Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10140


This item is only available as the following downloads:


Full Text

-
\


AMO XXXIX NMEIO 160.
Por (res mezes ndiantad^^P 5$000
Por (res mczcs vencidos 6SO00
*&-'


001HTA TOA 16 DE JLHO DE 1863.
Por aneo adiantado ..... 19(000
Porte franco jara o subscriptor.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO NORTE
Parabvba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima i
Natal, o*Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv, o
Sr. A. de Lemos Braga; Coar, o Sr. J. Jos de
Oliveira ; Maranhao. o Sr. Joaqnim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pmheiro & C; A-
-mazonas, o Sr. Jcrunywo da Costa.
ENCARREGADOS DA SIBSCRIPCAO NO SIL
Alagas, o Sr. Claudino Falcao Das; PnMa.it
Sr. Jop Marlins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins d Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda. Cabo.e Estada todos os (Mas.
Iguana?, Goyanna e Paraliyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anio, Gravat, Bezerros, Bonito, Garuara',]
Altinlio e Garnnhtins as tercas feiras.
Pao d'Alho. Nazareo!. Limoeiro, Brejo, Pesqueira.l
Ingazoira, Flores, Villa Bella, Tacaralu', Cabrob,|
Boa Vista, Ouricury e Exu" as quartas feiras.
Serinhaein, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-j
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.j
Ilha de Fernando todas as vezes quo para ali sabir |
navio.
Todos os estafetas partem ao '/da.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JULHO.
4 La cheia as 3 lioras, 20 m. e ti s. da ni.
7 Quarto ming. as 7 h., 3 m. e 20 s. da t.
1S La nova as 7 h., 98 m. e 20 s. da t.
23 Quarto cresc. as 6 h., 7 m. e 24"s. da t.
*
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 5 horas c 18 minutos da manhaa.
Segunda as 5 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o su! at Alagas a 5 e 23; para o norte at
a Granja 7e22 decadamez; para Fernando nos
das 14 dos mezes dejan, mare.. maio. jul. set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos s 6 >/*, 7, 7 '/i- 8 e
8 V da ni.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboafio s 6 V* da m.; do Caxang Vane* s 7
da m.{. de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 /,.4. 4'/,, 4 '/2.
5, 5 Vj, S i/j e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 /, da t;irde; para Jabala s 4 da tar-
de; para Carhang e Vanea s 4 '/j da tarde; para
Henifica as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas e quintas.
Relac,ao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta s 10 horas.
Jiazo do commercio: segundas s l! horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
a.
Segunda vara do civel : quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DL4S DA SEMANA.
13. Segunda. S. Anacido p. m.; Ss. Jod e Esdro-.
14. Terca. S. Boa ventura; Ss. Flora e Justa inin.
15. Qtiarta. S. (Vinillo ile- I.eh- fundador.
16. Quinta. N. Sonhora do Carmo; S. Valeate I*
17. Sexta. S. Marinha v.; S. Aleixo.
18. Sabbado. S. Rufino b.; S. Syuphorosa m.
19. Domingo. O Anjo Custodio.
ASS1GNA-SE
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. ti e 8, dos proprietarios llanoel Figueirra V
Faria & Filho.
PARTE OFFICIAL.
UlMVIlllKt I 1 J | STI{ A.
2.* seceo. Ministerio dos negocios da justi-
ca. Rio'de Janeiro, 3 de junho de 1863. lllm. e
Exm. Sr. A Sua Magestade o Imperador foi pre-
sente o ofllcio dessa presidencia de o de maio ulti-
mo, tranmittiud copia do que Ihc dirigi o chefe
d< polica em 18 de abril sobre a duvida suscitada
do foro de Marianna por occasiao de proceder-se
formacao da culpa por crime de homicidio, em
que, achando-se presos alguns indiciados, e nao os
dous sobre quem recabiam mais vehementes susci-
tas, oppz-se o promotor publico, contestando os
advogados dos indiciados a que se proseguisse
na formacao da culpa publicamente, bascando-se
nos arts. 142 e 147 do cdigo do processo crimi-
nal. O mesmo augusto senhor, tendo ouvido o
conselheiro consultor dos negocios da justica, houve
por bem mandar declarar, de accordo com o pare-
cer do chefe de polica dessa provincia, que da
corabinaeo dos arts. 142 e 147 do cdigo do pro-
cesso criminal se infere que, embora esteja preso
um dos indiciados em un crime, pode a autondade
proceder em segredo de justica, visto que os outros
se acham oceultos ou foragidos.
Dos guarde V.Exc.Joao Lins Vieira Cansan-
sao do Sininbii.-Si: presidente da provincia de
Minas-Genes.
Relatorio que S. lie. o Sr. ministro da justira df
fia apresentar na lerceira srsso da derima-pri-
nnira legislatura.
(Continuacao.)
Juizes de direito.
O numero desles juizes nomeados depois do ul-
timo relatorio consta de una relacao annexa.
Encontrareis tambem a relacao dos juizes desta
classe que esto avulsos.
O pumero das comarcas do iniierio augmenten
enn a crearlo de mais tres na provincia de Per-,
nambueo denominadas de Olinda. Palmares e ~Ca-
brob. Sao actualmente 200 as comarcas exis-
tentes, sendo 128 de primeira entrancia, 49 de se-
gunda e 23 de lerceira.
Por aviso de 10 de maio passado, foi declarado
quando se jioderia considerar insudada qualquer
comarca.
O numero dos juizes do direito, servindo as
comarcas, que ate a ereacao das tres ultimas era
de 21o, passoo a ser de 28.
Foi concedida a aposentadora ao juiz de direi-
tuda Franca. Antonio Holierto de Almeida, que
est impossibililado do continuar a servir.
Fallecern! de t de abril de 1862 at ao presen-
te os seguimos juizes de direito :
Ignacio Jos de Almeida Gouva. da comarca
de Porto Imperial, provincia de Goyaz ;
Dimite Marques de Araujo Ges, docomarca
do Maranhao, na mesma provincia ;
Miguel Fernandos Yieira, da 2* vara crime da
comarca da capital da provincia do Para-,
Antonio Rodrigues Navarro de Cerqueira, da
comarca da Villa-Nova, provincia de Sergqie ;
Flix Gomes do Reg, da comarca de Guimaraes,
provincia do Maranhao:
Francisco de Assis Lopes Mendes Rilieiro, da
comarca de Inday, provincia de Minas-Genes ;
Goncalo da Silva Porto, da comarca de S. Chris-
t'ivao. provincia de Sergipe ;
Conselheiro Francisco Diogo Pereira de Vascon-
celos, da vara dos feitos da fazenda da comarca
da corte.
Vai junta a ralacao dos juizes de direito classi-
Beados segunde sua antiguidade pelo supremo tri-
bunal de justica.
Jttizes wnutieifMl.
Da relacao annexa em lugar competente se v
quaes os juizes municipaes despehados de 6 de
abril do anno passado at ao presente, coniprehoii-
dendo nao s os que entram na carreira, como os
que sao rcconduzidos.
Durante o mesmo iieriodo foram creados os se-
guintes termos:
De S. Bento de Araraquara. provincia de S.
Paulo.
De S.Paulo de Muriah, provincia de Minas Ge-
raes.
De Villa Formosa. na mesma provincia.
Foi separado o termo de Jaguary do Pouso Ale-
gre, nessa provincia.
De Santa Maria Magdalena, provincia do Rio de
Janeiro.
De Itajahy, provincia de Santa Catharina.
De Inojuca, provincia de Pernamburo.
De Maracas, provincia da Babia.
Na provincia do Paran os termos de Coritiba e
Principe, Castro e Ponta Grossa, que constituan!
auini lugares de juizes municipaes. ioram reuni-
dos e formain smente dous.
Na provincia das Alagas. foi separado o termo
de Santa Loria do de Macei, creando-se un lugar
de juiz municipal letrado naquelle. e supprimindo-
se o de juiz de orphaos que exercia jurisdiceao em
ambos os termos.
O termo de Painb na provincia da Babia foi
supprimido, creando-se em seu lugar o de Capim
Graso. I
Quanto aos termos que tem a jnrisdicc^ao orpha-
nalogica a cargo de juizes especiaos, nao houve
nutra aeracao alm da snppressao do lugar de
juiz de orphaos de Macei e Santa Luzia, na pro-
vincia das Alagas.
Os termos que existan! at a data do ultimo re-
latorio nao excediam de S08: eom o augmento de
i novamente creados, e suppressao de 2. o numero
dos termos 2 actualmente o!5.
O governo contina a sentir difflruldades para
oiiter bachareis idneos, i|iig aceitera nomeaeo de
juizes municipaes. A causa sabida: taes lugares
nao offereeem aos que os servem meios para mo-
desta Robsistencia, era ao iqens do a iierspecti-
va de certo e mclhor futuro.
Mtet ile [kiz.
Esta magistratura parochial tem decahido muito
da importancia que llie quiz dar a cmstituicao do
imperio. J meu antecessor maninifestou esta
opimao, esperando que o lempo e as neeessidades
publicas dao a esta inslituicjlo melhor desenvol-
vitnento.
essa tambem a minha opiniao: nao ser no
augmento da aleada e menos na accumulaeao das
attribuers que a magistratura de paz encontrar
a vida, que llie falta e que actualmente apenas se
re veda nasfuneces polticas que.exerce.
Promotores publims.
Apromtoria publica entre nos nem ocenpa a
posieao que Ihe deve competir na organisacao ju-
diciarin. nem oernpar to ceda
Seria neeessario para isso dar outra organisacao
promotoria publica, conferir a esses empregados
aUribuices (jue Ins dessem maisaccao, e dar-lhes
carcter mais independente. As rircnmstancias
nao permittem por ora cuidar desse melhoramento.
Do estado de cousas actual resulta, sem a menor
duvida, que o emprego de promotor publico ge-
ralmente desdentado, servindo apenas como entra-
da ou para os lugares de juizes municipaes, ou pa-
ra a advocara.
Oficios dejustka.
Por decreto n. 3,051 de 20 de fevereiro deste
anno foi revogado o de n. 2.597 de 26 de maio de
1860, que creou mais um ofllcio de esrrivao de au-
sentes no municipio da corte. O mesmo decreto
desarinou o okio de ausentes qua|bu existimlo
do de orphaos, e derlarouque o srrenttnUo da-
qnelle ficaria sujeito WHIposices do art. 2 do
decreto n. 1.294 de 16 de dezembro de 1853, isto junho ultimo, sob n. 1,166, das despezas na impor-
. a pagar ao serventuario vitalicio a terca parte tancia de 40000, feitas com o enterramento dora-
da lotaeao do mesmo ofllcio. I da ver do tenento do 2o batalhao de infantaria, Joa-
Assim forom consuludos os interessos do servioo quim Jos Pereira Vianna, aflm de que seja o mes-
publico, que exiga a desannoxcao' do ofllcio de mo recibo passado em una conU especificada, das
orphaos do de ausentes. |M>r seren incompativeis despezas que prefazem a mencionada quantia, vis-
as obrigaces dos dous offleios, cpmo rcpresenlou o to assim convir flscalisacao da thesouraria de fa-
Dr. juiz d orphaos, e os do serventuario vitalicio,; zonda, sobre os dinheiros pblicos,l conforme de-
cujos direitos foram respeitados e conservados. I clara o respectivo inspeetor, em sua informaciio de
Nos annexos est a rolacio -dos individuos que 9 do corrente, sob n. 502.
foram prvidos em oflicios de justica depois do ul-1 Dito ao mesmo.Em vista do que V. Exc. expen-
limo relatorio. e daquelles cujas desistencias foram de em seu oflicio de 10 do corrente, sob n. 1,226,
ucitas. i terihi) a dizer que pode V. Exc. autorisar o dcsUca-
De conforinidade com o parecer da sccc/io de ment da cidade de Nazareth. a alugar una casa
justea do conselho de esUdo, ficou resolvido, que, que offereca as necessarias proporcoes pira servir
sen 'prejuizo das disposices criminaes relativas aos de enferroaria, onde possam ser tratadas as pracas
empregados que abandonara os seus lugares, ao go-. do mesmo destacamento que adoecerem.
verno, no exercicio do poder administrativo, com-1 Quanto ao mais de que trata V. Exc. em o citado
pete o direito de declarar vagos os oflicios abando- ofllcio, opportunamente providenciarei como for
dos e de prove-los em pessoa que effectivamentc os conveniente.Comraunicou-se ao inspector da thc-
sirva. souraria de fazenda.
Polica. Dito ao-mesmo.Pode V. Exc. mandar passar
A polica contina a prestar lns servicos. escusa do servico, ao soldado da companhia de ar-
Se a prevencao dos crimes anda nlla entre tiliecs desta provincia, Antonio Moreira de AlcanU-
ni'is, e porcausis que sao bem eonheeidas, a repres- ra, aceitando o paisano Manoel Antonio da Paivo.
sao nao se acha no mesmo caso. Poucos sao os cri- que elle offereceu para finalisar o tempo de servico
mes commettidos que na* sejam s>guidos de pro- que lhe falu, visto estar o substituto as condices
cesan e de diligencias para a captura dos crimino- do regulamento de 28 de setembro de 1859, segun-
sos, que mais ou menos sao coroadas de successo. do V. Exc. declarouem seu ofllcio n. 1,210 de 9 do
O que se pode notar no procedintento dos encar-, corrente.
regados da >olieia alguma incuria na organisacao Dito ao mesmo.Podendo acontecer que o conse-
dos procesaos, am duvida resuludo da ignorancia H administrativo nao elfectue a compra com teni-
das formulas legaes. Este effeito que sensiveJ, po de poderem segnir araanhaa no vapor Maman-
desapiiareccr, ou muito diminuir com a separa- guape, dos medicamentos que se destinam enfer-
cao das funeces polciaes e de justica. e entao o; maria militar do presidio de Fernando, d V. Exc
tribunal de jlganiento pao ser taocndescendente as suas ordens, para que, no caso de dar-se esse
em suas decises. inconveniente, seja o pedido da referida enferma-
A organisacao que ltimamente se deu s secre- ra satisfeto com-os medicamentos ltimamente
tanas de policas, muito tem coadiavado aos magia- j comprados para a pliarmacia do hospital militar, e
nados incumbidos da direccao policial as provin- 'que-tcem de ser a ella recebdos boje, conforme
das. Entretanto em algumas partes j se nota que ; pro|>6e o mesmo conselho, em seu oflicio de 11 do
o pessoal insufliciente wra o servico de toes re-1 corrente, sob n. 369.Conunnnicou-se ao conselho
administrativo.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de expedir as
suas ordens, aflm de que no hospital militar sejam
hoje examinados os medicamentos comprados pelo j
conselho administrativo, com destino ao presidio de'
Fernando, os quaes serao apresentados naquelle
iwrtiees. que vai em augmento.
Rei'onhecendo o facto, o governo nao est dis-
(tosto a propr medida alguma em sentido de aug-
mentar o pessoal das secretarias de polica.
Polica da corle,
Ao relatorio est annexo o do chefe de polica da
corte, no quaI estao consignados os faetos occorri- estabelecimento, por Jos Paulo da Fonceca, vende-
dos e as medidas que a este empregado parece con-
veniente adoptar.
ESTATISTICA CRIMINAL.
Julijamenlos no jury em 1862.
Foram recebdos-os mappas de todas as provin-
dor dos referidos medicamentos.
Dito ao desembargador provedor da Santa Casa
de Misericordia do Recife.Em vista do que decla-
ra-me o juiz de orphaos desta capiul, em oflicio de
11 do corrente, sobre a pretencao de Antonio Fer-
reira dos Santos, pedindo para ser admittido no
cias do imperio. Os seguntes aponUmentos de- collegio dos orphaos o desvalido Antonio Joaquim
monstram amanen-aporque comecaramos2,396 'de Amorm,e sobre a qual informou V. S. em 3
procesis julgados, epor quem foram sustentados deste mez, cbeme dzer-lbe quo para a adms-
e bem assuu os sexos, naturalidades, idades, esta-' sao "
dos. qualidades e modo de livramento dos 2.923 reos
que ligiiraram nesses processos.
Comecaram:
401
Por denuncia particular. Por denuncia do itromotor. . 44
149
Ex-ofncio........ 1802
2396
Foram suslentados:
Pelos quexosos...... 72
Seus procuradores..... - 10'
Procuradores dos denuncian-
tes .......... 3
Promotores...... . 2217
2396
Responderam em taes processos 2923 reos
sendo:
276!
Mulhei-.'s......... 162
BnsUeiros........ 2647
K-trangeiros....... 283
Menores de 14.innos. . 11
Del4 17........ 41
De 17 21........ 249
De 21 40........ 1890
De 40 para cima...... 732
Solteiros......... 1287
("-asados......... 1443
Viuvos. ......... 193
Livraram-se :
Presos .......... 2397
AUlancados:
Pessoaimente....... 347
Por procurador ...... 10
A'revelia......... 2
Ausentes :
Coinparecendo...... 11
' A' revelia........ 156
Foram :
Autores......... 2477
Cmplices........ 202
Simples tentativa..... Estes2923 reos coinmetteaiu : 244

Crimes pblicos...... 159
Crimes particulares .... 1503
Crimes pohciacs...... 47*
Os pblicos sao:
Contra o livre exercicio dos
direitos polticos..... 1
Resistencia........ 25
Tirada ou fuga de presos. . 81
Peita, concusso e outros abu-
sos.......... 1
Falsidade........ 32
24
Deetruicao de bens pblicos 1 -
Contra livre goso e exerci-
cio di is direitos polticos dos
cidadaos brasileiros . 3
159
(Continuar-se-ha.)
m\!STI.ltlO DA FAZEXDA.
To do referido orphao' no respectivo collegio, ne-
nliiini obstculo ha da parte daquelle juiz, pie re-
conhece a impossiblidade em que est o peticiona-
rio, por falta de recursos, de continuar na tutella
daquelle orphao, que elle havia aceitado por cari-
doso dever de humanidade.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Restituindo a V. S. o requerimento documentado
em que Olavo Correa Crespo pede o pagamento da
gratifiomcao vde 155000 diarios que venceu desde
10 de Janeiro at 9 de fevereiro deste anno, tem
em que estove incumbido do tratamento dos indi-
entes accominettidos do clioler-iiiorhus no termo
e S^Bcnlo, o autoriso ,mandar pagar esta grati-
fcacao na im|iortncia de 4654000, conforme indi-
ca contadura dessa thesouraria no parecer a
que se refere a informacao de V. S. datada de 8 do
corrente e sob n. 497.
Dito ao mesmo. Transmuto por copia V. S.
para seu conhecimento e direccao. o ofBcio de 10
do corrente? no qual o gerente "da companhia Per-
nambucana declara haver rccolhido naquella data
caxa filial do banco do Brasil a quantia de 7005
proveniente do oflerecmento que ao governo im-
perial o mesmo gerente e seus empregados fixeram
de cinco por cento sobre a totalidade de seus ven-
cimentos de um anno para as urgencias do estado.
Communcou-sc ao gerente da companhia Per-
nambucana.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S. para o fin
conveniente, a inclusa guia do carpnleiro de se-
gunda classe Belmiro Pires Ferreira, embarcado
no hiate de guerra Rio Formoso, a qual me foi re-
mettida pelo commandante do brigue barca llama-
rac, em satsfacao a requisicao de V. S. contida
em oflicio de 26 de maio ultim, sob n. 399.
Dito ao mesmo. Declaro a \. S. para seu co-
nhecimento e. direccao, que segundo constou do
ofllcio do chefe de polcia, de 9 do corrente, sob
n. 105", o delegado do-termo do Buique dispensou
no ultimo de junho prximo lindo o destacamento
de guardas narionaes all existente.
Dito ao mesmo. Annuindo ao que solicitou o
commandante do brigue barca Itamarac, em ofli-
cio de 11 do corrente, sob n. 169, recommendo
V. S. (rae mande pagar sob minha responsabilida-
de, nos termos dojlecreto n. 2884 do 1 de feverei-
ro do anno prximo passado, as comedorias rela-
tivas a este mez, dos officiacs da armada e classes
annexas, embarcados nos navios surtos no porto
desta cidade, visto nao ter anda chegado a ordem
do thesouro nacional destrihundo o crdito aberto
a esta provincia no corrente exercicio. Commu-
nicou-se ao commandante do brigue barca llama-
raed.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Nao bavendo inconveniente, mande V. S. pagar,
em vista do competente certificado, ao hachare!
Jos Mamede Alves Ferreira, empreiteiro das es-
tradas do norte e de Pao d'Alho Nazarelh. a quan-
tia a que elle tiver direito, proveniente do dcimo
lanco daquella estrada c do juro devido, como pe-
de o mesmo empreiteiro no incluso requerimento.
Communicou-se ao director das obras publicas.
Dito ao mesmo.Estando em termos os inclusos
documentos, mande V. S. pagar a Joo Carlos Au-
gusto da Silva, conforme solicitou o chefe de poli-
icia, em ofllcio de 11 do correle, sob n. 1066, a
Ministerio dos negocios da fazenda.Bio de Ja- quantia'de 2:130532!, despendida no mez de ju-
neiro, 6 de judio de 1863.Declaro V. S., em nho ultimo com o sustento dos presos pobres da
resposto ao seu oflicio do Io do corrente, que pro- casa de detencao.
ditas representaces que lhe foram dirigidas pelos
subditos iKtrtuguezes Francisco da Sirva Fonseca,
Jos < la Costa Maia e Luiz Alves Correa Lopes,
transiMtto por copia as informacfrs prestadas pelo
Dr. delegado desta capitel e subdelegado da fre-
guezia' de S. Fr. Pedro Goncalves do Recife, das
quaes vera o mesmo Sr. cnsul os motivos que se
(leram para a prisao dos ltimos dos quexosos or-
denadapelo referido subdelegado o o modo porque
foi ellreffectuada.
Renov ao Sr. cnsul de Portugal os protestos de
mmhafcrfeita estima e distincta considerado.
Dito ao inspector do arsenal de marinha. Re-
presentando o director do arsenal de guerra ser
muito pequea a embarcacao que lhe foi foniecida
para ajrmbarque dos objectos que tem de ir para
Fernaio no vapor Mamanguapr. recommendo
V. S. que lhe mande prestar com toda a urgencia
maior oh mais embarcaees que tenbam a capaci-
dade ceessaria para embarcar objectos pesados e
de grande volme.
Dito ao commandante superior do Brejo.Re-
presentando o commandante superior da guarda
nacional do Bonito, que os guardas moradores em
territorios que pela le provincial n. 462, de 2 de
maio de 1859, passaram a fazer parte da freguezia
de S. Caetano da Rapoza daquelle municipio, con-
tinuam a ser chamados a servico nao s all onde
0 devem prestar, mais tambem nesse municipio
donde foram desligados pela citada lei, resultando
d'ahi inconvenientes ao servico e atropello aquelles
guardas, recommendo V. S.'aexpedieo de suas
ordens para que wsse semelhante pratica contra-
ria a le e disposices em vigor, em virtude das
quaes aquelles cidadaos pertencendo a municipio
cxlranho, onde tem sido e acham-se qualificados
guardas narionaes nao podem estar mais sujeitos
ao commando superior de V. S Oflcou-se ao
commapdante superior do Bonito.
Dito ao Dr. juiz de direito de Garanhuns.Cons-
tando de informacao do chefe de polica datada de
9 do corrente e sob n. 1062, que o tenentc Fran-
cisco Barbosa da Silva e Mello, Braz de Mello e
Silva, Manoel de Abreu Pereira e Silva, Tertuliano
Jos de Torres, Justino Ramos de Vasconcellos. Vi-
cente Telles de Carvalho, e Joaquim Jos dos San-
tos Prata, actualmente rerolbdos na casa de deten-
cao desta capital teem de responder a novo jury
na villa do Buique, faz-se preciso que Vmc. os re-
quiste para esse lira quando tiver de funecionar o
mesmo jury, visto nao poderem ser conservados na
cadeia dessa comarca, que consta no admittir
: mais presos. Ofllriou-se ao Dr. chefe de polica.
| Dito ao juiz de paz do terceiro districto do
| Lourenco da Matta.Respondendo a consulta que
faz Vmc., em seu ofllcio de 2 do corrente, tenho a
dizer-lhe que o escrio desse jotro pode continuar
a lavrar escriptnras e outros instrumentos no
mesmo livro, em que o fazia una vez que est de-
| vidamente .-iberio, encerrado e rubricado pelo juiz
1 do districto e ha esjiaco para isto nao tendo nen-
' huma importancia para o caso a crcumstancia de
(ter sido o mesmo livro aberto, encerrado e rubri-
| cado quando esse districto pertencia a freguezia de
Iguarass da qual foi desligado para essa de S.
' Loin "" i pela lei provincial n. 336 de 12 de maio
jo director das obras publicas. Declre-
nme Vmc. se mais conveniente contratar com o
emprezario do calcamento das ras desta cidade, a
factura dos concertos precisos no caes da ra da
Aurora entre as duas paes, constantes do orea-
ment annexo ao seu ofllcio de 11 do corrente. sob
n. 14!, cumprindo que Vmc. no caso affirmaiivo,
consulte ao referido emprezario sobre as vantagens
que offerece e com que abate faz essa obra.
boje e sob n. 1072, resolve considerar vago o lugar dlsposto no ciudo decreto e regulamento. o f sar-
de 1. supplenle do subdelegado do districto de S. gento do 4o batalhao de a ni diaria a p, Francia'.
(ttano da Raposa no termo de Caruar, por nunca Marliniano da Costo Lima, conforme partkiuouo
ter entrado em exercicio Francisco Santeiro de Azc- respectivo Sr. commandante, em oflkio n. 291
vedo Ly ra desde 1858, e noraa para esse cargo d
cidadao Jos Clemente dos Santos. Comniunicou-
sc ao Dr. chefe de polica.
Expediente dn secretario do governo.
Oflicio ao brgadero commandante das armas.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, manda de-
clarar V. Exc. ein resposla aoseu oflicio de 11
do corrente. sob n. 1232, que nesta date se remet-
teu ao director do arsenal de guerra, para satsfa-
zer e. pedido que veio annexo ao seu citado of-
ficio.
Despaches do dia 13 de julh de 1N63.
Iterptrrimentns.
Antonio Mendes Tavares.Requeira pelos canaes
competentes.
Claudino do Reg Lima. Declare o supplcante
a data da portara a que se refere.
Tenente Francisco Barbosa da Silva e Mello e ou-
tros.Opportunamente ser attendido o pedido dos
siipplicantes.
Francisco Serfico de Assis Carvalho.O Sr.
director do arsenal de guerra, tem ordem para
alionar as falta a que allude o supplicante.
Bacharel Joaquim do Reg Barros.Remettido
ao Sr. inspector da thesouraria de fazenda para
mandar pagar, nao bavendo inconveniente.
Padre Joo Raptista Soares.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Manoel Jos Ferreira Machado. Passe portara
concedendo 2 mezes de prorogaeo.
Maria de Jess Rodrigues.D-se de proa baven-
do raga.
Thoinaz d'Aquino Pereira e Silva. Informe o
Sr. director da repartieao das obras publicas.
I innivMl DAS ARMAS.
Ql'AKTEL-CF.NEn.VL DO COMMANDO DAS ARMAS DE
l'ERNAMBICd. 9 DE U'I.IIO DE 1863.
ceden regularmente mandando continuar a cobran-
za dos direitos addicionaes de 2 e 5 por cento sobre
importaeo, e 2 por cento sobre a exportacao, vis-
Dito ao mesmo.Offerecendo ao governo impe
rial, em ofllcio de 9 do corrente, Ravmundo da
Silva Maia, thesoureiro da repartieao das obras pu-
to que estando ella em effectividade no exercicio blcas, cinco por cento dos seus vencimentos por
ltimamente findo em virtude de autorisaeao do espaeo de um anno para coadjuvaeo das despezas
poder legislativo, autorisaeao que continuou no
exercicio rorrente,*cm confrmidadedo disposto no
a.it. 23 n. 7 da lei n. 1,117 de 9 de setembro do anno
passado, s poderia ser suspensa a referida cobran-
ca por ordem exprossa do governo imperial.
Deus guarde a V. S.Mrquez de branles.Sr.
conselheiro inspector da alfandega da Corte.
(OYERM DA PROVINCIA.
que se tem de fazer com a defeza do paiz, recom-
mendo V. S. que faca arrecadar opportunamente
esse donativo, afim de ter o destino indicado no
ofllcio de 3 de fevereiro deste anno.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S., em vista de sua
informacao de 7 do corrente, sob n. 323, man-
dar pagar ao offlcial da Secretaria dessa thesoura-
ria, Miguel Alfonso Ferreira, o augmento de orde-
nado que se lhe concedeu pelo artigo 2o da lei pro-
vincial n. 563 de 6 de qjaio do corrente anno, de-
vendo a quantia de 122222 j vencida at o ultimo
de junho prximo findo. ser satisfeita pelo 8 do
Expediente do da 13 de judio de 1863. artpo 29 da lei do oreamento do exercicio de 1862
Officio ao commandante superior da guarda na- 1863, c o restante pela verba eventuaes do cor-
cional do Recife.Respondendo ao officio que V.' rente exercicio.
Exc. me dirigi em 10 do corrente. sob n. 91, tenho! Dito ao mesmo.Tendo nesta data autorisado o
a dizer que designo o' juiz municipal da segunda' director da repartieao das obras publicas man-
vara desta capital; bacharel Francisco de Araujo dar fazer os concertos de que necessita o paco da
Barros, para fazer parte do conselho de revista da assembla legislativa provincial, com os quaes po-
guarda nacional deste municipio, que se tem de \ der despender at a quantia de 330fi000, como se
reunir no dia 19 deste mez.Offlciou-se ao Dr. juiz : v do ornamento junto por copia : assim o declaro
municipal da primeira vara desta capital. V. S. para seu conhecimento e di receo.Com-
Dito ao bngadeiro commandante das armas. -
Informe V. Exc. sobre oque pede Anna Galdina da
Ordem do dia n. 228.
O general commandante das armas faz publico
para sciencia da guarnicao e flus convenientes,
que nesta data apresentou-se no quartel-general o
sr. padre Bento Pereira do Rogo nomeado capellao
S. da repartieao ecclesiastiea do exercilo por decreto
de 3 de junho prximo lindo, conforme se declarou
ein ordem do dia da secretaria destado dos nego-
cios da guerra de 16 do mesmo mez sob o n. 358 -.
que tambem se apresentaram hontem os Srs. capi-
tn do Ip batalhao d'artilharia a p Tiburcio Hyla-
rio da Silva Tarares, commandante do contingente
do mesmo batalhao estacionado na provincia da
Babia, o qual veio fruir nesta 3 mezes de licenca
que obteve jiela citada ordem do dia para tratar
de negocios de sua familia, e tente Lupercio Ga-
hagem Champloni viudo da crie o qual ficou reu-
nido ao batalhao 7" de infantaria a que pertence.
Oinesmo general determina4 Pereira do Reg em quanto nao segu para a pro-
vincia que o governo designar fique addido ao 2"
batalhao de infantaria para nclle exereer as hul-
eos de seu ministerio ; e qne nesta seja desligado
do sobredito 7o batalhao o Sr. al/eres Urbano Ven-
ceslu Gomes de Carvalho que foi transferido para
o 10 da mesma arma -visto 4er de embarcar no
vapor que so espera do norte. *
AssignadoSoldonio Jos Antonio Pereira do
Ijioo. (informe.
Jos Ignacio de Medeiros Reg monteiroCapitao
ajudanto d'ordens encarregado do dotalhe.
9
Ordem do dtan. 229.
O general commandante das armas faz publicar
em seguida o ofllcio da presidencia de 2 do corren-
te, em que declarou que o governo imperial por
aviso do ministerio da guerra do 9 de junho (indo,
louva e agradece o espontaneo offerecinionto. que
fez o Sr. 2o cirurgiao docorpo de sade do exercito
Dr. Flix Moreno Brandao, para auxilio das urgen-
cias do estado.
Faz tambem constar que fez sua apresentacao o
Sr. capellao aderes da repartieao ecclesiastiea padre
Joaquim Verissimo dos Alijos, que pela ordem do
dia do exercito n. 353, de 6 de maio ultimo, foi
mandado servir nesta provincia, e determina que
fique addido ao 7" batalhao de infantaria.
4* seceo.Palacio do governo dePernambu-
co, 2 de judio de 1863. lllm. e Exm. Sr.'Em
cumpriniento do aviso da repartiese da guerra de
9 de junho ultimo, mande V. Exc. louvar e agra-
decer, em nomo do goverrio imperial ao 2^ cirur-
gio do corno de sade do exercito Dr. Flix Mo-
reno Brandao, ola exjiontanea ofjerta que fez da
quantia do 200 re, deduxido de seus vencimentos
em prestaees mensaes de 105 rs., para auxilio das
urgencias do estado.
Deus guarde V. Exc. o presidente, Joiio
Silvera de Souza. Sr. brigadeiro commandante
das armas.
Assignado. Soldonio Jos Antonio Pereira do
Lago.
Conforme. Jos Ignacio de Medeiros Reg Mon-
teiro, capitao ajudante de ordens e encarregado do
detalhe.
. 10 -
Ordem do da n. 230.
0 general commandante das armas faz publico
para os lins convenientes que autorisado por oflicio
da presidencia datado de 8 do corrente, declara
nesta data rescindido o contrato celebrado em 11
de dezembro de 1860, com o religioso franciscano
Frei Joo de Nossa Senhora do Rosario, para ca-
pellao do hospital militar desta provincia. Em
consequencia, determina o mesmo general que os
soceorros espirituaes sejam administrados aos
doentes do referido hospital pelos Srs. capellcs
militares ora em servico nos corpos desta guarni-
cao, que alternaro por semanas no servico da-
quelle dito ostabeleeiniento. segundo o detalhe feito
pelo quartel general.
No permittido ao Sr. capellao de semana sa-
bir para tora do hospital fiara estar promptoa pres-
tar soceorros aos enfermos que dedos necessitarem
a menos que para o mesmo flm seja cliamado pelo
encarregado da enfermara militar estabelecida no
Portaria.Os Srs. agentes da companhia lnasi-
leira de paquetes a vapor mandem dar transporte
at o Maranhao, em lugar de r, destinados a passa-
geiro de estado se hodver vaga, no vapor que se
espera do snl ao guarda mor ua alfandega desta ca-
pital Garlos Eduardo Roidel.
Dita. O presidente da provincia conformando-
| se com a proposta do tenente-coronol commandante
i do 3." batalhao de infantaria da guarda nacional do
municipio do Recife, sobre que versa a informaciio
I do respectivo commandante superior datada de 10
: do corrente, sob n. 90, resolve no s passar o al-
feres da 2/ companhia do mesmo batalhao Adriano
da Silva Farias para aderes secretario, mais tam-
bem promover aos postos ahaixo declarados os ci-
dadaos seguintes :
Eslado-maior.
Tenente qtiartel-mestre o aderes secretario Jos
Pedro das Nevos.
3/ Companhia.
Capitao o tenente da 4." Manoel Nascimento da Silva
Bastos.
4.* Companhia.
Tenente o alferes da 6. Manoel Marques de Abreu
Porto.
6.'1 Companhia.
Capitao o tenentc da 1.* Francisco Antonio de Assis
Goes.
Tenente o alferes da ?. Bonjamim Viraos Dutra.
8." Companhia.
Tenente o alferes da 4.* Joao Podro de Jess da
Matta.
Communicou-se ao commandante superior do
Recife.
Dita.O' presidente da provincia sob proposta
do Dr. chefe de polcia datada de hoje e sob n. 1071
resolve demlttir Joo Lopes Delgado Leal, do cargo
de 2. supplente do delegado do termo do Limoeiro
e Jos Rufino de Mendonca do de subdelegado de
Malhadinha por achar-se mudado para fra do dis-
tricto, e nomea os cidadaos seguintes :
Francisco de Paula Pereira de Muraos para o lu-
gar de 2. supplente do delegado do termo do Li-
moeiro.
Cosme Teixeira de Carvalho pira o de 3." sup-
plente do mesmo delegado que se acha vago.
Manoel dos Anjos da Silva para o de 1. supplen-
te do subdelegado da villa do Limoeiro, vago por
! tor-se mudado para fra da comarca Antonio de
1 Souza Ferreira Rabello.
Victorino Arquim do Reg Farias c Manoel Gue-
des de Araujo Pereira para 2. e 3." supplentes do
mesmo subdelegado vagos por ter fallecido Fran-
cisco da Costa Gomes e mudado de residencia Cos-
me Teixeira de Carvalho.
Luiz Barbosa da Silva Cumar pira subdelegado
do districto de Malhadinha.Communicou-se ao
Dr. chefe de polica.
Dita.O presidente da provincia resolve a bem I quartel de Santo Amaro filial as da hospital; ao
! do servico publico e de conformidade com a pronos- j que se devora prostar inmediatamente.
ta do Dr. chefe de polica, datada de 7 do corrente O Sr. capellao do semana ser rendido nos do-
I e sob n. 1049, exonerar a Joo Themoteo de Andra-' mingos depois de ter celebrado a natasa. Entrar
! de, do cargo de subdelegado do districto de Panel- extraordinariamente do servico amanhaa o-Sr.
las, termo de Caruar, e noma para esse cargo, o! capellao do 9 batalho de infantaria que ser ron-
! 5." supplente Antonio Jos Goncalves Pires Fcr- dioo no domingo 12 depois da missa, polo que fr
reir.Communicou-se ao Dr. chfe de polcia. detalhado pra a semana vindoura.
Dita.O presidente da provincia tendo de ftxar Assignado. Soldonio Jos Antonio Pereira do
o numero de eleitores que na cleicao a que se vai Lago.
proceder no dia 9 de agosto prximo vindouro, tem I Conforme.Jos Ignacio de Medeiros Rrgo Mon-
de dar as parochias do Altinho c Quipap. por te-' leiro, capitao ajudante de ordens e encarregado
! rem sido alteradas os sous limites pela lei provin- do detalhe.
cial n. 508 de 29 de maio de 1861. que desannexou
AssignadoSoldonio Jos Antonio Pereira o
Um.
Conforme.Jone Igiuirio de Medeiros Reg Memlet-
ro, capilo ajudante de ordens encarregado do de-
talhe.
INTERIOR
lll> t* .KBAF.M.
Desordcns ottorridus no lugar ienominaila Captm-
Groeso, municipio da Diamantina.
N. 194. 2* seceo.Palacio da presidencia
da provincia de Miuas-Guraes, 8 de junho ik-
1863.
lllm. e Exm. Sr.E' lo raen dever levar ao eo-
nhecimento de V. Exc. as causas do estado anor-
mal em que vim encontrar o municipio da Dia-
mantina, os ltimos e depimvata acontermenl)
que au so dera o i e as providencias tomadas por
osta presidencia com o-lim de resUbtleeer a or-
dem publica profundamente alteradae firmar o
imperio da le.
Km das de mam deste anno, correndo a wa-
ti'-ui do .'ippai'eeiaorit de diamantes no mgai
denominadoCapu-Grosso margen do Ge-
quitinhonha, 10 ou. 12 leguas distante da sede do
municipio, diversas pessoas requereram e obti-
veram o arrend.-unento de alguns lotes ; mas quan-
do o substituto- do inspector geral dos terreno-
diamantinos alt compareceu, aromponhadu do-
empregados ila adnnistracao para procedor-se
moilieo. encontrn todo *t> terreno ocrupado por
mais de 20U garmperos.
Sem forea publica para fazer-se respeitar e
maiiter os direitos dos arrendatarios, depois de
entender-se com estes, e o coagido pelas cinrums-
lancias c pelo receio de sacrilicar-se e as pe-
do seu sequilo, declarou o terreno districto de lac-
eadores c cousequonteineute passou cartas a todos
que as requereram.
Acoroeoadoa pelo bom xito desta primeira in
vasio, e'engaiiados em suas esperancas de Jorro,
pop que o ileseoberto do Capim-Grbsso nao era
to rico, corno se propalara, os garimpeiro- |>ro-
jertaratn novas invases; desde logo comerou a
circular o boato de que clles se reuniam em di-
versos pontos, e arinavam-sc iara invadir a lavra
doDurourna das mais ricas do municipio
propriedade do u-ncntc-coroncl Felisberto Ferreira
Brant. "
A' noticia desta ameaca. o 1" supplente do del-
gado de polica em exercicio, Joo Nepomuceno
de Aguilar, bomem enrgico c de accao, com o
maior numero de pracas da guarda nacional qw-
|M)ude reunir, alguns ofliciaes da mesma guan i
e militas outras pessoas que voluntariamente se
prestaran!, partiu para a dita lavra. a lira de. M
fosse possivel, fazer abortar os jirojectos dos inal-
fcitores.
Alm desta medida, tomou outras que as cir-
cumstancias llie su^geriram, c padiu a diversas
pessoas gradas e iiiiluentes para rem ao acm-
jiamento dos garimpeiros. que ja se acbavam as
imniediaces, e prorurarem dissuadi-los de pro-
vocar conflictos, cujas coiisequencias sao sempre
fu '-tas : simios, |H>rm, voz da razan, o tra-
duzindo por traquea o acto naseido da prudencia
da autondade, no dia 22 do maio ultimo era nu-
mero de cerca de 400 com bandeira aleada ataca-
ram a forea legal que constava pouco mais de 100
pracas.
O combate fui vivo c rpido, os danatAteai de-
bandarain-se logo s primeias descargas.
No se pode dizer com certeza o numero dos
morios e teridos, porque a esto pate as parti-
cipaces ofliciaes sao contraditorias ; mas o em que
todas sao aceordes na asseveracao do que, da
lona legal s urna praca foi ferio, a que foram
aprisionados 12 dos desordeiros : este resultado
fui sem duvida devido ao tacto de ser a guarda
nacional mais disciplinada, e achar-se mais bem
armada e dirigida.
Beccia-se anda que elles novamente se reu-
nan c tentem um segundo ataque.
So estes os fados que constam das pecas offi
caos que tenho vista.
0 destacamento que a esta hora tal vez suba I
ipiarcnta pracas de linha commaudado pelo cap
tao Antonio de Aiuorim Kangel que esta presiden-
cia ao receber as primeiras noticias fez para ab
marchar, e parte do qual ja deve estar no tbeatro
dos acontecimentos, reunidoa maior forea da guar
da nacional que ja deve ter sido chamada a ser-
vico em consequencia das ordens expedidas at
commandante superior, conseguir sera duvid
dispersare chamar a ordem os nialfeitores : aguar-
do o resultado das providencias dadas para tomar
outras quo as circuinstancias ni-lainam.
Quanto mais occorrer, serei solicito em noticiar
V. Exc.
Dous guarde V. Exclllm. e Exm. Sr. conse-
lheiro Joo Lins Vieira Cansan.so de Sinimb. mi-
nistro o secretario de estado dos negocios da jos-
tica. O presidente. Joo Crspiniano Soares.
Communcaro de haverem sido dispersados es
desordeiros.
N. 199.1* seceo Palacio da presidencia "da
provincia de Minas'-Ceracs, 13 de. junho de 1863.
Em additamenlo ao meu ofllcio de 8 do corren-
te mez. tenho a honra de pa->ar a- na- N
Exc. a inclusa copia da ultima communkaco
iiue mo foi dirigida em 29 de maio ultimo pel<>
delegado de polcia e 1" supplente do juiz muni-
cipal da Diamantina, acerca dos aronlecimenlo-
que ali se deram por causa da invasao da lavra
denominadaDuro.
Felizmente desappareceram os receios, por em-
quanlo. de BOTOS alternados ; os desordeiros dis-
persaram-se, e a autoridade pode livremenle pro-
seguir as medidas tendentes ao completo resto-
bclecimento do ordem. apesar de pueo contar
com o servico da guarda nacional, que ser dis-
pensada logo que ali cliegue o capitao Amorini
Kangel, se as cirenmstaneics o perraillirem.
Dous guarde V. Exclite, e Exm. Sr. con-
selheiro Joao Lins Vieira Cansansao de Sinimbu ,
ministro e secretario de estado dos nesorios da
justica.O presidente, Joao Crspiniano Soares.
Copia.lllm. e Exm. Sr.No oflkio que t^J^
Exc. dirigimos com data de 26 do corrate
Trindade, no incluso requerimento.
Dito ao mesmaDevolvo V. Exc. o recibo que
veio annexo em duplcala ao seu ofllcio de 30 de
municou-se ao director das obras publicas.
Dito ao Sr. Dr. Jos Henrique Ferreira. cnsul
de Portugal, -i- Bespondo ao ofllcio de 30 de maio
ultimo, com que o Sr. Dr. Jos Hcnriques Ferreira,
consol de Portugal, trouxe ao meu conhecimento
11
Oiycm do dia n. 231.
O general commandante das armas faz certo para
os flns convenientes :
i.* Que nesta data procedendo inspecro de sa-
de. eontratou para servir na msica do 9o batalhao
o districto de Panellas da 1.* das referidas fregue-
zias para unir segunda, resolve de conformidade
com o disposto no 12 do art. I." do decr. n. 1082
de 18 de agosto de 1860, alterar a tabella de 27 de
setembro do mesmo anno de 1860. na parto re'.ativa
as preditas freguezias, e determinar que o do Al- de infantaria, por tres annos, nos termos da irape-
tnho d 20, ea de Quipap 48 oledores. Nestc rialproviso de 11 de Janeiro de 1853, ao msico
sentido expecam-se as ordens conven'.entes.Re- paisano Jos Joaquim da Silva, o qual perceber,
metteu-se por copia cmara municipal e juiz de! alm dos vencimentos que por lei lhe competir, o
de paz mais votado do Altinho, e ao juiz de paz mais' premio de 1504000. pago na formalidade do decre-
votado do districto de Panelas. I to e regulamento do Io de maio do 1858.
Dita. O presidente da. provincia conformando- 2. Que approvou o engajamento que hontem con-
se com a proposta do D".. chefe de polica datada de trahio,. para servir por mais seis annos, segundo o
ceu-nos mencionar que o substituto do raspete
dos terrenos diamantinos desta provincia. Roberto
Alvos Ferreira Tayoba, estovo comnosco prestes-
do-se, quer como autoridade administrativa, quer
como cidadao simplemente, e bem assim ontn
cidadaos. como Antonio Luiz, seu irroao, Joao Bar-
boza, Manoel Pereira de Santa Anna. e sea coro-
pan) ieiro Domingos Felippe Nery FUgneira e sen
lidio e muitos outros que bastante se empmhanaa
em favor da causa publica. Achando-se em ro>
gencia de seu ofllcio o Dr. juiz municipal ente
termo cno devendo nos servirmos como joa ero
cessanle naquestoda invasao da lavra dDnj>
por isso que fomos desacatados e de^rosfaMroro
[r>Io poro invasor ; boje oOciamos ao mesmo jaro
cliamando-o para lser o processo. isto coro nr-
gencia, visto (pie na cada se achara dote peroro.
aos quaes nao podemos e nem devenios iroaanajar
pelas razos cima dadas. Tambem oflkuaaroan
capitao Fortunato da CostS Rodrigues, qteleou
em S. Joao commandando um destacame.ro. a 14
pracas para que dispersasse, visto ter erorodo *
necessidade desse desutnento ali; twt*t-mt
\

/
i MUTILADO
IILEGVE







;____iCh
Otario te Pernanabuea *-. Quinta letra 1 de Julhe de 18SS.
=
-r
*w

de reforma
V Exc. em outro offlcio; ^"J-^^twSKgifflrd nacional da provincia, do
p^odt an^rom^^ lamento
^ ffiJKS IX'transferido para o nominando superior, da I
"os municipios de Barreiros A-
nncia de Pernambuco, o coronel
superior da guarda nacional do Rio
to7ifcameacad0 de urna completa e ver-: rormoso ua mesma provincia, Paulo dcAmorim
SIS an* htoTtuito dcrido especialidade do Salgado,
paiz toa. a nossa mea mdus.na Je -tirar da-1 ^ ^^ rige a cmara
imp mpq pedido, senhor, tao digno de alten-', municipal da corte ao Sr. Joo Dramley Moore o
certo que Mal rcvolta de povo to' seguinte voto de agradecimento, pela luancira im-
8obre
honftm e hoje algims se Ikeram a 46 7/8.
Parisa 355 rs. o franco.
Frotes.Fizeram-se 7 fretamentos ; 9 por Gi-
braltar, Maraelha, Genova e at Trieste a 40, 42
i/2e 45 sen., e 5 0/0; e para o Havre por 30 fran-
cos e 10 OjO: para Bremen e Hamburgo, e entre
o Havre e Hamburgo a 45 e 50 sch. e 5 0/0 ; i
J'rgmntaTbemS'd^ ^^ compro- hmvOM
mrttSl^ uto ameacado de urna completo e ver- Fonnoso da i
Mr'eETlwmenV'dealguma nrluenca "que em-1 parcial e distincta com que este cavalheiro deon-
w.Am com geito e sorrateiramentc illudindo ao; deu os dircitos do Brasil no parlamento inglez
^_." j ...niM nnn innniios mu nstn ,*vipm At>' miando alli se discuti a auestao anglo-brasileira :
1,000 saceos, da maior parte masaevo, e o patacho
Correa, com 600 ditos.
De Macei, o patacho Cdpuam, com cerca de
2,700 saceos, 517 barricas e 20 caixas.
Da Baha e Cotingwba : 338 caixas de Campes:
3,762 saceos e 338 barricas.
As vendas effectuadas foram insignificantes e
no Dosto de para satisfacadlas eeessidades mais urgentes dd para New-*erk, tomando so 600-ioaetadas de car-
consumo. a para lastro, porque grnete, a JO sch. por tone-
Os ltimos precos foram : Tada.
Pernambnco banco, 2" serte, 4*100 a 4,5500; DescontosO banco da Baha contmuou a des-
3- dita, 3700 a 44; 4* dita, 3*500 a 34650, e so- contar letras at 90 dias a 7 0/0 ao ama, e de maior
menos, 3100 34300; do mascavo nao boave prazoa8.
Vl,n,ia As carias seni enussao descontaran! de 8 a
Macei, branco 35 a 3*300, e naseavo 2*000 a' 12 0/0.
jjjOO. AceSes.Venderam-se do banco da Baha ao
Baha e Conguiba, braneo 35 a 3*200, e-mas- par.
cavo, 15700 a 1800. ____ i Da sociedade Commercio com 8 0/0 de des-
carnos, bramo 3* a 3*300, e mascavo 1*800 a cont.
est cavalheiro defon- 2*700." Entraram na semana 7 embareacoes de ve-
De Pernambuco nao se espera suppriraents, o la de longo curso estrangeras, com 153 toneladas
' c 75 pessoas de tripolacao.
Eram hespanhola 1, inglezaS, portugueza 1.
Entraram cm lastro 2, arribada 1, c com carga 4.
i: que dexa crer que os precos serao sustentados,
ey De Macei deve chegar brevemente o brigue Ai-
mirante.
naciio. destacamento ua gu:.,.. ........, -....., -
de'seachar somentc com 17 praoas, inclusive o brecem pelos actos do lustra e generosidad^
sargento, o menos proprio para servir as ques- que pela falsa gloria da guerra e das conquistas
toes que referimos e que ja por vejes temos tova- que faziam o brazao dos temnos barbaros; c por
doao eonhccimeuto d V. Exc. Aguardamos por- isso nos fastos da Ilustre Inglaterra tera lugar dis-
tanto as ordens de V. Etc., que nos salvar deste tincto_ a grandeza d alma com que seus fimos na
abisma em que breve nos podemos precipitar. questao ltimamente suscitada entro o gabinete de
do
De Campos espera-se dentro em iiouco lempo al- Estas procedern! de Barcelona 1, de Liverpool 1,
Des guarde V. Exc. Cidade Diamantina, 29
de maio de 1863. '
lllm. e Exm. Sr. presidente da provincia de Mr-
,VH _'deiegado de polica, Joao Vieira de Azeve- \ ceitos c o capricho, tiveram a coragem 6
do Coutinho. O Io substituto em exercico, Joao > tar que acuna de tudo devem-sc collocar
! cipios de direito e de justiea universal, reprodu-
S. James e a naco hi asilcira.generosainento toma-
ram adefeza desta, isto da razao e da justiea. Os
distinctos cavalheiros que, desprozando os preeon-
de susten-
os prin-
guns supprimento da nova sadr.
Ficaui em ser:
Procedencia Caixas Barricas Saceos.
Pernambuco :.........IkOOO
Macei : 20 614 8,400
BaliiaeCotinguilia: 882 .
Campos: 67 1,000
da Terra-Nova 1
A principal carga que manifestaram 3, c a do
vapor inglez entrado na outra semana, faltando a
de Liverpool, foi a seguinte :
Bacalho 5060 barricas, cha 2 caixas, conservas
8 caixas. ceblas 55 caixas, cera 9 volnnies, caca-
dos 3 caixas, drogas 7 volumes, dinheiro em ouro
1 volume o outro com 4,000 soberanos, fazendas
112 volumes, ferragens 11 ditos, frutas 4 ditos,
joias 2 ditos, livros 2 ditos, licores 12 dito?, man
Nepomuceno de Aguiar.
Prao importante de criminosos.
jj_o |97.2* seccao. Palacio da presidencia da
provincia de Minas-Geraes, 12 de jimho de 1863.
lllm, e Exm. Sr Por ..fflcio de 10 do corrente
! ziio a rigidez de Cat e (le Aristidcs, conquista-
400, cemmunicou-me o Dr. chefe de causa do Brasil, vos, Sr. Bramlcy Moore, tomastes
iuc tenho a honra de posic/to tao notavel, aos sentimentos de justiea reu-
evar aoconicriinenlo de V. Exc. | nistes tanta benevolencia para com os fimos da ter-
ram lugar para a veneracao do mundo em geral, c maior parte de Campos.
para o reconhecimento dos Hrasileiros em part- Venderam-se cerca de 200 pipas para o consu-
1 mo. de 72* a 803.
generosos que esposaram a; Apezar de ser anda regular o deposito, eremos
' que se firmar a alta que apresentam esses pre-
cos ante as elevadas cotacoes do norte e a expec-
tativa de pequeos suppnmentos.
Cabnr secca.Ha em deposito 191,000 arrobas,
649 614 20,623
Dcspacharani-se 6 caixas, 5 barris e 250 latas ,
para a Costa d'Africa, 35 caixas para Lisboa e 33 teiga iugleza 615 barris, nundezas diversas .14 vo-
caixas e 21 barricas para o Porto. j lumes, queijos 223 caixas, rap 10 caixas, relogos
Agurdente. Entraram 304 pipas, sendo a 1 volume, vinho de Barcelona 188 pipas, 10 mcias,
150 barris de o.' e 120 de 10., vidros 11 vo-
do
n. 3 da guarda nacional
foram nomeados:
Secretario, Adriano da Sirva Farias.
Quartel-mestre, Jos Pedro das Neves.
Capitao da 3." companhia, Mandel'do'Nasciment
da Silva Bastos.
Tenente da 4.1, Manoel Marques Abreu Porto.
Capitao tenente da 6", Franeueo A. de Assis
Oes e Benjamim Vlraes Datta.
Tehente da 8.", Joao Pedro de Jeaas da Matta.
O Navarre condozio a seu bordo para os por-
tal do sul 159 passageiros, 3 dos miaes foram to-
ados aqui neste porto.
Dep >is de amanhaa deve par* de Liverpool
oKepler, primeiro vapor de orna nova linha de va-
munWp daRoo>foj provincias, encontrando no publico freqoeacia
e bem merecidos elogios.
XoRiodeaoeiro foi executada um osa M-
mero de vezesei>ara a sua populacio era i
urna cousa nova e que lhes inspirava a <
dade.
Com effeito pelo lado philosophco aa _
de Marmtre nao sao um draon pora ser visto i
s vez, pois por mais pcrspkaa qoeseja o espirito
do espectador, sempre encontrar irlh ili
sentimeoto novo e qne anda nao tialu descotierto:
Faltava a provincia- de Pernambuco; ckegoa
a oecasiao. Estamos bem certas de qne tio se
deixar ficar aqoem de soas irmaas prim^ipal-
mente podendo nanar-se de ter sido a primera
Bres, que, segun r o servco dainelle porto at o de Buenos-Av-: do com todo o esmero e luxo, que requer.
res, passando por Lisboa, esta cidade do Becife, J nao tocando nos intelligeptes actores que
Babia, Rio de. Janeiro e Montevideo. | tem de representa-lo, e que se achia cuaptem
0 Krpler hlice, tem 1,499 toneladas, c nes-, mente possuidos do sentimentos de Theudoro Bar-
sa sua primera viagem nao toca neste porto. j riere; a empresa caprchou em faze-lo ementar
A conven^ao consular entre este imperio e t com um scenarlo todo nova A vista do pnaaasr
Portugal foi approvada pelas duas cmaras desse, acto (depois do prologo) lindissima; representa o
remo. | Hotel de Madrid ao fundo de mu bosque, que for-
Conforrae suas estipulacoes, aos cnsules portu-, ma uin caramanchao.
guezes cabe a administracao e liquidacao das he- Tivemos occasiio de ver essa HHM fian
raneas dos respectivos subditos, que fallecerem no devida aos delicados pinceis do distinrto seenogn-
impero sem herdeiros ncm testameuteiros, ou pho, o Sr. Dornellas, e podemos afumar que exu-
quando sejam menores os herdeiros e fllhos de pais siou-nos.
iwrtuguezes, anda que nascidos em territorio | Mil louvores urna empresa que tao bem tem
brasileo. Alem deste direito, tem os mesraos j trilhado a carreira que encetoiL .Sadapoopae a*-
consules aquelle da polica a bordo dos navios iner- sin mcsmo os seus esforcos nao tem sido corres-
cantes de sua nacao, salvos os regulamentos do pondidos devidamente.
imperio na parte relativa ao rgimen dos portos, I No Jornal do Commercio do Rio, le-so;
ao servieo fiscal, e ao das cargas e descargas de O Memorial diploinatique2 fulla hebdoiuada-
para
cular.
Entre os homens
uolicia os-cniintes factos, que tenho a honra de j posic/w tao notavel, aos sentimentos dej
var aoconhecmento de V. Exc. ; nistes tanta benevolencia para com os fin
\ 10 de abril ultimo foi capturado em S. Romao ra de Santa Cruz, que jnntasles mais um aos mui-
o reo Ignacio de tal, que pertcnceikao bando de tos ttulos de consideraco, amisade e reconheci-
salteadores e assassrnos oVnomlnadosi-serianos-, ment deste novo, onde deixastes bem saudosas
nue nos fins do anno de 1861 inleston aquelle mu- recordaces. Por sso a cmara *jnciprtjia ev
, ieinio c o da cidade de Jannaria. dade do Rio de Janeiro jnlga do seu dever env ar-
Foi "ualmeute preso no da snbsequente um \ vos um voto de agradecunepto, que pede aceitis
criminoso de urando importancia chamado Venan-1 como expressao gemuna dos affectos de todos os
ci \ntonio de Toledo, e outro, cuo nomo se igno-! seus municipes, de cujo pensar, sem duvida, paru-
ra, mas que tem de ser processado por crime de j cipam todos que no peito sentem pulsar um coracac-
usode armas prohibidas. brasileiro. .^ ,
Beiis L'iiarde V Ex.lllm. e Exm. Sr. conse- A cmara municipal do Rio de Janeiro
Iheii o Joao Lius Vieira Cansanso de Sininb. mi-' ira drigir-sc tainbimi individualmente aos mmto
nislro e secretario de estado dos uegocios da justi- honrados Srs. lords Robert CecO, Richard Cobden, I
en.--O presidente, Joao CrispinianoSoares.
sendo 43,000 ditas do Ro Grande e 18.000 do Ri
da Prata.
Vende-se a primera de 15200 a 2*400, c a se-
gunda de 15100 a 25200.
Coimos.Ha em ser 8,000.
Colamos os grandes e pequeos aos extremos
de 220 a 240 res.
Despacharam-se 1,600 salgados para o Canal no
brigue sueco Scandia,
dse-! galera franceza Victori
lera portugueza Joaquina.
lumes.
A cabotagem foi feita por 5 embareacoes de ve-
la, com 508 toneladas e 43 pessoas de tripolacao,
e 2 vapores.
Sahiram na semana, e tiraram despacho 7
embareacoes de vela de longo curso cstran-
geiras, com 2913 toneladas e 79 pessoas de tri-
poluco.
Eram hollandeza I, iOglczas 3, portugueza 1,
prussa 1, sueca 1.
Sahiram com a mesma carga com qne entraram
2, c com gneros do paiz 5. Estas seguiram, ou
tem de seguir para Falmouth 3, para Grocnok 1,
para Lisboa 1.
A principal carga qne condnzem, consta do se-
KIO DE JANEIRO.
8 de julho de 1863.
I. Fitzgerald, BenjamnJ)'israeli, e a todos os ou-
tros cavalheiros que se bao pronunciado a favor
do imperio; porm teme ser tao descortez omittin-
; do algum, cujo nomc nao tenha ebegado ao seu co-
nliecimento; e por sso a vos Sr. Bramley Moore,
! pede que, recebendo em nomo de todos os seus pro-
i testos de veneracao e reconhecimento, ainda urna
| vez mostris a vssa benignidade fazendo com que
.-ujuelles senhores cheguc a noticia dos sentimentos
Coiinnunicam-nos :
Sua Magestade o Imperador dignon-se marcar
o da 12, domingo, para urna visita parte da **
seccao da estrada de ferro, que est prestes a en- neiro.
egar-se ao transito.
O trem imperial parfir s 6 % horas da ma- _
nhaa da estaco de S. Chnstovao. E a directora presidente.Dr. Jos Marfanno da Silva.Dr. Jo-
resolvou considerar inaugurada a linha com essa' s Marianno da Costa Velho. Dr. Francisco de
honrosa visita, e abrir a circulacao dos viajantes no \ Menezes Dias da Cruz.Dr. Jos Joa<|uim Montei
' que iior elles nutre a inuncipalidade do Rio de Ja-
J.
Paco da cmara munici|)al do Rio de Janeiro.
8 de julho de 1863.Jos Joo da Cimba Telles,
presidente.Dr. Jos Marfanno da Silva. '
s Marianno da Costa Velho. Dr, Frai
da 13.
A falta do telegrapho da bifurcacao para cima
e outras circumstancias tornan impssivel a expe-
(licao de variot trens no mesmo dia* c emissao de
convites para urna festa de inaugurado : pelo que,
teniendo fazer exclusoes offensivas, bmiton-se a di-
rectora, quanto ao primeiro dia, a pedir ao Impera-
dor a graea de, antes que o publico, percorrer a li-
nha com a imperial familia.
Condescendcndo, porm, com o desejo de gran-
de unmero de accionistas, resolveu mais a directo-
ra offerecer a cada um dellcs nos dias seguintes
nina passagem gratis de ida e vinda nos trens ordi-
narios, clasificados os ditos Srs. accionistas, para
(ue a medida Reja cxeqnivel do seguinte modo :
a Dia 13. os accionistas de 100 ou mais jdes.
Dia 14, os de 50 at 99 inclusive.
Dia 15, os de 21 at 49

Dia 16, os de 11 al 20
Dia 17, os de 10.
Dia 18, os de 1 at 9 d
Cada nm dos Srs. accionistas deve dirigir-se
ro dos Santos.Jos Lopes l'ereira Bahia.Dr.
Adolpho Bezei ra de Menezes.Jeronymo Jos de
esquitarDr. Roberto Jorge Haddock" Lobo.
L-se no Minas-Geraes de Ouro-Preto de 3 do
corrente.
No da 26 do corrente parti para a villa do
Rio-Preto o Sr. Dr. Antonio de Souza Martins,
chefe de polica da provincia, para dirigir a or-
ganisaco do processo contra os assassinos de
Manoel Pereira da Silva Jnior,
Temos datas de Minas at 3 do corrente.
No dia 26 do passado seguir para a villa do
Rio-Prelo o Dr. chefe de polica, alini de dirigir a
organisacao do processo contra- os assassinos do
infeliz Manoel l'ereira da Silva Jnior.
Foi nomeado director geral dos Indios daquella
provincia o teneute-coronel Manoel Jos de Lemos,
qne j exercia interinamente esse cargo.
Tinlia rcapparecido em liberaba o flagello das
Bidente aolorisou a cmara a des-
] bexigas. O pre
ao secretario da companhia na estacao central, na ^ jiender com soccorros aos indigentes at a qnantia
vspera do dia que Ihe tocar, entre as 5 e 6 horas de 1:000*000,
da tarde, para inscrever-se em urna lista de presen-
Foram approvados os contratos celebrados: pela
medida neces-1 cmara municipal de Pouso-Alegre para a cons-
trueco de urna ]H>nte sobre o rio Mogy, na estrada
que do uro-Fino se dirige provincia de S. Pau-
lo ; pela cmara mubieipal da cidade de Marianna
para os cotcenos de que necessita a estrada entre
a mesma cidade e o arraial de S. Sebastiao ; pela
cmara municipal do Srre, para a construccao de
da corte s fi horas e 30 minutos da urna ponte sobre o rio Goanhas, na fazenda de Jos
da estaco do Rodeo s 3 horas e 53 Candido do Castro Lessa.
O engenhero Gerber entregara a presidencia a
carta geographiea da provincia por elle organisa-
da, em virtude de contrato, c lithographada na Eu-
ropa.
L-se no Minas-Geraes:
Sobre o ramal da estrada, que da Boa-Vista se
dirige ao Campello Rio-Novo dirigi S. Exc. o Sr.
conselheiro nresidente da provincia ao director da
ra, c receber bilhete de passagens,
sarta mtatfstfca dacircalaco.
- Nao se admittem procuracoes. Cumpre notar
que a partir do dia 13 inclusive as horas da parti-
da sfiflo as que constam da tabella publicada pela
inspectora.
Os trens em que torito lugar as passagens gra-
tis partirao
iiianha, e
minutos da tarde.
Escrevem-nos de Londres, que o Sr. Christie
se apresentra alli ltimamente candidato ao Tra-
ndlers Club, um dos melhores clubs da sociedade
daquella Orte, e fura rejeitado.
800 ditos para o Havre na guinte : assucar branco o mascavado 1452 cai-
etori e 90 para Lisboa na ga- xas, 15 fechos, 135 barricas e 1454 saceos, caf
30 saccas, cooros 120, piassaba 1250 molhos, cha-
Fretes.Effcctuaram-se sete fretamentos a sa- rulos 10 milheiros.
her : I A cabotagem foi feita por 9 embareacoes de
Para o Canal : 1 escuna mcklcmburgueza a 40 vela, com 539 toneladas e 59 pessoas de tripolacao,
sh., 1 brigue dinamarquez, carrejando no Rio c 1 vapor.
mercadorias.
ra de Pars, tratando da qostao aagto-brasesra >i
Pelo ministerio da guerra foram expedidas as publicando a correspondencia trocada em Londres
convenientes ordens, afim de vir servir na guarn- j entre o representante do Brasil e o Forrigne-OQ",
cao desta provincia o 2." cirurgio do corpo de sa- c qae precedeu o rompimento das relaces ntre >
de do exercito, Dr. Cicero Alvares dos Santos que! govemo imperial e o da Gra-Breanui, taz a.- se-
Grande a 5o sh., e 1 dito sueco para carregar
couros salgados a 30 sh.
Para Marselha : 1 brigue inglez, carregando no
Rio Grande a 55 sh.
Para Xew-York : 1 barca brmense, carregan-
do em Pernambuco por 675, e 1 brigue hanove-
riano, carregando no Rio Grande por 550.
Para o Canal ou Mediterrneo : 1 brigue dina-
marquez a 32 sh. e 6 d., e sendo para NewTork
35 sh.
Colamos :
Antuepia. . . nominaes.
Canal..... . 30a35sh.
Estados-Unidos . . noimuaes.
Hamburgo . i
Havre )band. fr.). . 50 frs..
Liverpool . noimnaes.
Londres. . i
Mediterrneo. . . 22 sh" e 6 d. a 40 sh.
L-se no Diario Offirial de honlem
es oficiado ao Iri-; companhia l.nio e Industria o seguinte oficio :
ido sobre a intelli-! a Attendendo ftwesentacao que V. S. dirig
ra preco-exara-; a esta presidencia em data de 20 de nlaio ultinir
806 de 2'6 de julho | pedindo auxilio de 500:0005000 para a conclusa
Ihe foi remettido por copia o parecer do' do ramal da estrada qae Iheiro fiscal e ajiprovado pelo mesmo tri-' Camello c Rio-Novo, expeco nesta data ordem a
Tendo a junta de rorivetore
\>imal do commercio, consultando sobre a intelli- a "Attendendo representa^ao que V. S. dirigi
geneia que se deve dar palavra precoexara-! a esta presidencia em data de 20 de nlaio ultimo,
da no art. 41 5 6 do decreto n. 806 de 6 de julho | pedindo auxilio de 500:0005000 para a conclusao
de m\
Sr. conselheiro _
bririal, em sessao de 2 do corrente. o qual do mesa das rendas para nue Ihe mande entregar a
tlicor seguinte : quantia de 25:0005, metade do auxilio- pedido, visto
Einittindo a iiinha opinio sobre os pontos cm' que as circumstancias linanceiras da provincia nao
qne a junta dos correctores desta (iraca consulta o iiermittem a entrega de todo elle; licando entre-
tribunal, sou de parecer qmpreco-entende-se o tanto V. S. na certeza de que o restante Ihe ser
valor, a souiina ou dinheiro. que s partes contra-1 iiiipreteriveltnenle pago, iudependente mesmo de
tantes, jior exemplo, na compra e venda, convie- requisicao, quando essas circumstancias melho-
rain darereceber peloobjerto do contrato; estalraretn.
i' a accepeo em que gei alente se toma a pala- ] Testommdia ocular da maneira provcitosa por
Cambio.Sommaui os saques fechados at esta
data pelo paquete inglez Magdalena :
Sobre Londres : 320,000 a 26 7/8 c 27 d.
Alm desta somma, tomou o govemo imperial
50,000 a 26 7/8 d.
Sobre Franca e Antuerpia 1,000,000 francos aos
extremos de 353 a 356 rs.
Sobre Hamburgo 150,000 m. b. a 665 rs.
Sobre Lisboa c o Porto regulou a tabella se-
guinte :
105 a 106 0/0. vista.
104 a 104 0/0. a 30 dias.
103 a 101 0/0. ... a 60
102 a 103 0/0, ... a 90
Apolices.Negocaram-se as geraes de 6 0/ a 91,
90, 88 e 88 0/0 ex. div.
Descontos.Conservam-se nos bancos a 90 0/0.
Na praca tem regulado de 8 1/2 a 10 1/2 0/0.
Metaes."Venderam-se lotes regulares de oncas
da patria a 295200 e 295-
Accoes.Elfi-ctuarani-se varias transaccyfrdas
do Banco do Brasil a 455 e 505, e do Bancal
e Hypothecario a 385 e 405 de premio.
Cambio.Saccaram-se boje 30,000 sobre Lon-
dres a 26 3/4, 26 7/8 e 27 d., 200,000 francos so-
bre Franca de 354 a 356 rs., e urna pequea quan-
tia sobre Hamburgo a 666 rs.
Sommam iwrtanto os saques fechados pelo pa-
quete inglez Magdalena : ,....-,
_Sobre Londres, 350,000 a 26 3/4, 26 //8
Nao incluimos nesta somma 50.000 tomadas
pelo govemo a 26 7/8 d.
Sobre Franca e Antuerpia 1,200,000 Trancos aos
extremos do 353 a 356 rs.
Sobre Hamlmgo 160,000 m. b a 665 e 666 rs.
Sobre Lisboa e o Porto regulou a tabella se-

Regularam assim os precos dos gneros :
Alpista. As ultimas veudas foram a 4*600
guinte :
a vista.
a 30 das,
a 60
a90
vra preco- e d preco realisado (ue se pagam que tem sido empregados os diversos auxilios, que
ostos nos casos em qne el- pela provincia tem sido prestados para esta estra-
da, nao posso com tudo deixar de lembrar V. S.
fazenda publica os mpo
les -ao demos.
i Sendo incontestavel que as marcas
dade das mercadorias deven) influir
e a qnali-
para o seu
a conveniencia de renietter a esta presidencia urna
descripeo das obras nella executadas o das que
105 a 106 0/0.
104 a 105 0/0.
103 | 104 0/0.
102 o 103 0/0.
Descont.Conservam-se nos bancos a 90 0/0.
Na praca tem regulado de 8 1/2 a 10 1/2 0/0.
Metaes.Exportarain-so desde o 1." do corrente
at esta data (8) os valores seguintes :
Moeda. P. Barra, Moeda
Lisboa.. 13:930*980 w
Soasan. 57:046*900 59*400 7005000
Total..... W^-lOfJSolTloTfiSgOO S9*I00 700*000
Acces.Negocaram-se a 67 do Banco do Bra-
sil a l(i-3 de premio.
Estao aiinunciadcs os dividendos segnintes :
Hypothecario
Azeite doc*. Vende-sc a 55000 e 55200 a ca-
ada
Bacalho. Entraram duas cargas com 5060
barricas : ignoramos o preco porque se vendern:
nao havia no mercado.
Charque Existem do Rio Grande 79,000 arro-
bas, e do Rio da Prata 26,000 : vende-se a nossos
precos.
Ceblas.As entradas pelo vapor, 55 caixas, di-
zem-nos que se venderam a 135500 rs.
Farinha de trigo. Nao houveram entradas: as
existencias dizem-nos ser de 17,000 barricas.
Mmteiga. A ingteza vendeu-se a 780 e 750 rs.,
c a franceza a 560 e 540 rs. a libra.
Peixe. O da Stiecia vendeu-se a 40*000 rs. o
barril.
Queijos. Venderam-se de 2*100 a 2*300 rs.
Sabao. Vende-se a 85 rs. a libra
Sal. Ha pouco, a ultima venda foi a 700 rs. o
alqueire.
Velas. De nenhmna das qualidades nos consta
de vendas,
Vinagre. Contina a retalhar-se de 120*000 a
1255000 rs. a pipa
Vinho. Entraram de Barcelona 188 pipas. 1
meias, 150 barris de 5. e 120 barris de I0.: di-
zem-nos que foi vendida pelo mesmo preco da car-
ga anteriormente entrada, isto a 216*000 rs.
a pipa, com 10 % de abatimento, 2 % para at-
testos, e 3 mezes de praso: fivemos pois entradas,
desde o principio do mez passado. 690 pipas de
vinho hespanhol. O de Lisboa contina parado,
e o da Figueira sem compradores.
Assucar. As vendas effectuadas na semana fo-
ram de branco, de 1*900 a 2*100; e do mascava-
do 15700 e 15750 rs. a arroba
Agurdente. Nao nos consta de vendas.
lgodao Baixou de preco,c vendeu-se a 185500
a arroba
Cacao. Nenhuma venda
Caf. Vendeu-se urna pequea porcao do infe-
rior, de 5*200 a 5*600 rs. a arroba.
Couros. Venderam-se dos salgados a 147 rs.
a libra, dos seceos nao ha compradores para 180rs.
a libra
Fumo. Houveram duas vendas do de folha,
urna do de S. Flix para Portugal, e outra do de
Nazareth, mas nao transpirou o preco.
Jacaranda. Vendas a nossos precos.
Mel. Poucas vendas a 605000 rs. a pipa.
Piassaba. Contina a vender-se a 800 rs. a ar-
roba.
Os cambios regularam: sobre Londres de
26 /$ a 27; sobre Pars a 355 ; sobre Hamburgo
655; o sobre Lisboa 97 a 102 /o-
- Os frotes fetos foram : para Bremen e Ham-
burgo a 40 c 43 sch. por Ion.; para Gothemburgo
a 43 sch. idem; para o ("mal e porto inglez 33
e 40 sch. idem; para o Continente 40 e 45 sch.
idem; para Liverpool 42 '/ sch. idem; e para
New-York 50 sch. e 5 % idem.
lios deque por
junta era sen oficio.-Rio de Janeiro, Io de julho
do 1869.Coulo.- Secretaria do tribunal do com-
mercio da capital do imperio, em 6 de julho de
1863.
- Est con forme. Joao Afl'nntn I.lma Nogueira,
oill.ial-maior.
-9 -
O canitao-tenente Carlos Augusto Victoria foi
Horneado segundo coinnianilanle do eorpO de iinpc-
riaes marinheiros, em lugar do capitao de fragata
Jos Antonio de Si,,,., ira, ,,ue vai servir de ajo-
danto da inspeccao.do arsenal de inarmha da cor- cja c nterorm
panliia de Navegaco do Alto Paraguay 55400,
, | companhia do Espirito-Santo 55, e companhia de
--------- I seguros Fidclidade 65733, Feliz Lembranca 3* e
DIARIO DE PERNAMBUCOhasMffift*- <
----------------------------------------------------------------' mercado conservarse inactivo, em razao principal-
Temos vista jornaes do Rio, e Baha, Irazidos: >"cntc da pouca margem que o pequeo dqiosito
pelo vapor ingle/. Magdalena, com datas do prime- existente olferece aos exportadores para a esco-
ro al 9 e da segunda at 12 do corrente. ll)a e lotes. ,_____,
Quanto s noticias da corte e provincias do sol I Durante o anno de colheta do 1. de jumo ue
cncontrarao os letores sobre a rubrica Parte (//'"- 1862 a 30 de junho iludo, exporlaram-se 1,4!,<
le. substitoindo ao eapito-tenente Marcos Jos
Evangelista, o qual passa a exercer interinamente
o emprego de professor de apparelbo da escola de
mai inha.
Foi nomeado Gabriel Ferreira Penna, para o lu-
gar de ajiulante da agencia do correio do Cachoei-
ra, na^irovinca do Espirito Santo.
Por decreto do primeiro do corrente, leve merc
lo foro de lldalgo cavalleiro da casa imperial
inareclial de campo Jos Leite Pacheco.
Baha.Nada occorreu,que morena meneo.
NOTICIAS COMMERCIAKS K MARTIMAS.
llio de Janeiro, 7 de julho.
Boletim de 24 a 7.
Durante o periodo cima conservou-se pouco
animado o nosso mercado de importaco, demons-
trando as vendas abaixo mencionadas a pemena
escala em que ainda supprem-se os compradores,
! procuraiidoipenas satisfazer s mais urgentes ne- ignnon db
o ressidades do consumo. delh no in
No mercado de ex|iortacao tambem houve pou- |5 mj 8
co movimento. Em consequencia do peimeno de-
: saccas, contra 1,606,801 saceos em 1861 a 1862,
2,001,843 ditas em 1860 a 1861.
Deduzindo destas 1,418,862 saccas, lgansmo
que em razao de circumstancias anormaes deseen
inuito quem dos clculos mais seguros 250,000
saccas ainda pertencentes colheita anterior e
60,000 ditas da nova colheita qae vieram de ser-
ra abaixo antes do dia 30 de junho (indo, e
additando 28,00 saccas ein deposito, 5,000 ditas
vendidas no mez findo mas nao embarcadas, c mais
ditas quanto se julga poder ainda existir
interior, reduz-se a colheita finda a .
saccas.
Fundam-se melhores esperanzas na colheita em
que entramos. Do norte da provincia do Bio de
Janeiro c da maior parte dos districtos producto-
res de Cantagallo, Vassouras, Valonea, Mar de
Hespanha, S. Fidelis, Pirahy e de alguns da pro-
vincia de Minas ha boas noticias do estado dos ca-
fezaes; nos districtos do norte da provincia de S.
Paulo, porm, aprsente a colheita desfavoravel
Por decretos de 2, 3, 4 e 8 do corrente foi deca- psito de caf tcm-se mantido em reserva os exjiorla-
ladsj avulso o juiz de direito da comarca de Mogy- \ dores, licando menos firmes os precos do producto
inenm, na provincia de S. Paulo. Joaquin Bernar- ante a sensivel diminuieo da procura As noti-
do da Cunha ; cias desfavoraveis que trouxc o paquete inglez
Foi reconduzido o liacharel Hermogenes Socra- \ Magdalena dos mercados consumidores concorrem
tes Tavares de YasconcclJos no lugar de juiz mu-! tambem actualmente para essa apalhia, cuja in-
nicipal da primera vara do termo da capital da fluencia perniciosa os possuidores procuram re-
provincia de Pernambuco. sistir, firmado no diminuto algarismo das entradas
Koran removidos pedido sen: I do interior. As cotacoes que publicarnos, guian-1 ""'g^'re esses dados, c se nao oceorrerem inciden-
0 juiz municipal e de orphaos bacharel Braulino 'do-nos pelas ultimas vendas, sao anda idnticas as tc. mprevstos calcula-se que a colheita actual
1 que vigoravan a saluda do paf|uete inglez Bearn. dar d i 600,000 a 1,700,000 saccas.
No da .W do passado abno-sc o cambio sobre i Saho pernambuco, a 8, o brigue na-
Londres a 26 Vi d., e a essa laxa c a 27 d. tem-se | cjn.l, Prnf),z
effectuado o[ieraeoes regulares, fechando hoje o 1,^.^ I carga, para Pernambuco, alm dos
cambio mais firme a estes extremos. ue mencj0namos hontem, mais a barca bre-
Sacou-se sobre Franca e Antuerpia ao.N extre- fWlfV
mos de 353 a 356 ris, sobre Hamburgo a 6(io ris, Imtnse wsm"
e sobre Lisboa e o Porto a 102 c 103 % a 90 dias..
Nao houve mudanca na taxa do descont. Boletim de 4 a 11.
Estao annunciados os dividendos seguintes:! Houveram bastantes vendas dosnossos gneros de.
banco do Brasil 10*, Banco Bural e Hvpothecario exporta^o, ainda que de pequea importancia.
12* por accao, sociedade naneara Maua, Mu--Gre-1 Vendeu-se assucar, algedao, este com baixa no
gor C. 45* por cada 1:000*, companhias de se- pre$o, algum caf, couros salgados, fumo de folha,
gifros Fidclidade 6*733, Feliz Lembranca 3*L e e algum Jacaranda c piassaba
PERNAMBUCO
REVISTA DIARIA.
Foi reconduzido, e devia s-lo pelo modo hon-
roso por que exerceu o seu cargo durante o q
triennio passado, o Dr. juiz municipal da 1.* Vi
qua
ara
Tavares de
i andido do Reg .Mendcs, do termo di' Alcntara
liara o do Rosario, ambos na provincia do Mara-
nhao.
O juiz municipal Angelo da Matta Andrade, do
tenso de Arax para o de Ponte Nova, na provin-
cia de Minas-Geraes.
Foram nomeados:
O desembargador Joo Pereira da Graea, para o
lugar de adjunto do tribunal do commercio de Ma-
lanliao.
O bacharel Antonio Gonealves Gomide, juiz de
direito da comarca de Mogy-Mirim, na provincia
le S. Paulo.
O bacharel Joao Gonzaga Bacellar, jniz munici-
Bahia, 11 de julho.
. jniz
pal e de orphaos do termo de Ipojuca, na provincia
de IVrnanmaco.
iTiardo de Azevedo Silva, eoronel-com-
mandante superior da guarda nacional dos muni-
cipios da Campanha c najaba, na provincia de Mi-
nas-Geraes, /
Manoel Stverino de0!iveira, tenente-coronel
commandante dobatalhabda reserva n. 7 da guar-
da nacional da mesma provincia.
desta cidade Hermogenes Scrates
Vasconcellos.
acto digno de applauso.
Depois de amanhaa se extrahir a 5. parte
da 3.' lotera doGymnasio Pernambucano <3. con-
cessao).
Foi nomeado juiz municipal do termo de Ipo-
juca o Sr. Dr. Joao Gonzaga Bacellar.
O Sr. commandante superior da guarda na-
cional do Rio-Formoso, coronel Paulo de Amorim
Salgado, foi transferido no mesmo cargo paraos
municipios de Agua-Preta e Barreiros.
Foi demittido o Sr. capitao Joo Themoteo de
Andrade do cargo de subdelegado de Panellas, sen-
do substituido pelo Sr. Antonio Jos Gonealves Pe-
res Ferreira
Para I. supplenlc do districto de S. Cactano
da Rapoza foi nomeado o Sr. Jos Clemente dos
Santos. .
Em sua sessao de hontem, entrou emjnlga-
mento no jury desta cidade o reo Cypriano de Sou-
za e Mello, pronunciado as penas do art. 201 do
cod. pon.
O processo correu perante a subdelegada da Boa-
vista; em consequencia de offensas physicas qelo
reo praticadas na pessoa de Arsenio Antonio Lar-
neiro da Cunha Miranda, padrasto da mulher do
mesmo reo.
Sendo apregoado o autor, e nao estando presen-
te, o advogado do reo, Dr. Jos Boberto da Cunha
Sales, requereu que fosse o mesmo lancado; ao
que deferio o Sr. Dr. juiz de direito mandando dar
vista ao Sr. Dr. promotor publico, aflm de que su-
bissem os autos ao depois sua conclusao para de-
cidir afinal.
Em seguida submettido a julgamento o reo
Joo, escravo do Sr. Domingos Antunes Villana,
pronunciado as penas do art. 201 do cod. crim.
por haver feito ferimentos leves no pardo Jos Ma-
ra, escravo do Rvd. Fr. Felippe de S. Luiz Paiva
O processo foi instaurado pela subdelegada des-
ta freguezia de Santo Antonio, e ao reo dado por
curador o Sr. Dr. Angelo Henriqnes da Silva, na
forma da lei.
O ministerio publico" movendo a accusaeo, sus-
tenta o libello apresentado, e conclue pedindo a
imposicao das penas do art. 201, combinado com o
art. 60 do referido cod. grao mximo, por ter o cri-
me sido aggravado pela circumstancia 6 do art. 16.
A defeza porm admittindo a existencia do facto,
oppoe-se a conclusao do libello allegando a cir-
cumstancia attenuante da embriaguez, estado em
nova permanente 10* : Estrada de ferro de D. Pe-1 As entradas do estrangeiro foram de 2 cargas que se ahava o reo, segundo resulta do depoimen-
dro 11 4*550, e companliia Espirito Santo 5* por de bacalhi, 1 com fazendas, ferragens etc., e 1 to das testemunbas.
aeco. com vinho de Barcelona. Terminados os debates, entra o consetho para a
O mercado de fretes tem estado quasi inactivo,! A nica vanda de importancia que leve lujar sala das conferencias, d'onde voltando logo depois;
abundando no porto os navios, mas nao sendo pro- foi a de vinho de Barcelona, e talvez hoje se efrec- e hda a sua decisao, o reo na conrormidade da
curados em razao da estagnaco do caf e dos ni- Me a das duas cargas de bacalho, em consequen-. mesma condemnado no grao mximo do art 201,
timos disturbios do Rio da Prata. cia da falta que do genero havia no mercado. cuja pena na conformidade do art. 00 do cod.
Assucah.Entraram : Cambios.No principio da semana llzeram-se (commutada em 100 acoutes.
De Pernambuco, o brigue escuna (Htoira, com' saques sobre Londres, a 27 por mil ris; mas Sob proposta do commandante do batalhao
se acha no Piaujiy.
Foi mandado pagar a Tlieotonio Jesuino de
Oliveira Roselis, pelo ministerio da fazenda, a quan-
tia de 133*098, que ilw coube em partilhasno in-
ventario do conego chantre da S de Olinda, Dr.
Francisco Antonio de Oliveira Rosellis, provenien-
te de congrua a este devida.
Pelo ministerio da agricultura, commercio
e obras publicas foi mandado consultar a seccao
dos negocios do imperio, sob o relatorio do Exm.
conselheiro do estado Souza e Mello, acerca do re-
querimento do Exm. visconde de Camaragibe e ou-
tros, em que solicitam a concesso para encorpo-
racao de urna companhia entro nacionaes e estran-
geiros para a construccao de urna estrada de ferro,
que partindo desta capital,se estenda para o nor-
te at a villa do Limoeiro, passando por Caxanga,
S. Loureneo e Pao do Alho, com um ramal que se
dirija a cidade da Victoria, corno privilegio de 90
annos e sob as condicoes da lei n. 641 de 26 de
junho de 1852.
No Correio Paulistano acha-sc o seguinte :
Houve no Pinna!, freguezia a 6 leguas de dis-
tancia desta (Mogy-mirim) um caso horrendo. Em
resumo foi assim:
Em urna tarde chegou da roca um preto, es-
cravo de estimaco, e indo ter com a senhora, dis-
se-lhe:
Sinh, hoje seu negro vai dormir no in-
ferno. ..
Que isto ? perguntou ella assusiada pelo
que ouvia
E o negro, sem mais responder-lhe, com os
olhos chamejantes, as feicoes alteradas, alcou a
foice que trazia, e desfechou-lhe sem piedade um
golpe fatal, que a deixou morta
Um fllho, ouvindo aqnillo, veio cm soccorro da
mi, e foi tambem victima de outro golpe.
Duas crianzas, crcio que entre ellas urna me-
nina, querendo abrandar a preto com suas lagri-
mas, solTreram tambem golpes, porm nao rnor-
reram.
< E o preto, desesperado, como se procurasse
tornar realidadeo dito, que Ihe escapara dos labios,
foi a urna arvore, e com urna corda enforcou-se I
Notou-sc anda, que fazendo-o a pouca altura
do chao, encolheu os joelhos para que nao arrastas-
sem os nes. Tal era o seu desejo de morrer 1
Ninguem soubc o que daria lugar quillo. Fi-
cou-se em que de certo foi um accesso de loucura ;
pois que o desventurado escravo nao tinha motivos
para desesperar do seu captiveiro.
Do Diario da Bala extrahimos o seguinte :
t Sao tao raros ja os exemplos de longevidade
superior a 100 annos, que a imprensa eostuma re-
gistrados como phenomenos curiosos em um seculo
em que o termo medio da vida humana parece ten-
der antes a diminuir do que a augmentar, c em que
a arte de prolongar a existencia neste mundo, pa-
rece correr parelhas com o aperfeicoamento dos
ineios de a destruir. .
Ha pouco mais de um anno que demos noticia
do fallecimento de urna serva do convento do Des-
terro, ue contava 122 annos de idade, e que I
viven 115.
t No dia 17 do corrente falleceu nesta cidade o
Sr. Alberto dos Santos, nascido na freguezia de
Nossa Senhora da Lapa, em Lislioa, no anno de
1743, contando por consequeucia 120 annos de
idade !
t O Sr. Alberto viajou muito pela India, frica e
por qnasi toda as provincias martimas do Brasil,
onde a final se casou e teve dozc filhos, dos quaes
ainda vivem alguns, tcntio a l'rlha mais velha mais
de 70 annos.
t Era urna das rarissimas testemunbas que res-
tavam do medonho tcrremoo de Lisboa em 1755,
do qual contava muiros episodios^ interessantes.
Narrava a historia da conjuracao dos Tavoras
e do seu supplicio, bem como da execu^ao do cele-
bre jesuta Malagrida,'e multas ancdotas curiosas
do marquez de Pombal, de el-rei D. Jos, de D.
Mara I, como factos passados sna vista e de que
conservava a mais viva reminiscencia.
Quando chegou a primera vez Babia ainda
o mar banhava os ps dos pretos que enchiam os
barris na fonte denominadados Padres,e os lu-
gares hoje conhecidos com os nomes de ra da Val-
la, Sade, Nazareth at a Barroquinha eram r-
benos por urna floresta de madeiras de construc-
cao.
Gostava muito de contar aventuras das suas
viagens e os factos historeos de que foi testeitm-
nha; mas, como aconteceu no caso que referirnos
da centenaria do Desterro, de certa poca em dian-
tc a sua memoria cessou de conservar a reminis-
cencia dos factos; da viuda da familia real iiortu-
gueza para o Brasil e do governo de D. Joao VI pa-
ra c. nenhum dos movimentos polticos deste paiz
Ihe fi'caram na memoria, a ponto de julgar at *a
ultima que aquelle monarcha ainda eslava na corte
do Rio de Janeiro.
Nos ltimos temnos de sua vida era tal a defi-
ciencia desta faculdade pie urna hora depois de
jantar ninguem o poda convencer de que elle tives-
se comido naquelle dia, e instava para que Ihe
trouxessem o seu jautar 1
Teva urna ulcera em una perna por alguns
50 annos e morreu com ella.
t Ha alguns meses deu una grande queda que
o prostrou na cama, d'onde nunca mais se pode
levantar.
Entretinha-se ainda ha poneos annos em coser
com agulha e em carapinar. Fumava muito e una
hora antes de morrer ainda pedia o seu cachimlio I
Tinha urna vez forte e estridente com que ator-
doava toda casa quando chamava por alguem ou
quando eantava as cantigas do seu lempo.
t Poucas semanas antes de morrer cahiram-lhe
em gangrena alguns dedos dos ps, para onde o co-
racaoj gasto e exhausto de torcas nao poda man-
dar o sangue vivificante. Nao se pode dizer que
morreu de grangrena, e sim por uso e gasto dos
orgaos principacs, cujas funecoes se foram enfra-
quecendo e extinguindo lentamente.
Trabalhon em quanto Ihe duraram as torcas
do corpo e foi sempre sobrio.
t hoje quasi um milagre tao loriga vida, mas
certo que tres consas pelo menos sao precisas para
l chegar: boa organisacao, trabalho continuo e
temperanca constante.
Foram demttidos :
De segundo supplento do delegado de Limoeiro
Joo Ixipes Delgado Leal; e de subdelegado da Ma-
Ihadinha, Jos Rufino de Mendonca; sendo nomea-
dos:'
Supplentes do delegado do Limoeiro: 2." Fran-
cisco de Paula Pereira de Moraes; 3o Cosme Tei-
xeira de Carvallio.
Dos do subdelegado de Limoeiro: 1." Manoel dos
Anjos da Silva; 2o Victorino Arquim do Reg Fa-
rias ; 3. Manoel Guedes de Araujo Pereira
Subdelegado de Malhadinha, Luiz Barbosa da
Silva Cumar.
Havendo dado hontem, em nossa oitava pa-
gina, um artigo sobre o drama As mulheres de Mar-
more, chamamos para elle a attencao dos leitore
que se nao satisfizerem com o seguinte que nos en-
va um nosso assgnante, amante do theatro:
As Mulheies de Marmore, das composicoes
modernas urna das que mais aceitacao tem Udo em
qualquer parte que tem sido representada.
. J nao fallando em Paris, onde subi a scena
consecutivamente por espato de um anno e sempre
com os mesmos applausos e enthusiasmo da prime-
ra vez entre nos tem sido representada em diver-
gentes reflexes:
c Aguardando a decisao arbitral do re dos Bel-
ga.-, dous pontos ficam ainda pira resobrar: o go-
verno brasileiro tem iucontestavel razio i$ rana-
mar urna reparadlo pela brutaldade dan formas de
represalias contra elle exercidas ; outro sim per-
fritamente equitativo ipie os cinco navios brasilei-
ro- capturados indebitamente pelo cruzeiro ingles
as aguas territoriacs do Brasil recebam urna in-
demmsacao pelos prejnizos sofrridos. Basta com-
parar o procedimento actual da Inglaterra nesta
questao com o que teve ha lempos na de D. Panu-
co, na Grecia, por oecasiao da uual esta potencia
j mina va surdamente o throno do re Othon, pora
ver quanto as qucixas que ella enlao formnlava
contra o governo hellemco eram menos graves e
fundadas do nssj as que hoje formula o governo
bi asildro, e para ficar-se convencido da justira de
suas reclainacoes.
< Foi para decidir os dous pontos cima adata-
dos qne o ministro do Brasil em Londres, o Sr. Car-
valho Moreira, dirigi a 5 de maio ultimo, ao ronde
Bussell, o despacho que abaixo se lera. Tem elle
por objecto pedir ao governo britannico que ni
declare que nao tivera a ntenciio de ouvnder a
dignidade ncm de violar a sobernia territorial do
imperio brasileiro, consenndo ao mesmo lempo a
Inglaterra cm attender a reclamacio n-solbole da
captura Ilegal dos cinco navios mediante 1 quida-
go arbitral.
Na sua resposta de 18 de maio, o conde Ras-
sel, sobre pretexto de nao reabrir a discas*k> so-
bre factos consumados, declina toda e qualquer in-
deinnisacao em favor dos interessados no prWe-
namento das embareacoes. Todava, nao Bodende
negar que as represalia de qne se quena o go-
verno brasileiro tiveram lugar contrariamos* a
direito das gentes e s conveniencias diptoaiMiras,
suggere ao miuistro do Brasil em Londres a idea
de elle mesmo assegurar ao sen govemo qn* o ga-
binete inglez, na medida empregada para toer sa-
tisfaga dos factos resultantes do naufragio da feor-
ca Pnnce of Wales nao tivera nenhum sensjonana
hostil contra o imperador do Brasil, nem designan
nenhum de urna aggresso qualquer contra o terri-
torio de S. M. Imperial.
Com esta tergiversaco o gabinete infttez espe-
rava oceupar a necessidade de exprimir por m i
mo o seu pesar e de desapprovar o pnicedii
brutal do seu representante.
As instrueces precisas qne o ministro do Bra-
sil em Londres havia recebido do seu governo nao
Ihe permiltiaui aceitar um tal sulHerugio, em unu
(jueslo na qual toda a rcsponsabidade resalta tao
claramente do procedimento da Inglaterra : profa-
no, (K)is, |)edir us seus passaportes, antes do subscrever a urna satisfacao tao iltusoria.
S cabe felicitar o governo brasiteiro por ter
assuinido urna atttude tao digna quo eoergka an-
te o gabinete Russell, que, rnformf dizia na pou-
cos (fias o Morning Herald, nao trata sena de e
niagar os pequeos e os traeos para se
< mais dcil para com os grandes e os fortes. >
Lord Russell por sem duvida nao se;
ra a usar contra os Estados-Cnidos das i .
pie acha tao uatiii aes contra o Brasil. "
ama razao para este persistir na atttude e na re-
soluc.au que acaba de tomar de suspender as sano
retacos olliciaes com a Inglaterra emquanto nao
freu attendidas suas reclanueoes mais qae legi-
timas. >
ItKI'.Ml 1 l(...\o DA polica :
Extracto da parte do dia 15 de julho de 1863.
Foram recolhidos casa de deteneao no dia 14
do corrente :
A ordem do subdelegado de Santo Antonio. Ma-
na Joaquina do Espirito Santo, parda, de 25 anana,
por disturbios.
A ordem do de S. Jos, Catano Mendes Delga-
do, crioulo, de 48 annos. |ior disturbios ; Luis An-
tonio do Nasci ment, pardo, de 43 annos, por criase
de furto.
ordem do do Peres, Jos Hemeterio da Silva,
pardo|de 18 annos, para a vei iguaces em crine de
furto.
< i chefe da t serrao,
J. G. de Menimita.
Passageiros saludos para os portos do norf>:
no vapor nacional Cruzeiro do Sul:
Carlos Eduardo Riedel, Antonio Jos Antnn-
Souza. Luigi Ferro, Luiz Valentim, J Souzi l'choa, Thoniaz Jos Meira, Margarida Frr-
reira Campos. Jacob Azancot, Francisco Jos Go-
mes, Joaquim Gomes da Silva, Amonio Joaqnn Go-
mes, Jos Chrisostomo de Oliveira. Candido Loras
de Souza Hangel, conego Joao Baptisla Pereira de
Mello, Joo Barroso de Carvalho. Francisco Anto-
nio Fernandes, urna lilha. una neta e urna asona-
da, e Silvestre Piiho dos asna.
Passageiro vindo do Rio do Janeiro ;
inglez Magdalena : l.ouz Sisley.
Segnem |wra a Europa :
Isabel Caetana Lopes, Luiz Iassieor, J>a Genes
Loureiro, Joao Luiz Ferreira Hibeiro e sna snaa-
ra, Charles Luiz l'ambronne, Manoel Moreira da
Costa, Manoel Francisco do Nasriroenlo, Francisca
Mara dos Santos Maia e una lilha. Antonio Rodri-
gues Fernandes Vieira e Frederieo Burrhall.
Passageirossahidos para a ilha de Fe
no biale nacional Sergipano :
Manoel Jos de Souza Nunts. Mara
C.onceieo. Mara de Alenla Allioqw>n|ne.*2 Aos
e 6 esc'ravos. Orlos Augusto Carnciru Monleiro.
lowpha Celistin dos Santos e 2 filhos, Henaen-
Sildo Xavier de Andrade e um lilho, Jos Hodrigars
e Mello e Manoel Cordeiro Bibeiro.
Movimento da cava.de (b-tenrao no dia 14 de
kulho de 1863.
Existiam...... 383 presos
Entraram..... 4 >
Sahiram...... 5
Existem...... 382)
A saber :
Nacionaes.....
Estrangeiros...
MuhVres......
EsMagoina...
Escravas......
Escravas......
m
u
ii
i
63
S
"383
sol-
Alimentados a custa dos cofres PON"* ;__*
MoviiiR'iito da enferinaria no dia lo de mino de
1863.
Tiveram baixa:
Joaquim Jos de Santo Anna; sarnas.
hialina Maria dos Prazeres ; intennittente.
Obtuabio do ma 14 de jiiho so
publico: ^ .
Isabel de Oliveira Dinfe, Parabyba, 21
teira, Boa-Visto; phthysica
Miguel, escravo, frica, 40 annos, Boa-Vista; ane-
Maria, escrava, frica, 80 annos, soBeira, 5. Jos ;
amolecimento cerebral. ^^
Joao, escravo, frica, I annos, solteiro, Boa-Tato ;
erisipela ^^
Elena, escrava, 40 annos, solteira, Boa-Vato; kf-
dropecardite. ^^
Percila, Pernambuco, 6 dias. Boa-Vi
Alexandrina Carnoso Guhnaraes,
annos, solteira. Recite ; tubrculos
Jos, Pernambnco, maxes, S. Jos :
Bclarmino Jos de Souza, Itamarar, 36
Vista; cholera morbos.


--.
1 MUTILADO



1
3
>



Mari de Pernambneo Quinta fe2T* *> #*lh de 1M3,
__

-"- |
Francisca, Pwuambuo, 6 das, Santo Antonio v I
congestao.
Maria. Pernambueo, 5 annos, Recife ; cholera,
joanna Maria das Neves Teixeira Lopes, Pernam-
boeo, 90 anao*,. viuva, Olinda; liySronesia.
Ricardo Vuhpiano Pessoa, Pernanibuco, 23 anuos,
solteiro, Reerfe; taterie chronica.
EOMMERCIO.
i
TRIBU*AL BA BEtA^I*.
PttBSIDENCIA DO KXM. SB. COSSELHKIHO SILVEIRA.
As 10 horas da manbla, achando-c presen-
tes os Srs. deserabargadores Gaelano Santiago,
Gitirana, Lourenco Santiago, Motta, Peretti, Accto-
li Assis' Doria e Guerra, procurador da cora,
faltando' o Sr. desembargador Ucha Cavalcanti,
abrio-se a eeaaio, .....
Passados os fetos e entregue os distribuidos,
deram-sc os seguintes
JULGAMENTOS.
Recursos crimes.
Recorrente, o juio ; recorrido, Mathias Leopol-
dino de Oliveira.
Relator, o Sr. desembargador Caetano Santiago.
Sorteados os senhores desembargadores Motta,
Peretti e Gitirana.
Improcedente.
Recorrente, o juizo ; recorrido, Sabino Alves de
Souza. .
Relator o Sr. desembargador Dona.
Sorteados os senhores desenibargadores Motta,
Lourenco Santiago e Gitirana.
Improcedente.
Aggravo de instrumento.
Aggravante, o coronel Jos Pedro Velloso da Sil-
reir ; aggravado. o juizo.
Relator o Sr. desembargador Assis.
Sorteados os senhores desembargadores Lourenco
Santiago e,Gitiraua.
Derim proviinento.
Aggravo e peticao.
Aggravante, Rostron Rooker & G.; aggravada,
a fazenda. _, .
Relator o Sr. desembargador Doria.
Sorteados os senhores desembargadores Peretti,
e Gitirana.
Deram proviinento.
Appellacoes crimes.
Appellantes, Pe-eir, Julio &C.; appellado, An-
ionio Domingues Ferreira.
lni|irocedente. ___:
Appellaute, o juizo; apellado, Manoel Pereira
Martina.
A' novo jury.
Appellaute, o juizo; appellado, Jos Barbosa
Tdarques.
\A' novo jury.
Appellante, o juizo ; appellado, Agostinho Soares
Machado.
A'novo jury. ___.
Appellaute. o juizo ; appellado, Antonio Jos
Francisco de Moma.
A' novo jury.
Appellante, o juizo ; appellado,
Bastos da Silva.
Improcedente.
Appellante, Luiz Soares de Albuquerque
pollada, justica.
o.
Francisco

FILIAL
DO
BARCO DO BRASIL
BM PERNAM3UCO.
A directora da Caixa Filial do Banco do Brasil
declara aos senhores accionista que o thesoureiro
da mesma est torisado a pagar o dividendo re-
lativo ao semestre fiado om 31 de maio prximo
Sassado a razao de lOjOOO por aeco. Recite 14
c julho de 1863. ,_ ,
Jos Mamede Alves Ferreu-a,
secretario.
Alfandega
Rendi uen tu do di a 1 a li .
dem do da 15. v ...... .
197:87o
10:0225841
207:321^600
Yioviniento da alfandega.
Voluntes entrada com fazendas
i com gneros
H
Voluntes sabidos
com fazendas
com gneros
64
64
286
-----350
Descarregam no dia 16 de julho. *
Patacho hespanhoRicardovinhos.
Brigue brasileiro-Olinda-mercadorias. ._
Sumaca hespanhola Esmeralda baldeacao de
earne de charque.
Recebedoria de rendas Internas
geraes de Pernamfoaieo.
Rendimcnto do dia 1 a 14. 23:8565731
dem do dia 15......... 1:9075722
25:7645453
Consulado provincial.
-------
Menear Ararlpe, ofcial da
da Hosa e juiz de direito
mmercio desta cldade do Re-
Santa Casa
da JiiV^co*-*! do
Keeffe.
a IIIm. juma administrativa da Santa Casa da
p spii termo carI! da nrovineia de ,81TJc?rdia do Recife nian aZcT publico cfIK n0
ene e seu termo capttai a provincia ue dia lfi do C0ITente pC|a8 4 horas da tardP n;l sala
Pernambueo por sua Magestade Imperial j de mas sesgues contina a praca (las rendas das
e Constitucional o Senhor Dom Pedro H rasas abaixo declaradas por lempo de un a tres
annee.
Os pretendentes devem comparecer acompanba-
dos de seus fiadores ou munidos de cartas destes.
Eslabflcrinieiit.M 4f caridao.
Ra Direita.
N. 4 particular e 33 publico um andar,
publico tres an-
THJEATRO
que pees guarde etc.
Fago saber pelo presente que no dia 20 de
julho depois da audiencia respectiva se ba de
arrematar por venda a quem mais der em
pra^a puntea deste juizo a casa de sobrado
de dous andares, sita no pateo do Paraizo da N-&2 Pelicular c 5
freguezia de Santo Antonio com o n. 30, cu- N. 83 particular e 7
ja casa faz quina para a ra da Roda e com a j 'dares.......
entrada pela mesma ra avallada em 11:0OG\J,
a dita casa pertencente ao coronel Jos Pe-
dro Velloso da Silveira e a este pinhorda por
execuco do Dr# Angelo Henrique da Silva
publico tres an-
565*000
1:0105000
9205000
DE
EJIPHK.I
DE
DIARTE COIMBIU.
Ra do Padre Floriano.
N. 6 particular e 47 publico casa terrea. 1865000
N. 7 particular e 45 publico casa terrea. 1265080
N. 66 particular e 63 publico casa ter-
rea....... ..... 1405000
como tutor dos orphos filhos do fallecido, >' 90 particular o 13 publico casa ter
Francisco Carneiro da Silva e mais herdeiros rca..... ecco da Carvalha W1*000
do mesmo, e nao havendo licitantes ser jtr-, KM|>arti<.uklr c 5^^ 3terrea. 1405000
Una dos Pescadores.
N. 16 particular e 11 publico casa ter-
rea................. 2tt$000
Ra da Calcada.
, N. 17 particular e 30 publico casa ter-
publicados pela rea............... 1745000
I X. 19 particular c 84 publico casa ter-
raa................. 1495000
A. J.
21.a RECITA DA ASSIGNATURA.
(l. DA 3* PRESTACO.)
Naftvavendo sido possivel, apezar de todos os es-
forgos; conseguif acabar-se oscenariopara hoje,
flfa transferido |iara amanhaa
Qtiinta-frira. 16 de Julho de 1863.
Primeira ropresentacao do magnifico drama em
quatro actos e um prologo, ornado de msica,
AS MLHERES

rematada pelo preco da adjudicaco, e com o
abatimento respectivo da i.
E para que ebegue ao conhecimento de to-
dos mandei passar editaos que sero affixados
nos lugares do costume e
imprensa.
Dado epassadonesta cidade doRerfede; .^ p^-^ ter-
Pernambueo aos li.de julho de 1863r. Qua-; ^t........ ........
dragesimo segundo da independencia e do
imperio do Brasil.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade
esc-rivao o subscrevi.
Tristo de AJeiicar Araripe.
PERSOXAGESS DO PROLOGO.
DECLARACES.
Rendimcnto do dia 1 a 14.
dem do dia lo......
5.^:0175402
1:4665990
56:424392
MOVIMENTO DO PORTO.
151)5000
Ra da Viracao.
N. 27 particular c 19 publico casa ter-
rea................. 28:15000
Ra de Hortas.
N. 29 particular e 41 publico dous anda-
res................. 5535OOO
Ra de Santa Thereza.
j N. 3! particular e 7 publico casa terrea. 1965000
1N, 32 particular e o publico casa terrea, 2045000
lina da Roda.
X. 35 particular e 3 publico casa terrea.
Sr."
Manoel Antonio
ap-
Fer-
j appellado. Joaquim dos
appellado, Manoel Rodri-
appellado, o escravo Vir-
Xullo opnxesso.
Apiicllantc. o juizo -. appellado.
reir de Paula.
A'novo jury.
Appellante, o juizo
autos Brito.
A" novo jury.
Appellante. o juizo ;
ges Ferreira.
A' novo jury.
Appelbatfe, ojuizo;
ginin.
A* novo jury.
DBSKWACAO DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos :
Ai>maai enme.
Appellante. o juizo ;' appellado. Francisco Ro-
qae.
PASSAf.EXS.
O Sr. desembargador Caetano Santiago passou
ao Sr. desembargador Gitirana
A appellaro crinu:
Appellante. o juizo ; appellado, Francisco Perei-
ra 1I11 Nasciinento.
(i Sr. desembargador (".tirana passou ao S. des-
mbargador Uf *"*%
A upivllaruo aune.
o juizo : appellado, Domingos Jos
Navios entrados no dia 15.
Rio de Janeiro e Babia6 dias, vapor inglez Mag-
dalena, de 1217 toneladas, commandante Wo-
loward, equi|agcm 128.
Genova65 dias patacho italiano Marta, de 187 to-
neladas, capitao Luiz Buzano, equipagem 10, car-
ga vmlio e outros gneros; a Ronry Foster
&C.
Philadelphia36 dias, patacho inglez W. M. Dod-
ge, de 124 toneladas capitao L. Anderson, equi-
pagem 8, carga 1190 barricas com farinha de tri-
go e outros gneros ; a Henry Foster C.
Nunos sahidos no mesmo dia.
Ilha de FernandoHiate nacional Sergipano, capi-
tao Henrique Jos Vieira da Silva, carga diferen-
tes, gneros.
Southampton c portos intermediosVapor inglez
Magdalena, commandante Woohvard.
ParaBrigue nacional Amelia, capitao Joaquim
Antonio do Soccorro, carga diferentes gneros.
Havre pela ParahybaGalera franceza Solferino,
capitao Laisna, carga couros c algodao.
MaroimPatano dinamarquez Malhilde, capitao
C. Preipo, em lastro.
Portos do norteVajwr nacional Cruzeiro do Sul,
commandante o capitao de mar e guerra G. Man-
cebo.
Observaciio.
Fundcou no lamarao urna barca ingleza, mas
nao leve communicacao com a trra.
Por ordem do Ulm. Sr. Dr. chefe de >'. 36 particulares publico casa terrea.
polica, faco saber quelles quminteressar'5-SrJ?il',Varc7puK!TOC^err,'!I'
v ,H N. 99 particular c 1 pub ico casa terrea.
possa, que pelo delegado do termo do Naza- uuu c x 'RuaNovx
retli, foram apprhendidos em poder de Po-
licarpo Pereira da Luz, Belisario Francisco da
Costa e Joao Ferreira de Araujo, tres cavallos,
que se suppoe frtados, sendo Om ruco,
outro castanho e outro preto; cujos cavalios
se acbam'alli depositados, por aquella dele-
gada.
O secretario
Eduardo de Barros Falcao de Laceran.
1085000
895000
1135000
1205000
Aludante,
Vianna.
A appellaro cicel.
Pedio Juca; appcllados, Sacavem,
Appellante,
AoSr. ib'sciiibargador Uchoa Cavalcanti
A appellacao civel.
\npollantes. Joao e Jos Salgado de Albuquer-
nue ; appellado, Joao Barbosa da Silva.
O Sr. dcs.Miiliargador Lourenco Santiago passou
M Sr. desembargador Motta
A mellantes aunes.
AppeUaate. los Pereira de Mello ; appellado,
Manoel Corrca.de Mello.
Appellante, o promotor ; appeltado, Antonio Ale-
XaAprlante!0o'juizo ; appellado, Christiano Fran-
cisco Pereira. "
A apnellaeao cirrl.
Appellante, Jos Narciso Camello ; appellados,
llostron Rooker & C.
O Sr. desembargador Peretti passou ao Sr. des-
embargador Accioli
A appellacoes crimes.
Appellante, ojuizo ; appellado, Antonio Carlos
Appellante. Manoel Gomes de Almeida ; appel-
lado, oinio. .
Appellante, o juizo ; appellado, Casemiro Perei-
ra da Silva.
Appellacuo civel.
Appellante. a fazenda ; appellados, os herdeiros
de Domingos Gomes Guimaraes.
O Sr. desembargador Accioli passou ao Sr. des-
embargador DcMa Cavalcanti
As appellardes crimes.
Flix Jos Ro-
EDITAES.
N. 43 particular e 41 publico casa ter
rea....... .. ........ 7525000
N. 46 particular e 48 publico um andar. 1:3125000
Ra da Imperatriz.
X. 47 particular e 68 publico casa ter-
rea.................
Rua da Gloria.
N. 51 particular c 65 publico casa ler-
na................
Rua do Encantamento.
W. 52 particular e 3 publico 3 andares.
Rua do Azeite de Peixe.
Sr. Furtado Coellio.
" Lisboa.
Tbomaz.
Penante.
Guimaraes.
> Joaquim Cmara.
Porto.
1). Camilla.
I). Jcsuina.
D. Joscpha.
Phnn*a.J"""""""----l D.Leopoldina.
A aceao do prologo passa-se na oiciua dw
cultor Phidias. em Athenas.
O vestuario novo, e no carcter da poca.
NMEROS DE MStCA..
1. A cancao da osera va**
2. Coro ae Athenienses.
PERS0>AGE.NS DA PEQA.
Diogenes .......
Phidias........
Gorgias........
Alabiados......
Um Atheniense..
Outre dito......
Strabon........
Tha...........
As,,asia..lEslal
" (inanuore
uas del
re....| ,
5.1 Ir*ratriz parte do sobrado.
14 Torre, qnarta parte ,n sobrado.
Pfirintenenraodo agente EuzpIho
em leilao a requ'-rimento dos
massa fallida de Bastos & Lentaa e
Ulm. Sr. Dr. jaiz especialdo rnmfrihi, 1
dios cima descriptos ; sao conviiLulo
denles ao previo exan1, sendo
mentos no acto do leiBo e em
por conta e ordem de outros ion Irmn a tra-
viesa dos Forreiros com alirerces e norad, i}
Iialmos de frente e 190 ditos > fundo; ama casi
terrea n. 4 na rua do Jasmim. qnasi wnra.______
IEIEAO
DE
Predi.
HOJI.
O agente Almeida fari leilao di predi ariaa
perterireMe a maSsa fallida de Bastos A Lrmn* a
roquerimoncn dos administnidoros e mandada *
III111. Sr. Dr. mix especial do rommerriOL
O leilao lera hipar porta da aumciaro enm-
mercial, s 11 horas do dia.
Um sitio na estrada de S. Jos do Maagaiaik.
com grande sala de sobrado em t>Treni> pmpro. r-
icira, estribara, senzalla, rasa dr dfposiki iTagm
do eiicanamentn, cosinha ao lado, haixaaarara-
pim. diversos arvoredos. murado na fmMr rnm
portao e grade de ierro.
Metade do sitio da Passagetn da Maghlf.
teado um iKinito sobrado do nm andar, ravira.
estribara, scnsalla. murado rom sradamr e pnrt*>
de ferro' na frente.
LEILAO
DE
Iop.
Ii-
3005000'
1445000 Mauloon.
Francis..
Conaelbo adminlatrativo.
O consolho administrativo, para fornecimento do >' 3 particular e I publico 2 andares.
arsenal de guerra, teni de comprar os objectos se-'
guintes:
Para o corpo de guarnilo do Ccar.
197 mantas de la.
Para o presidio de Fernando.
25 milheiros de tijolos de alvenaria de primeira
N. 54 particular e 31 publico um andar.
Ruada Lapa.
N. 56 particular c 8 publico um andar.
N. 73 particular e 5 publico um andar.
4205000
Rua do Pilar.
qualidade.
Para o arsenal de guerra.
10 quintaos de ferro sueco em barra de 2 '/j pol-
legadas de largura e V2 dita de grossura.
10 ditos de dito dito dito de 3 pollegadas de lar-
gura e 1/2 de grossura.
10 ditos de dito dito dito de 4 pollegadas de lar-
gura e '/i de grossura.
10 ditos de dito dito dito de 5 V2 de largura e
V2 do grossura.
Appellante, ojuizo; appellado.
drigues.
Appellante, Martinho de Oliveira Borges ;
la-la. a iustica.
Appellante, o curador do Cabra Gaspar ;
lada, a justica.
DII.IO encas.
appel-
appel-
As'appellacoes ciceis.
Com vista ao Sr. desembargador procurador da
cora
Appellante, o juizo; appellado, Joao Chrysostomo
de Oliveira.
Ao Dr. curador geral:
Appellante, Dr. Antonio Ferreira dos Santos Ca-
vninha ; appellado, Jos Vicente Ferreira de Fre-
tas.
Ao Dr. curador geral :
Appellante, Jos Ferreira Pinto de Campos ; ap-
pellado. Manoel Joaquim Baptista.
Ao Sr. desembargador procurador da cora :
Appellante, Jos Velloso Soares; appellada, a
fazenda.
As appellacoes crimes.
Com vista ao Dr. curador geral:
Appellante, o juizo-, appellado, Jacintho de Arau-
jo Lima.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica e ao appellante, a seguinte
Appellante. ojuizo; appellado, PedroChrysologo
Cavalcanti Wanderley.
As duas horas e meia da tarde encerrou-se a
sessao.
PUBLICACOES A PEDIDO.
A salsa parrilha de Bri*tol.
Piucos remedios ha que tenbam produzio tan-
tos beneficios no mundo como este. E a nica pre-
paraeao que ataca invariavelmente no sangue aori-
gem das enfenmdades ul.vrosas e eruptiveis e
extingue ao mesmo lempo a causa c o effeito.
Podemos pois conliadamentc adanoar que com sua
purificadora influencia a corrupeio'se transforma
em incorruptibiliclade.
As chagas escrofulosas e todas as materias ex-
ternas glandulares e, cutneas, commnnsaos paizos
trpicos, cedem promptameate a sua poderosa
,- Tribunal da rela^o.
Relacso dos feites entrados na secretaria do tri-
bunal da relar,So desde o 1 de Janeiro do fr-
rente anuo ate lo de jumo ur -m. 00 esto parados por tal lado .pagamento do respec-
tivo preparo.
AGCR.VVOS.
Aggravo do 2o dktriclo do Juizo de paz da Boa-
Vista.
Aggravante, Joao Francisco Saraiva ; aggravado.
o juizo.
Aflora ro do 2o districto do jutzo de paz da Boa-
Vista.
Aggravante, Joao Francisco Saraiva ; aggravado.
o juizo.
Aggravo do juizo da fazenda geral.
Aggravante, Jos Velloso Soares; aggravado, o
juizo. '
Aggravo do juizo da fazenda geral
Aggravante, Jos Velloso Soares; aggravado. o
juizo.
Aggravo dojuizo da fazenda.
Aggravante, Jos Marccllino Alves.
Aggravo do juizo de ausentes desta cidmlc.
Aggravante, o cnsul de Portugal; aggravado, o
juizo.
Aggravo do juizo de ausentes desta cidade.
Aggravante, Augusto Adolpho Vanderley Lins;
aggravado, o juizo.
Aggravo do juizo municipal do Cabo.
Aggravante. Francisco Xavier Mendes da Silva ;
aggravado, o juizo.
Aggravo de instrumento do juizo municipal Ae Se-
linliaem.
Aggravante, Francisco de Barros Wanderley ;
aggravado, o juizo.
Aggravo de instrumento ilo juizo municipal de Se-
riuhaem.
Aggravante. Francisco'de Barros Wanderley;
aggravado; o juizo.
APPELLACOES CIVF.IS.
Appellacao civel do juizo da fazenda.
Appellante, ). Maria Magdalena de Almeida Ca-
tanho; appellada, a fazenda provincial.
Appellacao civil do juizo municipal da primeira
vara do Recife.
Appellante, o superintendente da estrada de
ferro; appellado, Joao Paulo Carneiro de Souza
Bandeira.
Appellacao civel do juizo municipal da primeira
vara desta cidade.
Appellante, o curador da preta Caetana ; appel-
lada, D. Maria Joaquina da Silva Manta.
Appellacao civel do juizo municipal desta cidade.
Appellante, Joaquim Gonealves Ferreira ; appel-
lado, Manoel Joaquim Baptista.
Appellacao civel do juizo municipal de Porto-Calvo.
Appellante, Ernesto Augusto de Manguaba e
Silva -, appellados, D. Mariana Joaquina Acciole
Wanderley o seus filhos.
Appellacao civel do juizo municipal de Porto-Calco.
Appellantes, os libertos Antonio e Tiburcio, por
seu curador; appellada, D. Joaquina Perpetua
Vieira Mavignier.
Appellacao civil do juizo municipal de Bananeiras.
Appellantes, Jos Barroso de Carvalho e outros;
appellados, Manoel Januario Bezerra Cavalcanti e
seus filhos.
Appellttew) civel do juizo municipal do Ass.
Appellantes, o curador geral, por Paula e Luiza
de Franca; appellado, Francisco Duarte de Freitas.
Appelfacao civil do juizo municipal de Mipib.
Appellante, Urbano Egydio da Silva Costa Gon-
din de Albuquerque; appellado, Thomaz Jos de
Sena.
Appellacao civel do juizo municipal do Crato.
Appellante, Barbara Francisca de Jess ; appel-
lado, Manoel Francisco da Cruz.
Appellaco civel do juizo municipal do Crato.
Appellantes, Joo da Cruz de Jess e sua mulhcr;
appellados, Francisco Cabral de Vasconcellos e sua
mulher.
Appellacao civel do juizo municipal do Cabo.
Appellante, Pedro Cavalcanti de Albuquerque
Uchoa; appellado, Joao de S e Albuquerque.
Appellacao do juizo municipal de Flores..
Appellante', D. Maria'Francisca dos Santos ; ap-
pellados, Manoel Joaquim Limoeiro e sna mulher.
Os embargos de Manoel Gonealves Agr e seus
fiadores, embargada a fazenda provincial.
Revista civel.
Recorrente, Jos Fernandes Guimaraes, por ca-
bera? de sua mulher ; recorridos, Jos Rodrigues
Gocahres Valle e outrtos.
Revista civel.
Recorrentes, Balbina Femantles de Almeida c
seus filhos; recorridos. Pedro Jos de Almeida e
7005000
915000
1005000
1255000
2115000
2:0015000
N. 59 particular e 73 publico casa ter-
rea......... ........ 1835000
Roa de Sao Bom Jess das Crioulas.
N. 61 particular c 8 publico casa terrea. 1315000
Rua do Nogqeira.
N. 62 particular o 17 publico casa tor-
rea......... ........ 2605000
Rua da Cruz.
X. 68 particular e 15 publico 3 andares. 1:2005000
Rua da Cadeia do Recite.
20 ditos de dito inglez redondo de 1 Vz polle- >' 72 particular e 30 publico 3 ailares.
a(jas Beccoda Lama.
4 lences de ferro de 1 Vi a 2 arrobas. & 75 particular c 30 publico casa ter-
2 ditos de dito de 22 24 libras. rea..... .. .. .... ...
Quem quizer vender tacs objectos aprsenle as Travessa dojLarcereiro.
suas propostas em carta fechada, na secretaria do >'. 83 particular e 11 publico casa ter-
conselho, s 10 horas da manliaa do dia 17 do cor- rea. .... .... .. ..
rente mcz. 8/ particular e 17 publico casa tef-
Sala das sossoes do conselho administrativo, para rea..... .. ... ..
fornecimento do arsenal de guerra, 11 de julho Rua de Santa Cecilia,
lho de 1869. K- 89 particular o 18 publico casa ter-
Antonio Pedro de Sil Barreta, rea................
Coronel presidente Patrimonio de orphitos.
Sebastiao Antonio do Reg Barros, Roa da Cadete do Recife.
Vogal secretario. N. 17 particular c 39 publico dous an-
A arrpniatavo constante do dates ........ ..
annunclo o pshc-sc. ., ,lt,ia d" Ma,l',.'n *1)eos-
tanto dos engenhos como dos *fijK^r..* \rT\ .
escravos, devera ter lugar no n. a* particular e 28 publico dou an-
dla S do eorrente. depois da daros................
andienclado .Nm *r Dr, Jl* ^^t^^Sfftmm
municipal da segunda vara. (jr;,s ......'........
Perante o Ulm. Sr. Dr. juz municipal da se- N ;s.articulare' lpubico dous au-
gunda vara, escrivao Motta, tein de ir a praca os ,jaI0S...... .......
Eens seguintes : \\m ,ia Mooda.
O ongenho Pintos com todas as suae Ierras e ^- ;l5 panicular e 21 publico casa ter-
obras, grande casa de vi venda, oulra denominada ,-,.,,, .. .. ........
Horta, algumas jrasas para moradores, grande RuadoAmorim.
senzaa de pedra e cal, estribaria, casa de disti- N. 54 particnlar e'21 publico 3 andares.
la^ao com um alambique de valor, tudo avahado $ particnlareS6 publico casa ter-
em 52:0005000. m ...........
O engenho Quiaombo contiguo ao mesmo, com Riiido Burgos.
todas as suas trras o casa de vi venda, avahado $ ntenjar *M pMC0 casa tor-
ein 22:0005000. iva .. ..........
Os escravos Antonio Calunibi, erioulo. 30 an- |<|n j., Sen'ala Vellin.
nos, avahado em 8005; Mathous, nacao. 35 an- N- : narlictilar 136 publico dons an-
nos, avahado em 1:0085; Bento, nacao, :.> an- *',].,,.,,,; ......
nos, avahado em 1:000 ; Gregorio, nacao, 37 'tio do Parnaineirini.
annos, avahado em 7005; Antonio Esparrella, | ^t ( |,a,|,.u|,r
nagao, 40 annos, avahado em 8005 ; Jos Borra-
cha, erioulo, 25 annos, avahado em 3005 ; Alei-
xo, erioulo, 23 annos, avahado 0111 1:2005; Luiz
Hortelao, nacao, 40 annos, avahado em 1:100;
Gertrudes, naciio, 45 annos, avahada em 6005:
Luiz Beni, nacao, 40 annos, avahado em 8005 i
Thereza, nacao", 35 annos", avahada em 2005000 ;
Maria Vov, crioula, 43 annos, avahada em (005:
Bartholomeu, nacao. 40 annos. avahado em 5005;: c^rs, c^n ^r^s ^l ^rh S^
Rila, mulher do dito, naeao, 36 annos, avahada V~>J Wj Luy $ M/ k\
em 6006; Caetano, nacao, 40 annos, avahado. ^^a<53 ^^ls?
em 7005 ; Violanta, mulher do dito, nacao, 33 .-.ccrinti.ria rli misma comnanliia (li.s-
annos, avahada em 8005 ; Felippo, cabra, 40 an- ^ ft*nptOIlO (la mcrflia toralmihiw uiar(
nos, avahado em 1:2005; Fehppa, mulher do tnbue-se com os brs. accionistas os follieto;
dito, crioula, 35 annos, avahada em 1:0005; Fia- impressos contendoos trabalhos da mesma
viana, filha dos ditos, cabra, 3 annos, avahada n0 semestre Ando em 30 de abril ultimo, e
Z^n^X^^^1^, dos na sesslo da assembla geral de 22 de
avahada om6005 ; Mana, filha da dita, crioula, maiudo eorrente anuo.
3 annos, avahada em 3005 ; gueda, lilha da' Escriptorio da Companlna do Bebenbe 14
dita, crioula, 18 mezes, avahada em 1505 ; Fian-' (jc jui|10 ,je [g63.
cisco Segundo, nacao, 45 annos, avahado em n oserintnrai'ui
7005 i Perpetua, mulher do dito, nacao, 36 an- i- t.a d mi
nosT avahada em 6005 ; Jos, filho dos ditos. Marcoltno Jos Pupe.
erioulo, 3 annos, avahado em 3005 ; Fehppe, na-1 O Illm. Sr. inspector da thosourana da a-
38 annos, avahado em 9005; Rosa, niiillicr zcnila desta provincia manda fazor publico aos in-
Lisboa.
Thomaz.
Penante.
Guimaraes.
Joaquim Cmara.
Porto.
Sr.*D. Eugenia Cmara.
D. Leopoldina.
D. Joscpha.
D. Jcsuina.
I). Joanna.
D. Camilla.
Desceis, jomalisla----Sr. Furtado Coelho.
Raphacl Didier, pintor e
escultor.............
O conde de Frenes, capi-
talista ..............
Juliano.. i i
Mocos extra-'
vagantes..
1 a***#% **
4805000
civ\*(v>A' Marco, cantora do theatro
600*000l italiano.....
1 -Aftftn "PhiBdora, corista..
i3*000 Josepha, dito...........
11'. nmM\ Julieta, dita............
J Madama Didier, mai de
Raphael.............
'Maria, orphaa..........
A accao passa-se na actualdade,em Pars.
0 primoiro acto passa-se no hotel de Madrid,
! nos Campos Elysios.ueste acto canta-so a celebro
cane/meta Polka das mokdas dk olko.
O segundo acto passa-se 110 atelier do escultor
Raiihael.
O terceiro acto passa-se n'uina casa de campo,
em S. James, nos arrebaldes de Paris.
O quarto acto no atelier de Raphael.
O secnario novo c pintado pelo scenographo o
Sr. Dentellas.
O drama AS MLHERES DE MARMORE, devi-
do peiina fecunda de Theodoro Barriere, um dos
mais celebres dramaturgos francezes, causou em
Paris, em Lisboa e no Rio de Janeiro, um destes
fanatismos que raras vezes sao tributados re-
presentocio de urna obra dramtica, pote que elle
em qualquer dessos theatros ultrapassou todas as
rajififAOcando ao delirio. No Rio de Janeiro este
ama foi ;i siena mais de 80 vezes. e anda boje
. recordado com aiulale, oque ludo se justifica
pola excellencia da eomposifio, urna das mais pri-
morosas o do maior alcance moral que se conhe-
ce no tliiMtro moderno franecz.
Principiar s 8 horas.
Os genbores assiguantes sao convidados entrar
com a terceira prestraoda assifnatura, at tena-
Fazendas para Ifqnldar a
sen limite*.
HOJK.
O agente Pestaa vender por ronta r risr
quem psrteacer para hipidar pur is*o tm
mitos e em p<-quenos lotes diversa.* faz^nttas
sejam : patetote, calcas, toHetea, dnba, knsfHnr-
te> de vestido, ditos ilecolleles. inoia-, b-oro. fci-
I9es, o urna infmidade de outros objei-tirs im>' >
aehan patentes e de precisupara rasa de uante
o agento es|era a concuiTenda de seus numen- >
freguezos e amigos do quem tenias v,/.,-s tem li t.
proteceo : boje 16 do corrento |-las 10 hnra> ti
manha na loja da rua da (dulca do Rerife m. Hi)
IiEIJLAO
DK
Esrravos, cabrilet>, fofrrs it tem, Inote, fu-
os, ramas do ferrado 112Hilada r Mira
inuitos objfrtos.
1IO JE.
Qitinla-frira, lfi do forrale ** 11 horas i*mt-
nhia.
O agente Olympio far.i teflb n-> s.-u arinazm
rua do Imperador n. 16._____________
LEILAO
DK
I 111 sitio e um sobrado.
Srvla-feira 17 do torrale.
NA ASSOACO COMMKI.IXL.
Por despacho do Illm. Sr. Dr. juiz dorocaaKrrW
6 (Kir inlorvencao do afala Pestaa ira a MHt
n firrlrinrimlon a au 1 fillih do MawM-i d>Az^-
vedo Pontos as duas tercas partos do subraihi ? S
andares esotao da roa da Cruz n. X\ a -ilio na
Passagein da Magdalena 11. 46. assm como Ulsk> a>
dividas activas 110 valor do cerca de |:jU:UMf& por
tas com documentos : pira qiialquor informante
podem dirigir-se ao afate a nana tari lugar
sexta-tetra 17 do eorrente potos li hora- da mi-
nina na associacao comn erriaL
8005000
901500U
*&
4025000
3OO5OOO
2515000
3005000
725000
725000
7J9JW0
,. 301^)000
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do ne-
cife 13 de julho do 1863. .
O escrivao,
F. A. Cavalcanti Otusseiro-
COMPAIHIA
1
DO
lena naooorreiiie.
AVISOS MAMTIillUn.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
At o dia 20 de julho. espe-
rado dos portos do norte o vapor
Oyapock, coniuiandantc o primoi-
ro lente Antonio Marcelino
Pontos Ribeiro, o qual de|wis da
demora do costume seguir paraos portos do
sul.
Desde j recebem-se passageiros o engaja-sc a
carga que o vapor poder conduzir, a qual deven
ser embarcada no dia do sua o bogada, oncoin-
menilas e iliuhi-iro frote at o dia da sabida s 2
horas: agencia rua da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azovcdp & C.
. iicia.
Seus cffeitos curativos^ nas_ affeccoes do liga,- outros.
do e no rheumatismo nao sao menos sorpren-J Recursos d*. faencia.
dentes. Recorrente, o Juizo ; recorridos, Guilherme Car
Acha-se venda em todas as drogueras e bou- valho & C.
cas do imperio do Brasil. \ Recfe m e jnnho de 1863.
nacao, 40 annos, avahada em 8005; Paulina,
crioula, 40 annos, avahada em 1:0005'; Clara
crioula, 22 annos, avahada em 1:0005 ; Felicia,
nacao, 40 annos, avahada em 7005 ; Maria, mu-
lher de Miguel Pedreiro, 27 annos, avahada em
9005 ; Miguel, nacao, 42 annos, avahado em
rtcnry ; c de um volunte para Pao d'Alho, Brojo,
Villa'Bella, S. Benlo, Cabrob, Victoria e Gara-
nhuns : as pessoas, pois, que si? propozercm, de-
fera apresentar nesta thesouraria suas proposlas.
quando muito at o dia 18 do eorrente mez.
Secretaria da thesouraria do fazenda de Per-
1:0005 ; Maria' mulher do dito, nacao, 36 annos, nambuco em 15 de julho de 1863. Sen-indo de
avahada em 6005 ; Venancia, lilia dos ditos official-maior,
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavega^o costelra a vapor.
Parahyba, Natal, Macan, Araeaty e Cear.
O vapor Jaguar be, commandante
Moura, seguir para os portos do
norte at o Cear no dia 22 do
corrento as 5 horas da tarde. Re-
cebe carga at o dia 21, encom-
mendas. passageiros e dinheiro a frote at o dia da
sabida as 3 horas : escriptorio -
tos n. 1.
no Forte do Mal-
Para o Rio de Janeiro.
O brigue Belizario, segu breve com acargaque
livor, e a recebe por qualquer frote : a trata-se
com os consignatarios Marques, Barros & C, ou
com o capitao Manoel Marciano Ferreira._____
DE
Nlndezaa. ferrasen e outro
objectos.
Se\ta-ffira 17 do corrale as H 1|* awa* ti
manlia.
(StM LIMITES. 1
O arante Olwnpio acha-se amansado .1 \.-n I -t
em leilao as miudezs. ferrag'ii-. araaafi
oanles, na loja de iniudezas a roa !>i
m\ utais lute,-.
reffa n. lov
LEILAO
DE
Escravos e 11 an carro.
O agente Almeida tara leilao do- -e-miiles
chivos :
Un escravo perfeHo rosiakalni 1 da teta mi
\\cn diiinostico. un di.....tirador raaoea:
reinador, um dito proprio para sitio, na asean 1
necasiao vender nina escrava de habilidaHu
una cria de 6 annos |iorlenccDte a inasHnI:i
de Bastos 4 Lomos, o iin-mo aanat (
mente atttorsado tambem vender um
quatro rodas com afretes.
Sc\ta-ffira 17 do carrralr.
Em sea escriptorio rua da Cadete da
48, primoiro andar, as 11 lioras.
iprtonfe
rana
R.vi(e n.
AVISOS DIVERSOS.
ASSOCIACAO
TVPOUIUPUICA PER\4MAIC4.V4.
Devendo ter lugar domingo 19 do caante
sao ordinaria da assombla geral daate aawriar*i
para se proceder a oloioo do cons.-llH. que t.-raaV
diri'M-laeni o sen oitavo amo social (1863-11
assimo sciontilio.. aos Srs. ^-i"- efcliw
dando-os a coinparecorem as 10 horas da man
na rua Direita 11. 120. |irimeiro andar.
Secretoria, 11 de taino de 186:1.
O Io secretario. Nfra uiw.
Manoel Jos Pinto.
Relacao das cartas seguras existentes
na* adninistracao di) crreio desta
tiil'dc para os'senhores abaixo de-
clarados
D. Alexandrina Rita do Amparo.
crioula, 18 mezes, avahada em 1005.
Os referidos bens pertencem heranja do fina-
do Jos Fernando da Cruz, e vao pra?a re-
querimento da herdeira e inventariantc, depois
de ouvidos o Dr. procurador fiscal da fazenda pro-
vincial e o's de mais intorossados, para pagamen-
to das dividas a que osla sujeita a heran^a, de-
vendo sorem pagas no aeto da arremata^So, afim
de poderem dar a necessaria desoneragao os dous Augusto Jos Ferreira oc (..
credores que tem hvpollieca no engenho Pintos. Aokinio Jos de Castro.
O escripto e traslado do edital existem em mao Padre Antonio da Cunha Figueiredo.
do porteiro do juizo, e os pretendentes que qui- Baraode Guararapes.
zerem examinar os referidos engenhos podem ahi Custc)dio Jos Alves & C.
comparecer, que ha pessoa autorisada a mostra-' Francisco Morara da Cunta,
los com todas as suas obras e bemfeitorias ; as- Innocencio da Cunha Goianna Jnior,
sim como os que quizerem ver os escravos e pro- Joaquim Antonio de Moraes Jnior,
cisarem de qualquer esolareciraento, podem diri- Joaquim T-eopoldino Barrete Maciet.
cir-se nesta praca mesma herdeira e invento- Joo Joaquim da Cosa Leite.
rianle, que reside na Soledado. rua de Joo Fer- Joo Milico Henrique de Souza.
nandes Vieira D"- Jo5 Vicente Pereira Dutra.
O lancador da mesa do consulado provin-' Jos Joaquim Alves de Amorim (2>.
cial, abaixo' assignado, sendo nomeado para pro- Joo Maria da Costo Pinto,
ceder aos diversos lanoamentos que tem de sorem. Dr. Leandro Francis.o ltorge>;
cobrados por esta mesma mesa no anno finan- D. Marcolina Andrea de Jess (Muribcea).
ceiro vindouro de 1863 1864, avisa aos senhores | Maria Francisca da ConceieSo.
proprietorios de predios urbanos e outros estabe- Marcelino Jos Inopes,
lecimentos que 'tenbam proparados os competen-
tos Tecilx ou outros documentos afim de que
possa o mesmo abaixo fazor os lancamentos em
regra sem vetantes das parles interessadas. Ou-
tro sim, declara o mesmo abaixo assignado, que
sendo nomeado para as freguezias de Santo An-
tonio, S. Jos o Afogados
Santo Antonio.
Para Lisboa
O veloiro brigne portugnez Laia II, capitao A.
F. Vieira sahira no da 25 do eorrente por ter a
maior parte de seu carregamento prompto : para
carga e passageiros, tratare com o consignatario
E. R. Rabello, rua da Cadeia n. 55.___________
Para o Rio Grande do ftnl.
Segu o brigue nacional Olinda, at o fim
do eorrente mez, com a carga que tiver; re-
cebe alguna a frete e por qualquer preco :
trata-se com Bailar d- Oliveira, rua ta Cadea
n. 26.______________________________
Para o Maranho e Para
pretendo seguir Matea oito dias o veleiro e bem
conhecido brigue escuna Joren Arthur, tem a
seu bordo parte de seu carregamento ; para o res-
to que lhe falla, trata-se com os seus consignato-
torios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no
seu escriptorio rua da Cruz n. 1. ________
Macelo.
Seue para Macei c Pilar no dia 18 do corren-
te a nova e mu veleira barraca Amelia do Sul;
recebe carga para ambos os portos at o da de sua
sahida ao mete dia : a tratar eom o mostr a bor-
3o da mesma, no caes da esoadinha.___________
Para Lisboa
sahe com a maior brevidade o brigue portnguez
Relmpago por ter a maior parto da carga promp-
to : quem no mesmo quizer carregar ou ir de pas-
sagein, para o que tem bons commodos. trate com
o consignatario Thomaz de Aquino Fonseca, rua
do Vigarto n. 19, primeiro andar, ou com o capi-
tao na praca.
LOTERA.
DEPOIS D'AlAMIAi
Sbado 18 do eorrente nvz K --\iialii"
r a quinta paite da terceira Mana a bae
Ocio do Gimnasio PetuinynH-ano (V' .W
cesso), no consistorio da reja de N
Senhora de Rosario ta fregneiia de Saana
Antonio.
Os bilhetes e meios liilltotes acnam-ae S
venda na respectiva thesouraria. roa in
Crespo n. 13, e as casas commissiniiada.
rua da Imperatriz n. 44, loja do Sr. Pinani-
tel, praga da Indcpcndoncia n. 22,^|oja 10*.
Soares Pinheiro, rua Direita n. S^batifa*-
Chagas, rita da Cadeia n. 45. loja ik. Jortn
e em Apipucos estabelecinn-nto ilnTSr. Miu-
cisco M. S. Mendes.
Os premios de 5:000/ ate IO ser, pa-
gos urna hora depois da extrao> at as i
horas da tarde, e os outros no dia segundo,
depois da destiihuic'io das lisias.
O thosouroiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sm/-u
D. Francisco Ralthasar da Silveira r sna 6-
milia podem as pessoas de sua amizade que me
facam o caridoso obsequio de assistir :
crrente, pelas a hora, ha *
dizer pete alma de sua prezada prima e r*'-
D. Jiuiitli Constanca Cunha da Silveira. raaen.u
na cidade da Rabia.
3!
di
Manoel da Fonseca Araujo Lima Jui'H'.
Manoel Joaquim Seve & Filhos.
Manoel Theophilu Alvos Ribeiro.
Viuva de Ventura Pereira Peona.
No dia 17 do eorrente, depois da audiencia
do mm. Sr. Dr. juiz municipal da 4." vara tem de
dar carneen pela de ir praca .a parte da casa terrea sita na rua de
Hurtas n. 96, avahada por *S7 LEILES.
Mesa do consulado provincial. 4 de julho de 1853. que move Jos Ignacio de Avilla contra Manoel
r> 1____j-_ 11 nhn dp Miranda Ilpnrin IOS. na nn.ilulafli de ad-
0 lancador
/00o Pedro de Jess da Matta.
i Lobo de Miranda Henrique-
I ministrador de sua mulhcr.
na qualidade de ad-
IIO.I E.
Leilao quinta-reira 1G do correnle ao mete dia a
pnrta da asaoriarSo ronirarn ial de predios as
seguintes rnas da massa fallida de Bastos &
Leos,
104 Direita, casa terrea.
47 Aguas-verdes, dita,
9 Cotovello, dita.
Alnca-se a crande casa da rua do Joao I
nande'^ Vieira n S. com 4 sala. 7 aaartaa, caK
w^fn (i"iuial todo murado, convpoataoi
uT, S'tambem murado, que ten, boas fnul
f^lhalxa de eapim : a tratar na mesma
lnsonniiadelra. t
Piclsa-e na casa de madama Lecee.
oJSS-nva e sem vico. r*ra *S
e ipie seja perfeita engommad
peratriz n. 7.
v Anura-se o sobrado -
n^om com vastas rro,.re8- da natil "J.
wt- a tntar na rua da Cadeia 4o Recii 5- ".
Sin^KimRocta UunnGuaaan
ia da
todo 011 smaartp o ar-

.--,-


Diario de PeroumilMieo quinta felra Jtt de Julho de 1S3.


lotera.
O thesoureiro das loteras delta provin-
cia, desejando extralit-las cm maor capital
p oom menores intervallos, offerece a vanta-
gem de dous por cento quem comprar
para oegocio, na quautia de lOOd para cima;
assim como se prope a estabelecer corres-
pondencias para trualquer localidade da pro-
vincia, remettendo bilhetes, meios e listas,
sob flanea idnea; de vendo o pagamento
delles ser frito, logo qne sojam recebidas as
listas e novos bilhotes reraettidos. O the-
soureiro certo da conveniencia desse negocio,
convida aos Srs. .eonnnerciantes da Victoria,
Goianna, Rio Formoso, Nazareth, Serinhem
finis localidades populosas da provincia, e
mesmo os desta capital, que o quizerem, a
entenderem-se com elle, na thesouraria das
loterias, ra do Crespo n. lo: advertindo
que receber em pagamento e sem descont,
os bilhetes premiados de todas as loterias
da provincia recomidos thesouraria da fa-
zenda provinciaL
Thesouraria das loteras, 0 de junho de
18153.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
i:m tributo le gratido.
litflammacao no finado e peritoncuin.
Tendo urna iiiflaiiiniarao no ligado o pertoneum,
havia nitrito lempo, nao* poda oceupar-me a ini-
nlia profissao de livroiro desde dous anuos; mas,
applicamlo as chapas medicinaos do Sr. Ricardo
Kirie, escriptorio na ra do Parlo n. 119, eni lies
semanas liquei perfeitamente curado, c agora os-
tou liabalhando pelo ini'ii oflcio, ra do Cano n.
23.-Carlos Ernesto da Silva.
Reeonhecida verdadeira a asslgnatnra supra
pelo tabelliao Podro .Jos de Castro.
Os liaciiareis Hxlmiao Lupes Macha-
do e Thom Fernandes Madeira de Castro
teiu o scu escriptorio de advogacia ra
do Imperador n. 71, primeiro andar, onde
podeni ser procurados lodos os dias-uleis
tas'.) as .1 horas da tarde. Advogam no
ecclestastico, no commercio, administrati-
vo, civel c criine; e encarrogani-se de
promover qualquer rraesfio pelo centro
desta e de oatra qualquer provincia.
Aos alisolutainente pobres tratam da
defeca dos seus direitos gratuitamente.
O abaixo assignado avisa aos credores do fi-
nado Manoel Buarque de Maccdo Lima queja nao
administrador da niassa do inesnio Manoel Bu-
arque, de cuja administracSo se deapedio ha mais
de seis mozes, e que tudo'quanlo perteiice ou diz
respeito a esaa poica, massa. se acha ein poder da
Sr. Prxedes da Silva Gusman, como depositario
del la.Antonio Buarque de Gusmao.

O escrivao da fazenda mudoii sen cartorio
do pateo do Carino para a travesea das flores nu-
mero 3. __________
- fina pessoa habilitada e intii conhecida nes-
la cidade se offerece para leceionar em casas par-
ticulares a pessoas de ambos os sexos, a ler. es-
crever e contar perfeitamente ; assim como ana-
jvse de grammatira portugueza c doutrina : quem
de seu prestimo se quizer utilisar, dirija-se a loja
do Sr. Jos Azevcdo de Andrade, ra do Crespo
n. 20, o qual dir quem e tambera dar as ne-
cessarias informaeoes.
Fugio no, da lo de junho um mulato claro,
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
A. W. Osborne retratista americano na ra
do Imperador partecipa ao respeilavel publi-
co que elle acaba de receber dos Estados-Uni-
dos o novo e valioso processo da photogra-
phiaha pouco ile^coberto nos Estados-Unidos,
sendo este novo systema superior a tudo
quanto at o presente se tem descoberto;
sendo o annunciante o nico em todo o impe-
rio do Brasil, que possue o dito systema
photographico. 0 Sr. Osborne pode apresen-
tar as mais bellas pinturas sobre o papel
(lebaixo de mu estylo nunca experimentado
nem conhecido ate, boje neste paiz, os precos
dos earUJcs Berio osmesmos ; A. W. Osbor-
ne na ra do Imperador; olhem para a ban-
deira americana.
NB. A sala onde est collocada a clara boia
foi a pouco toda retiCicada de novo, e adia-
se com espaco suficiente para acommodar
qualquer familia por mais numerosa que seja.
Grgorio Bilta, subdido hespanhol re-
1 ira-so para Europa.__________________

.llOMH.lt AJPIIIA ARTSTICA
23 R VA NO VA 25
ESOLIW DA ll \ 1)1 CAIMA DO CARIO
Trabalhant seja qual fr o tempo.
Vendra-:-.' i vaccas crioulas todas a parir, e
I novilh de raca tourna, tudo por preco commo-
do : na travessa das Barreira n. 10 se dir quem
vende.
Vende-se a taberna confronte a casa de de-
teneao n. 15.
Vende.-** miiiio barato por precisa um mu-
lato de meia idade ; ">?" precisar anminric.
X tenvo!
Existe anda um resto de. borzeguins para me-
ninas, de todos os nmeros, a 25300 o par : na
ra do Imperador n. 6, casa terrea.
Cylindros para padarla
Na padaria da ra Direita n. 84 contina a lia-
ver os ronbecidos cylindros americanos para pa-
daria, que se vendein a commodo preco.
Heorque Bernardes de Olivan, cida-
drio brasileiro, va i Europa. __________
Aluga-se o armazem reditteado de no-
vo na ra da Praia n. 33, propro para carne
secca ou para outro qualquer negocio: quem
o pretender dirija-se no segundo andar do
mesmo.
Est para alugar-se um sobrado de um
andar com tres quartos, quintal, cacimba e
torran, na ra dos Copiares n. 3, a tratar na
ra do Imperador sobrado n. 2, entrada pela
ra de S. Francisco. ^^^___^__
Acha-se justa e contratada por venda a taber-
na da ra do Rangel n. W : se algucm se julgar
com dircito mesnia, apparoca nestes tres dias.'
Precisa-se fallar eoni-o Sr. Joaqiiim Jos de
Almeida Pinto, a negocio de seu interesse : na ra
da Cadcta do fceife armazem de Vaz & Leal.
Luiz Ferreira de Almeida declara ao corno
do commercio que comprou a taberna da ra do
Rangel n. 69, pertencente a Octavio da Cunha
Goianna & Irmao, livre c deseinbaracada.________
Aluga-se a loja de tres portas na ra do Ca-
linga n. 2 : quem pretender, dirija-se a mesnia ra,
loja de miudezas n. 3.________________________
Precisa-se de una ama de leite sem lilho : a
tratar na ra Direita n. 4, sobrado, segundo andar.
Para evitar equvocos declaro que a casa annun-
ciada para ir em leilao no dia li do correte pelo
Diario de Pemambuco de boje, a casa n. 3o e nao
XAROPE TNICO REGENERADOR
DE QUINA E DE FERRO
Preparado por RIHAVLT e c, pharmaoentieos deS. A. I. o Principe NapoleSo, laureados
da Escola de pharmacia de Pars, ra de la Feuillade, 7.
Esta nova comblnaqSo rene debaixo de um pequeo volme orna forma agradavel e um gosto delicio.
Ha muito que os mdicos deeejavao ardentemente reunio destes dous medicamentos, e todava, apeiar
dos m a lores eslorco, nem a (ciencia medica, nem os qumicos os mais distinctos o podero conseguir
at aqui; (tracas porcm perseveran^ humana aclio-sc hoje associadas estas duas poderosas substan-
cias, a ulna, o Inico, restaurador por excellencia, o forra, a bazc de nosso sangue, e conseguinte-
mente o reparador dos foreas e da caude alterada ou perdida.
As molestias contra as quacs o Xarope Inico regenerador se tem mostrado muito efllca sao i u ame-
Borrbelas, faltas de mrnstruac^io, dores d'estomago, fastio, digestes penosas e tardas, flores brancas,
mrnstruac.oes difllceis, o lymphatismo, o empobrecimento do sangue, as escrfulas, os estragos produzidos
pelas molestias syphiliticas.
Ha apena9 um anno que o Xarope de quina e de ferro foi appllcado nos hospitaes de Pars, e elle
hoje o medicamento mais em voga, sulisii tuindo, por assim dizer, os medicamentos lerruginosos conhecidos.
O prosiecto encerra numerosos certiticados dc.niuitos membros da Academia de Medicina e professores
da faculdade que attestao que este precioso medicamento o conservador da saude por excellencia, e
o reconstituinte da economa animal, Indispensavel s pessoas que habito os paites quelites, como
preservativo das epidemias.
Acha-se venda no deposito geral, em Taris, na pharmacia Grlmault c C*. ra de la Feuillade, 7
em Lisboa, em caza do fitr Rodriga da Caata-Carvalha, Barral e O; no Porto, na pharmacia do
Sr mIkucI-jp de Sonsa Ferrelra; no Rio-de-Janeiro, em casa da viuva relilo e Dlnla, ra do
Sal o, II; lia Baha, em casa do Sr Jo>-CurtanoFn-rrlra-Eplnhelra; no Jto-Grancip, em rasa do
Sr Joaqun de Godoy; no Maranhao, em casa dos Srs Ferrelra e C; em l'emam/uro, em rasa
do Sr iiariiioioiiK-ii-FianciBco de souia-, em casa dos Srs shoum e O, e bera assim as prin-
cipaes pharmacias do Brazit e de Portugal.
EiNFEiTES DE BOU
A loja da Aurora, na ra larga do Rosario n.
38, receben ricos enfeites de froco enfeitados com
aljofares, obra muito bem feita e da mais moder-
na quo tcmchegado, a qual se vehde barato, assim
1 como tamnem tem um grande sortitiiento de iniu-
dezas finas : quem quizer venha ver para verificar
\ a qualidade e preco, pois a vista faz fe.
Vende-se um carneiro muito manso com ca-
cainhas e cangalha, por preco commodo : no pa-
teo de S. Pedio n. 4.
Deposito geral em Pemambuco- ra da Cruz n. 22 em casa de Caors: A Bar boza.
Casa em i Inda.
Vende-se ou aluga-se por preco commodo a casa
Ierre na ladeira da Misericordia n. 16, esquina,
lado do poente: a tratar na niesma cidade, ra de
Mathias Ferrelra n. i, com o Sr. Jos Jaciutho Pa-
vao, ou na Boa-Vista, ilha dos Ratos, ra do Seve
n. 16, com Jos Maria Seve.
Queijos muito bons a 1^600, mauteiga ingle-
za a 680 e 800 rs., franeeza a 640, cha hysson a
2^240 : no armazem da estrella, largo do Para izo
numero 14. ____________
Vend.'in-se II bois mansos, gordos e de Ikiiii
tamanho, proprios para carioca, e 1 eavallo casta-
nbo de bom andar e bem gordo : a tratar na ra
nova de Santa Rita n. i.
Vende-se um preto crioulo, bom de campo,
com idade de 24 annos, muito robusto c sem acha-
ques : na ra Imperial n. 3.1. padaria.
Vende-se un moleqne de 18 annos de idade.
encllente offlcial de pedreiro, bom copeiro, e de
conducta afiancada, por 1:300$: na ra Augusta
n. 114. ______________________________
Vende-se urna bonita escrava parda, de ida-
de 14 annos, linda peca para prendar una noiva :
na ra da Senzala Vetea n. 104.
Vende-se sal de Lislioa por junto e a retalho,
mais barato do que emoutra qualquer parte : na
variado sortimento de objeets para presente, assim como recebeu tambem ricos leques e ricos pentes, ra da Lingoeta n. 14.________________________
iier de alisar e tirar bichos ; na mesnia casa encontrar o respeitavel publico to-
MADAMA VIIVA LECOMTE
RA DA IMPERATRIZ N. 7.
Tem a honra de participar aos seus numerosos freguezes c ao respeitavel publico desta
assim como das provincias, que/ acaba de receber jielo paquete francez Socarre nm completo e
capital]
muito
qner de atar cabello quer
das c quaesquer perfumaras dos mais afamados perfumistas de Parisr e agua para tingir cabellos.
Lavas de pellica de Jouvin.
S'a mesma casa contimi-se a cortar e frisar cabellos pelo preco de 500 rs., e faz-se toda especie
de cabellcira.
OSTRAS
si'iihora o atagou : quem pegar, tenha a honda-
di; de o levar Santo Amaro das Salinas, sitio de
M. fl Cintra, trae sera gratificado.
Precisa-se de una ama para lodo o servico
de nina casa o comprar, para duas pessoas : no
- becco Largo no primeiro andar do sobrado n. 1.
U medico-eirtirgieo Antonio Jos Ferreira
Alves mudou-se para o primeiro andar da casa n.
II da na do Queimado. ____
.\'.-i noiti' de li para lo do corronte ausen-
loti-se da fuidicao da Aurora o mualo Florentino,
bastante alto, ps grandes > mal feitos, ;i||i,a_coin-
iSno : roga-M' as autoridades (Kilieiaes e capitSes
de campo a captara do mesmo, e leva-lo a referi-
da fundieio, onde se gratificar generosamente o
Irabalho.'
Aluga-se utna casa pequea com quintal e
fnict.iras. na estrada dos Amictos : a tratar no
mesmo lugar ein o sitio com casa cinzenta con-
fronte a groja.
fe 13 de julho de 1863,
___________Manoel Amonio da Silva Moreira.
Joaqnim da Costa Ramal, casado, subdito
portugttez, vai para Purlugal Halar do sua saude.
- Os aba i \o assignados fazein publico, com es-
peeialidade ao corito do conmiercio, pie no ultimo
de maio do corrente anno coqiprarain aos Srs. Cor-
reia & Irmaos seu estabeldimento de molbados,
sito na ra do" UvraniCJpfc. 20. no qual desde o
i.-r ju.ii.ui>i"""rTiassado gyra a urpiB ao uor-
reia \ Santos. cuiitil|i;liui(i o inesnio ramo de nc-
necife 13 '' j""'"
Reg,
ALUGA-SE
O sobrado de dous andares da ra do Pilar n.
6, tendo commodos para grande familia, cosinha
fra, terraco e quintal com cacimba.
FOGO! 104.0! FOGO!
Na fabrica da viuva Rufino contina-se a
fazer-se, por preeos commodissimos, todos
os artigos tendentes sua arte, como se-
jam : pistolas, buscaps, rodinhas, etc.: a
tratar no oito do armazem do gaz da ra
lo Imperador, armazem da bolla amarella.
Os abaixo assignados fazem ver ao respeita-,
vel publico e ao commercio, que aniigavelmente!
dissolveram a 30 de junho prximo passado a so-;
em caixasde 2i latinhas de urna libra no ar-
mazem de Tasso & Irmos ra do Amorim
n. 35.
Vende-se urna tanerna eom poueos fundos,
sita no Barro Vermelho, na entrada do engenho
ciedade que tinham as serraras sitas na ma no-; Uenoa : a tratar na mesma.
va de Santa Rita ns. 17 e SS, na razao de Ramos
& C, Picando todo o activo e passivo a cargo do
ex-soeio Coelho. Recife 10 de junho de 1863.
Antonio da Silva Ramos.
Jos Ferreira Coelho.
ESCRIPTORIO
DE
ADVOCACIA
(.un.
Horraia de nezende
Jos Francisco Gomes dos Sanios.
ocio >ui"-i? ..
inoX Bernardino
Fugio do engenho Salgadinho de Muribeca o
escrava Castao, crioulo, de 40 anuos, pouco mais
ou menos, baixo, pouco cabello na calva : rogi-se
as autoridades policiaes a apprehensao do dito es-
eravo, ou a pessoa do novo, que o pegar leve-o ao
mesmo engenho ou a rita de Hurlas n. lli a An-
tonio Joaquim de Almeida Cruz, que ser recom-
pensada de seu trab.llho.
O commendador Manuel
vai pata Lisboa.
Ignacio de Oliveira
Precisase de um botnein para tiabalhar cora
crnica : a tratar na ra da Senzala n. 9.
- Aluga-se um segundo andar na ra do Rao-
gil n. 67 : a tratar na ra do Queimado n. 71.
Cose-se qnahnier costura, e tambera engom-
ma-se com perfeicao : na ra Augusta n. 22.
Os abaixo assignados fazein publico, cora es-
pecialidade ao corpo do commercio, que de com-
inillo accordo dissolveram a soriedade que tinham
Desta piafa, que gyrava sob a razao de Correia &
Irmao, licndo a mesma firma em hipiidacao do seu
activo e passivo desde 30 de maio do convine
auno. Recife de Pemambuco II de julho de 1803
Joaquim Concia de Rezende Reg.
Bernardino Correia de Rezende Reg
Aluga-se a loja do sobrado sito na ra Nova
n. 37 : a tratar com Amaro Goncalves dos Santos,
no Passeio publico, ou na ra Nova n. 3o, luja de j
ferragens. ______________
CASA DE SALDE
Em Sanio Amaro
Dr. *t: Uncu,,,.
l'nieo eslabeleciiiiento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo
que pode com lodo o commodo e zelo tra-
tar qualquer doente, que nella seja rec-
ibido.
O edificio magestoso e conserva-se
era perfeito estado de limpeza e coii'e-
nientemente mobiliado.
Osdoentes sao separados, segundo js
sexos, natureza das molestias e condicodS
Os hachareis Cicero Peregrino e Eduardo de
Barros mudaram o seu escriptorio de advocacia
para a ra do Queimado n. 30, Io andar.
>|} O escriptorio da redaccao da Academia Popular,
t= mudou-se para a mesma casa. ____________
(\) i O abaixo assignado, tendo licado a seu cargo
todo o activo e passivo das serraras ns. 17 e ."k
da roa nova de Santa Bita, que gyravam na razao
de Ramos & Coelho nede a todos'os senhores que
me rstao a de ver o favor de me irem pagar unan
breve possivel, visto ter taiibem de cumprir one-
rosas brigaeoes, e pede outro sini que nem quer
chamar a jnizo, e mesmo publicar seus nomes,
salvo se a tanto o obrigarem. Recife 10 de julho
do 1863.Jos Ferreira Coelho.
;; sociaes.
Precisa-se tingar um sobrado de um andar
na cidade de (llinda, na ra do Vaiadonro : quem
o tiver dirija-se a ra do Hospicio n. 23^________
O abaixo assignado faz scienle que comprou
a armacao da taberna do paleo do Terco n. 141,
livre e ileseinhanicada : quem se julgar com di-
i-eitn. appareca dentro de tres das, a contar do
primeiro annunrio. Recife l.'i de julho de 1863.
_____________Antonio Jos Percha da Cunha.
Precisa-se alugar urna escrava de 14a
16 anuos, para o servico de urna casa de
penca familia: quem tiver annuncie para ser
procurado ou dirija-se ra do Livramento
n.29.___________________________
CRIADA.
Precisa-se na ra do Imperador n. 17, 2o
andar, urna eriada que Saib engommar e
ensaboar.
BA\O I \ I %0
ESTABEIJiCiDO NAtJDADE DO PORTO
Agentes ein Pemambuco
Antonio i.iiiz de Oliveira
\/ectlo k i .
Sacam. por todos os paquetes sobre o
misino banco;i prazo ou avista, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agencias cm Fi-
gueira, Coiinbra, Aveiro, Vizcu, Villa-
Real, Regoa, ViaBoa.de Cash'llo, Guma-
'TM raes, Barcellox. Lauego, Covilhaa, Braga,
f' l'enaliel, Braganea, Amarante, Angra,
liba da Terceira, ulia de Faiat, Ilha da
ladeira, Villa do Condi.'. Valonea, Bastos,
'Oliveira de Azcmeis, Chaves e Fafc, a
oilo dias vista ou ao prazo que se conven-
eitffcar.no su escriptorio ra da Cruz
n. I
Attenco
>
D-se dinlieiro a juros sobre |icnliores de miro :
na ra do Rangehi. 54, das 10 horas da maiihaa
s 3 da tarde,________________________________
- Na noite de 7 para 8 do corrente furlarain
da casa n. 4 da ra do Mondcgo urna hacia de co-
bre, de hatillo, redonda, amaeada de um lado, com
o palmos de bocea ; gratifica-ge generosamente a
quera apresentar dita hacia. "________________
Aluga-se o armazem da casa da ra do Apol
lo n 1; a tratar na ra do Vigarion. 23, primeiro
andar.
Ha quartos fortificados para os aliena-
dos, e nina enfermara para as partu-
rientes.
0 proprietario encarregarse de qual-
quer operaeao.
O esiaheieciuiento franqueado qual-
quer pessoa que o queira visitar.
Priraera classe 3>0(l0diaiios.
Segunda dita.... 2500
Terceira dita.... 25000
Para que qualquer doente sejaali rece- -J
bido, basta qne se mande onoraedo doen-
te e da pessoa que o remelle, com a de-
cJaraeao da morada.
O proprietario aceita contratos annuaes
com quahpier que queira ter um ou mais
leitos sua disposieao.
]lgl[;li;lgl
e gco-
Aluga-se a casa terrea sita na Cidade Nova
de Santo Amaro, e rom bastantes commodos para
una numerosa familia : quem a pretender, diri-
ja-se a ra do Rosario da Boa-Vista, casa n. 4, que
achara com quem tratar.
nunn nni^ir'
JH l^usiuo de physica
metria.
px Geiim Brandao, tendo frequenlado o S
S curso de geometra e o de physica na Sor- {(
bonna ein Pars, propoe-sc a ensinar essas rjgj
materias na ra do Queimado n. 30, ni- s
niero andar, jiara o que pode ser procura- l)
do das 10 1 da tarde, e depois disso em fgjl
sua casa jirafa da Boa-Vista, esquina da 8g
I ra do Aragao, 3o andar. ga
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da ra
das Cruzes n. 39 : a tratar no segundo andar do
mesmo sobrado.
MUDANCA.
400
400
.'iOO
200
100
420
iO
'iOO
500
1)9000
*r ^
Aluga-se a casa terrea da ra Imperial
66 : os prctendentes dirijam-se Caixa Filial.
Os senhores credores da massa fallida de
Vil' ("amargo j Silva, sao convidados pelo prsenle pa-
ra apresentarem seus ttulos de divida aos admi-
nistradores da predita massa, na conformidade do
n. disposto no artigo 859 do cdigo connnerciai, para
em seguida se proceder o rateio.
Alugam-se a loja do sobrado n. 193 e armazem
n. 171 da ra Imperial, o armazem n. 4 da ma do
e a casa n. 27 da ra do Burgos : na ra
da Aurora n. 36.
Alugam-se
Contina a haver pao de centeio nos dias quar- i -
tas e sabbados de cada -emana, na padaria. em
Sanio Amaro, ao p da fundicao, e na ra da Im-
perairiz n. 22. ra do Brum, "confronte ao chafariz
n. 47, e ra do Rosario larga deposito n. 36.
----------------------------------------------------------- Dous arraazens pequeos na travessa da Sanzal-
Ao n. y. | la Velha, por detraz da loja n. 50 da ra da Ca-
Noca loja tos baraleiros, ra do Queimado. i lea, muito prximos alfandega e ao caes do
Chitas francesas muito finas, covado a 300,! Apollo, c por isso proprios para qualquer fim e
320 e 360; baldes de panno, a 3&500; fustao de servirem para uin s por terem communicacao; a
cores, covado a 320; cassas francezas fazenda tratar na sobredita loja com Cunha e Silva,
muito fina, a 500 ris a vara; cambraia lisa de 10
jardas, a 35500 ; dita fina, peco de 20 jardas, a
85000; laas muito linas para "vestido, covado a
500.
Ao ii. 29.
Abra loja dos baraleiros, ra do Queimado.
Paletots de alpaca raesclada, a 45000; camisas
inglezas a 15600; briin lona de linho, vara a 640;
grvalas de seda superior, a 500 reis; ricas abo-
toaduras para colote, a 300.
Ao n. 29.
Nova loja dos barateiros, ra do Queimado.
Neste estabeleciniento vciidem-se os artigos se-
grales por menos de nietade do seu valor : franja
de algodao branca peca de 45 varas, a 15600;
bicos pretos de linho, vara a 120, 160, 240 e 320;
botoes de veludo, de seda e de fustao, duzia 120
reis; rendas finas peca de 10 varas, a 500; en-
tremeos muito largos" e muito finos, peca a 45500;
touqunhas de vdnlio para criancas, a 500 reis.
Alugam-se as lojas do sobrado n. 44, em a
ra da Aurora : nesta mesnia ra n. 10,
dir-se-ha quera aluga.
CASAS PARA ALUGAR-SE.
Alugam-se o 2o andar da casa n. 51 e 3o
n. 53, ambos no Recife, ra da Cadeia: para
ver se acharao as chaves dos mesmos na lo-
ja n. 51, do Sr. Joo da Cunha Magalhes.
Joo da Silva Ramos, medico pela Uni-
versdade de Coimbra, d consultas em
sua casa, na cua Nova n. 50, >das 8 s 10
horas da nianhaa, e das 4 s 6 da tarde, e
recebe egualmenle convites para ocntro
ou fra da cidade, com o fim de se encar-
regar de qualquer servico de sua profls-
so.
Os chamados deverao vir por escripto.
Deseja-se muito fallar com os Srs.:
Manoel de Souza Leao Jnior.
Horacio de Souza Leao.
Joao da Silva Santos (einpregado na estrada de
ferro.)
Jos Antonio Lopes Jnior (do Rio-Formoso.)
na ra do Crespo n. 17, loja.
Precisa-se muito de um sacerdote para
capello neste districto da freguezia do Bonito; o
reverendissimo padre que estiver dispostq
para ajustar a capellana tratar com o abaixo
assignado, escrevendo-lhe com brevidde.
Povoaco de Campias, 2 de julho de 1863.
Galdino Alves Barbosa.
ANNUNCIO.
Aluga-se na ra da Matriz da Boa Vista n.
21 un moleque para todo o servico de casa.
^^TbugTsiMiraaielaescrava^propria^^
servieps caseros, e vender na ra : a tratar na
ra nova de Santa Rita n. 1.
0 rival sem segundo mudou o seu estabe-
lecimcnto do n. 55 para o n. 49 da mesma
ra e contina a vender em todas duas lojas
as miudezas abaixo declaradas e queiram
prestar toda attenco:
Sabonetes inglezes muito finos a
160 e.........
Frasco d'agua de Colonia peque-
no muito fino......
Dito dito grande muito superior. .
Frascos de macassar perola a. .
Ditos de macaca oteo a. .
Pracooo Je oieo Barbosa a 2iu,
320 e. 4v.
Dito dilo muito superior a 500 e .
Dito de banlia muito fino a 400 e .
Frascos de Lavande muito superior.
Garrafas dagua celeste muito su-
perior a........
Frascos de cheiro muito finos
500 e.........
Ditos de banha pequeos muito fina.
Dito de opiata pequeos. .
Thesouras muito linas para unhas.
Grvalas de seda de cores. .
Lavas brancas de algodo .
Caivetes de 2 folhas muito finos .
Caas de cohetes franfezes e ca-
bles ......... .40
Grampos de caracol e lisos. 40
Caixas de vidro com 12 dedaesde
metal......... 320
Massode palitos lixadospara denles. 160
Grosas de botoes de ac para calca. 320
Caixas com 6 frascos de cheiro. 1^000
Escovas para cabello muito finas 640
Carteirasdemarroquimmuitofinas. 640
Pecas de tranca lisa encarnada. 20
Tinteiros com tinta muito superior. 160
Ditos de vidro com tinta mais in-
ferior......... 100
Cartas de alfinetes francezes 40
Cornetas de chifre para meninos 80
FAZENDAS.
Xvo estafeeleclmeat* de meta-
dlo, Carvalho. dt V.
27Ru do Queimado27
Preft barato 260 ra.
Superior fustao francez, proprio para
roupa de senhoras e meninas, de lindos de-
zenhos e pelo barato preco de 260 rs. o co-
vado.
dadla
Madapolao fino entestado, cora 20 varas,
a 8# a peca.
Orjuijs.
Finos organdys matizados, a 240 rs. o-co-
vado.
cortes
de collete de fustao fino, para roupa de me-
ninos, a 320 rs.
Orrlaiiha.
de linho fino, pecas, a 5^500.
Learcs
de linho fino, pelo barato preco de 2.
CeberUs
de chita chineza, a preco de 2>.
Cak-inbas
de linho para senhoras e meninas, a 600*
800e1#.
Uolinhas.
Calcinitas bordadas para senhoras e meni-
nas, pelo barato preco de 2$500.
Bramante
de linho com 10 e 12 palmos de largura, a
2*800, 2* e 2.J500.
La.
Lindas laas para vestidos, a 440 rs. o co-
vado.
Lencos de cassa, a I$600 a duzia.
Cortes
de meia casemira para calca, a H cada um
corte, propria para a presente estaco.
XO ARMAZEM OE FAZENDAS BARATAS
DE
t vros < oii no
liiin do Queimado n. 19.
Vende-se o segninte:
Cobertas
de chita da India, a 2:000 rs.
Lcnres de paant
de linho, a 2:ooo rs.
Lencnes de bramante
de linho, de um panno s, a 2:8oo rs.
Toalbas alcorhoadas
para mo, pelo baratissimo preco de 5:ooo
rs. a duzia.
Riros vfstidiahns
de seda para meninas, pelo baratissimo pre-
CO de 4:ooo rs.
Lcucos de seda
pelo barato preco de I :ooo rs.
Saias de fusta*
pelo baratissimo preco de 5:5oo rs.
Lencos de cambraia
brancos finos, proprios para algibeira, duzia.
a l:8ooc 2:ooo rs.
Lencos de rassa
finissimos, proprios_para algibeira, polo l>a-
ratissimo preco de 2:4oo rs. a duzia.
Corles de cala
de ganga mesclada, de listas 8 wfljMfcMj
fazenda superior, pelo baratissimo preco l:2oo rs. o corte.
Pecas de madapolao
largo superior, pelo baratissimo (Meco de
8:ooo rs.
Pecas de bretanha
de rolo com lo varas, pelo liara to vero de
3:2oo rs.
Pecas de rainltraia
de salpicos, fina, com 8 1 2 vara.-, mh ba-
rato preco de 4:ooo rs.
Aloalhados de Hubo
com 8 palmos de largura propro para b i-
Iha de meza, a 2:5eo rs. a vata.
Toalbas
800 de linho para meza, a 3:ooo rs.
200 Bai-ccc
) de lindos gustos, pelo barato pimedi 48)
rs. o covado.
Esleir da ludia
propria para forro de sala, de 4, 5 e 6 pal-
400
500
100
320
".No Mondego n. 95 cortam-se papis para en-
feitar pratos e bandeijas por pre^o razoavel.
Lava-so e engomma-se com perfeicao e preco
I commodo ; na na Direita n. 39.
%.!.%..
Precisa-se de una mulher para fazer o servico
de casa do quatro rajjazes solteiros : para iratar,
na rua da Cruz n. 8, yyundo andar.____________
Ollerece-se um mo$o portuguez para caixeiro
de eobrancas, armazem, ou para leceionar primei-
ras letras em alguiu engenho uerto da praca : a
iratar na rua do Rangel n. 6.
AMA DE LEITE*
Precisa-se de urna ama de leite que nao tenha
filho : no boceo da Roia n. 14.
Primo Luciano
negocio.
Aluga-se um quarlo proprio para mono sol-
teiro, preco commodo : na rua do Rangel n." 6.
COMPRAS.
dos Santosj vai a Alagoas a
Vicente rerreira dos Santos subdito portu-
guez vai a Europa, levando em sua companliia A
uaprna Antonia Francisca Moreira.
ALVIQARAS A NOVIDADE.
Sao chegados loja das columnas
na rua do Crespo n. 13 de Antonio
Correa de Vasconsellos & C. riquis-
simos cortes de 15a muito fina com
barras estampadas e matisadas Ira-
peratriz Eugenia, cores as mais deli-
cadas como sejam: cor de ganga, de
lyrio, cinza (tic, fazenda fnteiramen-
te nova e nunca vista em Pernam-
Jnico,
Deseja-sc comprar urna pequea casa, ou
mesmo meia agua, em urna das freguezias desta
Compra-se
cobre, latao e chumbo velho : no armazem da bola
amarella da rua do Imperador.
Compra-se effectivamente ouro e prata em
ddade: SZTl ^ vaior nTo S" de 8uo3 9^kST W IndePendenCa n" 22 ,0"
ou 90JI: quera a tiver annuncie por este Diario Ja ac D'inetes.
para ser procurado.
Precisa-se de urna ama de leite,
mas que tenha, quando muito at 6
mezes decorridos na criaco de que
se ache encarregada: na na estreita-
do Rosario n. 31,3o andar, por cima
do armazem de trastes do Sr. Mo-
reira.
Compram-se garrafas vasias
numero 14.
__Alui,'ra*8e fl casa terrea da rua do Hospicio n.
27 Dronna "*ra cstobe'ecimento de taberna ou ou-
tro' qualquer' aC^P1 logar de esquina etpr
commodos para la.",,"Jia ?ratr Da *** do Cate~
:l.Tello n, 17. padaria.
Aulas de la'm e francez,
Acham-se abertas as aulas de latim e fratlcC de
Antonio Joaquim dos Passo;
numero 18,
AUcnco.
na rua Direita
Vende-se um sitio com casa perto do Behe-
doro, da estrada nova do Cachang, e da munici-
pal para a Varzea, cora boa baixa para capim,
verduras, etc., c terreno para mitras lavouras, ja
em parte plantadas, cora muitos e diversos arvo-
redos de boas fructas, tem boa agua de beber e
para banhos no fundo do sitio do dito riacho Be-
bedora, o qua Le corrente todo o anno; ou troca-so
por urna escrava tornando-sc o excedente do valor
era dinheiro: quem pretender, dirija-se ao dito
sitio, ou na Estrada Nova, a fallar com o seu dono
Jos Paulino de Almeida Catauho, ou annuncie a
morada para ser procurado.
Vende-se um terreno com 300 palmos de
frente e 250 de fundo, na rua da Amizade na Ca-
punga Nova, os quacs se retalham, havendo con-
correnlcs : a tratar na Soledade, rua da Esperan-
Ca n. 16, ou rua do Imperador n. 81, primeiro
andar._________________________
Taberna.
Vende-se a taberna da rua do Codorniz n. 3
com poueos fundos, e a casa tem conunodos para
morada, c o aluguel 6 barato ; o motivo de se ven-
der c seu dono estar doente e precisar sahir para
o mato iara se traan________________________
mos de largura.
GRAHD L10lDClQ)
S \0 YH.IL4\TE
lina do Crespo n. 9.
Tudo ser vendido por precos baralissi-
Gaz liquido 1%$.
Vende-se na nova exposicSo de candiei-
ros a gaz, na rua Nova n. 24, latas de gaz
de 1.* qualidade e nao inflammavel, a 120,
contendo cada lata 27 garrafas, que muito
convem a quem gasta este liquido: na rua
Nova n. 2i, loja de Carneiro Vianna.
Farinha de mandioca
em saccas grandes, e de superior qualida-
de : no armazem de Tasso Irmos, rua do
Amorim n. 35.
VENDAS.
Espravocs, encimadas, fieiras, es-
ponjas, tonlhos, sobrecannas, sobre-
nervos, e todas e quaesquer enfer-
midades a que sao sujeitos os caval-
los, encontrarao um remedio niira-
culosona applicacao do afamado ohio de Merchant
. venda no armazem da bola amarella no oitao do
na rua da Gloria' 8a2 da n,a do lmPerador aos Preb ^ ^ *280
;e2560.
Llnguas inglezas
em salmoura: no armazem de Tasso Irmos,
rua do Amorim n. 3o.
mos, como seja:
Chapelinas, a 4:ooo e o:ooo rs., as que se
vendiam a 15 e 16:ooo rs.
Touqunhas para criancas. a loo is.
Ditas de linho, a 6oo rs.
Ditas de fil de seda, a 1:000 rs.
Ditas de merino com algum defeito, a loiS
8oo e l:ooo rs.
Ditas de seda, a 2, 3 e i:ooo rs.
Ditas de la, a 3 4o, 4oo e 3oo rs.
Enfeites de retroz para meninas, a 8oo rs.
Meias de cores para menino a 2:ooo a duzia.
Manguitos para senhoras, a 1 :ooo o par.
Gollinlias bordadas, a 4oo, 5oo, 8ooe I :noo rs.
Trancas de linho, la e seda, a 6oo, 8uo, loo
e 12o rs. a vara.
Franja de linho, de la c de seda, a Go, 8o,
loo, 12o e 2oo rs. a vara.
Leqnes.
Leques de sndalo e madrejierola muito fi *
nos a lo e 12:ooo rs.
Ditos chinezes, a 6 e 8:ooo rs.
Ditos charo, a 4:ooo rs.
Frco de seda.
Frco de todas as cores, a 16o rs. a peca.
Dito de la, proprio de botar em tapete, a
2:ooo rs. com 10 vtras.
Franjas pretas.
Franjas largas pretas, proprias para enfeites
de capa ou mantelete, a 2:ooo rs. a vara
da que se vende a 6:ooo rs.
Rua do Crespo i. 7.
Isto s no Vigilante, que quer diminuir
o grande deposito que tem, por isso a sua
boa freguezia deve-se surtir antes que se
acabe, pois, aflianca servir a vontade do
comprador.
VENDE-SE M GUARDA VESTIDOS
de cedro novo, de armar e desarmar, muito
barato: na rua da Assumpco n. 34.
HANILUA
Sao chegados os chapeos de maniOia, os memo-
res e mais finos que tem vindo a este mercado:
na loja de Maia huaos no arco de Santo Antonio.
J se nao vende da*se
\ty.
No atierro da Boa-Vista n. 65, vende-se
gaz da melhor qualidade, retinado, purifi-
cado, pelo barato preco de 120, gala
2f5300, garrafas trazendo vazia 560 rs., val
a pena, pois, duas passadas. A elle antes
que se acabe: quem quizer em porcao da-se
mais barato._______________________________
BOM NEGOCIO.
Vende-se urna taberna em muito bom lu-
gar no Recife com pouco fundos Iluminada a
gaz, a dinheiro ejyaso, e tambem se vende
a armaco s com seus pertences, o motivse
dir ao comprador: a tratar na roa da Sen-
zalla velha n. 46, deposito.
!


Mari* 4c ttCMMlMIe talmu fel* l
de i8*3.



-
!
.
*>
NOVA EXPOSICAO
na loja do Pavo, de fazendas bara-
tissimas.
2:500
Cera 8 1/2 vara, a 2:990 rs. vfne Pava. ] Arara vende as colxas.
Pecaste eggraia transparente com"pal |
minlias bordaeYde cor, tendo 8 Ir varas
cada peca, a 25500; ditas mais finas, a
35500;, pee de cambraia de salpico bran-
S f|2 varas, a 45: so na ra da
cocom i rz varas, a 4)5: so na ra uu
Neste estabelecimento acha-sc contante- lm )eratrJz n m fo. ^^ do-Pav3o.
mente um grande sortimento de fazenuas *
de gosto e de primeira necessidade, sendo Cortes de cachemira da Escocia, a 2:000, na
tanto proprias para a praca, como para o t jft.a j0 paVi0.
Vendem-se esta nova fazenda muito encor-
pada imitado de casemira, tendo padroes
escuros e alegres, afiancande^seque nao des-
bota, a 2$ o corte para calca, ou 580 rs. o co-
vado para paletot, colete etc.: s na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
mato ; de todas as fazendas do-se hvros de
amostras, deixando flear penhor, ou man-
dam-se levar em casa tas familias pelos ca-
xeiros da loja do Pavao.
LSas garlbaldlnas. 440i%, na
loja do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laas garibal-
dinas de quadrinhos transparente, proprias
para vestidos de stahiSras e reupihhas pira
meninos, por serem os-padroes mais moder-
nos que tem diegatio de Pars, a i40 rs. o
covado: na loja do Pavo, ra da Impera-
triz n. 60, de Gama d Silva.
Las transparentes, a 5Ors.,
na loja do Pavo.
Vendem-se as ais modernas lazinhas
transparentes com palminhas matisadas e de
'cores muito delicadas, a 440 rs. o covado;
ditas enfestadas dema s cor com quadri-
nhos, fazenda muito fina, a 500rs. o covado';
ditas matisadasde muito bom gosto, a 560 rs,
o covado ; ditas de quadrinhos, a 400 rs. o
covado* t na loja do Pavao, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama Sirva.
Utas com 8 palmos de largura,
na loja do Pavo.
Vendem-se lazinha enfestada propria para
vestidos, com 8 palmos de largura, sendo
fazenda mais moderna que tom vindo ao
mercado pelo baratissirao preco de 10600 o
covado: s na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavao.
Las
rs..
para vestidos, a 2 SO
s na loja do Pavo.
Vendem-se lazinhas cafestadas proprias
para vestidos, pelo barato proco de 280 rs. o
covado, sendo muito mais barato do que chi-
ta; ditas transparentes, a 240 rs.; ditas la
e seda, a 440rs. o covado: s na ra da
Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Cassas a 200 rs. o covado.
Vendem-se cassas francezas de padroes
miudinhos e cores fixaspelo barato preco de
200 rs. o covado; ditas finas a 340 e 320
rs. o covado: s na ra da Imperatriz ,n. 60,
loja do Pavo.
Organd, a 4 rs. o covado.
na loja do Pavo.
Vendem-se- organdy de cores matisado, fa-
zenda que val muito mais dinheiro, pelo .ba-
rato preco de 240 rs. o covado ou 400 rs. a
vara: s na ra da imperatriz n. 60, bija
do Pavao.
O Pavo vende os modernos ves-
tidos balo,
com barras Mara Pa, sendo os mais
modernos que que tem vindo ao mercado,
com a saia>de um s panno, tendo bastante
fazenda para o corpa, e vende-se pelo barato
prego de 30500 cada um esta pechincha
s existe na ra da Imperatriz n. 60, tija e
armazem do Pavo.
forv* de fficasia. a Jf. na
loja do Pavo.
Vendem-se ricos cortes de cambraia fanta-
seadas seda, pelo baratissimo preco de 6):
ditas, a 45; ditas, a 30500: s na ra da
Imperatrie n. 60, loja e armazem do Pavo..
Cortes de cambraia, a 3#.>00.
na loja do Pavo.
Vndem-secrtes de cambraia brancos com
babados, a 26500; ditos, a 40; ditos com
barras e babados de seda, a 30, 30500 e 40;
s na ra da Imperatriz n. 60, loja e.arma-
zem do Pavao.
.Cortes de cambraia chineza, a
tft. na loja do Pavo.
Vendem-se ricos cortes de cambraia chine-
za, es mais modernos que tem chegado, sen-
do brincas com lindissimos padroes, pelo ba-
rato preco de 40 cada corte, tendo bastante
fazenda para um vestido: jsto s na ra da
Imperaiz n. 60, loja c armazem do Pavao.
Alpaklm ou gorguro de Hnico.
a lO rs., so no Pavo.
Vendan-sealpakim ou gorguro de linho
proprio para vestidos e roupas de enanca,
pelo barato preco de2i0rs. o covado: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Baldes a 300. s o Pavo.
Os palctots do Pavio, assobrecasaeado a 1 2:000 rs.
Vendem-se paletots de panno, sobrecasacas
de panno preto muito bom e muito bem
feitas, a 120: sobrecasacs de dito, a 140;
paletots sacos de dito, a 70; calcas de cache-
mira da Escossia, a 30 ; ditas de casemira
preta, a 50; ditas de casemira de cor, muito
fina, a 70 e a 50500; coletes de casemira de
cor e preta; paletot de casemira de cor,
a 70; tudo isto para apurar dinheiro: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavao.
Chitas largas a 280, s o Pavao.
Vendem-se chitas francezas com toque de
mofo, tendo padroes miudinhos, a 280 rs. o
covado, afianeando-sesercorfixe e que solta
o mofo logo que se lava: s na ra da Impe-
ratriz n. 60, loja do Pavo.
Fazendas brancas, na loja do
Pavo.
Vendem-se pecas de madapolo enfestado,
francez, com 20 varas, a 80; ditas cora 42
jardas, a 40; dito inglez muito fino, a 70,
70500 e 80; ditos muito superior, a 100;
ditos de 40 jardas muito fino, a 40800 e a
50600; algodozinho muito encorpado, a
40800, 50500 e 60; bretanha com 4 pal-
mos de largura, muito fina, a 10 avara;
pecas de cassa de cordo para babados, com
6 varas, a 30500 ; ditas com 12 varas, a 70:
Os manguitos e golinhas do
Pavo.
pechincha, a 320 e a 100 rs.
Vendem-se golinhas de fil, bordadas, a
400 rs.; ditas de cambraia, a 320 rs.; cal-
cinhas para meninas, a 500 rs.; manguitos,
a 500 rs.; manguitos com golinha, a 800
reis; manguitos de cambraia, a 320 rs.: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavao.
Chegaram em dlreitura a loja
do Pavo.
Vendem-se a 1:600 rs. o corado.
Acaba de chegar pelo ultimo vapor, um
lindosortimento de lazinhas transparentes,-
tendo urna s cor, lizas e de quadrinhos
miudinhos c mescladas, propria para vesti-
dos de senhoras, capas e zuavo etc. Tendo
esta fazenda 9 palmos de largura, que se
pode fazer um vestido at com 5 covados,
sendo neste artigo a .fazenda mais leve que
tem viudo ao mercado^ vende-se a 10600 o
covado, nicamente: na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama t- Silva.
Pechincha, a AOO rs. o covado,
sO o Pavo.
Vendem-se as mais modernas lazinhas
anfiwtadafi, transparente, tendo 4 palmos de
largura, .e sendo lizas e de quadrinhos. de
urna so cor, propria para vestidos e capas,
a 500 rs. o covado: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Vendem-se ricas colxas aveiudadas para
cama a 80000, ditas de fustjto a 50000, ditas
de chita a 25000, brim deTinho e algodao
branco a 800 rs. a vara, dito de linho puro
a 10,10120, 10280 e 10600 a vara; na loja
da arara ra da Imperatriz n. 56 de Mendes
Guimares.
Baldes da arara de tO & to
arcos.
Vendem-se os melhores baloes que tem
vindo americanos de 20, 2o, 30, 35 e
40 arcos, a 40, 40500 e 50, ditos de ma-
dapolo bem feitos a 30500 e 40, ditos de
brilhantina a 40500, baloes saias de cordo
que faz a vez de balo a 20; na ra da Impera-
triz arara n. 56.
Arara vende manguitos a
30OOO.
Vendem-se manguitos e golinhas de linho a
20 o par, golinhas para meninas a 400 rs.,
ditas para senhoras a 400 rs.; na ra da Impe-
ratriz n. 56.
ntremelos da arara.
Vendem-se peras de entremeios transparen-
tes a 10, tiras bordadas de largura de 3 a 4
dedos a 10280 e 10600 a peca, cortes de la
Mara Pia a 40, ditas de la chineza com
22 covados a 80, ditos de organdys com 15
varas a80, ditos com 9 varas a 60500; na ra
da Imperatriz n. 56, arara de Mendes Gui-
mares.
Chitas da'arara.
Vendem-se chitas francezas finas a 320,300
e 400 rs. o covado, riscado francez a 280
rs. o covado, aberturas para camisas a 240
rs., (Utas de linho brancas a 800 rs. o cova-
do, tarlatana de cores aiOOrs.avara; na ra
da Imperatriz n. 56.
Cortes de casemira da arara.
Vendem-se cortes de casemira enfestada
escura a 20, cortes de brim para calcas a
10 e 10220; na ra da Imperatriz loja da arara
n. 56 de Mendes Guimares.
CHEGADO A VAPOR
s para o vigilante.
At que chegaram as lindissimas camizinhas com
colarinhos, punhos e jravatinhas, todas bordadas,
pois sao de melhor gosto que as senhoras podein
encontrar : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
< apellas para nivas.
Tambem chegaram as riqiissimas capellas bran-
cas ornadas com urna linda palma para peito, o
melhor gosto que
do Crespo n. 7.
GRANDE LIQUIDAQaO
de fazendas para apurar dinheiro, por
baratissimo preco na loja e arma-
zem da Arara ruada imperatriz n.
36 de Lourenro Pcreira Mendes
Guimares.
ALEMA FRECUEZES, i 200 RES.
Vendem-se lazinhas com pequeo toque de
mofo para vestido a 200 rs. o covado, meias
para meninos a 100 rs. o par, ditas para ho-
mens a 120 rs., lencos brancos finos a 200
rs. cada um; na loja da arara ra da Impe-
ra! riz n. 56.
possivel : s no vigilante, ra
Enfeites Harta Pia.
Tambem chegaram os novos enfeites a Mara Pia,
sendo ultimo gosto de Pari6, assmcoino se fecebeu
a nova remessa de conservadores para cabello de
todas as cores : s no vigilante, ra do Crespo n. 7,
Babadinlios e liras bordadas.
Tambera chegaram os riqnissimos babadinlios e
tiras bordadas de muito lindos padroes : s no vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Cravatinhas.
Tambem chegon um novo sortimento de gravati-
nhas de todos os gostos, tanto para senhora como
para hornera e para menino : s no vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Cintos.
Tambem ohognm o novo norimonto iic cintos de
laco o borlota, orno sem ella : s no vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Lindos bonqnets.
Tambem chegaram os lindos bowmcts de (lores,
assim como rosas e camelias, cousa de muito gos-
to : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
45-RTJA DIBEITA-4C
Eia, rapasiada, eoragem parece queja-|
entregastes os vossos joanetes aos duros sei-
xos do pessimo calcamento da nossa cidade f
S se observa em vossos p^s botinas acalca-
nhadas e gastas at ultima sola; sapates
rasgados e quasi sem saltos___nem tanto!.
a qnebradeira nao deve chegar at este pon-
to I Vinde ra Direita munir-vos de excel-
lente calcado com 40 e at 60 por cento
menos do seu valor.... attendei:
Borzeguins, Nantes, bezerro e va-
queta 2 e meia solas .... 80500
Borzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta e lustre 2 solas. .... 80000
Borzeguins, francez e hamburguez,
bezerro, lustre e couro de por-
co 70 e,.......60000
Sapates, Nantes, bezerro e vaque-
ta 2 e meia solas. .... 50500
Sapates, Nantes, vaqueta, lustre e
bezerro 2 solas......50000
Sapates, Nantes, sola e vira. 40000
Borzeguins para senhora, inglezes. 40000
Ditos para menina, com laco. 30500
Ditos de ditas, de cores. 20800
Sapatos para senhora e homem,
tapete......... 800
Sapatos de borracha para senhora. 10400
dem idem para meninas. 10000
SALSAPARRILHA
ARMAZEM DE MOLHADOS
DE
i^Wtmoe/ eca c/e ^weuo:
toa

DE BRISTOL.
As curas milagrosas de
f:\CRort iis\
"ULCERAS,
CHAGA8 RTICAS,
EHTERMIDADES SYPHWTICiS,
Eryeipclas, Rheumatismo,
Neuralgias, Escorbuto,
etc.,
co.,
que tein grangeado e
nome
etc.,
dado o alto re
&
99

(9
H
<
5
H
O
2

>
>
0
M
>
W
S
ir*
H

Ql ttlllAM LER.
Tendo o BALIZA dado o seu balanco no ultimo dejunopassado,e des-;jdon>-
novar o magnifico sortimento de seu GRANDE ARMAZEM, chaina pelo |<
atteiH'ao do respeitavel publico para os precos dos gneros abaixu menrmnadus, (uc -ui
vei'dade s5o-osmais razoaveis qe se pdem adiar, alienta a sna boa qualidado.
Soldado voluntario do hatalhao progressista, o BALIZA o homem i
ment. Elle pede, pois, aosseus bons camaradas, que tio todos osmimg* J uni.*
favor de nao Uie darem um minuto de descanco obrigando-o a vender lodo '_
Desta soi-te BALIZA vivir corAonte e contentar tambem aos seus fregueze, ****"
.do-lhes sempj generosamente, talvez que ainda por precos mais razoaveis.
Salsaparrilha de Bristol
por todas partos do
sinente devidas
universo, silo to
LIOIDACAO
a
do fazeadas baralissiraas, na Roa-Vist, ma da
Imperatriz n. 20. x
Cambra'ms adamascadas com 20 Taras a 85.
Ditas com 8 ditas a 25.
Ditas lisas com 8 ditas a 25.
Fil liso muito lino a 800 rs. a vara.
Chales de merino estampados a 45.
Madapolo en tro-tino com 20 varas a 85.
Casemiras finas de urna s cor a 15600 o co-
vado.
nica Legitima e Original
SALSAPARRILHA DE BRISTOL,
PREPARADA EXCLUSIVAMENTE POR
LAMAN & KEMP DE XOFA FORK,
Mediante a rcelta Jo Z>r. V. V. Bristol.
A venda as boticas de Caors Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo A C, ra
da Madre de Dos.
SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado n. US, loja de miudezas de
Me de Azevedo Maia e Silva, est vendendo todas
as suas miudezas por precos eme todos adniirain,
como sejam :
Varas de aspas para fazer baloes. .
Caira com superiores obreias ....
Pares de botos do punlios a .
Pares de sapatos de tranca muito finos
a 15440 c..........
Pecas de fitas de velludo recortadas coni
o varas a..........
Caixas com muito superior papel amiza-
dc e outros a
120
40
160
15800
15o00
Algodao monstro, superior fazenda para toalhas M**?08 c"i superiores grampos a.
Arara vende vestido de Chita a
3#000.
c lences a 800 rs. a vara.
Bramante de 10 palmos de largura a 15600.
Grvalas de seda a 320 rs.
Oleados de diversas larguras e de ricos desenhos
; para mesas de jantar a 25 o covado.
Vendem-se corles de chitas escuras com to- Flanella branca muito tina a 640 rs. o covado.
que de mofo a 25000, dRas limpas sem deTSK^&K SS*?"08 Par^ttttri08
mofo a 2500c 35000. cortes de L** -1p cwu$%*?1\?.covada
700
40
80
80
Vendem-se baloes americanos que sao os
melhores, tendo 20 arcos, a 35500; ditos
de 30, a 45300; ditos de 40, a 35 ; ditos
de bramante, a 35500 e 45; ditos para me-
ninas, a 25 e a 35: s na ra da Impera-
triz n, 60, loja e armazem do Pavao.
Vestidos para menino, a 2#.
Vendem-se vestidinhos para meninos, sen-
do muito bem feitos, a 25 cada um: s na ra
da Rnperatriz n. 60, loja e armazem do
Pav5o.
Cortes de ehita. a .oo. na
loja do Pavao.
Vendem-se cortes de elida com 12 1|2 co-
vados eada um, a 25500; ditos com 10 cova-
dos, a 25; cortes de cassa miudinha de co-
res fixascora 10 covados, a 25; ditos de
organdy mathisado com iO covados, a
25400: s na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pav3o.
As easemlras do Pavo pechi-
neha a .#.
Vendem-se cortes de casimira franceza para
caifa, fazenda muito fina, padroes claros e
escuros, a 55 o corte: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60.
O Pavo vende a 30 e 36AOO
cortes de la, a 35 e 35500; ditos com 22
covados, a 35: s na ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavo.
s na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Fusto do Pavio.
Vendem-se fusto com lavr miudinho
para roupa de meninos, a 320 rs. o covado;
brim de linho de quadrinhos para rotapa d
meninos, a 560 rs. o covado;-ganguelim
de urna s cor, a 320 rs. o cotio; popelina
de la, de quadrinhos encarnaos e pretos,
para vestidos de senhoras e Bpupa de meni-
a 25500 c 35000, cortes de cassa de
cores de barras a 25000, ditas de cassa pin-
tadas a 25000; na ra da Imperatriz n. 56 de
Mendes Guimares.
Organdys da Arara a 40.
Vendem-se organdys finos para vestidos a
240 rs. o covado, cassas finas a 240 rs. o
covado, popelina de quadrinhos para vesti-
dos a 280 rs. o covado; na ra da Imperatriz
arara n. 56 de Mendes Guimares.
Arara vende as lazinhas dos
vestidos.
Vendem-se lazinhas muito finas e lindos
dezenhos a 400, 440, 300 e 640 rs. o cova-
do, chaly muito fino a 500 rs. o covado; na
ra da Imperaiz n. 56 arara de Mendes
Guimares.
Roupa feita da arara.
Vende-se costumescompletosd'umafazenda
chineza por 125 o costume, paletots de brim
a 25500 e 35000, ditos de meia casemira
Chitas escuras e claras, padroes intejramente
novos e muito finas a 400 rs. o covado.
Lazinhas chinezas muito superiores a 500 rs. o
covado, e outras muitas qualidades de fazendas
Sreeos muito commodos, afim de apurar dinheiro
ando-se de tudo as competentes amostras.
PENTES
0 novo gosto de penliuhos chegados neste ultimo va-
por para a loja do vigilante, rna do Crespo n. 7.
Caivetes de aparar penas a
Agulheiros com agulhas a.....
Duzia de meias brancas para homem,
muito linas a......... 15600
Duzia de meias para senhora, fazenda
fina a............
Cornetas de chifre para meninos a .
Escovas para limpar denles muito finas.
Baralhos de carias para voltarete muito
linas a...........
Ditas portuguezas a 160 e.....
de fazendas Frascos de agua de Colonia muito boa a
400 e............
Ditos de oleo babosa a 240 e.....
Ditos com superior oleo de macar a .
Ditos com superior macaca perol a .
Ditos com superior banha'transparenle a
Ditos com superior cheiro a.....
Ditos com superior agua celeste para
cheiro...........
Trancas de algodao brancas c de cores a
Caixas com superiores obreias de colla .
Ameixas em frascos de vidro, a 15500.
Ditas em caixnhas com lindas figuras, a
5/200 e 25400.
Ditas em latinhas, a 15400.
Ameadoas confeHadas, a 900 rs. a libra,
dem, a 280 rs. a libra.
Arroz (Carolina), primeira qua*lidadc\, a 126
rs. a libra.
Dito do Maranho, a J20 rs. a libra>
Azeitonas novas de -Lisboa e Porto,- a $ c
l/200aancoreta.
Azeite doce refinado, a 800 rs. a gari *ai'a-
Ditoem barril, a 640 rs. a garrafa.
Dito de carrapato, a 460 rs. y garrafa.
Aw>z com casca, a 35 a saca, orn 20 eoia *
e a 240 rs. a cuia.
Ancoretas americanas de6e 12 garrafas,
muito bem fabricadas, a i} cada urna.
Araruta muito fiua, a 320 rs. a libra.
Bolachinhas americanas, a 35 a barrica e
240 rs. a libra.
Biscoutinhos inglezes, em latinhas. a 15300.
Biscouto lunch e soda, em latas de 4 a 5 li-
bras, a 25 a lata.
Banha de porco, a 480 rs. a libra.
Balaios hamburgueses muito lindos, de di-
versos tamanhos e por preco razoavel.
Caf do Rio, a 280 e 300 rs. a libra, era
arroba, a 85200, 85300 e 9/.
Ceblas, a 800 rs. o cento e 15 o mlho.
Chperola, a 35 a libra.
dem hisson, superior, a 25800 a libra. '
dem chumbo, a 25600 a libra.
dem bysson, soffrivel, a 25400 a libra.
dem bysson, menos soffrivel, a 25 a libra.
dem preto, magnifico, a 25 a libra.
dem preto, menos superior, a I #800 rs. a
libra.
dem preto, soffrivel, a 15600 rs. a libra.
dem nacional, a 1/800 a libra (em hilas).
dem nacional, a 15600, a libra.
dem nacional, ordinario, a 15 a libra.
Champagne, marca aguia, de superior qua-
lidade, a GiO rs. a garrafa e 75 o gigo,
com 12 garrafas. Qucm deixar de be-
ber champagne por tal preco?
Charutos de muitas marcas e'a precos bara-
50$, 800 e 15 o frasco..
Marmelada endiente a liiO t. .1 \\\ Odres americanas (excettenlt petiseo), aHe
rs. a lata.
passw a 400 rs. a libra, e em eaaaa l 85.
Presuntos de Lamego, a 560 rs. aHhva.
!dem inglez para fiambre vinal de cucobb
da, a 800 rs. a libra.
Mem americano, a 50<> rs. a l>i.i.
Peixe de Lisboa Inglaterra e S\
parado conforme a arte de eosiubn, m la-
las de 2 a 3 libras, de I (300 a MO.
Phosphoros do gaz, a 253<,0 a grusi.
jQueijos londrinos chegados no ultime ^apoc
a 800 rs. a ufara.
dem dem chegados no penltimo vapor, a
.640 rs. a libra.
legados no
nHni
) V
nava
f, ->u> flamengos cln
l\ uoo.
dem i*"'m cll8fulos no P<*iuHmo vay 1 ,
1U nSu ******* vi,,r"- a ,; SmUem m"fflB08 toaa'a m
Cerve das ,0w tas n
a 640 rs. a lata de .""!", ';"";'
dem de Mimes, a :wo rs: d ,5^
Sabao massadelSO, li ,00' m -(J'<
240 rs. a libra.
Tinta pela nacional e ingle.. '3' a **
garrafa, e 240 rs. o boe.
Toucinbo de Lisboa, de mais de n. '' '3**
por 320 rs. a libra,
dem de Sanios, a 280 rs. a libra.
dem americano, a 200 rs. a libia.
dem inglez secco no fumeiro, ibpHmn
todos os presuntos, a 60 r.
Vassouras americanas muito lindas
a 640 rs. cada urna.
Vellas de Bueuos-A.M'es em caixas ,:. Hi
libras, por (i/,
dem de carnauba e eomposiro, a 3t9e '0O
rs. a libra,
dem do Aracaty, a OO rs. a libra.
Ate que chegaram os riqnissimos pentinhos para -
marrafas, iodos com guarni^oes de pedrinhas, fin- Bolsinhas muito bonitas para guardar di-
gmdo hnlhantos, c seu preco ser muito razoavel "h"-~
so no vigilante, ra do Crespo n. 7.
tissimos, sendo que ha de
45 o cento, viudos do Rio,
Hespanha.
Chocolate suisso de Lisboa e francez, a
rs.e 15.
Chouricas e salpicoe, a 640 rs. a libra.
Conservas inglezas, a 800 rs. o frasco.
.1201 Ditas-fracezas, a 500 rs. o frasco.
' Cognac inglez, a 600, rs. a garrafa e
caada, a 45.
dem engarrafados, a 800 rs.a garrafa.
Doces, em lindos vazos,de vidro, das fine-
tas mais esquisitas da Europa, a 15 o
frasco.
Dito de Lisboa, em latas, a 500 rs. a lata.
Dito de goiaba, a 640 e 800 rs. o caixao.
Dito em latas mujto proprio para presente,
35000
80
200!
OO
m
500
too
200
800
500
11500
80
80
800 rs. at
Babia e de
800
em
escura a 45 e 45500, paletots finos a 65500
e 85000, calcas de meia casemira a 35000,
ditas finas 55500c 65000, ditas debrim a
25500 e 35000, ditas de brim branco a 45,
casemiras francezas a 15600 e 25000, ditas
finas a 2#500, ditas de linho a 35000, ce-
roulas francezas a 15600, camisas de meia a
800 e 15000; na loja da arara ra da Impe-
ratriz n. 56 de Mendes Guimares.
Oh que peehlncha a 40 rsi
Vendem-se chitas francezas escuras com pe-
queo toque de mofo a 240 rs. o covado,
ditas inglezas com pequeo toque de mofo
a 200 rs. o covado, pecas de ditas francezas
com pequeo toque de mofo a 85000, pe-
cas de ditas inglezas escuras cores fixas com
pequeo toque de mofo com 38 covados a
75500, ellas freguezes antes que se a ca-
bem; na loja da arara ra da Imperatriz n.
56 de Mendes Guimares.
vohiulius.
Tambem chegaram as voltinlias de perolas de
nevo gosto, com um rico laco de lita e urna cruzi-
nha de pedrinha branca e de cores : s no vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Yol tas pretas.
Tambem chegaram voltas pretas a Mara Pa
guarnecidas com urna cruzinha preta, o tambem
se vende as cruzinhas em separado : s no vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Tambem chegaram muitos outras objeclos de
gosto, assm como:
Meias de seda para criancinhas.
Cordo de borracha de todas as grossuras.
Franja branca de seda muito al va.
Relroz em carritel proprio para machina.
Dito proprio para lwrdar.
Escovas inuito linas para dentes, cabo de marfnn.
Ditas |ara unhas couro.
Carteiras e charuteiras muito finas.
Pentes de i, 2 e 3 faces, de todas as qualidades.
Um grande sortimento de oculos de todas as qua-
lidades, e muitos outrs objectos que se vende-
ro por precos baratsimos: s no vigilante,
ra do Crespo n. 7.
S no vigilante, lavas de Jouvin.
Chegaram neste ultimo vapor as verdaderras lu-
vas de Jouvin, tanto para homem como para se-
nhora a 25500 o par, assim como chegadas mais
antigaaa i$ : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
nheiro a.
Gravatas de seda de diversos gostos a .
Tinteiros de vidro com superior tinta a.
Pares de luvas brancas de algodao a. .
Carriteis de linha com 100 jardas, bran-
ca a ............
Fitas e cordes para enfiar espartilhos a
Caixas com clcheles francezes superio-
res a. ...........
Cartoes de colchetes francezes a 40, 60 e
Facas e garios cabo branco cravado a .
Ditas de cabo branco cravado a. .
Ditas de balanco muito finas a. .
Tesouras para* cortar, pequeas e linas
a 200 e ............
Tesouras para cortar unhas muito final a
500
500
160
100
30
80
400
80
35200
3|800
65000
320
500
dem stearinas, a 600 e 610 rs. o mm
dem spermacele, a 15 a libra.
Viulio Lagrimas do Dooro, nest a
melhor qualidado que boje vea ao Deas
mercado em garrafas brancas coa a 1 aaH
do autor em alto revelo no proprio \ Aro,
previne-se aos apreciadores que neste
ero ha boje grande falsificara.*.
dem engarrafados, vindo parte dehVsde pro-
pria conta de diversas, manas e >: me-
lhores adegas do Porto e Lisboa, das mar-
cas: Madeira, CamVs. Cbam rtva-
sia, CarcavllQS, Doqne do Porto (<-
tros, e espera-se todoa os das nova? qu.>-
lidades, a 800, l# e 15280 a garr
h\cm do Porto balisa, a 6IOn. a p nfk
dem de Lisboa e Figueira vindo em ancoras,
a 26/ de 8 a 9 cariadas
garante-se sua duraco innalteravel por dem do Porto em garrafoes de l l 2 \
Estampa Anas.
Na loja da Aurora, na ra larga do Rosa-
rio n. 38, recebeu-se vario sortimento de
estampas de diferentes santos.
Madapolo trance/ enfestado a "'''' escrptorio.
4^000.
Vendem-se pecas de madapolo francez fi-
no enfestado com 12 jardas a 45 e 4#>00,
dito inglezes fino de 24 jardas a 75, 85, 95,
CAL DE LISBOA
Vende-se cal nova de Lisboa : na ra da Cadcia
nos, a 15 o covado: s na rna da impera- e 105000, pecas de algodo encorpado a 45
tro n. 60, loja e armazem do Pavao. J *#00, 55 e 65; oa ra da Imperatriz a. 56.
I'ccliiiicha.
y& loja do Arantes vendem-se borzeguins para
homem a 5 o par.
Por SO#000.
Vende-se urna casa na povoacao da Gameieira :
a traiar aa ra do Queimado n. 71.
HA IOVA
Casa de modas de madama Theard.
Neste estabelecimento de modas, alcm de
muitos objectos de1 gosto recebeu vestidos de seda
bordados a retroz, o melhor que se pode encontrar
no mercado para noiva, ditos de blondo, ditos ditos
morca ntique, ditos pretos, ditos de lindas cores,
chapeos de palha da Italia de apurados gostos |>ara
seujiora, ditos de palha de soda para meninos e
meninas de idade de um mez a dez annos. Rocc-
be-se figuraos por todos os vapores, e faz-se tudo
quanto for tendente ao toilet de urna senhora.
mais de anno.
Farinha de Maranho, a 160 rs. a libra.
Dita de trigo, a 140 e 160 rs. a libra.
Fructas francezas de diversas qualidades, em
frascos de vidro, preparadas ein alcool,
proprio para podira etc., a 15- -o frasco.
Fumo americano, em pastas,
libra.
Gomma do Aracaty, a 100 rs. a b'bra.
Dita do Aracaty, a 40 rs. a libra.
Graixa em latas, a 120 rs. e a duzia, I/300.
Genebra laranja, em grandes frascos, a 15.
Genebra ingleza, marca gato, a 15200 o
frasco ou garrafa com rolda de vidro.
Garrafoes vazios, de 640 a 15200 cada um.
garrafas, por 25500.
dem da Figueira em garrafoes de i I S a 8
garrafas, por 25400.
dem de Lisboa e Figueira de 320. 100. 500
e 560 rs. a garrafa, e em caada M ;
abatimento.
1 15280 o dem Bordeaux engarrafado, a 640 rs. a
garrafa, em duzia a "5500.
Vinho do Porto muito finoem caixas jm ii
garrafas, a 85, 105, 125 e 155 das ne-
lhores marcas que wm ao nosae aaaRaam.
Vinagre de Lisboa em garraAtai 4 1/i a
5 garrafas, a 15200 com o garrafa...
f
Avernas a 200 rs. a libra.
Arroz da India a 100 rs. a luna.
\ ende-ie ou arrenda-se o engenho Tai tinga,
sito na freguezia de Serlnhaom : a tratar na rna
da Cadoia n. 39, escriptorio da viuva de Manocl
Gonralves da Silva.
Ceblas superiores em resteas, a cinco
mil ris o milheiro no Caes da alfandega n.
I. armazem de Tasso Irm5os.
Agaaa de % echj natural.
Chegada ltimamente pelo Solferino : ra
daCrnz n. 2. armazem de Isidoro..Netto
JcC.
Kirsck-wasser, bebida esta de um valor inex- Biscoutos de Lisboa em latas, pi uprios para,
timavel, em vasos esquisitos, a 15500. doentes, a 15500 e 35 a lata.
Licores inglezes e francezes dos melhores Batatas a 80 rs. a libra,
fabricantes, a 500 e 800 rs. a garrafa. Copos lapidados para agua a 65 a duzia.
Linguas americanas de grande tamanlio (em Chumbo de todas as grossuras a 65 a arre-
calda), al/. ^ I ba.
Linguicas de Portugal, em latinhas de 5 li- Caf muido de superior qualidado a 100 rs
bras, a 35500 a lata. a libra.
Massas para sopa, em caixinhas com 8 libras,; Fio de linho muito proprio para amarrar, a
eontendo 5 qualidades, por 35500 a caixa.! 480 rs. a libra.
Ditas para sopa, estrelinha e pevide, a 560 Farinha de trigo em barricas e meias, 10-
rs. a libra. das as marcas e qualidades.
Dita de tomate, a 640 rs. a libra. Genebra de Hollanda em garrafoes com 2
Manteiga ingleza em potes de 10 a 16 libras caadas, por 65500 com o garraao.
1 rs. a libra. dem idem em frasqueiras com 12 frascos.
dem dita flor a 15 a libra.
Idem de 1 qualidade a 800 rs. a libra.
dem de 3a qualidade a 640 rs. a libra;
dem para tempeiro a 400 rs. a libra.
Idem franceza a 640 rs. a libra, e em bar-
ril por menos.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
Mortasda ingleza em frascos grandes a 800
rs.
dem franceta em frascos grandes a 500 rs.,
Mlhos ingieres dos melhores fabricantes a
IlLEGVEL
por 6/500.
.Manteiga fmissima em latas eontendo t-fca-
logramma ou 2 libras e 14 liquido, par
15800 a lata.
Queijo suisso, a 800 rs. a Ubra.
Rap princezado Rio: grosso, meio groas
e-fino.
Tainha& das Alagas a 125 o eatrto, e J40
rs. cada mna.
anco de Bordeaux (Samen) a 8#
e 105 a duzia, e 800 a 15 a garrafa,




SORTIMENTO DE MOLHADOS.
tarlo d 1

S
B
e
a.
M
a
s
PS
4
w
o
w

P
i
I

g
S
S
s
I
m
c/a
es
1 B
2 1
= a
a 9
2
E
o -o
- 9
5
Qi 7
= 1
y a.
|
e 3
"* ar
s 2
I
o
- =
= =

a
a
8
t
h
O
..l
i i
es
7
I, S.
s 3 .
!
* 2 k
5 |
l c 0
v o 2
A 1
e a
i !
g f a
S 5.i
2 I 2
* B a
r -
Vinho empipa: Porto, Figueira eLisboa, a 400,,Lagostinhasem lalas grandes, a i&m.
480 e 560 rs. a garrafa, em caada a 2*800, 3* e L ,.
3J50C rs., afianca-se este genero conservar-se SaTel, conma, lerne, congro, linguado, vcztlgo,
perfeito seis oito(mezes, o que raro ser outro *as. iMcada, pene espada^preparado pela pri-
qualquer afianzar meira arle de "ahaia J00 a lata.
Lagrimas do Douro, espacial viali do Porto, a \i Quijos flamengos do ultimo Tapor, a 2400.
a garrafa e 10* a caixa, o preco nao indica a d nassado a UMft
qualidade deste precioso vinho, porm tambem |Mem ao vapor J*88*00a ***
nao com imposirSes de preco que se prova ao dem prato, o mais superior que tem vindo ao mer-
respeitavel publico a superior qualidade, Oste I cado, a 740 rs, a libra,
genero de commum se manda \ir de conta pro-
pri, c por isso podemos vender por menos do Doce da casca da goiaba, eaixao grande, a 640 e
que outro qualquer annunciante. i 800 rs. cada um. .-
Vinho do Alto Douro, das marcas mais acreditadas. Cfaouricas do reino a mais nova do mercado a 640
e especialmente escolhidas porpessoas entendi-
das deste genero, como sejam Camoes, Duque do
Porto, D. Luiz, (larcaveilos, Chamisso <& Filho,
Madeira secca, Feitoria, a 900 rs. a garrafa e U
a caixa com 12 garrafas. *
Garrafoes com vinho do Porto, contendo 5 garrafas'
por 25500.
Vinho branco de Lisboa, proprio para missa, vindo
j engarrafado de Lisboa, a 640 rs. a garrafa,
dito de barril muito superior, a 500 rs. a garrafa
e 3*200 a caada.
Ameixas francezas em caicjinhas de i e meia, 2 o 3
libras, elegantemente enfeitadas com diversas es-
tampas na caixa exterior, a 4*400,1*800, 2*50T
e3*.
Figos de comadre em bauzinhos de folha, mnito
proprios para mimo, a 1*600.
dem em caixinhas forradas de papel de differentes
molduras, a 1*400.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia e 3 libras
por 1*400 e 2*600.
Passas de carnadas as mais novas que ha no merca-
do, caixas de 1 arroba a 6*, e a retalho a 400 rs.
a libra.
Massas para sopa muito novas: pcvidec estrellinlia,
a 560 rs. a libra.
dem a mais nova que lia no mercado; talharm e
aletria, a 560 rs. a libra.
Macarrao, a 320 rs. a libra.
dem o mais novo que ha no mercado: talharm e
aletria, a 560 rs. a libra.
Figos de comadre em caixa de 8 libras muito MRM
? 1*800 e a retalho a 180 rs. a libra.
Salinao em latas e era postas hermticamente lacra-
das, a 800 rs.
rs. a libra.
Paios de lorabo, vindos do Porto de casa particular,
a 800 rs. a libra.
Bolachinhas inglezas a mais nova do mercado a
240 rs. a libra c 3*000 a barrica com urna ar-
roba.
dem de soda do diversas qualidades, a 1*400 di-
tas grandes proprias para lanch com 5 a 6 li-
bras por 2*400.
Marmelada imperial do fabricante Abren on de on-
tros muits conserveiros do Lisboa, em latas de
i e meia e 2 libras, a 600 rs. a libra.
Ervilhas francezas, a 500 rs. a lata.
dem pofWguezas, a 640 rs. a dita.
Maca de tomates, a 600 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 e 1* a
libra, neste genero existe sempre aberto dspo-
sicao dos freguezes deus a tres barris de man-
teiga Oor, salvo qnando por infelicidade aeonteca
a faetnra vir composta de segunda e terceira
qualidade, que para melhor satisfazer aos fre-
guezes torna-se necessario ter mais do que esta
por^ao de barris abertos, porm antes nos lhe
damos a devida applicacao para tempero, que
venderemos a 320 rs. a fibra.
dem franceza a mais nova do mercado, a 680 rs. e
em barril se faz abatimento.
Amendoas confeitadas, a 800 rs. a libra.
Chouricos, mouros vindo de casa particular, a 640
rs. a libra.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa, a 160
rs. a libra.
Avelaas mnito novas, a 220 rs. a libra.
Amendoas de casca mole muito novas a 280 rs. a
Toucinho do reino a 360 rs. c 10*500 rs. a ar-
roba.
Sardinhas de Xantes, a 360 rs. a lata.
Azeite doce de Lisboa, a 640 rs a garrafa c 4*800
a caada.
Vinagre de Lisboa, a 200 rs. a garrafa e 1*200 a
caada.
Campagne das marcas mais acreditadas a 8*000
e 10*000 o gigo, e 800 rs. c 1*000 a garrafa.
Cerveja-preta da marca Tencnt ou XXX, a 4* e
4*500 a duzia, c a 400 rs. a garrafa.
dem branca da marca cobrinha ou Tenent, a 4*
e 4*300 rs. a duzia, e em porcSo se faz abati-
mento.
Gencbra de Hollanda em garrafoes com 16 garra-
fas, por 6*800 rs., aanca-se ser verdadeira.
dem em frasqueira, a 6*500 e a 560 rs. o frasco,
dem de botija em barricas com 4 duzias a 430 rs.
cada urna.
dem de laranja em frascos grandes, a 1*200, ga-
rante-se ser verdadeira da Italia.
Marrasquinho de Zara, a 720 rs. o frasco.
Licor francez de todas as qualidades de fabricantes,
em garrafas brancas de vidro, a 720 e 800 rs. a
garrafa.
Vinho Bordeaux as melhores qualidados que tem
viudo ao mercado, a 720 e 800 rs. a garrafa, e
em caixa a 7*500, 8*000 c 8*200 rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol,a800 rs.
a garrafa.
Conservas inglezas sortida ou de urna s qualida-
de e da verdadeira, a 800 rs. o frasco.
Aramia verdadeira, a 320 rs. a libra.
Gomma de engommar muito alva, a 800 rs. a li-
bra.
Palitos o gaz, a 2*300 rs. a groza c 20 ris a
caixa.
Toucinho de Lisboa, a 320 rs. a libra e 9*500 rs.
a arroba.
Sag muito noro, a 200 rs. a libra.
Cevadinha de Franca, a 160 rs. a libra.
Corada nova a 110 rs, a libra, c 3*500 rs. a ar-
roba.
Macarrao e talharm, a 320 rs. a libra.
Alefria mnito fina, a 400 rs. a libra/*
Arroz Carolino, muito alvo e grado, a 120 rs. a
libra e 3*200 rs. a arroba.
Caf do Rio o mais superior que se pode desejar
neste genero, a 320 rs. a libra.
dem dem de segunda e tereeira qualidade, a 280
e 300 rs. a libra, o em arroba ou sacco a 8*200
e 8*400.
Velas de carnauba refinada, a 320 rs. a libra e
10*000 a arroba.
dem de spermacet, a 640 rs. a libra.
Chocolate hespanhol a 1*,^ hbra.
dem francez, a 900 e 1* rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado por ser
vindo de encommenda propria a 2*880 rs.
Cha hyson, melhor que se pode desejar neste ge-
nero, a 2*300 rs. a libra.
dem nacional em latas de 1, 2 e 3 libias a 1*400
ris.
dem huxim, a 2*200 rs. a libra.
Cb preto homcepathico o mais excellente que tem
vindo ao mercado, a 2* a libra.
Graixa em latas grandes, a 3ff300 a duzia, c 120
rs. cada urna.
Presunto verdadeiro de Lamego em calda de azei
te, a 560 rs. a libra.
Vassouras do Porto arqueadas de ferro, obra de
muita duracao e utiiidade, a 400 rs.
Charutos de S. Flix do fabricante Furtado de Li-
ma ou de outros muitos fabricantes da Bala, a
2*000, 2*500, 3*000, 3*200, 3*500 c 4*000 rs.
a caixa, ou em meias por mefade do preco.
dem Mississipes imperiaes, a 3*000 rs.
dem Ypiranga ou Flor do Rio, a 3*200 rs.
dem Guanabaras ou Havaneiros, a 2*800 rs.
dem Flor da Matta ou Regala imperial, a 2*500
ris.
dem Flor do Norte ou Londres imperiaes, a 4*000
ris.
dem superiores em quantidade e de lodos os fa-
bricantes, a 3*000, 3*500 e 4*000 rs. a caixa.

Potassa da Rossia.
Voudosc em casa de N. 0. Bieber & C,
saewssores, ra Ra da Scuzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLow
Moor libra a 120 rs.
Admirem as las barata?.
Superiores las de cores de quadrinhns e
lisgs, fogindo sedinhas de ditas larguras,
pelo boratissirao preco de 500 rs. o cova-
do: na toja das columnas roa do Crespo n.
13, de Antonio Correa Vasconcetlos & C.
GAZ.
No aqnazem de louca da porta larga, ra larra
do Rosario n. -(>, vendem-se latas eooi 5 galSes do
gaz a i .-3. aesim como latas desgrralas, e em
garrafa mnito cin conta ; trarantu-sc a qualidade.
Vende-se urna taberna com poneos
fundos sila no llano-Vcrmellio, na estrada
do engento) Lchoa: a tratar na niesma.
A AtIUi BRAICA
Stccefoeu pelo ultimo vapor o
seguinte:
Bonitas polseiras de cabello, coral, e cora-
lina.
bonitas ligas de seda para senboras.
ras estrellas para meninas, ou manguitos.
r i aras com agulbas. --^
Agtdhetas para enfiar, e a rnlhaa cantfas.
Trancelins e fitas de borra ha.
GarriteJB com torcal de todas as cores.
1 Hassose fios de coral.
Esponjas linas para rosto.
Pentes de tartaruga virados, com laco e
balao.
Enfeites'de rede para conservar os cabellos
bem alados.
Aspas e coz para balao.
Fitas com coixetfiS para vestidos.
Trancelins chatos de la paraenfeitar vestidos.
Papel e fblhas para rosas.
LamparJnas francezas.
Trancelins grossos para relogios.
nae cabo d'osso, marfim e madreperola
para dentes, unhas, limpar pentes ejoias.
Optras linas para'ropa, chapeo, cabello etc.
Oulias de velludo para chapeos.
Pa; ia> pora papis.
Jlr -:' i l.'iras e facas de marim para ditas.
flsporas e dminos.
I.i vas de caiaurca.
Vendem-se mu finas luvas de carmuca
branca e aniarella; na ra do Queimado n. 8
loja.d'aguia branca.
Baratissimas baudeijas.
A aguia branca por muitas vezes tem da-
do a conhecer qw miando acha alguma pe-
lincba, nao quer somente com ella encher
o |iapo, ao contrario deseja (pie toda sua boa
freguezia e o publico em geral prvem da
mesma, o qfie agora mosmo acontece com
-: huatissimas bandeijas^cuja limitaeo
de oreos admira, em rlaco aos tamaitos e
quamades: avista do que convm todos a-
proveitarem-se dessa opportuna occasio e
proverem-se d'um traste sempre necessario,
e que Ins costar quasi metade do justo va-
lor. Assim, pout dirigirem-se com dinhei-
ro i alegre e espacosa loja d'aguia branca
ra do Queimado n. 8.
E.cuos brancos com barras de
cores para meninos.
A luja d'aguia branca recebeu um novo
snrtimento de lengos blancos com barras de
cues para moninfltf, e com quanto esses
viessem melhores, raaiores e perfeitamente
i.'Irados, com tudo continiam a ser ven-
oidos peln antigo preco de 1(5 a duzia: n.
ra do Queimado na alegre e espacosa loja
d'aguia branca n. 8.
La fina para bordar.
\ agnia branca acaba de receber um com-
pi.'lo sorlmonto de la fina para bordar, cu-
ja variedade de agradaveis corea forames-
colhdas d'um grande ivro d'amostras que o
falnicante ofifereceu a aguia branca, vindo
entre ellas alguma mesclada; assim pois oiuie
os pi etendente^mcUior se podemjjgkdev
se genero, 6 M alegre e espacdl
jiouca ra do Queimado |fl
Linhas maclas e lustrosas para
bordar
vendem-se na loja d'aguia branca ra do
Queimado n. 8. '
WoTissimos e bonitos enfeltes
para cabecas.
Quando o bello sexo sentia a falta de bons
enfeites para cabeca, eis que a aguia branca
recebe urna sua encommenda de l>onitos e
delicados enfeites, e de raodernissima moda,
muito servindo isso para sanar aquella falta,
e fazer com que as Exmas. apreciadoras da
bella empreza Coimbra possam melbor real-
sar e mostrarem o apurado gosto que as
guia. Esses enfeites sao d'um tecido bs-
tanle fino com continbas d'aco, e mti bem
enfeitados com llores, fitas, bcoe, plumas
etc., entretanto que sendo obra de muito
gosto custam S, 6 e 7^dinheiro vista;
na espacosa e alegre loja d'aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Ricas guarniees de psate* c
flvel|n para cintos.
A aguia branca recebeu novas e ricas
guara ices de pentes dourados, e com pe-
dras; assim como outras bordadas a froco e
com bolas pendentes, novidade essa que s
se acha em dita loja, e que na verdade se
tornam mui alegres e bonitas; e bem assim
receben lindas livellas com pedras, editas
d'aco com novos e engracados moldes, cintos
dourados e de marroquim; e muitos oulros
objectos de gosto para senboras sero encon-, i
Irados na alegre e espacosa loja d'aguia
branca ra do Queimado n. 8.
* f
Apreciareis extractos /^
As Exmas. senboras que bem sabem co-'
nhecer e apreciar os odorferos extractos, e
as finas pomadas que se. vendem na loja d'a-
guia branca, nao se demorem em mandar
comprar desses agradaveis e.escolbidos chei-
ros Georg 4", principe Alberto, marecbal, |
bouq. -d'imperatriz, mil flores, jasmim, ge-
ranium, vilete, jock club, sndalo etc. etc. j
Nesses finos cheiros nao ha melheria a s)in-
pathias, por isso ser bom g\ie urna compre
dessa qualidade, outra d'aquellS, e assim por
diante, mas que reunidas em alegre assem-,
bla faca cada urna com a forra de sua elo-1
quencia prevalecer o bom gosto de sua es-
colha. Isso na verdade ser agradavel e in~
teressante, com tanto poremqueos cheiros se-
jam comprados na alegre e espacosa loja d'a-
guia branca ra do Queimado n. 8.
Lindas caixinhas com finos eiliaetos, mui proprias
para preseales.
A aguia branca vendo lindas caixinhas
com espelho e paysagem, ns. emrima,e finos
extractos dentro, com as quaes se faz um bello
presente, assim pois o pretendente dirija-se
com dinheiro alegre e espacosa loja d'a-
guia branca ra do Queimado n. 8, que ser
satisfactoriamente servido.
Agua la Colonia em garrafas
grandes e pequeas.
A aguia branca recebeu um variado sor-
I i ment de garrafas grandes e pequeas e de
diversos e bonitos moldes, com excellente
agua da Colonia; assim como frascos de vi-
dro maiores e menores com dita, e como
geralmente sabidp a commodidade dos pro-
cos continua a ser observada na espacosa e
alegre loja d'aguia branca ra do Queimado
n. 8, liara onde chama-se a concorrencia dos
freguezes que costumam comprar dinheiro.
Aromticos pos d'arroz. .
A aguia branca acaba de receber um ex-
plendido sortimento de lindos e agradaveis
vasos de porcellana dourada, crystal e metal
com bonecas, e finos e aromticos poz d'ar-
roz ; assim como pacotes com dito, cuja pro-
veitosa utiiidade bem conhecida: os pre-
tenderes pois, dirijamrSiicom dinheiro ale-
gre e espacosa loja d'aguia branca ra do
Queimado n. 8 que sero servidos e contentes.
Os afamados copos com banlia, e
boldes com inscripces.
Chegaram novamente para a aguia branca
essaiftuamados e estimados copos com banha
ina'; as>im como os bonitos boioes de por-
cellana domada tambem com banha, e novas
inscripces maviosas e jocoserias, mui ade-
quado para presentes resta poremqjie os apre-
ciadores concorram, munidos de dinheiro,
alegre e espacosa loja d'aguia branca ra, do
Queimado n. 8,
Sffffff
3% >S 'Vi *2X kA *Esi&^tWKt^Azs%*^*f''i'**^**^
ROITPA FEITA ^
NO
ARIAZEJt
DE

%
. X.ETREIRO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de'roupa feita de
3 todas as qualidades, bunbem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
^ rentes, para o que tem ura dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senboras,.
Sj| homens e meninos.
Cohetes de fusto e btn bran-
co, 3^300, 3# e 2#5O0
i Geminas de brira de linho,
2,-HOO e......2&0OO
i Ditas de algodao, l^GOO e. 1^400
Camisas de peitos de linho,
5$, 40, U e.! 2^300
Ditas de madapolo, 35,
20300, 20 e.....I06OO
Chapeos de massa, pretosfran-
cezes,MO0, 90 e. 80300
Ditos defltro, 50, 40,3-0300 e 20000
Ditos de sol, de seda* 120,
110, 70 e......40500
Collarinhos de linho fino, ulti-
- ma moda....... C40
Sortimento completo de grava-
tas. 0
Toalhas parroslo, duzia, 110,
90 e........G0OOO ;
Atoalhado adamascado de fi-
nito vara......102801
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....40000 i
Lenfes de bnho......30000 \
| Cuberas de clta chineza.. 20000 '
Pennas d'aco, as mais superio-
res, a grosa...... GOO '
Relogios de ouro orizontaes, .
900, 800 e......700000'
Ditos de prata, galvanizado,
patentes e orisontaes, 400 e 300000
Obras de ouro, adercos, ineios
aderecos, pulcekas, rozetas,
! aneis e cruzes.
Casacas de panno preto, 330 e 300000
Sirbrooooaonc klom; 300 t 250000
Paletos idem e de cores, 256,
200, 150 e......100000
Ditos de casemira, 200, 1.50,
1.20, 100 e...... 70000
Ditos de alpaca, 50 e. .. 30500
Ditos ditos prctos, 90, 7$,
50 e........ 30300
Ditos debrim e ganga de co-
res, 40500 40, 30300 e. 30000
Ditos branco de linho, 60, 50 e 40000
Ditos de merino preto de cor-
dao, 100, 7,5e..... 50000
Calcas de casemira preta, 120*
100, 80 3......70000
Ditas de cores, 90, 86 e. 70000
Ditas de meia casemira de cor-
res, 56500 e.....40000
Dilas de princeza e merino pre-
to de cordo, 50, 40500 e 40000
Ditas de'brjnv branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e 20500
Ditas de ganga de ci-es,
30300, 30 c.....20500
Cohetes de velludo preto e de
cores, 90 e...... 70000
Ditos de casemira preta, 50 e 40000
Ditos de ditas, de cores 50
40.e .: ., 30500
Ditos de setim preto. 50000
Ditos de ditos e seda branco,
00 e ...... 50000
Dos de gorguro de seda
pretos e de cores, 60, 50 e 400001
VA J A A & A .J. .?. !.,.!. &
11\I1I AOIIA ti KOKA.
Nesta grande e bem montada fabrica de machinismo, a mais antiga no imperio, con-
tinua-se a executar com a maior presteza e perfeicao encommendas de toa a qualidade
de machinas usadas no paiz, tendo sempre prompto o segtiiftte :
Grande sortimento de moendas de canna de todos os- systemas e tamaitos.
Machinas de vapor de diversas qnafidades.
Taixas fundidas e batidas.
Crivos e boceas para fornalhas.
Bronzes e aguilhoes.
Rodas, rodetas e rodas d'agua.
Guindastes flxos e portatejs.
Machinas de cylindros par padaria.
Serras de ac para serrara.
Fatechaspara barcos, etc., etc., tudo por preco que bem convida.
DE
DE
J. VIGNS.
N. 55. RA DO IMPERADOR "V 55.
Os pianos dasta antiga (himea sao mQ assaz conhecidos, jiaracaue seja neccssirio insistir sobre a
sna superioridade. vantacens frantias fjuc offorecein aos rnmproores, qualidades r-ins hmmtesta-
veis que ellos tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem appareeido nesta praea : im.s-
snindo um teclado e maoliinismo que obedeeem todas as ventados e caprichos das pianistas, sem
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente molhoramentos importan-
tissiinos para o clima deste paiz; quanto s votes sao melodiosas e flautadas, c por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazcm-se conforme as eucommendas, tan nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente do Vignes, emcuja eapiat foram sempre premiados em todas as expusieses.
No mesmo ostabeleeimento so acha sempre m esplendido e variado sortimento de msicas dos
melhores compositores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido
I por preces- muito moftveis.
RA DO QUEIMADO N. 46
erairo
DE
F AZK Vil A S I- ROl V \ S HITAS,
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 250. 280, 300 e 350. dMnt
muito bem feitas a 250, 280, 300 e 350, paletots acasacados de panno preto de 160 afr-
250, ditos de casemira de cftr a 150, I9fi e 20$, paletots- saceos de panno e re-
mira de 80 at 140, ditos saceos de alpaca, merino e laa de40 at 60, sobre de alpaca
merino de 70 at 400, calcas pretas de casemira de 80 at 140, ditas de rr de 7# M>-
130, roupas para menino de todos os taannos, grande sortimento de roanas de bnm.
como sejamcalcas, paletots e cohetes, sortimento de cohetes pretos de metim, ca$emir;>
e velludo de 40 a 90, ditos para casamento a 5* e 60, paletots brancos de bramante i 4*
e 50, calcas brancas muito finas a 50, e um grande sortimento de azendas finas e moder-
nas, COmpletO sortimento de casemiroo ingloHuu p hoaaom, moninn i*- seiiorn. wnmb-
ri liahn e al^odo, chapeos de sol de seda, lusas de seda e de Jouvin para homem a .-
nhnra. Temos urna grande fabrica de alfaiate, onde recebemos encommendas de \n id.-
obras, que para uso est sendo administrada por um hbil mestre de semelhante arte m,
pessoal de mais de cincoenta obreiros cscolhidos, por tanto executamos qualquer obra coea
promptid5o e mais barata do que em outra qualquer casa.
FAZENDAS DE BOM GOSTO.
Lindos curtes de la de barra Imperaiz, ditos de la com han-a matisa-
da, ditos lisos com palmas de seda, lindas laas de cores matisadas a 500 rs. o
covado, ditas com palmas de seda a 640, 700 e 800 rs. o rovado, ertes de
seda de cor matizada os mais superiores que tem vindo ao mercado, lindos
I cortes de mor-antique de cor linda, gorguro de la e seda de quadrinli>s a
lisos, fazenda inteiramente, nova para vestido.
Superiores cortes de blond branco para noiva, camisinhas de rambraia
bordadas, brancas e de cores, lindos sautambarques de cachemira de cor en/pi-
tados e bordados da mesma cor, ultima moda em Paris, superiores chapeos
de palha da Italia, enfeites de flores, capehas brancas e outras muitas fazemlas
de gosto que seria enfadonho annunciar: na ra do Crespo n. 13, lujadas
columnas, de Antonio Correa de Vasconcelos & Companhia.
FITOTHCJLO DO HOW'JIAa-RH DO
BRI.H \. :h.
Este muito acreditlo estabelecimento est prvido de um completo sortimento d
machinismos proprios do fabrico de assucar, a saber :
Machinas de vapores as mais modernas e mais acreditadas.
Rodas d'agua de ferro com seus pertences.
Moendas e meias moendas de todos os tamaitos.
Roilas dentadas, angulares e de espora.
Taixas de ferro batido e coado.
Boceas de fornalha pelo novo systema Wetson.
Alambiques de ferro fundido.
Fornos para cozer farinha.
Moinhos para moer mandioca.
Arados americanos, etc. etc.
DE
TOBAS AS OlAI>II)ADES
DE
ANTONIO MAIA DE BRITO
CONHECIDA POR FABRICA DA VIL'VA.
N. 21Antiga ra dosQuarteis de policaN. 21.
Constando ao annunciante, que alguns especuladores, de m f, vendo o crdito
que gosam os meus cigarros, e para poderem dar consumo aos seus andam vendendo lint
na praca como pelo mato, illudindo os meus freguezes, dizendo (fue sito meus ; e cnao in-
dos os meus cigarros sao vendidos na minha fabrica, e nao mando pessoa alguma vender
por minha conta fra delta, faco o presente annuncio para evitar que conjarem gato por
lebre ; e para seguranca dos senhores consumidores deste genero e especialmente os *m
freguezes, aviso que todos os massos de cigarros que forem vendidos na minha fabrica $
marcados com um distinctivo que declara o meu nome, o nome da ra e o numero mesma casa.
Aproveito occasio para scientifiMr aos mesmos senhores, que
encontrarao um completo sortimenterde cigarros de diversas qualidades, e do
escolhido, por sua boa qualidade j bem conhecida.

Gaza 400 rs.
Vende-se gaz americano de superior qualidade a
400 rs. a garrafa, garante-se a qualHMe : iwwpa-
teo do Carino n. lo.


legvelU
*%
Barras.
Cofrea patentes inglezes, prota de fugo,
garantidos pelo^fabricante Milners, de Liver-
pool : vendem-se na ra da Crtrz n. 2, ar-
mazti de Isidoro, Is'etto & .
h-
Espraves. enckuadas. frieira.
utilhK, sobrecannas, sobrencTros, e lodMV
quet enferiiiidadefi a que o sujeiK
en(Wltrarao un remedio niiraculobo aa
do afamado oleo de MerrhaM : venda
zem da bate iuuarelta no tito dones*
Imperador, aos preso* 4e 6*0, M 1
fraseos, meios e quirtos.
-II
lo-

Vende-se urna muatinaa
sFtua da Senzala Velha n. 104,
anta


Diarlo de Pernainbjuco Quinta fclra IO de Julho de ISG3.
"W

i

V
mm
GRANDE ARMAZEM
*
PROGRESSIVO.
R. 36, RIA DAS CROES N. 36
DO
1
SO NO
LARGO DO CARMO-9.
03
hairro de Santo Antonio.
0 proprietario do mtrito acreditado armazem denominado Progresista tendo
sempre em vista fazer tudo o que for possivel para bera servir aos seus freguezes, tem
deliberado vender os seus j bem conbecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaixo mencionados, e amanea s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
escravos, serem 0o bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, ainda mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento. O
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que nao agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
, __ n ___. .. An Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada
rao com os seus portadores, fazendo-lhes ver que so no armazem Progresaste da ra das vir ^e encommenda ^^1 a 800 rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
muitas vezes olvidam-se e vJo outra parte onde os servan de manen-a a desagradar este
DE
mw^ %Ai
proprietarios deste espacoso e bem sortido armazem de molhados partici-
pam aos seus freguezes que acabam de receber de diversos portas da Europa o mais bel-
lo sortimento de molhados, todos primorosamente escollados, os quaes vendem-se por .
muito menos do que outro qualquer annunciante, obngando-se os proprietarios a garantir^'aSSS% Ja iihr "
todos os gneros saludos do seu "muito acreditado armazem.
estabelecimento.
Manteigai ngleza de I.1 qualidade, a 900 rs. 1 de superior qualidade a 320 rs. cada cai
a libra. 1 xinha.
dem de 2.* qualidade, a 800 rs. a libra.
400 rs. cada um.
dem franca, di** ltimamente, a 640', Mo.s!irda P"?rada an potes muito nova a
rs. a libra.
Batatas muito novas, a 25 o gigo de arroba
e 80 rs. a libra.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor,
de 25 25500.
Milho-alpista a 180 rs. a libra.
Gomma para engommar muito una e alva a
80 rs. a libra e 25300 a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
dem prato, chegado neste ultimo vapor, o Sab5o ver(ladeiro hespanhol, que raras vezes
mais fresco que se pode desejar a 700 rs. vem ao nosso mercad0j a 300 rS- a libra e
a libra.
dem londrino, mandados vir de encommen-
da especial, a 900 rs. a libra.
dem suisso, muito fresco, a 800 rs. a libra.
Caf do Rio de .a e 2.a qualidade a 85300
e 85800 a arroba, e 280 c 300 rs a libra.
Arroz da India e Maranhao a 120 rs. a libra
e 35200 a arroba.
Avelas as mais novas neste genero a 240
rs. a libra.
Presuntos do Porto muito novos a 560 rs. a
libra.
Legumes franeezes para sopa, como seja,
Julienne, mlnge d'quipage, Choux e
outras'qualidades, a 400 e 500 o masso.
Amendoas de casca mole a 320 rs. a libra, o
em porco ter abatimento.
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 25400 com o garrafo ;
afianca-se que nesse genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira muito
superior e mais proprio para a nossasta-
ro por ser mais fresco a 25400.
Cha hysson o mais superior a 25600 a libra,
afianca-se ser egual ao que regularmente
vendemos a 35200.
dem huxim miudinho, o mais superior que
vem ao mosso mercado a 23700 a libra.
dem preto muito fino, a 25000 a* libra.
fian-afiles com 5 garrotas de superior vinlio
de Lisboa a 26100 cada um.
dem cea 3 garrafas de vinagre de Lisboa
a 15100 com o garrafo.
dem coro 5 garrafas de vinagre hambur-
gus a 800 rs. cada um.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das seguints marcas: Genuino,
Port lino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Velho secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a 900 rs. a garrafa e 95
a duzia.
Vinho Boi-deaux das melhores marcas: St
Julien, Medoc e S. Estephe e outros a
040 rs. 3 garrafa e 75500 a caixa com
urna duzia.
Chouriras desejar,a 230 e OoOrs. a libra,
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa e 105300 a
caixa com urna dzta.
Marras(jumo de Zara, era frascos grandes a
800 rs. cada um.
Licores franeezes, rnuito finos, das segantes
marcas: Avizetta deBordeaux, Plaiserdes
(lames, Crmc de Noyau, Eau Dantzic,
Crme de Menthe, Ilude de Venus etc. etc.
Passas muito novas e de carnada a 400 rs. a
libra c C$500 a caixa rom urna arroba, lia
canas, meias e quarto?.
Ameixas francezas em frascos de 11)2 e 3 li-
bras de tftio a 25800, tambem ha latas
de G libras.
.Marmelada imperial, dos melhores conser-
\firos de Lisboa, a 000rs. a libra, em la-
tas lacradas hermticamente.
Fructasem caldas de todas asqualidades em
latas muito bem enfeitadas, a 500 rs ca-
da urna.
Bolachinha ingleza, a mais nova que se pode
desejar, a 35000 a barric a e 240 rs. a
libra.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 160 rs. a libra.
Azeite francez clarificado a 800 rs. a garrafa
9-51000- a caixa com urna duzia.
Conservas inglezas dos melhores fabricantes
Mixed Pickles, ceblas, simples, e outros
a 760 rs. o frasco.
Farinha verdadeira de araruta a 500 rs. a
libra, garante-sea superior qualidade.
Palitos para dentes em caLxinhas douradas
Breu, a 320 a libra e 85 a arroba.
em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade de 160,
180, 200, 220 e 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs. a lata
e 15300 a duzia.
Peixe em latas muito novo; svel, pescada,
curvina, salmao e outras qualidades, pre-
parado de escabexe segpndo a arte de
cozinha a I &400.
Papel grve pautado e liso a 35800 a resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
460 rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa e Figueira das melho-
res marcas a 35200 e 4)5000 a caada do
melhor e 500 rs. a garrafa, em porco ter
abatimento.
Vinho velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, a 640 rs. a garrafa e
55000 a caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero a 5G0 rs. a garrafa c a 45000
a caada.
Vinagre puro de Lisboa a 200 rs. a garrafa
e 1)9400-a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril
a 650 rs. a garrafa, e em porco ter
' abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
15000 a garrafa, e 105000 o gigo com
urna duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Babia a 35300 a caixa, tambem temos
para 23000, 25500, 35000 e 3l?200 a
caixa.
Vellas de spermacete superiores a 600, 640,
e 680 rs. o mas so.
dem de carnauba e composico a 329, 360,
e 400 rs. a libra e de 10$ a 11-5500 a
arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a I #000
a ancoreta do Porto e 15500 a de Lisboa.
Massas para sopa: estrellinha, rodmha o pc-
vide a 400 rs. a libra e 25000 a caixa com
8 libras liquido.
Massas para sopa moito novas: talharim, ma-
earro e aletria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate portugus, hespanhol, francez e
suisso .das melhores qualidades a 000 rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixao.
Ceneja das melhores marcas de 55500 a
65000 a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
15300 a lata.
Bolachinha de soda, especial encommenda,
muito nova em latas grandes a 25000 cada
urna.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes, do fabricante Basset, a
360 rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a libra.
Tijolo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Cebollas o molho a 900 rs.
Erva-doc muito nova a 400 rs. a libra.
Cominhos idem idem n 640 rs. a libra.
Garrafoes vasios a 500 rs. cada um.
Ditos com 5 garrafas de genebra a 25400,
garante-sc ser verdadeira* de Hollanda.
Cebollas a granel a 640 rs. o coito.
Canella a mais nova do nosso mercado a
15000 a libra.
Alfa'zema o que pode haver de, melhor neste
artigo a 280 rs. a libra.
Phosphoros de seguranca individual a 20 rs.
a caixinha.
Papel de embrulho muito superior a 15120
a .resma.
Vinho da Figueira, o que,lia de albor a
45000 a caada.
Copos finos para agua a 65000 a duzia,
* m
64o rs. a libra.
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para docnte a 800 rs. a libra e o
pote separado,
dem de porco, refinada e muito alva a 5oo
rs. a libra, em barril ter abatimento.
dem ingleza em latas de 2 1 '2 libras a 2,ooo
cada urna, garante-se a boa qualidade.
Queijos do reine chegados pelo ultimo vapor
de l,6oo, l,8oo, 2,ooo e 2,5oo rs.
dem prato chegados neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 660 rs.
a Ubra.
dem londrino mandados vir de cncommen-
da especial a 7oo rs. a libra.
Caf do Rio de Ia e 2a qualidade de 8,5oo e
8,800 rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz da India e MaranMo a loo rs. a libra
e 3,ooo rs. a arroba.
Caixinhas de ameixas francezas de 1 1/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas estampas no exterior da caixa a
I,3oo, l,6oo, 2,ooo, 2,5oo e 34ooo rs.
Vidros de diversos tamanhos de confeitos,
muito proprios para mimos, 2,5o rs. cada um.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra c
em porcao ter abatimento.
Garrafoes cora 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2,24o rs. com o garrafo,
afianca-se que neste .genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira mui-
to superior e mais proprio para a nossa
estarao por ser mais fresco a 2,4oo rs.
Cha hysson o mais superior a ,60o rs. a
libra, afianca-se ser egual ao que regular-
mente vendemos a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem huxim miudinho.o mais superior que
vem ao nosso mercado a 2,7oo rs.-a libra.
dem preto muito fino a 2,ooo rs. a libra.
dem muito mais baixo,. muito proprio para
negocio a l,6oe rs. a libra.
Presunto inglez para fiambre o mais fresco
que se pode desejar a 800 rs. a libra.
Garrafoes com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 2,2oo rs. cada'um.
dem com 5 garrafas de vinagre de Lisboa
a l,2oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre hamburguez
a 9oo rs. cada um.
Genebra de laranja a 9oo rs., a melhor que
se pode desejar.
Cha perola o melhor neste genero a 3,2oo
rs. a libra.
Vinhos generosos \indos do Porto engarra-
fados das seguints marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Velho secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a 1,00o rs. a garrafa, e
9,ooo rs. a duzia.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto
a l,2oo rs. a garrafa, e lo.ooo rs. a caixa.
Vinho Bordeaux das'melhores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Estephe e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,000 rs. a caixa com urna
duzia.
DE
Eduardo Marques de Oliveira C.
3
o
>
o
o

o
i
s
3
s
I
e
f


8? I

O. 2
I P
^4
B
o
j*
N'este novo e grande, estabelecimento de molhados, encontrar o resp>
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do centro, portea .. nda
todas as qualidades de gneros por menos precos que em quaesquer outros rt^Wa u
tos d'esta ordem, pois para isso segu era um dos primeiros paquetes para a Europa um
dos socios para serem vindos todos os gneros de conta propria, para melhor sen ir aos
seus freguezes, e desde j encontrar o respeitavel publico sempre os melliores 1 eus
novos gneros do nosso mercado, e por precos baratissimos, como se ver abaixo.
Amendoas a 320 rs. a libra.
Azeite francez clarificado a-800 rs. a garrafa
e 9,5oo rs. a caixa com 1 duzia.
Conservas inglezas dos melliores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a 800 rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes muito
nova a 4oo rs. cada um.
Mlhos inglezes de todas as qualidades e das
melhores marcas a 5oo rs. cada urna gar-
ralinlia.
Sal refinado em frascos de vidro de diversos
modellos a 4oo rs. cada um, s o frasco
vale o dinheiro, tambem ha solt para 80
rs. a libra.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, nwito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de 1,000a3,ooo
cada um.
Painco a 14ors. a libra.
Milho alpista a 16o rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra, e 2,3oo rs. a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol que raras vezes
vem ao nosso mercado a 3oo rs. a Ubra e
em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade dd 2oo,
22o e 24o rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 12o rs. a lata
e l,3oo rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo: svel, pescada,
curvina, salm3o e outras qualidades, pre- Figos a 400 rs. a libra, e em latas de 4 libras
parados de escabexe, segundo a arte de
cosinha de l,4oo e 2,ooo rs. a lata.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
7oo rs. a libra.
Ameixas a 15 a libra.
Ditas em frasco por 25800.
Arroz pilado da India loo rs. a libra c 35ooo
a arroba.
Dito dito do Maranhao 120 rs.a libra e 35500
a arroba.
Azeite doce francez 800 rs. a garrafa.
Dito de Lisboa 680 rs. a garrafa.
Agurdente de canna de cabeca a 240 e 320
rs. a garrafa.
Azeitonas a 400 rs. a garrafa, e 15300 a an-
coreta.
Bolachinha de soda a 15400 a lata.
Banha de porco a 600 rs. a libra.
Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
rica a 350OO.
Cha hysson a 25200 a libra.
Dito dito fino a 25600 a libra.
Dito miudinho a 25800 a libra.
Dito do Rio a 15800 a libra.
Dito preto a 15900 a libra.
Carne do sert5o a 36o rs., e em pOrcSo se
vende por menos.
Charutos de diversas qualidades a 15200,
15500 c 3# a caixa.
Champagne a 15 e 15500 a garrafa.
Chouriras a 560 e 600 rs. a libra.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Caf em grao a 300 e 320 rs. a libra, e95 C
952OO a arroba.
Dito moido a 360 rs. a libra.
Doce de goiaba a 560 rs. o caixao.
Espirito de vinho de 38 graos, a 280 rs. a
garrafa,
Papel grve pautado e liso a 3,8oo rs. a
resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
46o rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa, Porto e Figueira das
melhores marcas a 2,5oo, 2,8oo, 3,ooo e
4,000 rs. a caada do mais superior e de
32o e 36o rs. a garrafa.
dem velho Chamico em barril, muito proprio
' para sobremesa, por ser muito claro e
macio a
canadai
6io rs. a garrafa, e 5,oo rs. a
por 15500.
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 640 e 720 rs. o frasco,
e 75 a frasqueira com 12 frascos.
Dita hamburgueza a 560 rs. o frasco, e 65500
a frasqueira com 12 frascos.
Dita flor de laranja a 15 o frasco.
Gomma d araruta a 100 rs. a libra, c 25600
a arroba.
Graixa em latas a 120, e 15300 a duzi.
Genebra em garrafoes de 14 garrafas por
45600.
Batatas inglezas libra a 80 rs., e a 25500 em
arroba.
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito em garrafas grandes de superior quali-
Manteiga ingleza flor a 800,900 e 15 a ufa.
Manteiga franceza a 680 e 720 rs. a libr.i.
Dita hollandeza a 72o 800 rs. a libra.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a 500 rs. a bra.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
Passas a 4qo e 560 rs. a libra, e 85 a eaiam,
Palitos para dentes a 180 rs. o masso.
Phosphoros do gaz a 25500 a grosa.
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a i c
25500.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Dito do serto a 560 rs. a libra.
Cervejas de marcas superiores a 500. 56t.
600 e 640 rs. a garrafa, o 35500. G*
65500 a duzia.
Dita em bail por 45, e 240 rs. a garrafa.
Cevada a 240 rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 rs. a laU-
nha.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 160 rs.
Vellas de spermacete a 640 e 680 rs a libra.
Ditas do gaz muito l>oas.
Ditas dito m caixas de 6 libras por IfHfc
Ditas de carnauba a 400 rs. a libra.
Ditas de composico a 360 e :iso rs. ?. libra.
Vinho do Porto, caada a ."i-S-'^tO, garrama
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 45 e a garrafa a Sttf
rs.
Dito Figueira, caada a 35840 e a garrala-a
480 rs.
Dito dita superior, caada a 45 e a garrafa
a 500 rs.
Dito Estreito, caada a 35200 e a garrati a
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 e 800 rs. a garrafa.
Vinagre d Lisboa em garrafoes m I |
fas por 15400.
Dito em caada a 25, e a 200 rs. a garrafa.
Vinho do Porto em garrafoes d- 3 turni
por
Dito dito engarrafado a 15 e 15200.
Dito lagrimas do Douro a 15400 a garrafa.
Vinho branco de Lisboa a 720 rs. a gan a.
e 55 a caada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, e a *50
a caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero, a 56o rs. a garrafa e a
3,8oo rs. a caada.
Vinagre puro de Lisboa, -a 2oo rs. a garrafa
e l,4oo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em barril,
a 64o rs. a garrafa, em porco ter abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
i,2oo rs. a garrafa, e !2,ooo rs. o gigo,
com 1 duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Bahia a 3,5oo rs. a caixa, tambem temos
para 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 3,2oo rs. a
caixa.
dade a 15500.
Previne-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima sao de boa
dade, c para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annunmd< -.
TODA ATTENCO
Chouricas c paios, o mais novo que se pode
desejar, a 56o rs. a libra. '
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 9oo rs. a garrafa, e lo,5oo rs.
a caixa com urna duzia.

Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
Licores franeezes muito finos das seguints
marcas: Anizete de Bordeaux, Plaisirdes
Dames, Crme de Noyau, Eau de veede
dant^- c, Creme de mentlie, Huile de Ve-
nus, Parfait amour, Eau dora l.ooo rs.
a garrafa e lo.ooo a caixa com i duzia,
Passas muito novas e de carnada a 3oo rs'
a Ubra e 6,000 rs. a caixa com 1 arroba'
ha caixas, meias e quartos.
Ameixas francezas em frascos de 1 1/2 e 3
libras de l,4oo a 2,8oo rs.; tambera ha em
latas de differentes precos.
Marmelada imperial dos melhores conservei"
ros de Lisboa a 600 rs. a libra, ern latas
~ .de differentes tamanhos e lacradas herm-
ticamente.
Fruetas em caldas de todas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas a 5oo rs. cada
urna.
Bolachinha ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,3oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Velas de spermacet superiores, a 600 64o,
680 e 7oo rs. o masso.
dem de carnauba e composico, a 32o, 36o
- e 4oo rs. a libra, e de 10,000 a I l,5oo rs.
a arroba.
Azeitonas novas do Porto Lisboa, a l.ooo
rs. a ancoreta do Porto, o l,5oo rs. a de
Lisboa, estas ultimas raras vezes vem ao
nosso mercado, pela sua boa qualidade.
Massas para sopa: estrellinha, rodinha e pc-
vide a 32o rs. a libra, e l,6oo rs. a caixa
com 8 libras Uquino; s no Progressivo.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carro e aletria, a 4oo e 48o. rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a Ubra.
Doce da casca da goiaba a 64o rs. o caixao.
Ceneja^ das melhores marcas, a 5,5oo e
7,4oo rs. ji duzia e 54o rs. a garrafa.
Biscoutos inglezes de diversas quaUdades a
l,2oors. a lata.
Bolachinha de soda especial, encommenda
muito nova, em latas grandes a 2,ooo rs.
cada urna.
dem craknel em latas de 5, 7 e 15 libras a
4,000, 5,5oo e 11,000 rs. a lata.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oo rs.
a grosa.
Massa de tomates em latas de 600 a 7oo rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes do fabricante Basset, a
38o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo, a 32o rs. a Ubra.
Tijollo de limpar sicas, a 18o rs. cada um.
CeboUas, o mlho a 9oo rs.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa,
a 14o rs. a Ubra.
NOS
ARJIAZEXS
CfiSIS-tTV i GQNSfRVlDfi
DE
JfiiH/rrj 2 IDD3 8AH9DS
NS. 21 E 23LARGO DO TERCO -XS. 21 E 23.
O proprietario destes dous estahelecimentos de molhados. vende os sn- g-
neros por menos do que em outra qualquer parte, por isso garante a aparar !
lidade de qualquer genero sabido dos seus armazens: pode vender por menos por
prar dinheiro, e por isso faz vantagem a os compradores.
Batatas as mais novas do mercado, a 60 rs. a libra e I.600 rs. aarroab ou caixa.
Toucinho de Lisboa da 1.' qualdade, a 3oo rs. a libra c 9,ooo rs. a arroba.
Caf do Bio da 1.a e 2.a sorte, a 28o e 32o rs. a libra.
Queijos do reino, chegados pelo ulmo vapor, a l,8oo e 2,ooo rs.
Velas de spermacet, carnauba do Aracaty, as melhores deste genero, a 63o e 4oo rs a libraj
Vinho verdadeiro Figueira das melhores marcas, a 5oo e 4oo rs., em cariada > faz aba-
timento, ha porco para escolher.
Bolachinhas americanas, as mais novas neste genero, a 2oors. a libra e 3,ooo rs. a barrica.
Palitos do gaz, vindos por conta particular, a 2o rs. a caixinha e 2,4oo rf. a grosa.
Manteiga ingleza da 1.a e 2.a qualidade, a 800 e 76o rs. a libra,
dem franceza, especialmente escolhida, a 64o e 600 rs. a libra.
Cha, o melhor neste genero, a 2,88o rs., tambem ha para mais barato.
Milho alpista, limpo, muito superior,,a I60 rs. a libra, a arrroba 5,000 rs.
Alm destes gneros ha outros muito baratissimos, assim como cenvjn
lhores marcas, genebra de Hollanda e de laranja, passas, doce de goiaba, azeite uV. t-
nagre, canella, pimenta, cominhos, erva-doce, cebollas, albos, chouriras, banha de 1
outros muitos gneros que enfadonho mencionar; dinheiro contado.
Alm dos gneros cima mencionados, este um completo sortimento de al-
fazemas, cominhos, pimenta, erva-doce, palitos de dente em macos e caixinhas, enxo-
tq e outros muito gneros, os quaes vendemos pelos precos mais baratos possiveis,
SACDISAS AMERICANAS.
Em casa de N. 0. Bieber d C, successo-
res, ra da Cruz n. 4, vendem-sr:
Machinas para regar hortas e capim.
Ditas para descantear milho.
Ditas para cortar capim.
Sellins com pertences a 105 e 205.
Obras de metal principe prateadas.
Alcatro da Suecia.
Verniz de alcatro para navios.
Salsa parrilha de primeira qualidade do Para.
Vinho Xerez de 1836 em caixa de 1 duzia.
Cognac em caixa de 1 duzia.
Arados e grades.
Brilhantes.
Carrocas pequeas.
AGENCIA
DA
FUNDICO DE LOW-MOOfi.
Ra da Senialla nova o. t.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenbo, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.___________________
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Jonston & C,
ra da Sazalla Nova a. 42.
AOS SUS. CO.YSlOIDORES DE (.iZ.
Nos armazens do Caes do Ramos n. i
na ra do Trapiche Novo (no Recifei n. 8. *
vende gaz liquido americano primeira quafr-
dade a retalho a 125 I lata de .*> gal-V*. **-
sim como latas de 10 e de 5 garrafas e sen^
em porco mais barato que em outra qual-
quer parte.
Potassa da Rissia.
Acaba de chegar pelo brigue hambmvncz
Otto, muito nova e superior; vew!<
mente no antigo e acreditado deposito na na
da Cadeia do Recife, n. 12; onde tambem m
vende cal de Lisboa onito nova e i pre$
commodos.
Ra da Senzalla 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnstoo A C,
sellins e silhoes inglezes, candil isto;
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de veta,
chicotes para carros c montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e reJogk e
ouro patente inglez. _________
Assucar do Monteiro.
Ra da eadeia n. 28 e caes de Apollo %.
67, a 200 rs. a libra, c de 8 fibras para '
a 55600 aarroba.
#1



^-



JH
""
-

mm
mm
"-"
*-

i

x
**




Diario le Ptrnaarimco --- Quna tetra 1G de Jnlho de l[*:i.


LITTERATtfM
----* Jfr."
DORHnT
A" Carlos Cardos.
yue folha >vr,i amarga de agonas,
R' a hsi dia
N iido !
rom a face descorada !
To mu i -i alma ajoelliada
"*" m atad'' '
Gpmes, m genio; choras, cu prantoio :
Affpgando minha alma no ton scio.
Que encontr ? a solido !...
E' qt:c% como aqu passou sedwtto
Do ;'m amor de mulher o sofu-irnento
as lavas de um vulrim.
Que de luz, que de vida c de speranca,
Oscuiava na fronte da enanca
Os sonhos do porvir? !."..
Chegou a primavera mas seni flores,
Que a mocidade que nao traz auiores,
E' fria de iuauir.
Arrima a tua fronte ininlia fronte,
Quai no rabero de estafado monte,
Que varre a ventana,
Dtias flores nascidas sem cultura
Tremendo, nina na outra se segara,
Da.dr na syiupafhia.
Que, nao vale contar a qtie-in nao sent
A origem dessa lagrima fervente
Que tu choras corno eu.
Todos rriam dessa dr que mata,
Cbaateriam nona alma de insensata,
Por que cedo descrcu.
Tu ""loraste, eu chore; por que o destino
Nos dra por bordo de peregrino
A lyra do trovar;
For estrella de luznuvem sombra,
Por vidaa marte lenta da agona;
E tez-nos caunliar.
Caminhar, caminhar, sem ter na fronte
O reflexo de luz de um Iiorisonte
Do mago resplendor.
Yodo negro, So negro'como anoute I
Tudo fro, tao f. io C3mo o acote
D'inn vento gelador ,
So passado que febre e que delirios!
No presente que gelo e que martyrlos !
Do que fomos que resta ?
A was surprenderam-nos na aurora.
O que era flores espinbo agora ;
E* luto, o que era festa.
Vivar tao pouco. deamaiar tao cedo,
Sem revcllar-se ao menos o segredo
De um scio de mulher,
Onde dormem os sonhos de nossa alma,
Das nossas glorias a querida palma,
Oh morrer .sem viver 1
i ver; por que a vida vida apenas
Qu.udo em leito macio de ac-uecnas,
Que a aniizade colheu,
A nossa alma ropousa docemente
Quai nos maternos seios o innocente
Que um beijo adormecen.
E 6 sempre assim a lei da bumaidade :
A bonanta depois da tempestado,
A treva a pos a luz;
O sorriso urna lagrima enemigando;
A lagrima um sorriso desbotando;
E .tem de tudo te-cruz !
A cruz pharl divino que nos marca
Aonde enralhra da vida a barca
Ao vento das paixes.
A cruznica dea que perdura,
l>, pie remo-la s trvas da tristura,
E ao sol das illusoes.
Nos. peregrinos d'um caminho escuro,
Nos, mocos para qaem nao ha futuro,
Por que a dr o matou,
Vivamos do passado na lembranea',
Nao lapresentedesde que a speranca
Com elle nao che'-ou.
invocando esse poder; smento fez uso do I governo no laco reciproco da eonfU
1 qne em todos os lempos tem etterctn, sem [ dado entre o principe c o pov.
le mesmo
pposicao
palavra emjiualuuer occasio, tJjMFesse meio
reclamar o silencio. De accorelowm >;lle. a cma-
ra dos deputados tomou a 18 deste mez. urna res"-
lucao, para que o presidente, em virtttde do direito
Que*, a vHV pcftence\ de dirigir as tleljberacoes, e
mantel n ordem no seto da cmara, podesse nter-
romper qualquer orador, indotado oa ministros e
os 1908 representantes.
Acamara nao exigid dos ministros querenim-
m sua posicao constitucional e indepAen-
te; limitou-se suidamente ao caso presente, e
para evitar una desiiitelligenciu que nao convida
nem questao nem s circumslancias, abstere-se
com cautella do qualquer resolneao sobre direito
de chamar ordem, de-retirar a palavra e do que
Com esta unidade somos fortes, e entilo pode-
remos, mas so entil, espirar qualquer ataque, seja
quai fr o lado donde eMe vier.
Com profodo1 respeito, etc.
** A enmara fas (Itpitadoi.
i .Nos jornaes da Europa encontramos as se-
guintes noticias do Mxico :
t A Ghronhite Wkcicaine que todos os mezes se
publica naqaella repblica, transcreve asseguintes
infrmaroes e documcnloi :
< As tres divisos do exercito francez por ont
movimento convergente simultaneo, yjiftraram
lentamente sobre Puebla, como se fosse um centro
commum. ,
A 10 de marco os postos avaneados do inimi-
se chama poder disciplinar. Pelo contrario, os o achavam-se prximos deArnazoeisfo.U ^neo
ministros de V.M., em opposicao tan o tes d* I ^^L"^!^ir^?!f^!!<,!.0!^!a l
/
lutho :j.
Victoriano Paliiaoes.
O qne vae pelo inundo.
constituicao que concede a cada nina das duas c-
maras o direito de exigir a presenca dos ministros,
fizei ani dejiender esta ultima de urna condicao im-
possivel; a retratacao de urna assercao qne nao foi
pronunciada naqnellc incidente, nem pelo presi-
dente, nem pela cmara.
No. momento em qne recebeu a vosso mensa-
gem, a cmara dos deputados esta va para exjir
com franqueza e respeito, simultneamente com as
sas representacops contra aquella attitude.ssuas
queixas gentes a respeito dos ministros da cora.
Mais de 3 mezes teem j decorrido desde que
se expeda a nossa mensagem respeitosa do 29 de
Janeiro ultimo, sem que se restabelecesse urna si-
tuacao constitucional, sem que nem ao menos se
adquirisse una garanta de que ella chegasse a
restabeleeer-se.
Os ministros de V. M. continuam a proclamar
iberiamente principios anti-constitucionaes, o a
applica-los nos actos que praticam. Nao satisfeilos
com isto, recusaram o seu concurso para regular
e combinar com a representaco do paiz, a lei so-
bre a responsabilidade dos ministros promettida
pela constituicao. Ainda mais; nao hesitaram em
declarar perante a cmara reunida que nao podem
Submetter a sua responsabilidade decisao do tri-
bunal indicado pela constituicao jiara estatuir sobre
taes casos. k
Com tudo a cmara dos deputados proseguiu
consrienciosamento as defiberaoSos que deviam
conservar ao paiz umaorganisacao militar popular,
assegBrar ao exercito urna base legal, restabelecer
a ordem no orcamento, restituir a reito constitucional c a sua paz interna.
Sao os ministros da cora que destrem este
fin n'unia sessao, rompendo as relacoes pessoaes
com a propria cmara.
Aos embaracos internos ligam-se cada vez mais
os perigos externos. Com o actual governo de Y.
M. a situacao externa tem-se tornado mais favora-
vel-doque nunca o estove ha muito tempo. A s-
peranca do restabelecimcnto do poder c da unidade
da Allemanha tinha-sc reanimado. Os actuacs mi-
nistros de V. M. enganaram essas esperancas. Pela
sua poltica externa, pela sua marcha inconstitu-
cional na interna, perderam a confianca do povo e
dos governos. Forara toreados a confessar na c-
mara dos deputados que a Prussia est cercada de
nimigos. que de toda a parte aaraeacam com com-
plicacoes de guerra. A Prussia est quas so na
Allemanha e na Europa.
A cmara dos deputados levanten a sua voz
em dfferentes oceasioes para fazer suspender os
ministros no caminho perigoso que seguem na po-
Utica externa. O seu conselho foi repellido. Os
ministros.declaram que, se o julgassern necessario,
fariam a guerra com ou sem approvacao da repre-
senta$ao nacional.
Gracioso rei c senhor.
' A cmara dos deputados aproxima-se do thro-
nO, no moniento em que. por infelicdade, j nao
pode duvidar de queas ideas da cmara, e os de-
sejos do paiz. deixaram de ser fielmente apresen-
tados V. M.; quando j nao tem meioalgnm de
accordo com este ministerio, quando recusa o seu
concurso poltica actual do governo. Qualquer
negociacao ulterior no fazia mais do que confir-
mar-nos na conviccao de que. entre os conselhos da
cora e o paiz, existe um abismo qne nao pode ser
vencido senio por urna mudanca de pessoas, ou
antes por urna mudanca de sistema.
Senhores. o paiz em primeiro lugar reclama o
completo respeito do seu dircjto constitucional. Des-
de que existe constituicao, os direitos e os intc-
resses da cora teem sempre sido conseieneiosa-
mente respeitados pela reprpsentacao popular; o
reconhecimento e o exercicio des seus direitos
gou chegado o momento do tomar as medidas que
as circumstancias reclamassem, e para esse flm
promulgou mnitos decretos, dos quaes traduzimos
em seguida os mais importantes :
t Jess Gonzlez Ortega, general em chefe do
exercito do oriente, e commandaifte militar do es-
tado de Puebla, faz saber o seguinte aos seue ha-
bitantes :
Que em virtude dos ampios poderes de que
est investido, julga dever decretar o seguinte :
Art. t Todos os Francezes residentes nesta
cidade devero apresentar-se tres horas depois da
piiblicacao des te decreto, ao segundo general em
chefe da commandancia militar deste estado, aiim
de requererem carta de seguranza para as sitas
pessoas. Depois disto, dirigir-se-hao ao domicilio
do vice-consul que os representa, e all permane-
cero durante o ataque da praca, ou por tanto fem-
po quanto o exercito francez se conservar as sitas
nmediaces. Os Franceze*, que por motivo de
eommodidade ou por mais segurnca, preferirbm
ir para a capital da repblica, apresentar-se-hao
tambem, no prazo cima indicado*, ao mesmo cida-
dao segundo general em chefe da commandancia
militar, que Ibes dar o eonveniente'passaporte, do
quai os interessados farao inmediatamente uso.
Art. 2o Como o fim das prescripces indicadas
no artigo precedente nao mais do que procurar
toda a seguranca possivel para os cidatfaos fran-
cezes que residem em Puebla, a autoridad^ nao in-
eorrerna menor responsabilidade pelas dosgra-
cas e incidentes imprevistos, que experimelWarem
as suas pessoas, os Fraacezes, que recnsarem
submetter-se a essas prescripcSes.
Pelo que ordeno, etc.
Quartel general em taragoza, 10 de mar^fHie
1863.Jess G. Ortega.'
Nada se poderla imaginar que fosse melhor do
que esta medida para vigiar sobre os Francezes, r
sobre as suas necessfdades. Mas nao era fcil p*-
lo em exocueo ; era, pois, condeiima-los "a um;v
reclusio, que poderla ter longo e jior consecuen-
cia insuportavel. O general Gonzale Ortega com-
prehendeu-o. e para cubrir a sua responsabilidade,
que nada podia fazer molhor do que mandar par-
tir para o Mxico os reside ntes francezes em/ Pue-
bla, como se pode ver de seguinte documento :
Governo do estado livre e soberano de Puebla.
Attondendo a que a medida relativa aos cida-
dos francezes, de 10 do corrente, dexa subsistir
as difficuldades que proveen da invasao do exer-
cito daquella nacao, exercito que ha de prxi-
mamente atacar esta praca,- procederis de mo-
do que os residentes francotes abandone m a cida-
dade. no prazo prefixo de Tinte e quatro horas, em
direcca da capital da repblica ;' no caminho en-
contrarao sufficientes escoltas para Ibes dar toda a
seguranca que desejarem.
Se terminando este prazo, algum fianeez se
conservar ainda na praca. sera considerado como
espiao do inimigo, e por consequencia-jatgado, na
conformidade das leis da guerra. Nesta medida
nao se comprehendem as passoas- physcamente i m-
pedidas, as quaes classifiaareis com a approvacao
do quartel general.
Liberdade e reforma.
t Za ragoza 14 de marco de 18G3. Jess G.
Ortega.
fni'li- Senhor marechal.
PueblaesHem noesopoder.
Tendo o combate de S. Lourenco dispersado o
corpo de exercito de (^onionfort, que pretondia for-
ioar a nossa linlia de inwstimenle e abaitocer Pue-
bla, a guarnicao qne soflria a tome savia j algum
tenipo, eslava exausla deludo, eonl quanto tivesse
j recorrido a quanto tinha a populacao.
Poroutro lado, estandoaberta a trincheira em
frente do forte de Teotimehuacan, e havendo as
nossas bateras armadas com 30 pecas de diversos
calibres ronipilo o seu fogo no dia 16 contra
aquelle forte, e destruido completamente em duas
.huras o seu armamento, efa multo critica a situa-
cao da praca, contra a quai se tnham dirigido deus
vigorosos ataques.
Nestc estado de cousas, o general Ortega fez-
uie propostas para que lhe concedesse tuna, capi-
luUojio. Mas sendo as suas pretcncoes sabir da
pra?a com as honras da guerra, armas, bagagens
e artilharia de campanha, c a faculdade de se diri-
gir sobre o Mxico, regeitei aquellas, extraordina-
rias propostas, e declarei-Uie que consenta em que
elle sahsse com as honras da guerra, mas que o
exercito deslilasse em frente do exercito francez e
que depozesse as armas fleando prisioneiro de
guerra, prometlendo-lhe ter todos os respeito* que
eslo em uso entre os povos civilisados para com
urna guarnicao que havia feito urna to valorosa
defeza.
Estas propostas nao foram aceitas- pelo gene-
ral Ortega, que, na noute de 16 para 17, deteniri-
nou a dissolupao do sen ejercito, quebrou as ar-
mas-, encravoua artilharia, fez saltar os paies da
plvora, e mandou-me um parlamentario para me
annunrar que a guarnicSo tnba acabado asua de-
feza e quo eslava ninlia disposfao.
c Nesse da se constfuiam prisoneros no nos^
so campo 12,000 homens.a maior pane senlarmas,
om uniforme f sem equipamento, porque tudo ti-
nha sido despenarado e espalliado pelas ras da
cidade ; c os oraes em numero de 1,000 a 1.200,
sendo 26 gencraes e mais 200- offlciaes stipvriores,
me faziam saber que" estavam reunidos nrprlacio
do governo esperando" as minlias ordens.

Todo o-material da praca ficonem nosopcr po-
der, e paree que s foi deteriorado arparte e in-
completamente.
Apresso-nie a mandar este despacho V. Ex*,
com ordem para Vera-Cruz de o exped* por un*
navio de boin andamento para a Ha vana, donde:
p ider ser drigidb por Nova-York para a Europa,
e chegar antes do paquete ingler ijue ha dv largar
de Vera-Cruz no i de junho, cr que le var V.
Exc. um'rlatorio crcnmstanciad da nossa situa-
cjao. --
O exeTcito est ebeio de alegra e vae niar-
e-liar ein poucos das sobre o Mcxic.-
Sou cem respeito, efe.
O general de divisia senador, eommandaflt
em cliefe db corpo expeicionario d> Mxico.
Forey.
O Mvnitetrr, publicou a seguinto caria d#
imperador Napoleao. dirigidla ao general Forey :
t Paco de Fon1ainebleau,l2dP junho de-1863.
f General; rocebihontemirporviadeN*'a-York,
a noticia da tomada de PuebU Este acontrhento
en^heu-me de alegra.
Sei quant.1 prevencao e ewergia era necessara
aos chefes e aos soldados para conseguirem aqnelle
inqiortante lumltll Testemnnhae, em men orne,
ao exercito quai a minha saisfacao; dEMIbe
ipianto
tos, e na manhaa de
n. 38.
No da 2f) qtfVer oVnoslw vlehts soldado*
no proprio theatro das suas operacoes da vespera,
nos reductos 29, 30 e 31, omtc del inmediatamen-
te a cruz da Legio de Honra a nm sargento do 18*
batalhao de caeadores, que me foi indwdo por se
ter tornado notavel de urna maneira excepcional.
necessario ver as defesas incrveis aecumu-
ladaspelo inimigo naquellcs reductos, para se fa-
zer una idea e apreciar tudo quanto praticaram os
"nossos soldados em audacia, energa n^paciencia
para se apoderaran daqueas fortalezas, too difll-
cels de conquistar como um forte regular.
. J Uve occasiao de escrever que a defeza de
Puebla, organisada pela democracia europea, pro-
va que ha ali homens muito conhecedores em ma-
teria de barricadas. Tambem se nao pdc compa-
rar cousa alguma do que M ve em Franca, com a
disposicaode Puebla, disposico que a de todas
as cidades do Mxico, as quaes coptam quas tan-
tas egrejas como casas, e onde todas a casan ter-
racadas se dominam unas s outras.
No reducto 29, entre outras, havia urna oflk-i-
na no interior d quai os Mexicanos UnnanJ eito
urna esiiecie do rdente, cujas duas faces nos dws
lados internos se apoiavain cniduas casas setei-
radas.
Este rdenlo era precedido de u" enorme fos-
sO de 4 a 5 metros de largura e de outros tantos de
profiimlidade.
O parsito tinha mais de 4 metros t opes-
sura, e o-talnde interior era formado de enormes
pranchas de mudeira de c.Walho. Pela part' le
traz (Jeste rdente todas as construeces estavam
convenientemente defendidas, assim como as sabi-
das. De ran reducto para o ontra a communica-
cab estabelecia-se por urna galera subterrnea. Os
nossos soldados nunca teriam pedido conquistar
aquella obra, se a brecha praticada- no reducto, por
indicacao de um habitan!", nao livessedado acces-
so em una entrada aboba-Aula, parallei grande-
face do rdente que pode ento ser fiampicada.
Houve ali urna derrota completa dos Mexicanos, que
fugnde pela galera subterrar*>a, indiearam'avsim
o caminho do reducto 31, aos iiessos soldad**,-que
os seguiram e matavam um grande' numero, fazen-
do 200 prisioneiros.
c As nossas perda foram pequeas, gracas- ao
cnthusiasmo dos nossosacadores di 18 batalhao,
6 dos zuavos do 3 regiment, que ser conduzram
admiravelmente. Por fbritma providencial nem um
nico olilcial licou ferido. S Mr. GalKfef, do meU
cstado-niaior, tuve um ferRoento gravo cem um es-
tillado de obuz ou de grima*, mas tenhev esjR-ran-
k de eme se ha de salvar.
Visitei tambe-nina tarde o dia 20, a batera
que os niariiiheirfs conslruifam na egreja de S.
Ildefono, e os tres noductes recsHemente conquis-
tados.
Tetido concluido-as suas opewres a coli-mna
mandada a Attisco, re jpressou nesw mesmo dia ao
campo d'-s. Jeao.
t A 21, vCndo-se sen duvida o inimigo na fm-
ylpossibilidauV de conservar os reducios 26.27 e 38,
evacuarammew, e lanearain-lhes foge^em pleno da.
O incendio foi consider-vreH, c duren toda a ma
rhaa.
Para fazer caliir o toi*- de Carmen, solando
resto da pnwa, fez preparar un ataque sobre &
coteja e convento de Santa^gnez.
A artilharia comecou una batera de brecha
e os spadores encelaram tnbem a abertura do
O'DOs do reducto 11"aca ; mas cstererontr nwfim
en urna expedicao tao \m hitar contra o clima,^ contra a ebfficuldade don ter- j ^^ ^^^ ^^ c
^ i quatro reinaes de minas.
. Visitei as rotalaneias grande <:W.rtel-ge-
itodo catado em
i que c do cuidado com
renos, e contra un inimigo tanto mais contumaz,
quanto eslava'engaado sobre as minhas inte-
coes. Lamento anargamente a perda provaveide Vrmtiat!0e de S
tantos bravos, mas tenho o coasoador pensaniMito lu"m(li
de qne a sua monc nao foi intil nem aos intc-
resses, nem honra da Franca, nem evilr-a-
! quocram tratad
Daas sortidas db nimgo-ontra as nwsas |o-
cao. O nosso fim, como sabe-is, nao e' iuijr aos
liellidas.
No dia 22 etorigi-me a Ch Juta, onde eitabeleci
um hospital: quiz ae mesmo tempo visitar aquelle
manen-apir

Mexicanos mu governo contra a sua vontade, erm cstabeHcimentoe-distribuir alguinas recomnensas
tateT ce>m que os nossos triumphos aproveitem a
qualquer partido. Desejo que o Mxico entre *m
urna nova vida, e que dentro ciivponm tendo obtr-
do a sua regencraeao com mu governo fundado
. Esta-ordem foi executadaem todos o* ponise VM1,ade nacional, nos prmrpos da ordem c
os Francezas partiram logo-para a capital. Veja-
D.inios em seguida a mensagem, que foi
votada |n-la cmaras dos deputados em Berln; e
entregue ao rei por mao do ministerio:
Muito alto e poderoso re, e gracioso senhor.
t A mensagem de V. M. de 20 deste mez, foi' conslituconaes, nunca foram contestados aos mi-
rccebiela com respeito pela cmara dos deputa- nistros. Mas os mais importantes direitos da rc-
Tem ella relaco com um incidente apontado j presentaeao nacional sao despresados e violados. O
dos.
as notas stcnographicas.
c Nao podemos deixar de concluir que as delibe-
rar Des da cmara nao foram referidas fielmente
V. M. 0 nosso presidentenio revindicou, nasessao
& '. 1 deste mez, o direito de submetter os minis-
tros ao seu poder disciplinar. Nao lhes impoz Si-
paiz espera de balde as leis que a constituicao pro-
mette. Possa V. M. por termo esle estado de
cousas, que occulla graves perigos para o estado e
para a realeza. Possa V. M., como nos dias mais
gloriosos da nossa historia, procurar e.encontrar o
esplendor da casa real, o poder e a seguranca do
mas a contedo de ouups decretos :
* Jess G. Ortega, ele.
Art. nico. Todas as pessoas que-, pela sua
edade ou pelo seu serxo, nao poderem contribuir
para a defeza da praca, salino durante o dia de
boje e de amanhaa, excepto as pessoas que, por
causas particulares, nao poderem abandonar a ci-
dade. e que se viren, na necessidade de se expor s
consequencias da guerra, emquanto durarem as
operaciies'militares do ataque e da defeza da dita
praca. Sao tambem exceptuadas as familias dos
defensores desta cidade.
Dado no quariol general em Puebla,aos 14 de
marco de 1863.
Jess Gonzlez Ortega, etc.
0 general Forey dirigiu ao ministro da guer-
ra o seguinte rclatorio :
Puebla 18 de mato de 1863.
de
'xmaoBLum
FOLHETIM.
A IME\DIARI\ DA CASA YERMELHA.
(C V
A ceifa prosegua.
Todos os dias homens e muflieres penosamente
curvados para o chao productivo, que alimenta a -
humanidade, cortavam as louras espigas pesadas e magnifico horror do incendio que retenta no me o
cucas d'um bonito trigo. das trevas n um campo abysmado no silencio do
Poucos iustarttes decorreram.
De repente urna lingua de fogo precipitou-se do
primeiro grupo a crepitar.
Um clarao avermelbado allumou o edificio da
herdade. e urna fumaca espessa circulou os grupos
de trigo.
Sbito um grito se fez ouvir, grito cheio de es-
panto, que gla de terror aiuda aos mais fortes.
Fogo T
O incendio que se declara no centro de urna ci-
dade, no meio de um quarteii o populoso, um ac-
cidente funesto ; mas est longe de apresentar o
pritgresso, o no respeito das gentes, reconheca, por
melo de rclaces. amiga veis, que deve Franca a
sua tranquillidade e a sua proeperidade.
Espero os reintorios ofllciaes para dar ao exer-
cito c ao seu chefe as recompensas merecidas!
mas recebe desde j, general, as minhas vivas e
sinceras felcitacoos.
O general Forey,eommandanto-em chefe do cor-
no exjicdicionario do Mxico,, dirigiu o relatorio>sc-
guintc ao ministro da guerra francez :
Cerro de- S. Joao, 3 de maio de 1863.Sr. ma-
rechal.Teaiio a honra de levar ao conhecimento
de V. Exc. a seFic- das operacoes do sitio ele Pue-
bla desde 19 de abril, data do meu ultimo rea*
torio.
Na noute de 19 para 20 puzeram-se em defesa
os dous reductos 29 c 31, tao brilhantemente le-
vantados a 19 pelo corouel Mangin, do. 3." de t-
aos caeadores da frica do esqaadro do ceuumau-
dante de Tnc, do>3." regiment, que se cunduziu
brilliaatemente em. Attisco ne- dia 14 deste mez.
Julgiie dejusli<;a rerompensap o excellente proce-
diiuenro Jo corouel ib- La Pena, iiaijuelle combate,
conceicndo-lhe, sm frente do seu esquadrue e de
lqd> a populacaode Cholula reunida na p^aca, a
cruz da Legiao de- Honra,
" Este fado produziu um bi-Ho cffeito e foi ap-
plaudidopelo po\T>,pc4ossoldave por
todo o .exercito francez.
t gontinuaranyiesse mesmo dia os preparativos
para o ataque de3anta Cruz ; concluiu-se a batera
de brecha n. 19, com 8 pecas ; os redactas 26, 27
e 28 foram.occnpados c postes em estado de de-
fesa..
Nessa. noute verificou-so una foito- s contra a fazenda de S. Francisco.
t Q inimigo, depois de ter sido repellido, fez se-
gunda soitida de madruga*!, dirgind-se sobre os
nossos trabamos entre S. Balthazar e a moinltu de
Guadalupe.
Os Mexicanos foranvdc no*o regellidos al
a jida ao cnpita Audin, do i, mor*
regava bayoneta i frente dos seos i
Nos ataques da direita. emp
ranlc a noute leyanta/junto do moinhn de I
tillan, nata batera tft hpiiiiih, qete pat-
eo affaslada. lancani os seas nroj.-rtis ab-ra de Sam
lyn.7..
A 23. rtel a ambulanria da divtswu
ponte do Mxico, eo deposito dos prisioMrirw *
guerra em Ha\ariiv^s prisioneros miniti >U
ram-me o m-u r rnnlnrttei'iil p.|.t
fmo trtete
t Para aliviar as nossas amtalancus.
dem para que (.mIos os ferios
estavam sendo tratados foseen para
de se organisou para elteS nm serr *> fe*.
Iiital.
Quinb-nlos -lda*b a cavalk de Ommktt,
avancaram n.idireeo do fnrfilhoV S.^mut.i
mas foram forrados a retirar \>r um de itii
to de tropas do general Manpiiz.
c Nao estando ainda concluidos no dia H. o*
preparativos para o ataque de Sama Ignez.
dever addia-lo para o dia .eguinto.
< A 2C. o coronel Du Barrail. rom forra* e i
fantaria, cavailaria e artilhari foi prornrar ani
mentos fazenda de Chahuad.
Esta operaco nao deixou de ttt muiH i
teda pe-las trojias de Comonfort. Erta* |
expeilirOes sao roressarias para btrrmos nuwi-
mentos. e especialmente milito, de une rarerra
para sustento do nosso gado. Temos liaa maior
cautella para reunir provisor* V mantimmtee. prr-
vendo que as ojN-nu-Oes de sitio se possam Dr>*w-
gar, porque o inimigo parece di.^posto a di. prnUr
nos o terreno palmo a palmo min toda a rnrvm ;
o que podemos concluir no pouco exilo akanrnt.
no' ataque de Santa Ignez.
Tudo eslava preparado para o ataque *> dia
2o; tralou-sc de accomrnetter o redurio 52. *m>-
seencontra o convento e a egreja irS. hrnrz.
Os-spadores abriram ptertes as ras, dua^
dasqinescomumnicavam com 3;i*> ki. de pavera.
i A artilharia linha coltoratfo no rmforto .T). nm
batera d<4 pecas de 12 e 4 omsws para atrir brr-
cha e bate? o interior do reduelo? o roanenft. Tu-
do se tinha praticado para alcanzar um bwa no
deste ataque. Infelizimnle. na mofe do di so-
J*rereu um violento temporal que imuudwo a> Brte-
cheiras, e a a.stta invadi- as galeriw. O gearral
Donay fez entio hincar fojs minas-, qne pfftdn-
nmo cffeito juen desijava.
Na madrugiida de 25. a latera dJ breen foi
posto en aeco; rompen o logo, e ipiawto a b*-
cha s- tornou praticavel, u;H Iwitalho >V> r* dr
zuavos lancou-se s*re o ipr^ro e pem-imn arlte
Mas *t repente apmsentaraut-w obstaru1* jnpr>-
vistos, taes como urna grade i* forro. fM panv
de derrnz, intrncht-iramentos cmio os nfif ea-
contramos neis ataojons-dos das amvredeiM^. An-
da mais atraz elcvav>se o convmy, qne aprr^en-
tava tirracos escalonados, e que dnanm- a
egreja andares de fogoy a qne i-stevam experto o
zuavos. A testa da cotomna sttst* atoa com vafoi
esta terriwl fusilara; mnsefuiu nTessar .vgra-
de de ferro, encontrando urna pa*4feni. pela
quai [lenettoii e consegu alojar-sv ifn urna ran;
mas o na* do batalhao i{0 o sesnB. sos}adr n
a sua marcha em const-qurnria ib.> 4istacul< 'W
MMMrava iv> terreno e dos fog rrvergrTi fM lhe din .o,.-ni de t casas naqnrtt -
tretapassagem; licou portanto srpjradb da a
t'ta de colruntia. que n ru so nonreio do
rriiiclieiramenti* que linhariasegnidateavrsra*.
> Neste alaipie as nossas perda.-. sifcen a
Morios: ofllciaes. T soldados,
i Feridos: 11 ofllciaes, K7 sihbdn,
Por mai* lamentavel ipc foss1 en rewi, T'-
g Mm desaniniMu Na gm-rra de reas n- f *
mo>-. nao \an surprelu-nder que > km - dixe de corita? os mais vi>,arosos -f- re-.
Todava ti-ukk* a maior ronlianea, a Uv'
argia e de prrscveranca. WMnl hnl n
tu ditliculdaib com os o ijae pn wianr
Procurei augmentar qiunto foe ptmi\>* ?
nonas raenranj di Orizata e fna 'jvp. ynrtm-
garam munie'fls, e es|ieF> mais. |>roxiianMnr
0pi" de Wra Ci m ti-
ntan partid" :
3 nortame de :to, e.^uio Una |i per*.
4 niorteiros de canipcaha.
t 280 bombos de 31 centimptrr*
800.000-cartuchi.
2.509 kil. de plvora
No dia 27 visin- a Naba de m>tnina M>
norte de Puetila.
i De tarde-o inimigo. depois d *r baMoem
brecha o ngulo do reducto n. 31. den tim a-xate>.
t Recelado bayoneta pek caeadVires do I* ba-
talhao, foi Houiptamei>le reiK'lliibi
A 28 tiz partir um grande cumboyo dt carr -
vastos, sob o commamlo do rapicto dr franja. ?|r
Hruat, aflu de oHR naunirCes eui Vera Cu
Monten para que K dkbjban o mais rauda-
mente possivel sobre Puebla a> uiunieoe^ tnnJa-
|K-lo transporte Cetm.
(Cotht*fir-r*i*).
l'un\ oonilo uigo,
0 sol de julho espargia sobre os campos os seus
ratos ai 'denles, e mais ainda augmentava as fadigas
dosse irabalho, que exige bracos vigorosos e o des-
prezo ao eansaco.
Os feixcs reunidos eram formados em grupos, ou
antes in verdadeiras collinas de trigo, cajo cinio
eJevava-se para o >.-u, e cuja base descrevia enor-
me circulo.
Bem sabia elle o meio de modifif a-las, indo em
auxilio, do cx-proprietario, e offereccndo-lhe o tra-
ba Iho dos seus bracos ; mas pensava que o mo-
mento nao era anda"propicio papa fallar-Hit de ca-
samento, e de mais, era seu dever, vendo o pobre
O tecto arda em foco toman assini arruinado, ccaw o lugar a um nono
0 desastre tornou-se entao verdadeiro : ascham- \ rico, cuja fortuna podess^ao menos restabelecer
cuidadp, ningucm reparou que as faisras, me es-
canavam-se do primeiro gnqio. iam eahir sobre a
palha que cobria um alpendre contiguo casa de-
morar.
Un grito foi ouvido nesse interina.
no entinto una modesta eazinha, onde seestabele-
cera w-ovisoriamenti-- com a sua lilha. Joao Cousin
nao fura ali una ve& s!
-. Verdade eV que Rosa-Maria, eomquanto' se admi-
rasse desse procedimento. eslava bw longe de
semti-lo: a aversio que tostemunhva |Kir se-me-
Ihante homem accomuiodava-se perleitamente com
o seu esqueeime-nto, que ella desejava fosse eterno.
Quanto a Agosnho isto.opreoecupava, c bu&-
mas, nutridas com esse novo alimento, assenhorea- (aquiUo que o fogo hay.a dc^ orada
"Tptta2Z%^ cor. via W-Mg- ** : BUS?Sfc
reram, as bonbas foram conduzdas. gre-
O que fazer, porm, contra um incendio anima- Jggoqmm^ u-mae aa QP ^ m a. (,)l|e|0 ^
do por tantas materias nflammaveisT i *i"Vl _*_ A ^ .!_v.;.." **:- -------* ~ ..~>.i ^.. c...
No diaemque BeaumHil terminou a sua demanda
soinno.
Ao primeiro signal cada quai se levanta e brada
por soecorro : o som do sino se mistura com o das
vozes humanas, e de muitos lugares ao rtjdor cor-
reram pessoas attrabidas pela importancia do si-
nislro afim de arriscarem suas vidas combatendo o
elemento destruidor.
O proprietario Beaumcnil.um dos" primeirosque
A colhcta tinha sido boa, e noute cinco grupos desperlou ao grito de alarma, corren a um dos gru-
uh?Zl a diinensao se achavam dispostos ao pos incendiados, e ajudado pelos mais; promptosom
rar ao futuro sogro que h
sobre os fumegantes restos da herdade. I venientes do casamento.A eolhendo como resultado
SEEBE^^35EB&
e-rgueu no
do propr
O edificio JSSSS VSSSuO, segundo de}a7r^7x^Vw)^Ste de conserrar-se
diziaiii, estavam garantidos por urna companhia de (solleiro.
seguros em Paris; e pois amrmava a gente do paiz \\l
que elle seria indemnisado com toda a certeza do
equivalente das cousas destruidas pato fgo.
_ capacidade
proporcionada dimeusao daquelles grupos de
trigo.
Bnas trabalhadores, queimados pelos ardores do
sol, mereciam bem um copo de vnuo fresco. Rosa-
Maria fazia as honras da mesa, em quanto seu pac
gracejava com uns e outros sem attender liara os
pararos que se esvasavam, sem pensar no que lhe
cuslava essa generosidade.
Tudo passou-se do melhor modo possivel: a ceia
seguiu-se logo aos iirimeiros copazios, e foi sonan-
te vencidos pela fadiga que os convidados deixaram
a mesa para se cntregarem ao repeuso.
Cada um deseiou a Beaiimenil urna boa noute, e
este por seu laelo nao desgostou de que se tivesse
terminado a ceremonia. Poucos instantes depois
s restavam na casa o proprietario, sua Uha, e o
criado da herdade.
Havia j mete hora que o silencio mais profundo
auccedra animacao da ceia, quando por entre a
dirigiam a manobra, os mocos executavam-na com
intrepidez.
Cousa singular I Os habitantes da Casa Verme-
lha achavam-se reunidos no lugar do sinistro ; ho-
mens, mulhcres c meninos trabalhavam todos na
obra commum : entretanto ouviam-sc as vozes que
indicavam as medidas a tomar afim de solar o fo-
go ; afora destas nenhunia mais se ouvia !
Um dos dous grupos inflaramados achava-se pou-
co distante dos outros, c nao havia grande risco de
communicar o fogo : mas o outro causava funda-
dos reccios) e por isto convergiam para elle todos
os esforcos dos assistentes.
Agostlnho l estava frente de todos; chegou
correndo herdade, c com incrivcl audacia atirou-
se ao fogo, deixando os outros receiosos B admira-
dos por verem-no lutar contra as chammas am de
salvar alguns feixes ainda inlactos.
O proprio Beaumenil cxliortava-o para que se
Passou-se um mez; mirante este tempo se havia
" "utoMiorem careca nao sercxactoT porque dous procedido a urna inqutficao minuciosa coni o m de
ou^nlasdmobXsnwS AB09t&SdWgin- descobrir-se a mao criminosa que arrendera om-
b olnr^qSsete^X^^d>i- eendio, Asprimeiras susneitas recaluram sobre
ro riV hod2 ali enconti'ou Beaumenil con- Georgete. Fallou-se muito na ampara que ^ di-
Sando^oT1 olnarSSZ SEinis.ro gfl,gS KJ*^ S WCU80U ^
de qne fora victima.
Rosa-Maria estava ao lado de seu pae exfonan-
do-se em vao por consola-lo.
O proprietario levantou a caneca.
Ah! s t ? disse elle ao rapaz. Devo dar-te
os meus agradecimentos pela maneira exforeadaj
com que te houvessc no incendio.
Mas era somonte disto que a podiam acusar; nin-
guein a viu naquella noute perto da herdade, e> por
tanto nao era possivel formular-se contra ella urna
aecusacao directa.
A inquericao nada adiantou.
Beaumenil ficou dolorosamente iniprcssionado
lilha.
O mococorou h^Tmonte : Beaumenil sorriu-se.
Parece, disse elle, que continas aqui fazer
o papel de Joao Cousin.
Sr. Beaumenil, responden o rapaz muito em-
baracado, eu e Rosa-Maria conversamos sem pen-
sar em cousas ms; demais, accrescentou elle,
de crer que Joao Cousin nao so atormento, por isso
que nem tem apparecido.
v k verdade, meu pac, arriscou-se a dizer Rosa-
Maria tornando-se ve>rmelha como urna cereja. o
meu noivo mostra-se pone cortez para comigo I
Meus filhos, disse entao Ik-aumeuil, todos pi-
les sao antea ; o quo querem o dote ; o4eu dote
evaporou-sc em fumo, e por isso o noivo reli-
rou-se I
O que quer dizer ? nerguntaram ao mesmo
tempo os dous jovens.
Isto os admira, tornou o pac: entretanto
muito natural. T mesmo, Agostinho, agora quo
^VSfSrSTTmm Sr-Boau- computa, recadeJe.o-^ f. desse por
deu a entender. Depois que pode conter cpesar esposa^n^J\^:....mnn..^.
mcnil.
Eu, Sr. Beaumenil exclamou Agostinho.
nscurido que reinava no campo urna sombra se nao arriscasse tanto : dir-se-hia, porem, que o io-
deslisou lentamente em direcijo a um dos grupos
de trigo, junto do quai se abaixou.
Passarain-se mais vinte minutos, depois dos eniaes
a sombra fez um movimento parecendo introduzir
alguma cousa por entre os mlhos; e certilicando-
sc de que ninguem ali estava para sorprende-la di-
rlgiu-se de rastos para o lado de um segundo gru-
po, no quai repetiu a uiesma operario. Finalmen-
te desappareceu por detraz os muros da her-
dade.
go respeitava o mancebo.
De repente notaram que o vento impelhaas cham-
mas para o lado de um torceiro grupo de feixes de
trigo; mais alguns minutos, e a palha se- inflam-
mara.
Beaumenil viu o perigo, e logo por um movi-
mento expontaneo atirou-se ao grupo ameaeado, se-
guido de urnas cincoenta pessoas que o ajudaram
a debasta-lo separando os feixes uns dourntros.
AchauJo-se quasl iodos oceupados conette novo Mari.
-Agora toca a comecar de novo, prese- nhia, tendo todo o cuidado para que o negoe o nao
guiuelle; com a|gumas mol-das que o fgo nao transp.rasse no paiz: a propria lilha nto o oub.
chegou a dcwrar, procurare! edificar un chou-! Semelhante projecto foi coroado de bom xito,
pana, comprare! instrumentos, c pr-rae-hei outra Apenas comecado o processo a fompanh.a, reco-
v.-7 Immr i ierra inhecendo o direito do seu assegurado, entrou ein
- Porem, replicn Agfcfilmo, a casa e as co- conchavo comelle, e aflnal o indemnisoude tudo o
que tinha perdido.
Em quanto se passavam oslas cousas, Agostinho
e Bosa-Maria andavam tristes: o rapaz, gracas a
dedicacao que mostrara no incendio, reconquistara
o direito de conversar livremente com a sua aman-
te. Nem um, nem outro era ainda sabedor da re-
cusa de Joo Cousin; porm, ambos reparavam com
sorpresa que elle nao apparecia mais.
Beaumenil, contando reconstruir urna rrf-quena
moraela-<*a,s propria? ruinas da herdade, ahogara
A inqiiiricao e process* relativos a inremli"
prosegua aimla. sem qav Initu-es'-- o.^peia* de
alguem. quarslo sncrnnj o que surmV m lars
cases, isto urna idisfYiro fez iir>eobrir-se
culpado.
Georgeta travou-se di- razoes reni ama rrted
da lnTilad-.--. c diao tilirei eu. esta renmrm <>
seu carcter vingativo e os sentimrntos de adnnw
vota va a todo o mundo. Georgeta ofeidmit can
isto, e sustentou que so qnera mal aintlw.de
Suem ruiha queixas. que sabia wronbfrrr n L.
cios, c appiAlava liara o qu* fterra mi favjr
Agootinho.
Ora. por diversas vezes em diversas i**V
fatteva de um grande favor w Wr-ra a V<*W'
e quando lhe |M-rguntavao,a natnrexa dc<-- ten
responda que ninguem aern mesmo elW-, satera
jamai>.
A justica. tendo cordice-imenlo deste torio. row-
cou a pesqnizar quai si-ria a hrlla a*-rao pratic:d
por Georgeta, e facilrjmtc a deseobr.
Agostinbo deixra escapr na presi-nra deanaja
pariga o pezar or nao ser a sna artan'.-
pobre como eU, sendo este o anteo obstaran *m>"
o impeda de tasar com ella.
Georgeta M-ltoii i pie nada havia de mnsr d>
que suprimir o nstarulo; e este proposin I
fogo s eolheitas do pae da moca, sal
mesmo Ii-ioiki o seu desejo di vingaara oaara Hte
Georgeta foi |ior conN-gu'inte presa.
(h.ando se viu descoberta, levnada.
cion : suas reticencias equivalan ai
a justica possnia a eul|*ada.
...........,
No dia em que Agostinho ryeben par **#^* ;'
Rosa-Maria. a pequea egreja da rommuna ten-
se de gente. __. ,,...
Ao acabar da ceremonia, quanto Agtilntdr-
cia os dogrus destribui.-uto ahmna e notas caca
os infelizes, urna velha mendiga rateante no pa
chegou-se a elle e acbon metos de dteer-ne an>
vido : ___j. .
Lembre-se que se hoje reo deve-o a tenr-
geta. Tenha compaixo dos pobres,
por Islo menos bella
Pois casa-te com ella i roplicou Beaumenil ;
porque sei muito bem. que o unieimjarido que frabalho aos qne "tem lome, e" peea
lhe convm. I clusa.
Transportados de alegra, os dous jovens flearam ; Agostinho voltou-se.
re-
lheitasnao estavam seguras?
Tambem eu assim julgava: mas a minha apo-
lice de seguro nao foi renovada no tompo conve-
niente, e hoje nada nosso pretender. Foi a compa-
nhia qnem isto mesmo me declarou. J vs que o
que foi queimado est perdido.
Agostinho nao respondeu \ affastou-senpinoco-
raf o despe-dacado por ver que esse acontecimen-
.to ainda mais augmentava as penas de Rosa-
boqui-abertos, no sabendo se deviam acreditar em
seus proprios ouvidos. '
Beaumenil entreteve-se alguns minutos com o
pasmo dos amantes; depois tirando da algibeira
um masso de notas do banco, accrescentou;
E aqu est com que restablecer a nerdade.
Merc de Deus, o pao Beaumenil muito rico para
dar su Alba o marido que lhe apraa. ^veremos
todos juntos, te dous filhos em lrntaT de um, e
por minha morte nao haver neces*Made de note- ZT^jML^M nYP n5. w- > rc p njn
riostra di\idir os beas pm/mc0VP\I\ DE W* de f. jw
A velha tinha desappart-cido por eonv a
tidao.
FIM.
II. Godo.\ os |
fTc-Corrirr itt Dtmoiulhi.)

.




l FfilVFI


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ED30U8K9K_NS70L5 INGEST_TIME 2013-08-28T01:08:00Z PACKAGE AA00011611_10140
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES