 800 rs. a vara, dito de linho puro
a 10,10120, 10280 e 10600 a vara; na loja
da arara ra da Imperatriz n. 56 de Mendes
Guimares.
Baldes da arara de SO 40
arcos.
Vendem-se os melhores bales que tem
vindo americanos de 20, 25, 30, 35 e
jnz arara n. 56.
Preservativo contra o cholera.
0 xarope aleoholico de veame por sua qualida-'
de ant-septica previne a pulrefaccao as molestias. I
O cholera-morbus, quando accommette, apresenta'
una evacuaeao de cmaras, c vmitos aeompa-'
nhados de dores vivas de venlre, ancias e puxos,
principalmente aquelles que usam de mantimen-:
tos, que fcilmente se Tazem rancosos, ou se azc-
dain no estomago. Ora, sendo a saiide dependen-
te do estado dos solidse dos fluidos, claro, que
o medicamento como o xarope alcohlico de vea-
me, que tem a qualidade de impedir a putrefaco
do sangue, purilicando-o e conservando o estoma-
go em seu estado regular, pondo-o livre do rece-
bimento da infecijao, previna o apparecimenlo do
choli-ra. As pessoas, pois, que se qulzerem livrar
desse mal, devem usar do xarope alcohlico de
veame da maneira indicada no receituario. Mui-
tas pessoas desta cidade e de fra, teem manifes-
tado as vantagens, que teem obtido desle medica-
mento, que, na verdade, tem aproveitado as se-
guintes molestias : escrfulas ou erupcoes, escro-
40 arcos, a 40, 40500 e&S,~ ditos de ma- Phulosas' ulopras dJ toda especie, syphiles ou mal
danolo bem fritos a lAinn a M litnc a* venereo- tumores, brotoeja, ophtalmia, impigens,
i.i} oao oem leilos a ftoUO e 40, ditos de hespes, dartros, erisipelas, escorbuto, tinha, cha-
Diilnantina a 40;>OO, baloes saias de cordo gas antigs, rheumausmo chronico, debilidade ge-
que faz a vez de balo a 20; na ra da Impera-! ra'> fastio. "ores brancas, e todas as enfermidades
:' ">"" dependentes da purificaco do sangue. Na cura
de todas estas molestias tenho recebido de pessoas,
cartas de agradecimento, pelo bom resultado, que
teem obtido; o entre estas faco Itranscrever a do
Sr. Dr. Fernando Alfonso de Mello Jnior, pessoa'
ntremelos da arara.
Arara vende mangnltos a
90OOO.
Vendem-se manguitos e golinhas de linho a bem couhecida nesta cidade. Overdadeiro xaro-
20 O par, golinhas para meninas a 400 rs E? d<1 velame vende-se nicamente na botica da ra
ditas nara enhorasa iOflrs -niriiidaimna Direita n- ^de Jos da Rocha Paranhos. Recife
ditas para sennorasa400r&.,naruadaImpe- i7dc.julhodei863.-nim. Sr. Jos da Rocha Pa-
n- ranhos Accusando a recepeio de sua estimada
carta desta data, devo dizer-ihe, que soffrendo de
i rhenmalismo, algiunas pessoas de minha anzade,
Vendem-se pecas de entremeiostransparen- indicaram-me o seu xarope de veame como um
tes a 10, tiras bordadas de largura de 3 a 4 Pderoso remedio para esternal, ecom effeito, pas-
dedosal028Oe 10600 a peca cortes de la g* %tffiig^ gS
Mana Pa a 40, ditas delaa chineza com consideravel pelo que estou resolvido a continuar
22 covados a 80, ditos de organdys com 13 no uso do dito seu xarope, at que me veja com-
varas a 80, ditos com 9 varas a 60500; na ra Patamente restabelecido. Pode fazer o uso que
da Imneratri? n ^6 arara de Mendes Gui- ?"z*5 des^ rainha rcsPsta- Sou com estima e
ua imperatriz n. oo, arara ue Menes uui consideraeao de V. S. atteuto e muito abrigado
maraes. ^no-Fernando Alfonso Ae Mello Jnior.
FlaneJJa branea muito lina a 640 rs. o ovado.
Riscadinhos dejinho inniu tinos para vestuarios
de enancas a 4O0 es. o covado.
Cbilas escuras e claras, padres inlekamente
novs e muito Hnas.a 400 rs. o covado.
Liazinhas chineza muito superiores a 900 rs. o
covado, e outras muitas qualidades de basadas
precos muito commodos, afim de apurar diubeiro,
dando-se de tudo as c*nipetentes amostras.
FAZENDAS BARATAS
HA
\< a loja de Ciisdodio, 'arvalho
k. i ompanhia.
27v do Queitiado27
Para vestid a 60 rs.
Piuttao lino francez para vetiido de seahora c
meninas a 260 rs. cada eovado.
Caadtraia. '
Cambraia organdys muito fina a 240 rs. o co-
vado.
Calcinitas
para senhora e meninas, pelo barato preco de
Coberlas
de chita chineza a 20000.
Golinhas
de linho para senhora a 600, 800 e 10.
Lences
Lencoes de panno de linho finos a 20.
Camisinhas
para senhora, sendo de cambraia a 25-
Pannos
Pannos adamascados para mesa a 10300.
La.
Lazinhas matizadas muito finas para vestido a
'*40 rs. o covado.
Vestuarios.
Vestuarios para meninas, muito lindos, a 30500.
Cambraia
de linlio fina a 30 a vara.
Para lulo.
La preta fina, propria para luto, a 300 rs. o co-
vado.
Madapolo
Madapolo fino enfestado, peca a 80, tendo 20
varas.
Kariuha de mandioca
naya e de muito boa qualidade, a retalho e em
porcao : a bordo do palhabote D. Luiz I, atracado
ao caes do trapiche Barao do Livramento, no For-
te do Mattos.
PINTURA.
Tinta branca de massa muito nova, em la-
las de 28 libras para casas, para navios, para
companhia do gaz, a 2oo rs. a libra: ra
largado Rosario n. 3i.
PAPEL
de ores para listas de eleUores
A agiia branca suppSe que nao faz mal em offe-
recer aos athletas mis pacotes com 234 folhas de
papel de ores, que pode servir ptimamente para
IMBB de eleitores, c tanto melhor por custar cada
ntc o diminuto preco de 10500, e ser cada um
ai s c$r, o que difficil de encontrar a nao
ser na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Na mesma loja tambem ha de outras qualidades,
branco e azul,.""
Ditodcopiala petjueno*.
Thesouras muito linas para urias.
Grvalas de seda de cores .
Luvas brancas de algoto .
Caivetes Caixas de colxetes francezes a i ir-
tes.........
Grampos de caracol e lis.-s. .
Caixas de vidro com 12 dedaesde
metal.........
Massode palitos lixadosparadciit.'s.
Grosas de botoes de ac para calca.
Caixas com 6 frascos de cheiru. .
Escovas para cabello muito linas .
Carteirasdemarro.
Pecas de tranca lisa encarnada. .
Tinteiros com tinta muito supe k i .
Ditos de vidro com tinta mais in-
ferior.........
Cartas de alfinetes Hocezes .
Cornetas de chifre para meninos .
10000
Nrt
iOfi
. t
I I
.0
l't.
I r

Mi
Vende-se a loja de calcado na ra d.. I.
ment n. 33, bem afrepuezada, isto por ter seu no de retirarse fiara a Europa a tratar le aai
de : tratar na mesma.
assim como anvelopes.
Farinha de mandioca,
Vendem-*1 em saecos grandes de superior qua-
lidade e por eommode preco : no trapiche do Cu-
nta no Forte do Mattos.
Potassa da Russia.
Acaba de chegar pelo brigue hamburguez
Olio, muito nova e superior; vende-se so-
ment op antigo e acreditado deposito na ra
da Cadeia do Recife, n. 12; onde tambem se
vende Cal de Lisboa muito nova e precos
commodos.
Vende-se manteiga ingleza muito fina
a 900 rs. e a 640 rs, a libra, franceza a
600 rs., loucinho a 300 rs., arroz a 100 rs.,
chourigas novas a 500 rs., velas de espar-
macete a 600 rs., de carnauba a 400 rs., vi.
nho da Figueira e Lisboa a 400 rs., a gar
rafa, quejosnovos a 1800 rs., na ra das
Cruzes n. 24, esquina da travessa do Ou-
vidor.
GAZ.
No armazem de louca da porto larpa. ra lare.
do Rosario n. 26, vendem-se latas rom ."> i
gaz a 12, assim como latas de 3 garrafa, t
garrafas muito em cunta ; garante-so a quan
Vendem-se glolios de louca lindamoni
drados, proprios para collocar por Pnf.-itc em
dos parapeitos das frentes de proprirdadet, annm
como ricos vasos para flores e pinhas para afor-
moseamento de jardlns : na ra da l'raia n. 3fi.
Vende-se a armacao da taberna do caes d
Apollo n. 57, Iluminada a gaz com todos seus per-
tcnces que Ihe preciso e por barato preco e
tambem alguns gneros que existe: a tratar na
mesma
Vendem-ye caixoes vazios pro-
prios para bahuleirosa i$280, na raa
das Cruzes n 44.
Cal de Lisboa e potassa da
Rsala.
Vende-se na ra da Cadeia do Recife n. 26. par-
onde se mudou o antigo e fwdHii qfamkt ,
mesma ra n. 12, ambos os genero do no
legtimos, e se vendem a preco mais barato d.
outra qualquer parte.
Vende-se nina escrava de m.'ia UMt, a qual
faz todo servico domestico, por preco comm na ruado Marisco n. 7. primeiro anjrlar
Todos os dias, cedo, vira da Varz.a pan
psito de pao e cestas do Sr. Fructuoso, na
larga do Rosario ; vender-se-ba a 240 r*. a aa
la. grandes c iwquenas porcoes.
Muita attenco.
Na travessa da ra das Cruzes na taberna pin-
tada de amarello n. 6, vende-se barriquinhas de
bolachinha americana com 26 libras por 15200 rs
levando vazilha para a condtuir, nessa occasio
vera o comprador que est em bom estado, de
graca a 46 rs. a libra. ^
Farinha e farelo.
No armazem da aurora brilhanle, largo da San-
ta Cruz n. 84, vendem-se saceos com farinha a
#500, Trelo de Lisboa a 44500, milito a 6#, e
arroz de casca a 4 a sacca.
Vendem-se qualro vaccas crioulas proxi
a parir, e um novilho de raca lourina. aoim <
una vacca parida que d seis tigela.s de leil
melhor que se pode encontrar, tanilxm ni,
na travessa daa Barreiras a 10, se dir que
vende. _________
Vende-se urna boa preta eom dude d J
annos, pouco mais ou menos, cozinha e engoniina
I >er fe i tomante, e d-se para esperimentar. a figura
nao boa, porm orna boa escrav3 para o sern-
co de qualquer rasa : na roa do Queimado, loja
de miudezas da boa fama n. 35.
Na rpa de S. Francisco n. 42, vende-se par
preco bastante conunodo um piano de mesa *
usam.



Diario de Ptrumbur* Sexta flra 31 de Julho m 19SS.


SORTIMEHTO DE MOLHADOS
\\n\\o emnipa: Porto, Figueira eLisboa, a400,
^L66 rs' a 8arraraem ^nada a 1#800, 3 e
J#500 rs., afianca-sc este genero conservar-se
perfeiio seis oito mcies, o que raro ser outro
qualquer afiancar.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto, a t
a garrafa e 104 a caixa, o preco nao indica a
qualidade deste precioso vinho, porm tambem
nao com imposiedes de preco que se prova ao
respeitavel publico a superior qualidade, este
genero de oommuro se manda vir de conta pro-
pria, e por isso podemos vender por menos do
que outro qualquer annunciante.
Vinho do Alto Douro, das marcas mais acreditadas
e especialmente escoltadas por pessoas entendi-
das deste genero, como sejam Camoes, Duque do
Porto, D. Luir, Carca vellos, Chamisso & Fil
Madeira secca, Feitoria, a 900 rs. a garrafa v,
a caixa com II garrafas.
Garrafes com vinho do Porto, contcado 5 garrafas
por 25300.
Vinho branco de Lisboa, propriopara missa, vindo
j engarrafado do Lisboa, a 640 rs. a garrafa,
dito de barril muito superior, a 500 rs. a garrafa
e 34200 a caada.
Ameixas franceas em caixinlias de 1 e meia, 2 e 3
libras, elegantemente enfeitadas com diversas es-
tampas na caixa exterior, a 15400,15800, 25500
e 35.
Figos de comadre em bauzinbos de folha, muito
proprios para mimo, a 15600.
dem em caixinhas forradas de papel de diferentes
molduras, a 15400.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia e 3 libras
por 15400 e 25600.
Passas de carnadas as mais novas que ha no merca-
do, caixas de 1 arroba a 65, e a retalho a 400 rs.
a libra.
Massas para sopa muito novas: pevide e estrellinha,
a 560 rs. a libra.
dem a mais nova que ha no mercado: talharim e
aletna, a 560 rs. a libra.
Macarrao, a 320 rs. a libra.
dem o mais novo que ha no mercado: talharim e
aletria, a 560 rs. a libra.
Figos de comadre em caixa de 8 libras muito novos
a 15800 e a retalho a 180 rs. libra.
Salmao em latas eem postas hermticamente lacra-
das, a 800 rs.
Polassa da Russia.
Vende-se em casa de N. O. Bicber & C,
successores, ra da Cruz n. 4.
Ra da Senzalla Nova n. 42.
N.-ste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a HO rs., idem de Low
Moor libra a 120 rs.
Ceblas superiores era resteas, a cinco
mil ris o milheiro no Caes da alfandega n.
1. armazcm de Tasso & Irmaos.
A AGUIA ltl(\\(i
Receben pelo ultimo vapor o
seguate:
Bonitas pnlseiras de cabello, coral, e cora-
lina.
Fortes e bonitas ligas de seda para senboras.
Outras tetreitas para meninas, ou manguitos.
Carteiras com agolhas.
Agulhetas para enfiar, c agulhas cantfas.
Traneelins e fitas de borracha.
Carrte com torga] de todas as cores.
Massosefios de coral.
Esponjas linas para rosto.
Pentes de tartaruga virados, com laco e a
balan.
Enfeites de rede para conservar os cabellos
bem atados.
Aspas e coz para bnlio.
Fitas com cohetes para vestidos.
Traneelins ch tos de la para enfeitar vestidos.
Papel e folhas para rosas.
I.amparinas francezas.
Traneelins grossos para relogios.
Escoro cabo dosso, marfim emadreperola
para denles, unias, limpar pentes ejoias.
Ondas finas para rotipa, chapeo, cabello etc.
Outras de velludo para chapeos.
I' -las para papis.
Raspadeiras e facas de marfim para ditas.
Vsperas e dminos.
Linas de camnrea.
Vendem-se mui finas luvas de carmuca
branca c amarella: na ra do Queimado n.*8
loja d'aguia branca.
l.uaissimas bandeljas.
A aguia branca por muitas vezes tem da-
lo a conhecer que quando acha alguma pe-
chincha, nao quer somente com ella encher
o papo, ao contrario deseja que toda sua boa
(reguezia e o publico em geral prvem da
mesma, o que agora mesmo acontece com
essa8; baratissimas bandeijas, cuja limitaco
de pncos admira, em relacao aos tamanhos e
qualidades: avista do que convm todos a-
proveitarem-se dessa opportuna occasiSo e
proverem-se d'um traste sempre necessario,
e que mes distar quasi metade do justo va-
lor. Assim, pois. c dirigirem-se com dinhei-
ro alegre e espacosa loja d'aguia branca
ra do Queimado n. 8.
Lencos Iraucos com barras de
cores para meninos.
A loja d'aguia branca recebeu um novo
sorlimento de lencos brancos com barras de
cores para meninos, e com quanto esses
vif.ssem melhores, maiores e perfeitamente
quadrados, com tudo continam a ser ven-
didos pelo antigo preco de 10 a duzia; n.
ra do Queimado na alegre e espacosa loja
d'aguia branca n. 8.
La fina para bordar.
A aguia branca acaba de receber um com-
pleto mu limento de la fina para bordar, cu-
ja yanedade de agradaveis cores foram es-
colladas d'um grande livro d'amostras que o
fabricante offereceu a aguia branca, vindo
entre ellas alguma mesclada; assim pois onde
os pretndanles melhor se podem sortir des-
se genero, na alegre e espacosa loja d'a-
guia branca ra do Queimado n. 8.
Os afamados copos com banha, e
boloes com inscrlpcdes.
Chegaram novamente para a aguia branca
esses afamados e estimados copos com banha
fina; assim coi. > os bonitos boies de por-
cellana dourada tambem com banha, e novas
kiscripcoes maviosas e jocoserias, mui ade-
quadi 1 para presentes resta porem que os apre-
ciadores concorram, munidos de dinheiro,
alegre e espacosa loja d'aguia branca ra do
Queimado n. 8.
TERCOS
e coreas de cornalina.
A aguia branca pensando constantemente em
bem servir a toda a sua frecuezia, notou que anda
nao havia felo algum agrado a aquetk-s que pru-
dente e acertadamente resando, cumpren dever de
bom rhristao, e quando reparn essa sua falta
mandn vr e acaba de receber delicados tercos
comas de cornalina com cruz de prata, os quies
deixa a disposieao dos fiis que estverem dispostos
a gastar 13;HX),2e 35 para possuh-em um bonito
terco ou coroa, com os quaes podem mesmo pedir a
Deas pola prosperidade d'aguia branca, em seu ale-
gre e espaeoso ninho da ra do Qoeiraado n. 8.
Novos e bonitos
pentinhos travessos dourados e con pedras pera
meninas: vendem-se na ra do Queimado, Ihu
d aguia branca n. 8.
Bahiizinhos com perfumarlas e
sena ellas.
A aguia branca vende bonitos bahuzinios com 6
rrasquinhos de cheiros por 15500 e vastos por 800
rs.. servindo estes para meninas, e mesmo para
joias, etc., etc. : na ra do Queimado, toja d'aguia
branca n. 8.
Delicadas tesonrlnhas d'aco para
bordados e labyrlntho.
A pedido de algumas senhoras suas predicletas
froguezas, a aguia branca mandou vir dessas de-
licadas tesourinhas d'aco pontas agudas, proprias
para bordados e labyrinthos, e urna vez ehegadas
como de tacto chegaram, a aguia branca convida
as de mais senboras suas boas freguezas para
aproveitarem-se da occasiao e bem einpregarem
s.iis i& em cada urna dessas finissimas tesouri-
nhas, na certeza de que perder por chegar tarde ;
quem se demorar em as mandar comprar no ale-
gre e espaeoso ninho d'aguia branca, ra do Quei-
mado n. 8, onde tambem ha outras curvas e direi-
tas para unbas.
Babadinhos estreitos e bordados
Vendem-se na ra do Queimado n. Estoja d'aguia
branca.
Capachos eompr Idos e redondos
Vendem-se na ra do Queimado [leja d'aguia
branca n. 8.
Llnhas maclas e lustrosas para
bordar
vendem-se na loja d'aguia branca ra do
Queimado n. 8.
\o isslmos e bonitos enfeites
para cabeeas.
Quando o bello sexo senta a falta de bons
enfeites para cabeca, eis que a aguia branca
recebe urna sua encommenda de bonitos e
delicados enfeites, e de modernissima moda,
muito servindo isso para sanar aquella falta,
e fazer com que as Exmas. apreciadoras da
bella ompreza Coimbra possam melhor real-
sar e mostrarem o apurado gosto que as
guia. Esses enfeites s3o d'um tecido bas-
tante fino com continhas d'aco, e mui beca
enfeitados com flores, fitas, bicos, plumas
etc., entretanto que sendo obra de muito
gosto custam 55, 65 e 75 dinheiro vista;
na espacosa e alegre loja d'aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Ricas giiarnlces de pentes e
flvellas para cintos.
A aguia branca receben novas e ricas
guarnieres de pentes dourados, e com po-
dras ; assim como outras bordadas froto e
com bolas pendentes, novidade essa que so
se acha em dita loja, e que na verdade se
tornam mui alegres e bonitas; e bem assim
recebeu lindas fivellas com pedras, e ditas
d'aco com novos e engrapados moldes, cintos
dourados e de marroquim; e muitos outros
objectos de gosto para senhoras serao encon-
trados na alegre e espacosa loja d'aguia
branca ra do Queimado n. 8.
ROUPA
Na ra do Queimado n. 43, esquina que
tolla para a Congregaco ; pechincha.
Paletots de casemira a 55, 6, 7, 8, 13 e li,J,
ditos de panno preto e azul a 95, 10, 18, 16 e 18,1,
ditos sobre-casacos de panno muito fino por 245 e
28", ditos de alpaca preta e de cordo a W, 5, 6 e
75, caigas de casemiras de cores a 55, 6, 7 e 85,
ditas pretas a 65500, 8, 9 e 105, paletots de fustio
e ganga a 25, 25800, 3 e 45, calcas e colletes de
todas as qualidades e por prego muito barato, len-
ees de puro linho a preco de 258O0 e 35, cober-
tas de chita a 25240, collarinhos de linho puro a
600 rs. cada um, e outros muitos objectos que so
I vista ; e para isso se pede a attencao dos fre-
guezes.
Lagosiinhas em latas grandes, a 15409.
Savel, corvina, cherne, congro, hnguado, vezugo,
gors, pescada, peixe espada, preparado pela pri-
meira arte de cozinha, a 15300 a lata.
Qucijos flamengos do ultimo vapor, a 25400.
dem do vapor passado, a 25200.
dem prato, o mais superior que tem vindo ao mer-
cado, a 740 rs. a libra.
Docedaxasca da goiaba, eaixao grande, a 40 c
800 rs. cada un.
i Chouricas do reine a mais nova do mercado a 640
rs. a libra.
Paios de tombo, viudos do Porto de casa particular
a 800 rs. a libra. *^ '
Bolachinhas inglezas a mais nova do mercado a
2*0 rs. a libra e 35000 a barrica com urna ar-
roba.
dem de soda de diversas qualidades, a 15400 di-
tas grandes proprias para lanch com 5 a 6 li-
bras por 25400.
Marmelada imperial do fabricante Abren ou de ou-
tros muitos conserveiros de Lisboa, em latas de
1 e meia e 2 libras, a 600 rs. a libra.
Ervilhas francezas, a 500 rs. a lata.
dem poriuguezas, a 640 rs. a dita.
Maca de tomates, a 600 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 e 15 a
libra, nest genero existe sempre aberto dispo-
sieao dos freguezes dous a tres barris de man-
teiga flor, salvo quando por infelicidade aeonteca
a factura vir compost de segunda e terceira
qualidade, que para melhor satisazer aos fre-
guezes torna-se necessario ter mais do que esta
porcao de barris abertos, jwrm antes nos lhe
damos a dendt appbcapio para tempero, que
venderemos a 320 rs. a libra.
dem franreza a mais novado mercado, a 680 rs. o
em barril se faz akuimcnto.
Amendoas confeitadas, a 800 rs. a libra.
Chouricos, mouros vindo de casa particular, a 640
rs. a libra.
Farinha do Maranhao muito al va e cheirosa. 160
rs. a libra.
Avelaas muito novas, a 220 rs. a libra.
Amendoas do casca mole muito aovas a 280 rs. a
libra.
Toucinho do reino a 308 rs. e 105500 rs. a ar-
roba.
Sardinhas de Nanles, a 360 rs. a lata.
Azeite doce de Lisboa, a 640 rs. a garrafa e 45800
a caada.
Vinagre de Lisboa, a 200 rs. a garrafa c 15*00 a
caada.
Campagne das marcas mais acreditadas a 850OO
iOjOOO o gigo, e 800 rs. e 15000 a garrafa.
Cerveia preto da marca Tenent u XXX, a 45 e
455OO a duzia, c a 400 rs. a garrafa.
dem branca da marca eohriaba ou Tenent, a 45
e 45300 rs. a duzia, e em poreao se faz abati-
mento.
Genebra de Hollanda em garraoes com 16 garra-
fas, por 65500 rs., auanca-se ser verdadeira.
dem em frasqueira, a 65500 a a 560 rs. o frasco,
dem de botija em barricas com 4 duzias a 430 rs.
cada una.
dem de larauja em frascos Brandes, a 15200, ga-
rante-se ser verdadeira da Italia.
Marrasquinho de Zara, a 720 rs. o frasco.
Licor francez de todas as qualidades de fabricantes,
em garrafas brancas de vidro, a 720 e 800 rs. a
garrafa.
Vinho Bordeaux as melhores qualidades que tem
vindo ao mercado, a 720 e 800 rs. a garrafa, e
em caixa a 75500,85000 e 85*00 rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol, a800 rs.
a garrafa.
Conservas inglezas sortidas ou de urna s qualida-
de e da verdadeira, a 800 rs. o frasco.
Araruta verdadeira, a 320 rs. a libra.
Gomma de engommar muito alva, a 800 rs. a li-
bra.
Palitos do gaz, a 25300 r. a groza e 20 ris a
caixa.
Toucinho de Lisboa, a 320 r. a libra e 95500 rs.
a arroba.
Sag muito novo,^* rs. a libra.
Cevadinha de Franja, a 160 rs. a libra.
Cevada nava a 120 rs. a libra, e 35500 rs. a ar-
roba.
Macarrao e talharim, a 320 rs. a libra.
Aletria muito una, a 400 rs. a libra.
Arroz Carolino, muito alvo e grado, a 120 rs. a
libra e a 35200 rs. a arroba.
Caf do Rio o mais superior que se pode desejar
neste genero, a 320 rs. a libra.
dem idem de segunda e tereeira qualidade, a 280
e 300 rs. a libra, e em arroba ou sacro a 85*00
e 85400.
Ve?f.^carnuVia ** 3*rs. a libra e
105000 a arroba.
dem de spermacet, a 640 rs. a libra.
Chocolate hespanhol a 15, a libra,
dem francez, a 900 e 15 rs. a ubra. V
Cha perola o mais superior do mercado por sor
vindo de encommenda prepria a 25880 rs.
Cha hyson, melhor que se pode desejar neste ge-
nero, a 25500 rs. a Ubra. S
dem nacional em latas de 1, 2 e 3 libras a 15400
ris.
dem huxim, a 25*00 rs. a libra.
Cha preto homoepathico o mais excedente que tem
vindo ao mercado, a 25 a libra.
Graixa em latas grandes, a 3f300 a duzia, e 120
rs. cada unta.
Presunto verdadeiro de Lamego em calda de azei-
te, a 560 rs. a libra.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro, obra de
muita duracao e utiliaade, a 400 rs.
Charutos de S. Flix do fabricante Furtdo de Li-
ma ou de outros muitos fabricantes da Bahia. a
25000, 255OO, 35000, 35200, 35500 e 45000 rs.
a caixa, ou em meias por metade do prego.
dem Mississipes imperiaes, a 35000 rs.
dem Ypiranga ou Flor do Rio, a 35200 rs.
dem Guanabaras ou Havaneiros, a 25800 rs.
dem Flor da Malta ou Regala imperial, a 25500
ris.
dem Flor do Norte ou Londres imperiaes, a4500
ris.
dem superiores em quantidade c de todos os fa-
bricantes, a 350OO, 35500 e 45000 rs. a caixa.
I,
i!

* i
11

1
s
B
o
e
o
3
a
e
1

m
9
B
I
&
A
a
e
A
B
SM
9
* i
2 2 r
H 8
1
11!
I
s
- *
" -
i
A S
I
5 i
I t
H
I t
w
M
m P -s
15 II
Fil l|
If ?
o I
H
9
I a
I 1
" 2
3* B
o u
9 H
3

O
o
H
?

LETBEIRO VERDE.
Neste estabelecimento Iw sempre um sorlimento completo de roopa feita de
todo as qualidades, tambera se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e varano sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senboras,
homens e meninos.
ROUPA FEITA
NO
ARMAZEN
DE
I
>
s
\T
Casacas de paaoo preto, 35#e-
Sobreeasacas idem, 30^ e ,
Paletos idem e- de cores, 255,.
20& 45rSe.......
Ditos de casemira, 2041, 150,
12& 104 e...... 75000
Ditos de alpaca, S e. .
Ditos ditos pretos, 95,
55 e-........
Ditos de brim e ganga de co-
res, 45500, 45, 35300 e. .
Ditos branco de Imno, 65,55 e
Ditos de merino preto de cor-
cino, lr05> 75 e-.....
Calcas de casemira'preta, i 25,
105, 85 e...... 75000
Ditas de cores, 95. 85 e. .
Ditas de meia casemira de c-
res> 55500 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 55 45500 e
Ditas (te brim branco e de co-
res* 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de cores,
3*500, 35 e.....
Colletes de velhjrio preto e de-
cores, 95 e......
Ditos de casemira preta, 55> e
Ditos de ditas, de cores 5$
45 e........
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
305000 Colletes de fustao e brim bran-
255000 co, 35500, 35 e 25500
iSeroiilas de brim de linbo,
25400 e......25000
Ditas de algodao, 15000 e. 15400
Camisas de peitos de linho,
55, 45, 35 e.....25500
Ditas de madapolo, 35,
25500, 25e.....15600
Chapos de massa, pretos fran-
cezes, 105, 95 e. 85500
Ditos de fltro, 55, 45,35500 e 25000
Ditos de sol, de seda, 12-5,
lW,Ue......45500
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda....... 640
Sortimento completo de grava-
tas. 5 ;
Toalhas para rosto, duzia, 115,
9 e........65000
Atoalhado adamascado de li-
ndo vara......15280 !
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores. 1 45000
Lences de linho.....35000
25OOO
105000
75OO0
35500!
35500
35000
45000
55000
75000
75000
45000
45000
25500
25500
RA DO QUEIMADO N. 46
DE SfEttTQ(DEfflTD
DE
FAZEMDAS E KOIP \ 1 I I I I \>.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 255. 285, 305 e M casara
muito bem fetas a 255, 285. 305 e 355, paletots acasacados de panno preto 16* ale.
2o5, ditos de casemira de cor a 155, 185 c 205, paletots saceos de panno e se-
nil n de 85 ate 145, ditos saceos de alpaca, merino e la de 45 at 65, sobre de alna e
mermo de 75 at 105, calcas pretas de casemira de 85 at 145, ditas de cor de 7* *'
lo5, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de roupas de bmn
f como sejamcaifas, paletots e colletes, sortimento de colletes pretos de metim. cawaj
e velludo de 45 a 95, ditos para casamento a 55 e 65, paletots brancos de bramante a 45
e o5, calcas brancas muito finas a 55, e um grande sortimento de azendas finas e mudrr-
nas completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senhura, vnmlas
de linho e algod5o, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin para homem "E- mos uraa g7?nde f;,brica dc alfaiate' on obras, que para uso esta sendo administrada por um hbil mestre de semelhante v e un.
pessoa de mais de c.ncoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qual-p.. r bn .-.i
promptid5o e mais barata do que em outra qualquer casa.
75000
45000
Cobertas de chita chineza.
Pennas d'aco, as mais superio-
res, a grosa......
Relogios de ouro orizontaes,
35500 905,805 c......
55000 Ditos de prata, galvanizado,
600
705000
i patentes e orisontaes, 405 e
.05 e.......55000 Obras de ouro, adercos, meios
Ditos de gorguro de seda adercos, pulceiras, rozetas,
pretos e de cores, 65 55 e 45000! aneis e cruzes.
mmm
AURORA
LM
LARGO DA
O grande armazem da Aurora Brilhante contina a vender os melhores
mais novos gneros vindos ao mercado, por precos baratissimos.
Manteiga ingleza flor, libra.
Dita dita mais baixa, libra 640 e
Dita hoUandeza e barris pequeos
libra 640 e.......760
Dita em barris e meios, franceza
e ingleza, de 600 a .
Dita franceza nova, a. .
Cha hyssom, o melhor que tem
vindo ao mercado, a libra. .
Dito verde muito superior. .
Dito miudinho, a libra .
Dito graudo, a libra ....
Dito mais baixo, a 25 a libra e
Dito estrelinhas do Rio, a libra
15550 e.......
Dito preto muito superior, a li-
bra 15500, 15800 e .
Toucinho de Lisboa muito novo,
arroba 95000 e libra. .
Presumios inglezes para fiambre,
muito novos, a libra. .
Dito de lamego, a libra ....
Chouricas e salpices, os mais
novos possiveis, a libra. .
700
640
35200
35000
25800
25560
25400
15600
25O0O
320
560
BRILHANTE.
SAMA CRUZ.
ATTEIfiO.
FAZENDAS DE BOM GOSTO.
Unos cortes de la de barra a Imperatriz, ditos de la com barra matisa-
da, ditos lisos com palmas de seda, lindas laas de cores matisadas a 800 rs e
nado, ditas com palmas de seda a 640, 700 e 800 rs. o covad... crUs *>
seda de cor matizada os mais superiores que tem vindo ao mercad... Iind..s
cortes de more-antiquc de cor linda, gorguro de laa e seda de quadrinl..* e
lisos, tazenda inteiramente nova para vestido.
Superiores cortes de blond branco para noiva, camisinhas de cambraia
bordadas, brancas e de cores, lindos sautambarques de cachemira de .r enfei-
tados e bordados da mesma cor, ultima moda em Paris. superiores chpete
de palha da Italia, enfeites de flores, capellas brancas e outras muitas fazemlas
de gosto que sena enfadonho annunciar: na ra do Crespo n. 13, loja das
columnas, de Antonio Correa de Vasconcellos & Companhia.
fumim^Ao o BowinAi-Rii no
BRIIM *. 38.
Este muito acreditado estabelecimento esta prvido de um completo sortimenlo
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas dagua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
de
^ v^m %t mviflM
DE
Mostarda franceza em frascos de
vidro........
Conservas inglezas e francezas,
emfrascos.a......800
Marmelada muito nova dos me-
lhores concerveiros de Lisboa a
Massa de tomate, a libra 640 e
Saccas grandes com milho 65500,
farinha 65500, farelo 4/500,
arroz de casca a 45 e. .
Latas com bolachinhas de soda e
outras qualidades novas .
Ditas de ameixas com 2, 4 e 8 li-
bras, a 15500, 25600 e
Ditas com figos de comadre, pro-
prias para mimos, de 4 libras
Ditas com peixe preparado do
melhor gosto, a 15300
Ditas com sardinhas de Nantes,
a 320 e.......300
Ditas com fructas de Lisboa em
calda, a.......640
Vinhos genuinos engarrafados no
720
720
55000
1/500
45500
1/500
TODAS AS QUALIDADES
DE
ANTONIO MAIA DE BEITO
CONHECIDA POR FABRICADA VILVA.
N. 21Antiga ra dos Quarteis de policaN. 21.
Constando ao annunciante, que alguns especuladores de m f, vendo o crdito
que gosam os meus cigarros, e para poderem dar consumo aos seus andam venderlo tanto
na praca como pelo mato, illudindo os meus freguezes, dizendo que sao meus : e romo to-
dos os meus cigarros sao vendidos na minha fabrica, e n5o mando pessoa alguma vemler
por minha conta fra della, facoopresenteannunciopara evitar quecomprem gato por
lebre ; e para seguranca dos senhores consumidores deste genero e espeeialmente .* srn*
freguezes, aviso que todos os massos de cigarros que forem vendidos na minha fabiva sao
marcados com um distinctivo que declara o meu nome, o nome da roa e o numero da
mesma casa.
Aproveito a occasiao para scientificar aos mesmos senhores, que constantemente
encontrado um completo sortimento de cigarros de diversas qualidades. e do melhor mm..
escolhido, por sua boa qualidade j bem conhecida.
Porto, de 155O0 a 25000
Alm dos gneros annunciados, ha urna grande quantidade de gener todos os^
melhor qualidade, e vende-se barato,
>a
AOS SRS. CONSUMIDORES DE GAZ.
Nos armazens do Caes do Ramos n. 18 e
na ra do Trapiche Novo (no Recife) n. 8, se
vende gaz liquido americano primeira quali-
dade a retalho a 125 a lata de 5 galoes, as-
sim como latas de 10 e de 5 garrafas e sendo
em porco mais barato que em outra qual-
quer parte,
I Vendem-se 10 pipas de muito bom tatl de
furo em barris de 5., muito bem ronrticimwto
prompto a embarcar : ao trapiche 4o Lemo. ra
nova de Santa Hita n. 19.
Assucar do Monteiro
Ra do Imperador n. 28
67, a 200 rs. a libra, e de 8
a 55600 arroba.
MUTILAD


i^M^L^LVM
Diaria de Peroaaafenea Seita tetra 21 4c IhIIm de 1S4S.
V
rj


nm
GRANDE ARMAZEM
AE
EE
OK
N. M, RIA DAS CRCZES N. 36
DO
bairra de Santo Antonio.
0 proprietario do muito acreditado armazem denominado Progressisia tendo
sempre em vista fazer tudo o que for possivel para bem servir aos seus fregoezes, tera
deliberado vender os seus j bem conhecidos gneros de primeira quadade pelos precos
abaixo mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
escravos, serem Uto bem sen idas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, ainda mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento. O
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que nao agradar, devendo os mesmos senhores ter toda alten-
cao com os seus portadores, fazendo-lhes ver que s no armazem Progressista da ra das
(j-uzes n. 36, que se vendem os melhores gneros por mais barato preco, porque estes
militas vezes olvdam-se e vSo outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
(M.n. .cimento.
MMMA
PROGRESSIVO.
i
S NO
9--LARG0 DO CARMO-9,
DE
mW ^*
Os proprietarios deste espacoso e bem sortido armazem de molhados partici-
para aos seus freguezes que acabara d receber de diversos portos da Europa o mais bel-
lo sortiraento de molhados, todos primorosamente escolhidos, os quaes vendem-se por
muito menos do que outro qualquer annunciante, obrigando-se os proprietarios a garantir
todos os gneros saludos do seu muito acreditado armazem.
I
ilU JUV fUVUllldl
DE
Eduardo Marques de Oliveira C.
sa - B
--.
AS T-l
o> -
J =
rf Bfa ~
O O i- a
> a g w -
O - 3 -
V SA a
K X
fid ~
te a
ra
1 t *9
I 2
^_ t o
4*

=. m -
= /.
-x ** *i
i- r
r ~
l 7X*
de superior qualidadc a 320 rs. ca ('a c
xinha.
Manteigai ngleza de I.1 qualidade, a 900 rs.
a libra.
rs. a libra. 4U r8, caua unK
Batatas muito novas, a 2# o gigo de arroba Milho-alpista a 180 rs. a libra,
e 80 rs. a libra.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor,
de U SMSOO.
Gomma para engnmmar muito fina e alva a
80 rs. a libra e 2300 a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
dem prato, chcgado neste ultimo vapor o Sab3o verdauer0 hespa,,^ ^ raras vezes
mais fresco que se pode desejar a 700 rs. vem ao um merdo a ^ re< a Ubra e
a libra.
em caixa tera abatimento.
dem londrino, mandados vir de encommen- !(lem massa (1(1 superior qualidade de 160
da especial, a 900 rs. a libra. 180, 200, 220 e 240 rs. a libra.
dem suisso, muito fresco, a 800 rs. a libra.
Caf do Rio de 1. e 2. qualidade a 8S500
e 84800 a arroba, e 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India e Maranho a 120 rs. a libra
e 3<$200 a arroba.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
elJBOOaduzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salmo e outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
cozinha a It00.
Papel grve pautado e liso a 35800 a resma.
Presuntos do Porto muito noves a 560 rs. a GeS,dJoHfn.da em bo,iJas de eotai a
libra.
A velaos as mais novas neste genero a 240
rs. a libra.
460 rs. cada urna.
Legones francezes para sopa, como seja,
Juenne, mlange d'quipage, Choux e
outras qualidades, a 400 e OO o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, e
em porcao ter abatimento.
Garrafoes com 5 garrafas de vinlio do Porto
do Alto Douro a 24400 com o garrafao ;
afianca-se que nesse genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira muito
superior e mais proprio para a nossa esta-
c5o por ser mais fresco a 25 400.
Cha hvsson o mais superior a 2*600 a libra,
afianca-se ser egual ao que regularmente
vendemos a 35200.
dem huxim miudinho, o mais superior que
vem ao nosso mercado a 25700 a libra.
dem preto muito fino, a 25000 a libra.
Garrafoes com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 25100 cada um.
dem com 5 garrafas de vinagre de Lisboa
a 15100 com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinagre hambur-
guez a 800 rs. cada um.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Vellio secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a 900 rs. a garrafa e 95
a duzia.
Vinho Bordeaux das melhores marcas: St
Julien, Medoc e S. Estephe e outros a
640 rs. a garrafa e 75500 a caixa com
urna duzia.
Chouricas e paios, o mais novo que se pode
desejar, a 250 e 600 rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa e 105500 a
caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
Licores francezes, rauito finos, das seguintes
marcas: Anizetta de Bordeaux, Plaiserdes
dames, Cerme de Noyau, Eau Dantzic,
Creme de Menthe, Hude de Venus etc. etc.
Passas muito novas e de carnada a 400 rs. a
libra e 64500 a caixa com urna arroba, ha
i a i xas, meias e quartos.
Ameixas francezas em irascos de 11|2 e 3 li-
bras de 15400 a 25800, tambem.ha latas
de 6 libras.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
varos de Lisboa, a 600rs. a libia, em la-
tas lacradas hermticamente.
Fructas em caldas de todas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas, a 500 rs ea-
da urna.
Bolachinha ingleza, a mais nova que se pode
desejar, a 35000 a barric a e 240 rs. a
libra.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa
a 160 rs. a libra.
Azeite francez clarificado a 800 rs. a garrafa
e 94000 a caixa com urna duzia.
Consenas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed Rickles, ceblas simples, e outros
a 760 rs. o frasco.
Farinha verdadeira de araruta a 500 rs. a
libra, garante-se a superior qualidade.
Palitos para dentes em caixnbas douradas
Bre, a 320 a libra e 84 a arroba.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 35200 e 45000 a caada do
melhor e 500 rs. a garrafa, em porcao ter
abatimento.
Vinho velho Chamico em barril, rauito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
55000 a caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 560 rs. a garrafa e a 45000
a caada.
Vinagre puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
e 15400 a ranada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril
a 640 rs. a garrafa, e em porco ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
15000 a garrafa, e 105000 o gigo com
urna duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Baha a 35500 a caixa, tambera temos
para 25000, 25500, 35000 e 35200 a
caixa.
Vellas de spermaceto superiores a 600, 640,
e 680 rs. o masso.
dem de carnauba e composieao a 320, 360,
e 400 rs, a libra e de 104 a 115500 a
arroba. /
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 15000
a ancoreta do Porto e 15500 a de Lisboa.
Massas para sopa: estrellinha, rodinha epe-
vide a 400 rs. a libra e 25000 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carro e aletria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso das melhores qualidades a 900 rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixo.
Ceneja das melhores marcas de 55500 a
65000 a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
15300 a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda,
muito nova em latas grandes a 25000 cada
urna.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes, do fabricante Basset, a
360 rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a libra.
Tijolo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Cebollas o mllio a 900 rs.
Erva-doee muito nova a 400 rs. a libra.
Corainhos dem dem a 640 rs. a libra.
Garrafoes vasios a 500 rs. cada um.
Ditos com 5 garrafas de genebra a 25400,
garante-se ser verdadeira de Hollanda.
Cebollas a granel a 640 rs. o cento.
Canella a mais nova do nosso mercado a
15000 a libra.
Alfazema o que pode haver de melhor neste
artigo a 280 rs. a libra.
Phosphoros de seguranca individual a 20 rs.
a caixinha.
Papel de erabrulho muito superior a 15120
a resma.
Vinho da Figueira, o que ha de melhor a
44000 a caada.
Copos fiaos para agua a 64000 a duzia.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 800 rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
62o rs. a libra,
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 800 rs. a libra e o
pote separado,
dem de porco, refinada e muito alva a 5oo
rs. a libra, em barril ter abatimento.
dem ingleza em latas de 2 1/2 libras a 2,ooo
cada urna, garante-se a boa qualidade.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, l,8oo, 2,000 e2,5oo rs.
dem prato chegados neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 660 rs.
a Ubra.
dem londrino mandados vir de encommen-
da especial a 56o rs. a Ubra.
Caf do Rio de 1* e 22 qualidade de 8,5oo e
8,800 rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz da India e MaranhSo a loo rs. a libra
e 3,ooo rs. a arroba.
Caixinhas de ameixas francezas de 1 1/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,6oo, 2,000, 2,5oo e 3,ooo rs.
Vidros de diversos tamanhos de confeitos,
muito proprios para mimos, de 1,00o a
2,5oo rs. cada um.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
em porcao ter abatimento.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2,24o rs. com o garrafao,
afianca-se que neste genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira mui-
to superior e mais proprio para a nossa
estacSo por ser mais fresco a 2,4oors.
Cha hysson o mais superior a 2,600 rs. a
libra, afianca-se ser egual ao que regular-
mente vendemos a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem hurta miudinho o mais superior que
vem ao nosso mercado a 2,7oo rs. a libra.
dem preto muito fino a 2,ooo rs. a libra.
dem muito mais baixo, muito proprio para
negocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 800 rs. a libra.
Garrafoes com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 2,2oo rs. cada um.
dem com 5 carrafas de vinagre de Lisboa
a l,2oo rs. com o garrafao.
dem com 8 garrafas de vinagre hamburguez
a 9oo rs. cada um.
Genebra de laranja a 9oo rs., a melhor'que
se pode desejar.
Cha perola o melhor neste genero a 3,2oo
rs. a libra.
Azeite francez clarificado a 800 rs. a garrafa
e 9,5oo rs. a caixa com 1 duzia.
Consenas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a 800 rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. cada um.
Mullios inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
rafinha.
Sal refinado em frascos devidro de diversos
modellos a 4oo rs. cada um, s o frasco
vale o dinheiro, tambem ha solt para 80
rs. a libra.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de 1,00o a 3,oeo
cada um.
Painco a 14o rs. a libra.
Milho alpista a 16o rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra, e 2,3oo rs. a arrol.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 3oo rs. a Ubra e
em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade dd 2oo,
22o e 24o rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 12o rs. a lata
e 1,3oo rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salmao e outras quaUdades, pre-
parados de escabexe, segundo a arte de
cosinha de l,4oo e 2,ooo rs. a lata.
Amendoas confeitadas de diversas ires a
7oo rs. a libra.
e liso a 3,8oo rs. a
Papel grve pautado
resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta
46o rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa, Porto e Figueira das
melhores marcas a 2,5oo, 2,8oo, 3,ooo e
4,000 rs. a caada do mais superior c de
32o e 36o rs. a garrafa.
dem velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, por ser muito claro e
macio a 64o rs. a garrafa, e 5,ooo rs. a
caada.
Vinho braneo 0 mais superior que possivel
neste genero, a 56o rs. a garrafa e a
3,8oo rs. a caada.
Vinagre puro de Lisboa, a 2oo rs. a garrafa
c l,4oo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril,
a 64o rs. a garrafa, em porcao ter abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
l,2oo rs. a garrafa, e 12,ooo rs. o gigo,
cora 1 duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 3,5oo rs. a eaixa, tambem temos
para 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 3,2oo rs. a
caixa.

N^ste novo e grande estabelecimento de molhados, encontrar o resptitavel
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro, expostos \ -nda
todas as qualidades de gneros por menos precos que em qaesquer outros estabele. inwii-
tos d'esta ordem, pois para isso segu em um dos primeiros paquetes para a Eumpt ,iu
dos socios para serem vindos todos os gneros de cnta propria, para melhor unir toa
seus freguezes, e desde j encontrar o respetavel publico sempre os melhores e mais
novos gneros do nosso mercado, e por precos baratissimos, como se ver abaiv.
Amendoas a 320 rs. a libra.
Aveles a 2oo rs. a libra.
Ameixas a 15 a libra.
Ditas em frasco por 25800.
Arroz pilado da India loo rs., a libra e 35ooo
a arroba.
Dito dito do Maranho 120 rs. a libra e 35500
a arroba.
Azeite doce francez 800 rs. a garrafa.
Dito de Lisboa 680 rs. a garrafa.
Agurdente de canoa de cabera a 240 e 320
rs. a garrafa.
Azeitonas a 400 rs. a garrafa, e 15300 a an-
coreta.
Bolachinha de soda a 15400 a lata.
Banha de porco a 600 rs. a libra.
Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
rica a 35000.
Cha hysson a 24200 a libra.
Dito dito fino a 25600 a libra.
Dito miudinho a 25800 a libra.
Dito do Rio a 15800 a libra.
Dito preto a 15900 a libra.
Carne do serto a 36o rs., e em porcao se
vende por menos.
Charutos de diversas qualidades a 15200,
14500 e 35 a caixa.
Champagne a 15 e 15500 a garrafa.
Chouricas a 560 e 600 rs. a libra.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Caf em grao a 300 e 320 rs. a libra, e 95 e
!)f)00 a arroba.
Dito moido a 360 rs. a libra.
Doce de goiaba a 560 rs. o caixao.
Espirito de vinho de 38 graos, a 280 rs. a
garrafa.
Figos a 400 rs. a libra, e em latas de 4 bras
por 15500.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 640 e 720 rs. o frasco,
e 75 a frasqueira com 12 frascos.
Dita hamburgueza a 560 rs. o frasco, e 65500
a frasqueira com 12 frascos.
Dita flor de laranja a 15 o frasco.
Gomma d'araruta a 100 rs. a Ubra, e 25600
a arroba.
Graixa em latas a 120, e 15300 a duzia.
Genebra em garrafoes de 14 garrafas por
44600.
Batatas inglezas libra a 80 rs., e a 25500 em
arroba.
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito era garrafas grandes de superior quali-
dade a 155OO.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra- Vete de spermacet superiores, a 600 64o,
fados das seguintes marcas: Genuino, | 680 e 7oo rs. o masso.
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei- dem de carnauba e composieao, a 32o, 36o
toria, Velho secco, Chamico, Madeira su-1 e 4oo rs. a libra, e de lo,ooo a H,5oors.
perior e outros a 1,00o rs. a garrafa, e 1 a arroba.
9,ooo rs. a duzia. I
I Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 1,00o
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto rs. a ancoreta do Poito, e l,5oo rs. a de
a l,2oo rs. a garrafa, e 10,000 rs. a caixa.
Vinho Bordeaux das melhores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Estephe e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,000 rs. a caixa com urna
duzia.
Chouricas e paios, o mais novo que se pode
desejar, a 56o rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 9oo rs. a garrafa, e lo,5oo rs.
a caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
Licores francezes muito finos das seguintes
marcas: Anizete de Bordeaux, Plaisirdes
Dames, Crme de Noyau, Eau de veede
dant- c, Creme de menthe, Huile de Ve-
nus, Parfait amour, Eau d'ora l,ooo rs.
a garrafa e 10,000 a caixa eom 1 duzia*
Passas muito novas e de carnada a 3oo rs-
a libra e 6,000 rs. a caixa cora 1 arroba
lia caixas, meias e quartos.
Ameixas francezas em frascos de 1 1/2 e 3
libras de l,4oo a 2,800 rs.; tambem ha em
latas de dTerentes precos.
Marmelada imperial dos melhores conservei"
ros de Lisboa a 600 rs. a Ubra, em latas
de differentes tamanhos e lacradas herm-
ticamente.
Fructas em caldas de todas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas a 5oo rs. cada
urna.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Lisboa, estas ultimas raras vezes vem a-
nosso mercado, pela sua boa qualidade.
Massas para sopa: estrellinha, rodinha e pe-
vide a 32o rs. a libra, e l,6oo rs. a caixa
cora 8 bras liquino; s no Progresivo.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carro e aletria, a 4oo e 48o rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 64o rs. o caixo.
Ceneja das melhores marcas, a 5,5oo e
7,4oo rs. a duzia e 54o rs. a garrafa.
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
l,2oors. a lata.
Bolachinha de soda especial, encommenda
muito nova, em latas grandes a 2,000 rs.
cada urna.
dem craknel em latas de 5, 7 e 15 libras a
4,000, 5,5oo e H.ooo rs. a lata.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oo rs.
a grosa.
Massa de tomates em latas de 600 a 7oo rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes do fabricante Basset, a
38o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo, a 32o rs. a libra.
Tijollo de limpar facas, a 18o rs. cada um.
Cebollas, o momo a 9oo rs.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa,
a 14o rs. a Ubra.
Manteiga ingleza flor a 800,900 e i a libra.
Manteiga franceza a 680 e 720 rs. a libra.
Dita hollandeza a 72o 800 rs. a libra.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a 560 rs. a .ibra.
Marrasquino de Zara a 800 rs. olMCD.
Passas a 4oo e 560 rs. a libra, e 84 cana.
Palitos para denles a 180 rs. o mas>".
Phosphoros do gaz a 25500 a grosa.
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a 5 e
25500.
Dito de prato a 720 re. a libra.
Dito do serto a 560 rs. a libra.
Cenejas de marcas superiores a 500, 600 e 640 rs. a garrafa, e 55n. <
65500 a duzia.
Dita em barril por 45, e 240 rs. a garraia.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 rs. a Uti-
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 e 280rs. 1 libia.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. 1 libra.
Tijolo para limpar facas a 160 rs.
Vellas de spermacetc a 04016N0 1 s a fej*.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 libras por 'PMO.
Ditas de carnauba a 400 re. I libra.
Ditas de composieao a 360 eMOrs. 1
Vinho do Porto, caada a 55500, grrula a
720 rs.
Dito Lisboa, caada a k| e a garrafa a 5fln
rs.
Dito Figueira, caada a 35840 e a garrafa a
480 rs.
Dito dita superior, caada a i s a inai
a500rs.
Dito Estreito, caada a 34200 e a pn ala .1
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 e 800 rs. a prrab.
Vinagre de Lisboa em garrafes t B
fas por 14400.
Dito em caada a 25, ea260re. 1 ga .!
Vinho do Porto em garrafoes a* .*> arralas
por 25500.
Dito dito engarrafado a 15 e 1200.
Dito lagrimas do Douro a 14400 a pmk
Vinho branco de Lisboa a 720 rs. a 11 1,..
e 55 a caada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa. a t-v'j(N)
a caada.
Previne-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima sao i bu quali-
dade, e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annunciad- -.
TODA ATTENCJO
NOS
1KW l/IVS
CONSERVATIVO I CONSI
DE
JJ)A61312 2 IDD3 2AH02
NS. 21 E 23LARGO DO TERCO -NS. 21 E 23.
O proprietario destes dous estabelecimentos de molhados. vende < cu-
neros por menos do que em outra palpar parte, por isso garante a perior bna-
Udade de qualquer genero sabido dos seus armazens ; pode vender por Mam pw ;-
prar dinheiro, e por isso faz vanlagem a os compradores.
Batatas as mais novas do mercado, a 60 rs. a libra e 1,600 rs. aarroah 011 ca vi
Toucinho de Lisboa da 1.a qualdade, a 3oo rs. a libra e 9,ooo rs. a arroba.
Caf do Rio da 1 .l e 2.a sorte, a 28o e 32o rs. a libra.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor, a 1,800 e 2,ooo rs.
Velas de spermacet, carnauba do Aracaty, as melhores deste genero, a 63i > e ioo rs. 1
Vinho verdadeiro Figueira das melhores marcas, a 5oo e4oors., em caada > faz itw-
timento, ha porcao para escolher.
Bolachinhas americanas, as mais novas neste genero, a 2oors. a libra a9,aw rs. 11
Palitos do gaz, vindos por conta particular, a 2o rs. a caixinha e 2,4 Manteiga ingleza da 1.a e 2.a qualidade, a 800 e 76o rs. a libra,
dem franceza, especialmente escolhida, a 64o e 600 rs. a libra.
Cha, o melhor neste genero, a 2,88o rs., tambem ha para mais barato.
Milho alpista, limpo, muito superior, a 16o rs. a libra, a arrroba 5,ooo rs.
Alm destes gneros ha outros muito baratissimos, assim como ceneja das mr-
lhores marcas, genebra de Hollanda e de laranja, passas, doce de goiaba. azeite iate m
nagre, canella, pimenta, cominhos, erva-doee, cebollas, alhos, chouricas. banda i ai
outros muitos gneros que enfadonho mencionar; dinheiro contado.
Alm dos gneros cima mencionado, existe um completo sortimento de al-
fazemas, cominhos, pimenta, erva-doee, palitos de dente em macos e caixinhas, enxo*
fre e outros muito gneros, os quaes vendemos petoe preeoa mais baratos poseiveis,
MACHINAS AMERICANAS-
Em casa de N. O. Bieber & C, successo-
res, ra da Cruz n. 4, vendem-se:
Machinas para regar borlas e capim.
Ditas para desearocar milho.
Ditas para cortar capim.
Sellins com pertences a 105 e 205.
Obras de metal principe plateadas.
Alcatro da Suecia.
Verniz de alcatro para navios.
Salsa parrilha de primeira qualidade do Para.
Vinho Xerez de 1836 em caixa de 1 duzia.
Cognac em caixa de 1 duzia.
Arados e grades.
Brilhantes.
Carrocas pequeas.
AGENCIA
DA
FUMCAO DE LOW-MOOR.
Kn da Seaulla aova a. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Joiraston C,
ra da Somalia. Nova n. 42.
Scllin-s RfIfirs
chegados casa de. Izidoro. Sello A C, nw Cruz n. i.___________________________
Leite pttro
De hoje em diantc tem 1*- la ver lodos os
das 7 horas damaaha al as 8, leile puro & dis{>-
sicao dos freguezes que deixaram d>- tornar fret-'w-
zia, se nao acharen) bom : no pateo do Carino, tu
calcada junto a botica, a WO rs. a garrafa.______
Vende-se a taberna sita na travaaa 4w Ex-
postos n. 18 : a tratar na mesma.
ESCRAVOS FGIDOS.
Fngio do engenho Uniao freguezia d>- l[>ju-
ca, o escravo Mathens, de Nacati. Hada U miu*
(bem me pareea mais moco), multo ladi*>. aik>,
barbado, cor pfeta, tem urna bfirnin *; 1**
do narii, ps grandes, e tem falla de daaa>aawa
que o connece encontrou-o junto ao rhafcra^Mas
Cinco Pontas nesta cidade. por isso reromnm>
as autoridades policiaes. capities de cawy m
qualquer particular que o aprfheBdan podando
va-lo ao dte eafenho a mu saibor Luu l rt*n* ua
Cuaba e Aadrae ou na ma da Praia a Genuino
Jos da Rosa, que gratificar com 30*.
Na norte de 1* Pa *3 do cmale aaaea-
tou-se da fundicao da Aurora o awlaio Flsnaaao,
basanie alto, ps grandes e mal ferio*, tamtem-
passado e costuma andar de sapatos e >'"*- r
algumas vezes usa capote de panno, larwaan r
forro : rofMe s autoridades jotieiaes e tapian
de campo a captura 4o mmmo, t leva-to a referi-
da fundicao, onde se gratificar geoercNunenle
trabalbo.

i MUTL DOai







..... I i

8
Diarlo de Prruambnco Sexta felra 31 de uiho de i *A3.

LITTERATURA.
Zicmalki. de deseseis annos, fuzilado; de
Mr. de Laskowicz, fuzilado e do Mr. Ko-
lysko, enforcado. A mais Ilustre d'estas
numerosas victimas, o conde Leo Plater,
era um dos nomes mais antigos e mais hon-
rados da Polonia. Mr. de Kolvsko, per-
tencia tambera a urna familia antiga e il-
4ustre.
O que augmenta anda mais o odio-
O que vae pelo mundo.
A' Correspondencia Havas tonta com-
municadas as segdintes instruccocs dadas
ao general Mouraweff, pelo imperador da
Russia:
S. Pelersburgo, maio de 18G3.
S. M. I., ligando a mais alta impor- so d estas execucoes barbaras, que ne-
ia represso iramediata das desordens nllum d'aquelles homens tinlia sido preso
.,n 'eem rebeniado n'alguns dislrictos das com as armas na mo; o conde Plater foi
,J :as Lithuanias, dignou-se nomear Preso no seu palacio, ea nica queixa que o
nr^vinc 1 general Mourawieff. governador governo russo arliculou contra elle, foi de
Fvc' l -unmandante emchefe no gover- m piale c. lc- jforam suppliciados conjuntamente com o
no'deWilnav i os sentimentos hoslis da conde Plater, tinham sido presos anterior-
< Conheceno^ provincias a respeito do. mente proclamacao da amnista. Agora
nobreza d'aquellab Exc. deve empregaras mar e da Russia, b. 's contra aquelles que macao, coraecam as execucoes, os patbulos
medidas -mais energa eis rebelliao. sa0 uma cousa permanente, e a vinganca
supnuzer serem tw>ra\ ir-so dos mare- russa e implacavel. E'assm que se mostra
V S Exc deve inform. disposicOes dos a clemencia e a magnanimidade do czar!
chaes 'da nobrezo quinto s e lomar as E' este o fruclo que a Polonia colhe da
proprietarios para com o czar, contra os amnista
medidas que julgar convenientes A Palrie repr0(juzu a segUnte cir-
suspeitOS. ins*, cular, que os jornaes das provincias tinham
S. Exc. deve, por todos os me os *r- publicado, e que tora dirigida pelo ministro
truir os paisanos sobre as intences pal
naes do czar para com elles e apresenlar-
lhes os proprietarios como seus inimigos
e seus oppressores. Se S. Exc. o julgar
conveniente,fornecer armas aos paisanos que
forem dedicados ao czar e Russia.
S. Exc. deve proceder com i
que tora dirigida pelo ministro
do interior aos prefeitos :
Paris, 21 de junho.
Sr. prefeito,
n 's d0 ter recebido e analysado os
seus relator. s e os dos seus collegas sobre
seus ruaron.. .
sua origem. Mas as ultimas eleicoes fizeram
para este fim mais do que o lempo. Ata-
cado por toda a parte e resistindo a todos
os choques, o nosso edificio poltico tor-
nou-se mais solido ; e na cmara, assim
como no paiz, o partido est de futuro cons-
tituido.
Outro resultado consideravel se conse-
guu tambem as ultimas eleicoes; as nos-
sas insliluicoes, criticadas pelos candidatos
de opposico sob pretexto da sua perfecli-
bilidade, receberam, com o vencimento dos
candidatos do governo uma nova oonsagra-
co. I .
I
O que o povo francez tinha querido
com o plebiscito de 1851, nao eralso cons-
tituir o poder e a liberdade em bases ina-
balaveis era renunciar de futuro a copiar,
n'um paiz democrtico com o nosso, a cons-
tituico aristocrtica d'um paiz visinho;
era principalmente condemnar a doutrina
funesta que tinha em resultado fa?er cahir
o poder das mos da realeza na dos orado-
res da cmara.
A opposico dizia bem alto, que ha dez
da instrucco publica o cultos,'a proposito to ao estado ecclesiastico, pOCP V. Exc.
queira dar ordens para que 0 corpo do
morto padre Agrypin nos seja entregue,
aflm de se proceder a seu respeilo, segundo
o rito religioso.
da execucSo do padre Agrypin Konarski:
Yarsovia, 12 de junho.
* Hoje das cinco para as seis horas da
manha, foi; em consequencia de uma sen-
tenca das autoridades russas, enforcado na
cidade o abbade Agrypin Konarski, da or-
dem dos padres capuchinhos. O seu corpo
annos o paiz tinha mudado de sent
que aspirava nao so a aperfeieoar
dificar a acco das nossas liberdades
mudar os seus principios essenciaes
proteslou contra estas asserces.
mentos,
a mo-
mas a
O paiz
icluida.
O proprio governo reconheceu a justi-
ca d'esta reclamaco, quando por uma pro-
clamado de V. Exc. de 27 maio, 3 junho
conservou-se durante tres horas pendurado,| 1863, se exigiu que se dirigisse uma repre-
e depois foi descido e sepultado em lugar
occulto, sera que houvesse a menor ceremo-
nia religiosa.
< Na sentenca que se leu ao abbade Ko-
narski, eocontra-se a seguinte passagem:
Em 1863, deixou o reino com passa-
porte estrangeiro, e regressou por ordem
da commisso nacional, para cumprir no
campo dos insurgentes as ceremonias re-
ligiosas, confessando principalmente aquel,
les que estivessem em perigo de morle.
' S. Exc. deve proceder com a maicr ^^J^m''9m f depois de ter visto a
energa contra o clero catholico, que e ios-, lealdao^ 1u'e Presidiu as pera-
tigador da rebelliao actual. Dever exigir Seleiroras assin; co. a liberdade com
uma lista dos padres suspeitos, e tomara v ^^ 'candidaturas' se produziram,
cootra elles as medidas mais enrgicas i^ a ^de vog fe|;!citar pelo zelo
. Pelo que toca aos rebeldes, 8. &* ten(]es empregado, bem ,-omo os sub-
a fuzilar immediatamente os dieres que J f it0, os maiores c todos os agentes que
calmen, em seu poder, e tomara,* med- i fc yossas ordenSj para ^clarecer
das que julgar convenientes contra os pn- Dre a escon,a que erara ch.'unados
sioneiros.
Se as circumstancias o exigirem, b. lxc.
pode tomar medidas contra as familias que
a fazer.
Pondo
de parte os incidentes que
piHe lOmai lllUUluao unun "^ '' ~t-- rVUUU uc pane uo niviuvu^ t--
tiverem alguns dos seus membros as fi- n'alguns pontos provocaram protestos, quer
leiras dos insurgentes. de um lado qur do outro, a maneira pa-
S Exc. deve oppor-se a quaesquer de-; cf,ca COm que se consumaram as ultimas
monstracoes da parle das mulheres, e para eleicoes faz tanta honra ao paiz quanto ellas
as impedir adoptar, mesmo contra ellas, foram disputadas.
..." ._ o. o I?- nT,n nilrtr
medidas severas. Se S. Exc. nao julgar
conveniente as torcas que actualmente estao
na Litlmania, deve pedir immediatamenle
reforcos.
S. Exc. deve pois, em resumo, empre-
ar todos os meios que julgar necessa
t Ha dez annos, que pela primeira vez se
formou uma colligaco entre as opinies mais
ou menos ligadas cora o governo anterior.
N'alguns pontos, e com especialidade nos
grandes centros de populacao,mas habitual-
dicnan- mente accessiveis s excitaces da imprensa,
doSsePsraM ^^f^&^^\^^^ ^ surprehenderosuffragio un-
do-seb. m. para esse um tuceu,i i immfinsa maiona do oaz res-
nos poderes.
Chancellara imperial.
Sobre a maneira porque tem pro-
cedido este general, na sua honrosa com-
misso, le-se o seguinte no Jornal dos De-
versal, mas a immensa maioria do paiz res-
pondeu ao appello do governo, e so deixou
colligacao alguns nomes para se consolar
da sua derrota.
E agora que a luta est co...
recommendo-lhe, Sr. perfeito, quej pro-
porco que a tranquilldado se resiabelece
nos espiritos, procure inspirar cada vez mais
sentimentos de moderaco, que s5o ps pro-
pros de um governo forte e de uma admi-
uistraco paternaf. Como sabe, o governo
do imperador nao repelle pessoa afguma.
Formado de homens" de todos os partidos,
e recrulando-se sem cessar entre elles,
permanece fiel a misso" de os ligar a todos.
Est franco a todos os bomens que I bao
boa vontade, e s afasta aquelles qt e, nao
aceitando as bases fundaraentaes das nossas
instituices taes como fora determinadas
pelo plebisticio de 1851, se acbam pir isso
mesmo na opposico com a vontade di > povo
francez.
Acceite, Sr. perfeito, etc.
O ministro do interior
c F.dePersigtty.:
Uma correspondencia de Var ovia-,,
publicada pela Gazela Nacional, con m os
seguintes pormenores a respeito dos noti-
vos da prisao do arcebispo Felinski :
o As ultimas eleicoes devem ter uma
influencia consideravel no futuro do paiz.
Em quanto a diplomacia europea se; Quanj0 0 imperador foi elevado ao poder
consom em exforcos para se entender so-; no me0 as acclamacoes de todo o povo,
bre os meios de soccorrer a infeliz Polonia,! n3o linna partido, mas n'alguns pontos per-
i Russia prosegue no seu systema de vin- tenca a todos os partidos em que se divida
ganca c de represso as provincias insur-
gidas.
Na Lilhuania. principalmente, depois
da chegada do novo governador o gene-
ral Mourawieff, todos os das se tornam no-
taveis por alguma execuco sanguinolenta e
infmame.
c Hontem um despacho telegraphico
de Cracovia annunciava-nos que o conde
de Plater tinha sido enforcado em Wilna
por ordem do governador geral, accrescen-
tando que um joven estudante, Henrique
Abiebt, c um padre Mr. Konarski, tinham
tido a mesma sor te em Varsovia. Hoje
os jornaes ofliciaes russos trazem-nos a lis-
ta das execucoes que se verilicarara era
Wilna durante a semana passada, e entre
ellas figuravam as do padre Zazorn, de vinte
v. oito annos de edade, fuzilado; do padre
partidos em q
a paci. Para uns, representava a ordem,
para outros, a unidade do poder; para
aquelles a autoridade ; para estes, urna li-
berdade sabia ; para o maior numero, o
triumpho alcancado para a denuncia demo-
cracia ; para todos finalmente, a dignidade
da Franca no estrangeiro.
c Foi com elementos diversos que se for-
mou o que se pode chamar partido do go-
verno, qur seja no conjuncto dos agentes
da autoridade publica, desde o ministro al
ao mais humilde funecionario publico, qur
nos corpos constituidos, cmaras, conselhos
geraes, e municipaes. Assim composta, fal-
tava a homogenidade organisaco geral do
paiz, e era natural que torca das circums-
tancias, e at que o tempo izesse a fuso,
esses elementos diversos se ressenlissem da
- Antes do supplicio do capuchiuhi Ko-
narski, o prelado foi convidado pelo tri )imal
marcial para destituir o condemnad i das
vestes sacerdotaes, o que nao pode te'
gar, por isso que as prescripcoes ex
tes o permittem s a um membro do
clero. Felinski recusou pois, deca ando
que nao reconhecia a uma autoridade secu-
lar a competencia para condemnar ur i ec-
no
a--
sten1-
alto-
< as censuras dirigidas ao abbade Ko-
narski, nada encontr que possa merecer
uma sentenca to rigorosa; porque o padre,
sera considerar o que o chama, obrigado
pela sua vocaco a prestar os soccorros da
religio a todos os moribundos sera attender
sua posico poltica ou social.
Este principio umversalmente reco-
nhecido, e a terrivel guerra civil na Ameri-
ca do norte offerece uma nova prova pela
maneira porque as duas partes beligerantes
respeitam reciprocamente os seos padres, e
ali mesmo tambem elles se consideram uns
aos outros como rebeldes.
O proprio governo, desde o eomeco
dos aconte^imentos actuaes, proclamen as
folhas publica*, que o padre e o medico
n5o sero molestados quando forem pres-
tar os seus soccorros aos ffidos. A
execuco da sentenca de hoje alm dioso
contraria s leis cannicas.
Ha j effectivamente um considerara!
numero de decretos da' egreja e dos-synodio
provinciaesque determinara os casos era que
os padres pdem ser eondemnados morte,
havendo coratudo a restriecSo expressa de
que o ecclesiastico convencido de crime nao1
pode ser executado, emquaatoas autori-
dades ecclesiasticas nao tenham pronuncia-
do a sentenca de degradacb; e depois d'es-
sa degradaco se ter verificado, afimdsse
respetar o estado ecclesiastico e a religsSb,
pedra fundamental da ordem social.
clesiastico, e que por consequencia
podia attender s suas rcsoluces.
Em consequencia desta recusa, parece
que um papa grego executou aquella dere-
monia por ordem do grao duque. Quanto a
Mr. Felinski, o gao duque considerou asua
recusa como um acto de desobediencia, e re-
solveu fa/.er transportar o arcebispo para
S. Pelersburgo, como funecionario recal-
citrante. Partiu effectivamente para h ca-
pital russa, acompanhado de uma es :olta
militar. Antes da sua partida, fez-se
busca rigorosa no seu domicilio, mas
resultado algum.
Protesto de rar. Felinski, arcebisp > de
Varsovia, dirigido a S. Exc. o directoi ge-
ral presidente da commisso governam* ntal
FOLHETIM.
* tiM imioi:
POR
jma
sem
M.URICIOSAXD.
Primeira parte.
(Continnocuo do n." 171J
Jornal de Marcos Valen.
3 de junho.
J tomei conhecimenlo de todos os recan-
tos do castello, e do parque onde me ficaram
as minhas recordacoes do passado.
den-a, feixes de lenha. taboas cortadas de
novo e amontoadas na relva, ludo isto deno-
ta pouco gosto e pouco cuidado da parte do
proprietario de S. Joo.
O jardim nao est mais bem conservado.
No outro tempo vi eu os alegretes cuidado-
samente cultivados por minha tia que tinha
predilecrao pelas flores : hoje os cardos, or-
tigas, e cicutas sao ali o nico ornamento,
estendendo-se com raiva at as aleas. O ter-
raro, em que outr'ora se ostentavamcom rae-
thodo vasos de flores exticos, se acha agora
invadido pelos pmpanos da vinha e do l-
pulo. Uma duzia de plantas nos seus cai-
xesde madeira carcomidas, inclusive alguns
ps de geranios j definhados, nicos vesti-
gios de preciosa collecco, ardem aos raios
do sol nos seus vasos radiados.
um caramanchel de cle-
As infraccoes d'esta lei trazem comssgo
a excommunhao maior dos- autores ou dos
cmplices que contribuem para que isto se
nao curapra; tem- tambem eomo consequeo*
cia o ludo da egreja em ama curta exteo-
so do ponto em que a sentenca se execa* j
tou. No fecto <$e qjie se trate\ as leis eccle-
siasticas, sempre observadasemeasosseme*-
lhantes foram completamente-violadas. Nao
s me na fram communicados os actos do
tribunal que proclamou a sentenca, mas era
mesmo fui informado do delicto que se diz.
eoramettitto pelo dito padre.
Esta circumstancia taatomais lamen^
tavel, quanto a dignidade d* egreja estere
exposla ignominia ; e enforear um padre
o genero de morte que se onsidera mais
infamante. verdade que estes lempos sao
excepcionaes; mas a justica, o direito das
naces e o direito divino a permittem
excepc&es
a Comquanto este meu protesto nao possa
em cousa alguma remedeiar o que j est
feito, tenho matado a honra de pedir V.
Exc. queira communicar as minhas obsarva-
Ces s autoridades superiores, afim de se
evitar, pelo menos para o futuro, a repeli-
Co de fados anlogos. Alm d'isso, para
remir, ainda que parcialmente, o insulto fei-
lenso severa ao padre que tinha recusado
sepultar o corpo de um moleiro, que fura
enforcado.
< Para justificar ainda mais completamen-
te as consequencias ecclesiasticas que pro-
vm de qualquer infraeco das leis da egre-
ja quanto infraeco das sentencas dos pa-
dres, citarei um extracto littoral das leis
synodaes, baseadas no direito cannico.
Attendendo a que a preversidade dos
mus augmenta todos os das, e que este
seculo marcha cada vez peior, somos obri-
gados tm presenca dos acontecimentos pas-
sados, a remediar os perigos futuros, base-
ando-nos nos principios de direito univer-
sal, em virtude do nosso poder synodal,
decretamos que:
No caso de um rei, prncipe pu qual-
quer outra pessoa, qualquer que saja o seu
estado oo dignidade, mandar prender, com
offensa da lei, um arcebispo da mestna pro-
vincia. ou offender por inadvertencia, ou o
condemnar a exilio, oo sanecionar qualquer
acto para esse fim, ou tomar parte n'elle,
der consellio e approvar, alm da sentenca
de exeommunbo, que orna conseqaencia
natural d'esse fado, sero terrompidos os
servicos divinos em toda & provincia L sem
qo# seja necessario dar ordbm previa. A
nao ser os sacramentos do oaptismo e-da
extrema unco, nenhum outro sacramento
se administrar; tambera se suspendero> os
enterramenlos.
n No cas de se matar o padre, os benoj
movis eimmoveis doquetiver sido culpa-
do d'este foclo passaro a ser propriedade-
oerpetua da egreja. S-o segundo prelado
da egreja catbedral, ou econego, ftrobjec-
tode egual violencia, dewr proceder-seda
mesma maneira em toda a>diocese?e se um
cooego ou nm; padre fr preso e morto, o
mesmo se verificar em todo o distridoem
qo*'o crime hoover sido ooraraettit.
* No-caso deum cura co um abbade, ou
qualtyier outro- de gru superior, secular
ou regular, tiver soffrido este insulto, ter
lugar' a mesma- pena occlesiwtica no dtstric-
to rural, ou na> capital dbarchipresbyta-
riatou' r
i tfo-casO' de um: padre- de gru iaferior
ser preso ou morto, o lugar em que o cri-
me Uar sido cemmettido aa parocbiafica-
ro sajeitos ao interdicto.da-egreja.
(Lei$'sgttodaes dt Piotrkotu).
c Cracovia, aano-de- ITHl.a respoito dos
castigos* pag. 331. 332.
Polonia, para manifestar o sea pensamento
no estrangeiro, nao podiamos deixar de in-
sistir vivamente junto dos amigos da Polo-
nia, para que redobrem de exforcos a favor
da maior, da mais justa, e da mais santa das
causas.
c Em pleno seculo desanove, o depots-
mo moscovita aprsenla um espetaculo de
barbaridades desconhecidas mesm., nos an-
naes das pocas barlwras. o re -ngana-
dor que encubra a Russia. calnu, ea barba-
ridade mongole apparecc na sua inaudita he-
diondez l As crueldades de lameran,.
Ivan-o Terrivel offuscam-sc deante dos hor-
rores do governo de Alexandre II.
c Exasperada pelo apoio moral que as
sympalhias do mundo civilisado dio a m-
urreico polaca, a Russia lancou sobre a
Polonia as suas bordes mais selvagens, e a
autcrata entregou a victima aos odios dos
seus mais forozes procnsules. A guem
nao guerra uma liorrivel carnagem
em que o soldado, semelhaote besta k-
roz, acomette ale os cadveres. A pilha-
gem e o incendio sao a orden do da, os
patbulos sao permanentes, os ftmlamentus
e a metralha fazera derramar torrentes de
sangue; nem a edade nem o seso poupam
as victimas, e os proprios padres reverti-
dos no seu carcter sagrado sao, sen afy-
ment, enlregaes aoalgof.
Para ateiar a clnma e corar a so o-
bra de deslrnico, cora despreso de tatas
as leis sociaes, o governo moscovita app*lh
para as mais odiosas paiiies; lenta entre-
gar s mos do paisano o brandan e o Du-
chado, e excita-os a cainr sobre os patrv-
tati cujos despejo Ibes promettev .
A\ Europa estranece narracaa d'es-
tes horrores, que odiristiannmooocoobe-
cia, e- que estao tora de toda as ipasles
polticas- a consciena universal revotta-se
em face' d'esta violaco flagraste de todos
os prinaipios de bumanidade.
Mas- a Polonia carece
de votos asiereis.
de raaii do +>t
A Pdooia defende as suas ev^nfas-r*-
Kgiosas,e os-seus lares domsticos- rovindka
a* sua liberdade e a sua-independencia, t
tm ha de cessar de comtater emqmanlo n*
tirer alcancado do oppressor as sR~fro(v
teiras de 1-172. O governo nacional decla-
ra i que a Polonia repudia qoalqoer transa-
cao como s- fosse um snteidio, usa tra-
sao, e do Vstula ao Danubio a naca intei-
rasfez votos de antes perecer do qur prati-
car.com o dminio estrangeiro. N
*. Entre a Polonia e o despotismo mos-
covita Ii3, por3-un duello -ie morte. Entra
o povo que so associou a todos os progras-
sos-da civilisacao moderna; e que lovidh-
ca os seus mais-caros e sagrados disertos, *
a barbaridade-mangle que-representa-a tor-
ca bruta ea nultido aos- ps da Isi dtvini
e humana, naide futuro um abfna dn
sangue.
-t (Assignado)- Sgismtmdo Flix Felint-
ki, aneebispo de-Varsovia..
h. commisso polaca acaba-, de re-
di git o seguinte'manifest:
Patis, 2Gde junho de 1863.
Os desi'mos da Polonia, continuara a
debater-se nos. inumerawis campos-de baia-
lh;: oceupara. os conse'hos do governo, e
provocara cada vez mais a enrgica expres-
sao da sympathia dos povos.
t Chamados pelo governo nacional da
* Soffrer. a Europa toe a humanidare
saja impunemente violada? Consentir qjas
esta guerra de extermina se protongne caai
vergonha, eterna para o dcimo nono se-
clo?
* Povos do occidente., ouvi os> gritos de
alarme que sola uma na0o martvr! t
bre o seu sadaver que o despotismo "jari
abrir passagem para o seio da oivilisaro '
Mas Deus est cranos, e a sua iMci ha
de fazer-nostriumphaal
Lerabrei-me de
A' 30 kilmetros ao sul do Issoudunse mat.tes, a cuja sombra a Srj. Deso es eos
acha situado o castello deS. Joo cercado de Uraiava 1er e coser durante parte do da.
bosques e charnecas dessa parte de Berry,
outr'ora chamada o Boischant, que limita-
da pelo norte com as immensas planicies
Parecia-me ver ainda essa excellente senho-
ra s levantar os olhos da costura para fila-Ios
em mira ou em sua filha. Algumas vezes
da pe o norte com as mmensas piamuics -----------------.\-r~-tA ". nnr cnhrp
'Cu ni i(i a ia).
O castello, edificado em parte no tempo
de Luiz XIV, flanqueado por dous corpos
de aposentos lateraes formando ummassico
quadrado : em cada ngulo se acha uma tor-
re ; a principal, que uma especie de atalaia
com a sua gurita, seus tectos pontudos, al-
tas chamins e janellas de ombreiras, data do
seculo XIV. Do lado do pateo de honra pe-
netra-se na habitaco por um paiol do oito
degrus um pouco gastos, e por um grande
vestbulo.
A' esquerda est a sala de jantar ; di-
reita o salo, mobiliado ao gosto de Luiz XV,
com a madeira pintada de branco e doura-
da, paineis de tapessaria por cima da porta re-
presentando cacadas, chamin de marmore
branco com espelhos e candelabros. O tor-
reo contiguo ao salo, e convertido de ha
muito em bibliotheca, communica com o
quarto que oceupo na ala esquerda : mas
posso sahir do meu aposento sem atravessar o
pavimento terreo desse baluarte. O Sr. De-
sormes, e sua filha habitam no primeiro
andar.
Tive uma agradavel sorpreza encontrando
a bibliotheca composta de grande quantidade
de bons livros: nao esperava tanta fortuna em
casa de meu to, que pouco se embaracava
com a literatura, e erudico, Soube depois
que provinham esses livros do3 antigos pro-
prietarios do castello. Tudo se acha bem
classificado. Margarida instruida, tem ges-
to pela leitura, e pelas cousas serias.
A berdade e estribara do sobre um ta-
boleiro de relva, e ficam a cincoenta passos
do castello. E' ali que desemboca, bem de-
fronte da porta da entrada, a longa avenida
de almas seculares, na extremidade da qual
desmaei na minha chegada. Roupas e outros
restos testemunhos de uma recente brrela
estendidos sobre as estacas, e pilhas de ma-
devorar os seus caes.
as arvores da floresta, suspirava, e continua-
va no seu trabalho com resignaco. Aquelle
suspiro frequente me contrislava : nao po-
dia saber a razo porque minha lia nao era
feliz. Os meninos nao comprehendem o que
a melancola. Minha tia desfalleca a olhos
vistos.
Hoje a grade do caramanchel se acha to-
da quebrada, os bancos convertidos pelo jar-
dineiro em lugar proprio para seccaralhos e
ceboulas, cujo cheiro substituiu ao perfume
das rosas, e madresilvas. Um par de sapa-
tos velhos, um regador, uma panella em que
esperam os caraces a honra de figurar na
mesa do seu dono, um feixe de fulas de
Galfon, uma ratoera, jazem dispersos pelo
chao no meio de outros destrocos e folhas
seccas. .
O jardim tornou-se uma horta de princi-
pio a fim, pois s ve;o all hortalicas. As
aleas, sulcadas pelas aguas da chuva, s tem
por molduras salsas e azedas.
Nao intencao minha criticar a conducta
de meu lio ; mas a vista de tanto desmazelo
julga-lo-hiam antes rendeiro do que dono da
sua propriedade. Entristece-me o abando-
no em que vejo todas essas cousas. Entre-
tanto Margarida presa a ordem e a elegancia,
e gracas a ella o interior da habitaco
bem conservado ; mas parece que at ahi
se limita a sua autoridade.
turba, dirigia-me perguntas a respeito do
tudo, e cada uma das minhas respostas G-
tava-me com olhar curioso e intelligento.
Para mim apresenta indisivel encanto esse
curso de archeologia com to bella disci-
plina.
Nao sei se Margarida verdaderamente
bonita: momentos ha em que a acho fasci-
nadora ; entretanto primeira vista nada
tem que impressione, a nao ser o contras-
te de seus cabellos abundantes, louros e
frisados com suas sobrancelhas e olhos pre-
tos, que revelam notavel expresso de do-
Cura e de bondade : mas, bem analysada.
nao deixa de ser encantadora. O nariz
pequeo, a boca guarnecida d duas ordens
de dentes to puros e to alvos que sobra-
Ihe razo para mostra-los rindo-se com esse
rir ingenuo das criancas. As mos sao de-
licadas, os ps pequeos, o talhe elegante,
o andar firme e gracioso. Nao faz um ges-
to que nao seja regular, e cheio de natu-
rado lama no meio dos juncos e golph es-
Todas as escadarias e bancos de reWa se
acbam desmanchados ou aplanados pelo {ado
que pasta ali por toda a parte : nao se {de
sentar n'um s delles, pois v-se claram lite
que servera de descanco gallinhas, car ei-
ros e cabras.
O parque, outr'ora delienado ao gost i de
Marly, nao passa agora de um bosque, onde
se encontrara ainda alguns vestigios de aleas
invadidos de matos. A parle situadalem
torno da berdade se acha menos em despre-
zo por ser tambem o lado mais til da pro-
priedade. V-se ali canteiros de luzernas,
trevos, batatas, beterrabas, etc. No ullfimo
seculo um dos antigos possuidores de S. J )o,
querendo guardar as suas cacas, Uvera o cui-
dado de cercar a reserva com um mur) de
seis ps de altura ; mas o Sr. Desorraes, que
da outra parte desse recinto nao tem visi-
nho que nao seja elle mesmo, e acha n uito
despendioso reformar esse muro, prel eriu..
deixar livre a entrada ah dos lobos e jai alis, rahdade. Emfim, alem de ser uma senhora
que veem noute comer as suas batatas, ou distinda, rene em si tantos attractivos
(Segueta, asassignataras da
)
Margarida mostrou-me durante o di al-
gumas moedas amigas, e objedos curiosos
encontrados nos arredores do castello. Rro-
puz a meu tio que fizesse-mos um catalogo
de tudo, acompanhado de um relatorio dar
enviarmos sociedade dos antiquarios | da
Franca : mas esta lembranca pareceu ho
agradar-lhe, pois que me responden :
Faz o catalogo de tudo que quizt res
para ti smente. Nao gosto muito de que
que os outros se importem com o que possuo
ou nao possuo. Se queres, diverte-te jem
arrumar na bibliotheca todas estas caduci-
dades que nao valem a pena de ali figurar, e
deixa-me em paz.
Quando lhe demonstrei o valor da mor
parte daquellas curiosidades, e Margarida
lhe disse que se interessava egualmente por
ellas, meu tio replicou :
Poisarrumem l estes revndeos cerno
Ibes parecer: eu vou cuidar das minhas
plantaces.
E sahiu deixando-me ficar s com a pri-
ma. Comecamos logo o trabalho, e o nosso
museu j vae tomando geito : temos ahi
achas d'armas e ponas de flechas em slex,
instrumentos clticos, moedas gaulezas, gre-
gas e romanas, laminas de punbaes, anneis
de cobre e de bronze de diversas dimen-
soes, placas de bronze que parecem provir
Tilia a sua duiunuauo. ~~ r--------------- r ----- r r
O tanaue da pesca ultrapassou as suas de uma coiraca, um capacete de ferro *ife-
margens, e estendeu-se at as aleas d'olmos lizmente muito deteriorado, pequeas |sla-
e tufas; Im compensacao essas velhas e bo-
nitas arvores zombam agora da previdente
tesonra que as aparavam maneira de pe-
rucas. Estiram as suas tongas ramas, e mer-
gulham n'agua as suas cabelleiras. O bar-
quinho em que eu me exercitava em nave-
gaco, conservava-se-me na memoria to bel-
lo e to grande como um navio de alto bor-
do : ei-lo, porm, com o costado aborto, ati-
tuas, vasos, um dos quaes bem conservado
assemelha-se por sua forma aos vasos gre-
gos, redomas de vidro chamadas urnas la-
crimatorias, as quaes parecem pequeos
frascos de cheiro, objedos estes encontrados
aqu.
Minha prima mostrara grande prazer em
tantos que inspirara uma verdadeira paixo
... ,. aquelle que se deixar apaixo-
nar!
Porque estara ella hoje tarde to fra
e reservada para commigo ? Dir-lhe-bia eu
alguma cousa que a offendesse ?
Porque tambem o Sr. Desormes rae man-
dou chamar para negocios que concluira-
mos fcilmente por meio de cartas ? Ter
elle formado algum projedo sobre mim a
respeito de sua filha ? Essa recommendaco
de trazer um fado preto, costume lo pou-
co usado em sua casa, da-me muito era que
pensar. Ter seriamente concebido ideas
de casamento 1 ,, N5o, loucuraminha.
Eu sou to pobre I
Mas se assim nao nao obra bem em
deixar-nos ss como hoje fez. Nao impor-
ta 1 Terei cuidado em mim mesmo : co-
nheco-me com bastante probidade para nao
envenenar a existencia dessa joven innocen-
te. Imporei silencio ao meu coraco e aos
meus senlimentos. Nao quero, nao devo
ceder a esse doce attradivo que me impeli
para Margarida. ...
Margarida Que nome to lindo l ..
Vamos trabalbar ,.. .
Fanny d'Astafort Margarida Desor-
mes.
Dressais, 4 de junho de 1850.
Minha amiguinha. Li e reli a tua longa
carta, e procurei descobrir nella o fundo do
teu pensamento. Gabo-rae de o ter conse-
guido. Direi pois que tu mesma ests bem
longe de suspetar esse senlimento que se
revela o leu pesar em cada pagina dessa
carta : nao te admires por lanto desta mi-
nha declaraco em duas palavras : amas a
teu primo Valery!
Sim; Margarida, assim como t'o digo,
O que porm muito te devo admirar que
lia tempoo a esta parte rainba me s. me
tilla nesle casamento; e posto que m'o
pinte como um cea de rosas e um brilhan-
te futuro, comparado cora a, medioene po-
sico e que vivemos, todava tenho modo
assim mesmo de trocar a minha liberdade e
hbitos- tranquillos por esssa fascinadora
perspectiva. Ainda bem, minha amjga, que
tu amas a teu primo, o elle te deve lambem
amar, pois s muito bella e gentil! E a
vista disto est acabado o meu receto....
lvras-me de um grande susto.
Em quanto a tua bondade me destina
um lindo vestido como presente, minha
me obriga-me a fazer outro, talvez nao
menos lindo, para o dia em que nos visitar
aquelle que j ella chama rindo-se seu
genro. Qur que nesse dia cu desenvolva
todos os meus attraclivos, e diz que na de
ella mesma pentear-me e vestir-me. Pobre
me 1 So soubesse que perde o seu traba-
lho l
Aposar de tudo, Margarida, devo adver-
tir-te de uma cousa : nao te doixes arrastar
pelo teu bora coraco. J pensaste era que
teu primo nao tem bens de fortuna, j
pensaste em que teu pae nunca consentir
semelhante unio? Sou mais velhado que
tu; por conseguinte tenho mais juizo. E'
da minha ob igaco aconselhar-te que re-
idas bem nos pesares que ests creando
para o futuro, no caso de que nao sejas at-
tendida por teu pae, que ha de ter em vis-
ta algum partido vantajoso.
Olha, Margarida, melhor que vejas em
teu primo um prente simplesmente, sem
intrometter na tua amisade um sentimento
maisterno, que receio te torne infeli. Nao
penses agora que te estou a pregar esta rao-
ral no intuito de guardar para mim o Sr.
Marcos... Pobre moco I Nao poderia apai-
xonar-rae por elle primeira noticia, so-
bretodo sabendo que o seu coraco j ap-
petecido pela minha melhor amiga. Fal-
lando seriamente, desejo-lhe a fortuna de
vir a ser teu marido ; mas se elle me pe-
disse um conselho dir-lhe-hia que te amas-
se smente como a uma irma.
A' final devo dizer-te que agucaste sobre
modo a minha curiosidade, fallando-me de
aquelle que foi o primeiro que fez bater o
coracosinho de minha amiga; espero cora
impaciencia a sua visita para examinar com
attncoesse pequeo sobrinho !
Pensa bem no que te disse ; e er na
sincerdade de tua amiga.
y'
IIKI.VI w '%~"~ "^" -----------
encarregar-se desse trabalho. Com asua esse Sr. teu primo veio ao paiz para me
voz meliflua, cojo timbre me agrada eiper-'wr aprewntado como meu futuro esposo.
i
Fanny d'Astafort.
A senhora d'Astafort ao Sr. Desormes.
Dressais, 4 de junho de 1850.
Como isto, meu caro visinho ? Pois o
Sr. Valery j chegado a S. Joo, e o Sr.
nada me disse anda! Olhe que de um
verdadeiro filho do Berry essa sua lentido !
Espero ha seis mezes a occasio propria de
concluir esse negocio, que muito me con-
vm; e quando ella se apresenta, nem ao
menos tow a bondade de mt- prevenir (>
Sr. muito moroso na raaiidnde Saila
que desejo ver casada quan&> antes a mu u
querida. Fauny : nio tarda completar vinto e
um aunos; nao ha lempo a perder.
Se-o Sr. julgar conveniente avisar fog"
seu sobrinho, fa<;a-o, pois- bem conhece as
minias intencos a- respailo de minlia Sillu
Conslituo-lhe um dote do dous mil e qui-
nientos francos de renda sobre as- minha-
propriedades.* que me rendera aco ml
francos: ter. tambem um enxcxal conve-
niente. Nao posso fazer mais do qjue
isto.
Vamos, meu velho, saia d.sse torpjr, e
traga-rao o Sr. Valery, meu toturo jiaro.
pois j teohoa cabeca a arde-r.
Receba os sinceros cumplimentes, de soa
criada.
Bravea d'A-uaf^v
P. S. Nao seria boro, prevenir mi j i
o Sr. Chassepain para o contrata ?
O Sr. Desormes senhora d'Asta-
fort.
S. loao, 3 de junho de I&*.
Minha senhora.Seeu sou moroso, enano
diz em sua caria, permitanme que a ac
tambera um pouco apressada. De ai
nos meu sobrinho o tempo de i
se de uma queda que soffro ao
castello. Receia que o passaro ve Qur
tambem que oSr. Chassepain re-la c con-
trato de casamento sem que os notvos se te-
nham encontrado ? Neste caso llevemos egual-
mente advertir ao maire e ao cura para qu
eslejam promptos .,, e no seu lugar ti
eu teria feito as commumeaces respectiva
a todo mundo t *
Nao se impaciente* minha senhora, Aau-
nhaa terei a honra de apresenlar-laa meu
sobrinho, a quem ainda nada disse e julgo
tambera prudente da sua parte nada daer
Fanny, para que ambos se vejan sea
prevenco.
Depois que ajuslar as minhas conlas com
Marcos, ficar elle possuindo cerca do oan-
tro mil francos de renda. Ji muito para
um rapaz. Ora, cabendo sua filha a pen-
so de dous mil e quinhentos francos, ao-
dem com isso viver muito bem, tanto aais
3uando sSo senhores de duplicar o lampo
e arrendamento de suas propriaaaes.
Fanny nao gosta de luxar ; uma
sisuda quo fara a felicidade de Marcos,
sim como esse ha de fazer a soa tamb
Por conseguinte achando-se tudo
lhor p possivel, s talla que se em
Em quanto nao chega esse feliz da d asna-
nha, receba, minha querida nabor, os
meus protestos de amisade e dadicaco.
Desormes,
(Contimnr-M-to.)
PERNAMBUCO. PYP. DE M. F. DE P. PU
ILEGVELl


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4WWLUXWQ_4V07FQ INGEST_TIME 2013-08-28T01:39:24Z PACKAGE AA00011611_10153
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES