Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10147


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i*-
s
I
AMO XXXIX KOMEEO 167.
i
y
i
.
Por Ires mezes adiantados ; SJOOO
Por tres mezes vencidos SSQOfl
)
SEXTA FEIRA 24 BE JLHO DE 1863.
Por anno adiantado..... 19$00O
*. j Porte franco para o subscriptor.
DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO NORTE
Parahvha, o Sr. Amonio Alexandrino de Lima'
Natal, o'Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv, o
Sr. A. de Lomos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaqiiim Marques Ro-
drigues; Para, os Sis. Manoel Piuheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronynio da Costa.
ENCARREGDOS DA SCBSCRIPCAO NO SUL
Alagas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Baha, o
Sr. Jos Marlins Alvos; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins 61 Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Eseada Iodos os dias.
Igtiarassu', Gojanna e Paralaba as- segundas e
soxtas-feiras.
Santo Ama, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho c Garanliuns as terfas feiras.
Pao d'Alho. Nazareth, I.imoeiro*, Brejo. Pesqueira,
Ingazoira, Flores, Villa Bella. Tararatu', Cabrob,
Boa Vista, Ourirury c E\u' as quartas feiras.
Serinhoin, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pincittejras as qnintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para al i sahir
navio.
Todos os estafetas partcm ao '/* dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JULHO.
4 La cheia as 3 horas, 20 m. e 22 s. da m.
7 Quarto ming. as 7 h., 3 m. e 80 s. da t.
15 La nova as 7 h., 28 m. c 20 s. da t.
23 Quarto cresc. as 6 h., 7 ra. e 84_s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 11 horas e 42 minutos da manhaa.
Segunda as 12 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagas a 5 e 25; para o norte at
a Granja 7 o 22 de cada mez; ara Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, marc., niaio, jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipuoos as 6 '/,, 7, 7 /, 8 e
8 V da i.; de Olinda as 8 da m. c 6 da tarde; de
Jaboatao as 6 '/* da m;, do Caxang e Varzea s 7
da ni.; de Bonifica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 >/?. 4, 4 '/i, 4 '/2,
5, 5 'A. S i/ e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
maula e 4 '/2 da tarde; para Jalmnlo s 4 da tar-
de: paraCachange Vanea s-4'/idalarde; para
Bemica s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TIUBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: secundas e qnintas.
Relariio: tercas e nabbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do eommercio: segundas s M horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civef: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: (martas e sabbados a 1 hora
da tarde..
DIAS DA SEMANA.
20. Segunda. S. Jer.n\mo Emiliano; S. K ,-
21. Torea. S. Ileiirkpieimp.: S. Prxedes v.
22. Quarla. S. Maria Magdalena: S. .ei*-li...
83. Quinta. S. A|>linario I., m. -. S. laboro b.
24. Sexta. S. Christina v ; S. Fraarisro S.dao i,
25. .Sabbado. S. Thago ap.: S. Cbrutovo m.
26. Domingo. Santa Anua nuk* da aiv de Dean.
ASSK.'NA-SE
no Rerife. em a lvraria da prsra da fed.-penckiirt
ns. 6 e 8. dos proprn tarto Manuel Fisurtrua V
Faria c Filho.
PARTE OFFICIAL.
niVIMIIIIO DA I VZIMA.
Relatorio do ministerio da fazenda, que devia ser
apresentado assembla geral legislala pelo
respectivo ministro o E\m. Sr. niarqnez de
branles.
A reeeita ordinaria e extraordinaria no primeiro
semestre do corrate estanco, confrmeos dados
que o thesouro possue, com falta anida dos mezes
de novembro e dezembro de 1862 da provincia de
S. Pedro, c da do mez de dezembro da provincia
de Matto Grosso, monta, como se v da tabella n.
4, a 21,446:6085.
Duplicndose esta quantia teriamos para todo a
oxonicio a somma de 42,839:2165.
Os depsitos lquidos, que tem sido applicados
despeza publica nos seis ltimos exercicjns e cons-
termo
no
quo
$ senhores representantes da Pa,\\s d, jujjdro aenna organisado, dao um ten
rir opreceitoqueine impoe H'd' de 9^0:011^ Anda, pois, suppondoque
le 1835, apresentando-vos a corrente excrcicio produzam esta somma, o q
Augustos e ttignisshnas
nnr/io.Acabo de cumprir
a lei de 31 de outubro de !H3o, aprese...,
proiiosta da lei do orcamento para o excrcicio do *"*& a?.a,,ul dacxactidm pirque basta o exa-
18641860 ni do sobredito quadro para reconhecer-se que es-
Pass,) agora, em satsfacao do que determina a' recurso, com que sempre. se contou, tem consi-
de 15 de dezembro de 1830, a dar-vos conla dos deravelmenle dinunuido, e juntando-a ao dobro da
negocios que correal pela reparticao de fazenda. i r.ece,,a do pnmeiro semestre, teamos para a ren-
Tendo gravemente adoecido o meu Ilustrado
collega, boje finado, o Sr. visconde de Albuquer-
que, de modo que foi-lhe inipossivel continuar na
gerencia de seu mi>ornte einprego, dignou-se S.
M. o Imperador cncar?gar-ine interinamente da
pasta, que elle diriga, jior decreto de 9 de marco
do corrente anno.
O reconhecido zelo pelo servico do estado que,
em sua longa e honrosa carreira publica, tanto
distingui os seus actos, Ievou-o a reassumir as
funecoes do elevado cargo, que tao dignamente
exercia, np dia 6 do mez prximo passado; mas,
da total do exercicio a importancia de.
4:1.843:2275. "
Errara, porem, quem por este nico modo ava-
liasse a receila do corrente exercicio, jtorquanto
neste calculo nao figura a renda que se arrecada
durante o semestre addicional, a qualjide orear-
se muito razoavelmente de 2,500:0005 a. .
2,700:0005.
Addiconando. pois. o primeiro destes algaris-
a dita quantia de 43,843:7275 ter-sc-ha a renda to-
tal do excrcicio somma de 46,3411:2275.
Ora, este o mesmo resultado que se obtem, com
pelo modo
A referida despeza assim oreada pelos diversos' j''>*!.mPnte, a meu ver, oexcesso dere'is. ... | do thesouro. A lei votou 24:0005 para a eompra 1862, cm ommia muito inf.-rior .iw <-ftVrtra-
ministerios
Ministerio do imperio. .
dajustica.....
de estrangeiros.
> da marinha. .
da guerra.. .
da fazenda. 7
da agricultura. .
| 300.0005000 que de mas sepedem paraObras de papel, e posto que. smente se despendessem Wtm Mameafea; haae,4Mmi '- ri mahji
4,781:49.457:i0 uo que a quantia votada p:ra o ex-Tcieiode 1863 com essa corntiia 13:7695i:M>, importou todavia em cao da lei. raaJJaaa-s
3.209:5955835 lw, crdito que, desde j direi de iiassagem, 28:2555962 a desjieza com a commissao pela ven-
767:4305.*>53.insuliiciente-paraoccorrer despeza que eom este1 '
7,752:0915920
13,206:2745349
19,131:1985512
8,998:3215867
57,846:4075766
51,000:0005000
l da do mesmo papel e os jornaes das operarios, or-
E tendo cu oreado a reccita ein
Resulta o dficit de....... 6,846:4075766
Su (1L?,rvi?ii>" ^ tem de ft"t'r noexercir de! cados apenas em 11:0005.
18641865. Assim como estes, otitros servicos,
Peco mala 20:0005000 para a verbaEventnaes
alen da importancia volada na lei do orcaraento
do anuo passado, pela natureza de alguns serrinos
que saO levados a osla verba e (pie militas vezes
liodem tornar iiisufficiente 0 credo de 20-:0005000
al agora concedido, como j se verificou no eor-
rente exercicio.
A lei do orcamento, que fica MH>neionadar deere-
Uma lei de orcamento nao pode sor decretada ,
com dficit permanente, sein os mas craves ncon; I m'anlia.delinida pela primeira vez para a ru-
venientes, ficando apenas ao poder executivo o re- ^^f^rlcl0S in
curso da emissao de bilhetes como anticipacao de ^ ki^ii- ti
reeeita, o que todavia tem sido a pratica constante .; ,'\ n- 1',.df
em casos idnticos, com urna nica oncepcao.
Rellro-me ao anno de 1860.
Este mesmo recurso na actualidade seria illuso-
, que correm
por esta rubrica, cuslaram mais duque as sommas
votadas, e porconseguntc sendo o crdito conce-
dido na le somonte 49:2285. e tmdo-se elevado a
despeza conhecida a 52:6125104. houve um exces-
so de 3:3845104; pelo que abrio-se o crdito de
4:0005.
14. Ajudas de ensto, etc.A despeza realisada.
por conta desta rubrica, at 30 de novembro do an-
uo pascado, montn a 116:4845294, a saber :
*-xeccicios findos^votou o crdito de ivis Gratilicacoes a eni|)regados do the-
souro e thesourarias pelo traba-
lho da tomada de contas. liqni-
dacao de dividas de
_ monstra o que so tem despen-
dido nos 10 exerccios anteriores per conta da mes-
illa rubrica, e por ella v-se que o termo medio
desta despeza tem regulado |x>uco uiais mmenos
rio, porque cumpre observar que dos 8,000:0005, 'T.3^0'!0^0?' C ,)0r iss0 liz i,H'luir csla ,,Uan,i:i
Iv,rn<, .,-,ra <,.>,- na I'roposta dcsleanno.
infelizmente, seu estado de "saiide nao corresponda pequea dilleienca, oreando a reeeita
aos sens desejos, como provou o fado do scu re- constante da tabella n. o, como se praticou no an-
ente falfecimento, inie o paiz com razao deve no antei lor. ..... a. ,
deplorar 1 A le manda oreara reeeita pelo termo medio da
Assim'iW, fui de novo encarregado uterina- dos ,r^ann^ anteriores pela forma demonstrada
mente da mesina pasta por decreto de 7 do referido na,'a, ,n ,
jjj(,z Calculada assim, devena ella ser oreada agora
Em tao curto espaco de lempo, senhores. fora 48,713:7005 que o termo niedio da renda dos
impossivel, j nao digo de est.idar aprofundada- ,re* ltimos exerccios immediatanieiitc antenores
mente a vatta adminislracao da fazenda do 00880 RJS** dc 1^,J-18W>- 1800-1861 e 1861-
paiz, a fim Ide propor-vos' todas as medidas, cuja
adoped a experiencia aconselhe como conducente
1862.
. Mas, altendendo aos elementos que servem de sc Iiit* :u enlrnln dn roforiilrt lornin iiiixIia nlimiic .
cuja emissao foi facultada ao governo para seme
lhante fim, existiam emittidos, no dia 30 de abril
ultimo, 6,576:0005, os quaes representam despeza
j realisada.
Alm de que, parece que a praca do Rio de Ja-
neiro, apezar de sua'importancia,*nao comportara,
principalmente agora, una emissao muito superior
existente sein prejuizo dos seus interesses commer-
ciaes c industraos, a que cumpre atlender, pela
elevacao do juro, que seria a coasequeuea de urna
medida scmelhante.
Forcoso jiois, senhores, que este dficit desap-
pareca" ou por meio da reduccao na despeza, ou
pela creacao de novos impostos, ou por ambos es-
tes, meios combinados.
A yossa sabedora compete resolver esta grave e
importante questao, sobre que o (muro tempo do
meu exercicio do ministerio, que dirijo interina-
mente, nao me permitte dar, por ora, urna opiniao
ao melhorahienm dola, mas ainda tomar inteiro'base a0 c*W[>i(l do referido termo medio, alguns
conheciment) dos differentes ramos de servico que : dus V* M na" Poem "'aisivpnxluzr, comoseja
I>or ella corem I r,'IU'a do exercicio de 18>91860, visto que eii-
J vedes, por tanto, flue o trabalbo, que a lei me o.foma augmentadas algunias das disposicoes
impae o dever do aprosentar-vos, nao pode deiiar fxlsll'"'p1f^S^ cU'yua logo exreicio seguin-
ma sucinta exposieao dos fados *?' a ^>,000j0005, tendo por muito falhvel o calculo
Assevero-vos, {lorm, que ella oceupa a minha
mais seria'attencao, e que, em tempo opportuno, e
exerccios
lindos, extraceao de certides da
divida activa assignatura del-
tas, feito fra da hora do expe-
diente de suas respectivas rapar-
ticoes..........................
Dita's aos enijiregados da caixa da
Amoilisacao pelo da assignatura
de notas e conferencias das subs-
tituidas, feito no .mesmo modo .
Ditas a diversos empregados; en-
caonados de traballios extraor-
dinarios .......................
Ajudas de cuajo aos que foram no-
meados pela primeira vez, re-
movidos de unas para outras
repartieses, ou mandados em
commissao ....................
31:6545048
17:5155000
17:1385191
50:177*056
116:484-3294
BXpOSICl
ainda assiii ha de
de limitar-se a urna
de maior importancia, e ainda assim lia dc rosen
tir-se de'faltas e laeuna. que espero serio releva-
das em atteijco a tao jionderosos motivos.
Procuro esludar e inleirar-nie de todos esses
ramos de servico, e no decurso da sessao vos apiv-
sentarei, coid a mellior vontado, todos os esclareci-
nientos e iuformacoes de que carecerdes; o se |>or
ventura reeonliecer que novas medidas se devem
adoptar para o mencionado fim, nao deixarei de
Ji az-las op|iortuuamciite ao vosso conhecimento.
da reeeita feita desse modo.
Pareeendo, poriu, que a dimiauicao da renda .
no corrente exercicio um facto excepcional, que ^^
se nao rejH'tir, 1" por ser, segundo entendo, o
resultado de terem sido diminutas as duas safras
do nosso principal producto de exiiortaco, que se
seguirama do anno de 1860; 2o porque, tendo em
parte cossado una das causas que para isso con-
trbuiramo mal que atacou os cafezaes, an-
nuncia-so nina mellior safra para o corrente anuo
se
A marcha da reeeita publica do exenicio do jvil, e lauto quanto e possivel prever em sema-
.... .ave ^.- .. .. mu r .... ... ....... lliroif' :issMinnfn h;i i'SOi'r.'tn'Ts ni. non -\ iln nnnn
18551856 at o de 18611862,- ultimo encerrado,
foi a seguinte:
Exerccios. Reeeita ordi-
naria e extra-
ordinaria.
185556 38,34:3565
Deposito;
lquidos.
Reeeita total
686.2345 39,320:5905
49,156:4145 2,046:3lt
49,747:0075 1.392:4655
46,919:6954 981:8665
43.807:3463 810:3635
:>o,o,"i5:97;i3 116:0735
52,078:ft5 :I52:3885
lhante assumpto, ha esperancas de que a do anno
scgHtOR soja mais abundante ; 3 porque, apesar
da existencia de orna cansa iwderosa, que pode
contribuir para a diminuieao da produegoa fal-
ta 1I0 bracos que so vai 'sentindo, ele esperar
que a uberdatle. do nosso abeneoado solo contra-
balance essa causa ; 4" que, nao obstante as cala-
niklailos. (pie tem pesado sobre o nosso paiz uestes
ltimos aunas, observa-se que a riqueza publica
pelo menos nao tem diminuido : nao duvido orear
m a receila para o exercicio de 18641865 na so'm-
H.(H7:/095 : ma de 51,000:0005.
60 J J?:?*^5 1 Ciimpre-me dizer (jue orce a reeeita na sobre-
* dita quantia, no presuposto de que continuareis a
SU03J3323
51,139:4435
47,901:8615
usados 0,1 pela propria lei do dc,n:u) u reni sldo eontemplados nos orCamentos
Bis especiaos, 06 quaes podiam anlr'ores por outras razos, como as que se fazem
xeepco nicamente da despe- -i co,m ,as C',ra,,a s o ferro e com acnmpaiiliia tinao
e Industria na avultada somma do 1,112:0445745,
* A tabella 11. 15 nosira os saldos do exercicio do
18621863 no thesouro, thesourarias, e agencias
de I.* !! Iivs as ultimas datas.
CRDITOS SUPPLEMENTARES.
No relatorio antecedente expoz desenvolvida-
mente o meu ill ustrado antecessor os inconvenien-
tes," que podi'in em alguns casos resultar da latitu
cima me refiro foi o seguinte :
Exerccios.
18531856
18561857
18571858
18581839
18591860
18601861
18611862
Importancias.
40,242:6485
40,373:9635
51,755:65611
52.718:5805
52,606:1513
32.259:2775
52.212:1145
1,349:3793 representada nos balancos dobaixo do
tituloSaldo em poder de responsaveis, a qual
na sua quasi totaldade representa despeza elletti-
va. Assim quo, sommando os dous referidos alga-
rismos, pode desde j avancar-se que a despeza dc
18611862 nao andar longo de 52,561:4935.
1856-M
185758
185859
1859-60
1860-61
186162
Tome) como pon
18551856, jiorqu
veis da nossa adminis
Tendo sido a sua renda ordinaria c extraordina- creados pelos || 1" e 2" doafl. 11 da le n-1,114'de
lia de 38.634:3565 o o son recurso ordinario total ] 27 de setembro de. 1860, como o demonstra a ta-1
eom u depsitos de 39,320:5905, elevou-se rpida- bfi
mente a do inmediato considoravel somma de fingir
49,156:4145, ou com os depsitos de 51,303:3511
por motivos feralmente conhecidos. um dos quaes,
no meu modo de pensar, foi o dosenvolvimento do
espirito de industria e associacao que se soguio s
importantes medidas adoptadas no anno de 1830,
que deram um emprego menos aleatorio aos capi-
taes circulantes.
Oexame dos algarismos cima referidos demons-
tra que a renda publica soffreu um grande abati-
inento nos dous exereicios de 18581859 e 1859
1860.
. As raides destt facto foram tao .impamente
desenvolvidas nos tres ltimos relatorio de meus
Ilustrados antecessores que nao julgo uecessario
tratar dolas aqui, porque nao faria seniio ropro-
duzir o que enea to hbilmente dissefam.
E essas razos deixam fra de duvida que o
ibatimento, quo t.'ve a ronda publica nos mencio-
nados oxeroieii. nao foi devido a diminuieao na
produccao do paiz, de modo que.a nao se terem dado
essas causas, crenea minlia que a reeeita dolles
guarda ria a mosma proporcao da dos dous ante-
riores e dos posteriores.
Demonstran) mais os sobreditos algarismos, bem
como a tabella n. 1, que o exercicio em que maior
renda se tem arrecadado no imperio o le 1861
1862.
A causa principal deste facto foi o resultado do
augmento proveniente das diversas imposicSes
croadas pela lei n. 1.114 de 27 do setembro' de
1860, as quaes arrecadaram-se durante todo bBBC
exercicio, ao passo que no anterior algumas eome-
Caram a ser cobradas smente no 1" de Janeiro de
861, e outras ainda em poca posterior.
E, na minha opiniao, tamhem para issocontri-
buio o elevado preco que no exercicio de 1861
1862, sobr,e tildo rio segundo soimsln', teve o
principal producto da nossa ex|>ortaeoo caf,
embora a onantidade exportada fosse inferior do
exoreicio de 18601861, como se v da tabella
n. 2.
A referida tabella n. 1, organisada por artigos de
reeeita, aprosenta o augmento ou diminuieao que
tiveram nos exereicios de*856 -1857 18611862,
comparados entre si, ca de n. 3 os artigos de re-
eeita em que se deu augmento ou diminuieao no
exercicio de 18611862, feita a comparacio da
renda desse exercicio com o do anterior de 1860
11861.
Infelizmente, porm, esse estado tao prospero e
"isongeiro da renda publica em 18611862 nao ha
cmtinuado no corrente exerciejo,
A renda deste tem tido at boje urna grande
iminuieo, por quanto, conforme os dados que
ossue "o thesouro, nao de esperar que ella pro-
uza mais de 46,000:0005000 at 47,000:0005000,
Iessa circumstncia d a expheacao natural de
ma outra, a saber, a do^ugmento da emissao de
bilhetes do thesouro, e a necessidade em que se vio
Sllocado o Ilustre ministro da fazenda, cuja mor-
! lamentamos, de contrahir com a associacao lian-
caria estabaleeida nesta corte sol) a denominacao
delndon & Brasilian Banko emprestimo de
200,000 t, posto que este augmento de emissao de
bilhetes do thesouro, e parte do referido empresti-
mo representen! tamhem as seguintcs despezas j
realisadas.
|. A quantia de 1,300:0005 paga em moeda cr-
rante ao banco do Brasil .peto resgate do papel
moeda feito por conta do cnente exercicio.
*. A de 775:0965708 satisfeit pela mesma fr-
rna em pagamento das presas hespanholas nos ter-
mos do r do art 22 da lei n. 1,177 de 9 de se-
tembro de 1862.
3*. A de 2,261:4475630 tambem paga a dinheiro
Companhia da estrada de feno dc D. Pedre II,
jior conta do saldo dos diversos emprestimos, por
ella feitos ao thesouro nacional nos amos de 1858
1861, saldo que, segundo os clculos do mesmo
thesouro, irnportava em 31 de dezembro de 1862
na somma de 2,406:939*930,
E disto oonsequencia a suppressao quefaeo da
; dos servicos que jior ella correm. procede ou d<
Passarei a cumprir (
reparticao, que inte '
de o fazer, cunipr
na despeza do ministerio
eos creados e autoris
orcamento, ou por
ser previstos, eom excepeo nicamente da despe
za proveniente das chamadas, que porventara pos-
sa fazer a eoinpanhia da estrada de ferro-D. Pe-
dro II por conta da quantia de 2,483:8105 recebida
no thesouro pela permuta das accoes que o govertio
possue, por ser inteiramente eventual.
Pareeem-mc razoavelmente calculadas jielo the-
souro as despezas do ministerio da fazenda.
Posto (pie o cambio esteja, actualmente, algum.i
cousa cima do par nesta praca, e no presupposto de cm (jue a lei de 9"de setembro de 1830 conce-
de que assim se conserve ainda no exercicio para deu ao governo .1 faculdade de abrir crditos sup-
(|iie deve ser decretada a lei, comtudo, como tem plementares.
tido varias oscillacoes, julguei prudente calcular as ] A lei n. 1.177 de 7 de setembro do anno passado
despezas com a divida externa poH) cambio par, liinitou essa faculdade com as disposicoes dos seus
do que nao resulta o menor inconveniente, porque, arls. 12 e -13.
, i-uis, 11111 facto consummado sobre que nada
devo aerrescontar, cumprindo esperar que a ex|>e-
riencia demonstre se coin as referidas disposicoes,
cuja execucao ha de comeear em julho futuro, se
coiisoguiro os benficos resultados que o poder le-
gislativo teve em vista, decretando-as, ou se por
ventura ainda indispensavel que se adoptem ou-
tras, para o fim de mellior garantir o legitimo em-
prego da fortuna publica.
E evidente que essa legislaeao nao podia regular
le I desde o ex ciclo do 1844- S? .11 m* vmdosjuros da quantia de 693:0005000, impor- o passado.
ca tambe ni na en^hi nolavol n i, si 1 lni tanc,a das aIK)liCL's 'Jue w {om emi,,ido e h3 de Asil" 1u(! oministerio da fazenda teve BOCeSSi-
nist.clol..ieeii?^ a0 l'reco de 90, para o pagamento dade de abrir diversos coditos supplenientares,
AdesnaSSeano neroilT de 6 annos aune da? ,)resas da gUL'rra da indeP>denci.i, autorisado que devo justificar, nao so no exercicio de 1861-
am,e pelo crdito especial votado noart. 22 3- dessa lei' 1862. j encerrado, como no corrente de 1862-63,
sein decrotaoo de fundos. I necessidade que principalmente jiroveio da circuin-
Beduzi a 4:0005000 o crdito de 6:0003000, que stancia de que a proposta, que servio de base lei
tem sido votado as leis de orcamento dos exerei-
cios anteriores para a verbaJuros da divida ins-
criptaporque a experiencia tem demonstrado que
1 suficiente essa quantia.
O crdito de 1.172:5025000. pedido para a ver-
baPensionistas e aposentadosfoi calculada pela ate hoje, como o demonstrara
: mesma forma exposta no relatorio anterior. Como rerendo relatorio deu conta do crdito da
A despeza do exercicio de 18611862 "na impor- porm. a experiencia de muitos annos tem demons- na,n.,,a1 do, i-081:7265000, aborto pelo decreto
tela de 51,111:1141600 a me as thesourarias Irado que as pensoes e aposentadoras annualmen- 2.J18 de 2J de abril do anno passado.
Mais tarde venficou-se que a somma votada pela
respectiva le do orcamento para as despezas das
estacos de arrecada<;o era insufllciunte, pelo que
vos foi apresentada a proposta de um novo supple-
ment de crdito da quantia de 637:0735455, que
approvastes pela lei de 9 do setembro.
Nao obstante, antes de lindar o exercicio, reco-
nheceu-se ainda que, alm de outrasx duas das
verbas para as quaes o citado decreto j tinha
aberto crdito supplementar, a saber : a dos
juros, amortisacao e mais despezas da divida ex-
terna fundada pertencente ao estado, e a dos juros
do emprestimo do cofre dos orphaosnecessitavam
um novo augmento de crdito.
Em conseipicncia disto, pelo decreto n. 3.032 de
17 de dezembro foi concedido ao ministerio da fa-
zenda o crdito de 705:0005^ distribuido pela se-
guinte maneira :
Rubricas da lei n. 1.114 de 27 de setembro
de 1860.
Io Juros, amortisaco e mais des-
pezas da divida externa fundada
pertencente ao estado .... 521:0005000
4 Caixa da amortisaco, filial da
Babia, etc.........40:0005000
11. Adminislracao da estampara
c impressao do thesouro nacio-
nal ...... ..... 4:0005000
g 14. Ajudas do custo e gratiflea-
ces por servicos temporarios e
extraordinarios......40:0005000
8 18. Juro do emprestimo do cofre
dos orphaos T ; 100:0005000
As quatro rubricas ns. 22 a 23 da mesma pro-
posta foram creadas pela lei do oreanienlo n. 1177
de 9 de setembro do anno pastada embora as des-
pesas constantes das rubricas ns. 23, 24 e 25 nao
sejam do estado; o crdito que para cada um des-
ses servicos se pede exactamente o que o the-
souro despende em Londres, por conta das tres
emprezas das estradas de ferro da Babia c Per-
nainbuco, e companhia l'uiao e Industria desde
alguns annos, sem ter sido ainda indemnlsado.
Contemplo tambem na pro|>osta a despeza de ris
2,000:0005000 com o rsgate do uapel-moeda, nos
termos da lei de 5 de julho de 1833 el 14 do art.
11 da lei n. 1,114 de 27 de setembro de 1860, poi-
que urna despeza prevista e autorisada pelo poder
legislativo.
Comparando, pois, a despeza do ministerio da fa- Tendo a lei votado apenas 90:0005000, i>or n.io
zenda decretada para o exercicio do 18631864, ser entao possivel prever-se o dispendio que resul-
pela lei n. 1,177 de 9 de setembro do anno passado taria da refor.ma das alfandogas, executadas pos-
rom o crdito total pedido para o exercicio de | teriormenle. verificou-so o excesso de despeza de
18641865, reconhece-se haver um considoravel 86:4845294 ; e como faltavam ainda em dezembro
. augmento de despeza (tabella n. 14), o qual nao re- j alguns lia laucos das thesourarias de fazenda, rela-
tirosa mezes anteriores, cera por tanto de presu-
mir que esse excesso seria de maior quantia, jul-
gou-se preciso o crdito supplementar de ris-----
40:0005000.
s, 18. Juros do emprestimo do cofre dos orphaos.
Pela lei citada foi concedido o crdito de.......
800:0005000 para este ramo de servico, t pelo de-
creto n. 2.918 de 23 de abril de 100:0005000.
Nao obstante, no tim do exercicio, a despoza co-
nhecida a presenta va um excesso de 47:6965201.
Era, pois, necessario abrir-se novo crdito, e foi
decretado o de 100:0905000, pela mesma razao da-
da, quanto rubrica anterior, de faltaran alguns
balancos, devendo p jr conseguinte suppor-se que
a despeza seria muito maior.
Tralarei agora do crdito supplementar relativo
ao corrente exercicio.
Apezar de nao ter-se augmentado por ora a des-
jieza do ministerio da fazenda no dito exercicio,
verificou-seja um anillado dficit em algumas das
rubricas da lei do orcamento vigente, facto este de-
vido na sua quasi totalidade circumstncia queja
cima deixei exposla.
Em consequeoeia disto, o decreto n. 3,080 de 27
de abril ultimo abri o crdito supplementar de
1,840:7665000 para as seguintes rubricas :
B 2." Juros da divida interna
fundada ...........^..........
S 4. Caixa de aniortisaeo...
8." Juizodos feilos da fa-
zenda.........................
I 9." Eslacoes de arrooadacao.
I 17. Premios, descernios de
bilhetes da alfandega, etc.......
% 18. Juros do emprestimo do
cofre dos orphaos ............
i 19. Obras.................,
20. Eventnaes..............
do orcamento, que regeu no primeiro desses exer
cicios, e ainda no actual, foi organisada no thesou-
ro em mareo de 1860, quando nao era possivel
prever a creacao de muitos importantes servicos
decretados no longo periodo decorrido de entao
intuito de evitar a abertura de crdito supplemen-
tar. Peco-vos, pois, que autoriseis essa des-
peza.
A pequea differenea para menos, que apparece
aa rubricaJuizo dos feitosprovm de eu ter
mandado supprimir tres gralificacoes, urna de......
Tomei tambem aqui o exercicio de 18351856 2005000, outra de 3005000 e outra de 6OO50OO que
como ponto de partida, ponnie acerca da despeza concedidas temporariamente pelo governo a escri-
d-se facto idntico ao da reeeita. A despeza pu- do mesmo juizo por conveniencia do servico,
blica, que no dilo exercicio e ainda no seguinte as thesourarias do Piauhy, Minas-Geraes e Matio-
pouco excedeu de 40,000:0005000, elevou-se rapi- Grosso tem considerado como vencimentos perma-
damente no posterior do 18371838 a.......nentes, porque nenhuma lei autorisou semelliante
51,700:0005000, nao tendo nunca mais descido de despea, e bem assim a de 3005000, que a thesou-
51.000:0005000. i raria de Matto-Grosso ndevidamente contomplou
Junio a tabella n. 8 da despeza cffecluada nos' em seu orcamento para dous offieiaes de jusiieaque
mencionados exerccios, organisada i>or verbas c a ,ei creou nessa provincia.
ministerios, e por ella fcil de ver, comparando-se ,. Sc ')e,nJjIue eu tenMa oreado a reeeita em.....
cada rubrica de um exercicio com a corresponden-151:0005000, todavia julguei conveniente pedir para
te nos exereicios anteriores c posteriores, qual o a verbaEstacos de arreeadacoamesmaquan-
augmento ou diminuieao que cada urna teve nosse a que com esto ramo de servico effectivamente se
periodo. 1 despendeu no exercicio de 18611862, em que a
A tabella n. 9 demonstra em globo o por minis- renda produzio maior somma, ainda na esperanca
torios a marcha da despeza desde o excrcicio de deque a reeeita publica tornar a tomar a sua inar-
18441843 at o de 18611862. I cha ascendente.
Bem desejava eu poder mostrar-vos qual tein! As thesourarias de fazenda de provincias, cm
sido exactamente a despeza publica do corrente ; que existem proprios nacionaes, costeadas por con-
exercicio at 31 demarco prximo passado, por.'a do governo, pediram mais 8:5985000 do que a
ste dado, se fra possivel actualmente: somma votada na le que deve reger no exercicio
734:7665000
32:0905000
20:0005000
450:0005000
192:0005000
200:0005000
200:0005909
12:001 $000
que com este _.
apresenla-lo completo, o poder legislativo teria to- futuro.
dos os elementos quantos, em minha opiniao, seriam | .Na falta de dados positivos, pareceu-me acertado
precisos para legislar com inteiro conhecimento de nao crear esse pedido.
causa sobre a reeeita e despeza publica do im- Ajf*2!S!SS ein :<> de al)ril ullim0 dc rei*-
perio. 6,57o:00u50O0 de bilhetes do thesouro em circula-
isso, porm, inteiramentc impossivel, como o' fao, somma superior aos ttulos desta especie que
prova a tatiella n. 5. so achavam emittidos em igual poca do anno pas-
A despeza do mesmo exercicio, correspondente sado, justifica o augmento de 100:0005000 pedido
aosWzes da referida tabella n. 5, dos quaes o the- para a verbaPremios, deseontos, descontos dc
souro possue balancos, monta apenas a.......bilhetes do thesouro, etc.pela qual, alm disso,
24,071:5565, mas evidente quanto este resultado corran as outras despezas constantes de seu ti-
esta longe da verdade, por nao entrarem nesso cal-! *ulo.
culo todas as sommas j despendidas, relativas a Do exercicio de 18391860 em diante ha sido
um mesmo periodo, urna vez que nao pedem estar i votado as leis de orcamento, para o pagamento; maior despeza proveniente desta differenea.
no dito thesouro, em urna |>ooa dada, os trabalhos [dosJuros do emprestimo do cofre de orphaoso
de todas as repartieses subalternas, que sao para crdito de 200:0005000; mas a experiencia do-,
isso indispensaveis. monstra que esse crdito insuficiente, porque to-H
O governo tem adoptado, como norma do seu pro-dos os annos tem sido necessario abrir-sc crdito
cedimento, observar a mais rigorosa oconomia. dei- supplementar.
xando de realisar as despezas que, sem desservico A razao deste facto a seguinte : que a divida
publico, podem adiar-se, e tal e o proposito em que fluctuante desta natureza, tem crescido annual-
contiila a estar. | monte, como se v na tabella n. 10.
Infelizmente, porm, parece que a despeza do Por esse motivo a lei do orcamento para o exer-
corrente exercicio ha de ser avultada, pelos gastos cicio futuro de 18631864 concedeu o crdito de
300.0005000 para este servico.
Tendo-se, porm, despendido no exercicio prxi-
mamente lindo a quantia de 369:3535637, entendo
que nao deve decretarse panfella quantia inferior
a 400:0005000.
As tabellas, que.4un.tf> sob ns, e 18, justifican), l
1,840:7665000
% 2." Juros da divida interna fundada.Quando
orgtmisou-se a proposta, que servio de base le
de 27 do setembro de 1860, existia nicamente ein
circnlaeao a somma do 57,757:0005000 em apoli-
ces da divida publica fundada, cujo juro irnportava
cm 3,460:1565000, e foi esta a quantia votada
na lei.
Uepois emiltiram-so o tem anda de emillir-se
novos lindos dessa especie, venrendo o juro de...
734:7665000.
, pois, evidente a necessidade que houve de
abrir-se crdito supplementar desta ultima quan-
tia.
Os valores das apolices emittidas e que pdem
s-Iono corrente exercicio sao os seguintes:
9,749:6005000 dados em jiermuta
do 35,483 acodes da estrada de
ferro de D. Pedro II, 13,549 da de
Pernambuco e 1,020 da da Bahia
em virtude da faculdade concedi-
da ao governo no art. 5." da lei
n. 1,083 dc 26 dc agosto de 1860. O
juro dessas apolices a 6 % im-
porta em....r................. 584:9765000
2,150:0005000 applicados ao paga-
mento do papel-moeda resgatado
pelo Banco do Brasil, em obsor-
vacao do disposto noart. 11 14
da lei n. 1,114 de 27 de setem-
bro do sobredito anno. O juro
desta importancia, tambem a 6 %
monta a.... .................... 129:0003000
693:0005000 nominaos correspon-
dentes, pelo preco de 90, a.....
624:0005 reaes, "decretados para
o pagmento das presas da guerra
da Indepodencia e do Rio da Pra-
ta, pelo arl. 2213 da lei de 9 de
setembro do anno passado, par-
te dos quaes j tem sido despen-
didos no segundo semestre do
corrente exercicio. O juro, pois,
de um semestre a 6 % da
quantia de.............."...)... 80:7905000
extraordinarios que, em virtude dos acontecimon-
tos do mez de Janeiro prximo passado, se tem ef-
fectuado e continua a ofoctnar.
Feitas estas breves consideracSes, passarei a tra-
tar da despea publica relativa 30 exercicio de 1864
-1865, r '
705:0005000
Passo a expr-vos as razoes que houve para o
excesso de despeza verificado nestas verbas, e que
justificaran) a abertura do crdito.
Io Juros etc., da divida externa fundada,A
lei cima mencionada votou esta despeza, calcula-
da pelo cambio de 27, segundo a pratica cstabcle-
cida.
sabido que desde 1858 o cambio baixou do
par, fluctuando o mnimo de 24 >/4 e o mximo de
26 V4. e nenhuma lei concedeu fundos para a
jior despeza proveniente desta differenea.
No exercicio de 18611862 o thesouro fez di-
versas remessas para Londres que, por virtude
dessa differenea, custaram mais 520:9265941 ao
estado, do quo se tivesscm sido effectuadas pelo
cambio da lei, c isso tornou iasufflciente o crdito
votado, e necessario o supplementar de 581:00O5-
% 4 Caixa da Amortisaco, etc.Tem sido sem-
pre levada a esta verba a despeza com o proparo o
transporte do papel moeda mandado vir de Lon-
dres, sem que nenhuma loi haja decretado fundos
para scmelhante fim.
A conhecida, quando teve de abrir-se o crdito,
montava a 38:5335676; e, pois, tornava indispen-
savel a abertura de um crdito pelo menos de
40:0005.
% 11, Admipistracao do estampara o impressio
734:766|000
a ref-mna das atLindeya-'.
que trouxe grande augmento ib- p.s.oal e de por-
eentagons.
No sobredito exercicio a 'lespexn eKrtiva roo.
lida to thesouro montou .13.IX3.-H1057H7. apresra-
tando assim um delieil de 439:32*7h7
Se bem sejapara reeeiar. pelo- dadits qm* Wmm
othesoiiro. que a reeeita do rorremV exerririo Apio
muito ojBSaa da do anterior, julgtiri arenad cal-
cular a despoza nesta parlo |iea ii>rTv>p mesmo exercicio de IHiii IH62, prini ipil ai.
nao resultando d'.iqiu ineonvenienl* ilgi. pnr
que, se infelizmente s*> realisar a doiaarat> da
renda o excco de erodito tirar annolladrk'
l'ortanio. foi aberto o .-npplomeatar de.....
450:000500.
$ 17. Premios, descontos de brihefes. rtr.|
despea feita por conta esti verba n> [.!m >v-
xar de exceder ao crdito de 10 muirn i>**\.
na lei, importam aclnalmente em 5HMi5i*k.
annuaes, punco mais ou menos, visto que exba-
oin circularan a somiua de mais dt*__.......
6,.5O0:0005d00.
Tendo-se calculado a ipiantia n-wvssaria |wra o.
ulliiin>> ni'zcs (ko exerrirw em.......
160:78852X6, Innmu-s** indispensavel o crdito *
192:IM>")5000 OJO foi d.rrelado.
S 18. Juros do omiH-.-stimo do cofro do or-
phos.O crdito de 4)-iMtiMHk vntailu aa lei
para esta verba foi iiksullieienle. |mr|tte. ereseea-
do annitalmenie. como tem ereseMS >.topre.
divida desta origen), tornare nkiior a iiupurtanrii
dos juros reclainados.
No exercicio do 1861 -1862 os jur*i patK el. -
varain-so a somma de 369:092-5018; indiiziod >
ludo .1 crer que no corrento exercicio a dpezi
11.10 ser inferior, luanifesto que nao poda de\-
kar de autorisar-se |M'la aliertura de crdito suppi.-
mentar o pagamento de mai> J0t):000t>5flH>.
i 19. Obras. A lei votou para esta robrira
1.200:0005000: mas as obras internas ee\teras
da alfandega da corlo, para as quaes distrikni-
ram-se 600:0005000, exigiram um excesA oV rr -
dito do 200:0005000, .i|^sar das rvslwries po o
thesouro mandou fazer.
E' corlo que o crdito total nao est ainda esgo-
tado: mas, sondo isso devido a eimini.-tainu- >t.'
nao lor-se despendido at agora tola a somma U-
840:0005000. destinada para obra da rasa da
moeda, o podendo acontecer que a sibra pie existe
soja gasta ate o tim do exercicio. |'- pie a obra
leila por cuntalo e rom pagaiiwnto em |>ra>os
estipulados, v-se pie o exeoHO de Je*|Kia ita?,
obras ds alfandega tornou indispensavel > rndttn
alK'llo. i) qual alias ser nominal, se se nao ro.ili-
sar essa h\|M>tbesi'. e -e em diversas provincia se
n.io despender bula a somma autorisada para certas
e detenmaadas obras.
S 20. Kveniuaes.No enrraate nartisaM in-
stillicionto o crdito de 20:OOti30UO. votad anntial-
menle para esta rubrica : I 'porqiu-, em virHnk' A-
diversas ordens do tbasonro, elevada a dh a ile9-
peza proveniente dos vencimentos itis sullilaires
de empregados i|ue sao pagos cusa da faxeatb,
a ipial algum tanto te#i avultad nlliimnwli; **
porque, tambem pela mesma rubrica foi pefa aa
provincia de S. Pedro a quantia de M:755572fl* .p.
eonsequencia de nina execueao ppHiiovida contra a
fazenda e em que esta foi condemnada, pelo depo-
sito recolhido aos cofres publicos. em resultab> de
um sequestro feito ao padre Antonio Goaralves
Cruz.
i)s documeatos, que servirasa da lse al--r ura
dos dous crditos de que arabo do tratar, ser-vos-kik
prest-lites no decurso da sessao.
(Coi>tnmir-$e-kt.)
% 4." Caixa da amortisaco.Foi sufficentc o
crdito votado para esta verba; entretanto, como
por ella tem corrido a despeza do fabrico do papel
moeda em Londres, segundo o que tica cima dito,
e, conforme as contas recebidas da agencia brasi-
leira, com a ultima encommenda de papel gasta-
ram-so mais 32:0005000, alm da despeza alton.li-
da em crditos anteriores, tornou-se nwessario um
supplemento de crdito da referida importancia
para rcgularisar a daspeza cffectuada.
8. Juizo dos feitos. O crdito desta rubrica
ainda nao est escotado; mas a somma distribuida
no municipio foi insufflciento, havendo al um ex-
cesso de 9.0005000, em eonsequencia de ter-se
feito maior liquidacao de divida activa na corte, e
da circumstncia do mais rpido andamento do
processo executivo por otteito da simplitlcacao adop*
tada pelo governo.
Podendo, pois, continuar a actuar ossa circums-
tncia at o fim do exercicio, julguei prudente
abrir um supplemento de crdito de.........
20:0005000.
9. EstacSes de arrocadaeaaA lei concedeu
para esta rubrica o crdito de 8,744:0135000, mas
cumpre attender ao seguinte: { que a desposa de
vencimentos de porccnlagens foi calculada com
relami renda oreada para o exer<;ioio de 18%1
GOYERW DA PRO.IV.IV.
Conlinuafio da expedidle da dia 30 de jsdkw
de 18*3.
Oflicio ao brigadeiro commandante das arma.
Expeca V. Exc. suas ordens para que ao Dr. raato
de polica se aprsentela duas piaras no dia eu qae
partir para o sul o vapor ityipock, que se espesa
do norte, alim de que escoltem tim cnmino-H ifct a
provincia de S;rgipe. Communieou-se au Dr.
chefe de polica.
Dito ao br. chofe de {Milicia. Approv, > cea-
trato feito pelo delegado do Itom Consellu rom
Firmino Jos Casado Lima, de urna casa para ser-
vir all de cadeia, lolo aluguel annual dc 6o5lS>.
o quo communico V. S. em rt'sposta si udl-
cio n. 1100 de 16 deste nn-z. Conununicua-e ao
inspector da lhe>ouraria provincial.
Dito ao mesmo.Pelo ofldee V. S. a. tilo.
de 16 do corrente, liquei interado do ter V. S. de-
miltido a Argoiniro Eugeniano PeixatS d; Albu-
querque e Bernardo Fraadsca Loureiro. do baga-
res de guardas da casa de ilotenco, e Bornead a
Joaipiim Pita Vire- e Manoel Antonio para a
substituir. Communieou-se ao inspector da fl*v
souraria provincial.
Ditoao ins|M>ctor da thesuuraria itefazeada.
Interado do contedo de sua informario de M do
corrente, sob n. 524, dada com refcn-acia a da
eoDtadoria dessa thesouraria acerca do paftameato
da quantia de 945580, proveniente dos arras
necessarios do que precisava o quartel de cavsla-
ria em Santo Aman* jiara accommodacao das pra-
cas que forem accommeUidas do cnolera-morbui,
tenho dizer que mande elTectuar esse pagamento
como ja so ordenou.
Dilo ao mesmo.Devolventlo V. S. o reniv-
rimento a que se refere a sua infonnaro da 14
corrente, sob 11. 516, e na imal o Dr. Ak-ebiades
Jos de Azcvedo Podra pede indemnisaro da
quantia de 8005000, quo oi descontaib sens
vencimentos, como encarregado do tratamento *>s
indigentes accommettidos do eholera-moraaa
comarca de Garanliuns, tenho diier que
verdade os 2005000 (jue a suppeaato
sa thesouraria a que deram lugar a a
destinados para soccorros aos mesmo dnvalram,
devo V. S. mandar cffocluar essa irtdemnisarir*
una voz que justifique elle qne tal quantia tetj
aquella applicacao.
Offlcio ao commandante superior da guardcaa-
cional do Recite.Ao conhecimento do govarao
imperial levo nesta data o officki n. 84, de If tk-
junho proxjmo lindo, em que o chefe le tvlo-
maior doaommando supenor a cargo tle V. Exc,
teen te-coronel Sebastio I jipes Guimari*. pedto
que lhe fosse abonada a gralilicaco qctenk
cabT-lhe durante o tempo que substituto T. Exr,
Dito ao brigadeiro commandante do araaa.
Detenninando a circular da repartir*) da .ama
do 6 do corrente, que os mestres das. embareei
mercantes, a quem por desobi^lieaeia o* *
venci ao regulamento do porto S**^**
tiros de plvora secca ou com bato, sejam obng*-
dos ao pagamento da imporiaacte dos atestaos na
razio do 800 rs. por libra da plvora gasta, e de
mais 200 rs. por libra do pao da bata. Bf***
tiros forem dados com esta, sendo qne esa Oes ca-
sos devor-sc-ha empregar iempre as P*"?*^^"
or calibre quehouver aaforUleaenra.i^aoaai
registro 5 assim o c^nmumeo a V. fcxc. para r
conhecimento, e afim de que recomipeno aa
mandante da fortaleza da Brum. que
aquella hvpotheso faca a eoavemente
rao a estcao compeleato para osjaanaai aai
Communieou-se ao capilao do porto e a an*
raria de fazenda.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. *"**;
orden Pa"'a- se*" romettida para tofdo do
veriacata



A^.





Mario le Pernambnco Sexta fe Ira t4 de Julho de f 8S.
(hiapock a disposico do Dr. Manoel da Silva "Ma-' Ao de Flores. ,, v
r^ juiz de direito da comarca de Tacarot, que o presidente do ju-
nara all segu no referido- Tapar- t ambulancia,! ry...
ue existe na pharniacia do hospital miniar eoih Ao do comaiercio. .
destino ao destacamento de 1" linha nouella vntsv J jmz municipal *jnineife vara
Ao r
OAcou-sc ncsle sentido aos agentes da compa- Ao
nJdaBrasileira de paquetes a vapor. Ao-
Dito ao conselheiro presidente da relacao.Nesta Ao
dnla expelo as convenicnteserdeiis para que em Ao
casos idnticos ao de qut ir S. em sea orn- a
co de hojecoin referencisuio paciente Elov deOli- Ao
veira Mallos, 1 sargento do 7 batalhao fe inta> Ao
taria de linha, se cumpra o disposto no art. 3or do Ao
cdigo do processo criminal, ao
Dito ao inspector da tnesourana de fazenda., Ao
Autoriso V. S. a mandar abonar ao capellao ul- Ao
mmente nomeado para a reparticSo eeclesastiea,! Ao
do exercito iiadrc Bento Pereira do llego, como Ao
pede no reqW'incnto que devolvo coberto com Ao
offlcio do brigadeiro commandante das armas de Ao
9 deste mez, sob n. 1,113, e a que se refere a sua Ao
nfonuacao de 18 do corrente n. 529, 3 mezes do Ao
scu sold para lhe sor descontado pela 5 parte, de Ao
conformidade com o disposto no art. 28 da lei n. Ao
514 de 28 de outubro de 1848.Communicou-se Ao
ao brigadeiro commandante das armas.
Dito ao mesmo. Declaro V. S. para seu co-
nhecimento e fim conveniente, que por *bo do
ministerio da fazeuda de 27 de abril ultimo, man- Ao
don-se admitlir na alfandega desta capital onde ter | Ao
t'xereicio como addido, o 1* conferente da do Para Ao
Joao Jos Henriques, devendo ser pago de seus Ao
vencimentos por essa thesouraria cm vista das cer- Ao
does ucusaes da respectiva porcentagem que se- Ao
rao enviadas pela alfandega daquella provincia.
Dito ao mesmo.Pode V. 8. conforme indica em
sua informacao de hontem sob n. 531, mandar en-
tregar ao ex-anspecada da companhia de artlleos
desta provincia Jos Francisco do Amparo, a quan-
tia de 604005 que existe em deposito nessa the-

<

c
c
f
C
Ao
Ao
Ao
da segunda vara,
de 01 inda. .
de lguarass .
do Cabo. .
de Inojuca.
de Pao d'Alho. .
de Saato Aotao. .
da Escada .
de Nazareth. .
de Gomna.
do Rio Formoso .
de Serinhaem. .
de Palmares. .
de Agua-Prcta. .
de Limociro. .
de Bonita .
de Caruar. .
do Brejo. .
de Cimbres. .
de Garanhuns. .
doBuique .
de Papacara. .
de Villa ella. .
de Ingaxeira. .
da Boa-Vista.. .
ile Ouricury. .
de Cabrob. .
de Tacarat. .
doEx
Ao promotor publico do Rccife .
Ao de Garanhuns. .
Ao do Rio Formoso .
Ao director do arsenal de guerra. .
Ao inspector da thesouraria de fa-
zenda. ... ...
sourana, proveniente de seu peculio como apren- Ao inspector da thesouraria provin-
diz menor do arsenal de guerra, segundo consta cial >: -
os documentos que devolvo e vieran annexos a Ao insictor do arsenal de mannha.
citada intonuarao. Ao mordomo do hospital
ua
Pedro II. .
Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar ao bario do' Ao provedor da Santa Casa da Misc-
Livramento. einprciteiro da obra do caes por de-i ricordia. .
iraz do theatro de Santa Isabel, a quantia a que ti-; Ao engenheiro fiscal da llummacao a
ver direito, segundo a condiro 7 do seu contrato gaz .......... .
como pede no incluso requerimento. Ao thesoureiro das loteras. .
Dito ao mesmo.Fica V. S. autorisado, em vista Ao agente da companhia brasileira de
le sua informacao de hontem sob n. 536, a remet-! vapores..
ter ao commandante do presidio de Fernando a Ao gerente da companhia Pernam-
luantia de 24:000* constante do incluso pedido que bucana de vapores. .
me enviou o mesmo commandante com offlcio de Ao miz de orphao da capital. .
27 de iunho ultimo n. 48 para occorrer as desperas Ao commandante do corpo de poii-
daouelle presidio no trimestre de juaho setem- cia......
bio deste anno. ;Ao commandante do presidio de rcr-
Ditoao mesmo.Transmiti V. S. para os lins I nando
convenientes o incluso mappa trimestral dos g<>-' Ao commandante do stimo batalhao
eros e objectos recolltidos, despendidos e existen-1 de hnha..........
les no almoxarifado do presidio de Fernando de Ao capitao do (lorio. .. -
abril junho do corrente anno. Ao capitao rredenco Lopes Guima-
Dito ao inspector da thesouraria provincial. raes. .. -
PromOva V. S.. petos mcios do estyto, a compra, Ao official do registro do porto.. .
dos ohjectos constantes do incluso pedido feito para Ao lente recrutador
o corpo de polica pelo respectivo commandante em
.iIIu-a n # Ai. Rio Grande do Sul, foram encontrados : na lat S. des Nogueira, 2 pracas de 1/ linha, Joaquim de
26o-54' e long. 0.4540' o palhabote Arthur, em Souxa Moreira, Marcelino Raposo,
viagem daquelle porto para o nosso; e a galera in-1 Movimento da casa de detencao no dia 22 de
gleza Ocean, na lat. S._20-14' e long. O. 3740\ julho de 1863.
Este mesmo navio trouxe noticia de haverem
sahido do Rio Grande, com destino ao nosso porto,
os navios seguintes : a 26 de junho o brigue Arroio
Malo, a 27 o brigue Algrete, e a 4 do corrente o
palhabote Guanabara.
Acaba de ser restaurado o districto policial
da Maricta, que ser o tercero da freguezia de
lguarass. tendo por limites : a partir do lugar
Cueiru pela estrada dos Guers ao norte, seguindo
pela que vai ter estrada real cortando na direc-
cao do engenho Monjope. at o rio desse nome,
limitar com a freguezia de S. Lourenco da Malta;
e ao sal com a de Maranguape |>elo rio Timb.
Para os cargos policiaes desse termo fbram
Horneados :
Subdelegado, Antonio Borges Galvao Cchoa ;
Supplentes : 1" Joaquim Candido Bezerra de
Mello, 2o Francisco de Hollanda Cavalcanti, '3o
Francisco Campello Pires Ferreira, 4 Jos Mathias
da Fonseca, 5o Jos Vicira da Fraga, e 6 Felippe
Diniz Cavalcanti.
A saber
Exisliam........ 399 presos
Entraram....... 16
Sahiram........ 7
Existem......... 406 ,
Nacionaes...... 285
Estrangeiros..... 32
Mulhcres....... 14
Estrangeiras..... 3 >
Escravos....... 70 i
Escravas........ 4
COMMEECIO.
Ao cnsul dos Estados-Unidos. .
Aos delegados da provincia. ....
Aos subdelegados da provincia. .
Ao administrador da casa de deten-
cao...........
Ao fornecedor da mesma. -
do districto de S.
dis-
dis-
ofieio n. 292. de 20 do corrente.Communicou-se
ao commandante do corpo de policia.
Dito ao mesmo.Devolvo a V. S. o incluso re-
querimento documentado, em que Manoel Ignacio
d'Avila, como cessionaiio do arrematante do 2o
lauco da estrada dos Remedios, Pedro Antonio Tei- Partes dianas. .......
xeira Guimaracs, pede o pagamento da quantia de Partes do registro do porto. ....
4S0B|3SB (pie se est a dever proveniente daquella Portara de nonieacao......
obra, am de que, de conformidade com a sua ci-1 Minutas de otticios.
lada informacao mande elfectuar esse pagamento lupias de diversas pecas offlciaes .
logo que a as'senibla legislativa provincial marcar, Passes da va frrea.......
o respectivo crdito, visto pertencer esta divida a Ao tabelliao Porto Carreiro. .
exercicios findos. I Ao Baptista d Almeida. .
Dito ao commandante do corpo de polica.De- Ao Bapiista de Sa. -
ferindo o requerimento do guarda da 3'companhia Ao Pedro Ale-
da seceo urbana Manoel Victoriano dos Santos, Ao escrivao de paz
cujo engaiamento terminou, autoriso V. S. a dar- i Jos._ .
lhe baixa. i Ao escrlvao de paz do pnmeiro
Dito aos agentes da companhia Brasileira de pa- tricto de Santo Antonio. .
quetesa vaporPodem Vmcs. fazer seguir para Ao escrivao de paz do pnmeiro
os portos do sul o vapor Oi/apocl-: amanhaa hora tricto do Recife. .
indicada em seu officio do. Me. Ao esenvao de paz do segundo dis-
Dito ao Dr. Gustavo Balduino de Moura Cmara, i tricto do Recife. ......
em commissao na villa de S. BcntoInteirado de Ao eserivao de paz do pnmeiro, segun-
quanto Vnic. me participou em seu offlcio de 16 do, doe terceiro districto daBoa > ista
corrente, relativamente a epidemia do cholera- Assentamenlos de recrutas.....
morbus nessa villa, tenlio a dizer em resposUi. que Assentamentos de desertores. .
a ambulancia de que trata no seu citado offlcio se-, Mappas de crimes c factos notaveis. .
guio logo depois, e que deve Vine, partir para Fio- Borroes dos mesmos.......
res apenas a sua presenca for dispensavel nesse' Assentamentos de criminosos captu-
|cgar. rados. ........
Portara.O presidente da provincia tomando Assentamentos de cnmes e factos no-
em consideracao o que expoz o inspector da the- taveis .........
souraria provincia} cm oflicio de hontem sob. n Extracto das partes dianas para jor-
343, resolve abrir um crdito supplementar na im-1 naes.
portancia de 9175449 rs. jiara iiagamento das por- Laneamentos no 1i>to dos culpados. .
^nlaeeiis decretadas pelos S Io, 2 e 3 do art. Portaras ao thesoureiro. |
:ii da lei do orcamento do exercicio prximo fin- Notas de emolumentes......
do.-Communicou-se ao inspector da thesouraria Passaportes..........
provincial. | Vistos nos mesmos.......
Dita.O presidente da provincia tendo em vista o Lcgitimacoes..........
que requeren o amantante da estrada de Pao Ccrtidocs...........
d'Alho de Nazaretb. no lauco comprehendido entre Buscas.. .... .
os marcos de 10 a 13 mil Iracas, Manoel Bezerra Matriculas de vehculos......
Oivalcantc de Albuquerque e'bem assim o que a I.ieencas. ,......
este respeito informou o director da reparticSo I.ancanientos de contas,.....
das obras publicas, em offlcio de 22 de junho ulti- Despachos
mo sob ii" 122. resolve prorogar por mais 30 dias Begistro de ttulos de delegados. .
o prazo concedido ao mesmo arrematante para a Registro de ttulos de subdelegados. .
^onclusao das obras do seu contrato. Communi-, Termos de juramentos......
cou-se ao n|icctor da thesouraria provincial e ao Registro de nomeacors.
director das obras publicas.
Dita.O presidente da provincia tendo em con-
sideracao a proposta do director geral de iuslruc-
cao publica de 20 do corrente sob n" 121, resolve
Ornear a Antonio Juvino da Fonceca, para exer-
ier interinamente o lugar de porteiro do Curso
i'.oiiiuieicial l'ernambucano durante o impedimen-
to do respectivo preprietario Julio Pires, Ferreira,;
que se aeha pronunciado pela subdelegara da
tiv-mozia de & J0 desta cidade.C^niuiunicou-
se ao director geral de instrueco publica.
Dita.Os senhores agentes da companhia Bra-
sileira de paquetes a vapor maiidem dar lrans|M>r-
teat :i corle no vapor (h/aperk; em lugar de r
destinad" a passageiro de estado, ao Io tenente da
armada Anuido Leojioldo deMurinelly.
Dila.Os senhores agentes da companhia Bra-
sileira de paquetes ;i vapor, inandem conduzir
coi le no va|ior Oi/npei'k; ds|nisicio do ministerio
da guerra, um pequeo voluine que o arsenal guerra tem de remelter |iara alli eontendo 12 rar-
10X08 a Mini.
Dita.Os senhores agentes da companhia Bra-
sileira de paquetes a vapor, inandem dar trans-
porte al \!acei em lugar de r destinado a pas-
sageiros de estado no vapor Oyapock ao Dr. Ma- Fimccionou hontem 0 Instituto Archeologiro
noel da Silva Mafra. juiz de direito de Tacaran). Qeographico Pernnmbueano com assistencia do
Dita.Os senhores agentes da companhia Bra-'. Exm. nionseiihor Muniz Tavares, c dos Srs. Drs.
sileira de pamieteo a vapor, mandein dar trans-1 Machado Poitella. Aprigio Guimaraes, Soares de
|K>rte |iara a Baha por conta do ministerio da
guerra no vapor Oyapock procedente do norte, ao
oronel de engenheiros Henrique Beaurepaire Ro-
ban, sua senhora e iIium lilbas, ao capitao tambem
de engenheiros Anlonio Alvos dos Santos Sonza e
ao soldado Manoel Pedro da Fonceca.
Dita.Os senhores agentes da companhia Bra-
sJMra V' paquetes a vapor, mandem por dis-
|Kisicaodo coronel de engenheiros Henrique do
Beaurepaire Roban, urna passagem de proa at
Baha, destinada a iiassageiro ue estado.
Somma.
1
2
1
1
2
1
345
80
85
1
25
99
1
611
166
39
1
1
1
1
1
1
1
1
I
45
8
3
3
93
21
75
27
15
18
48
36
4
1
1
1
49
150
13
19
4
1
2384
. 408
Alimentados aeusta dos cofres pblicos.. 158
Movimento da enfermara no da 23 de julho de
1863.
Tiveram baixa:
Miguel Virissmo, bronchite.
Joao Estevao Barbosa, intermitente.
Jos Joaquim de Santa Anna, febre catharral.
I Manoel Muniz Falcao, dem.
Pelo delegado de Goianna foi preso, no en- Joao Gomes Damasceno, idem.
genho Mussutnb de Pedro de |Mello e >ilva, Joao Obituario do da 22 de julho no cemiterio
Joaquim Maciel, por achar-se pronunciado no art publico :
205 do cod. crim., desde 30 de setembro de 1859, Filippe, Pernambuco, 20 mezes, Sanio Antonio; en-
or ferimentos graves feitos em Antonio Ferreira terite.
e Santa Anna. Margarida Francisca d Almeida, Pernambuco, 70
Tendo Januario Pereirade Lcmos furtadotres; annos, solteira, Santo Antonio ; congestio cere-
cavallos na Fazenda Grande, foi preso pelo dele-1 bral.
gado de Cabrob. Rosa Maria do Rosario, frica, 50 annos, casada,
Teve hontem lugar urna das mais importan- San Jos; peritonite chronica.
tes audiencias de que o nosso foro tem noticia. Antonio Jos de Freilas, Pernambuco, 60 annos,
Desde as 10 horas da manhaa urna immensa mu-1 solteiro, San Jos ; cholera.
tidao se apinhava porta do edificio da ra do Joao, Para, 2 annos, Santo Antonio ; asphixia.
Imperador, espera que rompesse a disenssio Eugenio, Pernambuco, 7 annos, Boa-Vista; cho-
oral, que perante o Dr. juiz de direito Freitas Hen-! lera.
riinics. devia ter lugar na celebre causa da fallen- Eugenio Calisto de Queiroga, Pernambuco, 38 an-
cia da sociedade em commandita, que gvrou nesta nos, casado, Boa-Vista; cholera.
praeasob a razao socialAmorim, Fragoto, San- Antonio Joaquim de.Souza, Pernambuco, 26 an-
tos & C nos, solteira, Boa-Vista ; mberculos pulmona-
Ouvida a ultima lestemunha produzida em de- res.
feza pelo reo Joao Baptista Fragozo, o Dr. pronto- [ Margarida, Pernambuco, 24 horas, escrava, San
tor publico Gusmao Ibo fez con preciso e luci-1 Jos; totano,
dez o relatorio do processo, concluindo por pedir i Luiz, Pernambuco, escravo, 2 annos, Santo Anto-
comolibelloacondemnacodorospenasdogro nio; inflammacao de entestinos.
mximo do art. 263 do cdigo criminal. A acensa- Bernab, Pernambuco, 50 annos
CAIXA FILIAL
DO
BANGO DO BRASIL
EM PERNAMBUCO.
A directora da Caixa Filial do Banco do Brasil
declara aos senhores accionistas que o thesoureiro
da mesma est autorisado a pafar o dividendo re-
lativo ao semesare findo em 31 de maio prximo
passado a razao de 103000 por accao. Becite 14
de julho de 1863. .
Jos Mamede Alves Ferreira,
secretario.
Alfandega
Rendimento do da 1 a 22. 302:523*507
dem do da 23........ 8:538*323
adee- pela imprensa e afiliados nos logares do
costame. ^^
Dado e passado nesta cidade do Recile de Per-
nambeco, aos l dias do mez de julho do ano do
nascimento de Nosso Senhor Jema Cbrislo de I8C3
4J. da independencia e do imperiodo Brasil.
Eu Manoel Maria Bodrignes do NascimealQ, es-
erivao, o subscfevi.
TrMSo Almtear Arasife.
DECLlUAftES.
EMOUMENTOS AI1REC.VDADOS H0 UESMO JIEZ^
De passajiortes........ ^2S
De legiomacOes,....... i'it'J!
De certidoes......... iOoOihi
De buscas.......... [#**
De matricula de vehculo..... 1*>I20
Delicenca.......... 1*HM)
311:061*830
lovimrnto da alfandega
Volumcs entrada
Volumes sahidos
com fazendas
com gneros
eom fazendas
com gneros
123
34
63
57
157
------ 120
cao foi breve, mas enrgica; conespondeu espec-
tativa publica.
O Dr. Antonro Vicente do Nascmento Feitosa,
um dos mais habis advogados do nosso foro e
urna das intelligencias mais bem cultivadas as
materias de direito, tomou em seguida a palavra
Vista; derramamento cerebral.
solteiro, Boa-
CIIROMCi JIMURIA.
TIII Bl \ A I- DO COJISIERCIO.
e respondeu aecusacao com um vigoroso discurso 'SESSA0 ADMINISTRATIVA EM 23 DE JULHO
DE 1863.
Somma.
172*640
Secretaria de policia de Pernambuco, I" de junho
de 1863.
0 secretario,
Eduardo de Barros Falro de Lucerda.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
Despachos do dia 21 dejallio de 18*3.
Hequoimentoe.
Agostinho Ferreira dos Santos.Nao tooi lugar.
Gregorio Francisco de Torres Vasconoellos.
Passe portara concedendo alieencarequeridida.
Azevedoe Witruvio Pinto Bandeira cmajor Salva-
dor de Albuquerquc.
Pelo Sr. secretario perpetuo foi lido um offlcio
do Sr. Dr. P. Tlieberge, aecusando a recencao de
outro do mesmo secretario em que lhe rommuni-
cava a sua ailmissao como socio corrcs|iondente do
Instituto ao qual por essa razao apresentava elle' ^kj".,
os seus agradeciuientos,
Foram Tidos dous pareceres da commissao de
ailmissao de socios sobre as propostas dos Srs. Drs,
Azevcdo
que prenden a attencao do immenso auditorio por
mais de tres horas, seu arrazoado um dos tra-
bamos mais eruditos que se deveins suas lucu-
brades, e honra o seu genio como jurisconsulto.
Temos o prazer de annunciar que a defeza ser
publicada segundo as notas tachygraphicas, que
algims amigos do reo mandaram tomar.
Infelizmente, nao foi tomada a aecusacao do Dr.
promotor publico, cuja leitura seria tanto mais
aproveitavcl quando se reflecte que a defeza nao
senao a resposta litteral da aecusacao.
Esperamos anciosamente a referida publicacao.
Deve ter hoje lugar no paco da cmara mu-
nicipal o sorteio dos 48 juizesde facto que devem
compor a 4" sessao judiciaria, convocada pelo Dr.
juiz de direito da 2* vara.
Do Correio do Sul, jornal de Porte-Alegre,
transcreveinos o seguinte:
As ultimas novas do Estado Oriental sao bem
bas a respeito da exportacao das carnes conser-
vadas. O proprio xarque, o classico producto da
industria rotineira, com s cuidar-se um pouco
mais das apparencias, parece que achara consu-
mo nos mercados inglezes.
A commissao directora da sociedade que to-
mou o encargo de propagar esse commercio recc-
beu participacoes de seus agentes de Liverpool
dando-Ihes boas esperanzas sobre aquella em-
preza.
O xarque preparado no cstabclccimento do
Sr. Lafone, e que fura romettido em caixoes, tinha
chegado no melhor estado, e dizia-sc ser o melftor
que la tinha apparecido,
Os correctores aflirmavam que poderia ser
vendido razao de 80, e mesmo 90 rs. nossos a
libra, para ser retalhada a 120 rs. ao povo.
Das carnes conservadas pelo systema Olinden
chegaram tambem boas novas, ora da Europa,
ora do Pacifico, despertando tanto nos criadores
como na industria xanpieadora, novos estmulos e
nielbores esperancas.
Deus as coroc pelo xito f
Nessa empreza reside a rcstanraco de nossa
riqueza publica c o bem-star de nosso povo, salvo
se mal ueeeiooados pelas licoes que a experien-
cia nos tem dado, continuarmos na cega obstina-
i;ao de urna rotina sem futuro.
O Commeirial, do Rio-Crande do Sul, es-
creve o seguinte :
De ordeui do Sr. presidente da provincia foi
incumbido o Sr. de tomare commandante do va-
por Amelia, da collocacab das seguintes balizas
abixo declaradas, que nos apiessamos i^i com-
municar a'os interessados, para seu govenm:
Primeira : no canal da Turotanu, em 11
palmos d"agua, assignalada por duas travessas.
Segunda : na coroa das Baleas, em 10 pal-
mos d agua. Norte-sul com a primeira, assignala-
da por urna liavessa. A navegacao nesse ponto
deve ser fcita entre essas duas balizas.
Terceira : na conia denominada Selia, em 12
palmos d'agua, assignalada por dous sarrafos ao
alto, pregados nos lados lateraes. Navega-se dei-
xando-a ao oeste.
Quarta : na cora do Meio, em II palmos
d*agua, assignalada por urna travessa. Xavega-sc
deixandiva a ste. Ser tambem enllocada na via-
gem que tem o vapor Amelia de fazer a Porto-Ale-
gre, no baixio junto ao furo do Estreito, urna boia
de ferro, pintada do encarnado.
Aos praticos e jjatroes se recommenda que
tenham toda a attencao e cuidado quando borde-
jarcm, para que as embarcacoes que dirigirem
nao vireni de bordo sobre essas balizas, alimde
evitar o mal que constantemente fazem, deitando-
;i s embaixo, porque, aUm da despoza com que
oneram os cofres, torna-sc isso prejudicial mes-
ma navegacao.
rF.p.vnncAO da polica :
Extracto da parte do dia 23 de julho de 1863.
Poran recolhidos casa de detencao no dia
do corrente:
A" orden do Illm. Sr. Dr. chefe de policia, os
pardos Jos Antonio dos Santos, de 30 annos, como
desertor ; Jos Antonio Fabricio, de 32 annos, Gal-
dino Manaes Cavalcanti, de 46 anuos, Manoel An-
tonio de Oliveira, de 28 anuos, como criminosos ;
Antonio Flix Soares, de 37 annos, Manoel Pereira
da Silva, de 22 anuos, Joao torios da Silva, de 48
annos, Theotonio Ferreira da Silva, de 25 annos,
Vicente da Costa Soares, de 25 annos, branco, c
Antonio Pereira do Nascmento, semi-branco, de
60 annos, como sentenciados, todos vindos do ter-
I nio de Garanhuns.
A' ordem do subdelegado do Recife, Flix, pardo,
'16 anuos, escravo de Clara Maria da Motla Res,
requisicao desta.
A' ordem do de S. Jos, Soveriano Rodrigues dos
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
SOl'ZA.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. deputa-
dos Reg, Lemos, Ma I veira e Rosa, o Sr. presiden-
te deelarou al ti a a sessao, sendo lida e approvada
a acta da ultima.
EXPEDIENTE.
Foi presente a rotacao official dos procos cor-
rentes a praea da semana Anda.Archive-se.
DESPACHOS.
Um requerimento de Joao Luiz Ferreira Ribeiro,
por seu procurador, c Eduardo Marques de Oli-
veira, pedndo o registro do additamento feito ao
seu contrato de 4 de Janeiro do corrente.A pro-
curaeao nao d poderes especiaos que sao precisos
para o requerido.
Outro de Carlos Roeck, pedindo o registro da
procurago que ajuma.Como requer.
Outro de Monteiro Filho & Companhia, pedindo
o registro do seu contrato de sociedade.Vista ao
Sr. desembargador fiscal.
Outro de Sacavem, Barbosa & Companhia, pe-
dindo que facam-se as annotacoes de ter-se dissol-
vido a sua sociedade.Ajante o distrato assignado
por todos os socios.
O tribunal decidi que nao se prestando a serem
rubricados os livros de papel de machinas, apre-
sentados por T. J. T. para servirem de copiadores
caixa filial do London & B. Bank, fossem-lhe os
mesmos livros restituidos.
SESSAO JUDICIARIA EM 23 DE JULHO DE 1863
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
SOUZA.
Secretario, Julio Guimaraes.
A meia hora da tarde, o Sr. presidente abri a
sessao, estando reunidos os Srs. desembargadores
Villares-e Silva Guimaraes, e os Srs. deputados Re-
g, Lemos, Malvera c Rosa.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
Foram asignados os accordbs proferidos na
ultima sessao en"e partes : -
Appellantes, Manoel Joaquim Ramos e Silva &
Genros ; appellados, os curadores liscaes da massa
fallida de (luilherme Carvalho & C
Anpellaute. Antonio Pereira de Carvalho Gui-
maraes ; appellados, os administradores da inassa
fallida de Joao Jos de Gouveia
JI'LC AMENTOS.
Appellante, Victorino Teixeira Leite ; appellado,
Jos Das da Silva.
Receherain-se os embargos em parte, e despre-
zaram-se em parte.
Appellante, Fernando Francisco de Aguiar Mon-
tarroyos ; appellado, Manoel Alves Ferreira.
Desprezaiain-se os embargos. '
DESIC.NACAO DE DIA.
Appellantes, N. O. Bieber & C, successores; ap-
pellados, o presidente e directores da caixa filial
do banco do Brasil nesta cidade.
Appellante, Manoel Alves Ferreira; appellado,
Fernando Francisco de Aguiar Montarroyos.
Appellante, Jos Hygino de Miranda ; apellada,
D. Carolina Josepha ile Almeida.
Designado o primeiro dia til.
AGCR.YVOS.
Aggravante, Vctor Grandin ; aggravado, Joao
da Silva Faria.
0 Sr. presidente negou provimenio.
Nada mais houve e encerrou-se a sessao s 3 ho-
ras da tarde.
Descarregm no dia 24 de julho.
Barca inglczaJfargare=mercadorias.
Patacho inglezMerceymercadorias.
Polaca hespanhola IMa/a=diversos gneros.
I ni por I a cao.
Patacho nacional Campista, vindo do Bio Gran-
de do Snl, consignado a Bailar & Oliveira, mani-
festou o seguinte:
39 saceos colla, 88 barricas sebo coado e 14328
arrobas de carne de charque; aos mesmos.
Brigue nacional Sorpreza, vindo do Rio Grande
do Sul, consignado a Amorim Irmaos, manifestou
o seguinte:
12.600 quinlaes de carne de charque, 323 arro-
bas de graxa em bexigas, 136 ditas de sebo em ra-
ma, 40 saceos feijao c 80 couros vaceuns de re-
fugo ; a ordem.
Brigue portuguez Mello I, vindo do Rio de Ja-
neiro, manifestou o seguinte :
106 saceos arros cstrangeiro, 250 ditos caf, 800
ditos milho, 280 ditos e 5,495 alqueires de farinha
agranel; a ordem.
Recebedorla de rendas Internas
seraes de Pernanibnco.
Rendimento do dia 1 a 22. 34:746*404
dem do da 23......... 1:742*18/
36:488*591
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 22. 67:085*631
dem do dia 23......... 1:160*054
Arrestla cao.
No dia 25 do corrente, em aadfeneia do Sr. Dr.
juiz provedor dos residuo, eserivao VasronreHos,
ser vendida em hasta publica, a quem sais er,
urna casa terrea na ra Vettta n. 24, frefnezia da
Boa-Vista, com 17 palmos de frente e 56 de fundo,
com 2 salas, 2 quartos, cozinha fra, quintal e ca-
cimba, em chao foreiro, avahada em I :<#, ser-
tencente a testamentaria da finada I,uiza Mam
vai praea requerimento do tstameleiro dati-
vo dos bens da mesma finada.
. No dia 25 do corrente met, depois de
da, se ha de arrematar por venda em praea i
ca do Sr. Dr. juiz municipal da 1* vara, eserivao
Santos, urna escrava penhorada a Jos Florencio
de Oliveira e Silva por execocao de Manoel Joa-
3uiin. cuja arrematacao ficou transferida para esse
ia por ordem do mesmo juiz.
COKHEIOGERAU
68:246*185
M
un,> Santos, semi-branco, de 23 annos, por embriaguez saua no baniio ou como um cosm
. coa- e disturbios ; Francisco, pardo, de 25 anuos, es- ella igual por entre todo esse a
lz^"!cravo de Pamphilo Manoel Freir de Carvalho, auas odorferas ou extractos topa
Machado Bortella e Soares de Azevcdo ; c
elumdoelles pela approvacao dos Srs. Dr. LuizAn-
nio Vieira da Silva e Manoel Antonio A'ital de Oli- rcauermtUt( dosle
veira para socios correspondentes, foram adiadas "^ ordem do da ate solueao da indicacao do Dr. Witruvio Pinto averiguacocs loliciaes.
Bandeira, sobre essa classe de socaos.
Como relator da commissao de fundos e orea
Cabriel Antonio de Castro Quintaos.- Enea m- mentes, leu em seguida esse senhordous parece-
res sobre prcteaces dos Srs. Figueiroa & Filho e
Francisco Henrique Caris : os quaes concluiam
pela audiencia previa do Sr. secretario perpetuo
sobre a materia, afim de interpor a mesma com-
missae o seu parecer definitivo. Assim votou-se.
O mesmo senhor, na mesma qualidade, sobre a
seguinte proposta dJ5r. major Salvador de Albu-
querque.:Que se convide ao thesowelro para
comparecer na primoira sessao, a auresentar o
ihe> se.
Padre Joao Clemente da Rocha.-Informe o Sr.
uspeetor da thesouraria provincial.
Manoel Victoriano dos Santos.Expedio-seor-
dem ao sentido que requer.
REPARTIDO DA POLICA.
tESlUO DO EXPEDIENTE FEITO PELA SECBETARIA DE
POLICA, DVBAim O MEZ DE MAIO PRXIMO FINDO.
tfficios dirigidos. Nitmeros de off-ios.
Ao presidente......
Ao da relacao. .
Ao commandante das armas.
Ao chefe de policia da Parahyba.
Ao
do Bio Grande do
Norte. .
do Cear. .
das Afagas. .
de Sergipe. .
da Baha. .
da corle. .
do Bio de Janeiro.
deOlinda. .
de Goianna. .
de Palmares. .
de Limoeiro. .
de Santo Aotao, .
de Garanhuns. .
d Bio Formoso.
do Cabo. .
Bonito. .
1
158
1
10
1
1
6
1
3
1
1
i
1
i
1
1
1
1
1
1
O chefe da 2" ser-cao,
/. G, de Mesqtiita.
Qyapock, sabido para
Passageiros do vapor
os portos do sul:
Seliastiao do Reg Barros de Lacerda e seu es-
cravo, Jos Antonio da Bocha Jnior, Luiz Bernar-
do Castello Branco da Rocha, Dr. Ermclindo A.
de Barros Pimenta, Antonio Francisco de Paula
Cavalcaute, Thereza Mara de Jess Rodrigues,
Joao Alexandre Aranha Dantas e seu esoravo, Joao
Femandes de Faria, Sebastiao Fialho, 1." lente,
estado da caixa, arolacao dos sockj effectivos, Arnaldo Leopoldo, Manoel Lopes Duarte, Dr. Ma-
que ja satsttzeram suas joias ;-Que nessa mesma noel da Silva Mafra, 1 criado, Maria Bosa,
sesmo seja presente mesa urna rlacao geral de coronel de engenheiros Henrique de Beaurepaire,
todos os membros do Ituttmto ;Que se marque sua senhora e 2 filha, Jos Pargino Goncalves e
PBLICACOES A PEDIDO.
Apa florida de Murray e I.aiiman.
Pde-so quasi por era duvda se as mil o urna llores
com seus multifros malizes, que derramam sobre
o leito de Edn a sua iicrfumada folhagem dfun-
dro pela atmosphera una fragrancia mais deli-
cada e pura do que aquella que se derrama e cu-
che o gabinete de vestir ou o Boudott- aonde una
garralinha desta mimosa e odorfera agua foi abor-
ta. Se a compararmos com esse transiente evolatl
eheiro de essencias ordinarias o seu aroma pde-
se chamar indestructivel, em quanto que por outro
lado, o Mtt/eo artigo em seu genero, o qual vivi-
damente nos traz mente o delicioso perfume de
aromticas llores anda frescas.
O volume do rico e delicado aroma que se espa-
lhaao derramar-se algumas golas no lenco deli-
ciosamente maravilboso. Como um meio para al-
llviar vertigens o dores de cabeca, para perfumar
o habito e a propria pessoa, c finalmente jroando
usada no banlw ou como um cosmtico, nao lein
sem numero de
rfinosque cons-
tantemente se importain. Acha-se as boticas e
lojas de perfumaras do Brasil.
MOVIMENTO DO PORTO.
Natos entrados no dia 23.
Bio Grande do Sul21 dias, palhabote nacional
Arthur, de 116 toneladas, capitao Baymundo
Jos de Souza, equipagem 9, carga 7,S14 arrobas
de carne; a Amorim & Irmao.
Belmonte9 dias, garopora nacional Nossa Senho-
ra da Ajuda, de 30 toneladas, capitao Antonio
Joaquim Peixoto, em lastro ao capitao. Arri-
bou a este porto, seu destino era Cotinguilia.
Ass25 dias, brigue nacional Trovador, de 220
toneladas, capitao Antonio Pereira Marques,
equipagem 12, carga sal j a Marques Baos
& C.
Rio Grande do Sul 26 dias, palhabote nacional
Arroto Malo, de 323 toneladas, capitao los Joa-
quim Soares, equipagem 11, carga 14,000 arro-
bas de carne ; a Maia & Espirito Santo.
Nacin sahidos no mesmo dio.
Bio de Janeiro-Brigue nacional Siqueira, capitao
Antonio Francisco dos Santos, carga assucar e
outros gneros.
Bio da PrataBarca portugueza Bedmar, capitao
Antonio de Souza Rodrigues, carga assucar.
EDITAES.
Presidencia da relacao.
Tendo havido duvida se os presidentes das rela-
coes sao competentes para conceder licencas aos
juizes municipaos, transcrevemos o aviso n. 264
seguinte:
2.* seceo.Ministerio dos negocios da justica.
Bio de Janeiro II de junho de 1862.
Illm. e Exm. Sr.Sua Magestade o Imperador, a"
3ucm foi presente o officio dessa presidencia data-
o de B de maio do anno passado submettendo a
sua imperial decisao urna duvida suscitada pela
thesouraria de fazenda dessa provincia, que nao
julgando os jaizes munieipaes comprehendidos no
3. do art 7." do regulamento de 3 de Janeiro de
um prazo improrogavel, dentro do qual devam, na senhora, Dionizio Ferreira de Oliveira ua mu- > 1833, constestou o direito de dar o presidente da re-<
aquelles que anda o nao fizoram, pagar a sua joia ner c 1 filhe, Joao da Silva Santos, Claudino Fal- laclo desse districto licencas a estes empregados;
e receber o competente diploma, do secretario per- cao Dias e 1 lUbo, 1 escrava de Henrique Bernar-: houve por bem, conformaiido-se como pan*er da
petuo, qoe
ver fazer a
o lugar de
com publicacao petos jornaes" (someae do prazo) Teixeira Pinto, Caetaao Jos d'Abreu, cpello do' relacoes conceder licencas"aos juizes mumeipaes
nao procurar obter o respectivo diplomaleu este esercito ladre Bento Pereira do Reg, Camilo de ate trinta das, convindo que da concessao de todas
parecerQue Rejamos mesmos adoptados em sua Aodrade, i eseravos de Albino da Silva Leal, 4 aquella que segundo essa lei lhes compete dem
integra com exceDco theorica da parte relativa escravos de Jos Joaquim Gomes de Abreu, Jos conheeimento as tres respectivas thesouranas peto
Manoel Mauricio de modo que o governo determinar. O que commu-
*' nico para sua mtelligencia.
Dos guarde V. Exc. Sr. presidente da provin-
cia do Maranliao.Joao Luiz Vieira Cansansao de
bnimbu.
A circular de fazenda n. 280 de 17 de junho de
1862, esta em completa harmoma com o aviso
suppra.
0 curioso.
aos socios correspondentes, consignada no 4o enun- GoneaJves de Oliveira Maia, Manoel Ma
ciado, ama vez que alada pende de decisioo deve- Maltes e 2 criados, capitao de engenheiro
. pende de decisioo deve- Mattos e 2 criados, ca|>itao de engentieiros Antonio
rem u nao clles"pagar joias, podendo no entre- Alves dos Santos e o soldado Manoel Pedro da Fon-
tanto ser adiada esta parte at ulterior delibera- secar Podro Jos de Souza, major Sancho da Silva
cao. Foi a imprimir para entrar na ordem dos Pedrae 1 escravo, soldado Jos Manoel Guimaraes,
trabamos. Faustino Joaquim da Rocha Lima, 1 escravo de
Nao havondo mais de que tratar, levantou-*e a Joaquim Constancio de Moura Costa, 1 escrava de
sessao. Jos de Oliveira Azevedo, soldados Jos Miguel da
^ Pelo brigue Sorpresa, entrado anle-hcntem do Silva, Anlonio Fernandes GomesPadilha, Jos Gue-
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fazen-
da desta provincia manda fazer publico que tem
marcado o dia 17 de agosto prximo vindouro para
o concurso que, vista da ordem do tribunal do
thesouro n. 113 de 6 do corrente mez, se tem de
abrir nesta thesouraria para precnchimento das
vagas de praticantes e officiaes de descarga exis-
tentas na alfandega desta cidade, Os exames ver-
sarao as materias de que trata o 1 do arl. 1.
do decreto n. 3,114 de 27 de junho do correute
anno, a saber : leituraanalyse grammatical e
orthograhiaarithmetica e suas applicacoes ao
commercio, com especiitlidade a reducciio d*e moe-
das, pesos e medidas, calculo de descont, juros
simples c compostos, theoria de cambios e suas ap-
plicacoes. Os concorrentes devero previamente
apresentar seus requerimentos instruidos de do-
cumentos que provem idade completa de 18 an-
nos, isencao de pena e culpa, e bom comporta-
ment.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco cm 21 de julho de 1863. Servindo de ofll-
cial-maior, Manoel Jos.1 Pinto.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commercio desta cidade do Recife capital da
provincia de Pernambuco e seu termo |ior Sua
Magestade Imperial e Constitucional o Sr. D.
Pedro II a quem Dos guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital vi rem e
ilelle noticia tivereui, que por parle de Domingos
Jos Ferr-ira tuimaraes, me foi dirigida a peticao
do tlieor, forma, modo e manera seguinte :
Ulm. rS. Dr. juiz de direito do commercio.Do-
mingos Jos Ferreira Guimaraes, commercianie
estabelecido nesta cidade do Recife, quer fazer ci-
tar a Manoel Cavalcanti de S c Albuquerquc e
Francisco Jos da Costa para virem assignar 10
dias as suas duas letras j vencidas, sendo tima de
1:269*I*>0 rs. vencida no 1." de dezembro de 1862
e outra de 500*, vencida no 1." de Janeiro do cor-
rente anno, ambas aceitas pelo primeiro, e endos-
sadas pelo segundo que as saccou, e dentro dos
mesmos 10 dias pagarem a importancia devida ou
allegarcm e provarem os embargos que tiverem :
requer, |ios, V. S. se digne de os mandar citar
com a pena de revelia para a primeira audiencia,
sendo alinal condemnados na referida quantia, nos
juros estipulados c custas.
E porque ambos esteiam ausentes, cm lugar
nao sabido, requer igualmente mo se proceda a
dita citacao por edites, justificada previamente a
ausencia dos suppiicados
Pede V. S. assim deliraE R. MFonseca.
E mais se nao continha e nem alguma outra
cousa se declarava e mostrava em tal peticao aqui
mui bem e fielmente copiada c transcripta, na
qual dei o despacho do theor, forma, modo e ma-
nera seguinte :
Citom-se, como requer ; e para a jusfificacao,
marco o dia 11 do corrente as 12 horas d ma-
nhaa.
Recife, 8 de junho de 1863.Aleucar Araripe.
E mais se nao continha c nem alguma outra
cousa se declarava c mostrava em dito despacho
aqui verbo ad verbum, nmi bem e fielmente co-
piado, por forra do qual fOra a mesma peticao
distribuida ao eserivao deste juizo Manoel Mara
Rodrigues do Nascmento.
E tendo o supplicante produzido suas testemu-
nhas que justificaran] a ausencia dos suppiicados
em lugar nao sabido, sellados e preparados os au-
tos, subiram minha conclusao, e nelles dei a sen-
tenca do theor, forma, modo e manera seguinte :
Procede a Ijustilieaeao, pela qual se mostra
acharem-se ausentes em lugar jncerte os justifica-
dos Manuel Cavalcanti de S e Albuquerqoe e
Francisco Jos da Costa; assim mando, quesejam
citados por editos de 30 dias para o fim requerido
Recife, 12 de junho de 1863.Tristao de Alen-
car Araripe.
E mais se nao continha e nem alguma outra
cousa mais se declarava e mostrava em tal sen-
tenca aqu mui bem e fielmente copiada e trans-
cripta dos mencionados autos, e em cumprimento
do qual o referido eserivao tez passar o presente
edital com o prazo de 30 dias, pelo qual chamo,
cito e hei por citados os ditos suppiicados para
comparecerem neste juizo dentro do mencionado
prazo, afim de allegarem o que for de direito, sob
pena de revelia.
Por tanto, toda e qualquer pessoa, prente, ami-
go ou conhecido dos referidos suppiicados, poder
faze-los scentes de todo o expendido.
E para que o presente ehegue ao conheeimento
de todos, mandei passar editaes, que sero pobli-
Relaco das cartas segiras existentes
na' adninfctrar.it dt ctrreit desta
cidade para os Vihsres abaht de-
clarados
Augusto Jos Ferreira i C.
Antonio Jos de Castro (2).
Antonio Leite de Pinho.
Bario de Guararapes.
Custodio Jos Alves & C
tomillo de Lclls Fonseca.
Francisco Moreira da Cosa.
Guimaraes & Reg.
Henrique do Reg Barros.
Joaquim Vieira de Barros.
Joao Joaquim da ('.osla Leite.
Joao Jos de Carvalho Moraes Filho.
Joo Milito Bcnriquc de Souza.
Joao Vicente Pereira Dutra.
Jos Joaquim Alves de Amorim (2)
Jos Maria da Cosa Pinto.
Lopes & Irmao.
Dr. Leandro Francisco Borges.
D. Marcolina Andrea de Jess (em Marinera).
Maria Francisca da Conceico.
Manoel Francisco Araujo Luna Jnior.
Manoel Joaquim Seve c Filho.
Manoel Tlicophilo Alves Rib-iro.
Viuva de Ventura Pereira Peona.
Raimundo Remigio de Mello Jnior.
ArrenuUafsW.
No dia 28 do corrente depois da audiencia do
Illm. Sr. Dr, juiz municipal da primeira vara, tena
de ser arrematada a casa terrea meia-agua, sita na
ra da Ponte Velha n. 35, pelo preco da adindka-
co que de 4805000 rs., por execcao de Leopol-
do Ferreira Martns Hibeiro, contra os herdeiros
de D. Antonia Maria de Castro.Eserivao Sa-
raiva.
Pela administracao do correio desta cisnd
se faz publico, que pela celeridade com qoe par-
tem os vapores da companhia franceza, com cs-
pecialidade para os nortes da Europa, qoe de ora
em diante, logo que os mesmos vapores derem o
signal de se acharcm fundiados, sero fechadas
as malas que tiverem de conduzirem para a Ea-
ropa.
Correio de Pernambuco, 18 de julho de 1843.
O administrador
Domingos dos Pastos Miranda.
Arrematars).
No dia Io do prximo mez de agosto se ha o> ar-
rematar depois da audiencia do Ulm. Sr. Dr. miz
municipal da segunda vara, por execocao de Bal-
thar & Oliveira cinco moradas de casas terreas si-
tas nesta cidade. perlenrentes a heranca do finado
Jos Fernando da Cruz, sendo 3 na roa Dimita n.
41 avahada por 1:7Q0J. n. 67 por 1:700* e III
por I;200. urna no largo da nbeira de S. Jos n.
23 iwr 1:500, c urna na ra de Hortas n. 00 por
2:000$.
Arrematars.
A arremataQo annunciada por este Diario tos
engenhos e escravos periencentes a heranca do ti-
nado Jos Fernando da Cruz, dever ter Ingar no
dia 25 do corrente, de|n>is da audiencia do Illm.
Sr. Dr. juiz umnii qal da 2.a vara.
c -oukc I ho ad m inistratl ve.
O conselho administrativo para orneciment do
arsenal de guerra, tem de comprar os objectos se-
uintes :
Para o arsenal de guerra.
5 duzias de laboasde amarello de 16 iioilejraM
de largura e 26 a 28 palmos de compriincuto.
200 vassouras de piassava.
18 meios de sola de lustre.
20 peiles de dito.
30 macos de obreias.
40 quinlaes de ferro inglez em barra de 1 Va
pollegada de largura e V de grossura.
200 meios de sola.
Quem quizer vender taes objectos aprsenle as
suas projioslas em carta fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manhaa do dia 24 docor-
rente mez.
Sala das sessoes do conselho administrativo |>ara
fornecimenlo do arsenal de guerra, 16 de julho de
1863.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastiao Antonio do Rrgo Barro,
Vogal secretario.
THEATRO
DR
22.'
EMPREZA
DE
A. J. DIARTE C0IIM4.
RECITA DA ASSIGNAiTRA.
Sahliailn. 25 de Jnlks se 18C.1.
o muito applaudido draaa
msica,
Represenlar-sc-ha
quatro actos o um prolgo, ornado d
. AS MULHERES
Primeira
acto,
re[iiesenlacao do
vaudeville em bjbj
M1 MULHER
QUE SE EMBRIAGA.
PERSONAGENS.
Cesarina.engonnnadeira. Sr.D. Eugenia Cantara-
Anbal, pintor..........Sr. Lessa.
Megriot. estudante de me-
dicina............... > Penante.
totova, porteiro........ Joaquim Cmara.
/ Actuahdade.
Principiar as 8 horas.
Prepara-se com todo o apparato para a *>*rJ^
cita da assignatura o magnifico dramai es os
actos e um prologo martimo A PROBIDAUfc, ori-
ginal portuguez do distiucto dramalnTgo usnr
Lcenla.
AVISOS martimos.
COMPANHIA BRASLLEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do snl
at o da 30 do corran
Apa, cwsMindn
o qual depois da
tumo seguir para
norte.
Desde j reeebenwe paantfsiros
earga qoe o vapor poder condmrir,
ser embaresda o dia desno*;
narrias dinnniroifreaeateo dui
horas: agenei ma da Cruz n. 1,
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C
'
i

m*

.-



f
Diario de PernamlHteo *exa felra t4 de JnfliO de i.
^


COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Espera-se dos portos do norte al
o dia 2 de agosto o vapor Cni-
smro do Sml, commandantc o ca-
pitao de mar e guerra Gervasio
Mancebo, o qual depois da demo-
ra do eostume, seguir para os portos do sul.
Desde j recebeni-se passageiros e engaia-se a
carga que o vapor peder conauzir, a mal dever
ser embarcada no di de sua chegada: encom-
mendas e dinhero a frete at o dia da saliida as 2
horas, agencia ra da Grur n. i, escriplorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo Para Lisboa
sane com a maior brevidade o brigue portuguez
Rrlampago por ter a maior parte da carga promp-
ta : quem no mesmo quizer carregar ou ir de pas-
sagem, para o que tem l)ons commodos, trate com
o consignatario Thomaz de Aquino Fonseca, ra
do Vigario n. 19, primeiro andar, ou com o capi-
tao na praca. ^^_______
COMPANHIA PERMANBUCANA
DK
Xavegaeo eosteira vapor.
Macei e escalas
O vapor Mamangiiape comman-
dantc Moura, segu para os por-
tos do sul at Marei no dia 25 do
corrente as 5 horas da tarde. A
carga ser .receida al o dia 2^
ao meio dia, cnconunendas, passageiros e dinheiro
a fele at o dia da sabida as 3 horas: escriplorio
no Forle do Mattos n. 1.
Para Lisboa e Porto.
Pretende seguir com muita brevidade o veleiro
c bcni conhecido brigue portuguez Mello 1, capitao
Antonio Goncalves da Silva, tem parte do sen rar-
regamento prompto, para o reste que lhe falla e
passageiros para os quaes tem excellontes commo-
dos trata-se com os setis consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C, no sen escriplorio
na da Cruz n. 1.
Para o Porto
segu impjctorivelmente no dia 25 do corrente o
brigue pomgues-S^MunoeJ /, recebe nicamente
passageiros, para os quaes tem excel lentes com-
modos : a tratar na ra do Vigario n. 10, com os
seus consignatarios Manoel Joaquim Ramos e Sil-
va & Genro.
Para Lisboa
O veleiro brigue |>ortuguez Ijtia II, capitao A.
F. Vieira saldr no da 25 do corrente por ter a
maior parte de sen carregamento prompto : para
carga e passageiros. trata-se rom o consignatario
E. K. Raliello, ra da Cadeia n. oo.
Para o Maranho e Para
pretende seguir nestes oito das o veleiro o bem
conhecido brigue escuna Jmen Aitliur. tem a
sen bordo parte de seu carregamento ; para o res-
to fue llie falta, trata-se com os seus eonsignata-
tanos Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & G., no
6eu escriplorio ra da Cruz n. i.
Para o llio Grande do Snl.
Segu o brigue nacional Olimla, at u fim
do crrente mez, oom a carga que ti ver: re-
cebe alguma a rete e por qualquer preco :
trata-se com Bailar ii- Oliveira, ra da Cada
n. 20.
Para o Aracaiy.
O hiate Sos?Junta, mestre Antonio Joaquim Al-
tes segu para o Aracaiy at o dia 28 do corrente
mez. pode receber ainda alguma cargajpara o que
se trata na ra da Cadeia n. 57.
IEIL0ES.
HOVL'fl* E LttCRAVOS.
HOJE*
A re(|iierimento do inventarianle do finado For-
tunato Gardoso de Gouveia por despacho do llm.
Sr.iiuz municipal da segunda vara c por interven-
cao do agente Pestaa rao a leilao os bens abaixo
declarados os quaes fazem parte do espolio do mes-
.....tinado, a saber : diversos objectos de mobilia
como sejain coinmodas, marquesas, camas de ven-
to, guarda roupa, buca de mesa de janlar. dita de
aliu'oco, 20 cadeiras de jaca amia. 3 ditas de braco.
1 iM.ltrona, 1 sof de Jacaranda. 1 par de consolos
de dito, 1 cama de dito. 2 pares de btenos, 2 pa-
res de vaSOS de porcelana, e inultos outros objectos
que impossivcl enumerados, e assim mais oses
cravos seguintes:
1 mulato da Idade 35 anuos, enteude de ceneiro.
2 crioulos de 13 ditos.
1 mulato de 5 ditos.
1 preta crioula de 35 ditos, cosinba. lava en-
gonunaecosc, faz lalnrintlio. flores e mais Ser-
vir".
*1 dita crioula de .17 ditos., cosinba, lava, engom-
nia e cose.
1 dita crioula de 12 a 13 annos, principio de cos-
tura.
Os quaes serao vendidos se\ta-feira 24 do cor-
rente pelas 10 horas da manhaa na ra da Cruz n.
59. toja.
Um sobrado de 2 andares na-rua-do Livramento
n. 9, tendo cada andar 2 salas e mu quarto.
Teret-feira 28 da eorreale.
O agente Almeida far leilao por autorisacao da
caixa filial dos predios cima mencionados, na sa-
la da assoeiacio commereial, s 11 horas.
DE
PREDIOS.
como sejam
EM CHAOS PROPRIOS.
1 sobrado de 2 andares da ra estrella do Rosa-
rio n. 24.
1 casa terrea na ra do Amorim n. 30.
1 dita dita no pateo do Paraizo n. 31.
1 dita dita na ra da Alegra n. 14.
1 dita dita na ra do Mondego n. 69.
1 dita dita na mesma ra n. 71.
1 dita dita na mesma rna n. 73.
1 grande casa terrea assobradada na ra do Mon-
dego n. 16.
1 casa terrea na ra do Mondego n. 75.
EM CHAOS FOREIROS.
1 sobrado de dous andares na travessa do Livra-
mento n. 18.
1 dito de dous andares na ra das Aguas-Verdes
n. 70.
1 sobrado de um andar na ra de Santa Rita
n. 75.
1 casa terrea na ra de Santa Cecilia n. 9.
Qnarta-ffira 29 de jalho.
(A' ra da Cadeia numero 24.)
O agente Pinto legalmente autorisado pelos li-
quidatarios da massa fallida de Jos Antonio Bas-
tos, levar a leilao no dia 29 do corrente mez os
predios supra mencionados pertencentes a mesma
massa, em seu escriptorio ra da Cadeia n. 24, en-
trada pelo Becco-Largo.
Principiar s 11 horas em ponto.
LEILAO
DE
Urna terga parte do sobrado da
raa Direita n, 79
Qnarla-feira 29 de jiilho.
O agente Pinto far leilao (precedida a compe-
tente carta de autorisacao) de urna terca parte do
sobrado de dous andares e sotao edificado em
chaos proprios na ra Direita n. 79, isto urna
hora da tarde do dia cima em seu escriptorio ra
da Cadeia n. 24, entrada pelo Becco Largo.
AVISOS DIVERSOS.
A380OACG
TYP0GR1PBICA PENAMACCANA.
Domingo 16 do corrente haver sessao extraor-
dinaria do conselbo director, s 10 horas da ma-
nha.
Secretaria, 23 do jullio de 1863.
O 1" secretario. Silva Lint.
O Sr Jos, ge-
rente da casa de
Becker Muls<>wte-
nha a bondade de
dirigirse a loja
de fazendas na
ra do Crespo n
47, a negocio de
seu interesse que o
mesmo nao ig-
nora
ESTRADA DE FERRO
DO
COMPTABILIDADE COMMERCIM.
PELO
Duarte Ventura de Maciel, subdito portu-
guez, retira-se para Buenos-Ayres.__________^
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 19
da rna Nova, com bastantes commodos para fa-
milia ; a tratar ra da Cadeia do Recite n. 62,
segundo andar.___________________________
Desappareceu dos Coelhos da Boa-Vista, na
noite de lo do corrente mez, um boi castanho cla-
ro, pequeo, com as galbas acabaadas, cauda tina.
cascos pequeos, levou urna corda as ponas : lc-
ve-o quem o jiegar ra da Gloria n. 95 que se
gratificar, mesmo dando noticia certa.
RECIFE A SAO FRANCISCO
Polo presente scientifica-sc a quem interessar que
as requisirdes para trens especiaos deverao ser
fcitas por escripto ao 'Sr. Augusto Duprat, chofe
do trafego, por intermedio dos cheles de estaeao,
sem o que nao sero atlendidas.
Escriptorio da superintendencia villa o Cali
20 de julho de 1863.
(Assignado) Itirardo Austin,
Superintendente interino.
Para evitar qualquer reclamarao se faz publico,
qne do Io de agosto em (liante, nao serlo recebidas
merendonas na estaeao das Cinco Puntas, sem que
venliam acompanhadas por pessoa autorisada a
despacha-las no acto da entrega.
Escriptorio da superintendencia villa do Cabo 20
de julho de 1863.
(Assignado)R. Austin.
______________Superintendente interino.
Precisa-se de nina ama dr leite que nao lenba:
filho: nn ra Direita n. 4, segundo andar.
SOCIEDADE
DOS
ARTISTAS MECHAMOS E LBERAES DE PEU-
NAMBUCO.
De ordem do Illm. Sr. director faco sciente a to-
jos os senhores socios que no dia 26 do Corrente,
as 10 horas da manhaa, haver sessao extraordi-
naria para tratar-se de negocios de importancia,
para cujo fim os convido.
Secretaria da sociedade dos Artistas Mchameos
e Libcraes de Pernainbuco 23 de julho de 1863.
Antonio Bazllio Ferreira Barros.
___________________1. secretario._________
OfTerecose como ama una rapariga moca e
de bons costumes para o servico da cozinha em
urna casa de pouca familia ou de um mofo solici-
to : quem pretender dirija-se a ra de S. Boni Je-
ss das Crioulas n. 14.
Salomao Messias, subdito francez, vai ao nor-
te desta provincia.
LOTERA.
Quarta-fcira 5 de agosto prximo se extra-
hir a ultima parte da primeira e primeira
da segunda loteria da Santa Casa da Miseri-
cordia.
Os bilbetes e meios bilhetes acham-se
venda na respectiva thesouraria, ra do
Crespo n. 15, e as casas commissionadas
ra da Imperatriz n. 44, loja do Sr. Timen-
tel, praca da Independencia n. 22, loja do Sr.
Soares Pinbeiro, ra Direita n. 3, botica do
Chagas, ra da Cadeia n. 45, loja' do Sr. Porto
e em Apipucos estabelecimento do Sr. Fran-
cisco M. S. Mendos.
Os premios de 5:000/at 10$ serao pa-
gos urna hora depois da extracciio at as I
horas da tarde, e os outros no dia seguinte,
depois da destribuicao das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Padaria.
Aluga-se um preto perfeito offlcial de padaria :
na ra Direita n. 54, segundo andar.______^^^
Francisco Percha da Silva Santos- participa
a seus credores que est residindo na ra da Casa
de Detencao n. 7, c podem vir a qualquer hora do
dia apres'entar suas contas que seriio satisfeitos ;
e tainbein aos seus devedores que venliam saldar
suas contas. _________________________
Joo Caetano de Abreu, solicitador dos au-
ditorios desta cidade, faz sciente ao publico, com
especialidade aos seus clientes e amigos que mu-
dou sua residencia para a ra da Praia de Santa
Rita Nova u. 49, oinie inorou o Sr. r. Buarque.
engenheiro da estrada de ferro, onde sempre adia-
rlo, das 6 s 9 da maiiliaa, e das 4 da tarde em
diante.
IEILAO
HOJE*
Na rna da Cadeia n. 53.
O agente Euzebio vender em leilao diversos ob-
jeito* de ouro, prata e obras de marcineiria.
LEILAO SABBADO 2f DO CRREME AS 11
HORAS.
Da ai'inacao da loja na rna Xova n. 16.
Por interven^io do agente Euzebio se vender
cin leilao ao correr do mai tello a armaco da loja
cima, garante-se o traspasso das chaves cujo alu-
guel da casa razoavel.
Consulto na venda da- armaeao e garanto as
Chaves do jiredio ao comprador mediante flanea
idnea pelo respectivo aluguel da* loja. Recife 23
de julho de 1863.-Angelo Custodio dos Santos.
LEILAO
das dividas da massa fallida de Braz Marcelino do
Sacramento.
TerQa-fcira "28 do corrente na ra da Cadeia nu-
mero 53, s 11 horas.
O agente Euzebio vender em leilao pelo maior
prceo que se acbar requerimento do depositario
e autorisacao do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio, as' dividas daquella massa. .
leiLo
DE
ni PREDIO.
Terca-feira 28 do corrente as 11 horas da manliaa.
O agente Simoes far leilao no dia e hora cima
mencionados, de um sobrado de 3 andares c sotao
sito na ra da Cruz n. 27, com solo proprio. Os
pretendentes que desejarem iuformar-se do referi-
do predio podem entender-se com o mesmo agente
ra do Vigario n. 17, primeiro andar, aondo ter
lugar o dito leilao.
DK
Predios.
Um sobrado na ra Imperial n. 64, com 40 pal-
mos de frente e 180 de fundo, tendo o andar ter-
reo 2 salas, alcova. gabinete com alcova, -cosinba,
e tun grande sallo com 7 quartos; o primeiro
andar tem urna grande sala, 2 alcovas, 1 quarto no
corredor, sala de delraz com 2 eamarinhas e urna
grande sala de jantar, cosinha enm quarto ao la-
do, um grande sollo com boa sala, 3 alcovas e nm
quarto, grande cysterna. cacimba, 2 quartos tora,
estribara, coxeira e un grande quarto para guar-
dar carrocas, ^grandes quintaes tendo um delles
um bello jardim e outro plantado com diversos ps
de sapotizeiros e outros arvoredos, tendo ambos
200 palmos de largura e 140 de fundo.
Urna casa na mesma ra n. 66 com duas portas
de frente, duas salas, dous grandes quartos, cost-
aba e um pequeo quintal.
LOTERA.
0 thesoureiro das loteras desta provin-
cia, desejando extrahi-las em maior capital
e com menores intervallos, olTerecc a vanta-
gem de dous por cento quem comprar
para negocio, na quantia de 100)51 para cima;
assim como se prope a estabelecer corres-
pondencias para qualquer localidade da pro-
vincia, remetiendo bilhetes, meios e listas,
sb ianca idnea; devendo o pagamento
delles ser feito logo que sejam recebidas as
listas c novos hilhetes remettidos. O the-'
soureirocerto da convenienciadesse negocio,
convida aos Srs. eommerciantes da Victoria,
Goianna, Rio Formoso, Nazareth, Serinhem
e mais localidades populosas da provincia, e
mesmo os desta capital, que o quizerem, a
entenderem-se com elle, na thesouraria das
loteras, ra do Crespn. 15; advertindo
que receber em pagamento e sem descont,
os bilhetes premiados de todas as loteras
da provincia recomidos thesouraria da fa-
zenda provincial.
Thesouraria das loteras, 20 dejunho de
1863.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues do Soon.
Taberna.
Vende-sc a'taberna da travessa do pateo do Pa-
raizo n. 18, com poucos fundos ou mesmo s a ar-
mado : a tratar na mesma ou na ra larga do Ro-
sario n. 50.
PARA TODOS.
Previne-se a quem comprar predios no bairro
d Boa-Vista que primeramente especule saber
se sao foreiros nao obstante as escripturas dos
meamos declararem.pois que muitas duvidas se tem
encontrado (por especulaclo a diminuta quantia
que j>aga de laudeniin) e se duvidarem que taes
casos se tem dado procurem os proprietarios do
vinculo de ossa Senhora da Conceicao dos Co-
queiios que as provar. Bem como pede-se aos
Srs. Iciloeiros que quando tenham de fazer leilao j
de prodios declarem se sao foreiros e a quem, eo-,
mo se acbaui j annunciado os predios n. 47 da
ra do Rosario da Boa-Vista, 53 da" ra da Impe-!
ratriz e 67 da mesma que sao foreiras ao meu ca-'
sal. Lembrando-se sniente que a provisao de 30
de novembro de 1830 ainda est em seu inteiro vi-
gor como tambem pode-se aos Srs. tabelliaes que i
sejam minuciosos quando tenham de passar es-;
cripturas. Como tambem declara que os engenhos
Queimadas c Jundahy da comarca do Rio Formo-
so sao foreiros ao sea casal.
Josepha Maria dos Prazeres e Silva.
Antonio Avelino Leite Braga tendo de ret-,
rar-se para a Europa no primeiro paquete, previue
a irmandade de Nossa Senhora da Conceicao dos
Militares que nesta data suspende a flanea que lhe
deu a favor de Manoel Pedro de Castro Lima, em
virtud do que pae a mesma irmandade mandar
receber desde ja do annunciante o que at hoje lhe
estiver a dever o seu aflancado, no caso de se adiar
atrasado nos seus pagamentos, visto querer o an-
nunciante que a irmandade seja embolsada nacon-
formidade de sua carta de flanea. Recife 23 de
julho de 1863. I
3-RA ESTRENA
Francisco Pint Ozorio contina a enl-
locar dente> arliliciaes tanto i>or ineio de >
molas como pela pressao do "ar, nao re- VJ
cebe paga alguma sem que as obras nao
flqueni a vontade de seus donos, lem pos
e outras preparacoes as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
Agostinho Ferreira Catharino, subdito
portuguez retira-se para a Europa a tratar
de sua saude.
\oi;i I inios.
Piara do Corpo Sanio n. 17,primeiro ulular
Norat Irmaos avisam ao corpo do commercio que
nada devem nesta praca, e quem se julgar seu
credor, compareca com seus ttulos que ser im-
meilialaniente pago. Avisam igualmente- a todos
os sens devedores que no praso de 8 das venhan
pagar-lhes, do contrario serlo demandados judi-
cialmente.
vinario
Precisa-se de um moleque para o servico inter-
no e externo de urna casa, e juntamente de una
ama que lave e cozinhe : na ra do Imperador n.
71, segundo andar.
BAMCO l \ I O
ESTABELECIDO XA CIDADE DO PORTO
Agentes em Pernambnco
Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C
Sacam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agencias em Fi-
gueira, Coimbra, Aveiro. Vizeu, Villa-
Real, Regoa, Vianna de Castello, Omina-
rles, Barcellos, Lamego, Covilhaa, Braga,
Penafiel, Braganca, Amarante, Angra,
lina da Terceira, Ilha de Faias, Ilha da
Madeira, Villa do Conde, Valenca, Bastos,
Oliveira do Asentis, Chaves e Fafe, a
oito dias vista ou ao prazo que se conven-
cional no seu escriptorio ra da Cruz
n. 1.
DR. W1TRUV10 PINTO BA1VDEIRA
Professor da segnnda cadeira do Corso Commereial Prnouburaw.
DOUS BELLOS \ 01.1 RES EV 8. FRANGEZ
COtmtEHRNOSRDO


O primeiroPreleeees theorieo-pratleaa > eerl|>lM-
raeao mereantfll.
O segundoMoldes de arMhnaetlea coi
mercial, adaptadas a pratica das operaees com-
merclaes e elementos do systei
metrieo eom suas applieaedes
ao eommercio.
PRECO DE CADA VOLUME M.
Os hachareis Saximin Lopes Macha-
do cThom Fernandes Madeira de Castro
tem o seu escriptorio de advogacia ra
o\> Imperador n. 71. primeiro andar, onde
podem ser procurados todos os dias otis
das 9 as 3 horas da (arde. Advogam no
ccclcsiastico, no commercio. administrati-
vo, civel c crime; e encarregam-se de
promover qualquer questao pelo centro
desta e de ontra qualquer provincia.
Aos absolutamente pobres tratam da
defeza dos seu< dircitos gratuitamente.
>K
O mcdico-ciriirgico Antonio Jos Ferreira (
Alvos niudou-se para o primeiro andar da casa n,'
li da ra do Queimado.
Precisa-se de urna ama de leite
mas que tenha, quando muito at 6
mezes decorridos na criaco de que
se ache encarregada: na rita eslnila
do Rosario ni 31,3o andar, por cima
do arniazem de trastes do Sr. Mo-
reira.
Esta obra, apezar de elementar, veni preencfier urna ladina. qn-pra si>n(ida mlrritm
onde fallecem escriptos de certas especialidades cora accesso a todas as inh^ligenrias ; r as-
sim o editor pensa fazer nm servico dando-lhe publicidade, tanto mair! quanlo Imje, qur as
transaccoes commerciaes e indust'riaes vio entre nos tomando notavT desenvolviineiito. Vfi
entrar na ediicacao daquelli's que se querem applicar a taes ramos da vida o conhermn-nt.,
dos principios d comptabilidade administrativa e coinnvrrial.
Com este intuito, sob una forma essenrialniente cl.wsica. reuna o Sr. Dr. Witnivio o#
principios da comptabilidade commereial no que tem ellos de mais elementar, e roxnleiMNi-
os de modo a facilitar o mais possivel o seu estudo s pessoas que se doiimm s prMHss<> ?
commerciaes, sendo taes a concisao e a clareza postas no desenvolv ment respciiivn. i|in- |.- ,?
.5. de-se aprender a materia, chegando-se a escripturar os livros por partidas l
3 car o calculo s o|ieracoes do commercio. sem carecer da iniervencao le um mestre.
O primeiro volume, formulado sobre a obra de Bertrand ereojw-M mai> etMiamma ^ff
4. da escriptura^lo mercantil por partidas dobladas, cojos principios sao desenvolvidos em bar- %k
iy* nionia com a legislarlo brasileira, coulendo alni disto um importantissimo appendice -..tire ^,
>2a as sociedades commerciaes em todos os seus movimentos. quer |>elo lado da > ripioi-acn, ,?
i quer pelo da formacio, existencia e extinecao dellas em face da lei. Neste a|i)).-ii.tice. ilupli- *;
cadamente recommendavel por sua originalidade e pelocunho deespecialiasM, leinoeom-
merciante urna guia para sua direccao, qwdner que seja a fonoa da aocinlkdp wm >iminia. y^
Completa este volume o sjiecimenou resumo de una escripniracao. cticia verdadi. um- em .'
"i
tmmm
tudo seinelhante de una casa de commercio ordinario, offerecendo nnia serie de opt'rarftr*
successivamente mais dilficefs. que assim inicia gradualmente a maneira de e-eriprura-las
nos diferentes livros de nma casa de commercio.
O segundo, egualmente formulado sobre a obra de Kotlinger. ocenpa-se particnlanMaai ^
da arithmeiica commereial com exercicios e problemas |ielo meio mais simples. Eadl c breve gfc
da regra conjuncta, acerca de todas as operaees praticas nsuaes no rommeYrio. envoiMiido a
*f< clculos de cambios de praca praca e por pracas intermedias, bem como rtegorioa de l^.nro
*?\ com arbitragens de cambios, alm do desenvolvimento do systeuia mtrico em suas n-lafies
0^ com o commercio. i Ilustrado por meio de tabellas de i-oiiversao:
N" O editor nada mais accreseentar estas breves palavras. que asss demonstran! a inv
1^ porlancia real desta obra, devida a mfelligenriae a applicaclo aecurada do seu talar, iia
>jj& que ella de utilidadegeral, e que a neiilium coiiimerciante e mesmo a boom aliriim t lt-
r?< tras licito deixar de possui-la em sua estante pois o commercio i-m suas variadas .volu-
H coes, entende actualmenle com tudo que se liga a vida.
A assignatura toma-se as livianas dos Srs. Guiarles \ OUvein, Ni^in-ia dr Soo-
M za, Juliao & Pereira e Ceraldo H. de Mira, sendo reaisada sua importaaeia pata pata l cada
HS volume ao sabir do prelo, para o qnal ora entra o primeiro.
-,.' OkUIToI;.
Aluga-se a casa terrea da rna Imperia
66 : os pretendentes diranvse Caixa Filial.
n.
V V "h V V %* V V V ** V V v v
r'.\%\'> .%- i
NOVO ESTABELECIMENTO DE MEDICINA HOMEOPATHICA
RA XOVA \. 43*
0 Dr. Sabino 0. L. Pinito mudou o sen CONSULTORIO para aloja de marmorr
I roa Novan. 43, onde continua a dar consultas todos os das atis desden mm dia (fll
2 horas.
Igljjioit {l{@jljgl{jlgt}-}srj}@:
JoSb da Silva llamos, medico pela l'ni-
versidade de Coimbra, da consullas em
sua casa, na na Xova n. .*il). das 8 s 10
horas da manbaa. e das i s (ida larde, e
recebe egualmente convites para dentro
ou fra da cidade, rom o fim de se encar-
regar de qualquer servico de sua prols-
slo.
Os chamados deverao vir por escripto.
Aluga-se o sobrado da Sra. viuva Lasserre,!
naCapunga: a tratar 110 escriptorio de H. 11. Las- j Os enfermos, que o procuraren! logo na invasao da lltol..-lia. sem que liajatn |iv-
serre & c... rna da Cruz n. 13._______________imado qualquer remedio, nem allopatliico, neni homeopalhico, pagarlo metade dos prer/H
estipulados. Esta concessao lem por fim facilitar a cura de molestias, qu pomi lormv-
se complicadas pelos emprego intempestivo da therapi-tilica e ao mesmo lempo adquirir
para a homeopathia maior numero de adeptos pela-baten da cura.
Em atteneao as pessoas pobres, que nao podem sabir de da. o Dr. Salnno r.-sM-
veu dar duss conuUas por semanas as tenas e sexlas-feiras das seta aUNl Ihh-.i> da
noite.
caada .le todo, os entendido., sarouem menos de Os chamados para visitos e conferencias devem ser dirjgidos por esfriplo rm-
idiassimpiesmente con li pillas paulistanas sullorio desde 8 horas do da ate 8 da noite, na certeza de que serao attendidos
ftTTESTADO.
En. Antonio Joaquim, atiesto reconhecer apura
verdade. que tendo minba niutber nina enfermida-
de de aborto, a saber, com a crianca niorta na
barriga, proveniente de barriga de agua dita hy-
dropezia), e estando na hora da morte, o j desen-
iple
que foram applicadas peloSr. Laporte que se acha-
la de paasagem ueste lugar. Picando ella saa de
Unios os seus iucoiiuiiodos, e por ser verdade man-
dei passar o presente, que vai assignado por mina,
o Sr. Jos Alvos Bibeiro, que foi testemunlia da
Jim cura, e o Sr. Jos *q Oum. s de ni
S. JoSo Bapti ..> i'-' de feveteiro de 1861.
Jos Alves Ribeiro.
Testemunba.-Jos Antonio Comes de Oliveira.
Deposito na pharmacia do Sr. Jos Alexaadre
Ribeiro. na do Oueimadon. 18, Pernambnco.
Francisco Ignacio Pinto agente de leudes le-
galmente estabeleeido nesta cidade. mudou o seu
escriptorio dama da Cadeia do Recife 11. 9, para o
primeiro andar do sobrado n. 21 na mesma ra.
onde poilera ser procurado das 9 horas do dia as \
da larde, e desta hora em diante no Hospicio, .'a-a
contigua ao uariel onde reside actualmente. '
de sua precedencia, salva a circumstancia de eminente perigo.
AOVKKTI5XCIA.
O novo consultorio est prvido dos melhores nudicanieiib. desde a prinn-ira
at a trigsima dvnaminjsaco.
e wiuu uaJOArlicofi )iesiiaiil..'..,s o illomes nao rossnm de certificara maior lli-
cacia das ultissmas dynamintsacoes do tratamento .las molestias chronicas, <> Dr. s.ihiiH **
oceupa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais altas ( por ora at im.' <.
alim de verificar por si mesmo a forca dynamica, que se lhe atlt Inie.
Os mdicos, "que quizerem experimentar taes dvnaminsaees pinlero dirigir
consultorio suas receitas. que serao aviadas gcalu'ilamente para os ptm.
No mesmo consultorio se vende a novissima cuelo de Thesomo homeoniih
ou Vademcum do homeopatha, obra iudispensavel a dos que querem usar da ionv.-
pathia.
Tudo o que diz respeilo nova medicina se acha abundantemente neste mm amV1-
ecimento.
Precisa-se de 7:0004 a premio, dando-se por
garanta hypotheca em urna propriedade : quem
tiver e quizer dar annuncie, declarando a pessoa e
o lugar em que se deve procurar para tratar-se.
- Na ra do Mondego n. 85 corta-se papel para
enfeitar pratos.
CANO POICO VtXCiAR.
Iloutfem de 1 s horas la tar-
de esilveraiii na esenda de nieu
eserlptoritf dous oflelaes de jus-
tlea para exeeiitarem um manda-
do de prlso na pessoa de nien
ealxelro de eseripta e a reqnerl-
nienlo de Miguel Archanjo le
Figneiredo. o erlme qiie se llz
ter o nien referilo caixelro ter
aceitado nm flea le pequea
quantia que tem del\;tlo de pa-
gar por falta de meios: ser pois
Justa a reqnlsieo lo Sr. Figuel-
redo !
i .Hft este annunelo para que
nao se suspeite que os ofQelaes
le jiistlea tem alguma cousa co-
migo.
Jos Joaquim Gomes de Abren.
C4S4l)ECilHP0_
Tem de se alugar a casa de campo junto .10 pa-
lacio do Sr. Bispo na Soledade, aonde mora actu-
almente o Sr. commendador Antonio Siqueira Ca-
valcanti; a casa nova o tem mullos commodos,
tanlo no andar terreo como etn cima, grande terra-
jo, gabinetes, casa de banho, e de escravos, co-
cheira e estribaras gradeamento, jardim na frente;
o sitio tem grande quantidade de arvoredos do
frueto. o predio todo Iluminado a gaav e junta-
mente a frente do jardim c terrafo : a tratar no
armazcm da auiora brilhante, largo da Santa Cruz
com sen proprielario.______________________
Guarda-lhros
Um moco Portuguez, competentemente habilita-
do em escripturacao mercantil, offrece-se para
tomar conta de afgumas escriptas por commodo
prec,o : qualquer senhor negociante que se nucir
utilisar de seus servicos, tenha a liondade deixar
carta fecliada nesta typographta sob as iniciaes
CR.
INTERNATO
DE
>i
> >!
>,
ESTABELECIDO NA CIDADE DO RECITE
Director '0 barharel cni maltiematicas
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O director do internato de S. Bernardo, acceden.! aos pedidos da vari.* MI im
respectivos collegiaes, e de outras pessoas desta capital, removeii o u estaU-brnn^nlti
da Capunga para esta cidiule.
Inet
-elrurgl
Joao Rodrigues de
gnez, vai para Europa
Oliwira, subdito portu-
Aluga-se o primeiro e terceiro
andar da casa sita na roa da Praia n.
53, este com oioitos commodos, terra-
co, vista magestosa par o mar etr-
ra, canno deesgoto etc. a tratar na
mesma no estabelecimento.
A iuguel
Alagase nma casa terrea na rna
Velha n. 22, concertada e pintada de
BOYO a tratar na roa do SebO n. 24.' achara com quem tratar
iRua do Seve n. 28 (Ilha dos Ratos) proxi-j
mo a ponte de Santa Isabel.
O Dr. Joao Maria Seve, medico parteiro
e operador continua no exercicio de sua
profissio. sempre prompto a qualquer
chamado.
Recebe em sua casa escravos e criados
docntes de ambos os sexos e tambem ma-
rojos, para o que tem preparado conve-
nientes accommodacoes. garantindo-lhes
melhor tratamento, pelo preco de 2 dia-
rios, salvo operaees que, serao prc-via-
W mente ajustadas.
tofi-ssaiaBas-
RRHrmHmSsli
A i tenca*.
Aluga-se a casa da senhora viuva Machado na
estrada Nova do Caxang, com muito commodo
para familia, grande quintal murado, com fructei- .
ras, estribara e quartos_para escravos: quem pro- Ppn^8!
i tender dirija-se ao sitio ~
Engao.
No anauncio que o abaixo assignado mandou
publicar no Jornal do Rtcife de 16, 17 e 18 dj>
corrente julho, avisando terse despedido da admk-
nistraco da massa do finado Manoel Buarque de
' MarodoLima, houve engao em algumas palavras,
e por isto em lugar de pouca massa, la-se poera
1 massa, e em lugar de Antonio da Silva Gusmao,
lea-sc Antonio Bnarquo de Gusmao.___________
- Na confonnidade do disposto no artigo 14 do \
titulo 2. capiulo &" do couproiiiisso que rege a
irmandade da Senhora Sant'Anna, erecta na. igreja 1
da Santa Cruz da Boa-Vista, sao pelo presente con-
vidados todos os irmaos da mesma irmandade, pa-
ra no dia 26 do corrente, as 9 horas da manhaa,
reunidos om mesa geral no respectivo consistorio,
proceder-se a elegi da nova mesa qi devo func-
cionar no armo prximo vindouro : rojta-se, por-
tanto, a todos os irmaos se dgnem comparecer no
referido da e hora indicada, afim d cumprirem
com osle dever hnposto pelo mesmo eoumroiuissa
Joaquim Tlrodoro Alvos.
. Secretario.
Preeiaaise de 5& ueisando-se em poder da
comprehender os preceitos da hygiene e lhes cure das doencas. e linalmente um sa dote Ilustrado e honesto que lhes explique os principios da raUsjala clinstaa.. >r*ra_ e
assim constituido nao deixar o seu estabelecimento de menear ios Sr |>.ies d.- fami-
lias o auxilio e contlanca com que j alguns o tem honrados e Ibes roga. Imtmm a
todas as iiessoas interessadas, que se dgnem de visitar o mesmo seu i'stibelennt.-nt.
onde sempre encontrarlo franco ingresso.
O collegio tem a sua sede no esparoso edificio n. 32 :na da Aurora, cantiaiiu ao
do collegio dos orphaos.
Nos estatutos do collegio, que estao a disposicao de <\u-.....- quizer ler, ^M]n>
consignadas as condicSes de entrada e matricula as (versas aulas do aman
ment.
vd ot>' /-i~7inmflwB'r"-i'
O abaivO assignado, testamvaleiro dn bttm
do Fortunato Cardos" de liimveia. rnjra **~
dores do mesmo fallecido que por favor paguen'
seus debito com a maior preste asta s> eras
incommodo e maioresdw|as : dirijaM se a ra
da Cruz do Recife n. 60, e a ruaste fasfcnster ss>
mero 21. ... .
Joaquim Lopss s> Alnsmla.
Aluga-se nina ea^a com sino a etra*b 4.
Jacobina (Gapunga), muito fresca pinla.la de m>-
vo, com rerraco e janiim nos sidas, banli.iro. dnu-
quartos fra, coxeira. estribara a galinheiro. para
' ser vista estao as chaves na casa jnt.i em o sh>
I doSr. Joao Raptista. c trata- sobre o aiogiwl aa
ra do Pilar em Fora de Portas w> S^gund andar
i do primeiro sobrado do lado direo logo dep**. *
passado 0 arsenal de marinha._______________
Ausenloi-se da rasa ikt abaixo i
I rador a Torrc-desdc o dia 12 do
um criouiinliv orphaodv noine Manuel, naturali
freguezia de Cimbres e rom 16 aisr< ***",
pouco mais ou menos, levou no cosp raJci
btiiii, camisa a moda paleto*, ectapo de M
no, faz-se ste para livor de dnwUi
rojapezar que ja cvnsta haver o
praca no- >eaundu balalha" de fiaonro.
Ijtianio Gandid asas.
Aluga-se o primeiro andar da ra dntapr-
! rador n. 69, proprio |ra escriptefio mi_mg-
vooado quem o pretender dirya-sc ao V*
jlico u. 11, loja de fazendas que achara
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53^
1 e 1* andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua prolis-
so medica, e com especialidade
sobre r> seguinte
Io molestias
3
39
de olhos;
de petto:
dos orgaos-gtuiti
urinarios.
Em seu escriptorio os deentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos- os dias das
ftas 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qaalquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecknento dos seus
doentes
~l

blieo
tratar.
coa.
.u
irmanatle ant'Anna da Igreja
da Madre de eos.
O actual eserivao da irmandade da glorioaa Se- -_ Aluta-se o primeiro andar da casa
nhora Sant'Anna, administradora da igre), da Ma- Amorim n 15 : a tramr na pracn da I
dre de Dos, convida a lodosos seus charos irmaos n j* ou na rna s Csdsrnia, taberna mu
a comparecerem no consistorio da referida igreia Sr ^^
sexta-feira H do corrate, pela_s 6.H1 horas da ^^ ^ ,x,,Htonte aerara
pessoa que der o dinheiro um exctteitte escravo' tarde, aflm de se proceder a cleicio da nova mesa -*$fiS*2 f0n(mcta.
por garanta \ sendo que, se a mesma pessoa se regedora me tem de. funccionar no anno de 1863 "*S*S; urnaeasT mi
Retiro no mesmo lugar que agradar do dito escravo, se venderu por preen a 186*.O esenvao,
razoavel; nesta typographia se encaminhara.

>''

4ILEGVEL
T
Jos Francisco Coelho da Pas.
| zer todo servico de urna casa
na ra dos Pires n. 54.




B lar lo de PernanibMeo ~ sexta lra de Iiilho de 1S*3.
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
. A. W. Osborne retratista americano na ra
to Imperador parhvipa no respeifcrvo! publi-
co que eUe acaba de rrther dos Estados-Uni-
dos o novo c valioso processo da'j*V>togra-
phiaha pouco descoberto nos Estada-Unidos,
sendo -este novo systema superior a tudo
quante at o presente se tera descoberto;
sendo o annuuciatftc o muco emlodo o impe-
rio do Brasil, jue possue o dito systema
photographico. O Sr. Osborne pode apresen-
tar as mais bellas pinturas sobre o papel
debaixo de um estylo nunca experimentado
era condecido at hoje neste paiz, os precos
. des carles ser3o os mesmos; A. W. shor-
Be na ra to Imperador; dbem para a ban-
deira americana.
NB. A sala onde est colocada a clara boia
fci a poucoloda retificada de novo, e acha-
se com espato suficiente para acommodar
qualquer familia por mais numerosa que seja.
Ataga-se ;i luja do sobrado silo na ra Nova
n. 37 : a tratar com Amaro Goncalves dos Santos,
no Passeio publico, ou na ra Nova n. 35, loja de
ferragens.
. \mmmt*
Contina-a haver pao de centcio nos das quar-
las e sabbados de rada semana, na padaria, em
Santo Amaro, ao p da fundicao, e na ra da Tm-
peratriz n. i iua do Hriim, confronte ao chafariz
n. *". 8 roa do Rosario larga deposito n. 36.
Ao l. 29.
Nova loja dos barateiros, fa do Queimado.
Chitas fr;i!ici'zas nmito tinas, corado a 300,
320 c 360; baloes de panno, a 35300: fustao de
cores, covado a 320; i-assas francezas fazenda
muito tina, a 300 rafe a vara; cambraia lisa de 10
ardas, a 3*800 ; dita fina. peca de 20 jardas, a
84000; laas muito linas para vestido, covado a
sao.___________________
Ao d. 29.
Xota loja fot h'tratriros, ra do Queimado.
Paletots de alpaca mesclada, a 45000; caiiu-.is
nglezas a 15600; brim lona de linlio, vara a 640;
gl avalas de seda superior, a 500 reis; ricas abo-
lladuras para colele, a 500. __________ .
Ao n. 29.
Nota laj ti"* hurateiros, ra do Queimado.
Neste cstaliclerimeiito vendem-se 08 artigos sc-
gtnles por menos de metade do sen valor : franja
de alsodao branca peca de 45 varas, a 15(100;
bicos pretos de linho, vara a 120, 160, 240 e 320;
bornes de velado, de seda e de fustao, dnzia 120
.;. j. .;. .;. .y. 4. .j.
ALVK?ARAS A NOVIDADE. M
Sao chegados loja das columnas &<
na rea do Crespo n. 13 de Antonio ;&<
Coiica de Yasconsellos & C. riquis- )5\
simos cortes de 13a nmito lina com .?.
barras estampadas e matisadas Im- >jj
peratriz Eugenia, cures as mais deli- ^
cadas como sejam: cor de ganga, de **|
lyrio, cinza etc., fazenda fnteiramen- ^
t nova e nunca vista em'l'ernain- -;
-[ :
buco.
Alugam-sc a loja do sobrado 11.103 e armazem
n. 171 da ra Imperial, o armazn n. i da ra do
Apollo, e a casa n. 27 da ra do burgos : na ra
di Aurora n. 36.
Deseja-se muito fallar com os Sis.:
llanol de Soma Lelo Jnior.
Horacio de Sonsa LeSo.
Joio da Silva Santos icinpregado na estrada de
ferro.)
Jos Antonio Lopes Jnior (do Rio-Formoso.)
na ra do Crespo n. 17. bija._________________
Aluga-sc um sitio na Cajumga Velha, com
boa casa de vivenda, eocbeira, estribarla e guarios
para nretoe : a tratar na ra Nova n. 3, ouna ra
da Palma n. vi.
Caixolro.
Ofjereee-se um moco que tem muita pratica de
anidados para eaixeilt) de qualquer armazem :
quem pretender, dirija-se a travessa di Madre de
Dos 11. 21.
Aluga-se urna loja para blendas, na pnf ja
tem armario egaz, 110 primeiro local desta ciuaile:
a tratar cun Jos lygino de Miranda._________
Casas de campo baratas.
Ataga-se ama no Monteico, contigua ao sobrado
e outra na Torre, a margen) do rio Capibaribe, de-
fronte da ponte de Ucha, onde, depois de se ter
apenas atravessado o rio, encontra-se fcil condu-
oao para o Recite na linha dos mnibus que em
diversas horas por alli passam : ambas as casas
tem bastantes comniodos, c a ultima tem uina
grande planta de capim : a tratar na ra estreita
do-Rosario n. 28, ou das 4 horas da tarde eni dian-
te em ponte de eba no sitio do consclheiro Jos
Rento.
CASA DE SAUDE
Em Saulo Amaro
Do Dr. Silva Ramos.
l'nico estabeleeimento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo
que pode com todo o commodo "e zelo tra-
tar qualquer doente, que nella seja reco-
Ihido.
O edificio magestoso e conserva-sc
* tu |>erfeito estado de limpeza e conve-
nientemente mobiliado. \
Os doentes sao separados, secundo os
.v.v>s, natureza das molestias e condicoes
soei.es. ^
Ha quartos fortificados para os aliena-
dos, .e urna enfermara para as partu-
rientes.
.0 preprietario encarrega-sc de qual-
quer pporacao.
O eetabefceiinento franqueado qual-
Sbor |>cssoa que o queira visitar.
Primeira el.isse 35O00diarios.
S^m.da dita.... 2o00
yercera dita.... 2O00
Para bido, hasta que scniande onome do doen-
te e da p^soa que a remelle, com a de-
claracao da morada.
O proprietario aceKi contratos ahnuaes
com qualquer que queira ter um ou mais
lcimt sua disposieao.
Alagara-sc
Dons armazens |>eqnenos na travessa da Sanzal-
la Velha, por detraz da loja n. 30 da ra da Ca-
deia, muito prximos alfandega e ao caes do
Apollo, e por wso propios para qualquer lim e
senrfrem para um ^ por terem coimnunicacao;
liater na sobredita kktfom Cunha e Silva.
Na ja do Crespo n. 20, esquina, ha urna
preta moca para altigar, excellente engommadeira
e cosinhefca, alaa-!e para o servico de casa, pre-
|ere-se alngr para alguma casa estrangeira,
PHOTOGRAPHIA ARTSTICA
RUANOVAV&
ESIJIIM III RUI VA CAMIIIl M CVBKO
Vrabalham seja qual fdr o tempo.
Na ra do Moodego n. 85, corta-6e pa-
pel para enfeitar pratos._.
INJECCO E CAPSTJLAS
^VEGETAES ao MATICO.,
GRIMAULT E C'_A PHARMACEUTICOS EM PARS
Novo ti atamento preparado 0111 as lolho He Mniico, rvore do Pcru, para atura rpida einfa livel
da<}ononlica sem recelo algum da contraeco do canal ou da lntlammacao dos Intestinos. O celebre
doutor nicord, de Pars, ter renonciado, desde sua apparicao, aocmprgo de qualquer outro tratamento.
Fniprega-se a mjrcco no comeco do fluxo. as capsulas em todos os casos ebronicos e Inveterados, que
rcfistirSo as preparaqoes do copahu, cubeba c s injcc?6es com base metalllca. ... .. ,. .
tknsito (eral ei Pars, cm casa de MM. Gi-lwault e c, pharmarcuticos, 7, ra de la Feulllade;
eni Liiboa, fu aMlnl Cot-C.pallio Jnior; no Porto, Ml..el Jo. de tau f*p-
relr- em o o-d-Janeiro, 6mu.. IOS, ra S. Pedro; em Baha, Jone-Cocan. Ferrclra.Ei.pla-
Hclra'- em Rio-Grande, Joaqun de Goday; em Jfaranho, Ferrrlra e C; em Ptrnambuco,
shome C, ra da Crui, 22; souaa, e as principae pharmacias do Brazll. ______
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caors & Barboza.
MADAMA VIUVA LECOMTE
RA DA IMPERATRIZ N. 7.
- Unta pessoa- c*paz e Habilitada, olferece-Se
para ensinar primeiras letras, grammatica portu-
gueza e^rincipios da msica fra desta praca : na
ra da Lingoeta n. 1, taberna do Duarte._______
Brt para alugar-se ama peqhena casa na
cidada de Olinda, ra de Mathias Forreira; urna
casa torrea na rna da Gloria, e tima: loja na ra
Dircita : quem pretender, falle na ra das Crmes
n. 9, penltimo sobrado do lado direito quem vai
da ra do Qneimado para S. Francisco.________
Callgraphta.
O cahgrapho Mcndonca Bclm oflerece o seu
presumo nao gmente para dar licScs em casas
particulares, domo para copiar papis etc. Omes-
mo se olTerece tambem para dar licoqs de gram-
matica portugueza, arithmetica, jiricipios de geo-
graphia e guometria : a tratar na ra Velha n. 93.
Nos abaixo assignados declaramos que
de nosso poder se extraviou urna letra da
quantia.de 2ooiJooo rs., aceita pelos Srs. Ce-
zar & Menezes; vencida em 3 do rorrente,
cuja j se achapaga. Recife, ii de julho de
1863.
Silva Bastos & C.
DENTISTA DE PARS
19Ra Nova-19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operac,oes de sua arte, e col-
loca dentes artiliciaes, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas Ihe reconnecem.
Tem agua e pos dentificio.
Aluguel de casa.
Precisa-se alugar um sobrado de um andar e
sotao que tenha commodos para nao pequea fa-
milia, c que seja situado no bairro da Boa-Vista,
ou mesmo no de Santo Antonio, e com quintal;
nao se duvidando dar um semestre adianlado de
alugucl quem o tiver, dirija-se ao principio da
ra do Hospicio, sobrado de um andar com portao
de ferro ao lado.
Canos de ferro.
Na ra da Gloria n. 89 vendem-se can* de fer-
ro de mea pollegada, para agua ou gaz, a 160 rs.
o palmo Inglez.________________________i
RETRATOS
DO ARTISTA
rf Rf ad mm
Nitidameate Ij Ut|ra(ilu(W.s en l'aiis, viudos pelo
' paquete XavarTe.
Precode cada retrato I500.
Vende-sc na loja do livros ao p do arco de San-
to Antonio._________
Potassa da llussia.
Axaba de chegar pelo brigue hamburguez
Otto, muito nova e superior; vende-se so-
mente no antigo e acreditado deposito na ra
da Cadeia do Recife, n. 12; onde tambem se
vende cal de Lisboa muito nova e precos
commodos.
Os senhorea credores da massa fallida de
Tem a honra de participar aos seus numerosos freguezes e ao respeitavel publico desta capital 1
assim como das provincias, que .acaba de receber pelo paquete francez Nacarre imi completo e muito
variado sortimento de objectos para presente, assim como recebeu tambem ricos '-
qner de atar cabello quer de alisar e tirar bichos ; namesma casa encontrar o
das c quaesquer perfumaras dos mais afamados perfumistas de Paria, e agua para tingir caueuos. 1 dsposlono artig0 859 do cdigo commercial, para
N^B^^e^ft a cortar c frisar cabellos pelo preco de 500 rs.,e faz-se toda especie I cm seguida se proceder o rateio.-------------------
de cabelieira. 'Aluga-sc urna canoa nova para o trali-
_^________________________________ ---------------------------------------------________' code capim ou para familia; por proco com-
\ modo, e tambem se vende: a tratar nos Afo-
! gados com Candido Tbcotonio da Cmara.
APPROVA^AO E AIJTORISA^AO.
DA
Academia Imperial de medicina
Jimia central de hygiene publica
A
Precisa-se de urna ama para todo servieo interno
de urna casa de pouca familia: na ra da Gloria
rr. 80.
ELECTRO-MAGNTICAS EPISPAS1CAS
DE
RICARDO KIRK
Para sercm applicadas as partes affectadas, sem resguardo
nem incommodo
Muito conhecidas nesta corte e em todas as pro-
vincias deste'imperio, pelos seus infalliveis resul-
tados em todos os casos de inflammaeao, sejam ex-
UTias un internas feom canmro c falta de respi-
raro) como do estouigo, ligado, baeo, bofes, rins,
ulero, |K'iU), palpilaeo de coraca, gargaUas,
olhos, erysipeUas, rheumatismos, p"aral\sia, e todas
as atfeccoes nervosas, etc., etc.
Igualnente,rpara quaesqoer inchaeOes, (Bridas,
tumores intestinaes e venreos, serbphulas, lobi-
nhos, papos, etc., etc., sejam qual for o seu tama-
nho e profudeza, per meto da supuraeao seario ia-
dicalmente extirpados. ... ,
(Dotas oAoj.M ^r.o p<. guma, ellas tem sido applicadas aos olhos com o
mellior successo, vejam-se os atlestados de curas
completas que j forain publicados pelos jornaes.)
O uso dallas aconselhado e receitado por habis e
disiinctos facultativos, sua efficacia incontestavel, e
as imiumeras curas completamente obtidas as di-
versas molestias emque foram applicadas, e fazem
merecer consecrar a confianza do Ilustrado pu-
blico, que j tive a honra de merecer delle 25" an-
uos de existencia e de pratica.
N. l. Nata corte e de todos os pontos dest
imperio recehem-se participaces satisfactorias e
respeilo das dilas.chapas medicinaes.
As encommendas das provincias devem ser di-
rigidas por escripto, com todo o cuidado de fazer
as necessarias expucaeSes, se as chapas sao para
hiunem, senliora, menino 011 rrianca. AeeUniMO a
i.ioioi-tu c em que |nu i.: ,1., <-nr[io e\iste.
Para inchacoes, feridas, lobinhos. papos, etc.; o
molde justo de seu tamanho em um pedacu de pa-
pel, a declaradlo onde existe, alini deque a chapa
seja da forma" da parte alTeciada, c para que possa
ser bem applicada em sen lugar.
Urna crioula moca deseja alugar-se para ama
de casa de familia, fazendo todo o servido menos
cosinhar, engommar e sabir ra para comprar :
quem precisar procure na penltima casa nova da
ra novamente aberta ao lado da caixa d'agua.
COMPRAS.
Compra-se urna casa terrea que seja pequea
c em chaos proprios : a tratar na ra da Florenti-
na n. 42.
Precisa-se comprar
una parelha de bons cavallos que andem bem em
carro, brancos ou pretos e de bonita figura, e que
nao tenham mais que 6 annos : dirija-se ao Sr.
Thomaz Payne na eocbeira da ra da Guia no Re-
cife n. 1.
Compra-sc um eavallo preto que tenha so-
mente os andaros de trote e galope : na ra da
Cruz n. 13, primeiro andar, das 10 da manhaas
4 horas da tarde.
Comprase effeetivamente onro e prata em
Vm mlh nn rrio-. .1.. i.l,.rniwl..nr'l.i ... aa |.
ja de bilhetes.
PODE-SE MANDAR YIR DE QUALQUER PONTO DO IMPERIO
DO BRASIL
As chapas serao acompanhadas das suas com-; Consulta s pessoas que se dignarem honradlo
ptenles e\|ilicacoes, c tmbelo de lodos os acces- com a sua confianza, todos os dias, sem excepcao,
sorios necessarios para suas applicaeoes. das 9 horas da nianhaa s 2 da tarde.
ESCR1PTOR10
I. 119 RIJA llO PARTO H. 119
E EM PERNAMRUCO
Para as encommendas ou informacoes dirijam-se pharmacia de Jos Alexandre Ribeiro,
ra do Queimado n. lo.
VENDAS.
ZAMORA.
DRAMA HISTRICO PELO DR. THEBERGE, NO
QUAL NAO INTERVEN PERSONAGEfl
FEMENINA.
Na ra Nova
exemplar.
n. 11 vende-sc a I #000 o
Vende-se um boi manso para carroea: a tra-
tar na ra do Rosario da Roa-Vista u. 51.
AURORA
LARGO DA
RRILHANTE.
1. 84
SANTA CRUZ.
0 grande armazem da Aurora Brilhante contina a vender os melhores e
0i mais novos gneros vindos ao mercado, por precos baratissimos.
%m Mantpira inlpza flor_ lihra. ". Sll Ifnstarda frnncpTa pm fi
O
sm Dita dila mais baixa, libra 040 e
9 Dita hollandcza e barris pequeos
libra 640 e.......
Dita em barris e meios, fraijceza
e ingleza, de 000 a .
Dita franceza nova, a. .
Cb byssom, o melhor que tem
vindo ao mercado, a libra. .
Dito verde muito superior. .
Dito miudinbo, a libra .
Dito graudo, a libra ....
Dito mais baixo, a 2$ a libra e
Dito estrelinbas do Rio, a libra
1#50 e.......
Dito preto muito superior, a li-
bra 1(5500, 1,J800 e .
Toucinho de Lisboa muito novo,
arroba 9#000 e libra. .
Presumios inglezes para Hambre,
muito novos, a libra. .
Dilo de lamego, a libra .
Chouricas e salpicoes, os mais
novos possiveis, a libra. .
* a '
i
800
720
7G0
700
640
3200
30000
2^800
20560
2400
10600
2000
320
800
-560
560
500
800
720
720
Mostarda franceza em frascos de
vidro........
Conservas inglezas e francezas,
em frascos, a......
Marmelada muito nova dos me-
lhores concerveiros de Lisboa a
Massa de tomate, a libra 640 e
Saccas grandes com milho 60500,
farinha 60500, farelo 4/500,
arroz de casca a 40 e. 50000
Latas com bolacbinhas de soda e
outras qualidades novas 1/500
Ditas de ameixas com 2, 4 e 8 li-
bras, a 10500, 20600 e 40500
Ditas com'ligos de comadre, pro-
pinas para mimos, de 4 libras 1/500
Ditas com peixe preparado do
melhor gosto, a.....10300
Ditas com sardinhas de Nantes,
a 320 e.......360
Ditas com fructas de Lisboa em
calda, a.......640
Vinhos genuinos engarrafadas no
Porto, de 10500 a 20000
Alm dos gneros annunciados, ha urna grande quantidade de gneros todos
da melhor qualidade, e vende-se barato,
Calcado frajort, na loja do vapor, roa
Nova n. 7.
digno de attencSo os novos sorti-
mentos de calcado francez, chegado
dila loja, e mui especialmente as mo-
dernas jrtinas com differenles e novos
enfeites para senhoras e meninas.
55
n
c
HOTEL DE PARS
Roa da Cruz n. 24 por cima da botica
ALMOCO, JAKTAR E LANCHE,
Bebidas superiores de (odas as qnalidade.
Perdeu-se i lettras da quantia de 6!500 ca-
da uina sendo a primeira a vencer-se no da 21 de
agosto e a segunda no da 10 de setembro sendo
aceita pelo Sr. Luiz Ferreira de Almeida.
Arrenda-se o engeaho **.
Catano sito na comarca do Ca-
bo, tem esta proprledade encl-
lenles ierras para plantaeo de
canoas, rocas etc., moldo por
agua e dista da estaco da va
frrea apenas mei legua: quem
o pretender, dlrIJa-stT casa do
fallecidocommendador Ln*zGo-
mes Ferreira, no llondego.
Vende-se a arniacao da loja n. 7 da ra do
Queimado a tratar rom Augusto F. S. Porto na
loja n. 11 da mesniarna.
Xa rasa n. 17 da ra do Amorim, existe una
armac,o de taberna propria para qualquer prin-
cipiante c que se vende por preco muito commo-
do : a tra tar na ma do Rosario n. 35, taberna.

loja de Augusto F. S. Porto, ra do Queimado
n. 11, chegaram lindas capas de seda ricamente
bordadas e enfeitadas, manteletes de seda, Had-
abas de bonitos gostos, quo tudo se vende por
commodos presos. '__________
Aos chefes de familia.
Xa travessa da Madre de Dos n. 5, vende-se
barriquinhas de bolachinha americana de 26 libras
a 25000 rs., e a quem levar vasilha para despejar
as bolarhinhas, abale-se 300 rs.. vem a sahir a
libra a 37 rs., e por menos da metade do que custa
a da trra, at me'smo para escravos excellente
pelo preco. _______^^^^
INJECCO BROW.
Remedio infallivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito na bo-
tica franceza, ra da Cruz n. 22, pre-
co 30.__________________
Vende-se manteista ingleza flor a 960 rs. a
libra, dita franceza a 720 e 560, linguica de Por-
tugal a 480, paios a 560, queijos do reino a 1*900,
dito de prato a 700 rs., dito de manteiga a 560,
carne do Serid a 320, bolachinha de aramia a
320, aletria nova a 480, amendoas a 120, toucinho
de Lisboa a 320, e outros inuitos gneros por pre-
co commodo : no pateo do Carnio, esquina da ma
de Ilortas n. 2. -
Vende-se um armario de louro, novo, que
ainda nao foi servido, para louca, e urna grade
para porta : quem pretender dirija-se ao Mangui-
nho, casa que faz esquina para a ra da Amizade,
antes de chegar a igreja de S. Jos, que achara
com quem tratar. __________
PAPEL
de cores para listas de eleltores
A aguia branca suppSe que nao faz mal em offe-
recer aos athletaS uns pacotes com 254 folhas de
papel de cores, que pode servir ptimamente para
listas de eleitores, e tanto melhor por custar cada
nte o diminuto preco de 1*300', e ser cada um
ma so cor, o que dilBcil de encontrar a nao
ser na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8.
Na mesma loja tambem ha do outras qualidades,
branco e azul, assim como anvelopes. ________
FARINHA StiPggfG)*1*
Vende-se a retajho abordo do brigue Mel-
lo Io, o qual se acha atracado ao trapiche do
Bario do Livramento, e em porcao: trata-se
com Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C,
no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Aos sentares de eagenho.
Nos quatro cantos da ra lio Queimado n. 20,
vende-se o bem conhecido algodao da trra, pro-
pro para roupa de esotro.
CAS4S 4 VENDA.
O corretor geral Macdo, est competentemente
autorisado a vender as seguintes propiedades ; a
saber:
Na ra da Palma casa terrea n. 54.
i do Jardiin casa terrea n. 12.
do Rangel sobrado de um andar n. 5.
dos Pires casa terrea n. 24.
do Burgos sobrado de 2 andares n. 11.
travessa do Pocinho casa terrea n. 10.
t ruade Hortas metade da casa terrea n, 68.
dos Pescadores a 7* parte da casa terrea
n.26.
do Rosario da Boa-Vista dita dita da ca-
sa terrea n. 17.
do Farol dita dita da casa terrea n. 32.
do Pilar dila dita casa terrea n. 51.
Um excellente armazem na Ganieleira junto a
estacao da via frrea.
N povoac^ao do Poco da Panella casa terrea n. 3
dos Afogados ra de S. Miguel casa
NO AUIAZEM DE FAIENBAS tUHft
M
SIXTOlOGLHO
RaadeQwfaudea. W.
Vende-se o segulute:
t'obcrtas
de chita daindia. a frooo re.
Lences ir pane
de linho, a 2:000 rs.
incoes de bramante
de linho, de um panno s, a 2:8oo re.
Toalhas aleerlnadas
para man, pelo baratissimo preco uV 5rooo
rs. aduzia.
Ricos Tfslidiifcos
de seda para meninas, pelo baratissimo pre-
co de 4:ooo rs.
Lrares de seda
pelo Iwrato preco de I :ooo rs.
Saias dr foti
pelo baratissimo preco da Mm rs.
Leeees de ramfcraia
brancos finos, pro[>rios para algibeira, duzia
a l:8ooe i:ooo rs.
Lencos de cassa
fmissimos, proprios para algibeira, pelo ba-
ratissimo preco de 2:4oo rs. a dozia.
Cortes de caira
de ganga mesclada, de listas e de qmdro*,
fazenda superior, pelo baratissimo prero de
l:2oo rs. o corle.
Pecas de uiadapolo
largo superior, pelo baratissimo pre;o de
8:ooo rs.
Pecas de bretauha
de rolo com U> varas, pelo barato prero de
3:2oo rs.
Prcas dr ramhraia
de salpic/is, fina, com 8 12 varas, pelo ba-
rato preco de 4:ooo rs.
JlMlhadM de liase
Quem^preteudT.ntdfdirigir-sc ao supradito f JZE? ^^^ *"* **
corretor na praca do commercio. ina ue m,za a **"> fl. a vara.
Toalhas
de linho para meza, a 3:noo rs.
Barree
de lindos gostos, pelo barato preco de Mo
rs. o covado.
Esleir da ledia
propria para forro de sala, de i, 5 e 6 pal-
mos de largura.
Vende-se a armario da loja
invernisada e iluminada a gaz
ma ra n. 40.
m
n. 16 da ra Nova,
: a tratar na mes-
PI.NTURA.
Tinta branca de massa muito nova, em la-
tas de 28 libras para casas, para navios, para
a companhia do gaz, a 2oo rs. a libra: ra
larga do Rosario n. 34.
VENDE-SE
no armazem da bola amarella, no oitao do gaz da
ra do Imperador, verniz ou alratro do gaz, pelo
preco do gazometro, adiando os senhores compra-
dores barris que levam de urna caada a vintc e
quatro, por barato preco : no mesmo armazem. .
Ai! mi mu as las baratas.
Superiores las de cores de quadrinhos e ?* *' ua 1>0.va ."
isas/ fingindo sedinhas de duas larguras, f -1 qualidade e nao m
jeto baratissimo preco de 500 rs. o cova- contend) cada lata 27 g.
*_ ~ pnnvnm n ftintn ir'i^t-i * pele
do
i:i
Kua da Sen/alia a 42.
Vende-se, em casa de S. 1'. JnlmstondrC,
sellins e silhes inglezes, candieiros e lasti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arrpios [ara
carros de um e do cavados, e relogios de
ouro patente inglez._____________________
Gaz liquido 12$.
Vende-se na nova exposico de randiri-
ros a gaz, na ra Nova n. 24, latas d; gaz.
o inflammaveL a IS,
garrafas, que muito
a quem gasta este liquido : H roa
: na loja das columnas ra do Crespo n. T" Sr^SJTE--
, de Antonio Correa Vasconcelos 4 C. Nova n- 2i' ^ leCarne.ro \nna.
GAZ.
Farinha de mandioca
Xo armazem de lougada porta larga, ra larga em ^35 do Rosario n. 26, vendem-se latas com o galoes de .
gas a 12-5, assim como latas de 3 garrafas, e em '"' '!"
garrafas muito em emita ; garunle-se a qualidade. [ Amorim n. Jo.
armazem de Tasso limaos, un i.'o
Vendem-sc caixes vazios pro-
prios para lia lu le i ros a 1$280, na ra
das 1 lii/.cs n 44.
Agua de Vechy natural.
Pl>rf*ll iiUIvk-kftiYliiil pil> Knlfot'ttto 1*11
da Cruz n. 2, armazem de Isidoro, Netto
&C.
Gaz na cidade de Olinda.
Vende-se gaz liquido de primeira qualidade a
6W rs. a garrafa e em porcSo mais barato : na ci-
dade de Olinda ra de Malinas Ferreira sobrado em
que morn oSr. major Salvador._____________
TI JOXOS
DE
1 11-111 Inglezas
em salmoura: no armazem de Tasso Inios,
ra do Amorim n. .!*>.___________________
Vemb'-st; a laln-rna sita na lra*essa 4>n E\-
mxins n. 18 : a Irat.ir na n*"-mn._____________
Veade-sc a armaran da taU-nu do p.tienik)
Tersen. 12. Ihmm afn-guezada para <> mati" i
bem para a praca : a Iralar na ra Dirnta,
141.
MLDANCA.
Vendem-se ti jotos de marmore de 10 e 12 pollc-
gadas quadradas cada un: em casa dos Srs. Hen-
rique Forster & C, ra do Trapiche.
AltoiK-fio.
Vendem-se os seguintes escravos, na rna Xova
0 rival sem segundo uuidou o s'ii i -i,i. -
lecimenlo do n. 55 para o n. 49 la rn.-sma
ra e contina a vender em todas las |..jns
as miudezas abaixo deliradas e qi.eirain
prestar toda altencao: ^
Sabonetes inglezes muito finos a
100 e......... 4*>
IVasid d'agua de colonia peque-
| no muito lino......
Dito dito grande muifosuperinr. .
1 Frascos de Bneaaanr p.rola a. 2)
; Ditos de macar oleo a. ... ItO
Frascos de oleo mrbosi a 240,
320 e......... 420
500 e. SM
400 e .
n. 44 terceiro andar, sendo 1 mulato de 2() anuos, Dito (il0 muil0 anerkir a
perfeito copeiro, t dito de 11 anuos, 1 negrinha de ., _. -. .
12 annos, 1 moleque de 18 annos, 1 escrava de 26 Dito de banda muito lino a
annos, cose c engomma, i dila de .10 annos perfei- Frascos de Lavandemuito superior,
ta cozinheira, 3 escravas de meia idade proprias, Grualas dagua celeste muito su-
para todo servieo._________________________j periir a........
- Vende-se urnaannaooenvidracadaato Frascos de cieiro muito finos
estado, posta na loja do sobrado n. 64, ra Dircita : ma
a tratar no primeiro andar do dito sobrado, e as-; ^ '.*'"* "
segura-sc que se far todo o negocio.__________i Ditos de banha pequeos muito lina.
Vende-se urna escrava crioula de idade 30: D't0 ('e opiata pequeos. .
annos, com urna lilha tambem crioula de idade 8 Thesouras muito linas para unirs.
annos : a tratar na ra da Santa Cruz n. 1, ta- j Gravatas de seda de cores .
berna. ___________________| {jgnm brancas de algodao .
Caivetes de 2 folhas muito finos .
Caixas de colxetes francezes e car-
tes.........
Grampos de caracol e lisos.
5tO
I-^NH)
\


^
Farinha e milho
No armazem da aurora brilhante ha saccas gran-
des com farinha muito boa e milho a {^1800 a sac-
ca, em porcao* se far algum abatimento.
Caixas de vidr com 12 dedaesde
metal.........
Massode palitos lixadospara denles.
O LIVUO DO POVO.
Segunda edico mais correcta, ornada com! Grosas de boties de aro para calca.
27 estampas, e augmentada com 48 paginas Caixas com Graseos de heiro. .
de texto, contendo: a vida de Nosso Senhor Escovas para cabello muito finas .
Jess Christo, fbulas, o \ gario, o bom ho-, Carteiras le marroquim muito finas,
mem Ricardo, quadrupedes uteis, o profes-: Pe^s de tranca lisa encarnaila. .
sor primario, moral pratica, Simo de Nan- Tinteiros com tinta muito siiperior.
tua, mximas e sentencas, hygiene, receitas' Ditos devidrocom tinta mais m-
necessarias, o Brasil: vende-se na livraria de I ferior. . .
Manoel Figueira de Faria & Filho, praca da Cartas de alinetes francezes .
Independencia ns. 6 e 8, a 600 rs. o exem- Cornetas de chifre para meninos
piar em brochara, e a I acartonado.____
SSO
21M3 '
aoo
40
30
M
320

40
4
320
Dril
:!:*>
10M
640
640
20
ICO
80
Assucar do Monteiro
Ra do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
a 5)5(600 aarroba.
Armaco de taberna.
Vende-se a armacao*que foi da taberna da loja
da ra Dircita n. iS, nella existente : a tratar na
mesma ra n. 91.
OSTRAS
em caixas de 24 latinhas de urna libra no ar-
mazem de Tasso A Irmos ra do Amorim
n. 35. ______________________
Estampas Anas.
Na loja da Aurora, na ra larga do Rosa-
rio n. 38, recebeu-se vario sortimento de
estampas de differentes santos.
--------------------'-----;----------
Vende-se a tvpograhia em que se imprima
o Diario do Recife, contendo 2 prelos e diversas
fontes de typo, bem como caixetas e mais arran-
jos pertencentes a mesma typographia : a tratar
na ra do Imperador n. 54; igualmente se vende
papel de lmpressjio por pretjo commodo, ele.
DO
Recife numero 40.
Vctor Grandin, relojoeiro eewderoradt
medalha da exposico de Paria, eaiabetefi* i
loja na ra da Cadia do Kecifa, sertaamaos tse
numerosos freguezes e ao puMie ai traca a^as
recebeu ltimamente um grande sortiateato Se ar-
tigos pertencentes a sua arte, com ajsn, rclapui
para algibeira de ouro o prata, e de astales aties
e suisso, correntes de ouro de le, e k atis ks-
ntos modellos; tambem tem pan Tender
chronometro martimo inglez, e de ma ios i
res-fabricantes; assim como urna gnmie
dade de relogios para parede e para osas aVl
ementes.
Vende-se sementes de bortaBeas mnife ssa
na ra da Cadeia do Recife n. S5,th(faM ka ana-
cos das pelo brigue S, Mamut I.
Carne e qneljos dnaltildi.
Vende-se carne e queijos legSiaies do SerM,
nafas deeenta propria: na esajsana da maeV
Borttsp.*
ILEGIVEI
a-a-a..-. nmnnnmnnnnninn


Wlailo de PcrnamjHico --^extpfclra 21 e Julho de 18.


-
f
r
EXPSITO
j- j. t minluts bordadas de cor', tojttlo 8 1(2 varas
ttenaas ara- ^ 1)eca> a 2)j300. (1tas mais finas> a
Com 8 1/2 varas," a 2:500 rs. vende o Pavio.
Pecas de cambraia transparente com pal-
IKMf
na loj ^KK); peas de cambraia de salpico bran-
Wste eshl.olivimentn irh rnnstante- co COm 'lavaras, a 5?: S na ra da
JnS .S? !-.! ? *? T Imperatriz n. 60, toja e armazem do Pavo.
mente um grande sOTtimento de fazendas l '
de gosto e de 'primeira necessidade, sendo Cortes de cachemira da Escocia, a 2:000, na
tanto proprias para a praca, como para o ioja do Pavio.
mato ; de todas as fazendas do-se Hvros de ._,,._. pst3 nnva fa7n(ia ^1^ onCr.
xeiros da toja do PavSo.
Lias com H palmos de largura.
na loja do l'av o.
Vendem-se lazinha en/estada propria para
vestidos, com 8 palmos de largura, sendo
renda mais moderna que tem viudo ao
breado pelo baratsimo, prco de 10600 o
covado: so na ra da Impergtriz n. 60, toja
do Pavo.
Eas para vestidos, a 2 O rs.,
s na loja do Favfio.
Vendem-se laazinhas enfestadas proprias
para vestidos, peto barato praco de 280 rs. o
covado, sendo muito mais barato do que cin-
ta ; ditas transparentes, a 240 rs.; ditas la
e seda, .a 440 rs. o-covado: s-na ra da
Imperatriz n. 60, loja do Pavao.
Cassas a OO rs. o covado.
Vendem-se cassas francezas de padroes
miudinhos e cores tixas peto barato preco de
200 rs. o covado; ditas linas a 340 e 320
re. o covado : s na ra da Imperatriz n. 60,
toja do Pavao.
Organdy, a 2-10 rs. o covado,
na loja do Pavo.
Vendem-se organdy de cores matisado, fa-
zenda que val muito mais dinheiro, pelo ba-
rato preco de 240 rs. o covado ou 400 rs. a
vara: s na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavao.

O Pavo vende os modernos ves-
tidos a balo,
com barras Mara Pa, sendo os mais
modernos que que tem vindo ao mercado,
com a saia de um s panno, tendo bastante
fazenda para o corpo, e vende-se pelo barato
preco de 30500 cada um: esta pecbincba
s existe na ra da Imperatriz n. 60, loja e
armazem do Pavo.
Cortes de fantasa, a G$, na
loja do Pavo.
Vendem-se ricos cortes de cambraia fanta-
siadas seda, pelo baratissimo preco de 6$;
ditas, a 4,?; ditas, a 30500: s na ra da
Imperatriz n, 00, loja e armazem do Pavao.
Cortes de cambraia, a 9OO.
na ioja do Pavo.
Vendem-se cortes de cambraia brancos com
babados, a 24500; ditos, a 4$; ditos com
barras e babados de seda, a 3-5, 30500 e 40;
s na ra da Imperatriz n. 60, toja e arma-
zem do Pavo.
Corles de cambraia chineza, a
l ft. na Ioja do Pavo.
Vendem-se ricos cortes de cambraia chine-
za, os mais modemos-que tem chegado, sen-
do brancas com lindissimos padroes, pelo ba-
rato preco de 40 cada corte, tendo bastante
fazenda para um vestido: isto s na ra da
imperau'iz u. oo, luja c diiikucm du Favo.
Alpakim ou gorgiirao de llnho.
a <8-lo rs., s no Pavo.
Vendcm-se alpakim ou gorgorito de linho
proprio para vestidos e roupas de crianra,
pelo barato preco de240rs. o covado: s
na ra da Imperatriz n. 60, toja do Pavo.
Balos a 3.>00, s o Pavo.
**endem-se bales americanos que sao os
melhores, tendo 20 arcos, a 30500; ditos
de 30, a 40500; ditos de 40, a 50; ditos
de bramante, a 30500 e 40; ditos para me-
ninas, a 20 e a 30: s na ra da Impera-
triz n. 60, toja e armazem do Pavo.
Vestidos para menino, a '&.
Vendem-se vestidinhos para meninos, sen-
de muito bemfeitos, a 20 cada um: s na ra
da Imperatriz n. 60, toja e armazem do
PasQo.
Cortes de chila. a 305OO, na
Ioja do Pavo.
Vendem-se cortes de chita cora 12 1)2 co-
vados cada um, a 20500; ditos com 10 cova-
dos, a 20; cortes de eassa miudinha de co-
res fixas com 10 covados, a 20; ditos de
organdy mathisado cora 10 covados, a
20400: s na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
.*. casemiras do Pavo pechin-
clia a ~*S
Vendem-se cortes de casimira franeoza para
calca, fazenda muito fina, padroes claros e
escuros, a 50 o corte: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60.
O Pavio vende a3|e 305OO
escaros e alegres, afiancando-seque nao des-
bota, a 20 o corte para calca, ou 580 rs. o co-
vado para paletot, coleto etc.: s na toja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
Os paletols do Pavo, assobrecasacado a 12:000 rs.
Vendem-se paletots de panno, sobrecasacas
de panno preto muito bom e muito bem
feitas, a 120: sobrecasacos de dito, a 140;
paletots sacos de dito, a 70; calcas de cache:
mira da Escossia, a 30 ; ditas de caseraira
preta, a 50; ditas de casemira de cor, muito
fina, a 70 e a 50500 ; coletes de casemira de
cor e preta; paletot de casemira de cor,
a 70; tudo isto para apurar dinheiro: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Fazendas brancas, na Ioja do
Pavo.
Vendem-se pecas de madapolo entestado,
francez, com 20 varas, a 80; ditas com 12
jardas, a 40 ; dito inglez muito fino; a 70,
70500 c 80; ditos muito superior, a 100;
(filos de 40 jardas muito fino, a 40800 e a
50600; algodOzinho muito encorpado, a
40800, 50500 e 60; bretanha com 4 pal-
mos de largura, muito fina, a 10 a vara;
pecas de cassa de cordo para babados, com
6 varas, a 30500 ; ditas com 12 varas, a 70:
Os ma n aii i los e golinhas do
Pavo.
pechncha, a 320 e a 100 rs.
Vendem-se golinhas de fil, bordadas, a
400 rs.; ditas de cambraia, a 320 rs.; cal-
cinhas para meninas, a 500 rs.; manguitos,
a 500 rs.; manguitos com gonha, a 800
res ; manguitos de cambraia, a 320 rs.: s
na ra da Imperatriz n. 60, toja do Pavo.
Laazinhas a 200 rs. o covado.
Ka loja do Pavo.
Vende-se laazinhas de cordaozinho de urna s
cor, sendo azul claro, azoj escuro, ferrete, cor de
caf claro e escuro, alvadio, roxinhas proprias pa-
ra luto, sendo fazenda que val muilo mais dinhei-
ro vende-se pelo diminuto preco do 200 rs. : s na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pechincha, a 500 rs. o covado,
s o Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas
enfestadas, transparente, tendo 4 palmos de
largura, e sendo lizas e de quadrinhos, de
urna s cor, propria para vestidos e capas,
a 500 rs. o covado: s na loja do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
GRANDE LIQUIDACiO
de fazendas para aparar dinheiro, por
baratissimo preco na loja e arma-
zem da Arara ra 56 de tourenco Pcreira Hiendes
Guimares.
ALERTA FREGUEZES, 200 RCtS.
Vruariii-:*; i.t.i/.lllli.'lS COU1 pequuuu iui(ucui
mofo para vestido a 200 rs. o covado, meias
para meninos a 100 rs. o par, ditas para ho-
inens a 120 rs., lencos brancos finos a 200
rs: cada um; na loja da arara ra da Impe-
ratriz n. 56.
Arara vende vestido de chita a
3000.
Vendem-se cortes de chitas oscuras com to-
que de mofo a 20000, ditas limpas'scm
mofo a 20500 e 30000, cortes de cassa de
cores de barras a 20000, ditas de cassa pin-
tadas a 20000; na na da Imperatriz n. 56 de
Alendes Guimares.
i
Organdys da Arara a 2 to.
Vendem-se organdys finos para vestidos a
240 rs.. o covado, cassas finas a 240 rs. o
covado, popelina de quadrinhos para vesti-
dos a 280 rs. o covado; na ra da Imperatriz
arara n. 56 de Mendes Guimares.
Arara vende as laazinhas dos
vestidos.
Vendem-se laazinhas muito finas e lindos
dezenhos a 400, 440, 500 e 640 rs. o cova-
do, chaly muito fino a 500 rs. o covado; na
vende as colxas.
ricas eolias avelodadaPpart
ditas de fsto a 50000, ditas
de d^H '20000, lu ira de linho e algodao.
branco a 800 rs. a vara, dito de linho puro
a 10,10120, 10280 e 10600 a vara; na loja
da arara ra da Imperatriz, n. 56 de Mendes
Guimares.
Baldes da arara de O 40
arcos.
45--RTJA DEREITA--45
Eia, rapasiada, cragem! parece queja
entregastes os vossos joanetes aos duros sei-
xos do pessimo calcamento da nossa cidade!
S se observa em vossos ps botinas acalca-
nhadas e gastas at ultima sola; sapatos
rasgados e quasi sem saltos.... nem tanto !
Vendem-se os melhores bales que tem' a quebradeira no deve chegar at este pon-
vindo americanos de 20, 25, 30, 35 e!t0 Vinde ra Direita munir-vos de excel-
lente calcado com 40 e at 60 por cento
menos do seu valor.... attendei:
Bfrzcguins, Nantes, bezerro e va-
iraeta 2 e meia solas ... 80500
guins, Nantes, bezerro, va-
ca e lustre 2 solas. 80000
eguins, francez c hamburguez,
bezerrot lustre c couro de por-
ro 70 e........ G0OOO
Sapatos, Nantes, bezerro e vaque-
te 2 e meia solas, .... 50500
atoes, Nantes, vaqueta, lustre c
fBezerro 2 solas......50000
Sapatos, Nantes, sola e vira... 40000
Bfjrzeguins para snhora, inglezes. 40000
Ditos para menina, com laco. 30500
dedos a 10280 e 10600 a peca," cortes de la' Ditos de ditas, decores. 20800
Maria Pia a 40, ditas de la chineza com Sapatos para senhora e homem,
......... 800
10400
10000
10000
500
40 arcos, a 40, 40500 e 50,' ditos de ma-
dapolo bem feitos a 30500 e 40, ditos de
brilhantina a 40500, bales saias de cordo
que faz a vez de balao a 20; na ra da Impera-
triz arara n. 56.
Arara vende manguitos a
20OOO.
Vendem-se manguitos e golinhas de linho a
20 o par, golinhas para meninas a 400 rs.,
ditas para senhoras a 400 rs.; na ra da Impe-
ratriz n. 56.
ntremelos da arara.
Vendem-se pecas de entremeios transparen-
tes a 10,.tiras bordadas de largura de 3 a 4
22 covados a 80, ditos de organdys com 15 tapete
varas a80, ditos com 9 varas a 60500; na ra Sapatos de borracha para senhora.
da Imperatriz n. 56, arara de Mendes Gui- Mem idem para meninas. .
Sapatos de lustre para senhora. .
dem de lustre s avessas .
maraes.
LIQUIDACAO
de faicndas baratissimas, na Roa-Vista, roa di
Imperatriz n. 20.
Cainbraias adamascadas com 20 varas a 85.
Ditas com 8 ditas a -3.
Ditas lisas com 8'ditas a 2,5.
Fil liso muito fino a 800 rs. a vara.
Chales de merino estampados a \-5.
Madapolo entre-lino com 20 varas a S>.
Casemiras linas do urna s cor a 1^600 o co-
vado.
Algodao monstro, superior fazenda para toalhas
e lemjes a 800 rs. a vara
Bramante de 10 pannos de largura a 1,5600.
Gnivatas de seda a 320 rs.
Oleados de diversas larguras e de ricos desenhos
para mesas de jantar a 2$ o covado.
Flanella branca muito fina a 640 rs. o covado.
Riscadinhos de linho muito finos para vestuarios
de criancas a 400 rs. o covado.
Chitas escuras e claras, padroes inteiramente
novas e muito finas a 400 rs. o covado.
Laazinhas chinezas muito superiores a 300 rs. o
covado, e outras muitas qualidades de fazendas
presos muito commodos, atlm daapurar dinheiro,
danilo-se de tudo as competentes amostras.
n. 56 arara de Mendes
cortes de 15a, a 30 e 30500; ditos com 22
covados, a 50: s na ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavo.
s na ra da Imperatriz n. 60, toja do Pavo.
Fusta* do Pavio.
Vendem-se fusto com lavr miudinho
para roupa de menino, a 320 rs. o covado ;
brim de linho de qoa/Jiiohos para roupa de
meninos, a 560 rs. o covado; ganguelim
de urna s cor, a 320 rs. o covado; popelina
de la, de quadrinhos encarnados e pretos,
para vestidos de senhoras e roupa de meni-
nos, a 10 o covado: s na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Chegaram em dlreitura a loja
do Pavao.
Vendem-se a 1:600 rs. o corado.
Acaba de chegar pelo ultimo vapor, um
lindo sortimento de laazinhas transparentes,
tendo urna s cor, lizas e de quadrinhos
miudinhos e mescladas, propria para vesti-
dos de senhoras, capas e zuavo etc. Tendo
es^a fazenda D palmos de largura, que se
pode fazer nm vestido at com 5 covados,
sendo neste artigo a fazenda mais leve que
tem viudo ao mercado, vende-se a 10600 o
covado, nicamente: na toja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Chitas largas a 280, so o Patio.
Vendem-se chitas francezas com toque de
mofo, tendo padroes miudinhos, a 280 rs. o
covado, afiancando-se sercrflxe e que solta
o mofo logo que se lava: s na ra a Impe-
ratriz n. 60, toja do Pavao.
ra da Imperatriz
Guimares.
Roupa fcita da arara.
Vende-se costumes completos d'uma fazenda
chineza por 120 o costume, paletots de brim
a 20500 e 30000, ditos de- meia casemira
escura a 40 e 40500, paletots finos a 60500
e 80000, calcas de meia casemira a 30000,
ditas finas 50500 e 60000, ditas de brim a
20500 e 30000, ditas de brim branco a 40,
casemiras francezas a 10600 e 20000, ditas
FAZENDAS.
Aovo estabelecimento de Custo-
dio, Carvaiho fc C.
27Ra do Qneimado27
Preco barato 260 rs.
Superior fustao francez, proprio para
roupa de senhoras e meninas, de lindos de-
zenhos e pelo barato preco de 260 rs. o co-
vado.
Madapoln
.Madapolo fino enfeslado, com 20 varas,
a 80 a peca.
Organdjs.
Finos organdys matizados, a 240 rs. o co-
vado.
cOrtcs
de collete de fusilo fino, para roupa de me-
.IiiO), a. OkAO i o.
Bretanha.
de linho fino, pecas, a 50500.
Lences
de linho fino, pelo barato preco de 20.
Mirrias
de chita chineza, a preco de ,20.
Calcinitas
de linho para senhoras e meninas, a 600,
800 e 10.
Golinhas.
Calcinitas bordadas" para senhoras e meni-
nas, pelo barato preco de 20500.
Bramante
de linho com 10 e 12 palmos de largura, a
20800, 20 e 20500.
La.
Lindas Utas para vestidos, a 440 rs. o co-
vado.
Lencos de cassa, a 10600 a duzia.
Cortes
de meia casemira para calca, a 20 cada um
corte, propria para a presente estaco.
0 Perfume da Moda.
ARMAZEM DE MOLHADOS
DE
J&t
anoe\
m
riiji

(a
5*
m

H

(9
$
ft
w
o
te
fe
A
ai
r
N
M
?>
=5
V*b
TO

AGUA FLORIDA
De Murray & Lanman.
Este raro -quito delicado perfume
quasi qwe uiextinguivel e tao cheio de
mimosa fragrancia e frescura como o
delicado theiro das proprias verdecen-
tes flores. Durante os mezes caloren-
tos do vero o 6cn aso torna-se iminen-
tementc aprazivel e desejavel em con-
eequerx;ia da influenci* refrigirante e
suave que ella produz sobre a pello:
em quanto que uzada no banho ella
impaitc o Arpo lnguido e caneado
urna -certa elasticidade de vigor e forca.
Ella imparte transparencia as feigdes,
e remove pannos, sardas e J>ertoejas di
sobre apelle.
qriMKn LER.
Tendo o BALIZA dado o seu balanco no ultimo, de jurho p'assado, e desojan
novar o magnifico sortimento de seu GKANDK ARMAZEM. chama pe" pp-
attenco do respeitavel publico para os prems dos gneros aljaixo menciooaJos, pi
verdade s3o os mais razoaveis que se pdemachar, attenta a sua boa quabdade.
Soldado voluntario do batalho progressista; o BALIZA o iioacia
ment. Elle pede, pois, aosseus bons cantaradas, que sao Mos os inimgot do /<
favor de nao Ihe darem um minuto de descanco obrigando-o a vender tudo
Desta sorteo BALIZA vivir contente e contentar tambera aos seus freguezes, ven.i.i-,
do-lhes semprc generosamente, c talvcz que anda por precos mais razoaveis.
>0 TNICO OHKVriL DB KBJff
PAAA 08 CABELLOS,
E urna preparaco admiravel para lim-
par, afonnosear, conservar e restabele-
cer.os cabellos.
venda as boticas de Caors Barboza,
ra da Cruz, e Joao da C. Bravo 6c C, ra
da Madre de Dos.
ENFEITES PARA SENHORAS
CIIEGADOS PELO VAPOR
S para o Vigilante na do Crespo n. 7.
Sao chgados os novissimos e riquissimos en-
feites para cabera, pois cora a vista nao lla-
vera senhora que deixe de comprar um bo-
nito enfeite: s no Vigilante ra do Crespo
n. 7.
Linas de peliea.
SEM SEGUNDO.
Rna do Queimado n. 5a, loja de miudezas de
Jos de Azevedo Maia e Silva, est vendendo todas
as suas miudezas por procos que todos adrhiram,
como sejam :
Varas de aspas para fazer bales. 120
Caixas com superiores obreias .... 40
Pare* de botos de punbos a iqq
Pares de sapatos de tranca muito finos
a l-jiiiic.......... {800
Pecas de Utas de velludo recortadas com
o varas a..........
Caais com muito superior papel amiza-
de e outros a.........
Massos com superiores grampos a. .
Caivetes de aparar |>enas a. .
Ameixasem frascos devidro, a -I #500.
Ditas em caixinhas com lindas figuras, a
1/200 e 20100.
Ditas em lalinhas, a 1#400.
Amendoas confeitadas, a 900 rs. a libra:
dem, a 280 rs. a libra.
Arroz (Carolina), primeira qualidade, a 120
rs. a libra.
Dito do Maranho, a 120 rs. a libra.
Azeitonas novas de Lisboa e Porto, a I# c
1/200 aancoreta.
Azeite doce refinado, a 800 rs. a garrafa.
Dito em barril, a (510 rs. a garrafa.
Dito de carrapato, a 460 rs. a garrafa.
Arroz com casca, a 3$ a saca, com 20 cuias
e a 240 rs. a euia.
Ancoretas americanas de 0 e 12 garrafas,
muito bem fabricadas, a 1 cada urna.
Araruta muito fina, a 320 rs. a libra.
Bolachinhas americanas, a 3$ a barrica e
20 rs. a libra.
Biscoulinhos inglezes, em latinhas, a 1#300.
Biscouto lunch e soda, em latas de 4 a 5 li-
bras, a 2# a lata.
Banha de porco, a 480 rs. a libra.
Balaios hamburguezes muito lindos, de di-
versos tamanhos e por pre$o razoavel.
Caf do Bio, a 280 e 300 rs. a libra, em
arrooa, a a##nn, utsoo v a/.
Ceblas, a 800 rs. o cento cijo mllio.
Chperola, a 3# a libra.
dem hisson, superior, a 2#800 a libra.
dem chumbo, a 2,5000 a libra.
dem hysson, sofirivel, a 2#400 a libra.
dem hysson, menos soffrivel, a 2$ a libra.
dem preto, magnifico, a 2$ a libra.
dem preto, menos superior, a 1(5800 rs. a
libra.
dem preto, soffrivel, a 1^600 rs. a libra.
dem nacional, a 1/800 a libra (em latas).
dem nacional, a I-5G0O, a libra.
dem nacional, ordinario, a I# a libra.
Champagne, marca agina, de superior qua-
lidade, a 640 rs. a garrafa e 7# o gigo,
com 12 garrafas. Quem deixar de. be-
^ ber champagne por tal preco?
Charutos de muitas marcas e a precos bara-
tissimos, sendo que ha de 800 rs. at
4(J o cento, vindos do Bio, Babia e de
Hespanha.
Chocolate suisso de Lisboa q francez, a 800
rs. e 1$.
Tambem chegaram neste mesmo vapor um
completo .sortimento de luvas dejouvin
brancas e de todas as cores; tanto para lio- Chouricas e salpice, a 640 rs. a libra,
mens como para senhoras: s no Vigilante, Conservas inglezas, a 800 rs. o frasco,
ra do Crespo n. 7.
Perfumes.
Tambem chegou um completo sortimento de
l|800
700
40
80
80
finas a 2&500, ditas de linho a 30000, ce-' Aguiheiros com agulhas a
roulas francezas a 10600, camisas de meia a D",Ii,l:efim1eias brancas para homem> .
un mi iina.> a......... 1d00
meias para senhora, fazenda
800 e 10000; na loja da arara ra da Impe-
ratriz n. 56 de Mendes Guimares.
Oh! que peehlnch a 40rs.
Vendem-se chitas francezas escuras com pe-
queo toque de mofo a 240 rs. o covado,: ilas portugueza* a leo e.....
ditas inglezas eom pequeo toque de mofo Fra^osede llgua de Co,onia mu,t0 boa a
a 200 rs. o covado, pecas de ditas francezas Ditos de'olco babosa a-24 ." '. i'. '.
com pequeo toque de mofo a 80000, pe- Ditos com superior oleo de macaca a .
cas de ditas inglezas escuras cores fixas com Djtos com superior macaca perol a .
pequeo toque de mofo com 38 covados a ^^'^c'SoTTT*
70500, a ellas freguezes antes que se a ca- Ditos com superior agua celeste para
bem; na loja da arara ra da Imperatriz n.' cheiro ._........ 1^500
Ditzia de
fina a. .......... 3^600
Conutas de chifre para meninos a 80
Escovas para Ifmpar denles muito finas 200
Baralhos de cartas para voltarete muito
finas a............ 320
500
500
500
100
200
800
500
Ditas fraeczas, a 500 rs. o frasco.
Cognac inglez, a 600, rs. a garrafa c em
Canad, a 40.
tas mais esquisitas da Europa, a 10 o
frasco. \
Dito de Lisboa, em latas, a 500 rs. a lata.
rs. o caixo.
Dito em latas muito proprio para presente,
sendo de Luvin, Cudr e Piver: sendo
extractos essencios de todas as qualidades,
pomadas, banhas, sabonetes, agua de Co-
ca, agua florida, agua balsmica para den- nn m in..c ^, JX
tes, frasquinhos com superiores pos para
dentes, caixinhas com um frasco d'agua,
pos e todos os preparos para limpar den-
tes olos de todas^ as qualidades para ca-1 bto'de trigoTa 140 e 160 rs. a libra,
bellos, e outras muitas cousas mais: so no Fructas francezas de diversas qualidades, em
Vigilante ra do Crespo n. 7. frascos de vidr0 preparas em ^00\,
500.800ello frasea.
Marmelada excellente a 610 rs. a lm
Ostras americanas (excellente pelisco, a80t
rs. a lata.
Passas a 400 rs. a libra, e em ea I Hy.
Presuntos de Lamego, a M8 ra. a libra,
dem inglez para fiambre vindo ti .. jen-
da, a 800 rs. a libia,
dem americano, a 500 rs. a libra.
Peixe de Lisboa Inglaterra e Aafea,
parado conforme a arte de cosinha, .
las de 2 a 3 libras, 1!.' 11308 i LIMO.
Phosphoros do gaz, a 2300 a pota.
Queijos londrinos chgados no ultimo \
a 800 rs. a libra,
dem dem chgados no penltimo vapor, a
640 rs. a libra,
dem fiamengos chgados no ultimo vaj
20100.
dem idem chgados no penltimo vapor, a
20200.
Sal refinado em vazos de vidro, a 600 rs.
dem idem em vazos de tonca, a 500 rs.
Ceneja das melhores marcas qn
mercado, a 4/, 4-5500. 50. 50500, <
6/500a duzia.
Sardinhas de Lisboa preparadas de mab
a 60 rs. a lata (legrando (amanho.
Idem neniantes, a 3tn rs. a l.iilnlia.
Sabio massa de 120, lo, 160, 180, 200<
240 rs. a libra.
Tinta preta nacional e ingleza, a G50 1
garrafa, e 210 re. o bosa.
Toncinno de Lisboa, de mais de meio pala
por 890 rs. a libra.
dem de Santos, a 280 rs. a libra,
dem americano, a 200 rs. a Un.
dem inglez secco no ftaneiro, melbnr di
lodosos pi'esuntns, a 840 rs. a Um.
Vassouras americanasmato MMttfa
a 640 rs. cada una.
Vellas de Boeoos-Ayres em caixas com IB
libras, [)(jr 6/.
dem de carnauba e eomposicjio, a 360 e -00
rs.a libra.
Idem do Araraty, a 400 rs. a libra,
dem stearinas, a 600 e 6i0 rs. o masso.
dem spermacete. a 10 a libra.
Viiihn Lagran do Doaro, neste pmp
melhor qualidade que boje vem ao rii -
mercado em garrafas brancas c ffii i me
do autor era alto revelo no proprio rl
previne-se aos apreciadores que
ero ha hoje grande falsificarn.
dem engarrafados, viudo parte dellesde r n-
pria cunta de diversas marctt e das m^-
lhores adegas do Porto e Lisboa, das i i-
cas :'Madeira, Gimes, Chamisso. Ma
sia, (.arcavellos, Duque do fmta p
tros, e espera-se todos os dias Borai q ia-
lidades, a 800. 10 e 10280 i garrafa.
dem do Porto Balisa, a 640 rs. a gaiTab.
dem de Lisboa e Figueira viudo em autora--.
a 26/ de 8 a 9 caadas.
garante-se sua duraco innalteravel por dem do Porto em garrafoes de i I 2 a
mais de anno.
Farinha de Maranho, a 160 rs. a
libra.
56 de Mendes Guimares.
I Tranga&de algodo brancas e de cores a
| Caixa.' eom superiores obreias de colla .
MadapolSo francez entestado a Bolsinhas muito bonitas para guardar di-
tmuut i nneiro *..........
^^^^^* Grvalas de seda de diversos gostos a .
Vendem-se pecas de madapolo francez fi-. Tinteiros de vidro com superior tima a.
no enfestado com 12 jardas a 40 e 40500,1 Par? 4e luvas brancas de algodao a. .
dito inglezes fino' de 24 jardas a 70, 80,90,1c
e 100000, pecas de algodao encorpado a 40
40500, 50 e 00; na ra da Imperatriz n. 56.
Chitas da arara.
Vendem-se chitas francezas finas a 320,30
e 400 rs. o covado, riscado francez a 280
rs. o covado, aberturas para camisas a 240
rs., ditas de linho brancas a 800 rs. o cova-
do, tarlatana de cores a400rs.avara; na ra
da Imperatriz n. 56.
Cortes de casemira da arara.
Vendem-se cortes de casemira enfestada
escura a 20, cortes de brim para calcas a
1 f>10220; na ra da Imperatriz toja da arara
n. 56 de Mendes Guimares.
ca a
Fitas e cordoes para enfiar espartilhos a
Caixas com clcheles francezes superio-
res a. ..........;
Cartoc de clcheles francezes a 40, 60 e
Facas e garfos cabo branco cravado a .
Ditas de cabo branco cravado *..".'.
Ditas de balanco muito finas a. .
Tesouras para cortar, pequeas e finas
a200 e...........
Tesouras para cortar unhas muito final a
80
80
500
500
160
100
30
80
400
80
300
3<500
65000
320
500
Espravoes, encimadas, fleiras, es-
ponjas, tomilhos, sobreeannas, sobre-
nervos, c todas o troaesquer enfer-
midades a que sao sujeitos os caval-
los, encontrarao um remedio mira-
culosona appliraco do afamado oleo de Merchant
venda no armazem da bota amarella no oitao do
gaz da ra do Imperador p precos de 640, t*280
Tesouras e caivetes.
Tambem chegaram um completo sortimento
de tesouras dos mais afamados fabricantes,
tanto para unhas como para costuras, ras-
padeiras para papel, caivetes de maqui-
na, facas de um e dous botoes, tudo do
mais superior que se pode encontrar: s
no Vigilante ra do Crespo n. 7.
Papel de fantasa.
Tambem chegou um grande sortimento de
papel de fantasa branco, bordado e liso
douradinho, de lindas cores, assim como
de peso e aimaco, assim como muitos ou-
tros objectos de muito gosto que se torn-
riam enfadonho annunciar, que seus pre-
cos sero por menos do que em outra
(fualquer parte; s no Vigilante ra do
Crespo n. 7.
Volantes e terinas.
Rccebeu grande sortimento de volantes, teri-
nas, rendas domadas e prateadas, bicos es-
peguelha e galoes de todas as larguras,
vendendo-se tudo por precos baratissimos
principalmente sendo em pecas: s no Vi-
gilante ra do Crespo n. 7,
Retroz e liuha.
Tambem chegou um grande sortimento de
retroz do Porto do melhor fabricante; sen-
do, preto, azul ferrete e cores sortidas, a
14,ooo rs. a libra, linha de miada de Roriz
e cabeca encarnada, que seus precos sero
baratissimos: s no Vigilante ra do Cres-
po n. 7.
proprio para podira etc., a 10. o frasco.
Fumo americano, em pastas, a 10280 vo
libra.
Gomma do Aracaty, a 100 rs. a libra.
Dita do.Aracaty, a 40 rs. a libra.
Graixa em latas, a 120 rs. e a duzia, 1/300.
Genebra laranja, em grandes frascos, a 10.
Genebra ingleza, marca gato, a 10200 o
frasco ou garrafa com rolha de vidro.
Garrafoes vazios,' de 640 a 10200 cada um.
Kirsck-wasser, bebida esta de um valor inex-
timavel, em vasos esquisitos, a 10500.
Licores inglezes e francezes dos melhores
fabricantes, a 500 e 800 rs. a garrafa.
garrafas, por 20500.
dem da Figueira em garrafas de 41 2 a I
garrafas, por 20400.
dem de Lisboa e Figueira de 320, 400. 4
e 560 rs. a garrafa, c em caada se ara
abatimento.
dem Bordeaux engarrafado, a 640 rs. a
garrafa, em duzia a 70500.
Vinho do Porto muito fino em caixas coa 12
garrafas, a 80, 100, 120 e I5J dtt ;n.-
llinres marcas que vem ao noeso mercado.
Vinagre de, Lisboa em garrafoes de 4 i i a
5 garrafas, a 10200 com o garrafo.
Avelas a 200 rs. a libra.
Arroz da India a 100 rs. a libra.
Biscoutos de Lisboa em latas, ptoprioa ara
doentes, a 10500 e 30 a lata.
Batatas a 80 rs. a libra.
Copos lapidados para agua a 60 a duzia.
Linguas americanas de grande tamanho (em Chumbo de todas as grossuras a 65
calda), a i/. ba.
Linguicas de Portugal, em latinhas de 5 li-
bras, a 30500 a lata.
Massas para sopa, em caixinhas com 8 libras,
contendo 5 qualidades, por 30500 a caixa.
Ditas para sopa, estrefinha e pevide, a 560
rs. a libra.
Dita de tomate, a 640 rs. a libra.
Manteiga ingleza em potes de 10 a 16 libras
a 800 rs. a libra.
dem dita flor a 10 a libra.
Idem de 2a qualidade a 800 rs. a libra.
dem de 3a qualidade a 640 rs. a libra.
Idem para tempeiro a 400 rs. a libra.
dem franceza a 640 rs. a libra, e era bar-
ril por menos.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
Mortasda ingleza em frascos grandes a 800
rs.
dem franceza em frascos grandes a 500 rsv,
Mlhos inglezes dos melhores fabricantes a
a ;;no-
Caf muido de superior qualidade a 400 rs.
a libra.
Fio de linho muito proprio para amarra:-, a
480 rs. a libra.
Farinha de trigo em barricas c meias, de to-
das as marcas e qualidades.
Genebra de Ilollanda em garrafoes com 2
caadas, por 60500 cora o garra*.
dem idem em frasqueiras com 12 frascos,
por 6/500. ]
Manteiga linissima em latas contend I k*-
logramma ou 2 libras e 1 4 liquido, por
10800 a lata.
Queijo suisso, a 800 rs. a libra.
Rap'princeza do Rio: jmuo, meio grosso
Tambas "das Alagas a I LplM 140
Vinho branco de Bordeaux CM^^B* 80
e 100 a duzia, e 800 a 10 a garraa




T
. ^
JILEGVELi



-


-------
--------------------------------------------.

Mario de Pernambiico *r\t* Mra t >4 *ulh de t*S.
SORTMENTO DE MOLHADO&
;

i
s
a
i I
I "
.2
a *
es i
oe
| a-
B u
a. S
a e
e i
- -
V
o O -B
- s
I i a
III
"
ES!
3 i f
f ft
v -
o fl
w
? fe
V 9
fl -
i- g
3
1
O
O
-1
fl
i!
p
* z
a. a.
2 t
es
4
* e
9 a s
s "9 9 a
a a

4-
m h
a V -
s ? (8
es -
- B a. a
i
a 9
ev es
- *
Vinlio cm pipa: Porto, Pigueira e Lisboa, a 400,
480 c 560 rs. a garrafa, era caada a 25800, 34
3500 rs., aflanca-se este genero conservar-se
porfeito seis oito mczes, o que raro ser outro!
qualquer anancar.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto, a t i
a garrafa e 10j> a caixa, o preco nao indica
qualidado deste precioso vinho, porm tambera
nao com imposicSes < de preco que se prova a
res,peitavel publico a superior qualidade, esto
genero de commum se manda vir de conta pro-
pria, e por isso podemos vender por menos d
que outro qualquer annuuciaate.
Vinho do Alto Douro, das marcas mais acreditadas
e especialmente escolhidas por pessoas entendi-
das deste genero, como sejam tunoes, Duque do
Porto, D. Luiz, Carcavcllos, Chamisso & Filho,
Madeira secca, Feitoria, a 900 rs. a garrafa e 9f
a caixa com 12 garrafas.
Garrafoes com vinho do Porto, conteodo S garrafas
por 2*300.
Vinho branco'de Lisboa, proprio para missa, vindo
j 'engarrafado de Lisboa, a 640 rs. a garrafa,
dito de barril muito superior, a 500 rs. a garrafa
e 3*200 a caada.
Ameixas franeczas era caixinha/de i e meia, 2 e 3
libras, elegantemente enfeitaqas com diversas es-
tampas na caixa exterior, a 1*400,1*800,2*800
e3*.
Figos de comadre em banzinhosSie folha, muito
proprios para mimo, a 1*600.
dem em caixinhas forradas de papel de differentes
molduras, a 1*400.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia c 3 libras
por 1*400 e 2*600.
Passas de carnadas as mais novas que ha no merca-
do, caixas de 1 arroba a 6*, e a retalbo a 400 rs.
a libra.
Massas para sopa muito novas: pevide e estrellinha,
a560rs. a libra.
dem a mais nova que ha no mercado; talharira e
aletria, a 560 rs. a libra.
! Macarrao, a 320 rs. a libra.
' Id-'m o mais novo que -ha no mercado: talharim e
aletria, a 500 rs. a libra.
! Figos de comadre em caixa de 8 libras muito novos
a 1*800 e a retalho a 180 rs. a libra.
i Sahuao em latas cem postas hermticamente lacra-
I das. a 800 rs.
Lagostinhas em latas grmdes, 11*400.
Savel, corvina, cherne, congro, linguado, vezugo,
gors, pescada, peixe espada, preparado pela pri-
meira arte do eocinha,a l*3w a lata.
Queijos.f1amengos do ultimo vapor, a 2*400.
dem do vapor passado, a 2*200.
dem prato, o mais superior que tem vindo ao mer-
cado, a 740 rs. a libra.
Doce da casca' da4 goiaba, caixao grande, a 640 e
i 800 rs. cadaum.
Chouricas do reino a mais nova do mercado a 640
rs. a libra.
Patos de lombo, vindos do Porto de casa particular,
a 800 rs. a libra.
Bolachinhas inglezas a mais nova do mercado a
240 rs. a libra e 3*000 a barrica com urna ar-
roba.
dem de soda de diversas qualidades, a 1*400, di-
tas grandes proprias para laach com 5 a 6 li-
bras por 2*400.
Marmelada imperial do fabricante Abren on de ou-
tros muitos conserveiros de Lisboa, em tatas de
1 e meia e 2 libras, a 600 rs. a libra.
Ervilhas francezas, a 500 rs. a lata.
dem portuguezas, a 640 rs. a dita.
Maca de tomates, a 600 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 e 1* a
libra, neste genero existe sempre aberto dispo-
sicao dos Xreguezes dous atresbarris de man-
teiga flor, salvo quando por infelicidade acntela
a faetnra vir composta de segunda e terceira
qualidade, que para melhor satisfazer aos fre-
guezes torna-se necessario ter mais do que esta
perco de barris aberlos, jwrm antes nos lhe
damos a devida applicacao para tempero, que
venderemos a 320 rs. a libra.
dem franceza a mais nova do mercado, a 680 rs. c
em barril se faz abatimento.
Amendoas confeitadas, a 800 rs. a libra.
Chouricos, mouros vindo de casa particular, a 640
rs. a libra.
Farinlia do Maranhao muito alva e cheirosa, a 160
rs. a libra.
Avelaas muito novas, a 220 rs. a libra.
Amendoas de casta mole muito novas 280 rs. a
libra.
Toucinho do reino a 360 rs. e 10*500 rs. a ar-
roba.
Sardinhas de Nantes, a 360 rs. a lata.
Azeite doce de Lisboa, a 640 rs. a garrafa e 4*800
a caada.
Vinagre de Lisboa, a 200 rs. a garrafa e 1*200 a
caada.
Campagne das marcas mais acreditadas a 8*000
e 10*000 o gigo, e 800 rs. c 1*000 a garrafa.
Cerveja preta da marea Tenent ou XXX, a 4* e
4*500 a duzia, e a 400 rs. a garrafa.
dem branca da marca cobrinha ou Tenenl, a 4*
e 4*300 rs. a duzia, e em porcao se faz abati-
menlo.
Genebra de Hollanda cm garrafoes com 16 garra-
fas, por 6*500 rs., afianca-se ser verdadeira.
dem em frasqueira, a 6*500 e a 560 rs. o frasco,
dem de botija em barricas com 4 duzias a 4.10 rs.
cada urna.
dem de laranja em frascos grandes, a 1*200, ga-
rante-se ser verdadeira da Italia.
Marrasquinho de Zara, a 720 rs. o frasco.
Licor francez de todas as qualidades de fabricantes,
em garrafas brancas de vidro, a 720 e 800 rs. a
garrafa.
Vinho Bordeara as melhores quafidades que tem
vindo ao mercado, a 720 c 800 rs. a garrafa, e
em caixa a 7*300,8*000 e 8*200 rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol, a800 rs.
a garrafa.
Conservas inglezas sortidas ou de urna so qualida-
de e da verdadeira, a 800 fs. o frasco.
Araruta verdadeira, a 320 rs. a libra.
Gomma de engommar muito alva, a 800 rs. a li-
bra.
Palitos do gaz, a 2*300 rs. a groza e 20 ris a
caixa.
Toucinho de Lisboa, a 320 rs. a libra e 9*300 rs.
a arroba.
Sag muito novo, a 200 rs. a libra.
Cevadinha.de Franca, a 160 rs. a libra.
Cevada nova a 120 rs. a libra, e 3*300 rs. a ar-
roba.
Macarrao c talharim, a 320 rs. a libra.
Aletria muito fina, a 400 rs. a libra.
Arroz Carolino, muito alvo e grado, a 120 rs. a
libra e a 3*200 rs. a arroba.
Caf do Rio o mais superior que se pode desejar
neste genero, a 320 rs. a libra.
dem idem de segunda e terecira qualidade, a 280
e 300 rs. a libra, e em arroba ou sacco a 8*200
e 8*400.
Velas do carnauba refinada, a 320 rs. a libra e
10*000 a arroba.
dem de spermacet, a 640 rs. a libra.
Chocolate hespanhol a 1*, a libra,
dem francez, a 900 e 1* rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado por ser
vindo de encommenda propria a 2*880 rs.
Cha hyson, melhor que se pode desejar neste ge-
nero, a 2*500 rs. a libra.
dem nacional em latas de 1, 2 c 3 libras a 1*400
ris.
dem huxim, a 2*200 rs. a libra.
Cha preto homoepalhico o mais exeellente que tem
' vindo ao mercado, a 2* a libra.
Graixa em latas grandes, a 3300 a duzia, c 120
rs. cada urna.
Presunto verdadeiro de Lamego cm calda de azei-
te, a 560 rs. a libra.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro, obra de
muita duracao c utiliuade, a 400 rs.
Charutos de S. Flix do fabricante Furtado de Li-
ma ou de outros muitos fabricantes da Babia, a
2*000, 2*500, 3*000, 3*200, 3*300 e 4*000 rs.
a caixa, ou em meias por metade do preco.
dem Mississipes imperiaes, a 3*000 rs.
dem Ypiranga ou Flor do Rio, a 3*200 rs.
dem Guanabaras ou Havnneiros, a 2*800 rs.
dem Flor da Matta ou Regala imperial, a 2*300
ris.
dem Flor do Norte ou Londres imperiaes, a 4*000
ris.
dem .superiores em quantidade e de todos os fa-
bricantes, a 3*000, 3*500 e 4*000 rs. a caixa.
i
O

I
o
e
Polassa da Russia.
Vende-se em casa de N. O. Bieber < C,
successores, ra da Cruz n. 4.
Una da Senzalla Nova n. 42.
Neste eslabeleeimento vendem-se: tachas de
fnro cnado libra a llOrs., idemde Low
Moor libra a 120 rs.
Cebulas superiores em resteas, a cinco
mil r'is o milheiru no Caes da alfandega n.
1. armazem de Tasso & Irmos.
A AGU A Bit A \C A
Recebe pelo ultimo vapor o
-segitinte:
B lilas pulseiras de cabello, coral, e cora-
una.
V >!'!''.> i' bonitas ligas de seda para senhoras.
0 jiras estreitas para meninas, ou manguitos.
Carteiras comagulhas.
Agulhotas paM enfiar, o ogulbaa oquiOfas.
icelins o lilas d' borracha.
Carriteis com torca] de todas as cores.
1 i ose fios de coral.
Esponjas linas para rosto.
Pentes de tartaruga virados, com laco c
bailo.
Enfeites rede para conservar os cabellos
bem at;; los.
Aspas e c /. para balo.
Fitas couiciilxeles para vestidos.
i i .'lilis chatos di' iSa para enfeitar vestidos.
Papol folhas para rosas.
Lunpai'inas francezas.
Trancemos grossos para relogios.
K.M'nvas cabo d'osso, marlim e madreperola
para (lentes, uulias, linmar pentes ejoias.
Outras finas para roupa, chapeo, cabello etc.
O liras de velludo para chapeos.
Pastas para papis.
Baspadairas e facas de marfun para ditas.
\>poras e dminos.
Luvas de camurra.
Vendem-se mui finas luvas de earmuca
branca e amareUa; na ra do Queimado n. 8
ioja d'agoia branca.
Baratisslmas bandeljas.
A aguia branca por inuitas vezes tem da-
! i a conbecer que 'inandoacha alguma pe-
ha. nao qiMr soinente com ella encher
o papo, ao contrario deseja que toda sua boa
fregoeaa e o publico em peral prvem da
m nao, o que agora mesmo acontece com
essas; baratissimas bandeijas, cuja limitacSo
de prec/s admira, em relaco aostamanhose
qualidades: avista do que convm todos a-
li;ovcitarem-se dessa ppportuna occasio e
jiioverem-se dum traste sempre necessario,
h que llies custar qnasi metade do justo va-
Assim, pois, dirigirem-se com dinhei-
alegre e espaeosa loja d'aguia branca
na do Queimado n. 8.
Lencos brancoK com barra de
cores para meninos.
A loja d'aguia branca recebeu um novo
i ment de lencos brancos com barras de
8 para meninos, e com quanto esSes
vi.ssem melhores, maiores e perfeitamente
qiladrados, com todo continam a ser ven-
didos pelo antigo preco de l& a duzia; n.
rin do Queimado na alegre e espagosa loja
guia branca n. 8.
i.: flna para bordar.
A aguia branca acaba de feceber um com-
pleto sortimento de la fina para bordar, cu-
ja variedade de agradaveis cores foram es
.xihidas d'um grande livro d'amostras que o
fabricante offereceu a aguia branca, vindo
entra ellas alguma mesclada; assim pois onde
oe pretendentes melhor se i>odem sortir des-
se genero, na alegre e espaeosa loja d'a-
guia branca ra do Queimado n. 8.
Os afamados copos eom banha, e
boides com inscripees.
Chegaram novamente para a aguia branca
esses afamados e estimados copos com banha
una; assim como os bonitos lioioes de por-
celana dourada tambem com banlia, e novas
iiis.ripcoes maviosas' e jocoserias,'mui ade-
q ii ado para puentes resta porem que os apr#-
cjadores concorramj.nmnitlos de dinheiro,
alegre e espaeosa tojia d'aguia braiica ra do
Queimado. n. 8.
TERCOS
m
e coreas de cornalina.
A aguia branca pensando constantemente era
bem servir a toda a sua freguezia, notou quo anda
nao havia feito algum agrado a airadles que pru-
dente e acertadamente resando, cumprem dever de
bom christo, e quando reparou essa sua falta,
mandou vir e acaba de receber delicados tercos e
cortes de cornalina com cruz de prata, os quacs
deixa disposieao dos fiis que estiverem dispostos
a gastar i*300,2*e 3* para possuirem um bonito
tengo 08 cora, com os quaes podem mesmo pedir a
DaS pela prosperidade d'aguia branca, em seu ale-
gre e espa^oso ninbo da ra do Queimado n. 8.
Hotos e bonitos
pentinbos travessos dourados e com podras para
meninas : vendem-se na ra do Queimado, loja
d'aguia branca n. 8.
Balmzinhos com perfumarlas e
sem ellas.
A aguia branca vende bonitos bahuzinhos com 6
frasquinlios-de cheiros por 1*300 e vasios por 800
rs., sentado estes para meninas, e mesrao para
iri!-i< i>t<> oi(> ni rnn do Oneima''".- '"J*4 "B"1"
branca n. 8.
Delicadas t esonrinhas d'a^opara
bordados e labyrinthos.
A pedido de algumas senhoras suas predieletas
frejiMBS, a aguia branca mandou vir dessas dc-
licadas tesouiiutias d'ai;o pontas agudas, proprias
para bordados c labyrintlios. e urna vez ebegadas
como de fado chegaram, a aguia branca convida
as de rtiais senhoras suas boas freguezas para
apioveitareni-se da occasio o bem empregarcm
scusS* lineada una dessas tiiiissiinas tosouri-
nhas, na certeza de que perder por chegar tarde ;
quem se demorar em as mandar comprar no ale-
gre e espa^oo ninho d'aguia branca, ra do Quei-
mado n. 8. onde tambem ha outras curvas e direi-
tas para mihas.
IIbadnhos estreltos e bordados
"Vendem-se na ra do Queimado n. 8^ loja d'aguia
branca.
Capachos compridos e redondos
Vendem-se na ra do Queimado, [loja d'aguia
branca n. 8.
Uulias maclas e lustrosas para
bordar
vendem-se na loja d'aguia branca ra do
Queimado n. 8.
Xovlssimos e bonitos enfeites
para cabecas.
Quando o bello sexo senta a falta de bons
enfeites para cabera, eis que a aguia branca
recebe urna sua encommenda de bonitos e
delicados enfeites, e de modernissima moda,
muito servindo isso para sanar aquella falta,
e fazer com que as xmas. apreciadoras da
bella empreza Coimbra possam melhor.real-
sar e mostrarem o apurado gosto que as
guia. Esses enfeites sao dum tecido bas-
tante fino com continhas d'a^o, e mui bem
enfeitados com flores, fitas, bicos, plumas
etc., entretanto que sendo obra de muito
gosto custam 5#, 6,5 e 7# dinheiro vista;
na espaeosa e alegre loja d'aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Ricas guarnl^des de pentes e
fivcllas para cintos.
A aguia branca recebeu novas e ricas
guaroicoes de pentes dourados, e com pe-
dras; assim como outras bordadas froco e
com bolas pendentes, novidade essa que s
se acha em dita loja, e que na verdade se
tornam mui alegres e bonitas; e bem assim
recebeu lindas fivellas com pedras, e ditas
d'aco com novos e engrapados moldes, cintos
dourados e de marroquim; e muitos outros
objectos de gosto para senhoras serio encon-
trados na alegre e espaeosa loja d'aguia
branca ra do Queimado n. 8.
Vende-se fumo de Garanhuns, o melhor que
pode lia ver por ter sido escolhido de primeira qua-
lidade, a prego de 1* a libra: na camboa do Car-
mo n. 10.
ROUPA FJEITA
NO
Al U A Z III
DK
Wlftifi % Wftfe
X.ETREXRO VEJUOE.
Neste eslabeleeimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
Aos agricultores.
Vcnde-se urna propriedade it trras com 1,000
bracas quadradas que d para levantar um bom
engnho para moer com agua, boas matas e boas
trras, na freguezia d'Agua Preta : a tratar as
Cinco Pontas n. 93.
Vende-se um piano de mesa imflez, forte, jior
preco eommodo: na ra dos Pires n. 40_______
Vende-se um terreno na Soledade, em trras
?ue foi do finado Herculano' Alves da Silva com
0 palmos de frente e 300 de fundo, frente para a
ruadas Ximphas, parte com trra e casa do lado
do norte, de Antonio Outes Martins, pertencente
aos herdeiros de Joao Pedro da Rocha : a tratar
no largo do Carino eom Narciso Jos da Costa Pe-
Casacas de panno preto, 3o,-> e 30;>000
Sobrecasacas idem, 30$ e 256000
205, IW e.. 10,5.000
Ditos de casemira, 20.-J, t,
12?$, 10r5 e"...... "000
Ditos de alpaca, 5$ e. 3^300
Ditos ditos pretos, 9$, 7fJ,
55 e........ 33300
Ditos de brim e ganga de co-
res, 4#5O0, 40, 30500 e. 35000
Ditos branco de linho, 6r$, 55 e 43000
Ditos de merino preto de cor-
do, 105, 73 e..... 55000
Calcas de casemira preta, 123,
103, 85 e......75000
Ditas de cores, 95, 83 e. 75000
Ditas de meia casemira de co-
res, 55300 e.....43000
Ditas de prihceza e merino pre-
to de cordao, 53, 45500 e 450OO
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 455O0, 43 e 253O0
Ditas de ganga de cores,
33500, 35 e '. 23300
Cohetes de velludo preto e de
cores, 95 e......73000
Ditos de casemira preta, 55 e 45000
Ditos de ditas de cores 53
43 e........35500
Ditos de setim preto. 55000
Ditos de ditos e seda branco,
63 e.......55000
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 03, 53 e 43000
Cohetes de fustao e brim bran-
co, 35300, 33 e 25300
4-""1"" *a lirim de 'ni..-,
2)400 e...... 25000
Ditas de algodo, 15600 e. 15400
Camisas de peitos de linho,
55, 43, 35 e..... 25300
Ditas de madapolao, 35,
25500, 25 e..... 15600
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 105, 93 e. 83500
Ditos de fltro, 53, 43,35500 e 23000
Ditos de sol, de seda, las.
115, 75 e......45300
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda....... 640
Sortimento completo de grava-
'tas. 5
Toalhas parroste, duzia, 115,
95 e....., '. 65000
Atoalhado adamascado de li-
nho vara......15280
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....45000
Lences de linho.....33000
Cobertas de chita chiueza.. 23000
Pennas d'aco, as mais superio-
res, a grosa...... 600
i Relogios de ouro ortzontaes,
903, 803 e......705000
Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes, 403 e 303000
Obras de ouro, adercos, meios
I adercos, pulceiras, rozetas,
aneis e cruzes. 5
RA DO QUEIMADO N. 46
muro
I l \ IIIV A O DA AURORA*
Nesta grande e bem' montada-fabrica de machinismo, a mais antiga no imperio, con-
tmua-se a executar com a maior presteza e perfeico encommendas de toda a quahdade
de machinas usadas no paiz, tendo sempre prorapto o seguinte :
Grande sortimento de moendas de canna de todos os systemas e tamaitos.
Machinas de vapor.de diversas qualidades.
Taixas fundidas e batidas.
Crivos e boceas para fornalhas.
Bromes e agnilhoes.
Rodas, rodetas e rodas d'agua.
Guindastes fixos e portateis.
Machinas de cylindros para padaria.
Serras de ac para serrara.
Fatechaspara barcos, etc., etc., tudo por preco que bem convida.
DE
DE
FAZEMDAS E KOI/1* A N IIJTiS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 253, 283, 303 e 35*.
muito bem feitas a 255, 285, 303 e 353, paletots acasacados de panno preto de 16| *'
253, ditos de casemira de cor a 153, 183 e 205, paletots accos de panno e ad-
mira de 85 at 145, ditos saceos de alpaca, merino e la de 45 at 63, sobre de a'paca .-
merino de 73 at 105, caigas pretas de casemira de 85 at 145, ditas de cor de 75 at*
155, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de roupas de Itrim.
como sejamcalcas, paletots e cohetes, sortimento de cohetes pretos de metim. casemira
e velludo de 43 a 95, ditos para casamento a 53 e 63, paletots brancos de bramante a 4a
e 53, calcas brancas muito finas a 55, e um grande sortimento de fazendas finas e oder-
nas, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senbora, eroabs
de linho e akodo. cheos re sol de soda, luva de seda c du lumia *m* rMiin^m e m-
nuora. lemos urna grande fabrica de alfaiate, onde recebemos encommendas de grande
obras, que para uso est sendo administrada por um hbil meslre de semelhante arte c un
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qualquer ultra >m
promptidao e mais barata do que em outra qualquer casa.
ATTEWA
FAZENDAS DE BOM GOSTO.
Lindos cortes de la de barra Imperatriz, ditos de la com barra matisa-
da, ditos lisos com palmas de seda, lindas las de cores matisadas a 500 rs. o
covado, ditas com palmas de seda a 640, 700 e 800 rs. o covado, cortes de
seda de cor matizada os mais superiores que tem vindo ao mercado, lindos
cortes de mor-antique de cor linda, gorguro de la e seda de quadrinhos e i
lisos, fazenda inteiramente nova para vestido.
Superiores cortes de blond branco para noiva, camisinhas de cambraia
bordadas, brancas c de cores, lindos sautambarques de cachemira de cor endi-
tados e bordados da mesma cor, ultima moda em Pars, superiores chapeos '
de palha da Italia, enfeites de flores, capellas brancas e outras mudas fazendas
de gosto que seria enfadonho annunciar: na ra do Crespo n. 13, loja das
columnas, de Antonio Correa de Vasconcellos & Companhia.
FUMMCAO DO IIO%l VI % A-lt 1 t IIO
BIU'II \. 38.
Este muito acreditado estabelecmento est prvido de um completo sortimento de
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanhos. '
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de tomaina pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido..
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
DE
J. VIGNES.
IV. 55. RIJA BO IMPERADOR N. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos, para que seja necessario insistir sobre a
sua superioridade, vantaaens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontcsta-
veis que clles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta prara ; pos-
suindo um teclado e machinismo que obedecem todas as voutades e caprichos das pianistas, sem
nunea falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
tissimos para o clima deste paiz; quanto s vows sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
reis aos ouvidos dos apreciadores. ,.' .,' .-:'.
Fazem-se eonforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do br. Blondi-t, de Paris, socio
correspondente de I. Vienes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
No memo ostabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de mujiieas dos
melhores compositores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido
por presos muito razoaveis.
TOBAS AS NULIDADES
DE
ANTONIO HAI1 DE BRITO
C0NHEC1DA POR FABRICADA V1UVA.
N. 21Antiga ra dos Quarteis de policaN. 21.
Constando ao annunciante, que alguns especuladores de m fe, vendo o
que gosam os meus cigarros, e para poderem dar consumo aos seas andan veiMiendo
na praca como pelo mato, tHadindo os meus freguezes, dizendo que sio meo : e coo fc>-
dos os meus cigarros sao vendidos na rainha fabrica, c nao mando pessoa alguma vender
por minha conta fra dclla, faco o presente anmmcio para evitar que cnaprafe gal pm
I
lebre ; e para seguranca dos senhores consumidores deste genero e esi.
freguezes, aviso que todos os massos de cigarros que forem vendidos na mmha
marcados com um disttnctivo que declara o meu nome, o nome da roa e
mesma casa.
. Aproveito a occasio para scientificar aos mesmos senhores. que
encontraro um completo sortimento de cigarros de diversas qualidades, a do
escolhido, por sua boa qualidade ja bem conhecida.
AOS SRS. COM'XNinORES DE G4Z. I Barra.
j Cofres patentes mgteies, i
i Nos armazens do Caes do Ranos n. 48 e garantidos pelo fabricante Mil-*
j na ra do Trapiche Novo (no Ree) n. 8, se pool: vendem-se na ra da Cm
vende gaz liquido americano primeira quali- inazem (te bidoro, Nati A C.______
dade a retalho a 12* a lata de S gattes, as-
sim como latas de tOe de 5 garrafas e sendo iaaiaiMt
em por^o mais barato que em outra quaK 0 SoTnTrSdl
.lar-
i quer parte.
becco dos Fifreiros.
&R,
1ILEGIVEL
| DATA INCORRETA



J
r
i
\
<
^w
Diario Ue PerpambMO Sexta felra 4 de Julho de 19S
-----------


GRANDE ARMAZEM
AS
/
EE
I*. 36, RCA DAS GROES & 36
DO
balrro de Sanio Antonio.
0 proprietario do muito acreditado armazem denominado Progressista tendo
sempre em vista fazer tudo o que for possivel para bem servir aos seus freguezes, tem
deliberado vender os seus ja bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaiio mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
escravos, serem to bem sen idas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, ainda mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento. O
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que no agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
vo com os seus portadores, fazendo-lhes ver que s no armazem Progressista da ra das
Cruzes n. 36, que se vendem os melhorcs gneros por mais barato preco, porque estes
muitas vezes olvidam-se e vJo outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.
PROGRESSIVO.
B
S NO
9-LARGO DO CARMO-9,
DE
Ui
Os proprietarios deste espacoso e bem sortido armazem de molhados partici-
pam aos seus freguezes que acabam de receber de diversos portos da Europa o mais bel-
lo sortimento de molhados, todos primorosamente escomidos, os quaes vendem-se por
muito menos do que outro qualquer annunciante, obrigando-se os proprietarios a garantir
todos os gneros sabidos do seu muito acreditado armazem.
de superior qualidade a 320 rs. ca da c
xinha.
Manteigai ngleza de I.' qualidade, a 900 rs
a libra,
dem de 2.a qualidade, a 800 rs. a libra,
dem francez\ chegada ltimamente, a 640 ,Mo^rda preparada em potes muito nova a
rs. a libra. 400 rs. cada um.
Batatas muito novas, a 20 o gigo de arroba Milho-alpista a 180 rs. a libra,
e 80 rs. a libra.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor,
de 20 2,5(300.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra e 2)5300 a arroba.
Saga muito novo a 240 rs. a libra.
"zz&SszsSe, as-,.0 sa 2-**j ram,.i
vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libra e
mais fresco que se pode desejar a 700 rs.
a libra.
dem londrtno, mandados vir de encommen-
da especial, a 900 rs. a libra.
dem suisso, muito fresto, a 800 rs. a libra.
Caf do Rio de 1.a e 2.a qualidade a 85500
e 80800 a arroba, e 280 e 300ts a libra.
Arroz da India e Maranho a 120 rs. a libra
e 30200 a arroba.
Avelas as mais novas neste genero a 240
rs. a libra.
Presuntos do Porto muito novos a 560 rs. a
libra.
I.egumes francezes para sopa, como soja,
Julienne, mlange d'quipage, Chotrx e
outras qualidades, a 400 e 500 o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, e
em porcao ter abatimento.
(arrafes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2$ 400 com o garrafao ;
afianca-se que nesse- genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira muito
superior e mais proprio para a nossa esta-
c5o por ser mais fresco a 25400.
Cha hysson o mais superior a 2*600 a libra,
afianca-se ser egual ao que regularmente
"* vendemos a 30200.
^iu Wim 'miudinho, o mais superior que
. "V7f ao nosso mercado a 20700 a libra.
dem preto muito fino, a 20000 a libra.
(arrafes com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 20100 cada um.
dem com 5 garrafas de vinagre de Lisboa
a 1)5100 com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinagre hambur-
guez a 800 rs. cada um.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fci-
toria, Vellw secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a 900 rs. a garrafa e 90
a duzia.
Vinho Bordeaux das melhores marras: St
Julien, Medoc e S. Estephe e outros a
640 rs. a garrafa e 70800 a caixa com
urna duzia.
Chouricas e paios, o mais novo que se pode
desejar, a 230 e 600 rs. a libra.
<|k>gnac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa c 100500 a
caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
Licores francezes, muito finos, das seguintes
marcas: Anizetta de Bordeara, Plaiserdes
damos, Crme de Noyau, Eau Dantzic,
Crme de Menthc, Ilude de Venus etc. etc.
\issas muito novas e de carnada a 400 rs. a
libra e 60500 a caixa com urna arroba, ha
caixas, meias e quartos.
Ameixas francezas em frascos de 1112 e 3 li-
bras de 10100 a 20800, tambem ha latas
de 6 libras.
em caixa ter abamento.
dem massa de superior qualidade de 160,
180, 200, 220 e 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 1*300 a duzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salmo e outras qualidades, pre-
parado de escabexe segundo a arte de
cozinha a 10400.
Papel grve pautado e liso a 30800 a resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
460 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 30200 e 40000 a caada do
melhor e 500 rs. a garrafa, em porcao ter
abatimento.
Vinho velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
50000 a caada.
Vinho branco o mais snoerinr mip nnssiyel
neste genero a 560 a garrafa e a 40000
a caada.
Vinagre puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
e 10400 a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril
a 640 rs. a garrafa, e em porcao ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marras, a
10000 a garrafa, e 100000 o gigo com
urna duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 30500 a caixa, tambem temos
para 20000, 20500, 30000 e 30200 a
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 600, 640,
e 680 rs. o masso.
dem de carnauba e composicao a 320, 360,
e 400 rs. a libra c de 100 a 110500 a
arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 10000
a ancoreta do Porto e 10500 a de Lisboa.
Massas para sopa: estrellinha, rodinha c pc-
vide a 400 rs. a libra e 20000 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carrao e aletria a 400 e 480 rs. a fibra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso das melhores qualidades a 900 rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixo.
Ceneja das melhores marcas de 50300 a
60OOQ a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
10300 a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda,
muito nova em latas grandes a 20000 cada
urna.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes, do fabricante Basset, a
360 rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a libra.
Tijolo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Cebollas o mlho a 900 rs.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
64o rs. a libra.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado,
dem de porco, refinada e muito alva a 5oo
rs. a libra, em barril ter abatimento.
dem ingleza em latas de 2 1/2 libras a 2,ooo
cada urna, garante-se a boa qualidade.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, l,8oo, 2,ooo e 2,5oo rs.
dem prato chegados neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 66o rs.
a libra.
dem londrino mandados vir de encommen-
da especial a 7oo fs. a libra.
Caf do Rio de Ia e 2a qualidade de 8,5oo e
8,8oo rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz da India e Maranho a loo rs. a libra
e 3,ooo rs. a arroba.
Caixinhas de ameixas francezas de 1 1/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,6oo, 2,ooo, 2,5oo e 3,ooo rs.
Vidros de diversos tamanhos de confeitos,
muito proprios para mimos, de l,ooo a
2,5oo rs. cada um.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
em porcao ter abatimento.
Garraes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2,24o rs. com o garrafao,
afianca-se que neste genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 1 garrafas de vinho Figueira mui-
to superior e mais proprio para a nossa
estacao por ser mais fresco a 2,4oo rs.
|DU DysewH u mdi& superior a 2,000 rs. a
libra, afianca-se ser egual ao que regular-
mente vendemos a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem huxim miudinho o mais superior que
vem ao nosso mercado a 2,7oo rs. a libra.
dem preto muito fino a 2,ooo rs. a fibra.
dem muito-mais baixo, muito proprio para
negocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Garrafes com 5 garrafas de sperior vinho
de Lisboa a 2,2oo rs. cada um.
dem com 5 garrafas de vinagre de Lisboa
a l,2oo rs. com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinagre
a 9oo rs. cada um.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
veiros de Lisboa, a 600rs. a libra, em la-
tas lacradas hermticamente.
Eructas em caldas de todas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas, a 500 rs ca-
da urna.
Bolachinha ingleza, amis nova que se pode DLreI^5LdLgefbJ!L??400'
Erva-doce muito nova a 400 rs. a libra.
Cominhos idem idem a 040 rs. a libra.
Garrafes vasios a 500 rs. cada um.
hamburguez
melhor que
Azeite francez clarificado a 8oo rs. a garrafa
e.9,5oo rs. a caixa com 1 duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Picldes, ceblas simples, e outras
'a 8oo rs. o fraco.
Mostarda mgleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. cada um.
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
rafinha.
.Sal refinado em frascos de vidro de diversos
modellos a 4oo rs. cada um, s o frasco
vale o dinheiro, tambem ha solt para 80
rs. a libra.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de 1,000 a 3,ooo
cada um.
Painco a 14o rs. a libra.
Milho alpista a 16o rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra, e 2,3oo rs. a arroba.
Sag muito novo a 24o rs? a libra.
SabSo verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 3oo rs. a libra e
em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade dd 2oo,
22o e 24o rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 12o rs. a lata
e l,3oors. a duzia.
Poixe em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salmao e outras qualidades, pre-
parados de escabexe, segundo a arte de
cosinha de l,4oo e 2,ooo rs. a lata.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
7oo rs. a libra.
Papel grvc pautado e
resma.
liso a 3,8oo rs. a
Genebra de Hollanda em botijas de conta
40o rs. cada urna.
Genebra de laranja a 9oo rs.,
se pode desejar.
Cha perola o melhor neste genero a 3,2oo
rs. a libra.
Vinhos generosos vindos do Po to engarra-
fados das seguintes marcase Genuino,
Porto fino,. Nctar, Duque dolPorto, Fei-
toria, Velho secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a l.ooo rs. a garrafa, e
9,ooo rs. a duzia.
Lagrimas do Douro,' especial vinho do Porto
a I,2oo rs. a garrafa, e 10,000 rs. a caixa.
Vinhos em pipa: Lisboa, Porto e Figueira da
memores m.o o a,t>m, z,8uo, o,uuo 1
4,ooQ rs. a caada do mais superior e de
" 3o e 30o rs. a garrafa.
dem velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, por ser muito claro e
macio a 64o rs. a garrafa, e 5,ooo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que 6 possivel
neste genero, a 56o rs. a garrafa c a
3,8oo rs. a caada.
Vinagre puro de Lisboa, a 2oo rs. a garrafa
e l,4oo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril,
a 64ors. agarrafa, em porcao ter abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
l,2oo rs. a garrafa, e 12,ooo rs. o gigo
com 1 duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 3,5o rs. a caixa, tambem temos
para 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo c 3,2oo rs. a
caixa.
Velas de sperraacet superiores, a 600 64o,
680 e 7oo rs. o masso.
DE
Eduardo Marques de Oliveira & C.
e **
.8
0 2
B B
o
z
3 i
I*
s
8 S-
1
3
I
s
5'
2.
3
8


2

<
S
5

rTeste novo e grande estabelecimento de molnados, encontrara o rwpfiarri
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro, expostos veafli
todas as qualidades de gneros por menos precos que em quaesquer outros estabetecmn-
tos d'esta ordem, pois para isso segu em um dos primeiros paquetes para a Europa um
dos socios para serem vindos todos os gneros de conta propria, para melhor servir aos
seus freguezes, e desde j encontrar o respeitavel publico sempre os melhores e
novos gneros do nosso mercado, e por precos baratissimos, como se ver abaixo.
Amendoas a 320 rs. a libra.
Aveles a 2oo rs. a libra.
Ameixas a 10 a libra.
Ditas em frasco por 20800.
Arroz pilado da India loo rs. a libra e 30ooo
a arroba.
Dito dito do Maranho 120 rs. a libra e 30300
a arroba.
Azeite doce francez 800 rs. a garrafa.
Dito de Lisboa 680 rs. a garrafa.
Agurdente de canna de cabeca a 240 c 320
rs. a garrafa.
Azeitonas a 400 rs. a garrafa, e 10300 a an-
coreta.
Bolachinha de soda a 10400 a lata.
Banha de porco a 600 rs. a libra.
Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
rica a 30000.
Cha hyssoh a 20200 a libra.
Dito dito fino a 20600 a libra.
Dito miudinho a 20800 a libra.
Dito do Rio a 10800 a libra.
Dito preto a 10900 a libra.
Carne do serto a 36o rs., e em porcao se
vende por menos.
Charutos de diversas qualidades a 10200,
10500 e 30 a caixa.
Champagne a 10 e 10500 a garrafa.
Chouricas a 560 e 600 rs. a libra.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Caf em grao a 300 e 320 rs. a libra, c 90 e
90200 a arroba.
Dito moido a 360 rs. a libra. >
Doce de goiaba a 560 rs. o caixo.
Espirito de vinho de 38 graos, a 280 rs. a
garrafa.
Figos a 400 rs. a libra, e em latas de 4 libras
por 10500.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 640 e 720 rs. o frasco,
e 70 a frasqueira com 12 frascos.
Dita hamburgueza a 560 rs. o frasco, c 60500
a frasqueira com 12 frascos.
Dita flor de laranja a 10 o frasco.
Gomma d'araruta a 100 rs. a libra, e 20600
a arroba.
Graixa ein latas a 120, e 10300 a duzia.
^onbra <>m narrafes de 14 garrafas por
40000.
Batatas inglezas libra a 80 rs., e a 20300 em
arroba.
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito em garrafas grandes de superior quali-
dade a 10500.
Manteiga ingleza flor a 800,900 e 10 a libra.
Manteiga franceza a 680 e 720 rs. a libra-
Dita hollandeza a 72o 8oo rs. a libra.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a 500 rs. a fibra.
Marrasquino de Zara a 800 rs.^ o frasco.
Passas a 4oo e 500 rs. a libra, e 80 a cju.
Palitos para (lentes a 180 rs. o masso.
Phosphoros do gaz a 20500 a grosa.
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a Si i
205OO.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Dito do serto a 560 rs. a libra.
Cervejas de marcas superiores a 500, 'fo.
600 e 640 rs. a garrafa, e 50300, C4 I
60500 a duzia.
Dita em barril por 40, e 240 rs. a garrafa.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 rs. a :.iU-
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 e 80 rs. a libra.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 160 rs.
Vellas de spermacete a 640 e 680 rs a lrt ra.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 fibras por 43000.
Ditas de carnauba a 400 rs. a fibra.
Ditas de composicao a 360 o 380 rs. a llra.
Vinho do Porto, caada a 50500, garrafa
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 40 c a garrafa a EM
rs.
Dito Figueira, caada a 30840 e a garrafa a
480 rs.
Dito dita superior, caada a 40 e a garrafa
a 500 rs.
Dito Estreito, cariada a 30200 e a garra*
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 e 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa em garrafes de 5 g.f. ra-
fas por 10400.
Dito em caada a 20, e a 260 rs. a gnr..ta.
Viho do Porto em garrafes de 5 garra*
Dito dito engarrafado a 10 10200.
Dito lagrimas do Douro a 10400 a gan.*U.
Vinho branco de Lisboa a 720 rs. a garntfa.
e 50 a caada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, e a 4030b
a caada.
Previne-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima sao de boa quafc-
dade, e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annunciad<--.
TODA ATTENQAO
NOS
desejar, a 30000 a barric a e 240 rS. a
fibra.
Farinha do Maranho muito alva e ebeirosa
a 160 rs. a libra.
Azeite francez clarificado a 800 rs. a garrafa
e 90000 a caixa com urna duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed Pickles, ceblas simples, e outros
a 760 rs. o frasco.
Farinlia verdadeira de araruta a 300 rs. a
libra, garante-se a superior qualidade.
Palito* para dentes em caixinhas douradas
Bren, a 320 a libra e 80 a arroba.
garante-se ser verdadeira de Hollanda.
Cebollas a granel a 640 rs. o cento.
Canella a mais nova do nosso mercado a
10000 a libra.
Alfazema o que pode haver de melhor neste
artigo a 280 rs. a libra.
Phosphoros de seguranca individual a 20 rs.
a ca xinha.
Papel de embrulho muito superior a 10120
a resma.
Vinho da Figueira, o que ha de melhor a
40000 a caada.
Copos finos para agua a 60000 a duzia.
Vinho Bordeaux das melhores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Estephe e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
Chouricas e paios, o mais novo que se pdc
desejar, a 56o rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 9oo rs. a garrafa, e lo,5oo rs.
a caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8oo rs. cada um.
Licores francezes muito finos das seguintes
marcas: Anizete de Bordeaux, Plaisirdes
Dames, Crme de Noyau, Eau de veede
dantr"c, Ceme de menthe, Huile de Ve-
nus, Parfait amour, Eau d'ora l,ooo rs.
a garrafa e lo.ooo a caixa com 1 duzia,
Passas muito novas e de carnada a 3oo rs-
a libra e 6,ooo rs. a caixa com 1 arroba
ha caixas, meias e quartos.
Ameixas francezas em frascos de 1 1/2 e 3
fibras de l,4oo a 2,8oo rs.; tambem ha em
latas de differentes precos.
Marmelada imperial dos melhores conservei"
ros de Lisboa a 6oo rs. a libra, em latas
de differentes tamanhos e lacradas herm-
ticamente.
Fructas em caldas de todas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas a 5oo rs. cada
urna.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
dem de carnauba e composicao, a 32o, 36o
e 4oo rs. a libra, e de lo,ooo a ll,5oors.
a arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a l,ooo
rs. a ancoreta do Porto, e 1,5oo rs. a de
Lisboa, estas ultimas raras vezes vem ao
nosso mercado, pela sua boa qualidade.
Massas para sopa: estrellinha, rodinha e pe-
vide a 32o rs. a fibra, e 1,6oo rs. a caixa
com 8 libras liquino; s no Progres&ivo.
Massas para sopa muito novas: talharim, raa-
carro e aletria, a 4oo e 48o rs. a fibra.
Chocolate portuguez, hespanhol,, francez e
suisso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 64o rs. o caixo.
Ceneja das melhores marcas, a 5,5oo e
7,4oo rs. a duzia e 54o rs. a garrafa.
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
l,2oo rs. a lata.
Bolachinha de soda especial, encommenda
muito nova, em latas grandes a 2,ooo rs.
. cada urna.
dem craknel em latas de 5, 7 e 15 libras a
4,ooo, 5,5oo e ll.ooo rs. a lata.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oo rs.
a grosa.
Massa de tomates em latas de 6oo a 7oo rs.
cada urna." .
Sardinhas de Nantes. do fabricante Basset, a
38o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo, a 32o rs. a libra.
Tijollo de limpar facas, a 48o rs. cada um.
Cebollas, o mlho a 9oo rs.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa,
, a 14o rs. a libra.
Mxauuanm
CQMSERVAfIVQ I CffNSeSVDffB
DE
KDAtyVttm 3 QXD3 23D3
NS. 21 E 23LIRCO DO TERCO -NS. 21 E 23.
O proprietario destes dous estabeleeinientos de molhados, venda os seu>
eros por menos do que em outra qualquer parle, por isso garante a Riparia 1 u-
lidade de qualquer genero sabido dos seus armazens; pdc vender por menos
prar dinheiro, e por isso faz vantagem a os compradores.
Batatas as mais novas do mercado, a 60 rs. a libra c l,6oo rs. aarruab ou caixa.
Toucinho de Lisboa da 1.a qualdade, a 3oo rs. a libra e 9,ooo rs. a arroba.
Caf do Rio da 1.a e 2.a sorte, a 28o e 32o rs. a libra.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor, a l,8oo e 2,ooo rs.
Velas de spermacet, carnauba doAracaty, as mehoivs deste genero, i 83o toe rs. i '
Vinho verdadeiro Figueira das melhores marcas, a 3oo c 4oo rs.. em ranada .-<
timento, ha porcao para escolher.
Bolachinhas americanas, as mais novas neste genero, a 2oors. a libra e.*hooo rs. a l>a
Palitos do gaz, vindos por conta particular, a 2o rs. a caixinfia c 2,4oo rs. a grosa.
Manteiga ingleza da 1.a e 2.a qualidade, a 8oo e 76o rs. a libra,
dem franceza, especialmente escomida, a 64o c 6oo rs. a libra.
Cha, o melhor neste genero, a 2,88o rs., tambem ha para mais barato.
Milho alpista, limpo, muito superior, a 16o rs. a libra, a arrroba 5,ooo rs.
Alm destes gneros ha outros muito baratissimos, assim como ceneja m
Ihores marcas, genebra de Hollanda e de laranja, passas, doce de goiaba. azeite d<
nagre, canella, pimenta, cominhos, erva-doce, cebollas, albos, chouricas, Lanha de .
outros muitos gneros que enfadonho mencionar; dinheiro contado.

*
MIIIMS ASERICWAS.
Em casa de N. 0. Bieber & C, successo-
res, ra da Cruz n. 4, vendem-se:
Machinas para regar hortas e capim.
Ditas para descarocar milho.
Ditas para cortar capim.
Sellins com pertences a 100 e 200.
Obras de metal principe prateadas.
Alcatro da Suecia.
Verniz de alcatro para navios.
Salsa parrilha de primeira qualidade do Para.
Vinho Xerez de 1836 em caixa de 1 duzia.
Cognac em caixa de 1 duzia.
Arados e grades.
Brilhantes.
Carroras pequeas.
AGENCIA
DA
FUNDICAO DE LOW-MOOB.
Rn da Stnalla aova i. 11
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Alm dos gneros cima mencionados, existe um completo sortimento de al-
fazemas, cominhos, pimenta, erva-doce, palitos de dente em macos e caixinhas, enxo-
fre e outros muito gneros, os quaes vendemos pelos presos mais baratos possiveis.
Vende-scuma proia Je 22 ann
.sabe engommar, cosinliar. lavar a coa-r 'iiu-ai *
pretender, va a ruadu Au.oniu, u. '*>. >\
com quem tratar.
ESCRAVOS FHBOS.
Na noite de 14 para 13 do frrente ame-
lou-.-e da fundicau da Aurora o mtalo FlorenBe,
bastante alto, pes grandes e mal fcitoe, anda <
passado c costuma andar de sapatos c pal.
algumas veies usa capot-- de pauo, iaevlea
forro : roga-sc s autoridades policiaes e ca
de campo a captura do mesmo, e leva-I- a r
da fundicao, onde se gratificar geneiwnrn-iv
irabalho."
Fogio de bordo do brigne nacional
20
no dia 20 do corrente mez o escraro de nom J*>a
Monjola, de afio Angico. representa ter 60 imaM,
tem a barba rapada e quando apona bastaote
branca, estatura regular, delgado e mo mla.
levou vestido calca e camisa atol e dmfot pa-
lha. ainda hontem foi encontrado na ribeira de %.
Jos : em casa de David Ferreira Bailar, que ser he
recompensado. __________________
__Fugio no dia 14 do crrente, Margarida, *
nacSo Costa, baia, cor preto, represento m
idade trintt e tontos annos, pa por
levon vestido saia branca e camisa dea*
quitandeira, vende miudeaas o toilfcssn ana '
lLEGIVELl
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C, I Sova T qum a pegar leve
ra da Seozalla Nova n. 42.
un balde listrado de azul e ;
da manhaa, cestuma ir a ribetra eto
tandas das cintras, qoando foj^
ir para os logares de CMinda, WW'f
, [tas n. i3, que sera muito bem recompensas.
-
^M.:<.
*!
---



>

*
8

_<-
ftiario H Prrnambud Sexta letra 14 le JTnlho AGRICULTURA
Memoria sobre 'mal triste on hemalria cnzonflca
r i Alvos llibeir
Nalurnin mori'onim n-tondi curatio.
alguin tempo, sue pur treamslanciaj ln-
einpxcgos pblicos, que oceupavatnos
oblado, visitavamos diariamente o carral da
H\ do gado bovino para consumo alimenticio
ipulacao desta cidade, oora o fun de inspeccio-
na ,i boaqualidade do carne : c sendo ah muitas
v.-.: -. era conveisa com os sertauejos, interrogado
offlciosamente a respeitoda molestia mal triste, o
roe idea raziamos nos dessa molestia ; davamos as
taptenles desculpas de nao termos idea
algn sobre ella, pois que nao estudavauws a ve-
ra. Porm logo se nos excitou a curiosida-
de do aproveitarmos essa visita ao' curial para Ins-
peccionar o gado e observar o seu coniportaineuto,
as necessariasautopsias naquellas rezos que
v sera a morrer de semeluante molestia que an-
nualniento mata um grande numero de gado nos
fes, o ueste municipio; com efleito no correr
do tois do dous aunos temos observado um bom
numero Je casos, que forneceram o material ne-
"iopai classilkacao scientifica desta mo-
le ia, e a qual agora submettenios a melhor iutel-
lig ncia, acreditando, com tudo, que no^sa classi-
lo est de accordo comas doutrinas anatomo
-j ivsiotagicas.
Introducn).
E-te material pratico, unido as multiplicadas in-
Tratmonto.
Deve principiar polo que fiea reeommWdado na
prophylaxta e hygiene.
Depois fazer effusocs "de agua fra por sobre os
rins,o tombos de \ima a* fres vezes por dia ; o apro-
ximar da noute urna garrafada febrfuga, fcita de
anglica e macolla : pela inauha cedo una gar-
rafa da de fres quartifhnavdc'h'lleeomHiraa onoade
'ia de lorebcnthin; e pelo dia adianle duas
ou tres tisanas de rosmento de linhaoa e cevada,
oa de malvas da torra e de millio : n'uma das
quaes se dissolver tres oncas de sulpljto do
Mu esse remedio* ? estramblica das facilidades ? Sou
Sobre a nttoha honra obrigsme a vo-lo des- pdhajte um plradoxo de carne, umf mentira viva,
ura monstro que depois da minha morte pr-se-ha
cobrir, quando estiverdes bom. '
Deve ello operar interiormente, ou-exlerto*-
mente ? ; %
De ambos os modo-- : o remedio interno ser
to smente preparatorio-, ao*temluo reservada a cfflcaci do curativo.
de conserva dpntro doalcool para offerece-lo cu-
riosida* dos papUvos ?
Tanto espirito tsoclado tanta loucHra Um
homem to profundamente dostumbrado deduzindo
: conseqencias exactas d'um absurdo evidente !
Ora esse remedio bom que o leitor saiba a Colloquei um dosmeus dedos sobre o seu nariz, a
sua lomposiconao eranemperigoso, nemcruel.;minha nio sobre o seuventre, ocoastrangendo-oa
Tres plalas de farinlm de trigo por hora ; urna ca- flcar aprumado, disse-lbe :
,apjasma de milo de pao applicada sobre o pesco- ( s minhas mtes cstao perpendicularmente
soda. co. e desuada a amortecer as 'partes drcfunvizi- uina p0r- ciina Deve-sc insistir nesurataraentu por dous at nhas; algumas guitas do ludano para procurar | Siiu-
qttatro dias: suspendendo-se. se as urinas forera reponso ao doente : os o modo de curar, a bri- Uma n-10 cst apoa(ja soijrc 0 vosso abdomen,
aclarando, continuando s. com as tisanas e o sul-! Ihante deseoberta que flz nesse dia. Vivamente' a outra sobrc a p0nta do n.ir2 ,
phato de soda por alguns dias mais : o rgimen atormentada de porguntas, toroei un tom ainda Sim
dessa incumbxfdtia, tlvF meiosde melhorar anavogac3oi no cupo, dehes
rios, e fornceMo governo -un extenso 4ibaloo
sobre tudo o que dissesse resuelto estatistica, aof
clima, s prodceles naturacs, industria o
diettico deve consistir do uso de boberages ali-: mais solemne, tossi, interrompi-me ; dissertei por
iii.iitaros de agua com farinha, ou algn herva,' muito tempe, e deixei o mou doente ua mais inti-
que o gado csteja acostumado a comer, ou bejn ca* maporsuasajp de que brevemente tera s cabera
pim secco, ou o que o animal melhor apetecer.
Tlicrajieutica.
Este tratainento tem jwr indicacao therapeutica
como os outrs homens-, c a fronte perpendicular
ao peito.
Esperava, que a sensacao de liumidade causada
agricultura das regides pereor^idas. Estas ms-
truccocs foram completamente preenchidas-
A quantidade das notas recolhidas cousdera-
vel, e a sua exposieao, acompanhada dos meiosde
se poder tirar partido das nmenias rujuozaa que
|.|K)ssue a irovincia, pode foruecer materia para
um volme. Era presenca >d>sa quantidade do
materiaes de toda a natureza, necessito para a sua
exposieao, conclusao .dos clculos, tragado das
plantas, etc., de um lempo ncomparavelniente
muito mais longo do que aquelle que se te do-
corrido depois da minha volta.
- Pois bem o vosso nariz estando no molo do; Por estas razoes, V. Exc. comprchender que
vosso rosto, nao claro___. j neste momento nao me possivel senoapresnitar
Deixae-me nao me fatiguis mais-. Hauma a taboa das materias das questoes que hei de tra-
hora que me forcacs a ter a cabeca voltada sobre tar no relatorio dla hado, que em occasiao op-
0 mea hombro, somonte para zombar de mira. Por portuna terei a honra de remefter V. xc. Entre
a.teuuar o movimento hemorrhagic. sobre o appa- *** cataplasma, junta s minaas pillas regular
w I mente engulid:
esse cerebro perturbado o effoito
tros pe* essencia de terobenthina; finalmente
acalmar a sede, c algunia maior ou menor irrita-
cao do apparclho da digesto pelo uso das tisanas.
forrnaedes, que temos consiantemente tomado no e o sulpbato de soda.
deeurao desse terJEpo, c em vista dos phenomenos
por nos observados, nao ti vemos duvida em.roco-
naecer, que esl 1 mal uma enzootia, que nos casos
repentinos toma logo, no seu comeco, o carcter
lethal.
Este mal ataca de preferencia o gado vaceura, c
ido especialmente em algumas localidades, e
kmi eii los lempos, com phenomenos bydroielluri-
co-, cajo modus operamli nao podemos bom ex-
plicar,
Em varios casos, dos que temos observado, de
! por esta enzootia, temos sernpre rcconlicci-
do hematuria maligna, vulgarmente denominada
" 'triste; molestia, quanto a nos, infecciosa, ap-
parecen*) nualmenle com maisou menos otea-J
..ij.ide, segundo as condieoes climatricas espo-
1 d>' cada loealidade.
l certo que lia um bom numero de circunislan-
cia< coiicerneiites a manifeslacao da enzootia era
quoslao, j.riiieipiando pela raca do gado, lugar o
natoroa do terreno, donde o para onde vae. lam-
po em que so faz esta mudanca.
Muito podoriamos dizer, sobre oslas circumslan-
. 1.1-. se tivessemos pessoahnento viajado e obser-
vado o serto ; mas baldo de observaeoos platicas
i'scenlieas, passamos em silencio sobre esta par-
:! 'i oiilendenuos, gue s tem interesse scienti-
Heo pelo lado histrico.
Syrptonias da hematuria enzootica do gado bovi-
vino no Ceara.
Observados no principio do padecimento, ente-
ra gado nedio, e em geral bem tratado e nutrido.
1 maltas vezescostoma ebegaraeste merca-
do, mostra um certo arripiado do pello, depravaoiio
do apetite, constipaclo ou prisao do ventrtMM es-
ta, tremido de influencia enzootica. c na maior par-
te ios animaos, jsob sua imminencia mrbida so
ir. -'rain, como se diz vulgarmente, tristes, eabis-
baixos, oiclh,;s cabidas e uma longa lagrima cor-
rendo pela cara abaixo, earaeterisando assimos
v rptOSIBS das (labres paldicas, intermitentes, ob-
u. estadios caneteristicos do tj|x quotidiano ; al-
frio, indicado polo ampiado do pello, minia
fe re, indicada pelo oslar tremido, maior quentu-
ra ru todo o cor|io do animal, do que no estado
Fonhulurio.
N. 1,
Leite.........Tros quartilhos.
Essencia do terebcnhiua. Una onca.
Misture, e administro como j tica recommendado-
R, z-Tisana.
Cevada ou nrilho quebrado Moia libra.
Agua (de beber) .... Tos garrafas
Cosite ar reduzir pela forvura a duas e meia
garrafas.
N. 3.
Tisana (fcita 001110 na reeeita
n. 2)..........Carrafa e meia.
Sulpbato de soda .... Tres oncas.
Misture.
N. D. Estas quanlidades sao para o animal adul-
to : liara o menor, motado das quantidade? pros-
criptas.
BOTICA.
Para mita fazenda de mais Je cincoenta bezevros.
Essencia de. terebentlna .
Sement de "ranaca (guarda-
da em lata).......
Cevada, (guardada em sacco
e exposto ao ar secco e som-
bra; .........
Macolla.......
que. vos obstinaos eui cscarnecer-me, muita cruel-
dade 1
' EHe caliiu sobre a sita cadeira de bracos como
um homem que longos esforros teem abatido; os
:-se a rir-
sentidos.
De que vos rides ?
D'um idea. Se cu commettesse algum crime
que me levasse forca, como me, pendurariam ?
Bello espectculo O carrasco nao teria a cora-
gem de exercer as saas funecoes. Snppondc ain-
da que se quizsese acoutar-me ; a superintenden-
vel, esta incrivel illusao ; que nos digam como um' cia das operacoes me seria fcil----- Ah que
homem pode desarrazoar to lgicamente, chamar dizeis ? Pens tambem na engracada figura que
rolho urinario, determinando com elle un. choque'men,e enul,das de-V1"te vmte minutos pro
nervoso, e reaceo derivativa e depurativa pela! f *>"re ^"^T \ ? I'
pete, cuja reaccao se manifesta por uma ligeira : diaphoreso : cortar ou attenuar os accessos febris, s08uinte- ^'Mlldo a ca* *>. eu dava gar- Suppuz que recobrava o uso dos seus senti
f ,.,. ,. ., ea hadas. Lina senhora de meu conhocimento,
e fortilicar a economa pelo uso dos febrfugos f .. =*""<'"''>
.. -. .' boa alma, encontrou-me; ella divulgou ola nu-
nervosthemeos : conseguir um effei o restaurante .. .-^,...' .____. e 1W'"*
, .. .. uha clientela o caritativo boato de que eu escar-
das perdas de sanguo, associado a um cileito mol- ___ ""v
. ... necia dos meus doentes : assim como, ue os seas
tirador no apparclho urinario, c antisptico do san- *
guo ; abonado aquello primeiio pelo le.e e os ou- so*""*""* ^e causavam prazer.
Que os plnlosophos expliquen!, se lhes possi-
e se me Iembrasse de ser na-
no ornis para o mu
Oito garrafas.
Caa arroba.
Duas arrobas
Sois libras.
LITTERATURA.
cu vos previ-
A ralic.-a virada.
(Conclusao.)
Sempre a ironia, doutor;
no
Vamos, mcu charo X em lugar de agas-
tar-vos comigo, instru o vosso medico da maneira
com que se effectuou esta revoluciio da vossa ca-
beca. Quaes os primeiros symptomas ? Foram
dolorosos ?
o medico para uma molestia que nao tem, resalir
ao testemunho dos seus sentidos, e crer que a sua
eabeca est dreita, qaando ella se conserva
esquerda ; que os physiologistas no-Io ensinent" O
ineu homem do pescoco trocido nao tinlia nenhum
desarranjo no apparclho da visao, o seu tendi
optieo nao eslava destruido, a sua sadde ora lio.
resecnte c vigorosa.
Na manhaa seguate, s onze lioras, me achava
cni casa de N... Encontroi priinciro o negro {Vara-
ba Os seus grandos olhos brancos teilhavam de
alegra soln^e a sua face prefts os mscalos do seu
rosto estavam contrahidos, vi que o doente exer-
cia sobro todos a mesraa influencia, e' que o negro
nao podia resistir ella.
An f exelamou Xambo, sinh! de per-
las para o ar... Cabera direita... roupa es-
querda. .ingracado, ingracado. ingracado !
Elle virava e revirava as abas de seu fto, abo-
toa\-a-o com violencia, e nao consegua fazerme
cinprehcndero fpi* fpjoriadizer. Entreinoquar-
todoIT^.. 00 mais- cmico espectculo me pos
i par de tudo:
O ahuoeo tinl sido servido sobre- uma mesa
collocada defronte de fogo. Um dos amigos de
N.jurisconsulto distincto, estava assentado
nessa mesa cam a frente- para a porta da entrada.
O hipocondriaco dava as costas mesraa porta.
Em lugar de~ vstir-se regularmente, ello tinha in-
ventado para o sou uso uma moda em harmona
com o estado da sua cabera virada pelo tufao da
Jamaica. Panlalouas, coleto, meias, casaca, at a
sua grvala, tudo estava savessas; os botoes da operada por ello n-uin docntf nao menos extrava-
' fiente atravessaram-se sobre-as suas costas, o o no I gante do que o meu amigo 5,... Este iftente era
que o seu nariz, colossaltnenle
eu fazia a cavallo }
morado, se....
Nao pensis nisso
lado das cousas!
Torna-se preciso, o inu lado o uuico para
que posso olhar.
Elle nao pode deixar de fr-se comnssco -, de-
pois, como precisasse do lenco executou machinal-
mente este movimento da mo direita, habituada
a se dirigir por este modo algibeira de detraz.
Isto admirouvo. Procurou o lenco aa algbcira que
o continha, e acbava-se sobre a su coxa.
O costume tao forte 1 exelamou ello ; mas
chegarei ao ftm : oh ( aberei vencer-me, ser
preciso 1
Levantei-me eHe me seguiu, e\tendeu-i*e
a mioV e todo embarazado como estava cornos seus
vestidos- estrauhanrtute arraiados, acompauhou-
1110 at a porta.
r.13- uma boa cous, lbe disse eu ; para um
homem que caminha reuando, tendes admiravol
facilidade do movimentos, nao verdade ?
Elle reflectiu um pouoo, c' rosiwadeu coi* ar
triste. ,
Nao sem custo; nao sabis que esfor^s
ico mas preciso resignar-me isso.
Retirei-me. Esta louenra durou m mez; ra-
ciocinios, remedios, foram inuteis. Prodigaliset-
lhxi banlios, fuiaegaco.is, einlwrcacoes : nada ce-
den. Finalmente o acaso fez-me vir a maos um
livrovelho de medicina, cuj autor refera una cura
ostas questoes existe todava uma wbre a qual es-
tender-me-hei lioje um pouco mais do que sobre
as outras, pois que ella se liga da direcete das
vas de communcacao do Ro de Janeiro ao valle
do rio S. Francisco, direccao de que o governo se
preoecupa activamente.
Quero fallar das facilidades comparativas que
offereceni o rio das Velhas c o S. Francisco-, ci-
ma da confluencia do priinciro, navegarao.
Ainda que nao me seja dado presentemente se-
no descrever os obstculos que apresentam am-
bos navegaetei pois que os planos e orcamentos
s serao foites depois do tracado das plantas, tra-
ba lho por sua natureza moroso, entretanto esta
descripcao poder desde j ser suflicicntc para c
poder apreciar a enorme differenca que existe
entre os dous bracos quanto a impertancia dos tra-
balhos.
Porm, antes de tudo, e porque aeatiode citar a
questao da direccao das vfas de comiminiraco do
Rio de Janeiro para o interior, nao possi' dispen-
sar-me do chamar seriamente a attenco de V.
Bxc. para' o estado deplorave das cartas gei?gr.i-
phicas da provincia de Minas-tieraes. Em um re-
latorio anterior, -logo no comeco- da viagein, assg-
nalet o enorme erro sobre a Ibngitude da ciuado
do Sabara; mas depois dsso, na continuacodes-
sa viagem, tive occasiao de observar uma quanti-
dade ac outras posicces, como de cidades, embo-
caduras de rios oii olilros pontos notaves. e niio
s encontrei por toda a parte erros em longitudt"
da mesraa ordem do grandeza, como mosmo, o |1
que mais imperdoavd ainda, a maior parte das ^ v-flu-u n imito*
latitudes resentiam-sc dos mesmos erros, de V, de1
gru e mesmo indoalm' desse num'TO. ou. em
^
^^^Hbta a
JHerena de nivel
or do 16 palmos
<*)
Em um relatorio
succinta desta cael
do lento -de duas
adMfrrenca de niw-l
entre si \x>r uma distancja'ffe pouce'i
nos um kilmetro, entretanto que eadaM
as margeos existem planos indinados t
por causa do grande compriiiMiih da ra
. Estes dous planos inrlinaik sao
gres ralcarifeos, mui compartoe de 1
quasi liorisonlal. O lado da marjrem _
cobre-sc nteiranienle no lempo da wi, a dn es-
querda lita apenas robera de moi pouea acna.ru-
ja continuidad svn cessar lulerroMfida paaa
desigualdades do rocbed. t
E por este lado qae nc lempo da serea sobna n
desce as canoas vastas, ido condiizMtos ao
arrasladas por rima das pedia*. -No mr j atoa-
do relatorio'riisse que essa carhoeira nao f a
obslaculo Insupaiarl navegando S. Funisco,
porque seria praticavcl fazer-se m mo do daa
planos inclinados mn canal rrciilineo, onde a ctt-
reBle. visto v coinprimciito da cacbwira naaato
rao a differenca Je nivel, nao attingr mesmo a
que existo em muitos pontos de rios navega veis,
vencida pela sirga.
Mas este trahamo nao deixaria V ser Mate con-
sidoravel, e as despeas que o S. Framys** orra-
sonaria com esta cachoeira ieualaria a pe se
tivessom de fazer com a destruirao de_k4aeaa
bancos de podra que obstruom navegaran eVh"
das Velhas.
Alm dsso, h>le|iendentni>ente da eaenoeinrdn
Pirapra, o rioS-. Francisco aprsenla nuina rt-
tensao de 150 leguas, desde essa cartloein al 1
barra dorio Paiaopda. um numen/quasiegual de
bancos de podras como o rio das Velhas, sewi*
porm os dolos ltimos repartidos sobre uma
maior eMenso. ou 145 leguas desde o Sabara as
a sua foz.
(I) >'a pequea parto do t.-akilbo do me^mwra^to
rador que me foi poasivel >orillear enruotre aaa;
tos outros erros importantes. 1 maior de fodte
da orenlac/io da caria. Esta ovieutacio ipftie-'
norte veTuadw'ro a 6* 33' do norte magnifico, aav
11 .-i, 1 uto que lioje estas duas dreeces <]> a>
confumlem, o no lempo de explorarao do Sr. Hal-
Md a dilfenmca d-.^eria s--r en to de alguns asi-
nino.-. A distancia prejertada sob.*r o iner'fiaBo
entre Pirapra e a barra do no d Vetoas de
17,400 metros, oiifretanlo que Sr. HalHd
achou' 15,800. >"os contornos do fm eanaa
tambem alguns srros. l#v> tudo, ponhn, ntede
de admirar, porque um iraballi que r*>enrrrta
uma so-posco gl ograplm-. e em cuja rnf.-
nao se adopt'ou mettiodo algum de obfeae, nao
pode ser exacto.
Accresv'e ainda que lia una grande dir*rer.i
entre os duas rios debaixo do ponto de vista di na-
tureza i* iiK'smos bancos, p^fqw a coosti*iei>
geolgica Msdous valles, assiiu cuno a sua dtrec-
cao, difiere wMavelineiu.
da grvala artisticamenle dado mostra va a sua ele-
gante alvura sobre a nuca do paciente. De ambos
os lados, a metamorphosc era admiravcl e o dis-
farce sublime.
Os quatro botC-es e as abas do fraque se' exten-
diain por diante j as calcas postas s avessas impo-
la vam sobre os seas joelhos, a camisa mostravaa
suaabertura sobre a espinha dorsal, e o collarnho
I .ahii or dehaivo 'lie orollias. EiS O Oue Na",,'
aciiusios o \osso crneo gyrar violentamente tif,a sidoobrigado aexecutar,. e o beiio costume
sobre o tronco, ou pelo contrario o phenomeno foi
Segurado depois uma ligeira soducao como que
alguma romisso ; repetindo-se novosac-
ce sos eon aggrsvacio dos symptomas de homatu-
rij como turvacio da urinas mais ou menos pro-
i ida ; tomando este estado o type maligno, ou
benigno, miando estes symptomas sao mais inton-
n menos graves: naquelles seguindo-se, qua-
. anota, e logo nos primeiros insultos do mal,
i:, itermuttcaofatal, se o animal nao tiver sido
tra ido em lempo conveniente ; nestes e em grande
numero de casos, o restabeleeneato ndoiiendcnte
di qualquer Iratamento.
Causas.
A ui qualidado das aguas que os animaos bo-
bem da pasiagem; intensdade do sol. espocal-
r: ote nAo havendo sombra aonde amanada possa
ibrigar : oslas bao conliecidase facis deexpli-
-: finalmente as influencias hydro-telluricas,
cncionadas. as quaes sentimos e reconhecemos
lazemumjogo mui importante as funecoes
di universo.
Natureza da molestia.
infecciosa c nimiamente tal nos casos malignos.
Dnraco.
De um a cinco dias como termo medio nao ha-
l a do cuidado algum, pode com tudo levar mais
lempo.
Prognostico.
No maior numero (fe casos malignos, espocial-
e nao sendo tratados, lerminam fatalmente -,
i benignos quasi sempre terminara favoravel-
m inte, eom o mais simples tratamento, e muitas ve-
ze< sem nenhum, sendo as vezes bastante ahy-
g me.
Hygiene.
Roa pastagem, melhor asna para beber; na es-
tacaosecca evitar o quanto fr possivel que o gado
todo beba na mesma cacimba, que deve ser con-
servada limpa de qualquer immundice, nao se dei-
xando que o gado babe, boste e urie dentro d'agua
como geralmcnte acontece pelos nossos sertes-.
tozer sombra por meio de grandes telheiros nos
comes, c de grandes plantacoes de arvores, para
o gado descancar as horas em que procura so li-
vrar da intensidade do so), sobre os lombos ou
lento e progressivo T
Ides saber tudo. Esta noute ou antes esta ma-
drugada, eu sonhava une eslava em Barbados ;
sabis que al possuo alguns bens, plantacoes, he-
rnca de um mou tio. Eu ia visitar (ao monos
estava nesta porsuaso) una tesan plantajes, e
me va cercado dos meus escravos negros, quando
uma borrasca violenta assoprou do nordeste. Ar-
vores, homens, o propro solo em que me achava,
ludo foi varrido n'uin abrir e feciiar d'olhos.. Eu
ipiiz voltar a cabeca para contemplar esse de-
sastro. Enlao a borrasca, augmentando o furor,
sobo qual o nOsso amigo se apresontava a meus
olhos.
Aquelle que ello convidara para almoear ti-
nha os olhos filos sobre a grade do fogo ; elle
nae-ousava encarar o doente, e o cuidado quoem-
pregava em consonar o seu serio o fazia tachar,
pot assim dizer, Approxiraei-me gravemente e
em. silencio os dous amigos se levanlaram para
receber-me : a profunda tristesa de X..., a sua
eSJtranha caricatura, o duplo esforcoque faziamos
para conservar a nossa seriisdade, compunham
uma scena de que nao me esqnoeerei. Eu es-
rae constramjou singular evolucao cujo resulta- irava : un. lige,o ruido, urna especie do subi-
do vedes. Ton.oi dar aos diversos nterabresdo ro me arranoou-me. urna forea muito violenta e
a. 1 1. ...: muito nrolousada, foi o signa! de uma dupla cx-
mou corpo a primitiva rogularidado de sua posi. "lu"" v>wv"oa^a> o "-
, t ,, t r. 1 < nlosao nue chocou singularmente o objecto da nos-
cao; mas, debalde. Despert. Qual foi o meu Pf""" v*"* & '
espanto Xotei que a minha cabeca estava as aves-, sa.alegri*-
implore! a misericordia do cu, roguei-ihc
Eslg uma importante parte da hygiene, tao til
quanto boa bebida e pasiagem.
Prophj laxis.
Separar sempre que fr possivel, os doentes para
r.m lugar secco, arejado e sombro ; defumaduras,
sendo possivel em roda dos animaes doentes, quei-
wado-se para isto folhas seccas, madeiras, que fa-
cam bastante fumaca : faze-los dormir exposto ao
jCipO.
Anatoma pathologica.
Os orgos especialmenic sempre alectados sao os
rins; pacarinl ; a mucosa da bexiga urinaria i
flgado, quando estiver maior que natural, acha-se
engurgitado : bexiga felea, ora mui cheia d'um hu-
mor difireme do natural, estando mais liquido ou
dc-feite,ontrasvezesqiiasivasiacoma mucosa aver-
malbada, c cora os sgnaes de que participava do
mal, e temos visto neste estado por algumas veces,
quando o animal tem tido prisao de ventre, duran-
te toda molestia, e no d'aquelle quando tem termi-
nado com diarrha, e finalmente a mucosa dos in-
testinos, especialmente os pequeos; o estado ge.
ral das carnes denotam uma apparencia peculiar c
mui fcil de conbeeer smente pela pessoa or-
tica.
sas -, imploroi a misericordia do ceu,
que afastasse do inin esse Oageilo : nao fui ouvi-
do. Ah doutor que calamidade! Estou bem
foio, nao ?
Na verdade ; mas ha remedio para tudo...
Mosirae-me a vossa lingua... Que eu tome ainda o
vosso pulso... Ah porm... um puco de ro-
bre ... Isto nao admira ...
Depois examine-lhe com cuidado o apparencia
de gravidado o pescoco, a cabeca, as costas, o pei-
to. e empreguei neste exame um espaeo de temno
cni-ideravel. Prolonguei a minha operaco, aflm
de nao trahir o riso quasi irrcsistvel a que eu
nao quera ceder.
Como uma to cruel deslocaco uo niema-
tou ? perguntou o doente.
Por causa da floxibilidade das carlilagens,
respondi-lte.
E tornarc ainda ao meu oslado natural ?
Como se nada vos tensas succedido.
Temo que a operaco uecossaria ao mea res- \
tabeleoimento nao seja perigosa e cruel.
Nao pude responder-lhe. Enifm, oxclame, como
Archimedes : Achei, achei.
Que?
O remedio que procura va.
Na verdade t
Se ha remedio que possa ter um bom xito,
aquello em que pens : A vossa cabeca recobra,
r o seu lugar ordinario, c gosar de todas as
suas faculdades.
Promctteiu-m'o t
Respondo pelo resultado com tanto que sigaes
os meus conselhos.
Ah I charo doutor. eomo vos provarci o meu
roconhecimento ? Um servico to importante ex-
cede toda a recompensa possivel. Cera libras
sterlinas nao me custaro, se consegus livrar-mc
deste flagello que causa o meu desespero.
Apesar da certeza quasi completa de uma
feliz cura, nao vos illudirei coui vas esperancas.
Se nao executaes pontualmente as minhas pres-
cripces, qualquer tentativa de minha parte pode-
r mallograr-sc. Afirn de ficarmos mais seguros
disto, deixaremos o remedio obrar iwr um dia in-
teiro. Conscrvar-vos-heis na cama, com as corti-
nas e janellas hermticamente fecldas 5 promet-
tes-m'o ?
Cortamente. Mas em que consiste esse re-
medio ? Dizei-m'o.
^ Isto desnecessario, e a minha imprudente
revelacao poderia at mosmo tornar-se presente-
mente perigosa.
Devo esperar uma dr violenta ? Supporta-
la-he; prelro antes a morte do qne o meu esta-
do actual.
Nao temaes nada
todo se vos dir.
Eu morda o meu labio inferior, as gargalhadas
do conviva provocavam as minhas: a figura de N:.-
era sempre a mesma, e este do burlesco durou
mais de tres minutos. N-... le\antou-so furios*.
Que significa, senhores, exelamou ello, uma
conducta tao extraordinaria ?
Afogadocm coimilooes d'um riso inextinguivol.
nada respond o contentci-me com Ihe mostrar com
o dedo o cstranho traje que elle trazia. Esta jus-
tificacao estove longe de satisfazc-lo. Encheu-sc do
incrivel raiva. e batendo com o pe, a trra estron-
dou forleniento Nambo enlrou. Os insultos que
N___nos diriga, auginemavam cont a nossa ale-
gra. Nambo, expelle esses senhores; spete-
os at a porta ; nao esperes que eu os lance tora
da minlia casa.
0 negro se pz a rir ainda mais que nos ; N-.
o teria espantado, se a disposujo incommoda do
seu visluario nao impedisse os seus movunenlos-
Emfim assentaiiio-nos ; as mais vehementes cora-
mocOes se acalmara.
Sois gente hbil, vos outros doutores exela-
mou >T___com o mais vivo descontentamento.
De que vos queixaes, meu charo N------
Da vossa cataplasma, das vossas plhilas de
farinha, chariatamismo ridiculo que nenhum bem
me foz. Eu tinha desojo de abrigar o meu negro
a traga-la ; o malvado morria de riso botando-a.
A medicina uma farca ; os mdicos sao imposto-
res, c eu um pateta por me fiar em vos.
Ello recahiu n'uma profunda melancola.
Que vou fazer ? exelamou de repente. Sou
um poblema curioso e triste de physiologia e pa-
umre que cria
voksmoso, se tornara maior que o seu corno. A
,-ura foi dovida un violenta commocao. Resol-
v desbancar o- velho medico, o submotlor o meu
paciento aum choque elctrico. Refutei-llie os ar-
gumentos, venci-lhe os escrpulos, persuadi-lhe
que.para collocar a sua cabe. sbreos sen* hom-
bros em un pasico commada c natural, amaclii-
na eloetrica era o nico agente. Elle rndense
aa uuuuiu >. 1, -------o-'"-c pomo a. sua
lomara. Marcamos o dia.
Lnagnae o sali desse pet-u.: N.... allumuidapor
duas bugias dorramando urna fraca luz ; o negro
Nambo, j atorrado por totea preparativos, ajudan-
do-nos a i>or tudo em ordem ; um cirurgiLo dos
ii?us amigos oceupado wmgo em carragar a
niachina ; c o doente estendido na sua compride
cadoira, lancando um golpe do \ista espantada so-
bre a roda de crystal e sons acessorios. Cbeg-
raos.no sera.trabalho, a atar-lheos bracose a veii-
dar-lho os ollios : precaucoes. necessarias. Ihe di-
ziamos nos, para impodl-lo Be mecher-se involun-
tariamentei e para assogurar a efttcaeia da com-
mocao. Nambo, que no via sorrir, oamgcon a
perder a sua gravidado. Elle faria mallograr-se
tudo: puxemo-lonaporla.
Eis a machina carregada : ella faisca, zue, es-
tala ; N...., tocado, arrojarse, e nao tive tempo de
dar ao seu pescoco o. movimento violento que do-
va curar a sua magjnacao. perturbada. No ctan-
lo elipse apalpa, c torna a tomar posicao.
Que cousa sepaiou-se, exelamou elle; isso
vae melhor.
Conagem, e conservae-vos firme.
Garregamos de novo, a machina, catamos com
mais forca o braco do paciente. O-conductor ap-
plcado parte "doente, ou como tal reputado por
N.... A faisca corre, o meu ajvulnnte bate violenta-
monto no oecipicio de N.... Aproveitei essa oexa-
sao para fazer voltar a sua cabeca sobre os seus
hombros, de maneira a lho- causal- urna seOMcte
dolorosa sera feri-lo.
Alt! exclamamos ao mesmo tempo.
Acabou-se balbucou N....
Sim, a metamoribosc completa.
Deus soja louvado! Que cu rae veja I de-
pressa um espelho! Ah! meus amigos que ser-
vico que felicidade!
EHe recolhou-sc can, conservou-sc nclla dous
das, e Qcou hora.
S.vxrat. W'AnnF.s.
(Traducrao do A. de Mendoum.)
antros tormos, ebegando a 500 vezes o rro-que se
pode permtftr a um observador, nao digo hbil,
mas de mediocre habilidade."
Sobre a ultima carta publicada pelo archivo mi-
litar, as posicoes das iinjicrtaiites cidades- de Pi-
tangui o Barbawna, ha erres- em lalitudo- do 15'
o "i".
Cura semollumtes erros de posicoes sobren car-
ta; qne'muitas tetes liguraimmontauhas que nao
existem, ou nao mencionara is cadas oxisHrates,
ou onlo dando por toda a parte erradas as suas
dirercoes, como, pergunto eu. st'r possivel espe-
rar enrgar a um tracado de estrada, segundo 1 li-
nha da. mais curta distancia que se possa otear,
evitndole os obst.tcnlos ? Sera duvida que o ulti-
mo estudo da estrada devo sor feto mesmo so'tfre
o terreno; mas sem ar indnccocs>- das cartas ca-
ninha-ser cogainonle 1 dincte dsss estudo,- e
s o mai* extraordinario dos acasos- poder condu-
.ir mais vantajosa direccao. E* esta considei-a-
tio que explica a impertancia que os govemos eu-
ropeus lgaram geodesia, quando a Franca, a
Inglaterra, a Russia e* a Prussia incmnbiram ect-
jios es|teciaes do levantamento de cuidadosas car-
tas em regides onde j- existiam carias doz vezes
irais precisas do que as do interior do Itrasil; e
sabe-sc os kurnonsos sarveos que cuas ho presta-
doy e as'grandes economas que se tem realisarSi
na construcrao das retes moderna*- d< caminho*
de forro.
Avalfand<\ |m)s, tot'a. a importancia do mellio-
ranwntodas cartas, a ruiM.moa nuis de perto ;m
raicressus inatoriaes (o p^iz, do que uouascieui
cia. tive grande cuidadb em dotenmnar com toda-
a p.vciso jwssivel o maior numero de posicoes
geographicas que esteva em meu poder; e a narto
da provincia que acabo de atravessar reeotaera, em
sua earta, peto fixacii exacra de todos os pontos
em cyie tive occaaiao de psssar, inumelliorainoi;-
to considemvel. PanU atcancar esto fim. uta de*
terminei simiente as posicoes geojrraphicas ao lon-
go do curso dos rios ajan estava enea/rogado de ea>
plorar, ns tambem o de muitas -cidades Impor-
tantes, na viagem de ida c volta te Rio do Janeiro
ao ria Francisco.
1). mais. quando segua pelos rios, alera dos
tringulos folios solt os seus leilos. operava urna
triangnlaco sobre- todos os ponos notaves AS
montantea vsiveis, on mesmo dos nos. ou. o-..e
era mais l'requeiite,.das collinas visinhas as mar-
gen*
A caria comprriiendera, pois, nao sirmtte-o
leto dos rios, como tambem as utontanhas que se
achajm era sua vr&inbancas.
Todas as triangulacoes esto apoiadas sobne posi-
qva geographieafi de estrellas ooui.o-theodolito npeliter.
So o calculo tiestas observaces cele-tes conclue
a rcsoluco de mais de rail tringulos esphertaos.
Os azeni'thes das linhas juntando pontos viiveis-ta-
ram tambera determinar astronmicamente, o ote
com a bussote a qual s serviu para pequeos d'-
talhcs topograpntaos. Almdisso, determmeiaenv
pre exactamente a dcelicao magntica. Para
fazer observaces to numerosas em rjn lempo to
curto, e com o mais alto gru de perfeeo possi-
vel, V. Exc eomprehender que tive necessidado
do me servir de todos os" aperfeicoaraentos iniro-
duzidos desde alguns annos pelos astronoiaos nos
iiiolliodos. astronmicos o geodesi*os, como duplo
fim de augmentar, ao mosmo teiapo que a celeri-
dade. a facilidade e a preeiso. Tcndo mesmo to-
temente inclinados, te sorte que cites sao foraaa'k>s
somonte pelov bordos das carnada* e poreasaie-
iniencia mui penco es|esso?.- naolenJo ordinaria-
mente mais de dous metros de espes-jora.
No rio S. Francisco, ao conlrark, aa iwhe*>
sao de gres cslraetiticados c-coni a .-jraeaiairari"
quasi liorisonlal, e por consegojnfe os laoc leasn
grandes espesoste raras vasM infertarv 40 e
oO metros, e algumas vez.-s cxcedenda-muih* des-
tas dHiK-nses. A. differenca, piw, tl*-r Ira botaos
reclamados para a-(b"struic>i das pedias no doan
rios "consideravef e toda em favor di#ito'da Te-
ihas, nao levando mestuo o graBde canal qpf *ria
necessario abrir-se na cactesJte te P*apr s
compasante somenlt as *o leguas do vi- Fran-
cisco com U8 do rtadas Velhas.
Se, porm, cima dessas M leonas, o S. itearis-
co estivesse desobstnudw, a dnorein;a ttanaansa-
nento entre os dous (jue acabo de rilar nte dew-
ria ser tomada em oonsideraeotjnas ar
acontece; -I leguas aciiua da barra do rio
ba, no lugar chamado Porto de Passarinho, te-
meio unobstrueco lak, eqoese-estend anana
oxtnsao d '. leguas, que as cantes carrejadas
nao podom passar. e tnusino com as-vastas- m pe-
rigos sao moens is. t* ndi> ja um .jTand' umawi
de canoeii* |*udido v vida nos bncrive- rele-
moinhos fermados pelas-atetas 00 hmu de I3-"C-
raes beoste podra, di. uaia espeswra connidera-
vel, e que airavessain nio de margem a uaigwi.
S :i leguas cima da barra do rio Para s-ajpan
Si". Francisco entra em eondtrSes nonnaes.
Em aml -1 os rios, turto o S. PraauiMS esaao
.m rio iI.k Veiiew :i rorcente nao aprusla em
ncnliuma |ute uma velocutade que -.--iaobelar a
navegarao. Esta velo<-wtaeVe geratinrak* tnmft-
lieiidlila eiifc i e \ p.ilii,i>> por aeglird!. e ^'imi-
lla abertura ilos bancos >>e podra 011 parte algaa
uia excedera de>so liirrte seno em Prrap>*a. n
S. Francisca
Esta veloridade mcior que a fc matar parte
dos rios navegaifos. e )conseguate oVve-aec-
eliiir que do[Ms de sua doobslrucr^c uatea*-1,
rios se .Vharo 0111 oxceL'entes comigtas tesjsv
g.ibilidadc.
Quanto a / vUumo da=- agnaana*
rios, elle mais que suajennie na.
ivgies exploradas X'*-**'* acontore tasav-
zes. como 1 ^u quasi sempre lugar am.h>T:- >
que au leoiusido iueilwndo> peta arte- qne em al-
guns ponto, o leilo do '. su atarea rooMdentvel-
raente, e adiminuieo d'alii re-ulia da corren-
le d ugai-a i una ele%'U.*o de fuudo o turu&cit
te bancos te arte ou te caseaJte, que se desr *
bTOB mesmo parcialm>le alguiuas \.,-. n t. n
po da sena, de serle que nesta estarat> existe puu-
ca profui didade neste'pomos, posto'que o toIu>
te suas aguas seja atada muito grande, mas -pi
entoso acha espalhadu sobro urna maior sn.ru-
cie.
Entn. tanto evid'le que tina uvMUYmik acia .-
s no tempo da secea dorante oita un-zes .'aaiv>
as aguas, sendo multa elevado.-, peratloni |ir teda
a [iarfB a pa^-a^eoi. excepluando-se por*n"* os lu-
gares ohslruidos ;-lus reehetea, e d- que ja faltei.
Estretando-se o leto do rio por meio dk alfanas
trabadlos de tunage. os banco peta imior pacte
desapireceriaiis |tor si mesmos. levado pela Cr-
rente, que ento as tornara iiuhs f.>rte.
Durante dous a quatro Batana do aun os-sat?-
moa bancos de ivdra liraiH col>.Tti- ik aignars- a-
trosd'agna, o ai-rancaiidi>-se alguns bo*de gran-
des arvores que. levados |ia crreme, eacatoaiu
Explorado des rios S. Franrisco e das Velhas.
lllnv o Exm. Sr.O comprimente total do rio
quo acabo de explorar, e cuja planta foi cuidado-
samente levantada durante a estacao secca de
1862, comprohende 180 leguas brasileiras de 3,000
bracas.
Neste comprimonto enoerra-se o rio das Velhas
era toda a sua regia navegavel, desde a cidade do
Sabara at a sua confluencia no rio S, Fi ancisco,
thologia. Virando-sc a minha cabeca, como o v- e esto desde essa mesma confluencia, 5 leguas
des, collocada as avessas, todas as apparencias me abaixo da cachoeira de Pirapra at abarrado
enganaram \ a minha vontade loriar contra as mi- rio Paraopeba, limite at onde iiodeni subir e des-
nhas accoes-: quando qulzer avancar, recuaroi- i cer canoas carregadas. Comparando essa immen-
Nada mais de prospeclira para o vosso amigo. A \ sa extensao de trabalho effectuade coma brevidade
minha existencia sera uma retroaccao eterna. Se' do tempo nelle empregado, fcil comprchender-
a minha cabeca quzer que eu va para adiantc, os se que limitei-me somonte durante osle tempo s
meus ps me l'evaro para atraz duplo movuten. observaces sobre o terreno, difforindo, para effec-
to que se neutralisara por si mesmd por causa da tuar depois de minha volta, todos os clculos de
sua opposiijo, e necesariamente roe reduzira a este psieoes goographicas, e dos tringulos c tracado
estado de circumvohic/io, que faz o supplicio dos das plantas? trabalho consideravel, e cuja dura-
patos e penis, quando estes infelizes teem perdido. cao, como se sabe, excede muito a das observa-
uraa das suas azas. Sensacoes, percep^oos, tudo' ijoes, quando sobretudo estas ultimas sao feitas
flcar misturado, perturbado, confundido l A on.' com todo o cuidado descjavol, com determinac3o
de estou eu ? Que ser de mim ? O apostelo S. | para cada un dellas dos eiros instrumontaes.
Paulo referia-se a mi quando disse: Vejo a lei' cujas correc^Oes servera depois para o calculo de-
dos meus membros entrar em contenda com a lei do Unitivo.
meu espirito.
A vossa erudicSo nao est affectada da vossa
enfermidade, repliquei-lhe rihdo-me.
Mas como, continou elle, como as minhas
paciencia, docilidade I funecoes ordinarias se exereilaram ? como os or
l gaos eorebraese os digestivos se conormaram cora
Ainda que depois da minha chegada me tenha
oceupado activamente com a reducc,o das obser-
vaces, este trabalho est ainda comtudo longe de
ser concluido, e demais cumpre-me lembrar 4V.
Exc. que nao foi smente o levantamento das plan-
ta* dos rios o objecto de inrahas instruecoes; alm
madona Europa, cerno astrnomo titular e direc-
lor adjunto do observatorio imperial d- Parto, urna
parte activa neste progresso seientilico, por nume-
rosas memorias publicadas nos Comptes rendas do
Instituto de Franca, e em outros. gneros de pubi't-
cacos, a applicacao desles aieios noros se rae apr-
senla naturalmente ; aliu dsso, tres novos. uio-
thodos inditos para as longitudes ram_ empre-
gados, pois que Os eusinados nos cursos so.uvsuf-
licientes. Estos ltimos exigem tangas demoras
em cada estacao, cesta condco nao a do,explo-
rador qne teve avanaar rpidamente pava poder
aproveitar-se das curtas duracos favonvois aos
outros fras que elle tem era vista.
Eu darei no relatorio que mais tarde- reinctterei
V. Ex. a teertoste dos diversos methodos wn-
pregados, para que ellos possam servir aos enge-
Dhetros que omprehenderem exploracoes.
Era cada ixinlo as observaces foram seinpre-re-
petdas at o gru sufliciente, e com as necessarias
precaucoes, para obter-se a certeza que a preeiso
era levada ao maior limite que a sciencia boje per-
mute.
Dojiois de ter unido as suas aguas com as do rio
das Velhas, forma o rio S. Francisco, sobre urna
extensao consideravel uma magnifica via navega-
vel, j toda preparada pela natureza para esiabe-
taeer entre a provincia de Minas o a da Babia im-
portantes relacoes eommerciaes.
Esta bella ci>mnumicaco natural to til a
uma como a outra provincia ; a de Minas, ao me-
nos na sua parte central, nao possue facis metal
de exportar os seus productos agrcolas, entretan-
to que a da Babia exporta ; e, pela irregularidade
das estacSes e grandes faltas de colheitas, pode re
ceber pelo S. Francisco os recursos da primeira.
Mas a origem desta communcacao entre as duas
referidas provincias, a barra do rio das Velhas,
hoje villa do Guiacuhy, tem o grande inconvenien-
te de se adiar muito afastada das regios centraos
da provincia de Minas que podoriam se aproveitar
da navegado de S. Francisco na sua parto hoje li-
vre.
Entretanto dous bracos de rio, susceptiveis de
serem melhorados, originam-se ambos no coracao
da provincia e conduzem a essa bella comraunica-
^ao natural de que acabo de fallar.
Um destes bracos o prolongamento do mesmo
S. Francisco cima da cachoeira de Pirapra, e o
outro Q rio das Velhas ou Gualcnhy. Mas ha
uma grande differenca entro a importancia dos tra-
balhos a effectuar no lcito dostes dous nos para a
sua navegabilidade. .
O rio das Velhas em toda a extensaodo Sabara
at a sua confluencia no S. Francisco nao oDerece
nenhuma vafiacao brusca do nivel, entretanto que
o rio 9, Francisco, 5 leguas cima desta coufluea-
sobre os baxios, um vafior |ioderia d*or a d**
Velhas sempergo no iiiesmoestado em qoeeUese
acha.
No S. Francisca, porm. o raesiso n>amatfcre-
ria porque a cachoeira de Pirapow. que nunca Ira
sunicerttementeeoberia. se oppunhaa oso.
K ecavestento accrescentar ipie os redemotah-.
que oceasionaiu os bancos do podra ronsaisneaa
sempre um perigo serio.
Perio de Sabar.i e n'uma tUonsa de podro isais
ou menos do uma legua, e sobre tan peqw*no au-
mero outros pontos visinhos dessi cidade. al poti-
co mais ou menos doz leguas abaixo. si ha ^assa-
gora no teinpu de secca pora canoas mus. entre
tanto cora alguns traUdhos de canalisuvio. alia*.li-
mitados, se [KKloria eider a passagem para barcus
apropriados ao rio, pois quo o volunte de seas
aguas sufliciente.
A obstrueco dessa regiao do rio das Vatona aeni-
se assim augmentado cora as aras ff>>esteMo>
da exploraran de miro. #comtndo serta poisirol n--
mediar-se s|e estad de cousas so que se diiui-
nuisse essa exntaradta. '
Todava, a desiieiUi desles diversos methoramrn-
(os que com, pouea dilTercnca reciamam os taitos
dos dous rios, ii-dependentomonto dos trabalhqs es-
peciara da iVstruico dos rochedos. pxle dizer >
que osres ltimos, muito mais distn-ndiosos devem
determinar no estado actual o valor relativa te*
dous ros.
A esta consideraco de diherenca de trtateos
que se tornara necessarias nos dous rios en atonta-
re algumas outras reflexoes, que toda* mititam em
favor do rio das Velhas, debaixo do pona* de vista
da preferencia ipio sobre o S. Francisca toe deve.
ser concedida, ao menos para chamar lri a-
mente a attonco sobre elle, pois que en ntesjwt
por forma alguma dizer que este iilluna, ar"
Pirapra, nao morera a pena de ser para a
memorado.
O ponto onde os mellioramentos poden i
o por consegrante onde a navegarao pode ter
no rio das Velhas, a cidado te Sabara,
Sonante, e cuja distancia em linha reda an te>
o Janeiro de 54 leguas brasileiras. Ita %. I
cisco, a menos que nao se facam tratadnos
dora veis, o ponto anlogo a barra te rta i
peba. cuja distancia ao Rio te "
linha recta de 79 leguas
pois, o ponto do partida da navegante i
das Velhas aeha-se mais perto te capital tejtsjeno
do que o ponto seraelhante no eurso do rta S. Plan
cisco.
PERXAMBCCO.-PYP. DE M. F. DE F. a
ILEGIVEL
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E49YBEWQ5_HYJX1J INGEST_TIME 2013-08-28T02:26:53Z PACKAGE AA00011611_10147
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES