Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10121


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\
J
A
1
I
f

<
ATO 11. ROMERO 19.
Por tres mezes adiantrnlos 5S000
Por tres mezes vencidos 6$O0
Porte ao correio por tres mezes. 57i
SEGUNDA FERA 25 DE JANEIRO DE 1864.
Por auno ada litado.....198000
Porte ao correio por ara anco 3$00U
DE PERNAMBUCO.
ENCARREGADOS DA SUBSCR1PC0 NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima
Natal, o Sr. Antonio Marque; da Silva; Araeatv, o
Sr. A. de Lomos Braga; Cear, o Sr. J. Jos'do
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SCBSCRIPCAO NO BOL
Alagoas, o Sr. Ciaudino Kaleo Dias; Bahia, o
Sr. Jos Martins Airo; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
rara Martina & G.isparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-f 'iras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tenas f.-iras.
Pao d'Alhc, Nazareth, Umoelro, Brejo, Pesqueira.
Ingazein, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as qoartas feiraa.
serinliaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimeateiras as quintas feiras.
Iha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi dia.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JANEIRO.
2 Quarto ming. as 5 h., 18 m. e 20 s. da m.
9 La nova as 5 h., 2;" m. e 50 s. da m.
18 Quarto cresr. as 8 h., 45 m. e 45 s. da t.
23 La cheia as 7 h., 43 m. e 14 s. da t.
PREAHAR DE HOJE.
Priraeira as 4 horas e 30 minntos da urde.
Segunda as i horas e 34 minntos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEMOS.
Para o sul at Alagas a 5 e 25; para o norte at
a GB.ija 7 e 22 de cada raez; pjira Fernando nos
dias 14 dos mezas dejan, rnarc, mriio.jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipuros s t /,, 7, 7 Vi. 8 e
8-Vi da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde ; de
Jaboato s 6 '/i da m.; do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Bemlica s 8 da m.
Do Recite : para o Apiparos s 3 '/ 4, 'A. 'A.
5, 5 Vi, 3 Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 Vi da tarde; para Jaboatio s 4 da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4 '/ da tarde; para
Bemflra s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: trras e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
to. Segunda. S. Ananias S. Jtirentioa m.
2. Terfa. S. Pol\c,r|io b. m. S. Theeginesm.
27. Qwtrta. S. Joo Cbrysostomo b. dout.
2H. Quinta. S. Goncalode Amarante domine.
29. Sexta. S Francisco de Salles b.; S. Papia m.
30. Sabido. 5. Adelelmoab. S. Martinha v. m.
31. Domingo. S. Pedro Notaseo: S. Cyro m.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa d.
Faria & Filho.
do arsenal de guerra.
Vicente Perfeira da Costa Miranda.Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
INTERIOR.
RIO lK J 4.MKIBO.
ASSEMlLEl GOAL
CAHARA lOM SI.MIOHl 38
IHI'lTilMIS.
rlIKIWRVTORI.V KM 24 DI DKZKMM-
bro di: 1803.
Presidencia do Sr. Zacaras.
As 11 horas da manhaa, feitaa chamada, achan
HBCUU SBSS.VO
O Su. i"
1 Skcrktario d conta do seguinte
EXnMBNTB.
Um oQicio do ministerio do imperio, communi-
muita vez, sao muito acertadas
Uutro eo mesmo ministerio, coinmunicando Drar de occasio.
iitteirado de terem sido approvadas as eleicoes
de S.
manas e secundarias feitas no 1 disirict
Paulo, com as modificacoes mencionadas,
< ssim de haver sido adiado o julgamento das elei-1
PARTE QFFICIAL.
GOVERNO DA reOVINCIA.
Expediente de dia 21 de jaueiro de 1S6.
Ofllcio ao brigadeiro commandante das armas.
Queir-a V. Exc. mandar alistar nos corpos em
guarnirlo nesta provincia, una vez que sejam con-
siderados aptos para isso era inspeceo de sade,
os recrutas mencionados na inclusa relacao, os
quaes existem em deposito no quartel do seg indo
batalhao de infantaria. Communicou-se ao coro-
nel recrutador.
Relacao a que se refere o ofllcio do Exm. Sr. pre
sidente da provincia desta data:
Jos do O' da Silva.
Laurentino Jos dos Santos.
Bernardo Francisco de Souza.
Henrique Roque do Nascimento.
'tertuliano das Chagas Collio.
Esuierino Jos dos Santos.
Joo da Costa.
Dito ao mesmo.Sirva-se Y. Exc. de mandar por
em liberdade, dando-lhe baixa se j estiver eoiu
Praga, o recruta Goncalo Jos Brrelo, que provou
isencao legal.
Dito ao mesmo.Pela leitura dosenoflicio n.
103 de 18 do corrente, tiquei sciente de nao ser
mais necessaria providenci que solicitou em ou-
tro oflicio datado de 14 deste mez, alim de ser re-
colhido ao segundo batalhao de infantaria o eapl-
lo Manoel daCuuha Wanderley Lins, que se aclia
onimandaudo os destcamenos de Nazareth e Pao
d'Alho.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmiti V. S., coberta com o parecer do ci-
rurgio mor do exerciio, conta junta em dupl-
cala, que me foi remedida pjlo director das obras
militares com oflicio de hoii.em sob u. t>, alim de
que quando rier o augmeute de crdito ja pedido,
mande pagar nao naveudo inconveniente Jos Pe-
reira de Alcntara do O', quantia de 1105820
rs., a que leiu direito por haver feito de novo a co-
berta da casa da guarda co hospital militar. -
Ouiimunicou-se ao director das obras militares.
Dito ao mesmo.Transmuto V. S. para os flus
convenientes a inclusa copia da acta do conselho
administrativo do arsenal de guerra, datada de 13
do corrente.
Dito ao inspector da thcouraria provincial.
Aiinuindo ao que solicitou o chefe de polica em
ofllcio de 19 do corrente, so j n. 86, recomraendo
a V\ S., que, em vista da conta junta em duplicata,
e nao havendo inconveniente mande pagar Ro-
inao do Reg Barros a quar.tia de ."lO&OOO prove-
niente do aluguel de 3 mezes, vencidos em 17 do
crreme, da casa que na freguezia da Varzea ser-
ve de quartel ao respectivo destacamento.Com-
municou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo. Constando de ofllcio do direc-
tor das obras publicas, datado de hoje o sob n. la,
gares todos os esteios de feTo da ponte denomi-
nada S. Joao, recommeodo V. S., que, em vista
do competente certificado, mande pagar ao respec-
tivo empreiteiro importancia da terceira presta-
cao a que tem dimitoComnunicou-se ao direc-
tor das obras publicas.
Dito ao jniz de direito do Limoeiro.-Ao seu of-
ficio de 8 deste mez, respondo dizendo-lhe que o
coilector dessa comarca, tem ordem para fazer por
si o fornecimento dos presos pobres da cadeia des-
sa villa.
Dito cmara municipal do Recife .--Declaro
cmara municipal do Recife em resposta ao seu
oflicio de 14 do corrente sob n. 2, que vai ser
tr.uismitiida assembla legislativa provincial na
sua prxima reumo o artigo de postura a que se
refere o citado ofllcio.
Dito ao juiz municipal de Santo Antao.Minis-
tre \ me. a inforraacao exigit a por esta presiden-
cia em 3 de ago>lo ultimo, para cumprimento do
aviso do ministerio da justica de 17 de julho, so-
bre o requerimenlo documentado que devolver,
em que Tiburtmo Pinto de Almeida pede serven-
ta vitalicia dos ofcios de partidor e contador des-
M termo.
Dito ao juiz municipal de Tacarat.De confor-
midade com o que prope o inspector da thesoura-
ria de fazenda em ofllcio de 11 do corrente, cons-
tante da copia inclusa sob n. 1, mande Vmc. por
em hasta publica, alim de seren arrematados qua-
tro cava I los pertmeentes ao finado major Joao
Francisco do Livramenlo, que existem em poder
do fazendeiro Jos Matheus Larangeira, como se
declara nos ofcios, copias ns. 2 e 3; lazendo Vmc
entregar o prot?r:to da arrematacao ao capitn
commandante do destacamento dessa villa, para
dille dar couta opportunamcnte mesma thesou-
raria, visto ser ella credra do predito major em
quantia superior a ura cont de ris.Fizeram-se
as necessarias cornmunicacoes.
Dito ao juiz municipal de Cabrob. Para que
possa ser aqu reproduzido o edital que acotnpa-
rhou o seu oflicio de 5 do mez prximo passado;
cumpre que Vmc. declare a razao p irque substi-
tuindo o tinado Ljz Francisco de Oliveira ao es-
crivao Jos Peixoto de Barro:, e tendo este sido Ho-
rneado por esta presidencia em 12 de agosto de
1836, para o oflicio de escrirao do crime, civil e
orphaos desse termo, fallece ndo agora o referido
Oliveira, mandou Vmc. pele edital cima citado,
jjr em concarso como vago os ofcios de tabel-
Jiao do publico judicial e noas, e escrlvo do cri-
me, civil, orphaos, capellas, residuos e do jury, mi-
nistrando assiin a.- inlormae
novembro ultimo sobre esse
Dito ao juiz de paz presid
Jlcacao de Itamb. Communicando-
municipal de Goianna remedido
caiga ot votantes dessa fre(:uezia, afiraide se pro- das e|ecSes da ,)r0vincia do Rio de Janeiro relati
f 1 a rnhrJtVS:f,nn? tormi di ^ ^"^ T h ao 3 o 4 districlos.-A 3" con.missao de po-
rara e rubricara ura livro especial para aquelle | c eres. K
lim; cabe-me dizer-lhe que procedeu mu regular- 0utro do mes|n0 minister0 cnviando os ofli io<
?? gjne prec(;ilua o paragraphj lb|cas presidencias das provincias de S. Pedro, Ba-
! A||:iixo assis-nados eleitores e supplentes da fre- burgo, com o qual ficou provada a falsificacao da
gueiia do l.iinoeiro.-lnforme o Sr. juiz de paz lista de qualilicacao porque se fez a chamada na
tresidente da junta de qualilicacao do I.imoeiro. eleico de 9 de agosto.
L. n? d" SanHf Rosa--Informe o Sr. directer 3.' Diversos documentos tendentes a provara
geni da iptruocJo publica. improcedencia de urna juslilcaco dada contra a
".anci'lira M.mniia da Silva Albuquerque.-Re- eleico de S. Francisco de Paula, municipio de
nettioo ao >>r. director geral interino da instruc- Santa Maria Magdalena.
cao publica para attender a supplicante nos ter- O Su. Sai.da.mia Mari.mio :Sr. presidente por
que nenhuma alteraciio devia propor ao seu pare-
cer, porquanto aquel les documentes em nada des-
loas de sua infotmaefio de 19 do corrente sob nu- dignidade da cmara dos Srs. depulados, por'dig-
i.it-ro 13. nidade mesmo de um cavalleiro que se'aprsenla
Irmandade do Santissimo Sacramento da fregu- com um diploma de representante da naco pelo
!*.*!_. J'ou,ren?? Malla.-Informe o Sr. the- !districto do Rio-Grande do Sul. me parece inde-
estes hoinens, taohalis, t.o ameslrados as tri- Que as varias parochias e collegios as des-
eas eieiioraes, h;m> w lembraram de recorrer a cues correram sem nenhuma reclamarn npm nm-
ffsssTSTKrsajft ss......."......- Saar5S33w
Sagsa a: s ssiagaip, swlws r^isSIS -* ^-
pamente pn.vado o seguinte : ru no dia 9 de acobertada pelas formulas legaes. Dr. F- ncUcoCak Orando 378 voros
ago'slo mstallada na matriz de Oei-as a assembla Alm deste documento, foi presente a commis- Dr. I ncencio Serfico d ^Ass'uha'r'
paroclual, sob a presidencia do I- juiz de paz, co- sao o edital do. 1' juiz de paz, convocando o novo valhO.... atrauco ae AbWS l>ar 168
mecon-se a eleicao, que correu pti feitamente cal- para a duplcala. Ei-lo aqui. (Mostrando nm da- a mesma commiss dV narpcr '
ma e regular at ao dia 10, recolhendo-se urna cumento.) |.. ^^SK^ffiTd*telh. da, fre-
novecentas e tantas cdulas, isto para mais de Neste edital, Sr. presidente, nao se marca nen. guezias dei N S. diTiS de ViKlla N S
lugar em que os votantes da Conceiro de Pajeii de Flores, S. Jos 'da ln-
proceder a nova e[eicao j gazeira, S'. Jos do Brejo da Madre de Deus, N.
taes condieoes nao pode S, das Mantanhas de Cimbres, N. S. da Conceicao
Mas, senhores, nao da Uga de Baixo, N. S. da Sade de Tacara'l,
quando a nobre quinta commisso respectiva nao Por isso, e porque previamente se
?H*! .ti,'areCer.SOr a valid.ade d eleico des-' boatos de que seus amigos polticos, em ultimo
mJLSTST! e aveniente chamar a sua; protnoveriam algum conflicto que inutilisasse
nri....i, i;.\ n^e "DPr,atrt assumpto, e, para ; sultado da eleie.o, boatos firmados em revclaeoes de justica que diz ter apregoado'e alxado o edi-
mnto7u,Jr';,1n,V0'hn,an^ar mesa ""'docu- de seus proprios correligionarios, o delegado de tal 11 das antes doler sido lavrado e asignado !
i- i, 'iu T Xi* env,ad,0- Pra oQ^aJv.m iouv'do mesn)> o cavalleiro a quem I pessoas gradas de ambos os partidos, reclamou a to prximo passado I
n..m,n!^T respeito, nos dessa nobre presenfa do commandante do destacamento ama- Perguntarei eu, senhores, homens que, tem co-
, tml ^n r.^arcCer',,,ara <,Ue,, d,scu,ld0 elle' ,riz- couw garanda de ordem, a ver se por esse ragem bstanle para Irazer cmara dos Srs. de-
posna cmara com certeza resolver essa grave meio pedia evitar qualquer disturbio.
^'iw?;,.,,- 0s factos P<>seriores vieram mostrar a toda a
lenlio razoes para vir a tribuna provocar urna luz o acert dessa providencia, a qnal sem duvida
' deve o paz nao ter que lamentar hoje serias des-
ii,ftT!!?,r0,i* qUCm me d.'ri*0 naSC?U em, M ,trn e^f a.Separa?ao dess Pro* do ""- cada pelo procdimento audaz, temerario e ciimi-
perio, seu pai eslava a servico do governo portu- noso desse juiz de paz
??eZ'u F^" des, a,se,ryi do, .ve brasilei- Com effelo, Sr. presidente,no dia 11 de agosto,
..V. Ia -:je d a"' de,xou ahl llcar su u"10 ;ao continnareni os irabalhos da eleic/io, o primeira
| acto que praticou aquelle juiz foi apoderar-so do
Estado Oriental, e lenge. livro das acla.>,
pulados um documento visivelmente falsificado,
recuariam acaso ante .immoralidade de apresen-
tarem-se em juizo, para fazer urna justilicacao do
falsidades, de inexacti Joes ? Cerlamente que nao.
Por conseguinte, anda estes documentos vieram
confirmar a commissao na opiniao que tinha for-
mado acerca da eleie.o primaria deOeiras.
Em vista do que tenho exposto, a commissao es-
pera que sejam approvadas todas as conclusoes do
seu parecer, urna das quaes que se mande res-
1 Que se approvem as secundarias dos col-
legios que abragem as mencionadas narochias;
3 Que sejam reeonhecidos e declarados de-
pulados |ielo 5 districto da provincia dePernara-
buco os rs. Francisco Carlos Brandao, e Inno-
cencio Setaiico de Assis Carvalho.
Pafo da cmara dos deputados, 24 de dezem-
bro de 1863. Baptuta de (Miceir-i.D. A. Raiat.
Pamplon i. Furtado.
OIIL'EM DO da.
Eutrou em discusso o parecer sobre as elei-
coes do segundo districto da prowncia do Rio
Grande do Sul, e foi posto a votos, e approvado
quanto ao reconhecimento dos Srs. barao de Man,
e Joaquini Jos Affbnso Alves ; ficando adiado
quanto ao terceiro eleito, na forma do regiment,
incluidas no adiaraento as eleicfies das fregueas
de l'irat nim (primaria e secundaria) Algrete
(primaria e secundaria), S. Borja, Cruz Alta, e
S. Joao de Quarahim, para a sesso ordinaria;
sendo portante declarados deputados os Srs. barao
de Mau, e Joaqum Jos Alfonso Alves.
Leu-se e foi imprimir o parecer sobre as elei-
coes do 4" districto da provincia de Minas, con-
ciuindoda forma seguinte :
i." tiue lique adiado o reconhecimento dos
'bcatas I | eleitores da parochia de S. Francisco de Salles, de-
buenos fallou hontem tmi volvendo-se ao governo o cadernodas actas on-
minha provincia ; e a ginaes para virem as copias authenticas das mes-
sobe, que vai ganhan- mas, coir. iuformacoes do presidente da provincia
catana sachnstia da matriz. do terreno, e que em breve alagara todo o paiz, de Minas-Geraes sobre amatoria do protesto dos
lacioi fe v,n Ora, em visti destes factos. expostos nao so em so ll.e nao oppuzermos um dique, punindo seve- quatro misarios, e o mais que houver occorrido a
esecunJari.s fei'ias na nruvincia" de ,\i a q "acionaiiclado do Sr. >ery conti- mformacoes ofllciaes annexas ao re alono da pre- ramente a fraude ele tora .
nua anda a ser contestada. Sendo ass.m. e ouan- sidenciafem cijo numero figura a do promotor! Tenho concluido. (Muito bem, muito bent.)
publico da con arca, correligionario do 1" juiz de ] Ninguem mais peduido a palavra, posto a vo-
paz, como comprovados plenamente por urna jus-, tos o parecer e approvado em tedas as suas con-
tifiraco feita pelo ridadao Polydoro Cesar Burla- j clusoes.
maque, enao se encontrando as actas dos traba-! O Su. Phksidkntk declara deputados pela refer-
Sr. Fellppe Nery.
do-se presente numero s.ifDcien.ele "m'embros,! de mnifestar^ menor^esetede t St i Sart ^V" 2fe d 6^ e 2^2 ***** ^ au,ortf's des,as d'uP|ica,as- -
abre-se a essin i..r.i ^ ^mr-Ir-II ala- J cioaoao nrasi- retirar-se da ijireja. Embargaran Ihe o passo os A commissao espera que a este respeito nao ap-
E^e e a urova-se a acta da antecedente V1 Z? ^?, i ,Cr ?** ? 52!^ da|ue,,1e csarios, o delegado de polica, o commandante pareca um s voto divergente, |para que nao te-
^^,^\t"dV,V'Midie^ nha'"os daqui a tres anuos de inventariar maio-
n. i i, ?m 7n 22? M gUard/- naC'"' l"to contrario, auxiliado pelos seus amigos, eleito- res miserias que estas que estamos vendo. (Apoia-
38. A escolha eslava feita e a res e supplcnles, tentou abrir caminho atravs da dos.)
preferencia beu
Ej nao sao poucas, infelizmente : saiba a ca-
.incia do Piauhy, que
duas freguezias, de-
primaria c secundaria,
urna vez para sempre deixar definido a que paiz
perleuce. e onde pode e tem de exercer direito
tico-' """" *"~v v ""' "ctc' ""cu concluidos pelo 2', irregularidade alguma, enten- Cunha Paranagu, Francisco Jos Fialho e Poly
deu a cummissioquenao podia ser taxada de in- doro Cesar Burlan
(oes primarias das parochias de Villa-Bella, Braz udo OrienTal.Vste*7e'ra7dada^%riemaT.' 7Z\t^*!!&JtiS&^JG& dessa.
Ihos eleitoraes, presididos pelo !
id!
que nao podi;
juiz de paz e da provincia de Piauhy os Srs. Joo Lustosa da
?nn;S^1^era?UJa-rdanaci<2n?1 n.E-S" JU^'a Parcial, opinando
j- i no unentai, it8 e, era cidadao oriental. A nao eleico e nela nnlliilait ', ia3a"t.Ld?Te da-a<-Bee!S5ordens a preS'" i **** I"* ura grande abuse se tenha dado, de-, P ""dade da dul,l,ca,a '
ilencw da dita provinc.a.-lnteirada. vemos crer oue s e||e tem assento em urna assen-
maque.
ELEICq DE M1NAS-OKIUKS. (3" diitlidO.)
Entra em discusso, e approvado em todas as
suas conclusoes, o parjeer da 4* commissao de po-
tal respeito.
< 2.a Que sejam annulladas as eleicSes das pa-
rochias do S. Miguel de Cejur e de S. Roque,
proceden do-se a novas
3.* Que sejam approvadas as eleicoes das do-
mis parochias de que se compe o 4* districto
eleitoral da provincia de Minas-Geraes.
4. Que sejarn reeonhecidos e declarados de-
putados pelo mesmo districto os Srs. Jos Jorge da
Silva, Domiciano Leite Ribeiro, e Joo das Chagas
Lobato.
Pago da cmara dos deputados, em 23 de
iicm ua una provincia.imoiraaa. vemus rrer nni> u iin i,.ni nsmn am nn oi.. i" .. j -""-"~^i y. 3vc. u. I.UIIIIIH.MUOC1IU. rago aa cmara aos aeputaaos, em 13 de
Outro do mesmo ministerio, co.ii.nunicando flear bla provincial un^n^te^n^^c^Lfr1 Jl'SSS Ti* -qne d,ie,n.os d<>cumentos hon- deres sobre as eleices do 3 districto da provin- dezembro de tm.-Paranagu.- Valdetaro.- F.
iPiraitn ,i,> hr>vor >Hn ,.,nrr,u,anc o i..,.;w ^r. ..T" '' "'"'' paienit na feuaraa nacional,e |em apresentailos a commissao : consisten e es Ca de Minas-Geraes. l-(,.;-, -.s u.n. J t~.x /... .
ititeirado de haver sido approvadas as e
fiarlas e secundarias feitas
as a* Hririips itri- -.t ,.;rn; i. "----L,. j^j-----L *v"' "H1*5""* loiiimissao : cousis
manas eseca.aar.as feitas no SP dLricto de's. ver-see natura S en, urna jusl,ficaCo feita pelo cidadao Joaqum
I aulg, dando disto conhecimento presidencia da' l^^ZS^S^.'^^SSS^'Jf^ \ ^P d Alme da, em alguns ofcios dirigidos ao
riesma provincia para a dev.da exe'cuco.-ln.ei- \t^tlS^ *2^* a assembla geral legislativa na forma da cons
Iada- m m 'Utuicao.
Sr ?i TT min,;,eri0' communicandofi- Portanto, se havemos de continuar em u.na du-
r??mSriic^ = ,C, T'"' sld.o.approvadas as eleicoes Vlda o gr eu d |uajs ^
,,rf LLt,^CUnda,na,S fe"fsna0 ,dsr,ct0 nobre quinta commissao de poderes, agora encar-
[ara, e bem ass.m de ter sido adiado o .ulgameiilo retrada de veriflcar os desseTavalleiro. estude o
e finalmente ein dous editaes, um publicando o re
sultado da eleiijo secundaria, e o outro convocan-
do o povo para a tal duplcala.
Occupar-me-hei smente da justilicaco e do se-
gundo edital, perqu os mais documentos nenhu-
ma luz trazem sobre a materia.
essa justificaro procurou-se provar : que
ca de Minas-Geraes.
O Sr. Presidente declara
mo districto e provincia os Srs. Jos Rodrigues de
Lima Duarte, Christiai
deputados pelo mes-
s. Jos Rodrigues de
tiauo Benedicto Olloni e barao
de Prados.
O Sr. Barros Pime.ntki., pedndo a palvra pela
ordem, offerece o seguinte requerimenlo que li-
do, apoiado e approvacio sem debate :
Requeiroque se peca com urgencia ao gover-
no copia do processo, se houver, instaurado contra
alguns camaristas
ioterado de haverem sido approvadas as efejeSes do Sul, e que Brasilero ou oue ir devida-
irimanase secundarias feitas no districto eleito- mme\J.Soi ilwti^V&"l.
rlA^Z^^i^,^^S^S sm fique elfeclvamentc firmada a nacionalidade
cniens para que seja executada a resolucao desta desse cavalleiro
"SSSl mtmtministerio, enviando ofllcio da, 0 ^^^L^^V^S!0 ,Ue e"a
. wn do collegio eleitoral de Jero.iienha, da pro- C
vncia do Piauhy, dando informaco do impedi-
mento que bou ve para que se procedesse a eleico
de deputa-lados pelo dito collegio, e remetiendo
copia das actas que se lavraram nos dias 8 eO de
Htem-bro ultimo.A' 1* commissao de poderes.
Outro do mes mo ministerio, enviando as actas
das elecoes primaras das parochias de Santa An-
ua da Parn.ibjba, Albuqnerque, Miranda e Santis-
.na Trindade de Mato-Grosso, remedidas pela
i respectiva presdencia.A* 5* commissao de po-
deres.
Outro do mesmo ministerio, enviando dous ofti-
os da presidencia da provincia de Mate-Urosso-
<:on(endo um informaedes relativas s eleicoes fei-
tas na dita provincia, e oulro acompanhando a re-
resenlayo que os mesarlos c votantes da assem-
contra a res-
que, separando-se da cmara
primeiro dia da eleico foi a igreja invad- municipal do Aracaj expedirara diplomas de de-
deslaca ment ao mando do capitn Hilde- j pillados.Burros Pimentel.
.. Cicero de \lencar, poslando-se em linha jun- j elkicao de mi.\a;-c.i:r\ks. ((> districto.)
B te mesa, e guarnecendo a porta principal, e que O Sn. | secretario, obten.lo a palavra pela or-
d'ahi por vezes forara repel idos os volantes a pon- dem, procede leitura do parecer da 4" cominis-
ta de baionetas; que o juiz de paz reclamara de- sao de poderes sobre as eleicoes do 6" districto da
balde a retirada dessa terca, ao que nao annuio o "
delegado de polica, por cuja ordem ella all se
achava ; que o commandante da brea, armado
com sua espada e um jogo de pistolas, amedronta-
Octaviano.Aragao e Mello. Jos Caetano.'
Levautou-se a sesso 1 hora da tarde.
PER1UMB0C0
REVISTA DIARIA.
JfllSSS^JS!ttS, U l,n0i annaes'va com altos g.itosao povo, e que finalmente a
nfrmiZ J^nRro^MrlM daqHe,kl pr0V,nc,a mede" "" recusara inserir na Acta un. protesto que
Frirru^'- .- a ,, J contra essasviclenrias apresentara.wto cidado.
hste documento, lien como a re aran dos factos pm- j..,..:_____.... ._...a..^. j.......
ment, bem como a relacao dos factos
que eu tenho mencionado, foram levados discus-
so na assembla provincial do Rio-Grande do Sul;
Cumpre advertir que nessa justifieaco depuze
rain cinco testemunhas, que me parecern pessoas
seu lirinho muito honradamente I Elle servio c te
ve de dar o seu lirinho como soldado oriental
do oue devenios ser extremamente zelosos pela
qualidado de cidadao brasileire.
quatro
dos ditos da primeira...
V, portanto, a cmara que estas aecusacoes sao
Na sexta-feira passada fundeou no femarn
a coverta nort'amerlcana Umvard, que anda cru-
zando sob o commaudo de Mr. Clark.
A galera ingleza Thomnz Brocklcbank foi en-
contrada a 25" de deaembro prximo passado na
lat. N. 32. 27' e loug. O 11. e 26" pela escuna
Stamboul. la de Liverpool para Calcuta, levando
provincia de Minas-Geraes, o qual se acha Impres- dez dias de viagem.
so no Jornal de 24 do corrente. O patacho Ida tendo alliviado de carga, con-
0 Su. Franco de Ai.mkida (1- secretario) re- seguir salar dos baxos em que encalhra. ix-se
quer |iara que amanha haja sesso, visto que ain-! que faz jiouca agua.
da |>elo numero dos depulados reeonhecidos nao j Tendo-se verificado nao ser desertor do 2."
ha certeza de que no dia 1" de Janeiro prximo batalhao de infantaria o paisano Jos Joaqum de
vindouro possa ter lugar a abertura da assembla Santa Ama, foi ordenada a sua soltura,
geral legislativa, e mesmo porque entre os reco- O preso de Justina Vicente Ferreira Ferro,
n hecidos alguns ha que nao esli presentes na tendo de responder a novo jury na villa da Ata-
corte, laia, forar. eipedidas as ordens convenientes para
Le-so apoia-se e approva-se sem debate o se- seguir para all opportunamente.
guinle requerimento : Em cousequencia de mo comportamento
Requeiroque baja sesso amanhia z* de de- apresentado pelos soldados do corno de polica Ho-
zembro de 1863.-franco de AJmeiia. norio Jos Cardoso, Joaqum Jos de Mello, Marco-
Nada mais havendo a tratar, o Sr. presidente lino do Reg Barros, Jos Gomes da Silva e .-dito-
I.st0 de summa gravidade, c mu s;riaS( sao giavissj,na-s de natureza'tal, que d a ordem do dia, e levanta a sesso 'l hora da nio Sebasiio da Silva", autorisou" S. Exc. ao com-
a serem exacbs, devia leva-la a reprovar solem- *
nemente una eleigo a que presidiram tanto ar-
serem exactas, devia leva-la a reprovar
nenente una oleico a que presidiram
^:10S_:aP_mcDJs a cmara dos deputados para bitrjo ,.,, 0f.Jhlo e\nlx pro|otencia.
solem- tarde.
do respectivo corpo a manda-Ios excluir
dea parocliial da Villa-Mara dirigenn
lectiva eleico primaria.A' mesma commisao.
Oulro do mesmo ministerio, enviando as actas
SKn ^ nacao,bras!leira- M1 ro Mas a commissao, que alias esta disposta a con-
mtSTXSS ,il"mC0?slderaca T1 "qUe"' de'"ar todas as eleicoes que Ihe parecercm vicia-
mento, e a nobre commissao esludando madura- da coimni<.r.,) ..,, nr. .,..,.,.' >rar mi>nor
^ T^SSa Saa! Cm Sf^Zel ^'^aoZe ^rcicio W^S*d? voto nao
.^^""l^^i^remeltidos a quinta commis- obstanl(, essa justifieaco, apelar do depoimento
dessas testemunhas, persevera na crenca de que
i prolerido por aquelle nobre
Oulro do mesmo ministerio, enviando as actas
i as clece> primaras das parochias de Nossa Se-1 d m 7j*rSig7
nhora da Cooceicao do Arro.o e S. Domingos das ^j oalta? a uua
"orres,pertencentesao collegio da Patrulha do "J? ^C' de nh
fdtetrielO eleitoral da provincia de S. Pedro, bem i ^S^L^Ts^^X
como as das parochias de Algrete e IQuarahy
ertencentes ao collegio de Algrete do 2- districto ca5a |mada ^ ^ Sts.5L.s
fjcar a opinie que sustentava a respeito da efeico n^S&VuBonte diverso
du collegio de Jequric com urna deciso *
um uilhu iint-iiimpute ui*ci?u, provando-se
; essa duplicara nao foi o recurso extremo de
uisse
que
que
das nslruceoes de 28 de junlio de 149. por Vmc.
citado, e de varias decises do governo imperial.
Dito ao juiz de paz presidente da juma dc'qua-
liiicacao da fngnezia de S. Jos. Declarando
Vmc em seu ollieio de hout ;m, qu^ j se achava
nrganisada eata junta, e assignada a acta de sua
installac.io, quando se veriou noestarem quali-
ficados os ridadcs Vicente Licinio da Costa Cam-
pello e bacbarel Joao da Costa Ribeiro Machado,
eleitos pelos suplientes de eleitores para fazer par-
te da referida junta, deve a sua substituido ser
feita de conformicladc com o disposto no artigo 17
das inslrucroes, que baixaram com o decreto n.
1*12 de 23 do agesto de 1836.
Portara.-OSr. gerente da cotnpauhia Pernatn-
bucana, faca trar.s|*rtar para a capital do Cear
por conta do ministerio da guerra no primeira va-
por q i para o norte, quinze caixdes coa-
lendo os ariigos d; fardanteolo njeoGionados na re-
lacao por coala in lu-a. Communicou-se ao Bxm.
presidente do Cear c ao director do arsenal de
guerra.
Dita. O Sr. [residente da provincia, confor-
mando-se com a proposta do Dr. chefe de polica
n. ni de 19 deste mez, resol re nomear o bacbarel
Joao t'ionzaga Bacillar, delegado de polica do ter-
mo do Cabo.lonimunicoii-:;e ao Dr. chefe dr pi-
ura.
Despachos do dia 21 de janeiri de 1811.
i anerimento.
Aastreeliano Villarim. Informe o Sr. juiz de
paz presidente da junta de qtiafleacao d:> (rt
?! do Lhnoeiro.
porque nem o collegio do Pianc tem essa fregu
za a que se refere o nobre depulado, nem houve
tal protesto.
Portanto, devo crer que o nobre depulado enga-
nou-se completamoule quando fez esta citaco :
I ia. S. Paulo e Parahyba, e as copias dos avisos
a solueo dos inesmbs ollicios, marcando o nu-
Outro do mesmo ministerio, communicandoj ter i
r-meltido as actas das eleicoes primarias e 4" L
c Jllegios do 3" districto eleitoral da provincia do KL2wE2IwS7. t ? -i
dio de Janeiro e da parochia de 1-etropolis do 5- ?C!!^555?l!!!fcJTO. P?W con,.ra
poda aceitar semelhanb jusliticac
e collocada entre dous documentos inteiramente
oppostos, entre a afllrmativa e a negativa das par-
tes interessadas, ella enlendeu que obrara com
toda a imparcialidade despresando a mbos, e indo
procurar alium'e os elementos necessarios para
; elle queria naturalmente referr-se a ontro collegio vroewuumm'e os elemento
b de outra provincia, mesmo porque nem a respeito p"3!".'''!"./"1'; ,
V da provincia da Parahyba deu-se urna deciso E yses encontram-se em ab
nobre depu-
Sinto, Sr. presidente, que esse nobre depulado
entretanto,
a inexaclidao desta proposicao, julguei dever fa
ze-lo j, esperando entretanto que elle que venha
casa d as explicaeoes precisat, para que nao s
a casa, mas lanibem o publico venham a conhecer
a citaco que elle linha em vista fazer. Tenho as-
siiu concluido o qoe pretenda dizer.
ORDEM DO DIA.
.WCO 1>0 IMAL'IIV.
Entra em discusso o parecer da primeira com-
missao de poderes sobre as eleicoes da provincia
do Piauhy.
O Su. Aho.nso Cei.so :Sr. presidente, tive hon-
undanria em docu-
mentos annexos ao relatorio do presidente da pro-
vincia, mostrando todos que os tactos se nassaram
nao como vem mencionados na justilicaco do ci-
dadao Lopes de Almeida, mas como os narra a ou-
tra, a que j me refer.
A commissao, porm, servir-se-ha de outro ex-
pediente, e ir pedir a essa mesma justilicaco as
provas de sua falsidade.
Ella perguntar : que eftacgo foi essa que nao
'obsten a que eonoorressera a urna novecentos e
tantos votantes nos dous primeiros dias ? Pois a
tota, calou baionelas e impedio o nzresso dos vo-
tantes na igreja, e novecentos ilelles coneorivm
a dar o seu voto, nao se aterran, nao recuau, nao
fogem ?
Domo que esse juiz de paz, assim despresti-
giado no exercicio de seu cargo, assim coacte e
ameacado pela f jrca publica, conservase na pre-
c illegio do mesmo districto, e que nesta data expe-
de ordem a presidencia da mesma provincia para
enviar as actas dos outros collegios do dito distric-
to, bem como as do 2' e 4o, e da mesma sorto exige
di presidei cia da provincia da Parahyba a acta ca
e eico primaria da parochia de Talp (em dnpli-
cila) e a da parochia do Pilar, presidida por Jos
de llrito Jurema.- Inteirada.
Adiase sobre a mesa, e remedido 3* corn-
il Issio de poderes, o dlptoma do Sr. Eduardo de
Andrade Pinto, depulado eleito pelo 2 districto
e eitoral da provincia do Rio de Janeiro,
O Su. COSTA Pinto offerece os seguntes docu-
mentos relativos eleico do 2" districto da pro
vinca do Rio de Janeiro :
1" RepresenMeao (pie l'a/.em a esta augusta ca
i tara varios cidados de s. Jos de Leonissa. de-' a commissao em vista ganhar tem, alim de poder mediatamente os trabafhosj e nao se rotirou ?
iniiiciandoas viole oes de le, intervencao das au- examinar alguns. documentos que, depos de aberla i As baionetas expeltemo do corpo da igreja, e
loridades policiaca e oulros motivos de nullidade a sesso, Ihe foram presentes pelos illustres depu- ;deixam-o comecar e concluir liaii.iiillo a sua da-
lia eleico que em 9 de agosto prxima paseado lados daquclla provincia, visto como era possivel plicata, na sacbrisNa, a poneos paasns de distan-
leve lugar naquella parochia. que nesses documenios se enconlrasse algum os-1 cia ? E nao. sert incongruente com os etftssos
A rcpreaentaoSo apoia-se em cinco documentos clarecimento. algoma informaco que a levasse a que se aitriluie autoridade policial, a indiflrenca
a ella juntos. modificar o seu juizo acerca da eleico da parochia com que ve organisar-s.....sa duplcala ?
2." Corpt de delicio feilo no livro da qnaHnca-1 de Wciras a que siles se referiam.
rao da tregviezia de S. Joo Raptista d? Nova-Fri-' 0 estado que delles fez, pori uveaera-a da
il'SESSAO PREPARATORIA EM IS DE DE-
ZEHBRO DE 1803.
PHK.-IDK.NCIA DO Sil. ZACIIAUIAS.
s 11 horas fez-se a chamada e abriu-se a ses-
so.
Lida c approvada a acta da sesso antecedente,
o Sr. Io secretario deu conta do seguinte :
ENTS.
documentada de Joaquina
moradores na fregu-
municipio de S. Joo do Prin-
de Janeiro, contra as
.ocederam em 9 de agosto
rceira commissao de po-
deres,
l.'ii-se e vai imprimir para entrar na ordem
Irieto da pro-
concluindo da forma
cao do collegio
*da freguezia do
2 Que sejam approvadas as domis eleicoes
primarias e secundaria.- do segundo districto da
provincia do Rio Grande do Sul.
.'(.- Que sejam declarados depulados os Srs.
barao de Mau, Dr. Gaspar da Silveira Martins e mpondo iiiuta aos donosde estaheleeimentos de
mandante
d'elle.
Considerados aptos para servirem no corpo
de polica, maodou-se contratar para isso os paisa-
nos Francisco de Paula dos Sanios, Manoel do Nas-
cimento Barbosa e Gustavo Adolpho da Silva.
Recmimendou-se ao juiz municipal da pri-
meira vara que faca apromptar as guias dos 23
sentenciados que devem seguir em breve para
Fernando de Noronha.
Pela presidencia foram remettdos s cania-
ras municipaes da provincia, alim de ter a publica-
cao desejavel, exemplares impressos do novo rae-
thodo da plantaco de caf, obra do Dr. Luiz Ter-
quato Marques de Oliveira.
Foram concedidos 6 mezes delicenca ao ca-
pitoda 4.* companhia do 3 batalhao de' infanta-
ra da gu irda nacional desta capital, Jos Mariano
de Albuqnerque alim de tratar de sua saude.
Com o lim de vir a esta capital, obteve 30
dias de litenca de favor, com todos os venc mentes,
o alferes delegado de polica do termo do Buique,
Manoel Germano de Miranda.
A enrveta americana de guerra O/nrard sal-
vou sabbado trra, sendo-lhe retribuida a sal\*a
pela fortaleza do Hriim.
Reinottem-nos ;is seguintes linhas:
ConsUndo-nos que j foi derrogada ou est
para ser a |stura municipal da cmara do Recif-.
Dr. Joaquim Jos Allo.so Alves, annullando-se o
diploma conferido ao Sr. Dr. Antonio Gomes Pi-
nheiro Machado.
Sala das sessoes, 24 de dezembro de 1863.
T. Ottoni.Leitde da Cunlia..Vartinho Campoe.
J. de Macedo.Mello Franco.
OUIIIIM DO HA.
Entrou em discusso e foi approvado em todas
conclusoes o parecer sobre
vender generas nao considerados de primeira ne-
eessidade nos domingos e dias sanlilkados para o
que se Ibes prohiba a abertura das respectivas
, portas, vimos por meio da couceituada Jlerisl de
seu Ui'irio rogar a Insersio d'estas linhas pedindo
a alguem inelhor informada do que nos se digne
dizer-nos adunia cousa a respeito.
Nao podemos porm deixarpara mais tarde a
observaco de que sendo prohibido pela assembla
tem a honra de requerer, por parte da segunda sidencia da mes, durante tres das inteiros, e s-
i- commissao de poderes, que lieasse adiada por 24, mente se retira juanete reconhece que seus ami-
I horas a discusso do parecer sobre a eleico uV gos haviam perdido a elci\'ao ? Se. a igreja eslava
- provincia do l'iauhy. Com esse rei|uerimento leve invadida por soldados, porque nao suspeiideu ini-
pois a mesa, dizem, rceusou receoeraao pra-
tpstp conii ae praiicarai
as suas conclusoes o parecer sobre as eleicoes do
sexto districto da provincia de Minas ;'sendo provincial o exposto, adiamos mui inconveniente a
declarados deputados os Srs. Jos Joaqttlm Fer- cterrogaeo d'essa postura.
reir Rabello, Joaqun Felieio dos Santos e Anto- t Ugutu eaixeitot,
nio Joaquim Cesar. I Pede-nos a seguinte publicarn, coja materia
Levantou-se a sess;-.o a meia hora depois do conven que seja aprestado devidameote :
meto da. Srs. redactlas da Batista Diaria.i'onsta-nii
----------- que ha ur.ia postura da cmara municipal do Re-
12" SESSO PREPARATORIA KM 2G DE DE- nMe. qoe obviga a marchantes a fazeroma matan-
ZEMBRODE lHli.'!. ca de gado para o consumo da cidade 24 horas an-
i'iiKsiDK.Ni.iA mi su. IA0HAM&& tes de ser a carne exposta vonda. D'ahi vem
As 11 horas fez-se a chamada e atoia-ss a sos- que a BMtanca so faz ordinariamente s 6 horas da
sao. inanha de um dia, e s no dia seguinte s mes-
Udi n approvada a anta da sesso. antecedente, mas loras cornaca a. venda da carne, venda que
o Sr. 1 secretario procede a leiiura do soguinte se prolonga at 2, I e horas da tarde, havendo
parecer, que vai imprimir para entrar na ordem por tanto nm mtervaHo de 84 Si horas entre a
dos t rabal nos : inat.nca do gado e o principio e fim da venda da
s i.hi.vi to; MnNMavco {>: iitbicto.) evae.
A segunda coriinis*o de poderes, a quera fo-' Ora, nSo des^onheeo qne ha razio qae justi-
raas.presentes as dluerentos actas % mais papeia ea i neclida de inierpor um eerlo lapso de li rapo
relativos ao -r distrioto eleitoral da provincia, de entre a matonea do gado e a venda da carne. As
rernambiicik e qual di dona deputados a;-sein- leis.da hygiene reclamara essa medida como no-
iral legislativa, .veriQcou: irla i sslnbridade dapopulacSo. 0 qoe me
(>u o referido districto se eompdedj 10 colle- Proc i, netsn, que se nSo iustiflea. o que me pa-
r ftegnezl.as.fl i:< irticcnv-eM contrario .'.- lev da byeiene, e o


Marta de rernaanlraco Segunda felra t& de Janeiro de f N4.
qoetemeirtc saude pnhhca, que, era um clima
intertropical e ardetoaxao o nesso, esse lapso de
lempo ja t.'o prolongado como o exige a postura
municipal.
Aqu nirmente no rigor do vero, a decora-
posiivo da materia animal se verifica as mais das
vezes antes de M horas anda mesmo depois de
esgotajla grande parto dos lquidos que conten;.
siena seminante aquella que representa Bones-lrei Radama, erapsahando os instrumentos con
tio presen*, o re Herodee com o sen eenturiao I que elle liavia sida suppliciado. Bates nove sugei-
E giwrdo una saeteo limito grande contra os
donos da casa e contra a polica por terem prohi-
liklo h applausos. Quantas vezes tcm morrido em
meus labios um bravo estridente, plirenetieo, Im-
menso, entusiasmado e altisonante que me vera
l bem do fundo do coracao! Quantas vezes tenho
tido impetos de atirar-mo ao chao para servir de
Assim cmara municipal, quercudo evitar ntn tido impetos di
mal, expoe a populacao a outro idntico Nao so ; tablado dansa da contra-mestrji Todava, ha
comer carne de bol* impostados, e doentes, mas una occasiao em que nao me coutenlio, e niio posso
ome--e carne apodrecida pelo calor. 0 rcsuluido: dex&r de resmungar umbravinhobem dengoso
i o mesmo. o ummilito bembastante temo e tremeleado ;
Creio, por tanto, que a cmara municipal do'essa occasiao quando ella canta a seguinte aria :
Recite (ara um assignal.ido servico populacao Bem ilzeram as outras
Ja cidade, reduzindo 12 horas o intervallo e re
a mataneado gado e o principio da venda da carne.
E isto, segundo me Informan, o que se tcm
adoptado em quasi todos os municipios das pro-
vincias do norte. A i tanca se faz das 'i ate as 6
horas da tard, e a venda cmeca no dia seg inte
pela inanhiin, nao se pudendo prolongar alm das
2 horas da tarde.
Rogo-llie, senhores redactores, o obsequio i
Que se escapuliram,
Se eu adevmhava
Por onde fugram____
Tr l le, le, l, le,
Por onde fugram ;
i Tre, le l, le, l(i le,
Por onde fugiram. Etc.
Do mesjiio modo, quando as pastorinhas, abra-
cadas de duas duas, dansain e cantam aquellos
abrir aspaos em seu artigo diario para estas ob- versinhos em que dzem adeos Jess, lapinha,
servacoes, se as julgar dignas da attenco da nossa etc., nao posso ronter-me e insensivel repito com
ellas:adeos, adeos!____
Sinto tambem correr-me formiguinhas pele cor-
DO, i quasi salto na sala a puchar a lieira, como o
meirinho no dueto com a pobre, quando uma pas-
loriiiha, que revela um talento precoce para o
bolttuHt). vem a frente da lapiulia e canta :
Eu nao sou cabana
L do Para,
Seo menina bella,
. Gento snli.
Voss me chama,
Eu nao vou l,
Passe p'ra aqu,
Passo p'ra e.
E que escrevo as minias notas e nellas regis-
tro as minhas impresses devo declarar com toda
a franq ieza que a Furia e o tal Sr. Rei Hercules
mokas vezes me lem feito inedo de veras Que
finia furiosa 1 Que Rei Honde zangado Aquel-
inuaicipalidade.
Son etc.
i > nesso oollaborador remette-nos a sua c; rta:
t Compadre.Qn iqui tambem os ha, hs ; e
i;\o lestoa e cnicos cuno os descocados amores
daquclla sabida peca hita ao conde de Raynevil.
Nunca imagiei que estivesse to apurado o
fosto pelas lograooes como o est nesta tena, ando
eousa singular ) ha vendo tanta finura pira a
falcatra, ha ao niesui) tempo repugnancia tara
as lettfas, e desaso tido quanto proveitosj ao
bem estar geral.
Por todos os cantos ergue-se voz contra as lo-
gracoes ; lodos se pieviuem contra ellas, e no fre-
gir dos ovos nao ha qi.em nao leve pelas orolhas
sou burro ao dizimo.
Entra-se n'uma toja, compadre, e o que se ve
de testa em letras garrafaes, : prete pro di-
nhviro a vida, e todava, apezar deste incisivo des
to> intimaran rainha a casar-so ou a recobor os
tratos que Ihe estavam proparados.
A soberana aceitou eommovida esta manifesta-
eao do interesse que por ella tomava o seu povo,
representado nos citados bandido?, e aceitou a
mao que ellos Ihe dostinavam.
Cousas de Madagascar 1
Diz um jornal
rma carta de Tamatava confirma
COMMERCIO.
NOVO BANCO
DE
-Mi** IJIIILCO
O novo banco de Pcrnambuco convida os ere-
dores das massas fallidas de Mesquita Dutra, e
Francisco Antonio Corroa {lardoso a apresenta-
nao morreo,! Tt? ''" ?-no P"5a P"eder a res-
< ue eslava no norte daquella iha, e que tinha es- Pf ** J r *> ='e do en.,e *
cripta uma carU ao .operador Napoleo pedindo- "> ** f Ihe soccorros paro recobrar a capital. ^ I,,,uta 1w esverem verifica-los.
So isto c corto, aquella caria devia ehegar no
correio do Levanto que so esperava
Mareen.
no da 7 om
CORRESPONDENCIAS.
Sis. reductores.Eo smente agora que Uve
C4IX4 FILIAL
DO
II % \< O DO lili %SI I.
EM PERNAMBUCO.
-^os senhores accionistas declara a directora
desta caixa, que o respectivo thesoureiro esta au-
torisado a pagar o dividendo relativo ao semestre
, ^^Z^TrZZ ^d:^^mbrcprosimpassado,nara-
Recifoirdejae]rodel8..l.
Jos Mamecie Alves Fcrreira.
Seorolario.
Consulado provincial.
Reudimeutodo dial a 9......... 87:339|fiS4
dem do da i'................. 3:0:)0ol
3
, 90:3755708
PRAQA DO RECIFE
DE JWIIHO DE !*.
As 3 horas da larde
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 22.......
dem do da I.................
394:M7#73i
.9BSHtt
114:782k::!
occasiao de Icr um breve discurso proferido na
ja polo Sr. Df. Antonio Vicente
d Nascimonto Feitosa, em susteutacao do urna
en.onda, por virtude da qual foi approvada, com a
eleicao legitima, a larca representada na malrizde
l|iojuca no dia '. de agosto do anno passado.
Nao discuto, nem posso mais discutir esse
grmiwto acto do Sr. Silveira de Souza e de MBS
agentes, perqu a theoria dos factos coiisuininailos
o o principio regedor da lberdade eleitoral, entre
nos, e porque, einliui, a agucada espada de Ale-
xandre cortou o n a que s premliam todas >s
difliculdades nascidas da inobservancia da le.
Todava, se a razio tove de ceder ao netoravel
brado das conveniencias, e se a verdade foi con-
demnada a eniiiiudecer diaule da lgica das pal-
xes, nao estou disposto, nem quero soffrer -ilen-'
cioso os ataques de um renegado poltico qu*, ac- Volumes sahidos com
borlado das inmunidades de que actualmente go- i t com
za, eutende ser-lhe licito atropelar a vorda!
cuspir improperios sobre aquellos que teeni bas-1 Descarregam no dia 2o de Janeiro.
tanto dignidado para despresa-lo. Patacho inglezEdittcarvao.
Assim, se o Sr. Feitosa, contando eoin a sua Galera francezaUtileidem.
irresponsabildade, pode agredir-mc da tribuna Barca inglezat(U(-We=idem.
nacional, t;u posso delender-me e responder-lhe da Harca franceza/t tribuna universal. Polaca nacionalMarinliocharque.
Para demonstrar a legitinidade da eleicao de Brigue portuguezS. Mnmel /diversos gneros.
Movlnento da alfande^a
Volumes entrados com faiendas...
f com gneros...
fazendas.. .
gneros...
231
6t
295
389
356
Ipojuca, feita pelos agentes da presidencia e da: Barca franceza -Pi/irkosal.
polica, uo tropidou o Sr. Feitosa em deprimir do Escuna ingleza Mischief m>-
tit^nt Lta f.a._jA _! i^^_ ... _>. Bkkn^i iIa i-i U inna innlnmi t^ >uiL ..I __
portador, encho-se os livros de havores, que nunca la a nadar em seeco. espancar os ares com os
se havoriio inais. I raros, com ares do inglez que joga o SOCO, e este,
A aguia branca acaba de fazer urna inipor- de espada om punho e capaz de comer ferro em
tante descoberta, que annuncia deste modo no braza, militas vezes me teta ampiado os cabellos,
Diario de hoje : c me olirigaudo a dizer baxinho com os raeus lio-
Senhores raeus, fi:a sabendo, que cellos fre- toes:i cruz, capeta.
guezes acanham-se de satsfazer as suas contas, e Mas, basta de presepe ; nota, diz Constancio, e
at passam icio lado opposto de chapeo d; sol breve a|K>ntamento, e eu nao quero sahir fora da
incliuado para nao seren vistos. signilicai;5o dada palavra pelo grande autor. A .
Descobriram os acaiuidos mais esta utiliiade me oceupar de todas as figuras do presepe, ser- meu carcter, lazendo-me passar, no meio da re-
no chapeo do sol! me-liia mister fallar em lodos os pastores, nos tres preeutacao uacional por um desses homeus que
- E entao, compadr-, queraos descubrir agora? Res Mufot, no Cupido no Centuriao, cujas barbas, soiueute preso aos itderesses vssoaes e aos de sua
i Contara das sertas que ellas tinliain o cirpo j dire de passagero, fazoni medo, no Y'lho. na Velha ('inulta, nao sent, nem obedece a outro estimulo,
metade mullier e metade peixe, e que cantavam e ato nos soldados que acompanham o Rei Herodes, mesmo as questoes do honra para o partido que
com tanta meloda qu atlraham si os pas&igei- j um tos quaes usa nina farda, cuja cintura passa eguo.
ros,e depois osdevoravam. Ora os verdadiras seras, que attrahem para depois de-; nomo ; e isto seria uui nunca acabar. quando se dtse mesmo algum vislumbre de ver-
vorar occullando a c.ibeca que a parte do j ente' O caso, porm. que eu ando seriamente im-' dado nessa sua proposicao, o que ha de commum
com chapeo de sol, quem os ha de cochocer pelo presionado com o tal presepe, e om toda a par- entre o meu .-upiwsto egosmo e as tracancias
ral, que a parte de peixe ? to, em qualquer lugar, em qualquer .occasiao. eleitoraes da adiiuui tiacao 1
Gritava o cocheiro por nao poder embobar a | canto e assobio cantigas delle e danso como as
vanem de Olinda, ou do Monteiro ; quebrara o al- pastoras'. Se passeio na ra, assobio ; se estou
faiate por que fora logrado; arrebentava o logista n'um circulo em que se conversa, canto ; e se
por que com losracei nao poda pagar o que do- estou no meu quarlo, fecho a porta e ponho-ine agosto do anno passado t
a vadosa i Por cerlo que nao : logo o Sr.
via ;aliual, doscobriiu.o os(i(i/i/i(i-/o.s o chap) de diante do espelbo a dansar, como moc
sol como remedio para nao serem vistos, quen nao -
gritar agora, compadre ?
lina especie de gente sabida como Ta\lerand,
por que ja diz como elle que Dos deu a palivra
ao homem nao tanto para exprimir seas pensamen-
tos como para ube-toc oceultar, paseada por todas
as cornucopias m\ filolgicas que encara o seipai
com o sangue fri dosalmado, e dzer-lhe : etteja
cifcido para a primein. do juzo, jcaliodoo a
comprido como um judeu morlo na possoa do
seu mais digno representante.
Moviniento da casa de delenco n
de Janeiro 1861:
Existiam . . 33C presos.
Entraran. . . 3 .
Saturan . 9
Existem. . . 330
A saber
Nacionaes. . . 219 presos.
Estrangeiros 30 .
Mulheres . 8
Estrangeras 1
Escravos . . 66 .
Escravas . 6 .
terosse pessoal e o de uieus prenles, justificar os
allomados cominettidos em Ipojuca, no dia 9 de
Feitosa quiz, por
forca, p")r-m em exhibic^ao e azer a sua estra
expensas minhas.
Kazendo parle da coramunbo brasileira, res-
peitando a lei, mas nao teniendo a justca porque
nunca cominotti crimes, nem iiiaulive pleitos in-
justos ; e acatando a opiuio publica, porm nao
arreceiaiido-nie de seus julgameulos, porque, gra-
ya a Ueos, nao tenho vicios, nem pratico dossos
actos que fazem corar o homem Iwnesto, sempre
entoudi que me nao era vedado, como cidado, to-
mar parte nos negocios polticos de meu paiz ; e
evei o amigo 7..... i posso dizer, seui temor de conlestacao, que tae
para casa de uns bons visinbos, alim de nos entre- ( einpenbo fui sempre ajudado por amigos leaes e
termos n'um amavel pelego. Ah maldita a hora dedicados, que, anda as crises mais dillicullo-
sua valiosa coadju-
rcadorias.
Escuna ingleza-Sam*o/=mercadorias.
Exportacao.
Barca ngleza Resolation, sahda para Liverpool
pela Parahyba carregou.
2,100 saceos com 10,500 arrobas de assucar e
15 toneladas de ossos.
Barca ingleza Com, sabida para Liverpool, car-
regou.
i caixas com 910 libras de cobre velho, i laxas
com 1,795 ditas de dito dito, 1,295 libras de dito
em pedacos, 1 volume com 12 arrobas de dito
Podenain, porveotura, o meu mal entendido m- velho, 5 barricas com 131 arrobas de dito dito,
que estuda as posicoes que deve tomar no baile,
ou como o cascabulho desfructavel que estuda o
cumprimeiito que ha de fazer nainorada.
Mas, decididamente basta de presepe; mudemos
de assumpto.
Escrovo as minhas inpMnSM, t vou agora fa-
zer urna nota sobre un caso que me impressionou
forlemente por dez minutos.
Eu eslava cynco, como o Artos ( de rjn,sMf. nao tinha o que fazer, bava j esgo-
tado o meu reportorio de cantigas de preseue.bum-
em que tal idea me vwo ao milo Desgracada
lembranca I Aquelle bichnlio pequenino, de ca-
boca grande, formada por uma urupema e de
bracinbos curtos., que dansa no buinba-nieu-boi,
trepou-se-me no cachaco, me nao me deixou mais I
Dospelogaram-me lodo I
E os meas m upanheiros, o/....., o Libertino, o
Nilal, o Juca e o Poeta, lodos sahram-se bem,
menos eu....
Nao son muito fcil em receber iuipresses for-
tes, iiurque trago sobre o coracao uma couraca
de pouoo caso o a alma envolvida em um domin
de indillerenca, porque sou uina especie daquelle
Alimentados a cusa dos cofres publicas. 143, mergulliador, que ua ininle do Recite yai ao fun-
Movimeuto da enfermara no dia 23 do cor- do do mu arrancar pedrase tocos de pao com sua;
rente. vestimenta de couroe de a^o ; porm, no tai prfc-j
Tove baix.i : \yo, quando me vi complolaineiiio dtsifleyado, seu- j
Jo^ Francisco Borgos, asthma. ii que o coracao se me aperuiva e que a alma so
- Obitiario bo di; 22 de jANEiit No CDii"ERio | me oiilristecia..., e livo serio incoimnodo por dez
330
sas, nunca me negaran a
vaeo.
Eulretaulo, se alguma cousa vali ou valho, na
localidade que habito, teuho o desvanec ment de
poder dizer que esse valimento nunca foi empre-
gado em proveito meu ou de meus parentes, como
mvndaciesameule aprouve ao Sr. Feitosa assegu-
rar em um lugar onde sou desconhecido quasi
toilos, e onde os poucos que me conhecem ou ti-
nham interesse do deixar passar a menlira sera re-
plica, ou nao tinnn a coragem de dizer a ver-
dade.
E uma vez que o Sr. Feiusa, sempre fiel ao ha-
bito de intrigar o menosprezar a verdade, nao
leve a forca precisa para fazer-me justca o res-
peitara aquellos que, pela priuieira voz oou-viam^
I'rsula .Mariadas Virjzens, Pernambuco, 63 ajnos,
viuva, Santo Antonio, phthysica pulmonar.
Manoel N'SRireth do Carmo, S. Tbom, 0 a anos,
viuvo, Boa-Vista, hepatite chronica.
Antonio Ahilio, Pernambuco, 25 annos, sol eiro,
Boa-Vista, anazarca.
Maria Rosa de Carvalho Soares Brando, Periam-
buco, 55 annos, casado, Joboato, tumor gan-
grenoso.
Timoleao Amando KartiflS, Pernambuco, 3C an-
nos, casado, Santo Antonio, phthysica.
minutos Foram dez seculos '. Nunca estivo triste
Unto tempo !
A uuviU i esse tempo para conversar com pes-
lerias o mais choias de iiravi-z, e palostrei
com o Rodin, com o Forrolho.como mais velho dos
Ocas ocoin o Aiinhibo
Mas, nao fallemos em nansas tristes ; oulro
perinitla-me que o convide a apoutar o fado ou
factos indicativos de que a pequea influencia por
iiim oxorcida no lugar en que moro, lora sido
applicada em promover interesse particulares
meus e de minha familia. A sua pro|>oscao de
natureza tal que, a nao ser provada, ha de infalli-
vohnente imprimir-lheo ferrete de calumniador.
Quando o Sr. Keitosa poder, cora verdade, dizer
do mim (jue trahi meus principios polticos e que
as- sacriliquoi os intereecea de um partido para obior
no-
sumpto : porm, nao, j tenho escripto umitas
tas. o resto Oca para outra vez.
E E tenho que assignar-me, e estou embarazado..
Predio de um pseudnimo, porque quando se es- ria de alandega para dote de alguma filha eulao
creve olas, ou ellas sejam lapis ou notas, nao assistir-lhe-ha todo o dreito para classificar-mede
te a-sifiuo propio nomo, porm sim Armando ou | ganhador e especulador poltico. Entretanto que,
uma posicae que d'outra forma nao alcaueana
quando poder provar que, como arrhas de minha
aposlasia, recebi empregos para mim ou para pa-
rentes meus, como por exemplo, alguma iuspeclo-
URI POIICO DE TODO.
O Sr..Rubim remetie-nos as seguinles
Ni'TA TOA.
Sira, notas a toa ; assim une sei cscrever ; d-
clarei guerra decidida orriem, symclria e ao
methodo : sou por excellencia desordenado ; dos-
ordem a rainha ordem. Moco, como sou, lo.o os
dias nessa vida desordenada de rapaz, e tudo quan-
to Taco participa da desordem della; por isso,
qnandn eserero na i tenho ordem, escrevo ua, e
a la sao as minhas rotas. Kis justificado o '.lulo
que l em cima oscrevi.
Entremos em materia.
Bstoa tambora pausando a fasta, mas sah da ro-
tina geral, afastei-me do estylo commun; nao
transpuz as porias da cidade, mudei apenas do
bairro : doixei Santo Antonio c viin para Boa-
..Vila. deixei minha casa e estou eracasa do'/.____
Para mim, mudar de bairro, mudar de mundo,
porque muda-se de ra, de casa, de companhii, de
cozinha, do hbitos e de tudo, at d'amores. Alm
disto, o bairro da Boa-Vista o que lem mais choi-
ros de campo, o que tem mais flores: e eu gosto
do campo c das lloros. E, por tira, o amigo l------
um paniego de forca de quatrocentos cavai os,
um pagodisia dos quatro costados-, um mmrpitta
tomo eu mesmo, apezar de andar ultimar lente
nuilo'cnenmeu/o; e eu vou longo, quando encon-
tr um companheiro destes.
Estou, portanto, p.issando a festa no bairro da
Boa-Vista, etenho-mc divertido rauilo.
Uma das cousas que mais me tem ontroldo, e
que me tem divertido do veras, um amavel e in-
teressante presepe que ha na ra, cujo nomc offo-
Mca uma perfeita antithese ao inferno e obscu-
ri dada.
Eu, o amigo Z-----e um cascabnllio que vai ago-
ra matricular-so em latim, nao por muito sen gos-
to, somos partidario- decididos e apaixonados da
Cintra iiiestra.
Aquelle ultimo, em uma das noites pascadas,
n'um jogo de prendas, deixou transbordar i sua
paixao, dizendo, corn todo o requebr, ao apresen-
tar ao seu vizinho a caixinhd dos tres drsrjos :
amo a conlra-mestra .A libertina tem tambem
o seu apaixonado na pessoad'um interessanie na-
lourinho, que, por isso, j foi appellidado jmji uma
MM bonia cora e nome de Libertino. A tnestra
nao tem dt>etunli, ou se tem, nao pude anda des-
cubrir.
Devo, entretanto, declarar, que a paixao des t-
letanti, em cujo numero entro cu, plato flea e
meramente artstica, porque as pastoras sao meni-
nas e a casa onde o presepe funecona dec :nte e
honesta, alm de estar sempre guardada pila po-
li lia, que nio comiente dar-se applausos, nao per-
mute que os espectadores riatn-sr, convtrsem,
f.-dlem, lussam, etc.
De ordinario, seja dito de passagem, a po:cia
niuito cuidadosa e vigilante as pequeas cousas.
Entretanto, apezar da natureza de minha paixao,
apezar do platonismo e do desinteresse della, nao
posso deixar de sentir cocegas e do sor mordido
pelo demonio da inveja, quando vejo que o teso e
empertgado pastorzinho, todo requebrado, passa
as raaos pela cintura da contra-mestra, dizendo as-
sucaradamente .Vem cu, minha pastorniha- e
acrescentando depo s, com ares de quera quer sc-
duzir-me a menina :
Minha rica pastorinha
Que fazeis nesta jornada
To triste e tao sosinha,
* Sem as ontras rom|tanheiras 1 Etc.
E quando o roagano se derrote todo aos pos
della, exclamando : nao fagas isto com o ten ni-
pidiiilto !...
Oh I nessa occasiao as cocegas requintara, n riu-
me augmenta-se, c tenho vontade de saluir em
cima do tal pastorzinho e de com ello fazer uma
K...Vallo : ou osirevi tambera minhas notas e por
seo lamben me occulio e uso do um pseudnimo.
Este ser tirado ce um objecto muito bonito que
posuo, e sera o seguinte :
BaHnu
O Cammtrcio do Porto diz o que segu :
II i lempos quere'nd" o ^averno dos Esladoa-
Uoidaa maaUstar a sua synpalha ao Japo, man-
dou urna fragata le guerra, levando a bordo um
hbil afflcial de irlilharis para dirigir o aperfei-
coar a< fandicdes japoniza-.
Este 01110181" quando desembarcou foi inulto bem
recebdo e conduzram-no a visitar as fundicoes
e Mienten militares.
einquanto uo exhibir ssas provas, ha de solrer
que os que, como eu, farem por ello aggradidos,
Ihe responauB em facesois um mentiroso, um
inliganto e um calumniador.
Recife, 23 de Janeiro de 1861.
M'iivm! hs da Costa.
t'nidades. Valores.
centi liWXI
ranada 6*0
610
1 400
728
720
arroba
12 molhos com iO arrobas de dito dito, l,i50 sac-
eos com 7,250 arrobas de assucar mascavado,
1,359 ditos cora 6,208 arrobas e 26 libras de algo-
da* e 1 caixa com buxo de pescada.
Brigue inglez Sarah, saludo para o Canal, car-
regou.
i.HOO saceos com 29,000 arrobas de assucar mas-
cavado.
Brigue inglez Lothian, sabido para Greenock,
carregon.
5,600 saceos com 28,000 arrobas de assucar
mascavado e 2 eaixas doces.
ALFANDEGA DE PERNAMBl CO.
PAUTA DOS l'liroo DOS GNEROS SUJE1TOS A D1HF.IT0 DE
F.XPOIlTAtAO. SEMANA DE 25 A 30 DO MEZ DE JA-
NEIRO DE 1864.
Mercadorias.
Abanos......
Agurdente de cana.....
dem restilada ou do reino .
dem caxaca........
dem Bajan.......
dem alcool ou espirito de agua-
ardeote....., .
Algodu era carneo.....
dem om rama ou em laa. .
Arroz com casca.......
dem descascado ou pilado
Assucar naaeane......
dem branco........
lil'in refinado........
Azeitc de amendoMii ou moiide-
bim.........cariada
Uom de coco........
doin de mamona......
Batatas alimeniicia>.....arrola
Bolacha o dinaria, propria para
embarque........
dem lina.........
Cal bniii........ >
dem esculla ou rcstolb .
dem torrado......
Caimrns........
Cal..........
dem branca......
Carne secca (xarque) .
(-iioiros.......
Carvia vagetal.....
Cavernas de fdenpra .
Cera da carnauba om bruta
dem idem en velas .
Cha.........
Charutos.......
libra
um
arroba
um
arroba
uma
libra
55750
234000
2000
24600
3|800
44160
24000
14600
800
14200
34000
75000
74500
64400
440
360
280
:oo
24800
Revista semanal.
Cambios....... Os saques da semana vai iaram
de 27 V a 27 V4 c 27 V, d. per
14000 sobre Londres, 345 rs.
por fr. sobre Paris, 95 por cento
do premio sobre Lisboa, elevan-
do-se a 40,000 as ttansac-
ooos ellecluadas.
Algodo........O dosta provincia vendou-se do
2350OO a 235o00 por arroba,
o do Macei pisto a bordo a
245O00, e e da Paratavba a 255-
Assucar........ Vendeu-se de :t540 a 45200
por arroba do branco, do 34000
a 352OO do smenos, de 2570rj
a 25O0 do mascavado purgado,
0 de 25450 a 25600 do bruto.
Agurdenle..... Veudeu-se de 705000 .1 755000
a pipa.
Couros.........Os -rico- .-algados vondoram-se
a 170 rs. por libra.
Aira.......... Do pilado da India venM-se
1 UNO por arroba, e o do Ha-
rauhao variou de 25800 a ris
:t520O.
Azeite doce.....O de Lisboa vendeu-se a 35000
por galo.
Bacalho;.......ltetalhou-se de 115 a 145000o
quintal ; licaudo om deposito
11,500 barricas.
Batatas......... Vondoram-se de 500 a 800 rs.
por arroba.
Bolachinha...... dem do 55000 a 34200 a bar-
liquiiha.
Cab-........... Vcndcu-so de 75200 a 74800
por arroba.
Cha............ dem de 25800 a 25400 por
libra.
Coi veja......... Vendeu-se do 55000 a 55500 por
duzia de gnalas.
Carne secca..... A do Itiu-Crande do Sul vendeu-
se de 15600 a 35600 |iur arro-
ba^ a do Ro da l'rata do 25800
a 35400; ficando em ser 60,000
arrobas da priraeira e 12,000 da
segunda.
Familia de trigo. A de Philadelphia e New-York
vendeu-se de 145000 a 175OO0
por barrica, a de Baltiraoro de
145000 a 165, e a de Trieste de
205000 a 205500 ; tirando en
deposito 7,000 barricas da pri-
inoira, 1,000 da segunda, 1,000
da terceira, e 6.000 da quarta.
Dita de mandioca Vendeu-se de 65000 a 75000 a
sacca.
Feija......... Vendeu-se de 10500 a 125000
a sacca.
Reactora........ dem de 320 a 340 rs. a botjx
Louya..........A ingleza ordinaria vendeu-se
coih 310 por ceulo do premio
sobra a factura.
Manteiga.......A franceza vendeu-sc a 500 rs.
por libra, e a ingleza a 700
rs. a dita ; ficando em deposi-
to 4,500 barris de arabas.
Massas......... Venderam-se a 75500 a caixa.
Oleo do linhaca.. Vendeu-se de 25000 a 25100 o
galo.
Passas.......... dem de 55500 a 65000 a caixa.
l'ivsuntos....... dem a 145000 a arroba.
Queijos........ Os flameugos vendoram-se a
25100 cada um
Sabae..........O amarello vendeu-se a 150 rs.
a libra, e o do Mediterrneo a
240 rs.
Toucinlio....... Vendeu-se de 85200 a 85500
por arroba.
Vinagre........O de Portugal vendou-se de
1185 a 1255000 a pipa.
Os do Lisboa vondoram-se de
-.''. a 2404 a pipa o os do 011-
trus paizes do 2105 a 2405-
As de composico venderam-se
a 520 rs. o pcete.
0 rebato de letras regulou do 8
a 10 por cento ao anno.
Para o Canal a 40Qmvirieh a
:I5, Liverpool20 pelo lastro e
,31'or libra de algodo.
Consulado provincial.
Pela mesado consulado provincial se faz publi-
co que os trinta dias marcados para a cobranoa
ho:ca do cofre do 1" semestre do imposto do 20
0(0 do consumo de agurdente das freguezas des-
ta cidade, dos Afogados, S. Lourenco da Malta.
Santo Amaro de Jahoatao, Vanea e Muribeca, per-
tor.cente ao anno nanceiro corrate de 186:
1834 se principiara a contar do dia 13 de Janeiro
corren te.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco
13 de janeiro de 1864.-0 administrador,
Antonio Carneiro Machado Bios.
Companhia Pernambucana.
Sao convidados, de ordem do conselho de direc-
cao, os Srs. accionistas, para se reunirem em as-
sembla geral, no salao da Associacao Conimer-
cial, no dia 25 do corrente ao meio da.
Pernambuco. 15 de Janeiro de 1864.
Conselho adiuinistraio.
0 conselho administrativo, para fornecimenlo do-
arsenal de guerra, tem do comprar os objectos se-
guinles :
Para o presidio de Fernando.
30 foces de roen*.
Para'o arsenal de guerra.
500 caadas de azeite de carrapaio.
500 vassouras de palha de carnauba.
500 pares de sapatos de lona.
Quera quzer vender taes objectos aprsentelo a-
su.is propostas em carta fechada na secretaria do
conselho, as 10 horas da mauha no dja 27 do cor-
rente mez.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 20 de Janeiro
de 1864.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel, presidente.
Sebastio A. do Reg Ranas,
vogol secretario.
Correio.
Pela administraco do correio desta cidade so
fai publico para fins convenientes que em virtude
do disposto no artigo 138doregulamento geral dof
correios de 21 de dezombro de 1844, c artigo 9 do
decreto n. 185 de 15 de maio de 1851, se procede-
r o consumo das cartas existentes na administra-
cao pertencentes ao mez de Janeiro de 1863, no dia
3 de fovereiro prximo, as 11 horas da manhaa,
na porta mesmo correio ; e a respectiva lista se
,o- na desde j exposta aos interessados.
Administraco do correio de Pernambuco 12 de
Janeiro de 1864.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Crrelo geral.
Pela administraco do correio desta cidade se
faz publico que em virtude da convenci postal
colebrada pelos governos brasilero e francez, se-
r) expedidas malas para Europa no dia 30 do
corrente pelo vapor francez Guame. As cartas
serao recebdas ara 3 horas antes da que for mar-
cada para a sahda do vapor; e os jrnaes at 4
horas antes.
Administraco do correio de Pernambuco 22 de
Janeiro de 186-4.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Vinhos-------
Volas..........
Desenlos.......
Fretes.........
MOYIMENTO DO PORTO.
Mme entrado no da 13.
Cadi-x31 dias, barca dinamarquesa Ingermtnn,
de 222 toneladas, capito N. Jenssen, equipagom
11, carga sal .10 mesmo capito, velo receber
ordens e segnio para a Baha.
Suliido no mesmo dia.
.15000 LisboaBrigue portuguez Florinda, capito Joa-
conto
Cevados (iwrcus)......um
III111. e Eira. Sr. Esta cmara julga de seu
dever cummuuicar V. Exc. as occurroncias, i|uo
se deram na eleigo, quo prximamente so proce
deu n'osta villa em o dia 6 do corrente ; o por
A noute regressou ooflieal americano bordo! isso passo aoxpor com verdade o acontecido.
da fragata,onde os seos companheiros o espera-] Achando-so doento o juiz de pu mais votado do
districlo da Matriz Casimiro Corroa Pinheiro de
vara impacientes.
Entu, Ihe disseram. que cusnastes a esses
barbaros
Nada, respondeu o olllcal, porm aprend
muito.
E que aprendestes f
Aprend que om tudo o que respaila art-
Alencar, olliciou ao 2." Josuino de Araujo o Albu-
querque, para vir presidir o eollegio eleitoral
e constando isto ao delegado supplente em exorci-
cii los da Cosa Afra, na vespura da eleicao ja
alta noite, parti d'aqui acompanhado de dous sol-
dados do destacamento dosta villa, a encontrar-so
loara sbenos muito pouco comparativamente aos, com Jesuino c achando-o pernoitando na lazenda [}',,,.i ',
japouezes. Ararine, enante dosta Villa tros leguas e neia, S??rP
** ahi tratou do dissuadi-lo para nao vir presidir a ,.lini"
I); pissagom direi que na provisau da realisa- eleicao, passando al a amoaga-lo com pnsao, se .'i|'|'\ '
jao do congresso, os alojaraentos dos dilTerentos no'voltasse; mais osle assevoraiido-lho que nao '',......,' *
Cocos (aeceesl
Colla. .........
Couroe de hoi, salgados .
dem den seceos espichados. .
Idem dem verdes.....
Man idem cabra eortdos. .
Id.111 idem do oiica.....
Doce- ......
" j dem em gela ou massa. .
Idem en calda......
Espanadoros grandes ....
dem pequeos.......
Esleirs para forro de estivas
do navio........
Estopa nacional......
Farinba do de mandioca. .
dem do araruta.....
lUjas de qualquer qudlidade. .
Preenan........
Fumo em tolha, bom ....
io ou restolho .
bom......
dem ordinario ou restottw .
cont
libra
<
um
cont
libra


nm
14000
85 250
360
14300
25500
155000
35500
quim Augusto de Souza, carga assucar e sola.
110
NO
105000
15000
320
aoo
45000
25000
Sacio entrado no dia 24.
Babia-8 dias, patacho hespanliol Presidente, de
178 toneladas, capito Kapliael Itizi, equipagom
II, carga 3:95.1 quintaos hespanlioes de carne
secca ; a Tasso & Irmao.
Manas sabidos w mamo dia.
500' Ro da Piala-brigue nacional Damao, capito Joa-
170 \ quim Jos de Oliveira, carga assucar.
2i Liverpoolbarca Ingleza Cora, capito James Wal-
lace, carga algodao.
EDITAES.
Gomma
Ipecacuanha (raz).
Lesna en achias .
Toros.....
Lianas e estelos. .
Mel ou inelaeo.......caada
Qao
potentados a elle chamados foram decididos do voltava, c quo prefera ser preso antes, do que dei-
inoilo seguinte : xar de comparecer na eleicao, retirou-se o Sr. de-
0 paoa president: do congresso, ser alojado as legado, e o veio embosear no sitio Barrigudo, dis-
Tullienas; o imperador da llussia, nos aposentos tante desta villa duas leguas, onde passando dito
do presidente do ccr|io legislativo ; o imperador juiz de paz, fez o delegado etfeetiva a prisao. con-
da Austria no palacio do Luxemburgo ; a rainha duzindo-u at esta villa em cuja cadeia o tem de-
de Hespanha, no palacio do Elyseu ; o rei de Por- tido at o presen)
tiiii.il no roaselho de estado ; o rei da Prussa, no E' esta, Exm. Sr. a oceurrenca mais notavel,
piuiieiro andar do Grande Hotel; o rei da Italia, que aa dea nesta eleicao: dexando esta cmara
110 Palacio lleal en casa do seu gonro ; o rei dos do narrar algunas ontras, para nao se tornar en-
Pai/.es-Baixos, no Holel Villemont, nos Campos fadonha perante V. Exc, de quera espora justas
Elysios ; o rei dos belgas, no Hotel Mirabeau -, o providencias.
rei da Suecia, no Hotel deS. James; o rol da Di- Dos guardo V. Exc. por muitos annos.
namarca, no Hotel Challara; o rei dos gregos, no Paco da cmara municipal da villa do Granito 1.
Hotel de Wurtemberg; o prncipe da confedera- em seYeo extraordinaria do dia U de dezembro de ^3Z
Qo geimanica. no Hotel do Louvre, o o grao-turco 1863.
no Hotel do Rheno. Illm. e Exm. Sr. Dr. Joo Slvcra de Souza,
0 illm. Sr. inspector da thesonraria de fa-
zenda desta provincia, manda tazer publico que.
em virtude da ordem do thosouro nacional do 10
cont 155000 de novembro do anno prximo passado, fica mar-
arroba 15600 cado Maria Colerina da Conceicao, Anua Joaqui-
alqnoiro 15"00 na de Souza Rangel e suas rraas Guilbermina
arroba 54000 Olympia do Souza Rangel, Maria Isabel do Souza
15800 Rangel o Maria do Espirito Santo de Souza Rangel,
um 550OO o praso contado desta data at 15 de fevereire pro-
arroba 1450001 xirao vndouro. para satialaiaren a cortas forma-
1 85500; lidados que (altaran nos procesaos de justficacao
85OOO! que produziran para a percepeo de seus meios
55000 ; sidos, sob pena de Ibes ser suspenso o pagamento
' dos nesnos meios sidos, e de proceder-so execu-
livaniente oontra ellas para restituicao do que j t-
vereni recebdo.
Secretaria da thesouraria de blenda de Peruani-
buco, em 9 de Janeiro do 1864.
Servindo de oficial maor,
Manoel "Si'' Pinto.
uma
arroba

cont
>
um
Mlho.....
; Papagaios. .
Pao Brasil .
dem de jangada.
Padres de amolar
. dem de filtrar .
Idem do roblo .
.: Piassava.
airaba
um
quintal
nra
uma
600
15000
255000
14500
115 85IKM)
200
15500
25300
55000
55000
840
Nao tendo comparecido licitantes a arrema-
tacao de 17 toneladas de carvao de podra avaha-
da era 2045 na razo de 125 por tonelada, an-
nunciada para hoje. Ilcou transferida por ordem
molho
novilhos........cento
Pranchdes de amarello de dous
Durante a estada dos soberanos om Pars, o im-! dignissiino presidente desta provincia. Manoel Car- .. ^st*'J.S .....
rador residir no palacio de S. Cloud. los Saldanha de Alencar, presidenta.Canato Jos Ja,-n? Ul 1U,.....
per
Referen de Turia um fado bastante impor-
tante.
Parece que um meirinho, devidamento jura-
mentado junto do tribunal do appellayo de Geno-
va, deixou o sou carcter oflicial para reclamar
offlciosanente do Mazzini a importancia das des-
petas, capital e juros, da tota I ida Jo do processo
instaurado a proposito da rebollio de 1834, era
resultado do qual 'setenta aceusados foram con-
doninados a penas diversas, e entre outros Mazzini
de niorle.
Todos os aceusados foram solidariamente con-
deuiuados as custas e despezas do processo ; mas
Peixoto. Joaqura Moreira da Costa Alenear
Manoel Florencio d'Alenear, vencido. Luiz Pe-
rera d'Alenear.Luiz de Mederos Raposo.
Est conforme.
O secretario da cmara
Cometi Carlos Peixoto d'Alenear Jnior.
Salsa dellrislol.
MOnTES CAUSADAS POIl MIME KAES.
Fazem-iios uso de lodos os venenos activos na
medicina, e todos finalmente encurlam a vida. A
salsa de llristot um dos poucos remedios, ver-
daderamente vegetal. Ella nao contera um s
libra
lotalidade da divida.
Mazzini respondeu ao escrivo em termos irni-
cos, c e estava no seu dreito.
Publica a Muda o que segu :
A rainha do Madagascar acaba de casar-se mor-
ganaticamente com r. seu primoiro ministro, chefe
do partido ante-francez, com o qual cultivava rela-
c,oes havia tres mezes.
A proposla do casamento tez-se da maneira se-
guinte :
0 missionario Elli metteu-se a easamenteiro, r
n'roduzto na real cmara nove dos assassinos do
15200
120
55000
205000
10,5'KK)
14O00
120
400
255000
55000
75000
25800
1104000
735OOO
25800
25000
65000
25000
104000
85000
65000
500
Janeiro de 1864
fio.
O 2.* conferente, Cortos susto Um de Souza.
Approvo. Alfandoga deern Parabuco, 23 de
Janeiro do 1864. Paes rTAndrade.
)! osCPoZ'o"' ~ 4 t,M'r|,U"'ar0' Md0* S"""
Rrcebedorla le rendas Internas
44000 do Sr- uspecior interino desta alfandega para o
dia 26 do corrente ao meio dia porta da raesraa,
cuja arreraatago ser livre de direilos ao arre-
matante. 4 scele da alfandega de Pernambuco,
23 de Janeiro de'1864.
0 2o esrripturario,
Caetano Gomes de S.
Rap
Sabau..........
Sal.......... alqueire
Salsa parrilha....... arroba
Sebo em rama....... >
dem era velas........
Sola em vaqueta...... urna
Taboas de amarello..... duzia
dem diversas.......
Tapiocas......... arroba
Tatajuba......... quintal
Travos......... uma
Cnhas de boi....... Canto
Vassouras de piassava. ... >
Mitas de timb
DECLARARES.
ta substitundo-a por outra : porm, a salsa par
rilha do Bristol opera com a natureza c nao con-
tra ; removendo para sempre pelo seu poder neu-
tralisador s causas de molestias ulcerosas, can-
vigor ao estomago e intestinos, aliviando o syste-
ma de substancias epidmicas o dando forca aos
orgaos enfraquecidos.
As enancas e as senhoras delicadas podem to-
ma-la som susto. E' a salvacaodos doentes. Can-
tella, para evitar as mtacoes o falslfleacoos, das
quaes existen tres no Brasil. A legitima vndese
por Caors A Barbosa e Joo da C. Bravo & C
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 2 a 22........ 17:9805672
dem do dia 23................. 1:5134600
19:5244272
Consulado provincial.
Pela mesa do csusulado provincial se faz publi-
co que uo dia 15 de Janeiro corrente se principiara
a contar os trinta dias uteis marcados para a ro-
branca a bocea do cofre dos ntposlos segumos,
Sertenccntes ao anno linanceiro do 1863 1864,
0|0 sobro os cstabeleciraentos de fura da cidade,
prensas de algodo, lypograplnas, cochoiras, caval-
larices, hotois, boteqdins, casas de pasto e fabricas;
12 0|0 sobre cstabeleciraentos de comraercio em
grosso e a retalho, armazens de recolher, de de-
noaitoae trapiches; 8 0|0 sobre consultorios m-
dicos e tirrmeos, escriptorios c carlorios; 505
sobre casas de modas, bilhar. chapeos, rupa es-
trangeira, e commisso de escravos; 1:0005000
sobre casas de operacoes bancarias oon emissao c
privilegios ; 3005 sobre as com emisso e sem
privilegios; 3005 sohro companliias anonyinas o
agencias; 2005 sobre casas de cambio ; 11)05 so-
bre correctores coinmerciaes e agentes do leilao
500 rs. sobre as toneladas do alvarengas ; 305000
sobro escravos enpregadoe no nrvjaa das mes-
mas ; 10 0|0 sobre os terrenos oceupados cun o
planto dfl capim, o o imposto de carros, crnicas
e mnibus.
Mesa do consulado provincial 13 de Janeiro de
1864.O administrador,
Antonio Carneiro Machado Rios.
THEATRO
Grande concert no dia 27 de jaueiro
dado ron
lur /a.
I'.i i bfiii-riiicio des haspitaes da Sania Casa da
Misericordia e Porlaguez nrsta cidade.
O insigne e distincto pianista portuguez, o Sr.
Arthur Napoleau, ao passar pela segunda vez por
es la provincia, nao quiz deixar de patentear a sua
gratido aos benignos habitantes desta cidade, of-
fortando um beneficio em favor dos pobres, que
ei euntram fcil acolbimento nos hospitaes da San-
ta Casa da Misericordia e Portuguez.
Este acto ter lugar na noute de 27 do corrente,
no theatro de Santa Isabel, onde os benvolos e
caridusos habitantes desia capital poderlo de novo
admirar o prodigioso talento do joven e eximio
pianista e ao mesmo lempo proporcionar quelles
pos eslabolccimenlos raais um recurso para ronti-
niiarera na santa obra de caridade, a qoe se do-
dicani.
A administraco da Santa Casa da Misericordia,
bi ni como a do Hospital Portuguez julga absoluta-
mente desnecessario suplicar ao publico pernauv
bucano o >eu concurso, porque seria isso por em
duvida a sua to contienda caridade.
Eis o programla do concert :
l'rimeira parle
1." Grande fantasa sobre motivos da opera
Tratiatu. composta e exerutada por A.Napoleo.
2.* A' Caprichosa grande Polka do concert,
ecinpostae exocatada por A. Napoleo.
3.-1 Sinphonia da opera iwntcenmoMr.exeentada
pela joven Anglica Bottini e A. Napoloao
4.* Cavatina da opera Marco Visconti no pistn,
pola orchostra.
Segunda parte
4.* Reminescencia da .\orma. Grande Fantasa
do F. Liozt, cxeculada por A. Napoleo.
6.J Fantasa do Lucrecia Borna, por A. Goria,
esaentada pela joven Angelina Bottini.
7.* Grande aria da opera Lucia a"Lamennoor
nophelyde pela orchostra.
8/ A' Brasileira. grande marcha dedicada a S.
M i. o Senhor D. Pedro II, en que esli ntrodn-
di s os himnos da independencia o nacional, com-
posta o executada por A. Napoloao.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Vtvcaacio costelra vapor.
Vacfi e escalas.
O vapor Paraijba, coroman-
danle Martins. seguir para os
porlos cima indicados uo dia
23 do corrate as 5 horas da
. tarde. Recober carga at e dia
2::. Eneommendas, passageiros o diubeuo a Irete
at o dia da sabida s 3 horas da larde : ascrip-
torio no Forlc do Mallos n. 1.
Hio fraude do Kul.
Segu era poucos dias a barca nacional Thereza
1. para onde recebe carga a Irete a precos baixos :
tratase eom Bailar & Oliveira, ra ra da Cadeia
numero 26.
Para o Hio de Janeiro.
Sahir cora brevidade o brigue nacional Ener-
va, recebe carga e escravos a irete : trata se com
M inoel Ignacio de Oliveira & Flho, largo do Corno
S:.nto n. 19.________________________________
Para o Hio de Janeiro
sahir com a maor brevidade possivel o palhabo-
te nacional Viamao ; recebe anda alguma carga
a frete e escravos : trata-so cen Manoel Ignacio
de Oliveira & Flho, no largo do Corpo Santo nu-
mero 19.
Para o Rio Grande do Sal
pretende seguir com muita brevidade a barca Afri-
cena, pode anda receber alguma carga a froto :
traoi-se com os seus consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo 6c C, no seu escriptorio, ra
da Cruz n. I.
Aracaty-
O hiate Santa Rita tem parte da carga prompta:
para o resto, trata-se com Tasso Irmos. ra do
A mor ni n. 35, ou com o meslre no trapiche do
algodo.
Para Lisboa.
Pretende seguir com muita brevidade a velera
e bem conhecida barca portugueza Gratido, tcm
parlo de seu rarregamento prompto, para o resto
que Ihe taita tratase cora os seus consignatarios
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu
escriptorio ra da Cruz n. 1 ou com o capito An-
tonio Perera Borges Pestaa na praca.
Para Baha pretendo sahir com mulla bre-
vidade o veleiro patacho Jliereza, capito Joo Cor-
ren Lima, por ter a maor parte da carga ; para o
resto que Ihe falta trata-so com os consignatarios
l'almeirati Beltrao, largo do Corpo Santo n. 4, Io
andar._________________________________________
- Para Lisboa segu cora brevidade o brigue
portuguez Activo, capito Augusto Wenceslao dos
Santos; este navio lem parte do earregament< i
prompto, e para o resto afrete, trata-se cora Amo-
rim Irmos, ra da Cruz n. 3, ou com o mesmo
oapito na praca do commercio.





Diario de PeraaiubnO *etm<1< Mr* <. e Jadelr* de i SU*,
"1
.:.;
-

/
Para a Baha
O palhabete Gatibali prelende seguir rom bre
vidade para este porto, tendo parte de seu carre
amcuto, e pira o resto trita-se no escriptorio de
MU [maos na ra do Aniorim.
A barca Urna l abe para o Porto em puucos
das, |nr ten|ua>i prorapto o seu carregamento .
para o resta i passageiros, trata-se com os con-
signatarios C irvalho A Nogaeira. na ra de Apollo
numero 20.
Porto
O M0M portuguez KaaraaOB, capilo Leuren-
90 Fern.uules do Carmo, st gue com brevidade :
recebe carga a passageiros trata-se cora con-
ilQltW os Marques, Barro.' & C, largo do Corpo
Santo n. ti. -__________________ I
rara o Ule Cirande do svnl
segu com brevidade o patacho nacional Smisipuf-
fes : para carga e passageiros, trata-se na rtia do
Trapiche n. 4.
LISBOA E PORTO
A galera portuguesa Nora Fama, esperada do Rio
de Janeiro, segu com brevidade para ambos os
partos, recebe algnma carga e passageiros, para o
irae tem excelentes commodos; trata-se com os
consignatarios Marques, Barros & C. no largo do'
Corpo Santo n. 6, segundo andar.
.1.1.1111
Araba de sabir dos prelos de n ellicina almank civil, ecclcsiastic,
commfrnl, fabril e agrcola, conten-
do todos os empreados, engenhos e
negociantes, inclusive as modificarnos
-vidas at 31 de dezembro ultimo ;
vende-sea i$000 nicamente na li-
vraria n. 6 e 8 dencia.

LEILOES.
liEfl.U
feijo
DE
12fi saceos com
IIOJE.
Uag'ir'e Pinto legalmerte autorizado (ara lcilao
do cena de 126 sacces cera fe-ijo existentes no
trapiche do Cunha ra da Moeda n, i, ende se
cffectuar o leiiao s 10horas do dia cima dito.
Joao da Silva" Ramos, medico pela l
versidade de Coimera, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha. e
das i s 6 da tarde. Visita os doente>
en suas casas regularmente as horas
para isas designadas, salvo os casos ur-
gentes, queseras socrorridos era qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procuraren! no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manira.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda un sino os alienados, para o que
tem commodos apropriados p nella pra-
tica qualquer operario cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe .'WOOdiarios.
Segunda dita-.... 24500
Ten-eira dita.... 2*000
Este estalieleciinento ja bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
corrate
asi
Le t de faieidas em con)
HNR,
Segunda-feira 95 do
ao mel da e das l>
da noite.
Caaa*M A. Lima nao tendo pedido acabar o seu
leiiao de t'azendas para liquidaco continuaro o
Aviso ao publico.
As primeiras e nicas transaeces com-
merciaes que poraljum tempo tive cora o
Sr. Joao Baplista da Rocha, oram somente
compras que lhe Qz de gneros na sua ta-
berna n. I3 da ra Direila, no Recife. Al-
seu leiiao segunda-feira 25 do correrte pelas 121 guillas vezes Ih'os comprei a dinheiro vis-
horas da manha e para satisfacer a algnmas pes-1 ta, sem exigir recibos e outras vezes pra-
soas que nao podara assistir <*do, continuaro s z0> aceitarmo devidamente as
I
4i da tarde at s 10 horas noite.
Veude-se sem limites de preco.
iio.ii:.
O ag ;nte Pestaa vender por conta e risco de
quera | artoacer 300 caixas com batatas de I e 2
arrobas en um ou mais lotos a vontade : segumla-
feira 2. do correrte pelas 10 horas era ponto da
manu-L__________________ _____
iTTiito
M
1.anclias, botes, mastareos, vergas, cor-
renten ancoras, \cas, lonas, cabos,
correntes, e ostros objectos salva-
dos da barca inglesa lilrien.
Terea-feira, 2t do correrte,
na alfauefa arama uttaerv 11
John Uuncan capitn da barca ingleza Mr.
oolragsa perto da costa de Mara Farinha fara j
lcilao |K>r conta e risco de quera pertencer, com
auturi.-acao do cnsul de S. M. Britannica, com
licenea do Sr. Inspector da alfandega, em presenca
de um empregado da mesma reparlico c por in-
tereea-jo do ageniu pu a, nbectos cima
mencionados salvados da referida narra e euv
lentes na alfandoga- armazem n. 11, onde se ef-
lectuar o felino no dia cima designado.
Principiar ;i> 10 horas em ponte.
respectivas
ttras, das quaes apenas me falta retirar
masque importara em 4.7jtOO rs. por
'cuja contapaguei ao mesmo senhor emva-
' ras datas diversas quantias, as quaes tal
' vez o dito senhor nao mencionasse no verso
. <. essas duas lettras, visto que passou os re-
cibos existentes em meu poder. Tendo, en-
tretanto o Sr. RaptisU tallecido ha poucos
das, taco a presente dadaracSo ao publico
[ara que ningoem negocie com as referidas
I ttras, as quaes apparentemente podem es-
ttr figurando-me devedor de tuda sua tota-
1 dade, quando assim o nao visto ja ter
eu pago a maior parte do sua importancia
da furma que acuna exponbo.
Itamarac, 18 -le Janeiro de IHii.
Fortunato Vieira da Silva.
11 i? f P g-
E g, s 8 f > z.
11 i J f |
s = c e
o;
C C
a.
e- S? a
a

c
. c
3
e>
. %?
' g s v
LKILH)
Transferencia de leilo.
O lcilao dos salvados da barca ingleza Adrieu,
ii( a transferido para o dia terca-feira 26 do cor-
rcnii", era ooosequeocia de no terem chegado to
los os objectos salvados pertencentes mesma
barca
Qnarta-feira 27 do corrente as M lio-
ras na da Cadeia armazem n. '.\',\
t oj escravo crionio de nonic
i.ii I f.. aervleo do eaaipo.
Por intervencao do agente Fhizebio se vender
cm leiiao por conta e ordem de quem pertencer
pelo maior preco que se adiar o escravo crioulo
de nomo Luiz, idade regular, proprio para todo o
servido assim do campo como o ordinario de urna
visa.
C0MP4M1U
INDEMNISADORA
A directeria da compauhia de Segnros Mariti-
n;os Indemnisadora convida os senhores accionis-
ts a reunirem-se em assemble i geral no escripto-
rio da mesma compauhia. no da 25 do correrte,
pelas 11 horas da manhfia. para os (ras determina-
dos no artigo 40 dos respectivos estatutos, e pro-
cider-se a approvaean da-transferencias de ac-
eces ltimamente realisadas.
Recto 21 de Janeiro de 1861Os directores,
Francisco Joao de Barros.
Miguel Jos Alves.
Joan da Silva llegadas.
FOLHINHAS PARA 1864,
Na praca da Independencia livraria ns.
e 8, achatn-se venda as segttintes folhi-
nhaspara ISUiimpressas tiesta typographia
em excedente typu e bom papel,
Fulhinlia de porta contendo as mate-
rias do costume, rs.........160
Dita de algibeira, sob a epigrapbe
religiosa, contendo alm das maierias
do costume os seto passos da l'aixao
de Nosso Senhor Jess Christo ; cnti-
cos do mez Mariano; hymnos e jacula-
torias ao Santissimo Sacramento; ex-
plicares de diversas oraces; cora
Seraphica ; exercicio ao sagrado cora-
do de Mara ; oracao para visitar as
igrejas no dia da Porciuncuia ; oraco
para esculha dos estados da vida ; dita
a Senhora da Conceico ; e meditates
sobre a reforma da consciencia, rs. 320
Dita de dita, sob a epigrapbeVa-
riedade, contendo alm das materias do
costume : receitas uteis e necessarias
aos diversos mysterios da vida ; physi-
ca e recreativa ao alcance de todos:
pilheriase ralices; poesas; charadas;
mximas e pensamentos colligidos por
um curioso..............320
Ditas ecclesiastieas ou de padre para
resar o officio divino, redigida >elo re-
verendo conego penitenciario da S de
Olinda...........640
Constando ao abaixo assignado que o seu'
genre Domingos Jos Kibeiro Goivim pretende fa-
zer negocio cora a parte da casa da ra do Rosa-
rla da freguezia da Boa-Vista n. 48, que pertencia
sua lilha Mara Theophila de Paula Carneiro, ho-
je fallecida, declara o mesmo abaixo assignado que
ninguem faca negocio com o d seu genro sobre
a dita parte'da casa, por <|uanto sendo elle herdei-
ro de su mulher na meiaco, todava a nao pode
dispar sem proceder inventario, e satisfazer ou-.
tros enpenhos a que est sujeita urna tao diminuta,
heranca. Recife 21 de Janeiro de 1864.
Francisco Jos de Panla Carneiro. |
- Precisase alugar um prelo para o servido
de urna casa : a tratar na ra do Imperador, ar-
mazem de louca n. 41. No mesmo armazem ha
para alugar-se um excellente cozinheirn.
Aluga-se urna casa cora 4 quarlos, gabinete
ao lado n cozinha fra, calada e pintada de novo,
com banho na frente, e bastarte fresca : quem i
pretender, dirija-se ao largo do Paraizo n. 20.
Aluga-se urna casa nova com bons eoromo-
dos para familia e por preco milito commodo, no
principio da estrada dos Affliclos : a tratar na pa-
darla do Chora-menino^______________________ i
Est por alugar-se o segundo andar e sotao
do sobrade n. 65 da ra Nova, que alias tem ex-
celentes accominodacSes : quem os quizer juntos
ou separados, dirija-se ao primeiro andar.
No sobrado n. 33 da ra de Hospicio ha para
alugar-se um quarto ou saleta que tem ptimos
commodos : quem o pretender, dirija-se ao u sino
sobrado.
- i
O abaixo assignado ainda tem para vender |
alguns peilacos do terreno de mantilla n. 182 que
prate na ra da Concordia e nos fundos da mes-
ma, nunca menos de 150 palmos de fundo com 30
de (reata, aterrados e beneficiados e confrontes
para qualquer dos rumos que agradar ao compra-
dor : quem os pretender, dirija-se ra larga do
Rosario n. 16, que achara com quem tratar.
I Manoel Antonio de Jess.
O abaixo assignado, tendo socledade em seu
estabelecimento sito na ra do Trapiche n. 28 sob
a firma de Manoel Antonio Pires & C, e deixando
de ser socio Manoel Antonio Pires, licou o mesmo
abaixo assignado obrigado pelo activo e passivo da
; mesma sociedade, isto desde fevereiro do anno
prximo passado, e por isso declara a quem for
l i-redor da referida firma, que se aprsente no pra-
so de 15 das da data do presente, findo os quaes
nao se obriga mais por qualquer debite que lhe
seja exigido. Becife 22 de Janeiro de 1864.
______________Jos Hodrigues de Andrade.
Tendo dissolvido os abaixo sslgnados n jo-
ciedade que tinhamem seu estabelcritnenlo sito na
ra do Trapiche n. 28, licou cargo o activo c
passivo sobre a responsabilidade de Jos Rodri-
[gues de Andrade. Becife 21 de Janeiro de 1864.
Manoel Antonio Pires.
Jos Rodrigues de Andrade.
F oto do a v
MOFIW
Em qu.nfo o Sr. Jos# Joaquim Barbosa nao vier
ou mandar da villa do O' (para onde mndem-se oc-
cultamente) pagar os alaguis de perto de dous
annos da casa emque morou, na roa dos Prazeres
i da Boa-Vista, ver o seu nome ueste jornal para
melhor ser rouhecido dos proprietarios.
jg| Aluga-se o armazem n. 4 da ra do Apollo, e
oterceiroandar da casa n. 88 da ra da Impera-
triz ; na ra da Aurora n. 36.
Aluga-se ou vende-se um sitio na Capunga
Velha. rom boa casa, conleinlo 4 quarlos. gabine-
te, cacimba com boa agua, quartos para pretes,
e.-lribaria e fructeiras, todo murado : quem o pre-
tender, dirija-se ra do Crespo n. 18, primeiro
andar.
Quem tiver para alugar una eecrava perfeita
cozinbi'ira e engommadeira, dirija-se serrana de
Paulo Jos Comea, ra nova de Sania Bita n. 13.
Mocledade de seguros mutuos
de vida Instaliada pelo Banco
i nlo na eidade do iorto.
Os agentes nesta eidade e provincia Autonio
Luiz de Oliveira Azevede & C,, escriptorio na roa
da Cruz do Recife 1, esto autorisados desde j
a tomar asignaturas e prestar todos os esclareci-
mentos que forera necessarios, as pessoas que de-
sejarem concorrer para to til e benfica empre-
xa-, egurando um futuro lisongeiro aos associades
* Precisase de urna ama que jaiba engommar e
i. lavar: na rtia das Cruzes n. 39, taberna.
>wwm&
' Quatta-feua 3 de fcvfieiro prximo, se
extrabiri, a quarta parte da primeira lote-
ra da malrlz de S. Jos, no consistorio da Manoel Jos de Albuquerque Mello, provisio-
igrpja de Nossa Senliora do Rosario da fre- 2ado P*,la directora geral de atraed publica
eriga rlp Santr. Antonio -a Prov'nc|a. iw> entinar nesta cidale as pri-
8 a i -i Anlon,- reirs letras, offerere o seu prestimo a todas as
Os bllhetes e meiOS acnam-se a venda na pessoas que lhe quizerem confiar os seos Cilios,
respectiva thesouraria a roa do Crespo n. 45 j prometiendo envidar todos os seu esforc.*, atn
e as casas rommssionadas ra da Impera-. T cumfr!r 1 8,u "lagisterio, teudo'abertoa
tri7 n 44 loia lo Sr PimPnfM rin nirwtn ,ua, "a au':' desd,! ma ll ',0 'renle, no pateo
tri/ ti. .|, lojatiobr Pimenici, ra Diruta,do Tere^seara* a 144, legundoaadar
n. 3, botica do Sr. Chagas; ra estreita do
Rosario n. 12, typographia do Sr. Mira e roa
da Cadeia n. 49, toja do Sr. Porto.
Os premios de 5:0005000 at iOtfOOO
sero pagos urna liora dejmis da extraeco
at s i ioras da torde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuicao das lisias-.
O Ihesotireiro,
Antonio Jos*'^ Hodrigues de Sonza.
Uest'ja-se saber onde reside nesta
dade o Bvm. Francisco Baphael Fernn
des, da villa do Principe, e ao mesmo
pede que annuncie a ,-ua inorada.
Club Pernankirai.
A reunlo fautlllar do eorren#e
aaez, (era lugar no da 8.
Chamamos a attenco dos Srs. socios para o se-
gninte artigo dos estatutos:
Art. O. Oozarao de todas a> regalias e passa-
tempos : *
raaiore
Fugio no dia 10 do corrente mez. o mulato
de neme \nlerk), baixo, cheio do corpa idade 2-f
a 21 anuos, baria pequea e conserva bigode bal-
so, olhos alK>ioados, algnma cousa carrancudo e
cor de laranja, cabellos ntiman; quem o apre-
hender leve no engeuho Pallwta, oti caes do Ha-
mos n. ',-, que ser bem recompensado.
Aluga-se um excellente moleque
rtia da Boia n. 16.
frafar n
Igiiaciu Franei.*co< atora! '-arail, convida ao-
amigos, ouvir a tni^sa, que sn tem de celebrar
por ahna sua finga mulner l>. Mana Rosa de
Carvalho Stares Brand.m quarta feira 27 do cor-
rente, s 8 lioras da nianAa na capeMa do cemite-
rio de cuja obsequio Ibes flcar ass- agraik'
eido.
A pes-.ia que anmiurou precisar de .*iOA
- : t" os socios e as pessoas cfc sua familias, premio dando por livpotheca umn escrava aupare-
is ^k 12 annos, eomprehendemlo-se nesta de-' ja ra do 3ebe> n. M, que se dir quem d.
nominaran .rnente aquelles, que ksitimamente "------r. M.,r,;\"t' C|... .,., i1,' ,l .------------r
as compozerem, vivendo sob o mesmo tecto, reg- L ^J** MaiUnstta Silva subdito pertuguez vai
das pelo mesmo chefe e sem rendimeato proprio.''
ATTENgAO. j.
Precisa-se por oito mezes da quantia de 5005
a juros, dndose por hypethera urna e-irava : a
quem convier annuncie._________________
t^MJjOO.
Prcrissi-se de 2:600^ a premio, dando-se um
Aclia-se' venda as livrarias desta eidade, a nom predio em hypotheca : a quera coiwier este-
300 rs. em brochura. e a 400 rs. enradernndo, o negocio, que ah se dir quem
interessanli' livrinbo
Aluga-se urna sala mohilhada, propria para
qualquer moco solteiro, por proco razoavel, em
urna das memores ras do bairro da Boa-Vista : a
tratar na ra de Santa Bita n. ol.
No escriplorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C, na ra da Cruz n. 1, precisa-se fal-
lar com o Sr. I.uiz Soares Botelho, lilho de Jos
Soares Botelho e de Fortunata Candida de Soma,
e neto de Francisco Manoel de Souza, natural da
ilbade S. Miguel, o qual consta ter vindo para es-
ta eidade em 1836, para lhe dar noticias de sua
mi e irmaos que se acham no Rio de Janeiro.
Illumina<#o a gtm hydro-
geuio.
O aroprjetario da nova exposi^o de candieiros
a gaz avisa a ledos seus freguezes que tem rece-
bidonovainenteriqiissiiiio sorliinerte de candioi-
ros eoulros perleneespara os mesmos, que tudo
vende por menos preco- de que em outra qual-
quer parte : na ra .Nova luja de Carneiro Vianna.
ATTBMCiO.
Neste estabelecimento se aluga candieiros de to-
lla p Hyecift, principalmente para bailes ou ou-
tro qualquer divertimentn qne seja ricameiiti- I-
luminado a gaz hydrogenio, alliancamlo-se aos
pretendenles que acharan sempre grande quanti-
dade que preci-arem para este t'uu : na ra Nova
n. 2i, nova exposico de candieiros a gaz loja de
Carneiro Vianna.
O Dr. Carolinu Francisco de Lima San- (ffl
tos, contina a residir na rita do Impe- ;.,;
rador n. 17, 2.- andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do dia e da noite
para o exercicio de sua protissao de me-
dico; sendo que os chamados, depois de
meto dia at i horas aa tarde, devein lef
deixados por escripia O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias do interior, prosegue, cota o
maior aflinco, no das mais difflceis e deli-
(;ul.,-operaeoes. como sejain dos orgos
ourinarios, dos olhos, parios, etc.
Base a qnantia de 20J mensaes pelo a
giK?l de una escrava robusta, fiel e diligente para
o servieo interno e externo de casa de familia : a
rin du Cuararapes n. 2fi, sobrado de um andar
OpiiMiilf de moral religiosa
FOB A. BEXDir,
Approvado para
desta provincia pelo
c3o publica, como se v do seguirte par
PARECEB.
armazem da bola amarella,
quer.
O Sr. Francisco Xavier Paes Barrete Jnior
ileitura das escalas nrimarias "^o se pude retirar para a Europa sem que se en-
o conselho dir^ tor dfinsm^ lea&l con "citador Jaquim Cavalcatl de M-
^ veStgulrtfpL^:^ i^-TLMd,- "a rU3 d0 -N"Ueira Pri"
meiro andar.
A commissao encarregada de dar o seu parecer Antonio Jos Pereira, subdito portuguez, re-
cerca do Opsculo de Moral Rrtgiom para leititrn tira-se para o Bio Grande de 8ul.
!:!1r'.'r'r',?"u"rtr'"'. l?r ^r-. An").rsi,,1 e"d^ AIUIam-seoS dous sobrados de um andar ns.
auton.-ado peloconselho de instruccao publica em 39 e II da na dos Pires, fbairro da Boa-Vista..
1-raih.a etraduzuioem vulgar por leu acura- tendo cada uuu destas casas & miarlos e 2 salas
damente este formoso livnnho, que tanto tem de m a,t0 c no and,v torre0i a|elB Jgjg commodos.
pequeo como de interesante e quando pela dou- gozinha e 3 uuartcs no ,.uin,a|, uein os preten.
trina que encerra e pelo primoroso da vvrsao ele der. dirija-se a ruado Cabug n.\ loja.
se nao fizesse desde logo recommendavel. bastara-----------------------;-; i-------------
o nome do autor do 0/i>> Vnireisitnrto e a res-
peitavel saaecio da aolortdade do cnsino em Fran-
ca, para que a commissao o propozesse adopcao
do conselho. Mas alm disso, quizera ella que as
mais de familia em todo o Brasil tive-sem sempre
mao estas paginasitthas de amor, pelas quaes li-
ze-sem lr c eosinasseui seus lilbos no regaco. i
par da historia do povo de Dos e dos mysterios
do christianismo.
E b por isso a commissao de parecer que nao s
o Opsculo seja adoptado as escolas primarias,
mas que se procure vulgarisa-lo em todo o im-
lierio.
Sala do conselho director da instrurcao publica
de Pernambuco. 18 de setembro de 1863 Jos
4d varad.
O bacliarct*Jeronvmo Salgado de Castro Accio-
ly, advogado do tribunal da relarao e mais audito-
rio* desta eidade, contina no "exercicio de sua
proftssSo, ra do Quehuado-n. 118, primeiro andar,
onih* pode ser procuradlo das 9 horas s II da tar-
de, eso caso de urgeneiu a qualquer hora do dia.
O solicitador Joaquim tavalcanti de Albu-
quenrae Mello mudou sua residencia da ra do
Ouroparaarua do Nogueira n. I!>. primeiro an-
dar, aonde pode ser procurado das c horas da
inanha s 0, e de :i s '6 da tarde, e depois dessas
horas, na sala das audiencias.
Alui:a-se urna casa com i quartos. gabinete
Sonre de Arercrfo.Dr. Aprigio Justiniano da Sil- ao lado e cozinha fra, caiada e pintada de nove.
ra Uuimaraes.
LEILO
DK
0 gente Almeida far leilo das fazendas al ai-
xo declaradas por corta e risco de quem pertencer
-com prazo de 8 % de descont :
I i/2 caixas Ij pegas de cassa estampadas de
W metros a 400 rs. a rara.
:t caixas de 12 duzias de chapeos de sol de pan-
no e junco a 1-3700 cada um.
i eaixas de 12 ditas dito de baleia a 2i00
cada um.
3 1/3 fardos 303 pecas de algodao azul de jar-
das a 250 rs. a jarda.
2 necas de damasco de lila roxo de duas larguras
a 2J400 a jarda.
1 'aixa 28 pecas de brim branco de linho, a
saber :
ti pecas n. 1,124 a 980 rs. a jarda,
ti cutas n. 1,126 a 950 rs. a jirda.
6 ditas n. 1,127 a 1,6050 a jarda.
6 ditas n. 1,128 a 15100 jarda.
4 dis n. 1,125 a 1*150 a jarda.
i 1 pecas de baca das cores seguintes :
5 pecas azues, 4 ditas verdes, 1 dita amarella,
1 dila encarnada, de 80 jardas a 680 rs. o co-
vado.
Quarta-feira 27 do corrente, s 11 horas do dia,
'.m o seu escriptorio, na ra da Cadeia do Beci-
ft n. 48.
AVISOS DIYEBSOS.
0 cirnrgiao Leal mudou
;i sua residencia da ra do
Queimado pac a ra das
Cruzes sobra-to n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
ariuazem ProgTessista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripia.
Troca-se por algum escrivo um aderece de
bcbaatea : quem quizer annuucie.
RA 00 IMPERADOR
N. 22.
(raade innazrm dr tintas.
Este armazem conten tudo quanto
precise para que a industria de pintura, de
qualuer genero que seja. desempenhe
seu lim, isto enibellezar, conservar e
reproduzir.
Montado em grande escala e supprido
directamente por grandes fabricas de Pa-
rs, Londres e llainburgo, pode olTetvcer S
productos de confianca. e satisfazer (mal- '
aner eneonnaeuda grosso trato e a re-
ta I ho.
Os Srs. artistas pintores, e os donos de
obras anenlo escolber i vontade. pois
que tudo estara a vista, as dilferentes co-
re- ile que tiverem necessidade.
Ha tintas em massa e em DO impalpa-
vel, e cono as obras a envernizar so M
deve empregar tintas muidas, o nao me-
recendo coiiliancaas(|ueveiH de forapara
commer.-io, por velhas. e talvez falsifica-
das, nes e armazem se as nioer vis-
ta do CHisnmidor. que so assim tela tin-
tas frescas e verdadeiras.
!Ha tanibem ouro verdadeiro. verde em
p cem folha, prata era folha, p debrea-
. zear de varias cores, diamante- para cor-
tar vidros, burnidon-s, ncar superfina en-
carnada, ainarella e verde, tintas vege-
laes, aa l.roxa, verde e amarella, inoffen-
sivas, nicas que se deven empregar na-
confeitaiias. colleccoes de placis para
fingir madeira, rom' propriedade. e outros
de varias qualidades. vernizes, copal.
graixa, branco on e-euro para o interior
e exterior, para etiquetas e quadros, tin-
ta- linas em tul.ns. em crayoes ou pastel,
tellas para quadros, caixas de tintas tinas
e papel para desenlio.
Ks-encias aromticas verdadeiras. fras-
cos e vidros para vidrara de todos os ta-
manhes, e muitos outros objectos, cuja
utilidade e embrego su com a vista pode-
ro ser mostradas.
Joao Pedro das Noves,
Gerente.
Na fabrica da viuva Bufino, da estrada de Joao
de Barros, recebem-se encommendas de qualquer:
artigo tendente a esta arle, assegurando-se boa
execucao e modicidade nos precos : a tratar no!
oitao da secretaria de polica, armazem da lela
amarella. I
Domingos Pereira, subdito portuguez, retira-
se para a Europa._______________________
Aluga-se um prelo e una prela (casados),
muito robustos, liis e de bons costumes : para
ratar, na ra da Cruz n. .14, primeiro andar.
Na ra da Palma n. 94 se dir quem d di-
I nheiro a premio sobre hypotheca em bens de raiz
ou mesmo lettras.
Precisase de dous canoeiros forra ou cap-
tivos |iara conduzirem tijolo da olaria de Manoel
Antonio de Jess, na cainboa do Betiro para o
Becife.
l-iva-se e engonima-se roupa de borneo) ede
senhora com perfeicao c preco commodo : na na
da Penha n. 25, loja.
A pessoa que hontem pelas 4 horas da tarde
levou por engao um chapeo do Chyli, fino, sem
ser o seu que mandou concertar, tenha a bondade
vir destreca-lo na praca da Independencia ns. 14 e
16. se nao ver o seu nome publicado ueste Btttio.
Quem precisar de uma pessoa liabili-
\ tarla para ensiuar primeiras lettras, latim e
frarnez, dirija-se ao pateo da Santa Cruz etn
casa do sacristao, das 9 horas da manla s
J 4 da tarde, que achara rom quem tratar.
Attenco.
Offerece-se uma pessoa para caixeiro de ra ou
' cobranca de qualquer casa coinmercial, dando fia-
der a sua conduela : a tratar na rua da Praia nu-
mero 44.
Precisa-se de um menino de 12 11 anuos
para taberna, prefere-se portuguez : nos Afogados
numero "lli.
Precisa-se de uma ama para todo o
servieo do uma casa de familia : na raa
estreita do Bosario n. 31, terceiro andar.
mua. >m"*>.*<>___. -_$_._*
CALABAR
Do srciilo 19
pon
JOS DA SILVA MF,VDS LEAL JIMOR
iicaba de chegar do Bio de Janeiro esta interes-
sai te obra, e vende-se na hvraria econemica ao
p do arco de Santo Antonio
Autonio Jos Hodrigues de Souza aluga a sua
casa e sitio do Monteiro, em frente ao oitao da
igr;jade S. Pantaleo, com bastantes commodos :
attatar na thesouraria das loteras, rua do Cres-
po n. I;. ^____________
f OCJIIJHO
I'recisa-so de um bom cocheiro para fra da
provincia, proporcionando-se-lhe bom ordenado e
co'idicoes favoraveis ; quem quizer contratar, di-
rij i-se rua da Cruz n. 19, primeiro andar.
Lasa de educacao
Jeronymo Pereira Villar arbando-se melhorado
de sua saude, transferio o seu estabelecimentede
instruefo primaria e secundaria para a rua do
Imperador, sobrado de tres andares n. D, esquina
que vira para a rua do Crespo e participa nao
s aos lllms. pais de seus estimareis alumnos, co-
mo ao respeitavel publico, que as aulas estao
ahertas no dia 8 de jaueiro do corrente anuo.
C'ompanhla fldelidade le|
segiiroa martimos e ter-
restrea eatabeleclda no
Kio de Janeiro.
aaann km pei'namm-co
Antonio Luiz de Oliveira Azeved k C,
comiietentemente autorisados pela direc-
tora da compauhia de seguros Fidel l,i-
de, tomam seguros de navios, mercado-
predios no seu escriptorio rua da
n .1.
Precisa-se de uma ama que taita coser e
^ominar pan casa de familia : na rua Nova
mero 47.
AMA.
Na rua da Cadeia do Bceif n.
en-
nu- dai, precisase de uma
I pessoas.
27, primeiro ali-
an para casa de duas
C*-
QUIJOS \)i Mh\S
a' BCA NiiVA n. .
Ensino primario.
Na rua das Grases n. 2, primeiro and&r, tem
aula sob a direcco de Dio da Silva Coutinao.
ttencao.
Offerece-se urna pessoa competente-
mente habilitada pela directora da ins-
Iracoao publica para ensiaar fora desta
capital c em qualquer outra provincia, as
S primeiras lettras, lingua nacional, piano
gjS e msica : a tomar informaco na rua
{g[ da Gloria n 1S
mmm mm mmvm mm&m
O abaixo assignado, devidamente aotorlsado
patos senhores administradores da massa fallida
de l-'ana i\, ('.., reiterando o annunco j muitas ve-
los publicado por este jornal, convida de novos
devedoi es da dita sociedade fallida para amigavel-
menle -i Uerein seus dbitos at o dia 31 do cor-
rerte mez de Janeiro, previnindn-os de que, se as-
sim nao Ozerem, lera de chama-Ios juizo para
obligar o pagamento, como tem snecedido a res-
peito de alguns. Outro sim declara aos mesmos
devedores. tanto desta como de outras provincias,
da capital cmodo centro, que nao podem fazer
pagamento albura se nao ao annunrianle ou a pes-
soh por elle autorisada rom proruracao bastante,
e de modo algum podem pagar ao fallido, fgido e
occiilto. .Invino Carneiro Machado Bios, sob pena
denullidade de pagamento e de terem de repeli-lo
ao annunciaute ou aos ditos administradores na rua
do Imperador n, T. Becife 19 de Janeiro de 1864.
_ ___________Lino ile Faria._______
Aluga-se uma nadarla com grandes com-
modos e todos os pertenees : a tratar na rua da
Concordia n. 62. .
Que ni pretender secundo an-
dar do sobrado n. \ em i rua
da Aurora, d-rij <-se roa Nova,
em a loja de Basles k Magalliaes, que
chara com quem Iralar. Assim lam-
lie n alu^am-se as lujas do mesmo so-
brado
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Gnu n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua protis-
sao medica, e com espedatidade
sobre o seguinte
Io molestias de olhos ;
2o de peito :
3o c!os orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o 'aballio pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s
Gas 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto rostabeleniuento dos seus
| doentes.
aHBMaaawaisi mmm
Na rna da Crnz n. R, precisa-se de uma ama
para o servieo interno de una rasa de pouca fa-
milia.
Jos Anlonio Pereira da Cunha deixou des-
de o da 20 de Janeiro de ser caixeiro do Sr. Manoel
Luiz tioncalves. O mesmo agradece as nuaeirSA
delicadas com que fui tratada pelo mesmo senhor,
assim como |ior sua Kxm.4 m a Sr.'B. Bosa Cen-
ca I ves de Jess, e toda a sua Kxm." familia.
Profxsor de piano.
Jos Cocino da Silva e Araujo. bem conhecido
nesta eidade, contina leccionar piano e msi-
ca vocal por commodo preco : qtiem de seus -er-
vicos precisar, dirija se a rua do t.ivi amento n. 21,
segundo andar._____________________________
Brecisa-se de um merno dos ultimos chepa-
dos do Porto para caixeiro de taberna : na ma da
Paz n. 2.
Bernardina de Seua avisa m publico d'esta
capital, que nao se pode arrematar a sua escrava
Luzia, por ordem de seu marido Manoel N'unes da
Cruz, como ella o provar.
Becife, 24 de Janeiro de 1864.
A irmandade de N. S. do Bom parto, erecta na
igreja de S. Sebastio da eidade de Olinda, tem de
expor i vista dos liis em prncsso a mesma Se-
nhora, as :i horas da tarde do dia 2 de fevereiro,
perrorrendo as ras segurad s : ladeira do Vara-
com banho na frente, na ilha do Betiro na Passa-
gem da Migdalena : quem a pretender, dirija-se
ao largo do Paraizo n. 26.
i:nsi no de inglca- e iraocez.
Joaquim Pedro da Bocha Pereira. competente-
mente autorisado pela directora geral da instrur-
cao publica, para ensinar particularmente inglez
francez, lecciona nesses preparatorios tanto de
manha como de tarde, no i." andar do sobrado da
rua Direili n. ''Ki, onde pude sel procurado.______
o n. 29.
Nuva luja dos baraleiros na rua do Uiieimado.
Bicas s;ias de fustoa 5, caminas ingieras para
senhora a 2.5. 2J3U, 3 e 44> cobertas de fustn
brancas a "5. chitas com lustro para robera com
june, rua da bloca de S. Pedro, e rerollier-se na I a* B. o.
mesma igreja de S. Sebastio : pede-so a todos os: Nuva loja dosbarateiros na rua do yurimade.
moradores deasas reas a bondade de maadarem] Tarlatanas de todas as cores, fazenda muitu fina
limpar suas testadas, para que o acto se torne mais | a 720 a vara, cambraia para cortinado, peca de 22
brilhante._________________________________varas, por 105, cuales de lia por :t5, 4A. i5 e 85.
camisas irglezas para homem a 385, o05 e 605-
Aa n. 29.
Quem precisar de uma pessoa habilitada pa-
ra ensiuar o francez. dirija-se rua do Imperador
n. 38.
Nova loja dos barateiros na rna do Quemado.
- Fugio no da II do corrente. da casa do Sr. Bicos pretos, franjas de todas as quahdadi-s,
desembargador Molta, onde eslava alugada, a es- trancas de seda, de algodao e de laa, manguitos e
era va Joanna.cor preta,ede estatura regular, per- camisinhas bordadas, collarinhos e punhos. folbos
(encent a Luiz Solano de Mello : rogase, pois, a bordados, botSes de velludo, de seda e de fustao,
quem a apprehender, de a levar a casa de seu se- bandos de cabello, Betas de seda, leqnes ; cujos
nhor em Santo Amaro de Jaboato, ou rua do artigos se vendem porraetade do seu valor por ser
Hospicio, casa do Sr. Dr. Fernando, onde se lhe da- para acabar._____________________
r una gratilicaco. I
Aluga-se o segundo andar e soto do sobrado
da rua da Penha n. 21, com commodos para fami-
lia : a tratar na rua larga do Bosario, sobrado n.
28. terceiro andar.
AVISO.
<- \iii\i:ti:
PORTCGLEZ B LblllKi EM PER-
ftAHBLllO.
De ordem do Illin. Sr. presidente sao convidados
os memhros do conselho deliberativo para a ses-
so ordinaria quarla-feira 27 do corrente, as 6 1|2
lioras da noite, no sali do mesmo Gabinete.
Secretaria do Gabinete Portuguez de Leituraem
l'ei iiamliuco 13 de Janeiro de 18i.
F. I. Tinoco de Souza.
Io secretario.
SOCIEDADE
IJNIAO BEiVEFIGENTE
MARTIMA
Por ordem do Sr. prdsidcntc scentifico a todos
os socios pela terecira e ultima vez. que Imer
assembla geral sexta-feira 29 do corrente, segun-
do manda o art. 51 dos estatutos, e se ainda assim
nao bouver numero sufficiente cora que se possa
tralialliar, sero desde logo suspensos todos os soc-
corros irae por acaso possa precisar qualquer um
dos socios; e para que se nao chamem a ignoran-
cia face o presente aviso para depois nao terem de
quem se queixar.
Secretaria da Sociedade Uniiio Beneficcnte Ma-
rtima 23 de jaueiro de 1864.
Bailhaznr Jos dos Heis.
Io secretario.
I rsulino Cavalcanti da Cunha Bego dora em
diante assiguar-se-ua (rsulino Cavalcanti do Bego
Vasconcellos.
O agente Pestaa avisa ao respeitavel corpo do
eommercio que p Sr. Raymundo Remigio de Mello
derxou de ser seu caixeiro e aproveHa a occasio
para participar que entrou para o seu lugar o Sr,
Jos Annos Jaconie. Peruambuco 20 de Janeiro
de 1864.___________________________________
O abaixo assignado contina a leccionar pri-
meiras letras, latim B francez em sua mesma re-
sidencia na rua Nova n. 58, terceiro andar. Ad-
mitte tambern 8 alumnos internos, nao excedeudo
a idade de 10 annos.
__________Jos Mari Machado de Figueiredo.
O Dr.Casaaova pode ser procurado era sin
consultorio especial homeopathico no largo da ma-
triz de Santo .intento n. 2. No mesmo consulto-
rio ha sempre grande sortimento de medk-amenios
em tinturas e em glbulos, deixando elogiar os
nossos medicamentos pelas pessoas que os tem ex-
perimertaco e continuara a servir-se em nossa
botica. Timos tamhem obras aecommodadas a
intelligencia do povo.________________________
RELOGJOS,
Vende-se em casa de Johns-ton Pater &
C, rua do Vigario, n. 3. um bello sorti-
mento de relogios de ouro patente in-
ghv. de um dos mais afamados fabricantes
de Liverfiool, e tambera uma variedade de
bonitos trancellins para os mesmos._______
INJECCAO BROW.
Remed'o infaflivet contra as gaorrheas
antigs e rcenles, nico iteposito na bo-
tica frant-eza. rua da Cruz n. 22, pre-
co u.
INTERNATO
DE
F.slabflftido aa eidade de lltrfife
Wob a Protec^o do Wummo Ponliflce i*io IX.
Director0 liacliarel em uialhematicas
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O director do internato de S. Bernardo, nao tendo evitado esforcos ncm sacrificios
para proporcionar aos seus alumnos una perfeita educacao physca. moral, intellectua! c
religiosa, otferecendo-llies uma habiUice com bastantes condicoes de salubridade, habis
profe.-sores que sao solcitos em prtpara-los convenientei.iente ao fim que se destinam,
medico praticoque Ihes fa?a comprehender os preceitos da bygieae e Ibes cure das deen-
cas, e liiialinente um sacerdote Ilustrado e honesto que lhes explique os principios da re-
ligiao i hrista, espera que assim eon-tituido nao deixar o seu eslabeleciinenlo d mere-
cer dos Sis. paes de familias o auxilio e confianca cora que j alguns o lera honrado; e
lhes roga, bem como todas as pessoas interessadas, que se dignein de visitar o mesmo
seu estabelecimento, onde sempre encontraro franco inc/resso.
Cadeiras de ensino : Primeiras lettras dividida em duas classes, tendo cada uma o
seu prafessor, latim, francez, inglez, arithmelca, algebra e geometra, geographia, philo-
sop hi a, rhetorica, desenho e aafea,
0 collegio tem a sua sede no espaeoso edificio n. 32 rua d'Aurora contiguo ao do
collegio des orphaos.
Nos estatutos do collegio, que esto a disposcao de quem o quizer 1er, se acham
consignadas as candicoe- M entrada e matricula as diversas aulas do eslabeleci'
ment.
i&:^


Alarlo de l'er tabuco Segunda leira & de Janeiro de 1864.
-\
mrnEv
Naques sobre Portugal.
Oabaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuensc tiesta cidade, saca cf-
fcctivainente por todos os iiaquetes sobre i
o niesnio banco para o Porto e Lisboa, por !
qualqtier somnw, vista e a prazo, po-
dendo logo os saques a prazo seren des-
contados no roesmo banco, na razao de 4
por cento ao anuo aos portadores que as-
sim lhe eonvier: as ras do Crespo n.
: 8ou do Imperador n. 81.
Mi......... Jrnquim da Silva Castre.
Comprani-se as postiVt de direito civil pelo
III m. Sr. Dr. Braz : na Uvraria da praca da lude-
pendencia ns. 6 e 6. |
VENDAS.
Precii2 se de urna ama para OSA de pouca fa-
milia ; m praca do Corpo 6anto n. 17_________
A>uga-se o 2 andar do sobrado da ra do
Impendor n. 79, bastante fresco, e decente para
urna'familia : a tratar com Antonio Jos Rodrigues
de "Ronza, na ra d-i Crespo n_15._____________
HIIDMfAM
ED
CVRRETOS
No oitao da secretaria de polica, armazem da
bola amarella, ha urna pessoa encarregada da mu-
danea de mobilias de urnas casas para outras, o do
transporte de quaesquer volumes sob a direccao
da raesma pessoa ; a tratar no lugar cima.
DENTISTA DE PARS i
19Una Nova-19
Frederieo GanticT, cirurgiao dentista,
faz todas as ejieracoes de soa arte, e col-
toca denles aniieiaes, tuJo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe reeonbecem.
Tem agua e pos deatificio.
ATTEIXC^O.
Custodio Jos Alves Guimaraes avisa ao respei-
tavel publico.e aos sens freguezes, que em vistas
de se achar seu csUbelecimei.to em obras afin de
alargar mais o campo para o gallo de novo cantar,
aftni de melbor poder servir seus bons freguezes,
com tudo em quanto durar a> ditas obras conti-
nuar a servir seus fregaezes no seu grande ar-
niazem cooi frente para a ra do Imperador com
entrada pela dita aja do gdlo vigilante, ra do
Crespo a. 7._____________________________
Manuel Luiz dos Sanios & C. tem justo e
contratado a compra do armazem de cabos no lu-
zio Maduro da Fonseca : qur m se julgar com di-
reito a qualquer reclamaran, dignar-se-ha apre-
sentar no e>pace de lo das. Recife 13 de Janeiro
de 1861._______________________________
AMA.
Precisase de una ama fon-a ou escrava de boa
conducta que saiba engommar e cosinhar : na ra
das Cruzes n. 3, primeiro ndar. Pagase bom
ordenada______________________________
TINTRABIA.
Tinge-.se com perfeigSo para qualquer
cor, e o mais barato possivel: na ra do
Rangel n. 38, segundo aadar.___________
Alaga-se o primeiro e ;egundo andar dr so-
brado da ra do Nogueira: i tratar na ra Direi-
ta, loja de ferragens n. 73.__________________
Precisa-se de 1:6005 sobre hypotheca dan-
do-se por seguranza bo > propriedade : quem qui-
zer annuncie para'ser procurado.____________
Saques.
M. J. Ramos e-SilvaVc Genros sacara
vista sobre a praca do Port: na ra do Vi-
gario n. 10.
Furtaram do largo da Penha desla cidade no dia
16 do crreme, defronte da laberna de Josltibe-
ro da Cuuha Guimaraes, um cavado ruco pedrez,
tem urna ruo branca, bebe em branco, ferrado no
quarto direito com as letras S G B e no esquerdo
com a letra P por ser cria do sertao, denominado
Panema, i Jade de 10 12 anuos, pouro mais ou
menos, andador do carrejo baixo, e estava com
cangalba : quem del lo quizer dar noticia ou o ap-
prebender, dirija-se ra I Irrita n. 2, segundo
andar, que se pagaro todas as despezas o se gra-
tificar.________________________________
Aviso aos consumidores da
eerveja branca de Bass k C.
Constando a Ihlers & Bell, de Liverpool, que a
sua marca distinctiva e etiqueta teem sido contra-
fetas e usadas para eerveja espuria que teem sido
importada e vendida nos mercados do Brasil, pelo
presente acautelam aos consumidores e roga-lhes
de examinaren! a capsnla metlica que cobre a ro-
lla de cada garrafa de cer.eja engarrafada por
elles, e que leva a inscripeao que apparece na eti-
queta, sen a qual nao a eerveja germina.
Cada garrafa leva tamban a etiqueta com o
mngalo entornado emittida pelos Srs. Bass & C.,
ponteado o nome de
IHLERS fc BELL
Camino & Nogueira na ra de Ap)llon
20, saccam sobre Lisboa, Porto e ilha de S. Miguel
Sinceros agradecimentos.
inflammacSo do ligado c forte
Inflainniacono olho esquerdo
W- Por dous motivos, eu abano assignado faro pu-
blico o que se segu :
O 1 para ronlessar os mens mais sinceros
agradecimentos ao Sr. Ricardo Kirk, escriptorio
ra do Parto b. 119, pela cura que fez em meu fl-
Jho Benigno Henriqueda Silva.
O 2 para fazer conhecer ao publico as umitas
extraordinariasvirtudes das chapas nudic/naes,
as quaes, mesmo depois delle ter sido curado com
ellas, umitas pessoas nao podiam acreditar, apezar
de tercm sido disso testemunhas. A sua moles-
la era urna in/lammarao do figado, havia seis an-
nos, a qual lhe causava gr inde ddr, a potito de
naver ja 3 annos que nao poda trabalbar pelo sen
oficio. O olho esquerdo ettne fortemenle in/lum-
mada por 12 annos, e qtiast ceg, e o outro j p>'h-
ciptmm a i*flammur-$e. (km o favor de Dos,
so con a simples applicacao das chapas, a qual
em aada o incommodon, no esparo de um mez
meu fiHieficou perfectamente curado de amlias as
molestia* o que declaro ser verdade, e assigno.
Rud da Pedreira da Gloria n. 70. -Anna Mura da
Conctiv.
COMPRAS.
Compra-se urna mobilia de Jacaranda: na
ra do Crespo n. 23 se dir quem trata.
Compra-se 4>aeetiramente ouro e prata em
obras velbas: na praca da Independencia n. 22
loa de bilhete.
Cornpram-ie constantemente garrafas vasias.
fia fabriei de espiritos na ra Direita n. 17..
Gompra-se urna .Sana Riti n. 27.
Compra-s.) um silhao que csteja em bom es-
tado : na ra Xova n. 6.
'Compra-so urna
qnm tver annuncie.
- Papel de l'iumo e grove 4 34600, almaeo
bianco e pe lina a 32O0 no armazem de Tasso
Ir Jos._________________
Algod da Baha
ptira saceos de assuoar e roupa de escravo; tem
para veoder Antonio Lun, de Oliveira Azevedo &
C, no seu escrlplerio ra da Cruz n. 1.
Na ra lacg.i do Rosario a 10 ha para ven-
der-so 200 a 300 barricas vasias de farinha, em
bom estado. _____
Vende-se urna cscniva sadia, de bonita ligu-
n>, com nulidades : a tratar as Cinco Ponas
n imoro 74._____________________
Vende-se um excedente piano de Jacaranda
por \er o dono de retlrar-se para o mato : a ver e
nalar, na ra do Livrairento u. 8.____________I
V ho^phoroj* do gaz.
Continua a estar supprido o deposito de phospho- i
ros do gaz, na travessa da Madre de Dos ns. 9 e'
i j, anqazens de Ferreira & Marlins, e vendem-se
p ir grosso o a retalho.
lllassa pliosphorica
pira destruir compleamente ratos e baratas: ven-
dj-se nos arinazens de Ferreira & Martins, travs- ;
sa da Madre de Dos ns. 9 e 16, em potes a 500 rs.
cada um, muito fresca pjr ser recentemente che-
gada._____________________
ATTENCAO
9 IiARCiO DO i AKUO 9
GRANDE SORTIMENTO
DE
CUHPKMEMOS
d'agula branca.
A agnia branca dirige seus sinceros cumpri-
mentos toda sua boa rregnezia, estimando que I
tivessem boas testal e entrada do novo anno, c'
que este bissexto.seja pira todos (inclusive ella) de
muitas prosperidades, com farturadedinheiro etc.,
para assim continuar a aluir, e satisfactoriamen-
te proverem-se dos variados e dilferentes objectos
degosloque constantemente se artiam no ninfo),
d'aguia branca, pagando-os de prompto como brio-
smente costumatn. Em qaahto portJm a Iwa fre- quem vende por este preco na lja do beija-llor
guezla assim louvavelmente procede, alguns mos da ra do Queimado n. 63.
freguezes diferentemente praticam, acanbando-se Traneinka para enfeiles.
Loja de beija-flor.
Meias cruas para homeui.
Vendem se meias cruas para homem a 2,5 a du-
zia : na roa do (Jueimado, loja do beija-llor nume-
ro 63.
Meias para senbora.
Vendem se meias para senbora a 3200, i$ e
iJSOt a di:zia : na ra do Queimado, leja do bei-
ja-flor n. 61.
Liia para bordar.
Vendes lia para bordar, de diversas cores, as
mais lindas 'jue se pode encontrar, a &'JOO : s
Taberna
Vende-se utna tabern. bstame afreguezada pa-
ra trra, propria para um principiante por ter
Eoucos fundos : a trafc.r na mesma taberna no
ecco doLcbato n. i2.
PARA A FESTA.
DARTE & C.
inteiramente em salisfazerein suas contas, passan-
do atcapressadamente pelo lado opposto e com o
chapeo de sal abertoe inclinado para o lado d'aguia,
uestes mos freguezes a. aguia branca bota-lhe os
pontinhos.
Vende-se trancinha para enfeites de veslidos oa
roupa de meninos, que tambem serve para enfeiiar
camisinha de senhera; vende-se tranca branca
com 40 varas a 800 rs. a pera, com 20 varas a 300
rs., com 10 varas a 260 rs.": s quem tem na
loja de beja-flor da ra do Queimado n. 03.
Tesouras linas para unha c costura.
Vendem-se tesouras finas para unha e costura a
400, 300 e 640 rs., ditas para costura a 500 rs. :
Saibam todas as boas freguezias, e apreciadoras na ra do Queimado, loja do beija-llor n. 63.
do bom, que a loja d'aguia branca recebeu as bo- Facas e garlos.
nitas e delicadas fivelas de aroe compridas, e que Vendem-se facas c garios oitavados a 2*800,
tambem estao se acabando ; assim pois dirijam-se ditascrava las a 3*, ditas de cabos pretos a 3*200,
logo a na do Queimado, loja d>gula branca n. 8, ditas de cabos de balango com 2 botoes para mesa
a 6*200 a duzia : na ra do Queimado, loja do
Fivelas de ac e com pe-
dras.
para nao tlcarem sem essas bonitas fivelas.
PERFUMARAS novas
soitiiiu'iiio do bom.
cousa j mui sabida, que a loja d'agui branca
o deposito de linas pe fumarias, e alem do cons-
tante sortimento que nella sempre se acba, nota-se
mais que acaba de receber pela barca franceza ul-
timamente chegada, un grande sortimento de lin
dos e agradaveis objeelos proprios e exccllenles
para presentes, sendo Iwnitas caixinhas envernisa-
beijaflor n. 63.
Estovas para denles.
Venden .-se e>covas para denles muito linas a
120, 240, e 300 rs. : na ra do Queimado, loja do
beija-llor n. 63.
Caixinhas com grampas.
Vendem?e caixinhas de grampas a 40rs. : na
Participan! aos seus numerosos freguezes c ao publico em geral que acabam de
receber de sua propria encommenda, o mais lindo e completo sortimento de molhados, 15as"com fechadura, espeiho e perfui
os quaes vendem por grosso e a retalho por menos 10 por cento do que outro qualquer toda de vidro tambem com perfumaras, lindos
- Vende-se urna taberna em urna das melhores annunciante, como vero pela seguinte tabella que abaixo notamos, garantindo OS mes-! boioes de porcelana domada com maviosas e joeo-
mos proprietarios nHo s o peso como I qualidade de seus gneros. ^^^"/l'Klf Iu,?.'lt^me^0 "S? t
ras do bairro da Rua-\'ista, por seu dono ter de
mirar-sc para tratar da sua saude : a fallar na
ra da Imp?ratriz n. 34._____________
ATTEqla
AVISO.
Vende se urna taberna cem poneos fundos, pro-
pia para um principiante : a tratar na ra do'
Aragao n. 32. Vende-se pelo motivo de o dono ter
d' retirar-se para o mato. _____
mm
Todos os senhores que comprarem para negocio ou casa particular de I00i> para
cima tero mais 5 a 10 por cento de abatimento, os proprietarios scientificam mais que
todos os seus gneros sao recebidos de sua propria encommenda, razo esta para pode
vender por muito menos do que outro qualquer estabelecimento.
Mello Lobo c C, na ra da Cruz n. 63, tem para
vender o seguinte :
Viudo Rordeaux S. Julieo.
Hito Mede.
(ognae.
h irseb.
Folha de flandres do melhor fabricante.
Silitre refinado >
Gomma lacre.
Tudo se vende por preco commodo,lanto por junto
como em pequeas porroes.
Roa da Madre de Deus ns. 5 c 9
Vende-se saceos com oito libras de nozes pelo
barato pre.o de 15000, aproveitem a pechincha,
sao novas.
Vend-
euitandeira
si' una pre:a, idade de 30 annos,
tratar na ra do Pilar n. 133.
boa
Barricas de breu com 8 arrobas, de superior
qualidade : na ra da Cadeia do Reeife n. 56 A,
oja I de ferragens de Bastosj_______________
Vende-se o engento S. Manoel, sito na fre-
gieziado P.io Formoso, e margem do rio Seri-
nnaenijO qual demarca com os engenhos Cachoei-
i i, Cbango e Gamelleira, me com agua e muito
copeiro, tem eapaeidade para safrejar 2,;>O0 pes
aanuaes, c se acha quasi todo em mata virgem,
distando do emba que 1|2 legoa: quem pretender,
dirjase ra do Vigario n. 5, que achara com
quem tratar.
haz liquido
; 306 rs. a garrafa : no deposito do gaz, ra da
Impcratriz, loja de fazenlas n. 28.
Vende-se um ornamento novo e um calix :
ta ra de Apollo n. 43,_grlmciro ainiar._______
Vende-se um piano de armario em perfeito
estado, forte e de Jacaranda, por preco muito cotn-
i iodo : na ra dos Pires n. 40.
Veade-se
urna escrava de boa conducta, moca e com habili-
dades : na ra da Praia. primeiro andar, n.47.
Vend >se a loja de louca sita na ra do Ilan-
gel n. 17 : a tratar com o seu proprietario na mes-
na ra.
Molduras.
Ricas molduras pretas e douradas, muito pro-
[has para quadros, e assim cordo e borlas para
ts mesmos, ludo por precos muito em cotila : na
i ua da Cadeia do Recife a. 21, loja da Primavera.
M. J. llamse Silva A Genros, tem
para vender em seu escriptorio na ra do
Vigario u. 10, o seguinte :
Ricos e elegantes pianos.
Algodao da Hahia para saceos e roupa de es-
cravos.
Fio de algodao para caser e pavio de velas.
Cera de Lisboa em velas,
('era de Lisboa em grame.
?uperior vinho do Porto em caixa de urna
duzia.
uto dito em barris de 5".
Colla da Hahia.
Superior farinha de mandioca.
Vende-so farinha de mandioca de Santa (^atha-
ina, da melhor que ha no mercado, a borda do
jrigue oriental Protegido, fundeado confronte ao
io trapiche Barao do Liviamento : para ver etra
ar, na ra da Cruz n. 23, primeiro andar, escrip-
lorto de Antonio de Almera Gomes.
Vende-se um boi crioulo e manso para carro
ou carroca : na padaria do Chora-meninos.
Farinha superior de Santa Ca(harina.
Vende-se em porco ou a retalho, a bordo da
narra Iris, atracada ao trapiche do Barao do Li-
gamento, ou no escriptorio de Antonio Luiz de
Oliveira Atevedo & C, ra da Cruzn. 1.
No largo do Carmo, esquina da ra de Hor-
as, armazem n. 2, vende-se gaz a 500 rs. a garra-
'a, e sement de coentro nova a 240 rs. a garrala
GRANULOS e XAROPE
D'HYOROCOTYLE ASITICA
de J. LEPINE
escrava de meia ilade
Catipram-sediias ou tres casinhas ate-1:000*
ada urna : quem ti ver annuncie.
h'scrava
Compra-6.ou d-se dinheiro 6e,breella, oualu-
ga-*e urna preta fiel que eoinlie : no largo da San-
la (jtiz n. 84.
avallo para enhrtfet
Compra-se um .-ai^JIo que seja bom para cabrio-
le! e j acostumado, aovo, sla e manso, e aue pos-
sa ser sarantido, nao e Importa qne seja an pou-
eo magro : quem o tiver nestas conijSes e o qui-
zer vender emeonta. annuncie para ser Drocj-
rad.j.
Das experiencias feitas na India, e em
Franca, resulta que as affecces da pelle, e
todas as que resultam d'um vicio orgnico
s3o promptamente curadas por este novo
medicamento. Segundo um relatorio feito
ia academia imperial de medicina de Pars,
ille fot julgado til e efieaz nao smenle
as affecces leprosas molestias da pelle rebeldes, tias tambem
nos escrfulas e a syphilis. E enfim, al-
guns praticos distinctos, e especialmente os
Srs. evergie, Cazenave e Hillairet, mdi-
cos do hospital de San Luiz, de Pars, af-
fecf3dos ao tratamento das molestias cu-
tneas, empregaram as preparaces d'Hy-
jroeotyl.3 com um notavel successo contra
js eczemas, opieriasis, o impetigo e as di-
versas variedades de dartros, contra as af-
;'ecces sypliilecticas recentes ou antigs,
i lepra, as ulceras, escrofulosas e outras,
os rheumatismos chronicos, etc.
Deposito geral em Paris: E. Fownier
& Labelonye, pharmaceuticos, ra Bourbon-
Villeneuve, 19.
Km Pomambuco deposito geral: na casa
Je Caors dr Barbosa, ra de Cruz n. 22.
Manteiga ingleza flor a 8oo rs. a fibra.
Castanhas muito novas a 2,ooo rs. a caixa, e
a 16o rs. a libra.
Bolinho francez e em caixinhas de 7oo a
1..'itm rs. cada urna,
dem franceza a mais nova do mercado a 56o
rs. a libra, e 54o rs. em barril.
dem de porco refinada muito alva 16o rs.
a iibra.
Prezunto para fianbre a 8oo rs. a libra.
Cha uxim miudinho vindo de conta propria,
o melhor do mercado a 2,8oo rs. a libra.
dem hj son de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perola o melhor que se pode desejar a
2,7oo rs. a libra.
dem pret muito fino a 2,5oo rs. a libra.
dem mais baixo pouco a 2,ooo rs. a libra.
dem mais baixo a I,8oo rs. a libra.
Vinho do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado garante-se a superioridade deste vi-
nho, das seguintes marcas ; Duque, Ge-
nuino, velho secco, especial lagrimas do-
res de 1819, vinho especial D. Pedro V.,
vinho velho, Nctar superior de 1833, Du-
que do Porto de 1834, vinho do Portu ve-
lho superior, madeira secca de superior
qualidade, vinho do Porto superior D. Lu-
iz. 1."de 1847, lagrimas do Douro espe-
cial, vinho do Porto de l.oooa 1,20o rs.
a garrafa e de lo.ooo a 14,ooo rs. a caixa
com urna duzia.
Bolacbinha de soda especial encommenda e a
mais nova que ha no mercado a 2,2oo rs. a
lata.
Biscoitos inglezes das melhores marcas em
latinhasde i libras a l,3oo rs. a lata.
dem inglezes craknel era latas de 5 e 7 libras
de 5,ooo a 6.000 rs. a lata, e em libra a
800 rs.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
a 2,5oo rs. cada um.
dem prato a 7oo rs. a libra.
Vinho em pipa das mais acreditadas marcas
como sejamBdc F., PRR, JAA, outras
muitas marcas. Porto, Lisboa e Figueira ;
de 48o, 5oo, 56o, 64o e 800, rs., e o do
Porto fino em garrafa, e em caada a
3,ooo, 3,5oo, 4,000 e 6,5oo rs. o melhor
do Porto.
dem Bordoanx das mais acreditadas marcas
a 7h(i rs. a garrafa, e a 8,000 rs. a caixa.
Garrafes com 5 garrafas de superior vinho
do Porto a 2,2oo rs. com o garrafSo.
dem com 5 garrafa de vinho da Figueira mais
proprio para a nossa estaco por str mais
fresco a 2,4oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
com o garrafo.
Vinho branco o mais superior que vera ao
nosso mercado a 56o rs. a garrafa, e a
4,3oo rs. a caada.
Velas de esparmacate as melhores neste ge-
nero de 060 a 64o rs. o maco, e em cai-
xa ter grande abatimento por haver
grande porcSo.
Azeite doce em barril muito fino a 64o rs.
a garrafa e 4,8oo a caada.
dem francez
Vellas de carnauba e composico de 32o a
36o rs. a libra e de Jo.ooo a H.eoo rs. a
arroba.
Gnebra de Hollanda em botijas de conta a
440 rs. a botija, e em duzia ou em barrica
ter abatimento.
Massas para sopa macarr5o, taiharim e aletria
a 48o rs. a libra c em caixa tera- abati-
mento.
dem estrellinha, rodinha e pevde era caixi-
nhas de 8 libras, muito bem enfeitadas de
2,5ooa 3,5oo rs. a caixinha e a 600 rs. a
libra.
Boce de goiaba em caixas de diversos tama-
itos de 600 a 1,000 rs. o caixao.
Sabo massa de 2oo a 24o rs. o melhor, em
caixa ter abatimento.
dem hespanhol a 28o rs. a libra.
Peixe em latas muito novo; savel, pescada,
corvina, salmao e outras muitas qualidades
preparada de escabeche 2. a arte de cosi-
nha de l,2oo a 1,80o rs. a lata.
Figos em caixas de 1 arroba, l'i c 8 libras
a 8,000 4,000 e 2,000 rs. a caixinha.
diversos moldes sem inscrprao, mas todos elles
com fina banha para cabellos." Sesse especial sor-
timento vieran] os bem conhecidos leos philoco-
me, de Lubm, e babosa; assim como pomadas, ros-
metiques, sabonetes, opiata, Onos extractos de agra-
daveis cheiros, etc. etc. Assim, )>os, concorram
os bons freguezes pra a loja d'aguia branca, ra
do Queimado n. 18.
lli;VUI DAGUA
branca
ra do Queimado, loja do beija-llor n. 63.
Colariuhos para homem.
Vendem-se colarinhos de linho para hemem, de
diversos fistos, a 560 e 6W) rs. : na ra do Quei-
mado, loja do beija-flor n..:'..
i'.ravalas para senbora.
Vendem-se grvalas para senhora, de diversas
cores, a 300 rs., 800 e 1& : na ra do Queimado,
loja do beja-flor n. 63.
Botes de pnnho para manguitos de senbora.
Vendem-se botes de pnnho para manguitos de
senhora, de diversos gostos. a 200 rs. o par : na
ra do Queimado, loja do beija-llor n. 63.
Pilas para dehrnm de vestidos.
Venden-se litas para debrum de vestido de la
pretas be rdadas.com 10 varas, a 15100, di la de
seda preta a i200, dita de cor adamascada a
1-5200, dir branca de la com li varas a 460 rs. :
scientincar sua boa freguezia sempre que recebe na ra do Queimado, loja do beija-llor n. 63.
novos e apreciaveis ob ectos, porm os seus afaze- Pentes (rateases para meninas
resmante o mez passado a privaram dessa satis- Vendem-se pentes travessos de borracha para
facao, e mesmo agora sendo-lhe impossivel des- meniua a 400e 500 rs.: na ra do Queimado, loja
ere ver minuciosamente a nfinidade dos novos e (j0 beija-flor n 63
dilferentes objectos que ha recebido por lodos os p^ de diversas qnaidai|fS.
vapores, linnta-se apenas a d zer que o ninho d a- v._j. i TO...j. An -mn .:,, j
^SS& paratll'e ^S$SS22S: ff & &
s^aX^Jue CdeSESTS'dtt Sd\S ; lSH^S^^" '' "' FUa *
assim, pois, continu a sua boa freguezia a dirigir-1 Queimad('. J *> beija-flor n. 6.1.
se munida de dinheiro ra do Queimado, loja' Botoes ae maarrpereta.
d'aguia branca n. 8, que acharao explendido e va-: Venden-se botes de madreperola para diere,
riado sortimento de tinas perfumarlas, galanteras, ?"e tambem servera para casacos de senhora a
etc., etc., tudo isso vendido com barateza, agrado, rs; a abatoadnra : s quem vende por este
e sinceridade dreco e na ra do Queimado, loja do beija-flor nu-
LIMAS
costurarlas com ntuslcas e
ellas.
A aguia branca acata de receber lindas e deli-
cadas caixinhas com msicas e sem ellas, proprias
e excellentes para um bom presente : como de seu
louvavel costume, a aguia branca da ra do Quei-
mado n. 8, vende-as por preces razoaveis.
FITAS BRANCAS FINAS
para debronhar colleles, paletots e ves-
tidos.
Acham-se venda na ra do Queimado, loja da
aguia branca n. 8.
PEWVAS DE A^O
Inglezas.
A aguia branca recebeu as superiores pennas de
aeo inglezas, do afamado labricante l'errv, sendo
Barris de vinho branco de quinto, marca B sortimento grande, ^^M^A0!,^*:
a. p'ik *a u -i oprooLin, im lu.-ii: a amantara a naiao eic. eic.,
Loras de Joovin.
Vendem-se lavas de Jouvin para homem e se-
SCm "hora, cliegadas no ultimo vapor : na ra do
Queimado, loja do beija-flor n. 63.
A Filho a CO,ooo re. o boi 1 il.
Marmelada imperial dos mt lhores conservei-1 J'lSyS *"0 "* ** Queimad'
ros de Lisboa a 64o rs. a latinhade 1 libra, j '___ j.' _l_____
A botoaduras de coma-
Grande liquidaco de fazoH fesla, para s lindar contas, apro1 ei-
veitem que destas pechinctias nao ha
sempre : na ra da Impcratriz, loja
e armazem da Arara a. oti, de Lou-
renco Pereira Mendes Gnimares.
Cobertores da Arara a 1.
Vende-se cobertores de pellos 1 U c 1*600,
cobertas <1e chita a 25 na rna da Impcratriz ir.
56, loja de Mendes Guimaraes.
1 Arara vende as laazinhas de 9 pal-
mos a I $200.
Vende-se laazinhae i>iu(jiios para capas, com 9 palmos de largura
ha latas de 1 '/ e 2 libras.
Massa de tomate em latas douradas de 1 libra
a 64o rs. a lata.
Ameixas francezas era caixinhas
mente enfeitadas de |,5oo a 3,ooo rs. a numero 8.
caixinha, tambem ha latas de l
brasde l,2oo a 4,5oo rs. a lata.
1,200 o ovado, (lilas para Vestido a 280,^320 e
"j?.?*1^?]^ 1Pfffld,?Bf?^ *yls' 400 rs. o novado : na ra da Imperarm, toja da
'Ja: Arara n. >6, de Mendes Guimaraes,
Brlm da Arara a 400 rls o
corado.
Vende-se brim pardo de linho com pequeo to-
que de mofo, que depois demolhado larga, proprio
para calcas e palitots, a 400 rs. rs. o covado ;
brim branco de linho alie 1 200 a vara, fustao
linas para col/etes
Quem quizer botar em seu rollete urna bonita
Plorrini abotoadura oval, de fina cornalina, ha de chegar-1 de cores para ca,gas co|etes.e palitots a 500 rs.
eiLgdiue- se COm 22 a loja d aguia branca, ra do Queimado 0 cov,.do
1 L
a6li-
Idem em frascos com tampa de rosca a l,6oo
rs. o frasco.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso a !,2oo rs. a libra.
Conservas inglezas das seguintes marcase
Mixde-Picles e cebollas simples a 75o rs
o frasco.
na ra da Imperatriz, loja da Arara n.
56, de Mendes Guimaraes.
-mm-JxT^'^m^wnuM a LSazliiha Mara Pa da Arara.
M M\s jHLMJ^I Vjtlil. Vende-selaazinhas a Maria Pia muito finas, com
Cuvtiuiin Cnvtinlhn xt Ci\vn n/i- : O USloaiO L m OairiO t Otnpa- covado> Sl?dnhas finas a 00 rs. o covado ua ra
7j fi j da Imperatriz n. 56
9-Kiia do inclinado-*?. 'A*P*P* Y"de aS ***** 8a,00t^
Novas laazinhas escuezas muito lindas, fazen-' 3^/1" TiUl^f ^
da encornada, propria para vestidos de senhora e ^merino estampado* o00, ditos finos matisa-
cnancinhas, pelo barato preCo de 240 cada co- f^f, "*"5"st0 a ^ ito de pona redonda e
va(j0 r r : borloU a 7#500 : na ra da Imperatriz n. 06,
.------------------------------------------------- loja da Arara de Mendes Guimaraes.
Em '-asa de Mills Latham & C, na ra d-, oh que pechinrha, laazinhas a 280 rs.
Ancorlas de vinho colares a 5o,ooors., e SL^ Vende-se laazinhas finas
a 7o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 32o rs. a latinha.
Charutos das mais acreditadas marcas de
2,5oo a 4,ooo rs. a caixa.
Champagnhe a melhor do mercado de I2.ooo
tas de casas.
*o armazem de fnzendas bara-
tas de Mantos Coelho
RA DO QUEIMADO N. 19 VENDE-SE O SE-
GUINTE :
Esleir da India
propria para forro de sala, de 4, 5 e 6 palmos de
a 24,000 rs. o gigo, e de 1,200 a 2,000 rs. a' largura, por menos preco do que em outra qual-! ^ loJa da Arara
; e 320 rs. o covado, lencos brancos com barras de
cores a 290 rs., meias finas para senhora a 400 e
500 rs., ditas cruas a 100 rs., ditas para homem a
' 160 e 200 rs.; na ra da Imperatriz n. 80, loja da
Arara. i
A Arara vende as cassas a 200 rs. o eovado.
Vende-se cassas de qnadrinhos a 200 rs, o cova-
do, ditas finas a 250 e 280 o covado, organdys fiaos
a 210 e J80 o covado : na ra da Imperatriz n.
garrafa.
Papel greve pautado ou liso a 3,;ioo rs. a res-
ma.
refinado a 8oo rs. a garrafa.
Ervilhas francezas e purtuguezas a 64o rs. a
lata.
Bocetas eom doces seceos de Lisboa de 3oo
a 3,;ioo rs. cada urna.
Toucinho deLisboa a 3oo rs. a libra, e a
9,000 as. a arroba.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra e 4,8oo
rs. a arroba.
Caf de I-.*, 2.* e 3. qualidade de 26o, 3oo
e 36o rs. alibra/doCear de 7,8oo, 8,6oo,
e 9.2oo rs. a arroba do melhor.
Arroz da India, Java eMaranhao de 2,8oo a
3,ooo a arrota, edeBoaioors. a libra.
Passas muito novas a 8,5oo a caixa e 5oo
a libra, ha caixas meias e qoartos.
Sevadinha de Franca' a 24o rs. a libra.
Sag muito novo a 28o rs. a libra.
dem de peso pautado ou lizo de 3,Soo a
4,ooo rs. a resma.
Gomma muito fina e alva a 8o rs. a libra.
Milho alpista e painso de 16o a 2oo rs. a li-
bra.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2oo rs. a
duzia.
Vasos inglezes de 4 a 16 libras vasios, muito
proprio para deposito de doce manteiga
ou outro qualquer liquido de l,ooo a
3,ooo rs. :ada um.
Licores das melhores marcas e mais finos
a I.ooors. a garrafa e em caixa ter abati-
mento.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e io,5oo rs. a caixa.
Chouricas as mais frescas do mercado a 8oo
rs. a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a
l.ooo rs. o frasco.
Serveja das mais acreditadas marcas de
5,5oo a 6,5oo a duzia e de mais a 5oo rs.
a garrafa..
dem em botijas e meias, sendo preta da
muito creditada marca T de 6,5oo a 7,8oo
rs. a duzia.
Ceblas em molhos grandes a 8oo o moho
640 o cento, e a 6,5oo rs. a caixa
Pimenta do reino a 34o rs. a libra.
Farinha do Maraoho a 14o rs. a libra.
Tijolo para 1 impar facas a 16o rs. cada um.
Cominho a 4oo rs. a libra.
Erva doce a libra.
Canella a l.ooe rs. a libra.
! Batatas a 1 ,ooo rs. o gigo com 32 libras liqui-
1 das e 3,000 rs. a caixa de duas arrobas, ,
quer parte.
Lencfs
de panno de linho pelo barato preco de 2,5000.
l.en.es
de bramante de linho fino de um s panno, pelo
barato preco de 3#000.
Cobertas de chita da India
pelo barato preco de 2&000.
Bramante de linho
com dez palmos de largura, pelo baratissimo pre-
co de 2J400 a vara.
Krrlanha de rolo
Peras de bretanha de rolo, propria para saia,
com O varas, pelo baratissimo preco de 3000.
Pecas do eanibraia
adamascada com 20 varas, propria para cortinado
de cama, pelo baratissimo preco de OJOOO.
Pe fas de r anihraia
de salpicos, com 8 1/2 varas, fazenda superior
pelo baratissimo preio de 4.
Fij liso lino
pelo barato preco de (80 rs. a vara.
' CerUs de caifa
de ganga amarella de listras e de quadros, pelo ba-
ratissimo preco de (200 o corte.
Toalhns akorhoadas
para mos, pelo baratissimo preco de 55 a duzia.
Atoalhado adamascado
proprio para toalha de mesa, pelo baratissimo pro-
co de i& a vara.
Len.es de eassa
brancos linos proprio* para algibeira, pelo bara-
lissimo preco de i& e 2iO0 a dnzia._________
Cal de Lisboa
chegada ltimamente ; na ra do Vigario n. 19,
primeiro andar.__________________________
l.uvas de pellica.
Chegaram para a loja d aguia branca, ra do
Queimado n. 8.
Vendem-se oilo moradas de casas na cidade
de Olinda, todas em boas ras : a Iralar na mesma
cidade com Luiz JosGonzaza.
Panno de algodao tecido de Minas, fa-
zenda forte e encoipada, apropriada para o
servico da lavonra, quer para saceos, quer
para roupa de escravos: grande deposito
na praca do Corpo Santo, escriptorio de
Augusto F. de Oliveira.
FAUNA V
Est se acabando a farinlia igual a de Muribcca
a 54 o sacco, baratissimo : no armazem da Au-
rora Brilhante, largo da Santa Cruz n. 84.
PecbiucQ], sedinhasda Arara a SOOrs. o eovado.
Vende-se sedinhascom quadros e lisas, escuras,
proprias para quem est de luto, por ter urna so
cor a 800 rs. o covado, ditas da mesma qualidade
de cores para vestidos a 800 rs. e ditas de listi-
nhas a 500 rs. o covado: na ra da Imperatriz n.
56, loja da Arara de Mendes Guimaraes.
IVrhincha na Arara, cortes de chita a 2&>00.
Vende-se cortes de chita franceza com pequeo
toque de mofo a 25500, cortes de risrado francez
com 14 covados a 35, cortes de cassas francezas
pintadas a 25 o corte, ditos de barras a 25, .15 e>
-i : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara de
Mendos Guimaraes.
Casimiras a I 600 o eovado.
Vende-se casemiras de cores para caifas, cole-
tes e paletots, infestada, a 15600 o covado, cortes
de casemira infestada a 15600 e 25, e em covado a
15 : na ra da Impcratriz n. 56, loja da Arara de
Mendes Guimaraes.
A Arara vende roupa frita e batata.
Vende-se palitots de casemira a 45500, 65 e
85, calcas de 35500 a 55, palitots de panno a 105,
ditos finos de 125 e 115, palitots de brim de cor
a 2550O 2 35, ditos de meia casemira a 35500,
calcas de brim de cores a 25 e 25500, ditas bran-
eas'de linho a 35500 e 45, ditas de meia casemira,
a 25, coletes a 25500 e 35, camisas francezas a
15600, ditas finas a 25 e 25500, ditas de linho
prega larga a 35, seroulas finas a 15600, ditas de
linho a 25 e 25500 : na ra da Imperatriz n. 56,
loja da Arara de Mendes & Cuimaracs.
Cales da Arara a 3, 3,>."i00 e 1$.
Vende se balos americanos, os melhores que
tem vinr'o, de 20, 30, 35, 40 arcos a 35, 35500,
45 e 45500, ditos de brilhantina a 45, ditos do
madapolao a 35600 : na ra da Imperatriz n. 56.
loja da Arara. ,
Chitas da Arara a 210 rs.
Vndese chitas a 240 rs. o covado, ditas fran-
cezas com pequeo toque de mofo a 280 rs., dita*
limpas a 320, 360 e 400 r*. o covado : na ra da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara receben pelo vapor um sorlimento de ro-
meir;,s para senhora, dos melhores gnslos que
tem vindo, a preft de lr>, 1600 e 2.
Vndese romeiras para senhoras de cambraia
de salpicos brancos e de cores c bordados a 15,
ls600 e 25, golinhas com botaozinho a 580 rs.,
ditas com peitos e botaozinho a 15, camizinhas
para senhora a 15,15600 e 25, aventaes r corpi-
nho para meninas a 500 rs. : na ra da Impera-
triz n. 5(3, leja da Arara.
Carne do scrlo.
Chegou ao armazem da Aurora Brilhante ao
largo da Santa Cruz n. 84, a verdadeira carne do
Serid a 400 rs. a libra em por<-5o se far abati-
mento.
\

C-
.



0



>


llai lo de Pernambuco -- Segunda felra v.h de Janeiro de AS4.

.

NO ^
APMAZEM
DO
0 liomem do movimento mo estaciona.
m VVAOTE E SEMPRE
GUERRA AOS INIMIGOS
Nao se admitte a nnio rommerc al.
Nao se quer a da lia da allianca.
Nao se teme a foi'ia dos corsarios.
Este aiono ha de ser Ifclssexto.
Os cauhes -esto preparadas.
F000! BOM FOGK)!! MELHOR FOGO!
45
CALCADO.
Ra Direita
45
Aprovelteni em quanto lempo!
Borzeguins francezes de lustre fia-
ra homem................. 50000
Borzeguins fiancezes de cores pa-'
ra meninas................ 20000
Borzeguins fraucezes pretos para
meninas.................. 20500
Sapatos de lustro para senhora.. 10000
Sapatos de lustre s avessas..... 300
SOTAH
UNIO
MERCANTIL
RA Di CAINBIA IlO KECIFfi tf. 53.
NOVO E
GEAMDB B1CAZ2LE DE MOLKADOS
n
Una do 4|ueluiado nttmeros
4 e 55.
est disposto a continuar a vender pelos precos
abaixo declarados, pois .' para principar o novo
anno.
Caixas de obreias de cola muito tinas a 40 rs.
Varas de franja de laa de todas as cores a 40 rs.
Ditas de tranca de laa de todas as cores a 20 rs.
Ditas de trancelim branco milito superior a 20 rs.
Trancas de algodao brancas e de cores a 80 rs.
Duzias de metas para senhora muito superiores a
35800.
Grozas de penna de ac muito tinas a 500 rs.
Caivetes de duas o tres folhas a 500 rs.
Ditos de urna falla a 80 rs.
Caixas para rain-, muito bonitas de calungas, a
100 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Caixas com muito superiores obreias a 40 rs.
Yaras de franjas brancas o de cores, largas, a
160 rs.
Pares de botocs para punho muito bonitos a 120 rs.
Carreteis de linha Alexandre com 200 jardas a
100 rs.
Cartoes de linha Pedro V com 200 jardas a 60 rs.
Ditos de linha de 50 jardas a 20 rs.
Duzia de meias brancas para homem a I (100.
; Caixas com soldados de chumbo a 120 rs.
| Tinteiros de vidro com superior tinta a ICO rs.
] Ditos de barro a 100 rs.
Grozas de botos ae taca pratiados a 160 rs.
, Tesouras muito finas para costura a 320 rs.
Ditas ditas maiores e melbores a 400 rs.
0 propietario do grande Anwzew. do Faliza estabdecido rea do Livramento ns.; ^^SnSsooT' mUt **** & ^ '*
38 e"38 A, defronte da grade da igreja, acaba de reduzir os precos de quasi todos os Laa de todas as cores para bordar a 7* a libra,
gneros do seu magnifico deposito. Caixas com phosphoros de seguranca a 160 rs.
I Cadernos de papel branco e azul a 20 rs.
A tarifa abaixo publicada atiesta beai esti verdad. Pacote de papel amizade a 600 rs.
, ... ,, j i 3 Caixas com 100 anvelopes muito superiores a
A guerra aos inimtgos, esta portanto, asum declarada. : 800 rs.
.
HUA DA CADEIA DO KECIFE Z. 53.
francisco Fernandes Duarte acaba de abrir na ra da Cadeia do Recife n. o.\, uui grande e sortido armazem de molhados de-
' nominado Uni&o Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeilavel publico um completo sorlimento dos melliores
gneros que ?em ao mercado, lauto estrangeiros, como nacionaes, os quaes sero vendidos em porcoes ou a retallio por precos asss
commodos.
ibaho a li&a d'agua ao viuagre
Viva a liga do genuino Clicres com o fiambre!
Viva o conservador das conservas inglezas!!
Vivam os liberaes fregu res do BALIZA !!!
Vivarn todos que lerem esle annancio.
SENHORES E SENHORAS.
As pessoas, anda as mais exigentes, que se dgnarem vir este
ficarao por certa muito sal.isfeitas, nao s quanto s qualidades dos gneros,
tratamento todo attencioso que se Ihes dar.
, Cadernos de papel de cores,
estabelecimento, 40 rs.
grande e pequeo, a
calungas de todas as
100 rs.
como com O Silabarios portuguezes com
qualidades a 320 rs.
' Graxa em latas muito nova a
Alm do cumprimento dos deveres da boa educado, haver d'ora era dianle anda Cartas e taboadas para meninos a 60 rs.
maior capricho era satsfazer todos que honrar em esta casa. J?iMS ?om superiores iscas paracharuto a 40 rs.
1 Carreteis de linha de cores com 200 jardas a 60 rs.
Os gneros, peas qualidades e precos nnunciados, serao offerecidos ao exame {ar*"|os muit0 ftnos Par.a voltarete a 280 rs.
dos Srs. compradores. Nao recete o publico qie se pralique o contrario, como era outras K^TaZS^
casas, que ate annunctam o que nao tem.... O Baliza nao tllude....
Ameixas francezas emeaixinhas eem frascos
de diversos tamaitos a l,2oo, l,6co,
i.000,2,5oo e 2,8oo rs. e a libra a 800 rs.
Amendoas novas a 32o rs. a libra.
Caivetes de cabo de madreperola de duas folhas
, I a 500 rs,
L cores inflezes e francezes em vazos de di- Luvas brancas de algodao finas a 80 rs.
versos tamaitos a 1.000, l,5oo e i,8oo Miadas de linha rxa para bordar a 60 rs.
rs. a duzia.
Azeite doce refinado a 800 rs. agarrafa,
dem de Lisboa a 04o rs. a garrafa e i,8oo
rs. a caada.
Mtnteiga ingleza flor a 800 rs. a libra e de 8
libras para cima ser aberto um barril na
presenca do comprador.
Idsm de 2.a e 3.* qnalidade a 7oo, Goo e 4oo
Alpiste a 16o rs. a libra, e 4,800 rs. a arroba. rs. a libra.
Arroz do Maranhao, da,India, e Java a 8c e dem franceza a 560 rs. a libra, e em barril
loo rs. a libia. 1 por menos.
Aletna branca e amarella a 4oo rs. a libia. Idemem latas a 20000 e a 10500 a lala.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
Massa de tomate em barril a 480 rs. a libra.
Raiataa-naias enj^wwtle 36 a lo libras p .1 W m em lata a 640 rs. a lata.*
1,000 rs: e~a 4o rs. "a libra. (Mostarda ftgteza 400 c 600 ris n pote.
Biscoitos inglezes Lunch a !l8oo rs. a lata de Mermelada imperial dos melhores fabrican-
,"i libras. I tes de Lisboa a 600 rs. a libra.
dem de diversas marcas em latas menores Marrasquino de zara a 800 rs. o frasco e a
1 1,300 rs. i 83 a duzia.
dem de Lisboa de qnalidade especial em la- M3Ssas Pard .S,1P"> talharim e macarrao a
tas grandes e pequeas a 3,ooo e 1,3oo rs. > *8 rs- a libra.
.. W finas, estrelinha e pevide, caixinha
Bolacninnas americanas, a 3,000 rs. a barrica ,-om 8 libras a 15600
! 2oo rs. a libra.
Banhade porco a 44o rs. a libra, e em barril Nozes a ,6o rs- a libra.
j 4oo rs.
Baldes americanos muito pnprios para con-
Os (asos
OS MUS A6GRAVANTB8
E
D'uuta K-iihia/ umacao
800 rs.
Azeite doce de Lisboa a
40800 a caada.
a
640 rs. a garrafa e
500 rs. o frasco e
Manteiga ingleza especialmente escolhida
de primeira qualidade a 80.1 rs. a libra,
em barril se faz abatimentc.
Manteiga franceza a mais superior do mer-
cado a 560 rs. a libra, e 520 rs. em barril
ou meio.
Prezuntos inglezes para fiambre, de superior; Genebra de Hollanda
qualidade, chegados neste ultimo vapor, a
720 rs. a libra.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 20600.
Queijo piato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanbas muito novas a 120 rs. a libra e
e 3(j(000 a arroba.
Cha ux'ui o ntelhor que ha reste genero,
mandado vir de conla propria a 280O
rs. a libra.
Cb hyson muito superior a 2560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
i 500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 23 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differenles
qualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
outras muitas marcas a 13350.
Bolachinha de soda em latas grandes a 23-
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo 13500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 13 e 23 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 500 rs. a libra e 33 um quarto; Ervlhas francezas c portuguezas em latas de
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Sardinlas deNantesa340rs. o quarto e 560
13206 a caada. rs. meia lata.
Azeite doce refinado em garrafas brancas a Latas com peixe em posta: savel, corvina.
vezugo, eberne, linguado, lagostinha, a
13300 rs.
Salmo em latas, preparado pela nova arte
de cozinha, a 800 rs.
Maca de tomates em latas de 1 libra a 600
ris.
Chouricas e patos em latas de 8 e meia libra
I por 73.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra e
83000 a arroba.
Bolaxinha ingleza a 320 rs. a libra e 43 a
barrica.
53800 a frasqueira.
Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
com ricas estampas na caixa exterior,
muito proprias para mimo, a 13200,13500
e23.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
13200.
Marmelada imperial, dos melhores conser-! "8" muito novo a 240 rs. a libra.
veiros de Lisboa, em latas de 1 e meia a 'dinoa de Franca a 200 rs. a libra.
2 libras a 600 rs. a libra. jFarinha do Maranhao a 120 rs. a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades^
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle. a 400 rs. a libra.
Avelaas muito novas a 200 rs. a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Macas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
DE
prasa l.ooo rs.
Chi huxym, hysson e perola a 3,ooo, 2,8oo,
i,5oo, 2,ooo e 1,60o rs.
dem preto a 2,000, I,6eo e l.ooo rs. alibra.
Chinpagne a melhor do mercado a 12,ooo o
igo e a l,2oo rs. a garrafa.
Chocolate francez primeira qualidade a 1 ,loo
rs. a libra.
dem hespanhol a l,2oo re. a libra,
dem suisso a 1,000 rs. a libra.
Cerveja branca marca Allsopps a 4,5oo rs. a
duzia, e a 4oo rs. a garrafa.
Cognac inglez a 61o rs. a garrafa a 800 e a
l.ooo rs.
Concervas inglezas em frascos grandes a 75o
rs. o frasco.
Idfra francezas de muitas qualidades
rs. o fiasco e a o,5oo rs.. duzia.
a 5oo
ChirutQS neste genero temos grande sorti-
mento tanto da Baha como do Bio de Ja-
neiro a 1,60o, 2,2oo, 2,5co, 3,ooo e 4,ooo
rs. a caixa.
Caf do Cear muito superior a 28o rs. a libra
e a 8,000 rs. a arroba.
dem do Rio a 3oo e 28o rs. a libra.
Ceblas a9oo rs. o molho com mais de loo
ceblas.
Chouricas e p.iios a 72o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 2oo r>. a libra.
Cevada muito nova a 80 rs. 1 libra.
Copos lapidados a 5 e 6,000 rs. a duzia.
Doce de goiaba em latas a ioo rs. a libra,
dem de caj em latas a 32C rs. a libra.
Ervilhas francezas e portuguezas a 5oo e 64o
rs. a lata,
dem seccas a 16o rs. a libra.
Figos de comadre em caixin'aas com 8 libras
por 1600 rs.
Farinha do Maranhfio a 12o rs. a libra.
Fariaha de trigo muito superior a 12o rs. a
libra.
Farek) em saceos grandes a ,00o rs. o sacco
Genebra ingleza marca gato a 1,00o rs. a gar-
rafa.
Pe xe preparado de escabeche, da melhor
lualidade que tem vindo ao mercado, a
13 a lata
dem verdadeira de Hollanda em fraseos muito
grandes a 1,2oo rs. o fras>;o.
dem de Hollanda era frascos pequeos a 5oo
rs. o frasco.
dem de laranja a l.ooo o fiasco.
Goraraa do Araeaty a 80 rs. a libra.
Graxa a loo rs. a lata e l.loo a duzia.
Presunto de Inmego muito superior a 480
rs. a libra,
dem para fiambre (inglez) a 640 ruis a i
libra,
dem americano a iOO rs. a libra.
Papel almajo a 33000 a resma,
dem de peso a 23 a resma.
Palitos para denles a 100 rs. o maco.
DitD dito de flor a 200 rs.
Ditos do gaz a 23200 a groza
Passas novas a 480 rs. a libra e a 13800 a
caixa.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2350.
Dito londrino a 900 rs. a libra.
DitD prato-a 640 rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 320 rs. a lata.
Diti de Lisboa a 640 rs. em lata grande.
Sag muito superior a 240 rs. a libra.
Sal refinado,em potes de vidro, a 600 rs.
c pote.
Sabao massa a 120, 160, 200 e240rs. a
lbra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Dito de Santos e 300 rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 140 rs. cada um.
Vassouras americanas a 64o rs, cada urna,
dem do Por lo a 400 rs, cada Hma.
Velas de carnauba e composicSo a 320 rs. a
libra ea 103 a arroba,
dem stearinas superiores a 560 rs. o
maco, e em caixa por menos.
Vnlio do Port, neste geneno temos o me-
lhor sortimento possivel, que vendemos
por precos muito haixos a 13 a garrafa e
a 10/ e 123 a duzia.
IdenCherry.edaMadeira em barris e em
ciixa, a 423 a caixa e o barril conforme o
tmanho
Idenl de Figueira e Lisboa, em ancoras de
8 a 9 caadas, por 283000.
Dito em pipa a 33000, 3 $500 e43ooo a ca-
nuda
dem do Porto, denomiuado Baliza, a 53 a
caada.
dem idem em garrafes a 23500, com o
g?rrafao.
dem de Bordeaux, das melhores marcas que
vem ao mercado, a 63 a caixa e a 640 rs.
a garrafa.
ESCRFULAS,
O ERDPGOES ESCROFULOSAS,
ulceras V i STFHILIS, OU MAL VENREO,
TfWORES,
Ebulll^dee,
BERTOEJAS,
OPHTHALMIA,
Hydnipisia,
EmpigertSj
HERPES,
JPai-fros,
ERYS1PEL1S
KStORBUTO.
Tin ha,
CHAGAS ANTIGS,
Rheumattsmo C Piro ni ce?,
DEBILIDADE GER.i,
Nervosidadc, Nrvralias,
FlLTl lili APPETlTIi. FASTO,
SUPPRESSAO DAS REGRAS, ou
AMENOERHEA,
unun i nos im,
Reteiiro das trinas,
emacia(;ao,
Ou emmagn cju uto ya-ul ,-<- <,.
/<<" DIFLAMMACOES CHRONICAS,
Aflfec9es Chronicas do Figado,
ASSIM COMO Mrlus vs UAII BIMlLBARm MO-
LESTIAS, I'IU.NCII'AI.MKM,: vi ANDO SAO
uau8ada, or mourzins tkio mii
uvu eso uo Mercurio ou
Qisiso,
Annlin rmiin iiunli. ni |ii-|u frrquriilr h.ii AI-
SENIOO e ouiriu preparare* "Unrimi
Todos estas Eufennidades prompta e efBcaz.
mente cedem a benfica, poderoz. e
purificantes qnadades da njid
justamente femada
MUiff IMUMM IH5 BRMflL
A venda as boticas de Caors 4 Barboza,
ra da Cruz, e Mo da C. Bravo A C, ra
da Madre de Dos.
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem vindo ao nosso mercado a 183 o gigo,
garanle-se a superior qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar d 73500 a 83000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 93
a 109 a duzia, e 900 a 13 a garrafa; deste
genero ha grande porco e de differenles
Cevada i 120 rs. a libra e 33 a arroba.
Alpistaa 160 rs. a libra e 43800 a arroba
Batatas muito novas em gigos com 40 libras
por 13 e a 40 rs. a libra.
Cebollas a 13 o molho com mais de 100 ca-
da un.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 93 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 83100 a arroba.
Caf do Rio, proprio para negocio, a 83.
Arroz do Maranhao a 100 rs. a libra e 23800
a arroba.
Arroz do Java a 80 rs. a libra c 294001
arroba.
Vellas do spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 93 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixo.
Macarrao, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Estrellinha,pevide e arroz demassa para sopa
a 400 rs. a libra e 23 a caixa com 6 libras.
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs.
omasso, ditos lixados sem flor a ICOrs;
o masso com 20 massinhos.
Gomma de engommar muito fina a 80rs. a.
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra a
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou era meias, de
13600, 23 e 33.
Presuntos do reino, vindos de conta propria.
de casa particular, a 400 rs. a libra; intei-
ro se faz abatimento.
Os senhores que comprarem de 1003000 para cima, terSo o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
1 libra a 640 rs.
Ervlhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 13200 a libra.
Chocolate hespanhol a 13200 a libra.
Genebra de laranja era frascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5*800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
13200 a garrafa.
e
marcas acreditadas que j se venderam Licores francezes das seguintes qualidades:
por 149 e 153 a caixa, como sejam: Duque Anizete de Bordeaux, Plaisir des Daines
do Porto, Lagrimas do Douro, D. Luiz, e de outras muitas marcas a 13 a garrafa
Canotis, Madeira secco, Carcavellos, Nec-! e 103 a caixa.
tar de 1833, Duque Genuino. Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
Vinho de pipa: Porto, Figneira e Lisboa, a! 95 a duzia.
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 33, 33200 Mostarda ingleza em potes j preparada a
e 33500 a caada. 400 rs.
Vinho branco de superior qualidade, vindo Mostarda ingleza em p, em frascos grandes,
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500 a 13 cada um.
rs. de barril. i Sal refinado a 500 rs. o pote.
m wsmm

Duarte & C, receberam de sua propria encommenda pelo brigue
Florimla, chegado ltimamente de Lisboa os seguintes gneros todos de pri-
meira qualidade por serem cscolhidos pelo Sr. Duarto chefe de nossa casa
ltimamente chegado daquella praca.
Linguas americanas
1,000 cada urna.
ptima acquisi^o de en-
tabeleciniento.
Vende-se a loja de ferrapens da ra da Cadeia
do Recife n. 64, cora pequeo fundo e aida bera
j soi lida, tanto de ferragens como de miudezas, as
Vin gre de Lisboa a 13600, 138oo e 23000 a 1uaes est5 em bom estado, vende-se s com as
.nada. mercadortas, e g;arante-se o arrendamento da casa;
nao s por ter
uczada e ser
desta ridade :
de grande tamanho a Vinho de caj a 13 a garrafa. Este vinho'lPr.tendn,es p^"1 I lera dez amos. e :2??**!!?_*am*nm Min?coraooewdo
Verdadeiro vinho collares em ancore-
ras de 9 caadas a 50,000 e 800
rs. a garrafa.
Vinho branco B quinto a 60,000 e 560 rs. a gar-
rafa.
Vinagre P B B, em ancoretas de 9 ca-
adas a 18,000 e 2,000 rs. a ca-
ada.
Passas em caixas, meias e quartas a
8,000 4.000 e 2,000, a 480 a libra.
' Peras seceos em caixas de quatro li-
bras o melhor que se pode desejar
a 2,500, e 640 rs. a libra.
Caixinhas de 4 libras, e 2 com ameixas
a 1.500 e 2,500 rs. a caixinha.
Chocolate portuguez, o melhor que
pode haver de bom neste genero
1,000 rs. alibra.
Marmelada propriamente'dito de mar-
mello, a 640 rs. a lata e em caixas
de 100 latas a 600 rs.
Maca de tomates a mais nova que se
pode desejar a 640 rs. a lata e em
caixa de 100 libras a 600 rs.
Et vilha portugueza a 700 rs. a lata,
e em caixa de 100 libras a 640 rs.
Passas corinthias para pudim a 640
libras,
>-//.-
Nozes as msis novas que se pode de-
sejar a 160 rs. a libra, e comprando
em barricas a 4,500 rs. a arroba.
Sebollas em caixas as mais novas do
mercado a 6,500 rs. a caixa, a 800
rs. o molho, e a 640 rs. o cento.
Batatas em caixas de 2 arrobas muito
novas e grandes a 2. OO rs. a caixa.
Sextinhas com figos proprias para mi-
mos de enancas a 60 rs. cada urna
e comprando em duzia ter grande
abatimento.
Erva doce muito novas a 500 rs. a li-
bra, e comprando em arroba a
10,000 rs.
Cominhos muito novos a 400 rs. a li-
bra e 10,002 a arroba.
Licores portuguezes das marcas mais J
acreditadas de Lisboa a 1,000 a gar-
rafa e 10 a 12,000 a duzia, as quali- |
dades sao as seguintes: creme de |g?
violetas, gcroflez, rosa, absintho, ves- m
peiro, amor perfeito, amendoa amar- ^^
ga, percicot deturin. .boletn, moran- SBip
gos. limo, caf, laranja, cidra, gin- k
ga, canella, cravo, ortelaa, pimenta
e outros muitos de qualidades menos
superior que ser5o vendidos por pre-
eos em relaco as suas qualida- ^^
fe
des.
rs, a libras, e 400 rs. comprando de
arroba para cima.
Os proprietaros afianc-im que estes gneros sao muito novos e ludo
p de primeira qualidade, tudo isto se vende nicamente no armazem Unio e
Commercio na ra do Queiinado n. 7, e largo do Carmo n. 9 armazem pro-
gressivo.
Queijos
gl| do alemtejo, das ilhas e flamengos, todos chegados neste ultimo vapor, a
* 2,500 os flamengos e 800 ris a libra do alemtejo e das ilhas, nicamen-
te no armazem Unio e Commercio, ra do Queimodo n. 7 e largo do Car-
mo armazem progressivo.
RIVAL
SEM SEGUNDO
Ra lo indinado ns. 49 e 55,
loja de miudezas de Jos de Azevedo Maia A C,
principia o novo anno a torrar miudezas pelos pre-
cos que a lodos causa admirado, a saber :
Pares de sapatos de tranca muito finos a 1 600.
Frascos de oleo babosa dos melliores fabricantes a
240 rs.
Ditos mataros a 400 e 500 rs.
Frascos d'aj;ua de Colonia muito finos a 400 rs.
Sabonetes muito linos a IbO, 200 e 400 rs.
Frascos graides de agua de Lubin, o ineltior, a
1*500.
Lapis de tinta encarnada mnito finos a 40 rs.
Novellos de linha com 800 jardas a 120 rs.
Ditos de dit.u-om 400 tardas a 80 rs.
Frascos de macass, oleo muito superior, a 100 rs.
Duzias de iledaes brancos em caixas do vidro a
320 rs.
Papis de apulhas a balo Victoria a 60 rs.
Banha transparente muito superior a 700 rs.
Dita Japoneza muito lina a 800 rs.
Duzia de alineles muito linos a 720 rs.
Papis de agulha com toque de ferrugem a 10 rs,
Grozas de botSes de madreperola muito finos a
560 rs.
Pecas de fita de cs, estreitas, com 10 varas, a
320 rs.
Novellos de linha branca do gaz a 30 rs.
Carreteis de linha de cores muito fortes a 20 rs.
Cartoes e caixas de clcheles francezes a 40 rs.
Domaduras brancas e de cores para col'etes a
120 rs.
| Frascos de banha, pechmcha, a 240 rs.
! Bonets para meninos, fazendafina, a 23-
Caixas preparadas para costureirasa 1*500,23 e
3*000.
Massos de grampas lisas e finas a 30 rs.
Caixas de palitos do gaz e de cera finos a 20 rs.
Duzia de facas c garfos de 1 botao superiores a
6*900.
Duzia de dilas e ditos de 2 botocs inissimas a
6*500.
Grozas de palitos do gaz a 2*200.
Ara preta muito fina a 100 rs.
Caixas de rap com espelbo a 100 rs.


t&
nada ",tl i:anor'as. e garame-se o arrenaamei
Iden idem.em garrafes oorn 5 garrafas, por Hti&^^fr4
Iii com o garrafo. una das tajas mais Uem localisadas des
' das mercadorias.
Ra da ScHzalIa n. 42 FARINHA FONTANA.
Vende-se, em casa de s. P. Johnston C, Farinha fia mnito acrcta a marca
selhns e sdhoes inglezes, candieros e casti- Fontana cseiubarcada boje, vende-se
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela, _._ nAA ,,-, .. A V
chicotes para carros e montana, arreos para | Pr preco mais commodo do que em
carros de um e dous cavallos, e relogos de, palquer entra parte : na ra da Croz
ouro patente inglez. n. 4 casa de N. 0. Bieber k C. succes-
sores.
Latas com 5 galdes
Nova n. 42.
Gaz.
a 10* :
na ra da Senzala'
Cal de Lisboa e potassa da
itriKsla.
Vende-se na ra da Cadeia do Recife n. 26, para
rs. a gar- onde se mudou o amigo e acreditado deposito da
mesmara n. 12. ambos os gneros sus novse
). Ceblas
a 64ors. o cento, vinho Figueira a
raa, manteiga ingleza a 740^800 e 960 a libra .
na ra larga do Rosario n. oO, esquina da estreita legtimos, e se vendera a preco mais barato do que
do Rosario. utra qualqnerparte.
CAL HE LIKIIO.V
Yendein-se b.tri'is com cal des-
ta procedencia, em pedra, chega-
da boje, e nica nova, que ha no
mercado, na ra do Trapichen.
13, armazem de Hanoel TelxeV
ra Basto.
Kua da Senzalla |\ova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLow
Moor libra a 120 rs.
baratas para acabar.
Sedas de quadros e de lislras a 320 rs. o inva-
do, lindas lias de quadrinhos a 360 o covado, su-
periores cassas de cores a 200 rs. o covado, ditas
muito linas a 240 o covado : na loja das colnmnr.s,
na ra do Crespn. 13, de Antonio Correia do Vas-
concollos & C
Gaz. gaz, gaz, gaz,
ou verdadeiro oleo kerosene, de primeira qualida
de, latas de 5, 3, 2 e 1 galao : vende-s na ra de
Apollo n. 2.
M1L1IO E FAItKMI
Milho bom em saceos do 2.'! caas a 3*500, e a
160 rs. a cuia. farota a 30200 e 3*800 o sacro :
na taberna pintada de amarella do pateo do Parai-
zo n. 16, oito para a ra da Florentina.


Diario de Pernamboe egunda letra 95 de Jaaelro de tfti.
ARMAZENS
DO
PROGRESSISTA
RIJA DAS CRITZES HT. 36
E
RA DO CRESPO N. 9
X balrro le *an lo %< onlo.
ALLIANCA
4.1c \m>i:
Joaquina aos (.omrs le Monza scientifica a seus numerosos fregu
scao publico em geral que acaba de estabelecer um novo armazcm de molhados
n^do Crespo n 9, aonde se encentrar sempre os melhores gneros de estiva, que
57 RA DO IMPERADOR 57
Na'Jbem conhecida loja que foi do Sr. Flix alaiate.
aillo Ferrelra da Uva proprietario deste novo estabelecunento, tendo
chegado da Europa, aonde esrolheu um grande e variado sortimento de molhados, tem
a honra de os expor ao respeitavel publico desta cidade pelos mais resumidos presos.
Em to ptima occasio, por estarmos prestes a festa de Natal, o proprietario do
grande armazem Allianca olTerece aos seus amigos e froguezes que o conhecem desde
PECHINCHA
COMO MUMCA HOlVe
NO
ARMAZEM

O IiARQO DA riMli IO
Francisco Fernandes Dnarte dono deste muito acreditado armazem
de molhados, acaba de receber neste ultime vapor os mui desejades gneros escolhidos
por elle na Europa, todos muito propries para a festa os quaes est resulvido a vender por
precos baratissimos como vero pela seguinte tabella, e mesmo pede a tados os Srs. da
vandero a retalho e por atacado, poi menos.dos que se vonderem em outra qualquer' quando foi socio dos armazens Progressivo e Progressista as autores vantagens em com- praca, de engenh e lavradores para que mandera suas retacees para serem despachadas
ite, aflianrando-se aquellas pessoas que lomprarem nestes armazens a superior qu a
arana em seu armazem.
Made de gneros, precos commodos e bom acondicionamiento.
0 armazem da ra do Crespo s.tuado no melhor local desta cidade com e as-
sero que de necessidade mantcr-se HB estes cstabeleciraentos, faz crer a seu pro- grandes vantagens por ella offerecidas.
yrietario, que ningriem deixar de sortir-se n'um estabelecimento aonde se encontra sio-
aBfiadc, para ir-se ceraprar aonde se nao offerecem tintas vantagens.
Senda este armazem no verdadiiro ponto de partida para os arrabaldes desta
adide, nao ser difficil quefles senhcn que tem de partir nos mnibus darem suas
encommendas neste armazem, que sempre Ihes offerecer os mais agradaveis gneros.
no armazem do Progresso do largo da Penha Q. 10, afim de verera a grande vantagem
Hoje de novo establecido mais precisa da concurrencia de todos estes senhores. V1* tiram, tanto na superioridade dos gneros como nos presos asss resumidos.
ao seu estabelecimento. cortos de que esta casa jamis deixaro de ser cumpridas as os Sr8- I"6 na0 poderem vir podero mandar sens portadores ainda que nlo lenham pra-
tica, que ser5o t3o bem servidos como se viessem pcssoalmente.
O interesse que tira o proprietario deste acreditado armazem, j deve ser bem eo-
nhecido pelos seus numerozos freguezes, pois simplesmente consiste em servir bem e ga-
MacSes de 4o a 16u rs. cada urna.
Manteiga ingleza a mais superior neste ge-
nero a 800 rs. a libra, e comprando de 8
libras para cima a 74ors., esta a mais
superior que pode ha ver, tambem ha mais
baixas para menos precos.
dem franceza muito nova a 56o rs. a libra
e 54o rs. em barris ou meios.
Cha perola de especial qualidade a 2,8oo rs. dem muito superior a 1,000 rs. a garrafa
dem hysson miilo superior a 2,7oo rs. a^* 28 e 32 rs- a libra' c a 8>000 e Pe-as seccas muito novas a i8o rs. a libra.
hbra.
Wem uxim a 2,5oo rs. a libra.
dem hysson a 2,3oo rs. a libra.
Jdem idem a 2,ooo rs. a libra.
Ideal preto de qualidade muito especial a
2,eoors. a libra.
juera idem inferior a 1,600 rs. a libra.
Qwmpagne a melhor neste genero a l.iioo
n. a garrafa e i8,ooo rs. o gigo.
!>m inferior a 40.000 rs. p gigo e l,000 rs.
a garrafa.
Gtcolate fraeez, hespanhol, e portugue?, a
a, 9oo e I ,00 rs. 1 libra.
Orar-utos dos melhores fabricantes da Bahia
ede qualidades, especialmente eseolhit >-,
de 2,000 a 4,5oo rs. a caixa.
9,000 rs. a arroba.
Cerveja das melhores marcas do nosso mer-
cado de 5,000 a 6,000 rs. a duzia, e Seo
rs. a garrafa.
Conservas inglezas a 73o rs. o frasco e 8.600
rs. a duzia.
Doce em calda a 5oo rs. a lata.
dem de goiaba em caixas e diversos tama-
nhos e de diversas qualidades de 64o a
l.ooo rs. cada urna.
Ervillias francezas muito novas de 48o a 64o
rs.
dem portuguezss a 72o rs. a lata.
dem seccas a leo rs. a libra.
Vassouras do porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Fronda do Maranhao muito alva a 14o rs a! Velas de espermaeete da melhor qualidade
1;!um.
a 600 rs. o mam.
tem de araruta verdadeira a 4oors. a libra^ dem de carnaubr- e composica a 32o e 36o
YiiiU' do Alto Douro engarrafado, e os mais! ** a HbW p- lo.ooo rs. a arroba,
bem escarnido* lagrimas do Douro, D. Pe- i TM( __ ,imnar f ,
dro V, I). Luwl, Duque genuino, Nctar j J0' para "mPar,dtasa l* rs- suprior, Malvasia fina, Bastardo, e outros! Toucinho de Lisboa e Santos a 32o rs. a libra,
a 11,000 e 12,ooo rs. a duzia e l.ooo rsJ .
a garrafa. 1 Sevada muito nova a loo rs. a libra.
km Cherrv e Madeira a l,5oo rs. a *arra- Peixe em latas gandes, savel, pescada, cor-
r 6 16,600 rs. a duzia. vma neutras qualidades a l.ooo rs. cada
dem Bordeaux de diversas marcas de 8,coo
a 10,000 a duzia, e 800 rs. a garrafa.
Bolaxinhas americanas a 3,ooo rs. a barrica,'
e 2oo rs. a libra.
I
Batatas muito novas a l,ooo rs. o gigo, e 80
1 -. a libra.
lata.
Papel greve pautado e liso de 3,ooo a 4.000
rs. a resma.
Panas mu,lo novas a 8,.*oo a caixa e 48o rs.
a libra.
Palitos lix^dos para dentes a 14o rs. o maco.
Banha de poico refinada a 48o rs. a libra, e idem de flar a 2o,) rs- maC0.
ero barril a 44o rs. Prezunto para fiambre inglezes e americanos
Yiftlio em pipa de Lisboa, e Figueira, de3,ooo' a ^">0 rs- a ,Dra-
a 4,000 rs. a cnida, e 00 rs. a garrafa. I(iem do Porto a 48o rs. a libra.
dem de Lisboa em ancoretas de 8 a 9 cana-' Qoeljos prato de 48o a 600 rs. a libra
por z/,000 rs. 1
i,i Ar. n 1 Wem londi-inos os melhores que se encontram
idem do Porto muito especial a 5,0 rs. a Heste mercado a 800 rs. a libra,
cinada e /2o rs. a garrafa.
*tnv ,...ofr,- ,, 1 w / ,J,'m lamengos vir dos no ultimo vapor de
mm em garrafoos c .>oo rs. com ogarrafo.
"Vinagre de Lisboa muito superior a 2,o)o
r:>. a caada.
dem maisbaixoa l.foors. a caada, e 2w
rs. a garrafa.
Jdem emgarrafes com 4 "2 garrafas pjr Sab3 maca de diversas qualidades a 2oo e
24o rs. a libra.
Sardinhas de Nantes muito novas a 32o rs.
a Lita.
Sag muito novo a 2oo rs. a libra.
dem muito superior a 28o rs. a libra.
4-,oo rs. com o gairafao.
Manteiga ingleza a Goo, 7oo, 800 e Ooors. a
*libra de primeira qualidade.
dem franceza a f>6o rs a libra em barril, e j
a (oe rs. a retalbo.
Ameixas francezas ein caixinhas com ricis dem de Hollando em garrafoes grandes a
estampas no exterior de l,2oo a 2,ooo rs.
M\a urna.
dem inferior de 12o a 180 rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras a 6,5oo
rs.
dem iiamburgueza em ditas a,8oo rs.
Idem em frasco de vidro de diversos tami-
nhosa l.fiooe S.Soors.
Uem em latas de 1 1/2 e 3 libra a l,3oo e
2,3oo rs. cada urna, e a 800 rs. a libra.
Fijos de comadre em bazinhes de folha pro-
prios para mimos a l,6oo rs. cada um.
ilem em caixinhas de ddha a 32o rs.
Me-m em caixas grandes a 2oo rs. a libra.
Idan em latas emticamente lacradas de
I.600 a 3,ooo rs.
Arroz da India e Maranbao a 80, loo e 12o
rs. a libra.
Amendoas de casca mole muito novas a 4oo
rs. a libra.
Azcriooas superiores;) l,2oors. obaiTil.
Ah/tsia a 14o rs. a libra e 4,6ooa arroba,
lutria a 4oo rs. a bbri.
Btscoi-tos e bulacliinlas inglezas as ultimas
diegadas ao uoso mercado a 1,2oo o l,4oo
m. cada lata.
loiaxinha de soda c lunch em latas grandes
* 2,000 rs. cada lata.
Cognac de superior qualidade 800 rs. a gar-
rafa.
B,8oo cada um.
dem em botija a 4oo rs. rs. cada urna.
Garrafoes vastos de diversos tamanhos a 5oo,
6ie e l,2oo rs.
Gomma do Aracaty a loo rs. a libra.
Graixa a loo rs. a lata, e l,2oo rs. a duzia.
Licores finos francezes era garrafas e fras-
cos de diversos tamanhos de 600 a 800 rs.
cada um.
Marmeladi imperial de trdos os conservei-
ros de Lisboa a 64o e 700 rs. a libra.
Massa de tomate muito nova a 64o rs. a
libra.
Marrasquino de Zara a 64o rs. o frasco,
dem em frascos grandes a 800 rs.
Comirhos muito novos a 5oo rs. a libra.
Erva-doce a 24o rs. a libra.
Pimenta a 36e rs. a libra.
Cravo da India a 64o rs. a libra.
Canneila a l.loo rs. a libra.
Alfazeraa a 2oo rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs,
o fnsco.
Cha perola de especial qualidade a 2,800 rs.
a libra.
Idem hysson muito superior a 2,7oo rs. a
libra.
dem uxim a 2,5oe rs. a libra.
dem hysson a 2.3oo rs. a libra.
dem idem a 2,000 rs. a libra.
dem preto de qualidade muito especial a
2,oe rs. a libra.
dem idem inferior a l,6oo rs. a libra.
Chocolate francez. hespanhol c portuguez, a
9oo e I,2oo rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
Cognac de superior qualidade a 800 rs. a gar-
rafa.
dem muito superior a 1,00o rs. a garrafa.
Caf a 28o e 32o rs. a ribra, e a 8,000 e narem honrar s*u estabelecimento.
9,000 rs. a arroba.
. Queijos flamengos chegados neste ultimo
Cerveja das melhores marcas do nosso mer-! vapor a 2,000 rs.
cado de 0,000 a 6,000 rs. a duzia, e 5oo
nhar pouco, afim de conseguir a continuacao daquellas pessoas, que a primeira vez se dig-
rs. a garrafa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e 8,600
rs. a duzia.
Doce em calda a 64o rs. a lata.
Ervilhas francezas muito novas a 64o rs.
dem portuguezas a 72o rs. a lata.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Bassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
dem do vapor passado a l,8oo rs.
dem prato muito novos e de superior qua-
lidade a 4oo rs. inteiro, e a 5oo rs. a
libra.
Doce de goiaba fino em caixes com 2 '/
libras por 600 rs.
dem mais baixo a 54o rs. '
Manteiga ingleza flor a mais superior do
mercado a 72o rs. a libra.
i dem de segunda qualidade a 64o rs. a libra.
V .^TST* ^ mlh0r qUa'dade'Manteiga franceza de primeira qualidade a
a ooo rs. u nuvu- 5fio ps a 1bra> e 52o r$ em barris ou
dem de carnauba e composic3o a 32o e 36o I meios.
rs. a libra e Io,ooo rs. a arroba.
Tijolopara limpar facas a 12o rs. cada um.
d7q\ialdad^ de LLsboa c Santos a320rs. a
de 2,000 a 4,5oo rs. a cixa.
Farinha do Maranhao mui lo alva a 14o rs. a
libra.
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
libra.
Peixe em latas grandes, savel, pescada, cor-
vina, e outras qualidades a 1,000 rs. cada
Idem de araruta verdadeira a 4oo rs. a Ubra. lata.
Vinho do Alto Douro engarrafado, e os mais Passas muito novas a lo.ooo rs. a caixa e
bem escolhidos, lagrimas do Douro, D. Pe- 5oo ps. a libra.
dro V, D. Luiz I. Duque genuino, Nctar
superior, Malvasia fina, Bastardo, e outros Palitos lixados para dentes a 14o rs. o maco,
a H,ooo e 12.ooo rs. a duziae l,ooo rs.
a garrafa. dem de flor a 2oo rs. o maco.
Cha perola neste genero nao ha nada a de-
sejar, e de especial qualidade, mandado
vir de conta propria a 2,8oo rs. a libra.
dem huxim o melhor do mercado a 2,6oo
rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 2,ooo rs. a
libra.
dem hysson muito superior a 2,boo rs. a li-
bra.
dem preto hemeopathico muito fino a 2,o0o
rs. a libra.
Bolachinha de soda chegada neste ultimo
navio a 1,3oo rs. a lata, deste genero ha
grande poreao e de differentes marcas,
dem Cherrv e Madeira a l,5oo rs. a garra- Presunto para fiambre inglezes e americanos: que se vendera todas pelo mosmo pieco a
fa e 16,ooo rs. a duzia. a 85o rs. a libra. vuutade.(los compradores.
UTS3PPfC r^l8,0001 do a *
Bolaxinhas americanas a 3,5oo rs. a barrica, Prat0 a ** rs" ,ibra-
e a 24o rs. a libra. dem flamengo vindos no ultimo vapor a
2,oooo e 2,3oo rs. cada um.
Batatas muito novas a l.ooors. o Rieo, e60 ,...., nf,
rs a libra Sardinhas de Nantes muito novas a 32o rs.
I a lata.
Banha de poico refinada a 44o rs. a libra a ~ .,._. art ,., .
cm barril a 4oo rs. 1 Sau muit0 n0N0 a 2o rs' a llbra-
Vinho era piqa de Lisboa, e Figueira, de 3,ooo Wem muit0 suPerior a ^ rs- a llbia-
a 4,ooo*rs. a caada, e fioo rs. a garrafa. ... ... a
D i Sab5o maca de diversas qualidades a 2oo e
"*io rs i lihn
Idem de Lisboa em ancoretas de 8 a fl cana-
das por 27,ooo rs. dem inferior de 12o a 18o rs. a libra.
dem do Porto muito especial a 5,5oo rs. a, Genebra de Hollanda em frasqueiras a 6,5oo
caada e 72o rs. a garrafa. ris.
dem em garrafoes com 4 /i garrafas por Idem. hamburgueza em frasqueiros a 5,8oo
ATTENCAO
O proprietario dos armazens do Piogressista jamis deixar de offerecer aos sen
ftttgut'zes tudo o que for preciso para que rejam bem servidos, e como a festa se aproxi-
ma ptima aoccasfo dos seus freguezes experiraentarem areaiidade, que nunca dei-
ri de ser mantida pelo proprietario destss armazens.
2,foo rs. mm o garrafao.
Vinagre de Lisboa muito superior a 2,ooo
rs. a caada.
dem mais baixo a l.Soors. a caada, e 2eo
rs. a garrafa.
dem em garrafoes mm 4 garrafas por
l,2oo rs. rom o garraio.
Ameixas francezas em caixinhas com ricas
estanpas no exterior de l,2oo a 2,ooo rs.
cada urna.
dem em frasco de vidro de diversos tama-
nhos a l,5oo e 2,5oo rs.
dem em latas de 11 '2 e 3 libras a l,3oo e
2,3oo rs. cada urna, e a 800 rs. a libra.
Figos de comadre em caixinhas de 4, 8 e 16
tibrrs a l,3oo, 2,5oe e 5,ooo rs. cada
urna caixa.
Idem em caixinhas de folha a 32o rs.
dem em caixas grandes a 2oo rs. a libra.
dem em latas ermetimente lacradas de l,6oo
a 3,000 rs.
Arroz da India e Maranhao a 80, 100 e 12o
rs. a libra, e 2,5oo e 2,8oo rs. a arroba.
Amendoas de casca mole muifo novas a 4oo
rs. a libra.
Ceblas novas a l,ooo rs. os molhos gran-
des e a 7oo rs. o cento.
Alpista a 1 'to rs. a libra e 4,6oo rs. a arroba.
Macarro, talharim e aletria muito nova a
4oo e 48o rs. a libra.
Biscoitos e bolachinhas inglesas as ultimas
chegadas ao nosso mercado a l,2oo e
l,4oo rs. cada lata.
Bolachiiha de soda e lunch cm latas grandes
a 2,000 rs. cada lata.
res.
dem de Hollanda em garrafoes grandes a
5,5oo rs cada um.
dem em botija a ioo rs. cada urna.
Garrafoes vasios de diversos tamanhos a 5oo,
64e e l,2oo rs.
Gomma do Aracaty a 80 rs. alibra muito alva
Graixa a loo rs. a lata, e l,2oo rs. a duzia.
Licores finos francezes em garrafas e frascos
de diversos tamanhos de 600 a 800 rs. ca-
da um.
Marmelada imperial de todos os conserveiros
de Lisboa a 600 e 7oo rs. a libra.
Massa de tomate muito nova a 64o rs. a li-
bra.
Marrasquino de Zara a 640 rs. o frasco,
dem em frascos grandes a 800 rs.
Cominhos muito novos a 5oo rs. a libra.
Erva-doce a 24o rs. alibra.
Pimenta a 36o rs. a libra. *
Cravo da India a 64o rs. a libra.
Canneila a l.loors. alibra.
Alfazema a 2oo rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs. o
fraco.
Copos finos para agoa a 5,ooo rs. a duzia.
Chouricasnovas a 72o rs. alibra.
Mostarda franceza preparada e muito nova
a 32o rs. cada um frasco.
Conservas francezas de superior qualidade a
640 rs, o frasco e 7,ooo rs. a duzia.
Azeite d'.vp a 64n rs. a garrafa.
Sevadinha de Franca muito nova a 2oo rs. a
libra.
Iem em latas grandes a 2,cxkt rs.
dem propria para lanche em latas grandes
a l,9oo rs.
Marmelada imperial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 64o rs. a libra.
Frutas em calda em latas de 1,00o a iioo rs.,
neste genero ha diversas qualidades a es-
colher.
Champanha superior das marcas mais acre
ditadas a l,5oo rs. agarrafa e lo.ooo rs.
o gigo.
Serveja das melhores marcas que vem ao
mercado a 5oo rs. a garrafa e a 0,000 rs.
a duzia.
dem preta superior a 56o rs. a garrafa e a
5,4oo rs. a duzia.
Vinho Bordeaux de differentes marcas, e as
melhores do mercado a 7,000, 7,5oo e
8,000 a caixa com urna duzia, e em gar-
rafas a 64o, 7oo e8oors., garante-sea
boa qualidade.
Sevadinha de Franca a 2oo rs. a libra
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
Cominhos, ervadoce e pimenta do reino a
36o rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 5, ooo rs. a frasquei-
ra com 12 frascos, e a retalio a 5oors..
cada um.
dem em botija hamburgueza a 4oo rs.
Genebra de laranja a 1,ooors. os frascos
grandes.
Vinho de caj o melhor que ha no mercado
a l.ooo rs. agarrafa.
Palitos do gaz a 2,3eo rs. a groza e 2o rs.
i\ caixinha.
dem de dentes lixados a 16o rs. o maco com
2o macinhos.
Ervilhas seccas chegadas neste ultimo navio
a 16o rs. a libra, e em porco se faz aba-
timento.
Banha de porco refinada a 48o rs. a libra e
42o rs. em barril.
Vmho branco de superior qualidade proprio
para missa a 64o rs. a garrafa.
Ameixas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas com ricas eslampas a
l,2oo, l,5oo e %oo<> rs. cada urna.
dem francezas em frasco de vidro com lam-
pa do mesmo contendo 1 '/libra a 1,2qo
rs. s o frasco val quase o dinheiro.
dem em latas de 2 libras por l,4oors.
a retalho, e a 800 rs. a libra.
Figos de comadre muito novos em bahuzi-
nhosmuito proprios para mimo al,28o rs.
dem em caixas para retalho a 16o rs. a
libra.
Passas de carnada a 48o rs. a libra e em
quarto mm 8 libras por 2,5oo rs.
Bolaxinhas inglezas de superior qualidade a
I 2,000 rs. a barrica, e a 2oo rs. a libra.
Chocolate francez o melhor que se pode de-
sejar neste genero a l,ooo rs. a libra.
Macas para sopa estrelinha, pevide, arroz de
naca a 48o rs. a libra, e em caixa a 2.000
rs. cada urna, macarraao, talherim, e ale-
tria a 4oo rs. alibra.
dem Figueira de superior qualidade a 48o
rs. a garrafa e 3,5uo rs.^i caada.
Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra.
Aveians muito novas a 2oo rs. a Ubra.
j Ervilhas francezas muito novas em Litas
grandes a 64o rs.
dem de Lisboa a 2.8oo rs. a caada e 4oo
rs. a garrafa. Wem em ditas pequeas a 4oo rs.
dem do Porto de superior qualidade para ^ de t^^ m ,aUs de 2 Hbras
mesa a 560 rs. a garrafa, e 4,000 rs. a ca- y.i0 rs
aTTENQO.
Neste grande armazem de molhados vende-se em grandes porces e a retalho,
(azendo se diTereHsa consideravel a quena comprar de 1005 para cima.
nada.
'dem fino do Alto Douro da colheita de 1833,
como sejam: D. Luiz.Feitoria velho. Nc-
tar, Carcavellos e Cames era caixa de
urna duzia a 9,ooo rs.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto
a l.ooo rs. a garrafa e lo,ooo rs. a caixa.
Duque do Porto, Madeira secco, duque ge-
nuino, lagrimas doces a 9oo rs. a garra-
fa e 9,5oo rs. a duzia.
Garrafoes mm vinho do Porto a 2,2oo rs.
cada um.
Vinagre de Lisboa de superior qualidade a
2oo rs. a garrafa e l,2oo rs. a caada.
Azeite doce refinado em garrafas grandes a
800 rs.
dem de Lisboa a 6lo rs, a garrafa, e em
caada a 4,8oo rs.
Presuntos inglezes para fiambre a 7oo rs. a
libra,
dem de lamego encommenda particular a
48o rs. a libra, e inteiro se faz abatimento.
Toucinho do reino o melhor do mercado a
320 rs. a libra, e em arroba a 9,ooo rs.
Velas de espermacete de 4, 5, e 6 por libra
a 560 rs., e em caixa se faz abatimento.
dem de carnauba refinada a 32o rs. a libra
e 9,ooo rs. a arroba.
dem de carnauba pura do Aracaty a 4oo rs.
a libra e lo,5oo rs. a arroba.
Gomma muito fina e alva a 80 rs. a libra.
Araruta verdadera a 32o rs. a libra.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 12o rs. a libra.
Sag muito novo 24o rs. 1 libra.
Saliuo em latas de 1 i libra a 800 rs.
Lagostinho era latas grandes a l,4oo rs. ca-
da nina.
Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
Cognhac inglez a 800 rs. a garrafa.
Licor francez das melhores marcas do me r
eado a 800 rs. a garrafa.
Btalas chegadas neste ultimo navio em cai-
xa com duas arrobas por l,6oe rs., e 4o
rs. a libra.
Coacervas inglezas a 75o rs. o frasco.
Sal refinado em potes a 000 rs. cada um.
Mostarda inglesa a l.ooo rs. o Irasco.
dem franceza a 4oo rs. o pote.
Milho alpista a 16o rs. a libra e 4,8oo rs. a
arroba.
Graixa muito nova em latas grandes a 420
ris.
Latas mm peixe em posta emticamente
lacadas das melhores qualidades de pei-
xe que ha em Portugal a l,2oo rs.
Caf lavado de I' qualidade a 32o rs., dito
de 2* a 28o rs. a libra e 8,2oo rs a arru-
ba. dito de 3* a 26o rs. a libra e 7,8uo
rs. arroba.
Charutos suspiros dos melhores fabricantes
de S. Eelix a 2,5oo rs. a caixa mm loo
charutos.
dem finos de diversos fabricantes a l,6oo.
I.doo e 2,000 rs. a caixa mm loo charu-
tos, |o proco nao indica a boa qualidade
porm deem-se ao trabalho de virem ou
mandarem e vero a realidade.
*
1

i


Diarlo de Peraunbtteo -- fcegunda felra 15 de Itnciro de IS 1.
i
f

>
LO JA DO PAVAO
Cassas puritanas.
Vendem-se as wais modernas cassas punta as ci m bonitos desenhos pelo bt.ratissimo preco de
240 e 280 rs. o covado, por havur grande porfo, peeliincha : ca ra da Impera)riz n. 00, loja do
Pavo.
Cassas persianas a 350 rs. o covado.
Vendem-se as mais bonitas cassas persianas a imitacao de 15a transparente com os desenhos
tecidos e inteirainente novos, pelo baratissimo proco de .'60 rs. o covado e nao desbotam : na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 60.
Cortes de cassas de liria Ka a 4#000.
Vendem-se os mais modernos cortes de cassa a Maria Pia, d>? tedas as cores, com palmas bor-
dadas e de variadas cores que (arante se a boa qualidade contendo 8 varas e meia cada corte pelo ba-
ratissimo preco de 4* : na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60.
As percalas do Pavio a 500 re. o covado.
Vendem-se as mais Anas percalas que ha no mercado, de desenhos muito roiudinhos e das mais
lindas e variadas cores e garante-s serem xas, com i iialmos de largura, fazenda propria para ves-
tidos de senhora e roupas para meninos, pelo muito bar;.topreco de 300 rs. o cavado : na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60.
Gorguro de laa a 500 rs. o covado.
Vende-se gorguro de lila de cor escura propria jara vestido d>j senhora, paletot para homcm e
roupa para menino, pelo barato preco de 500 rs. o covado : na lojj do Pavao ra da Imperatriz n. 60.
As colchas do Pavao.
Vendem-se colchas de linho adamascadas com bonitos lavores de cor de rosa, azul e branco,
pele baratissiinopreode 5* cada urna : na loja do Pa\ao ra da Imperatriz n. 60.
Organdys a 240 re. o covado.
Vendem-se organdys matisados fazenda muito fina, de bonitos desenhos, pelo baralissimo pceo
de 340 rs. o covado : na foja do Pavao ra da Imperatriz n. 60.
As alpacas do Pavito.
Vendem-se alpacas de seda de cores muito fina propria para vestido de senhora, soutembar-
ques e roupas para meninos e dita branca muito fina propria para vestidos e paletots, pjr preco mui-
to eommodo : na loja de Pavao ra da Imperatriz u. 60.
Chitas do Pavao.
Vendem-se chitas escuras e alegres fazenda muitc fina, padroes modernos e que nao desbotam
pelo barato preco de 320,360 e 400'rs. covado: na loja do Pavo ra da Iniperatr n. 60.
As laasinhas co Pavo.
Vendem-se laasinhas com 9 palmos de largura de urna so cor e de quadrinhos pelo baratissiino
precede 1*200 o covado, ditas enlejiadas com 4 |lmo de largura a 300 rs., ditas matisadas muito
!uas de bonitos desenhos a 360 rs., ditas a 350 e 360 r;., ditas de quadrinhos a imitacao de sedinlia ]
a 400 rs. o covado, ditas a Maria Pa com palminhas do seda a 500 rs., ditas transparentes cem palmi-
nhas matisadas a 440 rs., ditas de quadros grandes a 243 rs. o covado, ditas pretas transparentes de
.ordaozinbe a 200 rs.: na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Vestidos soutembarques.
Vendem-se os mais modernos vestidos a soutembarque com lindas barras e enfeites |para rou-'
pinho e mangas, pelo baratissimo preco de 5* cada um : na loja do Pavo ra da Imiwralriz n. 60.
Cortes de lAa com barra,
Vendem-se cortes de la com barras matisadas e enfeites para roupinho e mangas, os mais fi-
nos que existem no mercado, pelo baratissimo preco de 18* cada corto : na loja do Pavo ra da In>
ratriz n. 60.
Os soutembarqueis do Pavio.
Vemdem-se os mais modernos soutembarques de grosdenaples preto ricamente enfeitados, ditos
decor de um terido de la com seda muito bem enfeitauo, por preco muito conunodo: na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Capas do Pavo.
Vendem-se ricas capas pelas de srosdenapie bastante compridas, fazenda superior e mais mo
derna que ha no mercado, por preco muito em conta : n: loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Atoalhado de linho.
Vende-se atoalhado de lint com 8 palmos de lar,-ora pelo baratissimo preco de 2*500, bra-
mante de linho com 10 palmos de largura proprio para lenres c toalhas muito oncorpado a 2*500 a
vara : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Crinolinas ou balfas americanos.
Vendem-se baloes americanos os mais modernos x>r serem muito fortes e bem armados de 29
arcos a 34, ditos de 30 a 34500, ditos de 35 a 4*, ditos i e madapolo franrez de diversos laiuanhos a
.1*. ditos de musselina com habido c sem elle podendo-se tirar os arcos pelo barato prego de vi e
4*500, ditos para menina, de aros a 24, ditos de inusstliua a 34 : na loja do Pavo ra da Impera-
triz n. 60.
Chapeos de sol do Pavo.
Vendem-se chapeos de sol de seda muito encorpaila com calw do cana e basteas de baleia pelo
l.aratissiroo proco de64,74 e8*, ditosmarqueziulios para senhora e meninas a 24300 na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60.
Cortes de laa do Pavo.
Vendem-se cortes de laas matisadas com desenho muito lindos contendo locovados cada corte
peio baratissimo preco de 74, diios de crde caf com i almas matisadas conteudo 13 covados cada
orte pelo barato preco de 64 : na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60.
AURORA BRILHAME
LARGO DA SANTA CRUZ N. 84.
Amigos do bom e barato.
A Anrora Brilhante este magnifico estabelecimento est na Boa-Vista disputando a
primazia, j pelo grande sortimento dos seus gneros de boa qualidade, j pela coinmodidade
de precos c por isso o seu proprietario roga aos seus freguezes e amigos e ao publico cm
geral que mandem comprar para melhor se certificaren! do annuncio.
24600
640
720
720
400
500
Queijos do reino novos a 24400 e
Ditos de prato dem, a libra. .
Ditos do serto novos, libra a .
Chouricas novas, libra a .
Linguicas vurdadeiras do serto, libra
Presuntos novos de Lamego, libra a .
Macarro, talharim e aletria, libra a
400 e.......
Ca xas com 8 libras de estrellinha e
pe vi de nova a 24500 e libra .
Sevadinha de Franca e sag a libra.
Ervilhas e grao de bieo a libra .
Marmelada nova das melhores marcas
a libra *".....
Caixlnhas cem ameixas com bonitas
estampas a 14600 e.....
Lalinhas com ditas a 14400. 24400 e
Ditas com figos novos de comadre a
14400 c ......
Ditas com fructas em calda a 640 o .
Ditas com peixe em posta ensopado
a 14000 e......14200
Ditas com sardinlias de Nantes no-
vas a .......
Caixinbas com 4 libras de farinha de
ararutaa libra......
Nozes c amendoa arroba 64 te libra..
Garrafas com refrescos de varias
fructas a......
Azeite doce a 640 rs. a garrafa e refi-
nado a......
Potes com mustarda a ..
Frascos com conservas novas a
Ditos com genebra de laranja e de
Hollandaa640 e .
Chocolate de varios autores a libra .
Toucinho de Lisboa arroba 94000 e
libra.......
Charutos finos a 24, 24300, 34, 44,
54 e 64 a caixa de 100.
Saceos grandes com milho, farello e
farinha fina a 44, 44300 e .
Alpista arroba 44500 e libra .
Espermacete superior a 600, 640 e
Copos lapidados para agua e vinho du-
zia 4* e ...... 64000
Molhos de grande sebolas a 14000
Barricas com bolachinha nova a 44
e libra a...... 320
Ditas de soda de 5 libras para lunche
ou doente a 24 e libra ... 640
Ditas com biscoutos inglezes muito fi-
nos a ....... ijioo
Manteiga ingleza flor a 800 e -360
Dita franceza a 560 e 600 rs. e em
barris e ineio a 320 e 540
Dita hollandeza muito nova a 800
Banha de porco a 32i
Sal refinado o pote .... 300
(igos cem batatas hollandezas a 14208
Cli hysson o melhor que ha a 34*00
Dito miudinho a..... 2*00
Dito verde a 24, 24500 c 24800
Dito preto a 14tO0, 24 t lino a 24.SOO
Caf de moca arroba 9* e libra. 310
Dito lavado arroba 84 e libra 280
Vinhos finos do Porto caada 34 e
garrafa 640 e..... 800
Ditos de Lisboa e Figueira 34200 a
caada e garrafa .... 480
210 Dito branco proprio para mesa a 560 e 640
Dito zerez e outros finos a 14000
Caixa com vinho Uordeaux a 84 e 94
c garrafa a..... 800
Ser veja de boas marcas a duzia a 34 c 64000
Gomma muito fina arroba 24300,24 e 14280
Enxofre arroba 34200 e libra 120
Canad de azeite de carrapato a 24 o
garrafa a...... 280
Dito de coco a 34500 e carrafa a 480
Massos com palitos Usados para den-
tes a ....... 160
Tijolo para limpar facas a 140
Ervilhas em latas a 640
Latas rom ostras americanas a 640
Vinhos engarrafados finos a garrafa 1*000
Tapioca nova arroba 34900 e libra 140
oio com graxa n. 97 a .. 320
480
480
240
120
720
24000
44000
240OO
300
JOO
640
500
800
3201
800
I4OOO
I42OO
320
54000
160
720
38RA DO IMPERADOR38
Agua natural de Con lilac.
miLo recommendada as aflecces do tubo gaso-inte.'tinal, nos dos rie, e bexica ourinaria, pelas
>ua propriedades alcalinas, c o acido carbnico que lateralmente contera em suspensao, de preco
mais mimodo que a agua de Vicha, e de propriedades tal vez superiores pela grande quantidade de
acido carbnico, njecro Brou, agua d le Cludeu, cipaniba de Mege, injeccao Figai de talo
ie zinoo, muito recommendada as gonorrheas. Le noy france;: verdadeiro-, na mesma casa tem
algumas caixas de instzumentos cirurgco* para operae/es de Matieu e Charriere. ,
CONSERVATIVO
DE
JOiyilll *IItl O DOS A\TOS
23Lugo do Terco23.
0 proprietario deste arniazem de molhados participa ao publico e a todos em geral
que tem um grande sortimento de tudo oj tanto pertenrente a molhados, e que tem
um armazem para somonte receber os gneros de maior quantidade, faz soas especula-
rnos em boas quadras, e que semprepode vender por menos de 10 i 20 por cente du
que em outra qualquer paite, garanlindoo proprietario qualquer genero sabido do seo
armazem, tanto em peso como em qualidade.
Manteiga ingleza flor mandada vir por conta propria a 800 rs. a libra,
dem franceza, vinda pelo ultimo navio a 500 rs. a libra e 540 rs. em barris.
Banha de porco refinada, propria para pasleis a 480 rs. a libra, e em barril a 400 rs.
Velas de espermacete e carnauba do Aracaty a 600 rs. o masso e 400 e 440 rs. a libra.
Caf lavado do Rio e do Ceat o melhur deste genero, a 280 rs. a libra e 8#>oo a ar-
roba.
Batatas novas era caixas com 2 arrobas por 2000, arretalham-se a 4o rs. a libra.
Toucinho desembarcado ltimamente a 3oo rs. a libra, em barril ou arroba a 8^800.
Cha de 1, 2, 3a e 4a sorte a 2S800, 2.S500, 2000, e 15K> a libra.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e de carrapato a 280 rs. a garrafa, e caada
2 Genebra verdadeira de Hollanda, em botijas, de ronfa certa, marca gallo a 360 rs.
Milho alpista o mais limpo que ha a 160 rs. a libra a 5000 rs., a arroba.
Pede-se toda ueuco.
Custodio Jos Alves Guimaraes, clono da toja in-
titulada (jallo Vigilante, ra do Crespo n. 7, avisa
aos seus numerosos freguezes e ao respeitavel pu-
blico, que tendo de reformar no flm deste anno sea
estabelecimento, equerendo liquidar grande quan-
tidade de diversos objectos, esta rosolvido a vender
tudo por procos baratissimo^, como sejam :
Pe^as com 4o varas de franjas de linho a 3}.
Ditas com 4o varas de galao de linho a 3.
Laa sortffla para bordar, libra a i.
Froco de cores sonidos, peca a 160 rs.
Manguitos para senhora, o par 800 rs.
Goliutias de bonitos gostos a 400,600 e 1.
Salvas de metal principe a 1oOO, e zJoOO.
Ditas com copos de metal proprio para meninos a
1*200.
Facas e garios para sobre-mesa a '* a duzia.
Ditas e ditos dita com cabo de marfim a 6.
Bandejas de todos os tamanho< muito Unas a 1.
1*200, 1400, 1*000, z*oOO, 3500 e 5*.
Ditas redondas para copo de o i. para z800.
Tesouras em carteiras, a- duzia a 500 is., 640 e
800 rs.
Peitos para camisas, a duzia a 2*.
Camisinhas bordadas para senhora a 1*500 c 2*.
Ghapelinas para senhora a 3*.
Ditas para menina a 2*.
Chaix'ozinho para meninas de escola ou passeio a
2* e 3*.
Flores francezas, caixos grandes, a 600 rs.
Luvas de seda com pequeo toque de mofo a 300
rs. o par.
Toucas de laa para meninos a 300 rs., fil a 500 e
600 rs., de seda a 800 r<.
Sapatinhos de merino a 800 rs.., e de laa a 500 rs.
Bolsiiihas de missauga para meninas de escola a
800 rs.
Botoes dourados para punho a 200 rs. o par.
Tinteii os de metal a 320 rs.
Trancelins para relogio a 10 rs.
Ditos de fita chamalote a 200 rs.
Escrivaninhas de metal a 3*300.
Comeres de metal para cha a 200 rs. a duzia.
Ditas de dito para sopa a 2* a duzia.
Botoes de duraque pretos a 400 rs. a groza.
Cartas hespanholas para jogos a 1*200 a duzia.
Casticaes brancos e amarellos de metal a 1*.
Carteiras para algibeira a oOO, 600, 800 e 1*.
SaboQttes muito tinos a 1*200,1*600 e 2* a duzia.
Fivelas para caira a 300 rs. a duzia.
Botoes de ac para calca a 320 a groza.
CaixiiihascomallineleSjgrampos e clcheles a 320.
400 e 500 rs.
Fitas de borracha pretas e de cor a 120 e 160 rs.
a vara.
Latas com dous massos de agulias por 800 rs.
Ditas para sinteiro a 300 e 400 rs. a vara.
Caixinhas para costura de senhora a 1*500,2*.
3,4, 5 e 6*.
Compoteiras de vidro com pratos de metal a 3* e
4*000.
Franja de laa para debrunhar tapetes a 2* a peca.
Palitos de fogo, prova d'agua, a 1* a groza i u 120
rs. a duzia.
Assim como tem grande sortimento de muitos
mais otijectos que se ternaria enfadonho inencio-
na-los, que tudo se vender muito barato para li-
quidar : na ra do Crespo n. 7, e ra do Impera-
dor 59, junto ao passo, e casa da liquidaco.
AOhNCIA
DA
FUNDICAO DE L0W-M00L
Pitada Senzalla nova n. i.'.
Neste estabelecimento contina a harer
um completo sortimento de moendas e mezas
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Jchnston C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
yenda de urna hypatktca.
Os liquidalarios da raassi faft'rdae
Jos Antonio Basto veadem a Innolbf-
ca que tem nos eiitscahos Matto wtaaa
e Caja bus ii no termo de Sci-inlidin; no
valor de :)1:83o$9i 1 rs.; (ral;*:' as
casas a na do Trapiche n. 31.
MVAS
sementes de horta,,.?.
Chegaram no vapor francez Guiene as swas *-
mentes de hortaliza : na ra da Cadea do Uec*;
n. j6 a, loja de ferragens de Basto<.
OLEO
DE
Merchant
para as molestias externas dos animaes domsticos
e com especiahdade dos cavallos.
de primeira qualidade, fabricadas com o maior
esmero, as quaes pelo modo efficaz que matam as
formigas, realisam urna economa de 90 0]0 sobre
as fabricadas pelo antigo systema.
VERNIZ 01 VLC4TRA0
do gaz, cujas multplices applicacOes sao por de-
mais cimhecidas : vende-se ao pre^o da fabrica no
oitao da secretaria de polica, armazem da bola
amarella.
GAZ GAZ GAZ
por pre^o reduzldo.
Vende-se.gaz da mellior qualidade pelo
pro;o de 10* por lata de 5 gules: no ar-
mazn do Gaes do Hamos n. 18 e ra do
i Trapiche Novo n. 8.
Macaas.
Na travessa da Madre de Dos n. 5, vendem-es
I caixas com macaas a 3*.
___ESCRAYOS FGIDOS.
De bordo da barca Africana, fugiram dons
eteraroa, um crioulo de noine Antonio, reprose-
ta ter 40 anuos, cara feia, cheio do rorpo, estatu-
ra regular, outro mulato de noine JoSo, represen-
ta ter 30 anrios, estatura regular : quem os pegar
ou delles de noticia no escriptoro de Autowo
Luiz deliveira Azevedo i C. ou a bordo da dita
barca ser bem recompensado_____________
Auseulou-se da casa de seu seahor desde w
dia 18 o preto Miguel, ivpiesenta ter 45 SOan-
nos, usa de nieias suissas, j>i tem cabellos bran-
cos, bastarte regrista e intitula-sc forro, consta
que elle andinesla cidade por j ter sido eucn-
trado nao s no bairro do Recite como uo da kta-
Vista, ha suspeitas de que elle se acoita cm casa
de sua amazia de nome Maria, parda, e que dizon
estar morando ha poucos dias no Campo Verde:
Suein o pegar leve-o casa de seu senhor na roa
a Cruz n. 2, que sera recompensado.
Fugio
do engenho Tima, freguezia de 9.-Loareneof4a
Malta, no dia 18 de dezembro de 63, o esrravo
Cosme, que representa ter 20 a 22 annos de idadc,
pouco mais ju menos, estatura e i odo regalares,
cor bem prcta, cara redonda, sem barba, oihos
grandes e embranquicados, pernas regulare?, prs
pequeos, dedos arretitados de maneira quo quan-
do anda nao toca com elles no chao, e parece estar
manco, gosta muito de batucar e cantar. Este ef-
cravo foi do Sr. Joaqnim Jos de Souza, monwfcr
no engenho Lamerao, na provincia da Parahiha.
Quando ugio levava em seu poder utn ct vallo ata-
sao, castrado e sem habilidades, c fra encontrado
na villa do Limoeiro, onde, sendo perguntado, d-
sera que ancava comprando pflnhas a mandado
de seu senher, de sorte que snpp&e-se que elle tera
seguido par;. S. Joo, na provincia da Paraha,
onde mora um irmao do sennor que o vendw-
Depois que jcomprei j sao com esta tres fgidas
que tem feito, na segunda fui pre.-o para as parte*
de Goianna, que la com destino a procurar o Sr-
Joaquim Jos de Souza. Portanto roga-sc s au-
toridades policiaes e capitaes de campo se viren
o mandem pegar, levando uo engei.ho Tiiuna, en
no Hecife, tasa do meu correspondente, na rua.jo
Imperador n. 4i, que sero bem recompensados.
D. Vil laca. _______
Acha-.' ausonte de casa de sen sennor o es-
cravo Luiz, conhecido era teda parte por Vilaea,
oflicial de podreiro, altura regular, remarcado.o
corpo, reupa de cor e suja, sendo o signa! maw
visivel o ser bastante calvo, c costuma dizer que
forro, acha-se nicamente ausente de rasa, sabe v
que esta trabalhando dentro mesino das quatro
freguezias, com eerteza Recife e S. Jos : que
pegar leve-c ao becco Largo, taberna n. 1, q^e
ser recompensado.
Ausentou-se urna pela do abaixo as-ign?-
do, no dia 20 de corrente, de nome Benedicta, eiv
oula, idade ii annos, pouco mais ou meos, towo.
vestido de chita j veiho e panno da Costa tamban
volito, peituia e bonita figura : jega-se pteu
e capitaes c\e campo a apprehcnsao dellae levaba
ra de ITortas n. lli. Assim como se profesa
contra quera a tiver acoutada por percas edamaos.
Antonio Joaquim de Almei Ja t'.raa.
LISTA GERAL.
DOS PREMIOS I>A ti K PARTE DA U . LO rERIA , A JJ tLN'EFl WO 1) A SAN IA C ASA 1 >A Ml ERIC ORDIA. ;con< ;edil>. v POR LE PROVINCIAL Y 537 DE 21 DE JUNHO DE 1862, PARA PAGA. MENT ) DE DESPl ZAS .IA EE has OM ( ) TRA r\-
MENT DE ENFERMOS POBRES RK.METT1DOS PELA POLICA, EXTRAHIDA EM 23 DE JANEIRO DE 1864.
#- .\>. l'REMS. NS. 'RFMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS..NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. RPEMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS 'NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. ns. utas.
1 3* 179 5* 199 10* 4H6 5.J CIO 5* 808 5* 983 3* 11 il : 1308 5* 1468 3* 1617 5.5 1739 5* 1918 5* 2073 5* 2234 10* 2371 5* 2512 5* 2680 5* 2860 5* 3048 5* 3223
3 80 26 5* 88 43 16 85 43 9 72 19 60 - 19 78 37 91 72 14 81 6:! 51 m
1 81 29 89 45 17 87 16 11 . _ 73 U __ 61 20 83 _ 41 76 18 ^_ 82 69 58 26
|k 8 83 31 91 46 23 _ 90 50 10* 13 , 74 22 _ 67 21 86 _ 44 77 23 85 73 .>9 28
rv 10* 8o 33 - M - 48 26 _ 95 H 5* 16 20* 75 R 71 - 23 87 49 __ 78 H . 86 79 60
10 5* 89 38 99 49 27 98 56 it 3* 84 27 _ 73 - 24 90 __ 57 __ 80 27 91 8.1 65 46
11 94 42 500 53 29 ^m 1003 59 24 85 28 mm 74 37 92 __ 30 . , 83 28 p^ 92 BU 69 47 -
jr 13 96 40* 53 5 61 33 6 60 30 40* 86 29 80 10* 45 96 _ 60 mm u - 37 _ 93 83 72 49 -
. 16 20o 3* 44 9 62 - 36 __ 8 62 38 3* 92 31 81 5* H 2100 z 61 86 43 _ 99 87 73 63
17 7 45 11 -- 70 38 _ 9 66 41 93 3 85 - 55 4 mmm 63 _ 89 47 _ 2700 89 76 69
> 8 12 72 39 11 67 14 _ 95 34 87 57 -* 5 _ 64 40* 91 48 ... 3 91 77 70 -
$ 31 16 58 18 73 40 13 _ 70 49 3:000* 98 35 90 - 38 0 68 5* 99 50 6 $1 79 72 w
:;7 20 m 20 .- 75 42 __ 14 _ 71 50 3* 1500 37 99 59 17 _ 71 2401 __ 51 __ 10 98 10* 86 74
23 9 22 .- 79 20* i i 16 _ 76 54 1 39 1801 - 60 37 . 75 4 mm 60 _ 13 2901 5* 3100 79
w 25 69 28 81 3* 46 20 81 0 _ 7 18 4 - 65 600* 38 80 9 __ 64 _ 13 9 3 81.
S6 20 10* ro 29 83 33 30 _ 83 57 _ 10 49 o 66 5* 41 81 12 mm 6o 10* 16 12 5 8i
> .)7 32 5* 80 31 ._ 84 54 37 __ 97 61 _ 11 50 7 - 67 44 88 13 _ 68 3* 21 10 8 86 r*
H M 82 32 .- 86 58 __ 49 M. 1205 65 __ 14 55 10 68 46 20* 90 - 14 __ 69 26 21 11 90
W) 38 88 42 87 63 _ 54 _ 8 70 _ 15 __ 63 12 - 69 52 3* 91 16 __ 70 _ 34 2i 12 91
61 _ 42 89 44 ._ 90 __ 66 _ 62 ^_ 9 H 71 18 _ 65 __ 14 - 71 36 M 17 _ 72 _ 35 30 13 97
6i ._. 18 M M . 701 69 _ 63 ^ 13 --- 73 __ 19 ^_ 66 19 - 72 57 93 20 73 37 33 20* 16 33O0
; tfi 44 '12 47 3 78 __ 65 14 77 __ 20 ^ 69 100* 20 - 79 59 97 22 74 39 36 a* 24 i
r^S' 68 47 __ !I3 52 10* 8 79 67 18 ~ 80 , 24 100* 71 5* 21 - 81 61 99 10* 29 83 ^9 42 37 27 5
72 30 20* 97 56 v 9 93 68 20 81 __ 25 5* 74 26 83 63 2300 5* 34 20* 84 __ 44 43 31 7 T-
71 _i. 52 20* 'J8 57 11 95 _ 69 --- 22 --- 82 100* 26 76 29 - 88 4 1 35 3* 87 _ 62 qa 36 8 M*
78 56 5* 99 61 19 901 _ 70 --- 23 87 3* 28 _ 77 30 91 65 6 37 90 _ 68 53 39 10 *
M tm 57 400 62 10* 21 2 _ 72 . 26 88 33 _ 81 32 92 67 8 47 91 69 54 41 11
82 __ 59 _ 2 10* 67 id 24 4 _ 79 30 90 _ 34 85 ^ 35 - 93 71 10* 14 48 92 /O ttti 44 12
M _^ 61 __ 6 5* 68 27 _ 6 _ 83 10* 36 91 ._. 37 _ 88 __ 38 99 72 5* 16 51 94 73 61 49 13
V7 _ 6i __ 9 70 28 _ 9 _ 84 3* 37 --- % / __ 42 40* 90 ^^ 40 2000 77 18 52 96 7o 63 -~ 2 m~ 16
9B __ C7 __ 10 73 . 29 10 _ 86 39 97 i 45 5* 93 mm 42 1 78 22 55 97 77 66 " 57 mmm 25
m _ 74 __ lo 74 37 11 88 42 99 _ 47 95 tmt 48 - 6 90 23 57 - 98 86 mm 68 ^~ 58 _ 27 ~~
6 i 79 __ 19 10* 77 40 _ 13 94 43 1400 40* 50 __ 98 ,pH 49 _ 8 92 24 58 2604 88 n ^ 64 __ 28 ""
11 ^m 80 __ 13 5* 83 42 __ 14 __ 99 46 3 3* 51 40* 99 __ 54 - 9 93 _ 32 62 7 90 ~- 85 73 _ 29 Tm
12 __ 84 24 87 47 __ 15 --- 1101 49 4 54 5* 1703 _ 66 - 12 96 34 65 9 92 89 75 35 38
IV IS __ 29 _ 88 _ 51 _ 22 __ 2 52 5 mm 58 4 _ 68 - 14 97 35 69 10 95 ~ 92 78 __
1 19 87 30 90 52 _ 31 40* 5 58 13 _ 64 8 lfm 70 18 2200 30 71 13 98 - 94 81 10* 41 ^~
22 90 __ 32 92 55 32 3* 6 64 14 73 _ 11 _ 76 - 22 1 37 72 18 2802 99 89 3* 43
f 2i M _ 37 93 61 _ 33 8 65 18 _ 76 fe 16 __ 79 23 5 38 78 26 3 1:200* 3003 92 45
2: 91 ^ 42 98 30 J* 66 36 10 68 22 MM 77 __ 17 _ 83 24 9 10* 39 ~ 84 28 6 5* 3 95 47 ~
, j 27 M ^^ 49 600 5* 67 __ 39 12 69 25 _ 80 i____ 22 _ 86 10* 25 10 5* 42 20* 88 29 7 1 96 _ 49 fm
w 39 9;- 10* 53 3 68 41 13 73 ~ 28 _ 89 --- 25 _- 87 5* 26 11 47 o* 90 36 20 7 3200 _ 93
10 97 5* 54 ^m 4 71 42 19 10* 77 31 20* 91 26 __ 90 32 14 48 93 37 25 10 1 58
il .302 56 _ 6 _ 73 13 20 5* 81 37 5* 94 27 mm 91 - 40 17 54 94 39 29 11 3 59
* t 7 ^ 61 __ 8 __ 78 10* 48 21 82 45 95 10* 28 M 92 - 41 18 57 95 46 10* 30 13 5 65 ~-
19 9 ^^ 64 __ 24 as 79 5* 49 22 83 49 99 100* 33 M 95 - 43 21 60 97 47 8* 33 10* Ifi 8 66
H M* 13 _ 68 _ 26 _ 85 Bt 28 89 51 1602 20* 35 10* 98 44 23 61 2500 49 35 5* 24 10 68
:>4 ^^ IS 72 _ 27 _ 87 _ 58 31 91 52 3 3* 36 5* 1906 45 27 63 2 64 41 25 11 79
58 16 ^^ 73 _ 30 mm 88 __ 62 32 10* 94 58 _ 5 39 8 46 28 65 5 71 47 10* 27 14 20* 89 44
62 47 ^ 75 _ 3:1 90 63. 35 10* 9C 60 6 47 9 - 37 30 - 66 6 74 - 54 5* 31 16 5* 91 W
61 19 __ 78 ^_ 34 91 _ 64 38 5* 99 65 20* 8 51 _ 14 61 31 67 9 75 56 33 18 20* 97
7:; ^^ 21 aap 82 _ 36 95 _ 70 39 1304 67 5* 16 _ 56 17 - 62 32 68 10 77 59 41 20 o* 98 <4*
21 24 1 85 33 807 71 40 7
0 escriYSo, Sewriano Jos' >le Moura.
Pern.Typ. de M. F. ie Faria dYtto.8G4.


s
Muri de fro.aihnr> S?*M4i* felra 5 de .I:irt"lro de 1 #!.
LITTERATORA.
Jleirospcdo poli ico do auno de i863.
i
part: exterior.
lluropa.
(Coi.tinuacao.)
No reino da llalla ;. modciacao o a sabedoria do
governo conquistan as sympaliua? do inundo c
ittM a- mais fervorosas lapirnodos da r.acao
.la iaiia com as espi randas do fuluro. (ari.ialdi
darme OU leseaba i ni Crapera; o partido levo-
lucionaro, privado do prestigioso apoic do famoso
gnarrilheiro que conquistara um reino, conspira
inulilmeulc na sombra, mal ouvido pelo povo que
de s^iii excosso se aireceia; os partidistas do rei
desanido e o ul:ramotitanismo resentido eamiaca-
do couilam a defeza de sua causa as quadrilh: s de
iiaadidos.qce amcrc das florestas e moiitanbadas
provincias napolitanas assolara e devastam al leas
e levara a ruina eamorte onde, no imprevisto dos
- seus ataques, estilo certos do nao encontrar os des-
tacamentos dos trepas italianas. Esta situacao, em-
bo i lenlia muilo uielhorado, ainda causa d? se-
rios embaraeos para o governo da Italia, que nao
polo acabar de urna vez com essas guerrilhas, sem-
pre encorajadas pelo incentivo de criminosos espo-
lio; pela facihoade com que escapam ao castigo,
aco!hcudo-se aos dominios da egreja, onde o sol-
dados da Franca lev intam barreira i nsupe a vel
diante da; cohories ds. Italia.
As queixas bem fundadas do gabinete de Turin
e a justa de -iso do das Tulherias mncrram em
parte aqoelle grande mal, pois que ossoldidos
francezos desarmam aijora es bandidos que fugiti-
vo.-, entrara no territorio da egreja e caliom en: seu
poder.
Suscitndose ao inferi das circumstancias, que
adiara a sclueo das gravissimas questes italia-
nas; reconheeendo que Ihe impossirel reunir ao
reino os estados do papi em quanto as aguias ran-
cias velaren em defina dos direitos do santc -pa-
dre, rcceiaudo as consequencas, talvez desastro-
sas, de urna garra com a Austria, para arrancar
de sua* guerras o reino vneto, o governo ital ano
fortifica e sida os la;os da uniao das novas pro-
vincias, dotando-as com melhoramento, materiaes
consideraveis, espa'.liando a instroeco pub ica,
completando o gran* pensamento poltico da Ita-
lia-Una com a uniormidade das nstitulcdes ao
mesmo lempo que, calculando cora as serias even-
tualidades do fuluro, augmenta o seu poder na tor-
ra e no m ir podendo j ostentar um exercito nu-
meroso e oem disciplinado, e urna esquadra qoo j
execede a forca martima de que pode dispur o
imperio austraco.
Tudavia a necessidado de attender aos impon an-
tes trabalbjs materiaes reclamados pelas pro-in-
cias, aos armamentos, ii a lodos os ramos do serv-
oo publico em ura^reino reconlemente organis.do,
asgrava di um modo Birlo o estado fraaiiceiro da |
onarchia italiana; as rendas publicas estao loige
de mostrar se a par das despejas; o cada anno m
dficit considera vd obriga asacar sobre um futuro
incerto a favor do presente embarazoso.
Em Roma a situacao contina sempre a nes-
nu. a guarnirn fraoceza manlm esse statu no
eoolemporasider; o non possumus do santo pai Ir
desuoe todas as combinacoes dos politices que pro-
curara resolver a questao inexoravel da cnidade de
toda a Italia, e o goverro ponliflcio, concodendo re-
formas administrativas que poderiam contentar ao
meaos as ruis moderadas aspiraces, detroe todas
at esperanzas com a insufflciencia da concessao.
O cx-rei das Duas-Sicilias ainda se conserva na
eidade eterna e desmorece o brlho da defeza de
Gaota com as desvastacoes dos bandidos, que om'
seu nomo levam o incendio e a ruina no seio das
provincias napolitanas.
Depois de longos meres das mais crucis incei le-
as, em que gemeu in>;essantc sob a a meara c os
insultos da anarcba, a Grecia, que procura va um
rei eno o achara, e que estremeca quasi sem go-
bern e apenas guardada pelo admiravel patrets-!
no de filhos dedicados, conseguio em fir.i ver sen-
tado no throno da sua monarchia um principe que
encela o seu reinado sob auspicios animadores.
Salisfeito o orgulho breto com a eleicao ent m-
siastica de um dos filhos da rainha Victoria pira
re da Grecia, e declaiada por este a nao aceita .ao
da cora, o que alias era de todos previsto, SBlM*
deram-se as potencias inleressadas a respeito do
SBccessor do re deposto ; pobre throno que :io
despena ambicoes t s no lira de prolongados em-
peaos presiou-se um principe dinamarquez, da
casa de Iuksburgo-Holstein, a aceitar a cora de-
samada, e trocando Ccpcnhague por Alhenas, a
religiao lutherana pela grega, e una grandeza mo-
desta pela raagestade mais tormentosa, hoje Jor-
ge I, rei dos Rellenos, e ainda bem que se eslia
o reinado conquistando as sympalhias dos st us
subditos.
A ultima revolucao di Grecia deu a esta peque-
a monarchia novos territorios que estavam deliai-
xo do protectorado da Inglaterra. Assignou-se em
Londres o protocolo pura a annexacao das II as
Jonias cediJas pela Gria-Bretanha ao reino he.le-
Bico. A potencia doadora livrou-se de um peso c
ganhou a estima do urna nacao; onde calcula
aehar um iwato de apoio era todas as provaveis e
gravissiraas eventualidades que de momento a mo-
mento podem romper no Oriente.
lima crise tremenda est passada para a Grecia;
piaza ao cu que a sabedoria do novo rei, e o ci-
vismo dos Gregos, tragam das mais serenos e Hi-
les aquella trra, cujo passado heroico e brilbaite
excita sempre a admirado do mundo.
Mo Oriente ainda exime o imperio ottomano. O
corpo enfermo nao se regenera; o mal profin-
do, e a desorganisacao patente-, scmell.anca da
arvore amiga e secea, velho tronco que nial vege-
ta, t que a nda se sustero em p, porque oulns e
snais possantes arvores que a cercam receben e
qu?bram o impelo dos furaedes, a Turqua nao vi-
te por si, viva porque a defendem, vivo porqu ea
sna queda ser o annuncio de geral conflagra ;ao
europea
O fanatismo dos ulemts, o odio das racas e das
religioes, a desmoralisaiao espantosa dos adrairis-
tradores, a indisciplina dos hachas, a descentralisa-
co sem s\tema, e s proveniente da flaqueza do
govern, cjjr. accao mal se pode fazer sentir lias
provincias is revoltas repelidas, os inirnigos v si-
Bh)s, conorrem terrivcl e implacavelmente para
a ruina e i dcstraicao Jesso imperio, que lao io-
deroso j foi, e lao abatido so mostra.
Agora raesrno, ternero ao v<3r os grandes arma-
menlos da Rusia, o governo da Turqua eslrene-
ce pela son.; da patria, e annuncia ao gabinete de
S. Falereburgo, que se contuuarem esses extra >r-
dinarios preparativos precursores de guerra, abri-
r as portas do Mar-Negro s esquadras das poli n-
claj occideulaes. E* pois sempre a vida sob acuiis-
tant') ameai;a de morte; exisieneia infloria semj re
dependente do concurso alheio.
No. prim-pados Moldo-Va lachos osystcma pir-
jamentar vae levando o paiz no caminho do pro-
greso e iia prosperidade. Be se reali2arem as
promessas do principe Cousa na abertura da as-
Mmb'a legislativa no anno de 1801, grandes se.ao
os raelrioramentos dos dous principados unidos
pois '"re o abrante do futuro por elle aberto ,tn,
Buicicu a J.da-, liberan, deseiivolviineotoda ios
1 truccao publica, caminhos de ferros, notaveis ins-
j IHuxfit* de crdito, e cuidado> teto |Ha
dos camponeze>.
Mas anda mal que sao amito incertos os desli-
| nos dos principados Moldo-Valachos, envolvidos
como se achara na complicada qusstSo do Oriente.
j onde ludo parece mostrar.-, precario, provisorio ,
, assiistadamente duvidoso.
Na? complicacees europeas a UMo-Valacfaia, i
001 annel da tarrete que se teme despedacar, c
que a cada hora pode ser de sbito despedazada.
Ao norte avulta na Europa a grande Rsala, le-
Dal pela poltica hereditaria de seus czares, pode-
rosa |K'la vastido e Ijtjoeza de seus territorios e
pela sua avultada populaeao, e einiim al hoje in-
vensivel na defeza pelas barreiras formidavels de
seus longos invernos. Laucada as vas do pro-
gresso, pela regeoerafio dos servos e por traba-
lhos civilisadores i.ue devem augmentar a sua ri-
queza e o seu poder, a Russia v desde algum lem-
po a generosa poltica do partido alternan que a le-
vava a fruir as conquistas do seculo XIX cedendo
o pasto as ideas do partido moscovita que se esfor-
ca por manler em sua integridade o anachronico
monumento do passado. O czar que lao nobre-
mente abrir o horisonte das reformas liheraes,
tanto quanto ellas podiara ser j admissiveis no seu
inpcrio, susp,-nde-se por um momento na marcha
gloriosa que levava. para, ora lamentavel contra-
dicao com estas bellas ideas, alTogar em sangue c
em ruinas a Polonia, que ainda urna vez se ergueu
i animosa ao grito da liberdade.
Disposto a provocar o partido exaltado da Polo-
nia ]iara de todo esmaga-Io, o governo de S. Pe-
tersburgo abri e tratou de relsar um rerrutamen-
to, immensa rede que doria levar o desespero ao
seio da na$ao escrava; os abusos o as insolencias
i das autoridades excitavam conflictos; a religiao do
povo opprimido foi insultada na santidade dos seus
' templos; e, em urna palavra, a provocacao produ-
zio seus resultados, mas multo alm do que calcu-
, lavara os provocadores.
Os Polacos Ievantarara-se nao em um exercito
: mas em multiplicados Landos mais ou menos nu-
j nierosos de guerreiros beres, que dspotam o ter-
reno aos batalli5es disciplinados da Russia, e que
vencidos ou vencedores, avanram ou se retirara,
desapparecem para outra vez apparecer de sbito,'
asylando-se as florestas, lendo um cmplice em
cada um Polaco, socorro em cada palacio e em ca-
da cabaua, e voluntarios eru toda a parte.
Em Yarsova, um directorio mysterioso que exis-
te, e ninguem sabe como, que ordena nao se sabe
porque.meios, e obedecido semhesitacao,qoe
falla e ae faz ouvir no meio das autoridades da
Russia, dirige a insurreicac-, decreta e faz cobrar
impoilos, julga, condemna o faz executar suas sen-
tcncas e consegue fazer perdurar urna existencia
tenebrosa, formdavel, que s se explica pela dedi-
cacac geral dos Polacos causa da regeoeracao de
sua nobre e infeliz patria. Na Polonia nio se cons-
pira mais; todos concorrem para o que ali se cha-
ma &organsa<;ao social-mcsmo sem coohecer
os chote organisadores. Ao general de Rerg, pou-
co antes chegado a Varsovia, perguntou um da o
gro-duque Constantino: Teodos descobertoalgu-
raa cousa, general?Fiz uniadescolwrtaimportan-
te, respondeu de Berg : e que, fra vossa alteza
mperal e eu, todos aqui fazem parte do directorio
da insurreicao.
A resposta do general pinta perfeitamente o esta-
do da Polonia.
Mas ainda com todo o seu herosmo, rom toda
essa constancia.que em nenhum povo e em nenhu-
ma edade se viram superiores, que poderam coose-
mada do mesmo espirito. Alguus prncipes alle-
maes, c a cmara dos deputados da Prussia reco-
nheceni o duque de Augusteraburgo como legitimo
Anda no centro da Europa, nao esquecida mas
pacifica, as retes passageiramente alterarla por
suas questocs polticas, e sempre ocupada com
herdeirodo throno ducal do Sehleswig-Holstein e sm J nn mf S CeD,e e dad vosa- 'leM-'".sa
Ha i .,ami ,.r,> a ,n. a i i a no rae' (le s,las mootanhas admiraveis e a
do Lauemburgo, e apenas a Austria cora calculada [ niargem de seus lindos e pittorescos lagos.
reserva declara separar a questao dynastlca da Na Graa-Bretanha perdnram o luto e a dr da
qoestao oeostitucional na Dinamarca. Sj'i Vi,,Ta e )oJl'1' do velno estadist lonl
A situacao pois critica c comeca a moslrar-sc *' "'^,on' loe aos mienta annos de edade parece
violenta. | re1moear no ardor das lulas polilicas com os seus
"adversarios, c as afadigosas lides diplomtica-
coin t m| [j u oacoesdo inund.'
Fiis ios pceceitOf de um patritico egosmO, o
pata const.tuii-se potencia martima, o que e na governo inglez cruza os bracos, ou apenas faz ou-
turalmente o seu mais bello sonho e decidido im- \'j floeixas poticas, onde nao se acha compromet-
pulso. A Dinamarca v na perda dos ducados o !."'''',""' .u,eri'*M da Inglaterra. Violento na-
annuncio infallive. do mais completo abatiraento. aKS
Diz-se que em
A Allemanha aspira posse do Holstelo c do
Schleswig, com os quacs lera portos e elementos
leria resolvan que
guerra Dinamarca
recente data a dieta de Francfort S2? Iin,2e a<-,onipanha-la at compromette-la na-
,ue immed,a,amen,e so fizesse a ^^ZZl^^Z^^'^
Pretndese que a Franca pos com as naedes que opprme, ou que com elle
la Allemanha, e
suas syrapatha.-
pnnei
..om elL
se inclina para o lado da Allemanha, e que a In- Vm. lj entenderse, e prudente e sabio, e sempre
glaterra apoia com as suas sympatoiaa a Dina- '' "I0 m.ais. 'puvavel patriotismo, quando se oc-
marca. i S"oV .erlio rafa B da gCn!nCa POl"a dS
Nao mpossivcl que ainda se manlenha a paz a A guerra fratricida dos Estados-Fnidos dr
cusa de coocessSes prudentemente felas pela Con- rica do Vorte tem imposto industria ioglea do-
fedoraeo Germnica epela Dinamarca: se porm j?.1?^ 50?rimeil,os ; nas nem o brado pungente
rouiperein as hostilidades, difficil
. ^ porem nmiemos ; mas nem o brado ptin-.,,,,
ser cont-las ?*Ta.-0S .S-era 'rabal.h. e PrIanto sem pao,
seu proceder ser orna concessao feita ao part
coro o concurso de alapcas eslranhas e diver- "'Svnm-,u!nn?inVnm -> ai: ci ,
, ^j "'I1- misando com a idea substancial que sus-
UM1 .. ,,c,ua Soverno da grande confederacao america-
A Hollanda goza em sua vida modesta os fruc- na contra os estados do sul, o gabinete inglez al-
tos de um governo moderado e ntelligente : j pa- tendeu tanto s rcclamaees lo dpiomata do gabi-
gou o tributo devido civlisacao, ao direlo e ao ne,e de Washington, to elfeclivamente impedu
nos portos da Inglaterra o armamento de corsarios
o seu povo fez para s mesmo, con- "Sf,a .""f,1,com, P*2 ,Je S- James.
i>ao se supponha, porem, que o gabinete inglez
abandona a induslruia do seu paiz ao lempo e s
eventual dades da guerra civil americana : em
nrisumsmo, ano.indo a eseravidao em suas co- dos estados do sul, que os enriados pde te
lomas, e continua a ofanar-se do florescunento da; Davis, perdida a esperanca do apoio inglez, reli-
sua industria, e dos productos de um slo que em ra^ej,a1ra Eranca desgostosos, o claramente
grande parte
quistando-o ao imperio das aguas.
A Blgica offerece ao mundo urna saba escola i c,
do governo constitucional representativo: o syste-^ra^
ma nao se sopnisma, a constituicao urna realida- cultura to algodo, e era breve ter freguezes que
de, os poderes pblicos conservam-se em seus ii-,'06 nao de sopprr os mercados empobrecidos ou
mte>, e a liberdade poltica gozada pelo povo des,ruir )s estados do sul da confederacao ame-
que se considera feliz, e confia no seu rei, as suas "H0 meio degfa$ difflculdades assa||aram ,
!5an1,eJS.^ rT"?- a .m !ndUi,ra,ingleza' M mei0 dtssa dversidade de
Na luta sempre constante dos seus partidos poli- tantos mi operarios, a quera perseguo a forae pela
ticos, o catholico e o liberal, alcancou este nova fa,ta.de tabalho, impossivel nao pagar tributo de
e importante victoria as ultimas elecoes coramu- lh^I"a* 55* poV0,' -de ,an,?s ?tmem e ne"
*,,, ... nnum se revota, onde tao grande o nadeeprp
naes, e o min.sleno, que representa a mea liberal, la0 proflindo 0 respeit0 dr*^0e 0 ^t
mosira-se franco c enrgico, prometiendo effectuar ordem.
algumas medidas e reformas, com que desde dous E por mais que tenha sido por muirs vetea re-
annos lera ocupado as discussoes da imprensa e; Sf" ,*?" ma,s 1uc seJa ^,l1riaI na Inglaterra,
i,, Mm.r que a ninguem possa mais causar sorpreza, lem-
usianidias .____ raremo cem prazer a licao que arnda este anno
O venerando re da Blgica, o magno c prudente, fo, dada do respailo devido a um dos preceilos in-
consolheiro dos soberanos da Europa, o arbitro dispensaveis do systema representativo, licao ex-
respeitavel e justo de lanas e tiie graves qaestes cellenle, que nao deve ser perdida para Brasil,
que teem perturbado a harmona de gorernos e de
na^oes, sempre o objeclo do mais bem merecido
amor do seu povo, c do respeito e da coosideracao
do mundo.
Na Prussia perpetua-se a desntelligenea entre
o minisierio c as cmaras, ou antes, o qoe mais
grave e altamente lameotavel, o conflicto poltico
entre a cmara dos representantes e o rei. Sbe-
se qual foi a origem desta tremenda discordancia.
O poder executvo, apoiaodo-se na rontade perti-
naz do rei, nao prescinde de suas ideas exclusivas
sobre a orgamsacao militar, e lenta desconhecer o
direito constitucional que assiste cmara de iu-
lervir india por meio do seu voto e das suas dispo-
siedes no orcamento das despezas do estado. Urna
lerccira dissotu^o do parlamento prussiano nao
pode resolver a questao a favor do ministerio de
Bismark. Muito erabora o governo descesse ao
emprego de todos os meios de intervenco na
eleicoes; muito embora, improvisando-se legisla-
dor, introduzisse na Prussia o actual e opprcssivo
systema francez de advertencias aosorgaos da im-
gur os Polacos, cercados di todas as parles pelas | prensa peridica, a nacao raandou nova cmara
bayorietas da Russia, cujas cohortes de muitas de- \ uma depulacao anda mais pronunciada contra o
senas de mil guerreiros transforman! o paiz escra-
vo em um vasto campo de wpulchros ?
A Russia est realisaodo os seus planos ; em-
quanlo os seos exercitos perseguem os bandos 4a
iosorrei(ao, fazendo nelles horrivei mataoca, as
cidades c n as aldeas terriveis e implacaveis
executores do governo de S. Petersburgo des-
povam a misera Polonia, levando seus filhos ae
cadafalso, ou espingardeando sempiedade, e trans-
portando [iopulae5es inteiras para a Sibera, e na
morte e nos tormentos nao fazendo excepcao nem
de sexo nem de edade, confundindo com os ho-
mens robustos que podem empunhar armas a mu-
gabinete obstinado : a nacao consultada snior*
ciou contra a teima do re e a favor do direilo
constitucional do parlamento.
Apeaos forano abertas as cmaras, Bismark sul*
metteu ao juizo deltas os seus decretos sobre a im-
prensa, e e intil dizer com que espirito os rece-
beu o ramo temporario do poder legislativo prus-
siano.
Mas este tributo pago s prerogatvas constitu-
cionaes do parlamento nao faz per certo serenar a>
desntelligenea que separa o ministerio e o rei dos
representantes do povet U- conflicto contina, e
suas primeiras consequeocias comecaram a sentir^
se na diminuicao evidente da influencia da Prus-
sia .-obre- o espirito da Allemanha liberal, e mais
ainda se sentir em treles- e dolorosas eventuali-
Iher que ou resa ou chora, o velho que j mal se j dades, seo capricho ou a pertinacia nao forera sa-
sustera e o menino que apenas sabe brincar. biamenle sacrificados aos grandes interesses na-
Cionaes e verdade do sysmma> representativo.
E este immenso drama de sangue e devastacio | K quem dessaluta ingleria- vae colhendo prove-
dura a alguns Dates, e proraelte durar ainda em !f * imperador oppo*,.
r tunamente urainado, esquecendo e prescrevend:
face da Europa civilisada, que se commeve, se es- a oppressiva e desastrosa poltica dos amigos esta-
panta. se horrorisa, mas nao ousa erguer-se em de-' ** +$nXZ!SZ Z$ZSZ
feza das vctimas. no seu imperio, ameacado de prxima ruina, o
... 'systema representativo eonsliluconal, e embora
Seja-nos permittido, para ponpar desnecessartos no fizesse todas as concessoes desejaveis, realisou
repet roes, fallar un pouco mais tarde dos esfoi- ja bastante para fortalecer a Austria com as ('pe-
eos tentados por tres grandes potencias em favor da ^S e. a* *)n'ljalnias do P?vo aI'em5o.
p ._ No sm do imperio, a raoderacao e a sabedoria
do governo tem conseguido conter as explosdes
Ao lado da Russia, a Suecia c a Noruega tratara i ameacadoras da Ilungria,di6sipar opposicoes reni-
tentes de provincias nao- alleraas, manter a ran-
quilidade na parte da Polonia que lhe coube era
artilha, c ver a Venecia desejar romper seus gri-
hoes sem revollar-se, minorada a oppresso cora
que a suObcavam.
E no meio da Allemanha o imperador da Aus-
tria hoje o centro para onde convergen! as asp-
racSes que o gabinete prussiano de Bismark afas-
tuu da Prussia.
..proveitandu as circumstancias com una habi-
lidade que lhe faz honra, o imperador da Austria
. convocou para Francfoh os principes e e!e:lores da
Dinamarca, e. prevendo as eventual.dades de una AllemaIlb*; afim dl. tnl!iJm da reforma6 neccs.
guerra era que esta se ver a bracos com o poder sarias confederacao. Todos os soneranos e gran-
da Allemanha, disposta- se mostrara a acudir-lhe des convocados acudiram ao patritico conviic :
so taltou a augusta asserablea o re da Prussia,
com o seu soccorro. apezar de quantos empeuhos que se empregarara
Na Dinamarca a moite do rei Frederico VII, que
nao deixa herdeiro directo, vem agora complicar
ainda mais a cansada e tei no-a questao dos dura-
dos, ond na ordem da successao collateral se ob-
serva e rege a lei slica, que nao est admituda no
reino.
com paciente moderarlo de ir pouco e pouco aper-
ieicoando o seu systema de governo representativo,
procurando cercar as prerogatvas das classes mais
privilegiadas.
No entanto, cada vez mais se desenvolve a leo.
denci.i por urna cstreita uniao dos povos escandi-
navos.
A Suecia e a Noruega esendem mios amigas
para venceMhe a resistencia.
Quic contava o imperador da Austsiacora a au-
sencia calculada do seu rival e sera- duvda ga-
nhou com ella ; porque negando-se a Prussia to
nobre c geral convite, ainda mais se afastou das
aspiraces da Allemanha.
O congresso do Francfort foi urna bella festa
poltica. O aecrdo que chegaram os principes e
Na previso daquella eventualidade.eaevendo a eleitores reunidos em raagestosa assembla, nao
cora dinamarqueza, na falta de Erarte ^Rj.S^t^'CTfe
passar a pnnceza Chnstiana, descendente de Fre- (eaS do panido liberal, e sobretodo fallando-llie o
derico II, cabendoos ducacos ao duque de Holstein- assentroenlo da Prussia, nao ebegar cortamente a
Augusteraburgo, assignara-se em Londres a 8 de PasAsar deum simples desidertum.
.o-a .i i i ii A ninguem 6 dado o dia-ito de perserular in-
maio de 18o2 un protocolo, pelo qual aquelle re tencoes alheias; mas licito suppor que o proprio
boje finado, e a Inglaterra a Franca, a Austria, a imperador da Austria, qaem coube de direto a
Prussia e a Russia, rcgularam a successao no em- presidencia do congresso,jiouco ou nada acredita-
. ..... ^ .__. va na efflcacia do accordo e das disposiees que
penho do manter aintegndade da Dinamarca, e se iam ,oniar ; mas evidente que o congresso,
com annuenca do todos o> principes interessados. f0See embora estril para a Allemanha, foi frtil
e do proprio duque de Augustemburgo, declara- de provetosos resultados para elle.
ram herdeiro pmatnptivo do throno o principe De Francfort o imperador da Austria talln ao
mesmo tempo
presumpvo
Christiano deGluscksburgo.
Agora, porm, que se doria realisar tal suecos
sao, tendo sido acclarnado na Dinamarca o novo rei
Christiano IX, apparece
Fallamos do alto dever da publicidade as quos-
les mais importantes, anda mesmo de poltica ex-
terna.
Eucerrido o parlamento inglez, o nao podendo
portante os ministros explicar-se na trbona.viram
todos, quando as qaestes da intervenco na Polo-
nia preoecupavam geralmente os espirites, como
lord John Russcll e lord Palmerston, aproveitando
o eosejode banquetes solemnes, aquelle na Escos-
sia e este em Londres, manifestaran! em discursos
pblicos >pensamento do governo inglez relativa-
mente a iisses gravissimos negocios.
E" assira que se eotendo e que se rcalisa eom
verdade e conscencia o systema repreentalivoi a
governo em que a nacugverna pelos seus meo-
datarios.
A licito certamente anlig, mas ainda nao-w
guida por todos.
Emfim a Franca, o imperio do herdeirodo nome
do genio ia vootade absohila o forte do primeira,
Napoleao, paga a compensacties do seu grande po-
der e inmensa influencia, e da situacao sempre
delicada e implacavel daipueile que reergueu paca
si o throno imperial do porten;oso guerreiro do so-
colo XIX.
Olhado com ciume peta Inglaterra, com receio
pela Alleroanha, com descoafinnea pelo Papa, sem
confianca pela Italia, observado com inimizade por
importantes partidos no seio francez, desamado pelo clero catholico, aborrecido'
pelos republicanos, bostilisados palos partidos dy-
nastcos, l.uiz Napoleao tem con ludo sabido fir-
mar o seu poder com o apoio seguro do exercito,
com o prr sligo do seu iiome, eom o encanto da
gloria militar, e ainda com o quadro brilhante de
admirave s trabadlos realieados-eire proveito da in-
dustria e do commercio, e com o empenho o mais
bem sucedido de oceupar os operarios, que nao
se moverr, ao grito ou a$ tramas- da revolucao,
menos pe o reeeo d um-doro-e certo castigo, do
que pela adiga de um honesto labor que Ibes d o
pao, cuja falla muitas venes Ibes ensinra o cami-
nho da rcvolta.
Seguro da prodigiosa forra material de que dis-
p5e, e certo dos recursos do seu genio, Luiz Napo-
leao conserva ainda a Franca gemente e desgosto-
sa sob o poder da sua vootade. que de facto ab-
soluta, apezar das apparencias do sjsiema repre-
sentativo creado pela constitu cao deque elle foi o
legislador.
llouve um momento, houve das em 1863 em
que gravissimos embaraces tinanceiros tornram
indispensaveis urna reforma d. camoter verdadei-
ramente liberal, que por isso mesmo sorriu aos
Francezes como o principio de mais-notaveis con-
cessoes ao systema parlamentar -. mas o imperador
desfez essis suaves esperancas, maniendo em sua
integridad as inslituicles que impoz Franca e
que lhe asseguram um poder quasi Ilimitado no
governo do paiz.
Assim, ilebaldeclama a imprensa peridica pelas
suas anti:as garantas e liberdade-.); a imprensa
peridica contina sempre ameacada pelas crois
advertencias do governo, e pelo direilo que tem
este de sopprimir os jornaes politice*.que lhe des-
agradara.
E nao preciso ir alero ; porque basta a coac-
cao da imprensa |poBtiea para assignalar a ausen-
cia das idias liberaesno governo.
Entretanto o indoraavel espirito do poro francez
j se vae pronunciando mais fortemente em oppo-
sicao ao systema arbitrario e oppressor do gover-
no de Luiz Napoleao. No anno que hontem che-
gou ao seu termo, elTectuara n-se na Franca as
elecoes dos membras da nova cmara temporaria,
e a despeito da immensa rede ofllcial que prende
em suas malhas forimssimas toda a nacao, a des-
peno da rigorosa intervenco das autoridades no
pleito- eleiloral. intervenco aulorisada e recom-
roendada pela le, e excitada pelo governo, a des-
peito de abusos multiplicados, de corrupeo e de
arbitrio, os partidos em opposiea eonseguiram le-
var ao pa lamento cerca de ciacoenta deputados,
i.-to dez vezes mais do que ellos tinham na ulti-
ma cmara, t o que de maior importancia aiada,
nesses cincoenta deputados contam-se amigos par-
lamentares de primeira plaina, nomos considera-
dos e conhucidos na Europa o no-, mundo.
E quando se ufanavam dest j verdadeiro trium-
pho os partidos era opposico, recebia o imperador
um novo o sensivel golpe na perda inesperada do
mais eloqiienle de seus estadistas, na morte pre-
matura do ministro Billaut, o adestrado sustenta-
dor dos actos e da poltica de seu governo as c-
maras.
A opposico relativamente numerosa que vae en-
contrar na cmara dos deputados o governo do im-
perador competente para diminuir-llie a forca e
abater-lhc a accao ; mas corle que sagacidade
do chefe do estado nao escapcu de certo a impor-
tancia des.-a tnanifestaeo dossentimentos do povo
francez. Na batanea de sua Ilustrada conscencia,
Luiz Napoleao comprenender, ou j tem compre-
hendido, o que e quanto exprimem aquelles cin-
COenta deputados
lemao.
l-'allou a
Confederac
duvda respeitavel : fallou-lhe com a perspectiva
o hlhodo duque de Au- de nma confederacao mais centralisada e portanto
eleitos, apezar de todo o esforco
a Franca, Prussia e ao povo al- da phalange offieul.
Emliora simule tranquillidado o seguranca, o i ni
Franca rom a sua infiuoncia sobre a pelador dos Francezes nao eessa de lnlarcom dif-
co Germnica que lhe d um poder sem iiaildadcs serias no interior do paiz ; mas tam-
bera nao menos ou ainda mais no exterior enor-
mes sao os embarazos, e extraordinarios os traba-
gustemburgo reclamandoo throno ducal doSchles- imais capaz do lhe oppor solida barreira ambicao lhos que deve vencer, elle, o Hercules da moderna
wig Holstein, a que se iulra com direilo. I de conquistas, ou vangloria de brilhantes victo- polilica cuiopea.
I rias no campo da guerra. Poltico arofundo e sagaeissrrao, Luii Napoleao
Em outras quaesquer circumstancias pouca im- l'allou Prussia destruindo-lhe o condo das conserva e a anxiedadee sobresalto todos os gab-
nnrincia teriim i- rei'hnv.er,es deste nretendente:' sympalhias da joven Allemanha. ou arrancando-lbe neles da Europa, que jamis podem arrancar e
portancia imam a- ralamacoes diste prttenatnie, ^ ^^ mm ^^ e ,0|nando.0 para sj conhecer o> Mimaos de suas inler.cVs roaos : o
mas no momento era que a Allemanha resolveu j Fallou emfim Allemanha, tomando a iniciativa motivo o o flm dos seus actos poneos oa cneeam a
fazer executar suas exigeaciaa na questao consti-! do nma reforma que em toda a confederacao re- adevinhar, ainda mesmo quando a acciio j tem
tucional da Dinamarca relativamente aos ducados, I clamada, embora soja notavel o desaccordo a res- comecado ; hornera dos longos e pacientes calcu-
a questao torna-se transcendente, e interessa a Eu- |*to W Era Francfort houve, pois, una festa poltica Assim, quem pode determinar os verdadeiros
que se deu e nome pomposo de congresso ; ludo designios de Luiz Napoleao na .oustancia daguar-
pdc ser estril nessi brilhante solenmidade, me- nico de Roma e do apoio que presta cora as tro-
publicos negaram-se a jurar fidehdado aLnristia- I10: 0 oieresse do imperio da Austria e do seu pa- firancezas ao Santo Padre? ser a propriaeon-
no ix. e umajpar'i. io Sclileswig mosiroa-se aoi--!uTiporador Francisco i iviceSodaJosticada causa do Papa qne dirige o
ropa i iteira.
No Holstein, que todo allemao, os empregados
contrariar os interesses da Franca?
A intervenco armada no Mxico egualmente
um problema que ainda nao esta resolvdo: co
mocando a iuleivir naquella repblica de accordo
e parceria eom a Inglaterra e aJHespanha, de sobi
lo a Franca achou-se so e desamparada pelas duas
potencias eompanheiras.
Julgou enlo Luiz Napoleao que a honra da
Franca j se aeliava lio cooopromettida, que nao
mais po-sivel recuar ? ou sorru-se desde-
nhoso o talvez contente, vendo que a Inglaterra
suppunha deixar a Franca em serio conipromett-
mento, e sem o pensar servia a seus planos oc-
eultos
A guerra do Mxico incontestavelmente impo-
pular na Franca, a quem custa ipesadissmos tri-
butos de ouro e de saugue ; como, pois, o astuto
imperador teima em proseguir nella sem attender
a reprovaco nacional ? Sera que o Mxico esl
preparado para ser um poni de apoio em qual-
quer possivel ou provavel evenluahdado de urna
muito mais sera intervenco na guerra pasmosa
da confederacao da America do Norte ?
Para vingar a honra da Franca bastavam j as
victorias alcanzadas sobre aquello povo, que se
mostrou ao menos nobre e heroico na defeza da
independencia da patria ; porque ento contnha a
guerra ? porquo se euipcnha Luiz Napoleao em
erguer um throqp para o prncipe Maximiliano da
Austria ? prender-se-ha este augusto presente de
urna nacao americana a alguma combinaco poli-
tica relativa Italia ?
Tudo ainda obscuro a semelhanto rospeito ;
as sympalhias deLuiz Napoleao pelos estados do sul
da Confederacao da America do Norte pareeem ter
arrelecido un pouco ; as dsposco s do imperador
Francisco Jos a respeito da elevaco do priocpe
Maximiliano ao throno do Mxico nao sao decida-
mente favoraveis a esses projectos de Luiz Napo-
leao ; a propria resposta do principe aos enviados
mexicanos que lhe levaram a oflerta do throno em
nome de um povo que alias protesta com as armas
na mao contra a monarchia imposta pelo estran-
geiro, foi concebida em termos taes que realmente
creou novas difflculdades para a soluco do proble-
ma ; o por ultimo la est o Mxico anda nao ven-
cido, ainda nao conquistado, l est o Mxico com
os seus valentes de espada em punho, arvorando o
estandarte da liberdade, em toda a parte ondt nao
se encontrara as aguerridas hosles francezasi l esta
finalmente a vootade de urna nacao proclamando
que ser ephemero o reinado nao aceito, e antes
repellido por ella.
Mas Luiz Napoleao insiste, e a sua ultima pala-
vra nao foi pronunciada ; o quequer dizer a inter-
venco no Mxico nao so sabe ainda.
Passamos ora revista todas as nacOes da Europa,
e fazendo-o rpidamente muito de proposito ape-
nas demo- dea das ponderosas quesloes polticas
que agilam e trazem em auxiedade a Europa intei-
ra. Cumpria nao fatigar a atteneao do leitor com
repolicoes escusadas; porquanto cada urna dessas
questdes cabe especialmente a urna ou outra poten-
cia ; mas tod is as rioteneias se acham interessadas
forzosamente em qualquer dolas.
Na parlilba feita pelos vencedores de 1813 a
Franca vencida llcou aperlada em seus antigos li-
mites, a Inglaterra sabiamente se absteve de tomar
para si a presa ingloi ia de alguma nacionalidade
condemnada, e a Russia, a Austria, e a Prussia re-
partiram em seu proveito naedes- do mundo euro-
pu, retalbando-as vontade,como vencedoras que
erara ; a Confederacao Germnica foi organisada
conforme os principios que entao-parecern! mais
proprios para contsnlar os ciumos- das duas gran-
des potencias allemes, o nstituio-se assim um di-
reito internacional europu que se- wppz perdura-
dor e seguro contando-se demasiadamente com a
(orea material de caita' um dos grandes estados que
mais ganharam na colossal parlllha.
E o resultado de semelhante obra poltica foi que
a Inglaterra, livre dessas conquistas enerosas, en-
grandeceo-se sem ellas]; quea Franca; que se preten-
der enfraquecer.poucopoucorehouve-seo antigo e
prodigioso vigor, gracas aos governos liberaos que
a il I n>ira ram e homogeneidad.' das partes que a
compem, e que as potencias- absorvedoras de na-
cionahdades que opprmem, tem na propria orga-
nisacao o elemento de lulas, .contestacoes-e guerras
que desbaratan! suas (naneas e esgotam suas
tercas.
O tempo e a civlisacao alluiram os fundamentos
da obra de 1815 : a Europa sent que 18tt'impos-
sivel em um muito prximo futuro : as nacionali-
dades erguem-se e proteslam- contra os jugos que
as oppriutem, os brados dos escravos acham echo
em toda parte, e, um cataclima poltico arceaea des-
de algara tempo o mundo europu.
Desde alguns annos dizia-sea questao que ha do
aoender a guerra geral na Europa est o Orien-
te a qneslo do imperio ottomano.
Algum lempo depois disse-se a questao mais
gravo da Eurapa est no sul a.questao da Italia.
Agora lodos brandam a urna voza questao que
arneaca a Europa com um guerra geral est no
eeiitro a questao da Polonia.
Cada mna dessas proposicees assignala urna ver-
dado, que nao est exclusivamente em urna s del-
tas-, pois-qne em todas existo.
Oque pode de um momento para outro aoender a
guerra, geral na Europa nao os a questao do Ori-
ente, nem so a da Italia, Jnem s a da Polonia,
(oda essa serie de quesloes e anda de outras, ,
em. urna palavra, a organisavo) actual da Europa,
que pelos seus vicios, pelas suas'oppresscess pela
sua contrndkcao cora as ideas do progrosso e da
civlisacao, deve ser profundamente modificada.
E a prora desta verdade que os proprios con-
flictos pareiaes, que alfectam potencias do segunda
ou torceira ordem, elevam-se ao grao de conflictos
europus, e um tiro nao pode ser dado em parte
alguma que nao lhe respondam chos sinislros em
toda a vastido da Europa.
A ultima guerra da Turqua o a queda de Sebas-
topol, abatendo o orgulho da Rossia, nao resolve-
rn! apenas adiarara a questao de Oriente.
A guerra da Italia, a libertacao do res lombar-
ainda mais, a Prussia nao smente se sepnrou
assim da poltica generosa e infelizmente estril da
Franca, Inglaterra e Anstria, como pelo contrario
serviu causa da Russia contra a in-urreico po-
laca, permiltndo que as tropas daquella potencia
atraves.-a-sem ten torios seus para n mais depres-
sa o inelhor atacar e perseguir os filhos de una
nacao heroica e mil vezes desdilosa f
Nem se comprchende bem que as daas grande-
potencias allema? quizessem de boa rontade con-
tribuir para a regeneragao poltica da Polonia Ru--
sa; porquanto, fra de duvda que ctriumplic
da causa dosta excitara as provincias polaca?.
que tanibem a ellas couberam em tristssiraa par-
tillia, bem naturaos e nobres aspirarles de recon-
quistar foros que tlvesse aquella conseguido re-
lia ver.
Para se admittr semelhanle acto de justica, pre-
ciso fra que a Austria e a Prussia se pdessem
offorecer compensacSes que inevtavelmente
liaviam de ir buscar a outros estados, que por
sua vez teriam de protestar com a roz e com as ar-
mas.
Foi assim que acabou improlkroamente o com
algum dezar para as tres grandes potencias, a in-
tervenco diplomtica nos negocios da Polonia.
Mi- a Franca tinha sido a protectora de^sa in-
tervenco, fra ella a que manifestara mais alta
mente suas sympalhias pela causa da Pbkonia, e
portante coube-lhe a mxima parte do rexaine por
que passaram as tres potencias interventoras.
Esla consideracao filia com que os olhos enro-
sos da Europa so concentrasseni em Luiz Nape
loo ; esperava-se ouvir de sua bocea, que folla em
nome da Franca, a palavra solemne que expHcasse
a sua poltica em relacao Polonia.
A alguns parecer que o congresco de Frawtort
hara determinado' Luiz Napoleao a aproximar-se
da Russia, para responder assim attlude qne as
sunia na Allemanha o imperador da Austria ; ou-
ircs julgavam ainda possivel a guerra dirigida pela-
Franca com allian?a da Italia em favor da Polonia,
embora para esse atrevidissimo arrojo fosse nevi-
tavel um conelo com a Allemanha.
I'oi nesus cireumslancas qoe chegou o da da
ah Tlura das cmaras francezas, diante das quaes
tinba do se desprender a voz do imperador.
Tao ancosa como a Franga a Europa inteira es-
perava com ouvido atiento o discurso desse hornera
eminente, cojas patarras sao acoBiecimentos-
Mil clculos, mil prevses se riuham forjado, e
entre Unios adivinhadores dos arraooe polticos
nao houve um que acertasse.
Loiz Napoleao sorprendeu a Europa com una
proposta que ella eslava longe de esperar ; depois
de Ir.iear em breve, mas rivo quadro as- pondero
sas difflculdades, os perigos reaes, e a situar do-
lorosa da sociodade europea, depois de mostrar
eom a loz da verdade as ruinas da orgaaisaco po-
ltica de 1813, o imperador appelloo em> nome da
pa/. para todos os soberanos, convidando-os para
un congresso europou, em que, com accordo e oV-
dkac/to de todas as potencias, se resol vessem os
graves preUemas que ao mesmo tempo profunda-
mente as interessara e as ameacam, e fazendo se-
guir idea o principio de exeruco, dirig4u' aos
ehefes dos estados um solemne convite para essa
assembla augusta.
!>>m rarao a mu tos se augura, irrealsavel1 uto-
pa esse pensamento de um congresso europeo ;
com fundamento se tem reflectidft- qne al hoje-os
congressos doadores do paz e de tratados perdura-
dores- foram sempre conseqnencas de guerras por-
fiad*, ou meios de as terminar, depois de esgota-
tados os recursos ou de cansada a> constancia dos
helligvrantes.
De facto -poseo acreditarel qoe seriamente
correspondam ao convite do imperador dos Fran-
cezes as grandes potencias, que nesse projectado
congresso teriam de fazer concessoes- qoe repug-
nara to suas ambifoes, aos sens caprichos ou sua-
grandezai
Diz-se que a Italia c a Turqua promptas j se
mostraran! a adherir ao generoso pensamento da
Franca ; mas a Inglaterra, a quem nao affectam
se nao indirectamente os perigos e os tormentos
do con finen le, manifestou a sua desarenca a res-
peito do* resoltados do congresso, o exig u que
previamente se acordasse em om programroa das
quesloes qne derero ser discutidos e decidi-
das, e aeabou recusando formalmente aceitar o
convite.
A Russia, que teme- pela Polonia, a Austria, que
teme peta Vneci, o papa, que teme pelo seu po-
der temporal; a Prossia, que desconf sempre da
Franca, provavclmente procuraro contrariar, sal-
vos os deveres de-cortea, a idea de Lu Napoleao.
Que importa sso ? realise-se ou nao o congre-
so europu; o astuto- e habilissimo imperador dos
Francezes j por ventura altingu o sen hu. Fal-
lando com orgulho o altivez em nome da Franca,
declarou destruida pelos fados consnmmados, e
anaehronioa pelas novas aspirafes pelos novos
interesses da Europa,.a obra monumental, mas an-
tipathica de 1815"; em nome da Franca condem-
nou essa organsacSc-humilhadora da-Franca, e, o
que talvez. mais- importa, |iatenleou ao mundo os
seus estreos pela, manutenro da paz, e agora,
quando lhe apfouver arrancar a espada, ter nma
escusa nasurdez ou m vontade com qne as gran-
des poteneias despreaaram os seus eonselhos para
provenir a.guerra.
O anno de 1863 aeabou, ouvindo esse brado que
foi levantado por amor da paz pelo imperador dos
Francezes, e que ir dar comeco a urna nova serie
de acoateetmenios cuja natureza, marcha e conse-
quencias a ninguem dado prever.
Entretanto, no centro da Europa a insurreicac-
polaca contina sustentada pelo patriotismo de
urna naoaO ainda forte nos transes da agona : na
oriente, o imperio-oitmano estremece as incerte-
tezas de um futunu qne s Iho annuncia desmn
telamenio e descrganisac.ao completa ; no sul, c
reino da Italia ss- arma na previso de prximas
do, a unan dos ducados e do reino das Duas Ski- cairipanhas, e no.ardor de levar ao cabo s plano-
has resolveramjomente em parte, anda, denaram da mi8ritJo dcVeneza e de Roa : no occidente
emfim a questao-dos ducados da^chleswig e Hols-
tein; embora apparentemento menos complexa e
ma- parcial, comeca a presagiarcompromettimen-
tos da Franca o da Inglaterra.
A poltica dos paliativos e adiaamentos drplo-
miticos tem de necessdade um termo, e, chegado
elle, o conflicto certo, e tanto mais terrivel quan-
to mais se accumularam os soffrimentos easdes
intelligenrias, e engrandecen o mal.
Cora sinistras cores se desenlia portanto o hori-
sonte da Europa ; mas felizmente naosedissipa-
r;'m anda, todas as esperincas de se conseguir, sem-
a terrivel appellaciio para guerra, a lodispensa-
vel revisan da geographia poltica da parte mais.
civilisada do velho muodo. Nesse intuito Laia
Napoleao mostrou o.caminho que deve ser se-
guido.
adiada a questao da Italia.
Agora surge terrivel, per sua vez, a fuestao da
Polonia
Eslromeceudo aos gritos dolorosos dos Polacos
-que so debatcm nos mais horriveis tormentos, re-
voltando-se contra a oppnossao da Russia que des-
pedaza os proprios tratados de 181o no seu empe-
nho de auiquillar a nacionalidade polaca, tres gran-
des potencias, a Franca, a Inglaterra e a Austria,
empregaram todos os meios pacficos que lhes po-
do suggerir a diplomacia para mover o czar a fa-
zer misera Polonia concessoes moderadas que as-
segurassem a esta nacao heroica o direilo da sua
autonoma o direilo do fallar a sua lingua, de cul-
tivar a sua religiao,. e de vver e de ser Polonia
emfmi.
As representaces da diplomacia pareceram ao
governo de S. Pretersburgo um annuncio de urna
possivel intervenco armada a favor da Polonia, e
calculado cora o auxilio do amigo invern, nao deu
resposta positiva seno quando a proximidade da
estacao favoravcL veio arraa-Io com a forca calcu-
lada ; ento firme e decidida que pildora parecer
um desalio s potencias que o mportunavara.
E licito acreditar que a Franca estava prompta a
desembainhar a espada, que tantas vezes lera ap-
parecido era prol de nobres causas; mas a Ingla-
terra recusou francamente, e a Austria na verda-
de nao podarla mostrar-sc desejosa de avancar.
A Franca achou-se-solada ; leria proravelmente,
era caso de guerra, urna al liada poderosa na Italia
mas, contra a Russia, a alhanca indispeosavel a
di Allemanha, ou pelo menos da Austria.
Nesla questao os estadistas da Graa-Uretanha ti-
veran pelo monos o mrito da franqueza, e confes-
sarara o sen egosmo, que j chamamos patritico ;
elles disseram em seus banquetes, pois que nao
tinham a tribuna do parlamento para diz-las ellos
disseram que a Inglaterra laraentava os sofTrimen-
tos da Polonia, que maldizia da opresso e entolda-
do da Russia, mas que nao tendo inteiessos proprios
envolvidos na cansa da Polonia, ou, mais claro,
nada tendo quo ganhar em urna guerra generosa,
feita pela libertacao do um povo cruelmente eon-
demuado mais barbara exlermlnaeao, era mpos-
sivcl laucar na balanea a aspada da Graa-Rrvta-
nha, e despender em semelhante luta a riqueza o o
sangue doslnglezes.
Menos franca, porm mais cscusavel, a roso-
lufo pacifica do imperador Francisco Jos. No
caso de una guerra cora a Itussia cortamente a
Austria, limitrnime dessa potencia, quera mais sof-
fi era os abalos, os onns e os tormentos da hita de
gigantes ; a Franca e a Inglaterra esto longe e
fra do alcance do inimigo, que deve ser por todas
combatido, a Austria s osla exposta aos impeles
da sua vraganca, e aos mais crueis azares di guer-
ra ; e, portantd, smele em caso extremo a Vus-
tra se declarar em guerra cora o imperto do
czar.
A Prussia nao unlu os seus esforcos diplomti-
cos aos das iros grandes potencias pacllictimenie
Em honra e preveito da hurnaaidada, da indos-
tria, do commercio e da civilisacao, devem as gran-
des potencias reservar para acudir .ios grandes in-
teresses nacionaes as fabulosas sommas qne- des-
baratara em urna paz armada, que chuma s filei-
rai do seus numerosos exercitos centenas de mil
homens arrancados ao trabalho, que d a rique-
za, a moralidade, e a verdadeira. pujanra aos es-
tados.
No meio, pora, desta situado obscurecida pe-
las sombras de iDvidas, o peas ancias do temor
nao param as conquistas da civisaeo. As scien -
cas descobrem nevos horsontcs, o commercio e a
industria se desenvolvem com ardor sempre eres
rento, as redes ds caminhos de ferros, e os adun
raveis fios elctricos dnirpndttfjaul todas as barrei-
ras iiie seria rain os ]vos, annollam as distancias,
e aproveilam o thesouro do tempo realisando em
inimitos o que ontr'ora se fazia *m horas, era da-,
oueii longos mezes.
OoNmdo ruminha o progresso cvilisador deo-
tru as muralhas natiiraesque podem diminuir a
sua carreira e quebr todas as radas forjadas pelo
egosmo ou pela ignorancia ; assim, elle vem alm
do Atlntico preparar o futuro portentoso do mun-
do de Colombo, vae ao seio das ilbas da Oceania
aeender a sua primeira luz de raios mirarulosos,
peni tra nos desertos da frica e no meio das vas-
tidoes ridas e esteris de trras barbaras, faz
surgir oasis animadores e suaves de civilisacao,
rompe o sihino do Suez para mais deprossa che-
gar a Asia immensa, e antes mesmo de ralear osse
novo caminho, rbenla as portas do ferro que (
chavara o imiierio cbinez ao mundo, e se apresta
j para vencer projateos selvagens de una nacao
que tan bem se solara, tftrazerpara r> gremio
commum das sociedades humanas o imperio do
Japio, negado al bofo i communiracao dos es-
traolos.
_
i
i
I

*
-
4
\
i
A

\^k

PfiKNAMW.'!.^- 1YP, uE M. F. F. 4 FILHO.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZYAS9GYB_J3SOX9 INGEST_TIME 2013-08-27T21:40:38Z PACKAGE AA00011611_10121
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES