Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10126


This item is only available as the following downloads:


Full Text

*
I
< -
r.
*
AflHO XL. HUMERO 24.
Per tres mezis adiantados $1000
Por tres mezes vencidos 6*000
Porte ao corrcio por im mzeS. 750

s < V
DE

SASSADO 30 DE JAWEIRO DE 1864.
Por anao adianta-it.....19$000
Porte ao correio por H BNCAHREGADOS DA SUftiCRIPCO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracjity, o
Sr.A. de Leaios Rrnga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oiiveira; Miranho, o 3r. .oaquim Marques iio-
dngnes; Pw os Srs. Manoel Pinheiro f:.; A-
maznnas, o Sr. Jeronymo da Itosta.
BNCABRBGAHOS DA SUBSCRIPCAO NO SL
Aiagoas, o Sr. Claudino Falcad Dias; Batia, o
Sr. Jos Martins AJves; Rio le Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins 4 Gasparino.
RNAMBUG8
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olmda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguaras.su', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-liras.
Santo Antio, Grvala, Bezerros, Bonito, Caroaru',
Altinho e Gaianlums nns tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacanin', Cabrob
Boa Visla, Ourienry e Exu' na< quartas feiras.
Sennhaein, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
rs. Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Una de Femando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os tistafetas partem ao V dia. |
I EPHEMEBIDES DO MEZ DE JANEIRO.
2 Qnarto ming. as 5 h., 18 m. e JO s. da m.
9 La nova as h., 2o m. e 50 s. da m.
18 Quarto cresc. as 8 h., 45 m. e 4S s. da t.
23 La cheia as 7 h., 43 m. e 14 s. da t.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 8 horas e 30 minutos da manhaa.
Segunda as 8 horas e 54 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alag&as a 5 e 25; para o norte at
a Granja 7 e 22 de' iada mez; para Fernando nos
das 14 dos mezes dejan, marc., niaio. rol, seu enov.
PARTIDA DOS OMNIBI S.
Para o Recife: do Apiparos as 6 8 1/2 da m.; de Olinda as 8" da m. e 6 da larde; de
IJaboatao s 6 Vi da m.; do Casanga e Varzea as 7
da m.; de Bemflca s 8 da m.
Do Recife : para o Apipuros s 3 y,, 4, 4 >/4,4 Vi.
o, 5 'A, 5 y, e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 /2 da tarde; para Jaboatan s 4 da lar-
de ; para Cachang e Varzea s 4 y, da tarde; para
Bemfiea s 4 da tarde.
PARTE OFFICIAL.
AUDIENCIA DOS TRIBINAE3 DA CAPITAL
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda .-quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e senas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbactos a 1 hora
da tarde. |
DIAS DA SEMANA
25. Sezunda. S. Anantas ; S. Juveniioo m.
26. Terca. S. Polycarpe b. ni.; S. Tlieoglnes m.
27. Quarta. S. Julio Chrvsostoino b. doul.
28. Quinta. S. Goncalo de Amarante domMk.
129. Seila. S. Francisco deSalles b.; S. Pima* m.
30. SaLbado. S. Adelelmoab.; S. Marlinha r, n.
31. Domingo. S. Pedro Nolasc; S. Cyro m.
ASSIGNA-SB
no Recite, em a lirraria da praca da latpmmet*
ns. 6 e 8, dos proprieunos Manuel Figueiroa e
Faria & Filho.
fiovERiw da mmmiK.
Tittiiitmlt de dia 27 dr Janeiro di 1801,
OiHciai> hrigadeiro comm mitote das armas.
Respondendo ao officio que V. lixc. me dirigi em
22 do corrente, sob numero 1 ;5, remetto-llie por
copia a inlormaco ministrad* pelo inspector da
tbesouraru. de fazenda em 25 do crrante, e d?lla
vera V. Ei:c. quo ja se providenciou, sobre a falta
de pagamentos das pracas des acadas na cidadeda
victoria.
Dito ao raesmo.Tende transferido para 29 do
corrente ao me dia, a reuni.o da junta que em
ultima instancia, tem dejulgar O soldado do corpo
de polica Franciscci Jos de Sania Anna, sirva-se
V. Exc. de mandar avisar os omeiaes que da
oesma junta devem fazer parle, aflm de que com-
parecain aoste palacio no dia 9 hora indicados.
Lommunicou-se ao juiz de direilo da segunda vara.
Dito ao vice-presidente do Instituto da Agricul-
tura da provincia da Bahia.Rogo V. Exc. a
bondade de rometter-me na primeira opportumda-
se, um exenplar dos regulamentos que esse Ins-
tituto houvw confeccionado, 011 dos trabalhos, que
ti ver feito com relariio a creaclo de urna escola
rural, que segundo me consta, acaba de ser alii
resol n-mU.
Dito ao baro de Vera-Cruz, sccreUrio do Insti-
tuto Agrcola Pernambucano.-Sirva-se V. Exc. ,
do enviar-me urna relacao das pessoas, que subs-
croveram pj^ra esse Instituto, com dedaracao das
queainda nio satisfizeram a importancia das quan-
tias subs;riptas.
Dito ao Dr. chefe de nolkia.--Pelo seu oflicio de
2b do corrente, fiquei inteirado de ter V. S. Bo-
rneado a Galdino Jos, de Assunipc'to, carcereiro iJa
caceta de Santo Anto.Commuuicou-se ao bs-
pector da ttiesouraria de fazenda.
Bilo ao inspecior da Ihesouraria de fazenda.
Made V. S. entregar ao alfere. do 7 batalho lie
infantaria, Jos Bentodos Passos Lima, os 23:000,5
que essa Ihesourwia tem de remeiter para o pre-
sidio de PijrnaBio, visto que aclia-se doente o ca-
pitao Antonio Mara de Castro Delgado, que es-
lava designado para conducir 1 predita qnantia.
Communicou-se ao brigadeiro commandanie das
armas.
Dito ao commandanie do orpo de polica.
Mande V. S. com urgencia receltier a esta capital,
as pracas da seecao volante do irpo sob seu com-
maiido. Antonio Chrispiano da Paz, Antonio Jos
Gamillo e Joiio Rodrigues de SJoura, que tem to
depor, no conselho a que est respondendo o caLo
de esquadra da mesma seceo 1 edro FerreiraBas-
tos, fazendo destacar na comarca do Limoeiro igusd
numero de pracas em substiluicao aquellas. Lom-
municou-se m Dr chefe de polica.
Dito ao caiiftio do porta-Mande V. S. por a dis-
posicao do lnpector do arsenal de marinha, o re-
cruta Manuel Joaquim do Naseiinenio, qu se ach
deudo na canhoaeira Uajakf, n ito ser desertor di
companhia ds aprendizes marin leires, onde tem o
nome de Marioel Lardoso da Silva.
do
Jos Antonio le Moraes e dos cabos de esquadn
Joo da Silva Braga e Horacio da Rocha e Silva,
que segaem |nra o presidio de Fernando.-Com-
municou-se a brigadeiro commsndante das armas.
Dito ao director-das obras publicas. Transmiti
V. S. para seu conhecimento, e execuciu 11:1
parle que Iht competir, a inclusa copia do contra-
to, celebrado |lomeu antecessor com o Dr. Jos
Bernardo Galvo Alcoforado e outros, para a cons-
truccao de una via frrea ou trilhos urbanos desta
cidade a povoaeao de Apipucos.
Dito a cantara municipal de Pao d'Alho. De-
volvo a camaca municipal de Pu d'Alho afim de
que seja conv mientemente assignado o incluso re-
gulamenlo de cemiterio publico dessa villa, que
para ser prsenle a assembla provincial acompa-
nlion ao offifij que a mesma cantara dirigi a esta
presidencia en Udo corrente.
Dito ao Dr. joiz de direito de Santo Anfao.-Ao
eeu offlcio de 9 de dezemb'O prximo lindo, com
referencia ao titulo do tabelliao do registro geral
de hypothecas Bellarmtno do Santos Bolcao, res-
pondo dlzend 1 que em vista do quo disp3e o aviso
numero 320 > le 26 de outubro de 1859, ao conhe-
cimento dogoverno imperial, levonesta dala a ma-
teria do seu citado oflicio.
D110 ao Dr. juiz de direito de Flores.Com a
copia da informacao ministrada hontem sob nu-
mero i7 pelo inspector da thesouraria de fazenda.
respondo ae mu ollicio de 31 de dezembroprximo
lindo com referencia aos vencimentos dos destaca-
mentos de prineira linha dessa comarca.
Bitoaoengenhelro fiscal da es'xada,de ferro
Nesta data submetto a consideraeo do governo
imperial o oiBsio que Vmc. me dirigi em 23 do
corrente, faieudo algumas obsorvaedes relativa-
mente aos mappas cujos modelos vieram attnexos
ao aviso da reparticao da agricultura, commercio
< obras pubhcis, de 30 de dezembro ultimo.
Dile ao engenheiro Domingos Jos Rodrigues.
llecommendo i Vmc. que v examinar a obra da
ponte de ferro, denominada S. Joan, e em vista
das razos apresentadas nos inclusos papis, que
me sero de vo vi dos, d o seu parecer acerca da .
inodilicaco que se pro(>5e no plato d'aquella obra.
Dito ao thesoureiro das loteras.Approvando
cesta data o plano, que Vmc. apresentou-me com o
seu offlcio do S!0 do corrente, para a extraccao das
partes das loteras extraordinarias que se refere
o citado offlcio, assim Ili'o communico, para seuco-
nhecimento, enviando-lhe urna cipia do referido
plae para lr execucao.Commimicou-se ao ins-
pector da thesouraria provincial.
Portara. -O vicc-presidentn da provincia resol-
ve privar do posto o cnente da 8* companhia do
batalho n. 12 de infamara da guarda nacional do
municipio de Goianna Franciscc Gomes Pessoa
de Araujo por estar comprehehdl lo as disposi-
ces dos rticos 65 da lei n. 602 de 19 de setem-
bro de 1850 e 20 do decreto n. i: 34 de 6 de abril
de 18.14.Omtmunicou-se ao commandanie su-
perior de Goianna.
Desparto* do dia 27 de Janeiro de 4861.
Requerimento$.
Heliodoro Fernandes da Cruz.Passe portara
cuncedendo na forma da lei, a Uceara que pede o
supplicante.
Joan Jos Barroso da Silva Juvtnis.Dirija-se a j
thesouraria provincial.
Olindina Marcelina de Carvalho.-Informe o Sr.
inspector do arsenal de marinha.
Virgilio Vieira da Costa Pinto.Passe portara
concedendo i. I cenca pedida.
EXTERIOR.
-HIIK!1>0\IK.\<-IAN l0 IIA
RIO IE PEKWIHKU.
ORTi'tai,.
I'orlo, \\ tle Janeiro.
BeaUsoo-sa, como haviaraos noticiado, a primei-
ra viagem experimental do caminho de ferro de
Lisboa ao Pcrto
Na tardo do dia 28 do passado chegaram
esiaeao das devezas ( em Villa .Vova de Gaia)'
o Sr. Angelo Arribas, director dos camlnhos I
de ferro porluguezes, por parte da empreza, e o
fer. Joao Evangelista de Abreu, engenheiro e che-
lo da linha do norte, tendo (tercorrido e examina-
do toda a via frrea, a qual acharam em boas con-
dtcoes, nao obstante a voz publica aecusar de pou-
ci solidez algumas obras do arte em dous ou tres
pintos da liaba. Seja como for, o que cerlo
qm o govf rao uomeaodo em portal ia de 4 do cor-
nmie una commissao com|iosia des engenheiros
i Srs. Aguiar, Conceiro, Margioch:, Schelmick, e
Siuza KrandSo para inspeccionar o referido ca-
ntinoo de ferro, prova que a viagem experimental
d? que fllanos foi satisfactoria.
Km toda :i linha falla apenas o assefamento de-
n itttvo de carris, potico abaixo de Coimbra, n'uma
eitensao de dous kilmetros. DtV.se que,j se
osla procedendo sua collocaeao.
O Sr. D. Jos Salamanca, empresario da cons-
li uccao dos caminhos de ferro porluguezes, es-
perado por todo este mez nesta cidade.
\ao tambem insjieccionar a linha.
Quando ella ser aborta exploradlo publica
qie nos o n;io podemos dizer, porqno nao ha pro-
babilidade aiguma em que nos possainos fundar.
Segundo o relatorio da directora do banco Com-
m ;rcial do Porto, apresenlado em assembla geral
de dia 5, v-se cine as principaes >perac;5es do
ni ns amigo esiabelecimento bancaric desta cidade
no anne ultimo, foram :
Besconto de letras de cambio
e airas transan-oes commer-
c-e....................... 2.250:283*386
Empresliiiios.............. 616:255*470
Transferencias de fundos ... 770:194*972
Compra e venda de inscrip-
tos ........................ 548.600*000
deposito.................. 3,604:587*990
! rjinlieiro a premio.......... 358:838*779
va conta de ganhos e perdas pp trece o lucro
liquido I5i:2'7*383 rs. ou quasi 10 1|2 por cento
do capital cmitlido.
A dirceco propoz que fosse dividida a quantia
de 12* rs. por aeco, que com 6* rs ja divididos
no primeiro semestre, prefai 9 por cento ou 18*
rs. por accao, ficando em caixa para fuer face aos
prejuizos que possam liquidarse a quantia de rs.
21:293*383.
fio relatorio falla a direccao na letra aceita pelo
Sr. Thomaz Maria Bessone, a respeilo da qual, como
disiemos na carta anterior, o accionista o Sr. Jos
Ga: par da Graca dirigir urna accu6acao dire-
tona.
C'uando a i.ommi.-sao de exame e contas apre-
sen lar o seu parecer, daremos mais ampias infor-
ma ;oes a este respeilo.
Fia mesma assembla geral discutiu-se tambem
a conveniencia da reforma dos estatutos do banco,
e vtnceu-se, quasi por unanimidade, que essa re-
forma fosse o frurlo de pausado e refleclido escu-
do ila directora, em vista do desenvolvimenlo do
crdito que se nota na praca, e a concurrencia de
outios bancos, que forcasamente ha de trazer a
nec-ssidade de alargar o quadro das operaces.
A companhia de seguros Douro, em vista do re-
alo '10 da direcce relativo ao anno de 1863, e li-
dcm assembla ijeral dos accionistas, tambem
do dia5, teve e premios de seguros 7:952*063 rs.
ede prejuizo ::S7*5O0.
A despeza iiropriamcnle da companhia, como
coir missdes a diversos agentes e direcejio, orde-
nados a caixeiros, ele, preta 1:730*760 rs Os
lucr js lquidos sao 2:944*723.
A Santa Casa da Misericordia do Porto, no an-
no econmico de 1862 1863 teve a reccita de
47.030*111 rs. e de despeza 60:656*305 rs., ha- I
vene o um delirit de 13:626*184 rs., devido a nao
se obrarem dtlferentes verbas que faziam parle
da 1 'ceita, e ao progressivo augmento das subs-
tancias alimenticias.
E: te dficit, porm, fica coberto, recebidas que
sejain aquellas verbas, que importam em rs.
18:753*070 rs.
O capilaes mutuados prefizeram 7:5O0|000 rs.,
os detractados 2:366*525 rs.
E npregaram-se em seis apolices da caixa da
amo-tisacao do Rio de Janeiro, eacfoes do Banco
Uni.io do Porto, 6,299*320 rs., entrando nesta ci-
fra c cusi daquellas reduzido moeda forte. O
total dos capitaes mutuados e localisados de rs.
11:412*793.
O movimento do hospital real de Santo Antonio,
ca goda Santa Casa, e que vulgarmente co-
ntiendo por hospital da Misericordia, foi superior
7,100 doonte.s.
Por iniciativa da commissao do monumento que
os ar astas do Porlo esto levantando na praca da lla-
talha memoria do muito amado rei o Sr. o. Pedro
V, teve lugar no i* do corrente mez urna grande'
reun.odc todas associaedes porluenses; com o fim
deaccordar nos meios de auxiliar o Sr. Jos liento
Pere.ra na acquisicao de prendas para um leilo
que no primeiro anniversario natalicio do principe
real e deve elfectuar no recinto do hospital da so-
ciedad* portugiieza de Beneficencia estabelecida na
capital desse imperio, em beneficio do mesmo pi
estalelecimento.
Depois de alguma discusso resolveti-se que so
nomcasse urna commissao de tres membros, para
esta i or si e com acquisicao de outras pessoas se
dirigir, por meio de cartas s patriticas senhoras e
ca val lei ros desta cidade, a solicitar prendas para
o dice leilo, nao s para soccorrer com o seu pro-
duetc os socios indigentes da referida sociedade de
beneficencia, como para assignalar a gratiio que
todos devemos, pelas pravas de patriotismo e ca-
ridad 3 que. os nossos compatriotas residentes no
Brasil constantemente nos eslo dando.
S. '.. a rainha, promelleu, quando o Sr. Ramos
Perei-ajiediit a valiosa proteceo de S. M. para o
dito fiilao, oiTerecer urna obra de suas maos.
No dia 2 teve lugar a sessao de posse da cmara
que tutu de genr o municipio porluense no biennio
corrente de 1864 e 1865.
Atosse-foi conferida, na conformidade da lei,
pelo ir. Henrique de Carvalho Jalles, administra-
dor do i bairro. Assistram alm dos novos ve-
reado-es os do passado biennio.
Constituida a nova cmara e lido o relatorio da ,
gerencia da cmara transacto, seguiu-se a eleicao :
para a dilTerentes cargos camararios, sendo efei-;
tos : presidente o Sr. visconde de Ltgoaga, e vi-
ce-presidente o Sr. visconde de Figueiredo.
Os ililferentes pelouros foram distribuidos aos
Srs. : -visconde de Lagoaca polica municipal e [
demandas ; Alexandre Soares Pinto de Andrade, I
illuminacao publica Augusto Pinto Moreira da
Costa, rendas miinicipaes e matadouro ; Dr. Tho-
maz Antonio do Oliveira Lobo, musen e instrueco
publica ; Raymundo Joai|Um Martin*, expostos e
aguas publicas : visconde de Pereira Machado, bi-
bliollieca, jardius e arvoredos ; Antonio Cardozo
dos Sa utos, morcados, pracas c arvoredos da Foz;
Antn o Jos do Nascimenio Leo, fiscal; Vicente
de Soi za Dias, cemiterios e companhia de incen-
dios ; Jos Carlos Lopes, eoUegio dos orphaos; e
visconle de Figueiredo, deputado inspector do de-
posito publico.
O Si. Miguel do Canto e Castro, governador civil
do ilis rielo do Porto, parle n'um dos prximos dias
para a capital a oceupar a sua cadeira na cmara !
dos pares. J entregou o governo do districto ao
secretario geral o Sr. Manoel Adelino de Fignei-!
redo.
O Sr. governador civil de Villa-Real, passou aqu
em viagem para Lisboa, onde foi chamado, para
dar informacoes verbaes sobre os acontecimentos !
Suoti'eram lugar n'aquelle districto por occasiao
as ultimas eleicoes municipaes.
A Dspeito desie chamament que foi pelo tele-
graph i, diz o Nacional, cora multa graca, na sua to-
ma de ante-hontem, sob a epigraphe Vira o nosso
-apiti -mor tea [ que0 telegramma dirigido pelo
Sr. ministro do reino ao Sr. governador civil era
assitii concebido :-Ordena EL-IIEI NOSSO SE-
.Miuit que \. Exc. se aprsente quanto antes em
No dia 27 de dezembro houve em Braga urna reu- Em'tWifltha' rendido'' fW Sa'7
lilao de vanos cavalheiros pertencentes opposit;o .........J^.229*157
com o flm de organisarem um centro poltico. A
proxiiiudade da eleicao para deputados faz mover
os partidos, eeremos que a pugna hade ser muito
reuhida.
Foram
enSer Ted*C&0 do Dia a Publicar ***** I * directa para a cidade de Belm
urna passagem
donde
Em mi Wti rendido:.'.".'.".".';.'.' I^^UStS? ^SadRmaim,rV1c,a1-' 1uo <> i-rec.deram. "^JwSW ^ feveX,
Rendimenti a\^aior de 186.1...
293:200*156
10:002*55
224*625
W:773*4S:
1.209*570
7:664*478
ro as 7 horas da noile
lera lug,r o levantamento da bandeira- de Nossa
festa ce-
., ei ana
peHa- da Ealancia.
A bandeira sahe da casa da jniza na roa Rea*,
levada por meninas uniformemente trajMas; a
quaes eaocarao no decurso do trajelo i, opeHo,
tercos em louvor da excelsa Senhora da Assnrap-
cao, ao som da msica marcial.
No dia da festa, pelas 5 horas da manhaa, epsi?
do toque de alvorada, o que ser annunciado- por
ima sal'-a real, seguir-se-ba a festa, pregando c
i A dita casa fiscal rendeu no mez de dezembro
| ullinao 1V5.911*668, a saber:
nomeados para presidente o Sr. conse- Importaco..... 15972*010
Iheiro Francisco Manoel da Cosa, vice-pres.dente o Exportacio
HnA'i cU',^e0 d,e tMatralhaes Coutinho, c se reta- Heexportaca'o '.'.'.
?S Mano?' Joa1u"n Al ve Passos e Anto- Consuntmo ...
nio Jos Pereira de Magalhes. Tonelatem
O amigo jornal o Bracarense, que cessou de pu- Diversas receilas
bl.car-se deoois da mallograda revolca militar de
ffi ^iindm lrnr?f..Jippa/eCer ?a a/eu j?rna" "" Abriram ,ermo de ^: -em 28 de dezem-
Kcfllft^'.'rl o Campeao do M,*ho o bro o patacho oco Activo,^ para a Bahia ;-e em
vesKk r9J, Chm0r N,?e- Sr Mm i9 a barc for da Mnin- P"a o Rio de Janeiro.
m*?Pr*rt\i un r Pr'BCf1- Pr emquanto -Durante a quincena, com relacao aos portos:1;iva : P?r, ''"uagem do Bracarenu. do Brasil, nao entrou embarcaco alguma. cavall em que eslava montano ~ '>nhma noticia irouxe oParahyt
' cebisno deTr^ h feS!? \*P?ESS- "- Sahiram ;-em i7 de demb a alera Ada.nas-
' nos .Envt lg.2andou d'stnbutr 482*000 a va- tor, para o Rio de Janeiro; -em 29 a barca Ame-
1 Em^ Vabnek I U i?** d* C'd*d-. fe PaM d, Pr, '~em 6 de J^ aS barCaS
Hontem amanheceu fundeado em nosso porto,
yindo des do norte de sua escala, o vapor costerro
lo'Jii'iiibf, sendo portador de noticias de datas : ,,.,
; do Ceara 23, do Rio-Grande 21 e da Parahyba 28 .' Pa -e-roestre Mello, e a tarde ha vera caraiba-
do crreme. Bis o que colheraos dos iornaii i"' ''"" das Por pessoas com|)eienlemente nabiK-
Ccirti. O Bv.1. vigario do Ico, pad?o MjucH HfSILL! "^ m dec^s?xo Tt-Dnm soltar-se-
' Francisco da Frota, escapou de ser victima ,le l,ao,u,ver^e variados baldes.
dousassassinos, que o esporavam no rio da cidade, na noile de 7 do corrale, quando ellrvol-! ch^st^f dirigida pelo Rvd. padre Primo.
aor
Fm Valnn X k j>"''i nopono;em o ae janeiro as barcas
dnu;w? .I D ce,n.eCU.a Publicar-se, Nova Carolina e JVoeo Tentador, e galera Saudade,
uuas vezes por semana, no principio do corrente
tambem para o referido porto ;-em 8 o brigue S.
anno, um penodio denominado Correio do Norte. Jos, para a Bahia
A i oz do Minho, que era a amiga Razdo e foi o ________
neirnni,?n,ual .Jl"00 que sMog* luz.na1alella wdo activo e passiv do Banco Conwurcial
tambem a sua publicado. Para do Porto em 31 d* dezembro de 1863.
villa,
urna ierra to pequea e de pouca importancia como ;
e Valenca, dous jornaes ho-de forcosamente lutor fixis
nhores
Emprestimo ao governo para a
nova alfandega do Porlo.....
Ttulos tle divida publica (valor
do bataneo)................
Crdito diverso..
Activo.
forcoiamente hitar Existencia em cofre, em metal .
Lom grande, diflkuldades para poderem viver um- Letras descontadas a recebar...
nir h,,00? hS redllos da assigna,ura- Emprestimo sobre diversos pe-
O tribunal do commercio de Vianna do Minho
em assentada de 31 do mez passado declarou fal-
ido o Sr. Gaspar Jos de Passos, negociante da vil-
la de Ponte do Lima.
O CajHpnao das Provincias jornal de Aveiro con-
ta a segu nte notavel coincidencia :
.'... i-i81!01/0 annos sahi0 a barr* desta cidde. Emprestimo toreado Junta do
na ifuauaade de marinheiro, um homem que dias Porto em 1847..........
ames e n urna das costas prximas macara um seu Custo actual do edificio do Ban-
companheiro de trabalho. i Co. movis, ele........ .T.
i assado aquelle tempo voltava o homem ter- Aecoes em reserva,
ra natal, e quando ia a transpor o porto de onde
tinha sabido depois daquelle acontecimento fatal
para o que as raaos Ihe dexara e vida, esraa- -,
do pelo peso de urna pipa que sobre elle fizera ro- Passivo
lar urna onda enfurecida, vindo exhalar o ultimo, Capital actual do Banco ....'...
suspiro n urna casa de cardade I Diversos depositantes.........
A cnse em que dissemos na nossa anterior mis- Notas em eirculacao
I?. n r:seaci>mPa'>hialyricatem-seafl;gravado Amortisaco dos empreslimos,
mais. uesde entao cessaram os espectculos. para a nova alfandega.......
a autoridade recusou a licenca para voltar Dividendo por pagar.......
scena no da 29 a neta com o fundamento de que Dbitos em conta corrente.....
esto opera tinha sido pateada. Fundo de reserva.............
u emprezano, no proposito de reformar a com- Lucro e perdas
panlua, prepoz a recisao do contracto a alguns dos
cantores que estao mais no desagrado do publico,
olTerecendo-se a pagar-lhe a passagem, porm elles
recusaram-se a acceitar esta proposta.
Gomo este expedieoic nao sortisse o desejado ef-
feto o emprezaro propoz aos assignantes um aug-
mento que o habilitasse a escripturar alguns
cantores novos, mas ainda desta vez foi infeliz por
que a sua proposta toi regeitada.
Por ultimo, diz-se que o emprezario o Sr. Basto
passara a empreza ao seu guarda livros o Sr. Per-
fume, o qual j escripturou na Italia, e estao em
viagem para esta cidade, urna prima-dona, e um
tenor.
A autoridade administrativa conseguiu descobnr
os autores da estrondosa pateada, que fez baquear
a empreza, e convidou-os a pagar as cadeiras da
platea que haviam quebrado, as quaes foram ava-
hadas em uns 16*000, cuja quantia foi j satis-
feta.
258:632*185
1,289:572*908
173:976*850
452:041*571
116:585*926
677:361*217
67.855*000
25:101*870
500:000*000
3,543:128*527
A seguranca de vida ia mal na capital, eo-
mo se v da seguinle noticia :
As 11 horas da noile do da 19 do corrente,
passeando as calcadas de sua casa, ra da Pal- i
ma, o tenente-coronel Joaquim da Cunha Preire,
RH chamado por sua visinha Rosa Marik Borges, i
mulher de Joaquim M. Borges Macaco : eis que, \ .
entrando,, fechada a porta, e se Ihe aprescn.W EjL'SSSS
do Joaquim M. Borges Macaco, marido de Rosa v0r'de '',
Mana Borges. e seus manos Antonio Kosano: .:.. ,rdSm.do iU
casa de detenco no dia 28
2,000:0004000
507:203*856
222:650*000
107:238*328
9:039*500
48>:697*460
100:000*000
111:297*183
3,543:128*527
WTERiR
CORRK*ONDENaA DO DIARIO DE
NAMBUCO.
PER-
Piirahyba de Ser-
gipe e Alagas, de onde entrou hontem.
IUpmctic \o da fot.tcjA :
,0E?,racl0 das Pw1es do dia 29 de Janeiro de
1864.
Foram recolhidos
do crreme
A' ordein do Dr. delegado da capital, Manoel An-
Francelino, pardo, e Manoel Francisco de
ambos para correccao.
manos Antonio Hosalino I lft" a^llT'*!*g*. Hecie> Y,cmte Fer"
e Jos Correa Mnnarr-ia *xj pcTa da,Sllva. Pardo, para correccao.
A' ordein do de S. Jos, Jos Mendes de Oliva-
ra, branco, por disturbios.
A' ordein do da Capuoga, Manoel Diniz da Paz,
pardo, para correcgacx
O chefe da 2* seecao,
J. G. de Mesqtuf.
Passageiros vindosde Macei e portos inter-
medios no vapor nacional Parahyba :
Dr. Pedro de Albuquenrae Autran, alteres Joas
Fernandes de Araujo Santos, Joo Baptista dos San-
tos-Lyra, Jilo Marques SaManha e t pracas do 2*
batalho de infautaria.
Passageiros vindos da Granja e portos Inter-
medios, no vapor nacional Jaguaribe :
Joaquim da Penha Teixeira, Jos S. Camairo da
Silva, Vicente Geffen, Manoel Pereira de Carralho.
Manoel Gouveia Pinto, Emilio Delfino de Moara,
Antonio Jos da Costa Guimares e 1 criado, Cons-
tantino Gomes de Mallos, Raymundo Francisco
Carneiro Monteiro, Jos Gonc>Jves Malveira, Fraak-
lim de Aleluia Malveira, Pedro do Souza Tenorio.
Joo-Virato Fernandes e 1 criado, Manoel Ferrei-
ra do Careno, Jos Joaquka de Souza, Antonio V.,
David Thomaz Mate, John James, David James, Jo-
s Varella ele Souza Barca, Luiz Barbosa da Costa
Bets; Nicolao Vieira de Meti, Manoel Carneiro B.
Cordeiro, Fernando de Cerquoira Carvamo, Anto
nio Jbaquim Gomes, Joaquim Jos, Jeaqnta Ro-
drigues da Silva, Estovad Oiympio de OHvetra iri-
to, Luiz S. II. da Cmara, Francisco Jos Gomas,
Amaro R. di A Maranbo e seu niho manar, Fa-
bncioG. P. Netto, Joo Jos Sobona, Jos P. de
rge
Correa Monarcha
gindo-lhe o passamento de urna leltra do valor
de 10:100*000, e nao querendo isto pmstar-se,
tora toreado ccete, que Ihe atiraram os manos
de Rosa Mara Borges : e jiara obter a vida pas-
sou tres letras, para urna dellas servir contento,
do valor de 10:1003 cada urna, e retirando-se pe-
la 1 hora da noile, deu publicdade do aconteci-
mento a polica, que, pondo em cerco a casa de
Joaquim Manuel Borges, houtem pela manhaa foi
varejada pela polieia, que verificando sigaaes vi-
siveis da violencia e do crime, recolheu ; prisao
Joa(|uim Manoel Borges e sua mulher Rosa Mari*
Borges. e seus irraaos Antonio Rossalino Correa
Monarcha e Jos Correa Mjnarcha.
L-se no Pedro II:
No dia 10 do crrame teve lugar na Sania
Casa de Misericordia distribuico des premios
conferidos pelo jurv da exposicao aos expositores
laureados.
Ro .h t-vi*: no >ohik.
.Natal, 38 de Janeiro de 1864.
a estatistca criminal apresentou no dia 18 do
corrente um facto interessanto por qualquer dos
lados que se considere : achou-se nesta capital
urna recemnascida alirada na mar e encostada
O Sr. vice-provedor Joao Severno Ribeiro leu-
urna allocugao sobre o objocto e um dos ,n islas
premiados com urna medalha de ouro, o Sr. Ta-
borda, leu outra em agradecmento.
Rio-Grande do Norte. Chamamos a attencao
dos le tures para a carta de nosso correspondente
que vai em outro lugar.
Parahyba. No Publicado)- apenas encontramos
o seguinle :
No dia 18 do corrente, Agostinho Leal de Le-
mos ferio com diversas cultiladas de foiee, no lu-
Bar Caxit, freijuezia da Jacoca, Jos alatheus
de Noronha Jnior. O offendido e seu pai (|ueixa-
ram-se ao subdelegado o Sr. Manoel Soares No- i Castro MedeirosJJJoao J. B. Tinoco, Amaro de B
gueira de Moraes, porm este totnou o criminoso r
sob sua proteccao, visto como o offendido e seu
pai sao crealuras do Sr. tenente-coronel Quiri
no.
PERNAMBCO
no fundo do sobrado em que mora o negociante
Por alvar de 23 de dezembro ultimo, foi auto- su'sso H. Graf.
risada a direccao do Brasilian and Portuguczc; rrocedendo a polica a corpo de delicio decla-
Bauk Limited, eslabelecido em Londres, a orgaui-.rarara. os mdicos que a recem-nascida havia sido
sar caixas filiaes ou agencias em Portugal. :oada a 'uz i'aquelle mesmo dia; que nasrra viva
, A agencia nesta cidade jase ac.ha fuocionan4o. Porque fazendo-se a autopsia e depois della a ex-
Compoe-se dos Srs. visconde de Pereira Machado, Pff'encia dos bofes estes sobrenadaram n'agua,
em que foram atirados ; finalmente que a morte
fora produzda por hemorrhagia pelo cordao um-
bilical.
Proseguindo-se as de mais doligencas chegou-
se ao conhecimento por contlsso propria da raiii
REVISTA DI4KI.4.
Sobre requisicao do vice-consulado da Hesianha
foi recommendado ao chefe de polica a expedico
de suas ordens, para que as autoridades po lices
facam constar sem demora aquelle vice-consulado
os bitos dos respectivos subditos, que houverem
barao de Nova Cintra, Francisco Pinto Bessa e Ri-
cardo Hatt Noble, directores; e Alfredo Alien se-
cretario.
A quantia de 1:393*700, ultima reraessa dos do-
nativos dos nossos compatriotas residentes nesse
amigo imperio, para os asylos de infancia desval- !,ue '.'uem dt'ra ;i ,uz a essa menina fora a suissa fr fle sua saude, ao Dr. Miguel Bernardo Vieira
da de Portugal, foi distribuida : ; ',au,jna Klinger, que viera da Europa como criada 70-) do dito Graf e aqu se acha como tal, morando em o termo de Caruar.
Correa, Manael A. Pinto, Francisco J. M. .
l'odroto Gal to, Giome Aiascia de Marato, Flavia-
no C CollK e 1 escravo, Domiciano fiemes Soa-
res, Ignacio da S. Colho e 1 escravo, Jos G. de
AOuintella, D. Antonio Casallo, Giacomo A. C,
Joo Monteiro P. 3 escravos a entregar.
Passageiros sabidos para a ilha de Femando.
no hiato nacional Sergipa :
Alteres Jcs B. dos Passos Lima, Estovad J. A.
de Moraes,'.! cabos de esquadra do 2* de fnzileiros.
Manoel & des Santos Neves e 1 filho menor, Ma-
noel Gardoso Ribeiro, Antonio da S. S. Barreto, Jo-
s Feliciano Machado, Francisco C de Jess el
tilha menor, Mara dos A. Anuncia e Mara de
Araujo.
no dia 28 de
.no
sular, promulgada por decreto n. 3,036 de 31 de
julho do anno prximo passado.
Coma percepcao dos respectivos venc Tien-
tos concederam-se dous mezes de licenea.lpar.i tra-
Lisboa (8 eslabelecimentos) 699*700
Porto (4 ditos)........... "
Braga (3 ditos)...........
Vianna (1 dito)..........
Villa-Real (1 dito).......
Aveiro e Oliveira d'Azemeis
Coimbra (1 dito).........
El vas e Evora (2 ditos)....
libas adjacentes (4 ditos)...
344*000
75*000
25*000
23*000
50*000
25*000
50*000
100*000
easa delle, declarando mais que j viera grvida Foi ordenada a soltura dos recrutas Lauren-
da Europa de um homem que a violara com pro- lino Jos dos Santos, Joo da Costa e Esmeriiio Jo-
i messa de casamento; que desejando encobrir sua s dos Santos, por incapacidade para o servico, ve-
a|. rilicada em inspeccao de sadde; e de Joao Quinti-
| vergonha nunca communicou a sua gravidez a
guem neste mundo; at que chegando a hora de
| dar luz fe-lo s na esperanca de que pedera
desfarcar a sua vergonha, dzendo-se doente de
febre amarella; em fim que tendo a creaoca mor-
rido ou nascido mora, ella a fora deitar na mar
As ropjesentacoes dadas o anno passado em "a Presurapco de que esta a rarregaria e assim
Coimbra e Porlo a favor dos Polacos, pelos estu- Dca,na ncoberto o seu pudor,
dantos da Uoversidade que formam a academia I Por ora e 1ue se sabe; o processo, porm, que
dramtica, produziramjuns nove ceios e Unios mil se '"slaurou, talrez descubra a verdade do tudo.
ris. que ba poucos das foram remettidos ao com- ~ fc' exacta a noticia que d Vmc. na Revista
t polaco de Londres. .d0 seu Diario de 19 do corrente, coramunicada
O tempo contina socco e muito fri. O baro- Pel caP''ao da escuna brasileira Ernestina de ter
metro marcou hontem a temperatura dentro de ca- "Priado a 9 deste mez ao porto da Caissara trnta
sa 4 graos e ao ar livre zero. A falta de chuva e 1ua,ro leguas ao norte desta capital urna lancha
geral em todo o norte do reino. A permanecer as- corn. capito e oito tripulantes de um navio inglez
sira teremos um anno estril. Por toda a parle naufragado nos bancos de Fernando de No-
se leem feito preces ad pretendan pluviam. \ ron.ba- .... .
No dia 2comecou o varejo annual dos vinhos G subdelegado de polica d aquelle districto com-
armazenados nesta cidade e em Villa Nova de Cava mumcu a presidencia e ao chefe de polica este
e'que tinham sido manifestados na alfandega desu raesm. cto accrescentando quo prestara aos nau-
ctdade. i tragados todos os soccorros de que pedia dispor
Terminou no dia 8, verificando-se que a quanli- inclusive cavados para transporlarem por trra o
dade de viahos e agurdenles em deposito nos di- seu trem para esta capital,
tos arraazens, no dia 1 de Janeiro era a seguinte :
Vinbo............. 38,801:39l litros.
Agurdente
Vinho deconsuinrao.
827:403
39.629:794
9,120
Total.... 39,638:914 .
que corresponde a 74,196 pipas.
A alfandega do Porto publicou a lisia do vinho
despachado paraexportaco na dita alfandoga no
anno de 1863.
V-se noreste documento offlcial que a expor-
tacao foi de 18,647:826 litros ou 34,905 pipas, 3 al-
mudes e 10 caadas.
Os paizes importadores foram os seguinles:
P. A. C.
Australia..........
Brasil.............
Canana...........
Cidades Hanseaticas.
Dinamarca.........
Estados-L'nidos.....
Franca............
Gibraltar .........
Gra-Bretauha.....
Hespanha..........
Hollanda..........
Italia..............
Montevideo........
Nova Escocia.......
Prussja...........
Reino e PossessSes.
Russia............
Suecia ......___
Terra Nova........
34903 6 ~
Remellemos a lisia das casas exportadoras para
296 16 B
2746 i 8
234 17 7
476 3 i
222 19 3
142 19 2
57 13 5
4 12 H
30044 10 1
49 10 3
101 3 2
5 7
15 6 5
7 20 11
5 2
313 16 11
68 8 3
79 4 10
45 8
Consla-me que j aqui se acham essas pessoas
e eu mesmo j vi urna dellas que rae disseram ser
dos naufragados.
Sem duvida d'aqui ho de seguir para esse Per-
nambuco pelo Jaguaribe que se espera a todo mo-
mento.
Eslava neste ponto quando ene appareceu um
dos naufragados, de que acabo de fallar o hes-
panhol peruviano Antonio de Faria.
Depois de fazer-lhe algumas perguntas disse-me
elle que sal ira de Liverpool na barca Robinson,
carregada de carvo de pedra para Pernambuco
com 11 pessoas de tripolacao inclusive o comman-
danie ; que depois de urna boa viagem, e quando
j se achayam na altura da ilha de Ilamarac
avistaram noile um grande fogo, que Ibes pare-
ceu um pharel, que suppozeram ser da barra de
Ilamarac; pelo que navegaram sobre elle; mas
que chegando perto reconheceram ser fogo de urna
jangada, que pescava. e virando por isso de bordo
immediatamente o navio subi de proa em cima
do urna pedra.
Iteconhecendo o commandanie que nao havia
mais salvarlo para o barco mandou arrear o lan-
cliao, no qual se embarcou com todos da tripola-
cao, e o irem quo poderam conduzir.
no Lopes por ter provado isenco legal.
Existe creada nesta cidade urna sociedade de
msica denominada Untao Commercial, composta
de mocos do commercio ; a qual se tem destiogui-1
do polo desenvolvimenlo artstico e pelo compor-
tamente regular dos seus membros em passeios
que tem dado varias partes em corporacao.
Remettom-nos o seguinte :
< Se permittido a um obscuro amante dos roe-
Ihoraraenlos de seu paiz, lembrar a quem compe-
tir, ao Sr. engenheiro e chefe das obras publicas,
por exemplo, que a grade que esto collocando no
caes da ra do Sol, nao s cousa de muito rao
gosto, como muito ordinaria e vergonhosa at : pois
nao crivel que se desejando melhorar e eralieie-
zar a cidade colloquem a beira do caes uns arime-
ztnhos inalfeitos com uraas pontinbas de lauca.
t E nao seria melhor antes collocar urnas co-
mas de pedras com urnas crranles passadas,
Movimento da casa de detenco i
de janeiro- W64 :
Exisam . 338 presos.
Entraram. . 10
Sahiram . 13
Existem. . 335
A saber :
Nacionaes. . 230 presos.
Estrangeiros . 30 .
Mulberes . 3
Estrangeiras. 1 i
Escravos . 65
Escravas . 6
335
Alimentados a-cusa dos cofres pblicos. 147
Mnvimento da enfermara no dia 29 do cor-
rente.
Teve baixa :
Flix Jos Rodrigues ; anemia.
UI POUCO DE TUBO.
Mr. Hooibrenck tem posto em pratica os segura
tes meios p ficial, um maior rend ment dos cereaes, das vinbas
e das arvores fructferas.
Para operar a fecundacao artificial dos crear
em prega urna corda de 20 metros, na qual ata ne-
cadinbos de la de 33 35 centmetros de comen
ment; os quaes devera ser bastante tartos para
~_---------------------,-----------, tocarem uns nos outros, e ala urna pequea baila
como se tem feilo no Rio de Janeiro, guaroecando de chumbo de 3 em 5 tos, na extremidade de nina
as Magas, moda de Paris, Genova, ele. ? Isto sica,' parle delle.
embelleza, isto gosto, e semduvida alguma cus- j Passa-se este aparelho sobre as espigas no mo-
tara menos diuheiro. i ment da fcratjftd, de modo qne as sacada bran
E quando nao baja dinheiro, melhor fk;ar o damente.
cessimplesmente. Tres pessoa?. se empregara nesta operacao, um
Outro siin, nao seria melhor calcar em primei-! homem em cada extremidade do apparelbo e urna
ro lugar as ras do Trapiche, Litigela e Cruz,! crcanca no raeio, para sustentar a corda
pontos onde desembarcan! estrangeiros, sempre Deve esta operacao ser repetida tres vezes cem
curiosos, e que a tal vista vo fazndo um juizo
muito triste de nossa Ierra, elles que muitas vozes,
pela pouca demora do vapor nao passam do bair-
ro do Recife, o menos aceiado da cidade?
i Espera o obscuro comprovinciano que isto nao
tara zangar a ninguem, antes sejara recouhecidas
e consideradas estas verdades.
Moradores da ra do Cabugi reelamam con-
tra a existencia de um cano que despeja para a
mesma ra, e que nella mu tas vezes deposita um
1 dou* dias de" intervallo;
zer-se quando o polleu
a primeira vez deve fa-
se desenvotve de urna.
maueir sensivel.
A despeza para fecundar um hector de cereae.
anda por 2 francos; repetindo a operacao trae
vezes, como acabamos de dizer, o apparelbo nao
pode importar era mais de 5 6 francos e pode
durar muito tempo.
Para as arvores fructferas, Mr. Hooibrenck
emprega outro metnodo de que modifica a expii-
lamacal ptrido, cujas* exhalacoes tresandam de : eaco segundo se (rata da arvore era lauda ou em
modo incommodo para os vizinhos e inconveniente
para a saude publica.
E' preciso, pois, que cesse semelhante abuso, que
apresenta taes eleitos de inconveniencia.
- A sociedade dramtica Reacio e Unido Fa-
miliar, dos Afilelos, d hoje urna representaco.
A peca que vai scena, o drama em dous ac
ltberdade.
Opera as arvores em latada do seguinte modo;
Na poca em que as llore desabroxan toca de-
icadamente os stygmtaas com o dedo molhado esa
niel, c quancU todas as flores esto assim prepara-
das passa sobr todas urna pequea borla ce polvi
litar, mas de pello curto, o polleu dascoblocado
tos Amor c lliua, seguida da comedia Rodavka e pelo passar da borla cai sobre os stvirmatas. que
o dueto
vallos.
0 meirinho e a pobre em um dos in er-
Nio permetiindo o tempo que navegassem para A companhia da illuminacjao publica, tendo
o sul seguirara rumo do norte, e foram sabir na: attencao aos iuconveuienles que rasultariam para
Caissara, onde o respectivo subdelegado Jeronymo
Freir de Queiroz Ibes prestou os soccorros, que
estavam a seu alcance, e entre estes o de alguns
animaes e dinheiro, como o communicou secre-
taria do governo e da polica.
Dissc mais que chegando lodos aqui a saber se-
to de nacionalidade ingleza e quatro de hespanhola
peruviana, aquelles approveilaram a occasiao de
um brigue da casa Graf, que partia para a In-
glaterra, e nelle se embarcaran! e foram-se embo
ra, e quanto a estes j seguiram para o norte no
vapor Uamanguape 3 em procura do Per, para
d'ahi subirem para Manos e desta cidade para
a Nauta no Pej, mas que- elle Antonio de Faria dac.
o publico com a projectada transferencia do esta
belecimento da ra do Imperador para a do Gas-
metro, resolyuu nao efjectua-la mais; de modo que
assim so nao solTiero os entrares que daquella
medida erain de esperar.
No da 21 foi encontrada pela Bella Finiu*
rense na lat. N. 10*' e long. O 24 10" a barca in-
gleza Lutken, com 21 dias de viagem do Cadtxpara
Buenos-Ayres.
A substiluicao que pretende executar a com-
panhia ingleza nos vapores que fazem o servico da
linha do Brasil, nao deve ter lugar sa nao para ju-
nlio prximo vindouro. secundo, noticias que nos
eslo motilados com o niel, e ah fica pegado" c
i assim assogura \ fecundacao, de modo que se obte-
ro tantos Truc!..-,, quantas as lloros aperadas.
Esla operacao, pouco dispendiosa, repete-se
lanas vezes quantas ss julgam necessarias.
Para as arvores em liberdade, taes como a
cerejeiras, amexieiras^macieiras ele. o processo st
simplifica, faz-se usii J*"m especie de espaoeja
dor, composlo de tos do (Sarta mesma quaiidade
quo se empregam para a fecundacao dos cereae-.
e de perto de 20 centmetros de comprimea-
to : passa-se em alguns (ios urna muito pequea
quantidade de niel destinada a reter o polleu, di,
corre-se o espanejador sretada as flores da
arvore, como para Ibes tirar a poeira.
Kilo mesmo processo se appiira as vinhas e
oulras planta.
.



m
Marta d Pernambneo wahhado M> de Janeiro de ii.
C Do:tiir L/o-te, revista laso-brasileira; escreve Esiado<-Umdos, o de todos os melheramentos que
>iiuinte M linhaiu succedido desde a sua condemnacao.
l'ela primen-a vez aquello infeliz ouvio fallar de
eguiote .
Valor So.lt receben n dia urna carta de un
de;onhecido, que Ihe pedia um autographo.
Sois um discreto, Ihe respondeu o romancista
iBgiez; nao costumo nunca responder a semelhan-
tes carias.
l\ assingnou-se!
(teatro cousas deven ser prctas na mulher :
Cabellos, sobrancelhas, pestaas e papillas.
Ouatro brancas :
O rosto, as tnicas dos olhos, denles e pomas.
Qualro vei melhas:
Lingua, laoios, faces e gengivas.
(teatro parles deveni set compridas na mulher
costss, dedos, bracos e peinas.
()uatro rol cas;
(Jbeca, p tcco, bracos e tornotuos.
Qualro largas :
Testa, olltos, peitos e quadris.
Quatro delicadas e Anas:
Nariz, sobrancelhas, beieos e dedos.
Quairo ampias:
Kins, roas, jolhos e barrigas de pcrna<.
Quairo pequeas:
Orelias, peilos, naos e fes.
Qoa:ro rarissimas:
Oracao, modestia, Juta) e prudencia.
Quem pretender a mulher no conplemeuto de su.
beHeta, o s se resolver casar desle modo, su
ntrar no gremio dos maridos, pode dzer afouta
mate que achou urna agulha no palheiro.
Esta poesa doSr. Tob;as Barrete de Mtnezes
oante de JOrmuR napoleo
I
8uem pode duer-u avante f
tSM altura s deixar,
Como sombra de gigante,
Largo a fama s'estirar,
lo vivo abysmo em que tocas,
Amarras, prendes, sutfoeas
As sucias do munda reu.
Calando as vozes da trra.
No ouvido quo se descerra
Faze* entrar todo o cu.
D'alma presa aos teus enleios
finchendo os espacos vaos,
Tu palpas da gloria os seios,
jue arquejam as tuas naos.
Vane que nesta vida
Cada lagrima perdiJa
Teu pulso em notas reduz,
Em notas que ver se podem I......
3o legides que sacodem
As cabelleiras fio luz.
E quando aineiga a; fibras
De ludo que pasma aqu;
A' cada nota que vibras,
Nao vs por de ira; de ti
Loira celeste menina
Colhendo a flor matutina
Dos *ons que sabes tirar ; -
L'm anjo de roupas crulas
Rindo-apandando -te as prolas,
De que faz o seu r<)llar.
II
E' hora em que Deus medita,
Nao vai fallar-lhe ningucm;
Era pe na plaga infinta
Exbala os das que vem.
Sbito vago o infante,
Suaudo o senhor fulgurante
iz urna estrella vem c -
No seu rebanho sem conta
Distingue o genio e apona :
Aquella cabuya la........
Fadado assim-pelo mundo
Bemdito e admirado vaes,
Sondador do argnteo fundo
Das harmonas candaes.
Assim augmentas a historia
Dos condemnados ,i gloria
De subjugar coraees,
T cora quem ha "se abracado
Portugalresuscitado
Do sepulchro de Caradcs.
Quantos anjos nao qnizeram
Comtigo trocar as mos fl
Os vales honra tiverara
D'ot chamares teus irmaos.
Vs que abris os peitos nossos,
Homens-talentos, cotossos,
Grandes, vultos, corpheus,
Ys para quem a alma investe,
.Sois a nobreza celeste
Os escudeiros de Deus.
Passando entre EJ e e o homem
Estes euormesveris
Couw devorara e sonn-in
Na sombra o lustre dos reis.
Seu nume, capa inconstil
Ve.-te-os. O sol intil.
Vida calor riles dao.
Ante elles tudo eseurece,
Deus mesmo perd-r parece
L'm pouco de seu alara*
T s um d'esses. as vistas
Nao arredes, vae feliz
Rene tuas con mistas
Aos leirosdo teu raiz.
Como de luz que o esclarece,
Portugal do ti cauco,
Tendo um throuo e tendo um rei i
Fazo que a inveja se estorca.
Teu piano 6 urna torea,
E leu talento una le.
barcos de vapor, telegraphos elctricos, e camiahos
de ferro.
Foi necessario fazer aquelle Robinson Cruso
de urna iiova especie, a historia de todas as alte-
racoes pditicas que houve na repblica de Was-
hington, a dos progressos, do toda a especie, folios
durante cincoenta annos por aquella trra privi-
legiada dos inventores eaperfe coadores.
Piolan morreu alguos minutos depois do medi-
co ter concluido a sua narraso : entre os seus
papis enconlrou-se urna carta, que continha as
seguintes linhas :
Lancai ao mar o meu corno ; durante sessen-
ta annos vivi nelle, estimo e deseje que me sirva
de tmulo. >
40 saceos com 157 arrobas cera ; a SHva Auto- Vicente Mondes W'anderley.
c. ',)se Marcolhw da Rosa.
22 saceos com 82 arrobas o 24 libras de algo- Joao CardosoAyres.
dao ; a viuva de Manocl Goncalves da Silva. Joao Ignacio de Medeiros Reg.
43 ditas com 180 ditas de dito : a Jos Henri- Antonio Valentm da Silva Barr
COMMUNICADOS.
A Igreja de w. Goncalo.
Quando, em domo priinero commuuicado de 20
deste miz, relatamos o avantajado estado das obras
desta igreja. e dissemos s ter a irmandade rece-
bido 4:?O0000 rs. de beneticios de loteras, e
1:0005000 da quota marcada pela assembla, esca-
pou-nos da lembranca dixer que varios devo-
tos concorreram com snas esmolas; o que decla-
ramos agora.
Com tado, a reedificacao deste templo nao teria,
13o breve, chegado ao lisongeiro estado em que se
i actia, a nao ser a economa, e zelo da mesa rege-
' dora; e tal sua aotividade (pie acaba de impe-
I trar, e obter do Exm. Sr. vice-pi e.sidente.a extrac-
i;ao de urna parle de lotera pelo plano extraordi-
nario, com rujo beueficio ella aproximar a con-
cluso das obras : oxal que todas as irmandades,
que esta3 com suas orejas arruinadas, tivessem
urna adiuinisUacao lao zilosa e dedicada como
osla.
Finalmente, muito desejamos que o respeitavel
' publico visite a igreja de S. Goncalo, nao s para
se eeriiticar do que temos iiio.como para admirar
a sublimidad.' da perspectiva das venerandas ima-
geus que .uiit.'in.
ques Hachado.
28 ditas com 126 ditas de dito ; a Jos de Si
Le i la o Jnior.
Gneros estrjngeiros.
1 caixSo fazendas a Bernardino Jos Monteira
Do Granja. \
14 caixotes com 2:1 arrobas de velas de carnau-
ba, 4 saceos com feijao, 1 embrulho era de ahe-
Iha, 20S saceos milhe, 83 meios de sola, 10 saceos
farinha de mandioca, 5 saceos com 21 arrobas de
cera de carnauba ; a Joaquim da Cunha Tei-
xeira.
I caixo cera de abelha ; a Bartholomeu Fran-
cisco de Sonra.
10 saceos e 30 arrobas de carnauba, 4 ditos com
10 arrobas de gomma e 153 meios de sola ; a viu-
va de Manuel Goncalves da Silva.
10 saceos com 30 arrobas de carnauba; a Sebas-
(iao Jos da Silva.
i cavallo ; a Henriquc Adour ain.
Exportaco.
Escuna ingleza Scout, carregou para o Canal
2,800 saceos com 14,000 arrobas de assucar mas-
cavado.
Patacho inglez Aune Belle, carregou para New-
York ;
Por reexportago.
30 toneladas de ferro.
Mercadoria estrangeira j despachada para con-
sumo
23 toneladas e 48 arrobas de ferro velho.
Mercadoria nacional.
500 saceos com 3.000 arrobas e 40 dilos com iU
arrobas e 8 libras de algodao.
Recebedoria de rendas internas
ge rae de Pernaiubuco
Rendimento do dia 2 a 28.......
dem do dia 2*3................
Barroca.
Elias Baptista da Silva.
Francisco Accioly de Gouveia Lins.
Jos Baptista da Fonseca Jnior.
Jos Nunes de Paula.
Antonio Jos de Castro.
Antonio da Silva Ferreira Jnior.
Jos Francisco de S Leito.
Jos dos Santos Neves.
Luis Jos Rodrigues de Souza.
Antonio AI ves Barbosa.
Joo da Silva Faria.
Manoel Joaquim Rodrigues de Souza.
i ".andido Nunes de Mello.
Joaquim da Silva Lopes.
Gabriel Antonio.
Joao Pinto de Lomos.
Manoel Duarle Rodrigues.
Vicente Jos de Brilo.
' Manoel Antonio da Silva Jforeira.
Bartholomeu francisco de Souza.
! Joaquim Jos da (-osla Fajozes.
Jos Pires Ferreira.
los Rodrigues Pereira.
Joao Pinto de Leraos Jnior.
Jos Candido de Barros.
Caetano C. da Costa Moreira.
Antonio Luiz dos Santos.
Joao Jos de Carvalho Moraes.
Jos Pereira da Cunha.
Loureneo Luiz das Neves.
Candido C. Guedes Alcoforado.
Joaquim Francisco do Espirito Santo.
Jos Antonio Basto.
Augusto Fredcrico de Oliveira.
Antonio de Moura Rolim.
Jos Francisco Lavra Penna.
Antonio Ignacio do Reg Medeiros.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILERA
DE
0 cirurgifto Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado paca a ra das
PAQUETES A VAPOR, Cn^s sobrado n. 36, pri-
rw tmrin* dn norte eSBera- r *
Dos portos do norte espera-
do at o dia 1 de fevereiroo meiTO l]liU\ DOl* CUUil 00
vapor Paran, commandante o r\
capitao de fragata Santa Barbara, amiazem jtTOflTeSSlSTa, ilOll-
o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a |
carga nue o vapor poder conduzir, a qual dever prO:01I)tO a (|Ual<|UtT ilOra IKl~
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-! *
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida as 3
horas, agencia ra da Cruz n. 1, eseriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azvedo & C.
--------------------0---------------,-------
de o aeharo como senipre
((Mil
PBLICACOES A PEDIDO.
oe-
junho
O pei'fmue do henispherto
cldental.
(Extracto do jornal.4 (.'A romea 23 de
de 1858.
Agoa llorida : no meio do oppressivo calor que
nos ocrea e debilita, e de que nos todos niais ou
menos soffremos, ronsideramos aquelle que nos
pode proporcionar .pialquer um meio de allivio
consolador e de mitigacSo suave para nossos sof-
rimentos como um grande bemfeitor. Os Srs.
fLanmao & Kemp residentes em Water Street, n.
69, fabricante da agua tonda, tornara-se pois
com justa razao, em sumnio grao dignos desta
leu-ver, e o seu annuncio pode ser visto em urna
outra columna desta edicao de hoje. Esta excel-
ente agria ou admiravel liquido usado para os
usos ordinarios de banhos, e por sem duvida um
des cosmticos o mais aizradavel, assim como o
mais delicado e delicioso perfume que jamis te-
mos osado.
A* venda as boticas e lojas de perfumaras.
^o^I-u ilermnoEgido de Figueiredo.
873#78 felisberto Ignacio de Oliveira.
-27IW*l*r
Est i conforme.
da thesouraria de fa-
lillio iluimara.-.-.
====== i Oifieial-maior.
,.''!!?* J,P,'e,|!7,-76H6 O Ulm. Sr. inspector
fa. ?tw ......... A-'SSS a desta provincial manda fazer publico que
dem do da 29................. 4.oJbJJ m ^^ ^ ^^ do |hesonro nacional d(J ,A
II9-01U115 de novembro do auno prximo passado, Oca mar-
' cado Mara Celerina da ConceiQao, Anua Joaimi-
MESSAGERIES IMPERIALES
No dia 30 do
corrente espera-
se dos portos do
sul o vapor fran-
cez 0MMWM.eoav
mandante Enout,
o qual depois da
demora du costu-
nic, seguir para
Bordeaux tocando em S. Vicente e Lisboa.
(Era S. Vicente ha um vapor em corresponden-
cia com Gore.
Para as condiceoes, fretes e passagens trata-se
na agencia ra d Trapiche n. 9.
ii o exercieio de sua pr&-
fissao, chamado por escripia.
COMMEHCIO.
T
9
PRA(;A DO RECIFE 29 DE JANEIRO DE 1864.
Cotaedcs offlciaes.
As 3 horas da tarde.
Algodao da Parahiba245400 e 254500 por arro-
ba posto a bordo.
Algodao de Macet 25000 por arroba posto a
bordo.
Cambio sobre Londres37 :i|4 d. por 14000 90 d|
vista.
Uescouto7, 9 e 10 0|0 ao auno.
Dubourcq Jnior, presidente.
Guimaraes, secretario.
NOVO BANCO
DE
l'KltVtMBlTCO
O novo banco de Pernarabuco convida os ere-
dores dis massas fallidas de Mesquita & Dutra, e
Francisco Antonio Correia Cardoso a apresenla-
rera seus ttulos no banco para se proceder a res-
pectiva verificaeao at o dia 31 do crrente Janei-
ro, depois do qal se proceder o dividendo pelos
ttulos que estiverem verificados.
Praca do Porto.
Precos do* genervs de commercio com w
9 de Janeiro de 1864.
IMMIITAI_:\U.
Agurdente de cana do
Brasil.....
AlgodSo da Babia (falta).
> de Pernaiidwco.
do Maranhan
do Para (falta)
dos Estados-l'ni-
dos (falta).
Arroz do Maranhao (falla) quintal
do Para (falta)
> da India.....
Aucar do Rio de Janeiro
da Babia branca
masraw
de Pernambuco
branco .....
mascavo
Cale do Rio de Janeiro 1*
Cacan da Babia
do Para
Chifres grandes. .
pequeos ...
Couros seceos da Babia e
Minas.....t
do Rio Grande
de 17 a 22 S
de 10 a 16
salgados de Per-
nambuco e Mara-
nhao. ....
do Para e Babia
Farinha de pan do Brasil quintal
Gomma do Brasil em pa-
nciros.....(B
Melare.......almudc
EXPOIITACAO.
Albos, i. rento de maunca
Braxil $m
125*000 130*000
380
milb.
*:170
*540
4*200
1*400
1*800
1*400
2*200
ASOU
4*800
* '
4*000
5:1*000
18*000
^onceifao,
na de Souza Rangcl e suas irmaas Guilhermina
Olympia de Souza Rangel, Maria Isabel de Souza
Rangel e Maria do Espirito Santo de Souza Raugel,
o praso contado desta data at 15 de fevereire pr-
ximo vmdouro, para satisfazerem a certas forma-
lidades que faltaram nos processos de justificado
que prodoziram para a percepcao de seus meios
sidos, sob pena de Ihcs ser suspenso o pagamento
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do sul esperado
at o da 30 do corrate um dos
vapores da companhia o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga nue o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. I, eseriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo A C.___________
Freta-se para o Rio da Praia o palhabote
portuguez Serra I, de lote de 120 toneladas ou
10,000 caixas: trata-se com os seus consignatarios
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu
eseriptorio ra da Cruz n. 1.
II. Mi 11
Ataba de sahirdos preUs 4e i*-**
olUcin* oalinauak civil, erelrsia>r,
comroerc*I, fabril ea{ricl, chaira-
do lodos os empreados, enceihA e
negociantes, iaclasive as Mifeees
bavidas at Ai de dezeaftrt iltiai* ;
vende-sea i$000 auicameate m li-
vraria n. 6 e 8 da praca da ladf pea-
denria.
%^Tw>mm,
iS dos mesmos meios sidos, e de proceder-se oxecu-
*oW tvamente contra ellas para resttuigao do que ja -
verem recebido.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco, em g de Janeiro de 1864.
Servindo de offlcial maior,
Manoel Jos Pinto.
O chefe da 1* seccao, autorsado pelo Sr. ins-
pector interioo da alfandega faz publico para co-
nhecimento dos interessados, que no praso de 30
dias, contados da dat deste, deverao apresentar
*500 nesta seccao a arquear.) das embarcacoes do tra-
1*896 lego deste porto, sob pena de nao seren admittidas
para descarga, e impost a multa do artigo-abaixo
transcripto.
5*400
1*600
1*900
1*300
4*700
4*200
4*400
54*000
19*000
*150 *1 ".">
4150
5165
*U5
115
3*700
1*100
1*100
*155
*170
*120
4120
3*800
1*550
2*300
Artigo 448 do regulamento de 19 de setembro de
1860. Neohuma barca, saveiro, ou outra qualquer
emharcaeao, excepto as lanchas dos proprios na-
vios, sera empregada na descarga de mercadorias
sem que tenha sido previamente arqueada; e tan-
to na proa como na popa traga marcado, pelo es-
paco que mergulha quando recebem carga, enu-
mero correspondente de quintaes; de modo que
coabega approximadamente pela parte mergulba-
da, o peso e quantidade de mercadorias que livor
a bordo.
A fiscalisacao deste artigo pertence cumulativa
mente ao guarda-raor e ao chefe da 1* seccao.
PARA 0 RIO DE JANEIRO
pretende sahir at 6 de fevereiro o patacho Cor-
reia por ter a maior parte da carga : para o resto
que Ihe falta e escravos a frete, irala-se com os
consignatarios Palmeira & Beltro, largo do Corpo
Santo n. 4, primeiro andar.___________________
rara o Hio de Janeiro
sahir com a maior brevidade possivpl o palhabo-
te nacional Viainao ; recebe anda alguma carga
a frete e escravos : trata-se cera Manoel Ignacio
de Oliveira tt Filho, no largo do Corpo Santo nu-
mero 19.
Para Kie fcraide de Sil
pretende seguir com muit brevidade a barca Afri-
cana, pode ainda receber alguma ci.rga a frete :
trata-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, no seu eseriptorio, ra
da Cruz n. 1.________________________^_
Aracaty
O hiate Santa Rtta tem parte da carga prompt:
para o resto, trata-se com Tasso Irmaos, ra do
Amorim n. 33, ou com o mestre no trapiche do
algodao.___________________
a^S i
Quarta-feira 3 de fevereiro prximo, se
extrahir, a quarta parle da primeira loto-
ria da matriz de S. Jos, no CQMMlorw da
igreja de Nossa Senhora do Rosario da trt-
guezia de Santo Antonio.
Os bilhetes e meios acham-M veada oa
respetiva thesouraria ra do Crespo a. 15
e nae casas commissionadas ra da hnpera-
triz n. 44, loja do Sr. Pimeulel; ra Direita
n. 3, botica do Sr. Chagas; ra estrella do
Rosario n. 12, typographia do Sr. Mira trua
da Oideia n. i-'. loja do Sr. Porto.
Os premios de 5:000(9000 at 101000
ser3o pagos urna hora depois da extracfo
al as 4 horas da tarde, e os ootros ao lia
seguinte depois da distribuicSo das latas.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.

|-_1S-g-p2.3'j._

Alfandega
Rendimento do dia 1 a 28.......
dem do dia 9.................
SH:3*0*85I
:(0::i055C14
553:6765465
Azeite .
Chumbo de utiinicao .
Fio porrete ....
Fio de vela lino. .
ordinario .
Feijao branco. .
vermellk). %
amarelln .
rajado....
frade ....
Presuntos.....
Retroz preto 1* .
. > 2'
de cores i* .
2" .
Vinlio wlho do Douro.
branco. .
de consumo.
*870 880
almudc 5*300 5*600
quintal 7*000 7*200
:a) 3*600 3*8001
8*000 84120'
* 4*000
alqueire JF *710
*740 *750
*760 *800
* *700
. *600 *620
(B 3*900 4*tKK)
4*800 3*000
3*000 3*500
> 5*800 6*000
3*300 4*000
pipa 130*000 300*000
. 140*000 160*000
. 30*000 35*000
Para Bahia pretende sahir com muit bre-
" vidade o veleiro patacho Thereza, capitao Joao Cor-
reia Lima, por ter a maior parte da carga ; para e
< .Binii i infrar-.n d^t disnosicao seraounida I res, 'l lhe fa,ta 'cata-se com os consignatarios
con, aTult\leK2oSl'X^&^l^*'^^ do Corpo Sanio n. 4, 1-
savel o dono da embarcagao nao arqueada.
i andar.
Alfandega 25 de Janeiro de 1864. O chefe de
seccao,
Luiz Francisco de Mello Cavalcanti.
.Movimento da alfandega
Voluntes entrados rom fazendas.
t com gneros..
Volumen sahidos com fazendas
com gneros..
31
563
88
121
MOYIMENTO SO PORTO.
594
209
Navios entrado* no dia 29.
Macei e portos intermedios30 horas, vapor na
conal Piutihybn, de 102 toneladas, commandan- pi-ivegios ; 300* store compauhias anonymase
_ DECLARAgOES.
Consulado provincial.
Pela mesa do censulado provincial se faz publi-
co que no dia 15 de Janeiro corrente se principiara
a contar os trinta dias uteis marcados para a cc-
branca bocea do cofre dos impostes seguintes,
pertencentes ao auno linanceiro de 1863 1864,
4 0|0 sobre os estabelecimentos de fra da cidade,
prensas de algodao, lypographias, cocheiras, caval-
larices, botis, botcquins, casas de pasto e fabricas;
12 0iO sobre estabelecimentos de commercio em
grosso e a retalho, armazens de recolher, de de-
psitos o trapiches ; 8 0(0 sobro consultorios me
dicos e cirurgicos, escriptorios e cartorios ; 50*
sobre casas de modas, bilbar, chapeos, roupa es-
trangeira, e commissao de escravos; 1:000*000
sobre casas de operaQoes bancarias com emissiio e
privilegios ; 300* sobre as com entina, e sem
Oescarregam no dia 31 de Janeiro.
Escuna ingleza Stamboulmercadorias-
l'atacbo nacionalPalmafarinha de trigo.
L-se no Jornal do Coumercto, de Lisboa, os;- Brigue portuguez -Bella Fiyin-irense varios ge-
guinte
Esti em Lisboa um artista extraordinario, que
lem sido a adiiviraco da Europa.
Niuguem acreditar que se d o entbelo de e i-
traordinario a um tocador da mais singela gai'a
pastoril, e deraais ego. l'ois verdade.
O artista a que dos referimos e Jos Pceo, nali-
ral da Sardenha, e ceg de nascenca.
Sendo atada de tenros anuos, *eu pai deti-l ie
urna ijait das que se usam na Lombardia, e que
servem de brioquedo criancas, e que lem ir ;s
pollegadas de coraprimento e tres buracos.
Por lal arte Pceo soubeaproveitar-se do seu in-
fantil instrumento, que em 1855 se estreiou em
publico no tbeatro da Seala, de Milao.
De Mlo passou aos principaas Iheatros de Ita-
lia, depois Inglaterra, depois Franca, depois
Hespinha, e agora ebego i a Portugal. '
era
Polaca nacional Marinhocharque.
Galera franceza^Uttleearvao.
Bawa ingleza(ii.sW/('=idem.
Brigue inglezHelle of the Mnsy mercadorias.
Escuna ingleza W-sc/iV/'pedra de caleamento.
lmporiaco.
Patacho nacional Sobralense, entrado dO Acara-
c, consignado a C. f. da Costa Moreira, manifes-
tou o seguinte :
3,730 meios de sola ; a Joao Jos de Carvalho
Moraes.
977 lutos de dita ; a Jos Rodrigues Ferreira.
813 ditos de dita ; a vi uva de Manoel Goncalves
da Silva.
755 ditos de dita, 4 alanados a Antonio AI ves
de Moraes.
aJo-
tc Joaquim Jos Martins, equipagem 20.
Granja e portos intermedios11 dias, vapor naci-
nal Jaauaribe, de 442 toneladas, commandante
Manoel Joaquim Lobato, equipagem 31, carga al-
godao e outros gneros.
.New-York30 dias, patacho nacional raima, de'
agencias ; 200* sobre casas de cambio ; 100* so-
bre correctores tommerciaes e agentes de leilo ;
500 rs. sobre as toneladas de alvarengas; 30*000
sojjre escravos empregados no servico das mes-
mas ; 10 0|0 sobre os terrenos oceupados com o
planto de capim, e o imposto de carros, crnicas
222 toneladas, capitao A. A. Roque, equipa-; J omnbus.
gem 9, carga farinha de trigo e outros gneros;; \],,s:i Jo consulado provincial 13 de janoiro de
a Henry Foster A C. ihi.O administrador,
Liverpool40 das, barca ingleza T pool, de 336 toneladas, capitao J. Boys, equipa-
gem M, caria earvao c outros gneros; a Ja-, De ordem do juiz de paz do i- armo do Io
mes Rvder & C. districto da foguean de Sanio Antonio do Recife,
Sabido no memo dia. o Illm. Sr. major Antonio Bernardo Quinteiro, faco
jlha de Fernandohiate nacional Sergipano, cap- j sciente a quem convier. que as audiencias deste
tao Hcnrique Jos Vieira da Silva, carga dilTe- juizo eontinuam a ser as tercas esextas-feira< as
rentes gneros.
Para a Bahia
O palhabete Garibaldi pretende sepiir com bre-
vidade para este porto, tendo parte de seu carre-
gamento, e para o resto trata-se no eseriptorio de
Tasso Irmaos na ra do Amorim.
Rio Grande do Kul.
Segu em poucos dias a barca nacional Thereza
I, para onde recebe carga a frete a precos baixos :
tratse eom Bailar & Oliveira, ra ra daCadeia
numero 26.
Tara o hio fie Janeiro.
Sahir com brevidade o brigue nacional Miner-
ra, recebe carga e escravos a fete : trata-se com
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo
Santo n. 19.
Para a Babia pretende sahir com multa bre-
vidade a escuna Carlota, capitao Joo Antonio de
Dos e Silva, por ter a maior parte da carga trata-
da : para o resto que lhe falla, trata-se com os
consignatarios Palmeira Beltrao, largo do Corpo
Sanio n. 4, primeiro andar.
LEILOES.
FOLHINHAS PARA 1864.
Na praca da Independencia limria ns. 5
e 8, icham-se venda as seguintes folhi-
nhaspara 186i impressas nesla typographia
em excedente typo e bom papel,
Folhinlia de porta cooleode as mate-
rias do costume, rs.........!60>
Ui a de algibeira, sob a epigrapbe
religiosa, contendo alm das materia
do costume os sele passos da Pana
de Nosso Senhor Jess Christo ; cnti-
cos (.o mez Mariano; hymnos e jacula-
toria; ao Santissimo Sacramento: ex-
plicares de diversas oraces-, cora
Seraphica ; exercicio ao sagrado cora-
cao de Maria; orac3o para visitar as
igrejas no da da Porciuncula ; oraco
para escolba dos estados da vida ; dita
a Senhora da Conceico ; e meditaces
sobre a reforma da consciencia, rs. :!if>
Di la de di la, sob a epigrapbeVa-
iledade, coatendo alm das materias do
costume : receilas uleis e necessarias
aos diversos mysterios da vida ; physi-
ca e recreativa ao alcance de todos:
pilheriase ralices; poesas charadas:
mximas e pensamenlns colligidos por
um curioso.............3_f>
Ditas i'eclesisticas en de padre para
resal1 o iiflie.io divino, redigiai pHo re-
verendo conego penitenciario da S de
Olinda...........
Os applausos c o oothusiasmo tem acompanhado i 1517 meios de sola e 23 couros salgados
por toda a parle a Jos Picea A mprensa ex; I-; s du S Leilao Jnior,
-t-o, n publico fosteja-o, e todos admirain o mar-1 2,195 meios de sola e 2 couros salgados;
vilboso arti-ta que transforma urna tosca gaita no dam.
mais sublime instrumenu.
Pceo exocut no zu/oletto, como clumam os
italianos a esse instrua, uto, as mais mimosas e
as mis difilceis pecas de msica.
O critico do Sii'cle chama urna maravilha ao ar-
lista. Um jornal hespanhol afflrma que asuavidado
a or-
EDITAES.
14 saceos nnlho, 2 ditos feijao, a Jos Bernardo
da Silva.
Vapor nacional Pttrahyba,
manie.stou o seguinte :
Genero estrangeiro.
2 cai.oes remedios ; a ordem.
tos' ou feriados, seraos audiencias nos dias ante
riores. O mesmo juiz de paz despacha das 6 horas
-----------i da manha s 6 da tarde, nao s na casa de sua
O Illm. Sr. Dr. chefe de polica da provincia residencia na ra Nova n. 63, como em qualquer
manda fa/.er publico, que nesta data tem recom-, lugar onde for encontrado. -O escrivao,
in'inlado s autoridades poliches a restricta ob-, Silva Reg,
servancia das posturas muncipaes de 12 de feve-1 ^ d sj, Ferreira jlliz de
rero dq armo prximo passado, cujas d.spos.eoes pu f^ U ., (iistrict0 da ft^Jg de san-
1 to Antonio do Recife, faz sciente a quem convier.
que d as audiencias nos dias quartas e sabbados
produz um elTeilo mais encantador do quo a tos.a: 4 cazo 4.000 charutos; a ordem.
gaita do Sr. Picco. Vapor nacional Jaguaribe, viudo dos portos do
Una rabera sobre cujas coidas desusa com a norte, manifestoa o seguinte :
maior agilidade o arco, nao emitte mais sons lo Do Aracaiy.
qne o smgel o instrumente do maravilloso ar- 62 saceos com 261 arrobas de algodao ; a Frau-
de algo-
Rego &
mmumt
lista.
Parece que este artista extraordinario trata d< ce
apreseolar ao publico, o> iheairo de S. Carlos.
En'o teremos oecasio de vricar se sao ex ac-
tos os altos louvores dados ao Sr. Jos Picco.

Em 18CI, um offlcial do exercito des Estadcs-
Unidos, chimado Felippe Nolan, compaieceu pe-
cante um tribunal militar, aeeusado (le erime alt Iraico. O tribunal reconlieceu que elle era
eiiminoso, e perguutou-lhe o que tinha a allegar
para .-* defender da su i infelieidade para eom os
Rstacos-Unidos.
Estios-Unidos I exclamou elle. A un ca
eousa que le.'o, nao tornar mais a ouvir tai ar
Melles.
Ojrbunal aceitando a expressao, condenmoii-o
a nac ter mais rulaco Je qualquer especie com o
seu iaiz.
As autoridades de v^ashiuglon ratkaram esta
resolucao, e o infeliz Nolau foi couduzido pira
bordo de um navio, que ia partir para um longo barricas com
ruzeiro. ordem.
D:sde aquelle momer te nunca mais poz pe im De Maco.
lerr. firme; quando o navio que o conduzia tinha 80 couros salgados; a C. limaos A C.
terminado a sua expedido, e vollava para o pjr- 20 saecos com 98 arrobas e 22 libras de algo-
to, era Nolan transferido para outro, quo estav.t do ; a Marcelino C.
partir, e isto succedeu se or espado du sessenta 15 eouros salgados com II arrobas e t*i libras ;
annos. ^ a Mauoel de Souza Carneiro Pimpo.
Durante este espajo le lempo, nunca diante del- 2 garajos com 12 arrobas de carne ; ao mesmo.
le fe fallou dos Estados-Unidos, porque aos o Jl- 2 barricas c.rne, J embrulho, 20 courinho eS
cjaei que tralavam com elle, era prohibido fazer a meios de sola : a Jos Francisco Pires,
menor referencia ao su paiz; oceullavim-se-lhe 2 saceos algodao ; a Mendes Coelho.
tofos os livros e jornass que lhe podessem fazer 22 saceos com 82 arrobas e 5 libras de algodao; Luiz Antonio Sinueira.
ijualnuer revelacao. a jus dos Sancos Neves. | Jos Velloso Soares.
Em maio de |8S3, cabio gravemente enferrw, 21 saceos com 84 arrobas de cer2 de carnauba, Manoel Ignacio de Oliveira.
e quando eslava para morrer, o medico do na,-io 80 courinhos curtidos, 2 meios de sola, 1 pacote e Manoel Joaquim Ramos e Silva,
receliea ordem para, o iruiroir sobre a historia c os 1% libras de peonas de emma ; a ordem. J Antonio Jos Leal Reis.
cisco Gomes de Matlos
168 ditos com 869 ditas e 16 libras de dito ; a
Prente Vianna C.
65 saceos eom 265 arrobas e 23 libras de dito :
a Luiz Antonio de Siqueira.
16 ditos com 109 ditas e 7 libras de dito a
Franklin de Aeluia Malveira.
15 ditos com 3 arrobas e 13 Jibras de dito ; a
Domingos da Cot-la Dias.
2 saceos com 257 arrobas e meta de dito : a J.
W.traf.
164 saceos com SO alqueirfes de farinha de man-
dioca ; a Joaquim Antunes de Oliveira
Do Natal.
62 aoeos com algodao ; a ordem.
18 ~aeos com 102 arrobas e 18 libras
dao ; a Justiniano Jos le Souza Campo*.
18 ditos com 99 arrobas de dito ; a
Silva.
Do Cear.
10 saceos com 55 arrobas e 6 libras de caf e 15
1 arrobas de cera de carnauba; a
sao a> seguintes :
I Art. ." Fica prohibido o brinquedo de eutrudo
entrado de Maceio, com agua, por qualquer nianeira que se empre-
gue ; os infractores pagarao a mulla de 153 o 8
dias de prisao.
Art. 2." Fica prohibida a venda de limas de
cheiro : os infractores alm de as perderem, paga-
rao 4 de mulla.
Secretaria de polica de Pernambuco, 25 de Ja-
neiro d 1864. O soretario, Eduardo de Barros
Falco de Laceria.
O Illm. Sr. Dr. chefe de polica manda azer
publico, para conhecimenio de quem possa inte-
ressar, que foi hoje reeolhida casa de detenco, -
como fgida, a pret Joaquina, que declara ser es- decreto n. 185 de lo de maio de 1851, se procede-
crava de Francisco Joaquim, morador no lugar r o consumo das cartas existen!
s 10 horas da manha, na casa de sua resMennia
na ra nireit n. 10, sendo as audiencias mudadas
para os dias anteriores quando os marcados forem
santos ou feriados, e despacha todos os dias das 6
horas da manha s 6 da tarde.
Torrei".
Pela administrico do crrete desta cidade so
faz publico para.s convenientes que em virtude
do disposte no artigo 138 do regulamento geral dos
correios de 21 de dezembro de 1844, e artigo 9 do
Penedo de Itaixo. I ?ao pertencentes ao mez de Janeiro de 1863, no dia
Secretaria de policiade Pernambuco, 25_de ja- de fevereiro prximo, as 11 horas da manha,
neiro de 1864.O secretario, Eduardo di
Falc3o Triliuual do commercio.
EDIT^L.
O tribunal do commercio da provincia de Per-
nambuco convida aos senhores commerciantes na-
eionaes matriculados e residentes neste districto,
compareceran no dia 17 de fevereiro prximo
futuro, as 9 horas da manha, na sala da Associa-
go qmmereial Denelicente, para proceder-se a
eleico de um depulado conimerciante, que em
GRANDE
LEILAO
i.ni coiilinuaco.
J. Falque, querendo liquidar, far leilao de to-
das as fazendas existentes no seu amaten da na
do Crespo n. 4, constando de urna grande porcao
de roupa feila de todas as quahdades, calcado,
ios para homens
art gos de luxo,
em lotes a von-
tade dos compradores.
Hoje As lO horas da manha.
o agente ALMEIDA competentemente autorsa-
do far leilo das fazendas cima declaradas, e
convida aos seu- Bregue-s e amigos aproveitarem
a occasiao de se proverem de muitos artigos ne-
cessarios e outros proprios para presentes de fes-
la, cuja acquisicao faro por pouco dinheiro.
SIsA
3-RUA KSTREITA DO ROMRIO-3
Francisco Pinto Ozorio contmria a
locar denles artificiaes tanto por me:
molas como |>ela pressao do ar, nio re-
cebe paga alguma sem que as obras Bao
tiqueni a vontade de seus donos, tem pos
e outras prepara^ocs as mais aeredhaaa*
para conservaeao da bocea.
DE
30 barris com touclnho.
Sessuutla-feira \ de feve-eiro.
O agente Pestaa vender por eonU e risco de boa cazinheira e engomraadeira : a iraiar
quem portoncer 30 barris com toucinho de Lis-1 _a Senzala Velha n. 116.
boa recentemente chegado em um ou mais lotes :
segunda-feira Io de fevereiro, no armazem do
Annes, s 10 horas da manha.
II horas da
Tboii-o a porta do mesmo correio ; e a respectiva list se
aeha desde j exposta aos interessados.
Administraco do correio de Pernambuco 12 de
Janeiro de 1864.-0 administrador
Domingos dos Passos Miranda.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co que os trinta dias mareados para a cobraiiea a
bocea do cofre do 1" semestre do imposto de 20
0|0 do consumo de agurdente das freguezias des-
ta cidade, dos Afogados, S. Loureneo da Malla.
substituido do deputado fallecido Jos Goncalves, Santo Amaro deJaboatao, Vanea e Muribeca^per-
Malveira. lem de servir at o fim do anno de 1866,
lempo que faltava ao substituido, oa forma do t-
tulo nico do cdigo cornmercial e decreto de 5
de setembro de 1850. E para constar mandou o
sohredilo tribunal fazer este que, assignado pelo
seu secretario, ser publicado no Diario de Per-
nambuco e afllxado na praea do commercio com a
lisia de que trata o art. 5o"do citado decrete.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
buco i!i de Janeiro de 1864.
Joo Ignacio de Medeiros Reg.
LISTA.
Jos Jaronymo Monteiro.
ros Joaquim Das Fernandes.
tencente ao anno linanceiro corrente de 1863 a
1864 se priueipiam a contar do dia 15 de Janeiro
corrente.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco
13 de Janeiro de 1864. O administrador,
Antonio Carneiro Machado Rios.
Crrelo geral.
Pela administraco do correio desta cidade se
faz publico que e'm virtude da convengao postal
celebrada pelos governos brasileiro e francez, se-
rio expedidas malas para Europa no dia 30 do
frrente pelo vapor francez Guienne. As carias
serSo recebidas at 3 horas antes da que for mar-
cada para a sahida do vapor; e os jornaes at 4
horas antes.
Administraco do correio de Pernambuco 22 de
Janeiro de 1864.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
LEILO
DE
25 barris com viulio tinto de Lisboa.
<|iiinta-feira 4 de fevereiro.
O ageute Pestaa vender por cont e risco de
quem pertencer 25 barris de 5o com vinho tinto
de Lisboa mama bem arredilada no mercado c a
sahir da alfandega o qual ser vendido em um ou
mais lotes a vontade : qtiinta-feira 4 de fevereiio
no armazem do Annes s 10 horas da manha em
ponto.
um bom cozinheiro e nma e"r*v
roa
~^Precisa-se aburar urna ama forra ou captiva
I na ra das Trincheira* n. 48._________________
Alnga-se urna casa na ra Imperial pr >pm
para armazem de sal e rancho, ou outro qul<|oer
' em Olinda, na ra de S. Pedro Martyi .inuiio fream
e excedente vista, por preco coramodo: aalavg
do 1' irai/.o n. 14.
Alnga-se um sitio na estrada dos AIRklo*.
defronte do becco do K-|nuheiro. tetn bea casa
com bastantes eom modos, terraco, estribara e eo-
cheira. cacimba com excellente agua de beber.
mu 11 is ai voredos de fructo de boas quali__ : _
tratar na ra larga do Rosario n. 18, primen*
andar.

DE
Urna loja de ferrageiis.
O agente Pestaa far leilao da loja de ferragens
da ra da Cadeia do Recife n. 64, cam o fundo de
16:0004, vende em um s loto on em |iequenos
lotes a vontade dos compradores, o pretendentes
podem examinar o balanco em mo do mesmo
agente, o Ieil3 ter lugar no dia 8 de fevereiro
prximo futuro.
AVISOS DIVERSOS.
Precisa-se de 2:0000 a juro dando-se por
seguranca urna parte n'um en^enh1)! quem con-
vier annuncie pata ser procurado.
mmwmnmmm
O baeharel Joao Francisco Teixeira
contina com o seu eseriptorio de advo-
gacia na do Queimado n. 28, primeiro
andar, onde pode ser procurado das 9
horas da manha s .1 da tarde.
Soclcdade dramtica Reerclo e
l'nlo Familiar.
Pitia secretaria desta sociedade se parrierpa aos
senhores socios que oesperurolo deste mez ter
lugar no sabbado 30 do rorrenle, achando-s^ W-
de j para ser.mu distribuidos os bMMn em pn*l~
do Sr. thesoureiro.
Recife 29 de Janeiro de 1864.
Jos Martins Monteiro.
I* secretario.
Aluga-se em Sant'Anna de dentro urna boa
casa pelo resto da festa on por anuo : a Oraiar roa
Manoel Luiz da Veija. oa roa da Gloria o. fi.
I
9
f
i
0


PUrk le Vcrmrtbue H*bh*A 30 d Jarttir de 1 fc i.
!

NOY ESUBELICIMENTO DE MEDICINA HOMEOPTHICi
RIJA MOVA \. 43.
O Dr. Sabino 0. L. Plnho mudou o seu CONSULTORIO para a loja de marmor
ra Nova a. 43 onie cennua a dar consultas todos os dias uteis desde o meio dia att
Os'e aferraos, que t w"ocurarem logo na invaslo da molestia, sein que hajam to
mado qualquer remedio, (*& allopathico, era uemeopathico, pagarSo metade dos pretf
estipulados, lista concessio tem por fin facilitar a cura de molestias, que podein tornar
se complicadas pelos emprego intempt-^tivo da therapeutica e ao mesmo tempo adquirii
para a homeopathia maior numero de adeptos pela bateza da cura.
Em attencao as pessoas pobres, que n podem sabir de dia, o Dr. Sabino resol-
veu dar duss consultas i>or semanas as tercas e sextas-feiras das seis as sete horas di
noite.
Os chamados para visitos e conferencias dvemser dirjgidos por esenpto ao con-
sultorio dfsde 8 horas do (lia at 8 da noite, na certeza de que serlo attendidos na ordem
de sua precedencia, salva a circumstancia de eminente perigo.
\U\ lilil \ I \
O novo consultorio est prvido dos mjlbores medicamentos, desde a primeir*
at a tii^eiima dynaminjsacao.
E como os mdicos lespanhoes e allemes nao cessam de certificar a major em-
cacia das ultissimas dynaminisacoes do tratamenlo das molestias chronicas, o Dr. Sabino se
oceupa agora de elevar os s.eus medicamentos potencias mais altas ( por ora at 200.a).
afim de verificar por si mesmo a forga dynamica, que se Ihe attribue.
Os mdicos, que quizerem experimentar taes dynaminisacoes podero dirigir ac
consultorio suas receitas, que serao aviadas gntuitamente para os pobres.
No mesmo consultorio se vende a novissima edicao de Thesouro homeopathicc
ou Vademcum do homeopatha, obra indispemavel a dos que querem usar da homeo-
pathia.
Tudo o que diz respeito a nova medicina s? acha abundantemente neste novo estabe-
aecimento
INTERNATO

DK

Eslabclerido na tid*d'' d R*"flt
Wob a Proieceio do Mimm" Pontlee Po IX.
DirectorO bacharel em mahemalicas
BERNARDO PEREIRA DO CARAO JNIOR.
O director do intrnalo de S. Bernardo, nao leudo evitado estonios era sacrificios
par proporcionar ao? seus alumnos urna perfeita edueacao physica, moral, inielleclual e
religiosa, offerecendo-lhes urna habitacao com bstanles cundieras de salubridade, habis
professores que sao selicitos eiu prepara-los convenientemente ao tira que su destinara,
medico pratieoque lhes faca comprehender os preceilos da hygiene e Ibes cure das fteen-
cas, e finalmente um sacerdote illustrado e honesto que lhes explique os principios da re-
ligiao thristaa, espera que assim constituido nao deixar o seu estabelecimento de mere-
cer dosSrs. paes de familias o auxilio e confanca com que j alguns o tem honrado; e
lhes roga, bem como todas as pessoas interessadas, que se dignem de visitar o mesmo
seu stabeleeiment, onde sempre enronirarao franco ingresso.
Cadeiras de ensino :Priroeiras iettras dividida em duas classes, leuda cada urna o
seu professor, latim, francez, inglez, arithmetica, algebra e geometra, geographia, philo-
sophi a, rhetoriea, desenho e msica.
6 collegio tem a sua sede no espaeoso edificio n. 32 ra d'Aurora eontiguo ao do
collegio dos orphaos.
Nos estatutos do collegio. que esto a dieposieao de quem os quizer ler, se achara
consignadas as cendicoes de entrada e matricula as diversas aulas do estabeleci-
mento.
itori't ff.it %
Cs
NO
A H M A Z K M
DE
A
fe
h.
k
>
h>
LETREJR0 vnnoc
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de luupa fela de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tea mi
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
AURORA RRILHAN1E
EXCELLENTISSIM\S SENHORAS,
[w. Kxe. sao sis proecioras do Importante estabelecl-|
ment rna do Crespo n. 19
JOS GOMES VILLAR.
Vendf-sf por preros aduiiraveis a diuheiro.
Lias para vestidos a 90 rs. o corado.
Cas sas organdvs a 240 e 280 rs. o cevado.
6.0OU bales nodos de oncommenda de New-York, e vende-se a 35 !
muitu superiores.
Capas prelas bordadas, manteletes bordados, soutembarques prelos e de cores.
Manteletes e chales de guip preto o que ha de mais goslo vindo de Franca.
Chai elinas de palha para senhora ricamente enfeitados.
Vestidos de hlonde rom manta, capella e setira para somlira, para noivas.
Cortos de cambraia branca bordados.
Mi amantes de linhode 10 palmos, esguioes, selecias de linbo, cambraia? lisas pecas de
8 Ir* varas a 3*, 4*, 55, 6*. 75, 8* e 95-
Madapoles linos a peci de 20 varas a 6*, 75, 95, 105, 125 ale 20*.
Chitas de variados gostos a 320. 400 e 500 rs. o covado.
Outras muitas faztwdas de milito posto.
I
LARGO DA SANTA CRUZ N. 84.
Amigos do boin e barato.
A Aurora Hrilhanle este magnifico cstabeleciiuenlo est na Boa-Vista disputando a
primazia, j pelo grande sortimento du.- ^eus gneros de boa qualidade, j pela commodidade
de preros e por isso o seu proprietario roga aos sena freguezes e amigos e ao publico em
geral que raandera comprar para melhor se certificaren) do annuncio.
Sendo de 20 ar-
sopo; urefajod o oij5 ie;;i? upo; uio^sejj
SEGUROS DE ADA VM MUTUALIDADE.
A direccao do BANCO UNIAO tendo oWide do governo de S. M. F. a autorisacao para estabele-1
i seguro de vidas era mutualidades, faz publico q le desdeja toma subscripedes annuaes por urna .
at, detaixo da;- seguintes condiedes : ...
Com perda de capiial o lucros;
Dito cap1 al smen.e
Bito kicr)s smente;
Jtv.udo a primeira liquidadlo ter lugar no 1" dejan>iro de 1859. ... ',
As vantageus do emprego de capitaes em nuit lalidadc, sao obvias, porque nao somente se ce-
rneo juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar nenhum resultado; mas alem
dio este rendimento augmentado pelo capital ou lucros, ou ambas as cousas, conforme as condicoes
da tobsenpeao dos que talle-em. Tambem partid pelos socios sobrevivenUs tudo aquillo que os so-
cos moTOWS nos seus pagamentos, sao por es* motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que
occorrerem pela falta de cumprimento do compremisso social.
\s liquidacoes sao pe o svstema dascompanh.as hespanholas, Tutelar e outras; e parase poder
fazer urna idea do que pode aroduzir una entrada ai.nual de 105, pnblica-se a seguinte tabella basea-
da sobre 3 experiencia de mullos anuos decoinpanlii; s desta natureza :
lu '6 fimos Eai 10 annos Era lo annos Em 20 annns Em 2!i annos
4:70.
:i:7005
.smt
3:400
3:350
3:330?
3:400
3:700*
S:0O0|
As entradas por urna s vez dao resultados mi lito superiores s annuaes.
Porto, 10 de agosto de 1863.Os directores do Banco Cniao, Jos da Silva Machado t. Al. van
itr Nitpoort. r .
Agentes em Pernambaco : Antonio Luiz de Oliveira Axvcdo 4 C, ra da uruz n. t.
CONSULTORIO MlDICO-CIRIRGICO
D(l
Queijos do reino no vos a 2^400 e
Ditos de prato idem, a libra.
Ditos do sertao notos, libra a
Chourias novas, libra a .
I.inguicas verdadeiras do sertao, libra
Presuntos novos de I.amego, libra a .
Macarro, talharim e aletria. libra a
400 e.......
Caixas com 8 libras de estrellinha e
pevide nova a 25300 e libra .
Sevadinha de Franca e sag a libra.
Ki villias e grao de Lico a libra .
Marmelada nova das melhores marcas
a libra......
| Caixiuhas cun aiueixas com bonitas
i estampas a 15000c- '.
i Lalinhascom ditas a 15'iiki. 25'iXi e
| Ditas com tigos novos de comadre a
: 15400 e......
I Ditas com (rucias em calda a OVt) e
; Ditas com peixe em posta ensopado
' a 15000 e......
Ditas com sardinhas de Nantes no-
: vas a .......
Caixinhas com 4 libras de farlnha de
araruta a libra ....
| Notas i^ amendoa arroba (i-^ e libra..
[Garrafas com refrescos de varias
I frnctas a ,'.''.
Azeite doce a 640 rs. a garrafa a i eli-
i nado a ......
I Potes cora nmsiarda a
i Frascos com conservas novas a
i Ditos com gentica de laranja e de
Hollanda a 640 e .
i Chocolate de varios autores a libra .
i Toucinho de Lisboa arroba I5000 e
I libra.......
; Charutos finos a 25- 25300, 35, 45-
i 55 e 65 a caixa de 100.
i Saceos grandes com milho. fareflo e
farinha fina a 4-S. 1*300 e .
Alpista arrotia 45300 e libra .
Esperraacete superior a 600, t'i"
5600
640
72r)
72ii
400
500
480
480
240
120
720
25000
45000
25000
800
15200
360
6 H1
240
500
800
320
8O1.1
15OOO
15200
320
5-3000
160
720
Copos lapidados para agua e vinhodu-
zia 45 e......65000
Moll'os de grande sebolas a
Barricas com bolachinba nova
e libra a......
Ditas de soda de 5 libras para lunche
ou doente a 25 e libra- .
Ditas rom biscoutos inglezes rauito li-
nos a .......
Manleiga ingleza flor a 800 e .
Dita Iranceza a 560 e 600 rs. e em
barris c meio a 520 e
Dita hollandeza inuito nova a .
Banha de porco a
Sal refinado ci pote ....
Gigos cem batatas hollandezas a .
Cb hvsson o melhor que ha a
15000 a?)
320
6'.o
15400 B
540
800
320
500
15200
3500
Casacas de panno prelo, 33|J e 30/5000
Sobrecasacas idem, 30$ e 25000
Paletos idem e de cores, 250,
m, W e......10000
Ditos de casemira, 200, 150,
120, 100 e...... 70O
Ditos de alpaca, 50 e. 30500
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50 e........30500
Ditos de brim e ganga de co-
res. 40500, 4-ji, 30500 e. 30000
Ditos branco de linho, 00, 50 e 40000
Ditos de merino preto de cor-
do, 100, 75 o..... 50000
Calcas de casemira preta, 120,
W, 80 e......70000
Ditas de cores, 90, 80 e. 70000
Ditas de meia casemira de co-
res, 505OO e. .. 40000
Ditas de prinreza c merino pre-
to de cordo, 5,5, 45500 e 40OOO
Ditas de brim bi anco e de co-
res, 50, 40800, 40 e 20500
Ditas de ganga de cores,
30500, 30 e.....20500
Colletes de velludo preto e de
cores, 90 e...... 7J0O0
Ditos de casemira preta, 50 e 40000
Ditos de ditas de cores 50
40 e........30500
Ditos de setim preto. 50000
Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......50000
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 00, 50 e 40000
Colletes de fusto e brim bran-
co, 30500,30 e .
Semillas de brim de lindo
20400 e ......
Ditas de algodo, 10600 e. .
Camisas de peitos de Imno.
50, 40, 30 e.....
Ditas de madapolo, 30.
20500, 20 e.....
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e .
Ditos delltro, 50, 40,30500 e
Ditos de sol, de seda. 120.
110, 70 e......
-Cuiiariniios v inK. fnn- ujij.
ma moda.......
Sortimento completo de grava-
tas.
Toalhas para rosto, du/.ia. 110.
90 e........
Atoalhado adamascado de li-
nho vara......
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....
Lences de linho.....
Cobertas de chita chineza.. .
Pennasd'aco, as mais superio-
res, a grosa......
Relogios de ouro orizontaes.
9O0,8O0e......
Ditos de prata, galvanizado.
patentes e orisontaes, 400 e
Obras de ouro, adercos, meios
aderecos, pulceiras, rozetas,
aneis e cruzes.
20000]
I400 I
20500;
10600
HM
20000
405OO
640!
0
600001
102*)
40000
UQM
20000
600
700000 j
Dito miudinho a..... 25800 ,
Dito verde a 25, 25500 e 25800
Dito prelo a 15^00. 25 e fino a 25-300
Caf de moca arroba '5 e libra. 320
Dito lavado arroba 85 e libra 280
Vinhos finos do Porto caada 55 e
garrafa 640 c..... 800
Ditos de Lisboa e Figueira 35200 a
caada e garrafa .... 480
Dito branco proprio para mesa a 360 e 040
Hilo nm e outr.is tinos a 15000
('. liza rom vinho Rordeaux a 85 8 90
e garrafa a 800
S 1 reja de boas mareas a duzia a 35 e 65000
Gomma rauito lina arroba25300,206 15280
Enxofre arroba 3*200 e libra 120
l'.anada de azeite de carrapato a 25 e
garrafa a...... 280
Dito de coco a 30800e garrafa a 480
Massos com palitos lixadospara den-
te> a ....... 160
Tijolo para limpar facas a 140
Krvilhas era latas a 640
Latas com ostras americanas a 840
Vinhos engarrafados finos a garrafa 15000
Tapioca nova arroba 35800 e libra 140
oio com gnu n. '.'" a .. 320
f>2
mmwmwmo&
Mi 1)0 oieimao ^ u.
Loja tic fazemla de Augusto Frederic dos Sants Porto.
ESTEIRAS PARA SAIAS.
A este eslabelecimento chogou um ptimo sortimento de esleirs para sala, sendo de diversas lar
guras at 6 palmos e da mais superior qualidade .que se vmdem por preeos mais mdicos que em
outra qiialquer parte.
SOl'TEMIJAROI :ES.
Os mais superiores soutembarques de casemira de cores ricamente enfeitsdos acabara de eh^gar a
este estabelecimento.
F.NFEITES PAR \ RAILE de lindos gostos.
UTAS DE PELLICA DE JOV1N para homens e senbera.-.
CHAPMS DE PALHA DA ITALIA par senhoras. enfeilados com Onissimas flores a 145 e 15.
t'JIAPOS DE PALHA para nieniuas, enfeilados ricamente a 75-
CAMISAS INCLEZAS para hornera, colarinhos, peitos e puohos, de linbo, a 425000 a duzia
CAPAS DE SEDA PRETA para senhoras, bordadas e enfeifcidas de 225 a 505000.
ZI'AVOS de seda pretoa para senhoras, enfeltados com o melhor gosloa 205-
CHAPEOS DE PALMA para hornera a 35500.
i'.AMISINHAS COM MANGUITOS E CRAVATA para ser.horas, bordadas com ramio goslo.
ATOALHADO DK LINHO para mesa Fazendf. superior.
, Finos chapeos pretos de seda, chales da diversas qualidades. grosdenaple preto e de cftre*,
I prelos finos, easemiras pretas e de cores, brim branco e pardo, finas laasrahas para venidos e 1
muitas fazendas queso vendein por commodos preeos. A raesma loja rliegaram os
Ricos cortes de 15a de barra naatlsada.
4.\

Por um menino de 1 dia a 1 anno 1105 4005
de 1 amo a 2 905 3005
, dr 2 , a 3 865 2905
de 3 a 4 . 865 2805
de 4 a 15 565 2705
I'ui una pessoa de la 20 965 2705
> de 20 , a 30 865 2705
de 30 1 a 40 > 865 2705
> de 40 * a 50 . IX .5 3005
WOS 2:005
7505 1:7005
7O0 1:8005
7105 1:5605
7005 1:5505
7005 1:5405
7105 1.5605
7205 1:6000
7505 1:8005
m
DR PEDRO DE ATTAHYDE LORO MOSCOSO,
MEDICO, IMIlTElItO I-: OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
0 Dr. Lobo Mosccso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s 1
horas da manliJia, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepro dos dias santific ados
Pharmacia especial homeopathica
No meano consultorio ha senifre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulso*, assim como tinturas de varia- dymnamisares e pelos preros seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. i2000
de 2i tubos grandes. 18,5000
de 36 tubos gratules. 24*000
de 48 tubos grandes. 306000
> 4e60tul>js grandes. 35*000
Prepara-sequalqtercarteira conforme o pedido que se fuer, e com os remedios
'jue se pedir.
Um tubo avulso cu frasco de tfntura d3 meia onca 00.
Sendn para cinunle t, custaro os piecos establecidos para as carteiras.
Ha tubas mais pequeos cada um a 500 ris.
IJIVIltOS.
A melhor obra da homeopathia, o Matual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
Ui'us grandes volumes cem diccionario............ 203000
Medicina domestica do Dr. Hering............ 10;MKK)
Reper'orio lo Dr. Mello Montes............. 6:5000
Uiccio urio de termos de medicina ...,..., 3*000
s remedios deste estabelecimento sao por deuiais|conhecidos o dispensan portan-
to de serem novamenU recommendados aspssoai que quizerem usar de remedios ver-
dadelroi, enrgicos e doradores : ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
ilaileiro assucar deleite, n^taveis pelauaboi consevacuo, tinturados mais acreditados
'lelticimenlos europeos, a mais exacta e aburada preparafao, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus efWtos.
Casa de saiuk para escravos.
Ileceb -se esclavos para tratar de| qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
i-petacao, para o que o anmuiciante julga-se sutlicientemente habilitado.
O tratamenlo c melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
fimcCrOaattdrj a casa a inris de quatm annos, ha muitas pessoas de enjo conceito se nSo
pilo duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
d leoteo.
!aga-se 2*000 pw dia durante 60 dias ed'ahi em diante 1*580.
As opuracSes scro previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos preeos
aviis qu- costuma pedir o annunciante.
Duarte & <:.. recebeiam de sua propria encommenda pelo brigue ^
Florinda, chegado ltimamente de Lisboa os seguintes geneos todos depri- l^p1
incita qualidade por serem escolhidos pe" Sr. Duarto chefe de nossa casa ||
ltimamente chegado daquella praca.'
Verdadeito viuho bollares em ancore- Nozes as msis rjovas que se pode de-
retas de 9 caadas a 50,000 e 800
rs. a garrafa.
Viulio branco B & Filhos, em barris de
quinto a 60,000 e 560 rs. a gar-
rafa.
yinagre P R R, em ancoretas de 9 ca-
adas a 18,000 e 2,000 rs. a ca-
ada.
Passas em caixas. meias e quarlas a
8,000 4.000 e 2,000, a 480 a libra.
Peras seceos cm caixas de quatro li-
bras o melhor que se pode desejar

a 2,500, e 640 rs. a libra.
Caixinhas de 4 libras e 2 com aniei\a>
a 1.500 o 2,500 rs. a caixinha.
Chocolate portuguez, o melhor que
pode haver de bom neste genero a
1,000 rs. a libra.
Marmelada propriamente dito de mar-
mello, a 640 rs. a lata e em caixas
de 100 latas a 600 rs.
Maca de tomates a mais nova que se
pode desejar a 640 rs. a lata e em
caixa de 100 libras a 600 rs.
Ervilha portugueza a 700 rs. a lata,
e em caixa de 100 libras a 640 rs.
Passas corinthias para pudim a 640
rs, a libras,' e 400 rs. comprando de
arroba para cima.
sejar a 160 rs. a libra, e comprando ^^
em barricas a 4,500 rs. a arroba. BKR
Sebollas em caixas as mais novas do g|p
mercado a 6,500 rs. a caixa, a 800
rs. o molho, e a 640 rs. o rento.
Batatas em caixas de 2 arrobas muito
DOvas e grandes a 2.400 rs. a caixa.
Sextinhascom jos proprias para mi- 2
nios de mancas a 60 rs. cada urna gg*
e comprando em duzia ter grande ^
abatimento.
Ei va doce muito novas a 500 rs. a li-
bia, e comprando em arroba a
10,000 rs.
Cominbos muito novos a 400 rs. a li- f
lia a 10,002 a arroba.
Liedme portuguezes das manas mais
acreditadas de Lisboa a 1,000 a gar-
rafa e 10 a 12,000 a duzia, as quali-
dades sao as seguintes : cierne de
vii aletas, perollez, rosa, absintho, ves-
peji-Q. amor perfeilo. amendoa amar- 0
ga. percicot deturin. botefin, moran- jpy>
gos. limo, caf, laranja, cidra, gin- M
ga, canella, travo, ortelSa, pimenta ^

e entres muilosde qualidades menos
superior que seriio vendidos porpre- W ;-
eos em ielacu as suas qualida- x.
des. :v
Os propritarios afiancam que estes gneros sao muito novos e tudo ^
deprimeira qualidade. tudo isto se vende nicamente no armazcm Uniaoe ^
Commorcio na ra do Queimado n. 7. e largo do Carmo n 9 arma?em pro- ^S
gressivo.
QueijuS
do alemtejo, das ilhas e flamengos, lodoi clitgatus ueste ultimu vapor, a
2.500 os flamengos e 800 ris a libra do alemlejo e das ilhas, nicamen-
te no armazem Uniao e Commercio, ra do Queimodo n. 7 e largo do Car-
mo arraazem progressivo.
38RA DO IMPERADOR38
fc1
Agua natural de Csndllae.
4e "ciiu', iio reouMOdadanas gonorrheas. Letroy franctn verdadeiro na i
alguiuas caixas de iasti iw.entos cirurgia par operasdes de Matieu e Charnere.
DE
DE
J. VIGNES.
K. 55. RA IMPERADOR X. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assai eenhecidos para que soja necessark) insistir sobria
vei" \iu\d as voatodes e caprichos das pianistas, tm
nunca 'alhar. por serem fabricados de proposito, e terse feito ltimamente memrame!!* iruperu-
tissimos |iara o clima dcste paii; quanlo s vozes sao newdlnu e flautadas, e por isto muilo agraa-
wis aos ouvidos do6 apredadoMB .- -^, ...
Fa/em-se ronf-.r ne as .ncommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Blondel, de Pan>, soao
eorrospondoole de J. Vienes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as e\p5icoes.
No mesmo i-stab-lecimeoto se ada sempre am esplendido e vanado s..rtimenlo de musms *
uielhores compositeres da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo rodo Te-
por pMfM muito raioaveis.
25 BU A HO VA 25
GRANDE DEPOSITO DE
DE
JOAO PEDRO YOGELEY.
Neste acreditado estabelecimento se encontrar urna soberba colleccao de pianos doa mais rele-
bros fabricantes da Europa premiados na ultima exposicao universa em Londres. En re esta mm
eiistem alsuos fortes d cauda e nowssi.no fabricante A. Bord, de Pan-, uniros nesU PfOrMa fabr -
caitos por orden, do proprietario expressan.en.e para este clima. Os senhores f"** ^^^
dos pan vir examinar a pcrieicodo trabalho e elegancia do seu formato e as cxcellent.s toms *
d'0S'STesmo^abelecimento continua-se a atugar. afinare concertar pianos e recbeme -
coramendas para servir ao respeilavel publico tanto na cidade como nos arrabaldes.
O proprietario res|ionsabili>a-se pela sua encllente qualidade.
Joao da Silva llamos, medico pe* L'ni
versidade de Coimbra. da consultas em
sua casa das 9 as li horas da maubaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
en suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que ser soccorridos em qual-
quer occasio. !> consullas aos pobres
que o procurar m no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das i
s 8 horas da manhaa.
Tmi sua casa de saiide regularmente
montada para recetor qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tici qualquer eperacao cirurgica.
l'ara a rasa de saiide.
Primeira elasee :5000 diarios.
Segunda dita.... 25500
Terrena lila.... 2*000
Beto i'stabi-li-cimento j bem acredi-
tado pelos Inins serviros que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a ronfianea de que sem-
pre tem gozado.
VESTUARIOS PARA O
CARNAVAL
Alugam-se ricos dminos liordados de velluw
pelo baratissimo proco de 104 e 125 : na travessa
dos Ext'ostos, sobrad n. tti, primeiro andar, As-
sim como tem um grande sortimento do vestuarios
a c.iracler, e dminos em muito bom estado, que
se alugam pelo barato precodeS ct>5 as pessoas
que o anno passado alugaram na travessa das
Cruzes, venham ne-ta casa, que aeharao mais fca-
rato do oue cm outra parte.
A* n. 29.
Nora loja dos baratrires na rna de Ojncii
Ricas saias de fustaoa 5 camisastngleas para
senhora a 25, 2*500, 35 e 4*, coliertas de MCM
brancas a 55, chitas com lustro para eoberta eem
6 palmos de largura a 040 o covado. cambraia d*
cores [W.ra vestido a 320o covado, lias para vesti-
do a 480. 560 e 640 o covado.
A ii. 2.
Nova loja dos barateiros na ra 4 Qneimade.
Tarlatanas de todas as cores, faaenda muito tina
a 720 a vara, cambraia para cortinado. pT de 2
varas, por 105, chales de lia |>or :<5. 45. 55e 85.
camisas inglezas para hornero a 385, ^O* e 60*.
Nota loja dos barateiros na rna deQwimade.
llicos prelos, franjas de todas as qualidades,
trancas de seda, de algodao e de Ha, manguitese
ramisir.has bordadas, collarinlio- .- punlms. folhos
bordados, botSes de velludo, de seda e de fui*..
bandos de cabello, mola de seda, leqiies -. cnjus
artigos se vendem por melado do seu valor por ser
para acabar.
^BNETE PTICO DE
RECREIO
raes de Xovembr* *-
Frente ae passadif* de Recite.
Extraordinaria apres.-niaco de visias amanbia
domingo 31 do correnle. ".
1' anreseniacftodas 6 as 7 i|2 horas da noite
2' das 7 1|2 s Tl|4-
3 das 8 e 1|4 em rnuite.
Osalaoestar aberlo le noite nos domingos e da*
santos disposico do resteitavel publ-".
Eulrada 500 rs.
Precisa-sc de orna ama de leile : na ra d>i
C.aldeireiro n. 10.
Mal


DJ* (! femaiulmco. -.. fcabbdo 3t> 4c Janeiro de IH.
A DO IMPERADOR
N. 22.
Grande armazem (nas.
Esl s annazcm conten ludo quanto
precise para que a industria de pintura, de
qualaergeacro c;aa seja, desempentae
seu li n, isto embellezar, consol var e
repmluzir.
Montado em grande escala e siifpi ido
Gratamente por irandes fabricas de Pa-
rs, Londres e llai burgo, pode oftVrecer
producto de confianca, e satisfacer qual-
{iier ancommenda grosso trato e a re-
talho.
Os Sis. artistas pintores, e os dorios de
obras poderao escolhor vontade, pois
que Udo estar a ria, as dilfereutes co-
res d i que tiverem necessidade.
lia Untas eui masaa e em po inipalpa-
vel, ( como as obras a envernixar s se
deve empregar tinas muidas, o nao me-
record confianca ksquevcm de fon para
corar lereio, pof vclhas, e talvez falsifica-
das, ueste armazcm se as moer a vis-
ta do ctnsnmidr, uue s assira teta tin-
tas frescas e verdadeiras.
Ha tambem ouro verdadeiro, verde era
p ecm folln, prata em folha, p debron-
zear de varias cor >s, diamantes para cor-
tar vidros, hurnidores, ncar superfina en-
carnada, amarclla e verde, tintas Yege-
taes, azul, roxa, verde e amarella, inoffen-
sivas. nicas que se devem enlprcg.ir as
confeitarias, collecgoes de pinceis para
ungir madeira, coi i propriedade, e i utros
de varas qualidades, vernizes, copal,
grana, hranco ou escuro para o interior
e exterior, para etiquetas e quadros, tin-
tas finas era tubas, era crayoes ou pastel,
tellas para quadros, caixas de tintas finas
e papel para desenlio ,
cssenrias aromticas verdadeiras, fras-
cos t vidros para ridraca de todos os ta-
manhes, e muitos outros objeelos, cuja
utilidade e emprego s com vista podc-
rao ser mostrados.
Jouo Pedro das Reres,
Gerente.
Alfonso de Albuquerque Mello
ha 19 anuos advogado,ja ante os auditoras e trtju-
naes testa cidade, j na corto o em. outros luga
do imperio, em consequcncla de terem-se augmen-
tado r.qut seus at'axeros, tem transferido sua real-!
deumda villa do Cabo |>ara esta cidade ra
treita do Rosario n. 34, onde tem eslabelecido leu
!. escriptorio, e onde foi o do Dr. Godoy, de culos
trabalhos ficou encarregado o annunciante. .Vni
! offereee os mistores de sua profissao s pessoas do
3uem inercia confianca, tanto deste termo como
os dentis desta e efe outras provincias para os
\\negocise trabalhos a serem desempenhados aqui,
garar tindo o zello, lealdade e actividade que lho
sao reconbaoidos pelas pessoas que o conhecem.
lncurnbe-se tambem de trabalhos para os termos
prximos, onde tem solicitadores do inleira ron-
lianea. D consullas verbaes e por escriplo, e
presta-se a ouvir seus constituintes a todas as ho-
ras, c nas sextas-fuiras das fl as 4 na villa do Cabo
Ama deleite
Precisa-se do urna ama que teiiha bastante leite:
na na estreita do Rosario n. 8, segundo andar.
OITereee-se urna mulher para ama do casa
de pouca familia ou homem solteiro : na ra da
Penha n. 9.
saquea sobre Portugal
0 abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portttense nesta cidade, saea e-
foelivnmente por todos os paquetes sobre
o mesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer somina, a vista e a prazo, po-
dendo logo os saques a prazo serem des-
contados no mesmo banco, na razo de 4
por cento ao anno aos portadores que as-
sira I he convier : nas ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
MUDANZAS
carrtos
hovoes
DE
PARTIDAS SOBRADAS
OFFEltKCIDAS
A ASSOCJAf.AO COMERCIALISKNKHCKNTE
DF.
ci:it\Anm(o
POR
Quem annunciou precisar de 6005 apremio, Briiu
dando por segur.tnea um predio, pode dirigir-so .
ra do Imperador n. 18.
da
rl
Deseja-lb saber a morada ou estabelecimento
doSr. Joaquim Tliomaz da Cimba : annuncie por
osle Diario para ser procurado. _______
Aluga-so um excellente ariaazom com un
grande telbeiro e urna excellente chamin, proprio
para qualquer estabolocimento de refJnaco ou pa-
daria por ler sido ha mais de l-'i aunos empregado
ncsles negocios, na ra dos Guararapes n. 26 : c
os pretendentes podem entender-se com Antonio
Alves Barbosa.
Tereeiro escriturario da tbesouraria
de fazeada de Peruambuco e competentemente au-
torisado para etercer o pro-
fessurato particular dear lutuelica namesma
provincia.
Acha-se esta obra nos prelo da typographia
No mtao da secretaria de pol'oa. armazem da Commercial, d'onde era breve saldr luz da pu-
Lava-se e engoiniiia-se roupa de homem ede
senhora com perfeico e proco commodo : na ra
da Penha n. 2-', loja.
bola amarella, ha urna pessoa encarregada da mu-
danca de mobilias de untas casas para outras. e do
transporte de quaesquer volumes sob a direccao
da mesma pessoa : a tratar no lugar cima.
impressao e sob o formato de
Aluga-se o armazcm n. 4 da ra do Apollo, e
o tereeiro andar da casa n. 88 da ra da Impera-
Iriz ; na ra da Aurora n. M._________________
Precisase de urna ama que sai ha perfoita-
menteengommar e cozinhar: na ra da Concor-
dia n. 65.
Precisa-se de ura caixeiro de li 16 aunes,
com pratica de taberna, que do um liador a sua
conducto : na ra do Rosario da Boa-Vista n. 1
Alutfa-se o arrimen! do sobrado da ra da
Praia n. 57 : trata-so no Campo Verde, ra do
Destino n. O, sobrado do Dr. Miranda._________
Precisa-so de urna pessoa para trabalhar era
urna fabrica do velas de carnauba : na ra da i j
Senzala Nova n. 6.__________________________ I i
O abaixo assignado vendo um annuncio do'
Sr. Antonio Jos Gomes,declarando que paga todas
! as suas contas, e como o mesmo abaixo assignado
nao tonha o podido encontrar, roga ao mesmo se- ;
nhor o favor de se dirigir a ra da Guia n. 9 para
ajustar co""3 amigas.
Joao Francisco de Souza.
DENTISTA DE PARS
19Ra Nova-19
Fr'ederieo Gautier, cirurgio dentista,
faz todas as operacCies de sua arte, e col-
ioca dentes artificiaos, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas Ihe reconnecent.
Tem agua e pos dentifirio.
blicidade em ntida
8o portuguez.
Lompoe-se esta obra de um volume, dividido em
urna parte theorica e outra pratica, de fcil alean-
ce s pessoas que se queiram dedicar ao estudo da
escriturar o.
A respectiva assignatura acha-se aberta era to- Compra-se para cobrir um telheiro varias fo-
das as vrarias desta cidade, ao preeo de 5J0O0' Ihas de ferro galvaoisado j usadas : na ra do
por volume. ; Queimado, loja de ferragens n. 14.
COMPRAS.
\o Os abaixo assignado julgatt nada dever a esta i e engoinmar, e que seja moca e sem vicios, e bem
ac ou fra della por litub algum, entretanto assiin se compra mais um escravo preto que soja
ATTENM.
Custodio Jos Alves Guimares avisa ao respei-
tavel publico e aos seus freguezes, que em vistas
de se acbar seu estabeleciraento em obras afim de
alargar mais o campo para o gallo de novo cantar,
afim de raelhor poder servir seus bons freguezes,
com tudo em quanto durar as ditas obras conti-
Aluga-se urna casa nova multo fresca o ore- nuar a servir seus freguezes no seu grande ar-
co commodo, no lugar da Capunga, ra das Criou- mazem com frente para a ra do Imperador com
: las, com quintal murado, poco d agua de beber: a entrada pela dita loja do gallo vigilante, ra do
Precisa-se de um bom cozraheiro e do dous
criados activos : a tratar no sobrado n. 32 da ra
da Aurora.
:praca
i pedent que quem se julgar credor appareca para
i ^r t'aK-Guimares & Koclia.
O abaixo assignado, professor de latint da
' freguezia de S. Jos desta cidade faz scionte ao
| publico que se acba aberta a matricula de sua aula,
e que o exercicio da mesma tora principio no dia
3 de fevereiro prximo lindo : quem se quizer
matricular, dirija-se ao sobrado n. 5, sito no largo
da ribeira.Manoel Francisco Coeio.
moco, e bom cozinheiro : a tratar na ra da Ca-
deia do Recifc n. i, priraeiro andar.
Compra-se crTectivamente onro e prata em
ohras vclhas : na praca da Independencia n. 22
loa de bilhetes.
COMPRA-SE
IB 35 -
tratar ao p da mesma.
O cenlterlo publico*
precisa d> um jardineiro : a enlender-se coi a o
respetivo administrador.
Precisa-se de urna ama para cozinhar : na
ra do Cr po n. 18, segundo andar.
Aluga-se a casa di ra de S. Miguel nos
Afolados i. 28 : a tratar na ra Imponal n. 98.
Precisa-se alugar urna preta para o servico
de urna casa de pouca familia : na ra Volita a.
43, segundo andar.
Aluga-se a casa terrea da ra da Mangueira
n. 9 : a tratar da ra da Cadeia n. 21, loja da Pri-
mavera.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na na da Cruz n. 53,
Io e f andar, onle pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especialielade
sobre o seguinte
Io molestias
2o
3o
de olhos;
de peito :
ios orgaes genili
urinarios.
Em seu escriputrio os doentes se-
to examinados ra ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s ]
6 as lOdamanhaa, menos nos de-
iiingos.
Praticar toda e qualquer opera-
Cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
a tlenrdo.
Na rea da Cruz n. II fornece-se comidas para
fra e em casa, por commodo prego, com muito
aceio.
Alugainse os dous sobrados de um audar ns.
39 o 41 da ra dos Pires, (bairro da Boa-Vista),
tendo cada urna destas casas o quartos e 2 salas
no alto, e no andar terreo, alem destes commodos,
cozmha e 2 quartos no quintal: quem os preten-
der, dirija-so ra do Cabug n. 3, loja._______
C.as;i para alugar.
Na ra do Crespo n. 13, loja, aluga-se o primei-
ro andar do sobrado da ra do Imperador n. 36.
Fugio do dia 28 para 20 do eorrente o escra-
vo Ignacio, cora os signaos seguintes : bastante a -
to, ps e mos grandes, dedos compridos, cora al-
gum s.gnal de pequeas ferdas pelas pernas :
<|uoin itogar dito escravo pode lvalo era Sano
Amaro de Jaboatao a entregar Zeferiao Ferr ira
Velloso, que ser bem recompensado.
Antonio Jos Penetra, subdito iwrtuguez, vii
ao Rio de Janeiro.
Offereco-seum rapa; para acornpanl:ar un
senbor aqu na provincia, e at para lora, querer-
do : qiem precisar, dir ja-so a ra do Trapicho
Novo a. 22.
II
Bi\TO UMllO
ESTABELECIDO Ni ODADE DO POItTO
Agentes em Pernambnco
.'aatonio L.hIz de Ollvelira
Azeverlo k C
Sacam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, sobre a
caixa filial em Lisboa, e agencias em Fi-
gieira, Coimbra, Aveiro, Viztu, Villa-
Real, Regoa, Vianna de Castelki, Gnhna-
raes, Barcollos, Laaiigo, Covilha, Braga,
PenafieJ, Braganca, Amarante, Angra,
liba da Terceira, Ilha de Faias, Ilha da
Midoira. Villa do Conde, Valonea, Bastos,
Oliveira do Azenieis, Chaves e Fafe, a
oiio dias vista ou ao prazo que se conven-
cionar,no seu escriptorio ra da Cruz
n. 1.
* auriHozeui de fuzeadas aara-
tas de Maulo Coelho
RA DOJI'EIMADO y. l!l VENDE-SE 0 SE-
GUINTE :
Esteira c a India
propria para forro de san, de i, 5 e 6 palmos de
largurc, por menos preco do que era outn qual-
quer pirle.
Lentes
de panaodelinho pelo barato preso de 2#0X).
Lencitcs
de bramante de linho fine de um s panno, pele
barato preco de 3*000.
( lifrtas de chita da India
pelo barato preijo de 2*00).
Bramante le linho
4:om de.t nalraos de largura, pelo baratissimo pre-
y> de z#400 a vara.
Bretanha de rolo
Peca* de bretanha de rolo, propria pata saia.
com 10 varas, pelo liaratissimo pre^o de 3*000.
Pecas do eambraia
adamascada com 20 varas, propria para cortinado
4e cami, pelo baratissimo preco de 10*000.
Pecas de eambraia
de saipicos, com 8 1/2 varas, fazenda superior
pelo baratissimo preco de 4*.
filo list fino
pelo luuato preco de 680 r;. a vara.
Corles de calca
de ganga amarella de listras e de quadros, polo ba-
catitmo preco de 1*200 o corte.
Toallas alooeboadas
para, raaos, pelo baratissimo preco de a duzia.
itoalliado adimascado
proprio para toalha de mef i, pelo baratissimo prc-
ep de 24 a vara.
enfios di assa
braneiM Ibas priprios pan. algibeira, pelo bara-
tissimo preco de 2* e 2*4C0 a duzia.
Crespo ti. 7.
Manoel Luiz dos Santos contratado a compra do armazcm de cabos no lu-
gar da ra do Vigario n. 5, pertencente Theode-
zio Maduro da Fonseca : quem se julgar com di-
reit'i a qualquer reclamacao, dignar-se-ha apre-
sentar no espaco de 15 dias. Rocifo 13 de Janeiro
de 1864.________________________
Saques.
M. J. Ramo- e Silva & Genros sacam
vista sobre a [traca do Porto: na ra do Vi-
gario n. 10.
Companhla lldelIdade de |
seguro* martimos e ter-
restres estabeleclda no
Rio de lanelro.
Fredorico Alves Pereira Pinto e Antonio
de Souza Leal Flores, mandam celebrar urna
missa por alma do seu tinado ex-socio Ma-
noel Ferreira de S na Igreja matriz do Cor-
po Santo no dia I- de fevereiro s 6 horas da
nianha; rogam aos amigos do fallecido a
assistencia a este acto de candado e religio
pejo_que lites ficam suraniamente gratos.
No largo do Paraizo n. 20, segundo au-
dar. se dir quem compra ditas escravas que
I sejam mocas e sadias.
Compra-se urna mulatiniia ou eabrochade
bonita figura, que tonha de idade 12 15 anuos,
com habilidades ou sem ellas, agradando paga-se
bem : no pateo do Terco n. 2, sobrado de um
andar.______________________
Compra-se um escravo que seja moco e ca-
noeiro : na ra da Praia,ariiiazem de carne n. 7-
Cempra-se papel de Diario a peso : na ra
do Palacio do Bispo n. 40.
Compram-se aeces do novo banco
da Cadeia escriptorio n. 47.
na ra
VENDAS.
6000000
Quem quizer dar 600 a juros dando-se em pe-
nhor urna eserava, cujos servicos ficarao pelos ju-
ros annuncie para ser procurado.
Loja para alugar.
Aluga-so a loja do sobrado sito ne largo do Car-
mo n. 18 : tratar no mesmo sobrado segundo
andar.
AGENTES EM PKPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
Advocada.
O hachare! Jcronymo
ly, advogado do tribunal da relacao e mais audito-
rios desta cidade, contina no exercicio de sua
AOS 5:000,000
CASA H FORTUNA
Bilhetes garantidos
A' ra do Crespo n. 23 e casas do cosime
Quarta-feira, 3 de fevereiro prximo, se extra-
hir a quarta parte da primora lotera beneficio
da matriz de S. Jos.
O abaixo assignado, recommendando ao respei-
tavel publico a compra dos seus mui felzes bilhe-
tes garantidos, lembra-lhe a vantagem que ha em
receber es premios por inteiro, por quanto quera
tirar a sorte de 5:000* em bilhele garantido nao
. receber somente 4:200*, em virtude dos descon-
| tos de 16 i que Ihe faro em vista das leis, mas
sim os 5:000* que vem a ser os ditos 4:200* e
Veadem-se cal\5es vastos a
tHOO: nesta typographia.
Algndo da Baha
para saceos de assucar e ronpa de escravo; tem
para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, no seu escriptorio ra da Cruz n. I._________
Papel ,
de Hume greve 3*600, almaco branco e "perlina
3*200 : no armazem de Tasso Irmos.
Vendem-se bOO barricas
alientan em Santo Amaro.
vasias : na padaria
Luvas de pelllea.
Chegaram para a loja d'aguia branca, ra do
Queimado n. 8.
Salgado de Castro Accio- mais. 805 que pagar o abaixo assignado, impor-
tancia de ditos descontos, acontecendo o mesnlo
- Antonio Jos Rodrigues de Souza aluga a sua prolissao, ra do Queimado n. 38, primeiro andar,
casa e sitio do Monteiro, era frente ao oitao da 0nde pode ser procurado das 9 horas s 3 da tar-
igreja de S. Pantaleo, com bastantes commodos : e, e no caso de urgencia a qualquer hora do dia.
a tratar na thesouraria das loteras, ra do Cres- i--------------
po n. 15.
KHreSs SSi 9191
Ueseja-se saber onde reside nesta ci-
dade o Rvm. Francisco Raphael I'cman-
de.-, da villa do Principe, e ao mesmo se
pede que annuncie a sua morada.
Club' Commercial.
A rcuniao familiar do correte mez ter lugar
na noite do dia 30.
No escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C, na ra da Cruz n. I, precisase fal-
lar com o Sr. Luiz Soares Botelho, ti lito de Jos
Soares Botelho e de Fortunata Candida de Souza,
e neto de Francisco Manoel de Souza, natural da
ilha de S. Miguel, o qual consta ter vrado para es-
ta cidade em 1856, para Ihe dar noticias de sua
mi e irmos que se achara no Rio de Janeiro.
()? ni pretendere segundo an-
dar do sobrado u, 44 em a ra
da Aurora, dnij-sea roa >ova,
mero 58.
Casa.
Aluga-se unta casa nova na ra do Principe n. i
8, freguezia da Boa-Vista, com 3 quartos, 2 salas., [
cozinha fra, cacimba e bom quintal : a tratar na
ra .Nova n. 3._____________________________,
Tendo de ser arrematado de renda com toda i
a sua fabrica, animaes e mais pertences, o enge-
nlio Roncador, na freguezia de S. Lourenco da Hat- i
ta, do coronel Jos Peres Campello, por execuco
que Ihe move Jos Jeronymo Monteiro pelo juizo
commercial, escrivo Paes de Andrade, faz-se cer-
to a quem convier, que o dito engenho tem de ser
arrematado por sois annos, como foi determinado
pelo juizo, no dia 1 do fevereiro prximo vindou-
ro, na sala das audiencias, como j foi publicado
por edital do mesmo juizo,
Vende-se a loja de louca da rita do Rangel
n. 17, propria para qualquer eslabelecimento por
seu dono achar-se doente, e desejar tratar de sua
com as outras sortes. Os premios sero pagos co- i saude : a tratar na mesma, ou na ra Direita na
mo de costume.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 6*000
Meios bilhetes...... 3*000
Para as pessoas que comprarem
de 100* para cima.
Bilhetes........ 5*500
Meios......... 2*750
Manoel Marlins Fiuza.
Rleo santuario de Jacaranda.
Vende-se um santuario de Jacaranda obra novo
I bem acabada, de gosto superior : na ra da Cadeia
n. 53, armazem do agente Eusebio.
GRANDES CAVALHADAS
M. J. Hamos e Silva & Genros, tem
i para vender em seu escriplorio na ra do
! Vigario u. 10, o seguinte :
I Ricos e elegantes pianos.
Algodo da Bahia para saceos e roupa de es-
cravos.
: Fio de algodo para caser e pavio de velas.
i Cera de Lisboa em velas.
Cera de Lisboa em grume.
de urna
Aluga-se o 2 andar do sobrado da ra do
ema loja de Basles ilafalkta, uue i lm^% 79> b.as,anle 5225 ?dSW para
, i ', uma familia : a tratar com Antonio Jos Rodrigues
chara com quem tratar. Assim taiu- de souza.na ra do crespo n. 15.
bem alugam-sc as lujas do mesmo so-
brado.
Na villa do Cabo.
Domingo 31 do eorrente.
AVISO DO HOTEL.
0 proprietario do hotel da villa do Cabo apro
velando a occasio de obsequiar a luzida rapazia-; Superior vinho do Porto em caixa
da do Recife, a qual Ihe consta ter de vir em peso, j duzia
acompanliada da famosa msica particular da so i,.n (|jt0 pm ha|. .- lp ?;o
ciedade Cniao Commercial, assistir a este divert- "',, a S Ue '
ment que Ihes especialmente offorocido pelos : LQlla (la Balita.____________________________
garbosos cavalleiros callistas que tem de correr, j IJViVvif ao
e mesado Jjlllt 11(38.
seguintes: j A loja da aurora na ra larga do Rosario n. 38.
recebeu riquissimos enfeites a Mana Pia os mais
resolveu reduzir os precos de estada
seu estabelecimento no dia cima aos
Almoco, jantar) oaqa
Evinhoafartar) modernos que tem chegado e desta qualidado sao
Por todas as mais conimodidades, taes como ca-, os primeiros que tem chegado a este mercado,
ma para descanco, um alpendro para gozar do qualquer senhora que pretender comprar algum
Manoel Jos do Albuquorque Mello, proyisio- fresco, banho do Pira pama no banheiro do hotel desta qualidade tenha a bondade do mandar
' quanto antes, pois vieram poucos e csto se aca-
bando porque isto foi amostra que recebemos e
nao sabemos guando eln-garao mais.
/'ro/VSSO* de niann meiras letras, ouerece o seu presumo a tonas as ter escomido a occasio mais apta para
i <> u c-'i r f pessoas que Ihe quizorem confiar os seus filhos,' seus bons desejos e tendo se premunido com toda
Jos uteiuo da bilva e Araujo, bem conhecido prometiendo envidar todos os seus esforcos, atim a profusao espera ter a mais brilhante concur-
uesta cidade, contina a leccionar piano e mus- de bem camprir o seu magisterio, tendo aberto a
ca vocal por commodo preco : quem de seus ser-' sua dita aula desde o dia 11 do eorrente, no pateo
vicos precisar, dirija-se ra do Livramento n. 21, do Terco, sobrado n. 141, segundo andar.
segundo andar.
A viuva de Manoel Joaquim Soares roga en-
carecidamente aos credores de seu Tinado marido
terem a bondade de comparecer no VaradoQro '<
(cidade de Olinda) era casa de sua residencia, no'
da 31 do Janeiro do eorrente, afim de deliberarem
sobre os negocios que tiveram com o mesmo al-1
lee i do.
rcncia.
O abaixo assignado socio gerente da firma so-
cial nesta praca Maia & Espirito Santo, segu ho- '-
je para os portos do sul, e durante sua curta au-|
sencia flea na gerencia da casaoguarda livroso Sr.
Manoel Jos Goncal ves Braga.
Recife 28 de Janeiro de 1864.
________Joaquim Francisco do Espirito Santo.
Precisa-se de otlieiaes de alfaiate : na ra da
Cadeia do Recife n. 38, primeiro andar.
AI ii filie I.
Aluga-se a casa terrea n. 22 na ra Velha : a
tratar na ra do Sebo n. 24.
Na padaria n. 1 no pateo da Santa Cruz, de
novo reformada precisa de unta pessoa para cai-
xeiro, que entena pereilamentc do trabalho de
padaria para tomar cinta por balanco, afliancando
sua capacidade e bons costumes.
Aluga-se ura grando armazem proprio para
arte de fogo ou outro qualquer estabelecimento
por ter grandes fundos e um grande quintal, de-
fronte da fabrica de sabao que foi dos Santos na
ra do Bruin : tratar na ra da (lua padaria
n. 56.
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17, 2. andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do dia e da noite
para o exercicio de sua profissao de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
doixados per escriplo. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias de interior, prosegue, com o
maior afiinco, no das mais dimeeis e deli-
cadas operaces, como sejam dos orgaes
ourinarios, dos olhos, partos, etc.
seu
O Dr. Casanova pode ser procurado em
consultorio especial homeopathico no largo da ma
triz de Santo Antonio n. 2. No mesmo consulto-
OL \ DA.
O padre Jos Esteves Vianna tendo ob-
tido licenca do director geral da instruc-
co publica paraensinar particularmen-
te primeiras letras, latint o francez, tem
determinado dar principio ao ensinodas
ditas materias no dia 15 de fevereiro,
para o que convida a todos os Srs. pais
de familia que quizercm confiar seus li-
IIios ae seu cuidado a comparecorem des-
de j em casa do sua residencia na ra
de S. Bento, assim como se presta tam-
bera a dar lindes era casas particulares.
Vende-se urna eserava de idade de 24 annos,
bonita figura : na ra Direita n. 32, taberna.
Vende-se urna preta moca o sadia, com urna
cria de 4 mezes : a tratar na ra da Imperatriz
numero 20.
\ende-se a propriedade denominada Maltez, fita
na freguezia do Tracunhaem da comarca de Naza-
! retli. com unta legoa de frente e meia de fundo, e
1 proporcBes para nella se levantar ura bom enge-
! nho de fazer assucar, sendo que actualmente reu-
de ella mais de 1:000* que pagara os moradores
I que tem : quem a pretender entenda-se nejsta pra-
ca com o Sr. Antonio Jos Leal Rois, na ra da
Cadeia do Recife n. 47.
Gymnasio provincial.
At o dia lo de fevereiro estatoabortas as ma-
triculas das seguimos aulas do gvmnasio provin-
cial : latim, francez, inglez, greg, allemo. ma
thematicas, geographia e historia, eloquencia e
Vende-se a casa da ra
tratar na mesma ra n. 284.
Imperial n. 210 : a
tnz ae santo Antonio n. 2. IN'o mesmo consulto-1 nnpiici itiii rio ha sempre grande sortimento de medicamentos; SSStfBH. SJK """* "*
em tinturas e em glbulos, deixando elogiar os
nossos medicamentos pelas pessoas que os tem ex-
Precisa-se de 1:000* a juros pelo lempo do
3 mezes dando-se por seguianca urna eserava com
iraaeria.aqoal tem Emits 'habilidades: quem
convier annuncie para ser procurado.
..jntx
Precisase de urna :.ma para todo o
servico do urna casa de familia: na ra
estrena do Rosario n. al, tereeiro andar.
CfiU
Na raa da doria
ente eavllo por 150*.
n. 80 -vende-c nm escel-
^1^.
Oelo, gelo, gelo.
Com a ebegada da nova machina nao se expe-
rimenta mais falta de gelo fabricado com agua de
Prata, lodos os dias a qualquer hora, para por-
coes grandes ou encoraraendas para fra da pro-
vincia dever haver aviso com antecedencia : ra
da Aurora junto a fundicao onde tem a bandeira.
Quem precisar de urna pessoa habilitada pa-
ra ensinar o francez, dirjase ra do Imperador
numero 3o.
Precisa-se de urna ama que cozinhe, engom-
me e compre, para casa de pouca familia : a en-
tender-sc na ma do Borlas n. 30.
Desappareeeu hontem (26) pelas 11 horas da
manhaa, no caes 22 de novembro, um cavallo
castanho, com os signaos seguintes : tem o p es-
qnerdo desde o pelador at em baixo bianoo, tem
mesmo p torio, inteiro, levou cangalha e quatre
saceos vasios melados de assucar, e mais urna an-
coreta de mel : quemo pegar pode levar cochei-
ra doSr. Malveira, que ser generosamente recom-
pensado.
perimentado e continuam a servir-se em nossa
botica. Temos tambera obras accoramodadas a
intelligencia do povo.
Knslno de Inglez e franeez.
Joaquim Pedro da Rocha Pereira, competente-
mente autorisado pela directora geral da instruc-
cao publica, para ensinar particularmente inglez
e francez, lecciona nesses preparatorios tanto de
manha romo de tarde, no 1. andar do sobrado da
ra Direita n. 93, onde pode ser procurado.
Nesse estabelecimento, mediante a mdica
quantia de 1* diarios, tem os alumnos internos ;
roupa lavada e engommada, medico, botioa, luz,
penna, papel, tinta e criados para o servico.
Os raeios-pensionisias pagara metadedessa quan-
tia, e os extornos 15* por trimestre, podendo fre-
quentar as aulas que quizercm. O secretario,
Cabra!.
O abaixo assignade contina a leccionar pri-
meiras letras, latim e francez em sua mesma re-
sidencia na ra Nova n. 58, tereeiro andar. Ad
mitte tambem 8 alumnos internos, nao excedeudo
a idade de 10 annos.
___________Jos Maria Machado de Figueiredo.
D-se dinheiro a juros: na ra do
Rangel a. 6.
Precisa-se de urna ama que nao tenha tilho :
na ra de Apollo n. 28, primeiro andar.
Carvalho & Nogueira na ra de Apollo u
20, saccam sobre Lisboa, Porto e ilha de S. Miguel
Jos Fortunatojdos Santos Portojulga nada de-
ver presentemente por meio de|letras,uo enlamo ro-
ga a alguom que se possa julgar seu credor neste
sentido, de apresentar seus ttulos, at o flm do
presente.
assa fallida de iuiorlin, Fra-
goso. Santos & c.
Aos senhores credores que anda nao apresen-
taram seus ttulos roga-se queiram faze-io no pra-
so de 8 d.as, contados desta data, sem o que dei- por qualquer debito que possa Itaver.
xaro de ser contemplados cont taes.
Aluga-so s loja do sobrado n. 32 da ra do
Rangel, com excellente armacao para qualquer es-
tabelecimento : a tratar no mesmo sobrado. ,
O abaixo assignado tendo arrematado em
leilo a taberna da ra de S. Jos n. 2, pertencen-
te ao Sr. Jos Antonio Anselmo Moreira, pede a
quem se julgar credor do dito senhor para apre-
sentar suas contas no praso de oito dias para se-
rem conferidas e pagas em tempo competente, o
findo esto praso declaro que nao me rosponsahiliso
Recife 26
A padaria n. 1 no pateo da Santa Cruz, aca-
ba de fazer um novo orno e mais arranjos pro-
prios destes estabelecimentos, tudo para poder con-
tinuar com aceio e limpeza a fabricar pao bola-
cha e mais objeelos proprio?, para o que nao pou-
pou sacrificio, como bem se v no exterior, o pro-
prietario .desle novo ou quasi novo estabelecimen-
to que 50 annos lida neste uso de vida, como
bem sabido de todos, agora recorre a seus antigos
e modernos freguezes e aquellas pessoas quo o
queiram obsequiar em mandarem seus portadores
afim de comprarem o pao e bolacha, que pretende
poder servir bem, como sempre foi seu costume,
e segunda-feira s 6 horas da manhaa do dia t de
fevereioo de 1864 pretende ter exposto o melhor
pao que Ihe seja possivel, que para isso se munio
das raelhores farinhas que ha no mercado, e assim
espera ter de agradecer aos seus bons freguezes a
sua proteceo.
Para o carnaval.
O Pavao vende.
Vendem-se tafelaes de todas cores proprios para
vestidos e roupa para mascara, pelo barato preco
de 400 rs. o covado, ganguelim cor do rosa, fazen-
da muito bonita a 320 rs. o covado, verdadeiro
velludo cor de caf para domiu a I* o covado,
setim branco liso proprio para vestido a 500 rs. o
covado : isto na loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Gama A Silva. _________________
As rouieiras do Pavao.
Venom-so firassimas romeiras e pelerinas de
eambraia bordadas a croch, e ditas de filo pelo
baratissimo preco de 2* cada urna camisinha com
colla e manguitos a l280, ditas de fil a 1.3. linis-
simas golliuhas bordadas a croch a 500 rs., ditas
de fil a 400 rs. : isto na loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
trara a 400
covado.
Vende-se brim pardo de linho com pequeo to-
qu : de mofo, que depois do niolbulo larga, proprio
paia calcas e palitots, a 400 rs. rs. o covado ;
brim branco de linho a 1-5 e IS200 a vara, fusto
de '.ores para caifas, coletes e palitots a 500 rs.
o covado : na ra da Imperatriz, loja da Arara n.
56, de Mendes Guim res.
i.iiazlnlia Mara Pia da Arara.
Vende-se laazinhas a Mara Pia muilo finas, coa
quadros e palmas de seda, para vestidos a 560 o
covado, sedinhas finas a 300 rs. o covado ; aa roa
da Imperatriz n. 56
Airara vende as caas a 8,00a rs.
Yea4e-se ricas capas para senhora a 8*, chales
do merino estampado a 2*500, ditos finos matisa-
dos de novo gosto a 5*, dito de pona redonda e
boilota a 7*300 : na ra da Imperatriz n. 56,
loja. da Arara de Mendes Guimares.
Oh que pecbincha, liaziihas a 280 rs.
Vende-se laazinhas finas para vestidos a 280
e 320 rs. o covado, lencos brancos com barras de
coros a 200 rs., meias finas para senhora a 400 e
50C rs., ditas rruas a 400 rs., ditas para homem a
I6C e 200 rs.; na ra da Imperatriz n. 36, loja da
Arara.
A Arara vende as cassas a 200 rs. cavada.
Vendc-sc cassasde quadrinhos a 200 rs, o cora-
do, ditas finas a 250 o 280 o covado, orgaadys tnas
a 240 e 280 o covado : na ra da Imperatriz n.
56, loja da Arara.
Pe hincha, sedinhas da Arara a 800 rs cavad*.
Vende-se sedinhas com quadros e lisas, escoras',
proprias para quera est de luto, por ter orna s*
cor a 800 rs. o covado, ditas da mesma qoaltdade
de cores para vestidas a 800 rs. e ditas de lisii-
nlu.s a 500 rs. o covado: na ra da Imperatriz n.
56, loja da Arara de Mendes Coima raes,
('rehincha na Arara, caries de chita a 25M.
Vende-se cortes de chita franceza com neqsea*
toque de mofo a 2*500, cortes de riscado fraam
com 14 covados a 3*, cortes de cassas francezas
pintadas a 2* o cort, ditos de barras a 2*, 3* e
4* : na ma da Imperatriz n. 56, loja da Arara e
Mendos Guimares.
Case mi ras a 1*S00 cavad*.
Vende-se casemiras de cores para calcas, cate-
tes e paletots, infestada, a 1*600 o eovad, cortes
de casemira infestada a 1*600 e 2*, e em covado a
1* : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara de
Mendes Guimares.
\ Arara vende as laazinhas de 9 Mi-
nos a 1 $200.
Vende-se laazinhas de unta s cor e qnadriakas
proprios para capas, com 9 palmos de largura a
1,200 o covado, ditas para vestido a 280, 320 e
MO rs. o covado : na ra da Imperatriz, loja da
Arara n. 56, de Mendes Guimares,
Baldes da Arara a 3-5, 33300 e l*.
Vende-se baldes americanos, os melbores aoe
tora vmdo, de 20, 30, 33, 40 arcos a 3*, 3*510,
4* e 45500, ditos de bnlhantina a 4*. ditos de
madapolao a 3*600 : na ra da Imperatriz n. 36,
loja la Arara.
Chitas da Arara a 2 rs.
Vende-se chitas a 240 rs. o covado, ditas fraa-
cezas com pequeo toque de mofe a 280 rs., ditas
limpas a 320, 360 e 400 rs. o covado : na roa da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara recebeu pelo tapar un sertineita de re-
lucirs para senhora, das elhares joslee fM
tem tindo, a preca de 1*, lt>*00 e 2*.
Veade-se romeiras para senhoras de eambraia
de saipicos brancos e de cores e bordados a 1*,
I36OO e 2*, golinhas com belaozinho a 500 rs.,
ditas com peitos e botozinho a 1*, ramizinnas
para senhora a 1*, 14600 e 2*, aventaos e eorpi-
nho para meninas a 500 rs. : na ra da Inmtra-
triz r. 56, leja da Arara.
~ CIMPHIIHENTOS
d'aguia branca
A aguia branca dirige seus sinceros curopri-
ntentos toda sua boa freguezia, estimando qoe
tivessem boas fes tas e entrada do novo anno, e
que este bissexto.seja para todos (inclusive pila da
muitas prosperidades, com fartura de dinheiro ete^
para assim continuar a afluir, e satisfactoriamen-
te provorem-se dos variados e differentes objectM
de gosto que constantemente se acharo no niuho
d aguia branca, pagando-os de prompto como brio-
samente costumam. Em quanto porem a boa fre-
guczii assim louvavelmente procede, alguns mos
freguezes diferentemente praticam, aranhaodo-se
inteiramente em salisazerem suas contas, | mis
do ai apressadamente pelo lado opposto e cdoi o
chapeo de sel aberto e inclinado para o lado d'aguia,
nestes mos freguezes a aguia branca bota-loe os
pontinhos.
tcelas de ac e com pe-
dras
Saibam todas as boas freguezias, e apreciadoras
do bom, que a loja d'aguia branca receben as bo-
nitas o delicadas li velas de acoe compridas, e que
tambem esli se acabando ; assim pois dirijam-se
logo ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 8,
para nao ficarem sem essas bonitas fivelas.
PERFUMARAS novas
Sortinieuto do boa.
V. cousa j mui sabida, que a loja d'agui branca
o deposito de finas perfumaras, e alem do cons-
tante sortimento que nella sempre se acha, nota-se
mais que acaba de receber pela barca franceza l-
timamente chegada, um grando soi tmenlo de lin-
dos o ngradaveis objectos proprios e exccllenles
para presentes, sendo bonitas caixinhas envernisa-
das con fechadura, espelboe perfumaras, outra
toda ce vidro tambem com perfumaras, lindos
booes de porcelana dourada com maviosas e joco-
serias nscripces, outros igualmente bonitos e da
diversos moldes sem insenpeo, mas todos elles
com lina banha para cabellos. Nesse especial sor-
timento vieram os bem conhecidos leos philoco-
nte, de Lubm, e babosa; assim como pomadas, cos-
metiques, sabouetes, opiata, finos extractos de agra-
daveis cheiros, etc. etc. Assim, |ois, iiinmiim
os bons freguezes para a loja d'aguia branca, roa
do Queimado n. 18.
XVIU |> AGlT %
branca
scientilicar sua boa freguezia sempre qoe recebe
novos e aprecia veis objectos, porm os seus afaze-
res duianto o raez passado a privara radessa satis-
faci, e mesmo agora sendo-lhe impossivel des-
crever minuciosamente a infinidade dos novas e
differentes objectos que ha recebido por lodos os
vapores, limita-se apenas a dizer que o nial d'a-
guia acha-se constantemente mui bem sonido, e
por consegrante o ponto mais acertado para nelle
se achar que do novidade e de bom m deseje ;
assim. |wis, continu a sua boa freguezia a dirigir-
se munida de dinheiro ra do Queimado, loja
d'aguia branca n. 8, que acharo explendido c va-
riado sortimento do linas perfumaras, galanteras,
etc., etc., tudo isso vendido com barateza, agrado-
e sinceridade.
INJECCAO BROW.
Remedio infaMivel contra as gnorrlieas
antigs e recentes, nico deposito na bo-
tica franceza, rita da Cruz n. 22, pre-
co u.
)I0FIY\
de Janeiro de 18i.
Manoel Jos da Silva,

Offerece- se uina;
ir em casa de lmme._
Jidade: na ra da Senzala Nova n. 32.
------, ---------~ -...J ama para cozinhar o ongom-
Fret.,a.,8 de urna ama qce sai ha .ngommar nar emeasa do hornera sojleiro. a qual T de
lavar: na ra das Cruzes d. 39, taberna.
Precisa-sede urna ama para casa de um es-
trangeiro : a tratar na ra da Cadeia do Recife n.
40, loja de relojoeiro.
D-se a quantia de 3:000* a premio : quera
pretender, dirija-se a ra Augusta n. 36.
Era quanto o Sr. Jos Joaquim Barbosa nao viej
ou mandar da villa do O' (para onde mudou-se oc-
cultamente) pagar os alugueis de perto de dous
annos da casa em que morou, na ra dos Prazeres
da Boa-Vista, ver o seu nome neste jornal para
melhor ser conhecido dos proprietaros.
ttoeiedade de seguros mutuos
de vida lustallada pelo Hanco
i 11 lio ua cidade do Porto.
Os agentes nesta cidade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo Si C escriptorio na ra
da Cruz do Recife a. 1, estao autorisados desde j
a tomar assignaturas e prestar todos os esclareci-
mentos que forera necessarios, as pessoas que de-
sejarera concorrer para tao til e benfica erapre
Grande liquidarn de fazeRdas at a
Testa, para se Andar contas, apro veitem que destas pechinchas nao ha
sempre : na roa da Imperatriz, loja
e armazem da Arara n. 56, de Lou-
renco Pereira Mendes Guimares.
Cobertores da Arara a l.
Vende-se cobertores de pellos a 1* e 15600,
roberas de chita a i* ; na ra da Imperatriz n.
86, loja de Mendes Guimares.
A Arara vende ronpa feila e batata.
Vende-se palitots de casemira a V*o00, 6* e
8*, calcas de 3*500 a ;>'* palitots de panno a 10*,
ditos finos de 12* e 14*, palitots de brim de cor
a 21S00 e 3*, ditos de meia casemira a 3*300,
calcas de brim de cores a 2* e 2*500, ditas bran-
cas de linho a 3*'j00 e 4*, ditas de meia casemira
a 2*. coletes a 2*500 e 3*, camisas francezas a
1*600, ditas finas a 2* e 2*500, ditas de linho
prega larga a 3*. serouias finas a 1*600, ditas de
linho a 2* e 2*500 : na ra da Imperatriz n. 56,
L1MUS
zas, egurando um futuro Jisongeiro aos associades I loja da Arara de Mondes & Cuimares.
costurarlas con msicas e
ellas.
A aguia branca acaba de receber lindas e deli-
cadas c.iixinhascom msicas e sem ellas, proprias
e excelentes para um bom presente : como de seo
louvavel costume, a aguia branca da ra do Qoei-
mado n. 8, vende-as por preces razoaveis.
FITAS BRANCAS FINAS
para debrunhar clleles, paletots e ves-
tidos.
Acbam-se venda na ra do Queimado, loja da
aguia branca n. 8.
P1K.YY18 HE YCO
inglezas.
A agi:ia branca recebeu as superiores pennas de
ac inglezas, do afamado fabricante Perry, sendo
o sortimento grande, e das qnalidados que mais e
apreciara, inclusive a amanlaca a balo etc. ele
cada caixa traz urna groza : os pretendentes, 1
dirijam-se com dinheiro ra do Queimado, 1 ja
d'aguia branca n. 8.
Abotoaduras de corna-
linas para colletes
Quem quizer botar em seu colletd una bonita
abotoadura oval, de fina cornalina, ha de chegar-
se com ti loja d'aguia branca, ra do Qoaii
numero 8.


IHiuio de reruamJmco Sabbado O de Janeiro de 1S4.

:?
i.
NO
ARMAZEM
CALCADO.
45 Rlia Direito
45
DO

0 homein do movimento mo estaciona.
lYANTE E SEPRE
GUERRA AOS INIMieOS7
Xo se admitte a uuio conintercial.
Nao sequer a diaba da a lianca.
Nao se teme a furia dos corsarios.
Kse auno ha de ser Mssexto.
Os eanhes esto preparados.
FOtO! BOM FOGO!! MELHOR FOGO!!!
Abaiio a liga d'agua do vinagre
Viva a liga do genuino C'hcres coin o fiambre!
Viva o conservador das conservas inglezas!!
Vivam -os liberaes freguezes do IV!.LIZA !!!
Vivam todos que lerem este inmundo.
SENHOHES E SENHRAS.
Aprovelte., cm qiiauto temno!
Borzeguins fiauL>7.es Qt iustre pa.
rahomem................ 5ooO
Borzeguins franeczes ie cres pa-
ra meninas........ ....... 20OOO
Borzegums, francezes preus para
e neofaaa.................. 2,5500'
Sapatos de lustre para senhora. 10000
Sapatos de luetre s avessas..... 500
UW1A0
MERCANTIL
;^as.
r.
i
RA IIA C41IE1A 1IO RECTFfi M. .53.
NOVO E
GEAWDB SMAZ'ZU DE MOLHADOS
Tran5as.de algodao brancas e de cores a 80 rs.
Duzias de meias para senhora mull superiores a
i rozas de pennade ac muito finas a 500 rs.
Caivetes du duas c tres folhas a 500rs.
Ditos do urna follia a 80 rs.
Caixas para rap, muto bonitas de catangas, a
100 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Caixas oni muito superiores obreias a 40 rs.
Varas de franjas brancas e de cores, largas, a
i 160 rs.
Pares de botSes para punho muito bonitos a I20rs.
Carreteis de linba Alexandre com 200 ardas a
100 rs.
Carios de linha Pedro V com SOO jardas a 60 rs.
Ditos de linha de 50 jardas a 20 rs.
Duzia de meias brancas para homem a 1600.
0 propietario do grande Armzm do Baliza ^Mecido i raa do Livramento ns. ^^ie^^A^lSr^ -
38 e 38 A, defronte da grade da igreja, acaba de reduzr os precos de quasi todos os Ditos de barro a loo rs.
gneros do seu magnifico deposito. Grozas de botOes ao loaca pratiados a 160 rs.
A tarifa abaixo publicada attesta bem esta verda.Je.l S"^ muil,inas P"? cos,ura a 32 "
A guerra aos miraigos, est portante, assitn dedarada.. Stil$!ZS SSSSTSilSi a 200 rs
As pessoas, anda as tnais exigentes, que se dignarem vir a este estabelecimento, Ditas para unhas a 800 rs.
ficarao por certa muito satisfeilas, nao s quant) s qualidades dos gneros, como com o L*? de todasas cores para bordar a 7$ a libra.
tratamento todo attencioso que se Ihes dar. J?MS com phosphoros de seguranca a 160 rs.
Alm do cumprimentodos deveres da boa educaco, haver dora era diante ainda pte7e papTamSe'V^s "'
maior capricho em satisfazer todos que licnrarem esta casa. Caixas com 100 anvelopes muito superiores a
Os gneros-pelas qualidades e precos arnunciados, sero offerecidos ao exame 80 rs-
dos Srs, compradores. Nao receieo publico que se pratique o contrario, como em dulras Cad^rnos de PaPel de cores. grande o pequeo, a
UUA II % CAWEIA DO UEC IFK \. .:*.
Francisco Fernandes Duarte acaba de abrir na ra daCadeia do Recifen. 53, ura grande esortido armazemde molhados de-
nominado Vnio Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavel publico um completo sortimento dos meil.ores
gneros que vem ao mercado, tanto esirangeiros, como nacionaes, os quaes sero vendidos em porgues ou a retalbo por precos assaa
' commodos.
ViDagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Sardinas deNantesa 3i0 rs. oquartoe566
10200 a caada. | rs. meia lata.
Azeite doce refinado cm garrafas brancas a Latas com peixe em posta : savel, corvina,
vezugo, eberne, linguado, lagostinb, a
103OCrs.
ou nieio.
Ra do Quelmado nnmeros
4 e .>..
hiTnTii0ar,a,..C0D,t!!ua a vcnder- SI*" prec<>s Manteiga ingleza especialmente escolhAa
atad declarados, pois para pnnepar o novo de JJ^ qual|de a m ^
Caixas de obreias de cola muito fiuas a 40 rs. era barril se faz abatimento. *
Varas de franja de laa de todas as cores a 40 rs. Manteiga franceza a mais superior do mer- 800 rs.
ni 1fSSSJSL l.aa,d,L,0,das,as cores a *s- cad0 a 5C0 rs- a "bra, e 520 rs. em barril Azeite du
mas de trancelim branco muito superior a 20 rs. n ,: i moa/i
ou meio. i;5800 a caada. Salmao em latas, preparado pela nova arto
Prezuntos inglezes para fiambre, de superior Genobra de Hollanda a 500 rs. o frasco e de cozinha, a 800 rs.
qualidade, chegados neste ultimo vapor, a j 5^800 a frasqueira. i Maca de tomates em latas de 1 libra a 600
720 rs. a libra. Caixinhas com ameixas francezas, ornadas ris.
Queijos flamengos chegados neste ultimo com ricas estampas na caixa exterior, Chouricase paiosem latas de 8 emeia libra
doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
45800 a caada.
vapor a ifitiOO.
Queijo prat muito fresco e novo a 040 rs.
a libra.
Castanbas muito novas a 120 rs. a libra e
e 30000 a arroba.
muito proprias para mimo, a 1J20", 1(5500' por 7/1.
e 2. : Touc'mho de Lisboa a 320 rs. a libra e
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-' 8)5600 a arroba,
tendo meia libra de ameixas francezas, a Bolaxinba ingleza a 320 rs a libra e ifi a
1^200. I barrica.
C1,LUX!L0 '"e,h,r qUe, ha DCSle gS Marmelada imperial, dos meil.ores censer- f*W ^i0 T a 2i0 rs-a Iibra-
casas, que ate annunciam o que nao tem.
Ameixas francezas em caixinhas e em frascos
de diversos tamaitos a l,2oo, l,6oo,
2,000,2,5oo e2,8oo rs. e a libra a 8oo rs.
Amendoas novas a 32o rs. a libra.
Azeite doce refinado a 8oo rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 6io rs. a garrafa e 4,8oo
rs. a carada.
Alpiste a Mi rs. a libra, e 4,8oo rs. a arroba.
Arroz do Maranliio, da India, e Java a 8c e
loo rs. ti libra.
Aletria branca e amarella a 4oo rs. a libra.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
Batatas novas em gigos de 36 a 4o libras por
l,ooo rs. e a 4o rs. a libra.
Biscoitos inglezes Lunch a 18oo rs. a lata de
5 libras.
Jdem de diversas marcas em latas menores
a l,3oo rs.
dem de Lisboa de qnalidade especial em la-
tas grandes e pequeas a 3,ooo e l,5oo rs.
Bolachinhas americanas, a 3,ooo rs. a barrica
e 2oo rs. a libra.
Banhade porco a 44o rs. a libra, e em barril
a 4oo rs.
Baldes americanos muito proprios para com-
pras a l,ooo rs.
Cha huxym, hysson e perola a 3,ooo, 2,8oo:
2,5oo,2,ooo el,fioors.
dem pretoa 2,ooo, l,6oo e l,ooo rs. alibra.
Chanpagne a melhor do mercado a 12,oooo
gigo e a f ,2oo rs. a garrafa.
Chocolate francez prtmeira qualidade a I,loo
rs. a libra,
dem hespanhol a l,2oo rs. a libra,
dem suisso a l.ooo rs. a libra.
Cerveja branca marca Allsopps a 4,ooo rs. a
duzia, e a 4o rs. a garrafa.
O Zrt//za nao illtide.
Silabarios portuguezes com catangas de todas as
Mairasquino de zara a 8oo rs. o frasco e a
80 a duzia.
Massas para sopa, talharim e macarrao a
480 rs. a libra,
dem finas, eslrelinha e pevide, caixinlia
com 8 libras a 10600.
Noz3s a 16o rs. a libra.
Peis.e preparado de escabeche, da melhor
qaalidade que tem vindo ao mercado, a
Hlala.
Pr unto de lamego muito superior a 480
ra, a libra.
Iden para fiambre (inglez) a 640 ris a
libra,
dem americano a 400 rs. a libra.
Papel almaco a 30000 a resma.%
dem de peso a 20 a resma.
Palitos para dentes a ICO rs. o maco.
Dito dito de flor a 200 rs.
Ditos do gaz a 20200 a groza
Passjs novas a 480 rs. a libra e a 10800 a
ciiixa.
Cognac inglez a 64o rs". a garrafa a 8oo e a' Queijos flamengos do ultimo vapor a 20500.
l.ooo rs. Dito londrino a 900 rs. a libra.
Concervas inglezas em frascos grandes a 75o | Dito prato a 640 rs. a libra.
Licores inglezes o francezesem vazos de di-'c^emata^Iita nova a 100rs.
versos tamaitos a l.ooo, l,5oo e 4,8oo Cartas e tabeadas para meninos a 60 rs.
l'S. a duzia. Caixas com superiores iscas para charuto a 40 rs.
Manteiga ingleza flor a 8oo rs. a libra e de a Sarr?eis de !inha de cores eom ^ Jardas a w rs-
lihras ma rima si>r-i alu.rtnumh*n.;i r,o ,,aralllos m<"'o "nos para voltarete a280 rs.
imiab paia cima sera aberto um barril na Rochas com allinetes francezesa 20 rs.
presenil do comprador. Cartas de allinetes francezes finos a 40 rs.
dem de 2.a e 3.a qnalidade a 7oo, 600 e 400 Caivetes de cabo de madreperola de duas folhas
is. a libra. a 500 rs,
Ideu francpza i ytfi ra x lil.ra o omh-ni Luvas brancas "e algodao finas a 86 rs.
IJr ments e emba l il Miadas de linha frxa para bordar a 60 rs.
dem em latas a 20000 e a 10500 a lala.
Maisa de tomate em barril a 480 rs. a libra.!
Idenem lata a 640 rs. a lata.
Mostarda ingleza 400 e 600 ris o pote.
Marmelada imperial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 600 rs. a libra.
O Perfume da Moda.
mandado vir de conla propria a 20800
rs, a libra.
Cha hyson muito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
10500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 20 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differenles
qualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captaio, seed, bornez e
outras muitas marcas a 10350.
Bolachinha de soda em latas grandes a 20.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada ama.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 500 rs. a libra e 30 um quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem vindo ao nosso mercado a 180 o gigo,
garante-se a superior qualidade.
Vioho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs, a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 109a duzia, e 900 a 10a garrafa; dest
genero ha grande porco e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 148 e 150 a caixa, como sejam: Duque
1
a Cevadfnhi de Franca a 200 rs. a libra.
Farinlia do Maranho a 120 rs. a Jibra.
veiros de Lisboa, em latas de
2 libras a 600 rs a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
quohaem Portugal em latas hermtica-Ceva(la a ,20 rs- a "bra c?(5 a arroba.
mente lacradas a 500 rs. : Alpista a 160 rs. a libra e 40800 a arroba
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra. Batatas muito novas em gigos com 40 libras
Nozes muito novas a 160 rs. a libra. Por ^ e a 40 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra. Cebollas a 10 o molho com mais de 100 ca-
Avelas muito novas a 200 rs a libra. ^a um'
Amendoas confeitadas de diversas cresa,Caflava0 ue primeira qualidade a 300 re.
800 rs. a libra. a ''bra e 90 a arroba.
Macaas e peras chegadas neste ultimo vapor, Ca[ do Cear rauit0 superior a 280 rs. a li-
muito perfeitas, s vista se faz o preco. bra e 8^100 a arroba.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 10200 a libra.
Chocolate hespanhol a 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5800 a duzia.
Caf do Rio, proprio para negocio, a80.
Arroz do Maranho a 100rs. a librae 208CO
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 28400 a
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a iibra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 90 a arroba.
Doce de guiaba a 640 rs. o caixao.
Macarrao, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
AGUA FLORIDA
De- Murray & Linman.
Est(
qiiSo delicado perfume
qnasi que inextinguivel e to cheio de
j mimosa fragrancia e frescura como o
j delicado churo das proprias verdecen-
tes flores. Durante os mezca oaleren-
t< >s do ver&c o seu tizo torna-s minen
temante api arivel e deaejaro em can-
do Porto, Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Cames, Madeira secco, Carcavellos, Nec- e 100 a caixa.
tar de 1833, Duque Genuino. ; Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
Vinho de pipa: Porto, Figneira e Lisboa, a 90 a duzia.
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200 Mostarda ingleza em potes j preparada a
e 30500 a caada. | 400 rs.
Vinho branco de superior qualidade, vindo Mostarda ingleza em p, em frascos grandes,
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500, a 10 cada um.
rs. de barril. ', Sal refinado a 500 rs. o pote.
EstrellinliE,pevide earroz demassapara sopa
Cognac inglez de superior qualidade a 800 'o,?:*00,"-,3 ',ibra.e ^acaixafm 8 bra*.
p i JKM. narrafT Pal,tos de (len,e '"ados com flftr a 200 rs.
e i0zuu a garraa. Q masso dtos |sadog gem flr a
Licores francezes das seguintes qualidades: | 0 masso com 20 massinhos.
Anisete de Bordeaux, Plaisir des Dames Gomma de engommar muito fina a80rs. a.
e de outras muitas marcas a 10 a garrafa i |jra
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra e
400 rs. em barril pequeo.
Charutos os melhores fabricantes do S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, de
10600, 20 e 30.
Presuntos do reino, vindos de conta propria
de casa particular, a 400 rs. a libra; iutei-
ro se faz abatimento.
Ossenhores que comprarem de 1000000 para cima, ter3o o descont de 5 por cenlo, pelo prompto pagamento.
seqnencia
x influencia
rs. o frasco.
OO
dem francezas de muitas qualidades a
rs. o frasco e a 5,5oo rs. a duzia.
Charutos neste genero temos grande sorti-
mento tanto da Baha como do Rio de Ja-
neiro a 1,0oo, 2,2oo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo
rs. a caixa.
Caf do Cear muito superior a 28o rs. a libra
e a 8,ooo rs. a arroba.
dem do Rio a 3oo e 28o rs. a libra.
Ceblas a 9oo rs. o molho com mais de loo
ceblas.
(liouricas e patos a 72o rs. a. libra.
Cevadinha de Franca a 2oo rs. a libra.
('evada muito nova a 8o rs. a libra.
Copos lapidados a 5 e 6,ooo rs. a duzia.
Doce de goisba em latas a 4oo rs. a libra.
dem de caj em latas a 320 rs. a libra.
Ervilhas francezas e portuguezas a 5oo e 64o
rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
Figos de comadre em caixinhas com 8 libras
por 16oo re.'
Farinha do MaranhSo a 12o rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 320 rs. a lata.
Dita de Lisboa a 640 rs. em lata grande.
Sag muito superior a 240 rs. a libra.
Sal refinado,em potes de vidro, a 600 rs.
o pote.
Sabio massa a 120, 160, 200 c240rs. a
libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Dito de Santos e 300 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 140 rs. cada um.
Vas:,ouras americanas a 64o rs, cada urna.;
dem do Porto a 400 rs, cada urna.
Velas de carnauba e composico a 320 rs. a j
libra e a 100 a arroba,
dem stearinas superiores a 560 rs. o
maco, e em caixa por menos.
Vinho do Porto, neste geneno temos o me-
mor sortimento possivel, que vendemos
por precos muito haixos a 10 a garrafa e
a 10/ e 2 a duzia.
Ident Cherry, e da Madeira em barris e em
caixa, a 120 a caixa e o barril conforme o j
tamanho
dem de Figueira e Lisboa, em ancoras de
8 a 9 caadas, por 280000.
oaVe (pie din produz
quanto
ein
refrgirante e
sobre a palle:
ipic uzada no banho ella
imparte o corpo lnguido e caneado
urna certa elasticidade de vigar e (brea.
Ella imparte tranxjxirencia a/aoSeSf
e Liiioc pannos, tardas e lertoejas di
sobr.' c peU*.
O TOMO OREMIL DE KHP
PARA OS CABELLOS,
E nina prparaeSo admiravel para lim-
par, af'ormosear, conservar e restable-
cer os cabellos.
A venda as boticas de Caors 4 Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo A C, ra
da Madre de Dos.
V2 00->-n^CD'TJHa
3 sj
Farinha de trigo muito superior a 12o rs. a Dito em pipa a 30000, 30500 c40ooo a ca-
libra.
Farelo em saceos grandes a 4,ooo rs. o sacco
Genebra ingleza marca gato a l,ooo re. a gar-
rafa.
dem verdadeira de Hollanda em frascos muito
grandes a 1,2oo rs. o fras.
dem de Holianda em frascos pequeos a 5oo
rs. o frasco,
dem de laranja a ,ooo o frasco.
Gomma do Aracaty a 8o rs. a libra.
Graxa a loo rs. a lata e l.loo a duzia. -
Linguas americanas de grande tamanh/ a
I.ooo cada urna.
nada
dem do Porto, denomiuado Baliza, a 50 a
caada,
dem idem era garrafoes a 20500, com o
gsrrafao.
dem de Bordeaux, das melhores marcas que
vem ao mercado, a 60 a caixa e a 640 rs.
a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 10600,108oo e 20000 a
caada.
dem idem.em garrafoes com 5 garrafas, por
1 com o garrafo.
Vinho de caj a 10 a garrafa. Este vinho
tem dez annos.

3 &&5-S
a-"1 a,__2 o voo
-o a, o _, o 3
< O a C T3 CL.T3
5 o cr? 3 o B5E.0 2.;g,&
o a, O.S r srs-
2 3 w ?2
S 3
g ira-
J3o
?sss
Cft
K


O E os tn it i 5 l T !
09
3 S

S.;
~t *
-i
O Q.SS
>
^ o 2
-

cr-i
os s cr. a

3 3s
g-^* 2*
w *n a
a, -,
'/.
09
5
Seiihores.
Sois convidadas pelo fructo das cestas
Barricas de breu com 8 arrebas, de superior \rua la,'8a Jo Rosario deposito de padaria,
qualidade : na rua da Cadeia do Recite n. 56 A, para ah depositardes os vossos decretos de
oja Ide ferragens de Bastos|_______________ 1833 e a vista delles receberdes sem perda i
Vendu-se o ensenho S. Maroel, sito na fre-', de tempo o que a arte de cesteiro pode ma-
guezia do Rio "-
o 2._
f
s
o
-t
"3
B9
O*
3
o>
5=
tu
3
3-
U
s
t
CLIRIII
COlfMERCI
RUA DO OlJE1HA1IO Y. 45,
Passiiido o becco da Cougrega^ao segunda casa
mmim id
NOFIDADE.
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na rua do Queimado n. 45 um armazem do molhados denominado Clarim CommercicU.
onde o respeiivel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que ven ao nosso mercado, os quaes
sero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada : garante-se ohom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
innaae, e se acba quasi" todo em'mata virgero, de patita, us balaios de enancas a prenderen!
&STS SUftWS^i8^: -2^JE5?^S: ia *- cadeiras para meninos e caixas de
quem tratar.
Haz.
I com $ galSes a 10,J> :
na rua da Senzala
ngano n. o, que achara com
Venda de urna hyptkeca.
carros com assentos para 2 criancas, temos Os liqudatenos da massa fallida de
cal de Liaboa I de.c-sto Para roul)a sui".ditos do condeca Jos Antonio Basto veHdem a hypothc-
cicada ltimamente ; na rua So y^Tion.li.^fS^^&^L^1^^"1^ Ca qUC tem I.OS engenhos Matto GreSM
n-imeiroanar. i ra e outras obras do mesmo vnne e de eos- r i i e .-
p- ---------n-----------------------,- to acui se ach-.m i vosai disnosio Tam e Cajabussu no termo de Sertuhaem no
Vende-se um cavallo novo e com bons anda- *" au,,,in a \ossa uis>posicao. lam- .fi.llt0QI. .
res, e urna eguade rauito boa ra^ae prenhe, por i06111 encontrareis 0 excellente fJ\0 quente *aior ae oi.o05Jn rs. a tratar as
prejo commodo: na padaria do i-liora-meaino. das 5 da tarde em diante. | Casas a ni do Trapiche H. 34.
Arroz do Maranho, da India e Java a 80 e
100 rs. a libra e 20400 a 20800 rs. a ar-
roba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
102OOe 10600.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 rs. a ar-
roba.
Azeite doce francez muito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa.
dem de, Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 re. a
libra.
Batatas muito novas a 40 rs.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barr-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de poico refinada a 440 rs. a libra e
c cm barril a 410 rs.
Cha hysson, huchiii e perola a 10600, 20,
20500, 20800 e 30000 a libra.
dem preto muito superior a 20000 rs a li-
bra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 30800 a duzia.
Cognac inglez lino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, ,s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a Palitos de dentes a 120rs.
libra. dem de fli a 200 rs.
Cevadinha de Franca muito superior a 220 Palitos do gaz a 20200 rs. a grusa.
rs. a libra.
(evada a 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
dem seccas muito novas a 200rs. alibra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
de oto libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a iibra.
Farinha do Maranho a 120 rs. a libra.
Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 rs. a frasquei-
ra.
dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 51606
e 70500 cada um com o garrafJo.
Gomma do Arccaty a 80 rs. a libra.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidade especial e garrafas muito
grandes, a 10800 re. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 10000 re., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perl'eitamente flr, desem-
barcada de |M)uco a 800 rs. a libra, c de 8
libras para cima se far urna differenca.
dem franceza muito nova a 560 rs. a libra,
e ein barril ter abatimento.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a li-
bra.
dem em lata a 640 re.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 6(M) rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
libra.
macarrao, talharim e ale-
Charutos dos melhores fabricantes da Baha,,
. e especialmente da fabrica imperial ,!o Wem regular a oOO re.
Candido Ferrcira Jorge da Costa, a 10800,1 Ma,ssas p')Lsopa '
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e lna a U rS'
30500 a caixa. i Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Caf do Rio muito superior a 260, 280 e N*e em latas preparado pela primeira arte
300 rs. a libra e 70500, 80 e 80500 rs. a | de cozinha a 10 rs. a lata,
arroba. | Palitos de dentes a 160 r*. o masso.
Passas muito novas a 480 re. a libra.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a
Painco a 200 rs..a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20400
iris.
dem prato i 640 rs. alibra.
Sardinhas de Nantes a 32" rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 re.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a :-
bra.
dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
libra.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Mara Ra,
Bocage, Chamisso e oulros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna (!>
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a farrafa e 30, 3;>u00 t
e W a caada.
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs. \
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 re. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
IdemMorgauxeChateaulumimdelcUi, u 10
a garrafa.
dem moscatel a 800 re. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10100 rs. a caada.
Kirsk garrafas muHerandes a 10800 rs.
Alm dos seeros
achna
mencionados [i
mos grande porco de outros que deixarxcs
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcdeS como i
retalho.
Quem comprar de 1000000 para nma te-
r o abate d 8 por cento.


I>lrl le lerBwlmt ... HnhUuio M .!> Janeiro de lSi.
ATTENCAO
9 \a .til O IDO C1R1UO 9
GRANDE SORTIMENTO
ir.
PROGRESSISTA
RITA HAS (Hl/KS \. 3G
PECHTNCHA
como ixma iioivi:
NO
ARMAZEM
II
Ra
P5
* !
O 1 1 IU.O lli PJBHA IO
Francisco Fcrnandes Duarte deno deste mnito acreditado armazem
5
PARA A FESTA.
DUARTE & C
Partieipam aos ieus numerosos freguezes e ao publico em geral que acabam de
recebar de sua propria encommenda, o mais lindo e completo sortimento de molhados,
os quatis ver.dem por grosso e a retalho por menos 10 por cento do que outro qualquer
annuneianle, como vero pela seguinte tabella que abaixo notamos, garantindo os mes-
k proprieiarios nao &' o peso como a qualidade de seus gneros.
AV1ISO.
Todos os senbores que comprarem pu*a negocio ou casa particular de 1005 para'
cima teao mais 5 a 10 por cento de batimento, os propietarios scientificam mais que
lodos os seus gneros s'fc recetados de sua propria encommenda, razao esta para pode
vender por muito menos do que outro qualquer estabelccimeuto.
Manteit a ingleza flor a 8oo rs. a fibra. Vellas de carnauba e composiciio de 32o a
E
BA DO CRESPO N. 9
Ve balrro de Manto Antonio.
foaqiilin fos Cime de Monza scientifsea a sen numerosos fregu
'zes e ao publico em geral que aciba de estabelecer um novo armazem de molhados
' ra do Crespo n 1, aonde se eicenlrar sempre os memores gneros de estiva, que
se venders) a retalho e por atacado, por menos dos que se venderem em outra qualquer de molhados. acaba de receber neste ultimo vapor os mui desejados gneros escoltados
parte, affijancaiido-se aquellas essoas que imprarem nestes armazens a superior qua por elle na Europa, todos muilo proprios para a festa os quaes est resulvido a vender por
tidade de gneros, precos commedos e bom acondicionamento. i PreCos baratissimos como verao pela seguinte tabella, e mesmo pede a todos os Srs. da
O armazem da ra do Crespo situado no melhor local desta cidade com o as- Praca- de engenhe e lavradores para que mandem suas relacoes para serem despachadas
seio que de necessidade manter-se com estes estabeleeimesitos, faz crer a seu pro-no armazem do Progresso do largo da Penha n. 10, afim de verem a grande vantagem
, prietario, que ninguem deixar de sortir-se uum estabelecimentc aonde se encontra sin- Que tiram, tanto na superioridade dos gneros como nos precos asss resumidos,
ceridade, para ir-se comprar aonde se nao offerecem tantas vantagens. Ios Srs. que n3o poderem vir podero mandar seus |rtadores ainda que nao tenham pra-
Seode este armazem no verdadeiro pento de partida para os arrabaldes desta,tica< que serao to bem servidos como se viessem peesoalmente.
cidade, nao ser dillicil quelles senhores que tera de partir nos mnibus darem suas O interesse que tira o proprietario deste acreditado armazem, j deve ser bem co-
encommendas neste armazem, que sempre lhes ofiferecer os mais agradaveis gneros. | nhecido pelos seus numerozos freguezes, pois simplesmente consiste em servir bem e ga-
Ch peroJa de especial qualidade a 2,8oo rs. I Bolaxinha de soda e lunch em latas grandes' nbar pouco, afim de conseguir a continuaco daqoellas pessoas, qae a primeira vez se dig-
a fibra,
dem bysson muito superior a 2,7oo rs. a
libra.
Mem uxim a 2,5oo rs. a libra,
dem hysson a 2,3oo rs. a libra,
dem idem a 2,ooo rs. a libra.
dem preto de qualidade muito especial a
2,ooo rs. a libra,
dem idem inferior a l,6oo rs. a libra.
Ararula verdadeira a 32o rs. a libra.
Farinha do Maranhlo muito alva e cheirosa
a Vio rs. a libra."
Sag muito novo 24o re. a fibra.
Sevadiha de Franca a 2oo rs. a libra
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
Cominhos, ervadoce e pimenta do reino a
36o rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 5,5eo rs. a frasquei-
ra com 12 frascos, e a retalho a 5oo rs.
cada um.
Manteiga ingle:
Castaatas muitenovasa 2,ooo rs. a caixa, e
a 16o rs. a libra.
B.iuho francez e em eaixinhas de 7oo a
l.Seo rs cada urna,
dem fcioceza a mais nova do mercado a 56o
rs. a libra, e 54o rs. em barril.
Idem de porco refinada rauitn alva 46o rs.
a Iibi-a.
Pregunto para fianbre a 8oo rs. a libra.
Cha uxim miudinho vindo de conta propria,
O mel'.or do mercado a 2.8r>o rs. a libra.
Idem hj son de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem pc.rola o melhor que se pode desejar a
1fc,7i rs. a libra.
dem preto muito fino a 2,5oo rs. a libra,
dem mais balxo pouco ? 2,ooo rs. a libra,
dem mais baixo a l,8oo rs. a libra.
VjiUo iu Alto Douro viudo do Porto engar-
rafad ) gar inte-se a superioridade deste vi-
uho, iassguiutes marcas : Duque, Ge-
r.uinc, seibo secco, especial lagrimas do-
cs A 1HI9, vinho especial D. Pedro V.,
vinhc ribo, Nctar superior de 1833.. Du-
que do Porto de 1834. vinho do Porto ve-
l.t .supor or, madeira secca de superior
qaalidade. vinho do Porto superior D Lu-
iz i de 1H17, lagrimas do Douro espe-
. '-iiilic do Porto de l.oooa l,2oo rs.
a gar-afa ( de lo,ooo a 14,ooo rs. a caixa
com urna duzia.
Bolacidr.ba de soda especial encommenda e a
ruis nova que ha no mercado a 2,2oo rs. a
lata.
H cott04 inglezes das memores marcas em
latHhatde libras a l,3oo rs. a late.
Idea inileze craknel en: latas de o e 7 libras
de 5.000 :i 6.000 rs.
Bou 1.;.
Queij s do rano chegados pelo ultimo > apor
a 2ioors. cada um.
dem prato ; "00 rs. a libra.
Viulio em pija das mais acreditadas marcas
1 sej:mU sircas. Porto, Lisboa e Figujira ;
de 48o, 5t-o, 56o, 64o e 800, rs., e o do
te fino em garra1*, e em nada a
3,ooc. 3,5oo, 4,000 e 6,5oo rs. o melhor
do Porto.
dem Birdoaux das mai acreditadas marcas
a 7oo rs. a garrafa, e a 8,000 rs. a laixa.
Guntbts com 5 garrafas de superior vinho
do Porto a 2,2oo rs. com o (?arra(3o.
Idem com 5 garrafa de vinho da Figueira mais
proprio pira a nossa staco por str mais
. fresivo a ,4oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
com o garra 13o.
Viulto karroo mais supei'ior que vein ao
r.osso mercado a 5or. agarrafa., c a
t,3oors a caada.
Velas espirsnacate as melhores neste. ge-
nero de 56o a 6io r.;. o maco, eem cai-
13 t,r grande aba i ment por haver
grande porcio.
Azeite dece em barril muflo fino a 64o rs.
a garrafa e 4,8oo a ranada.
Idem tcancez refinado a 800 rs. a garrafa.
I rima* fraiicezas e puriuguezas a 64o rs. a
lata.
;tas eom doces socr js de Lisboa de 3oo
a 3,Loo re. cada urna.
1 clnlio deLisboa a 3oo rs. a libra, e a
9,000 js. a arroba.
Nnzes muito novas a!63rs. a libra e 4,8oo
rs. a arroba.
Cif de V.*, 2.1 c 3.* qualidade de 26o, 3oo
v 36o rs. alibra, doCear de7,8oo, 8,600,
e 9.200 rs. a arroba do melhor.
K{[(u c India, Java eKaranho de 2,8oo a
3,000 a ar oba, e de 80 a loo rs. a libra.
I sai nwiti novas a fi,5oo a caixa e 5oo
'a lilwa. hacaixasraeiasequartos.
Sovadiriha ; Franca a 24o rs. a libra.
> muito novo a 28o rs. a libra.
36o rs. a libra e de 10,000 a 11,000 rs. a
arroba.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
440 rs. a botija, e em duzia ou em barrica
ter abaiimento.
Massas pan sopa macarro, talharim e aletria
a 48o rs. a libra e em caixa ter abati-1
ment. I
dem estrellinba, rodinha e pevide em eaixi-
nhas de 8 fibras, muito bem enfeitadas de:
2.5ooa 3,5oo rs. a caixinha e a 600 rs. a'
libra.
Boce de guiaba em caixas de diversos tama-
nhos de 600 a 1,000 rs. o caixo
Sab3o massa de 2oo a 24o rs. o melhor, em
caixa ter abatimento.
dem hespauho] a 28o rs. a libra.
Heixe em latas muito novo ; savel, pescada,
corvina, salmo e outras muitas qualidades
preparada de escabeche 2 a arte de cosi-
ofiade L2oo a l,8oo rs. a lata.
Figos em caixas de 1 arroba, V* e 8 libras
a 8,000 i.oooTe 2,000 rs. a caixinha.
Barris de vinho branco de quinto, marca B'
A Filho a 60.oon rs. o barril.
Marmeladi imperial dos m Ihores conservei-,
ros de Lisboa a 64o rs. a 1 .tinhade 1 libra,
ha latN de 1 V* e 2 libras.
Massa de lmate em latas domadas de 1 libra
a 64o rs. a lata.
Ameixas francezas em eaixinhas elegante-
mente enfeitadas de l.5oo a 3,ooo rs. a
caixinha, tambem ha latas de 1 '/i a 6 li-
bras de l.2oo a 4,5oo rs. a lata.
dem em frascos com lampa de rosca a l,6oo
rs. o fiasco.
Chocolate portoguee, hespanhol, francez e
suisso a l,2oo rs. a libra,
a Uta, e em libra a .Conservas inglezas das seguintes marcase
Mixde-Piclas o cebollas simples a 75o rs
o frawo.
Antorets deviAo colares a 5o,ooor?., e
a 72o rs. agarrafa.
Sardinbas de Nantes a 32o rs. a latinha.
Charutos das mais acreditadas marcas de
2.5oo a 4,000 rs. a caixa.
Champagnhe a melhor do mercado de 12,000
a 24,ooo rs. o gigo, c de l.oo a 2,000 rs. a
garrafa.
Papel grave paulado ouliso a3,5oo rs. a res-
ma.
dem de peso pautado ou lizo de 3,5oo a
4,000 rs. a sesma.
Comma muito fina e alva a 80 rs. a libra.
Milho alpista e patoso de 16o a 2oo re. a li-
bra.
Palitos do gaz a 2.2oo rs. a grosa e 2oo rs. a
duzia.
Vaaos iuglezes de i a 16 Ubre* vasios, muito
proprio para deposito de doce manteiga
ou outro qualquer liquido de l,ooo a
3,000 rs. cada um.
Licores das melhores marcas e mais finos
a Loco rs. a garrafa e em caixa ter abati-
mento.
Cognac verdadeiro iuglez a 9oo rs. a garrafa
e lo,5oo rs. a caixa.
Chouricas as mais frescas do mercado a 800
rs a libra.
Genebra d" laranja em frascos grandes a
l.ooo rs. o frasco.
Serveja das mais acreditadas marcas de
5,5oo a .rioo a du/.ia e de mais a 5oo rs.
a garrafa.
dem em botijas e meia, sendo prota da
muito creditada marca T de 6,5oo a 7,8o
rs. a duzia.
Ceblas em melhos glandes a 8oo o molho
640 o cento. e a P,5oo rs. a caixa
Pimenta do reino a 34o rs. a libra.
Farinha do Maraohao a 14o re. a libra.
Tijolo para limpar facas a 16o rs. cada um.
Gominhc a 4oo rs. a libra.
Erva doce a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Batatas a 1,00o rs. o gigo com 32 libras liqui-
das e 3,000 rs. a caixa deduas arrobas.
a 2,000 rs. cada lata. | narem honrar o seu estabelecimento.
Cognac de superior qualidade 800 rs. a gar- Queijos flamengos chegados neste ultimo
rafa. | vapor a 2,000 rs.
dem muilo superior a l.ooo rs. a garrafa dem do vapor passado a l,8oo re.
Caf a 28(i e 32o rs. a libra, c a 8,000 e dem prato muito novos e de superior qua-
9,ooo rs. a arroba. 'jdade a 4oo rs. inteiro, e a 5oo rs. a
Cerveja das melhores marcas do nosso mer- libra,
cado de 5,ooo a 6,000 rs. a duzia, e Seo Doce de goiaba fino em caixes com 2 V
re. a garrafa. libras por 600 rs.
Champagne a melhor neste genero a 1 800' Conservas inglezas a 75o re. o frasco e 8,600 dem mais baixo a 54o re.
rs. a garrafa e 18,ooo rs. o gigo. rs. a duzia. Manteiga ingleza flor a mais superior do
dem inferior a lo.ooo rs. o gigo e 1,000 re.'' Doce em calda a 5oo rs. a lata. I mercado a 72o rs. a libra.
a garrafa. dem de goiaba em caixas e dhersos tama- dem de segunda qualidade a 64o rs. a libra. dem em botija hamburgueza a 4oo re.
Chocolate francez, hespanhol. e portuguez, a1 nhos e de diversas qualidades de 64o a Manteiga franceza de primeira qualidade a Genebra de laranja a l.ooo rs. os frascos
a 9oo e l,2oo rs. a libra. l-ooo re. cada urna. 56o rs. a libra, e 52o rs. em barris ou grandes.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia- Ervilhas francezas muito novas de 48o a 64o meios. Vinho de caj o melhor que ha no mercado
ede qualidades, especialmente escolhidos. rs. Cha perola neste genero nao amada a de- a l.ooo re. a garrafa,
de 2,000 a 4,5ho rs. a caixa. ildem portuguezas a 72o rs. a lata. sejar, e de especial qualidade, mandado Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza e 2o rs.
Farinha do.Maranhao muito alva a 14o rs. a Mem seccas a 2oo rs. a libra. | vir de conta propria a 2,8oo rs. a libra, j a caixinha.
libra i Vassouras do porto com arcos de ferro a 32o dem huxim o melhor do mercado a 2,600 dem de dentes lixados a 160 rs. o maco com
dem de araruta verdadeira a 4oo rs. a libra.' rs- da urna. re. a libra. 2o macinhos.
Vinho do Alto Douro engarrafado, e os mais Veta* de espermacete da melhor qualidade (dem, de segunda qualidade a 2,ooo rs. a Ervilhas seccas chegadas neste ultimo navio
bem escolhidos, lagrimas do Douro, D. Pe- a ,i" rs- mac0- ,ibra- a i,o rs- a libra, e em porc3o se faz aba-
dro V, D. Luiz I, Duque genuino, Nctar! Idem de carnauba e composic3'3 a 32o e 36o dem hysson muito superior a 2,5oo rs. a li- timento.
rs. a libra e 10,000 re. a arroba. i bra. Banha de porco refinada a 48o rs. a libra e
Tijolo iara limpar facas a 14o rs. cada um. dem preto homeopathico muito fino a 2,ooo
Toucinho de Lisboa e Santos a 32o rs. a libra. rs. a libra.
Sevada muito nova a loo rs. a libra. Bolachinha de soda chegada neste ultimo
superior, Malvasia fina, Bastardo, e outros
a 11,000 e 12,ooo rs. a duzia e l.ooo rs.
a garrafa.
Idem Cherry e Madeira a l,5oo rs. a garra-
fa e lOlooo rs. a duzia.
dem Borijleaux de diversas marcas de 8,000
a lo,ooo a duzia, e 800 rs. a garrafa.
Bolaxinhas americanas a 3,ooo re. a barrica,
e 2oo rs. a libra.
Batatas muito novas a l.ooo rs. o gigo, e 60
rs. a libra.
Banha de porco refinada a 48o rs. a libra, e
em barril a 44o re.
Vinho em pipa de Lisboa, e Figueira, de3,ooo
a 4.000 rs- a caada, e 5oo rs. a garrafa.
dem de Lisboa em ancoretas de 8 a 9 rana-
das por 27,ooo rs.
dem do Porto muito especial a 5,5ot> rs. a
caada e 72o rs. a garrafa.
Mem em
garrafes com
garrafas por
2,5oo rs. com o garrafo.
Vinagre de Lisboa muito superior a 2,ooo
rs. a caada,
dem mais baixo a l,5oors. a caada, e 2oo
rs. a garrafa,
dem em garrafes com 4 '/i garrafas por
1.2oo rs. com o garrafo!
Manteiga ingleza a 600, 7oo, 800 e 9oors.a
libra de primeira qualidade.
dem franceza a 56o rs a libra em barril, e
a 600 rs. a retalho.
Ameixas francezas em eaixinhas com ricas
estampas no exterior de l,2oo a 2,000 rs.
cada urna.
dem em frasco de vidro de diversos taa-
nnos a 1,5oo e 2,5oo rs.
Idem em latas de 1 1/2e. 3 libra a I,3oo e
2,3oo rs. cada urna, e a 800 rs. a libra.
Figos de comadre em bazinhos de folha pro-
prios para mimos a l,6oo rs. cada um.
dem em eaixinhas de folha a 32o rs.
dem em caixas grandes a 2oo rs. a libra.
dem em latas erraeticamente lacradas de
1.600 a 3.000 rs.
Arroz da India c Maranbo a 80. loo e 12o
rs. a libra.
Peixe em latas grandes, savel, pescada, cor-
vina, e outras qualidades a l.ooors. cada
lata.
Papel greve pautado e liso de 3,ooo a 4.000
rs. a resma.
Passas muito novas a 8,5oo a caixa e 48o rs.
a libra.
42o rs. em barril.
Vinho branco de superior qualidade proprio
para missa a 64o rs. a garrafa,
navio a 1,35o rs. a lata, deste genero ha Ameix,is francezas em eaixinhas elegante-
grande porco e de differentes marcas, mente enfeitadas com ricas eslampas a
que se vendem todas pelo mesmo proco a
vontade dos compradores.
lem em latas grandes a 2,ooo rs.
dem propria para lanche em latas grandes
a l,9oo re.
l,2oo, l,5oo e 2,000 rs. cada urna,
dem francezas em frasco de vidro com tam-
pa do mesmo contendo 1 V libra a 1,2eo
rs. s o frasco val quase o dinheiro.
dem em latas de 2 libras por l,4oors.
Palitos lixados para dentes a 14o rs. o maco. Marmelada imperial dos melhores fabiican- a retalho, e a 800 rs. a libra.
Idem de flor a 2oo rs. o maco. tes de Lisboa a 64o rs. a libra. Figos de comadre muito novos em bahuzi-
Prezunlo para fiambre ingtezee e americanos Frutas em calda em latas de l.ooo a 5oo re., nhos muito proprios para mimo al.28o rs.
a 85o rs. a libra. aeste genero ha diversas qualidades a es- dem em caixas para retalho a 16o rs. a
dem do Porto a 48o re. a libra. colher. libra.
Queijos prato de 48o a 600 rs. a libra. Champanha superior das marcas mais acre- Passas de carnada a
dem londrinosos melhores que se encontram ditadas a i,5oo rs. a garrafa e 15,ooo rs. I
neste mercado a 800 rs. a libra. 1 o gsgo.
dem flamengos vindos no ultimo vapor de Serveja das melhores marcas que vem ao
2,8oo a 3,ooo rs. mercado a 5oo rs. a garrafa e a 5,ooo re.
Sardinhas de Nantes muito novas a 32o rs. a duzia
a lata.
Sag muito novo a 2oo rs. a libra,
dem muito superior a 28o rs. a libra.
Sabo maca de diversas qualidades a 2oo e
48o re. a libra e em
quarto com 8 libras por 2,5oo re.
Bolaxinhas inglezas de superior qualidade a
2,000 rs. a barrica, e a 2oo rs. a fibra.
Chocolate francez o melhor que se pode de-
sejar neste genero a l,ooo rs. a libra,
dem preta superior a 56o rs. a garrafa e a Macas Dar sopa estrelinha, pevide, arroz de
5,4oo rs. a dHzia. maca a 48o rs. a libra, e rn caixa a 2.000
Vinho Bordeaux de differentes marcas, e as rs. cada urna, macarraao, talberim, e ale-
melhores do mercado a 7,ooo, 7,5oo c tria a 4oo rs. alibra.
24o rs. a libra.
dem inferior de 12o a 18o rs a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras a 6,5oo
rs.
dem hamburguesa em ditas a5,8oo rs.
Idem de Hollanda em garrafes grandes a
5,5oo cada um.
dem em botija a 4oo rs. rs. cada urna.
Garrafes vasios de diversos tamanhos a 5oo,
64o e l,2oo rs.
Gomma do Aracaty a loo rs. a libra.
Graixaa loo rs. a lata, e l,2oo rs. a duzia.
Licores finos franceses em garrafas c fras-
cos de diversos tamanhos de 600 a 800 rs.
8,000 a caixa com urna duzia, e em gar-
rafas a 64o, 7oo e 800 rs., garante-se a
boa qualidade.
dem Figueira de superior qualidade a 48o
rs. a garrafa e 3,5oo re. a caada.
dem de Lisboa a 2.800 re. a caada e 4oo
rs. a garrafa.
Amendoas de casca mole a 4oo re. a libra.
A velaos muito novas a 2oo rs. a libra.
Ervilhas francezas muito novas em latas
grandes a 64o rs.
dem em ditas pequeas a 4oo rs.
Maca de tomate em latas de 1 e 2 bras a
64o rs.
dem do Porto de superior qualidade para | Salmo em latas de 1 Vj libra a 800 rs.
mesa a 560 rs. a garrafa, c 4,000 rs. a ca- Lagostinho em latas grandes a l,4oo rs. ca-
ada, da urna.
Idem fino do Alto Douro da colheita de 1833,; Sardichas de Nantes a 36o rs. a lata.
como sejara: D. Luiz, Feitoria velho, Nec- j Cognhac inglez a 800 rs. a garrafa,
tar, Carcavelles e Cames em caixa de Licor francez das melhores marcas do mes-
urna duzia a 9,ooo rs. cado a 800 rs. a garrafa.
cada um.
Marmelada imperial de t' dos os conservei-
ros de Lisboa a 64o e 700 re. a libra.
Massa de tomate mnito nova a 64o rs. a
libra.
Marrasquino de Zara a 64o rs. o frasco,
dem em frascas grandes a 800 rs
Cominhos muito novos a 5oo rs. a libra.
Erva-doce a 21o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cravo da India a 64o re. a libra.
Cannella a l,loo rs. a libra.
Alfazema a 2oo rs. a libra.
vidro a 600 rs.
; Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto! Batatas chegadas neste ultimo navio era cai-
a l.ooo rs. a garrafa e lo.ooo rs. a caixa. xa (om duas arrobas por 1.600 rs., e 4o
Duque do Porto, Madeira secco, duqvse ge- rs. a libra,
nuino, lagrimas doces a 9oo rs. a garra- Concervas inglezas a 75o rs. o frasco,
fa e 9,5oo rs. a duzia. Sal refinado em potes a 5oo rs. cada um.
Amendoas de casca mole muito novas a tod
rs. a libra.
Azertonas superiores a l,2oos-s. o barril.
Alpisla a 14o rs. a libra e 4,600 a arroba.
Latra a 4oo rs. a libsa.
Bisooitos c bolachinhas inglezas as ultimas
chegadas ao nosso mercado a 1.2oo e l,4oo' Sal refinado em frascos de
sis. cada lata. o frasco.
ATTENCAO
O proprietario dos armazens do Progressista jamis dei^ar deofferecer aos seu
freguezes tudo o que for preciso para que sejam bem servidos, e como a festa se aproxi-
ma ptima a occasio dos seus freguezes experimentarem a realidade, que nunca dei-
aicr de ser mantida pelo propsielario destes armazens.
Garrafes com vinho do Porto a 2,2oo rs.
cada um.
I Vinagre de Lisboa de superior qualidade a
2oo rs. a garrafa e l,2oo re. a caada.
Azeite doce refinado em garrafas grandes a
800 rs.
: dem de Lisboa a 64o rs. a garrafa, e em
caada a 4,800 rs.
Presuntos inglezes para fiambre a 7oo rs. a
libra,
dem de lamego encommenda particular a
48o rs. a libra, e inteiro se faz abatimento.
Toucinho do reino o melhor do mercado a
320 rs. a libra, e em arroba a 9,ooo rs.
Ra da Seazalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston C,
sellins e silhrjes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos. e relogios de
ouro patente inglez.
fo tica e armazem
drogas
de
Kua do Cabagfe n.
II.
DE
Joaqun Mainho
Vcudf-su o seuinlc :
Salsa painlha de Bristol.
"'* ** *" "*!. Pastilttas assacaradas de Kemp.
ou yersbdciro oleo kerosene, de primara qualu a pas,|has vermfugas de Kemp.
de, latas d_e 5, 3, 2 c t galao : vende-se na ra de F,.yir ,,.. .:.. i;...,..,,,,.,, tmQ,
da Crin Concia.
Apollo n. 2.
FAZENDAS BARATAS
RIUA DO OlEMAD--*
Custodio, Carvnlho A C.
Finscambraia1 organdys indianas pelo baralissimo prcro de liOO rs. o covado ou
.'iO ;s. a vara.
Grande soi-imeno
dos nais linos baldes de reos para senhora e ,>elo barato pre^o de 3 cada um, ditos de ma-
dauclau 1 ara meninas a 2500.
Novldade
Os mais lindos c mais finos e modernos cortes de laa com sicas barras, tendo cada corte
20 :jvadns e pelo baralissimo preco de 20$.
Tile de linliovara a 300 rs.
JfMlenu* MMtakaM**1* "eslido o covado a iWrs.
GAZ GAZ GAZ
lor pre$o reduzido.
Ven;e-SH gaz da mel'ior qualid de pele
j >> ie 10) por lata de ."> gales: no ar-
1 ,,en si. ihes do Ramos n. 18 e ra do
Trapkte Novo n. 8.
i Vende-se a refinaeSo da ra da Concordia n.
B, soTrivelmente montada para o seguinte fabrico:
USUfiar erystalisado, dito areado, earvao animal
com escravs pralicos para laes lerrl^os, 2 esrra-
vas prop."ias para servidos domsticos, e mais uten-
cilios proprios de arranjos de caa : a tratar na
pesma rrnsw(ifir das 10 horas da manhaa em
I vante.
Batatas e cbolas.
Rua da Madre de Dos ns. fteft.
Vendem-se caixas osm duas arrobas de batatas
por 1,5200, cento de cebla a 300 rs.. as mais no-
vasdo mercado.
Cal de Lisboa e potassa da
Rnssla.
Vende-se na rna da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o anligo c acreditado deposito da
mesma rua n. 12, ambos os gneros sae novos e
legtimos, e se vendem a preeo mais barato do que
utra quali|uerk parte.
Vende-sc para liquidado de contas a loja de li-
vros da praca de Pedro II n. 6, muito propria |iara
qualquer principiante" por ter poucos fundos c ser
situada na melhor localidade: a tratar na mesma.
.41 M SIIO l
Vendem-se barr com cal des-
ta procedencia, cm pedra, chega-
da boje, e nica nova, que ha eso
mercado, na rua do Trapiche n.
13, armazem de lanoel Teliel-
ra Basto.
Klixir de cili-o laclato de ferrodo Di. Thenues.
Itubd.i l.afeeleur.
XaMpe depurativo d'odoreto de ferro de Cuy.
Xarope peilonil scilalivo de Guy.
I'asiillias peitoraes balsmicas le Guy.
Pilnlas da vida.
Burel franciscano (niesclado) para imagens.
Injec^ao Itrow.
Xarope de curato de ferro de Chable.
Pilulas contra sesees.
Salsa parrilha di^ Sands.
Extracto fluido de salsa parrilha Badys.
Xarope alcoolico de vellame.
Alen) deslas drogas ha constantemente um com-
pleto sortimento de tintas, \erniz. euro para dou-
rar, preparados rhimicos e pharn e.'eulicos que se
vendem por commodos presos.
Velas de espermacete de 4, t, e 6 por libra |
a iGO rs., e em caixa se faz abatimento.
dem de carnauba retinada a 3o rs. a libra
e 9,000 rs. a arroba.
dem de carnauba pura do Aracaty a 4oo rs.
a bra e lo.fioo rs. a arroba.
Gomma muito fina e alva a 80 rs. a libra.
Mostarda ingle .a a 1,000 rs. o irasco.
dem f "anceza a 4oo rs. o pote.
Milho alpista a 16o rs. a libra e 4,8oo rs. a
arroba.
Graixa muito nova em latas grandes a 120
ris.
Latas cora peixe em posta emticamente
lacradas das melhores qualidades de pei-
xe que ha em Portugal a ^ ,2oo rs.
Caf lavado de I* qualidade a 32o rs., dito
de 2a a 28o rs. a libra e 8,2oo rs a arro-
ba, dito de 3a a 26o rs. a fibra e 7,8oo
rs. arroba.
j Charutos suspiros dos melhores fabricantes
de S. Eelix a 2,5oo rs. a caixa com loo
charutos,
dem finos de diversos fabricantes a {,600.
i,8oo e 2,000 rs. a caixa com loo charu-
tos, |o preco nao indica a boa qualidade
por i m deem-se ao trabalho de virem ou
mandarem e vero a realidade.
CONSERVATIVO
E
.10 % o t 1 m si va \o nos m vio*
23-Largo do Tenjo-23.
O proprietario deste armazem de molhados participa ao publico ea todos em geral
que tem um grande sortimento de todo quanto 6 perteneciste a molhados, c que tem
sim arsnazem para smente receber os gneros de maior quantidade. faz suas especnla-
coes em boas quadras, e que sempre pode vender por menos de 10 20 por cento du
, que em outra qualquer paste, garanlindo o proprietario qualquer genero saludo do seo
ni'ras para VeStVO armazem, tanto era peso como em qualidade.
A loja da Aurora, na rua larga do Rosario n.' Manteiga ingleza flor mandada vir por conla propria a 800 rs. a libra.
:8, rerebeu riqttissimas barras para vestido, che- dem franceza, vinda pelo ultimo navio a 500 rs. a libra e 540 rs. em barris.
odas pelo allimovapor, as quaes sao as mais mo- i$anha de porco retinada, propria para pasleis a 480 rs. a libia, e em barril a 400 rs.
dernas me teta diegado. a* como |mbn re- v d espermacete e carnauba do Aracaty a 600 rs. o masso e 400 e 440 rs. a libia.
cebeu ricas ea pellas de dilfereidcs posios e muito *. _. .. ,..._ ... -..
finas, proprias para qualquer casamento, muilo Cafe lavado do Rio e do Ceara, o melhor desle genero, a 280 rs. a libra e Hooo a r-
ticas lavas de loarlo, tanto para hoinem como pa- roba.
u senhora : quem quizer. |>de mandar buscar Batatas novas em -^ixas com 2 arrobas por 2(5000, as-retalham-se a 4o rs. a libra.
amostras, pois dase a qualquer pessoa.. dentando Toucnho desembarcado ltimamente a 3oo is. a libra, em barril ou arroba a 8800.
_____________________Cha de Ia, 2\ 3a e 4 son a 26800, 26500, 2,5000, e 15600 a libra.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs a garrafa, e de carrapato a 280 rs. a garrafa, e caada
24000.
Farinha superior dr Sania (iatharina.
Vende-se em porcao 00 a retalho, a bordo da
, barca Iris, atracada ao trapiche do Barao do Li-
vramento, oa no Ve ripnrC* AnSntolSzi; Genebra verdadeira de Hollanda embotijas, de contce^, marca gallo a 300 rs.
Olivcira Azevedc & C, rua da Crurn. l. Mriho alpista o mais limpo que ha a 160 rs. a libra a 5)5000 rs., a arroba.
A.


s



Urlo de Pe rnarn< o fcabbado de :* Jftftelro de i J.
UNIO
COMMERCIO
D>efroote da loj \ do Pregulea.
DIJARTE AI^IEIIIA
acaba de abrir b seu grande e sortido arma;;em de molhados denominado Unido e Com-
memo. Este grande armazera ura dos m; is bern montados que temos eni nossa praea,
nao so em limpeza e acoio, como as qualidades especiaes de seus gneros. 0 proprie
ario de Inicie e Commercio offerece todot os seuhores da praca, .senhores de engenho
e lavralores a seguinte labeHa, por onde vurSo a grande economa que lae resulta em
compraren! em tao til estabelecimento, a iancando o mesmo todo e qualquer genero
sahido de seu armazem.
Bollinho francez em latas e caixinhas as mais Erva-docc a oo rs. a libra,
delicadas que tem viudo ao nosso merca- Champanha de 20 a 22,ooo o gigo.
do di 7oo a 2,ooo rs. a caixinba.
Manteiga ingleza perfeitamente tlr, mandada
vir de coala propria, a 7oo a 8oo rs, a
libra.
dem france.ta chegada pelo ultimo navio a
Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza e 2o rs. a
caixinba.
Milbo alpista a i6o rs. a libra.
I Comiuno muito novo a 4oo rs. a libra, e
comprando de 8 libras para cima a 32o rs.
5So~is. libi-a, eem Ixarril ter abatmen- Gomma muito alvapara engommar a 8o rs.
to. a lbr.i, e em arroba se far abatimento,
dem tagtau em potes de 4 a 16 libras a Sag muito novo a 28o rs. a libra.
8o rs, a libra e o pete separado, Sabaa verdndeiro bespanhol, que raras vezes
Cha uxim o melbor ueste genero, maridado .vn ao usso mercado a 28o rs. a libra
vir de conta propria a2,8oo rs, a libra. Vmhobrancoo melbor ueste genero a 8oors'
dem hjsson, grande, muito bem a 2,6oo rs. a garrafa e 4,3oo rs. a caada.
a ijDra> dem Bordeaux de dilferentes marcas, garan-
ld*m preto muito fino, a 2,6oo rs, a libra, te-se a qualidade, a 8.000 rs. a caixa com
dem preto, mais bakxo, a 2,ooo rs, a ibra.. uma duza, e a 7oo rs. a garrafa.
dem, verde, nudiuko, mais proprio para Garrafoes com 5 garrafas de vinho do Porte
negocio, a l,8oo rs, a libra. do Alto Douro a 2,2oo rs. com o garrafao.
Banha de pono refinada muito alva a 46o Idem -"om o garrafas de vinho Figueira, mais
rs, a libra, e em barril se far abatimento. I proprio para a nossa estaco por ser mais
Biscoitos inglezes das seguintes marcas; fresco a 2,4oo rs. com o garrafao.
Graknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies. dem eom 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
ALLIANCA
grande
57 RA DO IMPERADOR 57
Na beni conhecida loja que Ibi do Sr. Flix alfaiate.
Paulo Ferrelra da Mllva proprietario deste novo estabelecimento, tendo
chegado da Europa, aonde escolheu um graode'-'e variado sortimento de molhados, tem
a honra de os ex por ao respeitavel publico desta cidade pelos mais resumidos precos.
Em to ptima oceasko, por estarmos prestes a festa de Natal, o proprietario do
grande armazem Allianca offerece aos seus amigos e fogueos que o conhecem desde
quando foi socio dos armazens Progressivo e Progressista as maiores vantagens em com-
prarem em seu armazem.
Hoje de novo estabelecido mais precisa da concurrencia de todos estes senhores
ao seu estabelecimento. certos de que esta casa jamis deixariio de ser cumpridas as
glandes vantagens por ella olerecidas.
Maces de 4o a 16u rs. cada urna.
Manteiga ingleza a mais superior neste ge-
nero a 800 rs. a libra, e comprando de 8
libras para cima a 72o rs., esta a mais
Bolachinha de soda e lunch em latas grandes
a 2,ooo rs. cada lata.
Cognac de superior qualidade a 800 rs. a gar-
rafa,
superior que pode liaver, tambem ha maisI dem muito superior a i ,000 rs. a garrafa,
baixas para menos precos.- ; Caf a 28o e 32o rs. a libra, e a 8,000 e
o garrafao,
Sabo massa de superior qualidade a 180,
2oo, e 22o rs. a libra do melbor que ha
Graixa em latas umita nova a 12o rs. a lau-
rina, e l,3oo rs. .1 duzia.
Peke em latas muito novo: savel, pescada,
curvin, salmao e outras muitas qualidades
preparados de escabexe, segundo a arte de
cozinha, de l,2oo a 2,000 rs. a lata.
dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado e escolhido pessoalmente por um
des socios que se acha em Portugal, das
seguintes marcas : Duque, Genuino, Ve-
Iho secco especial, Lagrimas Doces de
1819, vinho especial D. Pedro V, vinho
velbo, Nctar superior de 1833, Duque do
Porto de 1834, vinho do Porto velho su-
perior, Madeira Secca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior D. Luiz I
de 1847, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porto, de 1,000 a 1 2oo rs. a gar-
rafa e de lo,ooo a 12,ooo rs. a caixa com
urna duzia.
Vassouras americanas a 800 rs. cada urna.
Velas de spermacete as memores que ha no
mercado a 060 e 64o rs. e masso, e em
caixa se far umjgrande abatimento,
dem de carnauba e composico, de 4oo a
32o rs. a libra, e de 10,000 rs, a ii,5oo
rs. a arroba,
Caf de I* e 2a sorte de 8.3oo a 8,600 rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-.
Tijollo para lnnpar facas a 16o rs, '
Cerveja das mais acreditadas marcas de 5,000 Arroz da India, Maranho e Carolina a 3,ooo.
a 7,Joo a duzia, e de 5oo a 600 rs, a gar- 2,8eo e 2,4oo ni a arroba e a loo rs. a
rafa, l*ra.
Preznlo para fiambre muito fresco e novo Frasqueira de getebra a 5,8oo rs. e a 5oo
rs. o frasco.
Lunc, Cabio, e outras muitas marcas, a
l.ioc rs, a lata.
Bolachiiiha d: sudo, especial encommenda, a
2,2oo rs, a lata.
Biseoito inglez Graknel em latas de 5, 7 e 15
libra; a 5,ooo e 6,oco rs, e de l,2oo a
800 rs, a libra.
Queijos do reino pelo baratissimo preco de
l,8oo, t 8oe e 3,ooc rs os do ultimo
vapor,
idemprato muito frese*) a 6lo rs, a libra.
dem loadrim muito fresco a 800 rs, a libra.
Viuhos em pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
48o, 56o, e 64o rs, a garrafa, e de 3,000 a
4,5oo rs, 1 (aada.
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa em latas de 1 e mais libras
a 7oc rs, a libra.
Peras secaas em caixinhas de 4,ooo a 2,000
rs. cada urna.
Figos em caixinhas de 1 '/* arroba e de 8 li-
bras a 8,000,4,ooo, e 2,000 rs, ea 3oo rs.
a libra, taambem ha seriuhas para menijj
nos a 60 rs. cada urna.
Amendoas de casca mole a 36o rs, a libra, e
em arroba ter abatimento.
Sardinbas de Mants a 32o rs, a latinha.
Toucinho de Lisboa mu ito novo a 3oo rs, a
libra e em arroba a O.ooo rs.
Massa de tomates a 64o rs, a libra.
Pimeuta do reino a 34o rs. a libra,
Farinha do Maranho a i 4o rs,a libra.
Cbelas a 800 rs. omolho, 64o rs. o cento
et.uoo a caixa.
dem franceza muito nova a 56o rs. a libra
e 54o rs. em barris ou meios.
Peas seccas muito novas a 48o rs. a libra.
Cha perola de especial qualidade a 2,8oo rs.
a libra.
dem hysson muito superior a 2,7oo rs. a
libra,
dem uxim a 2,5oe rs. a libra,
dem hysson a 2,3oo rs. a libra,
dem idem a 2.000 rs. a libra,
dem preto de qualidade muito especial a
2,000 rs. a libra.
dem dem inferior a l,6oo rs. a libra.
Chocolate francez, bespanhol e portuguez, a
9ooe l,2oo rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Bpbia
e de qualidades especialmente escolhidos,
de 2,ooo a 4,5oo rs. a caixa.
Farinha do Maranho muito alva a 14o rs. a
libra.
9,000 rs. a arroba.
Ceneja das melhores marcas do nosso mer-
cado de 5,ooo a 6,000 rs. a duzia, e 5oo
rs. a garrafa.
Consenas inglezas a 75o rs. o frasco e8,600
rs. a duzia.
Doce em calda a 64o rs. a lata.
Ervilhas francesas muito novas a 64o rs.
dem portuguezas a 72o rs. a lata,
dem seccas a2oo rs. a libra.
Bassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Vellas de espermacete da melhor qualidade
a 56o rs. o maco,
dem de carnauba e composico a 32o e 36o
rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Tijolopara limpar facas a 12o rs. cada um.
Toucinho de Lisboa e Santos a 320 rs. a
libra.
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
LOJA DO PAVAO
a Casan mritiiias.
\ endera-se as mais modernas cassas puritanas com .,-;
240 e 280 rs. o covado, por haver grande poreio, pechincha : 'nadieeJhos,)el aratissimo preto de
Pt3o. ** Imperatriz n. 60; lop do
Cassas persianas a 360 rs. o eovado.
Vendem-se as mais bonitas cassas persianas a imitacao de laa transparente com os des*.
tridos e inteiramente novos, pelo baratissimo prego de 360 rs. o covado e nao desbotam : na Ion do
Pavao ra da Imperatriz n. 60.
Cortes de cassas de Mara Pia a 4#000.
Vendem-se os mais modernos cortes de eassa a Mari i Pia, de todas as cores, com calmas l. V
dadas e de vanadas cores que garante sea boa qualidade contendo 8 varas emeia cada corto mo ba-
ratissimo preco de 4* : na loja do Pavao ra da Imperatri n. 60. v
As percalas do Pavao a 500 rs. o covado.
Vendem-se as mais inas percalas que bao mercado, de desenhos muito miudinhos e da
hHdas e vanadas cores e garante-s seren iixas.com i palmos de largura, fazenda propria oara
tidos de senhora e roupas para meninos, pelo muito barato creco de 300 rs. o cavado na loia (ki
vao ra da Imperatriz n. 60. '
Gorgurao de laa a 500 rs. o covado.
Vende-se gorgurao delade frescura propria para vestido de senhora, paletot para l.oui
roii|>a para menino, pelo barato preco de 500 rs. o covado na loja do Pavao ra da Imperatriz n
As colchas do Pavao.
Vendem-se colcbas de linho adamascadas com bonitos lavores de cor de rosa, azul c bra
pelo baratissimo preco de S5 cada nina : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Orgaiidys a 240 rs. o covado.
.Vendem-se organdys matisados fazenda muito fina, ele bonitos desenhos, pelo baratissimo nrtte
de iw rs. o covado : na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60.
As alpacas do Pavao.
\enaem-se alpacas de seua ue cuies uiutn. n..u K.^F,>u nua veauuu uc muim .,.___.
ques e roupas para meninos e dita branca muito fina propria para vestidos e palctots, pjr prOO
to commodo : na loja de Pavao ra da Imperatriz n. 60.
Chitas do Pavao.
Vendem-se chitas escurase, alegres fazenda muito una, padroes modernos e que n3o desbr.;aai
pelo barato prego de 1*0,360 o 100 rs. o covado: na loja d) Pavao roa da Imperatriz n. 60.
As laasiiihas do Pavao.
Vendem-se lasinhas com 9 palmos de largura de urna so cor e de quadrinhos pelo baratsimo
preco de l00o covado, ditas enbiitadas com i palmos di largura a 500 rs, ditas matisadas muito
nuas de bonitos desenhos a 560 rs., ditas a 30 e 360 rs., citas de quadrinhos a imitaro de ertintta
a 400 rs. o eovado. ditas a Marta Pa com palminhas de seda a 500 rs., ditas transparentes com palmt-
nhas matisadas a 440 rs., ditas de quadros grandes a 240 rs. o covado, ditas prctas transparente' de
cordaozinhe a 200 rs.: na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Vestidos soutembarques.
Vendem-se os mais modernos vestidos a soutembarque com lindas barras e enfeitrs 'para ro.-
pinho e mangas, pelo baratissimo preco de 5} cada um : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Cortes de laa com barra,
Vendem-se corles de laa com barras matisadas e enteites para roupinho e mangas, os mau &
o existem no mercado, pelo baratissimo preco de 18J cada corte : na loia do Pa\Jo ra da im-
. 60.
nos quo
ratriz n. 60.
Os soutembarques do Pavao.
a 800 rs. a libra,
Geneara de laranja a l.ooo rs, o frasco,
Oliourieas as mais frescas do mercado a 8oo
rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs.'a garrafa,
e lo.ooo rs. a caixa com urna duzia.
Licores francezes e portugueses de todas as
manas de lo.ooo a io.ooo rs. a duzia.
Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a 8,5oo
rs. a caixa. Ha carcas, meias e quartos.
Batatas a l.ooo rs. o gigo com 38 libras e
-i.oaoa caixa comduas arrobas caijaunia.
H.icetascom doces seceos de3,oooa 3,5oo
rs. cada urna.
Bolachinha ingleza a 32o rs. a libra,
Azeite ranees o portuguez refinado a 8oo rs.
a garrafa. : 9,ooo rs. a caixa com urna du-
zia.
conservas nuezas das seguintes marcas:
Mixod, Pickes, e ceblas simples a 8oo
rs. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a loe
rs. o pote.
Nozes muito novas a 130 rs. a libra e 4,8oo
rs. i arroba,
Vasos nglezes vasios de 4 a 16 libras, muitf
proprios para deposito de manteiga, doce,
e outro qualquer liquido, de I ,ooo a 3,ooo
i :ada um,
Azeite doce em Iwrril muito fino, a 64o rs.
a garrafa, e em criada ter abatimento.
Papel greve pautado e liso a 3,5oo rs. a
resma.
Genebra de llollanda em botija de conta a
44o rs. a botija.
Passas corinteas a "Joo rs. a libra e I2,8oo
. rs. a arroba,
ErvHhas franceza e poitugueza a 640 rs. a
lata de urna libra.
Chocolate francez, bespanhol, suisso e por-
tuguez a l.ooo rs. a libra, e a 28o rs. ca-
da pao de urna '/?.
Ameixas francezas em caixinhas eleganle-
menle enfeitadas, com diversas estampas
no exterior da caixa de 1,500 a 3,ooo rs.
cada urna; tambem ha frascos e latas de
dilTerenles tamanhos que se vendem por
mdico preco.
Masa para sopa: maearro, lalharim e ac-
tiia a i8o rs. a bra, e em caixa se far
abatimento.
Garrafoes com 14 garrafas de genebra de
HoHanda a 5,5oo cada um.
Charutos de todas as marcas e dos melho-
res fabricantes da Bahia de 3,ooo a 4,ooo
rs. a caixa.
Idem de araruta verdadeira a 4oo rs. a libra. Peixe em latas grandes, savel, pescada, cor-
Vinho do Alto Douro engarrafado, e os mais! vina, e outras qualidades a I.ooo rs. cada
bem escolhidos, lagrimas do Douro, D. Pe- { lata.
dro V, D. Luiz I. Buque genuino, Nctar Passas muito novas a lo,oo rs. a caixa e
superior, Malvasia fina, Bastardo, e outros { 5oo rs. a libra.
a ll,ooo e 12,ooo rs. a duzia e l,ooo rs. i Palitos lixados para dentes a i4o rs. o maco.
a garrafa. j dem de flor a 2oo rs. o maco,
dem Cherry e Madeira a l.ooo rs. a garra- Presunto para fiambre inglezes e americanos
fa e l6,ooo rs. a duzia. | a 85o rs. a libra,
dem Bordeaux de diversas marcas de 8,ooo, dem do Porto a 48o rs. a libra.
a io.ooo a duzia e 8oo rs. garrafa. j Queijo prato a 64o rs. a libra.
Bolaxinhas americanas a 3,9oo rs. a barrica, {dem flamengo vindos no ultimo vapor a
e a 24o rs. a libra. 2,oooo e 2,3oo re. cada um.
Batatas muito novas a 1 ,ooo rs. o gigo, e 6o' Sardinhas de Nantes muito novas a 32o rs.
rs. a libra. a lata.
Banha de porco refinada a 4lo rs. a libra o Sag muito novo a 2oo rs. a libra.
em barril a 4oo rs. dem muito superior a 28o rs. a libra.
Vinho empiqa de Lisboa, e Figueira, de 3,000 Sabo maca de diversas qualidades a2oo e
.a 4,ooo rs. a caada, e 5oo rs. a garrafa. 2lo rs. a libra.
Idem de Lisboa em ancoretas de 8 a 9 cana- dem inferior de 12o a 18o rs. a libra.
das por 27,ooo rs. Genebra de llollanda em frasqueiras a 6,ooo
Idem do Porto muito especial a 5,;>oo rs. a ris.
caada e 72o rs. a garrafa. dem hamburgueza em frasqueiros a 5,8oo
dem em garrafoes com 4 / garrafas por ris.
2,5oo rs. com o garrafao. dem de llollanda em garrafoes grandes a
Vinagre de Lisboa muito superior a 2,ooo .ooo rs cada um.
rs. a ranada. dem em botija a loo rs. cada urna,
dem mais baixo a I ,ooo rs. a caada, e 2oo Garrafoes vasios de diversos tamanhos a 5oo,
rs. a garrafa. 64o e l,2oo rs
Idem em garrames com 4 garrafas por Gomma do Aracaty a 8o rs. alibra muito alva
l,2oo rs. com o garrafao. Graixa a loo rs. a lata, e l,2oo rs. a duzia.
Ameixas francezas em caixinhas com ricas Licores tinos francezes em garrafas e frascos
estanpas no exterior de l,2oo a 2,ooo rs. de diversos tamanhos de 6oo a 8oo rs. ca-
cada urna. da um.
Idem em frasco de vidro de diversos tama- Marmelada imperial de todos os conserveiros
nhos a l.aeo e 2,5oo rs. de Lisboa a 6oo e 7oo rs. a libra,
dem em latas de 1 1/9 e 3 libras a l,3oo e Massa de tomate muito nova a 6lo rs. a li-
2,3oo rs. cada urna, e a 8oo rs. a libra. bra.
Figos de comadre em eaixinhas de 4, 8 e 16 Marrasquino de Zara a 610 rs. o frasco,
iibirs a l,3oo, 2,300 e 5,ooo rs. cada dem em frascos grandes a 8oo rs.
urna caixa. Cominhos muito novos a 5oo rs. a libra.
Idem em caixinhas de folha a 32o rs Erva-doce a 24o rs. a libra.
Idem em caixas grandes a 2oo rs. a libra. Pimenta a 36o rs. a libra.
dem em latas ermetimente lacradas de I,6oo Gravo da India a filo rs. a libra.
a 3,ooo rs. Cannella a l,ioo rs. a libra.
Arroz da India e Maranho a 80, 100 e 12o' Alfazema a 2oo rs. a libra.
rs. a libra, e 2,5oo e 2,8oo rs. a arroba, i Sal refinado em frascos de vidro a 6oo rs. o
Amendoas de casca mole muifo novas a 4oo | fraco.
rs. a libra. Copos linas para agoa a 5,ooo rs. a duzia.
Ceblas novas a i,ooo rs. os inolhos gran- Chouricas novas a 72o rs. alibra.
Vemdem-se os mais modernos soutembarques de grosdenaples preto ricamente elucidaos, ditos
de cor de um tecido de 15a com seda rauits bem enfeitados por preco muito commodo: na loja d
Pavao ra da Imperatriz n. 60.
Capas do Pavao.
Vendem-se ricas capas pretas de grosdenaple bastante compridas, fazenda superior r mais m<*
derna que ha no mercado, por pr-'co muito em conta : na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60.
Atoalhado de linho.
Vende-se atoalliado de linho com 8 palmos de largura pelo baratissimo prego de 23500,
mante de linho com 10 palmos de largura proprio para lences e toalhas mnilo em-orpado a ?5.'iW
vara : na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60.
Crinolinas ou balees americanos.
Vendem-se baloes americanos os mais modernos poi serem muito fortese bem armados de 20
arcos a 35, ditos de 30 a 35500, ditos de 35 a 45, ditos de madapola francez de diversos tainaahu-i a
35, ditos de muselina com babado e sem elle podendo-se tirar os arcos pelo barato prec,o de 45 e
45500, ditos para menina, de arcos a 5, ditos de musselina a 35 : na loja do Pavao ra da Impera-
triz n. 60.
Chapeos de sol do Pavao.
Vendem-se chapeo* de sol de seda muito encerpada com cabo de cana e hasteas de baleia
baratissimo preco de 65,75 e 83, ditos marquezinhos para senhora e meninas a 25-tOO : na loja do
vo ra da Imperatriz n. 60.
Cortes de laa do Pavao.
Vendem-se cortes delaas matisadas com desenhos muito lindos contendo lScovados cada cort
pelo baratissimo prego de 73, ditos de z&r de caf com palmas matisadas contendo 15 covados cv.d
corte pelo barato preco de 65 : na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60.
5
des e a 7oo rs. o cento.
Alpista a I4e rs. a libra e 4,6oo rs. a arroba.
Macanao, talharim e aletria muito nova a
loo e 18o rs. a libra.
Biscoitos e bolachinhas inglesas as ultimas
chegadas ao nosso mercado a l,2oo e
1, loo rs. cada lata.
Mostarda franceza preparada e muito nova
a 32o rs. cada um frasco.
Conservas francezas de superior qualidade a
640 rs, o frasco e 7,ooo rs. a duzia.
Azeite doce a 6lo rs. a garrafa.
Sevadinha de Franca muito nova a 2oo rs. a
libra.
ATTENGO.
lTTI]\ Todos os senhores que comprarem para negocio ou casa particular jO0 para
ima tirao mais 5 a 10 por ,'o de abatimento; o proprietario scientifica n?ss que todos
os seus gneros sao ecebidos de sua propria encommenda, razo esta para poder ven-
der por muito menos do que em outro qualquer estabelecimento.
Neste grande armazem de molhados vende-se em grandes porpes e a retamo,
fazendose differeasa eonsideravel a quem comprar de 1003 para cima.
VONES
Ba la Madre <1 lie> s ns. o e 9
Vende-se .saceos om wto libras de nozes pe)
barato proco de 15000, tproveilem a pechincha,
sao novas.
Vende--e um rnoleque de idade de 7 annos :
narua Imperial n. 19.
Quairo nudarc*.
Vende-se o grande sotrado de quatro andar;
la rufc do Trapiche Novo n. 14, o recominendadc pela sua localidade : os preten-
den tes podero obter qualquer inlormaco a res-
paito na ra da Cruz n. 38, ou no Forte do Mallos,
nruiazoro n. 0.
Phosphoros lo gaz.
Jonlina a i star suppn lo o deposito de phospho
ns do gaz, na travessa di Madre do Dos ns. 9 n
ni, armazens de Ferreira 4 Martins, e vendem-se
por grosso c a retallio.
Massa phosphorlca
para distruir complcamente ratos e baratas : ven
de-se nos armazens de Ferreira A Martins, travs
sa da Madre de Dos ns. 'J e 16, em potes a 500 rs.
cada um, muito fresca por ser recentemente che-
ga'la-__________________________________
Para carnaval
e-se ou aluga-se u na excellente cabelleini
inteira : na ra Nova n. 13, loja do Antonio Ro-
herto i Filli>.________
Vende-se urna vacca parida com cria : ni
ra do Rangel n. 46.
-- Vendem-sa ovas do sertao muito boas, che"
fadas ltimamente no vapor Mumanyuajte : no
d j Con o Santo n. 6 armazem de Pilmeia
A lieltr.'io.______________^^
Vanediiras de firinba e milbo,
por preco commodo : delronle da escadinha, no
armazen do Atines c. 7.
sementes de hortaliza.
Chegaram no vapor francez Guiene as novas se-
mentes de hortalica : na ra da Cadea do Itecifo
n. 56 A, loja de ferragens de Bastos.
FARINHA FONTANA.
Farinha Fontana desembarcada hoje, vende-se
por preco mais commodo do que em
qualquer nutra parte : na ra da Cruz
u. A casa de V. 0. Bieber k C. succes-
sores.
hua da Senzalla iNova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a i 10 rs., idem de Low
Moor libra a 120 rs.
F\ZEMIVS
baratas para acabar.
Sedas de quadros e de listras a 320 rs. o cova-
do, lindas laas de quadrinhos a 360 o covado, su-
periores cassas de cores a 200 rs. o covado, ditas
muito finas a 210 o covada : na loja das colnmnas,
na ra do Crespn. 13, de Antonio Correia de Vas-
concollos & C
Ma^Sas.
Caixas com macaas a 25 e a retalho para todo o
preco, a 10, 80, 120 3 200 rs. : no armazem da
Aurora Brilhante, largo da Santa Cruz n. 81.
Taboado.
Vendc-se (abordo do peroba e canella, de boa
qualidade, e por preco muito em conta : no trapi-
che do Cunta, no Forte do Mattos. I
GRAGEAS
deGELISe CONT
Ao lclate de ferro
tpiirovadas da academia imperial de medicina
de Paris.
Segundo o relatorio feito na academia em
4 de fevereiro de 1840 pelos Srs. profes-
sores Bouillaud, Fouquier e Bally, este fer-
ruginoso reconhecido superior a todos os
outros para curar : a chlorosis (pales cou-
leurs), e leucoriha (pertes blanches), a
anemia (flaquezade temperamento nosdous
sexos), difficuidade de menstruaco sobre
tudo as mocas, incontinencia de uri-
nas, etc.
E' o mais agradavel de tomar por sua
forma de pitillas assucaradas, e essencial-
menle mais efficaz do que as outras prepa-
rares etc., por ser muito soluvel no sueco
gstrico, como consta do relatorio lulo re-
centemcnle na academia de medicina de
Paris pelo Sr. Flix Boudet, em nome de
urna commisso composta dos Srs. Velpeau,
Depeau, Bouchardat, Trousseau, etc., to-
cando as experiencias feilas sbreos princi-
pis seres ferruginosos com um sueco gs-
trico fresco no laboratorio do Sr. Boudaut,
pelos Srs. Drs. Corvi/.art e Barreswil, que
o lclalo de ferro o mais soluvel e por
consequencia o mais efcaz.
Deposito geral: em Faris, ra Bourbon-
Villencuve, 19
Em Pernambuco, na casa de Caors A Bar-
bsoa, na da Cruz n. 22.
Vende-se a loja de calcado da ra do Livra-
mento n. .1.1, com armacSo* envidiada, propria
para o me alratar na ra do Vigario n. 8 a 13.
OLEO
DE
Mcrchant
para as molestias externas dos animaos domsticos
e com especiabdade dos cavallos.
de primeira qualidade, fabricabas com o maior
! esmero, as quaes pelo modo ellii az que matam as
I formigas, realisam urna economa de 90 0|0 sobre
as fabricadas pelo anligo systena.
\KRMZ OU \l.t;\TB.\!>
do gaz, cujas multplices applicfoes sao por de-
! mais conhecidas : vende-se ao prega da fabrica no
' oillo da secretaria de polica, armazem da bola
amarella.
FAhiMh
Est se acabando a farinha igual a de Moribeca
a 3 o sacco, baratissimo : no armazera da Au-
rra Brilhante, largo da Santa Cruz n. 84.
Mello Lobo & C, na ra da Cruz n. 63, tem para
vender o seguinte:
Vinho Bordeaux S. Julien.
' Dito Medc.
Cognac.
Kirsch.
Folha de flandres do melhor fabricante.
Salitre refinado >
Gomma lacre.
Tudo se vende por preco commodo,tanto por junio
como em pequeas poroes.
Loja de beija-llor.
Meias cmas para liomem.
Veudem-se meias cruas para homem \ a du-
zia : na ra do Quoimado, loja do beija-llor nume-
ro 3.
Meias para senhora.
Veudem-se meias para senhora a 3.8200, 4<5 e
i500 a duzia : na ra do Uueimado, loja do bei-
ja-llor n. 63.
Laa para bordar.
Vndese laa para bordar, de diversas cores, as
mais lindas que se pode encontrar, a 63500 : s
quem vende por esie preco na loja do beija-llor
da ra do Queimado n 63.
Traucinua para enfeites.
Vende-se trancinha para enfeites de vestidos ou
roupa de meninos, que tambem serve para enfeitar
camisinha de senhora; vende-se tranca branca
com 10 varas a 800 rs. a peca, eom 20 varas a 500
rs., eom 10 varas a 260 rs. s quem tem na
loja da beiji-flor da ra do Queimado n. 63.
Testaras linas para uulia e costura.
Vendem-se lesouras linas para unha e costura a
100, oOO e 610 rs., das para costura a 300 rs. :
na ra do Uiieimado, loja do beija-flor n. 63.
Facas e garfos.
Vendem-se facas e parfos oitavados a 2*800,
ditas ci avadas a 3, ditas de cabos pretos a 3*200,
ditas de cabos de balanco com 2 botoes para mesa
a 6*200 a duzia : na ra do Queimado, loja do
beija-llor n. t>3.
Esrovas para denles.
Yeiulem-se ecovas para dentes muito lina< I
120, 2iO, o J'(K) rs. : na ra do Queimado, loja do
beija-flor n. 63.
r.aivhilias nuil yranipas.
Vendem-se caixinhas de grampas a 10 rs. : na
ra do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Cularinbos para bnmem.
Vendem-se eolaritilios de linho para bemem. de
diversos oslos, a 560 o 6W) rs. : na ra do Quei-
mado, loja do beija-fl >r n. 63.
rnalas para senhnra.
Vendem-se grvalas para senhora, de diversas
cores, a 300 rs., 800 el*: na roa do Queimado,
loja do beija-llor n. 63.
Boleos de pnulio para muinjiiitos de senhora.
Vendem-fe botoes de pnnho para manguitos de
senhora, de diversos gostos, a 200 rs o par: na
ra do Queimado, luja do beija-flor n. 63.
Filas para debniui de vestidos.
Veudem-se litas para debrum de vestido de laa
pretas bordadas, eom 10 varas, a 1*100, dita de
seda preta a 1*200, dita de cor adamascada a
1*200, dita branca de laa cooi II varas a 400 rs. :
na ra do Queimado, loja do beija-llor n. 63.
Peales travessos para meninas
Vendem-se pentes travessos de borracha para
meniua a 400e 500 rs.: na ra do Queimado, loja
de beija-llor n. 63.
Papel de diversas qualidades.
Vende-se papel amizade a 610 o 700 rs., dito de
cores a 600 rs., dito adamascado a !*, dito branco
a 900 rs., dito beira donrada a 1*200 na ra do
Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Bolees de madrrperola.
Vendem-se botos de madreperola para collote,
que tambem servem para casaros de senhora a
100 rs. a abatoadura : s quem vende por este
dreco na ra do Queimado, loja do beija-flor nu-
mero 63.
Luvas de Jouvin.
Vendem-se luvas de Jouvin para homem e se-
nhora, chegadas no ultimo vapor : na ra do
Queimado, loja do beija-flor n. 63. _____
PjECHKVCJHA
Custodio Varvalho Compu-
nkia.
9 Ra do Queimado 8 3. <
Novas laazinhas escosseas muito lindas, azen-.
da encorpada, propria para vestidos de stnhura e
criancinhas, pelo barato preco de 240 cada eo-^
vado.
RIVT
SEM SEGUNDO
Hua do <|iieimado ns 4 e ..
loja de miudezas de Jos de Azevede Maia c. C4
principia o novo annoa torrar miudezas polos ue-
fis que a todos causa admiracao, a saber :
ares de sapatosde Irania muito finos a 1*600
Frasc(>s de oleo babosa dos melhores fabricantes a
240 rs.
Ditos maiores a 400 e 500 rs. *
Frascos d'agua de Colonia muito linos a 400 r. *
Sabonetes muito finos a 160, 200 100 rs.
Frascos grandes de agua de Lubin, o melhor,
1*500.
Lapis de tinta encarnada muito finos a 10 rs.
Novellos de linha com 800 jardas a 120 rs.
Ditos de dita com 100 jaroas a 80 rs.
Frasees de macass, oleo muito superior, a ICO ,
Duzias de dedacs brancos em caixas de vidro
350 rs.
Papis de agulhas a balao Victoria a GO rs. j
Hanh?. transparente mnito superior a 700 rs.
Dita Japoneza muito fina a 800 rs.
Duzia de nabonetos niuilo finos a 720 rs.
Papis de agulha cora loque de ferrugem a 10 ral
Gretas de boldes de madreperola muito lino a-
560 rs.
Pocas de fita de cs, estreitas, com 10 varas, a'
320 rs.
Novellos de liuha branca do gaz a 30 rs.
Carreleis de linha de cores muito fortes a 20 rs. ,
Carios e caixas de colchetes francezes a 40 rs.
Boloaduras brancas e de cores para cohetes
120 rs.
Frase js de banha, pechincha, a 240 rs.
Bonets para meninos, fazenda fina, a 2*.
Caixa preparadas para ceslureirasa 1*500,2* e
3*100.
Masscs de grampas lisas e finas a 30 rs.
Caixas de palitos do gaz e de cera finos a 20 js.
Duzia de facas e garfos de 1 boto superious a
3*00.
Duzia de ditas e ditos de 2 botos finissimos a
6*300.
Grozas de palitos do gaz a 2*200.
Ara preta muito lina a 160 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
B.%TAT.4T
Verdem-se caixas com duas arrobas de bal
a 1*600 : no armazem de molhados, ra do I
m rador n. 83, quina defronte da igreja do C:4-
legio.
AGENCIA
FUNDICO DELOW-MOOB.
Rus da Senulli nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos. ______________
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston d C
ra da Senzalla Nova n. 42._____________
Em casa de Mills Latham C, na ra d-
Cruz n. 38, vende-se ferro galvanizado de um doa
melhores fabricantes inglezes, proprio para cobers
tas de casas.
ESCBAYOS FGIDOS.
Do engenho ampo Alegre, comarca de San*
lo Anlao, fngio em setembro do anno prximo na*
sado o escravo de nome Antonio, cabra hem feixav*
do, cabellos crescidos, nm poueo baixo, tocador dw
viola, prosista, etc., o qoal soppoe-?e ter sahido
demanda da cidade de Macei, provincia das Ala*
goas, ande mora a sogra : rogase a todas as tftt*
toridades poliriaes e capitaes de campo que o ca/^
turer e o racam condnzir ao dito engenho ?. f^4
senher Joaqnira Xavier Carneiro da Cunha, qne
pagar com generosidade a quem quer quo o !
vOO# de gratlfleavo.
De^ppareceu desde o Io de niaiojde 1863, de
jioder de seu senhor o tenente coronel Jos Vir
te de Medeiros proprietario do engenho Pind.if;
na coma rea do Penedo provincia das Alagoa?, o
escravo Jeremas .jjecSr cabra, estatura alta, es-
nadaudo,desdentado**- Jmlado maisquedeontu,-
muite pouea barba, peVgrandes e tem alguns c.i-.
reos de carne sobre o peito, liom sapateiro e toni-
na cidade do Recite urna irma ermula de nonia
Joaquina, liberta, para junio a qual dizem que se
tvadi 'a : quem o capturare entregar em Pernam-
buco ao Sr. Jos Augusto de Araujo (cidade dx>
Recite)em Macei ao Dr. Mariano Joaqun dart
Silva, receber a quantia cima declarada.




ni irlo de Pernaniburo *abb:tdo 30 de JanHn de t .
LITTERiTUfiA,__
iu:ii\ki>i:.
M-pnas da da a,ror|isM.
./
11
..-lo-, Herakl nao oma-
Tcmendios man.....
'. ...n.-in na qmuta foira nem na
** ''i'.'ri'd semana santa. No sabbad, coi reo
alio. Marllia cria inevitavel a denota de Hi-
rakl, olla iellnhava, e os seus olhos azues (ni
dua- noutis de insoniina e de lagrima unbsm
perdido c seu brilho enranlador.
Cotnlado mostron-se amavel eterna, quasi ale-
gre, ([liando o fillio de Nicolu cstevc junio de
si, ani ti.urrto. tem depresss. o rapaz comprehendcn
que era ?mado. Ella sorriu-se das suas lou-
cas ir,quietarles. Alnd;. assim, s podia obter a
m'io de Martha tieano rico, readquirindo era com-
bate eal o bem que Miguel ganhra por urna lu-
m m aposta.
Po "lano, eilc persistiu na sua resolueao, deixou
o t>ac do Kartha marcando-lhe lugar, segiinda-f ji-
ra de Paschoa, na cha:, da Montanba-\ ermel 1a.
Depois retircu-se, nao s_'m lanzar Mari.ua olhos
de amorosa compaixo. De passagem, descobriu
ts eruzes pretas do cemiterio que se lornavain vi-
sivcU no firmamento, e orou por muito lampo so-
bre c tmulo do sea pae
Miguel via rom medo fugirem as horas e ap-
p:oximsr-so o dia do cmbale. Pareca que Ueus
casiigava da sua inscnsibllidade para com a f i-
milia de Nicolu, e para abafar o grito da sua
<:oTisrienci, promolteu, se sahisse viclorioso da
hita, irem romaria, com os ps descalcos e a ca-
b^i 'Jescoberta, ao celebre convento de Martkop-
(ii (i), e dar a os frades trinta libras de cera du-
rante seto anuos.
O f.ol madrugador da que esclareca ao longo os cimos nevosos do Can-
caso, duroi. os telhados verdes e brancos de Tifl s.
Bm toda parte reinava a alegra ao som da musi-
ta, e o novo, revestido do seu trajo pittoresco, cor-
r", en ondas para e ibeatro da Testa j descripo
oprincipie desta narrar.io.
Ao primeiro signal, ambos os combatentes tonu-
am posicac, e um circulo numeroso cercou-os. U*
o&fi icladore > desla Iota tlescgual em principio fi-
caram mudos de admirarao ; um dos campeoes
..ir?, nuco o baixo, o outro era alto e estavano vi-
gor di edade,
O resltalo da peleja nao poda sor duvidoso
aas o povo georgiano nao sabe guardar por raui-
w lempo a sua graridade, e tendo conreado a lu-
up:irciDte urna multido silenciosa, continuou logo
depois no muiu de estrondosas gracolas. O joveu
.fthleta, paludo de ra va, eouservava-sc na defen-
siva, o desviava com maravilhosa destreza os foi -
nidaveis golpes de Miguel.
finalmente este receben, aos applausos dos cir-
ramstantes, tres feridas, e a multido exiga qu:
i* cotibaientes descaneissem. De novo, e con
gouca demora, elles accommelteram-se reciproea-
aiente. Logo tira immen-0 bramido resoou. Esti-
ba acallada a lula. Herakl conservava-se firni
4 arrogante, sem uiua s esfoladura, dianlc do sen
alrjrsurio, prostrado no chio. Elle agradjeeu i
aus dentro do coracao, dizendo comsigo : Meu
fue, esuas tingado ?Depois ajudou a Miguel:.
levantir-se, o o colosso batido foi transportado
as xa sua casa n'uma carr?ta
Tarakl, logo que soube que o pae de Martha ti"
liase restabelecido das suas teridas pouco perigo-
sas, foi ler com elle. Miguel eslava triste, rao cor-
respondeu saudacao do vencedor, e Mariha vol-
icu-lhe o rosto.
- Chlt Miguel, corro passas, disse alegre,
unte Herakl. Estas amuado boje. Ah t ah !
e*>te com as maos raslas romo a bolsa do um prin-
ci.w de Kakr.etia I
Como o ranecroso Mingreliano anda guardasse
aihnck, continuou a sondar delle.
- Qaeres ser meu criado? Ah I estes dous pe-
queos cercados, que tueste a bondade di tratar
Aranta um anuo, v, sao formosos, esli ebeio;
de rerdura, de Mores, de fructos, demelancias qw
Carera "Ir agua bocea.
V. rna linda fgido para o interior da cabam
onde se fechara.
- Ojve, paezinho, coniinuou maliciosamente i.
lho ie Nicolu; conversnos com seriedade, seni
anganno-nos, como bons amigos. Tu o sabes,
amo tin fliha. e o amor que Ibe tenho, salva-te da
pobrera.
Qie qner dizer ?...
Conservo a heranca paterna; quanto ti, to
na a tua propriedade, e di-me Martha.
A pequea porta da saMt entr'abriu-se devagar.
3 rak de alegra illumiitou de repente o sem
Maule (le Miguel que chaniuu em voz alta: Mar
tba t Eiilao a porta abriu-so de lodo, e a lilha de
liguel cahiu nos brafos de Herakl.
Internamente Miguel estiva pezarosododesfecho
desta aventura, mas recuaijou o seu rau humor e
tienden a mao seu gonro.
Mirtba, disse elle, psra festejar este feliz dia,
wae buscar um cntaro de vinho.
(4) Mosteiro fundado no 5 seculo.
A rapariga, com o rosto risonho, voltou, e entre-
tanto que os inimgos reconciliados bebiaina peque-
nos tragos o vinho de taWeia, ella cantou com
voz comrro,-iJ' es,a (anjao indgena :
Os tres cavalleiros.
Samila vu quinz reSM madurecereni os po-
mos; olla bella como urna rosa que desabrocha
ao deslomar d'aurora.
t Todos os jovens seubores, seus vizinhos, que-
i.iam-u'a por desposada; m as o bravio pae jurou
r/uc ella nao teria esposo.
Elle echou-a, a linda joven, na masalla torre
do seu ea-tello, edificado sobre urna montanha inac-
| cessivel, em cima de urna ingreme rocha.
t Dia e noute, Samila chorava, chorava, o por
una estmia Janella proeurava ver se alguem viril
liberta-la. >
Ellapassava a mi atravez da.- grades de fer-
ro, c agtava para o ar o gen vu braneo, orvalha-
do de lagrimas.
Lina manhia peatn um cavalleiro montado
n'um eavallo preto, mas gil do que o leopardo, e
. que cliaiuava-se simdiidr (riqueza).
t O cavalleiro esporou o bucfalo, e esle sallou
at pnmeira janella da torre.
(Va manhia seguinte appai eceu outro cavallei
ro que galopava n'um cavallo pardo, chamado sim".
ratmiTc (belleza).
Elle no seu vo apenas tocou na segunda ja-
nella da torre, tornou a cahir no slo, e muito en-
vergonliado fugiu pelo lado de um iwqiiAno
: Samila chorou tuda a uoute : mas, ao nascer
do sol, ainda chegou um outro cavalleiro que ira-
zia um cavallo russo, chamado sikhvarouli (amor).
i _t A princeza guardou as suas lagrimas no cora-
fao, sorriu de longe para o cavalleiro, agilou o seu
| vu e eslendeu-lhe ambas as mos.
O cavallo russo arrojou-se, como se livesse azas,
e chegou terceira janella da torre onde languecia
a prisioneira.
t Samila gntou de alegra., precipilou-se nos
bracos do cavalleiro, que levou-a pelos ares e deu-
llie um longo beijo.
Elle conduzu-a ao seu eastello, onde despo-
sou-a, e o amor fez o que- nao poderam fazer a ri-
queza e a belleza.
Herakl, que comprebendra o sentido da can-
fio, apertou de novo Martha sobre o coracao agr-
decendo-lhe com um terno sorriso.
A historia que acabo do referir em sua eslranhe-
za toda local de recente data. A 2 de setembro
de 1860, eu me tinha reunido aos peregrinos que
rio annualmenle visitar a grande calhedral de
Mtzkhta, amiga capital da Georgia, que apenas
boje umaalda sem importancia. E' um espectculo
| interessante essa diversdade de trajo?, em que
j brilha oouro, a seda o capello mingreliano e a li-
i gadura bordada com que os Imerilhianos ornam a
caneca, cruzam-se com os bonets de pello de cor-
deiro da Georgia.
Homens c mulheres, fldalgos e camponezes, ludo
confunde-se na cidade arruinada, que parece um
momento restituida vida. A minha curosidade
de viajante conduziu-me egreja, cercada de um
muro ademado como urna fortaleza. Eu era acom-
panhado pelo principe Aleixo Fvanovitch. A egreja,
magnficamente Iluminada, enchia-se e ficava vasa
de quarlo em quarlo de hora.
Os peregrinos, vndos dos suburbios, estes em
carruagera ou cavallo, aquel les p, uns com a
cabega descoberta, outros de joelhos na poeira.
apertavara-se no templo, oravam, accendiam to-
chas diantu das reliquias, taziam votos, beijavam
piedosamente as lageas e os umoraes.
No meio da multido, note um rapaz e urna mo-
ca de belleza peregrina, e que, inclinados sobre o
ladrilho, tocando-o com a frente, entregavam-se a
todos os affectos da mais fervorosa piedade. Como
eu dsse a conhecer meu companheiro o inleres-
se que me inspiravam esses jovens de physionomia
ao mesmo tempo tao affavel e grave : Sao, dis-
se-me elle, Herakl, Olho de Nicolu, e sua tnulher
Martha, a mais bella flor da Georgia.
HimrioueCantkl.
(Rtvw des Deux Mondes. Trad. por A. Mendoza.)
RetrospecU potitico do anno de 1863.
ni
PARTE EXTERIOR.
America.
ajMaUOl ARBNTINA.
^C0N//WII Com esta continuam a ser lioas as nossas rela-
Qes, apezar das aecusacoes que constantemente
nes faze^n, e que podemos relevar com a magna-
nimidad do mais forte, e a consciencia de sacrifi-
cios feitos de que nenbuma vantagem colhemos.
Comtudo, se a imprensa oriental se mostrapara
comnos muius vezes violenta e quasi sempre
injusta, o governo mais moderado. Em julho to-
rnou ali o Sr. Dr. Joo Alves Loureiro ronta da le-
gafio, que por algum tempo ficra cargo do res-
pectivo secrctarie, o Sr. Ignacio Avellar Barbosa
da Silva, e as consideraeOes de que cercado o
nosso representante corrospondem posicao que
deremos sempre oceupar no Prata. Se nao pede-
mos de todo evitar que os Brasileiros se nao enzol-
vara as lulas internas desse paiz, tambero certo
que ambos os partidos os procuram desviar da sua
neutralidade, e que o partido blanco tero sempre
comrnettido o grave orro de mostrar-se anthipa hi-
co aos nossos compatriotas ali residentes.
FOLHETIM
O ANNEIi If AI i HIH.
vi
(CONTINU>QA0.)
(utros fragmentos de datas diversas.
Acabf. de acontecer-me, Thereza, nma aventura
4errivel. Miuha sorteeslpara sempre flxa. Mor-
erei so!leira, est decidido Perdi meu annel de
casamento. Eis o desastre em poucas palavras.
Urna .tartida de pela eslava organisada. Para
anelhor ,^egar minha raquelta tirei oannel do dedo,
e o puz bem enrolado em roen lenco, sobro o pe-
destal da grande sphinge que Edmundo fez enllocar
na extremidade do jogo da bola. Passcamos de-
els a batel, e rollamos pelo bosque ao clarao da
a. Nn decurso da noute e quando estavamos
unidor, ao sali, pela pnmeira vez percebi que o
annel nao estar em meu dedo, e fui inmediata-
mente meu quarlo para ver o lenco em que me
embrava peritamente de have-lo am.irrado.
Achci-o onde liavia deixado, sobre a mesa do tou-
cador, e o desdobrei com o maior cuidado. De
anas pregas voou urna pequea mari|isa que foi
Duramente queimar tuas izas de velludo na chara-
toa de minha vella. Era, oenso, urna dessas lin-
das sphinges que temos tantas vezes perseguido
os irados do eastello.
Apezar dcsta oonjectura esencialmente prova-
rel, nao eslou por isso menos convencida de que a
mariposa era meu noivo. O annel mgico, secre-
tamente mtame rphoseado, ler-se-ha tornado esse
amante temerario que o desespero ha condu/.ido ao
auiridio, em todo caso, desippareera de meu len-
(0 e nao foi inda arhado. "lorae pela der-graca
que me succede! Son vimflTa'uma mariposa I...
Esrrevo-le, minha Therea, rom o coracao cheio
de alegr a, mas d'nma alegria calma porque ella
complet, A ti, minha amiga, minha irma adop-
tiva, devo fazer partilhar, se poder, esta felkidade
a qne nao saberei achar um nome em nenhuma
Brigua conhecida.
Nio zombemos do annel mgico; devo tudo a este
poderoso amuletto. Nao peders ler a pagina que
vou tracar sem partilhar o reconhecimento que me
inspirara este velho talismn oriental e sua benigna
influencia.
No dia seguinte ao que mandei minha ultima
carta cora direcco ti, ionios despertadas, eu v
minha mi, por alegres toques. Uns vinte caceado-
res chegavam nossa casa, de improviso, foi ne-
cessano levantarmo-nos toda pressa para acolte-
lo-. Durante o almoeo, nesta ala d'arroas que
conheces, os olhos dos convivas se suspendern!
sobre esse retrato de familia em que estao repre-
sentados duas personagens de outr ora, um caval-
leiro e una castellaa, dando esta ao primeiro, que
os recebe com toda deferencia da antiga galantaria,
seu cinto e trompa de caga. A semelhanca de F-
lix cora o seu antepassado foi feralmente notada,e
um dos conriras quiz absolutamente achar algumas
' semelhanca'.; entre mira e a dama de outr'ora. Des-
sas parecnras nasceu a idea, assaz natural, de
executannos, Flix e eu, urna ejpccie de quadro
riro, representafio mais ou menos liel da imagem
encaixilhada nos fossos de carvalho. No momento
em quo Flix se prestando ao gracejo, vjnha ajoe-
Ihar ante mim, eu llie (iz ver que o vento, encana-
do pela rhamiii, tinha laucado sobre o soalho cin-
zas misturadas de carvio miudo. Elle arnsrava,
pois, nesse brinco, a brancura sera mancha de seu
vestuario de cassa. Tal obstculo nao era de na-
tureza de suspende-lo um instante se quer; pegou
em seu lenco, estendeu-o sobre as cinzas espalha-
das e se |h3z de joelho com a sua costumada viva-
: cidade; mas no mesmo instante vi contrahir-se seu
! rosto sob a influencia d'uma pungente dr. Rus-
cando levantar-se, estendeu machinalmenle os bra-
1 ros e suas maos, que buscavam um ponto de apoio,
encontrarain um leve velador carregado de fra^eis
curiosidades, crystaes e porcelanas pela mor par-
te. A queda do movel foi immediata, e seguiu-se
urna horrivel desordem na qoal Flix flcou com a
mo profundamente cortada por um fragmento do
crystal. Edmundo levantou seu irmo, eslancou-
Ihe o sanguc que corria era borbotao, e recommen-
dando-lhc que flcasse junto de nos, partiu em seu
lugar para guiar os cacadores.
Depois que partiu. Febx caiu pouco pouco em
urna espacie de scrrnolencia. e eu conversando
O anno de 1863 veio encontrar a nova Repbli-
ca Argentina j dilinitivaraente organisada. Qur
islo dizer que os governadores de todas as pro-
vincias que compunhara a antiga oonfedcracSo ti-
nham rcconhecido o governo central estabeleeido
em Duenos-Ayres e jurado a mesma constitui-
cao.
Comtudo o anno, cujos suceessos mais inerao-
raveis aqu vamos rpidamente esbogando, nao foi
ainda de paz para aquellas lao agitadas regies.
O partido vencedor, derribando o governo do Pa-
ran, tio tinha, ou por generosidad ou por o nio
poder desde logo, esmagado completamente o ven-
cido.
Teria sido um bem se esta pasiassc a constituir
urna opposico vigilante sempre prompta a de-
nunciar as culpas dos contrarios e a aproveitar-se
dos erros c fraquezas delles, sem sabir jamis do
campo legal de urna lula constitucional e pacifica.
Mas nao este para isso asss adiantaJos os povos_
gaucho s combate as laucadas, e as suas con-
tendas plela-as as planicies e BM sorras, nao ao
lado das urnas.
Por isso era fcil de prever que em quanto
autiga caudilhagein restassem elementos seriara
estes aproveitados para urna lucta sangrenta, nai.-
conseutanea com os hbitos nmadas daquellcs ho-
mens inquietos e turbulentos que nao sabem dar
melhor expansao necessidade que sentem de acti-
vidade e prova de torcas. Assim, logo desde o
principio do anno diversas tentativas revolucio-
narias se manifestaran! as provincias mais re-
motas.
S. Luiz, Rioja, Calamares e Mendoza nunca dei-
xaram de ver-se infestadas por salteadores, que
outro nome nao merecem hordas quo sem fazer
distinecao entre araiges e inimigos pera o seu
lito lio sonientc no roubo e no saque, e infeliz-
mente se estes faziam soffrer os povo.-, as tropas
mobilisadas para exterraina-los nao causavam me-
nores dainos, e com as crueldades e violencias
feitas em nome da revolucao e da guerra corriam
dignamente parelhas as tropelas commelldas em
nome da paz e da ordera.
Em fins de marco, porm, engrossarara as guer-
rilhas na Rioja a ponto de se atrever n a invadir
em forca organisada Cordora e S. Luiz. Desbara-
tou-se o ralente coronel Sandes, que tiestas guer-
ras, se salras as devidas proporc.5es licita a
compararao. fez mais de urna vez lembrar a Od
campeador.
Commandaram esta Torga, assim dispersada mas
nao aniquilada, Ouliveros, Potrillo, Miuuet e ou-
tros, tudo gente de Pcnalosa, cuja guarida era a
Rioja, pelo que resolveu o governo gcral mandar
guarnecer aquella provincia por tropas suas, a ver
se na sua origem suffocava .o mal, e commis-
siou para isso Sarmiento, governador de S.
Juan.
Apenas despejado o territorio de Cordova da in-
vasao de gente da Rioja, viu-se Mendoza invadida
a seu turno, porm de outro ponto. J nesla pro-
vincia um lauto singular se dra anteriormente,
que nao devenios omittir por parecer-nos caracte-
rstico.
Um dia estando trabalbando a assembla legisla-
tiva, penetra a tropa no recinto da cmara, e qur
obrigar os dcpulados a revogar urna lei pouco an-
tes votada, cque nao agradara. Dssolve-se tumul-
tuariamente a cmara, e recorrem os deputados
ao governo neutral, que a todo o custo proeurava
fazer reentrar as cousas nos seus eixos, quando
se deu a invasao.
Parta esta do Chile, e eram seus autores os
emigrados ali asylados. Commandava-os o coro-
nel Clavero, que foi batido com perda de i3 ho-
mens, e do raajor Eizaguirre, seu immediato.
Mal conjurado aqui o perigo, chega a vez de
Calamarca que se v araeacada por tropas da roes,
roa Rioja, foco pereune da agitacao que convulsa as
provincias vizuhas. Era Varella o aggressor, mas
as tropas de Tucumau e Santiago acodem a lempo
de cobrir e salvar a capital. Ento vimos, por um
momento Sarmiento, o commissario que devia es-
raagar na Hioja o germen da revolucao, recear
antes urna invasio della, e declarar em estado de
sitio a sua provincia de S. Juan.
Entretanto fraccionadas em pequeos bandos, e
por ventura mais atientas plhagem do que aos
combates, nada de consequencia podam intentar
as guerrilhas, que com o auxilio daquellas tropas
das provincias mais prximas (orara successiva-
ineute derrotadas, on se derstn como taes, em S.
Luiz, Cordova, Tucumau e na mesma Rioja. Mas
como liydra renasciam as cabecas, assim renas-
cem insurreicao os seus bandos, hoje desfeitos
aqui para ainauha reapparocerem mais longe.
Clavero desaaratado e feito prsioneiro cm Men-
doza, Penalosa soffre smente a primeira destes
desgracas as planicies da Rioja s maos de San-
des, livrando-o da segnnda a rapidez dos seus ca-
vallo-, que soia monta-Ios excellentes em occa-
sies taes o astuto caudilho. Fugia elle sem des-
tino seguido de sos 70 homens, quando a fortuna
llie abriu um asylo que mais era para vencedor
do que para vencido. Na capital de Cordova r-
benla urna revolucao capitaneada por uro simples
sargento; Penalosa lanca-se na cidade com os
seus, e de errante e fugitivo converte-se em do-
minador.
A capital de urna provincia as maos do ter-
rivel Chacho era um successo grave, e mais gra-
ve seria se o caudilho tiresse os talentos preci-
sos para urna guerra regular. Nio os tinha,
mas ainda assim o governo de Duenos-Ayres jul-
gou o caso digno de un esforco malor. O minls. vico deve prestar ao Commereio e estrada 4e fer*
tro da guerra aahiu logo para o Rosario afim de'ro enIre Rosario e Cordova, cujos trabalhos fo-
nramiur nm ,naj; b.j. .... n. ram inaugurados, nao poder deixar de ser ai),
orgamsar urna cxpedica e confiada estaa Pau- era*0(]a a par|e> ^uma w a|ayanca
iero, marchou o general a testa de .1.600 lio- progresso e da pro-peridade.
Nem joi si este que mereccu a alinelo dos po-
deres do estado. Tratou-se de prolongar a cha-
mada via frrea do sul j existente, e de abrir urna
nova de Ruenos-A\ res ao porto da Enseada, n'uma
distancia de 12 leguas." OffereC* esR porto abrigo
a navios de alto bordo, que all desi-arregarao rom-
raodamenlc as suas mercadorias lo^'o que possam
ONU.
Penalosa nada tinha feito para sua defesa, e
derrotado a 28 de jutiho, mais urna vez deveu a
salvacao carreira dos seus ginetes. Aqui torna
a occorrer o uome do coronel Sandes, que, mal
restabelecido do una lancada recebida n um re-
contro cm Coras-Uraneas. foi aiudao here desta estas aceeleradamente e com pouco dispendio ser
iorinda transportadas por urna estrada de ferro a cidade,
1 I cujo commereio ter cora estas novas facilidades
Posse, que fugindo diante do raotiin de Cordo- consideravel incremento,
va, para suocar o qual rao nao podiam faltar mBom s>'n>ltoma f0, fazerom-se por toda a parle
f,. _,_____ .. lera paz as eleiroes. Incidentes houve-os, comoqua-
lorras, entregara, senao traicwra ao menos eol-l8 nao pode deixar de ser, mas nenhun. lomoupro-
po-amente, a capital ao inimigo, obrigado por. por^oes serias, e a 1 de maio reunlu-se em Ru
Paunero a renunciar n governo da provincia. Pe-1 nos-Ayres o eongrosao naciona
nalosa acolhendo-se a Rioja, contina a infesta-
I a com guerrilhas, mas novos revezes oobrigam
a fugir na direcrao da cordilheira, parecendo
querer ir buscar um refngio na Holivia. Varios
dos seus teuentcs tinham rahido morios e a elle
mesmo o davam por ansas escarmentado. Tao cedo
nao voltaria por certo.
Assim, porm, nio succedeu. O seu genio a-
ventureiro aspirava novos combates, ou antes, o
deslino arrastava. Tinha de cumprir-se o seu fado,
e o tigre das planicies havia de vir morrer s maos
do cacador as mesmasbrenhasem que pisa va. Em
setembro reappareceu Penalosa que nao estivera
ocioso ho intervallo. pois mostra-se a frente de
urna numerosa partida de sequazes seus. Qur
cntao tratar de potencia potencia com as auto-
ridades constituidas, e dirige ao governador de S.
Juan nina uota, laucando a culpa da guerra sobre
o governo de Huenos-Ayres. econclue por pedir
que Ihe facam propostas para assentar pazes. O
governador por sinecridade ou por calculo res-
pondeu formalmente, discutindo com o caudilho,
que entretanto vae alcanzando algtimas vanlagens
sobre as tropas da provincia.
A estrella de Penalosa ainda Ihe sorri ao ocaso'
fulgurando com novo brilho. O chacho campea na
Rioja frente de 1,000 homens, o seu tenente Ou-
tiveros oceupa o norte de S. Luiz, S. Juan est
quasi rendida, e, o que vale vinte victorias nestas
pequeninas guerras de escaramuzas, o valente co-
ronel Sandes expira, perdendo nelle Ruenos:Ayres
o melhor que poda oppr a tal inim'go.
Ao mesmo tempo agitava-se a Imprensa de En-
tre-Ros cora descomedimento, pronunciavase a
resuelto do governo central era termas taes, que
todos diriam a revolucao prestes a estalar naquel-
la provincia, alvo da constante desconfianza das
outras.
Se Urquza. governador, on antes senhor della,
hasteasse neste momelo o pendi da revolta, fa-
zendo causa commuro com Penalosa, profundo se-
ria o abalo era toda a repblica. A isso pareca
impelli-lo al o cuidado da propria seguranza, pois
nao inipossivol que o dia em que Flores trum- ,.
phar no eslado visinho sejaa vespera do termo do fallarenws tratando desta repblica,
seu senhorio era Entre-Ros,
. cujo principa
empenho foi iv>t ihelerer o crdito do estado, re-
gularisando e diininunJo o agio do papel-moeda.
Ordenou-se que fosse este recebido em todas as
repartiges fiscaes pelo cambio do dia, autorsou-
se a creaco de bancos de emissao era todas M
provincias, maree u-se o valor das moedas de ouro
e prata nacionaes e estrangeiras, e outras medidas
se discutiamou chegaram a tomar no mesmo lou-
vavel intuito sem que a assembla provincial pro-
curasse secundar o congresso, som que todava es-
tes esferens combinados conseguissem o desejado
effeilo que somonte podo ser obra do tempo lem-
po, auxiliado pelo lino e sabedoria da administra-
Zao, quando o nao tao profundo como chegou a
ser infelizmente.
Approvaram-se tambera as convenres feitas
com a Inglaterra, Franga, Italia, Bobas, Prussia e
Estados-Unidos, Osando as rsekunacdes em......
6,961,108.
A reeleicio de D. Mariano Saavedra para go-
vernador da provincia de Uuenos-Ayres removeu
os recejos do conflicto entre as autoridades nacio-
nal e provincial, que fcilmente poda dar-se.exis-
tindo ambas na mesma cidade, se para governa-
dor se tomasse um hornera cujas deas se nao com-
binas-era cora as do presidente Mitre. Mais tarde
urna questao sobre qual das duas legislaturas, a
nacional ou a provincial, legislara para o muni-
cipio, pedera anda irazer o mesmo conflicto, se a
prudencia e modoracfio de arabas as partes nao t-.
vessem conjurado o perigo.
As relacoes da repblica Argentina com o Bra-
sil foram e continuam a ser das mais amigaveis,
posto que os necessarios e urgentes ajustes de 1857
ainda estejam pendentes. 0 nosso ministro resi-
dente etn Montevideo, o Sr. Dr. Joao Alves Lou-
reiro, foi Buenos-Ayres, aoque parece, nao para
negociar sobre lio importantes assumptos, mas pa-
ra conhecer o carcter dos auxilios que o general
Flores recebia do territorio argentino. 0 resulta-
do desta missao, cuja natureza nao ainda bem
conhecida, mas que nao podia deixar de ser ami-
gavel o conciliadora, foi rertamenle satisfactorio, a
julgarmos pela rordialidade com que logo depois
foi recebido o ministro que ali acreditamos, o
Sr. Felippe Jos Pereira Leal. Deus quera que
tao boas disposicdes sejam elnrazmente aproveita-
das pelo Brasil e pela repblica em regular e de-
cidir de urna vez os seus negocios pendentes.
O anno de 186:1 fechase para a margen direila
do Prata dexando um horisonle claro e lmpido,
em que apenas apparece urna nuvemzinha; urna
ameaca de guerra com o Estado Oriental, de que
em voz baixa com minha mae perto da cadera em
que elle estava sentado, nao sei que acaso na ron-
versar fio me fez pronunciar, a proposito do annel
perdido, n palavra nupcias ou antes a de noivo.
Flix abriu logo os olhos: Noivo ? repetu elle
com accenlo febril; de que se trata, cu vos sup-
plico ?
De ninguem, respond um pouco contrariada ;
mas esta simples asseveracio nao o acalmou, por-
que, lendo a condessa deixado o quarto poucos lis-
iantes depois, pz-se a olhar-me com grandes olhos
espantados em quanto Ihe contava a historia do
presente de Edmundo, do destino que recebra, e
embarazo ero que me lanzava a perda dessa joia,
combinada cora a especie de juramento que pres-
tara Flix, cada vez mais pensativo, mal ouvia
essas puerilidades com as quaes proeurava distra-
h-lo. Nova I repetu emllm. Nesse caso deixa-
rieis de ser minha irmaa t... Nao sei porque esta
palavra me entristeceu de reponte, e me tornou
muda. Um penoso silenrio se estabeleceu entre
nos, e querendo quebra-lo todo custo, Ihe ped
algn- delalhes sobre a causa dessa estranha queda
que tinha dado ineus ps.
Na verdade, eu mesmo a ignoro; meu joelho
pousando no chao, deve ter encontrado algum pre-
go ou pedra qualquer, porque sent no mesmo ins-
tante urna dr aguda que inda se nio dissipou in-
teiramente.
Viudo, Ihe disse, vamos juntos procurar a ori-
gem desse accidente.
Na sala era que o almoeo fra servido, tudo an-
da se acbava no mesmo estado, nao tendo os cria-
dos nella entrado depois delle. As cinzas anda
branqueavara o soalho, o lenco de Flix estava no
rtiesmo lugar, isto em face da chamin, e em
quanto elle se abaixava para apanha-lo, eu me in-
clinara, buscando adiar entre os destrozos dos ri-
dros e da loura, o objecto cujo contacto pode cau-
sar-lhe lio pungente dr, quando elle punha o joe-
lho era trra.
t Nao procuris mais, achei-o I exclamen elle
esplorando cora o pollegar e o index todas as do-
bras do lenzo. E julga de nossa sorpreza quando
abrindo-o de repente, descobriu-se o annel myste-
rioso... o annel do Egypto I...
Olhamo-nos em silencio, e so Deus pode saber o
que se passava no fundo de cossos corazes...
apenas tolerado e
nunca bem visto pelo partido dominante. A pre-
senca de Derqui, do antigo presidente da conede-
racao, naquella provincia ainda mais vehementes
reio tornar as suspetas.
Mas Urquza, nada ousou, o Penaloza tal vez le-
vado pelo presentmenlo da sorte que o aguardava
dirigiu-se nio jao governador de S. Juan, mas ao
mesmo governo central com propostas de paz. Nio
era porm tal ainda o seu poder que o governo
descesse a tratar com o subdito rebelde ; pelo con-
trario, nao tarda este a vr-se acabrunhado por
forcas snperiores que o cercam, e em seguida des-
baratado as visinhanzas da capital de S. Juan.
Ainda urna vez depois de tantas o caudilho fiada
fuga a liberdade e a vida, drgindo para as piaui-
ces da sua Rioja a desesperada carreira do seu
corcel inimigo. Em vio corre, qae mais veloz
corre atraz delle a morle. Foi em Olla, um sitio
da costa baixa da Rioja, que n'uma citada o colheu
o major Igarzabal, e colhe-lo e passa-lo pelas ar-
mas tudo foi um. Em desculpa de tao feio proce-
der allegou o major o perigo de cora a pouca gen-
te que tinha escoltar prsioneiro de tal importan-
cia, atravs de orna provincia infestada de bandos
armados. Cumpre dizer em abono do governo de
Buenos-Ayres que reprovou elle lio indigno acto,
mas se fez mais do que isso nio o saltemos ainda.
Assim termlnou a sua aventurosa carreira um
hornera que por longos raezes trouxe agitadas urnas
poucas de provincias e cm sobresalto toda a rep-
blica. Alguns dotes devia elle ter, mas. para apre-
ciados, fallecem-nos os dados. Com elles extin-
guiu-se a guerra civil por agora, e oxala que por
muitos annos, embora seja roais licito deseja-lo do
que espera-lo.
Os bandos que ainda vagara pelas provincias
remotas podem amearar as vidas e fazenda dos
moradores, roas au perturbar a paz do estado
eniquanto novo chefe os nao reunir sob um com-
mando prestigioso.
Em Entre-Ros baslou ura acceno de Urquza
para acalmar a imprensa, e Derqui obedecendo a
intimacao de Buenos-Ayres retrou-se da provin-
cia. Assim vemos ero toda a repblica reinar
paz e a serenidade, se que sob a cinza de mal-
apagadas lulas o fogo latente nao ameaca novo in-
cendio.
Tambem os Indios deraro que fazer este anno
como sempre, e varias expedicoes contra elles se
emprehenderara.
Se dexando os sertoes por onde at agora te-
mos vagado conr.entrarmos as vistas na sede do
governo nacional, mais grato espectculo se nos
offerece.
De Buenos-Ayres partiu o abalo, que derrocan-
do o gorerno de Paran ergueu sobre a relha fe-
deracao (relha antes do tempo) a actual repblica
de Buenos-Ayres remos partir a accao vivificadora
que ir pouco a pouco introduzindo as semi-bar-
baras regies sertanejas os poderosos elementos da
eivilisacao, que modificando os hbitos de vida
selvagem modificario conjuradamente a ndole in-
quieta e insoffrida dos povos.
A 15 de Janeiro installou-se o supremo tribunal
dejustica para a narao argentina, sendo nomeado
presidente delle o Dr. D. Francisco de las Carre-
ras. Assim se deve uniformisar a aduiinistraeo.
O banco de Londres, Buenos-Ayres e Ro da Prata,
iustallado tambem no correr do anno, algum ser-
Como explicar tudo isto ? Muitas vezes o temos
perguntado passeiando, encostados um no outro,
nessa alameda, na extremidade da qual se levanta
a sphinge providencial...
Flix lembrou-se ento que tinha tambera collo-
cado seu lenzo sobre o pedestal, durante a partida
da pela, o estouvado, affastando-se, ter sera duvi-
da tomado o meu lenzo em lugar do delle, e o en-
levo do jogo me ter impedido de notar a troca.
Mais tarde, persuadida de que o annel devia ter-se
perdido no bosque ou na alameda, nio tratei de
verificar se estara em um outro lenco, que o meu,
onde estava bem certa de have-lo posto...
A' volts dos cacadores, meu segundo pae, todo
feliz da uniao projectada, quera annuncia-la sem
perda de tempo. A condessa, porm. nao achou
que fosse conveniente dar urna tal noticia a nin-
guem antes que Edmundo, chele futuro da familia,
soubesse e ralifirasse o mutuo erapenho que nos
liga de hoje era dianle.
Edmundo entretanto nao havia tornado a appa-
recer. A volta de nossos hospedes, os preparati-
vos do janlar, o tumulto e a desordem que reina-
vara no eastello, nao tinham permettido que se no-
lasse sua ausencia. Quando se pergunlou por elle,
nenhum creado soube dar a menor noticia, salvo
um jardineiro que pretenda te-lo visto por traz da
estacada do jogw da bola. L ni dos cacadore- dis-
se que Edmundo, logo depois do hallali se tinha re-
tirado esquinando, protestando ter alguraa cousa
a ver nos arredores, e como na orrasio se laiia
o radastro do senhorio, esta desculpa foi adiada
plausivel. Elle a todos nos socegou, e os caemlo-
res esfameados se pozeram a comer como topos.
O conde todo entregue aos deveres da hospitali-
dad!!, a nada attendia, nossa mae porm conserva-
va urna physionomia inquieta, quo me parecen de
mu agouro. Quasi no liui da comida, una certa
agtaeose manifestou entre os criados, e ura del-
les foi fallar ao ouvido do conde, que Arando de
repente paludo, quiz levantar-se para deixar a me-
sa. Quando elle viu a Bondosas ja em i> dispos-
ta seguido, tornou a sentar-se e fez virante elle
o lacaio de Edmundo, que entrou todo assoinbra-
do, portador das mais tristes novas. O cavallo de .
seu amo acabava, dizia elle, de entrar na estriba-
ra, sellado, com as redeas arrebentadas, e as
ilhargas coberlas de espuma... Apenas tive tem-
0 QUE ViE PELO MUNDO.
No da 4 foi lido no corpo legislativo francez
o seguinte projecto de resposta ao discurso do im-
perador :
t Sire O corpo legislativo parlilha aconianc,
que inspira a V. M. I. a renorazio dos seus pode-
res. Apezar da vivacidade da luta, as populacoes
mostraram, que se conserram sempre e profun-
damente dedicadas s instituicoes imperiaes,
rossa pessoa c rossa dymnastia. Vindo tomar
parte no exame dos negocios polticos, nunca per-
deremos de vista esses principios, esses sentmen-
tos : e procederemos de accordo com V M. afim
de as nao enfraqueeer.
V. M. teve razio de antecpar a opinio pu-
blica na viada liberdade industrial c coramercial.
A Franca, que por longo espazo duvidou de si.hoje
lem f as propria- forzas. As nossas industrias
conseguirn! por seus esforcoseos seus sacrificios
resistir concurrencia estrangeira. Ainda des-
envolvero maior energa quando virem multipli-
cados os meios de transporte mais promptos e
mais facis. Por isso, desojamos que nao afrouxe
o impulso dado s obras publicas ; que nao haja
demora naconstruezio de caroinhos de ferro, e
que o melhoramento dos nossos perros, rios ca-
naes, estradas e sobretodo dos caroinhos vicinaes,
seja constante objecto da solicitude do vosso go-
verno.
As nossas (naneas, prudentemente eeonomi-
sadas, libertas das circunstancias excepcionaes,
que sobre ellas pesara, poderio fazer face todos
os encargos do paiz, sem que so torne nocessario
recorrer ao crdito publico ou a novos iraposlos.
t V. M. cujas disposz5es liberaes nio se des-
mentem, annuncia-nos ainda novas reformas. Es-
tudareinos as que nos forera submettidas com o em-
penho de auxiliar o vosso amor ao verdadeiro pro-
gresso. Quaesquer medidas que tenhara por ob-
jecto : destruir os obstculos liberdade das trans-
aezes, assim como iniciativa individual; regu-
lar por theor equitativo, na questao do trabalho,
as relazes entre cidados collocadosem differentes
coniliees; augmentar as attnlmicoes dos conse
Ihos e dos departamentos, sem enervar o poder
central, serio por nos colindas com applauso e re-
conhecimento.
Associarao-nos ao interesseque V. M. professa
a tudo o que concernente religio. benefi-
cencia, s arles, s ledras e s sciencias. A ins-
trureo primaria tem-se diffundido rpidamente
desde 1848. Entendemos, como V. M., que o nu-
mero das crianzas della privadas ainda dema-
siado consideravel; confiamos todava que decres-
cer annualmenle, e que ha de desapparecer das
nossas estatisticas. em virtude do arre-rimo do
bem estar das populazes, que Ibes permittira
approveilar completamente a vantagem do ensino
gratuito. Tambem desejanamos que o ensino pro
fessional e agrcola, fosse elllcizinenle animado,
elevando-se ao mesmo tempo o nivel dos estudos,
que dio accesso s carreiras liberaes. Esle systema
complexo correspondera s aspirazes das fami-
lias e necessidades da sociedade moderna, for-
tificando todas as carreiras, e poupando juven-
tude frequentes malogros.
O corpo legislativo julga como vs, sire, que
as naeoes mais sisudaraente governadas nao po-
po de receber nos bracos a condessa desmaiada.
Flix, sem chapu, se lanzou fra da sala. Os ca-
radores seguiram-no correndo, e alguns minutos
depois, uns trinta cavalleiros, amos e criados, ca-
da qual levando sua tocha acceza, se rspalharam
era volta do eastello era todas as di roer oes. Se os
via ao longe atravs dos bosques tenebrosos pas-
sar, desapparecer e mostrar-se de novo como ou-
tros tantos fogos fatuos. Que noute, Thereza I que
noute horrivel I
Ao romper do dia alguns vol tarara, paludos de
fadigas, desfigurados e abatidos, sera trazereiu no-
va alguma satisfactoria, que sabiam ao certo
que Edmundo nio tinha ido ao lugar era que de-
viain eomec.ir os trabalhos da triangulacao. Al-
gura accidente tinha derido suspndelo no cami-
nho. Flix por outro lado nao havia voltado. De-
pois de alguns instautes de repouso, voltarara a
nova pesquisa, e o conde desta vez tomando meu
braco sera articular palavra, dirigiu-se penosa-
mente para o lado de una eminencia que domina
o Wcidnitz. Ha ali um pequeo banco de madei-
ra era que ambos nos sentamos, elle (cuitando,
seu rosto as maos, eu banhando seus brancos ca-
bellos com amargas lagrimas. Nao sei dizer-te,
minha chara Thereza, a desordera de ineus pensa-
raentos e a especie de inercia moral era que me
via lanzada nessas horas fataes. era que tudo pa-
reca desaliar era torno de mim. Figura-te as an-
gustias de um pesadelo misturadas, nao sei como,
porcepzo das cousas reaes, e o deslumbranieu-
to das lagrimas transformando etn horriveis coi-
meras tudo quanto passava a ineus olhus.
Tronamos ante nos um grande lenzol de lmpi-
da agua, sobre a qual flucta va ao longe, por entre
lividas rerracoes, urna barca negra. Quanto a
mira, esse barco era ura esquife descoberto que o
mar ii azia lentamente e no fundo do qual cria ver
o cadver do infeliz Edmundo. Suas rgidas fei-
Zoes estavam mais tranquillas o severas que nun-
ca. V-o de repente levautar-se e estender para
mira suas raaos supplieantes. la lanzar-me era
seu soecorro, roas una mi invisiv. I rae retinha
no lugar... O sonho cessou, a vi sao seesvaio. Em
vez desse mar e desse esquife, nio vi mais do que
a barca lentamente conduzida pela oorrente por
urna dasenseadas do rio. Ura hornera sentado a
proa da barca levanloa-se apenas ella abicou em
dem lisongear-se de escapar ^n-,, a'comoliea-
efie.. externas} e que devem apr^s sCe^P *.
.|A sem deseororoamento. As etXr^lon" -
qttt da China, da Cochinchina, do Sexw, que
se suceederam, inquietaram elTectivameme nit0>
ainos em rranga por causa dos encargos e dw
sactificios que exigiram. Reconhecemos que de-
vem inspirar ao longe o respeilo dos nossos na
cionaes, e do pavllnio francez e que podem tam-
o nosso commereio martimo ; mas
nos felices, se vrms realisar prximamente
os I ons resultados, que V. M. nos faz aguardar.
As recordajAes da nossa historia, os sent
raemos de hnmandade que profesamos, excitam
as nossas mais vivas sympattas pela sorle dos Po-
i o>. veremos, com p'ezar. que os esforgos com-
bin.-.dos das Ires grandes potencias nao consegu-
rain resolver es-a grave questao, segundo as be-
nvolas intenz-es de V. M. Tambem nio podemos
olvidar que o apoio sincero e cordeal da Russia
foi til Franga n'uma occasi importante. Sen-
tiramos que as nossas boas relazes com essa po-
tencia viessem a esfriar. Por isso applaudimos
com profundo jubilo a nobre idea de um congres-
so e iiopeu, cuja iniciativa constituir para o rei-
nado de V. M. indelevel brazo. A Franca qual
V. M. resMuio o explendor e a gloria, agradece-
vos por nao comprometter os seus thesouros, e o
sangue de seus, fllhos a favor de causas, em que
nem a sua honra nem os seus interesses se achara
empaliados. Doixae, sem pezar, sire, que algumas
prevenzes Injustas acolham cora desconfianza
leaes e pacificas proposigoes. As ideas nobres e
saas, que Deus faz nascer no coracao dos sobera-
nos para bem da humanidade, percorrem o seu
camnho no mundo, e tomam raz no corazo dos
povos. Aguardae plcidamente o effeto de rossas
palavras generosas. A Franca homognea, compac-
ta, segura da forca, conando em ros, nao receia
aggiessio alguma ; nao lera hojo outra ambicio
senao a d". consolidar o seu repouso ; desenvolver
o seu bem estar material por meto do trabalho e
da p.u, assim como o seu bem estar moral pela
pratica sincera e gradual das liberdades eiris
polticas.
Le-se no Qlctm :
E" impossirel imaginar ura contraste miis no-
tarel do que o que existe entre a caria prodigio-
same nte pomposa e prolixa do duque d'Augustem-
burg.) e a resposta do imperador Napoleaoli.
< O digno aspirante a urna possessao ducal.por
graca da agitacao armada da Allemanha, comeca
por (avor a conhecer a obngar&o que Ihe nnpoz o
fallecido Frederico VII, de tomar posse do governo
dos ducados do Schleswig e Holstein.
A Europa imagmava que o Schleswig e o Hols-
lein eram ducados separados; que tinham sido re-
conhecidos como tal pelo tratado de Londres de
18.52; que o pae do duque de Augusteraburg ha-
via, a 30 de dezembro do mesmo anno, assignado
um acto era que tomava o compromisso de nao
promover a menor alterazao na ordem de succes-
sao estabelecida naquella poca, o este mediante
uma iorama de 3,500,900 thalers, que Ihe dereria
ser piga pelo governo dinamarquez, como iudem
nisazo pelos seus dominios e possessees ; que o
lilho, o actual pretendente, jamis oppz a menor
objeciio, senao depois de ter recebido o dinbeiro.
e alera disso, se tivesse querido opper obiecces,
s palera funda-las na antiga Lex regia de Dina-
marca, e nio no recente tratado de Londres.
A Europa nao reconhecia tambera o autor
d essa. carta enrgica e pretenciosa, como legitimo
hevde.ro dos ducados; e egualmente nao julga que
elle tenha, como annuucia, tomado pos do seu
governo.
A dieta mandou sera duvida tropas para o
Ilolstoin por motivos bastante mesqmnhos, e mal
justificados; mas ainda nao iadossou a legitimida-
de da successio dos Augusteraburg, que aquella
carta se esforca por collocar debaixo do patronato
da Franca.
< A iinitacio nem sempre om cumprinwoto
agradavtl. Toussaint Louverture dava-se ares de
Napoleio negro.
0 duque d'Augustemburg procara o favor de
Napoldao III, pelo plagalo :
c Tambera eu, exclama elle, tiv, que Intar com
a advusidade.
0 imperador, em resposta, faz observar a seu
primo, que as grandes potencias esli unidas pela
convencao de Londres, e acrescenta que s e|la-
podero resolver as difficuidades da qnestio, e
que por consequencia lamenta que a Inglaterrra
tenha recusado assistir ao congresso.
Besolver as difflculdades que interessam o du-
que d Augustemburg (isto a qnestio da succes-
sio des ducados) de urna maneira diversa porque
foi resolvida ha onze annos, seria impossivel para
um congresso europeu, salvo se todas as potencias
que assgnaram a convenio de 1852 quizessera
cobrir-se de ridculo.
Urna conferencia d'essas potencias para offere-
cer a sua raediazo Dinamarca e Confederaran
Germnica, e para as levar a accetar alguma me-
dida conciliadora, seria mnito para desejar se fos-
se praticarel as circumsuncias actuaes; mas nao
podia suscitar questao que interessa o duque de
Augustemburg.
< E >ta questao nao a das suas pretendes pe- -
soaes ao Schleswig e ao Holstein, as quaes estao
pura e siinplesmente separadas pelas potencias,
cujos representantes assignaram o tratado de
1852.
t O imperador dos Francezes lamenta que a die-
ta nao tenha sido consultada (provavelmente era
1852) i respeito dos direitos de ura duque que la
zia parte da Confederaco Germnica, c deplora,
tambera que Confederaco se julge obrigada a
interrr no Holstein sera que a questio de succes-
sio tenha sido decidida.
< Pde responder-se que nenhura direilo, que
pertenra Confederaco, foi ollendido pelos ajus-
tes do tratado de 183z, por isso que o terceiro ar-
tigo di;: formalmente que t os direitos recprocos
i e as obrigacoes de sua magestale el-rei de Di-
< namarca e da Confederaco Germnica, direitos
< e obrigazoes estabelecidas pelo acto federal de
1815, e pelos actuaes direitos federaes, nao serio
alterados pelo presente tratado.
< O imperador dos Francezes deplora a execuco
federal que teve lugar ltimamente coro tanta pre-
ciplaciio.
De facto, ardor civium prava jubentmn nunca
se fez sentir de utua maneira mais notavel. A Di
namarca fez urna concessio e depois outra. A Al-
lemanha respondeu apressando-se a oceupar mili-
tarmente o Holstein, e ameacando de oceupar ama
provincia dinamarquesa, que nao chega a fazer
parte da Confederaco.
< Co Aprehendemos pois que o imperador dos
Franceies escreve, quando cooclue que se D-
t namarca fosse opprmida por visinhos poderosos,
c a opinio publica em Franca e em Inglaterra.
estar am ambas a seu favor. >

trra, e poz o p na ribanceira. Este homem era
Edmundo.
Foi preciso aperla-lo com perguntas para saber-
se com certeza o que Ihe havia succedido. O ac-
cidente de Flix, parece, Ihe tinha deixado algu-
ma- ini|tiietacoes, e foi por isso que elle aliando
nou a caza logo depois da inorte do veado. A nou-
te o sorprehendeu no instante em qne elle pene-
tra va na floresta e nao Ihe permiltiu dar com o ca-
minho. Em quanto apeado buseava orientar-se
as mal as de corle, seu cavallo, preso a urna ar-
voiv, -e espanten de algum ruido, quebrou as re-
deas, e ,iartiu galope. Edmundo erroutoda nou-
te em direreoes diversas, e so pela aurora se
achou s margeos do Weidmtz, de que seguiu a
principo as rollas sinuosas, at o momento em
que, entre os carrizos da margem descobriu urna
barquinlia vasia pertencente provavelmente a um
de nosses guardas. Era um inexperado soecorro
para sua fadiga deque seapossou no mesmo instan-
te, logo que verificou que nio fazia agua. Um ra-
mo de pinheiro, o mais recto e forte que pode cor-
tar cora sua faca de mallo, devia servir-lhe para
se dirigir : as aguas porm tinham augmentado, e
este Irme tosco tornou-se logo intil, e nao llie re.-
toii outro recurso que entregarse a vontade da
corrente. Deitado no fundo da barca, o fri o in-
torpeceu. pouco pouco, e s sahio desse torpor
quando recebeu o abalo produzido pelo choque da
barca locando em trra.
Tal fe i a narrara'i de Edmundo. Aps todos os
temores que nos tinha causado comprehender os
transpones de alegria que fazia nascer sua volta.
0 conde chorava em silencio, nossa mae nao se
canQavs. de abracar Edmundo. Flix estava lon-
co. Quanto ao pobre Edmundo, pareca morto de
cansazo, o cora a cabeza baixa, os olhos extractos,
a ro alerada, ficava estranho a estes transporte
causados por sua presenca.
Aps taes crises, a felicidade se gosa melhor e
eu te repito, minha Thereza, nao ha nenbuma
egual a minha.
\
s
'.(Cont intuirse-ka i
PKP.NAMBI.CO.- TYP. UE M. F. F. 4 FILHO.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWYRPG0T7_35IQ24 INGEST_TIME 2013-08-28T01:58:32Z PACKAGE AA00011611_10126
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES