Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10138


This item is only available as the following downloads:


Full Text

lT-
f

:

AMO XXHX HUMERO 158.
Por tres mezes adiantodos 5S000
i'or I res mezes vencidos 6SO00
FEIR
i

Por anno adiaiifad..... 19$00O
Porte franco para subscriptor.
DIARIO DE
ENCARREGADOS DA Sl'BSCBIPgO NO .NORTE
Parahvlia, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva; Araoatv. o
Sr. A. de Leaos Braga; (loar, o Sr. J. Jos.- de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Piulieiro & C; A-
inasonas, o Sr. Jerunvmo da Costa.
Alagas, o Sr. Claudino Faklo Dias; Rahia. o
Sr. Jos Marlins Alvos; Rio de Janeiro, os Srs. Pe
reir Martius A Caspa rio.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
so\las-feiras. ..
Santo Antao. Grvala, Bezerros. Bonito, Caruaru'.
Altinlio e Garanliuus as torgas feiras.
Pao d'Alho, Nazaroth. Liinociro, Rrejo, Posqueira.
[ngatelra, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cahrob,
Roa Vista, Ouricurv e Exu' as quartas feiras.
ENCARREGADOS DA Sl'BSCRIPCAO NO Sl'L Sennliaem, Rio Fprmoso, Tainandar, Una, Barrei-
1 ros. Agua-Prota o Pinienteiras as qnintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partan ao '/2 dia.
EPIIEMERIDES DO HEZ DE JULHO.
4 La clieia as 3 horas, 20 ni. c 22 s. da ni.
7 Quarto ming. as 7 h., 3 m. o 20 s. da t.
15 Loa nova as 7 h., 28 ni. e 20 s. da t.
*3 Quarto cresc. as 6 |i., 7 ra. c Hjs. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 51 minutos da tarde.
Segunda as 3 horas e 18 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para osul^atAlagas a 5 e 25; para o norte at
a Granja a 7 e 13 de cada inez; para Fernando nos
das i t dos mezes dejan, mar?,, maio, jul, sel. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Rerifc : do Apipucos s C '/* 7, 7 "/, 8 e
8 >/2 da m.; de Olinda s 8 da m. e G da Urde; de
Jaboatao as G 'A da m.; do Caxaug e Varzea s 7
da m.; de Bonifica s 8 da ni.
Do Recife : para o Apipucos s 3 '/*- 4, 4 >/i, 4'/?.
5, 5'/i, 5 '/, e G da tarde; para Olinda s 7 da
nianhaa e 4 "/, da Urde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachanga e Varzea s 4 '/2 da tardo; para
Bemlica as 4 da tarde.
AUDIENCIA IX)S TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do coniniereio: segundas e quintas.
Relariio: toreas e saltados s 10 horas.
Fazouda : quintas s 10 huras.
Jwizo do coininorcio: segundas' s 11 horas.
Dito do orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tereas c sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civol: quartas e sabbados a i hora
da tardo.
DAS DA SEMANA.
13. Segunda. S. Anaoleto p. m.; S>. Joel Esdras
14. Tona. S. Boavrntura; Ss. Flora o Ju.-la mu
1*. Qnarta. S. Cantillo de Mi.* fundador.
IG. Quinta. N. Sortuna do Carino; S. Valenfe t'
17. Sexta. S. Marinlia v.; S. Alefato.
18. Sabbado. S. Rufino b.; S. SMiiphorosa r.L
19. Domingo. O Anjo Custodio.'
ASSIGNA-SE
Be Radie, em a livraria rt praea da Ind. ,.fil-nri
ns. 8 8. dos propietarios- Manuel Figuein.a d
Faria 6c Filho.
PARTE OFFICIAL.
(iOVERAO DA PROYOCIA.
Expediente do dia 8 de jiilho de 1863.
Offlrio ao presidente do supremo tribunal dojus-
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambiica- 3, de 31 de dezembro 4, daqnelle mesmo anno e
na mande dar transporte para o presidio de Fer- .outras umitas divisos do governo pelas quaes s
nando, |H>r oonta do ministerio da guerra, ao eapi-, podo presidir a junta de qualifieaeo, e por eonse-
tao do quarto batalhao de artilharia a p Jos de guilde a mesa parorhial, o juiz de paz pronunciado
Cerqueira Lima e a familia deste conqiosta de mu- e nao condcmnado, como diz Vine, aehar-se ornis
Iher e quatro fillios menores. | votado dessa freguezia, sem embargo da appellaeao
Dita.O presidente da provincia recommenda a que interpoz para o tribunal suprior da rolaran
todas as autoridades a qnem esta fr apresentada, por isso (ue semelhante recurso nao pede converter
que presteiu ao Dr. Gustavo Balduino de Moura una sentenea condemnatoria em simples pronun-
eroieio na comarca de Olinda, para onde foi romo- Icssoas, que o aeompanham, e "para a conduceao Portarla!O Sr. gerente da companhia Pernain-
vidodado Araoaj em Sorgipo.Fizerani-se asou dabagagem, que comsigo leva, alim deque pos-' bucana mande dar transporte para o presidio de
tras eoininunioacoes. sachegar sem demora ao lugar de seu destino, on- Fernando, porronta do ministerio da "uerra ao
Dito ao mesmo. Cumpre-ine participar V. 'do os seus servioos sao urgentemente reclama-! soldado sentenciado do 9 batalhao de infartara
Exc. para o lim conveiuento que o bacliarel Erme- dos.
lindo Agosiinho de Loo. coniniunieou em offlrio' Dita.O presidente da provincia attendendo ao
de 2 do crrente, que |ior se haver apresentado o que requereu Julio Gomes da Silva, resolve conce-
{'iiiz de direito da comarca de Olinda bacliarel Jos der-lhe licenea para o |iresidio do Fernando no va-
.'ieolo Rigueira Costa, deixava naqnella data o por Mamtmguape, ou em outro qualquer navio que
assumia o da de juiz muni-1 para alli seguir, cen aiTobas de carne secca.
Gi iita? IkSJ "'-dC Cnr ,des|Siia- rommodo ao governo, e que se fr ooservado com
m ,!T enu.neracaoque tmliam an- peraVeranea, nao menos ddente do que a op-
ao distncto de Cruangv para posieau nos artigos de fundo. Tanto mais viva
jtor contra a opjtosieo eai todos os oulros igaos
da vida publica.
Sao subieludo as represertaees municipaes das
cidades maiores, como Berln, Breslan, Stettin, Co-
. par
fazorem a fi-oguem deste nome.
Dito ao juiz de paido 7 districto de Pindoba e do
districto de S. Vieente.Informe Vmc. com a
maior urgencia possivel quantos quarteiioes doseu
districto que |>erfeneam a Iregoeui
sua numeraoao.
I lela cousas. O ministerio, fuadandu-se' no seu direito
de inspeeoo superior, iuterveio logo, prohibindo
^juiz
Expedio-se as
r\ercioio dessa vara, e assumia
cipal e de orphaos daqnelle termo.
convenientes ordens.
Dito ao ronmiandanie das armas. Transmiti Oflioio ao presidente do supremo tribunal de jus-
V. Exc. para osjins que julgar conveniente, a in-! tica.-Participo V. Exc, comoine cumpre, que o
- 9 =
Alexandrc Gomes da Paixao.Commuuicou-se a
brigadoii-ocommandante das armas.
Dita.O presidente da provincia attendendo a
que o Africano livre Jos do Boni-Fim provou, pc-
rante o juizo dos feitos da fazenda nacional ter pres-
tado servidos por mais de quatorze annos, em iesta-
belecinientos pblicos desdo 1850, e anteriormente
ao particular Antonio dos Reis e Silva, na provincia
das Alagoas, por esparto de dous annos, resolve de
oonformidade. com o disposto no decreto n. 1,303 de
jrimdo batalhao de infantaria Antonio Momios Ta-
vares, se portn durante o lempo, (pie estove in-
cumbido da enfermara alli estabelocida, para tra-
tamento dos cholencos.
Ditoao mesi no. Pode V. E\r. om vista dos mo-
tivos que expende, em sen ofllcio de 6 do eorrente,
sob n. 1190, considerar rescendido o contrato cele-
brado com fre Joao de Xossa Senhora do Rosario.
thosonraria de fazenda.
Ditoao chefe de |>olieia. Respondendo ao seu
cidade.
Dita.O presidente da provincia attendetido a
Oficio de hontem, sob n. 1,055, tenho a dizer, que que o Africano livre Joao provou perante o juiio dos
podo V. S. conceder ao delegado do termo do Boni- feitos da fazenda nacional ter prestado servics por
to a autorisaeao que pede para mandar fazer os mais de quatorze annos, sendo em cstabelecimentos
colicortos indis])onsaveis, de que precisa a respoe-1 publicas jxir espaeo de mais de dez annos, e ante-
ti va cadeia, nao devendo, iwrm, taes concertos nrmente ao particular Antonio Alvos Toixeira
irio. exceder a 1505, em que foram avahados, segundo Bastos, e respectiva familia deiiois do falleeinen'o
liara servir de capellao do hospital militar, deven- consta do seu citado ofllcio.Conununicou-se the- do mesmo, resolve, de oonformidade com o disposto
do para subsiiiuicao de sua falla, sor posta em [ira
tica a providencia proposta por V. Exc, na ultima
parto ilo son cado oficio.
Dito ao chefe de |K>lica. Transmiti V. S.
para seu conheciinento. copia nao s do ofllcio que
me dirigi o capitao do porto em 4 do eorrente
mas tanibem de outro que elle se 'refere, e no
leve lugar na noite do 27 dejmiho ultimo, em
praias de Gaib. do qual resultou amorte de Fran-
cisco Domingues das Ciiagas e Marcelino Braz dos
Reis.
Dito ao mesmo. Nao havondo eollectoria pro-
vincial na cidade de Garuara, e nao podando a de
urana provincial. | no decreto n. 1,:M)3 de 28 de dezembro de 1853, e
Dito aoconsul dos Estados-Unidos.Satisfazendo nos tormos do aviso do ministerio da jutea de 4 de
ao que solicita o Sr. Tliomaz Adamson Jnior, fevereiro de 1862, que ao referido Africano se passe
cnsul dos Estados-Unidos da America, em seu ofll-' carta de emancipacao com a clausula do toiftar oc-
ho de 3 do eorrente. a que respondo, transmuto ao cujiaco e residir esta cidade.
mesmo Sr. cnsul a inclusa conta dos objectos do
io lazareto do Pina, que furam estragados |elos mari-
io nheiros dos navios americanos aprisionados, quan-
1 do alli estiveram alojados, a qual me foi hontem
rondas geraes alli existente, incunibir-se do paga-1 sideraeao.Coinninicou-se ao inspector da sado
ment das despezas bitas com o sustento dos pro-' do porto.
sos pobres da respectiva cadeia. devem as contaa! Dito ao director das obras militares.De confor-
com o que solicita o brigadeiro comman
Despachos do dia 9 de jiilho de 1863.
Hciiuerhnentos.
Alexandrc Fernandos de Magalhaos Basto?.In-
apresentada |iolo inspector da Mude do porto desta forme o Sr. Dr. chefe de polica,
capital. A importancia dos referidos objectos pode j Irino Marinho de Oliveira.Passe portara con-
ser satisfoita aquello funecionario. cedendo a licenea requerida.
Renov ao Sr. cnsul dos Estados-Unidos a se- Major Joaquim Ignacio do Carvallio Mondonca.
guranea de ininha portoita estima e distncta con- Informe o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Jos da Costa Guimaraes. Informo o Sr. inspee-
dessas despezad seren enviadas ao inspector da
thesouraria provincial, para o fin conveniente, con-
forme indica o inspector da mesma th.-soii-
raria, om .-na inforniacao do hontem, sob n. 325,
dada acerca do oflioio que v. s. me dirigi em 3
lo eorrente. n. 1(>8:. acompanhado da copia de mi-
tro, que a esso respeito lhe euderecou o delegado
daquolle termo.
Dito ao insiK'ctor da thesouraria do fazenda.
Mande V. S. adiantar ao Dr. tiustavo Baldnino de
Moura Caniara,_que sopue para a villa de S. Bon-
to, om conimisso civil do governo, a tratar dosac-
midadi
danto das armas em ofllcio de 8 do eorrente, sob n.
I.i'ni. mando V. S. com urgencia arrancar a focha-
dura ilo postigo do portad do quartcl das Cinco
Ponas, que se qiiebrou. o collocar outra nova.
Conununicou-se ao Iwigadeiro commandante das
armas e thesouraria do fazenda.
Dito ao director do arsenal de guerra.Informe
..ins
tor do arsenal de marinha.
Alferes Juliao Goncalves de Lima.Passe patente
ao supplicante.
Joao, Africano livre.Passe portara concodendo
a emancipacao requerida.
Joaquim de Almeida Pinto.Dirija-so thesoura-
ria de fazenda.
Julio Gomes da Silva.Passe portara conceden-
do a licenea requerida.
Joaquim da Silva Rogo.Informe o Sr. inspector
Em toda a parle reunem-so os eleitores nos res
pectivos crculos, votando resoiueoes, as ([uaes ex-
ram a fazorm |rte da nova freguezia de Cruangv
desigiiando-os icios seus nomos e pela sua nume-
b-'fin-i a r a u ; 1"''"''"a plena appruvacao do' proeedii'nento da
I ortana O Sr. gerente da companhia Pernam- cmara dos deputados.
,naJr(:^,lni4,"S|^'0rt:'^ lK^ f^Kio do Fenia"- ,:"' S-P- importante para o ministerio sobre-
.mra 'inisieno da guerra, no rapor todo o cemportamento do prncipe real. -O mesmo
cana
do,
que para ali segu no dia 14 do eorrente, os ve-
da
o burgo-
rio do goN erno daquella provincia. mostr de Winter explicou ao principe real o liu-
n-.hU v^'rJll ?**'para dai'?1" ?H??'pM? a ,iv0 dcsso si,,'"rio- u Prineine tomn eniio a pa-
t i rV^rT.80081^ t,on.0,:,!'1- f Joao Ato- lavra, e doclarou abertamente e sem reverva, ios
xandn Ai anha Dantas, i.rofessor jubilado naquella menibrosda municipalidade presentes, t que nao
rXIr*^ nm^ts I menos do que o paz, eslava elle sorprezo do pro-
J?-"Z fn,d.ente d,a Provincia resolveconce- cedimento do ministerio, e .pie elle nenlumia parte
VJ^r,A,l!t,.^ 0Se d0i, ^as Lo;,1l paia nisso liIlha' 'lup era m-* W llie era inleira-
enibanai noxapor da companhia Pernambucana mente estranha
que tem de seguir para o presidio de Fernando, os O telegrapho communicou inmediatamente por
obju-tos constantes da inclusa relaoao, assignada lodo o pak essa declaraco publicamente dada, e
jkio secretario interino dogoverno, os quaes se des- beni se iodo imaginar a sensaeo que ella causou.
ccder-lhe un mez de licenea para tratar de sua ameaeando de dimitii-lo dos seus empregos e ta-
sando, onde lhe convier. Coinmunicou-se direc-, nidades. A reajusta do prncipe, porin, foi urna
tona geral da instrucoao publica. I recusa positiva, com a declaraco que eslava
uita.i) mesniu, conformando-se com a proposta prompto a abandonar a sua posica (como general)
"'r-rheredepoliea, datada de 8 do eorrente,-sob podindo nicamente licenea de vtirar-se com sua
n. t,Uo2 resolve, a-bcm do serviro publico, demit-, familia para mu lugar onde podesse vivar,sem ex-
lir o trliarol Manoel Gentil da Costa Al ves. do car-; citar a suspeita de qualquer participaco na wliti-
gode 1 sii|iplento de subdelegado do districto da ca do rgimen actual.
Capunga, 2-da freguezia da Boa-Vista, e noma | El-roi parece nao haver
para esso cargo, o 2 supplente bacliarel Francisco
Aminlas de Carvaiho Moura.
a g
V. S., se igualando-se os jornaes dos cortadores da da thesouraria de fazenda.
ofticina de alfaiate dcsso arsenal, aos que percebe Joseplia Maria.Junte a supplicante documento
o segundo contra-mostr da msma. conformo pro-1 que prove o que allega.
ioz V. S. om seu offlrio do 29 de maio ultimo, sob i 10
cominollidos do cholera, a quantia do 3005000, por ii- 658, resulta augmento do despea. Ofllcio ao desembargadorprovedorda Sania Ca-
eonta da gratificarn, que lhe ha de ser arbitrada, I Dito ao inspector da tbesouraria do fazenda.' sa do Misericordia do Recife. Em vista das razos
e tora do correr jM-la verba consignada pelo minia- Inteiradu do quanto V. S. expoz em seu ofllcio de expostas em seu oflioio de 20 de junlio ultimo, e
torio do imperio, para despezas desta natureza, de- hontem, sob n. 498, tenho a diier em resposta.que tendo em consideracao o donativo qnexilTororo Jos
vendo esso adiantamonto ser feito sob ininha res- a entrega ao almoxarife do hospital militar dos ris Joaquim de Lima Bairo para serem recelados no
- eme trata o seu ofllcio do 1" do crrente, |eollegio dos orpliaos os menores Enren, Flora
offoe
rnnsabilidade, nos termos do decreto n. 2881 de Io
de fevereiro do anno prximo passado.
Dito ao mesma Restituinao V. S. o incluso
requei monto do segundo coutra-nu-stre da Oficina
de ferreirO do arsenal de guerra. Manoel unes
Vianna. que vai ao presidio do Fernando, fazer al-
guns reliaros precisos na artilharia do mesmo pre-
sidio, reoonimendo V. S. a expediclo de suas or-
dene, para que durante estada alli do referido
contra-mostr, soja paga mensalmente da consigna-
cao que pretende elle destinar neata cidade, para
inanutencao de sua familia, somonte a importancia
de duas tercas das diarias que lhe coiiipetirein,
mediante fianea idnea acerca do qualquer prejui-
an, quepossa resultar duenda, pelos dias em que
o supplicante deixar de trabalhar. Conunuiiicou-
sc ao director de arsenal de guoira.
Dito ao director do arsenal de guerra.Pode V.
S. olfoctnar sob as cundicOes constantes do tormo
anpexo ao sen oficio de hontem datado, sob n. 9,
o contralodos dous pedroiros, que se destinama
Fernando de Noroidia. cumprindo que V. S. me
envi, para ser transinitlida ao inspector da thosou-
raria de fazenda nina copia do termo que fr defi-
nitiumente lavrado, dando ao mesmo lempo as ne-
cessarias providencias, afim de que os mencionado-
pedreiros sigam para aquelle presidio no vapor da
I90A de me trata o seu ofllcio do
deve ser efroctuada sob niinlia responsabilidad
collogiodos
Maria, filhos da finada Florinda
nos
ternios do decreto n. 2,884 do Io' de fevereiro do
anno prximo passado.
.Ditoao mesjno.Sol ininha responsabilidade,
nos termos do decreto n. 2.884 de 1 do fevereiro do
anno prximo passado, mande V. S. pagar a Fran-
cisco Antonio do Almeida a quantia do 4&3720 pro
veniente de nina peca do bata, que venden para o Thereza de Olinda.
e
Isabel Knot de
que trata u seu ofllcio de 12 daqnelle mez. tenho a
dizer a V. S. que mande eflectuar a admisio do
Eorioo na primeira vaga que se der com preferen-
cia aos de mais inscriptos no respectivo quadro, e
- das menores Flora o Isabel logo que tenha lugar a
- transferencia-do collegio dos orphaos para Santa
tiatainontodocliolora-niorbiisna villa de S. Rento,
como se v da inclusa conta.
Dito ao mesmo. Inteiradu do quanto V. S. expoz
Ditoao inspector da thesouraria de fazenda.
Nao havondo inconveniente mande V. S. pagar o
de um trimestre vencido no ultimo de ju-
alusue]
pe
om sua infonnacao de hontem, sob n. 500, dada nho prximo passado. da casa qne serve de seereta-
coni referencia a da contadoria dessa thesouraria ra do commandu superior da guarda nacional des-
cerca dos papis, que devolvo, relativamente s ta capital conforme sol icitou esto, em oflioio do ho-
despezasfeitas enmailluminacSo agaznosqnarteis je. sob n. 89 a que veio annexa a inclusa ndta. -
e no hospital militar da guarnco desta capital,du- (Conununicou-se ao respectivo conunandanle suie-
rante os mezes de Janeiro a marco deste anno. o rior.
autorso a mandarjiagar essas dwspeaaa na impor-' Dito ao mesmo.Estando
tanda de l:28953o0. corlo de que neata data re- pret que me foi romettid
commendo ao brigadeiro conunandanle das armas, rior da comarca de Olinda..,
cpie providencie, como julgar conveniente, afim de rente, mande V. S. pagar a quantia de 95600 rs..! gabinete de Vienna convidado de approva-lo na sua j t"' ',u ,ll.(-'
(pie so evite o grande consumo de gaz nessa iliumi- etn que iin|>ortaiii os vencimentos relativos ao mez actual redaccao. Belativamente a justiea, sera ignalmcnte apee-
EXTERIOR.
contado com semelhante
resposta, e por ora abrio-se mi de qualquer de
mais |isso contra o prncipe real. Nestes das el-
roi vai fazer una cura em Carisbad, donde ir
mais tarde Ischl, ou Ragas, na Suissa.
O prncipe real com sua esposa, dejiois de con-
cluida a sua presente viagein, tonciona passar al-
guuias semanas em l'utbus, na ilha de Rugen, don-
do seguir para Rosenau, um castello do duque de
Coburgo, sendo alli esperada ao mesmo tempo a
rainba de Inglaterra.
Em Vienna fui aborta no dia 18 a segunda sos-
sao de Beichsrath pelo archiduque Carlos Luiz,
como representante do imperador. A falla do thro-
no pronunciada nessa occasiao foi em resumo do
conledo seguiite :
Paseando em primeiro lugar um golpe de vis-
n passo commuin em S. PeU'rsburgo na questo la Mhslaetorio sobre os trabalhos da antiga dieta,
iloneza. acharam finalmente a sua conclusao nos- 0,'"'1,'ia ; esporanea de ver a Transylvania lomar
em breve tambem parte as deliboraooes da assem-
Ma.
A dieta (Jo imperio concluid a sua primeira ses-
sao no meio dos beneficios da paz : o governo es-
fu roa r-se-ha sempre de sustenta-la para o futuro.
(iracas as institiueOes liberaos, a vida material e
intelectual do imperio acha-se em toda a parte na
via de rpido dosonvolvimento.
O progresso, a consideracao e o poder do im-
lerio estio se fortificando : a posieao das flnancas
o prospera ; o crdito do estado e dos diversos va-
lores do paiz melboraram. Nao ser preciso ne-
nhuin crdito extraordinario no decurso deste anuo,
e todas as economas possivois foram tomadas em
t'ORRESFO.-VUEXCIA 1M> 1HA-
RIO 1E PKHVA VI < I BO.
II IHBI UUO,
20 de jtiiilio de 1863.
As negociacoes |>endentes desde dous mozos en-
tre a Franca, Inglaterra e Austria, respeito de
01
po
Fes ltimos dias. Depnis de haver tratado longa-1
mente, a Austria docidio-se filialmente a apresen-
lar um prograinma da nova roinosentacao a dirigir
Russia. As exigencias expoetaa no inosnio pro-
grainma sao limito moderadas, reclamando-se prin-
cipalmente maior liherdade de religio. sobretodo
no interesse da igreja ratbolica. e mais o reconhe-
ciinento da lingua poloneza, como lingua oficial na
Polonia, um cor|K) de empregados nacional, a inde-
pendencia administrativa o judioiaria da Polonia,
assim como una reprosontaco nacional.
Na Inglaterra e na Franca conveio-se de aceitar
fsse programma como base dasreclamacoesaapro-
senlar a Russia, com algumas emendas, especial-
ou a im-fw, cun ctiguiiiti L-iui-iitias, es|Hi lai- -j s-------- --------------------------------
do em termos o nCluso mente no que diz respeito a autonoma a cnoceder : consiieracau no orcainento.
polo commandante supe- Polonia. No principio do eorrente mez. o program- sfra" 'presentados a dieta alguns proje
, com oflicinde 7 do cor- na assim emendado voltea para Vienna, e foi o i impostos jora o restabdecunento completo
otos de
do cre-
nacao, e a que se reforo V. S. em sua citada infor- de jiinlio ultimo, do corneta do 9" batalhao da guar-
nanlo. Fez-se ao brigadeiro oointnandante das da nacional daquella cidade Justino Jos do Ampa-
arinas a devida recommondaco. i ro.Commuuicou-se ao res|iectivo commandante
Dito ao mesmo.Em vista das duas inclusas re- superior.
I lito ao mesmo. Em vista dos inclusos documen-
a quantia de 3G5&640, em que tos que me foram remettidos jk-Io commandante su-
as ambulancias por elle lorneci- perior desta capital em ofllcio de 8 do corrento, sob
*nto dos desvainaos atacados do n. 88, mande V. S. pagar os vencimentos do mez
companhia Pernambucana, que deve para alli par- lae&smande V.S.pagarao'pharmaceuneoJoaquim
tir no dia 14 do eorrente, para o que catn dadas' de Almeida Piulo a quantia de 3651640 em que
as convenientes ordens. i nportaram as duas
Dito ao inspector do arsenal de marinha. -Em das para o tratamonl
vista do que dispde o aviso da ropartieio da mari-, cholera as villas do Limoeiro e Pajed do Flores, do junho ultimo dos' oficiaos de i* linha, cornot-'i-"
nnba di^ 9 de junlio. Junto por copia, dea V. S. au-1 Dito ao mesmo.Autorso V. S. a despender sob (clarins e tambores empregados nos corps da guar-
nda chegado or-
tribuindo os crditos
)rrente exercicio, re-
ne lhe coninuuuco pa- i o tratamento dos indigentes aocommettidos do chor solv autorisar V. S. a dosjtender *ob mnha rcsixm-
lera neata provincia, visto aehar-se quasi extncto o' sabilidade nos termos do decreto n. 2,884 do 1 de
ando a V. S.. que de ultimo crdito aborto para esso lim, segundo consta fevereiro do anno prximo passado, e de eonfornii-
"ailo con i a demonstrado inclusa atea quantia de
54:975^200 rs. com o pagamento dos vencimentos
as necessaras camellas; o que llv
ra a devida execuco.
Dito ao mesmo. Recomm
boje om diante at segunda ordem, mande fazer de sua infonnacao de 8 do eorrente. sob n. 497.
por artillos ou menores desse arsenal, aguarda Dito ao director das obras publicas.Concedo a
juo alii existo, o que eonvem sor retirada, visto a autorisaeao qne Vine, pedio em seu ofllcio de 7 do
midade com o que solicitou o brigadeiro comman- ci, que fica assim respondido.Communieou-se
dante ^ armas em ofllcio de hontem datado, sob thesouraria provincial.
n. 1202, mande V. S. com urgencia reparar as go-! Dito ao delegado de Agua-Preta. Providencie
teiras. existentes nos lelhados^das easas das guar- i Vine, para que siga, com a maior brevidade ioss-
daa do palacio desta presidencia, o do hospital nit-, vol, para a freguezia de Una, a ser entregue'ao Dr.
litar. Gusiavo-BalduiiQ de Moura Cmara, a ambulancia
Dito ao iniz municipal do termo de Nazaroth.! que com este lhe ser entregue.
Con a inclusa copia da infonnacao prestada pelo! Ditoao juiz de paz do primeiro districto da fre-
inspeetor da thesouraria provincial em 7 deste guezia do Altihho.Respondo ao que me consulta
mez, respondo ao ofllcio do 2 do eorrente, em que, Vmc. em ofllcio de 13 de junho ultimo, declarando-
Vmc. pedia para ser entregue respectiva irman
dade 0 beneficio da lotera, que corren em favor
das obras da igreja matriz da cidade de Naza-
reth.
Dito ao Sr. Laurontino de Vasconeellos Callara
Brito. delegado na villa de Ingazeira.Com a in-
clusa copia do parecer do eonselbeiro presidente
da relaeao, datado de 4 do corrento, respondo ao
ofllcio de 3 de junho ultimo, em que Vmc, consul-
ta se pode conceder fianea a um roa que sendo
preso e estando pronunciado no art. 201 du cdigo
criminal, em consequencia de processo instaurado,
em virtude de ipu-ixa do ministerio publico, acha-
va-so com vista a esto, para ofloreecr o libello ac-
cusatorio, e bem assim se obrigatoria, a audien-
cia da promotoria publica, na fianea de crimes par-
ik-ularcs.
Dito ao consolho administrativo. Autorso o
o. queem face dos avisos de-5 de dezembro de
1840 i 3, de 20 de fevereiro de 1849 5, e de 28 de
dezembro do 1&50, os eleitores de urna paroehia.
que moram em districto, que depois de sua eleicau,
foi por lei desmembrado deHa, e passou a fazerparte
de outra, nao devem ser convocados para o processo
da junta de qualifieaeo, e por conseguirte da mesa-
paroehial da freguezia, pola qual foram cleitos, visto
que para a eleicao de una paroehia s podem con-
tribuir os parochianos dola. Assim, pois, nao deve
vine, convocar os eleitores dessa freguezia mora-
radores no districto de Panellas, hoje annexado ao
de Quipapa pela lei proviacial n. 508 de 29 de maio
de 1861.
Dito ao segundo juiz de paz da freguezia do Boni-
to.As consultas, que fez Vmc. em oficio de 1 do
correrte, respondo dizendo, em relaeao primeira,
que por offlrio dirigido cmara municipal dessa
dado
164
do pessoal das repartieres a cargo do ministerio da
guerra e oor|K>s de llnha aqui existentes duran-
te o eorrente mez e o de agosto prximo vindouro.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Accuso i ecebido o ofllcio de honlem, sob n. 326, em
que V. S. me partieipou haver Joaquim Jos1 da Cos-
ta, dando por fiadores o Dr. Jos Baymundoda Cos-
ta ateneses e Manoel de Siqneira (valcante, arre-
matado iior um triennio, e mediante a quantia de
G::>005000rs. o pedagio das estradas da Capunga
e Manguinho. Em resposta tenho a dizer V. S.
que approvo esta arrematarn.
Djtoao Dr. juiz de direito da comarca de Santo
Antao.Inteirado do contedo do ofllcio de .1 do
correrte, sob n. 18 em ouc Vmc. me partieipou
ver enca regado o cirurgio Simplicio Luiz de Sou-
za Fortes, do tratamento dos indigentes aocommet-
tidos do cholora-morbus nesse termo, ficandodis-
eonselho administrativo comprar para forneci- villa se declarou, que tendo sido annullada peloiio-
n ionio dos armazens do almoxarifado do arsenal der competente a ultima eleicao, queem duplicata
de guerra, os artigos constantes do pedido junto, I ahi se fez para eleitores, cmo foi communicado
sob n. 71. i agella cmara cm oficio de 8dejulho de 18G1 c
Portara.0 Sr. gerente da companhia Pernam-' nao havendo sido approvada a que posteriormente
Lucana mande dar passageni para Fernando de No-; leve lugar, a mesa da assembla paroehial na pro-
ronha por conta do ministerio da guerra, no vapor
3ue para alli seguir, ao cirurgio do corpo de sa-
e do exercito Dr. Levinio de Bastos Varella. que
vai servir no mesmo presidio, e leva comsigo urna
ambulancia contendo os medicamentos precisos
enfermara militar estabelecida naquelle presidio.
Conununicou-se ao commandaate'das armas,
xima futura ehuco, deve ser organisada pelos oito
cidados inmediatos em votos ao juiz de paz presi-
dente da mesma mesa, que para esse lm devora
convocar em face doquepreceitua o aviso de U de
agosto de 1848, g 1 Quanto segunda du vida en-
contrar Vmc. solucao no art. 4 da lei rogulamentar
de 19 de agosto de "1946, avisos de 9 de novembro
Achando-s alli, porm. demasiadamente exten-' ?(!I,t:,(I? profeeto concernerte ao proeedinienlo
sivas algumas.....ondas foitas pelas potencias occi-! a ^u"' ", Proee8011ci"i|""'al i observar-se-ha a
dentaes, omendanm do novo as emendas, e devol- i u;''1;1'^1'"'1. pubhcidade das discussoes e a n-
veram assim as propostas para landres e Pars. vei''-ao."r0 J""'. ..... ,
Alim de evitar novas demoras, e para levar o ne-
gocio finalmente una conclusao, os gabinetes de
Londres e de Paris aceitaram as propostas austra-
cas, e segundo se diz, as novas notas das tros po-
tencias partiram para S. Pctersburgo no dia 18.
Essas notas, pnra. nao sao idnticas esta vez, ten-
do una redaccao difforente. o somonte o contedo
commum das propostas austracas, e para reservar
o carcter de um passo collectivo, devero ser en-
tregues em S. Petersburgo simultneamente pelos
respectivos enviados. Qual o resultado, isso cou-
sa que se tem de esperar. O mais provavel urna
nova resposta nao negaUva, mas tambem nao obri-
A justiea civel ser igualmente o objecto de
algumas reformas.
Inlroduzir-se-ha a concurrencia dos endona.
Enifin, ha de se apresentar tambem um projecto
de lei sobre o domicilio.
O imperador da Austria acha-sc nosto momento
com sua augusta esposa em Kissingen, d'onde vol-
tar em 8 das para Vienna, ao mesmo teiiqio que a
imperan iz continuar a cura nos ditos banhos.
Faila de urna visita quo o imperador teneiona fa-
zer m ais tarde ao re da Prussia em Carisbad. As
gazetas ollieiosas da Austria declaran! desde j
para essa eventualidade, que a visita nao seria se-
.- '" o- i.*.-- n, _UH>U, III. I.- lilllllH III lu'' V"l 3 _,
gatoria para a Russia, atn de ganhar tonino para ,ao u,n s"")les acl de cor"-'zia. sem carcter po-
supprimir a insurreicao.
At agora, verdade, nao
se pdc contar com
um prompto fim da mesma, e mais do que a insur-
reicao aborta lutando no campo, a insurreicao oc-
culta que est minando toda a vida poltica, deseu-
volve-se sempre mais poderosamente.
A guerra de parlisanas nos bosques e no campo
livre pordeu ltimamente a sua artiga anima^ao,
ao mesmo tenqx) (pie a agtaco do governo nacio-
nal oceulto se tem tornado mais importante do que
antes, nianifestando-sc ltimamente de urna manei-
ra niaravilhosa.
No thesouro do reino da Polonia, em Varsovia,
no qual pareciam empregadas as pessoas as mais
seguras, e que se aclia dcbaixo da inspeccao a mais
ha- cuidadosa do governo russo, descobrio-se nestes
dias um dficit de nao menos de 5 milhoes de ra-
bies de prata, urna parte em notas e outra em di-
nheiro, mostrando-se que essa soniiua fra tirada
pensado dessa commissao o pratico Manoel Joaquim da caixa do thesouro por ordem do governo occul
das Trevas Marinho, tenho a dizer em resposta, que U>, e que os difterentes empregados. os quaes, de-
o mesmo cirurgio tambem deve ser dispensado de pois de commettido o acto, se evadiram, mo tinhain
tal commissao, visto aehar-se quasi extineta a epi- ousado de oppor-se s ordens do mesmo governo
demia, segundo consta do seu citado ofllcio.
Ditoao delegado de polica de S. I^ourenco da
occullu.
Nao menos incrvcl parece o farto, nao obstante
Matta 3o districto desta capital.Inteirado pelooffl-, verdadeiro, que esse governo uiarulou ltimamente
ci qne Vmc. me dirigi em 6 do corrontc, de se cobrar os impostes por elle decretados, tambeiudos
toreni dado quatro casos do cholera-morbus em dif- \ mais altos empregadasrussos, c entre outrosocon-
ferentes pontos des-a freguezia, tenho a dizer em selheiro Euoch, que foi obrigado de dia, no seu
resposta que se o mal nao jimitar-se assoe fr se gabinete de trabalho, por agente dogoverno occul
Utico.
Na dieta federal da Allcmanha em Francfort, a
commissao do Holstein apresentou o seu relatorio
no dia 18. o qual conelue reclamando do governo
dinamarqnez a retirada do seu manifest de 30 de
marco ultimo. O enviado dinamarquez junto die-
ta levantou protesto. A resotnoio da dieta acerca
da proposla da commissao, foi aplazada para odia
7 dejulho.
i.omhi;n.
23 de junho de 1SS3.
Recebemos nesta capital a noticia vinda pelo
paqnete de Bordos, da dissolnoao da cmara dos
deputados do Brasil por decreto'de 12 de maio ul-
timo, bem como a da retirada do ministerio do Sr.
gein Tal Quintanilha Jordo, que foi substituido pe-
lo Sr. Antonio Manoel de Mello. Dando estas noti-
cias, os jornaes ingleses nao explicaram aquellos
successos por motivo da nossa questao estrangeira
com o goveruo britannico, mas sim por rrtude de
discussio da poltica wterior. aqni bem sabido
que no Brasil os partidos politieos se aeliain em ro-
da do throno, disposlos a sustentar qualquer ajnii-
nistraeao, que leve em vista salvar a dignMade
nacional offendida por este gviverno ; c por >so fe-
cilniente se attribuiram c* referidos sueeessos
causa difieren*1. Entretanto-essas folhas assignala-
rain que reina va grande agtaco no imperio, c que
consolho administrativo com urgencia e indepen- cao para fins revolucionarios.
dente de annuncios a compra dos medicamentos
constantes do pedido junto, visto a carencia que dri-
les tem a pharmaria do hospital militar afim de po-
der preparara ambulancia que tem de ser enviarla
para o presidio do Fernando, no dia 14 do corren-
to.Comniunicou-se ao inspector da thesouraria de
fazenda.
Dito ao subdelegado de Cruangv. -InformeVmc.
com a maior urgencia possivel quaes e^quarteiroes
dos distriteto de paz pertencentes as freguezias de
Itamb e Nazareth e que pela 'ie provincial n. 527
Do outro lado cessou todo o pagamonto de im-
postes para o governo oficial e legitimo, e lodo
quanto elle precisa deve ser mandado dcS. Peters-
burgo.
Na Prussia a reaccSo trata de explorar quanto for
possivel o novo regulamento relativo iinprensa e
nao tardar que teremos o espectculo da suppres-
sao de algumas das gazetas especialmente mal-
quistas. A consequencia que todas as gazelas
liberaes na Prussia. excluirn das suas col.oiluias
toda a discussao sobre questues do paiz, um silen
de 4 de junho do anuo pr-iirno passado passaram rio que, segundo parece, comeca a (QCP.ar-se iu-
desfavoravol seneajlo nosui praea.
Os Sis. visronde de Jequihnhonha e barao de
Maroim, rindes do Brasil pelo paquete francez,
acabam ile ehegar a esta capital onde teneionam
residir algum tenipo.
Em Pars teve lugar no dia 20 do eorrente um
esplendido banquete, dado ao Sr. consetheiro Car-
vaiho Moreira, e aos mais membros da ex-legacao
brasileira em Londres, por motivo dos actos bri-
lhantes pratioados ltimamente por aquelle nosso
distlncto diplomata na questao brasileira nom a
Graa-Bretanha. A mesa era presidida pelo sr. ba-
rao de Quaraim, que ueste momento se aoha n'a-
qurila capital o S. Exc. Iirndon. em i.........|.
Urasileiros residentes em Pars, a ex-leji.ufiu do -
Brasil em Londres, por esta liavor no ramprimento
dos seus devores, merecido a approvaoao il r.mK>-
os Brasileiros. Este signal do considera* o f-i
agradecido |Ho Sr. Carvaiho, ajM \>r su parte
manrfestoo o vivo deseju que sempre nutre t- ga-
libar a boa wntado dos seus rom-i-lado-.
Figiiiam rumo principaes naquella festa os Sr?.
consriheiros Marques Lisboa o Almeida Areias. ba-
rao do Quaraim, Paes Itarreto. e muitus scnhoiv-
brasileros de distineco que ali resklem.
O governo britannico acaba de annurwi.tr uffi-
cialmonto a reunan das libas Junios i i.iv. ja o>-
pois (pn- em Cemnenbagoe o pranripe Gnttaanae
accertou a eora be!leni-;i entretanto serio reuni-
das breveatonie neata capital as ronfi-rem-ias 11 -
potencias signatarias dos tratados de Vienna. quo
dovorao ratificar aquelle acto, como alias misier.
Este ratean inftuio favuravelmenle us funit..-
gregns, que so acliam a 38 1/4 por 0/0 o os en
pons a 18 ir cont.
Os fundos brasileiros de 5 0/0 esfao de 101
103; e os 4 1/2 a 981/4. Os fonitolkbdai ingleze-
3 0/0 a 92 1/8; os jiortuguozes 3 0/0 a 411 l,1t; rh-
liesranboes 3 o,i> a SI 1/4 ; os landos laalama
5 0/ a 71 o 72 ; e OS chilenos a 6 0A> a 103 1/.
As nemas estradas forreas ;niui Caladas taafo
nejos seguinlt>s procos : aeros da do Reri t Ift
1/4 ; ditas do S. Paulo 2* I a i l do premio ;
e as da Babia rom 1/4 de tremi.
Os nossos principaes gneros tem regohnli do
iimhIo segiiinte : algodao de Pernambuco o to Ma-
ranhao 21 d a 23 |i.r libra ; raro 47 58 por
ewt; caf, 1- qualidade, 74 a 87 |tor c*t; *
dita 68 73 ; o ordinario 60 68 por r*t.
A.-sucar branoo de Pornanibnco e da Paraniha 21
6 20 por ewt ; maseavadn 16 21" por
ewt Conrea salgados 4 H 1/2 a (i -' |>or libra ; ser-
ees 7 -', o seceos salgados 6 J 1/2.
Nesta ultima dala eliogaran do Brasil a diverso-
linos da Inglaterra os seguimos navios : da Babia
Stmeralda (16) a Liverpool -, da Babia Carnmu,
Urgente o JoUiinn II f 10) a Liverpool: du Rio-Gran-
de Aliil. Hevel o Arzetc Geortjnia (18) a Gra-
vesend.
De Inglaterra seguiram para o ui|terin o- >-
guintes : de Liverpool Cemiepatta ( 13) tara o
Ro-Grande; e de Liverpool Hedor (13) para o Rio
de Janeiro.
No dia 19 do eorrente chegaram ao castello de
Windsor, onde resido acta luiente sua inaLresiad.-
britannica, a rainba da Prussia que aqu vem pa-
sar algum lempo em companhia da familia real.
Sua magostado prussiana foi rocobida om Dvrer
pelo principo Alfredo, que jr manda.lo de -na au-
gUSta nifii ali foi para saudar a illustre consorte do
maanita da Prussia.
El-roi Guilherme nao acompauhou a rainba. ten-
do seguido de Berln para Carisbad, onde vai t-
mar as aguas minoraos daqnelle lugar. Da mai- o
estado poulico do reino nao lhe peniiittiria aanen-
tar-so para longo, receloso do que duin mom-nto
a outro una revoluoo tenha lugai no- son.- o-
tadus.
Depois que a logaoo ini|ieriil do Brasil deixon
osla capital, una grande parte da imprensa ingleza
enmprehenden ebramente a graviebrae da tjtaneio
politica entro o Brasil o a Gia-Brelanha, e poresst!
motivo lom advogado a nocossidade de em br-vo
pdr-se um tormo a soniolhanle estado doeousas. O
proprio Tmet, qne em outro teni|w sustontou a po-
liliea do gabinete britannico om relaeao ao confi-
lo anglo-brasileiro, disse ha poneos' dias em ni
artigo (pie esso desgrecade inrid.-nte voiopan-ntoar
. a taiportanria das relacoes existentes entro os dous
paites, circuinstancia esta que necossariamente ha
ile influir para que os governos dossas duasnartVs
amigaschogtiein I una prompta eonciliaco. A sol-
dado (pie aqui so eonlieco (|uo finestonaVtff
aos inlerossos inglezos aquello estado e\ee|M-ioiial,
nao porque venbamos a faltar boa H da- ehrajn-
coi-s eontranidas, mas san ponjne dr4aaraanai de
eontrabir outras, que trariam para esta nacioen i-
iiontoinente mercantil vanlagens solidas o tliirad<-u-
ras; o nestas circuinslancias a iinprossau geral
quo eonvem remediar o mal existente, alim deque
o Brasil, reconciliado, reate suas artiga- rntaf! -
OOm I (ira-Brotanba. A dillieuldade esta, poivu .
da jiarto deste govornn, tpio, tendo offendido a na-
\-o brasileira. persiste no erro, sem enerar attend.-i
as justas roolaniacos que tomos feito por Mn
daqnelle triste incidente.
A prova disto osla na linguagem que aealta de
sustentar lord Bnssell na cmara dos lords por oc-
casiao de ser discutida a correspondencia oficial
havida nestes ltimos lempos entre a logacao do
Brasil aqui e o governo britannieu.
O ministro dos negocios ostrangorus da bnjdi
torra sustentuu o governo Ingles, proeedenu a re-
presalias contra it Brasil |ior motivo das m-ia- re-
clamanM-s ana linha. servir como conviulia fazer
os interesses britannicos que careciam de una efli-
caz proteceio no estrangeiro ; tanto mais ane i lo-
gaoo britannica no Brasil usara da longaniniida-
de'que a amisade existente ntreos duu? paiz-.-s
aconselhava altamente.
Nao fui diflicl opiKtsicao provar at eviden-
cia a (alsidade de taes propoanjdaa, e ksesMlo-o es
condes de Malmesbury o do Deri> elord C.helmo-
ford attacaram o governo jiela crenca (pie este do-
ra a falsas assercos dos seus agentes no Brasil o
pelo modo violento (...... que tratara urna nano
amiga ; anda mesmo quando estivossem provadas
as faltas imputadas ao governo imperial, disse
Khelmesford, a Inglaterra torta violado os pmt
do direito das gentes exondando como foz 11
ternacional contra o Brasil.
As historias das represalias, cnnlinu
ino orador, nao aprsenla caso mais
orecentemonle praticado contrai
- O conde Russell laneou novatl
insinuacao deque o governo orialc
ciara o cumpriuiento dos sonsgeres fr: ><
sio do naufragio do navio lriMtbf R,.i/o.<. < lla-
lli coneluiu para a re.-' n-abilidade em que iium-
rera para com a naciit Outra qualqnet |>-
litica que em taes rif-iin -(neias o gallineto da
rainba hovesse adoptado, d'ssc esse ministerio, le-
ria tido por consequencia enflaquecer a pcotereau
dovida aos suljditos de sua magostado |tok> ani
te gabinete entenda haver naqnella eateigenria
cumplido o seu devor, com quanto laui.iiia.--o que.
o> governo do Brasil viesse a inlerromjwt suas rola-
coos polticas rom o gabinete bnlanmco.
Discutida por este modo a correspondencia qnv
mntivou a retirada da legafo brasileira desta cor-
te, a njiposii.-o na ramara dos ords n3o su>
todava a qesto a urna volarn, de nimio que a.
poliica do ministerio Palmorstwi-Rttssoll.citiuqian
tocensurada>licdu'cni rigor. K-to resultado nw
deve sorprender, porque aqui ditllcilmenle se ron-
segue imx voto hostil ao governo quando se trata,
de urna questao > publica exterior, tanto mai>
quando se trata do Brasil que por ser naro de
ordem inferior em meios de aggressao nao causa
recetas ao publico inglez.
Alguns das antes dessa importarte discussao
fura publicado um despacho do conde Hnssellao
encarregado do negocios da tira-Bretanha no Bra
sil, pelo qual se lhe ordena que iiedlsse osasen*
passaportes entregando os archivos da legacio a
cnsul Mr. Westwood, e que nessa occasiao deria-
rasse ao governo imperial o sentimento conajnjtt o
gabinete da ramha dava aquelle |iasso; iovzfl ta->
somonte pela retirada da legajad brasileira nota
curte. Proseguindo naquelle documento, lord Rus-
sell ordenen mais aquel1.,, seu agente qne pergun-
tasse ao governo e Sua Magestade o Imperador
porque meio? fuerera o Brasil resolver as qnesas
pendentes eulre os dous paizes, o cuja sobajeo, *

1
JILEGVELL


blarift d< Wrnamhuto .-- Ver^t felra 14 4nihe de 183,
bc em fbrfca tres mil homens cora ama divino
do gnMn Lee, que denote de urna luta do ton
dia tendo recebido reforcos obrigon o inimlgo a
passar de novo o Rappahanork. 0 general Hoo-
vamos na cauda do progresso mas vamos, e j nao
poueo t
Houve tambem no dia 14 urna viagem de ex-
periencia no caminho de Trro das Vendas Novas o
Evora. SS. Excs. o duque de Loul, Anselmo Jo-
tamente miWrwntc nra us inten sses dos'subiutos pasndo aquello rio cm Bcverlv-Ford, Cueontrain-
da retal, nao portara de modo algum ser prejudi
cada peta internipcao das rela^es polticas uro
osdous ro
Entre essas reciamaeSes figuramas qitestoes dos
Africanos livres existentes no ihipe to c dtiquida-
cao de minas pedidas So Brasil por varios subdt;
' los rtanmeos.
Esta parte do despacho do ronde Russell por
avino significativa da futurajKdittaa que binete teucioka seguir jara na o .Brasil, nao dis-
imulando o proposito nqiMnstodecom*nvar-nos
sob sua influencia a preteslo aquellos reclama-
rdes
O
daee
a di
pois cora que un,
futuro o oowrno imperial, renovar discussoes s
mellantes ? evidente que assim fazendo leva e. ^,---------------
"Via urna poltica de aggressao, dMpettado talvez :-glez |ier este descoanccer a autondade do governo de norte e le*s Niwlaujose LctYcnier, engc^
pelo digno mediente coa que o Brasil repel a confederado.
leer continuava as ultimas datas amoarando Fro- s Bramcamp c visconde de S da Bandeira toma
dcricksburg, onde Lee se acbava toilavia fortiQ- rara lugar no comboyo.
cado. I Diz-se que a inaugura(io desta liaba dever vc-
As ultimas datas de Wfcksburg ehegam at 8 do ritkar-se para agosto.
eorrente. A sinario resiiectiva era quasi a raes- Pw-se o exame offlciai da, parte do caminho
ra, continuando o sitio daquella praa sem reta- de ferro comprehendido entro o trata o a fronteira
xamento, de Hespmnha : Os cavalleiros que para tal exame
Os jomaes do sul afurmam que Kirby-Sroith haviam salo nomeados pelo governo eram os Srs.
latera conf4etamento o general Banks en Port- Jos Victorino Damasio, Joaquim Simoes Margtochi,
sa estabetecer um jardim zoolgico e de acllma-
tacSes.
Este Jardim, por suas magnifleas condicSes, sen-
do devidamente protegido e auxiliado, vira 4 tira
lisarcom os memores estabelecimentos desta or-
dera conhecidos na Europa. Confiamos em que o
governo e a cmara municipal, estimulados pelo
nados aecudiram ao sitio da eatastroplie, & ver se
podiam salvar as pobres crianzas.
A' piojnrcao que se iam revolvendo as ruinas,
iam-se achando os funestos resultados do desaba-
mento; o cadver do mestre, os cadveres de dez
obre exemplo d'el-rei, pord em obra todos" os meninos, e urna grande quanlidade de feridos que
meiosparaaprompta realisaco de Jad excellente se foram encontrando converteram eradotorosas
pensamentor I realidades os presagios daquelles afflictos cora-
Agora, que Lisboa cresce em importancia pelas edes.
facis relaooes com a Europa, faxse mais do que Un decuriao da escola, que se achava fra do
nunca sentir a necessidade de estabelecimentos do local que desabou, tomando licao sua decuria,
genero (testes, que excitam a curiosidad, vulgari- deu pelo movimento do edificio e avisou o mestre,
sam a sciencia c concorrem poderosamente para a que immediatamente ordenou aos discpulos que
fu '
discussoes se- mas, aSm do prevenir a invasao desse estado. O Pago, engonlieire. director* einpreza, Joao Evan-
em presidente Davis cassou o exequtur do cnsul in- gdista de Abren, engeniKtro em ehcfe das talas
asgressao que delle recebera.
krjeitor o Brasil a un liquidadlo por motivo dos
Africanos livres que la ja tantos annos residem no
"imperio seria um vevame de tal ordem que nc-
nhum governo poetara sujeitar-se a isso, at por-
nie bona lide nao ktia os metas de cliegarquclle
resoltado. E pelo que respi-ita ao ajuste das wtas
2S de jmilio de 1863.
O Sr. duque de Loul na cmara dos doputa-
dos na sessae de 19 do eorrente, sobre o insulto
Tecfama^oes existentes por parte de subditos un- ft.t0 bandeira portngueza as aguas de Angola
tannicos, como podero governo imperial atiende- j,,,^ nav0 jniez fonh, leu a seguintc nota diplo-
las quaiido o gabinete liritannico rejeftou in limtne | m;ii,.a
;is (NU t Brasil por sea lado aprcsciita ? A historia (Tradnceao).-Lcgacaobritannica.-Lisboa. 15
dos traballios da commisso mixta, creada por vir- -
lude da conveuc>) d(! i de junlw de 188, prora
xliberantemente a violencia om Je respeitoa Inglaterra proceili'U para comnosco ;
nessas lircuinsUincia's o Brasil nao poder ja-
mis deferir semelhanfe pretciirao por parte des-
te governo.
Entretanto est ahi aberto o campo para novos
vexaines contra o Brasil; e para essote que com
ardil rata o ministro dos negocies estnacvros da
fnpilorn ordmur w sa weta no irasii.i|ue an-
tes de relirar-scol)tivess' dectaraeao aceita dos jioulos (|ue 'ficaw mencio-
nados.
l'nia recisae por nossa parte a oscoFner nina ter-
iliiii'o divisionario da linha de leste, o outros emt
profadas desta linha.
Na jionte de Cava, nove kilmetros para c de
Badajoz, aclavam-'se militos cavalleiros desta cida-
de, no numero dos quaes entraran as autoridades
siqieriores militares da praoa. Fuas as provas d*
inle stguiram todos no comboya at a fronteira, p
alii a Badajoz parte a cavallo e parte em zorra, que
havia mandado preparar aeompanhia de Ciudad
Heal.
boa hygiene ds novoaedes.
Dizem de Aveiro, que os donos das minas de.
cIiiiihIk* de Braral, vao orgamsar urna grande
conipanhia jara" o fabrico da soda facticia na-
(|uella cidade. E' isso de grande proveto para o
(lisHiclo. J o Sr. Betamio d'Almeida e outros, at-
traliidos pela abundancia e barateza do sal raiudo
haviam encolado trabalhos para aquelle fin, mas
faltava-lbes um dos principaes elementos para o fa-
bricoo enxofro, para preparar o acido sulpliuri-
eo, devendo presumir-se que a seda llcassc extraor-
dinariamente cara, sendo forcada a imitortacao
daquelle metalloide por via de Inglaterra, ou da I me
Sicilia, que recebesse em direimra.
Felizmente os Srs. Feverheerd possuem um gran-
de jazigo de peritos da qual pdem separar enxofre
em abundancia; e ficando assim os materiaes mais
baratos do que em parte alguna do mundo, de
presumir que a nascente industria aveirense sup-
rcra potencia que venia <-om envite a discutir! tail,|.m (
aquellas qucstfies com a Injrlaterra iuijiorlaria w* I conheeiBl
vez una situacao anda aiais critica; porque enlao i c||(.fe aas
sportas de Badajoz achavam-seasautoridades
de ju- judiciaos e administrativas que vinham receher os
lhiidc86:.-Sr. mmistro.-Te.iho a honra de infer- engendros portuguezes que coni|Hinl.am acora-
VvKf ,. roeelii instritcik's do conde nussao e os eiigonhe+ros superiores da emprez. i pnra nao so o consumo crescente do pao, mas
da soda urna cousa fabulosa Ella
a militas outras fabricas, mas espe-
a do sal pao. A exportaco d'Ingla-
ro miraculosa. Conta-se a quan-
do'^u^Tommando Sr. 1). JiSalamanca, que em to poucoteropolia-(tidadepor milhares c millares de toneladas, que
nAtXwftjner l.ertii ttortunci J'- vi;i realisado um iiiellioramc'fo que poeein c- vao para o estrangeiro, especialmente de New-Cas-
S-fiKKK^ ta osdous,K,vosa ,,-ninsula. lie, Maculloch d urna interessante deacripcid d
tttS sair ta WS de LJnda e,n dezembro | J^^^^I^STtZt '"^
la-tn >-.! ........... ali'Ai>AJUt ciii /nut i'iinuliur^nil ApC fnlki^iji irttn-----r <,jpi.I>. .mi I "''MriCifc-tl'lti ^(1 11*1 P*l
mas para venda, a fa-
sulphurico d'Aveiro ter
Se ao fabrico da soda se poder juntar o pao do
solver essas nwnasqae8t>9w no B de Janeiro por
meta dos seus almirantes, chic imrvaveliiiento re-
Miini riain as suas negociacoes dando a ludo um ca-
rcter de ultimtum ? Este receta alias fundado
naquillo que j iwr veics a Inglaterra ten feiloea
outras partes, nao paradespresar-se, c pinle limi-
to Itcm servir de guia quaatn ao que as actuaes
rirciimstancias nos conveni adoptar. Nao (pie o
Brasil tenha de remar nenate esse l rama novamen-
le urdido, mas sim que exislindo (m elfeilo |M-n-
dentes aquellas questes nao i indicaco quc-llc faz o sen adversario, e dahi
conveniencia d- adoptar os metas que mclhor iws-
sam convir ao sen tiiii.
Alguns taraaes inglezes e francezos tem desco-
berto naquelk'des|uulio de lord Bussell o ardil que
deixo figurado, lamentando que a Graa-Bretanha
x; sirva deste ensejopaia anda naislmstilisarum
povo amigo.
A publieaco daquelle documento, feita antei ior-
menlo discussao da nossa correspondencia na c-
mara alia, jaiwe ter levado em vista influir ac- j,, )\ pelo
sa em favor do ministro, |>orquc lord Russell se C(|ainacoes ;
deV Exc oue ao commandant em rando-se mais um dia em Badajoz, acceitassem um attingido um graudc deeideratum; e ella digna particulares como os e
torcas naraea do Sua Magestade na esta- jamare mu soire, que desejavam ofterreer-lhe,e de todaa^protec^d^Paraediacar carecem-sc d'ali-1 am curando os feridos.
cao do frica vao ser ex|M-ddas instruceoes para
ar conlicciinento ao coiuiHandaute Sniitli da des-
a|iiir.ivaeao de SS. Bxos. |K'la maneira jiorque elli
jUl:
IO{
procedu
ros
A|.
seguranca da iiiinha mais alta consideracao a S.
Bxe. o tiuque de Ixiul, etc.Arthur C. Magenis.
A nota de lord Kussell, scretorio de Sua Mages
que nao (loderam ser acoitos |iorque os deveres de' ccrces. Como la de Iicm prosperar o fabrico su-1 o Sr. arcebispo andava de ca*a em casa pro-
cada um os elamava a Lislxa. j perior faltando-lhe os priineiros elementos ? A at-! digalisando consolac^oes evanglicas a todas as fa-
- l'manova poca de prosjieridade assomeaos tcncao, pois, do paiz, deveria virar-se jara este milias que italiana alguna desgrana que laiiK-ntar,
animar a sericulturaa crea^ao das ove- deseara! vendo cm taes circumstancias todo aquelle
as nossas possessoes zeta que o digno prelado mostra sempre quando
fabricos oemi-priinos. se trata de soccorier infelizes.
quantidade boa seda, laa, al- Da sala da escola, a penas licou em p um pe-
sulphunco, soda etc. daco de jarede onde eslava um crucilieio, no meta
quenria augmentar a agricultura naquele vasto e etc., deixar a industria fabril entregue asi pro- de duas janellas.
frtil concelho. O chele deste distncto quennido pria, que ella procurar o caminho da prosperidade I Todo o tecto e outras paredes vieram abaixo; c do
eoneoirer com os nietas ao seu ataanee para animar Antes disso andar com um furao morto aos^ coe- (pie ha va sido escola so entao so viam montes d(;
mica da plena satisfaco, honrando as- e proteger a agricultura, (essa mai das artes eda |hos; e normaiorcs que sejam as prohlbicoos e
sinwrMM e ulicas retornes de ainizade a sem- civilsacao, soc-iac amiga do homem. este.o da ra- os direiUis protectores, ella permanecer raclulira
nre nandas entre o nosso'e a.iuelle governo. dependencia, fundamento da riqueza dos individuos sem aquelles elementos vitacs.
O governo ingles desannrovou fornalniete o dos estallos, como doutunente d.sse um esrnptar
procediinento do coninand!iuU do navio Torch.c conte.nporaueo) mstituio um banco, rural naquella
inandou
nem motivo.
mesino repreheud-lo, |Kr ter, sem razao villa, que pelas servicos prestados ao estado e as
ivo desaclitado a nossa bandeira. nossas hk-r,la,les. mereceu tainl^m por isso a eon-
,ara acollieu esta revelaco rom demons- sideracao do Exm. goveriador civil,
il nnuMi.. -"----- No da l. pelas nove horas da nwte. insUilou-
H*. %SS^SS pronta para que a ca-! se em casa da Sra. 1). -Mara Jos .la Suva Canuto a j
lara pronnnciasse um randa louvor aoSr. duque assocuieao escolar de 1) Pedro V e que o. creada m
8 l-ouUJ neta modo porque l'uramiuhra as nossas, ib a iniciativa desta filustre e talentosa dama, que _,
iiKM'trat.
Madrid, 2o de j nabo de 163.
porque vy
ao ponto de i ecelierein urna to hon-
Portngal.
O Sr. Mamas Ferrad declarou que cm assump-
tos destes nao tinlia polittaa, e por isso se associa-
ra de bom grado ao honroso proeedimento do go-
verno.
aprsenla por aquelle modo como extremo defemof
dos ntefMsesd muitossuImIos daiaiulia.
Esta a ultima piase que api -escuta o nosso coi
llicto com a Gra-BreUuilia. que alias j leva un
tanga duraejio. Resta anda adecuad daqueslt
dos ofliciaes da fragata Forte, que est pend
entre asmaos decl-reidos Belgas;e niiigueiii pre-
suma ao errto quando vira a ser publicada essa de-
cisao |mjt jiarte de sua magestade.
* Mr. Cnristie coutina a hostjlisar-nos |vla im-
prensa, tendo ultimamentc-pubicado una corres- i q s'r Mallos Correa, membro tainltem da oppo-
pnndenria acerca ita Brasil, e na qual nos apresen- s(.a(l jglia,.s doclaraces o coiicluio pedindo
ta comoum povo corrujitoe sem organisacao soli-' -^ vo,0 e |0uvor projuisto pelo Sr. Quaresma
da! A alia administracao brasileira fortoncatn I n catendwiga lambenao itabre ministro da niari-
invecradanessamiseravel pnblka(ao. I nha pela parte que tomara na boa soluco desta
<) publico inglez contina em geral a sympalhi- p,.ndMui:i.
*ar com a nossa causa, dando provas bem claras do | ^ cmara votou por unanimidade ambas as pro-
sentimento com me vio aiisenlar-se desta capital ppgg|a&
a legaeo brasileira. Alguns jomaes fizerain at o q g,. >{01U],.S Leal, ministro da marinha, agrade-
elogio peana! do Sr. Carvalho Moreira, que MnhA; cendo l cian don dntmtartiw o voto de louvor
dignamente nanter os interesses brasileiros sem imc por tal motivo havia sido unnimemente dado
quebra da respeito que era devidoao governo bri-
taiinico junto do qual se achava acreditado aquelle
cavallieiro.
A legacao inperial penaaaeee em Pars, onde
aguarda s instruceoes (lo governo imperial. Al-
gumas tullas desta capital amiunciaranjnn ebe-
(ine por ..
pelos representantes da nacao ao nobre presidente
do conselho oSr. niinistro da iii.-.rinha. disso ose-
guinte :
Como membro do gabinete nem me sorprenden
nem me admira que o imderoso governo da Graa-
Bretanha, respoitasse e confessasse, como se ve
o nosso direito, que o direito
eral reconhecid. Estando, como evidenteincie
A actividade'do gabinete de Miradores, cuja po-
ltica se desconbecc, apesar dos seus variados pro-
grammas de tendencias diversas segundo os nii-
(tantos servicos ten prestado a mstruccao popular. )|is,ros ue ^ expos^ram no larlamento, a sua
I Esta associacao,, que tem jior fima sustentaeao acY,iade tem-sc cifrado :-na creado de um
na creeao de una
parecer sobre as retar-
rcclainaiii a fazer na
passagem disponibilidade
.. grupo de lunecionarios, mas sem correr o
Ao acto solem.....la mstallacao estiwram presen- risc0 j,. ,,erder a benevolencia dos vicalvaristas ;
tes o Sr. comnussarta regio dos estndos e diversas na anti-patriotica omissao de urna parte pu-
(laniasecavalhciipps. .pie para esse imtinham si- b|it.a da solemnidade do celebre 2 de mato, dia de
do convidados. lulo e de gloria para o povo nadrilense ;-em ter
- Sua magestade el-re D. Fernando foi convi- cnviado ,,ara S. Petersburgo urna noU sobre os
dado pelo imperador dos rrancezes, para estar al- transCendentes ac<
guns dias no palacio de Fontaiiiebleau ou fontaine mQebUM impar
bellr emt (fonte de bella agua) omlcassiste a urna c Laruoiski e de Langieviez.
corrida venatoria e a varias correras. | A ,.rt.acau necessaria e urgente do ministerio do
O palacio de roiitaiuebleau, que e cercado de
niaguicos jardins, e est junto a una bella flores-
ta, foi fundado pelo rei Roberto em 999, e recons-
truido consecutivamente em varias pocas, servia
militas rezos de labitaco aos reis k- Franca-
Foi
em 18:17.
Dancouite Poinsinet. All foi a.-sassinado por or-
dem de C.hristina, o clebre Monaldcsclii.
nece
tantea senicos na Europa.
AcabaiiKis de receher aqui a iutnortante noticia
de que Sua Magestade el-rei dos Belgas proniin-
ou linalniente a sentenea arbilial sobre a pen-
dencia entre o Brasil e a Graa-Brotanla. e da qual
aquelle monaicba se dignara tomar eonliee'uneiito.
A parle >Usgraphiaa que transmittta essa nova
diz que o veredicto d'aquelle Ilustre julgador lora
absolutamente em nosso favor, sem que liouves.i'
reserva alguna. E' assim que so acba resolvida
de todo a nossa questao coiii a Inglaterra, e ainda
nesta ultima pacte O nosso triiiinplio foi iininenso.
(I governo britaiiiiico. piuniido-nos no 11 io de Ja-
neiro por ineio das represalias, inllingio-nos esse
castigo a pretexto dos dona captulos d'accusacao
que contra nos [l; e agi'ira v-se na rigorosa ne-
eessidade da emfessar qae foi injusto no sen pro-
cedimente para com o Brasil por motivo da prisao
dos ofiicaes da fragata Forte A > menea arbi-
tral eui nosso favor implica a condeiunacao 80-
leinue dos artos de Mr. Christie em relacrta a esta
pgaraaquelle ikiiiio oSr. consolbeiro (arvaiboMo- tjess,, dorumento,
reir com a sua legacio.. indo bospedar-se no lio- era| reconhecido-
tel Dtt time Jnmtes. piovavel que ess.i dis- "siava raza0 da nossa parte, aquella grande na-
tincto diplmala lirasiieiro tenha de all jiernane-1 a |M,r jsso mesino que grande, com tal reco-
cer por ordem do governo imperial, visto como| (du-cimento nao fez mais duque prestar nobre e
apear da interrupcao das not>>as relacoes com este mgiia homenageni aos principios da juanea que re-
pail llavera sempre necessidade dos seus imp0r> rem as relacoes dos jm)vos consolidando os antigos
Tacos de mutua estima, de mutuo interesse e aini-
zale, (pie ligara la secutas os dous palies, e de-
vein ligar todas as naefies as condicoes acluaus da
civilisaeao (apoiwlo*).
Ixigico era, e lgico posto qne sempre em ex-
tremo apreciavcl, que um esclarecido governo e
un grande |vo, grande |>orque patritico; gran?
de porque livre (muitos amndo). contribua |r
mu parte para fortalecer urna norma de universal
interesse, para acatar na independencia alheia a
propiia independencia!
As cmaras conservam-so aliertas at aodia
:tO do eorrente mez, tendo bavido BWSOeS nuctu uas
lia mais de dez dias.
Por todo o mez de agosto prximo teremos o
gosto de ver no Tejo o novo barco a ranor Marta
l'in. K de ferro a hlice, da tarea de loOcavallos,
e com capacidaib; para 3U0 tonlladas de carga :
deve licitar 12 millas |ior hora, tem lugares para
:I0 passageiros de 1* classe e 20 de 2*. Sao cons-
tructores os Srs. Jonh Keid k ('... de l'orl-lllasgow
ultima questao. d'ahi a maior desnioralisacao (nne para esta companhia construiram os vapores
em que licar o governo da rainlia por motivo do I /,,/,>,,. Uba)', foi classificado no Lloyds a i
irovocoii contra nina na- .)or |2 anuos.
ultramar "nao devia ser feita por mu decreto, uas
por una lei approvada em cortes. Tem alm
disso a medida una parte ineomprehensivel ;
tal a de cstabelecerem novo ministerio com as
i despezas que Ihes sao inlTerentes ficando os as-
restaurado |iela ultima vez por Luiz tilippe; Alli nasceram lleniupie IH e Lmz MI, lerios dos estrangeiros, da guerra e danarnlia,
como estaran at aqui.
Nao menos insignificante a reforma que se
pretende fazer na etiqueta do paco, se se attender
aos individuos chamados a efloctua-la ; sem negar-
mo comludo a coiiveiiiencia de supprimir o hu-
milhante acto do beijamn, do incsmo modo que
entre nos foi supprimido pota saudoso inonarcha
A terrlvel noticia correu com a rpidos do rata j m por nao serem acompanhadas de prora ealal e
por toda a povoacao, e os seus moradores constar* irrecusavel ;e replicando o 8r. Dr. Levino sosteata
suas anteriores allegacoes, terminando por pedir
de novo a absolvii;ao, visto darem-se toaos a re-
quisitos daquella justificativa.
Avista da decisao do cooselbo, o reo absai
vido,
Segundo diz a JTaco, Jornal de Lisboa, ser
transferido para g Rio de Janeiro, no mesno ca-
rcter, o Sr. cnsul ponuguez nesta provincia, Dr.
Jos Heuriques Ferreira.
Por ser hontem o dia do deamo-quinto nv
niversario da senhora princeza D. Leopoldina sal-
voua fortaleza do Brum a una hora da tarde'.
Acabamos de receber carta doSr. majorTho-
maz LinsCaldas,doBta-Formoso,deiO do correte
em que nos diz nao receber o nosso Diario desde
17 de junlio passado, quando remeltemo-lnes se-
manalmente. Chamamos, pois, a attenrao do Sr.
administrador para semeilautes faltas.
Noticias ofliciaes de Una dizem haver segui-
do, no dia 9, para a comarca de Flores, o Sr. Dr.
Joao Rodrigues Chaves, juiz de direito, apenas
restablecido do inconnnodo que soffrra.
Nenlium accidente bouve na via-ferrea, na
sexta-feira, alm do que noticiamos, como se evi-
dencia da seguinte carta :
Estrada de ferro do Recife a S. Francisco.
Reparticao fiscal.Recife, 13 de jullio de 1863.
Illm. Sr. redactor do Diario de Ptrnattilmeo.Xo
dia 11 do eorrente, li em Gamelleira una noticia
dada peta Jornal do Recife, de que se havia virado
mu trem da estrada de ferro, e romo fosse isto in-
nexacto, dirig um telegramma ao redactor da-
quelle jornal rectificando a sua infonuaco; vendo,
porm, que a noticia au foi desmentida no jor-
nal desta nianhaa, apresso-me em rogar V. S.
que se digne declarar no seu couceituado Diario,
que nenlium accidente daquella ordem se deu no
irafego da niesma estrada. Son com toda consi-
deracao, de X. S. amigo, venerador e criado, Buar-
que de Maretlo.
A taberna roubada que noticiamos neste
Diario, sita na ra da Paz, da fregnezia de San-
to Antonio desta cidade.
Durante o mez passado chegaram ao porto do
Havre, idos do norte do Brasil os segrales navios:
a 17 de mata, o brigue francs Cotifny, de Per-
nambucoe Paralaba ; e a ti de junto, as barca
francezas Curthaijcne e Amiral, do Maranbao e
Para.
Sahram do porto do Havre, para os do norte
do Brasil : a 18 de inao, a barca frauceza Palet-
tro, para o Maranbao c Para ; e a 40, o brigue
francs Fiordo Para, para o Maranbao.
Achavam-se carga no Havre, para os por-
tos do norte do Brasil : a galera 'raneen ArU,
para Pernainboco ; o brigue francs bea* je*, para
Cear; e a barca francesa Ville do kmloanr,
para o Maranhao e Para.
O vapor ingles, portador das malas de Son-
thampton, no eorrente mez, o Onetda.
Por portara da pressdencia foi demittidode
subdelegado do 2o districto de Ipojuca, o Sr. le-
nente-coronel Antonio Juvcncio I*ires Falcao, sen-
do nomeado para substilui-lo o altares Joao de Sou-
za Feitosa, que toiuou posse do cargo 7 do cor-
rente.
A' bordo do vapor francez Katarre seguem
para a corte os senhores: bario du Mesnl, se-
cretario da legacao belga, e portador da decisao
do rei Lcojioldo ; o baro de Holstein, do da dita
prussiana; e o conde Brda, dito da dita fran-
cez;i.
Ainda vai mais, bordo do Natarre, o Sr.
Cezar de Lacerda, destnelo actor dramtico por-
tuguez, e autor de grande numero de pecas dra-
mticas que entre nos tem sido representadas.
Durante a sua demora nana com seus coropa-
uheiros d'arte Coimbra e Furtado itaelbo,
Hontem noute estando alguns meninos a
brincarem na igreja do (armo, unS no alto e ou-
tros na parte inferior da torre, e a se mimosea-
rem com pedradas de cauca, foi por nra deltas
arremessada da varanda una das macanetas de
madeira, que foi infelizmente later sobre[a cabera
de mitro que se achara no largo da igreja, rac-
turando-lbe a cabera |iouco acuna da fonte direi-
ta, de tal forma que poucas horas se suppde po-
der o ferido vi ver. O delnqueme foi preso em
Hgante pela polica, e o ferido, aiis os primeiros
cuidados qae Ihe foram presados peto Sr. Dr.
Ferreira da Silva, foi levado para rasa de seu pai,
a ra do Bom Jess das Crioulas.
Movimento da casa de detencao no dia 11 de
julho de 186.1.
fugissem. Em quanto estes fugiam, tena elle po-
dido salvar-se, saltando por urna janella, porera
cora o cuidado de salvar os discpulos continuou
denUo da sala, c notando que dous de mais tenra
idade se nao moviam, aUcrrados, pegou-lhes e an-
da chegou cora "lie- junto da porta.
Um pode escapar, mas o outro morrea ao lado
de seu mestre, que terminou os seus das com um
acto de herosmo e'abnegacao de que na poucos
cxemplos.
Passava de duzentos o numero dos alumnos; mas
os mais pequeos, que formavain o grupo mais nu-
80, estavam naquella occasio fra do lugar
doA'saslrc.
oram 3o os feridos, e destes 10 de gravdade,
morrendo um deltas poucas horas denois.
m dos primeiros mensageiros de tao horrivel
noticia em Valencia foi um rapaz dos que escapa-
ram com vida, que correu em procura de seu pai,
pobre traballador, para o livrar do susto que teria
ao saber daquella desgraca.
Logo que na cidade constou o caso, correram ao
sitio o governador civil, o capitao general, c o Sr.
arcebispo, que se apressaram a dar as necessarias
ordens.
Foi necessaro por um cordao de tropa e de
guarda civil roda das ruinas, porque as pobres
mais e familias se arremessavam como tacas a
procurar seus fiihos, dando gritos de angustia e
derramando lagrimas, que tambera as {aziam der-
ramar a quantos as viam.
O governador civil, collocon-se no rucio daquelle
quadro de desolacao, sera llalli se aparar um ins-
tante, em qianto os mdicos de Valencia, tanto os
mpregados olucialmeiita,
ruinas e os seus utencilios despedazados.
A casa tinha sido concluida poucos mesas aides,
e julga-se que as ultimas chuvas foram a causa do
successo.
Quando todos os feridos foram conduzidos a suas
casas, e os cadveres depositados, voltaram para
Valencia as autoridades deixando facultativos en-
cairegados de continuarem a tratar d'aquelles.
Entre os muitos episodios que occorreram referc-
se este, bem triste c afflictivo.
Um traballador correu s ruinas, perguntando
pela sorte de seu filho.
Ncnhuin dos crcumstantos o conhecia; nin-
guein o poda informar.
O governador civil perguntou-lhe quaes eram
os signaes delta c foi em pessoa examinar os mor-
tos para ver se o encontrava.
O atribulado traballador dava signaes que pou-
co esclarociain, c o governador nao podia com tao
eseacos indicios assegurar-se do que se desejava
saber.
Repetidas vezes interrogou o pai volando a exa-
minar os mortos; c assim se jassaram alguns mi-
. untos de dolorosa impaciencia. A final consentiu,
transcendentes acontecimentos da Polonia, noteem que o proprio pai averiguasse o que desejava. Foi
nni aos heroicos companheiros este ento procurar entre os cadveres, e achou ali
o do lilb'i.
El-rei 1). Fernando est agora c- Turin.
o dia 7 do eorrente verili, v*' en Braga
o laneamento da prmeira pedra no^nonte Samei-
ro para o monumento graudioso (|ueolli se vai eri-
gir Virgen) Mi dos homens.
Assistiram todos os ncmbros da commisso que | ivro"v.
se enearregou desta obra e pratieou as ceremonias Dous actos nierecein porra geral louvor c sao
htliuigicas o deao da Se IVim.v.. a ailmsla concedida aos democrates companl.ei-
llouve muita concurrencia de povo, e a nmsica i ros do Sr Ruiz Pons e ;i a )a ainnis,ia dada
de infamara 8 foi para all fazer as delicias dos noda 27 do passulo a (|Uantos tomaram |arlena
dtlMtantt, tocando entre outras pecas o hwnuo i i ultiusa subluvaco deS. Domingos.
l'io XIX, que foi perfeilamente executado. 0 mIHSter0 u^ba de iimnear novos governado-
Realisou-se. na tarde do da 6 do eorrente1
em casa do visconde de Lagoaca,
E impossivel descrever a secna que se seguio a
este triste reconbecimento. Imagine-sc o que
seria. .
A cmara municipal de Rusufa, que conhccia as
virtudes do professor, e a sua abnegacao, votou no
dia segrate una pensad viuva, e aos qualro fi-
ihos menores que elle deixara.
A autoridade civil, pela sua parte promoveu urna
subsc i|ieo em favor das victimas daquelle acon-
teciment, que logo no primeiro dia produzio satis-
factorios resultados.
Finalmente, |>or determiaciio do Sr. arcebispo
fizerani-se na igreja da povoacao os ofiicios fne-
bres |ielos mortos, reunindo-se no templo os cada-
veres do professor Aguilar e dos dez meninos. A
igreja estara toda ornada de preto, e cheia de um
numeroso concurso.
Disse-se primeiro urna missa de defuntos, e de-
pois outra propria das creancas, olHciaudo a clcrc-
sia da |arochia, que para isso se olfereccu gratui-
tamente.
No lim foram os onze cadveres levados ao cemi-
terio pelos moradores da povoacao, sendo acompa-
por una banda de msica.
res de provincias, que carecera de significaran
naca, mais ana secna | p^joai c muiios nao ten nenhuma historia |Militi-! nlados |K'lo clero, e po
lutenasante con rolacaoao assumpto que desde o;,.^ ^^ ou iMna q ellcs que vo provavel-1 Em Bedmar povoacao daprovracia de Jan tam-
dia 10 do passado tem prendido a attenrao de todos menle dirigir as eleicoes. bom occorreu um desastre muito anlogo, lina
os liberaes portiienses. Foi a entrega, ao capitao Aguardemos a dissluco das cortes que se ve- casa daquelle novo, que servia para espectacu-
Claudio de Chaby, de duasjniedalhas das campa-1 rituai em (ins do eorrente mez, o se o governo los, abaleu durante o forte temporal que reina-
nb.is da libcrdade ; destinada una ao ministro da for t0|mnt,. deve foicosameiite ir ao parlamento va, causando a mortc ao tanente-alcaide, e o
guerra, e a outra ao seu distraclo (iussario. uina ,naioria liberal, apnar da rasaran lei cleito- outro natural da povoacao, e ferrado varas (Mfr-
Esta olferta, feita pelos yoluutnos da ra nha,1 ra| que obnW inoralmentc o gabinete a inodili- soas. .
como signilicacao do seu agrailecimeiito para com vaT.^ Para solcmnisar o primeiro anmversario do
niinistro do reino o Sr. Vaaraordc nascimento da seienissina infante 1). Mara da Paz
mala lalla-
desgracam conflicto que un
cao amiga e innocente. Pela prxima
rei largamente sobre a impressjio que este resulta-
do causen aqui.
A questao iwlaca
tem conservado em agita(
Europa, naalesta pw
pelo lado da attiludc q'ui em relaco a esse inci-
dente tem assimiido os gabinetes de Londres? Pa-
rs e Viento. Os gabinetes dessas tres potencias
acabara de dirigir ao governo russo notas identi-
ras. em que em nome dos tratados de Vicua e do
equilibrio euroneu sollicitan concessoes liberaes
por
. No dia 29 do eorrente abre-se exploracao
publica o caminho de ferro de leste, nao s a linha
portoauosa ata fronteira, mas tambem a seccfio
que uestes ltimos lempos lospanliola da fronteira at Badajoz.
guaca, i o espirito publico da I (fe^treotores da linha pportugaeza
senteniente una pbase serlacom a empieza da Ciudad Beal dirig
contrataran
rem el les a
exploracao at Badajoz durante cerlo numero de
metas aonante um estipulado pedagio.
Ainda que esta consenienlissima transaceao
ponlia ao servieo publico os metas de conununicar
accetaradaraeat entre Lisboa o Ifadajoz, davi-
damos de que seja possi vel usar desdej com lodM
em favor da Polonia, pedindo que sejam ellas (lis- ts Slias vaulageiis daate grande nelhoramento, vis-
to que nenliuiua combinaco teve ainda lugar entre
os governos dos dous paz'es para regular o servieo
de scalisaco (! poliria dos passageiros e bagagens
e outras-nircadorias. Sem (pie este accordo entre
os dous governos tenha lugar, como ser possivel
conciliar o servieo accelerado dos caminhos d(> tar-
ro cora a long vericaco das allandegas dos
dous paizes, com os escrpulos e severidade inda-
gadora do contrato, e emlim cora a plena satisfa-
co dos agentes de (Milicia e de seguranca?
Segundo o orario, a demora dos trena ein El vas
ser de VO iiiinimetros ; ora. este teinpo
ntidas e firmadas por um congresso. llenis os
ltimos e barbaros prucedimentos das autoridades
militares russas, que se acbaui em campauba con-
Ira a Polonia, foram Bcsses docamentos vivamen-
te increpados rhegando a censura a ponto de nao
dissiuuuarero essas potencias a necessidade era
que se acuariam coltacadas de intervir, se taes ac-
tos nao vieren nromptamente a cessar. Este ion
decisivo poram darxa reeiar peta bom resultado
das negorJaedeS, agora que o imperador Alexan-
dre se acha'coniproinetdo com o partido nacional
a resistir influencia extraugeira : e d"ab o re-
eta de qui1
anopimeiito
deve ser de W iiiininietros; ora. este teinpo in
esta ponmiea pana resultar n m|i I sulFiciente para salsfazer a tantas formalidades e
entre as iiteiH'ionailas potencias oa ao longo expediente de tres fiscalsacoes diversas.
o nobre visconde e para com o Ilustrado interpre-
te das suas ordens, honra sobremanoira os dignos
voluntarios, e lisongear bastante o Exui. viscon-
de de S, e o seu digno ajudante d'ordaas.
As medallas sao aeoinpaiiladas por cartas as-
signadas pela commisso dos' volunbirios, o comi-
das era elegantes (juadros de molduras douradas.! r0jnseilii)
Uz-si que o
vai a Vichy para o lira do mez, fazo
aguas, sendo substituido interinamente
quez de Miraflores, presidente do conse
Foi julgada a causa intentada contra a Iberia por pobres.
I injuria e calumnia contra o anterior presidente do I Devendo celebrar os meninos e meninas asso-
de ministros, general ODonnell. Foi I ciados obra da Santa Infancia, a i
uso daquellas Joanna, a rainha despendeu aquanta de vmte mil
ente ik-Io nar-! reales velhos para que |ior via da distmcta junta de
nsellio. damas de honra e mrito, sejam soecorndos os
Na livella de ouro das mesmas moda Ibas, tudo TOdenraadoo secreario da redaeco a dous annos i conununho para cumplir o precedo paschoal na
igreja de Monserrate; no dia 2i s 6 horas da tar-
de sabio do real santuario de Atocha, a solemne
procissao do Santo Menino Jess, sendo presidida
por SS. AA. RR. o principe Alfonso, e snasaugus-
tas irmas.
trabante de artistas porlnenses, esta gravada de do desterro, cincoenta duros de mult, pagainon-
gingollas legendas a expressao dos sentraicntos qua l0 de custas e penas accessorias. Pela neama aen-
determinaram a honrosa olferta, pretenda na sua tenca se manda sobreestar a respeito do editor
Intrnseca modestia a qualquer outra demonstra- reSp0nsavc|? ^m pn'juizo das penas pecuniarias
cao, por ser to directamente allustva aos factos; quc no SU cj^ podessem subsidiariamente alfec-
iiiiportaiites, pelos quaes se tornou ctebrr o. 6 ve- ta.|0 Manda-se trancar a lianra prestada por D.
nerada e querida a bandeira dos voluntarios da i>edro c^\w Ascencio; que se levante o embargo
rainha, ainda por quercrem assim retribuir d*4ica- ,(ll jjj ini reales feito sobre o peridico, c que este
(lamente os voluntarios a lenibiauca do : :,re mi- publique as suas columnas a sentenea, no praso
A saber
Existiam...... 383 presos
Entraram..... 5
Sahirain...... 6 >
Exstem...... 384
Nacionaes..... 263
Estrangeiros... a
Maneras...... 10
Estrangeiras... :i .
Escravos...... 70
Esc ra vas...... o
iiistro, que havia ordenado fossa junt
Torre e Espaila, cora que q duque d- l!i
condecorara a bandeira das cairapatilias u
dade.
i da
: ;a
per-
Na occasio d entrega, o nomo do visconde de
S foi sempre repetido com respeito, gratido o
eiitliusiasnio ao oftertar, assim como no agradecer
em que o Sr. Chaby recordou a proposito os ser-
vicos prestados pelo veneravel general nossa pa-
tria, c ao exexcito. i
Os Srs. coronel Moequeira, Lima Machado e Azc- c
vedo Pereira da Silva, por vezes interrumpidos Fia",:a. yondessa '
pelas denioustracoes .de applausos dos seus ^#^^** < ^
REVISTA DIARIA.
pBassia. o Times entretanto sustenta que a accol goWnodovisinla>reiao,applanaasdinkul-
que de-va recciar-se que o governo da rainha cora-1 uag ,.,. as nossas locomotivas ter de andar em
i a Dtt da Europa por causa da Polonia.: teri-eno bespanhol, e as emprezas, Ciudad Real e
Salamanca, fizeraiu o resto. Vamos, pois, em bra
pinjan)
.,
fc

A resposn do gabinete, de S. Petersburgo s
notas qa Inglaterra. Franca e Austria, esperada
sem demora; mas ninguein coalla que onvera-
dor Alevandi-e se comprometa de prorapto no son-
imo desejado por essas potencias.
E boje ofllcial a tomada de Piiclda pelo general
Forey, coianandante em chefe da ezpediciu) fran-
e. za no Mxico. No dia 17 de mato ultimo reu-
deu-sea desejjpco o general Ortega <-omdesoito
mil boniens, mas depois de um reiibdo combate
lie dunm dous das. De paru> a parte o valor
desenvolvido foi extraordinario; c aquelb; iLaluarte
republicano teria resistido |ior mais teinpo, se o
general Itamonforthonvesse logrado introduzir la
prara os reforcos que Ihe trouxera. latido [torem
por tima divisao sob o colimando do general Ba-
saine, taire de rotirar-se de defronte de Puebla,
que desde entao ficou seui esperanca de resistir
por muito tampo. A guarairao mexicana qiie se
acliava n'ai|uel|a praca, foi cibarcada c transpor-
tada para a Martinica e CiiadcLoip<\ e o general
ortega mandado prisioneiro para Franca.
. O general Bazarae marchou logo sobre o Mxico,
jyo exeretio francez sob o commando de Forey
acha"*^ "* u'u,|na ^ata e,n Choto'u marchando
im'hpm *r** a capital.
aT2ks do.n Estados-Unidos, por via de Nova
York al nsvate '* do -oiTetc. general
Ha)ker,13 njadaut' em ''M'' do exercit0 fedc'
ral sobre o tappalianock, susteYava as mesmas
posicoas, hvendo comtudo feito uii?.* expt-'d'cao
contra Freoericksburg afim de, impedir (p6 8e"
ueral Lee recebesse reforcos. Tendo os fedcraes
de 15 dias.
- O cmlaixador da Turqua era Madrid, teve
urna audiencia de desiiodida, em que foi muito
bem recebido por S. M. Durante a sua pema-
nenciaein Madrid rerebeu Djemil-parha os raaio-
res obsequios da sociedade de Madrid. O diupie Por S. M. o rei dos Belgas foi resolvida no
de sana dcu-lho un grande banquete que assis- sentido favoravel a nosso direito a questao da fra-
tiran os membros do corno diplomtico estrangei- gat Forte, que tara subraettida a seu juizo ar-
io ; o o Sr. Sancho irino do ministro hespanhol btral.
na Turqua oobsequioii coraran suraptuoso baile. Aindanesteterreno sobresahe a justira, que nos
A mae da bnpnatriz Eugenia, o euibaixador da assiste.
e a condessa de (Harapo-Alegre derain-lho Tendo sido demettido do cargo de l" sup-
plente da subdelegacia da Capuuga o Sr. Ur.
> Manoel Gentil da Costa Airas, foi para o mesmo
radas, expressarain eloquentamente os sentunento, ^proras de disnaeSo e respeito con que I cargo nomeado o Sr. Dr. Francisco Anuntts de
p|ii.- para cora a patria e para cora o iberal vk- S^fpra^Q^ewaaa embijada hespa- Carvalho Moura.
conde de Sa ifa-Bandeira, dorauain nos seus cora- "'^"* '"^ s- Tendo u|limado 0 rospeciivo quatriennio,dei-
eoes, nos de todos os liberaes portuenses. 0-- ^^ meados de a,)ri, comecaram os pre. xou s fuCc.oes de juiz municipal da i vara desta
nnacao do rendimeiUo de homenagens a bandeira ^^^^1,^,^*^^ ^^^ ^"^^ oc-tes Tavaresde
'!" teSta -lo'Fxm fflaE&SA $^^^**E^ -Xseiodojury de bontara, devendo entrar
auiaraSMli'u^ cipaes da cidade. Mogador ficou como novo, lira- era julgamento o processo instaurado conu-aiFi-
^! aZ. umdu. S2piupi /.., moforioi.iionio uo Jos dos Santos, deixou de ter isto lugar, em
consequencia de mandar o Sr. Dr. juiz de direito
por seu despacho, qne fossein acareados no juizo
forniador da culpa duas tesleinunhas do mesmo
processo. ..,,...
Por incoraraodo do Sr. Dr. juiz de direito pre-
sidente, pasaou a cadeira desta a ser oceupada
pelo Sr. Dr. juiz municipal da 2" vara, entrando
en julgamento em seguida Jos Antonio do Esp-
ritu Santo, pronunciado as penas do artigo 293
por haver accidentemente ocrasionado a mortc a
menor Maria da Coneeieo com o tiro de urna es-
pingarda, por occasio de estar preparando a esta
para guardar.
O reo brasileiro, tem 22 annos de idade, e ex-
orce a profissao de pescador ; c a mora era sua
prima.
O processo foi instaurado pela subdelegacia da
Miiribeca, districto do delicio e o reo foi por si
proprio enti egar-se a veriflaaco legal da polica.
rcados ." ordenanra desembareou o ministro, acompannauo Dos de|ioiinciitos resulta a casualidado do acto,
Cada na dos inspectores mencionados devera pela sua'comitiva e petos magnates suissos, e se ratificada at pela mesma olfendida antes de su-
.. ji .i.,,, i, j ii.t..ii jt. j:j >iirir.;i~,m i^ao i casa consular, donde rerebeu o cumbir.
as felicitacoes das autoridades, Nos debates, o ministerio publico pede a impo-
califas da priraeira classe, etc.! sieao das penas do referido artigo i "3 no grao
freqi
taooi
Pelo ninistei io do reino, direccao geral de ins- ultima hora obtiveram de igual maneira a rasa do
trurro publica, foi expedida una portara datada proprio governador.
de 18 de jnho, na qual se determina o seguinte : -AGamanheccr do dia H appareceram a vista da
Proceder-se na prxima poea de exames urna praca a fragata Berenquela, e a galera Consuela.
visit de inspeecao extraordinaria nos lvcus na- Correu immediatamente a noticia por toda a povoa-
cionaes de Lisboa, Porto, Braga, Evora e Santa- cao, o governador embarcou em Ctirabo e sahio ao
encontr da fragata, para felicitar o diplomata hes-
reiii.
Sao incumbidos deste servieo de inspeecao os panhol.
vogaes do conselho geral da instruccao publica. As tropas da povoacao conj une lamente com as
ve gozar om toda a sua ptenitude as innueusas
vaiitagens que ao comraereto e s jnduslrias, e a
lodos em geral, vai proporcioaar a linha de Lislwa
a Badajoz. ....
No dia 14 do corrale abno-se a circulaeao a
seceo do caminho de bur entre as estaedes da*>
Barasaa em Villa Nova de Gaya e Estneja, la
cAiensao de a3 kilomolros (9 leguas.)
s 7 horas c 23 minutos da raaaliaa chegou a
estacao das Devezas, vindode Estarreja, o comboyo
cora'20 wagn* de i.- 2.*e 3.' classes que conda-
ziam cerca de 300 pessoas.
As 8 horas e 20 miuutos, parti o comboyo das
Devezas para Estjreja, couduzndo porto de 300
peanas.
Era immensa a gente que se reuni as Devezas
para ver chegar e partir e comboyo.
O espectculo era novo para a maior parte dos
espectadores, que por .o o adiiiiruvain.
Tardn, mas rato, e o Porto j hoje seute confun-
direin-se no borburinho do seu imraenso e laborio-
so movimento os ecos do silvo das locomotivasj
Na Victoria e outros pontos a linha tarrea jun- glannssociidarios." pediram a urna larga distancia da povoacao.
tou-seta.nl.em mu.ta gente par ver de tange 0|d> ^ da instruccao publica, se ex- No dia 2 do eorrente, honve jimio a Valen-.
^^fffn&^i^
praca
da
o ministro, aompanhado
successo quo encheu de dr c cobrta de luto os
a estacao das Devezas. i do ^ n^essidade de dotar a capital coin um seus habitantes.
Isto mostra que a abertura definitiva do caminho' grande Passeio de recreio e de instnlcrao, seme- Pelas 9 horas la manlia, ojjditicio^a escola
do ferro um acontceimento que a todos interessa. lbanca dos' que exstem boje as grandes eidades publica desabou eba.'.U de repeme soore mais ae
0 famoso aphorismodePclletan tem nestes fartos da Europa, est disposto por iniciativa propria, a 30 criancas quo all se .iCbaYam, cora o seu pro-
a sua, demonstracao pratica, tardia para nos, que ceder a sua magnifica lapada da AJuda, para ahi fessor, o Sr. Aguilar.
a aecusarao principal.
A defe'za incumbida ao Sr. Dr. Levino Piuto
Brandad, confessando o delicio, firma-se na justi-
ficativa, e provando a existencia do roquesilo, que
fora negada neta Sr. Dr. promotor publico, con-
cine por pedir a absolvicao do acensado. Repli-
cando porra o ministerio publico, insista em que
se nao dra a attencao ordinaria ; c que nao de-
vem portento ser recetadas as allegacoes da defe
:t8t
Alimentados a rusta dos cofres pblicos-. 153
Movimento da enfermara no dia 12dejuIbO(te
1863.
Tveram baixa:
Luiz de Franca de Carvalho ; anemia.
Pedro, escravo, de D. Anna; cotc.
Fallcceu :
Antonio Jos de Araujo.
Movimeuto da casa de detencao no dia 12 de
julho de 1863.
Existiam ..... 38i presos
Entraram..... 6
Saldo......... 1
Fallcceu....... 1
Existem........388
A saber :
Nacionaes...... 263
Estrangeiros..... 33
Mulheres....... 10
Estrangeiras---- 3
Bserarae....... 70
Escravas........ 3 a
:88
Alimentados acost dos cofres pblicos.. 15J
Movimento da enfermara do dia 13 de julho de
1863.
Tiraran baixa :
Rento Francisco Lopes da Fonceca ; tabre ca-
tarral.
fioncalo de Amarante; tumores.
Trotan alta:
Miguel Gomes da Cnnha.
Antonio Jos dos Santos.
Serafn, escravo, sentenciado.
Itaymundo, dem.
Antonio, Africano livre.
Manoel, esoravo, de Manoel da Coste.
Francisco, escravo, de D. Marcolina.
I W!!l\l< i JIDICI4II4.
TKIRlAtL DA KKI..t^'lO.
SESSAO EM 11 DE JULHO DE 1863.
PRESIDENCIA Do EXM. SR. CONSELHKIBO SUVErR-V.
As 10 horas da inanhaa. aclando-se presea-
tes os Srs. dcsoiiibargadores i aciano Santiago,
Gitiraia, taiurenco Santiago, Motta, Peretli, Accio-
li, Ucha Caralcaati, Assis e Doria, faltando o S>r.
ileasmbargador Guerra, procurador da corOa, abri-
se a sonsa.
Passados os feitos e entregue os distribuid**,
deram-se osseguinles
111.GAMEST0S.
Ilecursot erimes.
Bccorrente, 0 juizo ; recorrido, Manoel Francis-
co Casado.
Belator o Sr. deserabargador Gitirana.
Sorteados os senhores d('seiubargadorei las,
Accioli e Doria.
Improcedente.
Bccorrente, o juizo; recorrido, Joao Gomes 4o*
Santos. .
Belator o Sr. deseinlargador Lora-neoifraatafa.
Sorteados, os senliores deswnbargadores Asna,
Mota e Gitirana.
Improcedente.
Recrreme, o juizo ; recorrido, Manoel de Souia
Relator o Sr. deserabargador Motta.
Sorteados os senhores desembargadores Gitirana,
Doria ePeretti.
Improcedente.
Recorrcnte, o juizo; recorrido, TTieotomo aa
Silva Vioira.
Relator oSr. deserabargadorUcboa Caralen*!-
Sorteados os senliores deaeanargadnras Piruni,
Lourenro Santiago c Gitirana.
Improredente.
Rerorrente o juizo; recorrido, Francisca dar
Cruz Souto.
Relator o Sr. desembargador Assia .__,_,
Sorteados os senhores doscaabargadoret Aetna,
l'rhda Cavalcanti e Doria.
improcedente,
-
.
.

i
MOfODOL
VELii







.
Diario de PernadfJmi tfeifa lelra 14 de fwlho de I SO.

Recursos de cleMo. Tomada*
R.v-orrente, o bachnrel l.eocadio de Andrade Pes- tiferos fl
Francisco Ro-
Boa ; recurridu, o conselho.
Relator o Sr. desembargador Uchoa Cavalcanti.
Sorteados os sonliores desembargadores Caetano
Santiago c Peretti.
Improcedente.
Reeorrente, Ignacio Joaquim de Souza ; recorri-
do, o conselbo.
Relator o Sr. desembargador Assis.
Sorteados os senhores desembargadores Motta,
e Loureneo Santiago.
Improcedente.
Aggravo e petieao.
Aggravante, Domiogos Suitberto Lins de Albu-
querqne ; aggravado, o Julio.
Relator o Sr. desembargador Uchoa Cavalcanti.
Sorteados os senhores desembargadores Accioli,
e Motta.
Negaram provimento.
AppellacSo erime.
Anpellante, Jos Flix Rodrigues; appcllado, o
juizo.
AnnuUaram o processo por nao constar dos au-
tos que o furto dos cavallos esteja rontprehendido
as Iivpotheses do artigo 1 do decreto n. 1090 do
de i de setembro de 1860, ordenando ao promotor
publico qne proceda as necessarias diligencias para
instaurar novo processo. se se averiguar que o fur-
to referido foi feito em campos ou pastos de fazen-
da de criacao ou cultura.
PASSAGENS.
O Sr. desembargador Caetano Santiago passou
ao Sr. desembargador Gitirana
A appellaeao civel.
Appellante, Pedro Juca; appellados, Sacavem,
Barbosa & C.
As appellacoes crimes
Appellante, o juizo appellado,
que. ,r.
Appellanle, o juizo; apjtellado, o escravo Nir-
cinio.
Appellante, o juizo; appellado, Domingos Jos
Vianna.
O Sr. luMwpftir Gitirana passou ao S. des-
embargador Loureneo Santiago
A appellaeao arme.
Appellante, o juizo; appellados, Jos Francisco
Moreno e outro. .
Sr. desembargador Loureneo Santiago passou
ao Sr. desembargador Motta
As appellacoes armes.
Appellante, o juizo; appcllado, Jacintho dcArau-
jit Lima. .
A|>pellante, o juizo; appellado, Manoel Pcreira
Marlins. ,
Appellante, o juizo; appellado, Jos Barbosa
Marques.
Appellante. o juizo ; apellados, Pedro de Souza
Mm eoutros.
As appellaces citis.
Appellante, Jos Francisco Ferreira; appellado,
Joao Francisco de Moura.
Appellante, Jos Ferreira Pinto de Campos ; ap-
pcllado, Munoel Joaquim Raptista.
O Sr. desembargador Molla passou ao Sr. des-
embargador Peretli
As appellacoes crimes.
Appellantes, Joaquim' Rodrigues dos Passos e
outro ; appellada,- a justica.
Apellante, t> juizo ; appellado, Casennro Pere-
ra da Silva.
Api lado, o juizo.
As appellacoes cheis.
ApiK-llanle. a fazenda : apellados, os herdeiros
Oe Domingos Gomes Guimaraes.
Appellante, Rufo Correa Lima; appellada, The-
reza Mara de Jess.
Appellante, D. Anua tiznada de Araujo
lado, Manoel Francisco Tourinho.
O Sr. desembargador Peretti passou ao Sr. des-
nurgador Accioli
.1 uppellaco crime.
Appellante, o juizo ; appellado. Flix Jos Ro-
drigues. ,
O Sr. desembargador Accioli passou ao Sr. des-
embargador l'choa Cavalcanti
.4 appellaeao crime.
Appellante. Manoel Martins da Silva ; appellado,
o juizo.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appellaeao circl.
Appellantes, Joao e Jos.1 Salgado de Albuquer-
qne ; appeUado, Joao Barbosa da Silva.
O Sr. fcsenbargador DeWta Cavalcanti passou
ao Sr. desembargador Assis _
O conflicto de jiirisdiecao entre o jniz municipal
e O suUlelegad.. de Mossord, do Rio Grande do
Norte. ,
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
bargador Doria
As appellacoes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Lino Barbosa de
Oliveira. .
Apiellante, o promotor; appellado, Antonio Jos
de Smiza. .
O Sr. desembargador Doria passou ao Sr. des-
embargador Caetano Santiago
As appellacoes crimes.
Appellante, o bachare Marco Tulio dos Res Li-
ma; appellada. a Justica.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Antonio
" Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Jos de
Souza. .
A appellarfio arel.
Appellante. D. Joanna Francisca dos Rios ; ap-
pellados, Jos Malheiros de Albuquerquc C outro.
DESIONACM) DE DA.
Assignou-se dia pan julgamenlo dos seguintes
f.'itos :
dwwHirJTrn carnes.
Appellante, o juizo ; appellado, Joao Damasceno
Pessa.
Appellante, Joao Dias Bastos; appellado, o juizo.
Appellante. o juizo ; appellado, Jos Francisco
da Cunba Linbares.
Appellante, Antonio Joaquim de Oliveira ; ap-
pellado, o juizo.
Appellante. o promotor; appellado, \ cente da
Rocha Oliveira. ,
Appellante, o juizo appellado, Candido Ignacio
da Conceicao.
Appellante. o juizo ; appellado, Antonio Joaquim
Percira.
Appellante, o juizo ; appellado, Leonardo Ban-
deira de Mello.
Appellanle, o juizo; appellado, Francisco Fer-
reira de Paula.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Rodri-
gues Ferreira.
Appellante. o juizo ; appellado,, Manoel Antonio
Bastos da S ilva.
Anpellante, o juizo ; appellado, Agostinho Soares
Macliado.
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Jos
Francisco de Moura.
Appellantes, Percira, Juliao 4C.; appcllado, An-
tonio Domingues Ferreira.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Joaquim
de Souza.
DILIGENCIAS.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica e ao appellante. a segnlnte
Appellaeao crime.
Appellante, Joao Gomes ; appellado, o juizo.
AppeUaces ciccis.
Com vista ao Dr. curador geral c promotor de
apellas:
Appellado cien.
Appellante, Silvestre Domingues da SilvaPirnen-
teiras ; appellado, Jos Joaquim de Almeida Leite
Sampaio.
Com vista ao Sr. desembargador procurador da
corda
A appellacoes ck-eis.
Appellante, Luiz Jos da Costa Amorim ; appel-
lada. a fazenda.
Appellante, a fazenda ; appellada, D. Francisca
Thomazia da Conceicao Conha. t
Mandou-sc habilitar os herdeiros de Jacintna Ma-
ra de Abren, na appellaeao em que litigava com
Jos Peres da Cruz. ._-
Julgou-se por sentenca a liabihtacao na scgumte
AppellacSo citel.
Appellante, Estevao 7os Paes Brrelo e sua
mulher ; appellado, Gabriel Germano de Aguiar
Montarrovos.
As duas horas e meia da tarde cncerron-se a
sessao.
las lempo e-ritam nralvdmenteosmor-, Belgas 4 '/;%, 98 a 100 por 5 400
Lignitos epidmico o endmicos das rogwos Brasileiro <> '/ 5)9 a 101 uor S 100.
4 Va %. 91 a 92 por S* 100 ex div.
intertropicaes. Sao as unir? pihilas me se ven-
dem em frasquinhos de crystal e a cap assucara-
da que as cobre conserva suas virtudes e as torna
mu agradaveis ao paladar.
Acham-se em todas as boticas, drogueiras c tojas
de drogas no imperio do Brasii.
COMMERCIO.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 11. .
dem do da 13.-......
170:6834019
15:226^112
185:9094131
H vlniento da alfandega.
Volumes entrada com fazendas 163
> com gneros
Volumes sabidos
com fazendas
com gneros
467
-----630
35
70
----- 105
Egypeios 7 "/o, 100 a 101 por 100
Hespanhes 3 %. 54 /4 a 55 / por 100
difleridos 3 /, 48 >/, a 49 '/i Pr &
OO
divida interna 3 %, 50 a 52 por 100
Hollandezes 4 /, 101 a 102por B 100
2 V %, 65 a 66 por S 100
Italianos 5 /, 72 V4 a 72 >/ pw Sf 10()
Mexicanos 3 %, 37 >/ a 37 */ por S 100
Peruanos 4 >/* % 4 Vi a 95 V por S 100
Portnguezes, 1858. 3 %, 49 / M 3/i por t 100
Dos 1956 -1862, 3 /o. 49 'A a 49 >/* por S 100
Russos 5 %, 94 a 96 por S 100
. novos 5 %, 94 a 96 por S 100
4 V* /* 91 Vi 92 '/i por S 100
3 %, 58 '/i a 59 '/i por S 100
Sardos 5 %, 87 a 89 por S 100 ex div.
Turcos, 1854 6 %, 92 a 93 por S 100
. 1858 6 <>/, . 4862 6 % 71 /i a 71 'A por IflO
. Internos, 50 A 50 Vi por S 100
1863 camellas, Vi a 1 premio
Venezuolanos, 37 Vi a 58 V por 100
Cambio.
Lisboa 3 ni/d, 52'/ por S
Porto3 m/d, 52 V a 53 Vx por S
Rio de Janeiro 60 d/v, 26 por S nominal.
Amsterdam 3 m/d, 11 18 V a 11 18 V* lr S est
Hamburgo 3 m/d. 13 7 'A a 13 8 V, por X
Pars 3 m/d, 25 47 A a to 52 Vi por S
3 d/v, 25 20 a 25 30 por
Ktwht MdUfa no mamo dia.
Rio de Janeiro e Babiavapor francez Navarre.
commandante Felfx Vede!.
Babiapatacho bollandez Jwinnes Hendrick; capi-
tao Leuman, em lastro. \
EDITIS.
Descarregam no dia 14 de julho.
l'aiaclio inglezfrica -bacalho.
Pltaho ingl.-z Mai y Block ferro.
Brigue inglez-Odenidem.
Briguc portuguez-Laia II -diversos gneros
Brigue portugus -Relmpago idem.
Iaiportae*.
Brigue portuguez Laia II, rindo de Lisboa, con- Marselha 3 m/d, 25 47 Vi a 25 52 Vi por S
signado a Euscbio Raphael Rabello, manifestou o Genova 3 m/d, 25 57 y2 a_23^62 Vi por
seguinte :
45 pipas e 220 Larris vinlios, 20 pipas vinagre,
40 barris touciubo, 20 ditosazeite de oliveira, lo
caixas cha, 300 seceos farelo ; ao consignatario.
11 pipas c 44 barris vraho ; a Thomaz de Aqut-
no Fonseca Jnior.
10 pipas e 25 barris vinhos ; a Amorim Ir-
mos.
6 barris vinho ; a Jos Francisco de Souza Aze-
vedo.
25 barris vinagre, 25 ditos toucinbo, 50 ditos
Por ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de
polica, foco saber quelies quem interessar
possa, qou pelo delegado do termo da Naza-
' reth, foram apprehendidos em poder de Po-
earpo Pereira da Luz, Belisarw Francisco da
Costa c Joao Ferrara de Araujo, tres cavallos,
que se suppoe fartados, sendo uiu ruco,
outro castanho e outro preto; cojos cavallos
se acham all depositados, por aquella dele-
gacia.
O secretario
Eduardo de Barros Fakao de Lacndn.
Viscendeda Boa-Vista, senador e grande do impe-
rio, brigaileiro reformado do <*xcrcito, comman-
danle superior da guarda nacional da capital des-
ta provincia,/c presidente do conselbo de revista
da mesina gnarda, i>or Sua MagesUule o lm|tera-
dor, etc., efe.
Faco tatet que na terceira dominga do presente
mez, (19 do frrente) se reunir o conselbo de re-
vista da guarda nacional, como determina a se-
gunda |iarie do art. 25 do decreto 1.130 de 12 de
marco de 1853, na sala das sessoes da cmara mu-
nicip.il desla cidade,as 11 horas dainanha na con-[
forniidade do art. 44 das instruceoes n. 722 de 25
de outubro de 1850, alim de tomar conheciinento
dos recursos, qne versarem sobre os casos indica-
dos no art. 33. e que forenvinterjiostos |ela manei-
ra d.-terminada uo art. 38 das ditas instruceoes.
Trieste 3 m/d, 11 35 a 11 40 por 'S
Vicnna 3 m/d, 11 35 a 11 40 por S
Madrid 3 m/d; 49 Vi a 40 peso
Cdiz 3 m/d, 49 '/i a 49 peso
Gneros de importacao.
Algodao de Pernambuco, 19 d. 23 '/i por Ib.
do Maranhio, roda, 21 d. a 23 Vi por H>. E para constar a quem convier, mandei publicar.
maquina, 21 d. a 23 d. p. Ib. pela Hnpi-ensa.
da Babia,-tTI. a 21 d. por Ib. Quartel general do commando sujicrior da guar-
Assucar do Brasil, brauco, 20 s. 6 d. a 26 s. 0 d. da nacional, 11 de jullio de 1863.
por 112 Ib. Visconilc da Boa-Yhtn.
t'onsdha :\dminUtrxti\o.
O' coitmo administrativo para f^mecimento do
arsenal de guerra, tem de comprar os otjecl i
guintes :
Para o sejiwndo batalhao de fantaria.
6 resmas re papel almaco, senda pautado e liso.
6 caixas de peima? de ac.
200 ditas de are.
2 caivetes.
6 garrafas de tinta pref* para escrercr.
6 iluzias de lapis de pao.
6 libras de areia |>ara escripia.
36 colleccoes de cartas par principiantes.
36 laboadas.
12 graininaticas portuguezarf >or MonteverdV,
ultima ediyo.
12 compendios de aritumetica p*r Avilla.
36 traslados.
6 pedras para escripta.
18 la)HS para as ditas.
Para o stimo batalhao de infanfaria.
1638 eovados de panno azul.
135 ditos de dito cor de caf.
44 e meio ditos de casemira encarnada'.
22 e uin quarlo ditos de dita amarella. .
22 e uin ipiarlo ditos de dita branca.
1330 ditos de bollanda de forro.
177 e meia varas de awJtgnm
54 varas de galo de mata de una jioltigaite de
largo.
57 e nH'ia ditas de dito de dita de meia |le-
gada.
4050 ilitas de brini branco.
2977 e meia ditas de algodaozinho.
355 pares de clcheles preto-.
88i LHMiets.
27 ditos para msicos.
41 bandas de la.
5 pares de charlateiras para mutas.
2 liares de ditas para sargentos ajiidantes e qua-
tel-mestre.
1209 pares de sapalOes.
562 enxergijes.
413 mantas de laa.
323 jiares de platinas de panno.
Para o deposito de artigos bellicos de
Alagoas.
branco.
jzinho.
aata Cjwat da MterlerdU m
A Illm.' junta administrativa da Sama Casa da
Mfjcrieordia do Recife manda foz.>r pulHlfo- que
dia 19 do crreme pelas 4 hont* rti i.-ird*' na safa
de suas esses conaa a prarard ninfa da
casas abatau' deetaradas por tempe de nm a Iw
ataos.
Os pretenderes- (Weiii comparecer at-ompaat-
dos de seus fiao%rot manidos de carT* ifastes.
Estabr^ttarata t tanda*.
Roa Direita.
N. 4 particular e 33 puWftM tim andar.
N. 82 particular e 9 ptiWir tres aa-
dares...... ........
R. 83 particular e 7 pnWiro Ires an-
dares.. .... .. ......
Ruado PadirFtoriano.
-V 6 particular c 47 publico rasa lama.
>'. 7 particular e 45 |iublieiicnl'Trea.
63 publico rata> ler-
MfOOtr
lOfflfflOV
9*4CW
>-^
186J009
12#00
2 ditas Petroline ; a A. H. Rodrigues.
' 1 dita calcado ; a Bastos & Irmaos.
Vapor francez Nararre, rindo de Bordeaux,
manifestou o seguinte:
100 caixas c 8 barris vinho, 15 caixas sardinna,
15 ditos ameixas; a Joao da Silva Faria.
4 caixas ameixas; a Bastos.
50 caixotes azeite, 6 caisas licor; a Mendi-
beux.
1 caixa conservas ; a L. Ruech.
25 ditas ceblas; a Gomes 4 Loureiro.
2 barris vinho, 1 dito cognac; a F. Sauvage
AC
3 volumes vinho, 1 dito modas, 3 caixas santa;
a Cbristiani Freres.
1 volume modas, 3 caixas chapeos; a Monliard
& a
1 volume fazenda de algodao; a L. Monteiro
& C.
1 dito modas, 1 dito diversos artigos, 2 caixas
roupa, 1 dita chapeos; a Monteiro Lopes & C.
2 ditos ditos, 5 ditos calcados. 1 dito perfumaras;
a Linden WHd t C.
1 dito fazendas. 1 caixa calcado: a Dammayer
& C.
1 dito fazenda de linho; a T. T. Bastos.
2 barris vinho, 1 volume objectos de armai inho,
2 ditos roupa feita. 1 dito fazenda de laa, i dito
appel- diversos artigos; a J. Keller.
10 volumes fazenda de laa; a Maia Irmao.
I dito livros; a Jos Nogueira de Souza.
1 dito ditos: a Joao Falque.
i dito ditos; a N. S. Xetto.
1 dito licor, 3 ditos objectos de armarinbo; a F.
Dubarrv.
1 dito perfumara, 1 dito modas; a V. Lecointe.
1 dito modas; a Millochau & C.
1 dito ditas, 1 dito roupa feita; a E. A. Bur-
le & C.
1 dito ditas, 2 ditos objectos de armarnho; a
Ferreira & Araujo.
2 ditos objectos de arniariuho; a Alves Ham-
burger & C.
1 dito ditos de armarinbo; a Vaz ALeal.
1 dito ditos de dito. 1 dito dito de cbapefeiro, 1
dito roupa feita ; a H. & Azevedo.
1 dito ditos de photliogiapliia; a Bourgard.
1 dito direnos artigos; a Soeur Magnin.
75 caixas quejos; a Tasso Irmao.
20 ditas ditos; a N. O. Bielier t C.
18 ditas ditos; a N. Ferreira da Costa.
10 ditas ditos, 1 dito relogios; a Kalkinam Ir-
maos. .
5 caixas sanguesugas; a Manoel Joaquim R. c
Silva & Genro.
2 ditas ditas; a Mello Lobo &C.
1 volume tinta de imprimir; a Jos de Gascn-
cellos.
50 caixas vinho; a Wilson Hette & C.
2 barris vinho; a ordem.
3 caixas dito; a Cahom.
1 volume roupa feita; a Vaz c Leal.
Vamr brasileiro Jaguar be, vindo de Macei,
manifestou o seguinte:
100 saccas algodao; a ordem.
Rccebedoria de rendas niornas
geraes de Pernanilmeo.
Rendimento do dia 1 a 11. "16:8395608
dem do dia 13......... 3:3035744
20:3435352
Consulado provinelal.
Rendimento do dia la 11. 49:3035559
dem do dia 13......... 3.9065032
53:2095591
da India, 10 s. 0 d. a 21 s. 0 d. por 112 Ib.
de Java, 10 s. 0 d. a 21 s. 0 d. por 112 Ib.
Caf do Rio, 60 s. 0 d. a 72 s. 6 d. por 112 Ib.
lavado, 56 s. 0 d.|a 58 s. 0 d. por 112
Ib. nominal.
Cacao do Para, 56 s. 0 d. a 58 s. 0 d. por 112 Ib.
nominal,
dem da Bahia, 47 s. 0 d. a 50 s. 0 d. por 112 Ib.
nominal.
Tapioca do Rio, 1 ty d. a 5 d. por Ib. limito frouxo.
do Para 1 Vi d. a i Vi por Ib. idem.
Couros do Brasil :
Seceos salgados, de 24 a 36 lbs., 5 Vi d. a 6 Vi d-
por Ib. frouxo.
Seceos, de 8 a 22 lbs., 7 d. a 7 >/i por Ib. frouxo.
Verdes, de 38 a 54 lbs., 4 d. a 4 Vi d. por Ib. idem.
Do Ro de Janeiro :
Verdes, de 48 a 72 lbs., 3 '/ d. a 4 d. por Ib. idem.
Do Rio Grande :
Verdes, de 65 a 70 lbs., 5 '/i d. a 5 3/g d. por Ib.
idem.
de 44 a 50 lbs., 4 V* d. a 5 Vi J-1"01" "'
idem.
Seceos, de 28 a 34 lbs., 8 '/i d. a 9 Vi d. por Ib.
de 20 a 24 lbs., 7 'A d. a 8 Vi d. por Ib.
Chifres de 9 a 16 oncas, 10 s. 0 d. a 15 s. 0 d. por
123 firme.
de 22 a 24 oncas, 35 s. 0 d. a 42 s. 0 d. por
123 firme,
l'rzella Angola, superior e limpa. S 37 d. 0 s. a
38 s. 0 d. tonelada nominal
Inferior, S 28 s. 0 d. a S 30 s. 0
d. por tonelada nominal.
Azeite de Portugal, doce, 2 54 s. 10 d. a S 55 s.
0 d. por 252 gs.
de Palma, superior, S 36 s. 0 d. por tonela-
da frouxo.
de Coco, Cochin, S 47 s. 0 d. por tonelada
frouxo.
de Coco, Ceilo, S 45 s. 0 d. por Mulada
frouxo.
Ipecacuanha. 6 s. 4 d. a 6 s. 8 d. por ln.
Jacaranda d Rio, S 10 a 16 por tonelada.
da Bahia, S 9 z S 13 por tonelada no-
minal.
Marliu de Angola de 70 lbs. para cima, 30 s. 0
d. a35s. 0 d. por 1121b.
. de 40 a 65 lbs., 28 s. 0 d. a tf 34 s. 0 d.
por 112 Ib.
. de 20 a 35 lbs., 25 s. Od. a 33 s. 0 d.
por 112 Ib.
, Escravelho, S 14 s. 0 d. a 32 s. 0 d. por
1121b.
da Costa Occidental de 70 lbs. para cuna,
S 29s. 0d.a34s.0d. por 1121b.
. de 40 a 65 lbs.. 27 s. 0 d. a 33 s. 0 d.
mr 112 1b.
9 a 35 lbs., S 25
por 112 Ib.
. Escravelho, 12 s. 0 d. a 31 s. 0 d. por
112 Ib.
Cera amarella, Cambia, S 8 s. 0 d. a 8 s. lo d.
Magestade imperial e Contitucional o Scnhor
Dom Pedro II, quem Deus Guarde, etc.
Faco saber pelo prsenle que no dia 6 de julho
oeste auno, se bao de arrematar por venda a quem
maisderem praca publk-a. depmsda audiencia res-
pectiva, os objectos seguintes : 6 cadeiras de assen-
to de paulina, de madeira de faa, avahada cada
tuna a 35000 rs., 185000 rs., 2 espelbos grandes em-
butidos de preto, a 105. 205; i mesa redonda de
meio de sala, por 85000 rs., 2 cadeiras de braco,
de aniarelld. avahada cada una a 65000 rs..
125000rs., 1 cadeira de braco, de faia.por 65000 rs.,
1 par de consullos com taiii|m de pedra. de madeira
de fra por 255000 rs., i mesa de meio de sala, de
madeira de tara por 105000 rs., 1 ospelho grande
com moldura dourado por 105000 rs. 1 banqui-
nha de aniarello |>or 45000 rs. Os quaes sao per- i
tenreiites a HcnriqNC Augusto Beck, e vao a praca
porcxecneaoqur contra o niesnio encanunba Joao
da Silva Faria c na falta de licitantes serio arrema-
tados |'lo preeo da adjudicacao com o abatimento .
respfetivo da fei.
E para que cheguea noticia a todos, mandei pas-
sar editaes que sarao aflixados nos lugares do eos-
tome e poblieados pela ianraasa.
Dado e passado neta eidade do Recife capital da
provincia de Pernambuco aos trese dias do mez de
junho de miloito ceios sessriita e tres. Qualra-
gesiino segundo da independencia e do imperio do
Brasil. |
En Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao o subscrevi.
Trislwde Alentar Arari/te.
A arretaataco cima mencio-
nada fieon transferida para o
dia (res do corrente dcpols da
audiencia lo Illm. *i lar. jniz
de direito especial do commer-
cio. Hecife onze de julho de
mil oito ceios sessenia e ires.
0 Dr. Tri.-tao de Alencar Araripe, offieial da im-
penal ordem da Rosa, Juta de direito, especial
1 do coniinrivio da eidade do Recife e seu termo,
capital da provincia de IVrnainbueo, por Sua
Magestado Imperial e l'oiistiiucional o Sr. Dom
Pedro H. queiu Deus ('.naide-, etc.
Faco sabat, que no dia 3 de agosto do corrente
anuo." se ha di ai i amatar par venda a quem inais
der.em praca publica deste juizo de|wis da audien-
cia respectiva, os bens seguintes : 1 casa terrea n.
20, ra de Joao Fernandes Vii-ra, na fregueza
Para a aula dos menores do arsenal
de guerra.
12 manuaes encvciopedieos iwr Monteverde.
15 economas da vida humana.
12 cartas de abe.
12 tabeadas
Para o arsenal de guerra.
200 grosas- de botocs.
10 arrobas de flo de vela.
Quem quizer vender taes objectos aprsenle as
suas propostas em earta fechada na secretaria do
conselho, as 10 horas da manhaa do dia 15 do cor-
rente mez..
Sala das sessoes do conselbo administKitivo para
fornecimento do arsenal de guerra, 8 de julho de
1863.
Antonio Pedro de Sa Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastiiio Antonio do Reg Barros,
Yoga! secretario.
A arrematarn constante do
annnnclo qne abai\o segue-se.
tanto dos engenhos como dos
eseravos. dever ter lugar no
dia 5 do corrente. depois da
audiencia do Illm. Mr. Dr. Julz
municipal da segunda vara.
Peante o Illm. Sr. Dr. juiz municipal da se-
gunda vara, eserivao Motta, tem de ir a piara os
bens seguintes :
O engenho Pintos com todas as suas Ierras e
obras, grande casa de riwoda, outra denominada
llorla, algumas casas para moradores, grande
sensata de pedra ocal, estribana,'casadedisti-
taeao com uin alambique de valor, tndo avalb.do
em 52:0005000.
O engenbo Qniaombo contiguo ao mesmo, com
todas as suas Ierras e casa de vivenda, avahado
em :0005UOO.
, Os eseravos Antonio Calumhi, cnoulo, 80 ali-
os, avahado em 8005; Matbeus. nacao. 38 an-
uos, avahado em 1:0005; liento. nacSo, 38 ali-
os, avahado em 1:000; Gregorio, naco, 37
annos. avahado em 7005; Antonio K.-pai relia,
naeao. 40 anuos, avahado em 8005 i Jos Borra-
cha, crioulo, 13 anuos, avahado em3005; Alei-
xo. crioulo. 23 anuos, avahado em 1:2005; l.uiz
Hortelo. navao, 41 anuos, avahado em 1:1011;
Gerlrudes, nacao, 45 annos, avahada em BW:
Luiz Beni, nacao. 40 anuos, avaliado em 8005 ;
em 2005000 -
>'. 661niriciliar e
rea......."...... 1405009
X. 90 particular e 13 publico casar twr-
rea................ 1815000
Bvcco da f^trvalha.
X. lOparlieulare Spublico rasa lerre.u 1495000
Kna dos Pi-scadores.
X. 16 jiarticular S II publico casa ter-
rea................. tman
. Kliada X. 17 particular e 30 imblico casa ter-
rea............... 594500
X. 19 particular c-84 puldico casa ler-
raa........'. ........ Mpi
X. 21 particular e :tH pubtico casa ter-
rea................ 1.16000
Ra ifa Viracao.
^ 27 particular e 19 |Hibtco casa ter-
rea................. aWHP
Ru d4- Ifortas.
X. 20 particular e 41 mililir. dous amia-
res................. Kttoo
Ra de Sonta Tltereza.
X. 31 particular e 7 pulHin^ras terrea. |9CJ00i^
N. 32 particular e 5 imWico-ca^a terrea. 2030!
Ra da lt X. 35 particular e 3 puMicocaaa t-Trc.i fanjOOO
X. 36 particular e S puWuveasa lenva. ttliOOO)
X. 37 particular e 7 pubtieo-caM ^ttim. Hii>*>
N. 99particular e i pobltarasa terrea. taxjio
Rua X< iva.
X. 43 particulare 41 pubfleoeasa ter-
rea................. 75250*
X. 46 particular c 48 publico imiaiNkir. 1:911500
lina da Impcralriz.
X. 47 particular e 68 puldico casa ter-
rea................. MHh
Rua da Gloria.
X. 51 particular e 65 publico casa tir-
rca. .. .. .. .. ......
lina ilo Kiieantanientnk
X. 52 particular 3 publico 3 andaras.
Rua do Azeite de MM
X. 53 particular e 1 publico 2 andare>.
Rua do Amorim.
X. Mpartieulare 31 publico aaaatanr.
Uada Lapa.
X. 56 particular e 8 publico un andar
X. 73 particular e 5publico mn an.lu.
Rua do Pilar.
X. 59 particular e 73 publico casa ter-
rea................. IKI500
Rua deSioBoni Jess das CrMifas.
letia xiiereza, nacao. 38 annos. avahada em
da Boa-Vista, com 20 palmos de frente, 3 portas, fana Vot, crioula. 45 anuos, avahada em 600N-5;
2 salas, 3 quartos. cozinha fra, cacimba e quintal itartliulomcu. nacao, 40 anuos, avahado em 5005;
cercado,com alguna arvoredos de fructo, avahada \\\[;[ inulher do* dito, nacao. 36 anuos, avahada
em 1:0005000 rs., 1 dita de sobrado de 1 andar a 0in 6005 ; Caelano, na.-ao, 40 annos, avaliado
Od. a 32 s. Od. rua Direitan. 92, com varanda de pao. 2 salas. 4 ,., 7905 Volanta. niulier do dito, naci, 35
quartos, cozinha fra, cacimba e quintal murado. ma08 avallada em 900|: Felipne, cabra, 40 an-
tudoem mo estado, avahado em 3:IKM)5000 rs., noS) avaltado em 1:2005; Felippa, mulher do
cujas casas sao |iertencentes a Jos Pinto da (.osla, jj,,, ,.,,,,,1, 35 anuos, avahada em 1:0005 ; Fla-
e vao a praca por execui;ao que contra o mesmo viana. lillia dos ditos, cabra, 3 anuos, avahada
niove Vicente Ilerculano de Lemos Duarte. e nao om ;jrj).5. jozino. lilho dos dita* cabra, meses,
havendo licuantes sera a arrematacao
por 112 Ib. frouxo.
Em continuacao da nossa revista de8 do corren
te temos a nota o seguinte : I 1>'<;co da adjudieacao com o abale da le.
-Nao houve mudanca no E para que chegue ao conn
feito lelo avalla,),, Cm 1005
, avahada em 6005 ;
todos 3 annos. avahada
Victoiina, crioula, 30 annos,
Mana, flllia da dita, criouLi,
em 3005 : gueda, lilba da
PUBLICARES A PEDIDO.
Pil olas vryetacs assiic^rada* deKenp
Entre as innumeraveis classes de pitillas, que
continuamente se annunciam. estas so* que se
podem verdadeiramente considerar como o proto-
tvpo dos aperitivos cazeiros. completamente efilca-
xes c absolutamente ineffensivas. Na sua compo-
sicao nao entra uin so nnico alomo de nenhuma
substancia mmerarel. Constitue pois, o nico re-
medio necessario para os desarranjos do estomago,
irregularidade do venlre, constipacao habitual,
affecedes biliosas, dysnepsla e todas as enfermidades
eos intestinos predominantes nos climas calidos.
Hamburg, 20 de junho le 1863.
Bolelim com mere al.
0 negocio estere bastante activo nos ltimos
3uinze dias; em consequencia da forte extraccao
c nrata o descont subi 4 V*. Vi m.
Caf. Os supprimentos recebidos foram bas-
tante consideraveis, ebegando acerca 79 mil saccas,
das quaes cerca 22,200 saccas de Sanios, 23 mil do
Rio e 4, 230 da Bahia. 0 despacho do Rio de 25 de
inaio, nao influio sobre o mercado, o qual todava
tornou-se mais franco, a extraccao nao corres-
lioiidendo s importantes entradas nos ltimos
dias. Venderam-se cerca 32 mil saccas de caf do
Rio,e de Santos %. 8 '/ schillings.
O caf real ordinario do Rio cotado 7 '/> 7 '/,
schillings.
Assucar. As transaccoes, ltimamente, foram
bastante importantes, mas era geral, sem mudanca
nos precos.
Tabaco.'Bein que o mercado so eonservasse
tranquillo, nao houve mudanca nos precos.
As vendas foram de 523 bailas de tabaco da
Bahia.
Algodao. Sustentando os precos sera transac-
Soes notaveis, fleando-se espera do andamento
as cousas da America.
Couros. Sem novidade.
Cacao. Procurado e precos firmes.
Jacaranda. Nada de novo, as 500 pecas rece-
bdas da Bahia no navio Gellerl, nao foram ainda
ao mercado.
Partiram para o Brasil os natos.
Spica, para Pernambuco.
Sidonie e Kosker, para a Babia.
Beata, Cid, Hinrich e Mathilde, para o Rio de
Janeiro.
Hamburg c Urania para Santa Catharina.
Estao a carga para Brasil.
Para Pernambuco, Qneen of the fleet e Luna.
Para a Bahia, Catharina e Mathilde.
Para o Rio de Janeiro, Augtut, I/tnra, Anna
Thelit e Christiansund.
Para o Rio Grande do Sul, Amanda, Helenr
Theodor, tfaney c Autje Harerbult.
Cambios.
Sobre Londres, 3 mezes de data, 13 marcos e 2
schillings banco por .
ble ni, praso curto, 13 marcos e 4 schillings banco
por .
Sobre Paris, 3 mezes de data, 1917/t francos por
100 marcos banco.
dem, praso curto, 189'/, francos por 100 marco
banco.
. Sobre Lisboa, 3 mezes de data, 46 'A sctiillings
por mil ris. jj
PRECOS CORREXTES.
Loiires, 23 de junho.
Fundos inglezes.
Do banco, 232 a 234 por J? 100
Consolidados 3 %, 91 V a 92 por S 100
Reduzidos3/,91 VaM.Vs I** 40
Novos 3 / 91 Va $1 Vs por S 100
Exchequer bilis, narco, 3s. des. par. por 100
junho, 3a. des. par. por 100
Fundos estrangeiros.
sobem a urnas 60.000 saccas.
Assucar. -Desde a nossa ultima revista o merca-
do tornou a Cahir em anathii
comparativamente moderado,
te qualidades de Havana c "
te ve muito desattendido ;
que temos conheciinento sao
eos da Bahia pelo Jolian II. a 17/9 no caes, para
o Reino-Unido, pesos da descarga, o que mostra
una baixa sensivel. Venderam-se em ser i,0b8
saceos de Victoria de 16/4 a 20/8. As entradas con-
tinuara a ser abundantes. As cotacoes geraes para
cargas ficain sera alteracao, como segu
Tristo de Alencar Araripe.
do dito, nacao, 40 annos, avahada em 6005000
Jos Ferrero, nacao, 35 annos, avaliado em
X. 61 particular eS publico casa lema.
Ros do fotueira.
X. 62 particular e 17 puldico casa ter-
rea.................
Rua da-Cruz.
X. 68 particulare 1" poltico :i andar-.
Rua daCadeta do Retife.
X. 72 particular e :i> publico 3 aiidare>.
i;'icoda Lama.
X. 75 particular e 30 pubtico casa ter-
rea.......... ~-
Travessa doCarcereir>.
X. 85 particular c 11 publico casa ter-
rea.............
X. 87 particular e 17 publico casa ter-
rea.................
Rua de Santa Cecilia.
X. 89 particular e 18 publico casa ter-
rea.................'
Palrimoain de rpliios.
Rua da Gadtaa Recua.
X. 17 particular e 59 publico ioaa an
dares ...............
Rua da Madre de BSSS.
X. 23 particular e 1 publico- dous an-
dares.........- ..
X. 24 particular 8 26 puldico dous an-
dares............ ..
Beecodas Boias.
X. 38 |iarticular e 16 |Hiblico tal an-
dares ..............
X. 39 particular e 18 publico dous an-
dares...... ........
Rua da nasa.
X. 44 particular e 21 puldico casa ter-
rea ................
Rua do-Amorim.
X. 54 particular e 21 hiWico 3 andar-
X. 56 particular e 26 |>ubtiro casa tar-
rea ................
Rua do Burgos.
X. 69 particular e 21 naWM casa tar-
rea ..............
Rua da Sensata V.-iba.
X. 78 perticatare l3SnoMta dous an-
dares ........ .-.-
Sitio do Parnamerim.
X. 1 particular...........
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do K--
cfe 13 de julho de 1863.
gestade Iiiqierial .
11 (me Dos guarde etc crioula, 22 airaos,
Faco saber pelo prsenle que no dia 3 de agosto nacao 40 annos avahada em 7005 I Juna, mu-
deste'an.io,seha..dearreniatari)orvendaaquem lher de Miguel Pedreiro, 27 airaos, avahada em
mais Ser ea) praca publica, depois da audiencia 9005; Miguel, nacao,
respectiva as tres pequeas casas no Apipucos, ten- i :0005
do cada urna, cosinha, |rta e janella na frente, una
, avahado- em
Mara, mulher do dito, nacao, 36 annos.
avahada em 6005 Venancia, fdha dos ditos
1355'
1 2005000
7110501
M5000
100500)
125500*
1115000
2:001500
8mv>rt0
MfHs
4O25U)0>
:)00500I>
2.15IMI
:I005 725000
T2,3ilO>
7325"> n
:turt5mci
Oeserhao,
F. A.Cucalcant Comteiro.
THEATBO
nente e 17/0 a 20/0 para o Mediterrneo.
Venderam-se em Liverpool :
5,100 saceos de Macei a 19/0 no caes.
600 saceos de Pernambuco, muito baixo, a 17/0
no caes.
50 caixas da Bahia, a 18/6 no caes.
Tambera venderam-se em Liverpool duas cargas
da Parahvba pelo Wild W'ave e cGlaumier, a
18/6 c 18/4 V? no caes.
Caf. -Olereceram-se em leilao 4,120 saceos do
Rio pelo tTyrus, dos quaes venderam-se urnas
adjudicacao com o abatimento respectivo da le. I vendo seren pagas ..
E para que chegue a noticia a quem convier man- de poderem dar a neeessar.a ^"MWefcosdons
,i liissar ,-ditaes iiue sero afflxados nos lugares do credores que tem hv|K)tbeca no engenho Palos.
mercado tornou-se peior, e as vendas sao dltices
se nao por precos mais baixos". Para carga no mar
a procura foi pouca ou nenhuma; nao nos consta
transaccoes, e qiialquer offerta que se faca com
baixa d 2/0 a 3/0 das ultimas vendas. J_.
Venderam-se em Liverpool 1,700 saceos do Rio,
pelo tAmazon. de 66/0 a 72/6 por ordinario ate
Lora ordinario.
Cacao.Com as avultadas entradas do das pos-
sessoes ingieras o mercado ficou bem suppndo: no
do Brasil nao nos consta trasaccoes. .
Venderam-se em Liverpool 100 saceos do Para a
54/0, bem como algumas pequeas partidas da Ba-
hia de 45/0 a 46/0. L..
Jacaranda.Venderam-se 69 toneladas da Baha
ao preeo medio de ai 11 15/0 por tonelada. Em 16
do corrente oftereceram-se em leilao urnas 60 tone-
ladas da Rahia, mas foram retiradas sem offerta.
Continuamos sem entradas. O mercado tica em
grande apathia.
Pao do Brasil.Sem alteracao.
Couros.O mercado continua frouxoj
Cambios.Sobre o Rio de Janeiro nada se Tez.
As transaccoes sobre Portugal foram em escala con-
sideravelaSSVi d. sobre Lisboa c 52 Va d. sobre o
p s Algodao.As vendas boje montaran a
4,000 saccas, incluindo 20 saccas da Parahyba a
d., 10 saccas do Maranho a 22 /a d- e 40 saccas do
Macei a 20 d. ^^^^^
MOVIMIENTO DO PORTO.
dei passar eitaes qu
costume e publicados pela imprensa.
Dado e passado nesla eidade do Recife de Per-
nambuco", aos 13 de julho de 1863.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade. eseri-
vao o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
Por ordem da inspectora da alfandega (lea
transferido para o dia 17 do corrente o leilao das
30 duzias de pentes de tartaruga, annunciado para
boje. Alfandega de Pernambuco 13 de julho de
1863.0 4." escripturario,
Joao Antonio da Silva Pcreira,
DECLmCOES.
Couselho adminlstratlTO.
O conselho administrativo, para fornecimento- do
arsenal de guerra, tem de comprar os objectos se-
guimos: ,
Para o con de guarnicao do Ceara.
197 mantas de laa.
Para o presidio de Fernando.
25 milheiros de tijolos de alvenaria de primeira
qualidade.
Para o arsenal de guerra.
O escripto e traslado do edital existem. era mao
do- porteiro do juizo, e os pretendentes- que qui:
aerem examinar os referidos engenhos- podem ah
comparecer, que ha pessoa autorisada. a mostra-
I06 com todas as suas obras e bemfeitorias ; as-
sim como os que quiaerem ver os esesavos e pre-
eisarem de qualquer esclareciinemo, podem diri-
gir-se nesta praca niesnia berdeira e inventa-
riante, que reside na Soledade, runde Joao Fer-
nandes Vieira.
O lancador da mesa do consulado provin-
cial, abaixo assignado, sendo nomeado |ara pro-
ceder aos diversos fancamentos que tea de seren
cobrados por esta mesma misa no anno linan-
eeiro vindouro de-1863 1864, avisa aos senhores
tiroprietarios de predios urbanos e antros estabe-
ecimentos que tenham preparados os competen-
tes recibos ou outros documentos afnn de que
possa o mesan* abaixo faar os- laneamentos em
regra sem vexames das partes iitjvressadas. Ou-
tro sim, declara o mesmo. abaixo- assignado, que
sendo nomeado para as tieguezias de Santo An-
tonio, S. Jos e Afogado* dar romeeo i>ela ite
Santo Antonio. ...... ... 1Q*
Mesa do-eonsulado prowncial, 4 de julho de 1863;
O lancador
Joo MP)HfcJtaM da Motta.
Qaarta-feira 13. do corrente, em audiencia do
10 quintaes de ferro sueco embarra de* lA pol- Sr. Dr. juiz provedw dos residuos, eserivao. Vas-
legadas de largura o Va dita de grossiira. concellos, ser vendida em hasta publica, ama casa
10 ditos de dito dito dito de 3; plegadas de lar- (terrP4 na rua Vidria, n. 74, na freguez M Boa-
gura e V* de grossura.
I vista, com, 17 palmos do frente e 56 de Ruido, com
KA FREZA
DE
4. J- MARTE COMIIl
2i. RECITA DA IMBIAiTBA.
(1.* DA 3* P1UWTASA.J
Quarla-ffira. lo s> Jata s> 1853.
Primeira representacan do raagninro drama
quatro actos e um prologo, ornado l msica.
AS MULHERES
PERSONAGENS 50 PBOtOCO.
Diogenes.............- Sr- Portado oe*o.
Phidias-............... *
Gorgias............... i"?-
Alcibiatles............. ?**"^L-
1'm.Allieniense.......... Ouimaaae>-
Outro. dito........... *3u'm ^"*-
Straboo.............- "**>...
mu ............ Sr.'D. Canalla.
*n* i a i D.Jwuina.
Hf'MEtainaadel ix.joarpta.
Phrin:in,aru,0n,-' ^^eS*-^
b acc* do proiojp) passa-se m- oOVma Sa>. <
cultor Phidias.- ew Alhenas.
O vestuario aovo, e no cacacter da ensca.
mmf.hos na tatstev
1." A canea, da eserava.
2." Coro d'.-Athenienses.
PERSo.NAUssaa*. m*.

1443000
400O
SO900O
vnim
1443000 4203000
JVan'o entiado no dia 13.
Macei e portes intermedios-^K) horas, vapor na-
cional Safuaribe, de 442 toneladas, commandan-
te Manoel Joaquim Lobato, entapafom 30, carga
i algodao.
>
10 ditas de dito dito dito d* 4 iwllegadas de lar- (1 ^jg, 2 quartos, easiaaa tora, quintal, cacimba,
cura e '/-. de grossura. em chao proprio, avaliado em 1:800& pertoncente
10 ditos de dito dito dito de i Va de largura c a testamentaria da tinada Luiza Mumz, e vai a pra-
de grossura. ca requerimonlo do lestamenteiro dativo dos benB
20 ditos de dito ingles redondo de i Va polle- 4 mesma nada.
gadas. vrreniala^o.
4 lences de ferro do 1 Va 2 arrobas. ^Q ^^ ^ ^0 pon-pnte, depois da audiencia do
2 ditos de dito de 24 24 libras. Illm. Sr Dr. juiz municipal da primeira vara, tem
Quem quizer vender taes objectos aprsente- as dp if a vom)a a casa terroa mei-agua na
suas propostas em carta fechada, na secretaria 00 T0& ^ 1>ont(, ypm;i n >$ ^ execU!(.i0 de Lew-
conselho, s 10 horas da manhaa do da 17 do cor- Wo perrpra Martins Riheiro contra os herdelros
rente mea.
Sala das sweoes do conselho adminstrala, para
forneeimeuto do arsenal de guerra, H de jtillw
hode I8ti9. ,
Aifow'o Pedro de Sa Brrelo,
Coronel presidente.
tic D. Antonia Mara de Castro, a ultima praca,
eserivao Saraiva.
(JORREIO.
0 Sr. Jos Joaquim Ribciro de Camjios, acade-
mico do terceiro anno de direito, quetra dirlgi^se
Usbsa.
I
Guunaran.
Dogenais jornalisla Sr. Furanto
Raphael Oiilier. pilUwT e
escultor............. *
O comiede Frenes capi-
talista .............. *
Juliano.. \ ( *
Mocf* extra- ] ,
Mauleon.S ^gantes... S
Francis.-i { ^ST
John, gi-oon de Marco... Kmo,
Marco, cantora dotheatro ... -----------,
italiano............. Sr.'D. Ensata Cmara.^
Hiojdora, corista........
Josepha, dita..........
Julieta, dita.......
Madama Didier, mai de
Raphaol...
i
i
Seba^^rHegoBonos, Z^^^*.^^T' AacS^XuaKtuidts,
vi secretario. reconuaendada viuda da provincia de Sergipe. I A at^ao pasa so im .iuw*,
Vogal secretario,
provincia 1
^
M
ata







Diario de Pero&inlnico-~Vera felra 14 de fulla o de LS83.
0 primeiro acto p&ssa-se no "hotel de Madrid, Por nt- uder'
t Campos EIvsios.Se>!e actoJan; emiaoarapierimcKto dos administradores da
metaPouu o.vs modas ue orno, 'massa faWida de Bastos & Lemos 11 despacho do
O segundoaci' c m atelier do escultor Uliu. Sr, Dr. juiz especial do comnwreio, os pre;
Raphael. dios cima des convidados os preten'
O tereviro ac !*sa-se 11'uina casa de canijio, lentes ao prrviojaine, sendo presente os docu-
mentos no acto Ifncilao c ein seguida irao inais
111 S. James, id^jj-cbaldiKilo Ruis.
O quarto acto tS5ccflo^ O scenario govnTyiiOaaP0 scenographo o
Se, DorneUas. *, .
O drama AS MILITERES DE MARMORE, ilevi-
*lo penna fecunda de Theodoro Barriere, um dos
mais celebres drarnnttirnos franceses. caus.ni em
Pars, em Lisboa e no Rio de Janeiro, umdestes
fanatismos que raras vexes sao tributados re-
uresenfacao de urna obra dramtica, pohs que elle
?m qnalquer desses theatros ultrapassou tulas as
raias, focando ao delirio. No Rio de Janeiro este
irania foi i scena mais de 86 vetes, carada boje
' recordado-rom saudade, oi|UC tudo se justitica
pela cxccllcmia da composicao, urna das mais pri-
morosas edr inaior alcance moral que se conlle-
ve no thcatro moderno francez.
Principiara s 8 horas.
Os senhores asignantes sao convidados entrar
<- >iii a tcre.'ira prestacao da asignatura, at tarea-
feir li do correute.
AVISOS MARTIMOS.
"............-------" --------4 i. .
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
At o .lia 20 de julho, espe-
rado dos jimios do BOTM o v.ipor
Oyapock, reaunandaate o priwei-
ro teuotitc Antonio Marcelino
Pontea Ribeiro, o qual depois da
demora do cosime seguir para os pintos do
snl.
Desde j recebem-ge passageiros e encajarse a
taiga loe o vapor poder csuauzir, a qual nevera
ser embarrada nodia de sua chegada, eiicom-
nien.las e .liiili.'irn a tule al o dia da sabida -^ 2
limas: agencia ra da iruz n. 1. escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevcdo A C.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
por conta e orftem de outros uin terreno na tra
vs>a dos Fimreiros com alicorees e murado, 42
palmos de fronte e K0 ditos de fundo; una casa
terrea n. 4 na mja do Jasinini, quasi nova.
DI
Predios.
Quinla-fcira, 16 docorrcnle,
'Gwgenlo Aliueida far leilao dos predios cima
fif-ftenrentcs a massa fallida de Bastos & Leaos a
requerimento dos administradores e mandado do
llli. Sr. Dr. juiz especial do commercio.
0 leilao lera logar porta da associaeiio c
meivial, s II horas do dia.
Tin sitio na estrada de S. Jos do Mangiiuuo,
com grande sala de sobrado em terreno proprio, e-*-
\eira. estribara, senzalla, casa de dejiosUb d agua
do encaiiamento, costana ao lado, baixa para ca-
ptan, diversos arenos, murado na frente com
pomo grade de ferro.
Metade do sitio da Passagem da Magdalena,
tendo um bonito sobrado .Je um andar, caxoh'a,
estriharia. pensaba, murado com grdame e portan
de ferro na fenle.
jLEIIjAO
DE
Escravns, cabriolis, cufrcs de ferro, trastes, pia-
nos, camas do ferro de l|2pollcgada t outros
iiuiilos olijcrlos.
horas da inauha.
O agente OUmpi.i far leilao no sen armazem na
rua do Imperador n. 16.
LEILAO
UK
l'ni sitio e iiih sobrado.
Sc\ta-fcira 17 do corrale.
NA ASSOCIACAO COMMERCUL.
Por despacho do Ulin. Sr. Dr. juiz do commercio
e por interveneao do agente Pestaa irao a leilao
e perlenceiiles a massa fallida de Manoi-1 de Aze-
vcdo l'onies as dnas tercas partes do sobrado de i
andares o sotan da rua da Cruz n. :t:t e o sitio na
Passagcm da Magdalena n. 46, assiin como todas as
Espera-se dos portes do sol at
0 .lia VA do correute o vapor Cru-
zeiro do Snl, coiiiinandante o ca-
li tfm de mar e gnerra Gervasio
.Maiicelm. n .pial depois da ilemo- dividas activas no valor de cerca de 100:0003, par-
tes com documentos : para qualquer informarn
podem dirigir-so ao agente c o leilao teri logar
>e\ta-feira 17 do correute pelas 11 horas da ma-
nlia naassociacao commerciai.
%i:n i.iHITE
ra do costunie, seguir para os portos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
oara que o vapor poder conduzir a qual deveri
ser embarcada no .lia de sua chegada : cneoin-
mendas e dinbero a Brete ate o dia da sabida as 2
limas, agencia rua da Crur n. 1. escripterio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevcdo & <
COMPANHIA PER.NAMBUCA.NA
DE
Xavegaro coste!ra a vapor.
Paralaba, (fatal, Macan, Arara h e Orar.
O vapor jiujiinribf, eoomandante
Honra, seguir para os portos do
norte ; le o ('.cara no dia 22 do
correiiti-as "i hoi-as da larde. Re-
cebe rarga al o .lia 21. encom-
ni.Millas, passageirofe dinheiro a freteat odiada
sabida as 3 horas : escriptorio no Forte do Mat-
tos n. l.
AVISOS DIVERSOS.
Para o II lo de Vaueiro.
O brigue Betizario, segu breve com acarea que
liver, e a recebe por .piMlquer frete: a irata-se
om os consignatarios Mar-oes. Barros \ ('... on
com o capitn Manuel Marciano Ferreira.
B'ara o vlaranho e Para
pretende seguir nestes oito.dias o veleiroebeml
onheeido brigue escuna Jorra Arthitr, lem a,
seo bordo parte desea carregamento ; para o res-
to que Ihe falta, trata-se com os seos eonsi lanos Antonio l.uiz de (lliveira Azevedo & u, no
sen escriptorio rua da Cruz u. 1.
Mat'eiO.
para llacei e Pilar no dia 18 do corren-
ASSOCIACAO
TVP0GRAPHICA PEUXAyAlCAW.
Devendo ter lugar domingo indo correute a ses-
sao ordinaria da assembla geral desta associacao,
para se proceder a eleico do conselbo que lem" de
dirifri-la em 0 sen oitavo anuo social (186:1-1864).
aSSm o scieiitilicoaos Sis. socios elTeclivos. convi-
dando-os a compareeereni s 10 horas da manha.
na rua Direita n. 120, prraeiro andar.
Secretaria, 11 dejuMm de 186:1.
O 1" secretario, S7ri Lins.
LOTERA.
Segu
Sbado 18 do correte mez se extrabi-
ri a quinta parte da tereeira lotera a bene-
ficio do Gymnasio Pernambacano (3a eon-
cessao), no consistorio da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Santo
Antonio. -
Os bilbetes emeios biltietes acbam-se
venda na respectiva tliesouraria, na do
Crespo ii. 15, e as casas commissiouadas
! a nova mili vetera barraca Reliado M; na da Imperatriz n. i, toja do Sr. I'iin.-ii-
recebe carga para ambos os portos ate o .ha de sua'. ,,,.,... i., iiwi. ,.i .: ^ .,
sabida ao uie'o dia : a tratar con, o meBire a bor- l"ili:l !"<'''I"'""-'"'o n.22, tojadoSr.
NOTICIA NOTICIA NOTICIA.
A. W, Osborne retratista americano na rna
do ImperaiJor partecipa ao respeitave pni-
co que elle araba de receber dos Estados-L'rti-
dos o novo e valioso processo da pnotogra-
phialia pouco descobcrt nos Elstados-UnidoB,
sendo este novo systema superior a tudo
qiianto at o presente se tem descoberto;
sendo o annunciante o nico em todo o impe-
rio do Brasil, i[iic possue o dito systema
photograpbico. O Sr. Osborne pode apres.'li-
tar as mais ludias pinturas sobre o papel
debaixo de um estri nunca experimentado
nem conhecido at boje neste pan, os preces
dos cartoes serao os mesmos A. W. Osbor-
ne na rua do Imperador; olliem para a ban-
d.'ira americana.
NB. A sala onde est colloeada a clara boia
foi a pouco toda ratificada de novo, e adia-
se com espaco suliiciente para acommodar
qualquer familia por mais numeosa (pi seja.
Precisa-se de dous tralialbadoies na
patlaria da rua dos Pescadores n. 13.
Grgorio Pilota, snbdido bespanhol re-
lira-se para Europa.
Ilemtque Bernardes de Oliveira, cida-
dao brasileiro, vat Europa.
Auga-se o armazem redifleado de no-
vo na rua da Ptaia n. 33, proprio para carne
secca ou para entra qualquer negocio: quem
o pretender dirija-so no segundo andar do
mesmo.
Est liara alugar-seum sobrado de um
andar com tres quartos, quintal, cacimba c
torraro, na rua dos Copiares n. 3, a tratar na
rua do Imperador sobrado n. % entrada pela
rua de S. Francisco.
Acha-se justa e contratada porvendaa taber-
na da rua do Rango! n. 49 : se algnem se julgar
com din-ilo inesnia. appareea uestes tres dia-.
Precisa-se fallar com o Sr. Joa.piim les de
Abneida Pinto, a negocio de sen inleresse : na rua
da Cadeia do Bocife armazem de Vax.A Leal.
l*h:ii*iiiaeeufico.
l'm iiharinaceiitieo liabililado. olTerece-se para
administrar una botica : quem dille necessitar,
dirija-se a rua do Kriim n. 55.
IIIO i 2S R VA NOVA 25
ESOII^IA DA R14 D4 CAMBDA DO CARMO
Traballiam seja qual fdr o lempo.
tas
i-ontina a haver pao de senleio nos
s c satinados de rada seniana, na podara. 11
mnto Amaro ao pe da fm tta rna ih
1 pf* --; ? do lrmn. \.....fronte o rhatirii
n- t/, e rua d.^sarjo ; .ig.
Aa n. 29.
Atoa Ma ato banMm, m e .100; taldM te 1nnn, a 3*500, fIIS0 A*
cores, covado a 320; cassas franrpza* forr-n.la
imito fina, a .VK) ris a vara ; ramhraia lisi .. ID
fiSfe 3*wo na- P^a toh*to, a
*oou; laas minio linas jora vesiblo, covado a
mi
PHOSPHATO de FERRO
LE LERAS, DOTOR EM SCIENCIAS, INSPECTOR.DA ACADEMIA BE PARIZ, etc., etc.
Este novo ferruglnofo, approvado pnr todos as Academias da Medicina do mundo Inteiro, rene a
composieflo dos ossos e do sangue, e conten o ferro em estado liquido. Segundo asobservaeoes feitas nos
hospitacs de I'aiii e consignadas no Prospecto : elle superior s rtala* ferruginosa*, ao loralo
de ferro, ao ferro reducido pelo hydroReneo, ao rliralo de ferro, l'llulaa e Xarope de
loduro de ferro : elle cura rpidamente a ictericia branca, cor paluda, dores d'eslniago, digestoes peno-
sas, ail'eccoes nen'osas, escrophulas, mingoa de sangue, perda de fr^a e appetite^ irregularidades,
faltas menstruaes, e flores brancas. E o melhor a.ljuvaute do oleo de Ogado de baeulhao.
Depsito geral : em Pars, en casa do MM. Grlmault e O, pharmaccfiticos, 7, rua de la Feuillade;
em Lisboa, en casa de Rodrigo da Coata-Carvalho* no Porto, en casa de Miguel Jos de Souza-
rrrrclra; em o Rio-de-Janeiro, vluva r.-iioio e Dlnla, rua do Sabio, 11; em Baha, en casa de
Jo- Cncluno Ferrelra-Eaplnhelra;em Jlt'o-Crand, en casa de Joaqun de Godoy; em Mara-
ado, en casa de Ferreirae C em Pernambuco, sbomu e C, rua daCrui, 22 Soasa, e na* principaes-
pnarmacias do Brazil.
A 29.
Atoa toja dos hnrateinu, rna do Qurimndn.
,.a||,,"ls ,'1'' 'Ipacamcsclada. a V-3 inglesas a luWK); f.. i. u,na de linho, vara a Vi:
grvalas de seda mi,mmh-, a SOOrrn? rka aft!
toa.liiras para eob-tp, a 500
Ao n. 2'J.
Nota toja oto torotairai,,,,,, ,< (,, .lll,,^)
\este c-lal-eliciniiulo v.-u,|,.m.:....., affaa a,
guintes por menos de metiit do na ndst rfrmfai
W varas, a 'l-JliKi;
'*>. !". MOeXM:
diizia |
di
no aljodao branca pop de
bicos pretos de linho, vara a
bototo de veiinio. de seda a i
reis; rendas linas |N'ca de
transios muito "
oinjiiiiilia.- de
rustan.
10 vara-. |"J|,
lo larcos e inuilo linos. !.; a t:ui;
vidniho para riiauc.i.-.
COMPRAS.
Deposito geral em Pcmanibuco rua da Cruz n. 22 em casa de Caors A- Barboza.
AtteDfo.
Compram-se garrafas aolM :
numero l't.
na rua Dir> ita
ALIGASE
O sobrado de dous andares da roa do Pilar n.
6, tendo conunodos para grande familia, cosinha
fra, lerraeo e quintal com cacimba.
A directora da sociedade Uniao Commerciai L"
manda celebrar urna missa por alma do finado e\- \./
socio Jofio Diiptista dos Santos Lobo, boje 13 do r<
' ALVICARAS A NOV1DADE. ^
m

'oriente, peas 7 horas da manhaa, na igreja do
Espirito Santo : pede a todos os socios se dignem
assistir a mu tao religioso acto.-O secretario,
Domingos RilM-iro da Cunta Oliveira.

FOGO! FOCO! FOGO!
Na lalirica da viuva* Rufino conlina-se a
fazer-se, por preeos commodissimos, todos
os artigos tendentes sua arte, como se-
jam : pistolas, buscaps, rodinbas, etc.: a
tratar do oito do armazeai do gaz da rua
do Imperador, armazem da bolla amarella.
^5 'S^
^-^
E>N
;.-;
Sao chegados leja das columnas
na rna do Crespo n. ['.I de Antonio
Correa de Vasconsellos & C. riquis-
sintos cortes de laa muito fina com
w liarras estampadas e matisadas Im-
B peratriz Eugenia, cores as mais deli- ,.
>Tj cadas como sejam: cor de. ganga, de '|
'$ lyrio, cinza ele, fazenda fnteiramen- -^
*4$ te nova e nunca vista em Pernam- ?M
~.j.^ buco. ^
O abaixo assignado, testamenleiro e inventa-
riante do fallecido Fortunato Cardoso de Gonveis
faz sciente as pessoas eredoras do inesino, que
tendo de fazer inventario, Ihe anreseii!ein suaa
cuntas ou documentos para seren descriptas no in-
ventario, isto no praso de 8 dias.
Joaquim Lopes de Abneida.
Compra-se iuua carrosa coa a* cas*
peteotes arreios praori pan eaajaaj Mal i'
ludo em bom estado: na rua da Seuzalh Ve-
Iba n. 90, padara. .
Compra-ac
o Diorr do Grao Para de 10 de junho proxin
]ias Compra-se .le. livamenle miro a pnila ein
obras velhas: na piara da inde[x n.l.-n. a n. ii,
hija de liilh.tis.
P1IHRIA.
Compra-sc ou iluga-se tuna nadara, quem
quizer l'azer este negocio annuDcie.
VENDAS.
GH4PEOSDE.V.4NILHI
Joo liaptista Carneiro da (inha tendo ido
tres dias consecutivos alim de fallar a S. E\c. o Sr.
presidente da provincia, e nao Ihe sendo iiossivel
por assiin o quererem OS criados da iiorta, jiergun-
ta se prohibido aos pobres fallar ao primeiro
funecionario da provincia, alim de obterem justiea'? I
CASA DE SALDE
Em Sanio Amaro
Do Dr. silva Ramos.
V.indem-se por
numero U.
preeo cummodo : na rua X'-.a
(is abaixo assignados l'azem ver ao respeita-
vel publico e ao coinmereid, que aniigavelniente
dissolveram a 3(1 de jnnbo prximo passado a so- i "05 nara liquidar, bracos grandto .! b.ilan.-.i-
ciidade que tinliain as serraras sitas na rua no- Bomao, conchas e correales : ItauVM na rua .
Guararapes u. rt.
Luiz Ferreira de Abneida- declara ao corpol
do commercio que comprou a taberna da rua do'
Rangel n. 69, pertencente a Octavio da Cantal
(oianna .V firman, livre e deseniharacada.
Aluga-se a toja de tres portas na rua do Ca-
linga n. 2 : quem pretender, dirija-se a mesina rua.
luja de miudezas n. 3.
Precisa-se de nina ama de lejte som ilbo: a
tratar na rua Direita n. i. sobrado, segundo andar.
iki da mesiua. no caes da escadinha.
Para oAracaly.
o
Soares Ptnheiro, rua Direita n. 3, bobeado
Chagas, ruada Cadeia n. 'o, loj do Sr. Porto
. e em Apipucos estabelecimento do Sr. Fran-
uale Atcmo i. segu impretenvelmenle ate o (.\6{.t v| Mendcs.
Os premios de 5:000/at I0> serao pa-
gos urna bora depois da extraccao at as 'i
oras da tarde, e os .nitros no dia seguinte,
depois da destribuieSo das listas.
tbesoureiio,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
^la 13 do correute mea pora Aracaty, para carga
passageiros trata se i un oa consignatarios, rua
da Cadeia n. o".
LEILOLS.
I'a/uiiJav;.
Antonio Gomes da (jimba Silva, tendo de imi-
darde negocio,fazh'ilo p por interveneao docor-
retor Pestaa, das pouras uzendas que restam em
RHalojanSOda roa da Cadoja do Reeife: terca-
lldoctHTenteastOlMMMda manhia, cousifr
abado em roupas feitas, rliapos, loalhas de mesa.
ganrdanapos,cortes de coffete, sedas, chales, gra-
ratw, gollinhas. manguitos, lencos, luvas, leques,
, velludo prelo. aberturas para camisa, aigu-
masnundezas, mesas, carteira, e outros artigos i
fazeadas para licpiidaeio.
Para evitar equvocos declaro que acasa annun-
ciada para ir ein leilao no dia lt do correute pelo
Jimio de Pcrnambiico de boje, a risa n. 39 e nao
n. .'17 da roa Imperial, pertonceate ao abaixo assig-
nado) que gracas a lieos nao se acha em eircuins-
tancias que precise laucar maode lal meio. Heei-
fe 13 de julho de 1863,
Ifanoel Antonio da Silva Moreirn.
Caetano Lenidas (ama lluarte faz publico,
que dehojeem .liante se a~>'(.'iia por Caetanb Le-
nidas Carneiio da Cunta Gama.
riiieo esUibelecimento desta naturoza
que existe entre nos, montado do modo
(pie pode com todo o eommodo e zelo tra-
tar qualquer doente, que nella seja reco-
lliido.
0 edificio magestoso e eonserva-se
em peifeito estado de limpeza e conve-
nientemente mobiUado.
Os doenles B6*separados, segundos
sexos, natureza das molestias e condicoes i)
sociaos.
Ha (piarlos fortificados para os aliena-
dos, e urna enfermarla para as partu-
rientes.
0 propietario encarrega-se de qual-
quer operacao.
O estabelecimento franqueado qiial-
rrimeira classe -IdiKKldiarios.
Segunda dila.... 255(10 '
Tereeira dita.... 25000
^f) Para que qualquer doente sejaali reec-
;,'; bidb, basta quesemandeonomedodoen- .
S te e da pessoa que o renielte, com a de- i
claraoao da morada.
O propietario aceita contratos annnaes
com qualquer que queira ter um 011 mais
leitos sua disposieao.
va de Santa Hita ns. 1" e o"i, na razan de llamos
& C, (cando todo o activo e passivo a carp do
e\-socio Coelho. Reeife 10 de junho de 180.3.
Antonio da Silva Hamos.
Jos Ferreira Coelho.
Casa.
Aluga-se a casa da senhora viuva Machado, na
estrada nova do Caehang, com grande quintal
murado, estriharia e quartos para escravos. etc. :
quem pretender, dirija-se ao sitio Retiro 110 mesmo
lugar, que achara com quem halar,
Precisa-se alunas
gente e de meia idade 1
Vendem-se terrenos com 32palmus de fenle
e j00 de fundo, na roa do Ilruin, junio a iiimI-
<;ao ingleza, i carros m.vos de (anegar penen* .1
ai
I s
tea Vende-se gaz americano de siqierior qualidade a
" rs. a garrafa, garanle-se a qualidade : no 1-
100
leo do Carino n.
U.
[mea da Boa-Vista, hija de cera.
as una negra que seja ..lili- jM'l'r.idor, aos preeos de 610,
> para o servico de casa : na il'">|,t's- 1l'l,*s '' quartos.
EspravOes, encboadas, frii-iras. esponjas, lo-
inillios. sobrecannas, sobrenerv.x. c todas .piaes-
quer enfermidades a que sao sojeita os ravaaVn,
eiicontrarao mu remedio ninnism m SfaMiaiSii
do afamado oleo de Merchant : venda no ai
zeni da bola amarella no oitSo do gaz da ru.i do
15280 e ajan
','S
Witio |>ara alujar.
Aluga-sc un sitio com grande casa, eoeheira o
estriliaria. no lugar dos Remedios, defronte da igre-
ja : a tratar na rua da Cadeia do Recite 11. 4.
11 a 10 anuos
na rua da Im-
Precisa-se de um menino de
para caixeiro de loja de miudezas
peratriz 11. 78.
KStuir TOKIO
DR
ADVOCACTA
Vende-se nm preto rrioiilo. bum de campo
com idade de 2i anuos, iniiiH) robusta e sem acha-
I qnes : na rua Iniperia n. 33. padaria.
i.ii-u s do ltlo .1 iiiih'.
Chegaram nllimamente lingnas do Rio Crandn
do Sal, 0 lliellior que lem viudo ,t ,->ta cid.id.
boa qualidade deltas ; pede-SC a alleucio de lo
as familias pelo barato preco por que se est ven-
ilen.lo este gem-i-o : na rua da l'raia a. 12, ar-
ma/.ini. '
Veride-se a amiaeao .la casa da rua do Vi-
gario 11. 13 : a Halar 110 de|Kisu da ma do O
niz 11. 18.
1; a^f- mi-^
Aluga-se a casa terrea da rua Imperial
00 : os prelendentes dirjam-se a Caixa Filial.
LEILAO
DE
f'MA TABERAA.
HOJaK.
Tcrca-feira 11 do correute s 11 huras da maiilia.
O agenta-Olimpio far leHtio a requerimento de
Jos Feniai*,-s Lima e matulado dollhn. Sr. Dr.
juiz municipal da 1." vara por oxecueap contra Ma-
.....lo*'" de limados gemios, amiaeao e iitenci-
hos e\ist.nte.s oa taberna sita nrna Imperial n. 37
p liem assiin dos existentes no deposito geral que
na mesma taberna-serao vendidos.
LEJLaO
M
,-300 calva* Oaarla- reir i do corrale.
O.agirte Peatana venderi>or conta c risco de
4|neni p.ren eer 300 caixa com ceblas as me-
llioro irais notas que exbaem neste mercado
i indas no 1/tga Jl r desemliane/adas bontem e se-
lac veuiliilis enr IM.'J ou mais lotes a vontide :
i:-irta-|iira I*i do mrente pelas 10 horas em pon!
lotMi aniiaaejii do ailes defroiiU" da alfandega.
DA.
Ainiavao etaist.'Oucis e\Uen-
tes ua casa I. rna de nor-
ias onde otitr'ora foi fabrica
de charutos.
Quarta-ffira iStoearrenle as 11 horas.
((agente Olympo ao iba e hora cima far lei-
lao da aroiacao cima ,que so presta a ualiiuer
jrenero de negocio. '
JLOTERIAo
0 thosoureiro das loteras desta provin-
cia, desojando extiahi-Ias em maior capital
ft com incluiros intervallos.offerecea vanta-
gem de dous por cento afuera comprar
para negocio, na qnanfiade 10(^1 para cuna;
assiin como se propoe a estabelecer corres-
pondencias para qnalqaer localidadeda pro-
vincia, ivnirtii'iKk) iiiiiict.'s, meios e listas,
sol Manca idoBea; devendo o pagamento
dellesser feio loso que sejam recebidas as
listas e noTos bimetes remettdos. 0 ilic-
soureirocerto da convonfenciadesse negocio,
convida aos Sis. eommereiantes da Victoria,
Gotanna, Rio Formoso, Nazareth, Serihiem
emais localulades populosas da provincia, e
mesmoos ilcstatapital, que o quizerem, a
entenderem-se com elle, na tlicsouraria das
loteras, rua do Crespn. 13: adverando
que recebeA em pagamento c sem rlesfioiib),
os bilbetes premiados de todas as loteras
da provincia recolhidos tlicsouraria da fa-
zenda provincial.
Tbesouraria das loteras. 20 de junho de
1803. J
0 thesooreiro,
Antonio Jos Hodrigtu's de Souz.
BIU'O l \ I O
ESTABELECIDO XACIDADE DO PORTO
Aip'iilcs em l'criiaiiiliun
v ii i ou o i.ii lz de Oliveira
Azevedo & v.
jBaean por lodos os paquetes sobre o
HMsmo banco prazo ou vista, sobre a
cai\a lilial em Lisboa, e agencias em Fi-
lueiw, Coinibra, Aveiro, Viieu. Vlla-
lbl, Regoa, Vianna de Castello, Guima- m
r:us..ilarc(dIos, Lamego, Covilha, Braga, m
leiiafiel, Urganca. Amarante, Aora
liba da Tereeira, ilha de Faias, libada
Madeira, Cilla do Conde, Valenca, Bastos
Ohveira de Azenieis. Chaves e Fafe a
pito dias vista ou ao prazo que so conven-
fjonar.no seu escriptorio rua da Cruz
n. 1.
Ha-.-e dinheiro a juros sobre hypoihcea etn bens' Alugam-se a loja do sobrado n. pj:i e armazem
escravos, ou sobre ouro ou prata : na n. 171 da rua imperial, o armazem n. 4 da rua do I
i.tl ii "i'i iM___ /
Os hachareis Cicero Peregrino e Canlo do Veii.l.->.-,,... i.,o|..qe fe |g
Barros mmbuam o sen escriptorio de advoeaca cxcellenteoiticial ,ie ,M..-.i,,.. i", '^-mTfa
| para a ruado Quemado n. 30, 1 andar. conducta alianeada. p'r I.:,XLj: m na A.imias
O escriptorio dare.laccao da Academia Popular, nlli.
mudou-se para a mesma casa. -------r-.-----------------r____________________
Vende-se a armaeao da fabrica de eaaraMa
da roa de Hurtas n. I'i: a tratar com o agente
, Olynipio.
e raz ou
rua do Rangel n. i, escriptorio, das 10 do (lia s -I
da tarde.
0 bihlete inteiro de n. ly da lotera da
provincia (pie tem de correr no dia IK do crlenle
mea, pertenee ao Sr. Jos Antonio 3a Cosale Silva
da villa do Conde (Portugal).
Apollo, e a casa n. 27 da rua do Burgos: na na I
da Aurora n. 3r>.
\luiiam-se
Dous arinazens pequeos na travessa da Sanzal-
la Vclha. por detraz da loja n. ;) da na da Ca-
deia. muito prximos alfandega e ao caes do
Apollo, e por sao proprios para qualquer fin e
abrixfl assignados fazem publico, rom es- servirem para um so por terem commnmcacao;
Joaquim da Costa llamos, casado, subdito
portognez, val para Portugal tratar de sua saude.
- Os
Decialidade ao corpo do commercio, que no ultimo tratar na sobredita loja com Cuiha e Silva,
anuo coni|iraram aos drs. Cor-
porluguez,
de maiodo correiit. ..
reiac limaos seu estabelecimento denilhados, Z hl-,1"l>(1' Manoel Alvos subdito
Silo na rua lo Liviainr.Uo n. 20, no qual desde o relua-se para fora da provincia.
i. de junho prximo passado gyra a tirina de Cor- Precisa-se de m caixeiro na rua Direita n.
rea & Santos, coiitinuaiido o mesmo ramo de ne- 99, taberna, que seja Portugoez.
gucio que os inesinos tinham. Reeife l.'l de julho-----------------___________Z__.________________
de 1863. Beriiardino Correia de Rezende Reg,
Jos Francisco Gomes dos Santos.
Os, abaixo assignados fazem publico, com es-
pecialidade ao coi'ix do conanercio, que de com-
mum accordo dissolveram a sociedade que tinham
oesta praca. que gyrava sob a razao de Correia t
Irinao. licandoa mesma firma emliqndacao do seu
activo e passivo desde 30 de niaki do" correute
ann. Reeife de Pernambuco fije julho de 1863
Joaquim Correia de Rezende Reg.
Ileriiardinor.orroia de Rezende Reg.
Alugam-se as lujas do sobrado 11. 44, em a
rua da Aurora : nesta mesma rua n. 10,
dir-sc-ha quem a luga.
Gustavo Bergen, subdito I'russiano, retira-se
para a Europa.
Precisa-se alosar um sobradoale 11111 andar
na cidade de Olinda, na rna do Varadoiiro : quem
o tiver dirija-se a rua do Hospicio n. 23.
Luiz Ferro a Luiz Valenlim, sbitos italianos,
Aluga-sc a loja do sobrado sito na rua Nova vao para o Maraidiao.
n. 37 : a tratar com Amaro Gonealves dos Santos, .,,..... ,. ,, ;
no Passeio publico, ou na rua Nova n. 3o, loja d, ~ Un,I^S Lili a, avtsamaseus dexe.l.i-
fengeos, res desta praca que deram procuracao-ao Sr.
m:ii ao
DE
HA 1 iii;h\%.
" oaquai Pereir.1 com autrisacao de seus
Hedores far U$io por interveneao d age*/> Pes:
lana de'sua tohonaa sita na rua Direita n. ^3 :
(piarta-feira 15 d cfrente petes Juis da u*a-
nli.ta.
leiJo,|iiinU-eii'alC(I(i torrente ao tneja dia a
porta da assia{o romme.-rial de precios as
^guales ras da massa flida de tejas A
Lemas.
104 Direita, casa terrea.
4/ Aguas-verdes, dita
9 Cotovello, dita.
f?feratri2 Parte do sobrado.
iIorre,quarta parte o sobrado.
- Precisa-se alugar um sobrado de um andar Melquades Antones dAlmeida, para receber
na cidadr' de Olinda, na rua do Varadouro : quenf o que Ihes deve amigavelmcnte; e no caso de
o tiver dirija-se a rua .lo Hospicio n. 83._______ assim nao pagarem, seren chamados ao juizo
Aluga-se o segundo andar do sobrado da rua competente, o que fazem publico, para depois
do Amonio n. 36 : para tratar, na taberna do dechados nao viran qtteixar-se, anda mes-
Hiiesmo.---------------------------------------------1 mo que a t]vjaep, (je tres ou quatro annos,
A' SO i e exgotados todos os meios prudentes, tanto
Brendcr a Brandis fct. mudaram seu eseripto- por nos como pelos caixeiros.
rio e armazem [tira a rua da Cadeia do Reeife n. "
38, perlo do arco de Santo Antonio.
Precisa-se d tuna anta de leiti.
mas que tenha, quando muito at C
mezes decorridos na criacSo de que
se ache encarregada: na rua estreita
dii Rosario n.3i,3 andar, pnr cima
do armazem de trastes do Sr. Mo- I
reira, ^
O abaixo assignado, leudo ncado a sen cargo
todo o activo e passivo das serraras ns. 17 o 53
da rua nova de Santa Rita, que gyravam na razao
de Raniost Coelho. pede a lodos os senhores que
Ihe eslao a dever o favor de Ihe reui pagar o mais
breve nossivel, visto ter laiiibein de cuniprir one-
rosas obrigacoes, e pede ontro sim que nem quer
chamar a juizo. o mesmo publicar eos nomes,
salvo se a lauto o obrigarein. Reeife 10 de julho
de 1803.-Jos Ferreira Coelho.
Vende-se tuna bonita esrrava parda, de ida-
de 14 auno-, linda peca para prendar nina noiva :
na rua da Senzala V.-lha 11. 10.
[I Vende-se sal de Lisboa por jnate a reodbo,
: mais bando do que emontra qualquer parle
rna da Lingoeta 11.14.
Na loja
hornera a
rcchiiieha.
do Arantes veniaa>M
"i-j o par.
Antonio Rodrigues
para Portugal.
Fernandes Vieira, retira-
Aulas de lalini e francez.
Acbam-se abortas as aulas de latim e francez de
Antonio Joaquim dos Passos: na rua da Gloria
numero 18.
Par ttogooo.
Vende-se nina casa na povoarao da Gamcleira :
a tratar na rua do Qiieimado 11. 71.
Vinho do Porto superior.
Vende-se em caixas de nina duzia : no eseripiorio,
de Anlonio Luiz de (lliveira Azevedo A C
Vende-se una iniilatinha de 14 annos : na rua
rua da Senzala Vclha n. 104.___________________
Vende-se tuna mobilia de ainarello coni pou-
co uso, a' tratar na taberna do Pateo de S
dio n. i.
-^^_____
ba .Nova, rasa dr unidas de madama Tbcard.
Neste estalN-leeimento de modas. aiVm de
iimitos olijecios de gosto receben vestidos de seda
Aluga-sc a casa lenca sita na Cidade"Xova bordado* a relroz, o melhor que se pode enconaar
de Santo Amaro, e com bastantes cominodos para no mercado para noiva. ditos de bloiu.'e ,\,,< dit.rt
nina numerosa familia : quema pretender, diri-1moreantiqne,ditos pretos. ditos de hml
ja-se a rua do Rosiiri.. da Boa-Vista, casa n. 4, que chapeos de palha da Italia de apurados gi
senhora, ditos de palha de seda para meninos e
meninas de idade de um mez adez annos. Rere-
be-se ligiirinos por lodos os vapores, e faz-tr Indo
guamo for lendciitc aojoilet de tuna s.-nhota.
Vende-se ou arnij silo na freguezia de Soridfcom : a tratar' m rua
da Cadeia n. 39, escriptorio'ida viuva de Minoel
Gonealves da Silva.
Vemleiu-se zX) C.tsl'S de |kiiiiIioS
idade. por junto, ou 3 a 4 casai
judiar com quem Halar.
AttenQo
I)-se dinheiro a juros sobre penhores de ouro :
na rua do Rangel 11. S, das 10 Ijoras da manhaa
s 3 da jarde,
ionizio Ferreira de Oliveira, l'ortu-
guez retira-se para o Rio de Janeiro.
CASAS PARA ALUGAR-SE.
Alugam-se o 2o andar da casa n. 51 e 3o
n. 53, ambos no Reeife, rua da Cadeia: para
ver se acharo as chaves dos mesmos na lo-
Na noite de 7 para 8 do cOrrente furtaraiu
da casa n. 4 da rua do Mondego urna hacia de co- ja n. 51, do Sr. Joo da Cunha Magalhaes.
Iire, de banho, redonda, amarada de um lado, com
3 palmos de bocea gratiue-se generosamente a
quem apresentar dita baeia. 1
Carlos Luiz Cainbrone, subdito francez, vai a
Europa'a negocio. ,;
O.abaixo assignado declara, que Ihe est
hypoluecaila per Jos Pinto da Costa a casa
terrea com .a jiumeracao boje de 20, no lugar
da Solfidade .estrada de Fernandes Vieira; e
que por isso enlium outro redor pode'ra
haver seu pagamento pelo producto della.
Vicente Hereulano de Unios Duarte
Aluga-se a loja do sobrado n. 1 do pateo de
I Nossa Senkora do Terco : a tratar na rua Direita,
casa n. 6.
Autonio
Portugal.
Francisco Moreira retirase para
.lw-aBtSssl
Joiio da Silva Ramos, medico pela l'm- rg
versidade de Combra, d consultas em
sua casa, na rua Nova n. 50, das 8 s 10
horas da manhaa, e das 4 as 6 da tarde, e
recebe egualmente convites para dentro
ou fra da cidade, com o fim de se encar-
regar de qualquer servico de sua prolls-
sao.
Os chamados deverao vir por eseripto.
A pessoa (fue annunciou no Diario querer
l.'iisiio de |>hj sica c geo- |
uieirla.
Geliii Brandan, tendo froquentado o
curso de geometra c o de physica na Sor-
bonna em Pars. prop5e-se a ensillar essas
materias na rua do Quemado n. 30, pri-
meiro andar, para o que pode ser procura-
do das 10 a I datarde, e depois disso em
sua casa inaca da Boa-Vista, esquina da
rua do Aragao, 3o andar.
rua do tao da matriz da Roa-Vis
de bna >|h.i-
taherna da
ESTRADA DE FERRO
DO
Precisa-se muio de um sacerdote para
capello neste districto da freguezia do Bonito; o
reverendissimo padre que estiver disposto
\rn-a sjustar capellana tratar com o abaixo
assignado, escrevendo-lhe com brevidade
Povoaco dt Campias, 2 de julho de 1803.
Galdino Alm Barbosa,
AjeWNCIO. ~
A!ga-se na rua da Aatriz da Boa Vista n.
ii um moleque para todo q servido de casa.
Alut;a-se
um preto escravo com ortica de refinaco, c tam-
ben! se alnga para qualquer ontro servico aira- 0ny)rar uraa casinha de 8005 ate 9005, appareea
tar na taberna da rua larga do Rosario, esquina do "? ^'"P0 Vcrdo- ou lua^ Socego n. 49, que acha-
becco do Pexe Frito, defrontc da botica do Sr,,ra am (Iuem ,ra,ar-
Bartholomeu.
.-----------.-------------------. I Precisa-se e, 11111 rapaz bortuguex para cai-
Aluga-se una negrinha para o servico de *eir. preferindo-se dos ltimos chegados, anda
asa de urna familia : na rua da fina n. 26. I m*n>o niio sabendo 1er; na rua Imperial n. W.
Alugam-se os dous segundos andares dos so-' Precisa-se fallar com o Sr. Joo Leoncio Tei-
brados ns. 31 e 33, da rua do bnperador, e o pri- xeira e Suva, offieial de carapina, para negocio de
nioiro andar do sobrado n. 63 da rua Ini|ierial,coni seu interesse : na rua da Concordia n. 3i, sobrado.
ercellentes commodos para urna-grande familia al n^:' (. tra tara rua do Imperador n. 41. ueseja-se compiai urna pequea casa, ou
----- Tu.-------*---------*. mesmo meia agua, em urna das Mg"~'r
~ Aluga-se o armazem da cA.*a da rua do Ano! cidade, mas que .teu valor nloTtceda de 005
lo n l) a tratar na, rua do Vlgariad, 23, primeiro ou 900J; quem a tiver aauuacie por este Diario
w. .para ser procurado.
RECIFE A SAO FRANCISCO
Pela superintendencia da mesma scientifica-se
que do dia 17 em diante ficar snpprimido al segun-
do aviso o trem misto de carga que ora parte da Es-
cada para Cinco Ponas. Os trens ordinarios de
passageiros continuarao conforme a tabella.
(Assignado) llirnrdo Austin,
Superintendente interino.
Aluga-sc o primeiro andar do sobrado da rua
das Cruxes n. 39 : a tratar no segundo andar do
mesmo sobrado.
t Os senhores credores da massa fallida de
Camargodi Silva, sao convidados |wdo presente pa-
rakapresentarein seus ttulos de divida aos admi-
nistradores da predita massa, na confonnidade do
disposto no artigo 839 do cdigo commerciai, para
em seguida se proceder o rateo. _________
Deseja-se muito fallar com os Srs.:
Manoel de Souza Leao Jnior.
Horacio de Soma Leao.
Joiio da Silva Santos (empregado na estrada de
ferro.)
Jos Antonio Lopes Jnior (do B.io-Formoso.)
M ruad* tfespon. 17, loja.
Ceblas superiores cni rtMeas, a cima
mil res o milheiro no Caes da alfandega n.
I, armazem de Tasso A- Innata.
OSTRAS
em caixas de i latnlias de urna libra no .ir-
m.azem de Tasso A- Irmioa rua do Amorim
n. 35.______________________________
A mi1 de %'c<'hy natural.
Chegada ultimtunenba lelo Solfermo: na
da Cruz n. 2. armazem de Isidoro, Xeo
& C._______________________________
Bairraa.
Cofres patentes inglezes, provj de figo,
garantidos pelo fabricante Milners, ile Lher-
pool: vendem-se na rua da Cruz n. 2, ar-
mazem de Isidoro, Xetto A C. _________
Atlitiirem as las baratas.
Superiores laas de cores de quadrinbiw e
lisas, lingiiido sedinhas de duas larguras,
pelo taratissimo preco de 500 rs. o cova-
do : na loja das columnas ma do Crespo n.
i 3, de Antonio Correa Vasconcellos A 1
SEMENTES.
Venderse sement de hortabeas mdKo no-
vas ebegadas no Manorl I*: na rua da
Cadeia do Reeife n. 23.


l
I


mn


.
RUrio de Fe Kjunhuco T \
i
\
NOVA EXPOSIQiO
tissimas.
Neste estabelecimento acha-se constante-
Cora 8 12 varas, a 2:500 es. vende o Pave.
ihraia transparente com pal-
Pavo do IV/muIjk r*. n'inlins &rdadas de cor, tendo 8 [[% varas
na leja .,
'(bC-1* de cambriMde salpico bran-
fco corfl 8 I |2varas, na ruada
mente um grande sortimento de fazendas toperatriz n. 60, loja e armazem do Pavao.
de gosto e de primeira necessidade, sendo Cortes de cachemira da Escocia, a 2:000, na
tanto proprias para a praca, como para o |0ja do Pavo.
mato ; de todas as fazendas diio-se livros de _T mm. .. n
amostras, deixando car penlior, ou man- Vendem-se esta nova fazenda raudo enror-
dam-se levar em casabas familias-pelos ca- Paila a "mta?a0 de S*56 r.a' tendo Padl'.t,es
xeiros da loja do Pavo. :
Arara vende as colxas.
LSas garibaldiiMS, a 4 4o rs., na
loja do Pavo.
Vendem-se as mis modernas las garibal-
dinas de quadrinhps transparente, proprias-
para vestidos de senhoras e roupinhas para
meninos, por serem os padroes ms moder-
nos que tem chegado de Paris, a 440 rs. o
covado : na loja do Pavo, na da Impera-
triz n. 60, de Gama d- Silva.
Las transparentes, a 500 rs.,
na loja do Pavo.
Vendem-se as mais modernas lazinhas
transparentes com palminhas matisadas e de
' cores muito delicadas,, a 440 rs. o covado:
ditas enfestadas de urna socr com quadri-
nhos, fazenda muito lina, a 500 rs. o covado ;
ditasmatisadasde muito l>om gosto, a 360 rs.
o covado ; ditas de <|npdi inhos, a 400 rs. o
covado: sna Rija do Pavo, ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama 5c Silva.
Las com 8 palmos de largura,
na loja do Pavao.
Vendem-se laziSha enfestada propria para
v-stidos, com 8 palmos de largura, sendo
fazenda mais moderna que tem viudo ao
mercado pelo baratissimo preco de L50O0 o
covado: so na ra da Imperatriz n. 60,loja
do Pavo.
Las para vestidos, a SO rs..
s ba loja do Pavo.
Vendem-se lazinhas enfestadas proprias
para vestidos, pelo barato preco de 280 re. o
covado, sendo muito mais barato do que chi-
ta; ditas transparentes, a 210 rs.; ditas ia
e seda, a 440rs. o covado: s na ra da
Imperatriz n. 60. luja do Pavo.
Cassas a ZOO rs. o covado.
Vendem-se cassas ancezas de padroes
miudinhos e cores ixas pelo barato preco de
200 rs. o covado; ditas linas a 340 e320
rs. o covado : s na ra da Imperatriz n. 60,
loja do Pavao.
Organdy, a 'iio rs. o covado.
na loja do Pavo.
Vendem-se organdy de cores matisado, fa-
zenda que val muito mais dinlieiro, pelo ba-
rato preco de 240 rs. o covado ou 400 rs. a
vara : s na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
O Pavo vende os moderritjs ves-
tidos balo,
com barras .Mara Pa, sendo os mais
manarnos que que tem viudo ao mercado,
com a saia de um s panno, tendo bastante
fazenda para o corpo, e vende-se pelo barato
prego de 3:>5O0 cada um: esta, pecliincha
s existe na ra da Imperatriz n. 60, loja e
armazem do Pavo.
escuros e alegres, afiancando-sc que nodes-
bta, a 2fj( o corte para calca, ou 580 rs. o co-
vado para paletot, colete etc.: s na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
Os paletots do Pavo, assobrecasacado a 12:000 rs.
Vendem-se paletots de panno, sobrecasacas
de panno preto muito bom e muito bem
feitas, a 12$: sobrecasacos de dito, a Ifi.
[Kiletots sacos de dito, a 7$; calcas de cache-
mira da Escossia, a 3# ; ditas de casemira
preta, a 34; ditas de casemira de cor, muito
lina, a 7d e a 5#500; coletes de casemira de
cor e preta; paletot de- casemira de cor,
a 7$; tudo isto para apurar dinheiro: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Chitas largas a 280, s o Pavo.
Vendem-se chitas francezas com toque de
mofo, tendo padroes miudinhos, a 280 rs. o
covado, alianraiido-sesercrfixee que solta
o in'o logo que se lava: s na ra da Impe-
ratriz n. 60, loja do Pavo.
Fazendas brancas, na loja do
Pavo.
Vendem-se pegas de madapolo enfestado,
francez, com 20 varas, a 8:$; ditas com 12
jardas, a 4# ; dito inglez muito fino, a 7$,
7,J500 e8;j!; ditos muito superior, a 10$;
ditos de 40 jardas muito lino, a 4,3800 e a
5;5600; algodozinho muito encorpado, a
ir>800, 5*500 e 64; bretanha com 4 pal-
mos de largura, muito fina, a {$ avara;
pecas de cassa de cordo para babados, com
6 varas, a 3?>500; ditas com 12 varas, a 7$:
Os manguitos c golinhas do
Pavo.
pecliincha, a 320 e a 100 rs.
Vendem-se golinhas de fil, bordadas, a
400 rs.; ditas de cambraia, a 320 rs.; cal-
cinitas para meninas, a 500 rs.; manguitos,
a 500 rs.; manguitos com golinha, a 800
res; manguitos de cambraia, a 320 rs.: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Chegaram em direitiira a loja
do Pavo.
Veiulein-sc a 1:600 rs. o covado.
Acaba de chegar pelo ultimo vapor, um
lindo sortimento de lazinhas transparentes,
tendo urna s cor, lizas e de quadrinhos
miudinhos e mescladas, propria para vesti-
dos de senhoras, capas e zuavo etc. Tendo
esta fazenda 9 palmos de largura, que se
pode fazer um vestido al com 5 covados,
sendo neste artigo a fazenda mais leve que
tem vindo ao mercado, vende-se al 600 o
covado, nicamente : na loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
Vendem-se ricas colxas-aveludadas para
cama a8#000, ditas de fusto a 5*000, ditas
de chita a 2*000, Jajm de buho e algo
I-rauco a 800 rs. a vWHito de linho puro
a U, 10120, 1(51280 e 10600 a vara; na loja
da arara ra da Imperatriz n. 56 de Mendes
Guimares.
Baldes da arara de S O lo
arcos.
45-RTJA DIREITA-45
Eia, rapasiada, cragem I parece que j
entregastes os vossos joanetes aos duros s.;i-
.xos do pessimo calcamento da nossa dado I
S se observa em vossos ps botinas acalca-
uhadas c gastas at ultima sola; sapatiVs
,. (rasgados e quasi sem saltos.... nem tonto !
Vendem-se os melhores baloes que tem a quebradeira nao de ve chegar at este non-
vindo americanos de: 20,23, 30, 35 e to f Vinde ra Direita munir-vos de eicl-
40 arcos, a 40, 40500 e&?, ditos de ma- lente calcado com 40 c at 60 por cenlo
dapolo bem feitos a 30300 e 40, ditos de menos do seu valor.... attendei:
brilhantina a 40300, baloes saias de cordo Borzeguins, Nantes, bezerro e va- '
que faz a vez de balo a 20; na ra da Impera.- queta 2 e meia solas.
ARMAZEM DE MOIJIAD03
DE
tnz arara n. 36.
Arara vende manguitos a
OOO.
Vendem-se manguitos e golinhas de linho a
20 o par, golinhas para meninas a 400 rs.,
ditas para senhoras a 400 rs.; na ra da Impe-
ratriz n. 56,
ntremelos da arara.
a Maria Pia a 40, ditas de la chineza com
22 covados a 80, ditos de organdys com 13
varas a80, ditos com 9 varas a 60500; na ra
da Imperatriz n. 56, arara de Mendes Gui-
mares.
Chitas da arara.
Vendem-se chitas francezas finas a 320,300
e 400 rs. o covado, riscado francez a 280
rs. o covado, aberturas para-camisas a 240
rs., ditas de linho brancas a 800 rs. o cova-
do, tarlatana de cores a iOOrs.avara; na ra
da Imperatriz n. 36.
Cortes de casemira da arara.
Vendem-se cortes de casemira enfestada
escura a 20, cortes de brim para calcas a
106 1)220; na ra da Imperatriz loja da arara
n. 56 de Mendes Guimares.
Sapatos para senhora e homem,
tapete. ........
Sapatos de borracha para senhora.
dem dem para meninas. .
Cortes de fantasa, a G, na
loja do Pavo.
Vendem-se ricos cortes de cambraia fanta-
siadas seda, pelo baratissimo preco de 60;
ditas, a i">: ditas, a 30300: s na na da
Imperatriz n. 60, loja e armazem do Pavo.
Cortcs.de cambraia. a 3.00.
na loja do Pavo.
Vendem-se cortes de cambraia brancoseom
babados. a 20500; ditos, a 4#; ditos com
barras e babados de seda, a 3->, 30300 e 10;
s na ra da Imperatriz n. 60, loja e arma-
zem do Pavo.
Cortes de cambraia chineza, a
4#. na loja do Pato.
Vendem-se ricos cit's de cambraia chine-
za, os mais modernos que tem chegado, sen-
do brancas comlindissimos padroes, pelo ba-
rato preco de 40 cada corte, tendo bstanle
fazenda para um vestido: isto s na ra da
Imperatriz n. 60, loja c armazem do Pavo.
Alpakim on gorgueo de linho.
a S40 rs., so no Pavo.
Vi ndem-se alpakim ou gorguro de linho
proprio para vestidos e roupas decrianca,
l>elo barato preco .de 240 rs. o covado: s
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Baldes a 305OO, s o Pavo.
Vendem-se baloes americanos que sao os
melhores, tendo 20 arcos, a 30500; ditos
de 30, a fc900; ditos de 40, a 50; ditos
de bramante, a 30500 c 40; ditos para me-
Pcchincha, a AO rs. o covado.
so o Pavo. f
Vendem-se as mais modernas lazinhas
enfestadas, transparente, tendo i palmos de
largura, e sendo lizas e de quadrinhos, de
ama cor, propria para vestidos e capas,
a 500 rs. o covado: s na loja do Pavao,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
CHEGADO A VAPOR
s para o vigilante.
AIi' me ebegaram as Hmlissimas rainmnhns rom
colarmhos, puniros e gravatnhas, todas bordadte,
pois sao" de Dtelbor eoslo que as senhoras |HKlem
encontrar: s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Capellas para noivas.'
Tambcm chogaram as rirpiissiruas capellas bran-
cas ornadas com una linda palma para peito, o
melhor gosto que possivei : s no vigilante, ra
do GrcsjK) n. 7.'
Enfcites Mara Pa.
Taii'ibem chegaram os novos enfeites Maria Pia,
sendo ultimo gosto de Paris, assjmcomo se receieu
a nova remessa de conservadores para cabello de
todas as cores : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Baliadinlios e tiras bordadas.
Tambcm chegaram os riquissimos babadinhos cJ
tiras bordadas de muito lindos padroes : s no vi-
gilante, ra do Crespo n.'7.
Ciravatlnhas.
Borzeguins, Nantes, bezerro, va-
queta e lustre 2 solas. .
Borzeguins, francez e hamburguez,
bezerro, lustre e couro de por-
' co 70 e.......
Sapatoes, Nantes, bezerro c vaque-
ta 2 c meia solas.....
Sapatoes, Nantes, vaqueta, lustre o
bezerro 2 solas......
Sapatoes, Nantes, sola e vira.
80300
-80000
60000
50300
3,$000
40000
40000
3.0300
20800
800
10400
10000
K^anoet <^eca r/ ^JfeM.
A GRANDE GURA
PARA TODAS AS MOLESTIAS DO
i, ii mi e as mam.
fc*
rae ff
Uj <
s
** * fi
% M w
2 m
^J OT) 0
&
a w

X3 o t
-**
)

5



m
e o liumem do DQ
i inimigo* ih fia
o .i
fregnezes, ven<
t.
Tambem chegoa mn novo sortimento de gravati-
Innasdetodoeosgpstos, lauto para senhora como
para hoiiicm e para menino : s no vigilante ra
do Crespo n. 7.
Cintos.
Tambem chegoa o novo sortimento de cintos fr
laco e borlla, como sem ella : s no vigilante, i na
do Crespo n. 7.
" Lindos boiiquetfs.
Tambem eoeganm os lindos bonmeta de flores,
assmi como rosas e camelias, cousa demaitOgOS-
to : s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
tos scuhores consuniidorcs le
gaz.
Xos rameos do caes do Ramos n. 18. e na ra
ninas, a 20 e a 30: s na ra da "impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavao.
Vestidos para menino, a 'ff.
Vendem-se vestidinhos para meninos, sen-
do muito bem feitos, a 20 cada um : s na ma
da Imperatriz n. 60, loja e annazem do
Pavao.
Cortes de chita.
a *5o,
loja do Pavo.
na
Vendem-se cortes de rlta com 12 i |2 co-
vados cada um, a 20300: ditos com 10 cova-
dos, a 20; cortes de cassa miudinha de co-
res kascom i 0 covados, a 20; ditos de
organdy mathisado com 10 covados, a
20400 : s na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pav5o.
As casemiras do Pavo peehl-
ncha a ./*.
Vendem-se cortes de casimira franceza para
calca, fazenda muito fina, padroes claros e
escuros, a 30 o corte: s na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60.
O Pavo vende a 30 e :*#.oo
cortes de 15a, a 30 e 30500; ditos com 22
covados, a 30: so na ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavo.
s na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavao.
Fusto do Pavo.
Vendem-se fusto com lavr miudinho
para roupa de meninos, a 320 rs. o covado;
brim de linho de quadrinhos para roupa de
meninos, a 560 rs. o covado; gangueiim
de urna s cor, a 3JQ rs, o covado; popelina
de la, de quadrinhos encarnados e pretos,
para vestidos de senhoras e roupa de meni-
nos, a i0 o covad. a roa da Impera-
Ui n, 60, loja e armazem do Pavao.
GRANDE LIQUIDACO
de fazendas para apurar dilheirs, por
baratissimo preco na loja c arma-
zem da arara ra da fntpcralriz i.
56 de Lourciiro Pereira Mendes
Guimares.
ALEHT.t FRECIEZES, 200 RES.
Vendem-se ISazinhas com pequeo toqu de
mofo para vestido a 200 rs. o covado, meias
para meninos a 100 rs. o par, ditas para ho-
mens a 120 rs., lencos brancos finos a 200' de fazendas baratissiiiias, na Una-Vista, ra Ja
Plulas Vegetaes Assucaratlas
De Kemp
Corapostos dos dois novos resinoides chama-
dos PoDOPniuNA c Lept.vndkina, e inteira-
mente livres de Mercurio on outros venenos
minciacs ou metallicos, s;To de grande uti-
dade nos paizes clidos em cazos de
DISPEPSIA, ENCHAQUECA,
Conslipacao ou Prizilo do Ventre,
PADECIMENTOS DO HGADO,
Affecc^Oes Biliosas,
HEMORRHOIDAS, COUCA,
Ictericia,
FEBRE GASTRO-HEPATICA,
E outras tnftrmidadcs anloga?.
ElLs vao rpidamente substituindo os ant'gos
purgantes drsticos.
i
A venda as boticas de Caors Harboza,
Pa a i.'rua, e Jnito la i' Rravo & C ra
da Madre de Dos.
QIBIR.I.H LEM.
Tendo o BALIZA dado o seu balanco no ultimo deiunbopassado. e iles-jan!
novar o magnifico sortimento de seu GRANDE ARMAZEM, chama pelo prese: a
attencao do respeitavel puhlico para os precos dos gneros aliai.xomeiici-inado.-,
verdade san os mais razoaveis qoe se pdem adiar, alienta a soa Imw qua
Soldado voJontario do batlho progresisia, o BALIZA
ment. Elle pede, pois, aos seus bons camaraflas, que sao torios
favor de nao llie darem um minuto de de canc. i i^irigando-o a vender
Desta sorte o BALIZA vivir contente e contentar tambem aos seus
do-lhes sempre graerosamente, e talvez pe aimla por piems mais razoav,-.
Ameiias em frascos devidro, a I 1300.
Ditas em caixinhas-com lindas figuras, a
1/200 e 2OO.
Ditas em latinlias, a I100.
Amendoas confeiladas, a 900 rs. a libra,
dem, a 280 rs. libra. '
| Arroz (Carolina), primeira qualidade, a 120
rs. a libra.
Dito doMaranhSo, a 120 rs. a libra.
SEM I SEGUNDO.
Ruado Queiuiado n. 53, loja de miodezas do dem preto, magnifico, a 2> a liln
Jos de Azcvodo Maia e SUva^ est vendendo todas dem nreto menos wnpi-inr ai/UtnAra -i
as snas miudezas porpreeos que todos a.lmiram,| 1"U1JS M,l" "' d >,SOl) re/ a
Azi'ilunas novas de Lisboa e Porto, a l> e
l/200aancoreta.
Azi'te doce refinado, 800 rs. a garrafa.
Dito em barril, a GiO rs. a garrafa.
, Dito de Garrapato, a iGO rs. a garrafa.
Arroz com casca, a 3 a saca, com 20 caas
e a 2i0 rs. a cuia.
Ancoretas americanas de 0 e 12 garrafas,
muito bem fabricadas, a 1$ cada urna.
Araruta muito liua, a 320 rs. a libra.
Dotacbinhas americanas, a 3.4 a barrica c
249 n. a libra.
Biscoutinhos inglezes, em latinhas, a L>'too.
BiscoutO lunch e soda, em latas de i a 3 li-
bras, a 25 a lata.
Banha de porco, a 180 rs. a lilira.
Balaios hamburguezes muito lindos, de di-
versos tamanhos e por preco razoavel.
Cale do Rio, a 280 e 300 rs. a libra, em
arroba, a 8;>oo, 8;>.jO0 e )/.
Ceblas, a 8()f) rs. o cento c i$ o mllio.
Chapecla, a 3;> a libra.
dem tiisson, superior, a 2>SO0 a libra.
llera chumbo, a 21600 a libra.
embysson, soflHvel. a 2 .-$100 a libra,
dem hysson, menos soffrivel, a 2 a libra.
LIQUIDACO
rs. cada um ; na loja da arara ra da Impe-
ratriz n. 30.
Arara vende vestido de chita a
3#000.
Vendem-se cortes de chitas escoras com to-
que de mofe a imo, ditas [rapas sem
mofo a 2-5300 c 3:>000, cortes de cassa de
cores de barras a 2^000, ditas de cassa pin-
tadas a 2;)000; na ra da Imperatriz n. 3(5 de
Mendes Guimares.
Organdys da Arara a 40.
Vendem-se organdys finos para vestidos a
2i0 rs. o covado, cassas finas a 250 rs. o
covado, popelina de quadrinhos para vesti-
dos a 280 rs. o covado; na ra da Imperatriz
arara n. 36 de Mendes Guimares.
Arara vende as lazinhas dos
vestidos.
Vendem-se lazinhas muito finas e lindos
dezenhos a 100, iO, 300 e GlOrs. o cova-
do, clialy muito fino a 300 rs. o covado; na
ra da Imperatriz n. 30 arara de Mendes
Guimares.
.Roupa feita da arara.
Vende-se costumes completos d" urna fazenda
chineza por 21 ocostuine, paletots de brim
a 2#300 e 3/JOOO, ditos de meia casemira
escura a 4f e 4,^300, paletots finos a G.J300
e 8#000, calcas de meia casemira a 3,5000,
ditas finas 3,$300 e G;>000, ditas de brim a
20300 e 3-5000, ditas de brim branco a 14.
casemiras francezas a I-5G00 e 2?5000, ditas
linas a 2.-5300, ditas de linho a 3,5000, cc-
roulas francezas a I0GOO, camisas de meia a
H000; na loja da arara ra da Impe-
ratriz n. 3G de Mendes Guimares.
Ini|icralr u. 20.
Camhraias adamascadas com 20 varas a 8-5.
Hitas com 8 ditas a 25.
Hilas lisas com 8 ditas a 25.
Fil liso muito fino a 800 rs. a vara.
Chales de merino estampados a 1,5.
Madapolio entre-Ano com o viras a 8.5.
Casemiras linas de una s cor a 1500 o co-
vado.
Al-rodao monstro, superior fazenda para toalhas
e Icnees a 800 rs. a vara.
Id acaule de 10 palmos de largura a 1.5G00.
Grvalas de seda a 320 rs.
Oleados de diversas larguras c de ricos deseuhos
para mesas de jantar a 2-3 o cuvailo.
Flanclla.ljraiica muito lina a 040 rs. o covado.
Kiseadinhos de linho muito finos para vestuarios
de enancas a 400 rs. o covado.
Chitas escuras e claras, padrSes inteiramente
novos e muito finas a 400 rs. o covado.-
Laazinllas chinelas muito superiores a 300 rs o Tra,ICils "e a'gouao brancas e de cores a
covado, e outras militas qualidades de fazendas taiv,s com superiores obreias de colla .
precos milito coimnodos, afim de apurar dinheiro Bls'n.nas muito bonitas para guardar di-
ilando-se de tudo as competentes amostras. nheiro a...........
Grvalas (!( seda de diversos gostos a .
Tinteiros de vidro com superior tinta a.
Pares de luvas brancas de algodao a .
Carriteis de linlia com 100 jardas, bran-
ca a............
Fitas e cordoes para enflar espartilhos a
Caixas com clcheles francezes superio-
a 15440 c ..........
Pecas de litas de vplludo recortadas com
I lo varas a ....... .
( Caixas com muito superior papel amiza-
I de c outros a !........
Hassos com superiores grampos a. .
Canivetfc de aparai- penas a.....
Agulheiros com agulhas a.....
uzia de meias brancas para homem,
muito linas a.........
Duzia de incias pora senhora, fazenda
lina a............
Cornetas de cliiiv para meninos a /.
Escovas |iara linipar denles muito finas.
taralhos de cartas para voltarete muito
linas a...........
Ditas portuguesas a 160 e.....
Frascos de agua de Colonia muito boa a
400 e............
Ditos de oleo babosa a 240 e.....
Ditos com superior oleo de macaca a .
Ditos cotn superior macaca pcrol a .
Ditos com superior banlia"transparente a
Ditos com superior cheiro a. .
Ditos com superior agua celeste para
cheiro ........
1530
700
40
80
I5OOO
120 dem pelo, soffrivel, a i?>600 rs. a libra.
40 dem nacional, a l/Huo a libra (em latas).
loo dem nacional, a I-5G0O, a libra.
15800 ,'in lli"''"lul1' ordinario, a 1-5 a libra.
Champagne, marca guia, de superior qua-
lidade, a G'iO rs. a garrafa e 7,-5 o gigo,
com 12 gamito. Quem deixara de be-
ber champagne por u preco?
80Charutos de limitas marcas e a presos bara-
lissimos, sendo que ha de 80 rs. at
i;5 o cento, viudos do Rio, Bahia o de
Hespanha.
356OO Chocolate suisso de Lisboa e francez, a 800
80' rs-.e I-?.
200 Choui-icas e salpcete, a GiO rs. a libra.
30 Conservas inglezas'a 800 rs. o frasco.
5i) Ditas fracezas, a 300 rs. o frasco.
Cognac inglez, a GOO, rs. agarrafa e em
;'|0| canaila, a $.
^ dem engarrafados, a 800 rs.a garrafa.
200 Doces, em lindos vazos de vidro, das fruc-
8001 tas mais esquisitas da Europa, a I5 o
frasco.
Dito de Lisboa, em latas, a 300 rs. a lata.
Dito de goiaba, a GiO e 800 rs. o caixo.
Dito em latas muito proprio para prsenle,
500 j
15300
80
80
PENTES
0 novo gosto de pcnlinlios chegados ueste ultimo va-
por para a luja do vigilante, ra do Crespo n. 7.
300
500
300, 800 e l|o frasco.
Marmelada excedente a GiO rs. a libra.
Ostras americanas (exceilentc r I
rs. a lata.
Passas a kOO es. a libra, e em t as 1 .
Presuntos de Camego, a SM rs. a lil-ra.
Mein ingle/, para liamliiv viudo de ene
da, a 800 rs. a libra,
dem americano, a 300 rs. a ubre.
I1' ixe de l.isna Inglaterra e Xmmea,
parado conforme a arte de cnsioltii, m
tas de '2 a 3 libras, de ft#300 1 I
Pliosphoros 1I0 gaz. a -iS'ioo a gn ut.
Queijos londrinos chegados no attiino < ] 1
a 800 rs. a libra.
dem dem chegados no pennltm 1 vapor, a
640 rs. a libra. '
dem Hamengos chegados do ultimo va 1.1
J.SIM).
dem dem chegados no penltimo van 1, a
-2-2(K>.
Sal refinado em vazos de vidro. a 6M ra>
dem dem em v/.-s de lonca, .1 30<)rs.
Cerveja das melhores marcas que vei 1 ^.
mercado, a /, l|500, W.
^ t;/30 a duzia.
Sardinhas de Usboa preparadas de escabeja,
a 640 rs. a lata de grande lamatdio.
dem de Nantes, a 380 rs. a latinha.
Sabo massa de 120, lo. 160, 189, _'
210 rs. a libra.
Tinta preta narioi (rjea, a G50 1
garrafa, e 240 rs. o bbiio.
roucinho de Lisltoa, de mais de mei |
por 320 rs. a libra.
dem de Santos, a 280 rs. a libra.
dem am ricano, a r<. a libra.
dem inglez sec< o nofonieiro, m
ti dosos presuntos, a 640 rs. a libra.
Vassouras americanas
a 640 rs. cada nina.
Vellas de Buenos-Arres un caixas con?
libras, por G/.
dem de carnauba-e composio, a 3G0
rs. a lil 1,1.
dem do Aracaty, a iOO rs. a libra.
dem stearinas, a GOO e GiO rs. o ma- .
dem speemacete, a IJ a lil.ia.
Vinho Lagrimas o Douro, ueste ^
melhor qualidade que boje ven ao
mercado em gnalas brancas tom on
do autor em alto revelo no pi
previne-sc aos apreciadores que nesl
nero ha hoje mande falsilicaifu).
dem engarrafados, viudo parte dellosd
|iria e.na de diversas marc 1
Ihores adegasdo I'orto^ljsbta, dasu...-
cas: Maiieira, Canicies, Chmiss4>, Malva-
sia, Carcavellos, Duque doyurt 1
tiv-. e espera-se Indos osdiasno'
lidades, <1 800, I) e |r>280 a
dem do 'orto iialisa, a GiO rs.a -m 1.
dem de Lisboa e Kigueira viudo em ain
a 2(5/ de 8 a 9 caadas.

.
ti

garante-se sua duraco innalteravel por dem do Porto em garraioes de i I i
;spo
Voiiuhas.
Ditas de bataneo muito linas a.
Tesouras para cortar, pe/nienas e finas
30
80
iOO
80
35200
:Wo
65000
320
500
Oh! que pecliincha a 4rs.
nha de pedrinha branca e "de cores; s no vigi-
lante, ra do Crespo 11. 7.
t olus pretas.
Tambem chegaram voltas pretas Mara Pia
guarnecidas com urna eruiinha preta, e tamlx-m
se vende as Ouzinha* em separado : s no vtel-
lantc ra do Crespo n. 7.
Tamlx'in chegaram muitos outros obioctos de
gosto, assim como :
Meias de seda para criancinhas.
Cordo de borracha de todas as grossuras.
Vendem-se chitas francezas escuras com ne- 2*3!? branfa ,c,seda muito alva*
q!.-o .to,uo de mofo a 240 rs. o coSSo, S^^O^^ "^^
oius mgiezas com pequeo toque de mofo Escovas muito finas para denles, cabo de marfim
a zuu rs. o covado, pecas de ditas francezas ,>iUls iKira Ul,nas e r-
com pequeo toque de mofo a 8000 ne Carteiras e 'haruteiras muito finas,
cas de ditas inglezas escuras cores fi'mm {'"t''s 'lo. 2 c.-3 fac.es' ,de ^ am,alida(1<,s-
pequeo toqi.e de mofo com S covdos^ **&&* ?*** ^-^ dC **" 8 7)J300, ellas freguezes antes que se a ca-
bem: na loja da arara ra da Imperatriz n.
3G de Mendes Guimares.
Madapolo francez enfestado a
4 #000.
Vendem-se pecas de madapolo francez fi-
no enfestado com 12 jardas a 4 e 44300,
dito inglezes fino do 24 jardas a 7& 8& 90,
qua-
,e 10)51000, pecas de algodo encorpado a 4#
] 40300, ) e 6l; na rua da Imperatriz n. 5rJ.
lidades, c muitos outros objectos que se rende-
rao por nrecos baratissiuios: s no vigilante,
rua do Crespo n. 7.
r S mi vigilante, luvas de Joavin.
Chegaram nesle ultimo rapor as verdadeiras lu-
is de Jimvin. tanto para homem como para se-
A FLORIDA,
Rua do Quelinado n. 33, esqui-
na que volta para a Congrega-
cSo, vende-se:
Cambraia de seda Florida a 800 rs. o
covado.
LJzinhas para vestidos a 400 rs. o covado.
Organdys, sendo a 19 rs. a vara : man-
dan ver as amostras para conhecer a pe-
chincha.
Estampas Onas.
Na loja da Aurora, na rua larga do Rosa-
rio n. 38, recebeu-se vario sortimento de
estampas de diucrentes santos.
Toalhas, guardanapos, meias
de linho.
Vende-se na rua do Crespo loja n. 8, es-
quina da rua do Imperador, as melhores toa-
iws ae uniio e de algodo, meias finas de h-
nho para homem : por preco commodo.
CAL DE LISBOA
Venile-se^n nova de Lisboa na rua da Cadeia
n; 00, escri])torio.
ementes
pralto novas de hortolice : na rua do Queimado
numero 47. *
mais de anno.
HiO Farinha de Maranho, a IGO rs. a libra.
100 Dita de trigo, a 140 e IGO rs. a libra;
Fructas francezas de diversas qualidades, em
frascos de vidro, preparadas em alcool,
proprio para podim etc., a l,% o frasco.
Fumo americano, em pastas, a l#280 o
libra.
Gomma do Aracaty, a OO rs. a libra.
Dita do Aracaty, a 40 rs. a libra.
Graixa em latas, a 120 rs. e a duzia, 1/300.
Genebra laranja, em grandes frascos, a I1.
Geuebra ingieza, marca gato, a" I:>i00 o
frasco ou garrafa com rolha de vidro.
Garraioes varios, de G4() a 1200 cada um.
KUsck-wasser, bebida esta de um valor inex-
timavel, em vasos esquisitos, a I^SOO.
Licores inglezes e francezes dos melhores
fa I tricantes, a 500 e 800 rs. a garrafa.
Linguas americanas de grande tamanfo (em
calda), a I/.
Linguicas de Portugal, em latinhas de 3 li-
bras, a 3300 a lata.
Massas para sopa, em caixinhas com 8 libras,
contendo 3 qualidades, por 35300 a caixa.
Ditas para sopa, esfrelinha e pevide, a 5G0
rs. a libra.
Dita de tomate, a 040 rs. a libra.
Manteiga ingieza em potes de 10 a IG libras
a 800 rs. a libra. ?
dem dita lora 14 ahora.
dem de 21 qualidade a 803 rs. a libra.
dem da 3* qualidade a 640 rs. a libra.
dem para tempeiro a 400 rs. a libra.
Idt-m franceza a 640 rs. a libra, e em bar-
ril por menos.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
Mortasda ingieza em frascos grandes a 800
rs.
dem franceza em frascos grandes a 300 rs.,
Mlhos inglsenlos melhores fabricantes a
garrafas, por 2*300.
dem da Figueira em garrajesde 41/4 a 5
garrafas, por oioo.
dem ili Lisboa e Figueira de 320. 100,
e 500 rs. a garrafa, e em caad. 1
ahatimento.
dem Bordean engarrafado, a 640 r?. 4
garrafa, em duzia a "500.
Vinho do Porto muito lino em caixas cun
garrafas, a 8, IO& l e l-'lj das -
Ihores marcas que veno ao nosso m *
Vinagre de Lisboa em garraioes de 4 I 2 a
5 garrafas, a l^OO com o gamnV.
Avclaas a 200 rs. a libra.
Arroz da India a 100 rs. a libra.
Biscoutos de Lisboa em latas, pruprna ,
do.-rites, a l$M) e 3) a lata.
Batatos a 80 rs. a libra.
Copos lapidados para agua a 65 a duzia.
Chumbo de todas as grossuras a 0> a arro-
ba.
Caf muido de superior qualidade a 4
a libra.
Fio de linho muito proprio para rntrar. a
480 rs. a [l*a. '
Farinha de trigo em barricas e meias, de to-
das as marcas e qualidades.
Genebra de Ilollanda em gan-afes enm 1
caradas, por 6$500 com s garrafao.
dem idem em fras por 6/500
-Manteiga linissima em latas conten.1
logramma ou 2 libras e I 4 liquido, por
1^1800 a lata.
Queijo suisso, a 800 rs. a lib:
Rap princesa do Rio: grossdpteio gr.
e lino.
Tainhas das Alagas a 12ocento, o 140
rs. cada urna.
Vinho branco de Bordeaux (Sauterns) a 8#
e 10;> a duzia, e 800 a lfj a garrafa,





iii^iiiriiiMn *,


Diario de PernamtHieo 9etf* feira 1* de ftilho de i*3.
SOSTIME]\TO de molhados.
1
'



/


.5 e NB
i
A 1 41
i * 3 9a
-
R a ti
m
3R
B
SS
e
s
-
na
S
w
o
o
P5
I
W
H
<
Q
i
o


9
-
N 3
e
!
I
o
* 1
1 1
S 9
e ir
a -
-3
>- e
t a
-I
11
* .1
0 fl
1
s 3
1 b
~ o
S
= *

a
I
i
9
O
48 .
|
9
. a
i
2 |
M
iil
a i
V 5 ?
m q
e S
2 I l
1
1 B
E

a

5
] Vinho em pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a 400,
480 e 56U rs. a garrafa, em caada a 25800, 34 e
35300 rs., alianca-sc este genero conservar-se
perfeito seis oito niezes, o que raro ser outro
qualquer afianzar.
Lagrimas do Donro, ospeeial vinho do Porto, a 15
a garrafa e 105 a caixa, o preco nao indica a
qualidade deste precioso vinho, porem tamban
nao 6 rom imposicoes de preco que se prova ao
respeitavel publico a superior qualidade, este
genero de comnuun se manda vir de conta pro-
pria, e por isso podemos vender por menos do
que outro qualquer annunciante.
Vinho do Alto Douro, das marcas mais acreditadas
e especialmente escolhidas por pessoas entendi-
das deste genero, como sejam Camoes, Duque do
Porto, D. Luii, Carcavellos, Cbamisso & Filho,
Madeira secca, Feitoria, a 900 rs. a garrafa e 95
a caixa rom 12 garrafas.
Garrafoes rom vinho do Porto, contendo 5 garrafas
por 253OO.
Vinho branco de Lisboa, propriopara missa, vindo
j engarrafado de Lisboa, a 640 rs. a garrafa,
dito de barril muito superior, a 500 rs. a garrafa
e 352OO a caada.
Ameixas francezas em caixinhas de 1 e meia, 2 e 3
libras, elegantemente enfeitadas com diversas es-
tampas na caixa exterior, a 15400,15800, 25500
Figos de comadre em bauzihos de folha, muito
proprios para mimo, a IfOOO.
*
dem em caixinhas forradas de papel de differentes
molduras, a 15400.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia e 3 libras
por 15400 e 25600.
Passas de carnadas as mais novas que ha no merca-
do, caixas de 1 arroba a 65, e a retalho a 400 rs.
a libra.
Massaspara sopa muito novas: pevide e estrellinlia,
a 560 rs. a libra.
Han a mais nova que ha no mercado; talharim e
aletria, a 560 rs. a libra.
Macarrao, a 320 rs. a libra.
dem o mais novo que ha no mercado: talharim e
aletria, a 560 rs. a libra.
Figos de comadre em caixa de 8libras muito novos
. a 15800 e a retalho a 180 rs. a libra.
Slalo em latas eem postas liermeticamente lacra-
i das, a 800 rs.
Lagostinhas em latas grandes, a 15400.
Savel, corvina, chernc, congro, linguado, vezugo,
guras, pescada, peixe espada, preparado pela pri-
meva arte de conaa, a 15300 a lata.
Queijos flamengos do ultimo vapor, a 25400.
dem do vapor passado, a 25200.
dem prato, o mais superior que tem vindo ao mer-
cado, a 740 rs. a libra.
Doce da casca da goiaba, caixao grande, a 640 e
I 800. rs. cadaum.
Chouricas do reino a mais nova do mercado a 640
rs. a libra.
Paios de lombo, vindos do Porto de casa particular,
a 800 rs. a libra.
I Bolaclnhas inglezas a mais nova do mercado a
240 rs. a libra e 35000 a barrica com urna ar-
roba.
dem de soda de diversas qnalidades, a 15460, di-
tas grandes proprias para lanch com 5 a-e li-
bras por 25*00.
Marmelada imperial do fabricante Abreu ou de ou-
tros muitos conserveiros de Lisboa, em latas4 de
1 e meia e 2 libras, a 600 rs. a libra.
Ervilhas francezas, a 500 rs. a lata.
dem portuguezas, a 640 rs. a dita.
.-
Maca de tomates, a 600 rs. a libra.
Mantejga ingiera perfeitamente flor, a 800 e 15 a
libra, neste genero existe sempre aberto dispo-
sicao dos freguezes dous a tres barris de man-
teiga flor, salvo quando por infelieidade acntela
a factura vir composla de segunda e terceira
qualidade, que para melhor satisfazer aos fre-
guezes torna-se necessario ter mais do que esta
porcao de barris abertos, jxtrm antes nos Ihe
danios a devida applicacao para tempero, que
venderemos a 320 rs. a libra. .
dem franceza a mais nova do mercado, a 680"rs. e
em barril se faz abatimento.
Amendoas confeitadas, a 800 rs. a libra.
Chouricos, mouros vindo de casa particular, a 640
rs. a libra.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa, a 160
rs. a libra.
Avelaas muito novas, a 220 rs. a libra.
Amendoas de casca mole muito novas a 280 rs. a
libra.
Toucinlio do reino a 360 rs. e 105500 rs. a ar
roba.
Sardinhas de Nantes, a 360 rs. a lata.
Azeite doce de Lisboa, a 640 rs. a garrafa c 45800
a caada.
Vinagre de Lisboa, a 2i)0 rs. a garrafa e 15200 a
caada.
Campagne das marcas mais acreditadas a 85000
e IO5OOO o gigo, e 800 rs. e 1-5000 a garrafa.
Cerveia preta da marca Tenent ou XXX, a 45 e
45500 a duzia, c a 400 rs. a garrafa.
dem branca da marca cobrinba .ou Tenent, a 45
e 4530O rs. a duzia, e em porcao se faz abati-
mento.
Genebra de Hollanda em garrafoes com 16 garra-
fas, por 65500 rs., aanca-se ser verdadeira.
dem em frasqueira, a 65500 e a 560 rs. o frasco,
ldeu de botija em barricas com 4 duzias a 430 rs.
cada urna.
dem de laranja em frascos grandes, a 15200, ga-
rante-sc ser verdadeira da Italia.
Marrasquinho de Zara, a 720 rs. o frasco.
Licor francs de todas as qualidades de fabricantes,
em garrafas brancas de vidro, a 720 e 800 rs. a
garrafa.
Vinho Bordeaux as melhores qualidades que tem
vindo ao mercado, a 720 e 800 rs. a garrafa, e
j em caixa a 75300, 5OOO e 85200 rs.
Azeite doce refinado do fabricante Pelanol, a800 rs.
a garrafa.
Conservas inglezas sortidas ou de urna s qualida-
de e da verdadeira, a 800 rs. o frasco.
Araruta verdadeira, a 320 rs. a libra.
Gmma de engommar muito alva, a 800 rs. a li-
bra.
Palitos do gaz, a 25:100 rs. a groza e 20 ris a
caixa.
Toucinho de Lisboa, a 320 rs. a libra e 95500 rs.
a arroba.
Sag muito novo, a 200 rs. a libra.
Cevadinha de Franca, a 160 rs. a libra.
Cevada nova a 120 rs. a libra, e 35500 rs. a ar-
roba.
Macarrao e talharim, a 320 rs. a libra.
Aletria muito fina, a 400 rs. a libra.
Arroz Carolino, muito alvo c grado, a 120 rs. a
libra e a 35200 rs. a arroba.
Gaf do Rio o mais superior que se pode desejar
neste genero, a 320 rs. a libra.
dem idem de segunda e tereeira qualidade, a 280
e 300 rs. a libra, e em arroba ou sacco a 85200
e 84400.
Velas de carnauba refinada, a 320 rs. a libra e
105000 a arroba.
dem de spermacet, a 640 rs. a libra.
Chocolate hespanhol a 15, a libra,
dem francez, a 900 c- 15 rs. a libra.
Cha perola o mais superior do mercado por ser
vindo de encommenda propria a 25880 rs.
Cha hyson, melhor que se pode desejar neste ge-
nero, a 25300 rs. a libra.
i dem nacional em latas de 1, 2 e 3 libras a 15400
ris.
dem huxim, a 25200 rs. a libra.
Gh preto lioimepatliieo o mais excellente que tem
vindo ao mercado, a 25 a libra.
Graixa em latas grandes, a 3$>300 a duzia, e 120
rs. cada urna.
Presunto verdadeiro de Lamego em calda de azei-
te, a 560 rs. a libra.
Vassonras do Porto arqueadas de ferro, obra de
umita duraran c utilidade, a 400 rs.
Charutos de S. Flix do fabricante Furtado de Li-
ma ou de outros muitos fabricantes da Babia, a
25OOO, 255OO, 35000, 3520O, 35500 e 45OOO rs.
a caixa, ou em meias por metade do preco.
dem Mississipes imperiaes, a 35000 rs.
dem Ypiranga ou Flor do Rio, a 35200 rs.
dem Guanabaras ou Havaneiros, a 25800 rs.
dem Flor da Matta ou Regala imperial, a 25500
ris.
dem Flor do Norte ou Londres imperiaes, a 45000
ris.
dem superiores em quantdade e de todos os fa-
bricantes, a 35000, 35500 e 45000 rs. a caixa.
Potaba ta Russia.
Ycnde-se em casa ile N. p. Bicbcrd C,
suceessores, roa da Cruz 11. *.
Ra da Senzalla S n. 42.
Neste estabteciraonto veodem-se: tachas de
ferro coado lihra a NO rs., idemdeLow
Moor libra ai20rs.
I.ialias maclas o lustrosas para
bordar
vendem-se na luja d'aguia branca ra do
I Qtioimado n. 8.
: Xovissiuios e bonitos enfeltes
para cabeeas.
FAZENDAS.
\ovo estabeleelmento de Custo-
dio. Carvalho V e.'
27Ra do Qurimado27
Preco barato 260 rs.
Superior fusto francez; proprio para
GAZ.
No amaten fle looea da porta buega, ra larga
d Rosario n. 26. venuein-se latas coin-5 galios de
gx.: a l-5. assim romo totas d<> 3 gamba, e em
garrafas limito em coma ; garante-se a qualidaile.
Vende-se ama taberna com poneos
fundos sita no Barro-Yenaelbo, na entrada
do enwnlio Ucba: 1 tratar 11a mesma.
Quando o bello sexo senta a falta de bons roupa de senboras e meninas, de lindos de-
enfeites para cabeca, eis que a agn branca zenhos e pelo barato preco 'de 200 rs. o co-
reeebe urna sua encommenda de bonitos e vado.
Madapolo
Madapolao fino enfestado, com 20 varas,
delicados enfeites, e de modernissima moda,
muito servmdo isso para sanar aquella falta,
e fazer rom que as xmas. apreciadoras da' a 8?> a peca.
! bella empreza Coimbra jiossam melhor real- j Organdjs.
Isar e mostrarem o apurado gosto que as] Finos organdvs matizados, a 210 rs. o co-
Igoia. Esses enfeites sao d'um tecido lias- vado.
taute fino com continbas d'an> e mui bem cortes
enfeitados com flores, filas, bicos, plumas de collete de fustao fino, para roupa de m-
ate., entretanto que sendo obra de muito nios, a 320 rs.
La fina para bordar.
A aguia Inania acaba de receber omcom-
pleto sortimeiiio de Uta fina para bordar, cu-
ja variedade de agradavefa cores foram es-
cohidas dSim grande li\i d'ainostras que o
nbrcante offereceu a aguia branca, viudo
entre ellas alguma raesclada; assim pois onde
os pretendentes melhor se podem sortir des-
se genero, na alegre e espaeosa toja d'a-
guia branca na do Queunado n. 8.
Ieutes de aljofares
A loja da aurora da ra larga ilo Rosario 11. 38,
receben riquiaeinos padee de aljofares para atar
cabello e uiaafo, tambem receben a verdadeira
tinta franceza que escreve azul e depota tica preta,
em fraseos de ifliBrentcs tamaitos, rcsponsabili-
sando-w pela qualidade.
A AtlIABRAMA
Receben pelo ultimo vapor o
seguinte: ^
Bonitas pulsen-as de cabello, coral, e cora-
lina.
Fortes e bonitas ligas de seda para senboras.
O'itras estreilas para meninas, ou manguitos.
Garteiras com agulhas.
Agulbens para enfiar, e agulhas cantfas".
Tni'ieelius e litas de borracha.
Carriteis e/na tonal de todas as cores.
Massos e lios de coral.
E -punjas finas para rosto.
Pentea de tai-taruga virados, com lago c
bao.
fnfeites de rede para conservar os cabellos
bem atados.
'Aspas e coz para balo.
Fitas com colxetes para vestidos.
Trancelins chatos de lia para enfeitar vestidos.
Papel e folhas para rosas.
Lamparinas francezas.
Irancebns grossos para relogios.
Escovas cabo d'osso, marfim e madreperola
para dentes, unhas, limpar pentes ejoias.
futras finas para roupa, chapeo, cabello etc.
itras de velludo para chapeos.
rtas para papis.
padeiras e faca de marfim para ditas.
& toras e dminos.
Lnvas de caninrea.
."endem-se mui linas luvas de carmuga
branca e aniareila; na ra do Queimado n. 8
loja d'aguia branca.
Baratlssimas bandeljas.
A aguia branca por militas vezes tem da-
do a eaahecer que quando acha alguma pe-
(hincha, nao qu ir somentB cora ella encher
o papo, ao oOBtrario deseja que toda su boa
freguezia e o publico em eral prvem da
mesma, o que agora mesmo acontece com
essas; baratissimas bandeijas, cuja limitaco
de presos admira, em relacito aostamanliose
qualidades: avista do que convm todos a-
proveitarem-se dessa opportuna occasio e
proverem-se d'um liaste sempre necessario,
e que Ibes costara quasi metade do justo va-
lor. Assim, pois, dirigirem-se com dinhei-
ro alegre e espaeosa toja d'aguia branca
ra do Queimado n. 8.
JLencos brancos com barras de
res para meninos.
A loja aguia branca recebeu um novo
sortimento de lencos brancos com barras de
- cores para meninos, e com quanto esses
vinam memores, maiores e perfeitamente
quadrados, com ludo continam a ser ven-
didos pelo antigo preco de 1$ a duzia: n.
ra do Queimado na alegre e espaeosa loja
d'aguia branca n. 8.
gosto custam o>, G# e 75 dinheiro vista:
na espagosa e alegre loja d'aguia branca ra
do Queimado n. 8.
lllcns giiarnlces de pentes e
nvellas para cintos.
A aguia branca recebeu novas e ricas
guarnicoi's de pentes "dourados, e cora pe-
dras; assim como outras bordadas froco e
cora bolas pendentes, novidade essa que s
se acha em dita loja, e que na verdade se |
llr.'Umlia. '
de linho fino, pecas, a 5300.
Lcnrcs
de linli) fino, pelo barato preco de 2.">.
l'.nhprlaH
de chita chineza, a prego de 2-s.
Calcinlias
de linho para senboras e meninas, a 000*
800 el A.
(ioliulias.
(lalcinhas bordadas para senhoras e meni-
lornam mui alegres e bonitas; e bem assim; ms' pe)o barat0 prep0 (le 25500
recebeu lindas livellas com pedras, e ditas Rramani
torn
receben lindas livellas com peinas, e unas Bramante
daoo com noyos e engragados moldes, cintos 1 do ,inho com ,0 e imo. do ,argura>
lourados c de marroqmm; e mudos outros! g^goo, 25 e 2^500.
objectos de gosto para senhoras serao encon-
trados na alegre e espagosa loja d'aguia
branca ra do Queimado n. 8.
Apreciareis extractos.
As Exmas. senhoras que bem sabeni co-
nhecer e apreciar os odorferos extractos, e
as finas pomadas que se vendem na loja d'a-
guia branca, nao se demoran era mandar
comprar desses agradaveis e escolhidos chei-
ros Georg 4", principe Alberto, marecbal,
bouq. d'imperatiiz, mil flores, jasmim, ge-
lanium, vilete, jock club, sndalo etc. etc.
Nesses finos cheiros nao ha melhoria sym-
palhias, por isso ser bom que urna compre
Laa.
Lindas las para vestidos, a O rs. o co-
vado.
Lencos de cassa, a 1S600 a duzia.
Cortes
de meia casemira para caiga, a 25 cada ura
corte, propria para a presente estago.
NO AIUMZEM DE FAZENDAS BARATAS
DE
%A\iO C Oi:i.llO
Una do Queimado 11.19.
Vende-se o seguinte :
C'obcrtas
dessa qualidade, outra d aquella e assim por de chi,a (]a ,udi a 2:()00 R
diante, mas que reunidas em alegre assem- j Lenccs de panno
bla faga cada urna com a forga de sua elo- t^e jm|10 a ^-qoq rs
quencia prevalecer o bom gosto de sua es-1 ences "de bramante
coma. Isso na verdade sera agradavel e m-1de nh ([e s 2:8o0 rs
teressante, com tanto porem que os cheiros se-, um alcchodas
jam comprados na alegre e espagosa loja d'a-
guia branca ra do Queimado n. 8.
Lindas caixinhas com anos extractos, mni proprias
para presentes.
A aguia branca vende lindas caixinhas
com espelho e paysagem, ns. emeima, e finos
. extractos dentro, com as quaes se faz um bello
1 presente, assim pois o pretendente dirija-se .
! com dinheiro alegre e espagosa loja d'a- Pel baratissunopreco dej:5oo rs.
guia branca ra do Queimado n. 8, que ser
! satisfactoriamente servido.
GR40 LIOU!CAO
S M YlblLAYTE
Ra do Crespo n. 9.
Tudo ser vendido por pregos baratissi-
mos, como seja:
Chapelinas, a 4:000 c 0:000 rs., as que se
vendiam a 13 e 10:ooo rs.
Toiiqiiinhas para criangas, a 000 rs.
Ditas de linho, a Goo rs.
Ditas de fil de seda, a l:ooo rs.
Ditas de merino com algum defeito, a ioo,
800 e l:ooo rs.
Ditas de seda, a .2, 3 e 4:ooo rs.
Dilas de laa, a 3*0, 4oo e 5oo rs.
Enfeites de retroz para meninas, a 800 rs.
Meias de cores para menino a 2:000 a duzia.
Manguitos para senhoras, a l:ooo o par.
Gollinhas bordadas, a ioo, oo, 800 e 1:00o rs.
Trangas de linho, la e seda, a Goo, 800, loo
c 12o rs. a vara.
Franja de linho, de la e de seda, a Oo, 80,
loo, 12o e2oo rs. a vara.
I,eques.
Leques de sndalo e madreperola muito fi-
nos a lo e 12:ooo rs.
Ditos cliinezes, a 6 e 8:000 rs.
Ditos charo, a 4:00o rs.
Frco de seda.
Frco de todas as cores, a 10o rs. a pega.
Dito de la, proprio de botar em tapete, a
2:ooo rs. com 10 varas.
Franjas pretas.
Franjas largas pretas, proprias para enfeites
de capa ou mantelete, a 2:ooo rs. a vara
da que se vende a 0:ooo rs.
lina do Crespo 11. 7.
Isto s no Vigilante, que quer diminuir
o grande deposito que tem, por isso a sua
boa freguezia-deve-se .sortir antes que se
acabe, pois, aflianga servir a vontade do
comprador.________________________
J se nao vende dase
!L
para mo, pelo baratissimo prego de a:ooo
rs. a duzia.
Riros vestidinlios
de seda para meninas, pelo baratissimo pre-
co de 4:ooo rs.
Lencos de seda
pelo barato prego de l:ooo rs.
Saias de fusto
Agua da Colonia em garrafas
grandes e pequeas.
A aguia branca recebeu um variado sor-
timento de garrafas grandes e pequeas e de
Lencos de eambraia
brancos finos, proprios para algibeira, duzia
a l:8oo e 2:ooors.
Lencos de cassa
finissimos, proprios para algibeira, pelo ba-
ratissimo preco de 2:4oo rs. a duzia.
Cortes de falca
diversos e bonitos moldes, com excellente de ganga mesclada, de listas e de quadros,
agua da Colonia ; assim como frascos de vi- fazenda superior, pelo baratissimo prego de
dro maiores e menores com dita, e como 1 :too rs. o corte.
geralmente sabido a commodidade dos pre-1 Pecas de madapolo
eos continua a ser observada na espagosa e j hirgo superior, pelo baratissimo prego de
alegre loja d'aguia branca ra do Queimado 8:000 rs.
n. 8, para onde chama-se a concorrencia dos
freguezes que costumam comprar dinheiro.
Aromticos pos d'arroz.
A aguia branca acaba de receber um ex-
plendido sortimento de lindos e agradaveis
vasos de porcellana dourada, crystal e metal
Pecas de bretanha
de rolo com lo varas, pelo barato prego de
3:2oo rs.
Petas de eambraia
de salpicos, fina, com 8 1/2 varas, pelo ba-
rato prego de 4:ooo rs.
Atoalhados de liuho
; com nonecas, e finos e aromticos poz dar-mgfalmos de largura proprio para ^
roz; assim como pacotes cora dito, cuja pro- de^eza> a 2:5oo rs. vara.
veitosa utilidade e bem conhecula: os pre- Toalhas
; tendentes pois, dirijam-se com dinheiro ale- de MlQ a 3:000 rs
gre e espaeosa loja d aguia branca ra do 1* Bureare
Queimado n. 8 que serao servidos e contentes. I de ndosgostos> pelo barato prego de 48o
Os afamados copos com banha. e rs. o covado.
boles com Inscrlpces. Esleir da India
Chegaram novaraente para a aguia branca ^ {f de Mtt de 4> 5 e 6 ^
esses afamados e estimados copos com banha "Kaut- b wrnrift-------------------
fina; assim como os bonitos boies de por- j BOM INLOOLIO.
cellana dourada tambem com banha, e novas Vende-se urna taberna em muito bom lu-
inscripvoes maviosa's e jocoserias, mui ade- gar no Recife com pouco fundos illuminada a
1 (juado para presentes resta porem que os apre-; gaz, a dinbeifo e praso, e tambera se vende
1 ciadores concorram, munidos de dinheiro, \ a armacao s com seus pertenoes, o motivse
' alegre e espagosa loja d'aguia branca ra do. dir ao comprador : a tratar na ra da Sen-
! Queimado n. 8. i zulla tema n. 46, deposito.
No afierro da Boa-Vista n. 03, vende-se
gaz da melhor qualidade, refinado, purifi-
cado, pelo barato prego de 12$, galo
2(>500, garrafas trazendo vazia 500 rs., val
a pena, pois, duas passadas. A elle antes
que se acabe: quem quizer em porgo da-se
mais barato.
Gaz liquido 1
Vende-se na nova exposigo de candiei-
ros a gaz, na ra Nova n. 24, latas de gaz
de 1.a qualidade e nao inflaminavel, a 12#,
contendo cada lata 27 garrafas, que muito
convem a quem gasta este liquido: na ra
Nova n. 24, loja de Carnetro Vianna. -
Farinha 4e mandioca
em saccas grandes, e de superior qualida-
de : no armazem de Tasso limaos, ra do
Amorim n. 35._______________________
JLinguas inglezas
em salmoura: no armazem de Tasso Irmos,
ra do Amorim n. 35.
RA DO QUEIMADO N. 46
m* iiTOiiro
DE
I AZKVIIAS jE ROITPAS I-FITAS.

Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 25-jl, 285, 304 e 355. rasad*
muito bem feitas a 255, 285, 305 e 355, paletots acasacados de |>anno preto de lfi ale
255, ditos de casemira de cor a 155,, 185 e 205, paletots saceos de peumo e r-
-mira de 85 at 145, ditos saceos de alpaca, merino e la de 45 at 65, sobre alpaca e
merino de 75 at 105, calcas pretas de casemira de 85 at 145, ditas de cor l 7* at
155, roupas para menino de todos os tamanhos, grande sortimento de muas de brini.
como sejamcalcas, paletots e colletes, sortimento de cohetes pretos de metim, cajena
e velludo de 45 a 95, ditos para casamento a 55 e 6*5, paletots brancos de (tramante a 45
e 55, calcas brancas muito linas a 55, e um grande sortimento de fazendas finas e moder-
nas, completo sortimento de casemiras inglezas para Itomem, menino e seuliora, cenmlas
de linho e algodo, chapeos de sol de seda, luvas de seda e de Jouvin para Itomem e se-
nhora. Temos urna grande fabrico de alfaiaU;, onde rccrlx-mos eiinimmetHl.lS ib' iranes
obtas, que para uso est sendo administrada por um Itabil mestre de semelhante arte e nm
pessoal de mais de cincoenta obreiros escolhidos, por tanto executamos qualquer obra com
promptido e mais barata do que em outra qualquer casa.
FAZENDAS DE BOM GOSTO.
Lindos cortes de la de barra Imperatriz, ditos de la com larra matisa-
da, ditos lisos com palmas de seda, lindas las de cores malisadas a 500 rs. o
covado, ditas com palmas de seda a OiO, 700 e 800 rs. o covado, cortes de
seda de cor matizada os mais superiores que tem vindo ao mercado, lindos
cortes de mor-antique de cor linda, gorguro de la e seda de quadrinbos e
lisos, fazenda inteiramente nova para vestido.
Superiores cortes de blond branco para noiva, camisinhas de eambraia
lardadas, brancas e de cores, lindos sautamliarques de* cachemira de cor enJei-
tados e bordados da mesma cor, ultima moda em Pars, superiores chapeos
de palha da Italia, enfeites de llores, capellas brancas e outras militas fazendas
de gosto que seria enfadonho annunciar: na ra do Crespo n. 13, loja das
columnas, de Antonio Correa de Vasconcellos A Companhia.
APPROVA^AO E AUTORISA^AO.
DA
Academia Imperial de medicina
Jiuit renlral de lirgiene pnbliea
VENE-SE UM GUAKUA VESTIDOS
de cedro novo, de armar e desarmar, rauito
baratos na ra da Assumpgo n. 34.______
N4IMLII4
Sao cliegados os chapeos de maniflia, os melho-
res c mais linos que tem vindo a este mercado :
na loja de Maia Irmos no arco de Santo Antonio.
Vende-se um sitio com casa perto do Bebe
doro, da estrada nova do Cachamj, c da munici-
pal para a Vanea, com boa baixa para capin,
verduras, etc., e terreno para outras lavouras, j
em parte plantadas, com muitos c diversos arvo-
redos de boas fructas, tem boa agua de beber e
para banhos no fundo do sitio do dito riacho Be-
bedro, o qual corrente todo o anno ou troea-se
por urna escrava tornancto-sc o excedente do valor
em dinheiro : quem pretender, dirija-se ao dito
sitio, ou na Estrada Nova, a fallar com o seu dono
Jos Paulino de Almeida Catanlw, ou annuncie a
morada para ser procurado.___________'-**
Vende-se um terreno c#m 300 palmos de
frente o 250 de fundo, na ra da Ainizadc na Ga-
punga Nova, os quaes se retalham, havendo con-
currentes : a tratar na Soledade, ra da Esj)eran-
c^a n. 16, ou ma do Imperador n. 81, pnmeiro
andar.___________________________
Taberna.
Vende-so a taberna da ra do Codorniz n. 3
com noueos fundos, c a casa tom commodos ira
morada, e o aluguei barato ; o motivo de- se ven-
der seu dono estar doante e precisar sabir para
o mato para se tratar.
Vende-se sal de Lisboa a W> r*J cuta ; na
ra da Lingoeta n. 14.
ELECTRO-MAGNTICAS J1IMSPASTICAS
DE
RICARDO KIRK
Para serem appcadas s partes affectadas. sei
nem Incommodo
Muito couhecidas nosta cOrte e em todas as pro-
vincias deste imiierio, pelos seus infalliveis resul-
tados em todos os casos de inflammacao, sejam ex-
ternas ou internas (com cansara e falta de respi-
racaoj como do estomago, ligado, baco, bofes, rins,
tero, peito, palpitacao de coracao, gargantas,
olhos, ervsipellas, rheamatismos, paralysia, e todas
as affecces nervosas, etc., etc.
lguanente para quaesquor iachagoes, endas,
tumores intestinaes e venreos, scrophulas, lobi-
nhos, papos, etc., etc., sejam qual for o seu tama-
nlio e profundeza, por meio da supuracao serao ra-
dicalmente extirpados.
(Estas chapas nao podem fazer mal de forma al-
guma, ellas tem sido applicadas aos olhos com o
melhor successo, vejam-se os attestados de curas
completas que j foram publicados pelos jomaos.)
O uso ellas aconselhado e receitado por habis e
distinctos facultativos, sua elDcacia incontostavel, e
as innmeras curas compltamela* "Midas
versas molestias em i|ue foram appliradaa, e _
merecer conservar a conlianca rt iHn-
blico, qne j ti ve a honra de erewi rik 8 sa-
nos de existencia e de pi tica.
N. B. Nesta corte e de todas os
imperio recebem-se participaeSes s
respeito das ditas chapas metbeinaes.
As eneommendas das prwimim
rgidas por escripto, com todo o
as necessarias explkaroes, se as
homem, senhora, menino ea em^-,
molestia e em que parte do corpa existe.
Para inchaedes, feridas, lobinbos,
molde justo de seu tamanho em !> i-
pel, a deelaraeao onde existe, a#n d^^s a
seja da forma da parte affectada, e pan qw
ser bem applirada em sea logar.

.
filil
nrpa existe.
ada,epanwptM
PODE-SE MANDAR VIR DE QUALQUER PONTO DO IMPERIO
DO BRASIL
As chapas serao acompanhadas das suas com- Consulta s pessoasqoe se di|
potentes explicagoes. e tamltem de todos os accee- eom a sua conflaaca, todos cMh,
sorios necessarios para suas applica^oes. Idas 9 horas da manhaa as \ da tarde.
ESCRIPTORIO
A. 119 RA DO PARTO M fifi
E EM PERNAMBCO
ommendas ou nforroae5es dirijam-se i, pharnucia de los Unun
ra do Queimado n. 18.
i


Diarlo de Pernanibuco Terea felra 14 de ruino de 183.

-i

I
GRANDE ABMAZEM
AE
t2K3s&OTS^
PROGRESSIVO.
E
N. 36, RIJA DAS CRl'ZES N. 36
DO
balrro de *an< Antonio.
0 proprietario do muita acreditado armarem denominado Progresista lendo
jempre em vista fazer tudo o que for possivel para bem servir aos seus freguezes, tem
deliberado vender os seus j bem conhecidos gneros de primeira qualidade pelos precos
abaixo mencionados, e affianca s pessoas que mandarem comprar por seus criados ou
escravos, serem to bem servidas como vindopessoalmente; encarrega-se de aviar qualquer
encommenda, ainda mesmo contendo objectos nao proprios deste estabelecimento. O
mesmo pede aos senhores que mandarem comprar neste armazem o favor de mandarem
devolver qualquer objecto que nao agradar, devendo os mesmos senhores ter toda atten-
co cora os seus portadores, fazendo-lhes ver que s no armarem Progressista da ra das
Crutes n. 36, que se vendem os melhores gneros por mais barato preco, porque estes
murtas veres olvidam-se e vo outra parte onde os servem de maneira a desagradar este
estabelecimento.
1M g-Uil
S NO ,
9--LARG0 DO CARMO-9,
DE
1
Os proprietarios deste espeso e |em sortido armazem de molhados partici-
pan! aos seus freguezes que acabara de 'receben de diversos portes da Europa o inais bel-
lo sortimento de molhados, todos primorosamente escolhidos, os quaes vendem-se por
muito menos do que outro qualquer annunciante, obrigando-se os proprietarios a garantir
todos os gneros sabidos do seu muito acreditado armazem.
DE
Eduardo Marques de Oliveira & C.

*
=4.

Manteigai ngleza a libra,
dem de 2.a qualidade, a 800 rs. a libra,
dem franceza, cbegada ltimamente, a 040
re. a libra.
Batatas muito novas, a 2* o gigo de arroba
e 80 rs. a libra.
Queijos do reino, cliegadospelo ultimo vapor,
de 2* 2*500.
dem prafto, chegado neste oltimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 700 rs.
a libra,
dem londrino, mandados vir de encommen-
da especial, a 900 rs. a libra.
dem seisso, muito fresco, a 800 rs. a libra.
Caf do Rio de 1.a e 2.a qualidade a 8*300
e 8*800 a arroba, e 380 e 300 rs a libra.
Arroz la India e Marariho a 120 rs. a libra
e 3*200 a arroba.
Avenas asmis-novas neste genero a "240
* rs. a libra. ,
Presantes do Porte maito novos a 566 rs. a
libra.
Lcgames franceses atara sopa,- como seja,
Jalienne, mlange* dquipage, Chwix e
oraras qualidades, a 400 e 500 o masso.
Amendoas de casca'mole a 320 rs. a-Hura, e
em porco ter abatimento.
Garrafoes com 5 garrafas de viudo de Porto
do Alto Douro a*400 com o ganrafio ;
afianca-se que :resse genero o melhor
que veio ao mercado.
dem com 5 garrafa* de vinbo Figueisa muito
superior e mais proprio para a nossa esta-
dio por ser mais fresco a 2*400.
Cha hysson o niais*uperior a 2*600ai libra,
afianca-se ser egual ao que regularmente
vendemos a 3*2#0.
dem huxim miudiidin, o mais superior qu
vem ao nosso mercado a 2*700 a-libra.
dem preto muito uno, a 2*000 a libra.
Garrafoes com 5 garrafas de superior \inho
de Lisboa a 2*160 cada um.
dem com 5 garrafas de vinagre de Lisboa
a 1*100 com o garrafo.
"Idora com 5 garrafas de vinagre hambur-
guez a 800 rs. cada uin.
Vinhos generosos -.viudos do Porto engarra-
fados das seguinles marcas: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
.tocia, Velbo secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a 800 rs. a garrafa e9*
a duzia.
Vinbo Bordeaux das anelhores marcas- St
Juliea, Medoc e S. Estephe e oraros a
040 rs. a garrafa e 76500 a caixa .cj
urna duzia.
Chourieas e paios, o mw novo que so pode
desejar, a 250 e 000 r*. a libra.
Cognac verdadeiro inglez dos melhores fa-
bricantes a 900 rs. a garrafa e 10*500 a
caixa com urna duzia.
Marrasquino 4e Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um. s
lieeres francezes, muito finos, das segnintes
marcas: Anizrtta deBordeavx, Plaiserdes
nanas, Catan de Noyau, Eau Dantzic,
Ceme de Meirtbe, Ilude de Venus etc. etc.
Passas muito novas e de carnada a 400 rs. a
libra e 0*500 a caixa com una amiba, ha
caixas, meias e quartos.
Ameixas franeezas em frascos de U|2e 3 li-
bras de 1*400 a 2*800, tamln-m ha latas
de 6 ulnas,
Marmelada imperial, dos melhores conser-
> eiros de Lisboa, a 600rs. a Jibra, em la-
tas lacradas hermticamente.
Fructas em caldas do tedas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas, a 500 rs ca-
da urna.
Bolachioha ingleza. a mais nova que se pode
desejar, a 30000 a barric a e 240 rs. a
libra.
Farinha do Maranho muito afra e cheirosa
a 160 rs. a libra.
Azeite francez clarificado a 800. rs. a garrafa
e 0(5000 a caixa com urna duzia.
Conservas nsteos do* melhores fabricantes
ifixed Pckles, cebla simples, e outros
a 760 rs, o frasco.
Farinha verdadeira de araruta a 500 n. a
libra, garante-se a superior qualidado.
Palitos para dentes em caixinhas douradas
Bren, a 320 a Jibra e 8* a arroba.
de superior qualidade a 320 rs. cada cai"
xinha.
Mostarda preparada em potes muito nova a
400 rs. cada um.
Mho-alpista a 180 rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e afra a
80 rs. a libra e 20300 a arroba.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol, que raras veres
vem ao nosso mercado, a 300 rs, a libra e
em caixa tora abatimento.
dem massa de superior qualidade de 160,
180; 200,220 c 240 rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 120 rs, a lata
el*300adezia.
Peixe em totas muito nova- savel, pescad;,
curvina, sshno e outras qualidades, pre-
parado e escabexe segundo a arte de
cozinha* 1*400.
Papel grve pautado e liso a 34*00 a resma.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
460 rs. Vinhos empipa: Lisboa eFigueira dasiaelho-
res ananas a 3*200e 4!000 a caada do
melhor* 500 rs. a garrafa, em porcao ter
abatimento.
Vinbo vefto Chamicoemliarril; muito proprio
para sobremesa, a "640 rs. a garrafa e
5#006:a caada.
Vinho brsnco o mais superior que -possivel
nestegenero a 560 rs. a garrafa e a 4&000
a caada.
Vinagre puro de Lisbea a 200 rs. a garrafa
e i #460 a caada.
Azeite dece de Lisboa muito fino, em barril
a 648 rs. a garrafa, e em porcjio ter
abatimento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
i 000 a garrafa, e 10&000 o gigo com
urna dazia.
Charutos Babia a 3#500 a caixa, tambera lemoe
para 24000, 2i50O, 3/KKK) e 3(200 a
caixa.
Vellas de anermaeete superiores a 600, 640,
e 680 k. o massa.
dem de'carnauba e composico a 320, 360,
e 400 rs. a libra e de I0# a 11*500 a
arroba.
Azeitonasnavas do Porto o Lisboa, al^tOOO
a ancoreta do Porto e 1*500 a de'Lisioa.
Massas para sopa: estreilinba, rodinha e p>c-
vide a 406 rs. a libra e 2.-51000 a caixamm
8 libras liquido.
M;issas para sopa muito nvas: talharim, ma-
carrao e aletria a 400 e 480 rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso das melhores qualidades a 900 rs.
a libra.
oec da casca da goiaba a 800 rs. o caix5o.
Ceneja das melhores mareas de 5*500 a
6*000 a duzia e 540 rs. a garrafa
Biscoutes ingieres de diversas qualidades a
1*300 a lata.
Bolacuiiha de soda, especial encommenda,
muito nova era latas grandes a 2*000 cada
urna.
Massa de tomates em latas de 600 a 700 rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes, do fabricante Basset, a
360 rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo a 320 rs. a libra.
Tijolo de limpar facas a 180 rs. cada um.
Cebollas o molho a 900 rs.
Erva-doce muito nova a 400 rs. a libra.
Cominos idem dem a 640 rs. a libra.
Garrafoes vasios a 500 rs. cada um.
Ditos com 5 garrafas de genebra a 2*400,
garante-se ser verdadeira de Hollanda.
Cebollas a granel a 640 rs. o cento.
Caneha a mais nova do nosso mercado a
1*000 a libra.
Alfazema o que pode haver de melbor neste
artigo a 280 rs. a libra.
Phosphoros de seguranca individU3l a 20 rs.
a cai xinha.
Papel de embrulho muito superior a 1*120
a resma.
Vinho da Figueira, o que ha de melhor a
4*000 a caada.
Copos fios para agua a 6*000 .a duzia.
Manteiga ingleza perfeitaraente flor, mandada
vir de encommenda especial a 8oo rs.
a libra,
dem franceza chegada pelo ultimo navio*
64o rs. a libra,
dem em potes de 4 16 libras muito fina e
propria para doente a 8oo rs. a libra eo
pote separado,
dem de porco, refinada o muito alva a 5oo
rs. a libra, em barril ter abatnenta*

dem ingleza em latas de 2 1 >2 libras a ?,'cK
cada urna, garante-se a boa qualidade.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
de I,6oo, l,8oo, 2,ooo e 2,5oo rs.
dem prato chegados neste ultimo vapor, o
mais fresco que se pode desejar a 66o rs.
a libra.
dem londrino mandados vir de encommen-
da especial a 7oo rs. a libra.
Caf do Bio de Ia e 2* qualidade de 8,5oo e
8,8oo rs. a arroba, e 28o a 3oo rs. a li-
bra.
Arroz da India e Maranho a loo rs. a libra
e 3,ooo rs. a arroba.
Caixinhas de araeixas franeezasde 1 1/2, 2
e 3 libras, elegantemente enfeitadas com
diversas eslampas no exterior da caixa a
l,3oo, l,6oo, 2,ooo, 2,5oo e 3,ooo rs.
Vidros de diversos tamanhos de confeitos,
muito proprios para mimos, de l,ooo a
2,5oo rs. cada um.
Amendoas de casca mole a 28o rs. a libra e
em porco ter abatimento,
Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2,24o rs, cora o garraao,
aflanca-se que neste genero o melhor
que veio ao mercado. .
dem com 5 garrafas de vinho Figueira mni-
to superior e mais proprio para a nossa
estacao por ser mais fresco a 2,4oo rs.
Cha hysson o mais superior a 2,600 rs. a
libra, sfianca-se ser egnal ao que regular-
mente -vendemos a 3,ooo e 3,2oo rs.
dem haxim miudinho o mais superior qne
vem ao nosso mercado a 2,7oo rs. a libra.
dem preto muito fino a 2,ooo rs. a libra.
dem mnito mais baixo, muito proprio para
negocio a l,6oo rs. a libra.
Presunto nglez para fiambre o-mais fresco
que se pode desejar a 800 rs. a libra.
Garrafoes com 5 garrafas de superior vinho
de Lisboa a 2,2oo rs. cada um.
dem com 5 garrafas de vinagre de Lisboa
a l,2oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre hamburguez
a 9oo rs. cada um.
Genebra fte laranja a 960 rs., a melhor que
se pode desejar.
Cha perola o melhor neste genero a 3,2oo
rs. a libra.
Vinhos generosos vindos do Porto engarra-
fados das segantes marcas-: Genuino,
Porto fino, Nctar, Duque do Porto, Fei-
toria, Velao secco, Chamico, Madeira su-
perior e outros a 1,000 rs. a garrafa, e
9,000 rs. a duzia.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto
a l,2oo rs. a garrafa, e lo,ooo rs. a caixa*
Vinho Bordeaux das melhores marcas: St.
Julien, Medoc, S. Estephe e outros a 7oo
rs. a garrafa, e 8,000 rs. a caixa com urna
duzia.
Chourieas e paios, o mais novo que se pode
desejar, a 56o rs. a libra.
Cognae verdadeiro nglez dos melhores fa-
bricantes a 9oo rs. a garrafa, e lo,5oo rs.
a caixa com urna duzia.
Marrasquino de Zara em frascos grandes a
800 rs. cada um.
Licores francezes muito finos das seguintes
marcas: Anizete de Bordeaux, Plaisirdes
Dames, Crme de Noyau, Eau de veede
dant- c, Creme de menthe, Huile de Ve-
nus, Parfait amour*, Eau d'ora l.ooo rs.
a garrafa e 10,000 a. caixa com 1 duzia,
Passas muito novas e de carnada a 3oo rs-
a libra e 6,000 rs. a caixa com 1 arroba-
ha caixas, meias e quartos.
Ameixas francezas em frascos de 1 1 '2 e 3
libras de l,4oo a 2,8oo rs.; tambem ha em
latas de difTerentes precos.
Marmelada imperial dos melhores conservei"
ros de Lisboa a 600 rs. a libra, em latas
de difTerentes tamanhos e lacradas herm-
ticamente.
Fructas em caldas de todas as qualidades em
latas muito bem enfeitadas a 5oo rs. cada
urna.
Bolachinlia ingleza a mais nova que se pode
desejar a 2,5oo rs. a barrica, e 24o rs. a
Jibra.
Aaeite francez clarificado a 800 rs. a garrafa
e'\5oo rs. a caixa com 1 duzia.
Conservas inglezaf dos melhores fabricantes
Mixed e Pickles, ceblas simples, e outras
a 8oers. o frasco.
Rstanla ingleza preparada em-potes muito
nova a 4oo rs, cada wn.-
Mlhos-inglezes de todas as qualidades e das
- me^jgaps marcas a 5oo>ts. cada urna gar-
lar refthado em frascos evidro de diversos
modetlos a 4ob rs. cada um, s o frasco
vale o dinheiro, tambem ha solt para 80
rs. a libra.
Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de doce, manteiga
ou outro qualquer liquido de 1,00o a 3,ooo
cada um.
Painee a 14o rs. a libra.
Milho alpista a 16o rs. a libra.
Gomma para engommar muito fina e alva a
80 rs. a libra, e 2,3oo rs. a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Sabo verdadeiro hespanhol que raras veres
vem ao nosso mercado a 3oo rs. a libra e
em caixa ter abatimento.
dem massa de superior qualidade dd 2oo,
22o e 24o rs. a libra.
Graixa em latas muito nova a 12o rs. a lata
e l,3oo rs. a duzia.
Peixe em latas muito nove^svel, pescada,
curvina, salmo e outras qualidades, pre-
parados de escabexe, segundo a arte de
cosinha de i,4oo e 2,ooo rs. a lata.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
7oo rs. a libra.
Papel grve pautado, e liso a 3,8oo rs. a
resma*.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
46o rs. cada urna.
Vinhos em pipa: Lisboa, Porto eFigueira das
melhores marcas a 2,5oo, 2,8oo, 3,ooo e
4,000 rs. a cariada do mais gupericr o de
32o e 36o rs. a garrafa.
dem velho Chamico em barril, muito proprio
para sobremesa, por ser muito claro e
macio a 64o rs. a garrafa, e 5,ooo rs. a
caada.
Vinho branco o mais superior que possivel
neste genero, a 56o rs. a garrafa c a
3,8oo rs. a caada-
Vinagre puro de Lisboa, a 2oo rs. a garrafa
e l,4oo rs. a caada.
Azeite doce de Lisboa muito fino, em bail,
a 64o rs. a garrafa, em porco ter abati-
mento.
Champagne das mais acreditadas marcas, a
l,2oo rs. a garrafa, e 12,ooo rs. o gigo,
com 1 duzia.
Charutos dos mais acreditados fabricantes da
Babia a 3,5oo rs. a caixa, tambem' temos
para 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 3,2oo rs. a
caixa.
^Teste novo e grande estabelecimento de molhados, encontrara o raanai|anl
publico d'esta cidade, bem como seus numerosos freguezes do ceutro, expostos vcntL
todas as qualidades de gneros por menos precos que em quaesquer outros estabekx-imef:-
tos d'esta ordem, pois para isso segu em um dos primeiros paquetes para a Europa um
dos socios para serem vindos todos os gneros de conta propria, para melhor servir aas
seus freguezes, e desde j encontrar o respeitavel publico sempre os melhores e mas
novos gneros do nosso mercado, e por precos baratissimos, como se ver abaixo.
Amendoas a 320 rs. a libra.
Aveles a 2oo rs. a fibra.
Ameixas a 1* a libra.
Ditas em frasco por 2*800.
Arroz pilado da India loo rs. a libra e 3*ooo
a arroba.
Dito dito do Maranho 120 rs. a libra e 3*500
a arroba.
Azeite doce francez 800 rs. a garrafa.
Dito de Lisboa 680 rs. a garrafa.
Agurdente de canna de cabeca a 240 e 320
rs. a garrafa.
Ateitonas a 400 rs. a garrafa, e 1*300 a an-
coreta.
Jtolachinha de soda a 1*400 a Uta.
Banha de porco a 600 rs. a libra.
Bolachinha ingleza a 200 rs. a libra, e a bar-
rica a 3*000.
Cha hysson a 2*200 a libra.
Dito dito fino a 2*600 a libra.
Dito miudinho a 2*800 a libra.
Dito do Bio a 1*800 a libra.
Dito preto a 1*900 a libra.
Charutos de diversas qualidades a 1*200,
1*500 e 3* a caixa.
Champagne a 1* e 1*500 a garrafa.
Chourieas a 560 e 600 rs. a libra.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Caf em gifo a 300 e 320 rs. a libra, e 9* e
9*200 a arroba.
Dito muido a 360 rs. a libra.
Doce de goiabaa- 560 rs. o caixo.
Espirito de vinho de 38 graos, a 280 rs. a
garrafa.
Figos a 400 rs. a libra, e em latas de 4 libras
por 1*500.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 640 e 720 rs. o frasco,
e 7* a frasqueira com 12 frascos.
Dita hamburgueza a 560 rs. o frasco, e 6*500
a frasqueira com 12 frascos.
Dita flor de laranja a l*o frasco.
Gomma d'araruta a 100 rs. a libra, e 2*000
a arroba.
Graixa em latas a 120, e 1*300 a duzia.
Genebra em garrafoes de 14 garrafas por
4*600.
Batatas inglezas libra a 80 rs., e a 3*300 era
arroba.
Licor fino a 800 rs. a garrafa.
Dito em garrafas grandes de superior quali-
dade a 1*500.
Manteiga ingleza flor a 800,900 e 1* a libra.
Velas de spermaeet superiores, a 600
e 7oo rs. o masso.
64o,
dem de carnauba e composico, a 32o, 36o
e 4o rs. a libra, e de foyooo a ll,5oors.
a arroba.
Azeitonas novas do Porto e Lisboa, a l,ooo
' rs. a ancoreta do Porto, e 1,5oo rs. a de
Lisboa, estas ultimas raras veres vem ao
nosso mercado, pela sua boa qualidade.
Massas para sopa: estrellinha, rodinha e pe-
vide a 32o rs. a libra, e l,6oo rs. a caixa
com 8 libras liquino; s no Progressivo.
Massas para sopa muito novas: talharim, ma-
carro e aletria, a 4oo e 48o rs. a libra.
Chocolate portuguez, hespanhol, francer e
suisso, das melhores qualidades a 9oo rs.
a libra.
Doce da casca da goiaba a 64o rs. o caixao.
Cerveja das melhores marcas, a 5,5oo e
7,4oo rs. a duzia e 54o rs. a garrafa.
Biscoutos inglezes de diversas qualidades a
l,2oors. a lata.
Bolachinha de soda especial, encommenda
muito nova, em latas grandes a 2,ooo rs.
cada urna.
dem craknel era latas de 5, 7 e 15 libras a
4,000, 5,5oo e ll,ooo rs. a lata.
Palitos do gaz, a 2o rs. a caixinha e 2,3oo rs.
a grosa.
Massa de tomates em latas de 600 a 7oo rs.
cada urna.
Sardinhas de Nantes do fabricante Basset, a
38o rs. a lata.
Toucinho de Lisboa novo, a 32o rs. a libra.
Tijollo de limpar facas, a 18o rs. cada um.
Cebollas, o molho a 9oo rs.
Farinha do Maranho muito afra e cheirosa,
a 14o rs. a libra.
Manteiga franceza a 680 c 720 rs. a libra.
Dita hollandeza a 72o 800 rs. a libra.
Mostarda a 640 rs. o frasco.
Massa de tomates a 640 rs. a libra.
Dita estrellinha para sopa a 560 rs. a libra.
Marrasquino de Zara a 800 rs. o frasco.
Passas a 4oo e 560 rs. a libra, c 8* a caixa.
Palitos para dentes a 180 rs. o masso.
Pliosphoros do gaz a 2*500 a groaa.
Paios novos a 640 rs. a libra.
Queijos do reino do ultimo vapor a 23 t
2*500.
Dito de prato a 720 rs. a libra.
Dito do serto a 560 rs. a libra.
Cervejas de marcas superiores a 500, 5150,
600 e 640 rs. a garrafa, e 5*300, 6* i
6*500 a duzia.
Dita em barril por 45, c 240 rs. a garrafa.
Cevada a240rs. a libra.
Sardinha de Nantes a 360 e 400 rs. a Cu-
nta.
Sag a 240 rs. a libra.
Sabo massa a 200, 240 o 280 rs. a libra.
Sevadinha a 280 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 1 s. a libra.
Tijolo para limpar facas a 160 rs.
Vellas de spermacete a 640 e 680 rs a libra.
Ditas do gaz muito boas.
Ditas dito em caixas de 6 libras por 4*000.
Ditas de carnauba a 400 rs. l libra.
Ditas de composico a 360 e 380 rs. a libra.
Vinho do Porto, caada a 5650o, garran a
720 rs.
Dito Lisboa, caada a 4* e a garrafa a ."O
rs.
Dito Figueira, caada a 3*840 e a garrafa a
480 rs.
Dito dita superior, caada a 4* e a garran
aSOOrs.
Dito Estreito, caada a 3*200 c a garrafa a
400 rs.
Dito Bordeaux a 720 e 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa em garrafoes '!' '> nam>
fas por 1*400.
Dito em caada a 2*, e a 260 rs. a pan ata.
Vinho do Porto em gariafoes de 5 garrafas
por 2*500.
Dito dito engarrafado a I* e 1*200.
Dito 1,11:1 iin,i.> do Douro o (j(OOn l.tnaJl.
Vinho branco de Lisboa a 720 rs. a garraaBj
e 5* a caada.
Dito do estreito a 600 rs. a garrafa, e a i*500
a caada.
Previne-se ao respeitavel publico que todos os gneros cima sao de boa quali-
dade, c para desengao venham ver; assim como outros que deixam de ser annuneiad >-.
TODA ATTENQnO
NOS
g"
iua-
m-
ARWAZIVS
CONSRVATIV I GQNSffVADOR
DE
NS. 21 E 23LARGO DO TERCO -NS. 21 E 23.
O proprietario destes dous estabelecimentos de molhados, vende os nan
eros por menos do que em outra qualquer parte, por isso garante a superior
lidade de qualquer genero sabido dos seus armazens ; pode vender por menos por 1
prar dinheiro, e por isso faz vantagem a os compradores.
Batatas as mais novas do mercado, a 80 rs. a libra e 2,ooo rs. aarroab ou caixa.
Toucinho de Lisboa da 1.a qual dado, a 3oo rs. a libra e 9,ooo rs. a arroba.
Caf do Bio da 1.a e 2.a sorte, a 28o e 32o rs. a libra.
Queijos do reino, chegados pelo ultimo vapor, a l,8oo e 2,ooo rs.
Velas de spermaeet, carnauba do Aracaty, as melhores deste genero, a 63o e 4oo rs. a libra.
Vinho verdadeiro Figueira das melhores marcas, a 5oo e 4oors., emeauada se faz aba-
timento, ha porfo para escolher.
Bolachinhas americanas, as mais novas neste genero, a 2oo rs. a libra e 3,ooo rs. a banka.'
Palitos do gaz, vindos por conta narticular, a 2o rs. a caixinha e 2,-loo re. a grosa.
Manteiga ingiera da 1.a e 2.a qualidade, a 800 e 9oo rs. a libra.
Mem franceza, especialmente escoihhla, a 7oo e 680 rs. a libra.
Che, o melhor neste genero, a 2,88o rs., tambem ha para mais barato.
Milho alpista, limpo, muito superior, a 16o rs. a libra, a arrroba 5,ooo rs. ^>
Alm destes gneros ha outros muito baratissimos, assiin como cerveja das me-
lhores marcas, genebra de Hollanda e de laranja, passas, doce de goiaba, azeite doce v
nagre, canella, pimenta, cominhos, erva-doce, cebollas, alhos, chourieas, banha de porco
outros muitos gneros que enfadonho mencionar; dinheiro contado
Alm dos gneros cima mencionados, existe um completo sortimento de al-
fazemas, cominhos, pimenta, erva-doce, palitos de dente em magos e caixinhas, eitto*
fie e outros muito, genero,, os quaet vendemos pelos precos mais baratos possjveis,
Em casa de N. 0. Bieber & C, successo-
res, ra da Cruz n. 4, vendem-se:
Machinas para regar hortas e capim.
Ditas para descarocar milho.
Ditas para cortar capim.
Sellins com pertences a 10* e 20*.
Obras ,de, metal principe prateadas.
Alcatro da Suecia.
Verniz de alcatro para navios.
Salsa parrilha de primeira qualidade do Para.
Vinho Xerez de 1836 em caixa de 1 duzia.
Cognac em caixa de 1 duzia.
Arados e grades.
Brhantes.
Carracas pequeas.
AGENCIA.
DA
FUNDICAO DE LOW-MOOR.
Roa da Senialla ora n. 42.
Neste estabelecimento contina a hayer
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.__________________
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston 4 C,
ra da SeaMa Kova n. i2.
AOS SRS. COJSIMMIDORES DE GAL
Nos armazens do Caes do Bamos n. 18 e
na ra do Trapiche Novo (no Becife) n. 8. se
vende gaz liquido americano primeira quali-
dade a retalho a 12* a lata de 5 aaf&es, as-
sim como latas de 10 e de 5 garrafas e sendo
em porco mais barato que em outra qual-
quer parte.
Polassa da Russia.
Acaba de chegar pelo brigue hamburguez
Otto, muito nova e superior; vende-se so-
mente no antigo e acreditado deposito na roa
da Cadeia do Becife, n. 12; onde tambem se
vende cal de Lisboa muito nova e precos
commodos.
Ra da Senzalla 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston 4 C,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e c
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vn,
chicotes para carros e montara, arrekn pata
carros de um e dous cavados, a-mogios de
ouro patente inglez.
Assucar do MontWo.
Ba da Cadeia n. 28 e caes de Apollo n.
67, a 200 rs. a libra, e de 8 libras para cima
a 5*600 aarroba.
\


IILEGVEL


8
Da




' I



LITTERATM.
----------^-----------_ji_
A 11 r resgoa rilad.
Poi n'um prado reguardado
Quo ui!;;i flor vi iiu
K 11
Hcm au amor
I i intada,
rada.
tjhf cni prado resguardado
?&t nunca sor motivado,
Nunca vi to linda llor,
Linda flor do tama cor !
Nao quiz liolir-iho c bcija-la,
Ponine a flor quando inda erescc,'
Oriando o corpo fraco anda
A ni toque forte enimurchece,
Kecin-lli'as follias no chao;
liu nao quera que a alegra
lio poito ja senta,
sompre fi)s>e perdida:
quiz tocar-llio e beja-la.
au quiz do tronco erranra-la
Porque tirava-lhe a vida.
Como innocente sorrio-se
A mu wlliar que lhe luiioc;
E a um s acno mago
Que lhe liz com multo a fago
Ficou de mina namorada,
Tomn mate vida e verdor:
E de da oni da crescendo.
E oni formas ostras vencendo,
Que boje linda o donosa
Nao lia flor tao amorosa
Nao ha flor de tanto odor.
Se de v-la cu doixo um da,
Murcheokla a linda face,
Fka triste e sem a cor;
Mas quando n'outro c'o agrado
Vou o bejo costnmado
Darlhe alegre sobre a fronte,
Toma a vir-lhe a linda cor,
Mostra leda o seu verdor,
Rea alegre o redolente!
Qnanto meiga aquella flor!
Cnanto a mim tem ella amor!
E eu tambem lhe tenho nmto......
Di fazo
para os mancebo
I-,

W; diminnii 0 nu-
rao'aellaapplit mino-
'ir n-
Blajnmi>r
nspirar-lhes descosto,
qner ensi-
' i4i
que a pro-
pagan
soa educa-
1 feito,
ratura, a
vol ligan
naeiy.'S
vein d'ahi. itra _
fei-la, se qn se renda.
A odia-arito taz finio, diz Aristteles: Xnm parum,
sed tvtum 'est qna quisque disciplina imJjuahif a
ra sua impoitanri.....x-eessadade, o furor com que ruerQ. O bon, ni oque a educaeSo IfeT/no
essa lamuaacle seja rasoavelmente excluida dos terreno'de sea espirito, corpo de sea corsK, s se
programlas do otssinA publico. .* c.olh o que se setdepu. Mas, so a cdiioafao fazo
p riiomejn. as classes esclarecidas, copio vimos nodis-
F.>.iainos nmto longe do ajiplandi.ro passo, gue cursb procedente, formain anaeao, o poro, a cocie-
se acaba de dar, e com o qual parece qnerer-sc dajB (*9)-
inaugurar esta exclusad. Vqriaihs rom
mondado christaa abandonar a cultura das
^ "--.-;----, nnuicom;.', iuiui.i |;UU. fiuad 11,1 IHierlUr'l ll VHT'l
este n.oiotao poderoso para adorar os costemos, c uismo. Ko desgracadamente paguas. E'poiVpor
um dos traeos que distingiiem as sociedades civili-- ellas, quea sociedade tem-se tornado pagaa a pon-
sadas das sociedades bar jaras. ''i1!11'' el,;,s poderam dizer de nos |r seus fleis or-
I g;ws: A sociedade moderna, prinriimlmcnte a
Mas, deplorando que se tivesse recorrido aoix-' sociedade franceza. est penetrada do espirito da
podiente de destruir o que conviria reformar-e ^^^1 ,'Indo. de.sias id|1;,s. formado
poro, a *jcio-
que se tivesse feito um grave attentado contra as
beUaa-tettras, oin vez do votar ao antigo modo
de aprende-tas e ensina-las, nao jiodcmos exmir-
i>cla litterattfra classica (30). Nossas ideas
modernas sao o renexo das de Grecia a de Ro-
ma (31).
Mas, este espirito da antiguidw'.e e estas ideas de
Me dominam cafa linha Wicks-
idson, esto una e oufra cercadas
- federaos, quedirigiram contra ellas todas as
militaros e navaes de que podem di$poi.
que Port-Hudson caa em poder dos
redera*; mas Wirksburgo continuara a sustenta-
"indo so cr'
Segundo nm jornal dos Estados-!'ni.los n divida
do governo confederado monta a 800 mHboes de
dolan.
As despeis animaos que o governo terii a fazer
Em certo deivartafH?to un rtradltfeto Ve se|
liberal, comprehaottendp a cele di
trabalbava pesaoalHPoto, e na se descidaVMU
sote eviuisoes raraes de deprlmirosouconcet'Hi-
te e naturalmente de fazer promessas a cleitores.
A mais das vezes fazia a sna propaganda em 'aflirio-
let, inspeccionando oe cartazos, dstribnindo i
tos de mao. desdeiihando, para se fazer beui-quistfl
dos donos de casa, as pequeas familiaridades e pe-
queos STVIOOS.
Em cortos dias de peregrinarlo noloa na sua pas-
os ao reeonhecimento, de que a medida em aues-' ST"a num?..^0.,^Plrit(> deorgullm msensa-
*______ '. .' ", to e de egosmo illimitado, qnc corromiio e acaba,
tao tea sua razao no.zolo da autordade para ol>- >os niuTdelle se jienetram, todo oreVpeito'SaTuUv
viar inconvenientes amito roaos, c a cortos res- ridade, todo o sentimento da ordein, toda a hitelli-
om 81 mlhoes de dollars. o que corresponde a seto sagitn alguns sgnaos de adiniraeao, quando. ao
dolais em cada anuo, por cada homom, mulbor ou sabir de ama eas.i. onde tinha irritado ozelo recal-
civar.a de'cor branca ou negra, dos Itmilhoes de trate de um eleor, viu postadas airar do sen
almas, de que se compoem os estados confederados cabriolet cinco ou sois fie?oas na attlude de eu-
do sul, o que vem a ser oito ou nove veres mas do nosos que lan um eartaz.
qne a rontribiicao que antes da guerra pagara a Olbou e viu ron espanto que era um edital an-
Carolna do Sul. hnciandi i, em leftras gordas, a canddafnfa do eu
A Inglaterra mportou nos quntro jirimeiros rival, ao qual tinlia servido, a sen pecar, dcag^i-
mezesde 1861, 4..1I:983 quintaos ingleses,sendo i te propagandista,
milhoes do quintaos da America. | .0 asago eartaz tinha sido posto pela nianhaa na
Este anno at 30 de abril a importaciio nao jkis- UMeir do cabriole! |ior am gracejadnr. e o adJ
son de 1,203:626 quintaes. A cxjiortaeao de teel- dato andn, sem o saber, dorante sote floras, a ex-
dos de algodo dminuiu dous toreos aproximada- hbir as communas que iiercorrera os ttulos do
mente, porin o augmento do custo nos mercados seu adversario.
estrangeiros compensou em parte o resultado da Cobefria-sc o liomm eartaz, porta o candidato
brise para os productores, com quanto a nao attenue eartaz no interosse de ontro concorrentc parece ser
lolli- com rolacao falta de traballio para o grande mi- urna variedade nova !
peilos a oxpressao do um pensamento iusto e ee- Pencia da verdadeira liberdade (32). E'o esuirito' ',
neioso. ,ucl | de epfeorisroo abjeeto o de sensualismo |>ratoo que ,11,>rode br:i<:os queaescassez da materia prima Gonta o Correio das Estmlog^nidos que ha
gera a paixiio febril de egualdade material, do bem-
Oh! nao (piero que este prado
Apoaar de resguardado
Visto seja por alguem,
E a vistada aquella flor;
Porque como inda innocente
E com um corjio engraeado,
Pede a mn olbar d'agrado
Sedhzir-se com o amor:
E eu nao quero que miib'ahia
Cue ora (osa doce calma
Fique tmto para semprc !
I. dAlmeida.
Juiho de 1863.
Em una ciremnstanca solemne se dsse, que'
estudando os autores pagaos, as mancebos apren-
dei nobresg sublimes cousas (25); mas, nada lia tao
evidentemente falso. "
Salta aos olbos de todos, quenos oito annos des-
lej estudos elassieos a niocidade das escolas nao co-
lhe, sonao idead falsas ou exagoradas sobre a anti-
guidade grega e romana; que delles Oca apenas
com um gosto falso o mesquinbo quanto a una lt-
teratura estrangoira, ota prejuizo da litteratura na-
cional ; que d'ahi s tira urna centena de phrases
latinas pagaas por alto proco (26), e das quaes ja-
mis lhe acontecer fazer uso; que nao guardar
de-es Uvros, senao alguns hemistichios de amigos
poemas, que repetir mais tarde, a torto c a dreito,
para alTectar salwr o que nao sabe : tildo isto com
J.0 condimento do espirito de nina grande sufllcien-
cia e de um grande orgulho.
Eis as nobres e sublimes coustts, que os meninos
aprenda* boje, no seu esludo do greyo e do latim.
is a triste bagagein comprada a preco do que o
estar e dos gozos physicos.
espirito revolucionario.
E, em una palavra, o
(Continuar-se-haj
O qne rae pelo mundo.
L6-se em La poca de Madrid i
Se certa, nao deixa de ter graea a seguinte oc-
correncia que com referencia noticia de Paris
publica urna carta de Turin :
Antes de partir para Fontainebieau, o imperador
mostrou-se disposto a entender-se com os deputados
eleitos em Paris, e talvez admita alguns delle3 no
seu conselho.
Notemos una singularidade: Napoleao foi votar
n'um districto como um eleitor qualquer e deu o! tuoso Vctor Hugo.
sen voto a Mr. Thiers. Isto pao deve surprehender.
Senhor da situado, poda permittr-se esta excen-
triddade.
Escrevem de Boon, com.data de 3 de junho,
ao Morniny Post:
Urna respeitavel recepeao se fez boje aos depu-
conserva inactivos. I muito temio por l o por toda a parte se ostuda c
-- Vctor Hugo oseroveii a Lamartine a seguinte melhor meio para despojar o prximo,
carta por motivo da perda da consorte que o ultimo Torco-se a le, falsificani-so os titulo; produzem-
solfroii. se as testeniunbas falsa, etc.
Querido Lamartine.Um grande infortunio Os proeessos duran-, as5ini; durante geracoes in-
pesa sobre vos. Por este motivo me vejo obrigado teras, e o mais das vezes nao do resultados claros
a manifestar-vos os meus sentimento. Eu venerava c apreriaveis senao para os advogados o jobas.
aquella que ora por vos amada. Um chefe- da Noya-Zelandia achou meio d sim-
O vosso elevado osi>rto v mais alm do hor- plificar tudoisto.
sonte e claramente vislumbra a vida futura. Como se disputava a posse Nao nei'essitaes iis, que vos alent com a pa- s estabelcccn, disse :
Eu tenho- um bom titulo i propredado deTte
slo, porque com oproprietarie-qne me preceder,!'
Devem, tafvez.j estar imbricados dousnovos-
voluntes de Victnr Hugo, que conrtm de poesa
inditas, do carta;, narracoes de vfngom, e de un
drama intitulado Ignez de Castro.
O Telmaeo,l*m conbecida obrtt de Fonolon,
est sendo publicada em linguagem- arabo por um
de BeyrOBth, intitulado Hadiskas-el-
lavra esperanca. Sois dos que sabem e espe-
ran!.
.* Nao vedes a vossa compantieira, mas tende-fa"
presente. Perdestes a mulher, porm no a alma.
Querido amigo, vivamos nos morios. Vosso anee--
No dia 4 de junho falleceu enr Rruxellas, cora'
87 annos de edade, Mr. Carlos Armetint'antigo mi-
nistro do interior dos estados romanos, e um dos aeaienaro
triuinviros da repblica romana de Ki8. Nasceu Akbar.
em Roma em I77fe
Morreo em- Roma de um ataque apopltico, o
celebre historiador Scandinavo P. Munrk. Tinha
bomem tom de mais caro, eis o que, sainado das tn(tnS h,> ,iBi,.pm
escolas, trazem ellos para a sociedade Isto na ^ C de Bunsen que
da. salvo un, pouco de fraeez p o aual o oZ > *1Z ?'** ." ^^^ W lCTantOU \idl a PS,a ra^ ^ tor "ves.igacoe, no *
na la, digo, do que Ibes importa primeiro de tudo I deral l iltido.
urna cons- moga.
saber, e do qne Ibes pode ser verdadeiraiuente til
na carreira da vida 1
Se.ao menos se podesse, por um methodo tao fu-
nesto f, obtor algumas vantagens na litteratura,
sera na verdade una dejiloravel compensado,
mas seria una compensaco. Mas, malar o ehris-
tiio c o cidadao no huinanisla. som fazer delle um
littorato(27), suffocar nelle todo o sentimento de vir-
tude, sen dar-lhe as verdaderas nocSes do bello,
Discurso do Krm. padre % cntit- falsificar o sen espirito e oscurcoracao no ponto de
*'a dade de nina reforma do ensi- \ P*** conquistar a scencia; amolda-Io de modo a
publico, no uteresse da esonecer os bens do cu, sem proporcionar-llie a
niinima indenmisarao as vantagens da trra fa-
zer-lhe perder os annos mais preciosos de sua exis-
tencia em s aprender o mal, ou nada; obrigar um
tao grande numero de familias a arrunar-se, jiara
que seus filhos passem por pravas, as quaes a me-
nor peda a do tempo, e a mais certa a da pieda-
do na verdade, por dentis cruel!
Eis o que afinal se comprehendeu E eis o im-
menso escndalo e a clamorosa injustiea. a*ouc se
: quiz remediar, libertando dous tercos pelo menos
j rio aos ele sios Bbristaos, os elassieos pagos j da niocidade estodante da triste necessdade depas-
s3 diHieeis .le eonij>n'h,'iider; suas bellezas d'es-, car sob as forras caudinas do ensino pagao. onde
a Ion doateaose dos nUMebee, e ordina-' 0||., (i,.,x:i frequenteinnto os hbitos e sentmiontos
r, miente estes nao pedern apossaMe dolas, senao Iuais precisos para apbbar lentejoulas misturadas'
litteratiira c da poliUca.
< iptttM malte.
(Ev. da 2' dom. da Quar.)
(Conttmi'trao.)
Cuso mesmo afirmar, que este metliodo, aoqnal
se nlga presa a existencia do latim elassico, pro-
el unenle o que o mata.
.i. una oe ver, o que e
r>'lo roniuiie
i uni m;
'.'_. A riqueza publica na Irlanda tem diminuido
t profossor Tabn. Residente da commissao en- COnsideraveln.onto.
carregada de convocar o meeting, disse que era um Pnr lim rcla,ori do governo nglez v-s? que o
momento solemne aquello em que a populagao valor mdio da prmlucco agrcola da Irlanda du-
prostaVahoinenagemaosseHsdepmaSb; qoe^w ranf)v M qiiall.n anno antcriores a 1860 ,>ra do
poda recelH^os como vnceles, mas qoe^U'm' 39,437:?>22 lb. st: e comparando-a com ostros
nao cfam vencidos, pos que tntiam desenvolvido ejercicios seguintes, Mr.Gladstone ada qne o de-
as ijualdades que permittem contar com nm bom ficit fl) de 4,500:000 lib. st. enri8G0, de 10,250:000
resiilfado final. ,n) s, em m% 0 ,lo i^oOOiOOO I*, st. em 1862, o
O presidente terminou convidando omettngu qmi para a agricultura- urna perda total, nos
dar a tm iijiprovacao ao proceder dos deputados, tres annos 26,739:080 lib: st., equivalente ao n-nrfi-
e enthasiutitoe appuasos respondoram- a este con-' monto de 2 annos de toda a nropri edade rural de-lr-
ve. j [anda.
Mr. de Banano levantoo-se entn, e d5sse: ha Durante esto mesnwporiodo triennal.a emjra-
um jionto em qirc nao estou de accordo com o pre-; cao trou aquello paiz 226>762' habitantes dos mais
rdente orador. Disse que nos voftamos sffli al-' fortes e mais validos,
canear victoria. Alcancaino-la, ponjoi' nao lia j
partidos dislnetos, poi* todo o povo esta unido ua
firme resolucao de nao ceder qullo i|ue uio s-ja
conforme com a bonstitnieao.
Mi-, de Sybel fallou ao mesmo sentidoi N'um dis-
curso que fui toterrompido i>or nmitoe applaom
passou em revssa a sessio passada, e disse que a
cmara tendo conscioncia do seu direitopersevera-
riatraiK|uillamente na va em que bavia enlradu,
estando resolvida a fazer o sen dover a iwpeitO da
nacao. ,
Foi approvada urna feritacio cmara.
de.p.ii. de trem attingindo a ed le de d>s jito an-1 C01U lama (28).
nos pelo menos. Taes autores, pois, nao podein
i apreciados e amados, quanto as formas, pela
ii vial1, a quem.se os impoe. Tambem nao po-
i i rilen ssa-la quantosua substanciae assuiAp-
lo ; porque rhristaos nao podera certameote tomar
0 mnimo interesse na genealoga, as metamor-
p'j ses,SOSeiiiiu-s e as obscenidades das dviu-
i lisino; e Francezes, Italianos, Hes-
pauhesnao podem touwir interesse, senao nmto
u.odioere. na historia da anliga Grecia e da an-
1 Roma, e na vida dos hroes de oacSes e d'uma
lisacao, que liies sao *coiuilelaii.'te estra-
nl.as. i M)
(h professoros de bi'llas-lettras. ir mais que se
aftnemem exagerar a seos discpulos este inte-
resse, em e\tasiar-se soliro cada urna das phrases
N autores e das aecoes d'esses pretensos he-
r S, nao consoguoni communiear seu enthusasmo.
.<- Vi a um muito pequeo' numero d'espiritos;
Tal pensamonto, senhor, foi bem digno de vosso
coraeao, tao develado ao allivio efeliedade do ludo
i quanto francez. Mas digno desse coraeao que-
| rer tatobeoi, qiie a vossa Franga, que tao alto ele-
vastes, manteaba no mundo sua supremaca na lit-
0 Corrm dos Estados-Uidos de 23 de mato
ultimo, d noticia d um procosso singularissrina
O Rtd. Mr. Hager, da egreja episcopal de Chicago,
foi levado ante um tribunal efrlesiastien qna se
reuain em Peora, acensado de-proceder inecow-
nientemena>com as-damas.
O principal ponto d acensarlo que tinha por
costurte A? aportar a mao das anas paroehtaaM
com urna forra que exceda os timbes da sin plt-s
jiolidez.
0 Rvd. Mr. Loeke, ouvido como testemunb*^ de-
clarou qae esta inania do son collega era tanteara
llouve anda mais discursos em que os oradores
doclararam que nsjulfli miini tudo para a defi-zada: os homeai como pan as mulheres. A mm; disse
coustituico. a-testemunha, apera-me sempre a mao com ma
Todos estes discursos fizeran profunda iniprcs- effusao, que com se eu a tivesse n'nm tornt>.
sao na assembla; e terminarain |wr vivos applau- Miidia mulher contou-me urna vez que elle tinha-]
sos em honra de Mr. Bockhum-Dollfs, vico-presi-
dente da cmara : dejiois do que o meeting se ds-
, persou tranquiliainento.
teratara, como em tudo mais. Incumbe a priinera i Escrevein dt. Loml)ergj com dat3 de 6 de ju.
das naooes cathobeas sor grande em tudo, afirn de nho Gasrtade yieHm :
eumprir a missao, que Dos lhe confiou: csclaiv
cor e civilsar o universa.
Nao poderia acreditar a qne meios os Russos ro-
correm para excitar o povo do campo contra a n-
surreieao.
A exemplo, pois. do mais Ilustre dos vossospre-
decessores, o fundador do imperto do Occidente el .
da civihsaco moderna, incluiris em vossas glorias soldados das companbias de disciplina c rrmi-
a de restaurar com una mao oeste bello pata a ver-1 nosos tirados dasprisoes e enviados para asaldoa
dadeira litte.alma. em quanto que com a OUttaftr-1 d d d formaren
mareis as bases da ordem o da prospendade pubh- 8
ca. Mas, semprc a exemplo de Carlos Magno, o bandos de ladros,
venladero re dos grandes e o motor dos reis, mo-
dificareis as leis, que regem o ensino. de sorte que
a parte mais nobre da nacao nao seja forrada a ir
As noticias-de Londres dzem rifest deci-
dido o casamento da-princeza Hclcmv.frceira fi-
Iha da rainha de Imzfdtrra, com o OBV rei dos
Grrgo?; o principe da Dinamarca ChrtSfiano Gui-
Iherme, cunbado do [^ncpe real da Inglaterra.
O novo- re da GrecM'na.veu a 24 d-S-dezmbro
de 1845.
A princesa Helena d- niglaterra nastaa a 2o de
mato d 1846.
A' fflba mais volba da nanlia de InglaSt-rra, ra-
sada eafn -o prncipe real da Prassia, saaaaaa pov
isso miiio porto do Uneoei a que deva sulitr rai-
nha, e Bajtaa ter a rafolia-Victoria duai ;illui*ra-
nhas, ama na Prassia e oulra na Grecia.
I"iiVf)Foprictario das-ciircanias dc-'S/Qninti"
no (Franca) pedu para serantorisado auaqnajan\
dejis- tk> raorto, em BUh das suas prat.'riedades,
que preferift ao cemiteri^.
Niottlha tido dejiois- ncrrfinma notiei^uo-anda.
ment da sna jielico, ojiando a 3 do (tfcrniatr lhe
clu'gonaantorisaeao qcoMinba finllirilBiaflfnr
inesmo>fe>#5'horas di-iardpmorreu.
u un corresr*>iidunPia de LonJnv do 1.,
l-se sseguinfe :
A* pessoasjque re^essaram boje di.' magnifi-
cas cerridas de cavaWfe caniique-Pariyfechou a
W> libras sterna; e con
vnetteram a copia do Icspt-cho da
carga fan.lifta da Babia, com a fcreara
porm. que nessa copia adoltoraram a Tentadora
quantidade despachada, porque as Mf sarcaa de
caf foram convertidas mn 3^13, pelo augaaMo
fraudaiTitodoabjarisino 3, antes dos 222.
Souza, Ileinsemberg & C. saecaram contra tod.j
o carregamento, e "------1 juna aoailatiiitia, a
nos contra os brilhani.-s. que foram rem**, n,
s)e!.iirreL,nili/k'ade de maddamn brilbaates por
navio de vela, como tambem, porque o capf. era
ali desconheUdo.
Entretanto o sgnro foi enVrtaado no valor de K-
beas sterlinas 35,000, s.gund o que coartara dos
referidos conhecimeVJtos.
O navio Uan parfm da Ralra em 4 de avem-
bro, o loi abandonado |r+) capitoc tripubp mx-
illias dos Acores, em frente a S. MigOei, isto 0xe-
ram dtqiois de lerei feito varios furo no poro
aiiui di'o tnetteivina piwe.
O tripulantes logo que rhesaraea ioadres.
vtedosdVS. Miguel, declararan! pie a bonto mmt-
ca exsraro nem se quer :00 sacr df ca; tn-
le culi todos os proiiH'nores desse -nt laasi.
As directoras de seguros lizeram seguir tofo ato
seu ageat'e Rabia afim de obter melhores informa
i;oes. lia esse tempo chegou a InglaterM o cap
trio Alberts, e nao semlo preso, o foi porm eOi Haa-
burgo. para OAtfeso dirigu logo depis da stu eti-
;da a Inglaterra.
Em 2 de feverefro eftegoo ft-ilii o agfe .joe
tinha sido enviado pela rwqiauhia de segnro* de
LloyiP para averigaor a viTifade dessa fraudo, i
go qnt disso teve cOnhecirmmfo Souza, Ri-insvrv
lierg ic C, proteslar.ini sua inoocencia. p d> prore
derem mam tjdaan namava o crdito de soa rasa ;
jtorm, ni noite de 23 de fvereiro. Reinseraberg,
n3o obstante aehar-sed^Cyodsi Tiglanra Ja poli-
ca, evadirr-se, embarcar:* enrumn kalieira norte-
americana, que ancorava no porto por aquella oc-
caso, e que se dirigu a Netr-Voris.
Souza1, porin. proteston toa innwnm. e derla-
rouque forai cruelmente atfniroadV e arruinado
por seu socia
O JsrfNBf do Porto, sofc' a ?prgraiKi- urna
nraloa n'uma constelaro eoota qu>- DI >nrfi. o
nromparavel acnJiata, acabo do pnssor- jtnr orna
trille decopcao; tomos empanado em Hespooha o
oxplondor daqr.^lfe deslumncanti) repw.1waV> de
imambulo.
0pscobrD-seetorvepor todas'asliocras wir Ma
dri-t/que os mihgves de Rlouditidiramjanterinr-
moriev.ecutado*-e!n Segovia.
i 21 de SoteaabfD de 1825- am pedniro Hw-
marf-Santuigo Mmlawva, emprrgad ewrao na*
olu is da cathedra4: daquolla cbfnt, diar.ii' A. rri
Fernando VII, da nrmlti. da fat.iia real. dAnm
graadt numero >ti> rspertaoros; arravevoopor
ein.; il" urna coriit a distancia i^ii-j sopara x> da-
torr*da egreja. > Iiiwis. pondcrando-s<>nar?te-
vos -da esculplun* aVsceu desda o alto doaaa
ton-" at ao paviaaaaM*da praca>da catbediai.
EJn fticanha naonmiw-lhe a aanaaha MDnMb,
non* que adoploa um lilho qae hoje nkt*4$l*
I..... un. nome que'-eouserva ion lauilofnistn pan
per^etuarao do i ^owettiment sapertor, lanado
pal-':!".*s torcos e Bkmdin. I
Na ilha de CMd (no MeStewaneo) :itni<
des vljcir-.se nuni0TOs vene it-onsofre.
des Mineral ki- parte sopt-.etrional dvifha era
corhoctda ha emiro tenqio, porm cs^as minas
L'itcoa da suaaniniaccv fazem una roksL curi^ onnea tinbain .-ib*explorada nempek* -n-'n >
niode exeessivamonte affeetiiisos, e tfliytva-
mente a impress:i) geral que elle produz.
l'hia outra testemunha fez no tribunal nma enu-
meracao das diftirentes eapadta de aportas de mao
usados no mundo civilisado.; isto a bomba, movi-
mento prolongado debaixo para cima; o roso de
cSo:/M/m.movimonto ligeiroda direita para a esquer-
ra e da esquwda para a direita, geme* que aperta
as duasmaos; o cadavrico, muito asado pela gente
de alTeetada gravidade, que consiste am M^^S^M^^dB^^totori Bom-
I mao framente, e deixa-ia tomar sem a menor pres*
buscar no paganismo o progrosso litteraro; oque
lhe*8eja livre ir beber no ensino divino de Jess
e devem resignar-s a rer todos os seas estorbos ciiristo os inincipios do verdadeiro progressonas
fi istrados parante a frieza e a nsensibilidade da Jotttashumanas: fpntmemdf. Ilninarcis final-
as, maioria dos mancebos, dos quaes querem ^SS ^To^n? L*&
do chrstao na educacao da niocidade. Esta obra
Popes scismatcos pregam do pulpito o assassi-
no e o incendio.
Os cossacos andam de aldea em aldeia e reunem
os aldeaos em bandos parase servrem delles contra
os insurgentes.
O commandante de Zietomierchi cliega a fazer
t iier CieeroniaBOs o Virgilianos.
O grande niovel d'uina appleaeao seria e con-
sao; o tinmeulo que provoca e espera; o catah-ptiso,
qie treme no contacto, e o apaixc-Hodo, que sem
outra djjfinieao atliibuido ao RvA Hager,
Os debates desto processo excntrico,. durasam
dous dias, e foram seguidos pe publico com, urna
viva euriosidade.
Um despacho telegraphfeo; de 16 do aarrnate,
SEC.IXD.V PARTE.
tinuada em qualquer ramo de conhecimentos, est naconal, nao o menos no interosse da poltica. E
no progres* i bom conhecido, que n'cllc se faz, e no o que resta-nos ver na ultima parte.
'jccesso obtido: Possunt quia poste viJentur.
Ora, com excepcao d'um numero muito diminu-
to, os mancebos, que sao filados no estudo dos au*
lores elassieos, apesar de todo o acodamento que
o.;,.rega, c de todos os esforeos que fazem, son-
te.':! que, longe d'appropriarem-se do estylo e lin
do chrstao na educacao
digna de vos; jiorque esta restauraeao tao inipor- quaes se excita abertamente os aldeaos a exterminar
tanto e tao nocossaria no interesse da litteratura a dasse superior, e prometlem-lhcs por seo a lber-
dado e una parte as propriedades senboriaos.
Appareceu um novo bando de insurgentes fifi
Volbyuia. avahado em 600 horaens e comman-
dado por um Polaco que foi official no estado-uiaior
russo.
Tem havdo combates com os insurgentes entre
Zylomir e Rerayczow, vencendo urnas veses osRus-
j oCTiedido de Chic a so annuncia que o acensado foi
imprimir especies de boletms de guerra, qne de- uiK1"u Ul r M
vem ao mesmo lempo servir de proclamacoes, as absolvido por enammidade.
Todo o espirito consen-ador, toda'a alma honesta
applaudiu a esla bella palavra cabida do alto do
throno. E' preciso fazer com que a revolueao re-
entre tm seu Icilu. Seria realmente um resultado
-,-- | muito importante e muito precioso, se se chegasse (
guagein d'esses autores, nem mesmo ebegam a! a obte-lo; mas, nao seria tudo, quanto a ordem e a sos e outras os iusurc<-naa.
comprehende-las. Desaniman!, pois tomam seu Micidade da sociedade reclamani. Em quanto um Na Ukrania meridional, porto de Sfcwara, *
, nn torrente devastador corre atravez de um pau, posto suraent0s alacaram dous esquadroes de dragues
a ,ire,renunc.am a una pretoncao, que nao podem ra>ntnido m S(,u l(.it lm risoo de abandona-lo *:''!:':"" Tdl Z ai-nns Apode-
r disar; cuidados, industria e trabamos dos mes- !-
t e, promessas e ameacas da parte dos paes, para
sustentar suacoragem, tudo baldado. Aqu est
a razao do facto deploravel de ser muito feliz o pro-
! r, que, n'mna classe de ciucoenta discpulos
d'huinaiiidades, cncontra dez, que facam alguns
progressos, ao passo que todos os outros desperdi-
j.im seas melhores annos, vegetam na pregui^a, e
no< disregramentos, que sao consequencia d'csta.
Ora, um methodo, que, ajudado dos maiores sacri-
A parle feminina do amtnrin acolde ceta calo-
rosos applaasos a sentwiea absotetofia do tri-
bunal.
sa, que boje- reproduz >)>Tim><$-
Na tribuna imperial iabosrme de (tetante viaj-
se junt'itv Xapoloao Ilt, qooi uno B*MdOy >lovt
pan casar vxn U. M:ria da (loria, rainlia 'le Por-
tugal, aolanto de D. Rmatulo, viuvo d. M rainha.
O soberano que rotsi lioje-em Franca ,iiiJa junto
de si o. dtate do Rrabaaie, neto .do reijji Felip-
lie, e finalmente ao lado deste principe, herdejro do
thrco b#Jga, via-se cprinripe do Or^oge. futuro-
solierano da Hollando a coja familia 2) tirada a.
Rcrjia.
Ofiantas niudaneaG-crovoluces cu. viuteannos '"}
U cantudo, algwias outras mais teaBScendeota
tal.veE estao reservadas ao futuro da Europa.
Monsonhor Daniel Murphy, tiTio de Pbiia~
dflpbia h partilm e'vigario ajiostolico deHjikua-
lad, no Indostao enviou ao papa uja estofo nce-jio,
;ricamente tecido a miro e seda.
Esto estofo foi enviado ao papo por Ali-MolnweiL
pertencente a-urna familia inracdmana das ...jais
neta, peto industria.
baim.
pte a m -lia da-
BfBVMM animar 1
de novo, e, quando menos se espera, renovar suas
nundactos e devaslacoes. A seguranea s pode
ainda o contrario do que existe.
(26) Termo medio, a educacao de um menino a
1 de toda a especie, obtem to tenues resulta- 11111 coHegio, nao custa sua familia menos de 12 a
.1. n ,r.. n hiinras doma rofntaoa..: est > mil francos. como se v, comprar phrases la-
resultar, ou do desvio de seu curso, ou de estancar-' dado aos dragos.
se-lbo a fontc. qj jomaos russos j nao hositam em publicar no-
0 mesmo a respailo da revolueao. A sociedade t lirias sobre a .inSbrreicao da Pequea Russia, dos
jamis se tranquillsar, senao fizer dosapparecero'pazcs situados na margorn esquerdado Dniper.
------------------------------------------------------- Nao ha por conseguintc duyida que o movimento
(2o) Na verdade estes senhores sao singularmente tem tornado nesses paizesuma extengao que j nao
clarividentes ; vem, naos o que nao existe, mas 1K.rmic passa-io em silencio.
Podo julgar-se, segundo as noticias offlciaes ras-
gas e as cartas particulares, que toda a margem es-
marista do imperador da Russia, com o conde Xa*
vier Rpanicki, de que tanto se tem fallado nos l-
timos, tempos, terminou de urna maneira bom me-
nostragica do que faziam presagiaros seus ruinsos.
preludke.
Foi as imniediacoes d Spa, no bosque, de Sau-
venire, que os dous adversarios se encomraram,
no dia 4 de junho s 5 horas da manbaa. .
As testemunlias do conde Wiolspolski eran Mrs.
am-se dos cavallos e das armas e deram a "liber-' Flix Haopert c Arnoldo de Niemienski, de Varso-
Al-Moha, jonteu a carta, la remessa doibis-
po urna carta sua, na qual exprimo a esparaoco do
que o Samo P.fdrese dignari.if ;M-olher aotn-il- les-
temunho.do profundo respeifo qne euniapa sua
pessoa o da adiutracao que !iu> causa :grandeza da
sua alma..
L6-sa na poca de Madrid :
t Trabalba-se com grajhle actividade- emValha-
dolid na neva fabrica dfi>pope|lde esparto para to-
dos, os usos,a qual se eojteedcti hatqajpeaprivBegiax,
O fabricante tem a certeza, de peder fazer giiaodM
reducis nos precof do itapel, icndo cnosegnUo
O.ducllo do comif Sigismoml Wielopolski, ca-1 aparf,.*icoar esle no branqueamento e qnalidado.. O
Na verdade 6 dema-
tinas a 100 francos por peca,
siadamente caro I
(27) Rellectindo bem. se toreado a convir, me o
dos, nao merece as honras d'uma refutaoao : est ;
julgado e condemnado por si mesmo.
(21) Finalmente, pois que preciso dizer tudo, 1 ^ e estende.se ;urit.
o estudo longo, aprofondado, da lingoa dos antigos noespirito, nada tem de serio. Nesto ensino trata-1 0 goVerno federal ambicano est fazendo ac
querda do Dniper at porto de Odessa est mais
ou menos empenhada no movimento. Ao. norte a in-
surreicao comprehende o governo de Smolensk, e
va. As do conde de Rranick erato o comte de
Comminges e o coronel Karniensky.^ que o tinliam
acnmpanhado de Paris.
Urna s bala som nenhum resultado nem u una
parte nem d'outra, foi trocada a distancia de 25
passos, entre os adversarios. Depois do que, con>
batentes e testemunhas foram; entregues autor-.
dade judiciaria por Mr. Heno, commissario do po-
lica da cidade de Spa.
este respeto escreve a Cormpondet tia-
ras :
-z mais prejudicia. do que u.il. Nos pro-, ^^g^ w*g^gjfr% tualmpnte psforros nditos para ,i,.
rros. Procuramos ,lia4eem fazcr do mancebo um ente
formar a razao, e taes lirios podem desiaira-la.: parecer instruido pelo espapo de algn
vi ._ **. 1 J An J..n H.uf.'^n* >! i_,'.l.x t!niMi nmi /liil\ui k7 'lt'tiin niiA en Jl
curamot na educacao fazer conh
livros dos antigos estao cheios (Ferros.
Estamos no caso de completar com noves por-
menores a narrac> do duello dos condes Wels-
polski c Rranick. Os combatentes acompanhados
das suas testemunhas e d'tim medico, collocaram-
"fraba-1 listas a linha do Mississipi e dividir em dous o ter- ^ um d0 ou,ro e ^aram ao mes-
1 Vaiminenlo b consumo..
vielias Afeo a este mineral,
seta aiaJoracia
as eacssaajbl a que -c e*t pr' -J inVi >>
loriritorio de fianilwy. eiiciiitrarani-se m fi*s !
aaaa contra v-mjo tTAUesati dillerentrt oldjeaaja
de certo vatoa-aMlHoaagtoa
Sao ama copada romn de 88 cr*oi!etr>>de
coraprimentoy melundo n pnnlKi. e 8 de larga, e
que |>or sor a aaaJhar coaaerrada aV4aao a>qne
at agora ttra apiiarocida verdadnrannn .- orna-
re!; unas viute moedas roanasaai a gand**; e
duas lauca-di'- ferro de p.>ito do Vr ceniira^rrir- I
eomprimctuv com pe:> de iO ct-iaim.'- de pu
oni-abado..
Estes oojectos foroaa remett*,.v ao. np>^rador
Napotoioi
Xo-CommerricJo Porto do 17" de junho, ron
a epigraphe l'ni... ladra celebre- V-se o sa
guiite;
t Par differentii vezes lesaes notidadi as j>
nbas de nina n.nlb.-r qne. pela aodacia e aaSjpfi,
coasagnin avamajar-se na. fama, famos-i l>.jr-
Marta do Lon> Preto, que a estas horas .-
que ainda vi\e, respira o aros da Guir*.- meri-
diana!.
A mulher Jeque-fallimos- amuito fai'ji.UAnna
Macha, assirn.alciinhada. pelo sen arroja na saar*.
difficeis emprezas e pela tenierHbde f,ro qtie-af-
fronta as perseguici>s da poucia, ap.'sfx dasnmias
vezes qne tem sidc.aq?.iartelada,pori^s,oacnos
lempo, na cadeav
Auna Maclia aa. das que esparam ;> sombvaa
da noute par ronhar; nmba em pleno dia, 0*0-
duzmdo-se as casas por tal arte, qiw *' na talla
de* ohjectos que rouba. de*u sigajil a soa
visita.
nm da nova fabricas > poder suttiriormeo de urna
fabrieac-ao em gnende escak,.tanto os peridicos
como os editores de obras. 1
A fabricacaoido papeld esparto hoje um facto
e a sua realisaiPao favoiwida pela abunismcia da
materia prin*.
No bosque de rtoonha, em Paris ffganisou-s*
urna oxposirilo de papagaios de mais de 200 espe-
cies! Esta expo6if3o de novo genere offereeo nm
espectculo divertido, e segundo diz. am jornal fran-
cez os passaros palradores, em conwrsac,ao com os
visitantes, aprovoitam a educa^ap publica c ambu-
latoria, enriquocondo o seu vocabolario com novas
phrases epalavras.
Do Jornal do Commasio de Lisboa l-se a
seguinte noticia traduzida do Eupean. Times :
1 l'm caso extraordinario de roubo. contra os se-
guros de Londres, Paris, Hambusgo, Bromen e Ro
de Janeiro, fui ltimamente descoberto. As infor-
macoes ministradas pela assoca^So de salvados de', pra^o a salvo com o roubo.
Lloyd, slio as seguintes:
0 brigue peruviano Marta, do .%4 tonelada ^ do
ndate* fortuna jiieat a sua divisa.
E' na propra relehridadK que. esr o ,n mak>r
perigo, e d'aqni vem qK- s pt4* rogatoria ib-.San-
te Ildefonso tem sido raptnrada ninas s.>s vcae* I
Anle-bontem pcoAtr-on ella n'uma cas da> rao
de Santo Ildefonso, o tito sorrateira si^ atridin
n'um quarto que ningmfi da casa den por tal.
Ali tratou de emmatar toda a roana qm ira a
mao, mas c*nio a tronxa era grandv reflectan, e
julgou iuis si-giiM levar si um c^ivrior, asar ka
parece aer o que mais valia.
&d"au como en'rara, isto sem que a visteas, e
Fiamos Ido apartados dos antigos, que mister tirar seu diploma. E' assirn, que se edficam com
ter a razao completamente armada, para que estes grandes despezas palacios de papel e de panno,
,in uiuMuw y >r h 1 para servrem de decoracocs a um fogodearti-
f redosos despojos possam enriquece-la, sem cor- Jjcio
1 ompe-ia. (28i rjg relatorios dos inspectores e decanos das
Os modelos antigos nao podem SErivn senao faculdadcs sio unnimes na verificacao da resisten-
pxra os kspiwtos j formados. De feito, o que cia,pode-se dizer da revolta contra esta tyrannia.
*'*,- r" ^':!"' "Z P"T -as s/tSSSi ^oS,"^!;;::
Urtnerssantemente o, que a dieronoa dos costu- w ihepcrmitte ignorar em materia de estados elas-
sieos. e para justamente as raias, em que so obtem
o grau. > Assirn se exprima Mr. Basta!, deputado
OlUIIII-ia. IU1H- IIM1B a lino uu ,-wi| v w,uu uu UVU3 u 1J 1 Cnr.An nraun- n- lll\llC
D ente facticio para' ..torio confederado de que aquelle rio a grande temPf a um *W\^J> 0s ""s
dguns instantes, e _...: ,.-.,, H I adversarios c as suas testemunhas, foram tratados
, I pela polica com a maior deferencia o respeito.
(29). A retrogradado (diz um dos espirites mais Custodiados simplesmente as hospedarias em que
elevades de nossos dias, Donoso Corts) comecou se alojavam, debaixo da vigilancia discreta ti<- a-
na Europa com a restauraeao do paganismo Ni-. guns agentes, nao esperaram muito tempo a deci-
fraria, que produziu successivamento as reslau- U da autoridade judiciaria. Namanta seguin-
rapTosdopagamsmo.pifoo^ira, do paganismo ,e 0 comniissario dc polica foi annunciar-lhes quo
mes, religiocs e ideas impoe mudar t
< Este habito das ideas antigs, adquirido na
assembla de 1830. Depois foi preciso dar urna
1 polticas
^kW" infancia.
t VD.J
inspirado, jntjrainpnte facultativo o bacharelado em lettras, e
Assun falla Condorcet. (Qmv., S 0^ na0 terao mais um adorador (ab. Ver-,
I. Decididamente,oclasjismovae-set
c religioso, e do paganismo poltico. Hoje o mundo
t esta na vespera da ultima destas restaurar;5es, a
do paganismo socialista. (Carta de 4 de junho
de 18490
(30) Mr. de Remusat, Revista dos Dous Mundos.
(31) Mr. Renn, ibid.
(32) t E' impossivel nao reconliecer, que, o que
t chamam espirito moderno, o espirito de renas-
cenes,.. os somos revolucionarios, e diste nos
'saamos; mas, antes de sermos filhos da revo-
1 lucio, lomos Albos da renascenca. (Mr. Al-
I loury, *nw/ dos Debates.)
A gente da casa, entrando, mais tarde no 1
viu tudo n'uma felpa e deu peta falta do n-
qual era eapilSo e proprietarto Mr. Albert;s. de na-
conalidide allemaa, tei carregado r;a Rabia com bor,or-
destino para Londres, em noveinl';,-0 do anno lindo, Como natural, pausado n primeiro manar ali) de
pelos commerciantos daquell?, praoa, Souza, Rein- eslupefaccao, seguirato-sc as indagarttos, a a
semberg e C
0 manifest feito n?. alfandoga da Babia naquel-
sinbanoa' colheram-se os signaes de 1
que linha sabido eom lun ombralho, orie)
la data d a seguin'.e carga como recebida a bordo occultar.
estavam livTes, com a nica eondieao de nao reeo-
mecarcm ocombatc em territorio belga.
t Os condes de Wielopolski c Branick subscre-
veram logo a esta eondieao, para garanta da qual
oompromolteram a sua palavra de honra, e qu^i
immediatamonte o conde Wielsposki e a sqa teste-
munhas regressaram para Varsovi^. 1
A respeito das elevos rjde altlmamente tive-
ram lugartm Franca co^j-se a anedocta seguinte :
da referida orab-".rcacjio : 150 duzas de toros de
Jacaranda, 223 saccas de caf, 158 saceos de ca-
cu, ilOOO amarrados c piassaba, 10 amarrados
de barbatauas e '.astro, total 570 toneladas.
Entretanto ,6ouza,Rensembcrg e C obtiveram do
capitao V.'oerte que nos conhecimentos se apresen-
ts's^ carga muito superior despachada, o que rea-
'.isado, enviram os ditos conhecimentos a quatro
negociantes em Londres, e para algumas casas de
Rremon e Hamburgo.
Essos conhecimentos demonstravam terem em-
barcado no navio Mmia, 3,222 saccas de caf em -.
lugar de t& emaU duas caijeas ew brdnantesIPERNAMRLCO.-PVP, DE St F. DE ft HL
Informado o Sr. reg-^dor de Santo Ildefonso do
aconteeimento, reconbeceu togo, petos signaes ajan
lhe deram, com qnem tinha de se haver.
E nao se enganou, porque deu com o raaao e
com a ladra, que mais urna ro enlregoa i Jastica
criminal.
- Diz o rfio quo tantas vezes ti o cantar i
fonte qne la flea.
VereK se a Sra. Anna Vmjk tm por sorte
desmentir este rifao.



J


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9WJIYUL2_MAS8Q3 INGEST_TIME 2013-08-28T01:24:17Z PACKAGE AA00011611_10138
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES