Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10149


This item is only available as the following downloads:


Full Text
' 'III III f II L, lllIBniaWg



..v
s

i)


>
AMO XXXIX HUERO 169.
Por tres niezes adantados 55000'
Per tres mezes vencidos .". 6Q00

-tm
SEGUNDA FEIRA 27 DE JLHO DE 1863.
Por anuo adiantado..... 19$00O
. Porte franco para o subscriptor.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSflRIPQAO NO NORTE
Parahyba, Sr. Antonio Aloxandrino do Lima'
Natal, Sr. Antonio Marques da Silva; Araratv. "
Sr. A. de Lemos Draga; Coar, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaqnim Marques Ito-
drigues; liara, os Srs. Manoel Pinheiro A C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS, DA SUBSCRIPCAO NO SUL
Alagoas, o Sr. Claudino Falcad Dias; Babia, o
Sr. los Martins Alvos; Rio de Janeiro, os Sis. IV-
Teira Martins & Gasj>arino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escuda todos os dias;
hjuarassu', Goyanna c Parahyba as segundas c
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravt, Rezerros, Bonito, Caruaru',
Altinlio e Garanhuns nas'tcrcas foiras.
Pao d'Allio, Nazarclh.Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores Vijla Bolla, Tacaralif, Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e xu' as quartas foiras.
Serinhem, mo FormrJso, TamAndar, Una, Barrei-
ros. Agua Preta o Ptrnonteiras as quintas foiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/z dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JULHO.
4 Lua cheia as 3 boras, 20 ni. e 22 s. da ni.
7 Quarto ming. as 7 h., 3 ni. e 20 s. da t.
13 Lua nova as 7 h., 28 ra. c 20 s. da t.
23 Quarto cresc. as 6 h., 7 ni. e 24>. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Priraeira as 2 horas o 6 minutos da tarde.
Segunda as 2 horas e 30 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sal at Alagas a 5 o 2o; para o norte al
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, inarc., inaio, jul, set. cnov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Paraojlecife : do Apipueos s C'/, 7, 7 % 8 c
8 V da ni. de Olinda s 8 da m. e 6 da tardo; de
Jaboatao as 6 '/a da m.; do Casanga e Varzea s 7
da m.; de Bumflca s 8 d m.
* *?t /ReCf', i paP AP'Pncos !'s 3 '/* *, 4 'A, 4 V*
5, o v manhaa e 4 >/2 da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de; para Cacliang e Varzea s 41/2 da tarde; para
Bonifica as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TIUBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commcrcio: segundas e quintas.
Relaed: tercas c sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 lwras.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : torcas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas c sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
27. Segunda. S. Pantaleao medico; S. Sergi*ai.
28. Terca. S. Innocencio p.; s. Nazaro m.
29. Qnarta. S. Multa v.-. Sa. Beatriz o Flora tun.
30. Quinta. S. Donatilla v. -, s. Itutino m.
31. Sexta. S. Ignacio do Loyola; S. Cliinerio m.
1 Sabbado. Ss. F, Esperanza e Caridad* TT.mai.
2. Domingo. N. Senhora dos Anjo
ASSIGNA-SE
no Recifo, em a livraria da praja da indcpendeari.i
ns. 6 c 8. los prophetarios Manoel Figueiroa 4:
Faria & Filho.
PARTE OFFICIAL.
MIMMIHIO 1>A I \ZI.VIA.
Relatorio do ministerio da fazenda, qne devia ser
apresentado assembla feral legislativa pelo
respeelno ministro o Em Sr. marquez de
branles.
( Continvuco.)
ESTRADAS DE FERRO E DE RODAGEM, E
GARANTA DE JIROS.
Estrada de forro de D. Pedro II.Na forma do
art. 7" das condieoos que baixaram cora o decreto
n. 2, lOi de 11 de fovereiro de I808, autorisando a
companhia da estrada de forro de D. Pedro II para
realisar urna terca parto de son capital por meio
de emprestimo, estipulou-se que o dito capital ven-
cera do governo geral e provincial o juro de 7 u/
cm favor da companhia.
Recusando-se, >orm, a provincia do Rio de Ja-
neiro a contribuir com a quota de 2 % sobre o ca-
pital tomado iM>remprestimo,fundndose paraisso
110 art. 16 do contrato de 10 de inaio de 185o, por
que nicamente se obrigou alli a garantir com-
fanhia o juro addicional de 2 % sobro o rapital ef-
ectivamente despendido na ronstruceoda estrada
de ferro, c tendo eu em vista : Io o que foi decidi-
do pelas ii'sdIucoos de consulta das seccoes do im-
perio e fazenda do conselho de estado de 20 de ou-
tubro de 1860 e 7 de agosto de 1861 2' que a lei
orcamento para o exercicio de 18631864 eom-
vliendou esta despea em urna de suas rubricas;
3o que, sem a deoretaeo de fundos, o thesouro nao
teni meios de occorrer ao pagameuto dola na pro-
ra de Londres; 4, c por fm, que o ministerio da
agricultura por onde devia correr, al decidir a
questao com a dita provincia, nao a contemplou
11a proposta para o exercicio de 18641865, iz
incluir no orcamento da fazenda, a quantia do
253:333i3333 em que ella importa, como em outro
lugar mencionei, e consta da tabella n. 45.
Estrada de ferro da Babia o Pernambuco Por
virtude dos contratos celebrados com as compa-
rtas oinprezarias dostas estradas, tem o governo
adiantado em Londres as somnias precisas pan pa-
gamento das garantas de juros addicionaes de 2
/ dos capitaos empreados as referidas estradas,
jas quaos deveria ser o thesouro puntualmente iu-
deninisado.
Longo, porm, de ter assim acontecido, e nao
obstante as terminantes ordens expedidas s presi-
dencias das respectivas provincias sobre este as-
sumnto, continuam estas despezas a posar sobre o
estado, elevando-se o debito da provincia da Babia
a 350:7005701, e o da de Pernambuco a......
360:1305416 como o demonstran! as tabellas ns.
42 e 43.
A importancia que o thesouro por esta forma
despende annualmente, monta a 533:3335333, per-
t.-ncendo provincia da Baha 320:0005000 e a de
Pernambuco 213:3335333, segundo o mostra a ta-
bellan. 45.
Embora semclhante despeza nao posea ser con-
siderada como do estado, li-la incluir tamben) na
referida proposta ,>or algumas das razos'cima
allegadas.
Estrada de rodagemUnio c Industria. A lei
B. 1.043 do 20 de setombro do 1839 torisop o
governo a levantar un emprestimo de 6:000:0005
ris cm favor desta companhia. o para exoeueo
della foi expedido o decreto n. 2,503 de 16 de o-
v'inbro do mesmo anno, approvando o contrato em
7 do referido mez entre o governo geral e o presi-
dente da dita companhia.
Foi ahi estipulado, na clausula 4.", que a com-
panhia deveria entregar no thesouro nacional, as
competentes pocas, as quantias necessarias para o
pagamento nao s de todas as despezas que cus-
tasse o levantamento do emprestimo, como do juro,
amortisaco, commissoes, corretagens, saques,
dilTerencs de cambio, e outros dispendios se-
mclhantes; c, na clausula 3.', que nessas quantias
seria encontrada a importancia da garanta de juros
a que obrigado o governo, ficando exclusivamen-
te cargo da companhia a oobranca dos garan-
tidos pelas provincias do Rio de Janeiro c Minas
Geraos.
A referida companhia, porm, nao cumprio at
hoje os compromisos que assim contrado,
de modo que actualmente monta a despeza (ri-
ta a 633:8215593 ris, como demonstra a tabella
n. 44.
O thesouro nao so tem retido os 2 % de
rantia que obrigado a dar, como tambem mn-
dou embargar a importancia da qnantia que a com-
panhia deve receber das duas sobreditas provin
das.
Alm disto, foi ella intimada, na pessoa de seu
presidente para satisfacer, dentro em 3 mezes,
a parte de seu debito at dezembro de 1861 na im
portaola de 237:4735213 ris, porque nao llic
podiam ser mais applicaveis as medidas de que
acabo de tratar.
Findando o referido praso em Janeiro ultimo, e
tendo o presidente da companhia pedido proro-
gacao at m\\ o poder legislativo resolva sobre a
rep'resentaeao, que Ihe dirigi a companhia, soli-
citando meios para pagamento de suas dividas, o
governo declarou-lhe que nao duvidaria conceder
b praso solicitado, com lanto que elle se obrigasse
a satisfazer as clausulas do contrato cima men-
cionado, entregando no thesouro a importancia dos
juros garantidos pelas provincias do Rio de Janeiro
c Minas Geraes.
Pelos mesmos motivos, que expuz tratando das
outras companhias, liz incluir na proposta para
o orcamento de 18641865 a somma do ...... .
323:3685079 ris que eusta annualmente em Lon-
dres o servico do emprestimo de 6:000:0005000
reis, levantado a favor desta companhia, como se
v da tabella n. 46.
MEIO CIR9ULANTE.
Comecarei este artigo annunciando-vos que o
banco do Brasil abri em 21 de outubro de
1862 o troco de suas notas em ouro, determi-
nando s caixas filiaes que do mesmo modo pro-
oedessem.
Tambem o banco do Pernambuco se acha hoje
habilitado para este troco, como se v do seu
cilicio com data do 1. de abril ultimo, no
qual requer ao governo a annullaeao de todas
as reduccoes foitas na sua emissao no tempo em
que se nao havia preparado para desempenhar as
vistas e preccitos da lei n. 1,083 de 22 de agosto de
1860.
A quadra actual, cm que o cambio se tem con-
servado ao par, c mesmo se tem elevado cima
delle, tem facilitado os meios de chegar a este desi-
dertum, nao s por via de remessas encommen-
dadas, mas ainda porque um tal cambio nao con-
vida a rcmetter ouro para solueao de compromis-
sos com os paizes com os quaes o Brasil tem activo
ommcreio.
O quadro n. 36, que vem appenso ao relatorio
dcste ministerio apresentado ao corpo legislativo
cm'maio do anno lindo, mostra que em 31 de mar-
co do mesmo anno existia em circulaeo urna
somma de papel-mocda no valor de 35:2"49:1515
ris. Depois daquella data entregou o banco
do Brasil a caixa de substituicao, em desempenho
da lei de 5 de julho de 1853 e dos estatutos que o
regem, as seguintes addio5es:
Em junho de 1862, resto dos
dous mil contos, cujo paga-
mento foi contratado em
apolices da divida publica
de juro de 6 % ao preco
de93................... 1:000:0005000
Eu julho do mesmo auno, quota
ptencente ao trimestre de
abril a julho, cujo paga-
mento foi feito com o re-
curso dos bilhetes do the-
souro....................
Em outubro do mesmo anno,
quota do trimestre de julho
a setembro, idem.........
Em Janeiro de. 1863, quota do
trimestre de outubro de
1862 a Janeiro de 1863,
idem....................
Em abril prximo passado. quo-
ta do trimestre de Janeiro
a abril deste anno ainda nao
paga....................
Addicionando a estas quantias a
importancia do papel nao
substituido.nos prasos mar-
cados, e que jior isso licra
sem valor, c bem assim o
descmodas notas substitui-
das as provincias........
500:0005000
500:0005000
500:0005000
500:0005000
747:0755000
Somma.
3:747:0755000
Deduzindo desta somma a qnantia de 91:3185
ris, que a caixa da amortisaco estornou c que
por isso voltou a fazer parte' da circulaeo, te-
remos para subtrahir daquella demonstrado de
:I:Im::75750O ris.
Procurada a differenca entre esta quantia e a da
demonstracao, ser ella'de 31:393:3945000.
Mas, como sabido que ncm toda esta somma
circula as praeas commercaes do imperio, i>ois
que os bancos emissores tem feito do papel-mocda
do estado grande parte do seu fundo disponivol,
de razio que, para mostrar-vos a real circnlarao
do pa|iel fiduciario do governo, se deiluza do re-
sultado cima apresentado a importancia do pa-
l>ol-moeda que os ditos bancos conservam em
suas caixas, como fundo garantidor de suas
emissoes.
Consultadas as demonstradles remettidas pelos
bancos ao thesouro, conhece-se que, sendo o valor
do papel moeda conservado as caixas dos ban-
cos emissores. como fundo disponivel delles de
3:643:5205000 ris, o operada a deduccao de que
vos falioi, ficar roduzida a circulaeo do papel-
moeda a 27:949:8745000.
Nao este, porm, o nico papel que circula
no imperio.
A le de 5 de julho de 1853 autorisou as emis-
soes do banco do Brasil c facultou as das caixas
tihaes do mesmo : alm disso varios decretos do
poder exeeutivo deram autorisacao para emittir, aos
bancos da Babia, Pernambuco, Maranhao o do Rio
Grande do Sul, c ainda aos desta corte com a
denominacao de rural e hypotheeario, o commer-
cial e agrcola.
O quarto dcsles bancos deixou de ser emissor,
se bem que os dous ltimos tambera boje nao
emittam, comtudo ainda nao puderam resgatar to-
do o papel que haviam posto em circulaeo. -
Averiguando, pois, quaes sao as soinmas que
taes estabeleeimenios tem emittido, conheceremos
sua totalidade, que composta das seguintes ad-
dieoes :
Notas em circulaeo do banco
do Brasil e caixas filiaes 40.626:5005000
Ditas do banco da Babia 2.446:3755000
Ditas do banco de Pernambuco 1.441:4005000
olas em circulaeo do banco do
Maranhao....... 326:0005090
Ditas do banco coinracrcial e
agrcola........ 400:0005000
Ditas do banco rural e hvpothe-
cario......"... 167:2505000
45.407:6155 00
Ser o valor circulante do pa-
pel dos bancos, conforme a ta-
bella n. 47 rs......
Retirando agora a importancia do papel fiducia
rio dos bancos do papel moeda do estado em cir-
culaeo, a somma representar o meio circulante
do imperio : ella de rs. 73.357:4895-
A lei n. 1.083 de 22 de agosto de 1860, que a
lei bancaria
masiada expansao
como um de seos fins restringir as emissoes exag-
geradas de alguns destes eslabelecimentos. O effei-
to desta lei foi logo sentido ; c, posto que esta es-
pecie nao tenha escapado ao estudo que tendes fei-
to das cousas do paiz, ainda assim vou tratar de
demonstra-la com os seguintes algarismos :
Em dezembro de 1860 importava o papel circu-
Smente no caso de nao estar concluida a qua- lista dos suppintcs do juiz municipal
mente por espaeo de seis mezes, isto pelo espa-: com que V. S. me remetleu a nota na importancia
co de tempo que julgou necessario aojncihoraraen-. de 9:3595 dos saldos provenientes de loteras que j lificacao dessa fregnezia do modo por qne fica'de- do termo de" Barreiros, "por leroVn o 4
t das ctrcumstancias sol) a condicao, porm, de devenijei'proscriptas e em resposta tenho a dizer clarado, deve Vine, fazer a chamada d.s votantes raaz Alvos Maeiel. Pedro Unci
que o mesmo banco nao elevara o nremio dos des- c K>ae\. S. nroviilenei.tr e.im.i >.... 1.- n., ,-t ,.i,. i...i-. ,,,,,i:i:,..,on., ,1,-. ^.,.% .,..,.1,. pnv.n_~n., Vmiii a>>n n.m u!Zuj.
contos, para nao aggravar mais o estado dos nego-
cios.
O decreto citado nao foi interpretado, como con-
vinha qne o fosse, pelo referido banco. Este esta-
belecimento admittia a ultima condioao apenas co-
mo conselho, e deelarava estar dispsto a nao i>re-
scindir do direifo, que lhc conferirara seus estala-
prov
pede no citado
|>ela qualilicacao do anno passado.Communicou-
se ao juiz municipal de Cabrob, romettendo-se-Ihe
copia deste offlcio.
Portara.O presidente da provincia, confor-
mndole com a proposta do Dr. clicfo de polica
n. 1128 de 20 do crreme, resolvo demittir a Jos
Cordeiro Manso do cargo de subdelegado do dis-
tricto de Taquaritinga, e para o substituir nomeia
o tenente do stimo batalbao de infamara Jos
Antonio de Antojo.Communicou-se ao Dr. chele
de polica.
Dita.O presidente da provincia, attendendoao
que requeren Thmnaz J. Fernamles, agento o pro-
curador do London & Brasilian Banck nesta pro-
oQicio para que essa importancia passe a fazer par-
te da receita provincial no crreme exercicio e se-
jara os respectivos documentos consumidos peran-
tc a junta dessa thesouraria.
Dito o director do arsenal de guerra.Trans-
miti a V. S. para o fim conveniente a inclusa c-
pia do termo de examc do qual consta terem che-
tos na parle relativa faculdade de regular a taxa gado a provincia da Parahvba, em perfoito estado,
dos juros pelo menos de 15 em 15 das. os artigos de farda ment que com destino ao res-
0 offlcio de 3 de marco de 1863, enderezado a pectivo corpo de guarnieao foram para alli remet-
este ministerio pela presidencia do dito banco, da- tidos por csse arsenal no vapor Mamanguane, ao-
va sciencia ao governo deste procedimento, e re- condicionados em 13 caix5es.
raettia copia da proposta que neste sentido fra alli Dito ao inspector do arsenal de marinha.Man- .
approvada. de V. S. fornecer cora urgencia ao capito do porto, vincia, e tendo em vista os documentos com que
lima tal occurrencia foi submettida ao parecer conforme solicitou elle em offlcio de 21 do corren-1 instruio a sua petco e pelos quaes mostra ter sa-
do consel o de estado pleno ; depois do que bai- te sob n. 114, duas boias para seren collocadas nos tisfoito o disposto no art, 15 do decreto n. 2711 de
xou o decreto n. 3.062 de 16 de marco prximo baixos de Olinda c do Inglez, em substituido das! 19 de dezembro de 1861, resolve de conformidade
passado, revogando o de n. 3034 de 28 de feverei- que all serviam de bausa e que desappareceram,' com o mesmo decreto, declarar constituida nesta
ro antecedente, do qual na mesma data se deu co- segundo rae communicou o referido capito do' cidade urna caixa filial do referido London & Bra-
nhecimento respectiva directora por aviso deste porto.Communicou-se ao capito do porto. I silian Banck, o ordena que neste sentido se expeca
ministerio. I Ho ao mesmo.Pode V. S., em vista do que pela secretaria do governo o competente titulo.
Era offlcio de 16 de marco prximo passado re-'declara em sua informacao de 21 do corrente sob Communicou-se ao desembargador presidente do
presentou a mesma directora que, sem graves in- ,n. 552 mandar alistar na companhia de aprondizos tribunal do commercio para dar a necessaria pu-
convenientes, nao poderia de prompto restringir artfices desse arsenal o menor filho de Antonio blieidade.
a sua circulaeo, tanto na caixa-matrz, como as Ferreira da Silva, de nome Delphino Ferreira da Dita.O Sr. gerente da Comnanhia Pernambu-
caixas filiaes, e que, sendo a pratica constante-' Silva Martins Costa urna vez que se acha as con- cana mande dar'transporte em Tugar de re desti-
racnte seguida, em taes, casos, nao crear difflcul- dicoes legaes, e foi considerado apto em inspeccao nade passageiros de estado al a Granja no va-
dades pela cessaeao absoluta de operacoes de des- de sade. i por de 7 de agosto vindouro, ao baeharol Fernando
contos, at que se entre de novo no limite legal, s | Dito ao commandante do corno de polica.Em Alfonso de Mello Jnior, prsmotor publico da co-
vsta do que ponderou o Dr. chefe de polica em marca daquellc nomo.
oflicio n. 1,143 de 21 do corrente, mande V. S. for- Dita.O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
necer urna nova farda ao guarda da seccao urbana cana mande transportar at Macei no vapor Ma-
andino Toixeira de Carvalho, visto se ter inutili-1 mnnguape em lugares de re destinados a passa
com o tempo e muita prudencia poder entrar 011-
tra vez o banco dentro dos limites a que fica ad-
striclo.
Respondendo-se ao offlcio citado, declarou-se pe
lo ministerio a meu cargo, que, em presenea das sadopor motivos independentes de sua vontade c geiros de estado, ao professor publico de insiruc(;ao
circumstancias actuaos, o governo imperial "jiga-1 acto de sen-i^o a de que usa va.Fizcrara-se as
va attendiveis os motivos allegados, c esperava da coramumeacoos.
prudencia da directora do banco que empregara Dito ao director das obras militares.Respondo
os meios necessarios para que cessasse qualquer o offlcio de V. S. de 20 do corrente, sob n. 125, di-
excesso havido, e se consorvasse a emissao dentro zendo-Jhc que pode mandar por de novo, em arre-
dos limites prescriptos nos seus estatutos. matacao os eabides de que precisa o quartel do 1:
Repetirei aqui a idea contida no relatorio passa- '
do, pertencente ao ministerio da fazenda. Parece
conveniente que se suspenda por .alguns exercicios
o resgatc dos dous mil contos annuaes, que o go-
verno obrigado a fazer por intermedio do banco
do Brasil O resgate j realisado importa era .
14.000:0005000. klara, em seu offlcio de 20 do corrente, sob n. 126.
Ningucm boje desconhece as djfflculdades com Communicou-se ao inspector da thesouraria de
que luta o estabelccimento cima referido no de- fazenda.
sempenho desta misso, em quanto suas notas, ou Dito ao mesmo.Approvo o ajuste, que segundo
algumas classes dolas, nao gozarera do privilegio : o seu offlcio de 20 do corrente, sob n. 127, fez V.
de correr todo o imperio. | S. com Rufino Manoel da Cruz Cousseiro para en-
Alm disto, o governo tem operacoes importan- 'carregar-se da reconstruejao do laboratorio pyro-
elementar de Petrolina, Francisco da Silva Miran-
da e sua senhora.
Despachos do dia 2,1 de julho de 1863.
Itequcrimcntos.
Antonio Malaqulas de Macdo Lima.Informe o
batalhao de infantana, em vista do que ponderou Sr. drector das obras publicas.
iL ,n ,n aa C"ad0- f -. Ant,li0 Francisco da Silva.-Ficam dadas as
J?v2 ,nesm-F,ca approvado o ajuste feito convenientes ordens ao Sr. inspector do arsenal de
POf l-AT1 *T PT,ra Alc,an,ar;i d0 O Para marinha no sentido que requer o supplicantc.
I nr.'iu?? l"1,ura WS ,^ con'I>a"hia Dr. Candido Jos Casado Lima.-Informe o Sr.
LU ."?' I.K;la(!"ant,,ac rO^OOO, como \. S. de- director do arsenal de guerra.
Alferos Francisco Sancho Ribeiro do Amaral
Esl preenchido o lugar que o supplicantc re-
quer.
D. Francisca Amalia Moreira, e oul ros.Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Francisco Theophilo Pires llarreto. Passe-se
tes a que precisa'acudir no exterior, que exigem' techiico pela qnantia de 9005000, menor 1265000 0 art jog do regnlamento a 2677 de 27 de'ou-
por algura tempo a cessaeao desta despeza. Os em-1 do que a oreada para essa obra.(Communicou-se tubro de 1860
prestimos de 1824 o de 1843 estao quasi vencidos,! ao inspector da thesouraria de fazenda.
c preciso ou paga-Ios, ou contrahir outros que os I Dito ao conselho de compras navaes.Approvo
suhstituam. J os contratos que o conselho de compras navaes se-,
E&istc urna divida fluctuantc que convemamor-! gundo declarou em seu offlcio de 8 do corrente, ef- j
tisar, logo que as cirtimstancias o permittam.
As despezas tal vez nao possam
visto haver necessidade de acudir a servicos ur- estabelecimentos de marinha, sendo os dous
gentissimos, que demandam o emprego de sommas metros relativos ao corlante anno financeiro,
importantes.
Bacharel Heraclio Vespacianno Fiock Romano,
Informe o Sr. director, geral da instruccao pu-
blica.
, 1 Jos da Costa Guimaraes.Nao tem lugar o que
permittam. 1 foctuou com diversas possoas para o fornccimento requer o uunlicanle
n ser reduiidas, de m*licainentos,ambulancias,e fardamento, aos' Manoel daConceica
c o
_ 5o Pereira de Albuquerque.
portara, oncedendo a liecnca reque-
(Continnar-se-ha)
WIM DA PROVINCIA.
Expediente do dia 23 de julho de 1863.
ultimo ao presente trimestre segundo consta do ter- i
mo que veto annexo ao seu citado offlcio, devendo'
o mesmo conselho remetter thesouraria de fazen-
da copias dos referidos contratos.
Dito ao mesmo.Approvo os contratos que o
conselho de compras navaes segundo declarou-me,
oflicio de
, .. I era seu offlcio de 11 do corrente, olToctuou cora
Offlno ao Exm. presidente da provincia da Ba- (j0ao Antonio Pinheiro c Antonio Norberto de Souza
hia.Passo as maos de V. Lxc. para ter o conve- Lealdade,aquellc para o servico de barbeiro das en-
mente destino a guia de sus|>ensao da prestacao, formaras de marinha e dos africanos no corrente
inensal de J05 que de seu sold dwxou nesta pro-1 anno financeiro, e este da lavagem de roupa das
vincia ao seu procurador o brigadeiro Manoel Mu- mesmas enfermaras aprendizes arlillces, e maruja
niz lavares. do mesmo arsenal no nrosonie trimesiro ifi,l,i il.-
Passe-se
rida;
Theodoro Rampbe.Informe o Sr. director das
obras publicas.
PERNAMBUCO.
do paiz, no intuito de embaracar a de- Sirva-se V. Exc. de informar acerca do que pede
lansao que o crdito ia tomando, teve no incluso requerimento o soldado do 2' batalhao
de 1 ufan tana Jos Florencio.
Dito ao Exm. presidenfe da provincia do Rio
Grande do Norte. Transmiti V. Exc. para os
lins convenientes a inclusa relaeo dos artigos em-
barcados pelo arsenal de guerra'no vapor Jagumi-
be, com destino a fortaleza dos Santos Reis Magos,
e corpo de guarnieao dessa provincia.
Dito ao brigadeiro commandante das armas.
do mesmo arsenal no presente trimestre, tfldo de
conformidade com o termo por copia que veio an-
nexo ao seu citado offlcio prevenindo ao mesmo
conselho que remetta thesouraria de fazenda co-
pias dos contratos.
Dito ao promotor publico do Recifo.Remotto o
attestado que Vine, solicitou, em 23 de junho pr-
ximo Ando relativo a Ambrozio Joaquim Soares da
Fonceca que falleccu no hospital Pedro II.
Dito ao director das obras publicas. Rcspon-
dendo ao offlcio que Vine, me dirigi, em 9 do cor-
Dito ao Dr. chefe de polica.Faca V. S. seguir 1 rente, sob n. 39?tenh"a d'izeVe vista do que in-
a devida segucanca para o termo do Ouricu-1 formou a thesouraria provincial em offlcio de hon- i homens
com
ry, aliin
para
de alli resjionder ao jury
cm setembro
REVISTA DIARIA.
O Sr. barao do Livramento alforriou em leilao,
feito polo agente Pestaa, na sexta-feira ultima, um
pretinho, cuja mi o mesmo Sr. bario arrematara
naquella oecasiao.
^o este o primeiro acto de generosidade e
pbilantropia que pratica o Sr. barao do Livramen-
to ; mas pela especialidade de dar a liberdade a
um ser racional e de s coneprrer para isto, inun-
do j se tinha-o posto em prego, torna-se este aclo
de notavel transcendencia, recommendando o seu
autor gratido das almas bem formadas.
Em seguida damos a terceira carta do nosso
collaborador :
Compadre. Quor-me parecer que os nossos
do mllto de ferugpn tinhara mais soda
1 tem, sob n. 346, que continu no corrente exercicio azo aue os acluaes'iTa/Hot chilra
ZSSSJSSSZSSS-^SB1^ VeSpCC-'V 1 com os estudos graphicos desta cidade, afim de Emliora procurassem no ar o espaeo que Ins
> de junho prximo que se possa efTectuar o respectivo calcamento, de-' nCgaVa a torra, devido isso tal vez a ganancia de
quererem viver todos no centro do commercio de
lindo, o criminoso de morte Antonio Joaquim Ara-1 vendo porm essa despeza que nao exceder de ,
lante dos bancos era rs. 80.390:9805. A somma runa acorea do qual mformou V. S. cm data de 8 8OO5OOO correr pela verba votada na lei do or- ue faziam vida, tinhara ao menos o hora censo de
demonstrada pela tabella n. 51, que se acha junta ideraaio ultimo. Coramunicou-sc ao juiz mumci-, Camento vingente para o mesmo calcamento. alinharem as nas, e esquadriarem as casas, viudo
ao relatorio do anno passado, para conhecimento j Pa' d Ouricury.
do papel emittido pelos bancos em fovereiro de I Dlt0 ao inspector da thesouraria de fazenda.
1862, nao exceda de 43.594:4405. Havia, pois,. Mande V. S. pagar .ao pharmaceutico Manoel Joa-
Dito ao Dr. juiz de direifo de Garanhuns.Ap-
provo a. deliberaeo que tomou Vmc de demorar
nessa data urna redueco de 6.794:5403. Cmpa-' 1}m das Trevas Marinho a quantia a que tiver di-! em S. Bento o alteres Flix Justiniano de Albu-
rando, porem a emissao de dezembro
com a de fovereiro deste anno, de que
conta, a dilferenca ser de 4.983:3655, menor
verdade que a do anno anterior, mas que assim
mesmo nao deixa de ser consideravel.
As reflexocs, que sobre este ponto poderia fazer
sao inteiramente desnecessarias.
O banco do Brasil
para elevar a sua emissao ao triplo
ro de 1860 I reil. proveniente da gratificai;ao de 85diarios que I querque, at chegar alli o primeiro supplente do
j vos dei i venceu desdo 18 de'junho ultimo, at 3 do corren-' delegado do termo pelos motivos constantes do seu
I te, tempo em que esteye incumbido do tratamento offlcio de 4 deste mez a que respondo.
I dos indigentes accommeltidos do cholera-morbus,! Dito ao Dr. juiz de direito de Santo Antao.Cer-
na cidade de Santo Antao, como se ve do incluso to pelo seu offlcio n. 19 de 17 deste mez, de ter
requerimento documentado. i Vmc. dispensado o cirurgo Simplicio Lins de
Dito ao mesmo.Coberto com offlcio do briga-' Souza Fontes, da commissao de tratar dos indigen-
sil pedio ao governo permissao deiro commandante das armas datado de 10 do tes accommettidos do cholera-morbus, por acnar-
nissao ao triplo do fundo dis- corrente, e sob n. 1,223, devolvo V. S. o reque-' se este quasi extincto, tenho a dizer-lhe em respos-
U.X7.1 n ,*,.. V'.... ,..,,....^.. ,. 11,. tmAm A.. .1,,- .;, A r .
dahi o andarem direitnhos como um fuso; no en-
tretanto que os de hoje, deixando o ar, buscam co-
mo as toupeiras fazer casas esconsas beira dos
ros com as mesmas sinuosidades, era quanto ou-
tros surdem pela frente fazendo taes rcvipavoltas
que afinal ficam todos torios e esguelhados, que
nem mesmo depois a deteneao Ibes pode dar mais
remedio.
c A ra do Collegio, compadre, que actualmente
denominara do Imperador, nao sei se pela mesma
razo poique hoje chamara vulto um grande ho-
mem, foi mu bem principiada. As casas tem es-
e tb>orpt.><
5e6rTb
Waadcrle> .
Francisco Santiago Ramos deixado de proniar jura-
mento no prazo jura isso designado, ficando a lis-
ta organisada pelo modo segrate :
1* Joo Carlos de Mendonca Vascoocvllos.
2 Joaquim Cavak-anti de Albuquerque.
3* Ignacio Alvos da Silva Santos.
4 Bacharel Sebastiao Antonio Acciolt.
5? Francisco Ferreira Castalio Branca
6" Capito Jos Francisco Bello.
Sob proposta do>Dr. etafa de polica foi en-
cedida a exoneraco que pedio do cargo de i* sap-
plente do subdelegado do districto da Magda-
lena. 2o d;i fregnezia dos Afogados o bacharel Fran-
cisco Cordeiro da Roehrv (Rampollo, e |ara > subs-
tituir foi nomeado Jos Bernardino Pereir* *
Brito.
Escrcvem-nos de Garanhuns, em 22 do cor-
rente :
Parti desta villa no dia 20 do corrente Dr.
foSo Francisco Duarte, o^uc foi lomar posse dnseu
emprego de juiz de direito ila comarca de Aad,
em Alagoas. Justissima foi a >ua nomeaeo, por
que, alera de intelligentc e probo, era ello mu 'J.-
mais antigos Juizes munu'ipacs do imperio. .N> -1
termo, onde permanocou por minios anno<% d>'ixa 1
Dr. Duarte sinceras aff ifes, devidas s suas boas
qualidades. Desejainos-He rordoalmento prospera
viagein, o aos seus novos eomarcios damos o-
sos embora.
Acha-se gravoiih-nio enfermo o ex-delogid >
Antonio Baptista de Mello Peixoto, do urna pneu-
mona aguda; porm matas ltimos dias, tem apre-
sentado alguma melhora.
c A forra de 1' linb 1 que estava demorada em
S. Bento, j seguio para o .V circulo no di >
13 do correle, tendo perdido, alm do major Li-
vramento, sen commandante. o alferos RczonoV.e
mais um soldado : todos ellos foram victimas do
cholera, que traziam dessa capital. Felizmente,
este llagolio nao se tem desenvolvido na referida
villa, o ora consta que grasseem nenhuui pon-
tos da comarca. /
Rf.i\ktic.\o da polica : /
ExtnetO da parte do dia 25 do julho tto 1863.
Foram recolhidos casa de deteneaoW-djaJil
do corrente:
A' ordeni do subdelegado do Recifo, Jos Tilh.
Hespanhol, de 21. annos, rcipii?icao do respectiv 1
cnsul; Alexandre Jos Polima, pardo, de 20 an-
nos ; Mathias Bi-nedicto do Beps, crioulo, d* Vt
annos, ambos por suspeitos.
A' ordem do de S. Jos, Jos Joaquim oV Liras,
pardo, de 33 annos, por infraceao de posturas.
O chefe da flM
/ J.G. de Me*'i>"l".
Passageiros do vftjior nacional M'imnn/Harr,
sahido para Macei e portos intermedios Profes-
sor Francisco da Silva Miranda e sua senhora. An-
tonio dos Santos, Miguel Augusto de Castro Accio
ly, Joao M. de Castro e um filho menor.
' Passagciro do lugre argentino EUm .V
vindo do Rio Grande do Sul:Willielm G. Maa-
they.
Passageiros do hiato nacional Skolm /, sahi-
do para o Aracaty :Francisco Jos Ja '.unha, An-
tonio Pereira Duarte, l'irmiua Mara da ConreKV)
o um filho menor.
Movi monto da casa de detone, xi no dia 24 d>
julho de 1863.
Existan........ 406 PMM
Entraran)....... '
Sahiram........ 3 1
Existen......... 407 1
A saber :
Nacionaes...... ^'i
Estrangeiros..... M
Mulheres....... 11
Estrangeiras..... 3 1
Escravos....... 70 1
Escravas........ 4 >
oniveC aegandVqiTs assim poderia satisfazer rimento documentado do pharmaceutico" Manoel ta, que Vmc. entregue ao Dr. juiz do direito do'Ca- quadro e perfoito alinhamento at onde os nossos
s necessidades da praca, sem faltar ao governo Francisco Botelho, afim de que de conformidade ;.bo, a quem offlcio nesta data, e onde se tem dado velhos de calcas de alcapao fizeram ponto no nomo
com as quantias precisas, cm quanto a sua receita
nao se nivelasse cora a despeza. Este pedido im-
portava a emissao do quadruplo, combinados os
arts. 16 e 18 dos seus estatutos, e tirados dessa
combinacao os corollarios necessarios.
O governo ouvio a seccao de fazenda do conse-
lho de estado, e at foram convocados alguns ne-
gociantes desta praca e pessoas entendidas na ma-
teria, para craittircm sua opiniao sobre objecto to
inqtortante-
A maioria da seccao oppunha-se concessao pe-
dida, receiando que," depois dos esforcos que o po-
der legislativo e o governo tem feito para reprimir
a expansao da moecla fiduciaria irrealisavel, a per-
missao pedida acarretasso as consequencias bem
conhecidas, que resultaram outr'ora daquella ex-
pansao.
Accrescentava ella que, sendo corto que, com as
medidas estabelecidas na lei de 22 de agosto de
1860 entramos no estado normal da circulaeo, pa-
reca i mlii bita ve I que de vamos sustentar-nos nesta
posicao, para nao voltarmos aos riscos e perigos a
que 'parecamos conduzidos antes da dita lei.
Lembrava por fim que, sendo hoje escasso o re-
curso que tinha o banco no papel do governo, para
que se nao exhaurisse o scu| fundo disponivel, era
muito possivel dar-se a hypothese de que, sendo
executada em grande escala a medida requerida,
se visse o banco forcado a suspender seus paga-
mentos.
As pessoas convocadas nao contestaran estas
razoes, que lhes foram presentes em um impresso
distribuido, antes da conferencia, para estudo da
questao.
vista disso baixou resolucao da consulta, de-
clarando que por ora nao podia ser deferida a pro-
tencao do referido banco.
Mais tarde a praca sentio falta de numerario pa-
ra suas transacf des ordinarias os banqueiros of-
feriam maiores vantagens pelo dinheiro, quo a
premio entrasse para os seus estabelecimentos, e
factos se deram que tinham por fim convencer o
governo de que o banco do Brasil se acha va sem
fundos, que, empregados nos doscontos de-Jotras
commerceaes, removessera parte da pressao que
se sentia. O governo receiou urna crisc; e, paia
preveni-la, promu gou o decroto de 28 de fovereiro
deste anno, concedendo ao banco do Brasil a emis-
sao do triplo wbie peu fundo disponirel, mas sor
cora a sua informacao do 20 deste mez, n. 542, dada casos daquella enferraidade, o resto da ambulau
com referencia a da contadoria dessa thesouraria, i ria a quo se reforo o seu citado olcio.Commu
mande pagar soniente a quantia de 104-3200 a que nicou-se ao juiz de direito do Cabo c ao inspector
tem direito o supplicantc, proveniente das despezas da thesouraria de fazenda.
que fez com o seu transporte e de sua familia da j Dito ao juiz municipal de Olinda.Inteirado pelo
villa de Tacarat para esta capital, e bem assim | seu offlcio de 21 do corrento, do que Vine, refere
com a condueco de objectos pertencentes a ex-
tracta enfermara daquella villa, depois de preen-
chida a formalidade de que carece o recibo por elle
apresentado do aluguel da casa em que estove a
enfermara.Communicou-se ao brigadeiro cora-
mandante das armas.
Dito ao mesmo.A Simplicio Jos de Mello, man-
de V. S. pagar, se no houver inconveniente, a
quantia de 165200 proveniente dos venvimentos
relativos ao trimestre de Janeiro a marco deste an-
no, do corneta do batalhao n. 35 da guarda nacio-
nal do municipio do Brejo, Simplicio Gomes Perei-
ra, como se v do prel junto em duplicata que me
foi remettido pelo respectivo commandante supe-
rior, com offlcio de 20 de maio ultime.
Dito ao mesmo.Pode V. S. conforme indica cm
sua informacao dehontem, sob n. 541, autorisar a
collectoria da villa da Boa-Vista, a pagar os prets
do respectivo destacamento, composto de um Io
sargento, 1 cabo e 12 guardas nacionaes, certo de
que nesta data recommendo ao commandante su-
perior daquella comarca que quando a collectoria
por falta de rendimento nao possa satisfazer csse
pagamento, seja elle feito por si ou por algum ne-
gociante ahi residente, remettendo-se os prets para
esta capital afim de ser a sua importancia satisfeita
por essa thesouraria, como V. S. propoc no final
ne seu citado offlcio.Communicou-se ao respec-
tivo commandante superior.
Dito ao mesmo. Mande V. S. ajustar contas at
o fim do corrente, e passar a competente guia de
soccorrimento ao alfere9 do corpo de guarnieao do
Amazonas Luiz Correa de Moraes, que vai seguir
para aquella provincia, a reunir-se ao roforido cor-
po.Communicou-se ao brigadeiro commandante
das armas c aos agentes da companhia Brasileira
de paquetes a vapor para dar a passagem.
Dito ao mesmo.Mande V. S. comprar e remet-
ta-me com urgencia urna poca de baeta para soc-
corro dos indigentes accommettidos do cholera-
morbus.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Acenso recebido o oflicio de hoaten sob n. 345,
acerca do cholera-morbus nesta cidade, remetto-
lhe urna poca de bata para soccorro dos indigen-
tes accommettidos desse|raal.
Dito ao Dr. Flix Moreno Brandao, segundo ci-
rurgo do corpo do sade do exercilo em com-
missao na cidade de Olinda. Inteirado pelo seu
offlcio de 17 do corrente, de haver Vmc. aceitado
a commissao de que foi encarregado em data de
16 do corrente, para incumbr-se do tratamento
das pessoas desvalidas que frem accommettidas do
cholera-morbus nessa cidade de Olinda, renuncian-
do qualquer gratificacao que o governo tenha de
Mas agora que os modernos braguilhas quizeram
dar-lhc mais comprimento, no que alias tinham
razo, arranjaram tantas curvaturas e saliencias,
que delaram a perder o novo c o velho.
t Comecaram a zanguizarra por onde deveriam
acabar, isto pelo lado do convento dos Arados
franciscanos ; mas, compadre, com tanta pobreza
de engenho, que s depois de edificado o primeiro
quarteiro, que virara que iam dar as trazeiras
aos primeiros edificadores.
t Coitados, quizeram imitar aquellas santas
creaturas na pobreza e humildade que professam!
Mas creio que algum delles teve consciencia de que
tambem assim a humildade era demasiada, e por
isso aconselhou mudanca do rumo, que foi aceita,
pois que o outroiquarteirao, onde era o theatro das
novidades do ex-Gamboa, era cujo palco (de pas-
sagem soja dito) muitas coreas de triumpho e mui-
arbtrar-lhe em remuncraeo desse trabalho, tenho tas palmas obteve do publico cm pasmaccira o as-
a dizer-lhe que muito aprecio e louvo o desinters- ] thmatico o repolliudo Seri-Grdo que Deus
se cora que Vmc. se offerece a prestar os seus ser- haja, recolheu um pouco mais, formando desastra-
vicos mdicos aos mesmos indigentes, o envio-lhe do ngulo pbtuso, como eram os milos dos taes
as carteiras dos medicamentos que solicita cm seu planejadores ou engenheiros de regua e giz.
citado offlcio. Concluindo o negocio, retorceram osbigodes
Dito ao juiz de paz mais votado da freguezia de de desespero, e, atirando cora a regua a praia,
Taquaritinga.Se a igreja matriz dessa freguezia nao quizeram mais continuar, ficando o resto de
se acha, como diz Vmc. em seu offlcio 4e 16 do barriga pregada aoespinhaco como padre lazzanta
corrente, em estado de nao poder prestarse por em commissao doutjrnaria.
falta de commodos eleiQo a que vai proceder-sc' Felizmente algilem lembrou-se de metter a jus-
nadia 9 de agosto prximo vindouro, pode neste' ti?a naquella barriga, afim de ver se crea forcura,
caso fazer-se a ireferid eleicao na capclla da po-' e a chama ordem.
voacao de Vertente, como indica Vmc. no seu Cita-1 Esperemos que
do offlcio, se a dita capella pertencer essa fre- desespera. 1
guezia de Taquaritinga.Communicou-se a cama-
em quanto se espera nao se
407
Alimentados a eusta dos cofres pblicos.. 17 1
Movimento da enfermara uo dia 25 do julho d;
1863.
Teve baixa :
Jos Joaquim Simues, anemia.
Tiverain alta;
Marcos Pereira de Almeida.
Pedro de Souza Lima.
Jos Joaquim de Santa Anna.
Jos Antonio da Silva.
Antonio Cesar Marinho Falcao.
Antonio Joaquim de Oliveira.
Luiz, escravo de Isabel Mura.
Jos, escravo do major Livramento.
Maneas, escravo de Luiz L'rban.
Obituario do da 24 de n'uto so cemiteei
publico :
Mara, escrava, 85 annos, sotteira, Recita, ap>
plexia.
Romana Rosa do Menezes, Pernamboco, -A an-
nos, solteira, Boa-Vista, pneumona.
Geraldo Gandencio. Portugal, 46 annos, sotter -,
Boa-Vista, gaslro hepalite.
Luiz Jos da Silva, Pernambuco, 23 annos, casa-
do, Sanio Antonio, ferimento.
Lucilla, Pernambuco, 7 mezes, S. Jos, coorul-
soes.
25
Maria Archanja do Sacramento, Pernambuco, 3i>
annos, solteira, Boa-Vista, hydropesia.
Maria do Carmo, Pernambuco, 43 annos, soliei-
ra, Santo Antonio, marasmo.
Francisco Duarte Carnero da Cenha Gama. Per-
nambuco, 39 annos, casado, Poco da Panelta, aneu-
risma.
Manoel, Pernambuco, 40 annos, soltain), esefaro,
Santo Antonio, rritacao intestinal.
Luiz, Pernambuco, 10 annos, escra*e, Bon-Ytata,
ttano. .
Brgida, Pernambuco, 20 annos, solteiRK eaerava,
Santo Antonio, pneumona.
Jos, Pernambuco, 60 annos, solt, escraTo.
Recifo, hepalite.
Manoel, Pernambuco, 4- mezes, &. Joee, xsma-
thico.
UM PMCO DE TlftO.
0 Invalido Rtuso.da.os scgninlc* L
bre a morte de Narbutt, chete militar das
as insurgentes cm Lithuanta.
Cora a morte-de Narbutt. findot^-se o
os insurgentes que sobreviveram derrota, <
saram-se.
E iniposMvel formar urna idea 4a exc
d'ellcs durante o combate : rada un arcar*
afoutamente morte, paroeendo esperar nana, hala
que o dorribasse.
ra municipal do Limoeiro.
Dito ao juiz de paz mais votado da freguezia do
Quaodo deu-se a vea de cessar o fogo, 0
Corrigio-se a portara de 22 de maio ultimo, dos fondos e os gemidos dos moribundo "
declarando que fica ella sbm effeto na parte quo
uoraeou a Manoel Florano de Alencar pora sup-
Cabrob.-De nov recommendo Ymc. que a pente do juiz municipal e de orphaos do termo do
chamada dos votantes na eleicao prxima vindoura! Ex, e snbsistindo a do 3 supplente domesmo,
deve ser feka como Ihe declarei na primeira e se- Iguacio Caetano do '
Alencar Rodovalho, ficando. a
gunda via da circular que Ihe foi dirigida em 30 do respectiva lista organisada do modo seguinte :
lificacao doste anns se ella Ia Conidio Callos Peixoto de Alencar.
maio ultimo pela qualificaco
ostver concluida, e do conformidade com varias
decisoes do governo, cntende-se por conoluida a
qualifleacao, da qual nao hoave TecVsmacoal-
guma na segunda rouniao da junta de qualilioaeao,
embora nao sa tenha reunido o conselho munici-
pal de recurso, ou que j techara sido conhecidas
por esto as que por acaso 'vereta sido desattendi-
das pela referida junta.
aos nossos ouvidos : muitas moma,
cnticos religiosos. A compaixao penoli
vencedores, e d'ella exhibiram sobrada _
vencidos, a ponto de nao poneos otBciaes
toda a na rouna branca para sewir no
oTel-
2o -Gualter Martiniano do Alencar Araripe.
3 Ignacio Caetano de Alencar Rodovalho.
4o Joao Geraldo de Carvalho.
5" Joaquim Moreira da Costa.
6 Roque Carlos de Alencar Peixoto.
Forem nomeados : q bacharel Sebastiao An-
tonio Accioli, Francisca Ferrao Ca'stollo Branco,
e capltaq Jol Francisco BeUo, para completar a
toda a sua rbupa branca para
das feridos. ,
Deixamos algumas sentineHa I
les, c depois de reunida a nosa
mos lentamente a direofJ de Lnvtag
extenso de 10 verles lo se e
feridos e moribundos.
Na manhaa subjeojwnte vieran ao
combate
tendo os -
haviam duasirmaas de Narbutt, as
; 11101 luuuuwj, _____ j^
anhaa subsMite vieran ao ***
1 mniu senhoras polaeas, traja *,
;ropRiertos de veos; o *

;-*


Mario de Pernambnco segunda felra ti de taino de 183.

____
,i,ra ,.,,, a mais moca nao norteado I uppellacdes cid roettendo entretanto o acto a approvacao do govcr- da mcsma est auiorisado a pagar o dividendo re- Mel ou melado
no? i ir a SSX prwSeTSi lucos AppeHante, D. Jovina Simplicia das Xeven *ap- no e se por ventura este o nao approva, os nova- Itvo ao semestre ndo era 31 de maio prximo Milho. .
^? Naotns^ergnfiadaSeora? na presen?' pelluo, Victorino Perora Maia. mente eleitos nao entrara em exercicio, ou se isso nasudo a razio de 104000 por accao. Pecite 14
passou
Alfandega
nendiraento do dia 1 a 24. .
dem do da 25.......
vas de ouro, ou 6,94 oitavas |>or tonelada.
Os engenhos da praia produziram 26,690 oitavas,
as quaes addieionadas aquellas, elevam a produc-
caq d'esse anno ura total de 525,754 oitavas.
6 o maior resultado annual que tem obtido a St.
John installaco.
No decurso do referido anno trabalharam no
servico das minas 486 escravos, 311 Brasileiros, e
52 Ingieres, e nos engenhos 453 escravos. sendo 96
do sexo masculino c 357 do feminino, 50 Brasilei-
ros e 14 europeos.
Foram per tanto ocenpadas na mineracao ao to-
do 1366.
Le-se na Imprenta de Cmjab :
Por partieipacao do capilao Antonio Maria Coe-
Iho, director do ncleo colonial do Taquarv, data-
da de 4 do raer prximo passado, consta haver o
mesmo chegado felizmente cora o capitao Joaquim
da Gama Lobo do Ecae o destacamento no dia 1.
de fevereiro as immedaeoes do Beliago, c que,
damlo-se logo comeco ao reconheci ment do terre-
no, achou-se ser o mais azado para a povoacao que
se ia fundar uin local que demora margem direi-
ta do rio Taquarv, a urna milha abaixo da ca-
chocira da Barra, onde effectivamente plantou-se a
povoacao, principiando-se a construeco do quartcl
e rancnes provisorios na forma das instruccoes da
presidencia.
Ja a expedido alli encontrn alguns carros vin-
dos da provincia de Goyaz com gneros de lavoura
para seren-permutados, chegando outros depois;
alguns dosdonosdos carros lencionavam vir esta-
bclecer-se na nova povoacao.
Existia alli nao pequeo numero de garimpeiros
;'i espera da estacao propria para a mineracao de
diamantes.
Affirma o capitao Antonio Maria que o rio Ta-
uuary desde a sua foz no Paraguay at o Beliago,
tao navegavel |>or vapores da lotacao do Alpha,
como o o rio Cuvab c mais do que o rio Mi-
randa.
lada, a justica.
Appellante, o juizo ; appel ados, Manocl Jos do
Naseimento e outros.
Ao Sr. desembargador Caetano Santiago :
A appellarao civel.
Appellante. a fazenda -/appellado, Henry Gibson.
O Sr. desembargador Doria passou ao Sr. des-
embargador Caetano Santiago
A appellarao crime,
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Gregorio de
Jess Bello.
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Jos de
Souza.
As duas horas da tarde encerrou-sc asessao.
COMMUNICADOS.
nuem a exercer as suas funecoes os que serviram
no rpiadriennio anterior, erabora Ando.
O flm magnnimo para que tende a nossa so-
ciedade politice aquelle que todos os Brasileiros
bem intencionados anhelara, isto que as cousas
no nosso paiz sejam urna rcalidade, e nao urna
chimra c neste sentido que parece que as ten-
dencias pendem para reconhecimento do mrito,
e a romiineracao de serviros rcaes. Se assim ,
ser de justica que o mrito daquelles que o tem
nao lique no squecimento, e que os servicos pres-
tados sejara, como devem ser remunerados. Tai-
vez que o que passamos expor tenha de offender
a modestia do dignissimo magistrado quem se di
rige o nosso proposito, mas pedimos-lhe desculpa
i e qaeconsinta produzirmos ao menos algumas con-
sideracocs acerca do que completamente dese-
i jamos.
Se como temos dito, parecendo que a sociedade
Volumes

entrada
Appellante, Manoel Patricio dos Santos; appel- j se ti ver verificado, retiram-se ecedem o lugar aos de juln de 1863.
lado, Fabricio Gomes Pedros*.
Ao Sr. desembargador Gitirana :
* Appellarao civel.
Appellante, a fazenda; appellado,
da Silva Mala.
O Sr. desembargador Ucha Cavalcanti
ao Sr. desembargador Assis
Al appellaroes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Flix Jos Ro-
drigues.
Appellante, o juizo; appellado, Antonio Jos Ar-
pien.
Appellante, Thomaz Antonio de Jess; appella-
do, Raymnudo Antonio de Fre'tas.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem- seus cargos os vereadores e juizes de paz doqua-
bargador Doria driennio findo.
As appellaroes criines. ------
Appellante, o juizo ; appellado, Candido Freir Aviso do ministerio do imperio n. 18 de 11 de Janeiro
Coutiuho. de 1849.
Appellante, o juizo; appellado, Joao Poreira de (Ultima parte do 3.-)-Podendo acontecer
Mattos. me, at que so effectue a eleicao na freguezia ou
Appellante, Joaquim Jos Ribeiro; appcllada, a freguezias que a nao flzeram, tenha terminado o
justica. tempo da duracio legal das cmaras municipaes e
Appellante, Luiz Jos dcMoura; appcllada, a juizes de paz eleitos em 1845, c exigindo o bem pu-
Segundoorelatorioda direecao da compauhia justica. blicoe particular que nao cesse o exercicio destas
de mineracao do Morro Velho (" Minas Geraes) fo-1 Appellante, o juizo i appellado, Flix, escravo. autoridades, antes de eleitas as que tem de snece-
ram no anno de 1862 extrahidas 96,612 toneladas! Appellante, Francisco Joaquim Bricio dos San- dor-lhes. Ha outro sim, o mesmo augusto senhor
de mineral sendo 24710 r-eeitadas por pobres. tos ; amallado, Francisco Elias Fontanclles. por bem declarar, que em quanto nao cstiverem
Mas as 71 902 restantes produziram 499,064 oita-1 Appellante, Raymundo Soares de Brito j appel- eleitos osnovos juizes de paz c vereadores, cou-
dos Russos? perguntou-lhe i mais velha, ao mesmb
tempo que procurara consola-la.
Um Russo dingindo-se a urna outra dessas
senhoras, perguntou-lhe. ,
Sem duvida tendos aqu algum irmao 1
Todos aquclles que mibatem pe* Polonia,
sao nossos irmos; respoodeo a mesma.
Logo que chegaram ao campo, empregaram-se
cssas senhoras em pensar os feridos e enterrar os
mortos. .. j-, -
O corno de Narbutt nao lhes ftoi concedido, et
sobre isto foram solicitadas ordens pelo telegrapho.
Do Bresil traduaimos o que segu :
" Unmdividuo que mercavs em vinhos, qoerendo
vitar a abertura de urna fallencia, convocou os
seus credores para fazcr-lhes suas proposicocs.
Ora, exondo o seu estado, foi cloquele, tor-
nou-se persuasivo, chegou mesmo a enternecer aos
credores.
O que offerece-nos Vmc. ? pcrguntavam-lhe
estes.
Oh mui pouco, respondeu-lhes. Apenas
um copinho.
vereadores e juizes de paz do quadriennio lindo,
que continuara em exercicio em quanto nao sao
substituidos pelo da nova eleicao a que se procc-
Jos Joaquim der, por nao ter sido approvado aquelle acia, se-
gundo o que est decidido pelos avisos ns. 18 de
11 de Janeiro de 1849 e 199 de 15 de jnnho de
18118; no segundo caso, o da annullacao, os presi-
dentes devera esperar pela decisao dogoverno, sem
que baja necessidade, como v\Exe. suppde, de
mandar-se proceder a nova eleicao antes de ser
dada a niesma decisao, pos Q11* para o inconve-
niente resultante de qualquer demora, que por
ventura occorra, ha o remedio prescripto pelo
supprachado aviso, continuando no-exercicio de
Jos Mamede Alves Ferre'ira,
secretario.
317:3465127
18:4154425
200 f
14600
24500
54000'
B4000;
novimenlo da alfandega.
Volumes- sahidos
com fazendas
com gneros
cora fazendas
com gneros
4T
233
------ 279
61
536
596
No n. 20 do Constitucional Pernambucano, de 21,
do corrente, aecusa-sc o presidente da provincia' poltica dopaz ^'nX
por ter determinado que na eleicao, a que se val "lo seja reconhecido, c que aquelle que tem l
____:. 'j_ n_j___Ti j: K ,1 ,. vicos renes sei.tm recomnensados: nao nodenws
Descarregam no dia 27 de julho.
Barca inglezaJorgitH-f=mercadoras.
Patacho inglezMercejmercadorias.
Polaca hespanholaFavorita = diversos gneros.
Imprtalo.
Brigue inglez Mersey, vindo de New-York, con-
sigado a Johnston Pater & C, manifestou o se-
grate :
28 caixas drogas medicinaes; a Caors & Bar-
55 ditas ditas, 7 ditas pastilhas, funi^de gutla-
percha, salsa parrilha, 2 volumes aceraos, 15 bar-
ris graxa de lustre, 9 feixes cadeiras, 1 caixa re-
des de algodao, 32o ditas oleo de Kerosene, 9 di-
tas e 4 barricas vidros para candieiros, chamins
de dito para ditos, dito para espelho, 5 caixas can-
dieiros, espedios e filetes dourados para molduras,
38 caixas cha. 500 resmas de papel. 25 barris car-
ne de vacca e de porco, 2 caixas e 1 volume qua-
dros e objectos para trabalhos photographicos aos
consignatarios.
76 caixas drogas medicinaes, 900 barricas fari-
nha de trigo: a Henry Forster & C.
2 caixas redes de algodao ; a G. W. Davis.
1 carro e pertences; a A. W. Osborne.
400 barricas farinha de trigo, 2 caixas esparti-
lbos; a Keller & C.
Brigue nacional Algrete, vindo do Rio Grande do
Sul, consignado a viuva Manoel Goncalves da Sil-
va, manifestou o seguinte :
5,920 arrobas de carne de charque, 140 ditas de
sebo em rama, 12 couros vaceuns seceos ; a or-
m,.. i dem.
xr. I Barca ingleza Margaret, vinda de Liverpool, con-
at. signada a Saunders Brothers & C, manifestou o
seguinte:
600 saceos arroz, 301 ditos milho, iiq_barris
caoada
..... arroba
Papagaios.........um
Pao Brasil........quintal
dem de jangada......vua
Pedras de amolar ..... urna 840
dem Se filtrar....... 4*000
dem de rebolo...... 14200
-Piassava. '.......niolho 120
*. Pomas, ou chifres de vaccas oa
novilbos........cento 54000
Pranchoes de amarello de dous
costados........um 2O4OOO
dem de louro....... 104000
Ra^..........libra
Sabao........^-
Sal..........alqueire 400
Salsa parrilha.......arroba 254000
Sebo em rama....... 55000
dem em velas. ...... 74000!
Sola em vaqueta......urna 34000
Taboas de amarello.....duzia IIO4OOO
dem diversas....... 734000
Tapiocas.........arroba 35000
Tatajuba. '.......(puntal 25000
Travs.........urna 650001
Unhas de boi.......Cento 25000
Vassouras de piassava. ...
dem de timb.......
dem de carnauba.....
Vinagre.........caada
Alfandega de Pernambuco, 25 de julho de 1863.
(Assignados):
O 1. conferente, Manoel Caldas Barreto.
O 2. conferente, Joao de Freitas Barbosa.
Maranitao.
Approvo.-Alfandeg de Pernambuco, 11 de ju-
lho de 1863.fon de Andrade.
Conforme.O 4." conferente, Frederico Carneiro
Leo.
S**1?A carga plvora, c outros geaeres : te-
me Bidoulac.
Cardiff. i, barca iagkoa Creterim, de 2W
ga carvaode pedra; a WilsoiHe*^
navios saliidoi no metmo tim.
Macera e portos intermediosraoor nackaal Jfa.
manguape, commandante MtsnH R r*
Moura. ^^ mm
Aracatyhiate nacional Nicolao I canitio
cisco PclixNofucira, carga diflereitei
Obserracaa
Suspendeu do lamarao para Hamlurro a ,
hamburgueza Panania, capitao F. WenzuHla
a mcsma carga que trouxe de Ponta Arena.
Suspendeu do lamarao para Tarahiha
ingleza Saiween, cajiito P. ScoO, com
lastro que trouxe da Baha.
Fundcou no lamarao um brgtw ai
120 deira, e nem leve communicaeao c
Praa-
_aterra.
Navio entrado no Ha tf.
Rio de Janeiro16 dias, brigue
zeUen, de 336 toneladas, capitao .
equipagem 8, em lastro; a ordem.
Sai ni .'nimio no mesmo dt*.
Baliia Patacho italiano Maria, capilao Luiz Boza-
no, carga vinlio,assucareoatros gneros.
EDITAES.
. manteiga, 29 caixas e 30 meias ditas cha, 173 bar-
ai do commercto ricas cerveja, 500 caixas sabao, 50 gigose 1 cesto
lis nao 1
frac^ao da ke das rascos do ^erno^
nio de Souza, presidente do u
tor d(.s,. desta provincia 1 Pois nao elle digno de nossuir >ouca, 1 barril pregos, 45 pecas de cordoolba,
------se deve dar os ttulos honori-' fardos, 3 volumes e 2 caixas fazendas de laa de al-
foz para juizes de paz e vereadores.
seguJcao, alternado contra o voto livre c nao sei
que mais, praticado pelo Sr. Dr. Silvcira de Souza,
c entende que vista da mesma lei e decisoes do
governo, que nem de leve cita, deve aquella mesa
parochial ser presidida pelo primeiro juiz de paz
do districto raais visinho.
Essa aecusacao mais urna das multas provas,
que j tem dado os redactores dessa folha, de que
ou ignorara completamente as leis do seu paiz, ou tribunaes de commercio ? Pois as cathegorias quan-
estao dispostos a achar motivos para censura ao do menos nao sao iguaes ? E releva que digamos ;
fieos ?
telligcncia, que abusam, que prevaricam no exer-
cicio das funecoes que lhe sao confiadas Por cer-
to que elles devem ser dados aos que por justos
ttulos os tem adquirido.
Os presidentes das relacoes logo que sao Hornea-
dos se lhes confero o titul de conselho. E porque
nao devem 1er o mesmo titulo os presidentes dos
CHROMCA JIDICIARU.
TRIIII V 41- DA RELAMI.
SESSAO EM 2o DE JULHO DE 1863.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEinO SILVEIRA.
As 10 horas da manhaa, achando-se presen-
tes os Srs. desembargadures Caetano Santiago,
Gitirana, Lourcnco Santiago, Motta, l'eretti, Assis,
Ucha (Iivalcanti, e Doria, faltando com causa
participada o Sr. desembargador Accioli, abrio-se
a sessao.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da
cora, compareceu.
Passados os feitos e entregue os distribuidos,
derara-sc os seguintes .
HLf.AMF.NTOS.
Aggravantes, Borges & Mello ; aggravado, o
juizo.
Relator o Sr. desembargador Perctti.
Sorteados os senhores desembargadores Ucha
Cavalcanti e Doria.
Negaran proviraento.
Carta teslcmtoiarel.
Aggravantes, Antonio Rodrigues Lima e outros;
aggravado, o juizo.
Delator o Sr. desembargador Perelti.
Sorteados os senhores desembargadores Assis,
e Lourcnco Santiago.
Ncgaraui provimento.
Appellaroes criines.
Appellante, o promotor ; appellado, Jos Alves
de Castro c Silva.
A' novo jurv.
AppeRaate, o juizo ; appellado, Antonio Brai
de Souza.
A' novo jurv.
Appi'llunte, o juizo 5 appellado, Lino Barbosa de
Oliveira.
Mandaram ao juizo aquo mpoz a pena de gales
perpetuas, para usar do recurso que a le faculta.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel l'ereira
do Monte.
A' novo jury.
C DILIGENCIAS.
Cura vista aoSr. desembargador promotor da
instiga
.l.f nppellares rrimt'S.
Appellante, o juizo; appellado, Joao Bezerra de
Lima.
Appellante, o juizo 5 appellado, Pedro Joso dos
Santos.
DESICNAQO DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento dos segrales
Jeitos :
As nppellares criines.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Autonio
da Silva.
Appellante. Martiuho de Oliveira Borges ; appcl-
lada. a ustiea.
Appeliant, o juizo; appellado, Manoel Jos do
Rosario.
Amellante, Manoel Dantas Cabra) ; appellado,
o juizo.
Appellante, o juizo ; appellado, Francisco Peral
ia do Nasciinenlo.
Appellante, o juizo ; appellado, Lino Barbosa de
Oliveira.
Appellante, o juizo ; apellado, Antonio Braz de
Souza.
AppeUaBte, o juizo o Manoel Antonio Gaiao ; ap-
pellado, o juizo e Manoel Gomes de Moura.
AppeUat'o civel.
Appellante, Jos Francisco de Souza Lima ; ap-
pcllada, Maria Francisca Olimpia Baptista.
Cora vista ao Dr. curador gcral:
A appellarao ricel.
Appellante, Francisco Alves Cavalcanti; appcl-
lada, D. Mana Joaquina Santiago.
HrtliiH curyi
Concederam a Caetano Mendos Delgado a soltu-
ra pedida em habeas-corpus.
I'ASSAGENS. ,
O Sr. desembargador Caetaiio Santiago passou
ao Sr. desembargador Gitirana
A appellacw crime.
Appellante, Francisco Jos Baptista ; appcllada,
a justica.
O Sr." desembargador Gitirana passou ao S. des-
embargador Lourenco Santiago
A appellarao cirel.
Appellante, a fazenda'; appellado, Paulo Jos
Comes.
O Sr. desembargador Lourcnro Santiago passou
ao Sr. desembargador Motta
As appeaes civeis.
Appellante, Francisco Cokles Teixeira Caval-
canti ; appellada, D. Anna Joaquina Teixeira Ca
valcanti.
Appellante, Jos Joaquim da Costa Macicl; ap-
pellado, Luiz Jos Marques.
Ap]rilante, a adininistraco da massa de- Seve k
Filhos appellado, David william Bowman.
Appellante, Jos Ferreira Pinto de Campos ; ap-
pellado, Manoel Joaquim Baptista.
O Sr. desombargador Molla passou ao Sr. des-
embargador PereUi
As afpeUucoes crimes.
Appellante, o juizo; appellad, Jos do Valle Pe-
dresa. .
Appellante, o promotor ; appellado, Belarraino
Porfirio de Farias.
Appellante, Custodio da Rocha Oliveira; appel-
lada, a iustica
Appelanle, Jos Soares da Silva; appellada, a
justica.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appeUaa) civtL
Appellante, Manoel Albino da Costa Gadelha;
appellado, Manoel Victorino do CouJo.
O Sr. desembargador Peret passou ao Sr. des-
embargador Accioli
estao dispostc
administrador da provincia em tudo c por tudo.
Queremos ainda desta vez dar a csses senhores
urna lifao, convidando-os a que leiara os avisos do
governo abaixo transcriptos, e lhes pedimos que
prociircm evitar o ridiculo a que se expoem, met-
tendo-sc a censurar em publico aquillo que nao
cntcndein ou nao sabem. <
Z.
I.* seccao.Ro de Janeiro.Ministerio dos ne-
gocios do Imperio em
lllm. e Exm. Sr. S.
parece que os presidentes dos trilmnaes de com-
mercio a tem maior, porque a lei lhes conliou po-
deres de maior inqiortancia como sejam as deci-
soes de aggravos e o voto no caso de empate, nos
julgamentos das appcllacocs e outras causas.
Ja se v pois, que por csse lado nao ha superio-
ridade de cathegoria nos presidentes das relacoes
para terem o titulo que alludimos. E de feto
parece urna anomala, nao terem o titulo de conse-
27 de Janeiro de 1853.__ lho os presidentes dos tribunaes de commercio ;!
M. o Imperador manda re-' mas quando nao se qneira encarar o negocio por ]
metter a V. Exc. as inclusas copias dos decretos
ns. 1107 e 1108 de 23 do corrente, pelos quaes
lendo sido annulladas as eleices municipaes a que
se proceder em 7 de setembro prximo passado
na freguezia de Taim do municipio da cidade do
Rio Grande, c na de Santa Maria da Bocea do Mon-
te do municipio de Cachoeira, se manda proceder
a nova eleicao para juizes de pazem cada urna das C6es est no caso de se lhe conferir o titulo de con-
raencionads freguezias : ha por Itera que na con- selho, o que esperamos no nosso digno c llustrado
forimdadc dos niesmos decretos, especa V. Exc. as governo.
la, flele c encerados; aos mesmos.
68 caixas e 26 fardos de algodao; a James Ry-
der & C.
20 barris salitre ; a Mills Latham & C.
50 barris manteiga ; a Aquino Fonscca.
1 caixa fazendas de algodao ; a Johnston Pater
tC.
30 barricas salitre, 18 ditas oleo, 40 ditas enxa-
das, 6 caixas phosphoros, 100 fogareiros, 1 barril
pregos, 12 ditos e 3 caixas ferragens, 8 ditas co-
bre, 2 barris canos de chumbo, 1 dito estanho, 1
dito torcidas de algodao para candieiros, 5 ditos
vidros para ditos; a S. P. Johnston & C.
12 caixas phosphoros \ a Ferreira ti Martins.
20 ditas e 56 fardos fazendas "de algodao, deli-
nho e cobertores de laa; a Phipps Brothers & C.
1 caixa fazendas para solhos, 1. dita camisas de
algodao e 100 barris barrilha ; a ordem.
79 fardos e 44 caixas azendas de algodao e de
linho ; a Adamson Howie & C.
1 sacco amostras a diversos.
Brigue nacional ArroioMallo, vindo do Rio-Gran
este lado, o Sr. desembargador Firmino Antonio de
Souza digno de merecer o titulo de conselho, por,
que ha muitos annos que tem excreido diversosJ de do Sul, consignado a Maia & Espirito Santo, ma-
cargos da magistratura c semprc com honradez, c ni'e.st?u. segrate :
reuindo este predicado altos conhecimentos de
direito. A sua vida publica e particular digna
dos maiores elogios, c por todas estas considera-
precisas ordens aos juizes de paz do quadriennio
lindo, a quera competir a presidencia da mesa pa-
rochial em cada urna daquellas freguezias, para
que, na conforinidade do artigo 60 da lei regula-
mentar das eleices, designem c airaunciem por
editaes o da ei que (leve ter lugar a nova elei-
cao, e a ella proeedam com todas as solemnidades
prescrplas na mesma lei, eumprindo outro sira
Justus.

CORRESPONDENCIAS.
14.200 arrobas de carne, 100 couros de refugo,
153 arrobas de graxa em bexigas, 249 ditas de se-
bo em rama, 16 barris de peixe em salmoura (tai-
nhas); ordem.
Barca portugueza Laura, vinda de Montevideo,
consignada a Thomaz d'Aquino da Fonceca Jnior,
manifestou o seguinte:
4.982 quintaes ( hespanhoes ) de carne de char-
que, 1.600 saceos farello, 50 couros vaceuns sal-
gados e 60 ditos de potro ; ordem.
Barca nacional Hio de Janeiro, vinda do Rio-
Grande do SnC consignada a Baltar & Oliveira,
manifestou o seguinic :
12.953 arrobas de carne de charque, 60 couros,
140 arrobas de graxa em bexigas, 97 % arrobas
e 10 quartolas tou-
65000
500
Recebedorla de rendas internas
geraes de Pernambnco.
Rendimento do dia I a 24. 37:1135923
dem do dia 25......... 2:0905037
39:2035960
Consulado provincial
Rendimento do dia 1 a 24.
dem do dia 25.
68:8855474
7665517
69:6525021
PRAQA DO RECITE
5 DE JULHO DE IMfc.'L
As 3 horas da larde.
Revista semanal.
Cambios........ Saccou-sc sobre Londres
Srs. Redactores. Como Pernambucano, com
as qualidades legaes para eleitor, considerme
que V. Exc. espo tamben) as precisas' ordens, pa-' com algum direito para eraittir aos raeus conci-
ra roe reu.iindo-se as cmaras municipaes transac-, dadaos muha conse.enc.osa opin.ao a respcito da, Xh^\^-lnXm
tas em cada ura dos sobreditos municipios proce- romiida cainpanha cleitoraL que prximamente vai cranos saigauo. a oraun.
dara a nova apuracao geral de veriadores, elimi- agitar-se, as difflceis circumstancias a que se
nados os votos resultantes da eleicao annullada em aclia redimido o nosso paiz, em um verdadeiro re-
cada rana das referidas freguezias, visto nao po- domoinlio, precisando de grandes recursos, c me-
derem ellas mais concorrer para a eleicao de vo-
leadores por se achar j linda a mesma eleicao, c
lia inuilo conhecido o resultado da votacao ein ca-
da rana das outras freguezias, que forinm a maio-
ria dos respectivos iminicipios.
O que tudo coininunico V. Exc. para seu co- -
nheciniento e execucao. salvar do cataclysma imminente, ou alias, como
Deus guarde a V. Em. Francisco Goncalves Ddalo, tirar-nos do actual labyrintho.
Martins.Sr. presidente da provincia de S. Pedro. A provincia de Pernambuco encerra em verda-
1.a seccao.Kio de Janeiro.Ministerio dos ne- de militas iiessoas ce rcadas desse verdadeiro me-
gocios do imperio, em 30 de agosto de 1850.Illm. reciraeuto, mas, sendo assas dir
Sr.Foram presentes a S. M. o Imperador, com os dos seus representantes 1
lhoramentos em todos os ramos da administradlo
publica, cntendo que para a representacao nacio-
nal deverao ser enviados exclusivamente as prin-1
cipaes illustracoes, c caracteres mais distinctos o
eminentes, porque elles c somonte elles por suas
luzcs, e moralidade toda a prova, nos poderao
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PAITA DOS TUECO DOS QHOOMM SIJEITOS A DIREITO DE
EXPORTAQAO. SE>C\NA DE 27 DE JCLHO AO 1." DO
MEZ DE AGOSTO DE 1863.
Mercadorias.
Unidades. Valores.
nho de 1849 para vereadores e juizesNde paz da
freguezia das Ncves: e achando-se provado pelos
dos c desinieressados.
Basta de disseneoes
referidos papis, ter havido perturbacao da tran- prejudicar o progresso real do paiz, arredando as
qulidade publica iros dias 2 c3de junho, vespera pessoas mais habilitadas, que. melhor o poderao Arroz com cas
e cornejo da dita eleicao, dexando de comparecer representar, sob os futeis pretextos de serem uns dem descasca*
231 votantes, numero
tarara cdulas, como se
se terem observado no ;
parochial as disposicoes dos arte. 42, 43 e 95 da
lei regulamentar das eleices, omittindo-se a cele- menos
braeao da rassa do Espirito Santo, a regular divi- desta v
iac
c se nao fr a realisacao do Evangelho de Deus, ao
s-lo-ha do evangelho da razo. E, pois,
ez, era que o nosso idolatrado monarcha se
sao'das turnias e a leitura do tt. i, cap". Io, tit. 2* deliberen appelfar para o voto nacional, procurem-
e 4", haver-sc verificado a discordancia entre as se os individuos de mrito real, onde quer que el-
cedulas rubricadas e os votos apurados no numero les estojara recolhidos, ou em fileiras oppostas, ou
de 137, c que della poderia resultar alterang a no seu modesto retiro.
respeito dos vereadores, pois que era ultimo lugar; Assim a nossa cara provincia apresentara no
entrara um dos tres seguintes em votos, se por- parlamento urna deputacao, que necessariamente
ventura reunisse mais 11 dos que se nao contarara, se tornar por si mesma recomraendavel, se nao
o que se prova da sobredita acta : houve S. M. o constituir a inveja de todo o imperio.
Imperador por bem, por sua imraediata resolucao Abundando nesses puros desejos, animo-me a
de 27 do correule, tomada sobre consulta da sc- lembrar ao corno eleitoral desta provincia os se-
cao do conselho de estado dos negocios do imperio, guutes nomes de alguus cavalleiros mui respeita-
de I i do dito mez, declarar null a referida ele- veis por seus honrosos precedentes, e brilhante
ta raissao de deputados. se por ventura lhes fr
confiada :
1General Jos Ignacio de Abren c Lima.
2Monsenhor Francisco Moniz Tavares.
3eao Joaquim Francisco de Faria.
4Visconde de Camaragibe.
5-Conselhero Francisco Xavier Paes Barrlo.
6Desembargador Anselmo Francisco Peretti.
7Dr. Urbano Sabino Pessoa de Mello.
8-r. Antonio Vicente do Nascimento Feitosa.
10Dr. Flix Peixoto de Brito e Mello.
11-Dr. Felippe Lopes Nctto.
12Dr. Jeronymo Vilella de Castro Tavaros.
13 Dr. Joaquim Pires Machado Portella.
Recite, 25 de julho de 1863.
O Jmparaal.
rao, c ordenar rae se proceda a nova, no dia que posiy*o metal, (rae bem saherao desempenhar a al-
V. Exc. para eslte fim designar, funeconando no
entretanto os vereadores e juizes de paz do qua-
driennio passado. O que tudo communico V.
Exc. para seu conheciinento e execucjio.
Deus guarde V. Exc.Vhxonde de Monte-Ale-
are.Sr. vice-presidente da provincia do Rio de Ja-
neiro.
3.* seccao. Rio de Janeiro.Ministerio dos
negocios do imperio, em 5 de maio de 1862.Illm.
e Sxm. Sr.Tenho presente o officio de V. Exc. n.
20, de 22 de marco ultimo, submettendo decisao
lo governo imperial os seguintes quesitos : Io, se
regular a deliberaeao por V. Exc. tomada, de or-
denar que reassnmisse o exercicio das suas fune-
coes a cmara municipal da Barra da Corda, do
qualriennio passado, por isso que fdra annullada
por aviso dcste ministerio do Io daquellc mez, a elei-
cao de vereadores c juizes de paz feila na parecida
do mesmo nomo, em setembro de 1860 ; 2", se de-
vem ser julgados validos os actos praticados por
estes vereadores e juizes de paz.
t Em resposta declaro V. Exc. o seguinte: Io,
que o governo imperial approva a deliberaeao de
V. Exc, visto que, seguudo a doutrina do aviso n.
540, de 19 de novembro do anno passado, devem
os vereadores e juizes de paz, cuja eleicao annul-
lada, depois de ia terem entrado no exercicio dos
seus cargos, ceder o lugar aos do quadriennio An-
do, que continuarao em exercicio emquanto nao sao
substituidos pelos de nova eleicao a que se proce-
der ; 2o, que devem ser julgados validos os actos
praticados pelos vereadores e juizes de paz, cuja
eleicao foi annullada pelo citado aviso de marco
caada
arroba
ultimo, visto que o foram em boa f, na supposicao
da validade da mesma eleicao, e assim acaba'de
ser decidido em aviso dirigido V. Exc. em data
de 2 do corrente, do conformidade. cora o que foi
expedido ao presiecnte de Goyaz, em 4 de outubro
do anno passado.
t Deus guarde a V. Exc. Jos Ildefonso de
Souza Ramos.Sr. presidente da provincia do Ma-
ranhao.
Aviso do ministerio do tmperio n. 540 de 19 de no-
vembro de 1861.
t (3 parte do| 2.)Em resposta declaro V.
Exc. de accordo com o modo porque at hoje tem
sido executado o citado artigo, que aos presidentes
das provincias compete a attribuic5o nao so de ap-
provar provisoriamente as eleices municipaes,
como tarabem a de aunulla-las : no primeiro caso.
EM PERNAMBUCO.
A directora da Caixa Filial do Banco do Brasil
clespoem logo em etecneao a sua rsoloeao, sub-' I declara aos senhores accionistas que o thesonrerro
Abanos."........ cento
Agurdenle de cana. .... caada
dem restilada ou do reino
dem caxaca.......
cmara temporaria, Idem gencura....... ,
alcool ou espirito de agua-
ardente.....,
Algodao era caroco..... arroba
Mera em rama ou era laa.
sea...... *
descascado ou pilado
Assucar mascavado.....
dem branco........
dem refinado.......
Azcite de araendoim on mendo-
liim.........
dem de coco......-
dem de mamona.....
Batatas alimenticias.....
Bolacha ordinaria, propria para
embarque.......
dem fina....."...
Cafe; bOm.........
dem escolha ou rcstoHio ...
dem torrado....... libra
Caibros......... um
Cal........... arroba
dem branca....... '
Carne secca (xarqne) ....
Carneiros........ um
Carvao vegetal...... arroba
Cavernas de sicupira .' urna
Cera de carnauba em bruto. libra
dem dem em velas ....
Cha.........
Charutos........ cento
Cevados (porcos)...... um
Cocos (seceos)....... cento .
Colla.......... libra
Couros de boi, salgados ...
dem idem seceos espichados.
dem idem verdes.....
dem idem cabra cordos. um
dem idem de onca..... cento
Doces seceos....... libra
dem em gela ou massa.
dem em calda ........
Espanadores grandes..... um
dem pequeos......
Esteiras para forro ou estivas
de navio........ cento
Estopa nacional...... arrgba
Farinha de mandioca..... alqueire
dem de aramia...... arroba
Feijao de qualquer (judlidade.
Freehaes........ um
Fumo em folha, bom .... arroba
dem ordinario ou restolho
dem em rolo bom......
dem ordinario ou restolho
Gallinhas........ urna
Gomma......... arroba
Ipecacuanha (raz)......
Lenha em acbas...... cento
Toros..........
Linhas e esteios....... um
PUBLICARES PEDIDO.
Atalha-se o veneno.
Se o rirus das escrophulas se acha espalhado
pelo systema venoso, a salsa-parrilha de Bristol
rnente quem o pode fcilmente atalhar. Quan-
do a molestia tem zombado dos mdicos e de toda
a materia medica, certo que o grande desinfec-
tante a curar. O mesmo acontece com todas as
molestias ulcerosas e da pelle. 0 cancro por raais
profundo e inveterado, o tumor o mais desfigurado
e fcio, a chaga a mais virulenta e roedora, a erup-
eao a mais rabiosa e extensa, tudo suecumbe sua
dmiravel e balsmica aceito, e o remedio mais
poderoso para as affecc,oes do ligado, desordena sy-
philiticas, e todas as classes de affecedes das glan-
des c dos msculos.
venda em todas as boticas do Brasil.
COMMERCIO.
CAIXA FILIAL
DO
BARCO DO BRASIL
15400
500
500
320
500

560
5*000
18*000
1S200
2,5800
1*800
35100
55000
25000.
15440
15200
15600
45000
85000
85500
75500
320
360
280
500
2550O
35OOO
15600
85000
200
360
15400
25500
155000
45OOO
300
160
230
090
400
105000
15000
320
500
45OOO
25000
165000
15600
35000
55000
15800
55000
165000
105000
75OOO
55OOO
600
25OOO
255000
25OOO
115000
85000
Assucar........
Agurdente------
Couros.........
Bacallio.
Bolachinha......
Carne secca.....
Caf.......
Cerveja.....
a 27
e 27 V8 d. por 15000. Sobre Pa-
rs a 355 rs. por fr., e sobre Lis-
boa de % a 98 por cento depre-
raio; regulando por 27.000
os saques effectuados nesta se-
mana.
Aleodo........O desta provincia, vendeu-se de
b 205000 a 205500 e a ultima do
de Macei foi de 205500 e o da
Parahiba a 225000, posto a bor-
do.
O branco vendeu-sc de 35000 a
35800 por arroba, o somenos de
25600 a 25700, o mascavado
purgado de 15950 a 25200, c o
bruto de 15650 a 15800 por ar-
roba.
Vendeu-se de 68,5000 a 705000
apipa.
Os seceos salgados venderam-se
a 155 rs. a libra.
Arroz..........Opilado da India vendeu-se a
25600 e o do Maranhao a 35200
por arroba.
Azeite doce.....O de Lisboa vendeu-se a 25600
o galao, e o do Estreito a M300.
Hetalhou-se de U5300 a 145000
por barrica, fioaudo em deposito
2,500 ipuintacs.
Batatas.........Venderam-se de 700 a 800 por
arroba
dem a 25000 a barriquinha.
A do Rio-Grande do Sul reta-
lhou-se |de 15800 a 25400 por
arroba, ficando em deposito
112,795 arrobas; temos no porto
um carregaraento de 18,0b ai -
robas,procedeute do Rio da I'rata
que ainda nao abri preco.
Vendeu-sc de 85200 a 85*0 por
arroba.
dem de 45200 a 55600 a duzia
de garrafas, conforme a dade.
Farinha de trigo. A de Philadelphia e franceza re
talhou-se de 135000 a 175000
a barrica, a de Genova, de
a 165000, a de Trieste de 215
a 235OOO; ficando era deposito
6.500 barricas da primeara, 600
d segunda, 200 da terceira e
3,000 da quarla. Tlvemos nes-
nesta semana ura carregamen-
to da America que foi vendido
para descarregar nos portos do
sul, seguindo o mesmo destino
cerca de 4,000 barricas das que
existiara era trra, o que tornou
o nosso deposito reduzido a dez
mil e trezentas barricas.
Dita de mandioca Vendeu-se de 55500 a 65000 a
sacca.
dem de 35000 a 65000 a sacca.
dem de 310 a 3: rs. a botija.
A ingleza ordinaria vendeu-sc de
295 a 300 por cento de premio
sobre a factura.
Manteiga....... A franceza vendeu-se a 500_rs.
a libra, e a ingleza de 680 a 700
rs.; ficando em deposito cerca de
1,000 barris.
Venderam-se a. 55200 a caixa.
dem a 25200 o galao.
dem a 55000 a caixa.
dem 135 a 145000 por arroba.
Os flamcngos venderam-se de
15500 a 15600, havendo falta
dos de primeira qualidade.
Sabao..........O amarello vendeu-se a 120 rs.
a libra, e do Mediterrneo a
240 rs. ; aaa
Toucinho.......O de Lisboa vendeu-se a 85000
por arroba.
Viuagrc........O de Portugal vendeu-se de 1055
a 1155000 a pipa.
Vinhos.........Os de Lisboa venderam-se de
1905 a 2105 a pipa, e os de ou-
tres paizes de 1505000 a 1805-
Velas..........As de composicao venderam-se
de 550 a 560 rs. o masso.
Descontos....... O rebate de lettras regulou de
8 a 10 por cento ao anno.
Fretes......... Para o Canal, carregando na Pa-
rahiba 30 e do algodao para Li-
verpool a Vi por libra.
O lllm. Sr. inspector da Ihesooraria prov*-
clal, em cumplimento da ordem do Exm. Sr. pre-
I05000 sdente da provincia, manda fazer pofcico, qoe m
ot(m, dia 13 de agosto prximo futuro, peraMe a junta
da fazenda, se ha de arrematar a quem por menos
tizer, os rncenos da cadeia da villa de fltrialiiiM
avahados em 2:5965- A arremataco ser teita
na forma da lei provincial n. 343 de 15 de maio
de 1854, c sob as clausulas especiaos abaixo co-
piadas.
_As pessoas que se propozerem essa arremata-
gao, c 0111 paree ara na sala das sesses da mesna
junta no da, e' competentemente habilitadas.
E para constar, se mandou publicar pelo jnill.
Secretaria da tbesouraria provincial de Peraam-
buco, 23 de julho de 1863.O secretario, A. F.m
Annunriariio.
Clausulas esperiaes para a arrematarao.
i.' Os reparos da cadeia da villa de Srinhim,
serao feitos de conformidade com o ornunemo ap-
provado pelo conselho desta directora na impor-
tancia de 2:5965-
2.* O arrematante executar os trabalhos ao
prazo de 5 mezes, dando romeco a elles dentro *
primeiro mez, e ficando su jeito'ao que dispe a le
n. 286.
3.* Xa execucao do servico, o arremataste ob-
servar as prescripc,ocs do engenheiro, firaado
obrigado a desfazer todo o trabalho, que nao le
execu-ado de conformidade cora o orcanwMo.
4.* O pagamento ser cffectuado em tres ore-
tacocs iguaes, correspondendo cada una ulrr
eo da obra feta.
5/ Para tudo o mais que nao estiTer esperinrado
as presentes clausulas, observar-se-ba o que dis-
poe a lei n. 286.
Conforme.A. F. d'Anpunriaro.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fazen-
da desta provincia manda fazer publico que um
marcado o dia 17 de agosto prximo vindnuro para
o concurso que, vista da ordem do tribunal do
thesouro n. 113 de 6 do corrente mez, se tem de
abrir nesta thesouraria para preenchimente das
vagas de praticantes e offlciaes de descarga exis-
tcntas na alfandega desta cidade. Os exames \. r-
saro as materias de que trata o | 1.* doart !
do decreto n. 3,114 de 27 de junho do rormte
anno, a saber : leituraanaly- prammaiical e
orthograhia arithmetica e suas appliearoes ao
commercio, com especialidade a redurcao de moe-
das, pesos c medidas, clenlo de descont, juros
simples e compostos, theoria de cambios e suas ao-
plicacoes. Os concorrentes deverao preriamroM
presentar seus requerimentos instruidos de do-
cumentos que proven dade completa de W an-
nos, isencao de pena e culpa, e bom luinfrrta-
mento.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Perram-
bnco em 21 de julho de 1863. Servindo de uV
cial-maior, Manoel Jos Pinto.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, offkul da *-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commercio desta cidale do Rerfe eapiul da
provincia de Pernambuco e seu termo por Sua
agestado Imperial e Constitucional Sr. D.
Pedro II a quem Dos guarde, etc.
Faco saber pelo presena que no dia 10 de agaa-
io do corrente anno se ha de arrematar pnr veado
a ipicn maia der em praira publica dcste joo, de-
pois da audiencia respetiva, os escravos seguin-
tes: Venancio, pardo, de dade de 18 annos. ava-
hado jwr 1:0005 i Joto, rrioulo, fulo, de idade te
14 annos pouco mais ou menos, avahado tmTtftt
Aguida, crioula, de 20 annos, avahada em 7M5;
Pedro, crioulo, de 50 annos, avahado em 2305 ;
Joaquim, crioulo, de 30 annos, avallado em 6005;
Cosme, crioulo. de 13 annos, avahado em 6005 ;
Anlonio, crioulo, de 30 annos, avahado em 90U5 ;
Sebastiao, crioulo, era 8005 ; Gemente, crioulo, do
40 annos. avahado .-ni 6005 ; Domingos, dc_20 as-
nos, avahado em 6005. Cojos r-.-ravos sao prr-
tencentes a Antonio Goncalves da Suva r tw a
praca por execucao que contra o mesmo move Mel-
lo Lol 4 C, e na falta de licitantes M a arre-
mataco foita pelo preeij da adjudicarlo com o
abatimento respectivo da lei.
E para que o presente chegue ao conheciment
de todos, inandei passar editaes. que seri publi-
cados pela imprensa e aHixados nos lugares do
costme.
Dado e passado nesta cidade do Recife ite Per-
nambuco, aos 22 dias do mez de julho do anno ito
nascmiento de Nosso Senhor Jess Christo de 186.1,
42. da independencia e do imperio do Br.i-d-
F.11 Mano.'! de f.arvalho Paes de Andrad.*, es-
crivao o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
Feijao..........
Genehra........
Lou;a......."...
Massas.........
Oleo de linhaca..
Baas......"
Presuntos.......
QUeijos........
MOYIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 25.
Rio de Janeiro18 dias, barca nacional Rio de Ja-
neiro, de 270 toneladas, capitao Manoel Antonio
de Castro, equipagem 12, carga 14,000 arrobas
de carne ; a Baltar & Oliveira.
Rio de Janeiro18 dias, barca portugueza Lanra,
de 291 tonelada-;, capitao Manoel Joaquim An-
drea, equipagem 13, carga 5,000 quintaes hespa-
nhoes de carne; a Thomaz de Aquino Fonceca
Jnior.
Santa Camarina-23 das, patacho nacional Pole-
ceno, de 198 toneladas, capitao Cypriano Anto-
nio Quadro, equipagem 10, carga 7,000 alqueires
de farinha de mandioca -, a Miguel Jos Alves.
Rio Grande do Sul20 dias, lugre argentino Elisa
Maria, de 124 toneladas; capitao Wendt, equipa-
gem 6, carga 5,000 alqueires de farinha de man-
dioca ; a Amorim Irraao.
Barcelona e Tarragona43 dias, brigue hespanhol
Venturita, de 170 toneladas, capitao G. Mary
Marisiany, equipagem 12, carga vinho e outros
effeitos; a Rabe Schameteau & C
Londres46 dias, galeota hollandeza Pitterdina
Marchina, de 82 toneladas, capitao L Klein, oqui-
DECLilUCOES.
1
Pela thesouraria provincial se a7 publico,
(pie a arremataco dos uparos das ponte* dos le-
raedios na povoacao do Afogados, esi,breorio
Jaboalao na estrada da Escada, foi transferida para
o dia 30 do corrente.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 24 de julho de 1863.-O secretario,
A. F. d Annunciacao.
Na quarta-feira 29 do corrente, fiada a au-
diencia do lllm. Sr. Dr. juiz municipal da 2.* vara
se ha de arrematar urna preta crioula de aoaw
Thereza, avallada pela quantia de 600-3. a qoal vai
praca a rcqiieriiiieuto ilo ti-tanunteiro e mven-
tai ante da finada D. Luiza Ferreira Gomes, eseri-
vao -Motta.
O abaixo assignado, lancador da recebedoria
de rendas internas raes, de conformidade roaa o
artigo .'17 e sen- 55 do decreto di* 17 1860, contina no dia 27 do correte a fazer a
collecta no bairro do Recife as ras seguiutes :
Tanoeiros, Trapiche, praca do Commercio e Viga-
rio, dos impostos a que esto sujeitas as leas o
casas commerciaes e outras de diversas classes e
denominares: avisa aos donos dos respectivos
estabeleciraentos ipie tenhara presentes no acto da
collecta os recibos e papis de anvndamento de
suas casas, visto que elles terao de sstldt de base
ao processo do lancamenm. Recebedoria de Per-
nambuco 25 de julio de 1863.
Jos Theodoro de Sena.
Arrematar*.
No da 1. do prximo mez de asusto se ha do
arrematar depois da audiencia do iflni. Sr. Dr. juiz
municipal da segunda vara, por execucao de Bat
thar & Oliveira. cinco moradas de casos larreas
sitas nesta cidade, pertcncentes a heranca do loado
Jos Fernando da Cruz, sendo 3 na roa Drita o.
41 avahada por 1:7005 ; n. 67 por i: 7005 e n. III
por 1:2005, urna no largo da ribeira de S. Jos o.
23 por 1:5005, e urna na ra de Hortas a 60 por
2:0005.
Arrematarlo.
No dia 28 do corrente depois da
lllm. Sr. Dr. juiz municipal da primeira
de ser arrematada a rasa terrea meia-ag
ra da Ponte Velha n. 35, pelo preco da
cao que de 4805000 rs., por execucao i"
do Ferreira Martins Ribeiro, contra o
de D. Antonia Mara de Castro.Escrivao So-
raiva.
A thesouraria provincial compra para o <
de polica, os objectos seguintes :
500 bornaes de brim.
100 barras de madeira com oes da I
1 guarita de madeira.
A quem convier fazer ditos:
pareca na secretaria da 1
suas propostas em cartas
corrento ao meio dia.
Secretaria da thesouraria proviaeial da!
buco, 23 de julho de 1863. O secretario, X F.
fAnnunciacSo.


%


!



Diarlo de Pernanbnco ftegamda fe Ira ti de JTuIho de 1 SOS.
Manta Casa da Misericordia do
Recite.
A Illm.1 junta administrativa da Santa Casa da
At o fin do corrente mez de julho sogue pa-
ra os porto do norte at o AraaaJJ'por ja ter ma-
tado do seu earretamento a bordo -a barcaca Fin-
de Camaragibe, quem na mesma quizer carregar
seu propnetario na ra da Cadeia do Rocife n. i,
primciro andar.
Para o Porto
segu impreterivelmente no di* 13 do crreme o
brigue portugucz S. Manotl I, .recebe nicamente
passageiros, para os quaes tem excellentes com-
modos : a tratar na ra do Vigario n. 10, coni os
seus consignatarios Manoel Joaquim Ramos e Sil-
va &. Genro.
Para Lisboa
0 veleiro brigue portuguez Laia II, capitao A.
F. Vieira sahira no da 25 do corrente por tor a
maior parte de seu carregamcnto prompto : para
carga o passageiros, trata-se com o consignatario
E. R. Rabello, ra da Cadeia n. 55.____________
Para o Maranho e Para
pretende seguir nestes oito dias, o veleiro e bem
conhecido brigue escuna Joven Arthur, tem a
seu bordo parte.de seu carregamcnto ; para o res-
to que lhe falta, trata-se com os seus consignata-
tarios'Antonio Luiz de Oliveira Azevedo t C, no
seu escriptorio ra da Cruz n. i.
Para o Araeaty.
O biatc Sant'Anna, mestre Antonio Joaquim Al-
ves segu para o Aracaty at o dia 28 do corrente
mez, pode receber anda alguma carga^para o que
se trata na ra da Cadeia n. 57.
LEILOES.
LEILAO
Misericordia do Rocife manda fazer publico que no para quaiqfer dos referidos porto* eutenda-se com
dia 30 do corrente pelas 4 horas da tarde na sala -
de suas sessoes contina a praca das rendas das
casas abaixo declaradas por ienipo de una tres
annos.
Os pretendentes devem comparecer acomiwnha-
dos de seus (laderas ou munidos de cartas destes.
EsUbelecunentos de caridade.
Roa Direita.
N. 4 particular e 33 publico un andar. 505*000
N. 82 particular c o publico tres an-
dares...... ........1:0105000
K. 83 particular e 7 publico tres an-
dares;............. 920*000
Ra do Padre Florano.
N. 6 particular e 47 publico casa terrea. I8ti*000
N. 7 particular e 45 publico casa terrea. 120*000
N. 06 particular e 63 publico casa ter-
rea..... ............ 140*000
N. 90 particular e 13 publico casa ter-
rea. ................ 181*000
Becco da Carvalha.
N. 10 particular e 5 publico casa terrea. 149*000
Ra dos Pescadores.
N. 16 particular e 11 publico casa ter-
rea................. 255*000
Ra da Calcada.
N 17 particular e 30 publico casa ter-
rea................. 174*000
N. 19 particular e 84 publico casa ter-
ca. :............... 149*000
N. 21 particular e 38 publico casa ter-
rea, i............... 150*000
Ra da Viracao.
N. 27 particular e 19 publico casa ter-
rea................. 283*000
Ra de Santa Tlicreza.
N. 31 |>articular e 7 publico casa terrea. 196*000
N. 32 particular e 5 publico casa terrea, 204*000
Ra de Hortas.
N. 29 particular c 41 publico dous anda-
res................. 553*000
Ra da Roda.
K. 35 particular e 3 publico casa terrea. 108*000
N. 36 particular e 5 publico casa torrea. 89*000
N. 37 particular e 7 publico-casa terrea. 112*000
N. 99 particular e 1 publico casa terrea. 120*000
Ra Nova.
K. 46 particular e 48publico umandar. 1:312*000
Ra da Impera! riz.
N. 47 particular e 68 publico casa ter-
reo................ 306*000
Ra da Gloria.
N. 51 particular e 65 publico casa ter-
rea............... 144*000
Ra do Encantamento.
H. 52 particular e 3 publico 3 andaros. 480*000
Ra do Azeite de Peixe,
X. 53 particular e i publico 2 andaros. 600*000
Ra do Amorim.
N. 54 particular e 31 publico um andar. 150*000
Ruada Lapa.
N. 56 particular o 8 publico umandar. 144*000
N. '', particular e 5 publico mu andar. 420*000
Ra do Pilar.
K. 59 particular e 73 pidjlieo casa ter-
rea................. 183*000
Ra de Sao Rom Jess das Crioulas.
N. Clparticular o 8 publico casa terrea. 131*000
Ra da Cruz.
N. 08 particular e 13 publico 3 andaros. 1:200*000
Ra do Nogueira.
N. 62 particular c 17 publico casa ter-
rea................. 260*000
Ra da Cadeia do Rocife.
N. 72 particular e :0 publico 3 andares. 7005000
Boceo da Lama.
N. 75 particular e 30 publico casa ter-
na..... .........' .. .. 91*000
Travessa do C.ircoroiro.
R. 83 particular ell publico casa ter-
na................. 100*000
N.7 paititular e 17 publico casa ter-
rea................. 125*000
Patrimonio re ornlios.
Ra da Madre de Dos.
N. 2i particular e 26 publico dous an-
dares................ 901*000
Becco das Roas.
N. 39.partfculare 18publico dous an- .
dares...... .......... 300*000
Ra da Moeda.
N. M particular e 21 publico casa ter-
rea ................
Ra do Amorim.
DE
400 saceos com milho e 100 caitas com ceblas.
HOJE. *
O agente Pestaa vender por conta do quem
pertencer 100 saceos com excellente milho o mais
novo que ha no mercado e 100 cajxas com ceblas
para fechar factura cm um ou mais lotes: lioje
27 do corrente no armazem do Annes, pelas 10
horas da manbaa.
LEILAO
das dividas da massa fallida de Braz Marcelino do
Sacramento.
Ter^a-fcira 28 do corrente na ra da Cadeia nu-
mero 53, as 11 horas.
O agente Euzebio vender em leilao pelo maior
preco que se achar requerimento do depositario
e atorisacao do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
morcio, as dividas daquella mas-a.
de Manoel de Axovedo Pontos por ^d.*spacho do
llliu. Sr. Di. juiz do coniuiercio e por iutervencao
do agente Pestaa irao leilao as dividas perten-
centes a mesma massa no valor de 132:303*185 rs.
constantes de urna rlacao parte com letras as
quaes se acham em poder do agente para podercm
ser examinadas e est prompto a dar qualquer es.-
plicacao : o leilao tera lugar segunda-feira 3 de
agosto vindouro pelas 10 horas da manbaa na as-
sociacao commercial.
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA.
LEILAO
DE
UM PREDIO.
Terfa-feira 28 do frrente as i\ horas da manba.
O agente Simos Cara leilao no dia e hora cima
mencionados, de um sobrado de 3 andares e sotao
sito na roa da Cruz n. 27, com solo proprio. Os
pretendentes que desejarem informar-sc do referi-
do predio podera-entendor-se com o mesmo agenle
ra do Vigario n. 17, primeiro andar, aonde ter
lugar o dito leilao.
N. 34 particular e 21 publico J andaros.
S .10 particular e 20 publico casa tr-
ro a
231*000
300*000
72*000
Ra do Burgos.
"N. 69 particular e 21 publico casa ter-
rea................ 72*000
Sitio do Parnameirim.
i\'. 1 particular............ 300*000
Secretaria da Sania Casa da Misericordia do Re-
cife 22 de julho de 1863.
O escrivao.
F. A. Cavalcanti- Cousseiro
Tcrca-feira 28 do corrente mez de julho, as
11 horas do dia, se ha do arrematar em praca pu-
blica do Sr. r. juiz de urphos, por arrendamon-
to. a casa terrea n. 73 da ra do Queimado, .ava-
llada por 4005 por auno, pertencente ao erphd
Joiio Rodrigues Lima, e vai praca a requermen-
to do Luiz Moreira da Silva Pinto.
Na audiencia do Dr. juiz municipal da !.
vara, no da 28 do corrente, tem de ir praca por
venda o escravo Luiz, penhorado a Manool Jos do
Oliveira por execucao que contra o mesmo enea-
mi nba Florentino Velloso Cavalcanti de Albuquer-
que pelo cartorio do escrivao Motta.
Directora das obras militares.
A directora das obras militares tendo de man-
dar proceder a nova arremataoao dos cabidos de
que precisa o quartel do aVbatalbao de infamara.
convida as possoasque se quizerem incumbir deste
Borrico a auresentareiii suas propostas nos dias 27
c 28 do corrente mez, das 10 horas ao meio dia,
onde podero receber os eselarecimentos de que
llooossitarotn.
Directora das obras militares de Pernambuco
24 de julho de 1803.Luiz Francisco de Paula de
Albuquerque Maranho, servindo de amanuense.
^*
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos partos do sul esperado
at o dia 30 do corrente o vapor
Apa, conimandante Alcanforado
o nial depois da demora do eos
tuiue seguir para os portos do
norte.
Desde j recobem-se passageiros e engaja-se a
-carga que o vapor poder conduzr, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dinlieiro frete at o da da ,-alida s 2
horas: agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de OliveirarAzevedo & C.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Espera-se dos portos do norte at
o dia 2 de agosto o vapor Cru-
zeiro do Sul, commandante o ca-
pitao de mar e guerra Gervasio
' Mancpbo, o qual depois da demo-
ra do rostume, seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
car"a que o vapor poder conduzr, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinhero a frete at o dia da saluda as 2
horas, agencia ra da Crur n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para em direitiira.
Seguir para o indicado porto com toda a bre-
vidade o bem conhecido hiate Lindo Paquete, ca-
pitao Antonio Mara da Costa e Silva, a chegar do
Maranho a qualquer momento : para o peqneno
resto de carga que I he falta, trata-se com o consig-
natario Antonio de Almeida Gomes, ra da Cruz
m. 23, primeiro andar.
Para Lisboa e Porto.
Pretenfle seguir com muita brevidade o veleiro
bem conhecido brigue portuguez Meti 1, capitao
Antonio (lonoalves da Silva, tem parte de sou car-
regaineato prompto, para o resto que lhe falta e
passageiros para os quaes tem excellentes oommo-
dos trata-se com os seus consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo k C, no seu escriptorio
ra da Cruz n. 1.
DE
Predios.
Um sobrado na ra Imperial n. 64. com 40 pal-
mos de fronte e 180 de fundo, leudo o andar ter-
reo 2 salas, alcova, gabinete com alcova, cosinha,
e um grande salao com 7 quaros; o primeiro
andar tem urna grande sala, 2'alcovas, 1 quarto no
corredor, sala de delraz com 2 camarinhas e urna
grande sala de jantar, cosinha'o um quarto ao la-
do, um grande sotao com boa sala< 3 alebvas e um
quarto, grande cysterna, cacimba, 2 quar-ios fra,
estribara, coxera e um grande quarto para guar-
dar carracas, 2 grandes quintaos tendo um delles
um bello jardim e outro plantado com diversos ps
de sapefizeiros c outros arvoredos, tendo arabos
200 palmos de largura e 140 de fundo.
l'nifl raaa na mosuia ruu u. 66 com duas portas
de frente, duas salas, dous grandes quartos, cosi-
nha e um pequeo quintal.
Um sobrado de 2 andares na ra do Livramento
n. 9, tendo cada andar 2 salas e um quarto.
Terfa-feira 28 do eorreule.
0 agente Almeida far leilao por aulorisacTio da
caiva filial dos predios cima mencionados, na sa-
a d associaco commercial, s 11 horas. _____
DE
2 lialieiras, 5 remos, 6 pecas de cabos noves, 2
lancas e 2 croques.
Teira-feira 28 de julho a urna hora da tarde.
O agente Pinto fara leilao por ordem do Illm.
Sr. cnsul dos Estados-Unidos,-com atorisacao do
Illm. Sr. inspector da alfandego e em presenca de
um empregado da mesma reparticao do todos os
objectos cima mencionados pertencentes aos na-
vios americanos, aprisionados ha Ilha de Fernando,
ists no dia e hora supradito na ra do Trapiche No-
vo em frente ao consulado americano. _______
DE
PREDIOS*
Como sejam ,
EM CHAOS PROPRIOS.
i sobrado de 2 andares da ra estreta do Rosa-
rio n. 24.
1 casa terrea na na do Amorim n. 30.
1 dita dita m pateo do Paraizo n. 31.
i dita dita na ra da Alegra n. 14.
1 dita dita na ra do Mondego n. 69.
1 dita dita na mesma i*a n. -71.
1 dita dita na mesma ra n. 7:i.
1 grande casa terrea assobradada na ra do Mon-
dego n. 16.
1 casa terrea na ra do Mondego n, 7o.
. EM CHAOS FOREIROS.
1 sobrado de dous andares na travessa do Livra-
mento n. 18.
i dito de dous andares na ra das Aguas-v erdes
1 sobrado de um andar na ra de Santa Rita
1 casa terrea na ra decanta Cecilia n. 9.
Quarla-feira 29 de julho.
(A' ra da Cadeia numero 24.)
O agente Pinto legalmente autorisado pelos li-
quidatarios da massa fallida de Jos Antonio Bas-
tos, levar a leilao no dia 29 do corrente mez os
predios supra mencionados pertencentes a mesma
massa, em seu escriptorio ra da Cadeia n. 24, en
trada pelo Becco-Largo.
Principiar s 11 horas em ponte.___________
LEILAO
DE
Urna terga parte do sobrado da
raa Direita n, 79
Quarta-feira 29 de julho.
O agente Pinto far loilo (precedida a compe-
tente carta de atorisacao) de urna terca parte do
sobrado de dous andares e sotao edificado em
chaos proprios na ra Direita n. 79, isto urna
hora da tarde do dia cima em seu escriptorio ra
da Cadeia n. 2 i, entrada pelo Becco Largo.
LEILAO
DB
Cobre novo e velho em obras.
Quarta-feira 31 d corrente as 14 horas da rnaabia.
No Campo Verde u. ti.
O agente Olympio far leilao por mandado do
Illm. Sr. vice-consul da Italia, de urna porgo de
taxos de cobre, 1 alambique de dito, urna porcao
de cobre velho e 1 bah com roupa usada exis-
tente na casa cima mencionada.______________
ij:il\o
Seannda-feira 3 de agesto.
A requerimento dos administradores da vssm
Quarta>feira 5 de agosto proxirao se extra-
hir a ultima parte-da primeira e primeira
da segunda lotera da Santa Casa da Miseri-
cordia.
Os bilhetes e meios hilhetes acham-se
venda na respectiva thesouraria, ra do
Crespo n. i 5, e as casas commissionadas
ra da Imperatriz n. 44, toja' do Sr. Timen-
tel, praca da Independencia n.22, toja do Sr.
Soares Pinheiro, ra Direita n. 3, botica do
Chagas,ruada Cadeian. 45, toja do Sr. Porto
e em Apipucos estabelecimento do Sr. Fran-
cisco M. S. Mendes.
Os premios de 5:000/ at 10$ sero pa-
gos urna hora depois da extraccQ at as 4
horas da tarde, e os outros no dia seguinte,
depois da destribuico das listas..
O thesoareiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
LOTEIU A.
0 thesoureiro das loteras desta provin-
cia, desejando extrahi-las em maior capital
e com menores intervallos, oflereee a vanla-
gem de dous por cento quem comprar
para negocio, na quantiade 100$ para cima;
assim como se propoe a estabelecer corres-
pondencias para qualquer localidade da pro-
vincia, remettendo bilhetes, meios e-listas,
sob flanea idnea; devendo o pagamento
delles ser feito logo que sejam recebidas as
listas c novos bilhetes remettidos. O the-
soureiro certo da conveniencia desse negocio,
convida aos Srs. eommerciantes da Yictoria,
Goianna, Rio Formoso, Nazareth, Serinhem
e mais localidades populosas da provincia, e
mesmo os desta capital, que o quizerem, a
entenderem-se com elle, na thesouraria das
loteras, ra do Crespo n. 15: advertindo
que receber em pagamento e sem descont,
os bilhetes premiados de todas as loteras
da provincia recolhidos thesouraria da fa-
zenda provincial.
Thesouraria das loteras, 20 dejunho de
1803
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
~Pergnnta que nao oliendo.
Pergunta-se ao Pharmaceulico e Encyclopedko
Jurisconsulto, cuixa ou cousa que o vaina, de una
casa commercial, de Pai e Filho, perto da decanta-
da C.....em que legislacao commercial se firma.
para por obstculos aos portadores que tem de re
eeber importancias de ordens nesta casa, tendo at
recusado pagamento, com recibo do proprio dono
do taes ordens; na realidade admiramos urna tal
celebridade, que desejamos sabor se aprendeu taes
licoos na escola do mestre Ignacio; o que limito
duvidaraoscom a resposta voltura
O Mca-nelli'.
Fugio o dia 16 do corrente do engeuho
Piniliibal, o escravo Manoel Baeea, que representa
ler 30 annos de idadiv, boni pruio. altura regular,
nao feio de cara, bem feito de corpo, c ps. Quem
0 v nao suppoe que seja de Angola, parece criou-
lo. J o anuo piando fugio para o eagenhoS.
Caetano na villa do Cabo, dundo voio mandado pelo
Sr. Antonio Randeira de Mello, rondoiro do dito
engenho. provavel que teulia procurado o dito
senhor ou seguido para o sul da provincia. Quem
o apprehender, ou doli der noticias certas, ser
bem recompensado polo abaixo assignado.
Joaquim Calateante de Albuquerque-Mello.
Ouem precisar de alugar nina ana que cozi-
nha o diario de urna casa, o para fazer o serrico
interno da mesma, afianeando a sua conduela, sen*
do jiara casa do pouca familia, dirija-se a ra do
Imperador n. 16, tercoiro andar.
8!
Prec-tsa-se de urna ama d( loite,
mas que tenha, (piando muito at 6
mezes decorridos na criaco.de que
se ache encarregada: na ra estreita
do Rosario n. 31,3 andar, por cima
do armazem de trastes do Sr. Mo-
reira.
COMPTABILIDADE COMMERCIAL
PELO
DR. W1TRUV10 PINTO BAMDEIBA
Professor da segunda cadeira do Curse Comaerdal PertaaAwaM.
Aluga-se a casa terrea da ra Imperial n.
66 : os pretendentes dirijaiu-se Caxa Filial.
Sitio para aluijar.
Aluga-se por preco commodo um sitio com gran-:
de casa, coxeira e estribara no lugar dos Reme-
dios defrontc da igreja ; a tratar na ra da Cadeia
do Recife n. 4.
Pede-se ao Sr. Dr. Jos Mara Moscoio da
Veiga favor de m ra do Queimado n. 9, a
negocio que bastante o interessa.
!e^*!e>K3f
da
W,
__iSS Hicssiigg-iii]
._ Silva Ramos, medico pela Uni-
'ersidade de Combra, d consultas em
sua casa, na ra Nova n. 50, das 8 s 10
horas da manha, e das 4 s 6 da tarde, e
recelie egualmente convites para dentro
ou fra da cdade, com o lm de se encar-
regar de qualquer servico de sua profis-
Os chamados deverao \ir por escripto.
DOIS BELLOS VOLIMES El 8." FRAXCE2
COMKIEHENDEXDO
O primeiroProlecccs Aheorico-pratieas de eoerlpti
racSo mereantil.
O segundoXoc-des de arlthnetica com-
mercial. adaptadas pratiea das operaees oobi-
mereiaes e elemeolos do systemt
mtrico com suas applicacdes
ao commercio.
PREQO DE CADA VOLUME 56.
i'
Duarle Ventura de Maciel, subdito portu-
guoz, rotira-sc para Ruonos-A\res.____________
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 19
da ra Nova, com bastantes commodos para fa-
milia a tratar ra da Cadeia do Recite n. 6,
segundo andar.
Offerece-sc como ama una rapariga moca e
de bons costumes para o servico da czinha em
una casa de pouca familia ou ile um moco soltei-
ro : quem pretender dirija-se a ra de S. Bom Je-
sus das Crioulas n. 14^______________________
Padaria.
Aluga-so um prcto perfeito official de padaria :
na rita Direita n. 54, segundo andar.
Francisco Pereira da Silva Santos participa
a seus credores que est residindo na ra da Casa
de Deteneao n. 7, e podein vir a qualquer hora do
dia apresntar suas contas que serao satisfeitos ;
e tarabem aos seus devedores que venham saldar
suas contas.
Joao Caetano de Abreu, solicitador dos au-
ditorios desta cidade, faz scieute ao publico, com
ospeeiahdade aos seus clientes e amigos que mu-
dou sua residencia para a ra da Praia de Santa
Ritajiova u. 49, onde morou o Sr. Or.Ruarq.ue,
engenheiro da estrada de ferro, onde senipre aclia-
ro, das 6 s 9 da manlia, e das 4 da tarde em
liante.
>::Mmt'.:<~

^^
o
ir
3 -I'.IA ESTIIEIA DO R0S.1RI0-3
Fraiicijoo Piulo Ozorio contina a.col-
tocar deuti-s artificiaos tanto Dinek>de
malas como pela pressio do ar, nao re- ",
Obe paga afgama asn <\w aa obras nao
!ii|iioiu a vontade de seus donos, tem pos
'contras preparacoesas mais acreditadas
para coiisorvaoao da bocea.
AgosUnho Ferreira Catharino, subdito
tuguez retira-se para a Europa tratar
sua saude.
Aviso ao commercio.
Participa-se que a agencia do correio particular
da Parahiba c na ra do Vigario, taberna n. 31!,
deve chegar todas as quintas-l'eiras o sanir no mes-
mo dia as o horas da tanle.__________________
Leopold Wol retira-se d'aqni para Maranho.
Precisarse de um menino de l a 14 annos
para caixeiro de taberna : na ra da Senzala .Nova
numero 9.
Olorece-se um rapaz quem sabe cozinbar :
quem pretender dirija-so a ra da Concordia nu-
nu ro 15.
Antonio Avelino Loite Braga tendo do reti-
rar-se para a Europa no primeiro paquete, previne
! a irinandade do Xossa Sonbora da Conceico dos
Militares que nesta data suspende a flanea que lhe
deu a favor de Manoel Pedro de Castro Lima, oni
: virtudo do que pode a mesma irmandade mandar
1 receber desdeja do annuncianto oqne at boje lhe
estivera devero seu anancado, no caso deseacbar
atrasado nos seus pagamentos, visto querer o an-
nuncianto que a Irmandade sejaembonada nacon-
formdado de sua carta do Banca. Recife, 23 do
1 julho de 1863.
Alteue
Quem precisar de urna pessoa para fazer qual-
quer cobranza, tanto na capital como fra dola,
dirija-se a taberna da roa do Vigario n. 13.
Pergunta ?e
ao incivil Sp. de A..., gra solt de
Walacoffe aoseu med'co assiatente, o
scientifico Dr. Y. L, qual a ri porque
sendo Ss. Ss. lo escrupulosos noexamc
dos gneros que entram para a res-
pectivo A..., chegand osenzelo phari-
sico a ponto de seren recusados g-
neros de Ia qualidade, como acaba de
acontecer com caf ultima mente for-
necido, tileram todava que se esteja
fornecendo farinha de barco por fari-
nha da trra, quando esta fra con-
tratada, e por issi cusa a fazeoda o
duplo de que custaria aquella? llavera
nislo a mais escandalosa prcialidade,
ou ser semelhanle procedimento par-
to da supina ignorancia de to eleva-
das personagens na classifcaco dos
gneros? Decidan...
An revoir.
Teudo-se do pagar o importe de um bilhete
do espectculo da joven Angelina Dotini, precisa-se
saber aonde se deve satisfazer._____________"*"
OtTerece-se urna mulher de bons costufnes
para ana de casa de pouca familia ou hornera sol-
teiro : na ra da Gloria n. 46.________________
Aluga-se a casa da ra das Larangeiras n. 9
cora os commodos seguintes : 3 quartos, 2 salas por
16: a tratar na ra do Livramento n. 29.
RIO DE JANEIRO
CAIXA DEPOSITARA
Este estabelecimento alm das opcracSes banca-
rias que fazera o principal objecto de suas opera-
ees incumbe-se de receber alugueis de predios
urbanos, juros de apolices, dividendos de aecoes
de bancos e companbias, oobranca de letras e or-.
dens a prazo fixo, pondo estas quantias era contas
correntes cora juros ou sacando a favor de seus
o n n ni i tientos. Tarabem se ono arroga da compra
ou venda de apolices e acedes. A commissao da
cobranca dos juros de apolices e dividendos de
aecoes e compra ou venda das mesmas de 1 por
cento o das outras cobranzas de 2 a 3 por cento.
Attenco.
Precisa-se alugar um sitio cercado, em Santo
Amaro ou as mediacoes, que tenha pasto para G
vaccas annualmentc, casa de morada, agua e ar-
voredos de fructa, aflanca-$o o bom tratamenjo, e
se d fiador a contento : a tratar com Frederico
Chaves na ra da Imperatriz n. 19.
Aluga-se o primeiro e terceiro
andar da casa sila na ra da i'raia n.
Ji3, esle com amitos commodos, terra-
co, vista magestosa pan o mar c tr-
ra, canno de escolo etc. a tratar na
mesma no estabelecimento.
Aluga-se tuna boa escrava para todo o ser-
vico de casa e compras, muito liel: igual monte um
escravo para qualquer sorvlco at para carroceiro:
na ra do Imperador n. 50, terceiro andar.
SUH
Attenco.
Na ra do Hospicio n. 15 precisa-se de
una ama do loite que soja sailia.
Festa de SantMnna. erecta na
. matriz de Manto Antonio.
Os encarregados da festa da gloriosa Sant'Anna,
erecta na matriz de Santo Antonio, nao podendo
solenmisar com todo brlhantismo e |>ompa con-
dignos a mesma Senhora em o da 20 do corrente,
por motivos alheios sua vontade, deliberaram
transferir para o proxirao domingo a dita festivi-
dade : os raesmos encarregados podein encareci-
damente aos moradores das ras do Cabug e No-
va, o favor de illuminarem as frentes de suas casas
na noite do mesmo da.
BA\(0 l \ 1 lO
ESTABELECIDO NA CIDADE DO PORTO
Agentes era Pernambuco
Antonio E,niz de Oliveira
% /o vedo & C\
Sacam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa filial cm Lisboa, e agencias era Fi-
gueira, Coimbra, Aveiro, Vizeu, Villa-
Real, Regoa, Vianna de Castello, Guinia-
raes, Barcellos, Lainego, Covilhaa, Braga,
Penaflel, Braganca, Amarante, Angra,
Ilha da Terceira, Ilha de Faias, Ilha da
Madeira, Villa do Conde, Valenca, Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves e Fafe, a
oito dias vista ou ao prazo que se conven-
cionar.no seu escriptorio ra da Cruz
n. 1.
Esta obra, apezar de elementar, vem preenchor una lacuna, que era sentida eire n*
1 onde fallecem escrptos de certas es|)ecialidades cun accesso a todas as intilligenrias ; e a>-
sim o editor pensa fazer um servico dando-lhc publicidade. janto mais quanto boje, qn* as
transacedes commerciaes e industriaos vao entro nos tomando nolavol desenvolvnx-nlo. drT>'
entrar na educacao daqueUes que se querem apphcar a taes ramos da vida o n>nhtviiui
dos principios da coinptabilidado administrativa o commorcial.
Com este iPtuto,,sob urna forma essencialmonte classica, reuniu o Sr. Dr. Wimnla o
principios da cotnptabUidade commercial no que tem ellos de mais eleibealar, e coordeMtu-
os de modo a facilitar o mais possivel o sen estudo s pessoas que se d.siinam s fruft'<
commerciaes, sendo taes a concisao e a clareza postas no desenvolvimenl r.-|-ciivo. iph- \<-
de-se aprender a materia, cbegamlo-se a escripturar os livros |H>r partida^ dobrada e \.di-
car o calculo s ojieracoes do commercio. sem carecer ra intervenoo do um mestre.
O primeiro volume, formulado, sobre a obra de Lortrand, occjta-se mais esperialn nlr>
da oseriptDracao mercantil por partidas dobradas. cujos principios sao desenvoivMoa em lar-
monia com a legislacao brasilera, contendo alm disto um iiii|'riantissiiiin :>\ro
,as sociedades commerciaes em todos os seus movmentos. quer p>;lo 11 lu di i mlpaiii ii.M.
quer pelo da fonnacao, existencia e extinecao deUas etn face da lei. Ne>to appondit-e. ilupli-
cadamentc recommendavol por sua originalidado o pelo cunho do especialmo, has <> r->ni-
mercianle nina guia para sua direeoao. qualquer que soja a forma da sociedade uas contraa.
(Completa esto voliinie-o specimenoQ resumo de nina i'scriptui'aon. llrtoia "' v.-i na
ludo semelhante do urna casa de commercio ordinario, offerecendu nina seria ti*- <>p:r.inoas
successivamente mais dilliceis, que assim inicia gradualmente a inaneira de oscriplnra-las
nos differentes livros de una casa de commercio.
O segundo, egualmente formulado sobre a obra de Kottngor. ocenna-se |>arii<-iil.-irmetitr
da arithmetca commercial com exercicos e problemas |ielo meio mais simples, fcil p brevp
da reara coajnneta, acerca t\e todas as operacw'S pratieas nsnaes no commerrio. onvutvmdo
clculos de cambios de praca praca e por praeas intermedias,bem como neptrim tt lianros
com arbitragons do eambios, alm do deseavolvimento do systoma mtrico em suas retacn
com o commercio, Ilustrado por meio de tabellas de conversad.
O editor nada mais accrescentar estas breve palavras, que asss demonstrara a im-
portancia real desta obra, devida a intelligencia e a appueacSo aecurada do -.11 autor. siao
que ella de ulilidado goral. o que a nonliiim commereiante e mesmo a honv-m algiim delet-
tras licito deixar de jiossui-la em sua estante ; pois. o commercio em suas varadas volu-
coes, entrale aatnalmente com ludo que so liga a vida.
A assgnatura toma-so as livrarias dos Sis. Guimaraes 4 Oliveira. Nogueira de 9nx-
za, Juliao & Pereira e Geraldo H. de Mira, sondo reaUsada sua importancia pola quota de cada
volume ao sabir do prelo, jiara o qual ora entra o primeiro.
O ElliTuR.
NOVO ESTABELECIMENTO DE MEDICINA HOMEOPATHICA
RITA IOVA M 43.
O Dr. Sabino O. L. Pinho muiloit o sen CONSULTOHIO pan aluja .le narmore
ra Nova n. 53, orulc continua a dar consultas todos os/lias uteis tlesile < meio dia at.
2 horas.
Os enfermos, que o procuraren! logo na invasao da molestia, sem fm hijain ao-
iii.-kId qualqner remedio, nem allopalhiro, nem homeopalhico, pagarao netode dos prep
estipulados. Esta coQcssSo bin por lim facilitar a cura de molestias, gne poden i"nr-
se complicadas pelos emprego intempestivo da therapeatka e ao mesmo lempo ail>|uirr
para a Qomeopttbia maior numero de adeptos pela bteza da cura.
Em atiendo as pessoas pobres, que nao podem sal ir de da, o Dr. Intoo resol-
ven dar duss consultas por semanas as tercas e sextes-feiras las seis as MM b r*s fl.t
lioito.
Os chamados para visites e conferencias devem ser dirjgidos por escripte ao con-
sultorio desde 8 horas do dia at H da noite, na certeza de que sero attendidns na onleai
de sua precedencia, salva a circomstancia d eminente perico. *
Al>* i:hi lv\C IA.
O novo consultorio est prvido dos melhorcs medicamentos, desde a priawni
at a trigsima djroamjnjsado,
E como os mdicos bespannes e allemes nao cessam de certificar a major efti-
cacia das ultissihias dynaininisacoes do tratamento das molestias ebronicas,^) Or. Sabino *e
oceupa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais altas ( por ora M K).' ).
alitn de verificar por si mesmo a torca dynamica, que se lhe attribue.
Os mdicos, que quizerem experimentar taes d.vnaminisacoes dMMMfll Arifr ae
consultorio suas receitas, que sero aviadas gratuitamente para os pobres.
No mesmo consultorio se vende a novissima edicSo do Thesouro hotwopaikiof
ou Vademcum o homeopatha, obra indispensawl a dos que querem usar da bni -
patina.
Tudo o que diz respeito nova medicina se acha abundantemente neste novo MMaM-
ecimento.
. ...... VI
INTERNATO
DE
O abaixo assignado em beneficio de seus crc-
' dores vendeu ao Sr. Florentino de Almeida Pinto
o estabelecimento de molliados da ra larga do
Rosario u. 17, onde contina at que posSa rece-
ber as dividas pertencontes ao mesmo ostabeloci-
mento para acabar de pagar aos mesmos senhores.
Jos Joaquim da Costa Maciel,
i _________________
0 abaixo assignado, testamentero do falleci-
i do Fortunata Qardoso de Gouveia, roga aos deve-
dores do mesmo fallecido que por favor paguem
seus dbitos com a maior presteza aflm de e\itar
incommodos e maiores despezas: dirij.tm-se a ra
da Cruz do Rocife a. 60, e a ruado Imperador nu-
mero 81.
i Joaquim Lopes de Almeida.
ESTABELECIDO NA CIDADE DO RECIFE
Director0 bacharel em inathemalicas
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O director do intermito do S. Bernardo, accodondo aos podidos de varios paai Mi
respectivos collegiaes, e de outras i>essoas desta capital, removeu o sou estabcleciineulo
da Capunga para esta cidade.
Nao tendo evitado esforcos nem sacrificios para proporcionar aos *-us alumno
una perfeita educacao physica, moral, intellectual e religiosa, offerecndo-lhes nina lia-
liitacao com bastantes oondiejesde salubridade, habato prufossores que sao solicitt oni
prepara-los convenientemente ao fim que se dostinam. medico pratico que Ibes faca
comprehender os preceitos da hvgiene e Ibes curo das doeneas. o iiiialnx'nt<- um -a.oi
dote Ilustrado e honesto que Ihcs explique os principios da religiao clirista. espera qiif
o nao deixar o seu estabelecimento de merecer dos Srs. paesde h
assim constituido nao
e llios roga. Ufii con
lias o auxilio e conliauca com que j alguns o tem honrado; a
todas as pessoas interessadas, que se dignem de visitar o mesmo sou estabekrinient
onde sempre encontrarao franco ingresso.
O collegio tem a sua sede no espacoso edificio n. 32 ra da Aurora, contiguo ao
do collegio dos orphaos. ...
Nos estatutos do collegio, que estao disposieao de quem ou quizer ler. se acham
consignadas as condifoes. de entrada e matricula as diversas aulas do estabeleei-
mento.

Claudio Dubcux, proprielario
das linbas de mnibus faz
sciente a quem convier que do
I de agosto at o lim de outu-
bro prximo vindouro o mni-
bus de Jaboatao s far 3 via-
gens por semana, sahindo do Recife as tercas-fei-
ras, quintas e sabbados as 4 1|4 horas da tarde, e
voltando de Jaboatao as segundas, quartas e sex-
tas as 6 1)2 horas da manbaa.
PARA TODOS.
Previne-se a quem comprar predios no bairro
da Boa-Vista que primeramente especule saber
se sao foreiros nao obstante as escripturas dos
mesmos declararem,pois que muitas duvidas se tem
encontrado (por especulacao a diminuta quantia
que paga de laudemio) e se duvidarem que taes
casos se tem dado procurem os propietarios do
vinculo de Nossa Senhora da Conceico dos Co-
queiros que as pro vara. Bem como pede-se aos
Srs. leiloeiros que quando tcnliam de fazer leilao
de predios declaren! se sao foreiros e a quem, co-
mo se acham j annunciado os predios n- 47 da,
ra do Rosario da Boa-Vista, 53 da ra da Impe-:
ratriz c 67 da mesma que sao foreiras ao meu ca-1
sal. Lembrando-se smente que a provisao de 30
de novembro de 1830 anda est em seu inteiro vi- j
gor como tambem pede-se aos Srs. tabellaes que
sejam minuciosos quando tenham de passar es-
cripturas. Como tambem declara que os engenhos
Queimadaa e Jundahy da comarca do Rio Formo-'
so sao foreiros ao seu casal.
Josepha Maria dos Prazeres e Silva.
lORAT HUAOS
Prafa lio Cwpo Santo m. 17, primeiro amim.
Xorat Irracs avisa ae ceri# de
commercio que nada dom lesta Bra-
ca, e quem se julgar sei eretler, cem-
pareca com seos titiles qae ser >m-
mediatamente pago. Avisaas ifialMes-
te a todos es seus devedtres
prazo de $ dias venham gar-lies *
contrario sero demandadas jidicial-
mcute.
aques sobre Port
O abaixo assignado, agenle fl
mercantil Portuense nesta cidade, saca f
fectivamente por todos os paquetea sor
o mesmo banco para o Portee Lisboa, par
qualquer somina, viata e a praxo, po-
dendo logo os saques a praao seren des-
contados no momio baaeoy na razati 4
por cento aoaimo aos portador.- qae aa-
sini lhe convier: na raa do Crespo a.
8 ou do Imperador n. $1.
Joaquim da Silva Catara.
ataa Baaaaa aajpMMi "
sBSmWKSBt ai^aaa
Roga-se ao senhor que mandou fazer um ^* "
selllm na ra Direita n. 51. que tenha a,bondade 4UW4e Uffia casa terfta M na
de, no praso de 8 das, a contar da data deste, o ir i '"e'^. .-..-_ .;i.j. ^,
buscar assim como levar o que levou para se sor-; \ clUa D. Zi, CiaCrtaia e ailtaaa te
vir em quanto aque.lle seapromptava, do contrario i _.... iraiar a| rQ. d* Sfkf I. 14
passaro mesmo a ser Tendido para pagamento. I a wawr ra" v9 "* "


Dtafl* de Pirnambnco Segnnda tetra 21 de Julho de I83.


NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
A. W. Osborne retratista americano na ra
do Imperador parteeipa ao respeitavel publi-
co que elle acaba de receber dos Estados-Uni-
dos o novo e valioso processo da photogra-
phiaha pouco descoberto nos Estados-Unidos,
sendo este novo systema superior a ludo
quanto at e presente se tem descoberto;
sendo o aflneneiante o nico cm todo o impe-
rio do 'Brssil, que possue o dito systema
photographico. O Sr. Osbornepdc apresen-
tar as mais bellas pinturas sobre o papel
debao f ura estylo nunca experimentado
nem conhecido at boje neste paiz, os precos
dos cartHes-sero os mesmos; A. W- Osbor-
ne na roa do Imperador; olhem para a ban-
deira americana.
NB. % sala onde est rollocada a clara boia
fei a pouco toda retificaila de novo, c adia-
se coin espaco sufliciente para aeommodar
qualqccr familia por mais numerosa que seja.
Aluga-se a luja do sobrado sito na roa Nova
n. 37 a tratar coin Amaro (loncalves dos Santos,
no Passcio publico, ou na ra Nova n. 33, luja de
ferraeos.
Contina a haver pao tas c sabbados de cada semana, na nadara, cm
Santo Amaro, ao pe da fuiulieao, e na rna da Im-
peratriz n. 22, ra do liruui, Confronte ao chafariz
- n. 47, e ra do Rosario larga deposito n. 36.
o ii. 29.
Nova luja dos barataros, ra do Queimado.
f.hias francezas milito linas, rovado a 300,
320 e 360; balos de panno, a 35500; fustao de
cores, covado a 320; eassas francezas fazenda
limito lina, a >00 rete a vara.; canibraia lisa de 10
jardas, a 3h>00 ; dita lina, peca de 20 jardas, a
82000; las muito finas para vestido, covado a
500.___________________________________
Ao n. 29.
Nora loja dos barateiros, ra do Quemado.
Paletots de alpaca mesclada, a 4-5000; camisas
inglesas a 1GOO; brim lona de linho, vara a 640;
grvalas de sefli Superior, a 300 res; ricas abo-
lladuras para colcte, a .r>00.
Ao n. 29.
JVora loja dos barateiros, ra do Queimado.
Note Bstebelecimento vendem-se os artgos se-
guinles por menos do metade do sen valor : franja
ile algodao branca peca de 43 varas, a 1G00;
bicos prctos de linho, vara a 120, 160, 240 e 320;
botoes de veludo, de seda e de fustao, duzia 120
reis; rendas finas peca de 10 varas, a 500 ;^ en-
ircmcios muito largos e muito linos, peca a 45300;
touquinhas de vidrilho para criancas, a 300 reis.
' __& y>", VL" >__'v'xy ****__?
- -.- v. v : v.-K-i'.J.:
*
ALVICARAS A NOVJDADE.
. Sao ebegados loja das columnas
na ra do Crespo n. 13 de Antonio
Correa de Vasconsellos & C. riqu-
simos cortes de laa muito fina o mi
barras estampadas e niatisadas i Em-
peratriz Eugenia, cores as mais deli-
cadas como sejam: cor de ganga, de
lyrio, cinza etc., fazenda fnteirainen-
te nova e nunca vista cm Pernam-
buco.
Ai'


V,
-!.
:r
Alngam-se a loja do sobrado n. 193 e armasen]
n. 171 da ra Imperial, o armazcm n. 4 da ra do
Apollo, e a casa n. 27 da roa do Burgos: na ra
'a Aurora n. 30.__________________________
Deseja-se muito fallar coin os Sis.:
Manee) de Souza Leao Jnior.
Horacio de Souza Leao.
Joao da Silva Santos (empregado na estrada de
ierro.)
Jos Antonio Lopes Jnior (do Rio-Formoso.)
lia ra do Crespo n. 17, loja. ________
Aluga-se um sitio na Capnnga Velha, coni
boa casa de vivenda, cocheira, estribara e quartos
para pelos : a tratar na ra Nova n. 3, ou na ra
da Palman. 41.
CASA DE SALDE
lu Santo Amaro
Do Dr. Silva Ramos.
l'nico estaljeleciinento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo
que pode coin todo o couimodo e zelo tra-
tar qualquer doente, eme nella seja rero-
lhido.
(l edificio magestoso e conserva-se
em |H.-i feito estado de limpeza e conve-
nientemente mobiliado.
Os doentes sao separados, segundo os
sexos, catureza das molestias c eondieC.es
sociaes.
Ha (Hartos fortificados pan os aliena-
dos, e -una enfermara para as partu-
rientes.
O propietario encarrega-se de qual-
quer operacao.
O estabelecimento franqueado qual-
quer pessua que o queira visitar.
Primeira classe 35000diarios.
Segunda dita.... 2300 >
Tercena difa.... 2000
Para que quajquer doente seja al rece-
bido, basta que e mande onome do doen-
te e da pessoa que o remelle, com a de-
. clara^ao da morada.
O proprietario. aceita contratos annuaes
n ni qualquer que queira ter um ou mais
letos sua disposicao.

m
Alugam-se
Dous arraasens pequeo* na travessa da Sanzal-
la Velha, irir detrs da kja n. 50 da ra da Ca-
deia, omito prximos aJfandega e ao caes do
Apollo, e (tfr isso proprios para qualquer fim e
servirn pata um s por terem communicacao;
i ater na sojkedita loja com Cunlia c Silva.
AUeico.
'Rejra-se ao Sr Antonio Jos da Cucha Cu maraes
deve .na loja da aurora na ra larga do Rosario n.
38, dlnbeiro que pedio emprestado por -das, e das
foram esses que j est fazendo quatre annos e
anda nao acha temp* para satisfazer o pedido.
ftoga-se ao -Sr. Jos Gomes, morador na roa
da Gloria, q*3 tenha a bondade pagar a oonta
i/ue dere na loja da aurora da ra larga do Rosa-
rio n. 38, pois j tem pascado alguns annos que
aleve esta.quantia ridicula.
PHOTOGRAP1IIA ARTSTICA
25 R TJA NO VA 25
ESQUIN4 D4 Rl'V DA CANB04 DO CVRUO
Trabalham seja qual for o lempo.
TODO OS iI .IN,
ANDA MESMO DAS SANTOS OU DOMINGOS.
Os artistas EVGENIO & MAURICIO, vendo-te cercados de grande conatr-
reitcia, apenas retallados os aprestos de sita officina, tuto poderam evitar eme-
lar tem trabalhos antes das convenientes experiencias, afirn de seren comple-
tos os seas retratos, e tiveram de cntreija-los ou muito escuros ou muito
clavos.
Reconheeendo, pnri'm, agora o mal que semel/iantes faltas pudem
traser para eeu estabelecimonto, acaban de operar grandes mkdancas, pa a
(tte a claridade seja bem dividida e saiaiu os retratos nao s completas QtttBfO
OM trajas das pessaas retratadas, como tambem pureza dos traeos do
relo e maos.
Tendo recebido de Pars, pelo ultimo vapor, novos objectos para retra-
tos, n en luana duvida Utos resta de que podem faze-los sem di/ferenra alguma jj
jS| ths que preparavam em Pars. ,\;
Desejando que todas as pessoas, que se tem dignado concorrer sea =
estabeleci ment, fiquem satisfeitas, rogam-lhes de ali vollar por alguns mi-
nutos, para que urna nova experiencia lites prove a verdade que avanram,
e assim patentearem clles ao pttblico que se seas retratos eram outr'ora
watts, era isso s decido causas eslranhas sua vontade.
\. 2. RA XOVA 5.
CUgraphia.
O cagrapho Mendonca Belm offerece o seu
presumo nao smente para dar licoes em casas
particulares, como para copiar papis etc. O tnes-
mo se offerece tambem para dar lices" de gram-
niatica portugueza, arithmetica, principios de geo-
grapha c geometra : a tratar na ra Velha n. 93.
Aluguel de casa.
Prccsa-se alugar um sobrado de um andar e
sotao que tenha commodos para nao pequea fa-
milia, c qne seja situado no balrro da Boa-Vista,
ou niesmo no de Santo Antonio, e com quintal;
nao se fluvdando dar um semestre adiantado de
aluguel quem o tiver, dirjanse ao principio da
ra do Hospicio, sobrado de um andar com portao
de ferro ao lado.
Os senhores credores da massa fallida de
Camargo & Silva, sao convidados pelo presente pa-
ra apresentarem seus ttulos de divida aos admi-
nistradores da predita massa, na conformidade do
disposto no artigo 839 do cdigo commercial, para
em seguida se proceder o rateio.
rtgKgf
Gabinete medlco-ciriirgico
(lina do Soc n. 28 (lllia dos Ralos) pro\i-<
mo ponte de Santa Isabel.
O Dr. Joao Maria Seve, medico parteiro
e operador contina no exercicio de sua
profissio, jempre prompto a qualquer
chamado.
RcccIjc cm sua casa escravos c criados
doentes de ambos os sexos e tambem ma-
rojos, para o que tem preparado conve-
nientes accoinmodacoes, garantindo-lhes o
nielhor (ratamente, pelo preco de 23 dia-
rios, salvo operacoes que serao previa-
Bfl mente ajustadas.
Alup;a-se urna canoa nova* para o trafi-
co de capim ou para familia; por preco com-
modo, e tambem se vende: a tratar nos Afo-
gados com Candido Theotonio da Cmara.
liento Jos de Miranda faz sciontc ao publico
c a seus freguezes, que condnzio todos os seus go-
neros que existim no seu deposito da ra do Ac-
crim n. 1, para a sua padaria em Santo Amaro,
na travessa do Lima n. 7, isto desde o da lo de
julho de 1863, por lhe ser prejudicial continuar
coin aquel le deposito. ______________ _
NADAn,LEO ni:FI(J/il)9i,. B \C. \LII \(>
XAROPE DE RBANO IODADO
Segundo os altestados dos mdicos dos hospitaes de Parz, consignados no Prospecto, e a approvacao
de varios Acadmicos, este Xarope emprega-se com omaior snecesso, em lugar do OLEO DE FIGADO DE
BACALBAO, aoqual elle realmente superior. Cura as molestias de peito, as escrfulas, o lvmphatismo, a
pallidez e mollcza das carnes, as perdas d' appelite, e regenera a constituic.o purificando o sangue. Em
summa o mais poderoso depurativo conhecido. Elle nunca canc.a o estmago ou os intestinos como o
loduro de potassium e o ioduro de ferro; e administra-se com a maior eOlcacidade aos meninos sujeitos
aos humores ou ao entupimento das glndulas. 0 Doutor caienntr, do hospital de San' Luir de Pars,
o rccommendad'um modo inteiraniente particular as molestias da pelle, conjunctamente com as pilmas
que teem seu nome.
Depsito geral: em Pars, en casa de MM. r.riinanit e C, pharmacenticos, 7, ra de la Feuillade ;
em Lisboa, en casa de Rodrigo dn costa-Carvalbo; no Porto, en casa de Miguel Jos de soum-
rerrelra; em o Rio-de-Janeiro, vlava Pelxota e Dlnla, ra do SabSo, 11; em Baha, en casa de
Jonc-cai-tuno Ferrelra-Eaalnhelra; em Jtto-Crande, en casa de Joaqun de Godoy em Mara-
ado, en casa de Ferrelra e C"; em Pernambuco, shoum e C, ra da Crui, 22 j Sansa, e as principaes
pharmacias do Urazil.
Roga-sc aos senhores que devem na loja de
selleiro da ra Direita n. al se dignem mandar ou
, virc/n pagar se nao querem ter o desgosto de ve
rcm os seus nomes por extenso nesta folln, isto
porm no praso de 30 dias, a contar da data deste.
Preeisa-se de um menino de 12 a 14 annos :
na taberna da ra das Cruzes n. 21.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caors ABarboza.
MADAMA VIIIVA
MTE
Attcngdo
O abaixo assignado convida a pessoa que quizer
interessar em um barco que se tem de empregar
na pesca cm alto mar, cujo j se acha em.metade
do trahalho e despeza; e como o abaixo assignado
niio pode s pdr em andamento esta empieza, por
isso convida alguma pessoa para entrar na mca-
cao do dito barco ; elle 6 de 20 toneladas e para
pescar 8 a 10 pessoas, construido com as melhores
madeiras: as pessoas que quizerem ajudar a em-
preza do artista, pode dirigir-se a rna dova de
Santa Rita para ver o barco e contratar o negocio.
Jos Elias Machado Freir.
HIA DA IMPERATRIZ N. 7.
Tem a honra de participar aos seus numerosos freguezes e ao respcitayel publico desta capital
assim como das provincias, qne acaba de receber pelo paquete framvz Xacarre um completo e muito
vanado sorliniento de objectos para presente, assim como rceebeu tambem ricos leques e ricos pentes
quer de alar cabello qner de alisar e tirar bichos ; namesma casa encontrar o raspeitavel pnknco to-
das e qnaesqner perfumaras dos mais afamados perfumistas de Paris, e agua para tingir cabelli-.
Lavas de pellica de Jbavin.
Xa mesma casa contimi-se a cortar e frisar cabellos pelo preco de 300 rs., e faz-se toda especie
de cabelleira.
Offerecc-se urna pessoa para criar meninos
tanto de leite como sem elle, impedido ou desem
pedido, por commodo preco, afiancando'se o bom
tralamcnto.______________________________
Aluga-se urna casa com sitio na estrada do
Jacobina (Capungai, muito fresca e pintada de no-
vo, coto terraco e jardim nos lados, banheiro, dous
quartos fra. coxeira, cstri baria e galinheiro, para
ser vista estao as chaves na casa junta em o sitio
do Sr. Joao Haptisla, e (rata-sc sobre o aluguel na
ra do Pilar em Fora de Portas no segundo andar
do primeiro sobrado do lado direto logo depois de
passado o arsenal de marinha.________________
Aluga-se o primeiro andar da casa da ra
do Amorim n. 15": a tratar na praca da Indepcn-
i deneia n. 22, ou na ra do Codorniz, taberna do
Sr. Fontes.______________________________
Aluga-se una excellente osrrava crioula de
18 annos de idade, boa conducta, a qual sabe fa-
zer todo servieo de urna casa interno c externo :
na ra dos Pires n. 51.
.v

** V V
AURORA
i, U
LARGO DA

V
sZAtZs^AS.stz.-.e.'
.;. .?. .; .;. ..;. .j.
"^ BRILHANTE-
I, U
SANTA CRUZ.
COMPRAS.
O grande armazem da Aurora Briihanle contina a vender os melhores e
mais novos gneros viudos ao mercado, por presos baratissimos.
Coinpram-se garrafas e botijas de genebra
vasias: na ra das Cruzes n. 31 A, taberna da
porta larga.______________________________
Compra-sc urna taberna qne tenha pouco
fundo, ou s a armacao : quem tiver annuncic.
*
%
A
Manteiga ingleza flor, libra. 800
Dita dita mais baixa, libra 010 0
Dila bollandeza e barris pequeos
libra 040 e.......
$ Dita em barris e meios, franceza
M e ingleza, de 000 a. ... 700
?M Dita franceza nova, a. 040
Cha hyssom, o melhor que tem
viudo ao mercado, a libra. 320O
Dito verde muito superior. 35000
, Dito miudinho, a libra 2fl800
M Dito graudo, a libra .... 2^00
m Dito mais baixo, a 2,? a libra e 2i00
m Dito estrelinhas do Rio, a libra
i$oO e......." l^GOO
Dito preto muito superior, a li-
bra I 500, l800e 2tS000
Toucinho de Lisboa muito novo,
M arroba 9^000 e libra. 320
5k Presumios, inglezes para fiambre,
m muito novos, a libra.....800
| Dito de lamego, a libra .... 500
|H Chouricas e salpicoes, os mais
novos possiveis, a libra. 500
Mostarda franceza em frascos de
vidro........500
Consenas inglezas e francezas,
em fiascos, a. .... 800
Marmelaila muito nova dos me-
lhores concerveiros de Lisboa a 720
Massa de tomate, a libra 040 e 720
Saccas grandes com milho 0^500,
farinha 0)5500, farelo 4/500,
arroz de casca a 48 e. 5,$000
Latas com bolachinhas de soda e
outras ijualidades novas 1/500
Ditas de ameixas com 2,4 e 8 li-
bras, a 1*5500, 2)5000 e 4?500
Ditas com'figos de comadre, pro-
priaspra mimos, de 4 libras 1/500
Ditas com peixe preparado do
melhor gosto, a.....lf>300
Ditas com sardinhas de Nantes,
a 320 e ...... 300
Ditas com fructas de Lisboa em
calda, a.......040
Vinhos genuinos engarrafados no
Porto, de I 500 a .... 2(5000
Prccisa-se comprar
, urna parelha de bons cavallos que andem bem em
; carro, brancos ou pretos e de bonita figura, c que
nao tenham mais que 6 annos : dii ija-se ao Sr.
Thomaz Payne na cocheira da ra da Gua no Re-
cife n. 1.
Compra-se effectivamente onro e prata em
!, obras velhas : na praca da Independencia n. 22 lo-
ja de bilhetes.
YENDAS.
Alm dos gneros annunciados, ha urna grande quantidade de gneros todos
Hl (la melhor qualidade e vende-se barato,
\$ ^ -j/ .
aMQM|MQM| M|CMni|
DENTISTA DE PARS I
19Ra Nova-19
Frederico Gautier, crurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca denles artiticiaes, (udo com superio-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentifico.
Calcado francez, na loja do vapor, roa
Nm a n. 7.
digno de attencao os novos sorti-
mentos de calcado" francez, chegado
dita loja, e rai especialmente as mo-
dernas botinas com differentes e novos
enfeites para senhoras e meninas.
9
4
-i
H >
> SU
s
Roga-se a urna pessoa qie no mez de junho
l-vou dous livros de amostras ds bicos que at boje
2i de julho de 1863 anda nao soube mandar lva-
los loja da aurora n. 38, o qual me tem causado
algn) transtorno por clles etarem este tempo
todo fra da loja.
Urna riota moga offerece-se para ama de
casa de familia, ou mesmo para rapaz eolteiro: na
ra dos Martyrios o, Vt.______________
Salomao Messias. subdito francez, vai ao nor-
te desta provincia, i
Ao publico.
Prevne-se a quem interessar possa que a parte
que o Sr. Joao de Camino Paes de Andrade pos-
sue no engenho Ucha freguezia dos Afogados, est
sugeita a pagamento de urna divida privilegiada,
nao podendo por isso ser alienada pelo mesmo se-
nsor em quanto nao fr paga aquella divida.
-^"Preisa-sc de 7:000fi a premio, dando-se por
garanta hypotheca em tuna propriedado : quem
tiver e quteer dar annuncie, declarando a pessoa e
o lugar em que se deve procurar para tratar-se.
Aluga-se o segunda andar do sobrado da ra
da Scnzala Nova n. 42, com sl,es commodos
| para familia : a tratar na megma, ______
" Precisa-se de urna ama qne tenha Zom leite'
I mas wpi fflM:. a ra Imperial n. m.
Por certos motivos convem-mc declarar, que
ha muito estam promptos os manuscriptos do 4." e
o. tomos (mais vohunosos que os. antecedentes)
das biographias de alguns poetas e outros homens
Ilustres da provincia de Pernambuco, e que tenho
cm andamento a composicao do 6." tomo; todos
repletos de documentos inditos interessantssimo
cathegoria e honra da provincia. Conten os ditos
4." e 5. tomos as biographias do Dr. Jos da Nati-
vdade Saldanha, Gervasio Pires Ferreira, Agosti-
nho Rarbalho Bezerra," o baro de Goianna Jos
Correia Picaneo, Joaquim Jernimo Serpa, Joao do
Reg Barros, o brigadero Joaquim Ignacio de Li-
ma, e Luiz Alves Pinte sendo a de Gervasio pe-
los ai-i nilitinentos polticos ainplaueute narrados,
provados e analysados, e seus respectivos docu-
mentos, a de maior interesse sobre todas.
Antonio Joaquim de Mello.
. Attencao.
A socicdade'Cassino Popular tomou a resolucao
definitiva de nao dar mais bailes pblicos nos sa-
ldes do palacete da ra da Praia, e sendo aquellcs
saloes os mais vastos que existem na provincia, e
por conseguinte os que mais vantagens offerecem
para partidas, sociedades de danca, saraos, concer-
tes, c finalmente para grandes reunioes, alugam-
se simplesmente, ou adornados conforme o ajuste
que se fizer, o qual ser o mais mdico possivel : a
tratar na ra cstreita do Rosario n. 7, das 9 s 4
horas da tarde.
Arrenda-se o engenho H.
cactano sito na comarca do Ca-
bo, tena esta proprledade excel-
lentes trras para plantaco de
aunas, rocas etc., moldo por
agua e dista da estaeio da va
frrea apenas mela legua: quem
o pretender, dlrIja-se casa do
fallecido commendador Lnl Jo-
mes Fesrelra, no Mondego.
ZAHORA.
DRAMA HISTRICO PELO DR. THEBERGE, NO
QUAL NAO INTERVEN PERSONAGEM
FEMENINA.
Na ra Nova n. 11 vende-se a l)?ooo o
exemplar. -
FAZENDAS BARATAS
NA
\ova loja de Custodio, Curvadlo
fc Companhia.
27Ra do Queimado27
Para vestido a 260 rs.
Fustao fino francez para vestido de senhora e
meuinas a 260 rs. cada covado.
Carabraia.
Cambraa organdys muito lina a 2W rs. o co-
vado.
Calciuhas
para senhora e meninas, pelo barato prego de
25200.
Coberlas
de chita cbineza a 2000.
Golinhas
de linho para senhora a 600, 800 e 1$.
Lences
Leuces de panno de linho finos a __
Camisinhas
para senhora, sendo de cambraia a 2-
Pannos
Pannos adamascados para mesa a li&oOO.
Lia.
Laazinhas matizadas muito finas para vestido a
440 rs. o covado.
Vestuarios.
Vestuarios para meninas, muito lindos, a 3#00.
Cambraia
de linho fina a '6$ a vara.
Para lulo.
La preta fina, propria para luto, a 500 rs. o co-
vado.
Madapolo
Madapolao fino enfestdo, peca a 8, tendo 20
varas.________________________
Sellins inglezes
chegados casa de Izidoro, Netto & C, ra da
Cruzn. 2.
Vendem-se duas casas terreas a troco do ba-
rato na ra Imperial n. 36 e 58: a iratar na mes-
ma ra n. 62.
INJECCAO BROW.
Remedio infallvel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico depoaito na bo-
tica fraDewa, ra da Cruz n, ii, pre-
co 3*.
RETRATOS
DO ARTISTA
vmrm mim
Nilidamente ljlograpbados em Paris, viados pelo
pique te Nivirre.
Preco de cada retrato 19500.
Vende-se na loja de livros ao pe do arco de San-
to Antonio.
Potassa da Rnssia.
Acaba de chegar pelo brigue bamburguez
Olio, muito nova e superior; vende-se so-
mente no antigo c acreditado deposito na ra
daCadeia do Recife, n. 12; onde tambem se
vende cal de Lisboa muito nova e precos
commodos.
CASAS A VENDA.
O corretor geral Macdo, esta- competentemente
auterisado a vender as seguintes propriedades; a
saber:
-Na ra da Palma casa terrea n. 54. .
do Jardim casa terrea n. 12.
do Rangel sobrado de um andar n. 5.
dos Pires casa (errea n. 24.
do Burgos sobrado de 2 andares n. II.
travessa do Pocinho casa terrea n. 10.
ra de Hurtas metade da casa terrea n, 68.
dos Pescadores a 7" parte da casa terrea
n.26.
do Rosario da Boa-Vista dita dita da ca-
sa terrea n. 47.
do Farol dita dita da casa terrea n. 52.
do Pilar dita dita casa terrea n. SI.
l'm excellente armazem na Gameleira junto a
estaeao da via frrea.
Na povoacao do Poco da Panella casa terrea n. 3' de rolo com
dos Alagados ra de S. Miguel casa 3:2oO rs.
terrea n. 87.
Quem as pretender pode dirigir-se ao supradito
corretor na praca do commercio.
NO ARMAZEM DE F.ULM1S HAIT*
avro c oi:iMi
Ri do Queimado. 15.
Vende-se o segnlnte r
Cobertas
de chita da India, a 2:ouo rs.
Leifes de puii
de linho, a 2:ooo rs.
E.ences de (bramante
de linho, de um panno s, a 2:8oo r?.
Tuallias akMkMdas
para mo, pelu Ijaratissimo prero de 5:oo
rs. a duzia.
Reos vrstidiriws
de seda para meninas, pelo baratasimo pre-
co de 4:ooo rs.
Lfos de seda
pelo barato prero le I :ooo rs.
Saias dr fusta*
pelo baratissimo prero de r:5oo rs.
Lencos de rarfiraia
brancos finos, proprios para algibeira, dona
a l:8oo c 2:000 rs.
I.i'iihis de eassa
finissimos, proprios para algibeira. prto ba-
ratissimo preco de S:4oo rs. a duzia.
Corles de ralea
de ganga mesclada, m listas e de i|uadrr*T
^izenda superior, pelo baratissimo prer;o de
l:2oo rs. o corte.
Peeas de madapolo
largo superior, pelo barimm jirero c
8:ooo rs.
leeas de bretanha
lo varas, pelo barato prero de
PINTURA.
Tinta branca de massa muito nova, em la-
tas de 28 libras para casas, para navios, para
a companhia do gas, a 2oo rs. a libra: ra
larga do Rosario n. 3 i.
VENDE-SE
no armazem da bola amarella, no oitao do gaz da
ra do Imperador, verniz ou alcatrao do gaz, pelo
preco do gazometro, achando os senhores compra-
dores barris que levam de una caada a vinte e
quatro, por barato preco : no mesmo armazem.
GAZ.
No armazem de tonca da porta larga, ra tersa
do Rosario n. 26, vendem-se latas com 5 Baldee de
gaz a li, assim como latas de o garrafas, e em
garrafas muito em.conla; garante-se a qualidade.
Vendem-se caixes vazios pro-
prios para ha hule i ros a 1$280, na ra
das Cruzes n 44.
e relogb' le
Agua de Vcchy natural.
Chegada ltimamente pelo Solferino : na
da Cruz n. 2. armazem de Isidoro, Netto
AC.
Vende-se um armario de louro, novo, que
ainda niio fo servido, para louca, e urna grade
para porta : quem pretender dirija-se ao Mwgui-
nho, casa que faz esquina para a ra da Amizade,
antes de chegar a igreja de S. Jos, que achara
com quem tratar. _____________
Taberna.
Vende-se a taberna da travessa do pateo do Pa-
raso n. 18, com poucos fundos, ou mesmo s a
armacao : tratar na mesma ou na ra largo do
Rosario n. 50.
1'ui'inha de Mandioca
nova e de muito boa qualidade, a retamo c em
porcao : a bordo do palhabotc Luiz I, atracado
ao caes do trapiche Barao do Livramento, no For-
te do Mattos.
Peras de ramkraia
de salpicos, fina, com 8 l, varas, pelo ba-
rato prero de i:ooo rs.
Atoaibados de li-k*
com 8 palmos de largura pruprio para tca-
lha de meza, a 2:5oo rs. a vara.
To:llias
de linho para meza, a Samo rs.
Barege
de lindos goslos, pelo barato prern de Mo
rs. o covado.
Esleir da India.
propria para forro de sala, de 4, S e 6 pal-
mos de largura.
I! na da Senzalla n 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johoston i C,
sellins e silhes inglezes, an.li.in.se casti-
lars bronzesdos, lonas infllrm. fio h v.-i,
chicotes para carros c moiitaiia, arreios para
carros de um e lo"us caNullus.
ouro patente inglez.
Gaz liquido \2$.
Vende-sc na nova exposiro de candii-
ros a gaz, na ra Nova n. i, latas de paz
de 1.a qualidade e nao ufianiiiiavl, a l_,
contendo cada lata 27 garrafas, rpie muito
convem a quem gasta este liquido: na roa
Nova n. i, loja deCanicin. Vianna.
Farinha de mandioca
em saccas grandes, e de superior quaiida
de: no armazem deTasso Irmos, rm
Amorim n. 80.
em salmoura: no armazem de Tasso Irm". ~,
roa dn Animiin n. X>.
Vende-se a lal.enia sita na li;i\.. .i. .\-
IKtstos n. 18 : a tratar na mesina.
Vendem-se cavallos: na ra do Im-
perador coxeira n. 13.
Mllho superior em saeeos
grandes.
Vendem Antonio Luiz de Olivera Azevedo & C,
por menos preco que cm outra qualquer parte, no
seu escriptorio ra da Cruz n. I.
Vende-sc muito barato, no lugar denominado
Trombeta, urna officina de fimileiro com todos os
pertenees c material completo talvez, para um mez
de trabalho : a tratar no mesmo lugar, Porto dos
Cajueiros, ou no Recife, ra do Caldeireiro n. 76.
Vende-se um grande terreno com cercado, c
ptimo para fazer-sc um excellente sitio em Jaboa-
tao a niargem da estrada da Victoria e contiguo a
povoacao de Santo Amaro, contendo igualmente
terreno para plantaco : quem a pretender para
tratar, dirija-se nesta cidade ao terceiro andar da
casa n. 46 da ra do Imperador.
Mobilla barata.
Vendem-se 16 caderas, 1 sof e I par de conso-
los de bonito gosto, tudo de Jacaranda, com quasi
nenhum uso, por preco commodo, visto o dono re-
tirarse para fra da provincia : na ra da cam-
boa do Carmo n. 18.
Pentes de marrafa.
A nova toja da aurora, na larga do Rosario n.
38, recebeu pelo ultimo vapor um grande sorti-
mento de pentes balito e imperatriz para mar-
rafa, a obra mais rica e moderna que tem chegado,
assim como tambem recebeu pentes dourados com
podras para menina, ditos de guarnicoes com al-
jofares, muito modernos, para senhora, gravatas
multo modernas da ponta larga e bordada, final-
mente temos grande sortimento de miudezas, o
qual estamos resolvidos a vender barato.______
Estampas finas.
Na loja da Aurora,* na ra larga do Rosa-
rio' n. 38, recebeu-se vario sortimento de
estampas de difterentes santos. _______
Vende-se a armacao da loja n. 7 da ra do
Queimado '. a tratar cm Augusto F. S. Porto na
loja n. 11 da mesma ra. -________________
Na casa n. }7 da ra do Amorim, existe urna
armacao de taberna propria para qualquer prin-
cipiante e que se vende por preco muito commo-
do : a tratar na ra do Rosario n. 35, taberna.
Aos chefes de familia.
.Na travessa da Madre de Dos n. 5, vende-se
barriquinhas de bolachinha americana de 26 libras
a 2O00 rs., e a ouem levar vasilha para despejar
as bolachinhas, abate-so 300 rs., vem a sahir a
libra a 57 rs., c por menos da metade do que custa
a da trra, at mesmo para escravos excellente
peto preco.
FARINHA SPEftfOl,
Vende-se a retalho abordo do brigue Afei-
to Io, o qual se acha atracado ao trapiche do
Baro do Livramento, e em porcao: trata-se
com Antonio Luiz de Oliveira Azevedo C,
no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Aos senhores de engenho.
Nos quatro cantos da ra do Queimado n. 20,
vende-se o bem conhecido algodao da trra, pro-
prio para roupa de escravos. ____
MURO
a 5500 a sacca, cia a 320 rs., azeite de carrapa-
to a 300 rs. a garrafa, caada a 2*240, vinho Fi-
gueira a 360 rs. a garrafa, caada a 2*500 : na
estrella do largo do Paraizo n. 14.___________
^pnd}-o bois mansos proprios para carroca
e por muito barato preco : a tratar na roa de Santa
Rita n. 1.
MUDANCA.
'.0_
O rival sem segundo mudou o seu eslabe-
lecimento do n. 53 para o n. 19 da mesma
ra e contina a vender em todas duas n|uj
as miudezas ala\.< declaradas e pjriraia
prestar toda atienen..:
Saboneles inglezes muito finos a
100 e.........
Frasco d'agua de colonia peque-
o muito fino......
Dito dito grande muitosuiMTi.tr. .
Frascos de macassar perola a. .
Ditos de macaca oleo a. .
Frascos de oleo Barbosa a _40,
3.0 e.........
Dito dito muito rajteror a 500 e .
Dito de banha muito fino a 400 e .
Fiascos de La vande muito superior.
Garrafas d agua celeste muito su-
perior a........
Frascos de cheiro muito finos
500 e.........
Ditos de banha pequeos muito fina.
Dito de opiata pequeos. .
TJiesouras muito linas para unhas.
Gravatas de seda de cores .
Lavas brancas de algodao .
Caivetes de folhas muito finos .
Caixas de cohetes francezes e car-
toes .........
Grampos de caracol e lisos. .
Caixas de vidro com 1_ dedaesde
metal.........
Massode palitos lixadospara dentes.
Grosas de botoes de aro para calca.
Caixas com t frascos de cheiro. .
Escovas para cabello muito finas .
Carteirasdemarroquimmuito finas.
Pefas de tranca lisa encarnada. .
Tinteiros com tinta muito superior.
Ditos de vidro com tinta mais in-
ferior.........
Cartas de allinetes francezes .
Cornetas de chifre para meninos .
ISO
i_0
tiO
:,_
500
15000
860
2t0
ll-
a-
mo
:i_0
40
320
ItiO
M
tmm
tiO
.40
20
160
100
M
80
ROA
Recife numero 40.
Vctor Grandin, relojoeiro condecorado rom a
medalha da exposico de Pars, estabetecido rom
toja na ra da Cadeia do Recife, participa aos ni
numerosos freguezes e ao publico desta praca qoe
recebeu ltimamente um grande sortimea e it-
tigos perteneentes a sua arte, como sejam. retojrios
para algibeira de ouro e prata, e de palales aflea
e suisso, correntes de ouro de lei, c dos mais bo-
nitos modellos; tambem tem para Tender nm
chronometro martimo inglez, c de nm eos i
res fabricantes; assim como urna graas i
da de de relogios para parede e para cima de i
Admiren as las karata*.
Superiores las de cores de qmirishoa
lisas, fingindo sedinhas de duas larguras-
pelo baratissimo preco de 500 rs. o ova-
do : na loja das columnas ra do Crespo a.
13, de Antonio Correa VascooceUos A C.
A toja de Augusto F. S. Porto, rna do Qatmidi
n. 11, chegaram lindas capas de seda i'
bordadas e enfeitadas, manteMes _
nhas de bonitos ortos, ~t Meo se
commodos precos.



Diario de Pe mhuco Segunda felra 99 de 4ulho de 1863.
NOVA EXP0SIQ&0
na loja 1I0 Pavo, de faendas bara-
tissimas.
Com 8 1/2 varas, a 2:300 rs. vende o Parto. 1
Pegas de arabraia transparente com pal-
minhas bordadas de cor, tendo 8 1|2 varas
cada pega, a 241500; di!::s mais .finas, a
3#500; pecas de cambraia de salpico bran-
., co com 8 lr2 varas, a 4$: s na" roa da
Neste eslabelecimento acha-se constante- Im erall.iz n-lt0 \0 e mDzm do Pavao.
mente um grande sortimento de fazendas L .
de gosto e de primeira necessidade, sendo Cortes de cachemira da Escocia, a 2:000, na
tanto proprias para a praca, como para o loja do Pavio.
mato ; de todas a (tondas dijo-sc" Untos de Ven,lcm.gc e,te nova fazenda muito eneor-
amostras, deixando ficar penhor, ou man- 5o (le casemra, tendo padroes
dam-se levar em rasa das familias pelos ca- P alees>
xeiros da loja do Pavao.
L-as coua 8 palmos de largura,
na loja do Pavo.
Vendem-se tazinha enfestada propria para
vestidos, com 8 palmos de largura, sendo
fazenda mais moderna que tem vindo ao
mercado pelo baratissimo preco de I#600 o
covado: s na ra da Imperatriz n. CO, loja
do Pavo.
Las para vestidos, a SO rs.,
s ua loja do Pavio.
Vendem-se lazinhas enfestadas proprias
para vestidos, pelo barato preco de 280 rs. o
covado, sendo muito mais barato do que chi-
to; ditas transparentes, a 210 rs.; ditas la
e seda, a 440 rs. o covado: s na ra da
Imperatriz n. CO, loja do Pavao.
Cassas a s oo rs. o covado.
Vendem-se cassas francezas de padroes
miudinhos e cores fizas pelo barato preco de
200 rs. o covado; ditas linas a 340 e 320
rs. o covado : s na ra da Imperatriz n. GO,
loja do Pavao.
Organdy. a 'iO rs. o covado,
na loja do Pavo.
. Vendem-se organdy de cores matisado, fa-
zenda que val muito mais dinheiro, pelo ba-
rato preco de 240 rs. o covado ou 400 rs. a
vara : s na ra da Imperatriz n. CO, leja
do Pavao.
O Pavo vende os modernos ves-
tidos a balo,
com barras Mara Pa, sendo os mais
modernos que que tem vindo ao mercado,
com a saia de um s panno, tendo bastante
fazenda para o corpo, e vende-se pelo barato
prego de 3#500 cada um: esta pechincha
s existe na ra da Imperatriz n. CO, loja e
armazem do Pavao.
Cortes de fantasa, a na
loja do Pavo.
Vendem-se ricos cortes de cambraia fanta-
siadas' seda, pelo baratissimo preco de 6$;
dilas, a 4; ditas, a 33O0: s na ra da
Imperatriz n. GO, loja e armazem do Pavao.
Cortes de cauhrala, a 9*>00,
na loja do Pavo.
Vendem-se cortes de cambraia brancos com
babados, a 2t>300; ditos, a i#; ditos com
barras e babados de seda, a 33, 3#500 e 4#j
s na ra da Imperatriz n. CO, loja e arma-
zem do Pavao.
Cortes de cambraia chlneza, a
l,f. na loja do Pavo.
Vendem-se ricos cortes de cambraia enjae-
za, os mais modernos que tem chegado, sen-
do brancas com lindissimos padroes, pelo ba-
rato preco de 4# cada corte, tendo bastante
fazenda para um vestido: isto s na ra da
Imperatriz n. GO, loja e armazem do Pavo.
Alpakim ou gorguro de linho,
a 4 o rs., s no Pavo.
Vendcm-se alpakim ou gorgorito de linho
proprio para vestidos e roupas de crianca,
pelo barato preco de240rs. o covado: s
na ra da Imperatriz n. CO, loja do Pavao.
Bales a 300, s o Pavo.
Vendem-se balos americanos que sao os
mclhoi es, tendo 20 arcos, a 3:>500; ditos
de 30, a 4&00; ditos de 40, a 50; ditos
de bramante, a 3:3500 e 4,?; ditos para me-
ninas, a 25 e a 3#: s na roa da Impcra-
Iriz n. GO, loja e armazem do Pavo.
Vestidos para menino, a '#.
Vendem-se vestidiuhos para meninos, sen-
<'o muito bem feitos, a 25 cada um : s na ra
da Imperatriz n. 60, loja e armazem do
Pavo.
Cortes de chita, a 3#500, na
loja do Pavo.
Vendera-se cortes de chita com 12 1]2 co-
vados ada um, a 25500; ditos com 10 cova-
dos, a 25; cortes de cassa miudinha de co-
res fixas com 10 covados, a 25; ditos de
organdy mathisado com 10 covados, a
25400: na ra da Imperatriz n. 00, loja
do Pavo
As csea! ras do Pavo pechin-
cha a ~*#.
Vendem-se ertes de casimira franceza para
calca, fazenda muito fina, padroes claros e
escuros, a 55 o eorte: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. GO."
O Pavo vende a 9$ e 3#500
cortes de la, a 35 e 35500; ditos com 22
covados, a 55: s na ra da Imperatriz n.
60, loja c armazem do Pavo.
, s na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Fusto do Pavo.
Vendem-se fusto# com lavr miudinho
para roupa de meninos, a 320 rs. o covado;
brim d linho de quadrinlios para roupa de
meninos, a 560 rs. o covado; ganguelim
de urna s cor, a 320 rs. o covado; popelina
de la, de quadrnhos encarnados e pretog,
para vestidos de senhoras e roupa de menj.
nos, a 15 o covado: s na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavo.
thegaram em direltura a loja
do Pavo.
Vendem-se a 1:600 rs. o covado.
Acaba de chegar pelo ultimo vapor, um
lindo sormento de lazinhas transparentes,
tendo urna s cor, lizas e de quadrinhos
miiKlinhos e mescladas, propria para vesti-
dos de senhoras, capas e zuavo etc. Tendo
esta fazenda 9 palmos de largura, que se
pode fazer um vestido at com 5 covados,
sendo neste artigo a fazenda mais leve que
tem vindo ao mercado, vendo-se a 15600 o
covado, nicamente: na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitas largas a 280, s o Pavio.
afiancando-se que nao des-
bota, a 25 o corte para calca, ou580rs. o co-
vado para paletot, colete etc.: s na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
Os palctots do Pavo, assobrecasacado a 12:000 rs.
Vendem-se paletots de panno, sobrecasacas
de panno p'reto muito bom e muito bem
feitas, a 125: sobrecasacos de dito, a 145;
paletots sacos de dito, a 75; calcas de cache-
mira da Escossia, a 35 ; ditas de casemira
preta, a 55; ditas de casemira de cor, muito
fina, a 75 e a 55500; colotes de casemira de
cor e preta; paletot de casemira de cor,
a 75; tudo isto para apurar dinheiro: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Fazendas brancas, na loja do
Pavo.
Vendem-se pecas de madnpolo enfestado,
francs, com 20 varas, a 85; ditas com i 2
jardas, a 45 ; dito inglez muito fino, a 75,
75500 e 85; ditos muito superior, a 105;
ditos de 40 jardas muito fino, a 45800 e a
55600; algodozinho muito encorpado, a
45800, 55500 e 65; bretanlia com 4 pal-
mos de largura, muito fina, a 15 avara;
pecas de cassa de cordo para babados, com
C varas, a 35500; ditas com 12 varas, a 75:
Os manguitos e gollnhas do
Pavo.
pecuincba, a 320 e a 100 rs.
Vendem-se golinhas de fil, bordadas, a
400 rs.; ditas de cambraia, a 320 rs.; cal-
cinhas para meninas, a 500 rs.; manguitos,
a 500 rs.; manguitos com golinlia, a 800
reis; manguitos de cambraia, a 320 rs.: s
na ra da Imperatriz n. CO, loja do Pavo. t
Lazinhas a OO rs. o covado.
Xa loja do Pavo.
Vende-se liiazilias de eorilaozinho de urna s
cor, sendo azul claro, azul escuro, ferrete, cor de
caf claro o escuro, alvadio, roxinhas proprias pa-
ra luto, sendo fazenda que val muito mais dinbei-
ro vende-se pelo diminuto preco de 200 rs. : sna
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pechincha, a 500 rs. o covado,
s o Pavo.
Vendem-se as mais modernas lazinhas
enfestadas, transparente, tendo 4 palmos de
largura, e sendo lizas e de quadrinhos, do
uma s cor, propria para vestidos e capas,
a 500 rs. o covado: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. GO, de Gama & Silva.
Arara vende as col xas.
Vendem:se ricas cohas aveludadas para
cama a 85000, ditas de fustSo a 55000, ditas
de chita'a 25000, brim de linho c algodo
branco a 800 rs. a vara, dito de linho puro
a 15,15120, 15280 e 15G00 a vara; na loja
da arara ra da Imperatriz n. 56 de Alendes
Guimares.
Bales da arara de O I
,, arcos.
Vendem-se; os melhores bales que tem
vindo americanos de 20, 25, 30, 35 e
40
45--RUA DIREITA--45
Eia, rapasiada, corageml parece queja
entregastes os vossos joanetes aos duros sei-
xos do pessimo calcamento da nossa cidade I
S se observa em vossos ps botinas acalca-
nhadas e gastas at a ultima sola; sapates
rasgados e quasi sem saltos.... nem tanto !
a quebradeira nao deve chegar at este pon-
to Vinde na Direila munir-vos de excel-
arcos, a 45, 45500 e 55, ditos de ma- lente calcado com 40 e at 60 por
dapolo bem feitos a 35500 e 45, ditos de menos do seu valor.... attendei:
brilhantina a 45500, bales saias de cordo Brzeguins, Nantes bezerro c va-
cento
que faz a vez de balo a 25; na ra da Impera-
triz arara n. 56.
Arara vende manguitos a
Vendem-se manguitos e golinhas de linho a
25 o par, golinhas para meninas a 400 rs.,
ditas para senhoras a 400 rs.; na ra da Impe-
ratriz n. 56.
ntremelos da arara.
Vendem-se pecas de entremeios transparen-
85500
queta 2 e meia solas
Brzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta e lustre 2 solas. 85000
Brzeguins, francez e hamburguez,
bezerro, lustre e couro de por-
co 75 e........65000
Sapates, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas.....55500
Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas......55000
Sapates, Nantes, sola e vira. 45000
. Brzeguins para senhora, inglezes. 45000
tes a 15, tiras bordadas de largura de 3 a 4 DUos para meni comiacA 3,5300
dedos a 15280 e 15G00 a peca, cortes delaa Djtos de ditas, de cores. 25800
Maria Pia a 45, ditas de la chineza com
22 covados a 85, ditos de organdys com 15
varas a 85, ditos com 9 varas a C5300; na ra
da Imperatriz n. 5G, arara de Alendes Gui-
mares.
GRANDE LIQUIDACAO
de fazendas para apurar dinheiro, por
baralissiino preco na t a e arma-
zem da Arara ra da Imperatriz 11.
5>6 de Lourcnro Pcreira Hiendes
Guiuiariies.
tUKKa FltEClEZES, i 200 RES.
Vendem-se lazinhas com pequeo toque de
mofo para vestido a 200 rs. o covado, meias
para meninos a 100 rs. o par, ditas para ho-
mens a 120 rs., lencos brancos finos a 200
rs. cada um; na loja da arara ra da Impe-
ratriz n. 50. %
Arara vende vestido de chita a
3 #000.
Vendem-se cortes de chitas oscuras com to-
que de mofo a 20000, ditas limpas sem
mofo a 25500 e 35000, cortes de cassa de
cores de barras a 25000, ditas de cassa pin-
tadas a 25000; na ra da Imperatriz 11.50 de
Mendos Guimares.
Organdys da Arara a 'i 10.
Vendera-sc organdys finos para vestidos a
240 rs. o covado, cassas linas a 240 rs. o
covado, popelina de quadrinhos para vesti-
dos a 280 rs. o covado; na ra da Imperatriz
arara n. 5G de Alendes Guimares.
Arara vende as lazinhas dos
vestidos.
Vendera-se lazinhas muito finas e lindos
dezenhos a 400, 440, 500 e G40 rs. o cova-
do, chaly muito fino a 500 rs. o covado; na
ra da Imperatriz n. 50 arara de Mendes
Guimares.
ENFEITES PARA SENHORAS
CHEGADOS PELO VAPOR
S para o Vigilante ra do Crespo 11. 7.
Sao chegados os novissimos e riquissimos en-
feites para cabeca, pois com a vista nao ha-
ver senhora que deixe de comprar um bo-
nito enfeite: s no Vigilante ra do Crespo
n. 7.
Linas de pelica.
Tambem chegaram neste mesmo vapor um
completo sormento de luvas dejouvin
brancas c de todas as cores; tanto para ho-
mens como para senhoras: s no Vigilante
ra do Crespo n. 7.
Perfumes.
Tambem chegou um completo sormento de
perfumaras dos fabricantes mais afamados
sendo de Luvin, Cudr e Piver; sendo
extractos essencios de todas as quaidades,
pomadas, banhas, sabonetas, agua de Co-
lonia, vinagre virginal da sociedade hygieni-
ca, agua florida, agua balsmica para den-
tes, frasquinhos com superiores pos para
dentes, caixinhas com um frasco d'agua,
pos c todos os prepares para limpar den-
tes, olos de todas as quaidades para ca-
bellos, e outras muitas cousas mais: s no
Vigilante ra do Crespo n. 7.
Tesouras e caivetes.
Tambem chegaram um completo sormento
de tesouras dos mais afamados fabricantes,
tanto para unhas como para costuras, ras-
padeiras para papel, caivetes de maqui-
na, facas de um e dous botoes, tudo do
mais superior que se pode encontrar: s
no Vigilante ra do Crespo n. 7. .
Papel de faulasia.
Tambem chegou um grande sormento de
papel de fantasa branco, bordado c liso
douradinho, de lindas cores, assim como
de peso e almaco, assim como muitos ou-
tros objectos de muito gosto que se torna-
riam enfadonho annunciar, que seus pre-
pos sero por menos do que em outra
qualquer parte: s no Vigilante ra do
Crespo n. 7.
Volantes c terinas.
Recebeu grande sormento de volantes, teri-
nas, rendas douradas e prateadas, bicos es-
pegueHia e gales de todas as larguras,
vendendo-sc tudo por piceos barassimos
principalmente sendo em pecas: s 110 Vi-
gilante ra do Crespo n. 7,
ilelroz c linha.
Tambem chegou um grande sormento de
retroz do Porto do melhor fabricante; sen-
do, preto, azul ferrete e cores sdrtidas, a
14,ooo rs. a libra, linha de miada de Roriz
e cabeca encarnada, que seus procos sero
barassimos: s no Vigilante ra do Cres-
po n. 7.
Sapatos para senhora e homem,
tapete.........
Sapatos de borracha para senhora.
dem idem para meninas. .
Sapatos de lustre para senhora. .
dem de lustre as avessas .
800
10400
10000
10000
500
SEM SEGUNDO.
Ruado Queimado n. 33,.loja de miudezas de
Jos de Azcvcdo Maia e Silva, est vendendo todas
as suas nuudezas porprecos como sejam :
Varas de aspas para fazer bales. 120
Caixas com superiores obrcias .... 40
Pares de botoes de punhos a 1G0
Pares de sapatos de tranca muito finos
a 1,5440 e v........ 1,5800
cura a 40 e 40500, paletots finos a 60500 Peras de fitas de velludo recortadas com
80000, calcas de meia casemira a 30000, \:> varas a..........
Roupa felta da arara.
Vende-se costumes completosd'uma fazenda
chineza por 120 o costume, paletots de brim
a 20500 e 30000, ditos de meia casemira
escura
ditas finas" 50500 e 0000, Masde brim a I C^"J 2Sto' "****' Pape'auiiza"
20500 e 30000, ditas de brim branco a 40, lMassos ronsuperiores gram'pos a! .' .'
casemiras francezas a 10600 e 20000, ditas Caivetes de aparar penas a. ....
finas a 20500, ditas de linho a 30000, ce-1 Agulheiros com agulhas a.....
roulas francezas a 10600, camisas de meia a""StatSu! ^^^ Para hmm'
800 e 14000; na loja da arara ra da Impe- Duzia de neiaV para'seniora,' fazenda"
fina a. ........... 3G00
15300
700
40
80
80
13600
Os Casos
OS MAIS AGRAVANTES
E
D'nuta pertinaz uuntcao
ESCRFULAS,
O ERUPCES ESCROFULOSAS,
Ulceras ile toda a especie,
SYPHILIS, OU MAL VENREO,
THIORES,
Ebiillicoes
BERTOEJASi
OPHTHALKIi,
Hydropisia,
IIERFES,
JDft'fros,
ERYSIPELAS
EStORBUTO,
Tiutia,
CHAGAS ANTIGS,
P.fteumgtsmo- Cfironk
DEBILIDADE GERAL,
Neroskhde, Nemlgas,
PiLTJ DE IPPETITIS, FlSflO,
SUPPRESSO DAS REGRAS, ou
AMENORRHEA,
WSm R FLORES SEMiS,
Reteucao das Inuas,
EMACIAgAO,
Ou emmagrecinu nto
niente do estado vicioso do eangue,
KFLAMACGES CHRONICAS,
Aflfec9es Chronic-as do Figado,
Assim como todas as vais BOaVBAjmB mo-
lestias, panroiPAummi ciando sao
CAUSADAS, OU PIODUZIDAS l'ELO MU
L1VKE ISO TU MEKCLUlt) ou
(L1NIN0,
Asfelin como tnmbciii polo fi-eqoemc uso ilo AR-
SNICO e oarma pvepRra^e ilnurars
Todas estas EnfermidEdes prompta e efficaz-
mente cedem A benfica, poderoza e
purificantes cuaUdadea da mni
justamente afamada
UIMPfflNMH DE BRISTOL.
venda as boticas de Caors Barboza,
ra da Cruz, e Jo5o da C. Bravo & C, ra
da Madre de Dos.
Cornetas de chifre para meninos a
Escovas para limitar denles muito finas .
Baralhos de cartas para voltarete muito
finas a...........
Ditas portuguezas a 1G0 e.....
inglezas com pequeo toque de mofo, ^U0^*5 agua dc Colonia nmit0 boa *
Vendem-se chitas francezas com toque de
mofo, tendo padroes miudinhos, a 280 rs. o
covado, afiancando-se ser cor fjxe e que solta
o mtSu logo que se lava: s fia ra da Jmpe-
ra$riz n. QO, loja do Pav8o.
ratriz n. 56 de Mendes Guimares.
Oh! que pechincha a S40rs.
Vendem-se chitas francezas escuras com pe-
queo toqu de mofo a 240 rs. o covado,
ditas
a 200 rs". o covado,"pecas dc ditas francezas DitoTde'olo babosaa24e.
com pequeo toque de mofo a 8(5000, pe- Ditos com superior oleo de macar a .
cas de ditas ingleza6 escuras cores (i xas com {Jj108 c" superior macaca perola a .
pequeo toque de mofo com 38 covados a S^2^^,rPawB,e"
70500, ellas freguezes antes que se a ca- Ditos com superior agua celcW para
bem; na loja da arara ra da Imperatriz n. I ciieiro........... 15300
56 de Mendes Guimares. I Trancas de algodao brancas c de cores a
I Laixas com superiores obreias de colla.
Madapoln francez enfestado a Bolsinhas muito bonitas para guardar di-
f tftion nnciro a-..........
^,ww* Grvalas de seda de diversos gostos a .
Vendem-se pecas de madapolo francez fi- Tinteros de vidro com superior tinta a.
no enfestado com 12 jardas a 4$ e 40500,! Pares de luvas brancas de algodao a. .
dito inglezes fino de 24 jardas a 70, 80, 90, i ^J"^ de lmha com 10 j;"'das' bran*
lS^l P^S dC alg0d3 encorPado a W Fitos ecordoe's para e'nfiar espartilhos a"
40oOO, o0 e 00; na ra da Imperatriz n. 56. Caixas com clcheles francezes superio-
-------- res a
Chitas da arara.
Vendem-se chitas francezas finas a 320,300
e 400 rs. o covado, riscado francez a 280
rs. o covado, aberturas para camisas a 240
rs., ditas de linho brancas a 800 rs. o cova-
do, tarlatana de cores a 400 rs. avara; na ra
da Imperatriz n. 56.
Cortes de casemira da arara.
Vendem-se cortes de casemira enfestada
escura a 20> cortes do brin) para calcas a
10 e 10220; namadatoperatrilt^ja arara
p. 56 de Mendes. Guimares.
Cartoes de colchetes franccjfcs a 40, 60 c
Facas e garios cabo branco cravado a .
Ditas de cabo branco cravado a. .
Dilas de bataneo muito finas a. .
Tesouras para' cortar, pequeas e finas
a200 e. .........
Tesouras para cortar unhas muito final a
80
200
320
800
500
300
100
200
800
500
80
80
500
500
160
100
30
80
400
80
35200
35300
65000
320
500
Espravoes, enchiladas, lieiras, es-
ponjas, tomilhos, sobrecannas, sobre-
nervos, e todas e quaesquer enfer-
midadesA que sao sujeitos os ca val-
les, encontrarlo um remedio mira-
culoso na applicacao do afamado oleo de Merchant
venda no armazem da bola amarella no oilao do
gaz da ra do Imperador aos precosde640, 1*280
e 25-360.
LIQUIDACAO
dc fazendas baralissimas, na Boa-Visla, ra da
Imperatriz 11. 20.
Cambraias adamascadas com 20 varas a 85.
Ditas com 8 ditas a 25.
Ditas lisas com 8 ditas a 25.
Fil liso muito fino a 800 rs. a vara.
Chales de merino estampados a 45.
Madapolo entre-lino com 20 varas a 85.
Casemiras finas de uma s cor a 15600 o co-
vado.
Algodao monstro, superior fazenda para toalhas
e lences a 800 rs. a vara.
Bramante de 10 palmos de largura a 15600.
Grvalas de suda a 320 rs.
Oleados de diversas larguras e dc ricos desenhos
lra mesas de jantar a 25 o covado.
FlaneUa branca muito fina a 640 rs. o covado.
Riscadinhos de linho muito finos para vestuarios
de criancas a 400 rs. o covado.
Chitas escuras e claras, padroes inteiramente
novos e muito finas a 400 rs. o covado.
Lazinhas chinezas muito superiores a 500 rs. o
covado, e outras muitas quaidades de fazendas
precos muito commodos, aflm de, apurar dinheiro,
dando-sc de tudo as competentes amostras.
ARMAZEM DE MOLHADOS
DE
K^fcmeet c6c/to r/c KsWiem*.
*
as W
4 0 w
-< r Q
rtc m
- 3
-i t 0
@ *
t H
i H
es a;
XZ
*x fi
^J
e
a f
i m
A
>
M
0
P
W
O
a
30
H
S.
I
m


i"
QIEIRIV LER.
Tcnoo BALIZA dadooscu balanro no ultimo dejanhopaasado,e d se
novar o magnifico sormento de seu GRANDE AUMAZEM, chama peto 1
attencao do respeitavel publico para os precos dos gneros abarco mennoaaik s,
verdade sao os mais razoaveis que se pdem achar, atienta a suaJia qoalidMe.
Soldado voluntario do bataMo progressista, o B.VLIZA en I
ment. Elle pede, pois, aos seus l-ons cantaradas, que Sofodos osn
favor de nao lhe darem um minuto de descanro obrigando-o a vende
Desta sortc o BALIZA vivir: contente e contentar tambem aos seus fregneies,
do-lhes sempre generosamente, e tal vez que anda por preflos maia rajo
Ameixas em frascos de vidro, a I0BGO. 300, 800 e IS o frasea.
Ditas em caixinhas com lindas fisuras, a Maraaelada cnente a MO rs. a_libra.
1/200 e 2r5iOO. I Ostras americanas (exceueata pelM
Ditas em latidias, al ;5100. j rs. a lata.
Araendoas confeitadas, a 900 rs. a libra. Passas a 400 r<. a libra, em ca
dem, a 280 rs. a libra. |Presuntos de Lamepo, a 3G0 rs. alibi
Arroz (Carolina), primeira qualidade, a 120 dem ingteipara fiambrevMfede u. I
rs. a libra.
Dito doMaranhSo, a 120rs. a libra.
AzeUonas novas de Lisboa c Porto, a 1,5 e
l/200aancori'ta.
Azeite doce retinado, a 800 rs. a garrafa.
Dito em barril, a 040 rs. a garrafa.
Dito de carrapato, a 400 rs. a garrafa.
Arroz com casca, a 3$ a saca, com 20 cniaa
e a 240 rs. a cuia.
Ancoretas americanas de G c 12 garrafas,
muito bem fabricadas, a I5 cada uma.
Araruta muito fiua, a 320 rs. a libra.
Bolachinhas americanas, a 3,3 a barrica e
240 rs. a libra.
Biseoutinhos inglezes, em latinhas, a I $300.
Bismuto lunch e suda, em latas de k a li-
bras, a 25 a lata.
Banha de porco, a 480 rs. a libra.
Balaios hamburguezes muito lindos, de di-
versos tamanhos e por prero razoavel.
Caf do Rio, a 280 c 300 rs". a libia, em
arroba, a 8200, 800 e 9/.
Ceblas, a 800 rs. o cento e I> o mlho.
Cha perola, a 3j? a libra.
dem hisson, superior, a 2->800 a libra.
dem chumbo, a 2J600 a libra.
dem hysson, soffrivcl, a 2^100 a libra.
dem hysson, menos soflrivel, a 2 a libra.
dem preto, magnilico, a 25 a libra.
dem preto, menos superior, a I(800 rs. a
libra.
dem preto, soflrivel, a I#G00 rs. a libra.
dem nacional, a 1/800 a libra (em latas).
dem nacional, a I 000, a libra.
dem nacional, ordinario, a l a libra.
Champagne, marca agida, de superior qua-
lidade, a GO rs. a garrafa e 7$ o pipo,
be-
eom 12 garrafas. Quem deixara de
ber champagne por tal preco?
Charutos de muitas marcas e a precos bara-
ssimos, sendo que ha de 800 rs. at
4 o cento, vindos do Rio, Balda c de
Hespanha.
Chocolate suisso de Lisboa e francez, a 800
rs. e 1$.
Chouricas e salpcele, a 640 rs. a libra.
Conservas inglezas, a 800 rs. o frasco.
Ditas fracezas, a 500 rs. o frasco.
Cognac inglez, a 000, rs. a garrafa e em
caada, a 4$.
dem engarrafados, a 800 rs.a garrafa.
Doces, em lindos vazos de vidro, das fine-
tas mais esqoisitas da Europa, a 10 o
frasco.
Dito de Lisboa, em latas, a 800 rs. a lata.
Dito de goiaba, a 040 e 800 rs. o caixao.
Dito em latas muito proprio para presente,
garante-se sua duraco innalteravel por
mais de anno.
Farinha de Maranho, a 100 rs. a libra.
Dita de trigo, a 140 e 100 rs. a libra.
Fructas francezas de diversas quaidades, em
frascos de vidro, preparadas em alcool,
proprio para podim etc., a 1$. o frasco.
Fumo americano, em pastas, a 1^280 o
libra.
Gomma do Aracaty, a 100 rs. a libra.
Dita do Aracaty, a 40 rs. a libra.
Graixa em latas, a 120 rs. e a duzia, 1/300.
Genebra laranja, em grandes frascos, a 10.
Genebra ingleza, marca gato, a LJ200 o
frasco ou garrafa com rolha de vidro.
Garrafoes vazios, de 040 a 1^200 cada um.
da, a 800 rs. a libra.
Id< u americano, a 500 rs. a INtu
Peixe de Lisboa Inglaterra e A:
parad.1 conb me 1 arte de cosii I
tas de i a 3 libras.de 14300 i
Phosphoros do gaz. a 24300 a groan.
Queijos kmdrinos chegados no nltim
a8(K) rs.a libra.
dem dem chegados no penultinv :.,
040 rs. a Iflra.
dem Qamengos chegados no nltim
21400.
dem idem chegados no penltimo tm
24200.
Sal refinado em vaz. 1 de ridro,
Idem dem em HOS dli l"lie;i, ;i 500n.
Cerveja das memores marcas
morcado, a 4/, 4>'iOO, o}.
0/80O a duzia.
Sardinhas de Lisboa preparadaa
a 040 rs. a lata de grande bamnhe.
Idem de Nantes, a 300 rs. a laiinlia.
SabSo massa de 120, lio, loo, 180. S
240 rs. a libra.
Tinta preta nacional o inglea, a <;
garrafa, e 2't Toucinho de Lisboa, de mais de m '
por 320 rs. a libra,
dem de Santos, a 80 rs. 1 libra.
Idem americano, a -200 is. a IAi
dem inglez secco no fumeiro, mt-lhor d
lodosos presuntos, a 840 rs. a
Vassooras americanas muito lindas <
a 640 rs. cada nina.
Vellas de Bnenos-Ayres em ea4m
libras, por t/.
dem de carnauba e composico, a 300 e MI
rs.*a libra.
Idem do Aiacdv. a OO rs. a libra,
dem stearinas, a 000 e OiO rs. o ma .
Id>'m spermacete, a l# a libra.
Vinho Lagrimas do Domo, oes4
melhor qualidade pe laaj vea .
mercado em garrafas braacaa 1 aa
do autor em alto revelo no pro]
previne-se aos apreciadores que oesl pi-
nero ha hoje grande falwca
dem engarrafados, viudo parte detlesd
ira tonta de diversas marcas e i.-
lliores adegas do Porto e Lisboa, das
cas: Madeira, CamSas, aaaaisso, M
sia, Carcavellus, Duque do talo
tros, e espera-se todos os dias n \
lidades. a 800, lr5 e 1-5280 a garrafa.'
dem do Porto Balisa, a 040 rs
Idem de Lisboa e Figueira vindo em ancoras,
a 20/ de 8 a 9 caadas,
dem do Porto em garrafoes de i I 2 a 5
garrafas, por 2)00.
j dem da Figueira em garrafoes de 4 I 2
j garrafas, por 2#400.
dem de Lisboa e Figueira de 320. 100, 501
e 500 rs. a garrafa., e em caada n
abatimento.
dem Bordeaos engarrafado, a 640 1
-garrafa, em duzia a 7.'00.
Vinho do Porto muito tino em caixas cor.: 12
garrafas, a 8<$, 105, 125 e 15J das
lliores marcas que vem ao nnsso mtttaa.
Vinagre de Lisboa em garrafoes de I 2 a
8 garrafas, a 15200 com o garrafo.
Avenas a 200 rs. a libra.
Arroz da India a 100 rs. a libra.
OSTIIAS
em caixas de-2 i latinhas de uma libra no ar-
mazem de Tasso A Irmos ra do Amorim
n. 35.
PAPEL
de cores para listas de eleltores
A agnia branca suppde que nao faz mal em offe-
recer aos athletas uns pacotes com 254 folhas de
papel de cores,- que pode servir ptimamente para
lisias de eleitores, e tanto melhor por costar cada
pacote fl diminuto preco de lo00, e ser cada um
de uma a cor, o que difflcil de encontrar a nao
ser na ra do Qupknado, loja d'aguia branca n. 8.
Na mesma loja tambem ha de outras jjuaLdades,
branco e azul, assira como anvelopes,
Kirsck-wasser, bebida esta de um valor inex- Biscoutos de Lisboa em latas, propii
timavel, em vasos esquisitos, a 1)5300. doentes, a 14300 e 3-5 a lata.
Licores inglezes c francezes dos melhores Batatas a 80 rs. a libra.
fabricantes, a 500 e 800 rs. a garrafa. | Copos lapidados para agua a G a duzia.
Linguas americanas de grande tamanho (em' Chumbo de todas as grossuras a 6 a
calda), al/. ba.
Linguicas de Portugal, em latinhas de 5 li- Caf muido dc superior qualidade a 400 rsv
bras,a 35(500 a lata. a libra.
Massas para sopa, em caixinhas com 8 libras, Fio de linho muito proprio para aman
contendo 5 quaidades, por 3#300 a caixa. | 480 rs. a libra.
Ditas para sopa, estrelinha e pevide, a 500,
rs. a libra.
Dita de tomate, a 040 rs. a libra.
Manteiga ingleza em potes de 10 a 16 libras
a 800 rs. a libra.
dem dita flor a 14 a libra.
Idem de 2a qualidade a 800 rs. a libra.
dem de 3" qualidade a 040 rs. a libra.
dem para tempeiro a 400 rs. a libra.
Idem franceza a 640 r. a libra, e em bar-
ril por menos.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
Mortasda ingleza em frascos grandes a 800
rs.
dem franceza em frascos grandes a 500 rs.,
Mullios inglezes dos melhores fabricantes a
Farinha de trigo em barricas c meias, d
das as marcas e quaidades.
Genebra de Hollanda em garrafoes cor 2
caadas, por 63300 com o garrafn,
dem idem em frasqueiras com 12 fra- in,
por 6/500.
Manteiga finissima em latas contendo ^ kt-
logramma ou 2 libras e 1 4 qu
15800 a lata.
Queijo suisso, a 800 rs. a libra.
Rap princeza do Rio: grosso, meio grem
e fino.
Tainhas das Alagas a 124 o cento, e 140
rs. cada uma.
Vinho branco de Bordeaux (Sauterns) a 84
e 104 a duzia, e 800 a 14 a garrafa.

^*



Mari* te l>rnmf>uee Stgmda fdra 91 le Jiilkw 4o f 88,
SORTIMENTO DE MOLHADOS.


/


I

s
5
s
4.
P
--

M
E
v
n *
I
fl *
i a
2 s
& 9
a o
ts
V -
V
o e m
- s
w 2.
E

S
~1 u
O
1
I
la
S P
5 I
as E "S
^ 5. 1.
* ,1
0

fl
t*
-
i.
a 0
41 s a
fl
e r a
ti
Ck a
9
f
9
1
i
a
s
-

v
a
a"

-
9
JS
a

I ii
S I
a 1
I 2 1
i s
06 9
a 9
tfl
Vnho em pipa: Porto, igueira e Lisboa, a 4W\
480 e 560 rs. agarrafe, em caada a 200, 3 e
3500 rs., afianca-se este genero conservar-se
perfeito seis oito mezes, o que raro ser outro
qualquer afianzar.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto, a 15
a garrafa e 10 a caixa, o preco nao indica a
qualidade dcste precioso vinho, porm tambera
nao com imposicdes de prec/o que se prova ao
respcitavel publico a superior qualidade, esta
genero de commum se manda vir de conta pro-
pria, e por isso podemos vender por menos do
que Qutro qualquer. annunciante.
Vinho do Alto Douro, das marcas mais acreditadas
c especialmente escolhidas por pessoas entendi-
das deste genero, como sejam Cam5es, Duque do
Porto, D. Luiz, Carcavellos, Chamisso & Filho,
Madeira secca, Feitoria, a 900 rs. a garrafa e 9#
a caixa com 12 garrafas.
Garrafes com vinho do Porto, contendo 5 garrafas
por 2*500.
Vinho branco de Lisboa, proprio para missa, vindo
j engarrafado de Lisboa, a 640 rs. a garrafa,
dito de barril muito superior, a 500 rs. a garrafa
e 35200 a caada.
Ameixas francezas em caixinhas de 1 e meia, 2 e J
libras, elegantemente enfeitedas com diversas es-
tampas na caixa exterior, a 15*00,15800, 25500
Figos de comadre em bauzinhos de follia, muito
proprios para mimo, a 15600. .
dem em caixinhas forradas de papel de dinerentcs
molduras, a 15400.
Amcixas francezas em latas de 1 c meia c 3 libras
por 15100 e 25600.
Passas de carnadas as mais novas me lia no merca-
do, caixas de 1 arroba a 65, e a retamo a 400 rs.
a libra.
Massaspara sopa muito novas: pevidee estrellinha,
a 560 rs. a libra.
Moni a mais nova que ha no mercado; talharim e
aletria, a 560 rs. a libra.
I Macarriio, a 320 rs. a libra.
Wem o mais novo que ha no mercado: talharim e
aletria, a 560 rs. a libra.
Figos de comadre em caixa de 8 libras muito novos
a 15800 e a retalho a 180 rs. a libra.
Salmao em latas cem postas hermticamente lacra-
das, a 800 rs.
Lagostinhas em latas grandes, a 15409.
Savel, corvina, chernc, congro, Iinguado, vezugo,
gors, pescada, peixe espada, preparado pela pri-
moira arte de cozinha, a 15300 a lata.
Queijos flamengos do ultimo vapor, a 25400.
i
dem do vapor passado, a 25200.
dem prato. o mais superior que tem vindo ao mer-
cado, a 740 rs. a libra.
Doce da casca- da goiaba, caixo grande, a 640 e
800 rs. cada um.
Chouricas do reine a mais nova do mercado a 640
rs. a libra.
Paios de lombo, vindos do Porto de casa particular,
a 800 rs: a libra.
Bolachinlias inglezas a mais nova do mercado a
240 rs. a libra e 35000 a barrica com urna ar-
roba.
dem de soda de diversas qualidades, a 15400, di-
tas grandes broprias para lanch com 5 a 6 li-
bras por 25*00.
Marmelada imperial do fabricante Abren ou de ou-
tros muitos conserveiros de Lisboa, em latas de
i e meia e 2 libras, a 600 rs. a libra.
Emilias francezas, a 500 rs. a lata.
dem portBguezasj a 640 rs. a dita.
Maca de tomates, a 600 rs. a libra.
Mantciga ingleza perfeitamente flor, a 800 e 15 a
libra, neste genero existe sempre aberto disp-
sicao dos fregnezes dous a tres barris de man-
teiga flor, salvo quando por infelicidade aconteca
a faetnra vir composta de segunda e terceifa
qualidade, que para melhor satisfazer aos fre-
guezes torna-se necessario ter mais do que esta
porcao de barris abertos, jiorm antes nos lhe
damos a devidtf applicacao para tempero, que
venderemos a 320 rs. a libra.
dem franceza a mais nova do mercado, a 680 rs. e
em barril se faz abatimento.
Amenuoas confeitadas, a 800 rs. a libra.
Chouricos, mouros vindo de casa particular, a 640
rs. a libra.
Farinha do Maranliao muito alva e cheirosa, a 160
rs. a libra.
Avelaas muito novas, a 220 rs. a libra.
Amendoas de casca mole muito novas a 280 rs. a
libra.
.
Toucinho do reino a 360 rs. e 165300 rs. a ar-
roba.
Sardinhas de Nantes, a 360 rs. a lata.
Azeite doce de Lisboa, a 640 rs. a garrafa e 45800
a caada.
Vinagre de Lisboa, a 200 rs. a garrafa c 15200 a
caada.
Campagne das marcas mais acreditadas a 85000
e 105000 o gigo, e 800 rs. o 15000 a garrafa.
Cerveja prcta da marca Tenent ou XXX, a 45 e
45500 a duzia, e a 400 rs. a garrafa.
dem branca da marca cobrinha ou Tenent, a 45
e 45300 rs. a duzia, e em porcao se faz abati-
mento.
Genebra de Hollanda em garrafocs com 16 garra-
fas, por 65500 rs., aflanga-sc ser verdadeira.
dem em frasqueira, a 65500 e a 560 rs. o frasco,
dem de botija em barricas com 4 duzias a 430 rs.
cada urna.
dem de laranja em frascos grandes, a 15200, ga-
rante-sc ser verdadeira da Italia.
Marrasquinho de Zara, a 720 rs. o frasco.
Licor francez de todas as qualidades de fabricantes,
em garrafas brancas de vidro, a 720 e 800 rs. a
" garraa.
Vinho Bordeaux as melhores qualidades que tem
vindo ao mercado, a 720 e 800 rs. a garrafa, e
em caixa a 75500,85000 e 85200 rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol, a 800 rs.
a garrafa.
Conservas inglezas sortidas ou de urna so qualida-
de e da verdadeira, a 800 rs. o frasco.-
Araruta verdadeira, a 320 rs. a libra.
Gomma de engommar muito alva, a 800 rs. a li-
bra.
Palitos do gaz, a 25300 rs. a groza e 20 ris as|
caixa.
Toucinho de Lisboa, a 320 rs. a libra e 95500 rs.
a arroba.
Sag muito novo, a 200 rs. a libra.
Cevadinha de Franca, a 160 rs. a libra.
Cevada nova a 120 rs. a libra, e 35500 rs. a ar-
roba.
Macarrao e talharim, a MO rs. a libra.
Aletria muito fina, a 400 rs. a libra.
Arroz Carolino, muito alvo e grado, a 120 rs. a
libra e a 35200 rs. a arroba.
Caf do Rio o mais superior que s pode desejar
neste genero, a 320 rs. a libra.
dem dem de segunda c tereeira qualidade, a 280
e 300 rs. a libra, c em arroba ou sacco a 85200
e 85400.
Velas de carnauba refinada, a 320 rs. a libra e
105000 a arroba.
dem de spermacet, a 640 rs. a libra.
Chocolate hespanhol a 15, a libra,
dem francez, a 500 e 15 rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado por ser
vindo de encommenda propria a 25880 ts.
Cha hyson, melhor que se pode desejar neste ge-
nero, a 25500 rs. a libra.
dem nacional em latas de 1, 2 e 3 libras a 15400
ris.
dem huxim, a 25200 rs. a libra.
Cha prcto liomospatluco o mais excellente que tem
vindo ao mercado, a 25 a libra.
Graixa em latas grandes, a 3J>300 a duzia, e 120
rs. cada urna.
Presunto verdadeiro de Lamego em calda de azei-
te, a 560 rs. a libra.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro, obra de
muita duracao e utilidade, a 400 rs.
Charutos de S. Flix do fabricante Furtado de Li-
ma ou de outros muitos fabricantes da Baha, a
25000, 255OO, 35000, 35200, 35500 o 45OOO rs.
a caixa, ou em mcias por metade do preco.
dem Mississipes imperiaes, a 35000 rs.
dem Ypiranga ou Flor do Rio, a 35200 rs.
dem Guanabaras ou Havaneiros, a 25800 rs.
dem Flor da Matta ou Regala imperial", a 25500
ris.
Idein Flor do Norte ouLondres imperiaes, a 45000
ris.
dem superiores em quantidade e de todos os fa-
bricantes, a 35000, 35500 e 45000 rs. a caixa.
, Polassa da Rtissia.
Vende-so em casa de N. O. Bicber & C,
soceessres, ra da Cruz n. 4.
ltua da Scnzalla Nova n. 42.
Neste <>lal>.'!iYinv-i:!ovfn (erro cado libra a MO rs., idemdeLow
M r libra a 120 rs.
Ceblas superiores em resteas, a cinco
mii ris o milbeiro do Caes da alfandega n.
1. armazem de Tasso & Irmaos.
A ACOTA. BRANCA
Itccefecii pelo ultimo vapor o
srguinte:
Bonitas ptriseiras de cabello, coral, e cora-
lina.
Fu.i s i mitas ligas de seda para senhoras.
Outras estreitas para meninas, ou manguitos.
Oarteiras com agulhas.
Ag Ihetas para enfiar, e agulhas canlfas.
os e fitas de borracha.
teis com torca! de (odas as cures.
fios <\>' cocal.
I. tojas linas para rosto.
Pentes de tartaruga virados, com laco e
[3.
tes de rodo inira conservar os cabellos
bem atados.
A 6 e eo para balao.
I ruin coxetes para vestidos.
Ti -"lilis chatos de 15aparaenfeitarvestidos,
folhas para rosas.
arinas francezas.
TERCOS
e coras de cornalina.
A ag'uia branca pensando constantemente em
bem servir a toda a sua freguezia, notou que ainda
nao havia foilo alguin agrado a aqoelles que pru-
dente e acertadamente resando, cumprem dever de
bom christao, e quando reparou essa sua falta,
mandou vir e acaba de receber delicados tercos e
coraSjde cornalina com cruz de prata, os quaes
doixa disposicao dos fiis que cstivcrein dispostos
a gastar 15300',25e 35 pana poesairem un bonito t
trico ou corda, com os qnaes podem mesmo pedir a
Dcus pela prosperidade d'aguia branca, em seu ale-
gre e espacoso uinlio da ra do Qucimado n. 8.
\oios e bonitos
pciiiiulios travessos dourados e com pedras para
meninas : vendem-se na ra d Queiuuidn, loja
d'aguia branca n. 8.
naliuzlnlios com perfumarlas e
sem ellas.
A aguia branca vende bonitos babuzinlios com 6
(raaqumbes de ebeires por 15500 e vastes i>or 800
rs.. sentado estes para meninas, e mesino para
joias, etc., etc. : na ra do Queiinado, loja d'aguia
branca n. 8.
Delicadas tesonrinltas d'aco para
bordados e labyrinthos.
A pedido de algumas senhoras suas predicletas
freguetas, a aguia branca mandou vir dessas de-
licadas le.-ourinhas d'a^o pon tas agudas, proprias
para bordados e labvhntboe, e urna vez chegadas
como de facto cliegaram, a aguia branca convida
as de mais senhoras suas boas freguezas para
aproveitarem-se da occasiao e bem empregainn
>i u.-5 orneada urna dessas liuissiinas tesouri-
nbas, na certeza de que pirder i>or cnegar tarde ;
quem se demorar em as mandar comprar no.ale-
-iv espacoso ninho d'agnia branca, ra do Quci-
mado n. 8, onde tambem ha outras curvas e direi-
Uis para uuhas.
>V*^T^ ^^^ vrvvjvvj,'\'rv%-ry vr^v^
..,V..'^
Trancens grossos para relogios.
Escovas cabo dosso, marfim o madrcperola Babadlohos estreHos ebordados
para dentes, unhas, Innpar pentes ejoias.
OtRras linas para roupa, chapeo, cabello etc.
Outras de velludo para chapeos.
Pastas para papis.
Raspa -iras c facas de marim para ditas.
Vi poras e dminos.
E.uras de canmrca.
Vi odem-so mui finas luvas de carmuca
branca e amarella; na ra do Queimado n. 8
loja d'agnia branca.
Baratissiinas bandeijas.
A aguia branca por muitas vezes tem da-
do a coaheeer que anando acha alguma pe-
chineha, nao qner somonte com ella-encher
o papo, ao contrario deseja que toda sua boa
fi-eguezia e o publico em geral prvera da
tna, o i\u>: agora mesmo acontece com
tasas; baratissimas bandeijas, cuja limitaco
de oreos admira, em relacao aos tamaitos e
uuahdades: avista do que convra todos a-
piovi'itaivin-se dessa opportuna occasiao e
i h erem-se d'um traste sempre necessario,
e que llies custar quasi metade do justo va-
lor. Assim, pois, dirigirem-se com dmhei-
ro alegra c espacosa loja d'aguia branca
; ii.' do Uueimado n. 8.
I.tncos braneos com barras de
eores para nienlnos.
A loja d'aguia branca recebeu um novo
mulo de lencos braneos com barras de
cores para meninos, e com quanto esses
Vendem-se na ra do Queimado n. 8, loja d'aguia
branca.
Capachos coniprldos e redondos
Vendem-se na ra do Queimado, [loja d'aguia
branca n. 8.
Multas maclas e lustrosas para
bordar
vendem-se na loja d'aguia branca ra do
Queimado n. 8.
Xovisslmos e bonitos enfeites
para cabecas.
Quando o bello sexo senta a falta de bons
enfeites para cabeca, eis que a aguia branca
recebe uma sua encommenda de bonitos e
delicados enfeites, e de modernissima moda,
muito servindo isso para sanar aquella falta,
e fazer com que as Exmas. apreciadoras'da
bella empreza Coimbra possam melhor real-
sar e mostrarem o apurado gosto que as
guia. Esses enfeites sao d'um tecido bas-
tante fino com continhas d'aco, e mui bem
enfeitados com flores, fitas, bicos, plumas
etc., entretanto que sendo obra de muito
gosto custam 5$, H e 7(5 dinheiro vista;
na espacosa e alegre loja d'aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Ricas guarnieres de pentes e
iellas para cintos.
A aguia branca7 recebeu novas e ricas
guarnices de pentes dourados, e com pe-
dras ; assim como outras bordadas froco e
Yiessem melhores, maiores c perfeitamente com bolas pendentes, novidade essa queso
un; 'rados, cora tudo continuara a ser ven-se acha em dita loja, e que na verdade se
didos pelo antigo preco de Id a duzia; n. tornam mui alegres e bonitas; e bem assim
na do Queimado na alegre e espacosa loja recebeu lindas livellas com pedras, e ditas
ROUPA FEITA
NO
ARMAZEM
DE
X-ETRESRO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de |=|
todas as qualidades, tambera se manda fazer por medida, vontade dos concor-1
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
3O;50O0
25000
|
10$000'
7000
d'aco com novos e engracados moldes, cintos
dourados e de marroquim; e muitos outros
objectos de gosto para senhoras serao encon-
trados na alegre e espacosa loja d'aguia
d'aguia branca n. 8.
La fina para bordar.
A aguia branca acaba de receber um com-
pietu sortimento de la fina para bordar, cu-ranea ra do Queimaa\)'! 8~
ja variedade de agradaveis cores forara es-
mihidas d'um grande livro d'amostras que o
fabricante offereceu a aguia branca, vindo
entre ellas alguma raeselada; assim pois onde
Casacas de panno preto, 35 o
Sobrecasacas idem, 30 e .
Paletos idem e de cores, 25$,
20,-J, 15) e......
Ditos de rasemira, 20$, io^,
12^, m e......
Ditos de alpaca, 5$ e. .
Ditos ditos pretos, 9s, 7$,
5$ e........
Ditos de brim c ganga de co-
res, 4O0, U, 35500 e. .
Ditos branco de linho, 60, 50 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 100, 70 e.....50O0
Calcas de casemira preta, 120,
190, 80 e......
H Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50500 e.....
Ditas de princeza c merino pre-
to de cordo, 50, 40500 e
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores,
30300, 30 e.....
Cohetes de velludo prcto e de
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditas de cores 50
_ 40 e........
'.j.;' Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 60, 50 e
20500
20000 m
10400 y
Cohetes de fustao e brim bran-
co, 30500, 30 e .
Scroulas de brim de linho,
20400 e......
Ditas de algodo, 10600 e. .
70000 Camisas de peitos de linho,
30500! 50, 40, 30 e.....
Ditas de madapolo, 30,
30300' 20500, 20 e......
i Chapeos de massa, pretos fran-
30OOO cezes, 100, 90 e. .
40000 [ Ditos de fltro, 50, 40,30500 e
Ditos de sol, de seda, 120,
H0, 70 e......40500
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda.......
70000 Sortimento completo de grava-
tas.
Toalhas parroste, duzia, 110,
90 e........
Atoalhado adamascado de li-
nho vara ......
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....40000
RA DO QUEIMADO N. 46
raraYo
/
80500
20000
6i0
40000
40000
20500
20500
Lences de linho.....30000 *
Cobertas de dula chineza.
Pennas d'aco, as mais superio-
res, a grosa......
Relogios de ouro orizontaes,
900,800 e......
Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes, 400 e
Obras de ouro, aderemos, meios
aderecos, pulceiras, rozetas,
40000, aneis e- cruzes.

70000
40000
30500
50000
50000
20000
600
700000
300000
I
IT\)I|A IIA AURORA.
Nesta grande e bem montada fabrica de machinismo, a mais antiga no imperio, con-
tinuare a executar com a maior presteza e perfeico encommendas de toda a qualidade
de machinas usadas no paiz, tendo sempre prompto o seguinte :
Grande- sortimento de moendas de canna de todos os systemas e tamanhos.
Machinas de vapor de diversas quadades.
Taixas fundidas e batidas.
Crivos e boceas para fornalhas.
Bronzes e aguiDioes.
Rodas, rodetes e rodas d'agua.
Guindastes fixos e portateis.
Machinas de cylindros para padaria.
Serras de ac para serrara.
Fatechas para barcos, etc., etc., tudo por preco que bem convida.
DE
IA/IVIAS E ROITPAS FEITAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 250, 280, 300 e 350, casacas
muito bem feitas a 250, 280, 300 e 350, paletols acasacados de panno preto de 16 ate
250, ditos de casemira de cor a 150, 180 e 200, paletots saceos de pann<> < )-'-
mira de 80 at 140, ditos saceos de alpaca, merino e la de 40 at M, s-'l'i" de alpaca e
merino de 70 at 100, calcas pretas de casemira de 80 at i i0, ditas de cor de 70 at
150, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de roupas de brim,
como sejamcalcas, paletots e cohetes, sortimento de cohetes pretos de metim, casemira
e velludo de 40 a 90, ditos para casamento a 50 e 60, paletots braneos de bramante a 44
e W, calcas brancas muito finas a 50, e um grande sortimento de fazendas finas e mfxler-
nas, completo sortimento de caserairas inglezas para bomem, menino e senbora, cernas
de. linho e algodto, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de J-mvin para hnmeni c se-
nbora. Temos uma grande fabrica de alfaiate, onde recebemos en. ommendas .1
obras, que para uso este sendo administrada por um hbil mestre de semelhante arte e oro
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qualquer obra coa
promptidao e mais barata do que em outra qualquer casa.
Aos agricultores
Vende-se uma propriedade de trras com 1,000
brabas quadradas que d para levantar um bom
os protendentes melhor se podem sortir des-! engenho para moer com. agua, boas matas e boas
se genero, na alegre e espacosa loja da- trras, na freguezia d'Agua Preta: a tratar as
guia branca ra do Queimado n. 8.
Os afamados copos com banha, e
bolpes com. luscripces.

Vende-se um terreno na Soledade, em trras
n foi do finado Herculano Alves da Silva com
60 palmos de frente c 300 de fundo, frente para a
1 ra das Niraphas, parto com torra e casa do lado
Lhegaram novamente para a aguia branca do norte, de Antonio Outes Martins, pertencente
esses afamados e estimados copos com banha aos erdeiros de Joao Pedro da Rocha : a tratar
lina; assim como os bonitos boioes.de por- no>rgo do Carn10 com Narciso Jos da Costo Pe'
cellana dourada tambem com banha, e novas re
itisnipces maviosas e jocoserias, mui ade-
quado para p icsentes resta porem que os apre-
>rram, munidos de dinheiro, Ra do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
ou loja d'aguia branca ra do: 67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
Queimado n. 8. 'a 50600 aarroba.
Assucar do Monteiro
DE
DE
J. VIGNES.
X. 55. RA DO IMPERADOR \. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoja assaz conhecidos, para que seja necessario insistir sobre a
sua superioridade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
veis que elles tem definitivamente coaquistado sobre todos os que tem apparecido nesla praja ; pos-
suindo um teclado e, machinismo que obedecen todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca falhar, por serem fabricados de-proposito, e ter-so eito ltimamente melhoramentos importan-
tissimos para o clima deste paiz; quanto" s voies sao melodiosas e flautadas, o por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores. '_,_. '
Fazem-se conforme as encommendas, tan}o nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
correspondente de J. Vignes, em euja capital foram sempre premiados em todas as cxposicSes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
melhores compositores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo todo vendido
por presos multo rawveis.
FAZENDAS DE BOM GOSTO.
Lindos cortes de la de barra Imperatriz, ditos de la com barra roatisa-
da, ditos lisos com palmas de seda, lindas las de cores mateadas a 500 rs. o
covado, ditas com palmas de seda a 640, 700 e 800 rs. o tniaio. uhmi de I
seda de cor matizada os mais superiores que tem vindo ao mercado, lindos '.
cortes de mor-antfque de cor linda, gorguro de la e seda de quadrinhose
lisos, fazenda inteiramente nova para vestido.
Superiores cortes de Wond branco para noiva, camisinhas de cambraia
bordadas, brancas e de cores, lindos sautambarques de cachemira de cor enfei-
tados e bordados da mesma cor, ultima moda em Pars, superiores rhapM
de palha da Italia, enfeites de flores, capellas brancas e mitras muitas fazendas
de gosto que seria enfadonho annunciar: na ra do Cimpa n. 13, loja das
columnas, de Antonio Correa de Vasconcellos & Companhia.
FUMMCAO DO (Km H t \-K 1 A DO
KIUH A. 38.
Este muito acreditado estabelecimento este prvido de um completo sortimento do
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro cora seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos.
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Roccasde fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
1
^v^*m m m^mm
DF.
TODAS AS QUALIDADES'
DE
ANTONIO MAIA DE BRITO
CONHECIDA POR FABRICADA VIVA.
N. 21Antiga ra dos Quarteis de policaN. 21.
Constando ao annunciante, que alguns especuladores de m vendo o eramt
que gosam os meus cigarros, e para poderem dar consumo aos seus andan venderlo tam>
na praga como pelo mato, iUndindo os meus freguezes, dizendo que sao meus ;ecom>lo-
dos os meus cigarros sao vendidos na minha fabrica, e nSo mando pessoa alguma vender
por minha conta fra delta, faco o presente annuncio para evitar que compran ga* y
ebre ; e para seguranca dos senhores consumidores deste genero e especiammde wm
freguezes, aviso que todos os massos de cigarros que forem vendidos na minha fabrica rito
marcados com um distinctivo que declara, o meo nome, o nome da ra e o nuawro m
mesma casa.
Aproveito a occasiao para scientificar aos mesmos senlwres, que
encontraro um completo sortimento de cigarros de diversas qualidades, e do i
escolhido, por sua boa qualidade j bem conhecida. ________ _________
AOS SRS. CONSUMIDORES DE GAZ. I t Br*.
Cofres patentes uglezes, i prora de Hf>
Nos armazens do Caes do Ramos n. 48 e j garantidos pelo fabricante Milners, de Lior-
na ra do Trapiche Novo (no Recife) n. 8, s; pool: vendem-so na ra da Cruz n. t, ar-
vende gaz liquido americano primeira quali-
dade a retalho a 120 a lata de 5 gaioes, as-
sim como latas de 10 e de 5 garrafas e sendo
em porcao mais barato que em outra qual-
quer parte.
mazem de Isidoro. Netto d C.
Vende-se sementes de
na ra da Cadete Herffe B.
eos das pelo brigue S,


Mario de Prrnambueo Segunda felra t* de Julho de !.

i
1
i
i
i
f
I
8RAJDE ARMAZEM
AE
EE
N. 3, RCA DAS CRUIES N. 36
DO
*
balrro de Sanio Antonio.
0 proprietario do muito acreditado armazem denominado Progresista tendo
sempre em vista fazer tudo o que for possivel para bem servir aos seus freguezes, tem
deliberado vender os seos j bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaixo mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
escravos, serem Ufo bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, ainda mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento.
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que nSo agradar, devendo os mcsmos senhores ter toda atten-
r5o com os seus portadores, fazendo-lhes ver que s no armazem Progressista da ra das
Cruzes n. 36, que se vendan os memores gneros por mais barato preco, porque estes
rauitas vezes olvidam-se e v5o outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.
PROGRESSIVO.
MU E W&l
SNO
9--LARG0 DO CARMO-9,
DE
Wl&ft fc^
Q
de superior qualidade a 320 rs. ca
xinha.
('a c
Manteigai ngleza de I.' qualidade, a 900 rs.
a libra.
rs. a libra.
Batatas muito novas, a 25 o gigo de arroba
e 80 rs. a libra.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor,
de 2# 24500.
400 rs. cada um.
Milho-alpista a 180 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra e 2(3300 a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
I^.:?!2?^c.T0I!Se1!1i!S rSK'r.0 Sab3 ****** hespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libra e
mais fresco que se pode desejar a 700 rs.
a libra.
dem londrino, mandados vir de encommen-
da especial, a 900 rs. a libra.
dem suisso, muito fresco, a 800 rs. a libra.
Caf do Rio de 1 .* e 2.* qualidade a 8(5300
e 8^800 a arroba, e 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India e Maranhao a 120 rs. a libra
e 30200 a arroba.
Avelas as mais novas neste genero a 240
rs. a libra.
Presuntos do Porto muito novos a 560 rs. a
libra.
Legumes francezes para sopa, como seja,
Julienrie, mlange d'quipage, Choux e
outras qualidades, a 400 e 500 o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, e
em poreo ter abatimento.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2#400 com o garrafo j
afianca-se que nesse genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira muito
superior e mais proprio para a nossa esta-
co por ser mais fresco a 20400.
Cha hysson o mais superior a 20600 a libra,
afianca-se ser egual ao que regularmente
vendemos a 30200.
dem huxim miudinho, o mais superior que
vem ao nosso mercado a 20700 a libra.
Ulem preto muito fino, a 20000 a libra.
Garrales com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 20100 cada um.
dem com 5 garrafas de vinagre de Lisboa
a 10100 com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre hambur-
guez a 800 rs. cada um.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Velho secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a 900 rs. a garrafa e 90
a duzia.
Vinho Bordeaux das melhores marcas: St
Julien, Medoc e S. Estephe e outros a
640 rs. a garrafa e 70500 a caixa com
urna duzia.
Chouricas e paios, o mais novo que se pode
desejar, a 250 e 600 rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa e 100500 a
caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
Licores francezes, muito finos, das seguintes
marcas: Anizetta de Bordeaux, Plaiser des
dames, Crme de Noyau, Eau Dantzic,
Crme de Menthe, Ilude de Venus etc. etc.
Passas muito novas e de carnada a 400 rs. a
libra e 60500 a caixa com urna arroba, ha
caixas, meias e quar^os.
Ameixas francezas em/rascos de 11 r2 e 3 li-
bras de 10400 a 20800, tambem ha latas
de 6 libras.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
varos de Lisboa, a 600 rs. a libra, erada-
tas lacradas hermticamente.
Fructas era caldas de todas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas, a 500 rs ca-
da urna.
Bolachinha ngleza, a mais nova que se pode
desejar, a 30000 a barricae 240 rs. a
libra.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 160 rs. a libra.
Azeite franeez clarificado a 800 rs. a garrafa
e 90000 a caixa com urna duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed Pickles, ceblas simples, e outros
a 760 rs. o frasco
Farinha verdadeira de araruta a 800 rs. a
libra, garante-se a superior qualidade.
Palitos para dentes em caixinhas douradas
Brea, a 320 a libra e 80 a arroba.
em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade de 160,
180, 200, 220 e 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 10300 a duzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salmao e outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
cozinhaal04OO.
Papel grve pautado e liso a 30800 a resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
460 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 30200 e 40000 a caada do
melhor e 500 rs. u garrafa, em porcao ter
abatimento.
Vinho velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
50000 a caada.
Os propietarios deste espacoso e bem sortido armazem de molhados partici-
para aos seus freguezes que acabam de receber de diversos portos da Europa o mais bel-
lo sortimento de molhados, todos primorosamente escolhidos, os quaes vendem-se por
muito menos do que outro qualquer annunciante, obrigando-se os proprietarios a garantir
todos os gneros sahidos do seu muito acreditado armazem.
Vinho branro o mais superior que pnssivol
neste genero a 560 rs. a garrafa e a 40000
a caada.
Vinagre puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
e 10400 a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril
a 640 rs. a garrafa, e em porcao ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
10000 a garrafa, e 100000 o gigo com
urna duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 30500 a caixa, tambem temos
para 20000, 20500, 30000 e 30200 a
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 600, 640,
e 680 rs. o masso.
dem de carnauba e composico a 320, 360,
e 400 rs. a libra e de 100 a 110500 a
arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 10000
a ancoreta db Porto e 10500 a de Lisboa.
Massas para sopa: estrellinha, rodinha e pe-
vide a 400 rs. a libra e 20000 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carrao e aletria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, franeez c
suisso das melhores qualidades a 900 rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixao.
Ceneja das melhores marcas de 50500 a
60000 a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscoutos inglczes de diversas qualidades a
10300 a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda,
muito nova em latas grandes a 20000 cada
urna.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes, do fabricante Basset, a
360 rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a libra.
Tijolo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Cebollas o mlho a 900 rs.
Erva-doce muito nova a- 400 rs. a libra.
Cominhos idem dem a 640 rs. a libra.
Garrafoes vasios a 500 rs. cada um.
Ditos com 5 garrafas de genebra a 20400,
garante-se ser verdadeira de Hollanda.
Cebollas a granel a 640 rs. acento.
Canella a mais nova do nosso mercado a
10000 a libra.
Alfazema o que pode haver de melhor neste
artigo a 280 rs. a libra.
Phosphoros de seguranca individual a 20 rs.
a caixinha.
Papel de embrulho muito superior a 10120
a resma.
Vinho da Figueira, o que ba de melhor a
40000 a caada.
Copos finos para agua a 60000 a duzia.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
62o rs. a libra.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado,
dem de porco, refinada e muito alva a.5oo
rs. a libra, em barril ter abatimento.
dem ingleza em latas de 2 1/2 libras a 2,ooo
cada urna, garante-se a boa qualidade.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, l,8oo, 2,ooo e 2,5oo rs.
dem prato chegados neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 66o rs.
a libra.
dem londrino mandados vir de encommen-
da especial a 56o rs. a libra.
Caf do Rio de Ia e 2a qualidade de 8,5oo e
8,8oo rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a 1
bra.
Arroz da India e Maranhao a loo rs. a libra
e 3,ooo rs. a arroba.
Caixinhas de ameixas francezas de 1 1/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,6oo, 2,ooo, 2,5oo e 3,ooo rs.
Vidros de diversos tamanhos de confeitos,
muito proprios para mimos, de l.ooo a
2,5oo rs. cada um.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra c
em porcao ter abatimento.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2,24o rs. eom o garrafo,
afianca-se que neste genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira mui-
to superior e mais proprio para a nossa
estacSo por ser mais fresco a 2,4oo rs.
Cha hysson o mais superior a 2,6oo rs. a
libra, afianca-se ser egual ao que regular-
mente vendemos a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem huxim miudinho o mais superior que
vem ao nosso mercado a 2,7oo rs. a libra.
dem preto muito fino a 2,ooo rs. a libra.
dem muito mais baixo, muito proprio para
negocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Garrafoes com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 2,2oo rs. cada um.
dem com 5 garrafas de vinagre de Lisboa
a l,2oo rs. com ogarrafao.
dem com 5 garrafas de vinagre hamburguez
a 9oo rs. cada um.
Genebra de laranja a 9oo rs., a melhor que
se pode desejar.
Cha perola o melhor neste genero a 3,2oo
rs. a libra.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Velho secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a l.ooo rs. a garrafa, e
9,ooo rs. a duzia.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto
a l,2oo rs. a garrafa, e lo,ooo rs. a caixa.
Vinho Bordeaux das melhores marcas: St.
Julien, .Medoc, S. Estephe e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
Chouricas e paios, o mais novo que se pode
desejar, a 56o rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 9oo rs. a garrafa, e lo,5oo rs.
a caixa com urna duzia.
Eduardo Marques de Oliveira C.
> o
i-i -h
O
>
O
o
E
13
a
itr.
cas

8
I
I i

i

o.
a.
|P
2

c
CA
3

N'este novo e grande estabelecimento de molhados, encontrar o repeitanl
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro, expostos a \ewn
todas as qualidades de gneros por menos precos que em quaesquer outros ntrfifbraaai
tos d'esta ordem, pois para isso segu em um dos primeiros paquetes para a Karcpa um
dos socios para serem vindos todos os gneros de conta propria, para melhor servir aos
seus freguezes, e desde j encontrar o respeitavel publico sempre os melhores ana
novos gneros do nosso mercado, e por precos baratissimos, como se ver abaixo.
Azeite franeez clarificado a 8oo rs. a garrafa'
e 9,5oo rs. a caixa com 1 duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. cada um.
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
rafinha.
Sal refinado em frascos de vidro de diversos
modellos a 4oo rs. cada um, s o frasco
vale o dinheiro, tambem ha solt para 8o
rs. a libra.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de l,oooa3,ooo
cada um.
Painco a 14o rs. a libra.
Milho alpista a 16o rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
8o rs. a libra, e 2,3oo rs. a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a bra.
Sabo verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 3oo rs. a fibra e
em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade dd 2oo,
22o e 24o rs. a fibra.
Graixa em latas muito nova a 12o rs. a lata
e l.,3oo rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salmao e outras qualidades, pre-
parados do escabexe, segundo a arte de
cosinha de l,4oo e 2,ooo rs. a lata.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
7oo rs. a libra.
Papel grve pautado e liso a 3,8oo rs. a
resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
46o rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa, Porto e Figueira das
memores marcas a 2,5oo, 2,8oo, 3,ooo e
4,ooo rs. a caada do mais superior e de
32o e 36o rs. a garrafa.
dem velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, por ser muito claro e
macio a 64o rs. a garrafa, e 5,ooo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero, a 56o rs. a garrafa c
3,8oo rs. a caada.
Vinagre puro de Lisboa, a 2oo rs. a garrafa
e l,4oo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril,
a64ors. agarrafa, em porcao ter abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
l,2oo rs. a garrafa, e 12,ooo rs. o gigo,
com 1 duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 3,5oo rs. a caixa, tambem temos
para 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 3,2oo rs. a
caixa.
Velas de spermacet superiores, a 6oo 64o,
68o e 7oo rs. o masso.
dem de carnauba e composico, a 32o, 36o
e 4oo rs. a libra, e de lo,ooo a U,5oors.
a arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a l.ooo
rs. a ancoreta do Porto, e l,5oo rs. a do
Lisboa, estas ultimas raras vezes vem ao
nosso mercado, pela sua boa qualidade.
Massas para sopa: estrellinha, rodinha c pe-
vide a 32o rs. a libra, o l,6oo rs. a caixa
com 8 libras liquino; s no 'Progressivo.
Massas para sopa muito novas: talliarim, ma-
carro e aletria, a 4oo e 48o rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, franeez e
suisso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a libra.
Amendoas a 320 rs. a libra.
Aveles a 2oo rs. a libra.
Ameixas a 10 a libra.
Ditas em frasco por 20800.
Arroz pilado da India loo rs. a libra e 30ooo
a arroba.
Dito dito do Maranhao 120 rs. a libra e 30500
a arroba.
Azeite doce franeez 800 rs. a garrafa.
Dito de Lisboa 680 rs. a garrafa.
Agurdente de canna de cabega a 240 e 320
rs. a garrafa.
Azeitonas a 400 rs. a garrafa, e 10300 a an-
coreta. -
Bolachinha de soda a 10400 a lata.
Banha de porco a 6oo rs. a libra.
Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
rica a 30000.
Cha hysson a 20200 a libra.
Dito dito fino a 20600 a libra.
Dito miudinho a 20800 a libra. '
Dito do Rio a 10800 a libra.
Dito preto a 10900 a libra.
Carne do serto a 36o rs., e em porcao se
vende por menos.
Charutos de diversas qualidades a 10200,
10500 c 30 a caixa.
Champagne a 10 e 10500 a garrafa.
Chouricas a 560 e 600 rs. a libra.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Caf em grao a 300 e 320 rs. a libra, e 90 e
90200 a arroba.
Dito moido a 360 rs. a libra.
Doce de goiaba a 560 rs. o caixao.
Espirito de vinho de 38 graos, a 280 rs. a
garrafa.
Figos a 400 rs. a libra, e em latas de 4 libras
por 10500.
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 640 e 720 rs. o frasco,
e 70 a frasqueira com 12 frascos.
Dita hamburgueza a 560 rs. o frasco, c 60500
a frasqueira com 12 frascos.
Dita flor de laranja a 10 o frasco.
Gomma d'araruta a 100 rs. a libra, e 20600
a arroba.
Graixa em latas a 120, e 10300 a duzia.
Genebra em garrafoes de 14 garrafas por
40600.
Batatas inglezas libra a 80 rs., e a 20500 em
arroba.
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito em garrafas grandes de superior quali-
dade a 10500.
Manteiga ngleza flor a 800,900 e 10 a liben
Manteiga. franceza a 680 e 720 rs. a libra.
Dita hollandeza a 72o 8oo rs. a libra.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a 560 rs. a libra.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o fia-
Passas a 4oo c 560 rs. a libra, e 80 a caixa.
Palitos para dentes a 180 rs. o masso.
Phosphoros do gaz a 20500 a grosa.
Paios novos a 640 re. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a 20 e
20500.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Dito do sertao a 560 rs. a libra.
Cenejas de marcas superiores a 909, 561*.
600 e 640 rs. a garrafa, e 5*500, 60 e
60500 a duzia.
Dita em barril por 40, e 240 rs. a garrafa.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 rs. a UU-
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 e 80 rs. a Iba.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolo para limpar lacas a 160 rs.
Vellas de spermacete a 640 e 680 re a ibra.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 libras por 4:5000.
Ditas de carnauba a 400 rs. a libia.
Ditas de composico a 360 e 380 rs. a bra.
Vinho do Porto, caada a 50900, garrafa a
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 40 e a garrafa a 500
rs.
Dito Figueira, caada a 30840 e a garrafa a
480 rs.
Dito dita superior, caada a 43 e a garrato
a500rs.
Dito Estreito, caada a 30200.' a gamba
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 e 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa em garrafoes m I | m ri-
fas por 10400.
Dito em caada a 20, e a 260 re, i p rab.
Vinho do Porto em garrafoes do 5 ganatis
por 20500.
Dito dito engarrafado a 10 e 16200.
Dito lagrimas do Douro a tS00 a garra!...
Vinho branco de Lisboa a 720 re.
e 50 a caada. .
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, e i iwOi)
a caada.
I L.'.irrala,
Previne-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima sao de boa quak-
dade, c para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annun:i*< >.
TODA ATTENQftO
NOS
CONSI
ARMAZEYS
RVATIVrj I CONSI
RVADffB
DE
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8oo rs. cada um.
Licores- francezes muito finos das seguintes
marcas: Anizete de Bordeaux, Plaisirdes
Dames, Crme de Noyau, Eau de veede
dant- c, Creme de menthe, Huile de Ve-
nus, Parfait amour, Eau d'ora l.ooo rs,
a garrafa e lo,ooo a caixa com 1 duzia,
Passas muito novas e de carnada a 3oo rs-
a libra e 6,ooo rs. a caixa com 1 arroba
ha caixas, meias e quartos.
Ameixas francezas em frascos de 1 1/2 e 3
libras de l,4oo a 2,8oo rs.; tambem ha em
latas de differentes precos.
Marmelada imperial dos melhores conservei"
ros de Lisboa a 6oo rs. a libra, em latas
de differentes tamanhos e lacradas herm-
ticamente.
Fructas em caldas de todas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas a 5oo rs. cada
urna. -
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Doce da casca da goiaba a 64o rs. o caixao.
Ceneja das melhores marcas, a 5,5oo e
7,4oo rs. a duzia e 54o rs. a garrafa.
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
l,2oors. a lata.
Bolachinha de soda especial, encommenda
muito nova, em latas grandes a 2,ooo rs.
cada urna.
dem craknel em latas de 5, 7 e 15 libras a
4,ooo, 5,5oo e U.ooo rs. a lata.
Palitos do gaz, a 2o rs. caixinha e 2,3oors.
a grosa.
Massa de tomates era latas de 6oo a 7oo rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes do fabricante Basset, a
38o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo, a 32o rs. a libra.
Tijollo de limpar facas, a 18o rs. cada um.
Cebollas, o mlho a 9oo rs.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa,
a 14o rs. a libra.
JDymEI 3* ID 1)3 3UT33>
NS. 21 E 23LARGO DO TERf-O-NS. 21 E 23.
O proprietario destes dous estabelecimentos de molhados, vende os am g-
neros por menos do que em outra .qualquer parte, por isso garante aaoperkif bua-
lidade de qualquer genero sabido dos seus armazens; pude vender por menus par m~
prar dinheiro, e por isso faz vantagem a os compradores.
Batatas as mais novas do mercado, a 60 rs. a libra e l,6oo rs. aarroab ou caixa.
Toucinho de Lisboa da 1.a qualdade, a 3oo rs. a libra e 9,ooo rs. a arroba.
Caf do Rio da 1.a e 2.a sorte, a 28o e 32o rs. a libra.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor, a l,8oo e 2,ooo re.
Velas de spermacet, carnauba do Aracaty, as melhores deste genero, a 63o e 4o. i
Vinho verdadeiro Figueira das melhores marcas, a 5oo e 4oo rs., em caada w ba aba-
timento, ha porcao para escolher.
Bolachinhas americanas, as mais novas neste genero, a 2oors. a libra e3,ooo rs. a i.
Palitos do gaz, vindos por conta particular, a 2o rs. a caixinha e 2,4ob re. a grosa.
Manteiga ingleza da 1.a e 2.a qualidade, a 8oo e 76o rs. a libra.
dem franceza, especialmente escolhida, a 64o e 6oo rs. a libra.
Cha, o melhor neste genero, a 2,88o rs., tambem ha para mais barato.
Milho alpista, limpo, mujto superior, a 16o rs. a libra, a arrroba 5,ooo rs.
Alm destes gneros ha outros muito baratissimos, assim como ceneja da> me-
lhores marcas, genebra de Hollanda e de laranja, passas, doce de goiaba, nniM .1...... n-
nagre, canella, pimenta, cominhos. erva-doce, cebollas, alhos, chouricas. hanha ti pan* i
outros muitos gneros que enfadonho mencionar; dinheiro contado.
MACHINAS AMEMims.
Em casa de N. 0. Bieber & C, successo-
res, ra da Cruz n. 4, vendem-se:
Machinas para regar hortas e capim.
Ditas para descarocar milho.
Ditas para cortar capim.
Sellins com pertences a 100 e 200.
Obras de metal principe prateadas.
Alcatrao da Suecia.
Verniz de alcatrao para navios.
Salsa parrilha de primeira qualidade do Para.
Vinho Xerez de 1836 em caixa de 1 duzia.
Cognac em caixa de 1 duzia.
Arados e grades.
Brilhantes.
Carrocas pequeas.
Alm dos gneros cima mencionados, existe um completo sortimento de al-
azemas, cominhos, pimenta, erva-doce, palitos de dente em macos e caixinhas, enxo-
fre e outros muito gneros, os qoaes vendemos pelos precos mais baratos possiv?.
AGENCIA
DA
FNDICiO DE LOW-MOOR.
Raa da Se malla nova n. 42.
Neste estabelecimento continua a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para egenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Vende-se nina preta de 22 anno< d- 'Ja*,
sabe engominar, cosinliar, lavar e roier ; .j*wb
pretender, v a ra do Amorra, n. 50, que ahara
com ijiii'iu tratar.
TIJOLO*
DE
Vendem-se tijolos de marmore de 10 e i i por-
gadas quadradas cada um : em casa m hl t\em-
nejuc Forster 4 C, ra do Trapiche.
Vende-se manteiga ingleza fk>r a
libra, dita franceza a 720 c560, lingjiica < Por-
tugal a 480, paios a 560, queijos do rein a liW,
dito de prato a 700 rs., dito de manteiga a 3,
carne do Serid a 320. bolachinha de m* a
320, aletria nova a 480, amendoas a 12W. l*a
de Lisboa a 320, e outros muitos genero* i** f-
S} commodo : no pateo do Caro, esquina -la rea
e Hortas n. 2.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P, Jolmstou 6 C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
ESCRAVOS FGIDOS.
Na noite de 14 para 15 *) eot
tou-se da fundicao da Aurora ;
bastante alio, pes grandes e
passado e costuma andar de
algumas vezes usa capote (fe
forro : roga-se s autoridades penases^
de eampo a captara do meno, ewfi
da fundicao, onde se gratificara
trababa.

_-o-
,--.>-....'- -






8
Diario de Pernamnn cgiitda felra t de Jnlho de i ^3,
-
LITTERATRA.
[estabelecer-se eni regios tao accidentadas se-liia mais considerare! anda qaando ama depsitos de aremsuasvizinhancas. Estas
Poeta e sabia.
Eu t vi, como sempre, esbeltaairosa,
-Gentil carnaubeira do areial,
Ou, pendente do hastil, candida rosa,
Ou gaiva flor de um lago de crystal.
Era en rosto um foco de poesia.
Cada riso o perfume de urna flor,
(...Ja libar um sorrir de sympalliia,
Que liallucinava de febril amor.
Rosa na primavera da existencia,
lavo, que inebeuo orvallio de hydromel.
En son a viraco ; quero-te a essencia;
Eu sou o beijaflor ; quero-te o mel.
Quero sor ver a vida era leus odores,
Idiota de amorao lado Jou ;
Confundamos n'um s nossos amores,
Cerno fez Julieta com Roraeu.
Quero requebros de amoroso enleio.
Ai requebros, que matera de paixo !
Muier, si nao me arrimas no teu seio.
Miaba cabeca lomba r no chao
Sol, eu preciso do teu raio quente.
Que sinto o coracao fri de dr ;
Viraco, d-me um sopro, que me alent,
-rae perfumes que eu respire, flor!
Xinfi'plma um lago puro, crystallino,
Lmpido espelho que reflecte o ar ;
Deixa cahir, astro peregrino.
Na lyraplia do meu peito um leu olhar.
Um olliar, que me anime as crencas fras
E de-me alent ao paludo pulrao 1
Ai 1 teus labios lera tantas ambrosias !
Teus olhos. tantas chamraas de paixo !
Durmo ao relento, corao era tronco adusto,
Sera folha, cm descampado, o sabia :
Falla-me ura ninlioou ramos de um arbusto,
Fros c orvalhos para raim s ha.
Se meu arbusto : toas louras trancas
Estende sobre raim ramos de amor !
E 0 poeta ha de ter logo esperances,
E,na eabecaas illuses era flor.
S meu niuio: conchega-me ao tea Sia,
D-me os calores que era teu peito ua,
E era breve deixar de haver receio
De que morra de fri o sabia
Que ah de Yida ha muito ardente sve,
fia sempre fugo era eolio de mulher-
Vida que eu poderci sorver em breve
ffuma raorte de amor, urna, siquer I
Oh sim, deixa que eu ve ao tronco adusto
Para o ninho habitar do seio teu.
Que sob os ramos de to lindo arbusto
S de amor viverei, como Roineu.
Reeifc julho,;3.
Franklin Tavora.
um camioho de ferro, cujas despezas de
construeco nao estariam em ptoporco com
o valor bal, que depende do gru de po-
pulado, de industria e de commercio da
regio percorrida, a qool no caso presente
cm summa pouco povoada. Talvez que
se achem passagerts fareis no meio das ca-
deias principaes, como mesnio ja" ouvi dizer
que isto se dava para alguma das diflicul-
outra va de communicacSo, a .estrada" da
duas condices extgem muito cuidado na
execoco dos projectos, que nao devem ser
dados de afogadilho, mas sim depois de se-
riamente reflectidos.
O 'numero de pontos em que os trabadlos
Babia ae S. Francisco, figasse por ama com-
miajcago interior as abas principaes c-
dadesdo Brasil, quesfo importante nao s
debaixo do ponto de vista commercial como
estratgico, especialmente no caso de uma.deste genero se lornam necessariosso de
tentativa de bloqueio ou de desembarque. 29 no rio das Vellias e de 30 no S. Francis-
Se se quizesse, porm, obter o mesmo re- eo, desde a cachoeira de Pirapra al a bar-
sultado, melhorando-se o rio de S. Francis- ra do rio Paraopeba. Para cada um delles,
dades, e que valles favoraveis foram encon- co entre a barra do rio Paraopeba e a do alm de serem tracados na carta geral, ou
Irados pelos engenheiros das companhias rio das Velhas, o que seria, como j Uve remetterei V. Exc. um plano em escala
pouco mais ou menos i 2j3 de" legua de
3,000 bracas..' Alm disso, o vapor poder
ra trabalbar ao menos i 3 horas pordia,
nao parando seno a noute, o que seria pru-
dente, especialmente as noites escuras.
Assim, um pequeo vapor da forca de
20 cavallos, e que rebocasse um barco car-
regado com 4,000 arrobas, desceria o rio
das Velhas, desde o Sabara at a sua barra
como S Francisco, em 5 1|2 das, e su-
bira a mesma distancia em 9 lr| das.
Para a equpagem do vapor bastardara qua-
actuaes as suas viagens de reconhecmen-' occasio do dizer, muito mais-dispendioso, maior, ^ com a indicaro dos trabalhos que tro ou cinco homons, c para a do barco so-
to destinadas a supprir, anda que imper- e communcar o Juiz de Fra.com a barra
feitamente verdade, mas ao menos o me- do. Paraopeba, eu notarei apenas-que pelos
lhor possivel a falla de boas cartas.
Alas, na carencia de documentos certos
sobre este objeclo, eu nao posso valer-me
seno da impresso que me deixou a dis-
posico do solo, e sobre o qual pens que
os trabalhos da arte sero, segundo toda
a probabjlidade, de urna ordera gigan-
tesca,
Estabelecerei, pois, os meas raciocinios
carainbos actuaos, por onde vira na volta
da viagem, a distancia entre estes dous
pontos de 86 leguas pouco mais ou
menos.
Ora, urna estrada bem feita tambera, pro-
vavelmente, teria o mesmo comprimento, e
ento seriara 86 leguas de estrada, em lugar
de 55, as necessarias para ligar o jlio de Ja-
neiro com o S. Francisco. Umaobjecco,
sobre esta hypothese, como a mais desfavo- porm, se rae podera fazer, e que o com-
ravel importancia da navegaco do rio das' primento da estrada a construir poderia ser
Velhas.
Ora, no caso em que, por causa de
quaesquer difliculdades, fosse Julgado con-
veniente, ao menos presentemente, nao
diminuido se ella alcncese o rio Paraope-
ba em um ponto cima de sua confluencia ;
mas ento seria preciso melborar tambem
esta pofco do Paraopeba, rio muito peque-
prolongar-se o caminhas de ferro de D. Pe-jno em relac3o ao rio das Velhas e obstruido
dio II alm de um certo limite, ou ento de rochedos at mesmo perto de sua con-
no caso em que o governo julgasse conve-
niente dar-lhe urna outra direcc5o, in-
conieslavel que seria til facer-se ao menos
fluencia, e onde finalmente existe urna pe-
quena queda d'agua o cachoeira, que im-
pede a navegaco, mesmo de canoas. Medi
urna estrada que fosse at o valle do rio das o volume de suas aguas, e na sua confluen-
Velhas, porque as numerosas populaces' cia este volume egual ao do rio das Velhas
que oceupam o alto deste valle, a partir de a 90 leguas cima de sua confluencia, e an-
Ouro-Prelo, visinhanca de seu ponto de tes que este ultimo o tenha recebido os
partida, sao j bastante importantes para seus principaes affluenles.
nao serem privadas de urna communicaco' O partido, pois, que se pode tirar do Pa-
regular com a capital do imperio. I raopeba quasi nenhum. Sen vale tortuoso e
Em um rlatorio anterior, datado de as montanbas escarpadas qae terminara em
marco de 1862, cilci a riqueza immensa do suas rrrargens tornam estas pouco Ja voraveis
solo," sob o ponto de Vista agrcola e mine- para as vas de communicaco^ ao menos para
No lbum de Paulo de Albuquerque.
Tu choras meu amigo a dralo peito
Que te faz delirar 1
As trovas do teu livro um pranto pedem
Do tristesa sera par 1
Tu soffrw cu s que pena sent
O teu peito amador;
Tua alma sucumbida em desalent ;
S defmhade amor.
oido leu canto puro, terno
Que falla ao coracao:
E' o cysne gemendo maoso
Cantando na soido.
O teu crneo escaldado dolorido ;
Oh! mimoso cantor,
O teu peito sentido e flagelado.
Inspirou-me na dr-
Eu choro teusoffrer, teu canto triste
Que pesares traduz.
Na campa do teu peito eu scismo c choro
Aos ps de negra cruz I
ma lagrima aqui gravada Gca
De mui lougo doer ;
N'estas folhas perdidas onde escreves
Teu longo padecer.
17 de junho 1863.
Miguel Fontoura
ra lgico do alto do valle t\o rio das Velhas,
e disse ento como entretanto, no meio des-
tas riquezas, a inleressante populacho da-
quelles lugares viva empobrecida, por fal-
as grandes curvas dos caminhos-de ferro. Es-
ta ultima particularidad nao s especial as
raargens do Paraopeba.
Em geral elfa existe para lodos os nos
ta de vas de communicaco para a ex- deslas regies, e mesmo para o rio das Ve-
portaco de seus producios; pois que de
um lado o rio das Velhas se achava ainda
obstruido pelos rochedos, e do outro, que
nao se poderia dar o nome de estrada ao
caminho informe que unia o Juiz de Fofa
ao Ouro-Preto e Sabara.
Emquanto que no meio de um dos valles
dos mais accidentados do globo, verdadeiro
Ibas oS. Francisco, na parte elevada de
seus cursos, at a confluencia com o Para-
na para o primeiro delles e at o Abaet para
o segundo-.
Esta disposico resulta do cruzamento de
montanbas pertencendo a fres systcmas de
direcces diferentes, e as suas perpendicula-
res tanto no alto do valle geral do riS.
elles reclamam conforme a direcro mais
conveniente, e finalmente o ornamento des-
tes trabalhos. -
Tendoj citado os bancos mais perigosos
existentes no rio das Velhas e que merecem
ser destruidos cm primeiro lugar, resta-me
fazer o mesmo respeito dos do rio S.
Francisco, sendo os principaes dos 30 de
que acabei de fallar, excepluando-se os de
Pirapra, osseguintes, conbecidos pelas pes-
soas do lugar com os nomes de Rio Formo-
so, barra desle confnente, Broacas, Bom-
Successo, Sirga Funda, Pindahyba, Meren-
da, Caldeires, Cachoeira Grande (esta pas-
sagem a-mais perigosa depois da de Pira-
pra, e lera 2 palmos de differenca de nivel;
cortando-se o banco esta differenca desappa-
recer e possivel um canal) Catiobi, Pe-
dras, Cachoeira Comprida (nao ha differenca
de nivel; as pessoaa do lugar chamara ca-
choeira a lodo o banco de pedra), Maras e
Casados.
Todos os bancos sao ncomparavelmente
muito mais espessos do que os do ro das
Velhas, que alias sao de powca espessura.
Alm dos trabalhos que acabo de indicar, e
que devem ser fetos sobre os bancos de pe-
dra, ser necessario ainda, para a navega-
co a vapor que demande pouca agua, ba-
lsar algumas pedras violadas que s cons-
tituem perigo quando sao ignoradas, e em-
fim effectuar sobre um pequeo numero de
outros pontos alguns trabalhos de turan,
especialmente perto de algunas Ibas, arira
de obter-se maior profundidade no tempo
das glandes seccas.
Estes trabalhos sao de pouca importan-
cia, esero com detalfre indicados sobre os
planos. O orcamento completo deses traba-
lhos ser apresentado com os planos topo-
mente dous.
A machina devena ser aquecida com le-
nha, e consumira pouco mais ou menos um
estere por da com a marcha que tenho
supposto.
Como a madeir.a muito abundante uas
'margens do ro, e tanto que hoje qnema-
se em pura perda as rocadas que se fa-
zem para a cultun, ella s custaaa rao
de obra para corta-la Levando-se em con-
ta os vencimentos do meslre e do macbi-
nista do vapor, que excedeam os dos tra-
balhadores, as despezas com a navegaco
nao podera elevar-se a mais de 900000 por
dia, ou 1205000 para a desclda e 2005
para a subida do rio das Velhas, entre Sa-
bara e a barra.
Estes algarismos devero ser duplicados
no caso que o vapor s marche raetade do
tempo para esperar frete, isto s faca
urna viagem por mez de ida e volta.
Alm disso, ser preciso ainda obte -se
pouco mais ou menos 2003000, para garan-
ta dos juros com a despeza feita com a
machua, seu custeio e deterioracao, e final-
mente os lucros da empreza, que eu egna-
larei a todas as despezas ou a 810 men-
saes,
Ento o emprezario devef levar pouco
mais ou menos de 68 & por cada viagem de
descida e 1:0005 pela de subida do rio. As-
sim com interesses rasoaveis e que garan-
tam os riscos, o frete de Sabara barra pe-
der sor somonte de 170 rs. por arroba, e
o da barra a Sabara 250 rs.
Se, porm, o frete fosse abundante, 9, se
para nao perder tempo em carregar e des-
carregar o vapor robocasse na subida o na
descida urna barca diferente, poderia fazer
duas viagens-pOr Wz, e os freces, dando
graphicos, sobre os quaes serao indicados os os mesmos interesses empreza, poderiam
meRjoramentos, que, ainda repito, n3o se-jdiegar a redinr-se motado dos calculados
rao de-difficil execuco, masque entretanto cima, isto a-85 rs. por arroba,, c a 125
valle alpino, urna magnfica estrada de ro-1 Francisco como no planalto de Barbacena,
dagem, com decliveis moderados e regula- que ao todo fazem seis direcces, que in-
res, como existem ainda poucas na Europa,'cessantementefazera desviar os os. Des-
obra gigantesca pelos immensos trabalhos de! cendo-se to valle geral do rio, algumas des-
arte que occasionou, e que faz honra ao tas direcces diminuem de importancia, os
Brasil, une Petropolis, ou memoro Rio de systemasse isolam, ea partir do Parana o
Janeiro ao Juiz de Fra, nao se acra en-curso do rio das Velhas s-dirigido pelo
tretanto a partir deste ultimo lugar seno systema de ISFiTO; do qual elle toma a d-
um caminho desigual, com decliveis, e no recc3o, e o do S. Francisco, a partir do rio
qual durante a eslaeo das chuvas c apenas
possivel viajar-se a cavallo, com a condico,
porm, de se vrem pouco tempo o< animal
fra de senico, o (pie obliga a se fazer
acompanhar de animaes de muda.
A parlir de Barbacena, mesmo na esla-
eo secca, o caminho impraticavel para
um carro. Muitas vezes, por um desvio
inulil e que o alonga, o caminho deixa o
valle onde poderia continuar e sobe brusca-
mente sobre o flanco escarpado de urna col-
lina !
Assim, os animaes de carga, nico meio
de transporte, sao inmediatamente fatiga-
dos e nao podem fazer por dia seno pe-
quenas viagens, o que augmenta anda as
despezas desse meio de transporte, j por
si to dispendioso.
Finalmente, basta comparar os mdicos
i presos de transporte da companhia Unio e
I Industria com os quasi fabulosos que para
um trajelo semelhante exigem os tropei-
ros, para comprehender-se de que im-
portancia seria j urna simples estrada de
carros bera feita, cora decliveis moderados,
e que unisse a capital do imperio- com o
rico valle do rio das Velhas ; e um novo
passo para a economa dos transportes po-
Ahaet digio pelo systema-de N. 15 E.
O paiz muda errtao completamente de spec-
tev os valles tornam-se largos-, as montanbas
sao affasladas das margens, que ento sao
baixas e planas, e os ros correm tambem
quasi rectamente.
Quanto mais. fcil fr o eslabelecimenlo
das vas de communicaco parallelas mar-
ra nesta poreao do valle geral do S. Fran-
cisco tanto mais diflceis o ser no alto des-
te mesmo valla, onde haver ento Decessi-
dade de se executarem grandes trabalhos de
foi esta consideraco que j me fez dizer que,
conforme toda a probabilidade, os trabalhos
de arte para a construeco de um caminho
de ferro nesas regies deveriara ser gigan-
tescos.
Estas difliculdades para a coastrueco das
vas de communicacito no alto do valle do
rio S. Francisco provam pois que ha inte-
resse em aproveitar-se o mais cedo possi-
vel da navegaco deste rio ou de seus con-
fluentes, e ainda debaixo deste ponto de
vista o rio das Velhas, que o mais prximo,
merece a preferencia para os primeiros tra-
bados.
Os obstculos que se apresentara para
exigem muitas precaucoes em seu projecto,
afim de evilarem-se inconvenientes ulte-
riores, '
Minhas ideas esto quasi fixadascm todos
os pontos, mas nao poderei completa-las s-
no depoisde concluida a planta, ta muitas
vezes diversas soluces, e s- um traball
muito delicado poder determinar a melhor.
No tempo das aguas todas os bancos de
pedra ede-ara das regies exploradas, tan-
to no rio das Velhas comonoS. Francisco,
ficam cobertos de alguns metros d'agua, e
rs. da barra ao Sabara.
Corao urna miHia de profundidade mnima
no rio bastante para obter-se os resultados
que precedem, e como com esta profundi-
dade mnima no tempo da secca ou da etia-
gem nao haveria, exceptuando**; os- bancos
de pedra-a cortar, seno muito pouco tra-
balho a realisar-se no rio das Velhas, como
fossem alguns de tunage e em rauito peque-
o numero, sendo alm disso os bancos, con-
forme j tive occasiao de dizer, muito facis
de ser destruidos, segue-se que para una
determinei cora cuidado, segundo os traeos navegacSe a vapor quo demandaise pouca
deixados e- algumas indicai.-r.es dos maiores
niveis por tradiccao no paiz, a differenca de
nivel das grandes e baixas aguas sobre os di-
versos pontos dos cursos dos dous ros, as-
sim como foram egualmente determinadas
nuraerosassecces, e effectuei com- cuidado
as sondagens necessarias.
No tempo das cheias.pde-se, pois, nave-
gar com barcos a vapor que demandera mu-
la agua ; mas bera evidente, segundo o
arle, sobretudo para as grandes curva e 'que j dissemos precedentemente, que quan-
agua (ao menos no tempo da secca) as des-
pezas com os trabalhos sorram mito-peque-
as em eomparago comas de unv caminho-
de ferro, ou. mesmo urna simples estrada, I a confecci) das ca tus se acbam-j em va i:
com os declives regulares-sobre as margens. oxecuco.
Aim, para a naregacSo a vapor as enr-
vasnao c*nstitiiem umobalacnlo.
Os mad^os e teos de grawles arvores
encalhados em diversos pontos" do rio *>
SieiZre J,eirande Peri' m a exlracr)
delles custarra pouco.
Depois dn establecida a navegaro f>ria
preciso que bouves.se medidas ,
probibissem aos mofadores dasmarpen-
lancarem as arvores que cortam d<-iitroo
rio.
Alm disso, seria conveniente que Im>uv<>
se cuidado de se cortar aquellas arvores nm>
amearassem ser levadas pola correa.-
tempo las aguas. Assim, em resumo, para
o estabeleciinento de urna navegado a vajor
(ue demando poma agua, os trabalhos sere-
(uziriam: 1, cortar parcialmente osbaoew
de pedra, guiando-so para este din pelas rrm-
sideraces j desenvolvidas; T, efTertoar al-
guns trabalhos do tunage, especialmente per-
todo algumas ilhas; :)', limpar o rio dos
paos e teos que o obstruem: Y, linalmen-
te, no rio das Velhas fezer desapparerer o
roilomoinho do Poco Feio. Para un calado
maior seria preciso smenle augment*-
trabalhos de tunage para urna porrao ihv
de pontos, ficando o ontros qnasi raev
mos. Sobre o planos eu indicarei os tra-
balhos que devem sor fetos, segunde os aV
versos calados que se adietar. Para a na-
vegaco ordinaria sem o emprego do vapor
haveria muito mais trabalhoaexecotar, por-
que seria preciso construir um caminho de
sirga, cuja despeza seria fM egual a de
urna estrada.
Comquanto a navegaco pela sirga seja u
pouco mais econmica do que a vapor pan
0 transporte de mercadorias, t renca nao muito sensivel quando a torren-
te fraca, como acontece no rio das V-iHias;
e no S. Francisco.
Pde-se, po, contentar com a navegara*
a vapor e evitar a construcr-o de um cami-
nho para a sirga, ao menos presentemente.
E para que a Bavegafio pol.i rini soja per-
feita ser preciso anda dimiimir om cert-
numero de curvas e sui>primir todos os ro-
domoinlios- verticaes.
Finalmente eu indicarei, no niatoro deta-
Ihado sobre o rio, o sistema de tonare qu-'
poder ser empreado i -om vanta^em sobre
o actual aso do emprego das varas para j
subida dos ros, e que nao ter neceswdali
de caminlK-s-de sirga.
Taes sao, Exra. Sr. mini.Hro, as tv^siidm-
ces genes que presentemente me pewivel
apr-esentar V. Exc, e agunrilo a concha*
das-plantas geraes das 180 leguas explora*!,
que sero acompaahadas de um nivelameni>
cuidadoso, de sondagens, e de nunkvosas
secces, com a iiidicacjM) da -velocidad, da
corrate, e emfim las plantas pairiae? das
difliculdades principaes era urna escala maoor,
coma mlicaco ei'rcamontos hl trabahV>s.
Urna' discusso mais profuiHl destas (|nn-
tes, e cora a qual me preoecupo, fon
me-ha o- meio de desenvolver em um o rlatorio mais detallado, o i-onv provw tw
o apoianvas obser\a<;oes que acal de exp*w
hoje muito succiutanvnte. Os cacuk>s para
leria ser feto com a applicagao dos li- urna navegaco completamente franca e per-
aeiros ralis do syslema de transnorte ame- feita, tanto no no das Velhas como no S.
Francisco entre Pirapra e a barra do Pa-
geiro
ricano.
Como as necessidades da provincia recla-
mam antes a barateza do prego do transporte
raopeba, sao de cinco naturezas differentes.
Sao: Io bancos de pedra; 2o redomorahos de
do que a grande velocidade, e como, vista' eixo vertical; 3'bancos de rea; 4o, algumas
a differenca do preco da construeco dos curvas rpidas ; 5o, finalmente, madeiras e
camrahos americanos c dos de ferro vapor: teos de grandes arvores fluctuando ou en-
Fvplorafo dos riw S. Francisco e das Velhas.
(Continuaro.J
Mas, torno a repetir, estas experiencias
sao perigosas, e ha conveniencia em cor-
tar-se uns 30 bancos. Entre estas passa-
gens as mais perigosas hoje sao as segra-
les, contiendas pelos naturaes do lugar com
os nomes de Funil, Maquin, Onca, Violas,
Cachoeira-Grande (que nao propriamen-
te urna cachoeira, mas sim urna reuniao
de mutos bancos), Pico, Escaramuca e
Emborqae. Valles estreitos c profundos,
montanhas escarpadas e pertencendo a di-
recces differentes, caracterisam o solo das
provincias do Rio de Janeiro e Minas Ge-
com grandes velocidades, differenca cujos
juros 'devem ser repartidos sobre os trans-
portes, os camrahos de ferro americanos,
em um paiz onde abundara os pastos, po-
dem transportar por um preco to baixo
quanto os outros, claro que. mesmo sup-
pondo-se o caminho de ferro a vapor com
grandes velocidades irrealisavel em condi-
COes racionaes at o Sabara, o alto do valle
do rio das Velhas nao dever por isso ser
privado de um meio de transporte que
poderia ser realisado, se se quizesse, com
o mesmo gru de economa.
Pelo caminho actual a distancia do Juiz
de Fra a Sabara de poco mais ou menos
55 leguas brasileras.
Como, porm, esse caminho faz muitos des-
camados. Ora, estes diversos obstculos sao
de urna importancia differente, segundo os
diversos gneros de navegaco que se qui-
zer cstabelecer, e por conseguinte o gru
de melhoramento que se tem de fazer no
rio depende do genero desta navegaco.
Querendo-se, por exemplo, estabelecer
smente urna navegaco a vapor que de-
mande pouca agua, os trabalhos se reduzi-
ro bastante. Neste caso basta que se cor-
tera parcialmente os bancos de pedra de
maneira que se deixe livre urna passagem, e
o canal desempedido de redomoinhos hori-
sontaes violentos. Alm disso, quando os
bancos de pedra se seguirem de muito per-
to, como acontece muitas vezes, de maneira
que, depois de se ter transposto um delles
do lado de urna margem, ha necessdade de
tomis exigente se fr para a grandeza dos
caladcs dos barcos que devem navegar no
tempo da secca, tanto mais consideraveis se
tornaroos trabalhos a executar-se.
Os bancos dever3o en to ser cortados mais
profundamente, os trabalhos de- tumage e
mesmo de draguage.se tornarlo maiores, e-
sobre urna maior porgo de pontos.
Debaixo do ponto de vista da economa
dos trabalhos que aecessitamosos, ha pois
grande vantagem em nao ser exgeute quan-
to ao calado mximo para o tempo da secca
smente. Sabe-se, alera disso, que existom
murtas navegaces importantes e muito vau-
tajosas, tanto a vapor como a sirga, em rios
ou canaes poueo profundos. Quanto pro-
fundidade no tempo das aguas baixas ou da
etiage, o rio das Velhas e o S. Francisco,
cima de Pirapra, acham-se as mesmas
condices.
O segundo tem um volume d'agua maior
que o do primeiro, mas isto devido sua
maior largura, da mesma maneira que o rio
das Velhas tem mais agua no seu curso in-
ferior do que no superior; entretanto de-
baixo do ponto de vista da profundidade re-
sulta da differenca de larguras que se en-
e-podendo de mais as despezas coraos seus
raelhoramentos ser cobertas com a explora-
cao do ouro-
E, como nao se teriam de estabelecer di-
rertos de bar reir sobre o rio, os precos dos
Wetosfieariom.desda eiito nos. liinitfs que
acabo de indicar. E'. pois, evidente que o
paiz aproveilaria multo mais com esta nave-
gaco dc-que cora urna estrada ou caminho
de ferro entre os mesrnos pontos, por causa
do baixo.preco do transporte ; e demais, a
garanta que o governo teria de conceder
seria ncomparavelmente muito menor.
Eu considero, pois, como racional, apro-
veitar-se da navegaco do rio das Velhas [tara
dirigir-se ao rio S. Francisco na sua regio
hoje aavegavel, e terminar as outras vas de
communicaco em. Sabara ou em suas vis-
nhancas, ponto a parlir do qual este rio pude
ser nielhorado.
E" certo que ne estado actual do commer-
cio entre Sabara e a barra do rio das Velha*,
ou no rio S. Francisco, entre a barra do Pa-
raopeba e a barra do rio das Velhas, os trans-
portes nao eobam os juros dos capitaes
que urna companhia empregasse para fazer,
nao digo um caminho de ferro, mas mes-
mo urna estrada macadaraisada, aimla que
estabelecesse tarifas elevadissimas, no qual
caso a regio percorrida nao gosaria da, van-
tagens destas construccoos.
Posto que melhoramento do rio S.
conlram tambem muitos pontos poucos pro- Francisco aova custar muito mais do que o
vios inuteis, muito provavel que urna estra-
da regular, que s flzesse as voltas necessa- urna manobra rpida para ganhar-se a outra
as para a regularisacSo de seus decliveis, I margem, e assim aproveitar-se de uraa aber-
no fosse mais longa. 55 leguas, pois, de tura natural que nao existe do lado do pri-
estrada sao j sufficentes para por a capi-'meirobanco em que se passou, ser preci-
lal do imperio em communicaco com o pon- j so neste caso praticar-se urna abertura era
to em que o rio das Velhas pode comecar a' um dos dous baocos, naquelle em que fur
ser navegavel; e, attendendo importancia fcil, de maneira que se obtenha urna pas-
actual das populaces reunidas no alto deste sagena rectilinia do lado de urna das margens,
valle, estas 55 leguas de estrada mereciam'em lugar de urna tortuosa que a natureza
raes entre a capital do imperio e os val- a pena de ser emprehendidas nicamente para deixou. .
De urna maneira geral, quando existirem
diversos bancos prximos e consecutivos.
les dos ros das Velhas e S. Francisco. 0 satisfazer as necessidades destas populaces,
mesmo planalto de Barbacena, longe de of- abstraindo-se mesmo a consideraco do pro-
longamento enorme que daria navegaco
do rio.
Do que, porm, nao resta duvida que,
smente pela simples forca das cousas, o go-
verno ver-se-ha obrgado, em um futuro
mais ou menos prximo, a estabelecer urna
communicaco entre o Rio de Janeiro e Sa-
bara, ou seja simplesmente urna estrada, ou
um caminho de ferro americano, ou talvez
mesmo um caminho de ferro a vapor com
grande velocidade, se isto fr racionalmente
ferecer um plano ligeiramente ondulado,
um massico elevado com ondulaces pro-
fundas, com flancos muito inclinados e val-
les estreitos e tortuosissimos, cujo fundo,
situado a 100 ou 200 metros abaixo dos
vrtices, est comtudo ainda a 800 ou
900 metros cima do nivel do mar.
Nao ha urna s carta exacta onde estas mon-
tanhas e suas ondulaces estejam tracadas,
como reconheci na rainha viagem. Mas,
com pressa de chegar aos rios para o
desempenho da commisso de que fui en- possivel.
carregado, e sendo obrigado a seguir urna Ora, tomando-se o o das Velhas na-
linha nica no meio desta regio, era-me vegayel, nao smente o centro da pro-
impossivel poder remediar este estado de vincia de Minas, mas ainda a capital do im-
cousas; mas entretaoto fiz quanto esteve perio, se achariam em communicaco di-
ao meu alcance, determinando algumas po- recta por intermedio das 125 leguas do rio
sices geograpbicas, as quaes poderlo ser- das Velbas, com urna immensa porco do
vi'r para o futuro de base para se apoiarem S. Fraocisco, j naturalmente navegavel, o
trabalhos geodsicos que devero encher atravessando o norte da provincia de Minas
estas lastimaveis lacunas. e o serto da Babia; e estas regies lon-
Neste estado de cousas, isto na ausen- ginquas, hoje to soladas, poderiam eaviar
cia de cartas que merejam confianca, im- os seus productos at esta capital e receber
possivel a todo o engenheiro consciencioso della soccorros em caso de necessdade, e
dar ama opiniSo sobre a possibilidade de sua importancia subira de. ponto e toraar-
ser preciso desembaracar o centro, ou en-
to urna das margens, e essa determinaco
ser reculada pela direceo menos dispen-
diosa, alim de se ter em todos os casos urna
passagem rectilinia em lugar de urna tortuo-
sa, que se oppe rebocagem, e alm disso
sempre muito perigosa. Cumpre-me obser-
var que quasi todos os bancos se descobrem,
ao menos parcialmente, no tempo da secca,
ou s ficam cobertos com 2 ou 3 palmos de
agua, e por conseguinte este trabalho bem
dirigido, e seguodo a direccao mais econ-
mica, ser pouco dispendioso. Com efleito,
sabe-se que se pode minar com facilidade
fundos na sua parte inferior, mas estes sao
proporcionalmente ura pouco menos nu-
merosos do que os que existem na parte
superior. <*
Em geral, a profundidade era toda a ex-
tenso dos rios explorados no seu thalweg
superior a 1 m., 5 no momento da eliage,
ou de-suas aguas mais baixas; algumas ve-
zes ella dupla deste numero ou d 3 ra ,
e outras attinge mesmo a 5 e G metros e
mesmo alm, sendo, porm, raro que ella
decresca abaixo de 1 ra. Se, pois, limita-se
a 50 ou 60 toneladas de t,000 kilogram-
mos, o que faria pouco maisou menos 1,000
arrobas ou a carga de 34Q animaes, a to-
nelagem dos barcos um que s demandas-
so tres palmos d'agua seria suficiente, En-
to se poderia tambem limitar alma pro-
fundidade mnima para as aguas baixas, o o
trabalho necessario para se obter por toda a
parte esta profundidade seria muito pouco
consideravel.
Com esta profundidade ficaria ao menos
embaixo do barco 0,35 de agua, o que j
sufficiente para que nao se manifest urna
resistencia sensivel a marcha ou reboca-
gem proveniente do fundo,
Um barco, que levasse estas 4,000 arro-
bas sendo conduzido por dez homens para
que tivesse um excesso de velocidade sobre
a do rio, para poder ser dirigido, e viajan-
do 8 horas por dia, desceria o rio das Ve-
lhas, desdo Sabara at a barra em 15 dias;
entretanto que por trra a tropa de ani-
maes que tivesse de fazer. o mesmo trans-
porte empregaria, durante 36 dias, 42 ho-
mens, encarregados da condueco dos 310
animaes de que se comporia.
Para a subida do rio a varas, posto que
debaixo d'agua quando nao se trata de gran- seja preciso um tempo tres vezes major e
des profundidades, e em todos os casos um numero de horneas duplo do da desci-
inutil destruir-se completamente os bancos, da, haveria ainda cumtudo vantagens sobre
Os rios s3o mais largos do que o necessario o trasporte por trra com os animaes de
para que a navegaco tenha lugar ; assim, carga, mas com o vapor seobterla mais ce-
um simples canal no meio dos obstculos ledade.
sufficiente, com tanto que se tenha o cui- Assim, um pequeo vapor da forca de
dado de balisa-lo. 20 cavallos rebocando um barco subira o
E' preciso smente que se combioem es- rio com urna telocidade media de ama lo-
tes canaes de maneira que se eliminera os gua por hora,' e o conduzlrla na descida
redomoinhos horisontaes, e qu$ rieviten 05 cora a de li m-, 400 metros por hora, ou
do rio (tos Velhas, e comquanto nao tenha
ainda feito o seu orcamento, comtudo eu nao
temo allirmar a prktti que esto melhora-
mento dever custar muito menos do que
a construeco de um caminho de ferro paral-
lelo. Pelas considerares que acabo de de-
senvolver fcil ver-se que, contentndole
com barcos que calera smente 3 palmos
d'agua, isto com urna profundidade de
lm para os pontos pouco profundos na csta-
Co secca (e durante a maior parte do anno
haveria ento muito mais), as vantagens para
' o paiz, que lhe seriam j mui consideraveis,
eram entretanto obtidas sem poucas des-
pezas.
Finalmente a navegaco fluvial nao se ga-
nda muito empregando-so fortes calados, a-
inda que o rio o permitta.
Quando as aguas esto altas os obstculos
navegaco consistem nicamente as pontes,
que nao do ento passagem por baixo quan-
do nao sao bastante elevadas. No rio das
Velhas duas pontes, a do Jequitib e de Casa
Branca, foram destruidas em parte pelas
cheias, por nao terem sido construidas suffi-
cientemente elevadas; alm destas existom
mais duas, a de Santa Luzia e a de D. Igna-
cia, que devero ter urna maior elevaco,
para que a navegaco neste tempo se faca
sem perigo.
Os perigos dos redomoinhos de eixo ver-
tical desapparecem com a* navegaco a vapor,
porque ento se dispoe de urna grande forca
motriz. Um s no rio das Velhas, camado
Poco Feio, que deveria ser destruido, e
que seria fcil. A sua existencia devidida
a urna curva rpida e a urna ponta do trra
que se avanca da margem esquerda.
Cortando-se ura pouco esta popta, e mo-
dificando-so ligeiramente a curva, o que nao
offerce diflculdade, segundo a disposico
dos lugares, este redomoinho desappareceria.
As curvas rpidas do rio das Velhas e as
do S. Francisco nao sao to rpidas que pos-
sam embaracar a navegaco a vapor, salvo
se os barcos forem de grande forca, e rebo-
carem ao mesmo tempo muitos outros g-
neros de rebocagem que alias nao vantajozo.
O que estas curvas poderiam embaracar
seria o caminho de sirga pelas margens,
Alm da questo da navegaran dos rio e
lo levantamento de-suas plantes. decorrfrr-
raidade cora as minhas instraccoes recom
urna multido de dados estatistko* e-scieo-
tficos sobre a provincia. PresentemeiU*' nao
posso fazer mais qne indicar as ropsloes
principaes que sero tratadas ro relatoriodt'-
tinitivo que -tenho de dirigir k V. fin-., pis
que o seu dsenvob imento seria mua gran-
de para um. rlatorio provisorio, anda qpo
me limitaste aos factos os mais salientes.
Em primeiro lugar citarei as indagarles
mineralgicas o. geoiogkas.
Alguns trabalhos tem sido j publicados
sobre a provincia de Minas, por 'Orbigny,
Castelnaur etc., mas sao quasi sempre nesa-.-
tos. A conlifcuraco do solo tetu: sido mal
descripta.
Os systomas de montanhas taiobem pro-
nunciado* nao tem sido definidos. Como |.
tive occasSIo de dizer (altando dos rios, f>stes
systemas se refera* a tres principaes. dos
quaes dous se manifestam tanto na Europa,
na frica o na Asia como no Brasil : oja
terceiro, ainda desconhecido, merece por esua
razio ser designado como nome de systima
do Brasil.
Pude adiar algumas indicaces pr ansas
que fixam a edade distes sublevamento* e sa
diversos terren< >s. Segundo antigs ideas, a
crystallisaco quasi constante deste* ultim
fizeram com que otles fossem clasaifirados
primeiramento nos terrenos chamado* pri-
mitivos. Hoje, quo est provado que sni-
cachisto, o gneis, os schistos o graaOs
podem ser rochas muito modernas, uan lat
concluso nao admissivel s pelo uuko teto
da crystalhsaco.
Assim, j alguns autores tem referido m
terrenos de Minas-Geraes aos terrenos mete-
morphieos, sem todava ftxar a soa natureza
primitiva antes desse nKtorocrphisino. e a
poca desta modificara.
Eu procurei, pois, encher esta teeana, e.
comquanlo, nao laiian as cavernas e trabalhos do Dr. Luud, se tenha dito jooos
terrenos da provincia de Minas nao sao **>i-
liferos. eu achei comtudo loaseis mam
vegetaes caractersticos.
Estos fosseis e divergs outras considararoes
de grande poso nesta Tuesto me prmanan
quo os mais antigos terrenos desta provincia
o da do l lin de Janeiro, as regio corri, nao podem ser referidos a pocas nmis
antigs que a jurassica. A irnportmeia de*-
ta concluso, sobre a qual darei unmetraw
provas, muito grande tanto sab o paal Je
vista scientifico como de oMdade pratra.
Sendo conhecida a edade dos terrenos, sabe-
se o quo elles podem encerrar e o ojae se po-
de tambem encontrar nelles. Assim por
exemplo, o carvo de pedra prop antate li-
to nao existe nos terrenos da poca jaranea
e nos seguintos, mas na parte esa fsM
terrenos sao da poca jurassica achias al-
gumas vezes fignilos que se
muito delle, e que sao exptoradoa";
os depsitos sao pouco consideraveis.
os diversos combustiveis rnineraes
na provincia de Minas, e que
como carvo de pedra, devem ser 1
estes lignitos. Por isso 4 preciso 1
a esperanra de se achar grandes
combustivel, e. repito, tem havido 1
entre o lignito o 0 carvo de pedra.
(QjHtimm fe kn.)
PERNAMBUCO.-PYP. DE fi r. lt X.

1
-
*
X
m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ET9PFG3PD_LKOASP INGEST_TIME 2013-08-28T00:50:42Z PACKAGE AA00011611_10149
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES