Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10143


This item is only available as the following downloads:


Full Text



l
AMO XXXIX OMERO 163.
Por tres mezes ndiantados 5|000
Por tres meies vencidos 6SO00
SEGUNDA FEIRA 20 DE JULHO DE 1863.
Por auno adiantado..... 19$00O
Porte fraoco para o subscriptor.
DIARIO DE PERNAMBUGO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexnndrino de. Lima"'
Natal, o'Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A.' de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oiiveir; Maranjiao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
niazonas, o Sr. Jerommo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SIL
Alagoas, o Sr. Claudino Falcao Das; Baha, o
Sr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. IV-
reira Martins & Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Olinda. Cabo e Eseada todos os dias.
Iguarass'. Goyanna o Parahyba as seguidas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, C.aruaru',
Altinlio eT.aranhuns as trras feiras.
Pao d'Alho, Nazarefh. Limoeiro, Brejo, Pesmieira,
liiir.izrira. Flores, Villa Bi-lla,Taearatu', Cahrob,
Boa Vista, Ourieui y e Exu' as quartas feiras.
Serinhaeni, Rio Fortnoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pmcnteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que [ara ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/j dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JULHO.
4 La chafa, as 3 doras, 20 n\. e 2 s. dam.
7 Quarto raig. as 7 h., 3 m. e 20 s. da t.
15 La nova as 7 h-, 28. m. e 20 s. da t.
23 Quarto cresc. as 6 h., 7 m. e 2i_s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 6 horas e 54 minutos da manha.
Segunda as 7 horas e 81 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul_ at Alagas a 5 e 25; para o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, mare., mab, iul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Reeife : do Apipueos s 6'/, 7, 7 '/?, 8 o
8 >/i da m.; de 01 inda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 '/2 da m.; do Casanga e Varzea s 7
da ni.; de Bonifica s 8 da ni. .
Do Reeife : para o Apipueos s 3 '/? V 'A, 4 Vi,
5, 5 Vi. 5 '/i e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manha e 4 '/2 da tarde; par?. Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Caehang e Varzea s 4 '/z da tarde; para
Bonifica s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
ReIac,o: tercas e saldados s 10 lwras.
Fazenda: quinta s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Priuieira vara do civel : toreas e sextas ao meio
di a.
Secunda vara do civel: quartas c sabbados a l hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
20. Segunda. S. Jeronymo Emiliano; S. Elias.
21. Terca. S. Iluui iqueimp.; S. Prxedes v.
22. Quarta. S. Maria Magdalena; S. Menelio.
23. Quinta. S. Aponario h. ni.; S. Liboriob.
24. Sexta. S. Christina v.; S. Francisco Solano f.
2."i. Sabbado. S. Tbiago ap.; S. Christovo m.
26. Domingo. Santa Anna me da ine de Deus.
ASSIGNA-SE
no Reeife, em livraria da prara da Independpnci
ns. e 8, ilos piapritanos Manoel Figiu-iroa d
Paria & Filho.

PARTE OFFICIAL.
GOYERM M PROYKCU.
Expediente do dia I (i de jnlfao de 1863.
Officio ao Exm. presidente da provincia da Ba-
liia. Annuindo ao que me requereu o alfores do
2. batalho de infantaria Francisco Jos Gomes,
rogo V. Exc. a expedicao de suas ordens para
3ue acontar do 1. de'outubro deste anno, em
iante seja suspensa a consignadlo mensal de
245000 rs., qne de sou sold deixou nesta provin-
cia a seu procurador Manoel de Barros Silva.
Dito ao Dr. chafe de polica. Em vista do que
V. S. informou em seu ofllcio de hontem datado
sob n. 1093, o autoriso a mandarconduzir para
osla capital afim de seguirem para o presidio de
Fernando na primeira opportunidade, conforme
Sropoe no citado olflcio, os presos existentes na ca-
nia da villa de Garanhuns. que se acharan defini-
tivamente sentenciados. Communicou-se ao com-
mante das armas.
gnezia, que era exereido por Joao Marinho de Sou-
za Leao, a quem sen podido se concede exonera-
cao. Gommtmicou-se ao Dr. chefo de polica.
Dita.O presidente da provincia, tendo em vis-
ta a proposta do Dr. ehefe de policia, datada de
I ion i.'ii i e sob n. 1092, resol ve nomear o cidadao
Francisco das Chagas Ferreira Duro para o lugar
vago de primeiro "snpplente do delegado do termo
de Iguarass.Communicou-sc ao Dr. ehefe de po-
licia.
Dita. O presidente da provincia resolve, de
conformidade rom a proposta do Dr. ehefe de po-
lica, datada de hontein c seb n. 1094, nao s con-
celler ao Dr. Joao Severiano Carneiro da Cunha a
exoneradlo que pedio de sulidelegado do districto
da Luz, freguezia de Pao d'Allio, mas tambem con-
siderar vago o cargo de primeiro supplonte do
mesmo subdelegado, flor se haver mudado para
termo differente Vicente de Moraes Pinbero, que
o oecupava, nomeando para o primeiro de taes
cargos o)r. Joao Antonio de Souza Beltrao de
Araujc Pe reir, e para o segundo Thom Leao de
Castro.Communieou-se ao Dr. ehefe de policia.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
qne requereu o tenente-coronel ehefe do estado
niaior do commando superior da guarda nacional
do municipio do Brejo, Gaetano de Oliveira Mello,
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmiti V. S. para seu conheeimento e devi-
dos elTeitos a inclusa copia do decreto n. 3102, de resolve conceder-lhe tres mezes de licenca para vir
28 de maio ultimo, a que se refere o aviso do mi- j esta capital tratar de sua sad.de.
nisterio da fazenda de 2 do jiinho prximo lindo, i ----------
e pelo qual autorisou-se a companhia London & i Expedirnlc do secretario do governo.
lirasilian Bank, a estabelecer urna caixa filial 00. Officio ao brigadeiro commandante das armas.
agencia na capital dista provincia.Igual copia' S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda deola-
remetleu-se ao presidente do tribunal do com- rar V. Exc. em resposta ao seu officio de lo do
merrio. correnle, sob n. 12(54, que acaba de remetter ao
Dito ao mesmo.Mande V. S. adiantar nao ha- director do arsenal de guerra part mandar satis-
vendo inconveniente ao alnioxarife do hospital mi- fa/.er o pedido do coronel commandante do forte do
litar a quantia de 1 .'05000 rs., constante do pedido Buraco que veio annexo ao seu citado officio.
junto para occorrer as desjiczas, com a promptili-
i.'-id ilns nniluilaiicias iirenarad.is na iihaniiaeia'.
Despachos do dia lii de jullio de 1863.
Requeriwntos.
Antonio Ferreira da Silva.Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marinha.
Felippe Feidel.Informe o Sr. inspector da the-
souraria de fazenda.
iTacharel Jos Carlos Augusto Cavalcanti Vellez.
Fica concedido ao supplcante a prorogacao do
prazo |X>r dous mezes para a apresentatjao de sua
apostilla.
Joaquim Ferreira de Araujn Gnimariies.Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Bacharel Manoel Innocencio Pires de Figueiredo
Camargo.Passc portara concedendo a proroga-
^ao pedida.
cacao "das ambulancias preparadas na pbarmacia|
do'mesmo hospital, com destino aos destacamentos
^lo interior dprovincia. Commuuicoa-se ao bri-
gadeiro commandante das armas.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Annuindo ao que solicilou o director geral da ins-
trueco publica, em officio de hontem sob n. 118,!
recommendo V. S.. que se nao houver inconvc-1
nente, mande entregar por adiantamento ao re-
gedor interino do gymnasio provincial a quantia
de 5855000 rs., em que importam as mensalidailes
relativas ao tremestre de julho setembro deste!
anno, dos alumnos internos c meio pensionistas
gratuitos d'aauelle estabeleeimento, cotno se v da'
inclusa relaeao.-Communicou-se ao director geral
da instruccao publica.
Dito ao director do arsenal de guerra.Em obser-
vancia do aviso do ministerio da guerra de G do
correnle, mande V. S. forn.cer ao corno deguar-
nicao da provincia da Parahyba, o fantemento
constante da inclusa nota por copia.
Dito ao mesmo.Mande V. S. concertar com ur-
gencia, visto ter se quebrado a padiola do 2." bata-
lho de infantaria, segundo solicitou o brigadeiro
commandante das armas, em officio de 15 do cor-
rente, sob n. 1273. Communicou-se ao inspector
da tnesonraria de fazenda.
Dito ao director das obras militares.A vista do
qne V. S. informa em sou officio de 14 do corrente,
sob n. -125, o autor so a contratar pela quantia de
2035388 rs., a construccao de urna prisao solada
no quartcl da companhia do cavallaria de confor-
midade com o ornamento por V. S. apresentado, e
que veio annexo o seu citado officio.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional do Rio Formoso, Paulo de Amorim Salga-
do.Communico V. S. liara sii conheeimento e
devida execu^ao, na parte qne lhe tocar, que se-
gundo constoi de participaco da directora geral! completar o corpo legislativo; porque os rs. Havn
da secretaria do ministerio oa justiea de 8 do cor- c J. Favrc, cada um dos quaes foi eleito por dons
rente, Sua Magostado o Imperador, por decreto de collegios ao mesmo tempo, terao de optar por um
7. houve por i*m transferido no mesmo posto delles. Mas ninguem sabe auda-para quando se-
para o commando superior, creado ltimamente. rao"marcadas ossas eleicos conijilementares. A
nos municipios de Barreiros e Agua Preta.Com- opiniao s poder ter lugar depois de reunida a
nmnicou-se ao iuspegtor da thesouraria de fa-. sessao, c nos primeros das provavel que esfi se
zenda. oecnpc somonte na validacao das eleicoos por du-
Dito ao juiz municipal de Olinda.Inteirado de plicata. Depois disto ter' o governo mais o esna-
quanto Vmc. me commumea em seu officio do hoje co de seis mezes para convocar os dous collegios
com relaeao a alguns casos do cholora-morhus, mo m qflcstao.
se tem manifestado nessa cidade, tenho a dzer-lhe | A noticia da tomada de Puebla aealmon a agita-
em resposta que acabo do dirigir-me ao Dr. Flix cao publica sobrexcitada pela demora das operar
Moreno Brandao, que ahi so acha reeommendan- coes do assedio, pelas enormes difficuldades nhe-
do-lhe que contine a prestar os seus servicos mo- rentes a urna expedicao tao distante de nos, e pelos i
dicos as possoas desvalidas que forem acconiottidas boatos assustadores constantemente divulgados
d'aquella epidemia, para cujo tratamento envo ao acerca da situacao do exercito. Foi at mesmo'
mesmo Dr. urna amoolancia com os medicamentos (piando cresciam taes boatos que a Franca recebeu
ipropriados a conibater o referido mal, convindo a noticia do successo que os desmenta.
(ORRESPO\DEX(Ll O IA-
IIIO DE li:il \ A.vi III (O.
PARIK.
2 i dejunho de 1863.
Vai-se acalmando a emocao produzida em toda
a Franca pelas oleiooes dos deputados ao corpo
legislativo: nos das' 14 e 15 do corrente mez, pro-
cedeu-se a novo escrutinio em de/, circuios, resul-
tando d"ahi que a opposicao ganhou mais seis
membros.
Deste modo ha 34 deputados eletos contra a
perspectiva do governo, e deste numero 24 nao
lizeram parte das legislaturas passadas.
Falta anda a eleicio de dous membros" para
1 ti-
nem
c cumpram o seu dever de patriotas. A' esta or-; Apezar do interesse que nisso ha, impossive
dom desapiiareceram immediatamente muitos offi- rar-se a mais leve induceao. M que se sabe i
caos distnctos da guarnicao, c entre elles o pro-' mesmo val a |#na de ser reprodnzido.
6rio sobrinlio e ajudante de cani])o do general de O principe real cursou os seus estudos na Un-
erg. | versidade de Baiin, e depois entruu para o exercito
Taes syinpfomas fallam por si mesmos muito onde preenche actualmente o posto de lugar-tenon-
alto, e nao precisan] de commentarios. Note-se' te-general.
pocern que para a Russia a questo polaca nao! Nos bancos da Universidade foi serapre reservado
pssa de urna questao do forca. Se a Polonia nao para com os seus condiscpulos; no exercito niar-
tem forga, n3o tem tambem direito. Eis aqui em' ca a distancia que o separa dos seus caniaradas
toda a siniplicidade o problema tal qual o compre-' d'armas iior meio de una excessiva polidez. Nin-
hende o Czar. Porm a diplomacia europea nao' guem sabe se elle seguir os erros de seu pai, ou
parece por ora dsposta a encarar a questao de um se por influencia de sua esposa tomar por modelo
modo Uo summario, e as negeciacJ8--Fstao longe a conducta constitucional de seu sogro, o prncijie
do seu termo. | Alberto.
Segundo diz o Morning-Posl, j foram enviadas A sua extrema reserva nao se tem desmentido
para S. Petersburgo as notas das tres potencias, que ums momento no meio da crise actual: de urna
sao quasi idnticas nos ses termos. A nica dilTe- grande impenetrabilidado; e liem colillas as cou-
ren?a que ha entro ellas consiste em nao ter tido a sas, urna so palavra de rensura pronunciada em
Inglaterra proposto como as outras urna suspensao Dautzig o nnico acto significativo da sua vida pu-
de armas. Quanto ao despacho da Franca, j nos blica.
ltimos momentos o Sr. Dronyn de L'Huy's fez-lhe Se este procediniento partisse de um homem
algumas altera^oes com o fim de combinar o mais amante de jiopularidade, e menos circunspecto, nao
possivel com as ideas do gabinete de Vienna. produzira tanta sensacao; mas o seu alcance
O conde de Rechberg hesita em reclamar favor
da Polonia Russa urna representaco nacional pro-
priauente dita, quando os subditos Austracos da
Gallicia possuem apenas urna representacao pro-
vincial. Julgando opportuno conceder-se grande palavras
parte ao elemento polaco nos empregos pblicos, o! O que tem succedido surprehende-me no mais
ministro de eslrangeiros do imperador Francisco' alto grao ; nada saba das novas ordenanzas; au-
Jos mo suppoe que para isso seja necessario ex- f sent de Berln nao tomei parte as deliberacoes
cluir absolutamente o elemento russo. Communi- ministeriaes de onde ellas saiiram. Entretanto' sa-
cn pois, este sou pensamento ao gabinete das Tu- bemos nos todoscom especialidade eu, que co-
lherias; e por isso que o despacho do nosso mi-! nhe^o os nobres sentimentos do rcisabemos nos
nistro, formulando os seis pontos j conhecidos, | todos que o paiz marcha para os grandes destinos
teve todo o cuidado em nao desenvolver muito o'que a Providencia lhe reserva.
segundo e o terceiro desses pontos, a fin de no Estas palavras produziram grande effeto, o lan-
estabelece^r urna divergencia sensivel '
muito inaior, por isso que Frederico Guilherme se
mostrara at entao mais reservado. Eis o caso.
Em resposta a urna allocuoao das autoridades mu-
nicpaes de antzig o principe pronunciara estas
entre a atit-
tude do 'gabinete austraco e a do nosso go-
verno.
Accroseentam que o despacho francez conten
mais a idi'ta de ama conferencia entre as potencias
assignatarias dos tratados de Vienna, a qual se cn-
carregaria de discutir as bases cima indica-
das. Acho isto impossivcl; porque, se a Russia
acceitasse una conferencia, reconheceria por este
modo um tribunal estrangoiro para um negocio
interior.
A proposta de amnystia, de que tratou em maio,
Sroximo passado a Inglaterra, foi desta voz retira-'
a, segundo parece, ou quando menos modificada
na forma que lhe fura dada primitivamente. O
despacho do nosso ministro liniitini-se a manifestar
a esperanca de que o gabinete de S. Petersburgo.
caso ceda aos votos das outras potencias, tomar as
medidas mais consentaneas no sentido de poupar
o dorramamento de sangue em quanto duraran as
negocacoes.
Pde-se suppr agoraqueoaccordo entre as tres
potencias nao se limito encmente palavras, c
que chegado o momento de tratar-so seriamente dos
diversos pontos em litigio, nao baja dilfieuldado
alguma em conciliar as vistas e interesses das
mesmas potencias.
De oufro lado porm, pondo-se de parte a diplo- Guilherme I recusou a sua assignatura.
macia, convm attender-se para o brado geral da O rei inquieta-so muitocom a attitude dos con-
opinio publica, que se torna cada vez mais ener- selhos municipaes: e j .se pensou na dssolu^ao
gico. Se nao se pode anda sabor o modo porque dos mesmos conselhos : mas elle recua ante o pc-
a Polonia ser restabelocda, todava lcito crer-se rigo da agitacao que nesse caso provocara o parti-
que o ha de ser desta vez. j do progresssa. Ttido se conservar no statu quo
E' opiniao igualmente adinittida que a marcha do parle parte at que necessidades polticas de
colloctiva das tres potencias se faz com intermina- ] qualquer ortlem obriguem o governo a negociar
carain a consternacao nos circuios ministeriaes.
Entretanto o rei.prosegue no systenia que adoptou
ha sois mezes.
Depois de ter successivamenfe vencido as ress-
sistencias do seu gallineto, do parlamento, da im-
prensa, o da opiniao publica, mudando o ministe-
rio, dissolvendo a cmara, oppriinindo a imprensa,
suspendendo o direito de reunios, ei-lo agora a
bracos com os conselhos muhicipaes.
A exemplo da nnmicipalidade \ de Berln, as das
outras cidades do reino, estavam resolvidas a pro-
testaran contra a poltica real. Tiraram-lhes, po-
rm este cuidado. Por urna circular ministerial pu-
blicada no MonitorPru.isinno foram declaradas con-
trarias lei as deliberacoes dos conselhos munici-
paes sobre as questocs constiluconaes ou de poltica
geral, o foi determinado s autoridades adminis-
trativas competentes que inqiedissein a execucao
das resolucdes tomadas, em virtude de taes delibe-
racoes. .
Parece que at mesmo tratou-se de perseguir os
membros do conselho municipal de Rerlin. Mas
Guihernicl va i hesitando em seguir absolutamen-
te'as inspiraooos de seus eonselheros. Dizem que
o Sr. de Bsinaik solicitou delle una lei ou
decreto relativamente elciioes. com o quecoroa-
ria o sen s)stema o os votos do partido federal:
propriados
que Vmc. me remolla a conta dos remedios que
mandn fornecer para os doentes, c d que trata
em seu officio, afim de ser satisfeita a respectiva
importancia. Expediram-se as convenientes or-
dens neste sentido.
Dito ao conselho administrativo.Autorisoo con-
selho administrativo a comprar para fornoeiinento
do almoxarifado do arsenal de guerra. 200 meios
de sola constante do pedido junto sob n. 73.
C0mmuncou-se ao inspector da thesouraria do fa-
zenda.
Dito ao delegado do terceiro districto do termo
do Reeife.Inteirado do que Vine, me ronimunica
em seu officio de 13 do corrente, com relaeao a
epidemia do cholcra-morbus, tenho dizer-lhe que
a este acompanha una ambulancia dos medica-
mentos necessarios para o tratamento das pessoas
atacadas daqiielle mal, c recoininendo-lhc que con-
tine prestar os seos cuidados aos desvalidos,
alim de que sejam promptamente soccorridos.
Dito ao bacharel Manoel da Silva Mafia.Tendo
sido Vmc. nomeado juiz de direito da comarca de
Taearatu insta provincia por decreto de 26 de ju-
nho ultimo, segundo constou de participaco da
directora geral da secretaria de estado dos nego-
cios da justiea, assm Ih'o communico para seu co-
nheeimento, recommendando ao mesmo tempo que
entre logo em excrcirio inependente da apresen-
tacao de seu titulo, que devora exhibir no prazo
de tres mezes contados de hoje. Fzoram-se as
necessarias commnnicacdes.
Portara. Os senhiires agentes da companhia
brasileira de paquetes vapor inandeni dar trans-
porte para a Bahia, por conta do ministerio da
guerra, no vapor que se espera do norte, ao solda-
do Jo6 Mav.oel Guimaraes, que vai reiinir-se ao
Latalhao oitavo de infantaria a que pertence.Fi-
. aerara-se as communeacoes.
Dita.O presidente da provincia, eonformando-
ique
O successo immenso: nao foi s una cidade
veis delongas, e limitas probabihdadas de abortar;
e que s poder sabir urna transaceao justa e per-
duravel de um concha vo entre a Franca e a Russia;
de sorte que o pensamento de una approximaco
directa entre as cortes de Parks e S. Petersburgo
tem j tomado tanto incremento que bem podemos
assignala-lo como tendo j receido o seu comeoo
de execucao.
No banquete de lord Maire, lord Palmerston de-
c lara mais urna voz a sua confianza na manutoncao
da paz ; e ao mesmo tempo insiste de um modo
muito significativo sobre as relaces existentes en-
tre a Franca e a Inglaterra, oque causou muita
inipressao em Londres, tanto mais porque o ban-
quete tivera lugar na vespera do anniversario da
batalha de Watcrloo.
O primeiro ministro teve o cuidado do dizer que
bem conhece a gravidade das questocs eslrangei-
ras ; c comparado este discurso reservado do mi-
nistro com a attitude cada dia mais aggressiva do
Morning Posl, notando-se a irritaoao crescente que
na Inglaterra provocam as atrocidades pelo gover-
no russo contra os Polacos, bem se pode duvidar
at onde chogar a irresistivel ceguoira dos acon-
que caiio~ei poder:dos^ Francczos,~foi um exereiV' tecimentas, apezar da vontade e boa intenc^o das
to inteiro que havia um anno pouco mais ou menos potencias.
preparava a resistencia, c defenda as suas posi-
oes p por p com real bravura.
0 general Fore\ prosegue a sua marcha sobre o
Mcxieo. Nao larda que se manifest a alternativa
entre a Conquista e as conferencias de paz com o
governo actual, isto entre o desconhecido com
todas as suas vicissitudes e una occasio gloriosa '
e nica talvez do acabar com essa expedicao, que
nos tem arrastado alm do lim primitivo por causa
dealliados pouco sinceros, edas falsas promessas
de alguns emigrados.
Aguardando semelhante occasio para por tormo
Como qur qne seja, o certo que omovhnento
militar na Russia se torna cada vez mais conside-
ravel.
O exercito russo na Polonia se eleva a 150,000
homons de tropas regulares, e diariamente vai aug-
mentando.
as fortalezas e arsenes reina a maior activda-
de : todos os portes do Bltico estao armados e
promptos para a defesa. Cronstadt, e todos os cs-
taloiros martimos offerecem o espectculo de con-
tinua agitacao.
Quanto a Prussa, se as cousas all nao chega-
ram anda ao poni de ultima gravidade, isto de-
expedicao do Mxico, o governo imperial tomava rani ail)
sobre si a plena liberdade dos seus movimentos; c do ao carcter pacifico da rara allomaa.
o Mxico, sem absorver as forras da Franca, a
suicitava comtudo s preoecupaoes do desconhe-
cido, a paralysava do alguma forma, nao material
porm moialmenle. Era isto justamente que se
esperava, e que foi confirmado n'uma carta de feli-
ciac.io dirigida |ior Napoleao III ao general Forey,
a i pa I sahio impressa no Monitor.
No meio de todas estas preoecupacos a Franca
nao arreda as vistas da abertura do isthmo de
Suez: a Inglaterra tem alm disto o cuidado de lh'o
lembrar. J ninguem duvida da falsa philantronia
de lord Palmerston acerca dos operarios que traba-
Iham as estancias do Sr. de Sosseps. A Porta foi
oficialmente tranquillisada das inqnelagoes susci-
tadas sobre a neutralidade do canal. Exige-se
agora urna declaracao relativamente s convenc-
Saes havidas entre o principe Imail Pacha e o Sr.
c Lcsseps. A Porta porm nao Ir tao longe que
sacrifique poltica ingleza um interesse univer-
sal, e offenda dest'artc a Franca. Esta do seu lado
s faz intorvir a sua influencia" no Oriento nos casos
graves: de ordinario deixa ali nrevalceerem as
se coni a proposta do Dr. ehefe de policia, datada : influencias da Inglaterra e da Austria. Mas as
de hontem c sob n. 1095, resolve nomear para o actuaes circunstancias a sua condescendencia nao
enreo-oue se acha vago de primeiro supplcnte do chegar ao ponto de consentir que perigue urna
uMeleirado da freguezia do Poco da Panella o c- empreza que se tem tornado sem o Oriente o sgnal
subdelegado da freg
dado Joao Lucio da Cos Monteiro. Commum-
con-se ao Dr. chefo de policia.
Bita.O presidente da provincia, conformndo-
se com a proposta do Dr. ehefe de policia, datada
de l[do corrente. sob n. 1091. resolve a benito
* servido publico exonerar a Antonio Cordeiro Fal-
cao do cargo de subdelegado do districto de lla-
mara**, termo de Iguarass, e a Luiz Cordeiro
Cavalcanti de Albuqnerquc do de Io snpplente do
me3snto subdelegado, nomeando para o primeiro
daquelles cargos Francisco Raposo da Cunha Rogo,
e panto segundo Guilhermino Ferreira de Alcn-
tara.Communicou-sc ao Dr. chefo de policia.
Dita^-0 presidente da provincia, conformndo-
se coi a proposta do Dr. ehefe de polica, datada
de hontem e sob n. 1098, resolve nomear para os
lugares vagos de pgmeiro, segundo e terceiro sup-
{l.-ntes do suMelegado do primeiro districto da
regoqaia de Ipojuea os cidadaos Lonrcnco Bezerra
Alves A Silva, Justino de MendoBca Lins e Ber-
nardo de Allemio f^Wieiro, e bemassim a Fehppe
de S Albuquerque para primeiro supplente do
subdelegado do segundo distric il luesma fre-
visivol de sua preponderancia.
A Polonia vai decidamente escapando ao poder
da Russia. O que prova esta asserfo nao s
a importancia dos Russos em campo raso de ha
muito verificada, como tambem o poder do gover-
no nacional secreto e residente cmVarsovia no
meio das bayonetas russas.
Esse governo funeciona regularmente; possue
jornaes seus, decreta impostes, e, o que ainda
mais significativo, dirige suas intimaedes aos pro-
prios Russos que residem na Polonia, inlmac,des a
que estes ltimos julgam muito perigoso desobede-
cer : um delles tomou a resolucao de partir para
o estrangeiro a fim de subtrahir-se ao pagamento
do imposto que sobre elle recahio.
Estes factos, realmente muito significativos, sao
publicados no Invalido Russo; c o mesmo jornal
sobro pretexto de avisar aos paes de familias e
professores declara que os rapazes, e at mesmo
meninos, abandonam os collegios e passain para os
insurgentes. NSo tudo anda: o governo nacio-
nal intimou a todos os oflJciaos polacos, que fazem
parte do exercito maso, para que deixcm o servido
A Prussa nada ambiciona alm do rgimen par-
lamentar, e limita a sua accao ao fim a que se pro-
pe chegar.
No seu seio nao existe partido antc-dynastico,
nenhum ramo mais moco, e pois nenhum competi-
dor ao throno dos Hohenzollerns : contam-se ape-
nas alguns partidarios da repblica, mas estes mui-
to raro.
Toda a accSo se passa por conseguinte entre re-
accionarios e liberaes; tudo se passa para bem di-
zer em familia, entre a casa de Hohenzollern, que
creou a nac,ao, e a nacao que se engrandoceu com
ella, ligadas pelo duplo sentimento da solidariedade
e do reconhecimento.
Em lugar de una revolucao v-se a resistencia
legal e passiva.
forc, a bruta os Prussianos oppoem a forca mo-
ral : aos decretos e leis apoiados pelas bayonetas
oppoem elles os protestos enrgicos da opiniao pu-
blica apoiados pelos conselhos municipaes.
Nao curvam a cabeca humillados, levantara-na e
protestam.
Esse golpe de estado conserva-se suspenso: en-
tretanto nao seria conveniente prolongar urna tal
situacao; porquanto peder surgir a desaffeiciio, e
urna grandtrTTicidadc para a casa real contar
Guilherme I, 67 annos de idade. Os Prussianos
seflran esperando que seu iilho suba ao throno
condemnam a conducta de Guilherme, mas suspen-
dem o seu juizo quanto ao principio que elle re-
presenta.
As illusoes da nova era se desvanecen!: j sa
bem o que devem pensar a respeito do rci, c por
isto a solicitude publica se volta inteiramente para
o herdeiro presnmptivo. Este mancebo tem em si
o segredo dos futuros destinos da monarchia prus-
siana.
As' sympatliias do povo, a sua dedicacao tradi-
cional a familia de. Frederico o grande, nao resis-
tiriam a urna segunda provauca do genero destaque
hoje soffrem.
Nova decepcao desta ordem traria como resulta-
do a revolucao.
Nao ha quem assim nao pense, e dahi provm o
cuidado e inquietaco com que a opiniao publica
vigia, pesa, e observa as menores acedes do prin-
cipe real.
Tanto mais natural esta preoceupac3o, quanto
^esconhecida se acha ainda a vida do principe.
um emprestimo. Ser entao occasio de tomar um
partido.
Em Vienna foi aberto o Rechsrath polo archi-
duque Regnir em nomo do imperador. O archi-
duque traeou um quadro muito .satisfactorio do
estado actual da monarchia, e nao hesitou em at-
tribuir os melhoramentos realisados aosysteinade
liberdade encetada pelo-governo.
t Protegidos por iuslituices liberaes, disse elle,
vemos produzir-se inaior actividad em todos os
ramos da vida intellectual e material; vemos as
foroas do imperio desi-nvolver-se mais rpidamen-
te, ronsolidarem-se cada toz mais a sua con-
sideracao e o seu poder.
O bom estado das finaneas permittio ao governo
nao lancar mao de um crdito extraordinario do
12 millioes de tlorns, votado na ultima sessao para
fazer face a um dficit imprevisto.
O archivo declarou que seriaiii muito breve apre-
senlados alguns projectos de lei que devem com-
pletar a reforma administrativa e judciaria do im-
perio.
A primeira reuniao da sessao nenhum interesse
offoreceu aleni do que se refere aos discursos pro-
nunciados pelos presidentes da cmara alta e da
cmara baixa : jtois esses discursos sao um verda-
deiro brado de liberdade, e com o seu laconismo
premeditado assignalam claramente o periodo de
transformado que atravessa a Austria depois da
guerra da Italia.
Muitos olharam como um symptoma desagrada-
vcl o silencio guardado no discurso imperial so-
bro a Polonia. Seja o que fr entre a Prussa e a
Austria a fazer-se um paralelo, a vantagem ser
teda da ultima dessas duas potencias.
O governo italiano apresentou ao parlamento de
Turin algumas notas c despachos, quetratam com
especialidade dos negocios de Roma. Nesses do-
cumentos lastima-se o procedi ment do governo
ixintifical para com os subditos italianos, c se pede
a intervencao da Franca com o fim de fazer cessar
semelhante estado de cou-sas. Um dos despachos
se refere a urna convenclio entre a Franca e a Ita-
lia a respeito da guarda dos estados romanos,
ao que o Sr. Drouyn de L'Hnys, sem tomar com-
promisso algum, rospondeu que -examinara e teria
na devida consideracio a proposta do gabinete de
Turin.
Foi essa eterna questao de Roma que mereceu
as honras do parlamento na sessao de 17 do cor-
rente. O Sr. de Rattazzi fez nesse dia a sua reen-
trada na vida poltica por .un) discurso critico con-
tra a conducta do gabinete. Tornou-se forte entre
elle o Sr. Minghetti, presidente do conselho, a dis-
cussao sobre poltica geral, e sobre a questao ro-
mana especialmente.
O que ha de mais importante a notar as pala-
vras do Sr. Minghetti a declaracao formal, que
elle fez, de que antes da morte do Sr. de Cavour
achava-sc quasi concluida urna convenci, em
virtude da qual os Francezes evacuariam Roma a
um tempo dado, compromettendo-se o governo ita-
liano a nao invadir nem deixar invadir o territorio
da santa s.
Este ultimo desdo 1857 emprega os maiores es- primeiro andar do sobrado n. 24 na menina roa,
(oreos para ganhar de novo o terreno quoiierdeu
na opiniao do paiz, e no sot das duas cmaras : e
para esto fim se tem servido com adiniravel-sem
ceremonia das proprias iiberdades, que havia con-
demnado. Com igual liabilidadc aproveitou-se do
nina desharmonia, que se don no centro da asso-
cacao liberal de Bruxollas, vsla da qual pro-
poz-sea arremecar-se na I uta com severa discipli-
na e unidade e conseguio sahir-se bem.
O resultado das eleieiios desfovoravcl ao mi-
nisterio liberal, que se'acha decapitado, porque o
ehefe do gabinete o Sr. Rogior nao obtove a sua
reeleco eincollegio algum. O Sr. Devaux, inti-
nio consolhoro dos ministros, deputado ha 33 an-
nos, foi landioin derrotado por um candidato ca-
tholico. A esquerda [icrdeu oito dos seus, mas
reconqiiistou dous ; o pois a apposi^ao vo engros-
sarcm as suas fileiras com seis membros novos.
PodeJ&oppor na cmara dos representantes cin-
cuenta c cinco votos dos sessenta eum, com que
ainda conta a phalatige ministerial. Deve-so notar
que desses sessenta e um tres un quatro sao duvi-
dosos.
Naosei se, soba prosso de taes circumstancias,
ser possivel ao Sr. Rogior conservar-so no poder
com os seus amigos.
Antes de concluir devo accrescentar que grande
liarte toma as proocciipneoos europeas a questao
anglo-brasiloira, depois que foram iiiterrompidas
as relaces diplomticas entre as duas naedes. Es-
pera-com tudo que a Inglaterra nao ipie'rer dar
comeco s hostilidades no interesse d suas pro-
prias relacScs commerctaes. Nao qnertr de cer-
to couijilicar os sena embaracos nesta qnadra em
que a sua industria tanto solTre com a queslao dos
Estados-riiidos, e quando v-se quasi fincada a cm-
preliendcr contra o Japiio una expedicao bem cus-
tesa.
G. M.
PERNAMBUGO.
REVISTA DIARIA.
Acha-se no commando do corpo do guarnicao
desta provincia, por nomeacao interina do quar-
tel general do commando das armas, o Sr. major
Carlos Felip|>e da Silva Muniz Abru, em conse-
quencia de recolhor-se corte jior ordem imperial
o Sr. major Herculano Sapcho da Silva Pedra.
Foi demttido da subdelegada dojlistricto de
Itaniarac o Sr. Antonio Cordeiro Falcan, bem co-
mo o Sr. Luiz Cordeiro Cavalcanti d'Albuquerque
do primeiro supplente da mesma subdelegara,
sendo substiuido o primeiro pelo Sr. Francisco
Rapuzo da Cunha Rogo, o o segundo pelo Sr. Gui-
lhermino Ferreira d'Alcanlara.
Sendo concedida a exoneracao que pedio o
Sr. Dr. Joao Severiano Carneiro da Cunha do car-
go de subdelegado da freguezia da Luz, foi para o
mesmo nomeado o Sr. Dr. Joao Antonio de Souza
Beltrao Araujo Pereira ; sondo-o igualmente para
primeiro supplente dessa subdelegada o Sr. Tho-
m Leao de Castro; visto ter sido considerado va-
go esse lugar por mudanea do nomeado anterior-
mente.
Acha-se em exercicio da primeira vara do
juizo municipal desta cidade o Sr. Dr. Hermoge-
nes Scrates Tavaros de Vasconcollos, que foi re-
conduzido nelle ltimamente.
Foi nomeado primeiro supplente da delegacia
de Iguarass o Sr. Francisco das Chagas Ferreira
Duro.
Foram nomcados primeiro. segundo c tercei-
ro supplentes da subdelegada do primeiro distric-
to de lpojuca os Srs. LouVenco Bezerra Alves da
Silva, Justino de Mondonga Luis o Bernardo de Al-
lemo Cisneiro ; bem como o foi o Sr. Felippe de
S c Albuquerque para primeiro supplente da-
quella do seguudoTlisirTc-to, em conseiiuenca de
ser exonerado por pedido o Sr. Joao Marinho de
Souza Leao, que o exercia.
Acha-se, contar j do prsenle mez, altera-
da a sabida dos vapores da companhia franceza em
suas viagens do Rio para a Europa, visto tor pas-
sado para o da 24, quando dava-so antes essa sa-
bida no dia 25 de cada mez.
Avista desta- transferencia, tem de tocar neste
porto os referidos vapores em suas viagens de re-
gresso nos dias 30 dos mezes.
O Sr. Joao Lucio da Costa Monteiro acha-se
nomeado primeiro supplente do subdelegado do
Poco da Panella.
Est em construccao nos estaleiros dos Srs.
Cowd & C. de Greenoek' um novo vapor, que foi
encoinmendado pela companhia ingleza para a car-
rcira deste imperio.
Espera-sc que a construccao se ultime at o lim
do corrente anno, sendo o vapor de forca de mil e
quinhentos cavallos, com tres mil quatro cenias o
trinta e quatro toneladas.
No sabbado, por occasio de salvar o bri-
gue-barca Itamarac, houve exploso de urna pe-
ca, devida ao descuido ou neglgoucia do chefo,
do que rosultou ficarcm ferdos os dous carregado-
res, um com varias contusoes e quomaduras no
braco direito, e o outro com o braco esquerdo
fracturado em varias partes, pelo que, sendo reco-
Ihido enfermara de marinha, foi amputado no
torco superior pelo Dr. Ignacio Alcibiades Vellozo,
sendo ajudado pelo cirurgiao Alves d'Albuquerque,
incumbindo-sc da chlorofunmsaeao o Dr. Freir.
Demorando-se os vapores francezes. quando
de volta da corte para a Europa, iwuco tempo em bliuji
nosso porto; apezar de ter horas tixas para isso, tuuaruo, o
que raras vozes preenchem ; e nao podendo a es- Jovina, le
Reinellein-iios a seguinte carta, prometiendo
continuar :
Coni|iadre.Preguei-vos um lom logro, dd-
xando de escrever-vos em breve, romo vi navia
piomettido. Mas (piando souberdes, que lamben i
fui logrado, haveis conhwer quanto verdadeiro
11 systema das comiieusaces d'Azais pelo qual o
inundo se rege.
Fui completamente logrado, |iorque cahio-n^
em cima una insupportawl catarrtieira, que aqui
cliamaui liga, que me |hiz tao coniriclo conw um
5. Vicente do Paula !
Se nao me lembrasse no mais critico moon>n-
to da casa de sadc, loria cabido as natas do lobo
que guarda o ceiniterio.
Dos vos preserve da liga os calofros,
as febles c o moneo formam una tal .-algaihada,
que poeui a gente crer que o inundo corre >
avessas!
O poeta, que figurou nos en arrMM a ra-
ptal de Perniunbuco una voluptuosa Odalisca re-
costada em seo fofo harem, tendo os lindos pe-
zinhos em gamella do prata, nao se lombrou passar
pelas ras da Guia, Bolla, Velha, etc., porque en-
tao a vera inelhor repotreada em um charco in-
mundo de srdidos atoleiros.
Causa horror o pa&sar por quasi tola.- ai
suas ras. Os classicos iaiuacaea de Goianiut leetn
aqui reproduzdo a sua horripilante catadura.
Mas como o mundo no dizer d'Azai? urna
coiiibinacao de bom e mo, nascendo d'ahi o eini-
libiiu il mundo phvsico e moral, resulta que no
meio dosse estado eniristecedor, a prosenca de Din
novo Amazonas no corredor do bspo alegra a vis-
ta, e facilita aos moradores daquelle lugar i unpa-
gavel eoiiiiiiodu de poderem pescar de -uas janel-
las gordos o tbidos firamcwk.
Este fonnidavi'i rio vai a desembocar a ni
Principe, onde a sabedoria dos viandantes lancou
una ponte magnifica de troncos de dendeseiros,
que nao faz inveja a de Wrtzzeiiiberg na Baviera,
deixaiido aps si caclnx'iras Paulo Alfonso pelo
amono Campo-Vecde.
A illusti issima inandou estrellar o leilo do
rio para evitar as einanaces niiasmalieas de suas
espraiadas nargens, o <|o fui de um grande al-
cance nesta quadra. em quo o cliolera vai de vez
em quando levando o seu para o ceiniterio !!
Em correspondencias europeas do Diario
Ofiriid l-se o seguinte :
Chegou Vienna na noite de 23 do mez pas-
sado sua alteza o duque reinante da Saxoma-Mei-
niiigen, que foi residir em urna das primeiras hos-
pedaras desta cidade. O limpio foi recaudo na
estacan do caminho de ferro polo seu mini-tro nes-
ta corte, pelo conde de Caueville, ajudantc-ge.
de sua magestade apostlica o por mais alguma-
pessoas de distineeao. No dia seguinte as 10 hon-
da inaiihaa, sua magestade 0 imperador fez ao du-
que a vsila de diquela, e antes do meio-dh foi
o duque pagar-lhe esta fineza, e depois janlou
nosso mesmo dia em companhia de suas un--i.i
des iuiperaes na quinta de Sol ebrunn. onde re-
side actualmente toda a familia imperial.'
Veio ltimamente esta corte o general
Keradioe, ministro da marinha do bey de Ttinis,
com o fim de offerecer da parle de seu soberaao
sua magestade apostlica as insignia-, em brifban-
tes de grande valor, da orden d Tunis. O conde
de Rechberg, c o cavallero do Sehmerlng, rece-
berain igualmente as condeeorafSea de primeira
classe dessa ordem, laubein guarnecidas de bri-
Ihantos.
Teve lugar no dia 13 do corrale, na capella
do paco imperial desta corto, a ceremonia da im-
[Wsie do barrete de cardeal. feila pala iui|era-
dor ao pro-uuucio apostlico de Lea, ltimamen-
te elevado por sua sanlidado ao cardinalato.
Repabtko o\ imi.icia :
Extracto da parte do dia 18 de julho de 1>;:;.
Foram recolhdos casa de detencao no da 17
do corrente :
A' ordem do subdelegado do Reeife, Joao DH
Tvares, branco, de 29 annos, |Kir briga ; Rufino
Ferreira da Cunta, pardo, de 18 anuos, por tenta-
tiva de furto.
A' ordem do da Boa-Vista, Joao dos Sanios Li-
ma, pardo, de 38 annos. por insultos.
A' ordem do do Peres. Manoel ou Mathcus, afri-
cano, de 40 annos, escravo de Jos de Lima, por
fgido.
O chefo da 2" s>-rco,
J. G. di Mr'quihi.
Movimento da casa do detencao no dia 17 d>
julho do 1803.
Existiam.
Entraran
Salram .
Existem ..
A saber :
Nacionaes.....
Eslrangeiros...
Mulheres......
Estrangeiras...
E-ciavos......
Esc ra vas......
38!)
4
7
386
202
33
12
3
70
6
386
presos
Alimentados a custa dos cofres pblicos.. I-'.
Movimeuto da enfermara uo dia 18 de jull de
1863.
Teve baixa :
Matheus, escravo de Luiz Urlon, febre catbarral.
Falleceu :
Antonio Ignacio de Souza. ___
Obtuabio oo M 18 ue jllho SO CUIITEUu
publico :
annos, Boa-Vista; hepatite.
nanibuco, 4 mozos. S. Jos ; couvul-
t;ieo romnetente exiiedir as malas com a prompti- soes.
T r^querem a'.guns conimandantes, resolveu Antonio gnacmi de souza, Pernamb,i^
O presidente do conselho parti desse ponto para
mostrar que o governo italiano, sempre disposto a
tratar sobre as bases da evacuarlo de Roma, jul-
gou todava conveniente nao proseguirjias nego-
ciaces respectivas depois da nomeacao do Sr.
Drouyn de L'Huys; e para censurar ao gabinete
transado o ter falsificado a situacao com as dema-
siadas exigencias formuladas na circular do geno- de S. Fre Pedro Goncalves ;
ral Durando. a semelhante trabalho hoje, no caes e largo da Al-
Entretanto esse debate nenhum alcance pratco
domie roquen...-
a administraco do correio encerrar o recebimonto
de cartas e' jornaes para aquello destino no mo-
mento em que o telegrapho fizer sgnal da appro-
ximaco do vapor ; medida esta de grande pre-
iuizo para o nosso commercio, que tera de retardar
quinze dias as ordens para seus correspondentes,
sempre que para da-las tiver de aguardar as cartas
que esses vapores costumam trazor das provincias
uo sul. ..
Havendo una convencao postal entre o Brasil c
a Franca, para a conauooao das malas dos dous
paizos, com o fim de beneficiar o commercio, paro-
ce que se nao devem postergar da forma supra es-
ses interesses.
bem do nosso commorcio esperamos se faca
supprimr semelhante ordem, exgindo o cumprt-
mento do contrato daquella das referidas partes,
que o infringe. ,
O Sr. Jos Theodoro de Sena, lancador da
recebedoria de rondas, acha-se incumbido do lan-
camcnlo dos ini|iostos que esto sujetos os di-
versos cstabcleeimentos commerciaos, na freguezia
de vendo dar comeco
32
apresenta as actuaes circumstancias. O Sr. Rat-
tazzi nao conseguir derribar o ministreio ;_o
Sr. Minghetti nada resolver acerca da queslao
romana. Esses dous adversarios joliticos tiveram
entre si um encontr com a espada em punho, do
queresultou licar o Sr. Rattazzi levemente ferido
no braco.
Conclinra a presente missiva por onde comeeei,
isso tratando de eleicSes. A 9 deste mez tive-
ram lugar na Blgica as eleic,5es para a successao
por metade dos 108 membros da cmara dos re-
presentantes, o 54 membros do senado, Foi muito
renhida a luta, entre o partido liberal e o partido,
clerical.
fandega, as ras da Cada, da Cruz, da Liugota
e do Torres, o na lrayessa do Abreu.
Sabbado, sentH o anniversario da coroaoao
de Sua Magestade o Imperador, estiveram omban-
deirados os navios de guerra, surtos no porto, e
as fortalezas.
Acha-se em concurso o officio de depositario
geral creado para o termo de Goianna pela lei pro-
vincial n. 52 de 6 de jnnho de 1862.
Os pretendentes devem apresentar seus reque-
rimentos instruidos na forma do decreto n. 817 do
30 de agosto do 1851, e do aviso n. 251 de 30 de
dez/imbro,
.- 0 agente de leilSes Francisco I. Pinto, mu.
I dou sea escriptorio da ra da Cadei tt- *> Para-
casado," Santo Antonio ; gastro interite aguda.
Manoel, escravo, 17 dias,Boa-Vista: tettno.
rsula, escrava, 45 annos. Boa-Vista ; bepatilo
chronica. .
Antonio, Liberto, frica, 50 annos, solteiro, Boa-
S'ista ; anemia.
ciiroaITjciaiia.
THIMIML DA BEIiAC.I*.
SESSAO EM 18 DE JULHO DE 863.
PBESIDENCIA DO KXM. SR. COaSELHURO SILVlA.
As 10 horas da manha, achando-se preseit-
tes os Srs. desemhargadores Caetano Saattaf >,
Gitirana, Lourenco Santiago, Motta, Peretli, Aecii-
l, Assis e Doria, faltando sem causa participada
o Sr. desembargador Ucha Cavalcanti, abno-M
a sessao.
O Sr. desembargador Guerra, procurador oa
cora, nao conipan-ceu. .^
Passados os feitos c entregue os dislriMM'i
deram-se os seguintes
niiuAMEvros.
Aagravo de petifo-
Aggravante. Floriano Corroa de Bnto ; mn
vado, o juizo. ^__
Relator, o sr. .desembargador Caetano Santiay
Sorteados os scnliores desembargaow ww.
e Gitirana.
Deram proviateato.
iubras-corjm
Mandou-se passar ordem de i
em habeas-coriwa a Jos Flix Bodnf'
Igual conceaio foi feiu a JStoy
Mattos. .
Concedeu-so ordem de babeas-corpa
Caetano Mendei Delgado, La Antonio
ment, Isabel Ganealves do Reno Barrea
de Souza Moreira, para o dia 21 do conrale, a>U
de Ottnatra
1


*-)--.**
iai

Diario e Pernambuco Segunda felra tO de Julho de 188.





\
horas do ri ridades respectivas, nunca dcixou de ser apontado como o de rnn nia-
a cuia disposicao se achara. gistrado exemplar e esliinaveA por sua illu^trajao
Appeacao crime. jurdica, e imeireza toda a prova, segundo justi-
AtiDellantC o juizo ; appcllado, Manoel Joaquira ficam as repetidas decisoes sobre os processos em
de Souza que" interpanha os recursos offlciaes, oueraou-
A* novo jury. i vino.
Appelante Vicente Ferrcira de Padua Calum-1 Nesse diuturno exercicio da magistratura, elle
bv -appcllado Martinho de Mello Albuquerque. por muitas veies oceupoa a vara de juiz de direito
Confirmada'a sentenca. daquella comarca ; e qur nesta posicao, qur na
Appelante D. Sebastiana Josepbina Cavalean de joii municipal, senipre deu incessantes prova.s
de* Albuquerque ; appellado, Bernardo Jos de dnquanio sabia compreliendcr e cumprir arisca o
Barros.
Confirmada a sentenca.
Appelante, Antonio Pereira Monteiro ;
do, Jos Bavmundo Vieira.
Jiullo oprocesso.
Appelante, o Dr. Jasquim Antonio Carneiro da
seu sublime sacerdocio.
Os luminosos julgamentos por elle proferidos,
appclla- acertadas instrucedes c as providencias que de
! continuo dava a todos os empregados do seu juizo
para repressao do crime, e melhor ordem da admi
nistracao da justica, demonstram evidentemente a
Cunhii Miranda ; appellado, Francisco Accioly de veraciaade deste brlhante conceito, que alli goza.
Gouvcitt Lina. I de ha ver sido insto sem flnghnento, austero com
Reformada a sentenca. I prudencia, aftavel com circumspeccao, cmilm,
designaqo de da. I prompto e prestativo com dignidade para com to-
CAssignou-sc dia para julgamcnto dos seguintes dos os que o oceupavam, ou que delle depen-
feitos : diam. ~
Appellacdes crimes. Nao era possivel, que o Sr. Dr. Joao Francisco
Appelante, o juizo ; appellado, Cascmiro Perci- Duarte deixasse de gozar tao bom conceito publi-
ra da Silva. co, tao grande confianza, estima e consideracao das
Appelante, Manoel Gomes de Almeida ; appel- autoridades superiores com quera servio, e de te-
lado, o mizo. | todas as pessoas delle dependentes ou conhecidas,
Appelante. o promotor; appellado, Antonio Ale- durante seu longo exercicio no primeiro grao da
xandre de Freitas. i magistratura ; porque bem sabido, que elle
Appelante, o juizo ; appellado, Christiano Fran- dotado de qualidades moraes muito estimaveis, de
cisco Pereira. una conducta sein mancba, que por toda a parte
Appelante, o juizo -, appellados, Pedro de Souza hao de grangear-lhe sempre o melhor nomo possi-
Diasc outros. vcl, e inteiro prestigio.
Apprllarvrs cireis. I Em summa, debaixo de todas as relaews de ra-
Appellante, Joao Francisco Fcrreira e sua mu- milia c sociaes, elle se torna recommendavcl, ou
lher -, appellados, Joao Francisco de Moura e sua para melhor dizer um dos mais brilhantcs typos.^
mulher. Era, porm, deploravcl, quo um cidadao tao
Appelante, D. Maria do Carmo Nuncs Ferreira -, prestiinoso, e magistrado tao exemplar estivesse
appellado, Antonio Jos Pinto. exilado ciu Garanhuns, porque recollddo esse
Appelante, a fazenda ; appellados, os herdeiros seu retiro, viva modestamente, nao t
de Domingos Gomes Guimaraes.
DILIGENCIAS.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica e ao appelante, a seguinte
A appellacao crime
houve por bem nomca-lo advogado do conseibo
d'estado, dando-lhe por esta graca os raens since-
ros pjirnlKiis.
Sou com toda a consideracao de V. S., atiento ve-
nerador e criado.
Rio de Janeiro, 27 de junho de 1893.
Mrquez T Ohmio.
As enferMldadea externas.
Produzem muitas vexes resultados tarriveis, e se
a massa viciosa do sangue, o qual a causa das
raesmas, naowc purifica do seu veneno mediante o
o uso da salsa parrilha do Bristol (o abstersivo
mais poderoso de quantos se conhecem^ os doentes
nao so buscara ailivio em vio, mas sim, tambem
transmittiriam suas enfermidades seus filbos co-
mo urna heranca maldita. As pessoas de ambos
os sexos, achanto em todos os periodos da vida, que
este admiravel e incomparavcl remedio vegetal cu-
ra de urna maneira rpida e radicalmente as cha-
gas, erupcoes, ulceras, inflamacss glaudulares,
rheumatismo e quasi todas as mais molestias ana-
logas, incluindo as aflec?5os mercuriaes que des-
figuraui ou contrahem as feicoes.
Acha-se venda em todos os estabelecimentos
pharmaceuticos do Brasil.
culcar-se para a corte, nem invocava a proteccao
iudefectivel de cortos mandSes da poca
O governo imperial, porm, acaba de .dar um
solemne testemunno de rme aos seus ouvidos che-
gou a noticia do reconhecido mrito do Sr. Dr. Joao
COMMERGIO.
CAIXA FILIAL
DO
BANGO DO BRASIL
EM PERNAMBUCO.
A directora da Caixa Filial do Banco do
Brasil
Appellanle, o juizo -, appellado, Jos Serafim Mo- Francisco Duarte, e soube-o devidamente apreciar
reno.
PASSAGENS. 1
O Sr. desembargador Gitirana passou ao S. des-
embargndor Lourenco Santiago
Appelante, Tertuliano Narciso da Rocha; ap-
peltaua, a justica.
com a Justina que sempre o distingue.
E, pois, louvores sejam dados ao governo impe-
rial, por esse seu acto de inteira rectido e feliz
escolna; bem como parabens aos comrcaos de
Anadia, pela excellente acquisicao de um juiz de
direito, como o Sr. Dr. Joao Francisco Duarte, que
declara aos senhores accionistas que o thesoureiro
da mesma est autorisado a pagar o dividendo re-
lativo ao semestre Ando em 31 de maio prximo
passado a razao de 10*000 por aceao. Recite 14
de julho de 1863. .
Jos Mamede Alves Ferreira,
secretario.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 17. 243:7545978
dem do da 18........io:331S929
Vinagre.........caada 500
Alfandega do Pernambuco, 18 de julho de 1863.
(Assignados):
'O l. aferente, Manoel Peregrino da Silva.
da Silva.
01* eenhrente, Benjamn lint i* Albuquerpu
MarmkSo.
Approvo.-Alfandeg# de Pernamboeo, 11 de ju-
lho de 1863.Paes de Andrade.
Conforme.-0 4. conferente, Frederko Carneiro
Leao.
Recehedoria de rendas Internas
genes de Peraanbaeo.
Rendimento do dia 1 a 17. 28:2325040
dem do dia 18.
2:3525357
30:5845397
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 17. 53:8535453
dem do dia 18......... 9645934
60^105527
PRACA DO RECITE
18
Appelante, o promotor; appcllado, o cabra Joao, os ha de plenamente salisfazer com amis restnc-
escravo. te observancia da lei, e exacta distribuicao da jus-
Appellante, o juizo; appcllado, Ignacio Jos de tica como se praticar.
Mello. Ao Sr. Dr. Joao Francisco Duarte ainda anhe-
Appellante, o juizo ; appellado, Francisco Perei- lanos, no seio de sua exeellentissima familia in-
ra do Nascimento. cessantes venturas, e melhor sorte, de que mu
Ao Sr. dcseinbargador Motta digno.
A appllarao cel. Recifc 13 de julho de 1863.
Appelante, Gaspar Cavalcanti de Albuquerque O terdadeiro.
259:0875907
Ucha ; apellado, Joao de S Albuquerque.
O Sr. desembargador Lourenco Santiago passou
ao Sr. desembargador Motta
As rrppellaroes mmes.
Appelante, o juizo; appellado, Domingos Jos
Viaima.
Appelante, Manoel de Farias Lemos ; appella-
do, o juizo. .
Appelante, Manoel Dantas Cabral ; appellado,
o juizo.
Appelante, o juizo ; appellado, Jos Joaquim de
O Diario de Pernambuco de hoje, em sua parte
offlcial, publica a ordem do ministerio da guerra
que chama o distincte Sr. major Herculano Sancho
da Silva Pcdra corte do Rio de Janeiro.
J tardava que esse brioso militar nao soffresse
per sua independencia de carcter a pena de se ter
collocado em opposicao as exageradas prctengoes
de alguem que hoje ludo inculca poder.
Que soffra resignado mais esta decepcao, mas ft-
que-lhe inoquilla a consciencia de baver procedi-
.noviniento da alfandega.
Voluntes entrada com fazendas
i com gneros
Voluntes sabidos
com fazendas
com gneros
48
260
------308
Santa Anna ,0; como procedera todo homem honrado que nao
A appellaaio ctvel. sacrifica sua dignidade pessoal aos caprichos de
Appelante, Manoel Albino da ixisia badelha ; ejl[U|[0S |10|Cntados, emltora apoiados jtclos capri-
aullado, Manoel Victorino de Couto. C|10S .icos de quem qur que lucre as aguas
O Sr. desembargador Motta passou ao Sr. des- ,urva's
embargador Peretti Teinpo vira em que ao distincte c brioso militar
Ai appellaives "mes. s(! (ne far justica, encarecendo-o pela maneira
Appelante, Jos Pereira de Mello ; appellauo, honl.osa ponpje se houve as diversas commissoes
Manoel Correa de Mello. ,.,_. que aqu desempenhoii.
Appelante, o juizo; appellado, Jos Pereira Ave- Entretant0 reccba o Sr. major Pedra
lino.
minhas sin-
viageni, como
Jos,
ceras despedidas par de urna feliz
deseja 6 seu amigo.
77iom<; Fernandrs M I
As appellaroes citis. ^
Appelante, Jos Narciso CanwHo~fapi>ellad
Rostron Rooker 4 C.
Appelante, Alcixo Jos da Luz ; appellado, Joa-
qun! Antonio da Silva Barros.
O Sr. desembargador Peretti passou ao Sr. des- j
embargador Accioli
As nppellacoes crimes. \
Appelante, o juizo; appellado, Carlos Ferreira
'de Castro. ,,,,._ ,, I Os abaixo assignados, moradores a freguezia
Appelante, Nicolao Affonso Alves ; appellado, o de Caruaru> cumprindo um rigoroso e grato dever,
juizo. ___| veem pela imprensa, por si, por seus numerosos
Appelante, Jos Vicente Ferreira; appellado, o part;I1,cs c an,jgO!| dar um solemne tcstemuuho de
Descarregam no dia 20 de julho.
Patacho italianoMariamercadonas.
Patacho inglezWm. M. Dodgefarinha e outros
heneros.
ALFANDEGA DE PERNAMBLXO.
PAUTA DOS PRBgO DOS GNEROS SUJEIT0S A DIREITO DE
EXPORTAQAO. SEMANA DE 20 A 25 DO MEZ DE
jri.no de 1863.
Mercadorias. Unidades. Valores.
PBLICACOES A PEDIDO.
Tribute ao mrito.
JUIZO.
As appellaces atis.
Appelante, Joao Hypolilo deMeiraLima;
pellado, Manoel Joaquim Ferreira Estoves.
AoSr. desembargador Gitirana
A appellaco cirrf.
Appelante, D. Maria Hellena Pessa de Mello
a|pelhda, D. Mana Benedicta Vieira da bilva. ranslraci0 jos soccorros espirituaes
O Sr. desembargador Accioli passou ao Sr. des-. ffectad Q-anugiie mal, pela incansa
rmh.irr.idnr l'elia lava canil ;,...,. f.,. rt .,..i..,!,., rfa'c
O Sr. desembargador Accioli passou ao
embargador Ucha Cavalcanti
A appllarao crime.
Appelante, o juizo ; appellado, Antonio Carlos
Pessa.
As duas horas c nicia da tarde encerrou-sc a
sessao.
dmiracao c reconhecimento, e ao mesmo tempo
1 felicitar ao Bevm, vigario da mesma freguezia An-
'" tonio Freir de Carvalho, pelos importantes ser-
vicos que prestou no desempenho do "sc sagrado
ministerio durante a epidemia do cholera-morbus,
qnc novamente aqui reappareceu em dias de maio
ultimo ; pelo constante zelo que empregou na ad-
todos os
affectads d'aquelle mal, pela" incansavel deligen-
Abanos......... cento
Agurdente de cana..... caada
dem restilada ou do reino
dem caxaca.......
dem genebra.......
dem alcool ou espirito de agua-
ardente.....,
Algodao em caroco..... arroba
Idein em rama ou em laa.
Arroz com casca......
dem descascado ou pilado
Assucar maseavado. ....
dem branco........
dem refinado.......
Azette de amendoim ou mendo-
bim......... caada
dem de coco.......
dem de mamona.....
Batatas alimenticias..... arroba '
Bolacha ordinaria, propria para
.embarque....... *
dem fina.........
Caf bom........
dem escolha ou restolho...
dem torrado....... libra
Caibros......... nm
GOMMNIGADOS.
ca que fez para que enhuma de "suas ovelhas
suecumbissem sem recebe-los, e finalmente pela
promptidao com que acudi a todos quantos o pro- Qa|...........arroba
curaiam para esse fim. I. ".
Eos abaixo assignados cumprem este dever com,,nem "ian<-a
satisfacao tanto maior, quanto em diversos oc- Carne socca (xarque)
Antonio Freir de Car-
1>E JII.IM DE 18G3.
As 3 horas da Urde.
Revista semanal.
Cambios........Saccou-se sobre Londres a 27
e 27 Vi d. por 15000. Sobre Pa-
rs a 355 rs. por fr., e sobre Lis-
boa de 96 a 98 por cento de pre-
mio-, regulando por 20,000
os saques effectuados nesta se-
mana.
Algodao........ As vendas foram de potra mon-
ta regulando a 205000 por arro-
ba, o desta provincia, 205400 o
de Macei posto a bordo, e de
225000 o da Parahiba deste
mesmo modo.
Assucar........O branco vendeu-se de 35000 a
35800 por arroba, o somenos de
25600 a 257OO, o maseavado
purgado de 25000 a 25200, e o
bruto de 15650 a 15800 por ar-
roba
Agurdente.....Vendeu-se de 685000 a 705000
apipa
Couros.........Os seceos salgados venderam-se
a 160 rs. a libra.
Arroz..........O pilado da India vendeu-se de
25600 a 25700, e o do Maranhao
a :15200 por arroba.
Azeite doce.....O de Lisboa vendeu-se de 25500
a 25600 o galao, e o do Estreito
a 25300.
Bacalho....... Retalhou-se de 65000 a 135000
por barrica, tirando em deposito
6,200 barricas.
Batatas......... Venderam-se do 800 a 15000 por
- arroba.
Bolachinha.....dem a 25000 a barriquinha
Carne secca.....A do Bio-Grande do Sul vendeu-
se de 25000 a 25600 por arroba,
ftcando em deposito 54,000 ar-
robas.
Caf........^.. Vendeu-se a 85000 a 85600 por
arroba.
Cha............dem de 25000 a 25300 por li-
bra
Cerveja........ dem de 45000 a 55600 a duzia
de garrafas.
Farinha de trigo. A de Philadelpha e New-York
vendeu-se de 135000 a 175000
a barrica, a de Genova, de 155
a 165000, a franceza de 165000
a 175000 e a de Trieste de 215
a 235000; ficando em deposito
9,000 barricas da primeira, 600
da segunda, 200 da terceira, 800
da quarta e 3,500 da quinta
Chegaram na semana dous car-
regamentos, um segnio para o
sul e o outro esta incluido no de-
posito.
Dita de mandioca Vendeu-se a 65000 a sacca.
Feijao.......... dem a 65000 a sacca.
Genebra........dem de 310 a 330 rs. a botija.
Louca..........A4ngleza ordinaria vendeu-se de
295 a 300 por cento de premio
sobre a-factura
Manteiga.......A franceza vendeu-se a 560 rs,
a libra, e a ingleza a 800 rs. -, fi-
cando em deposito cerca de
1.500 barris.
Massas.........Venderam-se a 55000 a caixa.
Oleo de linhaca.. dem a 25200 o galao.
. Passas.......*... dem a 55000 a caixa
Q9o' Prosnnlos......' Idm a 4*5000 a arroba
3*" Queijos........Os flainengos venderam-se de
360 I 15200 a 15500.
280 Sabao..........O amarello vendeu-se de 120 a
150 rs. a libra, e do Mediterr-
neo de 220 a 240 rs. a libra
15400
500
500
320
500
560
55OOO
185000
15200
25800
15800
35100
55000
25000
15440
15200
15600
45000
85000
85500
500
Para o arsenal de guerra.
S duzias de taboasde amarello de 16 pollegadas
de largura e 26 a 28 palmos de comprimento.
200 vassouras de ptassava
18 meios de sola de lustre.
20 pelles de dito.
50 macos de obreias.
40 quintaos de Ierro inglez em barra de I '/t
pollegada de largura e Vi de grossura.
200 meios de sola
Quem quizer vender taes objectos aprsente as
snas propostas em carta fechada na secretaria do
eonselho, as 10 horas da manha do dia 24 do cor-
rente mez. ... .,
Sala das sessoes do eonselho administrativo para
fomecimento do arsenal de guerra, 16 de julho de
1863.
Antonio Pedro de Sa Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastiao Antonio do Reg Barros,
Vogal secretario.
A arrematar* constante do
annuncio que abaixo segue-se,
tanto dos engentaos como dos
escravos, de ver ter lugar no
dia *5 do eorrente. depols da
audiencia do illm. %r. Dr. Juiz
municipal da segunda vara.
Pirante o Illm. Sr. Dr. juiz municipal da se-
gunda vara, escrivao Motta, tem
l"mi- seguintes :
O engenlto Pintos com todas as suas trras e
obras, grande casa de vivenda, mitra denominada
(loria, algumas casas para moradores, grande
senzala de pedra e cal, estribara, casa de disti-
lacao com um alambique de valor, tudo avahado
em 52:0005000.
0 engenho Quiaombo contiguo ao mesmo, com
todas as suas trras e casa de vivenda, avahado
em 22-.OOO50OO.
Os escravos Antonio Calumbi, crioulo, 50 an-
nos, avallado em 8005; Maieus, nacao, 35 an-
nos, avahado em 1:0005; Bruta, nacao. 35 a li-
nos, avallado em 1:000; Gregorio, nacao, 37
annos, avahado em 7005; Antonio Esparrella,
na^ao, 40 annos, avahado em 8005; Jos Borra-
cha, crioulo, 25 annos, avahado em 3005 ; Alei-
xo, crioulo, 23 annos, avahado em 1:2005; Luiz
Hortelao, nacao, 40 annos, avahado em 1:100;
Gertrudes, nacao, 45 annos, avahada em 6005;
Luiz Beni, na\-ao, 40 annos, avahado em 8005 ;
Tnereza, nacao, 35 annos, avahada em 2005000 ;
Maria Vov, crioula, 45 annos, avahada em 6005;
Bartholomeu, nacao, 40 annos, avahado em 5005;
Rita, mulher do dito, nacao, 36 annos, avahada
em 6005 ; Caetano, nacao, 40 annos, avahado
em 7005; Violante, mulher do dito, nacao, 35
annos, avahada em 8005 ; Felippe, cabra, 40 an-
nos, avahado em 1:2005; Felippa, mulher do
dito, crioula, 35 annos, avahada em 1:0005 ; Fla-
viana, filha dos ditos, cabra, 3 annos, avahada
em 3005 ; Jozino, filho dos ditos, cabra, mezes,
avahado em 1005 ; Victorina, crioula, 30 annos,
avahada em 6005 ; Mana, filha da dita, crioula,
3 annos, avahada em 3005; gueda, filha da
dita, crioula, 18 mezes, avahada em 1505 ; Fran-
cisco Segundo, nacao, 45 annos, avahado em
7005; Perpetua, mulher do dito, nacao, 36 an-
nos, avahada em 6005 ; Jos, filho dos ditos,
crioulo, 3 annos, avahado em 3005 ; Felippe, na-
cao, 38 annos, avahado em 9005 i Rosa, mulher
do dito, nacao, 40 annos, avahada em 6005000 ;
Jos Ferreiro, nacao, 35 annos, avahado em
1:1005 ; Antonia, mulher do dito, crioula, 50 an-
nos, avahada em 5005 ; Pedro, nacao, 36 annos,
avahado em 1:2005 ; Margarida, mulher do dito,
nacao, 40 annos, avahada em 8005; Paulina,
crioula, 40 annos, avahada em 1:0005 ; Clara
crioula, 22 annos, avahada em 1:0005 ; Felicia,
nacao, 40 annos, avahada em 7005 ; Maria, mu-
lher de Miguel Pedreiro, 27 annos, avahada em
9005; Miguel, nacao, 42 annos, avahado em
1:005; Maria, mulher do dito, nacao, 36 annos,
avahada em 6005 ; Venancia, fifha dos ditos
crioula, 18 mezes, avahada em 1005-
Os referidos bens pertencem heranca do fina-
do Jos Fernando da Cruz, e vao praca re-
querimento da herdeira e inventarame, depois
de ouvidos o Dr. procurador fiscal da fazenda pro-
vincial c os de mais interessados, para pagamen-
to das dividas que est sujeita a heranca, de-
vendo seren pagas no acto da arrematacao, afim
de poderem dar a necessaria desoneracao os dous
credores que tem hypothcca no engenho Pintos.
O escripto e traslado do edital existem em mao
do porteiro do juizo, e os pretendentes que qui-
zerem examinar os referidos engenhos podem ahi
comparecer, que ha pessa antorisada a mostra-
dos com todas as suas obras c bemfeitorias -, as-
sim como os que quizerem ver os escravos e pre-
cisarem de qualquer esclarecimento, podem diri-
gir-se nesta praca mesma herdeira e inventa-
rame, que reside na Soledado, ra de Joao Fer-
nandes Vieira
puro v
ieaieserra
_ O lancador da mesa do
cial, abaixo assignado, sendo .
ceder aos diversos lancamentos que
cobrados por esta mesma mesa so
ceiro vindouro de 1863 1864, avisa
proprietarios de predios urbanos e otaros 1
leciraentos que tenham preparados os
tes reeflibs ou outros doenmeatts ata
possao mesmo abaixo fazer oc
regra sem vexames das partes MerestadM. Ou-
tro sim, declara o mesmo abaixo irriga iu, em
sendo nomeado para as freguetiac de Sassto An-
tonio, S. Jos e Alegados dar comeo pela de
Santo Antonio.
Mesa do consulado provincial, 4 de julho de UBI.
O lancador
Joao Pedro e Jess 4a Motta.
Terca-feira 21 de julho, no logar deatsatam
Campo Verde, e a remierimento do carador da lw-
ranca do subdito napolitano Francisco Ciieriia,
tem de ir praca para serem arrematados pnr
quem mais der, os seguintes bens : 18 taches de
cobre acabados, pesando 5 arrobas e 5 libras a SO*
rs. a libra, 825909, 26 por acabar, pesase* J ar-
robas e 19 libras a 400 rs., 455000, 7 ditos en na*
estado, pesando 40 libras, a 240 rs., 95600, 17 ar-
rollas de cobre, pesando 2 arrobas e 13 libras, a
500 rs., 395500, 1 baca pequea de robre pesan-
do 3 libras, a 240 rs., 720 rs., 3 ehaleiras de ceer,
pesando 5 libras, a 240 rs., 15200, 1 cacarola. p-
, sando 1 libra 1|2, a 240 rs., 360 rs.. 8'fri0deiraa
de ir a praca os! de ferro a320 rs. cada urna, 25560, 2 arroiaae 10
libras de cobre velho, a 240 rs., 175769, i aleev
bique velho de cobre, pesando 2 arrobas meaos Ifi
libra, a 240 rs., 155240, 12 baria de flaadres a
500 rs. cada urna, 65000,39 pratos idein, a Id rs.
cada 1 un, 65240,1 espingarda avahada por 209 rs.,
1 lialu't com roupa por 65. A mencionada arre-
matacao ter lugar as 11 horas do dia cima refe-
rid. "
Terca-feira 21 do eorrente serio amanta-
dos dous escravos de II a 12 annos cada usa, os
quaes foram penhorados a Joaquim VTceale Mar-
ques por execucao de Manoel Fructuoso da Sitas,
no juizo municipal da 1.* vara, escrivao Saatts.
Arrema tacan.
A arrematacao annnnciada por este Diario das
engenhos b escravos pertencentes a heraaea da i-
nado Jos Femando da Cruz, derer ler lagar ao
dia 25 do eorrente, depois da audiencia do Wm.
Sr. Dr. juiz municipal da 2.* vara.
No da 22 do eorrente mez, na sata das au-
diencias, depois de meio dia, se hao de arreancar
por venda em praca publica do Sr. Dr. jan smnv
cipal da 2.* vara escrivao Santos, 5 uuiat pe-
nhorados a Jos Florencio de Oiiveira e Sirva par
execucao de Manoel Joaqnim Baptista Se aia
houvef audiencia no dito dia tira a praea araaafa-
rida para a primeira do mesmo jaiao, Recite 1*
de julho de 1863.Manoel Joaquim Baptista.
Arrematacao.
No dia Io do prximo mez de agosto se ha da ar-
rematar depois da audiencia do Illm Sr. Dr. kax
municipal da segunda vara, por exeeofao de bJ-
thar A Oiiveira cinco moradas de rasas terreas si-
tas nesta cidade, pertencentes a heranca do tinado
Jos Fernando da Crnz, sendo 3 na roa Dirrita a.
41 avahada por 1:7005, n. 67 por 1:7095 e a. III
por 1:2005. tuna no largo da ribetra de S. Jos a.
23 por 1:5005, r oma na ra de lionas n. 99 por
2:0005.
Peta subdelegada do Peres foi aprehendido e
posto em deposito nm cavalk) ruco, dous scese e
um cinto contendo em dinheiro 65900, queso lr
seu dono eompareca, que provando, Ibe ser-'a-
tregue.
Subdelegacia do Peres, 18 de julho de 199.1.
Osubdeiepdo
Alexandrino Martins Correia Boma.

\
THEATRO
DE
A.
ESIPREZA
.1. K ARTE rmiM I.
25500 Toucinho.......0 de Lisboa vendeu-se a "5800
castoes o virtuoso vigario
valho, cujo nome j bem conhecido, se tem os-
tentado um verdadero ministro do Scnhor, c um
pastor que vive cheio de amor c desvcllo por seu
rebanho ; poroue, tendo aqui chegado na deplo-
ravel crise epidmica de 1856, quando sobre esta
i freguezia pesava todo o horror da desolacad, de
entao at agora se o ha visto quatro vezes correr
infatigavel de um ao outro extremo da dita fre-
guezia, sempre corajoso c resignado, como deve
acaba de reparar urna fia-' ser um sacerdote christao, e sem jamis escapar-
0 Dr. Joo Francisco Duarte, actual juiz do direi to
da comarca de Anadia, provincia das '.Magdas.
Paltiuwi, qut meruit, ferat.
O governo imperial
Carneiros........ um
Carvao vegetal...... arroba
Cavernas de sicupira urna
Cera de carnauba cm bruto. libra
dem idem em velas ....
Cha..........
Charutos........ cento
Cevados (porcos)...... um
Cocos (seceos)....... cento
grama iniustica, de que ha muito e sem sua plena' lhe urna palavra siquer de enfado, cm procura de ....
scienca era victima unidos mais distinctos 111a- suas ovelhas atiradas no lcito da agonia pelo mor- u*"a-.....,' '
jostrados desta provincia, e della natural o Sr. Dr. tifero contagio d'aqttella epidemia, para ministrar- Couros de boi, salgados ...
dem idem seceos espichados.
dem idem verdes.....
dem idem cabra cortidos. um
[ dem idem de onca.....cento
Doces seceos.......libra
Joao Francisco Duarte. | Ibes os salvadores remedios da nossa santa reli-
Ha mais de quatro quatt iennios servia elle o lu- giao, c conforta-las com a palavra divina
gar de juiz municipal e de orphaos do termo de ] Com cffeito, se nao fra a dedieacao verdadeira-
aranuuns, olvidado nesse exilio, como se nao fra mente evanglica do nosso muito digno vigario, e
digno dos mais altos cargos. la sua decidida intrepidez, muitos infelizes teriam
" Isso era sem duvida devido a nimia modestia do perecido nesses tempos de triste recordacao sem
seu carcter, e a plena conliancano governo im- receber os sacramentos da igreia, verdadeiros 11(, cm ce^a ou massa
perial, de quem tudo elle espera'va, sem nada pe- blsamos quecuram as almas, c alliviam ossoffri- *
dir. Seu proceuiniento pautado pela honra, alheio mentes da materia; e por isso a sua estada nesta,iaem em taiu'4
de toda intervencao poltica, e sempre moderado o freguezia cm taes occasides urna prova incon- Espanadores grandes. .
cussa de que Dcus, ainda mesmo castigando as' Uom pequeos ......
snas creaturas, se mostra misericordioso com ellas, pi f nn esiivis
nois que nunca de todo as abandona. 1Es,e,ra!, ^ oiro ou csUvas
Diga-se cmljora que o nosso Bevm. vigario nada de navio........cento
mais tem feito do que cumprir os seus deyeres: Estopa nacional......arroba
animava* a contar coin uni jiequeno numero de
amigos sinceros e desinteressados, embora tambem
com a indifferenca_ dos politiqueiros, e com o odio
dos sugeitos a accao da justica, que elle sabia dis-
tribuir.
Efectivamente, na pessa do Sr. Dr. Joao Fran-
cisco Duarte sempre foi reconhecido todo o niere-
cimento.
Desde estudante na academia jurdica de Olinda
mostrou elle possuir nao vulgar talento, bastante
um
porque em urna poca cm que o egosmo domina parnna e mandioca
alqueirc
infelizmente lodas as classes sociaes ; cm que ,
o afn em auferir as vantagens dos cargos e posi- Iaem ae araruia .;...' .' dr,oua
coes, e a soheitude em promover os proprios com- Feijao de qualquer qudhdade.
modos e interesses sobrepuja e vence a dedieacao Frechaes........ um
Fumo em folha, bom .... arroba
dem ordinario ou restolho
apphcacao,e proverbial moralidade, pelo que sem-!ao cumpririienlo das mais sagradas obrigaces;
pre mereccu honrosa mensao dos seus lentes, e a indubitavelmenteofunccionarioque,como o Bevm.
geral eslima dos seus collcgas, como elles podero Freir de Carvalho, se sacrifica todo observan- (
altestar. cia exacta de seus importantes e pesados deveres ; dem cm rolo bom......
Nesta cidade excrecu elle a profissao de advoga-'o parocho que, como elle, para prestaros seus dem ordinario ou restolho
do por alguns annos, com grande apreco e consi- servicos nao faz dtstinccao entre as ovelhas do seu Gannb.as........u1
lnroo-in rup Clll lliwlrnivir. fainlM nlrliii TAlfl rpliSIllll llr II. :i 1 Ir luir .IOS Seil lrOOriflS POmmA- ,
Gorama...... arroba
deraeio por sua illustracao jurdica, pleno zelo, rebabo, nem atiendo aosseus proprios commo-,
aliii de singular probidad para com os seus cons- dos, constitue urna excepcao, cassim se torna ere-:
tituintes. Ainda vivem algunias das pessoas que dor dos mais justos encomios,
nelle depositaram confianca para suas causas, ou Digne-se, por tanto, o nosso distincto vigario de
trabalharam sob o seu patrocinio, afim de testemu- receber este pequeo tributo de nossos coracoes;
nharem sobre esta verdadeira asser^ao. creia na sinceridade com que Ih'o ollcrecemos ;
Daqui retirou-se para o termo de Nazareth a fique certe de que o seu nome nunca se riscar
oceupar o cargo de juiz muinicipal e de orphaos, da nossa lembranca; e finalmente desculpe-nos o
onde servio por alguns annos sempre creuor de termos offendido sua reconhecida modestia,
todo o apreco e confianca das autoridades supe-1 Os abaixo assignados aproveitam o enseio para
i ores, e grande estima c respeito dos habitantes nao s consagrar um voto de gratido ao Jllm. Sr.
desse lugar. Antonio Bodrigues Duro pela boa vontade o des-
A seu pedido foi dahi removido para o termo de vello que empregou no tratamento dos parcmes c
Garanhuns, onde se conservou naquelle emprego mais pessoas da familia dos mesmos abaixo as-
desde 1849 at 1863, sem deslisar-sc daquella sua signados na ultima epidemia, como inda para
irreprehonsivel e invejavel conducta. faze-lo conhecido do publico como um cidadao re-
Durante esse longo exercicio servio com diver- coinmendavel pelo seu grande prestimo, senti-
dos juizes de direito daquella comarca, como os Srs. montos bemfazejos e desinteresse; porquanto todas
Drs. Querino Bandeira de Mello, Theodoro, e Cer- as vezes que infelizmente o cholera-morbus tem
quera Pinto, sempre na melhor harmona, qur grassado nesta freguezia, elle se ha expontanea-
rrn suas rda^oes publicas, qur as particulares, mente incumbido de curar muitos affectados,ricos e
tanto assim que elles incessantemente deram-lhe pobres, com medicamentos comprados sua cusa,
todas as provas da maior confianza, dstinecoe nao obstante ser homem pobre, e sem nunca ter
eslima possivel, como bem sabido alli portnos, exigido a menor remuneracao pelo seu traha-
e consta de pecas offlciaes existentes na secretaria lbo.
35000
15600
85000
200
360
15400
25500
155000
45000
300
160
230
090
400
105000
15000
320
500
45000
25000
165000
15600
35000
55000
15800
yoae
165000
105000
75000
55000
600
25000
255000
25000
115000
85000
200
15600
25500
55000
55600
840
por arroba.
Vinagre........0 de Ponugal vendeu-se de 1055
a 1155000 a pipa
Vinhos.........Os de Lisboa venderam-se de
1905 a 2105 a pipa, e os de ou-
tros paizes de 15o5000 a 1755-
Velas..........As de composicao venderam-se
a 560 rs. o masso.
Descontos.......O rebate de lettras regukw de
8 a 10 por cento ao anno.
Fretes.........Para o Canal inglez, carregando
na Parahiba 313 e do algodao
para Liverpool a Vi por libra
MOYIMENTO DO PORTO.
Navio entrado no dia 18.
Aracaty15 dias, hiate nacional Santa Anna, de
43 toneladas, capitao Antonio Joaquim Alves,
cquipagem 6. carga couros, farinha de mandio-
ca e outros gneros ; a Gurgcl & Irniao.
Nato sahido no mesmo dia.
Bio Grande do Sul pela BahaPatacho hespanhol
Ricardo, capitao Jos Baste, carga vinho.
Obseiracao.
Suspendeu do lamarao para o Bo de Janeiro o
brigue argentino Volante, capitao Bostford, com a
mesma carga que trouxc de. New-York.
Dia 19.
Nao houveram entradas nem sabidas.
Obserracao.
Amanheceu fundiado no lamarao o brigue escu-
na nacional de guerra Fidelidade.
EDITAES.
da justica e na da presidencia
Em 1856, em que a febre amarella, o em 1862,'
em que o cholera, fiagellaram aquella comarca, o
Sr. Dr. Joao Francisco Duarte distingnio-sc do tal
modo por sen genio prestadlo e caritativo, que se'
lornou o dolo daquelle povo, e era geralmente con-!
siderado o seu maior santelmo, d'onde cm mxima
liarte proceden o seu inmenso prestigio, a estima
publica, e bem fundada popularidade que alli tem
gozado, salvo entre um ridiculo numero de inimi-1
gos gratuitos e invejosos, quasi todos vis instru-
meatos de alguns hmeos perdidos na opiniao da
gente saa daejneila comarca. I
Dahi tambera resultaran-lhe os matores elogios,
e confianca que lhe prestaram os presidentes desta
provincia (de di varaos credos politices) desde o Sr.
coneesbeiro Pires da Motta,
Caruar, 3 de julho de 1863.
Jos Izitlorio dos Santos.
Joiio Joaquim da Sika Loureiro.
Antonio da Silva Florencio,
Antonio Francitco Florencio de Carvalho.
Francisco Gustavo Ferreira e Silva.
Manoel Alees Pereira.
Joao Noberto de Souza.
Francitco Rodrigues Porto.
Estevao Joaquim de Urna.
Antonia Innocencia Florencio de Vasconcellos.
Jos Francisco Florencio de Souza.
Joao Teixeira de Carvalho Patriota.
Joao Francisco Florencio.
Joao Francisco Florencio de Souza.
Francisco Jos Florencio de Souza.
com o qual ello ser- ----------- _
viat sendo que tambem existem provas escripias Illm. Sr. Dr. Joaquim Saldauha Mariano Te-
dales, ame muito o honran e distinguem. nho a satisaea de remetter V. S. o decreto de
0 sen nome no superior tribunal da relacao 23 do corren mez, pelo qual S. M. o Imperador,
Ipecacuanha (raz)......
Lenha em achas......cento
Toros..........
Linhas e esteios.......um
Mcl ou melaco.......caada
Milbo..........arroba
Papagaios.........um
Pao Brasil........quintal
dem de jangada .... van
Pedias de amolar.....urna
dem de filtrar......
dem de rebolo_...... 15*00
Piassava. ......... molho 120
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novilhos....... cento 55000
Pranchoes de amarello de dous
costados........um 205000
dem de louro....... 105000
Bap..........libra 15000
Sabio.......... 120
Sal........". alqueire 400
Salsa parrilha......arroba 255000
Sebo em rama. ...... 55000
dem em velas....... 75000
Sola em vaqueta......urna 35000
Taboas de amarello.....duzia 1105000
dem diversas....... 735000
Tapiocas.........arroba 35000
Tatajuba........quintal 25000
Travs.........urna 65000
Unhas de boi.......Cento 25000
Vassouras de piassava. ... > 105000
Idemdetimb....... 85000
dem de carnauba..... 65000
r
0 Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Bosa e juiz especial do com-
mercio desta cidade do Becife de Pernambuco e
seu termo, por S. M. Imperial e Constitucional,
o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guarde, etc.
Faco saber pelo presente que no dia 20 de julho
depois da audiencia respectiva se ha de arrenia-
tar por venda a quem mais der em praca publica
deste juizo, a casa de sobrado de dous andares sita
no pateo do Paraizo da freguezia de Santo Antonio
com o numero 39, cuja casa faz quina para a ra
da Boda e com a entrada pela mesma ra, avaha-
da em onze contos de ris, dita casa perten-
cente ao coronel Jos Pedro Vellozo da Silveira e
a este penhorado por execucao-do Dr. Augelo Hen-
* i rique da Silva como tutor dos orphaos filhos do fal-
Por osla subdelegacia so faz publico a quem
interessar, que foi preso e acha-se recolhido casa
de detencao um preto que diz chamar-se Manoel e
serescravo do Sr. Jos Bodrigues de Sena, do
engenho Frexeir ; quem se julgar com direito
eompareca munido de seus ttulos, que lhe ser
entregue-
Subdelegacia do Peres, 18 de, julho de 1863.
O subdelegado
Alexandrino Martins Correia Barros
Pela administracao do correo desta cidade
se faz publico, que pela celeridade com que par-
tera os vapores da companhia franceza, com es-
pecialidadc para os portes da Europa, que de ora
cm diante, logo que os mesmos vapores derem o
sgnal de se acharem fundiados, serao fechadas
as malas que tiverem de conduzircm para a Eu-
ropa.
Correo de Pernambuco, 18 de julho de 1863.
administrador
Domingos dos Passos Miranda.
Quarla-ffira 33 de jalas de 1813.
I BEMFICIO
DO
ACTOR LISBOA.
Depois que a orrhestra. dirigida pelo i
professor Pedro Baptista, tiver execntado ama an-
iante symphonia. subir srena o muito apptaa-
dido drama em quatro actos
O PODER DO ORO.
Findo o drama, o Sr. Penante cantar pela ari-
meira vez neste theatro a chistosa aria cmica
O SIHPIJ(IOPil\iO
msica tirada da aera eeaaca
A VELHICE NAMORADA.
Dar fim ao espectculo, a pedido de muitas pes-
soas, a sempre applaudida comedia em ura acto
O HOLLA^DEZ
ou
FAGAS O MAL QUE NAO TEZ.
Sendo descoipeobade POETA arle Sr. Csaaara.
Os bilhtes acham-sc venda era eaa do beae-
ficiado, ra de Borlas n, 120, ou no theatro.
Principiar s 8 horas.
I GRANDE CONCERT
VOCAL IVSTIU ll\TiL
NO
S4L0 DO THEATRO DE SANTA ISABEL.
.4 UUmWltTM
DA
lecido Francisco Carneiro da Silva e mais herdei-
ros do mesmo, e nao havendo licitantes ser arre-
matado feita pelo preco da adjudicacao e com o
abatimento respectivo d lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar edital que ser afflxados no lugar
do costme e publicado pela imprensa
Dado e passado nesta cidade do Becife de Per-
nambuco aos 14 de iulho d 1863, 42* da indepen-
dencia do imperio do Brasil.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao o subscrevi,
Tristao de Alencar Araripe.
. ERBATA DO BDITAt TA FACt'LDADE DE DIREITO.
Em ves de Jos Francisco de Barros Bego, 11
inclusive urna sabbatinaleia-seJos Vicente da
Cesta Bastos, 11 inclusive urna sabbatina.
O seci otario
B.. de Menetes.
DECLiRACOES.
eonselho administrativo.
O eonselho administrativo para fomecimento do
arsenal de guerra, tem de comprar os objectos se-r
guinles:
- ?
mmmmjmmmmxjmmmJte:
HIHKIHt PARTE.
I.* Ouvertura pela banda militar.
2. Grande symphonia quatro mos da opera Guilhenae MI, do im-
mortai mestre Rossini, executada ao piano pela beneficiada e o dis-
tincto professor Innocenzo Smollz.
3." Scena e aria da opera 11 Trovatere, do mestre >*erdi, cantada
pela Sra. D. Egislena Santini.
4. Dueto Soovenir ileil Aulla, para piano e rabeca por Bazzini,
executado pela beneficiada e o professor Pedro Justino.
5." Capricio para piano sobre motivos da opera Eraaai, por E. Pru-
dent, executado pela joven beneficiada.
Si:.l >IA PARTE.
1. Ouvertura pela banda militar.
2. Symphonia quatro muios, da opera Semiramide, do mestre Ros-
sini, executada ao piano pela beneficiada e o Sr. Smollz.
Z.9 Cavatina da opera Lucrecia Borgia, cantada pela Sra. D. Egislena
Santini. '
4.* 0 Sr. Pedro Justino e o distincto artista dramtico o Sr. For-
tado Coelho executarSo um dueto, para piano e rabeca, de soa escolna.
5. Fantasa de concert sobre Bslisarie, do mestre Donizetti, por
A. Goria, executada ao piano pela joven beneficiada.
N concert ser finalisado com um romance brasileiro, que a poesa
a poesa o primeiro pensameoto musical, composto pelo Sr. Dr.
Barros Jnior, e introdcelo, acompanhamento e final, composto pelo
Sr. maestro Francisco Santini, que ser eantada pela Sra. D. Egislena
Santini.
este o divertimento que a beneficiada destina ao publico Ilustrado
desta capital. Contando com a proteccio do mesmo, a beneficiada lhe
'i protesta os seus mais sinceros agradecimentos; e com muita esj>ecint-
/5 dade Exma. Sra. D. Egslina Santini e aos distioctos protessores, qoe
tao generosamente se prestam para abrilhantar o mesmo concert.
i Principiar s 8 horas.
I
-i



Mario e Peraumbneo egunda felra d> Jnlho de 1.
=
o abaixo assignado, lanzador da recebedo-
ria de rendas internas gentes, de conformidade
como artigo 37 e seus do decreto de 17 de
margo de 1860, tendo de farer a colleela no ba-
irro do Recife, dos impostos a que cstao suieitas as
lojas e casas commerciaes e outras de diversas
Chuses e denominactes ; avisa os-donos dos res-
pectivos estabclecimcntos, que tenham presentes
no acto da collecta os recibos e papis de arren-
damento de saas casas, visto que olies tedio de
servir de base ao proccsso do lancamento, o qual
ter principio no dia 20 do presente mex as ras
seguintes : caes TAtfandega, largo da mesma, arco
da Conceicfo, roa da Cadcia, da Crin, da Lingu-
ta, do Torres, e boceo do Abreu.
Recebedoria de Pernambueo, 18 de julho de
1HG3.
Jos Tlieodoro de Sena.
m
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
OE
PAQUETES A VAPOR.
At o dia O de julho, espe-
rado dos portes do norte o vapor
Oyapock, commandante o prmei-
ro tenente Antonio Marcelino
Pontes Ribciro, o qual depois da
demora do costume seguir para os portes do
sol.
Desde j receliem-se passageiros e engaja-sc a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
sor embarcada no dia de sua chegada, encom-
inendas e dinlieiro frfte at o dia da saluda as 2
horas: agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Aievedo & C.
COMPANHIA VERNAMBUCANA
DE
X-ivegaco costeara a vapor.
Paralnba, Natal, Mario, Aracalj e Ce ara.
O vapor Jaguaribe, commandante
Moura. seguir para os portos do
norte at o Cear no dia 22 do
corrente as 5 horas da tarde. Re-
cebo carga at o dia 21, encom-
niendas, passageiros e dinheiro a frete at o dia da
saluda as 3 horas : escriptorio no Forte do Mat-
tos n. 1.
LE1LA0
M
50 barrls con vlnho tinto.
QurU-fctra 22 4* ctrranu
O agente Pestaa vender por conta c risco de
quem pertencer 30 barris com excellente vinho un-
Miguel Jos da Silva, mbito portuguez. re>
tira-se para Portugal a tratar de sua sade, e deixa
ramo seos procuradores para tratar de seus-nego-
cios, em 1." lugar ao Sr. Domingos Antonio da Sil-
va Beiris, em %' ao Sr Joaquim Coelh de M-
meida.
LeonardMettleikampc, sua senhora, sua
to desembarcado ltimamente em um ou mais lo-, flHia e dous nettOS, subditos hamburguezes,
tes, quarta-feira i do rMj^JJr*s < retiram-se para a Europa.
inanlia no trapiche do baro
Forte do Mattos.
do Livramento no
da as-
da
Leilo quartadeira 22 do corrente na porta
sociacio commcrcial as 11 horas.
Sitio na Capunga daviuva de Jos Evangelista
Costa e Silva seu rendimento de 300$,
terreno proprio.
O agente Euzebio vender em leilo o sitio na
Capunga, com grande casa de vivenda para nume-
rosa familia por ter muitos commodos, casa para
escravos, feitor, cacimba com excellente agua, bom-
ba, tanque e casa de banho, com viveiro, baixade
capim, muitos arvoredos de fructos que seria en-
fadonho descreve-los, com tudo se dir que tem
cerca de 200 ps de larangeiras de diversas quali-
dades, sapotis, goiabeiras, abacate, mangueira, par-
reira, emiim, convida-se aos pretendentes queiram
dirigir-se quelle lugar a examinar o sitio que s
com vista serao satisfeitos : devide com o flo Srs.
Antonio Roberto e Jacobina._______________
Leila quarta-feira 22 do corrente na porta da as-
sociaco commercial as 11 horas.
Parte do sobrado n. 53 ra da Imperatriz no va-
lor de 3:0005.
Dito de dito n. 14 ra do Torres dito 5:0005-
Pertencente a massa fallida de Bastos & Lemes.
O agente Euzebio de novo submette a leilo as
partes dos sobrados cima como foi determinado
pelo juizo do commercio no acto do leilo serao
apresentados os ttulos.
Leilo quinta-feira 23 do corrente as 11 horas.
Da armaco da loja na ra Nova n. 16.
Por intervencao do agente Euzebio se vender
em leilo ao correr do martello a armacao da loja
cima, garante-se o traspasso das chaves enjo alu-
guel da casa razoavel.
AVISOS DIVERSOS.
LOTERA.
Plalas Panllstams
VEGCTAES DKPHATIVAS.
Estas pilulas, sendo nicamente compostas de
puros vegetaes colhidos nos campos e matas desta
provincia de S. Paulo, as virtudes e eficacia deste
inaravilhoso medican uto se acliam boje asss co-
uliecidas pelas numerosas curas que com ellas se
tem obtido, tornndose um remedio sempretil
e necossario, especialmente as molestias vene-
reas. A purgaeu ou gouorrha antiga ou moder-
na, 3 pillas n. 1 de noite e 3 pilulas n. 1 de ina-
nlia. seguindo at sarar radicalmente. Tratamen-
to dos bubSes no primeiro symptoma pode-sc re-
solver sem vir a furo, tomando 6 pilulas de noite
e 6 de nianha pelo espaco de 12 das seguidos, e
se vier a furo nao baver perigo de fstula. o
tratamento dos cancros venreos ou feridas gan-
grenosas ou roedoras, 6 pilulas n. 2 de noite e 6
n. 1 de inanlia, at completar o curativo. Autor,
Carlos e Pedro Etcliecoin
AGENCIA PRINCIPAL
Rio de Janeiro, na do Parto n. 419.
DEPOSITO EM PERNAMBICO
Na pharmacia do Sr. Jos Alejandre Ribeiro, ra
du Oueimado a. 1 i.
Loja para alugar
Aluga-se a loja do sobrado sito no largo do Car-
ino n. 18 : a tratar no mesmo sobrado, no segn-1
do andar._________________^________
Um moco com quasi todos os preparatorios,
offerece o seu pequeo prestimo para cscriptu-
rar em qualquer casa commcrcial, c ao mesmo
tempo se offerece fazer qualquer cobranza : quera
o pretender, dirija-se ao pateo do Terco n. 141, se-
gundo andar. ____
Um moco quer empregar-se como caixeiro
em um engenno : no largo do Terco n. 23, arma-
zem do conservativo.
MESSAGEMES IMPERIALES.
rtYlSO.
A sahida dos paquetes francezes do Rio de Ja-
neiro para a Europa tora lugar deste mea em dian-
tc no dia 24 de cada mex, devendo portante chegar
aqui no dia 30. _________ _
COMPANHIA PERMANBUCANA
DE
Xavegaeo costeira vapor.
Macei c escalas
O vapor Mamanguape segu
para os portos do sul at Macei i
no dia 25 do corrente as 5 horas
da tarde. A carga ser recebida
at o dia 24 ao meio dia, cn-
comntendas, passageiros e dinheiro a frete at o
dia da sahida as 3 horas: escriptorio no Forte do
Mattos n. 1.
ara o Araeaty.
O hiate Xicolo I, est prestes a seguir viagem
para o Aracat>, pode ainda recetor alguma carga
para que se trata com os consignatarios ra da Ca-
deia n. 57._______________________________
Para Lisboa
O veleiro brigue portuguez Laia II, capitao A.
F. Vioira sahir no da 2o do corrente por ter a
mator parte de seu carreganieuto proinpto : para
carga e passageiros. trala-sc com o consignatario
E. 11. llabello. ra da Cadeia n. 55.
Para o Hlo Crande do Mu.
BMW o brigue nacninal Olinda, at o fin
du correte mez, com a carga que ti ver: re-
cebe alguma a frete e por qualquer preco :
tniln-se com Baltar Oliveira, ra da Cadca
-n. .
A pessoa que por engao levou o romance
Quarta-feira t> de agosto prximo se extra- rtoehedo dos Amores,que se achava sobre a
hir a ultima parte da primeira e primeira' mesa do porteiro, na thesoureria provincial, te-
da segtmda loferia da Santa Casa da Miseri- Jhaa {J^^"^ cstre"a do Rosa"
cordia.
Para o Maranlio e Para
pi-i-tende seguir uestes oito dias o veleiro e bem
((.nliei'i.lo brigue escuna Jote* Arthur, tem a
sea iKirdo parte de seu carregamento ; para o res
to que Uie falta, trau-se com os seus cons
tarios Antonio Luiz de Oliveira Azcvedo & I
seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
nata-
no
Para Lisboa
san'com amaior bivvidade o brigue portuguez
Relmpago por ter a maior parle da carga proinp-
ta : quem no mesmo quizer carregar ou ir de pas-
sapem, para o que tem bous commodos, trate com
O consignatario Tbomai de Aquino Fonseca, ra
do Vigario n. 19. primeiro andar, ou com o capi-
tn na praca.
LEILOES.
LEILO
DE
Fazendaspara liquidaco em lo-
tes pequeuos.
i OJK
A tiro de martello.
O agente Pestaa vender para acabar e liqui-
dacao a tiro de martello o resto das fazendas da
ru da Cadeia n. 50 onde existen ainda casacas,
naletots, colletcs, cortes de vestido, lencos, chales
de lia e merino, chapeos, lavas, meias e tambem
venezianas da India ae palha para janellas, charu-
teede nianillia. esleirs para carme muitos outrs
artigos que atrio vendidos sem limites,: hoje s
10 horas na loja cima.
DE
Una mobilia de Jacaranda, 2 eandieiros de gaz, 2
ditos de azeite, 2 caslicaes e mangas, 2 tapetes,
2 escarradeiras, 2 laucas e pertences para corti-
nados, 1 oculo e estante, 1 caixa cora revolver, 1
toucador, 2 estantes pequeas, 1 divn, 1 consolo
com pedra, 12 cadeiras americanas, 6 ditas ita-
lianas, 2 ditas de balanco, 2 mesas de jogo, 1 me-
sa redonda, 2 commodas, 1 secretaria, 1 bid, 1
marqueza, 1 cama de ferro e lavatorio, 1 appa-
rador, 1 mesaelastica^l apparelho para jantar,
1 dito paca almoco, rryMaes. 1 machina para ca-
l, 1 guarda comida de rame e outrps objectos.
Terca-feira I de julho.
O agente Pinto far Icilao por conta de ura seu
amigo que retira-6c desta provincia de todos os ob-
jectos supra mencionados existentes no terciro
andar do sobrado da ra do Trapiche Novo n. 14,
casa flo consulado de Franca, devendo ter princi-
pio as 10 horas do dia cima dito na referida casa.
DE
Predio.
Um sitio na estrada de S. Jos do Manguinho
com casa de sobrado em terreno proprio, coxeira,
estribara, senzala. casa de deposito d'agua do en-
canamento, cosinha ao lado, baixa para capun, di-
versos arvoredos, murado na frente com portao e
grade de ferro.
Metade do sio>la Passagem da Magdalena com
um sobrado de um andar, eoxeira, estribara, sen-
zala, murado com grdame c portao de ferro na
frente.
E em seguida irlo as seguimos casas :
Ra Imperial n. 9, que rende 18; idem n.
14, do lado do nascente, que rende 10; ra da
Calcada n, 45, que rendo Hfi ;g_rua do Forte n. 5,
que rende 8$. ^^
QaarU-fetra 22 de rerrenle.
O agente Almeida far leilo pela segunda vez
dos predios cima pertencemes a massa fallida de
Bastos & Lemos c despacho do Illm. Sr. Dr. juiz
especial do commercio.
O leilo ter lugar na associacao commercial as
11 horas.

&
Os bilhetes emeios bilhetes acham-se ^^t'Z^.TZ
venda na respectiva thesourana, ra do, ment0 n. 13.
Crespo n. 15, e as casas commissionadas
ra da Imperatriz n. 44, loja do Sr. Timen-
tel, praca da Independencia n. 22, loja do Sr,
Soares Hnheiro, ra ireitan. 3, botica do
Qiagas.ruada Cadeia n. 4o, loja do Sr. Porto
e em Apkmcoa estabelecimento do Sr. Fran-
cisco M. S. Mondes.
Os premios de 5:000/ at 105 serao pa-
gos urna bora depois da extraccao at as 4
lioras da tarde, e os outros no dia seguinte,
depois da destribuico das listas.
O tbesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
para caixeiro de
na ra do Livra-
!l
IiOTERIA*
O tbesoureiro das loteras desta provin-
cia, desojando extrabi-las em maior capital
e com menores intervallos, offerece a vanta-,
gem de dous por cento quem comprar
para negocio, na quantia de 1000 para cima;
assim como se propoe a estabelecer corres-
pondencias para qualquer localidade da pro-
vincia, remetiendo bilhetes, meios e listas,
sob lianca idnea: devendo o pagamento
delles ser feito logo que sejam recebidas as
listas e novos bilhetes remettidos. O tbe-
soureiro certo da conveniencia desse negocio,
convida aos Srs. eommerciantes da Victoria,
Goianna, Rio Formoso, Nazareth, Serinhem |
e raais localidades populosas da provincia, e j
mesmo os desta capital, que o quizerem, a
entenderem-se com elle, na tbesouraria das
loteras, ra do Crespn. 15: advertindo
que receber em pagamento e sem descont,;
os bilhetes premiados de todas as loteras'{
da provincia recolhidos thesouraria da fa-
zenda provincial.
Thesouraria das loteras, 20 dejunho de
1863.
0 tbesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Aluga-se un pelo perfeilo cozinheiro c com
habilitar-oes para casa estrangeira, jxir ter ortica
de servir com esta gente : a tratar com Joaquim
da Silva Costa, em seu estabelecimento da ra BS
Cruzes junto esta typographia.______________
Francisco Pereira de Silva Santos, tem con-
tratade vender ao Sr. Bernardino Jos de Medeiros,
a sua taberna cita na ra da Cadeia-Nova n. la :
se alguem se julgar com direito a impedir este ne-
gocio, tenha a bondade de dirigir-se mesma ta-
berna no prazo de 3 dias, contados da primeira pu-
blicaco deste. Recife, 18 de julho de 1863.-Fran-
cisco Pereira da Silva Santos.
Precisa-se de urna ama para todo servico interno
de urna casa de pouca familia: na ra da Gloria
n. 85.
Os hachareis Maximiano Lopes Macha-
do e Thom Fernandes Madeifa de Castro
tem o seu escriptorio de advogacia ra
do Imperador n. 71. primeiro andar, onde
podfim ser procurados todos os dias uteis
das 9 as 3 horas da tarde. Advogam no
ecclcsiastico, no commercio, administrati-
vo, civel c crime; e .encarregam-se de
promover qualquer questo pelo centro
desta e de outra qualquer provincia.
Aos absolutamente pobres tratam da
defeza dos seus direitos gratuitameute.
O medico-cirurgico Antonio Jos Ferreira
Al ves mudou-se para o primeiro andar da casa n
11 da ra do Queimado. _______
CRIADA.
Precisa-se na ra do Imperador n.
andar, urna criada que saiba
ensaboar.
ESTABELECIDO NAC1DADE DO PORTO
Agentes cm Pernambueo
Antonio .nix de Oliveli-a
RA DO IMPERADOR
N. 22.
Grande annaiem de tintas.
Este armazem contm tudo quanto
preciso jora que a industria de pintura, de
qual ue r genero que seja, desenqienhe
seu lim, isto i'inbellezar, conservar e
reproduzir.
Moutado em grande escala e supprido
directamente por glandes fabricas de Pa-
rs, Londres e Hamburgo, pode offereeer ^
productos de confianza, e satisfazer qual- saS
quer eneommenda grosso trato e a re- JUI
talho.
Os Srs. artistas pintores, e os donos de
obras podero escolber vontade, pois
que tudo estar vista, as diflerentes co-
res de que tiverem neeessidadi.-.
Ha tintas em massa e em p impalpa-
vcl, e como as obras a envernizar^ s se
deve empregar Untas muidas, c nao me-
reeendo conliancaasque vem de fdra paja
commercio, por velhas, e talvez falsinca-
das, neste armazem se as moer vis-
ta do consumidor, que s assim ter tin-
tas frescas e verdaueiras.
Ha tambem ouro verdadeiro, verde em
p eemfolha, prata em folha, p debron-
zt^ar de varias cores, diamantes para cor-
tar vid ros, burnidores, ncar superfina en-
carnada, amarclla c verde, tintas vege-
taes, azul, roxa, verde e amarella, iuoffen-
sivas, nicas que se devem empregar as
eonfeitnrias, coJIeecoes de pinceis para
fingir madeira, com propriedade, e outros
de varias qualidades, vernizes, copal,
graixa, branco ou escuro para o interior
e exterior, para etiquetas e quadros, tin-
tas finas em tubos, em crayOes ou paste.
tollas para quadros, caixas de tintas finas
e papo! jiara desenlio.
Essencias aromticas verdadeiras, fras-
cos e vidros para vidraca de todos os ta-
maitos, e muitos outros objectos, cuja
utilidade e emprego s com i vista pode-
ro ser mostrados.
Joo Pedro das Noves,
_ Gerente.
Aluga-se a loja de um sobradinho da
ra da Praia, proprio para negocio, por ser
no centro da ra, ou para morada de peque-
a familia: na livraria ns. 6 e 8 da praca da
independencia.
Aluga-se o sobrado da Sra. viuva Lasserre,
na Capunga : a tratar no escriptorio de R. R. Las-
sene & C., ra da!Cruz n. 13._______________
Pede-se ao Sr. inspector da ra Uireita que a
bem da moralidade publica faca conter a urna mu-
Iher depravada moradora na iiiesina 1 na n. I, valo
insultar ella diariamente eoni palanas indecentes
nao s aos moradores da ra ireita como aos da
ra da Penlia. Esta inulher pelo seo nio com-
portamento j tem estado na cada jxir diversas
vetos no tempo em que morava na ra de Aguas-
Verdes, portanto bastante conhecida. Isto pedo
Um morador da ra Direita.
Toma-se una menina ou menino, empellido
ou desempedido : quem quizer, dirija-se ao becco
do Carioca n. 3, loja.
O Sr. Joo Thoinaz1ereira queira diri-
gir-se a ra de Santa Rita n. lu, a negoeio
que nao ignora.
COMPTABILIDADE COMMERCIAL
PELO
DR. W1TKUV10 PINTO BANDEIKA
Profcssor da segunda cadeira do Corso Conuurrrial Pfrnambwano.
DOUS BELLOS VOLIMES El 8. FRA-NCEZ
COHPREIU;NDENDO
O primeiroPrelec^or theorieo-pralleaM de eseripin-
raco mercantil.
O segundoXocde de arUhmetlca con-
merelal. adaptadas pratiea das operaees com-
merelaes e elementos do systema
mtrico com siias appllcaces
ao commercio.
PHEgO DE CADA VOLME ?,>.
Esta obra, apezar de elementor, vem preencher una lacuna. que era sentida itre nos
onde fallecera escriptos de certas especialidades com aecesso a todas as iiite||igenrin> ; e as-
sim o editor |Hmsa fazer um servico dando-llie publicidade, tanto mais quanto lu>je, que a
transaccoes romiueiciaes e inilustriacs vio entre nos tomando notavel desenvolvimento. deve
entrar a educacao daquelles que se querem apphcar a taes ramos da vida o conheennento
dos principios da comptabilidade administrativa e comniercial.
Com este intuito, sob urna forma essencialinente classica, reuna o Sr. Dr. Wilnivio os
principios da comptabilidade commercial no que tem ellos de mais elementar, e coordenou-
os de modo a facilitar o mais possive! o seu estudo s pessoas que si- di-stinain s profissoes
commerciaes, sendo tacsa concisao e telaran postas nodesenvolvimento respectivo, que po-
de-se aprender a materia, cliegando-se a escripturar os livros |or partida- deliradas 1 appli-
car o calculo s operacoes do commercio, sem carecer da intervencao de un nMNk
O primeiro volume, formulado sobre a obra de Rertrand, occiipa-se mais esnei-ialiiH>nte
da escripturaco mercantil por partidas deliradas, cojos principios sao desenvotfMU en har-
mona com a'legislaco brasileira, contendo alm disto um importantissinio appendice sobre
as sociedades commerciaes em todos os seus movimentos. quer pelo lado da esrripturar*.
quer pelo da formacao, existencia e exlineeo dellas em face da le. Neste IMMBM, .ItijOi-
cadamente racommendavel por sua originalidade e pelo ciuilio de Rspecialismo. tem i> rain-
merciante una guia para sua direceo, qualquer que seja a forma da soriedade que cntraia.
(lompleta este volume o specimeno resumo de urna escripturacio, Bcttrla verdad*, masem
tudo semelhante de una casa de commercio ordinario, oflerecendo nma serie de openrioi
successivamente mais difTiceis, que assim inicia gradualmente a maneira de escriplura-lM
nos diflerentes livros de una casa de commercio.
O segundo, egualmente formulado sobre a obra de Kottinger, oecupa-se part'eiilaniiontr
da arithmetica commercial com exercicios e problemas pelo meio mais simples, fcil e breve
da regra conjuncta acerca de todas as operacoes praticas usuaes no commercii.. envolvendo
clculos de cambios de praca praca e por praeas intermedias, bem como negocios de li.oico
com arbitragens de canihios, alm do desenvolvinento do systema mtrico em suas relacoes
com o comiiii'rcio, Ilustrado por meio de tabellas de ronverso.
O editor nada mais accrescentar estas breves palavras. que asss demonstran! a im-
ancia real desta obra, devida a intelligencia e a applicacao an urada du seu autor, seno
ipie ella de utilidade geral. e (|ue a nenhuin coinmerciante e mesmo a hornea algiiin de let-
tras licito deixar de possaf-la em sua estante ; pois o coinniercio en suas variarlas e\olu-
ciie^. entende actualmente com tudo que se liga a vida. ,
' A asignatura toma-se as livrarias dos Sis. ('.oimarae- \ oliveira, Nogueira d Soa-
za, Jnliao & Pereira e Geraldo H. de Mira, sendo rcalisada sua importancia pela apon de cada
volume ao sabir do inelo, para o qual ora entra o primeiro.
O EDITOR.
I
:+
m
port

Joao da Silva Itanms. medico pela lu-
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa, na ra Nova n. 30, das 8 s 10
lioras da inanlia, e das 4 s Oda tarde, e
recebe egualmente convites para dentro
ou fra ila ciilade, com o lim de se encar-
regar de qualquer servico de sua profis-
so.
Os chamados devero vir por escripto.
Alnga-M o sobrado todo ou smente o ar-
juiazem an vastas proporcBes da nn da Cruz n.
i 62 : a tratar na ra da Cadeia do Hecife n. 40,
;'^f primeiro andar, com lloclla Lima & Guimares.
Azcvedo k C.
Sacam ]ior lodosos paquetes sobre n y !iCSJliS! liSliiiSatSlitiS!
mesmo lanco prazo ou vista, sobre a 1, | ^ Frecisa-se de una ama de fete,
2Sf8an^ quandomuito.at 6
Real, Regoa, Vianna de Castcllo, Guinia- V;<$
raes, Barcellos, Lamego, Covilha, Braga, fe'
Penaliel, Bragan;a, Amarante, Angra, '
liba da Terceira, liba de Patas, Ilha da
Madeira, Villa do Conde, Valenca, Bastos,
Oliveira de Azemeis, Chaves e Fafe, a
oito dias vista ou ao prazo que se conven-
cionar.no seu escriptorio ra da Cruz
n. 1.
*5^V"Y
>:-:^^
AMA DE LEITE.
nao tenha
Precisa-se de urna ama de leite que
filho : no becco da Boia n. 14.
mezes decorridos na criaco de que ffi
se ache encarregada: na ra estreita g|
do Rosario n. 31, 3 andar, por cima W,
do armazem de trastes do Sr. Mo- ^
Una rrionla de bous costones, que cose, co-
zinha e ciigomma, se offerece para ama de casa de
pequea familia : na ra da matriz da Boa-Vista,
casa n. 62.
Escravos para alugar.
Na ra da Gloria n. 89 ha para alugar bons es-
cravos para todo trrico.______^_________
Constando ao abaixo assignado que Luciano
Gabriel Pereira de Lyra pretende vender a sua
propriedade denominada Serra da Prata, sita no
districto de colenia do Bonito, na comarca de Ca-
ruar, declara, para que ninguem contrate a com-
pra dessa propriedade com o dito Luciano, que
ella se acha hypothccada por cscriptura publica
lavrada na carlorio do tabclliao S, para garanta
de urna letra da quantia de rs. I:i08210 aceita
pelo mesmo Luciano, cuja letra pertence ao mes-
mo abaixo assignado, e acha-se protestada, e em
juizo para ser cobrada judicialmente. Recife 18
de julho de 1863.
Antonio Egidio da Silva.
- Quem precisar de urna ama para engommar
dirija-se a ra do Amorim n. 52, a tratar com o
Sr. C. Alcoforado.
Os senhores credores da massa fallida de
Camargo & Silva, sao convidados pelo presente pa-
ra apresentarem seus ttulos de divida aos admi-
nistradores da predita massa, na conformidade do
disposto no artigo 839 do cdigo commercial, para
em seguida se proceder o rateio.
Precisa-se de um cozinheiro ou cozinheira :
na ra do Imperador n. 27, defronte da ordem
terceira de S. Francisco.
Precisa-se de una ama para cosinhar e
comprar : no pateo do Carmo n. 9.____________
Aluga-se a casa terrea da ra Imperial n.
66 : os pretendentes dirijam-so Caixa Filial.
CASAS PARA ALUGAR-SE.
Alugam-se o 2o andar da casa n. l e 3
n. 53. ambos no Recife, ra da Cadeia: para
ver se aeharo as cliaves dos mesmos na lo-
ja n. 51, do Sr. Joao daCunha Magalhes.
Offerece-se urna mulher para ama socca d(
urna casa de pouca familia : quem precisar, diri-
ja-se a ra da Concordia ao p do armazem de ma-
deiras.________________________________
Francisco Ferreira da Silva, Portuguez, reti-
ra-se para Europa.
__Offerece-se urna mulher de nleia idade para
ser ama de casa de estudante : quem do seu pres-
timo se quizer utilisar, procure na ra do Sebo nu-
mero 43.
RIO DE JANEIRO.
Caixa depositara.
Este estabelecimento alm das operaees han-
carias quefazem o principal objecto de suas ope-
raees, incumbe-se de receber ahigueis de pre-
dios urbanos, juros de apolioes, dividendos de
acijoes do bancos c companhias, cobranza de le-
tras e ordens a praso fixo, pondo estas quantias
em contas corrente com juros, ou saccando a fa-
vor de seus committentes. Tambem se encarre-
ga da compra ou venda de apolices e ac^es.
A comraissao da cobrauca dos juros de apolices
e dividendos de accoes, compra ou vendas das
mesmas, de um por cento, e das outras cobran-
cas de 2 a 3 por cento.
Rio de Janeiro, roa de S. Pedro, n. 128.
Costa Guimares & (.'.
. Alugam-se dous prelos jiara todo o servico :
no Araial, sitio da viuva Falcao.
ATTESCllOo
FAZENDAS DE BOM GOSTO.
Lindos cortes de la de barra Imperatriz, ditos de laa com barra matisa-
da, ditos lisos com palmas de seda, lindas las de cores matisadas a 500 rs. o
covado, ditas com palmas de seda a 640, 700 e 800 rs. o covado, cortes de
seda de cor matizada os mais superiores que tem vindo ao mercado, lindos
cortes de mor-antique de cor linda, gorgurao de la e seda de quadrinbos e
lisos, fazenda inteiramente nova para vestido.
Superiores cortes de blond branco para noiva, camismhas de cambraia
bordadas, brancas e de cores, lindos saatambarques de cachemira de cor enfei-
tados e bordados da mesma cor. ultima moda em Paria, superiores chapeos
de palha da Italia, enfeites de flores, capellas brancas e outras muitas fazendas
de gosto que seria enfadonho annunciar: na ra do Crespo n. 13, loja das
columnas, de Antonia Correa de Vasconcellos & Companhia.
NOVO ESTABELECIMENTO DE MEDICINA HOMEOPATHICA
RITA JVOTA lio 4.
0 Dr. Sabino 0. L. Pinho miuLu o seu CONSULTORIO para aloja de inarmon;
ra Nova n. 43, onde continua a dar consultas lodosos dias uteis desde o meio dia at*
2 lioras. .
Os enfermos, que o procuraran logo na invasao da molestia, sem que hajam lo-
mado qualquer remedio, nem allopalhico, tem bomeopatliico, pagano melad.- dos jampa
estipulados. Esta copcessSo lem por lim facilitar a cura de molestias, que podem lomar-
se complicadas pelos emprego intempestivo Ma (teraputica e ao mesmo tempo adquirir
para a homeopathia maior numero de adeptos pela bateza da cura.
Em attenco as pessoas pobres, que nao podem sabir de dia, o Dr. Sal>ino resol-
ven dar duss insultas por semanas as tercas e sextas-feiras das seis assete horas d
noite.
Os chamados para \ sitos o conferencias devem ser dirjgidos por escripto ao ro-
sultoro desde 8 horas do dia at 8 da noite, na certeza de que seo ultcndidos m OMal
de sua precedencia, salva a ciirumstancia de eminente perigo.
ADVHKTUXCIA.
O novo consultorio est prvido dos melhores medicamentos, desde a primeira
at a trigsima dynaminjsacjio.
E como os mdicos hespanhes e allemaes nao cessam de certificara major efi-
cacia das ullissimas dynaminisacoes do tratamento das molestias chronicas, o Dr. Sabino se
oceupa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais altas ( por ora at 00.-').
afim de verificar por s mesmo a forca dynamica, (pie se Ihe atlribue.
Os mdicos, (|ue quizerem experimentar taes dynaminisacoes podero dirigir an
consultorio suas receitas, que serao aviadas gratuitamente para os pobres.
No mesmo consultorio se vende a novissima edico do Tlwsouro IpaweHawra
ou Vademcum do homeopatha, obra indispensavel a dos que querem usar da bono-
palhia.
Tudo o que diz respeito nova medicina se acha abundantemente neste novo eatave-
lecmento.
V T-t^"^ iV^^^IVf^ 'V^r*1 *V??-~i 'VI "^V^ ~/~'>^ ~*T>-y 'V)'>5 *>~ ^"* ^
INTERNATO
UE
RA DO QUEIMADO N. 46
muro
DE
FAZEXDAS m ROCPAS FEITAS.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 250, 285, 30)5 e 35$, casacas
muito bem feitas a 255, 285, 305 e 355, paletots acasacados de panno preto de 165 ate
250, ditos de casemira de cor a 155, 185 e 205, paletots saceos de panno e case-
^rfrancisco Ignacio Pinto agente de cloes le- mira de 85 at 145, ditos saceos de alpaca, merino claaide 45 at 65, sobre de alpaca e
galmente estabelecido nesta cidade, mudou o seu'merino de 75 at 105, calcas pretas de casemira de 85 ate 1*5, ditas de cor de 70 ate
escriptorio da ra da Cadeia do Recife n. 9, para o jg^ roupas para menino de todos os tamanbos, grande sortimento de rquyas de bnm,
P^i*???!!?^??^ !:n4ul?.a.m.es,,li K! como sejam-calcas, paletots e coUetes, sortimento de cohetes nretos de metim, casemira
6 velludo de 45 a 95, ditos para casamento a 5 e 65, paletots brancos de bramante a 45
e 55, calcas brancas rauto finas a 96, e um grande sortimento de fazendas finas e moder-
nas, completo sortimento de casemiras inglezas para nomem, menino e senhora, ceroulas
de linho e algodao, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvn para homem e se-
nhora. Temos urna grande iabrica de alfaiate, onde recebemos encommendas de grandes
obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de semelhante arte e um
pessoal de mais de cincoenta obreiros escomidos, por tanto executamos qualquer obra com
promptidSo e mais barata do que em outra qualquer casa.
ESTABELECIDO NA CIDADE DO RECIFE
Director0 barliarfl em malhemaliras
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O director do internato de S. Bernardo, acredendo aos pedidos de varios paos dos
respectivos collegiaes, e de outras pessoas desta capital, removeu o seu eslal..-l.-ciiiieuto
da Capunga para esta cidade.
Nao tendo evitado esforcos nem sacrificios para proporcionar aos seus alumno-
urna perfeita educacao phvsica moral, intellectual e religiosa, olTerecendo-lnes una ha-
bitado com bastantes rondicoesde salubridade. habis professores que sao amena* tu
i.r. i.ua-los convenientemente ao Om ;i que se destinan!, medico pralico .pi- motara
coiuprebender os proccitos da hvgiene e lhcs cure das docn^as. efinamiento um sacer-
dote Ilustrado e honesto que Ibes explique os principios da rehgiao chnstaa. espera m
assim constituido nao deixar o seu estabelecimento de merecer dns Srs. pm m raim-
lias o auxilio c comanla com que j alguns o tem honrado; e Ihes roga. tm ran a
todas as pessoas interessadas, que so dignem de visitar o mesmo sra estabelec.nienio.
onde sempre encontrarao franco ingresso. ~
O collegio tem a sua sede no espaepso edificio n. 32 a na da Aurora, contiguo ao
do collegio dos orphaos. .... ., ____1..
Nos estatutos do collegio, que estao a disposicao de quem os quizer tor. H H hain
consignadas as condicocs de entrada e matricula as diversis aulas do esttbeht-i-
mento.
{
5 -
Calcado francez, na loja do vapor, ra
Nova 11. 7.
digno de atteneao os novos sorti-
mentos de calcado" francez, chegado
dita loja, e mui especialmente as mo-
dernas bolinas com differentes e novos
enfeites para senhoras e meninas._____
E
si
al
5 >
> 9>
a
ndeTpoder ser procurado das 9 horas do dia s 4
da tarde, c desta hora em diante no Hospicio, casa
contigua ao qartel onde reside actualmente.
__Nos abaixo assignados declaramos que de
noso poder se extraviou urna letra da quantia de
U004 aceita pelos Srs. Cesar 4 Menezes. vencida
em 3 do corrente, cujaj se acha paga. Recife 11
de julho de 1863.Silva, Basto & C__________(
- Na ra do Moudego u. 85 corta-se papel para
enfeitar pratos.
Preeisa-se alugar urna escrava que saiba co-
zinliar e engommar perfeitamente, de boa conduc-
ta : na ra do Queimado n. 44, primeiro andar.
____.^^---------------------1 i
O abaixo assignado, morador na villa do Pa-
co de Camaragibe, vende as suas tres barcadas a
saber : Misino do Paco, de lote de 530 saceos com
assucar ; Flor do Paco, de 450 ditas; e Paqdete do
Paro, de .3,80 ditas, promptas a navegar. Ellas sao
qu conduzem toda safra desta Ribeira c muito.
acreditadas. Assim como vende o seu trapiche,
o mais bem montado desta provincia, e mesmo de
Pernambueo ; de podra, cal e tijolo, tem capa-
cidade para mais de 40,000 sacras, guindaste do
ferro collocadono primeiro lugar desta villa, que
recebe todo o assucar que se transporta desta Ui-
beira ; tem casa de vivenda na frente da ra do
Commercio, com o fundo para o trapiche, e outras
obras princinaes de tijolo, e tudo murado, dentro
muitas fructeiras e bastante terrono para planta-
cSes'e hortalica. O abaixo assignado est resolvi-
ub a fazer todo o negocio a praso ou a dinheiro,
ou como eonvier ao pretndeme, propria par
quem est aborrecido de morar na praca : a tra-
tar no mesmo trapiche com o proprictario.
Joaquim de Souza Silva Cunha.
No engenho Penanduba precisa-se de um
bom hortelao : a pessoa que se julgar habilitada e
quizar dirija-se ao mencionado eugoaho ou ao pateo
do Ter?o n, 44, sobrado, que acitara tratar.
Pedido.
A irmainlade de N. S. do Gnadelupe da ch!?.'
de Olinda. pade a |K>ssoa que houver de tirara
maior premio da lotera que lem de correr prxi-
mamente, para que se digne concorrer com ama
esmola, afim de que a mesma inuandade |-a -
tisfazer os materiacs que tomou arredilo pira 1
obra daigreja, oque nao tom satisfeilo, nao so por
ter sido reeolhidoao thesouro o producto da ultim.i
lotera que correu em beneficio da menrionadi
igreja, em o anuo de 861, por falla de .-vidcara..
na ei que a concedeu, como lelas prefen-.x
que ha relativamente a loteras: polo que a mes
ma senhora lheencher de graca. e esta innantla-
de lhe ficar extremamente agradecida.
HOTEL DE.P4RIS
Raa da Cm o. 24 por cia da nolcii
ALMOCO, J.VXT.VR G L.VNCHK,
Bebidas supriores df todas as aulida>.
I .i ... ----------------
i Precisa-se de um caixeiro de- 44 a 14 aun*-,
prefere-so destes rhegados ulluuaniente : na ro i
do Rangel n. 69.__________^^______________.
Offerece-se una crino* para ama de rasa
que cozinha, engomma e compra : no becco da.-.
Miudinhas a. 8._________^____________
i O abis assignado declara que oedital pu-
blicado no Diario n. 137 i^a arreiuatac
por execooao do mesmo abaixo assignado nao w
entende con Henrique Augusto Burle, conu. -.)
por encano sahio no dito oditat, mas sim coin Bra-
riquo Augusto Beck, eontra quem, movida ajre-
ferida execucao. Rearo 18 de julho de 18H.
Joao da Silva Fana.
^.


<



Mario de Ptrnanabneo fteguada leira O Je Julfao de ISttS.
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
A. W. Osborne retratista americano na ra
co que elle acaba de rorcbor dos Estados-Uni-
dos o novo e valioso processo da phntogra-
phiaha pouco descoberto nos Estados-Unidos,
sendo este novo systema superior a tudo
quauto at o presente se tem descoberto;
sendo o annunciante o nico em todo o impe-
rio do Brasil, que possue o dito systema
photographico. Sr. Osborne pode apresen-
lar as mais bellas pinturas sobre o papel
debaixo de um estylo nunca experimentado
nem conheeido ate boje oeste paiz, os precos
dos eartoes sero os meamos; A. W. Osbor-
ne na ra do Imperador; olbem pan a ban-
deira americana.
NB. A Sida onde est enllocada a clara boia
foi a pouco tuda ratificada de'novo, e aeha-
se com espaco sulliciente para acommodar
qualquer familia por mais numerosa que seja.
PHOTOCiKAPIIIA ARTSTICA
25 RVANQVA*i&
ES01II\| DA RA DA CAMBOA DO CARMO
Trabalham seja qual fui* o lempo.
YENDAS.
Canos de ferro.
Na roa da Gloria, n. 89 vendem-se canos'de fer-
ro de raeia pollegada, para agua ou gaz, a 160 rs.
o palmo iiiglez.

Selas.
Vendem-se scbolas perfeitamentc boas a 400 rs.
o cenlo : na ra da Iniperalriz n. 42, esquina'do
becco dos fe'em'ires. 11 (

Aluga-sc a loja do sobrado silo na ra Nova
n. 37 : a tratar rom Amaro Gonealvcs dos Santos,
no Pateen pul il ico, ou na ra .Nova n. 33, loja de
fcrr.ipens.
Attenco
D-se dinheiro a juros sobre penboros de ouro :
na ra do Rangel n. 54, das 10 lloras da inanliaa
s 3 da tarde.
Contina a haver pao do eenlcio nos dias quar-
tas c sabbadns de cada semana, na padaria, em
Sanio Amaro, ao p da fundirn, e na ra da Ini-
peralriz n. 22, ra do Bruto, confronte ao cbafariz
n. 47. c ra do Rosario larga deposito n. 36.
Ao n. 29.
Aoto loja dos barataros, na do Quemado.
Chitas fiancezas iniiilu linas, covado a 300,
320 e 360; balos de panno, a 35500; fustao de
cores, covado a 320; cassas francezas fazenda
muito lina, a 500 nis a vara ; cambraia lisa de 10
jardas, a 35500 ; dita lina, pega de 20 jardas, a
H.5000; laas muito linas liara vestido, covado a
500.
Ao n. 29.
Noca loja don barate/ros. na do Quemado.
Paletots de alpaca im-sclada. a 43000; camisas
inglezas a IJffiOO; briin lona de linbo. vara a 640;
grvalas de seda Superior, a oOOreis; ricas a bo-
lladuras para colete, a .*i00.
Ao n. 29.
Nova Uja dot barataros, ma do Quemado.
Reste estabelccimento vendem-se os artipos sc-
guinti-.- por menos de metade do sen valor : franja
de aigodio branca peca de 45 varas, a 15600;
bicos relos de linbo, vara a 120, 160, 240 e 320;
botdes de velado, de seda e de fustao, doria 120
res; rendas linas pega de 10 varas, a.500; n-
tremelos muito largos c muito linos, peca a 45500;
toiuniinhas de vidrilho para enancas, a 500 reis.
ft ALVICARAS A NOVIDADE. |
"^"; Sao chegados a loja das column
jf*y na na do Crespo n. 13 de Antn
' Correa de Vasconsellos & C. riquis
.;.' simos cortes de la muito fina com
barras estampadas ematisadas im-
peratriz Eugenia, cores as mais deli-
cadas como sejam: cor de ganga, de
lyrfe, cinza ele, fazenda fnteiramen-
te nova e nunca vista em Pernam-
lilieo.
INJECCAO E CAPSULAS
VEGETAES ao MATICO..
GRIMAULT E C' PHARMACEUTICOS EM PARS
Novo tratamento preparado (om as folln, .ir Mulles, Hrtorc do Pcru, para a tura rpida c iufallivel
da Gonorrnca m recelo algum da contracto do cual ou da InOan)mac.ao dos intestinos. O clebre
doutor nieord, de Pars, ter renunciado, desde sua ajiparlgao, ao emprgo de qualquer outro tratamento.
Emprega-sc injecruo no comeen do lluxo. as capsulas em todos os casos ebronicos e Inveterados, que
resistirao s preparatoes do copabu, tutela e sinjee<;oes com base metallica.
Depsito geral: em Paris, cm caa de MM. Grimaut e <:., pharmareutlros, 7, ra de-la Feuilladc;
em Lisboa, iur-AjUnho a Coirta-Cin-ralbo Jnior; no 'orlo, Miguel JM > 8*om Fer-
retea; cm o Rio-de-Janeiro, Gestas, 102, ra 8. Pedro; em Bahia, Jos-Catano Ferrelra-Espln-
hclra; cm /lio-Grande, Joaqun V Uodoy; em Haranho, Ferreira e Ca; em l'trnambuco
shoum e o, ra da Cruz, 22; Soasa, e as principaes pharmadas do Brazil.
Vende-se a loja ib: calcados da ra do Livra-
mento n. 35 : a tratar na niesma ra n. 29.
Veude-se a dinbeiro ou a praso a taberna da
ra do Imperador n. 2, com poucos fundos, muito
propna para um principiante : a tratar na travs
sa aa Madre de Dos n. 18, armazein, ou na mes-
ma taberna.
RETRATOS
DO ARTISTA
FURtAQri mam
Ntidamente Ivtographdos em Paris, viudos pelo
paquete Navarre.
Preco de caila retrato 19500.
Vende-se na loja de livros ao p do arco de San-
to Antonio.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caors & Barboza.
MADAMA VIUVA LECOMTE
RA DA IMPERATRIZ N. 7.
capital
muito
pentes
Tem a liorna de participar aos seus numerosos freguezes e ao respeitavel publico desta
assimi como das provincias, que acaba de recebr pelo paquete francez Navarre um completo e
variado sortimento de objectos para presente, assim como recebeu tambem Ticos lequcs e ricos
quer de atar cabello quer de alisar e tirar bichos ; namesma casa encontrar o respeitavel tmblcoto-
das e quaesquer perfumaras dos mais afamados perfumistas de Paris, e agua para tingir cbenos
l.uvas de pellica de Jonvin. hubwo.
de cabilea "S"ia "*" con,inu"Ma 00rtar e frisar "bellos pelo prec de 500 rs., e faz-se toda especie
ii'i'Kovtrvo e ;i roitiMi to.
DA
Academia imperial de medicina
E
Junta ceir! tfe higiene publica
ELECTRO-MAGNTICAS EPISPAST1CAS
DE
Para
RICARDO KIRK
sercm applicadas s partes affectadas, sem resguardo
nem incommodo
Minio conheeidas nesta curte e em todas as pro-
vincias deste imperio, pelos seus infalliveis resul-
tados em todos os casos de irlainmae.o, sejam ex-
ternas ou internas (com cmaro e (alta
mmmmmwmmm
Igualmente para qnaesquer inchacSes, ridas
tumores intestinaes e venreos, scrbpbulas, lobi-
( n ios, papos, etc., etc., sejam (pial Cor o sen tania-
I nbo e pnifundeza, pormeio da snpuracao scr3o ra-
: dicaliiii'iiic exu-pados.
(Estas chapas naopodem fazor nial de forma al-
guma, ellas tem sido applicadas aos oibos com o
melhor successo, vejam-se us attestados de curas
completas que j foraui publicados pelos jornaes.)
O uso dellas aconselbado c receitado por habis c
distinetOS facultativos, sua efflcacia incontestavel, e
as innmeras curas completamente oblidas as di-
versas molestias emqne foram applicadas, e fazem
merecer o conservar a confianca do Ilustrado pu-
blico, qne j tive a honra de merecer delle 25 an-
uos de existencia e de pratica.
, N. B. Nesta corte c de todos os pontos dest
imperio recehem-se jiarticipacoes satisfactorias e
respeito das ditas chapas medicinaos.
As cncommendas das provincias devem ser di-
rigidas por escripto, cum todo b cuidado de fazor
as neeessarias explicafoes, seas chapas san para
nomem, senhora, menino ou crianca, declarando a
molestia c em que parte do corpo existe.
Para inehacoes, feridas. lobinbos, papos, etc.; o
molde justo de seu tamanho em um pedaeo de pa-
pel, a declara^o onde existe, afim de que'a chapa
seja da forma da parte alTeelada, c pan qne jiossa
ser bem apiilicada em seu lugar.
TERCOS
e coroas de cornalina.
A aguia branca pensando conslantoinente em
bem servir a toda a sua freguezia, notou que ainda
nao havia feito algum agrado a aquelles que pru-
dente e acertadamente resando, cumprem dever de
bom christao, c quando reparou essa sua falta,
mandou vir e acaba de receber delicados tercos e
coroas de cornalina com cruz de prata, os quaes
deixa disposi^ao dos fiis que estivorem dispostos
a gastar 15500,25 e 35 para possuirem um bonito
teren ou cora, com os quaes podem inesmo pedir a
Deus pt>la prosperidade d'aguia branca, em seu ale-
gre e espacoso ninlio da ra do Queimado n. 8.
\o\os e JmuiIIos
pentinhos travessos dourados e com pedras para
meninas: vendem-se na ra do Queimado, loja
d'aguia branca n. 8.
Ualmzluhos com perfumarlas e
sem ellas.
A aguia branca vende bonitos bahuzinhos com 6
frasquinhos decheiros por 15500 e vasios por 800
rs., servindo estes parj meninas, c mesmo para
joias, etc., etc. : na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
Delicadas t esouri nhas d'aco para
bordados e labyrinthos.
A pedido de algumas senboras suas predicletas
freguezas, a aguia branca mandou vir dessas de-
licadas tesourinbas d'aco pontas agudas, proprias
para bordados e labyrinthos, e urna vez chegadas
como de facto chegaram, a aguia branca convida
| as de mais senboras suas boas freguezas para
' aproveitarcra-sc da occasiao e bem empregarem
seus25 emeada urna dessas fmissimas tesouri-
| nhas, na certeza de que perder por chegar tarde ;
I quera se demorar em as mandar comprar no ale-
gre e espacoso ninho d'aguia branca, ra do Quei-
mado n. 8, onde tambera ha outras curvas e direi-
tas para unhas.
Ilabadinhos estrellse bordados
Vendem-se na ru a do Queimado n. 8, loja d'aguia
branca.
Capachos compridos c redondos
Vendem-se na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
ENFEITES PARA SENHORAS
CHE!. IDOS PELO VAPOR
S pera 0 Vigilante na do Crespo n. 7.
Sao chegados os novissimos e riquissimos en-
feites para cabeca, "pois com a vista nao ha-
vcrS^enhora que deixe de comprar um bo-
nito enfeite: s no Vigilante ra do Crespo
n. 7.
Luras de pelica.'
Tambem chegaram neste mesmo vapor um
completo sortimento de luvas dejouvin
brancas e de todas as cores; tanto para la-
meos como para senhoras: s no Vigilante
ra do Crespo n. 7.
Perfumes.
Tambem chegou um completo sortimento de
perfumaras dos fabricantes mais afamados
sendo de Luvin, Cudr e Piver; sendo
,,~ vendem-se resmas de papel almaco bao a
*** e 35, dito dito pautado a 35600, dito de pe-
so pautado a 3fl20O : na ra d Queimado n. I,
S. ANNA.
Contina
a estar venda, a novena da
ffato^ nn^ na ma d0 aperador n.
< 5, das 9 horas da manhaa as 3 1 2 .la tarde.
-- Vende-se a taberna sita no pateo da
Penha n. la : a tratar na mesma.
Vendem-se duzias de rordas de vi das a 160 rs., ditas de bordes a 300 rs. 1
do Queimado n. 16.
sorti-
* ra
NO ARM.IZEM DE FAZEADAS BAKATAS
at
s t vro* coi:luo
Itua do Queimado n. 19.
Vende-se o segaiaite :
C'obertas
de chita da India, a 2:000 rs.
Leares de
extractos essenciosde todas as qualidades, l,ic linbo a oo r
pomadas, banhas, sabonetes, agua de Co-
lonia, vinagre virginal da sociedade hvgieni-
ca, agua florida, agua balsmica para den-
tes, frasquinhos com superiores pos para
dentes, caixinhas com um frasco d'agua,
pos e todos os prepares para Hmpar den-
tes, olos de todas as qualidades para ca-
bellos, -
Y
JLences de bramante
de linbo, de um panno s, a 2:800 rs.
fosllias akerkoadas
para mao, pelo baratissimo preco de 5:oo
rs. a duzia.
Ricos \i'-iiiliiiims
de seda para meninas, pelo baratissimo pre-
lellos, e outras mudas cousas mais : s no ro de Van r<
rigilante ra do Crespo n. 7. 1C u0 rS'l
.respo
Tesoiiras e caivetes.
__Lentos de seda
pelo baratirprec^o de Imai is.
Saias de fusta*
Tambem chegaram um completo sortimento pelo baratissimo preco de ;i::oo rs.
de tesouras dos mais afamados fabricantes, Lencs de cambraia
tanto para unlias como para costuras, ras- brancos finos, proprios pata algibeira, duzia
padetras para papel, caivetes de maqui: a l:8ooe 2:000 rs.
na, facas de mn e dous botdes, tudo do' Lentos j,. fassa
mais superior que se pode encontrar: s finissinios, proprios para algibeira pala ba-
o Vigilante ra do Crespo n. 7. rassimo preco de 2:ioo r< a duzia '
Papel de fantasa. crles de M,ca
Tambem chegou um grande sortimento de Jc gan?a ?2cWa' list;,s ,e Tnadro,
papel de fantasa branco, bordado e liso 51!n. suPe'.")r' I"-'10 l*aratissimo preco de
douradinho, de lindas cores, assim como
de peso e alraaco, assim como muitos ou-
tros objectos de muito gosto que se torna-
riam enfadonho annunciar, ijue seus pre-
cos serao por menos do que em outra
qualquer parte: s no Vigilante ra do
Crespo n. 7.
Volantes e terinas.
l:2oo rs. o corte.
Pecas de madapoli*
largo superior, pelo baratissimo preco
8:000 rs.
.le
Pecas de breianha
de rolo com lo varas, pelo barato preco de
3:2oo rs.
Pecas de cambraia
,le salpicos, fina, com 8 1,2 varas, pelo ba-
Recebeu grande sortimento de volantes, teri- rato preco de l:ooo rs.
as, rendas domadas e prateadas, bicos es-1 Atealuados de linbo
peguelha e gales de todas as larguras, com 8 palmos de largura proprio para loa-
vendendo-sc tudo por precos baratissimos Iba de meza, a 2:5oo rs. a vara,
principalmente sendo em pecas: s no Vi- Toalhas
guante ra do Crespo n. 7, J de linbo para meza, a 3:ooo n.
Retroi e hnha. de Unf)os ^^ JJJ gj^ ^^ fc ^
Tambem chegou um grande sortimento de rs. o covado.
retroz do Porto do melhor fabricante; sen- Esleir da India
do, preto, azul ferrete e cores sortidas, a propria para forro de sala, de ,. e 6 pal-
14,0oo rs. a libra, linha de miada de Roriz mos de largura,
e cabeca encarnada, que seus precos serao //.
baratissimos: s no Vigilante ra do Cres- *
po n. 7.
Uuhas maclas e lustrosas para
bordar
vendem-se na loja d'aguia branca ra do
Queimado n. 8.
se
A VENDA.
applicada era seu lugar
PODE-SE MANDAR VIR DE QUALQUER POMO DO IMPERIO
DO BRASIL
As chapas serio acorapanhadas das suas com-
petentes explicacoes, e tambera de todos 08 acces-
sonos necessarios para suas applicacoes.
Consulta s pessoas que se dignarem honra-lo
rom a sua confianca, todos os dias, sem cxceiicao,
das 9 horas da manhaa s 2 da tarde.
ESCRIPTORIO
Francisco Pinto Ozono contina a enl-
locar lenles arliliciaes tanto por meto de
molas como pela pressao do ar, nao re- i
celte paga algnma sem que as obras nao
Qquem a vontade de seos donos, tem pos
c mitras preparacoi-s as mais acreditadas
para eettservafo da bocea.
O Sr. Candido Alberto Sodr da Motta diri-
ja-se a ra da Iniperalriz 11. iO, a negocio.
Bescja-se muito faltar com os Sis.:
MaiKK'l de Soma Lead Jnior.
Horacio de s Joo da 8ilva Santos (emiiregado na estrada de
ferro.)
Jse Antonio Lopes Jnior (do Rio-Forraoso.)
na ra do Crespo n. 17, loja.
W. 119 RIJA DO PARTO M# 119
E EM PERNAMBUCO
Para as encomraendas ou inforraaroos dirijam-se pharmacia de Jos Alexandre Ribeiro,
ra do Queimado n. 13. '
ALfGA-SE
O sobrado de dous andares da ra do Pilar n.
para grande familia, cosinha
6, tendo commodos ,
fra, terraco e quinta
com cacimba.
Aluga-se urna canoa nova para o trafi-
co de capim ou para familia; por preco com-
modo, e tambem se vende: a tratar nos Abo-
gados com Candido Theotonio da Cmara.
_ (i> abaTx assignados fazem ver ao respeita-
">'el publico e ao copimerciq, que amigavelmente
dissolTeran :t0 de jnnbo prximo passado a so-
cjedade que tinbaiu nas serranas sitas na ra no-
va de Santa Rita ns. 17 e 55, na razio de Ramos
tt ,. (cando todo o activo e passto a cargo do
ei-SCiC Coelho. Rccife 10 de junho de 1863.
Amonio da Silva Ramos.
Jos Ferreira Coelho.
E)SCRlPTOR DE
tiUH Uli
Os hachareis Cicero Peregrino c Eduardo de
narros moderan seu escriplorio de advoeacia
pan a ruado Qiifciaado n. 30, andar.
.0 esenptono daredaccao da Academia Popular,
raud>>u-se para a mesma casa.
- rVIa terceira vez noga-se aoSr. padre Fran-
cisco Vm issimo Randrira. que antes de rctirar-e
pata a su nova morada de Bonito, dige-se mandar
a resposta 4a carta que se Ihe dirigi : a ma do
,Mondego otaria n. 13.
CASA DE SALDE
Em Santo Amaro
Do Dr. silva Ramos.
nico estabelccimento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo
que pode cora todo o coramodo e zelo tra-
tar qualquer doente, que nella seja reco-
lhido.
O edificio raagestoso e eonserva-se
em perfeito estado de limpeza e conve-
nientemente mobiliado.
Os doentes sao separados, segundo os
sexos, natureza das molestias e condicoes
sociaes. *
Ha quartos fortificados para os aliena-
dos, e urna enfermara para as partu-
rientes.
O proprietario encarrega-se de qual-
quer operacao.
O estabefecimento franqueado a qual-
quer pessoa que o queira visitar.
Prinieira classe 3^000diarios.
Segunda dita.... 2S00
Terceira dita.v. 25000 >
Para que qualquer doente sejaali rece-
bido, basta que se mande onome do doen-
te e da pessoa que o remelle, cora a de-
claraco da morada.
O proprietario aceita contratos annuaes
com qualquer que queira ter um ou mais
leitos sua disposicao.
O abaixo assignado, tendo ficado a seu cargo
lodo a activo e passivo das serraras ns. 17 e 6o
da ra nova de Santa Rita, que gyravam na razao
de Ramos A Coelho, pede a todos os senhores que
Ihe esto a dever o favor de lhe irem pagar o mais
breve possiwl, visto ter tambem de eumprir one-
rosas obrigaicies, e pede oulro sim que nem quer
ejiamar a juizo, e mesmo publicar seus nomes,
salvo se a tanto^> obrigarem._ Rccife 10 de julbo
_ 0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua prois-
so medica, e com especialidade
! sobre o seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias das
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Marceline Reaupaire, Franceza, retira-se Da-
r a Europa. *^
O corretor geral Macdo, est competentemente
autorisado a vender as seguintes propriedades ; a
saber:
Na ra da Palma casa terrea n. M.
dos Copiares casa terrea n. 12.
do Rangel sobrado de um andar n. i.
dos Pires casa terrea n. 2i.
do Burgos sobrado de 2 andares n. 11.
travessa do Pocinho casa terrea n. 10.
ra de Hortas melado da casa terrea n, 68.
dos Pescadores a 7 parte da casa terrea
n.26.
do Rosario da Boa-Vista dita dita da ca-
sa terrea n. 47.
do Farol dita dita da casa terrea n. 32.
do Pilar dita dita casa terrea n. 51.
Um excellente armazein na Gameleira junto a
eetacSo da va frrea.
Xa jiovoacao do Poco da" Panella casa terrea n. 3
dos Afogados ra de S. Miguel casa
terrea n. 87.
Quem as pretender pode dirigir-sc ao supradito
corretor na praca do commercio.
nao vende dase
12
No atierro da Boa-Vuta n. G.', vend.'-.j
gaz da melhor qualidade, refinado, purifi-
cado, pelo barato preco da l->, galo
2#o00, garrafas trazendo vazia 500 rs., val
cufeites a pena, pois, duas passadas. A elle antes
que se acabe: quem qttizer em porru da--j
mais barato.
lina da Sciizalla n 42.
Veode-se, em casa de S. P. Johnston C,
'Iliiis e simos agieses, (-andieiros e casti-
Vcnde-sc una casa terrea a ra da Impe-
ratriz, com grande quintal murado, cozinha fra,
n. 67, com um terreno que vai at a Ponte Velha,
com 580 palmos de fundo, j aterrado: quem pre-
tender, dirija-se a ra do Hospicio n. 58, casa
terrea.
Vmsniiio e bonitos
para canecas.
Quando o bello sexo senta a falta de bons
enfeites para cabeca, eis que a aguia branca j
recebe urna sua encommenda de bonitos e
delicados enfeites, e de modernissima moda,'
muito servindo isso para sanar aquella falla, ^
e fazer com que as famas, apreciadoras ,la r"s WODMados, lonas inglezas, fio devela,
bella empreza Coirabra possam melhor real- chi00te" Para ,-ai'1',JS montara, arreios para
sar e mostrarem o apurado gosto que as cam)S lle "i e dous cavallos, enOfioam
guia. Esses enfeites sao dum tecid bas-,ouro Patente "llez-______________________
tantc fino com conlinhas d'aco, e mui bem %ffTrk t A^r t
enfeitados com flores, fitas, bicos, plumas I 3ILJiAi\fjA
etc., entretanto que sendo obra de muito n rival gosto custam & G^ e U dinheiro vista; lecmSSTn^rf^/iT2t
2o SBaT d'ag,,ia branca ,ua SS^ii ?S?Z%Zda""
do gueunado n. 8. as uaam a|)aix0 (ledaraiI;|.
Ricas guara ices de pentes c prestar toda atteaci i:
flvcllas para cintos. Sabonetes inglezes muito finos a
A aguia branca recebeu novas e ricas v *^ c-........
guarnicoes de pentes domados, o com pe-, Fl'asco nagua de colonia pequ.'-
dras; assim como outras bordadas ftoco c!n.noI.muil lino......
com bolas pendentes, novidade essa que s ^*to grande muito superior. .
se acha em dita loja, e que na verdade se F!"asco1s lle BWBM' I"''''^ a. .
tornam mui aleares e bonitas; e bem assim ?'los ,le &**& *0 a. .
Irascos de oleo Barbosa
Vende-se a arma^ao da loja
invernisada e iluminada a gaz
ma ra n. 40.
n. 16 da ma Nova,
: a tratar na mes-
PLNTURA.
Tinta branca de massa muito nova, em la-
tas de 28 libras para casas, para navios, para
a companhia do gaz, a 2oo rs. a libra: ra
larga do Rosario n. 34.
GUIA LUSO BRASILEIRO
DO
VIAJANTE NA EUROPA.
PELO DOl'TOR
Ignacio Manuel de Lemos.
Obra muito necessaria para as pessoas que vao
viajar pela Europa, c para aquellas que desejam
ter nogoes do que ha mais curioso e importante no
velho mundo 1 volume de 520 paginas. Vende-se
na livraria econmica junto ao arco de Santo An-
tonio.
assim
recebeu lindas fivellas com pedras, e ditas
d'aco com novos e engracados moldes, cintos
dourados e de marroquim; e muitos outros
objectos de gosto para senhoras sero encon-
trados na alegre e espacosa loja d'aguia
branca ra do Queimado n. 8.
duas bijas
a qu^iram
MI
400
Mi
00
loo
Quem precisar de um rapaz de 12
14 annos pata criado, e mesmo para andar
ou dirija-se ao porto das Canoas armazem de
madeiras do Sr, Miguel do Reg Barros.
- JVo escriptorio d'Amorim & Irmos ra Ide ^-^ Ferreira Coelho.
da Cruz n. 3, deseja-se fallar a Exma. Sra, i "
I). Mana Carolina da Silva Grillo, cuja mo-
rada se ignora para poder ser procurada.
n "7.AiUgam'? a lo*.<,0 "'""ado n. 193 e armazem
F?.! *flr.*4l 9 amtazem n. 4 da ruaZ
da
a1aw? Bfil^^*fl5.T ffr
AlDgara-se
D>ns armazens pequeos na travessa da Sanzal-
la Vei^a. por detraz da loja n. 50 da ra da Ca-
deia, mui'.' prximos alfandega o ao caes do
Apollo, e po* teso proprios para qualquer fun e
servirem para i?ra 80 Pr lerem comranmeacao;
tratvr na sobredita .'Ja c Pede-scao Sr. Hcrmillo Jos de Alcntara suar-
da da alfandega, que em quanto antes pacue a
quemdeve. F^
_________________^^^_ Um credor-
Joaipoina Rosa de Oliveira subdita portutrue-
za retira-se para o Rio de Janeiro levando um lilho
menor em sua companhia.
COMPRAS.
VMftl-SE
no armazem da bola amarella, no oitao do gaz da
ra do Imperador, verniz ou alcatrao do gaz, pelo
preco do gazometro, adiando os senhores compra-
dores barris que levara de urna caada a vinte c
quatro, por barato prego : no mesmo armazem.
Vende-se
por menos de seu valor nove moradas de casas ter-
reas, novas, ainda por se pintarem algumas, todas
ou em separado, chaos proprios, bairro da Boa-Vis-
ta, ra dos Prazeres: a fallar com o Sr. Antonio
Carneiro da Cunha, na fabrica Sebastopol nos
largo dos Coelhos.
Vendem-se caixes vazios pro-
prios para balmleiros a 1$280, na roa
das Crozes n 44.
Agua de Vcrhy natural.
Chegada ltimamente pelo Solferino: ra
da Cruz n. 2. armazem de Isidoro, Netto
&C.
Compra-se o romance Rochedo dos Amo-
res: na prapa da Boa-Vista, loja de cera.
Compra-se do'JS globos de geographia, sendo
um de esphera terrestre o oulro da esphera celes-
le : na ra do S. Francisco n. 42.
Compra-se effectivame.tto ouro e prata em
obras velhas : na praca da Independencia p. w j0.
jadebilbeles,
<-az na cldade de Ollnda.
Vende-se gaz liquido de primeira qualidade a
640 rs. a garrafa e era porc3o mais barato : na c-
dade de (lirada ra de Mathias Ferreira sobrado em
que morou o Sr. major Salvador.
S NO PROGRESSIVO
tt--I,argo do C ariuo-9
a 240,
320 e........
Dito dito muito superior a ;;o e'.
Dito de banha muito lino a OO e .
Frascos de Lavande muito superior.
Garrafas d'agua celle muilo su-
perior a.......
Apreclavels extractos. sFrascos de cheiro muito liims
As Exmas. senhoras que bem sabem co-' ^00 e.........
nhecer e apreciar os odorferos extractos, e Ditos de bauha pequeos muito fina,
as finas pomadas que se vendem na loja da- Dito de opiata pequeos. .
guia branca, nao se demorem cm mandar, Tbesouras muito linas para unhas.
comprar desses agradareis e escolhidos chei- Gravatas de seda de cores. .
ros Georg i", principe Alberto, marechal, Luvas brancas de algodo .
bouq. d'imperatriz, mil flores, jasmim, ge- Caivetes de 2 folhas muito finos .
ranium, vilete, jock club, sndalo etc. etc. Caixas de colxetes france/.fs e ca -
Nesses finos cheiros nao ha melhoria sym- tr,os.........
patinas, por isso ser bom que urna compre Grampos de caracol e lisos. .
dessa qualidade, outra d'aquella, e assim por,Caixas de vidro com 12 dedaes.le
diante, mas que reunidas em alegre assem- metal. ........
bla faca cada urna com a forcade sua elo- Massodepalitos lixadospara denles,
quencia prevalecer o bom gosto de sua es- Grosas de botes de ac para ralea,
colha. Isso na verdade ser agradavel e in- Caixas com 0 frascos de cheiro. .
teressante, com tanto porem que os cheiros se- Escovas para cabello muito finas .
jam comprados na alegre e espacosa loja d'a- Carteirasdemarroquimmuitofinas.
guia branca ra do Queimado n. 8. : Pecas de tranca lisa encarnada. .
,. ..L Tinteiros com tinta muito superior.
Lindas caiunhas cora Unos extractos, mui proprias Ditos de vidro cora tinta mais in-
para prsenles. | fe|.jor.........
A aguia branca vende lindas caixinhas Cartas de alfinetes fratlcezes .
com espelho e paysagem, ns. emeima, e finos Cornetas de chifre para meninos .
extractos dentro, com as quaes se faz um bello!-------------------------------------------------
presente, assim pois o pretendente dirija-se GttZ lOUdo I 9jC
com dinheiro alegre e espacosa loja d'a- .. "w*
guia branca ra do Queimado n. 8, que ser
satisfactoriamente servido.
420
CU)
'JOO
500
1^000
800
200
200
40t
508
100
320
40
10
320
HK)
320
iooo
co
GIO
160
IM
i*
80
Vende-se na nova exposico de candiei-
ros a gaz, na ra Nova n. 21, latas de gaz
de 1.a qualidade e nao inflammavel, a li.
contendo cada lata 27 garrafas, que muito
ra
Agua da Colonia em garrafas
grandes e pequeas.
A aguia branca reciben um variado sor- Xn fffi SSS^ M
timento de garrafas grandes e pequeas e de
diversos e bonitos moldes, com excellente
agua da Colonia ; assim como frascos de vi-
dro maiores e menores com dita, e como
Farinha de mandioca
em saccas grandes, e de superior qoalida-
armazem de Tasso Irmos, ra do
Llnguas Inglezas
geralmente sabido a commodidade dos pre- Ae: arma5
eos continua a ser observada na espacosa e Am
alegre loja d'aguia branca ra do Queimado
n. 8, para onde chama-se a concorrencia dos
freguezes que costumam comprar dinheiro.,em sf,moura:. no aiwm de Tasso Irmiot,
_ ^ F ;rua do Amortm n. 35.
Aromticos pOs d'arrOZ. | vendem-se tesouras de Gmmarae. para^
a aguia branca acaba de receber um ex- faiatc a U : na na do Queimado n. u._______
plendido sortimento de lindos e agradaveis I Vendem-se duzias de facas e garfcs brame
vasos de porcellana dourada, crystal e metal e p^os, mvados, a 34 duzia: na ra do Qk-
com bonecas, e finos e aromticos poz d'ar- madon-16-
roz; assim como pacotes com dito, cuja pro-
Itetrox! retroz retroz f
veitosa utilidade bem conhecida: os pre-, do Porto, preto, azul ferrente, e de todas as cores,
tendentes pois, dirijam-se com dinheiro ale- os mais diflBceis de encontrar, vende-se por libras
Vende-se latas de 1 Vi libra de ameixas pelo ba-
ratissimo preco de I*, assim como tambem caixas
rrobas de J)atat*s P*to "minuto preco de gpe e espacosa loja d'aguia branca ra do !' ',? 'LT^ ^"^ Z qD'n
Wacata. pe e1Queimadon.8^6eroservld08ecoDtentes. piTe. na'j:> de """^ ^



ra*








Bfcrlo de Praam|mco fccguuda felra ?o de lulho de 18*3.
NOVA EXPOSigO
na loja do Pavo, de fazendas tara
tissimas.
Con .l/i.wn 2:500 rs. vende o Pavao.
Pecas de cambraia transparente com pal-
mi nlias bordadas de cor, tendo 8 tfL varas
cada peca, a 2fJ500; ditas mais finas, a
35500; pecas de cambraia de salpico bran-
Neste estabelecimento acha-se constante- ~ \ ? 1^. !L^Sl
mente um grande sortimento de fazendas ImP de gosW e de' primeira noceSsidade, sendo Ctrtes de cachemira da Esencia, a 2:000, na
tanto proprias para a praca, como para o ]0ja do Pavio.
ses.* ar Lias **ca- s^kxssse
xeiros da loja do Pavao.
Lias com 8 palmos de largura.
u loja do Pavo.
Vendcm-se fazinha entestada propria para
vestidos, cora 8 palmos de largura, sendo
fazenda mais moderna que tem vindo ao
mercado pelo baratissimo preco de i 600 o
covado: s na ra da Imperatriz n. 00, loja
do Pavo.
L,as para vestidos,Ja SO rs.,
s na loja do ravo.
Vendem-se lazinhas enlistadas proprias
para vestidos, pelo barato pr 500 de 280 rs. o
covado, sendo muito mais ba ato do que cin-
ta ; dptas transparentes, a 2!0 rs.; ditas la
e seda, a 440rs. o covado: s na ra da
Imperatriz n. GO, loja do Pa o.
Cassas a O rs. trovado.
Vejndem-se cassas francrtzasVV^padroos
miudjnhos e cores fixas pelo
barato preco de
200 rs. o covado; ditas finas a 340 e 320
rs. o covado: s na ra da! mperatriz n. 00,
toja do Pavo.
Organdy, a 'i lo rsj. o covado.
na loja do pavo.
Vcndem-se organdy de cpres matisado, fa-
zenda que val muito mais dinheiro, pelo ba-
rato preco de 240 rs. o covado ou 400 rs. a
vara: s na ra da Imperatriz n. 00, loja
do Pavao.
O Pavo vende os modernos ves-
tidos balo,
com barras Mara Pia, sendo os mais
modernos que que tem vindo ao mercado,
cora a saia de uin s panno, tendo bastante
fazenda para o corpo, e vende-se pelo barato
preco de 35500 cada um: esta pechincha
s existe na ra da Imperatriz n. 00, loja e
armazem do Pavao.
Cortes de fantasa, a .*- na
loja do Pavo.
Vendera-se ricos cortes de cambraia fanta-
siadas seda, pelo baratissimo preco de 6.4!;
ditas, a 45; ditas, a 34900: s na ra da
Imperatriz n. 00, loja e armazem do Pavao.
Cortes de eambrala. a 3500.
na loja do Pavo.
Vendem-s cortes de cambraia brancos com
babados, a 25500; ditos, a 45; ditos com
barras e babados de seda, a 3:?, 35500 e 4.5;
s na ra.da Imperatriz n. 60, loja e arma-
zem do Pavo,
Cortes de cambraia chineza, a
4, na loja do Pavo.
Vendem-se ricos cortes de cambraia chine-
za, os mais modernos que tem cbegado, sen-
do brancas comlindissimospadres, pelo ba-
rato preco de 4?$ cada corte, tendo bastante
fazenda para um Vestido: isto s na ra da
Imperatriz il 60, leja e armazem do Pavo.
Alpakim oh gorguro de llnho.
a 'i l O rs., so no Pavo.
i
Vendcm-se alpakim ougorguro de linho
I'i pelo birato preco deSAOrs. o covado: s
na ra da Imperatriz n. 60, luja do Pavao.
Baldes a 3#500, s o Pavo.
Venqem-se baldes americanos que sao os
melborps, tendo 20 arcos, a 35500; ditos
de 30, a 4*500; ditos de 40, a 55 ; ditos
de bramante, a 3S500e 45!; dilos para me-
ninas, a 25 e a 35: s na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Vestidos para menino, a 9#.
Vendem-se vestidinbos para meninos, sen-
do muito bem feitos, a 23 cada um : s na ra
da Imperatriz n. 00, loja e armazem do
Pavo.l
Cortes de chita, a S.Ott na
loja do Pavo.
Yeni em-se cortes de chita com 12 1[2 co-
vados cada um, a 26500; ditos com 10 cova-
dos, a 25; cortes de cassa miudinha de co-
res fixjscom 10 covados, a 2,3; ditos de
organdy mathisado com 10 covados, a
234003 snarua da Imperatriz n. 60, loja
do PavSo.
As easeaiiras do Pavo pechin-
cha a .*$.
Vendem-se rtes de casimira franceza para
calca, fazenda muito fina, padrees claros e
e euros, a 53 o corte: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 00.
bota, a 23 o corte para calca, ou580rs. o co-
vado para'paletot, colete etc.: s na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 00.
0$ paletots do Pavio, assokecasacado a 12:000 rs.
Vendem-se paletots de panno, sobrecasacas
de panno preto muito bom e muito bem
feitas, a 123: sobrecasacos de dito,- a 1 v
paletots sacos de dito, a 75; calcas de cache-
mira da Escossia, a 33 ; ditas de casemira
preta, a 33; ditas de casemira de cor, muito
fina, a 73 e a 53500; coletes de casemira de
cor e preta; paletot de casemira de cor,
a 73; tudo isto para apurar dinheiro: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Fazendas brancas, na loja do
Pavo.
Vendem-se pecas de madapolo enfestado,
francs, com 20 varas, a 83; ditas com 12
jardas, a 43 ; dito inglez muito fino, a 73,
73500 e'83; ditos muito superior, a 103;
ditos de 40 jardas muito fino, a 43800 e a
53600; algodozinho muito encorpado, a
43800, 53500 e 03; bretanha com 4 pal-
mos de largura, muito fina, a 13 avara;
pecas de cassa de cordo para babados, com
6 varas, a 33500 ; ditas com 12 varas, a 73:
Os manguitos e golinhas do
Pavo.
pediinoha, a 320 e a 100 rs.
Vendem-se golinhas de fil, bordadas, a
400 rs.; ditas de cambraia, a 320 rs.; cal-
cinitas para meninas, a 500 rs.; manguitos,
a 500 rs.; manguitos com golinha, a 800
reis ; manguitos de cambraia, a 320 rs.: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Lazinhas a O rs. o covado.
Xa loja do Pavo.
Vende-se lazinbas de eordaozinho le urna s
cor, sendo azul claro, azul escuro, ferrete, cor de
caf claro e escuro, alvadio, roxinhas proprias pa-
ra luto, sendo fcueiida (pie val muito mais dinhei-
ro vendse pelo diminuto preco de 900 rs. : s na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Pechincha, a OO rs. o covado,
s o Pavo.
Vendem-se as mais modernas lazinbas
entestadas, transparente, tendo 4 palmos de
largura, e sendo lizas e de quadrinhos, de
urna s er, propria para vestidos e capas,
a 500 rs. o covado: s na loja do Pavo,
ra GRANDE LIQUIDAgO
de fazendas para apurar dinheiro, por
baralissimo proco na loja e arma-
zem da Arara ruadafwpcratriE n.
>6 de Lourento Pereira lleudes
Guimaraes.
ALERTA FHEGITZES, .1 200 RES.
Vendem-se lazinbas com pequeo to mfo para vestido a 200 rs. o covado, meias
para meninos a 100 rs. o par, ditas para ho-
mens a 120 rs., lencos brancos finos a 200
rs. cada um ; na loja da arara ra (La impe-
ratriz n. 50.
Arara vende vestido de chita a
30OOO.
Vendem-se cortes de chitas escuras cem to-
que de mofo a 20000, ditas liranas sem
molo a mOO e 30000, cortes de cassa de
cores de barras a 25000, ditas de cassa pin-
tadas a 25000; na ra da Imperatriz n. 56 de
Mendes Guimaraes.
Organdy* da Arara a 40.
Vendem-se organdys finos para vestidos a
210 rs. o covado, cassas tinas a 240 rs. o
covado, popelina de quadrinhos para vesti-
45--RUA DIKEITA-45
7.12-33 AMM&
Eia, rapaslada, coragem I. parece que ja
entregaste os vossos joanetes aos duros sei-
xos do pessimo calcamento da nossa cidade f
S se observa em vossos ps botinas acalea-
nhadas e gastas at ultima sola; sapates
rasgados e quasi sem saltos.... nem tanto 1
e"os melhores bales que tem|a quebradeira nodeve chegar at este pon-
vindo americanos de 20, 25, 30, 35 e' to Vinde a na Direita munir-vos de excel-
40 arcos, a 4#, 40500 e5,, ditos de ma-.lente calcado com 40 e at GO por cent
dapolo bem feitos a 30500 e 40, ditos de menos do sen valor.... attendei:
brilhantina a 40500, bales saias de cordo Borzeguins, Nantes, bezerro e va-
que faz a vez de balo a 2$; na ra da Impera-1 queta 2 e meia solas
Arara vende as eolias.
Vendera-se ricas colxas aveludadas para
cama a 80000, ditas de fusto a 50000, ditas
de chita a 20000,- brim de lmho e algodo
branco a 800 rs. a vara, dito de linho puro
a 10,10120, 10280 e 10600 a vara; na loja
da arara ra da hnperaaz n. 56 deJendes
Guimaraes.
Bales da arara de O 40
arcos.
Vendem-se'
ARMAZEM DE MOLHADOS
DE
triz arara n. 56.
Arara vende manguitos a
000.
Vendem-se manguitos e golinhas de linho a
20 o par, golinhas para meninas a 400 rs.,
ditas para senhoras a 400 rs.;na*rua da Impe-
ratriz n. 56.
ntremelos da arara.
80500
80000
Borzeguins, Nantes, bezerro, .va-
queta e lustre 2 solas. ....
Borzeguins, francez e hamburguez,"
bezerro, lustre e couro de por-
co_70e........60000
Sapates, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas.....50500
Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas......5,5000
Sapates, Nantes, sola e vira. 40000
Vendera-se pecas de entremeios transparen- Borzeguins para senhora, inglezes. 40000
tes a 10, tiras bordadas de largura de 3 a 4 Ditos para menina, comalo. 30500
dedos a 10280 e 10600 a peca, cortes de la'Ditos de ditas, de cores. 20804
Maria Pia a 40, ditas de la chineza com Sapatos para senhora e homem,
22 covados a 80, ditos de organdys com 151 tapete......... 800
varas a 80, ditos com 9 varas a 60500: na ra Sapatos de borracha para senhora. 10400
da Imperatriz n. 56, arara de Mendes Gui- ldemidem para meninas. 10000
r3es- Sapatos de lustre para senhora. 10000
dem de lustre as avessas 500
LIQUIDACAO
de faieudas baiassimas, na llna-ViMa, roa da
Impci-atrii n. 20.
Cambraias adamascadas cora 20 varas a 8J.
Ditas com 8 ditas a 23.
Ditas lisas com 8 ditas a -J.
Fil liso muito fino a 800 rs. a vara.
Chales de merino estampados a 43.
Madapolo entre-lino com 20 varas a 83.
Casemiras finas de urna s cor a 13000 o co-
vado.
Algodao monstro, superior fazenda para toalhas
e lences a 800 rs. a vara.
Bramante de 10 palmos de largura a 13600.
Grvalas de seda a 320 rs.
Oleados de diversas larguras e de ricos desenos
para mesas de jantar a 23 o covado.
Flanella branca muito lina a 640 rs. o covado.
Riscadinlios de linho muito finos para vestuarios
de crianras a 400 rs. o covado.
Chitas escuras e fiaras, padioes nteiramentc
novos e muito finas a 400 rs. o covado.
Lasinhas chinelas muito superiores a 500 rs. o
covado, e outras muitas qualidades de fazendas
precos muito commodos, afim de apurar dinheiro,
dndose de tudo as competentes amostras.
FAZENDAS.
Xovo estabelecimento de Custo-
dio, Carvalho il. C.
27Ra do Queimado27
Preco barato 260 rs.
Superior fusto francez, proprio para
roupa de senhoras e meninas, de lindos de-
zenhos e pelo barato preco de 260 rs. o co-
vado.
Madapoln
Madapolo fino enfestado, cora 20 varas,
a 80 a peca.
Organdvs.
Finos organdys matizados, a 2i0 rs. o co-
vado.
cortes
de -olite de fusto lino, para roupa de me-
ninos, a 320 rs.
Bretanha.
de linho fino, pecas, a 50500.
Lences
de linho fino, pelo barato preco de 20.
f.oherlas
de chita chineza, a preco de 20.
Calcinbas
de linho para senhoras e meninas, a
800 e 10.
Colindas.
Caleinhas bordadas para senhoras e meni-
nas, pelo barato preco de 20500.
Bramante
de linho com 10 e 12 palmos de largura, a
20800, 20 e 20500.
I^iia.
Lindas las para vestidos, a 440 rs. o co-
vado.
Lencos de cassa, a I 600 a duzia.
Cortes
GOO,
dos a 280 rs. o covado; na ra da lmnoritriz' i
arara n. 56 de Mendes Guira Ves P id? ,mm CaSem'ra para ca'ca' a 2 cada
corte, propria para a presente estaco.
um
Arara vende as lazinhas dos
vestidos.
Vendem-se lazinhas^muito finas e lindos
desenos a OO, 440. 500 e 640 rs. o cova-
do, ehaly muito fino a 500 rs. o covado; na
ra da Imperatriz n. 56 arara de Mendes
Guimaraes.
Roupa felta da arara.
Vende-se costumes completos d" urna fazenda
chineza por 120 ocostume, paletots de brim
a 20500 e 30000, ditos de meia casemira
escura a 40 e 40500, paletots finos a 60500
e 80000, calcas de meia casemira a 30000, |
SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado n. *, loja de miudezas de
Jos de Azevedo Mata e Silva, est vendendo todas
as mas miudezas por precos que todos admirara
comosejara :
Varas de aspas para fazer bales. .
Caixas com superiores brelas ....
Pares de hotoes de punhos a .
Pares de sapatos de tranca muito finos
a 13440 e..........
Peras de filas de velludo recortadas com
lo varas a
120
40
ICO
O Pavo vende a :i.f e 3#500
cortes de la, a 30 e 30500; ditos com 22
covados, a 50: s na ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavo.
s na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Fusto do Pavio.
Vendom-se fusto com lav* miudinho
para roupa de meninos, a*J20 rs, o covado ;
brim de|inho de quadrinhos para roupa de
meninos! a 560 r?. o covado: ganguelim
de urna s cor, a 320 rs. o covado; popelina
de la, de quadrinhos encarnados e pretos,
para vestidos de senhoras e roupa de meni-
nos, a 1S o covado: s na ra da Impera-
triz n. OP, loja e armazem do Pavo.
>
Chegaram em dlreitura a loja
do Pavo.
Vendem-se a 1:600". rs. o covado.
Acaba de chegar pelo ultimo vapor, um
lindo sortimento de lazinhas transparentes,
tendo urna s cor, lizas e de quadrinhos
miudin|ios e mescladas, propria para vesti-
dos de, senhoras, capas e zuavo etc. Tendo
esla fazenda 9 palmos de largura, que se
pode fazer um vestido at com 5 covados,.
sendo beste artigo a fazenda mis leve que e
ditas finas 50500 e 60000, ditas de brim l GaM8 cora muit0 suror papel am'iza-
20500 e 30000, ditas de brim branco a 40,! Ma?sosmm '
casemiras francezas a 10600 e "
13800
13500
Os lasos
OS MAIS AGGRAVANTES
E
B'nnia pertinaz auracao
DE
ESCRFULAS,
O ERPGOES ESCROFULOSAS,
Ulceras de toda a especie,
SYPflILIS, OU MAL VENREO,
TUMORES,
IJuilli ;oc,
BERTOEJAS,
OPHTHALMIA,
Hydropisia,
impgertSj,
HERPES,
Dttrtros,
ERYSIPELAS
ESCORBUTO,
Tinha,
CHAGAS ANTIGS,
Rtortiatsmoi CtaronlcQ e
DEBILIDADE GERAL,
Ncivosidadc, Nevralias,
FALTA BE IPPETITE, F1STI0,
SUPPRESSO DAS HEGRAS, ou
AMENORRHEA,
Reeiieao tas l rinas,
emacia<:;o,
Ou mmagrtcimentogeraldo corpo, prove-
niente do estado oieito do sanyue,
INFLAMffilCOES CKEONICAS,
Affec9ee Chronicais do Figado,
A>IM COMO TODAS AS MAIS SI MILU ANTES MO-
LESTIAS, PBINCJPALMBNTE QUANDO SAO
CAl-fiADA, 00 l'HODl'ZIDAS PELO MCI
utbb uso do Mercurio ou
Qoisiiro,
AhIdi romo tanibcni p. lo fioq.ionlo aso Aa AR.
SE.vico e ouira* pi-i-pHi-.-,,.;,.. .Mlncraesi
SMM estas Eufennidades prompta e efficaz-
mente cedem benfica, poderoza e
purificantes qualidades da mui
j listamente aarnada
SILSIP188ILH! DE BRSTOL.
rtnoe\
a
/e
da
SEL
^t T
(26
-
^-J r
& so
t
& i.
es
tn
-J
8
"i

o
W
0
{a

9
w
0
i
w
veo.
r*
a
o>
>
d)
&
*. r=
^^>
S ^
S8 PS!)
* ^
l&l

aiEIRAM L1R.
Tendo o BALIZA dadooseu balanco no ultimo dejonhopassado, e i lo re-
novar o magnifico sortimento de seu GRANDE ARMAZEM, chama peki prea
attencao do respeitavel publico para os precos dos gneros abaixo menciona
verdadesio os mais razoaveis que se pdem adiar, attenla a mm boa qaalkbde.
Soldado voluntario do balallio prpgressista, o BALIZA o homem i
ment. Elle pede, pois, aosseus bons camaradas, que too todos osmiwtifoi
favor de nao Ibe darem um minuto de descanco oluigando-o a vender todo o
Desta sorte o BALIZA vivir contente e contentar tamln-m mm Kna firegaezi ,
do-lhes sempre generosamente, e tal vez que ainda por precos mais ra/.nawi-.
Ameixasem frascos devidro, a l;)o00.
Ditas em caixinhas com lindas figuras, a
1/200 c 20 MX).
Ditas em latinhas, a I 5 400.
Amendoas confeitadas, a 900 rs. a libra.
dem, a 280 rs. a libra.
Arroz (Carolina), primeira qualidade, a 120
rs. a libra.
Dito do Mafanbao, a 120 rs. a libra.
Azeitonas novas de Lisboa e Porto, a 1,$ c
I/200aancoreta.
Azeite doce refinado, a 800 rs. a garrafa.
Dito em barril, a 040 rs. a garrafa.
Dito de Garrapato, a 400 rs. a garrafa.
Arroz com casca, a 30 a saca, com 20 cuias
e a 240 rs. a cuia.
Ancoretas americanas de6e 12 garrafas,
muito bem fabricadas, a 15 cada urna.
Araruta muito fiua, a 320 rs. a libra.
Bolacbinhas americanas, a 3$ a barrica e
240 rs. a libra.
Biscoutinlios inglezes, em latinbas, a 10390.
Bismuto lunch e soda, em latas de 4 a 3 li-
bras, a 2;? a lata.
Banha de porco, a 480 rs. a libra.
Balaios hamburguezes muito lindos, de di-
versos (amanos e por preco ra/.oavel.
Caf do Rio, a 280 c 300 rs. a libra, em
arroba, a 80200, 8->o00 e 9/.
Ceblas, a 80U rs. o cento e 10 o mlho.
Chperola, a 30 a libra.
dem hisson, superior, a 20800 a libra,
dem chumbo, a 20000 a libra.
dem hvsson, sofi'rivcl, a 20400 a libra,
dem hvsson, menos.soffrivel, a 2> a libra.
dem preto, magnifico, a 20 a libra,
dem preto, menos superior, a I.)800rs. a
libra.
dem preto, sofirive!, a 10(500 rs. a libra.
dem nacional, a 1/800 a libra (em latas).
dem nacional, a 10000, a libra,
dem nacional, ordinario, a 10 a Bbrs.
Champagne, marca aguia, de superior uia-
lidadc, a 040 rs. a garrafa c 70 o gfgi',
com 12 garrafas. Quem deixar de be-
ber .champagne por tal preco?
Charutos de muitas marcas e a precos bara-
tsimos, sendo que ha de 800 rs. at
40 o cento, viudos do Bio, Babia c de
Hespanha.
Chocolate suisso de Lisboa c francez, a 800
rs.e i&.
Chouricas e salpicoe, a G40 rs. a libra.
Conservas ingieras, a 800 rs. o frasco.
Ditas fracezas, a 500 rs. o frasco.
Cognac inglez, a GOO, rs. a garrafa e em
caada, a 40.
dem engarrafados, a 800 rs.a garrafa.
Doces, em lindos vazos de vidro, das fruc-
tas mais esquisitas da Europa, a 10 o
frasco.
Dito de Lisboa, em latas, a 300 rs. a lata.
500, 800..- 10 o Irasco.
Marmelada excedente a 040 rs. a mmm.
Ostras americanas (excedente petbcoi :i80w
rs. a lata.
Passas a 400 rs. a libra, e m ea:
Presuntos de Lamego, a 560 n. i Har.
dem inglez para fiambre vindo de HtfMMMNM-
da, a 800 rs. a libra.
dem americano, a 5#0 rs. a libra.
Peixe de Lisboa Inglaterra e Ai
parado conforme a arte de o Moka, i m to-
las de 2 a :{ libras, de 1*380 i l
Phosphoros do gaz, a 21306 a gr sa.
Queijos loddrinos cliegados no ltimo \
a 800 rs. a libra.
dem dem cliegados do penottimo vapt>r. a
040 rs. a libra.
dem Oamengos ebegados no mUmbo .pora
20400.
dem idem ebegados do penuli.
20200.
Sal relinado em vazos de vidro, i 610 rs.
dem idem em vazoa de lovca, a S0
Cerveja das melhores marcas qn w
mercado, a 4/, i>.<;>. : 6/860 a duzia.
Sardinhas de Lisboa preparadas de escati* ve
a 040 re. a lata de grande bMMMo.
dem de Nantes. a 380 re. a lalinlia.
Salmo massade lO, lio. \tx>. 160, -
240 rs. a libia.
Tinta preta nacional e infdeza, a 641
garrafa, e 2iit rs. boio.
Toocinho de Lisboa, de mais de meto |
por 320 rs. a libra,
dem ile Santos, a 2so rs. a Kara,
dem americano, a 200 rs. a libra,
dem inglez mcco do fumeiro, meVior d
lodosos pMPuntos, a iiO rs. a JBkn.
Vassoaraa an* ncana moito lindas c I
a 040 rs. ca! i orna.
Veas de Buenos-Ajres em ca 16
libras, por 6/.
dem de carnauba e composicJo, a 966 40**
rg.!a libra,
lo'em'']? Aracatv, a 400 rs. a libra,
dem ste.,>llli;ls-a *i0 '' W *"'
I.l.m sp.-n.^a.-.-t.-. a \$ a libra.
Vinlintagri,,.^'1, '
melhorquali, Uale que h.fle v.m i: -.
mercado emg n "
do autor em a!M lv,:'!';n,,,r":i1'"'!
previne-se aos apr, ^SfiraSS
ero ha Inije ,,,, b^SLeVn,
Idemengarwados v,ndo. narc;i. ,.,,^.
Prwntode diversas. is..,;1. ta .
Ihoresadegas do Porto eL ^ ,
cas: Madeira, Camoes, Chai p^^,,,,. Ia.
sia, CareaveUos, DoqiM o
tros, e espera-se lodus os di i
lidades, a 800. 10 e IjiSO i
i>. ; i-
com superiores grampos a.
v. 20000, ditas, Caaivetes de aparar penas a.
I 2;>o00, ditas de linho a 30000, ce-' Agulheiros com agullias a
700
40
80
80
13600
3^600
80
200
320
300
tem vindo ao mercado, vende-se a l,J60O o rs. o covado, aberturas para camisas a 240
covado), nicamente: na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 00, de Gama d Silva. '
Chitas largas a 280, s o Pavo.
rodas francezas a 10600, camisas de meia ai a- de "1cias brancas para homem,
^..--------: ... ^___ Cornetas de cliifre para meninos a .
Oh I que pechincha a 40 rs. | beovaa para limpar denles multo linas .
rjm i ., <_ Baralhos de carta- para voltarete muito
Vendem-se chitas francezas escuras com pe-1 finas a .
queno loque de mofo a 240 rs. o covado, Ditas portuguezas a'l&O e ..'.'.[
ditas inglezas com pequeo toque de mofo Fraos de agua de Co'onia mu'o boa
a 200 rs. o co^do, pepas de ditas francezas'Dit^deoleo babosaa240 '. ffi
com pequeo toque de mofo a 80OOO)e- Ditos com superior oleo de macaca a '
cas de ditas inglezas escuras cores fixas cora Pjtos com superior macaca perol a .'
pequeo toque de mofo com 38 covados a S!s com ^Perior banha transparente a
74800, ellas freguezes antes que se a ca- TrnToS'S Celeste para
bem; na loja da arara ra da Imperatriz n. i cheiro .... st paT!i
56 de Mendes Guimaraes. i Trancas de algodao brancas e de cores
______ I Caixas com superiores obreias de colla
.Madapolo francez enfestado a -BoWdJm muito bonitas para guardar di-
1OOO "'"'"'' '.......
Vendem-se pecas de madapolomm^^St^lS^SSiJ:
no enfestado com 12 jardas a 40 e 40500,! Pares de tovas brancas de algodao a. .
dito inglezes fino de 24 jardas a 70, 80, 90,1Carrileis dc |nha com 100 jardas, bran-
e 100000, pecas de algodao encornado a ven. i! j-' : "e" \ -.,
UUtfMI 'iA p (U na ma ,1, i.., Ja t}*?8 e cordlK!s 1 enfiar espartilhos a
i&ow, 00 e #, na ra da Imperatriz n. 36. Cai\as com colchetes francezes superio-
Chitas da arara. Cartoes de clcheles francezes a 40, 60 e
Vendem-se chitas francezas finas a 320 300 Facas e ^arfos cabo branco cravado a .
400 rs. o covado, riscado francez a'280' n!ttos f ai branco-cravado a-
dem do Porto Bausa, a 640. i
A venda as boticas de Caors & Barbo, ff. ?'ll a t0 e 80 re' caixi5- I,l,,,a de LL-|,('a e'' -"'" eaa anc<
a da Cruz, e Joo da C. Bravo & C ru Dlt0 cm lalas muit0 IjroPno para presente, I a 20/ de 8 a !) caadas.
arante-se sua duraco innaltcravel por dem do Porto em garrames de 4 I |
garrafas, por 2|S0O.
ra
da Madre de Dos.
Estampas Onas.
Na loja da Aurora, na ra larga do Bosa-
rio n. 38, recebeu-se vario sortimento de
estampas de differentes santos.
RITA TOVA
Casa de modas de madama Tlieard.
.Neste estabelecimento dc modas, alem de
muitos objectos de gosto receben vestidos de seda
bordados a retroz, o mellior que se pode encontrar
no mercado para noiva, ditos de blonde, ditos ditos
oOO moreantique, ditos pretos, ditos de lindas cores,
$ ,/haPeos d? Pa'ha da ludia de apurados gostos para
200, senhora, ditos de palha de seda para meninos e
00 meninas de idade de um mez a dez annos. Rece-
300 be-se figurines por todos os vapores, e az-se tudo
quanto for tendente ao toilet de urna senhora."
1,5-500
80
80
300
500
160
100
30
80
Vendem-se chitas francezas com toque de
mofo, tendo padres miudinhos, a 280 rs. o
covado, afiancando-se sercrfixe e que sola
o mofo logo que se lava: s na ra da loipe-
ratriz n. 60, loja do Pavo. *
rs., ditas de linho brancas a 800 rs. o cova-
do, tarlatana de cores aiOOrs.avarajnarua
da Imperatriz n. 36.
Cortes de casemira da arara.
Vendem-se cortes de casemira enfestada
escura a 20, cortes de brim para calcas a
10 e 10220; naruadaImperatriloi
n. 36 de Mendes Guimaraes.
Ditas de balanco muito finas a. .
Tesouras para cortar, pequeas c finas
a 200 e ...........
Tesouras para cortar unhas milito fin.il a
400
80
35200
:i300
&4000
320
500
Espravoes, enchiladas, fieiras, es:
ponjas, tomilhos, sobrecamas, sobre-
ervos, e todas e quaesquer enfer-
midades a que sao sujeitos os caval-
los, cncontrarao. um remedip mira-
_ culosona applicaao do afamado oleo de Merchant
a anra a ^f*1 no armazem da bola amarella no oitao do
B3! daira do Imperador ao^precosde 640, 1280
MACHINAS AMERICANAS-
Em casa de N. 0. Bieber & C, successo-
res, ra da Cruz n. 4, vendem-se:
Machinas para regar hortas e capim.
Ditas para descarofar milho.
Ditas para cortar capim.
Sellins com pertences a 10$ e 20$.
Obras de metal principe prateadas.
Alcatr5o da Suecia.
Verniz de alcatrao para navios.
Salsa parrilha de primeira qualidade do Para.
Vmho Xerez de 1836 em caixa de i duzia.
Cognac em caixa de I duzia.
Arados e grades.
Brilhantes.
Carrocas pequeas.
mais de anno.
Farinha de Maranho, a 160 rs. a libra.
Dita de trigo, a 140 e 160 rs. a libra.
Fructas francezas de diversas qualidades, em
frascos de vidro, preparadas era alcool,
proprio para podim etc., a i$. o frasco.
Fumo americano, em pastas, a 1^280 o
libra.
Gomma do Aracatv, a 100 rs. a libra.
Dita do Aracatv, a 40 rs. a libra.
Graixa em latas, a 120 rs. e a duzia, 1/300.
dem da Figneira em garrafoesde n a "
garrafas, por 2400.
dem de Lisboa e Figneira de :12o. \m, ::m
e oOO rs. a gnala, e em casada M for
abatiraento.
dem Bordeaux engarramdo, a OiO rs. a
jama, em duzia a 7JSM.
Vinho do Porto moito lino em eaixai coai \i
garrafas, a 8,i IOJ, 12^ e ISJ lhores marcas que vana ao imaso aaara i
Genebra Iaranja, em grandes frascos, a {A. vinagre de Lisboa em garrafn de i
Genebra ingleza, marca gato, a l200 o; 5 garrafas, a 1*200 com o tam*.
Irasco ou garrafa com rolha de vidro. Avelaas a 200 rs. a libra
Garrafoes varios, de 640 a 1200 cada um. Arroz da ludia a 100 rs. a lihra.
Kirsck-wasser, bebida esta de um valor inex- Biscoutos de Lisboa em latas, proprioj para
timavel, em vasos esquisitos, a 1&.00. doentes, a 1^500 e 3| a lata.
Licores inglezes e francezes dos melhores Batatas a 80 rs. a libra.
fabricante^ a 500 e 800 rs. a garrafa. Copos lapidados para agua a i !
L.nguas americanas de grande tamanho (em Chumbo de todas as gr osaras a M aarra-
caula), al/. y%
Linguicas de Portugal, em latinhas de 5 li-. Caf muido de superior qualidade
bras, a 35500 a lata. a iii,ra l iuaiiiM.it
Massas para spaem caixinhas com 8 libras, Fio dc linho moito proprio para
contendo 5 qualidades, por 3,?500 a caixa.! 480 rs. a lihra P
lias para sopa, estrelinha e pevide, a 560 Farinha de trigo em bu
a 400 rs.
amarrar, a
Assucar do Monteiro
Ra do Imperador n. 28 e caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
a 5,3600 aarroba. *
rs. a libra.
Dita de tomate, a 640 rs. a libra.
Manteiga ingleza cm potes de 10 a 16 libras
a 800 rs. a libra,
dem dita flor a 1$ a libra,
dem de 2a qualidade a 800 rs. a libra,
dem de 3a qualidade a 640 rs. a libra,
dem para tempeiro a 400 rs. a Ubra.
:r. as e meias. de to-
das as manas a qualidailes.
Genebra de Hollanda em garrafes com i
caadas, por 63500 com o garrafao.
dem idem em fcasqoeirai com 12 frascos,
por 6/500.
Manteiga iinissima em latas contendo I ki-
logramma ou 2 libras e 1 i imtt, por
14(800 a lata.
i

Idem franceza" a 640 rs. a libra, e em bar-' Quejo"s"uisso~,"a 800 rs. a libra,,
ni por menos. Rap prnceza do Rio: grosso. meio groan
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco. e fino.
Mortasda ingleza em frascos grandes a 800 Tainhas das Alagas a 125 o cento, e 140
rs- rs. cada urna.
dem franceza em frascos grandes a 500 rs.,
Moflios inglezes dos melhores fabricantes a
Vinho branco de Bordeaux (Sauterns) a 9#
c 105 a duzia, e 800 a 15 a garrafa,




fi HHAi

Ufarlo de ivroamhnon -. pgnaM fetarM'e # *>'**.
8 miDi
GRANDE ARMAZEM
AE
EE

PROGRESSIVO.
DE
Eduardo Marques de Oliveira C.

N. 36, Rl'A DAS CRUZES N. 36
DO
bairro de Santo Antonio.
0 propietario do multo acreditado armazem denominado Progressisia tendo
npre em vista fazer tudo o que for possivel para bem servir aos seus freguezes, tem
fleberado vender os seus ja bem conliecidos gneros de primeira quaUdade pelos precos
ibaixo mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seus criados" ou
ravos, serem (So bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
comnienda, ainda mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento.
smo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
volver qualquer objecto que nao agradar, devendo os mesmos senhores ter toda aten-
Ijfc com os seus portadores, fazendo-lbes ver que so no armazem Progressista da ra das
Jruzes n. 3G, que se vendem os melhores gneros por mais barato preco, porque estes
imitas vezes olvidam-se e vo outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
slabelecimento.
KD
S NO
9-URGO DO CARM0--9.
DE
w%ara %* *
Os
, proprietarios deste espacoso e bem sortido armazem de molhados partici-
para aos seus freguezes que acabam de receber de diversos portos da Europa o mais bel-
lo sortiraento de molliados, todos primorosamente escomidos, os quaes vendem-sc por
muito menos do que outro qualquer annunciante, obrigando-se os proprietarios a garantir
todos os gneros saludos do seu muito acreditado armazem.
Jlanleigai ngleza de I." qualidade, a 900 rs.
a libia.
de superior qualidade a 320 rs. cada
xiuha.
ca
iflem de 2.a qualidade a 800 rs. alibra. Mostarda preparada em potes muito nova a
enejada ullmiamente, a 040, 1/w _. K..__
rem franceza,
rs. a libra.
400 rs. cada um.
patatas muito novas, a 2 o gigo de arroba Milho-alpista a 180 rs. a libra.
e 80 rs. a libra.
jamos do reino, ebegadospelo ultimo vapor
de 2 2J300.
|dem pratn, rhegado nesle ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 700 rs.
a libra.
Ili.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra e 2#300 a arroba.
,m Inndrino, mandado
da especial, a 900 rs. a libra.
I lem suisso, muito fresco, a 800 rs. alibra.
Caf do Rio do 1.a o 2.* qualidade a 83500
e 8-S800 a arroba, e 280 e 300 rs a libra.
Arroz da India e Maranho a 120 rs. a libra
c 36200 a arroba.
i veBas as mais novas neste genero a 240
rs. a lilua.
. I resuntos do Porto muito novos a 560 rs. a
libra.
legomes francezes para sopa, como soja,
Julieone, mlange uequipage, Choux e
nutras quaUdades, a V(K) e 300 o masso.
Abnendoas de casca mol i a 320 rs. a libra, e
om porco ter abatimento.
(. u rafes com '> garrafas de vinbo do Porto
do Alto Domo a 2:>(M.'oni o garrafao :
aflanca-se que nesse genero o melhor
que veio ao mercado.
1 ilm com S garrafas de vinho Figueira muito
(superior e mais proprio para a nossa esta-
dio por ser mais fresco a 26400.
Ola hvsson o mais superior a 2$600 a libra,
ifianca-se ser egual ao que regularmente
recaemos a 36200.
H m hxim miudinho. f mais superior que
rem ao nosso mercado a 2(5700 a libra.
m preto muio fino, a 26000 a libra.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol, que raras vezes
vem ao nosso mercado, a 300 rs. a libra e
em caixa ter abatimento.
vir de encommen- 1(lt,m massa de Sllperi0r qualidade de 100,
180, 200, 220 e 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 16300 a duzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salmao e outras qualidades, pre-
parado de escabexc segundo a arte de
cozinha a 1)9400.
Papel grve pautado e liso a 3/5800 a resma.
Genebra de Holland em botijas de conta a
460 rs. cada urna.
>
Vinbos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 36200 e 46000 a caada do
melhor c 500 rs. a garrafa, em porco ter
abatimento.
Id
Ga
I
afSes com 5 garrafas de superior vinbo
le Lisboa a 2*100 cada nm.
dem com S garrafas de vinagre de Lisboa
; !a 100como garrafao.
Idea com 5 garrafas de vinagre hambur-
uez a 800 rs. cada um.
Yiimos generosos vindos do Porto engarra-
l'Lli's das seguintes marcas: Genuino,
tato fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
t iria, Velho secco, Chamico, Madeira sn-
pterior e outros a 900 rs. a garrafa e 96
.i duzia.
Yin 10 Bordeaux das melhores marcas: St
,! dien, Mcdoc e S. Kstephe e Outros a
OSO rs. a garrafa e 76500 a caixa com
upa duzia.
is e paios, mais novo que se pode
;. a 250 e 600 rs. a libra.
; verdadeiro inglez dos melhores fa-
ii cantes a 900 rs. a garrafa e IO65O0 a
caixa com urna duzia.

asquino de Zara em frascos grandes a
K(0 rs. cada um.
Lm-0 es francezes, muilo finos, das seguintes
ni veas: taizetta de. Bordeaux, Plaiser des
di mas, Crme de Noyau, Eau Dantzic,
Ceme de Menthe, Ilude de Venus etc. etc.
Vinho velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
56000 a ranada.
Vinbo branro o mais superior que possivel
neste genero a 560 rs. a garrafa e a 46000
a caada.
Vinagre puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
c 16400 a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril
a 640 rs. agarrafa, e em porco ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
16000 a garrafa, e 10.0000 o gigo com
urna duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Babia a 36500 a caixa, tambem temos
para 26000, 20500, 30000 e 36200 a
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 600, 640,
e 680 rs. o masso.
dem de carnauba e composico a 320, 360,
e 400 rs. a libra e de 106 a U6500 a
arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a 15000
a ancoreta do Porto e 16500 a de Lisboa.
Massas para sopa: estrellinha, rodinha e pe-
vide a 400 rs. a libra e 26000 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carro e aletria a 400 e 480 rs. a libra!
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso das melhores qualidades a 900 rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixao.
Cerveja das melhores marcas de 50500 a
60000 a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
10300 a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda,
muito nova em latas grandes a 2*000 cada
urna.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra.
j dem franceza chegada pelo ultimo navio a
64o rs. a libra.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra e o
pote separado,
dem de porco, refinada e muito alva a ooo
rs. a libra, em barril ter abatimento.
dem ingleza em latas de 2 1/2 libras a 2,ooo
cada urna, garante-se a boa qualidade.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, l,8oo, 2,ooo e2,5oo rs.
dem prato chegados neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 66o rs.
a libra.
dem londrino mandados vir de encommen-
da especial a 7oo rs. a libra.
Caf do Rio de Ia e 2a qualidade de 8,5oo e
8,8oo rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra. ^
Arroz da India e Maranho a loo rs. alibra
e 3,ooo rs. a arroba.
Caixinhas de ameixas francezas de 1 1/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,6oo, 2,ooo, 2,5oo e 3,ooo rs.
Vidros de diversos tamanhos de confeitos,
muito proprios para mimos, de l.ooo a
2,5oo rs. cada um.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
em porco ter abatimento.
Garrafes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2,24o rs. com o garrafao,
afianca-se que neste genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira mu't-
to superior e mais proprio para a nossa
estaco por ser mais fresco a 2,4oo rs.
Cha hysson o mais superior a 2,6oo rs. a
libra, afianca-se ser egual ao que regular-
mente vendemos a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem huxira miudinho o mais superior que
vem ao nosso mercado a 2,7oo rs. a libra.
dem preto muito fino a 2,ooo rs. a libra.
dem muito mais baixo, muito proprio para
negocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 8oo rs. a libra.
Garrafes com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 2,2oo rs. cada um.
dem com 5 garrafas de vinagre de Lisboa
a l,2oo rs. com o garrafao.
dem com 5 garrafas de vinagre hamburguez
a 9oo rs. cada um.
Genebra de laranja a 9oo rs., a melhor que
se pode desejar.
Cha perola o melhor neste genero a 3.2oo
rs. a libra.
Azeite francez clarificado a 8oo rs. a garrafa
e 9,5#o rs. a caixa com 1 duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a 8oo rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. cada um.
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
rafinha.
CA
O
>
O
z
%
i
<-

s
,R
8
S:
>i
i
13
I
s
I
i
o
Neste novo e grande estabelecimento de molhados, encontrar o respuliraj
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro, eipostos^ uan
todas as quaUdades de gneros por menos precos que em quaesquer outros estabetednwa-
tos d'esta ordem, pois para isso segu em um dos primeiros paquetes para a Europa ma
dos socios para serem vindos todos os gneros de conta propria, para melhor servir aos
seus freguezes, e desde j encontrar o respeiavel publico sempre os memores e anb
novos gneros do nosso mercado, e por precos baratissimos, como se veri abaixo.
Manteiga ingleza flor a 800,900 e I a librv
Amendoas a 320 rs. a libra.
Aveles a 2oo rs. a libra.
Ameixas a 10 a libra.
Ditas em frasco por 20800.
Arroz pilado da India loo rs. a libra e 3#ooo
a arroba.
Dito dito do Maranho 120 rs. a libra c 30500
a arroba.
Azeite doce francez 800 rs. a garrafa.
Dito de Lisboa 680 rs. a garrafa.
Agurdente de canna de cabeca a 240 e 320
rs. a garrafa.
Azeitonas a 400 rs. a garrafa, e 10300 a an-
coreta.
Bolachinha de soda a 10400 a lata.
1* I
.,, Banha de porco a 6oo rs. a libra.
Sal refinado em frascos de v.dro de diNmos Bulachinll.J |eza a 200 rs a lib,.a- c bar.
modellos a 4oo rs. cada um, so o frasco i rca 3 3L
vale o dinheiro, tambem ha solt para 8o Cl). *J a ^2(K) ;,ibn,
Dito dito fino a 20600 a libra.
rs. a libra.
Vasos inglezes vasios de 4 a 10 Ubras, muito
.proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de 1 ,ooo a 3,ooo
cada um.
Painco a 14o rs. a libra.
Milho alpista a 16o rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
8o rs. a libra, e 2,3oo rs. a arroba.
Satr muito novo a 24o rs. a libra.
Dito miudinho a 2800 a libra.
Dito do Rio a 10800 a libra.
Dito preto a 1,5900 a libra.
Carne do serto a 36o rs., c em porfao se
vende por menos.
Charutos de diversas qualidades a 1*5200,
1^500 e 3)0 a caixa.
Champagne a 1?? e 10500 a garrafa.
Sabo verdadeiro heVpanhol^qwTraras vezes .Chourk-as a 560 c (KK) rs. a libra,
vem ao nosso mercado a 3oo rs. a libra e' Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade dd 2oo,
22o e 24o rs. a libra.
Caf em grao a 300 e 320 rs. a libra, e 9,0 e
90200 a arroba.
Dito moido a 360 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 12o rs. a lata: Doce de goiaba a 560 rs o caixao.
e l,3oors. a duzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
Espirito de
garrafa.
vinho de 38 graos, a 280 rs. a
curvina, salmao e outras qualidades, pre- Figos a 400 rs. a libra, e em latas de I libras
parados de escabexe, segundo a arte de por 10500.
cosinha de l,4oo e 2,ooo rs. a lata.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
7oo rs. a libra.
Papel grve pautado e liso a 3.8oo rs. a
resma.
Genebra de Holland em botijas de conta a
46o rs. cada urna.
Farinlia do Maranho a 160 rs. a libra.
Genebra de Holland a 640 c 720 rs. o frasco,
e 70 a frasqueira com 12 frascos.
Dita hamburgueza a 560 rs. o frasco, e 60500
a frasqueira com 12 fiascos.
Dita flor de laranja a 10 o frasco.
Gomma d'araruta a 100 rs. a libra, c 20600
a arroba.
, Graixa em latas a 120, e 10300 a duzia.
Vinbos em pipa: Lisboa, Porto e Figueira das ccnebra em garrafes de 14 garrafas por
melhores marcas a 2,5oo, 2,8oo, 3,ooo e i 4G00.
4,ooo rs. a caada do mais superior e de Batatas inglezas libra a 80 rs., e a 2A500 em
Manteiga franceza a 680 e 720 rs. a libra.
Dita hollandeza a 72o 8oo rs. a libra.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a 560 rs. a brr
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
Passas a 4oo e 560 rs. a libra, eMi '
Palitos para dentes a 180 rs. o masso.
Phosphoros do gaz a 20500 a grosa.
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a
20500.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Dito do serto a 560 rs. a libra.
Cervejas de marcas superiores a 500, W.
600 e 640 rs. a garrafa, e 5*500, 6* ?
60500 a duzia.
Dita em barril por 40, o 240 rs. a garrafa.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha do Nantes a 360 e 400 r. a ta-
ima.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 160 rs.
Vellas de spermacete a 640 e 680 rs a libri.
Ditas do gaz muito lxa>.
Ditas dito em caixas de 6 libras por 4500>>.
Ditas de carnauba a 400 rs. a libra.
Ditas de composico a 360 e 380 rs. a libra.
Vinho do Porto, caada a .5*500, garra* i
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 40 e a garrafa a 5W
rs.
Dito Figueira. caada a 3.0840 e a garrafe a
480 rs.
Dito dita superior, caada aWei garr.>
a 500 rs.
Dito Estreito, caada a 30200 e a garnti i
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 c 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa em garrafes de 5 gana-
fas por 10400.
Dito em caada a 2">. e i MO rs. a garrab.
Vinbos generosos vindos do Porto engarra-
fados das seguintes marcas: Genuino,
32o e 36o rs. a garrafa.
dem velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, por ser muito claro e
macio a 64o rs. a garrafa, e 5,ooo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero, a 56o rs. a garrafa e a.
3,8oo rs. a caada.
Vinagre puro de Lisboa, a 2oo rs. a garrafa
c l,4oo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril.
a 64o rs. a garrafa, em porcao ter abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
l,2oo rs. a garrafa, e 12,ooors. o gigo,
com 1 duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 3,5oo rs. a caixa, tambem temos
para 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 3,2oo rs. a
caixa.
Velas de spermacet superiores, a 6oo 64o,
68o e 7oo rs. o masso.
arroba.
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito em garrafas grandes de superior quali-
dade a 1(0500.
Previne-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima sao de boa
dade, e para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser aimunriados
Vinho do Porto em jarrafes W 3 garrafa*
por 20500.
Dito dito engarrafado a 1^ < 1J8W.
Dito lagrimas do Douro a 10400 a garrafa.
Vinho branco de Lisboa a 720 rs. a garrafa,
e 5(0 a cenada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, e a I54#
a caada.
TODA ATTEIPO
NOS
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-, dem de carnauba e composico, a 32o, 36o
toria, Velho secco, Chamico, Madeira su- e 4oo rs.-a libra, c de lo,ooo a H,5oors.
nniizi:\s
mam
DE
perior e outros a 1 ,ooo rs. a garrafa, e. a arroba.
9,ooo rs. a duzia. ^ Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a l.ooo
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto rs. 'a ancoreta do Porto, e l,5oo rs. a de
a l,2oo rs. a garrafa, e lo.ooo rs. a caixa.
Vinho Bordeaux das melhores marcas: St.
p.-.as muito novas e de carnada a 400 rs. a
,; a b 6:j.*iOO a caixa com urna arroba, ha
i ai xas, meias e quartos.
Ame xas francezas em frascos de 1 lr2 e 3 li-
br is de 10400 a 20800, tambem ha latas
di 6 libras.
fcimelada imperial, dos memores conser-
ve ros de Lisboa, a 600rs. a libra, em la-
ta lacradas hermticamente.
Fru Its em caldas de todas as qualidades em
-la las muito bem enfeitadas, a 500 rs ca-
d; urna.
B da hinha ingleza, a mais nova que se pode
desejar, a 30000 a barric a e 240 rs. a
filtra.
Fari iba do Maranho muito alva e cheirosa
a 160 rs. a libra.
Aze te francez clarificado a 800 rs. a garrafa
o 90000 a caixa com urna duzia.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes, do fabricante Basset, a
360 rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a fibra.
Tijolo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Cebollas o mlho a 900 rs.
Erva-doce muito nova a 400 rs. a libra.
Cominhos dem idem a 640 rs. a libra.
Garrafes vasios a 500 rs. cada um.
Ditos com 5 garrafas de genebra a 20400,
garante-se ser verdadeira de Holland.
Cebollas a granel a 640 rs. o cento.
Canella a mais nova do nosso mercado a
10000 a libra.
Alfazema o que pode haver de melhor neste
artigo a 280 rs. a libra.
('. ji^enas inglezas dos melhores fabricantes phosphoros de seguranca individual a 20 rs.
j&
I ixed Pickles, ceblas simples, e outros
a 760 rs. o frasco.
1 arinha verdadeira de araruta a 500 rs. a
i, garante-se a superior qualidade.
Pres para dentes em^aJxinhas domadas
Breu, a 320 a libra e 8^Pfcoba.
a careinha.
Papel-de embrulho muito superior a 10120
a resma.
Vinho da Figueira, o que ha de melhor a
40000 a caada.
Copos finos para agua a 60000 a duzia.
Julien, Medoc, S. Estephe e Outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,ooo rs. a caixa com urna
duzia.
Chouricas e paios, o mais novo que s pode
desejar, a 56o rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a Ooo rs. a garrafa, e lo,5oo rs.
a caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
8oo rs. cada um.
Licores francezes muito finos das seguintes
marcas: Anizete de Bordeaux, Plaisir des
Dames, Crme de Noyau, Eeu de veede
dant c, Creme de menthe, Huile de Ve-
nus,2 Parfait amour, Eau d'or a l.ooo rs.
a garrafa e lo,ooo a caixa com 1 duzia,
Passas muito novas e de carnada a 3oo rs-
a libra e 6,ooo rs. a caixa com 1 arroba,
ha caixas, meias e quartos.
Ameixas francezas em frascos de 1 1/2 e 3
libras de l,4oo a 2,8oo rs.; tambem ha em
latas de differentes precos.
Marmelada imperial dos melhores conservei
ros de Lisboa a 6oo rs. a libra, em latas
de differentes tamanhos e lacradas herm-
ticamente.
Fructas em caldas de todas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas a 5oo rs. cada
urna.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Lisboa, estas ultimas raras vezes vem ao
nosso mercado, pela sua boa qualidade.
Massas para sopa: estrellinha, rodinha e pe-
vide a 32o rs. a libra, e 1,6oo rs. a caixa
" com 8 libras liquino; s no Progressivo.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carro e aletria, a 4oo e 48o rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez c
suisso, das inelhores qualidades a 9oo rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 64o rs. o caixao.
Cerveja das melhores marcas, a 5,5oo e
7,4oo rs. a duzia e 54o rs. a garrafa.
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
l,2oors. a lata.
Bolachinha de soda especial, encommenda
muito nova, em latas grandes a 2,ooo rs.
cada urna.
dem craknel em latas de 5, 7 e 15 libras a
4,ooo, 5,5oo e 11,ooo rs. a lata.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oo rs.
a grosa.
Massa de tomates em lajtoB de 6oo a 7oo rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes do fabricante Basset, a
38o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo, a 32o rs. a libra.
Tijollo de limpar facas, a 18o rs. cada um.
Cebollas, o mlho a 9oo rs.
Farinha do Maranho muito alva e cheirosa,
a 14o rs. a fibra.
NS. 21 E 23LARGO DO TEfiTO-XS. 21 E 23.
O proprietario destes dous estabelecimentos de molhados, vende os seos pa-
neros por menos do que em outra qualquer parte, por sn> garante a superior bm-
lidade de qualquer genero sabido dos seus armazens ; pode vender por meuos por cft-
prar dinheiro, e por isso faz vantagem a os compradores.
Batatas as mais novas do mercado, a 60 rs. a libra e 1,6oo rs. aarroab ou caixa.
Toucinho de Lisboa da 1.a qualdade, a 3oo rs. a libra c 9,ooo rs. a arroba.
Caf do Bio da 1.a e 2.a sorte, a 28o e 32o rs. a libra.
Queijos do remo, chegados pelo ultimo vapor, a l,8oo e 2,ooo rs.
Velas de spermacet, carnauba do Aracaty, as melhores deste genero, a 63o e loo rs. a fiara.
Vinho verdadeiro Figueira das melhores marcas, a 5oo c4oors., em caada M faz aba-
timento, ha porgo para escolher.
Bolachinhas americanas, as mais novasneste genero, a 2oors. a libra e 3.ooo rs. a barr, a.
Palitos do gaz, vindos por conta particular, a 2o rs. a caixinha e 2,4oo rs. a grosa.
Manteiga ingleza da 1.a e 2.a qualidade, a 8oo e 76o rs. a libra,
dem franceza, especialmente escollada, a 64o e 6oo rs. a libra.
Cha, o melhor neste genero, a 2,88o rs., tambem ha para mais barato.
Milho alpista, limpo, muito superior, a 16o rs. a libra, a arrroba 5,ooo rs.
Alm destes gneros ha outros muito baratissimos, assim como ceneja das me-
lhores marcas, genebra de Holland e de laranja, passas, doce de goiaba. azeite dor
nagre, canella, pimenta, cominhos, erva-doce, cebollas, albos, cliouriras. kinha de porrr> e
outros muitos gneros que enfadonho mencionar; dinheiro contado.
FCMIMCAO DO BOWMAW-R17A |o
Este muito acreditado estabelecimento est prvido de um completo sorUmeoto
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber:
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamanh*os.
Rodas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc. ________________________
de
Alm dos gneros cima mencionados, existe um completo sortonento de al-
fazemas, cominhos, pimenta, erva-doce, palitos de dente em macos e caixmnas, onxo-
fe e outros muito gneros, os quaes vendemos pelos precos mais baratos possives.
FIJIDI^AO A AURORA.
Nesta grande e bem montada fabrica de machinismo, a mais antiga no> imperio, oav
tinua-sea executar com a maior presteza e perfeico encommenda* de toda a
de machinas usadas no paiz, tendo sempre prompto o seguinte :
Grande sortimento de moendas de canna de todos os systeraas e tamanbos.
Machinas de vapor de diversas qualidades.
Taixas fundidas e batidas.
Crivos e boceas para fornalhas. s
Bronzes e aguilhdes.
Rodas, rodetes e rodas d'agua.
"Guindastes fixos e portateis.
Machinas de cylindros para padaria.
Serras de ac para serrana.
Fatechas para barcos, etc., ele,, tude por prego que bem convida.
.




"


"
Mario e Ptrm*mhm*> segunda fclra de tlulho de 19S.
SORTIMENTO DE UOLII YIHIS

<
W
o
o

8 *
w
H

Q
5
o
o
-3
ea
i 1
5
I <
I
e
I
e
-
fl
te
h
-
:-
m
e

18
e

a
1
s
I
II
?I
e S
fi
i *
a
S I
* I
i.
I
a
I
es
%
fiU
I
1 i
o 2
5 a
i:
i
E
a*
a
s
1
Vinho empipa: Porto, Flgneira e Lisboa, a 400, Lagostinhas em latas grandes, a 14400.
480 e 560 rs. agarrafe, em caada a 2A800,3* ei ^^
34900 rs., afianca-se este genero conservar-se Savel, corvina, cherne, congro, linguado, vezugo,
perfeito seis oito mezes, o que raro ser outro' gors, pescada, peixe espada,preparado pela pri-
qualqner afianzar. meira arte de cozinha, a 14300 a lata.
Lagrimas do Dooro, especial vinho do Porto, a 14 Queijos flamengos do ultimo vapor, a 24400.
a garrafa e 104 a caixa, o preco nao indica a' Hom n __J____^. .
qualidade dcste precioso vinho, porm tambem Idem nao com imposicSes de proco que se prova ao dem prato, o mais superior que tem vindo ao mer-
respeitavel publico a superior qualidade, este; cado, a740rs. a libra.
genero de eommum se manda vir de coma pro-
pria, e por isso podemos vender por menos do Doce da casca da goiaba, caixao grande, a 640 e
que outro qnalquer annunciante. I 800 rs. cada um.
i
Vinho do Alto Douro, das mareas mais acreditadas
e especialmente escolhidas por pessoas entendi-
das deste genero, como sejam Camoes, Duque do
Porto, D. Luir, Carcavellos, Chamisso & Filho,
Madeira secca, Feitoria, a 900 rs. a garrafa e 94
a caixa com 12 garrafas.
Garraffies com vinho do Porto, contendo 5 garrafas
por 24300.
Vinho branco de Lisboa, proprio para missa, vindo
ja engarrafado de Lisboa, a 640 rs. a garrafa,
dito de barril muito superior, a 500 rs. a garrafa
e 34200 a caada.
Ameixas francezas em eaixinhas de 1 e meia, 2 e 3
libras, elegantemente enfeitadas com diversas es-
tampas na caixa exterior, a 14400,1*800; 2*300
Figos de comadre em banzinhos defolha, muito
proprios para mimo, a 14600.
dem em caixinhas forradas de papel de diflerentes
molduras, a 14400.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia e 3 libras
por 14400 e 24600.
Passas de carnadas as mais novas que ha no merca-
de, caixas de 1 arroba a 64, e a retalho a 400 rs.
a libra.
Massas para sopa muito novas: pevidee estrellinha,
a560rs. a fibra.
dem a mais nova qne ha no mercado; talhanm e
aletria, a 560 rs. a libra.
Macarro, a 320 rs. a libra.
' dem o mais novo que ha no mercado: talharim e
aletria, a 560 rs. a libra.
Figos de comadre em caixa de 8 libras muito novos
a 14800 e a retalho a 180 rs. a libra.
Salmao em latas eem postas hermticamente lacra-
das, a 800 rs.
1
Chouricas do reino a mais nova do mercado a 640
rs. a libra.
I
Paios de lombo, vindos do Porto de casa particular,
a 800 rs. a libra.
Bolachinhas inglezas a mais nova do mercadoa
240 rs. a libra e 34000 a barrica com urna ar-
roba.
dem &; soda de diversas qualidades, a 14400, di-
tas glandes proprias para lanch com 5 a 6 li-
bras por 244OO.
Marmelada imperial do fabricante Abreu on de ou-
tros inultos conserveiros de Lisboa, em latas de
1 e meia e 2 libras, a 600 rs. a libra.
Ervilhas francezas, a 500 rs. a lata.
dem portuguezas, a 640 rs. a dita.
Mac,a de tomates, a 600 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 e 14 a
libra, neste genero existe sempre aborto dispo-
sicao dos freguezes dous a tres barris de man-
teiga flor, salvo quando por infelicidade aconteca
a factura vir composta de segunda e terceira
qualidade, que para melhor satisfazer aos fre-
guezes torna-se necessario ter mais do que esta
porcao de barris abertos, jwrm antes nos lhe
damos a devida applicacao para tempero, que
venderemos a 320 rs. a libra.
dem franceza a mais nova do mercado, a 680 rs. e
em barril se fazabatimento.
Amendoas confeitadas, a 800 rs. a libra.
Chourisos, mouros viudo de casa particular, a 640
rs. a libra.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa, a 160
rs. a libra.
Avelaas muho novas, a 220 rs. a libra.
Amendoas de casca mole muito novas a 280 rs. a
libra.
Toucinho do reino a 360 rs. e 104800 rs. a ar-
roba.
Sardinhas de Xantes, a 360 rs. a lata.
Azeite doce de Lisboa, a 640 rs. a garrafa e 44800
a caada.
Vinagre de Lisboa, a 200 rs. a garrafa e 1*200 a
caada.
Campagne das marcas mais acreditadas a 84000
e IO4OOO o gigo, e 800 rs. c 14000 a garrafa.
Cerveja preta da marea Tenent ou XXX, a 44 c
44500 a duzia, e a 400 rs. a garrafa.
dem branca da marca cobrinha ou Tenent, a 44
e 44300 rs. a duzia, e em porfao se faz abati-
mento.
Genebra de Hollanda em garrafoes com 16 garra-
fas, por 64500 rs., afianea-se ser verdadeira.
dem em frasqueira, a 64500 e a 560 rs. o frasco,
dem de botija em barricas com 4 duzias a 430 rs.
cada urna.
dem de laranja em frascos grandes, a 14200, ga-
rante-se ser verdadeira da Italia.
Marrasquinho de Zara, a 720 rs. o frasco. '
Licor francs de todas as qualidades de fabricantes,
em garrafas brancas de vidro, a 720 e 800 rs. a
garrafa.
Vinho Bordeaux as melhores qualidades que tem
vindo ao mercado, a 720 e 800 rs. a garrafa, e
em caixa a 74500,84OOO e 84200 rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol,a800 rs.
a garrafa.
Conservas inglezas sortidas ou de urna s qualida-
de e da verdadeira, a 800 rs. o frasco.
Araruta verdadeira, a 320 rs. a libra.
Gomma de engommar muito alva, a 800 rs. a li-
bra.
Palitos do gaz, a 24300 rs. a groza e 20 res a
caixa.
Toucinho de Lisboa, a 320 rs. a libra e 94500 rs.
a arroba.
Sag muito novo, a 200 rs. a libra.
Cevadinha de Franca, a 160 rs. a libra.
Cevada nova a 120 rs. a libra, e 34500 rs. a ar-
roba.
Macarro e talharim, a 320 rs. a libra.
Altria muito fina, a 400 rs. a libra.
Arroz Carolino, muito alvo e grado, a 120 rs. a
libra e a 34200 rs. a arroba.
Caf do Rio o mais superior que se pdc desejar
neste genero, a 320 rs. a libra.
dem idem de segunda e tereeira qualidade, a 280
e 300 rs. a libra, e em arroba ou sacco a 84200
e 84400.
Velas de carnauba refinada, a 320 rs. a libra e
IO4OOO a arroba.
dem de spermacct, a 640 rs. a libra.
Chocolate hospanhol a 15, a libra,
dem francez, a 900 e 14 rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado por ser
vindo de encommenda propria a 24880 rs.
Cha hj son, melhor que se pode desejar neste ge-
nero, a 24500 rs. a libra.
dem nacional em latas de 1, 2 e 3 libras a 14400
ris.
dem huxim, a 24200 rs. a libra.
Cha preto homoepathieo o mais exfolente que tem
vindo ao mercado, a 24 a libra.
Graixa em latas grandes, a 3J>300 a duzia, c 120
rs. cada urna.
Presunto verdadeiro de Lamego em calda de azei-
te, a 560 rs. a libra.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro, obra de
umita duracao e utilidade, a 400 rs.
Charutos de S. Flix do fabricante Furtado de Li-
ma ou de outros muitos fabricantes da Baha, a
- 24OOO, 24500, 34000, 34200, 34500 e 44000 rs.
a caixa, ou em meias por metade do preco.
dem Mississipes imperiaes, a 34000 rs.
dem Ypiranga ou Flor do Rio, a 34200 rs.
dem Guanabaras ou Havaneiros, a 24800 rs.
dem Flor da Matta ou Regala imperial, a 24500
ris.
Wem Flor do Norte ou Londres imperiaes, a 44000
ris.
dem superiores em quantidade e de todos os fa-
bricantes, a 34000, 34500 e 44000 rs. a caixa.
f
9
e
B -

5
l
3 =
P E

2 =
B %
2
9
l
i
4
s
m
e
B
e
ae
6
5
i
3
!
5
*

5.
rtt D
Sil
s 1
m 1

= 1
t l
1
e
B

D
Q
as
n
a*
1
5

O
e
S Mr 1
lll
I X
w ^ H
S 1 I
% e ;

z
B
m
t

Z.
O
B
2
a
?
H
M
O
H
ll
* S
2
M
2
1
.

Polassa da Russia.
Ventle-se em casa de N. 0. Bieber & C,
successores, ra da Cruz n. 4.
Ra da son/alia Nova 11. 42.
Neste eslabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., demdeLow
Moor libra a 120 rs.
^n,m ^^ ^%^^%^%
DE
Ceblas superiores em resteas, a cinco
mil ris o milueiro no Caes da alfciudega n.
1, armazem de Tasso & Irmaos.
A U-lli BKA\(1
Iteeebea pelo ultimo vapor o
seguate:
Bonitas pulseiras de cabello, coral, e cora-
lina.
Fortes e bonitas ligas de seda para senhoras,
utras estreitas para meninas, 011 manguitos,
flarteiras com agulhas.
gulhetas para enar, e agulhas cantfas.
rancelius e fitas de borracha,
barritis com torcal de tridas as cores.
"assos e fios de coral.
sponjas finas para rosto.
entes de tartaruga virados, com laco e
balo.
Enfeites de rede para conservar os cabellos
bem atados.
Aspas e coz para balo.
Fitas com colxetes para vestidos.
Trancelins chatos de la para enfeitar .vestidos.
Papel e folhas para rosas.
Lamparinas francezas.
Trancelins grossos para relogios.
Escovas cabo d'osso, marfim e madreperola
para dentes, unhas, limpar pentes e jotas.
Outras finas para roupa, chapeo, cabello etc.
Outras de velludo para chapeos.
Pastas para papis.
Raspadeiras e-facas de marfim para ditas.
Visporas e dminos.
Lutos de eamnrea.
Vendem-se mui finas luvas de camota
branca e amarella; na ra do Queimado n. 8
loja d'aguia branca.
Barussiiuas bandeljas.
A aguia branca por umitas vezes tem (la-
ido a conhecer que quando acha alguma pe-
chincha, nao quer somente com ella encher
o papo, ao contrario deseja que toda sua boa
jfreguezia e o publico em geral prvem da!
mesma, o que agora mesmo acontece com'
cssas; baratissimas bandeijas, cuja limitago
de nrecos admira, em relaco aostamanhosc!
qualidades: avista do que convm todos a- \
proveitarem-se dessa opportuna occasio e
proverem-se d'um traste sempre necessario,
<; que lhes custar quasi metade do justo va-
lor. Assim, pois, dirigirem-se com dinliei-
ro alegre e espacosa loja d'aguia branca
ra do Queimado n. 8.
Lateos brancos com barras de
eores para meninos.
Al loja d'aguia branca recebeu um novo
sormento de lencos brancos com barras de
cores para meninos, e com quanto esses
viespem melhores, maiores e perfeitamente
quajdrados, com tudo continam a ser ven-
didos pelo antigo preco de 1$ a duzia; n.
ruaj do Queimado na alegre e espacosa loja
d'aguia branca n. 8.____________
La fina para bordar.
A. aguia branca acaba de receber um com-
pleto sortimento de la fina para bordar, cu-
ja J v.inedade de agradaveis cores foram es-
coihidas d'um grande livro d'amostras que o
fabricante offereceu a aguia branca, vindo
entre ellas alguma mesclada; assim pois onde
os pretendentes melhor se podem sortir des-
s^ genero, 4 na alegre e espacosa loja d'a-
guia branca ra do Queimado n. 8.
M atentado eopos eon baaha, e
boloes mu Inscrlpfften.
Chegaram novamente para a aguia branca
esses afamados e estimaos copos eom banha
fina; assim como os bonitos boioes de por-
cellana dourada tambem com banha, e novas
nscripcoes maviosas e jocoserias, mui ade-
cuado para presentes resta porem que os apre-
ciadores concorram, munidos de dinheiro,
alegre e espacosa loja d'aguia branca ra do
Queuaado n. 8.
TODAS AS QUALIDADES
DE
Admiren as las baratas:
Superiores 15as de cores de quadrinhos e
! lisas, fingindo sedinhas de duas larguras,
! pelo baratissimo preco de 500 rs. o cova-
do: na loja das columnas ra do Crespo n.
13, de Antonio Correa Vasconcellosd C.
ANTONIO MAIA BE BRITO
CONHEC1DA POR FABRICADA VHJVA.
N. 21Antiga ra dos Quarteis de policiaN. 21.
E\FEITGS DE BOM
GAZ.
CAL DE LISBOA
na ra da Cadeia
No armazem de louca da porta larga, ra larga
do Rosario n. 26, vendem-se latas com 5 galocs de
gaz a l-5, assim como latas de 5 garrafas, e em
Constando ao annunciante, que alguns especuladores de m f, vendo o crdito garrafas mnito em conta; garante-se a qualidade.
que gosam os meus cigarros, e para poderem dar consumo aos seus andam vendendo tanto j
na praca como pelo mato, illudmdo os meus freguis, dizendo que sao meus ; e como to-;
dos os meus cigarros sao vendidos na minha fabrica, e nao mando pessoa alguma vender
por minha conta fura della, laco o presente annuncio para evitar que comprem gato por
lebre ; e para seguranca dos senhores consumidores deste genero e especialmente os seus
freguezes, aviso que todos os massos de cigarros que forem vendidos na minha fabrica sao j
marcados com um distinctivo que declara o meu nome, o nome da ra e o numero da
mesma casa.
Aproveito a occasio para scientificar aos mesmos senhores, que constantemente'
encontrarao um completo sortimento de cigarros de diversas qualidades, e do melhor fumo
escolhido, por sua boa qualidade j bem conhecida.
Vendc-se cal nova de Lisboa
n. 5o, cscriptorio.
A loja da Aurora, na ra larga do Rosario n.
38, receben ricos enfeites de froco enfeitados com
aljofares, obra muito bem feita e da mais moder-
na que tem chegado, a qual se vende barato, assim
como tambem tem um grande sortimento de miu-
dezas linas : quem quizer venha ver para verificar
a qualidade e prefo, pois a-"vista faz fe.
Casa em O inda.
Polassa da Russia.
Acaba de chegar pelo brigue hflfcavpan
Otto, muito nova e superior; vende-*' s-
mente no antigo e acreditado deposito na rui
daCadeia do Recite, n. 12; onde taml. ,
vende cal de Lislwa muito nova e precofi
commodos.
ESCRAVOS FGIDOS.
AGENCIA
DA
Fugio no dia 17 do crreme da casa d"
Vende-scou aluga-se por preco commodo a casa xo assigntio o cscravo mulato de nome Lnfc 1
terrea na ladeira da Misericordia n. 16, esquina, vcio para esta praca para ser vendido. ruUifc t
lado do poente : a tratar na mesma cidade, ra de' villa de Barreiros'pe'o- Sr. Antonio Filipp
Mathias Ferreira n. 1, com o Sr. Jos Jacintho Pa- cedo, para pagamento do que deve ao alabo < *
vao, ou na Boa-Vista, ilha dos Ratos, ra do Seve. signado o Sr. Domingos Jos Cordciro, enoi
n. 16, com Jos Maria Se ve._________________| tem os signaes seguintes: estatura regalar. c- <>
do corpo, cor fula, algumas mancha- de pa-itai*
AOS SHS. (ms\ HMIIMUIES DE GAZ.
nrra
Cofres patentes inglezes, prova de fogo,
Nos armazens do Caes do Ramos n. 18 e garantidos pelo fabricante Milners, de Liver-
na ra do Trapiche Novo (no Rectfe) n. 8, se poo,. vendem-se na ra da Cruz n. 2, ar-
vende gaz liquido americano pnmeira quah- mazom de Isidoro, Netto & C.
dade a retalho a 12> a lata de 5 gales, as------------------------------------_
sim como latas de 10 e de 5 garrafas e sendo VENDE-SE UM GUARDA VESTIDOS
em porco mais barato que em outra qual- de cedro novo, de armar e desarmar, muito
quer parte. barato: na ra da Assumpco n. 34.
FUNMCAO DE L0W-M00R.
Kua da Seuzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
lmannos para,ditos.
Vendo-se um moleque de 18 annos de idade,
encllente offlcial de pedreiro, bom copeiro, c de P*'' rostoi cabellos frizados, representa M H
conducta allantada, por 1:500$: na ra Augusta de de 18 a 2 annos apenas, tem um pc<|ucn n. 114.
Vende-so sal de Lisboa por junto e a retalho,
1 mais barato do qne em ontra qualqner parte : na
' ra da Lingocta n. 14.
Vende-se a taberna sita na travessa dos Ex-
postos n. 18 : a tratar na mesma.
e quando falla um tanto baixo c aecentuad", v*
cscravo deixou a mai em Barreiros, e j.i 1- 1
muito de suppor que para all se dirigisse : ma
menda-se todas as autoridades polkiae?
de campo (me o pegar manda-lo ra da \ l
casa n. o, segundo andar, que serio bem Mana-
pensados.
Alves Ferreira.
I Vende-se um escravo de 22 annos de idade
e de bonita figura, e sem aefeito, proprio para todo
: e qualqucr servido ; tambem permuta-se por urna
numero 54.
OSTRAS
em caixas de 2i latinhas de urna libra no ar-
mazem de Tasso & Irmaos ra do Amorim'lavar roupa: em casa de S. P. Jobnstonc" ^e JamP>^ptnra do mesmo,;
n- 35. I ra da Senzalla Nova n. 42. '! ?raifiW ondc *"**
Arados americanos
Na mito de 14 para 15 do crreme au ; tou-sc da fundicao da Aurora o mulato Flcr n:.:..
liastante alto, pes grandes a mal feitos, auda e-
passado e costuma andar de sapatos 1 palwol,
_____________I algumas vezes usa capote de panno. incuicau< e machinas para ^orro rofi-sc s autoridades potta -
e leva-lo a 11
LVihi.,-, i;. (
DOS PREMIOS
DA O. P.WTE DA Ot
LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL PARA A EDIFICACO DA CASA DO GYMNAZ10 PERNAMBCCANO, (TERCEIRA CONCESSAO ) EXTR.\HIDA EM lh
JULIIO DE 1863.
XS. PREMS.
4
5'
24
30
31
32
36
49
54
55
56
58
66
69
70
78
79
80
85
92
95
99
107
10
11
17
20
21
23
25
28
29
30
34
36
41
43
44
49
50
53
56
60
65
-72
76
78
79
83
94
98
203
9
5
m
205
10*
10*
XS.
210
17
18
20
23
32
33
39
40
41
50
52
64
67
69
73
79
80
8i
85
89
91
93
94
97
300
8
10
14
18
2
27
28
39
42
44
47
54
55
58
59
62
64
74
76
82
83
88
90
96
401
I
7
PHFMS.
5*
10*
5*
5:000*
5*
5*
100*
3*
10*
8*
XS. PREMS.
408
10
20
21
22
24
26
31
34
36
40
47
48
52
57
60
61
63
64
7
80
83
94
503
4
10
14
15
16
17
19
20
23
30
33
34
35
40
43
44
45
52
55
58
62
67
72
74
75
80
81
84
87 500*
XS. PREMS.
388
91
92
95
COI
2
4
6
15
16
22
26
28
29
30
42
43
47
49
51
53
54
56
59
61
63
64
68
74
76
82
85
88
91
93
95
96
M
701
2
5
6
7
8
10
13
14
17
25
26
28
29
31
5*
XS. PREMS.
20*
20*
3*
40*
5*
20*
5*
732 1
37
43
44
56
58
59
80
83
94
95
802
15 _
18
24
27
28 10*
29 5*
32 _
33
35
41
42 10*
45 *
47
51 10*
53 5*
54
56
61 _
62 al
63
68
69 10*
70 5*
72
76
80
88 .
92 _
96
99
900
1
7
11
16
18
20
21 ,
23
25
26 ^
X8- PREMS., XS. PREMS. |XS. PREMS.
931
35
38
40
48
49
53
55
58
60
62
63
65
71
74
82
98
96
99
1001
4
5
9
13
14
18
21
22
27
30
36
40
51
53
54
55
61
65
66
68
70
75
82
89
90
93
97
1115
18
19
26
29
33
10*
10*
3*
20*
5*
20*
5*
40*
5*
10*
3*
20*
3*
1138
43
45
46
49
53
54
57
61
64
67
70
72
77
81
82
83
85
91
92
93
%
98
1201
2
13
27
28
30
31
32
36
40
48
"49
39
63
64
66
70
71
78
81
88
94
96
97
98
1301
3
4
7
9
5*
10*
8*
10*
5*
20*
5*
. I
1310
13
15
16
19
20
23
24
26
35
38
41
43
43
46
50
52
59
62
65
68
72-
80
81
84
86
87
99
1407
9
15
17
19
21
23
28
30
32
34
35
36
38
39
3*
20*
5*
40*
3*
100*
^3*
10*
-
43
47
30
52
54
56
63
65
66
XS. PREMS.
1469 o*
77
79
80
81
83
84
88
95
96
97
1300
6
10
12
16
21
23
27
29
33
34
36
38
39
42
46
57
58
60
62
63
65
85
86
89
90
91
94
95
96
97
98
1600
3
5
7
8
10
12
20
21
10*
3*
20*
5*
XS.
1622
24
27
35
36
37
38
40
41
46
30
54
57
58
64
70
71
73
74
84
85
88
94
95
96
97
1702
17
25
26
27
30
31
33
34
37
40
42
43
51
32
58
60
66
68
72
73
74
78
88
88
90
91
PREMS.
5*
10*
5*
XS. PREMS.
10*
3*
1793 3*
96 _
1802

8
9 '
16
17
21 10*
24 3*
28
29
30
34
37
43
46
49
53
57
62
66
67 100*
71 3*
75 .
79
81
92
93
96
1902
3
8 _
14
16 1:000*
25 5*
26
31
33
36
37
48
53
58
67
69
70
71
76
80
89
94
93 _
0 e*cri?5o# Settriano lo*' i Moma.
xs.
2000
1
9
13
14
20
26
27
31
32
35
36
37
38
42
47
32
54
56
63
69
71
72
MU
7a
78
80
87
92
97
2102
3
7
8
14
15
29
30
32
33
42
46
48
49
34
56
58
65
69
71
72
80
82
87
PREMS.
5*
XS. PREMS. XS. PREMS.
10*
5*
10*
3*
2190
91
93
95
97
99
2203
12
15
22
28
29
33
34
39
42
44
47
53
56
59
60
65
75
81
85
87
91
93
94
95
97
98
2300
6
9
11
12
13
14
16
18
21
22
23
24
29
34
37
44
47
48
49
3*2330
52
54
55
60
63
66
74
76
81
82
83
96
98
99
2404
5
6
15
16
22
23
25
29
32
33
36
39
41
43
49
30
36
38
61
66
i
68
69
70
72
79
80
90
91
99
2501
9
10
a
14
13
1
3*
10*
3*
-
20*
40*
3*
10*
3*
10*
3*
40*
3*
10*
5*
XS.
2318
22
23
28
30
37
41
42
46
33
36
59
61
66
72
76
78
81
82
83
84
87
92
93"
95
2601
3
7
11
17
18
21
23
24
26
27
28
29
31
32
33
48
49
51
62
66
67
68
69
71
71
75
77
PREMS.
3*
10*
3*
XS.
2681
84
85
86
88
90
91
93
94
97
2702
6
8
11
13
16
20
26
30
31
32
33
39
43
49
30
53
54
53
59
69
72
73
77
79
80
81
84
85
95
%
97
tm
12
14
16
21
23
24
26
27
33
37
PREMS.
5*
10*
5*
10*
5*
10*
3*

XS.
2819
42
47
51

3:1

61
66

69
71
72
73
76
79
80
82
83
87
90
91
94
97
98
2902
3
9
13
15
20
24
31
37
38
39
47
48
49
63

t'.)
71
72
74
75
78
80
n
97
m
MI
JPcrn.-Z>p. de M. F. d Faria & Fitto^-1863.




i




Diario e iVrnamJmco Segunda fclia f> le Fnlho lo iftdJS.
~
-------
LITTERATDRa.
Xolvado no eu.
A C. A. MACHADO.
do nevo, em cu cerleo,
Brilhaui estrellas, cuino sesde amores,
ein campias vieejantes, floridas,
Prenhi as se cmbalancam feces.
O ar tem seas mysterios liinos astro-
. dr noute, tjuando sopram ventos.
Harpas eolias que descantara (Q'imBs
Ao rahir dos relentes.
Hfi Deusl oh! as alturas, como.l
Corran as auras ondulando amores. I
Sao, tarree, os suspiros laaguntidos
De um noivado no cu cutre fulgores.
Amara-se os astros, como gemeas alma-.,
Peras, ingenuas n'um viver a sos,
Urna suspensa dos olhares d'oiflr.i.
-Estticas, ,-eni voz !
Dornvm de poute sobre, leitos fofos
Nuvcns de gaza a resvalar no cu,
Quando a loa derrama (romos ratos
lautos lecendo um luminoso rea.
Que noules lindas Que sondares santos!
Que melodas, que arrebatan! almas !
Os dias sio ali risonhos sempre
E as noatcs todas calmas.
Se dcslisam no ar sylpbos mimoso.-,
-'/am no etlier melodas,
Sao suas voies suspirosas, langues.
M creacoes das suas phantasias.
Qnanta luz. quanto amor, mimos e flotvs
Abiaesse hymineu sobre selins !
Un nevado no ru! Sao as estrellas
Ao pe dos scrapliins.
Olinda,-03.
FlU.NKLIN T.WORA.
VARIEDADES.
ESPINGARDA HISTRICA.
c l'm grande bazar, debaixo da proteccio de
i. o duque de Cambridge, do embaixador de
c Franca, e dos ministros de Portugal, Hespa-
nna, e Bavlera, tere lugar lia poucos dias no
picadeiro doqnariolde Knlgbt8jri4#re, por.ob-
t sequo dos offlcaes do segundo regiment das
guardas, com o fim de adquirir, fundos para a
t sustentando asylo de infancia cstabelecido pe-
. fas innaas da earidade'd S. Vicente de Paula,
. em proveito da populago iiiandeza de W'est-
t minster. -
O grande numero de criancas que mrre an"
* nualmentc em Londres por cffeito de falta do
t cuidado, induziu as irmaas a cstabelecer um
asylo adfl se oucarregam do cuidado e susten-
i taeao das criancas, desde a mais tenra edade
Algumas vezes de graca, e sempre por menos de
< melado do proco ordinario, recebem-nas o edu-
cam-nas do modo mais carinboso. l'm tal asylo
tem muitas vezes salvado urna infeliz raac do des-
a espero e do crime, proporcionando a seu filho
um lugar de seguranea, eiuquanto ella ganha o
t pao para si e para elle. As irmaas da earidade,
dopois de provarem o seu zelo nos hospitaes e
t nos acampamentos, vicram agora trabalhar en-
tre os nossos pobres mais neeessitados, ajudar os
enfermos., e consolar os moribundos.
Envorgonliem-se abi os que as expulsaram; ve-
jara oque a respeitodas irmaas da earidade fazem
c dizem protestantes.
Note-se, sobretudo, que o proprio representante
portugus desse governo que as expulson, nao du-
vida em Londres associar-se a urna tao signifieati.
va dentonstracao em favor dolas. Sera um protes-
to indirecto contra o seu proprio governo 7 Serie
por nao querer tomar sobre si o odioso de se recu-
sar a proteger um instituto catliolico, quando se
prestarama protege-lo-os proprios inimigos do ca-
tbolicismo ?
Que o dgam, se podem, asjfolbas minister iaes
Nos iimitamo-nos a oflerecer ao pulilico todos esses
factos e circumstancias demasiado eloquente.
.Ha j estabetecida urna fabrica destas macbi-
nas. > f i
A RAINHA DE INGLATERRA.
Sua Magostado Brtannieaa,raiuha Alexandrina
Victoria, complotuu no dia 24 de mao 41 annos;
nasceu cm 1819 ; succedeu a seu to Guilhermo
IV em 20 de junlio do 1837 ; foi coroada em 28
Em 13 de sotembro de 1705 foi enforcado ^ Ido judio de 1838 ; casou com o prncipe Alberto
pr?ea de Tansle o eapitao hospanhol das tropas de
!':',. iT, 1). Antonio Germn, que proferiu mor-
ro!- a (altar a lidelidade jurada, apezar dos gran-
des oerecinii'iiios que llie foraia feitOS pelo pre-
tndanle austraco.
i'i ppe \" fez por este motivo, especiaos mercs
a familia de Gtrmnm, e, entre outras, a de entre-
gar a sen filho a espingarda de que o mesmo roi p,>r Timothy Alden
de Saxe Coburgo Gottba, em 10 de fevereiro
1840; e enviuvou em 14 de dezembro de 1861.
de
MELHORAMENTO TYPOGRAPHICO.
Do Nacional do Porto transcrovemos o seguinte:
A machina de compor e destribuir inventada
o mais importante mclhora-
vira tan toda a guerra de successao, para iento na arte tyimgraphiea realisado nesta poca.
qut a conservare e transmittissea seas descenden-
tes Hoje o herdefro do valente e fiel eapitao, que
o o Si. 1). JhUjHm Germano de Moreno, offorcceu
a rainha babel esta espingarda histrica. muito: menino d
maior que ae actuaos, enoUvel pela construocao
da cauo, e feitio da eoronha. A rainha
guardar na anuaria real.
Trabalha tanto como C ou 8 operarios, e nte-
Ihor, porque se nao engaa.
Movida a vapor, poder ser manejada por um
12 annos, dopois de potieas lieoes, por-
, que o seu teclado se move com um piano.
manJou-a um invento de applieaoo pratca, c tanto
REAL VISITA.
ConstaquearainhadaPrussia rae facer ama
visita a rainha de Inglaterra cm Wlndsor : o
julga-se iin a pobtiea nao estranha a esta ra-
gem.
que o Herald encomniendou 12 destas machinas, e
o Times outras 12. e j algnns peridicos as em-
pregam.
i Desde Coster, Faust e Guttemberg, ha 400
annos nada c tem adiantado no servico de eom-
por e destribuir typos.
O primeiro livro impresso com typos movis
por Guttemberg e Faust sahiu luz em Mentz no
annode 1445.
Exactamente 400 annos dopois, em 1855, ap-
pareoeu na exposicao de Paris una machina com
pleta de compor e destribtiir, foila por Mr. Soren-
si'ii. do Copenhague.
t Com ella se compoz um livro que mereceu
especial mencao aos rouimissarios mam da exno-
s\;;io internacional de Londres.
i Antes de 1855, oceuparam-se do mesmo in-
O DESPACHO DA TOMADA DE PUEBLA. velUo diymos Inapllin#taS) ^ s se tornaram
Um correspondente de Pars, eserevendo aojor- noiaveis os modelos de Yomig, Delcambre cMit-
igpanhol Lot Novedades sobre a impressao, Cln-ll, que appareceram na ultima exposicao de
laein rontainebleau pelo despacho que an- Londres,
nnnciava a tomada do Puebla, e que all chegara ao ( Com tudo, ncnbum dellos conseguiu" a perfei-
anoitei er, quando a corte tomava o fresco as ja-
nellas do .alacio, diz o seguinte :
CONSUMO DET5VOS EM INGLATERRA.
Desde o i" de Janeiro at 30 de abril do crrante
auno, forain importados em Inglaterra 79 milbes
de OVOS, isto 12nilhues mais que nos 4 pri-
maros ni'zes do anuo passado, e perlo^le 10 mi-
lii mais |ue em 1861. O consumo de 1862 foi
de 235 milhoes de ovos, e julga-se que este anno
bc i; ara a 'n mHbSes delles.
IIOMEM FO^SIL
W-se no Comiercio do Porto:
. As dscobertas geolgicas e* anthropclogicas
estao em voga I
t Ha lempos fallou-se n"um queixo de honiein
anti-diluviano e agora annuncia-se de Rlanken-
berfhe, no 1." de uaio, ao Jornal de Brugesa
dcscoberta de mn esqueleto completo de un bo-
t mem gigantesco, anti-diluviano, e msico
segundo se presume!
t Sio sem duvida os restos de um litan mytho-
t lgico.
Reproducirnos a noticia que da o citado jor-
i nal, a quem deixamos, como direito a res-
ponsabilidade :
Acaba de fazer-se em Blankenberihe urna
i deseoberta que altamente interessa a ^ciencia.
Cavando-se na doca do porto de refugio, en-
i controu-se um homem fossil n'uma carnada *
t trra combustivel anti-diluviana.
c As pro[iorcoes sao phenomenaes, pols tem
t mais de 8 ps.
Segundo os clculos do sabio doutor L...este
i fossil tem pelo menos, seis mil annos (!!) i
Ao lado delle encontrou-se um tubo de cobre
com muitos buracos c perfeitamente conser-
vado.
Suppoo-se que devia pertencer a um instru-
ment de msica, e deduz-se por isso que o ho-
mem fossil era msico (!)
t Todos estes objectos foram cuidadosamente
recolhidos c depositados na casa da municij>al-
t dade.
FARDES.
O ministro da marinba em Madrid parlicipou
que a contar do da 30 de abril de 1863 se accen-
deria o novo pharol, construido em Cabo Frmen-
te, pona norte da ilha de Malhorca, na costa de
Hespanha.
A luz ser de rotacao e de cor branca, attingin-
do o seu maior brilhantismo de meio em meo mi-
nuto. Est situada n'uma clevac.ao de 592 ps
cima do nivel medio do mar, e em tempo claro
ser visivel na distancia de 19 militas.
O apparelho dioptrico ou de lentes e de 2.* or-
dem.
A torre do pharol um pouco cnica, tem 70
ps de altura, pintada de pardo oscuro, e eleva-se
do centro da casa dos pharociros.
Acha-sc situada na extremidade do Cabo, 66
jardas distante do mar na latitude N. 39 57' 45"-
e longitude E. do Greenwich 2. 14' 52".
Egualmente participou que a contar do dia 30
de abril de 1863 se accenderia o novo pharol, cons,
truido em Puerto de Ciudadella, na extremidade
0. da Iba de Minorca.
A luz do pharol ser branca e fixa, situada n'u-
ma elevaco de 66 ps cima do nivel do mar e
visivel com bom tempo na distancia de 7 milhas.
O apparelho dioptrico c de 6.' ordem. A tor-
re do pharol ligeiramente cnica, pintada de
pardo escuro, tendo superiormente urna lanterna
branca, e eleva-se do centro da casa dos pharo-
ciros. Altura 36 ps. Acha-se situado o pharol
na ponta de Enderrocat, no lado 0. da entrada do
porto unas 6 jardas distante do mar, na latitude
N. 39" 59' 45', e longitude E. de Greenwich 3." 51
45.
EMPRBZA COMMERCIAL ,m y- i
Estabeleceu-se afora em Londres urna emsreza
para vender por commissao, as lias que lhe fbrom iam procurando protexto"para an*H\
remettidas de todos os poMos do globo. As prin-
cipaes bases da sociedade sao: ter casas filiaos nos
centros productores para receber o genero e enva-
lo ao deposito central; conservar as las neste de-
posito o tempo necessario, sem exigir direitos de
commissao e armazenagem at scrcm vendidas; fa-
zer-se a venda om arremataeo publica, sendo en-
tao divididos ao meio os lucros do prego ostabeleei-
do pelo productor ; finalmente a empreza empres-
tara, por mdico juro, aos seus freguezes, qual-
quer quantia que soja compativel com o valor das
laas.
que a casa dskassembla estar minada. A in-
quietaeao apderou-se de quasi todos ; e mesmo
aquellos que qoeriam fazer das tripas coracSo,
FALLECIMENTO.
Falleceu no da 1 de junho no seu palacio de
Ebcnzweier, com 81 annos de edade, o archiduque
Maximiliano, a" Austria, gr3o-mestrc da ordem Teu-
tnica.
OFFERTA AO SL'MMO PONTFICE.
Trata-se com muita actividade em Paris de pre-
pararle um rico presente para ser offerecido Sua
Sautidade.
EMBAIXADAHESPANHOLAEM MARROCOS.
Acha-se, ha iouco tempo, ein Marrocos, urna em-
balsada hespanhola, que tem ali sido recebida com
De repente, oue-se dentro da cmara urna voz
que grilu--p-#9 fogo- a ma I Fot enlao geral a
confusao, levantndose tudo em massa, derribando
cadeiras, e atropellando-se s portas para escapar
o perigo.
Um deputado mais corajoso, o Sr. Mauromicha-
lis, que ser talvez espartano, agarrou dous de
collegas fela gola da casaca, estorvado-lhes a fu-
ga, e bradando indignado qlie aquillo era urna vec-
gonha. N.ao fez nada com isso, a debandada foi
completa; e o Sr. Tricupi, hornera gordo e bailo,
tendo a honra-de ir a frente dos que fugiam, tere
t uiibein a desgraca de cahir.edelhe passarem por
cima os seus collogas, sem nenhuma distinego do
opinix'S.
Quando se restaboleceu o socego e que a sessao
pode continuar, o presidente propoz um voto de
iouvor s senhoras que se achavatn as tribunas
por nao terem abandouadoo seu lugar.
VERI.
Deu-lhc um magnifico jantar, em Paris, um dos
ministros do imperador, ao qual, entre outras pes-
soas, assistiram a princeza Mathilde, a condessa
Waleski e o principe Poniatowski. Diz um jornal
que o Ilustre maestro acceitra a direceo do thea-
tro italiano de Paris; mas outros afflruiam que el-
le nao quizera alli tomar compromissos com titea-
tro algum, e (pie parlir brevemente para Italia.
ESTATI'A DE SCHILER.
No dia 9 de maio, anniversario da morte do ce-
lebre poeta aliemao, foi a sua estatua inaugurada
era Hanover. Assistiram ceremonia os ministros,
a cmara municipal, deputacoes das sociedades
vezes quantas eram as janellas mt grande ale-
gria da multido, se nao chegasse rdem do ari-
nistro, que mandara retirar a tropa.
c As pellas triumpharam, e adonura i casi
c dopelleiro durante o resto da fest.
grandes festas e honrosas demonstragoes de res- j artsticas e scientificas, e um grande mullido do
peito, empenhando-se aquelles povos em manifestar. espectadores. Os esltt-lantes das escolas suieno-
D'aqui' ores formaram cm cortejo; e o presidente do mi-
' nisterio foi quem pronuncieu o diseurso inaugural.
Hespanha a sua estima e consideracao.
liram motivo, com razo, os jornacs daquelle paiz
para se gloriarcm da 3ua recente guerra d'frica,
que lhe obteve nao s l, mas em toda a Europa,
urna posicao importante.
Nos, s podemos ver isto com nveja, porque te-
mos um governo que em toda a- parte nos deixa in-
juriar, offender e humilhar impunemente De to-
dos os paizes victimas da revoluco, temos nos,
realmente, os-que calamos empeiores inaos.
as linguas c dialec-
A BULLA INEFFABLI9.
Vae ser traduzida em todas
tos que se fallam no mundo a famosa bulla Inefa-
bilis, que declarou dogma de f o mysterio da int-
maculada Conceigao de Maria ; e reunidas todas as
traduccoes em riqtissima collcccao nutituscripta
ser esta archivada em lugar especial na biblio-
theca do Vaticano.
Se aindavvesse o celebre polygloto cardeal Me-
zofanti, poderia elle quasi sozinho desemiionliar a
desojada traduejao, porque saba e fallava quasi
todas as linguas, e grande quantidade de dialectos.
O PROTESTANTISMO.
Estao sendo objecto de geral curiosidade e indig-
naco as estatisticas que do parlamento inglez tem
oblido Mr. Dillwyn acerca da egreja anglieana na
Irlanda.
Por ellas se v como a iniqdade protestante se
tem apoderado da propriedade ccclesiastica de toda
una naco catholica para uso do urna seita tao pou-
co numerosa e tao estrangcra naquelle paiz.
Bastar dizer que lia ali 155 parochias com urna
renda de 300,000 francos para ministros anglica-
nos, nao havendo aellas um s individuo da seita
anglieana I Abi est o que o protestantismo ; abi
est o que a liberdade da Irlanda na mao dos seus
oppressores, que andaia pelo mundo- a pugnar, se-
ntado dizem, pela liberdade dos outros povos!
ECONOMA RURAL.
Um jornal estrangoiro que tem este titulo, ntsina
um processo simples para tirar ao mel o sabor par-
ticular que desagrada a muita gente, e poder subs-
tituir, em alguns casos, o assucar, o que nao- sera
muitas vezes indifferente na provincia. Aquece-se
primeiro o mel a um calor brando, escuina-se, e
clarifica-se;e depois raette-se-lho dentro por eiitco
ou seis vezes um peso de ferro era braza. Com
esta operacao bem fcil, diz que perde o niel o seu
sabor particular, e que os doces feito com elle fi-
cam tao agradaveis cwno os que se fazem com as-
sucar, s com a dlTerenca de seren muito mais
econmicos.
MARINHA RUSSA.
No principio ueste auno, a niaiinha do guerra
da Russia constara de 8 nus de vela o 9 de vajior;
3 fragatas de vela e 13 de vapor 2 corvetas fc ve-
la c 10 de vapor; 10 clippers;; shoners; c 58 ca-
nhoiieras, fazendo um total de 2,103 pocas de ar-
tilharia.
EFFEITOS DO JOGO.
Suicklou-se, ha poneoy em Madrid um manceba
em acto continuo porda de 1,800 reales, n'uma
casa de jogo. Por esta occasio o governo bespa-
nhol nao s trata de fazer exeeular as leis que pro-
hibenv aquellos perigosos estaliolecmtoiUos, mas de
adoptar novas medidas contra ellos.
DONATITO DO PONTFICE.
O sanio padre deu cen irft francos sinbo particular cidade do Alatri, nos s;us esta-
dos para obras publicas.
> A monotona da scena foi intertompida por um
a despacho fechado que pozeram as naos do ini-
i perador.
Abri-lo, o baver ligo urna explosao de brados,
foi ladoo mesmo.
cao com que trabalha a machina de Mr. Timothy
Alden.
Impressor o maehinista ao mesmo tempo, o
seu genio fecundo achou mais aplanado o caminlvo
pelo conlieoimcnto que tinha das duas artes.
t Viole annos da sua vida e 40 contos de ris
Ibe custou a realisacao do sen invento, de que nao
O jubilo oonimiimeou-sc com a rapidez da olee-, gosou, porque a morte o arrebatou aos seus trium-
. ., I p'.ios na edade de 39 annos.
tncidade e o despacho que annuneiava a toma- '
Na machina de Alden ha tres apparelhos a es-
Puebla, passou de uo em mao, viudo pa-
rar s do principo imperial, que tambera quiz I
ver o papel que tanta alegra cansara. Tendo
eo a sua curiosidade, atirou-o ao ar por leSes o do destribuir.
umajaiiella, gritando : rica o imperador! A sen- 2. O de compor.
.po -lava em baixo no pateo, repetiu,
iberdo que se tratara, a mesma exclama-
cao eomroz mais forte, o pie fez chegar s ja-
nelias do sombro palacio as mil cabecas da
criadagem, palafreneiros, lacaios, coeheros, co-
e sinheiros etc. povoaram o pateo, e londo o des-
pacho, gritavam tambm : viva o imperador !
a poneos momentos dopois ouviam-sc salvas, aceu-
diu-se a illuiiiinacu, tocavam msicas, e a corte
c dancava.
1. O que leva os typos das calas para os ga-
3." O de destribuir.
Todos tres sao perfeitamente bem combinados
e em pequeo espaco.
Una mesa de forma semi-crcular .e de uns 5
ps de dimetro.
t Entre a taboa exterior e inferior, que gira-
toria, ha um vasio da largura de um otavo de po-
legada.
Entre esto, anol c o exterior da mesa, esto
dispostas as cai.xas dos typos.
Em frente do operario estilo as teclas para
MR. PELLETA!*. compor e destribuir.
Diz-se que o governo francez trata de fazer an- t Sobre a mesa circular movel ha 36 transpor-
nulnrac-l.-iea.irle.m-. Pelletan, que sahiu eleito tes. ezoito levamos typos por um da columna
por um dos circuios de Paris. Cita-se duas razos aos passadicos, que fazem vezes de caixas.
para isto : priineira, urna questao de direito, por- j t As outras 18 maos ou transportes tirara o ty-
qne a constituico se opp5e a que os candidatos po dos caixotins para formar a columna.
possam prestar juramento em outros districtos j A dostribuicao oceupa a fronte e o canto dl-
sogunda, o ter sido Mr. Pelleta condemnado por reito da mesa.
HISTORIA DE UM CAO.
Um jornal da provincia transcreve da Reputa Di i
tatmica o seguinte:
O cao Beefstcak era em Roma o rol dos men-
dicantes quadrupodes. como Beppo ora o rei dos
mendicantes de duas pernas ou de una s paria.
Bootetook nao se dignou dv-se ao trabalho de sor
cao de ceg, cao de pastor ou cao de cafa, Viva
ousta da earidade publica. Tinha chegado a Ro-
ma com um Polaco.
t Roma agradou-lhe e ficou ali.
Tinha gosto pelas artes, o ligou-sc aos artis-
tas que de todos os pontos da Europa se dirigiam
s niargens do'Tibre.
i A maior parte destes artistas frequontam as
salas do famoso restaurante Lepre, (famoso pelo
seu macaroni e vinho de Orvieto) e o caf Greca
Beefsteak naturalisou-se entre os artistas e gaahou
a sua amisade. De manhaa visitava-os nos seus
alojamentos ou as suas officinas. e hora de jan-
tar procedia-os ao restaurante Lepre e ali os espe-
rava, seguro de ser tratado como conviva c bem
acollado.
t Beefsteak tornou-se um verdadeiro epcurisla,
um gastrnomo acabado. Se nao coma muito, co-
ma bem, farejava os bocados como cao conhece-
dor, c nao aceitava senao o que lhe convinha.
Depois do jantar dirigia-se para o caf Greco,
onde ouvla as discussoes dos artistas, e saboreava
o moka e o assucar que lhe oflereciam.
Estes complementos do festm tnham para
elle um attractivo particular.
t Chegada a noute, seguia um dos seus amigos
.e aceitava hospilalidade, sobre um tapete ou capa-
BANGO DE HESPANHA.
O capital deste banco no ata 30 de maio era de
611,773,226,06 a-ales.
NOVA APl'LICAr.AO DA ELECTIUCIDADE.
Mr. Qborm acaba do inventar en Londres um
novo apparcllio telegrapltico, destinad exclusiva-
mente marinba. O fin do seu autor foi fazer com
que da cantara de qualqucr navio possa o eapitao
ou offieial de quarto mandar mudar, n'um momen-
to, rumo ao. homem do leme.
O DECANO DO JORNALISMO.
Dizem que o jornal mais autigo do mundo um
que se publica scmanalmentc em Pokim, capital da
China, impressao era seda. Nao m idea poder
a gente trazor as puridades n'um lenco de assoar.
CONSERVACAO DA MANTEIGA FRESCA.
L-se no Jornal do Porto:
t Toma-so manteiga fresca, batida, e depois de
t bem a lavar e cnxugar em um panno branco,
mette-sc aos boceados em urna garrafa, e calca-
se para encher todos os vastes; deixando ficar
no cimo um espaco de quatro polcgadas, pouco
mais ou menos. Tapadas as garrafas, submet-
tem-se ao banho-maria, fazendo cessar o fogo,
logo que este levanta cach. Quando o banho
tem arrefecido a ponto de se lhe poder consentir
a mao, tiran-ge as garrafas. Ao cabo de seis
metes encontra-se a manteiga como no primeiro
dia.
IA ARDEXDO POR CAUSADAS FLORES.
Esteve agora para arder no theatro de Londres,
mesmo no palco, e vista de todos, a celebre can-
tora madama Tltiens, por causa dos ramalhete> dfl
flores com que a baria brindado o eutltusiasmo
publico.
Ao termiuar a sepresentacao, estando o tablado
Janeado de ramos, e a sala retumbante de palmas,
quiz a cantora repartir com o director da Otcbes-
ti-a unta parte do seu triumpho, como tributo que
jttlgavadever-lhe; e, apanhando um daquoHos ra-
mos, estendeu o braco e debrucou-se para Uto of-
ferecer; mas, do um dos candieiros remes do
palco, pega-se-lhe fogo a urna das mangas do
\-cstido, e eis logo as chammas cnroscando-se-lhe
no br ciedade geral dos espeetttdOKSt Valeu-lln-, |>-
rm, a sua presenca de espirito. Apanhou entre
as raaos corajosamente a manga, incendiada, e con-
seguiu sem maior daraito, extinguir o fogo, o ac-
cender por outro lado novo eutliusiasmo do putili-
ro, que se vingou do susto que tivera pela eminen-
te artista comuma salva de estrepitosos apptansos.
Que por causa de Adres era possivcl arder, lo-
dos o sabiara; o que nein sempre acontece o apa-
gar-se o fogo tao promptamento e sem eslrago. Com
o que nao ha perigo de incendio com uUllW e
repolhos.
O MEZ DE MARA NACADEIA DE MADRID.
Segundo se l na Correupondenriu de Espaiia,
celebrou-se a devocao do moz de Maria na egreja
da c-adeia daquella* capital, assistindo constante e
espontneamente grande numero de presos. No
ultimo de maio houve missa solemne e serniao.
eoncorrenda a estes actos quasi todos os presos, no-
laudo-se a sua coni|iostura e recolhimeiito. assim
como a attenco que prestavam aos conselhos do
pregador. O jornal hespanhol conclue elogiando o
capeliao daquelle estabelecimento penal pelas or-
ticas religiosas quewuelb; tem inlroduwlo, o que
tao salutares cffeitos podem produzir no coracao
dos presos.
Porque nao teremos tambera nos occasiao de re-
latar eguaes factos, e fazer eguaes elogios ? Por-
que estaremos condemnados a invojar os estranhos,
principalmente
cousas
com
BERRYER.
Os typographos de Pars enviaran aos seus col-
logas de Marselha, como reoommendaeao da candi-
datura de Berryer cen esemplares do discurso qoe
este Ilustre orador prpnunciou cm defcfi delles, na
occaso em que foram aecusados do fazeremeM-
lisOes prejudiciaes ao publico.
MEMORIAS DE GUILHERME DO AMARAL.
A lilteratura a expressao da sociedade, e nes-
ta succedem-se os choros aos risos, as trisenras
s alegras.
O penltimo livro do fecundissimo e ncaneaf1
autorArenturasdeBmilio Fernaml* ii t%
era um poderoso incentivo ao riso pi-las sceans e
personagens burlescos ipie offi-rece aos oHm de
leitor, que por mais melancholico e tariturno njm
seja tem neeessariamente dor do ilhargas por estar
a rir a bandeiras dospregadas desde a priraetra i
ultima pagina.
O presente volume, saido qilinze das -dopois da
mesma penna, vae arrancar lagrimas a* eorace
mais congelados.
este o condao iniraculoso dos talentos *or:-
riores.
Quem leu o l^ello rouunce de CamiOe Casloll;
Brauco. Onde est a feliciilmle e o Homem e
conhece Guilherme do Amaral, o autor das i
ras de que Cantillo hoje editor. Essas momorM
sao fnebres historia do una triste inafher vic#-
ma pelo amor, au>->r nobre, santo o mtinrt. tspin-
do (mr um homem cerrado a tudo o senftuenin-, o
que oscarncaa das mais puras aspiraroes do n'
raco de urna mulher.
O glido iodilTorenlfsmo do Guilhernie do Apsv
ral, o seu cyuismo e volubilidado tem mais una
victima neste romance, victima digna da mar
lastima, por que conhece a hedioroloz Vsso hoaanv
e ama-o loueanumte, e deixa--.-is-.assinar p>r elle
lentamente!
Como o autor desvefla nessas poginas admirav-i -
os mais delicados sogTfdos do ccrarao do mulher ;
como elii ahi descreve a ndole r.tpriehosa de nana
paixao srrtente, ora fazendo-a contorrer nos esos
do desespero, ora clerando-a om estasis de poesa
e amor mais febril loalidade !
um li\to cheo de fogo. de dea?. srmfnaV,
repassado do suspiros olagrimns.
urna ltoa estreia para o Sr. Campo*, o novo
cditor, e que de certo o animar a emprftrnder
outras edicos.
DICCIONARIO DE ISCRIPTORES-GAL-
i.ki;i*s.
este o titulo de una obra qu> en Vip ee
|)iiblicando o F. Mono-'l Munjuiu, joven e dis-
tiacto eseriptor do visinho reino, .pie faaoahwcnn;
ali tiremos oooneBo da aonheeer, a u q>iai coo*t-
vamos. como grata leinhranoa, o nonio .serip* por
sua mao na nossa carleira.
Pelo que de sua obra diz a Correxpomlemri'i 4e
Espaa, deve ella ser um verdadeiro thesooro lis-
terario para a GaMiza; e parece que al x parte ijr-
pographica so torna notavel peto seu esmero.
TAMBEM J ADVOGAM.
No dia 6 do corrento, segundo lentos no *nal
francez LUnion, oceupou-se um tribunal .! ftris
do processo inteuladoaos cnsules do M-xiro eo-
tros individuos aecusados de manejos e int-*lli
cas, tanto no interior como no-exterior, para per-
turbaran a paz publica, o ove Harem despiezo e
odio contra o governo do imperador. Blas nm-m
pensam que seriara os advogados dos rue* Fo-
ram quatro senhoras: madama Emmnnuet Mmm,
madama Cambetta, vmdanm Leiifrmd e mtmmm Me-
bert.
Diz o citado jornal que taes advogados fazem
a maior impressao no publico-. Poder'. e a*
deixauv advogar tudas as cansas, estamos servi-
dos l
certas obras que offendiam amoral publica e reli-
giosa.
DESCOBRIMENTO.
Acaba de fazer-se em Franca um descobrimento
importante, devido a um medico do departamento
de Rouen. E sabida a gravidade que apresen-
tam muitas enfermidados dos ps, pouco pergo-
sasna apparencia. mas em virtudc das quacs scuma corneta, e marcadas segundo sia elasse,
Porto do centro estao as teclas que tiram o
typo para eompr, e esquerda fica a columna
rranosla para imprimir.
t Os caixotins que irradiam do centro sao 180
e podem conter 154 jpos differentes.
Os caixotins alargam-sc c apertam-se von-
tade do operario.
O teclado tem 154 chaves, semelliantes s de
A NASCENTE DO NILO.
Desde os tempos anteriores a Moiss que dcbaldo
cho, at pela manhaa. Era um favor que canee- j sfi lem procura0 doscobrir a nascente do ro Nilo |
dia por turno aos alumnos das academias e arran- {h$e ^ que fra .jescoberta agora, e, segun-
java as cousas de modo que nunca enfadara os. do afflrma um jornai ngieZi n'um lago que se aeha
seus hospedeiros com urna residencia prolongada a qUatro graus ao sul do Equador.
em casa delles.
Nunca se viu que dormisse mais de duas, ou
miando muito, tres vezes em casa do mesmo ar-
tista.
Todos cram seus amigos, c nenhum se podia
dizer seu amo.
t Mas quantas grandezas desapparecem com as
revoluc/ies I
A grandeza de Reefsteak foi deste numero.
Os temporaes da revoluco romana de 1848
levaram Beefsteak, que ninguem tornou mais a
ver.
ESTABELECIMENTOS POS.
Segundo os dados ofcialmente colligidos c pu-
blicados, os estabelecimentos po quo so compre-
hendem na denominacao de irniandades, confra-
MELHOR QUE ALGUNS CHRISTOS.
Ali-Mohamed, cnsul da Turqua em Bombaim,
acaba do enviar ao papa, por intervencao do bspo
de Philadelphia, vigario apostlico de Hyderabad.
no Indostao, um rico estofo indiano, tocido de ouro
e seda, acompanhando o presente urna carta, em
que pede ao Santo Padre que se digne aceitar aquel-
lo testemunho de profundo remeti pela sua pes-
soa. e de sincera admiracao pela grandeza da sua
alma.
ISTO E QUE FODA.
Casou-so no sitio do Panto, vm Hespanhei se-
gundo .'.na a porha, Jornal di.- Madrid, o tilh !
um habitante daquelle sitio, ronhorido p*-l MK
de To Justo, com a (ilha do alcaide.
Foi nina boda romo puncas, (nafro i-ozirihrnie
o dozo mulheros prepararan! o banqueti-. n.|i>; en-
li'e os outros olijecins, se consamiram d seis vueltos, seesenta cabritos, irinta e sei ptmv,
setenta c duas galtinhas, een cM-ihos.com penli-
zos, quarenta o oito leHdes, qnatorze nvesonew. d>-
ze caineiros. seis arroh.is de toueinho. s^is nicas .!>
fri de bico. tres ditas do chocolate, seis litas de
iscoiUos e dteea. -eis dit;ts do pescada, eena inos
de salmo. vinlo b.irris de nzeitonas. qnafro ami-
bas de-saJebieba', ><>lire-ine-.i. e'e. r.vni .> pa->eTi-
nho> correspondente, sendo >-> de vinho fino, efesa-
pague e licor quatrocentas garrafas.
Ka priuuira mesa havia cont eoitenta taeWres,
o mis outras contavam-so cenbmares de .
dos.
Olhem que granle dispi-nsa prerisav
noiros se isto fosse sua ousta! Felizmente fci
quem fr-z i-
fwtmm, mas em
honrar nMhn de
e estaremos condennauos a invojar os esu-annos, novos se ,S| rcl>se a sua ousta! re
ncipalmente agora, em ludo que diz respetto a udrinbo o Sr. D. Donato Ventosa.
asas religiosas, que por qualqucr modo se liguein S^epecM, em que nao lerou m r#n
.m eslabtdecimentos ou pessoas dependentes do. qB(. i,, s,- mostrou dimato, para hoi__
governo ? Grande desgraca c grande castigo, real- umj htente, n'um paiz que tanto se presava de catholi-
ca, e a nenhum outro cedia na pureza e fervor do
suas crencas!
'Sarao.}
OBRAS INDITAS DE CERVENTES.
Descobrram-se ltimamente duas importantes
obras inditas do famoso actor do D. Qusote. Urna
dellas urna epstola em tercetos, achada nos ar-
chivos do conde Aliamira ; a outra urna extensa
carta cm que elle descreve un dia passado no cam-
po, em Scvilha, no anno de 1606, c que Ibi-desco-
berta na Bibliotheca Colombina polo Sr. D. Aure-
liano Fernandes Guerra e Orbe, dislineto contmen-
tador de Quevedo.
alcaide.
BANCO INTERNACIONAL F.UROPEU.
O padre l). Francisco ttrn de B-rrornl peM
cot agora cm Hespanha um folhetit exfimdw na
seu projeclo para o ostaln-locimemo d- m fcour
internacional om que tmnem parte lados m Brta-
dos da Europa. O seu |iensanteitto orna hm _n>
nanceira uiiivorsjil |>ara proteger talas a i
emprezas o attondor a todas as grandes i
des ewofnn,
VCTOR IHO.
Consta que no dia 15 do trrenle devia
cor ein Paris urna obra intitulada Yki
contado por nina tentrmmmka da sua rUa.
Esta obra refero miutlamente tala a vida puMsa
e privada do celebre poeta.
OS LEES DO HIPPODROMO.
Com este titulo conta o jornal francez V Union,
que n'uma das ultimas' representacoes do hippodro-
mo de Paris, o grande leao Aga, tendo no momen-
to da comida, um accesso de colera, s com urna
chicotada da cauda toncara no chao o celebre do-
mador Mr. Hermann! Este levantou-se logo apres-
sadamentc, mas teve que se i etirar conhecendo o
liechri urna ew'rona (rae torna indisnensavel a de modo que para tomar o typo e pontuacao basta rias misericordias e hospitaes sbem entrefJs ao perigo era que eslava, e solhcitado pelos clamores
I ... _____ ._ ___ _iA ,..! ,\\ ..-.. _*. i i.'jnmilJlM mo ilo tiul.\s na Inilns I lio; pritav.ihaxta.
ampulacao.
Aquello descobrimento, pois, consiste em rodear
o membro gangrenado de urna atmosphera de oxi-
ge.neo. Com sto se eombatem os cffeitos pernicio-
sos destas affeccocs, desapparecendo rpidamente
os mus symptomas, e curando-se a maior das
vezes o deente, sem necessidade de aniputafio al-
guma.
pe
AS IRMAAS DA CAR1DADE EM INGLATERRA,
O jornal inglez Te Tablet, que temos vista, d
tocar na tecla ou chave em que esl marcado o
signal que se precisa.
c Ha tambera signaos para os espacos.
t Os transjiortes da roda movel fazem o mesmo
servico que as maos do typographo no desempenho
do seu encargo.
Sao 36 maos atadas pelo punho c voltadas pa-
ra a oircunifciencia da mesa.
t Um jogo de iaos serve para compor c oulro
para distribuir.
c A chave toca a mao que se quer, e esta agar-
ra o typo c o sustenta cm todo o giro da mesa at
a noticia de um bazar que se fez uUimamente em, com cI|e aQ lugaf de com^r> e 0 deixa
Londres a favor de um asylo de infancia dirigido )arado
numero de 9,575 ; o seu rendimento aun nal do
1,131:049,5376 rs.; os seus encargos njprvem a \ basta
quantia de 1,038:198^292 rs.; e os predios rsticos
e urbanos que possuem sao no valor de......
do publico, que de todos os lados lhe .rilara olio,
4.553:2893293 rs.; as suas dividas activas montara
a 8,375:052*485 rs. e as pasivas a 413:870*16%-
COMBUSTAO ESPONTANEA.
Refere a Independencia Belga de 4 do corrente
um caso de combustao espontanoa succedido cm
Bruselas, pelo abuso das bebidas alcoolicas. Cha-
ma va-sc o homem Joao Sneerpont. Tinha na feira
annual daquella cidade bebido extraordinaria quan-
ONDE CABERIA O OTRO AMOEDADO.
Calculou-se ha pouco. iroe talo o oorr. i
que hoje circula no mundo, -.-guarfo o dada -
tatislicos, calH-ria n'um espado de rinle e ejnair<>
pes quadrados de superficie, soIhx- doestis de al-
tura.
pelas irmaas da earidade, e que produziu 2:000
Jibias. Esse bazar offectuou-se no picadeiro do
quartel de um dos regimentos ua guarda real, sob
a proteccao do duque de Cambridge, to da rainha e
comraaudante em chefe do exercito.
Outra mo toma o typo e o leva agarrado at
que na rotacao da mesa chega aoeaixotim corres-
pondente, onde o solta.
. Nenhuma da%maos se engaa.
Os dedos que agarrara o typo constam de duas
Fallatambem delle o Times, que aproveita a oc-' parteS) orna fila e outra movel. Esta tem una
casio para fazer grandes elogios s irmaas da ca- moja qUe aperta, mas nao marea o typo.
ridade. machina de Alden um perfeito automato,
Mortung-Post, porm, relata circumstancias tao como o do jogo de xadrez, com a dlfferenca de que
apreciavis que trauscreveregios as suas palarras-! o xadrez apea m jogo, e a composicao e des-
DiZ elle; 1 iribuicao typogi-apmca *a alma da impreusa.
ANCDOTA ELEITORAL.
Discutanse n'uma reunio eleitoral do departa-
mento das Bouches du RhSne em Franca, acerca ibis
dous candidatos, Mr. Bournat, ministerial, e Mr.
Thiers, da opposicao. Eram differentes os parece-
res, e a escolha pareca duvidosa, quando Mr. Bo-
relly, tomando a palavra falln nestes termos :
Mcus senhores, se prefers nicamente as van-
tagens pbisicas, digo-vos sem hesitar que deveis es-
colher Mr. Bournat; vede aquelle joven Antinos,
a sua agradavel pbysionomia, a sua airosa figura,
o seu ar elegante...
t Confcsso que o meu candidato, em compara-
cao de Mr. Bournat, urna especie do acanhado
QUEM PORFA, MATA CAQA.
Dos jornaes estrangeiros exlralte o Commercio do
Porto c seguinte fado :
t Dizem de Beraburgo (ducado de Aubat) a 18
de maio :
t Deu-se aqui lia dias urna scena muito singular.
t A cidade festejava a entrada do principe her-
, deiro e todas as casas estavam empavesadas
i com bandeiras, entre estas muitas com as cores
i nacionaes alintaos.
t Repentinamente deu-se ordem para recolhcr
estas bandeiras, c toda a gente se conformou
com esta ordem, a excepcao de un pclleiro, que
substuu a bandeira negra, vermellta e amarcl-
. la, por pclles das mesmas cores.
c O subprefeito foi pcssoalmcnte intmar-lhc a
t ordem para recolher as pellos, porm o pclleiro
recusou, com o pretexto de que era a insignia da
sua proftsso. O subperfeito mandou depois um
t gendarme mas como este uao lema mandado
judiciario, o pelleiro recusou abrir a porta.
t A autoridade recorreu terca, e 23 sol
commandados por um offieial, o com tambor na o principe de Galles no di
c frente, apresentarant-se com um serralheiro di-
arile da casa do recalcitrante.
O serralheiro tratava de torear a porto, porm
sadr. O
ESQUADRA CHINEZA.
O imperador da China manA* fazer i
ra difforentis navios |iara a sna esqoai\
mo vae sabir brev.'momV: do Tamisa. K i
to forro do porte de mil tonetadas, e ni mstwms
velozes que se tem constniiilo. Na riapmi de ev
Iteriencia andou dozoilo militas por hora
UM RAIO NTM UAILF.
Era Amisquo, cidade da repblica da Bfdivia. n
continente da America, ostanuo na notU-- de El de
mareo deste anno reunidas em naa baile
paes familias, cahiu sobre a casa um rain,
resultou morrermu quaturae peseena.
S
PRINCIPE DE GALLES.
Foi apresootado a este phnei|w
burguez da city de Londres, dentro de
de ouro de grande valor. Tem por fura m
crip^ao onde se declara haver sido olfcretida,
A autoridade recorreu terca, c 23 soldados 0 m|>|oma, pela cor|>oraco da city a sua "'
NOVAS BOMB.VS.
Um francez acaba de inventar e <
mit polaco de Paris urna especie de
or*-
tidadede geuebra, e foi-lhe depois encontrado o ^^l^'^VuTanof^%ig^smee
cadver negro e completamente carbonisado por
effeito da combustao.
NUMEROSA FAMILIA.
Madama Dstgenais o madama [Laurin sao duas
senhoras do Ganada, que celebraran! ha pouco tem-
po com seus maridos, em urna festa religiosa, o dia
em que faziam cincoenta annos de casadas. Seu
bellas ideas, exccllcntes livros, immortaes histo-
rias ; baixo e acanhado, possue porm, umaca-
beca organisada como poucas. So prefers a in-
telligencia figura, escolhei Mr. Thiers. Disse.
O orador assentou-se no meio da bllaridade do
auditorio, bradando os partidarios de Mr,. Tftrrs
Viva Borelly,
O PARLAMENTO GREGO.
No da 22 de maio houve um susto no parla-

pae era o Sr. Senay Delorme, que falleceu contan-, mem0 de* Athenas ^m que se viram gregos os de-
do vinte e olto fuaes e cento e cincoenta netos, pinados gregos.
________ I Espalhou-se no principio da sessao bolto ac
0pellero"''obsrvou4he,que 'sendo* ello "o ^^tlZ^^SS
posera aquella feehadura devia recordar-sc que
alm d'ella havia dous bons ferrolhos, e que por
consegrante de nada servira arrancar aTecha-
dura.
Foi preciso dar o assalto. Veiu urna grande
cscada que se collocou contra a janclla, onde
estavam as pelles, porm quando as assaltantes
lhes Iam a lancar a mao, o pelleiro tirou-as o
as collocou n'outra janclla.
t Mudou-so a escada porm o pelleiro usqu se-
gunda vez do mesmo meio, e o renovara tantas
baixo d'agua.- Parece que sin
ca construccao; e quando
mortfero abrange grande numere >
Se os homens invontassem
cazmente a vida tanta
para a destruir, nao seria talvet penar.
FALLECIMl-rrfO.
Morrn o sunao de Te
deu-lhe sea fllho Sk*)M*is*t
n0S PERNAMBUCO.-PYP. DE t. M F. *
JlLEGVEl -
i
/
,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETYJL2H6N_1ZEE1W INGEST_TIME 2013-08-28T03:25:08Z PACKAGE AA00011611_10143
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES