Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10117


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AflHO XI. NUMERO 15.
Por tres mezes adiant.idos 5g000
Pr Ir mezes vencidos 6$i00
Porle ao correio por Ires mezes. hl 50
OART FE1RA 20 DE JANEIRO DE 1864.
Por anno abantado......19J00O
Porte ao correio por Hm anno 3$00U
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrno de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Ararat v, o
Sr.A. deLrmos Braga; Cear, o Sr. J. Jos.'- de
Oliveira; Marcnho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; P;>r. os Srs. Manoel Pinheiro C: A-
mazonas, o Sr Jernimo da Costa.
ENCARREGADOS
pT*BSCRTPCAO NO SL
Aiagas, o Sr. Claodino Falrao Das; Bahia, o
Sr. Jos Mailins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
roira Martins .MU. r,^HTJ!I)Aal>?S1ESTA'ETAS- I ^EMBRIDES DO MEZ DE JANEIRO
'Jlinda, Cabo e Esrada todos os das.
tSSSiSff^ e Para"yba ^ SegnndaS I 2 Quart0 min^ as ;i h- 18 > e ".
Santo Antaj. Gravat. Bezorros, Bonito, Caruar', 9 Lua nova as :i n- 2;; m. e 50 s. da m.
Altnho e Garanhuns as ierras feiras. 15 Quarto cresc. as 8 h., 45 m. e 45 s. da t.
I'o d'Alho, Nazareth, Limoeiro', Brejo. Pesqueira, 23 Lua eheia as 7 h
Ingazeira, Ploras,Villa Bella. Tacaratu', Cabrob, ''
Bo 43 m. e 14 s. da t.
cnry c exu as qu_..
Sennliaem, Rio Fortnoso, Tamandare, Una, liarrei-
roa. Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
lina de Fernando todas as vetea que para ali sahir
navio.
Tjdos os estafetas partem ao Vi da.
PBEAMAR DE HOJE.
Primeira as 0 horas e 30 minutos da tarde.
Segunda as O horas e 54 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul atS Aiagas a 5 e 25; para o norte at
a Granja 7 e 22 de rada mez; para Femando nos
dias 14 dos fnezes dejan, marc., mnio.jul, sel. enov.
l'.VHTIDA DOS MNIBUS.
Para o Reeife : do Apipuros s S '/i, 7, 7 Vi, 8 e
8 /i da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboato s 6 '/t ta- m.; do Casanga e Varzea as 7
da m.; de Bemtica s 8 dam.
Do Rerife : para o Apipucos s 3 V,, *, V, 4 Vi,
5, 5 '/,. 5 Vi e 6 da tarde; para Olinda as 7 da
manha e 4 >/2 di tarde; para Jaboaro s 4 da tar-
de ; para Cachai.g e Varzea s 4 '/i da tarde; para
Bemfica s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TBIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommsrfio: segundas e quinta.'.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda : quinta s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s II horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civol : terjas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas n sabbados a I hora
da tarde.
DAS DA SEMANA.
|8. Segunda. S. I.eol.aldo b.; S. Athenogenes ra.
|9. Tin a. S. Canuto rei m.; S. Ponriano .
20. Quarla. Ss. Fabin p. e Sebastio mm.
21 Quinta. S. Ignez v. m.; S. Patrocolo m.
Jt. Sexta. Ss. Vrente e Anastasia inm.
2.1. Sabbado. S. Ildefonso are: S. Emerencia r tt.
J4. Domingo. S. Temolheo b.; S. Metello m.
ASSIGNA-SE
no Reeife, em a livraria da praca da Independenci;. >
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa d
Faria Filho.
PARTE QFFICIAL.
MHEKM DA FRM1NCIA.
mingos
Itelatorlo ooin que o i:vm. r.
presidente Dr. Joo Milveii-a
de Souza outregou a aclniiuis-
I raeo desta provincia ao jE&ui.
Mr. Tice-presidente Dr. Do-
re onza Leo.
(Coutmuaco.)
DIVISA RDICIARIA.
PordecreU n. 3,110 de 13 dejunho ultimo !'* ^.' ,
desannexado do termo de Flores o de Villa Bella de> *
e creado neste o lugar de juiz municipal, para o
qual fui oomeadoo bacharcl Joo Baptista do Ama-
ral e Mello.
Havendo equivoco nesse acto porque no termo
de Flores que nao existia creado o lugar de juiz
municipal, como ao governo imperial representou
ni de meus antecessores em ofllcio n. 69 de 15 de
evereiro de 1859, mandei que nelle entrasse em
exercicio aquelle bacharel, e dei conta desta mi-
cha deliberaco ao mesmo governo imperial
Tendo sido, porm, concedida a exonerarlo que
pedio o bacharel Domingos Jos Alves da Silva, do
cargo de juiz municipal do termo de Flores, foi
Eira esse lugar uomeado o referido bacharel Joo
iplsta do Amaral e Mello.
O termo do Exu', que hoje faz parte da nova co-
marca de Cabrob, creada pela lei provincial de
13 de maio oe 1862, anda continua como d'antes
sob a jurisdieco do juiz municipal do termo do
Ouncury, da comarca da Boa-Vista, nos termos d>*
decreto n. 276 de 24 de marco de 1843, por nao
ter o decreto r. 2,944 de 3 de novembro do anno
de 1862, que declaran deprimeiraentraucia aquel-
la nova comarca, o desanuexado do termo do Ou-
ricury, que era reunido.
O termo di Exu annexo ao do CabrobS, os de
S. Bento e Bom-Conselho o sio ao de Garanhuns.
Gaianliuns.
0 bacharcl Francisco Antonio Cosario de Aie-
vedo, fol removido para o termo de Garanhuns
per decreto de 4 de setemboo prximo passado,
prestou Juramento em 26 de novembro ultimo, e
anda nao entrou em exercirio.
J juiz municipal de Sennhaem bacharel Gui-
llurme Cordero Collio Ciulra, teve lo dias de h-
cenca em 1 do novembro ultimo, e nao commu-
niiuu ler entrado no poso della ; o de Flores, ba-
cb irel Joo Baptista do Amaral e Mello 2 mezes
coi 22, o do Pao d'Alho, bacharel Emigdio Mar-
ques Santiago, obteve 2 mezes em 2i, e o de a-
bacharel Joaquim Jos de Oliveira Andra-
mez eftl dezi'inbro prximo lalo.
PnoMOTOHKS PlBlJCOS.
Todas as comarcas da provincia eslao providas
de promotores pblicos bachares em direito, e
dettes acham-sc com licenca os seguiotes:
O de Garanhuns Jos da Costa Dourado, 30 das
cor cedidos por portara de 23 de novembro ultimo
con vencimentos.
O de Pao d'Alho Bartholomu Torquato de Sou-
' Silva, 3 mezes, sem vencimentos, concedidos
Sobre a inconveniencia que para a boa adminis-
f 5o e
anomala
b, e foi est; assnmpto por mim submettido aoco-
nhecimento do governo imperial, que at o presen-
te anda nada resol veu.
A provincia tem 17 comarcas e 31 termos, c
sao:
Comarcat Tennos
Reeife................... Reeife.
(Olinda.
Olinda
Cabo.
i: mito
Brejo.
Garanhuns.
Boa-Vista..
Cabrob
pot portara da mesma data.
O de Nazareth Joaquim Eduardo Pina, teve 15
dias de lieenca com vencimentos em 28 de outu-
bre ultimo, e j deve estar em exercicio, bem que
nc fizesse rommnnicaefio alguma.
(de Tararat, bacharel Daniel Germano de
Aginar Monlarroyos, obteve 3 mezes em 3 de de-
zembro lindo, o do Limoeiro, bacharel Virginio
Carneiro da Cunha Albuquerque, outros 3 mezes
em 10, e o de Goianna bacharel Jos Antonio Cor-
rea da Silva, 2 mezes em 12 do mesrao mez.
I.VSTRIV.CAO PUBLICA.
KSCOIAS DR ISSTnrccO l'IUMMUA.
Etistem actualmente cem escolas publicas de
inst ucoao primaria sendo, para o sexo masculino
78 i 22 para o sexo feminino.
Das primeiras acham-se providas 72, regidas n-
interesses da justic rosulta de semelhaulo !erjliamn,e Limoeiro. Taquaritinga, Aguas-
ia, representou o juiz de direito de Cabro- ellas- Ouncary e Cabrob e 1 vaga a de IVtro-
D?stas ultimas acham-se *cm concurso a de Pe-
i trolina, Aguas-Bellas, Ouricury e Cabrob.
D\s segundas acham-se providas 19, em con-
curso 3, a saber : Iguarass, Serinhaem e Gara-
nti is, regidas interinamente 1 a do Iguarass.
E realmente nsuflfleiente o numero actual das
escb'as em relar/o a importancia e popularlo da
provincia: mas tfazendo o seu augmento onns para
os cofres pblicos, nao pode ter lugar senio quan-
do estes o permitlirem.
P..resta considerado julguei prudente adiar,
al que a assembla provincial consigne os fundos
necessarios, a creaijo de 22 cadeiras que propoz
o director geral da instruccio publica, e sao abso-
lutamente indispensaveis sobretodo as da capital,
onde na freguezia de S. Jos, a nica esrola de
meninas, que existe, frequentada por 157 alum-
as que em to grande numero nao podem certa-
menie ser leccionadas convenientemente por urna
s p-ofessora.
Por portara de 20 de outubro e 14 de novem-
bro, remov, como o baria pedido, o professor da
villa de Petrolina, para a cadeira da Varzea e o
da fr;gueza de Aguas-Bellas para a de S. Pedro
Mart.r de Olinda.
Es:a ultima cadeira tendo sido classificada de
2" grio, passou para o 1 sob proposta do director
geral. que muito bem entende nao haver resultado
nenhum pratieo nessa classificaco para o ensino;'
sende que, julga at conveniente acabar inteira-
mcnti! com ella, uniformsando-se debaixo deste
ponto de vista todas as escolas da provincia.
Otnsino primario particular esta sob a vigilan-1
cia e inspeceo do referido director geral, o qual i
concede aos respectivos professores a necessaria
licem/a nos termos e precnchidas as formalidades
da lei.
Frt quemadas por um grande numere de alum-
nos de ambos os sexos as escolas particulares sao
auxil ares que supprem a insulllcienra das escolas
publi 'as.
DffiTRUCCAO SEC.rXDAWA.
O Gymnasio Pernambucano, o Curso Commer-
rial e duas aulas avulsas de latim urna na freue-
; zia de S. Jos desta capital e outra na cidade de
Bento e Bom-Conselho ainda Goianna, sao osestabelecimentos provinciaes, onde
se d \ instruccao secundaria.
Pao d'Alho.............
Santo Aotao............
Goianna................
Nazareth..............
Limoeiro...............
j Iguarass.
j Cabo.
' j Ipojuca.
. Pao d'Alho.
Santo Anto.
Escada.
. Goianna.
. Nazareth.
. Limoeiro.
Ro-Formos).............
Palmares
Rio-Formoso.
Serinhaem.
Barreiros.
Agua-Preta.
{Bonito.
Caruar.
{Brejo.
Cimbres.
Garanhuns.
S. Bento.
Bom-i onsellio.
Buique.
I Villa-Bella.
Flores..................< Flores.
(Ingazeira.
Tacarat................ Tacaral.
! Boa-Vista.
Ouricury.
I Cabrob.
.......|Exu'.
Os termos de S.
nao tem lio civil.
Para cralo pedi informaces ao respectivo juiz O ymnasio conta as segnintes cadeiras : 2 de
de direito, que ainda nao as ministrou. i la,,m> de franrez, 1 de inglez, 1 de allemao, 1 de
uivisao policial. 8reS. I de matheinatcas, 2 de geographia e his-
Sobre propesta do Dr. chefe de polica creei um loria natural e de> eloquencia e potica, 1 de phi-
distncto de delegacia em Baxa-Verde, raais um losophia, 1 de lingna e litteratura nacional, 1 de
dislricto de subdelegacia em cada urna das fregu- msica e 2 de scieneias naturaes, das quaes se
zias dos Afogados, Traeuuhem, Barreiros, Flores acharr vagas una destas e 1 de geographia.
e Boa-Vista, e restabeleci o de Maneota em Igua-' E< meu relalorio a assembla provincial disse
r;il#. Que h >va demasiado apparato na organisacao dos
Conta boje, pois, a provincia 33 delegacias e 114 estudos daquelle estabelerimento, que at o pre-
districtos di ^bdelegacias. >en,e nao lia prc-Juzido os fructos, que delle se tem
Todos estes lugares, bem como os respecti- esperado,
vos suppleates, acham-se quasi {feralmente pro- Anda essa mnha opinio.
vidos. ('" quanto fosse gcnero>a a idea que presidio
A necestidade de confiar o exercicio desles car- a creaco desse estabelecimento, comtudo for?a
gos policiacs a pessoas estranhas aos inte esses e confessar que nao foram attendidas por ella mu-
paixespo.ilias das localidades, em una quadra tas rirciiinstancias, que a teriam modilicado, como
era que se ia proceder duas eleicoes primaras, a experiencia vai demonstrando,
levou-mo a nomear jora diversos delles ofliciaes Entretanto talvez esse instituto possa ainda ter
do exercito e de polica, alguns dos quaes entre- grande d-senvolvimento, se alore dts reformas de
tanto j se acbaiu exonerados de semelliante com- que pr;cisa, Ihe forem concedidos pelo poder com-
missao. ptente os privilegios de que goza o collegio Pc-
MAOisTRAOOs. i d "a corte.
Helando. I numero de alumnos que o frequentaram <>. de-
Est fra do exercicio fruindo 6 mezes de licen- masiac'amente in*ignilicante. para os sacrilicio>,
a concedlapelo governo imperial o desembarga- queja) em os cofres provinciaes com a sua conser-
dor Joaquun Firmiuo Peruira Jorge. j vaCSo nem nnsmo se pode esperar maior con-
n izks dk diiieito eurrencia ; havendo as aulas de preparatorios da
Esto prvidos todos os lugares de juizes de di- Faculdade de Direito, que sao procuradas de pre-
reilo, e destes so est fra do exercicio o da comar- erenc a.
ca de Tacarat Dr. Maueel da Silva Mafra, por j cam.viias minicipaes.
acl>ar-se no goso de 3 mezes de licenca que teve -._,_. ------ ... -
principio no 1.- de outubro ultime. j .jg1*"* *!*?*_ftwf *
^Tanibem obteve um mez de licenca o do Rio- ^L^^a^% corporacoes
Formse bacharel Manoel Clemenlim/Carneire da P" 'mm0,"m1J" sua ["'""".'ao.
,. ha As reformas de que sao carecedoras, e cuja ne
V. Exc. sobre o
administrativas
gues
O juiz dos feitos da fazenda Francisco Domin- pdale todos recoiihecem, deixam verbera os
es da Silva, que tambera oceupa o cargo de au- que a experiencia tem demonstrado, o que
convem corrigir.
Limio-rae, pois, em aponlar alguns actos meus
com relacao aos seus interesses.
Em 15 de Janeiro do anno passado ordenei a c-
mara do Bom Conselho que mandasse cerrar o
benzer rom urgeuria o novo remiterio que all se
eslava < onstruind..; aulori ditor de guerra, esta em diligencia do servico na
comarca de Goianna.
JIIZKS Ml'MCIPAF.S E DE ORPHOS.
Villa-Bella.
Eslo preenchidos os cargos de juizes muniri*
paes e de orptaos, menos o do termo de Villa-Bel-
la, de que fui, por assim o havrr pedido, exonera-
da o bacharel lJomiugos Jos Alves da Silva, que ""-SteSS E^S" flm-
exercia Em t* de maio autonse a cmara do Reeife a
Ipoinca despene er, como solicitou, a quantia de 1:8635
Tendo sido o bacharel Joo Gonzaga Bacellar orna compra de un terreno no lugar da Cabanga,
por decreto de 2 de outubro ultimo, removido do aupado pelo matadouro publico,
termo de Ipojuca para o da villa do Cabo, de que Em 7 de agost > eoneedi mesma cmara auto-
obteve demisso por decreto da mesma data o ba- risaeao para continuar a despender at o lim do
charol Francisco de Carvalho Soares Brando, loi
nomeado para o substituir no referido termo de
Ipojuca o bacharel Francisco Brando Cavalcanti
de Albuquerque.
Iluique.
0 bacharel Antonio Feruandes Trigo de Lourei-
ro, que |ior decreto de 22 de outubro ultimo foi
removido para o termo do Buique, nao prestou
ainJa juramento, c i-cgtiio para a capital do Bio
(ir, nde do Norte a tomar assento comoinembro da
respectiva assembla legislativa provincial.
Bonito.
n bacharel Francisco los Fernandos Gitirana,
sen lo nomeado juiz nunieipal e de i rphi u do ler-
ni i dj Bonito, |>or decreto do 4 de seteuibro do
auno passado, prestou juramento em 22 de outu-
bro ultimo, e aiuda nao entrou em exercicio.
exercicio de 1862 a 1863 a quanlia indispensavel
com a limpeza das ras desta cidade, visto adiar-
se esgotida a competente verba.
Em I'.' de setemhro conced igual autorisarao a
respelto dos coveiros e serventes do eemiterio pu-
blico dtsta cidade por tambem estar escotada e
at um iiotico excedidas as verbas destinadas para
as despezas eventiues do mesrao eemiterio naquel-
le exercicio.
Em 1S de setembro aulorsei i cmara de Olin-
da a exceder na quantia de 865830 a verba j
qu i-i Bfgotada no exercicio passado para as despe-
zas com o jury e eleieOes, e Analmente em 2(i de
novembro aatorisei-a a despender mais a quantia
de 4223830 pela mesma verba no presente exer-
cicio por se adiar linda a quantia assignada no or-
camett vigente para taes despezas.
LIMPEZA E ASSF.IO DA CIPADE.
O emprezano do servico da limpeza e esroa-
mento das aguas servidas das casas desta cidade,
Carlos Luiz Cambrone, devia dentro do prazo de 5
annos, a contar da data do contrato que cclebrou
com o governo da provincia em 25 de setembro de
18.'i8. comerar e concluir os trabalhos necessarios
para o servico de sua empreza.
A execucao, porm. desse contrato dependa da
intelligencia que se devia dar a urna de suas clau-
sulas, em virtude da qual o systema adoptado pela
empreza se tornara extensivo e obrigatono para
todos os habitantes desta cidade.
Em quanto, porm, nao fosse io resolvido. co
mo foi pela lei provincial n. 552 de 20 de abril do
anno prximo lindo, nao podia, nem era justo, que
o emprezaris despendesse sem resultado sommas
considerarais, como exige a sua empreza, se por
ventura fosse dada outra interpretadlo a referida
clausula.,
Nao tend.d? portanjo, dado aos seus trabalhos o
adiantamento preciso para que.pod,essem flear con-
cluidos sem tempo, conced ao empresario, por es-
as e outras razos por elle allegadas, qu o refe-
rido prazo lixado no seu contrato se cont da data
da supracitada lei n. 552.
rmsoRS.
Casa de detencao. E' um edificio important-
simo por sua elegante architectura e proporces,
onde os detentos encontram alimentadlo, vestua-
rio, agua, banho, medico, botica, trabalho, e o san-
to sacrificio da nota nos domingos e dias santifi-
cados, que a ordem Terceira franciscana alli man-
da celebrar em cumprimento de um legado.
O asseio e regularidade desse estabelecimento
sao de notoredade publica e nada deixam a do- j
sejar.
As ofllcinas nelie creadas proporcionam meios j
de subsistencia aos infelizes, que precisara desse
recurso sem dispendio dos cofres provinciaes ;
quando estirar concluido o terceira raio, ter a
provincia urna casa penitenciaria, se forem con-
servados e melhorados os elementos do actual sys-1
tema.
A da cidade de Nazareth acha-se em deploravel
estado, e os seus reparos foram oreados em quan-
tia superior 3:0005000.
Autorisei um concert para a do Bonito na im-
portancia de 1505, que est longe de dar-lhe as
accommodaces e seguranza de que precisa.
us concertos da de Flores foram oreados em
1:7735. ~
Para a do Pesqueira autorisei reparos nao exce-
dentes da quantia de 5005 para isso vota la no res-
pectivo ornamento.
Mandei vender em hasta publica a de Cimbres,
que ja nao admittia concert, o para nao perder-
se de todo ; ainda nao appareceu quem a queira
comprar.
A do Ouricury precisa va de grandes concertos,
e eu as autorisei na importancia de 1:0775-
Quanto s outras reliro-me ao que consta de met
citado relalorio assembla legislativa provincial.
Termos ha que precisam de casas de priso, e i
cujas autoridades por ellas redamam.
A pouca ou nenhuma seguranca das cadeas
em geral tem dado lugar fuga de alguns crimino-
sos : como foram 16 da de Goianna, era agosto do
anno passado; 1 da de Flores, em dezerabro de
1862 ; da do Brejo 8 nesse mesrao mez, 2 era fe-
vereiro do anno passado e 7 em maio ; 10 da .
de Nazareth ; 4 da do Bonito ; e urna tentativa
na de, Ingazeira om outubro prximo flodo.
Tambem evadio-se da cadda do Ouricury, na
noite de 7 para 8 de novembro prximo lindo, o
criminoso de morte Alvaro Ernesto de Carvalho
Granja, nrnnpal autor do barbara assassinato
perpetrado na pessoa do infeliz capito do exercito
Domingos Alves Branco Muniz Brrelo.
Era outubro ultimo foi aquelle criminoso absol-
vido pelo tribunal do jury ; porm achava-se ainda
em priso por estar pendente essa decido por ap- >
pellac/io interposta por parte da justiga publica.
nrannAs wtvtumm creadas.
A freguezia de Cruangy, restaurada pela lei pro-
vincial n. 527 de 4 de juho de 1862, j est can-
nicamente prvida, e n'ella funeconaram na for-
ma da lei, emo anno passado, a junta de qualilica-
ci e as mesas parochiaes para as eleicoes de de-
pulados assembla geral e de senadores, que
se procedeu em 9 de agosto e ao 1 de novembro
prximo findo.
A freguezia de Santa Maria Rainha dos Anjos de
Petrolina, desmembrada da freguezia de Santa Ha-
rta da Boa-Vista pela lei provincial n. 530 de 7 de
junho de 1862. ainda nao foi provida cannica-
mente.
TendooExra. hispo diocesano feto acerca da
dviso desta freguezia consideraees, que foram
attendidas pela assembla legislativa provincial,
lei n. 550 de 20 de abril do anno passado, man-
dou pertencer freguezia de S. Mara da Boa-Vista
todo o terreno banhado pelo riacho Caraiba e
seus confluentes, Tirando para isso desmembrado
de Cabrob, bem corno salvo ao parodio da Boa
Vista o direito de optar pela de Petrolina.
A povoaco de Nossa Senhora da Conceico da
Pedra. que pertenria freguezia do Buique, foi
erigida em freguezia pela lei provinrial n. 561 de
6 de maio do anno passado, a qual nao s eslabe-
leceu os lmites dessa nova freguezia, mas tambem
salvou ao parodio do Buique o direito de opelo.
Esta nova freguezia ainda nao est cannica-
mente provida.
A provincia conta presentemente 63 freguezas,
II.1.1 'MI.NAC.AO CAZ.
Depois de taran sido collocados conveniente-
teniente em diversos lugares os 39 lampees gaz,
aiitirisados pelo art. 19 da lei provincial de 4 do
maio do anno passado, n. 553, e outra que anda
restavam da concesso comprehendida no art. 19
da lei tambem provincial, n. 544, solicitaran! D.
Josephma Bemvinda da i unha Souto-Maior, al-
guns moradores na ra da Conquista da fregue-
zia da Boa-Vista e Augusto Ferreira Pinto, a col-
lecaco de lampees, o primeira na autiga estrada
do Chora-menino, onde possue urna propriedade,
os segundos as mas em que moram, e o terceiro
na ra da Florentina, no lugar em que edlicou 14
pequeas casas.
.Nao obstante reconhecer que semelhantes pre-
tendes erara justas, nao rae foi possvel todava
attend-las pelo motivo quo cima lica expendido.
Nao sao smente esses lugares, que se resentera
da falta de illuinmaeo publica; outras ras exis-
ten que so achara as raesmas condces, e que
della nao podem prescindir.
O maior desenvolvunento, que ltimamente tem
tido a edlicacao particular nesta capital, parece
exigir que esse benellcio se nao marquen limi-
tes, mas que liquein ao prudente arbitrio do go-
verno cooced-lo, onde e quando se fizer necessa-
ria.
FAZENDA GERAL.
O movi ment da receita geral, desde o Io de Ja-
neiro do anno passado at o ultimo de novembro
prximo lindo, foi de 5,114:1025635 ; e o da des-
pea no nesmoperiodo de 3,018:7865636, havendo
por ronsegninto um saldo favor da receita na
soturna de 1,398:3155079.
Entretanto as rendas pablieas geraes da provin-
cia diminuiram como se v pida importaco e ex-
pertacao dos ltimos exercicios Bnancolros.
Com elfeito, a primeira foi no 2- semestre do
exercicio de 1861 1862 no valor de 8,096:8835433
e, om igual periodo do exercicio de 1862 1863
de 7,900:4485230, apresentando para menos a dif-
fereicadelW;',:i7o223. '
MeAts-7'irilfi/0! nl ^,rJo?.^2!slre doexArcieo Santiago e Mara Pastora da Conceico, aquella Lda aela da antecedente, approvada.
sta, que destar para Taca- la nlboqoer me Ihe partbipra
Antonio Bsenaiei da
rat, e a que se reere a portara expedida em 13
do crreme.
Expediente do scrrrlario do gorerao.
Officio ao Exm. bis|ic diocesano. S. Exc. o Sr.
vicepresidente da provincia manda remoller a V.
o incluso esemplar da falla com que
Pau-
nc poder compa-
recer ja as sessoes preuaratorias do senado por in-
commodos de saude de sea senhora, mas que se
apresentar logo- que cesse o rootrvo.Fea o sena-
do mteirado.
O mesmo Sr. secretario d conta dos seirointes
oflicius:
1863 de 728:08e5094 menor deque aquelfe
916 2985936.
Este decrescimento anda se verifica nos tinro
mezes do crreme exercicio, comparados com
igual periodo do anno antecedente, cujo rendi-
mentode 1.071:6243847 loi superior em.....
100:3685418 aodo anuo passado, qi*apenas mi- i Exc "Rvm
la a I 971 "*'l*i >ii E.A-C. nvm.......------.....,,._...... >^. n
s,.mBii!,,? '.', i i -a a i sua "'agestade o Imper.-.dor abrin a primeira sessao u =>r. Vianna, participando que por wcommo-
n llSflSSS^Ti S' "nM,d- ?ra (la uecima difunda legislatura da assembla geral do P'OP ambem nao pode comparecer, e que o
co d,> JrX 1 !i5h- eSil! a men0S imwla-1 no dia 1 do crranle.-Tambem remelleu-se um ar,a '"f quo possa. kteirado.
cao de i ir g a0' a mnen:i *****' ao brigadeiro commandante das armas. & W Wm Vieira e Souza Ramos parrieipa-
v sucar. i 1)it0 ao Drjgadeir8 coiiimandante das armas.S. ? o. primeira queso a 8 ou 9 do proximo mei *?
(Lonitnuar-se-ha.) ec 0 Sr. vicepresidente da provincia manda Janeiro poder estar d corte, e o segundo qu es-
---------------- coinmunicar V. Exc. que por despacho desla data ,ara presente a aliertura da assembla geral. Vao-
Etpediale n dia 16 de jaaeiro de 1864.
Officio ao Exm. presidente da provincia do Ma- rente,
ranho.Accuso receido com o oflkio de V. Exc. i Pela !
, autonson-se o director do arsenal de guerra a a- a cornmissao de constituiijo.
tisfazer o pedido do 2. batalho de infantaria a! 'Sl1- "iesidb.nte convida os Srs. senadores par
que allude o ollldo de V. Exc. n. 92 de 15 do cor-, reuuirem-se no dia seguinto as 10 horas da macha
e levanta a sessao as 11 3f4.
secratana do governo se communra ao Sr. i
datado de 28 de dezerabro ultimo 2 exemplares do Joao Pinto de Lemos Jnior para sua intelhgencia, TEcBmA sessao pheparatoru em 29 de mze
relalorio cora que o Exra. Sr- Dr. Ambrosio Le- que segundo consta de aviso do ministerio da fa-l o de 1863.
tao da Cunha passou V. Exc. a adininistraco i zenda de 4 do corrate, nao se pode tomar conhe-
dessa provincia. | cimento do seu requerimento representando con-
ilo ao brigadeiro commandante das armas. tra a recebedoria de rendas em consequencia de
Queira V. Exc. enviar-me afim de ser transmiltid i sellos que diz haver pago duplicadamente, pois que
a reparlicao da guerra como se exi^e em aviso de das decises dos chefes das repartiedes fiscaes em
23 de dezerabro ultimo, una certidao dos assenla- materia de sellos lia recurso as provincias para
raentos do capito Claudio Marques da Silva que
pertenceu ao 9. batalho de infantaria.
Dito ao mesrao. -Declaro V. Exc., responden-
do ao seu officio n. 93 de 15 do crreme, que man-
dei por em liberdade os recrutas Antonio Joaquim
de Uliveira, Manoel Francisco de Souza, Pedro Jos
Barboza e Jacintho Ferreira Gomes visto terem
sido considerados incapazes do servico era inspec
cao de saude.
Dito ao mesmo.Communico V. Exc. que cora
aviso de 5 do crreme, declarou o Exra. Sr. mi-
nistro da guerra ter-se concedido ao segundo c-
rurgiao do corpo de saude do exercito Dr. Joo
Honorio Bezerra de Menezes, 3 mezes de licenca
com sold simple.Corainuuicou-se ao inspector
da thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Para cumprimento do disposto
no aviso aa reparlico da guei ra de 4 do correule,
sirva-se V. Exc. de enviar-me urna certidao dos
assentamentos que tem no 7. batalho de infanta-
ra da mesma arma Candido Alfonso Monteiro de
Lima.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Expeca V. S. as >uas ordens para que a contar do
mez corrente em diante cesse como pede o segun-
do teuente do 4." batalho de arlilharis. p Hora-
cio AUes da Silva no incluso re<|uerraento, o abo-
no da prestaeao mensal de 125000 reis que elle
delxou de seu sold nesta provincia; enviando a
thesouraria de fazenda da provincia da Bahia, onde
se acha o supplicante, urna guia ou certidao em
vista da qual possa ser-lhe pagos regularmente os
respectivos vencimentos.communicou-se ao bri-
gadeiro commandante das armas.
Dito ao mesmo. -A vista do altestado que aqui
ajunto em duplcala, coberto cora copia du officio
do brigadeiro commandante das armas do 13
provincias para
as respectivas thesourarias e destas para o thesou-1
ro nacional na forma do artigo 125 e segrate do
regulamento n. 2713 de 26 de dezerabro de 1860,
0 que nao satisfez Srac.
Despachos de dia 16 de Janeiro dr 1861.
Requer mentas.
Presidencia do Sr. VHConde de Abort
Asi' horas e 10 minutos da maoha, achano-
se presentes os Srs. Mafra, viscoode de SapncahT,
Uiriiz, Vieira da Silva, Souza e Mdlo, Araujo Ri-
beiro, marquez de Caxias e bario de Pirapama, o
Sr. presidente abre a sessao.
Lida acta da antecedente approvada.
O Sr. presidente diz:
A mesa actual antes de terminar o prazo da sna
durar.au constitucional, deve ao senado conta e ex-
plicarlo de alguns actos, que considera de impor-
tancia, por ella praticados no intervallo da sessao.
Joaquim Jos da Costa.-J eslo expedidas as! &**,!L?KU'n"S : l#D0IDeaCiw dJooffl-
convenientes ordens para seremos portoes ^'mS*^\^r*TT*, eU>t
cados as barreiras. i Itl ,..?at?lue,he,ro Uldo U,,f .BMto- 9u.e
Bacharel Leocadio de Andrade Pessoa.-Passe oaro Ls debT-^ ft Uf reli,'V *pUb""
portara concedendo a lirenca que pede. deba,eb- e MnPrMaJ " sena-
Vital das Chagas Coelho. Informe o Sr.
nel recrutador.
coro-
INTERIOR.
mo de .i \>i:iho.
ASSEXBLE4 GER4L
SE;\AD0.
PRIMEIRA SESSAO PREPARATORIA KM 27 DE DEZEMBRO
DK 1863,
. Presidencia do Sr. visconde de Abaet.
As 11 horas da manha o Sr. presidente abre a
sessao, achando-se presentes os Srs.: marquez de
Itanhaem, Mafra, Araujo Ribeiro, Penna, Dantas,
Rodrigues da Silva, Paran'ios, visconde de Sapuca-
hy, marquez de Caxias, Souza e Mello, Diniz, D.
Manoel, visconde de Itaborahy, visconde de Uru-
guay e Paula Pessda.
O Sr. Presidente diz que ia lr-se a relacao dos
Srs. senadores que se acham presentes e outros
sessao
das armas do 13 do
corrente, mande V. S. pagar ao soldado Luiz Cons-' que declaram estar promplos na primeira
tantino Jos da Silva a gratilicaco a que tem di- | de hoje.
reito por haver apprehendido os desertores do 4.
batalho de artilbaria p soldado Jo= Fortunato
de Lima e tambor Manoel Joaquim.Communi-
cou-seao brigadeiro commandante das armas.
Dito ae mesmo.Communico V. S. para seu
conhecimenlo que segundo constou de aviso do mi-
nisterio do imperio de 5 do corrente, foi approva-
da a des|>eza de 1:8005000 autorisada e paga, sob
responsabilidad!' desta presidencia pela inderanisa-
co, na sessao do corrente anno, para as despezas
de ida e volta aos depulados Jos Leandro Godoy
de Vascencellos eleito por esta [irovincia, Fabio
Alexanilnno de Carvalho Res pela do Maranbo,
e Jos Liberato Barroso pela do Ceari.
Dito ao mesmo.Autoriso V. S. nos termos de
sua informacao de 16 do corrente, sobn. 23, a man-
dar pagar ao segundo lente Ilvgino Jos de Oli-
veira Coelho a quautia de 195920 reis, que des-
penden no mez de novembro do anno prximo
passado cora o expediente da 1.* companhia do 4.*
batalho de artilbaria ap, que Uterinamente coin-
manda, e para esse lira devolvo coberto cora o of-
licio do brigadeiro commandante das armas de 31
de dezerabro ultimo, n. 2381, os documentos, a que
elle se refere. Cominunicou-se ao brigadeirocom-
mandante das armas.
Dito ao mesmoDeclaro V. S. para seu co-
nheciinento e afim de que o faca ronslar a quem
competir, que, segundo consta de aviso do minis-
terio ila fazenda de 26 de dezerabro ultimo, por
decreto de 23 daquelle mez, fora nomeado o ter-
ceira escrpturario dessa thesouraria, Manoel da
Costa Ribeiro, para segundo da de Sao Pedra do
Sul.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Tendo sua mageslade o Imperador Segundo cons-
tou de aviso do ministerio do imperio de 30 de
dezemhro ultimo, resolvido que cesse desde o dia
31 d'aquelle mez a arreradaco do auxilio, offere-
cido pelos empregadus pblicos para as urgencias
do estado por orcasio do confiido enlro o gover-
no imperial e a legaco britannica na corte : as-
sim o communico V. S. para seu conhecimento
e lim conveniente.
Dito ao capito do porto. Constando de partici-
padlo da secretaria de estado dos negocios da ma-
rraba de dezemhro ultimo, que por decreto de 18
d'aquelle mez, foi concedida a graduacao do posto
de segundo tenente da armada a Constancio da
Silva eras pralico das barras e costa desta pro-
vincia; assin o communico V. S. afim de que d
sciencia desse decreto ao agraciado.
Dito ao director do arsenal de guerra.Declaro
V. S. para seu conhecimento, que em aviso de
26 de dezembro ultimo, cominunicou o Exm. Sr.
minisiro da guerra esta presidencia ter sido n'a-
quelladata confirmado no lugar de apontador desse
arsenal o cidado Joo Francisco de Souza Xavier.
Communicou-se ao inspector da thesouraria de
de fazenda.
Dtoao juiz municipal de Caruar.Communico
Vine, para seu conhecimento e para que faca
constar ao agraciado aiim de que solicite em toni-
llo o seu titulo, que segundo constou de participa-
rlo da directora geral da secretara de estado dos
negocios da justira de 28 de dezerabro prximo
lindo, sua mageslade o Imperador por decreto de
27 de novembro ultimo, houve por bem fazer mere
Manoel du Souza Braga da serventa malicia dos
olicios de partidor e destribuidor desse termo.
I Communicou-se ao agraciado.
Dito ao juiz municipal do Rio Forraoso.Com-
munico Vine, para seu conhecimento e afim de
que faca constar ao agraciado para solicitar em
lempo o seu titulo, que segundo constou de partici-
paco da secretaria de estado dos negocios da justica
: de 28 de dezembro prximo findo, sua mageslade o
Alm desta, mandou organisar na secretaria
mais duas relaces, urna com os nomes dos senho-
res senadores que por ausentes nao comparece-
ram na sessao de boje, e outra contendo mais cir-
cunstanciadas informaces, saber : data da
carta imperial da nomeaco de cada um dos ac-
tuaos senadores, o dia em que prestaram juramen-
to, as sessoes a que teem comparecido, e aquellas
a que teem deixado de comparecer, os metivos por-
que, e todas as outras circumstancias quo fr pos-
svel.
Estas relacoes, logo que estiverem concluidas,
serio reraettidas cominiso de constituidlo pa-
ra estodar e resolver urna questao constitucional
de grande nteresse poltico, e da qual (deve diz-
lo por honra do senado; esta cmara j se tem por
retes oceupado.
do as duas sessoes de 1861, celebrado com a em-
preza do Correio Mercantil; 3o a publicaco e exe-
cuyo do regulamento que organisa o servico da
secretaria, archivo e bibliotheca e mais dependen-
cias do senado.
Estes actos acham-se minuciosamente expostos
e justificados em tres pareceres assiguados pelos
membros que compde actualmente a mesa do se-
nado.
Vou, portanto, pedir ao Sr. primeira secretario
que tenlia a bondade de l-los, afim de que possam
ser condecidos e apreciados pelo senado e pelo pu-
blico, para o que sero tambem impressos com os-
kloeumeutos respectivos no jornal da casa.
Em seguida o Sr. Io secretario l os seguintes
pareceres :
Parecer da mesa n. 1 de 28 de dezembro de
1863.
Expoe e justifica a nomeaco do Sr. Angelo Tho-
maz do Amaral, feta pela mesa no intervallo da
sessao, para o lugar de official-maior da secretaria
do senado, vago pele fallecimeuto do conselheiro
Geraldo Leile Bastos, e conclue que a nomeaco
deve ser approvada.
Parecer da mesa n. 2 de 28 de dsserabre de
1863.
Expoe os motivos porque a mesa contratou com
a empreza do Correio Mercantil i publicaco dos
debates e a inprassio dos annaes de senado as
duas sessoes legislati 'as de 1864, e conclue que
se mande imprimir e distribuir o contrato com os
documentos menrionados no parecer, para ler a
devida execucao e para conhecimento dos membros
do senado e que o autographo seja archivado.
Parecer da mesa n. 3 de 28 de dezembro de
1863.
Expoe como procedeu na organisacao do regula-
mento de 15 de dezembro de 1863 para o servido
da secretaria, archivo, bibliotheca, salo, porta,
galeras e tribunaes do senado, em virlude da au-
torisaco que Ihe foi conferida em 9 de >eteinlro
de 1861, e prope que se distribuam os exeinpla-
delle na forma do estylo, e o authographo seja de-
positado no archivo.
Foram a imprimir no jornal da casa.
O mesmo Sr. secretario l o officio do Sr. Paula
A questao consiste em regular os casos e as con-
dces de que os senadores, que alias corape urna j Pessa, participando que por incommodo de sa-
rorporacao com numero fixo de membrot, podem, de nao pode comparecer a sessao de hoje do sena-
conservandose ausentes as suas provincias, dei-do.Inteirado.
xar sera responsabidade alguma de comparecer s j o Su. presidente convida os Srs. senadores pa
sessoes do senado, podendo deste facto resultar a
irapossibilidade de ahrir-se, ao menos no dia mar-
cado na constituicao, a sessao da assembla geral
legislativa.
O Su. piiiMEiRo secretarij l a primeira rela-
cao mencionada pelo Sr. presidente, e a se-
guite
ra se reunirem no dia seguinte s 10 horas da,ma-
nha, e levanta a sessao s 11 e meia horas.
CUARTA SESSAO PREPARATORIA EM 30 DE BEZEIURO
DE 1863.
Presidencia do Sr. visconde de Abaet.
Ao meio-dia achando-se presentes os Srs. vis-
Retacao dos Srs. senadores pie estiirram presentes.' conde de Sapucahy, Mafra, Penna, Prannos, Dias
e outros que declararam estar promptos na pr>- de Carvalho, Joblin, Diniz. Dantas, Souza e Mello,
meira semio preparatoria em 27 de dezembro de Mendes dos Santos, Rodrigues Silva e baro de
1863. ; Muritiba, oSr. presidente abre a sessao.
Antonio Diniz de Siqueira e Mello, Antonio Luiz Lida a acta da antecedente, approvada.
Dantas de Barros Leite, baro de Muritiba, baro O Sr. 1.* secretario d conta do seguinte of-
de Pirapama, Bernardo de Souza Franco, andido tirio:
Baptista de Oliveira, Candido Borges Monteiro, Do ministerio do imperio, participando que S. M.
Caries Carneiro de Campos, Firmno Rodrigues da o Imperador so digna receber hoje, no paco da ci-
Silva, Frederico de Almeida e Albuquerque, Eu- dade, a deputaro do senado que deve ir pedir
zebio de Queiroz Coutinho Matloso Cmara, Fran- respeitosamento ao mesmo augusto senhor o dia
cisco de Paula de Almeida e Albuquerque, Fran- e hora para a missa do Espirito-Santo na capel la
cisco de Paula Pessa, Herculane Ferreira Penna, imperial, e o dia, hora e lugar da sanio imperial
Joaquim Francisco Vianna, Joaquim Vieira da Sil- da abertura da assembla geral.-Fica o senado in-
va e Souza, Joo Lins Vieira Cansanso de Sinim- teirado.
b, Jos Antonio Piracnta Bueno, Jos de Araujo
Ribeiro, Jos Ignacio Silveira da Moita, Jos Ma-
ra da Silva l'aranho. Jos Pe-ira Dias de Carva-
lho, Jos da Silva Mafra, Jos Thomaz Nabuco de
Araujo. D. Manoel de Assis Mascarenhas, Manoel
Felizardo de Souza e Mello, marquez de branles,
marquez do axas, marquez de Itanhaem, mar-
quez de Olinda, visconde de Abaet, viconde de
Itaborahy, visconde de Sapucahy, visconde de Uru-
guay.
Paco do senado, em 27 de dezembro de 1863.
Em seguida sao -.orteados para a deputaro re-
ferida os Srs. visconde de Sapucahy, Prannos,
Souza e Mello, Dantas, Penna, Dias de Carvalho e
Diniz.
O mesmo Sr. secretario d ainda conta do offi-
cio do L* secretario da cmara dos Srs. deputados
communirando ter ja aquella cmara numero suf-
ficiente de membros para comecar os seus traba-
lhos.Inteirado.
Um quarto depois do meio dia, o Sr. presidente
convida os senhores da depulaco para dirigirrm-
Imperador por decreto de 27 de novembro ultimo,
houve por bem fazer merc a Jos Joaqun da Sil- comparecer as primeiras sessoes.
Paco
O Su. Presidente diz mais que, vista da rola-; se ao paco da cidade a cumprir sua missao, e sus-
yo que acaba de lr-se, verilicaudo-se haver na pendeu por emqnanto a sessao. Voltando a depu-
crte numero sufOciente de senhores senadores pa- tacan urna hora e um quarto da tarde, e remi-
ra abrirse a assembla geral, ia ofllriar-se nesse miando a sessao, o Sr. visconde de Sapucahy,
sentido cmara dos senhores deputados, e ao mi- como orador da mesma depulaco, diz que, tendo
nistro do imperio, pedindo a este dia, hora c lugar sido introduzida a presenca de S. M. o Imperador,
era que Sua Magostada o Imperador dignarse ba e havendo cumprido a missao de que fra enrar-
receber una depuradlo do senado, que tem de pe- regada, o mesmo augusto senhor se dignara res-
dir respeitosamente ao mesmo augusto senhor a ponder que a missa do Espirito-Santo seria ama-
desiguaco do da e hora para missa do Espi- nliaa, s II horas, na capella imperial, e a sessao
rito Santo na capella imperial e a hora e lugar da abertura no paco do senado, depois de amanhaa.
da sessao imperial de abertura de assembla ga- urna hora da tarde.
ra|. O Sr. presidente declara que a resposta de S.
En seguida o senhor primeira secretario d M. o Imperador era recebida com muito especial
conla dos suguinles offlcios dos senhores senado-; agrado.
na Era seguida o mesmo Sr. presidente convida
Do Sr. visconde de Mamanguape, participando os Srs. senadores, para comparecerem ama-
gue, era consequencia de mcommodos de saiide. nha s 11 horas na capella imperial, e para reu-
no pode apresenlar-se primeira sessao prepara-. niremse no paco do senado depois de amanha
loria do senado, mas quo apenas cobre forcas cora-! s mamas horas; c levanta a sessao a 1 % horas
parecer. da tarde.
Dos Srs. baro da Boa-Vista, Fernandes Torres
e baro de S. Lourenco, participando nao poderera
va Barreto da serventa vitalicia dos olicios le
partidor e destribuidor de.-se termo. Communi-
cou-se ao agraciado.
Dito ao conselho de compras navars. Approvo
es ajustes que fez o conselho de compras nevaos
com dilferentes pessoa para acquisico dos objec-
tos mencionados em seu otficio de 7 do crrante,
visto seren Beoeasariea ao ahnoxaitado do arse-
nal de raarinha.-Cominuniroii-se ao inspector da
thesouraria de fazetula.
Portara.Os senlwres agentes da companhia
brasileira de paqueu-s a vapor maniera dM liaos
porte at Macen no vapor Cruzeiro lie SnJ, por
conia do mimsierio da guerra, a Hacia Francisca
Fica o senado inteirado de primeira, e vo os
tre? nllimos connnisso de constituicao.
O Su. Presidente convida o senhores senadores
para se reurarera no dia H'guinte, o levanta a ses-
sao as unzo horas a tres quartos.
BKWNUA SKSSAO FIIKI'AUolllA EM 28 DB DEZEMinO
de 1863.
Presidencia do Sr. visconde de Abaet.
A's II emeia horas da manha, adando-sepre-
SESSAO F.M 2 DE JANEIRO DE 1864.
Presidencia do Sr. visconde de Abaet.
A's onze horas menos dez minutos da manha,
achando-se presentes trinta Srs. senadores, o Sr.
presidente abre a sessao.
Lidas as actas de 5, 6, 7, 8, 9, II e 12 de majo
de 1863, e do 30 de dezembro do mesmo anno, sao
todas approvaias.
Compartirnm no decurso da sessao mais quatro
Srs. senadores.
O Sr. presidente declara que vai-se preceder
sontos os Srs. Mafia, Rodrigues silva, viseando de a etelefto da mesa, cemeoando-se pela de presden-
Sapucahy, Penna, Dioix, Vnka da Silva, Jobiui, te, o depcis a das respectivas rnmmisse.
Paula Pessa, Dantas e Souza e Mello, o Sr. pcesi-l Corrido o escrutinio nhen cintos:
A'iite abre a Beesio, Presidente o Sr. visconde de Abade com a nal >
r


lilnrlo de PcrnambiiMi <|uaiU fclra O de Janeiro de t hu.
Votos, tendo
viudo mesa II revoltam aquellos que tentem algnuta. coala a iho- Marta da ConceicSo, Pcrnamiuco, 28 airaos, so
falldade publica, o ollndem as fmilias qtt as telra, Siuto Antonio, phlysiea.
ouvi'iii. j Juliano, Pernambuco, 38 auuos,
Se nao se soubesse que existem flscaes e ha I Santo Antonio, anemia,
polica nesta cidade, suppor-se-hia que vivemos foto, frica, 70 anuos, soltciro, cscravo
orysipella.
- 17 -
Themoieo Mouro da Silva, Baha, 29 annos, sol-
ria absoluta de
r.- alas.
ViCi'piv idente. o Sr. Gabriel Mendos dos Sanios,
com a maiona absoluta de 19 vetos, teodo vindo
mea 34 dlos,
I. secretario o Sr. Jos da Silva Marra, coin 52 no meio de um povo sem cosame* Sao essas cou-
S 4. o Sr. Firmino Rodrigues Silva, cem Isas que nos tem aflluulo polo que se ha oestee
U-. ltimos lempos publicado na Europa sobreollra-
O fea. Rodhgi es Suva, pede escusa 6o catiro sil: cumprequea indiflerenca no v tao longe,
fiara que tora eleito, e suhmettida a decisao do ss- e que se ponha termo a cst* abuso, como a oulros
w.do, este cnsente. Gontinuaado o escrutinio si- multes que merecen) prompta o enrgica repressao.
iiem eleitos: que por nos mesmos no temos netos de
2." secretario o Sr. Jos M->rtins da Cruz Jobiin, reprimir o abiuo que acallamos do apuntar, recor-
oni 29 votos, e i." o Sr. Frederico de Almeida e remos \ kciisla do Diario de Pernambuco, alim
Albuqucrque com 19. *> verse seus redactores conseguem despertar as
solicito, escravo,
., S. Jos,
O Sa. Jobim pede tambera excusado cargo pava autoridades para que deem as devidas providou- Joo, Pernambuco, l
que fora eleito c senado consente. i ras. Se os llscaes e agentes policiaesnao cumprera Hita Mana do Sacran
teiro Moa-Vista, arllirile.
Antonio Ferreira dos Santos, Pernambuco, 30 an-
uos, soltciro, Boa-Vista, derramamenlo cere-
bral.
18 -
Joanna Freir Lobato, Pernambuco, 46 anuos,
viuva, Boa-Vista, phlysica.
anno, Recite, intente aguda
Segundo a Sal a M Oca, um sardo-mudo lote
dous iilhos, um rapai e urna rapariga.
Aquello, igualmente surdo-mudo, morreu anda
enanca.
Esta que nao tinha a mesma enfermidade, casou- j
se eom um hornera sao como ella. Tevc tres fi-
Iboa, duas raparigas surdas e mudas como o avo e
um rapaz intacto.
Este eaaou-se com urna mullier, que ouvia efal-
lava bem, e leve um filho suido-mudo, ao mesmo
lempo urna das suas irinas. surda-nnida, que ca-
sou com um boinem tambem surdo-mudo, teve um
lho Ileso.
I ni lavrador do Ribatcjo, homem poucolido, mas
Proseguiudo ocscfoWnio sao eleitos
seus develes, corre a cmara municipal e ao Sr.
ramento, Pernambuco, 44 anuos, de aspirares elevadas, laucando avista para a
No de Bernardinode Senna Muniz, pedindo que
a junta de corredores llie ceililique |>orque presos
foram vendidos nesta Draga, de II a 16 do crren-
te, o algodo desta e de outras provincias :Como
requer.
No de Maia & Espirito Santo, pedindo carta de
registro para o bguc Am < Huno, de sua proprie-
dade :Vista ao Sr. desembargador fiscal, com os
documentos que menciona.
No de Innocencio Anlunes de Farias Torres, of-
ficial escripturario da secretaria do tribunal, pe-
dindo que este consulte o governo imperial sobre
a graliucacSe da quarla parte do scu ordenado por
ter mais de 10 anuos de servioo : Seja ouvido w
Sr. desembargado!* fiscal.
Nada mais liouve.
2* secielariu, o Sr. Hercnlavio Ferreira remia chufa de polica o dever de protederem como lhcs Luiza, Pernambuco, S
com .10; e 3,o Sr. Manuel Tcixeira do Souza com determina a le. | Santo Antonio, ttano
27 ; Tirando sspplefitcs os Srs. Jos Marin da Sil .-a Na eleirao para sonador procedida na fre- Thereza, Pernambuco,
Paranhos com 4, Francisco Antonio de Sou'.a puezia do Ouricury o resuludo foi o seguiute
Quoiroz com 3. Vgario Francisco Pedro da Silva.
O Sn. Presidente convida os Srs. -secretarios I)r. Antonio Buarque de l.ima.
Dovamente mineados a e-.-cupar seus lugares. Dr. Pedro de Alcntara Peixoto de Miranda Veras.
Segue-sc a nomearjio das commissoos e sao clt-*.- Dr. Angelo Caotano de Soma Coussero.
tos para as d Antonio Cal>ral de Mello Leoncio.
esposta folla do thrsno. ; Alexandre Jos Barbosa Bahiauo.
OsSrs. barao de luritiba com 20 votos, ?oi Joo Mauricio Paleas.
Ignacio Silveira da Motta com 16 o Carlos'Orne i- Felippe Rodrigues Cocino.
ro de Campos com 9. fo Pereira do Lago.
Constitt.irSo e dipkmacta. 'Thomaz Pedro de Aquino.
Os Srs. visconde-de Sapucal'V com Si Velos, vis- Francisco Luiz de Ara lijo Galdino.
conde de Uruguay com 27 c Jos Ildefonso de So> Agoslinho Correia de Mello.
7. IUwo cju'i. Benlo Francisc Rodtteoes.
Fazendn. Antonio Jos Barbosa Bahiano.
Os 9rs. -vscoiHe de -Ititborahv com 26 votos, Gulieime Jos da Silveira Barros.
Jos Mara da Silva Paranhos cora *, e Sour.a Ricardo Pedro da Silva.
Franco com 17. i Pedro Pereira de Mello.
solteira, Santo Antonio, gastro-hepalite.
50 anuos, solteira, escrava,
totano.
9 nicies, Santo Antonio,
plilysica.
Legishirao.
Os Srs. Jos Ignacio Siveia da Motta com .11
votos, barao do Pirapama com 15, e Jos Thomai
NatMii'o de Araujo com l'.
r*ssindtf-se a nomear a rommrssSo de mari-
hee guerra vem mesa s 28 cdulas, c verill-
-!>i! nao haver numero de Srs. senadores para
tomar casa.
O Sr. Phksidentb d para ordem do da :
Gortmiac.io da eleijo das commissdes: e c
fcouver tem|Ki a discussao dos pareceres da mes,
idos na sesso de 29 de dwembro ultimo : 1.*,
aceren da noineocio do ollleial-maior da secretara
lo -senado; 2.", acerca do contrato rom a empre:;a
lo C'orrrto Mercantil para a publicacio dos trab-
Ros do senado; 3.*, acerca do regulamenta da Jos Rodrigues da Silva.
lita secretaria. i Manuel de Souza Mendes.
Levanta-se a sessio urna hora da tarde. ^ Raymuado Aiilonio Goncalves Vianna.
_ Manoel Ferreira Jnior.
scui'mm sssAO em 4 ^B jaseuio dk 1861. Rodrigo Castor da Rocha Barros.
Prrfiimcia *i Sr.vitcomk de Abaet. __ Evaristo Jos da Silva.
A's dez horas e eincoenta minutos da inaaba, Jos Bcierra Lins.
Sr. pr:-
Antonio Manoel da Paixao.
Jos do Reg BsfTOS.
Francisco Antonio Belusondes.
Joao .Mendos da Silva.
Antonio Rayinundo A. dos Santos.
Antonio Cesario Alves de Castro Jnior.
Valerio Rodrigues da Silva.
Goncalo Rodrigues Coelho.
Bernardo Rodrigues Coelho.
Francisco Sevenano de Vasconcellos.
Jo da Paixao Monteiro.
Manoel Das da Silva.
Miguel Jus de Amorim.
Manoel Joaquini Delusondes.
Antonif Jos Delusondes.
pagina deannuncios de una folha de Lisboa leu
Seguro de vidas, til a todos os que quzerem
til ceilo mu futuro para si, para seus Blhog SU pa
ra as pessoas que Ihe sejatn caras. Escriptorio da
agencia, largo de etc.
O Sr. Jos da Costa assentou os oculos, e rhamou
o seu compadre :
O' compadre, esta historia dos seguros de vi-
da ser verdade ?
Eu cuido que sim. O Sr. administrador sega-
roo o outro da a vida da tilha mais vcllia.
Ea gente poder vi ver os auiio>que qoizerij?
L disso que eu nao sei, mas eu ti ja ah
que se faziam seguros at .'0 anuos.
O' compadre, estn c com urna vneta fer-
rada na raboea. Se swbesM que me seguravam a
vida ah para uns Tinte anuos, casava-me.
Isso melhor ir a Lisboa
Est dito. Mas a respeito disto, calluda.
A miaba lingna sagrada.
O Sr. Jos da Costa preparou as suas cousas, e
PUBLICARES A PEDIDO.
Bonito.
Advirio ao publico que so me pedindo urna as-
signatura do buin conceito do reverendo padre Tra-
jano vigario de Bizorros, nesse santido assignei,
porque verdaderamente gosa desse titulo, e fura
de possa olTender o reverendo vgario desta freguezia
Joaquim da Cunha Cavalcante por quem ja tinha
assignado o mesmo conceito, tica inulilisado, e
sem elfeito, |Mir nao ter visto original, em con-
anca da pessot que procurava esta preveooao,
porque quaudo exigindo o original para ver, ja ti-
nha sido enviado para Bezerros.
Bouito, fi de Janeiro de 186'i.
Manuel dos Santos Dezerra Leite.
no da seguinte partiu para LUboauo comboyo da E|e|*J0 Jos devotos une teeiu de
inanhaa. Procurou o escriptorio da agenci.., e di- te&teiar I
Ollada
adiando-so-presentes 30 Srs. senadores, o
^idele abre a sessao.
LMa a aa da antecedente appjovada.
Compareceu no decorso da sessio mais m Sr.
senador.
ORDF.M IX) WA.
Continda a nomeaijao das commissoes, o corrido
o escrutinio sahem eleitos para as de
Muiinha e guerra.
Os-Srs. Manoel Pelizardo de Sonzae olio coin
53 votos, marquez de Canas, eom 2, barao (e
Maritiba com 21.
'Ctmmercio, agriculturu, industria -e miel
Os Srs. Firmine Rodrigues Silva com tS -voto?,
Jos de Araojo Ribeiro Com 14, e Francisco An-
tonio VSouzaQneiroz eom 10, por desempate com
os Srs. CandidoHorges Monteiro e Carlos Carnet-
ro de Campos, qoe tiveram igoa numero ;e
votos.
Emprtzasntririlegiadas e obras pVWirt.
Os Srs. JosiPedro Bias de Carvalho com lo
votos, CandidoWorges Monteiro coa 16 e Manoel
Pelizanto deSouza e Mello rom 8, por desampa'e
com o Sr. Antonio Luiz Dantas de Barros LeR-,
q*e teve igual numero de votos.
hMmccde publica e negocios eedeeiasHcos.
O* Srs. los de Araujo Ribeiro com 20 voto,
Jos Thomaz Sabuco de Aranjo com 17, e Joaqoim
Yieira da Silva e Souza cora 17.
Stde publica.
Os Srs. Candido Borges Monteiro com 27 vetos,
Jos Martins da Cruz Jobim com 14 e Autonio-Luiz
Dantas de Barros Leite com 13.
lledaerSo das leit.
Os Srs. escondo de Saptcahy eom 29 roto,
Jos Antonio Pimenta hueno com 44, e Firmino
Rodrigues Silva com 16.
PssanVse a oleger a commissao de estasticn,
catechese e colonisafao, veo mesa nnicamenle
27 eedulos, e Verka-e nao haver numero sufi-
ciente de Srs. senadores para formar casa.
O Sa. toBsiDKNTB d para a ordem do dia a cor-
tinuacao da eleirao das conmssoes c as materias
j designadas.
Levanta-se a sessio meia tora depois do me1 o
dia.
PERNAMBUCO
Francisco Manoel Anglico.
Jos Ferino Ribeiro da Silva
Domingos Ferreira Maeiel.
Joaquim Justo da Cruz.
Aderaldo do Souza e Silva
Braz Hispo de Luna.
Por falta de nao haver sciencia oQlcial rela-
tivamente approvacao dos novus eleitores, S. Ene.
o Sr. presidente da provincia declarou ao juir de
pac da freguezia de S. Jos desta cidade, que em
vista do que dispoe o S 2 do aviso n. 3 de 27 de
fevereiro de 18.50, deve organsar a junta de qua-
BGcaco d'aquella freguezia com os eleitores e
supplentes da cmara ltimamente dissolvida; os
{uaes se acham convocados para semelliante lim,
umprindo que a mesma junta continu em seus
trabadlos, anda depois de approvados pelo poder
competente os novos eleitores, segundo declara o
aviso, n. 601 de 30 de derembro de 1861.
Foi autoris.iiloioconselhoadBtaisirativo a com-
prar 100 pares do sapatos rn distribuidos seccio de bombeirss e aos
aprendizes do arsenal de guerra que se empregam
REVISTA DIARIA.
Seguiidd-feira noite apreneaUva o Apello uin
espectculo, que recordava setts antigos das ce
passadas ghrias.
Os camarotes brilhavam s trradiacoes de for-
mosas senboras, que os enfeitavam ; e os assentis
la platea erain occupalos por uiultido numerosa
attrabioa por um influio mgico, seuo per un
talismn encantado.
E, na verdade, poder havor atlractivo mais po-
deroso do que um nome grande na arte, e que se
divinisa pela harmonia quearcauca ao instrumen-
to para activar militares de ouvidos, quee escu-
tam arroubiulos em prazor isoau nome na esca a
dos gosos alma ?
Era o colicorto do joven e disncto pianista por
toguez ArthurNapoleo, que, em sua passagen
por esta cidade, quiz dar-nos gosto de ouwi-lo i o
instrumento etn que so tem elle igualado a Taieerz,
Luz o outros-celebres pianistas europeos de nomos
universaes.
Sem arrogamos urna competencia, que eco-
nhecemos nao.caber-nos na materia, nao podemos
comtudo calar as impressoes que sentimos m
presenca dessas ondas de melodas, que -se de:-
prendiam de seus dedos ferindo todas as^ammss
do sentimeuto do espectador nessa variedade infi-
nita, que ellos percorriam em toas.
Com elleito, quem na grande pkmUasii sobre
motivos do Trovattte e na phatUatta venenan*,
juer no rurp<7aoo-a na grawle phattasia sobre rac-
tivos de L'm hallo in mascJiera, o piano, dcil
aquellos dedos portentosos, prestava-se tradueci)
dos differenles seutimentos que ellos Ihe impri-
man) com a conscieacia do propro valor.
Nao ser, sahemo-lo i^rfeiUtmento, com as na-
sas incoiiipetentes palevras que o insigue pianista
portuguez avultara em seu mrito ; mas tocar
piano, como elle o toce, faz da msica um agente
eductor at o ponto de inebriar a quantos o on-
2lftjS2; "** bem dMr qM* exerce q^-nto'd:es^
ngio-se ao caixeiro
Aqui que o seguro de vida ?
Sim, senbor.
Isto cousa em que a gente pode fiar-se ?
Oracssa I
Enlao quero segurar urna vida.
O caixeiro tomou urna pena e dispondo-se a es-
crever, perguntou :
Quom a pessoa 1
Jos da Costa, seu criado.
Por quanto lempo quer 1
Homem, se podesse ser por oO anuos, melhor
seria.
Pelo tempo que quizer. E que vantagens de-
seja?
guantas mais, melhor I
Isso queslao.de dinbeifo.
A diobero nao olhe.
seguro de .'iui nao mo.
Ento seja esse.
O Sr. Jos da Costa deu o dinheiro que Ihe ped-
ram, e nao se cansou em fazer perguntas, por que
elle pessoa de toda a melhor boa f.
Como os papis levassom seu tempo a escrever,
festejar .V H. do Mate <
Sr.
no auno seguinte.
Juiz.
Joao Maria de Oliveira Albuquer-
UM POUCO OE TOB.
Sr. K... Vallo remetlenos suas
NOTAS 6 .NOTAS.
II
Minlias senhoras.
Pea quonte-, veulre livre, barriga chela c sade
as algibeiras.
Alvicarasa suas excellencias.
O ministerio absorveu a quinzena linda na csco-
Iha senatorial, de sorte que o decreto da aposenta-
donas das Exms. feias requscat in mee.
Olhem ellas como suspiram de felicioade, e sor-
riem-se de contentes II!...
Agora sim ; como proverbio antiguissmo ipie
quem tem poucas lagrimas, as chora logo ; traten)
de se enfeitar quanto poderem : p no rosto, arre-
bique as faces, litas na cintura, bordados nos ves-
tidos, e no mais viva a patria.
Porque o decreto noch^ou agora.no julguoque
contiuuarao Ss. Excs. ad (toman noservico ac-
tivo : porquanlo o ministerio cuida em prover jis
necessidades geraes e em vista da seguinte petico,;
que Ihe foi inderecada, nao possiveldemaneia al-.
guma deixar de ser Ss. Excs. aposentadas.
Eis aqui a petigo.
Illin. e Exm. Sr.Diz a conveniencia publica de
Olinda que, sendo em grande numero e escala as i
feias, que invadiram esta santa terrinha, com af-
irona moralidade publica.e esiarneoao bom gos-,
to masculillo, alm da perturbarn ordem publica
que derramam no seio da sociedailc, tornando mais
caros e mais raros os artigos de luxo e os enfeitcs,
atienta a grande quantidado que absorvem para
quererem disfarcar o quodnaturadat nemo negare
potest e dest'art evitaron que liquem para tias,
sem se lembrarem que entre ellas isso anda como
lotera, por essas e outras muitas razoes, que oculi
eiciiimm/.reqaer a supplicante V. Exc. sirva-se,!
em scu alto saber, consultando ao conselho de es-
lado, expedir quanto antes decreto de aposentado-
ra, nao s paraqoe se restabeleca a tranquilidade e o nosso amigo foi para a hospedara mui salisfeito i Leonino Joaquim de Lima,
paz aos coraodes das sobreditas, como tambem para da sua vida, cando de os ir buscar no dia se.; E mais devotos que quzerem concorrer
que mais a gesto se possa em Olinda passeiar. gointe. suas exportlas para a mesma festa.
Nestes termos.-Pede V. Exc. defcrimento.E. Esfregaudo as mos de contente pela grande des- Olinda, 17 de Janeiro de 1864.
R. m. | coberta que havia feito, jantou melhor nesse da,
E agora o que me dizem as Exmas 1... Nao! e at comeu de mais. e noite leve urna clica, e
esta vara lao contentes ?...
1_ caixotc pruuiilo> opera-, 2 coxixo> : ao ca-
pito do mesmo Antonio Agoslinho d'Almeida.
Rxportaeo.
Patacho nacional iom Jess, para o Ro da Ya-
ta, carregou :
1050 barricas e 120 harriqonhas rom 8420 ar-
rollas e 3 libras de assncar Maca
Recebedorla de rendas Internas
geraes de Pernamlmco.
RenJimento do dia 2a 18........ 13:7974
dem do dia 19................. XI042UO
16:127*935
Consniado |rovio Ilendimento do dia 1 a 18......... 70:0813447
dem do da 19................. :\:xw 73:4*I0C
MOYIMENTO DO PORTO.
no dia 19.
lorest, de ESI
r, oquipagem 10,
IUU MU ili
inat I ./-i
i iU,\
Naeiot entrados
Baha21 das, brigue in|
Heladas, capitn T. F.
em lastro : a Jobnston
Lisboa4 dias, brigue portugui z Soberano, de
168 toneladas, capito Antonio Agoslinho d> Al-
meida, equipagem 11, carga vinlio, vinagre e ou-
lros gneros ; a Thomaz de Aquino Fuoseca J-
nior.
Mmho saltillo no nusmo dia.
Cosa d'fricabrigue portuguex Mondego, rapi-
tao Antonio Pereira Mesquita, carga aguardan-
te e tabaco.
EDIT1ES.
O Illm.
que.
Juiza.
A Exm.* Sr.a D. Maria Fehsmina do Reg Costa.
Juiz perpetuo.
O lllm. Sr. commendador Manoel Luiz Viraos.
Juiza por devoco.
A Exm.' Sr.' D. Anna Isatiel da Costa.
Thesoureiro.
0 Illm. Sr. capilao Francisco Luiz Viraes.
Escriviio.
O Illm. Sr. Francisco Gomes da Silva Saraiva.
Escriva.
A Illm.' e Exm." Sr." do lllm. Sr. Jorge Tasso.
Procuradores.
Illm. e Revd. Fr. Ludgerlo do Santissimo Nome de
Maria.
lllm.- Srs.
Tenente Jos Joaquim de Lima.
Alferes Samuel Joaquim de Lima.
Alferes Julio Cesar Ferreira d'Aguiar.
com
Fr. Antonio do Patrocinio e Araujo.
D. abbade d'Olinda.
vio-se muilo atrapalhado. Calculando na falibilida
de das cousas humanas, como nao se Hesse le- pilulas vegetaes assnearadas de
kemp
do
a mi-
nha vida nao corre perigo, oque o seguro bom,
porque eu estou com urna forte clica e nao me
agrada este negocio. Se nao me affirina que eu
Qualquor urna pessoa que se sinta a acada da
bilis e que faca uso deslas admiraseis pilulas, por
este meio tem tomado a melhor das preeaucoes con-
tra todas as molestias epidmicas. Fina s dose
Ea bem digo que dia de riso vespera de
choro. vantar. escreveu logo pela manha ao agente
Ora deixemos essa amolarn de mocas feias, que seguro urna carta concebida nestes termos :
ellas ja devoro estar eucalislradas, e sobretudo com | Sr. F:.. Diga-me se est bem certo que
o tilho da vellia por ser tao feio.
Ora passando deste polo aquello themispherio, te-
mos muita cousa ba a contar.
Em Olinda tem havido suas sorurarfusinAax bem
boas, isto suas partidinhas, que nao tem sido ne-
nliuma asueira II..
Eu tenlio ido todas ellas Calcas brancas, pa-
lito cor de gordura de carangueijo, chapeo de
palha, luvas de pellica, quando Deus me ajuda, e
na gymnastica; seodu-o" igualmente o director sempre prompto a debicar as mocas,
d'aquelle arsenal a mandar empregar o brm par- Outro unto iwderiam ellas fazer de m.m, se fos- aquella eom quem quena casar, e disse ao ca.xe.ro | '"'ea* ^^.an JS^S" sl^ls .Vni
do, que ha no wspectivo almoxariU, era calcas | isso antes da noticia do decreto, mas, boje, que no Hinde larga conversa. .....;......._ ^ S%*^Zr^t^hJL^l
nadas era frasquuhos de crystal o sao
nL morro es.esbcincoenU anuos mais chegados, V 1^ ^!^ t'^' ^
entao dou o duo por nao dito.&eu venerador, Jo-
s da Costa.
O caixeiro percebendo ento toda a ignorancia
do lavrador, apressou-se a ir ter com elle e a ex-
nliear-lhe oque era o seguro. Jos da Costa ficou ,
riste mis reformou o seguro para crear um do.eid^. ^m por isso sere.n ?
i ...,.u ____ ..,;?.... J a a&. ,iTarn i a mesma seguranca Unto as en
lera ou das febres intermitientes beliosas.
Produzem um rITeito verdadeiramente maravho-
sa om todos os desarraigos do ligado e do veulre.
Ellas se compoem exclusivamente de substancias
vegeUes e ser urna medicina fortiuVante que nunca
administradas com
Os liscaes das quatro fregnezias desta cidade
etc., etc., ele.
Fazem publico, de conformidade com a resolu-
cao tomada pela lllm* cmara municipal, era ses-
sao de 11 do crrente, que o artigo nico da pos-
; tura addicional de 9de julhode 1858, sitaiu trans-
cripto, est em perfeito vigor, cumprindo a lodos,
2 quem sua disposicao tocar, a fiel observancia,
adra de nao incorrer as penas fulminadas.
Artigo uaico.
t Nenhum carro, carroca, ou qualquer outro ve-
I hiculo de conduzir gneros para os esubeleciraea-
tos e casas desU cidade, ou para fora della, pode-
r levar mais do 40 arrobas, sendo de 4 rudas e
coadozido por um boi, e de 20 se tendo o mesme
numero de rodas for conduzido por um cavado :
se o vehculo for conduzido por mais de om hu na
cavado, levar somenle mais um terco do peso es-
Ubelecdo em razo de cada um animal; se porsn
o vehculo for de duas rodas nao poder codoar
mais do que dous tercos da quantidade esUbeleci *
da para os de 4 rodas. No caso de contravencio,
os de-nos de qualqaer vehculo ser multado'em
104, e no duplo na reincidencia, ficando prohihido
sob as mesmas penas o eostome de serem os men-
cionados vehculos impethdos ou auxiliados en
seu movimento por escravosou pessoas llvres. >
E para qne conste, e pao apnareca ignorancia,
fazem publicar o presente pelo Uiaru
Cidade do Recite 14 de Janeiro de 18(4.
Os flscaes
Manoel Ignacio de Oliveira Lobo.
Manoel Joaquim da Silva Ribeiro.
Joao Xavier da Ponseca Capibanhe
Thomaz Augusto de Vasconcellos A. Maranhao"
ebl
A
usas para uso das pracas da referida seccao. j at as sympathicas e bonitas andam desconfiadas,
sabida do vapor que a Companhia Pernam- com modo que a dose nao Ihes cnegu por casa,
fbucana tinha de fazer seguir para Fernando, foi no temo que ellas medebiquem.
mudada para o mea prximo. J lioje ellas vio s partidas do ceroulas, e para
A presidencia ordeneu que ao Dr. chefe de po- mostrarem-nas, vaidosas levantara as saias at qua-
licla remeta com brevidade o coramissario vacci- s 0 joellio.
nador, algumas laminas do puz vaccinieo, qne tem Eu bem que prometli dizer a verdade, e s para
de ser enviadas ao delegado do termo de Santo An- ver seas madamas j iam do ceroulas custon-me
tao, onde reina a varila. nao dancarem duas schothizs.
Com lini de ser com opporlumdade admit- Essas mocas perderam a cabera. Entendem
tida ao collegio das orphas, foi ordenada a ins- que o faceinsmo est em um vestido bonito, cabel-
cripeo da menor Emilia, afilhada do bacharel i0 bem ponteado, flores as trancas, bicos nos refo-
Francisco Jos Fernandes Gitrana. | lios, einbora as saias arreaeniem-se de gritar por
Corre que em Nazareih fora assassinado o Sr. agora e sabao.
Custodio Ferreira Moutinho, que tem I ja de ouri- Sao o cosas do externo, que esquecem-se at
ves na praca da Independencia; mas ignoramos, jt escovar os denles, entreunto que o rosto sem-
que grao de plausibilidade possa ter este boato,' pro erapoado e as faces arrebicadas.
cuja fahidade para desejar. As vezes ha cousas que s por arte do diabo,
Tendo consudo ao EUS Sr. vice-presideote eu eslava urna Urde sentadinho em minha cadeira
da provincia quo se vo afugentando dos mercados | e deronte passava um soberl esquadro dessas
pblicos desta capital, por causa do recrutamento,^ taidosas; e o que en sei que tanto se mecheraiu e
as pessftas que para ahi conduziam gneros ali-' remeclieram, que urna dellas levada ao comoro do
menticios, expedio elle o seguinle ofllcio: I desfarce, enlendeu sebir urna calcadinlia, e erguen-
t Primeira seccao. Palacio do governo de Per- 0 as saias eom todo o abandono,'no se Icmbrou
nambuco, 18 de Janeiro de 1864. queesUva de chinellos, eentio que tremendo dia
lllm. Sr. onstando que se vo afugentando ^^^ ^ |j4 tm UIIMl a3iS neUlS \ f...
dos mercados dosta capital por causa do recruta- Aqui est como sao as cousas das mulheres : por
ment as pessoas que para ahi trazent gneros ali-1 cjma milita farofa, por baixo ntulainbo s.
menticios e outros productos agrcolas e indus-j E isso so?... E enamoro?...
triaes, e comquanto me parecam infundados os | q namoro em Olinda est mais alto do que a
boatos que a este respeito se tem ospalhado, julgo, fc,reja ja s#
todavia conveniente recommendar-lhe que no re- xa dansas, isso ento urna miseria, nunca vi
eruto laes pessoas, qur ellas se empreguem na lan|0 passeio, Unta fineza, tanta atteucjio, tanta in-
lavoura, qur sement na condueco dos seus pro- genuidade 1 I!...
duelos para esta capital. | At eu que nunca tivegeito para essas tafularias,
Dos guarde V. S.Dominaos de Souza Leo, |a um d-,a ,ne xiret oS meus cuidados e fui dizer
Sr. coronel recruudor dos municipios do Recife e uma paca a urna; aproveitando-o, e principiando
Olinda. pelo seguinte cuinprimeuto com que um cascabu-
O livro em que se lavron o termo de jura- |no pretendeu render gracas a uma senhora :
ment do Exm. Sr. vice-presidente commendador; Minha senhora, permitta-me que aos seus
Domingos de Souza Leo, por occasiao de tomar cheirosos ps, eu, o aniceto mais significante dos
posse da presidencia da provincia, o primeiro ,, amolara S. Exc. deposite os meus humildes,
desses termos, onde se tem lanzado o de lodos os du bem tracados cumprimcnlos dando isso em
governadorese presidentes desde 1718, datado !., resuludo chamar-me ella de tolo.
!|ue do govern.idor Manoel de Souza Tavares,; Eu ento que |ior qualquer bobagem estou fican-
eito 2.1 de julho desse anno. 0 termo de jura-. do eucalstrado, dei na besta, e puz-me logo ao
ment do nosso actual presidente acha-se em 78. fresco, sem mais replica nem treplica, appellacao
lugar. ou aggravo.
RaPARTigAO da peucu : Nao posso ir mais adiante.
(Extracto da parte do dia 19 de Janeiro de At logo.
1864). ------
Foram recolliidos casa de detenco no dia 18
do crreme :
A' ordom do subdelegado do Recife, Julien Jo ^........._ .
zeph, francez, tequisk-o do respectivo cnsul; dos credores, que teve lugar no dia 18 do correte,
Regino Ribeiro de Figueiredo, pardo, por in- pelo fallido Thomaz Maria Bessone, consta ser o
sultos. saldo a favor deste, :!8O:763410, nao se incluindo
A' onlom do de Santo Antonio, Joanna Maria da no passivo e mencionando-se s por lembranea,
Conceifao, parda, as crenlas Francisca Thecula por serera legiliosas a divida de mais de200con-
da Conceico, Felippa Maria, todas para cor- ios, importancia das letras nao pagas, e acceitas
receo. pelo fallido por alcance da antiga agencia no Bra-
A' er-lcm do da Isoa-Vista, John Aiteleno, inglez, s)|i s Basto SC. e que esto ajuizadas; e bem as-
por briga e espaaeamento; os pardos Joaquim Fer- sjm a outra divida de 471:8345849, moeda bras-
reira P.nto, para correccio, e Belarmino Ribeiro leira com os juros respectivos, saldo devido ao ban-
liuarte, para recniu. co de Portugal, pela agencia no Rio de Janeiro, ge-
A' ordem do da Capunga, Lucas, af "cano, es- rida por Thomaz Maria Bessone e Francisco Tei-
cravo de Francisco Rufino Correia de Mello, a re- xeira Basto, associados sob a firma commercial de
Bessone, Basto & C, quantia pela qual o banco in-
Do Jornal do Comtnercio, de Lisboa, transcreve
mos :
Do relatorio apresentado ltimamente na reunio
Paciencia. J que eu no posso viver o lem-
po que desejava, que ao menos ella viva feliz em
quanto Deus quizer.
E foi-se para a trra, fazendo da mesma sorte
elogios ao seguro de vidas.
*
O Sr. baro Fain, secretario do imperador Na-
poleo I, colligio e deu estampa uma preciosa
colleecao de munuscriptos que sao um ptimo
subsidio para a historia daqucllc grande vulto, nos
quaes se achara narrados os auontecimenlos occor-
ridos nos anuos de 1812, 1813 e 1814
Estes manusenptos contm a descripeo minu-
ciosa das batalbas dadas pelo grande exercito, de
que fez parte a divisan portugueza, e a corres-
pondencia oflkial do valeroso desterrado de Santa
Helena
O Sr. Guilherme Celestino, um dos nossos mui
correlos traductores, emprehendeu a versao des-
ta obra, que vai em breve publicar semanalmente
em folhas de 16 paginas.
Devo ter tarta colheita de subscriptores.
napprecia-
veis como o melhor dws remedios para as pessoas
de ambos os sexos, seja qual fr a sua idade, En-
coutra-se-ho em todas as lujas de drogas e as bo-
tica de Bravo t C, e de Caors & Barbosa.
GOMMERCIO.
*^-i co'.u.f.n'ir^^ o.____.j,_ j *' ordem do da Varzea, Jos Francisco da Luz, teutn aeco contra'os gerentes da agencia no tri
*Jre,Xao,m^ "" de furtde bunatdocommercio de Lisboa, e que pende por
uardava, mudez soquebrada U ^,0,. appellacao na segunda instancia por incompe-
0 chefe da 2" seccao, tencia.
/. G. drMesfHla. Nu projecto de concordata ohVrece o fallido 50
Movimento da casa de detenco no dia 18 de por cento aos seus credores, assiin pagos : 26 por
de jauejro 1864:
Exstiam . 328 presos.
Entraran). . 17 .
Saturara . 10
Existem. . 335
A saber :
Nacionaes. . 231 presos.
Estrangeiros. 32 .
Mulheres . 5 .
Estrangeiras . 1 >
Escravos . 61 .
Esclavas . 8 .
vezes pelos bravos espontneos que irrumpan) de
lautos pailas assoberbados do vivas emoceeg; e
pela voz sonorosa dos vates que encheu as abobs.-
das do Ibealro dApolloem preilo ao genio, que
ihe pisava o proscenio, e a qoem dcsla sorte san-
da.va.
Sao estas palavras, pois, um apanhado desse bii-
ilianle serao eu nutkia aos nossos leitores, e niio
uma apreeiaeao de mrito reeoitbecido do joven e
oympalUico pianista, a quem igualmente cumwi-
menunios |,or seus novos (euros.
Foi eikiontrada |*U Elisabetk Itidley no dia
5, a galera iagleza Naval Iteserve, na altura de
4- 5o' de Jat. N". c 27 13" de long. O., com !!*
dias de viageu.
Esu galera conduzia para Melburne i praers,
tendo sabido do Liverpool.
As segwaleseoasideraedes que aos sao ende-
recadas, e as quaes damos cabida nesta Revisto,
sao rredora,, de tuda a atleneao da parle de quem i
rumpro providoucjar no sentido de suas enuncia-
os :
t Srs. rodadores do Batista do Diarlo de Ptr-
nambuco.Sao obstante o que dispoe as posturas
miimeipaes, a ponte da Boa-Vista tem-se conver-
tido em lugar de estado pe utiente de mendi" is
que alordoam os ouvidos dac |Hs in com montonos eestudados pedidos.
Os mendigos nao s fazem osuda nessa pooe, Anto'n.o Francisco da Silveira.
anneSeTS i? "* m* "' |iara UU"rio'c?cr;,vo ** 0"* Jarintho da Moda
n an rVmuu V* ^"" '"-'- Ob.tl'aiuo bc du i nE Mjnmo NO erm K m
R ,l|,|^anI,' -i nol ar Itvre, b bu qoe ruana n ->nn.mo
contrario aoqu.dispe as posturas nmnii i- Domelilda Mara da Cooceicio Pernambuco ;
''; emesdiaw ras a.mos. solteira, Itoa-Vi-:, ,,',-1 ,', '
T" u"uUl "V* iraote a noite, dirige a Santo Antonioi hemophese '
. ir'^M:,n,da,:b,n,,,^:,,,lanno, Wava,
m
Alimentados a eusza dos cofres pblicos. 143
Movimento da informara no dia 19 do cor-
rente.
Tiveram baixa:
Joao Gomes Damasceno, sarnas.
Jos Ferreira da Silva Pinto, sarnas.
cento em 12 mezes; 15 por cento em 18 mezes
1 e 15 por cento em 24 mezes, a contar da horaolo-
gaco da concordata.
Alm disso, comprometiese o mesmo fallido a
I destribuir por todos os credores at a concurrencia
'. dos seus crditos no p em que se achavam na
abertura da allencia o que vencer da indemmsa-
cao de perdas e damnos que reclama do banco na
! recoavenco da aeco por este intentada pelo facto
| do banco iodevidamente dar por acabado o conlra-
tode 31 de dezembro de 1860, para a continuaco
; da agencia no Rio de Janeiro; assim como o que
' as companluas de seguros da vida de Francisco
I Teixeira Basto, forem obrigadas a pagar-lhe a titu-
lo do mesmo seguro at dau em que se vencer a
quinta o ultima prestacio ofiereeida.
A Rerolunlo de Memoro noticia o que segu :
A viagen aereostatica de Mr. Nadar, e as feri-
das que recoln-ramua Allemaiilia os viajantes areos
despertarain a tal ponto a curiosidade ingleza que
Matbeas, escravo do Miguel de Souza Leo, feri- o aereonauta foi em Londre fazer a exposido do
Diento.
Tiveram alia
Goncalo Jos Baraeho.
mos e pillearas ilesagradaveis, e por Vism, hsnrfaestrangulada
lauma an aJUa tozes nbcenwades, que .Jos, lonuinbuco, 2 meies, S.
Boa-
Jose, eoawulsdcs.
seu balo o lujante por elevado prego.
E os Ingieras acaman em tropel a ver Mr. Na-
dar e o son balo.
l'm taglez pergontoo-HM :
Dig,;-ine, senbor; nao poderla V. mostrar
tambem as feridas como supplemento a esta expo-
S(;ao?
mpossivel, rospomlcu Nadar.
PorqdeJ
Porque os fi n 'os ja OStiO SSOS.
Sinto limito, accrescentou o inglez com a
maior natoralidade do mundo.
Obri UrnoU Nadar iro-
n
CIIROMCA JlimiUilV
TIlMt t V V I. DO OMHERIO.
SESSO ADMINISTRATIVA EM 18 DE
JANEIRO DE 1864.
rRESIOE.NCIA DO EXM. SR. COSSELHKIBO
SOLZ A.
s 10 horas da manha, reunidos os Srs. depu-
tados Lentos, Rosa e supplente Alcoforado, o Sr.
presidente declarou aberla a sesso.
Lidas, foram approvadas as actas das duas ul-
timas.
KXPEDIENTR.
Foram presentes os mappas do movimento dos
trapiches Cunha, Barbosa, Pelourinlio e Compa-
nhia, no semestre lindo.Mandou-se archivar.
O aviso do ministerio da agricultura, commenio
e obras publicas, de 30 de dezembro ultimo, com-
municando ter Sua Magestade o Imperador deter-
minado, por decreto n. 3.205 de 24 do referido
mee, que f-sse elevado de 150:0003 a 250:000800
o capital da companhia l'nio Mercantil, estabele-
cida na provincia das Alagoas, sendo o excesso
formado por 500 aceces de 200*000 cada uma
Cumpra-se e registre-so.
A junta dos correctores apresentou a eotaeo
l ollicial dos procos correles da praca na semana
lindaMandou-se archivar.
Um ofllcio da junta dos correctores, remetiendo
copias das actas da eleieo e posse da mesma.
Accuse-se a recepeo e archive-se.
Outro do secreUrio do trihunal do comtnercio
da cai'ital do imperio, acompanhado de uma rela-
i;o dos coinraerciantes all matriculados durante
o mez de dezembro ultimo.Accuse-se a recepcao
e archive-se.
DESrACIIOS.
No de Manoel Jos da Silva Gnimares, Brasi-
leiro, de :i3 anuos de idade, domiciliado nesta ci-
dade, com casa de commercio de gneros de esti-
va, em grosso, pedindo matricular-se .Seja ouvi-
do o Sr. desembargador fiscal.
No de Augusto F. de Oliveira, pedindo o regis-
tro da nomeacao de seu caixeiro despachante :
Registre-se.
o de Francisco Guedcs de Araujo, Portuguez,
de 42 anuos de idade, domiciliado nesla cidade c
esubelecido cora sua casa de commercio de gene-
ros de estiva, por grosso, pedindo matricular-se :
Seja ouvido o Sr. desembargador fiscal.
No de Manoel Cypriano Ferreira Rabello, pe-
dindo o registro do seu contrato ante-nnpeial por
escriptura publica :Kcgistre-se.
No de Quinteiro iV Agr, pedindo o registro do
seu contrato de sociedade: Seja ouvido o Sr. des-
embargador Gscal.
No de Bernardino Jas Monteiro, Brasilero, de
Gl annos de idade, esubelecido nesta cidade eom
armazem de fazendas em grosso e a retalho, pe-
dindo matricular-se :Seja ouvido o Sr. desembar-
gador fiscal.
No de Ildefonso Jos de Abreu, por seu procura-
dor, pedindo o registro dos documentos que apre-
scnU, pri vando a transferencia do dote de sua
mullier para doze apolices da divida publica :
Registren)-se.
No de Daniel Paneras Wild e Thcodoro Just, pe-
dindo o registro do distrato de sua sociedade :
Registre-se e publique-se.
No de Frederico Alves Pereira Pinto c Antonio
de Souza Leal Floros, pedindo lainhem o registro
do distrato de sua sociedade : O mesmo despa-
cho supra.
o do o registro da escriptura de sen contrato ante-
nupcial :Registre-se.
No de Joao Velloso SoarOS, pedindo o registro
da proruracao que aprsenla : Registre-se.
No da cotnpanhia Pcrnai iburana de naveg
casleira, pedindo o registro do documento que
aprsenla, provando a acquisico que fes do vapor
Parahiba -Registre-se.
o 3a m i hia, pe lindo o registro da
Imperial que approv esUtutos eos
uestes :Visla ao Sr, uesemba zador fiscal.
PRACA DO REUFE 19 DE JANEIRO DE 1864.
Cota?oes offlelaes.
s :t horas da tarde.
Assucar mascavado americano20(X) por arroba
< do Canal2450 por arroba.
Descnlos8 0(0 ao anno.
Fretes de assucar deste porto para o Clyde 35| e
.'i i)|0 por tonelada.
do Maranhao para Liverpool20j por tone-
lada sem priraagem.
de algodo1 d| por libra sera primagem
do Maranhao para Liverpool.
Dubourcq Jnior, presidente.
Gumares, secretario.
NOVO~BANCO
DE
PjERrVAJflBUCO
O novo banco de Pernambuco convida os cre-
dores das massas fallidas de Mosquita & Outra, e
Francisco Antonio Correia Cardoso a apresenu-
rein seus ttulos no banco para se proceder a res-
pectiva verilicaco at o dia 31 do crrente Janei-
ro, depois do qual se proceder o dividendo peles
ttulos que estiverem verificados.
EM 19 DE JANEIRO DE 1864.
O banco desconta na presento semana sete por
cento ao auno at o praso de quatro mezes.e a nove
por cento al o de sois mezes, e faz emprestimos
sobre ttulos commerciaes.
DECLARACOES.
Alfaadega
Rendimento do dia i a 18.......
dem do dia 19.................
283:926094
29:356(1417
313:282*511
Jlovliuento da alfandega
Voluntes entrados com fazendas..
com gneros.
Volumes sahidos
com
com
fazendas..
gneros..
149
263
"05
75
412
177
Descarregam no dia 20 de Janeiro.
Patacho inglez Bellote Crestfazendas.
Patacho inglezEditldiversos gneros.
Barca inglezaConslance- bacalho.
Patacho inglezS'-ottbacalho.
larca franceza -Pi/itAo -diversos gneros.
Barra francezauceancarvSo.
Polaca nacionalI/si inftocharque.
Barca portuguezaGratidaovarios gneros.
Brigue portuguezS. Manoel Iceblas e diversos
gneros.
Brigue portuguez Soberanodiversos gneros.
Barca inglezaMargarettfazendas.
Barca inglezaIsabella Raidbacalho.
11u portaco.
i.ugre inglez Ei.'.ith, entrado de Liverpool, con-
signado a Wilson & Helio, manifesiou o seguinte:
140 toneladas carvo de pedra, 50 barricas eer-
voja, 6 linas e 1 caixa peixe, 5 ditas resina,3Q bar-
ris breo ; aos me sinos.
Barca ingleza Conslance, e.'itrada de Terra No-
va, consignada a lohnston Patera C., uianifestou o
seguinle:
:|620 barricas bacalho; aos mesraos.
Escasa nacional Ernestina, entrada do Para,
consignada a Paliueira & Beltro, manifestou o se-
guinte :
00 barricas vastas, 634 caixas o 32 barris cora
10540 libras c &2'i2 galoes de oleo do kero sene;
a ordera.
Brigue portugu -z Soberano, entrado de Lisboa,
consignado a Tnomai de Aquino Fonceca Jnior,
nianife-iou o seguinle:
45 barris vinagre ; a Luiz Jos da Costa Amorim
a c.
3 pipas o 10 barris vinagre ; a Joo Macdo do
Aiii.nal.
in li.inis visillo tinto, 30 barris vinagre; a Cu-
nha limaos C.
IGI saceos farelo, 100 barris cal em pedra; a
Euzebio llaphaol Habello.
10 lianis a/.oite doce; a Thomaz do Aquino Fon-
coca Jnior.
30 pipas o 100 barris vinho, 10 ditos o 5 pipas
vinagre, i) barris iz< ite doce, SO ancoretas azeite-
nas, 233 caitas diversos tatnanhos passas, lOOcai-
0 molhos ceblas, 300 caixas batatas, ion
larris cal, 5 fardo- albos, 330 lages de uanUria,
mi >lin! i nu" pal nos quadrados,85 motos e dous
quiulos de -al: a Titomaz de Aquino Pone
Dior.
riliuial 9 esmnercit.
Pela secreUria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico que nesU daU fica re-
gistrados os seguintes contratos de dissolueao de
sociedade :De Daniel Paneras Wild e Theodoro
Just, que gyrava nesla praca sob a firma de Wild
Si Just. ficando Daniel encarregado de tode o activo
e passivo da exiincta firma, e Theodoro, livre e
desonerado de qualquer rcsponsabilidade ; e o de
Manoel Ferreira de S, Frederico Alves Pereira,
Pinto o Antonio de Souza Leal Flores, que gyrava
sob a liima de Pinto e Flores, ficando a cargo deste
todo o passivo da mesma, e S, pago do rapiul e
lucros que Ihe competiam como socio conunandi-
taro.
Secretaria do tribunal do commercio de P-r-
nainliiico, 19 de Janeiro de 1864.
Julio Gnimares,
Oflicial-maior.
irihntial la retaras.
Por ordem do Exm. Sr. ronselneiro presidente
da n laco se faz publico para os lins convenientes
que os seguintes advogados esto sem proviso :
Provincia de Pernambuco.
Francisco Jos de Figueiredo.
Joo Damasceno Barros.
Joo BaptisU Soares.
Manoel Gomes de Mello Brrelo.
Manoel Sorapio de Almeida Fortes.
Amaro Jos Lopes Coutinho.
Benlo Jos de Albuquerque.
Eliodoro de Mello Albuquerque.
Miguel Primo Villar do O' Barbosa. '
Antonio Marques de Albuquerque Cavalcanti.
Pantaleo de Siqueira Cavalranli Jnior.
Alagnas.
Francisco Fernandos dos Sanios.
Manoel Antonio Xavier de Freitas.
Jos Antonio Pereira Gumares.
Joo Gamillo de Araujo.
Joo Nunes da Fonseca Collaco Galvo.
Jos Apolinano de Parias.
Leopoldino Antonio da Fonseca.
Francisco das Chagas Musa
Parahyba.
Francisco Ignacio Peixoto Flores.
Rio Grande do Norte.
Jos de Borja Caminha Raposo da Cmara
Ceara.
Padre Joo Ferreira Luna Socupira.
Padre Amonio Carneiro da Silva Araujo.
Augusto Ponles de Aguiar.
Ignacio Ribeiro Pessoa.
SecreUria da relaco, 19 de Janeiro de 1864.
O secreUrio da relaco,
Domingos Alfonso Ferreira.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co que no dia 15 de Janeiro corrente se principia
a contar os trinta das nteis marrados para a ro-
branca bocea do cofre dos impostos seguinte,
pertencentes ao anno linanceiro de 1863 1864,
4 0|0 sobre os estabelecimentos de fra da cidade,
prensas de algodo, typographias, corheiras, caval-
lariees, botis, botcquins, casas de pasto e hkftras;
12 0[0 sobre estabelecimentos de commercio em
grosso e a retalho, armazens de recolher, de e-
positos e trapiches; 8 0|0 sobre consultorios m-
dicos e cirurgicos, escriptorios e cartorios ; 50J
sobre casas de modas, bilhar, rhapos, rmtpa rs-
trangeira, e commissao de escravos; i:00UVKH>
sobre casas de operaeoes bancarias com emissoe
privilegios ; 3003 sobre as com emisso e sem
privilegios : 3003 sobre companhias anonymas e
agencias ; 2003 sobre casas de cambio l(i0,5 so-
bre correctores commerciaes e agentes d* lei
500 rs. sobre as toneladas de alvareagas ; 303**)
sobre escravos empregados no servio das mes-
mas : 10 0|0 sobre os terrenos oceupados com o
planto de capim, e o imposto de carros, carracas
i e mnibus.
Mesa do consulado provincial 13 de jareiro de
1804.O adrainidrador,
Antonio Carneiro Machado l:
i\>uipauhia de caval aria de Pernam-
buco.
A companhia de cavallarla compra cavallos ne-
vos, grandes o sies.
Quartel no campo das Princezas 16 de Janeiro
de 1864.
Manoel Porfirio de Castro Aranjo,
Capito commandante.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para forneciment
arsenal do guerra tem de comprar us objecin se-
guales :
Para o corpo da guarniro, do Ceara.
l'.asemira verde 34 covados.
Para a compashia do Rio Grande do N
C ~ imii a verde 28 covadoa.
Quem quizer vender laes olijectos apreseni
suas profistas i in carta fechada na
conselho as 10 horas da inauba
lente.
Sala das rommissoes daosaelbo arfminisl
, forneciineiiia do arsenal degoern ,
Antonio Pedro
'
Vugal secreta)

*


IMarl* de lerrt*ailiiiw Qutiri* felra -
*
r
iH
-
Con tula to provinel >l.
Pela mesa do consalado provincial se fax publi-
co que os trinta das marcados para a cobranza
bocea do cofre do Io semestre do imposto de JO
0|0 do consumo de agurdenle das freguezias des-
la cidade, dos Afogiutos, S. Loureaco da Malla,
Santo Amaro de Jabont, Vanea e Mribeca, per-
tcncente ao auno Hnanceiro corrente de 1H63
4864 se principalo a cenlar do dia 15 de Janeiro
corrente.
Mesa do onsulado provincial de Pernambuco
l-\ da Janeiro de 1864. O administrador,
Antonio Carneiro Machado Rio?.
f.onipanhin Peraamba -ana.
Sao convidados, de ordem do conselho de direc-
cao, os Srs. accionistas, para se reunireni em as-
scmblea peral, no sato da Assoriaco Commer-
cial, no dia 2.' do corrente ao meio da.
Pernambuco. 15 de Janeiro de 1864.
t ousrlho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos
Sfgointai :
Para o preattio de Fernando de Noronlia.
800 alqueirea ie fc/inlia de mandioca, medida
velha.
Para aula do 9* batalhao de infamara.
Papel almatjivwsmas t, pomas de aro, caixas
t, caivete 1, tinta preta, para eserever, garrafas
% lapis de pi, itonia 1, taimadas 12, grammatiras
portuguesa.' 7. compendie de arithmetica 1, pautas
7, lapis de ardoria 12, compendios de doutrina
christaa 7, ditos de metrologa 7, lapis de pao para
desenho, duiias 2, estojo para desenho- linear 1,
papel para desenho linear, resmas 2, esquadros pa-
ra desenho linear 7, canelas, duelas % gis 1 libra.
Queni qniaer vender taes objectos apresentem as
anas proposta* em-carta fechada na secretoria do
conselho aeiO horas da manhaa do dia 22 do cor-
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo pa-
ra fornecimento do arsenal de guerra 15 do Ja-
neiro de 1861.
Antonio Pedro dt & Bmreto,
Coronel presidente.
S. A. do I!. Barros,
Major vogal e secretario.
i rreiu.
Pela administricao do correio desta cidade se
faz publico para fins convenientes que em virlude
orreos de Jt!dte dezembr'de ISM, e artigo 9 do I
decreto n. 18i de 15 de roaio de 1851, se procede-.
r o consumo das cartas existentes na admnistra-
?~o perteocentes ao mea de Janeiro de 1863, no dia ,
de feverairo prximo, as 11 horas da manhaa,
na porta do mesrao oorreio ; e a respectiva lista se ;
acha desde ja exposta aos interessados.
Administra! ao do corren de Peruamboco 12 de'
Janeiro de 181540 administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
LEILOES.
V
DE
liua liberna Da ra do Rosario da
Boa-\isla a. 51.
O agente Pestaa legaimente autorisado far
leilo da armaeo, gneros e mais utencilios exis-
tentes na taberna da na do Rosario da Roa-Vista
n. 54 por conta e risco de quem pertencer. Os Srs.
pretende mes podem examinar o balanco em mao
de agento e o leilo lera lugar quarta-feira 20 do
corrente pelas 12 horas a manhaa na mesma ta-
berna.
S5 RUA NOVA
RiKD DfPQSffQ SI
25
PIANOS
DE
JOAO PEDRO VOGELEY.
Neste acreditado estabelccinicnto se encontrar nma soberba eollecro de piano dos mais cele-

NOVO ESTABELECIMENTO BE MEDICINA HOMEOPATHlC
RIJA MOTA LV. 43. 3
0 Dr. Sabir 0. L. Pinfao mudou o sen CONSULTORIO para a loja
rua Nova n. 43, onde continua a dar consultas todos os dias uteis desde o
2 horas.
de mansera
Baria dia att
IJK
Una taberna alta na rua de H.
ios n. 9.
Quinta feira 21 do corrale.
Jos Antonio Anselmo Moreira far leilo por
intervenco do agente Pestaa, e por conta e risco
de quera pertetfser da armaeo, gaz e gneros i
existentes na taberna da rua de S. Jos n. 2, mu-1
to propria para qualquer principiante, por ter pou-
cos fundos e garante-se a casa : o leilo lera lu-
gar quinta-feira 21 do corrente pelas 10 horas da
manhaa na mesma taberna.
li El liAO
DE
Mobil la*, erystaea, caraI los pa-
ra aella e carro, reoslos de
onro e prata. charutos e ni-
tros miiitoN artigo.
Quiata-feira 24 da corrale as M horas.
O agente Olimpio em seu armazem rua do
Imperador n. 16, vender em leilo diversas mo-
bilias, bonitos cavados e varios trastes avulsos
novos e usados, urna armaeo de amare I lo propria
para qualquer eslabeleciim-nto, bombas para jar-
dim, relogios de ouro e p.-ala para algibeira, can-
delabros, lanternas e outios muitos artigos.
^Z^ '!!.CO,nP,^di9.P1os_e.mPre*0 "!> "Ijvo therapeutir e
en-
bres fabricantes da fcuropa premiados na ultima exposicao universal em Londres. Entre estes pianos Diado qualquer rtmedio, tem allopatliico, nom liomeonsthico pasarlo metade drr r.rer
existen) alguns fortes do conde e novissimo fabricante A. Bard, de Paris, nicos nesta provincia fabri- stinnla/t/.e r-i- n^^t^ *~_..-----_ e....,-..---------_ ... .' '
cados por ordem do proprietarioelpressanwnte para este clima. Os senhores amaibres |
dos para vir examinar a perfeicaoik trabalho o elegancia do sen formato e as excellentes
ditos instrumentos.
No mesmo estabelecimenlo rontinua-se a alugar, afinar e concertar pianos e reeebem-sc
commendas para servir ao respeitavel publico tanto na cidade cuino nos arrabaldes.
O proprietario responsabilisa-se pela sua excellente ijualidade.
Mg
INTERNATO
DE
LEHAO
Dl
lYBOS MARTIMOS.
Faaiendas para liquidable.
Sexta-feira 22 do crrente.
Campos & Lima querendo liquidar sua loja de
. fazundas faro leilo por intervencao do agente
; Pestaa, de todas as nzendas existentes na loja da
rua do Crespo n. 16, em leles a vonlade dos coin-
i pradores : Sexu-feira 22 do corrente pelas 10
horas da manhaa.
Balabelerido na cidade do Rerife
Hoh a Protecco do ttuinnio PontiOee Po IX.
Director0 bacharel em mathemaUcas
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
O director do intrnalo de S. Bernardo, nao tendo evitado esforcos nem sacrificios
para proporcionar aos seus alumnos urna perfeita eduea^ao physica, moral, intellectual e
religiosa, offerecen do-I lies urna habilacao com bastantes coiidices o> salubridade, habis
professores que sao solcitos em prepara-los convenientemente ao flm que se destinam,
medico praticoque Ihes faca comprehmder os preceitos di. tiygiene e Ibes cure das doen-
aa, e tlnalmente am sacerdote Ilustrado e honesto que Ihes explique os principios da re-
ligio hristiia. espera que assim constituido nao deixar o sen estabelecimenlo de mere-
cer dos Srs. paes de familias- o auxilio e conflanca com qu- j alguns r> tem honrado; e
Ihes roga, liem como todas as pessoas Interessadas, que se dignem e visitar o mesmo
seu estabelecimento, onde sanpns encontrarao franco uigrosso.
Cadeiras de ensino :Primciras lettras dividida era duas elasses, tendo iyda urna o
seu professor, latim, franeez, inglez, arithmetica, algebra n geometria, geographia, pililo-
sophia, rhetorira, desenho e msica.
O collegio tem a sua sede no espacoso edificio n. 32 a rua d'Aurora contiguo ao de
collegio dos orphaos.
-\os estatutos do collegio. que estao a disposicio de qnem os qtiizer 1er, se acham
consignadas as condicoes de entrada e matricula as diversas aulas do estabeleci-
menlo.
Os enfermos, que o procuraren! logo na invasao da molestia, aem ira?, haiaa to
qualquer rtmedio, nem allopathico, nem homeopaWoo, pagarli
estipulados. Esta concessao tem por flm facilitar a cura de molestias, que podem i
5 pt^los emprego inlempesttvo da therapeutica e ae mesmo lempo
para a homeopattia maior numero de adeptos pela bateza da cura.
Em attenco as pessoas potos, que ncr podem sahir de dia, Dr. SaMno resol-
ven dar duss consultas por semanas as tercas e sexlas-feira* das seis as sete hora
norte.
Os chamado. para visites e conferencias devemser dirjgidee por exrinto ao ciar
sultono desde 8 horas do dia at 8 d noite, na certera de que serte attendMn a
de sua precedencia, salva a rircumstaireiai d eminente perigo.
0 novo consultorio est prvido dbs- melhores edicamentojy desde
ate a trigsima djnaminjsacSo.
Ecomo os mdicos hespanhes e aliame nao ceseamde certiffear a-
j cacia das ultissimas dynaminisacoes do tratamento das moleste coronica* o Dr. Sa no so
j oceupa agera de elevar os seus medicamentos s potencias man altas (por ora ate 200.*),
j afira de verificar jjot si mesmo a terca dynaiaicav que se lhe aMtnbae.
Os mdicos, que quizerem experimentar %es dynaminiws^es poderte dirigir ao
, consultorio suas receitas, que ser3o aviadas gnfait&mente par* os pobres.
| No mesmo (^nsultorio se vende a novissinw edico d Thesouro tmwofOttk
ou Vademcum d) homeopata, obra ndispensave> a- dos que qerem usar da nonMO'
pilmfl.
Tudo o que Jii respeito nova medicina se acha> abundantemente neste novo estane-
aecimeato.
H-J85B6
COMPANHIA PERNA3IBUCANA
Mi
Xavegaflo en*elra a vapor.
Parahyba, Natal. Mario, traeatj, e Cesfi.
O vapor Mamangvape, romman-
daale Moma, seguir no lia ii
do corronce s 3 horas da tarde,
paraos pinos cima indicados.
Heceber carga at o dia ti. n-
onmendaB, passageiros e dinheiro a frote at o
Forte do Mattos n. 1.
FOLHINHAS PARA 1864,
Ma praca da Independencia livraria ns.
GOMP.tNHIA FEltNAMBUCANA
navegacio ens laeci t esealas.
O vapor Parayba, comman-
autorisa(ao do consHl de S. M." Britannica, com
liceneada Sr. inspector da alfandega,em presenca
de um empregado da mesma reparticao a por in-
tervencao do agente Piulo, dos objectos cima
mencionados salvados da referida barra e exis-
tante Martins, seguir para os!*"** na aTandega,.armazem n. 11, onde se ef-
portos aiima indicados no dia fectuara o leilao noi da arima designado.
Vi do corrate as S horas da Principiara as 10 horas em nonO\
tarde. Heceber carga ate o dia:--------
2.1. Eneominemfas, passag'iros e dinheiro a brete
nt<- 0 dia da saluda s .'! Ii iras da larde : escrip- ^y
torio no Forte do Mattos n. 1.
VEliVVtt
DE
Lanchas, botes, taastareos, vergas, car-
reates ancoras, velas, ranas, cabes, e 8, acham-se venda as seguintes folbi-
COrrentes, C oairos objectos salva- ,nbas para no i impressa nesta typographia
eos da barea iu&leza t Kivitt. em excellente lypo e bom papel,
Sexta-feira 22 de Janeiro, na alfandega aroaieni I F h,nl,a de PorU ^"lendo as mate-
'i. ras do coslume, rs.........160
numero ii. ,
John Dunran capitn da barca ingiera Adren,; Ulla ^ algibeira, sob a epigraphe
naufragada perto da costa de Mari j Farinha fara
leilao por conta e risco de quem pertencer, com
(HELIOS DE HIMS
Rio Cr:iufle do Snl.
Segne em puncos das a barca nacional Thereza
1, para onde recebe carga a (rete a precos liaixos :
tratase eom Hallar 4 Oliveira, rua rua daCadeia
numero 20.
Para o iode Janeir*.
Sahir com brevidade o brigue nacional Miner-
'i, recebe carga e escravos a frete : trata-fe cora
Manoel Itjnacio de Oliveira & FiIIju, largo do Corno
anto n. 19.______________________________
i*ar:i o Ro de Vaneiro.
0 patacho nacional Cnjmarn, pretende seguir
cora muita brevidade, tem parte de seu cirrega-
ioenn) cngajailo, para o resto que lhe falta e es-
t\v)s frete para os i|iini's tem bons coinmodos
Loiz
trala-secoraos seos consignatarios Antonio
de Obveira Axevedo & C, no sea escriptorio rua manhaa no largo do Corpo Sanio junto
da Cruz n. 1.
religiosa, conleudo alm das materias
do costume os sete passos da Paixo
de Nosso Senlior Jess Christo ; cnti-
cos do mez Mariano; hymnos e jacula-
torias ao Sanlissimo Sacramento; ex-
plicagoes de diversas oragoes; cora
Serapliica ; exercicio ao sagrado cora-
c5o de Maria ; oracao para visitar as
igrejas no dia da Porcitmcula ; oraco
para escolha dos estados da vida ; dita
a Senhora da Conceicn ; e meditaces
sobre a reforma da consciencia, rs. .
Dita de dita, sob a epigrapheVa-
riedade, coutendo alm das materias do
cuslume : receitas uleis e uecessarias
aos diversos uiyslerios da vida ; physi-
ca e recreativa ao alcance de todos:
pilherias e ratices; poesas ; charadas:
Os administradores da massa fallida de Joa- j mximas e pensainentos colligidos por
Juim Jos da Costa Fajozes Jnior e de Fajozes ym curioso.. ... ......
unior 4 Aznvedo por despacho do Illm. Sr. Dr. .:. rt-il!'s-mti.-a aa i\* "riadi-f nara
juiz especial do eommercio levaiHo a leilao por Ullas eitlul' sl" db t,u latPaie1 Pa,a
interven;5ode ag-mio Pestaa, todas as dividas i resar o ollicni divino, nnligida pelo re-
pertencentes a mesma massa no valor dn........ verendo conego penitenciario da S B
16:531*5371 rs. algumas ducumentadas, a rela-
cao e decumentos existem era mito do agente pa-
ra ser examinada a quem inter.-ssar e o leilo le-
ra lugar sabhado 23 do corrente s 10 horas da
a assoeia-
HI'A NuVA .Y 8.
m:ii\u>
DK -
Sabbado 23 do corrente.
320
320
t ara o Hio de Janeiro
sahir com a maior brevidade possivel o palhabn-
te nacional Vianuio ; recebe anda alguma carga
a frete e escravos : rrata-se esm Manoel IgnacN
de Oliveira di Filho.no largo do Corpo Santo nu-
mero 19.
I cao comnercial.
___AVISOS DIVERSOS.
0 cmir&iiio Leal mudou
a sua residencia da rua do
Queimado pai$i a rua das
araeity-
O hiato Santa Rita tem parte da carga prorapta:
para o resto, irata-se com Tasso Irmios, rua de ^
Amor.m n. 3 i, ou cora o roeslre no trapiche d( (jrUZ^S SOOl'aUO U. OO. Pl'l-
algodao.
Para Lisboa pratende saliir com nraHa lirevi
dade o patacho Jarro, capitn Jos Marques Coe-
lho Sohrinho. por ter parto de sen carreg-amentc
tratado : para o resto que lhe falta, e passageiros
trata-s com os >eus consignatarios Palmeira 6
eltrao, largo do Corpo Santo n. 4, pnmeiro
ndar.
Para Lisboa segu com brevidade o brigut
portoguez Actioo, capito Augusto Venceslao da:
Santos ; este navio tem parte do carregamento
jiromptor* pira o resta a frote. Irata-se eom Amo
nm Irmaos, ra da Cruz n. 3, ou com o mesmo
cap tito na praca do comrnercio.
Segu com muita brevidade para Lishoa, po*
ter prompta a maior parte do carregamento, o bri
ue portuguez Florinda, o qual recebe o resto di
-carga a frete : para tratar, no escriptorio n. 3 da
roa ila Cruz, ou com o capito Joaqaim Augusto
de Souza na praca do eommercio._____________
Para a Baha
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
Olintla...........640
Antonio Jos Rodrigues de Souza a luga a sua
casa e sitio lo Monteiro, em frente ao oito da
igreja de S. Pautaleo, com bastantes commodos :
a tratar na thesouraria das toterias, rua do Cres-
po n. lo._________________________________
Precisa-se de urna ama de leite para urna
crianca de 6 a 7 meses : na rua estruila do Rosa-
rio n. 31, terceiro andar.
Alugase o armazem da casa n. 37, e o pri-
meiro andar da casa n. 43 da rua da Cruz do Ke-
cife : a tratar na luja da bandeira.
ESTRADA DE FERRO
Recife a Sao Francisco.
Grandes Cestas na Boa-Vlagent e
villa Dominsso, 24 de jnioeirn de 1864.
TRENS ESPECIAKS
De i' e 2a elasse.
Para Boa-Viagem partida das Cinco
Pontas :
!.* ao meio dia.
2." as 2 horas da tarde.
Volta da BoaViagem as II horas a
imite.
Para Vil a do Cabo parida das Cinco
Ponas s .1 horas da tarde.
Volta da Villa do Cabo as 9 boras da
noite.
Alm destestreus haver o trem ordina-
rio ili: paasageiros que partir as horas do
ci-stume.
Osbilhe:es vendidos para oa trens espe-
ciaes nao serviro para os tr^ns ordinarios
nem os destes para aquelles.
R. A listn.
SuperitentleiUe interino.
Preciss-se de orna ama par.'irasade familia:
na rua do Apollo n. 28, priraeiro andar.
PR0TEJ.UI PROTCH
EXCELLENTISSIMAS SEHTORASy
%'. lixc.H, sSt> as protectoras do imprtente estiabolccl-
niento rm do Crespo ni. W9
J0S GOMES VILLAR.
Veade-sc por prerwatfhiraTfis a diaheir.
Laas para vestidos a -280 rs. o covado.
Cassas organd>s a 240 e 280'rs. o covado.
5,000 baloes vmdos de encommenda de New-fbrk) e vende-se a 3#l t
eos muito superiores.
Capas pretas bordadas, manteletes bordados, soutembansae* pretos e d*i
Manteletes e chales de guipii pro lo oque ha de mais r*> viudo de Frasca.
Chapelinas de palha para senhora ricamente enfeitadbs.
Vestidos de blonde com manta, capella e stiro para sombra, para noivac-
Cortes de canibraia branca bordados.
Bramantes de linhode 10 palmo, esguloes, selecias-de lina, cambraias- lisas
8 l| varas, a 3*, 4*, 5*, Gi, g e 9*.
Madapoloes Anos a peca de 20 varas a 64, 7, 85 9f &, 125 at 205.
Chitas de var ailos gostos a 320. MW e 500 rs. o eovado:
Oulras militas fazendas de muito gosto.
sopoi nrcfajojd a o^m^e Fpoi uio^swj
Sendo
Precisa-se do um caixeiro dj 14 a 16 annos
com pratica de taberna c que d fiador a uia con-
ducta : a tratar na rua da Moeda n. SW.
OITerece-se um moco solt iro para criado,
cozinheiro ou dispenseiro de casa de familia : na
rua da Lapa, casa de pasto do Sancos-.
I ~~ ama m um
Precisa-se de ama ama quo lenb bom leite c '
sera lillio : na rua da Seuzala Velha n. 22; segun-
1 do audar.
ROIDPA FUITA
NO
AKVA1K
DE
. %^%^W 1%b%^%aa
LKTREI5RO VEJOOIB.
Neste es tabelecimento ha sempre um sortiraento completo de roupa rsita de
to&rs- as qu.ilidades, tambem se manda fazer por medida, vonlade de* concur-
rentes, para o que temum dos melhores professores, assncomo tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendae de todas as quabdades, para senhoras,
homens e meninos.
30500a Cohetes de fuseo e brim bran-
Casacas de pinna prete, 35 e
iSoOOO-
Prof&s&r e pian
Jos Coelho da Silva c Araujo, bem conhecido_________________________________________
nesta cidade, conlina leccionar piano e musi- IKolillos para cli uriso.
ca vocal por coatmodo preco : quera de seus ser-' Estao renda na rua do Imp-rador n i, de-
viens precisar, dirija -sea rua do Livramento n. 21, fronte de S. Prancisco, rtulos para, charutes de
segundo andar. diversas tnvencoes, em papel de JiflVnonles cores,
- O Dr. Casanova |ide ser procurado era seu e por preco -ommodo.
| consultorio especial homeopathieo no largo da na-1
flp A qpriavn PAlTin opmnw trizde Santo Antonio n. 2. No mesmo consulto-1
UXj U nr-AlYintn O ntl'llnilAT linia n- era tinturas eeni glbulos, deixando elogiar os i
piUlllIJLU a qtlull[UUi UUXCt ya j n0ssos medicamenUis pelas pessoas que os tem ex-;
perimentado e conlinuam a servir-se em nossa
botica. Temos tambera obras accommodadas a
ra o exercicio de sua pro-
fisso, diamado por escripta.
Sabbado, 23 do conente mez, se extra-
hir, a quinta parte da segunda lotera da'
Sania Casa, ao consistorio da igreja de
Nossa Senhora do Rosario da fregue/.ia de
Santo Antonio.
Os bilhetes e meios acham-se venda na
intelligenria do novo.
No dia t;- do corrate por voll do meio dia,
subi um larapio ao segundo andar db' sobrado- n. ^
2'J ao largo do Panizo, o aproveitando-se da au-1
sencia do dono da casa, surrupiou um relogio de j
caixa dnanu a enfiado em um trancolira de ouro,:
o signal mais saliente do relogio- adiantar-se
co, 3*5t0, S* e
Sereulas de btim de linho,
2A40O e ......
DiUs de abjodo, il600 e. .
Camisas do peitos de linho,
3,55001 5, 4a\ U e.....
Ditas de madapoUo, 3#,
2*500. 2oe.....
Chapeos de massa, pretos ran-
cezes, la*, 9 e. .
Ditos de filtro, 5, 4*. 3J500 e
Ditos de sol, de seda, lid,
#,7#e......
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda.......
3*500
35000
45OOO
550OO
O palhabote Gnrihnldi pretende seguir com brt-
-vidade para este porto, tendo parte de sen oam- respectiva thesouraria a rua do Lrespo n. lo senhora
F* lincaaaiueutos para agua. .
Na rua Nova n. 26 fazem-se encanaraenlos da ; muilOy e o tiancelmi e comprido do-ennar ao pes- |
companhia do Ui-beribe muito bem feitos por pre- M50, fino, rtdondo, com um bota marchetadode :
co muito razoavtl. vunle, sabe-se qual foi a nica pessoa que ah
i ----------------nr-----------;------------------ sabio e-este foi provavelmente o Mcrcano. N5o |
= Oa-se dinheiro a juros : na se iue.pedu iesitu?;"io. para se iha-oao dar moti-:
rua do Kangrl U. I vode-riso alver-e-se-lhe somen i-que maas-oed'
----------------------------1------------------------------- 011 mais tarde eantnr-se-lhe-ha E na epopt*' para
Ao U. Il* 1 que tenha mais cautela, quando .-er outro fuMo.
!tova leja dos baraleiros na roa do Queiaiado. ; Os do tal cavalloiro mailo breve sori>'
Ricas salas de fus.aoa 65. camisas inglezas para modulados era P^. e varso__par:ijiw a, ^^ \
as suas de fusiaoa 55, camisas inglezas para modulados era prwa e verso par:M|uo
ra a 25, 5300, 35 e 45, eobertai de fuslao i so MJ*"' eochoeida. Guidos* c
as a ,'iA. cliitas com lustro nara coherta com l"03 !_!__________-_____________
_H~
das, por ter quasi prompto o *eu carregamento
para o resto e passageiros, tratase com os coc-
.siguatarios Carvalho & Nogueira, na rua de Apoll >
numero 20.
Para Baha pretende sahir com muita bre-
vidade o veltiro patacho Thereza, capito Joao C01-
reia Lima, por ter a maior parte da carga ; para a
resto qoe lhe falta trata-se com os consignalarirs
>
Palmeira indar.
I
rio
O brigue portuguez JEperafa, capito Louren-
oo Fernandas do Carine, segu com brevidade:
be carga e passageiros : trata-se com os con-
signatarios Marques, Barros 4 C, largo Jo Corp)
Santo ti. 6.________________________________
Para o Rio Grande do Mu
e com brevidade o patacho nacional Su tiput-
de* : para carga e passageiros, trata-se na ruad j
"Trapiche n. 4.
Tara I. sboa
Vai sabir nn da I8dt> correr-
le o velciro e bem ronln rido br
guo portuguez Lata II. capitn
.AntonioFrancisco Vieira, ancuas
.poderereberalguma carga mima
e passageiros, para o que so traa.
. o consignatario E. li. Rabello, rua d;\ Gadeia
11. 53 ou com o cap'
Kosarii n. 12, typographia do Sr. Mira e rua j
da Cadeia n. 45, loja do Sr. Porto.
Os premios de 5:0005000 at 105000
sero pagos urna hora depois da extraccao
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuiciio das listas.
0 thesonreiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
______1.1__________________a
5..
w*
Ao a. ^.
Nova loja dos barataros aa rua lo Queimado.
Tarlatanasdo todas as cores, lazenda muito fina
a 72 a va#:*,cambraia pora cortinado, peca de 22
varas, por 415. chales de laa por 35. 45. S5 e 8,
cambas inglozas para hornera a Mj>, 505 e 605-
Aa b. 29.
Nova loja dos baraleiros na raa de Queimado.
Hicos pretos, franjas de todas as qualidades,
trancas de seda, de algoda e de laa, manguitos e
camisinlias bordadas, collarinhos e punhos, minos-
bordados, botSes de velludo, de seda e de fustao,
bandos de cabello, meias de seda, loques ; ctijr
artigos se vendem por metade do seu valor por ser I
para ai'abar.
Precisase deuma ama para- smhac: na rua
arga do Kosario n. 12, segura! andar.
SSSSSfSS affiftaSSiSIffifli
Attencac.
Bn Offefecs-se urna pessoa competente- fa
MB mente habilitada pela direcioria da ins- fi
gg truccio publica para casinar fara desta
^3 capital o era qualquer oulra provincia, as
a prime, ws-lettras, lingiia nacio.ial, piano
I e msica : a tomar inforniacio na rua
M da (iloria n. 18.
Sobrecasacas idem, 30e
Paletos idem e de cocas, 255,
205 1S5 c.......-10500*
Ditos de casimira, 25; 155,
m,. io5 o...... 75000
Ditos de alpaca, 55 e. .
Ditos ditos pretos, 95; 75,
55 ........
Ditos de brim e ganga de co-
res,45508, 45, 35eoae. .
Ditos branco de linho, 65; 55 e
Ditos de merino prete d cor-
d3o,.l>5, 75 e.....
Caigas de casomira preta, 125,
105, 85e...... 7500;
75000 Sortuneato completo de grava-
Us.
450OO Toalhas para rosto, duzia, 415,
yo c
450OO 'Atoalhado adamascado de U-
nlto vara......
2550a Chapeos deso, de alpaca, pre-
| tos e de cores.....
25550 Lences de linho. ....
Cobertas de chita cbineza.. .
res, 95 e T 75*0a Pennasdaco, as mais superio-
Ditos de casemira preta, 5o e 45000 res, a grosa. ....
Ditos de ditas da cores 55 Retogtos do ouro
45 e...... 35500
Ditos de setim preto. 35*00
Ditos de ditos e seda branco,
65 e 55000 Obrasdeouro.adercos.mcios
Hitos de gorgsrao de seda aderecoti, pulceiras, rselas,
pretos e de afires, 65, 55 e 450fiO anets e cruzes.
Ditas de efires, 95, W*.- .
Ditas de meia casemirado co-
res 5#5C* e. .
Ditas de priojeza e marin pre-
to de conlo, 554o500 e
Ditasde brim branco o-de co-
res, 55, 45500,. 45 e .
Ditas- de ganga de cores,
35500* 35 e .....
CoHetes de velludopreto ede
ajan
ajan
5400
25500
mm
85500
500)
455*0
640

5000
BfMtH
45000
3500t>;
250M
aaai
orizontaes,
905,805 e......7050BO
Ditos de prata, gatvaniaado,
patentes e ortsontaes, 405 e
atmot
es
numero 3.
urna boa propriediide de sobrado no lugar da Tor-
ce, em muito bon> local, muito fresca, cora urna
linda viata por seopertodo rio, e est forrada de
papelv com bastantes commodos |iara grande fami-
lia, u-ndo banrioiio, oocheira, estribara para Sca-
vallos, cacimba cera bomba, muitos arvorvdos no-
vq,, una grawle haixj de capini bem tratada, cu-
____I a, prapriedade perU do Sr. Francisco Gomes de
Oabiixo assismailo, dixilamenie autorisado Oliveira, tirando a raesma propridade confronto a
pelos senhores administradores da massa fallla,' Capunga Nova : quem a pretender, pode-r procu
Offcncee-se urna ama de loie, querativer ur-
gente noce sidade diriurse a Crinaragibe em casa
, de Fraaci- do Mirarala Ca.vaLant de Albu<]uer-
Aluga-sa o primeiro andar do sobrado da rua | aimio.strador do mesmo engenho, au anuuu-
sireia .lo Rosario n. 6 : a tratar na rua ireila |i() p^ e>tA taum
, mesma Uiha.
Constando ao abante assignado, que. pelo *
jnito municipal e doromniereio do termo de Se- I
rinhaem, se vai proceder arrenialac,o em hasta |
publica de urna parte da propriedade Gamella, I
sita no referido termo, e da parte de urna easa
terrea le laiua no mesino lugar, a pretexto de se-
Mntaoobens perteaeentos bmbm fallida de
Bento Panto Zlmhraao, declara o mesmo abnixo
assignado que taes bens niu aerleocem rtierida
tn.ia e sim ao aUaixo. assignado, que os nou.v.0
AIUi.a-81'.
a loja da esquina da rua de Hortas n. 19, oam
una boa armaeo e mais perlences para taUarna,
bem localisaa, j ilescmbaracada dos tmMtos
se acliiva a dever o que intimidava o pre-1 iism! solveren seus dbitos ale o da .11 m Mr-
tendentes ijie queriam arreivlar para eo/.tinuareiii 1 tanto mez de jan'ro, privinimlivos de que, H 18-
CMnaquioUfrOotacH'lacinsento domnneira qnohojoljom nao ilzerem, ter, de chama-Ios ajuizepara
nao tora mais do que sori-la, assim coico jluga-se Obftgar o pagamento, eorao toca succedilo a res-
tambera urna ex.-cluiile casa na travessa da Trem.- i peito de a gnus. Outro sim declara aos mesmos
pe a. 9- para o Mondgo muito fresca u cammodc- | 4eve/oros, tanto de.-a com de outras provincias
para, grande tomilia; no 3' andar do aatmdo to j da eapilai corno do oeotro, >|ui nao podem
uikdo btoeradorn. 44.
soa por elle autwisada com procuraCAa
de Pana fi: C, reiterando o aun.inciojmuius ve- par ;i chave na ruada Senzala Velha n. iO), no
tas ouWcdo por sle joruJ. cvnvkla de novo os prtmelro andar, das l horas da inanhaa as 3 da
de dores da dita soetodade fallida para amigavel- idrjei ov na Gajiiiiga Xuva, estrada do Jacobina,
' em casi do Amar il Aunior, antes o depois das
Atlencdo
Jos Antonio Anselmo Mreirahts*iente po*-
soas que pretenderern arrematar mu b-ili a -na
taberna n 2 sita na rua de & Jos, que so aha.
annunciado para o dia ti do corrale (a#e0 *-
tana -, ipie o mesmo leilo por conta do aaasM-
ciante o nao por conta e risoo de cp>em protonri-r,
como se acha no annuncio dos Ihmios de Ifc 18 *
19 do corrente mez, e beoa assim que o fcfrndo
leilo tera limites, os quaes sero apreseatastos coa
occasio opimriuna. ____ _______
fazer
horas marcadas, .toado pottora
a mesma casa t aluga-se por preco coinmodo.
Um advogado ii.uo t-'in de ir ao Rio Groad*
do Norte tratar de unta causa eoinmereavcarre
ga-se ile qualquer coiiraiira araigaw) en imliciat
naquella provincia : a fallar na rua da, L'mo nu-
om tarear para ver j mero ;|n
AWfnm si;
tres casas terreas no fundo da casa da rua da Fio
rentina n. H, sendo a entrada_ peto porto junto
I'reiisa-so alugnr um lo.olequo pora
- por coiiipra f - da Cadeia do Bscile n. ', torcetro anAu-.
* Para l.lsbon. 1862, do que se Ijivroii e-i-riptura '_,',lica era no
Tttti-ik orgolr tura mnilfi brevidade aoetoira tas do Sr. UbeOjio oao.Bantisia dc-g, Oabixo
beeida barca portugue/a Gratklo, U m i*i|tdo protesta pois a>de contra socadian-
miento prompto. para o re.-lo I", ^rre-natacao i'.previne <\M flU.\ valer o- se-;,
lhe falta irala-so co'ii os seos cunsignatarius lretos contra quem s pretender esim1ylk. ^a
alo Lulz de OliTpfra Azcvcdo 4 C, no siu mansa o paciHca |ws escriptorio roa da Cruz n. I oa com o capito A i- i'ecit'e, 18 dejane-'.ro de ik.*>i.
jomo Percira Borges Pestaa na praca.
juaijuin Lopes Mar;.u,i-
_ Na rua da Cruz precisa-s.* de urna ama
para o servido interno le. urna ras* de pouca fa-
milia.___________-----_-----------------------
_ precisa-so do um menino do It a 11 aanos
tostHtnaos ctafados da Pttrta para caixeiro : na
treita n. til.
rua o..
aumento algum nao ao anuuu.untc ouapos- ^ ^^^ ^ ^ do Gr
.......i. .i;-.:.. .. ..... L.,0I VaH> n {Q^
s3
ra cri^ KaaSalS,^^ p,,,en,.er,dirUa- ": narua ocfulbrJilTcan.eU'oMu'lK.^ ROS, sob pena no prime.ro andar, das 10 horas da manhaa fe
de nullidaile de pagamento e de tono de repei-lo
ao annunciante. ou aos ditos kdmtoistradorojS. Re-
cife 19 de Janeiro de IHil'i
Juo do Souza l'.angcIF.
Alu^a-se urna padaria com grandes eom-
mudos e te dos os pertenecs i tratar na rua da
Concordia n. 6i.
da tarde.
AMcilfiio!
Pedc-se encarecidamente a pessoa que oodia II
do corrento torca por engae de Imti-.iitim do Sr.
Pinto, na rua da Iniperatriz, um rouvuice, o tovor
de entregar ao mesmo senlior que se lhe ear as-
ss agradecida
Heng
Oabaix assignado ost morajuto rua Praia n. 5, terceiro andar, aoodo alo r
assncar, mad'-iras o escravos para vender, r >
tambera convites para d.'raarcardo de ***"*
tanto para o sul como para o a-rie, n .--rtni: lo-
do acuelle que o honrar UM m cenvao *
eumboneias de sen- ik^.k-os nesta pra^a, serao
poiitualinente servidas
Thontaz d.- Figueir.^o
Aluga-se a ras terrea n. :* a na da So
triz, lado ila sowbra, com i quarloN, tgran'. -
las, eozinba tora, quintal murad t eaetoaM pro>
pria, por Iwirato fm : a tratar w mesma casa.
iaaa>


DlUri de I'crnaiuliuco Quai ia elra O de Jaueii o de 184.
NOYES
DE
PARTIDAS DOBRAMS
ulFEHECIUAS
A ASSOCIAQIO COMMBRCIAl BENEi UFA l.
DE
i*i-:iivt.ttii(-co
POR
Alujase
a loja h. 50 da ra da Cadeia, esqu* dfronte da
ra da Madre de, Dos, propria para qualquer esta-
belecimeuto, tendo armazem no fuudo da mesma
luja com communieaeao por dentro e portas para
a traviesa da Senzala, alugaiulo-se tambera o pri-
meiro andar da mesma casa, e ahi acharao com
quem tratar. _______^____
I
de educaco
Terceiro escriturario da thesuuraria
4e faxenda de Pernambuco c coiupeteuteuiei le au-
lorisado para exereer o pro-
fessoralo parlictilar de arithinelica na mesma
provincia.
Acha-se esta obra nos piolo da typogiapha
Cemmercial, d'onde em breve sahir luz da pu-!
blicidade ein ntida impresso e sob o formulo de .
8* portuguez.
Compoe-se esta obra de um volume, dividido em |
urna parte theorica e outra pralica, de fcil; Ican-
ce as pessoas que se queirain dedicar ao cstudo da
escriturado.
A respectiva assignatura acha-se aberta cm to-
das as livrarias desta cidade, ao prego de 55000
por volume.
asa
Jeronymo Pereira Villar achando-se melhorado
de sua saude, iransferio o seu estabelecimento de
! instrurcfio primaria e secundaria para a ra do
, Imperador, sobrado de tres andares n. 9, esquina
que vira para a ra do Crespo; e participa nao
so aos lllms pas de seus estiinaveis alumnos, co-
mo ao respeitavel publico, que as aulas estaro
abortas no dia 8 de Janeiro do corrente anno.
i Miipa oh i u Udclidadc de
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de Janeiro.
AGKNTRS EM I'EFNAMBUCO
Antonio Luiz de Olive ira Azevedo A C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
Botica
e armazem de M
drogas
Ra do i'ahug u. 11.
3REA ESTREITA DO R0SARI0-3
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artiflciaes tanto por meio de
molas como pela presso do ar, nao re-
cebe paga alguina sem que as obras nao
tiqucm a vontade de seus donos, tem pos
c outras pn-paraces as mais acreditadas
para couserva^o da bocea.
DK
Joaquim Mu linho da Cruz Correia.
Vende-se o seguinte :
| Salsa jarrilha de Ilristol.
Pastilhas assucaradas de Kemp.
Pasiilhas vermfugas de Kemp.
Elixir de euro lclalo de ferro do Dr. Thermes.
Rob da Lafecteur.
j i Xarope depurativo d'odor'to de ferro de Cuy.
U | Xarope peitoral sedativo de Cuy.
, Pastilhas peitoraes balsmicas de Guy.
i Pilulas da vida.
Burel franciscano (mesclado) para imagens.
Injeceao Brow.
11 Xarope de citralo de ferro de Chable.
i Pilulas contra seses.
Salsa parrilh de Sands.
Extrac-.o fluido de salsa parrilh de Baih s.
|. Xarope alcoolico de vellame.
| Alm destas drogas ha constantemente um com-
pleto sortimento de tintas, verniz, ouro para dou-
rar, preparados rhuncos c pharmaceuticos que se
vcndein por rommodos precos.
FAZENDAS BARATAS
--HU1 DO 9CEIMA1IO--99
Custodio, ('urculho & C.
a
s
Fins rambraias organdys indianas pelo baralissimo preco de 300 rs
500 rs. a vara.
covado ou
Grande sortimento
dos mais finos baloes de arcos para senhora e pelo barato preco de 35 cada um ditos de
dapolo para meninas a 500.
Novldade
Os mais lindos e mais finos e modernos cortes de la com ricas barras, tendo cada corle
20 eovados e pule baratissimo prego de 205.
Fil de (innovara a 500 rs.
Modernas lazinhas para vestido o covado a 440 rs.
Maques sobre Portugal.
O abaixo assignado, agente do banco
mercantil Portuense nesta cidade, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobie
o niesmo banco para o Porto e Lisboa, por
qualquer somma, vista e a prazo, pu-
dendo logo os saques a prazo seren de ;-
contados no mesrao banco, na razao de 4
por ceoto ao anno aos portadores que as-
si m ihe convier : as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
mmmm mmmm mmm mi
Pede-se ao Illm. Sr. Dr. chefe de polic a de
dar um regulamento para os mnibus, par: que
nao se repit.m as .-cenas de honlem do mnibus
Santo Aelao, que vindo de Olinda admitiio u s 40
passageiros, que vinha a robera do inesmo a es.
talar, e por fim no lugar de SanU Tliereza que-
brou-se a lanca, cahiram passageiros da cobirta e
quando se procurou o recebedor das passag :ns ja
se tinha largado, tendo os passageiros de viiem a
p e perderem o cobre, isto pedeUm do: que
pagou qualro bayos._____________________
Precisa-se de urna ama que saiba eos nhar
engommar perfeitameete : na ma da Concordia
n. 65.
Aluga-se o segundo andar e solo do sobra-
do da ra larga do Rosario n. 29, rom bons eoot-
modos : a fallar na ra do Brum armazem n. 74.
Aluga-se un negro cxcellente copeiro emui
bom bolieiro : a tratar na ra estrella do Rosario
n. 25, segundo andar.
Hontem desappareceu di largo do Lvramen-
to em frente o armazem Baliza, um burro com os
signaes seguintes : castanho caxito, andador, ore-
lha mureba como querendo morder quem o pe-
1, esto autorisados desde j gar ouder noticia certa no engenho Inass em
Jaboato, ser recompensado.
DENTISTA DE PARS
19Raa Nova-19
Frederico Gatitier, cirurgio dentist.1,
faz todas as operarles de sua arle, e col-
loca dentes artificiaos, tudo com superio-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas lhe reconheeem.
Tem agua e pos dentificio.
Aluga-se ote 3" andar do sobrado da ra
Nova, com excellentes commodos para famil.a : a
tratar na ra da Cadeia n. 62, 2 andar.
Aluga-se o armazem n. 4 da ra do Apollo, e
o terceiro andar da casa n. 88 da ra da Impera-
triz ; na ra da Aurora n. 36.__________________
Caralh* & Noguera na ra de Apollo n
20, saccatn sobre Listo, Porto e ilha de S. Miguel
Eiisino primario.
Na ra das Cruzes n. 2, primeire andar, tem
MU sob a direccao de Pino da Silva Coulinho.
Sociedade de seguros mutuos
de vida installada pelo Banco
i 'ulo na cidade do Porto.
Os agentes nesla cidade e provincia Antonio
Luiz deOliveira Azevedo & C escriptorio na ra
da Cruz do Recife a
a tomar assignaturas e prestar todos os esclareci-
mentos que forem necessarios, as pessoas que de-
sejarem concorrer para to til e benfica empre-
za, segurando um futuro li-ongeiro aos associados
No escriptorio de Antonio Luiz de liveira
Azevedo & C, na ra da Cruz n. 1, precisase fal-
, lar com o Sr. Luiz Soares Botelho, tilho de Jos
Soares Botelho e de Fortunata Candida de Souza,
e neto de Francisco Manoel le Souza, natural da
ilha de S. Miguel, o qual consta ter vindo para es-
, ta cidade em 1856, para lhe dar noticias de sua
mai e irmaos que se achata no Rio de Janeiro.
Qn- m pretendere segundo an-
dar do sobrado n, 44 em a
da Aurora, d'Hj-sc
em a loja de Basles Haga!
Rehar rom quem tratar. Assim tam-
[le>n alugam-se as lujas do mesmo so-
brado.
Precsase de urna ama que saiba coser e en-
gommar para casa de familia : na ra Nova nu-
mero 47.
Hll IIO I I WC1IO
Milho bom em saceos de 23 cuias a 35500. e a
160 rs. a cuia, farelo a 3'zO0 e 35800 o sacco :
na taberna pintada de amarello do pateo do Paral-
zo n. 16, oitao para a ra da Florentina.
Sal
Vende-se sal muito grado e por prcc,o coramo-
do : a tratar na ra da Madre do Dos n. 2-
^%^m
E
DE
J. VIGNES.
X. &&. RA DO 1HPGRADOR !*. &*.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz cenhecidos para que seja necessaro insistir sobre a
sua superioridade, vantapens e garantas que aflarocem aos compradores, qualidades estas -intinti
veis qu e.elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesla praca ;
suindo.um teclado e machinsmo irae obedecen) a todas as vontades e caprichos das pianistas,
os de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos impurtaa-
Grande liquidara- de fazendas ale a -
frala nara ullirmU a uva p- i>"n'a'alhar. I"" seren fabricad
iLirt, |iai ,i sr uundi i wituto, ti ii o ci tssimos para o clima deste paiz | quauto as vozes sao melodiosas e flautadas, e or isto muiioamda-
Veilem que destas peniinctias lian ha veis aos ouftdoa dos apreciadores.
Precisase alugar urna negrinha de 14 a 16
annos para urna casa de duas pessoas que o seu
aluguel nao exceda de 145 : a tratar na ra do
Livramenlo n. 29.
Precisa-se alugar um escravo para o servido
de urna casa: na ra da Cadeia do Recife n. 19,
armazem.__________________________________
Dase a quanlia de 205 mensaes pelo alu-
guel de urna escrava robusta, fiel e diligente para
o servico interno e externo de casa de familia : a
ra dos Guararapes n. 26, sobrado de um andar.
sempre : na rna di Imperalriz, loja
e armazem d < Arara n. 56, de i ou-
renro Pereira Mendes Guimares.
Cobertores da Arara a 10.
Vende-se cobertores de pellos a 15 e 15600,
coberia; de chila a 25 ; na ra da Imperalriz n.
56, loja de Mendes Guimaraes.
A Arara vende as lazinhas de 9 pal-
mos al $200.
Vende-se lazinhas de urna so cor e quadrnhos
propros para capas, com 9 palmos de largura a
1,200 o covado, ditas para vestido a 280, 320 e
400 rs. o covado : na ra da Imperalriz, loja da
Arara n. 56, de Mendes Guimaraes,
Brini da Arara a loo
covado.
Vende-se brm pardo de linho com pequeo to-
que de mofo, que depois de rnolhado larga, proprio
para calcas e palitots, a 400 rs. rs. o covado
Fazem-se. conforme as encoinmendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
correspondente de J. Vgnes, em cuja capital foram sempre premiados era todas as expesicfcs.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um cxplendido e variado sortimento d msicas m
uielhores compositores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo ludo vendido
por procos mato razoaveis.
(WHIMENTOS
da:
fixa que j foi satisfeita, e do cima dito a mesma
sociedade pede justificar a verdade.
Lazinha Mara Pa da Arara.
Vende-se lazinhas a Mara Fia muilo finas, rom
1 quadros e palmas de seda, para vestidos a 560 o
Loja do beija-flor.
Meias crias para boarm.
a,llia branca Vendem-se meias cruas para hornero a 25 a do-
Aaguiabraica dirige seus sinceros cumpri- Jia : a ra do Quemado, loja do beija-Bor !-
meatos toda sua boa freguezia, estimando que M .
tivessem boas feslas e entrada do novo anno, e' *fias Para **".
que este bissexto,seja para todos (inclusiveella) de Vendem-se meias para senhora a 35200, 45 e
, muiias prosperdades, com farluradedinheiro etc., i5509a duza : na ra do Queiraado, loja doke-
! para assim continuar a allluir, e satisfactoriamen- ja-lor n. 63.
te proverem-se dos variados e ditTerentes objectos j lia para tardar,
de gosto que constantemente se acham no ninho Vndese la para bordar, de diversas cores, as
d'aguia branca, pagando-os de prompto como brio- mais lindas que se pode encontrar, a 65500 : s
smente costumam. Em (|uauto porm a boa fre- quera vende por este preco i: na foja do beiia-Oor
guezla assim louvavelmente procede, alguns mos da ra do Queimado n 63.
Traneinha para rnfeiles.
ende-se traneinha para enfeites de vestidos oa
roupa de meninos, que tambera serve para enfeitar
caraisinha de senhora; vende-se tranca branca
Kf Ci.lll 'i i \-',ftc Wlli me a ^.>j.fc m~
ponlinhos.
AT
Custodio Jos Al ves Guimaraes avisa ao re>pei-
tavel publico e aos seus freguezes, que em > istas
de se adiar seu estabelecimento em obras afim de
alargar mais o campo para o gallo de novo ca itar,
afim de melhor poder servir seos bons fregu ;zes,
com tudo em quanto durar as ditas obras conti-
nuar a servir seus freguezes no seu grand i ar-
mazem com frente para a ra do Imperador com
entrada pela dita loja do gallo vigilante, ra do
Crespo o. 7.
Manoel Luiz dos Santos & C. tem ju -lo e
contratado a compra do armazem de cabos m lu-
gar da rna do Vigario n. o, pertencente Theodo-
zio Maduro da Fonseca : quem se julgar com di-
reito a qualquer reclaraacao, dignar-se-ha i pre-
sentar no espaco de 15 das. Recife 13 de iacuiro
de 1864.________________________________
A til.
Precisase de urna ama forra ou escrava de boa
conducta que saiba engommar e cosinhar : na ra
das Cruzes n. 36, priraeiro andar. Pagase joiii
ordenado.
Precisase de urna ama para casa de pouca fa-
milia-, na praga do Coi|io Santo n. 17.
Aluga-so o pnmeiro andar do sobrado da rna
Imperial com excellentes commodos para um. fa-
milia numerosa : a tratar na ra do Impera lor,
armazem de loura n. 41.
Aluga-se o 2o andar do sobrade da ni: do
Imperador n. 79, bastante fresco, e decente para
urna familia : a tratar com Antonio Jos Rodrigues
de Souza, na ra dn Crespo n. 18.
MUDABAS
GARKTOS
No oito da secretaria de polica, armazem da
bola amarella, ha urna pessoa encarregada da tiu-
danca de mohilias de urnas casas para oulras, n de
transporte de quaesquer volumes sob a direccao
da mesma pessea : a tratar no lugar cima.
_ Francisco Antonio Coelho, antigo propri ta-
rto do hotel Francisco, tendo-se mudado para a i ua
da Florentina n. 20, avisa ao respeitavel publico,
que contina a encarn.'gar-se nao s de jantares
fiara fra como de apromptar ceias e cha para tai-
ga, casamentas, etc.; igualmente se incumbe de
qualquer encommenda em escala pequea ; a \n-
nunciante sendo bera conhecido nesta provincia,
julga desnecessario ualquer explicado tendente
ao desempenlio daquillo de que se incumbe. T;.m-
bem recebe tscravos para ensinar a cozinhar.
AugusUi Coelho Leite declara ao corpo "do
commercio e a quem interessar iwssa, que em data
do Io do corrente mez fez sociedade com Franc te-
co Antonio de Albuquerquo Mello em ua prer sa
de algodo sita no Forte do Mattos n. 5, gyrando
dora em diante sobre a firma de Augusto Le te
4 Albuquerque, pudendo qualquer dos dous usa-
rem da dita firma.
Precisa-se alugar urna ama para servico lie
cifra : a tratar na ra larga do Rosario n. 33, se-
gundo andar.
1'HITO II
Precisa-se de um feitor que seja entendido para
formar um jardim, e tambera arverejar um sitio,
sendo entendido paga-se bem ; adverte-se, porm,
a essa chusma de quarirupedes que infestam as
estradas, intitulndose feilores, e que nem para
carneeiros servem, que nao se proponham a oc-
cupar o lugar que nao sabem preencher : a tra-
tar no Mangunho, sitio que foi do Bastos, de raa-
nha at as 8 horas, de tarde depois das 6 horas.
Pede-se aos abaxos assignados que tenham
a bondade de apparecer ra do Vigario n. 26 a
negocio que nao ignorara :
Vctjrino Luiz dos Sautos.
Francisco Romo da Cruz (guarda municipal),
Hermenegildo Baduem (caixeiro).
Jos Leonardo Radch.
Jos Mara Nunes.
Manoel Candido Pereira de Lyra.______________
Jos da Siva Capella, subdito portuguez vai
ao /*raraty.
^v i m T* i i------. uuaumo ^ uuiuitio ui; .?cun, una ccuu<.o a uw v
- O abaixo assignade contina a lecc.onar pn- covado sednhas finas a 500 rs. o covado na ra
meiras letras, lalim e francez em sua m^sma re- ja imDeratrz n 56
sidenria na ra Nova n. 58, terceiro andar. Ad- j. Q Afia
mitte tambem 8 alumnos internes, nao excedeudo *"a"* Veiiae S CapuS a o,UU0 rs.
a idade de 10 annos. Vende-se ricas capas para senhora a 85, chales
___________Jos Maria Machado de Figueirede. (,e merino estampado a 25500, ditos finos matisa-
dos de novo gosto a 55, dito de ponta redonda e
borlla a 75500 : na ra da Imperalriz n. 56,
lojada Arara de Mendes Guimaraes.
Oh que pechincha, lazinhas a 280 rs.
Vende-se lazinhas finas para vestidos a 280
| e 320 rs. o covado, lencos brancos com barras de
Precisa-se de um amassador que entenda
perfeilamenle do fabrico do pao e bolacha: a tra-
tar na ra larga do Rosario n. 16.
Precsase de um
do Trapiche n. 11.
copeiro : no hotel da ra
Precisa-se contratar um feilor activo e que
entenda de jardim, sendo de boa conducta, da-se-
Ihe comida e bom salario : a tratar nesta typo-
graphia.
ATTfirClO.
Neste estabelecimento se aluga candieiros de to-
da a especie, principalmente para bailes ou nu-
tro qualquei divertimento qne seja ricamente I-
lumnado a gaz bydrofenM, aflianeando-se aos
prett ndentes que acharao sempre grande quanti-
dade que precisarem para este fim : na ra Nova
n. 24, nova exposico de candieiros a gaz loja de
Carneiro Vianna.
niumiiiaQao a gaz hydro-
genio.
O proprietario da njva exposi?o de candieiros
a gaz avisa a lodos seus freguezes que tem rece-
bido novamente riqussmo sortimento de candiei-
ros e outros pertunces para os mesmos, que ludo
vende por menos procos do que em outra qual-
quer parle : na na .Nova loja de Carneiro Vianna.
Precisa-se alugar una ama portogueza que
cozmlic e engomme : na ra do Imperador n. 71
segundo andar.
coniiiHO
Precsa-se de um bom cocheiro para fra da
provincia, proporcionando-se-lhe bom ordenado e
condigoes favoraveis : quem quizer contratar, di-
rija-se ra da Cruz n. 19, primeiro andar.
Precsa-se de urna ama para casa de rapaz
i soltero, prefere-se escrava : na ra do Queimado
numero 47. ______________
Est para alugar-se o segundo andar do so-
brado da ra das Aguas-Verdes : quem pretender
falle na ra das Cruzes, sobrado n. 9, lado direto,
quem vai da na do Queimado para S. Francisco.
No mesmo sobrado ha para vender-se duas soleiras
de nedra de Lisboa, e as obras em francez, como
sejam : Chateaubriand, Balzac, Vctor Hugo, Mis-
terios de Pars, Guizot, Historia moderna, Cantu,
Historia Universal, Historia do Consulado e do Im-
perio por Thiers. _______
Aluga-se ou vende-se um sitio na Captinga
Velha, cora boa casa, conlendo 4 quartos. gabine-
te, cacimba com boa agua, quartos para pretos,
estribara e fructeiras, todo murado : quera o pre-
tender, dirija-se ra do Crespo n. 18, primeiro
andar.
Aniassador.
Precisase de um amassador : na padara da ra
da Senzala Velha n. 96.
coros a 200 rs., meias finas para senhora a 400 e
500 rs., ditas cruas a 400 rs., ditas para homem a
160 e 200 rs.; na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
A Arara vende as cassas a 200 rs. o covado.
Vende-se cassas de quadrnhos a 200 rs, o cova-
do, ditas finas a 250 e 280 o covado, organdys finos
a 240 e 280 o covado : na ra da Imperatriz n.
56, loja da Arara.
Pechincha, sedinhas da Arara a 800 rs. o covado.
Fivelas de ac e com pe-
dras.
nestes mos freguezes a aguia branca bota-lhe os com 40 varas a 800 rs. a peca, com viras a 50O
rs., com 10 varas a 260 rs. : s quero u-ra na
loja do beija-flor da ra do Queimado n. 63.
iesouras finas para uha e costara.
Vendem-se iesouras Gnas para nnba e costura a
400, 500 e 640 rs., ditas para costura a 500 re.:
Saibam todas as boas freguezias, e apreciadoras na ra do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
do bom, que a loja d'aguia branca recebeu as bo- i Facas e arles
pitas e delicadas, fivelas de acoe compridas, c que| Vendem-se facas e garfos oitavados a 25O0O,
ambem estao se acabando ; assim pois dinjam-se ditascravadas a 35, dilas de cabos pretos a 352U),
logo a roa do Queimado, loja d aguia branca n. 8, ditas de cabos de balan0 cora 3 ^^ p^^^
a 65200 a duza : na ra do Queimado, foja do
beija-flor n. 63.
Esrovas para denles.
Vendem-se escovas para dentes muito ftoas a
120, 240, e 500 rs. : na ra do Queimado, foja do
para nao ficarem sem essas bonitas fivelas.
PERFUMARAS novas
Sortimento do bom.
E cousa j mu sabida, que a loja d'agni branca _
o deposito de finas perfumaras, e alem do cons- beija-flor n. 63.
taute sortimento que nella sempre se acha, nota-se I
mais que acaba de receber pela barca franceza l-
timamente chegada, um grande sorlimento de lin-
dos e agrada vei? objectos propros e excellentes
para presentes, sendo bonitas caixnhas envernisa-
das com fechadura, espelho e perfumaras, oulras
toda de vidro tambem com perfumaras, lindos
boies de porcelana dourada com maviosas e joco-,
Vende-se sedinhas com quadros e lisas, escuras, 1 serias inscriptes, otaros igualmente bonitos e de
Quem livor para alugar urna eecrava perfeita Mendes Guimaraes.
proprias para quem est de luto, por ter urna so
cor a 800 rs. o covado, ditas da mesma qualidade
de cores para vestidos a 800 rs. e ditas de listi-
nhas a 500 rs. o covado: na ra da Imperatriz n.
56, loja da Arara de Mendes Guimaraes.
Pechincha na Arara, corles de chita a 2>U).
Vende-se corles de chita franceza com pequeo
toque de mofo a 25500, cortes de riscado francez
com 14 eovados a 35, cortes de cassas francezas
pintadas a 25 o corte, ditos de barras a 25, 35 e
45 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara de
Mendos Guimaraes.
Casemiras a I000 o covado.
Vende-se casemiras de cores para calcas, colo-
tes e paletots, infestada, a 15600 o covado, cortes
de casemira infestada a 15600 e 25, e em covado a
15 : na na da Imperalriz n. 56, loja da Arara de
Caixiahas cea graupas.
Vendem-se caixnhas de grampas a 40 rs. : na
ra do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Colarinhos para honra.
Vendem-se colarinhos de linho para heraem. de
diversos gostos, a 560 e 6W) rs. : na rna do Quei-
mado, loja do beija tlr n. 63.
Grvalas para senhora.
Vendem-se grvalas pafa senhora, de diversas
cores, a 500 rs., 800 e 15 : na roa do Queimado,
loja do beija-flor 11. 63.
Boies de pooho para manguitos de senhora.
Vendem-se boies de punho para manguitos de
senhora, de diversos gostos, a 2(10 rs o par : na
branca, ra ra do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Fitas para debrum de vestidas.
Vendem-se fitas para debrum de vestido de la
pretas bordadas, com 10 varas, a 15100, dita de
seda prela a 15200, dita de cor adamascada a
I52OO, dita branca de Ia com 11 varas a 480 rs. :
scientficar sua boa freguezia sempre que recebe na ra do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
diversos moldes sem nsmpeo, mas todos elles
com lina banha para cabellos. Nesse especial sor-
tmenlo vieram js bem conhecidos leos phloco-
me, de Lubm, e babosa; assim como pomadas, eos-
metiques, sabonetes, opiata, finos extractos de agra-
daveis ebeiros, etc. etc. Assim, (os, coucorram
os bons freguezes para a loja d'aguia
do Queimado n. 18.
O VI II O AGU 4
branca
rozinhera e engommadeira, dirija-se serrana de
Paulo Jos Gomes, ra nova de Santa Rita n. 13.
Bemjamin Frankin da Cunha F'orrio nego-
cia duas letras vencidas, urna da quantia de 5005,
e outra de 1:2805, que garanti e pagou pelo Sr.
Joaquim Coelho Cintra.
COMPRAS.
Compra-se urna mobilia de Jacaranda:
ra do Crespo n. 23 se dir quem trata.
na
SOCIEDADE
NLlO BENEFICENTE
MARTIMA
Por ordem do Sr. presi dente scienlifico pela se-
gunda vez que no dia 22 do corrente pelas 7 ho-
ras da tarde haversesso da assembla geral, a
negocio de grande monta independenle do nume-
ro marcado conforme oarl. 51 dos estatutos.
Secretaria da Sociedade Unio.Beneficente Ma
ritima 18 de Janeiro de 1864.
Balthazar Jos dos Reis.
Io secretario.
Compram-se escravos
de ambos os sexos, e pagam-se bem : no escripto-
rio da ra da Madre de Dos n. 3, primeiro andar:
Compra-se um cofre francez em bom eslado:
na loja da ra ireila n. 82.
A Arara vende roupa frita e baiala.
Vende-se palitots de casemira a 15500, 65 e
85, calcas de 35500 a 5.3, palitots de panno a 105,
ditos lios de 125 e 145, palitots de bnm de cor
a 25500 e 35, ditos de meia casemira a 35500,
calcas de bnm de cores a 25 e 25500, ditas bran-
cas de linho a 35500 e 45, ditas de meia casemira
a 25, coletes a 25500 e 35, camisas francezas a
. 15600, ditas finas a 25 e 25500, ditas de linho
prega lana a 35. serouias finas a 15600, dilas de
linho a 25 8 25-r>00 : na ra da Imperalriz n. 56,
loja da Arara de Mendes & Cuimares.
Baloes da Arara a 3:5, 3$o00 e -f#.
Vende-se baloes americanos, os melhores que
tem vindo, de 20, 30, 35, 40 arcos a 35, 35500,
45 e 455OO, ditos de brilliantina a 45, ditos de
madatiolo a 35600 : na ra da Imperatriz n. 56,
loja da Arara.
Chitas da Arara a 210 rs.
Vende-se chitas a 240 rs. o covado, ditas fran-
cezas com pequeo toque de mofo a 280 rs., dilas
limpas a 320, 360 e 400 rs. o covado : na ra da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
novos c apreciav n objecios, porm os seus ate-
res durante o mez pasudo a privaran deesa Bats-
fafo, o mesmo agora sendo-lhe impossivel des-
crever minuciosamente a infinidade dos novos e
diferentes objectos que lia recebido por lodos os
vapores, limita-se apenas a dizer que o ninho d'a-
guia aclia-se constantemente mu bem sorldo, e
porconsegunle o ponto mais acertado para nelle
se adiar que de novidade e de bom se deseje ;
assim, 1 mis. continu a sua boa freguezia a dirigir-
se munida de dinheiro ra do Queimado, loja
d'aguia branca n. 8, que acharao explendido e va-
riado sortimento de finas porfumarias,galanteras,
etc., etc., tudo isso vendido com barateza, agrado
e sincerdade.
Precisa-se de urna prela boa quitandeira, fa-
ga-fe 205 mensaes : quem a ti ver, dirjase raa
de Hartas n. 106, que se dir quem quor.
Precisa-se de urna ama para comprare co:J-
nhar para urna pessoa : a tratar junto da igreja le
S. Jos n. 27, c prefere-se que durma em casa.
ATTMQAO.
Frecisa-se de urna ama para cozinhar
Imperial n. 13.
Na reparlco da ageneia do correio foi per-
dido, no tirar de outros papis, um bilhete ou re-
cibo de um relogio portencenlo Joo Gomes da "
Silva, morador na villa do Bonito, cujo recibo veio
para com elle ser entregue o relogio do poder do,
relojoeiro, que ficou para o consertar. Avisa-se ao
Sr. relojoeiro para que. nao entregue o Telonio sem
que seja 10 seu legitimo dono mencionado no mes-
rao bilhete ou recibo.
Compra-se um negro que seja perfeito cozi-
nhcro e assim um bonito mulato : no escriptorio
de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo C, ra da A Arara recebeu pelo vapor um sorlimento de ro-
inriras para senhora, dos melhores gostos que
tem vindo, a preco de 15, 1^600 e 2-3.
Vende-se romeiras para senhoras de cambraia
de salpico* brancos e de cores e bordados a 15,
Compram-se constantemente garrafas vasias. 1?600 e 25, golinhas com botozinbo a 580 rs.,
I'ltkl'inl fik iCf iiril(\c ni 11* T4;..l.. > I~ illt 1 com i.mt.i.- .1 I., 11 -"i n i ti K. 1 1 t%
Compra-se efTeciivamente ouro e prala em
obras velhas : na praca da Independencia n. 22
loa de blhetes.
Na ra da < adida do Recife n. 1, primeiro
andar, deseja-se fallar com o Sr. alferes Pedro Jos
Pinho, a negocio de sen inieresse.
Aluga-se o primeiro e segundo andar dn so-
brado da rna do Noguera : a tratar na ra Uirei-
ta, luja de ferragens n. 73.
na ra
Aluga-se urna casa com 3 grandes quartoii,
2 salas, cozinha fra, cacimba eporlocom pequi-
no quintal, naSoledade, ra da Conquista : a ira-
i-ar na ra da Cadeia do Recife n. 3.
Jos Antonio de Faria Couto, subdito portu-
guaz, retirase para a Pa rahi ba.
Ca rtas.
Na ra da Senzala Velha n. 96, padara ten
cartas .vjndas do norte para os Srs. Manoel Morei-
ra o Sotiza e Jezuino Al ves Fernandes.
Alu#am-se duas casas terreas sitas na estra-
da do Chora-menino ao entrar da ponte pequeaa
com os segointes commodos : 2 salas, 4 quartos
c i.-inba foca, quinlaes murados e cacimbas uto
proprias para nwrada de tima grande familia 011
de duas iuiimiujenlo relacionadas, por seren jim-
ias e taren no interior ponas de eonmankacao :
i traiar no sitio n. 1 oa estrada do hospital Po'rtu-
gv*i ou no paleo do Carino sobrado n. 2.
A pessoa que anaunciou querer 6005 a pre-
mio de 2 por cento cora hypotheca em um predio
dirjase loja da Lyra n. 59, ra do Queimado.
Oflcrece-se urna pessoa para caixeiro do ra ou
cobranza de. qualquer casa commercial, uaudo fia-
dor a sua conducta : a tratar na ra da Praia nu-
mero 44.
Precisa-se de tima ama para o servico de
urna casa do pouca familia : na ra da Gloria nu-
mero 36
OfTerece-se um menino brasileiro de 14 an-
nos para praticar em loja de miudezas ou oalro
estabelecimento de igual natureza: tratase na ra
do Forte u. 20.
na fabrica de espiritos na ra Direita n. 17.
Compra se em bom eslado o diccionario me-
dicina de Chernovis, com o seu formulario ou sem
elle : na ra do Cabula, loja n. 18.
Compra-se um boi novo que esteja acostu-
mado andar em carroca : na ra da Cruz n. 42,
primeiro andar.
VENDAS.
ditas com peitos e botozinbo a 15, camznhas
para senhora a 15,15600 e 25, aventaes e corpi-
nho para meninas a 500 rs. : na ra da impera-
triz n. 56, loja da Arara.
GRANULOS e XAROPE
D'HYDROCOTYLE ASITICA
de J. LEPINE
Vendem-se ferros para fazer hostias : na ra
rehua n. 73. ____________
Veode-se
urna vacca parida de poueo com cra, boa de lele,
para ver e tratar na taberna defronle da capella
de S. Jos do Mangunho.
GAZ GAZ GAZ
por preco reduxido.
IMHS
sem
Das experiencias feitas na India, e em
Fianga, resulta que as affeccoes da pelle, e
todas as que resultam d'um vicio orgnico
sao prom|itamente curadas por esle novo
medicamento. Segundo um relatorio feilo
na academia imperial de medicina de Paris,
elle foi julyado til e eficaz nao smenle
tas affeccoes leprosas e em algumas outras
molettas da pelle rebeldes, mas tambem
Vende-se gaz da mellior qualid de pelo ""'?**#*<- E enlim, al-
'e o de iOd por lata de 8 galoes: no ar- guns Prallcos distmcios, e especialmente os
azem do Caes do Ramos n. 18 e im do'Srs- .Dev,er8?. Cazenave e Hillairet, medi-
pr
mazem
i Trapiche Novo n. 8.
Vende-se nina canoa de carreira
Itoda n. 48.
na ma da
Aluga-se una rasa grande 110 Campo Verde,
lado Socepo n. 2 : a traiar na mesma casa. locada na povoaco do Monleiroja muo'a'fr'eg.ie-
Vende-se um apparelhode senaria, constan-
do de 1 sorra brazal, I serrote grande, 2 cabos de
linho, 2 moiioes e i corrente, tudo em perfeito es-
tado : na ra da Imperatriz 11. 23, taberna.
Huta altencao.
Vende-se a taberna condecida por Favorita, co-
Aula de i lint.
-Va ra Vova n. 65, segundo andar, .icha-se abor-
ta aauiapaiJiculardo latim do padre J. M. Ma-
cicl.
C. Paterson
se pajyt a Dahia.
2 or.incas e 3 criadas, retirara-
TINTURARA.
Tinge-ee com perfeico para qualquer
cor, e o mais barato possivel: na ra do
Rangel n. .'{8, segundo andar.
Bernardo Jos Perora, da Cosa segu nesles
1 das para o Para. !
zada, tendo poneos fundos, e propria para qual-
quer principame : dirija-sem ao mesmo estabele-
cimento.
az.
Latas com 5 galoes a 105
-Nova n. 42.
na ra da Senzala
eos do hospital de San Luiz, de Paris, af-
feclados ao tralamenlo das molestias cu-
tneas, empregaram as preparacoes d'Hy-
drocolyle com um nolavel successo contra
os eczemas, opreriasis. o impeiigo e as di-
versas variedades de dartros, contra as af-
feccoes syphilecticas rcenles ou antigs,
a lepra, as ulceras, escrofulosas e oulras,
os rlieu'matismos chronicos, etc.
Deposito geral em Paris: E. Fourniei
& Labeloni/e, pliarmaceutieos, ra Bourbon-
Villeneuve. 1!>.
Em Pernambuco deposilo geral : na casa
de Caors & Barbosa, ra de Cruz n. 22.
Feljo.
Vende-se feijo em saceos : para r no trapi-
che do Cuuha.
SAL.
Vende-se sal do Ass superior : ua roa da Ca-
, deia do Hecife n. 3.
costurarlas com msicas e
ellas.
A aguia branca araba de receber lindas o deli-
cadas caixiulias com musirs o sem ellas, proprias
e excellentes para um bom presente : como de seu
louvavel rstame, a aguia branca da rita do Quei-
mado n. 8, vende as por pregas razoaveis.
FITAS BRANCAS FINAS
pai'adcbruuliiii'coll tes, palciots e ves-
tidos.
Acham-sc venda na ra do Queimado, loja da
aguia branca n. 8.
PENNAft KACO
Ingiezas.
A aguia branca receben as superiores pennas de
ac,o ingiezas, do afamado fabricante Perry, sendo
o sortimento grande, e das qualidades que mais se
apreciara, inclusive a amaniata a balao etc. ele.;
cada cana traz urna groza : os pretendemos, pois,
dirjam-se com dinheiro ra do Queimado, loja
d'aguia branca n. K.
Abotoaduras de corna-
linas para colletes
Quem quizer botar em seu collete urna bonita
abotoadura oval, de tina cornalina, ha de chegar-
se com 25 loja d'aguia branca, ra do Queimado
numero 8.
\OVA*
seiiientes de hortaliza.
Chegaram no vapor francez Guiene as novas se-
mentes de hortaliza : na ra da Cadeia do Recife
n. 56 A, loja de ferragens de Bastos.
Vende-se urna casa terrea no bairro da Boa-
Vista, ra da Mangueira n. 18, com 2 salas, 4 quar-
tos, cozinha fra, quintal murado e cozinha: quem
pretender, dirija-se mesma com muita attengo
para examinar: a tratar na Capunga Velha junio
ao sitio do Sr. Feliciano Jos Gomes, com a viuva
do Sr. Jos Evangelista da Cosa e Silva.
I'echiuclia para mu rapaz que
quslra negociar.
Jos Auslrieliano Tolentino de Ahneida tendo
de retirarse para fora da capital, pretende vender
seu estabelecimento de charutos no largo do Ter-
co n. 2, nao s proprio para charutos cuino lam-
bem para deposita de massas : quem pretender,
dirija-se ao mesmo, que se vender razoavelniente.
Vende-se um terreno com 9 pequeas casas
terreas sitas na ra da Ksperanca, negocio van-
lajoso nao s pelo renilinienlo como por passar a
estrada de ferro de Apipucos na frente do terreno:
a traiar na ra da Soledade n. 72.
Vende-se una eserava africana de idade,.
propria para vender na ra occuparfio esta a que
est acoslumada : a tratar no caes 22 de Novem-
bro n. 30, oseada junio ao caf dos arcos, segundo
andar, entrada a esquerda.
Penlcs travessos para memuas
Vendem-se penles travessos de borracha para
meniua a 400e 500 rs.: na ra do Queimado, loja
do beija-flor n. 63.
Papel de diversas qualidades.
Vende-se papel araizade a 640 e 700 rs., dito de
cores a 600 rs., dito adamascado a 15, dito branca
a 900 rs., dito beira dourada a 15200 : na ra do
Queimado, loja do beija-flor n. <:i.
Uoloes de madrrpcrsla.
Vendem-se boies de madreperola para colU-te,
que tambem Rorrea para casaros ta xiilioraa
400 rs. a abaleadura : so quem vende |>or este
dreco na ra do Queimado, loja do beija-flor nu-
mero 63.
linas de Jmmii.
Vendem-se luvas de Jouvin para hornera e se-
nhora, chegadas no ultimo vapor : na ra do
Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Vende-se na luja de miudezas, calcados c funi-
letro, ra da Imperatriz n. 78 :
Bicos de linho, vara a 200, 280 e 320 rs.
Hernias de algodao, vara a 60 e 80 rs.
Hilas lisas, vara a 10 e 60 rs.
Papel de peso, 40 cadernos. resmas 35-
Lindas de cores em carreleis, 30 D. a 320.
Hilas pretas e cor de caf, libra a 15120.
Carios com clcheles a W rs.
Ditos em caixnhas a 60 rs.
Cartas de alliueles de ferr a 100 rs.
Caixas de (landres com palitos a 40 rs.
Frascos regulares com tinta ngleza a 120.
Lavas de coces para homem, par 160 rs.
Duzia de botoesinhos de louca envernisados a
iii rs.
Caius grandes com obreia a 60 rs.
Boies de metal para calca, duzia 20 rs.
Ditos de osso para calca, groza a 180rs.
Tesouras a 60 e 80 rs.
Canelas a 10 rs.
Itetroz azul ferrete com um toque de mofo, oilava
a 8 rs.
Borracha para borzeguim, vara a 25600.
Fio para sapatero, novello a 40 rs.
Dedaes para meninas a 10 rs.
Vidrilho preto, libra a 15.
La de cores, libra 2 65.
Canecas e espumadeirasde (landres para engenho
a 15000.
Cocos e candieiro a 140 rs.
Chaleiras para 8 chicaras d'agua a 400 rs.
Dilas pequeas a 240.
Flandres para 10 libras de doce a 700 rs., para 8
libras a 500 rs., para 6 libra a 400 rs.
Marmitas pequeas a 500 rs.
Itacias, regadores, bules e oulros milito objectos
que se toma enfadonho mencionar, que vista do
comprador qne trouxer dinheiro se lhe dar por
diminuto prefo.
MAGCAR
Helios instrumental de mgicas, propros para
theatro 011 (liverlimentns de sales, e bem anta
excellentes machinas de phanlasinagoria com ex-
cellentes vistas, e umitas com inovjinento; vnde-
se por preco razoavel na rna da Cadeia do Hecife,
armazem da exposico de Londres n. 60.
MASCARAS
Grande sortimento ie mascaras, sendo de vel-
ludo, seda, setmi. cera e de papelao ; vende-se rn
grosso por preco razoavel : na ra da Cadeia do
Becife, armazem da exposirao de Londres n. 60.
Vende-se una taberna sita ua ra de lionas
n. 106, a tratar na mesma.


I -
Miarlo de Pcrnaubuco i
GRANDE JTCEYOIjI'VIO
.Ni)
ARMAZEM
co
0 lioniem do movimento uo estaciona.
- AVANTE E! SEM
GUERRA AOS INIMIGOS
Nao se adniitte a uniao comniercial:
seqaer a diaba da illianca.
Nao se teme a furia dos corsarios.
Este anuo ha de ser blssexlo.
Os canhes estilo preparados.
FOGO! BOM FOGO!! 1ELII0R FOGOI!!
Abai 10 a lita d'agna no vinagre
Viva a liga do gcnuin dierescom o fiambre!
Viva o conservador das conservas iuglezas !!
Vivan os liberaes freguezcs do BALIZA!!!
Vivan todos que lerem este annii ncio.
SE y 110 RES E SEN IIO HAS.
O proprietario do grande Armazem do llaliza estabelecido raa do Livramento na.
38 e 38 A, defronte da grade da igreja, acaba de reduzir os presos de quasi todos os
gneros do seu magnifico deposito.
A tarifa abaixo publicada atiesta bem esla verdade.
A gaerra aos iniraigos, est portanto, assim declarada.
As pessoas, anda as raais exigentes, que se dignarem vir este estabeiecimenlo,
ficar3o por certa muito satisfeilas, nao s quanto As tratamento todo atteacioso que se Ihes dar.
Alm do cumprimento dos deveres da toa educaco, haver dora em diante ainda
maior capricho em satisfacer todos que honra em esla casa.
Os gneros, pelas qualidades e precos innunciados, sero offerecidos ao exame
dos Srs. compradores. Naoreceieo publico que se pratiqueo contrario, como em outras
casas, que at annunciam o que nao tem___0 Baliza nao illudc___
Ameixas francezas em caixinhas e em frascos
de diversos tamanhos a l.oo, l.tioo,!
2,ooo, 2,ooo e2,8oo rs. e a libra a 8oo rs.!
Amendoas novas a 32o rs. a libra.
Manteiga ingleza flor a 8oo rs. a liora e de 8
libras para cima ser aberto um barril na
presenc i do comprador.
dem de 2.a e 3.a qnalidade a 7oo, 6oo e ioo
Alpiste a 16o rs. a libra, e 4,8oo re. a arroba.' re. a libra.
Arroz do Maranhao, da ludia, e Java a 8c e dem franceza a 560 rs. a libra, e em barril
llua do Qucliuado nmeros
1 e 35,
est disposto a continuar a vender pelos precos
abaixo declarados, pois para principar o novo
anno.
Caixas de obreiasde cola muilo linas a 40 rs.
Varas de franja de laa de todas as cores a 4(1 rs.
Ditas de tranca do 13a de todas as cores a 20 rs.
Ditas de trancelim branco muito superior a 20 rs.
Trancas de algodao brancas e de cores a 80 rs.
Dunas de meias para senhora muilo superiores a
34800.
Grozas de penna de ac muilo finas a 300 rs.
Caivetes de duas e tres folbas a 500 rs.
Ditos de una folhaa 80 rs.
Caixas para rap, muito booilas de calungas, a
100 rs.
Capachos redondos e compridos a 300 rs.
Caixas com muito superiores obreias a 40 rs.
Varas de franjas brancas e de cores, largas, a
160 rs.
Pares de botoes para punho muito bonitos a 120 rs.
Carreteis de iinha Alexandre com 200 iardas a
100 rs.
Carloes de Iinha Pedro V com 200 jardas a 60 rs.
Ditos de Iinha de o jardas a 2 rs.
Duzia de meias brancas parahomem a 15600.
Caixas cun toldados de chumbo a 120 rs.
Tinteiros de vidro com superior tinta a 160 rs.
Ditos de barro a 100 rs.
Grozas de botoes uo louca pratiados a 160 rs.
Tesouras muito linas para costura a 320 rs.
Ditas ditas maiores e melhores a 400 rs.
Estovas para limpar (lentes muito finas a 200 rs
OUas para unhas a 800 rs.
Laa de todas as cores para bordar a 75 a libra.
Caixas com phosphoros de segurancia 160 rs.
Cadernos de papel branco e azul a20 rs.
Pacote de papel amizade a 600 rs.
Caixas com 100 anvelopes muito superiores a
oOO rs.
UNIO
mercant:
RA DA C A lli:iA 1IO RKOFE J. 53.
NOVO E
9SHD3 AE1ZE2 DE 1C01KDOS
f RA DA CAMBIA DO RECIFE Si 53,
_i ESSSS? e,nandf D"arte acab? de abrir na rua da Cad'a do Recifeo. 53, um grande e sortido armazem de moldado* de-
nominado imao Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavd publico um completo sortimenlo dos mellores
commodo"e ^ m U,lll es,ran8eiros' como nacionaes, os quaes sero vendidos em purgues ou a retalho por precos asss
Manleiga ingleza especialmente escolhida Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Sardinhas deNanlesa30rs. oquartoe560
Licores inglezes e francezes em vazos de di-
versos tamanhos a l.ooo, l,5oo e 4,8oo
rs. a duzia.
Cadernos de papel de cores, grande e pequeo, a
40 rs.
Silabarios portnguezes com catangas de todas as
qualidades a 320 rs.
Graxa em latas muito nova a 100 rs.
Cartas e laboadas para meninos a 60 rs.
Caixas com superiores iscas para charuto a 40 rs.
Carreteis de Iinha de cores com 200 jardas a 60 rs.
Haralhos muito linos para voltarete a 280 rs.
Hodinhas com allinetes francezes a 20 rs.
Cartas de allinetes francezes linos a 40 rs.
Caivetes de cabo de madreperola de duas folhas
a 500 rs,
Luvas brancas de algodao linas a 80 rs.
Miadas de Iinha frOxa para bordar a 60 rs.
A GRANDE CURA
PARA TODAS AS MOLESTIAS DO
FIG/iDQ EAS EITMM
de primeira qualidade a 800 rs. a libra,
em barril se faz abatimento.
Manteiga franceza a mais superior do mer-
cado a 500-rs. a libra, e 520 rs. em barril
ou meio.
Prezunlos inglezes para fiambre, de superior
qualidade, chegados nesle ultimo vapor, a
720 rs. a libra.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 20r>OO.
Queijo prato muilo fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 30000 a arroba.
Cha uxin o melhor que ha neste genero.
1
veiros de Lisboa, em latas de
2 libras a 6U0 rs a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades Arruta verdadeira a 320 rs. a libra.
i latas hermtica- Cevadaa 120 rs. a libra e20 a arroba.
mandado vir de conta propria a 20800
rs. a libra.
Cha hyson muito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
^ 10500 rs. a 'ibra.
Cha preto muito superior a 25 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com dilTerenles
qualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
oulras muilas marcas a 10350.
Bolachinha de soda em latas grandes a 20.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 500 rs. a libra e 30 um quarto ; Ervilhas francezas e portugnezas em latas de
10200 a caada. rs. meia lata.
Azeile doce refinado em garrafas brancas a Laias com peixe em posta : savel, corvina,
. ^ '? _.. vezugo cherne, linguado, lagoslinha, a
Azeite doce de Lisboa a 610 rs. a garrafa e I03UO rs.
40800 a caada. Salmao em latas, preparado pela nova arte
(.enebra de Hollanda a 500 rs. o frasco e -de enzinha, a 800 rs
50800 a frasqueira. Maca de tomates em latas de 1 libra a COO
Caixinhas com ameixas francezas, ornadas ris.
com ricas estampas na caixa exterior, Chouricase paiosem latas de 8 e meia libra
muitopropriasparamirao,a 1020", 10500 por 70.
e 20. ; Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra
Frasco de vidro com lampa do mesmo, con-! 80600 a arroba.
tendo meia libra de ameixas francezas, a Bolaxinha ingleza a 320 rs a libra e 40 a
10200. | barrica.
Marmelada imperial, dos melhores conser- Sa>!U muit0 novo a 240 rs- a ,Dra-
a
a Cevadinha de Franca a 200 rs. a libra.
Farinha do Maranh3o a 120 rs. a libra.
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a
Avelas muitb novas a 200 rs a libra.
ibra.
ibra.
Alpislaa 160 rs. a libra e 40800 a arroba
Dalalas muilo novas em giRos com 40 libras
por 10 e a 40 rs. a libra.
Cebollas a 10 o molho com mais de 100 ca-
da um.
Amendoas confeiladas de diversas cores a Caf 'avado de primeira qualidade a 300 rs.
800 rs. a libra. j a libra e 90 a arroba.
Macas e peras chegadas neste ultimo vapor, Caf do Ceara muito superiora 280 rs. a li-
muito perfeilas, s vista se faz o prego.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Azeite doce retinado a 8oo rs. a garrafa,
dem de Lisboa a 64o rs. a garrafa e 4,8oo
rs. a caada.
loo re. a libra.
por menos.
Aletria branca e amarella a 4oo rs. a libra. dem em latas a 20000 e a 10500 a lala.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra. _,
j Massa de tomate em barril a 480 rs. a libra.
Batatas novas em gigos de 36 a 4o libras por l le,n em ,ata a i0 n- a l:,,a-
l.ooo re. e a 4o rs. a libra. Mostarda ingleza 400 c 600 ris o pote.
Biscoitos inglezes Lunch a ISoo rs. a lata de Marmelada imperial dos melhores fabrican-
5 libras. i tes de Lisboa a 600 rs. a libra,
dem de diversas marcas em latas menores Marrasquino de zara a 8oo rs. o frasco e a
a l,3oors. 80 a duzia.
dem de Lisboa de qnilidadc especial em la- Wa*22 Pard, *>Pa talharim e macarrao a
tas grandes i- pequeas a 3,ooo e l,5oo rs.
Bolachinhas americanas, a 3,ooo rs. a barrica
e 2oo rs. a libra.
Banhade porco a 44o rs. a libra, e em barril
a 4f'0 rs.
Baldes americanos muito proprios para com-
pras a l.ooo rs.
Cha huxym, hysson e perola a 3,ooo, 2,8oo,
2,5oo, 2,ooo e l.Ooo rs.
dem preto a 2,ooo, 1,6oo e i.ooo rs. alibra.
Chanpagne a melhor do mercado a 42,ooo o
gigo e ? l,2oo rs. a garrafa.
Chocolate francez primeira qualidade a I,loo
rs. a libra,
dem hospanhel a l,2oo rs. alibra.
dem suisso a l,ooo rs. a libra.
Cerveja branca marca Allsopps a 4,5oo rs. a
duzia, e a loo rs. a garrafa.
Cognac inglez a 64o rs. a garrafa a 8oo e a
l.ooo re.'
Concervas inglezas ern frascos grandes a 75o
rs. o frasco.
480 rs. a libra.
dem finas, eslielinha e
cora 8 libras a 16U0.
pevide, caixinha
r>ozesa ICo rs. a libra.
Peixe preparado de escabeche, da melhor'
qualidade que lera vindo ao mercado, a
fralata.
superior a
640
res a
Presunto de lamego muito superior a 480
rs. a libra,
dem par fiambre (inglez)
libra.
dem americano a 400 rs. a libra.
Papel almaco a 30000 a resma,
dem de peso a 20 a resma.
Pililos para dentes a 160 rs. o mago.
Dito dito de flor a 200 rs.
1 Ditos do gaz a 2021K) a groza
,Pissas novas a 480 rs. a libra e a 10800 a
caixa.
Cueijos flamengos do ultimo vapora 20500.
Lito londrino a 900 rs. a libra.
E'ito prato a 640 rs. a libra.
as
Pilulas Vegetis Assiiearadas
De Kexnp
Compostas dos dois novoi resinoides chama-
dos Pooopiiiuxa e Leptandrina, e inteira-
mente livres de Mercurio ou outros venenos
miocraes ou mctallicos, slo Jado nos paizes clidos em cazos de
DISPEPSIA, ENCHAQUECA,
Coiktipacao ou Prizo do Vcntre,
PADECIMENTOS DO FIGADO,
Affeec.fles Biliosas,
HEMORRHOIDAS, COUCX
Ictericia,
FEBRE GASTRO-HEPATICA,
E oulras fiifprmidndcs anloga?.
Elh. vio rpidamente Butfcfa'toiodo os anfgos
purgantes drsticos.
A venda as boticas de Caore & Barboza,
rua da Cruz, e Joo da C. Bravo d C, rua
da Madre de Dos.
dem francezas de muitas qualidades a
rs. o frasco e a 5,5oo rs. a duzia.
5oo
Sardinhas de Nantes a 320 rs. a lala.
Lita de Lisboa a 640 rs. era lata grande.
Charutos neste genero temos grande sorti- Sag muito superior a 240 rs. a libra,
ment tanto, da Babia como do Rio de Ja- Sil relina lo, em potes de vidro, a
neiro a l,6oo, 2,2oo, 2,5oo, 3,ooo e4,ooo
rs. a caixa.
Caf do Cear muito superior a 28o re. a libra
e a 8,ooo rs. a arroba,
dem do Rio a 3oo e 28o rs. a libra.
Ceblas a 9oo rs. o molho cora mais de loo
ceblas.
Chouricas e paios a 72o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 2oo rs. a libra.
Cevada muito nova a 8o rs. a libra.
Copos lapidados a 5 e 6,ooo rs. a duzia.
Doce de guiaba em latas a 4oo rs. a libra,
dem de caj em latas a 320 rs. a libra.
Ervilhas francezas e portuguezas a 5oo e 64o
rs. a lata,
dem seccas a 16o rs. a libra.
Figos de comadre em caixinhas com 8 libras
por I600 rs.
Farinha do Maranhao a 12o rs. a libra.
Farintia de trigo muito superior a 12o rs. a
libra.
Farelo em saceos grandes a 4,ooo rs. o sacco
Genebra ingleza marca gato a I,ooo rs. a gar-
rafa.
dem verdadeira de Hollanda em frascos muito
grandes a l,2oo rs. o frasco.
dem do Hollanda em fraseos pequeos a 5oo
rs. o frasco.
dem de laranja a l.noo o frasco.
Gomma do Aracaty a 8o rs. a libra.
Graxa a loo rs. a lata e l.loo a duzia.
Linguas americanas de grande taraanho a
l,ooo cada urna.
o pote.
Sibo massa a 120,
libra.
600 rs.
160, 200 e240rs. a
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Cito de Santos e 300 rs. a libra.
lijlo para limpar facas a 140 rs. cada um.
Vassouras americanas a 64o rs, cada urna,
dem do Porto a 400 rs, cada urna.
Velas de carnauba e composico a 320 rs. a
libra e a 100 a arroba,
dem stearinas superiores a 560 rs. o
maco, e era caixa por menos.
Vinho do Porto, neste geneno temos o me-
lhor sortimenlo possivel, que vendemos
por precos muito haixos a 10 a garrafa e
a 10/ e 12 a duzia.
ptima acquisi^o de es-
tabeiecimenlo.
Vende-se a toja de ferragens da rua da Cadeia
, do Recite n. 61, com pequeo fundo e ainda bem
i sortida, tanto de ferragens como de miuderas, as
i quaes esli em hom estado, vende-se s com as
inenadorias, e garante-se o arrendamento da casa;
| propia para algum principiante, nao s por ter
pouco fundo como por estar j afreguezada e ser
| urna das lojas mais bem localisadas desta cidarie :
os pretendentes podem dirigir-se mtsma Inja,
| nao s para examinaran o bahnco como o eslado
das mercadorias.
OL IIE MMIIh "
Vendriii-.se barris com cal des-
ta procedencia, em pedra, chega-
da hoje, e nica nova, que ha no
mercado, na rua do Trapiche n.
13, armazem de Manoel Telxel-
ra Basto.
hua da Seiizalla Nova b. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tacha* de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Lovc
Moor libra a 120 rs.
F4ZEMIVS
baratas para acabar.
! Sedas de quadros e de lislras a 320 rs. o ce va-
' do, lindas laas de quadrinhos a 360 o covado, su-
periores cassas de cores a 200 rs. o covado, d tas
i muilo finas a 240 o covade : na loja das columnas,
na rua do Crespn. 13, de Antonio Correia de Vas-
concelos S C.
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 re.
Champagne da marca mais superior que
tem viudo ao nosso mercado a 180 o gigo,
garante-se a superior qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs a garrafa.
Caixas com vinho do Porto, superior de 90
a 109a duzia, e 900 a 10a garrafa; deste
genero ha grande porco e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 1 4 e 153 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Cambes, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figoeira e Lisboa, a
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito.novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor nesle
genero, a 10200 a libra.
Chocolate hespanhol a 13200 a libra.
Genebra de laranja em fiascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5*800 a duzia.
bra e 80400 a arroba.
Caf do Rio, proprio para negocio, a 80.
Arroz do Maranhao a 100 rs. a libra e 208CO
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra o 2*400 a
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixo.
Macarrao, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abalimenlo.
Eslrellinha, pevide e arroz de massa para sopa
e de outras muilas marcas a 10 a garrafa
e 100 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
90 a duzia.
400,180 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200 Mostarda ingleza em potes j preparada a
e 33500 a caada. 400 rs.
Vinho branco de superior qualidade, vindo Moslarda ingleza em p, em frascos grandes,
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500 a 10 cada um.
rs. de barril. Sal refinado a 500 rs. o pole.
Cognac inglez de superior qualidade a 800 D,?.?,rV f*te ** a caixa*'m 6 '*"*
e 10200 a garrafa. iPalltos "e denle hxados com flor a
......... ... o masso, dilos hxados sem flor
Licores francezes das segrales qualidades : I masso com 20 massinl.os.
An.zele de Bordeaux, Pla.s.r des Dames Gomma de engommar muito fina a 80rs. a.
200 rs.
a 160 rs.
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra e
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inleiras ou em meias, i!a
10600, 20 e 30.
Presuntos do reino, vindos de conta propria
de ca*a particular, a 400 rs. a libra; inlei-
rose faz abatimento.
Osscnhores que comprarem de 1000000 para cima, terao o descont de 5 por cenlo, pelo prompto pagamento.
Duarte A- C, receberam de sua propria encommenda pelo brigue
Florinila, chegado ltimamente de Lisboa os seguate* gneros todos de pri-
meira qualidade por serem escolhidos pelo Sr. uarlo chefe de nossa casa
L.uvas de pellica.
Chegaram para a loja d'aguia branca, rua do
Qneimado n. 8.
ig* ltimamente chegado daquella praca.
_ Verdadeiro vinho collares em ancore-
; retas de 9 caadas a 50,000 e 800
j rs. a garrafa.
S? Vinho branco B A Filhos, em barris de
C5^ quinto a 60,000 e 560 rs. a gar-
r4/M rafa.
S Vinagre P R R. om ancoretas de 9 ca-
^1 nadas a 18,000 e 2,000 rs. a ca-
';^f nada.
P Passas em caixas, meias e quartas a
8,000 4.00(1 e 2,000, a 480 a libra.
Peras seceos em caixas de qualro li-
bras o melhor que se pode desejar
a 2,500, e 640 rs. a libra.
':/_' Caixinhas de 4 libras e 2 com amei:
j03 a 1.500 e 2,500 rs. a caixinha.
1*4r Chocolate portuguez, o melhor que
^* pode haver de hora neste genero
1,000rs. alibra.
Marmelada propiamente dito de mar-
mello, a 64o rs. a lala e em caixas
de 100 latas a 600 rs
.\\i Maca de tomates a mais nova que se
@S9 pode desejar a 640 rs. a lata e em
caixa de 100 libras a 600 rs.
Ervilha portugue/a a 700 rs. a lala,
e em caixa de 100 libras a 640 rs.
Passas corinthias para pudim a 640
rs, a libras, e 400 rs. comprando de
arroba para cima.
Nozes as msis novas que se pode de- ^J
sejar a lOOrs. a libra, e comprando '\'
em barricas a 4,500 rs. a arroba. |
Sebollas era caixas as mais novas do -.
mercado a 6,500 rs. a caixa, a 800 fe??
re. o molho, e a 640 rs. o cento.
Batatas em caixas de 2 arrobas muilo |g
novas e grandes a 2.100 rs. a caixa.
Sextinhas com figos proprias para mi- ~0p
mos de enancas a 60 rs. cada tima Js
AGENCIA
DA
FUNDICO DE LOW-MOOR.
llua da Senulla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de momias e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro balido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston d- C,
rua da Senzalla Nova n. 42.
F4HIIMIA
Saceos com farinha nova e igual a de Muriheea
a 5o00 : no armazem da aurora biilhantc, largo
da Santa Cruz n. 81.
MemCherry,eda Madeira em barris e em'
caixa, a 120 a caixa e o barril conforme o,
tamanho
dem de Figoeira e Lisboa, em ancoras de'
8 a 9 caadas, por 280000.
Dito em pipa a 30000, 30500 e45ooo a ca- da rn('"ri>>i". propria para vestidos de senhora e
cnancinhas, pelo barato preco de 240 cada co-
vado.
PECHIMCHA
Custodio (Jarvalho Compa-
rt a
t Rna do tuelmado8 J.
Novas Ifiazinhas escossexas multo lindas, fazen-
nada
dem do Porto, denomiuado Baliza, a 50 a,
caada.
I-lera idem era garrafoes a 20500, com o'
garrafo.
dem de Bordeaux, das melhores marcas que
vem ao mercado, a 60 a caixa e a 610 re.
a garrafa.
t
ClkD
Vende-so podra de alvenariaTrutaMe muito
boa qualidade, mu propria para edificare e
principalmente para alicorees, que lornam os
edificios muilo mais solidos, se tornero utialquer
quantidade com presleza e posta no lusar preciso,
> inagre de Lisboa a 10000, 108oo e 20000 a com hite por rento menos do que o preco do li-
jlo geralmenle usado. Recebem-te as encommen-
(las n;i fabrica da travessa do Carioca n. 2, cues
gos. limo, caf, laranja, cidra, gin-
ga, canella, cravo, ortelaa, pimenta
e outros muitos de qualidades monos
superior que sero vendidos por pro-
nos em rclacSo as suas qualida-
des.
Os proprietarios afiancam que estes gneros sao muito novos e ludo
de primeira qualidade, tudo isto se vende nicamente no amatan Unifioe
Commercio na rua do Queimado n. 7, e largo do Carmo n. 9 armazem pro-
gressivo.
QudjOS
do alemtejo, das ilhas e flamengos, todos chegados neste ultimo vapor, a
2,500 os flamengos e 800 ris a libra do alemtejo e das ilhas. nicamen-
te no armazem Unio e Commercio, rua do Queimodo n. 7 e largo do Car- Va
rao armazem progressivo.
a&s^@ ;^>^^ &$mm m$@m ^mmm^mm>
Venda tln-va.
Os liqoidalarios da mu fnil da de
e comprando em duzia ter grande py Jos Antoii'O Itasto venden) a livpolbe-
abatimento.
F.rva doce muito novas a 500 re. a
bra, e comprando em arroba
10,000 rs. -&:
Crrannos rauito novos a 400 rs. a li- Wm
bra e 10,002 a arroba.
Licores portuguezes das marcas mais
acreditadas de Lisboa a 1,000 a gar-
rafa e 10 a 12,000 a duzia, as quali-
dades sao as seguintes : creme de
violetas, geroflez, rosa, absintho, ves-
peiro, amorperfeito, amendoa amar- '/.',
ga, percicot deturin. botelin, raoran-
c;i que lem nos enj^enhos \\ lio (in ss
c Cajabuss no iermo de Sci-inliAeiii nu
valor de ;il:N:?;>$OI I rs.; traltf as
6>8M a na do I rapiche n. 34.
m
lltPO iTO
de rap princeza dasse, do $U de Ja-
neiro, na rua da t ruz n. 18, e>crp-
loiio de .1 s Joaqoim Lima Kaiio.
Acha-se o deposito suppridn de iap grosso^
nu'iogrosso e lino, assim como de l'aulo GerriHro;
nos ltimos vapores vieraui as qnalidada mencio-
nadas, as quaes se fazcm recummeiular aos UM
apreciadores^__________________________
* ara quem quirer prira ipiar.
Vende se a loja de miudezas sila na rna Im-
perial n. 33, com poucos fundos c bem a mida, e
por presos bastante bromis ao comprader, Ina
j mais a seu favor a loja ler armar >, purea nSo
i obrigado o comprador ficar com ella ; em qn.-.nt
ao alugucl e coinmodo ; o dono faz uegoeio por-
que lem a seguir o'itra carreira._____________
Vndese c envenho S. Manoel. sito na fi<-
guezia do Rio Formoso, e margein do rio S
nhaem.o qual demarca com os engentas Cari
ra, Chango e tamelleira, me com agua e mnjt
copciro, lem capacidade para safrcjai 2.'
annuaes, e se acha quasi to.io em m.iia rtrfi m,
distando do embarque 1|2 lego : qoeni i
dirjase ama doVigano n. 5, que achara rom
quem tratar. ____
llua da Senzalla n 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston A C,
sellins e silhoes inglezes, ciniliciros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
FARINHA FONTANA.
Farinha da muito acieili a marra
Fontana "csemliaica-ia boje, vende-se
por proco mais eoinmot! do que em
Mocaos.
vendern es
arros de um e dous cavallos. e relogios de qualquer oulra parte : na rua da l ruz
ouro patente inloz.
caada,
dem idem.em garrafoes com 5 garrafas, por
10 com o garrafo.
Vinho de caj a 10 a garrafa. Este vinho
tem dez annos.
do Ramos.
Cal de Lisboa
chegada ltimamente ; na rua do Vicario n. 19,
primeiro andar.
rtiS
Barricas de breu com 8 arrobas, de superior
qualidade: na rna da Cadeja do Recife n. 50 A,
loja de ferragens de Bastos.
n. 4 casa de S. 0. Bielier & t, sucecs-
sores
Cal de Lisboa e pofassa da
Rnssla.
Vende-se na rua daCadeia do Recife n. 26, para
onde h mudou o antigo e acreditado deposito da
mesma rua n. 12, ambos os gneros sao novse
Vende-sc a casa lenca n. 26 da rua da Ale- legtimos, o se vendern a preco mais barato do que
gria : a tratar na rua da Impcratriz n. 40. utra qualqueriparte.
Na travessa da Madre de Dos n.
caixas com macaas a M.
Vende-se manteca ingleza fli>r :i i'60 e T20
rs., dita hollaniUva muil lina a 800 W "-'iia fr:.n-
enaaMO e 600 rs., queijos OamnifH MMSfl
2^600, dito de prato i wO, Ha i I Md
triaemaearraoa 480, sab.lo nieto muto-recua
200 rs. a libra, e em caixa a IRo. olm de i k
WO rs. a libra, amendoas Raras a 2oo rs., asi
240, presumo a 460, gomtva I > s 110 r-.. bota-
rhinha de aramia a 280, dila inplera a -80. >!ita
de soda a 14410 o 25 a lala. a.tn-ar .'me,.
muito alvo projirio para don
arroba : no largo do Carmo. esmMM da rna da
lionas n. 2.
m casa de Milis Lalham i'.., na roa !-
Crnx n. 3A, vende-so ferro galvanisado de na i
melhores fabricantes ingleies,
tas de casas.


e
Diarlo de Peruanibnce Qiiarfa feira 'o de Janeiro de 19*14.

ARMAZENS
DO
COMO MUMCA 1101 vi:
PROGRESSISTA
RA IIAS (lUillS V. 36
E
BA DO CI1ESP0 N. 9
* |
Sa balrro de Manto Antonio.
Joaquina los Ciomes de N onza scientifica a seus numerosos freg ue
NO
ARMAZEM
UNIO
K
COMMERCIO.
O LARGO DA li:\llA IO
Franelaeo Fernandez Dnarte dono deste muito acreditado armazem
de motilados, acaba de receber neste ultimo vapor os mu desejades gneros escolhidos
s e ao publico em geral que acaba de est.belecer um novo armazem de molhados j Pr eHc na Eur0Pa'todos muil P^pries para a festa os quaes est resulvido a vender por
do Crespo n 9, aonde se encentrar sempre os melhores gneros de estiva, que Pres barat se vcnderao a retalho e por atacado, por menos dos que se vendern em outra quaiquer P^' de engenh e lavradores para que mandem suas relaces para serena despachadas
parte, aJfiancando-se aquellas pessoas que amparan uestes armazens a superior qua ino armazem do Proeresso do ,ar Penha n- 40- afim de 'ere a *ra,ide vanUom
lidade de gneros, precos comraodos e bom acondicionamento. que tiram' Unt0 na superioridade dos gneros como nos preces asss resumidos,
os Sra. que nao poderem rir poderlo mandar seus portadores anda que nao tenham pra.
O armazem da ra do Crespo situado no melhor local desta cidade cora o as-.
scio que c de necessidade manter-se com estes ostabelecimentos, faz crer a seu pro*
prierario, que ninguem deixar de sortir-se r*um eslabelecimenlo aonde seencontra sin-
ceridad, para ir-se comprar aonde se nao fferecem tantas vantagens.
Sende este armazem no verdadeiro pento de partida para os arrabaldes desta
cidade, nao serdifficil aquellos senhores que tem do partir nos mnibus darem suas!0**01 honrar seu ****
encomraendas neste armazem, que sempre liies offerecer os mais agradaveis gneros. Queijos flainengos chegados neste ultimo
Cha perola de especial qualidade a 2,8oo rs. dem muito superior a 1 ,ooo rs. a garrafa' vapor a 2,00 rs'
a libia. dem do vapor passado a l,8oo rs.
dem hysson muito superior a 2,7oo rs. a lj3fe a 28 32 rs- a ,lb,'a e a 8'000 fl
libra.
dem uxim a 2,5oo rs. a libra.
dem hysson a 2,3oo rs. a libra.
dem idem a 2, ooo rs. a libra.
dem preto de qualidade muito especial a
i.ooo rs. a libra.
dem idem inferior a 4,6oo rs. a libra.
Champagne a melhor neste genero a 1,5oo
rs. a garrafa e 48,ooo rs. o gigo.
dem inferior a lo.ooo rs. o gigo e l.ooo rs.
a garrafa.
Chocolate francs, bespanhol, e portuguez, a
a Ooo ei,ao rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e de qualidadps, especialmente escomidos,
1 de 2,ooo a 4,5eo rs. a caixa.
tica, que sero to bom servidos coma se viessem pessoalmentc.
O interesse que tira o proprielario deste acreditado armazem, j deve ser bem eo-
nhecido pelos seus numerosos fregueses, pois simplesmente consiste em servir bem e ga-
nhar pouco, afim de conseguir a contmuaco daquellas pessoas, que a primeira vez se dig-
9,ooo rs. a arroba.
Cerveja das melhores marcas do nosso mer-
cado de 5,ooo a 6,ooo rs. a duzia, e Sea
rs. a garrafa.
Conservas inglezas a 73o rs. o frasco e 8.600
rs. a duzia.
Doce em calda a 5oo rs. a lata.
dem prato muite novo e de superior qua-
lidade a 4oo rs. inteiro, e a 5oo rs. a
tibra.
Doce de goiaba fino em caixoes .com 2 ', j
libras por 600 rs.
dem mais baixo a 54o rs.
Manteiga ingleza flor a mais superior do
mercado a 72o rs. a libra.
dem de goiaba em caixas e diversos taa-
nnos e de diversas cualidades de 64o a'Idem dc segunda qualidade a 04o rs. a libra.
"a- Manteiga francesa de primera qualidade a
56o rs. a libra, e 52o rs. em barris ou
meios.
ISrvaasframezas muito novas de 48o a64o
rs.
Idem portuguesas a 72o rs. a lata.
dem secoas a 2oo rs. a Ultra.
Vassouras do porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Farinha doMaranho muito alva a 14o re. a Velas de espermacete da melhor qualidade
libra
Cha perola neste genero nao ha nada a de-
sejar, e de especial qualidade, mandado
vir d conta propria a 2,800 rs. a libra.
dem huxim o melhor do mercado a 2,6oo
rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 2,ooo rs. a
a 600 rs. maco. libra.
dem de aramia verdadeira a 4oo rs. a libra^ dem dc carnauba e composiciu a 32o e 36e dem hysson muito superior a 2,5oo rs. a li-
Vinlio do Alto Oouro engarrafado, e os mais rs- a bbra e lo.ooo rs. a arroba. ra-
bem escolhidos, lagrimas do Douro. D. Fe- 1 u .
droV.D. Lula I. Duque genuino Nctar Hjaloparalimparfccasa 14o rs. cada um.
superior, Mataca fina, Bastardo, e outros Toucinho de Lisboa e Santos a 32o rs. a libra.
a 11,000 e 12,000 rs. a duzia e i.000 rs.' .
a garrafa. Sevada muito nova a loo rs. a libra.
dem preto homeopathico muito fino a 2,000
rs. a libra.
dem Gherrv e Madeira a I,5oo rs. a garra- Peixe em latas grandes, savel. pescada, cor-
fa e 16 oo rs. a duzia. vma dem Bonleaiix de diversas marcas de 8,000
lata.
a lo.ooo a duzia, e8oo rs. a garrafa.
Papel greve pautado e liso de 3,ooo a 4.000
rs. a resma.
Bolaxmhas americanas a 3,ooo rs. a barrica,! _
e 2oo rs. a libra. Passas muito novas a 8,5oo a caixa e 48o rs.
a libra.
Batatas muito novas a l.ooo rs. o gigo, e 60
re. a libra. Palitos lixados para denles a I io rs. o maco.
Bauha de poico refinada a 48o rs. a libra, e ^ern de flor a 2oo rs. o maco.
em barril a 44o rs. Prezunto para fiambre inglezes e americanos
Vinho em pipa de Lisboa, eFigueira, de3,ooo a 8*' rs- a bbra.
a 4,000 rs. a caada, e 5oo rs. a garrafa. Mem do Porlo a 48o r, ,ibra
W ditor !TrsanCretaS ^ 8 3 CaM" QuCjOS ,,rat0 de 48 a 6o rs- a libra-
dem em ganafes com 4 Vj garrafas por
2,5oo rs. com o garrafo.
, .. ,. .. Sardinhas de Nantcs muilo novas a 32o rs.
Vinagre de Lisboa muito superior a 2,ooo a lata,
rs. a caada. !
. Sag muito novo a 2oo rs. a libra.
dem mais baixo a l,5oo rs. a caada, o 2oo ,
rs. a garrafa. .Idera m,lit0 superior a 28o rs. a libra.
dem em garrafes com 4 A garrafas por SabaO maca de diversas qualidades a 2oo e
24o rs. a libra.
dem flamengos viudos no ultimo vapor de
2,8oo a 3,ooo rs.
I,2oo rs. com o garrafo.
Manteiga ingleza a 600, 7oo, 800 e 9oors. a
libra de primeira qualidade.
dem franceza a 56b rs. a libra em barril, e
a 0 rs. a retalho.
dem inferior de I2o a 18o rs a libra.
fenebra de Hollanda em frasqueiras a 6,5oo
rs.
dem haraburgueza em ditas a5,8oo rs.
Ameixas francezas em caixinhas com ricas dem de Hollanda em garrafes grandes a
5,5oo cada um.
dem em botija a 4oo rs. rs. cada urna.
Garrafes vasios de diversos tamanhos a5oo,
64 e l,2oo rs.
Gomma do Aracaty a loo rs. a libra.
Graixa a loo rs. a lata, e l,2oo rs. a duzia.
estampas no exterior da I,2oo a 2,ooo rs.
cada urna.
dem em frasco de vidro de diversos tama-
nhos a 1,80o e 2,5oo rs.
dem em latas de 1 1/2e 3 libra a l,3oo e
2,3oo rs. cada urna, e a 800 rs. a libra.
Figos de comadre em bazinhos de folha pro-
prios para mimos a 1,600 rs. cada um.
. Licores finos francezes em garrafas a fras-
I.em em ca.cnhas de folha a 32o rs. cos d(( diversos tamanhos de 6oq a ^ ^
dem em safra* grandes a 2oo rs. a libra. 1 cada um.
dem em latas ermeticamente lacradas de ,.....
1 .oo a 3.000 rs. nnelada imperial de b dos os conservei-
1 1 m .. 0 ros de Lisboa a 64o e 700 rs. a libra.
Airo/, da India e Maranhio a 80, loo e 12o
rs. a libra.
Sevadinha de Franca a 2oo rs. a libra
Sevada muito nova a loo rs. a- libra.
Cominhos, crvadoce e pimenta do reino a
36o rs. a libra.
Genebra de Hollanda a 5,5oo rs. a frasquei-
ra com 12 frascos, e a retalho a 5oo rs.
cada um.
dem em botija hamburgueza a 4oo rs.
Genebra de laranja a I.ooors. os frascos
grandes.
Vinho de caj o melhor que ha no mereado
a 1,000 rs. agarrafa.
Palitos do gaz a 2,3oo rs. a groza o 2o rs.
a caixinha.
dem de dentes lixados a 16o rs. o maco com
2o macinhos.
Ervilhas seccas chegadas neste ultimo navio
a 16ors. a libra, e em porcao se faz aba-
timento.
Banha de porco refinada a 48o rs. a libra e
42o rs. em barril.
Vinho branco de superior quahdade proprio
para missa a 64o rs. a garrafa.
Ameixas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas com ricas estampas a
i,2oo, l,5oo e 2,ooo rs. cada urna.
Bolachinha de soda chegada neste ultimo
navio a 1,35o rs. a lata, deste genero ha
grande porco e de differentes marcas,!
que se vendem todas pele mesmo pe* a ,dem f
vonude dos compradores. pa ^ mesmo ^^ ^ ,bra a 0
Iem em latas grandes a 2,ooo rs. rs. s o frasco val quase o dinheiro.
dem propria para lanche em latas gran Jes dem em latas de 2 libras por!,4oors.
a l,9oo rs. a retalho, e a 800 rs. a libra.
Marmelada imperial dos melhores fabrican- V:n!! Aa ,. .. ,. .
tes de Lisboa a 64o rs. a libra. fhn L ?rtnl nVS em. "
nhos muito propnos para mimo al ,28o rs.
Frutas em calda em latas de l.ooo a5oo rs., ,_ ...
neste genero ha diversas qualidades a es- Id^r cra Clixas Para relalno a 16 rs- a
coUier. I1Dra-
Champanha superior das marcas mais acre- Passas de c;,mad?. 48 a libra e em
didas a 1,5oo rs. a garrafa e 15,oe rs. ^uart0 com 8 llbras Por 25o rs-
o gigo.
.Bolaxinhas inglezas de superior qualidade a
Serveja das melhores marcas que vem ao 2,000 rs. a barrica, e a 2oo rs. a libra
mercado a 5oo rs. a garrafa e a 5,ooo rs.
a duzia. Chocolate francez o melhor que se pode de-
.. sejar neste genero a .ooo rs. a libra,
dem preta superior a 56o rs. a garrafa e a
5,4oo rs. a duzia. Magas para sopa estrelinha, pevide, arroz de
Vinho Bordeaux de differentes marcas, e as m^a a io rs- a libra e em caixa a 2,ooo
melhores do mercado a 7,ooo, 7,5ooe TS: Mda uma' macarraao, Ulherim, eale-
8,000 a caixa com uma duzia, e era gar- tr,a a 4o rs- a libra.
rafas a 64o, 7oo e 800 rs., garante-se a Amendoas ele casca mole a 4oo rs. a libra
boa qualidade.
J i-... Avelans muito novas a 2oo rs. a libra,
dem Figueira de superior qualidade a 48o
rs. a garrafa e 3,5oo rs. a caada. Ervilhas francezas muito novas em latas
,.,... aQ \ grandes 1 64o rs.
dem de Lisboa a 2.800 rs. a caada e loo
r*. a garrafa. dem em ditas pequeas a 4oo rs.
Defrente da loja do Prefntea.
B1JARTE 11/fl 1:11| %
caba de abrir o seu grande e sonido armazem de mothados denominado m# t Om-
itieren). Este grande armazem 11ra dos mais bem montados que temos em nossa pra^a,
nao s em limpeza e aceio, como as qualidades especiaes de seus gneros. O proprie
tario do Unio e Commercio oflerece todos os senhores da praca, senhores de engenh.)
e lavradores a seguinte Ubelia, por onde vero a grande economa que lae resulta em
comprarem em lio til estabeleci ment, afianzando o mesmo todo e quaiquer genero
sabido de seu armazem.
ollinho francez em latas e caixinhas as mais I Erva-doce a 5oo rs. a libra.
delicadas que tem viudo ao nosso merca-:
do de 7oo a 2,5oo rs. a caixinha. Uiampanha de 20 a 22,ooo o gi|0.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, mandada palitos do gaz a 2,3oo rs a btota ..n,
vir de conta propria, a 7oo a 800 rs, a
libra.
caixinha.
Milho alpista a 16o rs. a libra.
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
56o rs. a libra, e em barril ter abatimen- Coainbo muito novo a 4oo rs. a libra e
to. comprando de 8 libras para cima a 32*'rs.
Idem ingleza em potes de 4 a 16 libras a Gomma mudo al va para engommar a 80 rs.
800 rs, a libra e o pote separado,
a libra, e em arroba se far abatimento
Sag muito novo a 28o rs. a libra.
Cha uxim o melhor neste genero, mandado
vir de conta propria a 2,8oo rs, a libra. ^ verdadero hespanboJ> ^ ^ ^
vem ao nosso mercado a 28o rs. a libra.
dem hysson, grande, muito bom a 2,6oo rs.
a libra.
dem preto muito fino, a 2,6oo rs, a libra,
dem preto, mais Itaixo, a 2,ooo rs, a libra.
dem, verde, miudinho, mais proprio para
negocio, a I,5oo rs, a libra.
Banha de porco refinada muito alva a 46o
rs, a libra, e em barril se far abatimento.
Bwcoitos inglezes das seguintes marcas;
Craknel, Soda, Ceede. Captain, Travellies.
Lunch, Cabin, e outras muitas marcas, a
l,4oo rs, a lata.
Bolachinha de sudo, especial encommenda, a
2.oo rs, a lata.
Biscoito inglez Craknel em latas de 5, 7 e 15
libras a 5,ooo e 6,000 rs, e de I,2oo a
800 rs, a libra.
Vinho branco o melhor nerte genero a 80 rs,
a garrafa e 4,3oo rs. a caada.
dem Bordeaux de differentes marcas, garan-
te-se a qualidade, a 8.000 rs. a caixa coa
uma duzia, e a 7oo rs. a garrafa.
Garrames com 5 garrafas de Tinbo do Porto
do Alto Douro a 2,2oo rs. com ogarnfl*.
dem com 5 garrafas de vinho Figueira, man
proprio para a nossa estaco por ser bmm
fresco a 2,4oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
o garrafo,
Sabo massa de superior qualidade a 18a.
2oo, e 22o rs. a libra do mellior que ba
Graixa em latas muita nova a 12o rs. a lati-
nha, e l,3oo rs. a duzia.
Queijos do reino pelo baratissimo preco de
l,6oo, 1,8o e 3,000 rs os do ultimo
vapor.
dem prato muito fresco a 64o rs, a libra,
dem londrino muito fresco a 800 rs, a libra.
Vinhos empipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
48o, 56o, e 64o rs, a garrafa, e de 3,ooo a; dem do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado e escolhido pessoalmente por
.la.' ..-..;.. ^ .____ _
Peixe em latas muito novo; savel, pescada.
curvin, salmo e outras muitas qualidadts
preparados de escabexe, segundo a arte de
cozinha, de l,2ooa 2,oo rs. a lata.
4,000 rs, a caada.
dem do Porto de superior qualidade para Ma^ de ^^ em laUs d
mesa a oO rs. a garrafa, e 4,000 rs. a ca- p4o rs
nada.
1 e 2 tibras a
Salmo em latas de I ,;j libra a 800 rs.
Massa de tomate muito nova a 64o re. a
libra-
Marrasquino de Zara a 64o rs. o frasco,
dem em frascos grandes a 800 rs.
Cominlns muito novos a 5oo rs. a libra.
Erva-doce a 24o rs. a libra.
Biscoitos e jolachinhas inglezas as ultimas Pimenta a. 36o rs. a libra.
d,egad,',s,u:""3SS0 m,,rcadoa Mooe Moo Cravo da ,ndia a G4o rs. ., hbra
Cannella a l.loo rs. a libra.
AWazema a 2oo rs. a libra.
Amendoas de casca moie muito novas a 4oo
i-, a libra.
Azekonas su [.'eriores a l,2oors. o barril.
Alpista a 14o rs. a libra e 4,6oo a arroba.
Letria a 4oo re. a libra.
ps. cada lata.
fbiaxinha de oda e lunch em latas grandes
a 2,ooo rs. cada lata.
Cognac de superior qualidade 800 rs. a gar-
rafa.
Sai refinado em frascos de vidro a 600 rs.
o frasco.
ATTENCAO
o
O proprielario dos armazens do Progressista jamis deixar deofferecer aos seu
freguezes todo o que for preciso para pie sejam bem servidos, e como a festa se aproxi-
ma ptima a occasio dos seus freguezes experimentaren a realidade, que nunca dei-
axr de ser mantida pelo proprietario destes armazens.
lar, Carcavellos e Camoes em cuixa de
uma duzia a 9,ooo rs. Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto Cognhac inglez a 800 rs. a garrafa.
a l.ooo rs. a garrafa e lo.ooo rs. a caixa.
Duque do Porto, Madeira secco, duque ge-
nuino, lagrimas doces a 9oo rs. a garra-
fa e 9,5oo rs. a duzia.
Garrafes com vinho do Porto a 2,2oo rs.
cada um.
Vinagre de Lisboa de superior qualidade a
2oo rs. a garrafa e l,2oo rs. a caada.
Aseite doce refinado em garrafas grandes a
800 rs.
Mem de Lisboa a 64o rs. a garrafa, e em
caada a 4.800 rs.
Presuntos inglezes para fiambre a 7oo rs. a
libra,
dem de lamego encommenda particular a
48o rs. a libra, e inteiro se faz abatimento.
Toucinho do reino o melhor do mercado a
320 rs. a libra, e em arroba a 9,ooo rs.
Velas de espermacete de 4, 5, e 6 por libra
a 560 rs., e em caixa se faz abatimento.
dem de carnauba refinada a 32o rs. a libra
e 9,ooo rs. a arroba.
dem de carnauba pura do Aracaty a 4oo rs.
a libra e lo,5oo rs. a arroba.
Gomma muito fina e alva a 80 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 32o rs. a libra.
Farinha do Maranhao muito alva e cheirosa
a 12o rs. a libra.
Sag muito novo 24o rs. a libra.
Licor francez das melhores marcas do mer
cado a 800 rs. a garrafa.
Batatas chegadas neste ultimo navio em cai-
xa com duas arrobas por l,6oe rs., e 4o
rs. a bbra.
Concervas inglezas a 75o rs. o frasco.
Sal refinado em potes a 5oo rs. cada um.
Mi isla n la inglesa a 1,00o rs. o frasco.
dem franceza a 4oo rs. o poto.
Milho alpista a 16o rs. a libra e 4,8oo rs. a
arroba.
Graixa muito nova em latas grandes a 120
ris.
Latas com peixe em posta ermeticamente
lacradas las melhores qualidades de pei-
xe que ha em Portugal a l,2oo rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa era latas de l e mais libras
a 7oo rs, a libra.
Peras secaas era caixinhas de 4,000 a 2,000
rs. cada uma.
Figos em caixinhas de I '/arroba e de 8 li-
bras a 8,000,4,ooo, e 2,000 rs, e a 3eo rs.
a libra, taambem ha serinhas para men
nos a 60 rs. cada uma.
Amendoas de casca mole a 36o rs, a libra, e
em arroba ter abatimento.
Sardinhas de Nantus a 32o rs, a latinha.
Toucinho de Lisboa muito novo a 3oo rs, a
libra e em arroba a 9,ooo rs.
Massa de tomates a 64o rs, a libra.
Pimenta do reino a 34o rs. a libra,
Farinha do Maranhao a 14o rs, a libra.
Cbelas a 800 rs. o molho, 64o rs. o cento
e 6,5oo a caixa.
Tijollo para lanpar facas a 160 rs,
Cerveja das mais acreditadas marcas de 5,ooo
a 7,5oo a duzia. e de 5oo a 600 rs, a gar-
rafa,
Prezunto para fiambre muito fresco c novo
a 800 rs. a libia,
Genebra de laranja a 1,000 rs, o frasco,
Chouricas as mais frescas do mercado a 800
rs. a libra,
Cognac verdadeiro inglez a Ooo rs. a garrafa,
e lo.Soo rs. a caixa com uma duzia,
Licores francezes e portugue/.es de todas as
marcas de lo.ooo a I3,ooors. a duzia.
Passas muito novas a 5oo rs. a libra e a 8,5oo
rs. a caixa. Ha caixas, meias e quartos.
Batatas a 1,00o ni. o gigo com 38 libras e
2,oeo a caixa com duas arrobas cadauma
Bocetas cora doces seceos dc 3,ooo a 3,5oo
rs. cada uma.
Bolachinha ingleza a 32o rs. a libra,
Aseite francez e portuguez refinado a 800 rs.
a garrafa, e 9,ooo rs. a caixa com uma du-
zia.
Conservas inglezas das seguintes marcas:
Mixed. Pirkes, e ceblas simples a 800
re. o frasco.
Mostarda ingleza preparada em potes a 4oo
rs. o pote.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra e 4,8oo
rs. a arroba,
des socios que se acha em Portugal, das
seguintes marcas : Duque, Genuino. Ve-
Iho secco especial. Lagrimas Doces de
1819, vinho especial D. Pedro V, vinhe
velho. Nctar superior de 1833, Duque rio
Porto de 1834, vinho do Porto velbo su-
perior, Madeira Serca de superior quali-
dade, vinho do Porto superior D. Luis I
de 1347, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porto, de l.ooo a I 2oo rs. a gar-
rafa e de 10,000 a 12.000 rs. a caixa cora
uma duzia.
Vassouras americanas a 800 rs. cada
uma.
Velas de spermacete as melhores que ha no
mercado a 56o e 64o rs. masso, e em
caixa se far um'grande abatimento,
dem de carnauba e composico, de 4oo a
32o rs. a libra, e de i0,000 rs, a II 5oo
rs. a arroba,
Caf de 1* e 2* sorte de 8.3oo a 8,6oo rs a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
lhor,
Arroz da India, Maranhao e Carona a 3,ooo.
2,8oo e 2,4oo rs. a arroba a loo ra a
libra.
Frasqueira de genebra a 5,8oo rs. e a 5o
rs. o frasco.
Azeitc doce em barril muito fino, a 6*0 rs.
a garrafa, e em caada ter abatimento.
Papel greve pautado e liso a 3,5oa rs. a
resma.
Genebra de Hollanda em botija de canta a
44o rs. a botija.
Passas corinteas a 5oo rs. a libra e 12,8o
rs. a arroba,
ErvHhas franceza e portuguesa a 640 rs a
lata de uma libra.
Chocolate francez, hespanhot, suisao e par-
tuguez a l.ooo rs a libra, e a 28o rs. ca-
da pao de uma */.
Ameixas francezas era caixinhas elejiante-
mente enfeitadas, com diversas estampas
no exterior da caixa de 1,500 a 3.000 rs.
cada uma; tambem ha frascos e latas da
dilTerontcs tamanhos que se vender por
mdico preco.
Massas para sopa: macarrao, talharim e ale-
tra a 48o rs. a libra, e em caixa se fari
abatimento.
Caf lavado de l1 qualidade a 32o rs.. dito
de 21 a S:8o rs. a libra e 8,2oo rs a arro- Vasos inglezes vasios de 4 a 16 libras, muito
ha, dito le 3* a 26o rs. a libra e 7,8oo:
rs. arroba.
Charutos suspiros dos melhores fabricantes
de S. Ee.x a 2,5oo rs. a caixa com loo
charutos.
proprios para deposito de manteiga, doce.
e outro quaiquer liquido, de 1,00o a 3,ooo
rs, cada um,
Garrafes com 14 garrafas de genebra d
Hollanda a 5,5oo cada um.
Charutos de todas as marcas dos Mino-
res fabricantes da Baha de 3,ooo a 4,*oo
rs. a caixa.
dem finos de diversos fabricantes a l,6oo.
l,8oo e 2,ooo rs. a caixa rom loo chara-
tos, {o preco nao indica a boa qualidade
ATTE*TA
Todos os senhores que comprarem para negocio oucasa particular JO para
Cima terao mais 5 a 10 por / de abatimento; o proprietario scientilWa az-.4 qie tudoa
porm doem-se ao trabalho de virem ou. os seus gneros sao recebidos de sua propria encommenda, raaao w. para poder vm>
mandaran c verao a roalidade. der por muito menos do que em outro quaiquer estnbplflcimento.


.


V
Dlftrlo de I'crnmhnco 4|nar
!
i
i
v -
ATTENCAO
9 LA Kl-O IIIO CAUUIO 9
GRANDE SORTIMENTO
DUAFTE & C.
Partioipam aos seus numerosos frt guezes e ao publico em peral que acabam de
receber de suapropria encommenda, o mais lindo e completo sortimento de molhados,
os quaes vendem por grosso e a retalho por menos 10 por cento do que outro qualquer
armunciante, como verSo pela seguinte tabella que abaixo notamos, garantindo os mes-
mos proprietrws nao s o peso como a qualidade de seus gneros.
AVISO.
Todos os senhores que compraron para negocio ou casa particular de 10O# para
cima teraY mais 5 a 10 por cento de abati nento, os proprietarios scientificam mais que
todos os seus gneros san recebidos de suapropria encommenda, razao esta para pode
vender por muito menos do que outro qualquer estabelecimento.
Mantetga ngleza flor a 8oo rs. a fibra.
Cantannas amito novas a 2,ooo rs. a caixa, e
a 16o rs. a libra.
Bofmho francez e cm caixinhas de 7oo i
l,5oo rs. cada urna,
dem ranceza a mais nova do mercado a 563
rs. a libra, e 5*o rs. em barril.
dem de porco refinada muito al va 16o rs.
a libra.
Prezunto para fianbre a 8oo rs. a libra.
Cha uxim Tnii.iinho vindo de conta propria,
o melbor do mercado a 2,8oo rs. a libra.
dem hyson de superior qualidade a 2,Goo rs
a libra.
dem perola meltaor que se pode desejar i
2,7oors. a libra.
dem preto muito fino a 2,ooo rs. a libra.
dem mais baixo pouco a 2,orx> rs. a libra.
dem mais baixo a l,8oo rs. a libra.
Yinho do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado garante-se a superioridade deste vi-
nbo, das seguintes marcas : Duque, Ge-
nuino, velho secco, especial lagrimas do-
ces de l^lT vinhn ispecialD. Pedro V.
vinbo velao, Nctar superior de 1833, Du-
que do Porto de 1834, viaho do Porto ve-
ll.o superior, madeira secca de superioi
qualidade, vinho do Porto superior D. Lu-
h l.'de 1847, lagrimas do Douro espe-
cial, vinho do Porto de l.oooa l,2oo rs.
a garrafa e de lo.ooo a 14,ooo rs. a caixa
com urna duzia.
Bolachioha de soda especial encommenda e a
mais nova que ha no mercado a 2,2oo rs. a
lata.
Biscoitos inglezes das memores marcas em
latmhasde 2 libras a l,3oo rs. a lata.
Mea inglezes craknel em latas de S e 7 libras
de 5,ooo a 6.000 rs. a Lata, e era libra 3
800 rs.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
a 2,5oo rs. cada um.
klem prato a Too rs. a libra.
Vinbo em pipa das mais acreditadas marcas
como sejanBcr F., PRR, JAA, outras
muitas marcas. Porto, Lisboa e Figueira ;
de 48o, 5oo, 56o, 64o e 800, rs., e o do
Porto fino em garrafa, e em c*nada j
3,000, 3,5oo, 4,000 e 6,5oo rs. oteluoi
do Porto.
Vellas de carnauba t composicao de 32o a
36o rs. a libra e de 10,000 a 11 ,eoo rs. a
arroba.
Genebra de Hollanda em botijas de conta a
440 rs. a botija, e em duzia ou em barrica
tera abatimento.
Massas para sopa macarrao, talharira e aletria
a 48o rs. a libra o em caixa ter abati-
mento.
dem estrellinha, rodinha e pevide em caixi-
nhas de 8 libras, muito bera enfeitadas de
2,5oo a 3,5oo rs. a caixinha e a 600 rs. a
libra.
Boce de goiaba em caitas de diversos tama-
nhos de 600 a l.ooo rs. o caixo.
Sabo massa de 2oo a 24o rs. o melhor, em
caixa ter abatimenti).
dem hespanhol a 28o rs. a libra.
Peixe em latas muito novo; savcl, pescada,
corvina, salmo e outras muitas qualidades
preparada de escabe:he 2." a arte de cosi-
nha de l,2oe a l,8oo rs. a lata.
Figos em caixas de 1 arroba, '* e 8 libras
a 8,000 4,000 e 2,000 rs. a caixinha.
Barris de vinho branco de quinto, marca B
& Filho a 60,000 rs. o barril.
Marmelada imperial dos m< lhores conservei- i
ros de Lisboa a 64o is. a litinhade 1 libra,
ha latas de 1 '/* e 2 libras.
Massa de tomate em latas douradas de 1 libra
a 64o rs. a lata.
Ameixas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas de l,5oo a 3,ooo rs. a
caixinha, tambem ha latas de 1 *k a 6 li-'
bras de l,2eo a 4,5oo rs. a lata.
dem ern frascos com tampa de rosca a l,6oo
rs. o frasco.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez J
suisso a l,2oo rs.a libra.
Conservas inglezas das seguintes marcase
Mixde-Picles e cebollas simples a 75o rs
o frasco.'
LOJA DO PAVAO
Cassas puritanas.
Vendem-se as mais modernas cassas puritanas com bonitos desenhos pelo baratissimo proco de
240 e 280 rs. o covado, por haver grande paralo, pccliincha : na ra da Imperatriz n. 60, loja do
Pavo.
Cassas pelvianas a 3G0 rs. o covado.
Vendem-se as mais bonitas cassas persianas a imitacao Je laa transparente com os desenhos
tecidos e inteiramente novos, pelo baratissimo proco de 360 rs. o covado e nao desbotam : na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. tiO.
Cortes de cassas de Mara Pia a 4$000.
Vendcm-seos mais modernos corles de cassa a Mara Pia, de todas as cores, com palmas bor-
dadase de variadas ires que garante se a boa qualidade rontendo 8 varas emeia 'ada corte pelo ba-
ratsimo preo de 45 : na luja do Pavao ra da Imperanu n. .
As percalas do Pavao a 500 rs. o covado.
Vendcm-se as mais linas percalas que bao mercado, de desenhos muito miudinhos e das mais
lindas e variadas cores e garante-se seren nxas.com i palmos le largura, hienda propria para ra-
titas de senhora e roupas para meninos, pelo muito barato preco de 500 rs. o cavado : na loja do Pa-
vao ra da Imperatriz n. 60.
Gorgurao de Lia a 500 rs. o covado.
Vende-se gorguro de laa de cor escura propria para vestido de senhora, paletot para homem e
roupa para menino, pelo barato preco de 300 rs. o covado : na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60.
As colchas do Pavao.
Vendem-se colchas de linho adamascadas com bonitos lavres de cor de rosa, azul e branco,
pele baratissimoprei'ode 33 cada urna : na loja do Pava ra da Imperatriz n. 60.
Organdys a 240 rs. o covado.
Vendem-se organdys matisados fazenda muito Tina, do bonitos desenhos, pele baratissimo pr/co
de 240 rs. o covado : na loja do Pavo roa da Imperatriz n. 60.
As alpacas do Pavao.
Vendem-se alpacas do seda rio cores muito lina propria para vestido de senhora, soutembar-
ques e roupas para meninos dita branca mnito tina propria para vestidos e paletots, pjr preco mui-
te commodo : na loja de Pavao roa da Imperatriz n. 60.
Chitas do Pavita.
Vendem-se chitas escuras e alegres fazenda muito lina, padrn modernos e que no desbotam
pelo barato preco de 320,360 e 400 rs. e covado: na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60-
A& lasiiihas do Pavao.
Vendem-se ISasinhas rom 9 palmos de largura de urna s cor e de quadrinhos pelo baratissimo
preco de 1*200 o covado, ditas enfeitadas com 4 palmos de larinra a 500 rs, ditas matisadas muito
linas de bonitos desenhos a 500 rs., ditas a 320 e 360 rs., ditas de quadrinhos a imitacao de sedinha
a 400 rs. o covado. ditas a Mara Pa com palminhas de seda a 300 rs., ditas transparentes eem paloM-
nhas matisadas a 440 rs., ditas d*qua cordaocinho a 200 rs.: na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60.
Vestidos soutenibarques.
Vendem-se os mais modernos vestidos a soiitembarque com lindas barras e enfeites para rou-
pinho e nangas, pelo baratissimo preco de 55 cada um : na loja do Pavo ra da Imperatriz u. 60.
Cortes de laa com barra,
Vendem-se cortes de laa com barras matisadas e enfeites para roupinho e mangas, os mais fi-
nos que existem no mercado, pelo baratissimo preco de 18* cada corte : na loja do Pavao ra da Im-
ratriz n. 60.
Os soutenibarques do Pavao.
Vemdem-se os mais modernos snotembarques de grosdenaplss preto riramette enfeitados, ditos
de edr de um tecido de laa com seda mnito bem enfeitados, por preco marte eewnndn : na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Capas do Pavao.
Vendem-se ricas capas pretas de rosdenaple bastante compridas, hzenda sciperior e mais mo#
derna que ba no mercado, por preco muito em conta : na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Atoalhado de linho.
Vende-se atoalhado de linho com 8 palmos de largura pelo baratissimo preco de 2,8,380, bra-'
mante de linho com 10 palmos de largura proprio para leoces e tealhas muito encornado a SJ500 a
vara : na loja do Pavao rna da Imperatriz n. 60.
Crinolinas ou baloes americanos.
Vendem-se balites americanos os mais modernos por seren muito fortes e bem armados de 20
arcos a 35. ditos de 30 a 32500, ditos de 35 a 4J. ditos de madapole francez de diversos uinnnhos a I
'ti. ditos de musselina com babado e sem elle podendo-se tirar os arcos pelo barato preco de 45 e
4o00, ditos para menina, de arcos a 25, ditos de musselina a 35 : na lqia do Pavo ra da Impera-
triz n. 60.
hapos de sol do Pavao.
m*mmmm*m
AURORA BRILHANTE
LARGO DA SANTA CRUZ N. S4.
Amigos do bom e barato.
A Aurora Brilhante este magnifico estabelecimento est na Hoa-Vi-ii
primazia, ja palo grande sortimento dos seus gneros de ix'ia qualidade j.t peto
de precose por isso o sea proprtettrto roga aos seus fregueses e amigos e m
geral que mandein comprar para melbor Be certiOcarem do annoneio
(' mi .. '
;iru .
Queijos do reino novos a 23UX) e 25000
Ditos de prato idem, a libra. 640
Ditos do serto novos, libra a 72U
Chourieas novas, libra a 720
Unguicas verdadeiras do sertao, libra 400
Presunbis no'os de l.amego, libra a oOO
Macarrao, tal lariui e aletria, libra a
400e....... 480
Caixas com 8 libras de estrellinha e
pevide nova a 25500 e libra 4K0
Sevadinha de Franca e sag a libra. SU
Ervillias erao de bico a libra lO
Marmelada ni va das melhores marcas
a libra ...... 720
Caixinhas com ameixas com bonitas
estampas a 15000 e..... 25000
flR Lalinhas com ditas a 15MK), 25400 e 45000
i Ditas com ligos uovos de coaiaJre a
?2 15400 e...... 25000
J5B Ditas com fru?tas em calda a 640 e :m
St linas com pe xe cm posta ensopado
a 15000 e...... 15200
Ditas com sardinhas de Nantes no-
e
rs.
3jj
154*10
m

vas a.......
Caixinhas com 4 libras de farinha de
ararula a libra ....
Xozes e amencoa arroba 65 'e libra .
Garrafas com refrescos de varias
fructas a......
Azeite doce a 640 rs. a garrafa e refi-
nado a......
Potes com mustarda a ..
Frascos com conservas novas a
Ditos com geriehra de laranja e de
Hollanda a 640 e .
Chocolate de varios autores a libra .
Toucinho de Lisboa arroba 95000 e
libra.......
Charutos finos a 25, 25500, 3#, 45,
55e 65 a caixa de 100.
Sarcos grandes com milho, farello e
farinha lina a 45, 45500 e
Alpista arroba 45500 e libra .
Epermacete superior a 600, 640 e
360
640
240
500
800
# 320
800
15000
I52IKI
320
55000
Copos lapidados para agua t vial
zia 4-3 e......
Molbos de grande mMm a '.
Barrkaa com oolaibinha nova a 45
e libra a......
Hila- la soda do .-i Uitraa para ,
ou doente a 25 o libra .
Ditas com biscoutos inglezes muiio fi-
nos a .
Maniiiga ingiera llor a 800
Hita franceza a 560 e 600
barris c meio a 520 c
Diu hollandeza muito nova a .
Banha de porco a
Sal refinado o pote ....
'jigos cem batatas boliandezas a .
Cha hysson o melbor >ue ba a
Hito miudinho a .
Dito verde a 25, 25500 e .
Oito preto a 15 00, 25 e lino a .
Cafe de moca arroba 5 a libra.
Dito lavado arroba 85 e libra .
Vinhos finos do Porto caada 55 e
garrafa 640 e .
Ditos de Lisboa e Figueira 352UO a
caada e garrafa .... 480
Dito branco proprio para mesa a 56'
Dito xerez e outros fino* a l000
Caixa com vinho Bordeauz a 85 e U5
e garrafa a.....aj|
Serveja de boas marcas a duzia a 55 c 6
Uomma muito fina arroba25500,25e I }28fi
Knxofre arroba 32U0 e libra (20
Canad de azeite de carrapato a 25 e
garrafa a
f;0
Dito de coco a 35-500 c garrafa a
Massos com palitos lixadospara den-
tes a .
Tijolo para limpar faca* a .
Ervillias em latas a .
Latas com ostras americanas a .
Vinlios engarrafados Unos a garrafa
i60lTapioca nova arroba 35800 e libra .
720|Boio com graxa n. 97 a ..
RIVAL
SEM SEGUNDO
Rna do Quclmado ns. 49 e 55,
bija de mtadezas de Jos de Azevedo Maia & C,
principia o novo anuo a torrar miudezas pelos pre-
ces que a todos causa admiraran, a saber :
Pares de sapatosde tranca muito finos a 15600.
Frascos de oleo babosa dos melhoi es fabricantes a
240 rs.
Ditos maiores a 400 e 500 rs.
Frascos d'agna de Colonia muito finos a 400 rs.
Sabonetas mnito finos a 160, 200 e 400 rs.
Frascos grandes de agua de Lubin, o melhor, a
15500.
Lapis de tinta encarnada muito finos a 40 rs.
Novellos de linha com 800 jardas a 120 rs.
Ditos de dita com 400 jardas a 80 rs.
OLEO
DE
merchant
a
a
i
para as molestias externas dos animaes donesueee -
e com especialidad* do cavaJies. 4
de primeira qualidade, fabricadas
solero, as quaes pelo modo eflicaz
ren o man
que matara 1
Vendem-se chapeo* de sol de seda mnito encorpada com oabo de cana e hasteas de baleia pelo j Frascos de inacassi, oleo muito superior, a 100 rs. i formigas, realisam urna economa aVfO 0|0 sobra,
baratissime preco dejj5,75 e85, ditos niarquezinhes para seuhora e meninas a 25500: na loja do Pa- Duzias de dedaes brancos em caixas de vidro a as fabricadas pelo antigo systerna.
va ra da Imperatriz n. 60.
Cortes de laa do Pavilo.
Vendem-se cortes de lias matisadas com desenhos muito lindos contendo IScovados cada corte
pelo baratissimo preco de 75, ditos de er de eaf com palmas matisadas contendo 15 corados cada
corte pelo barato preco de 65 : na loja do Pavao rna da Impera'riz n. 60.
320 rs.
Papis de agnlhas j. balao Victoria a 60 rs.
Hanha transparente muito superior a 700 rs.
Dita Japoneza muito lina a 800 rs.
Duzia de jabonetes muio linos a 720 rs.

toque de ferrugem a 10 rs.
mndreperola mnito finos a
,
Ancoretas de vinho colares a So.ooo rs., e
a 72o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes a 32o rs. a latinha.
Charutos das mais acreditadas marcas de
2,5oo a 4,000 rs. a caixa.
Champagnhe a melhor do mercado de !2.ooo
a 24,ooo rs. ogigo, ede l,2oo a 2,ooors. a
garrafa.
Mero Bordonux das mais acreditadas marcas
a 7oo rs. a garrafa, e a 8,000 rs. a caixa. Papel greve pautado ou liso a 3,5oo rs. a res-
ma.
^Z??X7$X^\^^^ oulia> *3-5001
Mttu cora i^arrafa de vinho da Figueira mais
proprio para a nossa estaro por str inai;
fresco a 2,4oo rs. com o garrafo.
Mm com b garrafas de vinagre a l,2oo rs.
com o garrido.
Vinho branco o mais superior que vem an
nosso mercado a 5t$o rs. a garrafa, e a
4,3oo rs. a caada.
Velas de esparmacale as melhores este ge-
nero de I>6 a 64o rs. o maco, e em cai-
xa ter grande abatimento por haver
grande porcSo.
Azeite deo em barril muito fino a 64o rs.
a garrafa e 4,800 a caada.
dem francez refinado a 800 rs. a garrafa.
Kr vil has francezas e purtuguezas a 64o rs. a
lata.
Bacetas eom doces seceos de Lisboa de 3oo
a ;t,ioo rs. cada urna.
Toucinho deLisboa a 3oo rs. a libra, e a
9,ooo js. a arroba. rs> duzia
N izes muito novas a IGo rs. a libra e 4,800 Ceblas em molhos grandes a 800 o molho
a e.ooo rs. a caixa
ADMIREM-SE DOS PRECOS
a
Das mimosas lias que o barateiro est vendendo a 400 e 500 rs. o covalo, fazenda
esta de muito boa qualidade e de lindos padrees, muito arropnadas para vest dos de se-
nhoras e meninas, do-se amostras na loja do barateiro n. 1, junto ao arco de Santo
Antonio.
VESTIDOS JAPONEZES
Muito bem vindos estes vestidos para a loja do barateiro que garante niio os haver
em outra loja, tendo muita fazenda, lacos, barras e muitos enfeites, fazenda de primor,
mandam-se em amostras : na ra do Crespo n. 1, junto ao arco de Santo Antonio.
Proprios para a festa do Poco.
f '"* SES"" **
CONSERVATIVO
DE
JO.-l^lilI SDIAO DOS KA TON
23-Largo do Terco-23.
Papis de agulha com
Grozas de botes de
560 rs.
Pecas de fita de eos, estreitas, com 10 varas, a
32 rs.
novenos de linha branca do raz a 30 n.
Carrejis de linha c e cores muito fortes a 20 rs.
Candes e caixas de clcheles francezes a 40 rs.
Botoadnras brancas e de cores para colletes a
190 rs.
Frascos de banha, pechincha, a 240 rs.
Bonets para meninos, fazenda fina, a 25-
VEIMZ 01 ALTR\(>.
do gaz, cujas multplices applkac>s in por da-,
mais condecidas : vende-se ao precn da fabrica no>
oiao da secretaria de polica, armazem da bou
amarella.
AlletH'o I* guillara o.
Na ra Imperial defronte dn ekafbriz n. XI. ren- *
dem-spia caar as quintes mercarf.irias, pe-1
los precos abaixo declara di tr>-rem ,
algiima atteoco : neiaaeraai para homem. dnzia-
a 1,8600, dita- para senhora a 25200. niarr ; .,m
sonido, duzia a 16.5. bezorro a
tuguezas tinas a 15860, ditas fr.m.-.,,, -, ?
Laixas preparadas para coslureirasa 15500,24 e sapatos de nanea escocezes a 15800, | m -
35OOO. atar cabello em masso a 15600, dii..- cm ra
Massos de grampaf lisas e linas a 30 rs. ia 35800, escovas muito finas para roiia a 6* a'
(.aixas de palitos do gaz e de cera finos a 20 rs. | duzia, chapeos pintados sonidos a 125 a duzia,
Dnzia^ de facas e garfos de 1 botao superiores a ditos muito tinos a 20*, facas e garlo, dita* da
W500. ponta, botes para rollete e calca, perfumara, cjz,
Duzia de ditas e ditos de 2 botes finissimos a |nda do p.iz. coh-hetes, e moita' mais
65300.
(1 rozas de palitos do gaz a 25200.
rea preta muito lia a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
Gomma muito fina e alva a 80 rs. a libra.
Milho alpista e painso de IGo a 2oo rs. a li-
bra. I
O proprietario desle armazem de molhados participa ao publico e a todos em geral
que tem um grande sortimento de ludo quauto pexleticento a molhados, e que tem
nm armazem para somonte receber os gneros de maioi quantidade, faz suas especula-
ces emboasquadras, e que sempreprjde vender por menos de 10 20por cento da
, que em outra qualquer parte, garaniindoo proprietario qualquer genero sabido do seo
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2oo rs. a armazem, tanto em peso como em qualidade.
duzia. Manteiga ingleza flor mandada vir por conta propria a 800 rs. a libra.
var inntw.1 j.i i iuM -. 'dem franceza, vinda pelo ultimo navio a 560 rs. a libra e 540rs. em barris.
nrr&7~L aLI., J1 2 VaS'08, T Ba^a de porco refinada, propria para pastis a 480 rs. a libra, ecm barril a 400 rs.
nn n?.?r ffi v 1 C^ mte,ea Velis de espermacete e carnauba do Aracaly a 600 rs. o masso e 400 e 440 re. a libra,
3?oScS?. CaflavadTdoHioedoCear, o melhor desle generosa 3
1OD0.
Licores das melhores marcas e mais finos Batatas novas em caixas com 2 arrobas por 25000, arretalham-se a 4o rs. a libra.
a l.ooors. a garrafa e em caixa ter abati Toucinho desembarcado ltimamente a 3oo is. a libra, em barril ou arrota a 8#800.
genero, a 280 rs. a libra (i 8tf5oo a ar-
mento.
Cognac verdadeiro inglcz a 9oo rs. a garrafa
e io,5oo rs. a caixa.
Chourieas as mais frescas do mercado a 800
rs. a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a
l.ooo rs. o frasco.
Serveja das mais acreditadas marcas de
5,5oo a 6,5oo a duzia e de mais a 5oo r.
a garrafa.
dem em botijas e meias, sendo preta da
rs. a arroba.
Caf de I-.*, 2.1 e 3. qualidade de 2Go, 3oo
e 3Ao rs. a libra. doCear de 7,8oo, 8,600,
e !l.2oo rs. a arroba do melhor.
Airo/, da India, Java eMaranhao de 2,800 a
3,ooo a arroba, e de 80 a loo rs. a libra.
Pailas muito novas a 8,000 a caixa e 5oo
a libra, lia caixas meias e quartos.
Si v. Franca a 24o rs. a libra.
Sig muito novo a 28o rs. a libra.
Cha de ll, 2, 3* e 4a sorte a 20800, 2d500, 2(J000, e 1*600 a libra.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e de carrapatD a 280 rs. a garrafa, e caada
2*000.
Genebra verdadeira de Hollanda, em botijas, de conta oerta, marca gallo a 360 rs.
Milho alpista o mais limpo que ha a 160 rs. a libra a 5*000 rs., a arroba.
RIJA DO 0."EIMMMI Y II.
Loja de fazeoda de Augusto Fredcrice dos Santos Porto.
ESTEIRAS PARA SALAS.
A este estabelecimente chejou um ptimo sortimento de esleirs para sala, sende de diversas lar
muito creditada marca T de 6,5oo a 7,800 guras at 6 palmos e da mais superior qualidade .que se vendem por prefos mais mdicos que em
outra qualquer parte.
SOUTEMHAKQl'ES.
Os mais superiores soutembarques de casemira de cores ricamente enfeitados acabam de chegar a
este estabelecimento.
ENFEITES PAR \ BAILE de lindos gostos.
LVAS l)E PELLICA DE JOVIN para hninens c senhora.
CHAPEOS DE PALIIA DA ITALIA para senhnras, enfeitados com flnisslmas flores a 145 e 165-
CHAPEOS DE PALHA para meninas, enfeitados ricamente a 7.
CAMISAS INCI.EZAS para homem, colarinhos, peitos e punhos, de linho, a 42500(i a duzia.
CAPAS DE SEDA PRETA para senhor.is, bordada c enfeitadas de 225 a 505000.
ZUAVOS de seda pretoa para senhora-. enfeitados com o melhor gosto a 265-
CHAPEOS DK PALHA para hornera a 3*1100.
CAMISINHAS COM MAXCITTOS E CltAVATA para senhoras, bordadas com muito gosto.
ATOALHADO DE LINHO para mesa! fazenda superior.
Finos chapeos pretot de seda, chales de diversas qualidades, grosdenaple preto e de cores, pannos
pretoi tinos, casemirea pretal e da cores, britn branco e pardo, linas ISasinhas para vestidos e outras
militas fazenda- que se vendem por comraodos precos. A iiiesma loja chegaram os
640 o cento, e
Pimenta do reino a 34o rs. a libra.
Farinha do Maranho a 14o rs. a libra.
Tijolo pura limpar facas a 16o rs. cada um.
Comiaho a 4oo rs. a libra.
Eiva do c a libra.
Canella a l,ooo rs.a libra.
Batatasi l.ooo rs. o gigo com 32 libras liqui-
das e 3,ooo rs. a caixa de duas arrobas.
Ricos cortes Pcde-se toda aliouto.
Custodio Jos Alves Guimaraes, dono da toja in-
titulada Gallo Vigilante, ra do Crespo o. 7, avisa
aos seus numerosos freguezes e ao respeitavel pu-
blico, que tendo de reformar no fim deste anno seu
estabelecimento, equerendo liquidar grande quan-
tidade de diversos ibjcctos, esta rosolvido a vender
ludo por precos baratissimos, como sejam :
Pecas com 45 varas de franjas de linho a 3-
Ditas com io varas de galaode linho a 35-
Laa sortida para bordar, libra a 4.
Ftoco de cores sortidos, pe^a a 160 rs.
Manguitos para sen lora, o par 800 rs.
Goiiuhas de bonitos gotos a 400,500 e 15.
Salvas de metal priacipe a 15500, 25e 2*500.
Ditas com copos de metal proprio para meninos a
1#K).
Facas e garfos para sobre-mesa a 4* a duzia.
Ditas e ditos dita com cabo de marlim a 65.
Bandejas de todos es lmannos muito tinas a 1*,
1*200, 1S400, 1*1)00, 25500, 3*500 e 5*.
Ditas redondas para copo de 500 rs. para 2*800.
Tesouras em carteiras, a duzia a 500 rs., 640 e
800 rs.
Peitos para camisas, a duzia a 25.
Camisinhas bordadas para senhora a 1*500 e 2*.
Chapelinas para senhora a 3*.
Ditas para menina i. 25.
Chapeozinho para meninas de escola ou passeio a
2* e 3*.
Flores francezas, ca.xos grandes, a 600 rs.
Lavas de seda com pequeo toque de mofo a 300
rs. o par.
Toucas de laa para meninos a 500 rs., fil a 500 e
600 rs., de seda a 800 rs.
Sapatinhos de merino a 800 rs., e de laa a 500 rs.
Bolsinhas de missauga para meninas de escola a
800 rs.
Botbes dourados pra punho a 200 rs. o par.
Tinteiros de metal a 30 rs.
Trancellns para relogio a 100 rs.
Ditos de fila chamal ite a 200 rs.
Esrrivaninhas de metal a 35500.
Colheres de metal para cha a 200 rs. a duzia.
Ditas de dito para sopa a 25 a duzia.
Botes de duraque pretes a 400 rs. a groza.
Cartas hespanholas para jogos a 15200 a duzia.
Casticaea brancos (i amarellos de metal a 15.
Carteiras para algibeira a 000, 600. 800 e 1*.
Sabonetes muito linos a 15200,15600 e 25 a duzia.
Fivelas pra caira a 300 rs. a duzia.
Botdes de ac para calca a 320 a groza.
Caixinhas cui alune lo. grampus e clcheles a 320,
MO a SOOrs.
Fitas de borracha pretas e de cor a 120 e 160 rs.
a vara.
Latas com dous massos de apulhas por 800 rs.
Ditas para sinleiro a 300 e 400 rs. a vara.
Caixinhas para costura de senhora a 15500,2*.
3,4, 5 e6*.
Comnoteiras de vidn com pratos de metal a 3* e
4*000.
Franja de laa para debrnnhar tapetes a 25 a peca.
Palitos do fogo, prava d'agna, a l*a groza ou 120
rs. a duzia.
Assun como ten grande sortimento dominios
mais onjerlos que M tornarla enfadnnho menclo-
na-los. que nulo se vender mnilo barato nara li-
Jnidar: na ruado Crespo n. 7, o rna do impera-
oro. 59, jUUtO ao piSMi, e ra-a ila liquidacao.
se me torna entadonho estar aprestmarado : :
pessoas que precisaren) apparecam. que (ario aa
gocio, visto a vontade que o dono tem de acatar.
Sea llores lumanqaeiros.
Na ra Imperial n. 35 vende-se marroqnim a
165 a duzia, lilas de laa sortida a 160 rs. a peca.
bezerro idem idem a 36* a duzia
I
ESCRAVQS FGIDOS.
Fugio no dia 28 de dezerabro a escrava crioja
de nome Anna, rom os signaos segni.t-s !c...\tc
seca do eor|H>, bracos curtos, maus pequeas e naa
pouco grossas, anda de vagar, levou ve*nd a>
palmas encarnadas e de prevencao um de l\a caen
lisira verde debruado com ftta de velludo prela e
um cuales preto rom palmas encarnadas : portaa>-
to quem a pegar leve-a a ra Velha n. 55 ou de-
traz da matriz sobrado n. 33 em frente a ra da
Gloria.
Escravo fgido.
No dia 4 do corrente fugio o escravo Rizifie.
crioulo, estatura regular, secco do corpo, cor ama-
rella, soffre de frialdade, tem falta de d-nles oa
frente, ps apalhetados. tem calos n- ares,
pisa muilo de vagar, levou calca de bnm p
camisa branca, chapeo de massa preto mnito osa-
do : quemo pegar, leve-o ra Db pn-
meiro andar, que tera gratificado.
BacraTt futido.
Fugio do engenho Maxicauba. comarca do Li-
moeiro, a escrava parda de nome Antonia, idatfe
36 annos pouco niaisou menes, eorpo aarao, alura
regular, urna orelha murcha. dente lunados, >aa
ricatrizes pelo corpo. Esta escrava ten estado ia
nesta cidade. est fgida desle o Io de uu>' n.i d<>
anno paseado. Quem aapprehemler U\> i
praca, ra do Qucimadoloja de hmtm n. 1< oa
no mesmo engenho que sera glilift aaV>
De bordo da barca Africana, Tupiram vm
escravos, um crioulo de nome Amonio, represen-
ta ter 40 annos, cara feia, eneta da corpo. estatu-
ra regular, outro mulato de nome Joao, ropn~:pn-
la ter ItO annos, estatura regalar : quem ou par
ou delles der noticia no escripiono de
I.mi deOliveira Azevedo & C ou a bordo da una.
barca ser bem recompensado.
m. miv\
No armazem do A villa, no Forte do Matl
ania do becco da ftna vende-se cal
mais nova que lia nc mercada a 3*800 o barril.
Fugio no dia 17 de corrente a escrava Mar
do Rosario, e erioula, tem o dedo grande da man
esquerda de menos por causa de nm panarrio,
levou vestido de eseumilhaer de caf, diales en-
carnado ja velho. argolas de ouro as aaafhaa, fot
escrava do Sr. Joao Manoel senhor do
Sant'Auna e ltimamente do Sr. Bernardo Ro-
drigues Pinbeiro, tem irmaos em Santo Amaro dn
Jaboato para onde se deseona na f i rogase
as autoridades poliriaes e capitaes de aaanpe a
captura e quem a pegar leve-a a ra da natarti
Velha n. 94, que ser gratificado^_________
- Do silio intitulado Mangurir:i. Ierras
genho do Meio, freguezia da \
muala de nome Rosa, rom i
idade 30 a 35 annos, altura regular,
dea, que neropre iraaia ella ou com ir,
banana, olnoa pequeos um p<
esta que s se rouliecia a mmte
rosto com manchas muito de l
de zoes como wpeci
a i|iiem a apprehender,
ou nata praca, na rna I i
Jos Lt iz de Souza Ferreira, (\


8
Dlnrlo de Prrnambiiro Qtiaria frlra de Vane Ir o de 1484.
LITTERATM.
0 Ostl)rntschc-Post publica o seguinte sobre
a queslao do Holstein :
As tropas austracas, destinadas a Ja estik) em marrha. Temos as segumos informa-
(bes positivas sobro as obrigaees daquolle ejerci-
to : as tropas teem ordem de occupar completa-
0 i|iio, ? pe mundo.
o dhenrso que S. M. el-rei da Suecia pro-
andn, no eneerramenta da dieta
Senli.res. A rossa tarefa est concluida.
C imparando a importancia o multiplicidadc dos
feabalhos que foram submctlulos a rossa delibera-
ele, dao se i '.e julgar inulto cMsiderawl o espa-
lo de tempe que Ihes haveis consagrado. Poucas podoria manten
, lem daJo solueo a tantas questoes impor-
tantes, e poucas harera m que se najara prepara-' J *> M" 0,'le,n Pa recorrer.a torca
Co deetsdOs de inters* mais geral. "" t;,?0 de resistencia eventual da parte dos Dina
ra entre o re e o paiz, nao parecendo d maneira
alguma dispMos a seguir a dynastia Lavara nos
acasos daquella luta.
t K' conveniente lenibrar que o ministerio Miau
lis, investido de plenos poderes pela cmara, por
oeeasjao da nsurreigo de Nauplia, s continuara
mente o Holr-lein, comprelieiulendo as fortalezas de a desempeabar provisoriamente o sen mandato cm
Reudsbouig e a parle principal de Triedrocksladt. virtude de tuna dclcgaeo da represeutaeo na-
Xo lia anda a corteza de que os Dinamanpiczes cional. i
evacu.m o doui ltimos pontos, porque so prelen- Ao rci.Atlienas, 20 de abril de IHti (V. S)-
de, pela sua parte, que sendo pontos fortificados os i Senlior.Os abatios asignados su imetteram
ue acabamos de indicar, a linlia do Eider nao se i4 y. jr.. depois da sua volta para a (recia foatu-
bro de 18011, as razes poique jalgavam eonveol-
le pedir a Y. M. que- so dignasse conceder-Ibes a
. vavel mente suspender-se as operaees para prote-
ler pensado tranquilla o maduramente, Ii.-orgeio-
me de que a opinio esclarecida do paiz lia de as- '
segurar a ado| gao da miaba proposta a este res-
ucito
>m 1812, por occasiao do sitio da cidadella de An-
tuerpia entre os llollandezes e Francezcs.
o Bm consc iraeneia de urna das modilicaeoes in- < Ein rirlude desle accoido, nao se poderia dis-
irodmidas, durante esta sessao, na lei fundamen- urar do lado da cidadella rollado para a cidade.
lal, estabeleceu-so atina) que, os casos em que o Alm disso, as tropas federaes permanecero no
rei estiver impedido de sustentar as redeas do go- Holstein at (ue estejam satisfetas todas as pre-
verno, sejain regulados de urna maneira que cor- tenges da confederago, comprohendendo as que
responde mellior do que a regencia interina at re referem manutenerlo dos direitos do Sehleswig,
afora decretada, nos principios da monarchiacons-' que s foram creadas pelo tratado de Londres de
tiln ional. j 1832, e at que a Dinamarca tenba prestado garan-
Outra allerago de maior importancia assegu- lias reaes.
rou o direito de representago na ordem dos cam- >'0 entretanto a conlederago deve occupar-se
poaezes, aos propietarios ruraes que perlencem s \ i.a nlnefa da questo de successao. Mas lia nislo
Otras classes da sociedade. i difflculdades. Por que so propaga a opinio de que
a lei sobre os synodios abre egreja da Sue- a dieta nao competente para resolver-s por si a
ca urna nova era. A liberdade que se Ihe conce- j queslao, o se esla deveria ser submetlida auna
deu de fazer valer as suas aspirares, c de proce- j :onferencia europea especial. Desla maneira teria
der, por mete de delibcragoes serradas, ao regu- u imperador dos Franceses a perspectiva de ver
lamento dos seus mais importantes negocios, deve- -ealisar-se o seu projecto de congresso, pelo monos
r, com o auxilio do Todo-Poderoso, desenvolver a
ua acg.io e fortalecer a sua posigo.
e Tendes ad iplado projeclos de um novo cdigo
penal, de um novo cdigo martimo e de una nova
lei sobre o direito de caca na conformidade dos
principios em que se fundavam as propostas que
vos aprsente! a respeito daquelles assumptos. Com
passo tirme vos liareis aproximado ao grande fim
da lber dado geral da industria, e a reflectida alten-
tao que tendes prestado s leis do crdito, assim I
como legislarlo florestal, La do proJuzir os seus!
Iruclos. Tendes-me mesmo submettido projectos
sobre rauilos outros ramos da legislaban ; cumpri-
rei o de ver de Ihes rotar um consciencioso exame.
A conformidade de ideas entre ogoverao e a
representacao, do que a dieta offereceu um carc-
ter geral, nao s; cumplelou no que diz respeilo
kVgislago das alfandegas. No numero das resolu-
{oes que me haveis apresenudo a este respeito,
existe a que annuncia a intencao, j de offereccr
protcogo a corlas industrias, por meio do nevos di-
reitos que se devein introduzir na pauta, j de as
favorecer cm geral com semelhantes medidas.
Terido todas as industrias um direito egual
mesir.a protecgo e mesma solicilude, e a prclec-
(aa que se com-edu a urna dolas, pelo augmento
do valor dos seus productos por meio dos direitos
elevados, vae iecoisariameule sobrecarregar as
otra?, eu sigo ainda as mesmas ideas de outr'ora,
com a convircao do que o bem geral da industria
objecto comm um dos oossosesforgos reunidos
se asegurar rnell.or e mais equitativamente pela
educcio ou suppressosuccessiva dos excessivos
encargo?, de que as differentes industrias tratam
te. snhrccarrcgar-se mutuamente, por meio de sa-
crifi-ios que reciprocamente se impoem.
Os generosos crditos que haveis votado a fa-
vor da instrurcao publica, dos caminhos de ferro e
de outras obras de utilidade geral, sao um teste-
munho da solicitudo que tundes pelo prugresso in
lelleclual e material do paiz. Concedestcs tambem,
com dedica;o, para adeea nacional, mais do que
es crditos ordinarios, que vos pedi, tendo em vis-
a a siiuaeo poltica da Europa.
i A iranquillidade de que disfructava o nosso
fcemispherio, quando se abriu esta dieta, abalou-se
em quanto dnravam as suas sess5es, e com quanto
nao tenbamossidodirectameatoameafados; temos
comrudo interesses intimamente ligados manu-
|enrao na paz, e do direito publico da Europa. Nao
podemos deixar de tomar urna parte ainda mais
Bracera nos graves receios que suscitam osperigos
que ameacain o rei e o povo da Dinamarca, com os
quaes partilhamos egualmente da dr que expati*
nentam com a perda de um soberano tao amado,
que foi neu amigo fiel assim como da Suecia.
t No consclho das potencias, procurarei sempre
fazer ouvir a voz dos reinos unidos no campo da
jnstiea ; nao poderia exigir-se que colloeassemos
ali a nossa espada, antes do baver calculado se se
poderia conseguir o fim com os meios de que dis-
pomos. Os constantes estorbos que faco por tudo
quanto pode contribuir para a conservado da paz,
levaram-me a acceitar o convite que o imperador
dos Francezes dirigiu s potencias europeas para a
reiinio de um i'ongresso geral.
Pedindo para a Suecia c para o seu povo a
proteccao da Divina Providencia, declaro termina-
dos os trabalhoi da actual dieta, assegurando a to-
dos om geral e a cada um em particular a minha
real benevolencia. >
em parte.
Escrevem de Alhenas o seguinte:
ltimamente o rei, recebendo os membros da
assembla nacional, pediu-lhes, para honra do seu
reinado o da Grecia, que revogassem a medida ini-
jua que exilou os minislros do re Othon. Vejamos
agera a resolucao com que ha pouco a assembla
iiellenica responden s intencoes generosas do seu
nove soberano.
f Andrinopola tinha eleito um deputado. De 400
cleitores, pouco mais ou menos, 300 votaram a fa-
vor de Mr. Rhangale; 113 votos recahirara no ou.
tro candidato. A assembla regeitou o eleito por
:i00 votos, para cscolher o que so tinha alcancado
113. Ninguem discutir, ninguem subiu tribu-
na ; a assembla votou unanimeote e na maior
iranquillidade. E' deste modo que aqui se compre-
liende a verificaco dos poderes.
< As pessoas que nao conhecem a Grecia admi-
i am-se talvez deste facto. Eis aqui as explicacoes
que nos deram a respeito delle :
t Mr. Rhangale um homem honesto e muilo
i itelligente. Dirige em Alhenas um jornal, que
1 do pela gente mais circumspecta. Fei ministro
co rei Othon, crime mperdoavel u'um pair onde
t >da a gentetera ttdo occ asio de se encarregar de
urna pasta ministerial. Gosa de urna reputagao
distincta fora do paiz, as corporacoes scientilicas
da Europa. Tem diifercntes condecoraedes, creio
que mes me a commenda da legio de honra. O
rei de certo o recebeu bem, como um cidado que
I onra o seu paiz. Provavelmente j jantou no pa-
go, como Mr. Cliristoponlos jantou, ha dous mezes
cam S. M. em Bruxellas. Nao podemos dar outra
explicago exclusao de Mr. Rhangale.
< a queslao jnica irrita o paiz. Zanto est sen-
do oiheano <<> grava* do.sordens. Os assassinatos
ali sao em grande numero, Unto na cidade como
i o campo. Aos partidarios do rgimen inglez, di-
demisso das suas funceoes. V. M. serviu-se atlen-
com der ao sen pedido, c resolveu formar um novo
limara fbnele.
Tendo-so malogrado a [inmeira combinacSo
ministerial, osabaixo assignados conlinuarain pro-
visoriamente a deseinpenbar as suas funcges. es-
perando que V. M. os prevenisso. Netle meio lem-
po rebentou a insurreieao de Nauplia. Os abaixo
assignados julgaram que era doseudever nao
abandonar o seu posto at que se restabelccesse a
ordem.
t Agora, senhor, que felizmente est terminada
a crise que abalara o estado, sendo este resultado
devido ao espirito conservador do paiz, os abaixo
assignados julgam chegaJo o momento de suppli-
cagjm humildemente a V. M. que acceite as suas
demissoes, recebendo ao mesmo lempo a cxpresso
da su3 profunda gralido pela conlianca com que
V. M. se dignou honra-Ios al agora.
t De V. M., Senhor,
< Os inuito humildes obedientes servidores c
liis subditos.
Miaulii, presidente; Christoponlos, liotzaris,
Simos, Condouriotis l'ollys.
Nao tendo el-rei dado seguimenlo a este pedi-
do eollertivo, em consequpncia das difculdades
que cncontrava a forraacao de um novo gabinete,
os ministros dirigiram ao presidente do conselho a
seguinte carta:
A' Mr. Mironlis, presidente do conselho de
ministros.
< Alhenas, 17-29 de maio de 18C2.
t Senhor.Razues de consideracao obrigaram
de ha muito o ministerio, com o sabis, a solicitar
de S. M. el-rei que se digna sse acceitar a sua de-
misso. N'essa poca, S. M. oecupou-se da forma-
cao de um novo ministerio, nao podendo os seus
esforcos conseguir um resultado satisfalono. Des-
de entilo, como muito bem sabis, senhor presiden-
te, a conlianca enfraqueceu sensivelmente todo* os
dias,e a posicao do governo lornou-se cada vez mais
difflcil.
t Neste estado de cousas, julgaraos cumprir um
dever sagrado para com el-rei e para com o paiz,
supplicando de novo S. M., por vossa interven-
cao, queira por termo crise ministerial, que
existe ha tempos.
i Dignae-vos, senhor presidente, expr franca-
mente S. M. que, depois de urna seria insurrei-
eao, cujo abalo continuo se faz sentir em todas as
classes da sociedade; em presenca das faccoes
alertamente hostis S. M., e das preoccupacSes da
opinio publica, tanto na Grecia corno no estran-
geiro, a prolongaco da crise ministerial poderia
ter resultados, cuja responsabilidade nao acceda-
mos uem queremos accei tar, como bomens leaes e
conscienciosos.
Recebei, etc.
c Botzaris, Christo>onlos Pothjs, Condouriotis,
Simos.
Nota que o governo russo dirigi aos seus
representantes no nstrangeiro :
Stockolmo, 20 de novembro de 1363.O tele-
grapho trouxe-nos hontcm a crannwi|,'c"ii| de
que o principe de Augustemburgo, attendendo a
que seu pae renunciara aos seus pretendidos di-
reitos, publicara urna proclamaco, em que declara
O nosso governo nao poderia por um instante
suppdr, verdade, que qualquer das potencias |K>-
desse ter o projecto de se desembarazar dos com-
promisos to solemnemente contribuios ; mas nao
considera de maneira alguma intil, que as poten-
ciag signatarias coneordem sobre o meio que de-
vein escolher e sobre as mcdidan que devem to-
mar, para impedir a expoliarlo de um soberano
ctijos direitos foram por ellas reconhecidos, e para
fazer desapparecer o perigo que ameacv o equili-
brio da poltica ouroi^a.
IVeo-vos facaos loitura deste despache S.
Ex. o ministro dos negocios eslrangeirns, deixan-
do-Hie copia e declarando-llie, nesia occasiao que
o governo de el-rei espera reivln r una resposla
sobre esla quostao importante.
Acceftae, etc. Mondtrtlroem.i
A cmara prussiana dos sonboros elaborou a
Begoioic mensagem em resposla ao discurso pro-
nunciado pelo n-i no acto da abertura das cama-
ras :
llluslrissimo e poderosissiaM rei, mui gracio-
so rci e soberano.A cmara dos senhores enra-
ra como um dever indisponsavel manifestar a sua
mais inleira gratidao V. M. pea ijiiencao pa-
ternal que encontramos as palavras vigorosas e
benvolas que V. M. dignou pronunciar por occa-
siao da abertura das duas cmaras da monarrliia.
V. M. declaren com tanta docilidade quanta firme-
za, que nenhnni dos direitos da coroa podia ser
desconhecido, se a Prosaia quer consorvar-se o
reconhecimento que lem pelas beneioi que Ihe
sao renovadas na descendencia dos vossos glorioio>
antepassados
Somos pela vida e com o mais profundo ros-
peito, de V. M.. a muito humilde e fldellissima
cmara dos senhores.
O Times publicou o seguinte :
E' muito difflcil iuterpretar as deelaracoes do
imperador actual da Itussia. Tem senqi're sido
-ado de fraqueza de carcter e de falta de
resotaco, Sen |iae pelo contrario mereca a ad-
miraoaode lodos os governo- folies. Todava este
nao recua em frente Je urna luta que fez recuar
sen pac. Afronlou a pertinacia e a colera de nina
classe aristocrtica p defOSa, e as tendeneias so-
eialistas do- cainpomnes tenoraates; por outro
ladot encaroagou-so da tarefa de exterminar e es-
magar a Polonia, por espago de trinla annos, Ira-
loa de dosnacionalisar.
Os embaracos que levaram o imperador dos
Franceses a convocar um congrssso eurpeu nao
se devem attribuir a ptenla lo algum genio aquel-
lo imperador da Russia, mego, philantropico e
conciliador. Quo se dir das declaragoes d'a-
quelle soberano ? Quando falla do desoje que tem
de ver asttbelecer um accordo cordeal entre os so-,
beranos, julgava elle que a maneira porque Iratou'
os conselhos da Inglaterra, Franca, e Austria, de-
monstra que se conforma com aquella regra? Jul-
gar elle que os actos do seu reinado provam que |
deseja substituir a conlianca e a concordia paz
quo e so deve realmente oLter em troca as ben- armada que pesa sobre as nacoes ?-----Nao earc-
cos que proveen) do uso pratico e consciencioso ce de pensar om conciliar o futuro com a histo-
lu ** *' :___a_____.!_-___- i- ..___.~~~BB_ nH WI1 i. f.it....... I... I n.l.^_ uL!. .X .._ ni .1.1 ..\
dos direitos imprescriptveis da represeutaeo na-
cional.
A cmara dos senhores iinpoe-se o dever sa-
grado de marchar nesta vereda, com Qdelidade
inabalavel, |tar de V. M., procurando correspon-
der eooflanea manifestada por V. M. a es|>eran-
ga de (diter o apoio das cmaras em todas as cm-
prezas que tenham por ftn a prosperidado interna
e a soguranga externa do estado.
i Cooperaremos tambem voluntariamente para'
a obra pacifieaque V*. M. trata de. realisar. propon-
do que as prerogalivas do governo para as despe- cas dese.jariam obter informaooes sobre assump-
zas necessarias sejam reguladas por um novo pro-1 tos que devem ser objeete de m accordo ; doste
jeclo de le, no caso de se nao conseguir entender- modo aquel le imperador .cortes, liberal e concilia-
ria ; o futuro hade saber sabir s por si do em-
barago. O futuro longe de reclamar a inlerven-
go do um potentado, o resultado inevitavel do
passado.
t Um fuluro de paz nao pule resultar da obra
sanguinolenta que se consuma na Polonia, nem a
traiiijuillidade europea se pode estabelecer cora
apoltica estrangeira adoptada recentemente pola
Russia.
t Kmiiui o imperador da Russia condescende
em se occupar do congresso. Diz que as pten-
se sobre a queslao do ornamento.
Iotmiamente persuadidos de que a nova or-
ganisagao do oxorcilo, de que somos devedores
V. M., corresponde pcrfeitamente ao fim exigido,
e aos interesses econmicos do paiz, e de que nao
poderia por consequencia ser atacada, submettere-
mos a um atiento exame o futuro projecto de lei
sobre a durago do trrico militar. Julgaraos que
a Providencia langou a sua bengao particular so-
bre esla obra, porque, gragas prosperidado sem-
pre crescente do paiz, as naaneas do estado tem
melhorado, a ponto que as despezas exigidas pelo
reforgo do exercito teem sido coberlas pelas recei-
tas correntes, e que, por outro lado, se lem podido
fazer despezas extraordinarias para bem geral do
paiz.
As negociaees enlaboladas para a conserva-
dor, desee ao mesmo campo em que se colloeou
a Inglaterra rude e franca. Suppomos que ne-
cessaro para a dignidnde real que as outras duas
grandes potencias procedam da mesma maneira,
com as mesmas deelaracoes benvolas e os mes-
aros pedidos de infonnages ; mas nao julgamos
que es a a melhor occasiao para o emprego in-
til da rbetorica, e nao tendo j de facto existen-
cia o projecto do congreso, estimamos muito di-
z-lo clara e promptamente.
i A Italia, o Wurtenhorg, a Saxonia e a Bl-
gica, sao talvez muito felzcs de se juntaren! ao
congresso, com especialidade porque provavel-
mente nao baver congresso. Nunca houve me-
lhor occasiao de se mostrar fcilidade com pou-
co cusi. Mas o projecto malogrou-se, e bom
que os soberanos procedam n'esta conformi-
ede Z.Hverein reanimam de novo a esperanga dade.
e que este lago de verdadeira unidade allema, | A Gazeta da Cruz publica o seguinte despa-
para a creacao e manutencao da qual as finangas e cho de lord Russell ao embaixador inglez
interesses econmicos da Prus-sia tem j feito tao Berln :
em
direilo e dever de resolver o mais breve possivel a
queslao cm letigio.
As medidas to enrgicas como opportunas
adoptadas por V. M. para impedir que o movimen-
to insurgente que existe no reino da Polonia se es-
tenda ao ducado de Posen, foram coroadas de bom
xito.
Julgamos do nosso dever manifestar-vos os
nossos mais sinceros agradec montos, em nome
rigem-se todos os das ameagas de morte. E' urna
cuestao, que longe de cs.ar concluida, se nao pode Z^^^nX'te Sswig e
considerar e.omecada, e que, envolvendo-senella as de HoL-tein.
raixoes polticas, pode arrastar a Grecia maior Annuncia-nns tambem que os prncipes da l-
lonfuso. nha ducal de Saxonia, reconheceram este preten-
... ... dente na dita qualidade, e que o grao duque de
\ ese passeiar pelas ras de Alhenas o saltea- oidemburgo protestara contra a successao nos du-
dor Kyriakos, que em julho ultimo, commetleu! cadoi .,
.. ........i..i .. u V. -, Todas estas manifestarnos sao outros tantos
ac os sanguinolentos e vergonbosos. Foi absolvido; aUques convencAo de LoVes de 8 de maio de
l elo conselho de guerra do Nauplia, e vem agora 11832, que se conclu u com proposito de assegu-
aqui pedir a recompensa dos trricos prestados ao' rar a ordem da successao no reino da Dinamarca
partido da egualdaie, que se acha actualmente no
ministerio, representado na pessoa de Mr. Bul-
importantes sacrificios, nao tornar de novo a rom
per-se. No caso porem de se baidarem as inten-
goes benvolas a este respeilo, a Prussia tem has- j
tantc forga e moios para encontrar um caminho
especial no dominio do commercio e aduaneiro.
Os direitos tesados pelo rei da Dinamarca nos
estados confederados do Holstein e do Lauembur-
go j outr'ora foram objecto de delberagoes espe-
ciaes da cmara dos senhores que fez una mogao,
Ministerio dos negocios estrangeiros 3 de no-
vembro de 1863.
t SenhorI
c O governo de S. M soubecom sentimento seu
por um telegramma que Ihe diriga sir Alexandre
Malet, embaixador britannico junto da dieta fede-
ral, que as pretengoes do principe Frederico de
Augstemhurg successao nos ducades de Schles-
wig e do Holstein foram apresentadas pelo delega-
segundo a qual a confederago germnica tinha do de Badn, como mandatario do principe, peran-
- te a dieta, e que as quesloes que d'aqui se suscita-
ram foram remetidas a urna commisso.
Nesle estado de cousas julga o governo de S.
M. necessario, fazer-vos saber sem demora que nao
pde abrigar-se n'um culro campo que nao seja a
observancia conscienciosa de todas as obrigacoes
constituidas pela conveago de 8 de maio de lo32.
Mas aquello tratado obriga o governo de S.
M., de accordo com os outros signatarios daquellc
principalmente das provincias da Prussia em que ; instrumento, observando as consequeneias mencio
se mantiveram os beneficios da paz, emquanto que '. nadas no mesmo tratado, e reeontiecer S. A. R. o
as suas fronteiras a insurreieao se desenvolver ; principe Christiane de Schelswig Holstein Sondor-
da maneira mais assustadora. Urna oceupago mi- j bourg Glocksbourg e os seus descendentes mascu-
lilar, promptamente executada, protegeu efflcaz- linos na linha directa, do casamento com a prraee-
mente os subditos de V. M. as provincias frontei-1 za l.uiza de Hesse, na posse do direito de succes-
ras. A poltica firme e nao equivoca de V. M nos sao de todas as partes do paiz reunido ento sob o
negocios da Polonia asseguram Prussia una pie-1 sceptro de S. M. el-rei da Dinamarca,
na adheso da parte das potencias europeas, e ad- O governo de S. M. espera que as potencias
quirimos mesmo o respeito dos nossos adversarios, que assignaram aquella convengo ou quo adheri-
t A nosigo actual da Europa est mui agita- ram a ella, observaro a mesma attitude nesta
da, V. M. mesmo nos disse que essa posigo po-, queslao.
dia agitar-se ainda mais. E' por consequencia; Sou ele.
tanto mais epportuno fortalecer o poder militare
dufaniivn i.i Allo.manha nos limites da constilui-
confederados do Canad tinham formado urna
conspirarn para por em liberdade os pnsioneiros
d quem do sul. internados em Jbhnstoo-lsland, na
bahia de Sanduski, e para incendiar a cidade de
Bllalo assim como as prinripaes cidades do Lito-
ral do lago Eri.
Parece ipic na ilha Johnston harta 2.000 ofli-
ciaes separatistas, sem contar ansqnavnta rbeta
de "ii'rrilbas, c 80 oflciaea prisioneiros dos ulti
mos encontr i da Virginia, fetos peto general
Meade, e que eslavam em caminho para aquello
deposito.
A descoberta d'esta eonseiraeSo snsoa g
sorpresa, e o governo apressou-se a mandar mul-
tas eaoboneiras federaos para o lago Eri, aliinde
Impedir a fuga do- pi
t Tanto no norte romo no sul cansa grande
precaue.), as esplieras governaraenlaes, o alista
ment dos voluntarios. j
Em Nova-Vork, n'um meoting unionista que
houve no Coopor-lnslituto, decidiu-e elevar os pre-
mios eflorecidos aoS voluntarios a somma de 600 e
7t)0 pesos, se forem soldados feitos i|ue so engagem
de novo.
Apezar deste enorme premio, es alistamenlo-
sao dilllceis. e parece que o governo ord-rur
una nova conscnpgao para o mez de Janeiro pr-
ximo.
< No sul, as legislaturas dos estados Mississipi o
Alabama, n" una sessio de novembro, recommen-
daram a organisacao das milicia., alistameeto
forgado de lodos os cidados validos de desosis
sessenta annos, e o emprego dos negros nos traba-
Ihos das fortilicagoes.i
No dia 22 o presidente c a depularao do se-
nado francs apremiaran] ao imperador Napo-
loao, ufes Tullherias, a resposla a falla do throao.
Bis o que disse S. M. I. ao receber essa roani-
festago :
t Senhor presidente : orgo da primeira cor-
porago do estado, fez-me ouvir expressoes, que
me tocara profundamente.
c Vejo com satisfago, que os discursos mais
oppostos confundiam-se na unanimidade do voto
da mensagem, testemunhando-me a mesma con
t banca; ella nao ser Iludida. O bem, romo sa-
bis, o unieo movel das minhas acg5es. No inte-
rior, como no ezterior, anhelo o apaziguamento
das paixdcs, a concordia o a onio.
Provoco com todos os meus esforgos o ensejo
em que as grandes quesloes, que dividen oe go-
vernos, posean ser resolvidas pacilieamenle peta
arbitragem europea. Este desojo era o do chele de
minha familia, quando exclamara em Santa He-
lena : pelejar na Europa entrar en guerra
civil.
t Esle grande pensamenio, outr'ora urna utopia.
nao podera tornar-se amanha pma realidad* ?
Soja como for, sempre honroso proclamar em
principio tendente a fazer desapparecer os pre-
conceitos de outras eras. Unamos mssos esfor-
Sos neste nobre proposito : nao nos preoceupemos
os obstculos seno para os vencer, nen da in-
credulidade seno para eonfundi-la.
Queira ser, Sr. presidente, junto do senado o
interprete dos meus agradecmentos.
Alternando para o tbeor da ultima remmunira-
cio de Mr. Drouvn de Lhuys aos diflerenles gabi-
netes, nao de rer, que a sua idea encontr obs-
tculo decisivo em parle alguma. Passar da pro-
posta de um congresso para resolver todas as
questoes da Europa, sem previo accordo, sen pro-
gramma definido, para negociages entre os mi-
nistros dos negocios estrangeiros no sentido de
precisar o alcance e a tendencia das deliberarle*.
modificar considera velmeote a idea prini ti va.
Seria offender gratuitamente o governo franeez
negar-so dlseawsnOde quaesquer ihmas de polti-
ca por meio de despachos de secretaria. Se a pro-
babihdade de chegar a um accordo como d'anies,
mais do que problemtica, ao mesmo o compro-
uiellimenlo das potencias evita-so, porque cada urna
Loara com as sua convicgdes, sera arriscar a con-
troversia n'um areopago solemne, que poderia fa-
zer surgir nevas reclamagoes,c aggravar sobrena-
neira as dissongoos e embaracos existentes.
Entretanto, as palavras de Napoleo denotan ten-
dencias mui pacificas: e a lulengoffirme de a le-
var por diante pelos meios indicados no discurso
de 5 do crrente.
Russeil.'
Sao federal. em(uanlo que tentativas inespera-
as de reformas, por mem de um congresso de
principes, ameagam abalar tambem os meios de
defesa da unidad-) allema.
Segundo as ultimas noticias recebidas em
Washington do quartel general de Potomac, os fe-
deraes eslavam acampados no anligo campo de
batalha do Cedar-Mountain.
As tropas confederadas achavam-se estabele-
As opinioes polticas mais differentes, as mais!
divergentes saesmo, virara com gratidao qut v. ^ das fortemente desde a margem sul do Rapidam
M. raanteve firmemente a honra e os direitos da aw ^.pUj, Consta de um despacho do Cairo, que o gene-
. de facto, s assim sern reconhecidos por i "'L,eerlinha.ab3ndonao comma"d1i d.,
toda a Darte o nnder da Prussia o a sua misso t0 da Virginia, para se collocar a testa das torga*
^^^iL^L^^^Jm^X^. confederadas era frente de Cbal.anoga, Braxton-
F0LHE1IM.
O ANNEL ir A HA SIS. (')
Clli dilaga.to bonga.
(Si Deus, d eu tomarei)
(Proverbio mahratta.)
I
garls.
Depois desta correspondencia nao deixa de
rierecer inleresse o que diz o Courrier du Ihmanchf
c os documentos que adiante vamos publicar.
f.-se no Courrier du Dimanrhe:
t Censuramos como mereca o deploravel decre-
t) da assembla de Athenas, datado de 17 de outu-
1 ro ultimo, quo. votou a um verdadeiro ostracismo
es membros d ministerio Miaoulis. Os segurares
tocumenlos, que sao inditos, poem em evidencia
c carcter odioso desta medida.
Estabelecem que antes da insurreigao de Nau-
plia, o ministerio linha dado a sua demisso, quo
s se conservava n seu posto por dever, e que
apenas se reslabcleceu a ordem, renovara as suas
iaslancias para que fosso acceila a sua demis-
so. Com esta simples leitura se comprehende que
os homens de estado que couipunliain o gabiuote
nao se illudiam a respailo da lula que se suscila-
I e de garantir a integridade e independencia da
quelle reino, como nocessara conservago do
equilibrio poltico da Europa. A integridade da mo-
narcha dinamarqueza esla seriamente ameagada
pela tentativa que se Ihe faz de Ihe tirar o ducado
de Holstein, que constitue um dos mais bellos orna-
mentos daquella cora. A independencia desta mo-
narchia nao est menos perigosamente ameagada
pela protengo que os soberanos allemes leem de
querer decidir da sorte do ducado de Sehleswig,
que nunca pertenceu ao imperio romano, nem
confederago germnica.
t Nao se trata de urna execuco federal em urna
das provincias pertencenles aquella reunas de es-
tados, mas sim de medidas tendentes a arrancar
os ducados de Sehleswig e de Holstein coroa di-
namarqueza, a faror de um principe sujeito ao
apanagioallemo. Nao duvidamos que esta queslao
seja apresentada perante a dieta federal allema,
que Lem poderia deixar-.se levar at ao ponto de se
attribuir o direilo de decidir da sorte de um paiz,
que nao alloman.
Neste estado de cousas, o governo de el-rei,
na qualidade de signatario da convengo de lan-
dres, julga-se autorsado a pedir expltcagdes s po-
tencias que assignaram aquella convengo, para
saber o que se propem fazer em presenga desla
oceurrencia.
Era em 1834, no Rheno, entre Moguncia e Colo-
nia. O vapor om que ia de passagem chamava-se
Liiretey, nomo dossa scra allema, assumplo de
taas halladas e lendas diversas. Nossos dous
can'iosinbps aeabavam de saudar o fhrinstein e
carregados de novo, iam render homenagom a mys-
leriOM madrinba do ligeiro barro, quando a cn-
Versaco dos passageiros, nesse momento bastante
animada, foi interrumpida do repente por urna vio-
lenta pancada. Todos vollaram-se, levados pelo
ine-mo movimento, para o lado em que a bulha
bavia chamado a attenrao, e viram, com snrpreza,
quo sm estrenan provlnha de urna pequea mesa
^roscamente laneadf ao chao polo mais gravo, ca-
lailo e taciturno individuo da mmpanhia, a quem
80 bavia baptisado pelo gentilhomem negro por
nao sor contiendo o seu nome, protisso e titulo,
que por certo possuia. Sua physionomia e aspecto
oral infiiridiain remeto, e impunham para assim
izor aoatunoii'.o. Despido de arrogancia, nada
tirilla que repel.isse a sympalha, ora porm, tal a
{) The Ring of Amasis (2 vol. chapman and
Fa I, Londres) < o titulo de um romance que aca-
ta de obter na Inlaierra um sucresso geral c le-
gitimo. Ksta enmposigo original, que mosira
en nma faro ora o talento de Owen Morodth,
fin o de rtolvr-r nos parecen digno de ser ronhe-
rito em Franca, e nquadro narrativo cmque en-
saiamos reprrtuzl-k) permitlfra molhur quo urna
imples anlye,apreciar o valor detle. K t que
liiiibein temos om vsla aqui publicando-o. ..
distinogo do sua pessoa, que s permittrado elle,
e o poderia tratar cora farailiandade. Era um
laquelles h )inensa que travessama inullido sem se
ixporem ao seu contacto, |ms a Larrera illimila-
da que o ternava inaccessivel, o oceultava quasi a
vista de lodos. Ninguem Ihe fallava, ninguem delle
lie oceupava, Lem quebouvessealtraliidoaattengo
de todos. Foi pois com ger.il surpreza que o virara
'ommettor tal desaso, e quasi praticar urna incon-
renieiieia derruLando o movel que eslava a sua
fronte. Hume, com suas mesas daugantes, nao
id iraria tanto os seus expecladores. entretanto
) gentilLomem negro, allastou-se sem que mostras-
>e haver dado altengo a to ftil acontecimenlo.
Eu o segu, a pezar nieu, como iinpcllido por urna
es|iecie de curiosid ide iiiaguelca.
Em p, rom os bracos cruzados, elle contempla-
ra a agua fervente quo as rpidas evoluges da
roda faziam espumar, assoviar, e esguichar em
branca, espuma, e vendo essa figura irnpassivel a
aiiin mesmo inquira o que faria tal humera, se al
?um desastre o collocasse tm face de um seu se-
melhante a lutar cora as vagas e prestes a morrer.
Sob pena de |erder a meus olhos pensava en,
seu prestigio, sera preciso que em tal caso essa
iliNsiuiioniiasecitnservasse imperturbavel; do con-
traro, nu vera mais do que urna mascara va a
Derrd do priioeiro acaso.. .Quando taes ponsa-
nienlos me prooccupavam, um sino soou do lado
le Saint-Goar. O barco diminuiu sua marcha, e
runos urna pequea catraia se desprender da mar-
irem para nos vir abordar: nao Irazia, como pas-
sageiros, mais do que urna niulher e urna erianga,
ieiiino de (.roa do seis annos, une pareca ador-
necido sotan os joellios de sua me. A voz do
iiuinmandante, as rodas tinliam cesando de jogar, o
jareo se liudafioslo en defensiva; mas de seus fior-
dos agitados m deslaearam ainda altas vagas, cu-
;as fortes onduUcdes faziam vaoillar de um a ou-
to Luido a frgil Larca que nos Lusoava. Tinha
leixado de ollia-la, quando ura terrivel grito me
fez tremer :
Jess I Maria! moutilho! mou filliol
Todos os passageiros aitrahdos por este angus-
tiado clamor, so colloearam a um lempo do lado da
Cacada, no alto da qual me conservava. Buscando
pegar corda que so Ihe linha hincado do vapor, o
Lateleiro, pan ce liara perdido o equilibrio, e fei-
to virar sua frgil barquiuha. Quando pude por-
ue ao faci do succosso, se incava essa liomem
providencial na Allemanha ; s assim podero es
tar verdadeira mente garantidas, a unidade, o po-
der e a seguranga da patria allema.i.
Ousamos esperar com confianga, que a ma-
nulengo strirta da honra e dos direitos da corda
de V. M., ha de convencer o governo imperial aus-
traco de que s por um accordo, e pela unio
com a Prussia, podero obler-se a prosperidade e
seguranga da Allemanha.
Muito gracioso rei e soberano I Cincoenta
annos teem j decorrido desde que S. M. el-rei
vosso augus.o pae, dirigiu ao seu povo, n'uma; nondiam com valor ao fogo das bateras e monito-
poca dolorosa, palavras para sempre memora-! res unionistas.
veis, e os seus subditos levantaram-se como um Segundo diz o Republicano de Washington, foi
s homem para responder ao seu soberano |>ela em Rodgersville, no condado de Hankn (Tennes-
sua dedicago e com os maiores sacrificios. Nes- seo) que os separatistas sorprendern) e fizeram
se anno dirieiram-se ao Altssirao cgdes de gra-; 300 600 prisioneiros federaes do exercito Burn-
Bargg foi mandado para Mobili e Lmgstree afim
de substituir o general Lee no Rapidam. Esla no-
ticia, porm, dependa de confirmago
Dizia-seque Lee tinha mandado duas divisdes
de cavallaria para o Tennessee oriental; mas que
depois tinham sido chamadas, recebendo ordem
para se reunirem ao exercito do sul em Gordons-
ville.
Na data das ultimas noticias de Charleston,
recebidas em Nova-York, continuava o bombar-
deamento do forte Sumter, e os confederados ros-
gas pela bengo que Deus langou a essas palavras
c acgo, assim como pela paz que disfruclamos ha
meio seculo.
A nossa consolago, no meio das provagoos
por um dos lados do navio, e ura de nossos mari-
nheiros, que do alto da escada se bavia precipita-
do no rio, acabava de agarrar a pobre mulher de-
baixo da roda, quasi a morrer.-Mas a erianga 1
ende eslava o menino?A forga dacorrenteza nos
tinha j feito andar algumas bragas, o rom dfiicul-
dade se dcstinguia ainda por sobre a cor-
rente do rio um chapusinho de palha cujos lagos
azues se agilavam ao sopro da brisa. Aps um
momento de absoluto silencia, a anxiedade geral
se traduziojpor urna especie de comprimido gemer.
Acahajramos de ver distinrtamente as mosi-
nhas ila rranga, que se debata cm vo e cujas
torgas se exhauriara rpidamente. Ello mergu-
Ihou, e nos o perdemos de vista; um instante de.
pois a loura cabocinha voltou a superficie d'agua-
Um mesuio grito parliu de todos os peitos, e sau-
dou esta reapparigo inesperada. Logo cada um
tornou-so mudo; lodos os rostos eslavam voltados,
todas as vistas se dirigiam na mesma direcgo;
porque se destinguia ento desse lado, cortando a
onda pqr movimenU>3 de urna rcgularidade e pro-
ciso mitlieinatliioos. os dous bracos negros de um
intrpido nadador. Dir-se-ha que estira, aii por
mero gusto, tanta trauquillidade, para nao dizer
indffereuga, havia nos inovimenlos do que pare-
calo depender a vida de um sor humano: tambem
o sentimento geral era antes o de uina impaciencia
revoltada.doqued'uma roconhecida admirago. Es-
sehomem nao einprcgava evidentemente motado da
forga de que dispunha. A urna pequea distancia
da erianga prestes a desapparecer quando um
vigoroso esforgo a tena posto ao seu alcance, elle
deixou perder essa occasiao suprema. Os espec-
tadores soltaram um grito de reprovago, que elle
nao ouviu cortamente, porque acabava de mergu-
Ihar por sua vez. Ento houve um novo silencio,
resoltado de una indisivel anoiedado, silencio de
morte que dir-se-lua dever ser eterno, mas que,
depois do alguns segundoscada umdosquaes
valia um seculo foi quebrado por um clamor lr-
umpbado. O nadador e a erianga aeabavam de
reappareeer ambos nao bavia duvida, este ultimo
eslava salvo/
Com mais descango, mais lentamente que nunca
so abandonando a eorrenle e inipellindo diante de
si, como una coUSfe moita, o pequeo sor que aca-
bava de arrancar do abysnio, indilTorenle a este
resultado de seus estoicos, indlflerente ao interes-
se deipio olio proprio se linha tornado alvo, o gen-
tilhomem negro gauliava pouco pouco o vapor.
side.
c O Republicano acrescenta que Burnside estava
em Knouville com o grosso das suas tropas, espe-
rando para operar, s ordons do general Grant,
de toda a especie que nosopprimem, e a nssa quo a sua posigo era excellente, e que se fazia
nica alegra sao de que V. M. tem confianga em forte para repellir todas as torgas confederadas
nos, e de que nos continuamos a ser esse velho que se mandassem contra ello.
Sovo prussiano, que pela graga de Deus foi con- Cm despacho telegraphico posterior diz que
ado V. M. Este governo, firme e benvolo, Burnside foi substituido pelo general Torrar.
cuja contiuuago V. M. nos promeltou para o fu- l'm telegramma de Mr. Stanton, ministro da
turo, reunir dentro em pouco aquelles que se' guerra, dirigido ao maire de Bllalo, annuncia,
teem desgarrado. I segundo infonnages ofllciaes recebidas do Cana-
c V. M. ha de ver rom satisfago que o sou da, e transmitlidas ao governo por lord Lyons,
povo sabe ainda provar pela antiga fidelidade o ministro inglez em Washington, que os refugiados
O pouco successo, que ellas leem tido nao i
nima o soberano franeez. Espera que de nm
ou de outro, continuem as negociagoes, augmenten)
as nulas, as circulares, decorretdo o lempo sem li-
quidar cousa alguma.
O principe Napoleo, qne nao nsoa da patarra
no senado, foi argido de haver escripSe sabr a
poltica do dia a um dos seus amigos de Francfort.
Nossa epstola S. A. nao oceulta, que a guerra Ihe
parece inevitavel na prxima primavera, e guerra
geral. Segundo pensa, a Italia nao pode permane-
cer na precaria situage em que se arha. Cusnpro.
quo exista ou deixe de existir. A sua siluago fi-
nanceira ne comporta mais detengas. E preciso.
que no mez de marco ataque a Venecia, oa seja
ella mesma atacada.
Se estiver s, corre o risco de ver destruida a
unidade, reduzdo o Piemonle aos seus amigos li-
mites.
Se ti ver a seu lado a Franca poder assenho.
rear-se de Vooeza, eslabeleeer-se ali, creando as.
mu um remo da Italia septentrional, abandonan,
do as provincias meridionaes antiga aulooomia
A imputarn durou pouco. O secretario do prin-
cipe, Emmanuel Hubaioe, escreve "o seguinte, da-
lado do Palais-royal a 21 do eorrenle. .Sr. redac-
tor. A y/ilion publicou Lontem o extracto de orna
caria attribuida por urna folha estrangeira S. A.
I. o principe Napoleo.
c Estou enearregado do desmentir a pretendida
carta pelo theor mais cathegorico. Nao ha urna pata-
rra de verdade, nem na torna, nen as ideas qor
exprime.
As opinioes do principe sao assaz contiendas
manifestou-as clara e positivamente na tribuna
Hesumera-seem duas palavras : liberdade e naete-
nalidade.
Quanto Italia especialmente, a sna unidade
antes de tudo ; no interosse da Franca era primer
ro lugar, no da Italia em seguida.
Permitla-lhe observe, Sr. redactor, que antes
de reproduzr essa missiva absurda c lao pouco
I verosmil, tor-lbc-hia sido fcil obter ntormaces
acerca da sua authenticidade, poupando-se asaias a
admillir esla rectificago.
Vi desccr a chalupa que se enviava para recolher
a erianga, vi o infatigavel nadador recusar o soc-
corro que essa chalupa Ihe offerecia, e ento, s
ento, Lusquei sobre o rosto dos passageiros o re-
flexo das emogoes alegres que me ammavam. To-
das as physionomiaseslavam radiantes, salvo urna
smente; todas as vistas brilhavam com o mesmo
brilho, exrepto aquellas de ama mulher que fui;
tentado a tomar naquelle momento pela propria
Lueley. Bella sera duvida, mas dessa belleza pe-1
Irilicante que, semelhante a da antiga Medusa, gola
e sangue as veas, calma, indilTorenle, implacavel,
ella assistia (nao sci desde quando) essa luta, em
que urna vida esteva era jogo, com a mais comple-
ta indilTerenga.
Assentada sobre a plataforma do corredor perto
do qual estava em p, e d'ahi dominando a multi- I
i do agitada, nao pareca ter outro cuidado que o
, de aquucer ao sol o marmore vivo de que era (or-
! mada. Seus bragos seoceultavam debaixodo sua
i longa capa de seda cujas dobras, juntas ao redor
! de sou peito, deixavam om relevo a perfeioo, dig-
na da sialuana, de suas magmlicas espaduas. Ad-
mirei-me de me havor ella apparecido quasi sbi-
tamente. Quanto ao cavalleiro negro eu o linha
perdido completamente de vista e estava ainda
absorvido na intensa contemplacao era que me
morgulbava essa creatura mystenosa, que minha
iinaginaco se obslinava em confundir com a lx>re-
l('H das legendas, quando elle appareceu sobre a
plataforma e se elevou subitamoiito diante dola, j
Como estava mudado este rosto do qual havia ad- \
mirado a immovel belleza I l'nia supplica muda,
mas ardente, se piulara em suas feigos que .
teria crido condenraadas a nada exprimir. O fre-1
mito doloroso dos labios, a supplica apaixonada que
se lia na vista linhain aeloquencia desses appellos
supremos que ura agonsante uos dirige sera pro- j
nuneiar uina s palavra, e entretanto, do alto do '
seu isolamento glacial a bella Lorebw, silenciosa,
por sua vez deixava car urna vista Tria o sem re-
plica sobre esse rosto deque cada fego a Implo-
rara. Enlo una voz profunda e como quebrada,
cuja emogo eustava evidentemente um esforgo
inaudito, murmuruu essas patarras confusas.
Nunca, pois ?... E a resposlfede Loretey in-
cisiva e penetrante como a nota mais aguda da
gaita, foi mu especie de clio irnico e fjnebre
Cguaf aquello que soa em uina ruina deserta
Nunca -disse ella siuiplosuienle.
Urna pallidoz cadavrica descorou ainda mais o
rosto lvido da iufeliz a quera ella nolificava assim
una irrevogavel senlenga ; porm um minuto de-
pois suas feiges marmreas tinham roadequerdo
sua calma habitual, e elle desappareceu na escada
da cmara, com to pouco ruido, rom to irnpas-
sivel serenidado como quando tinha atravessado a
ponte alguns momentos antes. A Loreley o se-
guio logo depois. Eu indo para junto da erianga
cuja existencia tinha estado um momento lo roin-
promellida, assegurei-mede que o accidento nao
Ihe Iraria nenhuma consequencia funesta, c con-
firmava essa ba nova a sua desolada me, quan-
do um creado gravo de cabellos grisalhos veiu
supplicar respeitosamenle a brava mulher, em no-
me do conde e da condossa R... de Ihes levar ella
mesma a erianga doente para um salo onde se
acabava de preparar tudo para se Ihe dar os cui-
dados que reclamava o seu estado.
Quando os quatro actores desso pequeo drama
desapparoceram, o despenseiro do vapor viu-se
abarbado de questoes acerca do gentilhomem
negro.i As intormagos que ellos nos podo dar,
se limitaran] a bem pouco. Sou hemos que o ob-
t'i'oto de nossa curiosdade chamava-se o conde
alinund R..., que possuia um immenso morgado
na Silesia prussiana, o que Ihe pareca pertencia a
urna amiga familia de que era o ultimo represen'
taute. Quanto a minha mystenosa Loratr*. quan-
to a essa mgica de fronte severa cujas fascina-
(des me tinham um momento domado, nao era
mais do quefoi preciso tomar um partido nisso
uina condessa silciana, a inullier do melhor na-
dador que al enlo feriamos visto. Tanto se
exaltava a huinanidade desle ultimo, quanto a fra
inipassibilidade daconlessa era objecto de malvo-
los eommentarios, sobreludo entre as sonhoras,
porqueliouvi'iain alguns homens que a defende-
ram, e expliraram sua Iranquillidade pela certeza
om que estava de ver sen mando sair sao e salvo
do |ierigo que a nossos olhos pareca correr. Esta
inti rprotaoao oaridosa linha toda a plausiblidade
de ser aoolbida, e contava j un corto numero de
partidarios, quando un digno conselheiro intimo,
nota vel por SUS excessiva gordura, nos deelarou
.jii.' peto que linha risto e sabido na Silesia a con-
densa ti niia a raaao nm tanto desarranjada. Essa
affeccao meniaL juntara o (ielioi-mer-OLiT-liatn
(o alto eoneeibeiru inti no) doria sor reputada n-
curavrl, porque nunca tinha ourido dizer queso
houvesse procurado coinbalela i>or especie algu-
ma de tralamenlo. O conde e a condessa R... re-
sidiam quasi todo o anno no morgado do ronde,
situado doz milhas de Breslau, no isolamento o
mais completo, nao visitando e nao sendo por nin-
guem visitados, l'ma voz por outra deixavam a
Allemanha para passarcm alguns mozos om Pari-
No exista herdeiro aigum directo do grande naor-
gado, que dado a m irle do conde pastara a ai-
gum ramo rollateral. Tambem ninguem na Sile-
sia se interessava pelo destino desee estranhe par.
Estes detalhos inexi>erados pozeram fim a dis-
cuti que tinham vindo interromper. Aproxi-
ma vamo-nos do termo de nossa viagem, e o peque-
o grupo de conversadores quo tinha al ali se
manlido, se dispersou pouco pouco. Cada qual
exrepto eu, pareca haver tomado o sen partido dr
nunca mais se recordar do que havia snecedido
nossa vista. Debrugado sobro a proa do vapor a
com os elhos fixos sobre as ondas amarelladas, en
sondava inlelleclualmonle a inexpllravel dAr, que
cria ter entrevisto atravez da paluda immobilida-
de das feiges da condessa e a tortura moral que
se d-ii uncia va nos relmpagos aqui e ali langados
pelos grandes olhos negros de seu marido.
N.o, dizia comigo, seja qual fr o segredo
dessas duas almas, lonho visto bstanle, para as
considerar unidas para sempre na angustia com-
mum de um deslino ir reconcilia vel I
O sol estava prximo ao orease e linha qnasi
desapparocido quando descobrimos lenlamont
muralhas ennegrecidas da velha cidade imperial.
A torre massica da posada calhodral se protilava
negra n'um horisonte cor de purpura, e quando
eu levantoi os olhos sobre essa polo gigantesca
que estende sou brago de esqueleto para o anligo
t rochado do Drago perecea i uuvi-la inler-
pela-lonossos lemos :Ninguem podo revocar
o passado ; a interminav.'l viuda dan annos. ranea
c entri>tecc o corago. Dos teapanMan, s no
restamos noste mundo. Sainamos reconciliar-
nos I...
E o rochedo d'ende a immensa fabrica du Dom
lem ido pedir podra |Hir podra, nao respumteu
nao |Mir um silencio obstinado a este melancolice
esconjuro.
(Continuarse-hn.)
PKVSAMUrcO.- l'YP. l>8 M. P. F. rUHO.





Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUB7FSUWR_T5VJB1 INGEST_TIME 2013-08-28T00:07:13Z PACKAGE AA00011611_10117
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES